Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10570


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLI. ROMERO 13.
niPsa?.%* 1|

Hr quarfel pago dentra de 10 dias do i. mez ...
dem depois dos 1." 10 dias do comecoe dentro do quartel.
Porte ao correio por tres mezes .*.........

$1000
6$ooe
750
DIARIO DE

TERCA FEIRA 17 DE JANEIRO DE 1865.
r<
Por anno pago dentro de 1.0, las do 1. mez
Porte ao correio per um anno ..,.,..
191000
3$000
ENCARREGADOS DA SBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, oSr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araran, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranbo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Al ves i\
Filnos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Alagoas o Sr. Claudio Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Marlins Al ves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho. I
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agua Preta, iodos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bexerro?, Bonilo, Caruar,
Altinbo, Garanhuns, Buiqne, S. Bento, Born Con-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
te, Onricory.Salgueiro eEx.nas quartas feiras.
Serinhem, RioFormoso, Tamandar, Una, Barre i-
ros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas feiras.
liba de Fernando todas as veres que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresc. as i b., 22 m. e 52 s. da t.
11 La ebeia as 8 h. 40 m. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 m. e 52 s. da m.
27 La nova as 7 h., 10 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal
Relagao:
Faienda
*
Jtizo do :ommercio : segundas s 11 horas.
Dito de o
Primeira
dia.
Segunda
hora dJ tarde.
IU
pkte ernciAi
DKCBETO N. 3,371 DE 7 DE JANEIRO DE 1865.
Crea corpos para o servido de guerra em circuns-
tancias extraordinarias com a denominacao de
Voluntarios da Patria, estabelece as coniicves e
fixa as contagens que Ihes ficam competindo.
Attendendo s graves e extraordinarias circuns-
tancias em que se acha o paiz, e a urgente e inde-
elloav.-l necessidade de tomar na ausencia do corno
legislativo todas as providencias para a sustento
no exterior da honra e integridade do Imperio, e,
tendo oavido o meu conselho de ministros, hei por
bem decretar:
Art. Sao creados extraordinariameate corpos
para o servico de guerra, composlos de todos os
cidadfios raaiores de 18 e menores de 50 anuos,
que voluntariamente se quizerem alistar, sob as
condiges e vaotagens abaixo declaradas.
Ari. 2. Os voluntarios que nao forem guardas
nacionaes terao, alora do sold que percebem os
voluntarios do exercilo, mais 300 rs. diarios e a
gratilicacao de 3004 quando derem baixa, e um
praso de Ierras de 22,500 bracas quadradas as
colonias militares ou agrcolas.
Art. 3." Os guardas nacionaes, pragas de pret,
que se apresentarera se rao alistados na primeira
rain com as mesmas vaotagens do art. 2, pausan-
do nos postos que liverem oos corpos da mesma
guarda a que pertencerem.
Art. 4. Os voluntarios comprehendidos nos arti-
f os anteriores terao baixa logo que for declarada a
paz, daodo-se-lhes immediataraeote passagem para
onde a solicitarem, oo caso que teoham de se trans-
portar por mar.
Art. 3 As baixas nao dependero de ordem do
govern-t, licando os commaodantes dos respectivos
corpos autonsados a da-las logo que forem recla-
madas pelos individuos que tiverem direito.
Art. 6.' Os voluntarios terao todas as regalas,
direitos e privilegios das pragas do exercilo, para
seren reconheciuos cadetes ou particulares, sein
que por isso percara as vautagens do art. 2o e
possam ser promovidos a offleiaes quando se dis-
tinguirera.
Os que tiverem direito a ser reconhecidos cade-
tes ou particulares podero usar log dos respecti-
vos dstinctlvos at se proceder aos cooselhos de
direcfo e averguago, quando o quarlel-geoeral
o faculte; flcaodo dispensados da apresentago de
escriptora de alimentos.
Art. 7. Aquelles que desislirem da baixa depois
de feita a paz, e continuarem a servir por mais
tres anno?, recebero alm das outras vaotagens,
3005, sendo lOOnesse acto e o resto uo flm de tres
annos.
Art. 8." Os voluntarios de que tratam os arts. 2
e 3" Ikaro isentos do servico do exercilo e mari-
nha, assim como do servico activo da guarda na-
cional, quando nao se queiram prestar voluntaria-
mente. Os do art. 3o, quando se prestera, terao
preferencia na prnmoeao aos postos d- ulciaes,
dada igualdade de circuui:>laucias com outros.
Arl. 9 Os voluntarios terao direito aos empre-
gos pblicos de preferencia, em igualdade de ha-
bliiages, a quaesquer outros individuos.
Arl. 10. As familias dos voluntarios que fallece-
rem no campo da balalha ou em consecuencia de
erimentas recebidos nella lero direito a penso |
ou meio sold, conforme se acha estabelecido para
ps offleiaes e pragas do exrcito. Os que flcarera
UMMilUadea por ferimentos recebidos em combate
pereebero durante sua vida sold dobrado de vo-
ntano.
Art II. rodos os voluntarios de que trata este |
'ecreto traro no brago esquerdo urna chapa de
metal amarello com a cora imperial, tendo por
baixo as seguinte palavras Voluntarios da Patria ,
da qual podero usar mesmo depois da baixa.
Arl. 12. O governo conceder, em alteugo aos ,
servidos relevantes prestados pelos ditos volunta-
rios, graduagoes de offleiaes bocorarbs do exer-1
dio ; e solicitar Jo corpo legislativo autorisa- i
gao para conctder-lhe vitaliciamente o sold por
inteiro ou em parte correspondente aos seus
postos.
Art. 13. As pragas dos corpos policiaes io im.
pero.e os individuos queja tiverem oblido baixa
desses corpos e dos de primeira liona, terao todas i
as vantageus concedidas aos voluntarios guardas
nacionaes.
Art. 11. Gozaro de todas estas vaotagens aquel-
les que na corte e provincia do Rio de Janeiro
se apresentarem dentro do prazo de 60 dias, as
viudas mais prximas no de 3 e as pro-
mais remotas de -4 mezes, contados da data da
publicacao deste decreto as respectivas capitaes,
os guardas nacionaes aoscommandantes supe-:
riores, e onde os nao houver aos comtnanJantes
dos corpos,eos outros voluntarios s autoridades
que o governo desigoar.
Art. 1 j. Ficam provisoriamente revogadas as,
dispogices em contrario.
0< meus ministros e secretarios de estado dos!
negocios das diversas reparticas assim o tenham .
entendido e facam executar. "
Palacio do Rio de Janeiro, em 7 de Janeiro de
1888, 44 da independencia e do imperio. Com a
rabriea de Sua Magestade o Imperador. Francis-1
Jo> Furtudo. Jas Liberato Barroso. Carlos i
Carneiro do Campos. Joo Pedro Das Vieira.
Henriquc de Beaurepaire Rohao. Francisco Xa-
xier Pinto Lima. Jesuioo Narcondes de Oliveira
Sa.
G0VKHM DA PROVINCIA.
Expediente do dia 12 de Janeiro de 1863.
Offleio ao toronel commandante das armas.
Por despacho desta data, autonsei o director do ar-
senal de guerra a satisfazer com urgencia o pedido
do commandante do 9 batalho de infantaria a que
allud* o offleio de V. S. n. 77, que ca assim res-
pondido.
Dito ao mesmo. -Queira V. S. informar acerca
do que pede Jos Gongalves da Silva no incluso
reqnerlmenio.
Dito ao Dr. chefe de policaRemeti V. ?.
alm de qne informe com o que Ihe occorrer acerca
do que representa, contra o 4 subdelegado em
exercicio, Pedro de Assis Campos Cosdem, a c-
mara municipal da villa do Pao d'Alho no offleio
incluso, que mesera devolvido.Communicou-se
predtta cmara municipal.
Dito ao mesmo.-Remello inclusos o requer-
ment que me enderecoa o sentanciado Vicente
Ferreira Soares, e a ftiformacao ministrada pelo
joiz municipal da l1 vara para que V. S. teoha em
considerarlo o que allega o supplicante e d as
suas ordens no sentido em que elle rqoer.
Dito ao mesmo.Consla-me que o expromolor
da comarca de Flores. ba> harel Ignacio Tavares da
Silva, retiraodo-se para o termo de Baixa-Verde,
depois de demando, all est sendo encom modado e
ameacaao por pessoas do lugar, que promettem dar
urna surra em urna ama, que elle lem, assim como
que | foi recrutado um criado do mesmo.
Nao sei se estas coosas acontecen) com auxilio
das autoridades policiaes aquella localidade, como
se pode suppor, em vista do recrutamento, de que
cima f 11 le: mas o que nao padece duvida que
semelhante procedimento, que nao parecera |ou-
vavel para com outro qualqner cidado,- torna-se
anda mais estranhavel quando se dirige contra um
bacharel, cidado esclarecido e de boa conducta,
como estou informado, e que acaba de exercer
nessa comarca um carga importante.
Cumpre, pois, que V. S. d as mais termioantes
ordens, aflm de que o referido bacharel nao conti-
ne a ser molestado.Neste sentido offlciou-se ao
Dr. juiz de direito e ao delegado de polica de
Flores.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Com a inclusa conta satisfago a requisigao contida
em sua inrormago de 23 de novembro ultimo, sob
n. 677, e por isso pode V. S., nao havendo mais in-
conveniente, mandar pagar a Francisco Jos da
Fonceca ou a seu procurador Jos Cecilio Carnei-
ro Montoiro, conforme solicitou o coronel comman-:
danle das armas em offleio n. 1,974, de 4 daquelle
mez, a quantia de 454240, em que importoii a des-
peza feita com a condugo da oagagem do 2 bata-
lho de infantaria, desde o quartel do Hospicio at
o caes da ra da Aurora, e um carreto para o ar-
senal demarinha.
Por essa occastSo julgo conveniente previnir a
V. *., de que o mencionado coronel declarou-me
era offleio de 9 do crrante n. 47, que presente-
mente nao possivel saber-se qual a natureza e
quantidade dosobjectos conduzdos. Communicou-
se ao coronel commandante das armas.
Dito ao mesmo. Para ter approvago a deruis-
sSe dada ao guarda da alfandega Felino Uostaoo
Ferreira Coelho pelo respectivo inspector, e de que
trata o offleio de V. S. n. 2o de 10 do correte, pa-
rece-me que devo ter scienci dos motivos que de-
ram lugar a semelhaote demisso, que nao duvida-
rei approva-la oo caso de serem justos.
Dito ao mesmo.Remello iocIusos os requeri-
mentos do capito Francisco Borges de Lima, e al-
fares Francisco Ganuino Simoes, ambos do 9" bata-
lho de infamara, para que V. S. mande abonar
em os devidos lempos, as consignagoes que elles
pretenden] deixar dos respectivos sidos nesta pro-
vincia, para alimentos de suas familias.Corarau-
Bleou se ao corooel commaodante das armas.
Dito ao mesmo.Transmitto V. S. os inclusos
prels alim de que, nao havendo inconveniente, man-
de pagar os venc mantos, relativos aos mezes de
novembro e dezembro ltimos, do cometa-mr do
batalho 9" de infantaria da guarda nacional de
Olinda, Clemente Jos da Silva, visto assim o haver
solicitado o respectivo commandante superior em
offleio de 8 do frrente.Communieou-se ao com-
mandante superior da guarda nacional de Olinda e
Iguarass.
Dito ao mesmo.Mande V. S. apresentar ao ca-
pilo do porto o em pregado dessa thesouraria, que
elle solicitou no offleio a que allude a ua informa-
gao n. 23 de 11 do correle, para cumprimento do
disposto no art. 30 do regulameoto da pratcagem
de 28 de fevereiro de 1854.Communicou-se ao
capito do porto.
Dito ao mesmo. -Mande V. S. ajustar conlas ao
1" lente da armada, Antonh Ferreira de Olivei-
ra, commandante da companhia de aprendizes ma-
rinheiros, a vista da guia qua he passnu a thesou-
raria de fazenda da Bahia enr26 de dezembro ul-
timo.Communicou-se ao inspector de arsenal de
marinos.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Recommendo V. S., que, era vista do competente
certificado, e nao havendo inconveniente, mande
pagar ao arrematante da obra do caes margem
do canal da ra da Aurora a quantia de 2:800$,
correspondente primeira prestago do seu con-
trato, e a que se julga com direito por hiver feito
23 bragas correntes daquelle caes, segundo consta
do offleio do chefe interino da repartigo das obras
publicas, datado de hontem, e sob n. 12.Commu-
nicou-se ao chefe interino da repartigo das obras
publicas.
Hito ao mesmoAutoriso V. S. em vista do fi-
nal de sua infermagao de hontem, sob n. 19, dada
com referencia a da contadoria dessa thesouraria
mandar pagar a Francisco Malaquias Soares, nao
obstante a falla involuntaria que comraetteu dei-
xando de prestar juramento antes de entrar em
exercicio como professor interino da segunda ca-
deira de, instruegioelementar dafregueza de Cira
bres, a quantia de 80^665, correspondente aos
venciment'is, a que se julga cora direito por haver
oceupado aquella cadeira desde 17 de oulubro al
o ullmo de novembro do anno prximo passado.
Communicou-se ao director geral da instruccao
publica.
Dilo ao mesmo.Nao se dando ocooveoleote,
oem havendo duvida, mande V. S. pagar ao Dr.
Joo da Silva Ramos a quantia de 54}950, que se
Ihe est a dever pela lavagera da roupa dos presos
pobres da casa de detengo, no trimestre de outu-
bro a dezembro do anno prximo passado, como
se v da conta junta em duplcala, que para esse
fim veio annexa ao offleio do chefe de polica data-
da de 10 do correte e sob n. 15. -Communicou-se
ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. as 4 inclu-
sas conlas na importancia de 2305200 despendida
durante os mezes de setembro a dezembro do anno
prximo passado, com o fornecimenlo dos presos
pobres da cadeia de Caruar, aflm de que de con-
formidade com o que solicitou o chefe de polica
em offleio de 11 do correute sob n 48, mande nao
s levar em conta a quantia de 2005000 que para
essa despeza foi adiaotada ao delegado d aquella
termo, pagando-se o salde de 305200 ao Dr. Jos
dos Anjos Vieira de Amorim ; mas tambem adian-
tar ao mesmo delegado por intermedio do thesou-
reiro da polica outros 2005000 para contmuagao
de tal fornecimenlo.Communicou se ao Dr. chefe
de polica.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que solicitou o
chefe de polica era offleio de 10 do corrente, sob
n. 44 recommendo V. S. que em vista da inclu-
sa conta, e oo haveodo iocooveoienle, mande pa-
gar ao Dr. Joo da Silva Ramos a quantia de
645000 proveniente da despeza feita com o preso
da casa de detengo Antonio Rodrigues Vieira, que
foi tratado da varila na casa de sado daquelle
doutor. -Coraraunicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Em vista das duas inclusas
contas, mande V. S. pagar a compaohia de Bebe-
ribe a quantia de 365800, proveniente da agua po-
tavel, fornecida desde julhe at dezembro do aooo
prximo passado, para consumo da secretaria da
presidencia e repartigo das obras publicas.
Dito Francisco Xavier da Costa Agoiar Andra-
de (em Londres).-Remetto V. S. para os lias
convenientes o offleio em original que era dala da
11 do corrente rae dirigi a commisso encarrega-
da do ajuste das contas da estrada de ferro desta
provincia, e bem assim os balangos relativos ao
ajuste de contas no mez de dezembro prximo An-
do, e dos juros a que est obrigado o governo no
semestre lindo n'aquelle mez.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Remetta V. S. para esta capital, a disposigao do
Dr. chefe de polica, que o requlsilou em offleio de
10 do corrente, o sentenciado Antonio Francisco
de Souza, que tem de ser processado por diversos
crimes no termo de Ipojuca.Communicou-se ao
Dr. chefe de polica.
Dito ao presidente do conselho de compras na-
vaes.Concedo a antorisago que solicitou V. S.
por parto do conselho de compras navaes, para
?romover de conformidade com o regolamento de
8 de fevereiro de 1858, a compra dos objoctos
mencionados em seu offleio de 7 do corrente, vis-
to que sao necessarios para abastccimenio do al-
moxarifado do arsenal de marinha. Communicou-
se a thesouraria de fazenda.
Dilo ao lente coronel commandante do bata-
lho n. 49 de infantaria da guarda nacional do
municipio do Ouricury, Dunas Lopes de Siqueira.
Tendo o commandaole superior da guarda na-
ciooal dessa commarca deixado de remetter esta
presidencia, por Vmc. nao ter ministrado, a rela-
co nominal dos officiaes do batalho n. 49 da in-
fantaria, exigida por diversas circulares e desde
outubro de 1863, teoho a dizer-lhe que, sendo
Dito ai i
sob o. 73,
mente o
diversos
ou sejam
criminosos
para a ca
vmc. o commandante d aquelle batalho e nao tan- gado os guardas nacionaes, que forem oecessarios
do sido demittldo desse posto, deve cumprir as or- para o servico da cadeia de que elle trata a qual
dens do seu commandante superior, ao qual su- nunca se
bordinado, remoliendo com a raaior brevidade a rem as a ...
sobredita relagao.Remetteu-se copia desta offleio veres, e lavendo como ha um carcereiro
ao commandante superior da guarda nacional da savel.
do commerco: segundas e quimas.
trras e sabbados s 10 horas,
quintas s 10 horas.
phos : tercas e sextas s 10 horas,
vara do civel: tergas e sextas ao meio
vara docivel: quartas e sabbadts a 1
DIAS DA SEMANA.
16. Segunda. Ss. Berardo, Acurco e Othon.
17. Terga. S. Agatbo ab.; S. Antao ab.
18. Quarta. S. Prisca v. m.;; >. Leobaldo b.
19. Quinta. S. Canuto rei m.; S. Policiano m.
20. Sexta. Ss. Fabie e Sebastio mra.
21. Sabbado. S. Ignez v m.; S. Patrcolo tn.
22. Domingo. Ss. Vicenle e Anasiacio ram.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 8 hora e 30 m. da manha.
Segunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES C0STE1R0S.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
at a GraBja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livrarla da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manee! Figueiroa de
Faria & Filho.
augmentar o
sobredito destacamento, i plente acerca dos limites do districto em que teve sua mulher um *<. in m0,Q= .,m c ,.
ielegado tenha cuidado em | Cj* dispon iv
coitvm
: recommndar ao carcereiro toda a vigilancia, aflm
de^ue nao se evada algum preso.
mesmo. Ao offleio datado de hontem,
cabe-me dizer, que V. S. sabe perfeita-
Imottvo porque esto sendo retirados dos
sontos do centro da provincia os destaca
meatos da tropa de liaba, e por isso de duas urna
pelo delegado de Fguarass eovados os
que existem oa cadeia daquella villa
sa de detengo, ou requisite aquello dele
Boa-Vista.
Dito ao director do arsenal de guerra.Pala lei-
lura de sua informago n. 157, de 9 do corrente,
Qquei inteirado do motivo que deu lugar a essa
directora-exigir a prizo do artfice de fogo Ma-
noel Paotaleo da Costa Monteiro.
Dito ao presidente e vereadores da cmara mu-
nicipal do Pao d'Alho. -Devolvo cmara munici-
pal da villa do Pao d'Alho, o offleio, que me diri- ,
gio era 7 do corrente, aflm de que seja ouvido com espera
urgencia o juiz de paz, a que allude a cerca do Dito
contedo do citado offleio. i n. 51 d
Dito ao Dr. juiz de direito de Cabrob.Infor- me ler
podera dizer em abandono, se zelosas fo-
iloridades no cumprimenlo dos seus de-
respou-
Dijveno seguir para o sul por ordem superior a
tropa de
dispon VJ
que subs
rassu'.
Dito a
qual o
69 de 1
provmci
nha, e nao tendo o corpo policial gente
I nao possivel enviar um destacamento,
itua o que se mandou retirar de Igua-
me Vmc. com urgencia sobre o faci de redozir a
escravido os filhos de urna escrava de Thereza de
tal, aos quaes esta havia passado carta de liberda-
de, de que Irata a Revista Duna de Diario de
Pemambiico de hoje, que nesta data remello ao
mesmo.Rogo V. S. que me declare
criminoso, de que trata o seu offiv.io n.
do corrente, e que tem de seguir para a
da Parahyba no primeiro vapor que se
sul.
0 mesmo.Accuso a recepgo do'offleio
l deste mez, em que V. S. communieou-
coronel Joaquim Goncalves Guerra, na
de que trata em seu citado offleio.
Dito ao promotor publico do Recife. Reeera-
mendo Vmc. que promova o adiamntenlo do
processo que por offleio de 4 de novembro ultimo, ta de 19j600 rs., a que allude o citado offleio de
mandou a presidencia instaurar ao professor ad-
junto a cadeira do bairro da Boa-Vista Francis-
co Silverio da Fonseca Jnior.
Dilo ao delegado de polica de S. Bento. -Se-
gurado para essa villa um destacamento de 6 pra-
gas de polica sobre o commaodo de um inferior,
como requisitou Vmc.; assim Ib'o commnico pa-
ra seu conhecimeoto.Communicou-se ao Dr. che-
fe de polica.
Dilo ao subdelegado de Fazenda Grande FraB-
sl00 *nt0,!l0 ^mes Novaes.Devolvendo a peti-1 deste i z, e certdo junta par copia, com refe
reocla ao suppleote do subdelegado Salvador Ajto-
nio Rodrigues, morador na freguezia do Bom-Jar-
dim di comarca do Limoeiro.Commonicou-se ao
juiz municipal supplente de Santo Anto.
gao e documentos que vieram juntos ao seu offleio
de 15 de dezembro prximo tiado por nao estarem
sellados, tenho a dizer-lhe em resposta, qua por
ora nao estou resolvido a conceder-lha a demisso
que peda, mormenta nao a propondo o Dr. chafe
da polica, a qnom Vmc. se deve dirigir nesse sen-
tido.
Quanto ao destacamento commaadado por offl-
cial, nao possivel envia-lo agora por deficiencia
de forga desponivel, mas em tempe opportuno to-
marei em considerago essa sua requisigao.
Enlretanio espero que me envi a relagao dos
criminosos de que trata aquello sea citado offleio.
Porlaria O vice presidente da provincia atten-
dendo ao que requereu a professora publica de
ioslrucgo primaria da I' cadeira da freguezia de
S. Fre Pedro Gongalve do Recife, Claudiana Na-
tiva do O' Santos, e tendo em vista a informago
do director geral da instruego publica datada de
11 do corrente sob n 12, resolve conceder refe-
rida professora 20 dias de licenga com venclmen-
tos para tratar de sua sale.
Dita.O Sr. gerenta da companhia pernambu-
cana faga transportar no vapor que lera de seguir
pan o presidio de Fernando no da 14 do correa-
te, nao s os offlelaes e pragas que para all des-
tacara, mas tambem os sentencalos militares, ob-
jectos e utensilios qua o coronel commandante das
armas remetter relacionad )s para bordo do mesmo
vapor. Neste seutido offletou-se ao coronel com-
mandante das armas.
tuguezes Joaquim Marianoo da Silva Cravo e Jos
Nunes de Mallos, aflm de que se proceda acerca do
mesmo facto como j ordenei em 26 daquelle mez.
Renov ao mesmo Sr. cnsul os meus protestos
de estima e considerago.
Dito ao cnsul inglez.-Com a inclusa copia da
informago ministrada pelo administrador do cr-
relo desta cidade, em data de hontem, respondo o
offleio que me dirigi o Sr. Ricardo Austin, cnsul
interino da' Gra-Bretanha.
Reoovo ao Sr. eoosul a seguraBga deminha con-
siderago e estima.
Dito ao director geral da instruego publica.
Convenho em que seja adoptado as escolas de
instruego primaria o opsculo Cathecismo de
Agricultura, de Antonio da Castro Lopes, visto que
pelo conselho director foi considerado as cendi-
ges de ter essa applicago, segundo V. S. decla-
rou-me era seu offleio n. 14 de 12 do corrente, a
que respondo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar-me
acerca do que contra o professor ioterino de Cabro-
b, Feliciauo de Oliveira Uiniz, se allega nos o lu-
cios iocIusos; um do juiz muoicpal Io suppleote
daquelle termo, e o outro nao sei de que autori-
dade, por oo ter vindo assigoado, erabora achese
datado daquelle lugar.
Dilo ao procurador fiscal da thesouraria provin-
cial. Inteirado do contedo do offleio, que Vmc.
rae dirigi em 7 do corrente, tenho a dizer em res-
posta, que a vista do aviso n. 603 de 31 de dezem-
bro de 1860, a que allude o seu citado oflicio, pa-
rece-me nao haver incompatibilidade entre o em-
prego de ajudaole dessa procuradoria|fiscal, quena
cidade de Olinda oceupa o bacharel Jos oardoso
de Queiroz Fonseca e o cargo de juiz de paz para
que foi elle eleilo.
Devolvo o offleio em que o mencionado bacharel
consullou a Vmc. a respeito dessa duvida.
Dito ao Dr. juiz de direito do Bonito.Pelo offl-
eio que me dirigi em 2 do corrente, fleo sciente
de haver Vmc. encarregado o juiz municipal de
Caruar de presidir a junta revi ora dos jurados
daquelle termo, por ter Vmc. de presidir tambem
a reviso dos jurados nesse termo do Bonito.
Dito ao Dr. juiz de direito do Flores.Accuso a
recepgo do offleio de 6 do mez que findou, em que
Vmc. communicou ler em 22 de outubro ultimo,
nomeado o bacharel Jos Piauhylino Mendes Maga-
Ihes para exercer interinamente o cargo de pro-
motor publico nesta comarca, por ler na mesma
data suspendido por 40 dias do exercicio desse lu-
gar, o bacharel Ignacio Tavares da Silva, de con-
formidade com o 3o do art. 50 do regulameoto
de 2 de oulubro de 1851.
Dito ao Dr. Eduardo Augusto Pioto de Oliveira.
Pelo seu offloio de 10 deste mez, flquei inteirado
de ter Vmc. entrado no exercicio do cargo de juiz
municipal e de orphos do termo de Olinda, para o
qual foi nomeado.
Dito ao Dr. Joaquim Theotooio Soares de Avellar.
Wu ao mesmo.-Em vista do contedo do seu Polo seu offleio de 31 do mez findo, fiquei scienle
ci n. 74 do 19 do corrant*, einfic V. S- suas de ler Vmc. assomido o exercicio do cargo de juiz
para que seja recolhido ao hospicio dos municipal e de orphos do termo de Cimbres, no
qual foi reconduzdo.Communicou-se ao inspec-
qualidaqe de Io suppleote, assumido naqueila dala
o exercicio do cargo de delegado do terreo de Na-
zareth.
Dito lio mesmo.Pelo offleio de V. S. n. 63 de
II do crrente, flquei inteirado de ter o subdele-
seu escravo de nome Ma-
juiz municipal do ExtLPedlrara-se iguaes infor-' gado dej Beberibe felo recolher ao respectivo quar-
magoes ao Dr. chefe de policia e juiz municipal tel as pragas do 4o balalho de artilharia que al
ao fexu.
Dito ao juiz municipal supplente em exercicio
de Saolo Anto.Dou solugo a duvida proposta
em seu offleio de 30 do mez que findou, declaran- cumpri
do que nao pode esse juzo, durante as prsenles a circu
ferias fazer vender em hasta publica os escravos | exigind
lude.
Dito
necime
inlerioi
lentes
ao mesmo.Ao offleio de V. S. n. 59 de 11
do corr ente, respondo dizendo, que logo que for
la pelo delegado do termo de Villa Bella,
ar que a elle e de mais delegados dirig,
b como condigo para o pagamento d) for-
Ho mensal dos presos pobres das cadeias do
a relagao nominal dos presos oella exis-
bxpedirel ordem para pagamento da quan
V. S.
Ditojao mesmo.Fico sciente de ter o bacharel
Ayres de Albuquerque Gama reassurado o exerci-
cio do cargo de subdelegado do districto daCapun-
ga, em data de 9 como V. S. rae communicou por
offleio i. 60 de 11 do corrente.
Dito ao mesmo.Infonne-me V. S. com o que se
Iheofferecer,depois de proceder as oecessarias ave-
riguag
penle
es, sobre oque expe o juiz municipal sop-
lo termo de Sioto Anto em offleio de 9
tor da thesouraria de fazenda.
Dito ao delegado de Caruar.Pelo seu offleio
de 4 deste mez, fico inteirado de que Vmc. com-
orden
alinalos em Olinda'o de nome Antonio Albino de
Lima, por que nesta data providencio para elle ser
n-cebldo, e d'ali nao sahir ainda que seja reclama-
do pdr seu irmo, que nao o sabe conter e deixa-o
vagan pelas ras insultando a quera enconira.' na a faer o forneciineuto dos presos pobres exis-
Fez-sc a este respeito o necessariu expedienle. lentes na cadeia dessa cidade.
D? atJ?spector da ,hesourar'a de fenda.O j Dito ao presidente da cmara municipal de Se-
bachlrel biuardo Augusto Pinto de Oliveiro, par-. rinhem.Para se poder resolver acerca das elei-
ticipdu que em 10 do correle enlrou no exercicio, goes de que trata Vmc. em seu offl;io de 2 do cor-
Sfcf de ,al muQ'ciPal e de orphos do termo rente, cumpre que essa cmara d execugo ao of
de Olinda, para o qual foi ltimamente nomeado :; ficio desta presidencia de 16 de novembro ultimo,
o qu commanco a V. S. para seu conhecimento. i Dito ao presidente e vereadores da cmara mu-
Di o ao mesmo. -Considere V. S. sera effilo o ; nieipal do Rio Formoso. -Tenho presente o offleio
meu offleio de 9 do corrente, mandindo pasar a ; que Vmcs. me dirigiram em II do corrente, e por
Man I Anlouio Traeixei a quantia dew05000 pro- elle fleo sciente, de se acharen) juramentados e im-
veni mies de coocerlos fetos na coberta da caserna possados os no vos vereadores desse municipio, e
da 8 companhia do 9 batalho de infamara, vis bem assim os juizes de paz das freguezias do Rio
lo nio existir crdito para esse pagamento segundo [ Formoso e Una, faltando apenas alguns desta ulti-
consia do offleio que V. S. me dirigi em 10 deste ma freguezia.
mea, a que respondo. Dilo ao juiz de paz da freguezia do Recife.
Jilo ao mesmo.A vista dos inclusos offlcios in-' A consulta que fez Vmc. em offleio de 11 do cor-
(orihe V. S. com a possivel brevidade acerca do
Dourado, e bem assim
noel.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana de navegago costeira, faga transportar para
o presidio de Fernaodo no vapor que para all se-
gu amanha, os objectos mencionados aa relagao
por copia inclusa.Communicou-se ao comraau-
dante do presidio de Fernando e ao director do ar-
senal d guerra.
Expediente do secretario do governo do dia 13 de
Janeiro de 1865.
Offleio ao joz municipal 1 snpplente do termo
de santo Anto.S. Exc. o Sr. vice-presidente da
provincia, manda devolver a V. S. para ser assig-
oado o seu offleio de 7 do correle.
Despachos do dia 12 de Janeiro de 1885.
Requerimentos.
Clandiana Nativa do O' o -ilva.Concedo a Ii-
cenga requerida vista da informago.
Cosme Damiao Pere:ra da Luz.Remettido ao
Sr. Dr. chefe de polica aflm de proceder como
julgar conveniente acerca do que requer o suppli-
cante
Capito Francisco Borges de Lima.Como re-
quer vista da informago.
Alferes Francisco Gomes Simoes.Como requer
vista da informago.
Francisco Antonio de Miranda.Como requer,
nao havendo i nen veniente.
Francisco Malaquias Soares.Foi deferido.
Bacharel Jos Antonio Correia da Silva.Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda, de-
claraodo se pode o supplicaute obter com veoci-
mentos a licenga que requer.
Joo Manoel Rodrigues.Informe o Sr. Dr. che-
fe de polica.
Joaquina Maria da Conceigo.informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Jos Gongalves de Medeiros.Informe o Sr. ins^
pector da thesouraria de fazenda.
Joaquim Antonio de Castro Nunes.Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Jovino Jos de Mello.-Indeferido vista da in-
formago.
Luiz Florencio Pereira Braga.Informe o Sr.
inspector da thesouraria Je fazenda.
Maria Francisca de Assis.Moslre o supplicante
que viuva, e que o recrutado seu Albo
nico.
Manoel Ignacio de Camino Mendonga.Remet-
tido ao Sr. capito do porto aflm de fazer desem-
barcar o supplicante, pondo o disposigo do Sr.
commandante das armas.
Pedro Augusto Ramos de Mello.Informe o Sr.
tenente-coronel recrutador.
Vital das Chagas Coelho.-Informe o Sr. vice-
provedorda Santa Casa, baro da Livramento.
Vicente de Barros Silva.Eto dadas as or-
dens alim de ser o supplicante admittido no hospi-
tal Pedro II.
Expediente do secretario do governo do dia 12
de Janeiro de 1865.
Offleio ao juiz de paz do quatriennio (iodo da
freguezia do Pogo da Panella Francisco Duarte
Coelho.De ordem de S. Exc. o sr. vico presiden-
te da proviocia devolvo a V. S. os documentos de
nmeros 1 e 2 de que trata o seu offleio de 9 do
corrente.
Dito ao inspector da thesourria proviocal.O
Exm. Sr. vice presideote da provincia manda trans-
miltir V. S., para o fim conveniente, os 10 n-
forneeimento dos artigos de armamento e correa-
rae que indispensaval fazer-se ao 2o batalho de
inmutara da guarda nacional deste municipio, de-
renle.respondo dizendo que tendo sido feila a con-
vocago dos eleitores e supplente dessa freguezia
pelo juiz de paz do quadriennio finio, e por offleio
do respectivo escrivo, a falta de publicago dos
clalando-me se ha crdito na verba competente. editaes pela imprensa que allude Vmc, nao es-
pelp qual possa ser indemuisado o ministerio da i seneial para aunuilar aquella convocago, em vista
gubrra da respectiva despeza. | da doutrina do arl. 4o da lei de 19 de agosto
pilo ao mesmo.Em addilamento ao meu offleio '
de hontem tenho a dizer V. S. que o ajuste de
cohtas de que elle trata, deve ser de conformidade
cofm o arligo. 180 do regulameuio dos arsenaes de
triaba.
|Porestaoccaso remiti a. guii, que dexou de
da doutrina do art. 4o da lei de 19 de agosto da
18i6, e do aviso n. 84 de 27 de abril de 1847, 28,
o qual declara ser indispensavel a notificago feita
por offlcial de justica, e uo trata da publicago
pea imprensa.
Portauto deve subsistir a convocaga) feita por
aquelle juiz de paz, o qual nos termos do art. 110
ompanhar aquelle offleio, relativa ao Io lente da supracitida lei, lera de presidir a junta de re-
'. armada Antonio Ferreira de Oliveira. i viso dessa froguezia.
Dito ao mesmo. -Mande V. S. ajuslar contas al ] Dito ao juiz de paz mais votado do quadriennio
clusos exemplares impressos do regulameoto in-; o fim do mez corrente, e passar guias de soccor-, findo, da freguezia da Boa-Vista.-Informe Vmc.
terno dado a escola normal
anno prximo passado.
Dia 13
Offleio ao Exm. cnnselheiro presidente do supre
mo tribunal de jusliga.Transmiti V. Exc, a I
resposta que, com a data de 17 de dezembro pro-!
ximo Ando, deu o juiz de direito da comarca do
Bonito reclamaco de antiguidade do juiz de di-
reito Jaronymo Mximo da Oliveira e Castro.
Dito ao coronel commandante das armas.Quei-
ra V. S. informar acerca do que pede Jos da Cruz!
Amorim, no incluso requerimeoto documentado.
Dito ao mesmo.Queira V. S. informar acerca
do que solicita o director da colonia militar de Pi-'
menteiras, nos dous inclusos offlcios datados de 7
e 9 do corrente.
Dito ao Dr. chefe de polica.Com as inclusas
copias das leis provinciaes de ns. 157, 425 a datas
de 31 de margo de 1846, e 2 de junho de 1837, fl
cara V. S. habilitado para dar s instrueges pedi-
das pelo subdelegado do 2o districto da freguezia
d'Agua-Preta, no offleio a que allude o de V. S. n.
1,623, de 27 de dezembro ultimo, acerca dos limi-
tes do respectivo districto.
Dilo ao mesmo.-Vista a informago do subdele!
gado do districto de Laga dos Galos junta ao offli
co de V. S. de 11 do corrente, sob n. 66, que
era 12 de novembro do rmenlo ao capilo Aurelio Jeaqulm Pinto, e alfe- com urgencia se deixou de ba*r a convocago
res Jos Manoel d Silva, que team de seguir para dos eleitores e supplenles para a orginisago da
a corte, alim de reunirem-se ao 2o balalho de in- juola de qualificagao dessa freguezia uo corrente
I miara a que perteucein.Communicou-se ao co- anno, e qual o motivo dessa falla.
looel commandante das armas. Dito ao mesmo.Inteirado do coaleudo do offleio
Dito ao mesmo.-A vista do incluso requeriraen-1 de hoje datado, em que Vmc. d os motivos pelos
, mande V. S. abonar era os devidos lempos a, quaes nao forara publicados pela imprensa os edi-
onsignagao mensal de 285000 que o te nenie do taes convocando os eleitores e supplentes para a
organisago da junta de qualificagao dessa fregue-
zia, e deixaram elles de ser notificados por offlcial
de Justina, tenho a dizer-lbe era resposta, que no-
liono batalho de infamara Joaquim Manoel da Sil-
a e S pretende deixar do respectivo sold ne~ta
rovncia para alimentos de sua familia.Commu-
icou se ao coronel eommandanle das armas.
Dito ao m3smo. Autoriso V. S., nos termos de cedo,
sua informago de hontem, sob n. 30 dada com re- f trata,
ferencia a da conladoria dessa thesouraria, a man-
dar pagar a Julio de Vasconcellos, conforme soli-
citou o commandante das armas em offleio n. 10
de 2 do corrente, a quantia de 485860, em que,
segundo a conta que devolvo em duplcala, impor-
tan os objectos por elle fornecidos no trimestre do
outubro a dezembro do anno prximo passado, pa-
ra o expediente da delegacia do cirurgio-mr do
exercilo nesta capital.Communicou-se ao coronel
commandante das armas.
Dito a commandante superior interino da guar-
da nacional de Recife. Pode V. S. mandar Tazer
as honras fnebres que competem ao finado capi-
tando nao ler-me Vmc. participado essa falta mais
pego ioformagoes sobre o facto de que se
respondo, tenho a dizer que anda quando Joaquim1 to do sexto batalho de infantaria da guarda na-
Lavalcanli da Albuquerque nao seja crimino'olcional sob seu commando superior, Manoel Gou-
como ailirma Manoel Pereira Quaresma, nao obroi veia de Souza, certo de que o director do arsenal-
cunalmente aquelle subdelegado quando permiltij) j de guerra lem ordem para fornecer o cartuxame
que o mesmo Joaquim Cavalcanti prendesse unji necessario para esse flm.
protegido de Quaresma, de quein elle Cavalcaoti 6 Pica assim respondido o seu offleio desta data.
mimigo e com quem entretem continuados i Offlcou-se nesie sentido ao director do arsenal de
pleitos. I guerra.
Recommendo, pois, V. S. que ordene ao re
Dito ao consol de Portugal. Respoodeodo ao
rido subdelegado, que nao empregae o sobredito, offleio que em 12 do correte rae dirigi o Sr. Dr.
Joaquim Uvaleaote em deligeoclas cootra Qua Clando de Araujo Guimares, cnsul de Portugal
resina. ... nes,a Provincia, tenho a declarar-lhe que antes de
h se o mesmo Lavalcante foi quem deu ou mari- ser-me enviada com o citado offleio a representa-
do^ ha annos dar o tiro em Villa Verde, convetn cao que incluso devolvo, j havia dado providen-
que seja processado por tsse fado. | dencias sobre o facto de que nella trata o subdito
Dito ao mesmo. -Faga V. S. sentir ao delegado
do termo de Caruar, que ha all um destacamet -
lo composto de um alferes, um segundo sargento,
dous cabos e doze pragas do corpo policial, qi
pode guardar a respectiva cadeia, se porventu
for auxiliado pela guarda nacional, como de ei
perar do commandante do batalho, de que tra
aqaelle delegado, e a quem esto tanto abona, r i
porluguez Manoel Jos Mendes Bastos, e anda es
tou disposto a tomar outras medidas que o caso
exige.
Renov ao mesmo Sr. eoosul os meus prolestos
de estima e considerago.
Dito ao mesmo Era resposta ao offleio que em
30 de dezembro ultimo rae dirigi o Sr. Dr. Clau-
dlno da Araujo Gulraa/es, cnsul de Portugal nes-
conhece solicito no cumprimento de seus devere ?. ta provincia, te.n,no a declarar-lhe que j habilitei
E nio sendo possivel por dafleieneia de forta' o pr. chefe de policia a, elucidar a auloridade com-
Dilo ao thesoureiro das loteras.Rospoadando
ao offleio que me dirigi Vrac. era data de bontera,
cabe-me dizer-lhe que, nao tendo o vigario da fre-
guezia de Goianaa prestado nanga na thesouraria
provincial, alim de poder recebar o beneficio da 1'
parte da 1' lotera concedida a matriz daquella fre-
guezia, e que j foi extrahida, deve Vmc. recolhe-lo
aquella repartigo, vislo como nao pode ser entre-
gue o referido beneficio sera previa prestago de
fianga.
Portara.O vice-presidente da provincia tendo
em vista o que representou o juiz da direito da co-
marca de Garanhuns em offlcios ns. 28 e 29 de 10
e 15 de dezembro prximo fin Jo, e a proposta do
Dr. chefe de policia constante de seus offlcios ns.
35 de 7 e 81 de 13 do correte, resolve a bem do
GOVERNO DO BIP4DO DE
PEll.\A.ni81'l-0
SblHiVtCAME
Janeiro de 1864
Expediente do dia 2.
Offleio ao vigario de Goyanna.Em offleio de
29 de novembro do anno prximo passado acusa
V. Rvm. o reeebimentodo meu de 25 de outubro
do mesmo anno, era quesolvendo a pendeacia ha-
vida entre V. Rvm e a irraandade do Santissimo
Sacramento, erecta na igreja matriz dessa cidade,
Ihe ordenava que camprisse o meu despacho de
10 de setembro, proferido a favor da referida ir-
raandade, nao obstante, diz V. Rvm., as pondero-
sas razes que allegou ; e depoi- de protestar, que
dav inteiro cumprtmeuto a minha deciso, pede-
rae venia, para fazer-rae sentir a diffleil a ardua
posigo em que o collocara a'citada decisao, sendo
por ella obrigado a ceder a irraandade um dos la-
dos da igreja matriz, que serapre pertenceu ao pa-
trimonio de Nossa Senhora do Rosario desde 1671,
como consta da escriptura de doago do terreno
em que est edificada a mesma matriz, e que por
copia acompanhoa o seu citado offleio. Allega
V. Rvm. qua a sachrislia, onde est collocada a
capella doiSacraraento nao perlence respectiva
irmandade, nao propriedade sua, e que por isso
nao pode di^pr della como Ihe aprouver; que por
astucia e sagaeidade fez a irmandade introduzr
no seu comproraisso a falsa idea de Ihe pertencer
a mencionada sachrislia, tendo para esse fim ob e
subrepticiamente obtdo nessa parte a approvago
do uiesrao comproraisso, e que nao concorreodo a
irmaodade com as despezas do culto, e sim o paro-
dio, oenhum direito lera ella de perceber as es-
molas das sepulturas, e nem de snbtrahir-se ao
pagamento das mesmas esmolas, que esto mar-
cadas na tabella : e conclue pediodo, que eu, re-
formando a minha deciso, faga restituir matriz
os se us diretos, mandando que os irmos do Sa-
cramento tenham sepultura no corpo da igreja, e
quando mesmo queiram te-la na sachrislia, seja
esta sempre considerada como parte integrante do
patrimonio de Nossa Senhora do Rosario e nunca
da irmandade.
Era resposla devo declarar-lhe que quando a ir-
mandade trouxe ao meu conhecimento a pende n-
ca era que eslava com V. Rvm. acerca das sepul-
turas na sachrislia do Sacramento, nao se inculcou
proprietaria do lado da matriz, onde est a capella
do Sacramento, nem allegou que tinha dominio
pleno e directo na sachrislia respectiva, como V.
Rvm. parece presumir ; quera smente que fosse
mantida na posse em que eslava, e que V. Rvm.
Ihe disputava, de sepultar os seas irmos, que o
qulzessem na mesma sachristia ; allegando em seu
favor essa posse, o uso e costume de muitos an-
nos, e a faculdade que Ihe d o seu comproraisso,
o que, em lioguagem jurdica, constitue apenas
urna serventa ou dominio til. E fundado nessa
posse, nesse uso e costume de longo lempo, que
V. Rvm. nao costesta, e principalmente na dispo-
sigo expressa do compromisso que rae foi presen-
te, dei a deciso de 10 de setembro ; porque sendo
servigo policial e em liomeoagem a moraiidade pa- o compromisso urna lei emanada da auloridade
tilica, demitlir a Francisca Bezerra de Vasconcellos competente, faila com o accordo e consenso de ara-
do cargo de delegado do termo de Garanhuns por bos os podares eclesistico e civil, deve, emquan-
haver tomado parte mu lo activa e concorrido po- to oo for revogada, ser respeitada e obedecida ;
derosamente para o rapto da menor de 17 annos, nao podendo V. Rvm. pfevalecer-se da inconve-
filha do commorciante Manoel Jos Mendes Bastos, niencia dessa lei, visto como trala-se de jttre
aecusago esta de que se nao defendea, nao obs- constituto e nao de jure constituendo, era da sa.
lante ter sido sobre ella ouvido ; e para o substi- gacidade e astucia da irmandade, e da ob e sub-
tuir no cargo de que demittido noraea o cidado repgao cora que, dii V. Rvm. obteve a approvago
Antonio Paes da Lyra, indicado pelo referido juiz do compromisso, porque, nem adraissivel lama-
de direito e proposto pelo mesmo chefe de policia. | nha imbecldade no legislador, nem V- Rvm. o
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dita.O vice-presidente da provincia attendendo
ao que requereu o promotor publico da comarca
de Goaooa, bacharel Jos Antonio Correa da Sil-
va, resolve conceder-lhe dous mezes de llcenca sera
vencimentos para tratar de sua saude nesta capi-
tal. -Fizerara-se as oecessarias commuoicacSes
Dita.O vice-presidente da provincia attenden-
do ao que req jereu o senfenoiado Joo Manoel Ro-
drigues, resolve ccmoedor-lhe licenea para levar
e siu compaiMa, par o presidio de Fernando,
provou ; e quando o provasse, pedera isso servir
para pedir-se a derogago da lei aos podares com-
petentes, mas nunca para nulliflca-la ou autori-
sar a sua transgresso : o contrario um princi-
pio perigoso e subversivo de toda a ordem social.
J v, pois, V. Rvm. que as suas razes nao sao
ponderosas, nao s por seren allegadas contra |ei
expressa, seno tambara por flrruarera-se no falso
supposto de pretender a irmandade a propriedade
da sachristia do Sacramento, e que nao foi a mi-
nha decisao que pbrlgou, v. Rvm. a ceder a mesma



sachrlstia rcTerlda irmandade : esta }* estiva J
posse della.eah sepultava os cadveres de seus
irmos, muo antes de V. Rvm. ser parocho de
Govaraw.
Eu pm <** mais do que manler essa posse legi-
tima, fundada em le, e per V.' Rvm, despotada ; e
praticando esse acto de jnsUcMive o cuidadode
resalvar expressameute drwWlos paroewaes.
Sendo, pois, inconlestvaHoe troiamlade *ea o
direito de inhumar os sea* irmos finado* na sa-
chrislia do Sacramento, emquanlo o sea compro-
misso nao fil derogado, o que importa 6 explicar e
determinar o \como deve ella usar desse direito, que
o segundo ponto da dasiotelligencia entre V.
Rvm. e a mesma irmandade.
Nao obstante ser rigorosamente parochial o 01-
reito de sepultara, todava sabe V. Rvm. qae, por
previlegio apo^olicoou licenga do ordinario, podem
as miraras'leigas ter sepultaras proprias as
suas igrejas ou oratorios, e esercer as funcgSes do
culto coin major ou menor dependencia dos par-
los, conorme as roodicoes e naturezas das Igre-
jas onde sao cunsiiluidas. Assim que, quando es-
sas confrarias sao eleitas as proprias igrejas pa-
rochiaes oo en capillas e oratorios pblicos ou
particulares annexos e snjeitos a ellas, como a
do Sacramento dessa cldade, flcam dependentes
dos parochos respectivos, no ercicio de todas as,
fuoc|;oos ecle.-isticas, quer sejaui parochiaes, quer
nao, como decidi a sagrada congregaco dos ritos
do decreto Urbu et o bu de 10 de dezembro de
8703, approvado por Clemente XI a 12 de Janeiro
de 1704, salvo ietiverem alguma isengo, em vir-
tude de indulto apostlico, Tacto celebrado na oc-
casio de sua erecgo, e approvado pelo ordinario,
oslme immemorial, ele, sendo que em caso de
doTtera devem prevalecer os direitos parochiaes,
nio s porqoe essas isencoes e previlegios dero-
gando o direilo commum, devem ter interpretado
restricta pela regra de dlreito: Qu a jure com-
mum exhorbitant, neququam sunl ad. censequen-
tiam h-akenda; se nao porqoe, come disse o pi e
donto candeal CeHoredo, no relatono que sobre
ase assumpto tet perante a mesma sagrada con-
gregaco, por ene modo se sustenta melhor a dig-
nidade e Itberdade da igre\a contra as continuas
innovares e usurpares dos Secutares, que antes
querem um clrigo estipendiado e sujeito a si nos
stus avpHies. do qne um sacerdote independente e
munido de autoridad nos pul odios.
Con>equentrmente s se podem enterrar as se-
pulturas da contraria os confrades que explcita-
mente escolherero ditas sepulturas ; os que nao ti-
zerem essa esculla, o nao elegerem outra qual-
quer sepultura, devem ser sepultados na igreja
parochial, por assim o haver decidido a sagrada
congregaco do concilio era 13 de fevereiro de
1660. e ser expresso na coustitugo diocesana.
Nao obta que o respectivo coraproinsso d essa
facoldade a lodos os confrades, como no caso ver-
tente, porque isto nao constitue propriamente eUi-
cao de sepultura ; e qnando constltuisse, est de-
terminado pela sagrada congregaco do concilio,
em 16 ae maio eH de dezembro de 1682, e pela
dos bispos e regulares em 18 de agosto de 1690,
que a eleirao de sepultura feila pelos confrades
conectivamente, s aproveita aos que expressa e in-
dividualmente consenliram ; visto como os confra-
des presentes n&o podem esoollier sepultura pelos
ausentes e successores.
E mesmo no caso de dar-se a eleicao do sepul-
tura, flcam Ilesos os direitos de parocho, a quem
compele exclusivamente dar a licenca, perceberos
emolumentos devidos, fazer o oflkio fuuebre o
etc., se a coqfraria nao senta (como entre nos
a da Misericordia), conforme as declsoes da con-
gregaeoes dos b.-pos e regulares de 20 de agosto
de i.601, do concilio de 5 de junho de 1693, de 2
de julho de 1724, de 10 de maio de 1727, e dos
ritos, de 10 de detembro de 1703, ja citado.
Releva notar, nao s que os pais podem esco-
lher sepultura para seus ilhos impberes, duran-
te a vida destes, se nao tamben que a esculla de
sepultura pode provar-se quer por testamento ou
codicllio, quer por algum oulro escripto assignado
pelo individuo ou por duas testamunhas, anda
qne sejam singulares, e at pela simples assevo-
rago do conlessor. Assim o decidi muUas veaes
a sagrada congregaco do concilio ea dos bispos
e regulares, especialmente em 20 de Janeiro de
1610, e 14 de fevereiro de 1666, e a constituico
pretiosus de Benedicto XIII 69.
Fazende applicago destes principios especie
em questo, flcam bem definidos os direitos de
V. Rvm. e da irmandade do santisstmo Sacramen-
to, erecta na igreja matriz dessa cidade : esta iem
o direito de sepultar na sachrislia que oceupa, os
seus confrades que ah elegerem sua sepultura,
mas sem a menor quebra dos direitos o emolu-
mentos, estatuidas na taJjella em viger : aquellos,
porm, |ue fallecerem sem escolher a sepultura
da sua confraria ou qualquer outra (visto nao ha-
ver anda cemiterio publico nessa cidadej, por ser
permtllido por direito e pelas coosutuiedes dioce-
sanas a todo o clirlslo eleger sepultura e mandar
enterrar seu corpo na igreja que bem Ihe parecer,
sero sepultados na sua Igreja parochial. E em
ambos os casos tem V. Rvm. direito do dar a li-
cenca, celebrar as funecoes fnebres, anda que
os confrades ah sepultados nao sejam seus paro-
chianos, visto nao ser senta a confraria, conforme
a citada deciso da congregaco dos bispos e re-
gulares de 20 de agosto de 1601, e perceber as
esmolas das sepulturas, visto como V Rvm. e nao
a confraria que concorre para todas as despezas
do culto.
Concluo declarando que as sepulturas na sa-
chrislia da contraria nao pdem em sentido algum,
ser consideradas como de grades cima, como quer
Y. Rvm., e sim como sepulturas communs.
Espero que esta minha deciso, fundada em
le, e respectando os direitos de ambas as partes,
pora lermo a lula que tem havido eotieV. Rvm.
e a irmandade do Sacramento, e que j ha tido
consequencias deploraveis.
Reenvo a V. Rvm. a copia da escriptura que
veto com o seu officio.
COMANDO DAS ARMAS.
Qnartel 4o conmando das armas de Pemambueo,
na cidade do Reeife 16 de Janeiro de IS6S.
Orden do dia n. 27.
Estando comprehendidos no indulto imperial de
22 de dezembro prximo lido, publicado na or-
dera do dia do exercito n. 429, os desertores dos
carpos do exercito em. guarnigo nesta provincia
abaixo mencionados, determina o coronel com-
mandante das armas que sejam postos era liber-
dade.
4 balalho de artilharia a p.
Presos para sentenciar.
Soldado Luiz de Moura Nepomuceno, 2" diser-
cao simples.
Soldado Fernando Francisco Jos Guilherme, 1*
disercao.
Soldado Urbano |Antenio Joaqnira Francisco de
Sant'Aona, %' simples.
Soldado Jos Iiraz da Cunha, I' disercao.
Soldado Manoel Joaquim de Sanl'Anna, 2* sim-
ples.
Soldado Thomaz Antonio de Farias, 2* simples.
Soldado Marcelino Jos Joaquim de Sanl'Anna,
1* diserco.
Soldado Vctor Jos de Soma, 1* disercao.
9 balalbao de infaoiaria.
Para sentenciar.
Soldado Manoel Pereira do Cante Jnior, 1* di-
sercao.
Soldado Antonio Gomes de Souxa, 2* simples.
Soldado Tliuiiid Virissiino da Costa Araujo, 2'
simples.
Soldado Julio Erancisco Correa, i* disercao.
Soldado Reginaldo Jos de Figueirede, Ia di-
sercao.
Soldado Francisco Jos Rodrigues, 1* disercao.
Soldado Jos Mara, 2* simples.
Soldado Joaquim Pereira de Maraes, i' disercae.
Soldado Manoel Francisco des Sanios, Ia simples.
Soldado Martinbo dos Aojos, 2' simples.
Soldado Antonia Jos des Santos, 1* disercao.
Soldado Jo; Soares de Mendonca, 2* simples.
Soldado Manoel Cyrillo Zaeanar de Urna, di-
sercao.
Soldado Rodrigo de Souza Soares, disercao.
Compauhia de cavailaria.
Para sentenciar.
Soldado Simplicio Ribeiro, 2 simples.
Soldado Belarmino Bezerra de Arillo, 1* disereao.
Soldado Manoel Jos da Sepulvedo, 1* disercao.
Soldado Francisco Antonio des Sanios, 1' di-
sercao.
Companbia da artfices.
Para sentenciar.
Soldado Antonio Faustino, 1* disercao.
Assignado.Joaquim Jos Goncakes Fantti.
Conforme.O capillo /. F. de Moraste Vasco*-
cellos, ajudaote d'ordeps interno.
lilTERIOR.
.'>'......' H II I ii um
rio he j %m:iiu>
9 de Janeiro.
Por decreto de 31 de dezembro ultimo foi per-
doado a Antcnio de Moura Rolin o resto erempo
que Ihe falta para cumpnr a pena de lennos de
urisio simples, a que foi condemnado, no asno de
1843, pelo jury do termo de Viaona, m provincia
do Maranhao.
Por decretos de 3, 4 e 6* do crreme foram no-
meados .
O Dr. Urbano Sabino Pessoa de Mello, membro
da comniissao que tem de examinar o projeeto do
cdigo civil ;
O bachareljAristides da Silvera Lobo, joiz man-
clpal da primeira vara da corte;
O bacharel Firmo de Albnqoerque Diniz, segun-
do promotor publico da corte ;
O bacharel Alfredo Thomaz Wately, juiz munici-
pal e de orphos do termo de Reiende, na provin-
cia do Rio de Janeiro ;
O baeharel Antonio Francisco de Agniar Barros,
juiz municipal e de orphos do termo de Sorocaba,
na provincia de S. Panlo ;
O bacharel Manoel da Silva Reg, juiz municipal
e de orphos do lermo de Ico e annexos, na pro-
vincia do i'.cara ;
Os capites Manoel Barbosa Castro e Silva e Jos
Vieira de Souza, majores ajudantes d'ordens do
commando superior da guarda nacional do munici-
pio do Pemba, na provincia de Minas-Geraes ;
O lente Antouio Pedro de Figuairedo, capilao
secretario geral do mesmo commando superior;
Antonio Bento Pereira Salgado, capilao quartel-
me'stre do referido commando superior;
O lenle Taelano Jos de Msgalues, capaao cl-
rurgio-nir do sobredilo commando superior ;
O capito Candido Saraiva Nogueira, major aju-
danle d'ordens da guarda nacional dos municipios
de Queluz e Bom-Fim, da mesma provincia ;
Lapooesls Rodrigues Pereira, capilao secretario
geral do mesmo commando superior;
"O major Caetano da SilvaeAlboquerque,tenente-
coronel commandSnie do 7 balalho de infamara
da guarda nacional da provincia de Mato-Grosso;
Os segundos ofllciaes da secretaria de estado das
negocios da justica Antonio Jo- Victorino de Bar-
ros e Gustavo Adolpho da Silveira Res, primeiros
oflSciass da mesma secretaria ;
O amanueose da secretaria da noticia da provin-
cia de Sergipe Constantino Jos de Moura, tbesou-
reiro da mesma secretaria.
Foi reconduzido o Dacharel Eduardo da Silv
Rebollo no lugar de Juiz de orphos do termo da
Cachoeira, na provincia da Baha.
Foram concedidas:
Ao conselheiro Lourenco Jos Ribeiro, a exone-
rado que pedio de raembro da eorainisso encar-
regada de examinar o projeeto do cdigo civel do
imperio;
Ao bacharel Firmo de Albuquerque Dinlz, a de-
msso que pedio do lugar de juiz municipal da 1*
vara da corte;
Ao alferes do 4o balalho de infantaria da guar-
da nacional da corte Felippe Jos Pereira Leal So-
brinho, passagem para a reserva, Geando aggrega-
do ao 1 balalho do inesm-j service:
Ao catiito do 7 balalho de infamara da guar-
da nacional da corte Manoel Joaquim do Oliveira,
passagem para a reserva, fleando aggregado ao 3
balalho do mesmo servico;
Ao 1 offlcial da secretaria de estado dos nego-
cios da jasliga Vicente Ferreira de Castro e Silva,
a aposentad una que pedio no referido lugar;
Ao Dr. Francisco Lopes da Cunha, a demisso
que pedio do posto de tenenle cirnrgio do 5 bata-
lno de infantaria da guarda nacional da corte.
Foi declarado sem effeito o decreto de 2 de abril
do anno passado, que nomeoo o bacharel Raphael
Dabney de Avellar Brotero juiz municipal e de or-
phos do lermo do Canha, provincia de S. Paulo.
Foi exonerado Joo Vctor Velloso do cargo de
thesoureiro da secretarla da polica da provincia
do Ro Je Janeiro.
Foram aceitas as desistencias que fazem:
Antonio Casimiro de Macedo e Sampaio da ser-
venta vitalicia dos offlcios de 2 tabellio do pu-
blico, judicial e notas, e escrivo do jury e execu-
ces crimes do termo de Guratinguel, na provin-
cia de S. Paulo;
Jos Joapuim de Souza dos ofncios de 1" tabel-
lio do judicial e olas, e escrivo do juizo muni-
cipal do termo da capital da provincia de Goyaz.
Teve mercCalisto Henriques Virgolino da ser-
venta vitalicia dos oflkios do 2* tabellio do pu-
blico, judicial e notas, e escrivo do civel e enme
do lermo de Came, na provincia do Para.
Por portara de 5 de.-te mez foi nomeado o
praticante da secretaria de estado dos negocios da
justica I.pur neo Jos Bolbellio Fragoso amanuen-
se da mesma secretaria.
10
Por portara dcsta data foi prorogada, por mais
um mez sem vencimenios, a licenca concedida ao
1 lente do corpo de engenheiros, Jos Carneiro
da Rocha, ajudanle do engenheiro riscal da estrada
de ferro de Pernambuco, para tratar de sua saude.
Suas Altezas a Sra. D. Isabel e seu augusto con-
juge, oSr. conde d'Eu, embarcam amanha, s 8
horas da mauha.no arsenal de marinha, para bor-
do da vapor ioglez Magdalena, com deslino Eu-
ropa.
Se por um lado contrista-nos registrar a ausen-
cia, se bem que temporaria, de Suas Altezas, por
outro lado orgulhamnos, como brasileiros, a inti-
ma conviccao e viva esperanza de que os augustos
viajantes sero acolhidos por todas as cortes em
queestiverem, em todo o lugar que visitarem com
aquellas demonstrares do lino aprego e alto res-
peilo, que tem conquistado no velho continente a
familia imperial do Brasil.
Sobe de ponto essa nossa f ao lembrarmo-nos
que os inesiimavds dotes que ornam as augustas
princezas, Binas do Sr. D. Pedro II, sao os mais
segaros penhores do tratamento que devem Suas
Altezas dispensar aqoelles com quem houverem de
conviver.
A importancia e o empenho desta viagem, que
nao de simples disiracco, babilitam-nos a espe-
tar resultados que nao podem escapar aprecia-
cao do paiz. A Europa que conta estados onde im-
pera um rgimen regular de instituicoeS e boas
pratcas de governo constitucional representativo,
devia attrahir as vistas dos augustos principes,
dando por assim dizer, a ulilma pagina em que de-
ve pousara attenco estudiosa da serenissima prin-
ceza imperial.
Acostumada a aprender na experienle e sabia
educaco do seu augusto progenitor os deveres sa-
grados que incumbem aos res, nao admira que o
soberano insplrasse sua suceessora a licao pra-
tica da escola politca, que rege os destinos dos po-
vos livresda Europa.
E' assim que partem para atii Suas Altezas, em
prol de quem pedem os Brasileiros ao Altssimo as
heneaos de urna inalteravel felicidade, as venturas
de urna viagem propicia, as alegras, emm, de
urna peregrinado divertida.
nao se converter em instrumento da perseguieo
e do violencias urna medida extraordiaaria que
reclamada pelas clrcnmstancias excepeiooaes em
que se acha a provincia. Para defeca segurau-
ca desta devem de ser chamados todos os que p-
aem pegar em armas; mas seria urna violencia
nao Justiflcavel obrigar a esse servico os inhabili-
tados por molestia, os que estlverem em algum
dos casos especificados no ari. 123 da lei de 19 de
sewmbro de 1860.
< Dos guarde a V. S.J. M. Sonta Gtnzaga.
Sr. tenenle coronel comraandanle superior interi-
no da guarda nacional deste municipio >
- L-se a* Diario do Re Grand$ :
Ministraram-nos seguale nota, pela qual se
v qne temos 7,109 guardas nacicnaes em serv'co
de destacamento, afora cinco cornos de 460 ho-
mens mais ou menos cada um, que aiuda nao eslo
organsados.
* Postos militares, destacamentos e
guarnieres em differentes pontos .
< Corpos provisorios :
f De ns. 1 a 13, ofllciaes e pracas
de pret a 403.........
< Oe ns. 11, lo, 10 e 19 pracas de
pret etc. a 371.........
De n. 13.........
De n1 14.........
fcerlos, deixando somenie as pretas. Assm
ha ver mais inetivo para boatos semelhautes.
Homero (13) espalhon-se tambem um outro
boato, da assMsinato, que felizmente foi falso. Mao
sabemos que satnico prazer pode haver em in-
-venedes tao Repugnantes. >

-U
PERNAMRflCO,
REVISTA DIAtU.
24
4,433
1,084
261
607
7,109
t Faltam os corpos 17, 18. 20, 21, 22 e 23, de
cuja organisacao anda nao ha communicaco.
No da 24 do mez passado, pelas 8 horas da
manha emoarcou o dcimo balalho de infantaria
nos vapores Amelia, Mau e finio, com destino a
cidade de Pelotas.
Dando esta noticia, o Commercial accrescenta
que
lam lucidamente uniformisadas, e armadas
Mini, as pracas desse balalho, fazeodo sobresa-
hir estas con licoe.s pelo seu garbo verdadeiran%en-
te militar e pela regularidade da marcha. Iutelli-
gente e pratico como seu commandante, nao he-
sitamos em crer que coohecam perfeitamenie a
manobra, adstrictos como slo disciplina e mora-!
lidade. Esta ultima virtude sobretudo, revela-se;
pelo facto de se nao haver dado a mais ligeira des-1
ordem, ou mesmo a menos significante embria-:
goez durante'o tempo que se demoraram entre i
nos.
No dia 30 de dezembro, chegara ao Rio Grande;
o Sr. marechal J. F. Galdwel ; seguo no vapor
de guerra Apa para Pelotas, e no dia segufnte
pa'ra Porto-Alegre no vapor Protecao.
A alfandega do Ro Grande rendeu no anno (In-
do de 1864 a quanlia ae 1,829:397^260, a saber :
em
Janeiro .
Fevereiro
Marco. .
Abril .
Maio .
Junho. .
Julho. .
Agosto .
Setembro
Ootubro.
Novembro
Dezembro
124:4525886
137:6075353
162:4005364
21O:20l'5920
99:83-23881
137:8275385
145:9905742
133:0755370
109:0-2458111
177:1925197
168:0995594
123:6905249
1,829:3975260
A mesa de rendas provinciaes rendeu no anno
de 1864 a quanlia de 429:7915295, a saber :
Janeiro..... 29:2745133
Fevereiro.... 29:1825635
Marco....... 28:7285346
Abril.. ____ 32:7395391
Maio......... 40:7025^79
Junho....... 53:0225333
Julho......... 39:6I0823
Agosto..... 49:9325160
Setembro.... 37:3825813
Outubro..... 36:8885351
Movembro.... 22:7925484
Dezembro... 29:5355456
429:791595
Pelo Gerente, receDemos datas de Porto Alegre
at 2, do Rio Grande al 4, e de Santa Calharina
at 6 do crreme.
As noticias sao destituidas de interesse.
O presidente da provincia do Rio Grande do Sul,
havia reselvdo chamar a servico activo a guarda
nacional da reserva pelo seguinle acto.
t N. 65. Aciode 19 dezembro de 1864 chaman-
do a servico activo toda a guarda nacional qualifi-
cada na lista da reserva e s pracas addas a es-
ta, de qne trat o- art. 43 do decreto n. 1,354
de 6 de abril de 1854, exceptuando-se as mencio-
nadas nos 3, 4 e 6 do art. 12 1, do art. 18
da le de 1(1 de setembro de 1850.
t Attesdendo s graves circumstancias em qne
se acha esta provincia em relacao ao Estado-Ori-
ental e repblica do Paraguay, e considerando
ser insuficiente a guarda nacional actualmente
qualifleada na lisia do servico activo para comple-
tarem-se os corpos destacados, o presidente da pro-
vincia, de formidade com art. 27 da lei n. 602 de
19 de setembro de 1850, e 43 do decreto n. 1,354
de 6 de abril de 1854, chama a servico activo toda
a guarda oacional qualifleada na lista da reserva
e as pracas addidas esta, de que trata a segunda
parle do citado art. 43 do decreto de 6 de abril de
** *cetuando-e as mencionadas nos 8 3, 4*
e 6 do art. 12, e no f do art. 15 da lei de 19
de setembro de 1850.
t Palacio do governo na cidade de Pelotas, 19
de dezembro de 1864.tolo Mercet'tno de Souza
Goneaga.
i Illm. seobor.Dando communicacSo 4 V. S.
do acto desla dala, incluso por cpla, devo recom-
raendar toda attencio e criterio para na pratica
De Santa Calharina nada consta, que mern;a
inencao.
Folgamos de noticiar que a agencia da real
companbia de paquetes inglezes, de accordo com
o digno commandante do paquete Magdalena, pres-
tou-se de um modo louvavel a Qm de que aSuas
Altezas a senhora D. Isabel e seu augusto cbxijnge
o Sr. conde d'Eu, e bem assim sua comitiva fos-
sem reservados commodos suficientes e inteira-
meole especiaes na cmara do vapor.
tnforniaiii-uos mais que o reparlraento destina-
do a Suas Altezas acha-se preparado com o possi-
vel conforto e decencia.
S. Exc. o Sr. conselheiro ministro da marinha
visitou hoje o mencionado paquete, e vollou satis-
feito com os arranjos preparados para os augustos
viajantes.
Ao terminar esta noticia devemos protestar aos
illustres empregados da agencia da real compa-
nhia e ao digno cavalheiro commandante do vapor
os nossos sentmentos de sincera satisfaco.
DIARIO DE PERKAMRUCO
A filha dos Cesares pisa o torro pernambuca-
no, e anda qne soja por instantes a sua demora
nesta trra fidelissima, os manes de Vieira e Ne-
greros, de Henrique Dia e Camaro eomovem-se
em suas campas s emocoes que recenten) os seus
descendentes por tao fausto motivo.
Seja bemvmda a excelsa princesa, que um dia
ter de reinar no imperio do Cruzeiro, assim co-
mo j domina nos coracoes do povo que e compoe;
seja bemvinda I
Hontem pelas 6 1|2 horas da tarde S. A. I. a se-
renissima senhora D. Isabel com o su augusto es-
poso o Sr. conde d'Eu desembarcaran! nesta cida-
de por entre as demomtracoes mais solemnes de
respeito do povo pernambucano sua pessoa,
que symbolisa as esperancas vicosas do futuro,
que aeuarda ao imperio sul-americano.
A imperial galeota soltou do Madalena as 6 ho-
ras precisas, e ao entrar da barra foi saudada pe-
los fortes do Buraco e Brum com as salvas do es-
tylo, tendo o Tonelero toda a guarnigo a postos
as vergas, donde entoaram vivas S. A. I., vivas
estes que se reproduzram ao infinito pelos ces"que
bordao o porto desde o arsenal de marinha at a
rampa do Campo das Princezas, onde deu-se, ao
troar do canho do parque de artilhara e ao som
do hymno nacional, tocado pelos batalh5es que
compunho a brigada all postada, o desembarque
de SS. AA., que sendo ah recebdas par urna com-
misso de senhoras e de cavalheiros especialmente
designados para esta honrosa tarefa, dirigiram-se
pan o palacio da presidencia, a cuja sacada se
apresentaram em seguida, por entre as acclama-
g5cs do povo que apinhava o Campo das Prin-
cezas.
Aps isto, a serenissima princeza com seu espo-
so encaminhou-so a p, por entre alas de povo, e
seguida de numeroso acompanhamento de pessoas
de todas as gerarchias, para a igreja matriz desta
freguezia de Santo Antonio, alim de fazer ahi urna
adoraco ao dispensador de todas as gracas e ter-
minado este dever dos principes catholicos, volta-
ram ambos a palacio a carro com o mesmo acom-
panhamento.
Hoje deve continuar S. A. e seu augusto esposo
sua viasem Europa, deixando n coracao dos
pernambucanos urna viva aspiracao pelo seu re-
gresso patria, que .nella v um penhor de sua
grandeza.
No sabUdo ultimo deu a soejedade recreiativa
Fraterntdade das Familias a soa partida eam a
costurad regularidade, dascaado-se ali tres ho-
ras com animico eotretida por um crescdo nu-
mero de senhoras, que a ella concorreram embel-
lecendo o recreo.
Esta sociedade muito tem contribuido para es-
paocar da Cepunga a monotona, desenvolvendo
all o espirito de sociabilidade entre as familias,
s quaes proporciona assim urna di ver sao honesta
e agradavel.
Hontem principiou a funeelonar a escola de
primeiras lettras do gymnasio provincial, e as au-
las do curso professoral neste estabeleclmento le-
ro eomeco a 3 de fevereiro prximo.
Acham-se abarlas as matriculas do Io e 2*
annos da escola normal.
Deixdu hontem de coroecar o exame das ma-
terias que constituem o concurso para preenchi-
mento da vaga de 2 escripturaro da thesouraria
provincial por haver faltado um dos examinado-
res ; e por isso foi o mesmo concurso transferido
para o dia 20 do corrate.
Falleceu e foi hontem dado sepultura o Sr.
Antonio Egydlo da Silva, teaenta d'artilhara
reformado, e professor de malhematicas do gym-
nasio provincial, legando saa familia eom a po-
breza do boos um nome dislincto, urna ropotajo
qne s a honra constantemente praticada sabe
crear.
De carcter brando a de trato complceme, nao
daixa .po. si neste mundo seao recordaos de g^^'^iMS!
urna bondade pronunciada, quer entre todos os
seus eoDcidadios, quer entre o grande numero de
>eus discpulos, todas os quaes sagram urna sau-
dade a su. memoria.
Na noticia, que demos em a nossa Revista
de hontem, sobre a posse do padre meslre Tran-
quillino, em vez de d'um outro, como se encentra
na 4* linha do primero paragrapho, lea-se-d'u-
m'outra: e na 7* linha do 2* paragrapho leia-se
numerosos discpulos, em lugar de mmot'ojo*
immigos, como por equvoco sahlo : ficaudo resta-
bol leu do assim osea verdadeiro sentido.
De Pao d'Alho escrevem nos em dala de 14
do coi renta:
c A muito nao Ihe don noticias desta localida-
des tempo de ferias tambem linha direilo ao men
suelo, tanto mais quanto faci algum extraordina-
rio appareceu, que me Qzesse sabir de meu esta-
do de quietago. Porm, aflnal, eonvm dar co-
pia de mira, e afllanear-lhe qve contino s suas
ordena. -
Antes de ludo, fago votos par. que o 1863
(aba entrado oom o p direito, livrando-nos quan
lo antes dos laes Montevideanos, e Paraguayos do
Sr. Lepez, e inspire aos que governam nma polti-
ca sincera, que nos tire d abatimento, em que
vamos cahindo de ceno tempo para ca, especial-
mente ante o estrangeiro, que a cada canto nos
ensulta, se nos d beneticios, que nao fiqoem so-
mante as promesa..?, e palavrorios dos que que-
rem grimpar.
(Para este Pao d'Alho, se nao talham osx x x
dos camaristas, quando o forem, (digo assim,
porque anda pende da decizo do governo impe-
rial a eleii a de I les) trar este anno calgamento de
ras, estradas, encanamento d'agoft, e outras mu-
chas cosas que, sem taaer otfensa a atguns dos
Srs. n fien, ouja boa vontade reconheeo, nao de
icar no tinteiro.
Houve anda por ea em nm dos nltimos do-
mingos do finado 64 o anachronice folguedo de boi,
que foi bastante concorrido, mas nao esteve bom,
porqoe, indo o topador ao chao na primeira topa-
da, creou medo do boi, que tambem deu barriga-
da, e, se arreceiando do ferro de seu adversario,
nao quiz mais acomele-Io. Ambos tiveram juizo.
Nao sei como anda permute a polica seme-
ntante dtverlimento, tal vez se arrependa um pouco
tarde.
c A familia vai subindo de prego, a carne tam-
bem nao est barata, o o pelor o sol que conti-
na rdanle, e o invern, qne anda nao eome-
co u.
Temos guerra, ampara-nos a lome, se nao
chuver em tempo, e o que mais nos falta vr T
Hoje se extrahir a 4' parte da 4' lotera, da
Santa Casa de Misericordia (*), sendo o maior
premio 6:0005000.
Os leiioes de gneros annunciados para hoje
por interveneSo do agenle Pinto, a porta do arma-
zem do Sr. Annes flcam transferidos para ama-
nha 18 do correte.
I1EPAIITICAO DA. POLICA !
Extracto das partes dos das 15 e 16 de janeiro
de 1865.
Foram recoltiidos casa de detengo no dia 11
do correte :
A' ordem do Illm. Sr. Dr.'rhefe de policia, Jes,
escravo de Jos Fortunato Bulco, viudo da pro-
vincia do Rio de Janeiro, como sentenciado.
A' ordem do subdelegado de Santo Amonio, Do-
nizo, escravo do padre Ignacio Ferreia dos San-
tos, requerimento deste.
A' ordemdo da Capunga,Sebastio Jos Pimen-
ta, e Francisco Correa Soares, por uso de armas
prohibidas ; Lucio Jos de Carvalho e Jos Ferrei-
ra Fialho, por insultos; Antonia Mara da Concei-
go, para correcgo Joao, escravo de Rachel Mau-
ricia de Mello, por suspeito de andar fgido; e
Joo, escravo de Antonio Fernander da Rosa, por
briga.
lo
A' ordem Illm. ?r. Dr. chefe de policia, Jos An-
tonio Ferreira, por embriaguez.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Francisca]
Rosa do Nascimcnto, por insultos; e Thom, es-
cravo de fulano de Souza L o, por fgido.
O chefe da segunda secgo,
J. G. de Mesquita.
Passageiro do hiate brasileiro Artista, vlndo
do Aracaty :
Antonio'Joaquim Nobre Cmara.
Passageiros do vapor inglez Magdalena, vindo
dos portos do sul :
Crippim Gomes de Freitas, Guilherme Augusto
Ricardo, Henriques Fernandes Eiras, e Camilo de
Andrade.
Movimeoto do da 14 de Janeiro de 1865.
Exlstia"m 406presos ; entraran) 10 ; sahiram 33;
existen) 383.
A saber : nacionaes 303 ; estrangeros 20; rau-
Iheres 4 ; estrangeiras 2; escravos 48; escra-
vas6.-Total 383.
Alimentados custa dos cofres pblicos 167.
Movimento da enfermarla do dia 16 de Janeiro
de 1865.
Teveram baixa.
Joao Martins Chaves.
Marcelino Homem de Jess.
Gaspar (escravo) sentenciado.
Movimento da casa de detencao do dia 15 de
Janeiro de 1865.
Existam presos 383 ; entraram 5 ; sahiram 5 ;
existem 383.
A saber : nacionaes 303 ; estrangeros 20 \
mulheres 4 ; estrangeiras 2 ; escravas 49 ; escra-
vos 5-Total 383.
nao. municipal de Flores declaren em presenga de
mais de quarenta pessoas que mejhavia de matar,
a que ira no dia 10 do correute processar a mea
mano Joo Baptisla da Alhayde Siquaira, e que
tambera o hava de matar : o intento de assassnar
manifest. Para isso prometteu-se ao criminoso
paciente ltimamente livre em prescrpgo pelo
Dr. jurz de direilo, que o principal inspirador
dos planos terriveis do Dr. juiz municipal de Plo-
res dous contos de res, e o qae exacto que en-
contrando-so aquelle individuo emais um tal Jos
de Figueiredo, pozeram-se a bater a pedra contra
mim no espago de tresentos pasaos, o que decidi-
me para nao raorrer a mandar fazer fogo sobre
elles. Nao tenho go-to pelo assassinato; mas em
defeza de minha vida, nao posso deixar de o pra-
ticar. No Pianc ful eu contra quem primeiro se
aiirou. OSr. MauaeJBecerraLeite,agricultor abas-
tado e'morador no lugar Espinheiro da provincia
da Parahyba, foi pelo Sr. Dr. juiz do direito com
as malores promessas para de qualquer maneira
dar cabo de minha pessoa.
A'vista disto, pergunto ao publico o ao governo :
o criminoso que s. procura pintar com cores tao
fsias, ser tao perverso coma o querem fazer pa-
recer ? Ser justo mandarem-me prender por um
subdelegado, que meo inimigo capital, e que esta
j habituado a aproveitar-se de iguaes circums-
tancias para dar cabo de seus inimigos ?
Vim responder o jury, roas p desejo de perse-
guirme actuou com tanta forca no espirito do Sr.
Dr. juiz de direilo que a sessao se diasolveu per
falta de numero, e este magistrado preparava-se
para euviar-rne para o Recie carregado de ferros
e algemado. Combnese isto cora a declaraco an-
tecipada do mesmo magistrado de appellar de
qualquer sentenga em meu favor, e ver-se-ba se
tarara motivos importantes os que me obrgaram
a fugir. Repugno a vida que me constrangeraia a
tomar, abouiiuo o assassinato, mas com franqueza
o declaro que qur sollo qur preso, quando
o mieresse de minha defeza e csaservagao o exigir
0 praticarei.
Cieio que nao perco o direilo de me defender
Garntanle o governo do
meu paiz, e pelos tribunaes provaret -meu proce-
der, e voltarui a cuidar de minha familia e dos
meus deveres ; mas qual I urna me occulia me.
perseguo. Louvado Dos.
Publiquem Srs. redactores, prestem este servico
ao perseguido
Francisco Correa de Athayde Siqueira.
Lugar oceulto, 8 de Janeiro de 1885.
CORRESPONDENCIAS
PBLE1C0ES 1 PEDIDO.
Paafllhas Yermifugns de Kemp,
Todos os mdicos qne especialmente se teem de-
dicado cura das molestias (tas enancas, asseve-
ram qne as pastilhas vermfugas de K> mp o re-
medio o mais excellente e eficaz que at hoje tem
sido conhecido.
Acham-se ella, exclusivameate preparadas com
as substancias vegetaes as mais salutares. O seu
sabor delicioso, nao causan nauseas nem dores,
produaem'seu effeito completamente, sem que seja
preciso logo immediatamenla osar de nenhuma es-
pecie de purgantes.
Tanto as mies como os proprlos fllhnhos nunca
desesperam deltas, porque s as primeiras teem
completa conflanga as pastilhas, estes ltimos as
lomam com o maior prazer possi vel.
Desde que estas adrairaveis e incoin paraveis pas-
tilhas foram descoborta, todos es demais vermfu-
gos asquerosos teera sido quasi inteiramente aban-
donados e desterrados por lodos.
As pastilhas vermfugas de Kemp se acharo lin-
damente acondicionadas dentro de fras quintaos de
crystal, nio s para sua boa exportago como para
sua conservacao contra todas as vicissiludes dos
tem pos.
A' venda as boticas de Bravo & C, e de Caors
& Barbosa.
COMMERGIO.
Alfandega
Rendimentodo dia 1 a 14......... 311:3205230
dem do dia 16................. 29:277040
340:5975270
Hovimeato da alfandega
Volamos entrados com fazendas...
a com gneros.
Volumes sahidos
194
67
----- 261
com fazendas..
com gneros ..
Srs. redactores.Pete leitura do Jornal do Reei-
fe de 3 do correte mez, vim ao conheciraento do
parecer emittido pelo chafa Interino da repariico
das obras publicas acerca dos meios admissves
para o abasteciraenlo d'agua potavel cidade de
Olioda.
Tambem li do expediente da presidencia desta
Srovncia que publicou o Diario de Pernamhnco de
do crreme mez um oflkio ao inspector da the-
' sourara provincial para informar sobre a possibi-
lidade de fazer a despeza exigida por aquelle en-
genheiro, para procedei-se ao ornamento da obra
necessaria a desobsirugao da valla, que foi aborta
em 1856 no pantano de Olinda, alim de levar-se
agua quella cidade.
Do accordo destas duas pegas ofllciaes resulta
claramente que o abastec ment d'agua potavel
para aquella cidade, vai ser explorado pela desobs
truccao da dita valla, como indicou o dito Sr. en-
genheiro.
Sem querer entrar na apreciago da melhor con-
veniencia desse meio, apezar das valiosas conside-
ragoes, que se offereeem respeito, apenas nao
possivel deixar passar sem algum reparo, que se
pretenda emprebender aquella obra, sem mais acu-
rado exame.
Quanto melhor nao sera, que se consultasse
acerca dessa importante obra um laminoso ops-
culo, que dizem existir escripto pelo finado Conra-
do Neyemeer, engenheiro de .subido crdito, bem
como a outros trabalhos mais amigos, e talvez mais
aproveitaveis do que o parecer da commsso a
que se referi o Sr. director interino das obras
publicas T
Por que o actual Exm. sr. desembargador vice-
presidente desta provincia, que se moslra tao de.se-
joso de acertar, e na verdad* sollcto em prol
dos beneticios da sua trra, nao se delibera a ir
reconhecer por seus proprios olhos a exactido da-
quella inforraagao, percorrer a respectiva localida-
de (tao prxima desta cidade), e ouvir 08 habitan-
tes della mais amigos, entendidos e praticos, res-
peito das orcurreneias all havdas, que se refe-
ri o mesmo Sr. engenheiro, sohre o arrombamento
do.Varadouro,obstrucco da talla, o aterramento do
rio Beberibe, etc., faclos estes que devero servir
de pharol para realsago da sobredla obra ?
Por que o mesmo Exm. Sr. vioe-pre*idente nao
ouve a valiosa opinio de outros engenheiros ao
servigo da provincia f Todas essas medidas no nos-
so fraco entender seriara mais su minaras ep rom li-
tas, eviiaudo-se assim, que aquella obra tarda-
mente se cffertuasse, medante os taes exames pre-
vios etc., que de ordinario importan) adiamentos
para as kalendas gregas, como alias j tem aconte-
cido mesmo respeito da de que se trat, segundo
const, seno tambera para que seja preferido o
melhor meio, e nao naja algnra arrependmento
futuro, por assim nao se ter praticado.
55
515
-----570
Descarregamnodia 17 de Janeiro de 1865
Vapor inglezGlatliator mercaderias.
Patacho inglezBusvbacalho.
Lugre ingtezArtirearvio da pedra.
Patacho nacionalPalmadiversos generes.
Patacho inglezCorming carvo.
InportafSo.
Patacho inglez Bnzy, entrado de Terra-Nova,
consignado a J. Pater & C, manifeston o siguite:
2,508 barricas e 275 meias ditas bacalho; aos
mestnos.
Barra ingleza M. B. Corning, entrada de Liver-
pool, consignada a Thomaz Jefferies, manifeston o
seguate :
75 columnas de ferro para lampeo, 75 ps das
ditas, 5 calxas bragos de ferro para lampeoes, 10
barricas lijollo de fogo e 500 toneladas de carvo
de pedra ; aos raesmoe.
Lngre inglez Artliur, entrado de New-Post, con-
signado a Wilso & Helte, manifestou o seguinle :
355 toneladas de carvo de pedra ; aos mesmoe.
Patacho brasileiro P consignado a Henry Forster A C, manifestou o se-
guinle :
970 barricas farinba de trigo, 45 volumes espar-
rellas ou redes de algodo, 40 ditos machinas, I
volumes arreios de couro para cavalls, 24 volu-
mes prensas para algodao, 5 volumes carros e per-
tenees, 50 saceos farello, 4 barricas vldros ; aos
mesmos.
6 caixas baldes ; a Linden W'ild A C.
jExportaco.
Barca franceza Rio Grande, carregou para o Ha-
vre, 600 saceos com 3,000 arrobas de assncar mas-
cavado, 653 saceos com 3,483 arrobas e 22 libras
de algodo, 596 couros salgados e seceos com
23,625 libras, 2,166 couros verdes cora 101,666
libras.
Patacho brasileiro Jaboatao, carregou para New-
York, 4,000 saceos com 20,000 arrobas de assucar
masca vado.
Aeccbedorla de rendas inler-
na* geraesde Pernambneo.
Rendimentodo da 1 11......... 8:1135242
dem do da 16................. 1,8355937
9:9595179
Consulado prorlnclal.
Rendimento do dia 1 a 14........ 63:9015953
dem do dia 16............... 7:152*49
71:1445451
MOVIMENTO DO PORTO.
O vapor inglez Magdalena, chegado hontera
farde, do Rio e Baha, foi portador de jornaes do
primeiro ate 10 e da segunda at 14 do crrante.
As noticias do Rio e Sulvao sob as rubricas Par-
te Oftcial e Interior.
Baha.O prsenle vapor leva para a Europa
28s oitavas de diamantes.
L-se no Jornal :
c Na noute passada (13) dormirara os quarteis
em armas, e foi toda a populago sobresaliadfci'por
carreiras de soldados e por continuo apilar as
roas, espalhando-se o boato de insurreigo de afri-
canos, motivado por insubordinago dos escravos
do trapiche do Sr. Maia, denunciada policia. Dis-
8e-se at que tinham sido presos alguns escravos
a apagar lampedes.
Parece, porm, que a tal insurreigo nao pas-
em de boatos, e apezar disso consta-nos que anda
esta noute continuaran) os quarteis em armas.
< Nio eremos qne os Africados, reduzidos como
esto ern numero, lembrem-se de temar consa al-
guma, mrmenle havendo tanta tropa era aclivida-
de, mas parece-nos que o governo faria bem em
mandar para a Costa a"Africa,os que se acharo li-
.Vacio entrado no da 15.
New-port-40 das, lugar inglez Arthur, de 355
toneladas, capito George Stronach, equiprgem
9, carga carvo de pedra ; a Wilson & Hett.
Navios sanos no mesmo dia.
Portos do norteVapor nacional Apa, com mandan-
te Carlos Antonio Gomes.
Havre-Barca franceza Rio Grande, capillo Lui
Perrot, carga assucar e outros gneros.
16-
New-York33 dia?, pataeflo nacional Palma, de
225 toneladas, capito Roque, equipagero 8, car-
ga farinha de trigo e outros gneros ; a Henry
Forster.
Terra-Nova38 das, patacho inglez Busy, de 1"0
toneladas, capilao John Bowden, equipagem 9,
carga 2,058 barricas, 27o meias di tas; a Julios-
ton Pater & C.
hoje mu dignamente a eleva- US*B2H2 fi! **".*..-"^S nS?'
de 3o4 toneladas, capito Wilham Hebbert,
eqnipagem 11, carga carvd de pedra ; a Tho-
maz Jefferies.
Aracaty12 dias, hiate brasilero.Ar/wfa, de 259
toneladas, capito Joaquim Jos Alves das Ne-
ve, carga 868 saccas com algodao e outros g-
neros; a Barlholomeu Lourengo.
Rio de Janeiro e Baha 6 dias, vaper inglez
Magdalena, de 1617 toneladas, commandante
Wooleward, eqnipagem 129.
iVacie sahido no mesmo da.
Maranhao pelo CearHiate brasileiro Ganbaldi,
capito Custodio Jos Viaona, carga differentes
gneros.
Sim, Srs. redactores, os Olindenses tem plena
conflanga de que cabera ao Exm. Sr. desembarga-
dor Perett a subida gloria de restituir Olinda a
excellente e copiosa agua potavel, que sempre all
bouve, como elle mesmo testemunhou quando fre-
queotou ocurso jurdicodaquella cidade, mostrn-
dole assim o nico filho desse estabelecimeoto
scientiftco, que administrando esta provincia, lem-
se lembrado dessa trra, onde instruio-se e habili-
tou-se para oceupar
da posicao que tem
_^ Nao ser smente um relevante beneficio que t
Etin. "Sr. desembargador Peretli prestar aos habi-
tantes daquella cidade, mas anda um poderoso in-
centivo para sua prosperidade, pois com o abaste-
cimento dessa salutar e essencial bebida multas
pessoas, que abandonaram aquella localdade, para
nao morrerem de sede, ou beberem agua lodosa e
ruim todos os respeitos, prefenro r residir all,
que offerece outras vantagens ; ser emfim urna
verdadeira obra de misericordia, matando a sede
da pobreza daquelle lugar, que vive clamando em
vo, e al das infelizcs educandas do collegio das
orphas em Santa Thereza, que como se sabe, por
dous pequeos Larris d'agua remetdos diariamen-
te do Peixinho, e que mal devem cliegar para seo
supprimento, pagara 205 rs. meosaes 1
Se os Pernambucanos fossem desordeiros, como
os espirites pequeos ineuleam, trocando por esse
indigno epitbeto a sua justa e gloriosa qualdca-
go de guerreiros, cousas alias di*tinclas, ha muito
que os habitantes desta cidade de Olinda teriam
causado algum molim pela carencia d'agua para
beber, que all sentem, e sera cessar e em vo tem
pedido e clamado.
EDITAES.
O Dr. Luiz de Albuquerque Martins Pereira, dele-
gado do 1 districio desla cidade do Reeife da
Pernambuco, etc.
Fago saber a quera interessar possa, que as au-
diencias desfa delegada ter lugar na -ecretaria
de policia, duas vezas por semana, em os dias se-
gundas e quintas-feiras, as 10 horas da manha.
Cidade do Roerte de Pernambuco 12 de Janeiro
Augusto de Attabyde,
Em entro qualquer paiz aquelle novo genero de
oppresso nao teria pesado contra aquella infeliz de 1865.Eu Guilherme
populago tao tranqnillamente, e por tao longos escrivo, o escrevi.
annos pelo deleixo de nns, e quig pelo inleresse \ Luiz de Albuquergue Martins Pereira.
ou conveniencia de outros. O cidado Antonio Carneiro da Cunha, juiz de paz
Quem dira que Olinda, que mereceu em 1637 do 2o dlstricto da freguezia da Boa-Vista, em
do conde de Nassau, por escudo ou armas a figura virtude da lei, etc.
de urna donzeJIa com orna canna de assucar na Fago sciente que as audiencias deste juizo tero
Alimentados custa dos cofres provinciaes 153.' m* o'bando por um espelho, absorta e admirada lugar as segundas e quntas-fsiras, as 9 horas da
Movimento da enfermara do dia 17^ de janeiroi i desua propria gentileza, comosymbolo de formo! manha, em a casada sua residencia, ruados
de 1865.
Teve alta :
Frederico Antonio Pereira Bastos.
sura e fertilidade do paiz ; Olinda, o theatro de Coelhos n. 8 A, e quando forem esses dias santfl-
tio gloriosts feitos, amiga e opulenta capital de'cados ou feriados, ser a audiencia no da se-
'ernambuco, qne s comegou a decahir em 1710, j guinte.
COMMUNICADGS.
quando os mscales, ou mercadores portuguezes,
alim de abaierem os nobres, naluraes do paiz, su-
bornaram o governador da provincia (tambem por-
tuguez) Sebastio de Castro e Caldas para a remo-
gao da respectiva sede para o Reeife, hoje esteja
reduzlda urna cidade deserta, abandonada, no
mais deploravel estado, no meio de ruinas de ma-
gestosos templos, com suas mas coberlas de matto
e fallando-lhe at agua para saciar a ardente sede
dos seus habitantes, quando custa de avultadas
Reeife 13 de Janeiro de 1865.Eu Francisco da
Barros Correia, escrivo que o escrevi.
Antonio Carneiro da Cucha.
DECUlACuES.
Ao governo.
O criminoso um violador da lei, e nada mais:
nao urna fra bravia contra a qual se deva des-
encadenar a mais atroz e inhumana perseguicao.
Reduzirara-me 1 este estado, nega-se-rae l des-1 ^zas WlT^Z^lm&*$&
canco. e a quietacao e ordana-se a populacao qne p,,^ tempo. ?endo tod^ essa desvemura e mal-
n0l'ren,,t nad* "%"?*"? ?tZ ^vo^amuiimmerecidarnenteatobd
promovam contra miro. Nasie estado conheci que cidade PXP|n,V9mI, ,ti, rifscommii. S'u",OT -<*?; 'eio
a aeco das autoridades era por demais *r-Ei,S recebar do lbesoure.ro da mesma caixa o que em
I,. !,i.. -:_j______.:~i.o S*. rf..;.,. ,i "*' '"Kra"UnO U6 HBUS prODTIOS IlmOS B legtimos ritaln IhAc tiw ,i vunii-i ia nm rtia nrnnrioita.
Cdlxa filial do banco do Btasll
en l'ei-aanaiuco,
1 i de Janeiro de 1865.
De ordem da directora desta caixa, se convida
aos credores de -ebastlo Jos da Silva a virem
bara e inlqua, anda que criminoso nao deiiel de
ser hornera. A iniquidade provoca a iniquidade.
Anda me nao eniraguei ella, porque o que qur
que seja me sustenta. Anda ad soa um celerado
desnatulurado como se inculca para se permiilirem
impunemente as mais atrozes medidas contra
mim, mas conheco que se me qur emporrar par.
ahi, que a perseguicao contra mim dirigida ape-
nas uro assassinato coro formas legaes. O Dr. juiz
protectores.
Deas se amefeie, pols, da
nambuco, evitando o seu total exterminio, j que
delta se tem ensurdecido alguns dos seus desnatu-
rados Albos t
Assim deseja sinceramente o
Nenio.
Olinda, 9 de Janeiro de 1865.
rateio Ihes taca d. venda da ama das proprieda-
I des, qne segundo a concordata, Ihe foi entregue
amiga capital de Per- Para serem 'ndldas.-O goarda-liyros
Ignacio Nones Corma.
Consulado proTioelal.
Pela mesa do consuado provincial se faz publi-
co qne no da 10 do rorrete se principiam a con-
tar os 30 dls utels marcados para a cobranca
bocea do cofre do anno financeiro vigente dos im-



i
Diario efe Pernamtnien Ter?a Mn 11 de Janeiro de f &
postos de 4 Ojo'sobre casas em que se achare"!
estabeleclmentos de commercio fora da cidade do
Recite, prensas de algodo, typographias, cochei-,
ras, botequms, hoteis, casas de paslo, cavallarices
e fabricas, de 8 8(0 sobre consultorios mdicos e
clrurgicos, carlorios e escriplorios.de 20 U|0 sobre
estabelecimemos de commercio em grosso e a re-
talho, armazens de recolher, e os trapichea, de'mecar do 1.
505 por casa de bilhar e modas, de 100 porcada formada Ici.
O Illm. ir. inspector da thesonraria de fa;
zenda manda fazer publico a todos os habitantes
desla provincia, que em virtude da circular do
thesouro n. 36 de 23de*JAembro do anno proxi-'
mo passado, Oca prorogado at o fim de abril fu-
turo o praso marcado para a subslitnicao das do- j
tas de 200^000 da 2.a e 3.a eslampas, devendo co-
de niaio em diante o descont na
Cap
que vender roupa feita noeslrangeiro, de compra
e venda de escravos, de correlores comroerciaes e
agentes de leilao, de 1:000)5 sobre casas de opera-
c,6es bancarias com emisso e privilegios, de 6004
pelas ditas com emisso e sem previlegios, de 4005
pelas ditas sem emisso, companhias anonymas e
agencias, de 2005 pelas casas de cambie, de 305
pelos escravos empregados no servico de alvaren-
gas, ue 15 por tonelada de alvarenga e canoas
abenas, de 205 por cada bote ou saveiro, de 305
por cada balieira, de 105 por escravo ganhador ou
empregado em servico de transporte ou em arma-
zens, de 105 por cavado de sella de.aloguel, de
65 por cavallo particular, de 5 0|0 pela venda de
capim e o imposto de carros, carrocas e mnibus,
e tambem o 1 semestre do de 20 0|0 do consumo
de agurdente das freguezias desta cidade e dos
Afosados, S. Loorenco, Santo Amaro de Jaboato,
Muribeca e Varzca, neando sujeitos a mulla de 6
0|0 sobre os seus dbitos depois de findo o dito
praso.
Mesa do consnlado provincial de Pernambuco
7 do Janeiro de 1863.
Antonto Carneiro Machodo Rios.
itania do pono de Pernambuco, 14
df Janeiro de 1865
Em vista das circumstancias melindrosas em que
re arha o paiz, sendo necessario que todos os bra-
sileiros, concorram para' a sustentarlo dos brios e
dignidades nacionaes, comprometidos na guerra
-com as repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
o Illm. Sr. capitn do pono, em virtude do que Ihe
foi determinado por S. Ene o Sr. ministro e secre-
tario de estado dos negocios da mannha, convidar
nao s aos matriculados, como a todos os cidados
que se queiram alistar na qualidade de voluntarios
para armada, a so apresentarem nesta capitana
nos das uteis das 9 s 3 1|2 horas da tarde.
Outro sim, sao igualmente convidados os indivi-
duos que tiveram baixa do servico naval, a alista-
rom se por um anno ou mals, tgarantindo-se-lhe
nao s as respectivas escusas, logo que terminem
os seus contratos, mais ainda os premios (liados na
lei, para os i|ue voluntariamente procuran) o ser-
vigo da armada, e bem assim urna gratifleacao
mensal, igual a metade dos sidos, que percebiam
na occasio em que obtiveram baixa.
As vaniagens e condrecoes para o alistamento se-
rijo as estabelecidas pelas instruecoes que baixa-
ram com o decreto u. 1391 de 14 de abril de 1853
que sao as seguintes :
Art. 12. Ditinguir-se-ho seis classes de volun-
tarios :
1.a Dos individuos que quizerem servir na ma-
rinhagem sem lempo determinado ;
2.a Dos que se quizerem contratar para servir
na marinhagem por lempo determinado ,
3.* Dos que se preslarem servir na marinha-
gem os prazos esiabeleeds no artigo 3." do decre-
to n. H66 de 23 de outubro de 18S, e que escu-
sam o nacional do servico militar ;
4.a Dos que quizerem ler praca no corpo de m-
periaes marioheiros.
5.a Dos que se desttnarem para o batalhao naval.
6.a Dos aprendizes marinheires.
Art. 13. Os voluntarios das differenles classes
definidas no artigo antecedente deverao er os re-
quisitos seguintes :
1.a Classe.Os que se alistaran para a marinha-
gem sem tempo determinado, devera ser fortes,
sios, acostumados a vida do mar, ou pelo menos
cpales de servir na praca de grumete.
2.a Classe.Os que se contrataren) por prazos de-
terminados, de um a tres annos, devem ser forte,
san?, e aeo>tumados a vida do mar.
3.a Classe Os que se contratarem para servir
na marinhagem o prazo de seis ou do oito anno--, I estejam. devendo
em eooformidada do artigo 3." do decreto 0. 1466 dados judicialmente.
Secretaria da thesonraria de fazenda de Pernam-
buco, em 7 de Janeiro de 1866.
Servindo de ofllcial-maior
Mano el Jos Ptno.
Existe nesta subdelegada, e ser entregue a
quem provar pertencer-lhe, duas cabras (bichos),
urna cora cria, duas garrafas de essencia de alfa-
zema e nma de amz, dous copos lapidados, tres pa-
res de ckioellas e um chales de la.
Subdelegacia de polica dafreguezia da Boa-Vis-
ta 16 de Janeiro de 1865.
Decio de Aqulno Fonsece.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda desta provincia, manda fazer publico a todo*
os habitantes da mesma provincia, qne em virtude
da circular do tribunal do thesouro n. 55 de 22 de
dezembro do anuo passado, acha-se aberta na
mesma thesouraria .a substiluico das notas de
55000 da 4.a estampa, e que em tempo convenien-
te se annunclara o dia era que deve" principiar o
descont mensal de 10 por cento no valor das no-
tas que at ento nao tlverem sido substituidas.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco, 7 de Janeiro de 1865.
Servindo de offlcial-maior
Manoel Jote Pinto.
Consclho administrativo.
O conselho administrativo para fomecimenlo
do arsenal de guerra precisa comprar os objec.os
seguintes:
Para o 9* batalhao de infintaria.
8 cornetas com boecal, pontos 9 TOltas.
8 cordes para as ditas.
32 ditas de la para canudos de inferiores,
lo joros de malas de sola com Techadora.
Quem quizer vender laes artigos aprsente suas
propostas em carta fechada na secretaria do conse-
lho administrativo, s 10 horas da manha do da
20 do corrente.
Sala das sessoesdo consclho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 16 de Janeiro
de 1865.
Antonto Pedro de S Barreto,
coronel-presidente.
Sebastiao Antonio do Reg Barros, ''
vogalasecretario interino.
forreio" jseral
Relaco das cartas seguras existentes
na. administraco do correio desta
cidxde para os senhre> abaixo de-
clarad^
Dr. Amaro Joaquim Fenseca de Albuqaerque.
Antonio Lopes Rodrigues.
Felippe Nery dos Santos.
Franc^cu Forjas de Lacerda.
D. Francisca de Jess Maria Marques.
Francisco Ignacio de Lima Cabral.
Francisco de Mello Barreto.
'ir. Gabriel Soares Raposo da Cmara.
Herculano Mainart Franco.
Joaquim Felippe da Costa.
Padre JoaquinwMauricio Wanderley.
Dr. Joaquim de Oliveira e Souza.
Jos da Cunha.
Dr. Jos Ferreira Druvalle (2).
Dr. Jos Leandro de Godoy Vasconcellos (i).
Joj Moreira da Silva.
Consulado d Portugal.
Havendo fallecido o subdito portuguez Gaspar
Pereira da Silva, sao chamados os seus credores a
apresentarem as suas contas nestes consulado den-
tro do prazo de 30 dias, para serem verificadas;
sendo tambem prevenido os devedores do seu es-
pollo para no mesmo prazo vlrem pagar o que Ihes
e nao o fazendo, sero deman-
de 23 de outubro, devem ter os requisitos dos da
s-'gunda classe, excepto a pratica da vida martima
que podera ser despensada com a clausula quo
adianle ( artigo 16) se expressa.
Pelo presente se faz publico que no dia 16
do crreme se acham abenas as matriculas do Io
e 2o anho da escola normal. Assim como se de-
clara aos que nao fizeram exame do I" anno, tra-
a Classe.Os alistados para o rorpo de inipe-l tem d requerer para se Ibes marcar dia, juslifi-
rlaes marinheiros devem ser cidadaos brasileiros cando os motivos do seu na) comparecimenlo no
de 18 33 anuos de idade; ou at 40, sendo homens | designado edital afiliado na porta do estabeleci-
do mar; fortes, saos, e eapazes de todo o servido. ment.
3.a Classe.Os alistados para o batalhao naval [ Secretaria da escola norma! de Pernambuco 14
tros requisitos da quarta classe. Maximiano Lopes Machado.
Todava poderse ha almittir alguns estrangei- Pela subdelegacia do Peres, toi preso e reco-
ros mediante previa autorisaco do governo. Iliido casa de delencao, o escravo que diz cha-
6.a Classe.Os aprendizes marinheiros devem ; mar-se Joaquim e st-r escravo da Sra. D. Catharina
ser eldadSos brasileiros, de 10 a 17 annos de ida moradora no engenho Pocinho: quem fr feudono
dp, de eoostiluicao robusta, e apropriada vida do
mar.
I'o lerse-ha tambem admittir menores de 10 an-
nos, que tenham sulcieotc desenvolvimento phy-
sico para, os exereicios do aprendisado.
Art li. Os voluntarios da primeira classe perce-
berao os sidos concedidos pelo artigo 1 "do decre-
to n. 14 a titulo-de premio ou graficarao.
S'-r-lhes ha declarado, e expressado nos seus as-
sentatnentos, que nao obterao guia de desembarque
S3m previnir ao commandante respectivo dous
mezes ante?, salvo se nisso nao honver inconve-
niente para o servico, por quo ento sero imme-
dia! unente attendldos.
Uma resalva, que Ihes devora ser entregue com
a guia de desembarque, declarar que a contar
dessa data os sobreditos voluntarios, se forem 11a-
cotnpareea, que provando seu dominio, Ihe ser
entregue. Subdelegacia do Peres, 16 de, Janeiro de
1S63-O ubdelegado, Alejandrino Martin! Cor-
reia Barros.
tnarios de Jacaranda cora imagen e outros mullos
objectos de gosto.
Na armaiem a raa da Graz 0. 37.
I.cilo de 36~7*alTas com massos
de palitos de dentes.
Quarta-fetra 18 de Janeiro.
O agente Pinto far leilao por conta e risco de
qnem pertencer de 36 caixas com massosde pali-
tos para dentes, ltimamente despachados, s 10
horas do dia cima dito no armazem do Sr. Au-
nes em frente a alfandega._______;____________
Leilao de 13 barricas com castanhas
do Para e 120 caixas com eharntos
da Bata.
Quara-ftira 18 de Janeiro.
Por intervengo do agente Pinto, no armazem
do Sr. Annes. ____
Leilao de i00 saceos com milho.
Quarta:feira 8 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco da
quem pertencer 100 saceos com milho muito no-
vo em lotes a vontade dos compradores, pelas 10
horas da manha no armazem do Annes._______
Leilao de 40 caixas com massas.
Quarta-feira 18 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de |
ouem pertencer 40caixas corn massas surtidas em
lotes a vontade dos compradores: quarta-feira 18
do corrente pelas 10 horas da minha no arma-,
zem do Annes.________________________I
Leilao de ervilhas, aigios. fel-
jdes verdes em latas e frucias
sortidas em vldros.
Quarta-feira 18 do corrente.
O agente Pinto far leilao jior conta e risco de
quem pertencer de urna porgo de latas e vidros
com os obji^clos cima mencionados, as 10 e meia
horas do dia cima dito, no armazem do Sr. Aunes
em frente alfandega.______________________
Leilao quinta-feira 19 d'> corrente a rilara
Cadeia n. 53.
Pelo agente Euzebio.
De um sitio com casa de vivenda e portao tle
ferro ao lado, a beira da estrada do Monteiro, jun-
lo do do Sr. rasaos, o chao 6 proprio, e a casa
nova e feita a moderna, est bem edificada, lera |
commodos para numerosa familia, alem Je outros
no sitio como casas para criado, cocheira, cacim-
ca, etc., sao convidados os pretendenles ao previo
exame, existe na casa pe^soa para abrir e mostrar
Leilao quinta-feira 19 do corrate.
De uma casa terrea n.44 sita a ra da Solcda-!
de, chao proprio, ser vendida em leilao pelo
agente Euzebio, naquelle dia as 1' horas : os pre-
tndenos sao convidados a ir examina-la, uma
casa em ponto alto, alm de duas salas tem 6
quartos, cosinha fora, quintal grande e otras com-
modidades para familia numerosa.
Aos 6:000*000.
Quinta-feira 2fi do correte mez, se ex-
trahir a segunda parte da dcima prinTeira
lotera (3*) a benelicio da- matriz da 8oa-
Visla, no consistorio da igreja de Nossa
Setiliora do Rosario da fregnezia de Santo
Antonio.
Os billietes, meios e quartos estao a ven-
da na respectiva thesonraria roa do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000/1000 at 10*000
serlo pagos uma bora depois da extracelo
at s 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicao das listas.
As encommendas serao guardadas so-
mente al a noite da vespera da extracto,
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza,
D. Candida Roa Paes Barreto e seus fl-
Ihos, mi e irmos do finado Augusto Candi-
do l'aes Barreto, rogam aos seus arniges e
prenles o ob-e.juio de assistirem a missa do
stimo dia, que ter lugar no- convento de
N. S. do Carmo. no dia 19 do edrrente mez
de Janeiro, pelas 7 horas da manha. Os
mesmos cima desde j agradecen) a lodos que
se diguarem issistir lo religioso acto de ca-
ridade ; e bem assim as pessoas quo acora-
uarilnr i'n o corpo de mesmo finado.
Santa Casa da Mi-
no dia 17 do cor-
CASA DA FORTliNA
AOS 6:000.000
fliihetes garantidos
1' raa do Crespo n. 23 el casas do costa!
O abano issigoado venden nos seus nuitofeli'
zes bilhetes.;aranti'l'>s di latera, qne se acaben
de extrahir a beneficio da Santa Casa da Mise-
ricordia, os seguintes premios:
O uiteiro n. 1328 com a serte de 6:0003000
Um uni ;i. 2083 com a sorie de i:*OO$O0O
Dous quartos n. 2876 com a sorter de BOOAnOO
B outras muilas sortes de'200$, 100?, 40$ e
264009. "
Os possuidorespodem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descoitos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo i. 23.
Acham-se venda os d primeira parte da
quarta lotera a beneficio da
sericordla,que se extrahir
rente.
Precoi
Bilhetes inteiroa ...'!'. 7*000
Meios.......] 3S500
Quartos........ 1$900
Para as pessoas que < omprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes....... 64500
Meios........ 3*230
Quartos......, 1*700
____ Manoel Martins Fiuza
O solicitador Pedro' Alejandri-
no da Costa fl.'iehado
so encarrega ante o-fro desta cidado de ludo que
for tendente a sua profisso, aceita, de partido an-
nual as pendencias jadiriaei do qualquer casa
commercial mediante razoavel ajuste. Contina
a se encarregar de cobranzas nos'termos do Cabo
e Ipojuca aonde continua a trabalhar como d'an-
tes, e encarrega-se do defezas perante o jury nos
termos prximos a va frrea, olbrecendo gratui-
tamente seus servicos aos desvalidos, pode ser
procu_ado todos os dias uteis das 9 horas da ma-
nha as 3 da tarde na ra estreita do Kosario n.
34. e fora dessas horas na ra Imperial n. 36, ca-
sa de sua residencia^_______________
Arrenda-se c talvez se venda um dos melho-
Por completo encano, foi declarado o dia 10 de res sitios da estrada do Arraial : quem o pretoo-
fevereiro prximo futuro para a festa da Senhora der pdedirigir-se ra larga do Kosario, onl'rora
dos Remedios, que sendo sexta-feira, neste dia nao \ ra dos Quarteis n. 22, sobrado de dous andares,
pode ser 6 da festa, o sim no domingo 12 do refe- j que achara com quem o informe do sitio, e com
SALSA PAIRILUA D& AVE..
Transcbk vemos aqtti alguns
dos muitos atteslados qne temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Rheumatismo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ratifi cacao.
-c>
Feira semanal
DE
Trastes ovos e asadas, relogios, escra-
vos, objectos de ouro e outros mailos
artigo,
Quinta-feira 19 da corrente as 11 liaras.
53Roa da Cadeia do Recife armazem 33
OLYMPIO
OMPANHIA BEASILEIEA
DE
PAQUETES A TAPOli
Dos portos do norte e espera-
do at o da 21 do corn ule u va-
por locanlins, commandante Pe-
dro Hypolto Duarte, o qual de-
_ 'pois da demora do costunie segui-
cionaes, lean isentos do recrutamento por um an-1 r para us purtus do sal.
n<>, oa por. lempo igual ao quetiverem servido nos Desde j recebem-se passageiros e engaja-sea
navios do estado, se e;te prazo for menor ; salvo, carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
porm, o caso de circumstancias extraordinarias
durante s uuacs ficar suspensa a iseni;ao. *
Art. 18. Os da seguuda classe receberos os pre-
mios seguintes :
Se forera grumetes : dez, vinte e dous, ou trnta
e. quatro mil reis, segundo se contratarem por um,
dous, ou tres annos.
So forem marinheiros : vinte, quarenta e cinco,
ou setenta mil reis, s-gundo o prazo de seu contra-
to for de um, dous ou tres annos.
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frote ateo diada sabida s 1
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriplorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo <*v C._________
^ara o liio de Janeiro,
pretende seguir cora multa brevidade o brigne es-
cuna Nao Sei, tem parte do seu carregament
prompto : para o resto que lhc falla e escravos a
Alm do premio recebero mais os referidos vo-' frete Para os quaes tem excellentes commodos,
lomarlos se dirertamente se apresentarem, a gra-
ilie.ar/io de qnatro mil reis sendo cstrangeiros, e
de cinco mil reis sendo nacionaes.
Esta gratificado, porm nao se abonar repeti-
damente ao mesmo individuo por cada novo con-
trato sueeessivo que Qzer, so este for de prazo me-
nor de tres annos.
Art. 16. Os da terecira classe recebero mais
una quarta parte do maior premio que poderiam
trata-se cem os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriplorio ra
pa Cruz n. 1.
Para a Baliia
Pretendesegnir com brevidade a sumacaHor-
tencia', tem parte de seu carregamento prompto
para o resto que Ihe falta trata-se com os seus
! consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
obter contratando se como os da segunda oa^i^ignatarios Antonio Luiz de Oliveira .
na praga de grumete ou de marinhelro, que Ihes I& ^' seb esenotooru da Cruz n. 1.
competir, e a mesma gratifleacao apresentando-se
directamente.
Exceptuam-se os que nao forem homens do mar,
e tiverem mals de 40 annos de idade, os quaes po-
dero alistar-se com as condiegoes dos da terceira
classe, mas sem angmento.de pre'mio.
Art. 17. Os da quarta classe receberSo como pre-
mio cem mil reis, se forem marinheiros, e sessenta
mil reis se forem grumetes.
Art. 18. 0< da quinta classe recebero o promio
d cento e cincoenta mil res, se nao forera maiores
de quarenta annos c o de cem mil reis, se tiverem
mais daquella idade.
Art. 19. O premio dos voluntarios menores, des-
tinados para as compaohias de aprendizes raari-
. nheiros, ser de cem mil reis, e se abonar aos
pala, tutores, on quem suas vezes flzer :
Art. 20. Os premios de que tratara os artigos an-
tecedentes sero pagos pela maneira segulnte :
I. Os dos voluntarios da segunda classe, se o
alistamento for por um nno, Ihes sero pagos in-
tegralmente no acto de assentarem praca ; se por
dous ou tres annos, recebero era tres' presiacdes
igiiaes, sendo primeira paga como no primeiro
caso, segunda 'piando vencida metade do prazo
do contrato, e a terceira (inda o dito prazo.
5 2." Os voluntarios da terceira elassa recebe- j
rao uma-lerga parte do premio respectivo logo que |
jenliim assentido |iraga, outra terca parte no fim
do primeiro anno de servico, e o restante findo o
prazo de seu alistarnenlo.
3. Os premios dos imperiaos marinheiros e os
das pracas do batalhao naval serao abonadas,como
c. dos voluntarios da terceira classe.
Para a Baha pretende sahir em poucos dias
a veleira escuna Elisa, capito Belmiro Baptista
de Souza, tem a maior pare da carga tratada, para
o pouco qne Ihe falta trata-se com os consignata-
rios Palmeira <& Beltro, largo do Corpo Santo n. 4,
primeiro andar.
Rio de Janeiro.
O brigue nacional Cruzeiro do Sul, segu breve
para aquelle porto, ainda recebe carga a (rete : a
tratar com os consignatarios Marques Barros &
C largo do Corpo Santo n. 6. _________
Porto por Lisboa.
Pretende segnir com brevidade a multo veleira
barca poriugaeza Corea, por ter grande parte da
carga engajada, paro" o resto e passageiros aos
quaes offerece os melhores commodos: trata-se
com o consignatario T. de Aquoo Konseca Jnior
na travessa da Madre de Dos n. 5, primeiro an-
dar, ou com o canito na praga.
LEILuES.
I,eiI!o de ama escrava de 3& an-
nos e nin mulatlnho de
annos.
- ho.pi:.
Terca-feira 17 do corrente as 11 horas.
o armazem a ra da Cruz n. 37.
CordeiroSimres vender era leilao uma crio na
cosinheira, engommideira o com outras habilida-
4." Os" premiosT~d vidos pelo alistamento de des- e "" mulalinho de 9 annos proprio para pa-
ini ores paras as co'mpanhias de aprendizes raari
nheiros sero pagos integralmente, logo que se ve
Tiuque a entrega dos ditos.menores.
Ari. 21. As gratificarles que competen! aos vo-
luntaiios que directamente so alistaren) no servigo
da armada, sero pagas conjuntamente com a pri-
nHra prestaeao do premio respectivo.
'O.secretario da capitana.
' Vecto de Aquino Fonceca.
gem e apto para aprender qualquer offlcio.
Leilao de movis, carrocas, pianos e
outros artigos de gosto.
HOJE.
Terca-feira 17 do corrente as 10 horas.
Cordeiro Simdes far leilao de diversos movis
novos ausados, crystaes, pianos, secretarias, san-
vender em leiiio|trastes, objectos do ouro, es-
cravos de ambos os sexos, relogios, corrente* pa-
ra ditos, santuarios, candleiros agaz e outros mui-
tos artigos que estaro patentes o dia do leiio.
LEILAO -
DG
l'raa na taberna na rua do Padre Floriano n. >.
. -Quinta-feira 19 do corrente.
O agente Pestaa legalmente autorisado, far
leilao por conta o risco de quem pertencer, da ar-
macSo, gaz, gneros e mais utensilios existentes,
na taberna sita na rua do Padre Floriano n. a, em
um oo mais lotes, quinta-feira 19 do corrente, pe-
las 10 horas da manha, na mesma taberna.
Leilao d urna esa terrea nova etlili-
cada em chaos forciros na rua do
Socego n com 2 salas, 2 quartos,
cosinha fora, cacimba e quintal mu-
rado, a qual rmle S9# mensaes.
Sexta-feira 20 de Janeiro.
Per intervenejio do agente Pinto, na praca do
Commercio em frente a casa dos Srs. Palmeira
& Beltro. Os pretendenles podero desde j exa-
minaren! a dita Casa.
Leilao de nma casa d taipa na
povoaco de $. Loureiifo da
Matta c dous qnartos.
Sexta-feira :0 de Janeiro na praca do Commercio.
O agente Pinto far leilao requerimento do
lestamenleiro do finado Salustiano Ferreira Coti-
tinhoe por maudado do Illm. Sr. Dri juiz de or-
phaos, de uma casa de taipa nova edificada na no-
voacodeS. Lourenco da Matta, com utencilos
de uma pequea taberna o dous quartos, as 11
doras do dia cima dita na praga do Commercio
em frente do eserlptorio dos Srs. Palmeira &
Be 11 ro.____________________________________
Lei lo de urna victoria (de um dos me-
lhores fabricantes de pars) em lu!!!
estado, com arrcios para dous caval-
los c 1 carroca de 2 rodas grande e
mui forte, propria pata hoi.
Sexta feira 20 de Janeiro.
Por Intervengodo.agente Pinto, na praga do
Commercio em frente a casa dos Srs. Palmeira &
BeUro.________.___________________________
Leilao de usu sobrado de 9 an-
dares da rua do Padre Floria-
no n. 91, edificado ein chaos
proprlos, o qual rende dOA||
annual.
Sexta-feira 20 de Janeiro..
Por intervengo do agente Pinto, na praga do
Commercio. Os pretendenles podem desde ja exa-
minaren! o dito sobrado.
rido mez. Tambem deixou se de declarar o nome
do muito digno Sr. r. Witruvio que inemhro
da commisso directora da festa, como pes petente para arrecadar as esmolis como outro
qualquer, por olvidago. Mais prximo da fosta se
publicar o programma da mesma por este jornal.
mapessoa habilitada desoja exercer o lugar
de caixelro, ou entrar oom socio em algum esta-
belecimento, como seja : padria, armazem a reta-
mo ou refinago de asquear : quem pretender del-
xe seu nome e liabiiago para se tratar do negocio,
na mesma lujado Sr. Figutiroa.______________
Joaquim Ferreira Hamos comprou por ordem
do Sr. Jos Gomes Trigueiro, de Laga Grande,
dous bilhetes ioteiros da i' parte da 41 lotera a
beneficio da Sania Casa da Misericordia, us 664 e
1038, e mais meio bilhete n. 310. __________
Arrenda-se um grande sitio do fallecido Fer-
reira Chaves, com boas trras, capoeiras e grande
casa de pedrae cal, no arraial de cima, precisaudo
1 a casa de concert*; os quaes podero ser feitos
1 pelo rendeiro, em descont da metade .da renda
annual at que sejam pagos: faz-se bom negocio :
a tratar a rua do Caraaro n. 5.________________
SOUEihE
DOS
ARTISTAS MCHAMEOS E LlltEiUES
DE
PERNAMBUCO.
De ordem do Sr. director passo a convidar a to-
dos os dignos socios de.sta socie.lade para quinta-
felfa 19 do crrenle, as 7 hora^da larde, compa-
recerem era sesso, alira de principiarmos os tra-
lialhos sociaes do corrente anuo de 186 >. O mes-
ara senhor recj;nmeuda a todos o comparec-
menfo.
Secretaria d! sociedadedos Artistas Mechanicos
e Clberae* da Pjroamhueo e:n 13 de Janeiro de
1865.
Fe'ix de Velois Correia.
t secretario interino.
quem se pode fazer negocio por qualquer forma.
LEILAO
Da loja de seleiro da rua Nova n. 28
Martins competentemente autorisado, far leilao
da loja de seleiro cima, constando da armago e
fazendas nella existentes no dia sexta-feira 20 do
crrente, s 11 horas.
Leilao de omn cocheira com 4 carros
de 4 rodas, t her inda, 20 cavallos,
arrcios e seus pertences.
Segunda-feira 23 de Janeiro.
O agente Pinto far leilao precedida a .compe-
tente autonsacao, da cocheira da rua do Impera-
dor n. 23, com 4 carros de 4 rodas era bom esta-
do, i berlinda quasi nova, 20 cavallos de servico*
arreios, estiva, mangedora e mais pertences da
mesma cocheira, as 11 horas do da cima dito, na
referida cocheira,onde podero os pretendentes
examinaren! desde j os objectos supra mencio-
nados.
Fugio dos abaixo assignados, no dia 8 do cr-
reme, o seu escravo crioulo de nome Jos, com os
signaos seguinles : cabra escupo, cabello cara-
pinito, estatura baixa, clieio do corpo, ps largos,
B fazum geito as punas quando anda, milito
pouco barbado, e tem urna cicatriz bem visivel em
um lado do queixo, levou vestido caiga de brira
neio branco de qualrinhos, camisa brauca, cha-
peo do Chile de copa fiaribaldi, e mais uma trou-
xa coutendo caiga Jo brira escuro e outra de algo-
do riscado, urna camisa branca e outra de chita
ja velha e rasgada ; cojo escravo compramos jun-
to com outro ao Sr. capito Sitvino tiiiillierme do
Barros, ceres de O das, e este senhor os havia
comprado o Sr. loao Cabral, morador om N'aza-
reth. Consla-nos que este escravo antes de ser
I propriedado do sr. Cairal, fora do um senhor rna-
,jor no Brcod'Areia, aonde o dito esuravo casa-
: do* tem lilhos, lendo-lhe ltimamente morrido a
i muliier. Sabemos com certeza de ter passado este
nosso escravo em Pao d'Alho, montado u'um ca-
vallo em osso com direccio qucllc- lugares: por-
tanto, rogamos a todas a's autoridades pociaes a
sua captura, e a^ualquer particular se gratificar
generosamente se olevarem a seus senhorss uesta
praga, rua da Lnperatriz, refioago n. 46.
Luiz da Silva Forreira & C.
Escravo fttgido.
Fugio no da 2 de junho de 1864 o escravo Joa-
quim, crioulo, de 20 annos de idade, com os sig-
ues s^guiules: alto, magro, cara meia redonda,
ccr fula, com uma queimadura no rosto do lado
direito, rendido de uma verilha, meio- gago ; pe-
de-se aos Illms. Srs. subdelegados da Passagem da
Magdalena, Varzea, Peres e Afogados, Iguarass,
Maneota e mais freguezias, e aos Srs. capites de
campo que o appreheudam, que sero gratificados
pelo abaixo assignado, em Fra de Portas, rua do
Pilar a. 23, primeiro andar.
Manoel da Silva Neves.
Precisa-so de um caixelro para tomar conta
de una taberna nos arrabaldes desta sidade, e da-
se inleresse : a quem conyier apparega na rua de
Apollo, armazem n. 43, para tratar._____________
AVISOS DIVERSOS.
Precsa-se de um distribuidor para
este Diario no bairro da Boa-Vista, o
qual deve saber ler, prefere-se uro homem
de'meia idade que tenha offlcio porque a
distribuicao di'i xa livre a maior parte do
dia: na.livrarria n. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia.________________
Aula particular
da rua do Cabug, 2 andar, entrada na das La-
rangeiras n. li.
Maria Candida Bandeira Magalbes faz scienie
aos Illms. Srs. pas de suas alnmnas, e bem assim'.
ao respeitavel publico, que no dia 19 desu mez
continuar a funecionar com a costuma'da dedica-
gao no aperfeigoamento das discipular, como j'tem
dado as provas satisfactorias aos seuhores que lera
confiado suas meninas nesla mesma aula.
Escravo fgido
Da cidade da Victoria fugio um mulalinho por
nome Malbeus, cora idade de 16 annos pouco mais
ou menos, cujo mulalinho tem os .slgnaes seguin-
tes : muito ladino, bonita figura, pos bem felos,
cabellos corridos, vai vestido com uma camisa
de algodozinho de listras, ceroula de brira, cha-
peo de carnauba olalo de encarnada, qual o intila-
tinho desconda-se ter ido com tengoes de assentar
praca, fugio no dia 3 de janelro do corrente anno,
e diz que forro : recommenda-se as autoridades
policiaes, que pegando-o remetta-o cidade da Vic-
toria, que ser recompensado como annunciei tres
vezes. consta-me andar com outra peswa, ou cora-
boia para melhor livrar-se.____________
Aluga-se o primeiro e segunJo andares da
casa da rua do Nogueira n. 19 ; para ver-se as
chaves* acham-se na mo do morador da loja da
mesma casa, e para tratar-se na rua da Cadeia n.
26, esquina do becco largo, escriplorio.
Joaquim Rezo e sua senhora, subditos irrgle-
zes, levando era sua companhia um criado, subdito
francez, vollam para a Europa no vapor ingle/.
Magdalena.
flSscola central inethodo Cas-
f tllho.
Est abena desde 7 de Janeiro ; ensina as mate-
rias do 4o e 2o graos, recebe alumnos, pensionistas
e meio pensionistas, par pregos commodos ; nao
excedendo elles a uoze annos de idade : na rua da
Ponto oa Capunga, casa n. 9.
O professor do lalim da freguezia de S. Jos
desta cidade, abaixo assignado, faz sciente ao pu-
blico que se acha aberta a m Jjjenla de sua aula,
o que o exerciclo da mesma fW p-iincipio ao daa
3 de fevereiro prximo futuro : quem se quizer
matricular, dirija-se ao sobrado n. 5, sito no laijo
da ribeira.Manoel Francisca Coalno;
Attenco.
D-se dinheiro a juros, trata-se com o
Sr. Gameiro na botica.
Consultorio raedico-cuirurgico na rua larga do Ito
sarie n. 20.
O Dr.loo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exerclcio de saa profisso,
nao s na parte medica como tambem na chirur-
gica.________________________________
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 9
na rua Direita, entra la pela rua da Penha, e a I oja:
a tratar no segundo andar.
r\ luga-se
uma casa acabada agora, com commodos para fa
milia, estribara, cocheira, quartos para fetor e
escravos, com banho na porta, no lugar do Pogo
da Pane'la. rua do liio : a tratar cem Tasso ir-
mos, na rua do Amorim n. 33._______________
Aluga-se uma escrava para todo servico in-
terno de casa de pouca familia: .quem precisar,
dirija-se a rua da Iinpeatriz, fabrica de charutos
n. 77^______________________________________
' Oflerece-se uma ama oara coziuhar e cugom-
mar : na rua da Iluda n. 47.__________________
Preeisa-sealugar negras nu molers quilan-
deiras,querenuoos scnhores pode dormir em casa,
passando 9 horas da noite, paga-se bem : dirija se
a rua da Penha n. 7.________________
. Olferece-so uma ama qiii sabe cozmbar e
lavar para casa de familia : a tralar na rua d)
Queimado n. 2i. ^ *
Manoel Gomes da Cunha vai para o Hio de
Janeiro.
Mcthodo Castilho para me-
ninas.
Prscilla S. Mondes de Albuquerque, professora
particular, examinada, avisa aos pas de suas
alnmnas e a quem mais convier, que no dia 6 de
fevereiro abrir saa aula para continuar os seus
trabalhos, na rua larga do Rosario n. 37, segundo
andar, onde receber discipular internas e ester-
nas. E particularmente avfsa a alguns dos pai>
de suas alunnas que se acham atrasados as raen-
saudades, que se nao vierem pagar, viifo seus
nomos no Otarlo.________________
"Pivcisa-se de urna ama do leite, sem fillio :
a tratnr na rile de S. Francisco n. 18} ______
Preeisa-se alagar um pret para vender fa-
zendas na rua, paga-se bem : na rua Direita n.
71, loja.
Veaeza do norte.
ilua das Cnizcs n. 39, confronte a tjpographiado1
Diario de Pernanibuee.
Acha-se de novo nesta rua o bolequim Veneza do
Norte, o qual principiar a fornecer eumedorias
do quarta-feira 11 do Janeiro em dianie, tanto
avo.lsocomop-.ir assignatarae, com promptidao e
aceio. Tem na mesma para vender uma grande
armago euvidragada, sobre columnas lomeadas
a moderna, tudo de amarillo, envernisada, que
serve para qualquer esfabelecimento. Na mesma
precisa-se de um escravo para todo o servigo ex-
terno da casa.
PBLICACAO RELIGIOSA.
Agora que a impledade parece querer algar o
eolio orguihosae audaz, e que os malvados, para
conseguir sens nefandos fins, so tem valido de
quantes impressos ha, al mesmo da sagrada bi-
blia, ja, falsificando-a edislribuiodo-a assim falsi-
ficada, j vendendo-a, j conservando a em seu
poder, e forneceiido a sua leilura pessoas inex-
perienles ou ignorantes, e ja finalmente dando-a
mesrao gratis, nao posso nem devo-eu, que, gra-
gas a Dees, disponho, livre de dividas, de nma ty-
|M>graphia e de uma encaderoago, deixar de,
abrindo mo de uma parte do que Dos me deu,
aeompanhar o meu Exm. e Rvm. vlgarlo capitu-
lar em seus constantes esforgos para o engrande-
cimento da nossa santa religio, e de concorrer
cora o meu fraco, mas muito sincero contingente
para esse to elevado lim. Neste intuito, enten-
dendo que presto algum servico causa desla
mesma religio, com a reimpresso da viaqem de
um peregrino Jeriuulem, e visita que fez aos /-
gares santos em 1&17 Fr, lodo de Jess Chrtsio,
mnelo filho de Seraphico, patriarcha S. Franrisco,
tenho resolvido por no preioesta obra, e pretendo
fazer a reimpresso da maneira seguinte : Reim-
primir!, 3,000 ejemplares, destes sero destina-
dos 1,009 para todas as pessoas de um e outro se-
xo, que com documento legal dos seus reverendos
parochos se me apresentarem, e a cada uma das
quaes entregarei gratis um exemplar em brochu-
r*; 2,000 sero reimpressos mediante assig-natn-
ras, para as quaes desde j convido a populagao
dos.fiis, e de todos solicit e esporo o valioso coo-
curso, na razo de i cada exemplar. Naopoeso
proscindir, porm, de rogar o pagamento adiaita-
do de cada assigoatura, sam o" que nao me ser
permittido effectuar essa reimpresso e conseguir
apresentar ao publico nma edieo, ja em si mes-
ma grande c dispendiosa. Paia os qne nao assig-
narem, o prego de cada exemplar venda ser
determinado na occasio.
Nao sei qual ser o resultado dos mens esfor-
gos, mas seja qual for, do Dos espero a recom-
pensa.
Assigna-so nicamente per hora na rua do Im-
perador n. Ift, defronte de S Francisco.
Francisco Coelho de SiroSes Silva.
Precisa-se atusar-uma ama muito capaz e que
de" boas lnf>rmag6os, para lomar conta da casa de
um estrangeiro, fazendo todo o servico de portas
adentro: a quem convier, dlrija-sa a rua Nova
n. '9, primeiro andar.
Ouro Prelo.
Soffri rheumatismo por nani-
tas vezes, e vendo annunciado
em una jornal d"esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
olvi-me a comprar am frasco e fazer oso
d'ella ; e antes de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forle e sem sentir a mais Jeve
dr nos joellios ; a parle do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Erup^des, borltiilhas, puinlas,
ulceras, e todas as molestia
da pelle.
DO SR. JOO PAULA DE AIHIEU E SOIZA.
Rua de S. Pedro./fo de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de uma
erupcio syphiliiica em^todo o corpo, mos-
ttando-se sempre com niais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamenlos o consultei
muios mdicos, e esta"va quasi desanimado
quando vi os annnncios da Salsa parrilha
(lo Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e
nos priraeiros dias a erupro aggravou-sc,
porm antes 'de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desaparecido completamente de
lodo o corpo.
Doctob Don Jos Vaxdes Hkiuieiia, raonk-
S0U DE MEDICINA Y ClllfUJIA. WtMUUM
EM AMBAS AS lACn.TADKS MB SESTO DIS-
thicto.Habana.
Certifico que he usado la Zarza parril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
las casos de ulcera crnica, como asi mismo
ensayado las Pildoras catrticas del mismo
autor y las considero como um purgante,
cuya accin ademas de ser segura, ha sido
muy eficaz en el Iratamento de las enfermi-
dades que exsigou el uso de los purgantes,
y no vacilo en recomendar estas preparacio-
nes. Y para los fines que puedan convenir
doy la presente en Regla 7 de Setiembre
de 1860.
Don. Jos:; V. Herrera.
ISscrofiila.
ATTESTADO DO ILI.M. Sil. FRANCISCO FeRIIAj
dos Santos.Ouro l'rvte.
Me acho ha quasi dous annos afTec'aflo
de .escrfulas, e tendo soffrido tanto q'.e al-
gumas vezes quasi que chego a desmimar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muitos medir.>s d'es-
ta cidade, e ncnluim pode vencer i tonaci-
dade de minha molestia, eslava bem espe-
rangas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da 'mIm par-
rilha do Dr. Ayer. Completa:n-se boje
trinta e sete dias que comecei com osle
sanie remedio, e tantas mellu ras tenho
sentido que tenho convicro de em breve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
lempo,
ttyphilis e molestias merciiriacs.
Do Illm. Sr. Dr. Jackso.'.
.Medico muito cnnhrctdo nos pro incas do
sul do Brasil.
Tcnlio receitado a Salsa pe rilha do
(ir. Ayer us casos mais inven riilu> d
Syphilis constitucional e sempre com 03
mais felizes resultados ; o melho, alteran-
te que conheco.
fLeucorrlia e flores brai-scas.
Temos cartas em que nos conl im casos
inveterados que foram radiiT.lmenti curados
com um ou dous frascos d'esta & Isa par-
rilha.
0 espaco nao nos permiti tiwiscrcver
todos os attestados que possuimos Jas vir-
tudes d'este extracto composto ce Baba
parrilha do Dr. Ayer. Hasta de( arar ao
publico que tem sido empregado lia mais
de vinte annos pela .proflssan med. a tanto
das Americas como da Europa, san nunca
desmentir a sua alta repulacio.
Para a cura radical de escrfulas o liTecces
escrofulos, syphilis e molestus sypbi-
liticas, ulceras, luridas, chagas.
erupces cutneas < todo e
qualquer iocomncodo que
provi'm d'utn estado
impuro de sangpe,
"JOVEN A
HA1,S.* PARRILHA RE AYER.
A' venda na rua Direita, ns. 12.26 e 76:
rua da Quitanda n. 51 ; praca da Consli-
ttiicao, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pharmacias c drogaras do ims
qerio.
Vende-se em Pernambuco:
na-pharmacla frauceza de
P.MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
Alugara-se na cirtad de diinda dous solda-
dos eom |jaslante> commodo?, a rua de S. liento..
defronte da ladeira do Vara^ooro ns. 29 e 30, con
quintal e sabida para caa de- bandos salgados : a
fallar em Olinda com o Sr. fonteiro, rua de Ma-
linas Ferreira, e no Po?o da Panella, em casa, do
suhdelepado Joao Paulo Ferreira._______________
" Bento Barbosa & C, de Macei, dissolveran
amigavel e na melhor Inifilifipncla, a soeiedade
que libam em urna loja de faiendas de Jaragn
desta cidade, ficaudo o nativo e passivo do referi-
do esla belecimento a cargo dos Srs. Manoel Perrei-
ra aimares-A C, desde o de Janeiro do anno
proiimo findo, e fra da supra-mencionada socie-
dade o socio Sr. Antonio Bento Barbosa, livre do
toda responsabilidad! presente e futura.
Jaraitua 1* de jansiro de 1S65.
Bento Barbosa & G________
A festa da Senhora dos Bemedins deve ler
lugar no dia 10 de fevereiro do crranle anno. A
commlssao entlarregada paraarrecadaiem as es-
colas sao os Srs. capito Jos Mariano de Albu-
querque, Antonio Joaquim Pereira de Oliveira, l-
ente Jos Peteira da Cunha, lente Jrrcnyirr
Kmiliano de Miranda Castro, Lucio Mariano de
Albuqnerque e Samuel Halidorv ; alem destes se-
nhores s aiaolles qne forem coro salva, autorisa-
dos pela commisso, o podero fazer.
Joao Jos da Silva Guiwaras A C, de Ma-
cei, avisam que o socio Sr. Aatonio Homo Barbo-
sa ixoa de fazer parte na sociedad qne tinlia
no estabelecimento de gneros de estiva dos refe-
ridos senhorss desde o 1 de Janeiro do anno pr-
ximo findo, ficando, porm, a casa gyrando a
firma cima mencionada, c o Sr Antonio Bmto
Barnosa exoneradp de toda a responsabilidde.
Jaragu Io de Janeiro d*> 186o.
Joo Jos da Silva Guimares & C.
~P -raa Estancia.
Pretende sahir nestes qnatro dias o patacho bfa-
sileiro D. Luis : quem no mesmo quizer Carrcgar
carne ou outro qualquer genero a frele ei mmnn\>,
pode dirigir-so aos consignatarios Palmeira & R>1-
rJo, largo do Corpo Santo n, '>, primeiro andar.
.. ^.__I


Diarfe le reraaMlNico cerca Icira 11 e metra de 18tt.

^TT
JOS: GOMES TIJLLAlt
Oom loja de fazendas ra do Crespo n, 17.
Pretendendo Ir multo breve a Europa tratar de sua saude, pede aos seus devedores
tanto do mato come desta praca que saldem seus dbitos quauto antes, assimcomo
Est liquidando
o seu importante estabelecrmenlo de fazendas, vendendo ludo por precos que na realida-
de admirara; aproveitem Excellenlissimas senhoras
As fazendas de apurados gostos
As fazendas de apurados gostes
As fazendas de apurados gostos
E por precos que admirara
E por pregos que adrmram.
CHKVL UECOU tI*LV1>A<1O
MAZEM CONSERVATIVO
' 23-Largo do Terco-23.
Joaquira Simio dos Santos, dono deste bem sortido armazem de melbados faz sclente erag
reeommeudaco aos seus amigos, freguezcs e a todos em geral, que esta resolvido a venderos seus
bem conhecidos gneros de primeira qualidade, por menos de 10 a SO por cento, menos do que em ou-
traqaalquer parte a dioheiro coudo, e todo o comprador que comprar de 505 a 100 lera o descon-
t de 5 a 10 por cento pelo seu prompto pagamento; e por Isso se faz annuncio de ilguns gneros,
para com este melhor se certificaren).
;
m
5
Massas para sopa macarro, talb'arim e aletria a
2i0 rs. a libra e em caixa a o>.
Touciaho de Lisboa alvo muito superior a 280 rs.
a libra e 8*800 a arroba.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 260,280
300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 89 e
8*300.
Cboaricas as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 12*.
Passas viudas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a 8*.
Batatas eragigos de 33 a 40 libras por 2*400 a ar.
robae a 80 rs. a libra.
Cha hysson miudinho supeior inalidade a 1*200,
2*000, 2*306 e 3 a libra.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 360,
300, 400 e 640 rs. a garrafa.
dem propria para negocio a 320 e 360 a
e a caada a 2*400 2*700.
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 4*400 e 4}200.
Phospbros do gaz vindos por conta propria a 180
rs. o mago e a 2* a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
lao a 2*800 e a caada a 4*300.
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs. a
garrafa e a duzia a 5*800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abatimento.
Arroz do Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 2*800, 2*e 2*400.
Assim como ha un grande sortimento de chara-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
em botijas, bolachinbas de soda, conservas, choco-
: late, marmelada, vinho engarrafado eoutros mui-
Aos genitores pais de familia.
O padre Flix Barreto de. Vas-
concellos, dora aula particular de la-
tim na ra do Imperador n. 35, 1*
andar, contina a receber alumnos
de todas as classes, durante e de-
pois das ferias. Tambera est dis-
poste a abrir um curso de prima-
ras leltras e de francez, logo que
haja numero sufflciente de alumnos
para cada urna destas materias, e
assim tambem a receber como in-
ternas alguns merfinos,de cuja edu-
carlo o quizerera encarregar. Os
pagamentos sero por trimestres
adiantados, e os precos declarados
pessoalmente na occasi3o do ajuste
para a entrada do alumno.
mmmmwM
j DENTISTA DE PARS 1
lRa Noy-19 H
Frederico Gantier, cirurgio dentist i,
faz todas as operacoes de sua arte, e ce I-
loca dentes artificiaos, tado com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas lhe reconbecem.
Tem agua e pos dentificio.
s
Na praga da Independencia, loja deourives
a. 33, compram-seobras de ouro e prata, e pedras
preciosas.assim como se faz qualquer obra de en-
commenda.e todo e qualquer cencerto.
mmms mmmwm
Companhia fldelidade de
seguros martimos e ter- m
restres estabeleclda nos
Rio de Janeiro. M
AGENTES BMPEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc- 2B
toria da companhia de seguros Fidelida- M
de, tomam seguros de navios, mercado- m
rias e predios no seu escriptorio ra da 9
Cruz n .1. JH
garrafa tos gneros qne enfadonho menciona-los, e se al-
i gHem duvidar venha ver.
REMEDIO PROFICl'O!
para a cura das escrfulas, ggf
glndulas enfariadas, lu- $
mores escrofulosos e affeceoes M
oeste genero.
O abaixo assignado entre as plantas g?
sabmeltidas ao seu exame botnico de ~5
3ue a muito se ha entregado, desde que jft
nalisou seu tirocinio em dita sciencia >jji
peloextinclo curso do anligo jardim b- J
tnico de Ollnda, e averiguando certas ^
propriedades medicinaes que Ihes trans-
mittiram de aleumas plaas, verilicou que a vimia antiscrofula era um especi-
fleo contra as molestias cima denomina- ^s
das (na linguagem vulgar) alporcas. Re- H
solveu-se portanto a expor ao publico es- fifi
H te interessanle medicamento em tintura, x*g
g em vidrinho de l|2onca,que um s vi- 1
gg drinho bastante para a cura de um es- H
crofuloso e Oca muito remedio.
g Com os vidros acompanham nm im- S
presso, que explica a maneira da appli- M
jg cacao e mais circumslaocias.
g Vende-se as boticas dos Srs. Jos Pe-
reir Jacintho Jnior, Recife ra Direita
t n. 133, c na do Sr. Joo Suares Rapozo,
g-Olinda ra dos Quatro Cantos. Preco de
H cada vidrinho 2*.
af Jos Eleuterio Carneiro da Cunha.
IOI IIIMlA*
Hura lti5
Acham-se venda*na livraria ns. 6 e 8
da praga dalndependencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
kalendario civile ecclesiastico, tabellas de
feriados, de emolumentos dos tribunaes
do commercio etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainba em verso,o Stabat Materem
verso, devoco ao agonisante,coraco de
Jess, cntico em louvor do Santissimo
Rosario, cntico a Virgem iMaria Nossa
Senhora, trinta e tres chistosasanedoctas.
um indito poema sobre as aventuras de
um cosinlieiro, o canto de urna solteira
(poesa), crescido numero de mximas e
pensamentos, urna historia como muitas
fromanco,), e vinte e cinco novas e pi-
Ihericas charadas a 320 rs
Milho tiovo em saceos grandes,- no trapiche
d Cunha, a tratar enm Tasso Irmos.
mmmm
Aula particular.
O abaixo assignado, professor p.irticnlar, provi-'
sionado pela direcloriageralda inslruccao publica
para ensinar primeiras lettras, lalim e fraucez,
participa ao respeitavel publico e igualmente aos'
senhores pas de seos discpulos que segunda-feira >
9do crreme tem de continuar no entino das su-'
paitas materias, admittindo matricula alumnos
externos, pensionistas e meie-pensionistas. A pra-
tica de 19 annos consecutivos no exercicio de seu
magisterio, sua inteira dedicado e sua moralidade
sao garantas que offerece aos senhores pais de fa-
milias, que desejara a sa e til educaco a seus
filnos.
Qoem portanto qoizer confiar ao mesmo abaixo
assignado a educagao de seus filhos, pode dirigir se
a qualquer hora do di aoterceiro andar do sobra-
do n. 38 da ra Nova, onde ha muito lempo est
eslabelecido.
Js Marta Machado de Figutiredo.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
Os elementos que compoem esla preparado, o
ferro, o iode e a quina, a coilocao no primeiro
grio das preparares ferruginosas. Basta alicatar
seos resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
laes, e os relatnos dos-prcticos mais eminentes,
que confirmarlo sua poderosa efficacidade as
seguintes affeccoes:
Mlngoa-no ui|ur.
Fraqnraa.
Aniuln.
A. NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
lina fianca em dinheir, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
in i n i sin cao da companhia.
RANQEIROS DA COMPANHIA
O JBaucft de llespaulia
DIRECQAO GERAL
Madrid : Ituu do Prado n. IB
Esta eompanhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos
sobre a vida.
seguros
Nella pdese lazer a subscripgo de maneira que em nenhum caso raesmo'por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao supreheudentes os resullados que produzem as sociedades da ndole daA NACIO-
NAL,que amia mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzido omreceutes liquidacoes,
e combinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia para os
seus clculos e liqaidaciws, em segurados da idade de 3 a 19 annos, urna imporsico annuz! le 100
produz em effectivo metlico :
No llm de 5 annos.......1:1193300
de 10 ........ 3:0423600
de 15 .......11:2083200
de 20 .......30:256.1000
., d aa .......80:331^000
Xas idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectos e mais informacoes serio prestadas pelo sub-director nesta provincia o Sr. Jerony
mo Joaquim Fmza de Oliveira, ra da Cadeia n. 32, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12 estabe
lecimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmao.
Casa de cdnraro.
JeronyraoPereira Villar transfeno o seu esta-.
Adverte-se ao Sr. Feliciano Joaquim **lecimento de instrueco primaria o secundaria Ch,oro,e onieierui
deAguiar, que a sua assignatura deste 5araa r"a larga do Rosario, sobrado de dousan- '
.Diario est por pagar desde outubro do ^^\ ^^fcJno'ipJSS
anno passadO, e que O proprietariO da loja publico, que as aulas estarao abertas nodia 8 de
de ourives da ra larga do Rosario n. 40, Janeiro do anno vindouro de 1865.__________
tem declarado que nao se responsabilisa,! 'Manoel Francisco da Silva Carneo or
portanto S. S. qnetra mandar satisfazernes- residente em Macei, julga nada dever
ta typographia.
Atfeeeor* do iiti-r.
SupprcMom daa re
Rraa e denordea na
menpilriiaro.
.AfTerrao pulmonar e
phlhlale.
MoleatlaH dVitlAmaso.
Gaatrulglna.
Con v aleaee n( de lon-
gaa moleallaa.
Molcallaa mcrafulo-
aan.
PiiUrlr.
UliKlrucrao daa Ran-
dulaa.
Humnrr frin
Huraorca braneea.
narhlllanio.
Affeccra raneeroaaa
e ayahllltlcaa.
Feliri-i. lyiiholdr.
Varile, eic, ee.
COMPENDIO DOLOROSO
que conten o officio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar eofferecer a ce-
rda, um setenario e mais oulros exercicios
de piedade e devoco; ordenado pela ir-
mandade dos senos da mesma Seniora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres missonarios apostlicos capu-
chinhos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devoco do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia
Yeniirm-i-e
10 cadeiras de balauco rom as?f nlo c enroMo de
palhinha, ltimamente hegadas da America : no
escriptorio de Matheus Austin & C. ua do Trapi-
che n. 36.
Versos ao Divino
Aeham-se a venda na ra do Imperador n. 15
defronte de 8. Francisco por preco de ICO rs. ca-
da um cxemplar em brochura, versos no Divino,
proprios para se cantan m d<|ois ru ;ntis de
qualquer solemoidade, fesla, coviba'iu niito
em casas particulares.
* Testamentos.
Acham-se a venda os seguintes leststrenlos,
obras proprias para entreler em lie ras vacas na
ra do Imperador n. 15, defrenle deS. Francisco :
da gallinha, gallo, per, Je3o, onja, tigre, caxorro,
vigario, porro, pelleja fnlre urna alna, S. Miguel
c o diabo a 160 rs. cada nm ext-mplar.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelko,
Raa de Queimddo Y 19,
Vende-se o segnintc :
Attencol I
Ricas laazinhas, fazenda a melhor que tem viu-
do ao mercado, tanto em gosto como em qualida-
de, pelo baratissimo prego de 360 rs.o covado.
Ditas miudinhas carmezins, proprias para vesti-
dos de meninas e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de laa com 15 covados, pelo barato preco
de 63-
Cobertas de chita da India a 23500 c ."3.
Len?es de panno delinho a 23 e 23500.
Pegas de cambraia de fotro cem 8 1|2 varas
33200.
Toalhas.alcochoadas proprias para macs a.53 a
du/.ia.
Ricos cortes de la rom barra Mara Pia a
algodao com 10 varas,
i|2 palmos de largura
I
AMA.
Precisase de urna ama para cozinhar : na ra
larga do Rosario n. 12, segundo andar.
Que pecliiiulut
Um sobrado de um andar por 253 na ra Im-
perial n. 116, pintado e forrada a sala de novo : a
tratar na ra Direita n. 127, taberna, ou Cinco!
Pontas n. 33, primeiro andar, das 6 as 8 horas, e
da-o 4 em dianle. ______________
Deseja-se fallar com os Srs. Joo Clirisosto-
mo de Albaqaerqae, de Pedras de Fogo, Jos Joa-
quim Correia da Luz, do engenho Cajueim, ou
com qiK'in Azor suas vezes nesta pr.-ica : no es-
criptorio de Manocl Ignacio de Oliveira & Filho,
larga do Corno Santn. 19.
No Forte do Matlos n. 20 ha para alugar
urna escrava que faz todo servido de urna casa.
Precisa-so dt um b>ra eosinneiro ni iua d
Roda 0. 6, prefere-sc nacioial.
O hachare i
\ Jos dos Anjos Vieira de Amorim conti- 9
) na a advogar em seu amigo escriptorio 2
j da praca de Pedro II ou pateo do Colle- S
: gio, como Se chamou cm outro tempo : S
1 ahi podo ser procurado das 9" horas da 'k
j manhaa as 3 da tarde, e as horas di- %
1 versas desias. na casa de sua residencia
i sobrado n. 33 da ra do Hospicio.
' W'i^' attMBmi 'Wal^M Mtaal
M HHL
Saques sobre Portugal,
O abaixo assignado. autorisado pelo
Banco Mercantil Portuet.se. e na ausencia aSi
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos o paquetes sobre m
as pracas de Lisboa e Por.o, e mais luga- I
res do reino, por qualquer somma vis- |
ta, e a praso ; podendo, o que temarem nm
saques a praso.receherem kshia, no mes- g
I mo Banco, descontando 4 0|0 ao asno: na |
loja de chapos da ra do Crispo n. 6, ou
na ra do Imperador b. 63, si-gundo an-
^| dar.Jos Joaquim da Cosa MVia.
wsaiffi mmmm mmnmm
Primeiras lettras.
Maria Barthuleza da Conceigao partecipa acs
Illms. senhores pais de suas alumnas e a todas as
pessoas que lhe quizerem dar a bonra de lhe
confiaren) siias meninas para lhes ensjnar o
necessario as materias de primeiras lettras e
Iiii;'".-i rranceza : far todo O eforgo para (]UO
ellas obtenham o desojado aperfeigoamentoafflan-
cando-lhfl a boa ledra, e lhe tirar qualquer vi-
cio na pronuncia, se o tiverem. Sua escola estar
rberta de 9 de aneiro em diantc : defronte da
matriz da Roa-Vista n. 81.
rerda d'upprlltr. etc.
nesta praga ou fora della, mas se alguem se Yejae se os buMins de teraputica medica
julgar seucredor queira apresenlar seu titU- ecirurgka de30 de novembre 1S60; a Gazeta
I lo nestes 8 dias, que depois de. verificado! ios he
!ser immediatamenie pago por Francisco' Al
Ribeiro Pinto Gnimares (para isso autori-
sado) ra d'Apollo armazem n. 38. Reci-
je 7 de Janeiro de 1865.
0 professor de piano
J. Coelho da S. Araujo, continua a lec-
cionar, mora na ra do Livramento n.
21, segundo andar.
Vil
i
Precisa-se de um caixeiro que leulia pratica
de taberna, de li a 16 annos de idade, e qno d
fiador a sua conducta : a tratar na ra dos Pires
numero 34.
Joaquim Reso e sua senhora subditos ingle-
ze>, levando em sua companhia nm criado subdi-
to fraucez, vao para a Europa no vapor inglez
Magdalena.________^__________
Precisa-se de um menino de 12 a 14 anuos,
ou um homem de 30 a 40 annos, que saiba ler :
a tratar na ra da Concordia, casa n. 38.
Quem pretender urna pessoa habilitada para
em algum engenho ensinar nao s a lingua por-
tugueta, mas tambem o latim, francez e Inglez, e
noedes geraes de rhetorica, pode informar-so na
ra do Imperador n. 18, primeiro andar.
Panaseo
avisa aos seus freguezes quejchegou o biquinho
de ouro, estreito e largo.
Alnga-se a casa da ra do Calabouco n. 2 A:
a tratar na roa do Sebo n. 36._________
Ama
Preeisase alugar urna escrava para ama de ca-
sa : na ra Velha n. 17. ^___^_
Aluga-se um sitia na roa do Cabral da
cidade de Olinda, com casa terrea, cora co-
piar nfrente, botaos fundos para a estra-
da e raargera do rio Beberibe, com com-
ino 1 is para familia, estribara para cavallo
e capim para sustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinho defronte era peto
fun io, com ptimos passeios, sala e gabi-
nete na frente, muito propria para passara
festa, e tambem se alagar poranno : a fal-
lar no Recife, na livraria n. 6 e 8 da praca
4a Independencia, e era Olinda na casa con-
tigua com o capito Antonio Bernardo Fer-
r-eira.__________
Aluga-ss nma grande e fresca estribara qne
admitte bem 5 a 6 bois, com bom qoarto que ser-
ve para moradia e Oca bem defronte da estacao :
a tratar as Cinco Pontas n. 116.
Hobilla.
Alngam-sc mobilias : no pateo do Tcreo nume-
ro 42.
-
Aluga-se o armazem* n. 35 da ra dofmoe
rador : a tratar na mesma ra, a>mazem de louea
D. 41.
= Aluga-se duus grandes armazens 00 Forte
do Mato com a frente pars o caes e o fundo para
a ra da Moeda: a fallar aa ra da Cadeia Wiha
armazem n. 66.
1 O r. Carolinc Francisco de Lima San-
fm tos,contina a residir na ra do lini-f-
'0 rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro-
s curado a qualquer hora do diae da noile
3R para o exercicio de sua proissao de me-
i|g dico ; sendo r/ue os chamados, depois de
5 meio dia at 4 horas da larde, devem ser
M deixados por escripto. O referido Dr.
HH nao abandonando nunca o estodo das
I molestias do interior, prosegue, com o
I maior affinco, no das mais diffleeise deli-
Wk cadas operacoes. como sejamdos orgaos
g ourinarios,dosolhos, partos, etc.
mmmmm mmmm wwmwm
AVISO
aos terceiros de S. Francisco.
Chegou a verdadeira csiamenha para hbitos, a
qual se vende muito barato : na ra do Queima-
do p. 39, loja de 4 portas.
Todo attenco.
Tendo-se desencaminhado *um caixo com as
miciaes B C. S. A. com diversas miudezas, embar-,,
cado neste porto para o de Mossor na barcaca 1 aro-
Rainha dos Anjos, meslre Joao Vaz da Silva : pe-: Oliveira
de-se aos senhores armazenarios de diversos por-
los ou qualquer pessoa que saiba aonda existe o
dito caixao, se dirijam a ra do Crespa n. 7, loja
d Custodio Jos Alves Guimaraes, que serio era-
tificados.
.yninasio Provincial.
5 j Do dia 16 de Janeiro em diante, estarao aber-
g. tas as matriculas das seguintes aulas do Gymnasio
*, Provincial: primeiras letras, latim, francez, in-
| glez, grego allemao, mathemalica, geographia c
g I historia, eloquencia e potica, philosophia, lingua
' e litteratura nacional, sciencias naturaes e/nusica.
||Nesse esladelecimento mediarte a ir.odira quan-j
^; tia de 15 diarios, tem os alumnos internes roupa
lavada e engommada, medico, bolica, barbeiro,
los, penna, papel, tinta e creados para o servico.
Os meios-pensionistas pagam metade dessa quan-
tia e os externos 15,5 por trimestre, podendo fre-j
quemaras aulas que quizerem.
O secretario, Cabral.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-\
vedo & C
Agente* do Banco luio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, epara as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
THESOURO DAS MAIS
Providencia das criangos
COLLARES ROYER
Eleclro-magaelicos
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTigO
Coaira as convulsoes e para facilitar a
denticao das crianzas preparados c inventa-
dos por Royer.pharmaceuticoda esco-
la superior de Paris, successor de Chereau,
membro da academia de medicina,
amiga casa deBouillon-Lagrange, pharmaceutico
do imperador,
chefe dostrabalhos chimicos da escola po-
lytechnica,director da escola de pharmacia de
Paris, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra de- Crespo n. 7.
3 0 uacharel .1 urge rornellas
^S continua residir rua larga do Rosa-
ario n. JOJrimeiro andar, onde pede ser
procurad* para exercer a sna proflssao:
VJg 1" de advogado nos auditorios desta ci-
8% 2 de mestre da lingua francesa, cn-
$0. sinando-a tarde, e tambem noite a
^ pessoas cujas oceupacoes embaracem
aprende-la durante o dia.
hospaes de 28 dejulho 1860, ep., etc.
klm das pulas de iodureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
tarro e de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nao goslao de medicamentos sob for-
ma pflular e os meninos. Este xarope nio tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nSo poder conservar.
Peca-te o folheto que se d de graca em casa
dos pharmiceuticos depositarios.
Para-se evitaren) falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmaciaRebilloii,
4 42, rne du Bac, e em todas as boas pharmaciu
de Franca a dos puizes estrangeiros, etc.
GRANULOS
BISMUTH
DE GHEVRIER
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparacoes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de lodosos paizes, para prevenir e
curar as
Ma dlgeatea.
Gaotrltea.
Cultralglaa, etc.
7m
fa
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Valde
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
d'Aze-
Alugara-se doas grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardim, cocheira, estribara o outras eommo-
didades, na travessa de Joao Fernande Vieira :
a tratar na rua da Senzala Nova a. 42.
Instruc^o primarla.
. Joanna Villar F?rreira Pinto scientiflea nao s
aos Illms. Srs. pais de suas alumnas, como ao res-
peitavel publico, que sua anta se acba aberta des-
de 9 do vigente, e que continuar com o mesmo
zeloe amisade a velar no'progreeso de suas edu-
candas : rua larga do Rosario n. 14, sobrado do
um andar.
Frederic S. Ballin & C.
Joo Gabe & Filho.
Francisco Rahoba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perora Y. Hijos.
Em Portugal.
Figueira.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Coirabra.
Covilhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinbal.
Porto-aregre.
Thomar.
Villa Nova
Portimao.
do
OSr. morador da rua Nova que se
acha a dever 6 quarteis de assignatnns des-
te Diario, queira manda-las pagar pois i
assim cOmo elle gsta de receber a paga de i
seus servidos deve attender a djs ou-(
tros, principalmente o do Diario em que;
trabalham mais de 60 pessoas.
Dlarrhcaa cbronlcaa.
I>;*m-iiI,tIii.
mire d'ridmaso.
I)J[U'llll.
Os primeiros symplomas d'essas formidaveis
affecccs se manifesiito ordinariamente por diges-
toes laboriosas, azidumes, falta (tappelite, pesos
d'estmago depois de cada comida, coimeras es-
lomacaef, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidSo, traz ine-
vitavelmente, que seja:
Opprcaxoea.
mii-i-.-. ile rabeo.
Irrllarocde Ixilija e
da matrls, ele.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao tomados a
tempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral cm^aris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paize
estrangeiros.
GRAGEASdeCUBEBINA
comCOPABAdeLABLONYE
Molallna de usada.
A Irlf-i-i.'ia.
Palplluro de corneo
DOrt-a uo> rlna.
Pecas de platilhas de
proprias para saia a 45-
Algodao enfestado com 7
a lfiioo rs. a vara.
Estelra da India, propria para forro de sala de
4, 5, e 6 palmos%le largura, por menos preco do
que emouta qualquer parte.
Nesle estabelecimento tambem se encontrar
nm grande sortimento de roupas fritas, c por me-
did-a______________________________________
(rande armazem de tintas.
RUA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos e utensis os mais r-mprrgados
e usados na pharmacia, pitura, pbolographia. tin-
turara, pyrotechinia (focos de artificio) eem outras
industrias.
Montado cm grande escala, e spprindo-se di-
rectamente as princlpaes drogaras de Paris. Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offerecer
productos de plena confianca e satisfaztr qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por presos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promplldao qualqosr pedido de tintas moidas
a cih'o. cuja qualidade e pnreza de seus ngn-dien-
tes pndera ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que san importadas,
e que se enconlram no mercado em latas fechadas.
Tem grand9 collercao de vidros de diflerentes
formatos, desde urna oitava at dezeseisincas de
capacidade ; de vidros para vidneas e dian^antes
para corta-ios; depinceis para fingir madeira com
propriedade e oulros; de papis dourados epra-
icados e folhas de gelatina para ornamento : de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para emhriillm, para forro de rasa, para desenlio
com fundo ja feito ; de papel albun ioado e Ilristol,
verdadeiro saxe para phnrographia e para filtrar,
e oulros ; vornizes de essencia para qoadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior oleo araxn, oleo seccalivo, (leo de linhaca
clarificado, oleo de oielet, sicativo de Ilailin curo
verdadeiro cm p ; prata, ouro, o eslanho cm fo-
lhas de varias cores ; tintas vegetacs, inoBeasi-
vas proprias para confeitarlu ; la de cores, e
olaos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e fin po pa-
ra aquarelln ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim, bergamota, aspice, patcbouly, mbar,
hoiiquet, limao, alcaraiva, melissa. orlela pimenta,
lonro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
anis da Russia, canella, rravo e muitos oulros ob-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Joao Pedro dns Neres,
____________________________licrcnlp.
Vende-se p-r prerisio a armacao da luja de
calcado toda envidraca da rua da Imperatriz na
Boa-Vista n. 13, o aluguel razoavel ea casa tem
no interior bstanle espaco para moradia : a tra-
tar na mesma loja com a viuva 3e Joo Jos Mon-
des da Silva.________________
Venden) se dona pos de jasmineiros sendo
um maior eoutro menor, ambos plantados em ces-
tos, proprios para se levarem e plantaren) onde se
qtlzer : na rua do Imperador n. 15.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria..
Monjo.
Mdncorva.
Regoa.
Setuba).
Vianna do Cas-
tello.
Villa. Real.
Madeira.
S. Miguel.
Ralhna Firmina da Silva Rosa,
particular de inslruccao primaria, avisa que abri
sua aula na rua do Amorim n. 12, primeiro andar-,
assim, pois, roga aos senhores pais de familias
VenJe-se a taberna da rua do Amorim n. 1
Lstes conteitos que tem por base o pnn- a, com poucos fundos, muito boa por estar peno
professora cipio activo da primeira cubeta jtiulo com do desembarque, eo dono vende por tr de ir tra-
Na fabrica de calcado do patoo da ribeira de
S. Josf, precisase de artistas para obra de senho-
ra e menina dndose lodo prompto, pagase a du-
zia eara senhora a i"800 e para menina a i260,
e todo aquelle qoe qoizer levar sem pespontarter
ma's ICO rs. em cada duzia.
Arugase a cocheira da roa da Roda n. 56 :
a tratar na roa larga do Rosario n. 34, botica.
Aluea-se a casa terrea da rua do Socego n.
Seo segundo andar do sobrado da rua do Rangel
n. 7 : a tratar na taberna no mesmo sobrado.
No dia 8 do corrente furtaram, do siio~do
Manguinho, onde rfslde o brlgadeiro Menezes
Drummond, duas barras, urna ruca e outra casta-
nha, ambas mancas e habituadas a andar em car-
ro ; tem as dinas feilas e estao bastante gordas;
quem deltas souber, ser gratificado, daado noticia
ou levando-as ao referido sitio.
Precisase de nma ama para compra e algum
-servce de casa, para duas pe;oas : na raa da
iPaale Vetta o. 8.
meis.
Penafiel.
Tavira.
Villa do Conde.
Villa Real de Vizen.
S. Antonio. Faial.
No IMPERIO.
Bahia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendologe
os saques nrazo serem descontados no mesmo
Banco a razo de 4 por cento ao anno : a tratar
na rua da Crnz n. 1.
3
O hachare
2 Francisco Augusto da Ctsta
MUDANCA.
Manoel Ferreira Pinto Malheiro mudon a sua
loja de ourives da rua das Larangeiras para a rua
do Cabug n. 1 B, onde espera continuar a mere-
cer a confianca de seas amigos, e do puMco em
geral.
Precisa se de urna ama para cozinhar e rom'
prar : na rua das Cruzesn. 9, segundo andar.
a ntpafii/ba pura, naonausen n estomaga.
Elles fazem parar inmediatamente as mais
que'sed^arem honra-la," cofla'ndo "a educacl rebeldes gonorrhaS, mesmo as que res Sti-
tar de sua saude.
Vende se a taberna da
n. 43 : a tratar na mesma.
rua dos Pescadores
de suas filhas.de dirig reta se referida casa.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velha?
daga-se bem: na loja de bilbetes da praca da Inde
pendencia n. 22.____________________________
Compra-se efectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
nagrua larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-se escravos.
Silvino Quilherme de Barros compra, vende e
troca escravos de ambos os sexos e de toda idade:
na rua dn Imperador n. 79, t;rceiro andar.
Compra-se
cobro, lalo e chumbo : no armazem da bola ama-
relia no oitao da secretaria da polica. _______
Compra-se um esciavo de meia idade: quera
tiver para vender, dirija-se a casa do Sr. Arantes
na roa do Livramento.
VENDAS.
A M A
de nma s
Precisase de urna ama para.casa
pessoa : no becco do^Padr n 3.______
Tluga-se
a'm prct.ipar* o ervljo de casa : na rua da Ca-
deia o. 20.
ALMANAK.
Acatya de sahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almank Administrativo,
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezmbro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia,
Vende-** bom lijlo a l9 descarre.-ado : na
alaria do engento) da Torre.
ram a cubeba o a cupahyba isoladamente.
Deposito geral em Pernambuce rua da
Cruz o. 22 em casa de Caros dV Rarboza.
BOTICA ^DROGARA
Bartholome Franessco de. Souza & C.
34Rua larga do Rosario31
Pi'ulns Holloway
Vender:
Pilulas do Dr. Laville.
Pilulas do Dr. Alian.
Pilulas do Pobre-homem.
Pilulas americanas.
Pilulas vr-getaes.
Pilulas vegetaes assacaradas de Kemp.
>alsa de Krislol.
Remedios do Dr. ("hable.
Eltxir de Pcp.-inal de Grimault
Vinho de Salsaparrilba de Che Albert.
Injeccu Peaagas.
Agua ili-iiiilica de Desirabode.
Papel chimico, para talhos.
Xarope depurativo de Chante.
Licor aromtico de Haspail.
Pos anti ppiletiros de Urest.
Ro|;L'AfTecli'ur. s
.Yarope do Bosque.
Ungento Holloway.
DROGARA.
31Rua alarga do Rosario-34
Barlhoiomeu Francisco de Sonza & C.
Vendem:
Acido actico puro p.ra retratistas.
Esmaltes para ourives.
Papel para forrar rasas.
Guaroicdes avelludidas.
Tinta branca superior em lata.
Alvaiade Veneza, fino, em paos.
Vinho do Porto superior
em barris de oilavo e dcimo, vende Amonio Lniz
de Albuqnerque Azevedo 4C.: no seu escriptorio
rua a Croi n. 1 _^____________
Vende se caixes vazios proprios
para babnleiros e funileiros a 1 $760
cada nm; nesta typographia,
J. Ke.lter & C. vendem superior vi-
nho tinto de Bordeaux, tanto em quartola
como em caixas de duzia de garrafas.
Farinlia lavada,
9Rua da.Uari re de Dos-9
Vende-se farinha lavada a melnor que tem vin-
do a este mercado por ser melhor que a Muribeca,
pelo barato preco de 6 a saeca, a granel, a bor-
do da lancha llios I, defroote do Trapch: Barao
do Livramento. ou cnsaccada no armazem cima
' indicado por G$500. Tambem tem do outra f.iri-
I nha, a bord.i do mesmo navio, mais grosga, de S.
Matheus, que se vende i granel a 5J5 a sacca, e
em ierra a 3oC0 : no armazem da ru da Madre
de Dos n. 9.________________________
Vende-se nina das m u's ricas armaedn* pra
loja, toda de amarello, propria para negoci-i de
molhados, mas que com nina pequea alteraco
serve para lazeudas; vende-se por menos da me-
tade de seu cusi : novrinazem da rua da Cadeia
numero I.
Vende-se o eug"nho Bom-Toui, pertencente
freguezia de Barreiros, distante do embarque
legoa e meia, e ajjruns escravos e aniraaes perten-
centcs ao mesmo engenho ; tambem se troca por
algum sitio nos arr.ihaldes desta cidade : a tratar
na rua da Calcada n. 14_______"_______________
Pidros para espelho.
Vende-se na rua Nova n. 26.
Gaz llqiiiln. c.tadielros e seus
pertenees.
No deposito do mesm >, na rua da Cruz n. 35,
I vendo-se gaz o mais apurado, em latas de o, 2 o
II galo, assim comoem garrafas; lera tambem
! venda candieiros para o dito de diversas qualida-
des, e pertenees para os mesmos, avulsos, das mais
. pequeas s maiores dirnensGes, ludo por preco
. commodos.
INJECCAO BROW.
Remedio' infallivel contra as gnoirheas
antigs c recentes, nico deposito ra bo-
.ica franceza, rua da Cruz n. 22 pre-
co 3 5



IfJfr*ft,|ft*r*W*|Mi* t#m W*M* Je Jaucy^e^i^fc,,,
>

Deixai que os lyi m ciipa voajreguen)
economapara en ps 1! Esta parte m corpo
humano por eerte aquella que, neste elhna ne-
eessita de maior ajasalho: pela humidade nos ps
aintroduz a grande maioria das molestias, e coa
tas a perda da saude e da vida 11 Fra com as
botinas e sapatos velhos; reforma-Ios a
45-Rua Dereita-45

Borzegums francezes para homem
Ditos iaglezes dem 80, 70 e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapatdes esmaga cobra
Ditos de Nantes de duas sola*
os dito de sola e vira
patos de borracha para senhoras
; de dita para meninos
Ditos de tapete para homens e
nhoras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Perto
se-
5*000
3*000
5*000
43000
11400
1*000
1*000
1*000
1*0.
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na ra Nova n. 1
Nova liquidacao de fazonua at o m
dt aei, para fechar facturas vende-s imite
barate, por ser o nltime mez de festa, que os
rce|aezes deven ipmeiur : naloja e aruazen
da Arara, rus da 1 arpera triz o. 56, de Louren-
f Pereira Meadea Gtrhnaraes.
Faieddas espeeiaes para senhora.
Vende-se ricos cortes de vestido de lia a Mari a
Pa para senhora de benitas barrasa 8*, 10*. 13*,
14* e 16* o corte : na ra da 1 mperauiz o. 56,
loja da Arar*.
~A arara vende a H OO
Cortes de chita de cores fixas com 10 covados
a 04OOe 3*200 ^cassas de cores a 320, 360
400 rs. ovad : na rna da Impera triz n. 5,
loja da Arara.
Csrtes de cambraia de salpietsa 20400.
Vende-se cortes de cambraia de salpicos
de cambraia
tiras bor-
ricanTMrte enfelta-
uiii delicado me-
2*100, 30 e a 4*000 a peca, ditos
1 ixa a na a 3*500,4*500, S*500 e .
dadas para eafeitar vestidos e ntremelos a 1* e
a 1*200 : na ra da Imaeratr n. 56, loja da
Arara.
i So ule ai b arpes a 7, 8, e a 16.
Veude-se soutembanqne de lazinnas de cores
para senhoras a 70, 8* ea 10*, dito de grosdena-
ple pelo muito enfestade a 20*, 253 e 30* : ricas
capaslde grosdenaple a 20*, 25*, 30* e 35*, para
quidr : -na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara\
A Ar^tra vende deceresa Ipakapara vestido.
Yendc-se alpaka decores para vestidos a 360
es. o covada, challes de lazinhas a 1*600 e 1*280
dito de merino a 4*300, ditos finos a 4*500, 70 e
S* : na ra da Imperatriz n. 86, loja da Arara.
ast da Arara a 28, 320 e 440 ri o eovad*.
Vende-se cassas de cores a 280, 320 e 400- rs. o
covado, lencos de seda a 800 e 1* : na ra da
Imperatriz u. 56, leja da Arara.
Lazinhaa a Mara Pa a 500 rs.
Veade-se lazinhas a Mara Pia para vestidos,
com palmas de seda a 500 rs, o covado, ditas -de
cores a 320, 400 e 00 rs, ditas lizas de cores pa-
ra cepas e vestidas a 560 rs. o covado, casemiras
para capas de sentara a 1*800, 2*500 e 3* : na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende chitas a 240, 280 e 320 rs.
Vende-se chitas de cores fixas a 240, e 280 rs.
o covado, ditas fraacezas a 320, 360, 440 e 500 rs.
e covado, percallas para vestidos finos a 500 e 560
rs. o covado, camisinhas para senhora a 1*, 1*600
3* c 48300, Rolliohas para seohoras e meninas a
34Q, 320 e 500 ., enfeites para cabera a Maria
Pia a I*, 1*409 e 2*, para liquidar : a ra da
'Imperatriz n. 56.
Baloes americanos para senhora.
Vndese baloes americanos, os melhores que
tem vjndo ao mercado, de 20, 25, 30 e 35 arcos a
2*300,3* e 3*500 e 43, ditos de brillantina e
musselina a i*508 : na ra da imperatriz n. 56,
cc da Arara.
Fazeadas para homem.
Vndese cortes de calcas de brim para homem
a WoOO e 2*, ditos de caseraira a 3*, 3*500 -e
43500 5* : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
iiuiiiia fcila para hoaem de todas as qualidades.
Veo le-se palitols de brim de .cores a 2*, 2*500e
3*, ditos branco a 2*500, dito de linho fino a 5*
dito* de alpaka de cores e brancos a 5*, ditos de
nu-i caseraira a 4*800 e5*, ditos de casemira a
tt*,K*, 10*. 10*, 16*e20*, ditos de panno fino
preic a 8*, 10*. 14*, 16*. 20* e 30*, calsas de
brim de cor a 2* e 2*500, dita de dito branco a
2* ditas dedito de linho a 30500-e 43, colletes de
coros a 23, de brim a 23500, de casemiras de
cores-e pretas a 33308 e 43, calsas de casemira a
53, 6* e 8*, de meia casemira a 3* e 33500, ca-
mism rancezas a 25 e 2*500, de linho inglezas e
pregas largas a 3j e 3*590, gravatas de todas as
qeulidades de 300, 800, 1* e 1*400, coliarinho
de todos os tamanhos e muito bem feitos, para li-
quidar por sertempo de festa : na ra da Impera-
triz n.Cli, loja da Arara.
Colchas para cama a 20.
Veade-se colchas de chita para canta a 2?, ditas
de damaseo a 4*, ditas de fusilo a 50,hitas para
coberus a320, 360, 400 e 599 rs. o covado : na
ra da Imperatriz n. 56. loja da Arara,
A Arare vende madapolae entestada a -10.
Veade-se pecas de madapoln enfestada a 45 a
peca, dito ifiglez de 24 jardas de n. 30, a 65, de 1
a 3*300, n. 250 a 65500 e 73500, n. 5 85500,
#9*000, B. D. P. 103, ZZZ 11*. n. 20, dito a
14* a peca ; aigodozinho marca 8 a 55509, dito
caraa vacca a 75, dito dsmestic a 7*500, dito
pau /orre a 80, dito SL9 a 105, dito T a 105 e 125,
dito sicupira 8*300, para liquidar, na rna da
Imperatriz n. 56, leja da Arara.
Psliiois de alpaka.
Veade-se pautte de alpaka preta de 3* e 33560,
ditos iiws de cordo, lizas e brancas a 4* : ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
lo bacoteiro da rna da Imperatriz b. 36.
Veade-se seroulas a 15280, ditas traneezas a
1-SGOOe 2* : e outras omito boas fazendas que o
freguez encostrar na toja da Arara, roa da Im-
peratriz e. 59._____________________
0 VIGILANTE
Rna do Crespo n. *.
O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
poso Ballisa, na sua ordem do da, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo com seas
agudosesporSesnuncaos offender, antes osagra-
ciara na niesiaa conformidade, para que o Balita,
possa marchar em frente, a Branca Aguia possa
levantar seu vo.'levando no bico as palinbas seu
uinho; e o Gallo ficara em seu espaeoso campo
dando de novo o sen canto aanunciando a seus
oobs freguezes e ao respeitavel publico
0 grande sor lmenla de ebjeclos de aiuilo gostaqne
ataba de receber.
Ricas cafxinbas com msica
das para costura, proprio para
nio.
Riquissimoscofresinbos.cora cadeadosde metal
para guardar joias. .
Ricas canas coro estejo, comeado todos as per-
lences para homem.
Riquissimas voltas fingindoperola.
Ditas coro lacinhode Uta.
Ditas deludas cores e preta, de toda? as gros-
suras.
Lindos aderecos com podranos liagindo br-
lhantes.
Ricas fivellas para cinto, de todas as qualidades
e bom gesto.
Rios cintos do ultimo posto de Pars. -
Grande sortimento de lindos enfeites para caba-
os, sendo do ultimo gosto e de todos osprecos.
FISres muito finas para noivas.
Lu-vas enlejiadas e meias de seda para noivas.
Chaposinhos, sapa'.inhos e mekis de seda par}
baptisado.
Riquissimas lilas de todas as qualidades parala-
co, cintos e cinteiros.
Camisinhas e gollnhas para senhora.
Siquissimos jarros e figuras para ornamento de
-ala
Grande sortimento de gravainhas tanto para se-
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e de cores.
Cascarrilhasde bonitas cores.
Trancinhas.galao e maravShas para enfeites.
Transelins de cabellos e de retroz para reloglos.
Papel amisade e de outras qoalidades.
Bolsas para viagem.
Entremeios-e babadinhosdelindos padrees.
Lencinbos de linho bordados.
Meias paraliomem, senhoras, meninos e meni-
nas.
Fitas de veludo lisas e com mtame de todas as
larguras. ,
Tnesouras-e caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para ouepecimentos.
Caixinhascom seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, e.m garrafas grandes, e em
frascos qeadrados egarratinhas.
Poniadaina de todas as qualidades.
Soperior-ijanha em frascos e copos de lodos os
tamanhos.
Sabaoinglez em paos-grandes e pequeos.
Escovas de cabo de madreperola, marfim e da
osso, para dentes.
Pentes para desembarazar, com frtso de maulle
sem elle.
Ditos de tartaruga e de mnitas outras qualida-
des.
Pentes de tartaruga para senhora.
Ligas de seda e de algodao, assim <"omo militas
outros objectos de gosto que seria impossivel men-
cinar.que a vista far f, s no Gallo Vigilante,
rus do Crespo n. 7.
Yol trabas.
Lindas voltinhas de perolas falsas oom eruzinltas
fingindo briznantes, assim como oruzinbas avulsas
e voltinhas, 4elo barato .preco de 1* e 13200, as
eruzes avnls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Leqnes.
Riquissimos loques de madreperola tanto pare
senhoras como para meninas, pelo barato preco
de 125 e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
o. 7.
GRANDE NOVIPADE.
S no Vigilante.
Riquissimos enfeites de todas as qualidades pare
sebhoras e meninas, chegados hoje da alfandega.
teto*
Riquissimos sintos de fita larga e estreita com
fivelas grandes e pequeas, com Inhbanles falsos,
cousade muito gosto.
Albuns
Tambem chegaram os riquissimos albuns para
50 retratos, rom capa de tartaruga e de marfim,
cousa mwtochique : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Guiabas.
Grande ;iiquida$o.
Ilua da Imperatriz n. OO.
Loja de fazendas do pavao de Gama & Silva
Acha-se este estabelecimento completamente
sonido de fazendas inglezas, francezas, allemial e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
malo, prometiendo vender-se mais 'barato do que
em outra quaiqer parte, principalnrente sendo em
por(o, e de todas as fazendas do-se amostras,
deixando (car penbor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da luje do Pavao.
Vestidos soulambarqne.
QPelo ultimo vapor francez chegaram riquissimos
vestidos soulambarqne, os mais modernos que
neste mercado tem apparecido, os quaes estio
promptes com saia, corpinho e seu competente
soulambarque, tudo guarnecido de seda, veludo e
renda. Quem tiver bom gosto dirija-se loja do
Pavao, na ra da Imperatriz n. 60.
AOS TRES MIL VESTI-
DOS.
Na loja do Pavo, a 3$. 4$
e 70000.
Vendem-se lindissimos cortes de vestidos india-
nos, sendo todos bordados e de listras de cores e
brancas,proprios para casamento, pela baralissi
mo preco de 33 cada corte por se ter comprado
urna grande porcao, sendo fazenda que vale 65,
ditos a Mara Pa, tendo quatro pannos, fazenda
para o corpo com os competentes enfeites para o
mesmo, pelo baratissimo preco de 43 cada um,
ditos de todas as cores com as barras bordadas a
crox, sendo cada um em seu cartao, tendo cada
um todos os enfeites precisos, pelo baratissimo
preco de 7* cada um, ditos com babados multo bo-
nitos, mas sem ser em cartao, pelo diminuto pre-
co de 3*500 cada um; adverlindo-se que osdonos
da loja do pavao vendem estes vestidos por tio di-
minuto preco por terem comprado urna grande
quantidade e convir-lhe liquidaren) logo, na sua
loja, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
os vinte mil covados de la
Grande pr chin cha, a t40
e 3*e rs.
Vendem-se as mais bonitas laziahas transpa-
rentes, sendo com listras e qadrinhos miudiohos,
e lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
e rxas para luto, pelo taratissimo preco de 240 o
covado, ditas transparentes com palminhas de seda
Mara Pia, tendo de todas as cores, e tambem
algumas proprias para luto, pelo barato preco de
320 cada covado, isto por haver urna grande por-
aa ra da Imperatriz n 60, de Gama &

CLA
II

RA DO QUEOIAUO IV. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
NOV1DADE
Pereir Rocha C. acabam de abrir na ra do Queimado o. 45 um armazera de molhados deDominado Clarim Cdamer-
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sorlimento dos meltores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes ser3o vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencinela; garante-se obcm
peso e boa quadde dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranriao, India e Java a 60, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
100 rs. a libra;, e 1^800, 25600 e 3,5000 Painco a 200 rs. a libra. i rs. a libra,
a arroba. p0ivo secco muit0 novo a 400 rs. a libra. Gevada a 80 rs. a libra.
Am 1 francezas em latas e em frascos a Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. j dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2)5800 Figos de comadre e do ouro em caixinhas
cao: i
Silva.
Latas e copes com banha flaa.
A aguia branca, na ra do Queimado u. 8, rece-
Leu esta eslimada banha fina em latas e copos, isso
alem de outras em diversos frascos.
asnodernissinas luziohas fie urna s
cor. a imitanto tic gorgoreo, ven-
de o |m;i.
Ckegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhasde cordozinho,
prias e mais lindas que tem vindo,
i*?0 610600, e em frascos grandes a
2500.
dem em caixinhjts elegantemente enfeiladas
com ricas estambas no interior das caixas
a i0200,1^4010, 10600 e 2.
Amendoas com csea muito novas a 280 rs.
a libra,
Alpista a 160 rs. ja libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce franCez mnito fino em garrafas
grandes a 960| rs. a garrafa,
dem de Lisboa 640 rs. a garrafa.
Ararula verdadera demalarana a 320 rs. a
libra.
Avell5as muite gandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezs de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinbae a200rs. a libra.
Banha de porco t-efinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cb hysson, buciiin e perolaa 10600, 20,
20500, 208OO|e 3*000 a libra,
dem pretomuitoj superior a 20000 a libra.
Ceneja preta ebranca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a dukia.
as mais pro-! Cognac infflez fln|o a 900 rs. a carrafa,
proprias para conservas a 720 rs. o frasco.
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado era frascos de vidro a 600 rs
cada>m.
Sardinhas de Nantes a 3"00 rs. .
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra,
lijlos de 1 impar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 6C 0
libra.
vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-se amos-,,. ." ,au,r-
ir-es deixando penhor, e vendem-se pelo baralissi- iaem. SO ae pept K>.
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Familia do Maranlio a ICO rs. a libra,
dem de Higo a 120 rs. ? libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafes de 3 e o gales a 5bGG
e 70500 cada um com o garraao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial em garrafas muito
grandes, a 10800 a garrafa.
a 720 rs.
pelo
mo prego de 560 rs. o covado : na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
As ISazinhas do lav?o.
Vendem-se lazinlias de qadrinhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo preco de 286 rs. o covado,
ditas largas mullo linas a "400 rs., ditas estampa-
das, cor segura, padroes miudos e grandes a 320
rs. o covado, ditas transparentes com palminhas
de seda a 400 rs., ditas escocezas a 360 rs., isto tu-1
do para liquidar: na toja e armazem do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60.
Os grosdenaples do Pavn.
Vendem-e grosdenaples pretos, fazenda supe-
rior a 1,3600 rs. o covado, ditos- largos muito en- i
corpados a 2*400, S000, 20800 e 3,5000, ditos
brancos, cor de rosa, azul e amarello a 2,8000 r.s
o covado : na loja deama & Sitara, denominada
do Pavao, roa da Imperatriz n. G0.
As novas las piibalilinas a 500 rs.,
oa loja do Pavao.
Vendem-se as mais modernas laacinhas garibal- aguja branca,
dinas, fazenda inleiramente nova no mercado, sen-
do todas com listras miudinhas, .e transparentes,
com lustro a imitaco das sedinhas, tendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenta
e cor dehavana, etc.; isto a 500 rs. o covado para c ltvp,| tarta,.:
vender depreca: na k.ja_do Pavao, ra do Impe-1 JEg JSfS ^
dem, s de azeitoias, a 750 rs.
Charutos dos mei ores fabricantes da Baha
e especlraenlfe da fabrica imperial de
Candido Ferr ira Jorge da Costa a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa'
Caf do Rio multo superior a 280 e 320
rs1a libra e8500 a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouri^as e paids muito novos a 800 rs a
libra,
Eigos em caixinhas emticamente lacradas dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
a 10600. dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
Vinhodo Porto engarrafado o melhor quej vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
ha neste peero e de varias marcas, como nheiro.
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto, Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
Madeira. D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa, barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e de segunda qualidade a 800 rs.
10000 a garrafa, e ero caixa com urna du- dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
zia a 90000 e 100000. dem de tempero a 400 rs.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500 dem em lata a 640 rs.
e 40 a caada, Marmelada imperial dos melhores conservei*
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs. i ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
a garrafa. Marrasquinho de Zara, frascos grandes,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Juen a 700 800 rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs. dem regular a 500 rs.
a duzia. Macas finas para sopa: estrellinba, pevide,
IdemMorgauxe Chaleaulumini de i854, a 10 rodinha e aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinhacom 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixt em latas preparado pela primeira arte
decozinha a 10 a lata,
i Paliios de dentes a 160 rs. o mago.
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa
102OOrs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados le-1 dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos, dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas 0 melhor possivel a
retalho- 20 e em caixao a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abate de 5 por cento. j Passas muilo novas a 480 rs. a libra.

Fiascos coii|i gomma arbica
dissolvida e pincel.
na riuj do Queimado n. 8, loja da
Ntvok albuns.
RIVAL SEM SEGUNDO FUCHINAS UEPTEI\
Ra do (lueimadn ns. 49 e (IX iq a m,,an, ifllVIIIilflkJ l/lil rt I MjL\
n
Lavas de Jtnvin,
brancas, pretas e de cores, para homens e stt ho-
ra, com gargaatilhas e boi Iotas; ch 'garam i elo
paquete franeaz Guient: vendem-s na loja de
mwdezas da roa do Queimado o. 16.
Libras esterlinas.
Vende-se ao preco correte de 90 por
cada ama: na ra do Crespo escriptoric
n. 15._________________________________
Feijo.
Vendemse saceos com cuias de feijo rajado
do Porto por 110, em cuias a oto : na ra Direi-
UJtfflIi
Venda-M toperior vlnho do Porto em eaixas de
tuna dnzia : em casa de Johnston Pater & C, nu.
de A''y*rio 3.________________ "________
Assncar eryslalisado fa fabrica
2 de Julho
Na Babia.
Noa/maze da rna da Madre da Daos n. 28,
ha venda o multo superior assncar erystalisade,
em saceos < t arrabas, ao preco de S0 eada ar-
r;b> _________________ ____________
feijo.
9- Sua a Vadr* de )eos--9
Vendase fejlo mulatinho novo, saceos de 22
cuias, o mais novo que se pode desejar, e mais
barato do qne em outra qpalqner parte._________
Gaga terrea.
Vende-se ama casa terrea sita na roa Imperial
D. JW : a tratar na ma do Queimado a. JoJa-
RiqtHssimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
to possivel, a 20, 20500 e 30; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquofiissim enfeites com laco e sem laco e de
outros morios goeios a 10, J05OO e 30: s no Vi-
gilante, roa do Crespo n. 7.
TraBceliae.
Lindos traacelins de cabello para relegie oa lu-
netas, pelo baratissiKo preco de 10500, ditos de
retroz a 200 rs. *.
Babadinhca enlreafrios.
Riquissimos babadinhos ntremelos com lindo;
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 15200, 1*500, 20 e 30; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Castarrillias.
Grande sortimento de casearrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinbas pro-
prias para enfeites; so no Vigilante, rna do Cres-
po o. 7.
Fitas.
Grande sortimento de fitas de diversas largaras
e qualidades, por precos que admiran) aes com-
pradores, bavendo fitas largas proprias para cin-
teiro que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 20; s no Vigilante, roa do Crespo
n. 7.
Filas de lia.
Filas de la de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ruado Crespn. 7
Ricas esBclhos.
Riquissimos espelhos com moldura dearada
sem ella de 80,100,120 e 140, assim como com
columnas de differentes tamanhos a 2, 3*, 4*, 6/
e 6*; s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo omelhor gosto qneaqui
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com boaeciapara pos de arroz,
cousa de muito gosto a 14500 e 20, assim come
pacotes s com os pos a 320 rs. cada am; s no
Vigilante, roa do Crespo o. 7.
A Pernmiriaa.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos on vasos com dis-
tinetiros e offerecimentas as sinhasinhas dos me-
lhores a mais afamados autores de Pars a Inglater-
ra, assim como es grandes copos de banha japeneta
a 20 e a 10, assim romo outros objectos qne nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo pegocio; na lojs do Gallo Vigilante,
rea do Crespa n. 7.
A aguia branca acaba de receber outra encom-
menda-de bonitos e Jiem encadernados albuns de
e marfim, al-
radorn.60 de Gama* Silva. ^"--yu-^ cu... im.crosropio para augmentar
ii l.. .i. .,j ii n- taroanno dos retratas, continuando a serem ven-
us maiS aiuderItOS \PStldOS a Mana Fia,: d.dos por precos contmodos: na ra do Queimado
na loja do Pa>, a 16$ 'J*aaguia braDCan- 8-
Vendem-se flnissimcs vestidos Mara Pia com (rl //Ifi,/Pfi,l Q YtT fpkt
os corpinhos diflereote*, tendo todos os preparse *'*
com o competento sinto : na ra da Imperatriz o. I A a8ia branca na i cessa de cncommendar do
60, loja do Pavo. 'Iue na d6 melhor e i ais agradavejjr por issoaca-
l amiflistua a i 01)0- bajde recebfltr diTer* 6 fl8uras e vasos de P de
< dUUSIflIia a 1}UU | pedra cora fina banh:, assim como bonitos frascos
yendem-se camisinhas com manguitos, sendo deexcellentes extracose lindascalmnnas de ma-
moito bem enfeiladas. proprias para senhoras e I deira envernisada cem finas perfumaras, tudo
meninas, pelo barato preco de dez tustoes cada Imui proprio para pre entes de festas etc., havendo
urna: na loja do Pavao, ra da lmperafriz n. 60,
de Gama & Silva.
Vestidos para meninas.
vendem-se e mais moderaos vestidinhos para
meninas, sendo ramio bem enfettades Maria Pia,
tendo de differentes tamanhos, pelo barato prego
de 80 cada um : na loja do Pavo, rna da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Roupa fcita barata.
Vende-se um grande sortimento de roupa feita
para .homens, sendo calcas de brim brance e de
cor, ditas de casemira preta e de cores, ditas de
meta -casemira, paletols saceos e sobrecasacos de
casemira e panno preto fino, colletes de todas as
qualidades : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Grasdenaple de cor i 10GOO e covado.
Vende-se grosdonaple de cor azul, branco e pre-
to, pelo barato prego de 10600 o covado : na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Panno de linbo a 700 rs. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno de linho proprio
para lenees, toalhas e ceroulas, pelo barato preco
de 700 rs. a vara : ,na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Economa do Pavio.
a Vende-se para acabar, urna pergo de retamos
delSas e cassas de todas as qualidades, e por pre-
cos mnito em coota; quem tem economa qne
pode apreciar : isto na leja do Pavo, roa da Im-
peratriz n. 60, de Giwi. & Silva,
Hadapela a 70000, s aa laja do Pavo.
Vende-se superior madapolo mnito eocorpado,
tendo 20 varas cada peca, com & palmos de largu-
ra pelo baratissimo preco de 7,5000 a pega, ditos
muito finos a 8tf, 9fl a 100000. E' pechincha, na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cortes de eassa a 30000.
Vendem-se muito bonitos corles de cassa, tendo
7 varas cada corte, com esenhos- multo delicados
pelo baratissimo prego de 3000 o corte; s na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Corles de chita franeeza.
Vendem-se finissimos cortes de chita fran-
eeza, com 12 covados, tendo, padrOes escuros e
alegres de cores fixas pelo baratissimo prego de
45000 o corte; s na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz p. 60 de Gama 4 Silva.
Cambraias Usas, na loja do Pavio.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo prego de
40000 tendo 8 I/i varas cada pega, ditas multo fi-
nas a>7,S, 80, e 90 a pega, ditas Victoria com 10
varas pelo baratissimo prego de 70, 90 e 100, di-
tas Garrazes fazenda maito encorpada. fazenda pro-
pria para forrea 360 rs. a vara oa 25600 a pega ;
isto na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama i Silva.
Cortes de la a 40000.
Vendem-se cortes de las garibaldinas, matlsa-
das e de qadrinhos, tendo 12 covados cada corte
pelo baratissimo prego de 45000 o corte ; isto na J
dinheiro dirija-se o puendente a ra do Queima-
do n. 8, loja da aguia branca.
.4 nil fino para engom
mado
A aguia branca na ra do Queimade n. 8, rece-
beu glbulos de ail lino e frasquinbos com es-
tencia dedilo" para eagommados.
Outros enfeites.
A aguia branca acj ba de receber por este ulti-
mo vapor um novo s< rtimento de bonitos e delica-
dos enfeites de molde; inteiramente novos e de um
apurado gosto, assim pois comparegam os pretn-
denos munidos dedhheiro e com disposigo de
gastar : na loja da a.ru.a branca ra do Queima-
do n. 8.
Pequeos pentes de tar-
taruga.
A aguia branca na|rua do Queimado n. 8, rece-
ceben novamente esss pequeos pentes de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bouitos e bem feitos jantaestima tem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabello quando atado ; a
aguia branca porm avisa aquellas pessoas que os
haviam encommendkdo o a quem mais queira
aproveitar a occas de os comprar continuando
a serem vendidos pelo nsrao preco de 49 cada
um.
Estando bracos ficam pretos
O bom resultado e o rpido effeito que produz
a tintura de chromaroma, e mesmo o facilllmo
modo de applicar tero se tornado moi conhecido e
apreciada por todos que tisana delta e per conse-
guinte augmentado a extrago, pelo que a aguia
branca mandou vir oais o novo sortimento que
acaba de receber constando elle de
Caixas com chromaconu para tingir os cabellos.
Fraseos com coloriroma para lustrar ditos.
' Ditos com hydrocallethrichina para limpar ditos
Ditos com orychrolnanlina para limpar as anhas
Sabonetes brancos para lavar os cabellos.
Pomada callicomipla para dar eheiro aos di-
tos sem offender a prieparago feita.
Sapatos de marroquim dou-
* rodo-para bailes.
Esses sapatos do grande lom vendem-se nica-
mente na ruado Queimado loja da aguia braia n.
8 a 65 o par. \
Meias finas para senhoras
L j
gproas
Vendem-se na ra qo Queimado loja da agola
branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na rna do Queimado loja da aguia
branca n. 8. -v
! Ra do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia est continuando a
vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
\ da por todo prego a vista dos cobres.
Cartas de alfinetes francezes da melhor qualidade
i a 80 rs.
Grosas de pennas de ago inglezas da melhor qua-
lidade a 640 rs.
Caixas decolchetes francezes de superiores quai
dades a 40 rs.
Grosas de boles de madreperola muito Anos aoW
a-640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oitavas de retroz preto fino a i
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muito superior i
20000.
Gravatas da liga e do outras muitas qualidades a
500 rs.
Caivetes para penna com 3 follias fazenda boa i
800 rs.
Duzia de botoes branco para casaveques de senho-
ra a 100 rs.
Pegas de lila de cs estreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da natareza para os meninos a pren-
der a ler a 10000.
Cartilhasda doulnna christa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes tinos de marfim a 10000, 10200 e 15500.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
600 rs.
Gollinhas para senhora o melhor que ba a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
15000.
Livros que serve para assenlar roupa, pelo diminu-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordo branco para esparlilhes muito superior, a
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha 'branca a 60
ris.
Cartes com 200 jardas de linha branca garant-
d's a 60 rs.
Grosas de pennas de ago soperiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de Vores larga para toa-
lhas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, oh que pechincba a
120 rs.
Tlnteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de betoes de louga prateado muito fino a
60 rs.
Tesonras para costura superior qualidade a oii
ris.
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de segnrangaa
160 rs. m
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a ow
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, mmie
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito BnoazOr.
de
trabalhar i uo para
descarorar aigodo
FABBICAOAS
Por Plant Brothers & 0.
OLPAJH
Estas machinas
podem descarogar
qualqoer especia
"i de algodao sem
I estragar tic.
" sendo bstanle
duas pessoas pin
o trabaiho; |,de
descarogar urna
arroba de algo-
dao em enroco
em 40 minutos,
oa 18 arrobas'
por din ou 5 ar-
robas de algedo
limpo.
Assim como ma< hias para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodao
liroi'o, por dia.
Os mesmos tem para vender um beilissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machn
mencionadas ; para o que convidase aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
Saundcrs Brothers k G.
IV. II, praca do Corpo SaiMo
RECBFE.
Os aicos agentes nesle paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateirc
conhecido j como tal, est dispondo da fazenda
por todo o prego para apurar dinheiro, quem qu>-
zer venha ver e traga o cobre,.e ver o segurte :
Barallios de cartas para voltarete muilo
finas a............................
Miadas de linha froxa para bordar a
Pares de sapatos de tranga de todos os
tamanhos e finos a................... !oQ0
20n
O
Vinhe da arfeira a do Parto
Vende-seostperlor vinho da Madeira a-do Por-
ta, em caixas de urna e duas duzias : s na loja
do Vigilante, roa do Crespo n. 7._________
Roa da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Jobnston dr C,
jellins e silh5es inglezs, candieiros e cast-
?aes bronzeados, lonas irjglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, a rclogios.de
ooro patente iDglez.

Cylindrosi para pada*
ria.
Na nadara da rna Hreita n. 84 ha para vender
loja de Pavo, roa da imperatriz. p, 60 de Gama 4 |s canhecldos e acreditados eylindres americanos
Wlva. par trabaiho de padafl* aRImamnto caegados.
Roa da fraila Usura i. 42.
ute estabelecimento vendem-se: tac dt
ferro coado libra a 110 rs., idemd eLow
ttoor libra *l20rs.
Pegas de tranca preta tiza rrinito fma a
Caixas com 4 papis de agnlhas Victoria a
Varas de fila preta com colxetes a......
Libras de lia sortida de todas as cares a
Bonacos de choro muito bonitos a......
Canas de obreias de ma ssamoto novas a
Varas de franja .branca e deiores para
toalhasa.....................
; Frascos de oleo Philoeomesctipsri r >...
! Ditos com superior .tinta a320 e........
Caixas de linha de gas rom 50 novellos a
para 20 at 200 retratos, muito bons e por menos Bufiadores para espartilbo ........
prego qoe em outra qnaiquer parte: na ra do Duzias de bateos encamaoos para vesti-
Grespai.4. L ..............................
1
FareU aaaarier de Lisboa a 80 t tscca.
Tem para vender Antonio Loiz de Oiiveira
vedo & C. n,o sea escriptorio roa da Crnx n. 1.
Alitajia
Massos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de rea preta muito superior a...
Frascos de superior macag oleo a ....
Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa mnito finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida..............................
Ditos de banha muito fina a............
Ditos de ebeiros muilo linos para o preco
a ris.............................
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
KO.e............................
Novellos de liaba com 400 jardas a......
Carritis de liaba de cores com 200 jar-
das a............................
Novellos de liaba de gai de todas as co-
res a .............................
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores eheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito soperiores e bonitas
a ris..............................
Varas de bicos francezes, soperiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo, a............................ 10000
66
200
f
605t
MI
10
30
200
100
100
200
300
400
640
600
400
80
60
30
140
30C
400*
40
10000
8
600
00
800
200
**m




Olart IfrPtraantaM --- Terfa letra 1J e raaefro de f 95
AURORA BRILHARTE

MANDES MkUM
DE
Largo da Santa
|Crtu as. 12e84.[
[esquina da ra dojff
VINH08
i ESPECIAE& ^e
aranw
Largo da Santa
uz ns. 12 e 84,""
esquina da ra do]
-

O doao fes j amito acreditados armaren* de roolhados denominados Aurora
Irilbaute, acaba de receber de sua propria eneommenda, muitos gneros delicados
proprios da presente estagao, e tendo grande sortimento comprado aqui,aflanra que todes
os seas gneros sao de i.* qualidade.
A seguale tabella servir a todos de base para ajuste de coatas aos por-
tadores.
Nanbum armazem vender mais fcarato, e raelhores gneros do que a Aurora
Brilhante, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu-dono se achar encora-
modado em sua saude e ter de vender um de seus arraazens agora, e o oatre na pr-
xima primavera, por isso dere-se apToveitar ama cuadra estas para se comprar
barate.
Latas com 8 libras de chonricas multo novas,
a 750O.
Ditas grandes cam peixe era postas ioleiras,
mais de 12 qualidades, a I00, 10280 e
uidq.
Ditas cora ostras, excellente petisco para re-
giJaira, a TJOrs.
Bitas cora ervilbas oras, ensenadas, a
70 rs.
Ditas com favas, a 6i rs.
Ditas rom ameixas a i 200, (800 e 3f 500.
Ditas com mannelada do afamado fabrican-
inte Abren, a $80 rs.
Bitas de maasad tomate, a 500 rs.
Ditas com ligas de comadre, no vos, a 15300,
ii e tym. T
Ditas-rom bolachlnhade soda muite novas, a
28000.
Bitas com biseoitirthos inglezes de moiUs
qualidades, a 4M0.
titeoMe.
J. Chocolate superior multo aovo, a libra a
10100.
. Misar lelharim e letria araarella.a Ubra
a WD rs.
oito dito dita branca, a fibra a 400 rs.
Caixas com estrelinba, pevide e oniras mas-
as, a raixa &t|Q0.
Ditas dita era libras a 640 rs.
Sag, a libra a"8W rs.
Sevadinha para sepa a libra a 24 rs.
lii-villus s.iccas, a Nbra a 100 rs.
Ditas descascadas, aliara a 200 rs.
r mi i i muito nova, a libra a 280 rs.
b'arinha de ararnta verdadeira, a libra a
600 rs.
Arroz do Maraabao, era sacca a arroba a
-25'iO;) e a libra a 80 rs.
Dilo da India e Java, a arroba a 3>200 e a
libra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa aOASOO a arroba e a 320
rs. a libra.
Di'.o de santos, a arroba 7,5000 e a libra a
2S0 rs.
M ilhos rom 12i> se bolas grandes, a i280.
M tarda franceza caixa com 2 duzas a
B0SOO.
Frascas com raostarda preparada em vina-
gre, a 400 rs..
Ditos enm conservas inglezas e francezas,
a 6i0e 800 rs.
Ditos com sal refinado fino., a 6i0ea500
ris.
Ditos com a verdadeira genebra de laranja
a 15200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
15000.
Ditos de 1 garrafa de Hollanda verdadeira,
a 6i0 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
490 rs.
(larrafoes com 2 galdes com dita, a 65000.
Ser veja boa, marca, a 000 rs. a garrafa, e a
diuia a 68000.
Violto mscatel de tetuba, a garrafa a
150. ;
Marrasquinho verdadeira, frascos a^OOrs.1
e a 15200.
Champagne, a duzla 205000, e a garrafa aj]
25000.
Azeite refinado portaguez e francez, a gar- deira a 18300 e 25
rafa a 15000.
Caixa de vinho Bordean* multo superior, a
75,85. 95 e 108 a caixa.
Ditas com dito branco, a 75090 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ra, a 205-
Ditas com duque da Parlo yerdadeiro, a
185000.
Ditas com chamisco superior, a 148000.
Ditas cam Porta veiho e oulras mullas mar-
cas, a 128000.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
720 e 800 rs.
Dito de Lisboa mnito bom, a caada a
380O, 38500 e 48090, e a garrafa a 500
e 360 rs.
Dito da Piguira, das segnintes marea, (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a canada a
48500 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
ja j eta engarrafado e lacrado eom o
rotlo do armazem.
Ditos de mareas mats deseonhecidas, a cana-
da a 35500 e 48000 e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj ramio superior, a garrafa*
800 rs.
Vinbo verde superior.
A caaada a 35*00 e a arrala a 40 rs.
Gamma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engomroar, a arroba a 38000 e a libra
120 rs.
Sabao raassa.a libra* 200, 240 e 280rs.
Farinua.
laceas graades oom farinba deoianna mui-
lo nova, a 55000.
fyjL
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,
85500 e 95OOO. "
Cha.
Cha temos nestes gneros o mettaor poisrvel,
hyssoo, a libra a 25000.
Dito perola a 35000.
Dito usima 25700,
Dito hysson mnito fino a 28800.
Dilo redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 20900-
iilo mais baixoa 25000 e 15600.
Erva mate.
Excellente eh medicinal, a libra a 320 rs.
Espermaceti.
O masso rom 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
pilas para mimosa 45 e 20500.
Naces.
Noxtw, a hbra 160 rs e arroba a 40090.
Alpista e painrn.
Alpista e paiuco, a arroba .45000 c a libra a
ICO rs.
Cartas.
Cartas lina- para jogar, a duzia a 25300.
foslanfcas.
Castanbas novas viadas este vapor, a arro-
ba 48000 e a libra 200 re.
Azeitoaas.
Barris com azeitonas novas a 15500
Manteiga.
Manteiga flor, a libra a 15000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dit9 dita em barris e meios ditos, a libra a
660 rs.
Ditapara tempero a 400rs.
Queijos.
Queijos noves vindos neste vapor a 35200 e
35300.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
15000
Papel.
Papel almaco pantado, a resma a 45800
Dito dito lizo de linho, a resma a 45300
Dito de peso lizo e pautado, a resma a
25300
Dito de embrulho bom a 15 c 15200.
\ inlio Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
Temperos.
Fallas de louro, pimenta do reino, cominbo
e cravo, a libra a 4oO rs.
Velas de carnauba.
Matees eom 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amcndeas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Race.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400
pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijalosde arcar facas a 140 rs.
Grata'.
Dozias de btiides de graxa a. 97 a 25600,.e
de la'tas a 15000, e os boioes a 240 rs., ca-
da um, e as tatas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos das meihores fabricantes a
Bahia por diversos precos, caixas e meias
caixas.
E graade quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
PecMnch aem igual.
Lindwjmrtea para vestida de percales de cores
claras e eihuras com grande variedade e, padrees
pelo baratissimo prego de' A$ o corte: na loja das
clumnijbsrua d&Cre*pen. 13, d* mtondo Cr- !]
rea de V&sconcellos A C.
N1M CORO AS NEM MITRAS
0 VERDADEIRO PRINCIPAL
E
GRANDE ARMAZEM
RA jDO IMPERADOR IV. 40
JmU fie sebrado em qoe mora Sr. Oboroe,
Dnarte Almclda A C, receberaam Je sua propria tBcommcB-
da o mais liado e variado sorllatento de moIhadm, proprfos
da presente estaefio.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra nova vinda no ultimo vapor a 1,000, para sopa a melhor que se pode desojar,
rs. a libra e barril a.ftoo rs. macarrao, talharim -e aleiria a 400 rs. a
Farelo de Lisboa.
Vende-se snperior tuis Ism saceos Ifratide.
por proco commodo, vindo pelo nltimo navio': a
ra le Aiaorlm, armaieD i. 50.
Vende-se- potattU. anr. barra a ytttWfr"]
na ra da Cruz a. 23, primeiro aadar,
de Aatonio de Almeida Gomes,
nunieiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de liadissimas coros a 800 rs. a
libra-
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, milito propios para mimos,
Cartoes
com bolos france7.es a 300 rs. cada om.
Latas
com bolachiohas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Caooolates
de todas as qualidades a 15000 a libra.
Presuntos inglezes
dos meihores fabricantes a 800 rs., tambera
temos velhos para 500 rs.
Queijos namengos
chegados ueste ultimo vapor a 2oo.
Queijos
chegados no ultimo vaiaor a200 cada um.
Queijo
londrino o mais fresco que te pode esperar
e de excellante maree a 00 rs. a libra
seudo inleiro e 900 rs, aretalho.
Conservas inglezais
as mais ovas que se pde-esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas rietmente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Gfa uxim
o methor que se pode desejar, que outro
qualqner no pode vender por menas de
3 a 221606.
dem perOla
espechl qualidade a 20700 rs. a libra-
Iflem Iivssom
ornis aromtico que tem vindo ao oosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e atetria a
480rs. alibra. .
t*ov\c 1
o muito afamado copnac Pal Brandy a^( ,8oo
rs. a arrafa e de ontras mu i las qualida-
des a 1,000 e 8oo rs. a garrafa.
COPN
lapidarlos para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL.
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas coritbias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumu americano em chapa a
l,4oors. alibra.
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e i.ooo rs. o molho.
Alpista o taiuco
o mais novo do mercado a 14o rs, a libra
e 40400 a arroba.
CEBLAS
mnito novas a 10000 o cento na ra do Qoe'
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carato n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 30400 a arroba e 140 rs. a U-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEIJO SUISSO
it& bd $mm*\a> ETREIRO VBftBE.
Neste estabeleeimento ha sempre tm sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda lser por medida, vontade des concer-
rentes, para o que tem um dos meihores professores, asiim coo tambem tem am
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
! homens e meninos.
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas mareas acre-
ditadas "a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2^800 a canada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos meihores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa ede 100 a 120 a caixa, as mar
cas sao as segnintes: Chamisso AFilbo,
F. & M., Nctar ou vinho dos Beuzes,
lagrimas do Douro eoutrosjnuitoi.
Latas
com 10 libras da baaha a 40000.
Bolacbinka ingleza
a 10800 a barrica damesmaque
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120cf M bra.
Oervejas
dos meihores fabricantes|e de todas as mat
cas de 40500 a fi05OO a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Beis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do MaranhSo a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20509 a 3^606 a ar-
roba desees que vendem por 30400.
CAF
de 1." e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafales
com 4 Va garrafas com vinagre a 10000 as
ogarrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0O6P
a caixa.
DEM
em frasqueras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENETOA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PAUTOS
os verdaderros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
.Marmelada
dos meihores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo *
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caitas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frats em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsee da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na ra do Qoei-
madon. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
do Carmo ?.. 9
BOLACHINHAS
em latas de defieren tes qualidades a 10200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
300000
250000
Casacas de panno preto, 350 e
Sebrecasacas idem, 360 e .
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......100000
Dites de casemira, 200, 10,
120, 100 e......70600
Ditos de alpaca, 50,40 e 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40 e......30300
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. 30000
Ditos branco de linho, 60,50 e 40000
Ditos de merino preto de cor-
d5o, 100, 70 e.....50000
Calcas de casemira preta, 120,
m, 84 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de c-
UUW- m
om 1
horas, I
500001
40000
res, 50000 6. .... 40000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordSo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Cohetes de velludo preto e do
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
60 0 ....... 50OOO
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 400002
Colletes de fustao e brim bran-
co, 305OQ, .30 e 20500
Seroulas de brim de Linho,
20400 e......20000
Ditas de algodae, 10(600 s. 10400
Camisas de paitos de linho,
4-0, 30 e......20500
Ditas de madapolao, 20500,
20 e........10600
Chapeos demassa, pretos fran-
cezes, 100, 90 80500
70000 Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
Ditos de so!, de seda, 120,
H0, 70 e......6*tVH>
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
20601' tas.
20500, Toalhas parroste, duzia, 110,
60000
I
60000
e
cores, 90 e......70000 Chapeos deso, dealpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 50 e 40000 i tos e de cores.....40000
I Lences de bramante de ELnho. 30000
30500 Cobertas de chita chineaa.. 20500
Ditos de
40e
DE
J. VIGNES.
. 55. RA DO IMPERADOR W. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz coiihecidos para qae seia neeessario insistir sobre t
sua superiondadp, vanlagense garantas quu ttfTerecem aos Compradores, qeaHdades estas ineentesta-
veis que eiles teca dennitivaniente conquistado sobre todos o que tem apparecido nesta praca ; odo-
suindo um teclado e machinismo que ebedecem todas as voaiades e caprichos das pianistas, sem-
nunca alhar, por seren fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente mathoramentos importan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto as vores sao melodiosas e flautadas, e por isto multo agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blonda!, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposieoes.
No resino estabeleeimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de musioas dos
meihores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, senda lude vendido por
precos commodos e razoaveis.
CONSULTORIO .MEIMCO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSGOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundo 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 as 1
horas da manh3a, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepcao dos dias santificados
Pharmacia especial liomeopathica
No mesmo censultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacSes e pelos precos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos-grandes. 240000
de 48 tubos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os raanii
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10" 00.
Sende para cinta de 12, custarao os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada om a 500 ris.
LITROS.
muito fresce a 800 rs. a libra na ra do chegadosneste ultimo vapor a 20800 na roa
gueimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
largo do Carmo n. 9 I 40 e largo do Carmo n. 9.
OS propretarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
rreguezes e amigos e ao publice em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
twalarara os mesmes precos nos seguintes logares:
O Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
FARELLO DE LISBOA
Matea N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500: na roa do Imperador n, 40.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. JahT,
dons grandes volumes com diccionario.......'..... 200000
Medicina domestica do Dr. Bering,........... 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 60000
Diccionario de termos de medicina ...,...,,... 30000
Os remedios deste estabeleeimento s5o por demais conhecidos e dispensam portan-
te de serem novamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro asucar de leite, notaveis pela sua boa conservacr, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparacSo, e portanto a maior ener-
ga e certeza epi seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermiJade ou fazer-se-lhe qualquer
operaclo, para o que o anhnneiante julga-se suficientemente habilitado.
0 tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, a
funcionando a casa a mais de quatre annos, ha muitas pessoas de cujo conceite se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquetles que desejarem mandar seos
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diaote 10600.
As operaces serSo previamente ajustadas, se ao se quizerem sujeitar aos presos
zoavels que costrmia pedir o annunciante.


NOVTOADES.
Oueijs ero .Uentejo, dKos das ilhas o mais fresco qae so pode rfese-
' Jar a 1*0200 a libra, e sendo inteiro ter algum aballtoento, ricas caixinlvas
redondas, ,enfeitadas,. proprias paaa mimo da festa pelo barato preco de 40
cada urna, ricas .caixas' de figos tambem proprias'para mimode 800 1050o
cada urna. Vende-se nicamente no armazem yerdadeiro principal, roa do
Imperador 4.
ft
,^AZGAZGAZ j
VtoeJs* ga*'da- melhor qrolM*' a *
|0 a lata : nos armaos da ra do Im-
perador n. 16 e ra do trapiche Novo n.'%
- Veoi^-aLllw'fts: rom1, doce, de cajlecq,jw C^f'i W^^J^^SlS*
da malbor. qnaliade : na fias, armazem flb Sr, \*M, ^ef^>TO, v trapiche
Superior cal de Liaboa.
Vende-se superior cal fij uisK." a mais nova
quena nr. mercado, tanto em porcao_ romo a reta-
llo, por barato ?fi;. *fhn,canda-s tos rompra-
dbres aperior qnalidadc: a tratar as sepilP
.. a aa nvubor qoal
fo palacio doblspo,
, na i tas,
I -.a
Vinho do PoYto especial.
O mais generoso e gennino vinho do "Porto, mar-
cas novas e especiaes, em caixinhas de 12 garra-
fas, sendo marraHSiinna de rbrtngala 18^000
a caixa, e marea Pedro Va f/j -, em porcao
fr-se-ha om abate razoavel: H armtem de Per-
rlra & Matheos, junio ao arfo da Conreicaon.
6. No mesme armazem ha WmOem exeeilfinie
vlnhode- Porto em anroretas d S2garrafas a 30|
cfdi una, a om percao per menos algutna MU
T---------in ii itli I il i..........I
Vendem-se charutos da Bahia de varias qua-
lidades : em casa de Monhard & C. ra do Tra-
piche d. 48.
WIKkV WWW
rica umcei^ao da g

S
1
Adraft'l'lWOt re*bem coMtnte-
mente e tem venda no San armawm B.
34 da ra do Impar**, alpodo d'aquel-
! bknra, ereprio' fina saceee de i assU-
earr embalar aleada em pluma etc., etc., _
te pela preco maie razoavel.
Iktimrl MflMk: MBKMjIHm
m Ve de CMft;jMMOa-jaat* etnMrelf paseioa 1 a; rra-
AGENCI1.
AGENCIA L0W-M001.
lea da Senialla aova n. 42.
Neste estabeleeimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiaa
moendas para engenho, machinas de vapor
e tacnas de ferTrj batido 6 coado, do lodos ot
tantanhos para ditos.
------------ ------------------------------1-------------u----------
Arados- americano a machifia para
lavar rowpa: em casa de S. P. Johnston & C.,
roa da Senzalla Hbva *. 42.
tctMKVSO
tira excellente carro americano com 4 ro-
das e arreios para urh e douscavallos sea->
do muito maneiro e leve, o qtrat teifdo si-
do todo reparado de novo se acha no me-
lhor estado do perfecta e asseio; a tratar
eom Antonia Jos Rodriga* da Souaa na
ra do Crespo iSjdaslO'harw^dia at
as 3 da tarde. ___
Vende-se machn* Tfcra 'fewkrocar algodio
/,
/)
iar aiMa'QtaiHlBlb' 18, lo} de-Hnoet ffl- eom iMianaOiNH anUaM'?*a> roa "da IiiiIS
eirode Camino. "F1** HovM. a
I I
% #i


wmmmmmmmmmmtmmmmmmmmmmumfmtmmmaatm
Diarle de Peroaabnce Terca felra l de Janeiro de 18*
MAGNIFICO SORTIMENTO
GRMDE ARMAKElfl
DA
AO PUBLICO
Sem menor coustrau-
gimeno se entregar
Importe do genero que
n5o agradar.
i
LIGA.
o -ra mota oo
Casa da esquina junto a ponte da Boa vista.
MUITA ATTENQAO.
Parece qae o respeitvel publico se achara bastantemente convencido de que a
direcelo deste importante estabelccimento tem sido sempre caracterisada pelo maior
gosto e capricho, nao s com relacao ao asseio, superioridade das mercadorias, como
na sinceridade do '
da Liga tem vindo possoalmente refazer as suas#despensas nesta casa e votado asss
satisfeitas.
E' preciso fazer desapparecer desta importante capital estas nojenlas tascas cheias
sempre de escravos embriagados, onde as chufas sao jogadas sem respeito.
0 importante e magnifico armazem da Liga se aoha felizmente muito fura
dessas condieces. E' necessario v-lo para bem se prestar crdito a nosaspalavras*
A mercadoria nunca ser bem comprada se ella nao fr de boa qualidade.
sobre este ponto que chamamos a attencao das pessoas que nos quizerem honrar com
a suafreguezia; porque o nosso grande estabelecimento se acha completamente prvi-
do de superiores gneros, que em sua mxima parte foram comprados a dinheiro
vista, e recebidos directamente de Londres, Pars e Lisboa.
Ninguem se acha entre nos cora mais proporcoes para vender barato. '
As pessoas que compram para negociar, fariam rauito bem fe quizessem se cer-
tificar do quanto liavemos expendido procurando afreguezarse com nosco.
IS'ao duridamos vender a crdito a quem nos der conhecimento de sua proLidade.
Amendeas confeitadas em frasee s de vidro, ditas com casca mole
e duraAmeixas francezas em frasees de vidro, ditas em latas,
ditas em cartoes, ditas a varejo =Alpiste e milho miudo.As-
sucar refinado fino, ditobaixo. Azeile doce em barril, dito
em boies. dito engarrafado, dito francez e pertuguez retinad*.
Arroz do Maranho, dito de Java, dito da India, dito de Penedo.
Azeitonas de Lisboa, dita do Porto. Banha de porco em barril
dita em latas, dita refinada em barril e latas. Batatas em gigos,
dita em caixas, ditas a varejo. Bolaxinhas finas de diversas
qualidades, ditas de soda, ditas para lanche, ditas americanas.
Biscoites inglezes, Mixede, Medina, Cabim, Seed, Soda, Cuddy
Cracknel, oval Thim Capitam e outras mais, ditas de leite de,
Edimburgh, etc.Caf do Rio de i.1, 2.a e 3.a qualidade, dito
miudo.Cha, o que ha de melhor existe em nessos armazens,
uxim, miudo, dito hysson de 1.a, 2.a, 3.a e 4.a qualidades, dito
preto homeoptico, dito commum.Charutos Mussissipis, ditos
Panetelas, ditos regala imperial,- ditos suspiros, ditos delicias,
ditos NapeleOe, ditos Parisienses, ditos apraziveis, ditos lancei-
ros, ditos imperiaes de diversos fabricante?. Chouricas mou-
riscas deLiboa, dilas em latas.Chocolate de diversas qualida-
des e de diversos fabricantes. Cerveja Basse, dita Victoria,
ditas Alesops, dita tenenle, dita H, dita XXX, dita em barril
branca e preta.Conservas inglezas, dittas francezas, ditlas ali-
menticias.Cevadinha de Franca. Cbanpanha superior de di-
versas marcas.Cognac inglez, ditto francez. Ceblas de Lis-
boa em molhos, ditas em restias.Copos lapidados para agoa
ditos para vinho. Doce de calda em latas de diversas qualida-
des, ginja, alperch, pera, pecego, doce de goiaba, em Jalas ditos em
caixoes ditos era frasco de calda de assucar, ditos de cognack.Ervi-
Ihas em latas, ditas em casca., ditas sem casca.Espermacele de 5e 6 o
maco.Figos em latas de 4 e 8 libras lindamente enfeiladas, dilos em
caixas grandes e peqcenas em barril. FariDha de trigo da diversas
marcas, dita de araruta, dita do Maranho, dita do Aracaty.Fumo
do Rio em latas dito em rolos, dito em lata (do Para) para cigarros.
Genebra ingleza marca gato, dita dita em frteos, dita de Ilt llanda em
frascos, dita dita em botijas, dita de Ilamburgo em frascos, dita em bo-
tijas, dita em garrafoes.Graxa em latasLimonada de diversas fruc-
tas.Licor inglez, dito francez, dito allemao. Manteiga ingleza flor,
dita de 2.a qualidade, dita de 3.a, dila de 4.a, dita franceza de 1.a qua-
lidade, dita dita de 2.aMassas p^ra sopa, macarrao, talharim ealetria,
dita estrellinha e pevide branca eamareila.- Marrasquino de zara de 1.a
qualidade, dito 2.a dita, dito 3 a dita. Maimelada muilofina.Molho
inglez, dito francez.Mostarda ingleza, dita franceza. Presuntos in-
glezes para hambre, ditos americanos, ditos doPoito para tempero,
dito de Lisboa. Passas de Malaga, ditas de Corinlhias para podim.
Pomada do P. rto.Pimenta do reino. Peixes em totas, tavel, curvi-
na. pargo, espada, congre, chermy preparedo pelas melhores artes de
cosinlia.Papel greve branco, dit paulado, dito almuco, dito de pese,
dito amarello Palitos lixados para denles, ditos dilos com flores, ditos
americanos, ditos do gaz.Queijos inglez e londrino, dito flamengo dito
prato, dito suisso.Rap Meuron, dilo francez Sahme em latas de I-
libra o melhor que aqui tem vindo. Sardinha de Basse, dito de A.
L'Auile. Sahao nacionol, dito massa e.nao massa, dito inglez. Sa
nacional, dito inglez a varejo, dito em vidros. Toucinho de Lisboa e
Porto, dilo de Santos.Tijolospara limparfacas Vinhos, neslegene-
ro os nossos armazens tem o melhor sortim' nto que se pode imaginar,
duque do Porto, lagrimas do Douro, C*m5es, Bocagc, Maria Pia, D.
Luiz, Pedro II, Malvazia, Madeira, Cberry, Bordeaux, tudo engarrrf-do.
Prevenimos ao publico de que no armazem da liga s tem vinhos engar-
rafados no estrangeiro, dito em pipa do Porlo, Lisbua, Figueira e de Sele,
dilo em brril de todos os paires, dilo emanroFas, dito chamisso mui-
to proprio para casa particular em barrilinhos com 150 garrafas por
preco a satisfacer o mais exigente comprador emquanto a qualidade
garantida por nos e pelos seus importadores, dito em caada por preco
baretissimo, dito branco para missa.Vinagre puro de Lisboa, dito ham-
burguez, dito em garrafoes. Vassouras do Porto, ditas americanas.
ATTENCAO
O preco da seguinte
tabella para todos, po-
dendo aaslm servir de na
se para o ajuste de eontas
eom os portadores.
PASTILHAS
VERMFUGAS
ARMAZEM
RA A CVIEIV DO KIXIFE I. 53.
(L030 pastando o are* da Coneeifit)
Grande redneeSo de precos, equivalente a dez por cento menos do qne ouro naloner
annnnciante.
m K^?,,eS,a8*TN! posso-por mais tempo sustentar Preco da manteiga ingleza a .ooors. a libra, bem assim o de oulros
T Jeclos',ctc-' dand0 co,m lsl ocasi3 a tdas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e grkarem em, os mais remedios nerieosos o nausah m
ttoW^quepodem vender pelo preco que eu vendo!11 Ora. eu offendido com estas' obscuridades e receloso1 emadoptar omesmo'que e^isempa?^^StoShS^.
"-">, como veris'Nao causam. dores e produzem seu eTe.to,
Mercantil nao sem precisar logo"depois de pui gante no-
tSr\TrST^K.Lh,eJender 80Dms 05 m* de *** ** Pronas .S 2L 3TZ
ceita.
NOTA YORK.
DE COR CHEIBO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais efficazes do que todos
to sement obler a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
reza com SS uSS^ t^J* 22?*' 3S arr3DJ0S deSte now ^cimento, e mais que tudo apromp.idao e entei- "^" aS bStrUCt5eS d ""* m
Uteis como um excellenle meio de fazer
mover as obstruccoes <
no caso de nao existirem verme aJguin, as
t2T!ZSiSSS^ e qUa!d D3 VFm vir Pdera0 ra^ar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois tas e i Uiveis n;
>erao tao bem serv.dos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco, afim de que naS vio em outra par te os respSs dignandeaSanCa e 'approv
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras ca0 de todos os Paes de Emilias. Prepa-
por2,5oo;ditasdoceemlatascomomes-.das unicamerte por Lanman Kemp,
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a Soo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oe rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim e melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto aomeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e prola mais proprio
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do MaranMo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
bra. e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo tb.
a arroba.
para negocio o I,6oo, I,8oo e 2,ooo rs. ;Pataco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
libra, garante-se ser muito regular, Igual rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de i e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
ao quese vende em outra parte por 2,4oo
e 2,6oo rs.
Ltaguicas, cbouricas e paios em latas de 8
libras,, emticamente lacradas a 5,5od rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e dma
arroba a 8,ooo rs. e I,Soo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor! Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
passado a I,6oo e I,8oo rs. | 25 libras a 52o rs.
fdem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente qua-
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa. .
dem e lallierim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentesjjor serem propriamente
feitas para esse fim.
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entai-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar fresco e superior a 8oo rs. a libra, a ellcs
antes que se acabem.
Ervilhas e'favas porluguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezonlo do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inta'ro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
I,ooo e I,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
, por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
'rente e de superior qualidade, tambem tem
. de 12 por libra propria-para carro.
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e.5oo rs.a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca,- Malvazio Ano,
Fetoria en caixa de 1 duzia de 9,ooo a
Io,ooo rs. ea 9oo e I,oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhasde Nantesem quartos e meiaslatas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlaias lw>d 1IK-
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salm5o, ostras echernee, vezugo era! Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 8ooe ,ooo rs. cada urna. I cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-1 libra,
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,ooo, 7,ooo e 8,060 rs. a caixa, garante- j qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. | para mimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e, Passas muito novas de carnada a loo re. a
m j T,S' a fraS(Iueira- libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
dem de laranja verdadeira de A'tona em Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a .ooors. o basco, e
H,ooo rs. a duia.
dem de Hollanda era botijas grandes 4oo
I,8oo rs.a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de I e meia libra
por I,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora I,Soo, l,5oo, e I,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para efifregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra-
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra,
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a .ooors. e H,ooo a duzia.
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o maco.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5o rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. alibra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Babia e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l,oo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixoes a 6oo rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra 8 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Lj3mV


NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chegaram os modernos vestidos de dentelle de seda com barra, inteiramentz novos
em gosto e qualidade : luja das columnas, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia'
de Yasconcellos & C, tuccessores de Jos Moreira Lepes.
Eazendas de bom gosto
Para veslidos de senhora
Superiores cortes de seda de eor, de morante, de gurgaro e de setim imperial.
Ditos de blond, e de cambm branca bordados.
Ditos de lia com barra e grande variedade era cores e padrSes.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de qnadros escosseza e miadas.
Superiores las lisas eom grande variedade de cores.
Ditas com salpicos, com Dores e de qnadros.
Lindas pampolmas de qnadros e de flores, fazenda inteiramente nova.
. Superiores cassas de cores, e lindas carabraias organdys.
Grande variedade de chita de cores, de percalia e outras muitas fazendas de gosto.
Para hombros de senhora
Lindas capas e bonrnoux de casemira de cor.
Ditas de la e de seda.
Grande variedade de sout'embarques de seda de I8J a 40$.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados finos, de caehimira com iistras de
seda e de fll preto.
Camizinhas modernas, zuavos braneos e de cores, eolletes de cambraia, lindas gol-
linhas eom pannos e outros maitos artigo?.
Para caneca d senhora e menino
Superiores chapeos e cbapellinas de palba de Italia enteitades para senhora.
Ditos de fekro enfeludos para senhora.
Di tes de palba enfeilados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columnas da roa do Crespo n. 13, de Antonie Correia de Vasconcel-
os 4 C.
motilado
8I-RUA DO FMPERIDOR-SI
segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfago de avisar aos seus freguezes e ao respeitvel
publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
'com um bello e bem sonido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou ter das melhores qualidades, e francamente affiancas pessoas que
se dignaren comprar em seu estabelecimento,que all de preferencia outra qualquer par-
te serao mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos e medidas, no que
sempreo annunciante foi escrupuloso, em summa, nao illude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradoresqueo queiram honrar como seu comitente Ibes
assegura que o producto de seu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
do desta praca, para oquesejulga convenientemente habilitado pela longa praticacom-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois de se-
rem fielmente umprido as suas ordees.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantes que Ihe merecam confianca* fa-
zendo um abale vantajoso aos que pagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica commissSo, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commissao.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annunciante sna valiosa proteceo, fre-
quentandocomo oulr'orasua casa, e pelo reconhecimento que lhes tributa offerece expon-
taneamente-seus servicos.
Julga desnecesariopublicar a tabella dos precos de seus gneros: s5o seos recursos
garanta suficiente de poder accempanhar os menores precos de idnticos e mesmo de
mais apparatosos estahelecimentos, tendo 6omente em vista o augmento de suas yendas
diarias.
Prerenfio neeessarla. .
Tendo sido o proprietario estabelecido muitos annos com o mesmo ramo de nego-
cio ni mesmarua, julga prudente advertir que s affirma e se responsabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
SI-RITA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio,
CDnrMajcoofT <-; g" o C? ? S
e-? a o g

O c- is, en
09 H m 3 c
a a
S 2_. S

-Sg-ft
Pf"illtt25
ce e,
sjslfi,l||"
.^ r* rp
w
;-a
a cd
G:
a
5 2"
TS g q S 3
3 3 f |
oOHc.SBMq0.50o:
g.gsBSS'."c58 S 3iq 5.
-|E.g2.a,|l:e g1 85
B o.?? co ^ a, g- o
l'S'SS {fg-
3" o I
S2
B
?1.
u C*
Si ce w
o eso.
y> tu o
f
g
e
e
s
Agua Florida.
Para restabelecer o conservar a cor natural
dos cabellos.
A agat> Obrlda sao ama titera, ficto esseo-
cial a contestar, a mesma agua dando a ror primi-
tiva ao cabello. Composia de plantas exticas e
de substancias inofTensivas, ella ten a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
le* tea perdida. Dama salubridade incontesu-
rel, a Agua Florida entretem a limpeza da cabera
detroe as caspas e fnpede os cabellos de cabir
Oleo de Florida,
Composto te substancias vegetaes exticas, ene
consttie poderosaoisif', eom a Agua Florida, a
terca, a bell?za e a conservacao des cab5^c.
Em Pars, casa de Quislanr p. 12, raa de Riihe-
lien, e ti, bonlerard MoBtmirrf.
Todos os frascos, na tende intacte e elare, o
timbre prateade da can, sat repaudee altes.
Deposito, ra do Imperador, pharmacia 1.38. '
LOJA DE 1IUDEZAS FI.XAS
16RA DO QEIMaDO-16
Sabe boje da alfandega.
Para a recepeo de SS. AA. Imperiaes.
Enfeites de cabera.
O dono deste estabelecimento sabenilo com an-
tecedencia que SS. AA.. Imperiaes tinlit.ni de pas-
sar nesta bella capital em sua viagem de recreio
Europa, teve o cuidado de mandar vir, e despa-
cha hoje da alfandega os mais bonitos e elegantes
enfeitesde cabeca Maria Pia e Princeza Impe-
rial, o mais elegante e novidade em enfeites de
cabeca para senhora, que tem vindo a esta praca ;
i5o variado o sortimento de cada qual mais lindo
que os freguezes fiearc< satisfeitos nao s no bom
gosto do sortimento como no seu barato preco, os
quaes se vendem a 2>, 3&, 4$, b>, 6,5, 7f, 8A, 9,
10;, 119 e 12;.
Volt i Maria Pia.
Sahe hoje da alfandega o mais elegante sorti-
meato de voltas de perolas e aljofares tom crazes
grandes e pequeas, brancas, pelas e e todas as
cores Maria Pa ; o freguez Orar satisfeito nao
s no lindo e variado gosto, como nos seus dimi-
nutos precos.
Pulse iras Maria Pia.
Sahe hoje da alfandega o mais lindo e variado
sortimento de puL-eiras de perolas e de aljofares
brancas, pretas e de todas as cores, as quaes se
vendem por preco muito barato.
Brincos i halan,
Sahe hoje da alfandega nm bonito e variado sor-
timento de brincos de perola e aljofares, peque-
nos, a balao : vende-se baratissimo.
Alliaeles de peilo.
Sahe hoje da alfandega um bello sortimento de
allinetes de peilo de um variado e apurado go;:.>,
tudo barato.
Fivelas para sinlos.
Sabe hoje da alfandega o mais lindo e variado
sortimento de fivelas com pedrlnhas fingindo bri-
Ihantes que tem apparecido nesta praca, tal a
variedade que o freguez licar satisfeito'nao s co
gosto como no prego.
Fitas.
Riquissimas Otas de grosdenaple lisas e lavra-
das para lagos e sintos, e entras de gorgurao para
sinlos : vende-se tudo barato.
Cascarrilbas.
Bonitas rascarrilhas de seda de urna s cor. e
de duas cores em todas as cores, dillercnles lar-
guras e pregos baratsimos.
Esperanza.
Luva's de pellica, brancas, pelas ederons;
em as brancas ha especialidade e uira forma i>-
teiramenle nova, cadeias de aro prlhdo e faciacas.
voltas de eontas azues lurquzas, brincos tala,, a
800 rs. o par, Pulceiras de cabello a Sf;U>. graixa
econfmica a 320 rs. a caixa, tinta rommuniraiiva
que depois de 8 das se pode tirar copia para <#ta
especialidade ainda nao appareceu plagiario, tn-
feites com rifa de froco, a Espeanoa teve pelo va-
por estes enfeites, nao conslandc que alguero pait
iivesse recebido, porm nem por isso os verde ra
por mais de 3J0OO, muitas especialidade* ene na
podemos annunciar por serdesprndioso: vao reo
do Queimado n. 33 A, que se vender barato e a
dinheiro.
ESCRAVOS FGIDOS.
No da 9 de dezembro de 1864 fngio de casa
deseusenhoro escravo Herculano, pardo escure,
com 35 annos, alto, cabellos carapinbas, olbos e
orelhas pequeas, tem apenas bigode e pera, pei-
nas e andar de quebra-mangue, tendo o p esquer-
do torto e sahido para fra como pata de sen, e
por isso paxa alguma cousa pela perna anando
anda, levou vestido caiga branca remendada e ca-
misa branca, levando chapeo de palha, condu/io
igualmente toda roupa que possue, soppoe-se ao-
dar aqui mesmo pela cidade: quero o pepar levo-
a ra Direita n. 54, que ser generosamente re-
compensado.
Fugio pela manhia do da 2* do cwmta o
escravo do Dome Paulino, com os sip naes ser mo-
tes : cabra, cara picada de texigas, denles liron-
dos, cabello carapinho, estatura regular, rkeie do
corpo, muio conhecido ror andar verdfno k-
zendascom um caixeiroda casa dos Srs. FarceR-
no 4 C. : roga-se a quem o pegar, de o levar ft
casados mesmos na roa do Crespo n. 5, qne ser
generosamente recompensado.
Aoscntou-se cm 29 de dezembro passado do
eugenho l tinga de eima, m Cabo, a mnlatinba
Jonna, de 14 anuos provaveis, comprada a 26 df,
no Recite, a Jos Pirmino de Wedeiros por proen-
racao de sua ave Josepha Hara dos Prazeres. mo-
radores ambos no Brejo da Madre de Dos, t< m os
signaes segaintes : cor alvacenta, manchas do
rosto, cabello carapinho e meo, rom urna cicatriz
na testa, corpo regular, com todos os denles, seaa
peitos, as pernas Anas, vestigios antigos de chiclo
no corpo, padece de bobas as partes orondas, a
falla as vetes viciosa : roga-se as antnndadcs a
sua captara, e a qualquer particular, podetido ser
remedido para o referido esgenho, oo a Joao Jote
de Carvalho Mnraes Pilbo, ra do Queimado n. t3,
qne seo gratifleados.
ATTENCAO.
Fugio do dia 12 do correle a escrava ie Dome
Cooceigo, levando eom sigo ama cria, o ba pie-
snmpcao que foi seduzida pelo m^aor Pedro Pau-
lo de Albuquerque. que tambem sabio de casa por
ter tachado soa mi e padraste dos nomes mais
injuriosas : quem qnier saber procure investigar
o procedimento de tal menor, e ttial a razo deste
proeedlmeato.
Harta TheofhUa ie Attmiuri*-

- v
i


.V
Diarlo de Pernambuco Tere lelra i de Janeiro de !*
>
LITTEB1TRA.
Instituto Histrico e Cieogra-
praphlco Brasllelro.
ment da maoifestago do povo e tropa da provio- nhas, a devassarem impervias florestas, a vadea-, Para as promoges de artilharla a te, eslabelec.a mes. Por animoso quejeja nm horneo, nao pode
cia do Ce.r no no de 1821 eom o flto de ins- rem caudalosos rios na frgil piroga do selvagem; os concurses : Pedro de Alcntara Bellegarde.en- fug.acertas ^^^^^^J^
tallar-., am governo provisorio e jurar-se sem de-; ., a.m das actuadas raas plantare. as quinas la- onerosa l.de e conqmstou assiu, em 1823 de fantasmas e hayer medo de Iadr5es. Recebra-
TOMO DO Io SKCHETAUIO DO INSTITUTO HISTRI-
CO E GBOGUAl'IHCO BRASILBIHO, O CON ECO DR. J. C.
FRRNAHDKS TINHEIRO, LIDO NA SESSAO PUBUCA AH-
rVERSARIA DE 16 DE DBSBMBRO DE 180*.
Senhores.-A' vossa extrema benevolencia devo
a subida honra de diriir-vos a palavra em um da
parirnos tao memorando. A magestade do lugar,
a importancia do assurapto e mais que ludo a pre-
senca do niooarcha e da sua augusta familia lur-
vara-me as ideas, prendem a voz e rae reduziiiam
quig respeitosa mudez dos Pelages se nao es-
perase encontrar guarida na indulgencia dos que
desde o bergo estao habituados a amparar os tra-
eos e os pusilnimes.
Anda este anno honron-se o instituto com nma
asistencia que subria ao gru da sua mais.pre-
ciosa prerogativa se porvenlura podessem reitera-
dos beneQcios constituir direitos.
Jubilosas registam as nossas actas as oblag5es
trazidas no eyelo que hoje se fecha por alguns in-
fiigaveis operario; do pensameuto. Conforman-
do-me com antiga e louvavel usanga, vou desses
preciosos trabadlos fazer rpida e tosca resenba.
Digna por cerlo de um emulo de Tnboniano a
empreza que sobre si toraou o 5r. Dr. A. M. Per-
digj Malheiros : rellro-me magna e sobre todas
urgentissima questo da escravido no Brasil. En-
carando-a sob os pontos de vista histrico, jurdi-
co e social, por certo que exhaurir a materia, a
despeito do modesto titulo que com tala delica-
deza adoptou.
Na primeira parte embrenha-se o nosso douto
consocio no ddalo da escravido dos indgenas, e
dissipando as brunas do erro, assignala a cada ac-
or o papel que justa e devidamenle lhe compete.
Escasseou-se-nos o tempo para ouvi-lo no connexo
ponto da escravide dos Africanos, funesto legado
de nossos avs, tnica de Nesse, que oxal nao
dilacere um dia as carnes do nosso corpo social.
ProseguiuoSCr. F. Pinheiro de Campos na
le tura do sen Bosquejo histrico do reinado do Sr.
D.Pedro II Actuando ainda em meu espiritos
motivos de abstengo que a tal respeito guardei no
precedente relatorio, pego venia para sobre, elle
correr a cortina do silencio.
mora a constiloicao portngueza. Taes successos | tanas sobre os derrocados penddes de Castella.
anda pouco conhecidos eiiversamenie interpreta] '
' dos, ganharam lucidez eapresentaramse sob o as
i de artilharia.
pecto verdaderamente histrico na monographia a'
que alludo.
Regatamos nos livros na dossa associacao alguns
preclaros nomes; penhores da nossa existencia,
protesto contra os doloroso golpes que sem cessar
nos arreraeca a implacavel segure da morte.
SS. AA. RR os Srs. conde de Eu e duque de
Saxe nos fizeram a snbida honra de aceitar o titu-
lo de presidentes honorarios, pelo que grato Ihes
ser sempre o instituto. Ilustres sabios, conheci-
dos n'um e n'outro hemispheno, formara o squito
de lo augustas personagens; sao el les os senhores
d'Agassiz, afamado pelos seus profundos estudos
ichthiologicos; George Brancroft, por antonomasia
o Tbucydides americano; Marlinho Thomaz, a
quem tao familiares sao as sciencias etimolgica e
archeologica; e padre Angelo Suchi, director do
observatorio de Roma, e digno emulo dos Vicos,
Sestinis e Solis.
Ninguem raelhor do que o lllustre veterano de
' Carumbc India Mora o CatalSo poderia relatar-
nos os heroicos feitos dessa briosa legiio d 8. A,nJa e crs
o posto de segundo lenle, tres raezes depois o de dos do primeiro moroenjo de hesitago, levanta-
primeiro lente, e no anno segulnte o de capito rara se os dous para irem* procurar os. gemedores
; nocturnos; mas correram por toda a casa e nao
da escola mili-", descobr.ram nada.
unio
rao.
de V. James Johnson e de Margarida Si-
L-se no Commercto do Porto :
O conde de Garlisle, que, por doenca, se to re-
centeraenteobligado a abandonar as funegoes de
vi -e-rei de Irlanda, falleceu envlnglaterra, com 65
linham yoltado aos seus lugares, quaudo anno de edade,
TTaifoJ! Tir"m"P"ih7d7mTeVolla- sob as ordens de engenheiros dwtinctos, como Cor-; ouvirara mais suspiroi, lamentos e gritos, que G William Frederick Howard, V conde de
i i .. ,Tl'l^rtrosIiS- IWro Torres, Andrea e outros ; e logo depois de dessa vez sahiam de on.ro ponto da casa. Os dons Larlisle, nasci0 emUit(a a l8 de abril de
co aa inaepenoencia poaena reienr-uus su termjua |o dlrjg0 a obra do pharo, da |ha RaM> e ntroes n5o qimeram sabor de mais nada, e enfla- 1802, pertencia a um ramo da casa ducal de Nor-
sos que a anteciparam. Jcoadjuvou o plauo do canal do Rio Guandii ba|ram a toda a presas .pela escada abaixo, mais oik.
Iatelligenclas como a do nosso respeitavel *>> hia do ft.Q dfl janeiro mortos do que vivos. Conhecido primeiro cora o nome de visconde de
j socio jamis se acham inactivas, e, pois, de espe- engenheiros, e' Fazem-s rail conjcluras sobre estes fados rre- Morpeth, fez brilhantes eslud* em Oxford e foi ad-
rar que sejaraos sorprendidos por a gura novo o ^^^^*^ gulares, a polica j4 est prevenida para averi- dido crabaixada de S. Petersburgo.
suceulento fruto da sua infatigavel penna. r .,,*, nn*o .. a.LL nnr li, enacSes E|e"o membro do parlamento em 18*6, repre-
0 V volurae do intensante e hoje indspensavel CaPO tXZZ?Z llt 2iiSanl ssnton successi va mente Morpeth de 1826 a 1830 e
Pequeo Panorama do Rio de Janeiro acaba de sa- J Z^!1^Z^J^!SS! "' Cm ""? "^ m,"l ^ T ^ "uas vetes um distrieto de Yorkshire, de 1830
hir do prelo, sendo-nos offerecido pelo seu digno do No8ae,ra> e desempenhaado outras tarefas. pressoes e era geral er pouco era almas do outro ^ Q de mf. a im
autor e nosso Ilustre consocio o Sr. Dr. Moreira i Os acontecimientos de 1831 condemnaram o l- mundo, supp5e-se que breve fechar o fio desta Lib-al exaltado, foi nomeado secretario de EsU
de Azevedo. Cada vez se corrobora mais o juizo; lustrado engenheire a urna inctividade que era o meada, que tem dado que pensar a ora des bairros dQ de ,r,anda e conservou esle pos,0 de 1845
ma uo in.ioii.ua ioiuj uv^jt- .wD. ., -
Paulo, que tao basta sera de louro? ceifra as rl- *. w em diversas coramissOes de eogenhana Mal
que a seu respeito emitli em meus anteriores rea-
torios, de novo formo votos para que tao louvavel
e til emprehendiraenlo seja levado ao cabo.
OSr. conselheiro Henrique de Beaurepaire Ro-
Alera das propostas que costumara recommendar han offereceu ao instituto a sua Synopsis Geanoto-
as candidaturas dos que desejam fzer parte do gica, Chronologica e Histrica dos Rris de Portugal
nosso instituto, foram apresentadas algumas outras dos Imperadores do Brasil Resummdo em inte-
acerca de.varios assumptos. ressante quadro a historia de ambos os palzes, apu-
radas as datas ao crysol da critica, e pesados os
^ O Sr. commendador M. I'. Lagos indicou que urna fac,os na ba,anQa aa-imparcialidade. prestou o nos-
commisso especial emittisse seu juizo sobre a obra
ltimamente publicada pelo nosso digno consocio o
Sr. senador Thomaz Pompeu "de Souza Brasil com
o titulo Ensato eslatistico da provincia do Gear-
Propuz tambera que a respectiva commisso fossem
remetlidos o Diccionario topograjihico estatistico e
histrico da provincia de Pernambuco, pelo Sr. Dr.
guim Gomes de Oliveira
propostas a inteira adhesao do instituto; bera como'
as dos Srs. conselheiro Miguel Maria Lisboa para,
que se estndassem os meios de tornar mais activa
a 1841.
Quando os wbigs voltaram
ao poder em 1816,
maor dos castigos para quem, como elle, amava mais populares da nossa cidade.
com ardor o trabalho.
Em 1832 aproveitando um desses certames de Conta o Times, que em 18 de novembro veriflcou i foi nameado commissario dos bosques e florestas'
ntelligencia que tanto devera abonar os vencedo- sir J. Lawrence, em Labore, um durbar, no qnal, e succedeu a lord Campbell como chancellar do do-
res, foi um dos seis candidatos que se aprsenla. | recebeu as homenagens de seiscentos prncipes, cado de Lancastre, em 1830.
so consocio um valioso servljo aos estudiosos, que
a miudo consultavam essas poucas mas interessan-
tes paginas selladas com o cunho da correeeao e
clareza
Geralmente conhecida hoje a utilidade dos al-
manacks; e quando poden reunir os predicados
Manoel da Costa Honorato; e a "MeZmasyZpUca 1 recommendam o que para a provincia de Mi-
daprovincia de Santa Catharma pelo Sr. P Joa- nas-Geraes elaboraran! os Srs. Martms e Marques
Paiva. Mereceram estas' e Oliveira, ma.dres sao os ttulos da sua v,ntagem,
e incontestavel o jus ao nosso reconheci mente e
apreco.
A rarissiraa colleccao dos mappas estatisticos da
ira..populaco dosbispados do Brasil colonial, que
rias entre este imperio e os Estados-Unidos da ompanham a memoria do desembagador Ve loso,
America do Norte; e a do Sr. B. da Costa Rabil Publieada na nossa Rev,sla' doad* ao'S
. ; i to nelo seu prestimoso soeio o Sr. senador Thomaz
para que alcancassemos do governo imperial a ne-.w v"" X -., ... ..
v .B I Pompeo de Souza Brasil. Intuitivo o subsidio que
cessana venia adm de extrahlr-se do cartono do .. ',_
thesouro publico e nacional urna copia do livro do semelhanles documentos prestara a historia, assira
Tombo das escripturas das cousas que pertence- R***"0 dar"lhes ma,S e ma,s dnradoara Pu"
ram ao collegie de S. Sebastio da Coropanhia da
ram em concurso para tres lugares vagos de subs- j que comparecern! das mais remotas regioes do
ttulos da escola militar e dos seis o nico propos- Indoslo.
to ao governo, que todava s em 1834 mandoa Seria mpossivel imaginar na Europa um espec-
empossa-lo n lugar que lhe competa. Dentro em j taculo tao brilhante come o que nessa occasio
pouco elevado de substituto a lente propietario, apresenlava Labore.
demoostrou as suas grandes habilitares e varia- E's no Oneatoque a illustragao deuma antiga
dos conhecimentos, ieccionando com proQciencia genealogia se alla cora os costumes de rayas meio
em quasi todas as cadeiras, at que era 1853 pedio cVilsadas.
eoblevea suajubilaco. ... ....
E s la que a barbaria ao roesmo tempo nobre
Em 1836 concorreu notavelmente para fundacao' e magniflea.
efoi o director e lente da escola de architectos Um desses |)rinc'pes representa urna lieha de
medidores da provincia do Rio de Janeiro, regeu reis qQe se Ju|ga no pa, rejnar Q0 mesmQ esUdo
todas as cadeiras de ens.no e preparou e publicou ha dez mil annos, sendo elle, com ludo, s o deci-
compendios apropriados a essa instituico : ao rao Km a ordem das precedencias: esses ho-
raesmo tempo, ecomo se o trabalho nunca fosse: mens sao alllV0. e poderosos, e ha mallos deles
de mais para a actividade do seu espirito, prepa-' (|(je |1UQca comparecefam em tal ceremonia,
rou com o coronel Conrado Jacob de Niemeyer, e
Nomes ha que symbolisam urna poca, um po-
ro, urna civilisayao : poderosas Individualidades,
que allrahindo a si todas as attences, concentram
em sua pessoa as ideas e os feitos de milhares de
horneas : Carlos Magno a edad media ; Napo-
leo I a revoluco franceza. Outros h de triste e
fatal celebridad?, mythos do crime, incarpaces do
vicio : ero e Heliogabalo pertencem a essa raya,
a que, em nossos das velo juntar-se D. Joo Ma-
noel de Rosas. A vida deste tyranno, cujos cri-
mes por quasi tres lustros nodoaram as paginas da
historia da Confederago Argentina, fui-nos conta-
da em opulenta e tersa linguagem pelo nosso dis-
lincto consocio o S. A. D. de Pascual.
Com o proposito de explicar de modo satisfacto-
rio a o prodigioa e funesta fortuna desse homein
eliraordinaro, omeadeu couveniente o seu bio-
grapho esbozar um relrospeciivo quadro dos suc-
cessos occorridos desde a revoluto de maio de
1610 at o nefasto 1 de dezembro de 1828, era
que dasfrouxas mos do general Dorrego arreba.
tou Livalle o baslo do mando para ontrega-lo a
D. Joo Manoc de Rosas. Inquinado as causas
que preparam semelhante peripecia, peosa o nosso
collega encontra-las na preponderancia do elemen-
to gaucho, e corrobora o seu asserto com as se-
grales c mui judiciosas reflexoes :
Os camponezes sul-americanos, baldos de solida
rcligio e instruccao anloga, receberam n) come-
to o brado da independencia com frieza, observa-
ram (porque ninguem to desconfiado como o
ignoraute) que os ben prometlidos pelos coriphos
das cidades eram mentiras enroupadas de pala-
vriados chochos de liberdade ; observaram que
erara raais felizes e viviam mais socegados no lem-
po dos vicc-reis do que no dos republicanos, e no-
taram que, em vea de um chefe, eram tyrannisa-
dos por mil seides : e enlo por urna lei natural e
immutavel determinaram sacudir o novo jugo, di-
zendo : Se os habitantes das cidades derribam go-
ve/nos e toraam posse da autoridade, porque nao
taremos nos o raesmo ? Ksses borneas de casaca
nos illudem com a sua loquacidade ; nao podemos
lutar com ellos neste terreno, porque nao fomos
para isso educados; mas em falta de palavras, se-
ja a forya bruta, de que podemos dspr melhor do
que elles, a vencedora na peleja, e demos cabos
desses palradores eternos, que galgam empregos,
Jess do Rio de Janeiro ; e finalmente outra por
mim assignada, para que se impetrasse da autori-
dade competente a faculdade de serem copiados no
archivo publico os doemneatos que de mais inte-
resse forera para a nossa historia e geograpbia, a
prudente juizo do instituto.
blicidade.
' obseqniosidade do mesmo distlncto senador
devenios a remessa do seu interessantissimo En-
sato Ecclesiastico da Provincia do Cear, de que j
rallei, privando-me de erailtlr a seu respeito o meu
mesquinho juizo a circumslancia 'de pender ainda
do exame da respectiva commisso.
Idntico motivo aconselha-me inteira reserva
Cada vez mais credor se faz o nosso digno the-! acerca de outros trabalhos offerecidos nossa as-
sourelro da nossa gralido pelo infatigavel zelo SOC|ac5o.
com que procede a arrecadacao da renda e escru- Escrnpu,isa.me a consciencia de por mais tempo
pulosa sohcitude com que fiscalisa a despeza. Gra-! prender a vossa benvola altelo, desviando-a des
Cas a esse zelo, mantem-se o equillibrio em nosso duos threnos com qQe 0 nosso mavioso orador
orgamento, sem que tenha sido uecessario recor-;^se commemorar o passamento dos nossos conso-
rrmos ao nosso pequeo fundo de reserva. I cos SQbre cajas sepulcraes jaiijas despoatou a au
Medjante algumas providencias tomadas no co. rora da eternidade.
meyo deste anno, maor regularidade lera havid0 ^ *
na publicago da itevista, que, mais apnmorada- discurso do orador o sr. dr. joaquim manoel de
meiiie impressa, viu auguieaiar-se o numero de : macedo.
seus assigaantes. Para mais fcil manuseaco, Xo campo immenso dos jazigos dos homens era
julguei conveniente dividi-la em duas partes, ser- t0(ias as sepulturas sao mudas, nem toda a trra
vindo a primeira de vasto repositorio de documeu- qUe cobrio os cadveres moralmente estril, sao
tos, e destinando a segunda para os trabalhos dos por certo innmeros os jaugos que nao fallaai,
socios, relatnos, actas das nossas sessoes, etc. Co- nem lera medida o chao da morte, do qual nao
mecou-se a reimpresso do 6 volUme, ficando ler- brota urna lembranga do passado: ah a profundez
minada a do 5, que eslava ao prelo quando a ulti- do silencio corresponde estirilldade da vida da-
ma vez vos dei conta dos nossos trabalhos. quelles que veram dormir o eterno somno; mas
O Punjaub a mais apartada das provincias
indicas do noroeste: eslende-se tanto pela Azia,
que quem passa a fronteira esi na Tartaria inde-
penden^.
Ha no Punjaub urna aristocracia consideravel
que reconhece hoje a suzerania da rainha de Ingla-
terra.
Foi para esta provincia que sir J. Lawrence con
Folgo sempre que tenho de reconhecer e louvar- ,ambem ha n5 Pocas sepulturas onde crescem e
como agora o faco. os boos servicos prestados ao se eramaranham rail escabrosas e damnmhas sar-
instituto pelos empregados que delle recebem etis- ?as> Dao as sarCas do Hureb-0Qde ardeu fo8 do
d | Senhor, sim daquellas que o Dante collocou no seu
1 inferno de mistura com as arvores cujas ramos
Empenho-me, como me compre, em manter re- eram erga(]os de ns e de eSpiohos, e da vam em
laces scientificas e litterarias com as diversas as- v(jz d(j fructos um veneQ0 a5SasslQ0 ahl jaiem
soraC5es do velho e novo continente, que teem aque)|esque deixaram nomundo vestiglos sinistros
1 6 le6 ?1raeScoiaeVebenevloe- odestructiveis que rau.tos desejariam ver apaga-
dos, mas que perdurara como a flamina incendiaria
! de-Erostralo que vem acesa atravessando os secu-
Pede, porm, a Justina que faga particular men. |os. ha fiaainenlo sepulturas distinctas, sobre ca-
cao dos Estados-Unidos e Portugal, cajos vnculos da urna das quaes levantava-se frondosa urna arvo-
de sympathia se estreitaram pelos ofOciosos esor- re sempre coberla de flores e sempre cheia de
qos do Exm. Sr. general Wobb, ministro plenipo- frucios. Essa arvore chama-se a memoria do bem,
[/tenciano da Unio Norte Americana, e o Sr. F. F. cada flr 0 emblema de urna aeco generosa, ca-
de Figanire, secretario da legacao de S. M. fidelis- da fructo um exemplo de sabedoria ou de virtudes
sima, e nosso Ilustrado consocio.
cebido inequvocas
leuda.
provas de atreco
Anno algum se passa sem que o instituto receba
novos testemunhos do apreco em que tido pelos
altos poderes do estado, jpressando-se em satis_
dexado ao mundo! A' sombra dessa arvore que
falla, descansam os que souberam ser benemritos
e os que foram bon?.
corre-me hoje o dever sagrado de visitar algu-
fazer-lhe os justos pedidos, j reraettendo-lhe rea. mas COvas de fresco fechadas, covas que recebe-
torios, mappas e outros preciosos documentos, j fi- rara os restos mortaes dez prestamos vares, nos-
honras, commodos e autoridade, o ao mestpo tem- nalraente solicilandolhe o autorisado voto. Por tan- sos fjndos consocios, e sobre as quaes j se ergueu
apresentou assembla geral legislativa o plano
da organisa$5o de uraa companhia para o arraza-
ment do morro A> Castello.
Acudindo a um convite do presidente da provin-
cia de Pernambuco e anda com o seu lio, amigo e
collega Conrado Jacob de Niemeyer, parti em
1841 para esse ponto do imperio e em dous mezes
corresponderam ambos a coniauga que haviam
merecido, entregando ao governo provincial o pa- vocou todos os chefes dos arredores,
no completo para o encanamento das aguas pota- Havja ^^ e tinham acceddo
ve.sdoltec.fe obra que se levou a effeito com ap- ao seu conv|(e : emre elle8 havia reiS) pnncipes
plauso do publico. das m0D,anhas, chefes militares das fronteiras de
A pericia eos profundos conhecimentos do nos- ATghanistan ea alia breza do Penjaub.
so Ilustrado consocio foram ainda aproveitados em % i
innmeras coram.sses que elle successivaraente .Nunca "> aha 'd'gena convocou ta
desempenbou, o seu zelo e escrupulosa honradez cor e"
receberam evidente reconheciraento' quando era O durbar veriflcou-se debaixo de magnificas
1852 foi oumeado director do arsenal de guerra da tendas na planicie fronteira a Lahore.
corte, onde se observavam abusos que a tribuna Q da ceremonJa deyja ser fa noras
parlaraemar denunciou ao pa.z : seus conbeci-: d> m mas s sete coraecarara a chegar os
nentos profundos emengenhanae sua pral.ca in- chefes de raenos vntt0t 0 anleTdas oito e raeia es-
'ell.genteaessed.01c.lm.ster foram raan.festa...en- ^ nos ^ ^ ma,s
te proclamados pelo governo provincial do Rio de ^ e(mQentes
Janeiro, que o encarregou de organisar coujnncta-:
mele com o coronel Jacob de Niemeyer a carta O rajah de Jheend eslava vestido de pura cassa
topographlca da provincia ; e pelo governo gera- branca, coberto de diamantes e esmeraldas, e com
quando, por morte do baro de Cagapava, o noj turbante amarello.
meou chefe da commisso de limites entre o impe- O mahS-rajah de Putteala, peryraagem muito
rio e o estado oriental ; importante, levava vestuario de seda por tal modo
i coberto de esmeraldas e perolas, que raal se,Ihe
Alm destes relevantes servigos, Pedro de Al- ^^ distingur a c0ri
cantara Bellegarde escreveu e publicou os segua- 0 maha.rajah de Cachemira e seu filho, de dez
tes trabalhos -.Compendios de matnematlcas ele- annos dc edad6j traja vam de branco com turbantes
mentares de topographia, para uso da escola de vermelhos e amarellos, esmeraldas e diaman-
Archiiectos Medidores ; Noges de geometra des- tes#
criptiva para uso da mesma escola; compendio de Um chefe de aa eslalura apresentou-se vestido
mecnica elementar e applicada ; Noges elemen- j de pret0 e ouro e com turbante verde,
lares de direlto das gentes, para uso dos alumnos rja skh tinba um vestuario todo amarello.
da escola militar ; Compendio de architeetura civil. A historia da maor parte destes principes nao
e hydraulica e ainda muitos outros. Livros peque-; menos curiosa do que os seus vestuarios: estavam
nos, mas preciosos, verdadeiros phares que illu- entre elles os dous summo-sacerdotes da nagao
minara o caminho da mocidade estudiosa ; livros s,khe, que descendera do propheta que fundou
pequeos, mas ricos de sciencia, semelhantes aos aquello estado.
arroyos tenues, mas lmpidos e perennes, que sa- nava 0 nobre Sikh que, na qualidade de melhor
ciam a sede do homem e fertilisam a trra, sem cavallero da nago, linha dirigido o ataque contra
innundar os campos e demorar a marcha do va- os nglezes em Chllianwallah.
jante. I Notava-se um pequeo nabab, de sete annos de
Em 1848 Bellegarde incumbido de urna tarefa edade, que se portava com muita ntelligencia e
consideravel e alheia sua prolissao : o patriotis- garbo.
mo o obriga a aceitar a nomeago de encarregado ft5o ,|ava um ^^ um prncjpado> uma
de negocios no Paraguay : qualro annos passa funf5ao qae nao ^^^ a,. represenlante
longe da patria e a velar por ella ; o diplmala
nao propala os servigos que presta, nem procora
elogios : modestia ou habilidade quasi que se faz
esquecer ; mas vence reluctancias o ciuraes e ce-
lebra um tratado de allianga que facilita o des-
envolvmento da poltica do imperio no Rio da
Prata.
Em 1855 foi nomeado lord lugar-teoente de Ir-
landa.
O conde de Carlisle conqulstou as letras certa
reputagio.
Regressando em 1850 de ama viagem na
America, fez acerca deste paiz orna leilura no ch;.nic's Iostitute deLeeds e um leitora sobre a
vida e escriplos de Pope.
Publicou rscentemenio a narrago de nma via-
gem no Oriente com titulo iD.ary Tnrkish and
Greak waters.
Era so'teiro.
O herdeiro das duas honras herediatarias seo
rmo, reilor de Londesborough, que tambera ce-
libitario.
O herdeiro presumptivo o M. G. W. Howard,
membro da cmara dos communs por Comberiand,
casado com uma lilha de lord Wentheydale, e que
tem uma familia numerosa.
O conde de Carlisle era cavallero da Jarre-
tera.
------- i m i ------
Ha muitos camelos celebres s porque sao bru-
tos : este celebre por servigos prestados a um
po gastam mnto dinheiro com inlerminaveise de*-
arrazoados discursos.
t Artigas, Queiroga, Rosas e outros caudilhos
fizeram este altanado, e confiando as snas for-
gas materiaes, nvadiram as poucas cidades que
eram os focos dos homens chamados intelligentes,
lidos e educados. O governo as maos da forga
bruta mil vezes mais terrivel do que na dos reis
despticos, porque estes sao pela raenos conserva-
dores por seu proprio interesse ; mas os anarchis-
tas nada lucra'm seno por meio da destruigo.
c Do momento em que os coriphos da revolu-
gao argentina esqueceram a sua verdadeira mis-
sao, pode ouvir o philosopho o rangido afastado
das cadas de ura tyranno cruel, como Demoslhe-
nes ouviu no tempo da anarchia das repblicas
gregas.
Nao nos dado ultrapassar a introduccao, que
apenas tivemos tempo de ouv-la as sesses deste
anno, ficando reservado para as vindoaras confe-
rencias o exame das varias phases dessa amenosa
existencia.
Da biograpbia de Rosas do nosso consocio o
mego Luiz Antonio da Silva e Souza rpida e vio-
lenta pareca a transigi.' Felizmente porm de-
sappareco a aspereza, gragas ao primoroso pin-
cel de am esmerado artista. O Sr. J. H. Pereira
de Alencastre prestou mais ni relevante servigo
s patrias letras arrancando do olvido a memoria
de um cidadio prestante, cujos das se escoaram
Ijnge dos applausos da fama edos estmulos da glo-
ria, em perenne holocausto igreja e ao estado.
Infatigavel levita da religiao dos mortos, o nosso
eollega o Sr. Dr. M. D. Moreira de Azevedo evocou
as sombras venerandas de Gregorio de Castro, he-
roico defensor desta cidade-,de Caelano Pinto deMi-
randa Montenegro, (Ilustrado e benigno governador
de Pernambuco; desse magnnimo conde de Linha-
res, eujo maor elogio resnme-se no epitheto de mi-
mstro-adadao, que Uie defeno a posterjdade, e de
alguns outros benemritos varSes, que no'hypogos
do convento de Santo Antonio dormem o somno
dos justos. .
A poca da independencia, para ns mais do
que qualquer outra memoravel, os prdromos des-
sa grande revolnco que alistoa-nos na familia dos
povos livres, mereceu ao uosso laborioso consocio
o Sr. Braz da Costa Rubim uma excedente Mera
ria,daqual invesiigou as causas eodeseuvo'
favores bypothecada se Ihes acha a nossa gra- vreni0 da arvore a memoria do bem.
lldo.
Preciosos e quig
rarissimos raanuscriptos vie.
Cahio no dia 12 de fevereiro do anno corrnte
uma das mais antipas e fortes columnas da nossa
ram avolumar o nosso j abastado archivo, aug- sociedadeipedro de Alcntara Belleearde, membro
mentando a divida de reconhecimeolo era que ja f(jndador do instilino Histrico e Geographico do
estavames para com muito dos doadores. Bras)) descansoa da sua laboriosa pergrnagao na
Releve-se-tne que estabega algumas seleegoesen- lerra. ^^ g6o|(,nte 57 aanos de edade,5 mas
tre as obras com que foi mimoseado o cosso instr ,ant0 e la0 assiduamente trablhra em honra e
tuto, aferindo-as, noiielo seu intrnseco valor, pa- ovelo da patra) qQe ao pes0 do ,abor e aoexces.
ra o que me julgo incompetente contraste, mas sim .... ,. ... ,K
. H .' 8 F ; so da fad ga, seu corpo dobrou-se e tmbou: tmha
pela sua maor connexao com o nosso plano. ,K, __
! velado muito, precisava dormir: dorme o somno
A ninguem pens oflender se a frente dos re- dos mortos
cenes donativos collocar a obra do nosso laborioso
e erudito consocio o Sr. D. J. M. Pereira da Silva, I Era 1807 as aguias conquistadoras de Napoleao,
intitulada: Historia da Fundaco do Imperio Bra Invadindo com rap3o vdo o reino de Portugal, tor-
ffffQ narara necessaria a emigracao da familia real por
, .- ... ,____ tueueza para o Brasil; a nao Principe Real, que
A lumiado pelo brandao da critica, desceu as '"* rn ..n VI
. A u ii i conduza o principe regente depois D. Joao VL>e
cryptas do passado, exhumou os vemos phoraes,
Tmha-se julgado que seriam precisas seis horas
para todas as apresentaedes, mas a ceremonia
effeetuou-se tao promplamente, que o durbar esla-
va acabado ao meio dia.
as carcomidas escripturas e vestustos alvars, e,
sargiodo a luz meridiana, tragou-uos primoroso
quadro do viver de nossos avs; par e passo
acompanbando os mais notaveis eventos que se
desllsaram entre as gloriosas metas de 1640 e
1808.
aquello que devia ser quinze annos depois o funda-
dor de um novo imperio,'tratla por commandante
de nm destacamento de artlharia o capito Cand-
do Norberto Jorge di Bellegarde, de quem.nao se
quizera separar a virtuosa consorte D. Maria An-
tonia de Niemeyer Bellegarde, apezar do melin-
se rha"a. Terapestade vio-
Nas delicadas mos do nosso esclarecido collega J0 efado fm que
,..,.. lenta sobreveio, e as emocoes do perigo e acommo-
adquire cada documento duplicado valor; serae- ,...,.
.... L r-.n cao resultante da lula que travaram
Ihanfe a concha fossil na qual descobre o pairan- *
O vice-rei foi o primeiro que parti em carrua-
gem, escoltado pela sua guarda e ao estrondo de
nma salva real depois partiram os tres ou quatro
Antes de ir encontrar no ministerio da guerra o principes mais importantes com solemnidad quasi
diplmala que volta do mysterioso Paraguay, cunv egual, em seguida foi levantada a sessao e s ficou
pre nao adiar por mais tempo a recordago de nm uma brilhante mullidao de dignilanos erien-
servigo que gravou o nome de Bellegarde no co" taes.
ragao do Instituto Histrico e Geographico do Brasil., Eram nolaveiS; especialmente dons embaixado-
J l vao vinte e sete annos, e e muito se se res de KokaD cidade remola que at os S|kh$ no
medisse os annos pela importancia dos aconte- c^becern, e qae bea situada na incgnita regio
cimentos e pelas conquistas da civilisagao e do pro-. d( a|em de Bokbara.
8resso. Bastaran) dous batalhoes de infantaria brltannica
Foi em 1838 : a poca era estril, mas do que' com alguns esquadroes de cavallana para repre-
esteril, era maligna para as artes, para as letras e sentrem o poder militar do imperio, e um desses
para o idealismo : as lutas polticas eram talvez regimentos contribuiu muito para regosijar a
mais definidas, amesqulnhavarn-se porm pela in- assembla.
tolerancia, e semeavam o odio entre irmos : o Com edeito, a nica msica europea que agrada
rafico de africanos improvisava riquezas isconfes- > aos ouvidos indianos a do bagpipe escocez.
saveis: toda inspiracao potica, toda idea que se o raaha-rajah da Cachemira mandou urna com-
elevava cima de um positivismo rude, morria cjr n,ssao a Sealkore para obter instrucgSes sobre o
regelado nese Invern moral, e no entanto alguns jogo daque||e instrumento e outro ebefe mandou-o
varoes preclaros, alguns Brasileiros benemritos ,r directamente de Edimburgo,
ousaram protestar contra esse materialismo ignot j Ras,U uma rf manhaa para se veriBcar esta
bll, fundando o Instituto Histrico e Geographico exlraordDaria ceremonia,
do Brasil, e entre osses fundadores achou-se o nos-
so consocio Pedro de Alcntara Bellegarde.
(Conttnuar-se-ha.)
dos rabes de mais nomeada deste seclo.
Refere uma carta de Vienna que, no da 4 do
corrnte, havia grande mnllido, depois do meio
dia, no arrabalde Landstrasse, te redor de am ca-
melo agazathado com Tica coberla de estofo ori-
ental.
o simal era conduzido por deus rabes e nm
allerao assoldadado.
U' um camelo que acompanhou Abd-el-Kader
em todas as vicissi ludes da sua vida, e que o leva-
va montaaha, quando o esforgado emir ainda era
changa.
Coberlos deferidas em am reconiro com os fraa-
cezes, Abd-el-Kader e as suas duas mulheres de-
veram a vida a esze camele.
Desde ento o emir nao quiz mais separar-se
desse fiel animal; mas cerno elle j est velho o
enfermo, maoda-o a Pariz para ser tratado pelos
mais abalisados veterinarios.
i i 1^
Acaba de fazer-se uma descoberta muito ca-
riosa.
Regandose legumes e arvores fructferas com
uma solugo de sulphato de ferro, obtem-se adrai-
raveis resultados.
Os feijoes ganham em grossura 60 por cento e
o gosto muito mais saboroso.
A pera o fruto que mais aproveita com este
tratamento.
De ora em diante ninguem deve desprezar as
ferragens velhas, porque, juntas com agua, produ-
zem quasi tanto eTeito como bom adubo.

Sebe-se que um fn-io, em carros de caminho de
(erro, deshilado a fazer parar um comboyo no
mais breve tempo possivel.
Ora, ha inventores que entendem que o melhor
dos freios ser aquelie que produzir a suspenso
instantnea, sem reflectirem-se suspenso instant-
nea c choque sero synoniraos.
Veja-se como Mr. Gentil, engenheiro de minas,
calculou o effeito produzido nos passageiros pela
suspenso inesperada de um Irem em differentes
velocidades.
Para um Irem de mercadosias que corra 25 ki-
lmetros por ora, produz nelles o mesmo effeito
que a queda de'uraa altura de 2-446 (altura de
uma sobreloja.)
Para um trem (mixto de 30 kilmetros, o choque
determinado pela suspenso instantnea correspon-
dente a uma queda de 3n533 (altura de um pri-
meiro andar.)
Para um trem mnibus com a veloridade de 40
kilmetros, o choque traduz-se por uma queda de
6293 (altura de um segundo andar.)
Para um trem directo a 50 kilmetros por ora, e
queda correspondente orga por 9-825 (altura de
um terceiro andar.)
Emfim, para um expresso de 60 kilmetros,
equivale a 14'159 (altura de am quarto andar.)
A' vista destes clculos, um inventor que deso-
jar avahar o effeito do seu freio instantneo nos
comboyos mnibus, nos comboyos directos e nos
expressos, nao tem mais do que atirar-se do 2, 3,
e 4 andar da sua casa ra. E' o melhor modo
de convencer-se.
os elementos
e a nao, preciplaram o nascimento de nm menino
que velo ao mundo precocemente, e que levado
pa baptismal pelo principe D. Pedro, receben os
dons primeiros nomes de seu padrlnho e chamou-
se Pedro de Alcntara Bellegarde.
Em 1810 Jorge de Bellegarde, j entao major de
"'engenheiros, morreu deixando dous filhos : a no-
bre senhora qne em_ verdes annos se achava no
lologo os vestigios do molusco qne a habitara em
pocas anti-historicas; como a estatna de Miliagro
ou de Theseu no Parthenon d'Athenas revelando
ao inspirado artista os fascinantes esplendores do
engenho grego; como nm Purama indiano, symho-
lisando o enei vado qnietissimp dos habitantes das
ribeiras eangoticas. Honra ao nosso distincto pa
tricio qn<* lio bem comprehenden as leis da hlsto-, dger^"7iuv7z'> mupUcou os cuidados do amor
ria, e que trilhandoa vereda dos Nicbhms, Memm- malerna| marcU por ho^onte do seu inundo o
sen, Guliot, Thlers, Maccaulay eHercelano, novos crcnlo dog anlos deveres de mae, e Deus abengoou
Blasonadas froetos nos promette do sen rsbusto, em dQ scu cora0o
talento.
Um dos nossos consocios laureados acaba de Em 1811 o principe regente mandou assentar
brindarnos eom mais um producto da saa calta Pca de cadete de artlharia com venciraento de
intelligencia. Refiro-me ao Sr. brigadeiro f. J. Ma Wnpo de ser vico e sold aos dous meninos Bello-
chado de Oliveira, autor do Quadro Histrico da ardes, que em breve e sempre se rooslraram dig-
Provmcia de S. Paulo. ,nos de ,al P^^cgo.
Estudar a historia dos PalisUs estddar a hls-i *m IWI, e com 13 amos de edade, Pedro de
loriado Brasil inteiro; asshulr a um dos mais Alcntara Bellegarde raatriculavase na escola mi-
magnfleos espectculos que jraals offerecerara os H** i ocurso era de arfe aonosr; no Gm deste
mnaes de qualquer povo, contemplando esses ar- 'emoo O joven estudante o coaciaio com grande
,'onaolas do deserto airansporem nubferas monta- louvor, tepdo sido cinco veze premiado.
fiM POUCO DE TUDO.
A Independencia belga, coota o seguinte :
Nao se ralla agora, nesta cidade, seno da appa-
rgSo de fantasmas todas as noutes em uma casa
da quarta secgao.
s
Pela meia noute comegam a ouvir-se sinistro
ruidos. \
Os fantasmas fazem mil travessuras e (algumas
dellas esto bem longe de ser innocentes: conta-se,
por exemplo, que ha pessoas que por differen-
tes vezes teem sido atiradas das cadeiras ao
chao.
Dous incrdulos da visinhanga, que quizeram
por termo quelle estado de cousas, offerecerara-se,
ha das, parav irem passar a noute na tal casa e
azerem entrar aa ordem as almas do outro
mundo.
Aceitn se o offereeimento.
Os esconjaradores de fantasmas conversavam e
riam, (amando e bebendo, qoando deu uma hora:
no raesmo instanteouviramse suspiros e qu'eixu*
O Jornal do Havre, publica o seguate :
Vamos dar noticia de uma aventura que recor-
da o cont de Cendrillon :
Uma joven de uma pequea comrauna do He-
rault perdeu, quando ia para o banho, nm dos
seus sapatos nos tamarindos que orlam o Vidourle.
Foi-lhe impossivcl, quando sahiu do banho,
achar o sapato, e assira teve de r para casa com
ara p descaigo.
No entretanto, um Inglez, qae 'Ora visitar a Gru-
ta das Donzellas de Gauges, viu vir para elle o
seu cao eom ura objecto na bocea.
Era un sapato, que pareca felo para uma bo-
neca.
O inglez quiz saber a quera pertencia o sapato, e,
depois de algumas investigagoes, soube que per-
tencia a uma joven que trabalhava para cuidar de
sua me e educar dous irmaos e ama irmasioha
pequea.
A joven era linda.
Toda a comrauna, comprehendendo o cura, lhe
fazia elogios,
Vendeu-se ltimamente em Londres am cavallo
epur-sang para corridas |.or 7,500 libras......
(33:7505000) l
Com este dinheiro compravam-se c os cavados
precisos para um regiment de cavalleria l
E" curioso o seguinte documento passado em
Evora por el-rei D. Joao IV, e que se acha no ar-
chivo municipal :
(".ende presidente amigo : Vereadores e pro-
curadores da cmara da cidade de Lisboa, e pro-
curadores dos mesteres della : Eo El-rey vos en-
viu muito saudar. Havendo visto a vossa carta de
vinte e oilo do passado, que trouxeram o vereador
Sebastio Ta vares de Souza, e o procurador Pero
de Gouveia de Mello, e o raester Manuel Garras,
que da parte desse senado mo veram dir os para-
bens da merc que Deus ros fez, com o nascimen-
to infante meu filho, e em qae me pedis l.cenga
para fazer algumas demonstragdes e feslas de ale-
gra ; me pareceu agradecer-vos mnto (comoo fa-
go) o zelo e amor com que me servs, eo conten-
lamento com que vos achaes, que ludo mui con-
forme ao qae sempre Uve por corlo de to bons o
liis vassallos. E assim poderels fazer correr nm
touros no Roci, & as folias e chacotas que vos pa-
recer. Escripia em Evora, a 9 de selembro de
1643.-Rey.
i Par a cmara da cidade de Lisboa. >
A Industria algodoeira de cerlo acolber com vi-
va satistago a seguinte noticia. '
Os esforgos perseverantes do governo italiano e
de seus agentes para aporfeigoar e desenvolver a
cultura do algodo na pennsula, sao coroados do
mais brilhante sucuesso.
1

l -

I
A colhpita de 1863 subin aoalgarismo enorme
de 10,800 coatos de ris, e o producto da coHieita
O inglez ro visita-la frequeotes vezes, enamo- prxima promette elevarse a 17,000 cortos.
rou-w 'ella e.... ltimamente o rara abencoa a PERNAMBUCO.-TYP.-DE M. P. DE F.* FILHO
L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO6A1GL2X_5RK64T INGEST_TIME 2013-08-27T21:02:21Z PACKAGE AA00011611_10570
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES