Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10568


This item is only available as the following downloads:


Full Text


ANHO XLI. HIERO 11
i
Por qaartel pago dentro de 10 das do l. mez
dem depois dos 1.' 10 im do cometo e dentro do qoartel.
Porte ao ctrreio por tres mezes .
**
51000
6)000
750
DIARIO
SABBADO 14 DE JAJIEIRO DE 1865:
Por auno pago dentro de 10 lias d#4.mez r 191000
Porte ao correio pw om anuo ,..
*
ENCARREGADOS DA SUB$GRlPCAO NO NORTE]
PARTIDA DOS EsTAFETAS.
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima ;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva-, Aracaty, o
Sr. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Al ves &
Filhos-, Amazonas, o Sr. Jcronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudine Falco Dias; Babia, ol
Sr. Jos Marlins Alvrs; Rio de Janeiro, oSr. Jos]
Ribeiro Gasparinho.
Olinda, Cabo, Escada e eslagdes da via frrea at
Agua Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Carnar,
Allinhof.Garanhuns, Buiqoe, S. Bento, BoraCon-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Albo, Nazareth, Llmoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury.Salgneiro e Ex.nas quartas feiras.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barre i-
ros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes qne para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao me dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresc. as 1 h., 21 m. e 52 s. da t.
11 Lna chela as 8 h. 40 m. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 m. e 52 s. da m.
27 La nova as 7 h., 16 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIA DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commerc: segundas e quintas.
Relago: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s tO horas.
Juizo do commcrrio : segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s *0 horas.
Primeira vara do civel: tercas c sextas ao raeio
dia.
Segunda vara docivel: quartas e sahbades a 1
hora da tarde.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. I ----- u nn Mi, _*-. Anmm., ._ ,. ~ "-------"~----------------
Fico sceu.e de quanlo V. S, me porticipou em of-' 2/ Secgao.- Palacio do governo de Pernambu- dade dSLs S LZ Z Mranfl Swfi ? a 'mp0sit3 de "I candida^a rival:
Ocio de 9 do correte, sob n. 21, relativamente co 13 de janeiro de 1865. honra m .Sr alto cargo e da d onde infere o recem-nomeado, que n) pode me-
arrematago do forneeimento de agua potavel do! Illm. Sr.-Recommende V. S. as autoridades corl' Q <* ennobrece a munificencia da recer toda a precisa confianga do ministerio, que
lorie do Buraco e ao laboratorio pyrotecboico desta policiaes que nao recrulem os almocreves e con- Em'n nnssr. u^L.. A- antepoe um candidato predilecto, e que como
i.ikiA a miik.,1. TrZA------fi j~ n, I _...: ..b r WL. ,.. ;,_ ao ae P*;r quena realeza assumem os pnn- garantimos a veracldade da noticia.
batalho de arlilharia a p, Antonio Carlos de Oli- reitiSr. Dr. chefe de polica.
veira Mello, que destaca para o presidio de Fer- Neste sentido tambem offleiou-se ao coronel re
naode, mande V. S. ajuslar-lhe contas at o fim crutador.
do mez corrente, e passar-lhe guia de, soccorri-
mento.Comraunicou-se ao coronel commandante
das armas.
Dito ao mesmo.-Mande V. S. abonar em os de-
vidos tomos as consignages que, segundo os re-
querimenlos inclusos, pretenden deixar dos res-
pectivos sidos nesta provincia, para alimentes de
suas familias, o tenente-coroncl Jos da Silva Gui-
mares, os capites Jos Francisco de Moraes e
Vasconcelos, Manoel de Azevedo do Nascimento.
tenentes Manoel Erasmo de Carvalho Moura,
Antonio Raimundo Lins Caldas, alfares ajudan-
te Franeisco Antonio de S Brrelo, alferes se-
cretario r'raocifco de Paula Barros, todos do nono
batalho de Infamarla.Communicou-se ao coro
nel comtnandaote das armas.
Dito ao commandaote do presidio de Fernando.
Remello V. S. urna lata pequea contendo la-
minas e tubos de pus para projagago da vacctna
nesse presidio.
Dito ao inspector do arsenal
.. de marioha.Cora
a possivel brevidade, maode V. S. construir nesse
arsenal, de conformidad! com o aviso da repart-
22 de dezembro ultimo, urna Pe?,0.r da thesouraria de fazenda.
cao da marinba de
lancha para a o servigo aa capitana do porto do rtl"""'o re rer
Rio Grande do Norte, a qual deve ter as dimensSes Pommandante superior.
(pa i BCniTel Lili? Annnii
PARTE OFFICIAL
(OYBRM DA PROVINCIA.
Conlineacio de expediente do dia 10 de jaaeiro
de 1S6S.
Circular a todos os juize; de dlreito.Transmit-
i Vmc. para seu conbecimento e direcgo co-
pias do aviso circular de 20 de dezembro ultimo, e
da nota a que nelle se allude dirigida pe i Exm.
Sr. ministro de estrangeiros legago de S. M. fi-
delissima, sustentando o direito gue pela legislago
do Brasil teem os juizes de orphaos de nomear cu-
radores aos interdictos sobdilos estrangeiros.
Portara.O vico-presidente da provincia, atten-
dendo a que o professor publico de instrueco pri-
maria da primeira cadeira da freguezia de S. frei
Pedro Goncalves do Recife, padre Miguel Vieira de
Barros Marreca, Ja completou os 25 aonos de ma-
gisterio, e contina a servir na mesma cadeira,
como const da informagao do director geral da
instrueco publica, datado de 9 do correte, sob n.
,8, rejolve conceder-lbe de conformidade com o ar-
tigo 21 da lei provincial n. 598, de 13 de maio do
anno passado, a gralifleacao correspondente a me-
lade de seus vencimentos.
11 -
Offlcio ao Exm. presidente da provincia do Cea-
r.Pela leltura do offlcio do director do arsenal
de guerra, de 3 do corrente, constante da copia
unta, Ucar V. Exc. inteirado do motivo que deu
lugar a falu de 61 bornaes de brim, encontrada
na remessa de objectos feita no vapor Persinunga,
a de que V. Exc me den seteocia em seu offlcio n.
8 de 20 de dezembro ultimo.
Dito ao coronel commandante das armas.Ex-
>eca V. S. s suas ordens para que sejam exami-
lados e recolnidos ao hospital militar, se estive-
ein no caso de o ser, os medicamentos e mais ob-
jectos que o Dr. Joao Pedro Maduro contratou com
i conselho administrativo vender para a pharma-
-:ia militar, os quaes sero presentados n'aquelle
istabelecimento us dia 17 do correte. Commu-
iicou-se ao presidente do conselho administra-
ivo.
Dito ao mesmo.Expeca V. S. suas ordens para
. iue n.> dia 14 do correte, s 7 horas da maoha,
istejam poitdos na Casa de detencao om offljial e
10 das pravas destinadas ao presidio de Fernando, *
tlnn de escoltarera varios presos de jusliga que vao! diante os empregados dessa reparticao encarrega-
umprir soas seotenas no mesmo presidio, os dos de taes txaraes, facam todas as declaracoes
i luaes devera ser guardados durante a viagem, pe-1 tendentes a instruir a quem tem de mandar fazer
as referidas pragas.Xesle sentido officiouse ao os" pagamentos acerca do modo por bue sao execu-
nspecior do arsenal de marinha para mandar pos-' tdas as qbras sobre que tiver de dar o seu pare-
ar junto ao caes do Forte do Mattos, ama lancha cer.Offlciou-se thesouraria provincial.
i guipada para o embarque dos referidos presos, e Dito a cmara muoicipal do Recife.Era vista
communicou-se ao Dr. chefe de polica. do que pondera a cmara municipal desta cida-
Dito ao mesmo.Communicaodo-me o Exm. Sr. de, em seu offlcio de 7 do corrente, tenho resolvi-
miuiatro da guerra era aviso de 21 de dezembro ul- do autorisa-Ia a mandar fazer a despeza necessara
i mo, que ao coronel do eorpo de engenheiros Fran- com a publicarlo de editaes do iuiz de paz da fra-
cuco Antonio Raposo, se concedeu perraisso para guezia de S. Frei Pedro Goncalves do Recife, con-
iu seu regresso da Europa demorar-se nesta pro-, vocando os eleitores e supplentes para organisa-
incia o lempo que mediar entre a chegada do va- rem a respectiva junta de qualifleaco, sendo a
!^!mqU0 .y'6!*'e a pa,rllda de outro 1a<: Pr a(lui ref"da despeza levada verba jury e elicdes,
iasar com destino a corte, cujo periodo costuma designada no 5." do arl. 2." da lei do orcamento
ser de quinze das; assim o faco constar V. S. municipal vigente.
B.?,U DhecimeS10, I Dit0 a camara municipal de Olinda.-Recom-
uno ao mesmo.-Remello por copia V. S., aftm meado Cimara municipal de Olinda, que remet-
e u,r execucao na parte que Ihe toca o aviso de ta-me com urgencia urna copia do coutrato de afo-
rl.it Mir,,,0,limo,eDiqueoExm-Sr- mimV ramei>l> <*o pantano celebrado por essa camara
to da guerra declara que as pracas do corpo de com o finado Henrluue Gibson.
wnrcao devem fazer pelo menos urna hora do Dito ao juiz de direito de Nazareth.Partieipan-
t,m pn ^ fonnatura para as guardas, do-me o Dr. chefe de polica em offlcio n. 53, de
e o lempo periiuttir, conforme exige o 10 dete mez, que devolveu ao delegado desse ter-
DIAS DA SEMANA.
9. S^anda. Ss. Julio e Baslica sua esposa mnv.
10. Terca. S. Nicanor diac; S. Agatho p.
il- Qusrta. S. Hygino p.m.; .Salvio m.
12. Ou.uta. S. Saiyro m.;S. Arcado m.
13. Sexta. Ss. Hcrmillo e Slraconio mm.
14. Sabbado. S. Flix nt; S. Macrina v.
15. Domingo. S. Amaro ab.; S. Habacuc prof.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 hora e 6 m. da manhaa.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30: para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn
do nos das 14 eos mezes de janeire, marco, maio,
julho, |etcmbro e aovembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietrios Manoel Figueiroa de
Fara & Filho.
Despacho do dia 11 de Janeiro de 1865.
Requerimcntos.
Emilio Carlos Jordao.Nao tem lugar o que pe-
de o supplicante vista da informacao.
Felii Jos Pimental.Informe oSr. inspector do
arsenal de marinha.
Padre Francisco Pedro da Silva.Nao tem lugar
o que requer o supplicante era quanto nao pres
diatmHnb? n?ei!,2!le sl.,udoP"'a im' ^ certa repuca"antigVefegtra-se os magis-
csn^^s^rLnlilnde "o "';' "* por escrutinio ; mis. viciado o principio
mnn.rriS? at\*sliI os "cossos do vigor eleijoral pela interferencia da forga e desprezo da
n "*' I. zao, s cram eleitos os intrigantes, e nial inien-
i O factos cUraraeitte revelara ura systeraa, que cionados. '
fl[? "* .* no! animo magnnimo do nosso Eolo estabeleceu-se, que a elelgao dos raagis-
augusto principe ; m*s que a cobarda ou fraque- irados se fizesse por sorte
za dos que o aconselhhm, daqnelles que elle esco-
me para agente do poder publico, vai deixando
crescer, e irraigar-seJ de maneira que insensivel-
mente vai-se convertbndt em norma de pro-
ceder.
Se os ministros nao |eem forea de animo bastan
Ora, nos estamos na situago dessa repblica :
s os candidatos do governo sao eleitos : para os
demais ah est o pavoroso distico de Dante :
Lmale omni speranza...
Quem nao aceito do governo, debalde Iota. O
governo o verdadeiro eleitor, o a nagao, privada
:mportanle regala, v substancial-
a sua forma gox'ernalva. Melhor
Tora laive, como esses amigos republicanos, con-
ImmmmXV^tr TS e 'nev!lavel- e lnulels os flar da ore o que to mal desempenham os nos-
N. SdS. ^? J'.naurragio. sos ministros de estado com os presidentes de nro-
ra i.m r,rir,Tin?n i 5',tlC? queDe l0J^tO enCe-r- V,c'a' *mamto nao podermos ter eleigio livre.
ra um principio de d^lru.gao. Esta observagao Adoptndonos a forma raonarchico representa-
lar contas da despeza que devefazer com as obras T ""'."MIUb uao{eem lorga ue animo Dastan- governo o ve
da matriz da freguezia de que o supplicante vi- I"" a a imPrt.-nsa, diga quanto cumpre dar ao da sua mais i
gario, pelo cont de ris que recebeu na thesou- ?flf que lhe cabf' e a na5ao que lne Per" meuIe a"erada a sua forma gove'rnaliva.
raria provincial.
Fielden Brothres. Bemetlido ao Sr. Inspector
da thesouraria de fazenda, afim de mandar pagar
aos supplicantes a quantia que pedem nao se ofle-
Jos Francisco Ribeiro de Souza.-Informe o Sr. SSK !???Ae Hmboldt, nos seos n- ] iva devemosTsforcar os mm systemaTe
Dr director geral da instrueco publica. ba'^ VniV?.m 1 *a a a rea.'lse pela execu5ao P' d seu mechanisrao.
Jos Delfino da Silva Carvalho Ioorrae o Sr.'P^'f, d < k p6de rte,Xa.r de trarer?\ -Ao governo cabe a mxima parle nessa execu-
Sr. inspector da thesouraria de fazenda. fr,r^. maTs a pra,l"a dos ac,os arD1-' ao- Proceda com lealdade, e deixe o principio
Joaquim Teixeira Peixoto.-Informe o Sr. ins- L*^25Pfa JW2S!9inflrW22!.15.; **;, de que nao devem os principe*
' msVxTktn 2nf.*' AC5f' ',Ue J3 cons,dera- Buardar Para com os povos a fe promel ida, por-
inos caso digno de nota, i mando o enverno se con- non niM s aiOC r ,i.m v
Luiz A>tonio^rreira.^ufo7me 6 Sr. coronel \ ^2"*% %^
designadas era a nol lambe'm sor copia Jaelusa. I Bacharel Luiz Antonio Pires.Concedo a licenga
sob n. 2. Communicou-se thesouraria de ra- requerida Sem veneimento algum.
racao.
qnando o governo se con-
negocio de alguma ponde-
Maria Magdalena de Carvalho. Nao tem lu-
E tanto tem descido na escala da autoridade in-
riar occa r\rin/.;..H aL *---___.:.- t- i^t. u-
Dito ao chefe interino da reparligao das obras i B'-
publicas.Acabo de autorisar a Ihesouraria pro-1 MaJr anoel dos Santos N
vncial a pagar, om vista do competente certifica-
do, ao arrematme dos reparos e embarrearaenlo
entre os marcos de 5 a 8 mil bragas da estrada do
sul, a importancia da segunda presiajjo do seu
contrato : o que declaro Vmc. para seu conheci-
mento, prevenindo-o ao mesmo tempo de que o
brove relatorio que apreseotoa o conductor Flix
Ramos Lieuthier, incumbido de examinar aquellas
que estes s vezes faltara.
Se a realeza consiste na obediencia voluntaria
ura chefe nico, investido do poder supremo ; e
ferior nrii T "."""------ se- as-s,mia nao na re>mas tyranno, quando a sub-
s pr,'"H 7 desresPe" as le's> quc m".sao nao voluntaria, como diz o profundo Es-
quando as autondade a^ cumpre, e cora ellas su- tagirita, convm, que o osso coverno nao desmin-
..unes de Ojiveir..-" SSSSSS^Si VQ|60 nao aPP,auJe a o seu principio essencia.'^^STera sua pfeni-
Foram expedidas as ordens, a que se refere o des- 2212!2!h Ls8 P?r: qual(Juer Peiuena ^ essa sublime mxima poltica, que consola o
pacho de 12 de setembro ultimo, devendo-se, o S,~?i!?- ^d,-lsPresae a lei Para atropello dos cidadao uas monarchias, e o dignifica perante a
atender com o chefe da reparticao d, i* en,T resoa laudatlV0 brado:, autoridade soberana. v
obras, nao d esclarecimeutos sobre ellas, e o que ie Provar a isengao legal qne allega existir a
i vor de seu filho: sendo este despacho aprsenla
disse
fosse
poderia dizer qualquer pessoa que as lo
examinar, e por isso espero que d'ora em
supplicante entender com o chefe da reparligao
das obras publicas, de que trat presente peti-
go, e sob que tambem versam os aateriores re-
querimentos.
Marcellina Maria da Concece. Concedo o
prazo de 20 dias requeridos pela supplicante, afim
fa-
l egulamento de infernara de 1753.
Dito ao mesmo. -Constando-me de aviso da re-
] larucao da guerra de 93 de dezembro ultimo, que
| or decreto de 26 de novembro prxima passado,
louve ua MagestJe o Imperador por bein agr
mo o aulo de vistoria feito na cadeia dessa cidade
por occasio do arrombam rato e fuga de presos
que ltimamente ah leve lugar, afim de o remet-
ter esse juizo para proceder contra o respectivo
. r~ un. B.a- carcereiro, recomraeudo a Vmc. que faca effectiva
iriodT^arn^^dem^ a responsabilidade de quem se achar em culpa
\Tr*, ?^f deSa Prov,ncia' JosLongui- por semell.ante facto. -Neste sentido offlciou-se ao
uo ua Ljsta Leite, pelo importante servigo que Dr. chefe de polica.
M^^STZ^^^PT Joao Manue'Fra- P'o ao juiz municipal do Goianna.- Inteirado
-ento cora,nun"!o a V. S. para seuconheci- pelo seu offlcio de 26 de dezembro ultimo, de ter
.------>.. ^. .. ,. Vine, nomeado a Manoel Valcacer Camello de An-
Wn M? t /^''f'11' -cente pelo offl- drade para exercer interinamente o offlcio de es-
tiiradi no 1 Jr l C^n^9 s,do cap' c"*io de orPhaos e auzentes dessa comarca, vago
^^r^iZVl^'^i Crim'" Pl)rvfa""-ment do serventuario Francisco de Pao
^mllidoZ du^cnm ^n0', B de.'iaVer '"a" L' Nrber, d6 Andrade' ''Ual offlcO Vmc' maB'
fir i^ X n^ ?, h0SS Oo lQRar denominado dou Pr em concurso pelo edital de que me re-
Pl"1.U'1.Pir,,0CCaia?desereai Pollos em cerco, metleu copia, tenho a d.zer-lhe em resposta que
do a quem competir.
Thomaz Rosendo de Oliveira.Informe o Sr. Dr.
engenheiro fiscal da estrada de ferro.
PRAMRUCO,
BJSflSU HUMA.
DIARIO DE PERNflmRUCO
i*crn;uul)nce e Rio de draaelro.
IV
Que enrgica autoridide !.... .
I Os principios perniciofeos dos governos corrom-'
I pem os costuraes pblicos: o governo o espelho,'
aoode a sociedade se contempla, e por onde se
atava.
i Vencer com a lei os dasos difflceis j nao m-
rito : o mrito posterga-la. Tal amoral que o
i 8leJno '|m Plantado 1] Para exarainarem no concurso a que lera de
' Ja ejsa moral Prevalece por momeBtos, proceder-se na thesouraria provincial para preen-
nao pode ser duradouri em urna sociedade regu-,chmenlo da vaga de 2escriturario feram desie-
ilar: e sobre uso cumprle pensar. nados os Srs. Dr. Francisco de Paula Sales, era
i AS-y*A* fumino ipoder do governo annulla graromatica portuguez, Dr. Felippe Nery Collaco
i o individuo, para entregar todo direegao gover-' em arlthmetica e Jos Antonio Gomes Juni*r em
i nativa ; e por esse moda o cidadao aprende a des-1 escriplurago mercantil.
CAavhT a*aS'' Dad* s,bT awr' e perde os liabilos A delt;acia de polica deste 1- districto d
ua iiDerdade. audiencia as segundas e quintas-feiras de cada se-
u.8overno no Brasil nos conserva cm perpetua mana, na secretaria da polica.
sna incessante'tulella.'
temo a der-lhe era resposta, que espero ser in-
formado do resultado do processo instaurado con-
tra os autores dessa morte, e a que allude V. S. no
Unai do seu citado offlcio, convindo accrescentar
que deve haver toda a cautela na priso dos cri-
minosos, porque de ordinario as escoltas encarre-
gadas de semelhantes diligencias no interior, nao
S2fj22S2 P-rudencia e empregam logo a offlcio de 10 do corrente.
torca contra OS me van paiiinrar nn-inH.. n..i. n n__-_!. r.
nesta data fago reproduzr aqui o referido edital,
e que os pretendentes devem habilitar-se nos- ter-
mos do decreto por Vmc. citado e do aviso n
252 de 30 de dezembro de 1854.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Pode Vmc. fazer seguir para os portos do sul, o
vapor Parahyba, no dia e hora indicada em seu
Fallando com-a franqueza e liberdade com que
a imprensa deve enuncar-se, porque ella ura
sacerdocio, nao duvidaraos proferir proposigoes
enrgicas em prol da verdade, que nos cumpre
manter.
Por isso se alguem achar que passaraos apre
eiacoes arrojadas, nem por isso de:
exanie dos factos, que nos arredaraos ,
verdade, d'onde smente procede o bem.
Ninguem presuma com o erro conseguir o bem :
e era materia poltica, sobreludo, o erro fatal, o
de ampias coosequeticias ; porquanto nao 83 trata
de negocios de poucos, mas da causa de todos.
E protector nato dos povos o chefe do estado, a
quera cercamos de respeite, a quem damos poJer,
e de quem esperamos a nossa seguranca e bem-
estar. *
Mas, como poder elle cumprir tamanlio encar-
go, se lhe faltarmos com a verdade, se Ih'a nao
patentearmos cora sincendade 1
ou o nosso pacto funda-
, pupilagem, e manteen
i Nao isso o que formumu u unas
mental, nemooue conven realisar.
Nao das secretarias Je estado, que devemos es-
perar o impulso de nossa grandeza ; nos devemos
faze-la por nossa activdade, epor nossos costumes
de livre deliberago.
i ,Do governo basta que venha a suprema inspec-
gao, enrgica sim, eetflqaz ; a garanta da segu
_-------- K>V,- 4, ^,,;ii ,i Jim, c cuitiu ; a Karaniia ua seyu- sionario ca
desconhecera no ranga pessoal.e da inviolabilidade da propredade. prefeito da
ios da razo e da O nosso governo nao se crcumscreve ssuasi s 3 e'/?
Araaoha, altn dos ordinarios, haver para
a Boa viagem Irens especiaos s 10 e II horas da
maoha, e as 4 da tarde, sendo o regresso s 10 e
11 horas da noite.
Hootem pela manhaa entraram nesta cidade
cerca de 500 horaens para conduzr as iraagens e
demais objectos para a nova matriz de Pedras de
Fogo, que all est construiudo o incansavel mi-
sionario capuchinho Frei Seraphim de Calania,
Penha.
2* secgo.Palacio do governo de Pernambu
co, 12 de Janeiro de 1863.-Illm. Sr.D V. S. as
providencias necessanas para que as autoridades
policiaes desia cidade nao reerntera pessoa alguma
emquanlo estlverem entre nos S. A. Imperial a
Sra. D. Isabel e seu augusto esposo, o Sr. conde
d'Eu, e muilo meuos entre o povo que se reunir
para ver o desembarque de SS. AA.
t Dos guarde a V. S.Anselmo Francisco Pe-
retti.Sr. Dr. chefe de polica.
2" seccSo. -Palacio do governo de Pernambu-
co, 13 de Janeiro de 1865.Illm. Sr.-Recommen-
de x. S. as autoridades policiaes que nao recrulem
os almocreves e conductores de gneros para o
mercado desta capital.
Deus guarde a V. S.Anselmo Francisco Pe-
retti.-sr. Dr chefe de polica.
Neste sentido tambem offlciou-se ao coronel
recrulador. i
BEPABTig.XO DA POLICA :
Extracto das partes do dia 13 de janeiro de
1865.
Foram recolnidos casa de detengao no dia 12
do corrente :
A' ordera do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Anto-
nio Jos*, vndo de Iguarass, como criminoso.
A' ordem do delegado da capital, Silverio Heno-
rato dos Santos, Antonio Francisco da Silva, para
correcgo ; Mana dos Remedios, por nfraegao do
regulamento da estrada de ferro ; e Jos, escravo
de Manoel Izidoro, por infraegao de posturas.
A' ordem do subdelegado do Recife, Adriano,
escravo de Maria de tal, por fgido.
A' ordem do de S. Jos, Renedirt > Francisco da
Silva e Manoel Joaquim Pereira Lopes, para re-
crutas; Braz e Jaouario, ese-favos, este de Joaquim
de Amorira e aquelle de D. Anna de tal, por f-
gidos.
O chefe da secunda secgao,
J. ~G, de Mesquita.
Movlmento da casa de detengao, do dia 12
de Janeiro de 1865 :
Exisiiam presos 100; entraram 10 ; sahiram9 ;
existem 401.
A saber : Nacionaes 321; estrangeiros 18 ;
mulheres 1 ; estrangeras 2 ; escravos 48 ; es-
cravas 6. -Total 401, sendo alimentados eusta
dos cofres provinciaes 162.
Moviraento da enfermara do dia li de Janeiro
de 1865 :
Tiveram alt :
Francisco Alves Feitosa.
Jos Francisco de Moura.
Manoel Guarino do Soccorro Nogueira.
Ignacio Jos Guimares.
Te ve baixa :
Joaquim Jos de Sant'Anna, febre.
i\.',, h;... j j---------- uauuo urna nuuiea
HM dizer a verdade para que o prncipe a apre- feslando apreco de nos
ce. e ser-llm trilnr r.,r n ni j^r--* ... ,. *
ce, e ser-llie traidor; fazer o papel de cortezao,
que ;so quer agradar, sem outra mira alm da
complacencia d. princip. Longe devemos estar
desse papel.
Apreciando sucintamente o nosso estado, resal-
ta, que vamos em caminho errneo, porque o go-
verno supremo, excedeodo os limites das suas at-
tribuigoes, vai se censtitoindo urna p >tencia sera
contraste ; e assim tendendo praticameole para o
poder absoluto.
Nao nos cinjamos formas : entremos na reali-
ade. Se pelas leis do paiz o governo represen-
.. w.i.uiiioi.hio <"'ui"| j5 o o 72 uuias ua iarae verui:ou-se o traospor
funegoes naturaes elegiiimas: esgota-se como em-, te dos volumes que contmham-nos, na melhor or
prezario de obras publicas, como interventor nos dem e rccolhimento possivel.
negocios de convenkncfc particular; e caneado Entre os objectos sobresaliera : uuia iraagem da
sob o peso esmagador tanta bagatela, rtbela-se Sra. da Coneeicao, com 11 palmos de altura c mais
contra as fes, suppondo dellas lhe provr a fadi- cinco outras de 10 palmos cada urna ; um nicho
ga, que soTIeve ao nao -umprimento dessas raes- de 13 palmos, para aquella imagem, seis caixilhos
masle'^ I de meia la de 13 palmos e seis caixilhos ovaes
Atienda se aos Intereses legtimos do paiz, cui- i de nove palmos e um sino de 13 e meia arrobas,
dse de escolher homenk aptos para dirigir os no-1 Sorprenda o espirito religioso com que loda
gocios pblicos em todos] os ramos da admioslra- aquella gente carregava, sobre seus hombros as
gao, e teremos resolvide o grande problema secial. preciosas reliquias, desprezaudo a grande disao-
Quaudo urna nomeagajj se faz com acert, mani ca que vai daqui ateo poni do seu destino
ClIttOMCA JLDICIARIA
TRIBl V *L DO COnriKRCIO
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 12 DE
JANEIRO DE 1865.
PRESIDENCIA INTERINA DO EXM. SR. DESKMBAlGADOn
. ALEXANDRE BERNAR01NO DOS RES E SILVA.
As 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Leal, e
presente o Sr. desembargador fiscal, o Exm. Sr.
h, ,, peseme o or. uesemoareauor H-ca
L di'^dlVenfl,:0U"se lr,aDSpor- Presidente declarou abeta a sesso.
s legitimas aspiragoes, nu- Remettem-nos o seguinte, pedindo sua publ-
-------------------- I" y*- *'W J.-* I I' pUlUHI.' .-IH I il^D'.'i MU" i
Irese em nos a esperar ga da contlnuage do no- cagao
vos actos de publica aptrovago. Srs. redactores na Revista Diaria.Robo a
temos actualmente n; administragao da provin-, Vv. Ss., em nome dos concurrentes da estrada de
ca um cidadao distmcu por seus talentos, por seu ferro, fazerem as seguintes rerlamagoes, pedindo
espirito de reciido, e pir seus servigos ao estado ] providencias a quem competir da-las :
era diversos cargos, qud tem exercido, inclusive o i O servigo feito pelo Irem da carga multo
de presidente de algums provincias. mal feito, porque comegando pela estago das Cin-
be semprc assim prodedesse o governo em suas co Ponas sempre que ha milita carga, como nos
escomas, motivos teriaia populagao de repetidos dias anteriores a festa do Natal tornava-le urna
annl.'tiisos. qptn4n .t*>;..i... i. a__.!.._.______ _..*_
applausos.
A provincia ao ver o Ilustre magistrado, que in-
terinamente senta-se na cadeira presidencial, as-
torga coutra os que vo capturar quando estes n.o
se entregam a priso.
Cumpre mais que V. S. exija informacoes cora
o Um e saber, se a escolta encarregadj da dili-
gencia de que se trata, apenas auxiliou a mesma
diligeucia, e se esia se electou nos termos e com
as formalidades que a lei prescreve.
Dito ao mesmo.Em resposta ao offlcio de V.
S. n. 39 de 9 do correte, cbeme dizer-lhe que
Porlara. O vice presidente da provincia at-
tendendo ao que reqnereu o juiz municipal e de
orphaos do terrao de Cimbres bacharel Joaquim
Theotonio Soares de Avellar, resolve conceder-lhe
2 mezes de licenga com os respectivos vencimen-
tos na forma da lei, para vir a esta capital tratar
de sua sade. .
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
na, nde dar transporte para o presidio de
------------ l UH !
Eipedieale do secretario do governo do dia 11
de Janeiro de 1863.
Offlno ao coronel commandante das armas.
De ordem de S. Exc. o Sr. vice presidente da
provincia, communico V. S. que por demacho de
hornera, foi autorisado o director do arsenal de
guerra a salisfazer os pedidos do 4." batalho de
artilhana a que allude o offlcio de V. S n. 56 de
10 do corrente.
ja o delegado do primeiro' districto desTe mZ ornando no vapor SBBR^S* no
entendeu verbalraente coramigo sobre a diHlcal- dia 14 do corrente, m^ SniencUdoT de^mstica
rtes'poVfX de zl^ftT, *\ ^T* aUn0el. W da toS,a' Joa^m Jos O
erimes por falta de esenvao, e que tendo eu leva- Anna, Joo Jos Gomes de Gandra, Vicente Fer-
do es,e assumpto ao conhecimento do governo im- reir Gomes da Silva e Antonio Pereira de La-
fna'anUTCTe mesm delegad0' fazend0 cena. Coraraunicou.se aoDr. Thefe de f
juntar aos referidos processos as declarages de licia. *
impedimento dos escrives do juizo municipal,
chame os escrives das subdelegadas |>ara func-
ciouarera nos actos em que aquelles nao o pode-
rem fazer, e procurarem subtrahir-se a esse ser-
vigo por nao contarem com retribuigo como a
contece no civil, esto no caso de ser responsabili-
sados.
Dito ao mesmo. Faga V. S. regressar capital
da Parahyba na primeira opportunidade, como so-
Jicitou o respectivo Exro. presidente em offlcio de
3 do correte, 2 soldados do corpo policial daquel-
la provincia, que vieram esta escoltando o cri-
minoso de morte Joao Matheus, qae diz chamar-se EDITAL
JoaoBaptistadeAraujo. | 2.'Secgao.-Secretaria do governo de Pernambu-
Dno ao mesmo Para enmprimento do disposto co II de janeiro de 1865
lio aviso do ministerio da justiga de 19 de dezem- Pela secretaria do governo se faz publico para
bro ultimo, informe V. S. com a possivel brevida- conheeimento de quera mleressr possa que or
ie se fe; curaprida, corao se recommendou essa fallecimento do serventuario Francisco de Paula
reparligao em offlcio de 15 de junho do anno pro- Norberto de Andrade, se acha vago e em concur-
limo passado, a carta rogatoria, expedida pelo so a serventa vitalicia do offlcio de escrivo de
immandanie militar de marinha de Tarragona,' orphaos e ausentes da comarca de Goianna cra-
lo reino de Hespanha, solicitando e.-clareclmentos j do por decreto de 17 de agosto de 1819.
elattvos Francisco Mallo!, assasslnado em margo Os pretendentes devem apresentar seos reqoe
le 1859, por Salvador Oenovez, arabos mannhei- i rmenlos instruidos na forma do decreto n 817
is da polaca Franeisqvita. I de 30 de agosto de 1851, e do aviso n 252 de 30
Diio ao mesmo.-Pelo offlcio de V. S. n. 18 de 4 de dezembro de 1851.
este mez, 0 juei inteirado de ter o subdelegado |
o districto da Capunga passado do dia anteceden- j 2.' Secgao.Palacio do governo de Pernambuco
le o exercicio do seu cargo ao respectivo primeiro 12 de Janeiro de 1865.
snpp ente. j, HHj Sr. D V S. as providencia neeessarias
Uiioao mesmo.-Mande V. S. proceder na fr- .para que as autoridades policiaes desta cidade nao
roa da le, contra o soldado do corpo de polica An-! recrulem pessoa alguma em quanto estlverem en-
onm Ferreira da Silva, pelo faci constante do tre nos Sua A. Imperial a Sennora D. Isabel e
om>.io do respectivo commandante n. 17 de 9 des-1 seu Atiguto esposo, o Sr. Conde d'Eu, e muilo
t mez, e auto de vestoria junto por copia, e com- menos entre o povo que se reunir para ver o
--------------J ----------- juma^w yst VWIIIfl] V V Ulll
nunique-me o resultado, para se providenciar co
mo mais convier. Offlciou-se neste sentido ao
commandante do corpo de polica.
desembarque de Suas Altezas.
Dees guarde V. S. Anselmo Francisco
retti-Sr. Dr. chefe de polica,
Pe-
^"y a monarchia limitada pela pralica o sumir a gerencia dos negocios, e'ncheu-se de es
8 222? arre'Se e,m ,poder absoluto perangas, e conlou ver Rehabilitada a administra
vi ~LVene ?e factos.' que se siccedem. gao provincial, lo prosfrada ullimamente ao inte-
?\o correr de um s anno vimos a le violada por resse faccionario.
.Vf if Hmanei'rf; nao satlsftit0 overno com \ Houve como um brado, que denunciot a sede de
mi i. if- V'ador das leis> oroou-se com o dplo- 'justiga, em que viviamds. Ha mais vivo testemu-
ma ue ieg siador, contra os manifestos diciames do nho do quanto vale o administrador conceituado ?
pacto rundamental, cujas determinagoes infringi, Se por um lado temoi cabido muilo com as no-
c- iSnao violentamente os juizes de suas cadei meagoes de presidente, que veera verificar o nfao
ras com aposentadoras forgadas, e suspendendo a vulgar do barbeiro novi. outro ponto ha, que as-
legisiagao mercantil para substituir as disposicoes ss concorre para o decoulentamenlo das provin-
do cdigo commercialpor decretos cerebrinos.com cias. j^
LMiM^^M^-s'^'^if ^^f1".^0!* e qui.5a m.al U|ga-se a realdade dju ceusas : s assim vira
grande difflculdade despachar* gneros qur na
carga, quer na bagagem ; resullande disso demo-
ras e inconvenientes, chegando os gneros nao
i poucas vezes com tres a quairo dias de demora ;
isso devido a falta de expediente na eslacao prin-
CijKll II
t O digno chefe da eslagao das Cinco-Pontas por
mais esf rgos que lenham feite, nao tem podido
nesses dias vencer o trabalho ; elle nao o pode
negar ; e consta-me mesmo que tem feito reclama-
ges a esse re>peito ao Sr. Augusto Duprat, chefe
do trafeso.
applicada prolecgao ao erro, ou tambem fraude.
Nos governos absolutos ha o arbitrio, sim ; e se
o governo faz oque quer, ao menos nao violador
das leis. Ha o espectculo do poder Ilimitado, que
ostenta o seu vigor ; factor e anniquilador da lei,
mas nao o primeiro criminoso do estado pela
violago della.
Noj governos constilucionaes o caso diverso :
o governo executor da le ; e quando obra sem
o remedio. Males ignprados nao se curam : ao
paciente cumpre confesfea-los sincera e lealmente.
_ Oueremos tratar das leigoes senatoriaes : ques-
to da mxima importancia, porque involve inte-
resse de subidissima sidniticago.
Os negocios gepaes, a os negocios peculiares de
! cada provincia sao assas dependentes de to ele-
vado objecto, que vai sendo deturpado pelo vicio
v. -.. 1C1 D i|wuou uuia sem radical do nosso systenja poltico, isso pela in-
norma legal, diz ao cidadao, que a le chimera, e debita intervengao govrnativa no pleito eleitoral.
ensina-lhe a desobediencia, fatal s sociedades, e as ultimas eleiges ienatoriaes, que se ho fei-
aospropnos governos. to no imperio, vimos qjue candidatos do governo
nossos avos viam o arbitrio real no uso de urna ievaram a palma.
acuidade legitima ; nos testemunhamos a prepo- as provincias reco(nraendam-se nomes, que
tencia governaliva contra os preceitos da lei. sahem das urnas sem olue alias exprimam a cons-
e.m sememante ordem de cousas, que confianga ciencia publica. Dizeiri osempreiteiros eleitoraes,
n o^rno ? que eleilo tal candidatoj elle ser o senador. As-
u paiz em plena paz, em perfeita quietago v sim succede.
golpes sobre golpes do poder arbitrario, como se a Na eloigo do CearJ dizia-se alli, que sahindo
sociedade em desencadeada furia, ja nao fosse ca- eleito cerlo individuo ; Seria elle o escolhido, ain-
L1 ~0z2l aa da qne a escolha fosse a censura viva da moral so-
>e o governo podo ludo, se e omnipotente seu cial 1
talante, qual a seguranca, que tranquilla o cida- \ Agora na elelgao do Pauhv diz-se : Entre na
aLDa PjiSe a a-"-10 T ?* Kverno nao o lista fuo, que, embora filho da"provincia, mas des-
cooseryador dos direitos, pela norma das leis, que conhecedor das suas ecessidades, ser o nosso
principio de razao ha para inspirar a confianga, senador.
que faz o cidadao invocar a lei como o paladioque Aende Iremos com esse svstema de trahico ao
odefende? monarcha?
.,h0m? "a" Cldada0 eficacia de urna cousa, Acontece, que apreseulados ao monarcha nomes,
nwpi! -? encarreead0 de lne dar valor, a de- i que a par de outros, fle^m em evidente demerito.
p ,\,'? J ,, ... escolhido senador nm cidadao, que por toda a
uesue que o moleiro nao pode dizer ao re : te- parte denuncia nao sor i recommendago consti-
SS.'ifjRJf erlm* senhor' nao na effectiv-1 tucional do mereciment. e dos talentos mais do
dade de direitos, e a sociedade civil nao se descri-; que ridicula burla : o a^sim o monarcha illudi-
mma da vida errante dos bosques senao em haver, do pelos ministros, que Irahem os grandes interes-
alh senhores que aqu nao ha. ses nacionaes para sufragar a causa pessoal.
u nosso governo quer, que tenhamos essa nobre A nago nao pode ve sem magoa esse resulta-
nogoagem, que anda hoje faz o formoso elogio do' do, filho da postergagao Idos principios cardeaes da
monarcha, que a ouvio ? conslituigSo.
Por corto que nao : porque se para o rico ban- as provincias temos varoes benemritos, que
quelro vimos as leis supprimidas.nao de esperar cabalmente satisfazera.oj preceito da lei: virtudes,
que el.as vigorem em outros casos. servigos e illostragao. Mas seus nomes sao arreda-
E quando assim se procede ; quando ministros dos das urnas pela violencia da autoridade parcial
Traeos ou imprevideotes nao aconselhara o monar-, No Pianhy resta ver qlue regra se observa,
cna com a verdade, deve a nagao inteira estar Consta por cartas d'al|i que o Dr. Antonio Bor-
tranquilla T Nao. Lonvem luminar o principe,' ges Leal Castello Branco^ nomeado presidente na-
que cente da verdade, o ip.leirado do que *e paa-' ra esta .provincia, nao aceMari o cargo. E como
Os gneros despachados da 3* secgao para a iro ,
eslagao de Una sao conduzidos pelo trem de passa- reqUer
geiros ; porm esse trem nem sempre pode con-
duzi-los; e as mais das vezes fleam j despacha-
dos e guardados na estago de um dia para outro ;
resuliaudo disso grave prejuizo a seus dooos.
Por vezes tenho despanhado aguardeote, che-
pa o trem de passagelros, nao pode leva-la, ficam
as ancoras na estago e seguera com um dia dous
de demora ; chegam muitas vezes as ancoras fal-
tando agurdente, solTro prejuizos, e nao posso re-
clamar, isso succede constantemente.
Pode o trem deixar de conduzr a carga des-
pachada f A companhia obrigada a ter pelo con-
trato dous trens de passageiros no dia : entretanto
que tem dous ou tres para o C>bo, s tem om para
o interior, e nem ao menos faz seguir o trem de
carga al a estago de Una, todos os dias ; no que
lucra, porque Ora de duvida, que o rpido trans-
porte das mercaduras augmenta o commercio.
Existem tambera alguns empregados as esta-
gdes que costumam demorar o despacho dos casco-
vasios; Invoco a esse respeilo o testeraunho do
Sr. Antonio Jos de Lyra, morador em Una ; pois
por muitas vezes tem lido esse senhor na eslagao
de Una ancoras por despachar dous e tres dias,
porque os empregados dizem que teem outras
oceupagoes; deixando nos por isso de remetler
agurdenle por falta de vasilhas.
t Espero que estas reclamages longe de irritar
aos encarregados da administrago do caminho de
ferro sirva, afim de os mesmos corrigirem seos
empregados, e remediarem a palpitante necessida-
de de pnrtirem trem de carga directamente das
Cinco Ponas Una e vice-versa ; evitando deste
modo o Irem de passageiros, cujo servigo, incom-
pleto, oceupe-se em conduzir carga para a 3* e 4*
secgao.Abstenho-me de fallar em outras cousas
mais, relativas a companhia da estrada de ferro,
aguardando-me para outra occasio.
t Com a publicagao dests lionas, Srs. redacto-
res, muilo obrgarao Vmcs. sou humilde servo,
Manoel Daarle Cardoso.Ribeiro. 6 de Janeiro
de 1865. >
Constando ao Exm. Sr. presidente da provin-
cia que se recrutavam, nesta cidade, pessoas do
interior que vinham coDduiindb gneros alimenti-
cios, expedio hontem as duas seguintes portaras,
que devera tranquilisar qnolles qne se acharera
nessas circuinstneias e os que desejarem presen-
ciar o desembarque de SS. A A. II.:
Lida, foi a pprovada a acta da sessao antece-
dente.
EXPEDIBNTK.
Um offlcio do Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia de 7 do corrente, acensando o recebimeoto
do que lhe dirigi o Sr. presidente do tribunal em
5 de referido mez, no qual Ihecoitmunirou ter no-
meado merinamente o deputdo Jos Marceilino
da Rosa para servir de secretario do mesmo tri-
bunal, e duendo em resposta ao mesmo, que ap-
prova semelhante nomeago.
Outro da junt dos corretores, remetiendo as ce-
tagoesda semana prxima fioda. -Archvese.
Outro do bacharel Eduaido Augusto Pinto de
Oliveira, communicando ler entrado no exercicio
do cargo de juiz municipal e de orphaos do termo
de OiiudaAcensada a recepeo, archive-se.
Distribuirain-se pelos Srs. depotadus, para se-
ren rubricados os seguintes livros : Diario e co-
piador das casas commerciaes de Antonio Lopes
Braga & C, Campos & Sobrinho e Francisco Alves
vloiiteir Jnior, e os diarios das de Santos i Fi-
lhos e da ca xa filial de London B.asan Bank.
DESPACHOS.
No requerimento de Daniel Cesar Bamos e Pe-
dro Rodrigues de Oliveira, pedindo o registro di-
urna procuragao que aprsenla.Regstrese.
No da companhia Pernambucana de navegaco
C/Steira por vapor, pedindo visla do documento
que aprsenla em cumpnmeuto do despacho desie
tribunal de 28 de novembro ultimo, a carta de re-
gistro do seu vapor Parahyba Satiseilas as for-
malidades iegaes, passe-se carta.
No de Manoel Lopes Guimares pedindo o regis-
uma procuragao que aprsenla. -Orno
No de Jos Antonio Basto, pedindo tambem o re-
gistro de urna procuragao.Como requer.
No de Maia & Kspinto Santo, pedindo carta de
registro para o seu brigue Adolpho.Vista ao Sr.
desembargador fiscil.
N'oulro de Manoel Lopes Guimares, pedindo o
registro da coma das despezas feitas com e fabrico
do patachoBella,que aprsenla em duplcala.
Registre-se.
No de Domingos da Silva Campos, pedindo que
se registre o seu contrato de sociedade com Ber
nardino da Silva Cost.Vista ao Sr. desembarga-
dor fiscal.
No de Jos Hermino de S e Souza e Trajano
Evaristo Ferro Castello-Branco, pedindo o registro
do seu contrato de sociedade, visto pelo Sr. desem-
bargador fiscal. Registre-se e publlque-se.
No de Olyrapio Goncalves Rosa e Antonio Fer-
reira da Cunta, pedindo tambera que se registre o
seu contrato de -ociedade, visto igualmente pelo
Sr. desembargador fiscal.O mesmo despacho.
No de Jos Antonio Ferreira Vinhas e Emig-lio
Jos Gongalves Serra, pedindo qne seja registrado
o seu contrato, tambem visto pelo Sr. desembarga-
dor fiscal.O mesmo despacho.
No de Goes & Bastos, pedindo a rehabililagio de
Julio da Costa Ribeiro, e o registro do contrato so-
cial com o mesmo.Satisfagan) o parecer fiscal.
No de Francolino Xavier da Fonceca pedindo
que seja transferido para a casa commercial de
Fonceca & Arruda, o livro copiador que fura sella-
do e rubricado para si, o qual nao foi escriplurado.
Como requer.
Nada mais baveado a tratar, foi pelo Exm. Sr.
presidente encerrada a sessao a 1 hora da tarde.
COMMPSICAJOS.
Illm. Sr. Dr. Lobo Moscozo.
Firme no proposito de nao roe affxtr da ques-
lo doulrinal, de que aos temos oceupado, pelas
razdes expedidas em a minha precedente carta ;
limilar-me-hei apenas pezar de mim para mim o
valor dos elogios, que V. S. com tamaita prodiga-
lidade me dirige, e a dar-lhes o devido apret; ava-
llando ae mesmo lempo com loda a recudi a na-
">



Diario de Per&a&ibitco abitado 11 de Janeiro de |8G5.
_
nelra humilde, por que V. S. se descrove, pedinJo
me at desculpas pelos equivoco?, ou mesmo erro
que por ventura possa ter commetrtdo na exposi
do porque, se havia dado n communicaeSo, porque,
sefa quat fftr o tumor lulUmmatorio do abdomen,
que abra communicacao con) o intestino, a expli-
cacao sempre a aesma, sempre ftcil e sempre
sidade de tocar para o conveniente desenvolvimen-1 satisfactoria.; isio houve um (cabalbe pathjem-
to de sua opinWo. .... co, que estabeleceu a adherencia, e depols outro
Ambos nos ornes habilitados para a discussao, de absorpeo ulcerativa que fez a abertura,
om que estamos empenhados ; temos leitores com- Portante lio devia meu cotlega mostrarse ad-
petente-s que nos julgario core imparcialidade : mirado por um tal incidente, e ainda menos pedir
deixemo-lbes pois o encargo de nos ajuizarem no dalle explicacao.
presente pleito, pois nao convera que sejames jol- Resumindo o que tenno dito, v meu Ilustre
fiadores em causa nossa, por que o amor proprio colleja que minha primeira proposico acerca da
nos pode induzir 4 erro. explicacao do modo por que um tumor abdominal
D'esta arte iremos sem duvida mais direitos ao se poe em comrauoicaco cora o intestino, est de-
monio que nos dirigimos. A nos cabe-nos todo \ idamente sustentada pelos principios da ciencia;
o empenho na discussao ; aos leitores toda a jus- que a (requencia Uestes casos acceita por todos
tica no julgamento proceder de modo diverso os autores ; e finalmente que o facto especial que
arriscara perdermo-nos em deseos, que podem V. S. historlou tem a mesma explicacao que os ou-
mui bem conduzirsos a lugar aonde nao nosso tros abeessos do abdomen, e que enlao justa foi a
intento chegar. minha admiracSo por ver que V. S. recorra seus
Feito este prembulo rom o fim nico de bem collegas para dissiparem duvidas que V. S. nutria
tirmar no espirito do meu illeslre. collega o ioaba-! a tal respeito.
lavel proposito, em que estou, do ser indifferente : Os factos que mencionei em minha uluma carta
qnaloaer remoque, que possa desviarme da ques-! sao, sem duvida alguma, apropriados a quesiao,
tao principal; vou responder a carta, que V. S. se. que discutimos. Era alguns se v o tumor despe-
dignou dingir-ine como mpugnacao s niuihas jando no intestino
Eis os progvessos c progreslas da villa de Cau-
gurdame I!. .
O Exm. Sr. Dr. Olyntho acaba de neaear a An-
tonio Jernimo Pinbeiro para o cargo de 2' sup-
plente de delegado de polica em recompensa tai-
vez do seu progressismo.
Por urna ootra poriaria da mesma Exm. Sr. f-
ra nomeado administrador da nova mesa de rendas
desta villa o Sr. Villar, dcixando de ser finalmen-
te aomcado para o lugar de e-crivao da mesma
reparlico o insigne Jos Coribono i- Pereira, que
foi substituido por um nosso amigo.
O Sr. Coribooo nao podomh) ser empreado ne-
ta provincia pela sua irregular conduela, coito j
disse na mioha ultima, munio-se de cartas
Naci sahido ni mesmo da.
Rio da Prata Brigue nacional Alfredo, capito
Ignacio Goocalves Lima, carga assucar.
E1ITAES.
ideas.
O modo por que V. S.^e exprimi em seu pn-
meiro communicado, mostrando se admirado por
ver cstabelecida a communicacao do intestino com
lamer,e dizendo oae nao podia eompreheoder
oino'tal phenomenose houvesse dado me fez ap-
parecor em publico expendendo minhas duvmas
acerca da interpretaco por mim dada a seu artigo.
coramendaedes e segnto para essa provincia tirar
urna provisao de advogadj) e vir dar uxpansao a
seu genio.
Ora se esse pobre rapaz pela sua repelida em-
briaguez e mais actos nerddi as ijuahdades de ju-
rados, de cuja lista fdra eliminado, como se er
que elle effeciivamente seja provisionado TI... mas
os progressislas damodaasseguram que elle volla-
r muito breve conduzindo sua provUo, e que o;
Exm. Sr. presdeme da relacao ha de attender aos
pedidos e dispensa-lo dos documento que so tem |
ODr. Luiz de Aibuquerquo Martins Pereira, dele-
gado do 1 districto desta ciJae do Recifo de
Pernamhuco, etc.
Facp saber a quein interessar possa, que as au-
diencias desta delegada lera lugar na-ecrelaria
de polica, duas vezes por semana, em os dias se-
de re- gundas a qflintaseiras, as 10 horas da manha.
em oulros se nota o contrario;
e dous factos reiatei de Prank (acerca dos quaes
anda lerei de fallar ) em que se trata de cases de
metro-peritonrte terminada por suppuracao.
as coosideracdes anatmicas em que V. S. en-
trou para aclarar a questao, se moslra admirado
de qoe o tumor, depois de estar aberto para o lado
dos tegumentos, fosse posteriormente pr-se em
communicacao com o intestino. Ainda aqui nao
Doroue era menor "de mais custoso admittlr, que jacho motivo para um tal eslado de seu espirito, que Cunha.polo crirae de uso
meucolleRaignorae roua tid simples; e disse' porque frequente na pratica verera-se tumores, por ter yenfleado que o respectivo
en nao qoe factos de communicacao de tumores: que abriro espontneamente, depois de um longo
abdominaes rom o intestino erara frequentes na, trabaftio suppurativo, darem sahida ao puz por va-
praiica, e satisfactoriamente explicadas pela scien- rios pomos. Para obstar este inconveniente re-
^jS_ commenda a .ciencia, que se d saluda ao puz por
_ ,___k, .....j>- i-c^tin v "w^0 rta punco. A abertura do tumor em questao
Em respos.a f esta minha assercao ins^lio V ^ Pa e f Xpon[aQeiHnei)te portante,
S. em sua prm.H.va op niao ^ J^ e: do admira que o ponto era que o tumor adherio
narrasse os factos de que .u Uvesse conhec.nento, q .^^ ejt|^se em fa ejlailo de ade,ga.
KSJSSf a esta dupla exigencia, e jul-! R5MJ fSS6 dePS estabe,ecer"se *S"
f df ."rrvajao eC SWtJSi! *2^*m*m tf vidas que tenho
ede alheia oDscrvaao, e os expnquei como rca d0 diagD0SlC0 do fado dioico emdiscus-
sciencia owau. racnnnjrt ,i, a mi' 5So. para me nao tornar excessivainente longo :
J<% A'SaS^ASi metto oceupar-rae deste ponto com a maxi-
/, medicina o,.sabe, explicar, e que sao cousa* mRpDQrovoa ^ mea |luslre collega os raeus proles.
tos de estima e consideracao por ser seu collega e
amigo
>'(/<-i llamos.
11 de Janeiro de 1865.
cMadt do llecifo de Pernambuco i i de Janeiro
de 186o.Bu Guilherine Augusto do Attahyde,
O'.Hirivo, o eserevi.
Luz de Albuquergue Marlins Pereira.
O Dr. Tristao de Alencar Aranpe, o Ricial da im-
perial ordeni da Rosa, e juiz de dinito special
do comuierc'.o, nesta cidade do Kucife, capital
da provincia de Pernambuco, por Sua Mageslade
Imperial e constitucional o Sr. D. Pedro II,
aera Deas guarde etc.
Paco saber aos que o prsenle edilal virem e
treviaes'tia scicncia
If estas palavras do meu Ilustre collega, eu vejo
claramente, e ninguem dejxar igualmente de ver
a aceilagao do principio por mim enunciado, e an-
da cora mais amplitude ; por que eu me admirava
deque V. S. com o titulo de doulor em medicina, e
com tantos anoos de pratica nao soubesse expli-
car o modo, por que se hivia estabelecldo a com-
municacao do tumor cora o intestino, mas o meu
illustre collega anda me excede, pois nem admiito
tue um estiidante de medicina ignore urna cousa tao
trivial na scuncia.
Logo Uve eu razo de saber quando disse que
estes factos eram satisfactoriamente explicados pe-
exigido de oulros, mas eu confiando muito na roe- delle noticia'tirerem que no dia 13 de fevereiro do
tido do Exm. Sr. presidente da relacao tenho aflr- anno prximo vindottio, se ha de arrematar por
mado e continuo a afOrmar, que o Sr. Coribono nao venda quera mais der era praca puWlica deste
ser incluido na lista dos advogados do imperio da juiso o escravo seguiule :
Santa Cruz em quanto nao se emendar de sua pes- Amaro, crionlo, representa ter lia 16 annos de
sima conduca, cuja deciso ser breve. idade, sera defeito algum, avaliado por ura cont
O Sr. Dr. juiz' de direito em grao de appel- e quuhentos rail res, oqual fra penhorado por
laco acaba de absolver a Joo de Albuquer- execuco de Joaquim Elvro da Silva, contri o te-
de armas defezas nenie-coronel Francisco Santiago llamos.
processo se E ao havendo lanzador que cubra o preco da
achava falsificadc, tent precedido as precisas n- avaliaco, arrematago ser feila pelo preco da
dagaeoes ; a vos publica diz e do processo consta adjudicado na forma da lei.
serera autores de.sse crirae as pessoas que neJIes i E para quo ebegue ao conhedmento de todos
funeciouaram, cujo ci une se ada abafado, e creio maiidei passar o piesente que ser publicado pela
que nenhuma punidade llavera. imprensa e alxado no lugar do co:turne.
Caro lejtor, se para vi ver as gracas for preciso Dado e passado nesta cidade do Red fe de Per-
qu eu coraparlilhe com as bandalheiras que ve-1 nanilmco, aos 19 de dezembro do anno do nasci-
nho de dizer desde ja llquem certos os progressis- ment de Nosso Senhor Jess Chrisio de 1864.
tas da villa de (ianguareana que por tal precosro- Eu Manoel Mara Rodrigues do Naicimento, es-
CORRESPONDENCIAS
rio <-n wiu; do \ftiin:
Villa da Penha, o de janeire de 1864.
nuncio os galardoes.
Nao se persuadam que tenho em mira descon-
ceituar os meus desaffectes, e sera fazer chegar ao
conhecimento do publico que nao tenha lomado
parte nos actos que ja hei registrado e uutros que
os hei de registrar, embora minha Iraguagem nao {
agrade aos progressislas que provisoriamente o sao
para lins sinislros, porm tenhara paciencia que
ella lilha de priacipios liberosle como tal nao
posso e nem devo deixar do seguir a minha vida
publica com os ditames de minha consciencia, tan-
lo mais quanto tenho bem presente a maneira pa-
Irioika porque se porlou o meu avo, o finado niar-
tyr da patria Ignacio Leopoldo de Aibuquerquo Ma-
rauho, que por amor da liberdade sacnlicou alera
Sdnkores redactores.Depois de muitos dias me
los prneipios da sejencia; e agora exulto por ver veio chegar as roaos um dos nmeros de seu con-
meu illu.-tre collega, que tem impugnado minha
proposijo, pronunciar-se boje por ella com todo o
calor do raaior enlhusiasmo, e da mais viva con-
vieco. /
Fica pois fora da discussao este principio por
mim apresentado, por qne V. S delxa agora de o
combater para o sustentar com-todo o aferr.
Em quanlo a frequencia d'estes casos, ainda
pens como tenho pensado, e sera que espere mu-
dar de opfniao. Mencionei factos de communica-
cao de abeessos de diversas partes do aodoraen
com o intestino, deixando sahir ora o pus pelo in-
testino, ora as feses pela abertura legumentar do
abeesso e nao me canco hoje em relatar novos
casos, por julgar desueces.^ario : roas posso afflr-
mar meu Ilustre collega que nenhum medico se
deiiar lomar de pasmo ao ver communicar am tu-
mor da regiao abdominal.com o intesiino, por que
ou por onservacao propria ou pela leitura dos pra-
ticos elle ter conbecimeato de factos de igual na-
tureza.
Compulse meu collega es autores, e na termina-
cao dos abeessos da fossa iliaca, todos mencionara
a abertura do tumor com o intestino como ja ob-
servada, e se trazerem factos que a comprovem por
que o ponto nao contravenido, mas sim abraca-
do geral mente sem ronteslacao.
Nao sei pois, comopoude meu collega deduzir de
minha earta precedente, que eu havia modificado
meu modo de ver a tal respeilo. Anda nao reruei
um s passo uo terreno em que desde principio
me colloquei.
Outro tanto porm nao tem acontecido com o
meu respeilavel collega, que percehendo a pouea
solidez do campo, qoe pretenda defender, tem re-
cuado, e feito concentrar todas as suas forcas
em ura pequeo reducto, aonde se julga mais livre
de ser assaltado.
Procurando meu Ilustre collcga restringir a
questao, por nao poJer deixar de aceitar princi-
pios, que antes havia impugnado, tentou modificar
o colorido de seu quadro primitivo ; mas apezarda
novas cores, que Ihe emprestou, as antigs ainda
se dii-tinguem claramente.
Diz hoje meu illustre amigo, que o facto de que
tratava era especial e que nunca se quiz referir
aos variados casos de abeessos do abdomen, mas
sim a urna metropentonite puerperal, que termi-
neu por suppuracao, e que poudc depois apresen-
tar a communicacao do foco perulenle com o in-
testino.
Se V. S. quera apenas tratar do caso historiado,
por que motivo em sua segunda carta disse que
em toda a sua tonga pratica nao tinha observado
facto algum de abeesso do abdomen com o intes-
tino f
Nao fallou entao n'estes casos, nos de ferlmen-
tos por armas de fogo, nos do escroto?
Se tratava s daquelles para que trouxe estes
questao 1
Ainda mesmo n'esta ultima carta diz V. S., que
tem tido diversos doentes de abeessos na fossa ilia-
ca, e nao encontrn um s que fiznse communica-
cao com o intestino.
A' vista disto deve V. S. confessar qne nao trata-
va s thrcaso especial, mas sim de qualquer abes-
so do abdomen, e que a causa de sm admiraco
foi o estabelecer-se a abertura do tumor no intes-
tino, e que disto que pedia explicacao seus col-
legas.
Se houve engao no meu modo de interpretar
seu communicado, resta-ine a consolaeo de ter ti-
do pr companheiros habilissimos collegas, aos
quaes ouvi antes de escrever minha primeira car-
ta ; porque me foi custoso crer que V. S. me apre-
sentasse duvida acerca de um objecto trivial, e do
4jual deviam /' noro at os proprtos esludantes
de medicina: sendo de mais a considerar, que mi-
nha iolerpretaco deduzida de sua maneira de
expr, pois meu collega trouxe para a discussao
de um facto, que hoje clajsilica de especial, casos
de abressos do abdomen abertos no intestino.
Vejamos agora se esse foi mais feliz no ponto,
em que hnje secollocoii.
Creio que nao.
Admitto com V. S. que o caso de qne se trata foi
de urna metro-peritonile puerperal, que terrainou
por suppuraco:: e admitto anda mais, por aeces-
sidade da argumentaco, que o foco purulento
ommnnicou com o intestino, e que deu sahida s
materias feces.
Estou cellocado no campo restricto que V. S.
scolheu, e figurando o caso como meu collega o
descreve, nada vejo que possa sorprender o raedi-
o; porque, estando o tumor em coiacto com o
intesiino, como provarei, por meio do trabalho in-
fl imniatno das paredes daquelle, estabeteceu-se a
adherencia, e depois eonlHUou o processo ordina-
rio al que se franqueou a communicacao, e as fe-
zes sahiram pelo tumor.
Mas estara o tumor em contacto com o intesti-
no T sera duvida, pois ainda mesmo que o tero
pela inflammaco de que olfreu, se houvesse des-
envolvido al eoegar a regiao umbilical, mesmo as-
sim os inlestiaos Bcavam em contacto com o tu-
mor, porque os flancos, a regiao liypergastnca, e
mesmo parte da ombelllcal brava sendo ocenpada
pelos intestinos : o de mais, se tiouve communiea-
co entre o tumor e o Intestino, foi preciso dar-se
a adherencia, e esta nao poda ter lugar sem
previo contacto.
A gwaolhaaea aandulecida por V. 8. entre a col-
ioeaco dos iiestiao era ou casos d gravidez e
de ascite, e a que elies deviam ter ao facto em
queilo, nao foi bem aurowitada, porque a&cou-
sas te passam era qualquer dos casos por modo
diverso, como meu eoRega poYr bem avahar, se
os figurar cora a devida preciso.
E de mais eu quero mesmo conceder que pela
disposicao anatomo-phiriologica, ou anatomo-paiiio-
logica nao esiivessem os inlestiaos em contacte
com o tumor; pod>a meu eollega pedir explicacao
acerca do modo, porque este contacto se havia es-
tabe!ddo; mas nao Injertar na explicacao do mo-
ceituado jornal trazendo inserida a minha corres-
pondencia, cuja publicacao os progressislas desta
ierra asseguraram nao ter lugar, e de que me con-
venceudo pela demora de sua publindado deixei
de lomar os aponiamentosprecisos paraoutra mi-
siva, mas teado rae corapromeltido de com assidui-
dade dar noticias desta infeliz localidade, nao que-
ro por tanto abandonar a tarefa e dar lugar a que
os meus inimigos trampolineiros (por que nao sao
polticos) digam que fillio do temor, e passarei ao
que importa.
A conciliacao de Luiz da Costa Monleiro com
Manoel Pereira dos Santos sobre a novilha-vacca,
de que Ihe fallei era minha ultima missiva, o bem
condecido juiz de paz Custodio Rodrigues Ferreira
Maia os julgou nao concillados, e a demanda vai I
sendo aguada no juizo municipal.
Negociada :Esievao Lacerda de Albuquerque |
Mello, morador em Maracaja, desta provincia,
viudo a osla villa raaedou tirar urna grande por-
co de madeiras as malas do patrimonio dos la-
dios de Flor, sem que tivesse para isso a precisa
liceuca ; estando parte dessas madeiras j no porto
para embarcar o juiz municipal supplente Affonso
Leopoldo de Albuquerque Maranho, a requeri-
mento do procurador do patrimonio, as mandou
embargar ; mas meu leitor qual foi o resultado
desse embargo ?!... O Sr. Afloaso Leopoldo sof-
frendo graves incomraodos de saude passou o ex-
ercicio do cargo de juiz municipal ao seu substitu-
to Antonio Jernimo Piohelro, que ns exilaado em
affrontar a moralidade publica e garrotear as leis
de seu paiz mandou passar mandado para levanta-
raenio do embargo das laes madeiras sem
crivo o subscrevi.
Trilo de Alencar Araripe,
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, olcial da iml
perial ordem da llosa, jmz de direito. especia-
do commercio, da cidade do Recife e seu terrnol
por Sua Megestade Imperial e Constituciona,
o Sr. D. Pedro II, a quera Dos guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virem,
e delle noticia tivercm que a requerlraenlode P.
J. Foulkes fra resceodido a concerdata de Cami-
nha & Filhos pela sentenca do theor segrate :
Vista a materia da petieao de folhas9l'J, na qual
expoe o supnlicante Pedro JoSo Foulkes^ que os
supplicados Vicente Ferreira dos Sanios ('aminha,
Manoel Ferreira dos Santos Caminha e Alexandre
de sua fortuna a propria vida, que foi-lbe roubada Ferreira dos Santos Caminha, socios da firma fal-
pelos despolas no alto do cadatalco era 1817, e era; |da Caminha 4 Filhos nao cumpriram a concorda-
vista do que devo affirmar ao Sr. Jos da Costa Vil- ta que Ibes foi concedida por seuscredores na fer-
iar, que qualquer dos netos ou filhos do finado pa- ma do auto defolhas 696, e mostrando-se pelo do-
tnota Ignacio Leopoldo como juizes, nao falsificara f cumento a folhas 929, que com edeito a concorda-
e sublrahem folhas de processos por peits; que, ja nao f0i eumprida, deixando o supplieante de ser
nao receben escripluras de venda de trras e es- pag;0 na furma convencionada cora falta de boa f
cravos na pessoa de prenles, das partes que pe- e premizo do mesmo supplieante ; julgo resrindi-
rante si litigara; que nao cousomem processos de ; 0 a concordata, e mando que sejam os credores
presos em flagrante delicto, por crime de homici-! convocados nos termos do art. 139 do regulamento
aio e depois os mande por em liberdade por \ n 738 para se tratar da forraagilo do contrato de
;0()0; que uo roubam a vida de oulrem nnao 0ll e nova concrdala, devendo a reunio
ter lugar ne dia 18 de outubro do correte anno
pelas 11 horas da manlia na sala dos auditorios
no acto de as capturar; que nao protegera a la-
dres ue gados com o fim de receber de vez em
quando cargas de carne secca; que nao aberrara para 0 que se expedirao editaes conforme o arl.
de seus principios e convieges a troco de ura osso 135 do citado regulamento. Os curadores Oseaos
por mais gordo e maior que elle seja; e finalmente, ja nomeados reassumiro as suas funeces re-
que para subsislirem nao precisara escravisareavse
a todos os guvernos e mendigar-lhes u pao.
Se porm, de S. S, e de ouiros de igual jaez, te-
; nho sullrido sensuras e me quizer fazer justica, di-
r que por nao ter eu querido o acompanhar era
j seus dismandos, mas como boje tudo >e v, ludo
' progresso, lalvez S. S. escureca cssa verdade, eu-
treanio se o llzer pela iraprensa, rae propouho II-
rar-lbe a copia fiel.
Eala j vai ura pouco massante e por isso aguar-
do-rae para na seguinte tratar de oulras materias.
Saude e patacas llie desejo.
Penha, o de Janeiro de 1863.
Ignacio Leopoldo de Albuquerque Maraiiao.
PBLIAyOES 1 PEDIDO.
Agua de Florida de JHurray
e Lauuau. '
Todos os perfumes os mais delicados sao obtidos esppciaes para o acto, e que a prornracao
9ue a das flore; das regios do trpico; e de todas as: der ser dada a pessoa que seja dovedora aos fal-
querendo o que entenderem bem da massa fal-
lida, que pagar as custas.
Recife, 3 de junho de 1864.-Tristao de Alen-
car Araripe.
E mais se nao continha em dita sentenca ; mas
nao tendo os curadores Uscaes reassumido os seus
cargos por se baverem recusado, assira como ou-
tros credores que forara nomeados, licou a mes-
ma curadora aflecta ao Dr. promotor publico, que
prestou e devido juramento, e devendo-se proceder
a nomeaeo de depositario da referida massa,, sao
pelo prsenle convocados os respectivos credores
a comparecerem ns sala dos auditorios no dia 19
do crreme mez s 11 horas da raanhaa, apara
que teuha lugar as diligencias ptescriptas no art.
1 139doFegu4meotei. 738-,eima indicada, sao
os masoios credores convocados pelo presente a
! comparecerem no mesmo lugaf no dia 20 de feve-
: reiro do anuo prximo futuro pelas ditas horas ;
advertindo, porm, que nenhum credor ser ad-
roittido por procurador se este nao tiver poderes
nao po-
essencias da Aromtica Flora do Trpico, esla por
sem duvida a mais duradora, pura e deliciosa
por exceilencia. Ella embalsama a respiracao e
d um agradavel e fragrant sabor ao paladar,
todas as vezes que se usa pelas manhSas comj
esse acto procedesse formalidade alguma, a excep-
co de urna parlicipaco da parle, em a qual re-
quera levantamento de embargo, allegando j ter
pago as madeiras e cusas dos autos, sem que dis-
sesse qual a quantia despendida, e juntasse ura s
di cumento II...
A ignorancia dos juizes o flagel-
lo das sociedades, o refugio do crime,
a calamidade da nnocencia.
(Santo Agoslinho.)
O cscrivao do feito procurando ser iodemnisado
das cusas, recebera do famigerado Jos da Costa
Villar a quantia de 30,5, cujo todo nao chegou pa-1 que esla deliciosa agua de chero, urna vez leve-!
ra o pagamente de tedas as custas e ate esta data mente appiicada ao roste depois da barba feila, I
continua no desembolgo dellas, assim como o pro-! os exempla da uzual penalidade sentida logo de-1
curador do supradito patrimonio, do vallor das re- pois dessa operacao removendo loda a sensacao'
feridas madeiras, e consia-me que o tal Praheiro e de ardencia da pelle barbeada. Tende o cuidado I
V .llar dissera ter Lacerda smente dado aquellos de exanimar e ver que os nomes de Murray et I
tr.nta mil res como paga das madeiras e cusas do anman se arnera inscriptos sol cada envoltorio,' JSfiJSSwrZ Lt n dfa \\ do
embargo I... | ,elreiro e garrafa na faUa dos mesmos nenhuma d
Anda nao e tudo ; quando corrompeu-se a noli- j germina
! Vndese as plomadas de Caors & Barbosa e
de J. C. Barbosa & C.
lidos. nem um mesmo procurador representar por
dous diversos credores; outrosim que sero unido
aos votos da maioria dos credores presentes, os dos
credores que que deixarem de comparecer.
E para que chegue ao conhecimento de todos
enVagormeBto"da,"bocca misturada n'utiia pouea ser o presente publicado pela imprensa eafflxado
d'acu, assim como neutrahsa d'oma maneira ap-: na forma da lei.
pelecivel o mo gosto do charuto depois de se ha-' Cidade do Recife de Pernambuco, aos 15 de
ver fumado. I ou'i'bro de 1864.
Os senhores, nao obstante a presente predomi- Eu Manoel Maria Rodrigues do Nasciaiento,escri-
nante paixo de barbas compridas, os quaes ainda' vo o subscrevi.
conservara urna certa preferencia no uso da nava-! Tristao de Alencar Araripe.
Iha de barba : acharo cora agradavel sorpreza, 0 Df Trjs[a0 de A|en(>ar Ararjpei offlea| da impe.
nal ordem da Kosa, juiz de direito especial do
cia de se adiar o Sr. Affonso soTrendo em sua sau-
de houve reunio de quatro progressistasdamoda,
na qual se discutio e se resolveu qual o destino
que se devja dar s madeiras embargadas, de cu-
ja misso tomando conta o Sr. Pinheiro desempe.
iihou-a pela forma j dita II... vergonha e escar-
neo...
Logo depois de effectuado o embargo das madei-
ras offereceram ao Affonso 200^000 por ellas o que
nao aceitando, por ser mais regular que essa ven-
da se fizesse em hasta publica, differenles foram 05
pretendentes que a isso se aguardavam, mas no
curto espago de 8 a 10 dias que esteve o Pinheiro
era exerricio, alm de mandar levantar o referido
embargo consenlio que Lacerda conduzisse outras |
tantas madeiras que ainda Ihe restavara as ma-
las, cortadas c por cortar; nao sabemos at aqui
por quanto foram ellas vendidas, o certo que o
administrador do patrimonio nenhum ajuste fez e
nem recebera pagamento algum. assira como que
1 os Indios solTrem um prejuizo para mais de 400,3
4 se S. Exc. o Sr. Dr. Olyntho Jos de Meira nao te-
mar providencias a respeilo.
Esta comarca compondo-se de tres termos reuni-
dos, e sendo juiz municipal delia o Sr. Dr. Lodol-
pho Herculano Marioho Falco, a quera compele os
julgamenlos de tedas as demandas, porm Antonio
Jeronymo Pinheiro ceg pelos seas caprichos e nao
sei se de mais alguma cousa, incompetentemente
mandou levantar o embargo de que me hei oceu-
pado para chegar aos seus lins, nao obstante a an-
teupada advertencia, que Ibe fizara o escrivo de
ser elle incompetente para um tal julgamento por
quanto se achava em exercicio o Sr. Dr. Lodolpho.
Cumpre-me dizer-vos que Lacerda da poltica
saquarema vermelba, assim come que u^ Vil lar,
Pinheiro e Policarpo de Oliveira.ja apregoara se-
ren progressislas, pelo que fcil comprehender-
se que nao forara movidos por interesses polticos.
Placido Pereira homem bem conhecido nesta co-
marca como um dos mais ladres de gados vaecum
ecavallar, e de ha muito vivendo neste laboro,
por cujas facanhas, tende j por vezes sido julgado
pelo jury de Goianmnha acaba de ser conderanado
e ainda se acha em liberdade.
Esse reo de polica zorabando, como sempre das
autoridades, e tendo o Sr. Villar mudado sua resi-
dencia de Goianomha para etsa villa, igualmente
mudou elle a negociada, fazendo quasi todas as se-
manas venda de gado nesta villa em vista e face
das autoridades.
Desconfiado porm de qoe o Sr. AUonso o que-
ra capturar, escog lava saberse elle eslava ou nao
em exercicio para poder publicamente fazer suas
negociadas e s as faz quando nao est em ejerci-
cio o mesmo Sr. Alfonso, mas as 4 horas da tarde
do dia 8 de novembro prximamente fiodo fra el-
le cercado nesta villa por uns soldados de 1 linha
aqui destacados, e se evadiado bomisira-so era ca-
sa de seu protector Villar, e apenas os soldados
poderam apos^ar-se do cavado do mesmo Pereira
e o enlregaram ao subdelegadioho Azevedo. Com
poueos momentos o Sr. Villar mandou pelo escra-
vo do bacharel Manoel Coelh ver o cavado de seu
afilhado. e sendo entregue o izera montar e acin-
tosaraeote passar pelas portas do delegado e sub-
delegado de polica com toda calme e vagareza,
eojo acto prendeu aespeciatfta publiea ...
COMMEBCIIO.
Cetaces ofllciaes.
PRACA DO RECiFE.
13 de janeiro de 1865.
Algodo primeira sorte244000 por arroba.
Cambios sobre Londres90 d(v. 27; 27 1(8 e 27
11 i ti. por 15000.
Cambio sobre Hamburgo 90 d|v. 678 rs. por
m. b.
Dubourcq Jnior,presidente.
Guimaressecretario.
\ov banco de Pernambuco.
EM 4 DE JANEIRO DE 186S.
O banco descoma letras na presente semana a
10 0/0 ao anno at o praso de quatro mezes e a
12 0/0 at o de seis mezes ; toma dinheiro a juros
commercio desta cidade do Recife de Pernambu
co, seu termo, por Sua Mageslade Imperial e
Constitucional o Senhor D Pedro II a quera Dos
guarde etc.
edital virem o
que no da do mez de feve-
reiro, do anno prximo vindouro se ha de arrema-
tar por venda a quein mais dr, em praca publica
deste juizo, depois da audiencia respectiva, duas
pipas com vinho Figueira,avahadas era 2305 cada
urna, as quaes sao perlencenles a Jos Ribeiro da
Cunha Guimares, e vo a praca por execuco de
Campiann & Cordeiro. E na falta de licitantes ser
! a arremataco feta pelo preco da adjudicacao cora
o abatimeDto respectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer o presente edital que ser afflxado
nos lugares do coslume e publicados pela ira-
prensa.
Dado e passado nesla cidade do Recife de Per-
nambuco aos 12 de dezembro de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o escrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
DECUUG6ES.
Consulado provincial.
Pela mesa doconsuado provincial se faz publi-
co que no dia 10 do correte se principian) a con-
desconto mensal de 10 por reato no valor das o-
las que at enlao uo tivercm sido suistuuidas.
Secretaria da thesouraYla de fazenda de Pernam-
buce, 7 de Janeiro de 1863.
Servindo de offlcial-maior
Manoel Jos Pinto.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda manda fazer publico a lodos os habitantes
desta provincia, que em virtude da cirenlar do
thesouro n. 56 de 23 de dezembro do anno prxi-
mo passado, fica prorogado al o Ora de abril fu-
turo o praso marcado para a substituico das no-
tas de 2005000 da 2.' e 3." estampas, devendo co-
mecar do 1. de raaioem diante o descont na
forma da lei.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco, em 7 de Janeiro de 1865.
Sernndo de official-mator
Manoel Jos Ptnto.
De ordem do Illm. Sr. inspectoi da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico qne I
fica novamente marcado o dia 18 do corrente, as 2 j
horas da tarde, para ser arrematada a quem por
menos fiztr, a obra de nm pequeo lanco de caes
que lera de ligar o encontr da ponte de ferro do
Recife ao caes do passeio publico. O orcaraeoto e
condiedes sero mostrados na mesma thesouraria
aos pretendentes : as pessoas a quem convier a
sobredita arremataco, deverao comparecer na
sobredila thesouraria no diae hora indicados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco em II de Janeiro de 1863.Servindo de
offlcial-maior, Manoe! Jos Piulo.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia se faz publico a
quem interessar possa, que no dia 16 do corrente
mez comecaro na referida thesouraria os paga-
mentos das pensoes do monte pi dos servidores I
do eslado, vencidas at 31 de dezembro prximo
passado.
Secretaria da thesouraria de fazena de Per-
nambuco 12 de Janeiro de 1863. ervindo de
offlcial-maior, Manoel Jos Pinto.
Capitana do Porte de Pernambuco 31 de dezem-
bro de 1861.
Era vista das circunstancias melindrosas em
que se acha o paiz, seudo necessario que todos os
brasileiros concorram para a susleniaco dos bros
e dignidade nacionaes, comprometidos na'guerra
com as repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
o Illm. Sr. capito do Porto, em virtude do que Ihe
foi recoraraendado por S. Exc. o Sr. ministro e se-
cretario de estado dos negocios da marinha, con-
vidar ao s aos matriculados, como a todos os
cidadaos que se queiram alistar na qualidade de
voluntarios para a armada, a se apresentarem nes-
ta capitana nos dias uteisdas 9 s 3 laboras da
tarde.O secretario da capitana,
Decio de Aquino Fonseca.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desla provincia se faz publico que
fica novamente marcado o da 14 do eorrente As 2
horas da tarde para ser arrematado a quem por
menos fizer o fornecimeniod'agua petavil a forta-
leza do Buraco e do Isboratorio de fogos. As pes-
soas a quem convier o sohredilo fornecimenlo de-
verao comparecer na mesma thesouraria no dia e
hora indicados.
Secretaria da thesonraria de farenda de Peroam-
buce, en 10 de Janeiro de 186o.
Servindo de official-maior.
Manoel Jos Pinto.
Consulado de Portugal.
Havendo fallecido o subdito portuguez Gaspar
Pereira da Silva, sao chamados os seus credores a
apresentarem as suas contas nestes consulado den-
tro do prazo de 30 dias, para serem verificadas;
sendo tambdm prevenido os devedores de seu es-
polio para no mesmo prazo virem pagar o que lhes
estejam devendo ; e nao o fazendo, sero deman-
dados judicialmente.
CoDsdho administrativo.
0 conseibo administrativo para fornecimenlo do
arsenal de guerra tem de comprar os objectes
soguiotes:
Para o arsenal de guerra.
80 garrafas de espanto de vralio.
4 arrobas de pregos trancezes de 2 1\2 pole-
gadas.
1 dita de ditos de 1 1|2 polegada.
20 duzias de laboas de pinbo de 3|4 de gros-
sura.
20 raeios de sola de lustre.
Quem quizer vender taes artigos aprsente suas
propostas em carta fechada na secretaria do conse-
Iho administrativo s 10 horas da raanba do da
16 do correle.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimenlo do arsenal de guerra, 11 de Janeiro
de 1864
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
Director.
Foi tomado a um prcto, o qual andava ven-
dendo um pente de tartaruga de segurar cabello
de senhora : quem se julgar com direito. ao mes-
mo. e dando os signaes, Ibe ser entregue.
Subdelegacia de polica da Ircguezia do Poco da
Panelia 11 de Janeiro de 1863.O subdelegado,
Joo Paulo Ferreira.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra precisa comprar os objec.os
seguintes :
Para a companhia de artfices.
2 colheres de ferro.
t dita grande.
2caldeiras de ferro para 50 piaras.
1 copo de vidro.
2 enxadas.
2 espumaderas.
1 garfo de ferro.
1 lavatorio cora bacia e jarro.
2 paes de ferro.
1 prato de vidro para copo.
Para a fortaleza de Itamarac.
1 livro com 150 folhas para registro de oficio
do quartel geneal.
Quem quizer vender taes artigos aprsente suas
propostas em carta fechada na secretariado conse-
lho administrativo, s 10 horas da manha do da
13 do corrente.
Sala das sessoesdo conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 9 de Janeiro
de 18l.
Antonio Pedro de S Brrelo,
coronel-presidente.
Sebastuio Antonio do Reg Barros,
vogal secretario interino.
Inspeceo do arsenal de ma-
rinha.
Faz-se publico que a comnusso de peritos exa-
minando, na forma deleaminada no regulamento
anBexo ao decrete n. 13i de o de fevereiro de
COMPANHIA BSASILEIRA
M
PAQUETES A VAPOR-
Dos portes do noria e espera-
do at o da 21 do correle o va-
por locaulint, eommaBdanle Pe-
dro Hypoliio Duarte, o qual de-
is da demora do coslume segui-
r para os portos do sal.
Desde j reeebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conoazir, a qual devera
ser embarcada no dia de su chegada : encom-
mendas e dinheiro a frete ateo diada sahida s 2
horas, agencia rea da Cruz m. 1, escripiorio de
Antonio Laiz de Oliveira Azevedo (V C.________
C0MPANH1 i PfcR.\AMbUCANA
DE
IVavegaeao eostelra a Tapor.
liba de Fernando.
No dia 14 do torrente ao meio
dia sabira para o porto cima
Indicado nm dos vaperrs desta
.companhia. Recebe carga Msen-
_'te al o dia 13; tneomroeadas,
passageiros e dinheiro a frete at as 10 horas da
aiaha do dia da sabida : escripiorio o Forie do
Mallos n. I. _______________^_______
COMPANHIA PEKMMBUCANA
XavegaeSo eostelra a vapor.
Aracaj e escalas-
No dia 14 do correBte as 5 ho-
ras da larde sahir para os portes
cima mencionados o vapor Pa-
\rahyba, commandanle Marlins.
Recebe carga somenle at o dia
13 ;encomineodas, passageiros e dinheiro a frete
at as 2 horase do dia da sabida : escripiorio do
Forte do Maltes *.!.
rara o ftio de Janeiro
pretende seguir rom mulla brevidade o Lnane es-
cuna Nao Sei, tem parte do seo carrejan" ente
prompto : para o resto qoe Ihe falta e estravos a
frete, para os quaes tem exrelleotes rrmBOdos,
irata-se cem os seus consignatarios Antonio Lu:
de Oliveira Azevedo & C, no sen escripiorio roa
pa Cruz n. 1. ___
Para a Baha
Pretendesegnir com brevidade a sumara llor-
tencia, lera parle de sea carregameDio prompie
parae resto qne Ih falta tratase com es seas
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevede
i C, no seu escriptorioroa da Cruz n. 1.______
Para a Babia pretende sabir ero poneos dias
a veleira escuna Elisa, capito Belmiro Baptiza
i de Souza, tem a maior parte da carga tralada, para
; o pouco que Ibe falta ti ata se com os coosiaData-
I ros Palmeira & Beltro, largo do Corpo Santo n. 4,
primeiro andar.
Para Lisboa
0 veleiro e bem eoaherido brigoe ptrtucnez
Concevao de Marta, capito Januarie Jo> O Oli-
veira, pretende seguir cem omita brevidade. ir ai
parte de sen carregameolo promplo ; para o resto
(iie Ihe falla trata-se com os ros rcnsipnatarirs
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo di C, no ? criptorio ra da Cruz n. 1.
Ro de Janeiro.
O brigue nacional Cruzeiro do Sul, segae lrev
para aquelle porto, ainda recebe carta a frcie : a
tratar rom os contignalanos Marques Bares A.
C, largo do Corpo Sanio n. 6._______________
Porto por Lisboa.
Pretende seguir com brevidade a moiio veleira
barca poringueza Corea, por ter grande parle da
carga ergajada, paro" o resto e passageiros aos
quaes offerece os melhores commodos: traase
com o consignatario T. de Aqoino ronsrra Jnior
na travessa da Madre de Dos n. 3, primeiro an-
dar, ou com o capito na praca.
LEIL5ES.
I 1 11 \o
a :
0 agente Pestaoa, fara Ivilao no dia 14 do cr-
reme, pelas 11 horas da mandas, por ordem do
consulado de Portugal, da armacao e gneros de
taberna, estabelecida na ra do Codorniz n. 5
periencente ao uado subdito portuguez Gaspar Pe-
reira da SiIvjl_________________________
sLelo de crvllha. atpos, fel-
jcs verdes em latas e frnela
sortldas em vldros.
Terca fe 1 ra 18 de Janeiro.
Vende se p'-r preciso a armacao da loja de
raleado toda envidrara da ra da Imperair.z na
Boa-Vista n. 13, o aluguel razuavel ea casa lena
no interior bastante espaco para moradia : a tra-
tar na mesma loja com a viova de Joo Jos Men-
des da Silva.________________________
L'ellao de 36 ealxas com masaos
de palitos de desate.
Terca-feira 18 de Janeiro.
O agente Pinto ar leilo por conta e risco de
quera pertencer de 36 ca xas com massos de pali-
tos para dentes, ltimamente despachados, as 10
horas do dia cima ditono armazeaa do Sr. An-
nes em frente a alfandega.
a praso nunca menor detres mezes. esaca sobre a! fn KJSfSSsSSLCf!*! c?br"n.a 1854, os cascos, machinas, caldeiras, apparelhos,
-..- praca da Baha.
Alfandega
tlendimentodo dia l a 12......... 2&8:368J364
dem do dia 13................. 29:344,5348
277:912*712
Hovlmento da alfandega
Velumes entrados com fazendas..
a com gneros.
Volumes sabidos
201
com fazendas..
com gneros ..
94
107
34
836
------910
Descarregam no dia 13de janeirodel865
Brigue InglezHenrtetta- bacalho.
Lugre inglezRothij- farinha de trigo.
Patacho hamburgus-los Jermonoj-idem.
llecebedarla de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento dodia 1 12......... 6:1585494
dem do da 13................. 682*8301 capim e o imposto de carros, earrocs e mnibus,
e tambem o 1" semestre do de 20 0|0 do consumo
postes de 4 0|0 sobre casas em que se acharem
estabelecimentos de commercio fra da cidade do
Recife, prensas de algodo, typographias, cochei-,
ras, botequios, hoteis, casas de pasto, cavallarices
e fabricas, de 8 0|0 sobre consultorios medicse
clrurgieos, cartorios e escriplorios.de 20 0|0 sobre
estabelecimentos de commercio em grosso e a re-
lalho, armazens de recolher, e os trapiches, de
30* por casa de bilhar e modas, de 100* por casa
que vender roupa feita noestrangeiro, de compra
e venda de escravos, de corretores commerciaes e
agentes de leilo, de 1:000* sobre casas de opera-
coesbancariascom emisso e previlegios, de 600*
pelas ditas oomemissaoe sera previlegios, de 400*
pelas ditas sem emisso, companhias aoonymas e
agencias, de 200* pelas casas de cambio, de 30*
pelos escravos empregados no servico de alvaren-
gas, ue l* por tonelada de alvarenga e canoas
abertas, de 20* por cada bote ou saveiro, de 30*
I por cada balieira, de 10* por escravo ganhador ou
empregado em servico de transporte ou em arma-
Izens, de 10* por cavallode sella de aluguel, de
6* por cavallo particular, de 3 0|0 pela venda de
6:841*344
Consnlado provincial.
Rendimento do dia 1 a 12........ 85:718*530
fdero do dia 13............... 4:827*040
60:603*390
MOYIMENTO 30 PORTO.
Navio entrado no da 13.
Baha*8 dias, lancha nacional flios 7, de 53 to-
neladas, capito Leonel Joaquim de Almeida
Fundi, equipagem 7, carga 1,500 alqueires de
farinha de manduca; a Tasso Irruao.
de agurdente das freguezias desta cidade e do>
Afogados, S. Lourenco, Santo Amaro de Jaboato,
Muribeea e Varzea, tirando sujeitos a multa de 6
0|0 sobre os seus dbitos depois de Godo o dito
pras9.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
7 de Janeiro de 1868.
Antonio Carneiro Machodo Rios.
O Illm. Sr. Inspector da thesonraria de fa-
zenda desta provincia, manda fazer publico a todo5
06 habitantes da mesma provincia, que em virtude
da circular do tribunal do thesouro n. 33 de 22 de
dezembro d anuo passado, acha-se abena na
mesma thesouraria a substituico das notas de
6*000 da 4.a estampa, e qne em lempo convenien-
te se annuuclar o dia em que deve principiar o
maslreaco, velames, amarras e aBeeras dos vapo-
res Paraliiba e Persinuuga da companhia Pornam-
bucana de navegaco cosleira, achou todos os ob-
jectes em regular alado.
Inspecco do arsenal de marinha 13 de janeiro
de 1863.-0 inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
Crrelo geral.
Pela admimstrace do correio desta cidade se
faz publico que era virtude da convenco postal,
celebrada pelos governos brasileiro efrancez.se-
ro expedidas malas para Europa no dia 15 do
correle pelo vapor inglez Magdalena. As cartas
sero recebidas al tres horas aules da que for
marcada para a sahida do vapor, e os jornaes at
quatro horas antes.
Administraco do correio de Pernambuco 10 de
Janeiro de 1865.0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E'. esperado das portos do sal
^53^ at b da 14 do correte o vapor
^ Apa, comraandaflte Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do coslume seguir para
os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encoaunen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 be-
ras : agencia, ra da Croa n. I, aseripterio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
AVISOS PITEMOS.
Aos <>:0u0,-IH>0.
Terfa-feira 17 do corrente mez, se ex-
trahir a primeira parte ta quarta lotera
(2') a benelicio da Sania Ca de Miseri-
cordia, no consistorio da igreja de >"osa
Senhora do Rosario da freguezia de Sable
Antonio.
Os bilbetes, meios e qoartos eslo a ven-
da na respectiva thesouraria a ra o
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000600 at lOJOGO
serlo pagos ama hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os ootros depois
da distribuicSo das listas.
As encommendas sero guardadas so-
mente at a noite da vespera da extrarre
como de costumo.
0 thesoureiro.
Amonio Jos Rodrigues de Souia
I RA NOVA N. 34
JJOSEPH PKAIINE
4 I III.FIIIO
* tem a honra de prevenir as pessoas
| tem qualquer concert o amoiaeae em
| raaos delle que venham os buscar al o
| Ora de Janeiro, es que acareo dessa data
| sero vendidos para pagamente dos mes-
| mos, nao se aileudendo a reclamarte al-
I guraa passado esse praze.
I A puro ve i la essa occasio para avisar
< ao respeilavel publico, q je elle tem para
I vender os
AFIADORES
'le sua invenco, pelos quaes obteve ni
PRIVILEGIO DE 15 ANNOS
a sua snaeriorldade sobre lodos os qne
appareceram at heje de sobre-mo-
do provado pela extraerlo qoe ellas lea
no Rio de Janeiro, aonde sao muito apre-
ciados.


Joaquim Reso e sua senhora sobdMw iafia-
zes, levando em sua companhia nm criado subdi-
to francez, ve para a Europa ne vapor iaglez
Magdalena.
-


BfXrltf fte *tYmbU -lfco 14 de at.nncfrO de Mlt
\
k
AW|t *
um preto para o servic j de casa : na ra da Ca-
dete d. 20._______________________________
Precisa-se de un distribuidor para
ste Diario no bairro da Boa-Vista, o
qual devesaber 1er, preferese um aemem
de meia idada que tenha ofQcio porque a
distribuidlo deixa livre a maior parte do
dia : Da livraria d. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia.___________________________
Precisase da urna ama para compra e algum
serrino de casa, para duas peswas : oa ra da
Ponte Velha o. 8._________________________
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de taberna, de li a 16 annos de idade, e que d
fiador a sua conducta : a tratar na ra dos Pires
numero 3i.
VYIA.
Precisase de urna ama para eoziuhar : na ra
larga do Rosario n. 12, segundo andar._______ |
Que pecbioeba
Um sobrado de um andar por 255 na roa Ira-,
serial b. 116, pintado e forrada a sala de nove : a
tratar na ra Direita n. 117, taberna, ou Cinco
Poetas n. 33, primeiro andar, das 6 as 8 horas, e
dao 4 ern diaate.__________________________
Admira porcerto!
Saiba o respeitavel publico de mando catbolico,
s,ue a santa casa da misericordia desia minha cha-
ra patria (eujo grao de civillsaco bem conheci-
o) possu* escraves I Otario de Pernambuco de
bontem n 10. Parte policial de ti do crrente.
Recita 13 de Janeiro de 1865.
Joaqulm os dos Santos Darraca.
ATTENCAO.
Fugio no dia 15 do crreme a escrava de nouie
Conceico, levando eom sigo urna cria, e ha ore-
sumpcao que foi seduzida pelo mnor Pedro Pau-
lo de Albaquerque, que tambera sabio de casa por
ter tachado sua iui e padraste dos nomes raais
injuriosos : quem quizer saber procure investigar
o procedimeoto do tal menor, e qual a raiao deste
procedlmento._______
Deseja-se fallar com os Srs. Joo Ghrisosto-
mo de Albuquerejiie, de Pedras de ogo, Jos Joa-
quim Crrela da Lu, do engenho Gajueiro, ou
un (jutiin fijer suas vetes aesta praca : no es-
eriptirio de Manocl Ignacio de Oveira & Filho,
larga do Cirpo Santo n. 19._____________
No Forte do Mallos n. 20 ha para alugir
urna escrava que faz todo serrico de urna easa.
Joao dasilva Ramos, medico pela Un i
versidade de Coimbra, di consultas era
sua casa das 9 s H horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procuraren no. hospital Pedro II,
aonde encontrado "diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sea casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda raesroo os aiienados, para o qne
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... !{000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
CASaS para aligar.
Alugara-se duas meias aguas.sendo umanapraia
do forte n. 1, e a outra ua ra da Nassente n. 14 ;
a tratar ra do Queimado cora Azcvedo d
rmo.
Aviso aos florisi s.
Na travessa do Vigario 3, casa de armador,
encontra-se ludo que uecessario para o fabrico
de flores, como seja : papel de todas ai cores e
lualidade, ps para cravos, ptalas, etc., etc., mais
barato lo que em outra qualquer parle.
Umapessoa habilitada para exercer o lugar
d'5 caixeiro em algum eslabelecimento no trapiche
ou armazem a retalhn, que seja em boa ra, d
flador : quem precisar dexe seu nome e ra para
se tratar do ajuste, rta mesma loja do Sr. Figaei-
roa.
Perfumara e sabonetes de
Toilet
da casa Violet, perfumista com privilegio,
fornecedor das casas de S. M. impera-
triz dos Francezes e da rainha Isabel II
de Hespanha.
As flores as mais esquisitas, as plantas as mais
ricas em aroma, os blsamos os mais odorficos,
servem a composlco dos producios exclusivos da
rainha das Abelhas.
Salan real de Tridaco.
O nico recommendado pelas celebridades me-
dicas como hygienlca da pelle.
Balsamo de Uolc'a.
Pomada fluidificada pelos oleo vjrgens para o
servido dos cabeleireirps.
Golas de Vilelas.
Extracto da flor natural, perfume de S. M. a rai-
nha Victoria.
$alio de balsamo de Vilelas.
Homenagem a S. M. a Imperatri:.
Agua da belleza de Sua Magestade a
Imperatriz.
Looco benfica para o toilet das damas.
Flor de arroz rosada.
De S. M. a Imperatriz Eugenia.
Perfume de nctar.
E affeccSes dormaes.
Kosado das abelhas.
Locero refrigerante para o toilete e os banhos.
(Irene poapador.
Da belleza da pelle.
Para prevenir as rusgas e refrescar o rosto.
Creme Sevigu.
Cornposieo especial, para lustrar eflxar os ban-
dos (cabellos.)
Creme fro [Mimoso.
Segredo da belleza.
Para refrescar o tessido dermal.
Perfumes a* bribas de ua.*.
Delicias dos lencos e saldes.
Dicado a S. M. a Imperatriz da Russia.
Gaixa de avnelo.
Cofre raysterioso.
Encerrando talismn.*, segredo para fcjileza.
Vermelho da China, preto indio e branco
de Lys.
Para passeba e apirees.
P borisoRlal
Pas as unhas o brilho de -nacarregado.
Perfumes herisonlaes.
Para perfuman as cartas, toalhas e os quartos.
Ven>le-se na ra do Imperador n. 3S, botica
-frartceza.
Aloga-se a sala da frente oam 3 cuartos do
terceiro audar do obrado n. Si da roa do Impe-
rador : a tratar na mastn ra n. 54, loja de
I i* ros.
Precisa-se de um bom cosinheiro na ra da
floja 6, prefere-sc nacional.
Precisase de urna mulher de couducta abo-
n.i la que sai ha cosinhar para ca-a de um hemem
de idade e sera familia :,na ra do Queimado nu-
ciero 20.
Aluga-se a casa terrea da ra do Socego n
2 e^o segundo andar do sobrado da ra do Rangel
n. 7 : a tratar na taberna no mesmo sobrado.
Saude dada a t todo o mundo.
Pelee ereciesos me Jicaar ntos lee Srs. Crimaull i
C, pbarBjcfutifos de S. A. I. e principe !Si-
poleie, ra de la Feuillade 7 era Pars.
Porque es Srs. mdicos e publico usara de pre-
ferencia dos medicamentos espeeiaes dos Srs. Gri-
mault & L., pharmaceuiicos em Paris, rom os quaes
elles tem sempre oblido as curas as mais extraor-
dinarias ?
| 1.* Parque esta casa sendo sen contradila a
mais importante de Pars, honrada com a elientella
de urna parte da corte, patenleada por S. A. I. o
principe Napoleo so veade productos de urna effl-
cacia recenhecida.
1." Porque esses medicamentos representase as
mais recentes conquistas da medicina e da chi-
mica.
3. Porqoe tem todos um gosto agradavel, satis-
fazem a vista, e pdem ser administrados sem pe-
n*' nn, as crian*s cm s pessoas adultas.
4. Porque elles differem inleiraraenie desses re-
medios inglzes e americanos, preparados por In-
dustriaos estranlios, tanto a mediana como a phar-
macia, dos quaes u3o tem nem a scincia nem os
ttulos.
5." Porque estes medicamentos s se applicam a
um nu:.>ero Imitado de doengas, e nao as curam
todas,como os remedios de que acabamos de fal-
lar ; emflm cada producto tem sua applicacao oar-
ticuJar.
Por isso pensamos prestar nm serrico a todo o
mundo, indicando aqui as importantes propieda-
des dos principaos medicamentos dos .-rs. Gri-
mault & C.
*aropo de rulfort iodado.
Empregado com successo corto em lugar do oleo
de gado de bacaiho, lio desagradavel, to diflD-'
cil a digerir. E' o especifico o mais certo contra
as escrophulas, o lymphalismn, a moleza das car-
nes, os humores das enancas, a papeira, os reu-
matismos, o escorbuto, as affereSes da pelle, as
molestias do peito.
Todo6 os mdicos de Paris o empregam como o
depurativo o mais poderoso, e o recommendam em
lodosos casos que precisa-se corrigir a acrimonia
do sangue, e dar-lhe todos os principios viiaes que
perden, seja pelos excessos, pelas affeccoes lym-
phaticas, escrophulosas, e venreas.
Xarope de q ti i un vermelha fer-
rogioose.
Ou assoclacao dos dousNpoderosos remedios da
materia medica que s5o : o ferro um dos princi-
pies elementos de hosso sangue e a quina que o
tnico e o febrfugo por excellencia.
Este delicioso medicamento agadavel ao paladar
e a vista, lera um resultado admiravcl as flores
brancas, dores de estomago, falta de appelite, po-
breza de sangue. Elle sobretodo til as senho-
ras e as mocas delicadas, para desenvolver e re-
golarisar a menstruaco e suspender es elfeltos
perniciosos das flores Urancas, que sao a causa de
tantas doengas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
das forcas e da saude para os doentes enflaqueci-
dos pelo trabalho, os excessos, as affeccoes escro-
phulosas ou venreas.
As mais de familia acharo Besle xarope um me-
dicamento sem igual, para fortificar e desenvolver
o systema osseo das criancas e os preservar das
affeccoes escrophulosas.
Elixir digestivo de pepsina.
Delicioso licor que oceupa o primeiro lugar en-
tre as novas conquistas da scincia, a pepsina pos- i
sue com efTeito a propriedade importante de fazer
digerir os alimentos quasi sera soccorro do esto-
mago, o remedio soberano das gastrites, gastral-
gias, das nflamniagSes do estomago, dos ligados c
008 Intestinos. Elle sopprime os gazes. as nausea?, i
as pituitas, o desgosto dos alimentos, e presta nrin-'
cipalmonte amimmenso servido as senhoras n'uma
poslcao interessante da qual supprime os vmitos.
As pessoas que padecem de canoro no estoma-
go ou nos intestinos, vero sua vida prolongada
pelo uso do elixir de pepsina, e os vellios e cenva-
lecentes o sustento de sua saude e o reparador de
suas forcas; porque com urna boa digestao sempre
se gosa de boa saude.
Jarope peiioral de S. Jorge.
Novo especifico, sem opio, reconheeido como o
melhor medicamento para curar a tosse. defluxo, i
catarrho, gripna, irrilaco do peito, anginas, dores i
de garganla, coqaeluxa, etc.
Este delicioso xarope popular em toda a Franca;
foi descoberto pelos monges da abbadia de S. Jor-!
ge, no Anjou, e aclualinenle preparado pelos Srs. '
iimault receila. Recemmenda-se aos doentes que usem ao
mesmo lempo das deliciosas pa.ililhas pritoraes ao
surco de ri//are de loumro-cereja dos Srs. Gri-I
mault & C, este excellente remedio composto1
cora as duas subslancias as mais calmantes e ao
mesmo tempo as mais inolensivas da materia me-
dica, e nao contoi opio.
Injcii e capsulas anallco.
Estes dous productos que constiluem a mais re-
cente e a mais importante mediacao para curar os
corrimentos e as H.nlestias veneraes do homem e
da mulher, sao exclusivamente vegetaes nao con-
ten mercurio, e sao pieparados com as folhas do
matico arvore do Perou. Nao ha molestia conta-
giosa anliga ou recente que resista ao uso desses
dous meios. Sua rapidez de acgo superior a
tudo quanlo se tem feito al hoje. As capsulas
nunca cansam o estomago era os intestinos como
as capsulas de copahyba, rabeos e outras; a in-
jfcco nunca produz o estreilamento como aconte-
ce com as injeccoes com base metlica aconseja-
das al hoje.
Todos estes producios vendem-se as principaes
pharmacias do Rrasil, sgente para vender por ata-
cado, ne Rio de Janeiro, E. Chevolel, em Pernam-
buco, Caors & Barbosa, na ra da Cruz n. 28, na
Bahia, Lima & Irmaos i em todas as boas phar-
macias do Brasil.
Deve-se exigir sempre i assign'alara Grimault &
C, por que ha falsificacoes perigosas.
Vende-se na botica franceza ra do Imperador
ii. 38.
lnstrucc,3o primaria.
Joanna Villar Ffrreira Pinto scienlifica nao s
aos Illms. Srs. pais de suas alumnas, como ao res-
pcilavel publico, que sua aula se acha-aberta des-
de 9 do vigente, e que continuar com o mesmo
zelo e amisade a velar no progreeso de suas edu-
candas: ra larga do Rosario n. 14, sobrado de
um andar.
Precisa-se alugar um preto ou molecote pa-
a serrico de urna casa: na ra Nova n. 36.
Aluga-se um bom escravo para armazeTdo I
ssucar por ter pratica, ou para outro qealquer !
aervico: na ra do Imperador n. 30, terceiro I
andar.
Hudanc*.
Cordeirp Sim5os, agente de eiloes, mudou seo
estabelecimento da ruada Cadeia do Recife n. 48
para a ra da Cruz n. 37.
g" P SI S m
cl u o ^ cr
KSS
S 3
o- S. ti
pmes
i Ra fabrica de calcado do patoo da ribeira de
S. Jos*, precisa-se de artistas para obra de senho-
ra e meniaa daado-se todo prampto, pagase a du-
zia para senbora a t^BOO e para menina a t200,
fctodo aquella que quizer levar sem pespoetar ter
ma's 190 rs. em cada ansia.
Aluga.se a eochfira da ra da Roda n. 56 :
a tratar na roa larga do Rosirio a. 34, fcotice.
Alujpam-se dous grandes sobrados com com-
modos para numerosa familia, novos e aceiados,
com jardim, oocheira, estribara a ouiras eoramo-
didades, m travessa de Joao Fernando* Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42;
INJECCAO BROW.
Remedie infallivel contra, as, gnoirheas
antigs e recentes, nico deposit r a o-
Mz franceza, ra da Cruz n. 22 pre-
go 35
INJECTION BROU
DeJ.
PERFUMARA medica hygienica
.-P. L1R0ZE, quimice, pharmaceutico da la Escola especial de Paria.
MJUt productos si* o resaltas* 4a aprietes* aos Itii d bvgitM i >artHMaria qu* se enm *
taras* phsrmscia da btilsu, enctir*|ada de prar i hjtieue da pt-lle, dos cslxos dos dniti
rgS*t t*o imporunu; culie enls e deilroo os causas Jas dosaess que saa irman'wtis velha'
| phrsaeis prapriameate chamada, Um q*e corar.
" 5"*"5M WWSTOtAS* par. nasdlar ,
dures* Saa cabtos e a saa alonla, o vidre. 2 b.
VINAORI r TOILBTTB lorCMIOM pala saa
auavidad* aua anclo ralraatanU), a Tidr. I fr.
COIS oream imuOR para conserva.- a palle
clara, frasca, e diaphaD*, a erilar os mies efleitea
* use as carea, a pala......I fr. SO
AOO* M *OLoA MBBtOR, can eu safa
mbar peraaanaacia de seu perfuau a fu bascar
para a loaader, banhos (traes e locaea, e riSre 1 fr.
FASTU.HA osbitaii do Dr. Paul Clesnoat,
para lirar a ebeira do tabaco a para modiuear os
kall.tos larus; 1 2 Ir. i cala.
AOVA DE rLORBS DE ALTAZHfA, cosiaatico
bascado para tirar as comichles, lonilUar a re-
frescar caries ergios, ridro.....1 ir. 2S
sruuTO de bortelam SDraRrmo. Btte 4 o
aparfeiooaoieDio io41apeosavel do aeeio da bocea
depois de comer, o vidro......1 fr. 25
VOlbcADA eOMSMVABORA i* quinina pura
para fornicar es cabellos, os esehcUetar a avilar
sncaaeciaette pnaaature, pata.. S Ir
awTlfsuaiO para eurar laaediatemeRie aa
dars o* miras de denles; e vidro 1 fr. 25
rea DoMIURioios cor de rosa eom boa* da
Hafaaaia para branquear e conservar os denles ;
" v'*r*...........1 fr. j
anATa BMTinueiO para forlillcar as gingivas
* avilar as nevralgiaa dentarias: o pola 1 fr. 31
Oa-RATivo bmtario para traur os domes
cariados ames de eburabaraento, a evitar oe ab-
ceaaoa a derea ; e vidro caos a inelrasaenlo fr.
MOA LESCODEnBtarA, para eeaservar a frescura
a aa fuaccSae da pelle ; o vidre ... % ir.
BSPIRITO DE AHIZ REOTiriOAD, complemento
do aeelo da bocea despoie de comer; e vidro 1 fr. Ti
SABO LBBITIT* aXBicaAL, de violeta, amsndoa
amarga, bouquet, a pie.......| fr.
eaasa bb a aba o Laarrtvo hbdicinai de
Iamaa de ovos, para evitar as toadas, friairas e
seaeas de palla, da violeta, de boaquel; s pi 2 fr.
RBSfB M lABiO LEMT1V* MEDICINAL em
pos. illa especial para a barba, o aceio das
seaaoraa a das criancas, a vidre.....I fr.
AOOA MSTKAIp para conservar a embelleiar os
caballos, a fortificar aau reirs, e vidro. S fr.
Depsitos em cada cidade, sai casa dos pharmaceutico, perfumistas, caballeireiros, negociantea de
modas da fuaadu. Tarejo: ajuucia Laimb, ru Heave-des-Pats-Chanip, 16
~ Ixpedicoei: em caza de i.-t. LaBOSB, ras dos Lions-Ssint-Panl, n*, em Paris.
H :i ii l'nf)"'i'a lor H. MH Imiim"j ii-mii'c a.
XAROPE
DI CASCAS de LARANJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico-,
MA11ACBBTICO a>A KSCOLA SCPSSI0S DE FASIS.
JSSJS8!!*! r,e?a'a"sando as funocoes do estomago e intestinos, destroe essas
indisposicocs proteiformes, e faz abonar as molesuas de que sao indicios precurso-
res Mdicos e doentes tem reconheeido que restabelece as indigestoes; fazendo
desappareceroj pesos de estomago, que calma as enxaquecas, espasmos, e caimbras,
lfJZSPZ&PAPS" Pen0MS- Se eS,10 -^vcl'e a^facilidade com que
23E*L. T- m .*d0pl?r cora9 toP^o infallvel das doengas nervosas,
oasnfu, gaslralgias, clicas de estomago e de entranhas, palpitacOes, dores de
%2fSt' vom.lto>nas*; aceto sobre as funecoes assimilaoras tal, que os
SL -SlreS ,'T adPJadrt por resciPiene real, dos dous primeiros
%2TH$1 ^i hdur-et2 de Foumeo Proto-Iodureto de ferro, tendo
ggy.yg.4*" de soa 'nacncia, o primeiro perde sua acco irrhante, e o
segundo seu effeito adstnngente.
XAROPE DEPURATIVO
De easoas de laranjas amargas com Ie-
dureto do potassa.
O odureto de polsssa, administrado en
solucao ob debaixo da forma solida, causa ao
doente ama grandt! repugnancia, ou determina
accidentes que o forco renunciar a esta
medicicio efficaz.
Unido porcm ao Xarope de cascas de laran-
jas, elle naS causa acra gastralgias, nem per-
turbarlo do estomago e intestinos, e gracas a
esto salvaguarda, os tratamentos depurativos
sao continuados sem interrupco, as affec-
i.es tscrtfulosai, tuberculosas, caactrosas i
as secundarias e terciariat, mesmo reuma-
thismtes, nos quaes elle i o mais seguro espe-
cifico. A dose est definida de tal maneira
que o medico pode varil-a a sua vontade:
0 frasee: 4 fr. 50 c
XAROPE FERRUGINOSO
De easoas de laranjas emargas eom
proto-iodureto de ferro.
A asseciaco do sal ferro ao Xarope do cas-
cas de laranjas tanto mais racional guamo
que este sarape, empregado s, para estimu-
lar o apetite, activa a secreeio do uceo g-
strico, c por Bm regularisa as funeces abdo-
minacs, neutraliza os mos effeitos dos ferru-
ginosos e dos ioduretos (peso de cabeca, pri-
sa* do vealro, dores epigstricas) em quanto
ne facilita sua absorpeao. Dissolvid no
arope, elle se tema e se supporta fcilmente,
por achar-se no estado puro mais assimilavel;
a assim pode coatinuar-se a cura da paludas,
corrimentos brancoi, anemia, afecces escro-
fulosas e racialismo:
0 frasoo: 4 fr. 80 o.
Os Xaropes de J..P. LAROZE esta sempre em frascos espeeiaes
(nunca era rneas gtrrafas nem em frascos redondos). Expedic5es: em casa
J.-P. LAROZE, raa dea Uons-Saint-Paul, i, Parla.
Mu ihi i'Hii-i.i lu- n. ;j i.
!*a.iiimt
g&ftS.-gEts--
* 'i = S = B X."
a.* I .< g g ^-


S c f : ?
rTpll
o S o s
a w I 2' _
lis* f?!"!
I 55 -5?i
:.iTz
- __ iz a o
y.-u -(i; rr. es.
u' -i o e S =
mmS*" 3 O
D
a
00
-rfl-
S.t
. > ao 3 5 o ? 9-
5i*. Sr
W
O
3 *3 =
_XgPJc-s na ra J Imperador hotica franceza n. 38.
I
ELECTRO
MAGNTICA
Approiudm por vares Academias i alias
summidadu medical.
O queoeeasioaa designadas c a etlo^na^p do sangue em corlas
partes do corso, a qual producido pelos reslri
atentos e anuitasoalras canias, cutio declara-
o J!aialiim,!j, t5ol, l'uratysia. Fragela
40$ na*t>rt, Couttipafiti, EUphantiaiit, ou
Ptrnut Incitadas, el Dores Sertusas.
O uso da escova XIICTRO-MACN
TICA tea succomo certo para a cura de ludas
Blas molestias, sera recorrer se a nenhnma ojitra
medicocS*. Ella tem ama forma mui manejuel
e produz, a venlade dequem d'ella usa, seos ihais
teta fcllzes resultados. Seo empi^go preserva
*ao molestias cima. Para raauioforanac6esn-
Sl-te-M a noticia aue aecoapanba eada Escara.
aroaito OaUS.
Memintrt 4* Prima* Eutane, i, Purit.
Educaoo de meninas.
Francolina Maurma d Silva Albui|iier]ue pro-
fessora pariiiuilar do uoiruryo primaria far. sa-
ler a i|ufin convier, que lem abt-rioa .ua aula
ra eslreita do Rusd.nu n. .'{8, st^undu Hdar. A
rnaierir.s do ensino ;"u> as snaruiiiios: loilura, cali-
iirai'iiia, nocoesdo arithmeiicn, graiumalica por-
lugu-za coob apiiici;fms pratica*, duutrina evan-
Belira, costuras, marcas e Imrdados do iodas as
aaatuWe*. Hecebe-se tudo e qualquer trabalho
de bordados.
O hnmcm solieiro ou casa de pouca familia
i que precisar de urna ama dirija-se a ra do Hos-
pu-io n. 5.
Hrvoisa-se Oe um nii-nino de li a i(i annus
para caixeiro, prefere-se iesUtk cliegados ullima-
I mente : na ra das Laraiigeiras n. 13.
OUirtCt-so una a;na que sabe cosiuhar e
| lavar para casa da familia : a tratar na ra do
Uut lutado.
Vende-se na roa o Imperador
francesa j). 38.
botica
O Sr. alfer.'s do 9" balalliao, Secundiio Ay-
res Velloso do Moflo, que !!orou na ra nova do
Pires n. 18 : dirjase a ra ,do Destino u. l&,
nuncio. ;
cww ciuir
^adlieuga,
r'Kttiao lugar
Livro do Povo.
O livro do povo, obra ornada com estampas,con-
tendo a vida^e Nosso Senhor Jess Cnrslo, e tnui-
tos artixos uleis. E-te livro das familias rerom-
mendado e appiovado pelos Exms. Srs. D. Luiz
hispo do Maranhrio e [). Manoet arcebi3po da Ba-
ha, vende-se a 15000 cartoriado, na livraria de
Jos Xogueira de Soma, ra do Crespo n. S.
RELQaiOfiu
^Vende-se er casa de Johnston Pater
C.rua.o Vigario, n. 3. um bello sorti-
menlo, de ralfigios de ouro patente io-
glez. Je uin dos mais aEamailos fabricantes
tle l.iver|Mol, e tambera orna variedade de
bofriosiinMiceliits para os meamos!t
Or*ksa* de urna ama para cozinhar eroiu'
I {irar : na ra das C.rur.ps n. 9, sesvundo andar.
Ksr.n.m.
N ra Imperial n. Mi, prubase alugar urna
escrava queeornprf, cosinhe e enyomme para ca-
sa depourafarallia.
Preclsa-se de urna ama r/jrva casa drt faTnrlia, so-'
mente para cosmiiar : quem se migar hal>ihfada
"dirija-se a rita da Cruz n. 03, primeiro aojar*
i m\ 4 FOfITO
aos 6:000.00
lihees garaulidos
i' ra de Cresie u. 23 e caaes de eostna.
0 abaiMssiguado vondeu nosseus muitofeli-
xes billiett)Si.araolidos da lotera, que seanabou
de ettralMr a booertcio da Santa Casa da Mise-
;ricordia, os seguales premios:
O inteiro n. 1326 com a sorte de 6:900s5000
Um meio n. 2083 com a sorte de I.004000
Dous quarios n. 2876 cora a sorte de SOtlaJ' 00
E outras militas sortes de 200,8, 1009, 402 e '
29J000.
Os possuidores podom vir receber seus respec-
tivos premios sera os desconlos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acliam-se venda os da primeira parte da
quarta lotera a beneficio 4a Santa Casa da Mi-
sericordia, que se extrah no dia 17 do cor-
rente.
Bilhetes inteiros..... 7,5000
Meios......... 3500
Quartos........ 1#9Q0
Para as pessoas que eomprarem
de 100 para cima.
Bilhetes...... 6*500
Meios.......I 32230
Quartos......, 1^700
Manoel Martins Fiuza
PILMAS CATB1RTIC4K DI %U.
Estas pilulas vegetscj si a'
daptadas a todos os oses de um
.purgante as familias, pois >a>
perfeilanienle innocentes, e en
quaolo milhares de pessoas co-
fessam coas gralidao que foram
curadas por ellas de nolestias
seberas e perigosas;nao ha
um s caso era que baja suspei-
tas do aais lere resultado Mja-
rtan por seu uso.
Publicamos aqui alguns as
attestados que temos de cura
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
Companliia & e^tra.,a de ferro
DO
Recife a Silo Francisco.
AVISO.
Grande festa un Ben-Yiagem
Domingo 15 de Janeiro de 1865.
Para maior c-ommodidade
| das pessoas que quizerera
| ir a Boa Viagem no dia ci-
ma indicado, alm dos trens
.ordinarios llavera tres es-
peeiaes que partirao
ias Cinco Ponas s 10 horas da manha.
I i 11 a
s 4 da tarde,
di Boa Viagem s 10 horas da noite.
G. O. Mattn.
Engenlieiro e superintendente interino,
O solicitador Pedro .Vexandri-
no da C'o.sa Machado
se encarrega ante o foro .iesta cidade de tudo que
for tendente a sua protis.-ao, aceita departido an-
nual as pendencias judiciaes de qualquer rasa
commercial mediante razoavel ajaste. Contina
a se encarregar de cobraneas nos termos do Cabo
e Ipojuca aonde contiuua a trabaibar como dan-
tes, e enearrega-se de defetas perantfl o jury nos
termos prximos a via ferrea, offerecendo gratui-
tamente seus servicos aos desvalidos, pode ser
proeu-ado lodos os das uteis das 9 horas da nia-
ubaa as 3 da taran na ra estreita do osario n.
34, e fora deseas horas na ra Imperial n. 36, ca-
sa do sua residencia.
Arrenda-se e lalve se venda um dos inellio-
res sitios da estrada do Arraial : quem o preten-
der pdedirigr-se na larga do Rosario, out'rora
ra dos QuarNs n 22. sobrado de dous andares,
que achara com quem o informe do sitio, e com
quem se podo fazer ncgori por qualquer forma.
caixeiro.
Na prae-a da Independencia n. 22, loja ile bilhc-
tes, precisa-se de um caixeiro para taberna.
Clnb Pcrnambueano.
O salos do Club esto a dfsposhjSo dos sr.cins
e suas familias que quizercm assistir ao desembar-
que de S. A imperial a Sentara D. Isabel e seu
Augusto Esposo o Senhor Conde d'Eu, que se es-
peram do s'il no prximo vapor inglez
SSJoBalfSiatifSnrS'-a^^iittrf^aS!^^ M
B O Dr. Cosme de S Pereira conti- ^g
i na a residir na ra da Cruz n. 53, 8!
jijfg Io e 2o andar, onde pode ser procu- rjf
i rado para o exercicio de sua profls-
I sao medica, e com espocialidade
B sobre o seguinte
Io molestias de olhos ;
2o de peito :
3o dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados ua ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
fo que julgar conveniente para o
prompto restahelecimento dos seus
doentes.
mmmmnmmmnmmmm
t Aluga-se duus grandes armazens no Forte
do Mato com a frente para o caes e o fundo para
a ra da Monda: a fallar na ra da Cadeia Velha
armazem n. 66.
AfTeece chronica de ligad.
Il.l-N. Su
Juiz de Fura, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito usn das ululas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um t-
dro, tendo lirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
femidades do ligado e baco, coa o oso
das pilulas posso Ihe assegurar que estou
bom, pois tendo desapparecido um branda
engorg i lamento que solTria, militas dores
sobre a regiae do ligado e costas, dores d
cabeca, incfaaco do venue, nu pudendo
deitar-me seuo do lado direito, isso mes-
mo procurando posigao para ter socego, ho-
je me ado livre d'esse padecimento ; coma
por aqui ainda as nao haja, eu como tenha
i este proprio que de casa, Ihe rogo man-
; dar-me alguns vidros, e o custo elle Ihe sa-
(tisfat, assim bem como do charope de
i cereja, que tive occasio de experimentar :
em um ataque de guellas que Uve una
preta que cora elle curei, faco uso d'efles
as tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze. porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, todas teem tirado grande
| resultado; sou
De V. S. atiento abrigado.
Fkancisco Fkkiikira Paks.

ilhcuinatisDio t ataques hruiorreidaes.
la. Sr.
Ouro-Preln, 30 de marro,de 1864.
Posso certificar-llio que as pilulas ca-
tliaiticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
(jue soffrendo eu dores pelo corpo. e que
suppunha ser rlwum.itismo, (molestia esta
que j havia soffrido ha anuos) e soffrendo
tambera de ataques hemotrhoidaes, e de
um ouvido, pois que al j nouco ouvia, e
acompanhado de tima dr no queixo, con-
sullei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo eu o alnianack do mesmo doutor,
comprei em sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques heraorrhoi-
daes : portanto sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado ;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado.
O brigadeiro
Joo Rodrigues Feo de Gabvalho.
Gaslrile.
Ouro-Pieto, 29 de marro de 18(>.
Atteslo que tendo feito uso, aconselliado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
liquei perfeitamente bom de urna gastrite
que sollria e 'jue privava-rae de andar apor-
tado, hoje felizmente nada-sinto.
Augusto Gollati.no dk Mello.
Falta de apetite.
Ouro-Preto, 21 aV fecereiro de 18C4.
Sendo eu affectado do figado ha muito*
annos, e ltimamente soffri falta de apetite,
hoje dou gracas a Deus por achar-me saa
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Anto.mo Bento Vieiiia.
Atienco.
D-se dinheiro a juros, tratase cora o
Sr. Gameiro na hotira.
P ra a Estancia.
Pretende sahir nesies qutro dias o patacho bra-
sileiro D. I.u/z : quem no mesiBO quizer carregar
carne ou oulro qualquer genero a frete cummodo,
pode dirigir-se aos consignatarios Palmeira & Bel-
r5o, largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
Consultorio medico-ebirurgico na ra larga do Ro
sariu n. 20.
O Dr. loo Ferreira da Silva regressando i saa
casa, contina em o exercicio de sua proflsse,
nao s na parte medica como tambem na chirur-
gica.
Aluga-se um sitie ua ra do Cabial da
cidade de Olinda, cora casa terrea, com co-
piar nfrente, botaos fundos para a estra-
da e margen} do rio Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
e capim para sustenta-los, arvoredos de
fractos, sem visnho defronte nem pelo
fondo, com ptimos passeios,sala e gabi-
nete na frente, muito propria para passara
feata, e tambem se alegar poranno : a fal-
lar no Recife, na livraria n. 6e8 da praea
da Independencia, e em Olinda na casa con-
tigua com o eapitfo Antonio Bernardo Fer-
reira.
Alutca-s ntna'ferTiee fresca eMribaria qjje
admitie bem Sai bot*. rom bom qnsrie qne ser-
ve para mora'fa e flea bem defronte da estacao :
a tratar as Cinco Pontas n. 116.
INohllI-r
Constipaco, dores de cabera.
Ouro-Prelo, 28 de marco de 1864.
Atiesto que achando-me atacado de una
i forte constipado que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri horrivel
mente por espaco de quatro dias; entao
um amigo acon3elhou-me que tomasse p
lulas atharticos do Dr. Ayer : com ellas li <
! quei sao e completamente restabellecido em
tres dias, de sorte que estou no flirme prc -
psito de aconselhar o uso das ditas piliila.;
V todas as pessoas que forem anortadas de
jnstipacoes.
Agostimio Jos da Silva, negociante de f;t-
zendas.
Irritaras de estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco de 180*.
Atiesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito tempo excessiva irritara*
de estomago, pouco apetite e difficil dies-
lao, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio HEawoecNES Pereuja Rosa.
Loabrifas.
Ouro-Preto, 28 de marco de 18U4.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas eom grande vantagem por
mim em urna menina "de dez annos, que
sollria de vermes intestinaes, notaridu-eo
que os symptomas que entao apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Raimundo Nowato S. de Thiago, pharma-
ceutico.
Alugam-se raobilias
ri>4.
no pateo do Terco nuese-
Aloga-se o armarem n. 35 da rt Ae hnpe-
rador : a tratar na mesma roa, armazem de tonca
n. 4!. *
Precisa-se do nm moloque ou de urna preta
captiva para o servico interno de urna casa ; na
ra do Crespo d. 23.
PietralgU.
Urna carta do Jllm. Sr. Francisco Atva-
renga de Aaevedo.
Ha mais de sete anuos que soOria dores
no hombro e as costas, tomei urna infini-
dade de remedios sem achar alivio figura.
Dr, angoslia, tormento sSo ufavras for-
tes, porm nSo exprimen o qw tenho sof-
frido : ltimamente tomei as pilulas c^
tbaptieas do Dr. Ayer. Sd taz to das, e es-
tou completamente restahelecldo; ha tre
dias que nao skito a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pululas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e drogaras do Imperio, e no
Rio de Janeiro, ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na phiirnaacia franceza dr
P.MAURER C.
RA NOVA N. 18.
/
* i

Te.____-.',


DUrtoJe reroa_*_e... *#>*** i* to*elr de *.
JOS OMES VHjLAR
Oom loja de fazendas a na do Cre^o n,
17.
Pretendendo Ir multo breve a Europa tratar de sua saude, pede aos seus devedwe*
tanto do raato como desta praca que saldem seus dbitos quaoto antes, assimcorao
Est liquidando
o eea importante estabeteoimenlo de farendas,-vendeodo tudo por presos que na realida-
e admirara; aproveitem Exoeilentissimas senhoras
As fazendas de apurados gostos
As fazendas de aparados gostos
As fazendas de aparados gostos
K por precos que admira
E por,presos que admirara.
<-i:SlAI, ItEiOUUL\DA^O
ARNAZGH (MSERVATT
23-Largo do Tew23.
Joaqun Simio dos Santos, dono deste bem sonido armazem de mornados faz sclente era*
reeemraendaeo aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, que est resolvido a vender os seas
bem conhecidos gneros de priraeira qualidade, por menos de 10 a 20 por cento, menos do que em ou-
tra qualquer parte a dioheiro contado, e todo o comprador que comprar de SO* a 100$ tera o descon-
t de o a 10 por eento pelo seu promplo pagamento; e por Isso se faz annuncio de ilguns gneros,
para eom este melhor se certiQcarem.
Maisas para sopa macarro, talharim e aletria a
2W rs. a libra e em caixa a 55.
foacinho de Lisboa alvo rauito superior a 280 rs.
a libra e 83800 a arroba.
Aosseihores pats-de familia.
O padre Flix Barrete de Vas-
conoellos, com aula particular de la-
timna roa do Imperador D. 85, i.*
andar, contina a neceber alumnos
de todas as classes, dorante e de-
pois das ferias'. Tambera est dis-
poste a abrir um irso de primei-
ras leltras e de francez, logo que
naja numero sufliciente de alumnos
para cada urna destas materias, e
assim tambem a receber como in- ^
temos alguns meninos.,de uja odu- 9|
cacao o quizerem encarregar. Os ^
pagamentos sero por trimestres
atVumtados, e os precos declarados
pessoalmente na occasio do ajuste
para a entrada do alumno.
****-*rj**>:.$
[REMEDIO PROFICLOi
para a cora das esorefalas, ggg
glaadalas enfarladas, !a- M
mores escrofulosos e affecces }t$
m
%
DENTISTA DE PARS
19Ra Nota-19
Frederieo Gautier, cirurgiao dentist i,
faz todas as operacoes de sua arte, e enl-
loca deates artificiaos, tudo coin superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lbe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
este genero.
O abaixo assignado entre as plantas
subraeuidas ao seu exame botnico de
que a mito se ba entregado, desde que
flnalisoo seu tirocinio em dita sciencia
pelo exmelo curso do antlgo jardim bo-
tnico de Ollnda, e averiguando certas ^p
propriedades medicinara que Ibes trans- ^M
mitiiram de algumas planta, verllicou p*
que a vimia anliscrofala era um espeei- W
fleo contra as molestias cima denomina- ^
das (na linguagera vulgar) alporcas. Re- "
solveu-se porlanto a expor ao publico es-
te interessaoto medicamento em tintura,
em vidrinho de 1|2 on$a, que um s vi-
driado bastante para a cura de um es-
crofuloso e fica muito remedio. ,'
Com os vidros acompanham um im-
presso, que explica a maneira da appli-
cacao e mais circunstancias.
Vende-se as botiras dos Srs. Jos Pe- .
reir Jacimho Jnior, Reciferua Direila H
n. 135, c na doSr. Joo Soares Rapozo,
OJinda ra dos Qaatro Cantos. Prego de
cada vidrinho 5.
Jos Eleuterio Carneiro da Cunha.
Veneza do norte.
Raa das Grazes n. 39, confronte a tjpograpbia do
Diario de Pemsmbue.
Aeha-se de novo nestarua o botequim Veneza do
Norte, o qual principiar a fornecer comedonas
de quarla-feira 11 de Janeiro em diante, tanto
avu!so como par asignaturas, com promptidao e
aceio. Tem na mesma para vender urna grande
arraaco onvidragada, sobro columnas torneadas
a moderna, tudo do amarallo, envernisada, que
serve para qualquer estabelecimento. Na mesma
precisa-se de um escravo para Iodo o servico ex-
terno da casa.
O hachare!
Francisco Augusto da Cosa
ADV6GAD0
Ra do Imperador numero 69.
Attenco.
Compram-se calcados da trra de todas as qu-
lidades : na praca da B.a-Visla n. 15, oflicina de
charutos de urna noria s.
jamo;
tmm V~
Aula particular.
O abaixa assignado, profossor particular, provi-
sionado pela directora geral da instruccao publica
para ensinar primeiras lettras, lalim e francez,
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 260,280
a 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 8* e
85500.
Choancas as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 12-3.
Passas vindas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a 8$.
Batatas eragigos de 35a 10 libras por 2*400 a ar.
robae a 80 rs. a libra.
Cb hysson miudinho supeior juatidade a 1200,
2*000, 25506 e3j a libra.
Milho aipista e painco mnito limpo a 140
bra e a arroba a 4400 e 4:300.
Pbosphros do gaz vindos por coota propria a 180 '.
rs. o maco e a 25 a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
lo a 2800 e a caada a 45500.
Serveja das marcas mais acrediladas a 500 rs. a
garrafa e a duzia a 55800.
Figos de Comadre muite novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abalimento.
irroz do Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a libra
a a arroba a 25800, 25 e 25400.
Assim como ha um grande sortimenlo de charu-
I tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
T,Na WW*l*tef>e&te*cl*, loja de ounves respeilavel publico e igualmente aos
_ 33, compram-se obras de ouro e prata, e pedras | ,,*, pas de"seus disJpulos que segunda-feira
9 do correte tera de continuar
.- | preciosas,assim eomo se faz qualquer obra de en-
"-eommenda.e todo e qualquer cencerto.
Conipanhia ilcl idade de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Luir de Oliveira Aievedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa em pipa a 560, em botijas, bolachiohas de soda, conservas,cboco-
500 400 e 640 rs. a garrafa. | late, marmelada, vinho engarrafado eoutros mui-
ldera proprio para negocio a 320 e 360 a garrafa tos gneros que enfadonho menciona-los, e se al.
e a caada a 25400 e 25700. guem duvidar venha ver.
mm deposito m pianos
DE
no ensino das su-
praditas materias, adrailtindo matricula alumnos
externos, pensionistas e meie-pensionislas. A pra-
\ tica da 19 annos consecutivos no exercicio de seu
magisterio, sua inteira dedicacao e sao garantas que offerece aos scobores pais de f.i-
' milias, que desejam a sa e til educado a seus
] lilnos.
Quem portante quizer confiar ao mesmo abaixo
I assignado a educago de seus lilnos, pode dirigir se
a qualquer hora do da aoterceiro andar do sobra-
do n. 58 da ra Nova, onde ha rnuito lempo est
estabelecido.
Jos Mara Machado de Figueiiedo.
Casa de cdocaco.
JeronymoPereira Villar transeno o seu esta,
balecimento de instruccao primaria c secundaria
__Os abaixo assignados pedem por especial ob-
sequio a todas as pessoas conhecidas e amigos do
I finado Augusto Antonio Rodrigues, subdito portu-
1 guez, que se dignem no da segunda-feira 16 do
corrente stimo de eu fallecimento, s 5 oras da
| manhaa romiiarecerem na igreja matriz da Boa-
I Vista, afim de assi pela alma do mesmo finado. Os mesmos abaixo
assignados desde j agradecem a todos que se dig
narem assistr lao religioso acto de caridade pro-
pria das almas bem formadas.
Huarle Antonio de Miranda.
Joao Jos dos Santos Lima.
Albano Moreirados Santos Andrade.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da Inde
pendencia n. 22._________________________
Compra-se effectivamente
a onroe prata em obras velhas pagando-se bem:
Ad verte -Se ao br. encuno JOaquim paraa raa |arga do Rosario; sobrado de dous an-1 **** 'arga do Rosario n. 24, loja de ounves.
deAgmar, que a SUa aSSlgnatura deste daresn. 22 ; e participa nao saoslllms. senho-|--------1'Amnrm > wravo*
Diario* est por pagar desde outubro do res, pais de seus alumnos, como an r^ii,v..i I
COMPENDIO DOLOROSO
que conlem o oflicio de Nossa Senliora das
Dores; o modo de resar e offerecer a ce-
ra, um setenario e mais outros exercicio
de piedade e devoc^o; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penha do impetiol hospicio dos reveren-
dos padres missonarios apostlicos capu-
chinhos italianos de fernarabuco, approva-
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devoejo do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da pra?a da Independencia ,
Veniiem-se
10 cadeiras de balaceo com assf nlo e encost de
palhiaha, ltimamente chegadas da America : no
esrriplorio de Matheus Austin o C. oa do Trapi-
che n. 36.
Cozinbeiro e boleeiro.
Vende-se um escravo moro, cozinheiro e boleei-
ro, perito em qualquer deMes officios : trala-se
na ra do Destino, casa terrea z. 18, com Seve-
rlano Muniz Pacheco.______________________
Versos ao Divino
Aehara-se a venda na ra do Imperador n. 15
defronte de 8. Francisco por preco de 160 rs. ca-
da nm exemplar em brochura, versos ao Divino,
proprios para se cantarem depois ou antes de
qualqoer solemnidad, festa, novena tu mesmo
em casas particulares.
Propoe-se urna pesloi habilitada para ensi-
nar primeiras letras, grammatica nacional e anth-
metiea em qualquer engenho : os senhores que
precisarem, dirijam-se a ra do Imperador no es-
criptorio do Porto Carrero, ou na Capunga, ra
da Boa-Ventura, casa n. 16.
COMPRAS.
alumnos, como ao respeilavel
Silvino Guilherme de Barros compra, vende e
anno passado, e que o propietario da loja ,.m. JM gm. nodia 8 de; ^^S^^OS^TS^iJSs
de ounves da ra larga do Rosario n. aqj Janeiro aoanno vinaouro ae iat>5.________
tem declarado que nao se responsabisa, Manoel Francisco da Silva Carrito ora
portantoS. S. qneiramand3r satisfazer nes- residente em Macei, julga nada dever1
|ta typographia.
M-BUA TS0WA9ft
Tendo Henrique Vogeley fleado com a acreditada casa de panos do Sr. Joao Pedro Vogeley'!
sita na ra Nova n. 25, lem a honra de annunciar ao respeilavel publico que continua a dita casa! j
com o mesmo fin esperando o annunciante que merecer a mesma conlianca que tivera seu ante- j
cessor.
Neste estabelecimento encontrar o respeilavel publico um grande sorlimento de pianos fran- i
cezes e allemaes dos melhores fabricanles da Europa, escolhidos especialmenle para este clima pejo
proprietario de.-te deposito entre os melhores c mais acreditados que esliverara na ultima exposico '
universal em Londres.
Os amadores deste instrumente sao rogados a virem apreciar as bell?.s TOZOS destes pianos e ,
admirar a sua excellente construecao nico nesla cidade. 11
Xo mesmo estabelecimento continua-se a alngar, afinar e concertar os pianos, tamo na cidade | i
como nos arrabaldes.
O propeietario responsabiliza se pela sua excellenle qualidade.
Saques sobre Portugal.
O abaixo assignado. autorisado pelo
Banco Mercantil Porluei-se. e na ausencia
do Sr. Joaqaim da Silva Castro, saca ef-
fectivaraente por todos o paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Por.o, e mais luga-
res do reino, por qualquer somraa vis-
ta, e a praso ; podendo, o que tornaren
saques a praso.receberem s isla, no mes-
mo Banco, descontando 4 00 ao asno: na
loja de chapos da ra do Crtpo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segando an-
dar.Jos Joaquim da Costa MVia.
nesta praca ou fora della, mas sealguem se
julgar seu credor queira apreseniar seu titu-
lo nestes 8 dias, que depois de verificado
ser immediatamenle pago por Francisco
Ribeiro Pinto Guimaraes (para isso autori-
sado) ra d'Apollo armazem n. 38, Reci-
ie 7 de Janeiro de 1865.
Ir
0 professor de piano
Coelho da S. Araujo, contina a lec-
cionar, mora na ra do Livramento n.
21, segundo andar.
na ruajle Imperador n. 79, tirceiro andar.
Compra-se
cobro, lalao e chumbo : no armazem da bola ama-
relia no oito da secretaria da polica.
VENDAS.
VCIONAL
Companhia geral hespanhola< de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
boa ad-
Uuia flanea em dinheir*, depositado nos cofres do estado, garante a
ministradlo da companhia.
DIRECCO GERAL
Madrid : Ra do Prado n.
THESOURO DAS MAIS
Providencia das enancas
Primeiras lettras. collares ROIER
Harta fiarthuleza da Conceicao partecipa acs Eleclr-magBelicos
Illms. senhores pais de suas alnmnas e a tedas as chamados ___ _
pessoas qne Ihe quizerem dar a honra de Ihe COLLARES ANODINOS DE DExNTigAO
confiarem suas meninas para lhes ensinar o Contra as convulsoes e para facilitar a
necesario s materias de primeiras lettras e denticodas criangas preparados e inventa-
lngoa tranceza : far lodo o esforco para que ,jos p0r Royer,pharmaceuticoda esco-
ellas obtenham odesejado aperfeicoamento adan- la superior de Pars, successor de Chereau,
cando-lhe a boa lettra, e Ihe tirar qualquer vi- membro da academia de medicina,
' ci na prenuncia, seotlverem. Sua escola estar amga casa deliiuillon-Lagrange, pharmaceutico
rberta de 9 de Janeiro em dianle : defronle da do imperador,
matriz da Roa-Vista n. 84. ______ | chefe dos trabalhos chimicos da escola po-
lytechnica.director da escola de pharmacia de
Paris, e membro da academia imperial
de medicina.
O tachigrapho'C. Falcao acha-se de volta
esta cidade, c reside na ra Imperial n, 25, pri-
meiro andar.
19
Jof Soares d Azevedo, professor de lingua
e litleratura nacional bo Gymnasio Provincial do
Recife, tem aberto em sua casa, ra Relia n. 37,
um curso especial para cada urna das seguiutes
materias:
Linpua franceza,
Geopraphia e historia,
Philosophia nacional e moral,
Rhclorica e potica.
>7'.
BJ
m
m
m
O bacharel
Jos dos Anjos Vieira de Amorim conti- W
na a advogar em seu antigo escriptorio ^|
da praca de Pedro II ou paleo do Colle- w>
glo, como se chamou em oulro tenipo : *S
ahi pode ser procurado das 9 horas da M
manba as 3 da tarde, e as horas di- -j
versas destas, na casa de sua residencia J
sobrada n. 33 da ra do Hospicio. *p
<;j nuuasio Provlnolal.
Bo dia 16 de Janeiro em diante, cstarao ber-
tas as matriculas das segnintes aulas do Gymnasio
Provincial: primeiras letras, latim, francez, I
i*r.
i;ii.Mi,.ri narinnal cipnc as naturaes e*usica. i ment0 ae Reiros e rruiias que na,
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hcspanha
Esta eompanhia liga pelo sysiema mutuo todas as combina^oes de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se lazer asubscripcao de manera que em nenhum caso mesmo'por morte do se-
gurado so perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACI- Ag pess"oas "'ue des'jarem frequentar qualquer gg
NAL,que alada mesmo dimlnuindi urna terca parte do interesse pnduzido em recentes liquidac;5es,' estas dSCiplinas, podem dirigir-se Indicada re- Bj
econbinandoo com a mortalidade da tabella de Depareicnx que e adoptada pela companhia para os si(jenfa'e manha at as 9 horas, e de tarde a SS
seus clculos e liqaidaco.'s, em segurados da idade de 3 a 19 annos, urna imporsigo annul !e 100^ qUa|quer hora,
produz em effcctivo mlalico :
No fim de 5 annos.......1:1195300
. de 10........3:9425600
, de 15........11:2085200
de 20........30:2565000
de 25 .......80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectos e mais informaedes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia o Sr. Jerony
mo Joaquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadea n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabe
lecimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmo._____________________________________
Antonio de Souza Rangel, morador no silio
denominado do Trique, (raiillca razoavelmente a
quem pegar o seu escravo Francisco, que se au-
senten de casa no dia 4 do corrente. O referido
escravo crioulo, de estatura baixa, desdentado e
de ps grassos em razo dos eravos de que ha pa-
deeide.
Aluga se a ca chaves esto na praca da Boa-Vista n. 10 e trata-
se na ma de S. Thereza n. 38.
Precisase de um criado cozinheiro, hornera
oo mulher : a iratar no paleo do Carmo n. 26, so-
brado contiguo enreja de Santa Thereza.
Joaquim Jos de Sanl'Anna Barros com aula
particular de instruccao primaria, na rna da Cruz
n. 31, priraoiro andar, participa nao s aos Illms.
Srs. pais de seus alumnos, como ao respeilavel pu-
blico, que abre sua aula bo dia 9 de Janeiro cor-
rente.

ALMANAK.
Acaba de &ahir dos pr-
los de nossa typographia o
Almanak Administrativo,
Mercantil e Industrial desta
provincia, correcto at 31
de dezembro, e vende se a
1$; na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
e 8
w
#>
m
e litteratura nacional, sciencias naturaes e^usica
Nesse estadelecimento mediante a mdica quan-
tia de 15 diarios, tem os alumnos internes roupa
lavada e engommada, medico, botica, barbeiro,
luz, penna, papel, tinta e ereados para o servio.
Os meios-pensionislas pagam metade dessa quan-
tia e os exlernos 155 por trimestre, podendo fre-
quentar as aulas qne quizerem.
O secretarlo, Cabral.
Andr Long
lastrueeSo particular.
O abaixo assignado continua a leccionar latina e
francez no segundo andar da casa n. 32 da ra
do Queimado.L E. R. Vianna.______________
MDANCA.
Manoel Perreira Pinte Malheiro mudou a sua
loja de ounves da ra das Larangeiras para a ma
do Cabug o. 2 B, onde espera continuar a mere-
cer a coulianca de seus amigos, e do publico em
g*ral. _______ _______________^_
Tendo de fazer nma viagem Europa, o abaixo
assignado, Aogm-te Frederieo de Oliveira, faz pu-
' blico que, durante a saa ausencia fica o seu cu-
nhadooSr. Eduardo Candido de Oliveira na ge-
rencia de sua casa commerclal, cora plenos pode-
res para tratar de todos os negocios que Ihe dizem
respeito, assim como des relativos s massa= fal-
lidas de que o abaixo assignado administrador.
Augusto Frederieo de Oliveira.
Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra o Crespo n. 7.
0 bacharcl Jirge lioi-nrilas
continua a residir ra larga do Rosa-
rio n. 26, primeiro andar, onde pode ser
procurado para exercer a sua profisso:
1 de advogado nos auditorios desta ci-
dade ;
2 de meslro da lingua franceza, en-
sinando-a larde, e tambem noile a
pessoas cujas occupai.oes embaracen!
aprenda-la durante o dia. ^
vmmmrnmwwmm
O abaixo assignado avisa aos sen s numero-
corno os mora-
um grande sorti-
por menos 2C
por cento do que em outra qualquer parte, tudo
com muita promptidao e brevidade, na taberna do
balo.
Candido Martins de Araujo.
Alnga-se o Io e 2o andar do sobrado da ra
do Arago n. 1, ou cada um de per si: a tratar
na ra da Cadea do Recife n. 62, primeiro andar.
A bordo da barca franceza VirpU tem urna
poreode vasos para flores e alguidares vidrados:
as pessoas que desejarcra comprar dirijam-se ao
capito da mesma. em casa de Tisset Freres, ra
do Trapiche.
Para 1805
Acbam-se venda na livraria ns. 6
da praga dalndependencia:
AFOLHINHAE PORTA, abrangendo o
kalendariocivile eclesistico, tabellas de
feriados, de emduraentos dos tribunaes
do commercio etc. a 100 rs.
A FOLIILNIIA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquel la e mais urna nova
Salve EUinhaem verso,o StabatMaterem
Testanaeutos.
Acbam-se a venda os seguintes tes lamentos,
obras proprias para entreter em horas vagas na
ra do Imperador n. 15, defrente de S.Francisco :
da gallinha, gallo, per, leo, onca, tigre, morro,
vigario, porco, pelleja entre urna alma, S. Miguel
e o diabo a 160 rs. cada um exemplar._______
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Raa do Qaeimddo V 19,
%'eudc-se o seguiste :
Attencaol I
Ricas lazlnhas, fazenda a melhor que tem yin-
do ao mercado,tanto em gosto como em qualida-
de, pelo baratissimo preQO de 560 rs.o covado.
Ditas miudinhas carmezns, proprias para vesti-
dos de meninas e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de 13a com 15 rovados, pelo barato preco
de 65-
Cobertas de chita da ludia a 255(0 e35.
Lencesde panno delinho a 25 e 25500.
Pecas de cambraia de forro com 8 i|2 varas a
35200.
Toalhas alcochoadas proprias para macs a B# a
duzia.
Ricos cortes de laa com barra a Mana Pa a
185-
Pecas de platilhas de algodo com 10 varas,
proprias para saia a 45-
Algodo enfestado com 7 1|2 palmos de largura
a 15100 rs. a vara.
Esleir da India, propria para forro de sala de
4,5, e 6 palmos de largura, por menos preco do
que em outa qualquer parte.
Neste estabelecimento tambem se encontrara
om grande sortimento de roupas feilas, e por me-
dida______________________________
Grande armazem (le liutss.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos e utensis os mais rmpn gados
e usados na pharmacia, pistura, photographia. tin-
turara, pyrotechinia (fogos de artificio) ccr*. outras
industrias.
Montado em grande escala, e suppnndo-sc di-
rectamente as principaes drogaras de Pans. Lon-
dres, Haroburgo, Anvers e Lisboa, pode offeiecer
productos de plena ronflani;a e salisfaztr qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por pr< sos
razoaveis. -
Prvidos de machinas appropnadas satisfar
com promptidao qualquer pedido de tintas moldas
a oleo, cuja qualidade e pureza de seus ingr>dien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e nue se enconlram no mercado em latas (chaas.
Tem grande collerco de vidros de cifiormtes
formatos, desde urna oitava al dereseis Miras de
capacidad? ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios ; de pinceis para fingir madera com
propriedado e outros; de papis dourados e pra-
leados e folbas do gelatina para ornamento; do
papel grande cpequeo formato devanas cores
panrembrulho, para fono de casa, para i'esenho
com fundo j frito : de papel albnn irado e Britol,
verdadeiro saxe para photographia e para Mitrar,
e outros ; vernizes do essencia para qnadros, de
verso/devoco ao ngonisanle.coraco ^u^^m^mmgn Jf*
Jess, cntico em louvor do Santissimo ctar|fi(.ld0) oit,0 de 0t.|el> secaivo de Bailim, curo
Rosario, cntico a Virgem Mara Nossa | verdadeiro em p ; prata, ouro, e eslanho em fo-
Senhora, trinta e tres chistosasanedoctas.
um indito poema sohre ns aventuras de
um cosinlieiro, o canto de urna solteira
(poesa), crescido numero de mximas e
pensamentos, urna historia como muitas
(romaneo,), e vinte e cinco novas e pi-
Ihericas charadas a 320 rs_________
Milho ivo em saceos gr andei: no trapiche
d* Cunha, a tratar com Tassojrmaos^_____
- Vende-se a taberna da ra dos Pescadores
n. 43 : a tratar na mesma.____________
Luvas de Jouvin,
brancas, pretas e de cores, para homens e senho-
ras, com gargantillas e borllas chegaram pe
pariuete francez Guiene : vendem-se na loja
miudezas da ra do Queimado n.
do
16.
Libras esterlinas.
Vende-se ao preco corrente de 9,5 por
cada urna: na ra do Crespo escriptorio
n. 15.
lhas de varias cores ; tintas vegetaes, innfTensi-
vas proprias para confitarlas ; la de cures, e
olhos de vidros para imagens ; tinlas em tubos e
tolas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essenria de rosa superllna, de ne-
rolv, jasmim, bergamota, aspire, paichr-nly, mbar,
bouquet, limao, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
louro, cereja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
anis da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jecios que s com a vista podero ser mostrados.
Joan Pedro das Nerrs,
Gerente.
encarrega-se de toda e qualquer funegao tendente
a sua arte, tamo nesta cidade como nos arrabal-
des, fomeceado o stvco necesario; incumbe-se --------: /.'..*.rt a na
da direc?o e execucao de qualquer trabalho del Antonio LUIZ U Ultteira AZG-
cozinha, bem como jantares extraordinarios, sa- iipiln S C
ros, bailes, lanches; assim como aprompta com #,
(oda a presteza variaeoes de pecas geladas : quem I Agentes (lo BilllCO l'llio UO Porto,
de seu prestirao quizer utilisars dirija-se a rna c^npetentemente autorisados sacara por todo
paquetes sobre o mesmo Raneo para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias. .
Londres sobre Banh o London.
No dia 8 do corrente fnrtaram, do -silio do
_Maoruinho, onde reside o hrigadeiro Menezes
Di uininond, duas burras, nma ruca e outra casta-
DhU, arabas naneas e habituadas a andar em car-
ro ; tem as dinas feilas e estao bastante gordas -,
quem dellas souber, ser gratificado, dando noticia
au levando-as ao referido sitio._____________
-~ O Sr. morador da ra Nova que se
aeha a dever 6quarteis de assignatnns des-
te Diario, queira manda-las pagar pois
assim como ella gesta de rece~ber a paga de
seus ser vicos de ve atleoder a d>s ou-
tros, principalmente o do Diario em que
trabalham mais de 60 pessoas.________
AMA DE LEITE
precisa-se de urna ama qae tenha bom leite
para amamentar um reeem-nascido, airradando
paga-s bem : a rifar Be l$rgo do Corpo fiante
p f*,_________________________ ______________
~ Alog-e f primeiro e cegnad/) andares da
casa da ruado Mentira n. 19, para ver a ehaves
acha-se na mi do morador da loja da rrwima ca-
ga, e para tratar na ra da Cadeia n. 36, esquina
do Becco Largo seriptorio.
O Dr. Carolinc Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do da e da noite
para o exerricio de sua profisso de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. 0 referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue, com e
maior atrinco, no das mais diffieeise deli-
cadas operar oes. como sejamdos orgos
ourinarios, dos olhos, partos, etc.
Paris
Hamburgo
Barcelloua
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Frederie S. Ballin & C.
Joo Gabe & Filho.
Francisco Raboba & Ballista.
Jaime Heric.
Crdito coraraercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Eu Portugal.
AV1*0
aos terceiros de S. Francisco.
Chegou a verdadeira estaraeoha para hbitos, a
qual se vende muito barato : na ra do Qneima-
do n. 39, loja de i portas. _________
Todo aenco.
Tendo-se deseneaminhado "am caixo com as
iniciaes D C. S. A. com diversas miudezas, embar
cado Befl porto para o de Mossdr na barcara
Itainlia dos Anjos, mestre Joo Vaz da Silva : pe-
de-se aos .wahores armazenarios de diversos por-
tes ou qualaHar pessoa que saiba aonda existe o
dito ealxao e dirijam a ra do Crespa a. 7, loja
de Custodi Jote Aires Guiraares, que serao fra-
liflcsdos.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Valde Caminba. Guarda.
Vez. Castello Branco. Gaimares.
veiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Crrvilha. Lamego.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. Monci0.
Bragan$a. Evora. v
Faro. Fafe. Moacorva.
Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
meis. Porto-alegre. Setnbal.
Penaflel. Thamar. Vianaado Cas-
Tavira. Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Poriimo. Villa Real.
Villa JReal de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
NO'IMFKRIO.
Baha. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma praso on vista.podendologo
os saques i prazo seren deseoatados ao mesmo
Banco a razao de 4 oor CCDlO ao aano : a traUr
na raadaCrw a. 1.
PUBLICAgAO RELIGIOSA.
Agora que a impiedade parece querer alear o
eolio orgulhosae audaz, e que os malvados, para
consegurseos nefandos fins, se tera valido de
quantes impressos ha, al mesmo da sagrada bi-
blia, ji falsificando-a edistribtiindo-a assim falsi-
ficada, j vondendo-a, j conservando-a em seu
poder, e forneeendo sua leitnra pessoas inex-
perienles ou ignorantes, e J finalmente dando-a
mesmo gratis, nao posso nem devo eu, qne, gra-
tas a Dees, dispooho, livre de dividas, de orna ty-
pographia o de urna eneadernaQo, de'xar de>
abnado mo de urna parte do que Dos me deu,
acompanhar o meu Exm. e Rvm. vigario capitu-
lar em seos constantes esforcos para o engrande
cimento da nossa santa religio, e de concorrer
com o meu fraro, mas muito sincero contingente
para esse to elevado Um. Neste intuito, enfen-
dendo que presto algum servico causa desta
mesma religio, com a reimpresso da finocm de
um peregrino Jerusulem, e visita q*e fez aot lu-
gares snntot em 1817 fr, lodo de Jess Chrtsto,
tnvicto filho de Sernphico, patriar cha S. Francisco,
tenho resolvidepr no preloesia obra, e pretendo
fazer a reimpressao da maneira seguinte.i Reim-
priroirei, 3,000 exemplares, destes sero destina-
dos 1,009 para todas as pessoas de um e oulra se-
xo, que eom documente legal dos seus reverendos
parochos se me. a presen la re m, e a cada urna das
quaes entregarei gratis um exemplar em brochu-
ra ; 2,000 sero reimpressos mediante assignalu-
ras, para as quaea desde ji convido a popularlo
doifieis, e de ledos solicito e espero o valieso con-
curso, na razo de 15 cada exemplar. Naoposso
prescindir, porm, de rogar o pagamento adianta-
do de cada assignatnra. sm o que nao me ser
permiltido cffeetnar essa reimpressao e conseguir
apresentar ao publico urna edicao, ji em si mes-
ma grande e dispendiosa. Pai a os que nao assig-
narem, o preco de cada exemplar venda ser
determinado na occasio.
Nao sei qual ser o resultado dos meas esfor-
cos, mas seja qual for, de Dos espero a recom-
pensa- ,
Assigna-se unicamenle por hora na ra ao im-
perador n. lf, defronte de S. Francisco.
Francisco Coelho de Sitrrjes Silva.
Feijdo
Vendem se saceos com 2i cnias de fejo rajado
do Porto por 11, em cuias a 520 : na roa Direi-
la n. 8._______________________________
Vende-se
urna taberna com poneos fundos e f"-sel0',a.
negocio por seu dono ler de retirarse para a Eu-
ropa, na roa Imperial n. 195 a tratar na mesma.
%TTEMCAO
Vende se o enjenho Venus 'sito na freguezia
d'Agua Preta, distante da va frrea, menos de
um quarto de legua, que do dito engenho se a vis-
ta a estago de Una, com bastantes trras proprias
que pode safrejar 1,500 pes annual, cujo e de
primeira safra que est acabando de moer e as
poucas obras que tem sao boas, o mesmo moe com
animaes, mas com ra'-lidade, p5e se d'agua, cojo
enfcenho vende-se com a safra que se esta crian-
do e com os animaes caso convena ao comprador
o tambem se permuta ou mesmo por algum peqne-
no sitio perto desta cidade, e o mais a prazo :
quem pretender fazer este negocio dirija-se a ra
da Cruz n. 15 ou no mesmo engenho que achara
com quem tratar.aflJanc.a que as Ierras de muito
boa produecp nao s para canna como para al-
godo.
Vinho do Porto superior
em barris de oitavo e dcimo, vende Antonio Lniz
de Albuquerque Azevedo 4 C.: no sea escriptorio
raa a Crox > 1
Venae-se superior vinho do Perto en eaixas de
ama dnzia : em casa de Johnston Pater & C, ma
do affario -.3-___________
Vende-se urna taberna com poucos fundo,
na estrada nova, passaado o sobrado grande, a
primeira.____________ .
J. Keller A C. vendem superior vi-
nho tinto de Bordeaux, tanto em quartola
eomo ero eaixas de duzia de garrafas.
ilV I V JL-llI
L0.I.4 liK NIUDEZ4S llWs
16-RUA DO QUBIHADO-18
sane boje da alfandega.
Para a recepcaodd S5. AA. Imperiaes.
Eiifeitcs de cabera.
O dono desle estabelecimento sabendo com an-
lectdenca que SS. AA. imperiaes Unhdin de pas-
tar nesla bella capitel em sua viagem do recreio
Europa, leve o cuidado de mandar vir, e despa-
cha hoje da alfandega os mais bonitos e elegantes
nreitesde cabeca Maria Pa e Princeza Impe-
rial, o mais elegante e novidade em enfeiles de
cabeca para seohora, que tem vio lo a e>la praca ;
lo variado o sortimento d cada qual maishudo
que os freguezes tlcaro satlsfeitos nao s no bom
gosto do sorli mente como no ea barato preco, os
quaes se vendem a 2*, 34, i*, 6* 6, 19, 9*,
M, II e 125.
Volias i Hiria Pi.
Sane hoje da alfandega o mais elegante sorti-
meato de vollas de perolas e aljofares eom rruzes
grandes e pequeas, brancas, preta* e de todas as
core. Maria Pa ; o freguez flear saiisfeito nao
so no lindo e variado go>to, como nos seus dimi-
nutos precos.
Palseiras i Hara Pia.
Sahe hoje da alfandega o mais lindo e variad
sorlimento de pul.-eiras de perolas e do aljofares
brancas, pretas e de todas as cores, as quaes se
vendem por preco-muito barato.
Brincos i balo.
Sahe hoje da alfandega um bonito e variado sor-
limento de brincos de parola e aljofares, peque-
os, a balo : vndese baralisslmo.
Alfitiftps de peito.
Sihe hoje da alfandega um bello sorlimento de
alfretes de peilode um variado e apurado gesto,
tudo barato.
Kivelas para tintes.
Sahe hoje da alfandega o mais lindo e variad
sorlimento de velas com pedriorjas Rngindo bri-
Ihantes que lem apparecido nesta praea, e tal a
variedade que o freguez cara salisfeite nao so no
gosto como no prego.
Fitas.
Riquissimas flus de grosdenaple lisas e_ larra-
das para lacos o sinlos, e outras de gorgarao para
sintos : vende se tudo barato.
Casrarrilnas.
Bonitas cascarrilhas de feda de ama s cor,
de daas cores em todas as corts, differontes lar-
garas e precos baratsimos.
.___-J




\
Diario de Pcruambuco abtado i 4 de Jaucii de iss*.
COS-XII
DE
Deiai que o$ Henos da eivilisago tos preguen
economapara os ps 11 Esta parle do corpo
humano por certo aquella que, oeste clima ne-
cesita de maior aasalho: pela humidade nos ps
se introduz a grande maioria das molestias, e com
Mtas a perda da saude e da vida 11! Fra com as
botinas e sapatos velhos; reforma-Ios
45-Rua Dereita-45
Borzeguins francezes para homem
Ditos inglezes idem a 8$, 1> e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapatoes esmaga cobra
Ditos de Nantes de duas solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de borracha para senhoras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete para homens e
nlioras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
se-
5*000
64000
44800
24900
54000
54000
44000
14400
14000
14000
14000
500
14600
XAROPE
deLABELONYE
Bnprafado con inwiavel successo desde 30 anaoa
peles Medicas t todas os panos contra ai molestias
orgnicas eu nao orgnicas do corseas, as diverjas hj-
dropisias e a maior 'parte das molestias do peito* dos
bronchios (pnfunwti, calarrKos pulmonares, atkmtt.
fe/famawgda nervtsas dos bronckioi, catarrheiras.ek...)
' 0 XAkOr* ik LABELONYE nio se Tende rento eso.
erratas com rotslas de cor (echadas cota ama chapa
raa^e a firma de inreator.
! rAMS, rn Bturkin-VHIrnfiiir. 10.
Deposito geral em Peroamboc roa da
Groz a. 22 em casa de Cares Barboza.
Grande kliquidacLo.
Una da Inaperatrlz n. ttO.
Loja de fazerulas do pavo de Gama 4 Silva
Aeha-se este estabeeciroento completamente
sortido de fazeadas inglezas, francezas, allemaas e
suissas, proprias tanto para a praga como para o
; mato, prometiendo vender-se mais barato do que
; em oulra qualquer parte, principalmente sendo em
porcao, e de todas as fazendas do-se amostras,
deixando ficar penbor, ou mandam-sc levar em c&-
sa pelos caixeiros da loje do Pavo.
Vestidos soutambarqoe.
CPelo ultimo vapor francez chegaram riquissimos
vestidos soulambarqne, os mais modernos que
nesle mercado tem apparecido, os quaes estao
promptos com saia, corpinbo e seu competente
soulambarqne, ludo guarnecido de seda, yeludo e
i renda. Quem tiver bom gosto dlrija-se toja do
Pavo, na ra da Imperatriz n. 60.
AOS TRES MIL VESTI-
DOS.
O gallo vigilante tendo sido agraciad pelo pom-,W-fl lAjfl JA Pq-jXfv QJ A.
isoBallisa, na suaordera do da, e pela Branca lltt KQB UU IdYdU) 11 Off. tff
Ageiia, apesar de que, para estes o Gallo com seus j 7 J^OfO
agudos esporoes nunca os offender, antes os agr-! C ifi>\J\J\J,
ara na mesmaconormidade, para que o Baliza, Vendem-se lindissimos cortes de vestidos india-
possa marchar em frente, a Branca Aguia possa nos, sendo todos bordados e de lislras de cores e
levantar seu voo,;levando no bwo as palinbas seu brancas, proprios para casamento, pelo baralissi-
ninho ; e o Gall ficara cm -seu espagoso campo mo prego de 34 cada cort por se ler comprado
dando de novo o seu canta annunciando a seus urna grande porcao, sendo facenda que vale 64.
bous fregueses e ao respeitavel publico ditos Maria Pia, tendo quetro pannos, fazenda
para o corpo com os competentes enfeites para o
0 grinaV sortiratnto df<(5ijpctos de muiloacsloque Bosnio, pelo baratsimo prego de 44 cada um,
0 VIGILANTE
ma do Crespo a. 9.
l .1 k i m
RA DO QUK20IAUO TV. 45.
Passand'o becco da Congregacjlo segunda casa.
poso
NOV1DADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado d. 15 um armazem de molbados denominado Clanm Cunte
ca!, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sorlimento dos meltores gneros que vem ao nosso nercaco es
quaes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionrda; gannte-se DOm
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
ditos de tudas as cores com as barras bordadas a
crox, sendo cada Tjnvem seu rarlao, tendo cada
nm todos os enfeites precisos, pelo baratissimo
prego de 74 cada um, ditos com babadas mullo bo-
nitos, mas sera ser em carto, pelo diminuto pro-
Vendase por precisSo a armagao da loja de
cakgado, toda cavidragada, da ra da Imperatriz,
na Boa-Vista n. 13, o alagele rasoavel, e a casa
tem noiaterior bestante espago para morada : a
tratar na mesma loja com a viuva de Joao Jos
Mentrcs da -Iva._________ '.
Bixas de Haaiimivo
Vendera-se na na Hnv I
aova liquidace e fazeubna^t in
do nez, para fechar factaras vende-s _nko
bapato, por ser a ultimomez de festa, qtK os
trajiexes deven aprovailar : na loja e armasen
4a Arar, rea la imperatriz n.56, de Letreo-
0 Pereira Mearlos Gaimawks.
Kazcddas espeeiaes para senhora.
Vendase ricos cortes de vestido de laa alaria
'Pia para senhora de bonitas i-arrasa 84, l<"4-134.
<444 e 164 o corto : na ra da Imperatriz n. 56,
toja da Arara.
1 Arara Tend a 2400
Cortes de chita decreselas com 10 cavados
a 24400 e 34200 ^ cassas de cores a 320, 360 e
400 rs. o covado : ao rua-da Imperatriz n. '6,
loja da Arara.
Curtes de cambraia salpicosa 2409.
Vende-se cortes de -cambrala de salptcos a
25100, 34 o a 44090 a peca, ditos de oambraia
liza e flna a 34300, fioOO, 4500 e 64, tiras bor-
dadas paraeooitar vestidos e entremefosa 14 e
a 14200 : na ra ea .knperatriz n. 36, loja da
Arara.
Sootcabcrgsesa 7, S, e a 16.
Vende-se soaterabarque do laazinhas de cores
para senhoras a 74, 84 e a 104, dito de.g-rosdena-
ple preto muito entestado a 204, 254 e 304 : ricas
capas do grosdenaple a-294, 254, 304 J6J, Para
iqaidar : na ra ta Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A Arara veaie -Se earest Ipakapara t>v:do.
Vende-se alpaka do cores para vestidos a 360
rs. o covado, challen de.laahas a 14600 c 4280
dito de merino a 400, ditos fiiosa 44500, "4 e
84 : na ra da Imptratr-iz-n. 56, loja da Arara.
t.'assas da Araran 260, 320-? -00 ris evade.
Vende-se cassas tieooresa 280, 320 400 rs. o
covado, lencos de seda a 840 e 14 : na rea da
Imperatriz n. 5, loja da Arara.
Laaziakase fiara iVw a 500 rs
.-Vende-se liatinhas a Maria Pia para v-estdos,
ca jalmas do soda ao'OO rs, o covado, d-itas de
cores a 320, 400 e 500 rs ,.ditas lizas de cores pa-
ra capas e vestidos a 560 rs. o covado.. casemiras
para capas de s*hocaii40, 24500 o 34 : na
ra da Imperatrte n.-j(Hj5 A Atara vewV chilas a,240, 280 e 320 fs.
Ven2-se chito* o covado, ditas fr-atr.eti*-,} 320, 360, 44^ e 500 rs.
.e covade, percaltasjMcJryestidos linos aSOO e i'xio
rs. o coi.'.do, cajtHmaJ para sanhora a 14, f^i'-OO
,34 e 44^30, ."ileifcas pura-senheras e meainas a
1240,'320-e 500 rf_, ^nfeits parr. cabera a Mara
liria a t4,; 4400 e 2$, para liquidar : a roa 4a
lmperatric n. 56.
Ilafies amerkanee ,pira-rnhora.
Vende-se.balSes amoricanos, os melhoresquc
tem viudo ao mercado, de 0,.2o, 30 e 35 reos a
iS'iOO, 34 33500 e 44. ditos do tinlhanUaa 4
naiiscelina a 4300 : na ra da laaf jratriz n. S6,
ojattla.Arara.
t'a/endas para-omero.
Vende secarles de calcaste brn para homoa
a 14G00 e 24, ditos de easoatira a.'4, 34500 e
IJ-ikli)-" 54 : na ra da Imperatriz-n. j'fi, loja da
Arara.
Kuujia ftapara hooiem de loas as rjualidadfs.
Vcude~6e palitois de brim de.doresa-24, 24500 e
34. ditos .branco a 24500, dito de linhoino a 54
ditos de atynka decores e brancas a 54. ditos de
in-la easemira a 44500 .55, ditos d casemira a
64,84,104, i04,.IC4e 204. ditos de panno fino
preto a 4, 04, 144, 164, 204 e 204, caL-as de
brim de cura 24 e 24500, dlia de dito branro a
24 ditas deiiite de liiltio a 34500 e 'i$, colleies de
cores a 24, a cores e pretao a 34500^ 44, calsas de casemira a
.34, 69 e 84, de/nea caaemira a 34 e .'!4Q, ca-
.misas franelas 1 24 e OO, de liuito nglezas e
pr.v.-islar/ar a "J e 3-5500. grvalas do todas as
jptlidades de 30, 800, l e J44G0, eoitMteho
4e todos os tataaniios e murto bm feitos, para ii
x'ii 56, loja da Arara.
Colchas sara cama a 24.
Veiide-se colchas de chita para rama a 2#, ditas
de damasco a 44. ditas de fustao a 5$, chitas para
cobertas a 320, 360, 400 e 500 rs. o covado : na
ra da imperatriz n. 36. loja da Arara,
A lrara vende maajole enfrrtada a 44.
Vendetta pecas de raadapolao enfostada a k# a
peca, diteinglez de 24 jardas de n. 3$, a 68, de i
a 54300. n. 250 a 64500 > 74500, n. 5 84500,
B$ 94000, B. D. P. 104. 7.ZZ 114, n. 20, dito a
144 a peca : aJffodiiozmho marca S a 54$60, dito
carne vacca a 74, dito dsmestiee a 7UM0, dito
paa ferr a 84, dito SL9 a 104. dito T a 104 e 124,
dito sienpira a 4500, para liquidar, na ra da
Imperatriz n. 3*, leja da Arara.
Pautte de a I pala.
Vendo-se palitots de alpaka pretade 34 e 34500,
ditos faos de cordio, lizas e brancas a 44 : ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Ae bar ote ir da ra da Impf ratri n. 06.
wende-se seroulas a 14280, ditas trancezas a
14600e 24 : e outras muito boas farendas que o
freffuez encontrar na leja da Arara, ra di Im-
peratriz n. 56.
f3speraa?a.
Lava de pelliea, brancas, pretas e de cores ;
em a braneas ha esperialidado a urna forma li-
telramente nova, cadeias de ac podido e faciadas,
voltas de conas azues uirqoezas, brincos balao
800 rs. o par, Pnicefras de eahelloa5400. praixa
eeonomiea 30 r*. a cama, tinta commonicativa
qne depols de 8 dia se pode tirar copia para sla
especalidade anda n5o apparaceu plagiario, n-
feiles com rifa de froco, a Esperanca leve pelo va-
por estes enfpltes, nio constando qne alguem mal*
tivesse rpcehidn, porm nem por isso os vandera
por oais do 3$000, muilas especialidades qne nSa
podemos annunciar por serdespendioso: vanara*
do Qrjeimado n. 33 A, qne se vender barato e i
dinhelro. _____^
Vende-se um negro da Costa, moco, com 25
a 26 nos : quem pretender, dirjalo a roa da
Gloria n, 19.
: co de 345OO ada nm; advertindo-se que os donos
acaba 4t receber.
Ricas caixinhas com msica ricamente nfeita-
das pera costura, prnprio para um delicado me-
nino.
Kiuuissimos cofrosthos com cadeados de metal
para guardar joias. 1 J" j,-"o Sowm'estea vertidos por tao di-
^CaSnLXhaSITra'CSll,JO,COnte,ld* ,cdOS0S'per" minuto pre?o por terem comprado urna grande
mV*.FP*^m_____. -'. quanlidade econvrrlhe liquidaren) 1o?o, *a sua
R.qu ss.mas volus fingindo porcia. ; ^ rua J a(ri2 60 de Gaaa & ahrl.
Ditas com laciohode uta. a 1 j lv
Ditas de lindas'cores e preta, ^Ltn'dos adrenos com pedat.os (Ingindo bri- wmde fiechlnch, a **
lhantes. e 310 W.
Ricas liveiks para i-into, de todas as qualidades! Vendem-seas mais bonitas laazinhas trnspa-
e bom gesto. rentes, sendo com Ilstras e qwadrinhos miudinlios,
Ricos cinfes do ultimo gosto de Paris. e lisas, tendo da lodas as cores, assim como tretas
Grande sortimenio de lindos enfeites pera cabo- e rOxas para Into, pelo barattssimo preco de 240 o
5a, sendo do ultimo gosto e de todos os precos. covado.dilastransparenlescom palrainhas de seda
Flores mtito finas para noivas. Maria'Pia, tendo de todas as cores, e tambem
Lavas eatfeiladas e meias-d* seda para noivas. I allomas proprias para lto, pelo barato preco de
Chaposiahos, sapatinbos'e meiasde -seda par. 320 cada covado, isto por haver urna grande por-
baptisado. cao: na rua da Imperatriz n 60, de Gama &
Riqusimas fitas de todas as qualidades para la- Silva,
co, cmtose cinteiros. Latas e copos com btmba Una.
r^misiohas e golinhas paca senhora. I A agufa branca, na rua doQueimado u. 8, rece-
Riquissimos jarros e'figuras para ortamento de g^a esta eslimada banha fina em latas e copos, isso
sala. aiem de outras em diversos frascos.
Grande sortinrtnto gravatinhas tanto para se- ASimfliJ,>nnSsjBMfS laziohTS (ie BBia S
nhora como para homom.
Luvasde pelica branca o decores.
Cascarrilhasde bonrtascores.
Trancinhas, galao e maravilhas para-enfeites.
Transelins de cabellos e de retroz para reloglos.
Papel amisade e do ouiras qualida Roteas para viagem.
Etrtremeios e babadinvos de lindos padrees.
Lencinhos de linho bordados.
Motas para homem, senhoras, meninos e meni-
nas.
Fitas de veludo lisas eoom mtame de lodas as
larguras.
Thesouras e caivetes de todas as cualidades.
Grande sorlimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para ofler&imentos.
Gaitinhas com sois fpas;uinhos.
Essencias de todas as cualidades.
Agua verdadeira Florida. -
Agua da Colonia, em garrafas $&&ades, e em i
frascos qBadrados^garrainfeas.
Poraadalina Supe ior banha om 'frascos e copos 1 o lodos es
HWanton.
Sabio inglez Escovas de cabo de madreperola, marfim e de
os-so,rtara denles.
Feotes para desewbaFacar, com fneo
setnellc.
Ditos de tartarnga e de muitas ootras qualida-
des.
Paes de taraftga.rj'a senhora.
Ligas de seda o do algodo, assim como muitos
Airo* do Maranhao, India e Java 9 60, 80 e
100 rs. a libra, e 14800, 2)5600 e 3#00
a arroba.
Ameixas francezas em latas e era frascos a
14200 e 14000, e em frascos grandes a
26500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 10600e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Aramia verdadeira deroalarana a 320 rs. a
libra.
Avellaasmoite grandes o novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas -marcas a
10300 rs.
Bolackiobas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem mglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Batma de porco refinada a 440 rs. a libra
era barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 39000 a libra.
dem preto muito superior a 20000 a libra.
"Gervejapreta ebranca, dasmelhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cavada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queiios flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato de oito libras e canastrinbas de I arroba a
dem lond'rino chegado no ultimo vapor a 10800, 50500 e 280 rs a libra
900 rs. a libra. Farinha do M;:ranli3o a ICO rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs dem de irigo a 1
cada'um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 6( 0
ibra.
cor, a imaco de gonpro, ven-
de o Pavo.
Ghegeram pelo ottimo vapor francez as mais
modernas laazinhas-de cordozinho, as mais pro- '-Cognac infflez fino a 90 TS. a garrafa.
I prias e mais lindas que tem vindo, proprias para -conservas"a jq rs 0 frasco
i vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-sc amos-
' tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissl-
*
mo preco de ."GO rs. o covado : ta rua da Impe-
ratriz o. 60, loja tie-Gama e Silva.
As lasfinhas do Pavo.
Vecdem-se lazohas de quadrinhos transparen-
tes, b3a fazenda; peto preco deSSOrs. o covade,
ditas largas motte finas a 400 rs,, ditas estampa-
das, cor segura, :fad roes miudos e grandes a 320
rs. o covado, ditas transparentes com palminhas
de seda a 400 rs., ditas esroeczas a 5'60rs., isto tu-1,
do tira liquidar : na loja e aratazem do Pavao,
roa dem, s de pepino, a 720 rs.
Idem.s de aseitonas, a750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Perreira Jorge da Costa a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30600 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rsL a libra e80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de'bdlinhos francezes muito novos e
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 6)5200 a frasqueira.
dem em garrafes de 3 e 5 gales a 5!H 0
e 705LO cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
'Licores muito finos a 7C0 is. a garrafa.
,Idem, quaiidade especial em garrafas nuito
I grandes, a 10800 a garrafa.
Eifros C caixinhas ermeticamenle lacradas'dem em garrafas mais pequeas a 800 rs,
a i,)G00. dem, em garrafa forma de pea e rolbas de
Yinhodo Porto engarrafado o melhor qnej vidro, a 10000, s a garrafa valee c'.i-
ha neste peero e de varias marcas, como | nheiro.
seiam: Velho de 1815, Duque do Porto, Manteiga ingleza perfeitamente Hr. desem-
'Madeira D. Pedro, D. Luiz 1. Maria Pa, I barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e de segunda quaiidade a 800 rs.
10000 a garrafa, e em caixa com urna du- dem francez muito nova a O'tO rs. a iDra.
zia a 90000 e 100000. dem de tempero a 400 rs.
dem em pipa. Porto, Lisboa e Figueira a Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500 dem em lata a 640 rs.
e 40 a caada. Maimelada imperial dos melhores conservei-
Idem branco de Lisboa muito fino a 500 rs. ros de Lisboa a 60i rs. a lata.
a garrafa. Marrasquinho de Zara, frascos grandes,
dem de Bordeatix, Medoc e S. Julien a 700 800 rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs. dem regular a 500 rs.
a duzia. Macas finas para sopa: estrellmtia, pevide,
IdemMorgauxe Chateauluminide 1854, a 10 j rodinha e aletria a 6' 40
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
a caixinhacom 12 libras.
Nezes muito novas a 160 rs. a libra.
200" rs. a garrafa e Peixt em latas preparado pela prime ira arte
de cozinha a 10 a lata,
: Paliios de dentes a 160 rs. o mago.
sisrasdenaplee do Pavo. !| bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Vcndem-se prosdenaples prrtos, fazenda sope- Chouncas e paios muito novos-a 806 rs
rier a l|600rs. o covado, ditos largos muito en-
coFaados a 24a, 25600, SJftOO e 3^000, dHos
broncos, cor "e rasa, azul e amarillo a 2OOO r.a
o covado : na loj de Gama & Silva, denominada
do''-Pavao, rua -da Imperatriz n.-30.
do metalo -As novas la gitiibaldifi;is a 500 rs^
8 'oja do ra'.1!.
Vsodem-sc as mais undenas liazinhas garibal-
ktm, fazpndainteiramente potoco mercado, sen-
^o todas com IMflH miudinhns, <^ transparentes,
oom'lustro a ifmtftciio das sodin!s, tendo varias
libra,
Vinagre de Lisboa a
I02OOrs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a I08OOrs.
Alm dos gneros cima mencionados te- dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o me'.hor
retaiho- 20 e em caix3o a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abate de 5 por cento. Passas muito novas a 480 rs. a libra.
ibra.
ossivel a
jascos com gamma arbica; RIVAL SEIB SEGUNDO M4CWNASMPATLM
dissolvida e pincel.
Roa do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia est continuando a
Vendem-se na rua do Queimado n. 8, loja da vender muito barato, pois 6 seu genio dar a fazen-
guia braaca. a por todo prego a vista dos cobres.
/Vi 1JOX tlfoUMR Cartas de alBnetes francezes da melhor quMidade
outros objectos de gosto :qut seria irapossivel men-, ^ aei)1^r (le ,(rio. ctvaieimt cinzeirta^-J.^;,"*""-
cmars.fiue a vista ara .fe, -s no GaUo-Viftlante,,. h. *-. |itoag()Ops o covado nara T, OTfl
do r.renn r> 7 eore navaao, nc., i>to a awr .y. v t ovauo para dapas e veltado, massa,-tarta ruga
oot,re.poc.y vender depreso: na loja du Pav^., rua do tape-. lons dn. '._ '. rnni* ,
i ue
U-n~ volffhaede perolas falsas comcruzin'/ias
lingindo iirilhantos, a-sim cwno cruztnias avulsas
e vottinhas, pelo 1 j.r*to proco de i o 1^300, as
cruzos avuls asa 4O0 r?.; so io Vigilante, naa do
Cres|K3.c. 7.
Lequfs.
RlqtiiAmos lequai de madreperola tanto para
senhoeas como para oninas, pelo barato,preco
de 12. ]'i; s qo Vigilante, rua do G?espo
n. 7.
GRAKDB JOVIDaTE.
So no Vigilante.
Riquissiicios enfeites do todas as qualidades para
senhoras.o-.vicninas, elu>^itdos Riquissimcs sintos do fita larga e estreita coa
(velas grandes e pequeas, com -* csusadematlo gosto.
AII>HUS
Tambem ehogaram os ri^uissimos albunspana
30relratos.com capa de tartaruga o de marfitn,
causa niuiinc.'i. ue : s no Vigilante.--ua do Cres-
po >n.7.
Golinhas.
a 80 rs.
A aguia branca acaba de receber outra ncom- Grosasde pennas de ac inglezas da melhor qua-
bem sncadernados albuns de lidade a 640 rs.
e marlim, al- Caixas de colchetes francezes de superiores quaL-
rador n. 60 e. tma 4 Silva.
' gnus dos quaes com microscopio para augmentar
j-q taina ii lio dos retrateSi continuando a serem veti-
WMK BNNriOS V'S11WS5I Man Fia, tidos prpreoos coromodos : na rua do Qaeimado
' "a (iO PaiO,:!. 1 6$ r"'Ja da roia-brantan. 8.
na
tfrii lameras para fes tas
Vendcm-se finifsimos vestidos .Maria Piacooi
os corwehos diffewntes, tendo todos os prepares e I
enm ocompeteato sinto : na niatia Imperatriz o. I I A branea nao cessa de encommendar do
60 leja do. Pavao. bja de recetor diversas figuras e vasos de pede
pladra com fioa:banha, assim como bonitos, frascos
deexcellentes estrados e lindas camuas de ma-
I a mitn lias a f$Q(U'
Vendem-se raoiisiiibas com manguitos, seado
mnito itern vnfoitadas. proprias para senhoras e deira enverni&ua
meninas, pelo barato pre^o de
urna: na loja do Pavao, rua da
de Gama & Silva.
Vestidos para nwoHias.
vendeavse.s mais modernos estidiahos para
meninas, sendo muito bem enfeitad.es a Maria Pia,
tendo de dfflersntes taaianhos, pelo barato prego
de 8 cada um : na loja do Pave, rua t'a Impe-
ratriz n. 00, de Gama & Silva.
fe lipa ftta liarais.
Vende-se um grande linimento de roupa feita
p&ra homens, sendo calcas de brim iiranco e de
cor, ditas de casemira pela e de cores, ditas de
Riqaissimas gonhas e manguitos, omolhor gos- maia casemira, .paletols-saceos e sobrecasacos de
lo possivel, a ti, i&HQO e .15; s..no Vigilante,; casemira e panno preto ifko. colletes de todas as
rua do Crespo n.,7. quaiidades : na teja do 1'av.ao, rua da Imptuviriz
Enfeites para senhora.
Riquasissim enettes com laco e sera la0 e de
outros muitos gostos a ii, 1,5500 e 3?: s no Vi-
gilante, lado Crespo n. 7.
Staneelms.
Lindos traocelins oe cabello para retegie o lu-
netas, pelo oaratissimo prego de liOO, ditas de
retroz a 200 rs.
fiahadiolins enlrfiieios.
Riquissimos labadinhos entremeios eom haim
desenhos tapados e transpa-entes, pelo baratissimo
prego de 1*200, U500, 2#* 3*; so no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Cascarrilbas.
Grande sortftr.eolo de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como al5ozin.ho e trancinbas pro-
prias para enfeites; s no Vigilaste, rua do Cres-
po u. 7.
Pitas.
Grande sortimenio de tilas de diversas larguras
e qualidades, por precos qoo admira aos com-
pradores, havendo litas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 2; s no Vigilante, roa do Crespo
n. 7.
Fitas de lia.
Fitas de la de (odas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s na Vi-
gilante, ruado Crespo n. 7
Ricas esprines.
Riqnisslmos espelhos nm moldura delirada'
se ella de 85, 105. 125 e 145, assim como coro
celumnas de dironlas lmannos a 25,35.45, $5
e 65; o no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarres e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para eofeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem appareeldo; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para ps de arrez.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de mullo gosto a 15500 e 25, aseim como
pacotes s com os pos a 320 rs. rada um; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
PerHmiris.
Grande sortimento de.extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tinctlvos e offerecimentes as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a 25 e a 15, assim como outros objeclos qne nio e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
com ficas perfumaras, tudo
de Ir.sioes cada mai propno pare presentes do testas etc., havendo
Imperatriz n. 60, dkUeiro dirija-se o pretndante a ruado QneUna-
n.-fiO, de Gama & -Silva.
firosdenapledeoora 600 o cavado.
Vende-se grosdeniple de.cor azul, branco e.pre-
to, pelo barato prego de 15030 o covado : na loja
do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama.A
Silva.
fttune de linho a 700 re. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno de linho prctprio
para lengies, toalhas e eeroulas, pelo barato prego
de 700 rs. a vara : na loja doartd, rua da im-
peratriz n.*8, de Gama & Silva.
Economa da Pava.
Vende-se para acabar, urna pcreSo de retalhoe
delaas e casitas de todas as qualidades, e por pre-
fos mnilo em oota; quem tem econemia qne
nde apreciar : isto na ln;'a do Pavao, roa da Im-
peratriz D. 60, deGairi & Silva,
Miapolao a 7^000, s na loja da Paao.
Vende-se superior madapolo mnito escarpado,
tendo 20 varas cada peca, com 4 palmos deJargu<
ra pelo baratissimo prego de 75000 a pega, ditos
muito finos a 85, 95 e 105000. E' pechiocha. na
loja do Pavao, rua da Imperatriz a. 60, de Garas A
Silva.
Csrlesde cassat 3^000.
Vendem-se muito bonitos corles de cassa, tendo
7 varas cada corte, com desenhos muilo delicados
pelo baratissimo prego de 35000 o corle; s na
loja do Pavao, ruada Impetatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Corles de ebila franeeu.
Vendem-se finissimos corles de chita fran-"
ceza, com 12 covados, lendo. padrees escuros e
alegres de cores Gxas pelo baratissimo prego de
5O00 o corte; s na loja do Pavio rua da Impe-
ratriz D. 60 de Gama <$ Silva.
- Caabraias lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo prego de
45000 tendo 8 1/2 varas cada pega, ditas muito fi-
nas a 75, 85, c 95 a pega, ditas Victoria com 10
varas pelo baratissimo prego d "5, 95 e 105, di-
tas Garrazes fazenda muito encorpada, fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou '25600 a pega ;
isto na loa do PavSo, rua da Imperatriz n. 60," de
Gama & Silva.
Caries de lia a i000.
Vendem-se corles de las garibaldina?, maiisa-
das e de quadrinhos, tendo 12 covados cada corte
pelo baratsimo prego de 45000 o corte: Isto na
doc. 8, loja da a^aia .branca.
knil fino para ewgom*
moda
zes safar todo nekf>cio H8 tJ doO*Uo Vigilante, loj* do Pavao, rfi o* 'mperairi B, \W de Gama &
roa do Crespo n. 7. 0lv.
*;uia l-r.inca na rua doueimade n. 8,rece-
bou glcbulos de aoil Ano e frasquinhos com ec-
seJBcia.de dito para engommados.
Outros 5enleites.
A aguia branca acafca-de receber por este uli-
mo vapor um novo ortiaiento de bonitos e delica-
dos .'iieil ;s de moldes ioteiramete novos e de um
apnradogorto, assim peis compacegam os preteo-
dentes musidos de dinheiro e com disposigiio de
gastar: na;iojada aguia ranea.nya do Queima-
do 11. 8.
Pequemos peales de to r-
taruga
A aguia branca na rua do<|*ieimsdc a. 8, rece-
ceben novawente^sses pequeos gentes de tarta-
ruga que por sjia* qualidades 4e pequeos, lisos,
.bonitos e bem folios tanta eslima tem merecido pa-
r- as senhoras segurar 0 cabello quando atado ; a
aguia branca porm avisa aquellas pessoas que os
baviam encommoadado e a quem mais ueira
aproveilar a 01:casias de os comprar continuando
a serem vendidos pelo mesmo prego de 43 cada
nm.
Estando braneos ficam pretos
O bom resultado o o rapid eleito que produz
a iintura.de ebromacoma, e mesmo o facillimo
modo de aa>plicar tem se tarnado mui conheeido e
apreciada por todos un usaaa delia e por conse-
'guinte augmentado a extrag&o, pelo que a aguia
branca mandou vir ma o nevo sorlimento que
acaba de reeeher constando efle de
Caixas eomckromacoma para tingir os cabellos.
Frascos com eojoricoma para lustrar ditos.
Ditos com hyJrocalIeihrichina para limpar ditos
Ditos com oryehromantina para limpar as nnhas
Sabonetes braneos para lavar os cabellos.
Pomada callicomiptiila para dar ebeiro aos di-
tos sera olender a preparagao feita.
Sapatos de marroquim dou-
rado para bailes.
Esses sapatos do grande om vendem-se nica-
mente na rua do Queimado loja da aguia braia n.
8 a 65 o par.
Meias finas para senhoras
! gordas
. Venjdem-se na rua do Queimado loja da agola
brWa n. 8.
Esponjas finas para rosto
Venldem-se na rua do Queimado loja da aguia
branca n. 8._______________________________
Cilindros para pada*
ria.
Na padaria da rua Dreila n. 84 ha para vender
os condecidos e acreditados eylindros americanos
para tt^balho de padaria DiroafflnU fhefadoV
de trabafhar mao para
descarocar aigoto
FABRICAHAS
Por Plant Brothers & C.
OIDAI
dades a 40 rs.
Grosasde bolesde madreperola muito tinos a56t
e 640 ris.
Carreteis com 4 a o ciiavas de retroz preto fino a
640 rs.
Resmas de papel de peso liso mullo superior a
25000.
Grvalas da liga e de oulras niuitas qualidades
500 rs.
Caivetes para peona com 3 folh.is fazenda boa i
800 rs.
Duzia de botoes branco psra casavequesde senho-
ra a 100 rs.
Pegas de fila de cs estreitas eom 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Cartilhasda doulrma christia, finas e superiores a
320 rs.
Pentes finos de marhm a 15000, 15200 e 15o00.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
500 rs.
Gollinhas para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e I
15000. __.
iLivros que serve para assentar roupa, pelo dimmu-1
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cardar branco para espartilhf s muito superior, 1
ara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha branca a W)
Cartes com 200 jardas de linha branca garant-
d< s .a 60 rs.
Grosasde pennas de ago superiores a oPl rs.
Varas .de franja branca e de cores larga para toa-
lhas a 160 rs. .. .
Pares de botoes de punho, oh que pechincna a
120 rs.
Tlnteiroi.de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de _otes de louga prateado muito bno a
160 rs. A km
Tesouras para costura superior qoalidade a ouu
ris.
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs
Estas machinas
podenicVi. '.rogar
qcatqner i *pecie
rie algodao sen
estraga 1 o fio,
.-ernlo bastante
duaspessoas para
o trabalho de
(IcscarocaT urna
arroba da algc-
dao em carogo
em 40 oiii'Llos,
ou 18 arrobas
por dia cu 3 ar-
robas de alg dM
liropo.
Assim como mai hias para ferfn, movidas pof
animaes, qne dtsrarogaoi 18 amias de algcoao
limi-o, ior dia.
Os rsesmes tem para vender nm belltss no va-
por que fde fazer mover seis dcsias nrtlii?s
mencionadas ; para o que convida-se ; s Srs.
agricnltores a virem ver e examnalo, no a n
. zem de algodao, no largo da ponte nova n. 4'/.
Saunders Brothers k C.
IV. II. pra;a do Corpo SaLt0
RECIFE.
Os nnicos agentes nesle paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Rua do Queimado ss. 49 e 55 loja do Baraieiro
conheeido j como tal, esl disrendo da fazenda
I por todo o prego para apurar dir.heiro, quem qni-'
! zer venha ver e tisga o cobre, e vera o segurte :
Rarallios de cartas para voltarete ronde
i finasa.......................^ ... 200
Miadas de linha froxa para bordar a .'ff
, Pares de sapatos de (ranga de tentaos
lamanhos e finos a................... ''CO
1 Massos de superior graropos para rabillos "O
Duzias de palitos de gaz superiores a. .. 200
Libras de ara preta muito soi erior a. ICO
Frascos de superior macaca oleo a----- ICO
' Dilos de dito perola a............ ... SCO.
Ditos de oleo de babosa mnilo finos a 320
Caixascom superiores phosphoros de seguran?* a rs. e.......''"',;......'.....
160 rs. Ditos de agua de colonia superior, garan-
Caixascom 100 eavelopes o melhor que ha a 640 i,ia .... ..............
r^s Ditos de banha mnilo fina a............
Calzas com 20 quadernos de papel amizade, muito D(tos de cnejros muilo finos para o prego
fino a 600 r? re'?.............................
Qaadernos de papel pequeo rouilo fino a 20 rs Sabonetes de todas as qualidades a 60 rr.
~Vi nhe ta MadeiP 9 do Porto Novelos de iinVa cm O jardas a.... !
Vedde-se o superior vinho da Madeira e do Por- Carritis de linha de c#re com 200 jar-
lo, em cainas de urna e duas dnzias : s na loja >. das a...........................
do Vici'ote. rua do Crespo d. 7. Npvellos de linha de gaz de todas as co-
_______----------------------------------------- I res a.............................
Ra da Senialla O. 42. Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
Vende-se-, em casa de S. P. Johnston*C.,' p^deuVerioVesVhVirosVpVq^nos.a
sellins c siihfjes inglezes, canaieiros e casu- pares de |jgas muit0 upe-ic-es e bonitas
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,' a ris
chicotes para carros e montara, jrreios para
cutos de om e doos .avallo?, e relogios de
ouro patente ingle?.

Ra da S-illa Nava n. 42.
Neste estabel-cimento vendem-se: tac
ferro coado libra a HO rs., idemd eLo
Nfoor libra at-Ors. ________________
Farflo superior de Lutos a b' o ftto.
Tem para vender Antonio Lniz e Oliveira
vedo & C. n,o seu escriptorio roa oa*'Crnt n. 1.
AlhuriK
para 20 at 200 retratos, multo bons e por menos
prego que etn^Qtr (joalquer parle: PS roa do
Crespo o. 4,
Varas de blcos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor qcc toa..
Frascos de agua para denles, sorerior a
1 tudo a......,,f...................
Pegas de trangi preta liza mnito fina a..
Caixas com 4 papis deagolhas Victoria a
i i i Varas de fita preta rom colxetes a......
Libras de 15 sorlida de lodas as cores a
Bonecos de choro muilo bonitos a......
(anas de ohreias de ma ssamnto novas a
Varas de franja .branca e deires para
' tesinas a............ .........
Frascos de oleo Philoeemesfcoj
Dilos eom superior tinta a320 e.....
Caixas de linha de gaz com 50novel!os a
Enfiadores para espartlho .........
Duzias de botoes encangaos para vesti-
/ fttu...........................
300"
400
610
6(0
400
09
30
243
CO
400
40
I 5000
IltOfl
6a
500
40
meo
160
Bj>
sa
roo
80i
2CO


r
^*v
'
>

i_*_% #i



Mara de Pcrmfcnc -. ^HWwhIo 14 de 'a.etro de i Mt&
AURORA BRILHAKTE
GRANDES ARNAZENS
DE
MOLHADOS
I Largo da Santal
(Cruz ns. 12 e 84 J
iesquiaa da ra do)
gCebo. |
ESPCCIAES
I Largo da Santaj.
gCruz ns. 12 c 8ijj
^esquina da ra doj
sCebo. m?
NEM COROAS NEM MITRAS
E
o \mm
E
QRAIVilE ARH1ZE1I
RA DO IMPERADORA 40
Juta ao sebrado em qne mura a Sr. sberoe,
Duaric Almelda tfc C, receberam de sua propria encounaen
da o mala lindo e Tarlado aortianeoto de nolhados, pronrlos
da pr?scn Manteiga ingleza I Maceas brancas
da safra nova vinda no ultimo vapor a l,ooo;para sopa a melhor que ae pode desojar,
ROUPA FEITA
na
IBIAZBI
o
u ih ? dono.dos Ja m<"o acreditados armazens de molhados denominados Aurora
Anuame, acaba de receber de sua propria encommenda, muitos (teneros delicados
peanos da presente estaeao, e tendo grande sortiraento comprado aqui.aflanca que todos
os seus gneros sao de i. qualidade.
A seguinte tabella servir a todos do base para ajuste de contas aos por-
Nenhum armazem veBder roais barato, e melhores gneros do que a Aurora
bullante, ja pelo grande sorlimento que tem, ja mesmo por seu dono se achar encora-
modado em sua saude e ter do vender um do seus armazens agora, e o outre na pro-
primavera, por isso deve-se aproveitar orna quadra destas para se comprar
Xllfl.1
barato.
A
rf[
i
Latas com 8 libras de cbouricas multo novas,
a 7odd.
Ditas grandes com aeixe em postas inteiras,
mus de la qualidades, a 1,5000, 1380 e
I AMO.
Ditas com ostras, excellente petisco para ro-
giJeira, a 7i0rs.
Ditas com ervilbas novas, ensopadas, a
Dius coai favas, a 6V0 rs.
Ditas cen ameixas a 1,51200, 1,5800 e 3*500.
Ditti oom minnelada do afamado fabrican-
cinto Abruu, a 880 rs.
Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
Ditas com ligos de comadre, novos, a 1*500,
25 e 23500. *^
Dta?com bolachinhade soda muflo novas, a
ajMNJQ.
Ditas com bistoitinhos inalezes de umitas
qualidades, a 1*480.
Cinclale.
..i.) oate superior muito novo, a libra a
i telliarlm e aleiria amarella.a libra
TS.
*) dita branca, a libra a 400 rs.
. rcom estrelinha, pevide e outras mas-
. :, caia 3*500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sagti -i libra a 380 rs.'
Seva Imha para sopa a libra a 240 rs.
Brvillm saeou, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de araruta verdadeira, ai libra a
500 rs.
Arroz do Maranho, cm sacea a arroba a
2$\0.) e a libra a 80 rs.
Dito da india e Java, a arroba a 3,5200 e a
libra a 100 rs.
Toaeinho de Lisboa a 95500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dita de sanios, a arroba 7*000 e a libra a
20 rs.
Molhos com 125 soblas grandes, a 1*280.
tfistirda franceza caixa com 2 duzas a
8 J KK>.
Frascos com mostarda preparada em vina-
gre, a iOO rs.
Dito com conservas inglezas c francezas,
a fii0o80a rs.
Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500
ri.
Ditos cam, a verdadeira genebra de larania
a 1*200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
1*000.
Ditos de 1 garrafa de Hollanda verdadeira
a bi3 fs.
IJjiijis com dita propria para negocio, a
40 rs.
Garrafoes com 2 galoes com dita, a 6*000.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 63000.
Viaho scate! de tetuba, a garrafa a
1*100.
Marr.isquinho verdadeiro, fraseos a 800 rs.
ea 1*200.
CiaiTipigne, a duzia 20*000, e a garrafa a
25000. -
Azeitc refinado portuguez e francez, a gar-
rafa a 1*000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
7 5.83. 93 e 105 a caisa.
Ditas com dito branco, a 7*000 a caisa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 203.
Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
18500.).
Ditas com chamisco superior, a 145000.
Ditas com Porto velbo o ontras multas mar-
cas, a 125000.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
720 e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a
35200, 35500 e 45000, e a garrafa a 500
e 560 rs.
Dito da Figueira, das segnintes marca, i X.)
(J. A. A.) (J. L. G.J (O. M.) a caada a
43500 e a garrafa a 560 e 640 rs., desle
que j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 33500 e 4*000 e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinbo branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de eajii muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 3*500 e a garrafa a 480 rs.
Genuna.
Saccas do 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 3*000 e a libra
120 rs.
Sabo massa, a Iinra a 200, 240 e 280 rs.
'Farinha.
Mas grandes com farinha de Goianna mui-
to nova, a 5*000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 8*,
8*500 e 93000.
Ca. s
Cha temos nestes gneros o melhor possivel, '
hysson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxima 2*700,
Dito hysson muito fino a 25800.
Dito redondo a 2*500.
Dito preto de primeira qualidade a 2*500.
Dito mais baixo a 2*000 0 1*600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermaceti.
O masso rom 6 relias de espermacete a 600,
610 e 720 rs.
Passas.
Caisas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prlas para mimos a 4* e Jgo'OO.
Notes. .
Nozes, a libra 160 rs e arroba a 4*000.
Alpista c paim.M.
Alpista e paii.co, a arroba i.5000 e a libra a
160 rs.
Carlas.
Cartas finas parajogar, a duzia a 25500.
Castaahas.
Castanhas novas vindas neste vapor, a arro-
ba 4*000 e a libra 200 rs.
Azeitonas.
Barns com azeitonas novas a 1*500
Hantrija.
Manteiga flor, a libra a 15000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
660 rs.
Ditapara tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos novos viudos neste vapor a 3*200 e
35500.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
1*000
Papel.
Papel alroaco paulado, a resma a 4*800
Dito dito liso de linho, a resma a 45500
Dito de peso lizo e paulado, a resma a
25500
Dito de embrulho bom a 15 e 1*200.
Vinho Hadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
d.'ira a 1*500 e 2*.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a l"0 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
late.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1*400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de liinpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Gran.
Dnzias de boioes de grasa n. 97 a 2*600, e
de latas a 1*000, e os boioes a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Baha por diversos precos, caixas e meias
.caixas.
5. a libra e em barril a 800 rs.
ttantelga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a566rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
Ubra.
Aineixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2jt400, muito propios para mimos,,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as quajidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
! dos melhores fabricantes a 800 rs., tambera
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamencos
ebegados neste ultimo vapor.a,2Coo.
Queijos
ebegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excdante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalio.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e lyj200.
Cha uxim
o melbor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, taHiarim e aletria a
480rs. alibra.
GVAC
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisbaa
e de outFas marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-:
cantes da cidade do Porto a 40 e 10200'
a garrafa e de 00 a 120 a caixa, as mar
cas sao as segnintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do D0uro e outros muito.
Utas
com 10 libras debanha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica damesma que
vendem a 200)0 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120c* .di bra.
Cftrvejas
dos melhores fabrieantesje de todas as mai
cas de 40500 i f.0500 a duzia.
CHARUTOS
Pinto,. Reis e outros em
KJGTREIKe VERE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa eita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade do concor-
rentes, para o que tem um dos melhores professeres, assim como tambem tem um
grande e vanado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras
homens e meninos.
300000
250000
Charutos Thom
meias caixinha|s a 10500.
Arroz
do Maranhao a 1
a 80 rs. a libr
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de l,4ooa 2,2oo
' rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra.
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
caoa urna.
Cekllas
as mats novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs.o molho.
.Alpista e hiiuco
0ma,'LT0 do mercado a 14ors. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 o cento na ra do Qo:-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
GRAO DE BICO
milito novo a 30400a arroba e 140 rs. a li-
com 4 V garrafa
o garrafao.
genebIra de laranja
verdadeira
a caixa.
)0 rs. a libra, e da India
i, e 20500 a 30000 a ar-
roba desse qi e vendem por 30400.
CAF
.do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arrejba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafdes
>com vinagre a 10000 na
30000
40OOO|
Casacas de panno preto, 350 e
Sobrecasacas idem, 300 e .
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......100000
Ditas decasemira, 200, 150,
120, 400 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50, 40 e .. 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
$&> 40 e......30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 34500e. .
Ditos branco de linhoj 60,50 e
Dito de merino pret) de cor-
dao, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80e. '.
Ditas de cores, 90, 8j e. .
Ditas de meia casemii a de co-
res, 50000 e.....
Ditas de princeza e me -inpre-
to de cordo, 40500 e. ,
i Ditas de brim branco 3 de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo pn to e do
cores, 90 e. .
Ditos de casemira pret;, 50 e
Ditos de ditas de coVes 50
40e.....I .
Ditos de setim preto. ,
Ditos de ditos a aedatenaa.
.60 e........
Ditos de gorgurjio de soda
pretos e de cores, 64, 0 e
Cohetes de fusta e brim bran-
co, 30500, U e .
Seroulas de brim de Iteho,
20400 e......2000*
Ditas de algode, 106001. .
Camisas de peitos de linho,
, 40, 30 e. .....
80000: 20 e........
Chapeos de massa, pretos fran-
70000! cezes, 100, 90 e. .
700001 Ditos defltro, 50, 40,30500 e
| Ditos de sol, de seda, 120,
40000; 110, 70 e...... 600^0
I Collarinhos de linho fino, ul-
40000 j ma moda duzia. .
I Sortimento completo de grava-
20500! tas.
20500 Toalhas parroslo, duzia, 110,
| e........
70000 Chapeos de sol, dealpaca, pre-
40000. tos e de cores.....40000
Lences debramante de nho. 30000
30500 Cobertas de chita chineza.. 20500
80500
20000
60000
a 10(00 o frasco, ede 110000
IDEM
e Hollanda
a 50800 com
em frasqueiras 12 frascos.
INBIRA
de Hollanda verdideira era frasqueira a 6oo
rs. cada urna,
os verdadeiros pa
e 2o rs. cada caixinha
PALITOS
itos do gaz a 2,2oo a groza

a,KTO
DE
J. VIGNES.
X. .*... RA DO IMPERADOR IV. 53
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para oue seia necessario insi-air ai
"W.6"0.?^0' *22 e Pa^ntias que offerecem aos t^^i^^^Sll
TnfU?8 52 defin,t'vante conquistado sobre todos os que ^aSScSTiiS?moa" ii.
suindoum teclado e marh.n.smo que obedecen i todas as vSateeftSr^JSM^it
& po,.sere"1 aneados de proposito, e ter-se feito ^Ze^^ZSSimZ.
Ssrs sKasBSr,iB s *me,odiosas e Ba e ***&&
Fazem-se conforme as encommenq;as, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel de Pars socio
correspondente de J V.gnes, em cuja capital foram sempre premiados era todas as eips?c6e7'
-dSfSK esta,be'ec,mento 9 ha sempre um explendido e variado sortimento de? msicas do
$2%^S&"f COm amnicos e pianos barmonicos, ndomdiSffiS
LICORES
finos de todas as cualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzi e a l.ooo a garrafa.
Mermelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
autros muitos a 600 rs. a
jam Abreu
libra.
Presunto
o verdadeiro preunlo de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java eIndia, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2do rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
[VELAS
de carnauba era cixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batata* novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muilo navas
em quartos e inleirdis a 20 o quarto e 60500
a caixa e400rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 80r.s. a libra e 140 rs. o pao.
Fruta em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Osee da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixae.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na ra do Qoei-
mado n. 7, ruadollmperador n. 40 e largo
do Carmo ?.. 9
BOLACHINHAS
N a QUEIJO SUISSO OTIFIJtM
"CJmadon I00 rSH 3i Iibra ^ua do chegadosneste uL
yu, aado n. 7, ra do Imperador n. 40 e | do Quehnado n.
largo 4o Carmo n. 9
40 e largo do Car
fLHENGOS
A'apor a 20800 na roa
ra do Imperador n.
ife
A 4 8 0 CORTE
Peehincha sem igual.
Lindos cortes para vestido de .percutes de cores
claras e escuras com grande variedade de padrees
pelo baratissimoprego de A$ o corte: na loja das
e lumnas ra do Crespo n. 1S, de Antonio Cor-
reia de Vasconcelios A C,
0 Veriaderro Priiciaal roa da Imperador
FARELLO DE LISBOA
Mar N verdadeiro em saccas novas e grandes a 40500: na ra
&2kj

Farelo de Lisboa.
Winle-se superior farplo em sacwis grande?, e
por prego commodo, rindo pelo ultimo nario : na
ra da Amorim, armazem n. 50.
POMA
Vende-se potasa sin barris a conmedo preco o
na ra da Cruz n. 23. primeiro id*x, esoripton:
de Antonio de AI me i da Gomes.
do Imperador n. 40.
NOVIDADES.
Queijos do Alentejo. ditos das ilbas o mais fresco J
jar a 10200 a libra, e sendo intiro 4er algum abarimentb, ricas caixiobas
redondas pnfeitadas,.prqprias para mimo da festa pelo barato prco de 40
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mimo de 800 10500
cada urna. ?ende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, ra do
Imperador n. 4.
ft nM.:.i" ^ *u e iargo uo tiar no n. a.
ezes ?SE!, tipSaram os1 mSLS n! ^ ,C em genl,qu<'para faci,itar a mmodidade de todos es-
upuiaram os mesmos precos nos segurates lugares:
o.40
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
MEDICO. PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os das das 7 s I
horas da manhaa e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteira
tubos avulsos, assim como tinluras de varias dymnamisaces e pelos preces segnintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os rara1 li
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 10^00.
Sende para cima de 12, custarao os precos estabelecdos para as carteiras
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr Jahr
dons grandes volumes com diccionario........... 204000
Medicina domestica do Dr. Hering, ....
Repertorio do Dr. Mello Moraes.......".'..'.'.'.' 60000
Diccionario de termos de medicina 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e" dispensan) portan-
te de serem novamente recommendados aspessoas que quizaren usar de remedios ver-
dadeiros, enrgicos e doradores : ha tudo do raeihor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacao, tinturados mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparacao, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacp, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O tratameoto o melhor possivel, tanto na parte alimaatar, como na medica
fnnecionando a casa a mais de quatre annns, ha muitas pessoas de cujo conceite se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que deseiarera mandar sn<
doentes. ... vr* ~"i *u*
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem suieitar aos oraros
azoaveis que costuma pedir o annunciante. F ^^
ue so pode dese-
Vinho do Porto especial.
O mais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
cas novas e especiaes, em caixinhas de 12 garra-
fas, sendo miraRainha de Portugala f000
a caixa, e marca Pedro Va 16,8 ; em por$o
far-se-ha um abate raioavel : no armaiem deFer-
relra & Matheus, junto ao arco da Coneeicao n.
$6. No mesmo armazem ha tambem exeeilesrte--------r~~ "mrcmo w mueu
vinho do Porto em ancoretas de 32 garrafas a 38f (moendas para engenho, machinas de vapor
tffk na, e Ven6*em-se charutos da Baha de varias qua- lamanhos para ditos.
AGENCIA
AGENCIA L0W-M00L
*ni da Senulla im i. Ai.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiaa
Udades : era casa
piche n. 48.
de Monhard & C. ra do f ra-
Suacrior cal de Lisboa.
GAZ GAZ GAZ
?ende-se gar 8a melhor qualidade' a I Vende-se superior cal i istoi a mais nova
10 a lata : nos rmaseos da ruado Im-ifl"*^^ mercado, tan (o emporeao como a reta-
parador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. -g "
figura
. Tnde-se um mulatinho de
, se a
Cinco Pontas.
quera quifer dirij>-se a coeneira
aicao
bonita .
defroate da es-
Iho, por barato K& ?fianc,ndo-se aos compra
dores uperior onalidadc : a tratar as segnlttes
roas : Crespo n. 7, Imperador a. M, Fcrte do Ma-
tos, armazem do 9r. Ai illa, detronte ^ trapicU
) algodao.

SFabricrConceicio da g
Arados americanos a machinas pan
lavar raipa: em casa de 8. P. Johosten 6 (L,
roe da Senzalla Nova n, 42.

Andrade a Reg, recebem constante-
mente e tem venda no sen armazem a.
34 da ruado Imperador,algedao d'aqael-
a fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodao emploma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
Casars de pambas e borrachos.
Vendem-se casaes de pombos bons baledores, e
borrarnos : na ma larga do Rosario n. W, lereei
ra andar.
Vende-se
um excellente carro americano com 4 ro-
das e arreios para um e dous cavados sen-
do muito maneiroeleve, o qual tendo ai-
do todo reparado de novo se acfaa ao me-
lhor estado de perfeioio easseio: a tratar
com Antonio Jos Rodrigues de Sooia na
ra do Crespo a, 15, das lo horas dj> dia al
as 3 da terde.
b Vende-se machina para dnroaroaar K
i-1 com motores para animaos : na ma da Sonata
iNov n. 4.
*J^
li r
i%/i


Diaria de PcrtMfcna >lb*4 14 de laucire de 8C
'V
MAGNIFICO SORTDENTO
DE
<-lt AVIli: AlOIAZEM
DA
1GA.
GO ~RUJl no va co
Casa da esquina juato a ponte da Boa vista.
MUITA ATTENQAO.
Parece que o respeitavel publico se ackar bastantemente convencido de que a
direefao deste importante estabelccimenlo tem sido sempre caracterisada pelo maior
costo e capricho, nao s com reanlo ao asseio, snperioridade das mercadorias, como
na sinceridade do tratp e maneiras alteociosas dos empregados da casa para com todas
aquellas pessoas que se dignam de frequenta-la.
Muitas senhoras pernambucanas e estrangeiras, cujo trato ameno e delicado n5o
pode ser concedido a qualquer individuo no recinto de um estabelecimento da ordem
da Liga tem vindo possoalmente refazer as suas despensas nesta casa e voltado asss
saUsfeiUs.
E' preciso fazer desapparecer desta importante capital estas nojentas tascas cheias
sempre de escravos embriagados, onde as chufas sao jogadas sem respeito.
O importante e magnifico armazen da Liga se acha felizmente muito fra
dessas condiccoes. E' necessario v-lo para bera se prestar crdito a nossas palavras.
A mercadoria nunca ser bem comprada se ella nao fr de boa qualidade. E
sobre este ponto que chamamos a attenc5o das pessoas que nos quizerera honrar com
a suafreguezia; porque o nosso grande estabelecimento se acha completamente prvi-
do de superiores gneros, que em sua mxima parte foram comprados a dinheiro
vista, e recebidos directamente de Londres, Paris e Lisboa.
Ninguem se acha entre nos com mais proporces para vender barato.
As pessoas que compram para negociar, fariara muito bem se quizessem se cer-
tificar do quanto havemos expendido pro.urando afreguezar se com nosco.
N5o duvidamos vender a crdito a quem nos der conhecimento de sua probidade.
Ameodoas confeitadas em basas de vidro, ditas com casca mole
e dura Ameixas francezas em frasees de vidro, ditas em latas,
ditas em cartoes, ditas a varejo =Alpiste e milho miudo.As-
sucar refinado fino, dito baixo. Azeite doce em barril, dito
em boioes. dito engarrafado, dito francez e portHguez refinado.
Arroz do Maranho, dito de Java, dito da India, dito de Penedo.
Azeitonas de Lisboa, dita do Porto. Itenha de porco em barril
. dita em latas, dita refinada em barril e latas. Batatas em gigos,
dita em caixas, ditas a varejo.Bolaxinlias finas de diversas
qualidades, ditas de soda, ditas para lanche, ditas, americanas.
Biscoites inglezes, Mixede, Medum, Cabim, Seed, Soda, Cuddy
Cracknel, oval Thim Capitam e outras mais, ditas de leite de
Edimburgh, etc.Caf do Rio de 1.a, 2.* e 3.a qualidade, dito
miudo.Cha, o que ha de melhor existe em nessos armazens,
trxim, miudo, dito hysson de 1.a, 2.a, 3.a e 4.a qualidades, dito
preto homeopatfiieo, dito commum.CharutosMussissipis, ditos
Panetelas, ditos regala imperial, dilos suspiros, ditos delicias,
ditos Napelees, ditos Parisienses, ditos apraziveis, ditos lancei-
ros, ditos imperiaes de divercos fabricantes. Chouricas mou-
riscas deLihoa, dilas em latas.Chocolate, de diversas qualida-
des e de diversos fabricantes. Cerveja Basse, dita Victoria,
'ditas Alesops, dita tenenle, dita II, dita XXX, dita em barril
branca e preta.Conservas inglezas, dulas francezas, ditlas ali-
menticias.Cevadinha de Franca. Clianpanha superior de di-
versas marcas.Cognac inglcz, ditto francez. Ceblas de Lis-
boa em molhos, ditas em rostas.Cupos lapidados para agoa
ditos para vinho. Doce de calda em latas de diversas qualida-
des, ginja, alperch, pera, pecego, doce de goiaba, em latas ditos em
caixes ditos em frasco de calda de assucar, ditos de cognack.Ervi-
lhas em latas, ditas em casca, ditas sem casca.Espe mcete de 5 e 6 o
maco.Figos em latas de 4 e 8 libras lindamente enfeitadas, dilos em
caixas grandes e pequeas em barril. Farinha de trigo de diversas
marcas, dita de araruta, dita do Maranho, dita do Axacaty.Fumo
de Rio em latas dito em rolos, dito em lata (do Pari) para cigarros.
Genebra ingleza marca gato, dita dita em hoscos, dita de II, llanda era
frascos, dita dita em botijas, dita de Hamburgo tm frascos, dita em bo-
tijas, dita em garrafoes.Graxa em latas.Limonada de diversas fruc-
tas.Licor inglez, dito francez, dito allemao. Manteiga ingleza flor,
diti de 2.a qualidade, dita de 3.a, dita de 4.a, dita franceza de 1.a qua-
lidade, dita dita de 2.aMassas para sopa, macarrao, talharim ealetria,
dita estrellinha e pevide branca e amarella.- Marrasquino de zara de 1.a
qualidade, dito 2.a dita, dito 3 a dita. Mai melada muito fina.Molho
inglez, dito francez.Moslarda ingleza, dita Iranccza.Pre5iintosin-
greses para fian.bre, ditos americanos, dilos doPoito para tempero,
dito de LSl>or Passas de Malaga, ditas de Corinthias para podim.
Pomada do P rtoS-Pimenla do reino. Peixes em latas, savel, curvi-
na. pargo, espada, congr-, chermy preparado pelas melhores artes de
cosinha.Papel greve branco, dit paulado, dito almaco, dito de pese,
dito amarello.Palitos lixados para dentes, ditos ditos com flores, ditos
americanos, ditos do gaz.Queijos inglez e londrino, dito flamengo. dito
prato, dito suisso.Rap Meuron, dito francez Sahme em latas de 1
libra o melhor que aqu tem vindo. Sardinha de Basse, dito de A.
L'Auile. Sahao nacionol, dito massa e nao massa, dito inglez. Sa
nacional, dito inglex a varejo, dito em vidros. Toucinho de Lisboa e
Porto, dito de Santos.Tijolos para limpar facasVinho?, neste gene-
ro os nossos armazens tem o melhor sortinunto que se pode imaginar,
duqeujo Porto, lagrimas do Douro, Camoes, Bocagc, Maria Pia, D.
Luiz, Pedro II, Malvazia, Madeira, Cherry, Bordeaux, tudo engarrrf. do.
Prevenimos ao publico de que no armazem da liga s tem vinhos engar-
rafados no estrangeiro, dito em pipa do Pono, Lisboa, Figueira e de Sete,
dilo em barril de todos os paizes, dito em ancoras, dito chamisso mui-
to proprio para casa particular em barrilinhos com 150 garrafas por
preco a satisfazer o mais exigente comprador em quanto a qualidade
garantida por nos e pelos seus importadores, dito em caada por preco
baretissimo, dito branco para missa.Vinagre puro de Lisboa, dito ham-
burguez, dito cm garrafoes. Vassouras do Porto, ditas americanas.
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chegaram os modernos vestidos de dentelle de seda coro barra, nteiramenta novos
em gosto e qualidade : loja das columnas, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia
de Vasconcellos & C, successorestio Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos de senhora
Superiores cortes de seda de cor, de moriante, de gwrgoro e de setim imperial.
Dilos de blond, e de cambria branca bordados.
Ditas de la com barra e grande variedade em cores e padrfies.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de quadros escosseza e miadas.
Superiores las lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpicos, com flores e de cuadros.
Lindas pampolinas de quadros e de llores, fazenda. intoiramente nova.
Superiores cassas de cores, e lindas cambraias organdys.
Grande variedade de chita de cores, de percalia coutras muitas fazendas de gosto.
Para hombros de senhora
Lindas capas e bonrnoax de casemira de cor.
Ditas de laa e de seda.
Grande variedade de soul'emnarques de seda de 185 a 40$.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados Gnos, de cachimira com hstras de
seda e de fil preto.
Carnizintus modernas, zuavos braneos e de cores, eolletes de cambraia, lindas gol-
hntaas com pnaos e oulros rnuitos artigos.
Para cabera de senhora e menino
Superiores chapeos e chapellinas de palha de Italia enfeitades para senhora.
Ditos de feltro entenados para senhora.
Dites de palha enfeilados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columnas da ra do Crespa a. 18, de Antonie Carreia de Vasconcel-
los C.
AO PUBLICO
Sem o menor consran
glmento se entregar o
Importe do genero qne
nSo agradar.
ARMAZEM
ATTENQAO AGUA FLORIDA
Os prceos da aegnlnte
Cabella para todos, po-
dendo assim servir de ba
se para o ajuste de eontas
con os portadores.
n?v
RA RA CARESA RO RECIFE 7S. 53.
Cirande rednccSo de preeos,
(Logo Mseande arce da Ceaeeiee)
equivalente a dez por cento menos do qne oniro qualquer
annunelsmtew
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com islo ocasio a todas a espeluncas acabarem por b\m preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, quepodem vender pelo preco que eu vendo III Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar omesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redcelo de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu balrro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniilo Mercantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao se o de ,4oe a 4,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
estao obrigados, encarando todos os das de seus fregtaezes reclamac3o de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estabelecimento. para lbe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
tao smente obter a concorrencia de seus freguezefe.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptido e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darlo a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, bavendo para com estes toda recommendagao,afimde que nao vao em outra parte
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 800 rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril on
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6o rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
nste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,600, i,800 e 2,ooe rs. a
libra, garante-se ser moito regular, igual
ao quese vende emoulra parte por 2,4oo
e 2,too rs.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.800
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,000
rs. a arroba,
dem dalndia muito alvoegraudo a loo rs. a
libra, e 3,000 rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpisla a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril maito superior a 5oo
rs. a libra.
a 4oo rs. a li-
Linguicas, chouricas e patos em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,5oe rs. Aletria, macarrao e talharim
garante-se serem superiores aos que vem j bra, e 9,ooo rs. a caixa.
em barris. 1 dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
Chouricas epaios em barris de meta e urna estas massas tornam-se recomendaveis as
arroba a 8,000 rs. e 1,5oo e 600 rs. a libra. 1 pessoas doentes por serem propriamente
Queijos flamengos muito frescos ebegados feitas para esse Km.
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
passado a l,6oo e l,8oo rs. ) 25 libras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente qua-
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresce e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas ja pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reine vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o "rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 0,000 e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sorel, corvina, gors. pesca-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 43,000 rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,000 e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,000 e 3,5oo rs.
Vinho branco para roissa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuieo,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. ea9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
prepara das pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
da, salmao, ostras e chernee^ vezngo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 800 e I,ooo rs. cada urna. cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- libra,
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,000, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante-1 qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade .superior, que outro; Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. i para mimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e | Passas muito novas de carnada a toe rs. a
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a 1.000 rs. o basco, e
H,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes u lee
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoa8 de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolichinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
Q
Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes"
mo peso a 2,5oo; ditasimpeciaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de t e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra-
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolhado mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e 11,000 a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16ors. o maco-
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra. v_
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutosde todos osfabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l.oeo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,800 a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,000 a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,000. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas porl,2oors.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
MURRAY & LANMAN
A agu ilorida de Hurrav d Lunnin,
olhatla como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparai-m-y
as mais costosas: conserva sen aromas-orno
se formsse parto da prenda a que ella te
applica. Sua efcacia tan delicada, < *.
elegantes sao seus multiplicados usos, eme
seja empregada como artigo de toncMtor,
quer no uso dobanbo, ou como suavisadf.r
da pejlft, depoisquese tenhafrito abaih:
j para limpar as gengivas ou aroma!isar o
hlito.
D suavidade, brilho c elasticidade as
compleicoe, depois de se ha\er lava.lo: al-
livia a irritacode erupres wlinnria?: fw
desapparecer o desagrada* el atpcrto eos
pannos, das sardas do rosto, rugas p toda a
casia de ebulices, e d >igor e (rentara a
parte onde quer quese appique. Su (fli-
ciencia e elegancia sao igua'n ente ifflli-
veis nos casos em que seja preciso ppli-
c a-1 a como estimulte e anti<< -ko. ios
concursos e assomblas Douterous, r.-s to-
talidades infeccionadas, na alcova de ubi
enfermo, assim como um antdoto excel-
lente para os desmaios causados por cane-
co ou suffocao. Preparada nicamente
por Lanman A Kemp, Nova York, e a venda
por Cao rs A Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
.Vende-se as boticas deCaors- Barbe r-.i,
e C. Bravo A C.
Feijao.
9- Roa ?a Madre de tit>-9
Vende se feijao mulatinho novo, arcos cuias, o mais novo que se pode detrjar, e Bata
barato do que em outra qualquer parle.
Vende se caixes vazios proprias
para bahaleiros c funileiros a i$760
cada uai; nesta typograpiis,
Vendem-sc latas rom doce de caj itero,
muito bem enfeitadas e da melhor qualidade : aa
-oledade defroote do palacio do bispo.
Vendem-se 500 varas 4e correles de lage*
de Lisboa, ptima* para construir passeios : a tra-
tar na ra do Queimado n. 18, loja de Mano! Ki-
beiro de Carvalho.
Vende-se urna aimacao propria [ara <;ul-
qner negocio : na ra Direita do? Ai' gafo
tratar no Riesmo lugar com Haximiano as :.i...-
gas e Silva, ou na ra da lmperalriz u. 74.
Assocarerjslalisade ita fiirica
2 de Julho
Na Babia.
N'oa.mazerc d ra da Madre d..- Dees n. 18,
ha venda o multo soperior asnurar cr\sta:
em saceos e 2 arrobas, ac preco de Sj tt at-
rio
O
maiem ie motiladlo
81-RUA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite,- lem a satisfac^o de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de soceos e molbados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou ter das melhores qualidades, e francamente affiancas pessoas que
se dignarem comprar em seu estabelecimento,que alli de preferencia outra qualquer par-
te serao mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos e medidas, no que
sempreo annunciante foi escrupuloso, em summa, nao illude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradores que o queiram honrar como seu comitente Ibes
assegura que o producto de seu laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
do desta pra^a, para o que se julga convenientemente habilitado pela longa pratica com-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois de se-
rem fielmente euniprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantes que lhe merecam confianca, fa-
zendo um abate vantajoso aos que pagarem a vista suas mercadorias, e encarrega-se da
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica comrniss5o, entregando de
prompto seu producto, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commiss2o.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annunciante sua valiosa protecejio, fre-
qnentandocomo oulr'ora sua casa, e pelo reconhecimento que lhes tributa offerece espon-
tneamente seas servicos.
Julga desnecesario publicar a tabella dos precos de seus gneros: sao seus recursos
garanta sufficiente de poder accempanhar os menores precos de idnticos e mesmo de
mais apparatosos estabelecimentos, tendo somento em vista o augmento de suas vendas
diarias.
Prevenco necessarla.
Tendo sido o propietario estabelecido muitos annos com o mesmo ramo de nego-
cio ni mesmarua, julga prudente advertir que safliroa. e se responsabilisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem. ____
81-RUA RO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio,
SIS a 5
era
5 B) m
g Cfl 09
"> -:
0 g-M S.3
.. P
en
!. S O
C3 55>>0
o 5-sra.g =r
o-tfl co o o*a. 'f
21 o-cb .3 o "
S' o i *
9 3 3
es "n
o o
a
o
M o
v -3
m ir
a
Se
. o- ">
&-
H
Iri
as a
e
*S-B
n
5 sr &
B -, 5.' w
o0
o
-J
T3 2 ^
d
a ^

ib
-1 s
6 3
2 3
p--i
ai
t C6
S2.
a B co
S 9 t
o ca
co os O
os
B
9
co
1
lili
H as 9 os
09 O
Oto
O 1 w
w o^
>
O &>
*a 9
OS "i
3ia
r.
|i
o.
o
a?
i
Os S*

s
e
e
s
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a er natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna tintura, fado esen-
cial a contestar, a mesraa agua dando a ror primi-
tiva ao cabello. Com posta de plantas exticas e
de substancias inofensivas, ella ten a propriedade
de restituir aas cabellos o principio coraste que el-
les tem perdido. D'uma salubridade incontesta-
re, a Agua Florida entretem aliospeza da cabe?*
destroe as caspas e impede os cabellos de cabir
Oleo de Florida,
Composto de substancias vepetaes exticas, elle
constite poderosmtf,. com a Agua FlariX
torca, a belleza e a coaservacao dos cai.'.^.
Em Paria, casa de Qnislaar n. U, rna de Riehe-
lien. e 21, bonlevard MoBtmzrTf.
Todos- os fraseos, nao tendo intaeto claro,
timbre prateado. da casa, s*j repulattoa fados.
Deposita, roa do Imperador, pharaacia n. 38.
ESCBAYOS rGKGS.
Attencto.
Desapparereu no dia 7 de cmtbro |>rLiiaao
passado do sitio do abaixo assignadu a sua t-M-ra-
va LourenC", idade 40 annos jkuco BMM oh an-
uos, alia, ebeia do corpo, falla de dei tes na trt-
te, costuma a cochiar de nm p e muiui eottke-
cida por ter vendido por muito K n:[ o ai r 2 111
na Soledade e ltimamente venda verter* e
fructas pelas roas: pede se as autoridades e i-[i
tes de campo a apprehensao da dila preta e le-
va-la ao mesmo sitio travessa de Joao hnaAl
Vieiran. 6-
Guilherme Jcaquim da Silva Braga.
Escravo fgido.
Fuglo hontem quando era levado para a can
de delencao por urna praca da rorrparibia urbana
o escravo pardo de nomc Joao Gandid", de idade
2a annos, alto, corpulenta, ps e na. s grandor,
cabellos carapinhado, peoraLaiba, qurm o pipar
leve-o a ra do Brom sobjrado n. 6 on roa Trapiche n. 4, que sef-graifRcado, e assegura i;ut
o dito escravo achare em Ojnda.
Anda fgido o escravo Manoel, de idade de 30 a
40 annos, baio. reforcado\ de cor | rea. pofMi
fulo, e tfin 6 dedos em raila mao : qini Srtle
souber ou der noticia, dirija-se so arruten ie
Jcaquim Antonio Pinto Seroio, ra do Brun>. oa
ra do Trapiche n. 36. /
No da lde dezembro de 18Ci fugio dt raa
de seusenhor o escravo Herculaco, pardo titun .
com 35 annos, alto, cabellos carapinhos, olbes .
orelhas pequeas, tem apenas bigode e pera, pei-
nas e andar de quebra-mangue, tendo o p atfser-
do torio e sahido para fra como pata de ser:. 1
por isso puxa alguma roosa pela perna nando
anda, levou vestido calca branca remendada e m-
misa branca, levando chapeo de palha, eeaduaki
igualmente toda roupa que possue, surpie m ;u-
dar aqui mesmo pela cidade: quena o pegar lew-.
a ra Direita o. 54, que ser genen^amenlt rr-
com pensado.
Fugio pela manhaa do da 2? do ruin ;, o
escravo de nome Paulino, com es fifMti limi-
tes : cabra, cara picada de teiigas, di lo.- u
dos, cabello carapinho, estatura repubr, I.,u o
corpo, muito conhecid por andar venden te-
lendas com um caiieiro da easa dos Srs. Marreti-
bo & C. : roga-se a quem e pegar, de o leiar a
casa dos mesmos na rna do Crespo n. 5, qne sera
generosamente recompensado.
-"- Ansentou-se cm 20 de dezembro pagado do
eupenho llinga dcima, so Caite, a mu, 1 timba
Jornia, de 14 aqnos provaveis, comprada a 26 m,
no Recite, a Jos Firmino de Medeiros per pictn-
raoao de sua ave Josepha Mara dos Prazeres, ae-
radores ambos no Brejo da Madre de Dos, Una es
signaes seguinles : cor alvacenta, manchas id
rosto, cabelle carapioho e rugo, com orna cicatriz
a testa, corpo regular, com todos os dentes. ?*>
peitos, as pernas finas, veetigfoe antigos de rhiroto
no corpo, padee* d bobas as partee ocrnMa*, a
falla as vezes viciosa : roga-se s autoridad! a
sua captara, e a qualquer particular, pedendo ^r
remedido para o referido engenho, en a Jee Jw
de Carvalho Moraes Filbo, rna d Queimado 13,
que serao gratificados.
ATTENCIO.
Fugio no dia 8 do corrent a preta de nacao por
neme Lozia, idade de qnarenU e tantos aaai*
pouco. mais 9 meaos, com os signaes seguinte* :
boa altura, corpo regular, levando vestido de chi-
ta novo, panno da costa fraicez com franja j na-
"d* e eoBsttqw a mtm so-inelca que anda pa-
gando seaaaoa e ba suspeitas ijne ella anda pela
estrada de Joao de Barros vendendo fructas para
poder disfalcar qne anda no trafico desse servfro:
qoem a pe*ar leve-a a rna do Mondego n. 4 o
ra da Cruz n. 15, qne tari generosaroeDle e-
compensado. ,
1
*.


8
Diario de f-tmansbuco iabbado i de Janeiro de tse*.
.
t.
LITTEEITQRA.

TRAFALC.4R.
XVI.
CBEAgAO DE CU MUNDO.
(Continuagao.)
Seguiade o camnho da rasa de Manoel Soaro-.
Digamc, lornoQ Fernanda, se o senhor es-
perasse enooutrar-me aqai, o que faria ?
Oh I Fernanda I eu a esperara dez annos e
passariam por mim todas as irmas dos anjos sera
que eo olhssse para ellas.
I Eu o acredito, quero acredtalo, disse Fer-
nanda.
Perqu, prosegniu Tonln,.. .escute, Fernan-
Touin a formando o sea placo de craversago, da...nao, nao escute, fallo commigo mesmo...
.preparava as pergontas, e, suppondo as respostas Oh! nao mo atrevo a dize-lo... urna d6Sgra-
novitaveis, devla nfallivelmente chogar ? urna cal.-.eu anda aamo...e porque a amo que
lo c deseobrir o segredo desse royslerioso gostei da oulra.. .Porque sao parecidas como duas
ivi'Pador- otas de leite.. .Que quer T e homm nao como
A casa eslava aberta como no seculo da edade a mo'ner. 6 fraco.. .no mar, especialmente...eo,
de ouro, antes de ter James inventado as portas : Pbre marlnheiro, que estive cinco annos nos pon-
o ar fresco gyrava livremente pelas salas terreas, ,5es' -a senhora nao comprehende?.. .Urna ma.
c o olrmato gozava os perfumes de um gyneceu in- D_naa, ella ergueu-se, no alto mar, com o rosto ra-
diano. Os movis, com todas as suas graciosas diante como o sol.. .parecen-me ve-la, Fernn-
frivolidades, pareciam pertencer a um syharila ou da...oh! como eu a ama va nesse*momento., .e
.1 urna muler. Macios divans corrlgiam a aspq- nao era a senhora!...entilo amei a outra conti*
.reza dos ngulos, as mais lindas flores pendiatn nuando a ama-l.. absurdo Isto. ..perco a ra-
ein festoes dos vasos da China e do JapiSo. *d. .eston louco. ..dcixe-mo chorar. ..faz-me
Pareca deserta. Tonln emrecava lodosos es- Dem-
tratagemas do visitante que quer revelar a sna Gada palavra era accentuada pelo delirio da
presenga por meio do rumor dos passos, de pigar- Paixao 8 do desespero; a exaltago transfigurava
ro, de pedacos de msica cantarolados; nlnguem esse homem e o fazia parecer nm ente sobre-hu-
epparecia. mano. Fernanda, encantada e ao mesmo tempo
Por urna porta aberta no fundo do pavimento ^T**' tea 0S P"'?os do momento> levan"
terreo avistava o jardim da casa. T.?. P reCUar d',n,e de m PreciPic,0>
e recorreu ao thesouro da sua razo para reves-
tirse da necessarla energa, e dzer com voz fir-
me :
Ento amanhaa o seu casamento ? To-
nin conservou o silencie afflrmativo.
- Eu j sabia, proseguin ella, Manoel Soares
i jard
Talvez o dono da casa ande passeiando a
sombra, ali daquelle lado, disse elle comsigo; e
a transpr a porta quando urna inesperada appa-
rigo f-lo estremecer e parar.
Urna moca, vestida' de branco, oceupava-se era
arrancar as folhas parsitas de urna latada cora
as costas voltadas para a casa. Sen trajo, muito deu-me essa noticia. Antes de o saber quera fa-
simples, era a moda das seohoras Peruvianas, crecer e ajudar todos os colonos que vieran)
moda lindissima que revela todos os defeilos sem e,n sua companhia, deixando-os sempre ignorar a
occultar as perfegoes. Seus formosos cabellos mao que os beneficiava. De qne serve agora a
prelos conservavara ainda o desalinho da maoha, minha grande fortuna? A minha felicidade era
e cahiam em desordem pelos hombros ns, que que o senhor a partilhasse. Agora, ella far
elles encobram um fbueo, como um tecido de com que eu seja menos econmica nos meas actos
transparente renda. de beneficencia.
Tonln guardava profundo silencio, mas um su-' Tonn langou-se aos ps de Fernanda que o obri-
sarroj de respiracao chegou aos ouvidos da moca, e gou a levantar-se.
ella voltou-se.
Cruzaram-se duas exclamagoes, e o mogo dei-
Acredite, proseguiu ella, que eu nao torno o
seu coraco responsavel pelo que me acontece. A
xou-se cahir era um dos assentos do jardim ; ura unica cousa 1ae ea esperava como coosolacao, o
resto de moga aniquilara o alhletico homem do sennora fez. Apezar do sea amor a outra, con-
rear, que nao curvou a cabega ao estampido dos
canhoes de Trafalgar.
Urna mao cor de rosa e macia como setim, pe-
sentiu heroicamente em cumprir para commigo os
deveres de noivo. Acompaohavame.
Oh I sim, exclamou Tonin, a honra fallara
gan-lhe na mao, e a voz da primeira mulher ama-! "* all do qae amor' e a senhora nao conhe-
da proeriu estas palavras com a mais suave mei- Mr" nn" a ex,eDs5 do meu sacriflcio-
Eu Ih o agradego como se se tivesse reali-
sado.
perguntou
guice
Eu esperava esse grito de sorprez, mas jo!, j -Eo navio que a senhora fretou ?
gava que fosse seguido de urna exclamago de pra Tonin.
ier...Fol hontem...No cousa que se esquega
cm pouco tempo...foi em um dia solemne; a ~ E lava fre,ado desde manha, disse Fernan-
Franca e a Hespanha estavam de luto. O senhor
moslrou-se heroico de coragem e dedicagao, mas
-era pobre e .em futuro Unimos as nossas maos
nos desposamos perante Deus...E' mentira o
que eu digo ?
da, eu parto esta tarde
Esta tarde exclamou Tonin pezaroso.
E' preciso, meu amigo ; oceultemos as nossas
11 lagrimas. Separemo-nos com o sorriso nos labios.
| Nao somos mais do que instrumentos de Deus, e
Tonin, occultando o rosto entre as maos, fez um eomo el,e sabe ^ue faz> nao o offendamos afUign-
gesto alrmativo. donos e destino que elle nos reserva. As
- No dia segniote, proseguin a bella Andalu- prva6os deste raQndo sao as ***** no ea.
za, no dia seguinle, o senhor aartiu. Quando o mo.cobnu de De'J0S as m*>s d Fernanda.
seu amigo me deu a noticia da sua inesperada au- A(\ai ,em a escriptura de compra desta casa,
enca, senti um aperto de coragao; mas sabendo'nr0SPSuiu ella- meu intendente |incumbe-sede
tambem qual o motivo de to sbita determinagao, i *M,?2 que misionario aceite esta proprieda-
acliei-a nebre e digna de admrago. Denbcre:de- s"a transformada em egreja a casa queeu
cutao levar a minha deJicacao altura da soa. A !devia hab,lar em sua companhia. A capella, mi-l
viuva de um ofcial de marioha nao teme as via- inha vil,nna foi iae me deu este censelho.
gens de longo curso. Realizei toda a minha for-' Oh t senhora, disse Tonin, nao se faca ado-
limi, part, e gragas aos ventos propicios, e a sua J ravel a esse ponto ; deixe-me a coragem para a
demora em Madagascar, chegamos aqui antes do separagao.
s >n!i ir. No pequeo circulo, em que vivemos, tu Adeu?, disse Fernanda, reprimfndo o prnto;
do se sabe depressa. Esperava pois a sua visita, adeus, havemos de tornar a ver-nof, ueste mundo
,e nao omprehendo o desanimo que se apodera da Ina0 se'' mas 'a em c'ma Pr forea f
sua possoa no momento em que encontra aquella | E apenando convulsivamente a mao de Tonin,
que procarava,
Foi o acaso que me trouxe a esta casa, ruur-
cuurou Tonin com voz qaasi extracta.
Acaso urna palavra impia, proseguiu a mo-
correu a refugiar-se em um peqaeno pavilhao que
havia no fundo do jardim.
Tonin sahio a passos lentos, e como que atorJoa-
do pela forga de tantas emagSes. A brisa do mar
ga, foi o dedo da Providencia que Ihe indicou o rerrescou"lhe rosto e fez desappaaecerem os ves-
camiuho dalionra, da gratido e do dever. !tlll0s das la8rin,as. L*ngando os olhos para o
Essatre palavras exercero sempre sobre horizne do lado opposto, avistou confusamente a
mim um poder irresistivel, disse Tonin ; a minha familia dos colonos "^ terra& de Henrique, e lem-
noiva de Cliz, ser minha esposa. nrando-se do tempo que decorrera depois que os
E. erguendo a cabega, apresentou mo.ga ura deixara> Pedio Pet"dao a Deas pelo peccado da
amblante transtornado pela afflicgo e sulcado menlira Que ia commetter para desculpar a sua
pelas lagrimas. demora.
E' irrevogavel a sua resolugao ? perguntou j Asthon e Albertus j tinham voltado com a jan-
Fernanda. | gada, e conlavara as emoces dessa noute, fazendo
Irrevogavel, minha senhora, porm com urna pela terceira vez os sens planos de fortuna. Essa
condigao... conversa servia para disfargar a impaciencia. Miss
Isso me enche de alegra, disse a Hespanho- Liza ouvia-os distrahlda : em taes ccasioes, as
la com ar triste, e de antemo aceito todas as con- mulheres lera intuigoes miraculosas : para Liza
dicSes que me queira impor. <>n fra de duvida que urna mulher era a causa
dossa inexpllcavet demora.
Ah M vem elle 1 exclamou Liza saltando
u.i.-Li urna, disse Tonin.
Qual met futuro esposo ?
Com urna torluna como a sua, faz-se tudo
quanto se quer, e de um momento para outro. Ha
de algria ; a final sempre o devaram sahir !
Todos os olhos voltaram-se para a collina da
de fretar quanto antes ura dos pequeos navios d'-*' caDcI,a>e viram Tonin i06 descia a passos preci-
cabotagem que navegam nesta costa, e partiremos
antes de anoutecer. Celebraremos o nosso casa-
mento no primeiro porto christo.
A cada palavra que proferia o joven official de
marinha era-lhe preciso tomar folego para concluir
a phrase. Um vu de lonca tristeza ennuviava o
brilho de seus sitios.
i
Fernanda parecia nao reparar nesses sympto-
pitados.
Ah I disse Albertus, agora esto lodos tran-
quillos e podemos fallar a respeto da msica.
Sim, sim, disse Liza sentando-se ao' lado do
joven esmpositor.
Tomei esta noute urna excellente ligao.
E' como elle trabalha, o Sr. mea codie, disse
Asthon rindo ; em quanto nos estamos derribando
mas de desespero ; apertou a mao do moco e disse :,'as arvoees> elle esla Poado era musica as Pancadas
Vou dar ordens para que seja fretado e com-11Qe damos.
Cada nm est no exercicio da sua profissio,
retorquia Alhertus; o canto acompanhoa sempre
o trabalho : canta o marinheiro sobre as vergas,
o pedreiro nos andaimes, o lavrador sobre o ara-
prado, se for preciso, o navio. Espere um ins-
tante.
Tonin, ficando s, soltou orna dessas prolonga-
das e horriveis gargalhadas s quaes se succede
Tonin e-
Sidnev r\
ama sinistra seriedade, e apalpou o tronco da ar- do, e o serrador puxandoa serra. Na primavera
vore que lhe cava porto para ver se era tao doro I toda a natureza canta e trabalha.
que quebrasse a cabega que, em nm accesso de
desespero, ahi fosse bater.
Fernanda vollou ao jardim, apparentando ale-
gra, e foi sentarse junto a Tonin.
D'aqui a urna hora est tudo prompto, disse
ella; de ordam para que nao se faca qaestao do
prego, e que se prometa urna boa gratiflcagao ao
No principio do mundo, se Caim cantasse nSo
teria assassinado o irmo; e hoje mesmo, se em
vez de brigarem, os allemes, os francezes, todos
contraltos e.baixos pro-fundos, entoassom em har-
mona o famoso coro de Alceste :
Ornae as frontes de frescas flores,
Temos amantes, ditosos noivos,
cpitao...Ahl eu bem sabia que o encontrara
cm Sidney tal qual era emCadiz. ideixariam correr as lagrimas e abragar-se-hiao
Absolutamente o mesmo, disse Tonin com t todos, como nos varaos fazer, nos allemes, ingle-
orriso (oreado. Mas... verdade...ama part- zes e francezes.
cularidade.. .tenho de escrever nma carta...%...
A Donnadien Y Perguntou Fernanda.
Sim...nao, senhora.. .a...
A miss Liza 1 perguntou a moga em nm tom
impossivel de definir.
Tonin olhou filamente para Fernanda, que por
seu turno abaixoa a caneca, e oceultou as lagri-
mas.
Como I titubeando, a senharaos-
Inv..
Sei tudo, responden a joven Hespanhola com
amarga sorriso; e nao quero desatar os lagos ata-
dos pela Providencia...
Expliqoe-se melhor, em neme do ea disse
Tenia com as maos postas.
E foram geraes os abragos, porque Tonin che-
gou nesse momento, e a louca hilaridade Ibe res-
tituiu o socego de espirito.
Chego a proposito para fazer vol como no
jogo do piquet.
E depois de abragar Liza, abragou todos os
outros.
E' multa boadade minha aceitar o seu abra-
go, disse Liza ; de onde vem, meu senhor ?
Oh I disse Toma : os negocios de importan-
cia esto sempre em primeiro lugar...
De preferencia sua mulher T Perguntou
Liza.
Nao, minha bella Liza ; mas tratava-se real-
mente de ama coas muito grave..,
Qual era esse negocio t5o grave T
Depois Ihe conlarei.
Cont j, Sr. Sidney.
Pois bem, minha cariosa, esse Sr. Manoel
Soares um homem muito de bem ; dea a sua
c asa ao missionario para fazer-se ahi nma egreja;
fui eu que eoncorri para que isso se decidisse.
Que diz agora ?
Toda a familia applaudio com enthusiasmo.
Mas, observou Henrique, singular aqnelle
homem : d tudo, at mesmo aqaillo que compra.
Foi um voto que fez, disse Tonin com ar
mysterioso. Respeitemos o seu segredo.
Sim, disse Liza, multo fcil respeitar ura
segredo que nao se sabe. Para outra Vez, meu se-
nhor, prohibo-lhe que leve quatro horas a praticar
nma boa aecao.
Oh I minha amiga, disse Tonin, Deas levou
60 seculos para fazor o nosso casamento em Si-
dney.
E para me fazer derribar a primeira arvore
na floresta do lago dos Cysnes Pretes, accrescen-
toa Asthon.
E' verdade, ainda nao me fallaste da la ex-
pedigao nocturna I disse Tonln, contente por adiar
um assurapto para mudar de conversa.
Correu tudo perfeltamente, proseguiu As-
thon : seremos pagos esta tarde na Swut Repose, a o
sol posto.
E a floresta inspirou-me umepithalamio. dis-
se Albertus oh I um seis for oilo lindissimo ;
temo como aflagos que a brisa faz ao mar. Eu
esta va em xtasi___
E nos trabalhamos corlando as arveres dis-
se Asthon, interrompendo-o.
Nao o interrompa, exclamou Maria, elle oc-
cupava-se em um trabalho melhor do que o seu ;
compunha o nosso epilhalamio.
E elle destrua a minha orchesrra cora o seu
machado, disse Albertus, pobres msicos que can-
(am tambem e nao exigem paga I
Vamos la, faga-nos envir o seu epittialamio,
chega na dala precisa, visto que nos casamos ama-
nhaa.
Oh 1 nao extenso, disse Albertus; en quz
exprimir um sentimento que existe em toda a ier-
ra que coraega a vida, em todo o mundo que ne-
cessita de amor e de casamentes----como os- que
se tifio de celebrar amanhaa.
Ah dfese Lita, gusto mais d'sso do que de
nm pantoun pago.
Asthon afinou o ratrumento e cantou o que- se-
gu, depois de ter aaounciado o titulo :
CRIACAO.
No Paraso, a tristeza,
No principio, s, morava,.
Das floresdoces perfumes,
Do solos ratosfuriav*
Nao tinha nma chamma o mundo,
Morrer devra ao nascer ;
Has Deus mulher creou
Esta fez amer viver.
E' a chamma arrebatada.
Ao celeste resplendor ;
Vida todos a chamaram,
Nos a chamamos-amor.
Eis o que a flbresta modulava- esta nootei
quando a brisa do mar agitava as folhas- das ar-
vore* o primeiro homem ouvio esse eanl* e amou
como nos amamos.
Liza baten de leve no hombro de
disse :
Porque nao- hila. Sr. Antonio- de
Eu estava owrindo, minha querida Liza.
Ouvia olhando para o lado do porto T
Sim, minha amiga, aquelle porto defe dar vi
da a esse novo mundo de que falla Alfoer
nao acha que se ouve-com mais emo?o
assira quando se olha para um paiz selvarem qoe
o. amor vae civiJisar ?
Tens razao, dis*e Albertos.
Sim, tem. razSo, tornou Liza, mas el
com um ar tao triste-!
Meus amigos, disse Henrique inteivjndo, vo-
ces esto todos as nuvens, mas en- que habito, a
ierra, pens no positivo. E' muito tard e ainda
nao se determinou o jantar do casamento para
amanhaa. Nao. querem jejuar amanhaa, creio eu ?
O mo foi unnime.
JPois bem, prosegolo o irlandez, vamos faeer
ama visita ao oosso estalajadeiro que amanhaa
vae fundar aqui a era das nupcias europeas.
Vo,meus amigos, ea fleo fazendo curapanhia
a minha mulher e s miabas dua&pupillas.
Os amigos deTunii nsisliram em querer lva-
lo, mas elle respondeu rindo :
Confesso fracamente que tenho roeoV. Pare-
ce roe que um mao genio me espera em toda a par-
te para interpor-se entre mim e o meu easamento.
Quizera poder oceultar-rae as entranhas da trra
at amanhaa.
Pois bem, disse Liza levantando-se, vamos
odos para a estalagem, intallemo-nos na sua
casa que est desoeenpada, ha coromodos sufflei-
entes para todos. Na verdade, aquelle bom hornera
merece essa fineza; tambem veio criar aqui algo-
ma cousa correndo muitos riscos e perigos, e es
nossos casamentos lhe trarao felidade.
E' o bom senso da mulher que falla, disse As-
thon, nio ha nada a objectar, me.us amigos.
Nao fazemos objecgdes, disse Tonin sempre
olhando para o porto ; miss Liza oflerego-the pela
ultima vez o meu brago do rapaz solteiro.
E toda a oo'onia dirigo-se para o porto e foi ins-
tallar-se nos vastos aposentos da nova hospedara ;
o estalajadeiro poz de parte a sua gravidade de
dandy, e exclamou em nm transporte de louca ale-
gra :
Eu bem sabia que algum dia Port-Jaekson
seria povoado 1 Tres casamentos em um da I e
em urna trra onde os pousos balitantes que ha,
sao to pobres on lo velhos que nao podem
casar I
Os jovens colonos applaudiram o dito dol estala-
jadeiro, e o intrpido e industrioso hornera, exalta-
do por essa invasSo de locatarios, disse-lhes todo
enthusiasmado.
No hotel do Stac and Gasler, em Richmond,
o hotel dos casamentos ricos de Londres, 'nunca
se ver nm banquete como o moa de amanhaa.
Acrecentemos que elle cumprio a palavra, e que
o primeiro jantar de nupcias deu principio fortu-
na da estal3ircm do Djcb Repouso, e fundn b bri-
Ihante futuro de Port-Jackson.
No theatro, no jogo de scoaa, qualquer que seja
o inleresse que possara inspirar os personagens.
elles desapparecem forgosamente e somen-se logo
que cahe o panno, logo que se profere a palavra
sacramental a palavra com que termina tudo, a pa-
lavra casamento. Mas em urna historia, permilti-!
do fazer subir o panno depois do primeiro acto, j
apresejitar aluda o principal hroe, e reunir alguns
detalhes do futuro feliz ou desgranado qne lhe re-
sultou do casamento.
(Coaiinuar-s-Aa.)
as.... 9
m canto
e diz isso
UM POUCe DE TUDO.
De Breslan, escrevem NouveUe Presse Libre,
de Vienna :
Acaba de ser preso o diabo n'oma aldeia perlo
de Rawicz na Silesia.
Um pequeo lavrador tinha ganlio 550 thalers
na lotera, quando, na mesma noute do dia em que
receben o dinheiro, o diabo, coberto da sua pelle
de boi negro, com os competentes chifres e olhos
chammejantes, entrn na casa, iutimando o lavra.
dor a entregar-lhe os 550 thalers.
O pebre homem, a mulher e urna llllia pequea
estiveram quasi a morrer- de medo; com tudo aca-
baran? por entregar ao demonio 200 thalers, que
estavam n'um armario, declarando que o resto do
dinheiro se acbava guardado no celleiro, onde era
prohibido subir de noute sem luz.
O diabo tirn entao dedebaixo da sua pelle urna
lanterna, que mandn accender, e censtrangen a
sua victima a subir ao celleiro.
A este tempo, om geodarme que andava de
ronda, passando em frente da casa e vendo luz no
celleiro, entrn.
A mulher e a filha do lavrador, que a um canto
da casa Iremiam como varas verdes, a muito costo
puderam dzer que o diabo eslava ali.
O gendarme poston se alraz da porta, e agarrn
vigorosamente o diabo pela gola, quando este des-
cia com o dinheiro.
Arrancou-lhu a mascara e via-se que era um
vislnho.
Na manbaa segointe, j alto da, o diabo, com
uraa cara de metter d e ainda com O' seu vestua-
rio official, foi contfuzido pri3o, no meio dos
apufes da multidao.

As eartas de Roma eontam que o imperador
da Rusnia oflereceu 370:000 Trancos fSBteOO'&OOO)
pela estatua colossal efe- Hercules, reeentemente
descoberta, mas que o proprietario delta preferio
cede-la ao papa, por metade do prego, para qae
nao saiba de Roma.
L-se n'em jornal de Londres :
Julgaoios interessante a noticia de ama especie
de juizo de Deus, ainda usado em algumas aReias
da Baixa-Brelanha.
Os breloes- teem horror aos advogados, aos effl'
ciaes de jusHca e a toda a gente togada.
Aprendern! dos seus antepassados- a ter certa
confianga nobom Dos.'
Quando dous camponezes feem um pleito, prefe'
rem o cura do lugar ao magistrado esrranho.
Vao egreja- e pedem urna missa de accerdo.
E o lermoj. e o tocante.
As duas partes confessara-se primeiro, dirigemse
depois ao altar a fazer orago, vao em seguida
com o padro-para urna pequea esplanada, que
por detraz da egreja domina o oemiieric; e ali cada
um pleiteia a sua causa.
O cura da sentenga, voltara egreja a onvirem
missa, e os dous adversarios, aproxinundo-se da
mesa da comrauoho, commungam ambos.
E assim ac ha a conteuda.
Nao ha exemplo de que urna sentenga destas
nao tenha sido execntada ri-oa, mesmo pelo que
perde.
Os pleitos neproduzem nunca animosidade e as
cusas reduzem-se a urna esmola langadana caixa
dos pobres, porqneocura diz as missas accordo
gratuitamente.
Este meio simples como- a verdad e grande
como a religrao.
O dedal tera. a sua histori3( a sua lenda, a sua
poesa.
O dedal bretao de origem, tao bretao, como
Chateaubriand, eu como Lamennais.
Urna formosa, e honesta costureira de Quimper
reparta de ordinario os seus ganho's com os pere-
grinos que da.Terra Santa se diriga.ao monte
S. Miguel, naBretauha.
Em trocados seus benaficios presenteavam-oa
aquel les santos horneas com algumas-das conchas
com que adorna vam os seas chapeas.
Um dia, o dmo, a quem dcsagradava a virtude
de Aonitas,.cudou em perd-la, e para conseguir
os seus luis fez passar por diante da-janellinha do
trabalho muitos formosos pagens e bardos seducto-
res que lhe exaltavam as gragas- em lindissraos
cantares*
Mas tudo isso foi baldado.
Annitas nao levanta va os-olhos da sua costura, e
deixava- passar os enamorados donzes sem fazer
caso delles.
Para vingar-se da sua indtBereaga, o dmo, que
tinha inventado asagolhas, vale-se das que usa va
a joven, e que lhe obedeciera- do tal modo que nao
dava um ponto sem picar-s.
Os seus dedos estavam ebeios de saDgue e j nao
sabia que fazer, quando porta di sua casa che-
gou um peregrino, que em recompensa dos seus
soccorros lhe deu urna concha peregiina,. que pela
sua forma se adaptava aos dedos de Annitas.
Urna idea que atravessou a imaginario da vir-
gen), levou-a a coartr com a benta concha o seu
dedo ferido, e desde entao nao s cesson de sofrer,
mas o dmo teve de ir pregar a oalra fregueiia,
reconkccendo que perda o seu tempo.
Foi esse o primeiro dedal que fcouve no mando,
e chegou a ser lo indispensavel e to querido,
que se eaipregou para fabrica-te o marfil, a prata
e o ouro.
Com estes elomentos comegarel breTomente a
fonecionar pelo modo segulnte :
Ha, por exemplo, nm^njeito qne vende farinha
de arroz e quer annunciar ao publico que esta la-
rinha, a que elle chama arrokseiere, cura todas as
enfermidades. Mnito bem 1 pelo roethodo ordina-
rio redigiria elle um annuncio qne pagara por om
tanto cada linha e appareceria na quarta pagina de
qualquer diario.
Recurso vulgarissimo e intil.
Pelo meu systema ordeno a um dos meus redac-
tores que escreva um cont cheio de sentimento, a
historia de urna joven pllysica que ama um rapaz
que padece do ligado. Os paes del le e del la op-
p5em-se a esta unio, e os amantes recorrera
fuga. Os paes resolvem-se a amaldigoa-los e a
desherda-los, e ao cabo de dous mezes os fugitivos
voltam saos e salvos, corades e gordos.
A joven vae ter com sua mae.
Cus I... exclama esla italiana. Ser pos-
sivel !... Nao me enganam os meus olhos ? r>'s a
minha filha Paulina!...
E' verdade, minha mae, son eu.
Tu ? tu, a quem eu chorava de da e de nou-
te, e de coja salvagao j tinham desesperado os m-
dicos ?...
oou eu mesma, minha mae. Alberto salvou-
mc dando-me todas as manhas urna bebida de
arrolescieie. Ainda negar a minha mao a esse
homem ?
Nao, minha filha, rrao; vinde ambos aos meus
bracos.
Passa-se entretanto umsscena idntica em casa
de Alberto, e o desfecho a> hencao nupcial.
Se em rogar de um fabricante de farinha de- ar
rozappaTece o inventor de oteo de antiionlalgieo.
a mrniW' agencia confecciona o annuncio do modo
segointe :
Hoatem cravavam se os olhos de quantos passa-
vam oa Ponte-Nova em um homem1 que parecia es-
tar desesperad*, la elle para atiraf-se ao rio, quan-
do o deteve um snjeito.
Vocest doodo que vae fter ?
Ueise-me, senhor. Estou desesperado com
dores de dentes.
Dores de denles t oh que fortuna!
O senhor est a mangar de mim f
Nao estou a mangar : vou salva-I o.
Tirn um vidro do bolso, dcu-lhe urna frieco
nos dentes como liquido que o vidro continha, e
ao cabo de unrm-nuto o paciente e o sen'salvador
estavam unidos em carraoso abrago.
A sciencia sal vou da mone um desesperado.
O vidro tinha- um letreiro- em que se Ma : Oleo
anti-odontalgrto:
Deve-se este triumpho ao-Sr. X., da ma de tal
numero tantos..
Basta isto para amostra.
J se v quecomprehendi bem a minha poea.
Refere o Csireio dos Estados-Unidos- o se-
gointe :
O paheio da presidencia, em- Washington; to.
dos os dias vsitadopor pessoas-de ambos os-sexos,
que nao escrupolrsam em roubar o que ha as sa
las para poderenr ter urna lembranga do gra-Eama
qoelle lugar.
AS cortinas esto esfarrapadas, as cadeiras j
nio leem assentos-; os sofs mostram a crin por
muitos buracos, o papel das paredes est lacerado
eomo cartazes vthos, e os nicos de gaz de arome
Mirado sao arrancados sem ceremonia de tedas as
paredes.
De vinle que havia na sala de late, j nao ha
senao um.
Ha alguns d'ras-tre damas foram colhidas em fla-
grante quando deitavam as maos lembrcttras de
neoln, e outra tambem foi atalhada no momento
em que, lendo conseguido chegar-se ao presiden^
se mettia furtivamente atraz delle, com um par de
escuras na ruo, para cortar-lhe um bocado da
aasaca.
A infeliz perdeu os sentidos quando impediram
que realsasseo seu acto de fetichismo.
Estes testemunhos de sympaihia sao mnito rison.
geiros para c presidente dos estados do norte, mas
o caso que j/oi preciso pr-lhes cobeo,.e loma-
raro-se rigorosas medidas para que os amadores de
curiosidades- recorran) a oulros meios para satisfa-
zerem a sua.paiAo.
No seculo da Industria a poesa um oasis no
meio do deserto. Todava, ha quem trale de con-
fundir, de amalgamar a poesa e a industria, e este
grande passo vae dar-se em Franca.
Um especulador imagnou um meio de arranjar
dicheiro para os industriaes, ganhando elle tam-
bem ao mesmo tempo.
Vae fundar urna Agencia de annuncios, cujas
bases sao um completo tratado de philosophia.
A grande questao no nosso scalo saber dourar
a plula; o fundo nao vara, a forma que carece
de variar para abrir o appette dos nossos contem-
porneos.
Os annuncios s5o urna mina, mas quasi todas as
suas veas conhecldas esto esgotadas.
E' preciso buscar urna nova, e fui eu que dei no
vinle.
A minha Agencia de annuncio* Iliterarios a
veia. Por ama parte o annuncio nao pode pres-
cindir de remogar-se; por outra ha em Paris
grando quantidade de litleratos que andam a tomar
ar por essas mas do Senhor, e nao tomam oulra
cousa.
Combinando estas duas cousas, presia-se um
servgo humanidade.
Para a applicage do mea systema reun ama
duzia de hachareis, lodos elles excellentes sujeitos
com muito boa orlhographia : estes individuos for-
mam o mea pessoal de redaego.
Alera disso, aluguei urna espaeosa casa ao p da
Bolsa para o meu escriptorio e redigi um prospecto,
de que vou mandar tirar muitos niMItos de exera-.
piares.
L-se no-Jema/ do Havre-:
O jardim de acclimalago receben- altiroamente
aves da China, cujo norae traduzide- diz gallinha
que tomiiu flocos de seda:
Parece que no esto, e qnando est- de bom hu-
mor, este passaro estende urna linguu azul de um
p de extensao com manchas de fbgo no meio, e
isto muitas vezes por da. Sobre a, cabega tem
duas pequeas bastes, mais azn.es- qae o proprio
azul.
Isto em quanto ao plrysico:
Em quanto ao moral, ainda mais admiravel.
Toda a gente tem ouvHo falta? do amor paternal,
que leva o grande pelicano branco a ferir-se para
alimentar os filhos com o seu. sangue.
A gallinha que vomita es llocos de seda pelo
contrario.
Nao porque lira os ftinos para se alimenta! eom
o seu sango*, mas portue tera a bossa do amor fi-
lial desenvolvida a um ponto de que nao ha exem"
po em nenhum outro animal, excepto o hemem al'
gomas vezes.
Quando as gallinhas estao velhas, as nais novas
cercam-nas de lodos osrespeitos, do-lhes de comer
nos seus ninhos e procuran) distraerlas com as
suas dansas graciosas e espirituosas conversas.
Esta desopeao muilo linda e d vootade de
possuir estas aves., para as comer...
E' este o reverso da medalha.
A sna carne excellente, muit) saborosaede
um go-t i mais fino que o faziam.
Alm disso, segundo dizem os Chinezes, tem a
propriedade de dar indiligencia.
Jios archivos da polica de Paris achou-se a his-
toria de um criminoso, cujo assumpto parecido
com o do famoso romance Monte~Christo, de Ale.
xandre Dumas.
Em 1807, om sapateiro, em vesperas de casa-
mento, foi traigoeiramente denonciado como cons-
pirador por alguns companheiros invejosos da sua
felicidade.
O duque de Rovigo, julgando o infeliz Ficard
agente da Vende, f-lo encarcerar ; mas em 1814
sahu de Feneslrelle, curvado pelos sonVimenlos.
A pobre victima servir na pnsSo de criado de
um rico ecclesiastico milaoez, qae nao s lhe dei-
xou todos os seus haveres, que eram uns 7,000,000,
como lhe descobriu o segredo. de um thesouro
oceulto, constituido em diamantes uo valor de...,
3,000,000.
Ora, Picard, rico e livre, pensou em vingar-se.
Foi primeiramente, como Monte-Chriato, disfar
gado em eccleslastico, sob o nome de padre Baldl-
nl, oterecer um annel, de muitissimo valor a om
complice-da traigao, de nome Allut, o qual Ibe re-
veloa o de todos que cooperaran) oa sua perda.
Allut roatou o ourives que lhe comproa odia,
mante, e iugio para a Grecia.
Picard, depois de obter os esclareclmentos qne
Ibe forneceu Allat, dingia-se Pars.
A sna noiva tinha casado eom nm dos seos ca-
lumniadores : a Giba desta casen eom om forrado.
em resultado das machinagSef orcultas de Picard.
Todos os nimigos de Picard foram assaltados
pela ruina, deshonra o morte: nnmerava cada ama
das vctimas, e nos cadveres encontravam-se os
nmeros 1,2, 3, etc.
At aqui o romance de Alexandre Dumas e a
historia de Picard teem to inlissa retago, qae nao
parece casual. A mesma aventn t Vilkfort ap-
parece no relatorlo dos archivos da polica.
D'aqui em diante cessa a semelbanga.
Picard acabava de immolar a soa terceira rteti.
ma no jardim das Tnilherias, qnando se sentiu
agarrado pelas costas; amarraram-o depois, e coa-
duzirarao para lagar segoro.
0 appreheosor era Allut, qae, depois de gastar
o dinheiro que lhe rendra o diamante, comecra
a procurar Picard, e vinha ento propor-lhe o re-
partlrem egnalmente os haveres, on denuncalo.
Picard resistiu a ludo, e ATInt encerroo o, si-
tiando-o pela fome ; Isto vendendo-lhe cada pe-
dago de pao por mais de 36:000/.
Nem assm Picard se renden, e preferio morrer
de fome, a revelar onde tinha o fftesouT escondi-
do : Allut precipitoase sobre elle, mordea-ocomo
urna fra, e acabou por assassina-lo.
Fogiu depo para Inglaterra, onde morrea em
1828, confiando os pormenores desta terriveF Ms-
torla ao padre qwe lhe assstin nos olrimos as-
menlos.
Comrrmnicados ao prefeito de polica, eom as in~
dicagoes de Allut. cwtegolu-se encontrar o cada
ver de Picard ; mas nio se pode achar osde-tinba
ocultado o-seu thesotrro.
No dia 30 d outulira reaniu-se, as salas do
conservatorio dos offlcios e arles, em Paris, grande
numero de convidados, pata as*slirera a experien-
cias de physica.cllimica e- mectnoica. Os instru-
mentos do conservatorio que (feriara de fonecionar
estavam na galera dspostos- por sna ordem. Duas
das- galeras, ero as quaes se aebavam as ma-
chraas hydrauhcas, invento adtniravel que prova-
que a-arte possue o-condSode-irakar as coosas na
turaes; olTereciam ara aspecto sorpreadeote.
Em'uma sala, a da blbliotheea;. m-se todos os
systemas dos processos de telegreptri, de grava-
ra, instrumentos de acstica, lentes- de grande al-
cance, etc.
Em outra sala deparava-se esm-a machinas de
coser e-bordar, mSos de ferro iaeaosavw? qae vie-
rara era-auxilio das maos dos operario.
A galera destinad para a eapesigo ios mode-
los da arle de tecidos, ornada n>os retratos do
modeste artista Jacquar; e a sala d>pre*cgo, es-
tavam lominadas por loz elertrira,
Assistiram aquella soirre mais de dnas- mil pes-
soas, entre ellas grande somero d> daas (rajando
elegantes toilettes. Dos bemens aarlau* mnito?
dos mars- celebres na setenda, na artes eia litte.
ratura.
PartindO da observagaorde qae a eJedricidade le-
va a vidae o pensamenl:/ de urna outra-extremi-
dade do oorpo humano, ooroo de orna ootra ex-
tremidads- da Ierra, o Dr. Hermana (d Bertin) in-
ventoo e sonslmiti um awarelho, denominado
Brosse VttaElcctriqne, transportado p para
Fran$a polo Sr. L. Brandas.
Sao maravilliosos os resaltados obtidos-con o em-
prego de semelhante apparelho ea enfermidades
em qae r.-e*eeiricdade p6dser appUcada.
O mundo scientifleo coiaeca de ocoapar-se deste
atil invente.
O camrho de ferro de-Nova-York aTri 6>i, aae
primeira semana de noveatbro, Iheorode actos d--
rapia eomo nunca ass^aalaram os-annoes jodi"
ciaes da-America.
Uns reato e cincoenta /ndividuossqnasi lodos co
nhecides.por jugadores, ratoneiros evadios, tinham.
se reunido em Jersey City para imn ver avn com-
bate de taladores qae havia de veriScar se no li-
mite das estados do Coaoecticol e de >4>va-York
No trem em que tomaram lu^ar. havia mais de
duzeatospassageiros alm delles.
Como se sabe, nos raminhos- de fera america.
nos, os carros nao team compaatiii>eotee, e pode-se
passar. I.vremenle de ama extremidade de comboio
outra.
Havia algumas horas qne ribba partido o Iretn.
quando a um signa conveioionado os sportmen.
arremeltendo aos passageiros de antes os sexos,
intimaran) a todoa para que Ihes-eeieegassem o di-
nheiro e mais objectos de valor qo levassem.
Alguns qne quizeram resistir, feram brotalmeate
maltratados : doos rrcaram morto6 e ramios rece-
beram ferimentos, qne Ibes teem a vida em hco-
Quando o trem paroo em Mtddletown, paroa a,
pequea distancia nm comboio que vinha da ootra
direegan.
Os faccinorosos dividiram-se entao em dans baa.
dos para o ataque e saqoe dos passageiros.
Dorante- nm qnarto de tera foi orna ssaaa bor
rorosa de luta, de reuhoo de olirayes ferozes
Depois de tomaren ludo o qne podiam levar, fi-
zeram muitas victimas entre os passageiras, e o
trem eontinnon a marebar para o sea destino.
Entretanto o telegrapho tioha aaaaaetado para
Jersey-Ciiy e I" intormava que o irem ia a leda a velocidade cesa
ordem ae coaductor para nao para* on nenhoma
estagao.
A polica correo Jersey-Gy, esperaado aaar
nhar todos os colpados: mas pausando em om la-
nel, os aodaciosos malfcitoros aperlaram os fritos,
e diminniram a velocidade qiiaato era neressario
para qne podessem saltar en ierra.
Quando o comboio chegoa estaco, s 4* a
polica prender uns vale que linbam ficado aoe.
carros. ,
O conductor do tren parece sur gravemeafte
comprometiido ; acensado de connivencia casa
os salteadores, e a auloridade ordenaa que fo*>*
preso.
No mez de novembro nltirao foi veuda em tei-
lao em Yorkshtere orna porgio da vanos do Porto
engarrafados, perteucentes a om genl^man al-
Runs dos qoaes obtiverara am preco superior a I
libra sterlina por garrafa.
Eis os pregos por que n'esse Ifilio foram vendi-
dos os vinhos, bem coma as novidedes a qoe per-
tenciam e os nnmes dos rarresxlores :
SandemanNovidade de 857Lb. .t. 3 ia-
0 por dnzia.
Woodhouse-Novidade de 1847-Lb. st. 3-5
-0.
KepkeNovidade ae 1847-Lb. st.-4-3-0,
CroftNovidade de 184* -Lb. st. 311 0.
CockburnNovidade de 1841Lb. si. 5.
Croft-Novidade de 1840Lb. st. 5.
Novidade de 1834, sem nome de earreaador
Lb. st. 6-13-0 a Ib. st 6-19-0.
Sandeman Novidade de 1834-La. H. 77
-0;
Novidado de 1834, sem nome de carree ador
Lb. si. 10-0-0 ^
Novidade de 1827Lb. st. 12-13-0
Novidade de 1827Lb. st, 15 5-0.
Novidade de 1820-Lb. st. 16-0-0,
PERNAMBUCO.TYP.DE M. P. DKF.lt FILBO





, i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED711RIGR_5BX6M7 INGEST_TIME 2013-08-28T02:31:21Z PACKAGE AA00011611_10568
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES