Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10558


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AO0 'Ll HOMERO 1
Pr qiartel pago dentro de 10 das da \. mez
dem depuis dos l.os 1 Odias do conecoe dentro da qoartel.
Parte aa carreia por tres mezes......., .

58000
68000
750
S-iGDHA FEIRA 2 DE JANEIRO DE 1865.
Por anno pago dentro do* M lias da 1.mez ,
Porte ao correio por um anuo..........
, 191000
. 3J000
J
INCA BREGADOS DA SUBSCRIPgAO NO NORTE
Parahyba, oSr. Antonio Alexandrino de Lima ;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva-, Aracalv, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos* de
Oliveira; Maranbio, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigue*; Para, os Srs. Geraldo Amonio Alves A
I-linos; Amazonas, o Sr. Jeronymoda Cosa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcao Das; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, oSr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ETAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
Agua Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anlo, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaf,
Allinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, BomJEon-
selbo, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas feras.
Pao d'Alho, Nazareih, Limoeiro, Brejo, Pesquara,
Iogazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Mis-
ta, Ouricury,Salgueiro e Ex, as quartas feirks.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partein ao meio da.
EPHEMERIDE8 DO MEZ DE JANEIRO.
4 Quarto cresc. as 1 h., 22 m. o 52 s. da t.
11 La chela as 8 li. 40 m. e 10 s. da t.
20 Quarto ming. aos 16 m. e 52 s. da m.
27 La nova as 7 h., 10 m. e 46 s. da ni.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tercas o sabbados s 10 horas.
Fazenda. quintas s 10 horas.
Juizo do commercio : segundas s 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Priraeira vara do civel: tercas e sextas ao raeio
dia.
Segunda vara docivel: quartas e sabbadcs a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
2. Segunda. S. Isidoro b.; S. Argeo m.
3 Terga. S. Aprigio b. de Bja; Antero p. ni.
4. Quilla. S. Prisco presb.; .Aquilino m.
5. Quinta. S. Simeo Estellita; S. Syncletica.
6. Sexta, cfc Epiphania do Senhor. (Dia de Res.]
7. Sabbado. S. Luciano presb.; S. Otro diac.
8. Domingo. S. Severino ab.; S. Theophilo diac.
PREAMAR DE BOJE.
Primeira as (hora e 30 m. da inaiiliaa.
Segunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30: para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio,
julho, setembro e noveml.ro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueira de
Faria & Filho.
PARTE OFFICiAL
Ministerio do Imperio.
Decreto n. 3,364 de 17 de dezembro de 1864.
Pronga as disposiges do art. 486 2 n. 5 do re-
gulamento das alfandegas do imperio.
I sando da autorisacao do art. 23 da lei n. 1,177
de 9 de setembro de 1862, e visto o art. 172 do
regulamento de 19 de setembro de 1860 ; hei por
bem promgar at o ultimo dia do anno de 1865 as
dispostodes do art. 2 n. i^dos regulamentos das
alandpgas do Imperio.
Carlos Carneiro de Campos, do meu conselho,
senador do Imperio, ministro e secretario de estado
dos negocios da fazenda e presidente do tribunal
do thesouro nacional, assim o tenha entendido e fa-
ga exeeular.
a P.oi'ido Rio de Janeiro.em 17 de Dezembro
de 1834, 43 da Independencia e do Imperio.Com
a rubrica de S. M. o Imperador.-Car/ei Carneiro
de Campos.
6* secaa- Rio de Janeiro.Ministro dos nego-
cios do imperio, em 12 de dezembro de 1864.Em
resposia consulta por V. S. feta em offlcio de 2
do agosto ultimo, tenho de declarar-lhe, de accordo
com o aviso do ministerio da fazenda de 6 desle
mez que, sendo certo que os espolios dos bispos
regulares fallecidos ab intttato (nao assim os dos
seculares) pertencom sua igreja, islo ao bispo
successor para os despender as suas preeisoes
epis.-opaes, e as da cathedral, parochias e clero
'la diocese, conforme as disposigoes comidas na
-gia de 7 de junho de 1784. Res. de 17 de
j 1793 e provijoes de 5 de Janeiro de 1800
abril de 1815, claro que, na cooformida-
direito e dos estylos sempre observados, os
que constituem o espolio do bispo ex regular
-sa dioeese, D. Joo da Purfieacao Marques Per-
gao, deven Bear em arrecadagao no juizo com-
ptenle para serementregues ao seu successor, co-
mo determina a ultima daqnellas provisoes.
Quanto aos impostos devidos, embora o mpt
- hsieaha. de urna soluco acerca da dcima da
I-vados, por ser o imposto provincial,
" !">pn i" >. ... v.-ia pa-i
:?g..dv est-Uel :i.!afo
a".r.. Jo. "en'aJeira hci.n-j. i*!elato a sue-
eessor, como cxrr" -'-"" '"' "r-' f'exrminj a i
refer! i projsao de 18! >, c.iinyrind( *
s n'- se; W oportunamente pagos es aofi-
o proporcin;.! e os direitos _e habilita*'
1 attqnUs as disaosiees citadas,
uard) r. V. S. Jos hbei
Sr. Wgarw capitula i dai :es-> da
do dia antecedente (27 do mesmo mez), nao se a-
presentou praga alguma ao .subdelegado do pri-
meiro districto da fregnezia da Boa-Vista desta ci-
dade, para o servico de rondas: assim o commu-
nico V. S. para providenciar a respeito como con-
vem, teodo attencao a inconveniencia que de se-
meihante omissao pode resultar.Coinmunicou-se
ao Dr. chefe de policia.
Dito ao mesmo. Nao obstante s intormages
ministradas pelo delegado do cirurgio mor do
exercito e o lenente-coronel director do hospital
militar a queallude o offlcio de V. S. n. 2308 de 28
aforamento o terreno alagado de que est de posse
na ra do Santa Rita desta cidade, que em virtude
da lei de 27 de setembro de 1860, art. 11 7o, e
circular du 29 de covembro do mosmo anno, esto
os presidentes de provincias autorisados para con-
ceder nao s os terrenos de narinha, como tam-
bem os de alluvio, alagadas e outros de qu
trata a mesma lei : o que communicoa Vmcs. pa-
ra que o facam constar a predita cempanhia.
Portara.O vice-presidente da provincia tendo
em vista o que requereu o Io escriturario da
thesouraria provincial Alexandre Americo de Cal
^??l[rj!u.^!5lMe^oque,d,vem seT reco.lnjdas .* das Brando, e bem assim o que a esse respeito
informou o respectivo inspector, em offlcio de 24
do crreme, sob n. 564, resol ve prorogar por 2
mezes a licenca que obteve para tratar de sua sau-
de, sendo para isso observada a disposigo do ar-
tigo 49 do regulamento daquella repartigao.
Dita.Os senhores agentes da companhia bra-
sileira de paquetes mandem dar transnorte para a
corte, por conta do ministerio da guerra, no vapor
Paran, as 30 pragas de pret mencionadas na re-
lago por epia inclusa. -Communicou-se ao co-
ronel commandante das armas.
Despachos do dia 29 de dezembro de 1861.
Requertmenlos.
Antonio Dpocleclo Gonzaga. Como requer.
Anna Maria da Goneeigo. -Informe o r. ma)or
* director do arsenal de guerra.
Ignacio Joaquim de Santa Aana.Nao tem lugar
o que requer.
Hzrreso.
uaoibuejO.
ministerio da justlca.
2' secgao.Ministerio dos negocios da justiga.
Rio de Janeiro, 12 de dezembro di 1864.-lllm. e
Eim. Sr.A S. M. o Imperador foi presente o offl-
ca dessa presidencia de 10 de siembro ultimo,
subuielieudo a consideragao to gobern a deciso
dada consulta do joiz de dlreito da comarca do
Bonito, sobre a incompatibilidade 4o tenente-coro-
ael Ja Joaquim Bezerra de Mello e do ex-eollec-
tor Antonio da Costa Mello Luna, para exercererrr
i cargo de juiz municipal supplentp. O mesmo au-
gusto senhor houve por bem approvar a deciso
relativa ao teneutu coronel Jos Joaquim fiezorra
de Mello, declarandoo incompativcl para exercer
o carjio de juiz municipal supplenie, o que est de
accorio com o disposto nos avisos de 24 de julho
de 185o e 3 de junho d.e 1863.
Quauto segunda parle da consulta, que se re-
fere ao 2 supplenie do mesmo juizo municipal do
termo do Bouilo, Antonio da Ca>ta Mello Luna,
nianda M. o Imperador declarar que, vista dos
avisos do ministerio da fazenla fle 27 de abril de
1833, de 15 de abril de 1834, de 4 de junho de
1847, de .18 de margo de 1854 2, e de 7 de agos-
* to'de 1860, ha manifest incompatibilidade entre o
lugar de collector e o cargo de juiz municipal ; e,
tendo o dito Luna exercido o lugar de collecior de-
cois de nomeado 2" supplenie de juiz municipal,
so fado reuunciou este car_'o. e nao pode por is-
j assumir o exercicia respectivo, devendo a vara
arrecadago do almoxanfado daquelle estabeleci-
mento as roupa3 e lougas empregadas pelo respec-
tivo primeiro medico, menos as camisolas que de-
voro ser devolvidas ao direclot do arsenal de guer-
ra para mandar rasgar mata as aberturas.Nes-
te seHiido offlciou-se ao director do arsenal de
guerra.
Dito ao Dr. chefe de policia. Remello V. S.
o incluso requerimento, em que Manoel Ferreira
da Suva, faz ver que estando preso a ordem do de-
legado de policia do termo do Limoeiro, Claudino
Correia de Mello, foi solt pelo juiz de dlreito da
comarca, a quem requerera ordem de habeas-cor-
pus : motivo, pelo qual o referido delegado lornou-
o a prender declarando que elle cava preso a sua
ordem para recruta, e nao contente com isso f-lo
por na enxovia, amarrada com cordas e com os
pulsos em algemas: cutnpi indo que V. S. mande
informar ao dito delegado com o que Ihe occorrer,
ordenan Ij-llie que inmediatamente faca tirar as
cordas e algemas ao paciente Manoel Ferreira,
pois que, se a enxovia era bastante segura para
este, quando era considerado preso de justiga, nao
o deixou de ser pelo facto de ser elle recrulado.
Dito ao inspector da ihesouraria de fazenda.
Remella V. S. para a corte no vapor /'aran, para |
o que icam expedidas as convenientes ordens, as
barricas com semenles de algodo que se
rain apromptar em virtude do aviso do ministerio
da agricultura, commercio e obras publicas, de 12
de setembro ultimo, apresenlando-me a conta do
que se houver despendido com a acquisigo das
referidas semestes.Expediram-se s necessarias
ordens.
Dito ao mesmo.Communico V. S. que o ba-
bharel Antonio Rogerio Freir de Camino, renuu-
Lia..uj o resto da licenga que obteve, reassumio
era !l do c irrtu;" o ex'""i<*i'> do cargo de promo-
tor puJIi-.o da '.'on>a; .. i< Formo.-o.
Ditoao eosai de Poi tugai.Respondendo ooffl-
lcloqaeet2 do coi- ;. re dirigi o Sr. Dr.
' .Uaudirc do Araujo G^; .i,.ys, cnsul de Portu-
1. al cestr provincia, te: dizcr-lhe, que nao es-
, cu ''-i:- f'i ra compreh}?ndido as
j disposlgai rl<. i;;. % ^ egulamenio doir^jmei-
ro de mai< 18
i lo bi na como informou o cora-
r -s, em data de 26 deste
mez, so o governo imperim, a cujo conhecimento
vou levar o citado ollicio, pode coiiceder-llie escu-
sa do servigo, como solicita o mesrbo Sr. cnsul,
allegando ser subdito porluguez o referido Isidoro
Vieira de Castro,
Renovo-ao Sr.-Dr. Claudino de Araujo Guima
sua recepgao, tem tido ovagoes em toda a parte, e
os povos dos ducados, que j se acham linas da
presso austro-prussiana. tem feito manifeslagoes
inequvocas da sua adheso ao soberano dinamar-
qus.
Continua a polmica que o tratado de paz
promoveu na imprensa dinamarquez, entre os
segundo o direito das gentes, todos aquelles navios
sao de futuro considerados prussianos.
O gabinete auxtriaeo tinha proposlo a creagao
de urna bandeira schleswig-holsteineza, mas recu-
Sando-se a l'russia a aceitar a proposta, e havendo
dado aquella autorisagao, a Austria autorisou tam-
bera a marrana dos.ducados a usar do pavilho
namarquezes e scandinavos. O partido moderado
ataca os orgos dos partidos extremos attribuindo-
Ihes a violagao das promessas contrahidas; e sus-
lentando que ao despreso de lodos os inieresses
dofaizdeve a Dinamarca ter sido arrastada
urna guerra insensata, cujos resultados foram to-
dava muito mais felizes e honrosos do que aquel-
les que se poderiam esperar, se os anteriores mi-
nistros se conservassem {rente do poder. Os
orgaos das ideas extremas sustentam que o Ira
lado de paz a fracto da poltica reaccionaria que
existe no poder e que a paz deshonrosa. O par-
tido scandinavo propala pela imprensa as snas
douirinas, que vao achando ocho, pois tendem
reslauragao e engrandecimento da Dinamarca;
mas alera da opposigao que encontram no paiz as
suas bielas, as potencias do norte e especialmente
a Riijsia nao se mostram favoraveis urna corabi-
nago que encaminhasse a definitiva junego da
Dinamarca com a Suecia e a Noruega.
As cmaras disentem e votam a nova constitui-
dlo e a lei eleitor.il, tratando tambera da queslo
j das alfandegas e dirergao administrativa com re-
o Sr.
pascar ao 3o supple
Di-us guarde
do.Sr. presidente
iciai
xcFrancisco Jos Furia-
rovincia de l'ernambuco.
Jos Franeisco do Reg Barros.Informe o Sr. ,a5So as fronteiras recentemenle establecidas.
Dr. chere interino da repartigo das obras pu- O ministro do reino publicou um manifest di-
blicas. zendo que se ia crear urna cornmisso de inqueri-
Jose Flix Rodrigues.Informe o Sr. Dr. juiz to> oiarregada de calcular os prejuizos solTridos
municipal da vara. Pe'os habitantes da Jutlandia, em consequencia da
Jos Vicente Ferreira da Cosa.Como requer ecupago pelos exercitos allemes.
vista da informagao do commando das armas. ~ "onflicto que se levantou a respeito dos du-
Maria Magdalena de Carvalho. -Como pede. Em cados parece encaminhar-se a una sokigao pacili-
levado ao conheci- ca- gabinete prussiano exiga a execugao com-
pleta dos ducados p las tropas federaes, e a Aus-
tria desejava, para satisfazer os estados da federa-
gao, que se conservassem no Holstein as tropas fe-
deraes, at que a sorte daquelle paiz eslivesse defi-
nitivamente decidida.
O Hanover respondeu a intimagao do gabinete
prussiano que eslava prompto a retirar o seu con-
tingente, mas a Saxona nao respondeu, propondo-
se recorrer dieta para tomar urna resolugo a
este respeito. A attitude provocadora da Saxonia
era considerada em Berlim como consequencia da
! poltica hostil da Austria, e resultado de um accor-
do secreto entre o gabinete de Vienna e os estados
secundarios da Allemanha, di^igido^ pela Saxonia.
O Wiinistro austraco, conde de MendorfT, propoz
que a Prussia e a Austria annunciasscm dieta
ni nda addila[nento.-Seja o presente le
ni"r n,e, da a">eridade, a cuja disposigio estiver o
filho da suppticante.
Manoel Gomes da Silva Jnnior.Informe
Ur. juiz municipal da 1* vara.
DIARIO DE PERAMRUCO
Temos vista cartas e jornaes da Europa, tra
zidos pelo vapor inglez Magdalena, alcangaado os
de Hamburgo 5, de Londres 8, de Pars e
Bruxellas 7 e de Lisboa ISdopassado. Eis
o que coltiemos d'uns e outros.
Dizia-se que o marechal Saldanha seria chama-
d. .4S^? por causa das negociages com a cor-1 que em consequencia do tratado de
*o fedef"*
Porto; eslava borneada a grande commissao para \ c'ss:ibtlsi ducados do Schleswigllolstein, Lau-
to de Ro
e-lar servindo no exerc-" Progrediam as obras do pitelo do g&uftu.
jornaes conservadores e moderados, e os ultra-di- i austraco, gosando os navios que adoptarem a sua
- bandeira, a mesma protecgo que o imperio con-
cede sua marinha mercante.
Chegou Vienna o principe de Hohenzollern,
que se suppoe encarregado pelo rei da Prussia de
urna misso confidencial junto ao imperador Fran-
cisco Jos.
Diz-se qae vai encelar negociagSes entre as duas
potencias para que Vanesa seja eneorporada na
confederagao germnica, consentlndo a Austria em
coinpensago na inlora uniao dos ducados Prus-
sia ; mas .este boato nao pareco ter fundamento,
pois Mr. de Bismark so lera semprs recusado
que Veneza seja considerada territorio allemao,
pois esse passo traria a entrada dos Francezes as
provincias rhenaBas.
A mensagem da cmara dos senhores do ni-
chsrath austraco paraphraseouo discurso da cora,
ao passo que protesta da parte daquella assertbla
a maior dedlcaco para com o imperador.
Na cmara dos depulados a commissao apresen-
lou o seu projecto de mensagem. Tem havido gran-
de opposicao ao governo ; as explicacoes dadas
pelos ministros nao tem satisleito a cmara, e prin-
cipalmente no que loca a responsabilidade minis-
terial.
Mr. S..ierling declarou que se nao poderia tra-
tar| desta lei em quanto todo o imperio nao es-
livesse representado no parlamento, accrescenlan-
do que se nao lera sentido a necissidade dessa lei,
e que o desenvolviraento da vida constitucional da
Austria nada tem soffrido com a demora. Estas
explicagoes produziram grave sensagao na esquer-
da da cmara.
A maior lula da opposigao contra o governo tem
por theraa a queslo do estabeleciinento do estado
de sitio na Gallzia. O governo declarou que esta
medida era da competencia do poder executivo e
nao do poder legislativo, oque linlia sido dicta-
das pela necessidade de garantir o paiz contra as
consequen;ias da revolugo polaca, e de manler a
seguranga dos habitantes pacficos. As interpella-
goes e as aecusagoes cruzaram-se e o ministro do
reino Mr. "merling, ra>lado a dar novas, explica-
goes, sustentou que a cmara nao (una poder i>-
ra obrigar o governo a dizer aquillo que entenda
nao convinha aos interesses do imperio; a can*mr
depois de acalorada discussSo votoj '^,.B _.
maiona a parle da meosage- '" conv,da 8'
paz aexecu- verno dar explicaco-'f1"^ d"s T'^LTJr
I gao federal nos ducadjs i nia iinh*ar.3ouUjv-- '*&"+ w*-V-*ips':",.a "ll0- d'we,,
.....* r.rtfc,..-Jrc^Tiavfa leilo tTma exposicao dos resultados da ir
nnr isso nao t10 mltmo A DTRailiaTC
dirigir os trabalhos da exposigao iaternacionaU O \ embargo ao imperador da Austria e ao rei da Prus
presidente da commissao S. M. o Sr. D. Fernn- j sia, mas ane querendo as dnas -potencias dar a
dol, pai do rei. dieta urna prova de condescendencia, convidaram
xposTpo dos resultados da medida, na con-
fonnidade da constituicao do imperio. Foi um ver-
dadeiro cheque parlamentar.
Varios oradores combateram a poltica ministe
rial relativa aos ducados, e ao i aragrapho poltico
Esptraya-se que a prxima sessao parlamentar aquella assembla a indicar um corpo de tropas j que aella se refere.O conde de Mensdorff atlnbue | nuaeii> para a'dotarao do principe
fosse muito agitada. I federaes, que tomasse parte na occupagiio proviso- labilidade e prudencia da poltica austraca ter-se i gsl aUomeoto Ue dolaco uh
A corveta Barlholomeu Das, que fazia parte da ra dos ducados. Esta proposta, porra, nao satis- i evitado urna guerra geral que eslava Imminente *-*
divisao naval destinada a vir ao Brasil, tinha en-: fez Mr. de Bismark, porque apezar de consignar os! quando rompen conflicto com a Dinamarca.
res.os meus protestos de estima e considerago. Irado nu dique do arsenal para coneertos urgentes, direitos da cessao, assegurava ao mesmo lempo a
da guarda na- fleando assim demorada a partida d'aauelle e dos | dieta, n
Ministerio da marinha.
Aviso de 21 de ezembiy de 1864.
Eleva a 3o o numero de ISTleis Se commissao, para
servir em'os navios da .inunda, na falla de fiis
Dito ao commandante superior
cional de Cabrob.Por nao estar disposto a fa-
zer nomeacoes para a guarda nacional, salvo as
que forem de urgente necessidade, ao Exm. pre-
sidente nomeado para esta provincia, quando che-
gar, apresentarei com outras a proposta para at-
ieres da companhia avulsa de reserva n. 5, que
acompanhou o ollicio de V. S. de 27 de uovembro
prximo lindo, a que respondo.
Dito ao commandante do corpo de polica.In-
forme V. S. se houve no corpo de seu commando
um soldado de nome Roraao do Reg Barros, quan-
do, e poique motivo deixou de pertencer ao dito
corpo -^~\
Dito ao mesma -PdeJvVS. faier engajar para
o servico do c^rptrsoB seu commando o paisano
Sebastio Ray'mundo tlammba, que para isso foi
julgado apto,^.cerno consta de seu otlicio a. 588,
desta dala.
Dito ao capitao do porto.Respondendo ao seu
offlcio de hontein, sob n. 137, tenho a dizer uue ti-
co sciente de liaver Vmc. providenciado acerca da
retirada dos navios que achavam-se atracados ao
caes do baro do Livrameuto. na volta do forte do
Millos, alira de nao ser damnificado o predito
caes; devendo fazer o mesmo qnauto aos vapores
da companhia Pernambucana, noconsenlindo,qn amarrem ao caes se com isso Ihe causarem o me-
nor damno.
Dito ao primeiro lente Manoel Carneiro da
Rocha. Recebi o seu offlcio n. 2, de 27 do cor-
rente, e ficando sciente de MM o brgue escuna
Tonelero, sob seu commando, sabstituindo o bri-
deraais navios de guerra porluguezes.
Os jornaes hespanhes, que deffendem o mi-
nisterio, negam o boato espalhado pela opposigao
de que o governo nao appre corpa no acto da abertura do parlamento, para
assim occultar meitaor as suas inteng5;s; e alflr-
maui que o gabinete ha de mostrar qoal a sua
no regulamento definitivo dos negocios dos
ducados, amainfluencia que a Prussia Ihe nao quer
ceder.
O governo austraco hesitou, e afinal cedeu a po-
ltica prussiana. A Prussia preparava-se para ob-
ter a sahida das Iropas federaes por meio da torga,
O governo reconheceu a necessidade de fazat
economas em todos os ramos da adminislragio
e declama que a Austria eslava prempta para des-
armar voluntariamente, masque estas medidas de-
viam comegar por outros estados.
A mensagem da cmara dos deputados um
documento curioso, porque desenvolve a situacao
concenlrando-as de modo que vexassem a Saxonia I do imperio, e traga ao governo o caminho que de-
e Hinovre, e recusando-se a entrar em negociacoes! ve seguir para melliorara situacao. Pode-se coosi-
verdadeira signilicago, indicando com clareza os para se regular a queslo dos ducados, em quanto i derar este documento como a ex'pressao da opiniao
seus projectos polticos e administrativos. a dieta nao derogasse o decreto obre a execugao publica, acerca dos negocios internos e externos e
Entretanto a imprensa progressista e democrti-
ca mostra recelos de adopgao de medidas enrgi-
cas e menos legaes. Os partidos agilam-se, e a
opposigao reage contra o que chama tendencias
anormaes do governo; pde-so, pois,receiar algum
acontecimento devido excitago dos nimos e aos
trabalhos do partido progressista tendentes a en-
camiuhar a governago do estado no sentido das
Ideas liberaes.
O governo tenciona publicar urna circular que,
federal. da poltica do governo austraco, porque obra de
Dizem, porra, de Francfort que a dieta adoptTa urna commissao eleila pela maioria do reichsrath.
a proposta austro-prussiana per nove rotos contra i a mensagem acompanha o governo no desejo de
tres, pedindo a sua demissao os commissanos fede-1 ver rastabeleeer urna paz geral duradoura, coosi-
raes. I dorando essa paz como condgo ndispensavel pa-
A commissao de inquerito, composta dos com-1 ra a prospendade interna ; nesta parte a cmara
missartOS des estados mJtoS da Allemanha, e de deixa ao governo toda a liberdade, sem qu;rer
um commissario prussiano, cncarregada dse pro-1 entrar as suas ideas, nem prejudcar a attitude
nunciar acerca do incidente de Bendslmrgo, con- que entender dever tomar,
cluo os seos trabalhos, resolvendo que as tropas | Quanto que.-Uo allemaa, nota ao governo que
direitos que as leis e a conslituigao conferein,
mostraudo ao mesino lempo a rosolugo em que
est o goverao de proceder contra os que machi-
narem, ou teutarem excitar os povos. O governo
quer por termo s sociedades que tem -um carac-
de i' e V classe do corpo d ofnYiaes de fazenda, I J^Jf SS^pS SSofi? Vmc W
^r-T^^r dergad aV'S ^ 6 ^ N- 5SSJSSU5 e cons'derago.
Ie" s?L rfa ui-, uini,,.^ Aa Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
, SfSri^ f 17 ip-h mhn?i S V,no- forn,'cer Cm urgencia' comef se Ihe recom-
c.os da mannh.. e n 21 de Dezembro de 18b4 -, ^ racj d ,, g COrrente, as duas
IC n.m r ,L^ Ll^fnl ,r. ibandeiras V <** Alele coto drigs mencio-
Vrtl?* r^^T$ ?v 1L^ em um pedido do commandante da fortaleza
i-do aviso regulamentar de 6 de Novembro de d B d ^ h d d t
18oi, para satisfazer as emergencias do servigo da Dj ^S^asModo tOtSes que Vmc.
armada co.no ponderou a m endencia.to marinha me d em ^ P m
em ofJBcio 180 de 10 do crreme mez SM o ; ,39 de,arando.lne que ^ falta de credlt0 na
Imperador ha por bem derogando aquel e artigo ^ _arseDaes de uer^=do exercio de 1863 ,
mandar eleva ^ M >>" j' L4* ?A8,,?J* I !86i nao podem ser satisfeitas por ora, segundo
^>W?^^*^to GeS:;Hn0*,'p u rTT?\J^ n as disposigoes do referidoavisa u que communico d m "
a n S- ^rrt^i v ge251^f Tn. P/n D,l a mesmo.-Mande Vmc. fornecer a com-
trataudo da ordem publica, tem por fim regular os banoverianas vollariam para Rendsburgo afim do nao deve saerficar as sympalhias da Allemanha
manter .all a guarnigo, conjunctamente com o para secundaras opinioes particulares da Prussia,
contiugente prussiano. e convida o governo a proteger o direito federal,
Em virtudo deste ultimtum dizem de Kiel que, a continuar com energa a obra da reforma fede-
vo marchar para o Rendsburgo deslacamenlos ral e a por finalmente barreiras s tendencias ab-
aaxonios e hanoveri/nos, para oceuparem urna sorventes e dissolvenles que araeagam a Allema
ter poiitieo; e que nao estao constituidas segundo parte da cidade, mas estas torgas de vem llcar com- nha. Quer que o sangue derramado pelos solda-
as disposigoes das leis. pletaraenle independemos das autoridades milita- dos do imperio, a favor da causa dos ducados,
Falla-se no marquez do I)-raro para presidente res prussanas, as qua>'s todava, Ihes prestaro as approvcile aquelle paiz, manifestando o desejo de
do senado, e no Sr. Rios Rosas para o do con- honras militares do esiylo. que o governo termine a sua obra, prestando o
Sr^so. E* evidente que a Austria foi obrigada a manter- Sl}U concurso confederaco, e auxiliando quel-
Houve um acto de insubordnagao no collegio se a'uma attitude passiva em frente dos planos de |es pvos na^xerccio dos seus direitos, para re-
de artilheiros dffsegovia. Pelo iMuerilo a que se Mr. de Bismark, que nao cede a sacrificios alguns ,u|arem iFemente os negocios que Ihes aizem
procedeu Uearam implicados 22 ffumnos, que fo- para levar avante as suas ideas; e a Austria nao respeito. ^'
ram mandados servir por lempo illimitado no re- poderia na actualidade emprohender urna guerra a mensagem foi approvada, deveado Ser apre
giment de infamarla aquartellado em Ceuta.* Os com a Prussia. sentada brevemente ao imperador, por escripto.
lIlimnAJ ll"li. lU A queslo polaca parece querer revi ver; nota-
marinha.
Elevo a 30 o numero de 18 fiis de commissso
para servir em navios da armada na falla de fiis!
de 1" e 2' classe do corpo de offlciaes do fazenda \
fieaoJo nesta parte derogado o aviso de 6 de no-
vembro de 1861.
GMKN'iO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 29 de dezembro de 1864
Offlcio ao Exm. conselheiro presidente-do supre-
mo tribunal de justiga. Transmuto a V. Exc. a
pamento, utensilios e mais objeclos mencionados
nos dous inclusos pedidos, rubricados pelo coro-
nel commandante das armas.Communicou-se ao
coronel commandante das armas.
Dito ao Dr. juiz de direito de Flores.-Cumpre
que Vmc. me remeta com urgencia a informagao
exigida por despacho de 8 da ootubro ultimo, lan-
gado em um offlcio de 8 de setembro, era que o
juiz de paz da villa de Iogazeira communicou a
esta presi leneia as razoes que o torgaram a aban-
donar a eleigc de juizes do p% e vereadores a
que se procedeu naquella villa no dia 7 do refen-
rido mez de setembro.
Ditoao subdelegado da freguezia do Cabo.
resposta que ern 23" Jo corrente den o juiz de di-! Constando de offlcio do eogeaheiro fiscal da erlra
reito Manoel Clemeatiao Carneiro da Cuuha por-1 da de ferro, desta data, que de uma das casas do
taria, sobre reclamago de antiguidade do juiz de i engenho Utinga dessa frnguezia, costumam langar
direo Jeronymo Mximo deOliveira e Castro.
Dito ao Exm. visconrte da Boa-Vista, comman-
dante superior da guarda nacional do Recife.Nao
eslou por ora disposlo a conceder dispensa a guar
peJras sobre os trens de nassageiros da mesma
estrada, quando per alli transitara, sendo que hoje
por occasio da passagem do trem por aquelle
ponto da linha, testemunhou aquelle engenheiro
alumnos ru escollados at Ceuta por cfocoenta Pelo que se deprehende dos jornaes prussianos
nomens, focando pequeas marchas, nao se Ihes o plano de Mr. de Bismark promover uma uniao serrando agagao entre os polacos em Kiew,
permittindo porm que deixem de ir a p. intima de toda a Allemanha do norte com a Prus- Waa o Odessa Alguns jornaes russos aconse-
Mr. Mercicr, embanador de Franga em Madrid, sia, procurando depois attrahir o maior numero de n,am 0 governo a suppnmir completamente a Po-
fui recebido no dia 27 ern audiencia solemne, pa- pequeos estados para fundar um novo imperio i0nia, e dizem que ne havendo questao polaca
ra apresentar as suas credenciaes. que possa arrastar pela sua torga as influencias da nem para a Prussia, nem para a Austria, nao vem
A paz da Dinamarca com a Allemanha est Allemanha; a Austria seria convidada a adherir a a raza0 porque ella ha de existir para a Bussia.
definitivamente concluida. Veriflcram-se as tro- estes planos, mediante certas concessoes a Allema- o genera Berg recebeu novas instrucgSes para
cas das rauficagSes, e comegaram j a retirar se nha do sul ; mas se esta potencia recusar adherir transmiltir brevemente um relatorio circumstao-
as tropas de oceupagao. j a este plano a sua situago discordante nao impe- cado acerca do estado geral do reino, e principal-
0 governo dinamarquez apresentou s cama- dina a coosumagao da obra. I menle da cidade de Varsovia, designando os dis-
raso projecto de lei relativo onstituigo. A Diz-se que Mr. de Bismark procura enlendec-se' trPl0S onde ^ podC) sem desvantagens para o go-
antiga lei fundamental nao continuar em vigor com o gabinete de Londres sobra a annexago dos verno> levantar o estado de sitio ; e deve fazer as-
senao no reioo, e nos pomos do Schleswg que pe- ducados Prussia, e pelo que toca ao gabinete das $ignar pelos .habitantes dos differentes dlstrictos
lo tratado ticam encorporados Dinamarca. Tuilharias, o gabinete prussiaao submetteria a uma mensagem ao Imperador, pedindo instante-
O rigsraad ou dieta particular, tica suppnmi- questao do Schleswig-Holstein a um congresso, U--m?H< a incorporaco plena e completa do reino
da; a representago nacional composta da cama- sonjeando desle modo o imperador Napoleo. -| d peona ao imperio russo.
.ra baixa (olkeiins), que comprehende 102 mem-1 O rei da Prussia enconlrou um competidor para i
bros, e da cmara alia (eandetins) que contar 6a o ducado de Lauemburgo, que, como sabido no(j Havia muito que se discuta as jegioes gover-
membros. Doze membros da cmara alta sao no- entra na successao dos ducadosdo Sshleswig-Hols-; nativas a conveniencia da suppressao dos conven
meados pelo rei, os outros 53 sao eleitos, dous pe- telo, reclama la tanto pelo principe de Augustem-, tos polacos. A altitude firme de S. Santidade pz
los territorios ltimamente encorporados, e 51 por burgo, como peto grao-duque de Oldemburgo. O i pressar a deciso do negocio,
todo o reino. O mandato dos membros eleitos principe Frederico de Hesse, que cunhado do rei
de oilo annos, e dos membros nomeados pelo rei, Christiano de Dinamarca, e herdeiro do eleitorado
durar doze annos. I de Hesse, considera-se como successor legitimo
O rei Christiauo IX de Dinamarca, dirigi aos do fallecido rei de Dinamarca Frederico VII,. apre-
seus amigos subditos, que actualmente pertencem sentn -lela uma memoria para estabelecer os
seos direitos.
A situago d i Lauemburgo merece tanta atten-
gao i Prussia como ao eleitorado de Hesse. O elei-
tor deseja, pois, arredondar os seus dominios com
aquelle territorio que tica encravad na Prussia.
O eleitorado de Hesse continua na mesma si-
tuago em consequencia do estada em qu se acha
da nacional algum dos corpos deste municipio, arremessarem uma grande pedra que,cahindo den-
alira de nao dimiuuir o numero dos promptos, vis-1 tro do carro de viajantes de 2o classe, parti a
to como sao el les necessrios para coadjuvar a cabega de um empregado encarregado do servlgo
tropa de primeira linha j muito resumida, e qoe do correto, fazendo-lhe uma profunda cicatriz, e
nao pode comportar o servigo da guarnigo da j informando mais o predito engenheiro que em ter-
praca. ras do engenhoCedro pertenec te a essa mes-
Assim, pois, resolv deixar o requerimento do ma fregnezia, tambem se tem encontrado pessoas
guarda do sexto batalh> de infamara, Tertuliano j que praticam actos idnticos : recommendo a
Ernesto de Moraes Carvalho, sobre que versa in-! Vmc. as necessarias providencias aflm de evitar
formaran de V. Exc de 24 do corrente, para ser j que se reproduzam taes fado*.
tomada em considerago pelo meu successor: o I Dito aos agentes da cempanhia brasileira de
que declaro V. Exc. para seu conhecimento. j paquetes a vapor.I?m aviso de 7 do corrente,
Dito ao coronel comipaodante das armas.Cons-1 declarou o Exm. Sr. ministro da jfazenda, a cujo
ando de participio do Dr. chefe de policia de j cpnhecimnto foi ubmetlido o requerimento da
28 do corrente, sob n. 1626, que at a meia noite' companhia brasileira de paquetes, pedindo por
Allemanha, uma mensagem, manifestando o seu
reconhecimento pela fi lelidade que sempre teste-
munhuram casa roal dinamarqueza. Alera des
ta mensagem, fez uma proclamado aos habitantes
da Diuamarca, em que, mostrando el-rei Christia-
no os sacrificios dolorosos que a paz de Vienna
consummou, termina com estas palavras : Til-
do est perdido, menos a esperanga; o futuro o seu soberano. A cmara resolveu expr ao prin-
pertence aquelles, que lem uma vontade perse- cipe, n'uma mensagem respeitosa, mas (irme, s
verante. > j priocipaes queixas do paiz e a impossibilidade de
Este documento produzo grave sensagao no pu- governar como elle o est fazendo.
blico. O governo de Copenhague aind confia no '
futuro, e apesar das clausulas do convenio, das
ce>s6es de territorio, espera dos acontecmentos,
a recompensa do valor com que os soldados dlna-
marquezes lutaiam contra exercitos excessivamen-
te mais numerosos.
Trata se da reorganisago do exercito, e da ad-
minir-iraco interna do reino, sendo supprimido o
commando em chefe, e voltando o exercito ao seu
antigo estado.
O rei de Dinamarca tem visitado varias-cidades
da Jutlandia, mas aposar de ter recommendado
s autoridades jutlandezas que pedlss-m aos po-
vos qu nao fkessem despegas ostontosas para a
Esla mensagem deve ser entregue ao eleitor por
uma depulago; nao se espera bom resultado des-
ta tentativa; ms acamara, procedendo prudente-
mente, (em em vista attrahir as sympalhias dos go-
vernos allemes, e principalmente da Prussia e da
Austria, para sahir de urna situago que julga in-
toleravel.
Os ducados que contara um grande numero
de navios mercantes, nao tem bandeira que os dis-
tinga. O gabinete prussian. P remediar esta
falta, autorisou a marinha dos ducados a navegar
com a baadeira prussiana, sendo em toda a parle
tratados como aavios naoionaes. Esta autorlsagio
o primeiro passo para a annexagio, por isso que,
Pelersburgo o ukase Imperial que decreta a up-
presso dos conventos, e esse ukase foi levado por
Milutua. autor da proposta Era vez de se por era
execugao a medida francamente, o principe T>ker-
kaskoy, frente de um destacamento de agentes
de policia e de gendarmes, invadi subrepticia-
mente, sem aviso preciso, e durante a noite de 27
para 28 de novembro, todos os conventos que de-
viam ser suppnmidos. 0} pobres frades, brusca-
mente atacados, tiveram de se vestir precipitada-
mente ; foram entregues aos agentes encarregados
de os c^nduzir ao caminho de ferro, onde chega-
ram ao romper do da. Depois desta evacuagao
forgada, fecharan) e sellaram as portas dos con-
ventos.
Este acto de violencia, e a maneira por que ro
executado causou enlre a populago a maior el-
fervescencia. Este ataque nocturno contra os fra-
des considerado comoum ataque directo reli
gio, e parece um preludio dos acontecimentos
que succederam famosa operagao do recruta-
mento de 14 de Janeiro de 1863.
As propriedades e bens dos convenas suppn-
midos e daquelles que continan) a existir, tudo
confiscado, e estos bons sero administrados pelos
agentes do fisco russso, c s fleam autorisados a
dispdr dos seus rondlraeotos. Em lugar dos can-
ventos supprimidos o governo russo institue con-
vento; da estado, mantidos ou^ta do thesoujroy
sendo os seus memhro* pagos cama funccienartos

pblicos. O governo de *. Pelersburgo reserva-
se estabelecer a regra para estes novos conventos.
mas j determinou o numero, Unto de frades co-
mo de freirs que deve ter cada um.
Os conventos do estado sao uma creagao comple-
tamente nova ; nesies eslabelecimemos pode-se ver
mais uma prova do despotismo russo, e um meio
de habituar os povos polacos a orar pelo czar.
Uma eommisso especial superintende nesie ne-
gocio, e tem a faculdade de dividir, como julgar
conveniente, a riqueza dos conventos, principal-
mente dos que sao suppnmidos, o que Ibe d un
grande poder sobre o clero, que o governo quer
subjugar para poder mssi/kar a Polonia.
As noticias dos pobres polacos que tem sido de-
portados sao deploraveis ; iodos os das se coatam
novas victimas da tome, do fri e do mao trata-
meoto. Em alguns pontos a populago fanatisada
langa-se contra os infelizes polacos, de puohal na
mo, attribuindo-lhes os incendios que tem devo-
rado dilfereiites cidades. Em Simbrisk e Saratow
tem-se passado scenas atrozes e a pro^ria aotori-
dade moscovita, para evitar tantos exressos, pro-
clamou em varios dislricios o estado de sitio. A
uropa, entretanto, contempla impassivel estes
horrores, e a Russia toma precauces contra to-
das as eventualidodes ; augmenta a sua esquadra
por meio de novas conslruccoes rouraradas, o
manda fazer experiencias de artiiharia de "um sys-
teraa adequado aos novos navios.
Esta attitude da Russia considerada em alguns
circuios polticos como uma araeaga a Europa oc-
cidental. >
A Gazeta de Moscou, orgo do velho partido
russo, diz que a Bussia no interesse da paz geral.
devia sustentar a Austria, se esta potencia livrsse
de defender as suas possessoes*iialianas, e aroo-
selha o governo a urna allianga com a Austria.
Algnns jornaes inglezes e especialmente o
lorning-Post e o Globe sustentara polmica seare a
questao do desanrmnieato das torgas Mvaaa e mi-
litares da Gra Bretanha. O Mormng Posl diz que
o desarmamiento est as iniengdes do goveroo; o
Globe nega esla noticia, mostrando que a situago
actual exige a consrrvagao de torga armada. ''
Morning-Post responde que nao fallara absoluta-
mente em desarmainenlo, mas Sil* mm st'ducges
observando que a poltica ** -A0 mlervengo adoi>-
tada nela Incl?'"" uao exige aw>- '>.'
laua ptid iugi' .,_ .....?, iros mares briun-
T com S 'Istrangeiras, e que e,.e
nonio <- ^ Koverno tem nxado toda a sua
a,,,-v.io. Us dous jornaes mioisteriaes, apresen-
lanJo esla divergencia de opinioes, indicara, que
nao existe por ora resolugo algoma sobre reduc-
go ou desarmamento, e que entre os membros do
gabinete existe desintelligencia, por isso que o mi-
nistro da fazenda se pronuncia por economas, rm-
quanto o da guerra e o da marinha lera opinioes
no sentido da conservagc- do estado actual dos
quadros das suas resreciivasireparlie**.
O gabinete tenciona pedir ao parlamenio, logo
que se rena, um augmento de 50 mil libras an-
de Galles,
fundado na necessi-
dade que o principo lem de fazer despezas muito
mais coasideraveis, em virtude de resolugo to-
mada pela rainlia Victoria, depois da morte do
principe Alberto, conservndose sempre ffastado
da corle e dos actos solemnes offlciaes. Parece
que o parlamento se nao oppor a este aupmeato
de despeza.
Tem causade muito interesse a carta que
Mr. do Persigoy dirigi ao redactor da l'ressr, Mr
Einilede Girardio, apuntando algunas ideas tibe-
raes sobre adminislracao, e principalmente no que
toca lei da imprensa. Coostou logo que o impe-
rador .Napoleo fizera sentir ao duque de Persigo)
o pesar que Ihe causara a leilura daquella carta.
O redactor da Prrsse, Mr. de Girardin, respondeu
ao duque de Persgny corabatendo cerlus reservas
feitas pelo antigo ministro do imperador ; e in-i--
tindo as vaatagens inconleslaveis da liberdade de
i ir prensa.
O duque de Persgny na sua carta citava o perigo
de anticipar a opinio publica, e Mr. de Girardin
pergunta, se elle julga ter sido urna desgraca para
a Franga e para elle Girardin, haver preventiva-
mente manifestado em 1840 o sentimeuio popular
na cmara, onde se apresentou como compromet-
ido n'uma tentativa napolenica, que infelizmente
nao leve (orea para produzr os seus effeitos. A
carta de Mr. de Girardin nolavel pelo assumplo
e pela linguagem; porm, para sentir que a de
Mr. de Persigny nao tenha sido publicada para se
poder avahar a causa da celeuraa levantada coa-
tra este hornera de estado. O Constituonnel faz
speras censuras ao ex-ministro pela sua conv>r-
sao aos principios libcraes
A France pergunta se um hornera de estado sem
exercicio nao pode manifestar uma opinio, sem o
desejo ou vonlade, sem autorisagao do imperador.
A Independence Bel ge diz que isto seria dar mu-
a amplitudc responsabilidade de um soberano e
dilflcullar a ^osigo dos ministros em exerricio.
diante dos discursos ou cartas dos ex-minislros;
que entretanto nao confia muito as ideas liberis
do antigo ministro do imperador; e accreacrab
que Mr. de Persigny, apezlr da desapprovago
semi-offlcial pode ser chamado ao poder, e qae
conviria que alli nao voltasse com uma denomina-
gao usurpada de homem liberal, fazendo alimen-
tar esperangas chimeneas aos verdaderas liheraes.
Fallecen em Pars no dia 2 o ministro dos Esta-
dos Unidos naquella corte, Mr. Daylon; o enterro
verilicou-se no dia 6 na capella protestante dos A-
mericanos, assistiudo a este acto Mr. Drouyn de
I.huys o os membros do corpo diplomtico.
Chegou na noite de 6 a Pars a duque de Ma-
genta, marechal Mac-Mabon, goveroador de Argel.
Os jornaes offlciaes desnuntem a noticia do em-
barque de novos reorgos de tropas para Civita-
Vecchia e Argel, e diz que os 3,800 nomens que
d'alliho de embarcar, sao nicamente destinado*
a supprir as baixas produzdas por licenga defi-
nitivas ou por outros motivos, tamo em Argel co-
mo no corpo de oceupagao em Roma.
O governo romano continua silencioso
respeito do convenio franco italiano. Dizem ie
Roma que no prximo consistorio o Summo Pon-
tfice pronunciar uma ailocucao acerca da siina-
go da igreja ; e nao far promogo alguma de
cardeaas. Accrescenia-se que apezar do partido
italianTrem Roma segua cora o raeihor aririhi-
ment as votagoes do parlamento italiano, e en-
tender que tudo se ancaminhava para uma sola-
cio favoravel sna causa, resolver abster s* de
quaesquer reuniSes eu demon-tragoes fimnltno
sas. A commissao nacional trabalha neste senti-
do, e nao ha receie de que a ordem saja alterada.
Escrevem de Turim qoe o ministerio italia-
no ser modificado, logo que sa verifique a trans-
ferencia da rpita! para Florenca Diz-se que a
nova situago exige novos eonselheiros da canta,
afflrmando-se que o governo actual tomara um
encargo provisorio que eessara no momento em
que as circunstancias exigirem medidas no sen-
tido de uma aova poltica. Indicase para a
presidencia do novo couselho Ricasoli ou Rataxzi.
Os partidarios de Ricasoli dizem qoe esta bornea
de estado s poda ser chamada ao poder pa*
dous annos, quando a qnasto romana ti ver
mais um passo no sentido da uaidade italiana, pa-
lo eumprimenlo dn convenio. _
O parlamento votou w leis de fazenda aprtr


.1
>\-^

Qv
"~T
i
j
f r~rz r



x
JiWi------------
*^
________
Diarto de rernambnco segnnda letra t de Janeiro de f 865
__________
adas DeTo-mThfstnfSelTa. Da poquena'uIscussiioT" "X releico de Lincoln, sondo rfa mais alia im
qae houve sobre estas leis, intcie-se oro a llalla
possue actualmente quinhentas bocas de tozo,
proraptes a entrar em baulha, e qualorz avio!
eouragados, manlendo-se oexercltoem p de guer-
ra, sendtt perlteila a *ua organista- e- dieciplina.
Conslruiramse no paiz 1,300 kilmetros de ca-
ininhos de ferro.
O general Menabrea, defendendo o ultimo go
veruo das acensarles qae llie foram dirigidas,
disse que fdra preciso crear ludo : exercito, i
(im unula, to exclua Ss'Bsperancas de paz. Mac
Clellan, depois do chequo eleitural, resigoon a sita
natent no tereitrj federal.
Falla-se de urna circular de Mr.Seward, que de-
nuncia a' nMstetfeiir de urna conspirado tramada
pelos partidarios do sul, aorados pelos amigos po-
lticos da Mac Clellan. A noticia que o goverco
teve destas maeninacdes fk erara addiar os projec-
toa, mas o plano existe, eesta seis) interior mais
arn motivo para o governo de Washington querer
rrevi.O juiz de paz, Aulonig Bernardo Quin-
ttiro.
Conciliares havidas no juizo dtpm do prtmeiro
iistncto da freguezta do Santsimo Sacramento
do bairro de Santo Antonio da ciiade do Recife
nos annos abaixo declarados :
1884.
1855....
1856....
1857....
1858...
1859. .
1860....
186"....
1881....
1863....
1864.
426
3i8
171
183
185
2o 1
313
711
800
564
378
Mappa dos doentes tratados no hospital Portu-
rinha e caininhos de ferro, que esees tmbalhosnao por termo a lula.
podertaui ter sido execrlos > enormes *- Os commissarios dosal, junto as cortes da Luro-
crlOcios luanceiros, a que se tarima argente al- pa, foram enrarregados de eommunicar ios dife-
teuder; que o esforco havn sido grande e taltei rentes gabinetes as resolucoes tomadas pelo con-
excessivo; mas que chegaia o periodo de des- gresso de Richmond.
canco, que succede a todos os inkalhos. i O prwWento Davis na mensagem quuxa-se das
n pi^ral I nmarmore mostro' no senado potencias europeas que recusam rcconnecer a
qoaeferamas svm Xas tofS pela taita ; confederacao, e diz s nao sendo provave. queo guez *** mez de dezenibro de 1864,
mas ^endo o coveruo interrogado sobre as novas norte se autecipe no reconheciiMiito dos estados sob a direc^ao do r. fiian
correspondencias diplomticas com o gabinete do sul, essas potencias cabe a responsabilidade
francez a especialmente sobre a nota de 7 de no- moral dos sacrificios de gente e de fortunas,
venibro o ministro do reino recusou publicar Os jornaes inglozes publieam a resposta de lord
aquelles documentos, sustentando que a respon- John Russell este manifest em que dtz que la-
sabilidade do gabinete devia ser respeilada, que menta as consequencias desta
quando o governo nao julga dever publicar mais mas eonhere que o grwenno
documentos, a cmara nao podia obrigar a faze-lo.
sem
O senado, depois de longa drscusso, votou
proposla no sentido das ideas do governo.
O ministro da fazenda desmentio o boato de ha-
ver o banco de Genova suspendido o descont dos
seas ttulos.
Os jornaes publieam urna circular expedida pe- da unio.
lula sanguinolenta,
da raioha Victoria ha
do persistir na attiiude quo adoptar, conservando,
nesia grave pendencia, a mais estrella neulrall-
dade.
Pela mensagem do presidente Davis, v-se que
o governo confederado em nada teiu mudado as
suas disposirdes em relacao ao restabeltclraento
Exisliain.
Entrarain.
Sahiram..
Morreram.
Existe....
31
29
21
2
31
lo mmistro do reino, Mr. Perurzi, ao prefeito de
Milao.que receiandj desordens pedia explicagOes
sobre u texto do conveeie franco-italiano.
O miuislro declarou queogoverno scontrahira
o comproinissode nao alterar o territorio poolifi-
co, que a transferencia da capital para Florenca
era ama medida estratgica e poltica, reclamada
pela noVa siiuacoda Italia, relativamente ou-
tras questoes europeas, por occan da sabida das
tropas francezasde Koma; que o governo francez
T nesta medida a garanta de que a Italia emen-
de dever seguir nma poltica que, repella os
roeios violentos, meflrkazes esta circuoistaneias,
e na conformidad* do voto de 27 de marco de
1861. Coala primeiro que tudo para o seu xito
com o deseovolvimenio das torcas moraes, em cu-
ja effiracia Min plena e inteira confian?, que a
garanta otlare-ida I a ornea que nao implica ra-
nunci\ alguna aos principio", nem contradiran
com os votos do parlamento, e qne nao compro-
mette os iufc-resses da poltica italiana, nem
a solucao detttivs da queslao romana, qae em
vio se tem esperado ha quatro annos. Recom-
ienda HnaliB'-nte que continu a tomar todas as
medidas necessanas para manter a ordem, que
nesta occaslo mais do que nanea neeessar.
A cmara chamou a attencao do governo para o
mevimenlo veneuano. As opioides dividiram-se,
mas o ministerio sunientou as suas douliinas, que
tem por base a observancia dos compromissos coo-
trahidos. As allusdes que se tizeram na cmara
a commisso veneziana, que composta de cinco
O projeclo para o alislamento dos escravos nao
agrada ao presidente que s o adopta na ultima
extremldade, julgando nesse caso preferivel que o
estado compre os escravos de que possa carecer
para completar os quadros do seu exercito.
Na noute de 23 ue novembro, houve em Nova
York nma tentativa para lanzar fogo cidade em
nove pontos differentns, ao mesmo lempo. Os
damoosporrnforem pou>oconsideraveis.
O general federal Shernan avancou com o sea
corpo de exercito em duas colamnas sohre Augus-
ta e Macn, assolando o paiz, e qneimando e sa-
que;.ndo a cWade. A cidade de Milledgevllle caho
em poder dos federaes.
Tendo sido chamado Richmnnd parte do exer-
cito do commando do general Earl, o general Lee
pode fcilmente mandar ao encontr de -herman
torcas ignaes as deste ultimo.
Urna proclamado do general Beanregard acon-
selha os habitantes da Georgia que resistam
quanto fr possivel aos federaes, promettendo-lhes
enviar forjas para os socorrer.
Nosso correspondente de Lisboa, ultima hora,
diz-nns o seguinte:
Corra hoje nos crculos mais aniorisados e
da- obteve demisso de ministro da marinha e ultra-
mar. D-se como causa da sna retirada, a ques-
tao pendente com a corte de Roma, por causa da
conflrmagao do his, o de Macan.
Em Janeiro deve chegar da India, o ex-gover-
Os fallecidos foram, nm de amclecidnte e o ontro
de lelano que apenas esteve no hospital 2 horas.
RSFARTtgAO DA POLICA.
Extracto da partedodia 31 de dezembro de 1864.
Foram recolhldos casa de delengo no dia 30
do corrate :
A ordem do Dr. delegado da capital, Joaqoim
/ Manoel Torres, como indiciado em erime, de rou-
boj Candido, africano livTe, para correceo; Se-
verlna e Andr, esrravos; este de Antonio Antu-
nes da Silva, e aquella de Mana Francisca, a
pnmeira requisigo do respectivo depositario, e
o ultimo requsco do respectivo senhor.
A ordem do subdelegado de S. Jos, JoSo, escravo
de Jos Antonio Bastos, rquisigao deste.
O chefe da i' scelo,
/. G. de Mosquita.
Movlmento da casa de detencao no da 30 de
dezembro de 1864.
Existan..... 378 presos.
Entraram.
Sahifam..
5
G
Exstera...... 377
A saber :
Naeionaes..... 297
Mulheres...... 4
Estrangeiros... 24,
Estrangeira.... 2
Escravos...... 45
Escravas...... 5
~377
Alimentados a custa dos cofres provinciaes. 139
Moviment da enfermara do da 31 de dezembro
de 1864.
Teve alta:
Honorato AI ves do Nasciraento.
Kassageiros do vapor inglez Magdalena, en-
nador geral conde de Torres Novas, que geralmen- trado da Europa : Thoraas Jeffries e sua Sra., Hen-
, te^diz tomara conta da pastados negocios da p%^Jg^^f^$^
Ha diversas veroes sobre qoem succeder o co, Godrey O. Mann, Jos Joaquim de Oliveira,
Sr. Mendes Leal. Presmese que am dos outros Dr. Candido Francisco Soares, Joo Antonio Perei-
mfnistros fique interinamente encarregado da pas- ra Lessa, EuzebioRphael Rabello, Manoel Antonio
la, at se abrirem as c6rtes. da Rocha Janlor e saa Sra., Joo Marques Fernn-
Torna a fallar-se em serem adiadas as cortes, des, Jos J. Gomes dos Santos, Antonio Augusto Al-
A directo do Banco de Portugal reduzio o des- ves, Joao Luiz Ferrelra e sua Sra Hisbello Barbo-
crnilo a 6 0o, em attenjao s melhores rondicoes sa da Silva, Joao Flix da Rosa, John Bilis Red,
do mercado monetario e s favoraveis noticias do Jos AI ves Rodrigues, Joaquim Mendes, Joao Fer-
Brasil. nandesde Atmeida, Ernesto Smoes da Rocha.
As transacgSes da nossa praca, com quanto Passageiros do hrigue portuguez Constante,
n3o fossem de grande importancia, foram com tudo' entrado de Lisboa : Jos Gabrie iPinto soares, Joa-
mais regulares esta quinzena. quim Estanilo deMedeiros.
c S. A. o principe D. Carlos j deixou de ser a- Obituario do csmiteriopublico no da 39 d
mamentado. S. M a rainba fez psente de uun pre- dbzembh.0 de 1864.
a sua demissao. Os outros quatro membros pu-
blicaran! em seguida urna proclamagao em que
declaran) que a insurreiciio do Fiwll am erro,
aconselbando os povos venexianos a moverem-se
nicamente a voz de Vctor Emmanuel e do seu
governo
Trata-se
\
de organisar am protesto contra as
opinides da commissao.
O partido de accao Do cessa de se agitar em to-
da a Italia, haveado em algnns pontos maoifesta-
53es contra o soberano. No meado de outubro
appareceram em Genova e Pasta, pasqnins em que
se lia a seguinie ameaca :
i A sociedide viogadora decreta a morte do re
e da aaa dynastia, por ineio do ferro, fogo e da
prisao.
Os pasquins nao produxiram sensaeao as po-
voareo sauito menos no restada ItaMa, onde
Vlnor Emmanuel e rr*peitado pelo seo herosmo e
dedicagao, c como succes^r o victima da liher-
dade.
O general hngaro Turr, qae tinha a patente de
offlei.il general no exercito italiano, e que era ajo
danle d campo de el-rei, pedio a sna demissao,
apesar das instancias do general Lamarmora, d"
ministro da guerra, e de Mr. Ratazzi parasdissua-
dlrem desta intencao conservou apenas instan-
cias do re, o cargo honorario de sea ajudante de
campe.
Este fado d urna certa importancia ao folheto
Intitulado a O.-sao do Ventto, qoe se attribue ao
general Turr, em que se declara que a Austria
nunca ceder essa provincia italiana, e aconselha
a Italia a dar am terrlvel golpe no Imperio aus-
traco.
O raovimentoinsurgente do Fineli est efectiva-
mente terminado. Os chefes conseguirn) esea
par-se ; lem-se effectuado em Vienoa grande nu-
mero de priea em consequencla do movimentu
insurgente do Fineli.
Aleni do estauo de sitio establecido em varios
distnrtos, o governo austraco nao cessa de tomar
medidas preventivas ; depoi> das 11 horas da noi
te ninguom poder acbarse fr a de sna casa ; os
que contravierem esta dispesicao sero presos,
nao estarem munidos de licenga especial conce
dida pelo commandaote militar. A autoridade tem
empregado todos os meios para recolher as armas.
0 rei da Grecia mandou urna mensagem
assembla hellenira, declarando que eslava promp-
to a assiguar a constituico, e a prestar o juramen-
to, mas pede cmara que medite e discuta il us
pontos da constimigao : o primeiro quanto ao clero
catholico na Grecia, que el-rei julga que a condicao
de ser todo composto de subditos gregos possa lerir
as susceptibilidades das grandes potencias, e que
jalgava conveniente tornar mais pralco o methodo
de revisan dos artigo, que na pralica se julgarem
inconvenientes.
Esta mensagem exitou os nimos, dando motivo
discussoes um pouco tumulluo v..to de censura ao gabinete,mas o ministerio oble
ve grande maiora uavoiacao; amaioria da assem-
bla e o publico conhecram a necessidade de
attender s indicavdes reaes, lanto mais que a men-
sagem 4 concebida em terjnos moderados, que nao
forem de modo algum o sciitunento nacional.
Os jornaes publieam o discurso do enviado do
iraperader do Mxico e a resposla Jo rei da Gre-
cia. Na resposla lrae,a o rei George um parallelo
entre o estado da Grecia e o do Mxico, dlzendoque.
os dous paizes.salunJo da anarchia,imp5em quel-
les que os governam a misso de os regenerar; e
que ambos os soberanos foram chamados ao throno
pelo voto popular.
A impri-nsa nton que apesar da semelhanca, a
vida poltica da Grecia se distingue mu lo da do
Mxico, e qtie'as palavras do. rei naopodam lison-
gear o amor proprio dos Gregos.
Um telegramrna de Alhenas diz que ha receios
de de.-ordens as flhas Jnicas, em crisequenria
das ultimas delibcracoes da cmara doe deputa-
do- ; e que o desgoslo e a irritaco augmenta em
toda parte.
A insurreicao em Argel tem declinado. Os
chefes de algumas tribus tem-se submeilido a au-
toridade franceza, o as tribus qae anda aclnal-
mente estao amortadas tem-se dispersado no inte-
rior da provincia. 0 governador traa de solar os
grupos insurgentes, procurando evitar qoe se for-
men) centros de resistencias.
Reoeiam-se novas desordens no Lbano. Jos
Karan, chefe dos maronistas que havia fgido de
Smyrna tornou a apparerer no Lbano, onde foi
muito festejado pelos maronitas.
Por nol:cla* de Messina de 5 de novembro,
conta que o- afgiwnistas estao em completa in-
arreso. Hoovb urna novabatalha entre os Russos
e os montanhezes do Caucaso" em Kein Koetand. Os
Russos perd-ram fi/Wu horaens e incendiaram
desoilo povoagdes.
Em toda a costa oriental da India retentara
de novo um terrivel furacao-, pereceram mimares
de pessoan, e a idade de Masollpatan ficoa Inlei-
rameni submergida.
Houve urna nova sablevaclo dos Mansies
na Australia.
O commercio cora a Europa desenvolvese
rapidam* nte no Jai ** noticias de Madapasear sao mallo curio-
gas. Parte da (opulacSo dailha persiste em acreditar
naexisteneia do mon>irchaRadm ha mestnn qm-m
diea t lo j visio, affirmando-te que a propria
rainlia sabe onde o logar secreto da saa residen-
cia, mas dizwn que ella se nao atreve a entrar com
He em commoniraeoes, por is-o qae os seus cott-
seltieiros alemorisain-a com tf.rriveisvaticlnios.
As ultimas noticias da America inostram a
pessihilidade de um arcordo entre os belligeran
les. Diz se que o governo de Washington flzera
proiiesias de paz aos confederados^ qne o ministro
de Franca, Uvera urna entrevista com Mr. Seward,
ienovando-me os seas offereeirnentos de nter-
ven?lo.
dio ama qae creoa o principe re;
Da carta do nosso correspondente dn Londres
extrahimos as noticias commerciaes seguintes:
O Banco de Inglaterra manim o descont a 7
0/0, e o St.'ck Bank de 6 a 6 7/8. As accoes da via
ferro do Recife fleam de SB 5 a 3? 6 de descont.
O algodao dr Pernambuco tem sido vendido a 27
1/ a 28 d. por 1, o do Maranhao a 28 d. e o da
Baha a 26 1/4-d, e_ 27 d. por sendo e pedido
de O assucar branco de Pernambuco e ParahvWa
est a 23 S. 6 d. e 8 y. pwr i irW.niiMm Ct' ,.
17 s. a 23 s.; o branco da Baha de 21 s. 6 d. a 2t Joaqui
Anna Rita de Lourelo, Pernambuco, 80 annos,
vinva, Santo Antonio; congestio cerebral.
Antonio, Pernambuco, 4 mezes, Boa-Vista; con-
vul-5es.
Demingos Jos Rodrigues de Azevedo, Portugal, 64
annos, viuvo, Se Jos; tubrculos pulmona-
res.
Jos Ferreira Marques, Pernambuco, 52 annos,
casado Santo Antonio; apoplexia.
30
Julia, Pernajnbuco, 2 mezes, Boa-Vista ; c
s. per cwt., tendo-se realisado algumas vendas de
20 s. 9 d. a 21 s., e de 17 a 21 s. o masenvado. Os
couros seceos de 7 d.a 9 d. por <8 e os salgados de
4 S/8 a 6 5/8 por 4?. O caf de 1.* qualldade obtm;
de 70 s. a 80 s., o de 2." de 65 s. a 70 s., e o ordi
nario de 52 s. a 61 s.
Pernambuco, 2 mezes, Boa-VIsla ; conv
m, Pernambuco, 88 annos, sortfor;.?****
S. Jos; repentinamente.
-*-!S>-<=
#Abre-je hoje para a nossa vida jernalistica o
qnadragesimo primeiro anno; e nos quarenta que
havpmos vivido, sobra-nos a Mlltftcle de termos i
manlido sempre a posgao decorosa, que nos coa-1
Er)>ipella.
O medicamento qae com mais influencia e ener-
ga lem combalido essa terrivel enfermdade, tem
sido o xarope alcoolico de veame,
Urna escrava da riiiii do Sr. Francisco Firmino
.Monteiro, pessoa bem conhecida nesta cidade,
E\ P os'gumT m"SSJSfc, confiados aehando-se de cama, ecom as pernas bastante in-
na franca e leal coadjuvafao destes, cuntinuaremos
a observar os DOMOS precedentes com religioso
aratamento, traduzindo na pralica a norma centida
nestes visos:
Admoestar e nao morder,
Ser til sem offender.
chadas, e cheia de tumores, tomando o xarope de
veame, aeha-se hoje boa, prestaudo servigos.
4 A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, morador na
roa Direlo n. 51, lendosdoaccomraeltida do mes-
mo mal, acha-se lambem boa.
A Sra. D. Senhorinha Umbelina dos Santos, mo-
radora na ra das Calcadas n. 38, achando-se ata-
______- :iL I cada de eryspella as coxas, com quatro tumores
bastante volumosos, no estado indolente, que a pri-
Chegou ante-hontem de New-York por S. Tho-1 vava de pr-sc de p ha muito lempo, com o uso
maz.com 29 das daqUclle e 14 desle, o vaprame- do xarope alcoolico de veame e pllulas purgativas
ricano Cotopaxi, de 1123 toneladas, e que se des- do mesmo, acha-se reslabelecid?,e no uso dos me-
os tumores terminaram pela supura-
tina Valparaizo.
Foi elle portador de jornaes at o I. do pasca-
do, que adianiou s noticias que tinhamos dos Es- j
tados-Unidos.
0 algodao ficou I dnllar 28 c. 1 d. 30 c, e o
ouro de 232 '/2 226 X-
Arribara S. Thomaz o brgne inglez Mersey,
em viagem de New-York para o Maranhao, por ter,
desarvorado
Tnham havdo diversas encontros dos dous exer-
cito*, mas de pequea monta.
Os grandes incendios repetiam-se quasi que se-;
manalmente, fazendo suppor urna companhia de'
incendiarios, para cojo dosapparecimf^jo empre- poem alguns escriplores de medicina^ e emeon-
gava o governo os meios. j sequencia da fehre e lancada na pelle, onde pro-
Perdera-se em Hampton Roads o vapor Florida,' dul nQammaco, e que mutas pessoas, por nao se
em consequencia de ahalroamenlo rom um navio;
nenhnns pormenores vm no* jornaes que temos
vista acerca deste accontecimento.
dcamentos
g5o.
A Sra. D. Rita, moradora na ra de Santa Rita
n. 13, primeiro andar, soffrendo do mesmo mal ha
muito< annos, pois que a eryspella atacava amin-
dadamente, depois qae tem lomado esse remedio
nunca mais Ihe deu.
Outros muitos factos desta ordem deixo de men-
cionar aqu para nao me tornar prolixo e enfa-
donho.
Sendo a eryspella urna molestia que sem (lvi-
da effelto de materia gerada no corpo como ex-
PERNAMBUCO.
REVISTi DIARIA.
t-rein cnnvenieotemente tratado, succjimbem com
o pernicioso uso de que, nos tres das nao devera
usar de remedio algum, o que faz-se esteoder o
mal por nao se ter a principio combatido; por is-
so, pois, conveniente que, logo que alguem se
sentir atacado de tal mal, deve provocar a transpi-
rado tomando ao principio urna colherinha de cha
do xarope alcoolico de veame dissolvido em urna
chicara de infusan de flor de sabugueiro queme,
adocando-a com mais assucar, continuando nos tres
diasjeesse iratamente.nofimdos quaesusar doxa-
rope de veame na forma proscripta no receiluario,
lenio todo o cuidado de se abafar, afim de suar
convenientemeute, alm de conservar o ventre cor-
rente, que conseguir tomando urna ou duas pilu-
De ama caria do Rio extrahimos o segainte tre-
cho rom relagoaos negocias brasi lio orlenUes.
Como ver nos Jurnaes do Commercio, desta
corte, aqnesto do Rio da l'rata cooiplica-se hurri-
veimente. Eslamos em guerra nao s eom o go- ,
verno rte Metttevido, mas tamben) com a republi- las Pur8aU do mesrao elame.
ca dn Paraguay. I Todos quantos suecumbem desta molestia se diz:
t Era aoontecimenlo previsto, iaevitavel e tal-! fallecen de eryspella recolhida; ao contrario
vez necessano a nos mesmos. Em todo o caso nao alguns expositores presumen! ser o desenvolv
mais lempo de recuar. Compre agora que o go- ment da patrelcgao no sangue, tanto que o lugar
verno, sai ha empregar as forcas vivas do paiz na inflammado que, entilo a sua cor era encarnada, se
propria defeza de seus mais caros interesses. j troca em lvida ou negra, e termina em gangrena
t O assalto de Paysand fot horrivel. e por essa razSo que conveniente o xarope l-
t Olliciaes iiiglezas e franceze, que o presen- 'clico de veame na infusaode flor de sabugo, para
ciaram, descrevein com as mais vivas cores a va- se conseguir resolver, a ioflammacio, ou pelo me-
lentla dos nossos soldados, tendo feilo n'ella nma nos terminar pela supporaeao, impedindo assim a
magnifica e>tra o nosso comfirovinciano Augusto gangrena.
Netlo de Mendonca, offlcial de marinha, que o I n '. "i ..
unt. representante quo a provincia de Pernarabu- 0s e",,,os ^ xarPe Ico|lC0 veame appli-
co tefe n'aqut lia aeeao I cado na "r de sabugo ao doente, nao s d van-
c Qnatro vapores esto a sabir para o sol, don- tarem P01- sua qualidade diafortica, como pela
de vo levar dous mil homens da trepade linha. aoti-septica, para impedir a putrefaccao as mo-


JTKo tetaos conhecimento algum do nenhum
casoqnr U i ih-il'i.'itaiu 'nto ttioatre d'uuu ma-
nrir* 4 mais dura o pewtiasiv o i)oder da
" j'tnrfr Mcdirn sobro a inolifttk; qual seja o
Uo JOtoTtin Jo.i(vt>c Pkbeiha, da Baliiiu
embarque......
dem fina.......
Caf bom.......
Idetn esoolha ou restole .
Mem torrado.......libra
Caibros.........um
Cal...........arroba
dem branca..... >
Carne secca (xarque) ....
Carneiros........um
Carvao vegetal......arroba
3*0W S. Thomaz12 das, v
7S0 ** WW hu>atodM>
"ES
i:', havia msie d'um anno qu
ut 11 iies e pungeiue*
E**o leiiu-m ufe
h .Ifri as dori-H is viiais
priMncnU- de
Txtosb
TerrTcis Chagas Abortas
{olliacln or cobre IMMUM parten de sen
corpo, sondo urna da qunes sobro o j)*ito do p
umu funda e maligna chft-ra, a qual o privava
do andar, canKin(lo-lho as dores na mais agoni-
rrntrf qner du da quor do noute; coulinuada-
m'nte atormentado por taoa aficcocs o dures,
c qunM quo aljorrecido da continuaco de sim-
illianie vida, toivdo posto de parte toda a e
cooJrinca oiu uiadccbas, e na real i dado pareca
qnj para ello nao Uie rostava mais esperanca
alguma ; assnn pois resignc.do esporava cora-
pueicnein o termo Anal de seus mntiplicados
soffrimonos, o'u> que milagrosamente por for-
tuna sua llie reeeitario o grande purilicador
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e modicnto a sua grande offleaela e excolloncia
c'le se uchou dentro de pouco tenipo, livro do
seu irrouiediavol astado de desespero, e a doca
e risonba esperiuica tornou de novo revivar
en seu cor.;5o; sob a poderor.a e benvola in-
uoncia deete admiravel medicamento, as suas
chagras ojo breve priacipiao aasumir um ca-
rcter favoravel diinirraindo o aspecto de sua
malignidade. A maesa do sangue e mais
humores do systcma tornou adquirir urna
appar.-ucia cUuu a snudavel, as dores ator-
montadoras d'outto ora o deixarao, o urna doce
c suave tranrriillidade principion precorrer
todo o seu srstoma, restanrando-lhe a desojada
t>az o scelo d'espicito; as chagas urna unta
so foro fechando ate que finalmente se* cica-
iTiznrao d'trm todo, o hoje ncha-so porfeita-
monfe silo, gosando d'nm perfolto estado de
Pande, dupoi* de se ter visto privado d'esto
grande girzo dnranto ninis d'nm anuo. Elle
dnntite esta sna cura, apenTw foi nso de
DmiwU garrafas da Genuina Salsaparrilha
de Brisiol, preparada exclufiivaiaeute por
LANMAN & KEMP,
c 3OVA YORK.
Cavernas de sfcnpira .... urna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas ....
Cha..........
Charutos........cont
Cevados (porcos)......nm
Cocos (seceos),......oehto
Colla.........libra
Ceuros de boi, salgados ...
dem idem seceos espichados.
dem idem verdes.....
dem idem cabra cortidos. um
dem idem de onca.....
Doces seceos.......libra
dem em gela ou massa.
dem em calda......
Espanadores grandes um
dem pequeos.......
Esleirs para forro de estivas
de navio........cento
Estopa nacional......arroba
Farinha de de mandioca. alqueire
dem de araruta..... arroba
Feijae de qualquer qudlidade.
Frechaes........um
Fumo em tolha, bom .... arroba
dem ordinario ou reslolbo
dem em rolo bom...... >
dem ordinario ou restolho >
Gallinlias........urna
domina.........arroba
Ipecacuanha (raz)...... >
Lenha em achas......cento
Toros.........
Linhas e esteios.......um
Mel ou melaco.......caada
Milho..........arroba
Papagaios........um
Pao Brasil........quintal
idem de jangada......um
Pedras de amolar.....urna
dem de filtrar.......
dem de rebolo.......
Piassava. ;. .1......molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilbos........cento
Pranchdes de amarello de dous
costados........um
dem de louro........
Rap..........libra
Sabio
360
280
800
3*209
4jeoo
1J06O
8*000
300
300
1*600
2*500
15*000
4*60
600
150
240
105
350
10*000
1*000
320
600
4*008
2*000
15*000
1*600
2*000
4*000
2*^00
5*000
14*000
8*000
8*ono
5*000
600
2*500
25*000
2*000
11*000
8*000
240
900
:.5ooo
55000
5*000
800
4*000
1*000
120
_ ICC...
equipagem 40, em lastro; a Heary Foster *
C egoH> para o IMo % lm.m.
Navwt uihulot m wim dm
Porto-Brigue poriuguez s. Memorl I, rapilo Gar-
los Ferreira Soares, r^a.....11, cmtos e
algodao.
AracalyHule brasileiro fbmlnrfwhrl, npkn
Jos Joaquim Alvee da Silva carga ilui^w
geaeros.
Barcelona.Sumaca bespanbeh ArieUm, capito
Jayme Ferrer, rarga iwanK
Rio da l'rataSumaca Iwipholi fthmtmm,
capitao Jayme Bertaa,aran a*sorar.
LiverpoolHarea ingleza Cmrmerop*, eapio J. J.
Bol, carga assucar e algodao.
Liverpool Galera brasileira Uendfllo. riptti,
Manoel Anl< 1110 de Suiiza Bellrao, carga algodao
e outros gneros.
1.a deymrirtdt 18SK.
Soulhampton e porius intermedioa22 das, vagar
inglez Magdalena, de 1617 UnaMa, caaMBaav
daute Itohert Woolward, eqniaagf >30, carra
fazendas e outros genero*.
Rio de Janeiro 32 das, patacho iaftrt Emrtft,
de 192 toneladas, rapilo Georaasi Tassio, e*pi-
pagem 8, arga 4633 qoiataes huitakaii de
carne; a Amorim Irmn.
Maranho-2l das, palhabote nariooal Aarwr. ce
195 toneladas, capiao Joaquim Jos Mead,
equipagem II, carga 1273 barritas erra fannr
de ingo; a Marques. Barros & C.
Lisboa 31 das, biigoe portogoaz Ctmtlanir. de
258 toneladas, rapilo Silverio Baoorl de B i-,
equipagem 13, raiga vinho t taires genero; a
Manoel I. de Oliveira & Filbo.
Rio de Jan iro17 das, barra ingleza Sobren, (fe
37 uarladas, rapilo Srati, eqniaafrra 12,
em iaslro ; Jau.e> Bydrr A C
Nucios saludos no wesmo da.
Havre Barra franceza Loligny, eapiUo Xirolav
carga algooao e ruirus.
Para Hiaie brasilriio oms Awugn, rapilo Joa-
quim Jo da Silva Ralis, raiga arne asswor
Mar>eille Barca franreza S. Muel, tapno Au-
donard, rarga a.-sucar.
Ro de Janeiro e Baha1 vapor inglez Magdalen*.
commaiiuaule Woolward.
Hocoiarnoiv:i*r mu partioolarnirate aos
I>atas faariios *is, qtw ear^it^ruem
toda' a cautcila na escolha d'oste admiravel
remedio, afim que nao obtenho outra com-
posio qualquer, qxve nao s*-ja a Salsaparril-
ha Oenuina do Bristol, pois que todat' as
mais preparaciioH e imitacoes d'i'Sta natureza
sao falsus nao possuindo virtudo algnma.
ERRATA.
A poesa Devai^eto/eUiseTiaFTa "oitava"p5glna'do- *
d*v de 30 de dezembro, contem as seguales
incorregoes :
Na l' estrophe louea i amar, em lugar de louco
Samor ; e cus em logar d seus
Na 2* estrophe dedos a coser, em lugar de dedos
a correr.
Na 3' ao caso em lugar de ao acaso ; no melgo
"ell3, em lugar de nos olhos d'lla.
3*500
20*000
10,3000
1*000
120
EDITAES.
alqueire" 400
255000
;i,3000
7*000
2*MX)
1405000
875000
3*000
2*00P
6*000
200
105000
85000
6*000
500
Sal.........
Salsa parrilha.......arroba
Sebo em rama.......
dem em valas.......
Sola em vaqueta......urna
Taboas- de amarello. .... duzia
dem diversas.......
Tapiocas.........arroba
Tatajuba.........quintal
Travs........ urna
Unhas de boi.......Cento
Vassonras de piassava. ...
Ditas re timb...... >
Ditas de carnauba ..... >
Vinagra. .'.....caada
Alandega de Pernambuco, 31 de dezembro de
1864.
(Assignados):
0 1." conferente, Joaquim Aurelio Wanderley.
O 2." conferente, Jos Thomoz de Campos Qua
resma.
Approvo. Alfandega de Pernambuco, 31 de
dezembro de 1864.A. Eulalw.
Conforme.O 3. esriplarano, Joo dos Santos
Porto.
Recebedorla de renuas Interna
geraes de Pernambuco
Rendimento dodja la 30.......... 47:3d _
Idcm^ da 81................. 7:233*885'
COMMERCIO.
Moro banco de Pernambuco.
EM 27 DE DEZEMBRO DE 186).
O banco descoma letras na presente semana a
10 0/0 ao anno at o praso de quatro mezes e a
12 0/0 at o de seis mezes ; loma dioheiro a jaros
a praso ouoca menor de tres mezes, esaca sobre a
praea da Babia.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 30........ 877:840*578
dem do dia 31................ 15:953*167
54:549*539
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 30......... 158:491*997
dem dodia3l................ 2:3325416
893:793*745
Movlmento da alfandega
Volames entrados com fazendas...
com gneros... 493
Volames sabidos com
1 1 com
fatAcdas...
gneros...
------493
78
1,487
------1,365
Dcscarregam no da 2 de Janeiro de 1865.
Barca inglezaCorqa-diversos gneros.
Brigue portuguezSoberanoidem.
Polaca nacionalMarinhocharque.
Urigue argentinoAnlta-charqne.
Polaca hespanholaViajeiro -charque.
Brigue inglezPor/mbacalh* 0
Esporlaco.
Sumaca hespanhola Voluntariu, carregou par
o Riada Prata : 1,400 barricas com 10.177 arro-
bas e 2 libras de assucar branco, 100 barricas com
831 arrobase 17 libras de dito masravado
Sumaca hespanhola Ardilla, carregou para Bar-
celona 275 saceos com ',577 arrobas e 18 libras de
algodao e 1,500 couros salgados com 40,500 lihras.
Birca ingleza Cornucopia, carregou para Liver-
pool : 1,400 saceos com 7,000 arrobas de assucar
mascavado, 980 ditos com 5,i76 arrobas e 12 li-
bras de algodao.
Barca franceza Coligny, carregou para o Havre :
832 couros salgados com 41,492 lihras, 2,234 di-
tos seceos com 63,154 libra*:, 600 saceos com 3,000
arrobas de assucar mascavado, 871 saceos com
4,683 arrobas e 14 libras de algodao, 7 caias com
136 libras de pennas de ema.
Barca franceza StJlichel, carregou para Mar-
seille : 3,950 sacces com 19;750 arrobas de assu-
car mascavado.
Barca franceza Oliver Jean Marte-, earregoH para
Msrseille : 3,900 saceos com 19,300 arrobas de as-
sucar mascavado.
Galera brasileira MindeVo, carregnn para Liver-
pool : 2,700 arrobas de ossos. 25,000 ponas de
boi, 1 caixa com 89 libras de box o> pescada, e
1,850 saceos com 10,004 arrobas e 10 libras de al-
godao.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO,
ADTA DOS PRECO DOS 0EITR0S SJITOS A DIREITO DE
KXPORTAgAO.SIMARA DB 2 A 7 DO HEZ DE JA-
ZBHBRO DB 1864.
160:844*413
PRACA DO RECIFE
31 DE DEZEMBRO DR 1SG I.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio........SantoO-M sobre Londres a 27
'/ 27 Va, e 27 X, d. por 1*000;
sobre Pars a laO rs. por fr., e
sobre Lisboa de 95 a 98 por cen-
to de premio, montando os sa-
ques effectuaaos durante a se-
mana em 90,000.
Algodao........\endeu-se o de Pernambuco de
23*700 a 24*000 por arroba,
o de Macei, posto a bordo, a
26* Parahyba, a 259700 tambem a
ultima venda.
Assucar........ O brant o venea-se de 3*600 a
45000 por arroba, o somenos
3*300, o mascavado purgado de
2*300 a 2*500, e o bruto de
1*830 a 2*050.
Agurdente.....Vendeu-oe de 68*000 a 70*000 a
pipa.
Couros.........Os seceos salgados venderam-se
a 145 rs. oor libra
Arroz.........0 pilado da India venden-se
de 2*300 a 2*700 por arroba.
Ascitc doce.....Vendeu-se o de LU boa a 25300
o galiio.
Bacaino.......Vendeu-se em atacado a 16*500
por barrica, e a retalh a 17* ;
ficando sm deposito 4,000 bar-
rica:
Batatas........Venderam-se a 2*000 rs. o gigo.
Boachnha......Vendeu-se a 6*000 a barriqui-
nha.
Carne secca.....A do Re-Grande do Sul vendeu-
se de 500 rs. a 4*000 por arro-
ba, ficando em d^po^tn '86,373
arrobas, e a do Rio da Prata de
2*700 a 3*600, ficando em de-
posito 23,437 arn lias.
Caf...........Vendeu-se de 8*000 a 8*300 a
arroba.
Cha............dem de 2*300 a 2*400 a libra.
Cerveja.........dem de 5*400 a 6*300 a duzia
de garrafas.
Looca..........A ingleza vendeu-se com 325
por cento de premio sobre a fac-
tura.
Manteiga.......A ingleza vendeu-se de 800 a
900 rs. a libra, e a franceza de
620 a 640 rs. a dna.
Massas.........Venderam-se de 6*000 a 7*000
acalla.
Passas..........dem de 6*500 a 7*000 a dita.
Qneijos.........Os flamengos venderam-se a
2*300 rada em.
Sabao..........O inglez indeu-se de 180 a
libra.
O Dr. Trifilo de Alencar Araripo, cAVial da im-
perial ord< m da lti >a e joiz de imio etptrial
do con.n.rrein Anta ridade do Rerife, rapiulaa
provincia de Peirii.mtiuo e (en teiino \ MageHade n pi rial e ci mtiiunenal o Sr. D. Pe-
dro II, a qur m Dos guarde, etc.
Faco saber aos que o presante rdiial vire, e
delle noticia tnorcro que Benio Jo' da Costa, por
sea advogado dirigime a prlro do tbvor ff-
gumte :
Illm. Sr. Dr. jnz de dreito do cor mere.- Di:
B> uto Ji da Co>la romo liquidatano da rasa d
Viuva Costa & Filhos, que a me ma res por molos cinmcrciars os 4rrliadis ca re-
lacao junta, e porque a mor palle o scz. ntes.
cojo domicilio e residencia se ignora, e outros *
xaram de rxinir, r nao se .iale de tutos
deros, que Ihes >urcederm, rt-quer o -uj
a V. S. qoe se digne n andar ti m^r par
protesto que vem fwer 1 ara intenomi-T a
ciipco.e a.'sigtiado, puduzr le.-t>nii.i );
provar a ausencia e ir certeza de domicilio dt*
vedores declaradas na relacao jonta, fct ni n no
incerteza dos heideins dos fallecidos, driem nai
do V. S. dia, logar e hora para (i.npaiemtn as
le^monbas e seiem inquiridas, t provado ju'gar
por sentenea e mandar que se faca itiiBi,ao do
protesto por erutos de trnta das, ifllijc.> na fr
uia do cosiume.
Pede V. s. que eja servido deerir-lhe, D.
esta.E R. M.Canwllo. _.
E nada mais se rontinha e nem ^;'ra lfn"'
ceusa se declarava e mpn-rirni dita pelicao "
qual dei o despacho do theor >epnmie :
Jusiiljo^f amanha ao meio da.
4":3d*365iV^eC^e' W de DO,emDro ie iW4-Atencar Ara-
E nada mais se eontinha e nem outra algnma
couza se d?clarara em dito despacho, depois do
que se via a seguinte replica :
Illm. Sr. Dr. juiz dedlreito do commercio.Dtz
o supplirante, que nao foi possivel apre.-enur as
testemiiidias ncda determinado no desparti re-
tro, e por isso rfcqucr V. S. que se digne mandar
tomar o tormo do protesto na conformidad? dn .ir:
453 3 do coligo rommercial para produzir c
supplirante aa leslemunlus para prova da auzrn-
ca, e iicerieza de residencia drvrdores, e fa-
zer-se a intimaran da protesto por editos como per-
mute o citado ;iragrapho lerreiro.
Pede V. S. qoe seia serviddrferrr-me*E B
M.Camella
E nada mais se centinha em dita replica arn.
copiaa depois do qae se via o seguinie despa-
Sim, e para a inqnirican, marro o dia 30 de cr-
reme mea as 11 horas da manhaa.
Itecile, 23 de neveriibro de 1861. -Alencar Ara
ripe.
K nada mais se confiaba tendo sido a mesma distribuirn di-inhuida ao es-
rrivo que ante niim serve Manoel de tarvalhc
Pacs de Andrade, este lavrara o seguate terme
de protesto :
Aos 29 de novembro dito em mea cart.irio veio
o suppln ante Bentu Jos da G>-t;., e peraole nm
e as esi munhas adame assignados di-se que aos
termos da petigin retro e replica nfronte, 440c fi
rain sendo parte do presente jprutotaram por lodo
o seu endeudo, e de como as>im o disse e protes-
tou liz o presente em que se lirmou dito protestan-
te com as indicadas testemunhhs.
Eu Faustiuo Jn.- da Fooseca, escrevente jara-
mentado o escrevi. j
Eu Manoel de CarvalhPaes de Andrade, escri-
vao o stibscrevi.Diogo Josl da CoMa. Augusto
Paulo Colomliier.-Jo do S. Carduzo Nabucu.
Nada mais se eontinha em dito protesto a pr
bem e belmente copiado, dvpoisdo quf se va a se-
guinie relacao dos devedoteso seguale :
Relayiio das letras vem-idas da casa dos herdeiro:
da Viava (2o>ia^i Filho, em liqnid^ao.
Jos Felippe Cavalcauli de (J'ieiroz 30:,'l'.irardc
de Alboquorqne Corte Real SC, Manuel Jos Lo-
pes Das 226*5^0 rs.. Thoinai l.ins C .bi.is 100?,
[enacio Chulillo de Oliveira 530a, J.rse da Costa
Torres 229.080 rs., Francisco Jos V Almeida
Rouifaciu MauniM Mallos 2.10, Antonio Ferreira
de Finas I .:: !;:t 0 rs. Jos Pedro da Cruz 336*99)
rs. Diogo Bi 11 6:074a118 rs., Antonio Goabalvas Simdes 5tM?.
Aulonio Moreira da Cosa 300;, Fernaado Amone
Madael 1:500.:. Madail & Burle 1:000, J.io Fran-
cisco de Oliveira i l.\5'J7 rs., Elias CoVlho Cintn
8OO-3, Jos Manuel ias ,\ G. 8:112?, Manoel de
llanos Wanderley 1:11 ;30 rs., Jim) Joaquim
Jorge Goncalves 2:8779557 rs., Manoel Jos Fer-
reira Machado 200a, Joo Firmino d.i Cosa Bina-
da 7I7-;8U3 rs., Miguel Gomes Pereira de Lvra
5:li7ol94 rf., alauoei Fraukbn do Amaral......
572a300 rs., Chi.slovo de Barros Wanwilcy
3o9960 rs., Manoel Benlo Machado 6'12-Wlr) rs..
Jo- Lavalcanti de Larerda Campado 2A791H1 r--
Aiitoniu Tlieodoro Sema ZOOjtUO rs.. Joo (Jumes
Ferreira de Abreu 4913920 rs., Joo Jos de Pa-
rias, 228S350 rs., Bernardo Damiao Franco....
133383 rs., Aoionio Raymnodo de Mello JOftJ,
Juaqunn Francisco Bastos 1509, Flix Jos da Ca-
mara l'iiijuirl I; 11*4:10 n.. Maaoel Gomes da
190 r. a
Toncinho.......Venden-se o de Lisboa de 8*000 Silva 3009, Antonio Pereira Freir 1 602*7.3 r*.,
a'8*200 por arroba. | Amonio Jos Cabral 238|(KO rs., Joao Pereira'
Vinagre........O de Portogal vendeu-se de 105*; Lele :600, Chnstovu da Rocha Bezerra Cawal-
No Extremadure, seguiram para a Europa '15
lesiias.
Mercadorias.
Abanos.........ceoto
. caada
.
passageiros. sendo apenas dous recebidos neste Na eryspella nao deve o enfermo nos prroerros
porto. ,res d,as u8r C9m,ds beblu" aue P"ram ; Agurdente de cana.
- Fallase qne a bordo do Tocantint vem a es- e*4a!n!![lt al?raI?JLs,anB'aa M, a. Idem restilada ou do reino
ta provincia d'onde est ausente ha milito o Sr.! A comida durante es tem^po deve wr o> reino ,dem ^^^.....
marquez d'Olinda, cuja demora aqu deve ssr mui vegetaUomo sag, farinha do MaranhSo, pao w- Mem geiefcra.......
rado, bolacha, etc. Id e,.nirito j. .
Anda io vi expositor de medicina qae acn*- ^Ji p H
Ihasse que nos primeros tres das de accommelti- teodao ^ caroco '
metilos do mal. nao se usasse dn medic.amp.nlos :', j?________;. _*^ T-_"
Unidades. Valores. Velas
cena.
Diz-se que ama irmaa o mandara chamar.
Magno das concilla$5es no anno de 1864. _
Provincia e Pernanihuco. Comarca do Recife.=
Termo do Recife Freguezia de Santo Antonio.
Primeiro distrct.
Conciliacdes intentadas..'........ 3R7
Ven'lcad.as...................... 20
Nao verificadas a revelia........ 306
Nao verificadas no juizo.......... 52
Juizo de paz do primeiro distncto d fregnezia
doSaotissimu Sacramento do nairro de Santo An-
lomo da cidade do Recife, 31 de dezembro de
1864.
Ea Joaquim da Silva Reg, escnvSo qne o sobs-
mentos do mal, nao se usasse de medicamentos;! Me* em ou em ia
o que elles repellom sao os unguenlos, unturas e' Arr0l com casca
emplastros, por serem de natureza gordurosas qae'w m descascado oupiad
obstruem mais e repeHem do que promovem a eva- Assucar masCaVado.
cuaco da parte; o que coovm trazer o lugar iem branco
atacado e bem agazalhadopara ajudar a transpira- Mem j^q^q '
cao, e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame vende-se na boti-
ca da rtra Direila, 88, de Jos da Rocha Pa-
raohos.
M
Azeite de araendoim ou mende-
bim r......
dem de coco.......
dem de mamosa ....;..
Batatas alimenticias.....
Bolacha ordinaria, propria para


>
a
arreba
c
f

I
c
caada

1
arroba
1*500
800
800
400
800
900
I
5*730
23*000
1*50
2*600
2*000
3*60
5*120
2*000
1*400
800
1*200
a 120* a pipa.
Vinhos.........Os de Lisk venderam-se de
190*000 a 220*000 a pipa, e os
de outros paizes a 95*.
As de compestcao venderam-se
canil 130, Jos da Meta Cabral 82.-500 rs., Joa-
quim Pranrisco Cabral 307a.'HO rs., Joa |oim Mau-
ricio Wanderley I 2t6ff. Francisco Xavier Caval-
canti IVluVi 7..8:260 rs., Manoel Gomes de Aran-
jo 28.950 rs., Luiz do Reg Barros e Antonio Pe-
de 520 a 540 rs. o pacote de seis > dro de Barros Cavatcanii 1:158^300 rs., Aotoato
da Silva Varrel.i 2269922 rs., Manoel Pereira Goi-
mares l:7'.W;57 rs, Jos Aff..n.-o Ferreira.....
2:639*621 rs., Malinas Soares Ferreira 224*.
Eslavam as armas imperiaes com a verba da
sello do theor seguinie :
N. 81.-Res 200.-Pago 200 rs.
Recife, 29 de novembro de 1861.Chaves.
Sena
E n da mais e eontinha em dita relacao, t de-
pois dr ter o mesmo supplicanle prodozdo sna
testemnnhas, e justifleado o dednziJo na petica*
aqu iiicerta, o respectivo esrrivao fez .miar a
autos, depois do que m'os Dzera rooclnzo aoa
quaes dei e profer a sentenea do tnevr seguale :
Hei por jniiflcada a ausencia dos suppiicadas,
aos .jnaes mando se citem por editos de 30 moa
velas.
Descontos.......O rebate de leltras regulou de
10 a 12 por cento ao armo.
Fretes......... Pira o Canal inglez 47/65%.
carregando aoni para Livertool
pelo Iaslro, 15/-5*/- tambem
carregando aqu; pelo algodao
'/i por libra5 /
NOTIMERQ SO POBTO.
Navio* entrados im dia 31.
Rio de Janeiro-15 das, barca portuguesa Corta,
de 41- toneladas, capitn Rodrigo Jos Correa,
equipagem 15, carga caf, farinha de mandioca para o flm requerido,
e ontros gneros; 1 Thomai d A. Fbnseca Recife, 10 de dezembro de 1864.Trisfia da
Jnior. I Aleuear Araripe.

L
-----------------
i
11 a r\/-\
il-
A.




s

Diario de Pernambuco Secunda felra dfe Janeiro de f HS
E nada mais se continlia, e era outra alguma
cousa se declarara o mostrara era dita: sontenca, e
em cumplimente da me.-ma fez o referido escri-
vo passar editaos eom o i>rjuo de Jnta das, pe-
lo iheor do qna+ animo e iiet por Tmwatilo o pro-
testo aefa iraaecr ipto, a todos os eom pre lien di dos
na mencionada refcicao. Pe* qas toda o qualquer
pessoa, parete, amigos ou ronhecido; dus ms-
alos iuteretsados,! poderlofazer sciciites do que
cima i.-a eapnMo.
E para'|iie'chiton a* tWafciaT' nto de todos,
man le passar edae$,.lll8 ateto afiliados nos lu-
gares do costu#t'f)MMfl*lN pela tmprensa.
Dado a pascado aos vinte equatro das do mei
de dezembro d anuo dojiascimente de Nosso Se-
nhor J.;sus a*lC>#e -8H.
Eti Haaoel de-Gamito) Paes de Andrade, escri-
vio o escrev.
Trlstao le Aletear Ararpe.
DECLAMCOES.
.Naa so reatando fcoje a arrematacao do
foroeciraento de carao verde, por falta de eoncor-
roates, o Se director deste hospital manda convi-
dar o< praieu Jantes a esse fjrnect nenio a apra-
sentarara as su is propostas no da 3 de Janeiro
prximo as 10 horas da manhSa.
H tspi.ai) militar de Pernambuco 19 de Janei-
ro de I8tii.
O esenvao,
Josa Marcelino Alves da Pouseea.
O eofpo de polieia compra 50 boneis de gna-
rita pura a seeeao volante: quem quizer fornecer
aprsente suas propostas m carta fechada na se-
cretaria do dito corpo, as i i horas do da 2 do cor-
rente.O tenante-secretario,
Luiz Jeronyrao Ignacio dos Santos.
De ordemdoSr. inspector se faz publico que
foi transferida para o dia 2 de Janeiro vindouro a
arremataco de 63 barra coa figos, annunciado
por edital de 26 deste mez, dei-laraudo-se pesar
cada barril 32 libras brutas e 26 ditas liquidas.
4' seeeao da alfandega de Pernambuce 28 de
dezembro de 1864.O 3 escripturario,
Manoel Pumas de ;a,
A cmara municipal desta cidade em eoose-
quencia do pedido que Ihe fez a commisso encar-
regada do rigir na capital do Maraobao un nio-
amenlo que perpetu a momoria do poda Anle-
ni i lijugahvs Uias, deliberou abrir urna subsorp-
ciio para dito fim, e convida aquellas dosseus mu-
nitsipes que .quizerem concorrer para a mesma
subs'eripco, diriciram-se sua secretaria as ho-
ras do expediente.
Paco da cmara municipal do Recife 29 de de-
zembro de 1864. Luiz Francisco de Barros Re-
g, presidente.Frapciseo Canuto da Doaviagein,
secretario.
Na-searetaria da cmara municipal desta ci-
dade dsinbuemse, de ordera da msma cmara,
pelos senhores agricultores desta prnvincir, enera- Relac3o
piares impres-os do novo metliodo da iilantaco do
caf, escripto pelo Dr. Luiz Torquato Marques de
Oliveira : aquellos dos ditos senhores que os qni-
zerem, poJero mandar procurar na referida se-
cretaria.
Paco da cmara municipal do Recife 28 de de-
zembro de 1864.O secrtiario,
Francisco Canuto da Boaviagem.
Hermenegildo Antonio Berbosa de Airadla, capi-
to de mar e guerra, inspector do arsenal de
mantilla, etc.
Em virtud-; da consulta do conselho naval n.
801 de 22 .le julho do corrente ann, que acompa-
nhou o aviso do ministerio da marinna de 17 de
outui>ro, chamo ao arsenal os de>ligados da com-
panhia de aprendizes artfices da que trata a rea-
cao ahaixo publicada, para que venham rochar
da in fio do Sr. capito teen le commandanta da
dita companhia, as quantias que Ihes perteneem
do seu peculio quando aprendizes, se sao actual-
mente de maioridade, e no caso contrario sao cha-
marlos para receberem sous pais, tutores, ou as
pessoas que os apresentaram para istamento na
dita companhia.
Relaeo d < aprendizes desligados da companhia
Marcolino da Silva Brasil, 265823.
Pedro Algentiro da Silva, 65798
Julio Osar do Reg Rangel, 335983.
Jnvenal Rodopiano Goncalvos dos Santos, 944oo9.
Jos Antonio de Mello. 22560o.
Amr.ro Malaqulas, 135700.
Manoel Fileuo Fernandes; I 'io-'t.
Geroncio dos Santos Teixeira, 775093.
Iuspceco do arsenal de marinhha de Pernam-
buco, 30 de dez-mbro de 186i.
Hermenegildo Antonio Barbosa de Almeida.
Capitana du Porto de Pcrnumbuc) 31 de dezem-
bro de 4861.
Km vista das eircumstancias melindrosas em
que se actia o paiz, sendo neeessario que todos os
brasileiros concorram para a susiemaco dos brios
di^'iiidade nacionaes, compromettidos na gaerra
coni as r.-piiblicas do rofaaye Paraguay, manda
olllm. Sr. c.apito do Porto, em virluJe do f,ue Ihe
foi reeommendado por S. Exc. o Sr. ministro e se-
cretario de estado dos negocios da marinha, con-
vidar nao s aos matriculados, como a todos os
cidadaos que se queiram alistar na qualidada de
voluntarios para a armada, a se apreseutareni nes-1 rrete.'para'os quaes tem
la capitania nos dias uteis das 9 s 3 1|2 horas da trata'-se com os seus consi
tarde.O secretario da capitana,
ecio de Aquioo Fonseca.
Existe nesta subdelegada, e ser entregue
a q.iem provar perteacerilie, duas cabras, sendo
q le u iii tein criabiclus) duas g rrafas deesseo-
eia do alfazema, urna de essencia de aniz, dous
opis, e tres pares d<: chinelas, duas de couro
braiico e u na de marro juim gaspiada cora couro
de lustre.
S,iulele^acia de polica da freguezia da Boa-
Vista 31 de Jozemb/o de 1831.
D. do Aquioo Fonseca.
---------------E"V*IJT*--------------------
12 ditas pasiilhas da chloratj de potassa
Dethura.
3 libras pyro-phorphato da ferro.
4 sitas |uina em pd.
8 ditas rasuras de guaPaco.
12 garrafas de 3 libras cada una de suco
groselhos.
15 ditas dita da dito de espargo.
C arrobas sementes da linhaca.
4|8 stricheuina.
16 libras sene.
i Jilas tnnchageni.
H ratea vlricairio.
6 garrafas viobo de Carlos Alberlo.
12 garrafas de I 1|2 libra cada urna vinho Mon-
tfer.
12 velas de gomma elstica.
24 vidros do 4 oncas cada um de xarope de
aaf.
10 arrobas assucar renado de Ia sorte.
2 copos graduados de 16 oncas.
! ditos dito de 4 oncas.
capsulas de porcelana de 1 libra.
4 ditas dita de 2 libras.
4 ditas dita de 8 oncas.
1 espumadeira estanhada de cobre.
1 espillador.
50 garrafas brancas para oleo de ricino.
SO ditas pretas o> 1 liaras.
2 pares de upietas. ,
1 machia para espremir tinturas,
i dita para moer linhaca.
8 oaos de papel marca grande para saetas.
S9 potes trancos cora tampas de 8 oacaa.
38 dtes de 4 oncas.
50 ditos de 2 oncas.
2 resmas papel pautado
1 regoa.
500 rolhas do eortica fraoceza.
4 resmas ae rtulos para receituario.
24 toalhas de linho de 1 1|2 vara cada urna.
S vidros de bocea larga com lampa de 8 libras.
20 ditos de bocea estrelta esmerelados de 8 li-
bras.
50 ditos de 4|8 com rolha de rdro.
50 ditos de 1 onca.
50 ditos de 4 onga.
50 ditos de 8 oncas.
Para o arsenal de guerra.
30 arrobas de cabo de linho velho.
50 arrobas do estopa de embira.
As pessoas que quizerem vender taes arligos,
aprsente suas propostas em carta fechada na
secretaria do conselho no dia 4 de Janeiro futuro
is 10 horas da maaba.
Sala das sessoes do conselho administrativo, 30
de dezembro de 1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidenta.
Sebattio Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
COftRElO G-RftL.
das eartas seguras vindas de su! pelo
vapor fram:ci para os senhores
abiho declaradas :
Arestides Penalva de Faria.
Adriano Augusto de Almeida Jordao.
Antonio Bererra do Menezes.
Dr. Francisco Lourenco de Araujo.
Jaciotho Febronio Esmeralda.
Padre Joaqnim Maurico Wmlerley.
D.Joanna Francisca Seve Navarra.
Joo de Freitas Barbosa.
JoSo epomuceno A. M iciel.
Man >el Joaquim Alexandrioo de Andrade.
RA NOVA n. 34
UosEPH mmm
(i ni.iiHo
tem a honra de prevenir as pessosfs qne
tem qualquer concert ou amolaeao era
mos dalle que venham os buscar at o
lim de Janeiro, as que licarem desta data
sarao vendidos para pagamento dos raes-
mo, nao se attendendo a reclamacio al-
goma passado esse prazo.
i Approveita essa occasiao para avisar
ao respeitavel publico, que elle tem para
, vender os
AFIADORES ]
d e sua invencao, pelos quaes obtave u>
PRIVILEGIO DE 45 ANNOS
a sua superiorldade sobre todos os que
a p parece rain at heje de sobre-mo- J
do provado pela extrccio que elles tem 2
no Bio de Janeiro, aond'e sao muito apre- J
ciados.
HNKJRAWA.
O tintureiro da ra do Rangel n. 38 an-
sa anssw /re|s fue nudou sua ro
sidencia |iara a ra ireita n. 116, onde
continua a lingir para qualquer cor e o
mais barato possivel.
B g,^ o > 2 gr
1 S e
" 15. a o H j
JONK COME TIIiLAl
Com loja de azendas roa do Orespoj n, 17.
l'retendeiido Ir muito breve a Europa tratar de sua sauoV, pede aos I seus deveda
lano do mato coree desta praca que saldem seus dbitos quaoto antes, as>ini como
lM liqHid.indo
o seu importante eslabelecimento de fazendas, veodeodo tuda por precos qoe na realida-
de admirara; aproveiteui Excelientissimat seihocas
As fazendaa de aparados fot-tos
As fazendas de aparados go>tos
As fazendas de aparadas gastos
E por precos que admirara
E por precos que admirara.
Cozmha-se, lava-se e engomma-se com por-
fegiio e por mdico precu : na ra do Aragao'
noniero 3. (
Precisa-se da una escrava que sama cozi-
nhar e comprar, para casa de ponca familia, e!
tambem se precisa de urna ama forra para o ser-1
vigo interno : a tratar nesta typographia. I
<-;iA!> REiOflVIKYIIAlt^AO
i .......j.-ULJWwawwwwwiH|>pw
AVISOS MilITIMOS.
..-- ...........iiph i .........a>
Para o Porto.
A bem cpnhecida c veleira barca portaguea S.
Uuneel U, capitSo Pedro Jo< da Rosa, pretende
seguir at o da '0 d Janeiro : para o resto da
caega e nasagairos, para os quaes tem escellentes
camraodos. trata-sa c*ra os consignatarios M. J.
amas e Silva v Genros, no seu escriptorio, ra
da Vigario n. II, primeiro andar.
Para l.l*ln>a
pretende seguir com brevid^de o briguo portHgnez
Soberano por ter qua^i todo seu carregaraenlo
promplo : para o resto que Ihe falta (500 saceos
com assucar ou seu equivalente) e passageiros,
aos quaes offerece oons commodos, trala-se com o
capito na praca, ou com o consignatario T. de
A |uino Fonseca Jnior, na travessa da Madre ee
Dos n. 5, primeiro andar.
COMPENDIO DOLOROSO '
que contem o offlcio de Nossa Senhora das
Dores; o modo'de resar e offerecer a co-
ra, um setenario e mais outros ejercicios
de piedade e devo^o; ordenado pela ir-,
mandade dos servos da mesma Senbora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da |
renha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres missionarios apostlicos capu-
chinhos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. M. 1., que Deus guarde; dado
luz por devogao do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da pra?a da Independencia__________
K01B0
Jos Bezerra de Barres Cavalcanti cor-
dialmente agradece a todas as pessoas e
amigos que se dignaran* acempanhar ao ce-
miterio publico no dia 26 do corrente, o
corpo de sea presado Qiho Jas Quintino de
Rarros Cavalcanti, e pelo presente Ihes tri-
buta seu vivo reconhecimeolo e eterna gra-
lidao.
ZEM CONSERVATIVO
23Largo do Terco23.
Joaquim Siini dos Santos, dono deste bem sortido arraazem de molbado faz eelenie geral
recommendacao aos seos amigos, freguezes e a todos em peral, que esta resolvido a vender os seus
bem conhecidos gneros de primeira qualidade, por menos de 10 a 20 por cento, menos do que em ou-
tra qualquer parte a dioheiro contado, e lodo o comprador que comprar de SOS a 1003 lera o descon-
t de 5 a 10 por cento pelo seu promplo pagamento; e por Isso se faz aununcio de liguas teneros,
para com esta melhor se certificaren!.
Hassas para sopa macarrao, talharim e aletria a Milho alpista e paingo muito limpo a 140 rs. a li-

240 rs. a libra e em caixt a 5-
foucinho de Lisboa alvo muHo superior a 280 rs.
a libra e 85800 a arroba.
bra e a arroba a 45*00 e 4;200.
.Jhosphros do gaz vindos por conta propria a 180
rs. o maco e a 2J a groza.
Precisa-se de urna ama para cozinhar e cora
pr.ir : na ra das Cruzes n. 9, segundo andar.
Caf do Rio de primeira a segnnda sorte a 260,280 ." .___,,-.,. <
S*i 0U A,e.d5S etc?aadaT4^.Rar"fa g"
Roubaram no dia 27 do dezembro de 1864, de
urna casa no mato os objectos seguidles: 1 meda-
Iha com 4 voltas de cordo lino, 1 cruxifixo cora I porgo
2 ditas de dito groase, 1 cruz de ouro de urna cor, as pessoas que desejarem comprar dirijam-sc ao
com urna rfflgie de er diversa, 1 anel de eablloe, capito da mesma, em casa de Tisset Freres, ra
largo porra aem eaJiello oem lirma, 1 anelao gran-1 do Trapiche,
de com pedra, 1 anel de ouro cora ama cobra de
prata cravado de pedras brancas, mais 2 aneis de
ouro lisos, 3 Qvelas de prata para olleta, 1 pou-
teiro de prata, I faquinha tambera de prata, I
transelim no de relogio com urna cassoleta, 2
boloes de abertura, .1 effigie de S. Joo, I aliinele
de onro e um par de brincos e 14 libras esterli-
nas, todos estes objectos estavam dentro de urna
caixinha de (landres : pede-se aos Srs. ounves e
a todas as pessoas que taes objectos offerecam de
apprehender quem os olferecr e participar ao Sr. |
Almeida Cruz na ra de Horias n. 114, que serlo;
recompensados generosamente.
85500.
Chouricas as mais novas do mercado a 560 rs. a
libra e em barril a 125.
-A burdo da barca franceza FiVjiI tem urna paSsas vindas pelo ultimo'vapor a 400 rs. a libra
rcao de vasos para flores e alguidares vidfados: c a caixa a 85.
O bacila re
Francisco Augusto da Costa
Serveja das marcas mais acreditadas a 500 rs. a
garrafa e a duzia a 55800.
Figos de Comadre muito novos a 280 rs. a libra e
em barril ou caixa se far abatiraento.
Bilatas era gigos de 35a 40 libras por 25400 a ar. I arroz do Maranhan e Java 100 e 80 rs. a libra
roba e a 80 rs. a libra. e a arroba a 25800, 25 e 25400.
Cb hysson miudinho supe ior lualidade a 15200,' Assim romo ha um grande sortimenio de charu-
250OO, 25500 e 3? a libra. tos e genebra de Holland.i, tanto em frascos como
Vinho de Figueira, Porto e Lisboa, em pipa a 560, em botijas, bstacMahM de soda, cons^rvaa. ch ,cn-
500, 400 e 640 rs. a garrafa late, marmelada, vinho engarrafado e mitro* mui-
Idem propria para negocio a ,10 e 360 a garrafa ios gneros que enfadonlio uieuciona-los, e se al-
e a caada a 25400 e 25700. ^ guem duvidar venha ver.
ADVeGAOO
Ra do Imperador numero 69.
DIINHEIRO A PREMIO
0< abaixu assignados fazem sciente a seus | Cuem precisar de 7005 a premio, dando hypo-
devedores qae o Sr. Joao Jo Augusto Fereira da \ theca em hens de raiz, dirija-se a praca ds Inde- j
Costa deixou de ser seucaixeiro de eobrancas des- pendencia ns. 6 e 8 que se dir quem taz este nc
Para o Para pretende seguir em poucos dias
o palhabote Dous Amigos; para pouca carga que
llie falta, trata se com os seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o brigue es-
cuna JVao Sei, tem parle do seu carregamente
promplo : para o resto que Ihe falta e escravos a
excellenles commodos,
..-, consignatarios nntonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
pa Cruz n. 1.
de o dia 27 do corrente, e po- isso nao ser atten-
dido qualquer recibo do raesnio senhor, de dita
data em dianle.
Ges A Bastos.______
THESORO DAS M1S
Providencia das criancos
COLLARES ROEK
ElectromagBelices
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTICO
Contra as convulsoes e para facilitar a
dentico das criancas preparados c inventa-
dos por Royer,pharmaGeutico da esco-
la superior de Paris, successor de Chereau,
membro da academia de medicina,
antiga casa de Oouillon-Lagrange, pliarmaceutlco
do imperador,
chefe dos trabalhos crjimicos da escola po-
lytechnica, direclor da escola de phnrmaeia de
Paris, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendam-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra de Crespo n. 7.
Alua-se a 03OO mensacs a casa
terrea n. 263 da ra Imperial, concertada,
caada e pintada, propria para eslabeleci-
mento de negocio e moradia: a tratar na
ra do Crespo n. 15, das 10 horas do dia
as4.da tarde.
gocio ; assim como se dir quem d a juros urna
quaniia com hypotheca em urna casa terrea que
tenha bons commodos, e cujo ahiguel corresponda
ao premio mensal._____________ __________
Fredcric.o Merrfleld, subdito inglez, retira-
se para Montevideo.
Ama de leite
Conselko adiHinlstratfro.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Kavcga$o costclra a vapor.
Parahyba, Natal, Mico, Aracaty, Cear,
Acarac e Granja.
O vapor Jnguanbe, commandan-
te Lobato, sahir para os portas
r^T>T^^acima mencionados no dia 7 de
--* \neiro as 5 horas da tarde. Re-
Saqiies sobre Portugal.
O abaixo assignado. autorisado pelo
Raneo Mercantil Porlueu.se. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos o paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Por.o, e mais luga-
res do reino, por qualquer sorama vis-
ta, e a praso ; podendo, 0; que toraarem
saques a praso.receberem Nista, no mes-
mo Banco, descontando 4 OjO ao anno: na
loja de chapos da ra do Crupo n. 6, ou
na ra do Imperador o. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Miia.
Na ra Direita n. 89, primeiro andar, se dir
qoem precisa de urna ama de leite, prefere-se
branca ou parda, e pagase bem se agradar.
Precisa-se do urna criada portugoeza que
engmate bem e cozinho : a tratar na ra do
Crespo n. 1.
AMAS.
Precisa-se de duas amas forras ou captivas,
lemlo urna de leils e outra para servieo de casa :
no sobrado da ra do Imperador n. 57, segundo
andar, por cima do aimazera Allianga.________
Perdeu-se um recibo firmado peto Sr. Silve-
rio da Silva Gallo da importancia de 1:4005060
por valor reeebido dos Srs. Tigre & Irmao : quem
o arhou e quizer fazer o favor restitui-ln, visto so-
mante ser uiil ao proprio dono, queira dirigirse o
praca do Commercio n. 4, primeiro andar, que
ser gratificado.
Antonio Antunes Lobo tendo vendido sua
loja de miudezas da ra do Queimadn n. 75, no
ara 21 do corrente, roga a todos acuelles que se '
jolxarem eredores do mesmo queiram apresenlar
suas contas no prazo de 3 dias, para serem pagas,
na ra da Cruz n. 63 ; assim como pedo aos de-
vedares da mesma para que venham salisfazer
seus dbitos isto na prazo de 30 dias.
ilaBuWHWI
Ao publico.
Fonseca & Rocha julgam nada
o dever nesta praca ou fora della, se
pg porm alguem si1 julgar sen ere lor
* tenha a bondade apresenlar sua
r | feita. Recife 31 de dezembro de
1864-
v:
ebe carga ate o dia b. Bncora-
mendas, sag-ires e linheiro a frete at s 2die-
0 concilio administrativo para fornecimento do ras ,ia tarde do dia da saniaa: e-criplor no Forte
sena! de guerra precisa comprar o segrate : 0 Mallos n. I.
Para o hospital militar.
16 libras de aicatro.
2i garrajas de agua de labarraque verdadeira.
32 uilas de 2 libras cada urna de agua de llores
de larangeiras.
2 libras de althca era p.
8 libras de dita inteira.
jardas de adesivo estendido inglez.
12 algalias n. 1.
12 ditas u. 2.
12 ditas n. 3.
12 dias n. 4.
-50 garrafas agurdente.
i libras alcoolato de aniz.
2 ditas dito de canalla.
i ditas dito de melina.
1 onca arceiiuto de soda.
3 libras de breu.
3 ditas balsamo tranquilo.
12 vidros coriiiuiativo.
2 libras crmor de trtaro.
-'iOcaixas capsulas de cupahiba e cnleba.
I|2 onca eantharidas em p.
2i l|2 vidros de citro caclato de Ierro.
t onga degitalina.
libras espirito de bamuilha.
2 eneas extracto de abstninio.
S libras fezes de ouro.
24 fundas inglezas do lado dircito.
24 ditas do lado esquerdo.
1 libra Rgos. seceos.
1 libra esponja fina.
12 vidros gramelos de ugotina.
i ditos de eirichimia.
2 libras hera terrestre.
12 vidros graisuk de assofedaj.
- libras hysopa.
1 libra Mrelo de chumbo.
'2,8 dito duplo de mercurio e morphiua.
libras dito de potassio.
4 ditas jalapa em p.
21 vidros laclado de ferro.
-6 pegas de madapolo fino.
1 machina para pilnU-.
1(5 libras man de lagrimas.
Id ditas dito commum.
'4 ditas nitrato de potassa rrystslisado.
12 vidros oleo iodato de Person.
32 garrafas de 2 libras cada ama do oleo de
oliveira.
i libras oleo de aniz.
2 duas dito de nicocena.
J ditas dito de camomilas.
1 arroba dito de amendoas (em garrafas).
24 vidros dito de vermfugo por Taberlkes.
( libra pedra divina.
24 vidros de 2 onca/ de pos de rog.
2 ancas d% pos de jasmim.
12 caixas pos de sedlite.
Para Lisboa
% O veleiro a bem coaherido brigue prtuguez
Conreado de Marta, capito Januario Jos de Oli-
veira, pretende seguir com muita brevidade, tem
parte de seu carregamento promplo ; para o resto
que Ihe falta trata-se com os seus consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
Para Lisboa
pretende sahir com a possivel brevidade o brigue
porluguez Relmpago, para o que tem grande par-
te da carga tratada : para o resto e passageiros, a
quem offerece aceiados commodos, trata-se com o
consignatario T. de Aquino Fonseca, ra do Viga-
rio n. 19, primeiro andar.
A htga-se
Para a Babia
Pretende seguir com brevidade a sumaca Hor-
tencia, tem parta de seu carregamento prompto
para o resto que Ih falta trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
d C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
ATOQS PBT1S0S.
4os Terca-feira 10 de Janeiro de 1865, se ex-
trahir a segunda parte da primeira lotera
(Ia) a beneficio do hospital Pedro II, pa-
ra canil saca.) d'agoa, e gaz, no consistorio
da igreja de Nossa Senhora do Rosario da
fregueiia de Santo Antonio.
Os billietes, metos e quartos esto a ven-
da na respectiva thesouraria ra do
Crespo n, 15.
Os premios de 6:O00000 at 100000
serio pagos urna hora depois da extraerlo
at s 4 horas da tarde, e os outros do dia
sejrainte depois da istribarcodaslistas.
As encommendas serio guardadas so-
mente at a noite da vespera da eilracco
como de costnmo,
O thesooreiro,
Anlonio Jos Rodrigues do Souza
o terceiro andar da casa da ra Direita n. 36, o
qual tem commodos para grande familia: a tratar
no segundo andar da mesma casa, ou no Recife na
ra da Cadea n. 3.________________
O Sr. J. J. de Souza Serrano tem urna carta
neta typographia._________________
Aluga-se a casa terrea com sotao cita
ruada Alegra n. 46 : a tratar na ra de
Aguas Verdes sobrado n. 64,'no primeire
andar.
O *r. Dr. Paulino Kodrigues Fernandes Cha-
ves tem urna caria na ra da Cadeta n. 26, escrip-
orio.
No primeiro andar do sobrado n. 4i da ra da
Inraeratriz preeisa-sa de urna ama para comprar e
cozinhar, preferindo-se escrava.
mmmm mmmm mm mmm
tlinpcnal Instituto de i\os$a Se-p
$g nhora de Rom onselho.
9gg As aulas do curso de ferias deste insti- 2|B
M tuto abrem-se no dia 2 de Janeiro proxi- ^
( ojo. No dia 9, porm. e.-larao abarlas W
||S todas as aulas do anno lectivo.
XAROPE DEPURATIVO
DE JLE GrOU
BROMO-SLPHO-IODURADO
tas
Este novo producto resultado de urna trplice combinaco de tres mctallpides cujas propric-
dades sao mui conhecdas, o Bromo, o Euxofre e o Iodo, oceupa boje a 'primeira ordem de
entre todos os depurativos dos quaes 6 o mais poderoso.
As experiencias ilos mdicos mais notavris dos hospitaes de Pars, os isenhores Cazenave,
Puche, Uazn, Blachc, uihoui, I'.aroschet, Danet, Legroux, Vassc e AubryJ etc., dcmonsirarao
sua poderosa eflicacia as affccves seguientes :

not-nrn de pclle,
nui-lrvM bnibullius ale lodn a cspcclr,
PlaraH iiiuhi.o,
ObHlrucror liuiplinllco*,
Pt>|ICll'UH,
EMCrOMlMH,
.ibrc.Mi. postema*.
Can croa,
I hrniH.
Tiuha,
EHCOJ-bato,
Pian ou Boabaa (do Brstil',
O Xarope de Le Goux, de urna fcil digestao e de gosto delicioso, se emprega tamlicm
com muita vantagem a 6 aconsclhado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninos, para as
criancas debis, escrofulosas e rachilicas ou sobre a influencia de um vicio hereditario, e mui
superior nesle emprego ao oleo de ligado de nacarado e aos xarpes depurativos e anii-e*cor-
bu lieos ou se adminislrvo ata agora.
Bcposiio geral, em Paris, na botica Boullay, membro da Academia imperial de Medicina de
Paris, official da Legiao de Honra, e em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
Franiboeiiia,
Minoren fros,
Hill llillslUO.
ophllialmia escrofulosa e cbraulra.
Tnica escrofulosa,
iirfrceoes srpbllltlcas,
Eleabauliasls los I.rrja,
E todas as doem.-js occasioimdas por un vicio do
sangue, eje tratadas tem eiihum saccesso pelas
preparaces vtgetaes, iodallas e o oleo de figado '
de bacalho.
ttcncao
A ttenco*
ae
Carlos Uommerie, alfaiale de Pars, previne
publico desta cidade, que sa acha estabelecido na
ra da Cadeia n. 11, por cima da loja do relojeiro,
primeiro andar, aonde se encarrega de apromptar
toda a qualquer obra de san offlcio com perfeico
e commodo preco.
O Sr. morador da ra Nova que se
acha a dever 6 quarte de assignatnns des-
te Diario, queira manda-las pagar pois
assim como elle gesta seus servaos deve attender a M ou-
tros. principalmente o do Diario em que
trabalham mais de 60 pessoas..
A jbaxo assignada faz scente ao rvspeitavel
publico em geral, que pessoa alguina faca negocio
com sua mi Angela Maria Soares, sobre quaes-
quer bons que a mesma possue ; e muito princi-
palmente os de raz, quer seja particular, ou e-
criplura publica de venda ou de hypotheca, sera
que a anounciante seja ouvida na qualidade de
herdeira, tanto no particular, como em qualquer
cartorio publico nesta cidade ou fora della, porque
a dita sua mai se acha na idade avancada de per-
to de 100 anuas, e nao pode mais regular o seu
juizo, para poder fazer taes negocios, porque po-
dem illudirem-na, vinde por essa motivo a ser
prejudicada a annunciante, e no caso de se prati-
ar, a anounciante desde ja protesta pelo presente
annuncio ir haver da pessoa que possuir quaes-
quer baos, seja por trata particular ou e.-criptura
publica; nao se tonda prallcado como cima leva
expendido. E para que nao possam allegar igno-
rancia, manda publicar o presente annuncio, em
que assigna da sea proprio puaho. Recife 3 de
Janeiro de 1865.A rogo da Maria Thcreza de Je-
zus, Joao Paulo Ramos Chaves.
Jos Ferreira Alves Carioca tendo de ir tra-
tar de sua saude, vende a sua taberna com poucos
fondos : no Forte do Mallos defronte do iraplehe
do Sr. Cunta.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
boulor da Faculdade de Sciencias, membro da Academia imperial de Medicina,
Official da Legiao de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Paris.
Este xarpe composlo mais de trate anuos pelo sabio lente Boullay, conslitue a me'hor
maneira de administrar o Ether. He empregado com successo cm todas as doenvas que liio sua
origcm de um erithismo nervoso, como sao as:
Enxa<|ueea,
Nctralitlu*,
Tsnaasnaa.
Altiiqui-H de ervos,
Verllscns,
Sincopes,
Deposito geral, cm Paris, na botica de Boullay, doutor em Sdencias, membro da Academia
imperial de Medicina de t'aris, official da Legiao de Honra, ra des Fosss-Montmartre, 17, e
cm todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
Calmbrn de estomago,
ndlseNles,
Coavulfides,
Acces-os bysterleos c hipo-
condriacos,
Clicas ventosas OU nervo-
sas, hepticas naluli-nta
Accessos de gota e de rheu-
mullvuiu,
Casos de 'nvcnrnlcnimtx.
etc., etc., etc.
ATTEUCIO.
Ainda contina a precisar-se de urna senhora de
Idade a de bons costumes (nao tendo Sitios) que
aehando-se desvalida queira recolber se a urna ca-
sa de familia para tratar de alguns menirvis, dan-
do-se-lhe cama, mesa e niria gratifleacao que se
tratar : a quem convier, pede procurar na roa
lula particular de ustrueco primaria na ra da
Conceicao u. 6.
Francisco Deodate Lins participa aos pais dos
seas alumnos, que a sua aula estar aberta no da
1 de jaaeirii uroximo.
Pn-cisa-se de urna ama que saiba cozinhar e
engommar com perfelcao : na ra do Sebo a. 39-
11*111 I ., I .......
b-se 400 a premio sob hypotheca de urna
casa torrea nesta cidaje ; na praca da Indepen-
dencia n. tu se dar quem da.
O atiaxo assignado delxon de ser cataetro
do Sr. Antonio Ramos desde o dia 31 de oVzem-
bro de 1861, e cordtalmente agradece ao mesmo
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
1
SUFFOCCO NERVOSA E OPPRESSAO
Coico remedio eflicaz para comballir estas molestias, acalmar um attaqne d'asma e impedir a
v a o Xarpe aromtico dt Succino (mbar atoarello) do l)r Danet. Descoberta inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gravas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grcnelle, e em todas as
bolitas de Franca e do eslrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22,|em casa de Caros A-Barbosa.
A NACIONAL
Compaaliia geral kespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTRISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Osa liauca em dinheir., depositado nos cifres do estado, garaole a boa ad-
ministiiteo da compaabia.
BAWQUEIBOS DA COMPANHIA
O liaui'o de llespaaha
DIRBCgO GERAL
Madrid : Rna do Prado
.11
Esta companhia liga pelo systoma mutuo todas as combinaeoes de supervivencia dos seguro
sabr a vida.
Nella pdese tazer asabscrp?ao de maneira me em nenbum caso niesmo^por uorte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondeniaates.
Sao tao. ^yprehendentes os resultados e^ie prodoaem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,qoe anda mesaio dimlmiiodo urna terga parte da mieresse pMtlnzido em recentes liquidacoVs,
senhor "eTsua Exma!'7amiliSo"bom tratmTlo e combinando o cora a raortalidade da tabella de Oepareieuaqae adoptada pela companhia par'ao*
que recebeu durante o es-paco de 8 annos, 7 rae-
ms e 17 das qua esteva em sua caca.
Manoel Jos de Araujo.
RELOGIOS, ""
Vende-se em casa de Jobnston Pater A
C ra do Vigario, n. 3, um bello sorti-
mento de relogios da ouro patente tn-
ez, de um dos mais a/amados fabricantes
e Liverpool, e Umbam 'urna variedad de
boDiosttrancelins para os mesmoslt

sen clculos e llquidacrps, em segurados da idade de 3 a 19 anaos, orna imporsicao annual le I00#
produz em effectrvo metlico :
No fim de 5 annos.
> de 10 .
de 15 .
de 20 .
> de 25
1:1195300
3-.9M4600
11:2085200
30:2;60O0
SO:33I000
as ijadas menores de 3 annos c maiores de 30, os productos sao mais eonsideraveis.
Prospectos e mais informacoes serao prestadas pelo sub-dlrector aesta provincia o Sr. Jeroay
' mo Joaquim Fiuza de Oliveira, rua da Cadeia n. 52, oa a Boa-Vista ra da Imperairix a. 11, eettbe
1 lecimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmao.
V




1
Diarlo de Pernaubuco Segunda felra de Janeiro de ib5
-
i
SALSA PaRBIMU DE AYEH.
Transcrkvemos aqu alguns
dos muitos altesUdos que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Rheumatismo.
BE JOO JOS DOS SANTOS.
Ottro Preto.
t Soffri rheumatismo por Mili-
tas vezes, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e ames de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhOS ; a parte do corpo que es-
lava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Ernpcdes, borbulhas, pstulas,
leers, e todas as molestias
da pelle.
DO SR. JOAO PAULA DE ABREU E SOUZA.
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro.
Soffria a mais de dous annos de urna
erupco sypbililica em todo o corpo, mos-
trando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
muitos mdicos, e estava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e
nos primeiros dias a erupco aggravou-se,
porra antes de acabar o segundo frasco ti-
nlia o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Do.n Jos Valdes Herrera, profes-
sor de medicina y cirurjia, subdelegado
em ambas as facultades del sesto dis-
tricto Habana.
Certifico que lie usado la Zarza parril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
los casos de ulcera crnica, como asi mismo
ensayado las Pildoras catrticas del mismo
autor y las considero como um purgante,
cuya accin ademas de ser segura, ha sido
muy eficaz en el tratamento de las enfermi-
dades que exsigeu el uso de los purgantes,
y no vacilo en recomendar estas preparacio-
nes. Y para los fines que puedan convenir
doy la presente en Regla 7 de Setiembre
de 1860.
Dor. Jos V. Herrera.
Escrfula.
ATTESTADO DO ILLM. Su. FRANCISCO FERRA*
dos Santos.Ouro Prto.
Me acho ha quasi dous annos afJec'-do
de escrfulas, e tendo soffrido tanto qi al-
gumas vezes quasi que chego a des nimar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muitos mdicos d'es-
ta cidade, e netihum pode vencer i tenaci-
dade de minha molestia, estava wm espe-
ranzas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da alna par-
rilha do Dr. Ayer. Completa n-se hoje
trila e sete dias que comecei com este
santo remedio, e tantas melhiras tenho
sentido que tenho convicco de em breve
recobrar a minha saude, perdida lia tanto
mmm mmm msmtm.
O Dr. tos, contina, a residir na ra rio Impe-
trador n. 17,5 .indar, onde pode ser proI
corado a qualquer hora do diae da noiteJ
para o ejercicio de sua prosso de me- '
dico ; sendo que os chamados, depois de
meto da al 4 tioras da arde, devem ser
deiwdos por escripto, 0 referid/) Dr.
Dio abandonando nanea o eslndo das
molestias do interior, prosegne, com o
maior afflnco, no das mais diffieeise dcli-
cadas operares, como sejam dos ergios
S ourinarios, dos olhos, parios, ele.
mWSGtSQSR ISLmWUB SrlM3i5Sti
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C
Agentes de Banco Unio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguales agencias.
Londres sobre Banh of London.
Pars Frederic S. Ballin & C.
Hamborgo > Joao Gabe & Filho.
Barcellona Francisco Rahoba & Ballista.
Madrid > Jaime Heric.
Cdiz i Crdito commercial.
Sevilha > Gmalo Segoria.
Valencia M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Angra Terceira. Figueira.
d'Aze-
Amaranles.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Faro.
Oliveira
meis.
Pena fiel.
Tavira.
Villa do Conde.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No'imfkrio.
Babia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendologo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razo de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Crnz n. 1.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Coimbra.
Covilhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
T homar.
Villa Nova
Por ti mito.
do
Guarda.
Gnimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
Monc,ao.
Moncorva..
Regoa.
Selubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas
CASA DA FOftTlM.
AOS 6:000.000
Bllhete garantidos
A' rna do Crespo n. 23 e casas do cosame
O abaixo assigoado venden nos seas muito feli-
zes burieles garantidos da lotera, que se acabou
de exlrahir a beneficio da Sania Casa da Mise-
ricordia, os segulntes premios:
Dous quarlos n. 1137 com a sorte de 6:00tPO0O
Dous quartos n. 797 com a sorte de 1:400*000
Um meto n. 1310 com a sorte de 00*i 00
E oulras militas sones de 100J, 40* e 20*.
Os possnidorespodem .vlr receber seus respec-
tivos premios sem os deseontos das leis naasa
da Fortuna rna do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da segunda part da
primeira lotera a beneficio da Santa Casa da Mi-
sericordia, para canalisacao d'agua e gas no hos-
pital Pedro II, que se extrahir no dia 10 de
Janeiro.
Preeoa.
BUhetes iuteiros..... 7*000
Meios......... 3*800
Quartos........ 1*900
Para as pessoas que compraren)
de 100* para cima.
Bilbetes....... 6*500
Meios........ 3*250
Quartos........ 1*700
________________Manoel Martins Fiuta____
O abaiio assignado faz ver ao corpo do com-*
mercio, que tem comprado a armaeo da taberna
da rna de S. Pedro n. 16, qne pertencia ao Sr.
Joao Marcelino Ribeiro Bastos.
Joaqnim Plrreira Coelho.

Dase a quanlia de 20 a 25* pelo alnguel de
nma negra ou negro para o servico interno e ex-
terno de urna casa de familia: a tratar na ra dos
Gnararapes n. 18, sobrado. ______
Calxeiro.
Offerece-se para caixeiro nma pessoa com bas-
tante, pralica de taberna, e d fiador a sua con-
ducta : na ra larga do Rosario n. 48.__________
Aluga-se a raso terrea defronte da igreja do
Manguinho n. 24, tem 2 salas, 2 quartos, quintal
murado, cacimba com muito boa agua de beber :
a tralar na ra da Madre de -eos n. 14. __
O portuguez Albino Baptisla da
Roeba, relojoeiro e dourador, na
l>rara da Independencia luja n. 12.
Nova liquidacaode faitnuas at o fim
do mez, para fechar facturas tcde-s nuio
barato, por ser o illime mn de fcsla, fie o
frefBtzts deven aproTeilar : na loja e ir_azem
da Aran, ra di Inperatriz n. bf, de Loaren-
(0 Perciri Mendes uinarfs. "
Fazeddas especules para senhora.
Vndese ricos corles de vestido de la a Mara
COMSEKHO
,DE
8*000
6*000
4*800
2,5000
o*O00
3*000
45000
1*400
1*000
se-
Deixaiqae os Hunos da civilisacjto vus preguen)
economapara os ps 11 Esta parle do corpo
humano por certo aquella que, i,e>it clima ne-
cessita de maior agasalho: pela humidade nos ps
se introduz a grande maioria das molestias, e com
Pa para senhora de bonitas barras a 8*, 10*, 13*, estas a perda da saude e da vida 111 Fra com as
14* e 16* o corte : na ra da Imperatrix n. 56,
toja da Arara.
A Arara vende t 2400
Corles da chita de cores fixas com 10 eovados
a 2*400 e 3*200 ; cassas de cores a 320, 360 e
400 rs. o covado : na ra da Imperatrlz n. 56,
toja da Arara.
Corles de caubraia de saluicos a 2j$4O0.
Vende-se cortes de eambraia de salpicos a
*i00, 3* e a 43000 a peca, ditos de rambraia
liza e fina a 3*500,4*500,5*500 e 6*, tiras bor-
dadas para enfeitar vestidos e entremeto* a 1* e
a i*200 : na ra da Imperatriz n. 56, .toja da
Arara.
So u( embarques i 7, 8, e a 10,5.
Vende-se soulembarque de laazinhas de cores
fiara senhoras a 7*, 8*ea JO*, dito de grosdena-
ple preto muito enastado a 20*, 25* e 30* : ricas
capas de grosdenaple a 20*, 23*, 30* e 35*, para
liquidar : na ra da Imperatriz n. 56, toja da
Arara.
A Arara vende de eoresa Ipakapara vestido.
Vende-se alnaka derores'para vestidos a 360
rs. o covado, challes de laazinhas a 1*600 e 1*280
dito de merino a 4*500, ditos tinosa 4*500, 7*,e
8* : na ra da Imperatriz n. 56, toja da Arara.
Cassas da Arara a 280, 320 e 400 res o cavado.
Vende-se cassas de cores a 280, 320 e 400 rs. o
covado, lencos de seda a 800 e 1* : na ra da
Imperatriz u. 56, toja da Arara.
Laazinhas a Haria Pia a 800 rs.
Vende-se laazinhas a Maria Pia para vestidos,
com palmas de seda a 500 rs, o covado, ditas de
cores a 320, 400 e 500 rs ditas lizas de cores pa-
ra capas e vestidos a 560 rs. o covado, casentiras
para capas de senhora a 1*800, 2*500 e 3* : na
roa da Imperatriz n. 56, toja da Arara.
A Arara vende chitas a 240, 280 e 320 rs.
Vndese chitas da cores Oxas a 240, e 280 rs.
bolinas e sapatos velhos; reforma-Ios
45~B.ua Dereite-45
Borzeguins frncezes para homem
Ditos ingieres idrm a 8*, 7* e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapatoes esmaga cobra
Ditos de Nantes de duas solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de borracha para senhoras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete para bomens e
nhoras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
0 VIGILANTE
Rna do Crespo n. f.
j_fSE_!__.
DIOPRETO DUPLO
?Rj3e QUININA
SiW>
Os elementos que compoem esta preparacio, o
ferro, o iode e a quina, a collocao no primeiro
gnto das preparaedes ferruginosas. Basta attestar
o covado, ditas francezas a 320, 360, 440 e 500 rs. g*o das Wymffi*-*M'
e covado percallas para vestidos finos a 500 e 560 seus resultados obiidos 2__J__^2S_:
rs. o covado, cam.s.lhas Para senhora a 1*, 1*600 *, SSS^Td ST Xi___?__
faz qualquer concert de relogio e 240, 320 o 500 rs., enfeiles para
3* e 4*500, gollinhas para senhoras e meninas a
cabera a Maria
Aos senhores pas de familia. S
O padre Flix Brrelo de "Vas-J^
w concellos, com aula particular de la- |||
'M tim na ra do Imperador n. 35, i. S
^ andar, contina a receber alumnos Hf
tiji de todas as classes, durante e de- ^
B pois das ferias. Tambem est ds- S
i poste a abrir um curso de primei- g;
*< ras leltras e de francez, logo que S
K baja numero sufBciente de alumnos &<
^| para cada urna destas materias, e 5|
assim tambem a receber como in- M
temos alguns meninos,de caja edu- ss
cacao o quizerem encarregar. Os S
pagamentos serao por trimestres S
]fi adiantados, e os precos declarados k
^ pessoalmente na occasiao do ajuste ^
?.y para a entrada do alumno. ",;*'
Consultorio inedico-ehirurgico na ra larga do Ro-
sario n. 20.
O Dr. lo'io Ferreira da Silva regressando sua
casa,contiua em o exerclcio de sua profissao,
na chirur-
dourado por prego mais barato do
que outro qualquer e responsabi-
lisa-se pelo sea trabalho e espera
protergo de seas compatriotas._______________
Joao Evangelista de S Souto Maior, mora-
dor na ra do Livramento n. 4, faz sciente ao
respeitavel publico qu havendo outro de igual
nome da data deste assigna-se por Joao Evange-
lista de S.
na ra da
Pia a 1*, 1*400 e 2*, para liquidar :
Imperatriz n. 56.
lialoes americanos para senhora.
Vende-se bal5es americanos, os melhores qne
tem vindo ao mercado, de 20, 25. 30 e 35 arcos a
2*600, 3* e 3*500 e 4*. ditos de brilhanima e
musselina a 4*500 : na rna da Imperatriz n. 56,
toja da Arara.
Fazendas para hometn.
Vende-se corles de calcas de brim para homem
(lasa (le etllicaca. a1*600 e 2*. ditos de case-ira a 3*, 3*500 e
Jeronymo Pereira Villar transferio oseuestaa 4*500 e 5* : na ra da Imperatriz n. 56, toja da
beleciraento de iostruccao primaria e secundan- Arara.
que confirmro sua poderosa
seguintes affeccSes:
Mlngoa no auugur.
Fraqursa.
Anemia.
Chloroae on leterlela.
Menatt-no.
Atreccea do ulero.
Suppreaaoea dan re- '
lerna e dcforde nn
uicnatrunco.
Arfecruo pulmonar e
phthlale.
Molentlaft il'eHlmago.
Uaatralxlaa.
Perda d'appetltc, etc.
Veje se os bulletins de therapeutica medica
Convaleaeenea dr lan-
ga moleailaa.
Molmllaa <-rrofulo-
aa.
Paprlra.
ObHlruccao daa Rlan-
dula.
Humorra fro
Humorea hraneoa.
IlarlliKlllO.
AffiT.ori. ranceroaa*
e nyplillillraa.
FelircH lypholde.
Variles, etc., ete.
Paraarua larga do Rosario, sobrado de dous an- Roupa fei(apara hmtn de ledas as qualidades '^S^^^S^S^J.'^.
tempo.
Syphills e molestias merrnrlaes. naos na parte medica _,_ tambem
Do Ii.i.m. Sr. Dh. Jackxi i. j gira
Medico muito conheado as provincias do
sul do Brasil.
Tenlio receitado a Salsa pa rilha do
Dr. Ayer nos casos mais invekrados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felzes resultados; o melhot alteran-
te que conlieco. ,
L.eucorrka e flores brancas.
Temos carias em que nos cootim casos j
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Si Isa par-
rilha.
0 espago nao nos permilte livuscrever
todos os atlestados que possuimos las vr- j
tudes d'este extracto composto ae Salsa
Dr Ayer. Hasta deCarar ao
DENTISTA DE PAR
19Rna Nova19
Frederico Gautier, cirurgiao dentist i,
faz todas as operac,5es de sua arte, e ce I-
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridade e perfeicSo, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos denticio.
CASA Efl CMHANCi
Aluga-se urna casa nova muito fresca com ex-
cellentesoto sita no Cachang defronte do enge-
parrillia do Dr Ayer. Hasta deCarar ao1 nho Poeta : a tratar na ra do Crespo toja de An-
publico que lem sido empregado ha mais drade .* Reg.
de vinte annos pela profissao med a tanto
das Americas como da Europa, se. o nunca
desmentir a sua alta reputado.
daresn. 22 ; e participa nao s aos Illms. senbo- Vende-se palitotsde brim de eoresa 2*, 2*500 e
res, pais de seus alumnos, como ao respeitavel 3^ dj,os branc a 2*500, dito de linho fino a 5*,
publico, que as aulas estarao abenas no da 8 de dllos de a|paka de cores e brancos a 5*. ditos de
Janeiro do anno vindooro de 1865.____________ meia rasemira a 4*500 e 5*. ditos de casemira a
Ao'amanhecer do dia 20 de outubro do cor 6*. 8*, 10*, 10*, 16* e20*, ditos de panno fino
renle anno de 1864, furtaram do cercado do en- preto a 8*, 10*. 14*. 16*, 20* e 30*, calsas de
gento Aldea, da freguezia do Rio Formoso um brim de cor a 2* e 2*500, dita de dte branco a
quarto de carga do mesmo engenho, oqual 2* ditas dedito dejliuho a 3*500 e 4*, colletes de
ruco pombo, grande, castrado, nao nevo, tem no cores a 2*, de brim a 2*500, de casemiras de
olho esqnerdo nma belide, e pooco ou nada v cores e pretas a 3*500 e 4*, calsas de rasemira a
pelo dito olho, tem um callo velho no espinhaco, o*, 6 e 8*, de meia casemira a 3* e 3*500, ca-
ugar em que leve nma bexiga, levou o topete cor- misas francezas a 2* e 2*500, de linho inglezas e
tado reme, carrega balxo, e tem estampado no pregas largas a 3s e 3*500, grvalas de todas as
ladodireito da anca o ferro do engenho era leltras qualidades de 500,800, 1* e 1*400, collannho
maiusculas como aqui se v A LD E A. Adver- de lodos os tamangos e muito bem feitos, para li-
te-se que os cavallos assim ferrados, nao sao tro- quidar por ser lempo de e^ta : na ra da Impera-
cados nem vendidos, e os que forem encontrados triz n. 56, toja da Arara.
som ser servico do mesmo engenho sao furia- Colchas para cama a 2*.
dos, e devem ser apprehendidos; porlanto roga- Vende-se colchas de chita para cama a 2#, ditas
se s autoridades policiaes, e mesmo qualquer de damasco a 4*. ditas de fustao a 58, chitas para
pessoa do povo, que sendo encontrado* ditos ca- cobertas a 320, 360, 400 e 500 rs. o covado: na
vallos sejam apprehendidus e remettidos ao admi- rua da Imperatriz n. 56. loja da Arara,
nislrador daquelle engenho ou ao abaixo a>rfgna-' A Arara Tende n)adapoIe enfeslada a -1)5.
doproprieiarto de mesmo engenho. Qoe***_H Vende-se pecas de madapolao entestada a 4* a
cidade do Recife.-rua do Hospicio n. 50. Cidade d ^ d 4 d dp 30 a g5, de 1
do Recife, 26 de outubro de 1864,-Caetano Jos T&O, n 250 a 6*500 7*500, n. 5 8*500.
da Mlva Santiago.___________________________i ^^9,5000, R. D..P. 10*. ZZZ II*, n. 20, dito a
Os abaixo assignados scienlificam ae com- 14*a pe^a : algodozinho rearca a 5*500, dito
mercio ou a quem possa interessar, que a socie- carne vacca a 7*, dito dsmestice a 7*/;.0,0, .,L0
dade que exista nesla praga sob a razao de Har-, pau ferro a 8*, dito SL9 a 10*, dilo T a 10* e 12^,
rote Braga.se ach por mutuo accordo dissol-;dito sicupira a 8*500, para liquidar, na rua da
vida e em liquidado, a contar de hoje. Recife 31, Imperatriz n. 56, leja da Arara.
de dezembro de l864.=Jos P. Barrote. Jos, Pllilots de alpakl.
Correia Braga. Vende-se palitots de alpaka prelade 3* e 3*500,
------t\~~c.-. ___I-____. _I .n.on..^i ditos finos de cordo, lizas e brancas a 4*: rua
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel imw__l n 56 tola da Arara
publico e principalmenle ao corpo do commercio, da ,apeKr,a'r'Z." Z' J. i_^__H#h n Hfi
que admetlio para socios a Joaqnim Jos da Suva baroteiro da rua da mperatriz n. 5f.
' e Francisco Nuiles da Silva, e gyrar na razio so-i Vende-se serojas a 1*280, ditas Irancezas a
cial de Narciso Irmao & 0. i WOOe 2* : e otras muito boas fazendas que o
Narciso Jos da Silva. freguez encontrar na toja da Arara, rua da im-
__________________________________--------- perairiz n. 56.
Quem pretender urna ama pralica para o
dos hospilaes de 28 dejulko 100, ele, ele.
Alm das pilulas de iodurelo duplo de ferro e di
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselho
igualmente o Xaxope d'iodure duplo de
Ierro e de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nao goslo de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Esle xarope nSo lem
como o xaro]>c d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmacealicos depositarios.
Para-se evitarem falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmaciaReDUlon,
142, ru du Bac, e em todas as boas pharmaciaj
de Franca a dos puizes estrangeiros, etc.
1*000,
1*000 j
500' o gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pon-
1*600; puso BallUa, na sua ordem do dia, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo com seos
agudas espordes nunca os offenderi, antes os agra-
ciara na mesma conformidade, para que o Baliza,
possa marchar em frente, a Branca Agnia possa
! levantar seu vo, I ninho ; e o Gallo Qcara em seu espacoso campo
j dando de novo o seu canto denunciando a seos
i bons freguezes e ao respeitavel publico
0 grande sor lmenlo deobjectos de nuiio oslo qne
acaba de receber.
Ricas caixinhas com msica ricamente eefeita-
! das para costura, proprto para um delicado nie-
! nio.
Riqoissimos cofresinhos com cadeados de metal
i para guardar joias.
Ricas caixas com estejo, eonlendo lodos os per-
tences para homem.
Riquissimas vollas fingindo perola.
Ditas com laeinho de Ola.
Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
; suras.
Lindos aderemos com pedrinbos Ingindo l,r-
Ihantes.
Ricas fivellas para cinto, de todas as qnalidades
' e bom gosio.
Ricos cintos do ultimo posto de Pars.
Grande sorlimento de lindos enfeiies para rabe-
ra, sendo do ultimo gosto e de lodos os pnces.
Flores muito finas para noivas.
Luvas enfeitadas e ninas de seda para nnivas.
Chaposinhos, sapalinhos e meias de seda par.
baptisado.
Riquissimas filas de todas as qnalidades para la-
1 (o, ciise cinteiros.
Camisinhas e gollnhas para senhora.
Riquissimos jarros e figuras para ornamento de
sala.
Grande sorlimento it gravatinbas tamo para se-
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e decores.
Cascarrilhasde bonitas cores.
Trancinhas, galSo e maravilhas para enfn'le?.
Transelins de cabellos c de relroz para re!< gtos.
Papel amisaile e de oulras qnalidades.
Bolsas para viagem.
Entremeios e bahadinhos de lindos padrees.
Lencinhos de linho bordados.
Meias para homem, senhoras, meninos e meni-
nas.
GRANULOS

Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as oulras preparaces de
bistnulli emprceadas anlcs com o maior successo
pelos mdicos oc lodos os panes, para prevenir e
curar as
Mih tMgeittca.
'.a-.lt Hr.N.
Gallrulglaa, ele.
Para a cura radical de escrfulas e iffecccs
escrofulos, sypliilis e molestidS syphi-
liticas, ulceras, feridas, chairas,
erupcoes cutneas e todo e
qualquer incomrr.odo que'
provm d'um estado!
impuro de sangue, j
TQMKM A
SALSA P lltllll IIA DE Al i:il.
A' venda na rua Dircita, ns. 12 26 e 7G;
rua da Quitanda n. SI ; pra^a da'Consli-
n. 30 e Hospicio, n.
Compaohta Odelldade de g|
seguros maritlinos e ter- g
resires estabeleclda no S
Rto de Janeiro.
' AGENTES EM PEl'NAMHLCO ]|
Antonio Luiz de Oliveira Azevede k C, t
competentemente autorisados pela direc- -s
toria da corapanha de seguros Fidelida- SE
de, toinam seguros de navios, morcado- S
ras e predios no seu escriptorio rua da &
Cruz n .1. ej
Precisa-se de urna senhora habilitada, peto
menos, a eiisiuar bem primeiras letras, principios
de msica e piano, e trabalhos de agulha, que
queira ir para acompanbia de urna familia, mo-
tuico, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
a^____u_ nharmicas r ___mr__ do ims!radora n um engenho prximo a urna oV" estacoes
piiDupaes puarmauas c urogar.abf ao u_S|da estrada de ferr0j leccionar tres cr]\,u{a, ga.
q6t"'0. i rantindo se tratamento e paga convenientes : a
Vende-se em Pemambuco: tratar na rua do Trapic.e n. 13.
na pharmacla franceza de os>^_n<&_-_! &__%%___ __i:
P.MIU3ER C.
RUA NOVA N. 18.
Joao da Silva Ramos, medico pela Uni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 boras da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doenles
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasiao. D consaltas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro R,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem si;a casa de sade regularmente
mouda para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropiados e nella pra-
lica qualquer onoracao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3*000 diarios.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 2*000
Este estabeieeimeoto j bem acredi-
tado petos bons servicos que tem pres-
tado.
0 proprietario espera que elle eonti*
nue a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
3--KIA K&TRE1TA DO ROSARIO-3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes ariiciaes tanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
liquem a vontade de seus dones, tem pos
e outras preparares as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
I

Aluga-se a excellente casa e sitio onde mo-
rn o Sr. cnsul loglez, sito na estrada d->s Afflic-
tos, com todas as commodidades necessarias : a
traur na rua do Queimado n. 18, toja de Manoel
Ribeiro de Carvalho.
Urna pessoa habilitada o(Terce-se para lec-
cionar portuguez e francez em algum engenho, oq
para administrador do mesmo ; quem precisar di-
rija-se a roa do Vigario n. H, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama para cozmhar para
duas pessoas; na rua das Crines n. 24, taberna.
.Va prac independencia, loja deounves
n. 33, cooipram-*eobras de ouro e prata, e pedra&
preciosas, assim eomao^e faz qualquer obra de en-
comraenda, e todo e ^u^uer concert.
Precisa-se alugar nma preta qne jaiba cozt-
nhare engommar: na roa da Palma n. 41, ta-
berna.__________________________________ _
Adverte-seao Sr. Feliciano Joaqun
de Aguar, que- a sua assignatura deste
f Diario est por pagar desde Htubro do
anno passado. e que o proprietario da loja
de ourives da rua larga do Rosario n. 40,
tem declara lo que nao se responsabilisa,
portantoS. S. qneira mandsr satsfazer nes-
ta typographia. .
*.lajr.tiel Ai \8crav.
Aluga-se nma excellente escrava e um eoera-
TO, a escrava faz todo sorvieo externo e interno 4e
man casa de familia : na rua dos Pires n. 84.
urna ama
servido iiilerno de casa de homom solteiro oudej
poura familia, dirija-se a rua do Soreg, rasa jon- Chego
to a de n. 20, primeiro porto no Campo Verde. largo da
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na toja de bilhetes da prac,a da Inde
pendencia n. 22.___________
^~Compra-se um tronco : na rua do Rangel
numero 17. ________________________________
Compra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na rua larga do Rosario n. 24, toja de ourives.
Compram-se dous escravos que sejam bons
carreiros : na rua do Trapiche n. 13.
Compra-se urna carleira com duas faces para
escriptorio : no armazem da rua da Cadeia do Re-
cife n. 48.
YENDAS.
FOLHIXHAS
Hai-a 1&65
Acham-se venda na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
kalendario civil e ecclesiastco, tabellas de
feriados, de emolumentos dos tribunaes
do commercio etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBE1RA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em verso,o Stabat Materem
verso, devoco ao agonisante, coiacjio de
Jess, cntico em louvor do Santisgimo
Rosario, cntico a Virgera Maria Nossa
Senhora, trinta e tres chistosasanedoctas.
um inedits poema sobre s aventuras de
um cosinheiro, o canto de urna solteira
(poesia), crescido numero de mximas e
pensamentos, urna historia como mnitas
(romaneo,), e vinte e cinco novas e pi-
lhericas charadas a 320 rs.
> Vende-se em casa de Marcelino dr C, na rna
do Crespo n. 5, um paleo de dmasra de seda
branca, vindo de Lisboa pelo nllimo vapor.
~Vendem-se seis mei-agnas no Campo Verde:
a tratar na roa do Cotovello n. 17.
Vendera-se laranjas doces, era peque-
as e glandes qnantdades, a preco com-
moda : no sitio do sobrado atraz do Am-
paro.
Yende-se nma boa casa terrea na rna da
Soledade n. 44. com 6 quartos, 2 salas, cosinha to-
ra e bom qninial : a tratar na roa da Imperatriz
n. 6 oa no Mondego n. 84.
"'Vondrsepapel para torro ,al, e ricas
guarnicoes por menos preco qne oulro qualquer:
a roa do Cabog, toja de miodezas n. 9.
Qui'ijos do Alenlejo
ou aos armazens da Aurora Rrilhante no
Santa Cruz ns. 12 e 64, os verdadeiros
rieijos do Alenlejo muito fresraes, a libra a 1*,
esleirs a 9Q0 rs.__________________________
"Livro do Povo.
O livro do povo, obra ornada com estampas, con-
tendo a vida de Nosso Senhor Jess Christo, e mui-
tos artigos uteis. Este livro dos familias recom-
mendado eapprovado pelos Exms. Srs. D. Luiz
bispo do Maranhao e D. Manoel arcebipo da Ba-
bia, vende-se a !*00 cartoriado, na livraria de
Jos Nogueira de Souza, rna do_Crespo n. 2. ____
Vende se urna mulata moga, de boa figura,
que sabe bem coser, engommar e cozinhar : a tra-
tar no principio da rua do Hospicio, primeiro so-
brado de um andar com poriao de ferro a esquer-
da, indo-se da roa da Imperatriz 00 praoa ea Boa-
Vista.__________________________________^_
Vende-se nma armac3o de amarello em bom :
estado, serve p^ra qualquer estabelecimento :
quem a pretender dirija-se a rua Nova n. 50.
Filas de veludo lisas e com mtame de ledas as
larguras.
Thesouras e caBlvetes de todas as qualidades.
Grande sorlimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para offererimentos.
1 C lixuilias com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, e ea
' frascos quadrados egarranlias.
1 Pomada Hn.i de toas as qualidades.
1 Superior banha em frascos e copos de lodos os
tamanhos.
Saho Inglez em paos grandes e pequeos.
Escovas de cabo de madreperola, martim e de
i osso, para denles.
Penles para desembarazar, com friso de metal e
sem elle.
Ditos de tartaruga e de militas oulras qoaliria-
dcs.
Penles de tartaruga para senhora.
Ligas de sdl e de algodao, assim como imites
outros objeetos de gosio que seria impo>ivel mea-
Icinar, que a vista far f, s uo Gallo Vigilante,
! ru do Crespo n. 7.
Volliu'ias.
Lindas volitabas de perolaa fal.-a.-icomcru; _fe_i
fiugiudo brilhanli's, a^im cuino cruzinhas ale_l
e vollinhas, pelo barato preco de I* e l*<'<. s
icruzes avuls asa 100 rs.; s no Vigilante, rua de
Crespo n. 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola lano para
senhoras como para meninas, pelo barato preco
de 12* e 14*; s no Vigilante, rua do Crespo
'n. 7.
GRANDE NOVIDADE.
S no Vigilante.
Riquissimos enfeiles de todas as qnalidadi s para
senhoras e mi ninas, chegados hoje da alfamli ga.
Mlntos
Riquissimos sintos de fila larga e estrella rom
fivelas grandes e pequeas, com brilhr.Bies fabos,
cousa de muito gosto.
itlbnas
Tambem chegaram os riquissimos alLnns para
i 50 retratos, com capa de tariaroga e ; cousa muito chique : s no Vigilante, roa do l'.n s-
' po n. 7.
Gelinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, omelbor gos-
to possivel, a 2, 2*iiO0 e 3*; s no Vigilante,
rua do Crespo 11. 7.
Enfeiles para senhora.
Riqnosissim entones com laco e sem Uro e de
Peo processo de Cerriir, pbarmacfulico rm ouiros.muilos gosios a I*, 1*500 e 3*: 3_fl>
Pars, rua do Fauboarg Uontmarte 21. guante, rua do Crespo n. 7.
Este oleo de um cheiro agradavel, e de < Traneelins.
HM sabor assucaradu o tnico que nao tem : Lindos traneelins ae cabello para relogio ou In-
nem o gosto, nem o cheiro do peixe. Ob- SSjSSJ**" preg de ,*300, dl0S *
Ilabadinhos rnlrrnirios.
,-"1 Riquissimos bahadinhos ntremelos com lindo;
Franca de um successo to raro como bem desenos tapados e transparentes, pelo baralinsimo
merecido, receitado diariamente pelos prego de 1*200, 1*500, 2* e 3*; s no VigiUnie,
principaes mdicos dos hospilaes de Paris. rua do Cresp0 *l ^-^
Grande sorlimento de cascarrilhas de diversas
DO FERRUGINOSO emprega-sc com os maiores larguras, assim como galiozinho e trancinbas pro-
do Oes-
Dlni-i-lieaM rlironlraa.
n>~riil< rlns.
IXii-m '1 i -.tiiiago.
Dyapcntilna.
Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
affeccoes se manifestao ordinariamente por diges-
toes laboriosas, azidumes, falta d'appelite, pesos
d'estdmago depois de cada comida, caimbras es-
tomacae*, c, militas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Esle estado mrbido, se o descuidao, ira.', ine-
vitavelmcnte, que seja:
MolcHllus ilc li.nilo. OpprcRHOea.
A Icicri.-li:. DroH le -brea.
PHl|iluir;io de rornrao IrrllarrH Drra don rliia. dn ini.li l, etc.
Os granulos Chevrier s3o ordenados polas
sommidaJes medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cura! as quando sao lomados a
lempo.
0 preco de cada frasco 6 de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e cm loilas as pharmacias de Franca e dos paizes
estr.nsciros.
FIGADOdeBACALHAU
/FEClt__
Asscar crjstalisado da fabrica
2 de Julho
Ns Babia.
a*, rua da Madro de
Noe.maeeo: i, rna da Madro de Dos n. 18,'------VlH'JliTlflS Hh VilllOP Pnl-
ha a venda o r.ollo superier assncar crystaltsado, !llL_U_Ul& U \dH)l \)d
t i arrobos, ao preco de 5* cada ar- ra deSCarOCar algOdO.
e^se ijim coroomeiro marilimo inglez do' MoCndaS 6 ID.eaS lOedaS.
r;o
Libras esterlinas.
Vende-se queih as quizer comprar no armazem ,Ject0. ,le numerosos relatnos scicntificos
n. 33, da rua da JPraia, se dir qum as vende. | mdicos, ete medicamonle que goza e
Vende-se tima carrosa e um boi gordo :
quem pretender irija-se a rua da Concordia nu-
mero n. 12.
-------------K _J__ _. J-.n^ O OLEO DE FIGADO DE BACAI.HO DESINFECTA-
V id ros para >ioraca.
Grande sonimbnto de vidrosZflde todos os tama- ,
nhos : na rua da Cadeia, loja de ferragens do successos as molestias em que se emprega pnas para enfeiles; so no Vigilante, rna
Bastos. j o oleo quando sao acompanhadas de debili-. P u- *
dade e atonta. /''"
__ Grande sorlimento de filas de diversas largaras
Deposito geral em Pernambuce roa da e qnalidades, por precos que admiran aos coa-
Cruz n. 22 em casa de Caros Rarboza. i pradores, havendo filas largas propnas para cin-
tel ros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
de 0. 7.
Fila* de lia.
Pitas de 15a de todas as qnalidades, proprs pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca, *%o Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos fspclhes.
Riquissimos espelhos con moldara donrada'
sem ella de 8*, 10*. 12* e 14*, -im romo com
cnlumnas de differenles lmannos a 2*, '!*, 4*. 5*
e 6*; s no Vigilante, roa do Crespo a. 7.
Liado* jarros e igai as.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana Tina,
para enfeite de sala, sendo omelhorgosto qne aqui
tem apparecido; s no Vigilante, roa do Crespo
o. 7.
Para oes de arm.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de multo gosio a 1*500 o 2*, assim eo_w
pa cotes s com os pos a 320 rs. rada ob ; s m
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfnaaritt.
Grande sorlimento de extractos e banbas, pava-
das, assim como de lindos copo* 00 vaso* roa 4fs-
linctivos e offererimentos a* sinhasiata* dos Me-
lhores e mais afamados autores de Paris e laplairr-
ra, assim como os grandes ropos debaaba jipotiia
a 2* e a 1*, assim como o turo objeetos qae km o
possivel por hoje aanunciar, e vista dos frrgor
zes se far todo negocio; na loja do Gallo YifilaMe,
rna do Crespo n, 7.
melhor fabricante Charly Fro.lshan, allani;ando o
raiar
o. SI, loja de Francisco Jos Ger-
seu regulament, por diminuto preco : a tratar 131X83 (16 terfO DatlO,
na rua fova
mano.
Vende-se
um excellente carro americano com 4 ro-
das e arroius para um e dous cavallos sen-
do muito maneiro e leve, o qual tendo si-
do todo reparado de novo se acha no me-
lhor estado de perfeicSo e asseio : a tratar
com Antonio Joi Rodrigues de Souza na 0#q (Jo BOTVIIUill.
rua do Crespo n, 15, das lo horas do da al
as 3 da lerdo.. I
coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
de carroca com mangas e
eixos de patente,
ftuadofrumn. 38, fundi-
Panno de linho do Porto
Vende-se pecas de panno de linho enfes-
tado de superior qiialidade : na rua da Ca-
LiKRts oslirlinas.
Vende-se ao proco corrate fie 9(51 por deu escriptorio'n." 47.
cada urna: qa rua do Crespo escriptorio
n. 15. i.
Vend se caiics vazios propros
para bahnlriras e funileiros a 1$760
cada ote; nesta typographia.
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na rna Nova n. 61,
Farelo superior de Lisboa a 8* o sarro.
Tem pr vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo k C n,o seu escriptorio rna da Crnz n. 1.




)

k ITlIl A HA


J
Diario de Pernainbuco Segunda lelra 9 de Janeiro de l?*
,0 GRITO DA GUERRA JA' SE FEZ OUVIR.f

>v-
LA VAI BOMBA I
SENTIDO.
BALIZA
^ ^AAA&*

Grande liquida^ao.
Rna da Imperatriz n. O.
Loja de fazendas do pavao de Gama & Silva
Acha-se este estajielecimento completamente
sortidu de uzeadas inglezas, francezas, allenias e
suissas, proprias lano pura a piarla como para o
mato, prometiendo vender-se piis barato do que
ena uira qualquer parle,principalmente sendo era
porcao, e de todas as fazendas do-se amostras,
deixaado fcar penhor, ou mandara-sc levar em ca-
sa pelos caixeiros da luje do Pavo.
Vestidos soutambarqDe.
Pelo ultimo vapor francez chegaramriquissimos
vestidos soutambarqoe, os mais modernos que
neste mercado tem apparecido, os quaes estao
promptes com saia, eorpinho e sea competente
souiambarque, tudo guarnecido de seda, veludo e
renda. Quem tiver *'bom gost dlrija-se toja do
Pavo, na ra da Imporatnz n. 00.
408 TRES MIL VESTI-
DOS.
Na loja do Pavao, a 3$. 4$
e 70000.
Vendem-se lindissimos cortes de vestidos india-
nos, sendo lodos bordados e de liseras de cores e
brancas, proprios para casamento, pelo baratsi-
mo preco de 35 cada corte por se ler comprado
urna grande porcao, sendo fazenda que vale 65,
ditos Mara Pa, tendo quatre pannos, fazenda
para o corpo com os competentes enfeiles para o
mesmo, pelo baratsimo prego de 4$ cada um,
ditos de todas as cores com as barras bordadas a
crox, sendo cada ura etn sea carli), tendo cada
um lodos os enfeiles precisos, pelo baratssimo
preco de 75 cada um, ditos com babados multo bo-
nitos, mas sera ser em carto, pelo diminuto pre-
co de 35300 cada um; adverlindo-se que os donos
da loja do pavao vendem esies vestidos por tao di-
minuto preco por terem comprado urna grande
quantidade e convir lhe liquidaren) logo, na sua
loja, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Aos vinte mil corados ue Iaa.
Grande pechlucha, a iO
e 3t# rs.
Vendem-se as mais bonitas lazinbas transpa-
rentes, sendo com llstras e quadrinhos miudiohos,
e lisas, tendo de todas as cores, assim como prelas
e rxas para lulo, pelo baratissimo prego de 240 o
covado, ditas transparentes com palminhas de seda
Mara Pia, teado de todas as cores, e tambem
algumas proprias para luto, pelo barato preco de
320 cada covado, isto-por haver ama grande por-
cao : na ra da Imperatriz a 60, de Gama &
Silva.
Latas e copos com banha Una.
A aguia branca, na roa do Queimado u. 8, rece-
beu esta estimada banha fina em latas e copos, isso
alem de outras em diversos frascos.
s modci'Dissimas lnzinhas re ama s
cor, a imitaco de gorgaro, ven-
de o |'i. vo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhasde cordozinho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem viodo, proprias para
vestidos, sontambarques, capas, etc., dain-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratssi-
mo prego de 560 rs. o covado : na ra
ratnz o. 60, loja de Gama e Silva.
RA DO QUUOIAIIO H. 45.
Passand o becco da Congregacao segunda casa,
fllrt 7/fr*iil!
NOVIDADE
Perera Rocha A C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Glarim Cutr.mer
cial, onde o rspeitavel publico encentrar sempre um completo sorlimento dos melbores gneros que vem ao nosso mercado os
(uaes ser5o vendidos por prefos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencioneda; garante-se obo
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do MarknbSo, India e Java a 60, 80 e | Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
100 rs. a libra, o 10800, 2(5600 e 300001 Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra,
a arroba. Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Amenas francezas em latas e em frascos a Presuntos de Lamego era calda de azeile e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. dem seccas muito novas a 200 rs. a liara
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2SG0 Figos de comadre e do Douro em canutos
O assumpto importantissimo.
O assumpto importantissimo.
O assumpto importantissimo.
Ninguem interrompa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silencio em todas as columnas.
e em frascos a
i #200 e 10600, e em frascos grandes a
26500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas stambas no interior das caixas
a 10200,40400, 10600e2.
Amendoas edm casca muilo novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 100 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce 'francez mnito fino em garrafas
grandes a, 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira dematarana a 320 rs. a
libra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolacbinhasde soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hyssoni huchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 3*000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cenejapresta ebranca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 508O a duzia.
Cognac inglez fino a 90'^ rs. a garrafa.
Conservas" 720 rs. o frasco,
dem, s d pepino, a 720 rs.
da impe- dem, s d|9 azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 000 rs
cadaum.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 6( 0
libra.
Eigos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Yinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 9000 e 100000.
Nao se admilte contestacSo.
Nao se admitte contestagao.
Nao se admitte contestado.
Os apoiados s3o prohibidos.
Os apoiados sao prohibidos.
Os apoiados sao prohibidos.


ADVERTENCIA.
Ai laazinhas do Pavio. e especialmente da fabrica imperial de
Vendem-se laazinhas de quadrinhos transparen- pnfi;.irt: Fprrra Jnro-P tes, boa fazenda, pelo preco de 280 rs. o covado, JM>"JJJ'" 23? 2a ;;:'
ditas largas multo flus a W rs., ditas estampa-! 20000, ^0200, 20500, 20800, 30000 e
das, cor segura, padroes miudos e grandes a 320 30500 a caixa.
rs. o covado ditas transparentes com palminhas ; Caf do Rio muito superior a 280 e 320
de seda a 400 rs., ditas escocezas a 560 rs., isto tu- ,t a/iK(\n a attann rs a arrnha
do para liquidar : na loja e armazem do Pavao,' r% a f" espuria 808UU rs. a anona,
ra da Imperatriz n. 60. Cartoes d bolinhos francezes muito novos e
Os grosdenaplesdo Pavio. bem muito enfeitados a 700e 600 rs.
Vondem-se grosdenaples prctos, fazenda supe- Chourifas e paios muito novos a 800 rs a
rior a 1^600 rs. o covado, ditos largos muilo en- linra '
corpados a 2^400, 25600, 25800e 35000, ditos
de oilo librase canastrinhas de I arroba
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a ICO rs. a libra.
dem de tiigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VI
a 560 rs. o frasco e 60200 i frasqueira.
dem em garrafoes de 3 e 5 gafes a 505Ot
e 70500 cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata c 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial em garrafas muitf'
grandes, a 10800 a garrafa.
dem em garrafas mais pequeas a 00 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamenie flor, (em-
barcada de poueo a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a Maca de tmales em barril a 480 rs. a libra.
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500 dem em lata a C40 rs.
e 40 a caada, i Matmelada imperial dos melbores conserve*
dem braneo de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
IdemMorgauxeChaleauluminide 1854, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
15200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
ros de Lisboa a 60< rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grande?,
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas finas para sopa: estreliinha. pevid,
rodinha a aletria a 600 rs. a libra e I 40
a caixinhacom 12 libras.
Nezes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixt em latas preparado pela primeira arte
de coz tilia a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maco.
dem de dentes a 120 rs.
iiura.
mos grande porc5o e outros que deixamos; dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por i Amendoas confeitados a 900 rs. a
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o melhor jiossive a
retlho- 2'9 e em caixa a 640 r8-
Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abate de 5 por cento. I Passas muito novas a 480 rs. a libra.
a 25000 r.s
denominada
brancos, cr de rosa, azul e amarello
o covado : na loja de Gama & Silva,
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
As novas litas garibaldiiias a 500 rs.,
na loja do Pava.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
iliua-. fazendainleiramcote nova no mercado, sen-
do todas cora lislras niwdiuhas, c transparentes, (
cora lustro a imltaco das sedinhas, leudo varias'
cores, sendo azul, cor de lirio, carrnezim, cinzenta '
ecor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
Oderdepreca: na loja do Pavao, ra doImpe-,caPa*de^ud. massa, tartaruga
rador n. 60 rte Gama 4 Silva. ^uns dos fluaes com -
Frascos comgomma arbica
dlssolvida e pincel.
Vendemjse na ra do Queimado n. 8, loja da
aguja branca.
N- vos albuns.
A aguiajbranca acaba de receber outra encom-
msnda de bonitos e bem encadernados albuns de
e marfm, al-
microscopio para augmentar
o taraanho dos retratos, continuando a serem vcu-
s mais moderos ustidos a Mana Pa, tas
na loja do Pavo, a 16$
fiorlpreeos commodos
loja da aduia branca n. 8.
na ra do Queimado
Antes de entrar na jnaleria o inoonsavel Bauza nao pude pt^scendir de^
tfazer o seu signal de horror as doiradas coras e mal feitas mitras dos falsosojM
'apostlos do progresso, inimigos do povo e chupadores do sangue da humani-^f
,dade. |
A detestavel sede de oiro tem obseccado seus coragocs de vampiros. i^J:
Querem fazer fortuna com a -rapidez do coriseonao sabem ter fe nem
jesperar.
SSo os pereitos^unos da civilisago.
Malditos sejara ellesj que nao possrvel ao Baliza pr-lhes as mitras^
!na cabeca os baoutes na mao e os sapates esmogm cobras nos ps e expol-os ao<^
publico por tres rtias, rfi
1
ORDEHI DO DA. &
^
N'esta casa na se Ilude ao povoos pesos estao aferiaosa balanca do.
jmelhos fabiicautee os gneros, partindo do soffrivel at o ptimo, podem ser^
escolhidos a vontade por todos, desde o pobre agoniado Clarim at o mais alto
[General.
Nao sendo o agrado e a siwceridade predicados que smente vessem
,chegado para bico 4a domesticada* encantadora aguia branca, eslo dadas as,
{mais terminantes ordens para que d'ora em diaote se redobre as attences paraf
com todos os freguezes, de forma que se opere a mais perfeita liga de enteres-
tses recprocos, a fazer inveja a todos at ao proprio cavalleirt da esquina da rua^
'Nova.
Quando ao dispontar da brilhtne, aurora ou da amwa brilhanle, fizerr.
jouvir o garboso gaUo vigilante, com aquella bisarria que lho propria, o seu
canto sonoro, signal de chamada dos amaveis freguezes e predilectas freguezas,
Itambem o solicito Baliza estar prorapto em ordem de marcha, agradavel como'
' aguia branca, diligente como o gallo, grave como o pwphtta, no mais per-
> feito e continuo raoviaaento, servindo a todos, ea todos contentando. '
\DDIT4MEM0.
C0\Galnterias para fes tas \^wase me\ de
RIVAL SEM SEGUNDO H4GHIN4SbEPA'IiNi
Ra do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia est continuando a
vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
da por lodo prego a vista dos cobres.
Cartas de alliuetes francezes da melhor qualidade
a 80 rs.
Grosas de pennas de ac inglezas da melhor qua-
lidade a 640 rs.
Caixas de colchetes francezes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Grosas de boloes de madreperola muito unos ao6<
e 640 ris.
Carreteis cora 4 a o oitavas de refroz preto fino a
pe>o liso muito superior i
ns corpinhos difireme<, tendo todos os preparos u .
rom o competento sinto : na ra da Imperatriz n. A aguia branca nao cessa de encommendar do | z*uyu-
60, loja do Pavo. Qae ha de melhor e mais agradavel, e por issoaca- 6-*!f*u- da l,Ka e de 0Ulra- Ir'u'las nulidades a
ba de rebeber diversas figuras e vasos de p de ,. 5"0 rs._______
pedra coin fina banha, assim como bonitos frascos taniYeles P"ra Penna com J olhas fazenda boa *
deexcelfenles extractse lindascalxmnas de ma-1 y0 rs.
deira enfernisada com finas perfumaras, tudo | Duzia de bol5es branro para casaveques de senho-
mH proprio para presentes de festas etc., havendo
dinbeirojdirija-se o pretndeme a ruado Queima-
do n. 8, loja da aguia branca.
A nii
Os precos do grande sortimento d'este magnicG armazem. se acham con-{
'sideravetaonte roduzidos^e a respectiva tabella deiade ser publicad* per que(
\a alma do negocio o segredo. Os freguezes reconhecerao em vista do objec-t
to que pretender que o preco qoe se lhes pedir sert to rasoatel que nentwuna
i reclamacSo offerecer^o, Venham todos a '
mi o uvR.%ni<:.\TO 3


l\*>lttHV\
}
c.
AO GRANDE R14ZEN DE MOLHADOS


i>i*>i
PROPRIEDADE

DE
0 4

f. PEDRO DE MELLO.


t amisinlias a 1$000*
Vendem-se camisinhas com manguitos, sendo
muito bem enfeitadas. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato preco de dez tusloes cada
urna na loja do Pavao, ra da Imperafriz a. 60,
de Gama & Silva.
Vestidos para meninas.
vendeni-se s mais modernos vestidinhos para
meninas, sendo muito bem enfeitados Maria Pia,
tendo de differerates tamanhos, pelo barato prego
de 8JI cada um : na loja do Pavao, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Roupa feila barata.
Vende-se um grande sortimente de roupa feita
para homens, sendo calcas de bnni braoce c de
cor, ditas de casemira preta e de cores, dilas de
meia casemira, palelots saceos e sobrecasacos de
casemira e panno preto fino, colletes de todas as
qualidades : na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
teasdenaple de cer a 1600 covado.
Vende-se grosdenaple de cor azul, braneo e pre-
to, pelo barato prego de 1,8600 o covado : na loja
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Patuao de linlm a 700 rs. ovado.
Vende-se o verdadeiro panuo de huno proprio
para lencees, toalhas e ceroulas, pelo barato prego
de 700 rs. a vara : na loja do Pavao, roa da Im-
peratriz o. 0, de Gama & Silva.
Reono mi a do Pavio.
Vende-se para acabar, urna perca o do retalhos
de laas e caste do todas as qoaiWnde*, e por pro-
cos mailo e* eonta; quem tem economa 6 que
pode apreciar : isto na ir-ja do Pavao, ra da Im-
peratriz d. 60, de Garrs. & Silva,
Uidapafto a '#000, s na loja do Pavio.
Vende-e suprior madapolao muito eocorpado;
tendo 20 varas eada peca, cora 4 palmos de largu-
ra pelo liaratissiBO prego de 7000 a pega, ditos
muito finos a 8, 9 -e 1000. E' pecriinrha, aa
loja do Pavao, rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Suva.
Cortea de easaaa 3000.
Vendem-se muito bonitos cortes de caesa, tendo
7 varas cada corle, com desenlies muito delicados
pelo baratssimo preco de 3000 o corte; s na
loja do Pavao, ruada Imperatriz n. 60, de Gama
Sihra.
Cortes de chita fi anceza.
Veodera-se finissiraos cortes de chita fran-
ceza, com 12 cbvados, tendo, padroes escaros e
alegres de cores flxas pelo baratissimo prego de
45000 o corte; s na loja de Pavo roa da Impe-
ratriz o. 60 de Gama <& Silva.
Cambraias lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo prego de
4000 l.-ndo 8 1/2 raras cada pega, ditas muilo fi-
nas a ", H&, e !>5 a pega, ditas Victoria coro 10
varas pelo baratissimo prego do ~>, 9$ e 105, di-
ta? Garrames fazenda mmto encorpada, fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou 5600 a peca ;
isto na loia do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,*de
Gama & Silva.
Cortee de lia a 15000
Vendem-se cortes da lia* garibaldlnas, melisa-
das e de i|iradrinhes, tondo i-i eovados cada corte
pelo hacstissirao prego de 45000 o corle; isto na
loja do Pavao, ra.da imperatrii o. 60 de Gama &
irOl t
i loja d
llilva.
fino para engom*
mado
A aguia branca na ra do Quimade n. 8, rece-
beu gloliulos de ail fino e frasquinhos com es-
sencia i e dito para engommados.
Outros enfeites.
A a.'i,ia branca acaba de receber por e.*le ulti-
mo vap r ura novo sorlimento de bonitos c delica-
dos enfoitos de moldes inteiramente novos e de om
apurado gosto, assim pois comparegam os preten-
dentes munidos de dinheiro e com disposigo de
gastar :' na loja da aguia branca rna do Queima-
do n. 8i
Pegenos pentes de tur-
tarvga
A ag ala branca na ra do Queimado n. .8, rece-
cefeen r ovamenle esses pequeos pentes de tarta-
ruga qne por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos e bem feitos tanta estima tem merecido pa-
ra as s ;nhoras segurar o cabello quando atado ; a
aguia t ranea porm avisa aquellas pessoas qne os
liaviam eneommendado e a quem mais queira
a pro vd tar a occasio de os comprar continuando
a serem vendidos pelo mesmo prego de 49 cada
um. I
Estando brancos fican\ pretos
O bom resultado e o rpido effeilo que produz
a tintura de chromacoma, e mesmo e facillimo
modo de apphcar tem se tornado mu i-oahecido
apreciada por lodos tjuo usam della e por conse-
grante augmentado a extraco, pelo que a aguia
branca mandou vir mais o novo sorlimento que
acaba itfe receber constando elle de
Caixas com chromacoma para Ungir os cabellos.
Kraicos com color com a para lustrar ditos.
Ditas com hydrocallelhrlchina para limpar ditos
Dit$ comoryrhromantina para limpar as unhas
aubaetcs brancos para lavar os cabellos,
ada calcomiplula para dar cheiro aos di-
offender a preparago feita,
atos.de marroquim dou-
rado para bailes.
i Eses sapato do grande tora vendem-se nica-
mente na rna do Queimado loja de ."irla braia n.
8 a OJB o par.
Meias finas para senhoras -
I gordas
. Veiidera-se na ra do Queimadg loja da aguia
Canjean, k* J
Esponjas finos para rosto
. Vndem-se na ra do Queimado loja da agaia
branca n. 8. ____________
Cmindros para pada*
ra,
Na padaria da ra Direita n. 84 ha para vender
os conhecidos e acreditados oyiindros americanos
par* trabaiho de padaria, ultimamBle caegados,
ra a 100 rs.
Pegas de lita de eos eslreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da nalureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Camillas da doutrina christaa. finas e superiores a
320 rs.
Pentes linos de marfim a 15000, 15200 e I5O0.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
500 rs.
Gollinhas para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
15000.
Livros que serve para assenlar roupa, pelo diminu-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muilo linos a 500 rs.
Cordao braneo para espartilhes muito superior, i
vara a 20 rs.
Carritit&com 150 jardas de linha branca a 60
Cartes com 200 jardas de linha branca garant-
d< s a 60 rs.
Grosas de pennas de ago superiores a 500 rs.
Varas de franja branca c de cores larga para toa-
lhas a 160 rs.
Pares de bot5es de punho, oh que pechinena a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes delouca prateados muito fino a
i6 r8- w,
Tesouras para costura superior qualidade a 500
ris.
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Caixas eom superiores pbosphoros de sewat"? *
160 re.
Caixas com 100 envelnos o melhor qne ha a 640
ris.
Caixas eom 20 quadernos de papel amizade, mnito
no a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo mnito fino a 20 rs
Boj eserm.
Si ra dos Pires junio a caixa d'aguia n. 62 ha
unuexcellente escrava que cozinha e da o do
un gr.wde easadwfatnHia, multo aceiada, crioo-
la, de 38 anuos, muito fiel, e com mais habili-
dades.
Vinlio do Porto engarrafado
Vende-se superior vinho de Porto denominado
D. Pedro V e rainha de Portugal, em caixinhas de
urna duzia de garrofas ; na ra da Cadea do Re-.
cifan. 66, armazem de Ferreira & Matheus.
~FareJo de Lisboa.
Vende-se superior'* farlo em sacros grande?, e
per prego commodb, vindo pelo ultimo navio : na
ruado Amorim, armazem n. 50.
V abo da Madeira 9 do Port*
Vende aeoauperior vinho da Madeira e do Por-
to, em ealxas de urna duas duzas: s na loja
do Vigilante, ra do Crespo n. 7.
de traba 1 bar mo para
descarla!- ago2o
FABIUCADAS
Por Plant Brothers k 0,
MJl
Vinho de Porto.
14aa ma:-l>-Da.%
*!--. ;)'..': ii, !i i :.r e/
qc.'ilqner csi r'rs
le algodao ?, ni
estragar o Be
sendo btaIMtc
duaspe-snn
o Irahalho; |
descarogar nn.3
arroba de a!g(-
d*. em (
em 40 ttiiniU--,
ou 18 arnr-r-.
por da ou 3 ar-
robas de aamifio
lii.ipo.
Assim romo machinas para serem movnl?s per
animaes, que descarocam 18 arrobas dea^id'r
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissiir.o va-
por que pode fazer mover seis rieslas marraras
mencionadas ; para o que convidase aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no ama-
len de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
Saonders Brothers & C.
X. II, pra^a do Corpo Nanio
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Baraleirr
contiendo j como tal, esta dispondo a feucftda
por todo o preco para apurar dinheiro, qi em qc>-
zer venha ver traga o cobre, e vera n segr.Hsle :
Baralhos de cartas para voltarete moilc
finas a...........................
Miadas de linha froxa para bordar a----
Pares de sapatos de. tranca de lodos c
tamanhos e finos a...................
Massos do superior gratupos para cabelles
Duzia de palitos de gaz superiores a. .
Libras de ara preta muito superior a...
Frascos de superior niacaga oleo a-----
Sitos de dito perola a..................
tos de oleo de babosa mnito iiuo> a 310
rs. e...............................
Dilos de agua de colonia superior, garan-
tida. ..........:...........' .......
Ditos de banha ?*lto Una ........
Ditos de cheiros muilo lino* Pan 're
a ris...................." mi
Saboueles de todas as qualidades eM'rs'
j 10, e.........................
forellos de linha com 400jardas a......
Carriteis de liaba de corea com 200 jar-
das a.............................
Jfovellos de linha de gaz de todas i* cO-
res a.............................
Pegas de fitas clarticas com 10 varas pa-
ra vestidos a......................
Frascos de superiores cheiros, pf quenos, a
Pares de ligas muito superiores e bolillas
a ris.............................
Varas de bicos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a .
Frascos de agua para denles, superior a
tudo a............................
Pecas de tronga arela i na mnito fina a..
Caixas rom 4 papis deagulhas Victoria a
Varas de fita preta com ceixeles a......
Libras de Iaa sortida de todas as cutes u
Bonocos de choro muilo bonitos a......
Caixas de obreiae de ma asa mulo novas a
Varas de franja .branca e deidres para
toalhas a.........................
io
um
:o
m
ui
no
at'
4o
m
ira
HA
\-
. **>
*
wi
m
i
).i*fi
{-::.
r<
ro
4f
Frascos de oleo Philecomescuperior a,..
Ditos com superior Hala a320 e.........
1 Caixas de linha de gaz com 50 no vellos a
Vende-se superior vinbo do Porto, em barris de Sanadores para espariilbo ........
vigsimo, em casa de Ferreira & Matheus, na ra Duiias de boloes encar>Maos para veni-
da Cadeia do Recite n. 66. jo a........'-.<..................
i*
m
Vi
1-A




1% #1
r-^


^
t
alario de Pcrnambuco -- Segunda fclra 9 d> Janeiro de l 865
cgun
AURORA BRILHAHTE
GRANDES ARHAZEN8
DE
MOLHADO
Largo da Santal
>uz ns. 12 e 84,|
J^es juina da ra dojj
Cebo.
VIMOS
ESPECIAES
m Largo da Sant .
Cruz ds. 12 e 84,$ j
asesquina da ra do'M
MiCebo.
O dono dos j raoito acreditados armasen de molhados denominados Aurora
Brilhaate, acaba da recebar de sua propria encommenda, mallos gneros delicados
pr os seas gneros sao do ).* qualidade.
A seguinle tabella servir a todos de base para ajuste de eontas aos por-
taderas.
-Veiihum armazem Tender tnais carato, e melhores gneros do que a Aurora
Brillante, j pelo graude sortimento que tem, j mesmo por sen dono se aebar encora-
modado era sua saude e ler de vender um de seos armaiens agora, e o outro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna quadra destas para se comprar
barato.
Latas com S libras de cboerioas muilo nova;,
x 7,5300.
Ditas grandes coro peixe em postas intiras,
mais de 13 qualidade, a 1*000, \$>HQ e
lfi6JL
Ditas coa ostra;, excellente pesco para fre-
si-leira, a 720rs.
Ditas com ervilbas novas, ensopadas, a
729 rs.
<$ Ditas com Taras, a 640 rs,
fif Ditas com ameixas a ifiOO, (800 o 3&>00.
D.i.u com marmelada do afamado fabrican-
cante Abreu, a 880 rs.
Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
Ditas com figo* do comadre, botos, a 14300,
c?4b 2 e &jOO.
j\< Ditascom bulachinhade soda muila novas, a
ir 25000.
%w Ditas rom biscoitinhos inglezes de militas
|g qualidade?, a 16W6.
Cbocalate.
Chocolate superior muilo novo, a libra a
15200.
J* Hacarro telharim e atetria amarella,a libra
5? a 80 rs.
to dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caitas com estrelinha, pevido e outras roas-
sas, a caixa :I4500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevdinha para sopa a libra a 240 rs.
Brvilbis seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascad!, a libra a tOO rs.
Tapioca muilo nova, a libra a 280 rs.
Pirinea de ararula verdadeira, a libra a
500 rs.
Arroz do Maranhao, em sacea a arroba a
25100 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a
libra a 100 rs.
Toucmho de Lisboa a 95300 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dito de -autos, a arroba 75000 e a libra a
260 rs.
M i: \o< rom 12 sebolas grandes, a 15280.
Mistar la franceza caixa cora 2 duzas a
85000.
Frascos cora mo-larda preparada era vina-
gro, a 400 rs.
Ditos nona conservas inglezas e francezas,
a6Wo800rs.
Ditos com sal refinado fino, a 640 c a 300
rcis.
Ditos com a verdad ira genebra de laranja
a 15200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
I5O0O.
Ditos de 1 garrafa de Hollanda verdadeira,
a 6i0 rs.
Botijas cora dita propria para negocio, a
401) rs.
(arrafoe? com 2 galdes com dita, a 65000.
Survoja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a G3000.
Vi n lio nuscatel de letuba, a garrafa a
11400.
Marras|uinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
o a 15200.
Champagne, a duzia 205000, c a garrafa a
25&P.
Azcite refinado portuguez e francez, a gar-
rafa a 15000.
Caixi de vinlio Bordeaux muito superior, a
75. 85. 95 e 105 a caixa.
Ditas com dito branco, a 75000 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 205-
Ditas cora duque do Porto verdadeiro, a
18500.
Ditas cora chamisco superior, a 145000.
Ditas com Porto velho e outras mullas mar-
cas, a 125000.
Vioho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
720 o 800 rs.
Dito de Lisboa multo bem, a caada a
35200, 35300 e45000, e a garrafa-a 500
e860rs.
Dito da Figueira, das seguintes marca, (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
45300 a a garrafa a 560 e 640 rs., desle
que j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazem.
Ditos de marcas raals desconhecidas, a cana-
da a 35500 e 45OOO e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vioho branio fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj rauito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho verde snperior.
A caada a 35500 e a garrafa a 480 rs.
Gamma.
Sacras de 4 arrobas, a verdadeira de se
engomraar, a arroba a 35000 e a libra
Sabo massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Variaba.
Saccas grandes com farinha de oianna mui-
lo nova, a 55000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,
85300 e 95000.
Cha.
Cha temos oestes gneros o melhor poaswel,
hvsson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxima 25700,
Dito hysson muito lino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a2j>500.
Dito mais baixo a 25000 d 14600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a Ubra a 320 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prlas para mimos a 45 e 2300.
n'eaea.
Nozcs, a hbra 160 rs e arroba a 45000.
Alpista c pair.ro.
Aloisia e paiuco, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas fiuas parajogar, a duzia a 25300.
Caslanhas.
Castanhas novas vindas neste vapor, a arro- JJ
ba 45OOO e a libra 200 rs.
Azeilona?.
Barris cora azeilonas novas a 15300
Manteiga.
Manteiga flor, a libra a 15000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris c meios ditos, a libra a
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos nnvos viudos neste vapor a 35200 e
35500.
Ditos londrinos muito novo?, a libra a
15OOO
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 45*00
Dito dito lizo de linho, a resma a 45300
Dito de peo lizo e paulado, a resma a
25500
Dito de eiubrulho bora a 15 e 15200.
Vinho Hadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez c Ma-
deira a 15300 e 25-
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
o cravo, a liWra a 4"0 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
489 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixdes de doce de goiaba, grandes a 15400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
SrtKa.
Duzas de bornes de graxa a. 97 a 25600, e
de latas a 15000, e os boiSes a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charoles finos.
Charutos finos dos raelbores fabricantes da
Baha por diversos precos, caixas e meias
caixas.
I
NEM COROAS .NEM MITRAS
E
GRANDE ARHAXEIII
.??? ?
...... i
m
1
E graude quautidade de gneros tendentes j
a estes estabelecinientos, que deixam de an-
nunciar-se.
A 4 8 0 CORTE.
Pechkelia ^in igual.
Lindos cortes para vestido 4* percales de cdre$
dars e escuras com grande variedade de padres
pelo baratissimo preco de $ o corte: na toja das
c lumnasrua do Crespo n. 1$, de Antonio Cor-
reia de Vasconcellos C.

v$
RIA DO IMPERADOR Me 40
Junto bb sebrado era que mora o Sr. Osberne,
Dnarte Almeida fc c, reieberaut de na propila cb< ouimra
da o mais liado e variado sorilinento de nmihados, proprlos
da presente estaco.
Manteiga ingleza Ma$a '"brancas
da safra nova vinda no ultimo vapor a 1,000,' para sopa a mefcor que se podo desejar,
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 40500 a cia.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas mareas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Iden de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, o
800 a caada.
Ideal d Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto alje 10200
a garrafa e de 100 a Ii6 a caixa, as atar
cas sao as seguintes: Chamisso AFilho,
F. 4 M., Nctar' ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitoi.
Latas
com 10 libras de barrita a 40000.
Bolactkft ingleza
a 15800 a barrica damesma qua
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* bra.
Gervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a <>05OO a duzia.
C-ARTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.a sorte do Rio de Janeiro a S03f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Carraffes
com 4 '/i garrafas com vinagre a 10000 uu
ogarrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de U0OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 co
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha,
LICORES
nos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e a 1,000 a garrafa.
Marmelada
dos rnelhores fabricantes de Lisboa, como se-
iamxAhru e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto deLamegoa 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter aba ti ment.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
3* Passas muito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pi.
Frutas eua calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Bseeda casca da goiaba
a 600 e 10 o caixae.
GOMMA MUITO NOVA
muito novas a 10000 centena ra do Qnev em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
mado n. 7j ra do Imperador n. 40 e lar-j robaeMO-rs. a libra na ra do Qoei-
go do Carmo n. 9 mao 7, rua do Imperador n. 40 e largo
CRAO DE RICO do Carmo t. 9
maito novo a 30 400 a arroba e 140 rs. a -1 ROLACHINHAS
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do- em latas de deffereutes qualidades a 10200
rs. a libra eem barril a 800 rs.
aatelga franceza J
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
aWOrs.
Amendoas
confutada de lindisBimas coras a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
0art5es
com bolos francezes a 500 rs. cada vrm.
Latas
com bolachinhas de soda de tedas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos_para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
queijos
chegados no ultimo vapor a 2i60O cada um.
Queijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalo.
Oonservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para raimes a 900 e 10200.
Cha uxinT
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer n5o pode vender por meaos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem Iivssod
o mais aromtico que tem viudo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480rs. alibra.
(Oft\l(
o muito afamado cognac Pal* Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de I,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Eumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra.
'Vinagre
PRRem ancoretasde 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a ",00o rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e PaiuQO
o mais novo do mercado a 14i> rs. a li
e 40400 a arroba.
CEBLAS
t "mhwi>/ UETWEJrRO ERflft. jja ^
Neste estabelecimeato ha serapre lUi sortiuento emule 4e roupa eita de
s as qualidades, laabem se manda fazerjor madidav^t fontaie dos concor-
rentes, para oque tem um dos memores frofessorey, arsnncomo tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
"S
todas
3O0QO
0
250C
Casacas de panno preto, 350 e
Sobrecasacas idem, 300 e .
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......100000
Dites de casemira, 200, 180,
120, lTe.. .... 70000
50006!
70,
30500

30500;
30900
45000
Ditos de alpaca, 50, 40 e
Ditos ditos pretos,
50,40 e
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 3056Be. .
Ditos branco de linho, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
10, 80e......70000
Dites de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....40000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e do
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50
CBMles de futto e bra bran-
co, 305OG, 30 e m
Sutulas da brim de linho,
iptoo .......
Dttaa de algodSo, 10X>e. .
Cauiaas de peitos de linho,
4#, 30 ......20500
'Ditas de madapoRo, 20500,
20e........
i Chapeos de massa, pretos fran-
ceses, 100, 90 e. .
70000, Dito de retiro, S#, 4#, 30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
110, 70 e......60BOQ
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
tes.
Toalhas parroste, duzia, 110,
e........
4000
20506
20510,
50OO6
40000]
20500
20600
10400
10600
80500
20000
6O0O
cores, 90 e...... 70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 50 e 40000 tos e de cores.....
Ditos de ditas de cores 50 Lancees de bramante de linho.
40 e......c. 30500 Cobertas de chita chinata.. .
m
60000
40000
30000
20500
DE
DE
J. VIGNES.
IV. &5. RIJA DO IMPERADOR \. &.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz coithecidos para que seja necessario insistir sobre t
sua superioridade, vanlagens e garantas que ofiarecom as compradores, qualidades estas inrontesu-
teis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta prara ; odo-
suindo um teclado e machinismo qne obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem-
aunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importaa-
Ussimoii para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazcm-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expsijoes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ledo vendido por
preces com modos e raroa veis.
ibra.
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEIJO SUISSO
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do chegados oeste ultimo vapor a 20800 na ra
gueimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e
rgo do Carmo o. 9
do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
40 e largo do Carmo n. 9.
Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaraos aos sens
fregueses e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam es meamos preoos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
NOVIDADES.
Queijos do Uenlejo. ditos das Ibas o mais fresco que so pode dese-
jar a 10200 a libra, es'endo inteiro ter algum, abatimento, ricas caixinhas
redonda! enfeitadas, prbprias para mimo da festa pelo barato prco de 40
cada uBaaricas sajas de figos tambem proprias gara mimo de .800 U5Q0
cada urna. Vende-se nicamente no armazemkVerdadeiro principal, roa do
Imperador a. 4.
CONSULTORIO 1IEDHM1RURGIC0
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundo 3
O Dr. .Lobo Moscoso d eonsultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 1
horas da manlia, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial liomeopatlca
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seguintes
Carteiras de 42 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. .' 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos grandes. 300000
> de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com osr;n:l
que se pedir.
Um tubo avulso on frasco de tfntora de meia onca 10' 60.
Sendfl para cima de 12, custaro os precos estabeleedos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LI V1U>$.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes volumes com diccionario............ 200800
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 100600
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 60000
Diccionario de termos de medicina ........... 30000
Os remedios des-te estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam porten-
to de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros, enrgicos e doradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notareis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acreditados
estabelecimenlos europeas, a mais exacta e aecurada preparaco, e portento a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravosn
Recebe-se escraves para tratar de qualquer enfermidade a fazer-se-lhe qualquer
operarao, para o que o annunciante jnlga-se surBcientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parto alimantar, como na uedica,
fonecionando a casa a mais de quatro annns, ha muitas pessoas de cujo conceke se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahi eu diante 10500.
As operacoes sero previamente ajustadas, se nte se quizerem sujeitar aos precoa
azaaveis que costuma pedir o annunciante.
14*-iEua Direita14

a
Folha de Flandres.
Veade-se na fabrica da travessa do Carioca 'n.
i, caes do Ramos, superior falha de Flandrcs: |a
ver e tratar na nesma fabrica.
Vende-se potas om barris a coramedo preco o
i ra da Cruz n. 23, primer aadtr, ejerlpwri:
fe Aatoole da Almeida Gome3
Superior cal de Lisboa.
Vende-se wperior cal i ^Ur^ a mais nova
que ha os Btrc^do, tanlo em porcao como a reta-
Iho, por barato pr^, aflapcando-se aos compra-
dore uperior qalidade: a tratar as segnLes
ras : Crespo n. 7, Imperador Ti. SB, Forte do Ma-
los, armazem dqSr. Avilia, defronte ^ trapicho
> algodao.... .; ___________________
Vinlia do Parta sH^erior
enr barris de oitayo e decimoj vende Antonio Lnli
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor. qBtrlidade a
144 a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 'g
ATfMCM'
Vende-se snperior rlnrro do Porto em caixas de m
urna duzia : ero casa de Jotrqstau Pateri C. ra de'A1buqnerqn Atevedo & C.: no seo escriptorro jidades: pm casa de Monhard 4 C., ra do Tra-
do'Awl' : 'roa C/mb, 1
nico depesito do rap imperial do fabricante
Isaac Esnaty ; alliaeca sua boa qual superior ae rap de Lisboa e ao rap ara preta, a.
prova faz f : vende-se a retalho a 14 a libra, e
em porcao de 10 libras para mais a 860 rs.; tam-
bem abre crdito aos compraores em eonta cor-
fente. _______
Vinho do Port'wptaial.
O oais generoso e genuino vinho do Porto, mar-
tas povas eespeciaes, em caixinhas de IStrarra-
fai.-ftepdo marcaRainha de Portngal a 184060
a caixa, e marca Pedro Va 160 ; em porcae
far-se-ha nm ahate razoavel : ne armuem de r#r-
relra & Matheus, junto ao acp da^apreiraon.
68. No mesmo armazem hoamhem.MeelItite
vinho do Porto em anroretas Je 32 garras a 304
cada ama, e em porcao pnr^nos algunu cajea
Para padaria.
Na padaria da raa Direita n. 84 ba para vender
multo bons hlalos vindos do orto, proprios para
cartegar bolacha.
* Vend* se um molato
boa*finalidades, eomo bem.
ro e boleeiro: a tratar na ra
rneiro andar.
p#*pM boncowl-
ta da Cruz n. 46, prt-
Veadem-se charntn* d Babia de varias qoa
lades : era
1 pichi a. 48.
Assadeiras
Assadeirae 6a portefona de Mdwot Mmi
na ra do (Jueimado .. 31, yntm Aievedo _
IfOMP.
Peneiras.
Rtcebe/Mf giaiytef sortimento de penen as de
rame, proprias para padaria e phannaria; **
tmt Quwmado 3J, toja de Azevedo A Irmo.
Brides de Ipojuca
As verdadeiras brides de Ipojuca : Tendero m,
ra do Queimado n. 32 Azevedo k Irma.
Fqcas de cabo de umeorne e
Veedem Azevedt 4 fcnao, na ra do Qaeima-
MoVo depoailo de saBtiu.
Aeha-H abarlo nm novo deposito de sabo m
ra do Rangel n. 3i, na antiga fabrica italiana,
sonde os freguezes encontrarlo completo M>rti-
mento de sabo de todas as qualidade*; assim ce-
rno a ya^tagora fie eiMptram para abrevbma a
quatapvJrtf>xor r mnilo perto. e dimuM-
t carrife qtw'lefc dv-Teiarem._______
llItiM
para SO t 200 retrarosTauU
preco que em outra qualquer
Crespo n. 4.


* e por ceos
parta: ia ra do


Bftarlo 4e PerMnta ftcgwada le ira de Janeiro de i O*
MAGNIFICO SORTMENTO
a&f, >

CiRMDE ARMAZEi
DA

LIGA.
O HUl no va o<*
Casa da esquina junto a ponte da Uoa Vista.
MUITA ATTENCftO.
Parece que orespeitavel publico se-achara bastantemente convencido de que a
direccao deste importante estabelecimento tem sido sempre caracterisada pelo maior
gosto e capricho, nao s com relajo ao asseio, superioridade das mercaduras, como
na sinceridade do trato e maneiras attenciosas dos empregados da casa para com todas
aqullas pessoas que se dignara de frequenta-la.
Muitas seuhoras pernambucanas e eslrangeiras, cujo trato ameno e delicado n"o
pode ser concedido a qualquer individuo no recinto de um estabelecimento da orden
da Liga tem vindo possoalmente rerazer as suas despensas nesta casa e rollado asss
satisfeitas.
E' preciso farer desapparecer desta importante capital estas nojenlas tascas cheias
sempre do escravos embriagados, onde as chufas sao jogadas sem respeito.
O importante e magnifico armazem da Liga se acha felizmente muito fra
dessas condieces. E' necessario v-lo para bem se prestar crdito a nos^as palavras.
A mercadoria nunca sera bem comprada se ella nao fr de boa qualidade.
sobre este ponto que chamamos a atteneo das pessoas que nos quuerrm honrar com
a sua freguezia; porque o nosso grande estabelecimento se acha completamente prvi-
do de superiores gneros, que em sua mxima parle furam comprados a dinheiro
vista, e recebidos directamente de Londres, Paris e Lisboa.
Nraguem se acha entre nos com mais proporcoes para vender barato.
As pessoas que comprara para negociar, fariara muito bem fe quizessem se cer-
tificar do quanto havemos expendido pro urando afreguezar se com nosco.
Nao duvidamos vender a crdito a quem nos der conhecimento de sua probidade.
Amendoas confeitadas em ti asees de ridro, ditas com casca mole
e dura Ameixas francezas em frasees de vidro, ditasem latas,
ditas era cartees, ditas a varejo =Atpiste e milho miudo.As-
sucar refinado Uno, dito baixo. Azeile doce em barril, dito
em boies. dito engarrafado, dito francez epertuguez refinada.
Arroz do MaranhSo, dito de Java, dito da India, dito de Penedo.
Azeitonas de Lisboa, dita do Porto.Banha de porto em barril
dita em lata, dita refinada em barril e Latas. Batatas em gigos,
dita em caixas, ditas varejo.Bolaxnhas finas de diversas
qualidades, ditas de soda, ditas para lanche, ditas americanas.
Biscoiles inglezes, Mixede, Medum, Cabim, Seed, Soia, Cuddy
Cracknel, oval Thim tapitam e mitras mais, ditas de leite de
Edimborgh, etc.Caf do Ro de I.*, 2.a e 3.' qualidade, dilo
miudo.Cha, o que ha de melhor existe em nossos armazens,
uxim, miado, dito hysson de 1.a, 2.a, 3.a e 4.a qualidades, dito
preto homeopathico, dito commum.Cliarutos Mussissipis, ditos
Panetelas, ditos regala imperial, ditos suspiros, ditos delicias,
ditos Napeleoes, ditos Parisienses, ditos apraziveis, ditos lancei-
ros, ditos imperaes de diversos fabricantes. Cbouricas mou-
riscas deLi boa, ditas em latas.Chocolate de diversas qualida-
des e de diversos fabricantes. Cerveja Basse, dita Victoria,
ditas Alesops, dita tenente, dita H, dita XXX, dita em barrH
branca e preta.Conservas ingltzas, dittas francezas, dittas ali-
menticias. Cevadinba de Franca. Cbanpanlia superior de di-
versas marcas.Cognac inglez, diHo francez. Ceblas de Lis-
boa em molhos, ditas em resiias.f x>s lapidados para agoa
ditos para vinho. Doce de calda em hvf le diversas qualida-
des, ginja, alperch, pera, pecego, doce ditas Jpa, em latas ditos em
caixoes ditos em frasco de calda de astgoiai ditos de cognack. Ervi-
lhas em latas, ditas em casca., ditas StiYasca.Esperm^ceie de 5e 6 o
maco.Figos em latas de 4 e 8 libias lindamente eufeitadas, dilos em
caixas grandes e pequeas em barril. Parraba de Iri^o de diversas
marcas, dila de araruta, dita do Maranbo, dita do Aracaty Fumo
do Rio em latas dito em rolos, dito em lata (do Para) para cigarros.
Genebra ingle/a marca gato, dita dila em fio eos, dita e II llanda era
frascos, dita dita em botijas, dita de Ibmburgo em frascos, dita em bo-
tijas, dita em garrafoes.Giax em latas.Limonada de diversas fruc-
tas.Licor ingle*, dito francez, dito allemo. Manteiga ingleza flor,
dita de 2.a qualidade, dita de 3.a, dila de 4 a, dita fiancza de 1.a qua-
lidade, dita dita de-8.aMama pra sopa, macan ao, talharim ealetria,
dita estrellioha e pevide branca eamareda.- Marrasquino de /ara de 1.a
qualidade, dito 2.a dila, dito 3 a dita. Marmelada muito fina.Molho
inglez, dito francez.Moslar-a ingleza, dita iranciza.Presuntos in-
glezes para fiambre, dos americano, ditos doPoito para tempero,
dito de Lisboa. Passas de Malaga, ditas de Corinlhias para podim.
Pomada do Pirto.Pmenla do reino. Peixes em latas, -avel, corvi-
na, pargo, espada, congro, cliermy preparado pelas medrares artes de
cosinha.Papel greve branco, dit paulado, dito alabeo, dilo de pes",
dito amarello.Paulos lixados para dentes, dib>8 dilos com flores, ditos
americanos, dilos do gaz.Oueijos inglez e londrino, dito flamengo dilo
prato, dito suisso.Rap .Meuron, dilo francez Sal..me em latas de 1
libra o melhor que aqui tem vindo. S^rdinha de Basse, dito de A.
L'Auile. Sahao naciono), dito massa e nao massa, dito inglez. Sal
nacional, dito ingles a varejo, dito em vidros. Toucinho d Lisboa e
Porto, dito de Santos.Tijolos para limpar facas Vinlu>, nesie gene-
ro os nossos armazens tem o melhor soitim nto que se pode im ginar,
duque do Porto, lagrimas do Domo, C moes, Bocage, Mara Pia, D.
Late, Pedro II, Malvazia, Madeira, CUerry, Bordeaux, tudrj engarrrf do
Prevenimos ao publico de que no armazem da liga s tem vinhos engar-
rafados no eslrangeiro, dito em pipa do Porto, Lisboa, Figueira e de Sele,
dilo em born de todos os pi/es, dito emam-oras, dito cbamisso mui-
to proprio para casa particular em bairilinhos com i>0 garrafas por
preco a satisfazer o mais exigente comprador ea.quinto a qualidade
garantida por nos e pelos seus importadores, dito em caada por preco
baretissimo, dito branco par* mi-sa.Vinagre puro de Lisboa, dilo ham-
burguez, dito cm garrafoes. Yassouras do Porto, ditas americanas.
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chegaram es modernos vestidos de dentelle de seda com barra, inteirameitf<> novos
em gosto e qualidade : loja das columnas, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia
de Vasconcellos & C, successores de Jos Moreira Lopes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos de sen hora
Superiores corles de seda de cor, de morante, de g^rgnrao e de sellm imperial.
Ditos de blond, e de cimbria branca bordados.
Ditos de lia com barra grande variedade em cores e padrees.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de quadros escossez e muidas.
Superiores laas lisas com grande variedade de cores.
Ditas com slticos, com llores e de quadros.
Lindas painpoliaas de quadros e de llores, fazenda inteiramente ora.
Superiores cassas de cores, e lindas camhraias ergandys.
Grande variedade de chita de cores, de percalia e ouiras muitas fazendas de gosto.
Para hombros de senhora
Lindas capas e bonrnoux de casemira de cor.
Ditas de laa e de seda.
Ontnde variedade de sonl'embarques de seda de ISJ a 40$.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales da seda, de merino estampados Saos, de caebrmira coa listras de
seda e de lil preto.
Camirinhas modernas, zuavos brancos e de cores, colletes de cambraia, lindas gol-
linhas com pontos e outros muitos artigo.
Para cabeca de senhora e menino
Superiores chapeos e ehapellinas de palha de Italia eofeitades para senhora.
Ditos de feltro entenados para senhora. m*f
Dilade patna anraittdoe pora menino.
Grande sortimento de enfeites moderuop de retroz, de troco, de cabello e de flores,
para senhora. -
Na foja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonia Correia de Vasconcel-
los A C.
ATTENtfO
* presos da seguate
tabella para todo, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de eoatas
com os portadores.
10 PUBLICO
Sem o menor eonstran-
glmento se entregar
Importe do genero qne
nSo agradar.
ARMAZEM
RIJA IIA C1 AfilEL V llO RECFE N. 53.
(Lego pascando o ira da Cenceice)
brande redaceSo de precos, cqnlvalene a der por cento meaos do que oatro qualquer
anaunclaate.
Collegas.Nao ppsso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
tnuitos objectos, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom preeo a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 111 Ora,, eu Hendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reduccao de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Unio Mercantil n3o
se sabia de ontro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oo a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reducc5o a que
estao obligados, encarando todos os das de seus leguezes reclamacSo de precos, e qualidades, vingam-se de um eoutro potadores
al informado de^te novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao propriosde um estabelecimento desta ordem que o seu fim
tSo smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptido e entei-
rza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certas de que sem duvida roe danto a proteccao e preferencia na compra
dos generus que precisaron, e quando nao pocam vir poderlo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, pois
ser'ao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, bavendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao v5o em outra parte
AGENCIA
DA
AGENCIA LOW-MCOS.
Ra da Semilla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de muendas e ueiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos oj
lamanhos para ditos.
Afados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
mmmmmm MBmx&g$m
i Fabrica Conceicio da $
Bahia.
*>
i Andrade & Reg, reccbeni constaiile-
Pf mente e tem venda no seu armazem n.
av 34 da ra do imperador, algodo d'aqxel-
W a (abrir, proprio fiara saceos de assu-
B car, embalar ai^odao empluma etc., etc.,
|g pelo prego mais razoavel.
Rea da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. Y Johnston sellins e silhoes inglezes, candieiros e ea*?ti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio chicotes para carros e montara, arreios para
caprUs de um e dous cavallos, e ratafias de
ouro patente inglez.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abaiimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e en barril ou
meios a 5oo rs.
Gb hysson de superior qualidade a ,oo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem buxim e melhor que se pede desejar
neste genero 2,t>oo rs.
dem preto homeopathico porser de superior
qualidade a 2,uuo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o !,6oo, i,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regu'ar, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,too rs.
Linguicas, cbonricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garatite-se serem superiores aos que tem
em barris.
Chourifas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oors. edo vapor
passado a 1,6*0 e l,8oo rs.
rs. e em barricas de 4 duzas se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28ors. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooa rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a rbra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpisla a I4o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em laias de I e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Ale tria, macar rao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a ca xa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
lidade proprio para engarrafar em ancore-
las com 9 caadas por 45,ooo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente qua-
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abaiimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresce e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latasj pre-
paradas a 6io rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de. Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e bespanol a 9oo
l,(ioo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinbas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salm5o, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 800 e -!,ooo rs. cada urna. I
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- J
das que tem vindo" ao nosso mercado a
6,000, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante- j
Antonio de Lisboa em latas com 6 libra8
por 2,&oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por I,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de i e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora i,2oo, I,5oe, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,000 a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. e frasco e
8,5oo a duzia.
Tassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rollado mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4os re.
Letrtilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e 11,000 a duzia-
Palitos para dentes a !4o e 16ors. o maco-
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Roa da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tac/) i t
(erro coado libra a 110 rs., idemei el/
Moor libra a 120 rs.
A LEGITIMA
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, 'Cerveja branca e preta das marcas mais a-
4oo e5eo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,000 e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 000 rs. a garrafa, era caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuioo,
D. Liz I., Madeira secca, Malvazlo fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. ea 9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a. 64o rs.
Bolachinhns inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinba de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, quo nutro; Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Ib llanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a 1.000 rs. o Irasco, e
11,00o rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes .: 4oo
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
,8oo rs. a caixa qetn 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra,
Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Saga mnito novo e alvo a 24o rs. a libra-.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutosde todos os fabricantes da Babia e das
mais acreditadas marcas conbecidas no
nwsae mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito era caixoes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta vei dadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banba de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. en barril.
Capil de diversas frutas muite frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,000. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
10ni de molhado
"OSES3 a:a:0.3= =-" = U
t s "S'&s o
3 Ccnceo f c O
Q-oi-ao en S&B w o o
Sf-B* *.(?

c
op,q
o
&
a.
m o.
M5
CD -1 .
a o
2 S -
" ES S?0
B i
Soox '
co a i"
Sil
u u O
s e
81 --2U A DO MPEUtlIOlt- 81
Segunda casa do lado direito indo do" pateo do CoUegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfaco de avisar aos seus freguezes e ao respeitavel
publico que. estando restabelecido de seus incommodos de saude, acha-se novamente
com um bello e bem sortido armazem de seceos e molhados primorosamente escolhidos;
como sempre caprfchott terdas melhores qualidades, e francamente aflianras pessoas que
se dignaren comprar em seu estabelecimento,que all de preferencia outra qualquer par-
te sero mais bem servidos, em qualidade e preces como em pesos e medidas, no que
sempre o annuncante foi escropulo>o, em summa, nao illude a pessoa alguma.
Aos S s. de engenlio e lavradores que o queiram honrar como seu comitente Ihes
assegura qne o producto de son laborioso trabalho ser o mais bem reputado no merca-
do desta praC/a, para oque se jolga convenientemente habilitado pela longa pratca com-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com presteza, depois de se-
rem fielmente omprido as suas ordena.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantes que lhe merecam confianca, fa-
zendo um abate ventajoso aos que pagarem a vista suas mercaderas, e encarrega-se da '
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna mdica commissSo, entregando de *
promplo seu pr< duc'o, e sendo este applkado compra de gneros em seu armazem,
prescindir ua commissiio.
Dos seus Mmi e ftenijnos freguezes espera oannuneianle sna valiosa protecc3o, fre-
qnenlano\eomo ouir'ora sua casa, e pelo reconhecimento que lhes tributa offerece expon-
taneamen'e seus aervicos.
Julga deshecesario publicar a tabella dos precos de seus gneros: s3o seus recursos
garanta sufiiciente de peder accr.mpanhar os menores precos de ide;.lieos e mesmo de
mais apparatosos estabelecimentoa, tendo somente em vista o augmento de suas vendas
diarias.
PvevearSo aeeessarla.
Tendo sido o proprietario eatabelecido rmritos annos com e mesmo ramo de nego-
cio ni mesma ra, julga prudente advertir que s aflirma e se respensabllisa pelo que
tem declarado no que disser respeito ao armazem.
a &3 =-g^
* 8 | 3 i
i o OT 3. St 5 c
o
n
-%\
"3
Sil.
"3 ~~ a
* o
g"S"S $
. T Ul Cu
01 O
g


e
2
9
I
e
e
*
e
e
ft
>
!
taiiHD iisiasiTJi
81-RVA llO IWIBItAWOIl-8f
'Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegiu,
PREPARADA NICAMESTE PGE
LAMAN k KK1P,
NOVA YORK.
Composla de substancias, gozando de
propriedades eminentemente depurativas;
approvada pelas juntas e academias de rot-
diuina ; usada nos principaes hospilaes, ei-
vis. militares e da marinba as Aniiihas e
no continente americano ; ivceitada pelos
facultativos os mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanbola
CUBA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercurises. (hagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientes d'um estado vicioso do sangtie.
Emquanto existem varias imitar/es e
falsilicagos, preciso a maicr emita para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vmde-se por
CAORS A BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO d C
Irrita^no dos pulindes,
Anrfna, tosse,
Escarros de sangue,
Crupo ou gaiTotilho,
Catarrho, rouquidao.
e todas as innumraveis molestias que ef-
fectam aos ergios da respii acao
DESAPPARECKM
mediante a accScj da balsmica e irresbti-
vel /_____________________
Vende-fe doce de caj serr c Ce larnja.
mais barato do que em outra qualiier |.ait*, lao-
to a relalho como ero grande |or<'<>. ;i| ii n (i. -.
de enroromendas para fra da fiivinria : jn-iu
Hrecifar, dirija se a rna Augusta n. 61, a qualqctr
hora do dia.
Vende-se doro de caj sccro e de laranja
mais barato do que em outra qualquer i-arte, tan-
to a retalho como em grande porco, tpnaipa-M
de encommenda para fra da provincia : qnem
precisar dirjase a roa Augusta n. 61, a qaaiqucr
hora do dia.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a or natural
dos cabello.
A agUk florida pao urna tintura, fado esseo-
cial contesur, a mesroa agua dando a edr primi-
tiva ao cabello. CompnMa de plantas exticas e
de ubsiinctas inolVn?ias. Ha tpm a proprifdide
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'uma salubridade incontesta-
vel, Afut FleHda evtfrrWm a hmpm d eabties
deUoe a caspas ienpee os cabelles e ahir
Oleo de Florida:
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
constite poderosamrr'* cora a Agua Florida, a
torga, a belltia e a conservacSo dos1 rabilx.
I Em Paria, casa de Quislaur n. |t, roa. da Biches
lien, e II, bouleva/d MontmfrTr
Todos os frSww, ni tendo intaeto e claro,
timbre prateado da casa, sin repotMos faMos.
Deposito, ra do Imperador, pbarmacia n. 38.
ESCBAVQS FGIDOS.
Fugio salibado 26 de nov< n I ro pioihl c pas-
sado o escravo pardo de norr.e AntMtio, de ic'sot
de 10 annos, pouco mais ou muios, ruin os >ic-
naesseguintes : magro, altura regular, rosloriB-
prido, nu tem barba e com bstanles marra!- de
bexigas, falla branda, foi eseravo e cria 4*fr.
Joaquim Cavalcanti de Alboqoerque do nfu.U
Araguari da fregnezia de Harreiros, eroi rrra^n- nosta cidade em vender agoa, porm aos rli n ir>grs
e dias sanios amia va calcado, de palr-t.it lr;iu,
chapeo do chile e bengalioha fina, ronsla qu se
intitula va de ser livre, quando fugio disse a alpn-
mas pessoas a quem venda agua, qne segua |ara
Barreiros, e que somente voltava depois Rna
do natal : roga-se as autoridades polniaes e rp-
tes de campo de o apprehei der^m e mandarer
eBtregar na rna do Queimado n. 77, a AU xai.drt
Jos da Silva, qne recompensar ern' 60.
o da 9 de deiuntirn de 1864 ligio d. rara
de seo sennor o escravo Herculano. parJo escure,
com 25 annos, alto, cabellos carapinhos, cilios t
orelhas pequeas, tem apenas bigude e pera, sar-
nas e andar de quehra-mangne, imdno p esqner-
do rorto e sabido para fra como pata de seti, e
por isse puxa alguma ronsa pela pern qi.ardo
anda, levou vestido raiga branca remendada e ca-
misa branca, levando chapeo de palta. c> r.duzio
igualmente toda roupa qne possne, suppd>-*r an-
dar aqol nvesroo pela cfdaV: quem o ppfar -
a ra Direila n. bh, qne ser generosamente re-
eompen Fugio pela manba da da 2R do torrente n
escravo de Bbme Paulino, com os signaes segua-
les : cabra, cara picada de teXipas, dentes tima-
flos, cabello osrapinho, estatura regular, ebrio le
oorpo, muito conhecidn por andar veodemio fa-
zendas com um caixeiroda casa dos Srs. Mane
no C. : roga-se a quem o pegar, de o levar
casados mesmos na rna do Crespo n. 5, qne sert
generosamente recompensado.
Fugio no da de segnmla-feira iC o> dez-aa-
i bro deste anno, o maJal Manoel, esrravo doabai-
xo asslgnado, o qual tem os signaee seointes :
baixo, cheio do corpo, eflr clara cabellos grandes
6 penUados, melada de nm dente da frente que-
brado, costuma andar canario, do iialeiot e cha-
peo, levou cal? e camisa branca. EfU muate
fot escravo do Sr. Antonio d Silva fin-miu e w-
tuma dizer que livre: rogare a todas as auto-
ridades policiaes e capiii** de camp de aa>-
Srebcnderem e levar aseo Sr. Frederloo Ganter,
entista, roa Nova n. 19, que ser* bem recom-
pensado.
Frederico Gautier.



V
a a a i


\
_^

I
8
Diario e rernmbneo cgnmda le Ira 4e Metro de i S*.
LlTMl ATURA.
HISTORIA DE UM CONSCRIPTO Mf 1813.
POR
Erdraanu-Ckalriaa.
V
i Todo aquelle rumor e movimooto pepduziatn em
mim uin elleito que nao sei explicar. .Anda nao
poda acreditar que havia de deixar ajfidade. E
11 iodo eslava assj,m no maior gru de perturba-
do, abre-se a porta, Calharna a lira-sobaos
- uracos a gemer e minha lia grita :
i a Suis-
meus
Eu bentte di/.ia qoe devias fugirfje ;
que estes ladroes que te haviam demvar com
Eu bem t'o dizia, mas tu nao
sa.
voutade ou som ella,
quizeste crer.
Sra. Gredel, atalhou logo o Sr. GoulrJen, par
tir para cumprir com o seu dever nao tamaoha
desgraca como ser desprezado pela gente de bem.
Em lugar de lodos essesgritse censuras, que nio
reraedeiam nada, melhor seria se consolasse Jos e
o auimasse.
Ai, Sr. Goulden, eu nao o censuro, isso nao .
c que realmente cusa muito ver urnas cousas
un.
Catharina nao me deixava
no meu lado abracada em mim.
Has de voltar, sim? dizia-me olla, apertan-
do-me.
Klipfel tocou-me era um hombro, e voliando a ca-
beca para traz, disse :
Olha I
Olhei e vi Phalsburgo muito longe, abaizo de
nos, os quarleis, as fabricas da, plvora e a torre
4'onde eu tiuha visto a casa de Catharina seis se-
manas antes, cora o velho Branstein ; Indo isso
nublado e muito uegros os bosques dos arredores.
Bem quize parar ali alguns instantes, mas todos
raarehivKm, er'pWiso marehar lambera. Des-
eemos a Metling.
VIH
Nesse mesmo dia fuios a Bilche, no dia segura-
te a-Horobach, depois a Kaiserslautern, etc. Co-
mecara outra vez a nev.
Quantas vezes, durante essa comprida estrada,
desejei o bom capote do Sr. Goulden e os seus sa-
patos de sola dobrada I
Atravessavamos aldeas sem numero, ora em
nionianha, ora em planicie. A' entrada de cada
logrejo, os tambores tocavam a marchar ; enlo
endireitavamos o pescoco e acerlavames o passo
para parecermos soldados velhos. A gente da tr-
ra vuha s janellas ou soleira das portas, e di-
zia :Sao reerntas I
Alto!
Havia um arco a esquina do quartel, e nesse ar-
co urna taverneira assenlada por detraz de urna
mesa pequea, debaixo de um grande guarJa-chu-
va tricolor era que eslavam depeudurados dous
iampe3es.
Chegaram-se logo muitos offlciaes: o comraau-
daote Gemeau e mais alguns que conheci depois.
Rindo uns com os outros aperlarara a mo do ca-
pilo; depois olharam para nos e fez-se a chama-,
da. Depois da chamada recebemos cada um urna '
bora de pao de munigao e um boleto. Advert- {
Coma e bebadisse-me o horaem partindo o
bolo.
E eu coral e beb eheio do ama folicidade que
nunca tinha sentido. Ambos, olhavam para mim
I com certo ar de gravidade. Quando acabei de co-
' mer. o homem levantou-se :
E' verdade temos um filho ao exercito-
Partiu no anoo passado para a Russia, e na te-
mos noticias delle.. .Sao terrivels estas guefras 1
Fallava como para si, caraiuhando pensativo,
as costas. Eu senta os
Sim, sim, responda eu muilo baixo. E tu
lias de pensar sempre em mim... nunca has de
amar outro hornera.
Etitao ella solugava e dizia :
Oh, uo: noqueroamar senao a ti.
E nisto se tinha passado um quarto de hora-
quando a porta se abriu, e entrou o capilo Vidal
cora o seu capote enrolado e deitado a tiw-coJo.
Ento I disse elle, ento I onosso rapaz?
Est ali, responden o Sr. Goulden.
Ah, sira I... toroou o capitao. Estao na
ruar das lagrimas muito natural... Eu tam-
bera fiz o mesmo. Todos nos deixamos alguem
por c.
Depois, levantando a voz :
Vainov, meu rapaz, animo I Deixemonos de
crcancices.
Al'entou em Catharina e disse, vollando-se para
o Sr. Goulden :
Sim, senbor, tem razo; nao admira que nao
queira partir.
O taubor rufava entao a todas as esquinas e o
. capitao Vidal accrescenlou :
Anda temos vinte minutos para largar.
Depois, olhando para mim de esguelha e aper-
taudo a mo do Sr. Goulden :
E' preciso nSo faltar primera chamada,
ineu rapaz.
Sabiu ; ouva-se um cavallo escarvar porta. O
lempo eslava encobarlo ; a tristeza opprimia-no o
eu nao poda separar-se de Catharina.
Do repente comecou o rufo de todos os tambores
que se tinham reunido na praga. O Sr. Goulden'
pegando logo no sacco pelas correias, disse com
tan grave :
Jos, agora abracemo-nos... Sao horas.
Levaotei-me paludo como um defnnto e elle afi-
veluu-me o sacco s cosas. Catharina, assentada,
com a eabega no avental, solugava. Minha tia, em
p, olhava para mim e raordia os beigos. O rufo
calou-so de repente. ^^*
Vae comecar a chamada, disse eSr. Goulden,
abragando-me.
E. nao podendo soffrear mais a angustia, poz-se
a chorar, chamando-me em voz baixa seu fliho e
dizendo-me :
Coragera I
Minha lia assentou-se quando me inclinei para
abraga-la, tomou-me a cabera enlre as roaos, e, es-
treitando-me ao seu peito, dizia em gritos:
Teeuo-te sempre querido muito, Jos, desde
o teu lempo de ci eancinVia... Nao nos tens dado
seno alegras... e agora vaes deixar-nos... Meu
Den-, meu Deus, que dosgraga I
Eu | nao tinha lagrimas. Quando minha ta me
deixou, olhei p*ra Catharina, que eslava iimnovel,
c, chegando-me a ella, bejei-lhe o pescogo. Nao
se levantou, e eu voltava-lhe as costas para sabir.
porqu j nao tinha forcas, quando ella comecou a
gritar com tima voz que despedacava o corago :
Jos !... Jos !...
A' noute, quando faziamos alto, por muito feli.
zes nos tinhamos em poder descansar um pouco os
tinha-se assenlado| p,, eu principalmente. Nao posso diier que sen-
ta incommodona minha perna, mas dos pos...
ai, que nunca sent tamanho eansaeo I Com o nos-
so boleto, tinhamos o direito de nos assentarmos
ao canto do lar ; mas todos nos davam um lugar
mesa. Quasi sempre tinhamos leite coalhado e
batatas ; algumas vezes tambera carne de porco
fresca, a tremer sobre um pralo de couve fermen-
tada. As creancas iam ver-nos, as velhas pergun-
tavara-nos de que trra eramos, e o que faziamos
antes de recrutados, as raparigas cenlemplavam-
nos com ar triste, pensando nos seus enamorados
que tambem tinham partido para a guerra alguns
mezes antes. Depois eramos deilados na cama dos
criados. Com que prazer eu me estendia, e que
vontade tinha de dormir minhas dore horas I Mas
muito cedo, raal pintava o dia, acordava-me o ru-
fo das caixas. E entao olhava para as vigas en-
negrecidas do tecto, para os vidros cobertos de
geada, e perguntava a mim mesmo :Onde es-
tou ?De repente o corago comprimia-se, e eu
dizia comigo :Ests em Buche, em Kaiserslau-
tern... s recruta I E era preciso vestlr-me
pressa,deilar o sacco s costase correr chamada.
Boa jsrnada I dizia a dona da casa acordada
antes do lempo.
Obrigado, responda o conscripto.
E partamos. Sira... sim... boa jornada Nun-
ca mais te vero, pobre diabo I Quantos nao tem
ja ido pelo mesmo carainho t
Nunca me ha de esquerer que em Kaiserslau-
tern, no lerceiroda de marcha, tendo desafivela-
d-. o meu sacco para mudar de camisa, descobri
debaixo das camisas um embrulho pequeo, mas
ram nos que a chamada sera feita no da seguinte olhos a fecharem-sc
as oito boras para a dlslribuigo das armas, e gri-
taramnos :
Destrocar I
Os officiaes deitaram para a ra que ficava a es-
querda e entraran) todos n'um espacoso caf para
onde se suba por uns quinze degrus.
Mas onde haviaraos de nos com os nossos bilhe-
tes de aboletamento, no meio de urna cidade de tal
ordem, e prmcipalmento os italianos que nao en-
tendiara urna palavra de allemao nem de francez? |
A minha primeira ideia foi ir ler cora a taverneira
do guarda-chuva tricolor. Era urna velha de Al-'
sacia, gorda, baixa e bochechuda, e quando Ihe
pergnntei onde era a Capougner Strasse, respon-:
deti-me :
De repente disse o homem :
Vamos; boas noutes I
E sahiu, acompanhado pela velha que levou a
bacia.
Obrigado, obrigado! Deus lhes traga o seu
filho.
Despi-me, deite-rae, e adormec profunda-
mente.
(Conttnuar-se-ha.)
DM POICO DE TODO.
Ld-se no Cruzeiro, do Brasil;
O INFORTUNIO DE AG.VK.
E'bem difflcil iotreprelar-se os impulsos do co
- E que pagas ? rago, quando elles se agitam convulsos para at-
Tive de bebe: com ella um calx do. agurdente, tingir um flm ; bem difflcil avaliar-se os trans
e ento dlsse-me:
Olha, em frente, voltando para a direita es -
tas na Qppougner Strasse. Boas noutes, cons-
cripto.
Eria.

\
portes que o elevam, ora para o goso de um bem,
ora para um estado de perleila paz.
Nesse estado de inquetacao a peregrina Agar
I muito soffria pela sua sorte de escrava, porque es-
sa condico aviltante a collocava ao nivel das crea-
turas repulsivas ; porm acommodada a Imposicao
O agigantado Furst e Zebedeu tambera tinham o de ^ desno se ^ ^ ^
seu boleto para a raesma ra. Partimos, dando j |e e S(JU (rjsle ^^
nos por muito felizes por podermos juntos coxear e
gastar as solas naquella cidade estrangelra. I Abral,ao seu seQDOr> 1 era casado com Sara>
: tinham tocado o ocaso da velbiee, faliavam Ihe as
Furst foi o primeiro que achou o seu quartel
mas a casa estava fechada, e em quanto bata a
porta tambem achei o mea que fleava do lado es-
querdo. Empurre! a porta, abriu-se, e entrei em
um corredor escaro, onde cheirava a pao quente,
o que me causn alguma alegra interior. Zebe-
deu foi para mais longe. Eo puz-me a gritar no
portal:Oh da casa Ie appareceu logo urna ve-
lha no cimo de amas escadas de madeira, pondo a
mo diante da luz.
Que querTpergunlou ella.
Disse-lhe que ia aboletado para alli. Ella des-
een, examinou o boleto, e disse-rae em allemao :
Suba 1
Sobi a escada atrw della. De passagem, vi por
urna porta aberta dous homens de ealroes, despi-
dos at cinta, que amassavam pao em dua ma-
ceiras. Estava em casa de um padeiro, e por
isso que a velha anda nao dorma, tendo tambem
provavelmente o sea trabalho. sava um louaedo
i en-1de fll8s pre,as' tnha os bra50S n8 a, aos co,0?e|-
co-nta e quatro francos em pecas de se.s l.bras, e ;los' ama Br0S9S saia de laa ,xal presa por suspen-
no panel estas palavras do Sr. Goulden : Sor'0?' e parecia le' Gaioa:me para 7 ?Dar-
' to bastante espacoso, com um bom torno de luuca
Has de sor sempre bem e honrado na guerra, vidrada, e ama cama ao fundo.
Pensa em leus prenles, em todas aquellas pessoas |
por quem daras a vida, e traa humanamente os
estrangeiros, para que elles tratem do mesmo mo-
forgas, e humanamente fallando,a estaco da exis-
!
esse mundo era cata de traa boa droga para sua
composico.
Mas de que droga preciso eu T dizia a neto
caminho o Sr. Simplicio, Alando as francas de urna
annosa Hgueira.
A fgueira nao o comprehendia a nao pode res-
pooder-lhe ; mas ura borro, que nastava junto '
della, zurrn tres >tees, e, no distenaer da eabega,
parecia apontar para unu multar qoe passava.
O homem viu no impensado mov melo do ani-
mal urna iospirago de algum genio desconhecido,
e resmoneou:
Ser de urna mulher V
O burro zurrou otra vez, mais forte e por'mais
lempo. A mulher approximava-se, e o Sr. Simpli-
cio senta a alma simplilicar-se-lbe approxima-
go do vulto de saia. .
Estoucom scismas que de nina malher-qu
eu necessllo I E esta que ahi vera nao nenhuraa {
asneira.
Ao dizer-asneiraa nobre dama abalroava
com o Sr. Simplicio e perguatou-lhe :
Pode dizer-me onde mora nesta ra o Sr.
Simplicio do tal ?
Simplicio de tal, nesta ra nao ha ; Simpli-
cio simplesmente este seu criado.
E' isso E em voz baixa accrescentou : o ho-
rnera tolo.
Quera ento a senhora....
Faliar-lhe sobre urna casa quo est vaga e
eu desejo alugar.
Era que ra 7 Na ra do Mel.
Sei. Nao tenno meio de alugar-lh'a agora,
porque, apezar de vaga, est ocenpada.
Essa galante I Nao posso comprehender
como isso seja. v-'
Sim ; o caso um pouco complicado. Mas
eu gosto de Bguras e....
Se sao de gesso nao me falle aellas, que me
enfastia.
Qual de gesso ; cousa mais lina. Ouga-me, e
eu Ihe provar?i que est se oceupado quando se
anda vago.
Pos vamos l ouvir.
A senhora nao me est vendo T
Por minha infelieldade.
Pois saiba que estou inteiraraeute vago, e
entretanto simo me oceupado.
' Isso urna terrivel molestia.
Muito terrivel, minha senhora, muito ter-
rivel I
Mas como arranjou isso ?
E Ihe cont. Chamme Simplicio.
Isso eu j sei
Anda bem. Sou solteiro, e portanto estou
do os nosss. E que o cu te gue, e te lvre dos
perigos! Ahi est algum dinheiro, Jos. Quando
a gente est longe dos seus, bom ter sempre al-
gum dinheiro. Escreve-nps todas as vezes que po-
deres. Abrago-te, meu filho, e aperto-te ao meu co-
racao.
Quando li tsto, chorei e rellecti : T nao ests
de todo abandonado na trra... Ha gente de bem
qoe se lembra de ti. Nunca dejes oqaecer os seus
bons conselhos.
Emfim, no sexto dia, pelas- dez horas, entramos
em Moguncia. Emquanto eu fr vivo nunca me
esquecer isto. Fazia um fro terrivel. Tinhamos
partido de madrugada, e muito tempo antes de che-1 las, e eu dizia commigo:-Meu Deus, meu Deus...
garmos a cidade, tinhamos atravessado aldeas' como se pode soffrer tanto T Nao seria melhor
cheias de soldados : cavallana, infamara, drages morrer ?
Yem muito tarde,disse-me aquella mulher.
E' verdade, temos andado todo o dia,res-
pond qaasi sem poder fallar.Estou a cahir de
fume e de cansago.
Ento olbou ella para mim, e oovi-lhe dizer :
vobre rapaz I pobre rapaz I
Depois fez-me assentar ao p do forao e pergun-
tou-me :
Doem-lhe os ps 1
Ha ires das.
Pols entao, tire os sapalos, e calce estes so-
cos. Eu venho ja.
Deixou a vela sobre a mesa e deseen. Tire o
saco e os sapalos. Tinha os ps cheies de einpo-
de farda curta, com os sapatos cheios de palha,
Esta idea tinha-me viudo cem vezes durante a
i suspiro do donzellas
Repercutidos nos ceas,
Lagrimas de noivas bellas
Uuaado as noivas liaban veos.
Abrir de virgneas boceas,
Mocas, deegrenbadM loteas
Revelando os setos bus.
E as notas que ahi clarelara.
Por cima de ti se arqueiam
N'um ferimento de luz.
E quando a frauta inspirada
Fallar aos leus labios vem,
Na tua fronte poisada
Nio sentes a mo de alguem 1
E' a desgraca, a gloria
Essa prioceza Ilusoria
Que no seu throno latal
Dando ao betjo o p descalco,
Mostra a perna... e o cadafalso
Antigo pagem real.
Mas que importa ? o espago grande.
Talentos, astrosbrilhae
Que luz que de vos se expande
O tempo se abrindo vae.
Pelos degrans das edades
Vo rolando as potestades'
Que l nSo podem chegar.
Como as torres, nos montes
A luz d'alvaem vossas frontes
V-se a idea clarejar.
Nao ba mais para onde eresgas;
Teu nome vale brazoes.
E' bello quando as canecas
Conquistan) os corages.
Assfm te vejo. Sao fragoas
De sons, de anhelos de magoas
Crepitando aos sopros ten;,
Faiscas do pensamento
Levadas por esse vento
Que parte das raaos de Deus.
quebrando o gelo das pas, para darem de beber marc|)a. mas ento> ao p d-aqDe,le bom fog0j
aos cavalhs; outros levando feixes de forragens Uj^^ to nuua, tao de sgracado .que quere-
para a porta das eavallar.gas; carros de plvora e ria adormecer para sernpre( apesar de Catharina,
de balas pela estrada, lodos cobertos de geada; es- da ,|a Grede|) do Sf Ga,Jen de {QQS m
tafeus, destacamentos de arl.lbaria; portageiros desejavam a minha fe,cldade. Sim, eujulgava-
que andavam de um lado para o outro na planicie
branqueada de nev, e que reparavam lauto em
nos como se nunca livessemos existido.
Tornei para ella ; atiramo-nos aos bracos um do
otro e licanirts assim alguns instantes, solgando.
Calliarina j nao poda mais, e eu assentei-a em
urna cadeira e part sem ter animo para olhar para
tras.
J eslava na praga, no meio dos soldados italia-
nos e de muia gente que grita va e chora va, e eu
uo via nada, nemouvia nada.
Quando prncipiou eutra vez o rufo, olhei e vi
que estava enlre Klipfel e Furst, ambos de sacco
. s costas; seus paes, que estavam diante de nos,
na praga, choravam como se os fllhos fossem a en-
torrar. A' direita, ao p da casa da cmara, o ca-
. piio Vidal, a cavallo na sua egua pequea e par
da, conversava com dous officiaes de infamara Os
sargentos faziam a chamada. Chamaram por Furst,
Klipfel e Bertha, e nos respondemos" como os ou-
tros. Depois bradou o capitao : < Marche I > e
camtnhamos dous a dous para a porta de Franca-
A' esquina do padeiro Spuz, urna velha grilou
do prmeire andar com urna voz afogada :
Ka-i"T !... Kasper I...
Era a av de Zebedeu. A barba tremia-lbe. Ze-
bedeu levantou a mo sem responder, era erguer
a eabega, porque era grande a sua angustia.
Fazia-nie tremer a idea de passar defronte da
no*sa casa, Quando l cheguei, as pernas dobra-
vam se. Tambem ouvi alguem gritar das janellas,
oas voltei a eabega para o lado da hospedara do
Boi Vermelho ; o ruido ds tambores cobria tudo.
As creangas corriam alraz de nos a gritar :
Elles ahi vo embora... Olba.aquelle Klip-
fel... ali vae Jos I
Debaixo da porta de Franga, os soldados da
.guarda, formados, viram nos desfilar, com a arma
-nobrago. Atravessamos os reductos avancades;
os tambores calaram-se e vollam >* para, a direita.
J nao se euia senao o rumor dos passos na la-
ma, porque nev estava a derreter.
J tinhamos passado a herdade de Gerberhoff e
-tamos deseer a encosta da ponte, quando eavi que
failava alguem comigo. Era o cap'.5o, que me
diiia de cima do sea cavallo :
- Muilo bem, meu rapaz ; von satisfeito.
Quando ouvi aquillo, nao pudt deixar de derra-
mar ainda lagrimas, e Furst tambem, a assim fo-
nos marchasdo e chorando.
O* outros, amarellos como defantos, nao diziam
nada. 'nY ponte tirn Zebedeu o Sea sea cachim-
bo para fumar. Na nossa frente, os Italiauos falla-
vasa e riam, porque estavam habituados de tres
semanas aquella existencia.
Chegados i encosta de Metting, a mais de urna
legua da cidade, quando amos outra vez deseer,
desejavam a minha felicidade.
me muito desgranado.
Em quanto pensavanessas cousas, abriu-se a
porta, e um homem alio, entroncado, de cabellos
O capitao Vidal, para aquecer, tinha apeado e j gr2alno?) entrou. Era um dos que eu tinha
marchado a passos largos; os officiaes e sargentos vst0 ,rabalnar em baixo Tinna vestido uma ca.
apertavam comuoseo porque se fazia tarde. Cinco e ,jnha nas go uma Qfusa e dous copos
ou seis italianos tiahain ucado atraz nas aldeas por
ja nao poderem andar. Eu tinha os ps em brasa. | Boas nou'es-disse elle, olhando para mim
tencia Ibes havia fgido, e conforme as leis da na- j vag4(> t sQto-me ao momento oceupado coma idea
lureza se achavain imposibilitados de exercer as de casar-me.
Ah I
Admira-se ?
Qual I o senhor est anda fresco....
Tao fresco como quem sahiu ha pouco de
um banho.
E quer j entrar em outro....
Oui; sim, senhora. Portanto v qne, estan-
do vago, ando oceupado.
E agora quer deixar de vagar, oceupan-
do-se...
Isso mesmo. A senhora uma flor.
Murcha...
Mas aromtica.
Cheiroa-lhe a alguma cousa ?
A alguma.
E' perfume de rosa t
Perfume da senhora, que rosa sobre todas
as rosas.
O senhor muito lisongeiro...
A senhora que de uma modestia....
Terminemos cora isto. Entao o senhor nao
aluga a casa da ra do Meio ?
Nao posso ; est alugada. O inquiline foi a
ferias.
Logo, estou na ra...
Estamos ambos. Mas a minha casa perto.
Quer descansar 1
O que eu quero uma casa para residir, que
ao encontr nenhuma.
A minha est as suas ordens...
O senUr ignora que sou solleira, e que nao
devo...
Nao dte I isso uma fortuna. Ha de ajun-
tar dinheiro.
Digo-lhe que nao posso aceitar a ana casa, u
senlior solteiro, eu tambera sou. O que din ^
mundo se nos visse unidos .'
Dira que nascemos pegados...
Ib meu Deus. Nada, nao aceito
easa.
Aceite, ecase comigo, case ; olhe que sou
ura bom partido.
Nao, eu quero um marido inteiro.
Tenho quarenta cootos de meu, e hei vivido
aa maior simpliudade. Case comigo, raioua joia.
Mas... quer mesmo ?
Quero ; e a senhora ?
Eu fago ura sacrificio, mas como nao acho
rasa...
Casa comigo e une a sua a minha siropici-
dade e Acarnos composlo, nao assim *
Isso, pouco mais ou menos.
Ento, o seu bracinbo.
Ei-lo.
Agora acert o passo, e chegne-se para de-
baixo do guarda sol. Assim. Ora vamos indo.
Conclusao.
Casaram-se no dia immediato ao do encontr.
Agora estao em Santos, onde foram a banhos.
De uma carta do Simplicio transcreve-se o se-
guinte :
Minha muiher ama boa cousa, e uma santa
alma.
Onaudo lizemos alto, nem eu sei como poda ter-
uit em p. Os outros de Phalsburgo marchavara
bem.
Tinha vindo a noule. O cu estava innundado
de estrellas. Todos alongavara os olbospara a fren'
te e diziam .
Estamos perto I estamos a chegar I porque
ao longe, uma linha escura, alguns pontos negros
e agulhas luzentes annunciavam uma grande ci-
dade. j
Emfim entramos nas linhas avangadas atravez
dos baluartes de trra era zig-zag. Mandaram-nos
apenar as fileiras e continuamos, melhor a passo
como acontece sempre ao chegar a uma praga- for-
te. Tudo ia em silencio. A' esquina de uma es-
pecie de meia la, viraos o fosso da cidade cheiode
gelo, os baluartes de lijlo por cima, e na nossa
frente, uma amiga porta ennegrecida, com a ponte
levantada. Em cima, uma sentindla, de arma pre-
parada grltou:
Quem rivaT
O capilo que ia adiante, responden:
FrangaI
Que regiment?
Recrutas do 6* de Haba.
Huve largo silencio. A ponte levadiga desceu;
os soldados foram reconbecer-nos. Um delles li-
aba na mo uma laoterna grande. O capilo Vidal
com ar grave.
liu-linei a eabega. Atraz do homem entrou logo
a velha; trazia uma baca de pu, e pousando-a
no chao ao p da minha cadeira, disse :
D um banho aos ps, que Ihe ha de fazer
bem.
Vendo aquillo, fh>uei muito sensibilizado e disse
commigo : Anda ha boa gente no mundo.Tre
as meias. Como as bolhas eslavam arrecentadas,
sangravam, e a velha dizia outra vez :
Pobre rapaz I pobre rapaz!
O homem perguntou-me:
De que trra ?
De Phalsburgo, na Lorena. -
Ah, bem.
Depois, passado um momento, disse a sua mu-
lher :
funegocs d procreago.
Um grito mais alto que a voz de seus desejw
lhes vem acordar, mostrando-lhes, que era preciso
uma reforma radical em seus pensaraentos, porque
o tempo da sterilidade devla terminar entre elles.
Essa voz foi a do Aojo, que como embaixador
da celeste Jerusalem, lhes annunia, que o Eterno
havia poasado suas vistas sobre elles, e que d'ora
em diante e constituiran! entes felizes.
Abrabo descouhecendo a misso desse emissa-
rio, nenhuma importancia presta ordem que Ihe
Intima, prosegue no itinerario de suaslamentagoes,
aloque afinal, tocado por um agente que omitas
vezes desconhecemos, e que se cbama o brago de
Deus, vae consultar o corago de sua coropanheira
para entrarem em novo accordo, afira de cessarem
os males que os cercavam. Espoe Ibe o occorrido
e declara-lbe, que em virtude de sua edade, que
era conveniente, que ella desse seu consealiment
para que elle procurando outra mulher, podesse
salisfazer as vistas do Soahor, isto tendo um
filho.
Sara resignando-se, Ihe aponta que procurasse
Agar, porque alm de moga, era de uma formo-
sura esplendida, como o azul sereno do cu.
Abraho contando-se feliz procura Agar, e con-
segu ler um filho lindo como os amores, e bello
como o albor da manha, chamado Ismael.
Parece digno de censura o procedimiento de Sara,
em permillr que seu esposo eniretivesso Felagoes
cora nutra mulher, o principalmente sendo essa sua
escrava ; mas sendo a eslerilidade um easligo na
lei amiga, e passaodo os conjuges como enies re-
pulsivos e vis, a ponto de serem odiados por todos,
elles harmonisarara as suas vontades na forma
dos designios de Deus, porque elle exiga as pri-
micias de seu amor.
Ismael crescendo, principou aseroobjecto pre-
dilecto de lodos, porm Agar julgaode-se superior
a sua senhera, quiz constlar-se sua rival, decla-
rando-Ihe o mais vehemente clume.
Sara ferida era sua posgo, ejpe a seu marido
o suecedido, c este ordena-lhe para que a castigue
rigorosamente.
Se a sorte da infeliz parecia mudada, ei-la de
novo presa nos ferros da esoravido, e resignada
padecendo lodos os castigo.
Nesse interina, uma visao apparece a Abrahao,
e Ihe diz que o Senhor faria Sara ter um 'filbo, e
vendo a impossibilidade de realisar-se esse prodi-
gio, parece duvidar, e sorrindo-se, pronuncia.
Como Isso se dar, se minha corapanheira
tao velha ?
Nao importa, respondelhe o Anjo, ters ura
filho que se chamar Isaac, que quer dizer riso.
Desenvol vendo Isaac a idade e tornando-se a po-
dra preciosa de sua mi, Ismael que era mais ro-
busto, tenlou maliratvlo, sendo isso um desespero
e alllicco para Sara ; zeiosa de seus direitos, par-
ticipou a Abraho, o esteordenou qne Agar e Is
raael fossem entregues peregrinaeao.
Raion o da do infortunio para a pobre Agar ;
despontou a estrella de seu fado para fazo-la pro-
var toda a sorte de soffrimentos I
Ei-la em caminho do deserto com seu filho, ex-
perimentando a forae, o fri, a nudez, a sede e to.
doi os rigores 1
Ei-la amaldicoando seus dias, rompendo estradas
arenosas, lacerando suas vestes e deixando rolar
doridas e repassadas de
Vae buscar um dos nessos bolos; este rapaz
ba de b*ber um copo de vinho commigo, e depois
deixa-lo-hemos dormir em paz, porque precisa de
descansar.
O testemunho de um inimigo do papa em favor
delle, a prova mais cabal, que podemos dar para
comprovarmos os servicos e as virtudes do immor-
tal Pi IX.
E' um facto que nos trouxe o paquete paseado,
dado nas cmaras italianas, facto praticado por um
deputado republicano, um dos inimigos mais en-
carnieados da Santa S, e que sem o qnerer, sem
poder tal vez suffocar o grito de sua consciencia,
slta um brado de gloria em delea do Pontfice
Romano.
O deputado Brofferlo aecusando llimamente o
gabinete de Vctor Eramanuel por motivo da ques-
lo da Polonia, cheio de entbusiasoto as?im ex-
clama :
Na causa da Polonia o que leudes teo ? Cousa
nenhuma. Pois bem, para vossa vergonba eu vos
direi, que o nico homem que profera uma digna
palavra em favor da Polonia, o nico que soube
fulminar a eabega desse lyranno qoe so busca por
seus desvarios exterminar uma accao generosa,
esse humera di refoi o papa. (Sensanio.)
urrao: foram palavras e nada mais. Porm
quando eu vejo um anco cheio de enfomidades,
curvado ao peso dos cuidados, sem recursos, sem
exercitos, com um p na campa, erguer-se contra
um imperador que tyrannisa seus povw, eu me
creio transportado ao tempo de Gregorio VII, e
corvando a cabeci eu o applaudo. (Sensaqe, mur-
murio.)
U

por suas faces lagrimas
saudades I
A' proporgoque Ismael andava. seu coracao ba-
ta, seus olhos estavam Gtos nelle, temando que de
caogaco expirasse na jornada....
E na verdade, o labor de andar, a sede do deser.
I to, a fez curvar seus joelhos em Ierra, e desatando
Puxou uma mesa para diante de mim, de sorte ,eos onduUnte8 cabel|0Si deixa 0 pranlocorrer e
que eu tmba os ps na baca, e defronte de mim so|la os mais agudos fuspir08 ,
a infusa. Eneheu os copos com excedente vinho Ismael com os labios
branco, e disse :
A' sua sade t
A velha tinha sahido. Voltea cora um grande
resequidos, a voz sumida
deixava de sua boca escapar estas palavras :
Minha mi, tenho sede...
E ella nao podendo dar-lhe de beber, o aperta
bolo quente, coberto de maoleiga fresca meio der- com amor sobre seu peito, e o leva para longe para
deu alguus passos para a frente, pura fallar com retida. Foi ento que conbeci a fome que linha. nio v-lo morrer 1
o commaodante da guarda, e depois disseram-
nos:
Podem passar.
Os nossos tambores comegaram a tocar, mas o
capitao fez deitar as caixas para as costas, e en-
tramos atravessando uma ponte comprida e pas-
saodo outra porta semelbaote a primeira. Entao
Senli-me encomraodado. Parece que aquella boa Que quadro despedagador, que momentos de ao
gente conheceu o meu encommodo, porque a mu- gustias para o corago de uma mi I
Iher disse-me : j Agar, absorvida nesse mar.iyrio, perde todas as
- Antes de comer, preciso tirar os ps da esperanoas e espera rom anciedade a morte.
,-m Um anjo desee i sua presenga, e enchendo-a de
Abaixon-se e enxugon me os ps com o sea
conlanga, offerece um calx com agua a seu filho,
que inmediatamente o liberta dos golpes da mor-
avental, antes de eu ter comprebendido o que ella ^ H
,achamo-nos na cidade, ca'caa com grossos calhus ria faier. Eaiao txciame: l "".:- .. .
,UI| ... Oh mea Deus, a senhora traU-me como se entregue a todas as provacoes.
Cada nm fazia ,o que poda para nao ooxear, por' eu fosse ,eu fl(n0-
que, apezar da noute, todas as estalagens e todas ...
as lojas de mercaderes estavam aberlas; havia luz, Respondeu-rae Paado um Instante:
nas janellas, e multes centenares de pessoas anda' Tambem lemos nm fllho no excrcito.
vaco pelas mas como se fosse alto dia.
Dobramos cinco ou seis esquinas de mas, e che-
gamos a uma praga pequea, defroate de nm quar-
tel, onde nos gritaram j
Conbeci que a sua voz trema dizendo estas pa- (
'avras, e foi grande a minha dr interior. Eu gr
pensava em minha taGreuel e em Calbnriaa, o teaha feoirluwo. Fartu um da com a sua simpl
nao podia dizer ama palavra. cidade, eqienijeu que devtacoiupor-se, e sabia per
Do Ceitmirmo Paulistano transcrevemos o se-
guinte, fue firmado pelo -r. Julio de Albigara :
SIWPB1CI0ADE DE SIMPLICIO,
luuiicio era a cou*a mais imples que se
A segrate poesa foi recitada no theatro de San-
ta Isabel pelo Sr. Tobas M. de Menezes :
A MR. REICHBBT.
E quando ameigas as fibras
De tudo que pasma aqui,
Em cada nota que vibras,
Nao vspor detraz de ti -
Loira celeste menina,
Colhendo a flor matutina
Dos sons que sabes tirar,
Um anjo de roupas cernas,
Rindo apanhando-te as prolas
De que faz o seu collar.
(Do autordiante do Arlhur
Napoleo.)
Assim eu disse ante o homem
Que faz do piano tropheu
Ira dos vultos qne se somera
Entre os misterios do cu :
Assim te vejo. Sao fragoas
De sons, de anhelos, de magoas
Crepitando aos sopros teus,
Faiscas de pensamento
Levadas por esse vento
Que parte das mos de Deus.
Tu sopras um tbesouro
De mimo e graga e fulgor ;
Sussurro de abelhas d'ouro "
Compondo favos de amor.
Na tua fraua divina
Qual na aragem vespertina,
Vem saudade e languidez,
Que mal sentida vagueia
Como o azul de uma vea
Por baixo de nivea tez.
Tu sopras ura assomo .
e matutino claro,
Essa vozesnem sei como
Sao beijos no corago
Que vem banhar-se de gozo,
Ouvindo-te a fnnta ancieso,
Qual um amante infeliz
Sorprende a bella n'um sooho
Fallando... e treme risonbo
Escntando o qoe ella diz.
Sao bafos harmoniosos
Resonar de chernbins,
Adormecido* mimosos
- Das auroras nos colchios.
Sao segredos palpitados.
Ledos instantes passados
Que ae corago restitues,
Caricias, beijos que soara,
Huido d'almas que voam
Nos infinitos iiu.es.
De haver batido na esposa
Se confessa um peccador.
Quantas vezes ?-diz-Ibe o padre.
Todas as roanhes.
Que horror!
Peccado negro I NSo sabe...
Sei que ama acgo vil ;
Prometi que nunca mais
Lhe hei-de bater de manha.
Um francez provinciano rhegoa a Par*, e aro
dos primeiros monumentos que desejou conhecer
foi o palacio dos invlidos (hotel des invalides.,
Ao sahir d'aqueUe pantheon de gloras veteranas
tanto mais inteiras, qnanto mais mutiladas, encon-
trou-se com um parisiense que Ihe pergunlou se
tinha postado.
Assim, assim ; nao vi cousa que me espan-
tasse; uns homens com uma perna de pu, outros
com braco de pu, que demonio de graca tem a-
quillo ?
Pois nao viu mais nada?
Eu nada mais.
Ora essa ? Ento nao Ihe mostraram o sar-
gento F, que tem a cabeca de pu ?
Nem em tal me fallaran; torno j l para
dentro, e vou-me perguntar por elle.
O (Ilustre publicista francez Emilio de Girirdra
escreveu em ura lbum as segulntes phrases acer-
ca do amor :
Amar preferir; nao ha preferir sem com-
parar ; logo a infidelidade moderada pela constan-
cia a melhor maoeira de demonstrar o amor.
*
Lembre-se que sou seu advogado, e por tanto
rae deve dizer a pura verdade, porque as mentiras
necessarias ficam por minba conta.
Que vejo! A porta feehada e a casa em
liquidago? Onde haremos agora depositar o
nosso dinheiro?
Faz como eo, qoe quando o tenho, sempre o
deposito na rindo, que me paga senao em ooro,
ao menos em aguardante.
Ea nSo entendo isto de descontos, nem de
tanto por cento, em que agora s se falla. Por
tanto dize-me: Quem tem em poder de um ban-
qneiro um cont de ris, quanto vem a receber,
fazeodo-se a conta a 30 por cento ?
E" claro, recebe 500*.
Entao l se foi o frucio de miaba economas-
pois s tenho no meu banqneiro 500*, e por tanto
nao recebo nada.

O senbor bem mal criado, por pisar ataba
no meu vestido.
Est vingada, minba bella, qne voo gastar
dous vintens para engralxar os botins.

A senhera hz-me o favor de dizer se o meo
gallo estar na sua casa 7 Elle fagio da torre eotn
o temporal, o anda nao apparecea.
Nao, reverendissimo-, aqui nesta easa apenas
existe agora ama franga.
raOVIBBIO D8 IM VIDBACtlfto.
Se Dens o pae de todos,
A Saraiva a mi dos vidraeeiros.
PKRNAMBUCO.-----TYP. DE M. F. DE F.* FILHO
%


1
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6RZ5JKJH_18XFE9 INGEST_TIME 2013-08-28T00:17:23Z PACKAGE AA00011611_10558
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES