Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10563


This item is only available as the following downloads:


Full Text
T

AWHO XLI, OMERO 6
Pr quartel pago dentro de 10 das dl. mez ...-:.. 5$000
dem depois dos i.o'l Odias do comecoe dentro do qaartel. 68000
Porte ao eerreio por tres mezes........,....:. 750
SEGUNDA FEIRA 9 DE JANEIRO DE 1S65.
Por anno pago dentro do* 10 lias de 1.mez
Porte ao correie por Din anuo.......
>
191,000
34000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO NORTE
Parahyba-, o Sr. Antonio Alexandrioo de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; MaranUao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues j Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves ,
Filhos; Amazonas, o Sr. Jerooymo da Cosa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Alv^s; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS EsTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e esla;5es da via frrea al
Agua Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Sanio Anlo, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom Con-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro eEx.nas quartas feiras.
Serinhem, RioFormoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agna Preta e Pimejiteiras, as quintas feiras.
filia de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estfelas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresc. as 1 h., 2z"m. e 52 s. da t.
11 La chela as 8 h. 40 m. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 m. e 52 s. da m.
27 La nova as 7 h., 10 m. e 46 s. da m.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juizo do commercio : segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sexlas ao meio
dia.
Segunda vara doeivel. quartas e sabbadcs a
hora da larde.
PARTE OFFIGIAL
G0YERN0 DA PROVINCIA.
Continnaro do expediente ilo dia 3 de Janeiro
de 1865.
Offlcio ao Exm. visconde da Boa-Vista, comman-
dante superior da guarda nacional do Recife.Re-
metiendo inclusa, para ser visla por V. Exc., a in-
formado que deu o subdelegado do districto do
Peres, cora referencia ao offlcio do tenente-coronel
do 6o batalho de infantana, da guarda nacional
deste municipio, de 19 de dezembro ultimo, a que
allude Q de"V. Exc o, 163, de 26 mesmo mez, te-
nho a declarar-lhe que me parece haver-se o refe-
rido subdelegado justificado da aecusaco que Ihe
fez aquello tenente-coronel; servindo-se V. Exe.
de devulver-me a ciUda informaco cora os docu-
mentos que a acompanham.
Dito ao director do arsenal de guerra.Havendo
presenciado a dedicacj cora que Vine, e os em-
preados da repartico a seu cargo, se prestaram
a auxiliar os trabalhos para extinceao do incendio
que se manifestou na ra das cruzes desta cidade,
no da 29 do mez prximo findo, cabe-me agrade-
cer-Ibes os esforcos empregados por aquella occa-
sio. -Igual ao inspector do arsenal de mari-
Dito ao engenheiro Dr. Manoel Buarque de Mace-
do.Tendo testemunhado a dedica^o cora que\ rae.
se prestou a auxiliar os trabalhos teudentesa extin-
Dito ao mesmo. Auloriso V. S. nos termos de
sua informaco de hontem, sob n. 10, dada com re-
referencia a da contadura dessa thesourana a
mandar pagar ao gerente da eompanhia Peroam-
bucana, que assira o solicitoa em arricio de 31 de
dezembro ultimo, a preslaco de 7:000$ rs., relati-
va aquelle mez, cora que o governo imperial auxi-
lia mensalmente a predia eompanhia.
Dito ao mesmo.De conformidade rom a sua in-
formaco de honiem sob n. 8, dada com referencia
da conladoria dessa thesouraria acerca dore
queriraento documentado emque o 2 teaente Jos
Francisco de Azevedo pedia pagamento das despe-
zas, na importancia de 45500 rs., por elle feitai
quando commandou o destacamento da villa do Li-
moeiro, autoriso V. S. a mandar pagar ao suppli-
caote, em vista do documento por elle apresentado,
smente a quanlia de 6440O rs., correspondente as
forragens para urna besta de bagagem na viagem
de ida e volra aquella villa.
Dilo ao mesmo. Declaro V. S. em additamen-
to ao mea offlcio de hoje, que os vencimentos da
guarda nacional destacada nesta capital, relativos a
segunda quinzena do mez de dezembro ultimo, de-
ven) ser pagos sob minha responsabilidade, nos
termos do decreto n. 2884 do Io de feverelro de
1861
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.
Informe V. S. se pode ser feila a despeza que o
chefe interino da repartico das obras publicas no
incluso olicio, que me ser devolvido, datado de
30 de dezembro uliimo e seb n. 359. declara ser
iadispensavel para proceder-se ao orcamento da
Dito ao engenheiro fiscal da estrada de ferro.
Inieirado do conteudo do seu offlcio de i do cor-
rele sob n. 1, tenho a dizer-lhe que nao convenho
em que se augmente o ordenado de empregado al'-
gura da estrada de ferro.
Dito ao gerente da eompanhia Pemambucana. -
Pode Vine, mandar ao presidie de Fernando o va-
por de que trata o seu offlcio de 30 de dezembro
ultimo, ucando certo de que expediram-se s ne-
cessanas ordens para serem embarcados com a ne-
DIAS DA SEMANA.
2. Segunda. S. Isidoro b.; S. Argeo m.
3. Terca. S. Aprlgio b. de Bja; .-.Amero p. ni.
4. Quilla. S. Prisco presb.; -.Aquilino m.
5. Quinta. S. Simeo Estellita; S. Synclelica.
6. S 'Xta. :;'p Epiphania do Seahor. (Dia de Reis.)
7. Sabbado. S. Luciano presb.; S. Clero diac.
8. Domingo. S. .-everino ab.; S. Theophilo diac.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 hora e 6 m. da tarde.
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30: para o norte
at a GraBja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos das 14 dos mezes de janeire, marco, maio.
julho, selembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
os. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueira de
Faria & Filho.
tem
chefe de polica ouvindo ao Dr. administrador da
casa de deten;; o.
Rosa Cathan
lugar vista d;
Theodora Ma
chefe de polica]
ha Maria da Concelgo.Nao
informa(o.
(ia Magdalena.-Informe o Sr. Dr.
ouvindo ao Dr. administrador da
casa de delencao.
Tibureio Valeriano Baptisla.Informe o Sr. ins-
pector do thesouraria de fazenda.
Valenlim Jos Bezerra do Moraes.Informe o
ao do incendio que leve lugar na ra das Cruzes obra necessaria a desobstrueco da valla que foi
*. ... ,i ,i. .__...... i;..,!.-,<< nina.mu ihrls pin 4KM1 n,i iiiirilunti rlp (llinila uIiin ne lf>.
desta cidade no dia 2 do mez que findou, caoe-me
agradecer-ihe os estorcos empregados por aquella
occasio.-Iguaes aos engenheiros Gervasio Rodri-
gues Campello, e Jos Tibureio Pereira de Maga-
Dito a cmara municipal do Recife.O offlcio
que me dirigi a cmara municipal desta cidade,
em 30 de dezembro uliimo, sob n. 70, nao saiisiez
o que exigi em dala de 21 daquellc mez, relativa-
mente a publicaco do edital de convocicao dos
eleilores e supplentes para a qualificacao dos vo-
tantes da freguezia de S. Frei Pedro Goncalves do
Recife, visto uo me ter declarado a predita caua-
ra su havia providenciado a
publicaco do referido edital.
Dito a cmara municipal da cidade da \ icto-
ria.Para poder resolver ctroado offlcio que me
dirigi a cmara municipal da cidade da Victoria,
em 17 de dezembro ultimo, faz-se de-mister que a
mema eamara me declare quacto rendeu na ulti-
ma arremataco imposto de que trata o seu
citado offlcio.
uito ao juiz de paz do Io districto do Recite.in-
forme Vme. se ja foram publicados os edteos a
aberta era 1856 no pantano de Olinda alim de le-
var-se agua aquella cidade.
Dilo ao mesmo. Em vista da inclusa fo-
lha, e nao havendo inconveniente, mande V. S.
pagar ao quarlcl-mestre do corpo de polica, con-
forme solicitou o chefe <.e polica em offlcio de
hontem, sob n. 7, a quanlia de 7JB60, despendida
durante o semestre de julho a dezembro do anno
prximo passado com e fornecimento d'agua aos
preses recolhidos ao quanel daquelle corpo. Com-
raunieou-se ao Dr. ehefe de polica.
Dito ao director das obras militares.Mande V.
S. fazer com urgencia as pinturas de que necessl-
respeito da falla de! (am os reparos novo* da artilharia da fortaleza do
1 Brum. Fizeram-se as necessarlas comraunica-
ces.
Dito ao director do arsenal de guerra.Partici-
pando-me o Exm. presidente das Alagoas em offlcio
de 30 de dezembro ultimo que nos artigos de far-
daraeulo remetlidos paro all no vapor Parahyba,
faltaram 8 bonets e cera grvalas; assim o declaro
a Vmc. para que informe a semelbante res-
pe no.
Dito ao mesmo.Inteirado pelo offlcio que Vmc.
que se refere o seu oificio de 21 de dezembro ultl- j me dirigi em 2 do correnle, sob n. 143 de ter-se
rjiD apresentado, na eompanhia a que pertence, em o
Portara.Os senhores agentes da eompanhia i deste mes, o aprendiz menor Ludgero Theodoro
Brasileira de paquetes, mandem dar transporte, de Oliveira que haviaobiido 30 das de licenca pa-
para o Cear, por coula do ministerio da guerra, sar a festaemsua casa.tenhoa dizeremresposta que
no vapor que se espera do sul, nao so a Francisco | nao deve Vmc, conseniir.na sahida delle do arse-
da Silva Fialho, que teve baixa do exercilo na nal, anda mesmo nos domingos e dias santificados
qualidade de cadete do 4o batalho de artilharia a I durante a licenca que renunciou.Communleousc
pe mais lambem a mulber delle. a thesonrana de fazenda.
_ 4 I Dito ao Dr. juiz de direito do Limoeiro.Infor-
Offlcio ao coronel commandante das armas.Fi- j me Vmc. com o que se Ihe offerecer sobre a mate-
cain approvados os coulralos que segundo os ter- ria do incluso requerimenlo de Manoel Ferreira da
mos datados de 24 de dezembro prximo findo e Silva, que veio coberto com a copia do offlcio diri-
por copia annexos ao offlcio de V. S. n. 2,304 gido ao ur. chefe de polica em 31 de dezembro
de 27 daquelle mez, celebrou a junta do hospital l prximo findo pelo delegado desse termo, e com
militar com Jos da Silva Correia Collares, Jos 0s 4 documentos em original de que nelle se faz
Amonio Guedes da TrindaJe e Thomaz Tavares de ratfno.
Moraes, para o fornecimento de gneros, sangui-1 Dito ao Dr. juiz de direito do Cabo.-Allendendo
sugas a lavagem de roupa para aquelle eslabeleci- as razoes expustas em seu officio de 19 de dezem-
menlo no trimestre que comejou do 1" deste mez uro ultimo, acabo de.reoommeodar ao inspector da
31 de marco vindouro : o que declaro V. S. ihesourana provineil, a expedicao de novas or-
para seu conincimento. Communicou se ao ins-: dens para que as despezas felas com o sustento
pecior da thesouraria do fazenda. dos presos pobres da cadeia de Ipojuca sejam pa-
Dilo ao Dr. chefe de polica. Respondendo ao gas pt.|a respeciiva collectona em visla de conlas
oflicio de V. S. n. 1,050, datado de 26 de agosto do competentemente aulhenticadas.
auno prximo Hndo, Urano a declarar-lbe que, para o que declaro a Vmc. em resposta ao seu citado
ter lugar o pagamento pedido pelo carcereiro da I offlcio solicitando ao mesmo lempo a sua ingeren-
cadeia da cidade de Naiareth, Antonio Jos Cam- ca a|m ,je qUe ern iaes conlas nao figure maior
pello, no requerimento que incluso devolvo, e ne- numero de presos do que o existente na prelida ca-
cessario nao s autorisaco do thesouro nacional, deia.Ofllciou-se nesle sentiao a thesouraria pro-
segundo inlormou o inspector da thesouraria de vincial.
fazeuda em offlcio de 2 deste mez, por pertencer a Dito ao Dr. juiz dedireiio do Bonito.Transmlt-
divilaa exercicios lindos, mas tarabein'-eo mes- t0 a Vmc. para seu conhecimenlo e execucao, e
mo carcereiro prove ter fornecido os 46 das de agra e qUe faga COnstar a quera mais convier, co-
etapa, de que trata o seu requermenio, ao soldado pa do aviso expedido pelo ministerio da juslica de
desertor do 7 batalho de infantaria, Honorato Te- 12 de dezembro prximo Bdo em solugo a cos-
nono.de Oliveira, sendo para notarque a autorida- SU|[a desse juizo de 3 de setembro do anno passa-
de policial daquellacidade conseniisse permanecer do sobre a incompatibiidade do lenente-coronel
pre oalli por tantos das, sem Ihe dar deslino, um jose Joaquim Bezerra de Mello, c do ex-collector
desertor, que anual evadio-se da cadeia. Amonio da Costa Mello Lima, para exercerem o
Dito ao mesmo.Nao podendo conceder a dis- carg ue julz rnuaicipal supplente.
pensa solicitada pelo delegado do i" disiricto desie pJna ao director da colonia militar de Pimentei-
terrao em offlcio por copia junto ao de V. S. n. ras.Ao seu offlcio n. 20, de 26 de dezembro ulti-
579 de 20 do mez prximo Iludo, era favor do mo> resp0udo declarando-lhe que pode vir ajustar
cessana antecedencia a carga do estado, offlciaes,' Sr. Dr. juiz imu.icipal da 1* vara.
pracas e sentenciados destinados ao mesmo presi- 4
dio. Agentes da eompanhia de vaporas Brasileira.
Dito ao director da eompanhia de Beberlbe. Rmetlido ao Sr. inspector da thesouraria de fa
Convm que Vmc. mande examinar o que ba de zenda, alim de dar a providencia que o supplicanie
emuaraco no encanamente de agua poiavel para o rejuer.
palacio da presidencia providenciando em ordem ] Antonio Jos de Andrade. Por 'ora nao tem
a que possa vir mais agua ao respectivo deposito lugar.
principalmente duranto os das em que estiverem Amelia Januaria de Andrade. Informe o Sr.
iiesta capital sua alteza imperial e sea augusto es-; commandante do vapor Tocantms.
poso. Recommendou-se ao chefe interino dar-; Belarmino Alves de Aroucha. Como requer,
particao das obras publicas para examinar aquel- \ indo porm de assucar mascavado to smente 15
le deposito. : barricas.
Dito ao alferes Francisco Xavier Rodrigues de Felu Jos Filgueira de Menezes Informe o Sr.
Miranda, commandante do destacamento de Inga-: inspector da thesouraria provincial, ouvindo com
zeira. Conste a este presidencia que Vmc. tem j urgencia ao arremtame da barreira de que traa o
sahido dessa villa com o ex-professor Marcolino! suplicante.
Antonio Xavier, e juiz municipal do termo para a! Joao Francisco de Souza. Como pede, nao po-
povoaco de S.Jos e deste para a de Afogados, deudo porm embarcar todo o assucar de que ira-
onde se tem demorado por dias acorapanhado de; ta na preseute peticao, mas sim a porgao a que
pracas e do cornete do destacamento, para tratar tem de flear este genero reduzido na relacao junta
de negocios eleitoraes e eBtreter-se em jogos pro- com alteraco que determioei. '
tiihidos deixando o mesmo destacamento sob seu ; Tenente-coronel Jos Joaquim Bezerra de Mello.
commando em abandono e dando logar ao appa-. -Remetudo a cmara municipal do Bonito aura de
recimento de disturbios entre as pracas deste. informar com o que Ihe occorrer e cora a possivel
Consta mais qne sob frivolos pretextos e previas brevidade. .
discusses eom o delegado desse termo, vae Vmc. I Joaquim Jose Pereira. Informe o Sr. major di-
oppoado bices as diligencias da polica e captura rector do arsenal de guerra,
dos criminosos, como ltimamente aconteceu por Joao Manoel Rodrigues.-Informe o Sr. Dr. ehe-
occasio de requisiter aquello delegado as pravas fe de polica.
Peixoto e Albino, das quaes dependa a boa exe- Jose Augusto de Araujo.-Informe o Sr. Dr. che-
cuco de urna d.ligencia imporUnte, deixando de | fe interino da repartico das obras publicas^
ministrar as indicadas pelo delegado e remellen- Tenente Jose Francisco de Azevedo. Deferido
do-as para esta capital presos a ordem do seu com- j pelo que diz respeito ao pagamento das quanlias
mandante congtentes dos documentos 3, 4 e o, e nos precisos
Em vista de laes aceusacSes cumpre one Vmc. termos da informaco da thesouraria cora referen-
Diz-so por ultimo que urna xcara transcripta cantes, conservaramse lodo o da, e anda agora
do Nacional de 1845 fra a causa terminante da se conservan) com as caldeiras accesas.
sahida. as fragatas de descarga e os varios soffrerain
Essa xcara allusiva a alias personagens, e_a muilo. Orea por 52 o numero denles barros que se
folha offlcial dra-lhc curso, chamando a aitencao viraram, deitaram, afuodaram ou se desfizeram.
para as passagens que mais offendlam e escandan- jUDl0 as pontes da alfandega estavam 7 fra.au>
savam- I descarga, quando o tufo aptrecen. Todas se vol-
As pessoas offendidas, diz a Revalucao de hoje ; larara ou deitaram, perdendo seqoal toda a valiosa
referindose ao caso, mostraram a sua indignacao carga que havlam trazide do vapor VMe de Brnt.t
de oulres navios. Urna fragata, que tinha a bordo
4,000 barras de ferro, afundou-se. Perderam-se
guarda nacional Fernando Antonio Correia, que e comas com a thesouraria
i .__,_*. -_ .. t .i.iii.i fiftirniail ______ *___ ____. .
.. ae asenda, deixando
inspector de quarleiro, em vista do que informou qUea) faga as suas VZes DCssa colonia e demoran-
o Exm. commandante superior da guarda nacional ,j0.se p0r p0UC tempo nesla capital,
deste municipio, em offlcio n. 164 de 29 daquella Dito ao administrador do correio.Constando
mez, convm que seja r.oineado outro inspector
para substituir o de que se trata.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Remelto por copia V. S. para seu conhecimento,
os avisos que era 12 de dezembro ultimo expedio e
Exm.Sr. ministro do imperio a presidencia^ ao
me informe circumstanciadamente sobre ellas com
o que se Ihe offerecer e flzer a bem de sua defeza.
ueclnrou-se ao Dr. chefe de polica e ao delega-
do de Ingazeira, haver-se mandado ouvir a esse
respeito o mencionado alferes.
Continuaro do expediente do secretario do governo
do dia 3 de Janeiro.
Offlcio ao Sr. W. H. Bellamy, secretario da di-
rootoria da eompanhia da estrada de ferro em Lon-
dres. -S. Exe. o Sr. vice-presidente da provincia,
manda aecusar o recebimento do offlcio de 8 de
dezembro ultimo, em que V. S. communica que
era virlude de resoluco tomada pelos directores
da eompanhia da estrada de ferro do Recife S.
Francis'.o, foi o Sr. '.lann nomeado representante
da mesma eompanhia nesta provincia, durante a
ausencia do Sr. Bramah superintendente da mes-
ma estrada; do que ficou inteirado.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.-
S. Exc. o Sr. vce-presidente da provincia, manda
transmittir V. S. o incluso offlcio da secretaria
de estado dos negocios da fazenda, datado de 27
de dezembro preximo findo.
Despachos dos dias 2 e 3 de Janeiro de 1S65.
Requerimentos.
Amonio Jos Goncalves eoulros.Nao baque
deferir vista da informaco.
Alferes AbIoio Seveno Lins.Sellada a pelicao,
volte.
Abaixo assignado de empregados internos do
hospital militar.Nao tem lugar o que requerem
os supplicantes a visla da informaco do comman-
do das armas, e offlcio da thesouraria, n. 7; de 2
do correnle.
Abaixo assignado de mnmbrcs das confrarias e
irmandades religiosas.Informe o Sr. inspector da
thesouraria provincial.
Antonio Ferreira Lustosa.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
Bento Flix Tavares Ondas.-Nao tem lugar,
visto achar-se a eompanhia dos aprendizes do ar-
senal de guerra em seu estado completo.
Uaudino Jos Correia.Nao tem lugar, visto
como o commandante do presidio de Fernando, re-
quisitou que fosse prohibida ida do supplicanie
quelle presidio.
Emilio Carlos Jordao.Deferido nos termos da
informaco do commando das armas.
Francisco da Molla Cavalcanti.-Seja dada ao
supplicanie a cerudo requerida.
Francisco Jos Correia.Nao tem. lugar o que
requer o supplicanie vista da informaco do
cemmando superior da guarda nacional do muni-
cipio do Recife.
Tenente Francisco Antonio Monteiro dos Santos.
ca a da conladoria.
Padre Joas Vetuliano Corsino de Macedo. In-
forme o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Jovino Jos de Mello. Informe o Sr. major di-
rector do arsenal de guerra.
Laurentino Correia de Barros Araujo.Remetti
do ao Sr. Dr. juiz municipal do termo de Santo
Anto, alim de fazer preparar e remeiter com ur-
geneia a guia pedida pelo supplicanie.
Prxedes da Silva Gusano. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
queixando-se de se verem assim tratadas, menos
anda por ellas, do que pelos morios cuja honra
ihi's era anda mais cara.
0 cerlo que o Commercio tle Lisboa (que era a
folha semi-offlcial) fez a declaraco de va tal denominaco, e que licar sendo completa-
mente livre no uso de seus direito-, e que vai dar
mais largo desenvelvimento discusso dos inte-
reses cnmmerciaes, agrcolas e industraes, sem
com tudo deixar de discutir os negocios pbli-
cos.
Indigita-se o Sr. Luciano de Castro para a pasta
da marinha.
Mais do que estes episodios da poltica interna,
chama a allenco actualmente a consideravel per-
da que resultou do tremendo vendaval que hon-
tem cabio sobre Lisboa.
Sao tantos os pormenores deste desastre que
principiarei por transcrever a nota offlcial do obser-
vatorio meteorolgico do Infante D. Luiz. e segui-
rei pelas folhas peridicas raais noticiosas para que
facara idea do espantoso furaco e de seus es-
tragos.
c No dia 12 s 9 horas danoute a aturado
barmetro, correcta, e reduzdaao nivel *do mar,
era de 759,5 millimetros, e o vento bonancoso do
sudoeste.
A essa hora notava-se no cu um admiravel
halo lunar.
Das 9 da noute s 6 da manha de 13, a columna
baromtrica desceu 751,4.
De noute alguos aguaceiios de peste.
s 6 horas da manha do dia 13 comecou o
vento a refrescar do sul, girando para sueste.
s 8 horas o barmetro eslava 747, e o vento
era. sueste raais fresco.
s 9 horas a columna do barmetro linha desci-
do a 742,7 e o vento j era forte.
s 9 horas e tres quartos o vento soprava com
violencia, na razo de 84 kilmetros por hora, e o
barmetro eslava 737,3.
s 10 horas e um quarto a pressao era de 731,8;
o cu appareceu claro para leste, o vento abran-
dou consideravelmcnte, e logo depois sallou a
oes-sudoeste, rondando pelo sul, al oes-nore-
esle.
Das 10 e um quarto s dez e meia um segundo
furacao, de maior violencia, deixou registada a
velocidadfi notavel de 108 kilmetros por hora.
Em resumo : das 9 da noute de 12 s 10 e um
vigario capitular destadiocese, sobre a arrecadacao Silva, cada um com o vencimenlo do respectivo
do expolio dos bispos.Igual reraessa fez-se a tne- ag,,mt quando flzer as suas vezes, bem como para
souraria provincial. ...
Dito ao mesmo. A' vista do incluso pedido e
nao havendo inconveniente, mande V. 8. adiantar
Sellado, volte.
de offloios da secretaria de estado dos negocios da Tenente Francisco Goncalves de Arruda.Infor-
agrcultura, commercio e obras publicas, datados i me 0 Nf- major director do laboratorio,
de 21 e 24 de dezembro ultimo, lerem sido noraea- Monsenhor Francisco Muniz Tivares.Nao tem
dos ajudantes para as agencias de Gravat Seve-! |Ugar a vsta da informaco.
riuo de Barros Vasconcello. de Goianna Francel- fi de Valois Correia.Informe o Sr. Dr. di-
rector geral da inslruccao publica.
Jos Kranciico. O supplicante j assentou pra-
no Ferreira Crespo, e do Bonito Manoel Gomes da
ao Imoxarife do hospital militar, como solicitou o
coronel commandante das armas em olicio desia
dala, a quaotia de 3005 rs., para occ>rrer a
Ca ; e quando vicr do Rio-Furmoso allegara o que
o lugar de agente do correio da villa de Cabrob entender a bem de seu direito.
Antonio Feliy de Reg Pinto, vencendo 50 por | padro Joas Vestuliano Corcino de Macedo.In-
cento do reudimento da agencia, e seiido-lhe flxa- forme o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
da a gratiheaco annual de 120, para Ihe ser pre-1 j0S(j Patricio de Mendonca.Como requer,
cnchida no caso em que pela porcentagem nao vista da informaco do commando das armas.
ii'.-fii'i Uvt'j ninnln Qkcim n frimintinipit VmP i ..;_ i.' ...... i-n a I)-,.*.. V ." n ttn timur
prefaca esta quanlia : assim o cominunico Vmc.
pezas com a compra de gneros para as ou'ias oo para seu coohecimento e direccao.Communicou-
doeites e rac5es dos empregados daquelle estabe- se a tiiesourara de fazenda.
lecimento, emquanto nao sao approvados os con-
tratos celebrados para esse fim. Communlcouse Dito ao mesmo.Participo a \mc. para seu co-
ao coronel comraandanle das armas. nhecimente, que segundo constou de communica
Dito ao mesmo -Mande V. S. passar revista do cao da secretaria de estado dos negocios da agri-
mo>tra no dia 5 do correnle, a hora do costume, a cultura, commercio e obras publicas de 19 de de-
forca do Io balalno de infantaiia da guarda na- zembro prximo finio, foram mandados crear na-
cional aquartellada no Hospicio, a qual lem de ser quella data agencias do crrelo as segrales es-
siiii-tuuida uer oulra do batalho da mema ar- tacoes da estrada de ferro desta provinciaCin-
ma 00 da 7 oeste mez. -Coramunicou-se ao Exm. co Ponas, Afogados, Prazeres, Ilha, ipojuca, Ohn-
commaudante superior da guarda nacional do Re- da, Timboass, Frecheiras, Arapibu, R.beirao Ga-
7fe F mellcira, Cuiambuca, Agua Preta e Lna.-Com-
Dito ao mesmo. -Estando em termos os inclusos municouse ao inspector da thesouraria de fa-
documentos, que reiuelteu o commandante supe- zenda. .
rior desie municipio com offlcio de noutem, sob n. Diteao chefe interino da repartico das- obras
1 mande V S pagaros veuclmenlos, relativos publicas.-Remeti a Vmc. os inclusos papis co-
sgunda quinzena do mez de dezembro u timo, dos bertos com offlcio do inspector da thesouraria de
lliciaes e pracas do Io batalho de infamara da fazenda. .._,_ .. ...
suarda nacional desta capitel, que se achara aquar- Dito ao ehefe interino da repartico das obras
eilados para auxiliar a tropa de linha no servico publicas.-R'-motto a Vmc. os incluios papis co-
da guarnico da praca.-Communicou-se ao Exm. bertos com offlcio do inspector da thesoorana de
cou!inandnt superior do Recife. fazenda n. 751 de 23 de dezembro ultimo, c que
Dilo ao mesmo -Dovolvo V.S. os inclusos do- me serio devolvidas, afim de que examinando on
comentos na importancia da 8355360 rs., prove- mandando examinar a altera?ao proposta pela ca-
nienle de oasaKens e frotes por conla do governo mar municipal na planta da cidade na parle re-
no< varares da eompanhia Pemambucana com des- lativa a ra da Concordia, e que fica entro esla e
tino a diversar provincias do imperio, afim de que, a casa de delencao, declare se essa alteraco edig-
de cooforraidade com o parecer da conladoria des- na de adoptar-se, e se em ahjunia cousa, w de
sa thesouraria a que se refere a sua informaco de encentro a casa que esta edificando Jos dos San-
hontera, sob n. 9, mande pagar ao fereutu da- tos Ramos_de Oliveira, e a que pretende
U011AND6 DAS AR AS.
Ojiarte 1 do commando das armas de Pernambeco, 7
L Janeiro de 1863.
ORDEM DO DIA X. 23.
O coronel commandante das armas faz publico
para coohecimento da guarnido que, a vice-presi-
denci.i conceden por por portarla de 2 do correte
doos mezes de Itcenca, para iratar de sua sade,
decoutormidade com o parecer da respectiva un-
ta, nos termos do art. 106 do regulamento de 27 de
outubro de 1860, ao Sr. 2- tenente do 4o batalho
de artilharia a p Jos Antonio Ribeiro de Freitas.
Faz publico igalraente que no vapor Tocantins
regressaram da corle para onde tinham seguido
em diligencia com os batalhoes 2o e 1 de infanta-
ri os sehores 2- cirurgioes do corpo de saude (
Drs. Cicero Alves dos Sanios, e Ernesto Tibureio;
da Silva Tavares que se apruseutaram no da 4 do
crreme, bem como o Sr. capito do 9o batalho da
mesma arma Joo Antonio Cardoso, e do 10 Ma-
noel Ferreira da Fonseca Lira, aquelle com o lim |
de reunir-se ao seu corpo e este para conduzir sua
familia.
Assignado.Joaquim Jos? Goncalves Fontes.
Conforme.-O capito Jo Francisco de Moraes
Vasconcellos, ajiidanle de ordeos interino.
ADDICIOXAL A DE N. 23.
10,000 charutos, que oulra fragata linha a bordo.
O Sr. director da alfandega grande, logo que as
franatas se voltaram e os fardos e caitas cooi fa-
zendas principiaran) a ser levadas pela mar man
dou pedir auxilio ao qnartel da municipal e veio
d'alli um piquete, que se eslendeo pelo caes a les-
te da alfandega, afim de evitar que as mercadorias
arrojadas niargtm pelas ondas fossem roobadas.
Ao mesmo tempo, alguns escaleres da alfandega
subiam o rio atraz das fazendas levadas pelas ca-
das, e anda coBseguiram salvar algnmas. Os al
gamos dos escaleres prestaram grandes servicos e
soffreram muilo.
Das fazendas de algodo, de la, de linho e de
seda, pianos, objeclos de modas, ferro e uniros ar-
tigos que estavam as tragadas atracadas pooies
da alfandega, poucos volumes foram salvos. Dous
fragaleiros, que foram envolvidos pelas onda-
quando as Trzalas se voltaram, estiveram em gran-
de perigo e s com muite difflcoldade conseguirn*
os seus camaradas salva-Ios. O mar, invadiodo a>
pontes e parte da rampa que Ihes fica prxima, im-
pedio por muilo lempo que se salvassem as merca-
dorias e se podessem esgotar as fragatas.
As duas fragatas de cendnzir agua que penen
ciam ao Sr. Mayer afundaram-se e bem assim sie
do Sr. Netto.
As qnalro fragatas sobre a boia do paquete in
glez Magdalena, para o fornecerem de carvn
quando chegasse, afundaram se. Os tripolantes sal-
varam-se com difflcoldade, porque foi necessari"
que alguns escaleres Ihe aecudssem.
Junto ponte da eslacao do caminho de ferro
afundou-se lambem 1 cahique da e 1 fragata.
Boite passou defronte do caes do Sodrc um
hiale, de bordo do qual iam chamando por soccor-
ro dous ou tres homens.
Em trra ha bastantes prejuizos, mas parece-nos
que sao de pouco valor.
Os arvoredos soffreram consideravelmente.
No terreiro superior do jardim de S. Pedro de
Alcntara, foram arrancadas duas arvores, e des-
troncadas a maior parte das oulras.
No terreiro interior foram arrancadas oatras
duas arvores, sendo urna, o lindissimo syco-
moro que eslava no meio do jardim, junto ao espa-
co resguardado por urnas grades de madeira, e
onde eslo vasos coro flores esrolhidas. Era urna
quarto da manh do dia 13, a columna do barome-! be|,a ar*VOre, oque dava a mais amena sombra. O
tro apresenta urna differenca de 28 millime-
tros.
Em 2 horas e um quarto deseen a columna mais
de 15 millimetros, chegando neste intervailo
a velocidade do vento 1:800 metros por mi -
nulo.
Depois das 10 e meia o barmetro comeceu a
subir, e a velocidad; do vento diminuio.
A noticia telegraphica, do temporal, nao loi
Iransmiilida, para Pars, porque as linhas ficaram
todas em mu estado. Os telegrammas dos pos-
tos meteorolgicos nao chegaram ao observa-
torio.
Observac5es do meio da
Presso.. .740,1; temperatura 9,8; vento O. for-
te ; aguaceiros.
bservacoes das 3 horas da tarde.
Presso...740,6; temperatura 8",7; vento ONO.
forte; aguaceiros.
bservacoes das 9 horas da noute.
Pressao...740,1 ; temperatura 8o,4 ; vento ONO
muilo forte; chtiva.
Temperatura mxima---- 11,5
mnima---- 8,3
Chuva.Das 9 horas da noute de 12 s 9 horas da
noute de 13.................21,8 millimetros.
Pela direccao do observatorio vai ser expedida
urna circular aos postos, com o fim de recolher os
satisfaco em louvar e agradecer ao Sr. major | %u1|^_m^,0;
commandante Claudino Benicio Machado, e aos
Srs. offlciaes e mais pracas do referido contingen-
te a maneira digna porque se houveram durante o
aqoarlelamento, e a coadjuvaco que prestaram a
diminuta forca de linha, no servico da guarnico.
No seio de suas familias ir esse milicia cvica
refocjllar dos seus trabalhos, cuidar de seus afaze-
res domsticos, e pnparar-se para acudir os recla-
mos da patria, que hoje mais que em lempo algum
necessila de seu auxilio para, na ausencia da tro-
pa de linha, manter a ordem publica, e velar na
sepuranca individual e da propriedade de seus con-
cidados.
O coronel commandante das armas conta que o
2 batalho aquartelado nao desmentir os seus
precedentes, e seguir os mesmos passos que tri-
Ihou a (orea que substituio.
Assignado. Joaquim Jos Goncalces Fontes.
Conforme.O capito /. F. de Moraes e Vascon-
cellos.
EXTERIOR.
levantar
Luiz Ferreira da Rosa.Nao tem lugar a vista
ila informaco.
Lino Machado Dias.Na forma requerida vis-
ta da informaco.
Luiz Flix aa Rosa.Informe o Sr. tenente-co-
ronel recrutador.
Manoel de Azevedo Maia.Reraettido ao Sr. ins-
pector da thesooraria de fazenda, afim de mandar
pagar ao supplicante a quanlia que pede, nao ha-
vendo inconveniente, informando no caso contrare
a est presidencia.
Maria Francisca de Lelis Branco.Reme tildo ao
Sr. baro do Livramento, vice-provedor da Santa
Casa da Misericordia, alim de conceder a licenca
pedida.
Manoel do Nascimento Paiva. Informe |o Sr.
commandante do corpo de polica.
Manoel Pereira Camello Pessoa.Nao tem lugar
o que requer o supplicante viste da informaco
da thesouraria de fazenda, constante do offlcio n. 3
com data de hoje.
Manoel Cyriaco da Cunta Pires.Nao tem lugar
o qne requer o supplicante vista da informaco
da thesouraria, constante do offlcio n. 783 de 31
de dezembro ultimo.
Manoel Francisco dos Santos.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica, ouvindo ao Dr. administrador da
casa de delencao.
Manoel Jos de Sooza Nnnes.Nao tem lugar o
embarque para Fernando de 400 arrobas de assu-
car, e nem de 10 barris de mel de turo, e nem de
JORRESPOXIU^CIAS BO DIA
RIO IE PEBSAMBUCO.
LISBOA.
44 de dezembro de 1861.
(Correspondencia supplemenlar.)
Apesar de dous pequeos additamenlos qu*,
Tufo.O temporal desfeito, que princpiou a
desenvolverse honiem noute. e que ainda conti-
na em pleno vigor, causou bastautes prejuizos,
tanto na cidade como no rio.
s 9 horas da manha, na occasiao da baixamar,
um tufovioleniissimo passou pela cidade, e cau-
sou grande consternaco, porque se espalliou in-
mediatamente a noticia de algumas desgranas
no rio, c muita gente correo para a beira-
mar.
As familias dos martimos, especialmente, soffre-
ram grandes sustos, porque, pelos effeitos que o
tufo produzio na cidade, pensaram que nenhuma
das pequeos embarcaeoes do Tejo teria podido
resistir-lhe.
i Nos caes da Ribeira iNova e do Sodr, em toda a
I extenso do aterro da Boa-Vista e em outros sitios
| prximos da margem direita do Tejo viarn-se de-
pois das 9 horas da manha alguns centenares de
mulhereschorando e perguntando por seus maridos,
paes e irmos, e ao mesmo tempo um grande nu-
mero de martimos, tratando de salvar as embar-
caeoes que o tufo arremecara contra os caes, vi-
rando urnas, deitando oulras, e alundando e desfa-
zendo bastantes.
Felizmenle, as desgracas pessoaes, as perdas de
vidas nao foram tantas como nos primeiros mo-
mentos de terror se suppoz e espalhou que houve-
ra. At hora em que escrevemos, alm da tripo-
laco de um brigue, que naufragou nosilioda Lage
prximo da praca de S. Julio da Barra, s cons-
tam as perdas de mais seis vidas. Diz-se comtudo
fechei no dia 13 (de "madrugada) a demora na en-1 qne um barco, que largara do Seixal para Lisboa,
trada do Magdalena (que se julga arribado em Vigo) | s 8 horas da manhaa, se perder com todos os
e alera disso a importancia das noticias dizem-rae
que.Ihes escreva mais este posf scriptum.
(lectivamente appareceu hoje na folha offlcial a
tripolantes e passageiros que conduzia.
O mar arrojou ao aterro da Boa-Vista, ou caes
da Ribeira Nova, Ires cadveres, um dos quaes de
exoneraco do Sr. Mendes Leal da pasta da mari-; pessoa bem trajada e conservando ainda no bolso
nha ficando inlerinafflenle encarregado o Sr. Joao i do collele, segundo nos disseram, uro relogio de
CJirisolhorao d'Abreu e Silva, ministro das obras ouro cera crrente.
, menta P 770X160 Jn< Paptlho de Carvlho bem como, se algom' duas arrobas d chumbo, como pede o suplicante,
? por tS SkXSS j-JK? S.,dcoSn Je^doSind^S.tndo.edilcado'oo estU j podendo a
dente a 7 pas-a; ms
preenchidas pelo governo, como
parecer.
de 3* classe, que nao foram para edificar a sua propriedade em terreno de ma- m
se v do predito rlnha, que linha havido por compra jase acha.'fl
munido com o competente titulo.
de madefra alguma nenf o rel e nem o
Pastora Mana da ConceicSo. Informe o Sr. Dr.
publicas.
E' de crer que o Sr. Joao Chrlsosthomo conserve
a da marinha at a constituico da cmara.
A questo da confirmaco do bispo de Macu,
parece que nao fra a origem da desolucao, por
que se diz estar j resohida.
Continuam porm oulras pessoas a a (Armar como
j live hontem occasiao de Ihe dizer que fra essa
queslo que dra causa sahida do ministro da
marinha e ultramar ; por quanto querendo o Sr.
Mendes Leal proceder com dssiva energa acerca
da reacSo foi nesse intuito contrariado pelo Sr. du-
que de Loul.
E' claro que os que do este motivo da soa sahi-
da, e perteocem ao partido liberal mais avancado,
applaudem a corajosa persistencia com qne at ao
fim susienlam no poder os seus principios.
Este applauso porm deprime nns om quanto
engrandece a oulros.
Diz-se lambem que houvera desacord, eui con-
selho de ministros entre o Sr. Mendes Leal e o Sr.
Lobo d'Avila.
No quadro da alfandega, contra a expecliva ge-
ral, houve peoea lenha. Garraram alguns navios,
mas nao coma que os prejuizos fossem grandes, e
nao houve all, que se saba, perdas de vidas
Fra do quadro, porm, o brigue Feliz Mafalda,
do Sr. Jos Maria Gamillo de Mendonca, e o brigue
Lusitano, do Sr. Joaquim Lopes de Carvlho, da
praca da Baha, consignado aos Srs. Miranda 4 Fi-
Ihos, balroaram. O primeiro ficou com a popa ar-
romeada e o segundo perdeo o beque e o gorupez.
A barca Linda perdeu o pao da bujarrona.
O brigue francez Boieldten, que ha dias velo de
Rouen com materiaes para o caminho de ferro,
achava-se junio a ponte da estaco central de-te
caminho descarriando, quando o tufo o colheu.
Batendo contra a ponte por differentes vezes, dam-
nificou-a e deitou abaixo o guindaste, que Ihecahio
em cima. Abri agua, e afundou-se.
Os navios de goerra nao goffreram prejuizos, se-
gundo coihta; mas acrvela Duyte de Patmella
garrou e veio ancorar defroote da alfandega. To-
dos os barcos de vapor, tanto de guerra, como mee
terreiro superior estava lodo alastrado de ramos.
| que se iam juntando ao p do chafariz, e era j
. urna grande quantidade de lenha.
No Passeio Publico umbem foram arrancadas
! algumas arvores. O mesmo aconteceu no Campo
! de Sam'Anna. Todos os arvoredos ficaram muilo
j destrocados.
I Por differentes partes da cidade o tufo arrancn
as telhas dos telhados, arrojando-as a grandes dis-
tancias.
Cahiram as cimalhas e platibandas de um gran-
de numero de predios, especialmente daquelles
que estavam em construyo, ou que haviam sido
concluidos ha pouco.
Todos os tapumes e ripados dos predios em cons-
Iruccao, ou de terrenos sem muro*, vieram ao
chao', iocluindo urna parte do upme que circunda
o monumento de Lames.
Ouvimos que n'uraa travessa prxima da ra
das Trinas di Moca^bo cainra o lelhado e desa-
liara o. ledo de una casa.
A familia ahi moradora eslava a almocar o viga-
mento comecou a'ranger, e a familia fugio espavo-
rida, e instantes depois desabou o lecto, sem que
felizmente houvesse victimas.
Na ra Direita da Graca desabou parte da pare-
de de um predio periencente familia S. Romo.
deixando abena como que urna enorme janella, e
obrigando a fuglr espavoridos todos os moradores
do predio.
Para as bandas do Gastello, foi grande o destroco
nos telhados, e vidrncas.
Os vid ros dos candieiros da illummaeo publica
foram despedacados em muitas partes.
Para o lado de Santa Isabel, tambem foram mais
sensiveis os effeitos do tufo, sendo considerareis
os estragos nos telhados e as vidracas.
Afflnnam-nos que o globo e cruz que rematam o
zimborio do convento da Estrella, eslo um pouco
inclinados. .
E' este o efleito mais singular do tufo, pela ex-
traordinaria seguranca com que o globo se aclia li-
gado cantara.
Muitas pessoas foram arrojadas ao chao. Na
praca de Luiz de Cames um individuo, a esqui-
na da ra do Norte, foi levado de encontr a pa-
rede e depois ao chao. Parece que nao ficou mal-
tratado.
No Terreiro do Paco tambem cahiram duas pes-
soas. No Caes do Sodr outras duas foram arro-
jadas barraca, que servo de casa da guarda.
No largo do Principe Real um soldado vio-se
obrigado, para nao ir ae chao, a agarrar-se a urna
das arvores.
Era alguns sitios era curioso ver voar as (cilia-
dos telhados, que iam a grande altara e al consi-
derareis distancias.
A esquina da ra do Ouro para a ra dos Algi-
bebes, cahiram de um telhado ura barril, que pa-
reca servir para o lixo, e dous alguidares que es-
tavam para receber agua da chuva, e algumas pes-
soas escaparam milagrosamente de que Ihes cabis-
sem em cima.
Afflancara-nos que ha casas completamente des-
telhados.
No arsenal foram pelos ares os telhados de dous
telheiros, e dizem-nos que um grosso pao voou al
ao alto do torread da secretaria da guerra.
No edificio do correio o vento arrombou algu-
mas janellas, e cansn estragos em algumas repar-
tieses.
No hotel Central tambero o vento deitou dentro
algumas janellas, e nos quartos se quebraram ,es-
pelhos e damnificaram outros movis.
Na velhissima praca do Salitre desabou urna
grande porco das podres raadelras de que cons
truida.
Erafim, os desastres sao minios, mas por fortu-
na em trra nao eausaram victimas, segundo nos
consta.
Este tufo dos que os metereologos denomi-
nara cyclone, que sao raros na Europa, e que em
Lisboa nao tem sido observado, pelo menos ha mu-
tos annos.
N'esta especie de tufo, a accao do vento como
de om redemoioho em ponto grande, e por isso os
cataremos giravam nos seus eixos, semeihanca
de um moinho, e com admiravel velocidade, sem
se saber q4M era a direccao do rento.
De Belera nos dlrigiram a seguinte carta, nar-
rando os desastres e sinistros que houve b aquelle
sitio:
Sr. redactor.Nos predios mais altos, n. 26 e
33, o vento arrancn as boiras dos telhados, dei-
1 tando urna immensidade de telhas i. ra, deixando


V ."*
.
"% m



filarlo de Frrnambuoo *- Segunda lelra de Janeiro de 18G&.
r
,
urna parte to madeiramento a desTubei (. Jflgn
mas chamins velhas caliiram.
Wa cerca da Casa-fia um dos moinios (icou
sem cuuula, e bastantes oliveiras foram arranca-
das. .Na quima de Belem lambetn maltas ardores
foram arrancadas, e ouiras mais velhas- quebradas
pelo meio. Na Ajuda, defroute do palacio, cahio
um dos fogaros de pedra da lorre da Patriarchal
sobre urnas casas abarracadas, que as arrasou ; fe-
lizmente, nao eslava oiugnem la. as NecesoiSB-
des consta-rne que arraueou gran* porco d'aTKB-
res do largo.
No mar, o vento troaie praia da Torre o lu-
gre Bum Successo, que ha punco fot deuado ao
mar, eucalhou-o, depois desencalhou-o logo, e le-
vou-o ao meio do rio, de encontr a urna barca
que eslava de quarenteua, fazendo bastante avana
na proa. Urna fragata de carregar veto de eneon-
[sfiWncia ruadalmpetatrlz; assim como despa-
"rtw frmhrafT ppet affi ott cm outra qualquer parte,
e a qualquer hora do dia.
No sabbado ultimo desalmrtelo o r batt-
Ihao-de infantaria da guarda nacional desta cap-
lai, sendo snbsrrtuid no servfjo pefo i' da mesrna
guarda nacional.
Dea-se na Estrada Nova nm roubo, praticado
em cas do Sr. Pintead, que nessa occaso acha-
va-se fora della ; pois desde antes de festa qne est
com nm sea genro no logar dos Torres.-
Em sna ausencia, pois, os laraplos fbrearam a
sen salvo a priineira janella do oito, e achando
ahi resistencia, o mesroo fkeram immediata, que
despregando-se com a grade da parede, foi cahir
sobre um estrado, permitttndo-lhes entJo a entrada
na casa. Senhures desta, arrombaram as g.:veft*
de ama commoda, e d'nlii tiraram urna cora, tres
tro ponte dos vapores do Sr. Burnay e qoebrou o ; resprendores, um par d botos'de puchos, um di-
leme-; a gente sailou por tordas para cima da
ponte ; urna outra fragata de carregar foi mais in-
feliz, por que, garrando, submergo-se defronle das
cocheiras reaes, morreudo tres liomens.
Belem, 13 de deieaibro.
C.
Do Poco do apo nos remotleram a correspon-
dencia que segne:
r. redactor.Ainda com a mo trmula es-
tou escrevendo t stas ntilias, pelo susto que acaba-
mos de suffier.
t Pela 5 44 horas da roaana comejn o ven-
to soprandocuin violencia, acompanhado com cha-
va. As tu horas meuos 10 minutos, um grande
turayao fez sahtr quasi toda a g*nte das casas, cho-
rando e implorando misericordia; os operarios cor-
ra das oBk-itias s casas, mas ja encoutravaiit as
familias currendo pelas ras sein sabercm para
aoade: enj suinma, foi um quadro irisiissiuio.
Felizmente, abrandou o vento, recolheram se
as nmihores a casa, e os homens formavam grupos
e andavam vendo es destrojos causados pelo vento.
10 ii< ioruou a vir um outro luracao, ulve
mais lurte ; deu-se o ruesuio caso, e anda maior,
porque quem nao sahiu a primeira vez, saiiiu se-
ganda, e bouve maior temor. Kealmcule nao cons-
ta neste sino caso tao desajjradavel. Telhados de
lK>a consti ucjau quana beaiam eut os su, sera tu-
llas a, trapn as derrubadas, muros caid*)s ; olivei-
ras quebradas (s u'um oliva! no primeiro furaeo
oabiram 25, do segundo ainda nao pude saber;.
As freir franquearam a portara a quem
queix nti ar, porque o caseiro loucou urna campal-
Dba pedindo soccorro.
No caininbode ferro nm wagn saltou-lhe f-
ra a parle superior, algunsandaram a muila dis-
tancia L'ma barrica audeu mais de 200 passos, s
mais andana se nao fosse de euceniro a pai ede.
Todos os ivihados soffreram mais ou meaos.
t Pur hoje, nao pos.-o dar-lhe mais pormenores.
Se alguna arica souber de importancia, participar-
Ihe-hei.
De V. etc.
Jf. A. Oliveira.
Paca do Bispo, 13 de dezaaabro de 1864. *
No Campe Grande tambern uos dizera que hou-
ve bastante.-*, detrojos.
Pur toda a parle undechegou ventoloassolador,
deve ler rasado maior es ou menores estragos e
desastres.
Em Marvilla, na esckola normal derrubou urna
torre com o sino do relogio, par(indo-se uo desaba-
meiito o vaoedo e vigas dos temado da eschola
anneza ; arraueou muitas arvores da quinta arro-
jaodo-as a consideraseis distancias, destelbou boa
parte do palacio, paiheiros, adega etc.
Seria luiermniave a relacao dos desastres. O
prejuizo total avalia-se em tiOO cootos, islo dos
estragos no rio, ou antes graude haba em freule
de Lisboa. A falta de duka faz senur-s cada vuz
mais, e de crer que o commercio tire urna boa
licao deste lastimoso aueuiecimeucuiieHto. Os
prejuizose em predios urbanos e rsticos, ainda
nada possivel urca-Ios. As linlias telegrapnicas
eslu em graude parle arrasadas pelo tutau.
Passaudo a outro assumpto, nao termioarel sem
Ibes dizer que no meio de lanos desastres oau fal-
ta quem /'ajo espirito e diga que o Sr. Aleudes Loa I,
que lano baviam epigrammado pelo celebre lufo
que ha lempas fez auuuuciar,em virtudedecommu-
nicaces siieutilkas,que ha tempu recebra do dis-
tiiictu meteorolegisia .-lran>!eiro Mr. Alalhien de
la bromo (lufau que felizmente brilhuu tntopela
Ma ausencia) que o r. Aleudes Leal, digo, liuba o
lufo guaidado na pasta para o deixar sabir estre-
pitosamente quaudu largasse o poder.
Allii ma-se hoje em Lisboa que vo ser pre-
sentes ao passaui'utu varios projevtos de graude
importancia. M -ucioiiaui se a exteiieao do real
d'agua : a alH)ln;o das deduccees restantes que
ainda sotlriam os ordenados e sidos funciona-
rios do estado, figurando realmente como honora-
rio a cifra completa que se enconlra uo orcamen-
to ; a desamortisaeao dos bens das cenfrarias, ir-
inandades, misericordias, cmaras mumeipaes, etc.
a extineco das lei restrictivas atualmento em vi-
gor em proveitodosvinnosdobouro; urna lei per
manente de cereaes.e outra medidas igualmente im
prtanos
A questao do abastecimento das aguas da cap
tal sera prximamente resolvida.
O Moiutrur publicou no da 8 um decreto im
perial promulgaudo a declarado das tabellas res-
pectivos dos despachos telegrauhicos, em virtude
do convenio de -0 do seterabro entre a Franca,
Hetpatihae l'ortugal. i
E por hoje nada mais.
UL1HMH DESPACHOS DA TELEGBAPHIA.
PiHJTICA EXTERNA.
Nova-York 30.-O general Sberraan atravessou
Macn e tomn Milfegdville.
Os jornaes do sul as-eguram qne o general Sher-
nian. com as (ropas do seu commando foi balido
quando tenlou passar o rio opposto.
O governador da Georgia ordenou urna cons-
cripeo (eral desde a idade de 16anuos at aos ,15.
Pars.Tendo augmentado o numerario no ban-
co de Franca, ao ponto de haver em cofre 350 mi-
llies de francos, este estabelecimento baixou o
descont o por cesto de premio, e de 7 6 so-
bre os adiantamentos qne se fizeram no presente
anno.
O deposito 2 1|2. As notas diminairam vinte
milhoes de francos.
Prac de Malrid 12.Os fundos consolidados fl-
caram 47 ; os differidos a 42,10.
Pars.Falleceu Mr. Mocquard.
Bucharest.Em todos os districtos sao favora-
veis ao governo as eleir;oes. A 18 de devmbro
brese a cmara dos deputados.
Paris 9.-Os embaixadores de Hespanba, Fran-
ca e Austria em Boma, chegaram a ler a convic-
cao, depois das suas repetidas conferencias com o
ardeal Antonelli, de que -o sumnio pontfice nao
oppor ao convenio franco italiano o non possumus,
urna vez que as novas comoinacSes nao stja.n con-
trarias a dignidade da santa s, nem aos direitos
da igrrja.
Turim 9. O senado italiano approvou por 134
votos contra 47 a transferencia da capital do rei-
no para Flmenea. Abstiveram-se de votar dons
senadores.
Sova-York 1.Trinla mil veteranos do exercito
do peneral Lee chegaram a Angosta.
O governador de Georgia, Carolina do Sul, or-
denou as milicias qoe emharg&sem a passagem
do general Lherman na sna marcha sobre Nash-
ville.
L.
lo de rosetas, urna medalha, um botao de abertura
com brilhante e urna cruz cravada de diamantes,
sendo todos esses objectos de ouro.N Boubaram
mais nm Menino-Deus e urna moeda brasileira de
5^000, que exista em urna das gavetas.
Esta oceurrencia chegando a ciencia do Sr.
subdelegado Arantes, dirigio-se elle in continenti
ao lugar do delicio, onde procedeu a lodas as- ave-
riguacSes, dando as providencias precisas para
chegar ao conheclmento dos autores do crime,
de esperar de sna aclividade que nao fique este
sem a devida punigao, que por cerlo se realisar
com as pesquizas ulteriores.
A designacao do dia da f.-stlvidade de Nossa
Senhora do Monte emOlirda est ainda dependente
dos reparos da coberta da capella, que ameafa
desabar. No entretanto, no da 13, haver urna
missa solemne, eo 'emploestar aberto aadoraeo
dos liis at a noile.
Es|ftram-se nesles das e vapor inglez Gla-
ilintor, da linlia de Liverpool, e o Apa, do sul do
Imperio, que vem buscar tropa.
Consta-nos que se arhain preparando, para
seguir par o sul, os haialhdes 9 de infartarla e
4o de artilharia, cm virtnde de ordens impe-
riaes.
Amanhaa e extrahir a segunda parte da
prlmeira lotera de hospital P?dro II, para eanali-
sacao d'agua e gaz (1"), sendo o maior premio
6:0005000.
De Garanhnns em dala de3 docorrente, com-
municam-nos o seguate :
t No dia 31 de dezemhro prximo passado, as
pessoas mais giadas desia villa foram ao encontr
do Bvd. capuchinho frei Egydio, que no mesmo dia
aqu chegou, e est assislindo em casa do Dr. juiz
de direito onde tem sido mnifo oem acolliido e tra-
tado, tanto por elle como poj sui Exm.* esposa.
Hoje, s 3 horas da tarde, parliram para a villa de
Bon, Conselho, atim de regularisarem o recolhi-
mento ali existente, o mesmo capuchinho e aquelle
magistrado, por commissao do Exm. e Bvm. Sr.
vigariu capitular, que, na ventarte digno de todo
o louvor, pelos relevantes servicos que ha prestado
esta diocese dorante a sua Ilustrada administra-
do. A 12 do mez, prineipiaro as missde* neste
lugar, e entSo Ihe relatare os serviros que prestar
o referido missionarlo, que, pelas suas maneiras
Ihanas, affabilidade e boa fama de que gosa, tem
captado o respeilo e affeicao de todos aquelles que
com elle* se communicam*
BBPAnngAO da polica.
Extracto das partes dos das 6 e 7 de Janeiro de
1865.
Foram recolhldos casa de detengao no dia 5
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Anto-
nio Virissimo, vndo do termo da Escada, para re-
truta.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Jos Rufino
da Silva, como indiciado em crime de roubo.
A' ordem do subdelegado do Becife, Benbem
Parker, John Fail, James Paud, John Fernandes e
John Johonson, Inglezes, requisicSo do respectivo
cnsul.
A' ordem do de Santo Antonio, Joaquina Severi-
no Nery de Vasconcellos, disposiejio do tenente-
coronel recrutador.
A' ordem do de S. Jos, Vicente Bertholino, por
disturbios.
A' ordem do da Boa-Vista, Maria Joaquina da
Concecao, para correccao.
Dia 6
A' ordem do Dr. delegado da capital, Joiio Mau-
ricio \fanderley, para correccao ; e Antonia, es-
crava de Domingos Alfonso Ferreira, requeri-
inento deste.
A' ordem do subdelegado do Becife, Frederiro
Antonio Perelra Bastos, por feriraentos graves ; e
Francisco Xavier Secundino deSouza e Mello, para
correccao.
A' ordem do de S. Jos, Bosa Maria Joaquina,
por disturbios.
O chefi da 2' seccao,
J. G. de Mesquita..
Movlmento da casa de detencao no dia 5 de
Janeiro de 1864. m
Existiam..... 388 presos.
16 annos, solteira, Santo Antonio, taberculos pul-
monar.
Augusto, Pernambuco, 18 mezes, Santo Antonie, es-
cravo, asinina.
Marta das Dores Pinlo, Pernambuco, 20 anuos, sol-
teira, S. Jos, phthysica pulmonar.
Andr Joaqulm do Amor
annos, sotleiio,
monar.
Jaeintho de Souza Delgado, Ilha de s
annos, casado, Olinda, hydropaiia.
da raanhiia ; sendo qne desta minha viagem e do Agurdente de cana; .... caada
exame a que preced na estrada do Sr. Dr. Mame- dem restilada ou do reino
de, resultou em meu entender, que a estrada esta- dem caxaea.........
va capaz de sor provisoriamente recebida, 'sto dem genebra. ...,.
que s nm anno depois dessa poca que ser a dem alcool ou espirito de agua- >
estrada receida definitivamente, se o engenhelrn' ardente..... r .... i
Amor Divino, Pernammiro, 39 qwe a f8r examinar entender que deve ser recebida. Algodao em caroco..... arroba
Poco da Panella, phthysica pul-' A's 9 horas e meia dingi-n para a reparticao, dem em rama ou em lia.
I onde se me apresenlou o Sr. Dr. Mmede pediado- Arroz com casca...... <
Miguel, 50 rae a informaco; e tendo-lhe en dito qne aehava dem descascado on pilado i
a estrada ao caso de ser recebida, pednvme qae Assucar mascavado..... t
dsse o certificado. Nao vendo inconveniente dem branco........ t
nenhum em Ihe mandar passar nm certificada, a dem refinado.......
que o julgava com direito, e cuja demora, sem Ira- Azeite de araendoim ou menda-
zer vaotagTm alguma aos cofres publico, podia ser bim......... caada
prejudielal ao contratante, ff contra a promptidao dem de coco.......
que de* haver no expedante, satisfu a reetama-, dem de mamona..... .
Batatas alimenticias. .... arroba
Bolacha ordinaria, propria para
CHUMICt JUICUJ.Ii
TRIHU5AL UO COf-IIKftC'IO
ACTA DA SESSAO ADMfXISTRATTVA DE 5 DE cao do Sr. Dr. Mamede!
JANEIRO DE 1803. A'visla desta minha exposicao, que a rmra ver-
i'tiEsiDKNciA interina do exm. sa. DESEMB\ncAD0R dade, onde est o facto por mim praticado, que
possa dar lugar censura ou que possa mesmo au-
ALEXANDRE BERXAHDINO DOS RES E SILVA.
embarque
dem fina
- ------------^--------------^.^..,. ^-.. w. IU|a, avDii^utd UUI|UC pud lUC^IIIU <1U- IUCIII lilla *. >
as tu nuras da manbaa estando reunidos os Srs. thorisar um juizo dubio"a mou respeilo T Nao te- Caf bom t
deputados Josa, C. Alcoforado, Basto e Leal, o ano a honra de ser amign do Sr. Dr. amede, ape- dem esoolha ou restolho '.'.'.
5 fl8., declaroa aberl* ***. e i nas ^nneco como um cidado e um coHega es- dem torrado br
nomeou o deputado Bosa para servir de secretario.
Deferido o juramento aos senhores deputados Bas-
timavel; nunca Uve com e'le outras relacSes que I Caibros
nao sejam, no carcter de empregado publico, as Cal.
.. I ----------- ----.---------------- ------#-" ^*..i.*..I UO CUIJI* Cirt )U [JliUlUU, 13 l,il|. .
!L i i' qU le,mJde ",ervir no quatriennio qoe necessarias entre nm engeoneiro e um arrematan-1 dem branca .
tova cometo no do corrente mez, tomaram as-, te. Como explicar, Dortanto. essa tendencia do fiaran um**h
sent.
Lida,
dente.
xplicar, portanto, essa tendencia do Carne secca (xarouc)
^1 r>^p h..M.. <* .r.________... -l__. x '
libra
um
arroba
>
800 Navtot entrados no dia 7.
800 New-York-43 dias,patac4w bamburgiuz Los Hor-
406 manos, de 295 teneladas-, capito O. Hormana,
800, equipagera 9, carga 3,utto barricas com farinha
900 ; de trico ; a Saunders Brothers & C.
Ro de Janeiro23 das, luere inglez fothay, de
219 tpneadas, capito Gelbere, equipagem II,
carga 4.000 saceos com farinha de trigo ; a Jo-
1*800 huston Pater & C.
2f|600 uos saludos no mesmo dia.
1|850 Parahibescuna ingiera Prndente, capillo Rl-
3J100 chord Kooper, tm lastro.
5i 120 Maceidbarca ingleza t'dymun, capito James
| Su II, carga assucar.
2f|000 Granja e porto intermediosvapor brasileiro la-
1.J600, guaribe, capito Lobato.
800 Aracacnataetto brasileiro Bello, capito Pedro
15200 Jos da Hora, carga diferentes gneros.
Observaco.
'IfSOOO Suspenden do lamaro para Macei a barca in-
7,3000 gleza Arbitrator, capito Alien, com o mesmo las-
75MK) tro que trouxo de Od Calabar { frica.)
6*50001 JV 440 Aracatyvapor brasileiro Mamangnape, comman-
, Constitucional para buscar depremr o meu carac-
ro a pprovada a acta da sesso anlece- ter e desappreciar as minhas habilitacoes ?
A minha eapacidade como engenheiro, nao pode
Foram lidos
EXPEDIENTE.
Carneiros........um
Carvao vegetal......arroba
Cavernas de sicupira .... mna
Urna circular do Exm. ministro da agricultura, apreseutem os fados e os disculam, quer sob
inmercio e obras publicas, communicando ter ponto de vista theorico, quer sob o ponto de vita
com
reass tmido
o seu cargo :Accuse-sn e archive-se.
ser atacada por olTensas vagas que me atirem gra- Cera de carnauba em bruto.
jetos; se a querem por em duvida,: dem dem cm velas .
o Cha........'.'.' ,
i Charutos........cento
pratico. Lomo chefe interino da reparticao das Cevados Dorcos) nm
Lm offlcio do director da secretaria de estado obras publicas, tenho empregado toda a miaha at- '
oos negornos da agricultura commercio e obras pu- tenco em ser justo e em dar bpa direccao aos ne-
blicas, communicando que o Exm. ministro da gocios de que me acho eucarregado, obrando era
mesma repartijas Ijcou sciente de haver e Exm. tudo com a maior publicidade
Jta't!!?>r C* e '"i* a*s?ra,*,1? Pre5'"! s. eomo *>n na repartijo, -me de mister
aeai ia deste tribunal, em substituifao do Exm. Sr. grande dose de actividad* para ter as minhas vis-
gador Anselmo Francisco Peretti, que tas sobre todos os trabamos, que se executara nao
s por admiofstraco, domo por arromalaco, e
par empreitada ; alera disto, procuro occorrer a
todo o expediente da repartijao, que nao pe-
cio da corle, de 12 de dezmbro ultimo, remetten-! queno. jf ^
do a lista dos commerciantes matriculados naquel-1 Creio qne dJKrle tenho explicado ao respeita-
le tribunal no decurso dos mezes de outubro e no- vel publico ojrneu procedimento; o mostrado que
vembro do anno Ando. Accuse-se a recepjao e os meus cJUmniadores nao pdem ser tidos, se
"2i m nao como-ffessoas mal intencionadas, que buscara
Outro do mesmo secretario, da mesma data, com- abatar unTa reputaco nascente, com receio que
mullicando ticar de posse do que Ihe fui dirigido um dia os incommode. Quaolo se engaa,n I Ao
por ete tribunal em 3 de novembro ullimo.-Ar- menos, sintome coma forja que me da coosclen-
; ca do cumprimento do dever.
Recife, 4 de Janeiro de 18*5.
A. V- do N. Fetosa Filho.
passou a exercer o cargo de presidente desta pro-
vincia, como primeiro vice presidente.
Um ofneio do secrerarlo do rribnnal do commer-
I i lira
Cocos (seceos).......cento
Colla-....... libra
Couros de lioi, salgados ... t
dem idem seceos espichados.
dem dem verdes......
dem idem cabra tartajea, nm
dem dem de onca.....
Doces seceos.......libra
dem em gela ou massa. >
dem em calda........
Espanadores grandes um
dem pequeos....... ,
Esleirs para forro de estivas
de navio........cento
Estopa nacional......arroba
360
280
500
3H86
45000
15000
8000
300
300
15500
25500
155000
45009
600
150
240
105
350
105000
15000
329
500
45000
25000
Outro do secretario do tribunal do commercio
da provincia dn Bahia, de 21 do mez prximo pas-;
sado, aecusando o recebimento do que Ihe foi di- !
rgido por este tribunal em 5 de novembro ultimo.
Archive-*.
Outro de secretarlo da junradoscorretores, com-
municando a eleijo da mesa da mesma junta.
Archive-se.
Outro do mesmo, remetiendo as cotacoes da se-
mana linda.Archive-se.
Foi presente o ma.ipa dos gneros estrados e sa-
bidos do trapiche Alfandega Velha, no semestre de
julho a dezenrbro do anno Ando :Archive-se.
PUBLICARES i PEDIDO.
Qual motivo porqie soTreis ?
Vos outro* que padecis de thysiea, asthma, ea-
tarrho, bronqnites e tosse chrooica, respondei
esta pergunta. Na admiravel e maravillosa com-
posijo da anaeahuiu peitorai de Kemp, se vos
Foram tstribuidos para serem rubricados pelos' otte* ra remedio quasi nfallivel, rapide e in-
senhores deputados, os livros Copiadores das casas i 'eirameDle inoffeosivo. A sua preparajo coro-
commerciaes de James Ryder & C Ferreira & fos,a *>* nceos balsmicos e nutritivos d"uma ar-
Matheus, e os Diarios das de Enzebio Raphael Ra-1 v..re n>caoa ehamada anacahu ita, admiravel an-
bello, Joaquim Francisco da Silva Jnior, Jos Joa- tidoto es,e tTatoitamenle offerecido pela natureza,
quim da Cunha & C. e de Goimares & Bastos. i Para a cura de lonas as enfermidades pulmonares.
despachos. nundo nao encerra em si, cousa que com ella
No requenmenlo de Antonio Antunes Lobo, pe- 'de I"*6 M PS comparar. Os proprio mdicos
dindo qne se declare sem effeito a nomeacSo de *"""*'* loe. loando as suas meihores e mais
Antonio Jos de Oliveira Lobo a quem nomeara poderosas medicinas, chegaram provar a sna
calxeiro gerente de sua casa de commercio.Co- inutilidado e ineflkacia, na diminuieao e curativo
mo requer. ; da tosse, ou para alliviar a rouquidao e inllamma-
No de Joao Esteves Alves, juntando um decu- 5a0 Iracnea' i este excellenle remedio, tao agra-
mento em cumprimento do despacho de 9 de de- davel como fflcaz, com frecuencia restabeleee os
zembro nllimo, para que Ihe seta conferida a pa- Pu'raSes os broaehios e a larynx ao seu primitivo
estado natural. Vende-se nas pharmacias de Caors
A Barboza e J. da C. Bravo & C.
alqueire
arroba
c
um
arroba
155000
15600
25OOO
45OOO
25500
55000
145000
85000
85000
55OOO
600
25500
255000
25OOO
115000
85000
240
- 900
35000
55000
55000
800
45000
I5OOO
120
tente de corretor da praja de Macei. Volte ao
Sr. desembargador fiscal.
No de Manoel Francisco de Azevedo & Irmo,
pedlndo que no registro do sen contrato de socie-
dade se facam annotaces de qne este continua
sob a razo de Azevedo" dt Irmio. Vista ao Sr.
desembargador fiscal.
No de Rothe A Bidoulac, pedlndo que a junta
dos corretores Ihe atieste qual o'frete effectuado ou
que se podesse effeciuar en dezembro prximo
passado, do assucar para o Canal.Dse.
Nada mais htfvendo a tratar, foi pelo Exm. Sr.
presidente encerrada a sesso as 11 horas e um
qoarto da manha.
GOMMERSIO.
>ovo banco de Pernambuco.
EM 4 DE JA.Ne.lllO DE 1865.
O banco descoma letras na presente semana a
10 0/0 ao aano at o praso de quatro mezes e a
12 0/0 at o de seis mezes ; toma dinheiro a juros
a praso nunca menor de (res mezes e saca sobre a
praja da Bahia.
CORRESPONDENCIAS
Farinha de de mandioca.
dem de araruta.....
Feijao de qualquer qudlidade.
Frechaes .......
Fumo em tulla, bom .
dem ordinario ou reslolho
dem em rolo bom...... >
dem ordinario ou resiullm >
Gallinhas........ urna
Gomma......... arroba
Ipecacuanha (raz).......
Lenha em acnas...... cento
Toras.......... ,
Linhas e esteios....... um
Mel on melajo....... caada
Mimo.......... arroba
Papagaios, ....... um
Pao Brasil........ quintal
Idem de jangada...... um
Pedras de amolar..... uina
dem de filtrar.......
dem de rebolo......
Piassava. *...... molho
Puntas, ou (lufres de vaceas ou
novilhos........ cento 35500
Pranclies de amarelle de dous
costados........ um 205000
dem de loaro....... 105000
Rape.......... liara 15000
Sabao.......... 1 120
Sal.......... akraeire 400
Salsa parrilha. ..".... arroba 255000
Sebo em rama. ..... 55000
dem em velas....... > 75000
Sola em vaqueta...... uam 25?>00
Taboas de amarello. .... dnzia 1405000
dem diversas........ 875000
Tapiocas......... arroba 35000
Tatajuba......... quintal 25000
Travs.......... urna 65000
Babas de boi....... Cento 200
Vassouras de piassava. ... > 105000
Ditas de timb...... 85000
Ditas de carnauba..... > 135000
Vinagro......... caada 500
Alfandega de Pernambuco, 7 de Janeiro de 1865.
(Assignados):
0 !. conferente, Pedro Alexandrino de Barros
dante Manoel R. dos Santos Mora.'
Observado.
Fundeou no lamaro urna barca ingleza, mas nao
teve cummunicajocom a Ierra.
EDIT1ES.
O tenente Decio de Aqulno Fooseca, juiz de paz
do 1 di-trido da fregui-zia da Boa-Vista, em
virlude da lei ele.
Fajo sciente, que as audiencias deste juizo sero
dadas nos dias quarias e sabbados de cada sema-
na, em cata de sna residencia, ra da Imperatriz
n. 47, segundo andar, e quando es.-r-s dias fortn
santificados ou feriados, ser a audienea ne da
antecedente.
Becife 7 de Janeiro de 1865. En Francisco de
Barros Curris, escrivo que o etcrevi.
DECUSACSES.
11
Sahiram...... 12
386
A saber :
Nacionaes..... 315
Estrangeiros... 21
4
Estrangeira 2
Escravos...... 39
Escravas...... 5
390
Alimentados a custa dos cofres provinciaes. 166
Movimento da enfermara do dia 7 de Janeiro
de 1865.
Tiveram baixa :
Frederico Antonio Perelra de Bastos.
Seveiiano Riendo da Silva.
Movimento da casa de detenjao do dia 6 de
Janeiro de 1865.
Existiam....... 386 presos.
Entrara 111...... 8 >
Sahiram...... 4
A saber
Existem....... 390
Nacionaes..... 317
Estrangeiros...
Mulheres......
Esirangeiras...
Escravos......
Escravas......
21
5
2
39
6
390
PERNAMRUCO.
RETISTA DIARIA.
Nao swh raz3o que a nossa marinea mercante,
tem adquirido n certo desccnceito om relajo
navegaco de ioogo curso, visto qne os armadores
pu consignatarios se achavara sempre imposibili-
tados de fazerem shir os navios aos dias apraza-
dos, era consequeocia dos respectivos tripulantes
nao se prestaren) acumprir os seus coitratos. Ora,
istosedava por eftes encontraren! sempre apoio
nas capitanas locaes; mas felizmente esta toleran-
cia nao se reprodnzio oara rom os tripolanteg da
galera nacional Mjndetlo, q,,e se querendo eximir
ao cnmprimento de sene deven-, foram a elle cha-
mados pela energa e boa outade do Sr canllo
do porto, que os obrigou a comprlr o contrato de
matricula celebrado no Rio de Janeiro, na sua ul
tima viagem para esta provincia.
Ete arto de S. S. credor de elogios, porque fax
valer a f dos contratos, eabre caminho a levantar
o crdito da nossa marinha mercante, livrando-a
desses vai-vens de vontades pouco esclarecidas e
muitas vezes caprichosas.
O Sr. Decio de Aqulno Foaccca, juiz de paz
do 1* districto da frognexia da Boa-Villa, di au-
diencia nas qaartas e sabbados, na casa de sua re-
Alimentados a custa dos cofres pblicos.... 165
Movimento da enfermara do da 8 de ianeiro
de 1865.
Teve baixa :
Manoel Francisco.
Teve alia :
Jos Antonio Fabricio.
Passageiros de vapor brasileiro Tocanrnu,
saludo para os portos do norte :
EugeDCia Jacnlho de Miranda, Lino da Silva
Bastos, Manoel Amonio da Rocha Jnior e sua se-
nhora, coronel Don Francisco Carrasco e t criado,
J. Alvaro Garca, Candido Flix de Fonceca, Mar-
coz Jos da Silva, Dr. Sebaslio Orland de Araujo
Costa, sna senhora, 1 fllho e 5 escravos, ex-cadete
Francisco da Silva Fialho e sua senhora, Marcos
Willians e sua senhera, Eduardo Pates, desertor de
marinha Bernardo de Souza Barbosa, Antonio An-
gelo Fernandes, Caetano Daniel de Carvalho, Fran-
cisco de Almeida Braga, Dr. Jos Alexandro de
Anana Garcia. Antonio Augusto Alve?, Dr. Fran-
cisco Lucas de Sonza Rangel, Antonio Thomaz Car-
ne! ro da Cunha Jnior e 1 criado, 2 prajas de po-
lica.
Srs. redactores.Disseram-me que o Constitucio-
nal, em um de seus nmeros do mez de dezembro
lindo, se havia oceupado de mim, por occasio do
recebimento da estrada de Nazarelh cutre os lan-
jos 13 e 16, a que se refere o contrato celebrado
com o Sr. Dr. Mamede. Zeloso de minha reputa-
jo, tratei de ler a censura, para desvanecer qual-
quer engao em que laborasse o censor; tive, po-
rm, o desgosto de ver que o autor da censura,
sem fixar os pontos da aecusajo, sera mostrar os
defe itos que deveriam fazer com que a eslrada nao
fosse recebida, limitou-se a proposijSes vagas, sem-
pre filhas de 0010 ou de desaffeijSo, a que alias
nao tenho dado cabimento por acto algum que haja
praticado.
Faz crer o autor da censura que foi pira servir
a alijuem que eu annui ao recebimento da eslrada,
e em apoio dessa these insrata, altera factos, exa-
gera outros e emitte s8 nao inventa, outros cuja
veracldade imaginaria. Desde que o Comtituao-;
nal nao formulou a sua aecusajao em termos se-
rios, acho-me desonerado de responder-lhe; mas I
para que a opinio publica se nao illu.la em seu
J
Alfandega
, Kenri 1 ment do dia 1 a 5......... 119:9735351 O 2." coaerenlej Jos Thomoz de afanar.
dem do dia 7................. 15:1695437 Approvo. Alfandega de Pernambuco, 7 de
135:1425808
tfovlmento da alfandega
Volumeseatradoscomfazendas...
com gneros..
Voluraes sabidos
com fazenda.
com gneros
324
324
96
388
------ 484
Descarregam no dia 9 de Janeiro de 1865.
Barca ingleza Waeeletfarinha de trigo.
Barca inglezaTicklerdiversos gneros.
Barca iuglezaUnion -diversos gneros.
Brigue portuguezConstante ldiversos gneros.
Barra inglezaCorea diversos gneros.
Hiate nacional Novaesfarinha de trigo.
Lugre inglez Rothii -idem.
Galera franceza- TooAiw-salitre.
Importaeo.
Dngre inglez Rothy, entrado do Rio de Janeiro,
consignado a J. Pater & C, manifestou o se-
dezeeubro de 1864.A. Eulalto.
Conforme.-O 3. escrplHrano, Joao dos Santos
Porto.
itecebedorla de retinas interna
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia i 5......... 3:4595642
dem do da 7................. 8075172
4:2665814
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 5
dem do dia 7.......
28:834516o
7:3345341
juizo, cumpre-me desvanecer qualquer sombra que S"'1 :
possa pairar sobre o espirito de quem quer que *'000 saccss farinha de trigo ; aos mesmos.
Escuna nacional Elisa, entrada da Baha, raani-
seja
Approxmava-se o fim do anno de 1864 e tinha
cu de apreseniar o relalorio geral do estado de to-
das as obras em andam nto na provincia, como es-
lalue a le; Deste intuito, comecei por percorrer
as estradas, principiando pela da Victoria, o que
lz no da 13 do referido mez de dezembro nodo.
No da 11 estivo de volta a esta cidade, sendo
que appliijuei ledo o cuidado ao conhecimento do
eslado da eslrada.
No dia seguinie ao da minha chegada da Victo-
ria, apresentou-se na repartijo das obras publicas
o Sr. Dr. Jos Mamede Alves Ferreira, requerendo
festou oseguinte
Mercadorias estrangeiras.
42 canastras alhos; a Francisco Alves Monteiro
Jnior.
1 pipa lyrio florentino em p, a Meuron & C.
2 caixoes raercadorias a Manoel Joaquim R. e
Silva A Genros.
58 saceos farello ; a Luiz Jos da Silva Gomes.
1 caixa fazendas ; a Carneiro 4 Nogueira.
1 dita diversas mercaduras ; a Rabs Schmet-
tan & C.
14 latas banba, 200 garrafoes vazios, 280 ditos
a entrega provisoria dos lances 13, 14, 15 e 16 da e 2*0 frasqueiras genebra, 30 canastras alhos ; a
eslrada de Nazarelh ; respondi-lbe que nao poda
ter lugar aquella entrega inmediatamente, por que
achava-me canjado e nao podia ir logo examinar a
eslrada; mas que entretanto procurarla saber do
Sr. Dr. Leal se estara prompto a ir recbela, vis-
to j have-la examinado, e dado o seu parecer o
qual foi o seguinie : que aehava a estrada em bm
estado e e trabalho bem feilo, excepto urna curva
que o arrematante liaba fetto sem existir para ist!
motivo alguro ; e inoonlmente nandoa que o ar- dos ; Duarte Carvalho~[ C.
remtame flzesse desaparecer a dita curva. 50 saceos caf, 10 caixoes e l,0i caixinhas cha-
No da segrate, emendi-me com o Sr. Dr. Leal.' rutos, 83 fardos fumo, e 10 ditas fazenda de algo-
oqual me dlsse nao poder fazer aquella viagtm dao ' Iinr ociar ntiitA rutnnpiilq nn n... j:_._r_.. c '
Jos Vicente de Lima.
5 caixas e 6 fardos fazendas, 6 caixas e 52 far-
dos chitas e madapol5es ; a ordom.
Gneros nacionaes.
1 caixao com 3,000 charutos ; a Christiani.
1 dito com 5,000 ditos ; a Joao Keller.
2 ditos com 12,500; a Joao Baptista Gonjalves
Penna.
36:1685506
3 fardos panno de algodao. 2 dilos com 21,^50
por estar muito oceupado no seu districto.
Em taes circumstancias, respond ao Sr. Dr.
401 saceos caf, 380 caixinhas e 15 caixoes cha-
rutos, 100 betas e 229 feixes piassava, 2 lalhas, 1
dem.
Passageiros do vapor brasileiro Jaguanbe, sa-
bido para os portos do sul :
FranreMno A. da Silva Tavares, Leonel Moraes
aniiago, Antonio Carlos Pereira de (largos Punce
de Lefio e f criado, Joaquim Ignacio Pereira J-
nior, D. Angeleca Prlsca de Almeida, Joaquim Jos
de Oliveira Jnior, Antonio Brasileiro de Oliveira,
Joaquim da Prota Vasconcellos, Welhelm Deffren,
Aahocho Antonio Alves Ribeioo, Pedro da Silva
Brando, 1 irmia e 2 escravos, Francisco de Albu-
querque Rodrigues, Francisco Munlz da Costa.
Obituario bo cbmitbrio publico ko da 5 ne
JANEIRO DR 1865.
Urna menina encontrada na porta da groja da Pe-
nha, 15 das, S. Jos.
Maria do Carmo Bubom Mavignier, Pernambuco,
* annos, viuva, Pojo da Panella, phthysica pul-
monar. "
^m&te**"*'4 mezes'eMravo' Boa'Vl'8'
Jos Pedro Menino. Pernambuco, 23 annos, sol-
te.ro Boa-VUia tubrculos pulmonares.
Mathildes Eafrosln de Araujo Lima, Pernambaco,
Eiportaco.
Brigue inglez .-t/md.carregou para Liverpool :
1,202 saceos com 6,21* arrobas e 13 libras de
algodao.
Brigne sueco Activo, carregou para o Canal :
3,920 saceos com 19,600 arrobas de assucar
fazer a entrega provisoria.
No dia 19, pelas 5 horas da larde part jara Na-
zareth, sendo que durante o meu trajelo aprovel-
lei o ensejo para marrar um empedramento, rrae
se esta fazendo na estrad. de Po-d'Alho. Achan-
dose a nmte ji bastante adiantada e querendo eu
examinar com miudeza os laojos da eslrada do
contrato fcamede e por conseguiute velos durante mtacavado.
Ldahnre,r.alteLen? Pod,A,h.nodia seguinte; Barca ingleza Look 0*1, carregou para Uver-
as 3 horas da madrugada segu para Tracunhem. pool : ^ ^
Serum 8 horas pouco mais ou menos da manhaa, | 2,000 saceos com 10,000 arrobas de assucar mas-
quando entre, na estrada do contrato ; flz parar o cavado e 1,099 saceos com 5,689 arrobas e 13 li-
carro em que la, desci e examine! a estrada com bras dealiiodo.
SuhSS^ m,aDdando cavar D? I.g: Barca ingleza Bittheston, carregou para Lver-
onde havia empedramento, para ver se existia urna pool :
carnada de pedra da espessura marcada no con-1 984 saceos com 5,189 arrobas e 16 libra de ni-
trato, e examinando se as pedras do borde tinham godo.
as dimensoes exigidas e se estavam bastante en-1 Barca Insleza Constance, carregou para Livor-
terradas. Nos lugares, onde n3o existia calcamen-! pool por Macei :
i0' 2S2tZL '. naIIftHMd4 ba< ,'U;,lida(le. *8"! *. caceos com 8,000 arrobas de assucar mas-
os vallos tinham a proundidade exigida, se os la- cavado.
ludes estavam em bom esudo e se a largura da! BarcaingleaEndymun, carregou para Livor-
estrada era justamente a marcada no contrato ; flz pool por Macei
algumas observaj5eS que foram lego attendidas | 3,500 saceos com 17,500 arrobas de assucar
Eraflm, cheguei a curva, de que tratara o enge-: mascavado.
nheiro Sr. Leal, examioei-a e vi que o arrematante ] ____
tinha cortado a curva intil, que tlnha sido at en- ALFANDEGA DE PERNAMBUCO,
to a onica razao apresenlada para-o nio recebi- AtTA dos prejo dos gknkros sujkitos a di'reitom
ment da estrada. exportajao.sbuana de 9 a 14 do miz de u-
A'slOpara 11 horas chegava eu a cidade de. zembro de 1864.
Nazarelh, e as 3 da tarde part de novo para esta I Mercadorias. Unidades. Valores,
cidade, onde cheguei no da seguinie s 9 horas' Abanos. .......cento 15500
<*- PRAQA DO RECIFE
7 DE JtMIitl) BE ISfi...
AS TRES HOKAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio........Saccou-se sobre Londres a 27
3/8. d. por 15000; sobre Pars a
ISO rs. por fr., e sobre Lisboa a
675 por Mj B.
Algodao........Vndeu-se o de Pernambuco de
235000 a 235200 por arroba,
o de Macei, posto a bordo, de
245000 a 25506, e o da Para-
hyha, da mesma sorte, de 255500
a 265.
Assucar........O de Pernambuco vendea-se da
35300 a 35600 por (), o somenos
de 25800 a 35000 ; mascavado
purgado de 25200 a 25-00, e o
bruto de 15800 a 25000.
Arroz.........O pilado da India vendeu-se
a 25600 por arroba, e o do Ma-
ranho de 400 a 35000.
Aseite doce.....Vendeu-se o de Lisboa a 25300
o galn.
Bacainie.......Vendeu-se cm atacado a 165200
por barrica, e a retalho de r.'s
155800 a 175000 ; ficando em
deposito 3.000 barricat.
Batatas........Venderam-se a 15700 rs. o gigo.
Bolachinha...... Vendeu-se a 45500 a barriqui-
nha.
Caf...........Vendeu-se de 65500 a 75500 a
arroba.
Cha............ dem de 25000 a 25300 a libra.
Carne secca.....A do Rio-Grande do Sul vendeu-
se de 500 rs. a 35900 por arro-
ba, Arando em deposito 2,0 ar-
robas, e a do Rio da Prata de
350O a 35600,' (cando em de-
posito 30,000 arrobas.
Cerveja.........dem de 55500 a 65000 a duzia
de garrafas.
Louca..........A ingleza ordinaria vendea-se
com 320 por cento de premio so-
bre a factura.
Mantega.......A ingleza vendeu-se de 800 a
820 rs. a libra, e a franceza de
590 a 600 rs. a dita.
Passas.. >......Vendeu-se a 65000 a caixa.
Queijos.........Os flamengos vendram-se a
352OO cada um.
Sabao..........O inglez vendeu-se a 140 a libra,
e o do Mediterrneo a 260 rs, a
dita.
Toucinbo.......Vendeu-se o de Lisboa de 85900
a 85200 por arroba.
V'nagre........O de Portugal vendeu-se do 1085
a 1155 apipa.
Vinnos.........Os do Lisboa venderam-se de
1805000 a 2005000 a pipa, e os
de outros paizes a 1905.
y^lis..........As de compesljo venderams
a 540 rs. o paco te de 6 velas.
Descoatos.......O rebata de leltras regulou de
10 a 12 por cento ao anno.
MOVIMENTO BO PORTO.
Nao houve obluarlo.
(onslailo provincial.
Pela mesa doconsuado provincial se faz publi-
co que no da 10 do corrente se principiara a con-
tar os 30 dias uteis marrados para a cobranja a
bocea do cofre do anno flnanreiro vigente dos ira-
postos de 4 Ojo sobre casas eat qne se acharen
esiabeleclmentos de commercio fra da cidade do
Hecife, prensas de algodao, lypographias, eochei-,
ras, botequins, botis, casas de pasto, cavallarites
e fabricas, de 8 Off) sobre consultorios mdicos e
clrurgicos, cartorios e eserptorios, da 20 iO sobre
estabeleeimentos de commercio em gresst e a re-
talho, armazeBS de recolher, e os trapiches, de
505 por casa de bilhar e modas, de 1005 por casa
que vender roupa feita no eslrangairo, de compra
e venda de escravos, de corretores commerciaes e
agentes de leilao, de 1:0005 sobre casas de opera-
jdVs bancarias com emisso e previlegios, de 6005
pelas ditas com emissaoe sem previlegios, de 4005
pelas ditas sem emisso, cnmpanhias afuraymas e
agencias, de 2005 petas casas de cambio, de 305
pelos escwvos empregados no servrjo de alvaren-
gas, ue 15 por tonelada de al va renga e canoas
abenas, de 205 por cada bote ou saveiro, de 305
por cada balieira, de 105 por escravo gaahador ou
empregado em serrijo de transporte ou em arma-
zens, de 105 por cavado de sella de aloguel, de
65 por cavallo particular, de 5 0|0 pela vtnda de
capim e o imposto de carros, carnjas e omnibns,
e tambem o I* semestre 00 de 20 0|0 do consumo
de agurdente das freguezias desta cidade e das
A rogados, S. Lourenjo, Santo Amaro de Jabeato,
Muribeca e Varzea, lcando snjeitos a multa de 6
OO sobre os seus dbitos depois de findo o dito
praso.
Mesa do consolado provincial de Pernambuco
7 de Janeiro de 1865.
Antonio Carneiro Machodo Rios.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda desta provincia, manda fazer publico a todo*
os habitantes da mesma provincia, qoe em virtude
da circular do tribunal do thesouro n. 55 de 22 do
dezembro do anno passado, achase abena na
mesma thesouraria a substitojo das notas de
55000 da 4.' estampa, e que em tempo convenien-
te se annunciar o dia em que deve principiar o
descont mensal de 10 por cento no valor das no-
tas que al ento nao tiverem sido substituidas.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco, 7 de Janeiro de 1865.
Servindo de offirial-maior
% Manoel Jos Pinto.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda manda fazer publico a todos os habitantes
desta provincia, que em virtude da circular do
thesouro n. 56 de 23 de dezembro do anno prxi-
mo passsdo, flea prorogado at o fim de abril fu-
turo o praso marcado para a sobstituijao das no-
tas de 2OO50OO da 2.- e 3.- estampas, devendo co-
mejar do 1." de maio em dianle o descont na
forma dalej.
Secretara da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco, em 7 de Janeiro de 1865.
Servindo de ofllcial-maior
Manoel Jos Pinto.
CORREIO.
Ptla administrajo do correio desta cidade se
faz puqlico que de conformidade com o decreto
n. 187 de 13 de maio de 1861 e respectivas ins-
trejes, teve boje lugar o processo da abertura
das cartas alrazadas pertencentes ao mez de de-
dezembro de 1863, condemnadas a consumo pele-
an. 138 do regulameDto dos rorreios de 21 de de-
zembro de 844, assislindo a este processo o com-
merciante Victorino Jos Monteiio. Desta aber-
tura resultou achar-se urna rana de Primo Pache-
co Borges da Parahiba para Manoel Antonio de
Carvalho e Silva, contendo duas letras, serde tima
da quantia de 4:1165 e outra de 1:5575500 ts.,
que litam desrrip.as em o livro para este fim des-
tinado. Por ultimo procedeu-se as queimas de
todas as mais cartas de que se lavrou o respectivo
termo que e o que se segu.
Correio de Pernambuco 4 da Janeiro de 1865.
O administrador e thrsoureiro
Domingos dos Sassos Miranda.
Termo de consumo das cartas em ser do mez de
dezembro de 1863.
Aos 4 dias do mez de Janeiro de 1865 na sala
da administrajo achandu-se presente o Sr. admi-
nisirador e thesouieiro Domingos dos Passos Mi-
randa, e mais rmpregdos, procedeu se em virtu-
de do art. 138 do rcaulamento dos correio de 21
de dezembro de 1844 o consumo de 258 cartas e
21 jornaes sendo 106 selladas e 152 e 21 jurnaes
nao sellados., ludo na importancia de 235628 rs.
que tica nesia data descarregada ao mesmo Sr.
administrador e ihesoureiro.
E para constar se lavrou o presente termo em
que assigaaram o referido Sr. administrador e
thesoureipo e empregados abaixo declarados. E
eu Eduardo Firmino da Silva, ajudante contador
o escrevi.
O administoador e tbesoureiro
Domingos dos Passos Miranda.
Offlciaes papelistas
Luix de Franja de Oliveira Lima.
Ismael Ama vel Gomes da Silva.
Vicente Ferreira da Porciuocula.
Praticanle
Agnello Heraclio de A. Pernambuco
Porteiro
Manoel Mannbo do Souza. Vianna.
Capitana do Porto de Pernambaco 31 de dexm-
bro de 1S6-1.
Em vista das circumstancias melindrosas em
que se acha o paiz, sendo necessario que todos o
brasileiros concorram para a sustentaco dos brios
e digoidade nacionaes, eonipromettidos sa guerra
com as repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
o-lllm. Sr. capito do Porto, em virtude do <,ne Iba
foi recommendado por S. Exc. o Sr. ministro e se-
cretariode estado dos ncgcios da marinha, con* '
vidar nao s aos matriculados, como a lodos os
cidados que se queiram alistar na qualidade de
voluntarios para a armada, a se aprsenlarem nes-
ta capitana nos dias uteis das 9 is 3 1|2 horas da
tarde.O secretario da capitana,
Decio de Aquino Fonseca.
Rfparlito das nns publicas.
Pela repartijo das obras publicas se annuncia
que no dia 9 do corrente vai em praja todas as
madeiras velhas que existem nas proximidades da
ponte provisoria e as do antigo telheiro do Gvm-
nasio.
Repartijo das obras publicas, 4 de Janeiro de
I8OO.
Osecrelario interino,
Manoel Lourenco de Mattos.


f
m
Diario de ternndibm-0 egnnda Ift* 11 wir* t H *3
-* **-
3
U* ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda se faz publico, que do dia I i do cor-
rente mez, a 1 hora da tarde, perantd a junta da
mesma thesouraria estar em basta put-lica, para
ser arrematada quem por menos flzer a obra de
um na<|ueao lanco do caes qoe lem do li?ar o en-
contr da ponte de ferro do Recife ao caes do
Fasseio Publico. O ornamento e rondicSes serao
mostrados na mesim thesonnria aos pretenden
tes. As pessoas, a qu-m convier a sdbredita ar-
rematacao devero comparecer na sobredita the-
souraria no dia e hora indicados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, em 4 de Janeiro de 1863.
Servlndo de offleial maior,
Manoel Jos Pinto.
MISOS MARTIMOS.
Para Rio de Janeiro
pretende seguir al o dia U do corrate a birca
Rio dj Janiin, 4 recebe escravos a frele e carga
miada tratase com os seus consignatarios An-
UaioLuiz de Oliveira Azevedo 4 C, no seues-
cnptorio ra da Cruz n. 1._____________
Brigue Marques de Olinda.
VVnde ueste porto, onde pode ser examinado pelos pre-
tenfr-ntes : irata-se no escTlptorio de Manoel Ig-
nacio de O.iveira & Filho, largo do Urpo Santo
n. 19.______________.____________
COMPANHl i PSRNAMBUCANA
DE
Vavegaeio costelra a vapor.
liba de Fernando.
No dia 14 do corrente ao meio
dia sahir para o porto cima
indicado um dos vapores desta
ompanliia. Recebe carga somen-
__Pie at o dia 13; encomiendas,
passageiros t juiheiro a frete at as 10 horas da
uvtuhVs d> dia da sabida : escriptorio no Forte do
Mallos n. t.________________________________
COMPANH1A PERNAMBUCANA
M
favegacS coatelr* a vapor.
Aracaj e es-alas.
No da 14 do corrente as 5 ho-
ras da tarde sahir para os portas
cima mencionados o vapor Pa-
'rahyha, commandanle Martins.
PRecebe carga somonte at o dia
13 : eneom.neodas, passageiros e dtnheiro a frete
al as 2 horase do dia da sahida : escriptonono
Forte do Maltes n. 1.___________________
Leilo de 36 calas com cha da
india
Terca-fyira 10 do corrente.
0 agente Pestaa far leilio de 38 caixas com
superior cha da tnlia chegalo ltimamente cm
um oa mais lotes : terca-feira 10 do corrente pe-
las 10 horas da manhaa na porta do armazem do
Annes.___________________________________
L,ellSo de feljio mulatlnho.
Martins far leilo de 23 saceos com feijo mu-
latinho : na terca-feira ti do corrente as 11 horas
no armazem do Anoes defronte da alfaudega.
Leilo de carne secca.
Quarta-feira 11 do corrente.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filhos farlo leilo
porconta o risco de qu^m pertencer do porfi de
carne seca vinda do Rto Grande no patacho aVia-
nSo robas para cima a bordo do mesmo patacho :
quarta-feira 11 do corrente as 10 horas da ma-
nhaa.
Aos Srs sais de familia
Faz ver o abaixo assignado, professor da se-1
cunda eadeira publica primaria da freguezia d
Santo Antonio do Recife, que os trabamos lectivos
da escola a sen cargo comegam no dia 7 do cor- j
rento mez dejanelro. O mesrao, devidamente ti-
tulado pela directora jreral dos estudos, continua
a (accionar na casa de sua residencia o laiim e o,
francez, e por casas particulares nao s essas duas
lingnas, mas aindaas arimeiras lettras, ensillando
todas as materias que constitua o extinrto se-
cundo prio, e comprometiendo se a dar o almnno
fallandoe escreveBdo o francez, assim He (lude
e tenha costo. As pessoas que de seu prest mo
se quizerem utilisar eodem procura-lo ra da
Palma 23.
_____________Joao Jos Rodrigues.
Era Olinda
no caes da Varadouro, taberna n. 17, aprompta-se
almoco e jantar para pessoas di^tinctas ou familias
que vo passear mesma cidade.________
Aluga-se um sobradinho de um andar, na na
dos Copiares, de n. 1, e a loja do sobrado n. 3 da
mesma ra : a fallar com Jos Das da Silva, rta
ra do Imperador, sobrado n *, entrada pela de
S. Francisco.________________________________
No lostiluto do Bom Conselho precisa-se de
! urna pessoa que d fiador a sua conducta para
j exercer as funecoes de porteiro : a tratar com o
! director no mesmo estabelecimento.____________
CRIADO.
Precisa-se de um cralo e que saiba tratar de
parl*da'priTneTralotera callos, rua da Cnu n. 6.----------------------------
(i1) a beneficio do hospital Pedro II, pa-1 Atten$lO.
ra canalisafo d'agoa e gar, no consistorio; 0s abaixo assgnados pedem a quem quer que
da Teta di! Nossa Senkora do Rosario da Ihes tirou urnas cartas do crrelo, entre as quaes
freoie/ia de Santo Antonio i "ma no valor de l6* do, Srs- Manoel Jo'. L?p,is
lregue a ue sanio a non o da Silva* Sohrinhos negociantes na capital da
Os brinetes, meios e quartos estao a ven- Ba|i remettida, um do; derta praca oue mes
da Ba respectiva thesouraria a ra do vpnna entregar em sua casa na ra do Socego n.
Crespo n. 15. | 26, como lambem previnem a qualquer negocian-1
Os nremins da 6-0005000 at IOiSOOO tea quem for apresentada esta ordem, que nie a
US premios oa ***>**'w "'"._?. pague e no caso de ter recebido participado, que
serao pagos urna hora depois da extraccao ^aacie por esle jorDal> Reclfe 5 de Janeiro de
AVISOS DIVERSOS.
Aos 6:00s0O0.
Corre amanha.
Tercafeira 10 do corrente mez,
se ex-
trahir a segunda
186S.
at s ~4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuicodas listas.
As encommendas sero guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccao
como de costumo.
0 thesoureiro,
. r. i j. e^n^o ma cousa de pharmana
Antonio Jos Rodrigues de Sooza j bug n ,,
O SrTntonio Jos Marques. en urna carta t
na prac.a da Independencia n. 6 e 8._______ .
Benj>min Al ves de Carvalho.
Bemvenuto AI ves de Carvalho.
na ra das
Precisa-se alugar um moleque
Larangeiras n. 10, hotel._________________
Precisa-se de m raixeiro que cnlenda alga]
na botica da ra do Ca
O Sr. J. J. de Soiiza Serrano tem urna car.
ne ta typocraphia. ____________
O saucuo "el*aTcap" re!eTde seguir atJNOSSa SCIlllOra dO MOtO de
o da 10 do corrente, s recebe carga miuda e es-,
crav-; a treta, pira os quaes tem callentes com-
m 11 k : trala-se com os seus consignatarios An-, g Exr 0 Sr D aDbade de S. Bento, de accor lo (vil
lomo L'iii 4e Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz 11.1. ________
01m com o abaixo assignado, deixaram de fazer a fes-
em sua igreja, no
O preposto Jos Izidoro Martins tem o seu et>
; criptono a ma da Cadeia n. 9, onde pode ser pro-
\ curado das 9 horas da manhaa s 3 da tarde.
~0Hkiacs de alfa ate e costarcira.
Na ra da Cadeia do Recife n. 11 primeiro andar.
' preciza-se de offlciaes de allaiate e costuris.__
Precisa-se de um criado no Gymnasio Pro-
vincial. ______.___
senho-
Para o Para pretende seguir em poucos dia
opalhabote Dous Amigos ; para pouca carga que
Ihe falla, trata se com os seus cousignalai ius An-
tonio Luiz ie Oliveira Azevedo & C, no seu es-
cJ'.iurio ra da Cruz n. 1.
Para o Porto.
A bem conhecida e veleira barca porlugueza S.
JfiMd l, capitao P*r Jo< da Rosa, pretende
saifUir at o da 10 Janeiro : para o resto da
carga na cjinmodos. trata-se cm os consignatarios M. J.
livii e Silva ,S[ Genros, no seu escriptorio, ra
d) Vigario n. II, primeiro ailar.______________
~Para Lisboa
pretende seguir com brevidule o brigue portuguez
Soberano por ter quasi lo lo seu carregamenlo
prstilo : para o resto que Ihe Taita (300 saceos
om Msoear ou seu equivalente) e passageiros,
aos quaos olerece oons commodos, trata-sc com o
capital na praca, ou com o consignatario T.de
A|.in> Fonsoca Jnior, na travessa da Madre ee
i)a>s n. S, primeiro andar._____________________
^ara o Rio de Janeiro
pretende seguir com mulla brevidade o brigue es-
cuna N3e Sei, tem parle do seu carregamenle
pronpto : para o resto que Ihe falla e escravos a
frete, para os _quaes tem exeellentes commodos,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
pa Cruz n. 1.
Para a Baha
Pretende seguir com brevidade a sumaca flor-
teneia, tem parte de seu carregamento prompto
pira o resto que Ihe falta trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
Corta-se ecoze-se com perfeieo para
ta d'aquella Senliora em sua igreja.no dia por |ras e m(Bnas e principalmente para noivas, quai-
coslume marcado, em virlude de se adiar cm rui- qUer eS|,ecie de costuras, por preoo commodo :
na a coberta da mesma igreja, e altares, visto sua Da rua oireila sobrado n. 4, segundo andar.
autiguidade, a ponto de ameacar desabamento,; ----------i__i._aTirImarla
sendo concordes em o dia 13 do corrente. solemni-, Insll liceao Ii im.iria.
sala com toda a decencia possivel com urna missa Tertuliano Lrnes o de Manes Carvalho, pioles-
cantada eflrando o mesmo templo aberto at a sor de instruccao dementar, participa aos pas de
noite, para os IHs devotos, que o quizerem visi-
tar; e depois deste dia tratarem de arrear a velha
coberta, para ser substituida por outra, e, promp-
ta que seja. S. Exc. o Sr. D. abbade designara o
da que deve ter lugar a festa como de costume
rom toda a pompa e explendor.
O ahaixo assignado, antes desta concordata com
S. Exc. o Sr. O. ahhade, que foi a 27 do prximo
passado mez, ja liavia apresentado a eleicao dos
juizes e juizas para saber qual suas esmolas ; sen-
do-ilie declarado pelo Sr juiz Jao Mana de Albu-
querque Oliveira 1003000, a Illma. Sra. juiza D.
Maria Felismioa do llego Cosa 1505000, a Illma.
6r* juiza por devogao D. Anna Izabel da Co.-ta
1005000 e a Illma. Sra. escriva D. Francisca Ca-
rolina Pontes Tasso 6003000, cujas esmollas nao
PDtraram na despeta da coberta da igreja; assim
icario reservadas para a festa, lendo o abaixo as-
signado feito constar a S. Exc. o Sr. D. abbade as
referidas esmollas por elle obtidas, d.veudo tirar
ilellas o quanto for preciso para a missa do dia
lo.
Becife, 10 de Janeiro de 1865.
O juiz perpetuo
3/(iiio--/ tu: _____
_ Jos Soares d Azevedo, professor de lingua
Para Lisboa
seu alumnos que sua aula achar-se-ha aberta no
dia 7 de Janeiro, na rua de Hurtas sobrado n. 106.
Aluga-se o primeiro e segundo andares da
casa da ruado Nogueira n. 19, para ver a chaves
acha-se na milo do morador da loja da mesma ca-
sa, e para tratar na rua da Cadeia n. 26, esquina
do Becco Largo escriptorio. ________^^
Precisa-se de. urna ama de
a tratar na rua da Cadeia n, [li
da Seozala Nova n. 4.
leile sem filho :
ou na refJuacao
O padre Joaquim Mancio Maciol avisa aos
**rs. paesde seus alumnos o a quem mais con-
vier, que jase arha aberta a sua aula de latim na
mesma casa da rua Nova n. 6, segundo andar.
;yisiu;i.io Provincial.
Bodia 16 de Janeiro em diante, estarao abor-
tas as matriculas das seguintes aulas do Gymnasio
Provincial: prim-iras letras, latim, francez, In-
gle/., grego allemao, mathemaliea, geographia u
historia, cloquencia e potica, philosophia, lingua
e litteratura nacional, scicnciaa oaturaes c/iiiisica.
Ncsse estadelecimenlo mediante a mdica quan-
tia de 13 diarios lem os alumnos internos foupa
lavada e eogommada, medico, botica, barbeuo,
01, penna, papel, tinta e creados para o servico.
ta e os externos 153 por trimestre, podondq ire-
quentaras aulas que quizerem.
O secreiario, Cabral.
O veleiro e bem conhecido brigue portuguez
Cincfirao de Murta, capilo Januario Jos de Oli-
vara, pretende seguir com muita brevidade, lem
parte de seu carregamento prompto 5 para o resto
que Ihe falta trata-se com os seus consignatarios
Amonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
riptorio rua da Cruz n. 1.___________________
Para Lisboa
pretende sahir com a possivel brevidade o brigue
poriu^uez Relmpago, para o que tem grande par-
le, dac/irga (ralada : para o resto e passageiros, a
quem offereee aceiados commodos, trala-se com o
consignatario T. de Aquino Fonseca, rua do Viga-
rio n. 19, primeiro andar.
Para Usboa
siliir neste.s dias o muito conhecido brigue por-
tuaiez Constante, de primeira marcha, pnr ter
prompto quasi todo o seu carregamento, recebe
ainli alguma pouca carga que Ihe falta, e passa-
jteiros : trata.se no escriptorio de Manoel Ignacio
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo n. 19,
ou com o capitao a bordo.
PARA'.
O palhabote nacional Noi-aes segu breve para
aquello porto pir t-r parte do carregamento prorn-
pto : para o resto trata-se com os consignatarios
Saranes, Barros & C, largo do Corpo Santo n. 6.
Para a Bahia pretende sahir em poucos dias
a veleira escuna Elisa, capitao Belmiro Baptista
e Souza, lem a maior parte da carga tratada, para
o pouco que Ihe falta trata-se com os consignata-
rios Palmera & Beltrao, largo do Corpo Santo n. 4,
primeiro andar.
e lilleratura nacional 110 Gymnasio Provincial do o* meios-pension'istas pagam melado dessa quan-
llecife, tem aberto em sua casa, rua Bella n. 7,
um curso especial para cada urna das segnintes
materias:
Lingua franceza,
Geographia e historia,
Philosophia nacional e moral,
Bhetorica e potica.
As
deta. _
sidencia. de manhaa at as 9 horas, e de tarde a
qualquer hora.
nneiorica e pnica.
5 pessoas que desojaren) frequentar qualquer
18 disciplinas, podem dirigir-se Indicada re-
Prevencao.
Tendo na manha do dia 6 do corrente ama-
nhecido amurada a janella do oito da casa da
residenciada viuva do fallecido jos Domingues
Pimenta na estrada nova do Caxang, conseguio
o ladrao arrombar urna eommoda que se achava
na sala de onde levaram os objectos de onro e
O abaixo assignado scienliQea ao resp corpo do commercio desta pra?a qoe lem admiiti
do como interessado de sua casa commercial o
seu caixeiro Vicente Cnelho de Magalhiiesj pelo
que d Io do corrente passou a mesma a gyrar
sob a ratao de Fraucsco Alvos Monleiro Juior &
Companhia.
Francisco Alves Montelro Jnior.
I ndein o Isadora.
A direccao da companhia de seguros maiiitimos
Indemnisadoracouvoca os Srs. accionistas a
reunir-se em assembla geral, no escriptojio da
mesma companhia no dia 9 do correle ao meio
dia, alim de se uilimarem os irabalhos adiados na
prata abaixo declarado, pedindo-se a qualqner pes-! sesso de boje. Recife 5 de Janeiro de 1863.
Porto por Lisboa.
Pretende seguir cora brevidade a muito veleira
barca portugueza Corea, por ter grande parte da
arga engajada, paro' o resto e passageiros aos
qii'.s oflereee 01 melhores commodos: trata-se
ora o consignatario T. de Aquioo fonseca Jnior
m travessa da Madre de Dos n. 3, primeiro
dar.ou com o capitao na praca.
soa a quem forem offerecidos ditos objectos o fa
vor de os apprehender, alim de que se proceda
conforme a lei ao autor de dito roubo, gratifieaii-
se generosamente a quem tambem possa des-
cubrir.
Relacao.
1 cruz de ouro cravada" de diamantes modelo
de medalha obra antiga e de valor, 1 m edinha
de ouro de 53 com aro, 1 botao de peito de cami-
sa com um diamante no meio o esmaltada de ver-
de claro, 1 par de rozetas pequeas lisas, 1 anel
pequeo lavrado, 1 par de boloes de punho pe-
queos, 1 cruz de onro pe mena de um rosario, 1
cruxifixo pequeo quebrado, 1 imagem pequea
de S. Braz, I saudade de prata cravada de ru-
bins, 1 cora de praia tamanho regular de Nossa
Senhora, 3 resplcndoresde prata com pedra bran-
ca no meio sendo do medelo de croxifixo.
Os directores,
Miguel J>s Alves.
Joao "da Silva Regadas.
Francisco Joao de Barrofr.__
O Sr. Francisco J._F. Guimaraes, qtira d e
rijir-se a praca da Independecia n. 6 e 8, jque se
Ihe deseja fallar.
Joaquim Jos de Sant'Anna Barros edm nula
particular de instruccao primaria, na rua 1 la Cruz
n. 31, primeiro andar, participa nao s ao; Illms.
Srs. pais de seus alumnos, como ao respeitivel pn-
blico, que abre sua aula no dia 9 de janeii o cor-
rate. ____
Precisa-sede um caixeiro para um elngenho
distante desta pra?a quatro legnas, que sai 1a ler e
escrever : a tratar na rua de Horlas n. 92.
Agora que a impigdado parece querer alear o
eolio orgulhosae audaz, e que os malvados, para
conseguir seas nefandos Bns, se tem valido de
quantes impressos ha, at mesmo da sagrada bi-
blia, j falsicando-a edistribuindo-a assim (al>-
J. H. Dieraoer, sniso. vai para o norjle.
Precisase de um copeiro : na rua 'da Au-
rora n. 50.
FeUor.
Precisase de um hornero para tratar de um pe-
an-
LEIL6ES.
Leilo de diflerentes objeetos
de ehaperla e dividas activas
da loja deehapos da rna da
cadeia n. 46
Terca-feira 10 de Janeiro.
O agente Pinto far leilo a requerimiento de
Joaquim Luiz Veira e por despacho do Illin Sr.
Or. juiz especial do commorcio, de orna Qpreao de
chapeos e objectos de chapelaria, aspira como as
divids activas da extinrta HrmavinvaVieira &C,
rila da CnAea n. *, onde se effectoar o leilSo s
10 horas do dia sepradito, podendo os pretendentrs
all etaminarem os ditos objectos, e em poder do
asjente encontraraoa relaeo das dividas.
Letio de Importantes dividas.
Mirtins levar novamente a leilo por despacho
do IUsl Sr Dr. juiz especial do cominercio, as di-
\d., activas da inassa fallida de J laquim Vieira
Coellio&O. na importancia de 81:6615324 rs.,
sendo 50:5813963 eraconta de livro e 31:0793359
rs. em letras.
Terc.a-feira 11 do cerrente.
Era sen escriptorio rua da Cadeia do Recife n.
9; as 11 horas do dia.
cimento da nossa santa religio, e de concorrer
com o meu fraco, mas muito sincero coutingente
para esse to elevado lim. Neste intuito, enten-
dendo que presto lgum servido causa desta
mesma religio, com a reimpreso da viaqem ie
um peregrino Jerusalem, e visita que fez aos lu-
gares santos em 1817 Fr, ioao de Jess Chruto,
O tachigrapho C. Falcao acha-se de volla
esta cdade, e reside na rua Imperial n, 25, pri-
meiro andar.
Mudanza.
Manoel Ferrera Pinto Malheiro mudon a sua
tnvicto filho de Seraphico, patriarcha S. francisco, ,oja deourives da raa das Wangeiras para
tenho resolvidopur no prelo esta obra, e prejendo ^Jdr,K.,.-, n 9 r nnrf enera enntinnar a
a roa
' d Cabug n. 2 B, onde espera continuar a mere-
cer a eonflanca de seus amigos, e do publico n
fazer a reimpressao da maneira seguinte :
primirei, 3,000 exemplar^s, desles serao destina- .
dos 1,008 para todas as pessoas de um e outro se- er*""
xo, que com documento legal dos seus reverendos : prepjsa.se a|Ugar urna preta ou prelo para
parochos se me apresentarem, e a cada urna das c,rreear faiendas: na rua do Hospicio a. 62.
quas eatregarei gratis um exemplar em brorhu-1 ___________
ra ; 2,000 sero reimpressos mediante assignalu-1 -ITjs_Ferrelra Alves tendo de ir tratar do sua
ras, para as quaes desde ja convido a populacao B__W| wn m ^ ubern ( no Forte do MatU)Si de.
dos
; 2,000 serao reimpressos mediante assignam- Jo7~Ferr6lra Alves tendo de ir tratar do
s, para as quaes desde ja convido a Populmao d vende a sua taberna no Forte do Mallos,
s fle.s, e de. todos solicito e espere e.valiosocon- ;raU0t,lee'^,rapifihe do Sr. Qunha.
curso, na razo de 13 rada exemplar. Noposso
prescindir, porm, de rogar o pagamento adianta-
do de cada assignatura, sm o que nao n>e ser
permittido effectuar es9a reimpressao e conseguir
presentar ao puDlico nma ediijo, ja em si mes-
ma grande e dispendiosa. Paia os que nao assig-
narem, o prego de cada exemplar venda ser
determinado na occasio.
Nao sei qual ser o resultado dos meus esfor-
gis, mas seja qual for, de Daos espero a recom-
pensa.Francisco Coelho de Sinn5es Silva.
Vil V DE LttITi;
Precisa-se de urna ama que tenha bom leile
para amamentar um recem-nascido, agradando
paga-se bem : a tratar no largo do Corpo Santo
numero 19.
piche
Umamulher viuva se offereee para o servico
interno de casa de komem solteiro ou de pouca
familia: na mi do Rangel n. 71. ^
Aluga-se urna escrava que cozinha e engom-
111a bem : na rua da Cadeia Nova, sobrado o. 13.
-^Aluga-se a loja~da rua da Penha n. 29 : a
fallar na ruada camboa do Carmo n. 8.
INJECTION BROU
PERFUMARA MEDICA HYGINICA
De J.-P. LAROZE, qumico, pharinaceutico de la Escola especial de Paria.
EiM> productos si o reiultad* da plicirio du ls di hyjisae i parfusaaria, que t argot t
tornue pharmacia da balltia, encarregada de provtr i higiene ila pelle, dos cabellos, dos deolas,
rglos lio importantes; eiitlo evita e destroe as causas das donfas que sua irinau nais vtihi,
pharmaeia propriiraente chamada, lem que curar.
nrlim para curar InealMtminle as
darw M raivaa de antu; o vldro 1 fr. 29
POS DBtmPRIOSOS OOR M ROSA eem hase de
Macauia, para branquur conservar os denles;
vidro...........1 fr. 24
OMATO DEMTiriUOIO para faftifieal as gengivas
evitar as nevralgias dentarias; o pol 1 fr. St
CK*TTVO DENTARIO para traUr es denles
cariados antee do ebumbamento. e vitar oa ab-
cessos e dores; o vidro com o instrumento a ir.
AGa leucodermina, para conservar a frescura
e ai funceaoe da pello; vidro S tr.
ESPIRITO DE ajnz REOTiriGADO. complemento
do aeeio da bocea despois de comer, e vidro 1 fr. 24
SABJaO LENITIVO MEPICiWAL, de vilela, anin Joa
asarga, bouquel, o pi.......2 fr.
ME BARO LEEITIVO MEDICINAL de
erais de ovos, para evitar as ftidas. frieiras_ ~
o
loeicas de pollo, d violeta, de bouquel, o pto 2 fr.
OREMB DE SA1O LEHITIVe MEDIOIMAL em
pia. Ella especial para a barba, o actio das
seahoras e das criancaa, o vidro.....2 fr.
AOVA LoaTRAL para conservar e eobellesar os
caballos, fortificar suas railes, o vidro. S fr.
Hiplitos m cada ctdade, em cata dos pharmaceutieos, perfumistas, cabelleireiros, Mgocianlea dt
modas e da aiendaj. Tarejo: Pharmacia Laroie, ru Neuve-des-PeUU-Champ, M.
lipedicoes: ea caza de J.-P. Laroze, rae det Lious-Saint-Paul, a'S, em Paris.
i{ a iiii I mvni <>\r ii HK Imtira fraitcti a.
OLEO DE AVELA PERTUHADO para remediar a
dureza dos cabellos e a sua atona, o vidro. 2 fr.
VINAGRE DE TOILETTE SUPERIOR pela ana
auavidade e sua accio refrscame, o vidro. 1 fr.
COLD CREAM SUPERIOR para conservar a palle
clara, fresca, ediaphaaa, e evitar os mjes efTeiles
do uso das cores, e pote......1 fr Si
AGUA BE COLOCWA SUPERIOR, com eu sem
mbar; perauneneia de seu perfume o faz bascar
para o tocador, baaos geraes e locaes, o vidro 1 fr.
PASTU.HAS ORZEETABS do Dr. Paul Clcment,
Sara tirar o e'ieir do tabuco o para modificar oa
allilos fortes; 1 e 2 fr. a caixa.
AGUA DE rLORES DE ALrAZEMA, cosmtico
bascado para tirar as comichees, forlilkar e re-
frescar cartoa orgtos, o vidro.....1 ir. 25
ESPIRITO DE HORTELAM SUPERPMO. Elle i O
aperfeifoamento indispensavel do aceio da bocea
depois de comer, o vidro. 1 fr. 24
POMMADA CONSERVADORA de quinina pura
para fortificar os esbeltos, os erobellezar e evitar
t encaneeimcnlo prematuro, o pota.. S fr.
XAROPE ^
DE CASCAS de LARAHJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
PbKEACIUTICO DA ESCOLA SUPERIOR DI PARS.
" Este nrope, regularisando as funecoes do estomago e intestinos, destroe essas
indisposie0e8 prateiformcs, e faz abortar as molestias de que so indicios precurso-
res. Mdicos e doentes tem reconhecido que restabelece as indigestos, fazendo
desapparecer os pesos de estomago, que calma as enxaquecas, espasmos, e eaimbras,
que sao resultado de digestdes penosas. Seu gosto agradavel e a facilidade com que
se suporta, o tem fcito adoptar como especilico infallivel das doencas nervosas,
gastritis, gastralgias, clicas de estomago e de entranluu, palpitacSes, dores de
coraco, vmitos nervosos; sua accao sobre as funecoes assimiladoras tal, que os
mdicos mais Ilustres o lem adopiade por rescipicntc real dos dous primeiros
agentes therapeuticos: o Iodureto de Potassa e o Proto-Iodureto de ferro, tendo
observado que debaixo de soa influencia, o primeiro perde sua acc3o irritante, e o
segundo seu cffeito adstringentc.
XAROPE DEPURATIVO
De cascas de laranjas amargas com Io-
dureto de potassa.
O iodureto de potassa, administrado em
solur.oo ou debaixo da forma solida, causa ao
docnte urna grande repugnancia, ou determina
accidentes que o fon.au i renunciar a esta
medicKo efliciz.
Unido porm ao Xarope de cascas de laran-
jas, elle nao causa nem gastralgias, nem per-
turbarlo do estomago e intestinos, e prai.-as a
esle salvaguarda, os tratamentos depurativos
s.io continuados sem isterrupcio, as adec-
enes escrofulosas, tuberculosas, cancerosas a
nos eounaarios e terciarias, mesmo reuma-
thismats, as quaes elle i o mais seguro espe-
cifico. A dose est definida de tal maneira
que o medico pode varial-a s tua vontade:
0 frasco: 4 fr. 50 c.
XAROPE FERRUGINOSO
De cascas de laranjas amargss com
proto-iodureto de ferro.
A associaco do sal ferro ao Xarope de cas-
cas de laranjas i tanto mais raciouaf quanto
que este xarope, empregado s, para estimu-
lar o apetite, activa a secrcrao do sueco g-
strico, c por fini regularisa as funecoes abdo-
minaes, neutraliza os mos efeilos dos ferru-
ginosos c dos ioduretos (peso de cabeca, pri-
sao dt ventre, dores epigstricas) em quanto
que facilita sua absorpco. Dissolvido no
Xarope, elle se toma e se supporta fcilmente,
por achar-se no estado puro mais assimilavel;
e assim pode continuar-se a cura da pallidtz,
eorrimenlos brancos, anemia, atfeci;des escro-
fulosas e racialismo:
0 frasco: 4 fr. 50 e.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE estao sempre em frascos especiaes
(nunca em meias garrafas nem em frascos redondos). Expedii;5es: em casa
J.-P. LAROZE, rae des Lions-Saint-Paul, 2, Paris.
tu
i >>
, V l H I
tf
U3
3 m I '' m
5r. -2b, '5,3- B'l ^
P**l?tr32l e> i* T -sw C-TS a zi
lia
_ t O.C3
0.3 O.S S
D
Cb
5S
O
o
!3%||SisL:| ll|fIMll|
3 O. O
&-* 2 =
S5
y. s *
3l
= S c ^ =-= n
o
9.

cTS
Vende-sc na rua do Imper;idor botica franceza n. :<8.
PIMAS CMUAUTiaS DE AVfrV
Estas pillas vegetaes sao a-
daptadas a todos os osos de um
purgante as familias, pois sao
'perfcilamente innocentes, e em
quanto milhares de pessoas con-
fessam com gralidao que foram
curadas por ellas de molestias
scTeras e perigosas;nio lia
um s caso em que liaja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
altestados que temos de cora*
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
Alocra rhronica do figaio.
Ii-uii. Sr-
Juiz de Fra, 17 Ae fevereiro de 18fii.
Tendo feito uso das pillas catharticafl
e Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecetido ha mais de doze annos eu-
fermidades do igado e bnc, coaa o uso
das pilulas posso Ihe assegurar que eslou
bom, pois ten lo desapparecido um grande
engorgitamento que soifria, militas dores
sobre a regio do (gado e costas, dores de
cabeca, inchaco do ventre, nao podendo
deitar-me senao ao lado direito, isso mej-
mo procurando posico para ter socege, bo-
je me acbo livre d'esse patlecimentn : come
por aqui anda as Dio baja, eu como teobt
este proprio que de casa, Ihe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o costo elle Ihe sa-
tisfar, assim bem como do champe d
cereja, que tive occasio de experimentar ;
em um ataque de guellas que U-ve urna
preta que com elle curei, faro uso d'elles
as iosses em mi tilia familia scmpie em
bom resultado, e por isso pie peno para
mandar alguns frasquinhns, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, 'porque leobt
feito uso d'ellas para uso da familia e a!-
gumas pessoas, todas teem tirado grande
resultado; soa
De V. S. atiento abrigado,
Francisco Fkhikika Pas.
Ulieumatisniu c ataques lUMrrbiiiaci.
Ii.i.m. Sn.
Ouro-l'reto, 30 de marro de I *'
Posso certilicar-lhe que as pilulas ca-
thailicas do Dr. ayer sao escelleiites. pois
que solTrendo eu dores pelo corpo, e qoe
suppunba ser riieumatistiso, (molestia esta
queja havia solrido ha anuos I < sulliend..
tambem de ataques hemoirlioiihos. r 4>:
um oovido, pois que al ji pomo ouvia, e
acompanbado de urna dor no queixo, con-
sultei a um dos nossos mdicos, e esle me
disse que devia fazer uso ta salsa : porm
lendo eu o atmanack do mesmo doutor,
comprei em sua casa um vidrinhc d is
mas pilulas e por minha conta prncipiei a
toma-las, e sem as linalisar arho-me s-in as
dores pelo corpo: e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemoirl..1i-
daes : portanto sao para niim as laes [ulu-
las as melhores que tenho experimentado :
isto em abono da rerdade. Son
De V. S.
Amigo corto, venerador e obrigado,
O brigadeiro
Jo.io HoDHtGt'K.s Fi:r de Carvaun*.
lastrile.
Ouro-Prelo, 2) de marco de I8fit.
Atteslo que tendo feito uso. aconsetliad*
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer.
iquei perfcilamente bom de urna gastrita
que soffria e que privava-me de an lar aper-
tado, boje felizmente nada sinlo.
Al'Gl'STO Gl'U.ATIMI IK )!lMO.
Falla de apetite.
Ouro-Preto. 2. i de fttweiro de |8f..
Sendo eu alTectado do ligado ha nimio*
annos, e ltimamente solTri falla de apetite.
hoje dou gracas a Deas por achar-ine .-
e perfeito com o uso das pitillas camaristas
do Dr. Ayer.
Antonio Bcsto Vieira.
f.ca.la,j vondendo-a, j conservando-a era seu fa||ar na Capunga nov, ultima
poder, o fornecendo a sua leitura a pessoas mex- ^ fc jacobina.
perientes ou ignorantes, e ja finalmente dando-a tai_'LL_L'----------------------------------j------
me^mo gratis, nao posso nem devo eu, que, gra-1 ABtonio da r-nseca, subdito portugujez, re-!
5as a Dees, disponho, lire de dividas, de urna ty- lira-se para o Rio de Janeiro.____________| !
pographia e de urna encadernaQo, deixar de,: D-sea quantiade OA pelo alunuel de urna ;
abrindo mo de urna parte do que Dos me deu, e ae.ompanliar o meu Exm. e Rvm. vigarlo capitu- casa de pequea familia : a tratar na rua dos |
lar em seus constantes ciforcos para o engrande- Quararapes, sobrado n. 18._____________
i Atteiicao.
Aluga-i-e a loja da casa n. 18 da praca da Boa-
[ Vista prupria para deposito de nadarla, taberna
ou outro qualquer estabelecimento por 20> men-
saes: a tratar no lim da rua estreita_do Hosario
' ao voltar pura o pateo do Carino n. 47.
NOVO
Constipar!), dores de rabera-
Ouro-Preto, 28 de minio de 1864.
Atteslo que achanJo-tne atacado de iioia
forte constipaco que trotue-me dores por
todo o corpo e na cabeca, solfri bormei
mente por espaco de quatro dias ; i12
um amigo aconselhou-me que tomasse pi
lulas atharticos do Dr. Ayer : com ellas fi.
quei sao e completamente restabellecidu em
tres dias, de sorte que estou no llirm-' pr
psito de aconselhar o aso das ditas punta -
P todas as pessoas que forem aHertadas de
^nsti pagues.
Agostinho Josk da Sii.va, MfOciaDle de l'..-
zendas. _____________
Irrilara do estomago.
Ouro-Prelo, 29 de mano de t80i.
Attesto e jure,.se tuewwirio tor, qae. -
frendo ha muito tempo excessiva inia.v
de estomago, pouco apetite e dillicil diue-
to, d'ella tenho experimentado sensiv.-i.
melhoras depois que tenho frito uso das pi
lulas calbarlicas do Dr Ayer.
Antonio sWMatBics Prnuama Rosa.
TINTURARA.
O tintureiro da rua do Rangel n. 38 a t*
sa aos seus freguezes que mudau sua ru-
side"cia para a rua Direita n. continua a lingir para qualqner |c6r e o
mais barato possiTel.
pprovnia por variis Academias e alian
lummidadct medicas.
O qc otcasiona ero g'ral ai molclios abaixo
designadas a csla^.nnvo de sangue em certas
parles do corpo, a qualcproiliizida uelos resfna-
mrnliis e muias onlras cauzas, cuino ileclaiao-se
os Bhtumatismvs, Col, Paralysia, Fraques*
des membreit, Conslipacvet, Meiihantiatit ou
Ptrnas Hckada$, el Uore Keriosas.
O uso da escova KIECTIIO-MAGNE-
XXCA tem tuccesso ccrlopara a cura de todas
estas molestias, sem recorrer se a nenliuuia outra
medicacs. Ella tem urna forma mu maucjavel
e produa, aveiiladc de quera d'ellu usa, si-os mais
uteis c liles rcsullados. Seo emprego presen a
Idas molestias cima. Par maLsinformacrscon
I ttil-te-se a plicia que accompauha cada Escora.
' DEPOSITO GEHAL '
Boulevart du Printt Eugtne, 1, Parit,
Yende-se na rua do Imperador botica
franceza n. 38.
Retrato* em porcelana
Retratos em porcelana
i Retratos em porcelana
! Retratos era porcelana
i Retratos em porcelana
S conhecido na A tuertea
S conhecido na America
S sonhecido na America
S conhecido na America
S conhecido na America
, Est prompto e ensaiado
i Est prompto e ensatado
Esl prompto e ensatado
Est prompto e ensaiado
Est prompto c ensaiado
Para servir ao-respeilavel publica
Para servir M respeilavel publico
Para servir ao respeilavel publieo
Para servir ao respeilavel publico
Para servir ao respeilavel publico
eaina rea do Imperador.
Livro do Povo.
O livro do povo, obra ornada rom estampas,cov
tendo a vida de Nosso Senboi Jess Chrislo, e raui-
tos artigo* uteis. Este livro das familias rtvoin-
mendado eapprovado pelos Exms. rs. D. Luiz
hispo do Mbtrsnhao e tt. Manoel arcebispo da Ba-
hia, venfia-se a 1500o cartoriado, nalivrariade
Jos No^aeira de Soma, rua do Crespo n. i.
Precisase de urna ama para eoscaur: na rua
do Imperador n. 83, venda.
Aluga-se a casa t.'rrea n. tt da rua Direita
dos Afogadot. : a fallar na camboa do i^rmo n. 8
Cose-se e engomua s eoin muita perfejcia
6 por commodo pref;o : ua rua da Matri da Bj-
IVistan. 60.
RELOGIS,
Vende-se em casa de Jobnston Pater d
C, roa do Vigario, n. 3. um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente in-
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem ama variedade de
boniosUrancelins para os uiesmosU
Lombrigas.
Ouro-Preto, 28 de marro de I86i.
As pilulas do Dr. Ayer (catharlias), hi-
tara empregadas com grande vantagetv por
mim em wna menina de dez (> qu
solTria de vermes intestinaes. nota:iJi>-se
que os s-ytnptomas que enlo apre-.^ntava
eram de molestia bastante perifOM.
Raymindo Nonato S. dk Thiaco, pharma-
ceutico.
Kevralfia.
Urna carta do lllm. Sr. Fraivisco Alva-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria diies
no hombro e as costas, lomet urna infir::-
dade de remedios sem achar alivio ali;tiw-
Br, angustia, tormente sao palavras to-
tes, porm nao exprime o que tenho s<-i-
frido: ltimamente tomei as pilulas a-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oto dias. e es-
tou completamente restabelccido ; isa tres
dias que nao sintt a mais leve dr no Lnin-
bro nem as costas.
Estas pululas acham-se renda as pnn-
cipaes boticas e dragaras do Imperio, e m
Rio de Janeiro, rua Direita n. 45.
Vende-se em Fernambuco:
a pharmacia frasicria e
P.MaURER C.
RUA NOVA N. 48.


a
1
^
Diario de Fernambuco Segunda eira O c Janeiro de ilia.
a-
JOS GOME VILLAR
Com loja de fazendas ra do Crespo n, 17.
Pretendendo ir muito breve a Europa traiar de sua saude, pede aos seus tejedores
tanto do mato com* desta praca que saldem seus dbitos quaoto antes, assimcomo
Est liquidando
o seo importante estabeleeimento de hiendas, vendando tudo por presos que na realida-
de admirara; aproveitem Excelientissimas senhoras
As fazendas de apurados gostos
As fazendas de apurados gostos
As fazendas de apurados gostos
E por presos que admirara
E por presos que admiram.
C-iHIlALi ItECOUULAIDAVO
NSERVAT
23Largo do Terco23.
Joaquim Suao dos Santos, dono deste bem sonido armazem de melhados faz sciente ersg
reeommendaco aos seus amigos, freguezes e a todos rm geni, que est resolvido a vender os seus
bem conhecidos gneros de primeira qualiilade, por menos de 10 a 20 por cento, menos do que em ou-
tra qualquer parte a dioheiro contado, e lodo o comprador que comprar de 505 a 1005 lera o descon-
t di) o a 10 por cento pelo seu promplo pagamento ; e por isso se faz annuncio de lgnns gneros,
para com esta melhor se certifit-arem
S4 D4 lOMlM. i
AOS 6:000.000
lllietes garantido
i' ra do Crespo n. 23 e casa* do eostume
O abano assignado vendeu nos seas muito feli-
xes hhetes garantidos da lotera, que se acaboa
de exirahir a Leueb'cio da Sania Caa da Mise-
ricordia, os seguintes premios:
Deas qnartos n. 1137 com a sorte de 6:000COO
Dous quartos n. 797 com a sorie de 1:400,8.000
Um meio o. 1310 com a sorte de 600VOO
E outras muitas sones de ICO. 4 e 5( >.
Os possuidores poden vir receber seos respec-
tivos premio* sera os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da segunda paite da
primeira lotera a beneficio da Saiiia Cafa (.: Mi-
sericordia, para canalisa;o d'agna e gaz no hos-
pital Pedro II, que se extrahir no dia 10 de
Janeiro.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 7*000
Meios......... 3500
Quartos........ 1#900
Para as pessoas que compraren]
de 1004 para cima.
Bilhetes....... 61500
Meios........ 3J250
Quartos. ....... 1J700
_______________Manoel Martins Ft'uaa_____
Joao Evangelista deS Souto Maior, mora-
dor na ra do Livramenlo n. 4, faz sciente ao
respeitavel publico que havendo oulro de igual
nome da data deste assigna-se por Joao Evange-
lista de S.
O Dr. Carolinc Francisco de Lima San- i
tos,contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 jndar, onde pode ser pro-
curado a qualr,uerhora do diae da noite
para o exercicio de sua proQsso de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio da at 4 horas da larde, devem ser
deixados per escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias de interior, prosegue, cora
maior afiloro, no das mais difflceise deli-
cadas operar des.' como sejam dos ergaos
ourinarios,dos olhos, partos, etc.
, (asa deducagit.*
Jeronymo Pereira Villar transfeno o seu esta-
balecimento do iiisirun-ao primaria e secundaria
para a ra larga do Rosario, sobrado de dous an-
dares n. 22 ; c participa nao* s aos Illins. senho-
res, pas de seus alumnos,'como ao respeitavel
publico, que as aulas estarlo abortas no dia 8 de
Janeiro do anno vindouro de 186S.
Antonio Luiz de Uliveira Aze-
vedo & C
Agentes do Banco Iniao de Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
paquetes sobre o mesrao Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Pars > Frederic S. Ballin & C.
Hamburgo Joao Gabe A Kilho.
Barcellona Francisco Rahoba & Ballista.
Madrid > Jaime Marte.
9a^'z Crdito commercial.
Sevilha Gonzalo Segoria.
Valencia M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Maisas para sopa macarro, talharim e aletria a
2'tO rs. a libra e em r.aixt a 55.
foucinho de Lisboa alvo muito superior a 280rs.
a libra e 85800 a arroba.
Oaf do Rio de primeira e segunda sorte a 260,280
e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 89 e
8*300.
Chouricas as mais novas do mercado a 360 rs. a
libra e em barril a 12*.
Passas vindas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a caixa a 8*.
Batatas emgigos de 35a 40 libras por 2*400 a ar.
robae a 80 rs. a libra.-^
CU hysson miudinho supe 'ior inalidade a 1*200,
2*000, 2*500 e 3 a libra.
Milho alpista e painco muito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 45400 e 4200.
Phosphros do gaz vindos por conta propria a 180
rs. o maro e a 2* a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o ga-
lao a 2-580D e a ranada a 4*500.
Serveja das marras mais acreditadas a 500 rs. a
garrafa e a duzia a 5*800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
era barril ou caixa se far abalimento.
irroz do Maranhan e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 2*800, 2* e 2400.
Assim romo ha um grande sortimento de charu-
tos e genebra de Hollanda, tanto em frascos como
Vinho de Figmura, Porto e Lisboa em pipa a oO, em botijas, bolachinhas de soda, conservas, choco
500, 400 e (iiO rs. a garrafa. late, marmelada, vinho engarrafado e outros mui-
Idem proprio para negocio a 320 e 3G0 a garrafa tos gneros que enfadonho menciona-los, e se al-
e a caada a 25400 e 25700. guem duvidar venha ver.
Companliia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOHISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
lina Iiik; em diuhcirs depositado nos cofres do estado, garante a boa ad~
ministiveo da companliia.
BANQUERA OS DA COMPANHIA
O Baaco de Hespauha
DIRECQO GERAL
Madrid : llua do Prado n. IB
Esta conipanhia liga pelo systeraa mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se tazer asubscripcao de maneira que em nenhum caso mesmo'por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao t'io ^aprehndanles os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL. que ain la mesrao diminuindo urna terca parte do iiileresse prodiuide em recentes liqnidacdes,
e combinando o rom a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia para os'
seos caleulos o liquidacoes, cm segurados da idade de 3 a 19 annos, urna iraporsico annual le 1005
pro luz em cffuctivo metlico :
No lim de i> annos.......1:1195300
de 10 .......3:9425600
de 15........11:2085200
de 20 .......30:256*000 '
de 23 .......80:3315000
as dados menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideravois.
Prospectos c mais informad-oes scrao prestadas pelo suh-director nesta provinria o Sr. Je ron y!
moJoaqoim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia 11. 32, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabe1
locimento dos Srs. Raynmndo, Carlos, l.eite & Irmiio.
Joao da Silva Ramos, medico pela Uni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 as H horas da rnanhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que scrao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sru casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira ciasse 35000 diarios.
Segunda dita.... 25300 >
Terceira dita.... 25000
Este estabeleeimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a couflanca de que sem-
pre tem gozado.
Antonio Lopes Braga faz sciente ao publica
por este meio, e particularmente ao corpo do com-
mercio desta praca, que nesta data tem formado
sociedade entre si e seu caixeiro o Sr. Francisco
Jos Gomes e o Sr. Jos Joaquim da Costa Ferrei-
ra; continuando o seu estabeleeimento no mesmo
gyro de commercio dcbaixo da razao social de An-
tonio Lopes Braga & C, oceupando-se alera disso
do negocia decommissoes. A liquidaco das tran-
saccScs pendentes fica a cargo da nova firma ; e o
annunciante espera que os seus amigos e fregu-
zes continuem a depositar nos sens associados a
mesma connanea que tem tido a fortuna de raere-
cer-lhes. Recife 2 de Janeiro de 1865.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e
engommar com perfeico : na ra do Sebo n. 29_
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Faro.
Oliveira d'Aze-
meis.
Penan!. Thomar." Vianna do Cas-
Tavir.
Villa o Conde.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No'impkrio.
Babia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer soturna prazo ona vista.podendologo
os saqus i nrazo serem descornados no mesmo
Banco a razao de 4 or cento ao anno : a tratar
na rHa da Cruz n. 1.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Coimbra.
Covilhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimao.
do
Figueira.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
iMonraO.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Aluga-se baratas unas melas-aguas, na en-
trada dos portSes da Iravessa das Barreiras, bair-
ro da Boa-Vista : a tratar na ra do Cotovelo
n. 23.
Os abaixo ssigoados azem scieate ao res-
peitavel publico especialmente ao corpo de com-
mercio que dissoheram amigavelmente a socie-
dade que tinham na loja de fazendas sita na ra
do Livraiiiriito n. 2, que gyrava na razo social
de Monfire & Andrade, tieando a cargo do socio
Andrade todo activo e passivo do mesmo estabe-
leeimento. Recife 2 dr Janeiro de 1865.
Beraardino Jo.- Monteiro& Irma o
Jos Francisco de Andrade Jnior
Arrenda se um sitio no Jacar, estrada d'A-
gua-Fria, com casa de pedra e cal uliimamente
construida, cora bastantes arvores de differenles
fructas : a tratar com o solicitador Barroso, ra
ida Concordia n. 34.
M.moel r'rancisco da Silva Carrito ora
residente em Macei, julga nada dever
nesta praca ou fura dola, mas se algtiem se
julgar seucredorqueira apresen'ar seu titu-
lo nestes 8 dias, que depois de verificado
ser inmediatamente pago pnr Francisco
[ Ribeiro Pinto Gtiimaiaes (para isso autori-
sado) rua d'-Apollo armazem n. 38. Reci-
fe 7 de Janeiro de 1865.
mullir
U jn-ol't's-oi- de iiiatio
J. Coelho da S. Araujo, contina a lec-
clonar, mura na rua do Livramento n.
21, segundo andar.
fozinbeiro e lioli eiro.
Vende-se um esrravo mor;o, cozinheiro e boleei-
ro, psrlo em qualquer de>tes offlcios : trata-se
na rua do Destino, casa terrea s. 18, com Sevc-
riano Muoiz Pacheco.
COMPEAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
t<@(WWWi&&! daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da lude
<-^JK^;r*r.yy pendencia n. 22.___________________^
Aos senhores pais de fraila.
O padre Flix Barreto de Vas- B
concellos, com aula particular de la- M
tim na rua do Imperador n. 35, i.
andar, contina a receber alumnos |fj
M de todas as classes, durante e de- $$'
te pois das ferias. Tambem est dis- B
S poste a abrir um curso de primet- S
K ras lettras e de francez, logo que gP
9 haja numero sufficiente de alumnos I
j para cada urna destas materias, e j|
f& assim tambem a receber como in-
M temos algtins meninos^de cuja edu-
i cacao o quizerem encarregar. Os
S pagamentos serao por trimestres
J adiantados, e os presos declarados
H pessoalmente na occasiSo do ajuste
';}.' para a entrada do alumno.
Compra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagndose bem :
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Kova liquidaco de faztiiuaa al o tu
do mez, sara lechar facloras Ttade-s nitt
barate, por ser o ultimo n tr de frsia, qae 1
frcuczcs devcaupioTiUr : na leja t uw.im
da Arar, rua da Imperatriz i.36, de Uurti-
ee Pereira Mendes Guimaraes.
Fazcddas espeeiaes para senbera.
Vende-se ricos corles de vestido de la a Mara
Pia para senhora de bonitas barras a 84,10. 13/,
14/ e 16 o corte : na rua da Imperatriz n. 5C,
loja da Arara.
1 Arara vende a 24(iO
Cortes de chita de cores lisas cera 10 rovatfos
a 240O e 3200 ; cassas de cores a 320, SCO e
400 rs. o covadu : na rua da lnij.irliiz n. 5,
loja da Arara.
Cortes de eanibraia de salpircsa ?'.(P.
Vende-se cortes de cambraia de salpiccs a
2-5100, :-5 e a 1000 a peca, ditos de can Iraia
liza e lina a 35300, 4300,5300 e 65, liras bor-
dadas para enlejiar vestidos e entremeto a 15
a 152OO : na rua da Imperatriz n. 86, loja da
Arara.
Soulembarques a 7, 8, e a 4I.
Vende-se soutenbarqne de laiinkas de reres
para senhoras a ~t, 85 e a it'5. ditc> dr gionr-a-
ple preto muito enfestado a 205, 255 e 305 : riras
capas de grosdenaple a 205, 25, 3l:5 e 3.r5. !
liquidar : na rua da Imperatriz n. 56, leja da
Arara.
A Arara vende de coresa IpaLspara vestida.
Vende-se alpaka decores para vellidos > 3CO
rs. o covado, challes de laazlnhas a 1AC10 e 15*tO
dito de merino a 45500, ditos fiaos hUV, *5l
85 : na rua da Imjieratriz n. 56. leja da Ama.
Cassas da Arars s 280, 320 e 400 lis sude.
Vende-se caspas de cores a 280. 320 e 4C0 r?.'e>
covado, lencos de seda a 800 e 15 : na roa da
Imperatriz 11. 56, loja da Arara.
Laazinbas a Hara Pia a SCO rs.
Vende-se laazinhas a Mara Pia psra volidos,
rom palmas de seda a 500 rs, o rc.vjdc, ditas de
coas a 320, 400 e 5C0 rs ditas li;as de rti<. pa-
ra capas e vestidos a 560 rs. o retado, tan mas
para capas de senhora a 15800, 25500 e 35 : na
rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende chitas a 240, 286 r 320 rs.
Vende-se chitas de cores Tizas a 240. e 280 rs.
o covado, ditas francezas a 320, 360, 440 e(0 rs.
e covado, percallas para vestidos I"re- a 500 ; 10
rs. o covado, camisinhas para senhora a 15- ltW>
35 e 455G0. gollinhas 1 ara senhoras e n eninas a
240, 320 e 500 rs., enfeles para caLtia a Mara
Pia a 15,15100 e 25, para liquidar : na na da
Imperatriz n. 56.
Ilaldes americanos psrs senbera.
Vende-se baloes americanos, os melhcrrs qce
tem viudo ao mercado, de 20, 25. 30 e 35 airo a
25500, 35 e 35500 e 45, ditos de Inlliantiba
musselina a 45500 : na rua da Imperatriz n. 6,
loja da Arara.
Fazendas para bornes.
Vende se corles de calcas de l>rim pa luanas
Compram-se aeces da companhia de IMie;.
rie, no Recife, iravessa da Madre de Dos n. 18 ; I
e na mesma alugam-se tres casas terreas na fre- al 561)0 e 25, ditos de casimira a 35, 3#U e
guezia de Jos, 1 dita na rua dos Acou?oinrios 45500 < 55 : na rua da InjeralriJ u. C, rija i'a
n. 26, e 1 dilaao lado da fortaleza das Cinco Pon-; Arara.
tas n. 11, 1 dita na freguezia do Recife. travessa| Roupa frita para beirem de t(> a r,x;Vt:its.
do Star n. 5, cm Fra de Portas, 1 sobradinho Vende-se paliKis di I r>n de mt.:. :.*( 6 e
mei agoa pegado a igreja de H, S. do Pilar : a 35, ditos bramo a 35C0, dito de ItirLe I i< i i,
tratar das 6 s 10 horas do dia.
VENDAS.
FOLIIIXUAS
/'ara 1805
ditos de alpaka de teres e bramo a l, dte de
, meia casemira a 4o(0 c .K5, titbt (t ia:ti iia a
65, 85, 105, 105, lf>5 205, din s a> tztli 1ro
preto a 85, 105, 145. 1*5. 2(5 e 3f#, rateas e
brim de cor a 35 e 25500. dila de dno liii.ro a
25 ditas dedilo de linho a :i.M0 e 45, rollen s de
cores a 25, de brim a 25500, de raMabitas de
cores e pretas a 355G0 e 15, (ibas de rana iia a
35, 65 e 85, de neia casen ira a ?5 e -"'t', ra-
mMmmmm&wjp&:m
COMPENDIO DOLOROSO
PRIMEIRAS LETTRAS.
Mara Rartholeza da Couceicao parteripa acsl
pie cutela o oflicio de Nossa Senhora das | Illms. senhores pais de suas almonas e a todas as
Dores; 0 modo de rosar e offerecer a co-1 Pe8** rea um setenario e mais outros exercicios I S TJSST n^J^Z, e'
de piedade e devocao; ordenado pela ir-;ijgoa tranceza: far todo o esforco para que'
mandado dos servos da mesma Senhora, ellas objeaham o desejado aperfeicoaraento afflaPI
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres misionarios apostlicos capn-
chionos italianosde Pernamhuco, approva-
luz por devoco do muito reverendo
padre Fr, Placido de Mcssina.
Vende-se a 30 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia
TIESOL'RO DAS MAIS
Providencia das crianca^.
COLLARES ROYR
Eleclro--magBclitos
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTICO
Coutra as convulsoes e para facilitar a
dentitj.o das criancas preparados e inventa-
dos por Royer, pharmaceuliro da esco-
la superior de Pars, successor de Chereau,
membro da academia de medicina,
antiga casa de Bjuillon-Lagrange, pharmaceutico
do imperador,
ehefe dos trabalhos chimicos da escola po-
lytechnica, director da escola de pharmacia de
Pars, e membro da academia imperial
d medicina.
Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante rua da Crespo n. 7.
- Aloga-se a T5000 mensaes a casa
terrea n. 2(53 da rua Imperial, concertada,
ca la e pintada, propria para estabeleci-
m'nto de negocio e moradia: a tratar na
ro do Crespn. 15, das 10 horas do dia
as i da tarde.
mmmmm mmmm mmmmm
| Maques sobre Portugal. M
S anco Mercantil Portuei.se. e na ausencia
^ do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
| fectivamonte por todos o paquetes sobre 5
as praca* de Lisboa e Por .o, e mais luga- W
res do reino, por qualquer somma vis- |
ta, e a praso ; podendo, o que tomarem a
saques a praso.receberem % ista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao annn: na fl
loja d. chapos da rua do Crt.;po n. 6, ou ajj
na rua do Imperador n. 63, s.gundo an- I
dar.Jos Joaquim da Costa Miia.
cando-lbe a boa leltra, e Ihe tirar qualquer vi-'
ci na pronuncia, se o tiverem. Sua escola oslar
rberta de 9 de Janeiro em diante: defronleda,
matriz da Boa-Visla n. 81.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2* de peito :
3o dos orgos geniti
urinarios.
Ern seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas coraccando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
P DENTISTA DE PARS
49Rua Neva-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentist i,
faz todas as operacoes de sua arte, e c< I-
loca dentes artflciaes, tudo com supern-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentiflcio.
. ,- .. _. a a misas francezas a 25 25M0, de linho ireltza e
Acham-se a venda na livraria ns. G e 8 pret!siargas, 3j e 35300, gravitas ce taitas as
da praga da Independencia : qeaiidades de 500, 800, 15 e 154C0, ccilai.ho
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo O de todos os tamanhos e n.'uito bem feitos, i-ia li-
kalendario Civil eecelesiastico, tabellas de quidar por serlempo de fe.ta : tama (a lnItra-
,. 1___ tnz n. oC, loja da Arara.
leados, de emolumentos dos tnbunaes, JCo|c|ias ^, u
do commercio etc. a 1(0 rs. Vende-ae colchas de ahita para cama a 2c. ditas
A FOLHINHA DE ALGIBE1KA contendo 0 de damasco a 45. ditas de fustao a Sf, rbiu.- j^ara
mesmo que aquella e mais urna nova cobertas a 320, 360,400 e 300 rs. o covado : na
Salve
verso,
casa ei mwmL
Aluga-se urna casa nova muito fresca com ex-
ccllentesotao sita no Cachang defronte do enge-
nho Poeta : a traiar na rua do Crespo loja de An-
drade A Reg.
m

C
Ao publico.
i Fonseca A- Rocha julgam r.ada
1 dever nesta praca ou fora della, se
pormalguem se julgar seu credor
I lenha a bondade a presentar sua
I conta para ser incontinente salis-
feita. Recife 31 de dezembro de
1SG4-
Companhia Qdelidade de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PBPKAMIIL'CO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, toraam seguros de navios, raercado-
rias e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n .1.
CASA,
Aluga-se a casa anda nova .-ita ca rua dos
Prazeres da Boa-Vista n. 1 B, com bons coinmo-
dos e pelo barato preco de I i> mensaes : a tratar
com o major Joaquim da Cunha e Figueiredo das
9 as 3 horas da tarde na alfandega, e fora desta
hora na ca.-a de sua residencia estrada de Joao
de Barros.
Aula de insducco primarla.
Manoel de Souza Coideiro Sin.oes avisaar.spais,
de seus alumnos que no dia 9 do corrrnte se \
, achara aberla sua aula particular a continuar os
seus exercicios, na mesma casa n. 16 da rua da
Iravessa dos Expostos; e ao respeitavel publico,,
que coniina admitli' alumnos externos e nter-1
nos, pensionistas e meio pensionistas, asseverando Adverte-se ao Sr. Feliciano Joaquim
aoc pais que ihe contarem seu-flihos. todo esme-! de Agitiar, qu^j a sua assignatura deste
dlrelMor! heS semimentos dosanmoralc i Diario est r>or pagar desde OHtubro do
i-------:------7-77------------------------- iannopassado, e que o proprietario da loja
Atten$lO. j de ourives da 1 ua larga do Rosario n. 40,
Antonio Alves Vilella roga a todos os seus de-tem declara lo que nao se responsabilisa,
vedores para que at o ultimo do crranle mez ve-' portanto S. S. qneira mandar satisfazer nes- p?pridadcUe omrosTde pa'peis
^^^^r^izi^^^^^^___________ "*" ** ^^ *
dores ao seu procurador. Na praga da Independencia, loja de ourives
- Precisan de urna ama para cozinhar c com 1n- 3^' PomPram-^ob* de ouro e prata, e podras
prar: na rua das Cruzes n. 9, segundo andar.
i Rainha em verso.o Stabat Materem rua Ja Imperatrii n. 56. loja da Arara
>, devocao ao agonisanle,corado^de ^^^I^Z^^^
jesuS, cantlCO em louvor do SantisSimO peCiT ,|j|0 Btf[tz de 24 jardas de n. 30 a 65 de 1
Rosario, cntico a Virgem Maria Nossa a 55500, n. 250 a6#500 75SC0, >. tfiSW,
Senhora, trinta e tres chistosasanedoctas. **95000, It. D. P. 105. ZZZ 115, n. 20. dito a
um indito poema sobre as aventuras de ^fSftSSSSl S* Z
um cosinheiro, o canto de urna soitetra pau fL.rro a $&i dil0 SLy a n ,5, ,h, j a 1(1 ,. iijt
i'poesia), crescido numero de mximas Ojdito sienpira a 85500, parallqnldat, na iua da'
pensamentos, urna historia como muitas,Imperatriz n. 56 leja da Arar,
promanen;, e vinte e cinco novas e pi- .... ..pa.Il,'s dt alpaka.
\hm-\pM rharadas a t-'O rs Ven.de"!"! '';'llIf,, d'' all<^ I'"-ta de :i-3 ?r;TO.
meneas ttiai.ua?>a -i-u rs__________m dll0s ,0Sde Crtin ,izas p branras a j. rua
(il'JUUlc tlIUa/.PIH di' lilltaS. daImperalrlin. M, loja da Arara.
RUA DO IMPERADOR N. 22. Mltiro da rua da Imperatriz n. i*.
O armazem de tintas um grande deposito de vende-se seroulas a 15280, dilas Iranrezas a
productos chimicos e utensis os maisempregados J5u00e 2o : e outras muito boas fazer.das c,ne o
e usados na pharmacia, pintura, pholo^raphia, lin- freguiz encontrar na loja da Aiara, rua da Im-
turaria, pyrotechinia (fogos de artificio) e em outras peratriz n. 56.
industrias.
Montado em grande escala, e stippi indo-se
reclmenle as principaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offerecer |
producios de plena eonflanca e satisfazer qualquer
eneommenda a grosso trato e a retalho, por precos
ratos veis.
Prvidos de machinas approprJadas satisfar
com promplldo qualqnor pedido de tintas muidas: ,uc:if 'aazinnas, r;
a oleo, cuja qualidade e pureza de seus ingredien- Io ao "lercado, lanto
di-:No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
lina doQueitnddo "11. 19,
Vende-se o seguate :
Altencaol
Ricas laazlnhas, fazenda a melhor que tem ras-
en gosto cerno em qnada-
tes peder ser examinada pelo consumidor, o que j de> l,el baratissimo precode 560 rs. o covado.
nao fcil razar com aquellas que sao Importadas.! "'las miudinhas carmezins: proprias para vest-
e que se eucontram no mercado em lulas fechadas. dos de mfni,".as e "'.s'""* 640 o covado.
Tem grande colleccao de vidros de dillerentes |
frmalos, desde urna oitava at dezeseis oncas de
A bordo da barca franceza Virgtle tem urna:
Aluga-se um sitie na rua do Cabra I da; PrS3 de vasos fara "ores e alguidares vidrados:
ridadp de Olinda aun asa tarros wu en. as Pessoas 1"e desejarem comprar dirijam-seao
ciaaac oe uiinuj, cora casa tenca, com co- Civilioda mesma era casa de T F
piar nfrente, bota os fundos para a estra-; do Trapiche.
da e margem do rio Beberibe, com cor-i
preciosas,assim como se faz qualquer obra de en-
! commenda, e todo e qualquer concert.
AVISO
aos terceiiMs de S. Francisco,
Chegou a verdadeira estamenha para habites, a
qual se vende muito barato : na rua do Queimado
n. 39, loja de 4 ponas.
capacidade ; de vidros para vidrac,as e diamantes
para corta-Ios; depinceis para fingir madeira com
dourados e pra-
para ornamento; de
papel grande e pequeo frmalo de varias cores
paraembrulho, para forro de casa, para desenlio
com fundo j feito; de papel albumioado e Rristol,
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccalivo, oleo de linhac.a
clarificado, oleo de oielet, secativo de Ilarlim, ouro
prata, ouro, e estanho em fo
Cortes de 12a com 15 covados, pelo Larato preee
de 65.
Cobertas de chita da India a 25500 r 35.
Lences de panno de linho a 25 e 25500.
Pecas de cambraia de forro com 8 Ii2 varas
35200.
Toalhas alcochoadas proprias para maos a 55 a
dn/ia.
Ricos cortes de laa com barra Mara Pia a
185.
Pegas de platilhas de algodo com 10 varas,
proprias para saia a 45-
Algodo enfestado com 7 1|2 palmes de largura
a 15100 rs. a vara.
Esleir da India, propria para forro de sala de
da Independencia, e em Olinda na casa con-
tigua com o capito Antonio Bernardo Fer-
reira.
verdadetro em p .
Ibas de varias cores; tintas vegelaes, noffensi- *, *, e 6 palmos de largura, por menos preco do
vas propf las para confeitarlas ; la de cures, e; 1e em outa qualquer parte,
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e Neste estabeleeimento tambem se encontrara
Roga-se as autoridades polciaes e capules de t0|as para retratos 5 tintas em pastis e em p pa- ora grande sortimento de roupas feitas, e por me-
queira manda-las pagar pois; campo a apprehenso da escrava, mulata, de nome ra aquarella ; essencia de rosa superfina, dene-'dlda
ARMAZEM G \RANTIA.
II -Una do liaiperader 11
Esquina da Iravessa de OntMor
Grande redurciio de precos ueste ariraztm de
molhados, que foi completamente refiir/adn, irte
o publico encontrar sempre om isroIbiCo srrli-
modos para familia, estribara para cavallo! O*", morador da na Nova que se
ecapimpara susienta-los, arvoredos de fcha a ever Gqaarteis de assignatnrisdes-
fructos, sera visinho defronte nem pelo te "D,an9'' qae'ra manda-!as pagar pois
fundo, cora ontimos naseios mfa p Jahi assim como e,,e P9sta de receber a paga de Roa idade de Ja annos, altura e corpo regulares, roly, jasmim, bergamota, aspice, palchouly, mbar
IT.fT. "^ g Seus servicos (leve itlpnrlpr a u mi com falla de den!es na frente, ausentou-se no da bouquet; li.no, alcaraiva, melissa, ortela pimenla, \
nete na frente, multo propria para passara ,^c np- 1 1 n ou* j 3 do crrante, levando vestido de chiU escuio, cor louro.creja, alfazema, Portugal, lima, junpero,
festa, e tambem se afogara por anno : a fal- ?' rriric|paimenie o do 'Diario em que de rap, e chales de laa azul desbotado: quem a anis da Mussia, canella, cravo e muitos outros ob-
lar noBecife, na livrarian. 6e8 da praca trabalnammais de 60 pessoas.
O bacbarel
Francisco A usaste da Costa
ADVSeADO
"# Rua do Imperador numero
A tt.enco
Omethodo Castilho.
Manoel Jos de Paria SimSes, professor de ins-
trucijo elementar pelo meihodo Castilho, parlci-
ATTENCnO.
Anda contina a preclsar-se de urna senhora de
idadeedebous coslumes (nao tendo tilhos) que
aj i arhando-se desvalida queira recolbcr-se a urna ca-
*! sa de familia para tratar de alguns meninos, dan-
j I do-se-lbe cama, mosa e urna gralificaeao qae se
tratar: a quem convier, pode procurar na rua
I' dos tuararapes n. 28, sobrado, que achara com
quem tratar.
Alugam-se duas casas sendo urna assobrada-
da e ambas tem commodos para numerosa familia,
na estrada de llego em Santo Amaro, confronte o
hospital inhlez: a tratar com da Silva Ferrelra ou
Jos Jacinilio deCarvalho no dito lugar.
Anta particular.
0 abaixe assignado, professor particular, provi-
sionado pela direetoria geral da inslruccao publica
pegar leve-a rua do Sebo n. 7. jectos que so com a vista podero ser mostrados.
- O Sr. Miranda que tem recebido um Diario' /o<> Ptr das Seres,
na rualmperial com o nome de Joao Krause queira________________________ocrante.
viraeta typographia desmanchar um engao. 1 Vnide-se urna casa na Capunga iravessa ua i ment dos inelhores gneros que vi m ao n 1 -irido,
"^l-se a ca*Terrea" defrote~oa igreja~do Baixa-Verda.rom bons commodos, quintal mura-garantindo-se o hom peso e qualidade, e qcando
Mangainho n 24, tem duas salas e dois quartos, dtJ cora laranaeiras, excellenle agua de beber : nilo agradar o genero ao comprador, rfstili.ir-se-
murada e cacimba com muito boa agua : a tratar Wem pretender dirija-se a rua \elha n. Co. ha a sua importancia sera o menor conslrang.n -
na rua da Madre de Dos n. 14.
to. O prnprieUric de-.ie eslabelecinn Dio U m a
m
Collrqio de S. Joaquim.
As aulas deste collegio tsntoas do cur-
so das ferias como as do anno lectivo
principiarao a funecionar a 9 do cor-
rente.
Vende se por prceisaoa armagao da lo;a de | ca precos, pelos quaes nao possivel rrnder-: ;
calfadq, loda eiividracada, di rua da Imperatriz, venham, pois, ao armazem garanta sorlir-se de
na Boa-Visla 11. 13, o aluguel razoavel, e a casa bons gneros, que nao se arrepeadrro, retiisrido
tem no interior bastante arnaco para morada : a o proprietario que as pessoas que alli i rem prca
Carlos Uommrie, alfaiato de Paris, previne ao
publico desta cidade, que se acha estabelecido aa pa aos pais de sens alumnos e ao publico que no para ~e"nsiar"'phmi:aT|eitra"s7iimTfraTez',
rua da Cadeia n. 11, por cima da loja de relojeiro, da segunda-feira, 9 do crrante, estar aberta a participa ao respeitavel publico e igualmente aos
pnraeiro andar, aonde se encarrega de apromptar *
toda e qualquer obra de seu offlcio cora perfeicjSo
e eommolo proco.
ua aula na rua do Livramento, sobrado a. 20, se-
gundo andar.
- Alugam-se dous grandes sobrados eom com-
Manoel Jos de Albu juerque, prafessor par-, modos para numerosa familia, novos e testados
ticular de primeiras letiras autorisado pela direc- rom jardim, eocheira, estribara a oulras commo-
t .l-i-i 1 I 1 -' I : l 1 1 11. I rl' iji'Ii 1 1 I 1 ll t 1 1 il ill.'ln niilllJa > : l',.1.. 1 v .. *_^__a_____ ._ _?_ SM___. v<
loria geral d* instrnecao publica desta cidade, avi-
sa ao respeitavel pahfieo e aos pas dos seus alum-
nos que abrir a sua aula no dia 9 do crrante no
pateo il 1 Terco, sobrado n. 141, segundo andar,
onde pode ser procurado: asim como recebe
alumnos internos que por ventura morarem fra
da eidade.
Abrabam Haligne subdito marroquino reti-
ra-se para o Para,
didades, na iravessa do Joo Fernande Viera .
a tratar na rua da SenzaVa Nova n. 42.
~CSS~PRA~UiUG'R.
Alugam-se duas meias aguai;,endo nmanapraia
do forte n. 1, e a ootra na rua da Nassente n. 14 ;
a tratar rua do Queimado cea Azevedo &
Irmo.
Precisase de uti.cozinheiro ou eozheira
profere-se escraros: na ?aa da Grae n, iit loja.
senhores pais de seos discpulos que seguoda-feira
9 do corrente tem de continuar no encino das su-
praditas materias, admitllndo matricula alumnos
externos, pensionistas e meie-pensionistas. A pra
tica do 19 annos
magisterio, sua
tratar na mesma loja com a
Mendes da ilva.
viuva de Joao Jos
F'/ijdo
O abnixo assignado tendo em seu poder o li-
quido producto da venda feta em leilaoda taher
na ila na Capunga, perlencente ao ausente Jos Vendem se saceos com 22 cnias de fejao rajado I
da Silva Santos, pede aos credores da mesms para do Porto por 115, em cuias a 320 : na rua Direi- \
apreseniarem seus ttulos no prazo de oito dias, e ta u. 8.
d
rua
vez, continuaroa requentar e sen estsbelrrin ca-
to, que aguarda a concurrencia dos que goslaas
do bom e barato.
2nA^jrcfiMM COmpeWSn,e ri,e,- ReCfe'l Vendem se csteirasdepalha de carnauba
4 de jane.ro de I8C,. q ^ ; supermr q.nlhdade. viuib, do Aracaty : na
ALUiiv.MSE
do Vigario n. 26, primeiro andar.
Vende-se um escravo de 30
1 consecutivos no exercicio de seu as lojas do sobrado n.48 de esquina na roa de' ^ZJEV^XZi S "J'.'S
inteira dedicacao o !Ua moralidades Aguas-Verdes com3 portas"sendo urna para o bec- eidade na rua do Uangel n. 58, sobrado._
sao garantas que otlerece aos senhores pais de fa- j co, bem collocada para qualquer estabeleeimento! FpaIa Ha 1 Iva-i '------
millas, que desejam a saa e ulil educac3o a seus urna loja^equena dentro do beeco para moradia,! ,.onA 1 OICIO ue Lla
filnos. um gr^de 5a,5o no fundo do pnmftro andar, mui- a 4tS00.a *Cft : m armazem da Estrella, largo
ra aula de prlmiras lettras do ParauQ '*_______________________
anjo que se queira applicar, Veude se urna morada de casa terrea com
Lihras eslfrlBas.
Vende-se ao preco corrente de 9 por
cada urna : na rua do Crespo escriptorio
p. 48.___________________________
Vende-se a loja de seleiro da rua Not3 n.
128. com todas as fazendas, ou somenle a armaco,
s I sendo esta tda de madera do amarello, e ptima
para qnalquer outro estabeleeimento : a tratar na
mesma loja. t
"'""* um grande salao no fui
Quem portanto quizer confiar ao mesmo abaixo to grande, proprio pa
assignado a eucacao de seus tilhos, pode dirigir se ou outro qualquer ana
a qualquer hora do dia ao tercero andar do sobra- orna casa terroa na rni
do n. 58 da rea Mosa, onde ha muito tempo est
wtabeleoklo.
Jts M rna des Fagundes, jnntoari- bastantes commodos cacimba, quintal grande e
Bixas de Hamburgo
Vendem-so na rua Nova n. Cl
Veutle se
boira, tudo por preco commodo : quem pretender murado, na rua Direita n. 62 na povoacao dos A- urna taberna com poneos fundos e fai-se todo o
dirija-se a rna do Imperador n. 41, terceiro rogados; tambem se permuta por oulra" nesta ci
andar. 'dade : a fallar na rua da camboa do Carrao n. 8.

negocio por seu dono ter de retirarse para a Eu-
ropa, na raa Imperial n. 198 a tratar na me


-
B|.r
lo de Pe mam buco -
A
sM"d* ?" Je Janeiro de 15.
*." *
**
CONSELHO
0 VIGILANTE
Ra do Crespo n. i.
_____$
Deiai que os Hunos da civilisaeao vos pregue
economaparas psll Esta parle do corpo
humano por certa aquella que, neste clima ne-
eessita de maior ajasalho: pela humidade nos ps
se introduz a grande maioria das molestias, e com
cas a perda da saude e da vida I!! Fra cow as
botinas e sapatos velhos; reforma-Ios
45-Rua Dereita~45
Borzeguins francezes para homem 5*000
Ditos inglezes dem a 8*, 7* e 6*600
Ditos para senhora i*800
Ditos para menina 2*000
Sapatoes esmag cobra o*fOO
Ditos de Nantes de duas solas 3*000'
Ditos dito de sola e vira 4*000
Sapatos de borracha para senhoras 1*400
Ditos de dita para meninos 1*000
Ditos de tapete para homens e se-
nhoras a 800 e 1*000
Sapatos de lustre para senhora a 1*000
Ditos para casa 00 O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo poro-
(h.nelas rasas do Porto 1*000 poso Ballisa, na sna ordem do dia, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo com seus
agudesespores nunca os offender, antes osagra-
ciara na raesma conformidade, para que o Baliza
possa marchar em frente, a Branca Aguia possa
. levantar sea vo.jlevando no bico as palinhas seu
nmha-e o Gallo (icara em seu espacoso campo
uanao de novo o sen canto anounciando a seus
j oons freguezes e aorespeitavel publico
0 grande sortimento deobjeetes de niuiogosioque
acaba de receber.
Ricas caixinhas com msica ricamente enfeita-
das para costura, proprio para um delicado me-
Riquissimos cofresinhos com cadeados de metal
para guardar joias.
Ricas canas com estejo, contendo todos os per-
lences para homem.
Riquissimas voltas fingindo perola.
Ditas com lacinho de lita.
D'ODRETO DUPLO
or FERROcQUININA
Os elementos que compoem esta preparado, o
/ierre, o iode e a quina, a coHocio no priaieiro
grao das preparacoes ferruginosas. Basta attestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatorios dos prcticos mais eminentes,
que confirmara sua poderosa efcacidtde as
seguintes afeccdes:
Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
suras.
Mtico., no asar.
Fruquaaa.
Anemia.
Chlaroae on letertela.
Menstrua.
ATfceeOra do utrra.
Supurcaara daa re-
" e deaordca na
nirnMlrdarao.
AfTporaa pulmonar c
pIMblale.
Moleatlaa d'cel omago.
Gnalralglaa.
Pcrda Hnpprlllp rtt.
Caavalraeeaea ole Ion-
cu innlrallaa.
Molcallaa eaerafula*
as.
Papelra.
! Obalrueeao daa gln-
dula.
i Humorea frica
, Huiuorca braneoa.
! narhltlaiua.
Affi-ccor raaeeraaa*
e rubllitlcaa.
| Fehrra yuboldra.
I Varales, etc., ete.
Lindos aderecos com pedrinhos fingindo bri-
Ihantes.
Ricas livellas para linio, de todas as qualidades
e ora gesto.
Ricos cintos do ultimo posto de Pars.
Grande liquidado.
Ra da Imperalriz u. *.
Loja de fazendas do pavao de Gama A Silva
Acha-se este estabelecimenlo completamente
sonido de fazeHdas inglezas, fraocczas, allemas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prouiettendo vender-so mais barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sendo em
Por*>. e de todas as fazendas do-se amostras,
aelxando llcar penhor, ou mandam-sc levar em ca-
sa pelos caixeiros da luje do Pavo.
Vellidos soutambarqne.
Pelo ultimo vapor francer chegaram riquissimos
vestidos a soutambarqne, os mais modernos que
neste mercado tem apparccido, os quaes eslao
promptos com saia, corpinlio e seu competente
soutambarque, tudo guarnecido de seda, veludo e
renda. Quem livor bom gosto dirija-se loja do
Pavao, na ra da Imperalriz u. 60.
AOS TRES MIL VESTI-
DOS.
Na loja do Pavao, a 3$. U
e 7,j!000.
Vendcm-se lindissimos corles de vestidos india-
nos, sendo lodos bordados e de listras de cores e
brancas,proprios para casamento, pelo baratsi-
mo preco da 3* cada corte por se ler comprado
S-ma er?.nde Porcao, sendo fazenda que vale 6*,
ditos a Mara Pa, tendo quatro pannos, fazenda
para o corpo com os competentes enfeites para o
mesmo, pelo baratissimo preco de 4* cada um,
ditos de todas as cores com as barras bordadas a
CL4KI11
RA DO QUftaOIAfM W. 45.
Passand o becco da Congregado segunda e-asa.
NOV1DADE

cial, ^x^^^St^xf^Z, "I ?LQl?emad0.n- 45 T armazem d6 mILad0S omii-do Clarim Commer-
quaes serao vendidos vrm^mmn^^r^^k^K\11^^ dos melhores gneros que Tem ao ncsso n.ercado os
peso e boa quaiidade dos gSs SSprdS"S aiTazem^ ^ PUb,'C *** Pe'a labe,B ^ menCOnCda; 8arir:te"Se **
Arroz do Maralo, India e Java a 60, 80 e
a arroba im' m e U00
ATnnra? 2a500.
15200 el0r3OO, e em" frasco! grandes a
------_^. ..^ ., .uICo\.uui aa vana* uuiuauas a i 11---.
croxe, sendo cada um em seu cartao, tendo cada lcJem em Caixinhas eleeantemenfp nfi-itaflas
um todos os enfeites precisos, pelo baratissimo! COffl ricas estambas mS 552!
preCo de 7* cada um, ditos com babados mullo Do-1 ai ,8200 S Zn dS Ca'X3S
Ditos, mas sem ser em cartao. pelo diminuto pre- Am-nES. ^600e2.
?o de 3*500 cada um; adverndose que os donos Ameus COm Casca muito novas a 280 rs.
da loja do pavao vendem estes vestidos por lio di- a Dora.
minuto preco por terem comprado urna grande Alpista a 160 rs a lihra p a iJlfinn k.
quanlidade econvirlhe liquidarem logo, nasuaJAzeite dorP faii JLJ* a**600 a arroba-
loja, ra da Impera.riz n. 60, de Gama & Silva. aJ* Kf" mn,t fin0 em ?arrafas
Aos vmte mil covados de laa.! JSSS^AT?$U
Grande pechlncba, a 8 O Araraia verdadeira demalarana a 320 rs. a
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a BD
Painco a 200rs..a libra. rs. a libra. rw"
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego cm calda de azeile e Ervilhas portuguezas a 640 rs a lata
muito novo a 640 rs. dem seccas muilo novas a 200* rs a'libra,
gueijos flamengos do ultimo vapor a 24800 Figos de enmadre e do Douro em caixinhas
t prat0.- Je oito libras e canasti inbss le \ arroba a
laem londnno chegado no ultimo vapor a 14800, 5J80O e 280 rs a libra
rs- a llb,a- Farinha do Maranhao a ICO rs. a libra.
libra.
AvelHas muite grandes e novas i
libra.
Veje se os bulletins de therapeutica medica
e cirurgiea de 30 de novembre 1S60; a Guela
dos hospaes de 2 dejulho 1860, etc., etc.
Alm das punas de iodurcto duplo de ferro e de
quinina de RebiUon, os Mdicos aconselbo
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
ierro e de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nao goslao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao lera
como o xarope d'oure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para-se evitarem falsiicagoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas on Xarope a aa-
signatura do inventor.
Uepdsito geral em Pars, pharmacia Rebillon,
442, ru du Bac, e em todas as boas pharmaciu
de Franga a dos puizes estrangeiros, etc.
covado.ditas transparentes com palminhas de seda | 1(5300 rs.
a Mara Pa, tendo do todas as cores, e tambera ;Bolachinhas de soda, latasorar>i>* iMr.
algumas proprias para luto, pelo barato preco de iat- iaiasgran J20 cada covado, isto por haver urna grande por- r,iM :'i
cao: na ra da Iraperatriz n 60, de Gama iaem '"glezas muito novas a 30000 a barri-
quinhaea200rs. a libra.
ilva.
Latas e eopos com banha fina. ;Banha de porco refinada a 440 rs a libra e
A aguia branca, na ra do Queimado u. 8, rece- em barril a 400 rs
beu esta estimada banha fina em latas e copos, isso Cha hvssnn k.k
alemde outras em diversos frascos. aS aVoA 6 perola a MM, 20,
As modi-rnissimas l-zinhas de una s tSZiXS.e 52! a li5ra'
______ 'uem prelo muto siinpnnr o 9nni
api Vat la ff,.ff,i,..,t ,-rpreto muito superior a 20000 a libra.
car, a un ae goigld, veo- Cervejapreta ebranca, das melhores marcas
2U5^aoinercad0' a 300 rs- a garrafa
e 5(5800 a duza.
RANULOS
CHEVRIJER
()s granulos au bismulh de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparacoes de
bismutk empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir e
curar as
e 3tO rs.
Vendem-se as mais bonitas laazinhas transpa-
rentes, sendo com listras e quadrinhos miudinhos,
Granda vnn i:';",r"; ? "" e ''- ca sendo da uira Tf. e-?fe,tes para cabo" ie **2* para ,u,0> Pel ^ratissimo preco de 240 o i Bislc?"is ,ng!ezes de diversas marcas a
U;f ultimo gosto e de todos osprecos. rnvarfn rfn.a iran,n.....________i_:_2-. j___j. I lAtnn re
Flores muito linas para noivas.
Luvas eufeitadas e meias de seda para noivas.
thapeosinhos, sapatinhos e meias de seda para,
baptisado.
Riquissimas fitas de todas as qualidades parala-
eo, cintos e cinteiros.
Camisinhas e goilnhas para senhora.
Hiquissimos jarros e figuras para ornamento de
5a la.
Grande sortimento de gravatinbas tanto para se-
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e de cores.
Cascarrilhasde bonitas cores.
Trancinhas, galao e maravilhas para enfeites.
1 ranselins de cabellos e de relroz para reloglos.
Papel amisade e de oulras qualidades.
Bolsas para viagem.
Eniremeios e babadinhos de lindos padrees.
Lencmhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras, meninos e menl-
uas.
Fitas de veludo lisas e com mtame de todas as
larguras.
Thesouras c caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para olferecimentos.
L.amnhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, e em
irascos qtiadrados egarrafinlias.
Pomada lina de tofas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos de' lodos o
lmannos.
Saho inglez em paos grandes e pequeos,
hscovas de cabo de madreperola, marfim e de
osso, para denles.
Peales para desembarazar, cora friso de metal e
sem elle.
Ditos de tartaruga e de mnilas outras quaiida-
de 0 I. >0.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordaozinho, as mais pro- Cnenar molo, T"L" nr\n
prias e mais lindas que tem lodo proprias para r f '"Ano a 900 rs. a garrafa,
vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-se amos- J-onservas a 720 rs. O frasco,
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissl- oem, so de pepino a 72fi rs
A laazinhas do Pavo. I tnar"los d.f melhores fabr.cantes da Bahia
Yend.m-se laazinhas de quadiinhos transparen-! r e^P.ecl'lmente M fabrica imperial de
tes, boa fazenda, pelo preco de 280 rs. o covado, gandido Ferreira Jorge da Costa a 10800
nito tinas a 400 rs., dilas estampa-1 20000, 20200, 20500, 20800 30000
30500 a caixa.
----- ... ,,,,., u w u., unas esiampa-
das, cor segura, padres miudos e grandes a 320!
rs. o covado ditas transparentes com palminhas Ct'An~Mnm* ~ ~-
desedaa40Ors.,ditasescocezasa5G0rs., isiolu- careao ,0 muito superior a 280 e 320
do para liquidar : na loja e armazem do Pavo,' rs: a l,bra e80WO a 80800 rs. a arroba
ra da km fc Cartees de bolinhos francezes muito novos e
Os grosdenaples do Pavao. bem muito enfeitados a 700 e 600 rs
,^SS^Sli,^t;X.a^w l nos aToSre a
n'urrhraa rbronleaa.
DjHMrnlc-rliiH.
Ili'ca dealamaga.
W'H|ic|ilaa.
Mea dlgrsloca.
Gaalrllea.
Galiralglaa, ele.
Os pnraeiros symptomas d'essas formidaveis
alfeccfics se manifesto ordinariamente por diges-
Uies laboriosas, azidumes, falta d'appelite, pesos
d estmago depots de cada comida, cambras es-
tomacae<, e, mullas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
F.sie estado mrbido, se O dcscuidao, traz ine-
viiavelmente, que seja:
Moleallna de libado.
A lilil. I.i
l'ulpHii. ;iu de eoracao
Ddrea no rlna.
OnprrasvcH.
Dure de .librea
Irrllarra de bezlffa e
da muirla, etc.
de
Penles de tartaruga para senhora.
Ligas de .'da e de algodao, assim como milito*
. outros objectos de gosto que seria impossivel inen-
, cmar quo a vista fara f, s no Gallo Vigilante,
ru do Lrespo n. 7.
Voliinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzin",ias
lingindo brilhanles, assim como cruzinhas avnlsas
e.voltinhas, pelo barato preco de 1 c U200 as
cruzes avuls asa iO rs. j s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Loques.
Riquissimos leques de madreperola tanto para
-enlioras como para meninas, pelo barato preco
1-0 e i 5; so no Vigilante, ra do Crespo
corpados a 2400, 2^600, 23800 e" 3^000, ditos
brancos, cor de rosa, azul e amarello a 2^000 r.s
o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
do Pavao, ra da Imperalriz n. 60.
As nevas lias fpribaMtaas a 500 rs.,
aa laja do Pa\i>.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
dinas, faziinlainleiramente nova no mercado, sen-
do todas cora listras miudinhas, e transparentes,
com lustro a imilariio das sedinhas, tendo varias
cores, sondo azul, cor de liri, carmezim, cinzenta
libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cada,um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muilo superiores a 6t O
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sepm : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira. D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocaee Cliamisso e outros a 800, 90 e
10000 a garrafa, e cid caixa cora urna du-
zia a 9000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa c 30. 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Ii;o a 120rs. ? libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marra VD
a 560 rs. o frasco e 61980 a frasfitieira.
dem em garrames de 3 e 5 alces a 5M4)
e 705it) cada um com o garrafio.
Graixa a 100 is. a lata e 101COa di.zia.
Licores muito finos a 760 ri. a garrsfa.
dem, qualidadfi especial em garrafas nato
grandes, a 10800 a garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a SCO rs.
dem, em garrafa forma de pera e roll.as e
vidro, a I0CO, s a gairafa vale o di-
nheiro.
Manteigl iogleza perfeitamenle Mr, am-
barcada de penco a 900 rs. a lihra, c da
de segunda quaiidade a 8C0 rs.
dem francez muito nova a G40 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melbore? o nervei-
ros de Lisboa a 60" rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos prai.des,
800 rs.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs. dem regular a 500 rs.
a ansia.
dem Morgaux e Chateaulumini de i85i, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
l200rs. a caada.
Eirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados le- dem de dentes a 120 rs.
mos grande porejo de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a Utrs
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o Belboi
retalh- 20 e em caixao a 640 rs.
(Juem comprar de 1000000 para cima te- Paulos do gaz a 20200 a groa
r o abate de 5 por cento. passas muilo novas a 480 rs. a libi i
Magas finas para sftpa: estrellinla, pvide,
rodinha e aletria a 600 rs. a libra a 40
a caixinhacom 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixt em talas preparado pela primeirs art
de cozioba a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o nace.
.3
Frascos com gomma arbica
dissolvida p pincel.
Vendem-se na ra do Qeimado n. 8, loia da
aguja branca. '
IV- vos tbuns.
mAif h i ca acaba receber """"a
e cor ae havana, etc.; islo a SOO rs. o covado para I"enua e bonitos e bem encadernados albuns de lidad
vender do|ires--a : na loja do Pavao, ra do Impe- caPas "e velludo, tuassa, tartaruga e marlim, al- Caixas
radnr n. 00 de Gama & Silva. igunsdos quaes coro microscopio para augmeniar dadi-
e
n. 7.
0.1 granulos Chevrier sio ordenados pelas
somihidades mcdicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao tomados a
lempa.
O |>rcco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chevrier,
c cm todas as pharmacias de Franca e dos panes
estrangeiros. *
?#
*

FIGADOdeBACALHAU
s, cora capa de tartaruga e de marfim,
lochique : s no Vigilante, r
ra do Cres-
GRANDE novidade.
, S no Vigilante.
1 Uiquisimos enfeites de todas as qualidades para
senhoras e meninas, chegados hoje da alfandega.
tintos
. Riquissimos sintos de fila larga e estreila com
IIvelas grandes e pequeas, com brilhanles falsos,
cousa de muito goslo.
Albuns
Tambem chegaram os riquissimos albuns para
oO retratos, -
cousa muito
po n. 7.
fiolinhis.
________________________ 1 Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
^57WfSlS&J '!u-,OdSo8CCresao?'72*3()0 e:J#;S D V,gilaD,e'
^ ^^**UalB*a***^^> Eufeiles para senhora.
Peo arocesso dr Cherner, pbarmaceDlico m Riquosissim enfeiles com laco e sem laco e de
Paris, rita du Fauhourg Monltnarte 21. outros^muitos gostos a 1$, 1,5500 e 3&: s no Vi-
Este oleo de um cheiro agradavel, e de g ante' raa do Cres>!0 n- 7:
mu sabor assucaradu o nico que nao tem *. Tr,nee,'BS-
ttm o amia tem o cheiva ,ln Li?l Oh I Ll8 uem Ojono, iiem o taeuo do peuce Ob-. netas, pelo baratissimo preco de 1A500, ditos de
jecto de numerosos relatnos scienlificos e retroza200rs.
mdicos, esle medicamenle que goza eraj Babadinhos enlreaieios.
Franca de um SOCCesso to raro como bem R'Q8*siraos babadinhos entremeios com lindo;
merecido, i receilado diariamente filo*ISSSSSB^SS*?$t' 5S10 Wf**
principa** media dos hespitaes de Paris. rWceJn. *'' S D V'g,laDle-
O OLEO DK F1GAD0 DE BACALHO DKSINFfiCTA- j Cascarrtias.
O fehrugi.noso emprega-se com OS maiores! Grande sortimento de cascarrHhas de diversas
filiccessos lias molestias em que se emprega ,ar8uras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
0 oleo quando sao acompanhadas de debi- p" ^ara enfeUesis0 no Vigihote, ra do Cres-
dado, e atona. ip .,
Filas.
eposito geral em Peroambac* na da I Grande sortimento de fitas de diversas larguras
Oaz n. 22 em casa de Caro* A Barboza. e qualidades, por precos que adoiirara aos couj-
i pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
e 9 varas a 2,5 5 s no Vigilante, ra do Crespo
com o compeleuto suito : na ra da Iraperatriz n.
GO, loja do Pavao.
taoiisiiihasa ij0-
Vendem-se camisinhas cora manguitos, sendo
muilo bem enfeitadas. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato proco de dez tusloes onda
urna: na loja do Pavao, ra da lmpcrafriz n.60,
de Gama & Silva.
Vestidos para meninas.
Vendem-se s mais modernos veslidinhos para
meninas, sendo muito bem enfeitados Maria Pia,
tendo de differoDltt lmannos, pelo barato preco
de 85 cada um : na loja do Pavao, ra da Impe-
ralriz n. 60, de Gama & Silva.
Ruupa feila rala.
Vende-se um grande sortimento de roupa feila
para homens, sendo calcas de bnm brance a de
cor, dilas de rasemira reta e de cores, ditas de
meia casemira, paletols saceos e sobrecasacos de
casemira e panno preto lino, colletes de todas as
qualidades : na luja do Pavo,. ra da Iraperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
(rosdenaplede cor a 10600 o covado.
Vende-se grosdenaple de cor azul, branco e pre-
to, pelo barato preco de 14600 o covado : na loja
do Pavao, ra da Imperalriz n. 60, de Gama
Silva.
I'aiiD de linho a 700 rs. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno de linho proprio
para lences, toalhas e ceroulas, pelo barato preco
de 700 rs. a vara : na loja do Pavao, roa da Im-
peralriz n. 60, de Cama Si Silva.
Economa do Pavie.
Vende-se para acabar, orna perco doretalhos
de laas e eassas de todas as qtralidades, a por pre-
ces muito em coola; quero tem economia que
pode apreciar : islo na Ira do Pavao, roa da Im-
perafrii o. 60, de Gairt & Silva,
para fi
A aguia branca nao eessj de encomraendar do
que ha de melhor e mais agradavel, e por issoaca-
ba de receber diversas figurase vasos de pede
peora com fina banha, assim como bonitos frascos
ae excellentes extractos e Ijndas cainmas de ma-
deira euvernisada com lirias perfumaras, tudo
raui proprio para presenteslde festaa etc., havendo
aintieirodinja-se o pretndeme a ruado Queima-
aon. 8, loja da aguia branca.
Ail fino para engom-
na do
A aguia branca na ra do Queimade n. 8, rece-
bou glbulos de ail fino e frasquinhos com
sencia de dilo para engommados.
Outros enfeites.
A aguia branca acaba de receber por este ulti-
mo vapor ura novo sortimento de bonitos o delica-
os enfeites de moldes inteiramente novos e de um
apurado gosto, assim pois cowparecam os preten-
uentes munidos de dinheiro e com disposiyao de
gastar: na loja da aguia branca ra do Queima-
Pequeos penles de tur-
tarvgk.
A aguia branca na rua-do Queimado n. 8, rece-
ceben novaaieuie esses pequeos penles de tarta-
ruga que por suas quaiidade^ de pequeos, lisos,
oonitos e bem feitos tanlaesiipja tem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabello quande atado 1 a
aguia Dranca porro avisa aquellas pessoas que os
baviam encommendado e anquera mais queira
aproveilar a occasio de os comprar continuando
a seren vendidos pelo raesmj preco de 4 cada
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 e 5o, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia est continuando i
vender muitt barato, pois seu genio dar a fazen-
da por lodo preco a visla dos cobres.
Cartas de allinetes francezes da melhor quaiidade
a 80 rs.
encom- Grosasde pennas de ac inglezas da inelhor qua-
'-'e a 640 rs.
de clcheles francezes de superiores quau-
es a 40 rs.
Grasas de botoes de madreperola muito finos ao'C
e 640 ris.
Carreteis cora 4 a 5 oitavas de rclrcz preto lino a
640 rs.
Ke|mnSndC papel de peso liso muito superior a I
Grvalas da liga e de outras mnilas qualidades a '
5C0 rs.
Caivetes para peona com 3 folhas fazenda bes a
800 rs.
Duzia de botoes branco para cuaveqaes de senho-
ra a 100 rs.
Pejas de lila de eos estrellas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os moninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 1^000.
Cartilhasda doulnna chrislaa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes linos de marlim a 1*000, 1*200 e 1*300.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras i
500 rs.
Gollinlias para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
MACUINAMLPA.tiYt
de trabalhar mi
.escarolar agotlo
KAUI'.ICAAS
Por Plant Brothers & 0.
HIAI
es-


ATTENCAO.
hm Santo Amaro no principio da estrada de
Belin casa encarnada vende-se 9 moradas de ca-
sas pequeas de pedrae ral, ehaos proprios, com
quintal de 160palmos de fundo e 16 de largo, ten-
do a ca
por mvz. Vende-se mais no mesmo lugar dous
sitios com boas casas de vivenda, cacimba d'agua
de beber, dous grandes vireiros de peixe, tendo
um lio brea:t de romprido e mais 4 pequeos,
muit.is arvor'es com mais de 40 qualidades de
fruetas, grandes baixas de capim aonde se con-
serva todo anno, um banheiro de pedra e cal,
coread para gado e curnl, proporedes p*ra ter
seinpre 6 vaccas de lene, torra rultivada para
plantacoes aoade ja tem mandioca, algodao erva-
eio edoorioulo, 300 ps de caf novos, grande
plantaco de sraruta etc., nao tendo estas propie-
dades necessidade de cercas por ler nalnraes,
tendo alm disso exoellente porto de embarque
dentro do mesmo sitio, alm das excellentes casas
d moradia qae tem e ser chaos pronrids, tem de
m.ii a mais muita lenha de mangue : vende-se
assim como as casas cima annunciadas ludo jun-
io ou separado.
IJVJECCAO BROW-
Remedio infallivel contra as gnoirheas
antigs recentes, uraco deposito r a bo-
ica francera, raa 4a Cruz n. 22 pre-
de 9
n.
las de la.
Fitas de 13a de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrura de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
lucos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura denrada
sem ella de 8*, 104, 12* e 14*, assim como coro
cslumnas de differentes tamanhos a 2*, 3*, 4*, 5*
e 6*; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
u. 7.
Para sis de arras.
Riquissimos vasos coro henela para p consa de multo goslo a 1*800 e 2*, assim como
nacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumadas.
Grande sortimento de extractos e banha?, poma-
das, assim como de lindos copos oo vasos com dis-
linctivos e offerecimentes as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como ns grandes ropos de banha japoneza
a 2* e a 1*, assim como ontrosohjectos que nao e
possivel por hoje annonciar, e vista dos fregue-
zes se fara todo negocio; na loia "de Gallo Vigilante,
roa do Crespo n. 7.
Madapolao a 7000, s na loja do Pavo.
Vende-se superior madapolao muito encorpado,
tendo 20 varas cada peca, com 4 palmos de largu-
ra pelo baratissimo pre?o de 7*000 a pega, ditos
muito finos a 8*, 9* e 10*000. E' pechincha, na
loja do Pavao, ra da Iraperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
GortetdeeassaaSdOOO.
Vendem-se mullo bonitos corles de cassa, tendo
7 vacas cada corte, com dcsenlms muito delicados
pelo baratissimo preco de 3*000 o corte; s aa
loja do Pavao, roa da Imperalriz n. 60, de Gama &
Suva.
Cerles de chita francesa.
Vendem se finissimos cortes de efeita fran-
coza, com 12 covados, tendo, padr5es escuros e
ak*rj:s d ores fixas pelo baratissimo preco de
**000 o rnrte; s na loja do -Pavo ra da Irape-
ratriz n. 60 de Gama Cambraias lisas, na loja do Paras.
Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
i'nnn lran,!nar''n,p. Pe'" baratissimo preco de
4*000jendo8 1/2 varas cada peca, ditas muito li-
nas a /*, 8*, o pec>, ditas Victoria com tO
varas pelo baratissimo preco de 7*. 9* e 10*, di-
las Garrazes fazenda muito encorpada. fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 2*600 a peca ;
Isto na loia do Pavao, ra da Imperalriz n. 60,'de
Gama & Silva.
Caries de lia a 1*000.
Vendem-se corles de las garibaldinas, matisa-
das e de quadrinhos. tendo 12 covados cada corte
pelo baratissimo proco de 4*000 o corte; isto na
loja do Parlo, ra da imperalriz n. 60 de Gama &
8i!ra.
um.
Frascos com superiores banbas a 240, 320, 'OO e
1*000.
Livros qne serve para assentar roupa, pelo diminu-
to preco de 160 rs.
Capachos redondos muilo finos a 300 rs.
Cordao branco para espartilhes muito superior, a
vara a 20 rs.
Carrilis com 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Cartes com 200 jardas de linha branca garanti-
das a 60 rs.
Grosas de pennas de ac superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de core larga para toa-
lhas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, oh que cecbincba a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 n.
BsUi ii si .-
podan decarofSjf
;. r i--; i.' i
de algodao sea
i^:r:i::;:r o fie,
sendo Hoiaaia
duas;..
oliaball.o; jun
descansar nn
arroba 'de algo-
dao em c.irnp
em 40 niatos,
ou ':s arrotas
por dia oo 8 ar-
robas de alg ds?
limpo.
Assim como machinas para sarta movidas |^,-
animaes, qne descaropm 18 arrobas de ;.;:(u-
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender ura Ltlli.-s n o va-
por que pode foaer mover seis desias ir: rl irss
mencionadas; para o quo convidase aos Si-.
agricultores a virero ver e examma-lo, r.o xrn.a-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
Saunders Brolhers 1 C.
X. II, pra^a do Corpo Bmmtm
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO?
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Baiairirn
conhecidoj como tal, est dispondo a.. Ia?en >
por lodo o preco para apurar dinheiro, sjcn u. sai-
zer venha ver e traga o robre, e vera o tretele i
Barallios de cartas paia voliaiele muilo
finas a............................
Miadas de linha froxa para bordar a.. .
Pares de sapalos de Iracca de todos u
taniauhos e finesa...................
te
Massos de snpeiitrgra rapos para cabello?
Grosas do batoes de lonca prateados muilo fino a Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
Pttnmlrx Baau..^ c i 160 rs. 'Libras de ara prea milito soperior a...
uoiuruw Ul anCOS ficatn pretOS Tesouras para costura superior quaiidade a 500 Frascos de superior macaca oleo a ....
O bom resultado e o rpido eHeilo que produz
a untura de chroroacoroa, e mesmo e facillimo
modo de applicar tem so tornado mu i conhecido e
apreciada por todos que usar delia e per eonse-
guioie augmentado a oxiraca, pelo que a aguia
oranca andou vir mais o.novo sortimento que
acata de receber constando elle de
Lanas com cliromacoma para tingir os cabellos.
i*rseos coni coloricoma para lustrar ditos.
Uos com hydrocallelhricbina para limpar ditos
uitos com oryhromantina para limpar as un has
i>afroneics brancos para lavar os cabellos.
Pomada callicomiphila para dar cheiro aos di-
tos sem offender a preparacao feila.
Sapatos de marroquim dou-
. rada para bailes.
Esses sapatos do grande lom vendem-se nica-
mente na ra do Queimado loja da aguia braia n
8 a 6* o par.
Meias finas para senhoras
gordas
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
oranea n. 8.
Esponjas finos para rosto
Vendem-se na ra do Queimado loja da agoia
ofanca n. 8.
Cylindros para pada*
ria.
Na padaria da ra Direita n. 84 ha para vender
os ceahecMo* e acreditados cvhndres americanos
para trabaibo de padaria ultimamante ehe^ados.
a
ris. Ditos de dito perola a.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs. Ditos de oleo de babosa muilo finos a 320
Caixas com superiores phosphoros de segurancaa rs. e...............................
160 rs. i Ditos de agua de colonia superior, garan-
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a 640; lida..............................
ris. i Ditos de banha muito Ana a............
Caixas enm 20 qnadernos de papel amizade, muito Ditos de cheiros muito Unos para o preco
fino a 600 rs. | a ris.............................
Qoaderiios de papel pequeo mnim fino a 20 rs' Saboneles de todas as qualidades a 60 rs.
V-iht da Madeira 9 do Porln lNnelordVjinVacciWja'rdV"a.V.*.!;
Vende se o superior vinho da Madeira e do Pnr-. Carriteis de linha de cores com SCO jar-
te, em caixas do urna e duas rinzias : s na loja. das a............................
do Vigilante, ra do Crespo n. 7. Novellos de linha de gaz de todas as c-
* iiii .. .... -1 i11 ... .i I Tpc
Raa da Semalla n. 42. Pecas de fitas elsticas com 1'varas pa-
Vende-se, em casa de S. P. Jobnston A C,:_ ra vesj'*s a.......................
sellins e silhBes inglezes, eandieiros e casti- papfLd?,^D"0.^frheiro?Ppn^.os,a
faesbronzeados, lonas inglezas, fio devela, rm.^^.^Tl9.^
chicotes para carros e montara, ajreios para Varas de tucos francezes, snperk'res a*...
carros de um e dous mallos, e relogios de 2pinla Para dentes da meiher que ha a..
Frascos de agoa para denles, superior a
' tudo a........;..........#>;.....
Pojas de tranca preta liza mono fina .-
Caixas com 4 papis deagolhas Victoria a
Varas de fita preta com rolletes a.....
Libras de laa sortida de todas a odres a
Bonecos de choro muilo bonitos a......
Caixas de obreias de ma ssamnto novas a
Varas de franja .branca e deires para
toalhas a.........................
Frascos de oleo Philocomescopenor a...
Ditos com superior tinta a3O e.........
Caixas de linha de gaz rom oOuoveilos a
Enfiadores para espartilho .......
Duzias de boloes enesbaaos para veso
, -a a........ ......................
ouro patente ioglez.
Roa da Semalla Nova b. 42.
este estabelecimento vendem-se: tac c
ferro coado libra a 410 rs., idemd eLov
Moor libra a i 20 rs.
Farelo soperior de Lisboa a ><$ o sacre.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo 4 C. n,o sen escriplorio rna da Cruz n. 1.
llhUBIi "
para 20 at 200 retratos, mnito hon? e por menos
preco que em outra qnalquer parle; na ra de
Crespo n, 4.
UiiO
ao
2f0
IfO
IfO
SCO
fOO
wo
640
060
4PO
Bit
I
140
aw
4i^0

K'-'O
m
40
ato
it
40
O
seo




7

^^^^^Ml
Dl.rlo de Prr-.mb.eo Segunda elra de Janeiro de I 84
I

AURORA BRILHAHTE
grades m\im
lE
MOLHADOS
Largo da Santal VI\IIAS
|Crz ns. 12 e 84, f 1 \ IlUkJ
eiS,f^rdaruidoESPECIAE8
-"
I Largo da Santa
jCruz ns. 12 e 84,
esquina da ra do
Bate*
Iwaaaaat
O dono dos j maito acreditados armaxens de molhados denominador Aurora
irilbante, acaba de receber de sua propria ^ommenda. rouitosjeneros fel.eaoos
pnprios da presente eslacao, e tendo grande sortimento comprado aqui,auanc* que i
os seas gneros sao de i .qualidade. .. ans nor-
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de comas aos por
0W Nenhum armazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Brilhante, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu dono se aerar enu
modado em sua saude e ter de vender um de seas armazens agora, e o ouin p
xiraa primavera, par isso devo-se aproveitar urna quadra destas para se compra
barato.
Latas com 8 libras de chouricas muito novas,
a 75dO.
Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
mais de 12 qualidades, a 1000, 1**80 e
istoo.
Ditas com ostras, eicellente petisco para fre-
gidoira, a 720 rs.
Ditas com ervilhas novas, ensopadas, a
79 rs.
Ditas com favas, a 64 re.
Ditas com amellas a 1*200, 1*800 o 3*00.
Ditas com marmelada do afamado fabrican-
caatfl Abreu, a 880 rs.
Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
Dita* com figos de comadre, notos, a 1*500,
23 3 25500.
Ditas.-om bolachinhade soda muito novas, a
25000.
Ditas com biscoilinhos ioglezes de omitas
qualidades, a 1*480.
Chocolate.
Glivolate superior muito novo, a libra a
1*3*0.
Micanfio telliarim e aletria amarella.a libra
a iSO rs.
:>ito -lito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinha, pevide e outras mas-
is, a raixa 35500.
Ditas dita era libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para s6pa a libra a 240 rs.
Krvlns seccas, a libra a 160 rs.
Bitas le;cacadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de aramia verdadeira, a libra a
oOOrs.
ferros do Maranho, em sacca a arroba a
2*W0 a a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 3200 c a
libra a 100 rs.
Toucioho de Lisboa a 550O a arroba o a 320
rs. a libra.
Do de -antos, a arroba 75000 e a libra a
2(i) rs.
Molaos com 125 sebolas grandes, a 15280.
\ i-urda raaeeza caixa com 2 duzas a
85300.
Fraseos com mo=tarda preparada em vina-
gre, a 400 rs.
Ditos cim conservas inglezas e francezas,
a6i0o800rs. atn An
Ditos com sal reflnado fino., a 640eao0
ris. ,
Ditos com a verdadeira genebra de laranja
a 15200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
15001
Ditos do 1 garrafa de Hollanda verdadeira,
a 6'i0 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
(iarrafoes com 2 gal5es com dita, a 6*000.
Scrveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 65000.
Yinho mascatel de letuba, a garrafa a
15U00.
liarrasquinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
ea 1*200.
Ciianipigne, a duzia 20*000, e a garrafa a
23000.
Azeite retinado portuguez e francez, a gar-
rafa a 1*000.
Caixa de vinho Dordeaux muito superior, a
75.83. 95 e 105 a caixa.
Ditas com dito branco, a 7*000 a cana.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 20*.
Dius com duque do Parta verdadeiro, a
Ditas cora ehamisco superior, a 14*000.
Ditas cora Porto vettio e outras multas mar-
cas, a 12*000.
Yinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
720 e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bem, a caada a
3*200, 3*500 e 4*000, e a garrafa a oOO
e 60 rs. ,v .
Dito da Figueira, das segrales marca, (X.)
(J. A. A.) (J. L G) (O- M.) a caada a
45500 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazem.
Ditos de marcas mals desconhecldas, a cana-
da a 3*300 e 45000 e a garrafa a 480 e
SO rs.
a arro-
Viubo branco lino, a garrafa a 640 rs.
Dito do caj muito superior, a garrau a
800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 3*000 e a garrafa a 480 re.
Gemina.
Sacca. de 4 arrobas, a Wrd** *>
engomroar, a arroba a 3*000 e a irara
SabaS massa, a liDra a 200, 240 e 280 rs.
Farinha.
-acras grandes com farlnha deGoianna mw-
lo nova, a 5*000.
Gaf do Rio muio superior, a arroba a 85,
8*300 o 9*000.
Cha.
Cha lemos uestes gneros o melhor possivel,
hvsson, a libra a 25600.
Dito perola a 3*000.
Dito uxim a 2*700,
Dito hvsson muito lino a 2#W>a.
Dito redondo a 2*500. r^nn
Dito preto do primeira qualidade a -*ouu.
Dito mais baixo a 2*000 a 1*600.
Erta mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espramete.
O masso rom 6 vellas de espermacele a oOO,
iO e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prlas para miraos a 4* e 2g500.
Noxes.
Noies, a khra 160 re e arroba a 4*000.
Alpista e pataco.
Alpista e pataca, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas parajogar.a duzia a 2*500.
Castanbas.
Gastanhas novas vindas neste vapor,
ba 45000 o a libra 200 rs.
Azeitonas.
Barns com azeilonas novas a 1*500
Manteiga.
Manteiga flor, a libra a 1*000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dila em barris e meios ditos, a
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos novos viudos neste vapor a 3*200 e
35500. ,., .
Dito- londrinos muito novos, a libra a
1*000
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 4*800
Dilo dito lizo do linho, a resma a 4*oOO
Dito de peso lizo e pautado, a resma a
Dito de embiullio bom a 1* e 1*200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15300 e 25-
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do rciuo, cominho
e cravo, a libra a 4^0 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
i$ rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1*400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boi5es de graxa 97 a 2*600, e
de latas a 1*000, e os boiSes a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charatas finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caixas e meias
caixas.
libra a
NEM COROAS NEM MITRAS

#.. 'S* -
ROPA FEITA
GRAIDE ARMAZEM
NO
ABBAZEI
DE
RA IMPERADOR Jf. 4
Jauto ae w brado em que mora Sr. Osberae, |
Duare Almelda dk C, receberam de sua propria eneommen- j
da o mala lindo e variado sortltnent de molhados. proprloa
da presente estaca.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a i,000'para sopa a rrrelhor que se pede
rs alibra eem barril a 800 rs. macarro, talharim ealeiria a
Manteiga f raneeaa libra e 45500 acaixa.
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril YmilO
a 560 rs. Figueira J A A e outras auitas marcas acre-
desejar,
400 rs. a
Amendoas
confeitadas de lindrsgfeas cores a 800 rs. a
MR
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2f400, muito propios para mimos,
Oartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachirthas de seda de todas as qua-
lidades a i300.
Chocolates
de todas as qualidades a 15000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambera
temos velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados nesta ultimo vapor a 2)J6oo.
Qneijos
ebegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 860 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1200.
CM uxim
o melhor que so pode desejar, que outro
qualquer n5o pode vender por menos de
3J a 25600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hyssoa
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 25600.
Massas amarellas
para sopa, macarro; talharim e aletria a
480rs. alibra.
cec;\4c
o muito afamado cognac Pal Brandy a i ,80o
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Id en de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado das melhores fabri- ,
cantes da cidade do Porto a 45 e 45200
a garrafa e de 405 a 420 a caixa, as mar
cas so asseguintes: Chamisso ctFilhe,
F. A M., Nett ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 40 libras de baRha a 45000.
BolachMa ingleza
a 45800 a barrica damesmaque
vendem a 25000 e 25400.
Nozes
as mais novas do mercado a 420f* .d bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 45500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thora Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 40500.
Arroz
do Maranh5o a 400 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 4.* e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 '/ garrafas com vinagre a 4 5000 ida
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 40000 o frasco, e de 445O0C
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 coa
42 frascos.
GENEWRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
IETREJRO VEKDK.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimeato completo a roopa feita de
todas as qualidades, tambem se manda faer por medida, a vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, asrm como tambem tem nm
grande e variado sortimeBto de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos. __
Casacas de panno preto, 355 e 305000 Ditos de setffli preto. .
Sobrecasacas idem, 305 e 250000 rjtos de ditos e sada fc anco,
Paletos idem e de cores, 250,
205, 455 e......405000
I Dites de casemira, 205, 450,
425, 405 e...... 75000
Ditos de alpaca, 55, 45 e 35500
Ditos ditos pretos, 95, 70,
55, 45 e...... 35500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 45500, 45, 35500 e. 35000
Ditos branco de linho, 65,50 e 40000
550001
65 e.......
Dito de gorgorio de seda
pretos e de cores, 65, 55 e
Colletes de fosfi e brim bran-
ca, 35500,35 e
Seroalas de brim de linho,
25400 e ......
Ditas de algodaa, 45600 e. .
Camisas de peitos de linho,
4*. 35 e. .....
Ditas de madapolSo, 25500,
25*
45*00
Ditos de meria preto de cor-
do, 405, 75 e..... 55000 25 e......
Calcas de casemira preta, 4 25, Chapeos de massa, pretos fran-
105, 85 e...... 750001 cezes, 405, 95 e. .
Ditas de cores, 95, 80 e. 75000; Ditos defltro, 55,45,35500 e
85500
25O0O
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordSo, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
Ditos de sol, de seda, 425,
40000! 445, 75 e...... 6tM0
Collarinhos de linho uno, ulti-
450OO! ma moda duzia. 61000
I Sortimento completo de grava-
20500! tas. I
20500 Toalhas parroste, duzia, 111,
e........65000
cores, 90 e......70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
40000 tose de cores. .
I Lences de bramante de linho.
355OO Cobertas de chita chineza.. .
Ditos de casemira preta, 55 e
Ditos de ditas de cores 55
45e
45000
35000
25500
DE
J. VIGNES.
W. 55. RA O IMPERADOR W. **
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz coahecidos para oue seja necessario insitir sobr *
ua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesu-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca c-lc-
suindo um teclado e machinismo que obedecem tedas as voRtades e caprichos das pianistas, =?tn-
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se foito ltimamente melhoramentos importan-
tissimos para o clima deste paii; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por uto maito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. ----- ._-----
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabriea como na do Sr. Blondel, de rans, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesK-oes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e vanado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendidc p-^r
precos commodos e razoaveis.
XESXSZSZVC ~sgBSS!XSrm
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
. lhor.
Papel de botica
! de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de 4,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
4,4oors. alibra.
Vinagre
PRRem ancoretasde 9 caadas a 4 0,000 rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 4,ooo rs. o molho.
Alpista o Painco
o mais novo do mercado a 4ii, rs. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimento, que deixam de an-
nunciar-se.
MMW
4 i 0 CORTE.
Pecnincha sem igual
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedad* de padrees
pelo baratsimo prego de A$ o corte: na luja das
c lumnasra do Crespn. 13, de Antonio Cor*
rea d Vaseoncellos A C.
p YenHe-se pota*..; b Harria a eommado preco o
a roa a Cruz n. 23, primeiro afldw, eseripion:
4* AatoB de Almeita 6omes.
com urna duzia e a 4,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba era caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas oras
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e400rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 440 rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 45 o caixae.
GOMMA MUITO NOVA
muito novas a 40000 o cento na ra do Qoel-' em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30300 a ar-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
CRIO DE BICO
muito novo a 35400 a arroba e 440 rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEIJO SISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do
Queimadon. 7, ra da Imperador n. 40 e
largo do Carmo a. 9
robae440rs. alibra na ra do Qoei-
mauon. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
do Carmo a. 9
BOLACHINHAS
em latas de defferentes qualidades a 40200
3 loto
QUEIJOS FLAMENGOS
chegados neste ultimo vapor a 20800 na roa
do Queimado n. 7, ra do Imperador n;
40 e largo do Carmo n. 9.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
fraguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguints lugares:
0 Verdadeiro Principal roa de Imperador i. 40 .
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 k I
horas da manbaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos^ das santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos preces seguintes
Carteiras de 42 tubos grandes. 425000
> de 24 tubos grandes. 480000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos grandes. 305000
de 60 tubos grandes. 355000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com osrem;li
que se pedir. -------
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 10' 00.
Sende para cima de 12, custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITRMk
A melhor obra da homeopalhia, o Manual de Medicina Homeopathico d Dr. Jahr.
dons grandes volumes com diccionario............
Medicina domestica do Dr. Hering........... 9*9^9
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 600
Diccionario de termos de medicina.......* 30<>oO
Os remedios deste estabelecimento s5o por demais conhecidos e dispensam portan-
te de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeas, a mais exacta e aecurada preparaco, e portanto a mawr ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qoalqoer
operaco, para o que o ansunciante julga-se suficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa a mais de quatreannos, ha muitas pessoas de cajo coneeite s nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarwn mandar saos
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahi em diante 10500.
As operares serio previamente ajustadas, se nao se quizerem sajear aos precos
oaveis que costura! pedir o annunciante._______
M
Fardo de Lisboa.
Vendn-se superior farelo em saceos grandes e
por preco commodo, vindo pelo ultimo navio : aa
ra (ta Amorim, armazem 50.
NOVIDADES.
Queijos do Alentejo. ditos das ilhas o mais fresco que so pode dese-
jar a 45260 alibra, esendo inteiro ter alguna abatimento, ricas caixinhas
redondas enfeitadas, proprias para mimo da testa pelo barato prfco dei40
cada urna, ricas cafxas de 8gos tambem preprias para mimo de t)0 f 500
cada ama. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, ra do
Imperador a. 4.
*
Vinho do Porto especial.
O mai generoso e genuino vinho do Porto, mar-
cas novas e especiaes, em caixinhas de 12 parra-
ras, sendo marcaRainha de Portngal-a 18*000
a caixa, e marca Podro Va tej; em porea
far-se-ha m abale raioavel: no armaiem de Fer-
rolra & Malheus, Jnnto ao arco da Conreicao n.
66. No mesmo armaren ha tambem exelente
vinho do Port em aocoreUs de 32 garrafas a 36*
cada orna, e m porcSo por menos al goma coasa
Vendemse charutos da Baha de varias qoa-, tamanhos para ditos,
lldades: em casa de Motihard & C, roa do Tra-1
Biche n. 48.
AGENCIi.
a
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
l'*0 a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 46 e ra do Trapiche Nova n. '6
..... I T. i,
ATTOMC
ALO
Vee-e sferior vinhe de Peno ea aixas de
um* dniia : de JekBStM Pater k G., roa
do A>f rio a. 3.
Superior cal de Lisboa.
Jtt?nX?tio e'm^o* iSSlZZ S 34lar^do Imerior/algod;ic,d'aqH.l-
qneh. o, wn'o em p^ ^ compr3A^ la fabrica, proprioj'ara saceos de asra-
AGENG LOW-MOOL
tuda Semalla iva 42.
Neste estabelecimento conna a aavar
ara completo sortimento de moendas e eaeiaa
moendas para engenho, machinas 4a vapor
e tachas de ferro batido e coado, da lados os
Ihe, por barato tr^.afiaricando-se
dores uaerior qnalidade : a tratar as segniites
ras : Crespo n. 7, Imperador n. 18, Porte do Ma-
tos, armazem do 8f. AvHIa, defromW o trapich
algodo.___________________
Vinho da ?orto %^x\W
en barris de oitavo e dcimo, vende Antonio Lniz
de Albuquerqoe Azevedo h C.: ne seu escriptorio.
roa iCfWi. I
8
I
Fabrica Conceic5o da
Bahia.
Andrade A Reg, recebem constante-
mente e tem veoda no seu armazem .
car, emhalar atgodao empluma etc., etc.,
pel preco mais razoavel.
Castes de Bembos e barradlos,
Vendem-se casaes de combos hohs batedores, e
borrachos: a* rt larga do RwtHo o. la, tercei-
ro andar.
?


Arados americanos a
lavar roupa: em casa da S. P. Johnston dt C.
roa da Sentana Nova a. 42.
Vende-se
um excellente carro americano com 4 ra-
das e arreios para um e dooscavallos sen-
do muito maneiro e leve, -o qual tendo si-
do tido reparado de novo se acha ao me-
lhor estado de perfeico e asseio : a tratar
com Antonio Jos Rodrigues de Sorna na
ra do Crespo n, 45, das 4 horas do dia al
as 3 da terde._______________________
-r. Veae-se em casa de areeliao La
do Crespo n. 5, nm palea" de nn nj seta
branca, vindo de Lisboa peta altimo man.


1
Diarlo de Fere>aaabneo rentada lelra t> de Janeiro de 1 4

MAGNIFICO SORTIMENTO
DE
MOLHADOS
NO
GRANDE ARJRAZEJtl
DA
LIGA.
OO RA MOV A OO
C asa da esquina junto a ponte da Boa Usa.
MU1TA ATTENQAO.
Parece que o respeitavel publico se achara bastantemente convencido de que a
directo deste importante estabelccimento tem sido sempre caracterisada pelo maior
goeto e capricho, nao so com relacSo ao asseio, superioridade das mercadorias, como
na sinceridade do trato e maneiras altenciosas dos empregados da casa para com todas
aquellas pessoas que se dignara derequenta-la.
Muitas senhoras pernambucanas e eslrangeiras, cujo trato ameno e delicado n3o
pode ser concedido a qualquer individuo no recinto de um estabelccimento da ordem
da Liga tem viudo possoalmente refazer as suas despensas nesta casa e voltado asss
satisfeitas.
E' preciso fazer desapparecer desla importante capital estas nojentas tascas cheias
serapre de escravos embriagados, onde as chufas sao jogadas sem respeito.
O importante e magnifico armazem da Liga se acha felizmente muito fura
dessas condicces. E' necessario v-lo para bem se prestar crdito a nost as palavras.
A mercadoria nunca ser bem comprada se ella nSo fr de boa qualidade.
sobre este ponto que chamamos a attenco das pessoas que nos quizerem honrar com
a suafreguezia; porque o nosso grande estabelecimento se acha completamente prvi-
do de superiores gneros, que em sua mxima parte foram comprados a dinhiro
vista, e recebidos directamente de Londres, Paris e Lisboa.
Ninguem se acha entre nos com mais proporces para vender barato.
As pessoas que compram para negociar, fariam muito bem te quizessem se cer-
lificar do quanto havemos expendido prourando afreguezar se com nosco.
NSo duvidamos tender a crdito a quem nos der conhecimento de sua probidade
Amendoas confortadas em ti asa s de vidro, ditas com casca mole *
e dura Ameixas francezas em frasees de vidro, ditas em latas!
ditas era cartees, ditas a varejo =Alpiste e railho miudo.l\s-
sucar refinado fino, dito baixo. Azeite doce em barril, dito
em boioes, dito engarrafado, dito francez e pertuguez refinado.
Arroz do Maranhao, dito de Java, dito da India, dito do Penedo.
zeitonas de Lisboa, dita do Porto.Banha de porco em barril
dita em latas, dita refinada em barril e latas. Batatas emgigos,
dita era caixas, ditas a varejo.Bolaxinhas finas de diversas
qualidades, ditas de soda, ditas para lanche, ditas americanas.
Biscoiles iuglezes, Mixede, Medum, Cabim, Seed, Soda, Cuddy
Cracknel, oval Thim tapitam e outras mais, ditas de (eite de
Edimburgo, etc.Caf do Rio de I.*, 2.* e 3/ qualidade, dito
miudo.Cha, o que ha de melhor existe em rrossos armazens,
uxim, miudo, dito hysson de 1.*, 2.*, 3.* e 4.a qualidades, dito
preto horaeopathieo, dito commum.Charutos Mussissipis, ditos
Panetelas, ditos regaba imperial, ditos suspiros, ditos delicias,
dito* NapeleOes, ditos Parisienses, ditos apraziveis, ditos lancei-
ros, ditos imperiaes de diversos fabricantes. Chouricas mou-
riscas de Lisboa, ditas em latas.Chocolate de diversas qualida-
de* e de diversos fabricantes. Cerveja Basse, dita Victoria,
ditas Alesops, dita tenenie, dita H, dita XXX, dita em barril
branca e preta.Conservas inglezas, dittas francezas, dittas ali-
menticias.Cevadinha de Franca. Cbanpanha superior de di-
versas marcas.Cognacinglcz, ditto francez. Ceblas de Lis-
boa em raolhos, ditas em restias.Copos lapidados para agoa
ditos para vinho. Doce de calda em latas de diversas qualida-
des, ginja, alperch, pera, pecego, dope de goiaba, em latas ditos em
caixes ditos em frasco de calda de assucar, ditos de cognack.Ervi-
Ihas em latas, ditas em casca, ditas sem casca.Espermscete de 5 e 6 o
maco.Figos em latas de 4 e 8 libras lindamente enfeitadas, ditos em
caixas grandes e pequeas em barril. Farinha de trigo de diversas
marcas, dita de araruta, dita do Maranhao, dita do Aracaty.Fumo
do Rio em latas dito em rolos, dito em lata (do Para) para cigarros.
Genebra ingleza marca gato, dila dita em frteos, dita e II llanda em
frascos, dita dita em botijas, dita de Hamburgo em frascos, ditaem bo-
tijas, dita em garrafes.Graxa em latas.Limonada de diversas ruc-
tas.Licor inglez, dito francez, dito allemao. Manteiga ingleza flor,
dita de 2.a qualidade, dita de 3.*, dita de 4.a, dita franceza de 1.a qua-
lidade, dita dita de 2.aMassas para sopa, macarrao, talharim ealetria,
dita estrellinha e pevide branca e amareila.- Marrasquino de zara de i.*
qualidade, dito 2.a ita, dito 3 a dita. Maimelada muito fina. Molho
inglez, dito francez.Mostarda ingleza, dita iranceza.Presuntosin-
glezes para fiambre, ditos americanos, ditos doPotto para tempero,
dito de Lisboa. Passas de Malaga, ditas de Corinthias para podim.
Pomada do Pirto.Pimenta do reino.- Peixes em latas, tavel, curvi-
na, pargo, espada, congro, chermy preparado pelas melhores arte de
cosinha.Papel greve branco, dit pautado, dito almaco, dito de peso,
dito amarello.Palitos lixados para dentes, ditos ditos com flores, ditos
americanos, ditos do gaz.Oueijos inglez e londrino, dito flamengo dito
prato, dito suisso.Rap Meuron, dito francez Sale me em latas de i
libra o melhor queaqui tem vindo. Sardinha de Basse, dito de A.
L'Auile. Sabio nacionol, dito massa a nao massa, dito inglez. Sal
nacin i I, dito inglez a varejo, dito em vidros. Toucinho dt Lisboa e
Porto, dito de Santos.lijlos para limpar facasVinhos, nesle gene-
ro os nossos armazens tem o melhor soi tirn- uto que se pode imaginar,
duque do Porto, lagrimas do Douro, Comees, Bocage, Maria Pia, D.
Luiz, Pedro II, Malvazia, Madeira, Cherry, Bordeaux, tudo engarrrf do.
Prevenimos ao publico do que no armazem da liga s tem vinho engar-
rafados no eslrangeiro, dito em pipa do Porto, Lisboa, Figueira e de Sete,
dito em b rril de todos os prives, dito ein ancoras, dito chamisso mui-
to proprio para casa particular em barrilinhos com 150 garrafas por
preco a satisfazer o mais exigente comprador euquanto a qualidade
garantida por nos e pelos seus importadores, dito em caada por preco
baretissimo, dito branco pan missa.Vinagre puro de Lisboa, dito ham-
burguez, dito em garrafocs. Vassouras do Porto, ditas americanas.
AO PUBLICO
Sena o menor eonsiraa-
glmento se entregar o
Importe de genero que
nao agradar.
ARMAZEM U
Irritado dospulmoes,
Angina, tosse,
Escarros de Mingue,
Crupo ou gniTotilho,
Catarrko, rouquidao.
e todas as innumeraveis molestias que tf-
se para o ajuste de eontas feclam aos org5o8 da rfl8pracao
DESAPPARECF.M
mediante a aeco da balsmica e irresiau-
vel
ATTENCAO
Os preeos da seguate
tabella para todos, po-
dendo aaslm servir de foa-
cona os portadores.
ANACAHUITE
RIJA RA CAMBIA IlO RGDIFE ]. 53.
Grande redneeSo de preeos,
(Logo sassando o arco 4a Coneeieie)
equivalente a dez por eento menos do qne ontro qualquer
annuneianfe.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo!!! Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vita encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redcelo de preces, como veris'
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniio Mercantil n3o
se sabia de entro preco (re manteiga inglesa a nao ser o de !,4oo a l.Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reducto a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamado de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro potadores
al informado deste novo estabelecimento.: para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o scu 6m
tao smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptido e entei-
reza com que serao tratados, convida a uma vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar5o a proteccSo e preferencia na compra
Jos gneros que precisarem, e quando n5o pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, bavendo para com estes toda recommeudacao,afimde que nSo ve em outra parte
I.
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chegaram es motarnos vestidos de dentelle de seda com barra, inteiramenta novos
em gosto e qualidade : toja das columnas, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia
de Vasconcelos k C, successores de Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos de senliora
Superiores eortes de seda de cor, de morante, de gorgurao e de setim imperial.
Ditos de blond, o de eambria branca bordados.
Ditos de laa cum barra e grande variedade em eores e padrees.
Ditos de orgaodys com barra
Lindas sedas de quadros eseesseza e miudas.
Superiores lias lisas com grande variedad* do cores.
Ditas rom .-lpicos, eom llores e de quadros.
Lindas pampolmas de quadros e do ores, fazenda inteiramente nova.
Superiores passas de cores, e lindas eambraias oriaodys.
Grande variedade de chita de eores, de perra Ha tras militas fazendas de gesto.
Para hombros de seniora
Lindas capas e bonrnonx de-easetnira de cor.
Ditas de laa o de oda.
Grande variedade de sout'embaraues de seda de 185 a 40.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales do seda, de merino estampados Anos, de eachimira com listras de
seda e de IIA preto.
Camizinhas modernas, zuavos brancos o do eores, colletes de cambraia, lindas gol-
habas com pannos e ostros muitos arligos.
Para caaeea de seohora e menino
Superiores abapes o ehapellinas do pala* de Italia eeieiUdM para seniora.
Ditos do ettro enfeiudos para senhera.
Ditos de patha enfeilados para menino.
Grande sortimento de enfeites moderaos do ralroz, de freo, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columnas da roa do Crespo n. 13, e Antoeie Correia do Yascoaeol-
los & C.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8uo rs. a libra, em barril se
faz aba lmente.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a ooo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim e melhor que se pode desejar
oeste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopatbico por ser de superior
qualidade a 2,ooe rs. a libra.
dem hysson, huxim e perilla mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte per 2,4oo
e 2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serena superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,600 e 1,800 rs.
dem londrinos os mais superiores qae tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimente.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperi'al dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vmdos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gaa a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l ,00o e d ,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambera tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-1
da, salmao, ostras e chernee, vezugo em,
latas grandes a 800 e i,00o rs. cada urna, j
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a,
6,000, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante-!
se ser de qualidade superior, que outro,
qualquer nao pode vender por este preco. |
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e'
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a i .000 rs. o Irasco, e
H,ooo rs. a duzia.
[em de Hollanda em botijas grandes loo
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
miento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.800
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Pataco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
1 rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooe rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
fe i tas para esse tira.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Port muito fino excellente qua-
1 lidade proprio para engarrafar em ancore-
t tas com 9 caadas por 4,1,000 rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo eooo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,000 e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vi )ho branco para missa era caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
pouro, Duque do forto, DuqueGenuino,
Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
eitoria em caixa de 1 duzia de 9,000 a
0,000 rs. e a 9oo e l.ooo a garrafa.
Viriho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhasde Nantesem quartos e meias latas
S 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
1,8oo rs. a caixa cera 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes"
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por i,5o rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
per l,2oo; ditas em caixinhas de deverses
tamanbos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5ee, el,8oors.
Aceite doce refinado Penanol eu do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a fibra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o fraseo e
8,3oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a i60 rs. a libra-
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sepa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e 11,000 a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
! Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
' Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca maito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Babia e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l.oeo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba era latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banba de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,000. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
PEITORAL de KEMP,
a anacalntila mexicana, que da o he-mu
especial este incomparavel remedio, tima
arvore, cuja madeira por muito tempo e
ha usado no Tampico para a cura dss at>
fermidades cima mencionadas. Foi lasa-
ban) ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim.
O peitoral de Kemp um aan.pr deli-
cioso inteiramente livre de opio, aculo hj-
drocianico e outros ingredientes nociva.
A' venda as drogueiras de Cams A- Bar-
bosa, Bravo 4 C. e todos os aMabatacamea-
tos oharmaceuticus do imperio.
Assucar crvstalisaO 2 de Julho
Na Babia.
Noz.mazerc da iua da Madre de Dos n. W,
ha venda o e.ailo superior assr.oar crysialisr.dc,
ero saecoc e 2 arrebas, ao prego de f-i eada zt-
Esperaatfa
Luvas de pellica, branras, prea edeni, ,
em as brancas ha especialidade o una (arma in-
teiramente nova, mmelas de ac pollio e Taciacas,
volias de cootas azues turqueza.-. brincos balao a
800 rs. o par, Pukeiras de caballo a KJ080, mraiaa
econemica a 320 rs. a caixa, tinta roaamnratha
que dppois de 8 dias se pode tirar copia para teta
speciahdade ainda nao appareceu plagiarlo, en
feites com rila de roco, a Esperauca leve pn,. va-
por estes enfeilfs, nao consiandt qHe iljntn mais
tivesse recebid, porni nm p por mais de 3000. muifas especialidade qo* na
podemos annunciar por ser despendilo: vao roo
doQueimado n. 33 A, que se vendea batato c a
dinheiro.
Vende se caixes vazio* prori *
para bahaleires e finileiros a i 7f I
cada nm; nesta typogranhi.
Vende-se um comomeiro mariiimo ingles do
melhor fabricante Charly Frodshan, anlancand* >
seu regulamento, por diminuto p"eaa : a traa*
na ra .Nova n. 21, loja de Francisco Jos Gat-
mano.
O
iieiu
81 -RA DO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfacao de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando restablecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou ter das melhores qualidades, efrancamente afliancas pessoas que
se dignarem comprar em seu estabelecimento,que all de preferencia outra qualquer par-
te ser5o mais bem servidos, em qualidade e preeos, como em pesos e medidas, no que
sempreo annunciante foi escropuloso, em summa, nao illude a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradores que o queiram honrar como seu comitente lhes
assegura que o producto de seu laborioso trabalho sera o mais bem reputado ne merca-
do desta praca, para o que sejulga convenientemente habilitado pela longa pratica cora-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois de se--
rem fielmente umprido as suas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantes que lhe merecam conanca, fa-
zendo um abate vantajoso aos que pagarem a vista suas mercaduras, e encarrega-se da
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica commiss5o, entregando de
promplo seu pr< duelo, e sendo este applicado compra de gneros em seu armazem,
prescindir da commissao.
Dos seus antigos e henijrnos freguezes espera o annunciante sua valiosa protecejw, fre-
quemando como outr'ora sua casa, e pelo reconhecimento que lhes tributa offerece expon-
taneamenie seus servieos.
Jolga desnecesario publicar a tabella dos preeos de seus gneros : s5o seus recursos
garanta sufficiente de poder accr-mpanhar os menores preeos de idnticos e mesmo de
mais apparatosos estabelecimentos, tendo somonte em vista o augmento de suas vendas
diarias.
i"revenco neeesaarla.
Tendo sido o propietario estabelecido muitos annos com o mesrae ramo de nego-
cio na mesma ra, jolga prudente advertir que s affirma ,e se respensabtsa pe que
tem declarado no que disser respeito ao armazem. ___
1 mid rasara
Si-RUA RO IMPERADOR-SI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio,
9 ai S -1
3-S
as ,
~ 09

._ re> r*. =_ BP
OSi33>>-riSW^Hg
.. -_- ST" t~i *- ( ST"
a?*
ESCB1Y0S FMBS.
- Fugio no dia de segnnda-feira 26 de dcz<>i?>-
hro de.-te anno, o mulato Mancel, ncratvo ai ,.-
xi) assignado, o qual tem os signae- seguales
baixo, cheio do corpo, cor clara, eabfBoi gran les
e penteados, metade de um dente da (rente <; k
b do, cosiuma andar calcado, de palelot 1 rba|4o,
I vuu calca e camisa branca. Bslaaaasato ist 9-
cravo do Sr. Antonio da Silva Gosmlo, e ro.-!;; na
d zer que 6 livre : roga-se a todas as aotorittadrs
p iliciaes e rapitaes de campo, d* o apiirch-ndc-
r>m e levar a seu senhor, Frederico Gaulier, de4i-
nsta, ra Nova n. 19, que ser bem recompen-
sado.
p. c eo o 5- a. ^
o. ^ja
9 s M

B>5.
=1
o e a
a
o
o
o.
a
-?ssg-=.u
w ~1
i < s
t
SIS
^B-
O fi O!
^ o>
;-s
i e-
B g o.
j a c
(O
BS'S
o
H w a
3*o
a
c
0 E ^
OT 2. & 7 5.
o. 5 Q 3 o
i-l5"^
S-S i
O CJ
2 a 9L
1 m *f
fll
2
s Si
CA
3 0 3. ~.
" 5!
i
o "o "2
M i
m o
ce
1
8
O 1
O.
st
2B
o
I
I?
o.
O
o =a
OO o o
9
5
I

Er
tu
e
Z
e
e
e
I
se
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agu florida nao ama tintura, facto essan-
cial a contestar, a mesma agua dando a car primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias inoftensivas, ella tem a propriedadf
de restituir aos cabellos a principio ceraate aae el-
les tem perdido. D'nma salubridade centesta-
vel, a Agua Florida entretem a limpeza da cabeca
destroe as caspas o impede os cabellos de oaair
Olea le Florida
Composto de substancias vegetaes exotieas, eHe
constite poderosamer'^. eom a Agoa Florida, a
forca, a belleza e a coaservacao dos eabe^js.
Em Pars, casa de Qnislaur 1. 15, raa de Hieae-
lien. e 11, btmlevard MoBimir'Tfl
Todos os fraseos, nao tende iataeto e claro, e
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposite, na do Imperador, paarmaeta 3f
Fugio no da 1 do crreme, o preto Juaquim,
!p nafo, cor proia, nariz chatn, rosto eomprtdo,
barbado, de oecopacao martima, levoa vestido
alca e camisa de ahredo azul e bonet de lia pro-
prio de manijo : pede-se as autoridades pol>ciaes
1 favor de o apprehender no caso de o encontrar,
- aos capitaes de campo de proenrarem com estes
signacs e prender levando-o ao largo do Corpo
"ianto n. 21, primeiro andar, ou a bordo do briguo
P incipe D. Affonso, defroute da aifandega, ojm
era ri*nTidn.
ISo da 9 de dezmilirode 1864 fti^o di m*
de sensenbor o escravo Herculano, pardo tici.io,
com 35 annos, alto, cabellos carapinhes, olbise
orelhas pequeas, tem apenas bigoiie pea, pei-
nas e andar de quebra-mangue, itBdoo p e*e>er-
do torto e sabido para fra como pata d> ten. b
por isso poxa alguma rousa pela parva taaede
anda, levon vestido calca branca rtmeedada c ta-
misa branca, levando chapeo de palha. coaistie
igualmente toda roupa que possue, aaaeje-M aa-
dar aqui mesmo pela ridade: quem o petar !ew-o
a ra Direita n. 54, que ser generosamente re-
compensado.
Fugio pela manlia do da lf* de cure 1 te o
escravodeBomePaulino.com os signaes ffgom-
tes : cabra, cara picada de lxicas, detles tina-
dos, cabello carapinho, estatura regular, efceic de
corpo, muito conhecide por andar verde ce. fa-
zendas com um raixeiroda casa dos Srs. Marceli-
no 4 C. : rega-se a qnem pegar, de o leva* a
casa dos mesmos na roa do Crespo n. 5, qne esa
generosamente recompensado.
Ausrntou-se cm 29 de dezembro passado do
eugenbo Ulinga de cima, no Cabo, a aialatiaaa
Joona, de 14 annos provaveis, com rada a 26 da,
oe Recife, a Jos Firmino do Medeins \tr pncu-
raco de sna ave Josepha Mara dosPrazerrs, mo-
radores ambos no Brejo da Madre de Deus, i:m es
signaes seguinte? : cor alvacenta, naarnas no
rosto, cabello carapinho e ruco, com urna ricatrix
na testa, eorpo regular, eom todos os denles, pellos, as pornas finas, vestigies amigos de chcete
no corpo, padece de bobas aas partes oecultas, a
falla as vejes viciosa : roga-se as autoridades a
sua captara, e a qualquer particular, podendo ser
remelllo para e referido eagenhn, eu a Jeao Jor
de Car val hn Mnrses Filho, ra d Queimado a. 13.
que serao gratificados.
Esta futido o proto Thom, baixo, corpo re-
forjado, bem preto, rosto largo, elhos grandes e
tem o pe direito um pouco inchalo, anda ganhan-
do em S. Jos : na ra do Imperador n. 73, pri-
meiro andar, se gratificar a qoem e pegar.
Desapparereu do engenho Pereirlnha na fre-
giiezia de Agna-Hreta, os escravos abano, rom os
signaes seguales : Pedro, de nacao, n as pareren-
do crioulo por ter vindo moleque, estatura rega-
lar, secro do corpo, um pouco fulo da cor. barba
toda branca, cabellos da eabeca, cachaco e bracos
tambem brancos, testa eantoda, ps cmprides o
seceos, falla fino, principalmente quando cinta, o
alguma eousa cangneiro qoando anda, idade O
annos, pouco mais on meaos, se bem ue pareea
muito mais velbo, fugio no 1" de Janeiro de 1863.
Maria, conheeida por Canuta, crioola, baixa,
secca do Corno, cor fala, rosto desramado, denles
limados, pes rurtos e chatos, pernas am tanto ar-
queadas, urna marea em nm dos bracos j bastan-
te antiga, fugio em 8 de novembro prximo passa-
do ; o seo senhor protesta sobre os dias de serv-
eos de ditos seos escravos contra qnem o Uver
aoulado.
Roga-se a qualquer antordade policial oa eap-
les de campo a apprehensio dos referidos escra-
vos, que sera entregos ne Recife aos senhores
Cunba, Irmans & C, 00 neste engenho a sea se-
nhor, que ser sattsfeita qnaleaer espeta.

.


Diarlo de rernainbneo wrgtindn tetra 9 de lanelro de 18S5.

^
LiTTERATURA.
HISTORIA DE l!M CONSCRIPTO DE 1813.
POR
Erckniann-Cuatrian.
XIV
(Conlinwicfto.)
Mal cliegava a c;isa de minha mac quando che-
eos.O lempo aqol corre muito bonito. Teremos
um bBi >ho- A maeieira grande do nosso pomar
est carregadade flores de que te mando algumas
que metterei dentro desla carta depois que o Sr.
Goulden tiver escribi. Espero que com a graga
de Deus anda havemos de comer ambos juntos das
'suas graneas maguas. Recebe mil abracos.eadeus,
Jos '
Saxe, e tambem lhe demos uro bom pedaco da Po-
lonia.
De repente Zimmmer parou diante de urna pe.
quena porta baixa, dizendo :
Olha, a tabrica de cerveja do Carneiro de
Ouro ; a frente d para outra ra, mas podemos
entrar por aqu. Vem c
Paguei e sahimos, e disse-me Zimmer :
Nao sei o que esta gente lem hoje. Ue certo
os viemos nrommodar.
Pode ser, respond en ; elles nao tinham ca-
ra de seren to bons mocos como dizias.
essa la de querer iussar a vida a rabiscar es- cios ; fozer proselytos premetlendo-lhes ffrimen
crpturas ? Deixa-te dlsso. E" nm Ocio ridiculo. t0, deSpresos a opprobrio e a morte : deMhronar
."STEf siTSS.7* -* f+m r-s ZST Z 7
Ihort-Eslavam as cojsas ueste ponto quando o lugar, vos, qoe, como dizeis, leudes de ser pregado
nosso exercito se enflou por Forbach para entrar urna cruz, como um malfe|or, ou o mais vil dos
na Prnssia. Nio pode ter mi era miro, e sem scrrros. jde; vosso projeca alo mais do que
prevenir mesire Tnoroaz, fai atrazde umdosre- brevemente assallada pelo cscarneo
Quando lia sto desfaza-me em lagrimas, o Zim- tuoso
111 ai 'vi ai|ui. i viii vi .
.. __ ,. antigos esludantes que vi por aqui. Esses n>ssa-
Segui-o por um corrodor muito aperlado etor-i ___. nui,-,m
6 p j .',;., yam a sua vida no? armazens de cerveja. Bei)>am
oso que nos gutou ao fundo de um anligo paleo L_r.,. ,, nn
_. .. ____ os neos vinlfl c irinla conos or da : nom eu po-
- E nio. Estes rapazesestao muito abaixo dos prevenir mostr Tboroaz, fuiatraz de ornaos re- brevemente assallada pelo cscarneo
. .....A.. smenlos. Nos primeiros das tuflo loiaguaae," ..
" ro-as; j me pareca que era marecnal, e nem publico : para que fosse menos do que isso, seria
- quererla um re para primo. Mas ao cabo de tres preciso refundir a natureza humana. Por certo
tuoso que nos gcuou ao fundo dtoan aolig pQr ^ ^ ^ ^ ^ y ^ ^P nem t lo erarn jo-
cava a casa de minha mac quaouu ce- mer chegando ao p de mim, disse-lhe : cercado de construyes de madeira, com peque ^ ^^ _-------= ^ jr-^ ^ ^ ^^^ res. passar a eiisleBcla e,a eiiradas. obedecer
goa apollen e me prendeu por ordem superior.; Olha, assenta-te ; vou ler-te oque ella me as galeras caronchosas, e u*nha
aJHa sobre urna carreta, e de brigada csrreveu, e depois me dirs se urna Margredol- como na ra da Cova dos Cur idore
era bruzada levaram-me al ao regiment, quo es- Enio deixa-me acender primeiro o meu ca- burgo. A d.re.la cava a manufactura
iSTi seis semanas em chimbo,responden Zimmer. *^V'Ttt2??2u
!"al. e uS'vesse ..do que ver se nao as- Acendn o cachimbo, cobriu o tabaco com a ennegrecidas, montes de lpulo e cavada ja
uauuon.ti.i.M..- -- d e a um canto u.na Rrande roda do roanivella,
-emns pni3n a Ilheno para ir a Hohenlinden. ampa, e accrescentou : "' ^
O COinniauuaiiiu mi t> ------------------*>-------1----- i
bar-ie de lar em leu favor a certeza das ponlarias j sou gaio velho, e nao estou por todo o que se
que fazes; mas olha que se te tornar a acontecer escreve. As mulheres sao mais finas do que nos.
outra como aquella de malar a cmaro, previno-te { Apezar disto li lhe a carta de Calhanna muito
de que passars mal. Pois aquillo sao modos de de vagar. Elle nao dizia nada, e quando acabei,
: o bater um homem, animal r Para que serve urna; pPgou nella, vrou-a e revirou-a por muitb tempo
espada se nao ha de ser para nos servirmos delta, com ar pensativo, e entregando-ra'a disse :
i principalmente em honra da patria ? A isio nao j Parabens, Josephel ; una boa rapariga,
chela dejuizo, e que nunca querer senao a ti.
Entilo parece-te que me tem amor ?
bavla que responder.
Djde ento, Josephel, nunca mais me veiu a
..i Tem. Podes Bar-te nella. Essa nunca ha de
inania de casar. Isaome \cunam ca unar lu um
,oldado quepensa em sua mul.or : isso um3(Casar com am P.ssauf. ^P" m *
m.scria. Olha os geueraes que teem casado : ba- pressa desconfiara do imperador do que de ama
tem-M como quando eram solteiros ? Nao ; e nao' rajariga assim.
teem senao um pensamenio,- que o de augmentar Quando isto ouvi, tive vontade de abracar Z.m-
a melgueira, c priueipaluiente de gozar o dnheiro, mer, e disse-Jhe :
vivando reg-ladamenle cora as suas duquezas e necem de casa um valle de cem francos, qne
com os duquezinhos ao pe do fogao. Meu av Yeri,! vamos a0 correio passar a dinheiro. E' quanto
que era guarda-florestas, dizia sempre que um cao basla para beber bom vinno branco. Tratemos de
de ea^a para ser bom devia ser magro ; salvo a pj(Jer sahir d'aqQj.
dilfrcuca de gradua?ao, eu acho que o roesmo Es,a 1)em V|st0i disse e||e |evantando os vas-
com os bons geueraes e os bons soldados. Nos le- .. .
mos sempre a uiesma bitola, mas os generaes en-1
gordam, e nao senao por comerem bons jan-
tares.
Assim-me falla va Zimmer na snceridade d sua
alma, mas com isso nao me tirava a tristeza.
Logo que pude levantar-me apressei-me a escre-
ver ao Sr. Goulden, que estava no hospital de Hall,
em um dos arrabaldes de Leipzig, por causa de um
feve ferimenlo em um uomDro ; mas que nao li-
casse com rece.os, porque eu senta melhoras de
da para da. Pedia-lhe que mostrasse a miuba
carta a iJUharina e a minha lia, para Ibes dar es-
peranras uo meio dessa terrivel guerra. Tambem
lhe dizia que a minha roaior felicidade seria rece-
ber noticias da minha trra e da sade de todos os
que amava.
Desde esso momento nao podia ler descanso. To-
d ts as manhaas esperava resposta, e quando va o
quarlcl-mestre dislribuT viole e irinta cartas por
toda a sala sem que eu recebesse nenhuma, o co-
r.-.eSo despedacava-se-me, e eu dcscia logoaojar-
dim para desaffogar chorando. Havia l um canto
escuro onde eram deitadas as panellas quebradas,
lagar cobert de sombra e que eu prefera a todos
,- oalros, ponjue os doentes nunca para ali iam-
Era ah que eu passava o meu tempo a .cismar as-
senlado em nm banco caronchoso. Mus pensa.
montos me atravessavam a caneca. Eu chegava a
crer qoe Calharina pod'a esquocer as suas pro-
,.: asas, e dizia comigo :
Ah, se nao tivesse escapado cm Kaya I...
iido eslaria acabado !... Porque que nao me dei-
xaram la ficar ?.....Seria melhor do que sofrer
lano.
As cousas linham chegado a ponto de j nem
desojar a minha cura, quando urna manha o quar-
lel-meslre, entre outros Domes chamou por Jos
fJertha. Eu levantei urna mao sem poder fallar, e
enlregarara-me urna volumosa carta quadrada, co-
erta de grande numero de sellos do crrelo. Co-
chee! a lellra do >r. Goulden, e quasi desmaie.
Ora eniao disse-me Zimmer a rr, por fim
sempre chegou.
Nao lhe respond. Vesti-me, rnetti a caria em
cm bom bolso, e desc ao jardra para l-la s, no
tal canto para onde costumav ir.
A primera cousa que vi quando a abri foram
Dinas llores de maeieira que vinham denlro com
um valle sacado sobre o correio, com algumas pa-
lmas do Sr. Goulden. Mas nao era isso o que
mais impres^o me causava e me razia tremer da
eabeca at aos ps ; era a leltra de Calharina que
eu ohava espantado sem poder ler. porque senta
a mnor periurbacao e o meu coraeo bata com urna
forca extraordinaria.
Quando socoguei um pouco, li a carta muito do-
vagar, parando de lempos a lempos para ter a cer-
teza do que nao me engaoava, que nao estava a so-
nhar e que era a minha querida Calharina que me
escrevia.
Essa carta anda a tenho, porque por assim di-
zer, deu-me a vida. Ilecebi-a em I dcjunho de
1813. Ei-la :
Meu querido Jos, comecarei esta carta por te
dizer que te amo cada vez mais, c que nunca ama-
re outro.
gaberas tambem que o meu maior pesar o
de saber que esis ferdo em um hospital, eJque nao
podes ser tratado por mim. Nao sabes quanto isso
me cusa. Desde a partida dos recrutas nao temos
tldo urna hora de descauco.
A mae zangava-se dizendo que eu era urna dou-
da em chorar de dia eSteJioute, mas chorava tanto
como eu, sozintia nonle assentada lareira, e eu
bem a ouvia do meu quarto e a sua colera cania
ijbre Pinacle, quo nao se atreva a apparecer na
feii-a, porque sabia que ella trazia um martello no
bolso do avautal.
c Mas a maor de todas as nossas afflicsoes, Jos-
oi quando correu a noticia de ter havido urna ba-
talha em que tinham morrido n.lhares de homens.
A nossa vida j nem se podia chamar vida; a mae
corra todos es dias para o correio, e eu nem poda
mo^er-me na rama. Por fim chegou a toa carta', e
agora vou indo raelor, porque choro desaffogada,
dando gracas ao Senhor que te conserva vivo.
a Quando me lembra como eramos felizes na-
quelle tempo, Jos, em que tu vinhas a nossa casa
todos os domingos, e estavamos assentados um ao
p do outro, sem vontade de nos levantarmos i
em pensarmos era cousa neoburaa 1 ah, que nao
conheciamos a nossa felieldade ; nao sabamos o
que nos poderia acontecer. Mas a vontade de Deus
seja feita. Agora o principal que le reslabelecas
e que anda venha am da de podermos estar jun-
cos como em outro tempo.
t Muita gente por aqni falla da paz ; mas temos
visto e s offrido lantas desgratas e o imperador
to inclinado guerra, que ninguem se pode fiar
no que ouve.
. O que mais satisacao me d saber que o
teu ferimento nao perlgoso e que me tens tanto
amor como d'antes. Ah, Jos, eu jnro-te qoe te
iei de amar sempre, nao te posso dzer outra cou-
sa, isio ludo o que posso dizer-te do fundo do
meu coracao e assegurar-te que minba mae tam-
bem muito toa amiga.
Aroga o Sr. Goolden qoer escrever-te algu-
mas palavras, e por isso recebe mil e mil abra-
tos bigodes e metiendo o cachimbo no bolso. Nao
goslo de apodrecer em um jardim quando ha ven-
das l por fra. E' preciso arranjar lcenga para
sahir.
Levantemo-nos muito contentes e subamos a es-
cada do hospital, quando o quartel-mestre, que vi-
nha a descer, perguntou a Zimmer :
Voc nao Christiano Zimmer, arllheiro do
i' de artilhera a cavado ?
Sou eu mesmo, meu quartel-mestre.
Pois ento aqu est urna cousa para voc.
E enlregou-lbe um embrulbo com urna caria vo-
lumosa.
cances polticas ; mas estes nao valem nada dos
outros
Zimmer estava estupefacto, porque nunca linha
recebido nada de sna casa nem de parte nenhuma.
Abriu o embrnlho, e achou urna caixa ; abrin a
caixa e vio urna condecorado. Perdcu a cor, os
seus olhos turvaram-se, e por um momento deitou
urna mao para traz para segurar-se ao corrimao ;
mas depois gritou : Vtva o imperador I com urna
voz lao terrivel, que as tres salas reboaram como
um tambor.
O quartel-mestre olbava para elle surrindo, e
perguntou :
Esl content ?
Se estou contente, meu quartel nteslre I J
nao me falta senao urna cousa.
O que ?
Licenga para dar urna volla pela cidada:
V ler com o Sr. Tardieu, cirrgiao em chefe.
Desceu a escada rindo, e como era a hora da
visita, subimos de braco dado, para pedir lirenea
ao major, que era um velho de cabellos grisalhos,
que linha ouvido gritar: Viva o imperador I e
olhava para nos com ar grave.
ivnlao que isso 1
Zimmer mostrou-lho a cruz, e disse :
Perdo, meu major, mas cu tenho sade pa-
ra dar a vender.
Acredito, disse o Sr. Tardieu ; ento queres
dar um passeio, nSo isso ?
Se o meu major d licenca para mim e para
o meu cjmarada Jos Berlha...
O cirrgiao tiuha visto a minha ferida na ves-
pera ; trou a sua carteira e deu-nos dous bilhetes
de sahida.
Ento descernes, suberbos como uns res, Zim-
nw com a sua condccoracao e cu com a minha
carta. Em baixo, no vestbulo, o porteiro gritou-
nos :
Ole, ole I... onde vao ?
Zimmer mostrou-lhe os bilhetes e sahimos, feli-
zes por podermos respirar o ar livre. Urna senti-
nella mostrou-me o cscriplorio do correio onde fui
por em dinheiro o meu valle de cem francos.
Ento, mais graves porque a nossa alegra t-
nha-se moderado um pouco, chegamos porta de
Hall, a dous tiros de espingarda para a esquerda,
no fim de urna comprida avenida de tilias. As
trincheiras saode velha construcelo,'como as ha
em S.Hipolyto, no Alto Rheno, paredes decrepitas
cohertas de herva ; salvo aos Allemaes as repara-
um depois de 1813.
XV
Quantas cousas nao soubemos nesse dia I No
hospital uo ha nada que d cuidadas ; quando
urna pessoa v chegar cada manha algumas duzias
de feridos, e cada noute sahirem outros untos
mortos, isso mostra-lhe o-un verso em ponto peque-
o, e diz comsigo: Depois de nos o Om do mundo.
Mas fra do hospial as ideas mudam. Quando
vi a grande ra de Hall, essa velha cidade com os
seus depsitos de mercaderas, as suas altas porta*
atulhadas de fazenda; os antigos de largos beiraes
como alpendres, os vastos carros cobertos de far
do.s emflm, todo esse espectculo da vida activa
dos commerciantes, flque maravilhado. Nunca li-
nha visto nada assim, e dizia comigo :
Ora aqui est5 orna cidade commercial como
deve ser, chela de ge^te Industriosa que trata de
notar a sua vida, as suas commodidades, a sua
riqueza, onde cada um qur elevar-se, nao com de-
trimento dos outros, mas trabalhando. e imaginan-
do de dia e de noute meos de prosperidade para
sua familia; o que nao impide que lodos lirem
jroveito dos inventos e das descobertas. Ah esta
a felicidade da paz no meio de urna guerra ter-
fivel I
E os pobres feridos que passavam de braco ao
|etoou arrastandourna perna, segurndose em
muletas, faziam-me pena.
Scismando, deixava-me levar por o meu amigo
Zimmer, que conhecia todas as mas e me dizia :
Aqui a egreja de S. Nieolau; ollha, o grao-
tada, para elevar a cerveja a lodos os andares.
O tinir dos copos e o chocalhar das bilbas de es-
tanto ouvia-se em urna salla a direita que dava pa-
ra a ra de Tilly; e por debaixo das janellas des-
sa sala abrase urna adega profunda, onde loava o
malhode tanoeiro. O bom chuiro da cerveja nova
margo enchia o ar, e Zimmer com os olhos levan-
tados para os telhados, e cora as faces radiantes de
satisfago, exclamou :
Ora aqui esta; rnesnio aqui que nos vinha
mos, Ferret, o gigante Ferret, e o rechoochudo
Rousslon e eu. Deus do cu, como rae alegra tor-
nar a ver ludo isto, Josephel t J l vo seis annos.
Aqnelle pobre Rousslon, que deixou a ossada o au-
no passado em Smolensk I... Ferret, esse deve es-
tar agora na sua aldeia, ao p de Toul, por que fi-
cou cora urna perna de menos em Wagram. Como
a gente se lembra de todo, quando se poe a pensar
no que l vaet
Assim dizendo, empurrou a porta e entramos em
urna sala alta cheia de fumo. Eslive um pouco sm
poder ver, alravez daquella nuvem parda, u.na
comprida fileira de mesas cercadas de bebedores,
a maior parte dellesde sobrecasaca curta e chapu
baixo, e os outros de uniforme saxonio. Eram es-
ldanles, rapazes que vo a Leipzig estudar direi-
to, medicina e ludo o mais que se pode aprender
despejando qaartilhadas e passando vida fo'gada,
que elles chamam na sua lingua Fucliscommerce.
Batemse muilas vezes uns com os outros, com
urna especie de sarrafos arredondados na ponta, e
s agugados no comprimento de algumas lnhas;
de maneira que arranjam arranhaduras pela eva,
como me cootou Zimmer, mas nunca ha cousa de
que resulte perigo de vida. Isto prova o bom sen-
so desses esludantes que bem sabem que a vida
urna cousa preciosa, e que mais vale ter cinco ou
seis arranhaduras, e mesmo mais do que perd-la-
Zimmer ra contndome essas cousas; o seu
amor pela gloria cegava-o; dizia elle que tanta va-
lia carregar as pegas com batatas cosidas como
bater-se com ripas de ponta arredondada.
Emflm entramos na sala, como disse, e vimos o
mais velho dos esludantes alto, secco, de olhos
encovados, aariz vermelho, barba loura que come-
cava a degenerar em amarella, orga de ser lava-
da cora cerveja vimos-lo era p sobre a mesa
lendo em voz alia urna gazela que lhe cabia da
mao direita em forma de avental. Na outra mao
linha um coraprido cachimbo de porcelana.
Todos os seos camaradas, eoin os seus compri-
dos cabellos louros cabidos em aunis sobre o ca-
bego da sobrecasaca, escutavam-no de cope em
punho. No momento em que entravamos, diziam
elles entre si: Vaterland I Vaterland !
Bebiam com os soldados saxonios emquanto que
o tal esguo e secco se abaixava para pegar tam-
bem no seu copo ; e o fabricante da cerveja, ho-
mem grosso, de cabello grisalho e crespo, nariz
chato, olhos redondos e faces em forma de abobo-
ra, grilava gaguejando :
Gesundheil I gesundbeit I
Mal demos quatro passos alravez dojfumo, tudo
se calou.
Vamos, vamos, camaradas, exclamou Zim-
mer, nao se incommodem. Que diabo 1 coutinuem
a ler. Tambem gostamos de saber o que vai de
novo.
Mas os rapazes nao quizeram ceder ao nosso
convite, e o velho desceu da mesa, dobrando a ga.
zeta que metteu no bolso.
Ertava acabado, disse elle, estava acabado.
Sim, j linha acabado, repetiram os camara-
das olhando uns para outros com ar esquisito.
Dous on tres soldados saxonios sahiram logo
como quem quera ir tomar ar ao pateo, e desap-
pareceram. O gordo taberneiro pergunlounos :
Depois, tenho pensado muitas vezes no que ti
nhamos visto, e estou convencido de que esses es
ldanles eram da sociedade da Tugend btmd.
No da segunte houve visita geral, e mil e du
zentos feridos de Lutzen, quasi estabelecidos, rece
beram ordem para recolherem ao> corpos.
beram ordem para recolherem ao> corpos. -' do aguanle"n.e aquello pobre diabo.
liara por companhias, com armas c bagagen>, se-. ^^ cj|ie) huras Ja Uri^ cneBanrto a a|deia
guindo uns a estrada de Ateroburgo, ao longo do ^ gisa> vimos a esquerda um moinho velho cora
Elster, outros as de Laussing ou de Wurtzen, mais sua ponle de madeira, que dava para um atalho.
i esnn,r,la 7imemer era um destes. Acompa- Entramos nelle por abreviar caminho, e esiaria-
a oqu^-rua. imemer era um uww ____v ^ a duwn,os passo$ do moinho quando ouvimos
nhei-o al fora das porlas, e depois abragamo-nos gram1es c|aimire;i. Ao m(.si0 tempo, duas mu-
muito commovido. Hieres, urna muito velha e outra nova, alravessa-
_ ./ i ,,-;n,t* Ptavamui- rara um jardim, correndo com creangas pela mao.
Eu Oquei, porquero meu brago anda estava mu g^J de im.,[er se crn um b,lsl|Ue\.inho que (1-
o fraco. ca a beira da estrada, na encosta frotteira, e ois-
0 .- ninhonins nn Pscpnio con- hi vioio sahir do moinho muitos dos nossos solda-
Eramos enlao uns quinhentos ou se.scentos, ^ ^ ^^ ^.^ ^^ do uma adega acar_
tando com esgrimidores, professores de dan*a e retando barris pe(|Uenos que carregavam pressa
peralvilhos francezes, daquelles levianos que de em Uina carreta que llcava ao p da reprsa ; ou-
cem maneira con*tituem o fundo de todos os de- tro* saliam com vaccas e cavallos de um carral,
certa maneira cou.iiiuc.ni o iuuuu ; emquanio um velho porta erguia as maos para o
psitos. cu, cercado por cinco ou seis d'aquelles malva-
Nao procurava rolagoes com elles, e a minha dos.
ii.iu aTiiiiiiiiiieeer-iiie i -aqu onue mr. ih, _,_,, ._,_-,,
rapaz, estou a fazer oito annos de serv.go; tenho 1 vos>a empreza.
entrado em dez batalhas de mao cheia, e tenho g|S corno se nos figura que teria pensado e dis-
matado pelo menos ama duza de rapazes vlenos, phllosopho, a quera Jesos tivesse c ra-
que nuuca me tinham felo nem mal nem bem. comuuium p" *" ^ rhrUiianUmn
Biuflm, estou no caminho da gloria I.. .mas mise- munieado o designio de converier ao chriMiaoiarao
ravel romo Job e com saudades da casa de Tho- 0 mundo pago ; e indubiiavelmtnte o successo
maz Hornus. era por la| md0 mpossivel, a nao consoltar-se
Araando de dizer isto, o furriel desatou a nr, raiao Hmana qQe nnpuem deixa-
ollian.io-me lelo canln do olho. ""^ "u H An ,.,n
Eu linha iicado pensativo, e ainda duas ou tres | nade julgar o bom senso apparentemente do lado
vezes, antes de chegar a Gauernilz, paguei al- do philosopho.
w,.- if..i.i ,li i.incichmdi 'in-iilli* nnhro (liului ....

nica consolago era pensar em Calharina. e algu
mas vezes nos meus velhos camaradas Klpfel eZe;
bedeu, de quem nao tiuha noticias.
Era uma existencia bem triste; a gente da trra
via-nos com mus olhos. N3o se atreva a dizer
nada porque sabia que o exercilo francez eslava a
quatro dias de marcha, e que Blucher e Schwart-
zemberg estavara rauito mais longe. Se nao fosse
sso, punham-nos o p no pescogo.
Uma noute correu voz que tinhamos ganhado
uma grande victoria em Dresde. Fui geral a cons-
lernacao. Os habitantes nao sahiam de casa. Eu
la ler a gazeta a e>talageru da CacAo, na ra de
Tilly. Os jornaes francezes eslavam sempre por
cima das mesas. Ninguem os abra seno eu.
Mas na semana seguinte, no principio de setem-
bro, vi as physionotias a mesma muanga que
(Confintiir-se-fca.)
UM P0UC9 DETUOO.
Na Estrella do Sul l-se o seguinte :
MISSXO DK ICBOS CHRISTO.
Se Socraies vveu e morreu
como um sabio, Jess viven e
morreu como um Deus !
(J. J. Rousseau.)
Consultada a historia, a experiencia, e o cora-
gao humano, descobre-se fcilmente porque via os
personagens celebres, que teem apparecido na tr-
ra, nao conseguido seus fins.
Ha meios que, postos em jogo por mos habis'
sao de um poderoso effeilo sobre a especie huma-
subjugam-na pela Torga ; dirigem-na pela po
na .
litica ; arrastam-na ao grito da liberdade ; attra-
hem-na pelo incentivo dos prazeres c dos beos
linha visto no dia em os austracos se declararam j muudanos, e a deslumhrara pelo hrilho do la-
contra nos. Entend quo tinhamos desgraga, e nao I |ent0 e do saber,
me eoganei, mas soube-o mais tarde, porque as ga '
Pelo que vejo, nao sabem que a sala grande
d para a ra de Tilly 7
Sabemos, sabemos, respondeu Zimmer. Mas
eu goslo mais desta sala. E' para aqu que vinha-
mos em outro tempo, dous velhos camaradas e eu,
despejar alguus copos em honra de lena e de Frie-
dland. Esta sala traz-me boas lembrancas.
Ah, sim, como quizerem, comoquizerem, tor-
nou o taberneiro. Pretendem cerveja de margo,
nao assim 7
Sim, dous copos e uma gazeta.
Bom, bom.
Trouxe-nos os dous copos de cerveja, e Zimmer
que uo via nada, tratou de conversar com os es-
tudantes, que so desculpavam e lam sahindo uns
atraz dos outros. Eu bem via que toda essa gen-
te nos tinha um odio terrivel, que nem ousava ma-
nifestar claramente.
Na gazeta, que vinha de Franga, nao se fallava
seno de um armisticio, depois de duas novas vic-
torias em Bautzeo. Soubemos | ento que esse
armistici tinha principiado em 6 de jontao, e que
havia conferencias em Praga, na Bohemia, para
negociagoes de paz.
A mim, como era natural, agradava essa noti-
cia ; eu esperava que ao menos seriara mandados
para casa os estropeados. Mas Zimmer, com o seu
costurae de fallar alto, fazia ouvir era toda a sala
as suas reflexes : a cada linha da gazeta interro-
gava-me e dizia :
Um armisticio I... po nos precisavamos
de um armisticio 7 Depois de termo* osraagado
os Prussianos e os Russos em Lutzen, era Bautzen
e em Wurlschen, nao deviamos dar cabo delks lo-
dos 7 Elles, se nos tivessem derrotado, seriam
capazes de dar-nos um armisticio 7 Ah tens tu,
de edificio da Unversidade; ali a casa daca-josephel, como e o imperador : bom de mais,
mara muilo bom de mais. Nao tem seno esse deleito.
Lembrava.se de indo, porque tinha visto Leipzig '-Fez a mesma cousa dopol* da AusierHlz, e fomos
era .807 depeis da balha de Friedland, nao cessa-,obr.gados a comegar a part da outra Eo#
va^de repetidme : te di8 : 6 1)0tn de mais' A' qU<5 S9 e"e nS **
u nn c,Mt to bom, seriamos senhores da Europa.
-- "Estamos aqui como em Metz ou em Stras- uu > .....
burgo, ou em outra qualquer parte daFranga. Es-1 Ao mesmo lempo olhava para a d.rc^e para a
ugenu q'ier-nos L. Depois da campanha de esquerda, para ouvir o parecer dos outros. Maso
1806, tem-nos tratado .do melhor modo possivel. que ainda nao tinham sah.do, mostravam-nos ma
Os burguezes levavam-nos aos tres e aos, quatro a cara, e nertipm responda. .
jannr com eHes. At hos davara bailes, e cbama- pQTf[m nm^tT tevantou.se.
vam-nos os hroes de lena. Vaes ver como somos ^^^ eaibora, amigo. Eu nioenieOo in-
estimados. Entremos onde quizermos porque em da dg poljtica. mas ^m em que nao devlam con-
todas as partes aeremos recebidos como bemfeito- ceder arasticio acasos palifes. EHaa p* letta t
ros omo* us quen meamos o seo eleitor rei *> pois o que deviamos fawr era esmaga-ios-.
zetas de Franga nao diziam nada.
O tempo tinha-se .ornado chuvoso pelo fim de
agosto; a agua cahia em torrentes. Eu nao sahia
do quartel. Muitas vezes, asseotado na minha ca-
ma, vendo por uma jauella como o Elster se agita-
va com oaguaceiro, e como as arvores das ilhelas
se dobravam a ventana, dizia comigo:
Pobres soldados I pobres camaradas i... que
fareis a estas horas7 onde estaris? Talvez desa-
brigados as estrada, no meio dos campos I
E apezar da minha inagoa de viver ali, conhecia
que era menos para lastimar do que elles. Mas
um da o velho cirrgiao Tardieu fez o seu turno, e
disse-me :
O seu brago est fino. Ora vamos ver. Levan-
te l. Bom, bom.
No da seguinte, depois dathamada, mandarara-
me para uma sala onde havia fardamentos, sacros,
patronas e calgado em abundancia. Deram-me
u.na espingarda, dous magos de cartuchos e uma
guia para o 6, err. Gauernilz, no Elba. Era o l
deoutubro. Pozemonos a caminho uns doze ou
qunze, comraandados por um furriel do 27 cha-
mado Poitevin.
Na estrada, ora um ora outro mudava de drec-
co para recolher ao seu corpo; mas Poitevo, qua-
tro soldados de infamara e eu, continuamos o nos-
so caminho at a aldeia de Gauernilz.
E assim iamos pela estrada real de Wurtzen, de
arma em bandolera, capote dobrado. costalo ver-
gando debaixo da mochila e orelha baixa como se
pode imaginar. A chava cahia ; a agua corranos
da barretina para a nuca; o vente sacuda os chou-
pos cujas folhas amarellas se bamboavam annun-
ciando o invern durante horas e horas.
De longe a longe encontrava-se uma aldeia com
os seus alpendres, suas esirumeiras e seus jardins
cercados de estacadas. As mulheres, de p por de-
traz das vidragas pequeas e embacadas, olhavam
como nos marchavamos; um cao ladrava; um ho-
mem que rachava lenha a sua porta, olhava para
traz e seguia-nos com a vista, e nos marchavamos
gomare, cheios de lama at a cinta No cabo de
cada aldeia, tornavamos a ver a estrada a estn"
der-se a perder de vista, as nveos pardas a arras-
larem-se pelos campos ns, e alguns corvos famin-
tos a voarcra a bom voar soltando o seu cantar me-
laneholico.
Nao ha nada to triste como esse espectculo,
principalmente em se pensando que o invern este
a porta e que brevemente ser preciso dormir na
nove. Por isso ningnem dizia uma palavra, a nao
ser o furriel Poitevim. Era um soldado velho,
amarello, enrugado, de fices encovadas, nariz ver-
melho, bigodes de palmo e meio, como todos os be-
berroes de agurdente. Tinha umalingiiagem pre-
tenciosa, que entremeava com frazes de tarimba ;
e quando a chuv? redobrava, grilava rindo as gar-
galhadas : Anda, Poitevin, meu amigo, animo!
ests noeaminho da gloria! Esse velho bebedo
tinha percebido que havia alguns cobres no meu
horso, e chegava-se para mim e dizia-se : tBapaz,
se a toa mochila te apoquenta, passa-m'a para c
Mas eu agradeca os seqs ofierecimentos e nao ac-
ceitava. Apezar de me desagradar a companha
deum homem que olhava para todas as taboletas
de taberna quando atravessavamos algnma aldeia,
e que dizia.-Um coplnho de agurdente com um
tempo assim vina do cea I -eu nao tinha podido
deixar de pagar-lhe alguns copos, de maneira que o
homem nao me deixava.
Cheeavamos a Wurlieo e a chava cania a can-
taros, quando o furriel disse pela centesima vez
Anda, Poitevin, meu amigo, animo I estaes no
caminho da gloria. #,,-,,,1
_ Qw diabo de cantilena essa, mea furriel,
pergantava lhe eo; explique l porque que est
sempre a dizer a mesma cousa.
- Nao uma cantilena, meu rapaz; e ca uma
idea que eu tenho quando estou aborrecido.
E passado um oslante, conlinnou :
Sabers que em 1806 ora eu regente do sr.
Thomaz Hornus ubellio de Forbach. Tinha va-
te e qualro annos, trabalhava e portava-me bem
Foi assim que os philosophos antigos formaran
escolas; os legisladores -domaram os povos ; os
guerreiros lograran suas conquistas, e Mahomel
em particular, fuudou sua religiao e seu imperio.
Mas, se nem um destes humanos recursos con
tribua para plantarse o chrislianismo, nao sera
uiiopeasir, que para isso concorreu alguma
cousa de sobrenatural e de divino 1
Para_levar esla verdade evidencia, taremos
urna supposico, que impresionar por certo, se
que smente agora se vos apresenta ella a vosso
cspir.l.
Ousaremos ailribuir a Jess Christo, palavras
que jamis pronunciou sua sagrada bocea ; posto
que sabamos lodos com que amavel condescenden-
cia coiiversava Elle cora os homens, e responda
s suas perguutas, entraudo mesmo era discusso
sobre sua inissao diviua ;e se asupposigo que
vamos arriscar ttzer sobresanir sua gloria e seu
poder, isso nos servir de desculpa.
Transportando-nos aos antigos lempos, om que
todas as nages eram idolatras ; suppoohamos que
no moraenio era que Jess eomegua a percorrer a
Juda, aimunciando sua religiao, encontrara um
philosopho muito versado em todos osses couheci-
menio, que o mundo admira ; supponhamos mais,
que Jess tivera eara esse philosopho a conversa-
gao seguinte :
philosopho.
O Sr. X pede-nos a seguinte publicago .
PEDIDO.
Dos teas cabellos
Dame ara annel.
P'ra ter fiel
Tua memoria.
Prende-to o peijo 7
Alveai-se as rosas
Das tuas faces
Voluptuosas 7
Olbas-me a medo
Anjo, ou indeciso 7
Abre um sorriso
Nos labios leus ;
Da-rae a ventura,
Prende-me a ti,
Diz a miob'alma
P'ra quem nasci I
Ah I no'me negues
Os dias d'ouro.
Nem o thesouro
Do co d'amor !
Se crime amar-te.
Me applica a lei.
Que nos teas braco*
Me ar.cusarei.
Minha senten?a
Seja dictada
Pela engragada
Flor dos teus labios.
A amor te reDde,
Modorna o peijo,
E aos labios meus
Occulta ara beijo.
as minas de carvo de pedra de toda a Ingla-
terra trabalnam i50,000 operorios mineiros,
U consumo de carvo em Franca, segundo diz o
Times de 18 de outubro, era de 300,000 toneladas
em 1769, de 4,-290.000 em 18U), de 13,600,00 em
1860 e de 15,200,000 toneladas em 1863.
Dous tergos deste consumo, pouco mais ou me
nos, sao produzios em Franca mesmo.
A Inglaterra, que em 1860 produzio 13 miluoes
de toneladas de carvo de pedra, produzio em
186i mais de 86 milhSes.
Em todos os carainhos de ferro da Gria-BreU-
nhae Irlanda houve, em 18453, 181 morles, sendo
98 de empregados nos carainhos e 470 rerimentos.
sendo 58 de empregados.
O reHdimento bruto foi de 46 e 2(3 q-10 de pas-
sageiros e de 52 1(3 de mercaderas.
O numero dos passagoiros subi a 203,635,07">,
mais do que no anno anterior 24,206,244.
O rendiinenlo bruto em libras sleriioas foi de
31,000.000, e o liquido de 16,048,000 libras.
Em um jornal de Madrid vera publicada a se-
guate curiosa noticia da forga martima da Hes-
panha em differentes pocas.
Invencivel armada.Corapunha-se de i SO na-
vios levando a seu bordo 23,500 soldados, 6,800
marobeiros,2,500 escravos, 1 vigario g:ral, 6 bis-
pos, 210 capelles, 102 crurgioes, e 60 boticarios.
o conse-
Qual vosso designio, percorrendo por esta
forma as aldeas da Juda, e ensinando aos povos
urna doulrina nova 7
Mea desigoio, respondera Jess, reformar
os costuraos da trra; mudar a religiao dos po-
Vos destruir o culto do* deoses falsos, faseado | Esquadra em 1790, poca de maior explendor da
adorar 0 nico e verdadeiro; e por mais ousada I mannAa ApanA- .-Naos de 140 peras, 1 ; de
. .m----mu n '>!*'- ni. s : de SS a 9i. 62 : fragalas de 34 a 40, 46.
Somma total 117 navios de alto bordo, sem contar
as embarcagoes menores.
Esquadra em 1808. -Naos de 114 pegas, 7 : 60
a 100, 35 ; fragatas 30 ; crvelas 20 ; chavecos
4 ; urcas 5 ; brigaes 50 ; embarcagoes menores
67, Total 228 navios.
Esquadra em 1823.Naos, 5 ; fragaUs. 6 ; car-
velas, 7 ; bngues, 10 : embarcagoes menores 15.
Total 43.
Esquadra em 1829.Naos 4, fragatas 6. corve-
tas 2. brigaes 10, e embarcagoes menores 11. To-
tal 33.
Esquadra em 1849 Nao 2 fragatas 5, curve-
tas 6, brigues 5, vapores de redas 13, embarca-
goes menores 21. Total 52.
Esquadra em 1856.Naos 2, fragatas 4, c
las 7, brigues 7, vapores de rodas 28. embrca-
me, parega minha empreza, alDrino quo
guirei.
Mas, sois vos mais sabio que Scrates, mais
eloquente quo Plalao, mais hbil que os grandes
genios que tem Ilustrado Boma e a Grecia t
Eu nao me proponho a dilatar a sabedoria
humana ; o que pretendo convencer de errnea
a moral desses to gabados sabios ; e a reforma
quo nenhum delles ousou tentar era uma nica
cidade, eu a operarei no mundo inteiro, por mim
mesmo, ou per meus discpulos.
Vossos discpulos, ao menos, por seus talen-
tos, seus crditos, suas dignidades, suas riquezas,
langaro tal brilhoque offusqudm o Prtico e oLy-
ceo, arrastando as mullidoes.
Nao, elles sero homens ignorantes e pobres
tirados da classe do povo, e descendentes da nage
judaica, que como sabis, despresada de todas as
llinaica, que couiu i-nuc.', >-f--------------- i -
ouiras, e entretanto cora elles tr.umpharei dos g5es menees 17. lo.al 6o
It C UVinalU #uu*-* %*-" i--- -
Mestre Thomaz tinha gostado de mim, e eu estava
em sua casa como rato em queijo. Ate tinha lar
dO o projecto de me casar cara sua filba Lhristi-
naedemetransmiUir o cargo. Era um futuro
de encher o olho I Por des*ra$a, o amor da gloria
nao me deixava dormir. Todas os das ha na ga-
zeta Fulano foi nomeadp geoeral, sic.rao ro ele-
vado a marechal de Franca. Isto dm-me volta
ao milo. Poitevin, dizia eu coraroigo, que mama
philosophos, dos potentados da trra, e dos prejui
zos populares.
Deveis ento contar com legoes mais inven-
civeis que as de Alexandre, ou de Cesar.qoai leven,
comsigo o terror e o espanto, afirn de subjugarem
as nagCa*.
Na la dissi entra em meu pensara ento. Meus
discpulos seroo typo da mansido, ao ponto de
se deixarem degolar por seus raimigos, perqu
ser para mira um crime se pela forga pretende-
rem estabolecer o reino da minha lei.
Nesse caso esperaes que o imperador, e o se-
nado, os magistrados e os governos das provincias
avoregam vossa empreza 7
Nanea ; todoe os podores se armarao contra
mim : os que me seguirera sero levados aos iri.
bunaes, odiados, perseguidos, morios, e dorante
tres seculos se e>forcarao por afogar em ondas de
augue minha raligio e meus sectarios.
Que ter pois essa religiao de atirahente
eorao doctrina, para arrastar o mundo inteiro 7
Baseia-se, replicara Jesas, cm mysierios in-
compreiiensiveis. Sua moral ser mais pura do
que a que se lem ensiuado al o preseole ; meus
discpulos publicaro que nasci em um presepe ;
que Uve uma vida de pobreza e de seffriraento, e
podero accresconlar que expire em uma cruz
porque esto o genero de morte que rae est re-
servado. Tudo Isto ser publicamente ensinado ;
tudo ser acreditado pelos homens, a eu que vos
fallo, sou aquelle a quem a trra adorar.
Qur isso dizer, replica finalmente o philoso-
pho era tora de pedade, qne pretendis Ilustrar os
sabios pelos ignorantes; vencer os poderosos pelos
fracos raliar as mobidoes eombaieodo seus v-
Em construrgo 4 fragatas.
Esquadra em 1864.Navios de vela : naos 2,
fragatas 1, crvelas 4, brigues 6, embarcagoes
menores 21. Total 34.
Navios de hlice : fragatas 18, corvetas 5, em-
barcagoes menores 47. Total 70.
Vapores de roda 27 .
Toul geral, 128 navios, dos qnaes algans estio
era construego.
i a '
Le mos no Pensamiento que o [depatado hespa-
nhol D. Thlophilo Rodrigues Vaamomle, fora agra-
ciad./ por Sua Saalidade com o titulo de marqnez
de Vaamonde em recompensa da eloquencia e zelo
com que defendeu a causa do soberano pontid.-e
no congresso.
Diz o mesmo jornal, qoe a bulla da conrwsao
est redigida nos termos mais honrosos para o fi-
lustre deputado catholico.__________
A cidade de Pars vae anur dous hospiUes
para alienados.
E* estimado o sen custo em uma somma nada
luferior a 5,000,000 de rancot, ou 1,750.000*.
A nova sala da Opera ergoe se como por en-
canto. ,
Ja se asse ma ra as columnas do perisijlo. que
sao menolyihas e de grande belleza.
Cada ama pesa 20,000 kilogramraas
Mas na > basta ter orna opera.
E' preciso ter tenores, e nao isso cousa qne
se encontr as duzias.
Roger qne J deu o que tinha a dar, descobriu
em uma taberna am marcineiro que, como o la-
noeiro Ponluer e a ea-earreleiro Gueymard, pos-
sue uma vm adaniravel, completamente ignorada.
Roger propoz ao rapazola educa-lo e ensinar-lne a
msica. ,
E' a neticia musical mais rcenla e qne da qne
fallar em Paris. _______.
PERNAMBUCO,-----TTP. DE H. F. DE F.4 F1LHO
x.'- > -




-I
/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8R3ZHN4O_MY2OV0 INGEST_TIME 2013-08-27T20:40:10Z PACKAGE AA00011611_10563
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES