Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10559


This item is only available as the following downloads:


Full Text
11
X.
toMNpMM**.
Alia XLl HOMERO 2
*** ">'.; b*2fiKfr
#

Tr-
Por qaartd paga entro de 10 dias o 1 mez
dem depois dos 1.0S 10 dias do comeco e dentro do qoirtel.
Porte ae eorreio por tres metes .
.....
8*000
6J0O0
750
DIARIO
Bt"' i*
-~
TERCA FEIRA 3 DE JANEIRO DE 1865.
I

Por auno pago entro <1 Porte ao correio por nn anno .
------------------------
..ez ,,,.,.. 191000
......... 3J000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO NORTE
l'arahyba, o Sr. Antonio AlexaDdrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio Margues da Silva; Aracaiy, o
Sr. A. de Lemos Draga; Cear, o Sr. J. Jos de
Otiveira; Marauhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filos; Amazonas, o Sr. Jerooymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO SL.
Alagoas, o Sr. Claudine Falcao Dias; Baha, ol
Sr. Jos Marlins Alvrs; Rio de Janeiro, oSr. Jos(
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS EsTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e cstacoes da via frrea al
Agua Prela, todos os dias.
guarass e Goyaooa as segundas e sextas feiras.
Santo Anio, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Allinho, Garanhon?, Boique, S. Bent, Bom Con-
selho, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareih, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury.Salgueiro e Ex, ns quartas feiras.
Serinhaem, RioFormoso,Taraandar, Una, Barrei-
ros, Agua Prela e Pimenteiras, as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao meio dia.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresc. as 1 h., 22 m. e 52 s. da t.
11 La chela as 8 h. 40 m. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 m. e bJ s. da m.
27 La nova as 7 h., 10 m. e 46 s. da ni. j
AUDIENCIA DOS
TRIBXAES DA CAPITAL.
Tribunal do:commorcio: segundas e quintas.
Relacio: torcas e sabbads ai'lO horas.
Fazenil,.' quintas s 10'floras.
Juizo do commerrio : segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primara vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara doevel; quartas e sabbadcs a 1
hora da tarde. i

DIAS DA SEMANA.
2. Segunda. S. Isidoro b.; S. Argeo m.
3 Terca. S. Aprigio b. de Bja; ?. Amero p. ni.
4. Qutrta. S. Prisco pretib.; -.Aquilino m.
o. Quinta. S. Simeao E>lcllita;S.Syncletica.
6. Sjxta. c^a Epiphania do Senhor. (Dia de Reis.)
7. Sabbado. S. Luciano presb.; S. Clero diac.
8. Domingo. S. >everiuo ab.; S. Theophilo diac.
PREAMAH DE HOJE.
Primeira as -9 hora e 18 m. da manhSa.
Segunda as 9 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIA DOS VAPORES COSTEIROS. -
Para o sul at Alagoas a 14 e 30: para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos niezes de Janeiro, marco, maio.
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Rccife, na livrarla da praca da Independencia
ns. 6*8, dos propietarios Maneel Figueira de
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL
Ministerio da agricultura com-
mercio e obra publicas.
Decreto n. 3,337 Concede a companhia ingleza- Anglo Brasilian
Gold Company, limiteda necessaria autorisa-
cio para unecionar no Imperio.
Atlendendo ao que me requereu a companhia
iBgleza -Anglo-Brasilian Gold Carapany, limited,
devidamenle representada, e de confor.nidade cora
a minha immediata resolucao de o de novembro
prximo passado, tomada sobre o parecer da sec- ik
gao dos negocios do imperio do conselhode estado, I |., ,r!j
exarao em consulta de 27 de setembro do presen-
te anuo, hei por bem conceder-lhe a necessaria au- SSfX^Sfm^JWS do conledo d, "eu
oiiiuo de hontem, sob n. 358, a que respondo, re-
metto Vmc. a inclusa copia de contrato celebra-
do com o baro do Livramento, em 4 de outubro
SSTJSJ, i. ^ artilhana r,ue ja esteve as A's 5 horas da manhaa o exercito poz-se em'! Que se retire quanto antes o bissexto de 1864, impugnara a nrimeira eleicao c S""*S, I? *?r,onel comraandante das armas marcha com directo ao norte. A's 5 |2 acha- que nio deixa de ferio grandes saudades, porque o -
mfntrL^LTi? ,"rgen,e- ,- r ? a t,ro de,ci",hii0- A esta mesma hora rompe o que nos bate porta tem moito a fazer na heranca
uitoao coramandanle do corpo oo polica.In-. fogo as trmcheiras e a fortaleza que se acha no legada pelo seu antecessor
forme V. i>. com urgencia se chegou algum des- meio da praca. Tortanto apresentando a Vmcs e aos ens leito-
tacameoto do corpo de seu commando, conduzin-1 A's 5 horas e 35' rompe o fogo a arlilharia do res as nossas sanflacoes, eslimaremos nue no pro-
da villa de Ingazeira para esta ca- exercito libertador, pelo E. Segu o combate, po- ximo anno sejara propicios e venturosos os dias de
| rm o fogo das baleras muito pausado. A' di- todos quanto i chegarem !
do hospital militar.Informe reita e esquerda as infamaras avangao paraos! Hasta de comprimentos antecipados de boas fes-
brev.dade ha quanto lempo eantoes tas e vamos ao que serve, que sao as novidades
A s 6 1|4 avivam-se os fogos, e o de infamarla desta parte do imperio,
moriifere de um e oetro lado. A's 6 e 20 urna di- Terminarani-se pelo Amazonas os trabalhos da
. vlsao de 400 homens de cavallaria e artilharia assembla provincial nao obstantaf havprem-se re-
receber arngos de fardamento para seu uso, pro- desee a colina, que fica ao norte dapovoa.ao, di- tirado ante-ipadament"para?seuXeToSm
indagacoes a seme- j nginde-se para o rio. A's 6 1|2 esla dviso faz representante/ antes do encerramenlo.
a .- a .. |al'oe forma se em linha de batalha. A esta raes-i A sociedade denominada Reereio Domestico deu
D da reparticao das obras raa hora apparece outra divisao e.faz a mesma a 2C de novembro
do recrutas
pital.
Dito ao director
Vmc. com a possivel
Maxlmiaoo Juaquim da Rocha seutenciadu exclu- :
do do 7. baialhao de nfantaria e empregado no
servico de fachina desse estabeleciment, est sem
receber artigos de fardamenlo
cedendo Vmc. as neerssarias
lonsago para funccieoar no imperio, sob as se
gimos coudigoes:
1' As alleracGes que forem feilas nos regula- ,
melos da companhia em viriude do art.ol.devem A ?'p-'' a co,ls'ruccao de duas casas aos lados
Ueixar salvas as disposicoe* dos estalutos i p'ac' df ^fj^' fndo uraa d,esl,nad2 a
2- As alterares que forera feilas em virtude do K* hrJ .? d, mesm Palac,0'raflm
art. oG, nao serao postas em execufao sem appro- i desaq^ 2SEB,?bre eSsa obra a Decessana Qsca"
yacao prv,a do govoruo imperial. PP I|SA?S B,i?? cumPre- A
3* Os actos prat.cados.delro do imperio pela ^mfnan'ec^ P?co dfP's ^ se; eu em-
direcoria, ou pelos seus preposlos, delegados'ou ^S0"3d&XZT dC5'a Provincia-fa,lou-
agenies devero ser conformes com asleis do paiz.: J,'"n,,""',,'L cc,
Jesu.no Marcondes deOl.veira e S, do meu con- ?1. soube q
selhe, ministro e secretario de stade dos negocios
da agricultura, commercio e obras publicas, assim
o leuba entendido e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro, aos 9 de dezembro da
1864, 43 da independencia e da imperio.Com e
rubrica de S. M. o Imperador.Jetuino Marcondes
de liceira e S.
----------*~----.------
G0VESH0 DA PROVINCIA.
Expediente do dia 30 de dezembro de 1864
Officio ao Exm. visconde da Boa-Vista, comraan-
dante superior da guarda nacional do liedle.
Sirva-se V. Exc. de informar se pode algum dos
corpos da guarda nacional desta capital, dar a
guarda de honra que pedem os devotos do Senhor
liu.'i) Jess do BomBra n incluso requerimenlo.
Dito ao mesmo.Arcuso a recepciio do ofScio
desta dala, em que V. Exc. me communica, que
por incommodos de saude, nao pode continuar no
ejercicio dorargo de coramandanle superior dcste
municipio, n,
Seniiodo multo que se tenham aggravado os sof-
frimenios de V. Exc, concedo a permisso que
pede para passar o mesmo commando, a quem por
iei competir.
Aproveite a opportunidade par? ellaar a V.
Ex^, osmeus W5ro o muila estima e conside-
.Uc.lu.
bito ao coronel coramandanle das armas das ar-
mas. evolvendo incluso o olflcio do tenente Ma
noel Joaquim de Oliveira Curchatnz, datado de 2
do correnle, (enho a declarar V. S. era resposta
au seu desta data, que acabo de ofliciar ao inspec-
tor da thesouraria de fazenda para providenciar
sem demora acerca Jo pagamento da forca que
sob o commando daquello offlcial est destacada na
commarca de Fores, podendo aproveilar para con-
ducho do dinheiro que tiver de remelter para all,
o lente de cavallaria Manoel Joariuim Machado,
que de ordem de V. S. vai em servico aquella co-
marca ; cabendj-me dizer raais a V. S. que j se-
guio para Paje, por ordem do meu antecessor um cou-seao juiz municipal d'aquelle termo.
destacamento de 26 pracas do corpo do polica Dit0 aos agentes da companhia Brasileira de
me acerca desse conrato, e bstanle sorprehendi-
do fiquei quando soube que Vmc. e a thesouraria .
de fazenda nao liveram scienciadelle, mxime es-!e 15' as caohoneiras brazileiras desembarcam
taudo essa obra j 13o adiantada, a ponto do mes-
mo baro pedir o pagamento da respectiva primei-
ra prestaco. -Offlciou-se ueste sentido ao inpec-
tor da thesouraria de fazenda.
Dito ao director do arsenal de guerra.Res-
pondo ao seu offlcio n. 119, de 20 crreme, detla-
rando-lhe que as sobras, na importancia de
2131507 rs., das diarias abonadas pela thesou-,
rana de fazenda para a alimentario dos africanos dora, avaacandd como 500 varas de terrena.
- o seuJjaile de inslallacao, que
operacao eijala precedente. As 6 e 35 cessa o foi bastante concomito.
fo8,de ambos lados. Coasta do Catktta n. 142, na parte oflicial,
A s 6 e 45' avanco as pecas de arlilharia raia- que o ministerio -e esjrangeiros approvra o pro-
da pela norl da povoacao. As trincheiras rom- cedimento da presidencia, ua.questo da mesa de
pem um fogo muito vivo. A's 6 e 50' rompe o rendas cohi o vice cnsul portuguez da mesma
fogo de arlilharia volante sob o commando do te- provincia.de que a tem pos Ihe noticiei.
nente-coronel D. Ventura Rodrguez ; responde-Ihe E' lambem isto o que dizem as correspondencias
a fortaleza.' do Amazonas ; mas ao cerio nada se sabe de posi-
A s 6 e 55 cessao os fogos da fortaleza sofloca- \ tivo alm do exposto,
dos pela arlilharia e fusilara do exercito liberta-i Os gneros alimenticios continuara era bastante
A's 7 e 5-descera a dar agua aos cavallos as caresta em libaos, tendo se vehdido farinha a
dor.
forgas de cavallaria, em quanto a.arlilharia e in-1 nove e dez mil ris' aqueire, e a carne verde a
fantna destrogao s trincheiras inimigas. A's 7 320 rs. a libra !
e 15' M caohoneiras brazileiras desembarcam' Os generas de exporlaco (ambem mostrara pou-
onze lanchas carregadas de tropa, no meio de ca colheita.
hurrahs e vivas ao Imperador, indo o mesmo, Deoulras necessdades imperiosas se recente a
almirante bario de Tmandar fente delta?, provincia do Amazonas, e a principal a falla de
O fogo das trincheiras muito pausado. numerario^ tinto que as obras publicas acbam-so
A s 7 e 25' a coamna brazileira marcha m j parausadas.
direccao povoacio, .faz aHo entrada da ra De outros
] principal.
Iivres que estiveram servindo nesse arsenal, de-
vem ser recolhidas ao cofre da mesma thesoura-
ria como rqformou o respectivo inspector em of-
flcio de 28 do crreme.Communicou-se ao ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo. Ferneca Vmc. para o servijo
da secretoria do commando das armas, 12 cadei-
ras de palhinba envernisadas.Communicou-se ao
coronel comraandante das armas.'
Dito ao mesmo.Mande Vmc. recolher aos ar-
mazens desse arsenal, como solcitou o coronel
comraandante das armas, era oCQcio n. 2314, de
29 do correte, os objectos mencionados no pedido
junto, os quaes nao sao necessarios a companhia
de artilines.Coraraunicou-se ao coronel comman-
dante das armas.
Dito ao Dr. juiz de direito de Garanhogs".
Vmc, faca ver ao Dr J^jj rfQnTcIpal e delegado
u termo de Garanhuns, que devem quanto antes
dar as informaepes que exigi por meus oflicios de
22 do correnle, por ser negocio de urgencia, e que
tomo na raais serio considaracao.
Dito ao superintendente da estrada de ferr.
Fito inteirado do que me communicou o Sr. sn-
perintenle da estrada de ferro, era seu oCflco de 27
do correnle, relativamente a demora que houve na
communicaso do roubo feito na eslacao das cinco
Pomas.
Dito ao delegado de Ingazeira. Informe Vmc. |
por ordem de quem f.i retirar para esta capital
todo o deslacamento dessa villa, deixando aban-
donada a respectiva cadeia, onde ha 3 pessoas de
crimes inatiancaves, no que procedeu ^regular-
mente e com a maior inconveniencia. Communi-
rua' e outros pontos poucas sao as novidades, e
: 1 quantp ao Per bada ha de .importancia alm das
7 ipj muda de posjcao a arlilharia liberta-! noticias j sabidas.
A's' Passando ao Para tenho a dizer-lhe que no dia 8
7 e 33 duas pe$as pnxadas a braco adiaotam por do correte, logo aps a sabida do Oyapoch; live-
meio das chcaras, deilando abaixo os muros, ap-! mos nea capital um tremendo furacao.
parecem pelo costado do sul, e fazem multo dam-! A's Ihonerda tarde, o -rento desencadeado so-
no as fortificacoes da praca, das qnaes caheum j prava do oeeidenle com lal intensidad' que envol-
peda$o de muro, inutilsando urna trincheira. Tor-
nara a principiar os fogos da pra^a.
Sio 7 e 43': os cantees da praca fazem um fo-
go mortfero de fuzilaria,
A's 7 e 45' a Infamara brazileira avanca em
columna cerrada pela ra principal. A's 8 em
ponto rompe o fogo das caohoneiras Araguay,
Belmonle e Parahyba. A's 8 e 10" a canhoneira
Belmonte metle a pnmeira bala ca frente di igre-
ja. A's 8 e 20' rom,ie o fogo da canhoneira Ivahy
com o rodizio de proa de 68, e ao mesmo tempo a
^anhoneiras cao a bandeira oriental no topo do
Mata) grande.
Sao 9 horas da ffianhaa, a s canhoneiras fazem
um vivo fog, laucando bombj.s, granadas efo-
guetes de congrve.
A's 10 c 40' chegou a canhoneira hespaBhola
Vasd-Ras, e, acto continuo, to a bordo deHa os
comraandantes das canhoneiras franceza Decidle e
ingleza Doterell. Ao meio-dia em ponto a canho-
neira Belmonle dispara o rodizio de proa de 68, e
abre urna brecha na trincheira que tica a direila
da reja, a qual par um momento abandonada.
O inimgo bate-se com lada a serenidade.
E' meia hora depois do mio-dia : as canhonei-
ras lem disparado 396 liros cora rodizios de 68. O
inimigo resiste heroicamente (96 balas na praja
12 na fortaleza e 3 na igreja.)
A's 2 horas da tarde achara-so tomados todos os
eantoes; porra faltam as oito bocas do ra da
veu a cidada n'nma nuvera de p como se fura o
fumo negro-de um grande incendio que a devoras-
se por todos os lados, desarraigando arvores e fa-
zendo Toar lelhas e paos'mal seguros que encon-
trara jaa sua rpida e delirante passagem I
o borlo os navios nao sofTreram ousa de Im-
portaacia, mas houverain avarias de gneros e
perda de alguns arligos que se achatam embar-
cados^
Nq houve se quer urna gota dechuva, por estar
a estadio sequissima ; eremos que a esta circuns-
tancia ^edeve nao ha ver grandes desgracas.
Na Tespera deste dia, pelas 4 horas da tarde,
pooco! liais ou menos, lambem se maofestou um
pequeo incendio no paheio da presidencia, que,
descocerlo em seu principio, fo logo eitincto, sem
que fosse preciso" dar o sisnal de fogo, por assim
havef ordenado o Exm. pre*sia'te>.
O fogo pardo d'entre o soalho o o asiuqun do
pavimento terreo, e tanto que a viga como urna
das laboas arrancadas estavam carbanisadas.
Seria urna calamidad o proseguimento do in-
cendio, n'ura dos melhores edificios do governo,
alm das perdas consideraveis que poderiam resul-
tar, porque ahi se acham a thesouraria geraldo ihe
souro provincial e a secretaria da presidencia.
Anda apprcuve Providencia salvar das cham
mas um dos mais bellos monumentos, legados pe
los nossos anlepassados
A navegacao doTocantins de que j Ihe tenho
paquetes a vapor.Declaro Vracs. em addilamen-
to a portara de hornera datada, que as barricas
com semenles de algodo, que tem de ser transpor-
tadas para a corte no vapor Paran, sao loe nao
14 como por equivoco se mencionou na citada
portara.
Despachos do dia 30 de dezemhro de 1S61.
Requerimenlos.
Amorim fi Irmao.Deferido vista da informa
sera duvid i para substituir a forca que cominanda
o lenle Curchatuz.-Offlciou-se neste sentido aj
thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.-Informe V. S. acerca da passa-
gem que pede no incluso requermento o ex-cadete j
1 sargento do 4 batalho do arlilharia a p, Fran-
ci-r da Silva Fialho. I
Dito ao mesmo.Respondendo o ofiicio n. 2,290
de 24 do correnle, era que V. S. eolicila providen- j
cas para ser retirado o destacamento do 9 bata- i
lho de infamara existente na villa do Pao d'Alho,; cao.
tenho a dizer-lhe que me parece raui razoavel se-' Hermi-ra Bizerra Cabral. Informe o Sr. com-
melhante requisicao, mas nao pode presenleraen-1 mandante superior da guarda nacional da comarca
te ser satisfella de promplo, vi.-to como ha falta de; de Limoeiro.
forca no curpo policial, e as poucas pracas que se \ Joaquim Nicolao Barbosa.-O sopplicame j as-
acham desempregadas pertencem a seccao urbana sentou praca desde 18 de novembro ultimo, ficou
que nao p* destacar fra da capital e desle ter-! pertencend a guarniQao do brigue barca llamara-
mo ; entretanto de necessidade conservar-se um j ra.E' presentemente ao governo imperial que se
destacamento naqaella villa, como informeu o che- \ dever dirigir para obter sua escusa,
fe de polica em offlcio de 28 deste mez, para guar- i Manoel Saturnino dos Santos Neves. Nao tem
dar a respectiva cadea, onde existem diversos en- lugar, sendo que o supplicante urna das pessoas,
minlos. : cuja ida Fernando deve ser prohibida segunda a
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda. requisicao do coramandanle d'aquelle presidio.
Informe V. S. se ha crdito para occorrer as des-' Thomaz Jos de Mello. -Informe o Sr. bario do
pezas a fazer com pinturas de que necessitam os Livramento vice provedor da Sania Casa de Mise-
reparos novos das pegas existentes na fortaleza do ncordia.
Brum, obra esta, que me parece indispensavel |
para conservacio dos ditos reparos, mormente as
ferragens.
Dito ao mesmo.Declaro a V. S. para seu co-1
nhecimento, e aflra de que o faga constar a qu. ni
CONMANDO DAS ARMAS.
competir, que, por despicho desta data, defer o
requenmento de Amorim Irmaos sobre que versou
a sua ioformacao de bonlem n. 774.
Dito ao inspector da ihesouraria provincial.
Informe V. S. com a possivel brevidade se das re-
lacoes e lvros de escriolurago do corpo policial
anteriores ao anno de 1853 e existentes nessa re-
parbeao, consta que perlencesse Aquelle corpo um
soldado de nome Romio do R>*go Barros, quando e
porque motivo foi delle excluido.
Dito ao mesmo.Autonso V. S., em vista de sua
Informacio de hontem sob n. 566, dada com refe-
rencia a da contadora dessa thesouraria i pagar
ao Dr. Manoel Bu tou o rhefe de polica em offlcio n. 1,567 de 16 do
crrante, a quantia de 574400 despendida com o
suste.o dos presos pobres da cada do termo do
Ouricury, durante o mez de outobro ultimo, como
se v da cunta que devolvo.Coramunicou-se ao
Dr. chele de. polica.
Quartel do rominaailo das armas de Pernambneo,
na cidade do Rccife, de 2 Janeiro de 186o.
ORDEM DO DIA N. 22.
O coronel commandate das armas faz publico
para conhecimento da guarnicao desta provincia e
lins necessarios, que o governo foi servido resolver
por aviso do mnisierio da guerra de 19 de dezem-
bro do anno prximo flnno, que no corrente se-
mestre continuasso avigorar para a tropa de linha
aqui existente, o valor da rayio de etapiWxada
para o semestre ultimo, isto a 380 ris, e a da
forragem para a companhia do cavallaria a 700
ris : o que constou de offlcio da vice-presidencia,
datada de 31 do referido mez dedezembro. O va-
lor de 1|2 libra de pao alvu-substituitivo da fari-
nha de mandioca destinado aos doentes em trata-
moni i no hospital e enfermaras militares, sera A-
xada em 8 ris.
O mesmo coronel, determina que fique desligado
do 9* balalhao de infamara, a que se acha addido,
Dilo ao mesmo. -Autoriso V. S. era vista de sua o Sr alferes Joao Baptisla de Menezes, que a raa-
nhaa segu para a corte com o destino de 7* da
mesma arma a que perlence.
(Assignado.) Joaquitn Jos Gonqalves Fontes.
Conforme.O capitao Jos Francisco de Mor oes
e Vsconcellos.

INTERIOR.
Ataque de Paysudu.
informaeao de 24 do correnle, sob n. 563, a man
dar adiantar ao agenle fiel pagador da reparlicao
das obras publicas, conforme solcitou o respectivo
chefe interino em offlcio n. 350, de 21 d-'ste mez,
mais a quantia de 1:500(8000 para conlinnacao das
despezas com reparos de poniese estradas. -Com-
muuicou-se ao chefe interino da reparticio das
obras publicas.
Dito ao commandate superior da guarda nado-'
nal de OHmla e Ignaras-.Rcceb o seu offlcio
de i do crreme e fleo sciente de haver V, S. J
passado 6 exerciclo do sen posto, ao tenentecoro-;
nel Hemeterio Jos Velloso da Silvera, por ter de
ir ao centro da provincia onde pretende demorar- DAno* tomados pelo cuarda-mabinha arointiro
se g (j(as Alvaro A. de Alzogarat, do traqvrtr do va-
Dito ao inspector do arsenal de marinha.-Sci-! > "* en Guarda Nacional, rm freht*
ente pelo seu oIBio de 28 do corrente, sob n. 805,; DB Paysakdu nos das 6, 7 e de dezembro.
da ter fgido o africano livre Manoel, que foi re- Da 6.A's 10 Doras da manhaa as forcas liber-
colhido a "sse arsenal porparie do bacharel Jos tadoras, sob o commando do bppadelro general
Flix de Brito Macedo, haja V. S. d me informar Venancio Flores cham-se acampadas no balxo,
se o mesmo africano j tralla carta de emanci- que est ao sal da povoac.10, e mais 500 homens
paeae. de infantana de linha brazilciros
Diio ao tenente coronel recrulador.-Em regosta As ronhoneiras brazileiras em linha de comhate,
ao offlcio que V. S. me dirigi hontem sob n. 128, fa/endo cabera a Belmonte ao norte da povoacao,
tenho a dizef-fhe qne por ora' nao possivel pela pepa desta a Parnahyba, no porto Araguay\
prestar-se o guarda da secco# urbana que V. S. e como quatro quadras mais para baixo a Ivahy.
solicita para acompanhar n sen ajudante no ser- Duas milhas mais adiaste est fundeado o vapor
vlo do recraiamento, sendo qne, pode dar-se a ectfe.
praca, que fazem um fojo horrivel de arlilharia. fallado por \cief, vista das explorares feitas por
A s 2 1|3 da tarde vio para bordo duas lanchas ordem da presidencia acaba de ser posla a con-
carregadas de feridos, e dirigein-se canhoneira curso ; sendo subvencionada por coma dos cofres
Araguay, da que vio cinco feridos para serem cu- j pblicos aquelle que a levar a effeilo pelos ros
radS'i a iacima dlt0 e Aragu;iva al a provincia de Govaz.
As 3 da tarde anda a povoacao nao se linha | E como por inconvenientes especiaes nio possa
rendido, apezar de ter recebido 614 balas adradas anda ter lugar a navegacao a vapor, ser reita em
de bordo, sera contar as de trra, que Ihe choviara barcos a vela sob as senuiutes condic5es :
de todos os lados. A esla hora faz signal a capla-! I. Que o barco tenha a arqueco de 600 a
nia da esquadrilha brasilera e cessa o bombardea- 1,000 arrobas, para a subvencao do 1:0005.
me1nl0- De 1,000 a 2,000 arrobas, para a de 2:0605-
Anda ve-se as trincheiras a bandeira oreatal, I 2. Que a viagem seja do porto do Para ao de
e Leandro Gmez dispoe-se a defender-se "at que Leopoldina no rio Araguaya e vico-versa, tocando
a povoacao caa em ruinas, ou morrara elles e seus nos segrales porlos : *S. Joao do Araguaya, S. Jos
companheros. dos Mariyrios, Sania Anna, S. Jos do Araguava e
O resto do dia passa-se em guerrilhas do infan- | Leopoldina.
Urja, e em reparar as perdas. 3 A todo o barco que subir at o porto do Ju-
A's 6 horas da tarde vem o general Flores acom-. rupecen no rio Vermelho de Goyaz. se abonar,
panhado do seu estado-maior mantera do no, e
lem urna entrevista cora o bario de Tamandar.
A's 6 1/ horas entra na povoacao.
Passa-se a note em completo tiroteio.
Dia 7As infamaras brasileira a libertadora
apparecera na praa. A's 6 1/2 rompe o foge di
balera esquerda da praca, drigindo seus fogos
para o norte.
A's 8 cessam os fogos dessa batera, e o resto do
dia passa-se em guerrilhas.
A noite sem novidade. As infamaras ficam no
mesmo lugar.
Dia 8.A's 4 horas da manhia a batera do ex-
ercito libertador, situada ao norte da povoacao,
rompe o fogo a que a praca responde da maneira
mais viva.
A's 7 e 40' a arlilharia libertadora atira dous fo-
guetes de congrve, que entram na praca, e a in-
fantera brasileira formada era columna de ataque
avanca pela ra principal.
A's 5 15' urna batera brasileira situada ao NO
da povoacao ,e sobra a colna (cocbilla) rompe o
fogo com suas duas pecas de 72, fazendo um des-
troco espantoso.
A 6 da manhaa rompem o fogo as canhoneiras
Belmonte e Parnohtba.
A's 8 da manhaa cesso os fogos das bateras,
depois da lerem feito 68 tiros. As bateras liber-
tadoras continuara fazendo fogo, mas pausada-
mente.
Dia 9.Continuara as guerrilhas, porra a po-
voacao anda nio se entrega ; a defez* est redil-
zida praca.
(Nacin Argentina.)
L-se no mesmo jornal:
As forcas brasileiras que (no ataque de Pays-
sand) desceram larra, deixarain bem assigna-
lada sua ceragem. Os priraeicos caotoes que se
renderam, foi aos trus de suas batas eerteiras,
nao obstante o fogo desses eantoes, que Ibes cau-
sn algumas perdas.
O mesmo jornal diz aipda ;
O valor honrado. A capitularlo do Salto o
contrasto do ataque de l'ayssand.
Leandro Gmezsalvou a honrada sua bandei-
ra compromeltida por Palomeque.
t Gmez defend urna ruira causa, porhi por-
tou-se com um bravo. ,.,,
As leslemunhas presencaes dos fados nio
teetn palavras eotn que elogiar o valor dos solda-
dos do general Ffores, e a intrepidez dos soldados
braslleires.
Honra aos bravos, e victoria boa causa.*
hidMt
CORRESPO* lE!CIA8 M DIA
RIO DE PER*AHBCCO.
"At'4.
Belm, 24 de dezembro de 1804.
Estamos as vesperas das festas natalicias
W>
do
chrisluoismo, bem como das sabidas e entradas do
velho e nove anno.
alm da subvenciona gralificacio'de 400 por via
gem redonda.
4 A subvencao Iscri paga tambem depois de
effectuada a viagem! de ida e volta ; excepto quan-
do motivos attendTws delermin-iin o seu adiamen-
to e ueste caso seria abonada metade da subven-
cao.
5." Os donos ou ncarregados dos barcos apre-
sentario neste thesouro para serem registrados os
docnmenlos da desembarazo dos mesmos barcos,
expedidos pela reparlicao da polica.
Transcrevendo ekta nocia publicada aqui nos
jornaes, lemos por lira dar-lhe a devida publicida-
do, por isso que lenjde esta medida a realisar um
importante melhoramento a beneficio do commer-
cio e da agricultura desta provincia e da de Goyaz.
A sociedade PorluguezaBcneneente que nestes
ultimes dias tem prendido a attencio publica por
causa da eleicao da (directora que lem de funecio-
nar no anno vmdouro.
Tem havido por tal motivo duas eleicoes.
Na prmeira foi re|eleita a|drectoria do presente
anno, mas este acto jfoi impugnado por grande nu-
mero de socios, queirepresentou pela sua annulla-
qSo ; entretanto a mesa reeleita fazendo o annun-
cio da sua nomeacaov era seguida pedio escusa.
Isto porm nao cotentou os que impugnavam a
reelego, e soccorrindo-sc aos estatutos pediram
uraa assembla gerpl para examinar o processo
eleitoral.
A mesa por sna parle convocava lambem a so-
ciedade para urna renniao extraordinaria, aflm de
se fazer nova eleifio ; e assim succedendo antes
que se reunisse a assembla geral requerida, veri-
ficou a 18 a nova elelcio, nao sera reclamacSes dos
associados que impbgavam o prraeiro processo ;
porgue, havendo estes pedido antes de comecar a
sessao a leitnra da acta antecedente, esta foi dene-
gada peli mesa, visto ella entender que tratndo-
se de urna reuniio extraordinaria nao linha lug?r
semelhante leitnra da priraoira acta eleitoral. Esta
resolucao molivou, como disse, reclamacoes de va-
rios socios, os quaes vendo que nada consegniam
a favor de sua preteuco e db exame requerido,
retraram-se da sal, e em, seguida a eleieao con-
vocad pela masa,, foi procedida com os socios que
Acarara, sendo eleilos os a>sociados : Jos Ma-
rianno Botelbo, presidente ; Miguel da SUva Vene-
no, vce-presidente ; Eduardo Francisco Pereiea
de Amorira, prmeiro secretario; Luiz Vlceole Go-
mes, segundo dito ; Jos Ferreira Alves, thesou-
reiro ; Roaventara Jorge do Nascimento e Angelo
Henriqne Vidigal, procuradores,
E' preciso, nour que hav.ara tres chapas para a
segunda clelgo, sendo esta a de menos probabili-
dad!', porque em geral sip caixairos da urna das
casas de cumraerc-io desta prac, sem nunca lerem
apparecido nesles negocios de ajejeocs; entretanto
os que pleitearan a eleicao a favor da antiga direc- [
torja, uniram-se para dar a victoria a esta chapa,'
que, como se diz, liaba meos probabiiidade de i
vencimenlQ I 1
Tudo isto ha dado motivo a descontenumenlo e
contesta.^oes entre os associados, a ponto dos qqe 1
segunda, representarem ao governo da provincia
acerca de todo o processo eleitoral, e como taes
negocios tem corrido na Sociedade Beneficente.
Nio se sabe o que a pre>idencia far ; como enca-
lar a faeuldade dn Intervlr em questdes internas
de urna sociedade estrngeira ; o certo que lam
bem dous membros da antiga directora dirigiram
se ao presidente da provincia, para o orientar so
bre as mesmas occurrenclas !
Eis cm que est a sociedade beneficente portu-
gueza do Para comtuso eremos que o tempo cu-
rar estas fondas, porque os chefes de um e outro
lado pleiteantes tem o necessario criterio para re-
conhecer que com semelhantes questdes, impos-
sivel o regular andamento e progresso de urna as-
sociacao que por tantos ttulos e pela sua inslilui-
cao merece a considerarlo de nacionaes e estran-
geiros.
Este anno deve igualmente licar promptoo pre-
dio que a sociedade coraprou e reedlficou para as
suas sessdes ; esta compra e obra nao tem deixado
de ser, segundo dizem, um dos motivos poderosos
das quesloes que se agam all:
Consta que neste paquete vieram recambiadas
de Paris algumas letras, de urna casa franceza desta
praca.
Isto lera influido no animo do commercio e nao
deix de causar serios prc|uizos e graves transtor-
nos aos respectivos negociaJores de taes saques.
A praca do commercio acaba de fazer um con-
vite aos roramerriantes para que, urna hora de-
signada (do meio dia a urna da larde) todos alli se
reunam quolidlanaiuente, afim de se centrallsar as
iransaeeSes mercarais.
A praca j conta um soffrivel numero de asso-
ciados e de-err queem poneci lempo trari bene-
ficios ao commercio desta praca.
As negociacdes de saques desta vez esli bas-
tante fronxas : aeuarda-se oseguinte paquete para
se saber quaes as noticias da Europa ; nao obs-
tante a baixa da laxa do juro as differenles
pracas.
A reelegi do presidente dos Estados-Unidos da
America do Norte, denuncia a continuado da
guerra ; por conseguinte a sustentado do precodo
algodio e de mais gneros de'sta provincia e da do
M a rali bao.
Ahi junio Ihe remello o boletim commercial desta
pra^a sobre cambios e precos dos gneros para ser
publicado em lugar competente.
Nada ha mais de importante, e por isso (Indo
com a prsenle as minhas correspondencias de
1864.
Boletim commercial.
24 de dezembro de 1864.
Cambiossobre Londres : as transarrbes antes da
chepad.: do Paran foram todas
realisadas a 27 1/2, porm depois
somnie se realisaram cerca de
4,000 a 27 1/4, mostrando ten-
dencia de baixa. Houve urna
transaccao de 36 3,000 ao cambio
de 30 d.
Cambiossobre Paris : somente se effectuaram
pequeos saques a 350 rs. por
franco.
Cambiossobre Portugal: houveram pequeos sa-
ques a 98 O/o 60 dias e 100 O/o a
30 e 15 das.
* Importado. .
Azeite de oliveira.405 o barril, mercado frouio
com grande existencia.
Bacalhao.Ha falla do de boa qualidadeque se est
retalhando a 22-3 por barrica.
Banda de pnreo. Vende-so a 280 rs. a libra em
barril, e 310 a 320 rs. era lalas ; a existencia
pequea.
Batatas.Realisaram-se vendas a 1200 por ar-
roba.
Carne secca.Vinda pelo Paran obteve 35300
por arroba.
Ceblas.Ha grande abundancia e as ultimas ven-
das foram a 500 e 550 rs. por molho.
Cha hyson de boa qualidade.15800 a 25000 por
libra.
Farinha de trigo.O deposito diminuio muito com
as exporiacoes que liveram lugar para Pernam-
buco e Maranhao, o que deu lugar a lixar-se o
preco em 183 por barrica da americana.
Genebra.A do rarregnmento do/mmantiei obleve
os seguints precos 5;jOO por caixas e 330 ris
por botijas.
Massas.Abundara e as de Lisboa vonderam-se
aos precos de 65 a 65300 por caixa.
Manteiga.-A ingleza regulou ae 620 a 640 rs. por
libra, e a franceza de 500 a 520 rs. por libra.
Pimenla da India.-260 a 270 r<. por libra.
Passas.As avuliadas entradas deste artigo fize-
ram baixar os precos, e houveram algumas ven-
das a 55 por caixa.
Petroleum retinado. -Em latas 25200 o galio.
Queijos de boa qualidade.-15700 a 15800.
Toucinho de Lisboa.85 a 85500 por arroba.
Sal portuguez.750 a 800 rs. por aqueire.
Exporlaco.
Algodio.185 por arroba.
Borracha fina.145300 por arroba cora tendencia
para, baixa.
Dita sernamby.85500 por arroba ; procurada.
Cacao.o por arroba ; pequeas partidas do novo
tem realisado este preco.
Arroz era casca.15900 a 25 por aqueire; po-
rm hoje menos procurado e deve bailar des-
tes preces.
Couros os verdes salgados.90 a 100 rs. por libra
sem procura.
Ditos salgados seceos.130 rs. por libra.
Ditos de veado.400 a 420 rs. por libra.
Piassava.15200 por arroba.
Movimcnto da navegacao no mez de dezembro.
Entradas.
Imanuel Escuna dmamarqueza.
Graciosa B. escuna brasilero.
Cidade de Belem Galera porlugueza.
Ozetl Hiaie inglez.
Electra Escuna ingleza.
Feliz Ventura Brigue portuguez.
O vapor Paran qne devia sahir hoje s 10 horas
da manhaa, foi demorada a partida para as 3 da
tarde, per ordem superior.

3 frogresso Maranhao.
3 Patriota Arribado.
6 Oyapock Porlos do sul.
7 Paleftro Maranhio.
8 John Gustavc New-Port.
8 Elector Ceari.
8 Emmnnuel Hamburgo.
8 Graciosa Maranhio.
10 Uniqo it Ozel Parlo.
New-Y'ork.
12 RalLsch New-Caslle
,13 KiaiaiuV 22 Paran I.i.-b a
Rio de Janeiro.
Sabidas.
1 Solferino 2 Capbd New-York.
Liverpool.
2 Tocanlins Nanles.
7 Oyapock\ Porlos do sul.
9 Patrila Maranhio.
11 Elisa Mar y Dunisara.
14 Proqrestt Maranhao. *
16 Albatross New-York.
17 Aracaiy Liverpool.
24 Jeune Ua Havre.
Navios no porto.
A' descarga ; ,
Viajante Brigue porluguex 1'mao Barca porlugueza.
Raletgh Barra ingleza. ,'
Palestra Brigue Iraacez.
Favourit Brigue inglez.
Eulerpme. Barca *
A' carga,
John t Gustave Patacho hamburguez,
DIARIO DE PER NflMRUCO
Pernambiico e o Rio de Janeiro.
i
Quando em 1820 appareceu a Conslilnieio por-
lugueza, levantou-se nesta provincia graode enihu-
siasmo pela idea de que o paiz memorara de enn-
digao, e teria grande impulso na carreira do seu
aperfecoamento.
Tudo se nos figurou gaandioso e bello. Nossos
depuiados foram ao congresso da naci portugue-
sa, da qual eolio eramos parte, esperando-se das
corles geracs e extraordinarias infinitos bens. -
E como de ordinario grandes desfjos e espef
raneas succedem-se grandes decepedes, assim nos
aconleceu enlao.
El-ri D, Joao VI, que achava-se entre n., e
havia dado alguma animac/to ao Brasil com o es-
lahelecimenlo dos novos trbunaes e iesiitotos que
exiiam a nossa transfornugio em reino, e a nova
corte, vio-se forjado a regressar para Portugal.
Nossas esperancas converteram-se era descostos
e contrariedades; e todos sabemos a serie de factos
que se seguiram, e que deram em resultada o ora-
do do Ypiranga, que nos deu a independencia na-
cional. .
E' bem notorio que o magnnimo principe, qne
ergueu esse lirado, foi levado por um movimenio
repentino de nobre enthusiasmo, e sem preceden-
cia de um concert geral, que determinasse o pla-
no da nossa emancipaeio politica.
O pensamentp porm crculava em todas as pro-
vincias do entio reino do Brasil; e aqo-lle svtnpa-
Ihico brado repercuti e foi repelido em todos os
ngulos da trra de Santa-Cruz, surgindo o novo im-
perio inleiro e grande de um s jacio.
No meio do geral assenti meato dos coracoes bra-
sileros, um houve nesla provincia, que susciiou
duvidas : foi Gervasio Pires Ferreira.
Conhecedor profondo dos nossos iistinctos.
e apreciador das nossas circunstancias loeaes,
elle aceitava a idea da iodependeoria nacio-
nal ; mas emquanlo a nossa uoiio com o Rio, elle
oppunha sizudas ponderacoes, demonstrando que
nos cumpra eslabelecer coudiebes.
Por tira cedeu ao voto geral, e annuio ao pensa-
menlo da independencia pura e sunplesmente. Per-
nambuco adberio ao brado do Ypiranga, e fez cau-
sa commum com as suas irmas do sal e do
norte.
Quando hoje refleclimos sobre a idea de Gerva-
sio Pires, que enlao pareceu urna excentheida-
de, senao falta de patriotismo, reconhecemos, que
o patrila Pernarabucano via longe. Elle calrulava
que o Rio de Janeiro, sssumindo todo o peder, nao
nos dara aquella importancia i que terco* jus.
As proviocias formam um todo da parles, que
teem igual direito s vantagens do governo social;
cumpre que o governo supnrno olhe para ellas,
nao como entidades, quem dispensa favores, mas
como personalidades, a quem deve juslca, e al
certo ponto considerarlo; porque nao vivemos s
da materialidade.
Devemos aspirar aos meios maleriaes que nos
pode o governo supremo dar ; e devemos lainbmi
querer que se nos contemple com amor, e se consi-
dere o nosso melindre.
Temos observado que o governo nos vai gastan-
do os brios: de certo lempo para c, as nomeacoes
que se fazem de presidentes, s ineuleam a aes-
consideracio com que se nos (rata.
Homens sera nome conhecido, sem prestigio, sio
erguidos ao alto cargo de presidentes das provin-
cias, aonde apenas cuidam de eleger para a repre-
semacio nacional os candidatos que os ministros
recommendam.
Nao esla a missao de um presidente de pro-
vincia.
Seo governoescolhesse homens nolaveis, elles
se nio sugeilariam ao humilde papel de manivel-
las dos ministros, e seriara verdadeiros e sinceros
agentes do poder execolivo, como quer a Consii-
tmcao do estado, que os manda observar as leis, e
promover a felicidade das provincias.
Homens que recebem o cargo de presidentes co-
mo meio de empregar dias ociosos ; mocos inex-
pertos, quena corte vio fazer tirocinio de advoga-
do, e que nio eucontram clientela; mancebos es-
(ouvados, a quem se quer habilitar para instru-
mentos de alheio poderoesses nao servem para
governar urna provincia. Atienda bem o governo
imperial para a verdade do que se passa. Cbame
o imperador a exame as nomeacoes que se Ihe pro-
pem, e conhecer que mu raramente achara urna
excepcio.'
A desconsiderarn do individuo, influe certa-
mente sobre o cargo. O prestigio do cidadio aug-
menta a aularidade do cargo.
Presidentes sem nome e sem consideracio algn-
ma, certos de que nada podera perder, porque na-
da adquiriram anda, commeltem mil tropelas, e
s quando por jogo de inleresses desagradam aos
ministros, vem a demissao, que nao conseguera os
mais Justos e instantes clamores.
Os inleresses reacs da provincia sao cousas
iraponderaveis na balanca cora que os ministros
pesara os negocios pblicos.
Os presidentes jamis sao responsabilisados :
(eitas as tropelas, o governo nao se importa com
a moral idade publica, nem cora o exeraplo, qne
cumpre erguer como padrio de juslca e censura
do arbitrio.
Bem diversamente eramos tratados, quando co-
lonia porlugueza.
Da melropole s vinham governar as capitanas
homens notados por serricos, altas patentes e co-
nhecidas ttulos; equando por ventura excedan-
se em vexames aos poros, nunca o governo portu-
guez os deixou sem signal de reprovacao, e mili-
tas vezes de serio castigo.
D'aqul inesmo de Pernarabuno um governador
foi chamado Lisboa, e pelo raio recebimenio que
leve na corte, tal foi o seu pesar, que na carroagem
que o levava ao paco, fallecen de sbita apoplaxia.
Hoje uem esse desagrado do governo se receia :
falta o pndor, que d valor desconsideraco.
Porque razio se nao d a devida importancia s
proviocias 1 Porque se desconsidera tanto o brioso
Pernambuco 1
Haver receio, de que o seu eograndecimento o
excite idea de separacioT
E' erro palmar. E ao contrario a epressib mais
fcilmente suscitar a idea; idea que alias nao Tin-
gar* naquelle paiz, que sacudi o jogo aollaodez,
para entregar-so ao sea legitimo soberano, como
fiel ao principio de uoidade monarchira.
E" .verdade, que um erro muito capital vai domi-
nando era nossos dias; e nos incale serio recet,
quando pensamos as suas coosequencias.
Tem-se entendido, que nio eonvra maoter as
provincias influencias e preponderancias de natnre-
za alguma.
._- 4
rv l


^
sv
Wam
mmmm
r=m^

#r*tir
c

=2=
Diaria di rernambiico Terrea itlta 3 de Janeiro de i sea

homejRjior sen mrito no momento do perigo me dominar como sempre a
seus concillaos; apenas; dea de que minha vida deve estar a disposicao do
Vemos, que apenas nm
se eleva no concello dos seus
ora individuo por sua fortuna e familia appareee esttdo, sempre que^ para, intentar a hopra nacio-
rodeadedeopfnl&o,busea-selbecorlar de Influencia, redur-lo ap nivel geral.
Por certo, qae errnea es'sa poltica.
A sociedade nao pode prescindir da coadjuvacao
e esforco individual. O esfijrfpftSn'ernaiite *d por
si, nem sempre leva a sua acijao i todo es ponas,
com a precisa rapideze Meacia.
Nivelado tudo na sociedade hrasleira, e W
tim movimento repentino em qualqner pomo, (Ade-
ra o 'governo levar ah" a repressao conveniente
com a urgencia necessariaT
'Talvez que nao. Sem pontos de apoto, que sus-
tenten! a ordem social, co momento em que per-
turbada, pode sueeeder, qtte se propago* a desor-
den), e depois Urde uu diffleilincBte chegue p
remedio.
Aliribuimos a manatencao da Integridade do im-
perio nos lempos da minoridade, lempos alias de
fraqaeza bo governo, ao sysienia poltico con-
trario.
As innencias locaes legtimamente constituidas
sustentavam-se, porque o governo as nao guerrea-
va; e como interessadas na ordem publica, prima-
rio h*m da sociedade, a lodo o momento presiavam
o sen concurso a bem da tranquillidade geral, e
por amor de uru poder, que dho consideravam in-
fenso, e a quem respeitavam e amavam.
Aqui mesmo em Pornambaco fui no concurso
particular, que o goveruo achon prompto auxilio
para reprimir as repelidas tentativas de desordem,
qaer da tropa de senfrada, qner do povo amotina-
do, quer dos sediciosos de especularlo.
Estude o governo imperial os exeroplos domsti-
cos : e nao queira ser tudo; porque o governo
obra do horneo), por isso, como elle deficiente, nao
pode ter a omnipotencia. O governo, como disse
um sensato eseriptor, nao 6 mais de que homens
dirigmdo cutiros homens.
Nao queira ser o nosso governo tudo, como quiz
ser o famoso dictador romaBo, que nos assomos do
seu orgulho dizia, qae elle era tudo, e a repblica
nao petsava d mi orne vo e sein realidade nem
valor: Mliil esse rrtnpkblieam, appellalionem nodo
dne eoiyorc, ac specie.
Nao desprese o nosso governo a naco, que se
compe da populacho das provincias : nao queira
ser, repelimos, como esse famoso dictador, que
exaltando-se omnipotente:Ac pro Itgibus habere,
quee dicat-, divorciou-se da forca da repblica, e
dentro de poucos dias via aunquilado lodo o seu po-
der, que se transtigurou em um cadver rojado ao
p da curia romana.
/Nao se divorcio o govern imperial das torcas
reaes da naco; concllie o amor das provincias,
cuidando seriamente do inieressc e digoidade
deltas; e assim ver o seu poder sempre crescer,
e servir-Ihe o tnumpho da causa publica de verda-
deiro padro de gloria.
No concurso voluntario das diversas parles do
estado firma se a sua forca. Bosque-se esse con-
curso. Para isso convm atiender aos recprocos
interesseseaos seamentos de punduoor.
Passageiros do vapor nacional Paran, es-
trado do Para e porto* inlermedios :
Dr. lleracleo Vespasiano Fioek Romano, alteres
nal ffjf nectfesaro ieirsiiro sangue brsfleiro.' Francisco Joao Gualborto de Souza Gama e sua
Nada me impresiona; nisteoao roaaifellada senhora, Carlos Ernesto de Mesqulta Flcao, Jo
setfo o prazer que tive de perteocer forca de Joaqun Pereira, Alcxaodre Nunes de Andrade,
desembarque, esperando a occasio do combate pa- Francisca Maria da Conceicao, Joo Avelino, Af-
ra-saber para que presto. fonso Guiltierme L. Bnohy, Joaquim Ignacio Pe-
Da Olinda aos reuvattem o seguate : reir, Jesulno Alves Fornandes, Joao Barbosa de
* Srs. redactores da Revista Diaria.Peco-lhes Canraiho, Fraaeis<:o de Paula Rodrigues, Manoel
dasm publicidade a estos llnhas em resposla ao Sr. Nuaes, Miguel-Gomeada Cosa, W. Deliren, Cae-
Oliniense. tao D de Carvallio, Jo* Colho Moreira, Frtn-
O Sr. Olindense, como j mora perto do ho;p- cisco Joao de Barro*rJos Ernesto Ayres de Son-
ta! dos doudos, Ulvez para nao dar trabalho na za Monleiro, Automo Angelo Fernandes, Francisco
sua condueco para all, suppoe que, os eslndan- de Almeida Braga, Epaminondas Pocldonio de Bri-
tes, que moram na 'adelra da Hiseriaordia, se to L,yra, Jos Joaquim da Silva Gomes, Antonio
acham no seu estado, e por isso teme qae alguem Thomaz Carneiro da Cunha Jnior e|um criado,
.seja chumbado por elles. Ignacio do -Riga Toscana de Boto w-*crai, |
t Saiba o Sr. Ohndetw?, que os tiros at agora um preso de justlca, dous soldados qua o escolla e'
tem sido dados com plvora secca, e que de hoje um eseraro a entregar,
em dianle, para nao ferl-lo, sero dados com ma-1 S>-guein para o sul:
teria mais branda... Dr. Joo Jos Vieira, Dr. Miguel Vieira Pfcrraz,
Todasas vezes qoe tenho dado Uros faco pon-' capito Diog Pinto Haosem, Joao Francisco Ca-
tara para o meu quintal, e este (se me nao enga-
COMMERCIO.
i 308 por escravos das mesmas
i Muita por infraccao..........
Moro liMMai de Pernambneo.
EM V DE DEZEMBRO DE 1861.
O banco deonta letras na presente semana a
10 0/0aanrio al o praso de quatrc mezes e a
12 0/0 at' de seis mezes ; toan dlnheiro a juros
a praso auae.-i menor de tres mezes, e saca sobre r
praea da> *aiua.
Airaodega
Rendimaaao do da 2............. 18:0787i7
TloliuoiK, da alfaudega
Veame entrados coiu fazenda... 187
com
1804000" paes de Andrade, este laara o
8*46l lepToterto:
--------------- Aos 29 de novejmbro dito em meo tartorio eio
160:tiM(il3 0 jupp)jcanle liento Jos da Costa, e peranie mino
---------e as lestomuohas adapto aesmnadn nnse que dos
Mesa do consulado provincial, 31 de dezembro termos da petico reir e replica infronle, qoe fl-


de!86i.
* O escrivo,
L'lisses Cochles Cavalcanti de Mello.
gneros...
Volomessabidos com fazeedas...
com gneros...
930
743
~~38
U13
- 1.148
O vapor Paran tai portador de cartas e jornaes
do norte do imperio, com dalas : do Para al 24,
do Maranhao al 2, do Piaoliy al 18, do Cear
al 28, do Hie Grande at 29 e da Parahyba al 31
do passado.
Amazonas b Pab Na minuciosa carta de nosso
correspondente, enconlraro os leilores o jue oc-
eorreu nesias provincias.
Maranhao.A Amoctacao Typographtca elegeu
para seu presidente honorario o Dr. Antonio Hen-
riuues Leal, e para o censelbo director os Srs: An-
tonio da Rocha Barbosa, vice-presidente; Joo
Francisco Bezerra de Menezes e Marciano Jos Co-
tes, 1* e 2* secretarios.
L se no Publicador:
i Ante-nontem (13) as 10 '2 horas do dia o hlate
nacional S. Jooo, procedente do Mearim, deproprie-
dade do Sr. Antonio Jos de S Caldas, e carregado
de algedo e assucar, fez signal de soccorro ao di-
rigir-se para o fundeadouro, por estar com agna
aberla.
sendo visto o signal pela barca de vigia da
alfandega, atirou esta tres tiros de pecasignal de
navio em perige rra da barrae as fortalezas
icaram os respectivos signaes.
c Foram-lhe prestados promplamente todos os
soccorros pela alfandega, pela capitana, canda do
forte da Punta de Arria e particulares, conseguin-
do-se aliviar e hiate em perto de 200 saccas de
algode, depois do qne veio funduar ao ancoradou-
ro pelas 4 horas da tarde. >
Pia^'HY.Nada occorren, que mereca mengao.
CEAfe. Fallecer o Dr. Marcos Jos Theophilo.
A chuvas eram copiosas em Baturit, sobra',
e Jico. \
Nos collegios da capital, M-aranguape, Aqui-
ra', flficavel, Aracaty t Russas, obteve 152 votos
o Sr.consel'ffei"* Jos/Liberato Barroso, para depu-
tado assembla geral.
Nesses mesmos collegios obliveram votos
para deputados provineiaes os Srs.: Jos A. de M.
Cavalcante, 139, e Gustavo Gurgulino de Souza
107.
O algodao ficava rotado de 20 2I006 por
arroba.
L-se no Pedro II:
t Consta que naufragara na altura do Aquiraz,
ao sul desta cidade 7 leguas mais ou menos, um
navio portuguez, rujo nome se ingnora, tendo-se
salvado a tripolago e alguma cousa da carga.
Para ali paniram alguns soldados para guar-
dar os salvados, mas dizem-oos que ao consulado
portuguez nenhuma pariicipae.no veio, o que por
certo admirave I
Rio-GrandeTudo ia bem Desta provincia.
Parabtba.-Os gneros seguintes ficavam: o
algodao de 1' sor te 225500, o de 2 205500 e o
de 3* 185500 por armha ; o assucar bruto
15450 e o Inanro 45500 por arroba; os couros
salgados a 45200 por arreba.
O cambio sebre Londres regulava 27X d. por
15000.
A alfandega rendeu de 1* 28 do passado
40:6455127 ris.
no) minha propriedade, pela qual ninguem pode
transitar sem mioha licmca.
t Llvre-se o Sr. Olindense de ser encontrado no
mea quintal, porque eBtio dar-Ihe-bei oro tirozi-
nho cora aquella materia de que ja Ihe fallei.
t Nao sci se na minha vizinhanca ha gente
doente : por que at agora ninguem aie tem pedi-
do que cessasse com os Uros. Quem sabe se o
doente nao o proprio Sr. Olindense, que talvez
teoh. sido ferido por algum chumbinho, e tem-se
assusudo com os tiros ? (que bello defensor da pa-
tria, que se assusta com tiros de plvora secca 11)
Tranquilisese o Sr- Olindense, quede ora
avante os seus delicadsimos tmpanos nao serao
mais oendidos pelo retumbar dos cankoes : pode
dormir descancaao, que nao ser chumbado em
razao de obrlgar-me a nao alirar com chumbo, po-
rui som materia mais branda.Oetindane.
Mappa do movimenlo do Hospital de No;sa
Senhora da Concei^o dos Lazaros do 1 a 31 de
deaembro de 1864 :
Existiam 11 homens e 16 mulheres ; existem 11
homers e 16 mulheres ; total 27.
O regente.Diuiz Ignacio P. dos Santos.
REi-ARTig.VU DA I'OLICIA.
Extracto das partesdos das i e 2 de Janeiro de
1864.
Furam recolhidos casa de detengao no dia 31
de dezembro :
A' ordem do lllm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noel Pereira dos Santos, como criminoso de mor-
te ; Vicente Luiz Seabra, como desertor do 2 na-
talhao de infantona; Jos Hispo dos Santos Flix
Rodrigues dos Santos e Joo Pereira da Cosa,
como recrulas.
A' ordem do subdelegado do Recie, Felippe, es-
cravo de Feliciano Jos Gomes, a requerimenlo
deste.
A' ordem do de S. Jos, M*ria Francisca da Con-
ceigo e Luii Francisco Chaves, por disturbios;
Luiz de Albuquerque, Juvino e Francisco dos Pas-
sos, a disposigao do lenente-coreuel recrulador.
1" de Janeiro.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Jse Go-
mes Pereira/ riguasoes/em crime de furto de eavallos; eDamio
Jos-C roubo.
A' ordem do subdelegado do Recife, Jacioilio
Jos 'ie Souza, para correccao; Eliodoro Julio de
Campos, por crime de rapto.
A' ordem do de S. Jos, Joao Mendos,. Francisco
de Paula Araujc e Dana da Assumpcao dos Prae-
res, por disturbios.
A' ordem do da Boa-Visto, Maria Themolbea do
Paraizo e Mara Joaquina das Virgens, por briga
e Antonio Jos Carias, para correccao.
A' ordem do da Capuoga, Benlo Rodrigues da
Silva, por briga; Gaidino e Trajano, escravos, este
de Joaquim Pires Carneiro Monleiro e aquelle de
Bernardo de Tal, por silga.
O ebefe da 2* seccao,
J. G. de Mesquita.
Movimento da casa de detenco no da 31 de
dezembro de 1864.
presos.
o// 11
8
380
A saber :
. 305
4
Estrangwros.. 18
Estrangeira .. 2
Escravos..... 46
YL'scn'nft.-.-v. S 3
valcanli de Albuquerque, Domingos Roque da Sil
va, Camilio Augusto Ferraz da Silva, Jos da Cos-
ta Euseblo, Rome Jos de Mello, Ignacio Jos de
iloura, Rita de Cassia Ribeiro, Leoncio Zenao de
Castro. James Odorieo de Castro, Manoel Marti as
Carneiro da Cunha, 4 recrutas para marmita, 9
pracas do exercito, 1 mulher e 3 flllios, 2 ex-pra-
cas e 23 escrafos a entregar.
Obituario do cbmiterio publico no oa 31 de
dezembro de 1864.
Sa&HH, Pernambuco, 45 asmes, solleiro, escravo,
Boa-Vista bernia estrangulada.
Clara.Josepna.de Mello, Pernambuco, 90,#nnos,
viuva, Boa-Vista; vWhiee.
Jos Antonio Clemente Estoves, Pernambuco, 24
anuos, solteiro, Varsea ; indigesta.
Jos, Pernambuco, 6 mezes, Olinda; convulsoes.
Amelia, Pernambuco, 17 dias, Boa-Vista ; convul-
soes.
Liberalina Francisca do Nascimenlo, Cear, 28
aiinos, ca.-ada, Recife.; ascite.
Amelia, Pernambuco, 9 dias, Boa-Vista espasmo.
1 de Janeiro.
Francisco Jos Victorino Graca, Pernambuco, 35
anuos, solleiro, Boa-Vista ; plubysica.
Agostinho Jos Pereira, Pernambuco, 60 annos, ca-
sado, Ba-Vista ; eplepsia.
Descarregam nodia 3 de Janeiro de 1865.
Barca ingleza Fioklei- menadorias.
Brigue portuguez Soto-anopodras.
Barca mglezaCorw/anesdiversos gneros.
Brigue portuguezFlcrinda-sal.
Hiato nacionalA'oafarinha de trigo.
Brigue ingiezMan ferro para a ponte.
Polaca hespanholaViajetro charque.
Polaca nacionalMannliecharque.
Iraportaeo.
Barca portugueza Corra, eolrada do Rio de Ja-
neiro, consignada a Thomai de Aquino Fonseca
Jnior, maniiestou o segoiute :
Gneros nacionaes.
290 saceos caf; a Manoel Francisoo Corga
Jnior.
a Vicente Ferreira da Costa &
a Domingos Rodrigues de An-
G98
372
2'*8
Caara Municipal do Reelfc.
Matadouro publico da cidaSe do Recife.
Mataram-se para o consumo desta cidade no
mez de dezembro do corrente anno 2^482 rexes, a
saber:
Lihanio Candido Ribeiro k C........
Virgilio Horacio de Frcitas.....
Joao Chrisostomo de Albuquerque. .
Wenceslao Machado Freir Pereira
da Silva........... 181
Francisco Candido da Pas..... 167
Bellarmino Alves de Arocha .... 163
Manoel de Souza Tavars............ 7
Manoel Paulo de Albuquerque ... 121
Bellarmino Constantino Costa Mpdelros 96
Manoel Francisco de Souza Lima 93
Ernesto Celestino de Mendonca .'. 80
Geminiano Jos de Albuquerque 77
Manoel de Souza Menezes. 59
Cmara municipal do Recife,31 de dezembro de
1864.
O procurador,
Jorae Vctor Fe-retrape ojs-

PUBLICARES A PEPEO.
Erysipella.
380
Alimentados a custados cofres provineiaes. 163
Movimento da enfermara do da 1 de^aneiro
de 1865.
Teve baixa :
Joao, escravo, sentenciado
Movimenlo da casa de detenco do dia 1 de
Janeiro de 1865.
Existiain....... 380 presos.
Entraran)...... 14 >
Sahiram....... 2
PERNAMRUCO,
Existem....... 392
A saber
Nacionaes.....
Estrangeiros...
Mulheres......
Estrangeiras...
Escravos......
Escravas......
Alimentados a custa dos cofres provineiaes, 163
Movimento da enfermara do da 2 de Janeiro
de 1865.
Tiveram alta:
Manoel Amonio de Moraes.
Joo Marcelino dos Santos.
Seraphim, escravo, sentenciado.
50 ditos dem
Filho.
20 ditos idem
drade,
60 ditos idem ; a Muniz t Fernandes.
25 ditos idem ; a Joaquim Pinto Lapa.
100 ditas idem ; a Rosas & kmo.
400 saceos caf ; a Jos Marcelino da Rosa.
552 ditos e 115 ditos feijo ; a Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo C
40 ditos caf e 800 ditos farinha de mandioca ;
a Thomaz de Aquino Fonseca Jnior.
Gneros estrangeiros.
287 caitas massas ; a Marques Barros & C
124 saceos feijo ; a Francisco Jos da Cosa
Araujo.
25 volomes com 200 barricas abatidas e 200
meias ditas ; a Thomaz de Aquino Fonseca Jnior.
143 volumescom 1114 barricas abatidas ; a Pe-
reira Carneiro & C.
63 volumes com 504 barricas abatidas ; viuva
M HiS nadnai Abn*,, entrado do Maranhao, I S3 24 Slotro'' ^ ""^ "SUm
consignado a Marques Barros & C, maoifestou o s
j n Jetfwn fe 61.
Relatorio commercial.
Desde o nosso ultnno ltouve mais animaoao
no
seguate le
can sendo parte- do pmsiW nnjtostaram por lodo
o seu contedo, e de como assim o disse e protes-
ten Oz o presento em qoe se Irsnou dito protestan-
te com as indicadas lestemuntoas.
Eo Fanstino Jos da Ponsaen, escreveote jnra-
meniado o escrevi.
Eu Manoel de Carvalbo Pasa ato Andrade, eseri-
mercado, especialmente para supprimento do eon- vo o subscrevi.Diego Jos sin Costa.Aogusto
sumo. | Paulo Cotombier. Joao do 5. Cardozo Nabuco.
Caf.Os preeas qoe en coosequeocia do resol-1 Nada mais se coiitinha ens dito protesto aqni
do favoravel de leilo hollandez, linham subido Ij4 berr e fielmente copiado, depoisdo que se via a se-
schilling sustentaram-se, apezar noticias que nos guinte relaco dos devedores o seguinte : ___
trouxe o ultimo vapor do Brasil, de preeps inferi- Relaco das lelras vencida da casa dos herdeiro
res, estando a navegaeo perto de sua coacluso e da Viuva Costa & Filhos, em liqntacan,
visto o deposito limitado. Josa Felipiie Cavalcauli de One'"* 5?. f^firo
Do Brasil recebemos 21,296 saceos de caf do le Albuquerque Cdrte Real 250?, ManoH J-s Lo-
Rio, e 3,202 ditas de dito de Santos, as vendas na pes Das 2x65540 rs., Thomaz Lias Cstdas 100,
qoizena passada fonini de 35,000 saccas do Rio e Ignacio Cardino de Oliveira 5309, Jos da Costa
de Santos a 6 i|2, 7 3|4 schillings, e mais 58,000 Torres 229?080 rs., Francisco Jos to Almeida
saccas Outuantes a precosque ingnoramos. Bonifacio Maximino Manos t.H)$, Antonio Ferreira
Colamos o caf regular ordinario do Rio : 6 5|8. i de Farias l:333$340rs.JosI'edrodaCruz5565*20
7 j|8 schillings.
Importarao de caf at a fim de novembro.
'1864 6.>,000,000 libras
1863 80,800,000
1862 74.400,000
1861 86,500,000
Em ser em fim de novembro.
1864 5,500,000 libras.
1863 12,000.000
1862 8,500,000
1861 13,000,000
Assuca:Bastante opprimido, e os pregos bai-
xaram de novo 8 schillings as 100 libras; vepde-
ram-se 500 caixas de mascavo da Balda.
Imporlacao de assucar at o fim de novembro.
51,000,000 libras.
65,0U0,tKX)
56.000,000
38,000,000
em de novembro,
5.500,0 0 libras
12.000,000
8,500,000
13,000,000
Tabaco.-Desde poucos das o tabaco da Bahia
acha-se com grande demanda, e temos de notar a
venda de 45 mil bailas; os pregos eslo firmes.
Stock cerca 3 mil bailas.
Couros.Em consecuencia daestago avaugada
o mercado tornon-se pouco.
As ultimas veudas foram de 9,500 couros do Rio
Grande do Sul, e cerca de 3 mil de diflV rentes ou-
em
1864
1863
1862
1861
Em ser
1864
1863
1862
1861
REVISTA DIARIA.
A sociedade recreativa Fraternidade das Fa-
milias encerrou o anno de 1864, dando no sabba-
do ultimo urna partida duplamente notavel pela
concurrencia de senhoras e pela animago que nel-
la reinou era todo o seu correr.
A respectiva direcgo nada omittlopara bem ob-
jequiar aos seus convidados -, e por isso completa
oi a satisfago entre todos, logrndose alesses
momentos de prazer que taes reuoides soem propor-
cionar.
Na altura de 24- 30" de lat. S. e 41 30 de
long. O. foi encontrada a 16 de dezembro prximo
passaao a barca nremense Inca, que de New-Cas-
tle segua para Valparaizo.
Qninta-feira 5 do corrente, faz o Instituto
Archeologtco e Geogruphico Pernambncano, a sua
sesso ordinaria.
Do Diario do Rio de Janeiro, transcrevemos o
que segu.
E' com prazer que vemos assim o nome brasl-
leiro honrado por bons ridadaos. E' do saogue
fro e enthusiasmo com que todos esperaran) o
combate,j)ode-se fazer idea pela seguinte caria do
distioclo oflicial de marinha Lopes Nelto, dirigida a
6eu irmo o dpputado Lopes Netto, carta que, nao
sendo destinada publiciriade, revela apenas osea-
timento intimo de qsem a escreveu.
Ei-la :
E" no meto de um apparato bellieoso qoe ihe
escrevo. Tudo se prepara para a tomada da cida-
de; a mim tcame desembarcar com urna forja
de imperiaes mannheires.
Temos orna forga de nacionaes composla do
contingente le TOO pragas do batalhao e de par-
te das guamicoes das canhonelrs em numero de
perto de 800 nomens.
D'zem que Flores tem urna forga de 3,000, mas
en dIo creio em tal numero.
O certo que a guarnicao da praga se dlspCe
a orna resistencia heroica, o que deve tornar im-
portante o assalto.
O enthusiasmo da nossa gente 6 admiraveL.
N3o se procura saber se a cidade on nao
bem fortificada : o que se deseja o combate.
O negocio deve ser motto e mnHo serlo.
A odade aprsente tarrrbem aspecto respeita
vel tendo ieado em seus. postes e edificios a ban
deira encarnada,
Vereoos o r<*nHado. Se morrrr, terei nma
morle gloriosa como V- sempre me de-ejou e se
vencermos, terel como onica e agradavel recom- i
pensa a consciencia de ter CBfnprido meo ver, s 1
ti ti s _3 i s? 1 1 i i : i
o
>
>
o
o
>
Masculino.

I l

Feminino.
o
y.
a.
o
O medicamento que com mais influencia e ener-
ga tem combatido essa terrivel enfermidade, tem
sido o xarope alcoolico de veame,
Urna escrava da mai do Sr. Francisco Firmino
Monleiro, pessoa bem conhecida nesta cidade,
achando-se de cama, e com as pernas bastante in-
diadas, e ebeia de tumores, tomando o xarope de
veame, acha-se hoje boa, prestaudo servigos>
A mana de Sr. Jos Francisco Pinto, mor*fjoT'M^
ra Direito n. 51, tendo sido accommetlida o mes-
mo mal, acha-se tambera boa.
ASra. D. Senhorana Umbe.'TA 4os dantos, mo-
radora na ra das Cagadas n. 38, achaddo-se ata-
cada de eryspel'.a as coxas, cora quatro tumores
bastante volil'mosos, no estado indolente, que a pri-
vara dc/por-se de p ba rauito tempo, com o uso
do s.itope alcoolico de veame e pilulas purgativas
do mesmo, acha-se restabelecid?,e nu uso dos me-
dicamentos os tumores terminaram pela supura-
g3o.
ASra. D.Rita, moradora na ra de Santa Rita
n. 13, primeiro andar, soffrendo do mesmo mal lia
muitos annos, pois que a erysipella alacava amiu-
dadamente, depois que tem tomado esse remedio
nunca mais Ihe deu.
Outrosmuilos fados desta ordem deixo de men-
cionar aqu para nao me turnar prolixo e enfa-
donho.
Sendo a erysipella urna molestia que sem duvi-
da elleito de materia gerada no corpo como ex-
poem alguns escriplores de medicina, e em con
sequencia da febre langada na pelle, ondepro-
duz inflaminago, e que multas pessoas, por nao se
terem convenientemente tratado, suecumbem com
o pernicioso uso de que, nos tres das nao devein
usar de remedio algum, o que faz-se esleuder o
mal por nao se ter a principio combatido; por is-
so, pois, conveniente que, logo qae alguem se
sentir atacado de tal mal, deve provocar a transpi-
rago tomando ao principio urna colherinha de cha
do xarope alcoolico de veame dissolvido era urna
chicara de uftrsao de flor de sabugueiro queote,
adogando-a com mais assucar, continundonos tres
diasjnesse iralamento.nofirados quaes usar do xa-
rope de veame na forma prescripta no receituario,
tendo todo o cuidado de se abafar, afim de suar
convenientemeute, alm de conservar o ventre cor-
rele, que conseguir tomando urna ou duas pilu-
las purgativas do mesmo veame.
Todos quantos suecumbem desta molestia se diz:
falleeeu de erysipella recolhida; ao contrario
alguns expositores presumein ser o desenvolvi-
mento da pulrefaccao oo sangue, lano que o lugar
iiiflammadn que, eutao a sua cor era encarnada, se
troca em lvida ou negra, e termina em gangrena
e por essa razo que conveniente o xarope al-
colicode veame na infusodeflr de sabugo, para
se conseguir resolver a inflammaco, ou pelo ma-
nos terminar pela supporago, impedindo assim a
gangrena.
O effeitos do xarope alcoolico de veame appli-
cado na flor de sabugo ao doente, nao s de van-
tagem por sua qualidade diafortica, como pela
anti-septica, para impedir a putrefaego as mo-
lestias.
Na erysipella nao deve o enfermo nos priraeiros
tres dias usar de comidas e bebidas que possam
esquentar e inflammar o sangue.
A comida durante, esse tempo deve ser de reino
vegetal, como sag, farinha do Maranhao, pao tor-
rado, bolacha, etc.
Anda sao vi expositor de medicina que aconse-
Ihasse que nos primeiros tres das de accorametti-
menlos do mal, nao se usasse de medicamentos;
o que elles repellen) sao os ungentos, unturas e
emplastros, por serem de natureza gordurosas qae
obslruern mais e repellem do que promovem a eva-
cuaeo da parte; o que convm irazer o lugar
atacado e bem agazalliado para ajudar a transpira-
cao, e defender do ar.
* O verdadeiro xarope de veame vende-se na boti-
ca da ra Direita, n. 88, de Jos da Rocha P-
rannos.
segrate
573 barricas farinha de trigo, 40 barris banha
de porco, i caixa com 360 anagoas de aramo co-
berto i a Antonio A. Gomes.
400 remos de faia ; a Manoel Joaquim Ramos e
Silva i Georos.
700 barricas farinha de trigo ; ordem.
5 caixas banha, 10 fardos canel la, 1 caixa cas-
sas de lia, de algodao, 1 dita panno de algodao e
rfseados ; a Jlo Querino Aguillar Patacho nacional Arroto Grande, entrado do Rio
Grande do Sul, consignado a Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho, manfeskou o seguinte :
12,401 arrobas de same secca, e 35 barricas com
245 arrobas de cebo coado ; ordem.
Vapor nacional Paran, entrado do Para, ma-
nifestou o seguinte :
46 caixas banha ; ordem.
Genero importado pela mutua frontei;ados
ros.
7 caixas com 4,935 chapeos do Chily ; or-
dem.
Do Maranhao.
1 tiua queijos -, a Linden Wild & C.
12 caixas banba de porco ; ordem.
Gneros nacionaes.
2 barricas farinha secca de mandioca, 1 sacco
arroz graudo ; a ordem.
.. Encommendas.
V caixote t a p-ilOaei.ra 4 Beltro.
1 dito ao Dr. Jos Jausen iTfcTr* Jnior.
1 barrica ao Dr. Olegario de Pinho.
1 pacole a Joio B. da Fonseca Jnior.
2 volumes a sauuders Brothers & C
Do Ceara.
1 encapado a Antonio de Moura Rolim.
Recebedorla de reuua ItUernag
geraes de Peraambuco.
RendiLeHtododia2............. 7515660
Algodao -Sem deposito, e por isso sem movi-
mento algom.
Cacao.Extracgao regular sem vendas nolaveis-: Sena
Jacaranda. -As qualidades finas conlinuam pro-
curadas, as vendas foram de 140 rail libras. Stork :
900 mil libras.
Partirn para o Brasil.
Para o Rio de Janeiro, He so lu ion.
Para Santos, Mana Louise, Liban.
Para Porto Alegre. Depositum, leinrtch.
Entraran do Brasil.
Do Rio de Janeiro, H'/fnA-, Trifolium, Orcos-
sian, Feyng Soud, Gustav Chanticleer, Tannues
Sylse.
Da Bahia/frinric/i, Blamer, Palme, Pfetl, Da-
msh Beauty, Esperanza.
De SantosAugust.
Do Cear Levante.
Do Rio Giande do SulAn/o da Guatda, fany.
Acham se carga para o Brasil,
Para o Rio de Janeiro -Matliilde, Esther 4 So-
phie.
Para a Bahia -Eunomia, Heinrich.
Para PernambucoDan, Widar.
Pra o Par-jMaraarefAa.
Cambios.
Sobre Londres, 3 m. a., 13 marcos 3j4 schf banco
por 3?.
, t prazo corto 13 m. 3 3(4
\ MfcJtV
rs., Diogo Boro & C. e Francisco Alves Pontos
6:074jj118 rs., Antonio Goncalves Sim>s 5089,
Antonio Moreira da Cosa 300, Fernando Antonio
Madael 1:4009, Madail & Burle 1:0009, J-o Fran-
cisco de Oliveira 1188597 rs., Elias Coelho Cintra
800-;.. Jos Manoel Dias A- C 8:143?, Manoel da
Barros Wanderley t:tP>i:iO rs., Jo> Joaquim
Jorge Goncalves 2:877a557 rs., Manoel Jos Fer-
reira Machado 200, Joao Firmino da Costa Bina-
da 717803 rs., Miguel (.orne- Pereira de Lyra
5:l47sl94 rs., Manoel Frauklin do Amara!......
571500 rs., Chiistnvo de Barros Wanderley
3599960 rs., Manoel Beato Machado 631-8U0 r?.,
Jos Cavalcanti Je Lacerda Campello liTaOlt r-.,
Antonio Theodoro Serpa 200c020 rs., Jxo Gome
Ferreira de Abreu 491*920 rs.. Joao Jos de Pa-
rias, 2289550 rs., Bernardo Damio Franco-----
1339383 rs., Amonio Raymnndo de Mello 200?,
Joaquim Francisco Bastos 1509, Flix Jos da C-
mara Pimentel l;'lla430 rs.. Manoel (lomes da
Silva 3009, Antonio Pereira Freir 1:6095745 n.,
Antonio Jos Cabral 238*560 r?., Joo Pereira
Leito t:600*, Cbnsiovo da Rocha Bezerra Caval-
canti 150, Jos da Motta Cabral 89(500 rs Joa-
quim Francisco Cabral 3078340 rs., Joainim Mau-
ricio Wanderley 1.946*. Francisco Xavier Caval-
canti Ucha 738*260 r?., Manoel Gomes de Aran-
jo 28--950 rs., Luiz do Reg Barros e Antonio Pe-
dro de Barros Cavalcanti 1:158*300 rs., Antonio
da Silva Varrela 226*922 rs., Manoel Pereira Gat-
maraes l:799a457 rs Jos A tira-o Ferreira.....
2:6395624 rs., Malhias Soares Ferreira 92*9-
Esiavara as armas imperiaes com a verba *
sello do theor seguinte :
N. 84.-Ris UO.-Pagou 200 rs.
Recife, 29 de novembro de 1864.-Chaves.
eos banco.
prazo curto, 189 1(2
banco.
Sobre Lisboa, 3 m. d., 192 lii schillings
por mil ris.
Descont 4 1|2, 5 1[2, 0|0.
banco
E nda mais e eontinha em dita relaco, e de-
pois de ter o mewno supplicante prodnzido uas
testemunhas, e joslificado o dedniKlo na peiire
aqui incerta, o respectivo escrive fea sellar os
aulos, depeis do que m'os fizera eoBeluzns nos
quaes deie profer a senlenca do theor s^goioie :
Hei por justificada a ausencia dos snppto-ados,
aos qoaes mando se citem por editos de 20 das
para o fim requerido.
Recife, 10 de dezembro de l864.-Tnsio da
Alenear Araripe.
E nada mais se eontinha, e nem oolra alguma
cousa se declarara e mostrara em dita sontenca, e
em comprmeme da mesma fea o referwto escri-
vo passar editaes com o prazo de Irinta dias, pe-
lo theor do qual intimo e hei por intimado o pro-
testo aiema transcripto, a todos os eomprehendidos
na mencionada relaco. Pelo que toda e qualqner
pessoa, prenles, amigos oo eonheeiiw dos anea-
mos iateressados, os poderao fazer scientes do qne
cima tica ex posto.
E para qne chegue ao eenheeimento de todos,
mandei passar editae, que sero affixados nos la-
gares do costume, e publicados |x>la rmprensa.
Dado e passado aos vinte e qnatro das do mez
de dezembro do anno do nascimenlo de Nosso Se-
uhor Jess Christo de 1864.
Sobre Pars, 3 ra. d.' 192 1|4 franco pCT-tt-BjU- u-Manoel de Carvalbo Paes de Andrade, escri
Trist~de'A'iMffir- !'-
vao o escrevi.
DECLiBAgSES.
RENDIMENTO DA RECEBEDORIA DF. RENDAS
INTERNAS CERAKS DE PEhNAMBUCO DO
MEZ DE DEZEMBRO, A SABER :
Renda dos proprios nacionaes. 2005000
Peros de terrenos de marraba.. 105555
Siza dos bensde raz............. 6:8665188
Decima addictonal das corpora-
coes de mao mora............. 5:5255583
Oireitos novos e veihos e de
chancellara.................... 9295789
Ditos de patentes dosofieiaes da
guarda nacional.........'....... 1445000
Diaima de chancellara........... 1675835!
Mulla por infraeces do regula-
raento......................... 1555950
Sello do papel fixo................ 4:620*900
Ditodo proporcinnal............. 8:5665205
Premios dos depsitos pblicos... 5250181
Emolumentos................. 3015800
Imposto sobjre loias e casas de
descontos........... 81:0844302
Dilo sobre casas de movis, rou-
pas, etc. fabricados em paiz es-
trangeiro............ 1:4405000
Taxa de escravos......... 2:1925000
Cobranca da divida activa .... 7925)28
indemnisages........... 1825 MO
Deposito de diversas origens..... 1:3175776
54:5495539 |
Recebedoria de Pernambuco, 31 de dezembro
-
Pastilhas ver mifogas de Kenip.
ADVERCENOA.
Na totalidade Jos doentes existem 138, sendo dindo por esta forma a sua reproduegao.
81 homens e 57 mulheres.
Foram visHades as enfermaras estes das :
9 e M06DirA r08 s 6 ,|1'6 3[i'6 ,|2,61|4,
Pel Dr.'Sarment s 7 Ii2, 7 90, 7 ii2 7
!|, 8, 7 li, 9 1[4. ''
Fallecern):
Flroinda Mara de Jesns do Espirito Sent, phlysi-
ca pulmonar.
Francisso Pinto da 'Uva',anemia.
As pastilhas vermfugas de Semp sao por sem
dnvjda alguma Infinitamente mais efficzes e uteis
do que todos os mais remedios perigosos e nausea-
bundos que existem para a expulsao das lomrjrt-
gas. Ellas nao smente expeliera e destroem es-
ses encommodos parasytas, mas fambem reraovera
a mocosidade em que elles se engendrara, impe-
Ainda
nao se ncontrou um s caso em qoeetlas tenhamf
deixado de produzir o desejado- effetto d* uraa m-
neira satisfactoria. Em virtude de se acharem
iseotas de engredientes Irritantes, nio causam el-
las dor oo encomraodo de qualidade alguma, u
por mein da sua aegao balsamita suavisam o ven-
tre e derxm no estado de ama salubridade porfei-'
to. As'rrjangas a conundem fcilmente cora oa
tros eonfltos ordinarios em rallo da soa apparen
ca e sabor, e gostam dellas tanto quanto gosiam
Francisco Jos Victorino Gra^a, phtysica pul- de proprios deces, A* vena enj casa da Caors &
mnnar. i Hirh. -s'
monar.
Barboza.

Navio entrado no dia l.
Rio Grande do Sul -4 dias, patacho brasileiro Ar-
roto Grande, de 206 toneladas, capilo Antonio
Alves Das, equipagem 12, carga 12,000 arrobas
de carne secca : a Maia A. Espirito Sanio.
Navto saludo no mesmo da.
Marseillebarca frauceza Olivier Jean Marie, ca-
pito Lamusse, carga assucar.
Navios entrados no dia 2.
Terra Nova34 dias, brigue ingiez Walter Baine,
de 257 toneladas, capilo Thomaz Davis, equipa-
gem 12, carga 2,800 barricas cora bacalhao ; a
Johnston Pater & C. Seguio para Parahyba.
Para e porto* intermedios8 das el2 horas.vapor
nacional Paran, de 850 toneladas, commandan-
te e capilo de fragata Santa Barbara, equipa-
gem 56.
Observado.
Nao houveram sabidas.
EDITAES.
Fago saber aos que o presente edilal virem,
delle noticia liverem que Benlo Jos da Costa, por
seu advogado dirigio-me a petico do theor se
guinte:
lllm. Sr. Dr. juiz de direito do coramercio. Diz
B Yiuva Costa & Filhos, que a metma su devedo-
1 res por ttulos o mmerciaes os declarados na re-
REND1MENTO DA MESA DO CONSULADO PRO- laco junta, e porque a mor parte sao aozentes,
VINCIAL EM O MEZ DE DEZEMBRO DE 1864. cujo domicilio e residenciase ignora, e oulros dei-
de 1864
O escrivo,
Manoel Antonio Simes in Amara!.
Consiliario provincial.
Rendimentododia 2............. 6:4925431
O Dr. Trislo de Alenear Araripe, oflicial da im-
perial ordem da llosa e juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recife, capital da
provincia de Pernamboco e seu termo por Sua
Magestade imperial e constitucional o Sr. D. Pe-
dro II, a quem Dos guarde, etc.
A sABFR :
Direitosde 90 rs. por Qs do as-
quear exportado........
Dito de 2(1 rs. por caada d'aguar-
di-iile, ele......................
dem de 30 rs. sobre caada d'al-
cool........................
Dito 5 Oln idem do algodao expor-
tado ..............
Dito de7 0lodo mel.......
Dito de 8 por- cento de cutiros
seceos, verdes e espichados...
[dem idem de 5 idem dos mais
eneros exportados...... .
505 rs. sobre escravos exportados.
20 0|0 dO cuiisiiiii.' d'aiuarderile
Declina dos predios urbanos .
209 rs. por meia siza de es-
cravos.............
Sello de herangase legados.. .
Du Ue 5 0|0 sobre os premios
malares das kuieriss ..........
10 por cento de novse veihos di-
reitos dos empregadof provin-
eiaes..'. ...;,.......
Em>'lu entos d pilH.....
1. 0|0 sobre producto de cada lei-
too...-.....................
Imposto" de tUpor ct-nio sobre
diverso* esuoelecinienijs
Iintiuslo sobre carros, omDibus,
crni(;aj vehculos.......
Imposto iie4 poi efiilti sobre di-
1 torso i>subeleciaeiiios fri
dacid'd .....:..... ..........
505 obre chapeos estrangeiros e
roupa ele.....~...........".'.. -
10 eerit**" soare e oraau ia
capim, i n\f.: i^ f C tr *'< _''
2 0|o sobre nahjas crirnes ......
5 0|0 sobre corporacev'd* mo
morta....... .. ..,-... ..
BestituicSes e reposigoes......
8 0)0 iobre consultnos raedeo
e escriptVios..............
5X)G rs. sobre T de .alvareogas....
'' xaram de exi.-iir, e nao se sabe de todos os her-
' deiros, que Ihes succederara, requer o supplicante
29:7705270 a V. S. que se digne mandar tomar por termo o
protesto qne vem fazer iijra imerroraper a pres-
2845040 crip(5o,e assignado, produzir testemunhas para
provar a ausencia e ircerteza de domicilio dos de-
95030 vedores declarados narelago junta, bem como da
incerteza dos herdeiros dos fallecidos, determinan-
53:43651:'6 do V. S. dia, lugar e hora para comparecerem as
2515796 testemunhas e serem inqtieridas, e provado julgar
por seblenca e mandar que se fa^a a inlima;o do
3:3615516 protesto por ediios de Irinla das, affixados na for-
ma do costume.
5185999 Pc/de V. s. qne seja servido deerlr-lhe. D.
3005000 esta.-E R. M.-Camello.
9905500 E nada mais se eontinha e nem ontra algama
0:3595541 censa se declarava e mostrava em dita peticao, na
qual dei o despacho do theor sepointe :
Justifique amanha ao meio dia.
Recife, 15 de novembro de 1864.Alenear Ara-
ripe.
E nada mais s eontinha e bem outra alguma
conza se declarara em dito despacho, depois do
que se va a seguieto replica :
lllm. Sr. l)r,.JHii dedlreito do eommercio.Diz
o supplicante, que nao foi poasivel apresentar as
testemunhas no da determinado no despacho re-
8515085 tro, epor isso reqoer i V. 6. qne seJigoe mandar
tomar o termo do protesto na couturmidadedoarl.
1:2805320 453 3 rio colig coramercfal para produzir o
2:2?55000
" 6735821
2:2955000
3345099
55*00
supplicante as lesleniunlias para prova da auzen
1404000 ca, e incerteza de resideuria de* devedores, e fa-
sar-se a intimago do protesto por editos como per-
mute o citado paragrapholerceiro.
1255440 Pede V. S. que seja servido deferlr-lhe.-E R.
M.-Camello. .
4005000 E.fta/ia mais .se fenlinlia em dita replica aqui
copfaa depois do que se via 'seguinte despa-
43*5000 cho:
595300 Sirn, e para a inquiricao, marco o dia 30 de cor-
rente mez as II horas, qa manha.
1:439*187 Rec!e,28 de novembro de I88i.--Alan.car Ara-
1585280 ripe.
E nada mais se eontinha em dito despacho, e
835200
2995OOO
Compasla Indetnnfsadora
Os Srs. accitinistas da companhia de s> guro-
martimosIndemmsadorasao convidad.-sa r.-u-
nir-se era assembla geral no escriplorio da mev
ma companhia no oa 5 do correte, ao me 10 dia,
aliui de resolver-se acerca de exigencias fnias
pelo governo imperial, para qne pos.sam ser defini-
tivamente approvados os novos estatutos. Rento,
2 de Janeiro de 1865.Os directores, Francisco
Joao de Barros.Miguel Jos Alves.Joo i\ Sil-
va Regadas.
CONSULADO PROV1N41AL.
Pela mesa do cousulado proviocial se faz publi-
co, que os trila dias uteis marcados para a co-
branza a bocea do cofre do 1' semestre do anno
linanceiro corrente de 1864 l8ti5, dos impostes
da decima dos predios urbanos das fregoezias des-
ta cidade, e da dos Afogados, e de cinco por cen-
to sobre a renda dos bens de raiz pertenrentes a
corporales de mo mora, findam-se no dia 7 do
corrente mez, ticando sujeitos a mulla de seis por
cento todos os que pagaren) depois daqoelle dia.
Mesa do consulado provincial de Pernamboco, 2
de jaueiro de 1865.
Antonio Carneiro Machado Ros.
Administrador.
Na searetaria da cmara municipal desta ci-
dade dislribuem-se, de ordem da imsma cantara,
pelos senhores agricultores desta provincir, exrnt-
plares impressos do novo meilnxlo da plantarn do
caf, escripto pelo Dr. Luiz Torquato Martines de
Oliveira : aquelles dos ditos senhores qoe os qui-
zerem, podero mandar procurar na referida se-
cretaria.
Paco da cmara municipal do Recife 28 de de-
zembro de 1864.O secretario,
Francisco Canuto da Boaviagem.
Hermenegildo Antonio Berbos de Almeida, capi-
lo de mar e guerra, inspector do arsenal de
marinha, etc.
Em virtude da consulta do cooselho naval n.
861 de 22 de julho do corrente anno, que arompa-
nhou o aviso do ministerio da marioha de 17 de
outubro, chamo ao arsenal os de>ligados da com-
panhia de aprendizes artfices de qoe trata a reta-
cao abaixo publicada, para que venham rrober
na mo do Sr. capilo lente rommandanir da
dita companhia, as quantias que Ihes perteneen
do seu peculio qoando aprendizes, se sao anual-
mente de maioridadn, e no raso contrario sao cha-
mados para receberem seus pas, tutores, 00 as
pessoas que os apresentaram para alistamento na
dita companhia.
Relaco dos aprendizes deslijr* Marcelino da Silva Brasil, 264823.
Pedro Algemro da Silva, 65798
Julio Cesar do Reg Rangel, 35*983.
Jnvenal Rodopiano Goncalves dos Santos, 944559.
Jos Antonio de Mello. 225605.
Amaro Malaquias, 15*700.
Manoel Fileno Fernandes; 115453.
Geronclo dos Santos Teixeira, 775093.
Inspecco do arsenal de marinlma de Pernam-
bneo, 30 de dezembro de 1864.
t Hermenegildo Antonio Barbosa de Almeida.
Capitana de Perto de Prrnantnae 31 de desnn-
Lro e 1844.
Em vista das circomstancias melindrosas ana
que se acba o paiz, sendo necessario que todos oa
brasileiros concorram para a susteniacao dos bros
e diendade nacionaes, winprometimos nagaerra
com as repblicas do Uruguay e Paraguay, manda
o lllm. Sr. capilo do Porto, em virtude do (,oe Hte
fui recommendado por S. Exc. o Sr. ministro e se-
cretario de estado dos negocias da marinha, con-
vidar nao s aos matriculados, como a todos os
cidados que.se queiram alistar na qualidade de
voluntarios para a armada, a se apreseuurem Bas-
ta capitana nos dias otis das 9 as 3 1(2 horas da
tarde.0 secretario da capitana,
Decio de Aqaiao Fonseca.
Existe nesta aubdelegacia, e sera eatrefae
a quem provar perleacar-lpe, duas cabra*, sendo
que urna tem cria (bichos) duas g. nafas de 1
cia de alfazema, tuna da eatencia de aaiz,
copos, e tres pares de chtelas, duas de coaro
brauco e uraa de marroquim gaspiada com eoar
de lustre.
Subdelegada de polica da freguezia da Boa-
se
tendo* sido a mesma distribuidlo distribuida aoes- VisU 31 de dozernbro de 1864.
crivo que ante mira serve Manoel de Carvalho
D. de A'juino Fonseca.


Otarlo de toflfttbtirff Terca rer* 3 de Janeiro de 18 96

Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra precisa comprar o seguate :
Para o hospital militar.
16 libras de alcatro.
2 4 (tarrajas de Agua de tabarraqne verdadeira.
32 dita de 2 horas cada ama de agua de flores
de laraugeiras.
2 libra* da'tfiMe ettpft. "
8 libras d# | mwtra.
5 arda. 12 algalias av.
12 ditas u. S
12 ditas n. Si'
12 ditas n. 4.
50 garrafa* agwrdenw.
i libras afeoow de aniz.
2 ditas dito deAMeKa.
2 ditas dito de melina.
1 onga areenalo de soda.
8 libras de breo.
8 ditas balsamo tranquilo.
12 vidros cormioativo.
2 libras crmor de trtaro.
50 caitas capsulas de enpaliiba e coleba.
1|2 on^acautharidas em p.
Sii l|2 vidros de cltro cactate de Ierro.
1 onea degitalina.
2 libras espirito de barauilha.
2 oncas extracto de abstntnio.
8 libras fees de ooro.
34 fundas inglezas do lado direitt.
24 ditas do lado esquerdo.
1 libra figos seceos.
1 libra esponja fina.
12 vidros gramelos de ugotina.
6 ditos de etrichimia.
2 libras Irera terrestre.
12 vi.iros granulos de atsofetida;.
2 libras hysopo.
f libra iodureto de chumbo.
2,8 dito duplo do mercurio e morphina.
4 libras dito de potassio.
4 ditas jalapa em p.
24 vidros laclado de ferro.
6 pecas de madapolo fino.
1 machina para pilla.. ., .
16 libras man de lagrimas.
16 dit-ts dito commum.
4 ditas nkrato de potassa crystalisado.
12 vidros oleo iodato de Person.
32 garrafas de 2 libras cada ama do ofeo de
oiiveira.
2 libras oleo de aniz.
2 ditas dito de nicocenn.
2 ditas dito de camomilas.
1 arroba dito de amendoas (em garrafas).
34 vidros dito de vermfugo por Taberlokes.
1 libra pedra divina.
24 vidros do 2 one.as da pos de rog.
2 oncas de pos do jasmim.
12 caicas pos de sedlite.
12 ditas pastllhas de clilorat) de potassa de
Detbum.
3 libras pyro-phorphato de ferro.
. 4 sitas quina em p.
8 ditas rasuras de guaiaco.
12 garrafas.de 2 libras cada urna de suco de
groselhos.
13 ditas dita de dito de espargo.
ti arrobas semeotes de linhaca.
4|8 stricbeniua.
46 libras sene.
2 lina- tunchagem.
12 rolos viricatorio.
6 garrafas vinho do Carlos Alberto.
12 garrafas de 1 1|2 libra cada urna vinho Moo-
tier. -
12 velas de gomma elstica.
24 vidros de 4 oncas cada un de xarope de
caf.
10 arrobas assucar refinado de 1* sorte.
2 copos graduados de 16 oncas.
2 ditos dito do 4 oncas.
4 capsulas de porcelana de 1 libra.
4 ditas dita de 2 libras.
4 ditas dita de 8 oncas.
1 espumadera estaubada de cobre.
1 espadador.
.*0 garrafas brancas para oleo de ricino.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
Xaveg a$io eostelra a vapor.
Cinta e rf<*ee*de qoem pfetteiwr- fara lllSo de
i urna parte do sitio denominado Afilelos oa estra
, da dos Afilelos^ cora quillas arvi-redo,. twoi casa
de moradia em bom estado, o qual foi do finado
f. Jlo Domfngusda'SHVa : jleilo lera lugar
Ittia de Fernando
No dia 14 do corrente ao met# sabbado 7 da corrate pelas'11 nbVar*wah5a
i i slMr J"!* por S"".* no largo do Carpo Samo ja*to a Asmciacae Com
Indicado ua dos vapores desta mercial. Os Srs, pretendemos podem examina-la.
ompanliia. > Recebe carga somen-
~I.M MI"! .a i_Jl.-JJ.
'le at o dia 13; eneommendas,
passageiros e diuheiro a frete at as 10 horas da
maiiha do dia da sahida: ejenptorio no Forte do
Mattbs p. i. _________
'cOMPAfilA PERNAMBUCANA
AYISOS DITOSQS.
DB
Instituto Arcfceilogieo e oeograibjw Per-
nambucQO.
QuioU-feira B do crreme reunir-so-ha o Insti-
tuto em sessia ordinaria as horas do eoslunw.
No impedimento do secretario perpetuo
Salvador Henrlque de Albuquerque,
2* secretario.
Xavegaco costeara a vapor.
r Aracaj e escalas-
No dia 14 do corren te as 5 ho-
ras da tarde sahir para os portes
cima mencionados o vapor Pa-
fakyba, commandante Martins.
___Recebe carga somente *at o dia
13 ; eneommendas, passageiros e dinheiro a frete j
al as 2 horase do dia da sahida : escriptorio no
Forte do Mallos n. I.________________. j
Rio de Janeiro
O patacho nacional Capuan pretende seguir at
o dia 10 do corrente, so recebe carga miuda e es*
cravo* a frete, pera se quaes ten exeellentes com-
modo<: trata-se.com es- seos consignatarios An-daigreja de NrtSsa Senhora d Rosario da
tomo Luiz de Oiiwira Azevedo & a seu es- freguezia de Saoto Antonio.
wgrntsA
os 6:000*000.
Terca-feira 10 dtf torrente mea, se ex-
trahir a segunda pacte da primeira lotena
(I*) a beneliciu du aosaital Pedro II, pa-
ra canalisacao d'agoa e gaz, no consistorio
rnptono ra da Cruz u. I.
Os biliietes, meios e quartos estuo a ven-
da na respectiva thesouraria ra do
Para o Porto.
A flem conhecida e veletra barca portugta S.! Crespo n. 15.
Mantel I, capito Pedro Jos da Rosa, preWndei Os premios de 6:000,5000 at 10000
seguir at o dta 10 de Janeiro : para o res da Kr$0 pagos nma hora dpois g etracclo
carga e passageiros, para os quaes tem xcellejifes r. ? rnfi fttr-e _A ),
commwlos. trata-se cm os consignatarios M. J.: aie a? nerasaa larde, e OS OUtrOS no dl3
Mames e Silva A Genros, no seu escriptorio, ra '. Segumte flepois da dlStnbuicaodas listas.
do Vigario n. II, primeiro andar._______ ; I As eneommendas serao guardadas so-
rara Libo imenteat a noite da vespera da extraeco
pretendeseguir-com brevid^de o brigue portuguez como de costumo.
Soberano por ter quasi todo seu earregaraento
prompto : para o resto que Ihe falta (j'00 saceos
com assucar ou seu equivalente) e passageiros,
aos quaes offerece bous commodos, trata-se com o
capillo na praca, ou com o consignatario T. de
Aquino Fonseca Jnior, na travessa da Madro ee
Dos n. 5, primeiro andar.
Para o Para pretende seguir em poucos dias
o palhabote Dous Amigos ; para pouca carga que
Ihe falta, trata se com os seus consignatarios An-
tonio Luiz Je Oiiveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio raa da Cruz n. 1.
-><) ditas pretas de 2 libras.
2 pares de uoleas.
1 machina para esprem;r tinturas.
1 dua para moer linhaca.
8 maos de papel marca grande para saceos.
50 palea trancos com lampas de 8 oncas.
50 ditos de 4 oncas.
-50 ditos de 2 orneas.
2 resmas papel pautado
I regoa.
500 rollias do cortiga fraoceza.
4 rosmas ae rtulos para receiluario.
24 loalnas delinho de 1 1|2 vara cada urna.
50 vidros de bocea larga com lampa de 8 libras.
20 'ditos de bocea estrella esmerelados de 8 li-
tras.
50 ditos de 4|8 com rolha de vidro.
50 ditos de I onca.
50 ditos de 4 ongas.
50 ditos de 8 oogas.
Para o arsenal de guerra.
30 arrobas de cabo de linho velho.
50 arrobas de estopa de embira.
As pessoas que quizerem vender taes artigo?,
apresentem suas propostas cm carta fechada na
secretaria do conselno uo dia 4 de Janeiro fularo
10 horas da manhaa.
Sala das sessSes do conselho administrativo, 30
de dezembro de 1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
xNao se realisano noje a arrematarlo
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidad o brigue es-
cuna Nao Sei, tem parte do seu carregamenla
prompto : para o resto que Ihe falta e escravos a
frete, para os quaes tem encllenles commodos,
trata-se cem os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oiiveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
pa Cruz n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DS
3Tavegae3o costeira a vapor.
Parabyba, Natal, i&co, Aracaly, Cear,
Acarac e Granja.
O vapor Jannnrtbe, commandan-
te Lobato, sahir para os portos
cima mencionados no dia 7 de
ciro as 5 horas da tarde. Re-
bebe carga at o dia 5. Kneom-
0 thesonreiro,
_______ArrfOBJo Jos Rodrigues de Souza
"COMPENDIO DOLOROSO
que conlem o ofcio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer co-
ra, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devocao; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senbora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres missionarios apostlicos capn-
chinhos.italianos de Pernamhuco, approva-j
do por S. M. I., que Deus guarde; dado p
luz por devocao do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia .
Aula de lastrneeSo prlaarla.
Mi39el de Souza Gordetro Simdes avisa aos pas
de seus alumnos que o dia 9 do crrante ae
achara abria*ua aula ^articular a continuar os
seus exercicios, oa mesma easa D. 14 da ra da
travessa dos Expostos; e ao re,speavel publico,
que continua admittir alnmnos externos e inier-.
nos, pensionistas e in^hj pefi+owrstas, asseverando
v* pas qne1 toe eorrfiirem sert- fflhos, rodo esme-
re em nfjwimir-lhcs sentifflenos de san moral e
de religio.
.....i ~-i i' i i n ii-- i !
Jos Aiilunio Machado declara ao corpo do
commercio que por havar ouiro de /igual *ome,
de boje en diaote se assigoar Jo> Amonio da
Silva Machado.
Precisa-se alugar ama ama forra ou escrava
que saibs coziobar : na ra di Croi, sobrado n.
64, segundo andar. Na mesan casa aluga-se nma
escrava boa qniandeira.
Sos terceirvs de S. Francisco.
Chepou a verdadeira estamenha para habites, a
qual se vende muito barato : na ra do Queiraado
n. 39, loja de 4 portas.
ATIENDO. i
O abaixo assigoado declara que desde setembro '
do anno passado tem deixadp de comprar escra-
vos^ e que contina, visto achar-se incomraodado
cm s-ua saude. Antonio Hicrdo do Reg.
Na ra Augusta, taberna n. 31, desrjase fal- j
lar ao menor Manoel Carlos da Silva, natural de
Portugal, a negocio de:sea interosse, ou declaro I
a sua residencia per este jurnal. i
Precisa-se de urna ama que
bjni, para casa de tres peSsoas :
ii 9.
m a JOS GOMES VILLAR
.ti& Com loja de i'azendas a ra do Crespo u,
!!V Praieadendo Ir muito breve a Eufijpa iraiar de a saud, pede aoe seas
17.
tanto do mato como desla praca que salrfem sea* n>bii> quanvo'antes, assimcofno
Eati l%u4lao4o
o sea imprtante estabelecimenlo de fatendas, vendeado tudo por precos que na reatida-
de admirara; aproveitem ExcellentissinM senboras
As fazeodas de aparados goslos
As fazendas de aparados gostos
As facendasdo aparados gostos
E por precos que admlram
E por pregos que admlram.
GERAl. REiO^OlC^TIlA^AO
CONSERVATIVO
23-Largo do Terco-23.
saiba coziobar
Joaquim Sitado dos Santos, dono deste beni sonido armazem de awlhtdos faz srlente jera
ua ra^o Sebo recommendacao aos seus amigos, freguezes e a todos em geral, qoe esta resolvido a vender os seas
bem conhecidos gneros do primeira qualidade, por menos de JO a 20 por cento, mea doqueen eo-
-Pr.'Cisa-sedoua, caixeirode menor idade.que lW'f.'n ^ ,diohf,, cn,ado.,e lodo comprador que comprar de 50* a. tOO* lera o descon-
d fiador i sua contacta : na ra do ciego d" ** iLPlJTl pe' ?!? prompto PaameDli P" ^ se faz annuncio de ilguns gneros.
n. W.
t
i Precisa-sede um cozinheiro : a fallar no es-
cjiptorio do Dr. Alcolorado na ra do Crespo, ou
w Caldeireiro em casa desie.
l| Precisa-se de urna ama
mero 6.
na ra .Nova nu-
j Cozinha-se, lava-sr. e engomnia-se com per-
fetgo e por mdico preco : na ra do Arago
numero 3.
Precisa-se de urna escrava que saiba cozi-
n|har e compraj, para rasa de pouca familia, e
tambom se precisa de urna ama forra para o ser-
vico interno : a tratar gesta typographia.
Precisa se do urna ama para cozinhar c com
Car : na ra das Cruzes n. 9, segundo andar.
Joao de Paiva Mallos, sua mulhor e unr 11-
llio menor, e sua lia Claudina Cndida retiram-se
para a ilha de S. Miguel.
Antonio Lopes Braga faz seiente ao publico
por este meto, e particalarmeut ao corpo do com-
mercio desta pra^a, que nc-ia data tem formado
sociedade entre si e sen caixeiro o Sr. Francisco
Jos Gomes e o Sr. Jos Joaquim da Costa. Ferrei-
ra; continuando o seu eUabelewmeuto no mesmo
gyro de commercio dohaixo da razao social de An-
tonio topas Braga A C, oceupando-se ateI disso
do negocia decommissoes. A liqubhtgo das tran
mendas; passageiros e linheiro a frete at as 2 he-
ras da tarde do dia da sahida: e>eriptorio no Forte i sa(W pendentes fica a cargo da nova firma ; e o
do Mallos n. li annunciante espera que os seus amigos e froirue-
zes rontinnem a deportar nos seus associados a
mesma confianza qoe tem lirio a fortuna de mere-
cer-lhes. Recife de Janeiro de 1863.
J. J. da Costa Ferreira.
Para Lisboa
O fiefelro e bata riMbaaidD tirina* prtuguez
Conceirao de M*m capitn Jmuiario Jos de Ol*
A bordo da liare franceza Virgtle tem urna
>rc,> de vasos para Qores o alguidares vidradus:
a; pessoas que desejarem comprar dirijam-se ao
c ipitao da mesma, em casa de Tisset Freres, ra
d Trapiche.
K x :
O bacharel
para com este nielhor se cerliOrarem
Hassas para sopa macarrao, talbarim e aletria a
240 rs. a libra e em raixi a 55.
Toucinho de Lisboa alvo muito superior a 280 rs.
a libra e 8*800 a arroba.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 260,280
e 300 rs. a libra e a arroba ou sacco a 8a e
8*500. _
Chouricas as mais Avas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 12*.
Passas viudas pelo ultimo vapor a 400 rs. a libra
e a eolia a 8*.
Batatas em pieos de 35 a 40 libras por 2,8400 a ar.
robae a 80 rs. a libra.
Cha hvsson miudinho supeior jualidade a 1*00,
2*000, 2*500 e 3s a libra.
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa cm pipa a 360,
500, 400 e 640 rs. a garrafa,
dem pfoprio par-a negocio a 320 e 360 a garrafa
e a caada a 2*400 e 2*700.
Millio alpista e painco mnito limpo a 140 rs. a li-
bra e a arroba a 4*400 e 4:20o.
Phosphros do gaz viudos por conla propria a 180
rs. o mago e a 2* a groza.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa e o c-
lao a 2,5801) o a ranada a 4*300.
Serveja das marras mais acredadas a 500 rs. a
garrafa e a duzia a 5*800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou eaixa se far abatimento.
Arroz dn Maranho e Java a 100 e 80 rs. a libra
e a arroba a 800, 2* e 2*400.
Assim como ha um grande sortimenlo de chara-
tos e genebra de Hollauda, tanto em frascos como
em botijas, balachinhas de soda, conservas, choco-
late, marmelada, vinho engarrafado e outros niui-
los gneros que enfadonho mencinalos, e se al-
guem duvidar venha ver.
Francisco Augusto da Cosa
AOVOSADO
Ra do Imperador numero
3$RP^c ra^aeir >.:<
Frederico Merrifleld, subdito
se para Montevideo.
m
yfi
inglez,
Ama de leite
Auscntou-se em 29 de dezembro passado do
verra, pretende-seguir com muita brevidad, tem ; eugenho Ulinga de cuna, no Caw, a mulatinha
parte do sen carregamento prompto; para o resto (jonna) ^e annos provaveis, comprada a 26 dias,
jue Ihe falta trata-s com os seus consignatarios! noRecife, a Jos Finnino de MeJeims por procu-
Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo & C, no sen es-] ragao de sua ave Josepha Mara dos Prazeres, mo-
Nn na Direita n. 89, primeiro andar, se dir
qaem precisa de urna ama de leito, prefere-se
liranra ou parda, e pasase bem se agradar.
Precisa-se de urna criada portugueza que
engomine bem e cozinhe : a tratar na ra do
Crespo u. 1.
criptor
io raa da Cruz n. 1.
Para L Isboa
radores ambos no Brejo da Madre de Din*<, tem os
signaes seguintes : cor alvacenta, manchas no
rosto, cabello carapinho e ruco, oom urna cicatriz
na testa, corpo regular, com todos os denles, sein
I Itenc
pretende sabir cora a possivel brevidad o brigue
porluguez Relmpago, para o que tem grande par-
te da earga tratada : para o resto e passageiros, a
consignatario T. de Aqu.no Fonseca, ra do Viga-, reineUido p'ra 0 reftr'lda ^nho, u a Joao Jos
no n. 19, primeiro andar. de CArniba Moraos pjlll0> rua d, (jueimado n. ,3
A abaixo assignada faz seiente ao rvspeitavel
puMico em geral, que pessoa algnma faga negocio
coid su.t mai Angela Maria Soares, sobre quaes-
A NACIONAL"
Compaiiliia geral hespanliola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21
lina flanea em riiilieii"
DE DEZEMBRO DE 1850
boa
, depositado nos cofres do estado, garante a
rainistrncao da companhia.
ad-
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Blanco de llespanba
DIHECCAO GERAL
Madrid : 5Sua do Prado n.
Para a Babia
Pretende seguir com brevidad a sumaca foi-
tencia, tem parte de seu carregamento prompto
para o resto que ihe. falta trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo
ti C., no seu escriptorio rua da Cruz n. 1,
que serao gratillcados.
Para Lisboa
sahir nestes dias o muito conbecido brigue por-
tuguez Constante, de primeira marcha, por ter
prompto quai todo o seu carregamento, recebe
anda alguma pouca carga que Ihe falta, c passa-
geiros : lraia.se no escriptorio de Manoel Ignacio
de Oiiveira & Filbo, largo do Corpo Santo n. i9,
00 eom o capitao a bordo.__________________
PARA1.
O palhabote nacional Nooaes segu breve para
aquelle porto par ter parte do carregamento prom-
pto : para o resto trata-se com os consignatarios
do Maraues, Carros A C, largo do Corpo Santo n. 6.
peitos, as pernas linas, vestigios amigos de chicote [ luer hons que a mesma posue ; e muito princi-
nocorpo, padece de bobas oas partes oceultas, a 1 plmente os de raz, quer seja particular, on e-
falla as vezes viciosa : rega-M as autoridades a cnplura publica do venda ou de hyDOlheca, sera
que a annunriante seja ouvida na qualidade de
herdeira, lauto no particular, como em qualqner
carloi io publjco nesta cidade ou fra delta, porque
a dita sua mai se acha na idade a vaneada to de 100 annos, e nao p le mais regular o seu
juizo, para poder fazer taes negocios, porque po-
dem illudirem-na, vmdo por esse motivo a ser
pnjudioada a annnnriante, e no caso de se prati-
car, a annuBcianle detde ja protesta pelo prsenle,
annuncio ir baver da pessoa que possuir quaes-
quer bens, seja por trato particular ou e.-criptnra
publica ; nao se tendd praticado como cima leva
expendido. E pata que nao po>sam allegar igno-
rancia, manda publicar o presento annuncio, em
que assigna do sea nrnprio punho. Recife 2 de
Janeiro de 1865.A rogo de Mara Thereza de Je-
zus, Joao Piulo Ramos Chaves.
forn'Cinrnto de carne verde, por falta de concor-
reates, o Sr. direetor deste hospital manda convi-
dar os preiendentes a esse (orneei ment a apre-
seniarem as suas propostas no dia 3 de Janeiro
prximo as 10 horas da manhaa.
Hispi.alt militar de Pernambuco 29 de Janei-
ro de 1864.
O escrivao,
Jos Marcelino Al ves da Fonseca.
O corpo de polica compra 50 bonets de gua-
rila para a secc,ao volante : qnem quizer fornecer
aprsente suas propostas em carta fechada na se-
cretaria do dito corpo, as 11 horas do dia 2 do cor-
ren te.O tenente-secretario,
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos.
A cmara municipal desta cidade em conse-
cuencia do pedido que Ihe fez a commissao encar-
rilada de erigir na capital do Maranho um mo-
numento que perpetu a momoria do poeta Anto-
ni 1 (jocalves Dias, deliberou abrir urna subscrip-
4&0 para dito lim, convida quelles dos seus mu-
uiKipes que quizerem concorrer para a mesma
ubseripcao, diriuirem-se sua secretaria as ho-
ras do expediente.
i'.ico da cmara municipal do Recife 29 de de-
zembro de 1864. Luiz Francisco de Barros Re-
g, presidente.Francisco Canulo da Boaviagem,
secretario.
Crrelo.
Pela administraco do correio desta cidade se
az publico que as" malas que tem de conduzir o
vapor Paran para os portos do sal serao fecha-
bas boje (3) as 3 horas da tarde : as cartas ad-
mettidas a seguro al 2 horas, e os jornaes al o
mt-io dia.
CORREIO G RAL.
ilelaro das cartas seguras rindas de norte pelo
vapor Paran> paraos senhores abaixo de-
clarados :
Antonio Marques da Cosa Soares.
Francisco Antonio Losqainho (Lisboa).
Francisco Forjas de La cerda.
D. Jusepha Antonia Pereira Guiraaraes.
J. Falque.
Joa 1 Jo de Carvaiho Moraes.
' Jos Rodrigues de Souza.
Jos. Antonio Pereira de Camino.
D. Mara Carolina liorges Leal.
Manuel Firmino Ferreira.
Maftl Alves Guerra.
Tbeodoro Christiansea.
Vicente Jos da Silva.
iEILOES.
Lcilao de batatas.
HOJE.
O agente Pestaa por coata de quem pertencer
far leilo sem reserva de preco e em um ou mais
lotes a voniade dos arrematantes, de 90 canas
com batatas de Lisboa, cada urna com 2 arrobas,
ltimamente desembarcadas, o que ter lugar hoje
3 do correte, as II horas da manhaa, bo arma-
zem do Annes.
lcilao de grande vantagem.
Qnarta-feira i do crreme s 10 horas.
CORDEIRO SIKOBS far leilo por conla e ris-
co de quem pertencer sem reserva de preco de
todos os objecios existentes no armazem rua da
Cadeia do Recife n. 48, consistilo em 1 mobilia
de amarello, 1 dita de Jacaranda, 1 sanctuario, 1
rica secretaria de Jacaranda, 1 forte piano, l cora-
moda, 1 cama francesa, 1 mesa elstica, -2 mar-
quezas largas, 1 par deapi>aradores,diversas ban-
quinhas, marquezas, cabidos, quartinheiras e ou-
tros muitos objectos de gosto que estaro patentes
Laos compradores.
. Na mesma occasiao vender um rico e forte
cabriole!, 1 cavallo, I carroca e 1 boi, assim co-
mo diversos escravos de ambos os sexos.
B.eilo de batatas
Quarla-feira 4 do corrente.
O agente Pestaa far leiJo por conla e risco
de quem pertencer de 46 caixas de 4 arrobas com
batatae muito novas desembarcadas ltimamente,
em lotes a vontade : qnarta feira 4 do corrente
pelas I i horas da manhaa no 'armazem de Paula
Lepes defronte da escadinha da alfandega.
Leilo de 80 barris eom figos.
Quarta-feira 4 do crreme.
- O agente Pestaa vender em leilo por conta
e risco de qnem pertencer de 85 barris com ex-
ceHentes figoschegados ultimamonte em um ou
aTISOS BABmMM.
Para Rto de Janeiro
pretende seguir at o dia 12 do conrete a brea
IlM de jMirri, recebe escravos a frete e carga
miuda : tratase com os seas consignatarios An-
tonio Lniz de Oiiveira Azevedo 4 G., no seu es-
criptorio roa da Cruz n. 1.
Joaquim Jos de Saut'Anna Barros com aula
particular de instmecao primaria, na rua da Cruz
n. 31, primeiro andar, participa nao s aos Illms.
Srs. pais de seus alumnos, como aorespeilavel pu-
blico, que abre sua aula uo da 9 de Janeiro cor-
renle.__________________________________
THISOUKO UAS MAIS
Providencia das crin veos
COLLARES KOVEK
Electro-magnclicos
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTICO
Contra as convulsoes e para facilitar a
denheao das criangas preparados e inventa-
dos por Royer.pharmaeeoticoda esco-
la superior de Pars, successor de Cbereau,
membro da academia de medicina,
antiga casa de Bouillorr-Lagrange-, pharmaceutipo
do imperador,
chef dostrabalhos chimicos da escola po-
lytechnica, director da escola de pharmacia de
Paris, e membro da academia imperial
de medicina.
'Estes collares vendem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante rua d< Crespo n. 7.
Alusra-so a 103000 raensaes a casa
terrea n. 6:1 da rua Imperial, concertada,
caiada e pintada, propria para estabeleci-
mento de negocio e moradia: a tratar na
na do Crespo n. 15, das 10 horas do dia
as 4 da tarde.
mwmmm mmmm mmmmm
m Saques sobre Portugal.
SO abaixo assignado- autorisado pelo
Banco Mercantil Por.tuei_e. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos o paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Por-o, e mais Inga-
g| res do reino, por qualquei somma vis-
2 ta, e a pfaso ; podendo, o que lemarem
saques a praso/eceberem alista, no mes-
mo Banco, descontando 4 00 ao anno: na
leja de chapos da rna do Grt'jpo n. 6, on
na rua do imperador o. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Miia.
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripto de maneira que em nenhum caso mesmo'por morte do se-
gurado se perra o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprebendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole ueA NACIO-
NAL,queainda mesmo diminumdo urna terca parte'do interesse produzido em recentes liquidacoVs,
e combinando o com a inortalidade da tabella de Depanienx que e adoptada pela rompanbia para os
seus clculos e liquidacoes, em segurados da idade de 3 a 11) annos, urna iinporsicao aunu?! le HX
produz em effectivo metlico :
No fim de 5 annos.......:119J30O
de 10 .......3:9425600
de 15 .......l:2082r)0
de 20 .......30:256000
da 25 .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos silo mais consideravpis.
Prospectos e mais informacoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia o Sr. Jerony
mo Joaquim Finia de Oiiveira, rua da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rua da Imperatrii n. 12, estabe
lecimcnto dos Srs. Raymnndo, Carlos, I.eite & Irmao.
Jos Ferreira Alves Carioca tendo de ir Ira-
lar d sua saude, vende a sua taberna com poucos
fundos: no Forte do Mallos defronte do trapiche
do Sr. Cunha.
Aula particular de iaslrncco primaria na rua da
Con re ir o n. 6.
Francisco Deodato Lins participa aos pais dos
seus alumnos, que a sua aula estar aberta no da
2 de Janeiro prximo.
Precisase de urna ama que saiba cozinhar e
engommar com perfeifo : na rua do Sebo n. 39.
r>-se 4005 a premio sob hypolheca. de urna
casa terrea nesta cidade : na praca da Indepcn-
dencia n. 16 se dir qnem d.______________
O abaixo assignado deixoa de ser caixeiro
do Sr. Antonio Ramos desde o dia 31 de dezem-
bro d: 1864, e cnrdialmeme agradece ao mesmo
senhor e a sua Exma. familia o bom tralamento
qne recebeu durante o espaco de 8 annos, 7 me-
tes e 17 das que esleve em sua caca.
Manoel Jost de Araujo.
O Sr. J. J. de Souza Serrano
ne ta typographia.
Aluga-s um sitio na rua do Cabial da
cidade de Olinda, com casa terrea, com co-
piar nfrente, botaos fundos para a estra-
da e margem do rfo Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
freapim para sustenta-los, arvoredos de
fuuctos, sem visinho defronte nm pelo
nendo.com ptimos passeios, sala e gabi-
feste na frente, muito propria para passar a
larta, e tambem se alujar por anno : a fal-
da no Recife, na livraria n. 6 e 8 da praca
e Independencia, e era Olinda na casa cori-
* tiguacomo capitS Antonio Bernardo Fer-
reira.
A ttenco.
Carlos ommerie, alfaiate de Paris, previne ao
publico desta cidade, qoe se cha estabelecido na
rua da Cadeia n. 11, por cima da loja do relojetro,
primeiro andar, aonde se encarrega deapromptar
toda e qualquer obra de seu offlcio coro perfeico
e com modo preco.
O Sr. morador da rua Nova que se
acha a o>ver fiqnarteis de assignatnns des-
mais lotes a vootade : quarla-feira 4 do corrente te Diario, fjueira marida-las pagar pnis
'Sonta dTatfade8zaHha D armaIem ^ ***" iaS8m COm eile SSta _____________Z______________m seus servidos deve attendpr a d)B ou-
Lcilo de 70 mxes da Companhia do tros, principalmente o Beberihe
Quinta-fejra 5 de Janeiro em frente a Associacao
Commorcial.
O agente Pinto legalmenle autorisado far lei-
lo e 70 ac^oes da Companhia do Beberibe de
505 cada urna, as U horas do dia 5 do corrente,
na praca do Commercio em frente a Associacao
Comniercial.
trabalham mais de 60 pessoas.
ATTENQO.
ClBWETE
PORTIGIEZ "E LMfl'IU ESt PER-
KUlBUiO.
De ordem do Illm. Sr presidente do conselho
deliberativo, convoco os membros do mesmo con-
selho para sesso ordinaria terca-feira 5 do cor-
rente, as 8 horas da larde, na sala das respectivas
sesses.
Secretaria do cnseiho deliberativo do Gabinete
Portuguez de Leitur em Pernambuco 2 de janei-
Wde 1864.
A. A. dos Santos Porto
i" .secretario.
Kii ii i. i .i
Os abaixo assignados faiem scieute ao pub-
eo, principplmenle ao corpo do commercio, que
tem dissblvido amigsvefmente a sociedade qoe ti-
nham na loja de fazendas da rna do Llvramenlo
n. 4, (rae girara na raiao social de Lepes & S,
ficando a cargo do socio S todo o activo e rassivo
10 LARGO DO TERCO 10
Esta Eova padarla aberta ao publico (e perto da estaro do caminho e
ferro), acha-se motttada com espaco mais que sufficicnie para po er fabricar com
liiupcza e aceto toda a qualidade e quantidade de bolacha, pao, bo'achinbas, bis-
coilos c tudas as macas que se desejar a precos mdicos e razoaveis.
l dono do estabelecimenlo nao potipar exforcos para bem servir ao publico
o aos seus amigos e freguezes, asseverando-Ihe desde j que s emprear farinhas es-
colludas e das mclhores que vierem ao mercado, ou das que receba de conta propria.
Ae publico em geral e aos seus amigos em particular pede que experimentem.
para se convenceren! do que assevera em seu annuncio.
Joaquim Cae tao de Carvalho.
O abaixo assignado, vem declarar por este CREME.
Diario, que est prompto a recompensar generosa-! Sorvete d reme hoje ao meio dia : na rua d
mente a quem Ihe entregar os objecios menciona Trapiche n. 18.
dos n'iun aununcio do Ztairiode29 at odia 30 de Miaif^c^s i
dezembro. g,MM&l
O carroceiro
Francisco Alves de Mello.
CASA,
Aluga-se a casa anda nova sita na rua dos
Prazeres da Roa-Vista n. 1 B, com bons commo-
dos e pelo barato preco de 165mensaes : a tratar
como major Joaquim da Cnnha e Figaeiredo das
9 as 3 horas da tarde na alfandega, e tora desta
hora ua casa de sua residencia estrada de Joao
de Barros.
AVISO.
No dia 7 de Janeiro em danle.
pnnri-
m
pa a funecionr a aula parlirnar par flO
o sexo feminino, a rua estrella do Rosa-
rio n. 38, sepundo andar.
PBJMEIRAS LETTRA.
Mara Barthnleza da Conceigao parteripa acs
Illms. seahores pais de suas aloinns e a todas as-
pessoas que Ibc quizerem dar a honra de Ihe
confiarem suas meninas pera Ihes encinar o-
necessario as materias de pnoieiras letiras e
lingoa Iranceza : far lodo o e.-fjrgo para que
Silva, sendo ambos os anlmaes de cor russo sujo, I *ilnaL.b^n,h^, ? desojado aperfeicoamento afflan-
editos individuosconhecidos por ladros de ca- fP^1**^**11'? *? l,r?ra 'inalqu-r vi-
cio na fwonuncia, se o Itverem. ba escola estar
roerla d 9 de Janeiro em
matriz da Boa-Vista n. 84.
diante : defronte da
yogio no da 3 do corrente o preto Loa-
renco, alto, secco, cabellos e barba branca, raspa-
da, beijos grossos, acangulado, fallando-lha on
dente na frente, urna ferida em nma perna, ps
feios, chapeo de palha, cale,a de algodao aml, pa-
leto branco, camisa de algedo branco. Jiilga-se
andar pela estrada do norte at a Parahyba, e
eostuma eneolcar-se de pobre, para assim'poder
passar ; roga-se s autoridades pnliciaes capilaes
Quem se julgar coindireilo a dous cavallos
3ue foram apprebendidos em poder dos indivi-
uos Jos Gomes Pereira e Norberto Fabncio da
fs de
por
vallos, dirija-se a esta delegada, tendo aoles jus-
tificado seu dominio, que se far entrega dos mes-
mos cavallos, isto dentro do prazo de 30 dias, de
pois dos quaes serao os mesmos remettidos ao
jmzo competente.
Delegada de polica do primeiro dislncto do
termo da cidade do Recife 2. de Janeiro de 1864.
O delegado,
L. A. Martins Pereira.
ioo$ooo.
Anda fgido o escravo Luiz, crioulo, do Paahv, i,
alto e grosso do corpo, cor fula, com signaes de e!mP plhM do ^"in, a eatragar aa
bexigis. sabe 1er, e.crever e trabalha de sapatei-, r** do Sebo n- a> >" se BraliUen.
ro, da-se 1003 de gratiftearo a quem delle der
noticia certa a seu senhor, na confeitaria do largo
do Capia, na curte, oiia Antonio Luiz de Oiiveira
Azevedo & C, na rua da Cruz n. 1, em Pernam-
buco, pegando se tambem as despezas em caso de
apprtienso.
No dia 10 de Janeiro prximo em diante te-
r lagar o leiio publico na alfandega do Rio
Grande do Norte, de 10,000 tabeas de pmho.de:
diversas grossuras e romprimentos, tudo madeira
d primeira qualidads, como tambem velas, fer-
ramentas, machinas, moiles, cabos de rame e
de linho, correotesetc. ; ludo novoe em bom es-
tado, assim como umaporcao de provisSes do na- Desappareren no da 1 de Janeiro do corren,
vio naufragado Ttmotdale. fvos nltimos dias ser te-anno, o escraxo crioulo.de nome Jc^io, de idade
L.eiIio de nma parte no sitio
Affllctos que foi do Oaado Dr.
ioao Ilonlnsues da Silva.
Sabbado 7 do corrente.
Legalraonte autorisado) o agente Pestaa por
Anda contina a preclsar-sn d urna senhora de
Idade e do bons costumes (nao tendo Dlhos) rfue do cMabclecineolo.
achando-se desvalida queira recother se a urna ea-. Rwife, 2 da Janeiro de 1863.
sa de familia para tratar de alguns meninos, dan-1 Joao Fernandes Lopes.
do-se-lhe cama, mesa e ama pratlflcseo que se i Juo Evangelista de S.
tratar: a quem oonvier, pode proenraf na rua^-----''"' ANNCO
dos Gaararapes n. 18; sobrado, qWe er>aa eom i Ro|.a.se 4s pe$soas qU(, tivere* comas peque-
quem tratar. _____________________*s arereber da aa de Soulali Meilors & C, de
Lava-se e engomma-se com asseioa por pre- as apresenur no praio de iras mas para, seram
C0 commodo : na trares de S. Jote' a. Mt | pagas. Recife, 2 de jansiro de 864.
Ao pnblleo.
Fonseca 4 Rocha julgan nada
dever nesta praca on fura eila, se
porm alguem se julgar se ore tenha a. bondade apresentar sua
conta para ser incontinente satis-
feia. Recife 31 de dezembro de
1864-
s
vendido em leilo a galera Tevioldntt de 1,300 to-
oeladus, ova e de. urna oonsirucfto forte, fazendo
a primeira viagem, naufragada oa praa da
Zumby.__________________________
na rua das Laran'
18 annos ponen mais oa menos, com os signan,
sesuintes : grosso do:corpo, altura regular, rosto
redoudo, sem barba, ci bem preta, denles bonitos
tallando um na trente da parlo inferior, ps gran-
des : natural de Quexeramobim (sertu do Cea-
r) d'onde foi conduzMo por trra, paca esta pra-
-.___:------- ca : lavou vestido camisa branca, calcas urna de
vlnta m d/h^m^!? ?/mPrre, V riscdo e outra azul, e chapeo de'couro : roga-se
""!_?"" a T- a ,tC,r?V Proferin,1 escrava; na roa do Q^madon. 17.__________ lapprehenderem e n.audarem-o entregar na na
Aluga-se a WjA da rua da Penha av 19 : a' Direita w. tO, a Jos Machado de Souza Pimentel
(aliar na rua da Gamboa do Carino n. 8. I que recompensar ganorosamente.
Preeisa se de urna ama :
geiras a. 24. _________

i-




q'Hfr \
A molestia ou i i) fe c? 5o pecect
ralfconbecida pelo nome de Et-
tcrofula um dos males mai-9
' prevaleceras e universal que
ha em toda a extensa lista das
enfermedades de que sofi'resse
genero humano : disse um no-
bre escriptor da medicina que
* mais de urna terca parte de
todos aquelles que morrena antes
da velhice sao victimas, ou direc-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la tper si nao to des.
Bctiva, porm a principal causa de mui-
rs outras enfermidades que nao lhe sao ge-
ralmente attribuidas.
E' urna causa directa da phyhisiea pul-
monar, das motettias do figado, do estoma-
go e affeccoet do cerebro: Entre 08 seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : fahm de appetitt ; o semblante pal-
udo e s vezes inchado, s vezes de urna
mvura transparente e outras corado e a-
laarellento ao redor da bocea; fraqueza e
molleza nos msculos : disgesto fraca e
appetite irregular, falta de energa, venlre
inchado e evacuaco irregular; quando o
mal tem seu assento sobre os puimes, urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhulos : o hlito ftido,
a Ungua car regada, i dores de cabeca, ton-
teiras etc.
as pessoas de disposic5o escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
disposla bs affecces dos pulmdes, do figa-
do, dos rins e dos orgos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
teceo contra os seus estragos ;. todos a-
quelles em cujo sangue existe o virus latea-
te d'este lerrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) estao expostos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
A phthysica, ulcera coes do figado, do es-
tomago e dos rins / erupces e enfermida-
des eruptivas da culis ; rosa ou erysipela ;
barbullas, pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbuncitlos. ulceras e chagas, rheu-
mutismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ule era rao interior, e en-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
to, enfraquecimenlo e debilidade geral.
Aos puimes a escrfula prados tubrcu-
los e finalmente consumpcao pulmonar :
as glanulas ella produz mchaces e tornam-
se ulceras: nos orgos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupces e affecces cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gen), carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrilha de Ayer
composta dos antdotos mais efficazes que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
eontm virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado incontestavelmeute pelas
curas notaveis e bem conhecidas que tem
feito di tumores, erupces cutneas, erysi-
pelas, borbulhas, nascidas,.chagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parebas, hydrope-
sia, tosse quando causada por depsitos Tu-
berculosos nos puimes. Debilidade ge-
ral :Indigesto, Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceraces do tero, a nevralgia c con-
vulces epilpticas e em summa, toda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certides Vio Alma-
nack e Manual de sade do Dr. 'Ayer que
se disiribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtu les: posto que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilha,
composto de diversas plantas, algumas das
qaaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PEITORAL DE CEREJ.V DE AYER.
Cura promptamente a asthma, bronchitc,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
j molestias pulmo-
nares.
Allivia os thicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos puimes pdem ser curadas em poa. \
co lempo pelo peitohal dk cereja do dr-
AYF.R.
A' venda idas principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. 45.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacla franceza de
P.MURER & C.
RA NOVA N. 18.
O Dr. Carolin Francisco de Lima San- r
tus, contina a residir na ra do Impe- jf
rador n. 17,2* indar, onde pode ser pro- j
curado a qualquer hora do diae da uoite
! para o exercicio de sua profissao de me-- JR
\ dico ; sendo cae os chamados, depois de MA
t meio dia at 4 horas 'da-tarde, devem ser-
|:deixados por escripto. O referido Dr.
i nao abandonando nunca o estado das
molestias do interior, proserjue, com o
maior afflnco, do das mais diffleefse deli-
cadas operares, como sejam dos ergaos
ou'rinarios, dos oraos, partos, etc..
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C
Agentes do Banco Unio do Porto.
Competentemente autorisados sacara por
paquetes obre mesmo Banco para o
Lisboa, e para as segnintes agenciar.
Londres sobre Banh of London.
todo
Porto s
Pars
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Frederic S. Balita & C.
Joo Gabe & Filho.
Francisco Raboba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em PoivruGAL.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez. Castello Branco. Guimaraes.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilhaa. Lamego.
Beja. Elvas. Lelra.
Braga. Extremos. un30
Bragaoca. Evora. Monvao-
Faro. Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinna!. Regoa.
meis. Porto-alegre. Setnbal.
Penafiel. Thomar. Vianna do Cas-
Tavira. Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Portimao. Villa Real.
Tilla Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
No[imfebio.
Baha. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendologo
os saques nraze serem descostados no mesmo
Banco a razao de i por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. i.
C4S4 DA FORTIM.
AOS 6:000.000
Bilhetes garantidos
A' roa do Crespa n. 23 e casas do eostame
O abano assigoado venden nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera, que se acabon
de extrahir a beneficio da Santa Casa da Mise-
ricordia, os segulntes premios:
Dea* quartos n. 1137 com a sorte de 6:600,5000
Doas quartos n. 797 com a sorte de 1:400*000
Um meio n. 1510 com a sorte de 500*tj0
E oatras muitas sortes de lOOp, 40* e 20*.
Os possuidorespodem vlr receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da segunda parte da
prmeira ioteria a beneficio da Santa Can t Mi-
sericordia, para canalisago d'sgna e gaz no hos-
pital Pedro II, que se extrafair nu dia 10 de
janeiro-t*-*-^. .
Preeoi.
Bilhetes inteiros.....' 7JO0
Meios......-. .300
Quartos. ....... 1900
Para as pessoas que comprarem
de 1004 para cima.
Bilhetes .
Meio*'. .
Quartos.
IVova liquidacao de fazenua at ofim
do mez, para fechar facturas vende-s imito
barato, por ser s altimo met de festa, que os
fregueses detetn aproveilar : na loja e rmazem
da Arar, ra da Imperatrii n. 56, de LoureH-
co Pereira leudes Guimaraes.
Fazeddas espeeiaes para senhora.
Vene-se ricos curtes de venido de la a Mara
L'OXSELliO
HE
Deixai que os Hunos da eivilisa^ao vos preguen
economapara os pus II Esta parle do corpo
humano por arlo aquella que, nttit clima ne-
cessita de maiur agasalho: pela humidade nos ps
se introduz a grande maioria das molestias, e com
Pa para senhora ile bonitas barras a 8;10, 13#, essi perdada saodee da vida 11 I Fra com as

6*800
... 3*280
. 1*700
Manoel Martins Fiuz
Aluga-se a caso terrea defronte da igreja
Manguinho n. 2i. tem 2 salas, 2 quartos, quinta'
murado, cacimba com muito boa agua de beber :
a tratar na ra da Madre de Deds n. 14.
O portogez Albino Baptsta da
Rocha,' relojoeiro e dourador, na
prnga da Independencia loja n. 12.
faz qualquer concert de relogio e
dourado por preco mais barato do
que outro qualquer e re^ponsabi-
lisa-se pelo sen trabalho e espera
protervo de seus compatriotas.
Joao Evangelista de S Souto Maior, mora-
dor na ra do Livramento n. 4, faz sciente ao
respeitavcl publico que havendo onro de igual
nome da data desle assigna-se por Joao Evange-
lista de S.

Casa de edoraco.
Jeronymo Pereira Villar trasferio o seu esta-
balecimento de instruc^ao primaria e secundaria
para a ra larga do Rosario, sobrado' de dos an-
dares n. 22 ; e participa nao s aos III ms. sen o-
res, pais de seus alumnos, como ao respeitavel
publico, que as aulas estarao abertas no dia 8 de
; Janeiro do anno vindouro de 1865.
Ao amanhecer do da 20 de outubro do cor
AOS SenhorCS pais de familia. g3i rente anno de 1864, furtaram do cercado do en-
O padre Flix Barreto de Vas-sS'igenh.oAld,ea* da fre*ueria do Rio FK0rmeso T-
;.___ ,- eKquartao de carga do mesmo engenho, o qoa e
concellos, com aula particular de la- ?i r'u?0 po(0b0) Rra*rtei raslrad0) na08 ne;.0j n no
olho esqoerdo urna belide, e pouro cu nada v
pelo dito olho, tem um callo velho no espnhaco,
tim na ra do Imperador n. 35, i.
andar, contina a receber alumnos flf
^ de todas as classes, durante e de-
23 pois das ferias. Tambem est dis- g
0 poste a abrir um curso de primei- S
g> ras letlras e de francez, logo que ||
JP baja numero sufficiente de alumnos
m para cada urna destas malerias, e m
assim tambem a receber como in- 9
temos alguns meninos,de cuja edu- ^
8S ca^o o quizerem encarregar. Os
*a pagamentos serao por trimestres
^ adiantados, e os precos declarados g
m pessoalmente na occasiao do ajuste |j
Z& para a entrada do alumno.
Consultorio inedico-chirurgico na roa larga do Ro-
sario n. 20.
O Dr. loo Ferreira da Silva regressando sua
14* e 16*o orte : na ra da Iaperatriz n. 6,
leja da Arara.
A Arara vende a 2400,
Cortes d chita de cores fixas com 10 covados
a 2*100 e 3*200 ; cassas de cores a 320, 360 e
400 rs. o covado : na ra da Imperatrlz n. 56,
loja da Arara.
Cortes de cambraia de salpicosa 251(10.
Vende-se Cortes de cambraia de salpicos a
2*400, 3* a 4*000 a peca, ditos de cambraia
liza e fina a 3*500,4*500,5*500 e 6*, liras bor-
dadas para enfeitar yestidos e entremeios a 1* e
a 1*200 : na roa da Imperatris n. 56, loja da
Arara.
Soulembarques a 7, 8, e a 16.
Vende-se soulembarque de lazinhas 4e cores
para senhoras a 75, 8* e a. 10*, dito de grosdena-
ple preto muito enfestado a 20*, 25* e 30* : ricas
capas de grosdeoaple a 20*, 25*, 30* e 35*, para
liquidar : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A Arara vende de coresa lpakapara vestido.
Vende-se alpaka decores para vestidos a 360
rs. o covado, challes de lazinhas a l*C0Oe 1*280
dito de merino a 4*500, ditos finos a 4*500, 7*_e
8* : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Cassas da Arara a 280, 320 e 400 rris o corado.
Vende-se cassas de cores a 280, 320 e 400 rs. o
covado, lencos de seda a 800 e 1* : na ra rfa
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Lazinhas a Hara Pa a SCO rs.
Vende-se lazinhas a Maria Pa para vestidos,
com palmas de seda a 500 rs, o covado, ditas de
cores a 320, 400 e 500 rs, ditas lizas de cores pa-
ra capas e vestidos a 560 rs. o covado, casemiras
para capas de senhora a 1*800, 2*500 e 3* : na
ra da Imperatriz o. 56, loja da Arara.
A Arara vende chitas a 240, 280 e 320 rs.
Vende-se chitas de cores fixas a 240, e 280 rs.
o covado, ditas francezas a 320, 360, 440 e 500 rs.
e covado, percallas para vestidos finos a 500 e 560
rs. o covado, camislnhas para senhora a 1*. 1*600
3* e 4*500. gollinhas para senhoras e meninas a
240, 320 e 500 rs., enfeites para cabeca a Maria
Pia a I*, 1*400 e 2*, para liquidar : na ra da
Imperatriz n. 56.
Ilaloes americanos para senhora.
Vende-se balOes americanos, os melhoresque
tem vindo ao mercado, de 20, 25. 30 e 35 arcos a
2*500,3* e 3*5d0 e 4*, ditos de brilhantina e
mus-cima a 4*500 : na ra da Imperatriz o. 56,
loja da Arara.
Fazendas para nomem.
Vende-se cortes de calcas de brirt para homem
botinas e sapatos velhos; reforma-Ios
45~Rua Dereita--45
Borzeguins fntncezes pr homem 5*000
Ditos inglezes id< ni a 8*, 7* e. 6*000
Ditos para senliora 4*800
Ditos para menina /. 2*000
Sapatoes esmaga cobra .'i*000
Ditos de Sanies de duas solas 5*000
Ditos dito de sola e vira 4*000
Sapatos de borracha para senhoras 1*400
Ditos de dita para meninos 1*000
Ditos de tapete para horneas e se-
nhoras a 800 e 1*000
Sapatos de lustre para senhora a 1*000
Ditos para casa 500
Chinelas rasas do Porto 1*600
9\\.U L A $
D'IODUBETO DUPLO
de FERRQeQUININA
-''.-*
. Os elementos que compoem esta preparaco, o
ferro, o iode e a quina, a collocao no primero
grao das preparares ferruginosas. Basta attestar
seus resultados oblidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos, dos prcticos mais eminentes,
que confirmrao sua poderosa cfficacidade as
seguintes aleu.oes:
. a 1*600 e 2*, ditos de c'aseraira a 3*, 3*500 e
lugar em que teve urna beiiga, levou o topete cor- 4*500 5* : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
lado rente, carrega Laixo, e tem estampado no Arara.
lado direito da anca o ferro do engenho em lettras Roupa feita para honifin de tedas as nualidades.) ecirurgicadeZOde novembrete&O;
maiusculas como aqu se v- A LD EA-. Adver- Vende-se palitots de brim de coresa 2*, 2*500e
te-se que os cavallos assim ferrados, nao sao tro- 3 dj| branco um dil0 delinno fino a o*,
cados nem vendidos, e os que forem encontrados dUo d k de cores brancos a 5&t dl0s de
somseraservico do mesmo engenho sao furia- meia easernira a 4*500 e 5*. ditos de casemira a
dos, e devem ser apprehendidos ; portanto roga- j. o, m 10ls, 16* c 20*, ditos de panno fino
se as autoridades pol.e.aes, e mesmo a qualquer prto a 8* 10*|14* 16*,20* e 30*, calsas de
pessoa do povo, que sendo encontrado ditos ca- grim de cor a 2* e 2*500 dita de dito branco a
val os sejam aprehendidos e renettidos ao admi- (|jlas d d J ,. a'3500 e ^ colleies de
n.strador daque,le engenho ouao aba.zo assigna- e*es a 2#> de brim a 2*500, de casemiras de
cores e pretas a 3*300 e 4*, calsas de casemira a
5*. a e 8*, de meia casemira a 3* e 3*500, ca-
misas francezas a 2* e 2*500, de linho ioglezas e
pregas largas a 33 e 3*500, gravatas de todas as
qaalidades de 500, 800, 1* e 1*400, collarinho
de todos os lmannos e muito bem feitos, para
COnvalcaeenea de Ion'
KUM molCHilaN.
Molt-.-ilus eaerofal**
nao.
Paprlrn.
ObKlruccao daa glnn-
ilulna.
Humarca frloa.
Iluuiorra braneoa.
Racbitiamo.
Afrcrca rnneeroaaa
e ypbllltlcaa.
Febrt-a (y|iboldea.
Varlolca, etc., ele.
do proprieiario do mesmo engenho, que reside na
cidade do Recife, ra do Hospicio n. 50. Cidade
do Recife, 26 de outubr de 1864.Caetano Jos
da -iiva Santiago.
Os'abaixo assignados scientificam ao com
mercio ou a quem possa interessar, que a socie
dade que exista nesta praga sob a razao de Bar- qnidar por ser tempo de fe;ta : na ra da Impcra-
role Si Braga, se acha por mutuo accordo dissol- triz n. 56, loja da Arara,
vida e em liquidacSo, a contar de hoje. Recife 31 j Colchas para tama a 2$.
casa,contina em o exercicio de sua profissao, r"Lul"n"" l
nao s na parle medica como tambtm na chirur-
gica.
de dezembro de l864.=Jos F. Barrote. Jos
imt

w
DENTISTA DE PARS
19Rna Nova 19
Frederico Gautier, cirurgiao dentist i, g
faz todas as operacoes de sua arte, e ce I- jM
loca dentes artificiaes, tudo com superio- S
ridade e perfeicao, que as pessoas enten- W*
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
O ahaixnassignado faz sciente ao respeitavel
publico e principalmente ao corpo do commercio,
que admeilio para socios a Joaquim Jos daiSiva
e Francisco Nasas da Silva, e gyrar na razAo so-
cial de Narciso Irmao & C.
Narciso Jos da Silva.
mmmm-wmmm-mmm
casa m mmuL
Aliiga-se urna casa nova muito fresca com ex-
eellenlesolao sita no Cachang defronte do enge-
nho Poeta : a tratar na ra do Crespo loja de An-
drade 4 Reg.
Quem pretender urna ama pratira para o
ser vico interno de casa de homem solteiro ou de
pouca familia, drija-se a ra do Soreg, casa jnn- pau ferro a 8*, dito SL9 a 10*, dilo T a 10* e 1
Vende-se colchas de chita para cama a 2#, ditas
de damasco a 4*. ditas de fustao a 5$, chitas para
cobertas a 320, 360, 400 e 500 rs. o covado : na
ra da Imperatriz n. 56. loja da Arara,
A Arara vende madapole rnfrslada a 45.
Vende-se pecas de madapolo enfestada a 4* a
peca, dito inglez de 24 jardas de n. 30, a 65, de I
a 5*500, n 250 a 6*500 e 7*500, n. 5 8*500,
Igcfc9*000, R. D. P. 10*, ZZZ U*. n. 20, dito a
14* a pega ; algodaozinho marca s a 5*560, dito
carne vacca a 7*, dito dsmestiro a 7*500, dito
Mlngoa no mugue.
Fraqueaa.
Aaiula.
Chloroae ouleterlela.
Menatrno.
Affeceoca o tero'.
Supnri-Haca raa e dcKordca na
uuenatriiHe&o.
A frecen o pulmonar e
phfhlale.
Moleatlaa d'eatomago.
Gaiitral^laa.
rerilu d'nppetlte, ete.
VejSe se os bulletins de therapeutica medica
a Gazeta
dos hospitaes dcidejulho 1860, etc., etc.
Alm das pilulas de iodureto duplo de ferro e de
quinina de febillon, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
hu*ro e de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nao goslo de medicamentos sob for-
ma pilular e os meuinos. Eslc xarope nao tem
como o xarojie 'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Pe?a-se o folheto que se d de graca-em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para-se evitaren falsificares, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas on Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmaciaRebiUon,
142, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca a dos puizes estrangeiros, etc.
ssm
BISMUTH
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparacos de
bismuth emprej
pelos mdicos <
curar as
;adas antes com o maior successo
c todos os paizes, para prevenir e
to a de n. 20, primeiro portao no Campo Verde.
Antonio Anlunos Lobo tendo vendido sua
loja de miudezas da ra do Quelmade n. 75, no
da 21 do corrente, roga a todos aquelles que se
julgarem eredores do mesmo queiram apresentar
suas comas no prazo de 3 dias, para serem pagas,
na ra da Cruz n. 63 ; assim como pede aos de-
vedores da mesma para que. venham satisfazer
cus dbitos ftto no prazo de 30 dias.
AttenQao.
Aluga-se a loja da casa n. 18 da praca da Boa-
Companhla fldclldade de
seguros martimos e ter-
restres estafoelecida ao
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPKAMDUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azcvedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomain seguros de navios, mercadu-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
vista, propra para deposito de padaria, taberna,! y-C-
ou outro qualquer estabelecimento, por 20j men-j UM
saes : a tratar no fin da ra estreita do Rosario Gp
ao voltar para o pateo do Carmo n. 47. )
dito sictipira a 8*500, para liquidar, na ra daj
i Imperatriz n. 56, leja da Arara.
Palitots de alpaka.
i Vende-se palitots de alpaka preta de 3* e 3*500,
ditos linos de cordao, lizas e brancas a 4* : ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
4o liaroteiro da rna da Imperatriz n. >6.
Vende-se seroulas a 1*280, ditas trancezas a j
1*600e 2* : e outras muito boas fazendas que o I
freguez encontrar na loja da Arara, ra da Im- j
i peralriz n. 56.
IHai-i-li.-as c-lii'Oulcua. Miia illseatca.
D;Hxenlt-riaH. Gnalrllea.
Ddrca ilVldniaso. Galtralglaa, ele.
tt)'"pcpiua.
Os primeiros symptomas d'essas forrrridaveis
affecces se manil'eslao ordinariamente por diges-
tSes laboriosas, axidumes, falta d'appetite, pesos
a"esldmago depois de cada comida, caimbras es-
tomafac--, c, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este oslado mrbido, se o descuido, traz ine-
vitavelmcnte, que soja:
5sVs
Joao da Silva Ramos, medico pela Uni
versidadede Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serio soccorridos em qual-
quer occasiao. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manilla.
Tem si'.a casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropriados e nella pra-
tic qualquer oueraco cirurgica.
Para a casa de sade.
Prmeira classe 3*000 diarios.
Segunda dita.... 2*500 >
Terceira dita.... 2*009
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprieiario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sera-
pre tem gozado.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da Inde
pendencia n. 22._________________________
Comprase um tronco : na ra do Rangel
numero 17.______________________________
Compra-se effectivamente
ouro e praja era obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-se dous escravos que sejam bons
carreiros : na ra do Trapiche n. 13.
Comprase orna casa terrea em qualquer
rna desta cidade pelo prego de 1:0C0* a 1:100*:
a tratar na ra Direita botica n. 135.
Cornpra-ie um escrava que seja moga e
perfeita cosioheira : na roa di Cruz armazem nu-
mero 26.
RUI 110 IMPERA
1)011 \. 22
Grande armazem de tintas.
Tem a venda :
1 Productos chimicosmedicinaes os
mais importantes em medicina.
2. Productos chirnicos e utensrs
para photographia e outras industrias.
3. Todas as materi|s e ntensis
empregada na piolnra a oleo c a col-
la para pintores, tintoreiros, enver-
nisadores, douradores e vidraceiros.
Joao Pedro das Nevcs,
Gerente.
Molewdr.a de libado.
A Iclcri. a.
Palpltacao de roracao
Dorea non rlna.
Oppreaaoea.
florea de enbeca.
IrrliaceH de Resiga e
ila mal-i/., ele.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medcaos para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao tomados a
tempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
GRAGEASdeCUBEBINA
comCOPABAdeLABLONYI
Estes confeitos que tem por base o prin-
: cipio activo da primeva cttbeba juulo com !l0 Pssiv,el> a ft. >
^ a cuBohyba pura, nao nauseo o estomaga. rua Pl"tl',
Elles fazem parar immediatamente as mais
: rebeldes gonorrbas, mesmo as que res'sti-
ram a cubeba o a cupahyba isoladamente.
Deposito geral em Pernambuc* rua da
0 VIGILANTE
Rna do Crespo n. 9.
O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
poso Uallisa, na sua ordera do dia, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo com seo
agudos esporoes nunca os offeoder, antes os agra-
ciara na mesma cooformidade, para que o Baliza,
possa marchar em frente, a Branca Aguia possa
levantar seu vo, levando no bico as paliabas a sea
ninho ; e o Gallo licara cm seu espagoso campo
dando de novo o seu canto annunciando a seas
bons freguezes e ao respeitavel publico
0 grande sorlimento deebjecUa de nuil* ) qie
acaba de receber.
Ricas caixinhas com msica ricamente enlejia-
das para costura, propno para um delicado me-
nino.
Riquissimos cofresinhos com cadeados de metal
para guardar joias.
Ricas caizas com estejo, contendo todos os per-
tences para homem.
Riquissimas voltas llngindo perola.
Ditas com lacinhode fita.
Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
suras.
Lipdos aderegos com pedrinhos fingindo bri-
Ihantes.
Ricas fivellas para finio, de todas as qaalidades
e hora gesto.
Ricos cintos do ultimo gosto de Paris.
Grande sortimento de lindos enfeites para rabe-
ga, sendo do ultimo gosto e de todos os pregos.
Flores muito linas para noivas.
I.uvas enfeitadas e mt-ias de seda para ni ivas.
Chaposinhos, sapatinhos e meias de seda para
baptisado.
Riquissimas filas de todas as qualidades para la-
go, cintos e cinleiros.
Caniisinbas e goiinhas para senhora.
Riquissimos jarros e figuras para ornamento de
sala.
Grande sortimento e gravatinbas lano para se-
nhora como para homem.
'.uvasde pelca branca e decores.
Cascarrilhasde bonitas cores.
Trancinhas, gaiao e maravilhas para enfeites.
Transelins de cabellos e de retroz |iara relcglos.
Papel amisade e de outras qualidades.
Rolsas para viag.m.
Entremeios e babadinhos de lindos padrees.
Lencinhos de linho burdados.
Meias para homem, senhoras, meninos c meni-
nas.
.
Fitas de veludo lisas e com mtame de todas as
i larguras.
Thesouras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
: Lindos vasos com hanha para offererimentos.
Ciixinhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
I Agua verdadeira Florida.
! Agua da Colonia, em garrafas grandes, e em
1 frascos qtiadrados agarrafaba*.
Pomada lina de toas > i/nalidades.
Superior banha em frascos e copos de lodos os
| tamaitos.
Saho Inglez em paos grandes e pequeos.
Escoras 4o cabo de madreperola, marlim e de
osso, para dentes.
Pentes para desembaracar, com friso de metal e
| sem elle.
Ditos de tartaruga e de muitas outras qnalida-
i des.
Pentes de tartaruga para senhora.
Ligas de seda e de alRodo, assim romo miiilos
outros objeotM de gosto one seria impossivel men-
cinar, que a vista far ti-, s no Gallo Vigilante,
ru do Crespo n. 7.
Vdllinlis.
Lindas voltinhas de perolas falsas rom crozir'tas
I Qngiodo brilhantes, a*slm cuino rruzinhas avnlas
8 voltinhas, pelo barato preco de l*e 1*200, as
erases avuls asa 400 rs.: s'no Vigilante, rua do
| Crespo n. 7.
Leques.
Riquissimos loques de madreperola tacto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 12* e 14*; s no Vigilante, rua do Crespo
i n. 7.
GRANDE XOVIDADE.
{ S no Vigilante.
Riquissimos enfeites de lodas as qualidades para
senhoras e meninas, chegados hoje da alfandega.
(os
Riquissimos sintos de lila larga e estreita rom
: Hvelas grandes e pequeas, com brilhantes falsos,
i cousa de muito go?io.
Alhiin
Tambem chegaram os riquissimos albuss para
150 retratos, com capa de tarlarnga e de rr r.rrm,
cousa muito chique : s no Vigilante, rna do Cres-
po n. 7.
fiwliiihas.
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
'2*500 c3*;s no Vigilante,
VENDAS.
3--RLA KSIKEITA DO RSARIO-3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificiaes^tanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
tiinii'in a vonade de seus dones, tem pos
e outras preparagoes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
Adverte-se ao Sr. Feliciano Joaquim
de Aguiar, que a sua assignatnra deste
Diario est por pagar desde oatubro do
anno passado, e que o proprietario da loja
de ourives da rua larga do Rosario n. 40,
tem declarado que n3o se responsabilisa,
portanto S. S. qneira mandar satisfazer nes-
ta typographiiL_______________________
lagHel de'oseravos.
Aluga-se a excellente casa e sitio onde mo- Aluga-se urna encllente escrava e um escra-
ron o Sr. cnsul Inglez, sito na estrada das Afilie- vo, a escrava faz todo sorvigo externo einterno de
tos, com todas a commodidadei necessarias : a urna casa de familia : na rua dos Pires n. 54.
tratar na rua do Queimade n. Ifi. leia de Uann.pl ----------, .------:;r~.s----------
Ribeiro de Carvalho. J Na praga da Independencia, loja de oonves
-------------7-.-,.. :s------'--------------- 33, comnram-seobras de ouro e prata, e pedras
- Urna pessoa habilitada offer-oe-se para lee- preciosas,assim como se faz qualquer obra de en-
cirmar P>rtugueze francez em algum ng-nho, on coramenda.e todo e qualquer concert.
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Johnslon Pater 4
C, rna do Vigario, n. 3. um belk) sorti- Cruz n7 emeasa" de Caros & Ra'rboza.
i ment de relogios de ouro patete in- [ ---------^5-----:---------------------------------
glez, de um dos mais afamados fabricantes' MaClllIMS de VUDOrepa-
de Liverpool, e tambem ^ama variedade de rq /laupqrnpir olcnililn
boniosttrancelins para os mesmoslt 1 ' armazem garanta: Moendas e meias moendas.
,4~PRna t*. i"lpeHr?,daap"14 Taixas de ferro batido, coa-
Esquina da travessa do Oima&r
Grande rcduigao de pregos Beste armazem de! O Q Q COUre.
molhados, que foi completamente reforgado, onde
FOLHIVHAS
lilil IODO Bioniauos, que 101 compieanieme reiorgaao, onae :-r\ -i
Acham-se venda na livraria ns. 6 e 8 Publico encontrara wmpre um escomido soni-; lOCltl S (1 UUfl. ueilauaS, 6
A* nran Ha Inilpnpnrlpnria ment dos melhores gneros que vem ao mercade, j ^
tS$a&: ***** o'KXvx^^sr^iiffit de car?ca com manas e
' kalendario civil e ecclesiastico, tabellas de: ha a sua importancia sera o menor constrangimen-
feriados, de emolumentos dos tribunaes t0- proprietaric de;te estabelecimonto lera a
,1. .,mm,,rm nin im a conscienciado qub uinguem poder servir me-
. S.2XS2CSJ?Vnm2,; Inor o publieo.epir pregas mais mdicos, poden-1 .
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA COntendO O do tambem allangar, que no seu estabelecimento $10 (10 DOWUlftll.
mesmo que aquella e mais uma nova nao se illude pessoa alguma, por isso qo annun-'
eixos de patente.
RuadoBrumn. 38, fundi-
l'anao de linho do Porto
Vende-se pecas de panno de linho enfes-
Salve Rainha e~m verso,o Stabat Materem,Cia precos felos iuaes uio possivel vender-se
ver, dcvoco ,o agorme.co,a?ao *\T2^ZttS2?SS t.
Jess, cntico emlouvor do Santissirao o proprieiario que as pessoas que all forem umaitf(!0 ae siiperior qtiallda
Rosario, cntico a Virgem Maria Nossa v.contnuaraoafrequentaroeuesubeiecmen- deaescriptorio n. i/.
Senhora, trinta e tres chistosasanedoctas. ^^ma/^IaoacODCurrencia dS 9ue oslara
um indito poema sobre as aventuras dej----------------^--------r-----------------i----------
um cosinheiro, o canto de uma solteira, C88**8 M pHbos t borradlos.
(poesa), crescido numero de mximas e!. Vendem-se cases de-pombos bons batedores,
pensamentos, uma historia como muitas
Promancoj, e vinte e cinco novas e pi-
lhericas charadas a 320 rs.
Vende-se em casa de Marcelino & C, na roa
do Crespo n. 5, nm paleo de dmasca de seda
branca, vindo de Lisboa pelo altimo vapor.
borrachos : na rua larga do Rosario n. 26, tercei-
ra andar.
ROA AilQUISICAa
Jlo do Amaral Rapoze tendo em vista mudar
d negocio resolve vender a sua taberna n. 140
do largo das Circo Ponas, b' na veidade exce-
lente acqui-igio para quem te qulzer estabtlecer
com um armazem de molhados, do genero dos
Bixas de Hamburgo *
Vendero-se na rna Nova n. 61.
Fardo saperior de Lisboa a S5 o sacco.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira ze-
vedo & C n,o seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Vidros para vidraca.
Grande sortimento de Tii!ro*Jde todos os lama,
nhos : na rua da Cadela, loja de ferragens do
Bastos.
para administrador do mesmo : quem .pmeisar di-
rija-se a rna do Vigarie n. H, pnmeiro arMar. Hol/^.^urn recibo firmado pele Sr. Sx ve-
-AMAS" Para^^atlrCl 59 ^^ ""
-Vende-se i morada de casa terrea com com um irmazem ae moinaaos, ao genei o aos Albnns
commodo* animal grande e morado, ero muito i vulgarmente chamados Progresos-J por ter para 20 at 200 retratos, muito bons e por menos
----- -_r.fi nalkn.a aaAanpaAaa a anninRlnilq/XUa liatftalC- nMCn Cilla Om mlra T.mlnnAa n -1 p f\uu r p ft *
do
Preclsa-se de dua3 amas forras ou captivas, o achou e quker azer o favor restitui-lo vino so-
sendo ama de leil e outra para servico de casa : mente ser til ao proprio dono nneira d'iricir e e
no sobrado da rna do Imperador n. 57, segundo praga do Commereio a. 4, crimelro andar "nne
andar, por cima do armazem Alijan**. *ar gratificado. l
predio nesta cidade.
Vende-se a armario da loja de funileiro 4a
roa Direita n. 31, junto loja de (amneos do Sr.
eraa.
de Ollnda.
qualquer ajuste dirija-seab referido estabeleci- J"^ ^ *JIW* deOhnda surto
ment que a -.har com quem tratar. D.e'^ Pr*. ,ond,e J*^ Sf r rXaminado pelos pre-
-------!---------i-------. .,----------------jjr- tendenfes : trata-se no escriptorio de Manoel Ig-. possivel por boje annonciar, e a vista dos frene-
Vende se a loja de funileiro da_ rua do Ran- naci de Oliveira & Filbo, larjo do Corpo Santo I es se far todo negocio; na loja 4o Callo Vigilante,
Enfeiies para senhora.
Riquosissim enfeites com lago e sem lago e de
oulros.muitos gostos a t, l00 e 3 : s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Traaeelias.
Lindos traocelins de cabello para relegie on lo-
netas, pelo baratissimo prego de l*V>00, ditos de
reiroz a 200 rs.
Babadinhos entrecieiss.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindo;
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 1*500, U e 3*; s no Vigilante,
rna do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
largaras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Fita*.
Grande sorlimento de fitas de diversas largrras
e qualidades, por pregos que admirara aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para ein-
teiros que se pode vender a ;I00 rs. a vara, e peca
da 9 varas a 2; s no Vigilante, roa do Crespo
o. 7.
II Filas de la.
Fitas de laa de lodas as qaalidades, proerias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilaute, rua do Crespo n. 7
Ricos fsprints.
Riquissimos espelhos com moldura denraJa;
sem ella de 8, iOS, 12* e 14*, assim romo roas
columnas de difireme? lmannos a t*, 3*, 4*, 5*
e 6*; s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Lindos jarros e igaras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana tina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqm
tem apparecido; s no Vigilante, rna do Crespo
n. 7.
Para pos de arrsz.
Riquissimos vasos com bonecla para nos de arras,
cousa de multo gosto a 1*600 e 2*, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. rada nm; s m>
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
PfTfnmaria.
Grande sortimento de extractos e biaba i, poma-
das, a-sim como de lindos copos oo vasos rom dl-
(Inctivos e offorecirnentes as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e inglairr-
> ra, assim como os grandes copos de banha japoniza
- a 2* e'-a 1*, assim como outros objecios que nao e



\
gti o. 46 : a tratar na roa Direita n. 83
n. 19.
1 roa do Crespo n. 7.

HM


WB
Plyla de gcrpambuco fcrya lelra a Je ayc.ro de t **S.

i
9

fc


I*TTOTI0NBR0U
RFUMARIA MEDICA HYGINICA
De J.-P. LAROZE, qumico, pharmaceutico de la Escola especial de Pars.
tai** ir*aet tenas* harmacia da btUtsa, encarrt|ad* de prortr s> higiene da prlle, dos cabellos, dos dentes,
rgos lio imporUnles; eulao CTita e deslro as causas das doencas que sua irmsu nais velha,
i ahanaaeia propriameate chamada, tem que curar.
tuna aaurrinueio para curar nedlaMnieate as
dars oa rWa 4* avales; yldro l fr. 25
ros DMRVKMBO* jsW D* IOU ton base de
Magas*!*, para branqaear eomorter os desle;
e id* T rlr. >5
OLIO D avela PERFUMADO para remediar a
durexa des cabelles e a sua aloma, e vidro. 2 fr.
V1MAORB DE TOILETTE MFEfUOft pela SV*
aoavidade e sua aofto refreeeanle, e vidro. 1 fr.
OOLD CREAM SUPERIOR para conserva a pulla
clarar reeca, a diapbaaa, e evitar es mos effcilss
do uso das odres, o pole......1 fr. t
ACDA DE COLOCHA SOPBBIOR, toa eu sem
mbar; permaneacia de seu perfume o faz bascar
para o locador, banhos geraeselocass, o vidro 1 fr.
PASTQ.HAS ORIENTAES do Dr. Paul Clcment,
[ara tirar e chel* do tabaco e pera modificar es
altilos fortes; 1 e 2 Ir. a caixa.
AOUA DE rXORES BM ALFAUMAA, cosmtico
bascado para tirar as comichee?, fortifltar e re-
frescar cortos ergios, e vidro. ,. 1 Ir. 25
BSFDUTO DI mORTBLAH S0FERH1IO. Elle i o
aperfcicoamcnio lodispensavel do acelo da bocea
depoia de comer, o vidro. 1 fr. 25
roMMADA COaSBSWADORA de quinina pura
para forliQcar os cabellos, os embellezar' e evitar
Bcaaeelmealo prematuro, o pele.. S fr.
opiato ItaavinUOM para fertliear as genrivas
vitar as nevralgiaa dentaria*; pote 1 fr. 59
elVRATrvO BEaTTARlo para tratar os denles
cariados aates do chumbamente, evitar ea ab-
* ciases e dores; e vidro coso e instrumento i fr.
lOODEBjarjlA, para eeeiservar a frescura
a aa faaccSes da pella ; vidro ....%.
IPtXITO BM ABIS BBUTIFICUM, ctmplaaoaatc-
de aealoda beeeadeaf oa de cerner; vidro 1 fr. 25
(Alio LEsn-TITO MMCnil,, de vieleU, amandoa
amarga, beeqaet, pie.......2 fr.
usa aba* uarrrvo mhdicjihal de
Sssu de ove*, para evitar as fadaa, frieiras e
sacas de pee, do violeta, de bsaauai; e pie 2 fr.
CRIS DB SAIO UaTTIV* HBDICIMAL esa
pi*. BU d eapeeial para a barba, e aceie das
seaaoras e dea criantes, e vidro.....1 fr.
AOUA LOSTRAL para conservar a embellezar oa
cabellos, e fortificar seas raizas, 'airo. S fr.
Deposites en cada cWade, m cata des pharmaceutieos, perfumistas, cakelleireiros, negociante* de
moda* de faxendas. Vareje: Praasucu Lakozt, rae Neaye-des-Ptu-Cbarap, S6.
ipedieoes: em caz*ai* J.-P. Larozi, n* des Lions-Saint-Paul, o* ea, Pars
R>;i lo lnipiTH'ltr ii 38. Iinna (lancea.
XAROPE ^^
BE CASCAS de LARANJAS AMARGAS
de J. P IaAROZE, Chiraico,
MAMACStlTlCO KA ESCOLA ICFBRIO* BB PARS.
' Este xarope, regularisando as funegoes do estomago e intestinos, destroe essas
indtsposifocs proteifonnes, e faz abonar as molestias de que sao indicios precurso-
res. Mdicos e datles tem reconhecido que restabelece a indigestdes, fa/.endo
desapparecer os pesos de estomago, que calma as eraaquecas, espasmos, c caimbras,
que sao resultado de digest5es penosas. Seu gosto agradavel e a facilidade com que
se suporta, o tem feito adoptar como especifico infallivel das doencas nervosa,
gastritis, gastralgias, clicas de estomago e de eniranhas, palpitacBes, dores de
corafo, vmitos nervosos; sua aeco sobre as funeces assimiladoras tal, que os
mdicos mais Ilustres o tem adoptado por rescipicnte real dos dous primeiros
agentes therapeulicos: o Iodureto de Potassa c o Proto-Iodureto de ferro, lendo
obser?ado que debaixo de sua infJaencia, o primeiro perde sua aeco irritante, e o
segundo seu cffeito adstringente.
XAROPE DEPURATIVO
De caicas de laranjas amargas com le-
dureto de potassa.
O iodureto de potassa, administrado cm
solucio on debaixo da forma solida, causa ao
docnte urna grande repugnancia, ou determina
accidentes que o torci & renunciar a esta
iiirilicacao cflicai.
Unido porm ao Xarope de casca* de laran-
jas, elle nao causa nem gastralgias, ero per-
lurbaco do estomago e intestinos, e grasas a
este salvaguarda, os tratamentos depurativos
so continuados sem interrupcio, as, affec-
oes escrofulosas, tuberculosas, cancerosas e
n se*wMara e terciarias, mesmo reuma-
thismees, as quaes elle i o mais seguro espe-
cifico. A dose est definida de tal maneira
que o medico pode varial-a a sua vontsde :
0 frasco: 4 fr. 50 c.
XAROPE FERRUGINOSO
De cascas de laranjas amargas com
proto-iodureto de farro.
A anoaciio do sal ferro ao Xarope de cas-
cas de laranjas tanto, mais racional quanl*
que este xarope, empregado s, para estimu-
lar o aperite, activa a secrecao do sueco g-
strico, e per fim regularisa as funeces abdo-
minacs, neutralzaos mos effeitos dos ferru-
ginosos e dos ioduretos (peso de cabeca, pri
sao do vcatre, dores epigstricas) m quanto
Ine facilita sua absorpro. Dissolvido no
arope, elle se toma se supporta fcilmente,
por acbar-se no estado puro mais assimilavel;
c assim pode continuar-se a cura da pallidez,
corrimentos brancos, anemia, affeccSes escro-
fulosas e racbitismo:
0 frasco: 4 fr. 50 c
Os Xaropes de J.-P. LAROZE est5o sempre em frascos especiaes
nunca em meias garrafas nem em frascos redondos). Expedices: em casa
J.-P. LAROZE, rae des Lions-Saint-Paul, 2, Pars.
Ra (Jo imperador 11 38. botica liaiiceza.
AO CITROLACT ir4 o o a
> *HI
ORT ro DE
FERI tu
o M i/i
c B T 5 '
Vcnde-se na ra -.
. .
No armazem de azendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Hria JQuftimddo a. 1S.
Veade-fe osegulnte :
A!!< nrao 11
Ricas laazinhas, fazenda a inelhor que tem vlik
do ao mercado, tanto em gosto como em qiialida-
de, f-elo baratsimo prende 560rs.o covade.
Ditas miudinhas carmeiins, proprias para vesti-
dos de meninas e camisinhas a 640 o rovado.
Cortes de laa com 13 covados, pejo barato pre^
de 6,5.
Cobertas de chita da India a 2J300 e 3.
Lences de panno de linho a 2*5 e 25300.
Pecas de cambraia de forro com i 1|2 varas i
3,5200. ,
Toalbas alcoehoadas proprias para mos o :
dn/ia.
Ricos rortes de l?a com barra Mana Pii a
Percas de platilhas de algodao cam 10 varas,
proprias para saia a Ul.
Alodao enastado 3om 7 1)2 palmos de largara
a 1I00 rs. a vara.
Esteira da India, propria para forro de sala de
*, 5, 6 palmos de largara, por menos prego de
que em outa qualquer parte.
Neste estabelecimenlo tambern se encontrara
um grande sortimento de ronpai feitas, e por me
did-a
Libras esterlinas.
Vende-se ao preco corrente de 95 por
cada urna : na ra do Cre?po escriptorio
n. 15.
Vende se caixes vazios proprios
para bahn.eirps e fiaileirs a 4 $760
cada ara; nesta typographia,
Vcnde-se nro comomftro martimo inglet do
melhor fabricante Chrly Frodshag, afflanrando o
sea regularaento, por diminuto preco : a tratar
na ra Nova o. SI, leja de Francisco Jos Ger-
mano.
H
Apprnvai por varia* Academias t alta
lumndades mtttica*.
O quenecasiona cm g'-ral as mnlcslias abaixo
designadas ti a esla),nacao do sangue ern certas
partes do corpo, 11 qttal prodtir.lda pelos resfria-
ninilo e muilas ur.lras camas cutio deelaro-se
of /I4rum!iii(>, Gol, Ptirntysia, Finques
JBi memOre-t, i"ontiipaciet. Jilegkautiasi* ou
Pettiiih Iiichiitlttx, ct Dores Xcrovsas.
O uto da *OY ELECTRO-MAGNE
TICA din suixesso crito pai a a cura do todas
c'si* ninl:siiis,:si.'iii recorrer st-a ncnliuuia oulra
uldicac5e. lilla ti ni una forma inui manejavel
c piodli/, a ventarle dequem d'ella usa, seos mais
otis c WiWrs resultados. Seo (-ni|iicjo preserva
das molestias cima. Para mais n(nrmar/escon-
ml-te-se a HOlicia que acrniopanlia cada tscova,
DEPOSITO GEBAL
Bi'uUrart du Prinee Eugeitt, !, Part.
Vcnde-se na ra do Imperador botica
franceza n. 38.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrheat
antigs e recentes, nico deposito uno-
.ica franceza, roa 4a Cruz n. 22 ri-
co 3#
ipor francezchegaramriquisslmos ^^ -^ ^
ambarqne, os mais modernos qu *"
tem appareeido, js quaes edito
saia, corpinho e seu competente ^ *****
Grande liquidatfio.
Rna da Iiaperttiiz n. O.
Loja de fazendas do pavo de Gama & Silva
Acha-se este estabelecimenlo completamente
sorpdu de faxendas inglenas, franeczas, allentias e
suiMas, proprias tanto para a prara como para o
mat, prometiendo vender-se mais iurato do que
em oulra qualquer parte,princispalinlnte sendo era
porcao, e de todas as fazendas do-se amostras,
deixando (icar penbor, Qumandam-sc.levar em ca-
sa pelos caixeiros da oje do PavSo.
Vestidos soutambarqne.
Pelo ultimo vapor francez chegaram riquisslmos
vestidos soulam
neste mercado
promptos com
soutambarqne, ludo guarnecido de seda, veludo e
renda. Quem ti ver bom gosto dirija-se loja do
Pavo, na ra da Imperalriz n. 60.
mim MIL VESTI-
DOS.
Na loja do Pavao, a 3^.
e 7^000.
Vendem-se lindissimos cortes de vestidos india-
nos, sendo todos bordados e de lislras de cores e
brancas, proprios para casamento, pela baralissi-
| mo prejo de 3 cada corte por se ter comprado
| urna grande porco, sendo fazenda que vale 6*5,
i ditos Mara Pa, tendo qualro pannos, fazenda
I para o corpo com os competentes enfeites para o
mesmo, pelo baratisstmo preco de 45 cada um,
ditos de todas as cores com as barras bordadas a
crox, sendo cada nm em seu carlio, tendo cada
am todos os enfeites precisos, pelo baratissimo
i preco de 7*5 cada um, ditos com babados muito bo-
' nitos, mas sem ser em carlao, pelo diminuto pre-
i co de 35500 cada um; advertiado-se quo os donos
; da loja do pavo vendem estes vestidos por lao di-
minuto -preco por terem comprado urna grande
quantidade e convir lhe liquidarem logo, na sua
; loja, ra da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
i os vinte mil covados de la.
Grande pechiucha, a S 4
3SO rs.
Vendem-se as mais bonitas lazinhas Iranspa-
! rentes, sendo com lislras e quadrinhos miudinhos,
! e lisas, tendo de todas as cores, assim como pretas
| e rxas para luto, pelo baratissimo preco do 40 o
covado, ditas transparentes com palminbas de seda
! Mara Pa, tendo de todas as cores, e tambern
alrnimas proprias para luto, pelo barato prego de
320 cada covado, isto por haver urna grande por-
cao : na ra da Imperatriz n 60, de- Gama &
: Silva.
Latas e copos com banha Una.
A aguia branca, na ra do Queimado u. 8, rece-
| beu esta estimada banha lina em latas c copos, isso
alem de outras em diversos frascos.
As nioil-Niissimas lazinhas de urna so
cor, a imitaco de
de o Pavo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas lazinhas de cordozinho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem viudo, proprias para
vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissi-
mo prego de 'GO rs. o covado : na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
As lazinhas do Pavo.
Vendem-se ISazinhas de quadrinhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo preco de 280 rs. o covado,
ditas largas multo finas a '400 rs., ditas eslampa-
das, cor segura, padroes miudos e grandes a 320
rs. o covado, ditas transronles enm palminhas
de seda a 400 rs., ditas escocezas a 560 rs., isto tu-
' do para liquidar: na loja e armazem do Pavao,
ra da Imperalriz n. 60.
Os grosdenaples do Pavo.
Vendem-se grosdenaples prelos, fazenda supe-
' rior a 15600 rs. o covado, ditos largos muito en-
corpados a 25400, 2,5600, 25800 e 3*5000, ditos
' brancos, cor de rosa, azul e amarello a 2*5000 r.s
;o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
As novas las garibaldinus a 500 rs.,
na loja do Pavo.
Vendem-.se as mais modernas lazinhas garibal-
' dinas, fazenda inteiramente nova no mercado, sen-
\ do todas com listras miudinhas, e transparentes,
; com lustro a imilago das sedinhas, lendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenla
^ e cor de havana, ele.; isto a S00 rs. o covado para
vender depres-a: na loja do Pavao, ra do Impe-
rador n. 60 de Cania & Silva.
: Os mais modernos vestidos liara Pia,
na loja do Pa>ao, a 168
Vendem-se finissimos vestidos Maria Pia com
os corpinlios differentes, tendo todos os preparse
rom o complenlo smto : na ra da Imperatriz n.
60, loja do I'avo.
tamisinliasa 1$000'
Vendem-se easusinhas com manguitos, sondo
muito bem enfeitadas. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato prego de dez tstoes cada
urna : na loja do Pavao, ra da Imperalriz n. 60,
de Gama & Silva.
Vestidos para meninas.
vendem-se s mais modernos vestidinhos para
meninas, sendo muito bem enfeitados Mara Pia,
tendo de differntes tamanhos, pelo barato prego
de 8*5 cada um : na loja do Pavo, ra da Impe-
ralriz n. 60, de Gama & Silva.
C L. A K i m
>
RUI MO QUE!A1IO I. 45.
Passand o-becco da Congregado segunda casa.
gorgarao, ven-
NOVIDADE
Pereira Rocha 4 C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhadog denominado Glarim Ciromer-
oial, onde o respoitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melbores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes ser5o vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tahe'la-abaixo mencionada; garante-se cbom
peso e boa qoaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arrea do Maranh5o, India e Java a 60, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2800 Figos de comadre e do Douro em ..aixinhas
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600, e em frascos crandesa
24500. *
dem em caixinbas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 10600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino era garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Ararula verdadeira dematarana a 320 rs. a
libra.
Avell5as mnito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 2j>rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinbae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 35000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinbos francezes muito botos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra. .
Sal refinado em frascos de vidro a C00 rs
cada.um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas'a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 6( 0
libra.
Eigos em caixinbas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto' engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velbo de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,
Bocage Cbamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 9000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figuera a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, 70000 a 70500 rs.
a duzia.
dem Morgauxe Chateaulumini de 1851, a 10
a garrafa.
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa
de oilo libras e canastrinlias de 1 ancha
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Mranfi5o a ICO rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. ? libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VI)
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqireira.
dem em garrafes de 3 e 5 gales a 505CU
e 705CO cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10ICO a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, qualidade especial em garrafas mnito
grandes, a 10800 a garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a CO rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vele o di-
nbeiro.
Manteiga ingleza perfeitanoenle flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 8C0 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a titira.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a G40 rs.
Marmelada imperial dos melhores conenei-
ros de Lisboa a 60h rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grznes,
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas finas para sopa: estrellinha. pevide,
rodinha a aletria a C00 rs. a lil?:a e a 40
a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
e Peixt em latas preparado pela primeira arte
decozinha a 10 a lata,
fa
I02OOrs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs. jPaliios de dentes a 160 rs. o mago.
Alm dos gneros cima mencionados le-! dem tle dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos. dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudoser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o melhor possivela
retaltio- 20 e em caixao a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groa.
r o abate de 5 por cento. Passas muito novas a 480 rs. a libra.
'iacos comgomma arbica
dissolvida e pincel.
Vendem-se na ra do Queimado n: 8, loja
aguja branca.
Ra do Queimado ns. 49 o 55, loja de miudezss
de Jos de Azevedo Maia est continuando a
da (vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
; da por todo prego a vista dos cobres.
VOS (lloUflS Garlas de allinetes francezes da melhor qualidade
A aguia branca acaba de receber oulra encom- Grosasde pennas de ayo inglezas da mellior qua-
"idade a 640 rs.
RIVAL SEM SEGUNDO JIACHIMSDEF4riI^T
menda de bonitos e bem encadernados albnns de
capas de velludo, massa, tartaruga c marfim, al-
guns dos quaes com microscopio para augmentar
o tamaito dos retratos, continuando a sercm ven-
didos por pregos commodos na ra do Queimado
loja da aguia braman. 8.
Galanteras para [estas
A aguia branca nao cessa de encoramendar do
a
Caixas de colchetes francezes de superiores quab-
dades a 40 rs.
Grosasde bot6es.de madrepcrola muito finos a56(
e 640 ris.
Carreteis com 4 a oitavas
640 rs.
Resmas de panel de peso liso muito superior
2*5000.
de relroz prc-to fino i
peso liso
Kt Vende-se um grande sortimento de roupa feita
para homens, sendo calcas de bnm branca e de
cor, ditas de casemira preta e de cores, ditas de
meia casemira, paletots saceos e sobrecasacos de
casemira e panno preto uno, rolletes" de todas as
qualidades : na l-jja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
(rosdenapledecor a 10600 o covado.
Vcnde-se grosdenaple de cor azul, branco e pre-
to, pelo barato prego de 1*5600 o covado : na loja
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Panno de linho 1700 rs. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno de linho proprio
para lenge?, toalhas e ceroulas, pelo barato prego
i de 700 rs. a vara : na loja do Pavao, rna da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Economa do Pavo.
Vende-se para acabar, urna porgo do retalhos
de las ecassas de todas as qualidades, e por pre-
gos mnito em conta; quem tem economa qne
pode apreciar : isto na \c[ do Pavao, roa da Im-
peratriz n. 60, de (Jair & Silva,
Majapola a 70000, s na loja Jo Pavo.
Vende-se supenpr madapolao muito eacorpado,
tendo 20 varas cada pega, com 4 palmos de largu-
ra pelo baratissimo prego de 7*5000 a peca, ditos
muito finos a 8*5, 9*5 e 10*5000. E' pechinrha, na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cortes de casta a 30000.
Vendem-se muito bonitos rortes de cassa, tendo
7 varas cada corte, cora esenhos muito delicados
pelo baratissimo prego de 3*5000 o corte; so la
loja do Pavo, ruada Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Corles de chita franceza.
Vendem-se flnissitrios cortes de chita fran-
ceza, com 12 covados, tendo, padroes escuros e
alegres decores fitas pelo baratissimo preco de
4*5000 o corte; s na loja do Pavo rna da Impe-
ratriz n. 60 de Gama 4 Silva.
Caabraias lisas, na loja do Pa\o.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo prego de
4*5000 ti*ndo 8 1/2 varas cada pega, ditas muito fi-
nas a 7*5, 8, e 9*5 a pega, ditas Victoria com 10
varas pelo baratissimo prego de 7t, 9*5 e 10*5, di-
tas- Garrazes fazenda muito encornada, fazenda pro-
pria para forro a 160 rs. a vara on '5600 a peca ;
isto na loia do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de
Gama A Silva.
Cortes de la a 40000.
Vendem-se cortes de las garibaldinas, matlsa-
das e de quadrinhos, tendo \i covados cada corte
pelo baratissimo prego de 4*5090 o corte ; isto na
loja do Pavao, roa da impertrit b- 60 de Gama &
do n. 8, loja da aguia branca.
Ail fino para egom-
inado
A aguia branca na ra do Queimade n. 8, rece
beu glbulos de ail fino e frasquinhos com es-
tencia de dilo para engommados.
Outros enfeites.
A aguia branca acaba de receber por este ulti
mo vapor um novo sortimento de bonitos e delica-
dos enfeites de moldes inteiramente ervos e de nm
apurado gosto, assim pois comparegam os preten-
dentes munidos de dinbeiro e com disposigo de
gastar : na loja da aguia branca ra do Queima-
do n. 8.
Pequeos pentes de tar-
taruga.
A aguia branca na rna do Queimado n. .8, rece
ceben novamente esses pequeos peates de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos e bem feitos tanta estima tem merecido pa
ra as senhoras segurar o cabello quando atado ; a
aguia branca porm avisa aquellas pessoas que os
haviam encommeodado o a quem mais queira
aproveitar a occasio de os comprar continuando
a seren vendidos pelo mesmo prego de i-J cada
um.
Estando brancos ficam pretos
O bom resultado e o rpido etTeito que produz
a tintura de ehromacoma, e mesmo e facillimo
modo de applicar tem se tornado mui conhecldo e
apreciada por todos que usam delia e por conse-
guinte augmentado a cxlrago, pelo que a aguia
branca mandou vir mais o novo sortimento que
acaba de receber constando elle de
Caixas com ehromacoma para Ungir os cabellos.
Frascos com coloricoma para lustrar ditos.
Ditos com hydrocallethrichina para limpar dilos
Ditos com oryhromantina para limpar as unhas
Saboneles brancos para lavar os cabellos.
Pomada callicomiphila para dar cheiro aos di-
tos sem offender a prepararlo feita.
Sapatos de rriarroquim dou-
rado para bailes.
Esses sapatos do grande lom vendem-se nica-
mente na ra do Queimado loja da aguia braia n.
8 a 6*5 o par.
Meias finas para senhoras
gordas
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
"ranea n. 8._____________'
Cylindros para pada
ria,
.Na nadara da ra Direita n. 84 ha para vender
os conheeidos acreditados cylindros americanos
para trabalho de padaria, nltioiaraante eheftdos.
que ha de melhor e mais agradavel, e por isso ac- i Grvalas da liga e de outras muitas qualidades a
ba de receber diversas figuras e vasos de pede1 500 rs.
pedra com fina banha, assim como bonitos frascos j Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
de excellentes extractos e lindas caixinrias de ma-, 80 rs-
deira envernisada com linas perfumaras, tudo i Duzia de botoes branco para casaveques de senho-
mui proprio para presentes de festas etc., havendo j ra a lu0 rs.
dinheirodirija-se o nretendente a ruado Oueima- p0Cas de fila de eos estreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portugufez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 1*5000.
Cartilhasda doutnna ebristaa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes finos de marfim a 1*5000, 1*200 e l*5o00.
Pares de luvas de seda para bomens e senhoras a
500 rs.
Gollinhas para senhora o melhor que lia a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
1*000.
Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordo branco para esparlilhes muito superior, l
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Cartoes com 200 jardas de linh;. branca garant-
d' s a 60 rs.
Grosas de pennas de ago superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
lhas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, oh que pechincba a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de betoes de louga prateados muito fino a
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a 500
ris.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de segnranga a
160 rs.
Caixas com 100 envelopes o melhor qne ha a 640
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, moitr
Ino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo mnito fino a 20 rs
Boa eserava.
Na ra dos Pires unto a caixa d'aguia t. 62 ha
nma excellente eserava que cozinha o dia io de
urna grande easade familia, mnilaaceiada. rriou-
la, de 38 annos, muito fiel, e com mais habili-
dades.
Vinho do Porto engarrafado
Vende-se superior .vinho de Porto denominado
D. Pedro V e ralnha de Portugal, em caixlnhas de
urna dnzla de garrafas; na rna da Cadea do Re-
ciff n. 66, armazem de Ferreira A Matheus.
Farelo de Lisboa;
Vende-ae superior trelo em saceos grande?, e
por prego commodo, vindo pelo ultimo navio : na
ra do Araorim, armazem n. 50._______________
"Vinho da Madeira a do Porto
Vende, seosnperior vinho da Madeira e do Por-
to, em'raixas de urna e dnas duzlas : s na loja
do Vigilante, rna do Crespo D. 7.
~Vmho de Porto.
Vende-se superior vinho do Porto, em barris de
vigsimo, em casa de Ferreira & Matheus, na roa
da Cadela do Reclfe n. 66.
de jabalhar mo pnra
(lescarocar aEgodao
FABniCADAS
Por Plant Brothers & C.
OUMI
E-t3' mar. ir-,
podeiniitjc
mal |iur >
de aleoU.r m
estragar o c,
sendo bltlt
daM|Bs\woas par
o trabalho; pMa
descarocar urna
arroba 'de algc-
do em careco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 8 ar-
robas de algodi*
limpo.
Assim como machinas para sere.i movidas por
ariimae?, que descarogam 18 arrobas de algedo
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender nm bell?sin
por que pode fazer mover seis deslas machina*
mencionadas ; para o que convidase acs Srs.
agricultores a virem ver e examnalo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
Saanders Brothers fc G.
N. II, praea do Corpo ftani
RECIFE.
Os nnicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barater
conhecido j como tal, est dispondo da fazenda
por todo o prego para apurar dinheiro, qnem qni-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o segninte :
Baralhos de cartas para voltarele aDiU)
finasa............................ Jj*
Miadas de linha froia para bordar a___ 20
Pares de sapatos de iranga de todos os
lmannos e tipos a................... l*5o(f
Massos de.superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz soperiorrs a. ..
Libras de ara preta muito superior a .
Frascos de superior macaga oleo a___
Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa mnito fieos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua.de colonia superior, garan-
tida....................... ..-.....
Ditos de banba muito fina a............
Ditos de ebeiros muito finos para o prego
a ris.............................
Saboneles de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............77..............
Novellos de llnba com 400 jardas a......
Carritis de linha de c<5res com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gai de todas as co-
res a.............................
Pegas de fitas elsticas con 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris..............................
Varas de blcos francezes, superiores a...
Opiata para denles da melhor que ha ..
Frascos de agita, para dentes, superior a
'todo a............................
Pecas de lu.uga pela i ta .. : :
Caixas com 4 papis de agolhas Victoria a
Varas de fita prela cor coixetes a......
Libras de la sorlida de tollas as cores a
Bonecos je choro muito bonitos a......
Caixas de obreias de ma ssamulo novas a
Varas de franja branca e deires para
toalhas a.........................
Frascos de oleo Phiiocomescopenor a...
gitos com soperior tinta a320 .........
lixas de linha de gaz rom SOnoveos a
Enfiadores para espartilho .........
Daras de bcxdes encanutaos para vesti-
oi a...............................
?0
2tO
IfO
lio
tco
580
4C5
640
600
409
O
60
30
140'
200
400
40
ix-o
1,5(00
rr,
'. <
4
6*300
IH>
40
M
600
500
800
100
JO



'


alarlo le Pert.art>W Tre ti*a 3 Je Janeiro de f S
?
NEM CORO AS NESI MITRAS
AURORA BRILHAKTE
*T^*
GRANDES 4RMAZENS
DE
MOLHAM)S

E
GRANDE ARMASEM
I? Largo da Santal
ffCnu ns. 42 c 84 j
ttesijuina da ra do
Cebo.
ir
especia.es
Jl? Largo da Santa!
gjCruz ns. 12 e 84,j
ggesquina da roa doj
^ebo.
O dono dos j multo acreditados arraaiens de molhados denominados Aurora
ruante, acaba de recebar de soa propria encommenda, rauitos gneros delicados
praprins da presente estacao, e tendo grande sortimento comprado aqui,aOanca que todos
os seus gneros sao de >.* qualidade.
A seguate tabella servir a todos de base para ajuste de tontas aos por-
tadores.
Nenhnm armaiem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
rilaante, j pelo grande sortiraento que tem, j mesmo por sen dono se acbar encona-
modado era sua saade e ter de vender una de seus armazens agora, e o outro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna quadra destas para se comprar
barato.
Latas rom 8 libras de chouricas muio novas,
a 7*500.
Ditas grandes cora peixo em postas inteiras,
nun de t qualidades, a 1,5000, 15280 e
Ditas com ostras, uxcel lente petisco para fre-
gidoira, a 720 rs.
Ditas com ervilhas novas, ensopadas, a
720 rs.
Ditas com favas, a 640 rs.
Bitas com ameias a i00, 1,5800 o 3o00.
Ditas com marmelada do afamado fabrican-
cante Abreu, a 880 rs.
Ditas de massa de (ornato, a 500 rs.
Ditas com ligas de comadre, novos, a tfioOO,
U e 25300.
Bitas com bolachioha de soda milito novas, a
aMOO.
Ditas com biwoltinhos ingieres de muitas
qualidades, a 13WW.
Chocolate.
Chocolate superior muilo novo, a libra a
15280.
Macarrfto telharim e aletria araarella.a libra
a iSO rs.
>ita dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caitas com estrelinha, pevide e outras mas-
* tts, a r.aixa 35500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra a 240rs.
Ervilhas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs. "
Tapioca inulto nova, a libra a 280 rs.
Kan.lii de ara ruta verdadeira, a libra a
OOrs.
Arroz do Maranho, em sacca a arroba a
25400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a
libra a 100 rs.
Toncinho de Lisboa a 95500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dito de santo*, a arroba "5000 e a libra a
2S0 rs.
Molho* eom 12-j sebolas grandes, a 15280.
desurda franceza caixa cora 2 duzas a
83O00.
Frascos com mostarda preparada em vina-
gre, a 400 rs.
Ditos hu conservas inglezas e francezas,
a 640 e 800 rs.
Ditos com sal refinado fino, a 640ea.j00
r3.
Ditos com a verdadeira genebra de laranja
a 15200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
1500).
Ditos de 1 garrafa de Hollanda verdadeira,
a 640 rs.
Botijis com dita propria para negocio, a
400 rs.
(iarrafoes rom 2 galdes com dita, a 65000.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 65000.
Vinho miscatel de tetaba, a garrafa a
15d00.
Marrasquinho verdadeiro, fraseos a 800 rs.
e a 3200.
Champagne, a duzia 205000, c a garrafa a
25090.
Azeite refinado portaguez e francez, a gar-
rafa a 15000.
Caixa de vlnho Bordean* muito superior, a
73, 85, 93 e 103 a caixa.
Ditas com dito branco, a 75000 a caixa.
Bitas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 205 J.
Ditas cora dnqne do Porto verdadeiro, a
18*000.
Ditas com chamisco superior, a 14*000.
Ditas com Porto velbo e outras mullas mar-
cas, a I25O0O.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
' 720 e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bem, a caada a
35200, 35500 e 43OOO, e a garrafa a 500
e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguintes marca, (.>.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
45">00 e a garrafa a 560 e 640 rs., desle
qim j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazcm.
Ditos de marcas mais deseonhecidas, a cana-
da a 35500 e 45OOO e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 35500 e a garrafa a 480 rs.
Gemma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 35000 e a aura
ion .
Sabio massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Parjnha.
laceas grandes com farinha de Goianna mui-
to nova, a 55000.
Cafe.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,
85500 e 93OOO.
Cha.
Cha temos uestes gneros o melhor possivel,
hysson, a libra a 2*600.
Dito perola a 3*000.
Dito uxim a 25700,
Dito hysson muito lino a 2*800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 2uiw.
Dito mais baiio a 25000 a 15000.
I'.rva mate.
Encllente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermaceti1.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
PtlSSSS
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prlas para mimos a 45 o 2$500.
Nezra.
Nozes, a hbra 100 rs e arroba a 45000. # |
Alpista e pataco.
Alpi*ta e painco, a arroba 45000 c a libra a
160 rs. s ,
Cartas.
Cartas finas parajogar.aduzia a 25500.
Caslauhas.
Castanhas novas vindas neste vapor, a arro-
ba 45000 e a libra 200 rs.
Azeilonas.
Barns eom azeitonas novas a 14500
Manteiga.
Manteiga flor, a libra a 1*000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos rovos viados neste vapor a 35200 e
35500.
Ditos londrinos muilo novo?, a libra a
1*000
Papel.
Papel almajo pautado, a resma a 45800
Dito dito lizo de linho, a resma a 45500
Dito de peso lizo e paulado, a resma a
25500
Dito de embrulho bom a 15 e 1*200.
Viuho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15300 e 25.
Temperos.
F0IIU3 de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 4"0 rs.
Velas e carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
489 rs.
Aaendoas.
Araendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boiSes de-graxa a. 97 a 25600, e
de latas a 15000, e os boi5es a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos*
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caixas e raeias
gcaixas.
RA DO IMPERADOR iV. 40
Jante m sobrado em qae mora Sr. 0.'borne,
Dnarte Almeida de C. receberaan de ana propria eacommen
da o mais linde variado orlineuto de molhados, proprlos
da presente estaco.
Manteiga ingleza Ma$as brancas
da safra novavinda bo ultimo vapor a 1,000para sopa a melhor que se pode desojar,
rs. a libra eem barril a 600 rs. macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 45500 a caixa.
Vinko
Figueia J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
24800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
canos da cidade do Porto a 1$ e 1200
a garrafa e de 105 a 125 a caixa, as mar
atjalo as seguintes: Chamiseo Filho, |
F. M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muiloi.
Latas
com {0 libras de banda a 45000.
Bolachinha iagleza
a 15800 a barrica da mesma que
vendem a 25000 e 25400.
Nozes
as mais novas do mercado a 420r* M bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesj de todas as mai
cas de 45500 a 65500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thora Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
de 1.a e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 855#
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Oarrafes
com 4 V garrafas com vinagre a 45000a
0 garra fao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de 14*060
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 55800 com
42 frascos.
GENESRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gar. a 2,2oo a groza
e2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a 40,000 a caixa
com urna duzia e a 4,000 a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muilos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a libra. .
ARROZ
Maranho, Java e India, a leo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba era caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muilo novas
em quartos e inteiros a 25 o quarto e 65500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 440 rs. o pao.
-Frntas era ealda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da yoiaba
a 600 e 15 ocaixae.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 35500 a ar-
roba e 140 rs. a libra na roa do Qoei-
m&don. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
do Carmo a. 9
BOLACHINHAS
Manteiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Ameiidoas
oonfeitadas de lindissimas eom a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
25400, muito propios para mimos,
CartSes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 15300.
Chocolates
de todas as qualidades a 15000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambera
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 25600.
Queijos
ebegados no ultimo vapor a 3fiM*0O cada um.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 15200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que ostro
qualquer nao pode vender por menos de
35 a 25600.
dem perola
especial qualidade a 25700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 25600.
Massas amarellas
para sopa, macarr5o, talharim e ajetria a
480rs. alibra. 4
cocjvac *
o muito afamado cognac Pal Brandy a 4,800
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
cepo
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada ura.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo. a 4,5oo a resma do me-
. lhor.
Papel de boles
de excellente qualidade a 25200 a resma",
PAPEL
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra.
Vinagre v
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista o Painco
o mais novo do mercado a 1 io rs. a libra,
e 45400 a arroba. i
CEBLAS
muito novas a 45000 o cento na ra do Que-
mado n. 1, ra do Imperador n. 40 e lar- '
go do Carmo n. 9
CRAODEBICO
muito novo a 35400 a arroba e 440 rs. a li-
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
A 4S 0
Pechincha sem igual
Lindos cortes para vestido de percales de cores
elaras e escuras com grande variedade d padres
pelo baratissimo prego de 4$ o corte : na loja das
g lumnasrua do Crespa n. 13, de Antonio Cr-
rela de Vasconcellos A C.
Folha d Flandres.
Tende-se ia fabrica s-tmM&a do .Carnea (a.
8, es do Ramo, superior (Iba de Flandres: (a
ver e tratar aa mesma fabrica.
MASSA
Veade-ie potasvi c barril a' cammodo pwso c
aa ra da Crn a. 23, priomro. aoiaa. asoripwrt^
da Asman de Altneida Games.
LTKXtftO TZBDX.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo d nwptoita de
todas as qualidades, tambem se manda aier pot moaida, a vontadoMWO Omcor-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades,' para aemoras,
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 355 e 3O5O0 Ditos de setim preto. .
Sobrecasacas idem, 3H e 25^000 rjtos do Utos a sodabraaco,
Paletos idem e de cores, 255,
205, 455 e......
Ditos de casemira, 205, 455>
IO5OOO
e
65
Ditos de gorguro de soda
preto e de ores, 0# # o
425, 405 e...... 75O00 Golletes de fusto e brm Bran-
35500
Ditos de alpaca, 55, 45 e
DiWi ditos pretos, 95, 75,
55 4# O ...--.
Ditos de brim e ganga de co-
rea, 45500, 45, 35500 e. .
Ditos branco de linho, 65,55 e
Ditos de merino preto de cor-
dao, 405, 75 e ... 55000
Calcas de casemira preta, 425,
405, 85e. 75O00
45000
Ditas de cores, 95, 85-o.
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e.....45000
Ditas -de princeza e merino pre-
to de cordao, 45500 e. ,
Ditas de brim brance e de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Colletes de velludo preto e do
WOOOj
15000;
45OOO*
500
25000
45400
91500
4|60O
8|500
a#ooo
Ditos de sol, de seda, 425,
415, 75 e......6#0O0
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
tas.
25500 Toalhas parroste, duzia, 115,
co, 35500, 35 e .
Seroulas de brim de linho
25400 .
^ Ditas de alodio, 45300 o. .
u Carmeas de peitos de linho,
45, 35 e......
Ditas de madapolo, 25500,
25e........
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 405, 95 e.
75000; Ditos de filtro, 55,45,35500 e
450001
25500!
65000
I
65000
! e........
cores, 95 e......75000 Chapeos deso, de alpaca, pro-
Ditos de casemira preta, 55 e 45000 i tos e de cores.....45000
Ditos de ditas de cores 55 'Lancees de bramante de linho. 35000
45 e........35500 Cobertas de chita chineza.. 25500
DE
bra na ra doQueimrdo n. 7, ra do- em latas de defferentes.qualidades a 45200
Imperador n. 40 e largo do Carmo 9.
QUEIJO SUISSO
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do chegadosneste uitimo vapor a 25800 na ra
Queioaado n. 7, ra de Imperador n. 40 e do Queiraado n. 7, ra do Imperador n.
largo do Carmo a. 9 40 e largo do Carmo n. 9.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
freguezes eamigos e ao publico em geral, que para facilitar a comraodidade de todos es-
tipularan! os mesmos precos nos seguintes lugares:
O Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
N0VIDADES.
Queijos do lentejo. ditos das ilhas o mais fresco que so pode dese-
jar a 15200 a libra, e sendo inteiro ter algum.arJalimhto, ricas caixinha*
rednndas enfeitadas, proprias para mimo da festa pelo barato prco de 45
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para raimo de 800 45500
cada urna. Vende-se nicamente no armazom Verdadeiro principal, ra do
Imperador a. 4.
DE
J. VIGNES.
IV. 55. RA BO ini'IRIDOll W. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz coshecidos para que seja necessario insistir sobre x
sna superioridade, vanlagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontestt-
veis que riles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; odo-
suindo um telado e machim'smo que obedffem to*ts as vontades e caprtetfos das pianistas, sem-
nunca falhar, por seTem fabricados > proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos imporua-
tissimos para o clima deste paiz ; quaato as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. .
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pans, soc
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expasices.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado aortimento de musirs dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos baraonicoa, sendo tndo vendido por
prec.es commodos e razoaveis.
CONSULTORIO JIEinCO-ClRUGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTGinO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundfto 3
0 Dr. LoboMoscoso d consultas gratuitas aos pobres loJos os das das_7 j? 1
horas da manhaa, edas 6 e meias 8 horas da noite, excepcao dos^ dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo censultorio ha sempre o mais appropriado sortiiaento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisac5es e petos procos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
> de 24 tubos grandes. ... 186060
de 36 tubos grandes. 245000
de 48 tubos grandes. ." 305066
de 60 tubos grandes. 355000
Prepara-se qualquer carteira coDform* o pedido que se Gzer, e coa ora:UJli
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura demeiaonca 15' 00.
Senda para cima de 12, custaro os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina HomeepathicodoDr. Jahr,
dons grandes volumes com diccionario............ 203000
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 405000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 65000
Diccionario de terraos"de medicina......., 35000
Os remedies deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
te de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desojar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acreditado
estabetecimenlos europeos, a mais exacta e aecurada preparado, e portento a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-Th* qualquer
operacao, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O tratamento feo melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, a
funecionano a casa a mais de quatro annns, ha muitas. pessoas de cujo conceite se n3o
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 25000 por dia durante 60 dias ed'ahi em dfatite 15500.
As operaces serio previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
azoavels que co3tuma pedir o annunciante.
GAZ GAZ GAZ
Vride-e gaz da melhor qualrdide a
1 i5- a lata : nos armazens da ra do Im-
perador o. 46 ruado Trapiche Novo .'%
Iffiilli
i saparior viaho do Porto em caixas de -
: en eaaa de lohnston Pitar 4 J* ra ,di
Superior cal de Lisboa.
Vende-se superior cal t j lahQa a mais nova
que ha no morcado, tanto em p/>r{5e como a reta-
lho, por barato pr:v-. aflangana-se aos compra-
dores upericr qnaltdade: a tratar ms segBir.ics
mas : Crespo n. 7, Imperador a. Si, Forte do Ma-
tos, armazera da-*1. A villa, defroate trapicho
algodao.______.. '
ViiKo i!PiHf fwltr
en aarrts do ojtava e flecimn. veade Aatonio Lniz
\6 Albuqderque AzVed C: ta sea eseriptorio
ra i&Hit
14~Rua Direita-14
nica depesito do rap imperial do fahricante
Isaac Esoaty ; affla?a a sna boa qualidade e ser
superior an rap de Lisboa e ao rap aria preta, a
prova faz f : vende-se a retalho a ti a librare
em porgao de fO libras para mais'a 8G0 rs.; tam-
bera abre crdito ao compradores em conta cor-
reaje._________ ____________"^
Vinko do Porto especial.
O mais generoso ef?enuino vioho do Porto, mar-
cas novas e especiaes, em caixinhas de t garra-
fas, sendo marraRainha de PortnRal-a 18*000
a rana, e marca Pedro Va 16; em porcia
far-se-ha Hift. abate razoavel : no armaiem de Fer-
relri A Matheus, juato ao arro da Ccncetaon.
66. No mesmo armacem ha tambem exeeilente
vinho do-Porto etft ancoreras de 32 garrafas a 304
cada' urna, e em porcao por m^no alguma consa
Para parlara.
Na nadarla lia roa Direlta n. 84 h para vender
multo hons hlalos viudos do orto, proprios para
carregar bolacha.
V*dem-6a etarutqs da Bahia da varias-qua-
lidade pattw a. 48. __________
Tunde-** ama boa casa' terrea na roa da
(otedade a. 44. ce O quartos, 9 sal as, cosmha le-
ra e bom quintal : a tratar na ra da Imperakiz
b. 6 ou no Mondejo n. 14.
Voto depoaUo de saao.
Acha-se aberto um novo deposito de sabio aa
ra do Ranuel n. 34, na antiga fabrica italiana,
aonde os freguezes encontrario completo sorti-
mento e sabio da todas aa qoatioades ; assim co-
mo a vantagem qne encontrun para abreviaren a
qualquer fregoez por ser oauito parlo, a a diaaa?
to carreta que tem de paearem.______________
Vende se papel para torro de sala, e ricas
guarnic5es por meses pree/> que ootro qualejaer :
na ra do Cahuit, loja de miadezas a. 9.
Vende-se
um excellente carro americano com 4 ro-
das e arreios para um e douscavallos sen-
do muito manejo e leve, o qual tendo ai-
do todo reparado de novo se acha no me-
lhor estado de perfeico e asseio: a tratar
com Antonio Jos Rodrigues de Souza na
ra do Crespo n. 15, das 40 horas do dia at
as 3 da terne.
h >. .. 'r"v __
Assacar crjslaltsano da fainca :
2 de Julho
Na Babia.
Narmazeat d. roa da tfare de. Dees a ,
ha a renda rf.nlto superior assuear crrstalijaaV,
em saceos e 1 arrobas, ao praca de 54 cada ar-
ro.
-

'
aaaaa




Diaria 4e
-
T*r< leln 3 ie JMtlro J 1S5
MAGNIFICO
SORTIMENTO
DE
miivmii:
ARMAZEM
DA
AO PUBLICO
%
60
RUJL MOVA OO
da Boa Vista.
Casa da esquina junto a ponte
MUITA ATTENQSO.
Sem o menor constran-
glmento se entregar
Importe do genero %ne
nio agradar.
MAZEM
AHNC10
Os precos da seguate
tabella para todos, po-
deudo assim servir de ba-
se para o ajuste de eontas
eom os portadores.
AGENCIA
DA
RIJA A CARKBA EiO RECIFE M. 53.
i*
(Logo aassaado o are da Contric)
Grande rednccSo de precos, equivalente a dez por cento menos do que outro qnalqner
annunciante.
Parece tavel lico se achara bastantemente convencido de que a Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de oulros
AiiWta deste imoortante estabelccimento tem sido sempre c?racterisada pelo maior rauitos objeetos, etc., dando com sio ocasio a todas as espeluncas ncabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
om\ ecaoricho nao s com relaeao ao asseio, superioridade das mercadorias, como alta-voz, .que podem vender pelo preco que eu vendo!!! Ora, eu ofendido com estas obscuridades e receloso em adoptar o mesmo
nHirirprirtado d trato e maneiras attenciosas dos empregados da casa para com todas systhema que vim encontrar, des se vender com um por cente a carola, resolv-fazer esta giande reducto de presos, como veris
m pHas nessoas aue se dignam de frcauenta-la. Pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo mea bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
Muitis senhoras pernambucanas e eslrangeiras, cujo trato ameno e delicado n5o se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de !,4oe a l,Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
individuo no recinto de um estabelccimento da ordena esto obrigados, encarando todos os "dias de seus fregnezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
GHSTIi LOW-MQOB.
Ruada Senialla nota n. 42.
Neste estabelecimento continua a ha\er
am completo sortimento de moendas e mr.a
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todo* oa
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas [ara
lavar roapa: em casa de S. P. Johnsiou C.
ra da Senzalla Nova n. 42.
mmmm?mm,wv
m abnca Concedo da m
1 Baha.
Aniiracl,e & Reg, recebem consianle-
mente e tem venda no seu rma/cn n.
34 da ra do Imperador, algodao d"a(nel- mj
a fabrica, proprio para saceos de assu- H
car, embalar algodao em pluma ele., etc., jgQ
pelo prejo mais razoavel. '
pode ser concedido a qualquer
da Liga tem vindo possoalmenle refazer as suas despensas nesta casa e
satisfeitas.
voltado asss
al informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
t3o smente obter a concorrencia de seas freguejes.
Para bem de todos.
seniDre de escravos einunagauos, uuut tuum su jugaudo m iv^v..u. i ___*:
O imnortante e magnifico armazem da Liga se acha felizmente muito fra Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptidao e entei-
condiccoes E' necessarro v-lo para bem se prestar crdito a nos*as palavras. reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mcsmo certosde que sem duvida rae daro a protecclo e preferencia na compra
\ mercadoria nunca ser bem comprada se ella n3o fr de boa qualidade. des gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderlo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, pois
sobre este ponto que chamamos a atterxjo das pai6oas que nos quizerem honrar com serao t5o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommeudacao, afim de que nao vo em outra par te
' preciso fazer desapparecer desta importante capital estas nojentas tascas cheias
de escravos embriagados, onde as chufas sao jogadas sem respeito.
e magnifico armazem da Liga se acha felizmente muito fr
Ra da Senzalla Nova a. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tac i<
ferro coado libra a iiOrs., idemd cLov
Moor libra a 120 rs.
a sua fregnezia; porque o nosso grande estabelecimento se acha completamente prov- Mmtegfl ng|eza (safra noya) espeda|ment8
parle fbram comprados a dinheiro
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz aba tmenlo,
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5o rs.
do de superiores gneros, que em sua
vista, e recebidos directamente de Londres, Pars e Lisboa.
Ninguem se acha entre nos com mais proporces para vender barato.
As pessoas que comprara para negociar, fariam muito bem fe quizessem se cer-
tificar do quanto havemos expendido pro.urando afreguezar se com nosco.
N5o duvidamos vender a crdito a quem nos der conhecimento de sua probidade. Chhysson de super0r qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
Amendoas confeitadas em irascos de ridro, ditas com casca mole
e dura Ameixas rancezas em frasees de vidro, ditas em latas,
ditas em caribes, ditas a varejo =Alptste e minio miudo.As-
sucar refinado lino, -dito baixo. Azeite doce em barril, dito
em boies. dito engarrafado, dito francez e pertuguez refinado.
. Arroz do Maraohao, dito de Java, dito da India, dito de Penedo.
Azeitonas de Lisboa, dita do Porto Banha de porco em barril
dita em latas.. dUa refinada em barril e latas. Batatas emgigos,
dita em caixas, ditas a rarejo.Bolaxinhas finas de diversas
qualidades, ditas de soda, ditas para lanche, ditas americanas.
Biscoites inglezes, Mixede, Medum, Cabim, Seed, Soda, Cuddy
Cracknel, oval Thim tapitam e outras mais, ditas de lerte de
Edimburgh, etc.Caf do Rio de 1.a, 2.a e 3.* qualidade, dito
miudo.Cha, o que ha de melhor existe era nossos armazens.
uxira, miudo, dito hysson de 1.a, 2.a, 3.* e 4.a qualidades, dito
preto horaeopathico, dito commum.Charutos Mnssissipis, ditos
Panetelas, ditos regala imperial, ditos suspiros, ditos delicias,
ditos Napele5es, ditos Parisienses, ditos apraziveis, ditos lancei-
ros, ditos imperiaes de diversos fabricantes. Chouricas mou-
riscas deLi-boa, ditas em latas.Chocolate de diversas qualida-
des e de diversos fabricantes. Cerveja Basse, dita Victoria,
ditas Alesops, dita tenenle, dita H, dita XXX, dita em barril
branca e prela.Conservas inglezas, dittas rancezas, dittas ali-
menticias.Cevadinha de Franca. Chanpanlia superior de di-
versas marcas.Cognacioglez, ditto francez. Ceblas de Lis-
boa em molhos, ditas em resiias.Copos lapidados para agoa
ditos para vinho. Doce de calda em latas de diversas qualida-
des, ginja, alperch, pera, pecego, doce de goiaba, em latas ditos em
caixes ditos em frasco de calda de assucar, dilos de cognaek.Ervi-
lbas em latas, ditas em casca, Mas sem casca.Espermacete de Se 6o
maco.Figos em latas de 4 e 8 libras lindamente enfeiladas, dilos em
caixas grandes e peqcenas em barril. Farinha de li-feo de diversas
marcas, dita de araruta, dita do Maraho, dita do AracatyFumo
do Rio em latas dito em rolos, dito em lata (do Har) para cigarros
Genebra ingleza marca gato, dila dita em fro.-cos, dita de II llanda em
frascos, dita dita em botijas, dita de Ilamburgo em frascos, dita em bo-
tijas, dita em garrafes.Gtaxa em latas.Limonada de diversas fruc-
tas.Licor ngle, dito francez, dito allemo. Manteiga ingleza flor,
dita de 2.a qualidade, dita de 3.a, dila de 4.a, dita franceza de 1.a qua-
lidade, dita dita de 2.aMassas para sopa, macarrao, talharim ealelna,
dita estrellinha epevide branca eamaieila.- Marrasquino de zara de 1.a
qualidade, dito 2.a dita, dito 3 a dita. Maimelada muito fina.Molho
inglez, dito francez.Mostaza ingleza, dita iranetza.Presuntos in-
glezes para fiambre, diios americanos, ditos doPoito para tempero,
dito de Lisboa. Passas de Malaga, ditas de Corinlhias para podim.
Pomada do P rio.Pimenta do reino. Peixes em Mas, tavel, curvi-
na, pargo, espada* congro, chermy preparado pelas melhores artes de
costaba.Papel greve branco, dit paulado, dito aloiaco, dito de pese,
dito amarello Palitos lixados para dentes, ditos ditos com flores, ditos
americanos, ditos do gaz.(Jueijos inglez e londrino, dito flamengo dito
prato, dito suisso.Rap Meuron, dilo francez Sal; me em latas de 1
libra o melhor que aqui tem vindo. Sardinha de Basse, dito de A.
L'Auile. Sanio nacionol, dito massa e nao massa, dito inglez. Sal
nacional, dito inglez a varejo, dit" em vidros. Toucinho d. Lisboa e
Porto, dito de Santos.Tijolos pai a limpar facasVinho:-, nesie gene-
ro os nossos armazens lem o melhor soitim^nto que se pode im-ginar,
duque do Porto, lagrimas do Douro, Cundes, Bocagc, Maria Pia, D.
Luiz, Pedro II, Malvazia, Madeira, Cherry, Bordeaux, ludo engarrrf do
Prevenimos o publico de que no armazem da liga so tem vinhos engar-
rafados no estrangeiro, dito em pipa do Porto, Lisboa, Figueira e de Setena
dito em b rril de todos os pi/es, dito em ancoras, dito chamissoifialT'
to proprio para casa particular em barrilinhos com 160 gairafas por
preco a satisfacer o mais exigente comprador eaqnanto qualidade
garantida por nos e pelos seus importadores, dito em caada por pre^o
baretissimo, dito branco para missa.Vinagre puro de Lisboa, dito ham-
burguez, dito em garrafoes. Vassouras do Porto, dita6 americanas.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem buxim o melhor que se pode desejar
oeste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, buxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao queso vende em outra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-so seris superiores aos que vern
em barris.
Chouricas e paios em barris de raeia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l.Soo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a ,2oo rs. edo vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latas j pre-
paradas a 6io rs.
Marmelada Imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
Bosta,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
I.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-1
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8ee
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranbo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem dalndia muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paincp e alpisla a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a Soo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propiamente
feitas para esse tira.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 48,ooo rs.
Antonio de Lisboa em latas eom 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs. #
Ameixas francezas em latas dele meia libra
por 1,Soo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e*l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a o2o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em, potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sepa a Soo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 1 ,ooo rs. e 11 ,ooo a duzia-
Palitos para dentes a l4oe 16o rs. o mago.
Sal refinado era frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
ymfr^.'rJ*' 'y-'- :_
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, 'Cerveja branca e preta das marcas mais a-
ioqeSeo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo, creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
3,ooo e 3,8oo rs. I 5,500 a duzia e 48o rs. a garrafa.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-(sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
dade a 4oo e 5oo rs.a garrafa, emeanada I sevadinha de Franca muito nova a2oors.
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa do 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGennino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. ea 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
da, salm5o, ostras e chernee, vezugo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
cado a 2,8(>o rs. a barrica,
libra.
e 24o rs. a
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chegaram es modernos restidos de dentelle de sed com barra, inteiramenta novos
em gosto e qualidade : a loja das olumnas,naraa do Crespo n. 13, de Antonio Correia
de Vasconcellos k C., snecessores de Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos de seohora
Superiores orles de seda de-cor, de moriante, de gargorao e de selim imperial.
Dilos de blond, e de cambria branca bordados.
Ditos de Iaa com barra o grande variedade era cores e padrSes.
Ditos de organdys com barra
Liadas sedas de ijuadros escosseza e miadas.
Superiores las lisas wm grande rariedade fa cores.
Ditas com sabpicos, com llores e de qnadroOW
Lindas pampolinas de quadros e de flores fazenda inteirameste nova.
Superiores cassas.de cores, e lindas canbraias ergandys.
Grande rariedade de chita de cores, de.percalia o outras muitas fazendas de gosto.
Para hombros de senhora
Lindas capas e bournoux de casemira de cor.
Ditas de la e de seda. .
Grande Triedade de soofembarqnes de seda de 18* a 40*. ,
Manteletes de soda.
Superiores basquinas.
Superiores chales da seday.de merino estampados finos, de cacbimira com listras do
seda e do fil broto. ,
Camkinfca* motfernas, maro* brarrcos s de cores, colletes cambraia, lnian gol-
linlus coa paahos>tttMs Para cabeca de senhora e lili
Superiores chapeos e cl)afllinas de palba de Italia enfeitaae* para seoiora.
Dttoo 4o feltioieiHM pisa awoora.
Ditos do palba oofeitados pata meaiao.
Grande sortimento de eateites modernos de retroz, de froco, de cabello o de loros,
para setihora. ,.
Na lojo das eoloBMas da n do flWpo n. 13, do Autopio Correia de Vascoueel-
lo? & C.
6,000, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade supeiior, quo outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em \ Figos
frascos grandes a 1.000 rs. o Irasco, c
ii.ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes 4oo
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4no rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras,
de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs.a caixa cem 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
Charutos de todos os fabricantes da Bahi a e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixoes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a^32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras pbr
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas porl,2oors.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
NOVA YORK.
DE COR CHBIRO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais eDcazes do que todos
os mais remedios perigosos e nauseabundos
que existem para a expulso das lomb gas-
Nao causam dores e produzem seu enVtn,
sem precisar logo depois de |nu gante ne-
nhum e to incitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as cri; ncas estao
promptas a tomar mais do que marca a re-
ceita.
Uteis como um excellente meio de f3ztr
remover as obstrueces do ventre, mesmo
no caso de nao existirem verme algutu. as
PAST1LHAS YERMIF1GAS PE HM Sao prome-
tas e infalliveis na sha operacao e por todos
os respeitos dignas de confianca e approva-
q3o de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & Kemp,
Nova York.
Vendem-se no Recife em casa de Gaon 4
Barboza e Jo5o da C. Bravo A C._______
Vende-se doce de caj secro e ce tersa).
mais barato do que em ontra imalouer par!, t.n-
10 a retalho como em grande porcia, prott-#
de enrommendas para fra da pn-vircia ; ora
precisar, dirija-sea ra Augusta n. 6L a ojMcjpn
hora do dia._______________________________
Queijos do Alentejo
Chegcu aos armazens da Aurora Brilrar".
largo da Santa Cruz ns. 12 e 64, os vefftdtiros
queijos do Alentejo muito frescaes, a libra a ia,
e esleirs a 900 rs._____________________
Livro do Povo.
O livro do povo, obra ornada rom Man as, n n-
tendo a vida de Nosso Senbor Jess Oirit<>, e mul-
los arligos uteis. Ete livro das familia-re>;n-
mendado eapprovado pelos Exm<. -r<. D. Wii
hispo do MaraBho e D. Manoel arceLi.u-o da Ba-
ha, vende-se a IfiOOO cart-iriado, na livrar:- !e
Jos Nogueira de Soma, ra do Cre-no n. i.___
~Tibras esterlinas
Vende-se quem as qoizer eomprar no mmutm
n. 33, da ra da Praia, se dir quom as vende.
- Vendem-se seis mei-agoas no Campo V
a tratar na ra do Colovello n. 17.
O
iii de mollina
2 as s o o 3 sr'a o s X o
H3
i
S 3
2 en S5 co
8I-RUA DO IMPER4DOR-81
Segunda casa do lado direito indo d pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfac3o de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e mofoadbs primorosamente escolhidos;
como sempre caprichou ter das'melhores qualidades, e francamente affianca s pessoas que
se dignarem comprar em seu estabeleciment,qoe all depmfernci* outra qualquer par-
te serao mais bem servidos, em qualidade e preces, como em pesos e medidas, no que
sempre o annunciante foi escropoloso, em summa, nio illiide a pessoa alguma.
Aos Srs. de engenho e lavradores que o qoeiram bqnrar como seu comitente Ihes
assegura que o producto de seu laborioso trabartbo ser o mais bem reputado no merca-
de desta praca, para oque se julga coavenentemente habilitado pela longa pratica com-
mercial que tem exercido, sendo seas portadoresespacbidos com presteza, depote de se-
rem fielmente umprido as suas ordeus.
Fornecer gneros aos Srs. agricultorese negociantes que lhe merecam coBfianca,ifa-
zendQ um abale ventajoso aosquepagarem a vista suas mercaduras, e encarrega-so da
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica commisso, 1 entregando de
promplo seu pr< ducto,. e sendo este applicado comprai de gneros em se armazem,
prescindir da commisso.
Dos seus angse benignos freguezes espera o annuncjianle soa valiosa proteceo, fra-
gmentando como outr'ora sua casa, e pelo reconhecimentojque Ibes tributa offerece expon-
taneamente seas servigos. ,
Julga desnecesario publicar a tabella dos precos da seus gneros: sao seus recursos
garanta sufliciente de poder acccmpanliar os menores precos de idnticos o mesmo do
mais apparatosos estabelecmntos, tendo smente em \(ista o augmento de suas vendaa
diarias. ,
Prevencio aeceMarla.
Tendo sido o proprietario estabelecido muitos a,nnp$ com o mesmo ramo de negoJ
ci nj mesma ra, julga prudente advertir que s affirma .e se xcspensabisa palo Q0|
tem declarado no que disser respeito ao a:
ft9 qj
;a."3"p
0 S" 3 3 a
00 S Br
q,q,ej ~ e> c> -i
= SrSTcg e o-2 g
Q.M cnS.t'3tc_
es rj
o ,
05 6
S V -1 v> S P. _
D.
OJ


5 S.S 2. 9-S&
6
B g
WB.r Sr S Sb &
01.5 2 -i s
a 2 ?? q.<*2
to 3 g f^-aSo
8 W v 2 ---ISO
OOUJ
Q ft>
e ~
ff t
o a a
2 5 B "S
o -
^_' B
m 8
s
13
2
3
o.
cu
g
&
^ s
-I
Q3
s
a.
o
S j
& -s O
O B> *
a SS-
S?
II
ca
fm

I
D
e
2
e
>
t
1*
e
R
d
a
i*
ESCBAYOS rUGllil'S.
Fugio tahbado 26 de novemlTO proiinc p,j-
sdo o escravo pardo de nomo Antonio, de dad-
de 20 annos, pouco mais ou menos, rtni os .-r-
naesseguintes : magro, altura regalar, roMcft.it-
prido, nao tem barba e com bstanles marra
bexigas, falla branda, foi escravo o cria do $r.
Joaquim Cavalcanti de Albnqnerque do er err i c
Araguari da fregnezia de Barreiros, emprroava-t*
nesta cidade em vender agua, porm aos (w*ft edias santos andava ralbado, de paletot braaoo,
chapeo do chile e bengalinha Gna, orsia o,ci r-e
intitulava de ser livre, qnando fugio disse a ai.te-
rnas pessoas a quem venda agna, que secoia pata
Barreiros, e que gmenle voMava depoin da f >ia
do natal : roga-se as autoridades* policiaes e rapV-
laes de campo de o appreheiden-m e mandar
entregar na rna do Qneimado n. 77, a Alnacdm
Jos da Sirva, que recompensar cem 504.
!!
St-RUA 10 I*IPEBAOIl-8t
Segunda casa ao laao aireo xnao do pateo do Collegio,
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agna florida n5o urna tintura, fcto esseo-
ertl a contesur, a mesma agua dando a cor arion-
Uva ao cabello. Composu de planta* exeneas e
do substancias nofeesivas, ella ten a propriedado
!le restituir aos cabellos o'principio corante 400 el-
es tem perdido. D'oma salobridade iacontesta-
vel.a Agna Florida entreten ahmpeta a eaboea
detroe as 'caspas e i m pede os cabellos de eaair
Oleo de Florida
No da 9 de denmbro de 1864 togin 4r ea?i
de sen senhor o escravo Hercolaito, pardo trrwro,
com 35 annos, alto, cabellos carapinhos, oaos e
oreltias peqnenas, tem apenas biginte e pera, por-
aas e andar de quebra-mangoe, tendo o p eaatr-
do torto e sabido para fra como pata de sen, o
por isso paxa alguma rousa pela perna {Dando
anda, levou vestido calca branca remendad o ea-
misa branca,'levando chapeo de palba. condtrtio
Igualmente toda roiapa aae possne. Hj|ipoe-se as-
dar aqu mesmo pela rdade: quem o pegar levc-
a rna Direila 1. 84, que ser generosamenu re-
compensado.
Fugio pela manhaa do dia V* rio torrate o
escravo de aoaae Paulino, eom os signaes sef aia-
tes : cabra, cara picada de texigas, dente chan-
das, cabello carapinho, estatura regular, rhoio do
corpo, muito condecido por andar verdeado fa-
zendas com am caixelro da casa dos Srs. Marreti-
no O C. : roga-se a qoem o pegar, de o levar a
casados aestaos na roa do Crespo n. 5, qne seta
generosamente recompensado.
I Fagio no da da loganoa-ietra 56 de desoav
bro deto anno, o molat Manoel, escravo de abai-
xo asslgoado, o qual lem os signaos seguirles
baixo, ebeio do corno, cor clara, cabrtio* grandes
e ponteados, otarte de nra dente da fronte alie-
brado, coittuBaaaoar calcado, de paletot e ent-
Comnosto de substancias vegetaes exticas, ello peo, levon calca 9 camisa branca. Este mulato
msttie r^eMi4rcTrr>* eom a Agna Florida, a fot escravo do Sr. Antonio da Silva Gnsmae e cos-
forca, aiMleraea-aanservaeaodoecano^. tuma*terfloe*lrvre: roga-te a 10*0 as anoo-
Em ftirUgasa deOuislanr n, l,roa it Wrto, ridaas nelidbaao capttaaa do apo de oap-
lieu, e 11, BoulevardoBtmr*. i probenderem* levar**oo$r. Fnoerieo &**',
Todos os frseos, nao te* Intato n elaro,, dentisu, i rm Nova ?, 19. qoa ar **m "
timbre prateado da eas*, alo reputados frisos. 'pensado.
Deposito, roa do Imperador, pharmacia 1. 31.
Frederiee Caatior.


Diarlo de reman buco Terr>* feto* 3 e Janeiro de t8s.

LITESTRA.
HISTORIA DE UM CONSOfHPTO DK *#13.
POR
ErcLinann-Chatriaa.
V
' f.'onl inuagau.)
No da seguate acordei pelas seta horas, lia
corneta tocava a chamada esquina da Capougner
Strasse; tuJo se mova ; ouviaru-se passar caval-
los, carruagens e Horneas. Os rttas pus jiuda esla-
vam muito magoados, mas nao era nada compa-
radlo com o incommodo dos onlros das; quando
calcel meias lavadas pareceu-me que renascla, sen-
tia-mc bem solido das pernas.e disse comido: Jos,
so Uto contina assim, ests em pouco lempo om
tarimbeiro da gomma. O primeiro passo o que
cusa oais.
Vesli-rae tiestas felizes disposgoes. A moltier do
padeiro tioha posto os meus sapatos a enxugar ao
podo torno,depois de os terenchidode cinza quen-
te para nao encoscorarem. Estavam muito engra-
sados e lustrosos.
Emfim aflvelei o meu sacco e desci sem ter lem-
po para agradecer aquella boa gente, que me tinha
tratado tao bem, mas com tencao de cumprr esse
dever depois da chamada.
Na praga, que se segnia ra, j estavam es-
pera muitos dos nossos italianos, tiritando de fri
ao p da fontc. Furst, Zebedeu e Klipfel chegaram
um pouco raais urde.
lira rm dos lados da praga Bao se viam se nao
pecas montadas. Cavallos eram levados a beber por
hussares de Bade : e eram mnitos os soldados de
ti om de artilharia e drngoes.
ueironie de nos Acara um quartel de ravallara,
tao alto como a igreja de Phalsburgo, e dos outros
tres lados da praca erguiam-se antigs casas de te-
Ihado esguio, com efculpturas como em Saverne,
mas maiore. Eu nunca tinha visto urna cousa as-
sim, e quando eu andava a examinar ludo, come-
caram a rufar os tambores Cada um [oi para o
seu posto, e chegou o capitao Vidal com o capole
deitado sobre um hombro. De um arco que ficava
em frente sahiram alguns carros, e disseram-nos
primeiro em italiano, depois em francez, que iam
ser distribuidas as armas, e que cada um devia
sahir das flleiras quiado ouvisse chamar pelo seu
nome.
Os earros pararam a uns dez passes, e comec9U
a chamada. Sahia cada um das tilheiras por sua
voz, e recebia ama patrona, um sabr, urna bayo-
neta e urna espingarda, e Indo isto era langado por
cima da bluse, jaqeta gou casaco. Com os nossos
chapeos, barretes e armas, davamos ares de um
verdadeiro banda de salteadores. Recebi urna es-
pingarda tao pesada e tamanha, qne mal poda com
ella, c como a patrona me dava quasi pelos calca-
nhares, o sargento Pinto disse-me de que maneira
se cncurtavam as correias. Era urna excellente
creatura.
Todas essas faxas de cooro que se me cruzavam
no peito pareciam-me urna cousa lernvel, e bem v'
enta^i que as nossas desgragas estavam longe de
acabar.
8pois das armas, chegou um caixao, e distri-
buiram-se cineoentacartuxosa cada um, o quenao
era la muito agradavel annuncio. Depois em lugar
de destrocar e de nos mandarem para onde estova-
mos aboletados, como eu pensava que havia de ser,
c capitao Vidal tiroua sua espada, e grilou :
Perfilar I meia volta direita I... marche 1
E os tambores comecaram a tocar.
Eu a afilelo por nao poder ao meDfS agradecer
aos meus hospedes o bem que me trabara feiio, e
dizia comigo que rae haviam de ter por um ingra-
to. Mas essa reflexoe a mioha aficcao nao impe-
dan que eu seguisse as fileiras.
lamos por urna comprida ra tortuosa, e de re-
pente, fra das esplanadas, timos-nos ao pe do
Hheno, coberto de geloa perder de vista. Dooutro
lado crguiam se montanhas muito altas, e sobre as
montanhas antigos caslellos ennegrecidos e arrui-
nados como os do Alto Bar e do Geroldeck, nos
Vosges.
Todo o batalhao deseen ao Rheno que atravessa-
raos. Era urna cousa magnifica e deslumbrante.
Nao estavamos sos no rio. Em frenledo nos, a qui-
nhentos ou seseemos passos, um comboio de pl-
vora, cooduzido por soldados do trem, dirigia-se
para a estrada de Francfort. O gelo nao era res-
valadigo, mas eslava coberto de urna especie de
geada escabrosa.
Quando chegamosa outra raargem, tomamos um
caminho que voltea va por entre duas encestas.
Continuamos a marchar durante cinco horas.
Ora direita, ora a esquerda na- dobras da mon-
lanha, descobriamos algumas aldeas, e Zebedeu
que a ao p de mim, dizia-me :
J que nao houve remedio senao deixar a nossa
trra, estimo que fosse para vir guerra. Ao rae-
nos vemos cousas novas todos os dias. Se tivermos
a felicidade de escapar nao nos faltar que contar.
E' verdade, respondi eu, mas eu antes quera
saber menos. Prefera vi ver por mlnha conia a
viver por conta dos outros, qne estn muito des-
cansados em sua casa, emquanlo que nos andamos
por aqu a irilhar neves.
Mas porque tu, tornava Zebedeu, nao olhas
para a gloria, e a gloria tambem vale alguraa
cousa.
A gloria, Zebedeu, nao para nos; para
outros.
Tamhem assim me parece; mas jaqueca
estamos na ratoeira, mais vale dizer que combate
mos pela gloria. E' preciso sustentar sempre cada
nm o seu estado c tratar de fazer acreditar aos ou-
tros que est milito bem. Nao seado assim, Jos,
olha qne se riem de mis.
Racocindndo sobre estas cousas e sobre mutas
outras, acabamos por descobrirum grande rio, que
o sargento nos disse ser o Meno, e ao pe do rio
urna aldela beira da estrada. Nao sabamos o no-
me de.-sas aldeas, mas fui ah que fijemos alio.
Entramos as casas, emuitos compraram agur-
dente, vlnho eu carne. Os que nao tinham di
helro, tiveram de center-se com o seu pao de
rala.
A' noule pelas seis horas, chegaraos a Francfort.
E* ama cidade anda mais tena do qne Moguncia
u-cheia de Judeus. Levaram-nos para nm sitio
chamado saxenhauseo, onde estavam em quartes
o 10* de hussares e caladores i Ba4e. Eu disse
<* comigo que aquelle velho edificio tintn sio em
tempos um hospital,e nio tenho duvida nlsso, por-
que dentro havia um grande pateo, cora areadas
muradas. Debata das arcadas estavam alojados os
cavallos, e por cima es soldados.
Chegames, pois, a esse sitio, a tratez de beeoos
innumeraveis e tao estreitos que mal se viam as
estrellas por entre as beiras dos temados. Bra-
mes esperados pelo capitao Florentino pelos l-
enles Clavel e Bretontille. Depois da chamada
Os otros arrales eenduziram-nos por destaca-
mentos para aposentos que fkavara por cima dos
de Bade. Erara sallas grandes com janellas pe-, Olha, Zebedeu, o que tens agora a fazer, vis- jido simples soldados no tempo da repblica. O
quenas : entre as janellas estavam as camas. to que nao podes desertar, ir pedir perdo a esse apitao emfim responden!
O sargento Pinto dependuroa um lampeao no terano... porque olha que todes esses velhos Sim, meu raaracbal, Sebasto Florentino.
Palavra de honra,disse o marechal esten-
dendo o braco para o lado da Russia,-folgo de te
Pilar do meio ; cada ura poz as suas armas no ca- e8tao acoslumados > terriveis cutiladas, bid, e tirn blute, sacos e sapatos sem dizer una levado no E&7PH> em Hespaoba e era outras par
Palavra. Zebedeu era me* canarala de cama. te8, F" 9ae ,e di8- ** lueres, eipresto-te ver aqui; pensava que tinhas fleado alera,
80 Deus e nos e que sabamos se libamos somno um escud(> Para Ihe pagares de beber, que con- Toda a nssa companhia estava contente, e Ze-
oanao. Vinte minutos depois dormamos todos a que de cf!r^ nao resisle- bedeu disse-me:
como pedras. Mas elle, carrejando as sobrancelhas, nao alten- j Aquillo o que um homem; por elle era
. Foi em Francfort que aprend a conhecer a vi- deu as minnas reflexoes. |ea capaz de me arriscar a perder a caneca.
da militar. At entao n3o tlBha'slo mais do que' ~ Era mais facil enrorcar-me j do que wdar-
uma simples recrula, mas entao fiz-me soldado. Ihe ^fcees. Nao tenho medo delle ero de lo-
A maneira de Tazer meia volta direita de acertar dos os nussares juntos. Se elle sabe como se bate,
o passo, de fazer brajo armas, de apontar etc ta- eu ,amD6m teDno oons bracos, e tenho entiladas
do isso nada. Mas aprend a disciplina Isto 6 : minna disposico na folha do meu sabr que pode
que o cabo de esquadra tem sempre raza'o quando en,rar UnI P6'05 oss08' eorao delle P-1* mi0hai
falla ao soldado, o sargento qoando falla ao cabo, carne-
o atieres qnando Talla ao sargento, o tenente qnan-' NSo Pdiam esqnecer-lhe as bofetadas. O esgrl
do Talla ao alferes, e assim por diante at ao ma- midor ctie^oa logo, e.depois o cabo Fleury,Klipfel
rechai de Franca. Forsl, e I.eger. Todos davam razo a Zebdeu t
,., dizam que era preciso sangue para lavar as bofe
Isto e cousa que custa muito a metter na cabe-
As lagrimas corriam-nc'neUI aeerabaixo, por
queCatharina contava-me*"qne nao estiva um mo-
mento sem pedir a Deus por mira. E os meus ca-
maradas, ouvdo isto, diziara : .
Temos a certeza e que tambem ha qum pe-
ga por nos.
Mareos Monnier, eradiio e consciencioso
historiador, cbservador a quera ja devem as
elras multas obras interessantes sobre a historia
os estomc$rt(os Napolitano, acata de pobliear,
em Franca, un novo liyro itlitulado Pompa\e o<
tornanos, qne ep nada desliz das soas antero-
do de Francfort que anda eram todos vivos.
ca, m,s ha para issourn auxiliar, que um regu-
lamento que se prega nos quarlos e que lido aos
soldados de tempos a tempos para avivar as 35JS.
tadas, e que e bat9r-se era do
crutas.
bro das novas re
Zebedeu responden que os de Phalsburgo nunck
a quera muito queriam.
Esse regulamento supp5e ludo o qne um soldado tinham lido medo de sangras, e qne estava promri-
pdo ser capaz de fazer, como por exemplo met- t- En,ao esP"imidr W ter com o caplto dja
ter-se em sua casa, recusar o camprimento do companhia, que se chamava Florentino, que era jo
servlco, resistir ao seu chefe, etc, e tudj isso ac- homem mais magnifico que se pode imaginar, alto,
ba sempre por um castigo grave. '. descarnado, largo dos hombros e de nari recto,je
No dia segninte ao da nossa chegada a Franc- qae ,inha recebido nma condecoracSo do imper|i-
fort, escrevi ao Sr. Gonlden, a CathariBa c tia dor na ba,alha de E>laa-
Gredel. Pde-se imaginar com qne ternura eu es-' caP|tao acnou ^ae era mnit0 na,ural ber-(ie
creveria. Parecame que estava a fallar com um homejn por uma bofe,ada. e at disse 1 am-
elles. Contava-lhes as minhas fadigas, o bm que ria um bom exemP|0 Para os recrulas. e q"
(Continua/-se-ha)
Zebedeu nao se batesse, sera Indigno de perteBcer
ao terceiro balalho n. 6.
me tinham feto em Monguncia e a coragem que
rae fra precisa para nao flear para a retaguarda.
Tambera lhes dizia que, gracas a Deus, passava' Em toda essa nonte nao pude dormir. Ouvid o
bem, que me senta mais animado do que antes meu camarada resonar, dizia comigo :Poli re
de partir, e que lhes enviava mil e mil abracos. Zebedeu, amanha a noute j nao resonars I Fa-
Eu estava a escrevor no nosso dormitorio, e os zia-me estremecer a ,da de estar deitdo ^H
de Phalsborgo pediam-me que as cartas mandas- de Um homem asS,ra- E ,,uando eu a para ad(,r-
se lembrangas s suas familias. Emfim, foram ^cer na madrugada, sent de repente um ar mi-
alguns momentos agradaves. |l0 fr'0' e desPerlei- Que vi eu ? O velho hussre
... ... das barbs ruvas, que tinha levantado a manta .da
uepois escrevi para Moguncia, para aquella boa nossa cama, e dizia :
gente de Capougner Strasse, que me tinha salvado i A p, malandrim, a p, que te qero ensijar
do desconforto. Disse-lhes que a chamada rae quantos dous fazera quatro.
tinha obngado a sahir de manha muito cedo ;! Zebeden levantou-se muito socegado.'e respon-
que bem quizera va-los e agradecer-lhes, mas que deu : I
o batalhao tinha marchado para Francfort, e por
isso esperava que me perdoassem.
N'esse mesmo dia, de tarde, recebemos o uni-
forme do batalhao. Alguraas duzlas de judeus
vieram ter comnosco
vestuarios burgueze<
Eu estava a dormir,
dorm.
veterano; olha qne
O outro, ouvindo chamar-lhe veterano, quiz ati-
rar-se ao meu camarada mas dous rapazolas al-
e compraram-nos os nossos tos que Ihe serviam de lestemunhas tiveram mo
Nao guardel *sen5o as ca- nelle, e se assim nao fizessem, eslvam al todos 01
misas, meias e sapatos.
tendan com os compradoras que queriam levar
tudo de graga; mas os genovezes erara to fnus
como os juoeus, e as suas discussSes dilalaram-se
Os italianos ni* se en- de Phalsburgo.
Ora v, v, depressa
gritavao velho.
Mas Zebedeu vestia-se mullo devagar, e disse :
Teremos licenga para sahir do quartel, meus
at noute.Os nossos cabos de quadra tiveram amigos ?
eutaoasua pinga para beber. Era preciso ar-1 Atraz da priso do corpo da gaarda ha lugar
raojar amigos, porque de manhSa e de tarde ensi-' para se alinhavarem vontade, respendeu um
navara nos exercicios no pateo cheio de nev. A '
taberneira Chrislina estava sempre no seu canto,
com o esquentador debaixo dos ps. Tomava era
considerago todos os rapazes de boa familia, que
o norae que olla dava aos que gastavam dinhelro
sera regatear. Quantos denos nao deixavamos
escorregarat ao ultimo cellil s para ser chama-
dos filhos da boa gente I Depois nao eramos se
nao malandrins I mas que se Ihe havia de fazer t
A vaidade, o demonio da vaidade perde lodo o ge-1
ero humano, desde os recrutas at aos generaes.
dos hussares.
Era um sitio cheio de ortigas, cercado por um
mnro, e das nossas janellas poda ver-se a lucia.
| Ficava mesmo por Baixo deHas, do lado do rio.
Zebedeu poz o seu capote, e disse voltaodo-se
para mim.
Jos, e lu Klipfel, vlnde ser minhas lestemu-
nhas.
Mas eu abanei a rabees.
Pois entao, vern tu, Furst f
E descerara todos a escada.
V
Entretanto iam todos os dias chegando recrutas' E pensava que Zebedeu estava perdido, e aflli-
de Franga, e carretas cheias de ferios da Polonia, gia-me e dizia comigo : -Ora ahi est que oae sao
Que espectculo defronte do hospital do Espirito! s os Russos e os Prau^aaas que dao cabo de dos,
Santo, do outro lado do rio Era um comboio; ainda preciso que os ajudemos.
que nunca acabava I Todos esses desgrasados
traziam geladas as orelhas, ou o nariz, um braco
ou uma perna ; raettiam-nos em nev para impe.
dir que se desfizessem em pedagos. Nunca se vi
ram horaens vestidos como elles, comsaias de mu-
Iheres deitadas pelos hombros,baretes de pello mas
pellados como caes tinhosos, barretinas amassadas,
Estava ludo as janellas. S eu fiquei assenta-
do na minha cama. Ao cabo de cinco minutos, o
tinir dos sabres fez-me deserar. Eu j nao tioha
nmagota do sangue as velas. Mas istodurou
pouco, porque de ropente onvi gritar Klipfel :
Feriu!
Entao nao sei como cheguei ao p de uma ja-
fardas de cossacos, lengos e camisas enrodilhadas { nella, e olhando por cima dos outros, vi hussare
nos pes e presos cora cordeis. Saham das carre- LuiAi an 7.ij.,.n. i.._.....
encostado ao muro, e Zebedeu que se levanlava,
com a espada tinta em saague. Tinha eseorrega-
do e cahido sobre os joelhos. O sabr db velho ti-
nha passado sobre o seu hombro, e elle som per-
der um segundo, tinha cravado o seu na barriga
do hussare. Se por desraga nao escorrega, o ve-
Ihe varava-lhe o coracao.
las apegando-se a tudo, olhando para a gente co-
mo fras, cora os olhos encovados e as barbas bir-
las. Nunca vi ninguera mais magro nem mais
desgragado : Os bohemios que dorraera pelas
florestas teriam tido d d'elles, e preciso notar
que nao erara os raais infelizes, porque tinham es-
capado malanga, e porque militares dos seus ca-
ntaradas tinham ficado as neves ou nos campos1 E'o que eu vi n'um relancear de olhos. O Iras-
de batalha. j sare encosiava-se parede, as sua* lestemunhas
Klipfel, Zebedeu, Furst eeu, amos ver esses' amParavam n.e Zebedeu, paludo como um morto,
desgragados, que nos contavam o que tinham sof- olhava para seu sabre era I"*0*0 KPfl Ihe
frido, e as suas narraeSea faz.am-nos arripiar os, apresentava capole'
cabellos. Ento que eu vi que o boletimn. 29,! Ouviu-se o toque da alvorada e nos deseemos
Eu que n5o va a razao porque Zebedeu se ar-
riscara a perder a cabega s porque o marecha1
tinha saudado o seu antigo camarada.
E' lado o que me lembra do Ascaaffenburtro.
A" noute fomos comer o rancho a Schweinhem,
lugar rico em vinhos, linho, trigo, e onde quasi
toda a gente nos va com mus olhos.
Estavamos aos tres c aos quatro pelas casas, co-
mo soldados em paiz que demora o pagamento de
contribuigao de guerra, e tinhamos todos os dias
carne, de vacca, de porco ou de carneiro. O pao
de casa era muito bom e tambem o vinho.. Mas
mutos dos nossos fingiam que achavam tudo mu,
pensando que assim passariam por fidalgos; e en-
ganavam-se redondamente, porque eu ouvla os
Burguezes dizerera em allemao :
Estes l na sua trra andam a pedir. Estou
certo que se fossemos a casa delles, n3o Ihe adia-
ramos ao menos batatas na tulla.
E nunca se enganavam, e por isso fiquei eu en-
tendendo que quem fosse muito mu de contentar
na casa alheia porque era na sua um pobre
diabo.
Pela minha parte, estava muito satisfeito por
ser tratado d'aquella maneira, o desejava que as-
sim fosse durante toda a campanha. Dous cons
criplos de Saint-Di estavam commigo em casa do
director do servigo postal n'aquella povoago, cu-
jos cavallos quasi todos tinnam sido requisitados
para a nossa cavallaria. Isto devla azeda-lo con-
tra nos, mas elle nao dizia nada e fumava no seu
cachimbo assentado ao lar desde pela manhla al
noute. Sua mulher era alta e forte, e tinha duas
filhas muito bonitas, que tinham medo de nos e
fugiam quando vinhamos do exercicio ou do posto
de guarda na extremidade da aideia.
Na noute do quarto dia, quando estavamos a
cear, chegou s sete horas um velho de capote
preto, cabega branca, e rosto altamente respeita-
vel. ^audou-nos e disse em allemao ao nosso pa-
trao.
Sio novas recrutas T
Sao, Sr. stenger, sao, responden o ootro;
nunca nos veremos livres desta gente. Se podesse
dar caho delles todos, j o tinha feito.
Eu voltei-roe para traz cem muito socego, edis-
se-Ihe: ...
Eu enfeudo o allemao; nao digam essas coa-
sas.
Mal o homem onviu isto, quasi Ihe cahiu o ca-
chimbo da mo, e disse o velho :
Voc bem imprudente em palavras, Sr-
Kalkreuth, e veja l o que nos poderia acontecer
se mais alguem o tivesse ouvido.
Isto um modo de fallar -respondeu o nosso
palrao.-Mas que quer? Tiraro-nos tudo, levant-
os tudo por milites annos, e por lira j era a
gente sabe o que ha de dizer, e ento falla a torio
e a direito.
O velho, que era o parocho de Sehwenheim,
veio eoto cumprimenlar-me e dlsse-me :
Senhor, o seu proceder de hora-m (te bem
crea que o Sr. Kalkreuth nao capaz de fazer
mal nein aos seus inimigos.
Acredito, senhor, e se nao fosse assim nao
romera do lio boa vooiade o seus alpieoes.
O director das postas desatoa a rrr quando ouviu
isto, apenando as mos na barriga como uma
creanga, e exclamou :
Ora nunca pensei que me havia de tazer rir
um francez.
Os meus dous camaradas tinham de entrar de;
guarda, saturara e eu fique, s. Entao o meu pa- i Io ou capa rom p^,^, de petle um
trao fot buscar urna garrafa de v,ho velho ; as- Pom 0 nome da dona seguido sempre de arguma
sentou-se a mesa c quiz beber comigo, o que fiz! observacao, tal como-roto, usado, novo, velno, ex-
de boa vontade. E desde entao "
Um fallava de sua mae, outro de suas lTm3as, res nub.llc4Coe#v e"pelo quai pe luz as mais
outro da mulher que o amava. mudas particularidades do passado daquella cida-
No fim escrevia o Sr. Goulden dizendo-me que de sepultada cm lava ha 1785 annos.
todos eslvam bons, qne tivesse animo, e qne nao Com sfl ^ ff m-||o sobfe ^^
uurariam sempre os trabalhos. Encarregava-me a-.m m ,
. g'oso musen de ruina*, em que se fazem explora-
especialmente de fazer saber aos meus camaradas ^ d?s^ im |lil!ler.S(, ,,a ^rgu^ar. antM da
que bata quem se lembrasy delles qne seus paes ^^ do |jvro |(, ^^ $(, M WroJ hjst0rjv
sequc.xavam de nao receberem noticias suas, e dore5 ou mrrtorei enm ^ obscaros on ^
que latan muito contentos por eu ter participa- poaco exact08 fos?e iahpmmnl ^^ nm .
vro sobre o mesmo assumpto.
Esta caru foi para nos todos uma grande conso-1 a isso responde o autor cora nm prefacio conce-
lago. E quando me lembra que estavamos a 8 de b,j0 n'esis termos
abril, e que breve deviara comegar as balalhas, te- i Diqlogo m \ma Uvrana de ,
nho aqu.llo na conta de um ultimo adeus, que veio Uin Yiajante (entrando) _,,,, aIgum ,Tr0 ^^
para metade de nos, daquelles que nos estimavam. Pompea ?
Hoiive mullos que ouviram entao fallar pela nlti-: o Irtreiro-Tenho mnHos. Aqni tem o senhor
ma vez nos seus paes, na sua trra e as mulheres mm dll ie Poinla pof Uu|wer
UM POLCO DR TOO.
L-sc no peridico inglez Sun :
Fez-se ha dias em Longton umi aposta singu-
lar.
Suscitou-se uma questao entre dous fabricantes
a proposito das suas opinioes polticas : um era
conservador e outro liberal.
Como por argumentos nao podiam chegar a uma
conclusao salisfactori encarregaram as pernas de
decidirra pelas cabega*.
Concertaram uma corida de cento e vinte jar-
das.
O vencedor havia de ser considerado como o re-
presentante da melhor opiniao polgiea, e o vencido
pagara um jantar a quarenia pessoas, vinte de ca-
da partido.
Fez-se a corrida na presenga de numerosas tes-
temunhas.
Foi o carapeae do partido conservador que ga-
nhou por una jarda.
Quando entraran) na cidade, levavan os conser-
vadores las vermelhas e azues.
Os liberaes, anda que vencidos, nao qnerem
accommodar-se, e (alla-se em mais duas corri-
das.
i n !
Diz um jornal inglez que o novo banco que tae
estabelecerse no Mxico lera como representan-
tes, era.Londres os Srs.: Baring limaos, e era
Pars os Srs. : Hotlinguer, Mallet, Foulot .e Mar-
cuard. *
L-se em uma correspoadencia de Londres:
Nao podis imaginar a exasperagao dosallemaes
de Londres por causa do processo Muller.
Annuncia-se que em W'lite-Chapel tem bardo
luctas furiosas entre allemes e inglezes.
Falla-se de um allemao que, tendo apostado por
Muller, qnando soubc a noticia da condemnagao,
n3o tendo dinheiro para pagar a aposta, dege
lou-se.
Desle facto s sei por onvir dizer, porm o que
certo que todos os allemes do meu conbe-
cimento andam n'um singular estado de excita-
gSo.
Jiilgam que Mollerfoi mal defendido e maljnK
gado por ser allemao.
E' uma supposig injustiflcavel, mas que, em
todo o caso, pro va o estado dos espiritos.
O viajante -E" muito romanesco.
O livreiro-Ento os in-folio de Mazois.-
O viajanteIsso muito pesado.
O livreiroAqui tem o Corricoio de Alexaadre
Dumas.
O viajanteE' mnilo leve.
O livreiroPois entao a magnifica obra de Nie-
colini.
O viajanteE' muito cara.
O livreiroN'esse caso o Ciia do commendador
de Ale.
O viajanteE' mnilo rido.
O livreiroNem rido, nem romanesco, aem
leve, nem pesado; ento o qne quer ?
O viajante Quero um livro pequeo, exacto.
consciencioso e ao alcance de todos.
O livreiroNao tenho, nem c possivei fazer-se.
O autor ( parte) (Juem sabe f... ?
Este prefacio diz com original conrso qual
fim e a utilidade da obra.
Ha em Vienna nm negociante qne nao s vende
gimniges de pelles, mas arrecada no seu estabe-
lecrmenlo, durante o verao, os rga!os e pelissas de
mnitas damas, que confam delle esses objectos,
porque sabe preserva-los de deterioragao.
ate a nossa part-1 ceflente, etc.
da tete aquella gente mu i la. confianga am mim. Isto feito com
Todas as noutes cunversavamos a lareira; viuha o i gano.
o fim de evitar qualquer en-
re tao tristes noticias dava,
a verdade.
Essas historias excitavam nos contra os Russos.
Muitos diziara : Ah I Deus queira que a guerra
nao tinha dito senao chamada matinal. Era em 18 de fevereiro. No
mesmo dia recebemos ordem para" preparar as
mochilas, e partimos de Francfort para Seligens-
tadt, onde ficantes at 8 de margo. Entao j todos
comece outra vez, porque hao de paga-las bem pa-
gas....Isto ainda nao acaboo. Ainda se podem
saldar contas IA sua colera assanhava-me, e al-
gumas vezes dizia eu a sos commigo : Jos, pa-
rece que desvairs, I Pois os Russos nao sao ho-
meRs como tu...nao defendiam a sua patria, as
suas familias, tudo o que ha mais sagrado no mun-
do ? Se nao titessem obrado assim, seriam uns
misera veis.
Por essa occasiio snccedeu um caso extraordi-
nario.
Zebedeu,o meu camarrda de cama, era filho do
coveiro de Phalsburgo, o nos chamavamo$lhes
o coveiro. Comnosco nao levava isso a mal.
Mas uma tarde,-depois do exsrcicio, quando atra-
vessava o pateo, gritou-lbe um hussare :
Oh, coveiro 1 ajuda-me a levar estes feixes
de palha.
Zebedeu vrou-se para
Olhe que eu nao ma chamo overe, o os
feixe- de palha leve os voc. Mette-se Ihe na ca-
bega que sou alguraa besta ?
Ento e outro gritou-lbe anda mais alto : .
Veas aqui, gallucho, ou queros para o leu
tabaco T
.Zebedeu, com o seu nariz curvo, olhos pardos e
beigos delgados, nao era de bons humores. Che-,
gou-se ao hussare e pergunlou-lhe :
Que diz toc ?
Digo-te que levos estes feixes de palha, e de-
pressa. Onves, gai|ucho ?
Era um velho, de bigodes e grandes suissas ar-
ruivadas cortadas em escova, a moda de Cham-
boran. Zebedeu deitou-lhe uma mo a pna
suissa ; mas o veterano deu-I he duas bofetadas.
Anda assim, floou na mao de Zebedeu um punha-
traz e responden :
os recrutas conheciam n manejo da espingarda e
a escola de peloto. De Selsz*nstadt, partimos 9
de margo para Schweinbeim, e a t de margo d*
1813, o batalhao juntouse divisao em Aebaffen-
bnrgo, onde o marechal Ney nos passou revista.
O capitao da companhia chamava-se* Florentino, o
tenente Bretonville, o eommandanle do batalhao
Gemeao, o capitao ajndanle Vidal, o corone* do re-
giment Zapfer, o general de brigada LadouceUe,
e o general de divisao Soubam :todo o soldado
deve saber isto, se nao quer marchar como um
ceg. i
XI
O derreter das neves tinha comegado a 48 ou 19
de margo. Nunca tem de esquecer-me.que du-
rante a grande revista de Aschaffenburgq, n'uma
larga planicie d'onde se descobre o. Meno a perder
de vista, a chuva n5o cesou de cahir desdo as dez
da manhaa al s tres da Urde. Tinhamos nos-
sa esquerda um castello, cuja guarnlcao eslava
em janellas muito a sua vontade a ver-nos traba-
Ihar, em quaoto nos tinhamos agua.al aos tornn-
zelos. A' direita Mtrondeava o rio,' que vamos
como alravez de novoeir.
Para rtfrescar-nos as ida, estavam sempro'a
gritar-nos I
Hombro armas 1 brago armas I
' O marechal eslava no meio do seu estado malo'r
e andava de vagar. O que consolava Zebedeu era
* idea de irraos ver brevemente o bravo dos bra-
vos. E eu dizia commigo :^8 podess* ve-lo p
um canto do lar, havia de causar-me mais alegra.
Kmfim cheg.in nossa frente, e ainda o vejo
COm o Seu grande rhapu alagado de chuva, sua
farda azl-celesle coberl de yordados econdeeo-
ragocs, e as suas comprimas botas. Era om no-
do conflicto, levantou o hussare o dedo> disse':
Amanha de manhSa en te dirclcomo as con-
sas corren.
Pois sim, respood'eu Zebedeu, veremos isto.
Eu tambem tenho que te cootar, mea teme.
Telo logo dirime noticia do qod flnhalfavl*., ,e
cono eu sahia qne elle nunca tinha 'pegado seoao
en alviao, receti fue ficass* nal. ,,
yyal
do de cabellos, e quande co/riam, Wdos ao lugar nem bello, decdr loura rulva, narrf eVguleV^f
ponta, olhos vivos, e pareca ternvelmente solido.
Nao era orgulhoso, porqne,- qu'ndo pass.n em QS de pmisouryo
frenle da companhia, e o capitao, assim como nos jjas g gUe
todos, se aprnseniou as arinas, voltou-se
penle pirauaz e disle era JrM alta : ^|j f
Ak Florentino I t~ X
O capitfb MrOlod-se sera saber o que fe*f parocho. e ate as raparigas da casi desciam para
ouvir-nos. Eram louras com olhos aaues; uma
dellas teria dezoito annos, a outra vinte, o eu acha-
va-ilics uma seinelhanga com Catharinaque me aba-
lava o orago.
Todos sabiam que eu linha. em Pbabburgo uma
rapariga a quem quena muito, porque nao tinha
podidoduixar de o dizer, e isso compuagia-os.
Na manhaa de 27 de margo, estando nos todos a
conversar, chegou de repente a orden para mar-
char.
O balalho foi pernoular a Lauterbach, no da
seguiule a Neukirchen, e depois foi sempre mar-
char uns dias atraz de outros. Os que ento nao
se habitnaram a levar a raochika nao podiam quei-
xar-se de falla de exercicio, porque Deus sabe o ca-
rainlio que anda varaos. Eu que j nao suava ha
raiiiio tempo coca os meus clncoenia cartuchos ;ia
patrona, meu saeco e minha espingarda ao hombro
e al nem sei se coxeava.
Nao eramos s nos em movimento. Tudo. mar-
chava. Por toda a parte se cncontravam regimen-
tos as estradas, destacamentos de cavallaria, linhas
de canlie,'-, comblos de plvora e balas ; e tudo
isto se diriga para Erfurl, come depois de grande
chuvada vo miniaras de regatos pelos caminos
at ao rio.
Os nossos sargentos diziam entre si ;
Estaraos a chegar... isto vai lor que ver I
E nos pensavamo*:Melhor I oxal que isto
comece j.
Estos malditos prussianos e russos sao a causa
de termos sido agarrados. Se quizessem estar quie-
tos, ainda nos oslaramos em Franca IIsto irrita-
va-nos. E depois, em toda a parle ba gente qae
nao gosta de bater-se. Klipfel e Zebeden nSo fal-
lavam sonb do atirar-se ios prussianas, e eu, para
nao. parecer menos corajoso, tambem dizia qne de.
sejava o mesmo.
No dia 8 de brit entrn 6 batemlo na cidadella
de Erfurl, prags muito forte o moitorica. Nunca
me esquecra qne no momento em que destrngava-
mos, defronte do quartel, o quarlelmestre enlr^
gou Um rhasso de cartas a sargento da companhia-
Havia nma para mim. ReConheci logo a letira *e
Catharina, e isso prodozlu' era mim lal effelto que
me tremeram os joelhos.
Zebedeu pgou na minha arma, e disse-me :
... .
Vem c I
. Tambera eitava contente por ter noticias de Pha-
lsburgo.
Eu tinha mettido a minha carta no bolso, e todos
t'ma senhora que linha naquelle estabelecimen-
lo uma capa de pelles, e que a mandou procurar
ha dias, foi em uma das ultimas noutes a casa de
uma sua amiga.
A tal senhora ja nao nova, mas tem eonserva-
do toda a sua garridice dos vinte annos.
Veste-se com luxo, usa de caio e do perfu-
mes.
Era casa da sua ^miga havia uma numerosa
reunio.
Ao principio a sua entrada nao moveu a atlen-
gao de uinguem, mas de repente comegaram ri-
sos surdos, que breve chegaram a ser risadas de-
sabridas.
Mas que isto ? perguntou a dona da .asa a
um sugeito que eslava ao p de-I la.
E' aquella senhora qne traa o seu rotulo, res-
pondeu elle em voz baixa.
Com effeito, a pobre mulher tinha, era uma das
pomas da capa, um letreiro cm que se lia distine-
laraente : .4 Sra. fl... velkae estragada.
Funesto esquecimento do negociante 1
Da Seniana Ilustrada iracrevemo o que
segu :
Consentir que o cslrangeiro,
Depois de ter admirado
Do nosso porto afamado
A vista bella e risonha,
Venha no largo do Paco,
Qne snppozera o mais bello.
Encontrar a cada passo
Provas s de desmazelo,
E' vergonba.
Suspenda a assignalura
De qualquer jornal dtario.
Porque em seu noticiario
Algumas verdades disse
Era referencia a uma artista
Que seiu ser do mundo assombro,
Louros immensos conquista,
E conduz a fama ao hombro
E' lolice.
Ser da Senama aseignante.
Pagarsa assignalura,
leudo apenas na leilura
Muita gente interessada;
Quando esla folha sublime
Cusa tao pouco dinheiro,
Que at muito financetro
De assigna-la nao se exime
E' massada.
Ser, porm, seu asslgnante
E Id-la com interesse
Sem lembra-se que carece
Cahir com as do thesouro,
Para nao soflrer a pera
Inesperadade um dia
Suspensa ver a remessa
Do que de grara aprecia,
E" desdonro.

E' do Sr. O. esta poesa :
A' Eulina.
Flor aberta nao era ella.
Entre crianca e donaella
Era nma flor em botao.
(F. de A.)
Longe, bem longe de meus patrias lares,
Soffrendo azares de uma sorte impa,
T feste o anjo, que dos cus bailando,
Por mim velando nos meus sonhos via.
Se solt ausente de raens paes queridos
Temos gemidos de cruel saudade,
Tu s a virgem que roe enchuga o pranto
Com meigo encanto,divinal bondade.
Quando contemplo com brror profundo
De todo o mundo tao ernel torpeza,
Em li deparo virtuoso peito,
Typo perfelto de infantil pureza.
Se triste sorvo em cruentos tragos
Duros amargos de uma dr sem cura,
Teus lindos olhos m'infiltran n'alna
Serena calma, que me traz ventura.

l
i i-..
Se as vezej gso passageiro gozo,
Que vaporoso,-como nutem passa
Partilhas rindo tao gentil ventara,
Que pouco duraqual sobtil fumaca.
Qaal triste nauta navegando, osiaaces,
Sofrendo azares de uma sorte impia,
ara atroz de mim para a ouvjr
Lfer. Mas eu quena estar ssendo na minha ca- Era,-M C0ltomp, divinal donzrtla,
na, bem4^egado, para ceme|tf a leitv; o s -Bn*" es'rella ventnrosa guia.
quanlo tos aquarteUram em orna esquila na ra Se ainda tlo, suspendido o pranto,
Finckmatt, e en pur'no cabide ir minha ospHigarda Saudoso canto na queixosa lyra,
que canecer' a ler, toado os n^qs camaradas! E' de teus ohos, que sentina chamma.
f. ^rece qne o narechare elle^UnjRn flu^i a^vajlo en nlqt,
Que assim me ioflanm, qne men canto inspira.
u5w .-. ."
\S oesia :
que aujo !
(Offerecida O.)
E dos teus olhns que scinlilla a chiimui.
Qae issim roe inflimnii, que meu cinto iaipiri,
O.
E' bello esse anjo que amas,
E que acendeu tantas chammas
L dentro do peito ten I
E' muito formeso e lindo I
Oh parece om anjo vindo
L das alturas do cu !
Esforgou-se a Providencia,
Formanilo-lhc a tenue ossencia,
Para dar-lhe gragas mil I
E' lindo como os amores,
E por entre outras mil flores.
E' a tlr a mais gentil!
Ao vr-se as gragas e o mimos.
To celestes e divinos,
Com qne a natureza o dotoo,
Dir-se-hia que a Providencia,
De parte de sua essenria
A essencia delle formn !
E c no jardim da ierra,
Que tantas flores encerra
Nao ha ontra flor assim !
Parece que foi planuda
Pela mo d'alguma fada '
L dos anjos no jardim !
Oh I Sim, essa flor tao pura
S l da celeste altura
P'ra o mondo podia vir.
K' que algum anjo. em folganras,
De suas doiradas trangas
Ma ierra a deixou cahir.
E' bello esse anjo qne anas,
E que acendeu tantas chammas
La dentro do peito leu I
E' muito formoso e liado I
Oh I parece nm anjo vindo
L das alturas do cu!
L-se no Invalido russ :
O coronel da guarda imperial Slremourhoi,
tendo-se batido em duello com o chefe de esajm.
drao Klokatcheff, ferndo-o morlalroenie, foi toi-
dennado as perdas das suas coooeceragdes e t-
tulos de nobreza, e a doze anoos de trabalhos fer-
iados as minas.
O chefe de esqnadrao bario Wolff o alferes
Sretchioski, que (be serviam de padrinhos, foram
condemnades a dez aanes de trabamos forgidee
as minas. _
O imperador commuion a pena do coronel na
de exautoracao.
O coronel perdor asesas coBdecoraces e sera
incorporado no exerciio cono simples soldado.
0 bario Wolff e o alferes Speicniu>k serio en-
cerrados as casas-natas de ana fortaleza.

.
PBRNAUPyCO,-----TtP. DE M. F. DEJ. FILHO
~-------------it .
____


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBANT1JP9_9YETVL INGEST_TIME 2013-08-27T20:28:33Z PACKAGE AA00011611_10559
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES