Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10555


This item is only available as the following downloads:


Full Text


IHO II. HOMERO 299
tf'~ifYf *-
Por tres Mezes adi^nUtlos 5gO00
Hr tres mezes veucdos 6JJ0
Porte ao correio por tres niezes. 0750
QUINTA FEIRA 29 DF DEZEMBRO DE 1864
I TV -
Por amo ad'astado.....9gMiiQ
Porte ao correio por an auno 3$0U
---;r^*-**
C' ARWWADOS DA SBSGRIPCAO NO KORiE
Paranyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, e Sr. A;itonio Marques da Silva; Aracaty.o
8r. A. de Limos Praga; Cear, o Sr. J. Jos de
OUveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues-, Para, os Srs. Manoel Pinbeiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jerouymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUB3CRIPGAO NO SOL
Alagas, o Sr. Glaudino Falco Pas; Baha, o
rr. Jos Mariins Alves; Bio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins Gasparito.
-rtliilA bOs Slf&&ji.
Oiinda, Cabo e Escada todos os das,
guarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
Stitas-feiras.
3an;o Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Alttnho e Garanhuns as terjas feiras.
Pao d'Aiho, A'azarem, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Taearal.Cabrob,
Boa Vista, Ouncury e Exu' as quartas eiras.
Serinhem, Bio Formoso, Tamandar, Una, Barre-
ros.Agu?. Preta o Pimenteiras as quintas .'eiras.
ba de Femando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao y, dia.
EPHEMERIDES DO HEZ DE DEZEMBRO.
6 QQarto cresc. as o n., 11 m. e 56 s. da m.
13 La cheia as 4 h., 52 m. e 26 s. da m.
21 Quarto ming. as 2 h., 42 m. e 58 s. da m.
28 La nova as 7 b., 1 m. e 44 s. da m.
PRBAMAR DB BOJB.
Primeira as 4 horas e 30 minutos da machia.
Segunda as 4 horas 54 oiinntos da|tarde.
PaR'Da 103 VAP0RB3 LOS i IROS.
Para o sul at .iiagas a 5 e 25' par o corte at
a Gr?nja 7 e 22 de cada me?; para Femando nos
das 14 dos mezes dejan, marc-maio. ul. set. e nov.
PARTIDA DOS OMNiB'5.
Para o Recife: do Apipucos s 6 Vi, 7,
8e
8 '/i da m.; de O'.inda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato s 6 '/* da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; do Bemca s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos s 3 V, 4,4 'A. 4 Vi,
5, 5 V, 8 V 6 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
manha o 4 Vi da larde; paraJabcatao s 4 da
tarde; para Cacaang e Varzea s 4 >/t da larde;
para Bemflca s 4 da tarde.
I AUD.ENG A DOS HUBUNAB DA CAPiTaL
I
i Tribuna! doccmmercio: segundas quintas.
Relacao : tarjas e sabbadoa s 1 horas.
Fazenda: quintas as 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira Tara do civel: tercas sextas ao msio
di a.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS DA SM-JIa.
26. Segunda. S. K~i<-vfi. porto rorivr
27. Terca. S. J.uoap. t t*M| I Ti.
28. (toarla. S>. Castor, & ptoi
29. Quinla. S. TtwJb.il are. d. CaMoana m.
30. s.-\i:i S. Sabino b. m S Ai
31. Saldiado. S. Silvestre p.. ni.: S. .NuOiin.i
i. Domingo. S. AI ni ;n-; i-. ni : S. Magno m.
AS31GNA-SI
no Recite, m a livraria da praca da Ind-p-
ca us. 6*8, dos propnetarios Mano*. I
de Faria k Filho.
Os scakores assigoantes deste
Diarlo, que tem delgado o pa-
gamento de sna subserlpco pa-
ra o ultimo do qnartel, quei-
ram manda-la pagar ( raze de
Htf como sao abrigados) an- o
iiimodo*eorreate mez. cauque
additamento ao meu offleio de 23 do correte, tc-
nh'ka dizer Y. S. que as licencas, a que all me
rellro, nao se enlcndetn com as que o Dr. chufe
de polica, houvesse dado al aquella dala, mais
15o smente as conccilidas por V. S.
Dilo ao mesmo.-Informe V. S. sobre a materia
do incluso ollicio do I)r. chefe de polica n. 1608,
de 2i do correte, que int ser devolvido.
Dito ao director do arsenal de guerra.Re.spon-
elle.** se ai (I,un. pols nao po-!denoo ao sea offleio sob n. 96, e data de 9 de
Slvel prolongar por inais lempo novembro ultimo, tenho a declarar Ihe que segun-
seaueliisote pretexto: atienden
do ao atrazo ein que algnns se
aeham, somos obrigados a lau-
car un fu de urna medida para fa-
zer cessar este abuso que Ibe
deve ser pouco agradavel, mas
a pouca attenco que aguas
tem tido em pagar a to pesado
servieo a Isto nos obrlgar.
PARTE
fiOfUHe DA PROVINCIA.
do indina u o inspector da thesourana de lazenda,
ein officio u. "j'5, de 23 do correte, nao podera
ser levadas a cITeito as pequeas obras que Vmc.
propoz, .-iiini de ter esse arsenal um payol no forte
do llura, o para a plvora nacional, visto que nao
ha crdito consignado para a rubrica obras do
ministerio da guerra no correnle ejercicio nem
a presidencia pode aulorisar sob sua responsabili-
dade a despeza a fazer-se com aquellas obras, por
nao estar compreliendida nos casos previstos no<
decreos ns. 188 e 28S4 de 7 maio de 1842 e 1."
de tevereiro do 1862.N'esle .-cutido otflciou-se ao
coronel cununandante das armas.
Dilo ao mesmo Mande Ymc. recolber aos arma-
zpps tfesse arsenal, como solicitou o commandaote
! das armas em ollicm de 24 do corrente, os artigos
: de armamento, equipatnento e utensilios mencio-'
nados as 2 relacoes inclusas,os quaes pertenciam
a companbia de arlilices e foram dados em eoffl-
j sumo. Cotnmunicou se ao coronel commandanlo
das armas.
Dito ao chefe interino da reparticao
cidade, licando elevado o numero a 116, a saber : recaliiram em cidadiios, que possuem as precisas
88 do sexo mascolino e 28 do sexo femenino. habililacdes para bem cumprirem os setM devi res.
Das primeiras esto providas 77, regidas interi-1 e por sso nao posso deixar de recommendar os
mente 6 ; a nrimeira de S. Jos do Becife, e as! seu nnmes a considerafao de V. Exo.
do Curato da S, villa de Ipojuca, collegio dos or- j Em falla de um edificio que melhores acommo-
pliaas, Afogados de Ingazelra e Malhadinha, e va-"dacoes offerecesse, adiase este eslabelecimento
gas o, Afogados, Cabrob, Bom-Jardim, Fazenda em um dos torreoes d'alfandega, onde tem fue-
Grande e villa da Boa-Vista. | cionado regularmente desde julbo at o presente ;
Das segundas achamse providas 23, regidas ia- entretanto o sen director represenla-me subre a
ferinamente duas, Granito e Garanhuns, e vagas, neces-idade de sua prometa remeci para onlro
tres, da freguezia de Santo Antonio desla capital, edificio mate central, e adequado a este ramo do
da de Sennliaem e da povoacao de Baixa-Verde servido pubh/o; uo tendo sido atlendido nesta
Aulonsado pelo art. 23 da lei n. 598, conced a jusla reclanaciio pela difflculdade que enconirei
em deparar Coni um edificio conveniente.
Matncularam-se para frenuentar o curso 57
alumnos, dos quaes falleceu um, 12 perderam o
auno, t deixaram de comparecer aos exames,
17 foram approvados plenamente, 10 simplesmen-
te, e 6 reprovados.
{Continuar se ha.
Excediente do dia 2G de deztmbro de 1 vi i
OfJBeio aoExm. presidente da provincia de Ser-1
gipcaccuso recebido com o ofli-io que V. Exc. publicas. Em resposia ao offleio que Vmc. me
se servio dirigirme, em a9 de novembro ultimo, dirigi em 21 do crrente, sob n. 350. tenho a di-
dous exemprares do rebatono com que o segundo | zer que segundo eonstou de infonnaca.) do inspec-
remoeao que pedirara diversos professores e pro-
fessoras.
Goocedi tambem a alguns delles a gratifica^So
marcada na 1* parte do art. 28 da lei n. 369 de 14
de maio de 1855, a que se mostraram com direito;
e a outros a de melade de seus vencimentos por se
acharem comprehendidos na disposicao do art. 24
da citada lei n. 598, visto contaren: mais de 25 an-
nos de s^rvico e quererem continuar no exercicii
do magisterio.
Foram jubilados os professores da villa de In-
gazeira e da cidade da Victoria por se acharem
inhabilitados em consequencia de molestas para
coutiouarem no ensino.
lor portara de 12 de outubro ultimo e em vista De/de J d,,slft ann0, "* "P la d? F,or-
do que expoz o director eeral da insirucc publ- W* v, lui da poMicidade o Jornal de Lisboa,
ca, exonerei a Salvador Henrique de Albuquerque cuja existencia prolongada e garantida por urna
do lugar de secretario daquella reparticao, e no- Bnde tlragem de exemprafes, pela illuslracao_ds
PERNAIVIRUCOs
REVISTA DIARIA.
Ri-
vice-presidenle commeodador Antonio Dias Cuelho tor da thesourana provincial
| meei para o substituir ao hachare! Joo Diniz
das obras beiro da Canta
IXSTRUCCO SECUNDARIA.
O corpo do ensioo secundario da provincia com-
poe-so : do Gymnasio Provincial, do Curso Com-
de Mello, enlregou a V. Exc. a adinlnistrafao dessa
provincia.
Dito ao Exm. Or. vigaro capitular. Passo as
maos de V. Exc. alim de ter o conveniente destino,
a inclusa carta apreseotando o padre Tranquilhno
'lavares de Yasconceilos ein um canonicato de meia
prebenda da catbedral de dunda.
Ditoao coronel commandante das armas. Quci-
ra V. S. informar acerca do que pede Ignacio Joa-
quim de Santa Anna no incluso reqnerimento.
Dilo ao mesmo.Queira V. S. informar sobre a
requisieo eoDlida no ollicio do delegado do pri
meiro districto deste termo por copia junto ao do
Dr. chefe de polica n. 1611 de 2i do eorrente, que
me ser devolvido.
Dito ao Dr. chefe de polieia.Remeti incluso
por copia o ollicio de 23 do eorrente, com que o
cnsul de Portugal nesta provincia, apresentou-ine
o reijiierimento junto dos subditos portuguezes Joa-
quiii Mariano da ilva Gravo e Jos Nun.es de Ma-
tos, alim di( que Y. S. exija informaces circums-
tanciadas sobre o fado deque se queixam os sup-
licantes, e (raga ao meu conbecimento com a po.--
sivel breridade o re-ultado de uas averiguaqSes,
ordenando logo o que julgar conveniente no sentido
de nao licar impune o procedimento havido contra
os quoixosos.Ulliciou-se neste sentido ao cnsul
Portugal.
Dito ao mesmo.Sel) para mim pou:o mo-
rnentosa a queslfio de saber se deve ou nao haver
proposta do subdelegado para qu o delegado possa
demiltir o escrivao d'aqnelle, urna vez que ron-
troverso que a neces-idace desta demissao deve
ser pelo subdelegado represntala, cumpre que V.
S, ouc o subdelegado oerante quem tem de servir
o peticionario Romaodo Reg Barros dizendo Ibe
que entende ser conveniente a demissao deste, a
represente ao delegado, que em tal caso deroittin-
do o merino Romto proceder na forma da lei,
pois que a demissao que Ibe foi dada nao me pa-
rece ter sido mtiito curial.
Assim respondo ao ollicio de Y. S. n. 1581 de 20
do eorrente.
Dito ao inspector da tlie-ouraria dn fazenda. -
Inteirado do eouieudo do offleio que Y. S. me diri-
gi em 22 do eorrente, sob B. 753,. tenho a diaer
em resposta que nao eslava disposto a antorisar
essa thesourana a creditar a despeza, a que se re-
fere o seu citado offleio, na importancia de 305j>3;3
reis, feila pelo almoxarife do presidio de Fernan-
do no exercicio de 186.1 a 1864 cora vencimentos
de ofilciaes e pracas do exereito pertencentcs ru-
brica gratilicaces diversas etc. mate o facji
smente por m'o'pedir essa reparticao como urna
medida justa e conveniente nos termos do 7, ar-
tigo 5. do decreto n. 2884 do 1." de fevereiro d.i
1862, licando Y. S. na intelligencia de que, como
me cumpre, passo a dar seiencia ao governo impe-
rial desta miaba resolucjio.
Dito ao mesmo. -Infojne V. S. com urgencia
acerca do abono de vencimentos que segundo o in-
cluso ollicio mandou fazer o Dr. juiz de direito de
Garanhuns pelas collectorias da villa do mesmo
nome ede Buique s pracas de primeira linlia que
alli se achavam.
Dito ao mesmo.Ao offleio de V. S. n.760 de 24
do eorrente, respondo declarando-lhe, que o menor
Jos comprehendido na relacio das pessoas trans-
portadas no hiato Srrgipano, por ordem do com-
mandante do presidio de Fernando, veio, d'alli a
requisieo do juiz municipal da primeira vara desta
cidade. a quem se mandou apresentar, afim de in-
formar acerca do crime de niorte perpetrado pelo
sentencia lo Mainel Antonio Carneiio.
Devolvn inclusos os papis que acompanharam o
seu citado ofcio.
Dito ao inspector da thesourana provincial. -Em
vista das razoes constantes do ollicio de 14 do cor-
rete, sob n. 539, com me V. S. impugneu o paga-
mento da quantia de 28?060 reis despendida du-
rante os mezes de setembro e oulubro deste nno.
com o firneciraento de luz e agua para o quartel
do destacamento dj termo de -anto Anto, julgo
convenir-nte remetter-lhe por copias as informa-
^o.'s ministradas pelo chefe de polica a esse res-
peiio e de outro pagamento de igual natureza afim
de que a vita dellas me Informe com o que Ihe oc-
correr sobre assumpto.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional dos municipios do Bio Forrao.se e Seri-
nhaem.Para'cumpriraento do disposto no aviso
d reparticao da justica de22 de novembro ultimo,
aprsenteme V. S coi brevidade um mappa da
forja de reserva da guarda nacional, qualificada
no municipio de Serinhem de conforraidade com
o modelo junto.
Dito ao commandante superior da guirda na-
cional do Bonito. l'ara rumprimenlo do disposto
no aviso da reparticao da justica de 23 de novem-
bro ultimo, apresente-me V. S. com a possivel bre-
vidade um mappa, de conformidade, com o modelo
incluso, pelo qual se possa saber a torca total do
batalho n. 26 de infamara da guarda nacional
sob seu commando superior, bem como a parte da
mesma torca residente na freguezia do Bonito, e a
que pertence as freguezias de Gravat e Bi-
zerros.
Dilo ao inspector do arsenal de marraba.
Gonvenho em que sja de-medido do servtai das
obras do porto, no principio do anno vindouro,
como V. S. propoz em seu offleio n. 794 de_ 12 do
correte, o machinista da barca de escavacao n. 2
Andrw M.c lolyre, vi-to que lera apresentado mo
comportamenlo, admittindo V. S. em lugar delle,
com o vencimento de 120400.) rs. mensaes, o 3."
machinista Dellino uarte Rodrigues indicado no
cita offleio.Communicou-se ao Inspector "da Ihe-
sotirara de fazeiida.
Pito ao commandanlc do corpo do polica.Era
n. 563 de 2' iteMe mercial, das duas aulas avulsas de latim as fre-
mez, pode ser adianiada a quantia de 1:5004000 gjezias de S. Jos desta cidade e de Goianna, alm
pedida em seu citado oflicio, para continoacao das deoutras de francez e latim que, em virtude da
despezas com os reparos das pontes c estradas da |ei n. 574 de 5 de abril deste anno, foi creada na
villa de Ourcury e que se acha em concurso.
Existem noGymna.-io as seguinte< cadeiras : 2
de latim, 1 de grego, 1 de francez, 1 de inglez, 1
de allemao, 1 de geographia e historia nacional e
de eloquencia potica, 1 de phlosophia, 1 de 1ra-
gua nacional, 1 de msica, 2 desciencias naturaes
e 2 de malhematicas, sendo que esta ultima era
lida em urna s cadeira antes da lei n. 598 de 13
Mr. vlce-presidente de maio do corrate anno, que a dividi em duas.
A segunda destas cadeiras ficou oceupada pelo
professor que ja exista, nos termos do artigo 34; muit0 miuucio-a
da citada lei; c para reger a primeira nomeei o ne!ro- 1ue brnK a,;, provincias Dr. Augusto Carneiro Monteiro
proyinria.
RI3L.4TOR10
eom que o Kim. Hr. Dr. Domin-
gos de Wonza .eo entrego a
admiaistrac.o desta provincia
ao i:\ui.
desembargador Anselmo Fran-
cisco Perettl.
(Continuarao.)
MAGISTRATURA.
RELAfO.
Por decretos de .29 de Janeiro, 2 de mareo e 23
de maio do correte .um foram uomeado ilesem-
bargadores do tribunal da relaco desta provincia
os Drs. AlToii-o Arlhurde Almeida e Albuquerque,
Antonio de Barros Yascoacellos e Francisco Do-
mingues da Silva, c p-r decreto de 23 do ultimo
daquelles mezes foi norneado presidente do mesmo
tribunal o desembargador Firmno Antonio de Sou-
za, em substitnicao do desembargador Francisco
Ballhasar da Siheii a, que foi removido para are-
lafo do Rio de Janeiro.
TRIBUNAL 1)0 COMMERCIO.
Para presidente deste tribunal foi nomeado V.
Exc. por decreto de 23 de maio, e pira fiscal o
desembargador Jos Ignacio Acciol de Yascoucel-
los por decreto de 18 de junho deste anno.
JfflZBS PE DIHEITO.
Por decreos At 7, 28 e 30 de maio e 8 de jnnho
ltimos foram nomeados juizes de direilo da co-
marca do Gibo o Dr. Manoel Clemenlino Carneiro
da Cunha, da de Xa'.areth o Dr. Joiio Paulo Mon-
teiro de An Irade, da de Oiinda o Dr. Abilio Jos
lavares da Silva, da do Bio Formo>o o Dr. Lud-
gero foncalves da Silva, da de Tacaratu' o Dr.
Yerialo Aurelio da Cunta Gouveia; e para a vara
dos fetos da fazenda o Uf. Jos Nicolao Bigueira
Costa.
A escepeo dos juizes de direilo das comarcas
de Nazaretn e Rio Formjso, que nao enlraram an-
da em exercicio, e do.- das comarcas de Palmares
e Tacaratu', o desta por liceuca e o daquella por
molestia, todos os outros esto em exercicio.
JUIZES UUNICIP&BS.
Por decretos de 22 de marco, 30 de maio c 25
de outubro lindo foram nomeados para juizes mu
ncipaes : do termo do Pao-d'AIno o bacliarel
Maximiauo Francisco Duarte, do termo do Limoei-
ro o bacharel Einigdio Marques Santiago, do termo
de Oiinda o bacharel Arininio Conolauo Tavares
da Silva e do termo do Bonito o bacharel Anto-
nio Columbano Serapbico de Assis Carvalho. O do
termo de Oiinda anda nao entrn era exercicio.
Estilo vagos os termos de Santo Anto e de Cim-
bres ; e-te por ter o bacharel Joaquina Theotouo
Sonre de Avetlar terminado o seu qnadrionoio, e
acpielle porfallecimento do bacharel Pedro Secun-
I dio Mendcs Lins
PUO.MOTOES pniLICOS
Por portara de 10 de maio demitti do cargo de
promotor publico da comarca desta capital, o ba-
charel Francisco Leopoldino de Gusmo Lobo.
Esta demissao leve lugar em hoinenagein mo-
ralidade publica.
sua redaccao e pelo criterio com que elle diri-
gido.
No jornalismo porluguez daquella culta capital,
se nao elle o primeiro jornal, nae cede tambem
a primasia a nenhum outro, sendo no entretanto o
nico que, sobranceiro pequea poltica do paiz,
a aprecia em toda a sua elevado, sem inspirarse
em senlimentimenlos que desvirtuara o juizo. Alm
disto, o commerelo externo o interno ali repre-
sentado pelas noticias mais ampias; o seu noticia-
rio o mais completo possivel, abrangendo em sua
exposicao diaria, alm do occorrido na capital, tu-
do quanto vai pelas provincias, onde existem en
carregados dessa transmisso.
Reste empenho de t irnar-se interessante por to-
dos os lados, nao foi esquecido o Ultramar, haven-
do alli correspondentes que noticiam o estado das
colonias porluguezas.
Da Hespanha ha urna correspondencia diaria
c do Brasil una do Bio de Ja-
da Silva Santo*.
Acham.se vagas a de historia e geographia e
a de philosopbia.
As dilferentes aulas dete eslabelecimento foram
frequenladas por 88 alumnos; sendo 17 internos e
6 internos gratuitos ; 5 meio pensionistas e 2 meio
pensionistas gratuitos.
Fizeram exarne e foram approvados 9 internos,
3 com ili-oiiiivao e 6 plenamente ;
3 meio pensionistas, 2 com dislinccao e i ple-
namente ;
4 externos, 3 plenamente e I simplesmente.
No Collegio das Artes fizeram exame e foram
approvados 2 internos e 7 externos.
No relatono que apresentei assembla pro-
vincial, consignei algumas ideas, que me parece-
ram capases de promover o desenvolvimento e
prosperidade deste e sul ; e boln desta cidade do Becife, coja exten.-o
noticiara comprelurade as provincias da Baha,
Sergpe, Alagoas, Pernambuco, Parahiba, Rio-
GranJedo Norte, Cear, Maranho, Piauhy, Para e
Amazonas, de todas as quaes sao transmit'idas as
noticias mais completas, trazendo assim aos Bra-
i sileiros residentes naquella parle do mundo e aos
Portuguezes que aqu esliveram, a par de ludo
uante Ihes possa interessar.
O que de acluali lado europea, dado com
precso e promplido, o sobre tudo isto publica
bellissimas tolhetins e eseriptos do seiencia e artes
que illustram e diverlem o espirito.
O interesse, por tanto, de um jornal desta or-
dem evidente, e nao carece de nutra demonstra-
cao alm da exposic/io do que ce ; pois muito
importando a sua cire.ulaco, quem quizer subs-
crever para elle, pode entender-se com o Sr. Dr.
Alimentados a custa dos cofres provioctaas. 159
Ifovimenloda enfermara do dia 29 de dezembro
de 1864.
Tiveram alta :
Helarniino Alves Baptistade Carvalho.
Jos Joaliuim da Silva.
Tlveram baixa :
Francisco Alves Feitosa, febre belliosa.
Manoel Joaquina de Lima, eiarrhea.
Jos Antonio Fabricio, dem.
Teve alta :
Jos Silvestre da Silva.
CMARA MUNICIPAL
SESSA EXTRAORDINARIA AOli DE DEZEM-
BRO DF. 1861.
Presidencia do Sr. Barros liego.
Presentes o< Srs. Barata de Almeida, Gustavo
do llego. Mello e Gameiro.
Abre-se a sesso, e lida e approvada a acta
da antecedente.
L se o seguinte
EXPEDIENTE :
Um offleio do Exm. ice-presidente da provincia,
ido I do eorrente cominunicando ter na mesma
data, assumido a administraco desta provincia.
na qualidade de seu primeiro vice-pre-idente.In-
teirada.
Outro do mesrao, de 5 do eorrente, respondendo
ao da cmara de 9 de novembro ultimo, sob n. 59,
tem a dizer, que tendo ouvido ao chefe interino da
reparticao das obras publicas, foi este de parecer
que nao se Hzesse a alleracao proposta pela mes-
ma cmara, tendente a suppriuiir-se na planta des-
ta cidade, a traversa da ra dos Martyrios. Intei
rados.
Outro do mesmo de igual data dizendo, que ten-
do recommendado o Exm. Sr. ministro do imperio
em a vi>o de 16 de novembro ultimo, a Del execn-
c,iu da circular de 31 de outubro de 1859. na qual
se determina, qne os requ-Timentos e representa-
co-;s dos embregados pertencentes as reparlices
subordinadas aquelle ministerio, sejam sempre di-
rigidas por intermedio dos respectivos ehefes, de-
vendo ser por estes informado de facto e do direi-
reito na forma das ordeus em vigor; o que com-
muni -a a cmara municipal para seu coiiliecimcu-
10.loleirada.
Urna peticoeom di-pacUo da presidencia, man-
dando informar, na qual o padre Joaquira Mauri-
cio Wanderley, actual eapellao do cemiterio publi
co desta cidade, requer a S. Exc. urna licenfa de
um mez com seus vencimentos, visto acbar-se sof-
rendo incommodos de saude, o que prova com o
atteslado junto, obrigando-se a deixar um sacerdo-
te o subslitua no curaprimentos de suas obrigaijoes
que.Que se informasse favoravelinenle.
ouiro lamnem com nespacno da presidencia,
mandando a cmara informar, na qual Joaqun)
Jos Bello, actual fiscal da freguezia dos Afoga-
devem correr lvremenle < porcuna de lapageH, porta* e MSJsjn -
Justinos ser a polica cnrnp- tente oo o >\.cj ',
freguezia do Poeo da l'mella. para dareni altana-
providencias a tal rwpWfa
Finalmente screino* incancavrl em pu;-"-
lielos no-Mis direilo-, a ponto de que seja ciawwn
do o referido ribeiro, |iois sendo urna -r: '
lodos os morador's do--itiic p>r wnle rll- nra
ninguem pode por o mai- p-quen-i ..l.-t.n-i,
sua correnteza : esta a qii.--i.io principal
Recife, 27 de dezembro de t6V.
Enoiprlla.
O medicamento que com mai- iiilluearu e ener
gia tem combando essa terrivel enferimd. 1
sido o xarope alcoolico de vdBMt,
Urna escrava da mai do Sr. FnBCtom Kirmiao
Monteiro, |>cs-oa bem ronliecida n--U i.l*V"
adiando se de cama, e rom as perna- lusUnl* in
diadas, e cheia de tumores, tomando lartfe *>
veame, adiase hoje ban, pieslamlo teft
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto. n.oral..r na
ra Direito n. SI, leudo -i I accMMH ttia h me-
mo mal, acha se tambem l^Ja.
A Sra. D. Senhorinha rinbeiina d
radora INI ra das Calcada- n. '.\*. achan I
cada de ery-ipidla as rnxa*, cm noalro lomore-
bastaote volumo-o-, no estado imloleutc. que a pri
vava de pr-se de p ha muito lempo, rom i
do xarope alcoolico de veame e pilula-
do mesmo, adiase reslabelecid-.e no oso dos me
dicamentos os tumore- terminaran) pela supnn -
cao.
A Sra. I). Bita, moradora na rna d >inla Ritu
n. 13, primeiro andar, solTrendo do m
niuilos amos, pois que a ery-ipe|| i alacava umii
dadamente, depoi-que laBtaant reHi>;
nunca mais Ibe deu.
Outros muilos bros desta r.i deixo ,U m-n
cionar aqu para nao BM tornar prono enfo-
I nii'
Sendo a erysipella urna ino! -t:i que sem ikivi
da pffeilo de materia pjaraa r. i c *f afSJBI al
pem algnns escnplorus de medicina, e ron-
seipiencia da febre i lan<;;.da na pdle, nW pro-
duz inllammaijo, e que nniias p.-ssana, |M>r nao -e
t-rein convenientimente trataji. sacmtaai caaa
o pernicioso uso de que, nos Ir- dia< nao m
usar de remedio algum, a que faz se esiender
mal por nao -e ter a principio aojiaMo. pnf is
so, pois, conveniente que. logo que algara
sentir atacado de tal mal. A ve affaWHM a Ba
raijo tomando ao principio urna i-opir-rmna de eh.i
do xarope alcoolico de veame dis-olvid' em un i
chicara de intu- i d flor di aab igwiro mirarte.
ad;caudo-a com mais as-ucar. roiitinuand" a<
dia.-|nesse tratamento, notini ds i|ua-- usara il xa-
rope de veame na forma proscripta no r
tendo todo o cuidad., de -e abafar. aBm de
dos, requera Exc. digne aposntalo, visto que a,nvenientemcule, alm de conservar o ventre
tendo servido o dito lugar desde Lt de setembro d
setembro de 1834 at boje, nao pode continuar por
incommodos em sua saude, alm da cressida ida-
de de sosenla e quatro anuos.Mandou-se remol-
ler a commissao de pelicoes para dar o seu p-
renle, que con.-eguir tomando urna j dui- pilu
las purgativas do mesmo veame.
Todos quantos succmnhem de-ta niole-tia se iu
falleceu de erysipella recolln.la-. a<> r. mtfMtn
algnns expositores pr. -uin-in ast o 4-^rm^tAii
ppriiniiias, porque nao tendo
disciplinas que nellas se ensinam, applieadn pra-
tica inmediata na vida social, tornam-se ellas ver-
dadrras inutilidades, que antes serviro de obs-
tculo do que de cnlevo para a eulrada de alum-
nos no eslabelecimento.
Em apoio de sua opioiao o Ilustre funeciona-
rio cita o faci ministrado pela observac/io pratica,
de que os alumnos apenas habilitando-se as ma-
cadeia, foi omillida a localidade desta, que
Goianna; e assim tica completa aquella noticia.
Ilontom, lelas 10 horas da manhaa. um par-
do, que era conduzido por una praca da guarda
nacional aquarlelada, ao aproximar-se da muralba
da casa de detencao, para onde ia a ser recnlhido,
tenlou evadlr-se detaado a correr, e alinal atina-
do se ao Capibaribe a ver se vingava o seu intento.
iau un, */.. .liiiiiniin auciia] 11.11 n n li lia' i-.- lia.' iii- i, i -j
terias que servem de preparatorios para a Facul- Este, porem, fall.ou por que sendo elle perseguido
os respectivos
dado de Direito, vo prestar alli
ex a m e deixara o Gymnasio.
Nao me animo a, desde j, enunciar juizo a>.er
ca da conveniencia de semelhante sup[ressao, que
tende a circumscrever os limites da inslruceao se-
cundaria, a qual em outros paizes alias se procu-
ra desenvolver, sendo por outro lado corto que
nossas circumstancias sao especiaes. V. Exc. Ilus-
trado, como resolver em sua sabedona a pro-
cedencia das razoes offerecidas por aquelle func-
conano, para snggerir a assembla provincial a
medida que julgar mais racional.
CURSO COMMKRCIA.I. l'URNAMBICANO.
Existem neste estabelecimento 3 cadeiras : 1 de
noyes geraes do cornmercio, usos commerciaes,
e.-laiistiea, geographia e historia commercial ; 1
de contabibdade, escripturagoes e pratica de ope-
engeuheiro cordiador, e se accassas&e
ment.
Outro do contador, sulmietlendo a consideracao
da cmara, o anthc-graphoda receita e despeza mu-
nicipal para o futuro exercicio de, 1863 a 186,
pede a mesma, que verlScando-o d disposicao ao
saldo de I3:41l'i96 qne so ada no mesmo orna-
mento sem destino.Posto emdiscusso, o Sr. Ba-
rata de Almeida pede a palavra,e requer que esse
saldo seja destinado a desapropria^des, declarando
anda ser de preferencia a dcsiproprac,o de um
terreno em boa locali la le, para a odilieacao do
paco municipal.Assim se icsolveu.
Outro do administrador do cemiterio publico
desla cidade, pedindu authorisacTio para trocar o
relogio que existe era dito estabeleciinenlo por ou-
tro, visto que aquelle estando sempre em concertos
til. Acham-se todas providas
larmeute.
No eorrente anno tem sido frequentadas por 25
alumnos ; sendo 13 ao Io anno, inclusive 1 ouviu-
per-1
Para o substituir nomeei o hachare! Jos Pauli-
no da Cmara, e por poriaria de 25 do mesmo mez te>"7 o 2, iclase tres oovites] e 5 no 3; ;
nomeei o bacharel Jos Joa quim de Sonto Lima : erara o anno 3 e faileceu 1.
promotor publico da comarca do Lirnoeiro. escol\ noiimu.
Em27 de oulubro remov o promotor publico Creada pela lei provincial n. 598 de 13 de maio
Paulo Martms de Almeida, da comarca do Bio For-. ,j0 eorrente auno, foi installada em junho prximo
moso para a do Cabo, e desta para aquella o pro- passado esta escola, para a qual dei o regulamen-
inotor Anlonio Bogena Freir de Carvalho, por as-! l0 ,]e 28 daqu^lle mez de junho.
sim haverem pedido | o curso do ensino desta escola de dous annos,
ofessadas
bacharel Joaquim do Bego Barros e Ignacio Tava- verso, cahgrapla, nocoes'elsciaes" da gramma-
res da Silva. Para a primeira nomeei o bacharel. tca nar.ioia1, priocipios elememarcs de arithme-
Candido Martms de Almeida, e para a ultima no-1 tica c suas 0peragoes fundamentaes em nmeros
meei o bacharel Joao Alves Mergulhao. nteiros, e os svstemas de pesos e medidas; no 2o
A este relatono ajumo um quadro nominal dos, ann0i desenvovinienlo do aritbmetica at as ope-
juizes de direito, municipaese promotores pblicos ra55es> |,|Stona sagrada e ieiiura de Evangellios,
mu v naveiciii pvaiuu u curso do ensino desta escola de doi
Era 25 de novembro passado demitti em bem do e compreliendo as seguintes materia- pn
servido publico os das comarcas do Bonito e r lores, em lres cadeiras : no 1 anno leitura de
da provincia.
SANTA GASA DE MISERICORDIA.
Ninguem raelhor do que V. Exc. sabe do estado
da Santa Casa de Misericordia desta cidade, e dos
estabelecimentos pios a ella subordinados.
Achando-se frente da administraco, que a di-
rige, desde que toi creada to humanitaria institu-
ci, qe muito deve certamente solicitude e de-
elementos de geographia e de historia, especial-
mente do Brasil, geometra plana e agrimensura,
desenlio linear, melhodos conhocidos, etc. etc.
Attendendose ao fim para qne toi creada esta
escola, reconhece-se que houve lacuna e excessos
notorios na designarlo das materias para o seu
ensino. Assim, por exemplo. as noyes essenciaes
dieaco com que V. Exc, tem procurado promover I de grammatica nacional e a leitura dos Evange-
os seus interesses, nada posso accrescenlar ao co- Inos exigidos pela lei, nao pdem satisfazer, como
nhecimenlo que V. Exc. tem de suas necessidades,! bem pondera o digno director da iustruccao p-
as quaes nao dexaro sem duvida de seren alten-! blico, a dupla necessidade para o ensino do coehe-
cimento dalingua nacional e dadoutrina chrlsta :
enlrolanto que se poderia prescindir de algnraas
das materias designadas, visto que ao professor
nao licar lempo suQlciente para ensina-las aos
seus alunos.
22 do sexo femenino. De conformidade com os I Estas modificacSes, porm, s poderSo ser at-
arts. 19 da le n. 598 de 13 de maio do correnle j tendidas pelo poder competente,
anno, e 8 1 da do ornamento vigente, creel por I Por portara de 30 de junho lindo nomeei o co-
porlariade9 de ulh-> ultimo 15 cadeiras, 10 do neg Francisco Rochael Pereira de Brito Medeiros
primeiro sexo e 5 do segundo ; seudo das 10 pn- para director da osela, e para mestres os Drs.
manas una no Gymnasio Provincial, e as 9 res- Maximiano Lopes Machado e Jorge Dornellas Bi-
tantes as fregueias de Santo Anlonio, S. Jos, belro Pesioa e o professor Miguel Archaojo Min-
Boa-Vista desla cidade, as povoacoes da Capun-, dello.
ga, Malhadinha, S. Jos da Corda Grande, Afoga- A allenco assidua e o desvelo do mencionado
dos de Ingazeira e as freguezias de Cimbres e S.; director pelo incremento e crdito desse til esta-
Lourengo de Tejucupapo; e as ultimas as povoa-: belecimenlo sao apesar de sua curta existencia,
coes da Capunga, Baixa-Verde, freguezia de Gra- coraprovados por factos, que nao poderiara escapar
vat e as villas de Granito e Escada, e ultima- a minha observadlo,
mente urna na freguezia de Sanio Antonio desta.' Folgo de dizer que as ottlras nomeacoes tambem
didas por V. Exc. do modo o mais conveniente.
INSTBUCCO PUBLICA.
ESCOLAS DE INSTHCQAO PRIMARIA.
Contava esla provincia 100 escolas publicas de
instrueco primaria, sendo 78 do sexo mascolino e
por pracas da guarda da casa de detencao, que em-
battaram sem deleii^a etn canoa, fot seguro em
meio do rio. e apresentado ao subdelegado desta
freguezia de Santo Antonio, a cuja ordem (ora pre-
so pelo soldado, que o conduzia, na occasto em
que tenlou a referida fuga
Recebemos urna communipaejio anonyma,
em que se chama a attenco do Sr. Dr. chefe de
polica para o procedimento que um senbor da ra nunca rcgulou exactamente, parecendo-lhe ser
da Imperalrtz tem para eom um prelo, seu osera- mais conveniente a troca, uue ja lera tratada, dati-
vo velbo e doente, a quem castiga com frequencia do de volta a quantia de 303 do que pagar-se cous-
e conserva com um pesado ferro ao Descoco, cau- tantemente concertos.Autorisou-se a troca,
sando com o castigo que Ihe inflige incoinmodo L'ma petigo na qual Manoel Alves Grerra, de-
atoda a visinhanea. clara acceitar o preco 203 por cada arvore que
Ignorando nos a quem se relra semelhante com- plaut ir, conforme consta do parecer da commissao
muncaco, damo-la pura e simplesmente, esperan- e requer que seja lavrado o termo de contracto, e
do que se nao reproduza o abuso de que ella se marcado o prazo para Jar principio as plaotacoes
rariuri Posto em discussao, oSr. Barata de Almeida, pe-
racoes commerciaes, e,l de principios de economa 0,. d remeUeD>no, 0 seguinte diado a palavra, requer que se declare ao contra-
poltica relativos ao cornmercio e direito mercan- uo uuuua rtmuieiu oo-osttui.iie T-iu Arie^hAr* metide dn i-nnorie de
fonceiomm rnn Senliores redactores da Rerisla Duina.lio- lame que ene so receuera imiaue uoi.npnn* ue
"igo Vracs. de dar ahlte.ii sua conceituada Iteris- cada arvore, depois de plantada, e verificado o
ta estas liabas : seu estado equalidade pela commissao enearrega-
Pedimos aos Srs. estudantes da faculdade de da inspecco.l; outra metde no lira do anno coa-
direito que esto passando a festa era Oiinda na lado do da da recepgo das arvores, estando ellas
ladeira da Misericordia, que se abstenham de dar com a altura de seis palmos.Assim se resolveu.
! tiros por aquelles qnintaes que sao varejados de espacharam-se aspcticjies de Antonio Lrtes
1 pessoas que transitam pelas Berliogas, e mesmo as Mariins Antonio da Silva Ferreira Jnior, Bento
1 que ailara em seus quintaos, nao lardarao em ser dos Santos llamos, Caimito Antonio F. da Silva,
' ctiumtiadas: alera do susto que os taes tiros teem Clara Theodora daFonceca, Domingos SoaresUm-
feto passar pessoas que jazem doentes. I pos, Flix Manoel do Nascunento Vales, Francisco
O Olindense. de Barros Curreia, Francisco Botelh > de Andrade,
Amanha se exlrah:r primeira parte da Hermino Ferreira da Silva, Julio Cezar Vieira de
primeira lotera, do hospital Pedro II para canal- Amoriin, Juliao da Costa de aeao d'agua e gaz (I22*J, sendo o maior premio
6:0003.
RPARTig.VO DA POLICA.
Extracto da partedodia 28 de dezembro de 186i
Foram recolbidos casa de detencao no dia 27
do correnle :
A" ordem do Dr. delegado da capital, Jos, es-
cravo de Joaquim Ferreira dos Santos Coimbra,
por insultos e embriaguez: e Manoel Pequeo,
Africano livre, para correceo.
A ordem do subdelegado do Becife, Lequer Fran-
cois, Francez, a requisieo do respectivo cnsul; I
Ttieodoro, Joaquim, Baimundo e Petronilla, escra- A conceituada Rerisfa a pedido, declarou que
vos o primeiro e segundojde Joaquim da Costa Mo- moradores de alguns sitios estrada do Arraial.
reir, o lerceiro de Marcolino Gongalves Fontes, e pelos fundos dos quaes corre um ribeiro, tem feito
a ultima de Joanna dos Santos Deeio, iodos para lapagens, privando assim a outros moradores da
avenguacSes sobre crime de furto. serventa desse ribeiro.
A ordem do de S. Jos, Jos do Bomra, por em- E' verdade o que publicou a lierista ; r.
briaguez.
O chefe da 2" seceo,
J. G. de Mesquila.
Movimento da casa de detencao no dia 27 de
dezembro de 1864.
gangrena.
Os effeitos do xarope akooli ia i i ame apitii
cado na lar de sabugo ao do rata, ni I -" I I" a-
lagem por sua quali.lade duf>r,-.tca. r.^iio pata
auti-septica, para impedir a- patr fj,. .o Mi <
lestias.
Ni erysipella na i deve o ewVrsBO n pnu
tres dias usar de comidas e bebidas que poMSMB
esquentar e inflaiumar o MApat
A comida durante esselempo en -t d
vegetal, como sag, familia d i Maraulio. p, |nr
rado, bolacha, el .
Ainda nao vi eiposil.ir de medicina q;i: ar
Ibassc que nos primeiras ir--- da- .^melti
mentos do mal, uo-e usu-se da me lii-juu-nSn-
0 000 ellos repeliera sao o* unjsuento-, un
emplastros, por seren d- n.iiur.-/. i g da** a
obstruem mais e repellem dj que pronu.v
cuaco da parte; o que convem .
atacado e bom agazalbado para api I ir a
cao, e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame vendV-c n.i
ca da roa Direita, n. KS, de Jos da Bu-ha Pi
ranbos.
GOMMEH-IO.
NOVO BWCO
IElmlkWiHLX10
EM 27 DE DEZEMBRO DE MU
O banco desconta letras na pn-.-ente ..
10 0/0 ao anno at o praso de quar- e a
12 0/0 al o de BOM mez- toma dinbnro a jnr i
a praso nunca menor d-tre* mezes i mna
pra;a da Baha.
viano Talles Saldaaha. bacharel Luiz de Albuquer-
i que Martinj Pereire, Manoel Joaquim Runos e Sil-
va, Maooel da Silva Jacome Pessoa, Pedro Jos de
Freitas, e levantou a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
a subscrevi.Ilenriques da Silva, pro-pre.-ide-
te. -Leal Seve.Rjgo.Mello.Garaeiro.
PUBLICARES i PEDIDO.
A!fan Rendimentodo dia 1 a 27.......
dem do di* 2s...............
HI6 himi.s,
MtLtmmm
378 presos
8 >
7
379
A saber : VM

4 >
Eslrangeiros.. 27
Eslraogeira ... 2 >
48 i
Escravas..... C
379
existem tabsas apregadas, dopestos d'agua com
portas, tudo isto em dito ribeiro -, e quando esses
depsitos esto sujos, abrem as portas, e correra as
aguas em quanto licam limpos.
Allegara esses moradores, que as aguas passam
por balxo das tapagens e das portas; por que estas
nao chegam at ai) fundo do ribeiro, e que tem san-
gradores.
Ora urna estrela levada, que Ibes chamam san-
gradores com matos, fazendo um grande sim-cir-
culo, que quantidade d'agua pode correr de um
ponto a outro, mormeoto com o actual vero,
nenhuma certamente.
Parece-nos um insulto, e menoscabo, que esses
moradores fazetn aos seus visinhos, que esto re-
sol vidos a invidarem todos os estorbos alim de pri-
var iin semelhante abuso e afoitesa em detrimento
de seus direltos; por que n'esse ribeiro, nao se
Ihe pode por Impedimento algum; as suas aguas
novimcnlo da alfaasJega
Velames entrados cora fazenda...
* eom gneros... 369
------- :
Volumessahdos com fazeedas...
com gneros... 657
747
Descarregam no dia 29 de novemfcro
Brigue porluguez Relimnnjo diversos genere*
Patacho nacionil Jabnalnideaa.
Brigue inglezPorf/iharalhao.
Barca iuglezaConstanctbaealho.
Brigue inglezMasad ferro para a ponte
Barca franceza t'inwlf-g.meros divers .-
Vapor inglezMigi'iUn mereadnnas.
Galera franeezaT*oiiisalitre.
Barca inglozaCorra al.
Barra ingleza Dorbtngrarvo.
Barca inglezaArenaidem.
Inaportaf*.
Patacho Inglez l'ortia, enlraH> V Terra Sova.
consignado a J. Pater & C. maaiioHiBi se-
guinte :
2843 barricas e 315 meias ditas i*ria>i. i
caixas peixes em eaaafffsa; aos a>
i:\pnr 14fo>.
- Brigue porluguez S. Manoel I, amftm pora
Porto:
1110 saceos e 5 birriqoinha* ro 557 arreo*"
14 libras d" asucar braneo, 1W sarro rom fia


Diaria e Peras "-"5'7. Quluta felfa 99 re Dezcnibro 3e 1RS4.
arrobas de dito mascando, 1-2R saceos cora 3771 E para que chegue ao conheeimento de todo
arrobas e 10 libras de eomma, 30 sacros coro w mandes faier o presante edital que ser afiliad
arrobas e 18 libras de alodio, e 8 bariis com 884 uos lugares do costuma e publicados pela itn-
medidas de inri.
Patacho dinamarqus
para o Rio d;t Praia :
124,819 ps de. taboado 19,373 estacas, 15,000
pecas do madeira, 14 caixas com iireparacoes de
veneno, i' 4 ditas cun sebo.
fi&eceScrta de reaua iuerna-
gerae le Pemanihiico.
Rendinento do da 1 a 27......... 3S:389*ni
dem do da i*.................. 1:7094*68
! prtm Constructor, carregou > Dado c passado nesla cidade do Recife de Per-
namhuro aos 12 de dezembro de lKti'i.
Eu Manoel de Caivalbo Paos de Aadrade, eseri-
vao o escrevi.
Tristao de Alentar Araripe.
11:298*699
Consulado provincia!.
Rendimentododia Ia27......... i:)'t:6:!5.W/
dem dodiaiS............... 9:601M66
144:1035093
HOTmorro so poeto.
Navios entrados no da 28
Tena Nova 26 das, patacho ingle
197 toneladas, rapno D. C. Down,
10, carca 2843 barricas com bacalhao
ton Patar A ("..
Lisboa-28 dias, brigue pr l.'iS toneladas, capitn Manoel Ber
ganga,qaipagem 11, carga vinho
tros gneros ; a Thomaz de A. r'ons
NtntOt tullidos no nnsmo rfi
Rio Grande do NortePatacho iuglsz
tao 1. Caigan cm lastro.
Montevideo Patacho dinamarqus
capitn ('.. G. II. Blasher, carga madej
DECUBCOES.
Manmho
Para o Maranhao segu o Ganba\di em poucos
lias, tem parte da carga prompla : a tratar com
Tasso Irmao.
RA NOVA
N. 34 I
Para Lisboa
O veleiro o bem conhecido brigue pnrtugucz i
Conceicao de Mana, eapilo Januario Jos de Ol-
veira, pretende seguir coas maita brevidade, tem'
parte de sen carregamento proraplo ; para o resto'
que ni falta trata-se com os seus consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-'
criptorio ra da Cruz n. 1.
'_
EDIT1ES.
Dr. Tristao de Alencar Araripe, oficial da im-
perial ordena da Rosa, e juiz do direitu especial
do commercio, nesla cidade do Recife, capital
da provincia de lVriiainbiieo, por Sua Magestade
Imperial e constitucional o Sr. D. Pedro II,
queni Di us guarde etc.
Paco saber .ios que o presente edital virem e
delle uoticia tiverem que no dia 13 de fevereiro do
armo prximo viudouro, se lia de arrematar por
venia a quem mais der em prara publica deste
jui>o o escravo seguinte :
Amaro, crioulo, representa ter 14 16 annos de
Coronel presidente.
Sebasliao Jos Basili Pyrrho,
vogal secretario.
O hospital militar contrata para o trimestre
vindouro de Janeiro marco o seguinte : carne
verde, azeite doce, aletria, caneila era p, manlei-
ga franceza, macarrao, po-de-16, sag, hostea,
areia ureta, canelas, caui vetes,-lapis e livros em
ida le, sem defeito algum, avahado por um cont, |,ranco e quinheulos mil res, o qual ^forapenhorado por j propozerem ao fornecimento de taes artigos, apre-
i'iitem as suas propostas no dia 29 do corrente,as
Para a Bahia
Pretende segnir com brevidade a sumaca Hor-
tensia, tem parte de seu carregamento p rompi
para o resto que Ih falla trata-sn com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
A C, no seu escriptoriorua da Cruz n. 1.
Para Lisboa
pretende sabir com a possivel brevidade o brigue
potingues Relmpago, para o que tem grande par-
te da carga tratada : para o resto e passageiros, a
quem uffereee aceiados commodos, tratase com o
consignatario T. de Aquino Fonseca, ra do Viga-
rio n. 19, primeiro andar.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimenio do
arsenal de guerra precisa comprar o .-eguintes :
Para pintura da fortaleza do Bium.
20 arribas de oleo de linhara.
2U ditas tardo.
10 ditas alvaiade de zinco.
1 dita por preto.
3 ditas er.
48 broxas surtidas para pintar.
Para campanilla dos menores.
20 galoes de gaz.
Para o rancho dos anrendizes menores nos mezes
de Janeiro e fevereiro.
Pao de 4 oncas.
Bulaxas.
Touciuho.
Carne verde.
Dita seca.
Assucar retinado 2- sorte.
Manteiga franceza.
Fejao mulatinho ou preto.
Arroz pilado.
Azeite doce.
Vinagre.
Caf era rrao.
Cha byson.
Bacal lio.
Familia da trra.
As pessoas que quizerem vender taes artigos,'
apresentem suas propostas em carta fechada na!,as n '- cora quintal, cacimba e por tao, muito
secretaria do conselho no dia 30 do corrente is 10 prximo a eslacao da estrada de ferro (em terreno
horas da manhaa. prepno.)
Sala das sesses do conselho administrativo, 23 sillona torre a margera do rio Capibanbe,
de dezembro de 1864 com uma nra wa *e campo de um andar, sala.
Antonio Pedro de S Brrelo, I **, P"ntfe rocheira e estribara para i ca-
josepii mmm
c i a sil nio
3 tem a honra de prevenir as pessoas qne
^ tom qualquer concert on anmlacao em
yjfjl maos delle que venham os buscar at o
f* lim de Janeiro, es que Bcarem dessa data
f sero vendidos para pagamento dos mes-
jgs mos, nao se altendendo a reclamacao al-
^ goma passado esse prazo.
Jjrg Appruveita essa occasio para avisar
xgs aorespeitavel publico, qje elle tem para
*S wnder os
LEILflES.
i
DE
PR EBIOS
1 casa terrea com sot3o na ra das Cinco Pon-
excueo de Joaqntm Elviro da Silva, conir* o te-1
nente-conuiel Francisco Santiago Hamos.
E nao havendo lancador que cubra o pre^o da
avaliacao, a arremata^o ser feila pelo preeo da
adjudicaca) na forma da lei.
E para que rliegne ao conlieclmento de lodos
10 horas da roanha.
Hospital militar de Pernambuco 24 de dezembro
de 1864.O eserivao,
Jos Carolino Alves da Fonseca.
Nesta delegada foi entregue por um carro-
mandei pssar 0 presente que sera publicado pela cero uma caxa ^ madeira, dentro da qual exis-
imprensa e allixado no lugar do co turne. : tem alguns objectos : quem julgar-se, pos, com
Dado e passado nesta culada do Reele de Per- i cJsreito a mesma, apresente-se na repartido da po-
nanibueo, aos 19 de dezembro do anno do nasc-1 |cia para) proVado quanto baste, ser-lhe entregue
ment de Nosso Senhor Jess Christo de 1864. jla cajxa e os 0jectos cuconlrados dentro da
En Manoel Mana Rodrigues do Na^cimento, es-| nie.-ma.
crivo o subscrevi. Delegada de polica do Io districlo do termo da
Tristao de .Menear Araripe, cdade do Kecjfe 26 de dezembro de 864.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, ollicial da mi
p rial (inlem da llosa, jmz de direito. especia-
do cnmmercio, da cidade do Recife e seu tarmul
por Sua Megestade Imperial e Constituciona,
o Sr. D. Pedro II, quem Dos guarde ele.
Faro saber aos que o preseute edital- virem,
e dellV noticia tiverem que a requernneiitode P.
J. Foulkes fra rescendido a concordata de Cami-
nba 4 Filbos pela sentenea do theor seguinte :
Vista a mat-iiaila neticao de (albas919, na qual
expor! o snpidicante Pedro Joiu Foulkes (|uo os
supplicados Vicente Ferreira dos Santus Caminha,
Manoel Perreira dos Santos Caminha e Alexandre
Parreira dos Santos Caminha, socios da tirina fal-
lida Caminha A Filhos nao emnpriram a concorda-
ta que Ihes foi concedida por seus i-redores na for-
ma do auto de follias 096, e mostrandu-se iieio do-
cumento a fainas 929, que com eff-ito a concorda-
ta nao foi curaprida, deixando osupplicaute de ser-
pago na forma convencionada com falta de boa f
e preiuizo domesmo sopplicante ; algo rescindt-
Ha i funcorilala, o mando ijihi u-jam iw prvAnra*
convocados nos termos da art. 139 do regulamento
n. 738 para s.- tratar da f.irmacao do contrato de
iini.ii on de nova cordata, devendo a reumao
ter lupar no dia 18 de ouiuliro do corrente auno
pela II huras da manhaa sala dos auditoeWs
para o que se expedlro editaos conforme o art.
133 'lo citado regulamento. Os curadores flscae?
ja nomeados reassumirio as suas fuuc^-es rt-
(|ii-rend.> o que entenderem bem da massa fal-
lida, que pagar as cusas.
Recife, 23 de junho de 1804.Tristao de Alen-
car Araripe.
E mais se nao continha em dita sentenea ; mas
nao leudo os curadores liscaes reassumido os seus
cargos por se haverem recusado, assim como nu-
tras credores que firara nomeados, ficou a mes-
illa curadora aff Ca ao Dr. proniotur publico, que
prestou o devido juramento, o devendo-se proceder
a nomeacio de depositario da referida massa,, sao
pelo prsenle convocados os respectivos credores
a compareceren! na sala dos audilori >s no-dia 19
dj corrente mez as {I horas da manhaa, e para
que tenlia lugar as diligencias proscriptas no art.
139 do regulamento n. 738, cima indicadas, sao
vallas, ptima sanzalla, o qual tem porco de la
rangeiras e outros arvoredos, a estrada pela pas-
sagem da Magdalena, onde se vai carro.
Martins, autorisado pelo procurador dos Srs.
Pinto (J Irmaos, far lei lio dos predios acuna, os
pretndeme- podem obter qualquer nforinacao do
mesmo Martins, ou na ra da Cadeia do Recife n.
64, podendo ser previamente examinados ditos pre-
dios
HOJE
porta da Associa;ao Cammercial ao meio dia.
AFIADORES
de sua invenco, pelos quaes obteve um^S
PRIVILEGIO E 15 ANNOS
a sua superioridade sobre todos os que ^J
appareceram at boje de sobre-mo- JflL'
do provado pela extraccao que elles tem B|
no Rio de Janeiro, aoude sao muilo apro- H
ciados. *H
Precisa-se de uma ama forra ou captiva pa-
ra casa do pouca familia, que saiba coziuhar e en-
gommar : na ra Velha n. 46.
&!
Dundemlit
Massa fallida d Amorim, Fragoso, San-
tos k C.
Os administradores eslao autori-ados a pagar o
Io dividendo de cinco por ceuto, devendo porm
realisar se do dia 2 do Janeiro prximo un dianle,
em viilude de ordem do Illm. Sr. Dr. juiz espacial
do commercio. O pagamento ser feilo di meio
dia as 2 horas da tarde, no escriptono da ra da
Vigano n. 21, primeiro andar.
DE
Firmino Herculano Baptista Ribeiro con-
vida a lodos os prenles de sua presada lia
Francisca Goncalves da Silva Barroso, para
assistirem a uma niissa que pelo eterno re-
pwu-ii da alma da mesma, tem de mandar
celebrar na igreja do rerolhimento da Glo-
ria s 7 horas da manhaa do dia 29 da cor-
rente, trigsimo do seu fallecimeoto.
Saude dada a todo o inundo.
Peles preciosos edicaneites dos Srs. Grinavlt k
C, tkamaccatieas de i. A. I. o priaciaeNa-
poleao, raa de la Fenilladt 7 cm Paria.
Porque es Srs. mdicos e o publico usara de pre-!
; lerencia dos medicamiitos especiara dos Srs. Gri- j
I mauli 4 C, phareaceuticos em Paris, cem os quaes i
' elles tem sempre obtida as curas as mais extraor- i
l diaras T
1.* Parque esta casa sendo sem eontradita a I
I'sua taberna e casa de pasto.
O agente Pestaa, vender por conta de quem I
mais importante de Par's, honrada rom a clientella
o delegado,
L. A. Martins Pereira.
Crrelo.
Pela administraco do correio desta cidade se
faz publico que em virtude da convenci postal, I
celeorada pelos governos brasileiio e francez, se-
r;i i expedidas malas para Europa no dia : 0 do
corrente pelo vapor francez Estrenadme. As car-;
tas sero recebidas at 3 horas antes da que for
mareada para a sahida do vapor ; e os jornaes at
I horas ante*.
pertencer a armac.ao, gaz, gneros e utensilios da
taberna e casa de pasto da ra das Cruzes n. 39,
em um ou mais lotes, a vontade dos compra-
dore?.
IIOdE
Quinla-feira 29 do corrente, pelas 11 horas da
manhaa na mesma taberoa.
ft,!']!I,AO
DE
85 barra com figos
HOJE.
0 asente Pestaa vender por conta de quem
Adininisiracio do correio de Pernambuco 20 de pertencer 85 barris com figos desembarcados ulti-
dezembro de 1864.O administrador,
Domingos dos Pasaos Miranda.
mmente c-m lotes a vontade -dos compradores :
hoje pelas 10 horas da manhaa em ponto no ar-
1 ma/ein do Annes.
GOMPAHHIA BKA3ILEI3A
DE
PAQUETES A VAPOR.
LEIL40
De

Dos portos do sul esperado
at o dia 30 do corrente um dos
vapores da eompanhia o qual de-
inis da demora do costuma se-
guir para os portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros a engaja-sea
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua ehegada: encom
inendas e dinheiro a frete al o diada sabida s 2
doras, agencia ra da Cruz n. i, eseriplorio de
4nlonio Luiz de Oliveira Azevedo tS C.
CO.MPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Savegaco costelra a vapor.
Macei e escalas,
No dia 30 do corrente seguir
unidos vapores da companiia pa-
ra os pertos cima indicados s 5
horas da tarde. Recebe carga at
Po da 29. Eneummcndas, passa-
OS mesufjs credores convocados pelo i)re*ente a geiros a dunieiro a frete at 2 horas da tarde do
romparecerem no mesmo lugar no dia 20de feve-jdia da sahida : escriptorio uo Forte do Males
reiro do auno prximo futura pelas ditas horas
advertindo, porm, que nenhum eredor ser ad-
mittido por procurador se este nao tiver poderes
especiaes para l arto, e que a proruraeao nao po-
dar ser dada a pesso que seja dovedora aos fal-
lidos, nem um mesmo procurador representar por
dous diversos credores; OOtrosim que sero unidos
aos votos da maiori dos credores presentes, os dos
credores que que deixarem de comparecer.
K para que chegue ao conheeimento de todos
ser o presente publ.cado pala imprensa e alllxado
na forma da lei.
Cidade do Recife de Pernambuco, aos 15 de
outubro de 1864.
n. I.
GOMPANHIA BEASILEIKA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte espera-
do at o da 31 do corrente o va-
por Paran, commandante o ca-
pitao de fragata Santa Barbara, o
'qual depois da demora do cost-
me seguir para os porlos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
I carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
Eu ManoeMaria Rodrigues do N'ascmento,escr- ser embarcada no dia de sua ehegada, encommen-
vao o subscrevi. i das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
Trutao de Alencar Araripe. ras : agencia, ra da Cruz n. i, escriptorio de An-
0 Dr. Tristao de Alencar Araripe, ollicial da impe- tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Trastes, relogi-s, correntes
outros artinas.
OLYMPIO^
Faz leilo
S3AnnazoiR a raa da fadeia--53
Scxla-feira 30 de dezembro
____________.is 12 lieras. _________
VICE CONSULADO DE HESPAMIA.
j:>ioiio
le Berto intouio C'outiuho.
Sabbado 31 do corrale ao meio dia cm poni.
O agente Pestaa, competentemente autoriado,
far leilao no largo do Corpo Santa, de im-iade da
ca^a n 87, uta ra do Pilar, pertenceute ao
espolio :ima.
l,J2IlfAO
DE
Importan tea dividas
de uma parte da corte, paleoteada por S. A. 1. o
principe Napoleo m vende productos de urna J
cacia rrconbecida.
1,' Porque esses medicamentos representan as
mais recentes conquistas da medicina e da chi-
mica.
3 Porqoe lera todos um goslo agradavcl, salis-
fazem a vista, e podem ser administrados sem pe-
rico, lano s enancas camo as pessoas adultas.
4. Porque elles ditferem iuteiramenle desfes re-
medios inglezes e americanos, preparados por in-
dustriaes estranhos, tanto a medicina como a phar-
niaeia, dos quaes nao tem nem a sciucia nem os
ttulos.
5.* Poroue estes medicamentos s se applicam a I
tim nui.iero limitado de doen;as, e nao as curam
todas, como os remedios de que acabamos de fal-
l.r ; einfim cada producto tem sua applcaco par-
licnlar.
Por isso pensamos preslar um servico a todo o
mundo, indicando aqui as importantes proprieda-
des dos priucipaos medicamentos dos .-rs. Gri-
mault & C.
\aroiie fe raifort lodado.
Eipre(iado com successo ci-rlo em limar do oleo
de ligado de bacalho, tao desagradavel, tao dilTi-
cil a digerir. E'o especifico o mais certo contra
as escropliulas, o lymphalismo, a mol>-za das car- i
nes, os humores das enancas, a papeira, os re u-.
matismos, o escorbuto, as affeccoes da pello, as
midestias do peito.
Todos os mdicos de Paris o empregam como o
depurativo o mais poderoso, e o recommendam em j
lodosos casos que precisa-se corrigir a acrimonia j
do sangue, e dar-lhe lodos os principios vitaos que
perdcti, seja pelus excessos. pelas affeccoes lym-
phaticas, escraphulosas, e venreas.
.Varope de quina vernielha er-
roginoso.
Ou associacjd dos dous poderosos remedios da
materia medica que sao : o ferro um dos prinri-
paes elementos de riosso sangue e a guia que o
tnico e o febrfugo por ezcellencia.
Este delicioso medicamento ag adavel ao paladar
e a vista, tem um resultado admiravel as flores
brancas, dores de estomago, falt de appette, po-
breza de sangue. Elle c sobretodo til as senho-
ras e as mocas delicadas, para desenvolver e re-
gulari>ar a mensiruaco e suspender os ilTeitos
perniciosos das flores raneas, que sao a causa de
tantas doencas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias praves, elle o reparador
das (Orces e da saude para os doentes enfraquer-
\ dos pelo trabalho, os excessos, as afleeeoes escro-
I phulosas ou venreas.
As mais de familia acharo neste xarope um me-J
Para o Para pretende seguir em poucos dias
o paihabote Dous Amigos ; para pouca canta que
Ibe falta, trata se com os seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
nal ordem da llosa e juiz especial do commercio
desta cidade do Recife de Pernambuco e seu
termo, por S. M. I. que Deus guarde, etc.
Fajo saber aos que presente edital virem e
delle noticia tiverem, que no dia 6 de fevereiro do
anno prximo futuro, tei lugar aarrema.acao dos
seguintes escravos :
Aquilino, crioulo, de 20 annos de idade, avahado
em i :2005. pretende seguir com multa brevidade o brigue es-
Crispo, crioulo, de 10 annos de dade, avahado !cuDa.Ydo Sei, tem parle do seu carregamento
em 1:0005- I promplo : para o reslo que Ihe falta e escravos a
J .-epha, crioula, de 18 annos de idade, avahada' frete, para os quaes tem excelleutes commodos,
rni I:1 Rita, da naco, de 45 annos, em 6005. de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
Martina levara novamente a leilo por despacho dicamenlo sem igual, para fortificar e desenvolver
do Illm. Sr. Dr. juiz especial do eommercio as di-
vidas activas da massa fallida de Joaquim Vieira
Coelho A.- C. na importancia de 81:6615324 rs.
Sabha' 31 do frrente.
No primeiro andar da ra da Cadeia n. 48, as
11 horas.
?ara o Rio de Janeiro
da Cruz n. 1.
Leandro, crioulo, de idade de 40 anos, quebra-s
do da veriltia. em 4UI.5.
Thomaz, crioulo, de idade de 6 annos, em 4005
Basiha, crioula, de 45 annos, em 2005-
Raymundo, de naco, de idade de 50 annos, em
2005.
Os quaes sao perlencentes Francisco Antonio
Pereira da Silva, e Ihe faram enhocados por exe-
euco do Dr. Jos Joaquim de Soma ; e raso nao
apparrea lanzador que cubra o preco da avaliacao,
ser a arrematado feila pelo preco da adjudicarlo
com o abate da lei.
E para que o presente chegue ao conheeimento
de lodos, sera publicado pela imprensa, e afflxado
na forma do esiylo.
Cidade do Recite, 10 de dezembro de '864. Eu
Manoel Mana Rodrigues do Nascimeuto, eserivao o
subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, oflicial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direitu especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernambu-
co, seu termo, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Senhor D Pedro II a quem Dcos
guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem que no dia 6 do mez de feve-
reiro, do anno prximo vindouro tar por venda a quein mais der, em praca publica
deste juizo, depois da audiencia respectiva, duas
pipas com vinho Figueira,avahadas em 2505 cada
uma. as quaes sao perumeentea a Jos Ribeiro da 3 Janeiro as 5 horas da tarde. Re-
Cunha Gnimaraas, e va a praga por oxecucau de ^^^eh8dW>'ebe carga at o dia i. Enc-im-
Campiano A Cordeiro. E na falta de licitantes ser mendas, passageiros e nheiro a frete at s 2 ho-
a arremataco faita pelo preeo da adjudicacao cora ras da tarde do dia da sabida: escriptorio no Forte
o abatimaulo respectivo da lei. I de Mallos b. I.
OJfIP41THIA
DAS
MESSAGERIES IMPERItLES
No dia 30 do
corrente mez as-
pera-se dos poi-
tos do sul o va-
por francez Es-
tramadure, com-
mandante Auhry
fe la No, o qual
depois da demo-
ra do costume seguir para Bordeos toendo em
S. Vicente eLisboa.
Em S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia eott Gore.
Para frates, enndircoes e passagens trata-se na
agencia rna do Trapiche n. 9. ____________
"COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco eostelra a rapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear,
Acarac e Granja.
O vapor Jaguanbtj com mandan
AVISOS DIYEBSOS.
Precisa-se de un deslribuidor para
esle Diario: na prara da Independencia
ns. 6 e 8.
Aos 6:000*000.
Corre amanha.
Sexta-feira 30 do corrente mez, se ex-
trabir a primeira parte da primeira lotera
(ls!a) a benelicio do hospital Pedro II, pa-
ra canalisaco d'agoa e gaz, no consistorio
da igreja de Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Os biluetes, meios e quartos est3o a ven-
da aa respectiva tbesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:0005000 at 100000
8r5o pagos uma hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuicVidas listas.
As encommendas serio guardadas so-
mente al a noite da vespera da exiracffio
como de costumo.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
Aluga-se um sitio para plantr,5es.
Est por ser alugado um grande litio na estra-
da do Rosarinno, com excedente pomar de laran-
geiras e muitas outras frucleiras, tem trra bas-
tante para qualquer plantario e baixa para ra-
pim, casa de vivenda com commodos para grande
familia, estribara, telheiro com cacimba, ela. ele:
qnem o pretender arrendar, dirija-se a ra do
te Lobato, saiir para os portos H'^P''" n 41, oa ao Forte do Mallos, prensa de
cima mencionados no da 7 de algodao n. 22._____________________________
- A burdo da barca franceza Virgtle tem uma
poreao de vasos para Qores e alguidares vidrados:
as pessoas que desejarem comprar dirijam-se ao
capitn da mesma, em casa de Tisset Proras, ra
do Trapiche.
o systema osseo das eriaucas e os preservar das
affeccoes escrophulosas.
lillxlr digestivo de pepsina.
Delicioso licor que oceupa o primeiro lugar en-
tre as novas conquistas da sciencia, a pep-ina pos-
sue com effeito a proprledade importante da fazer
digerir os alimentos quasi sem .ocrorro do esto-
mago, o remedio soberano das gastrites, gastral-
gias, das inflammaces do estomago, dos ligados e
dos intestinos. Elle supprime os gatea, as nauseas,
INJECTION BROU
perfumara medica hyginica
De J.-P. LAROZE, qumico, pharmaceutico de la Escola especial de Par*.
Esle productos sio o resultado da aplicarlo das leis da htgieoa i parfum.i'ia. ^u se rrene r
tornase pharmacia da belleca, encarrejads da pror hyi;ieiie da pelle. das r.iMI, d. HeaW^
ergios tao importantes; entio evita e deslrou as causas da> doenfat ^ue sua irasaa M Mi k,
i pliarmai-ia proprianieate chamada, tem que curar.
OLEO M inu KWlUSf pva rMdUl a
duresa d.s -abatas t i tus unan. Ht I f
TIM*GRB DK TOTLl 1 1E tTPntfOft
suivilade tus i i i
oold eaauaa suvbrior > H**
clara, r
do usJ das c6rs, o pBM......i
ACOA DE COLOCHA lUICMol m H n
mbar, pe:
pri o loe.iJwr.bai.os Ti' -o I Ir.
PASTILIIAS OEIEETAES la mt .
Eura lirjr u chciro Jo l^b.i <> e pira
allitos ItrX'i, i a 1 fr. a eaiaa.
ELIXIR EENTirRICIO par curar medialaaenlesa
dares ralvas de denles; o ridro I fr. IS
pos DaurnrRicios cor be rosa em baaa da
Mnpiesia para branqaear a conservar os drnies
ridro...........I Ir. ai
OPIATO DENTirRlCIO para tonificar aa gei.ir.ivas
e erilar ns nevralgias denlariu; o polo 1 fr. SO
CURATIVO SEItTARIO para tratar ns denles
cariados ames do chumbaroenlo, o avilar os ak-
cessos e dores ; o vidra com o inslruiuenio a fr.
AOUA LECCODERMIRA, para conservar a frascura
a as func^Ues da pelle; o vdro 5 fr.
ESPIRITO DE AM Z RECTTTIOADO, c..iii|i! -iipiu <
do aeeio da bocea despois de comer; evidro 1 fr. 2S
ASAO LE3ITIVO MEDICINAL, d.'vioU'l i-amo". i
aasarga, bouquel. e pao.......Z fr.
REME DE SARAO LENITIVO MEDICINAL do
Semas de ovos, pira avilar as feadas, fneiras o
oencas da pelle, d. violeta, de bouquet. o pi 2 fr.
CREME DR ABO LENITIVO MEDICINAL em
ps. EUa e-pecial para a barba, o aceia das
senhoras a daa criancas, o vidro.....2 fr.
AOUA LUSTRAL para conservar a ambellaiar os
cabellos, a fortificar suas raizes, o vidro. i fr.
Depsitos em cada cidade, em caza dos pharmareuticos. perfimisus, cabeileirriM, A modas c de fazeudas. Varejo: PuARaacu Larozc, ru Neuva-des-l'cuis-Cbamp. ;>
Expeditoes: em caza de J.-P. Laroie, ra dea Liona-Saiot-Paul, a' i, em Pan*.
i i ( lu ',1 | r |i ii.S Ii;iiiiT ;i.
1* ;
liar a r-
I '
ACOA DE PLORE* DR ALPAZBMA.
bascado para tirar a crx >'"... f
freacar cen^s ore'.os, a VtflM
ESPIRITO DB BORTELAN DPERPIN*. BSJi 4 I
aperfeicoamenlw indispensavel da aceio da larri
depois de comer, o ridro......I fr.
POMMADA CONSERVADORA !..,...
para foriitkar os caballos, os emScll^zar i
a encanecimeaio prematuro, o pota.. S fr.
XAROPE ^
DE CASCAS de LARANJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
IBAMACKUTICO tk ESCOLA IIMIIOI al PABIS.
> Este xarope, regularisando as funcedes do estomago e intestinos, destro* esaan
indisposifcs proteifoi mes, c faz abonar as molestias de que sao indicios premrso-
res. Mdicos e doeules lem reconhecido qao resiabelece as indi^esioes, la/.-iul
desapparecer os pesos d estomago, que caima as enxaquec.is, ospasmon, e eaTihra,
que sao resultado de digestes penosas. Seu gosto agradavel e a fa.ili.laJe com qne
se suporta, o tem fpito adoptar como especifico inatlivel das doeiscas nfrrotm.;
gastritis, gastraloias, clicas de estomago e de entranhas, faltiilattt, dores i
corapo, vmitos nervosos; sua aeco sobre as fanecoea assimil.idoras ul, ajne ce
mdicos mais Ilustres o tem adoplade por rescipicnte real dos dons primenros
agentes tlierapeulicos: o lodurcto de Polassa c o froto-lodurelo de ferr, tnuie
observado que dcbaixo de sua influencia, o primeiro perde sua aeco irritante, e e
segundo seu effeito adsti ingenie.
XAOPE FERRUGINOSO
XAROPE DEPURATIVO
De cascas de laranjas amargas com U-
dureto de potasaa.
O iodurelo de polassa, administrado era
so!i',.,-:i ou debaixo da forma solida, causa ao
doente urna grande repugnancia, ou determina
accidentes que o forcao i renunciar a esta
medica^ao efficaz.
Unido pori'm ao Xarope de casett de laran-
jas, elle nao cansa nem gastralgias, nem per-
turbaco do estomago c intestinos, graos *
este salvaguarda, os tratamentos depurativos
sin continuados sem inlerrupco, as affec-
ces escrofulosas, tuberculosas, cancerosas i
tins ifruadart'oi e terciariai, mesmo reuma-
thismacs. Ras quaes elle 6 o mais seguro espe-
cifico. A dose est definida de tal maneira
que o medico pode varial-a a sua Tontade :
0 frasco: 4 fr. 50 c.
De cascaa de laranjas amargas cea
proto-iodureto ale forro.
A assnclacas do sal ferro ao Xarope 4o ca
cas de laranjas i lant > mais racional qianto'
que este tnrope, empreado sd, para esmu-
lar o apetite, artiva a sccreco do suero ja-
slriro, e por fin regularas as finerSe* it> ;-
minacs, neutraliza ns mos elfeilos d>s ferru-
ginosos c dos lodurelns (peso do rabera, pn-
IM d*3 vcnlre, dores epigstricas) cm qaoaao)
que facilita sua absorpeo Dissolvid* so
Xarope, elle se loma e se supsoru faciloionM,
por achar-se no estado puro mais asum; .t,-i ,
e assim pode continuar-se a cara da allidci,
corrinieotos brancos, aaemia. arferrors escro-
fulosas e racbitismo:
0 frasco 4 fr. 50 e
Os Xaropes de J.-P. LAROZE esto sempre em frascos especiaes
nunca em ineias garrafas nem em frascos redondos). ExpedicoVs em casa
J.-P. LAROZE, ru dea Lions-Saint-Paul, 2, Paris.
Um
ii.vzi.
" :- O : t wmmmm O H O ; O m B o a O -3
- -n
m M
SO 3S
o S w va
> ir; _
c
es
n =
cu o
- J-- >
i i 5' a
^- a m
o -
i* O ? o 4 i p
o.-. a
P p
i
to
3 T) I
".- f I m
S
v T
- ^ 1 i
="
*- O
V tiq
i ri
! 1 f^'
e r
si
Iff
f|
en "*
2 M
lis
112.
g "J poa
1 3
S 3
C o
a m
a
o
ai
>
o
y.
Ci
z
o

n
1
P
a
-
a
w
o
W^V

j.
M
i : = ^ -.- S. s
ex.
-5
H
Vende-se na ra do Imperador botica franceza n. 38.
Precisa-sede uma mullier forra para engom-
as piluites, o desgosto dos alimentos, e presla crin- \maJo e en>aboado, para casa de pouca familia .
cipalmenteumimmenso servido as senhoras n'uma; na ra DireHa n. II-, primeiro andar._______
poslco iuteressanie da qual supprime os vomita?.; Xa noite de 2' para SS do correnle foi ex-
As pessoas que padecem de cancro no estoma- traviada uma caixa de llandres cunteudo os objec-
go ou nos intestinos, verao sua vida prolongada | ios abaixo mencionados, ojoando couduzida para a
pelo uso do elixir de pepsina, e os vellios e t'onva- povoa(o do Monteiro pelo carroceiro Tico : pede-
leceuleso sustento de sua saude e o reparador de se a quem ajner que dalla tiver oiicia qne se di
suas jorcas; porque com uma boa digeslao sempre rija ao primeiro andar da tasa n. 19 da ra do
se gosa de boa saude. \ Imperador : 1 adoieco de coral, 1 par de brincos
.. \ ]de cornalina, 115800 em dinheiro, 2 pares de
Aarepe peltOI*al de oJorgC.\ | manguitos, 1 corto de vestid., de lia, 12 covados
Novo especilico, sem opio, reconhecido como o de chita, 10 ditos de hrim azul, 4 1(2 ditos de brim
melhor medieamenlo para corar a tosse, drfliixo, mesclato, 2 1|2 varas de brim de cor, 3 lencos, I
catarrho, gniqia, irritacao do pello, anginas, dores calca e 1 collete com ahumadura de ouro marca
de garganta, coqtieluxa, etc. j p. j. p., i cai;a branca marca M. N. M. I>., 1 sinto
Este delicioso xaropd popular em toda a Franja |arg0, 5 pares femela, 2 pequeos fl-.odres, 1 ca-
foi descoberto pelos monges da abbadia de S. Jor- xa com um pente de tartaruga, 1 livro de horas
ge, no Anjon, e actaalmenle preparado pelos Srs. maanas, 2 retalhos de mad.ipolao, diversas miu-
Grimaull C, nicos proprietarios da verdadeira dezas e outros objectos.
receita. Recommenda-se aos doentes que usem ao i n -. v ______. ..z3
mesmo lempo das deliciosas pashlhaspcitoraesao, -Precisa-se do uma ama para casa de pouca
5UCC9 de atraes de loamro-cereja dos Srs. Gri- fam"'a : a tratir ua rua do Kanel n" J8> ,nme"
mault & C, este excellente remedio com posto ; ro_aJj___________________________________
coto as duas substancias as mais calmantes e aoj "_ j^ Antonio Genes Junior vai mandar para
mesmo tempo as mais inoffensivas da materia me- 0 preloum novo sysiema de escripturaco roercan-
dica, e nao conten opio. (| pr partidas dobradas, demonstrando cada con-
lajeceio e capsulas matlco. I ta o debito < crdito em conta corrente, e conta
Estes dous producios que constituem a mais re- de lesnee (letras ou outros ttulos com venci-
eeote e a mais inioorlante meriiacao para curar os melo Uso, a eager oa rereberl; a caixa demons-
corrimenlose as n.-deslas veneraes do homem e tra a dinheiro em ser, e as letras que o commer-
da mulher, sao exclusivamente vegelaes nao con- ciante tem a pagar 011 recebar; por dinheiro toma-
tero mercurio, e sao pi parados com as folhas do do ou dado a juro, emprestimo ou compra de titu-
matico arvore do Perou. Nao ha molestia conta- lo?, e Qnalmente o balando geral demonstra o saldo
giosa antiga ou recente que resista ao uso desses porliquidir e porque ttulos, qur a debito qur
dous meios, Sua rapidez de accao superior a a crdito, o de cada cunta por si, e em toialidade,
ludo quanto se tem feilo al hoje. As capsulas a qual o saldo feila a subtraceSo.
nunca cansam o estomago nem os intestinos como Contm mais esta obra uma tabna com nmeros
as capsulas de copahyba, ruheba e outras; a in- fixos,pelos quaes conhecido o preco de uma airo-
jacc.io nunca proiluz o esireitamento como aconte- ba fseja elle qual for) de qualquer genero, por
cu com as injeccoes com base metlica aconsellia- urna simples mtiltiplicacao se cnnheee o importe
das at hoje.
Todos esles productos vendem-se as principaes
de qualquer numero de arroba, libra e oncas.
Subscreve-se a 25 por volme, brochura, pagos
pharmacas do Brasil, agrnte para vender por ata- na occasiao da entrega, na loja de livros dos Srs.
rado, no Rio de Janeiro, E. Ghevolet, em Pernam- Guimaraes & Oliveira, rna do Imperador, e em
huro, Gaors (V Barbosa, na rua da Cruz n. 28, na casado autor (das 4 as 6 horas da tarde) rua do
Baha, Lima t Irmaos em todas as boas phar- Destino n. 3.
roacias do Brasil. Os senhores que antes de snbscrever quizerem
Deve-se exigir sempre t assignatura Grimaolt A examinar dita labia, caixa e balanco, aflm de co-
C, por que ha falsihVacdes perigosas. nhecerem a tililidade da referida obra, diramse
Vende-se na botica fraocoza rua do Imperador a caa do autor em qualquer dia, das 4 as C oras
n. 38. da tarde.
Pulir se dosta provincia Thomaz
sua mulher I). It >-; Enoni. e suasdua^ l..has eae-
norea Isabel e Mara, ajaw lwaf ci>nia> rom eita
poderi procura-I 1 para larH r 1 pairar, em rasa no l.iri.'i do 1! >rp j Sanie r Ion ea raa de
Imperador n. 28.
Ths. fcarxim.'. I. II.
Aluga se una das mlhoT''|ra>3< na fown
cao de Cacbaaga : a tratar no (Machanga. avfr<,ett>
da ipreja.
Na praca da t>M-Tiaa n. I ha para se en-
tregar a quem pardea diversas chaves em ama ar-
fiola.___________________________________________
Kma bes enea terrea para familia
esta pi>ralagar-se rna da I"ri.->
39 : quem pretender dirija-se a rea
da Aurora n. 10. Tambera alnraaa
se as lujas a. 4V. a ro da Anrnrn
mt
I) ahaivi aaWCiiadB, 'in ,.w^ad das raMH
de Pf. S. da Cotwerfin dos CaapaHi <, tn >na rv
pella na rua da ConcricSf, avr*a t lodoe m >
devotos, que ti m de mudara mi>-a daa 7 aeras
para as o da nunha, iirinrifismlo a dita mi-aie
dia Io de janciro dn anno vinrhiuru ajaji -:a
mudanza de rnmmnm acpn!o rom 0* aiain il>ov
tos iy\e para ella concorrem cjro esaaola e H9
rs. por mez.
Jos l'.-rnard.i da MtMla.______
Len Ghapelin, subdito Iranert, v.n a Mrate
a negocm_________________________________
Precisa-se de um menino para raiieiro, do
14 a 15 annos : na rna do Rangel e. M._______
~Queniirv7r""ma lancha e qniur eaJe la,
dirija-se a rua da Cadeia do Rerile a .7
O Sr. Ignacio Joiquin" de OliT.'ia .4
qne morn ou mora na rm da I mi* a W.
raappaiecer ne>la tvpographia para dar
expeacdes.
Precisa se alujar
de casa eslrangeira:
mero 17.
u n i"frivo para rviej
M cae- il ae .Xjveinbro e-
Precia-.e do nina escrava ejne
nhar e comprar, para rasa d- pmt* EMarlia.
lanihem se precisa de nma ama e>rra pera o ser-
vico interno : a tratar ne*la typo|i a amia.
As pessoas que afenrain sena !* aeeda-
dac, pideni procurar os bi
dor, qe j estao prempt^--.
tes cm niaodoaafcri-




Diarlo e rerMUHfcnee tuliiM fetra 4e Iteseaifcro ti 4.

XAROPE DEPURATIVO
GOU
PR0M0-$ULPH0t
F.slc no\o producto multado de una trplice combinacto de tres metalloidcs cujas propric-
dades sao mu ronhecidas, o Bromo, o Euxofre e o lodo, oceupa lioje a primeirn ordem de
entre lodos os depurativo dos quacs o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais nolavris dos hospitaes de Pars, os senhores Carenare,
Puche, Bazin, Blacbc, Guibout, Barpschet, Danet, Legronx, Vassc e Mbry, etc., demonstrado
sua poderosa cfficacia as afecvocs seguientes :
Domen* de prlle, Framboenla,
Darlra borbiilha. de (oda a especie, Humare* frloa,
l'luru HiuronnM, Itarbltlianio,
oii-ducriir l)ni|>ltatleoa,
Papelran,
EarrofuluN,
Abereau, p\tra*aa,
Canri'OM,
L Ierre,
Tiuha,
E~roi bulo,
Plan ou i:iiiiha* (do Rrazil ,
O Xarpe de Le Goux, de urna fcil digestSo c de gosto delicioso, se emprega tambem
opaubalmtn eaerafolaaa e ehraulea,
Tialra eaeralalnaa,
Allrrcoea aypMlllleaa,
EleathaNUanla dan Greyas,
E todas as doeinjas occasionadas por um icio do
sangue, e ji trotadas sem neuhuai successo pelas
prcparac6es regetaes, iodadas e o oleo de ligado
de bacalbao.
com niuita vantagem e aconselhado pelo doutor Barthe, do hospital dos meninos, para as
criancas debis, escrofulosas e racliiticas ou sobre a influencia de um vicio hereditario, e 6 mui
supenor neste emprego ao oleo de figado de bacalho e aos xarpes depurativos e anti-escor-
bulicos que se adininistravo at agora.
Deposit geral, cm Paris, na botica Boullay, membro da Academia imperial de Medicina de
Para, o/ficiat da Legiao de Honra, c cm todas as boticas de Franca c dos paizes estrangeiros.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
oulor da t'aculdude de Scienciax, mrinbro da Academia imperial de Medicina,
ffnial da Lcijio de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Paris.
Este xarpe composto 1 mais de viute anuos pelo sabio lente Boullay, constitue a me'hor
man-ira !< administrar o Klhcr. He empregado com saucesso cm todas as docm;as que tirio sua
origen) de um erthismo nervoso, como sao as:
Calmbrn- de otoaaaga.
ladlajMrtoePi
Ciivlora.
lcrr>o iMitci lee e k>i>o-
eomlrlacas,
i-.uIIi'um vcnlo.na ou nrrro-
Deposito geral, cm Paris, na botica de Boullay, doutor em Sciencias, membro d. Academia
imperial de Medicina de Paris, offtcitil da Legido ie Honra, ra des Fosss-Montmartre, I e
cm todas as boticas de Franca c dos paizes estrangeiros.
Enxaejneea,
\ci i'iil:;lu*,
E*fia*iiiA*,
AttaajaeM de nervON,
VT(!tf;eii,
Sjm-oiH'N,
m, h<-|>n(lr* flatolenta*,
AeecMiaa de ola e de rhcii-
lllllllxlM.
Cuhoh de euteaenlemea
ele, etc., etc.
z
ia,
ASTHIWA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCQO NERVOSA E OPPRESSAO
nico remedio efficaz para combatlir estas molestias, acalmar um allaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino mbar amarello) do Dr Danet. Uoscoberta inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez grabas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, i. ra do Coincido, Paris-Grcnclle, e cm todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
0 Dr. Lobo Moscoso d eonsults gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s \
horas da manltaa, e das 6 e raeias 8 horas da noite, excepto dos dias santikados
Pharmacia especial homeopatfrica
No mesrno consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces celos precos seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
de 24 tubos grandes. 1JW000
de 36 tubos grandes. 245000
de 48 tubos grandes, 305000
de 60 tubos grandes. 3>5000
Prepara-sequalquercarteira conforme o pedido que se Gzer, e com os remed
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tiritara de meia onca 15' 00.
Senda para cima de i2, custarao os oreos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIVROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes volumes com diccionario............ 205HO0
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 105000
Hepertorio de Dr. Melle Moraes.....'........ 65000
Diccionario de termos de medicina ...',...,... 35000
Os remedies deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
te de serem novameote reconimendados 3S pessoas que quizerem usar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores: ha ludo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acreditados
estabelecimenlos europeos, a mais exacta e aecurada preparaco, e portante a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escraves para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacao, para o que o aanunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatroannns, ha muitas pessoas de cujo concert se nao
pode duvidar, que pdein ser consultados por aquelles que desejarom mandar seus
doentes.
Paga-se 25000 por da durante 60 dias ed'ahi em diante 15500.
As operaeftes serSo previamente ajustadas, se n3o se quizerem sujeitar aos precos
azoaveis que costuma pedir o annunciante.
' CASA DA POHTmi
AOS 6:000.000
Ullheics garaatldos
A' roa do Crespo n. 23 e casas d cestuirf
O abatzo assiguado vendeu nos seus muito frli -
es bilaelesgarautidos da lotera, quo sn arabou
do xtrahir a benelicto da matriz da Uoa-Yisu,
os seguinias premios:
Daus (liarlos n. 287Jcom a sor te de 18:000-5000
Itiui quartos n. 2033 com a sorlc de 3.000000
R .miras muitas surtes de 100, 405 e tti.
Os possuiderespodem ir receber seus respec-
tivos premios sam os descontos das leis na Casa
da fortuna i ra do Crespo n. 23.
Anham-sc venda os da priraeira ptrte da
primeira lotera a beneficio da Santa Casa da Mi-
sericjrda, i/ae se eitrabir no da 30 do cor-
reate.
Presos.
Bilhetes inteiros..... 7J00G
Meios......... 31000
Quartos........ 1*900
Para as pessoas que eomprarem
de 1 ou J para cima.
Bilhetes....... 6.t00
Meios........ -iioO
Quartos....... 15700
,________________Mantel Martins Fiuza______
Atteii(?ao.
Mr. Noel Bjrraad, leudo vindo da Paris pelo pa-
quete trancoz Estrenadnr* chegado em 13 do cor-
rete, trouxe um rico sortimeuto de rendas de cro-
xecoin iinitar.i i reltiCianas : pode ^er procurado
no hotel Italiano n* ras do Trapiche n. ">.
O r. Theophilo Orozinho da Cunha Soole
Maior queira apn.trrcer na ra estreita do Rosario
a negocio que nao ignora.
mtmr
Aliigi-s.- tima caa mm Mk rr mm ,.
reilcftr solio sita no Cart.naa itvf.,i ^ ,m.
nhn l'oeta : a tratar na ra d 4f# ^
drade A liego.
mm m*am m iu
g| Coni..iabla OdrIMawtr e |
8rfiurn marltlsa** e lew- m
s
larlfli
rentres ruabrlrrlua
Rio de laariro.
ACt.NTI IMMtr.OlIBr. ..
Antenie Laii de (Kiirira i't*tt k t,
cotnptileuiemente auicnsado) pr a um-
tona da rompanhia dr .;nr- ridrln?-
de, tomain se puros > na--:<, memrfo-
rias e predios no sea escriplan roa As
Cruz n .1.
3
S
Pririsa-se de um.i rnbora I>a>.i!a4a. *?!
meuos. a ensillar liem pntneiras I ira-, prm.
de msica e piano, e MsflM de ifulka, n> -
queira ir para BMBtpnalpMl de una firwiln. *-
radora n'um en^enho proSHBa i un.a tai :^*.
da estrada de ferro, lacetaaaf tr. s rriira ga-
rantindo-se tratamento e papa rontfitieai.
tratar na ra 4o Trapir,.* n. IX
I'ri'i-isa-sc alugar urna preu ame >aita cni-
nliai u eugommar : na ra da l'.Uti. ti. .
berna.
l'm rapaz brassMf com afama d i^.i^ir
offercre-se paraser empr'gaJ nn i. ,j n* kana
das, escriptnriii, on outrii ajaalajBPf taajIMpnBjpav
to. dando liador a sua rno'lurla : qmni per-.,r
prorure na fabrica da traversa do ).ari*.ra m. S
caes do Itamos.
i\'a ra estreita da Itasirio a. 31
Advosndo Alfonso de Alku
querque MeUo,
spr procurado a qua! iras, porm, na villa do Cabo.
i
Deposito geral emPernambuca ra da Cruz n. 22,|em casa de Caros drBiroosa.
4 NAC
I
CompauMa geral hespanliola de seguros mutuos i
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE it DE DEZEMBRO DE 1859
l'ma Hiinri cm dinheii'j, 'epi^iladi nos cofri'S do estado, ganinlc a boa ad-
ministn'fo Ha compauhia.
10 LARGO DO TERCO 10
Esta aova padaria aberla ao publico (e perto da eslagao do caminlto e
ferro), acha-se montada com espaco mais que sufiBcienie para po ier fabricar enm
limpcza e aceio toda a qoalidade e quantida.de de bolacha, pao, botachinoas, bis-
coitos e todas as macas que se desejar a precos mdicos e razoaveis.
t dono do estabelecimento nao potipar extorco* para bem servir ao publico
e aos seus amibos e freguezes, asseverando-lhe desde j que s pregar farinhas es-
coihidas e das melhores que vieren ao mrcalo, ou das que receba de conta propria.
Ao publico em geral e aos seus amigos em particular pede que experimentlo,
para so convenceren do que assevera em sen anuncio.
ioaquini Caetano de Carralho.
3-RLA LS11BIIA DO ROSARIO -i
Francisco Pinto Ozono contina a col-
locar dentes artificiaos tanto por raeio de
molas como pela pressio do ar, nao re-
cebe paga algunia sem que as obras nao
fiquein a vontade de seus donos, tem pos __
e oulras preparacoes as mais acreditadas p
I para conservacao da bocea.
O Dr. CanUsM Krancisro ti USM Saa-
tos, rontinn.i a residir na rur. d>> Inr.pr-
j^ rador n. 17, i' indar, ond. r pro-
E curado a qnal.,uer hora <)> toe da roile _
W para o eserrino de mm a*- flR5
*; dico ; sendo i, uc o> rfeaaaaW, d< aata t tC
'j nlt'' dia at 4 hora da larde, di rn -er "
S deixados pur scripto. On l>r. j
^ nao abandnr indo mima Mf
Zj molestias do interior, aro*PRar, ..... "
^i maior sfiinro. no das ni.n- *
jt cadas aperai.eV. ron......;.m '5t'
2 ounnarios,dosolhos, par!"-.
Pnblica^o liiirrari.i.
Sabio luz. o o|>aculo iiiinl >.|m
a i,ii5i:it.%!:
BANQUE1ROS DA COMPENDIA
O Bauc de Iflpspanha
lRECgAO GERAL
.IBadrid : Ras do W*rnd*> n. 19
Esta eompanhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos seguros
-obre a vida.
Nella pode se lazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso mcsmo.'por morte do se-
garado se ni rea o capital netn os juros correspondentes a este*.
Sao lAo su|irehendntes os resultados qae prodatem as suciedades da ndole deA NACIO-
NAL,qao anda tnesmo dimlntiinito urna terc parto do interesso prudtnido em recentes liqoidacdes,
imbiua id i ii rom a mortalidade da tabella de Dtfpareieuj i\:>-: e adoptada pela eompanhia para os
seus clculos i: li<|iiidaco< produz em elferlivo metlico :
No lim de .' anuos.......1:119rt(K)
de 10........3:944*090
de 15 .......11:2083^(10
de 20........30:56*000
de 25 .......80:::uiio
as dades menores de ;t anuos o maiores de 30, os productos sao mais considerareis.
Pruspeitos e mais inlurmacdes serio preslailas pelo sub-direetor nasta provincia o Sr. Jerony
mu Jnaqaim Fiuza de Oiireir, rita da r.adeia n. o, ou a lina-Vista ra da Itnperatrjz n. 12, estaba
u rmenlo dos Srs. Haymundo, Carlos, Leite & Irmao.
DE
J. VIGNES.
Rf. &*. RITA DO I39Ba9:ilAnR Rf. 53.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoja assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre
j sua superioridade, vantagens e garantias que oflereeem aes compradores, qualidades estas iucontesta-
j veis que ellos tem definitivamente conquistado sobro todos os que tem apparecido nesta praca ; odc-
suindo um teclado e machinismo que obedeoem todas as voHtades e caprichos das pianistas,sem-
| nunca falhar, por serem fabricados de proposit, e ter-se feito ltimamente melhoramcnlos importaa-
ttssimos pata o clima deste paiz ; (manto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isio inulto agrada-
veis aos ouvklos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vigiles, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expusieres.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
Ama
Precisase de ama ama para tratar deom meni-
no disinamado : na na do Hospicio n. 36.______
A luga-se urna nscrava para todo o serrino de
tuna casa de. familia : na ra de Aguas-Verdes u.
6. Na mesina preoisa-se de ama ama para lodo
ser vico._____________________________
Os abaiso assignados fazem setente a seus
de redores qne oSr. Juo Jas Augusto t'ereira da
Costa deixou de ser seucatxeiro d cobranens des-
de o dia 7 do crrante, e po- Isso nao ser atten-
dido qualquer recibo do mesmo seniior, de dita
data em diante.
?<7*!! oepr-o -rieran r
ATTENgAO.
A mesa regedora da renerarel ordem tercetra
de S. Francisco desta cidade faz >ciento ao respei-
larel publico que as casas pertenceates aos her-
deiros do finado Jos Francisco Eiras, na ra Hel-
ia, s,) fjreiras a >eu patrimonio._______________
Precisa-se de un f irneiro perita em sua ar-
te, a qnem se dar um ordenado correspondente
ao botn desempenho de sua prolissao : quem se
adiar tiestas circumstancias pode dirigir-se a ra
larga do Rosario a. 16, padaria, que achara corn
qnem tratir________________________________
Perdu-se ura bilhete do Rio n. 2111, asig-
nado no verso Flicianj Primo de -ouza, sendo da
4S lotera : quem o achou leve-o a ra dd Vigario
numero 14. ________^^^___________
Aiuga se a excilleute casa sitio onde mo
ron o Sr. cnsul ingle, silo na estrada ds Afilie-
to^, com todas as coramodidades necessarias : a
tratar na ra do Qucimado n. 18, loja de Uanosl
Eibeiro de Camino.______________________
Precisa-se de urna ama : na ra estreita do
Rosario n. 18, primeiro andar.________________
L'ma pe-soa habilit ida offer-^e-se para lec-
cionar pirtuguez e francez em algum engenho, on
para administrad ir do mesmo : qnem precisar di-
rija-se a ra do Vigario n. 11, primeiro andar.
Alga-seTeVa terrea da ra Fermosa n.
12 : a tratar na pnci do Corpo Santo n. 17, pri-
meiro andar. __________
NOVO SYSTEM4
Retratos em porcelana
Retratos em porcelana
Retratos em porcelana
Retratos em porcelana
"Retratos em-porcelana
S condecido na America
S conhectdo na Amrica
S BoatwaMe na America
s naonecMo na Amanea
S c mhecido na America
Est prompto a ensaiado
E-ti promatoe ensaiado
F-ta pr.implo c ensaiado
lv-l i prompto e ensaiado
E;!.i noniido c ensaiado
Para servir ao respaiUvel publico
Para servir ao respeilavel publico
Para servir ao respeilavel publico
Para servir ao respeilavel publico
Para servirn respeilavel publico
caiua ra do Imperador.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53, \
Io e 2o amlar, onde pode ser procu- J
rado para o exercicio de sua pros- i
sao medica, e com especialidade j
sobre o seguinte
Io molestias de olhos ;
2a de peito :
3 dos orgaos geniti j
urinarios. i
Em seu escrip torio os doentes se- *
rito examinados na ordem de suas ]
entradas comecando o ttabalho pelos j
doentes de olltos.
Dar consultas todos os dias d s)
6 as 10 da manhaa, menos nos do- j
mingos. j
Praticar toda e qualquer opera- ]
cao que julgar conveniente para o j
prompto restabelecimento dos seus I
doentes.
Coznha-se, lava-se e eugomma-se com per-
fecao e por mdico preco : na ra do Aragao
numero 3.
O Sr. I. I. de Souza Serrano tem una ca la
ne la typographia.
Alapa-se a casa terrea coa; soto cita
ra da Alegra n. 40 : a tratar na ra de
Aguas Verdes sobrado n. 6i, no primeiro
andar.
O r. Dr. Paulino liodrigu-s Fernandts Cha-
ves tem urna carta na ra da Cadeia n. 26, escrip-
orio.
Na pra;a da Independencia, loja deounves
n. 33, compram-se obras de ouro e prata, e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commetida, e todo e qualquer concert.
Precisa-se de um forneiro : na padaria em
Santo Amaro, atraz da fundieao do Sr. Slarr.
Precisa-se de um cozmheiro para a casa de
pasto da ra da Lapa n. 3.
O abaixo assigimdo, possuindo na ilha de S.
Miguel do reino de Portugal, um margado cons-
tante de casas terrease muitas bemfeitorias, o
I quer vender pela autnrisacao que llie concede a
lei daquelle reino de 2i de ulh> de 1860 : as pes-
' soas que pretenderem negociar devero compare-
i cer, que encontrarao no mesmo abaixo assignado
i a melhor vontade para efioi-iuar a venpa.
Joaqnira Siares Raposo da Cmara.
Precisase de urna pretade idade que saiba
lavar e fazer compra*, ou de um preto para fazer
c nnpras e ontros servicos da ra : na ra do
Queimado n. 16, luja.
.->
pra- m
ra

ASM.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na camboa do Carino n. 6, loja de re-
lojeeiro.
OREADA.
Precisa-so de dtna criada portugueza que
engomme bem e cozinhe : a tratar na ra do
Crespo n. 6.
No pateo do Tergo n. 2 se oir quem preci-
sa de urna ama forra ou captiva.
William Sheppard rai para o Re de Janeiro.
D. Anna Joaquina dn Oliveira Saraiva
Francisco daSiiva Saraiva convidam os p-
renles e amigos do finado Patricio Jos da
Silva Saraiva, para assislirem a urna missa
que. pelo eterno repouso de sua alma tem de
mandar celebrar na igreja matriz da Roa-
Vis(a s 7 horas da manhaa no dia 31 de
dezembro stimo dia do seu fallecimento.
lamn i 11 11 i i ti i'"
*
No primeiro andar do sobrado n. 4i da rita da
Imnratrix precisa-se de urna ama para comprar e
cozinhar, prefenndo-sn escrava.
Precisa-se alagar urna ecrava para o sorvi-
co interno e externo de tima casa de pouca farai-
'i : quem pretender dirija se a ra do Cabug o.
t, loja.____________________________________
Preeisase de nmi ama para lavar e engoffl'
mar : na ra de Agaas-Yerde* n. '02.
o -o a
a 3 2.
SL Si
I g 5
! S'8
ra
I
-a o-
i
o
O O-
v a.
3 B
tf
CB
n o n H
K V X) -1 2 > 3 -<
Bt p o 0
i c s
a 9 o 3 a. 3!
-1 o -i -1 O
-1 o. a> M
n B. c > 2
i laga-se
o terceiro an-lar da casa da ra Direila n. 36, o
qual tem commodos para grande familia : a tratar
no segundo audar da mesmacasa, ou no Rectfc na
ra da Cadeia n. 3.
Saqnes sobre Portugal.
O abaixo assignado. autorisado pelo
Raneo Mercantil Portuei.e. e na ausencia
do Sr. Joaqtnm da Silva Castro, saca ef-
fedivamente por todos o paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Por-o, e mais luga-
res do reino, por qualquer sorama vis-
ta, a praso ; podendo, o que lomaren)
saques a praso.receberem k^ ista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Crupo n. 6, on
na ra do Imperador n. 63, s,gundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Ma.
O Sr. Antonio Jos Marques, que mo-
rou na ra do Padre Floriano u. 4<, queira
vir a pra^a da Independencia os. 6 e 8
negocio de seuinteresse.
mmmm-%- forana
T* Joao da Silva Ramos, medico pela Um
; rersidade de Coimbra, d consultas em
| das 4 s 6 da larde. Visita os doentes
eai suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serio soccorridos em qual-
:f|j (uer occasio. D consultas aos pobres
ue o procuraren! no hospital Pedro II,
f-S aonde encontrado diariamente das t
SH s 8 horas da manhaa.
Tem sea casa de sade regularmente
yp montada para receber qualquer doente,
H ainda mesmo os alienados, para o que
|H tem commodos apropriados e nella
| tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3000 diarios.
Segunda dita.... 25500 a
Terceira dita.... 2^000
Este estabelecimento j bem acredi-
* tado pelos bous servicos que tem pres- a
ftado.
O proprietario espera qne elle conti- H
f nue a merecer a conlian^a do que sem- BH
i pre tem gozado.
t-* ,___ __ _._-lB
TINTURARA.
O t;nttireiro da nu do Ranae' n. 38 av: -
sa aos seus freguezes que raudou sua re-
side cia para a ra Direih n. i 16, onde
continua a lingir para qualquer cor e o
mais barato possivel.
COMPENDIO DOLOROSO
que conlem o olficio de Nossa Senliora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
rda, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devoco; ordenado pela ir-
mandade dos servos da raesma Senbora,
que se acua erecta na egreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres raissonarios apostlicos capn-
chinhos italianos de Pernamhuco, approva-
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devoco do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 30 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia
" RELOGIOS,
Vende-se em casa de Johnston Pater d
C, ra do Vigario, n. 3. ura bello sorti-
mento de rlogios de ouro patente in-
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem urna variedade de
boninsttrancelins para os mesmoslt
INJECCA(TBROW-
Remedio infallivel contra as gnoffheas
antigs e recentes., nico deposito r a bo-
.ica franceza, ra da Cruz a. 22 pre-
eo3|
Al verte-S{ ao Sr. Feliciano Joaquim I
de Agiar, que a sua assignatura deste
tDiario est p>r pagar desde outubro do
anuo pasudo, e que o proprietario ta loja!
deourives Ja ra larga do Rosario n. 40,'
tem de :l ira lo que nao se respousabilisa, j
portanto S. S. queira mandar sailsfazer nes-!
ta typographia.______________________
Aluga-.se a c:tsa tarrea n. 2Ja ra do
Forte,estando bem concertada, caiada e
pintada a i8-$ mensacs: a tratar na rna do
Crespo n. {'i, das 10 huras da manhaa ate-
as 4 datarle.
TlIKSOflW) HAS iiais
Providencia das crinvcas
Eleclromayuelicos
HAMAOOS
COLLARES ANODINOS DE DENTICO
Couti a as coovulsoe.- e para facilitar a
dentmao das criancas preparados e inventa-
dos por llover, otiarmaceulicuda esro-
la superior de Paris, successor de Chereau.
membro da academia de medicina,
antiga casa de juillon-Lagrauge, pharmaceulico
do imperador,
chafe dos Irabalbos chtmicos da escola po-
lyfcchnica, director da escola de pharmacia de
Pars, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares reodem-se nicamente na loja do
Gallo Vigilante ra d*< Crespo n. 7.
- juja-se a iOiOO mensaes a rasa
terrea a. 'ii da ra Imperial, concertada,I
caiada e pintada, propria para estabeleci-
mento de ungido e rnoradia: a tratar na
ra do Crespo n. 13, das 10 horas do dia
as i da tarde.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coellio,
I! (a doQueimddo n. 19,
Veade-se o seguate:
AltencSo I
Ricas lazinhas, fazenda a melhor que tem vio
do ao mercado, tanto em posto como em qualida-
de, pelo baralissuno preco de 5C0 rs. o covado.
Ditas miudinhas carmezins, proprias para vesti-
dos de meninas e camisinhas a GiO o covado.
Cortes de laa com 15 corados, pelo barato precc
de 64.
Cuberas de chita da India a 2i5.*inO e 3.
Lences de panno deiinho a 23 e d'iuo.
Pecas de cambraia de forro com 1|2 varas >
35200.
Toalhas alcochoadas proprias para maos a 54 i
du/.ia.
Ricos cortes de laa com barra Hara Pia a
185-
Pecas de plalilhas de algodo cora 19 raras,
proprias para safa a 4>.
Aleodao enfestado com 7 1|2 palmos de larguri
a 14100 rs. a rara.
Esleir da India, propria para forro de sala d
4,5, e 6 palmos de largura, por menos prego di
que em outa qnalquer parte.
Neste estabelecimento tambem se encontrar
um grande sortimento de roupas fe i las, e por me
dida
0 cirurgio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Oruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharo como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de. sua pro-
fisso, cb amado por escripta
Perdeu-e na noite de natal, por ocoasiao da
uissa na igreja da Conceico dos Militares, urna
pulseira de ouro : quon a achou, qnerendo res-
tituir, dirija-se a ru% da Concordia u. que ser
recompensado._______________________________
Alniza-se n segundo ailar ilo sobrado c, 40
da ra di Aurora, pintada de novo e com a gas :
a tratar na praca do Coroo Santo n. 17, srirneiro
audar.
Affotuo de Ailm.fun uw
Conrjdam-se osas-ijinantc^ i mandareai r!
sriis eTiviipl.ires na praca da Indi n. S
e 8, que seria entri-guc- a vial i i u aaattaa tm *
signaturas; altilaaabesa eMia raaaaaaaaaanlaa
.'5000 cada um. Sao sub .> m-,uiiiIc" li'uln *
materias de que se orcupa :
liilrodiiccan.Noca" di lil rrdaV. O lira I m-
lonia.llevnliic.i de ISt7 \ i :.-n<;aA
ConslilUllItiAcuB>liluii;"i A i
A expulsa i on abdirafau. \
partido -Ti'-~i-;.i. Am maaaW ejav-
da dos livrcs. A r-c-nci.!
males da refMMia rfire. Repe* ia i
maioridade. Pi un i[ ios d r r |. :. |1
Rorolta de Minas S Pan '
(jiin'a.o doimnin lil"-' i
cundas.Felos dodominin lihei \ i
chorrosenatura.A revnlta e a wr\
1848 A ciiisiiiuinti'. A ri'ii-tiiiHBii I
da rerotu^o. Jeg ciar*
raes :traidores.-Ye4a da rn
tituinti. O partida liN ral I --
iius do chamada o-irari-m .- < i e .
liberaos durante ii>qii.i|i,i,-
situado e voluntario dos liber
lorie annos. 0 |ora curennda,
03 Sabios.A siluacaii pro(
tiluicfies livri-s, a direitos
at o lim da regencia livre,
temos em lui/ar deliea. -O i aa-
eao e das prorineias.bUiarn adii
0 fjue slo nella ii^ l'nitii'jii.-- fi ti
nu abrifado a rorromr* .
sempre maior mal.Coaw se i,i
a rlientclla do gorerno para
rio corcunda. 0 proeoawii.<)
marca. I' rart >, do*rriin la A
jiisliea. Juizes muuirip.ic-. Jui-s .1
Tribunaes.t)s das l'.el.i ". :,! m-
merno. Supreniii Mkanal de ry
Oa advocados. r.nncln-.t liaraatia : '
A mural publica. Doa i
Corollario da obra u>|uarrni
rtia. Situacan para can i Siipara
linanceira. -As linaiicas daaaaaaa k n.....m.-
Perige e salvameotn d -a laaav
Como se eoaamfaai os alesaeMoi i < la i
sideraci'sretrospectiv.K. A n ininte. prega-
ros antecedentes. Concillara.i ,
mentar. Mima a liea.<> q:: >e m
liga.Que bem faro aa IiP.i. 0 fr.-
gresso. Seus feitos.Oajae
tara.Como se da*a viv,-r ie-; i .ira i ri.'-sa*
ao progresso. Porque o prnc-..... xrm enaa-
pletar aossas de^graeaa e sem mao i*aa4ta
ha salv.icaii para nos qual -
cil. Hesumo.A's cinco |irnviini permmlit-
nas. Ili-tu'ico e poltica ci.r'iwwia. br f*- prth-
vm a miseria. Como se aarraaape na r.
restriciada Uherdade apar | naaaa>-
rahdade. -Oirollarin.
Alaga se a casa asaubratada n M -ta m
ra da Palma, a outra cis^ ierre na pr a J-.
Caldeirvlro n. 37 : a tratar n* pnaja ii lodei-'E
delicia n. 3i.___________________'__________
i;asa de edarara.
Jeronymo Pereira Villar tran-f.-no ot'
Nelecimento de ioaWajia ariatama i.Jar.
paraa ra larga do lltoarm Mraii de rfvu- aav
daresn. 22 ; e participa au su liim. m*.
res, pais de seu* alumn'"-. eaai i aa i
publico, que as aulis eslarta .-.: Tas d n de
Janeiro do anno viod<-urn de l-.
Ao amanhecer do dia 2i' d ;
rente anno de 186-4, furtaram d> rrrcaiki Ju et-
genho Aldea, da freguezia !> Ma rWaaaaa aai
quarlao de carga do nie*mo engena, ajaa4
rn^o pombo, grande, castrad-i, n ia r.^ r m r
nlliii esquerdo urna beh' o r-arfa t
pelo dito oiho, i' m um rail >
lugar tonque leve ama betitra. i- lado rent, carrega baila, < Win '>ian.pMHt mm
ladodireilo da anca o fero di; Ultra-
maiusculas com, aqui se v A L !' I A A4er-
te-se que os cavados assim ferradas, a> san tro-
cados aem vendidos, e o* que torem ewr.'iwra* .
soin ser i si rvico do mesmo engento san foria-
do.-. e devein ser apprrbeaduios ; pwrtan i
se s autoridades poliriaes, e mesan a tfm
pesan do povo, que sendo encfir.uaib 4iiri* n-
vallos sejam apprehendid e remeltidns ..
nislrador daquelle ene- nbo ou aa aban < -
doproarietarii do mesinuengeiil,.. i. r--<4r na
ciilade do Rarife, ra do Ho>y-i a. O. i,la-e
dn ftecife, *& de outubro de (Dril. Cae-taa., J...
da 'Iva Sanliapn.
:< wnoN x-wzsMmm
O fcaeharel

m
m
Francifce \hjhsU t!a Casta
aMBMn
Itua do Imperador aani^ro
ftt.


Diario de PcnuiliiM <|uinta lelra ole *ie*br le 1S*4-
I'ILII.AS CATBARTICAS DE AVER.
Estas pilulas vegetaes sao a-
daptadas a todos os usos de um
.purgante as familias, pois ae
"perfeilamente innocentes, e era
quanlo milharcs de pessoas con-
fessam com gratido que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um s caso em que haja suspei-
tns do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu algnns dos
attestados que temos de curas
notaieis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
AITecee cbroaica do ligad.
Il-I.M. SR.
Juiz de Fra, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catbarticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo lirado um resultado nao espera-
do ; padeeendo na mais de doze annos en-
fermidades do ligado e bago, coai o uso
das pilulas posso Ihe assegurar que estou
bom, pois ten lo desapparecido un granda
engorgitamento que solTria, muitas dores
sobre a regia do ligado e costas, dores de
cabeca, inchacao do ventre, nao podendo
deitar-me senao do lado direito, isso mes-
mo procurando posigao para ter socego, bo-
je me acbo livre d'esse padecimento ; como
por aqui anda as nao haja, eu como tenho
este proprio (me de casa, Ihe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle Ihe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que tive occasio de experimentar;
em um ataque de guellas que lve urna
preta que com elle curei, faco uso d'elles
oas tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso 6 que peco para
mamlar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a iloze, "porque tenho
feilo uso d'ellas para uso da familia e al-
gumns pessoas, todas teem tirado grande
resultado; sou
De V. S. atiento abrigado,
Francisco Feureiha Paes.
l'O.VKKUl
DE
Deixai que os Hunos da civiltsac.o vos {reguero
economapara os ps 1.1 Esta parle do corpo
humano por eerto aquella que, ueste clima ne-
cessita de maior agasalho: pela humidade nos ps
se introduz a grande maioria das molestias, e com
estas a per da da saude e da vida 111 Fra com as
botinas e sapatos reinos; reforma-Ios
45-Rua Dereite-45
Borzeguins francezes para bomem
Ditos inglezes idem a 84, 7 e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapatoes esmaga cobra
Ditos de Nantes de duas solas
Ditos dilo de soia e vira
Sapatos de borracha para senhoras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete para hmeos e
nhoras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
se-
.1,5000
6.5000
4*800
25000
5,5000
3,6000
45000
14400
15000
15000
15000
500
15600
Precia-se para um engenho dictante duas
legeas da estadio da Becada (na via frrea) de ama
senhora com as condiceidesuffleiencia para pre-
ceptora de meninas, devendo a mesma encarre-
gar-se do tnsinode primeiras letras, ariilimelica,
francez, msica e obras de aguihas: a pessoa que
estiver as eircumstanCias que sao exigidas, po-
cler dirigir fe para tratar do seu engajamente
com Alliiiu Jos Ferteira da Cunta, no largo de
S. Pedro n. 17.______________________________
DESAFORO.
Aehase rccolhido casa de detencao a tripola-
(oda galera Mindello do Sr. Palmelra, e que est
empenhada a roupa para sustentarse para nao
morrer a fome.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: naloja de bilbetes da pracada Inde
pendencia n. 22. ______
t Sr. morador da ra Nova que se
acha a dever Gquarteis de assignalims des-
te Diario, queira manda-las pagar pois
assim como elle gesta de receber a p;-gade
seos servicos deve attender a dos ou-
tros, prncipalmenie o do Diario em que
trabalham mais de 60 pessoas.
Antonio Luiz de liveira Aze-
vedo & C
Agentes do Banco Unio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Compra-se effecti va mente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-se dous escravos que sejam bons
ca rre i ros : na ra do Trapichen. 13.
Compra-se nma carteira com duas faces para
escriptorio : no armazem da ra da Cadeia do Re-
cife n. 48._____
= Compra-se urna vacca qne tenha bom e ahon-
dante leite: na roa do Crespo n. 15, ou em Api-
pucos, na casa junto a do Sr. Jos Alfonso.
Paris
Ha m burgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Rueii&iatisma c ataques hemorrhoidaes.
Ili.m. Sh.
Ouro-Preto, 30 de morro de 1804.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
tbarticas do Dr. Ayer sao excelentes, pois
que sofriendo eu dores pelo corpo, c que
suppunba ser rbeumatismo, (molestia esta
queja liavia soffrido ha annos) e soffrendo
tamben de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que al ja pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no quexo, con-
sultei a um dos nnssos mdicos, e este me
disse que devia fa/.er uso da salsa ; poim
lendo ou o almanack do mesmo dotitor,
i'omprc em sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conla principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sera as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrlioi-
daes: portento sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado ;
isio em ahono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
O brigadeiro
J0A0 Rodrigues Feo de Garvalho.
Gaslrile.
Ouro-Preto, 2!) de morro de 180 i.
Atiesto que tendo feilo uso, aconselliado
por um amigo, das pillas do Dr. Ayer,
liquei perfeilamente bom de una gastrite
que soffria e que privava-me de andar aper-
lado, boje felizmente nada finio.
Augusto Goixati.no dk Mello.
Frederic S. Ballin & C.
Joo Gabe & Filho.
Francisco Rahoba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez. Castello Branco. Gnimaraes.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barceilos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covlhaa. Lamego.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. ___,
Braganca. Evora. MonSa0'
Faro. Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
meta. Porto-alegre. Selubal.
Penafiel. Thornar. Vianna do Cas-
Tavira. Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Portimao. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
X0IMrER10.
Baha. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendologo
os saques prazo sereno descornados no mesmo
Banco a razao de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.
mgmemam
Compra-se um cavado para
ra do Crespo n. 20, esquina.
cabriolat : na
VENDAS.

sss sr* **.
FOLUI\UA
Para lb()5
Acham-se venda na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia:
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
kalendario civil e ecclesiastico, tabellas de
feriados, de emolumentos dos tribunaes
do commercio etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBE1RA contendoo
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em verso.o StabatMaterem
verso, devoco ao agonisante, coi aco de
Jess, cntico em louvor do Santissimo
Rosario, cntico a Virgem Mara Nossa
Senhora, trinta e tres chistosasanedoctas.
um indito poema sobre as aventuras de
um cosinheiro, o canto de urna solteira
(poesa), crescido numero de mximas e
pensamentos, urna historia como muitas
(romaneo,), e vinte e cinco novas e pi-
lhericas charadas a 320 rs.
Vende se caixoes vazios proprios
para balinleiros e foiileiros a 1J760
(na um; ncsla typographia._______
Perfumara e sabonetes de
Toilet
M km senhores pais de f^mUia.
S O padre Flix Barreto de Vas-
w
m
m
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de feoereiro de 180V.
Sendo en all'i.rlado do (igado lia muilos
anuos, e ltimamente solfri falta de apetite,
hoje dou gracas a Deas por achar-me sao
e perfeit com o uso das pilulas calbarlicas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Vikira.
^? concellos, com aula particular de la-
W& tim na rua do Imperador n. 35, 1.
andar, contina a receber alumnos
'j de todas as classes, durante e de-
pois das ferias. Tambem esl dis- Sg
poste a abrir um curso de primei- y
ras lellras e de francez, logo que >^
haja numero sufliciente de alumnos M
para cada urna destas malcras, c |^
assim lambtm a receber como n- ;.j/,
tornos alguns menino.',do cuja edu Ik
cacSo o quizerem encarregar. Os c
pagamentos sero por trimestres ^
SK adiantados, e os procos declarados jH
|^ pessoalmente na occasio do ajuste n|
.j? para a entrada do alumno. '.;.'
Attencm
o
No dia 2o do corrente mez furtaram do sobrado
n. 2:ria rua da Cadeia do Becife, entrada pela rua
da Cni7, i pulseirasde ouro, 2 altimetes de pello,
I cordao de ouro com urna vara de comprimenio.
enm urna figa : recommenda-se aos senhi res 011-
rves ou a qnalquer pessoa i quem forem i-ITereci-
dos taes obiectos, participen) a Marcelino Jos Gen-
ijaivps da Fonle. na rua ila Cadeia n. 2._________
A pessoa que (em levado da eslaraodo Ri-
ne.irao os Diarios do Sr. tenente-coronel Zeferino
VelldSO daSilveira, do psente anno, queira man-
dar salisfazer sua importancia, alias se annuncia-
ro seu nome, para ser conhecido como recebe-
dor do alheio contra a vontade de seu dono.
Cunstiparao, dores de cablea.
Ouro-Preto, 28 de marro de I8(ii.
Atiesto que acbando-me atacado de urna
forte constiparlo que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri borrivel
mente por espado de quatro dias; ento
um amigo aconselbou-me que tomasse pi
lulas atlnticos do Dr. Ayer : com ellas fi 1. -
quei sao e completamente restabellecido em| \l\-U\ KTft DE PKlS B
tres dias. de sorte que estou no ffirme pro-'
posdo de aconselhar o uso das ditas pilula*
todas as pessoas que forem affectadas de
nstipates.
AoOSTiNHO Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
Irrilacio do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marro de 1861.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ba muito te tupo excessiva irrtacSo
do estomago, pouco apetite e difficil dij/es-
ti'i, d'ella tenho ex[)ermenlado sensiveis
melhoras depos que tenlio feito uso das pi-
lulas catbarticas do Dr Ayer.
Antonio Hermogenes Fereira Rosa.
Louibrijjas.
Ouro-Preto, 28 de morro de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram einpregadas com grande vantagem por
mim em uina menina de dez annos, que
soffria de vermes intestinacs, notaudo-se
que os sympiomas que entilo apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
IUymundo Nonato S. de Thiago, pharma-
ceutco.
r>
Nevralgia.
Urna carta do lllm. Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
no hombro e as costas, lomei urna infini-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, anguslia, tormento s3o palavras for-
tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido : ltimamente lomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido ; ha tres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pululas acham-se venda as prn-
cipaes boticas e drogaras do Imperio, e no
Rio de Janeiro, rua Direita n. 15.
Vende-se em Fernambuco:
* na pharniaeiii franceza de
P.MAURER i C.
RUA NOVA N. 18.
3
19Roa Nova -19
Frederico Gautier, cirurgiao dentist t,
faz todas as operacoes de sua arte, e ct I-
loca dentes arlibciaes, tudo com superio-
ridad e e perfei^o, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tera agua e pos denuncio.
SI
s
Para a festa.
Aluga-se um sitio na rua do Cabral da ci-
dade de Olinda, com casa terrea, com co-
piar na frente, bota os fundos para a estra-
da e margem do rfo Beberihe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
e capim para sustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinho defronte nem pelo
fundo, com ptimos passeios, sala e gabi-
nete na frente, muito propria para passar a
festa, e tambera se alujar por anno : a fal-
lar no Recife, na livraria n. 6 e 8 da praca
da Independencia, e em Olinda na casa con-
tigua com o capitao Antonio Bernardo Fer-
reira.______________________________
AMAS
Preci:a-sb de duas amas, forras ou captivas,
sendo urna de leite e outra para servico de casa :
no sobrado da roa do Imperador n. 57, segundo
andar por cima dn armazem allianga._______
O ahaixo axsijtnado faz scie.nteao corpo do
enmmerrio que deixou de ser caixelro dos Srs.
Goesi Basto* desde o dia 27 de dezembro de 1864,
c ao mesmo lempo agradece o bom Iratamento que
recebeu do socio Sr. Goes durante o lempo que
esteve em sua casa.
Jlo Jos Angusto Pereira Costa.
-^""Aloga-se nma exeellente casa na povoact
do Monteiro.jnnlo ao sobrado do Sr. Siqueira \ a
tratar como r. Jos Camello na mesma povoaco.
George EdwaTd Buck vai para o Rio de Ja-
neiro. 0
Perd'U-se um bhete do Rio de n. 2147 da
2* loteria da (kmreico, assignado no verso por
Ria Martas A Villares : quem o achar leve o i
Snfcdade o.-<70, que s gratifica ; oulro sim pde-
se aos serm res raytelistas nao tro mem nem pa-
gueM 9 dito liiiheie, caso esteja premiado.
Deseja-se aher se existe nesta provincia,
para n*foo de sea isteresse, a Sr. Epiphaiio Jo-
de Souza, qt para aqu veio d Pao de Assuear,
no Bio de S. FrancUso: o largo do Corpo Santo
n. I, primeiro andar.
da casa Violet, perfumista com privilegio,
fornecedor das casas de S. M. impera-
triz dos Francezes e da rainha Isabel II
de Hespanha.
As flores as mais exquisitas, as plantas as mais
ricas em aroma, os blsamos os mais odorficos,
servem a composiQao dos productos exclusivos da
rainha das Abelhas.
Sala real de Tridaco.
O unio recommendado pelas celebridades me-
dicas como liygienlca da pelle.
Balsamo de \ioIe'a.
Pomada RoidiOeadd pelos oleo virgens para o
servido dos cabelelreiros.
(iu''.s de Vilelas.
Extracto da flor natural, perfume de S. M. a rai-
nha Vicioria.
Saho de balsamo de Vilelas.
tlomcnagem a S. M. a Imper?lr::.
Agua da belleza de Sua Magestade a
Imperatriz.
Loc^ao benfica para o toilet das damas.
Fior de arroz rasada.
De S. M. a Imperatriz Eugenia.
Perfume de nctar.
Esle p refrigerante preserva a pelle de todas s
afecces dormacs.
Ros- do das abelhas.
- LoccSo refrigera rile para o toilete e os banhos.
Greme poupadoi*.
Da belleza da pelle.
Para prevenir as rusgas e refrescar o rosto.
Creme Sevfgn.
Composi^ao especial, para lustrar e fixar os ban-
dos (cabellos.)
treme fri espumoso.
Segredo da belleza.
Para refrescar o tessido dcrmal.
Perfumes das bribas de malo.
Delicias dos lencos e sales.
Dicado a S. M. a Imperatriz da Russia.
Caixa de Juvencio.
Cofre mysterioso.
Encerrando tah.-mans, segredo para t-iieza.
; Vermelho da China, preto indio e branco
de Lys.
Para passebs e soires.
P ll 11 bOillal
Pas as nnhas o brilho de nacarregado.
Perfumes horisoulaes.
Para perfumar as cartas, toalhas e os quartos.
Vende-se na rua do Imperador n. 38, botica
franceza.
Livro do Poyo.
O livro do povo, obra ornada com estampas, con-
tendo a vida de Nosso .enhor Jess Cnristo, e mal-
los artigos uteis. E-te livro das familias recom-
mendado e approvado pelos Exms. srs. D. Luiz
hispo do Maranhao e D. Manuel arcebispo da Ba-
ha, vende-se a l(K)o cartoriado, na livraria de
Jos Nogueira de Souza, rua do Crespo n. 2.
Aitinho de pedra para n i I lio. ^
Grande porc^o destes excellentes moinhes, sao
anegados a rua da Cadeia loja de ferragens j
Bastos, os quaes se vendem om ais barato p_lve
Vende-se uma vacca grande, preta. do pas
to, com urna cria de 4 rnezes, manca, acostumada
mais de (res annns em estribara, com abundan-
te le te e bom, no sitio junto a ponte da Passagem
n. 24 : quem pretender, pode ir ve-la, e as 6 ho-
ras da manliaa assislir aurar ojeite.
Vende se ama mulata moca, de boa figura,
que sabe bem coser, engommar e cozinhar : a tra-
tar no principio da rua do Hospicio, primeiro so-
brado de um andar com poni de ferro a esqner-
da, indo se da rua da Imperatriz ou praga a Boa-
Vista._____________________________________
Vende-se nma armacao do amarello em bom
estado, serve para qualquer e.-tabelecimento :
quem a pretender dirija-se a rua Nova n. SO.
Panno de Hubo do Porto
Vende-se pecas de panno de linbo infes-
tado da superior qualidade : ira rua da Ca-
deia escriptorio n. 47.
Para padaria.
Na padaria da rua Direita n. 84 ha para vender
mullo bons balaios vindos do orto, proprios para
earregar helacha.____________________________
Vende-se a casa lerrea edificada ha nove me-
zes, sita na roa da Soledade, com 2 salas, 2 |uar-
tos, cozinha fra bastante grande, qmnUl planta-
do e cacimba s : quem a pretender dirlja-se a
mesma casa n. 30.
Aova liquidar.aodc fazmas al o m
de un, para fechar facturas vende-s amito
barato, por ser o tdlinio niez de fcsla, que es
fregu es deven aproveilar : na loja e armazrm
da Arara, raa da Imperatriz n.ti, de Louren-
(0 Pereira lendes Guimaraes.
Fazeddas especiaes para senhora.
Vende-se ricos cortes de vestido de lia a Maria
Pia para seulioia de bonitas barrasa8. 10,3, I,
14$ e tt>5 o corte : na rua da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
A Arara vende a 2400
Cortes de chita de cores fixas com 10 covados
a 25400 c 352OO ; cassas de cores a 320, 360 e
400 rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 5S,
loja da Arara.
Corles de cambraia de salpires a 26-100.
Vende-se cortes de cambraia de salpicos a
25400, 35 e a 45000 a peja, ditos de cambraia
liza e fina a 30800,45500,55300 e 65,. liras bor-
dadas para enfeilar vestidos e eniremeios a 15 e ,
a 15*00 : na rua da Imperatriz n. 56, loja da j
Arara.
Sontembarqaes a 7, 8, e a 166.
Vende-se soutembarque de laazinhas de cores
para senhoras a "5, 85 e a 105, dito de grosdena-
ple prelo muito enfeslado a 205, 255 e 305 : ricas
capas de grosdenaple a 205, 255, 305 e 355, para '
liquidar : na rua da Imperatriz n. 56, loja da^
Arara.
A Arara vende de careta lpakapara vestido.
Vende-se alpak1 decores para vestidos a 360'
rs. o covado, challes de laazinhas a l6C0 e 15-80
dito de merino a 45500, ditos finos a 45500, 75 e
85 : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Cassas da Arara a 280, 320 e 400 ris o covado.;
Vende-se cassas de cores a 280, 320 e 400 rs. o
covado, lencos de seda a 800 e 15 : "a rua rfa
Imperatriz u. 56, loja da Arara.
Laazinhas a Maria Pia a bOO rs.
Vende-se laazinhas a Maria Pia para vestidos, >
com palmas de seda a 500 rs, o covado, ditas de j
cores a 320, 400 c 500 rs ditas lizas de cores pa-
ra capas e vestidos a 560 rs. o covado, casemiras
para capas de senhora a 15800, 25500 e 35 na
rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende chitas a 210, 280 e 320 rs.
Vende-se chitas de cores fixas a 240, e 280 rs.
o covado, ditas francezas a 320, 360, 440 e 500 rs.
e covado, percallas para vestidos finos a 500 e 5G0
rs. o covado, camisinhas para senhora a 15,15600
35 e 45500, gollinhas para senhoras e meninas a
240, 320 e 500 rs., enfeiles para cabeca a Mana
Pa a 15, 15400 e 25, para liquidar : na rua da
Imperatriz 11. 56.
Baldes americanos para senhora.
Vende-se baloes americanos, os melhores que,
lem vndo ao mercado, de 20, 2o. 30 e 35 arcos a
25500,35 e 35500 e 45, ditos de brillantina e'
musselina a 45500 : na rua da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
Faiendas para uomem.
Vende se corles de calcas de brim para homem
a 15600 e 25, ditos de casemira a 35, 35500 e
45500 o 55 : na rua da Imperatriz n. 56, leja da
Arara.
Roupa feila para homem de tcifcs as qualidades.
Vende-se palitots de brim de cores a 25, 25500 e
35, dilos branco a 25500, dilo de linho fino a 55,
ditos de alpaka de cores e bram os a 55, ditos de j
meia casemira a 45500 e 55, ditos de casemira a
65, 85, 105, 105, 165 e 205, litos de panno fino
preto a 85, 105, 145. 165,205 e 305, "l^s de
brim de cor a 25 e 25500, dita de dilo branco a
25 ditas deditu de liuho a 35500 e 45, colletes de
cores a 25, de brim a 25500, de casemiras de
cores e pretas a 35300 e 45, calsas de casemira a
55, 6$ e 85, de.mea casemira a 35 e 35500, ca-
misas francezas a 25 e 25500, de linho inglezas e
pregas largas a 3.; e 35500, gravata* de todas as
qualidades de 500, 800, 15 e 15400, collarinlio
de todos os taannos e muito bem feitos, para li-
quidar por ser lempo de fe:ta : na rua da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
Colchas para rama a 2:S.
Vende-se colchas de chita para rama a 2*, ditas
de. damasco a 45. ditas de fustao a 5, chitas para
cobertas a 320, 360, 400 e 500 rs. o covado : na
rua da Imperatriz n. 56. loja da Arara,
A Arara vende madapole eiifeslada a bS.
Vende-se pecas de maiiapolo entestada a i a
poca, dito inplez de 2 ardas de n. 30, a 6, de 1
a 55500, n 230 a 65500 e 75500, n. 5 85oOO, i
vi =fr 95000, D. P- 103. ZZZ 115, n. 20, dito a
145 a pega : algodaozinho marca a 55->00, dilo .
carne vacca a 75, dito dsmeslico a 75500, dito
pau ferr a 85, dito SL9 a 105, dito T a 105 e 125,
dito sienpira a 85500, para liquidar, na rua da
Imperatriz n. 56, leja da Arara.
Palitots de alpaka.
Vende-se palitots de alpaka preta de "5 e 35500,
ditos finos de cordao, lizas e brancas a l#: rua
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Ao baroteiroda rua da Imperatriz n. 36.
Vende-se seroulas a 15280, ditas trancezas a
15600e 25 : c outras muito boas fazendas que o I
freguez encontrar na loja da Arara, rua da Im-
peratriz n. 56._______________________________ I
J Keller & C. vendem superior vi-
nbo tinto de Bordeaux, tanto em quartolaj
como em caixasdc duzia de garrafas____
Marr deposito de sa* 5o.
Acha-se aberlo um novo deposito de saho na
rua do Bangel n. 34, na antiga fabrica italiana,
aonde os freguezes enrontraro completo sorti-
mento de sabo de todas as qualidades ; assim co-
mo a vantagem qne encontram para abreviaren) a
qualquer freguez por ser muito perlo. e o dimnu
to carreto que tem de pagarem.
DEPEPSINAI
____
'* DE-WASMAN
As pastilhai digestivas com a peptina de Wat-
man, emprego se com successo h j alguna
annos pelas celebridades mcdicaei de Pars,
Londres, Vienna, etc., em todas as incommodi-
dades em as quaes a digeslo 6 difficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melhor
remedio para curl as
Diarrliraa r ati-
para* prUmN
prlaa clahararvra
tli'rrtuoaaa don all-
urulo*.
(aatralitlua.
lu.pcr!"
libaracua gatrlcoa.
A gaalrlte.
Aa affrccoca oreAnl-
raa do ralAmago.
Em todas as molestias empregSo-se a miude u
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichi/,
c igual mente aspaslilhas de Yichy. Esse meio sd
efficaz quando se trate de dispepsias de carta du-
racSo, mas o prolongado uso das aguas e pastilhat
de Vichtj, tem grandes inconvenientes, por quanlo
os alcalinos empobrecem o sangue e isso de tal
maneira que Ihcs arreblho a parte vivificante,
nutritiva c repartira. Com a pepsina, a contrario,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transforma-sc ao mesmo tempo que se effeclua a
transformafiio dos alimentos assmlhando-se
como ellcs c ajudo labcm como clles a nutricio
peral. Sua areno vivfica o sangue e os rg.ios
de tal sortc que, ai as pessoas que sem soffrer as
affeccoes gstricas cima mencionadas sao nica-
mente Iracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, e necessito subslancial alimento para for-
tificar se, achao no cmprfgo das pastiihas pep-
sina de 'asHan, um poderoso mcio para a isso
chegar.
Aviso importante. 0 successo das pastilhat
pepsina de Wasman diu causa a se fazerem fal-
siucai'dcs e imitacoes d'esse producto que os
mulos se querem desfaaer. Pois por falta d'uma
boa prcparaeao o pepsina que n'ella entra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'este inconveniente,
exigendo os compradores que s pastiihas lenhio
as iniciaes B. P. e sao da pharmacia Chevrier.
Depsito geralem Paris, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Montmartre, e em todas as bou
pbarmacias de Franca e dos paizes estrangeiro.
GRANULOS e XAROPI
D'HYDROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
Resulta pelas experiencias Cuitas as Indias e en
Franca pelos mais afamados mdicos que as GRANU-
LAS e o \ Miocr. de m muii o rvi. \ asitica a*
J. ;.i'l\K sao o ptimo remedio contra todas as espa-
cies de impigf.ns ou herpes e oulras molestias da
pelle, >t as mais inviteradas, assi:n como a i.ki*ra
ou Mor.ruka. a siriin.is. as molestias escro-
fulosas, os riii i ii \ riSMOS clironicos, etc.
Deposito peral cm Paris, em casa de FOL'RMER e
LARELONVE. rua ifoui (lOn-Tif/enfiire. 19.
heposito eral em Pernambnco rua da
Cruz n. 22 em casa de Caros A Itarboza.
A y so detrs
Assadeiras de porcelana de todos os lmannos :
na rua do Queimado n. 32, vendem Azevedo &
Irtnao.
Pendra*.
Receberam grande sormenlo de pcneiasde
rame, proprias para padaria e pharmacia -. na
ruado Queimado n. 32, loja de Azevedo & Irmao.
lindes de Ipojuca
As verdadeiras brides de Ipojnca : vendem na
rua do Queimado n. 32 Azevedo A Irmao.
facas de cabo de umeorne e
ma rfim.
Vendem Azevedo 4 Irmao, na rua do Queima-
do n.32.____________________________________
lima da Imperatriz n. 43
Vende-se a armacao e mais perences da loja !
de charutos da rua da Imperatriz : a tratar na
rua larga do Rosario n. 30, tendo comruodo para
pequea familia, e serve para qualquer principian-
te por ter poneos fundos. ^____
Bixas de Hmburgo
Vendem-se ua rua Nova n. 61__________
Vndese um predio no principio da rua
do Monteiro n. $ com sahida para o rio; a tratar
na rua da Imperatriz n. 61, com o proprielario
Custodio Manuel Goncalves.___________________
Albnns
para 20 al 200 relratos, muito bons e por menos
preco que em outra qualquer parle: na rua do
Crespo n. 4._____________________________
__Vndese ou aluga-se uma morada de rasa
com conjniodos, quintal grande, na rua Direita
dos Afogados : a fallar naquello povoado rom o
sachristao aa matriz para ver, c tratar nesta cida-
de na rua da Camboa do Carmo n. 8.
Huas vacras Yendem-se duas vaccas com dous bezerros, por
eommodo preco: nos Allelos, sitio do Sr. mainr
Barros : par* ver e tratar do ajuste, de manhaa
at M 8 horat, e __ tardo das 4 l|2 a: 6 oras.
jLatas e copoit com baaha Gnu
A aguia branca, na rua do Queimado n. 8, re-
cebeu esta estimada banha fina, em latas e copo,
isso alem de outras em diversos frascos.
fiirti pra>idraca.
Grande sortimenlo de vidros de todos os lma-
nnos : na rua da Cadeia, loja de ferragens do
Bastos.
_ V
qua1
do
m-se 75 jardas de ciliado de superior
para torro ds sala : na rua do Qaeima- j
- Macliiiias de vapore pa-
ra descarocar algodfio.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ierre; batido, coa-,
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e,
de carroca com mangas e
eixos de patente.
Roa do Bram n. 38, fund-!
cao do Bowman.
Nova exposicjio de candiei-
'os a g$z.
\.i rua .^ova u. 34.
O |>ropi ietaro leste novo e bem conhecido es-
tabeleeimento avisa ao publico, que tem receido
um riquissimo sorUmeulo deobjeetos de lodas asi
qualidades, como sejam artigos randeiros, obras:
de tinco.quadros, nonecas bastante grande, jugos
de muitas qualidades, lamboroles para enancas,
quadros da Europa, gravara linas pertencentes a historia'
sagrada e oulros rauitos artigos que por gosto se
pode visitar este novo eslabcleciir.eiito, o qual l
franco desde as t horis da manhaa al as 0 da
noite, tudo pir preces bastantes eotumodos que
agrada rio aos iirelendeutes : na rua .Nova n. 20, j
loja dj Carneiro Vianna.
Noca exposico de ferragens
ohjcct'is ile metal finos.
Xa rua !V*t n. O.
O proprielario rtrate baffl conhecido esiabeleci-
ment.i avisa ao publico, que lem rerehido um ri-'
quissmosortiiTiento de todas as c.utileiias e me-
lles, em todos os gneros que se pode desejar, to-1
dos os pretendentes Mearan bem safisfeilo emveri
um riquissimo sortimenlo de obj. ctos.quepor gos- j
to se noil.'in comprar toJos porprecos muitos com-
Rodos : na rua Nova n. 20, loja de Carneiro j
Vianna.
Vende-se ama mulata mo^a com uma filha!
de 3 annos, e eom as segninles habilidades : cose
bem, cngo'nma, faz toda c qualquer qualidade de
bolo?, doces, a(ad caes do Ramos^n.J.________________________ |
Vende-se dote do caj sereo adelaraaja, j
mais barato do que cm outra qnalauer parte, tan- (
to a retalho como em grand^por^ao, aprompta-se
de eneommendas pira fra da provincia : quem I
precisar, rfii ija-se a rua Augusta n. t I, a qualquer
hora do dia.
KstabelecioaentoN.
Vende-se sem d>mora nm dos estahelecimntos
de molhados denominados Aurora Rrilhantc. a di-
nheiroou a praso.cnm hoas firmas, visto sen dono
achar-SH anda doenie, faz se qualquer negocio ra-'
zoavel, adverte-se qne nina das casas tem grandes :
coinmodos para faniilia, e o lugar para negocio
dos melhores na Boa-Vista : a tralar nos raesmos
a qualquer hora.
0 VIGILANTE
Rua do Crespo1 u. 9
O gallo vigilante lendo sido agr.ei.do peatat
1 poso Ballisa, na sua ordem do da. e rea Wa_
I Aguia, apesar de que, | ara e>te- o liailo rom *eas
agudas esporoes nunca os onVnder>, inte* o* .>p:ia-
; ciara na mesma conformidad.-, par que o H-lua.
possa marchar em frente, a Rranra Atajada puta*
levantar seu vo.'levandn no bico as palinhas a sea
ninha ; e o Gallo ficara em sen espart.su rama*
dando de novo o sen cinto annunnado a -cu*
bons freguezes e aore-ieiiavel puLliro
0 grande sortiateale deebjeclaa ir ium aat* as
acaba de recebrr.
Ricas caixinhas com n,ur.te enfeu-
das para costura, propr.o para um drhradu ate-
nino.
liquissimos cofresinbos eum cadead<
para guardar joias.
Ricas caixas cora estejo, eontendo lodos o* per-
tences para homem.
Riquissimas volias ngindo pero!
Ditas com lacinhode lita.
Ditas de lindas cores e preta, d? lodas as gret-
suras.
Lindos aderecos com pednnbos fogiade art-
illantes.
Ricas livellas para cinto, de todas as qvakdadea
e bom ga-i".
Ricos cintos do ultimo mal de Pars.
Grande sortimenlo de lindos andataai para cab>
;a, sendo do ultimo gosto e de lodos as pfrfe>. .
FlOres muito linas para noiva-.
I.ovas enfeiladas meias de >eda para a,vas.
i.hapoMiilius, >apa(inbos e meia de seda pari
baplisado.
Riquissimas fitas de lodas as qoalidade* para U-
co, cilos e cinleiros.
t^amisinhas e golinhas para senhora.
Riqussimos jarros e Ggnras para oraam'le de
sala.
Grande sortimenlo !e ravaiinhas Unto para se-
nhora como para hornera.
Luvasde peina branca e acna,
Cascarrilhas de bonilas cures.
Tianeiiihas, gaflhi c inaravilhas para mi-
Transelins de cabellos e de rctrel [ ->ra reUglo*
Capel amisade e de outras qnaluadrs.
Bolsas para riafcta.
Entrmelos i Irihndiadm da imdus paJrae-.
Lencintios de linbo bureada.
tetas para bomem, >enht>ns. menino- meni-
nas, y
Filas de veludo lisas e com malame de fc da a-
larguras.
Thesouras c caivetes de todas as qu-lidad
Grande sorlinienlo de rabanMan
Lindos vasos com banba para oltereeinimfos.
Caixinbaa com seis frasquinhos
Essenrias de lodas as qualidade*.
Agua verdsdeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas .'rande-. e em
frascos ipiadrado* e garralinha.
Pomada lina de lodas as .nalida.le-.
Soperior banha cm (rascaa e copos de hada* as
tamanhos.
Sabio nglez em p"s grande* c peqnenn<
Escovas de cabo de madreperola, aaarlhn p de
oseo, para dente-;.
Pontos para deaembaracar, com ira de kci_ c
-em pile.
Ditos de Urtarnga e de n.uias outra? (li'S.
Pesies de tartaruga para sr-amara
Ligas de sdda e de aifidn, a<-mi rnoaa m naas
oulros objeclos de goslo qne feria i'"; --iv.-l >
cinar. que a v>u fara 1-, -ao G aal^.
i ua do Crespo n. 7.
tollinas.
Lindas vollinhas de pereias f.l-:- r rrnrhm
ngindo brilbantes, a->im como cam-bab
e voiiiuhas. pelo barato prrea do l J liai. a
cruzes avuls asa UW is.; >u aa Vigiiaue, rua do
Crespo n. 7.
Lequ's.
Rl piissimos leques de madreperola Ua'.o fara
senhoras cuino para menina', pelo l>ar_t.> i man
de I2 e li; s no Vigilante, rua dw Caaafi
n. 7.
GRANDE NOVIDAI'K.
S no Vigilante.
Riqussimos enfeiles de ludas as ; lalidaVs para
senhoras e nx ninas, ehaaSaba baji da alfaad. ga.
lnto*
Ric|uissimos sintos de lita larga e estrella reaa
(velas grandes e pequeas, rom Lrillun '
rousa de mnilo ge*to.
Aii>:ius
Tambem ebogaram os riqnissimot aitn* para
."0 retratos, com capa de tartaruga e de warrim.
rousa muitorhiquc : ao Vigilante, r;a a i>es-
po ll. 7.
foliaras.
Riquissimas golinhas e manguitos, onielhor f*>*
to possivel, a 2. 2iOO e <; .- do Vi^iUat*.
rua do Crespo a. 7.
Enfeiles para seabra.
Riquosissim enfeiles com lacn e Bata laco e de
oulros.muitos goslos a l. I-5.7KI e 3*>: aa Vi-
gilanlp, rua do Crespo n. 7.
Traacelias.
Lindos Irancelns de cabello para relefi nm l-
elas, pelo baralissimo pre^o de lWon, dilos do
relroz a 200 rs.
Babadiabes ealremcios.
Riqussimos babadinbos enlremeio* oai liada;
desenhos lanado* e iran-parenle*. pelo barati"iao
preco de l200, IdwOO, 2* e :I4; s ao Vigilaai*.
rua do Crespo n. 7.
Cascarrilbas.
Grande sortimenlo dera>carrlhas de divena
larguras, assim rumo galaozmbu Iranciakas pra-
prias para enfeiles; s no Vigilante, roa do Cres-
po u. 7.
Pilas.
Grande sortimenlo de lilas de diversas larguras
e qualidades, por precos ijue admiram aos raaa-
pradores, havendo lilas largas pronas para riav
leiros que se pode vender a .100 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 2 ; s no Vigilante, raa do Oespo
n. 7.
Filas de lia.
Fitas de lia de lodas as .nulidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pera ; a] ao Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos esarlbea.
liquissimos espelhos n.m rr.oldura otaradaf
sem ella de f*4, 104, 12* e IW. assim rtmo coa
cnlumnas de differrntes lan.anhos a 25,34. V. "^
e 6; s no Vigilante, rna do Crespo a. 7.
Liadas jarros e horas.
Riqussimos jarros e figuras de porrelaaa lea_
para enfeite de sala, sendo omelborgoslo que;
lem apparecdo; s no Vigilante, raa d
n. 7.
Para pea de arree.
Riqussimos vasos rom henela para pos de arree,
cousa de muito gosto a 14500 e 24. amas rnaaa
pacoies s com os pos a 321 rs. rada aa>; a
Vigilante, rua do Crespa n. 7.
PerfoBurias.
Grande sortimenlo de psiracto e baahas. pnaaa-
das, assim como de lindos copos oa vaos r dle-
linclvos e offerecimenlns as sinhasinbas m e-
Ihores e mais afamados autores de Par e Inebaer-
ra, assim como os grandes ropos de banha japmma
a 24 e a 14, assim romo i turo* ordeems qrn ao e
possivel por hoje anniinriar. e risla do fr^rajr
zes se far todo negocio: na loja do Gallo VHnlaaa,
roa do Crespo n. 7.
-




Dlarjlo de Peiuaubuco (uiuia eiva Je Dezeuibro de lU4.
N
I
I
AS ARMAS!
>0 GRITO DA GUERRA JA' SE FEZ OUVIR.j
LA VAI BOMBA I
SENTIDO.
BALIZA
^ ^ftA&%
i
Graiide liquida#lo.
Ra da Imperatriz d. O.
Loja de fazendas do pavo de Gama A Silva
Acha-se este eslabelecimenlo complelamenle
sonido de fazendas inglc;as, francezas, alleruaas e
suisfas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sendo em
porgo, e de todas as fazendas do-sc amostras,
deixando ficar penbor, ou mandam-sc levar em ca-
sa pelos eaixeiros da oje do Pavo.
Vestidos soutamlarqne.
Pelo ultimo vapor francez chegaram riquissimos
vestidos soutambarqne, os mais modernos que
ueste mercado le ni apparecido, os quaes eMo
promptes com saia, corpinbo e sea competente
soulambarque, tudo guarnecido de seda, veludo e
renda. Quem tiver bom gosto dirjase loja do
Pavo, na ra da Imperatriz n. CO.
m TRES MIL VESTI-
DOS.
Na loja do Pavao, a 3$. 4$
RA DO QUlmAUO 5*.
Passaiid o becco da Congregarlo segunda casa.
1
NOV1DADE
i
^e
m
<
l
6 (..
Vendcm-se lindissimos cortes de vestidos india-
nos, sendo todos bordados e de listras de cores e
brancas, proprios para casamento, pelo baratissi-
mo prego de 35 cada corte por se ter comprado
urna grande porgo, sendo fazenda que vale 65,
ditos Mara Pa, lendo quatro pannos, fazenda
para o corpo com os competentes enfeites para o
mesmo, pelo baratissimo prego de 45 cada um,
ditos de todas as cores com as barras bordadas a
crox, sendo cada om em sen rartio, tendo cada
um todos os enfeites precisos, pelo baratissimo
prego de 75 cada um, ditos com babados multo bo-
nitos, mas scni ser em carto, pelo diminuto pre-
co de 35500 cada um ; adverlindo-se que os donos
da loja do pavo vendem estes vestidos por to di-
minuto preco por terem comprado urna grande
quantidade e convir Ihe liquidarem logo, na sua
loja, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Aos vinte mil covados de laa.
Grande pech lucha, a 'i IO
e 3*0 rs.
Vendem-se as mais bonitas lazinbas transpa-
rentes, sendo com listras e quadrinhos miudiohos,
e li-as, tendo de todas as cores, assim como prelas
e rxas para luto, pelo baratissimo preco de 240 o
covado, ditas transparentes com palminhas de seda
Maria Pia, tendo de todas as cores, e tambem
ligninas proprias para luto, pelo barato preco de
320 cada covado, isto por haver una grande por-
cao : na ra da Imperatriz n 60, de Gama &
Silva.
Latas e copos com hanha Ana.
A aguia branca, na ra do Queimado u. 8, rece-
beu esta estimada banha Pina em latas e copos, isso
aleni de oulras em diversos frascos.
s modernissimas Iazinhas de ama so
cor, a mitaco de gorgoreo, ven-
de o Pavo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordozinho,
prias e mais lindas que tem vindo,
Pereira Rocha A C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molLados denominado Uan UM
ial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sorlimento dos melhores gneros que vm ao meo n ru ado aa
quaes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencioneda ; gaistitc-se < baa>
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do MaranhSo, India e Java a 60, 80-e' Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinba de Franca muito superior a 20
100 rs. a libra, e 15800, 25600 e 3,>000! Painco a 00 rs. a libra. a libra,
a arroba. Polvo secco muito novo a 400rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
16200 e 15600, e em frascos grandes a
26500.
dem em caixinhas elegantemente enfeiladas
com ricas eslambas no interior das caixas
a 16200,16400, 1660Oe2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 45600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira dematarana a 320 rs. a
libra.
AvellSasmuite grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
16300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 26 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 35000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 16600, 26,
26500, 26800 e 33000 a libra,
dem preto muito superior a 25000 a libra.
Ceneja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 56800 a duzia.
as mais pro- Cognac inslez fino a 900 rs. a garrafa,
proprias para conservas a 720 rs> Q frasc0-
Presuntos de Lamoso em calda de azeite e Ervilhas portugoezao a 640 t>. a ata.
muito novo a 6i0 rs. blem atecas muito M>ym a 9Df ra. a liacx
Queijos fiamengos do ultimo vapor a 25800 Figos de madre o do Domo m rstiM
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
9U0 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cada_um.
Sardinlias de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a C 0
libra.
Eigos em caixinhas ermetic*mente lacradas
a 16600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sepm: Velho de 1815, Duque do Porto, \ Manteiga maleza perftaaenle Mr,
% O assumpto imporlantissimo.
jfc O assumpto impor
, >, oSumplo
ip O assumpto
importantsimo,
imporlantissimo.
Niagaem intei-rompa o orador.
Ninguem interrumpa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silencio em todas as columnas.
Beine o siltucio in todas as columnas.
Nao se admitte contestac5o.
Nao s<> admitte contestaco.
NIo so admitte contestado.
Os apoiados sao prohibidos.
Os apoiados sao prohibidos.
Os apoiados sao prohibidos.
ADVERTENCIA.
vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-se amos- .
tras deixando p.nhor, c vendem-se pelo baratissi-i 'dem, SO (le pepino, a 720 rs.
mo prego de 500 rs. o covado : na ra da Impe- dem, S de azeitonas, a 750 rs.
ratnz n. 60, loja de Cama e Silva. Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
As laazlphas do Pavao. e especialmente da fabrica imperial de
Vendem-se laazinhas de quadrinhos transparen- r-n,i;,ir. p.. r, j <-< ionn
tes, ba fazenda, pelo preco de 280 rs. o covado, SSSfJ52?r! 23? da*C2S-.ta 3 ;?8'
ditas largas mullo finasa 400 rs., ditas estampa-; 26000, 25200, 26500, 26800, 36000 e
das, cor segura, padroes miudos e grandes a320| 36500 a caixa.
rs. o covado, ditas iransparenles com palminhas Caf do Bio muito Superior a 280 e 320
de seca a 400 rs., ditas escocezas a oGO rs., isto tu- ... QjKRfin a anft r a rafa
do para liquidar : na loja e armazem do Pavo rs- a l,1 ,8f5l a 8 ra da Imperatriz n. 60. Lartoes de Dolinhos francezes muito novos e
Os grosenaples do Pavo. bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Vendem-se giosdenaples pretos, fazenda supe- Chourifas e paios muito novos a 800 rs a
libra,
nor a 15600 rs. o covado, ditos largos muito en-
cornados a 2iOO, 25600, 25800 e 35000, ditos
branros, cor de rosa, azul e amarello a 25000 r.s
o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
As novas litas garihaldinas a OO is.,
na 'oja dirPavao.
Vendem-se as mais modernas laznhas giribal-
dinas, fazenda inleiramente nova no mercado, sen-
do todas com listras miudinhas, c iransparenles,
com lastro a imltaco das sedinhas, tendo varias!
cores, sendo azul, cor de lirio, earmezim, cinzenta'
e cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
vender depres-a: na loja do Pavao, ra do Impe- <':.pas de velludo, massa, tartaruga
guns dos quaes com microscopio i
de oito librase inastriohai di vrflfei *
16800. 56500 e -iuo rs. i bata
Farinha do Viraril'Tio i H'.O rs. d hit .
dem de trigo a 190 rs. ? lilin.
euebra de HoUaMla verdadeira marea VI
a 560 rs. o frasco e 6621' a frasqru
dem em garrafoes do 3 c 5 galrs a .'5W>
c 755CO cada um com o pamtto.
Graixa a 100 rs. a lata e 1611 8 a dam.
Licores muito linos a "00 is. a t,.i i
dem, quaiidade especial em garrafas iru.wv
grandes, a 16800 a garrafa,
dem em garrafas mais acajacm a ^l O m.
dem, em garrafa forma de pera e rollas fc
vidro, a 16000, s a garrafa vale o d-
nheiro.
tai
i di
r
i
barcada de pouco a 900 rs. a libra,
de segunda quaiidade a 8( O rs.
rs. i .ifci;.
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,
Bocaee Chamisso e outros a 800, 900 e
15000a garrafa, e em caixa com urna du-l dem fiancez muito nova a ti40
zia a 96000 e 106000. \ dem de tempero a SOO rs.
dem em pipa. Porto, Lisboa e Figueira a ;Maca de tmales em barnl a WOn
480, 500e 560 rs. a garrafa e 35, 35500: dem em lata a 610 rs.
e 46 a caada, Maimelada imperial dos nieltn res o nsmtr
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs. ros de Lisboa a 60" rs. a lat.
agarrafa. Marrasquinho de Zara, frascos grai
dem de Bordeaos, Medoc e S. Julien a 700 800 rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 75O0O a 75500 rs. dem regular a 500 rs.
a duzia. Matas finas para sopa: istrHiinlr
Idem.MorgauxeChateauluminide 183i, a 16! roditiha e aletria a600 is. a Id ra t ; i j
a carrafa. a caixinhacom 12 libras,
dem mtiscatel a 800 rs. a garrafa. Nezes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Peixt em latas preparado pela pnmer
16200rs. a caada. le cozinlia a 16 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 16800 rs. ; Palitos de denles a 160 rs. o u.....
Alm dos gneros cima mencionados te-dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitado
pecas e carnadas, tanto em porces como
retalho-
Quem comprar de
200 rs.
a lilri
Doce de guiaba em latas o melhor pesf >' t a
26 e em caixo a 6'tO rs.
1006000 para cima te- Palitos do gas a 2620O a gro/.i.
r o abate de 5 por cento.
Passas muito novas a iHHs. i
Frascos comgomma arbica RIVfiL StWI SEGUEDC
dissolvida e pincel.
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
vos albiins.
aguia branca.
rador n. 60 de Gama 4 Silva.
A aguia branca acaba de receber outra encom-
menda de bonitos e bem cncadernados albuns de
e marfm, al-
opio para augmentar
Galanteras para festas\ft^\mi
k --: i.______*_____f.i. ._.._____...... j-1 S*(K1I
Antes de entrar na maleria o ioconsavel Baliza dSo pode prescendir de"
Ifazer o seu signai de horror as doiradas coras e mal feitas mitras dos faJsosJ^i
'apostlos do progresso, inimigos do povo c chupadores do sangue da hamani-SP
idade. -;>h
A detesta ve 1 sede de oiro tem obseccado seus coraces Querem fazer fortuna com a rapidez do coriseonao sabem ter f nesn,
^esperar.
Sao os perfeitos unos da civrlisacSo.
Malditos sejam elles--j que uso possivel ao Baliza pr-lhes as mitras>|S
!na cabeca os bculos na mjjp e os sapatoes emaga cobras nos ps e expol-os aolw
, publico por tres dia&. 'i rr
N'esta ca>a uo se Ilude ao povoos pesos esto aferidosa balanga de(
mellios fabricantee os gneros, parndo do solTrivel at o ptimo, podem serj
eccolhidos a ventado por todos, desde o pobre agoniado Clarim at o mais alto
.General. I
Nao sendo o agrai e a singeribade predicados que smente tivessem-.
i chegado para bioo da domesticada e encantadora aguia branca, eslao dadas as(
?ms terminantes ordens para que d'ora n diante se redobre as atteuoes para
com todos os freguezes, de forma que se opere a mais perfeita liga de enteres-
Ues recprocos, a fuzer inveja a todos al ao proprio cavalleiro da esquina da ruajgg
i* guando ao disponer ibrilhaule, aurora ou da aurora brabante, fizerqi
)ouvr o garboso galle vigilmte, com aquella sarria que Ihe propria, o seu<||
canto sonoro, signal de chamada dos amaves freguezes e predilectas freguezas,
jtambem o solicito Baliza eslai prompto em orden de marcha, agradavel como?
'a aguia branca, diligente como o gallo, grave como opropheta, no mais per-
ifeito e eontinuo movimento, servindo a todos, e a todos contentando.
IDIMT.VHENTO.
Os precos do giande sortimento d'eete magnifico annazem, se achara cou-(
'sideravelmente reduzidos, e a respectiva tabella deixa de ser publicada porque
[a alma do negocio o segredo. Os freguezes reconhecerao em vista do objec-
'10 que pretender que o preco que se lhes pedir ser to rasoavel que nenhuma
> reclamaeSo offerecei 5o. Venham todos a
RA DO LIVIIAHi:\TO 38
AO GUINDE ARMAZEM DE MOLHADOS
DO
BALIZA
PROPRIEDADE
DE
do n. 8, loja da aguia branca.
Ail fino para' engom-
inado
A aguia branca na roa do Queimade n. 8, rece-
beu glbulos de ail lino e frasquinhos cera es-
sencia de dito para engommados.
Outros enfeites.
A aguia branca acaba de receber por este ulli-
dc | mo vapor um novo sortimento de bonitos e delica-
de dos eofeites de moldes inleiramente novos e de um
apurado gusto, assim pois comparecam os preten-
denles munidos de diobeiro e com disposiijao de
gastar : na loja da aguia branca ra do (Jueima-
do n. 8.
M. PEDRO DE MELLO.
ii ,..: .. i.,.. .. n..: i a II.,,.;., n; tamanho dos retratos, continuando a sercm veu-
08 mais moderos vestidos a Mana Pa, dld08 tor preso, comm(los. na rua d0 Qneimado
na loja dO POVSO, a i(J$ :l0a da a?U'a biantan. 8.
Vendem-se finsimos vestidos Maria Pia com
os corpinhos diflerente?, lendo lodos os*preparse
'. com o compeienio sinto : na rua da Imperatriz n. | A aguia branca nao ressa de encommendar do
O, loja do Pavao. | que lia de melhor e mais agradavel, e por issoara
umisiobasa l$000-
Vendi-m se camisinbas com manguitos, sendo
muito bem enfeiladas. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato preco de dei lustoes cada
urna: na loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Vestidos para meninas.
Vendem-se -s mais modernos vestidinhos para
meninas, sendo muilo bem enfeitados Maria Pia,
tendo de dilTerontcs tamanhos, pelo barato pre:;o
de 85 cada um : na loja do Pavao, rua da Imp-
ralriz u. GO, de Gama A Silva.
Ruupa feita barata.
Vendc-se um grande sorlimento de roupa feita
para homens, sendo calcas de brun branco i de
cor, ditas de casemira preta c de cores, ditas
meia casemira, paletots saceos e sobrecasacos
casemira e panno preto tino, colletes de todas as
qualidades : na loja do Pavao, rua da Imperatriz
n. 00, de Gama & Silva.
Grosdenapiedecor a 15*100 o covado.
Vende-se grosdenaple de cor azul, branco e pre-
to, pelo barato preco de 1600 o covado : na loja
do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Panno Je linio a 700 rs. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno de linho proprio
para lencas*, toalhas e ccroulas, pplo barato preco
de 700 rs. a vara : na loja do Pavo, rua da Im-
peratriz n. CO, de Gama & Silva.
Economa do Pavo.
Vade-sc para acabar, urna per^o do relalhos
de laas e cassas de todas a? quaiidades, e por pre-
ces muito em coola; quem tem economa que
pode apreciar : Mua leja do Pavao, rua da Im-
peratriz n. 60, de Gam. & Silva,
Xadapolo a "000, s na loja d Pavo.
Vende-se superior madapolo muito encorpado,
tendo 20 varas cada peca, com 4 palmos de largu-
ra pelo baratissimo prego de 7,5000 a peca, ditos
muito linos a S5, '-3 e 10-5000. E' pecnincha, na
loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Corles de eassaa 3000.
Vendem-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7.varas cada corte, com desenhos muito delicados
pelo baratissimo pre^o de 35000 o corte; s na
loja do Pavo, ruada imperatriz n. 60, de Gama & !
Silva.
Cortes de chita franeeza.
Vendem-se flnisslmos corles de chita fran-
eeza, com 15 covados, tendo, padroes escaros e
alegres de eores litas pelo baratissimo prego de
4500 o corte; s na loja do Pavo rua da Impe-
ratriz n. 60 de Gama < Silva.
Caubraus lisas, na loja do Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo prego de
450OO t>*ndo 8 i/2 varas cada pega, ditas muito fi-
nas a 75, H5, e 95 a peca, ditas Victoria com lO
varas pelo baratissimo preco de 75, 95 e 105, di-
tas Garrazes fazenda muito encorpada, fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou -25600 a peca ;
isto na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,"de
Gama i Silva.
Cortes de la a 4000.
Vendem-se corles de las garihaldinas, matiza-
das e de quadrinhos, tendo 1-2 covados cada corte
pelo baratissimo preco de (5000 o corte sto na
loja df Pavao, rua da traperairiz n- 60 de Gama &
Silva,
Rua do Queimado ns. 49 e lio, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia est continuando a
vender muitc barato, pois seu genio dar a fazen-
da por lodo preco a vi.-ta dos cobres.
Carlas de allinetes francezes da melhor (ualidade
a 80 rs.
Grosas de pennas de ac inglezas da melhor qua-
iidade a 640 rs.
Caixas de clcheles francezes de superiores quab-
dades a 10 rs.
Grosas de botos de madreperola muito liuos a56(
e 640 ris.
Garreteis com 4 a X oitavas de rctroz pr< lo lino i
640 rs.
1 de peso liso muito superior
2000.
Grvalas da liga e de outrSS muilas qualidades a
ba de receber diver>as figuras e vasos de pede oOOrs. A
pedra com fina banha, assim como bonitos frascos ^aniveles p:.ra penua com } folhas razenda ttoa a
de excellentes extractos e lindas caixinnas de ma-! 0 rs.
deira envernisada com finas perfuman?', tudo; Duzia dR bo,oe' nranro para casaveques de senas*
mui proprio para presentes de festas etc., havendo I ra a l9 ,s",
dinheiro dirija-se o pretndeme a rua do Queima- Pecas de r"a d f o> '-trenas com varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portnguez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Carlilhas da deulrina chrisla, finas e superiores a
3O rs.
Pentes linos de marlim a 15000, I520O e 15500.
Pares de lavas de seda para homens e senhoras a
500 rs.
Gollinhas para senliora o melhor iue ba a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 30, 900 e
15000.
Livros que serve para assenlar roups, pelo diminu-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito linos a 500 rs.
Cordao branco para espartilhes muito superior, t
vara a 20 rs.
Carrilis com 150 jardas de linha brama a 60
res.
Cartoes com 200 jardas de linha branca garant-
d< s a 60 rs.
Grosas de pennas de ac superiores a 500 rs.
Vara? de franja branca e de cores larga para toa-
lhas a 160 rs.
Pares de botes de punho, oh quo pechiueha a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior lint a 100 rs.
Grosas de betes de louga plateados muito fino a
160 rs.
Tesonras para costura superior quaiidade a 500
ris.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de seguranca a
160 rs.
Caixas com 100 cnvelopes o melhor que ba a 640
ris.
de
V,
Pequeos pentes de $a r-
tarvga.
A aguia branca na rua do Queimado n. 8, rece-
ceben novamenle esses pequeos pentes de tarta-
ruga que por suas qualidades de pequeos, lisos,
bonitos e bem feitos tanta estima tem merecido pa-
ra as senhoras segurar o cabello quaudo atado ; a
aguia branca porm avisa aquellas pessoas que os
haviaui encommendado e a quem mais queira
aproveitar a occasiao de os comprar continuando
a serva vendidos pelo mesnio prego de i; cada
um.
Estando brancas ficam pretos
O bom resultado e o rpido effeito que produz
a tintura de chromacoma, e mesmo o facillimo
modo de applicar tem se tornado mui conhecido e
apreciada por todos que usam della o por conse-
guinle augmentado a exlraco, pelo que a aguia
branca mandou vjr mais o novo sortimento que
acaba de receber constando elle de
Caixas com chromacoma para tingir os cabellos.
Frascos com coloriroma para lustrar ditos.
Ditos com hydrocalleihrichina para limpar ditos
Ditos comory.'hromanlina para limpar as unhas
Sabonetes branros para lavar os cabellos.
Pomada callicomiphila para dar cheiro aos di-
tos sem offender a pr paraco feita.
Sapa tos de marroquim dou-
rado para bailes.
Esses sapatos do grande tom vendem-se nica-
mente na rua do Queimado loja da aguia braia n.
8 a 65 o par.
Metas finas para senhoras
gordas
Vendem-se na rua do Queimado loja da agola
branca n. 8.
Esponjas finas para rosto
Vendem-se na rua do Queimado loja da agnia
branca n. 8.
5r
Irabi.Sh.ir nsu 9 1
(Eeatciirvar ;,*S';
Por Plant Hrohei- & C.
K-l..-
; t
ni..
-. r
tI.;:..i
-.-;, oa
viw ;da
i! MI
anata 'Je aiflb
d.io '-ra nr*f
em 4<1 a>0WtMv
nn IH
p r o.i 1
.
irapr*
As.-im (orno mai luna para seren miTida< \#*
animaes, que atanreeM 18 arrLa- t j'kmb
limpo, por dia.
Os mesmos tem para v>ndr nm b>l!i-<.n." -a-
por que pode fazer awvcr imi wttm mamm
mencionadas ; para o *jm raratUi aos 5r.
agricultores a virem ver e evamim;-!... :. >
zeiii de algodo, no largo da ponte nova n V7
Saunders Brothers f'
X. II, prav** ^ 'orpo taste
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL %m 3EGUKD0.
Rua do Queimado 11-. <'. e >.> -_. i 1 1 -nr
conhecido j rxmo tal, t-'.i por lodo o preco para (ir.r dii.l 1 r q'irm ifai-
zer venba ver e irag: 1 etkrt, < vi ra ,r te
Barall.os de rarlas pira vattrem maito
linas a........................... **>
Miadas de liaba 1011 pra lt.nl.. 1 a... ?'
Pares do sapalos da [nafa o-: hataai 1
lamanh. 1 e lio. I...................
Massos de kopetiorfvaataai larai.l.i! -
Duzias de palitos de . a. ..
Libras de ara preta muito saaariaf a
Frascos de >uperior macaca olto a___
Ditos de dito perola a-----...........
Ditos de oleo de babe-a muito lino> a .2i>
rs. e..............................
Ditos de agua de colonia superior, gran-
uda..............................

II
. Ditos de ba ulia muito lina *............
Caixas com 20 ijuadernos de papel amizade, muito j Ditos de cheiros muito tinos para o prrfo
fino a 600 rs. | a res........u:..................
Quadernos de papel pequeo muito tino a 20 rs 1 Sabonetes de toJas as qualidades a >0 rs.
---------------------------------------------------"I I60,e...../.....................
Boa escrava. | Novellos deMiha cem 400jardas a......
Na rua dos Pires unto a caixa d'aguia n. 62 ha Carriteis de linha de cores c.ni ***> jar-
umaexcellente cscrava que cozinha o dia io do das a...........................
urna grande casa de familia, muito aceiada. criou- Novel los de linha de gaz aa todas a- aV
la, de38 aonos, muit) Bel, e com mais habili-| res a.............................
dades. Pegas de litas elsticas com H varas pa-
Vinho do Porto cnffarraMo *r^*m^ii^',imi^
Vende-se superior vinho de Porto denominado Pares de ligas muito-upehores boiii;
D. Pedro V e rainha de Portugal, em caixinhas da
urna duzia de garrafas; na rua da Cadea do Re-
cife n. 66, armazem de Ferreira & Malheus.
a
1*'
m
a reis
Farelo de Lisboa.
Vende-se superior farelo em saceos grandes, e
por prego comraodo, vindo pelo ultimo navio : na
roa do Amorim, armazem n. ")0. ________
Que bello presente!
Chegaram de novo ma Nova, loja n. 7, lindas
bonecas ricamente vestidas, as quaes chomam pa-
pai e ina-mai ; este um dos mais int< ressante
presente que se podo fazer meninas de 6 a 10
pnos de idade.
- Vende-se a casa terrea 11. 91 da rua Imperial
o sobrado de um andar na mesma rna o. 95, e a
casa terrea da rua da Manneira na Boa-Vista n.
12 : a tratar com Lourenco Ribeiro da Cunta e
Oliveira, na rua da Praia n. 76.
~V nho Vladeira 9 do Porto
Vende se o superior vinho da Madeira e do Por-
t, em caixas de urna e duas duzias : s na loja
jo Vigilante, roa do Crespo o. 7.
Varas de lucos francezes, -nperk>rr a...
Opiata para dentes da meibor que ha a .
Frascos de agua para d.nN-, -opriior
I tudo a..........................
Picas de tranca preta Uaa :.iut<. lina a.
Caixas com 4 papis de agulhas \ ici.-ria a
Varas de fila preta com rolletes a......
Libras de la sortida de todas as c*es a
BoaaM de choro muito bonitos a......
Caixas de obreias de ma ssamoto awava
Varas de franja .branca e oVtres para
toalhas a.........................
Frascos de oleo Philocome.-cupenw a...
Ditos com superior tima a320 t......
Caixas de linha de gaz rom "0 ncvellaa a
Enfiadores para espariilho .....
Duzias de botoes encaruaoos para vesu-
os a...........................
a
m
m

m



Diarlo e Pfrai*fcnei Quinta felra 99 4c Driembr 4e i 81.
<&^Br<
AURORA BRILHANTE
&?:%
GRANDES ARMAZENS
HE
MOLHADOS
{YfcfVM*
ESPECIAES
?..
R Largo da Santal
gCruz ns. 12 e 84,jg(
gesquma da ra doj||
jCebo. i*"
Largo da Santal
Cruz os. 12 e 84,1
"^ |Eebo. |
wam
O dono dos j multo acreditados armaren* de molhados denominados Aurora
sn.nante, acaba de recetor de sua propria eneommenda, muitos gneros delicados
araprios da presente estacao, e leudo grande sortimento comprado aqui.aflanca que todos
os situs gneros sao de M quadade.
A seguinte tabella servir a todos de base para ajuste de contas aos por-
t.iJares. r
Nxnhum armazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Briihante, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por sea dono se achar encora-
Mudado eui sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o outra na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar ama quadra destas para se comprar
barato.
Latas rom 8 libras de chourieas rauito novas, i Vinho raneo fino, a garrafa a 640 rs.
NEM COKOAS NEM MITRAS
0
GKAIfE
ARM4ZE9I
DE
RIJA DO IMPERADOR *. 40
Jinto 88 se orado em qne nra e Sr. O.-heroc,
Dnarte Almelda & C, reeeberaui de ana propria rnroinnaeu
da o mais lindo e variado sortimento de molhados, proprlos
da presente estacao.
Mauteiga ingleza Ma$as brancas
da safra aova viuda no ultimo vapor a l.ooo'para sopa a melhor que se pode desojar,

(&
a 730.
Ditas grandes cora peixe em postas inteiras, I
mu< de 12 qualidades, a t000, 1rS280 e
ifiiOO.
Bitas mid ostras, escellente petisce para fre-
si'leira, a 720 rs.
titas com ervilhas novas, ensopadas, a
720 rs.
Ditas cora favas, a (li rg.
Ditas cem uneisss a 1*200, 1,5800 e 3*500.
a Ditas com inanuelada do afamado fabrican-
C*g cante Al>reu, a 880 rs.
rjjj Ditas Je inassa de tomate, a 500 rs.
.->, it;i< com tiaos de comadre, novos, a 1,2500
t > 25500.
a garrafa a
-.o
81 s< um uoiarliinliade sodmuito novas,a
25000. ^
Ditas com biscoitinhos ingieres de muitas
qualidades, a 1*400.
Chocolate.
Chocolate superior multo novo, a libra a
15200.
Macarrao teliiarim e alelria amarella.a libra
; iSJ rs.
>ito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Ciixas com estrelinha, pevide e outras mas-
sas, a i-ana 3*500.
Dius *if i. a libra a 300 rs.
Sevadmha para sopa a libra a 240 rs.
Krvilhis neceas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Parinba de araruta verdadeira, a libra a
500 rs.
Arroz do Maranhao. em sacca a arroba a
HrWfl e a libra a 80 rs. ^
Do da India e Java, a arroba a 52OO e a
libra a 100 rs.
To 1 luhi) de Lisboa a 9*500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dito d tantos, a arroba 7*000 e a libra a
2>0 rs.
M litios rom 125 sibolas grandes, a 1*280.
II istarda franceza caixa com 2 duzas a
85'l00.
Frascos cum mostarda preparada em vina-
rm, a 400 rs.
Di!) ci'ii conservas inglezas e francezas,
a 640 e 800 rs.
Ditos om sal retinado fino, a
ris.
Ditos com a verdad'ira genebra de laranja
a 1520:).
Dito de caj muilo superior,
800 rs.
listo verde superior.
A caada a 3*500 e a garrafa a 480 rs.
omnia.
Sacras de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 3*000 e a libra
120 rs.
Safeao massa, a liara a 200, 240 e 280 rs.
r'ariua.
Sacras grandes rom farinba de Goianna mui-
lo aova, a 5*000.
Cafe.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 8*,
8*500 e 9*000.
Cha.
Cha temos nestes gneros o melhor possivel,
hysson, a libra a 2*600.
Dito perola a 3*000.
Dito uxima 2*700,
Dito hysson muito fino a 2*800.
Dito redondo a 2*500.
Dito preto de primeira quahdade a 2*500.
Dito mais baixo a 2*000 i 1*600.
Erva walr.
Excellente eh medicinal, a libra a 320 rs.
Es|iermacete.
O masso rom 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prlas para mimos a 4* e 2g5O0.
fesc*.
Nozas, s hbra 160 rs e arroba a 4*000.
alpista e painro.
Alpista e paii.50, a arroba 4*000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas parajogar, aduzia a 2*500.
Caslanhas.
Castanhas novas vindas neste vapor, a arro-
ba 4*000 o a libra 200 rs.
Azeilonas.
liurns com azeitonas novas a 1*500
Manteiqa.
Manteiga flor, a libra a 1*000.
. Dita mais abaixo a 800 rs.
640 c a 5001 Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em barris e muios ditos, a
6G0 rs.
libra a
Di- w .1 2 garrafas de Ffollanda verdadeira, Dita para empero a iOO rs.
' 3 KW.
i',v) Ditos de i garrafa de Hollanda verdadeira,
.' aGiOrs.
, Blijis com dita propria para negocio, a
40!) rs.
Garrafoes com 2 galoes com dita, a 6*000.
., 1 Serveja ba, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
CM liuzia a 65000.
ijp Vinho moscatel de teluba, a garrafa a
SL 15-100.
- Marrasipiinho verdadeiro. frascos a 800 rs.
; e a 15200.
,'1. Ciampine, a duzia 20*000, e a garrafa a
l 5 25900.
. ?j Azeite refinado portuguez e francez, a gar-
/\. rafa a 1*000.
, K Caixa de vinho Bordeanx muito superior, a
9 75. 8*. 95 e 103 a caixa.
yL Ditas com dito branco, a 7*000 a caixa.
, Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
5 ro, a 20*.
V Dita* com duque do Porto verdadeiro, a
H 1500.I.
, 'lilas com chamisco sujerlor, a 14*000.
5* Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
/:f cas, a 12*000
CS Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
v? 720 c 800 rs.
rfl Dito de Lisboa muito bsm, a caada a
SgB 3*200, 3*500 e 4*000, e a garrafa a 500
e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguintes marca, (N.)
(J. A. A.) (1. L. G) (O. M.) a caada a
45)00 e a garrafa a 560 c 640 rs., deste
qa j e-l engarrafado a lacrado com o
rotlo do armasen.
Ditos A marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 3*500 e 4*000 e a garrafa a 480 e
329 rs.
Qacijos.
Quijos novos vindos ueste vapor a 3*200 e
3*500.
Ditos londrinos muito novo?, a libra a
1*000
Payel.
Papel almaco pautado, a resma a 4*800
Dito dito lizo de linbo, a resma a 4*500
Dito de peso lizo e pautado, a resma a
2*500
Dito de einbrulbo bom a 1* e 1*200.
\inho Madeira.
Gsrrafas com n verdadeiro vinho Xercz e Ma-
deira a 1*500 e 2*.
Temperos.
Fallas de louro, pimenta do reino, cominho
c cravo, a libra a 4"0 rs.
' Velas de carnauba.
Mas.-os com 6 velas de carnauba refinada a
48 rs.
Amendoas.
Ameadoas com casca, a libra a 320 rs.
ton.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1*400
e pequeos a 640 rs.
lijiilus de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Gnu.
uzias de hoioes de graxa a. 97 a 2*600, e
de latas a 1*000, e os hoioes a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos Gnos dos melhores fabricantes da
Bahia por diversos precos, caixas e meias
caixas.
rs. a libra e em barril a 800 rs.
Manteiga franceza
da safra nova a 60 rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas coras a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades i300.
Chocolates
de lodas as qualidades a i 000 a libra.
Presuntos inglezes
dos raelbores fabricantes a 800 rs., tambera
temos vellios para 500 rs.
Queijos flamencos
ebegados neste ultimo vapor a 26oo.
Queijos
ebegados no ultimo vapor a 2 Queijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a bra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas malezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente donradas,
proprias para mimos a 900 e 1200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3 a 20600.
dem perola
especial quadade a 2700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 260O.
Massas amarellas
! para sopa, macarrao, talharim e aletria a
j 480rs. alibra.
cecvic
o muito afamado cognac Pal Brandy a i.800
rs. a miara e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,000 rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPI3I.
! almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo.. a 4,5oo a resma do me-
1 Ihor.
Papel de botica
[jde excellenle quadade a 2200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrullio de i,4oo a 2,2ooi
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias rauito novas proprias para
podim a 800 is. a libra.
Fumo
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Idtn le Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado das melhores fabri-
cantes da cidade do ['orto a 10 e 10200
a garrafa e de 105 a 125 a caixa, as mar
cas sao as seguintes: Chamisso AFilhe,
F. de M., Nctar ou vinho dos Ueuzes,
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 10 libras de banba a 45000.
Bolachinha ingleza
a 1)5800 a barrica damesmaque
vendem a 2000 e 2400.
Nozes
as mais novas do mercado a laOff .di bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 4500 a $500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thora Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a I 500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
;*v*:
NOVOS VESTIDOS DE PIIANTASIA
Cheparam os moderno* vestidos do dentelle de teda com barra, iatoramea' botos
em gosto e ulidade : a lo)a das rotuainas, na roa do Crespo i. VJ de Satonte Coma
de Vasconcallus 4 C, stiecessores do Jos Moreira Lope?.
Faztidas de bom gosto
Para vestido de seubora
Snnnkwes cortes de seda de cor, de moranlo, de p-rjurio e e etia ieaprrai
Ditos de hloud, e de cambria branca bordados.
Ditos de lia cm barra e grande vanedade era cores f adros.
Ditos de orgaadys coro barra
Lindas seda< de i|iiadros srosseca e miudai.
Superiores las lisas com grande vanedade de cures.
Ditas com salpico.*, com llores e de quadros.
Lindas pampolinas de quadros o de floras, fozenda rataranieau aova.
Superiores rassas de cores, e lindas casabraias urfandys.
Grande variedad* da chita lo eores, da percalia outras mu las faaoodas V fasta.
Pan hombros desenhora
Lindas capas e bournoux de easemira de cor.
Ditas de la e de seda.
Grande variedade de soufembarque* do seda de I8J a 40
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados flnos.de eaetiimira rom lislrasoV
seda e de lllo proto.
Camiziuhas modernas, zuavos brancos e de cores, coeles de rambraia, liadas gul-
linhas can punhos e outros muitos arligos.
Para raheea de seniora e cuno
Superiores chapeos o chapettiaas de palha de Italia assfailados para arnbara
Ditos/de fe Uro entestados para senhora.
Ditosde palha enfeiiados |iara menino.
Grande sortimento de enfettes modernos de retroz, de froco, de caballo de flores,
para senhora.
Mi loja das columnas da roa do Crespo a. 13, d* Aatonie Corroa de Vaaraacel
los/* C.

1110 i il
81HIJA IM IMPaElilllO
Segunda casa do lado direito indo do pateo d5s(oI!',
Francisco Jos Leite, lem a satisfagao de avisar aos seus tagsesa mitmSm
publico que, estando restabelecido de seus incomraoilos de saado, oda>oi novssMsO?
com um bello e bem sortido annazeni de seceos e innlhados criinnrosaim-nir- --
como sempre capricliou ter das mcicres ojoadade-, <> franranit*nte flian<;n
se dignarera comprar em sen estahelccimento,que aili de preferemii 'iiii.i qii.-il<|ner paje.
tesero mais bem servidos, em quadade* precos, como om pesos e m.'.li.tas. no
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-!seraPreo annunciailte fi escropulo>o, em summa, nao illude a pessoj adunia.
Aos Srs. de engenho e lavradores que o queirain honrar como s.-n cmutente ate*
lasscgura que o produelo de sen laborioso trabalho ser o mais bem lopolofti no merra-
do desla praca, para oqucsejulga convenientementi' habilitado jK.'la toop pnlira rnas-
mercial que tem exercido, sendo seus portadores despachados com pastoso, drpots de s--
rem fielmente Gtimprido as saas ordet'S.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantes que Ihe OKiOf cnsooors. fa-
zendo um abate vanlajoso aos que pagarem a vista uno OMrcoonoa, assvaoapMOdk
venda de qualquer genero do paiz, mediante urna flaodica COfMHIBao, riilre$raDtaaV
promplo seu pr< duelo, e sendo este applicado a compra de gneros cm sn .irmaiea.
prescindir da commissao.
Dos seus antigos e benignos freguezes espera o annuncianle sua valiosa proto.-.-rm. trt-
em frasqueiras de Hollanda a 5*800 co ^^eC0^^ai ^ ? PCl recon"cci,ncn," 'lue lhcs tribu'3 ** W
rvKvnn\ Jula/a (leswecesario publicar a tabella dos preros de seus gneros :>lo luj ihiom
de Hollanda verdadeira era frasqueira a 600 garantin ^ente de poder accr.mpanhar os menor,-; procos de ssoti
roba desses que vendem por 35400.
CAF
de 1.a e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 8#3f
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafoes
com 4 V* garrafas com vinagre a i5000t*s
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de H500C
a caixa.
DEM
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos. que deixam de an-
nunclar-se.
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha,
LICORES
Anos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e a i,00o a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e era caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba era caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
llatatas novas
mais apparatosos estabelecimentos, teodo somonte em vista o augmento do diarias.
sPrcvencSo ueressaria.
Tendo sido o proprietario estabelecido muitos annos com n mosmo ramo ite
ci na mesma ra, jtilga prudente advertir juo s aflirina e so r.spo.Tsabilisa ||
tem declarado no que dissor rospeilo ao ai nia/cm.
r
1
11
i
Sl-RCA 1IO irtPlEKAlIOR-^f
Segunda casa do lado limito indo do pateo do Collfj>o
o verdadeiro funv americano em chapa a em caixas de 2 arrobas a 5$ a caixa e 60 rs.
1,400 rs. alibra
Vinagre
PRR era ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercad" a 7,ooo rs. a caixa
e 1,000 rs. o molho.
Alpista e htiuco
o mais novo do mercado a 14o rs. a libra,
e 45400 a arroba.
CEBLAS
a libra.
Passas muilo novas
em quartos e inteiros a 25 o quarto e 65500
a caixa o 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas era calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 15 o caixae. .
GOMMA MUITO NOVA

s% a
Pechincha san igual
Lindos corles para vestido de percales de cores
elaras e escuras com grande variedade de padres
pelo baratissimo preco de A$ o corte: na laja das
c lumnasrua do Crespo n 13, de Antonio Cor-
rcia de Vasconcellos C.
rrsTvt
Folha de Flandres.
Vends-se na faariea da travessa do Carioca
, ai'.- d* Ramos, superior falba de Flandrcs.
ver e tratar na mesma fabrica.
P0T4SS4
Tendo-se polas. ?m barris a commedo prec.o o
na ra da Cnu o. 23, brimeiro andu, eoeriplun:
de Aatenio de Almeida Sames.
muito novas a 15000 o cento na ra do Que'.-; em paneiros de 1 e 2 arrobas a 35500 a ar-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-, roba e 140 rs. alibra na ra do Qoei-
go do Carmo n. 9 mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
GRAO DE RICO do Carmo n. 9
muito novo a 35400 a arroba e 140 rs. a li- BOLACHINHAS
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-! em latas de defferentes quelidades a 15200
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9. a lata
QUEIJO SUISSO QUEIJOS FLAMENGOS
muilo fresco a 800 rs. a libra na ra do ebegados neste ultimo vapor a 25800 na roa
Queiraado n. 7, ra do Imperador n. 40 e do Queimado n. 7, ra de Imperador n.
largo do Carmo n. 9 I 40 c largo do Carmo n. 9.
Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
ttpularam os raesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Priicipal na do Imperador n. 40
D
jj& JUBTRSXr.O VEIUOE.
'4? Neste estabelecimento aa sempre um sortimento completo de roupa feita le
mg, todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos cusesr-
S rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem
B grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para sonoorat,
sfe homens e meninos.
s
Casacas de panno preto, 355 e 305000 Ditos de setim preto. .
Sobrecasacas idem, 305 e 255000 Ditos de ditos e seda branco.
Paletos idem e de cores, 255, 65 e.......
205, 155 e......105000 )itos de gorguro de seda
Dites de easemira, 205, 155, I pratos e de cores. 5. 5 e
125, 105 e...... 75000 Golletes de fustao e brim bran-
Ditos de alpaca, 55, 45 e 35500 C0) 3,5500, 35 e .
Ditos ditos pretos, 95, 75, Seroulas de bri de lmbo,
55, 45 e......d5>oo, 24qo e
Ditos de brim e ganga de c-
35000
450OO
res, 45500, 45, 35500 e.
JS Ditos branco de linho, 65,55 e
K Ditos de merino preto de cor-
jQ| dao, 105, 75 e.....
Calcas de easemira preta, !9ft
105, 85 e......75000
S Ditas de cores, 95, 85 e. .
5 Ditas de meia easemira de c-
NOVIDADES.
Queijos do Uenlejo. ditos das ilhas o mais fresco que se pode dese-
jar a 15200 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimento, ricas caixinhas
redadas enfeitadas, proprias para mimo da festa pelo barato prco de 45
cada nma, ricas caixas de figos tambem proprias para mimo de 800 15500
cada urna. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, ra do
Imperador n. 4.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor /jnalidade a
III a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. *8
Venot-i nperior vinho do Porto em e!xas de
ama duzia : em casa de Johnstea Pater k C., ra
do A'So ;-
Superior cal de Lisboa.
Vende-se soperior cal t ^is*\. a mais noa
res, 55000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Colletes de velludo preto e do
Ditas de algodo, 1*600 e. .
Camisas de peitos de bobo.
45, 35 e......
Ditas de madapolao, 25500,
25e........
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 105, 95 e. .
750OO Ditos defltro, 55, 45,35500 e
Ditos de sol, de seda, 125,
55000
5#*j
5500oJ
4*000?
25500
2*000
15400
2*500
1|00
8*500
noto
45000.1 115, 75 e
1 Collarinhosdelinhofino, ulti-
450OO ma moda taaV ^ .
Sortimento completo de *rava-
255O0 tas. \
25500 Toalhas para rosto, duz>; 11*.
i e.....r. 5000
cores, 95 e......75000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de easemira preta, 55 e 4*000 tos e de cores. ." 4*000
Ditos de ditas de cores 55 Lences de bramante de linho. 35000
4* e........3*500 Cobertas de chita chineza.. 2*500
14-Eua Direita-44
Uaico depesito do rap imperial So fabricana
Isaac Esnaty ; aflianra a sua boa quadade e ser
superior ao rap de Lisboa e ao rap ar*a preta, a
que ha nc nsroado, tanto em por^ao romo a rea- j prov faz f : vende-se a rrtalho a I* a libra, t
Iho, por larato r"^.. afiancando-se aos compra-1em porc.ao de 10 libras para n.ais a 800 rs.: tam-
dores uperior qnalidade: a tratar as sppnir.ies
ras : Crespo n. 7, Imperador n. 28. Forte do Ma-
tos, armazem d Sr. A villa, defroute .. trapicL.
> algodao. ______________^^^^
Vinho do Porto soperior
em barris do oitavo e dcimo, veade Antonio Lnit
de Albuqnerqne Azevedo & C.: ao ea escriptorto
roa a Ouz o 1
bem abre crdito aos compradores em ronla cor
rente. _____________
Parte de engenho.
Vende-se urna parte do engenho Itabenga
sito na fregtiezia de Pao d'Alho: quem'a
pretender dirija sea e>la typogtapbia onde
se dir com qoem se dere tralar.
Vinho do Porto er pee i al.
O mais f enero e (rrnninn vinho do Prrv trwr-
cas novas e esperiae?. em caixinhas ir It rarra-
fas, sendo marca Rainha de Porirral a IPJMS1
a caixa, e marca Pedro Va 1(4; em p< rra*
far-se-ha um al ale raioarel no arma aV Tir-
relra & Matheus, junto ao arro da V.i m ar> w.
(<&. o mesmo armazem lia lamrem exrrilra>
vinho do Porto eai anmreas rie 39 prrafo* a SOJO
cada orna, e em porra por aieno algnma rs
Tull
Vende-se nma tatieroa na ma la Esperai. a.
26 (Solcdade) ni muito bom iujrar, muito prf r
para priucipiaote : a tratar aa a.ema
j


Dlar!e de PcrftftanafcaiM Quista letra 29 ale Dczembro de 1C4.
MAGNIFICO SORTIMENTO
DE
MOLHADOS
NO
AXDX. AltMA^EM
DA
flO PUBLICO
Sem o menor constran-
gimrno se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.

US
ATTENQAO
Os preces da seguinte
tabella c para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
Ag
Casa da esquina junto a ponte da Uoa vista.
WIUITA ATTEKgao.
RA HA CAftElA II RECIPE RT. 53.
(Logo passando o arco da Conceieio)
Grande reducco de precos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunclante.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o preco da manteign ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com isto ocasiao a todas as espeluncas acarianm porbom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 111 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
Parece que o respeitavel publico se achara bastantemente- convencido de que a systhema que vira encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reducco de precos, como veris
iireco3o dete importante estabelccimento tem sido sempre caracterisada pelo maior pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
gosto e capricho, nao s com relajo ao asseio, superioridade das mercadorias, como' faDia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de I,4oe a l,6oo rs. a libra. Iloje porem, resentidos da reducco a que
n sincerdade do trato e maneiras attencidsas dos emprimados da casa para com todas stao abrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamac5o de precos, c qualidades, vingam-se de um e outro portadores
aquellas pessoas que se dignan de fiequenta-la. a[ informado deste novo estabeiecimento. para Ibe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu tim
Muitas senboras pernambucanas e eslrangeiras, cujo trato ameno e delicado nao to smente obter a concorrencia de seus freguezes.
pode ser concedido a qualquer individuo no recinto de um estabelecimento da ordem
da Liga tem vindo possoalmenie refazer as suas despensas nesta casa e voltado asss
satisfeitas.
1" preciso fazer desaparecer desta importante capital estas nojentas lascas cheias
sempre de escravos embriagados, onde as chufas sao rogadas sem respeito.
T
0 importante e magnilico armazem
dessas condiccocs. E'necessario y-lo pa.a bem se prestar crdito.a nos> as palavras..'Manle ga ing|eza (safra nova) especialmente
A mercadona nunca sera bem comprada se ella nao for de boa qualidade fc-j escolhida a 8oo rs. a libra em barril se
sobre este ponto que chamamos a atlencao das pessoas que nos qui/crem honrar com, faz abaiiioento
a sua foguate; porque o nosso grande estabelecimento se ada completamente provi- Mem fraucezaa mais nova que tem vindo ao
do de superiores gneros, que em sua mxima parle foram comprados a dinheiro a mercado a 56o rs. a libra e em barril ou
vista, e recebidos directamente de Londres, Pars e Li.-boa. meios a 5oo rs
Ninguem se acha entre nos com mais proporces para vender barato. cha hysson de superior qualidade a 2 6oo rs.
As pessoas que compram para negociar, fariam muilo bem f e quizessem se cer-j a |j^ra
fiflear do quanto havemos expendido pro urando afreguezar se com nosco. : idem perela o mais superior do mercado a
Nao duvidamos vender a creduo a quem nos der connecimento de sua probidade. 2,800 rs.
i dem huxim o melhor que se pode desejar
Amendoas confeitadas em Irasct s de vidro, ditas cora casca mole
e dura Ameixas francezas em frascas de vidro, ditas em latas,
ditas em cartes, ditas a varejo =Alpiste e milito miudo.As-
sucar refinado lino, dito baixo.Azeile doce em barril, dito
em boioes, dito engarrafado, dito francez e portuguez refinado.
Arroz do Moranhao, dito de Java, dito da India, dito do Penedo.
Para bem de todos.
Senhores e Senboras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromplido e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccio e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderlo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
^ na Florida.
Para restabelecer tcoBmai 1 1 61 tatm
dos cabellos.
A afru;. Sortea nfio M Natal
cial a i-oiitesu..-, a mi ajua aaa > a ,* |
tiva ao cabello. Comporta e> 1! .1 r r, ur>-r
Je sullaiicias inoaVcaivaa, .lia tan 1 ( r<
de rfslituir ao? cabellos o prim-'i *
les tem perdido. D'ihm albWiaVd
vel, a Agua Florida enirrlr-ni a l
de.Mroe as ra>|-as e impede t> .
Oleo de Fin
Composto de suli.-iancu Mfattci \
eonsUUM podoru.-aiu:V- rom t rlgaa Fl
forca, a bell.za e a conservar. im tal
Em Fa;.-, rasa de QuiMan'r n. I
lieu. e 21, boiilt-vaid Muiiliiii-
Todos os tasco, nao M ;
tiini.re pratcadu da rasa, >ao r< .
Deposito, na do hnpcraSnr, 1
UNDOS~ESFEllts
Para senhora a Mana pja pa <,,
Ctiegaram para as tojas do Brija 1
Miles a Mana Pia e aGaribaUli. h i
mais lidos que tem viudo pe* aw u
novo>: as lujas do Bvija Flor ru-
n. 3 c 09.
Sintospara senhura a Wt
Chegaram timbal Hmimm
podra a Mara Pa, os mais Madw
nos que tem viudo : s as (.j. L I
ra do (Jueimado n. (:! e i".
Penles M tailan
Lindos peales m Hatati p .. .. .
-mais modernos por trra r|.;. ,, K llgl,.
1 ajior : s as tojas do Beija F'< r 1 l
. ado D. tfl e 09.
yn c: n < d 53 ae > > c-. =r
bj ^ ai
da Liga se acha felizmente muito fra' sero tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao,afimde que nao \3oemoutra parte
Azeitonas de Lisboa, dita do Porto Banha de porco em barril
dita em latas, dita retinada em barril e latas. Batatas em gigos,
dita em caixas, ditas a varejo. Bolaxinhas tinas de diversas
qualidades. ditas de soda, ditas para lanche, ditas americanas.
Biscoites inglezes, .Mixede, Medum, Cabim, Seed, So a, Cuddy
Cracknel. oval Thim Lapitam e outras mais, ditas de leite de
K'limburgh, eleCaf do Hio de l*, 2.a e 3.a qualidade, dito
niu.lo.Cha, o que ha de melhor existe em nossos armazens,
uxim, miudo, dito hysson de 1.a, 2.a, 3.a t- 4.a qualidades, dito
preto horneopalhico, dilocommum.Charutos Mussissipis, ditos
Panetelas, ditos regaba imperial, ditos suspiros, ditos delicias,
ditos NapeleSes, ditos Parisienses, ditos apraziveis, ditos lancei-
ros, ditos imperiaes de diversos fabricantes. Chooricas mou-
riscas deLiboa, ditas em latas.Chocolate de diversas qualida-
des e de diversos fabricantes. Ceneja Basse, dita Victoria,
ditas Alesops, dita tenente, dita II, dita XXX, dita em barril
branca e preta.Conservas rnglczas, dittas francezas, ditlas ali-
menticias.Cevadinha de Franca. Chanpanlia superior de di-
versas marcas.Cognac inglez, ditto francez. Ceblas de Lis-
boa era molhos, ditas em resiias.Copos lapidados para agoa
ditos para vinho. Doce de calda <>m latas de diversas q.ialida-
des, g'mja, alper'ch, pera, pecego, doce de goiaba, em latas dilos em
caixoes ditos em Irasco de calda de assucar, dilos de cognack.Ervi-
llias em latas, ditas em casca, ditas sem casca.Esperm:cele de 5 e 6 o
maco.Figos em latas de 4 e 8 libra- lindamente enfeiladas, dilos em
caixas grandes pequeas em barril. Farinha de Irigo de diversas
neste genero 2,600 rs.
I dem preto horneopalhico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
; dem hysson, huxim e perola mais proprio
j para negocio o 1,600, 1,800 c 2,ooo rs. a Painco e alpista a
libra, garante-se ser muito regular, igual rs. a arroba.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat-'
ment.
Caf do ltio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.800
e 8.000 rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maraohao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
i 4o rs. a libra, e 4,3oo
ao que se vende emoutra parte por 2,4oo Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
e2, 600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
4oo rs. a li-
\ Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs. Aletria, raacarro e talbarim a
garante-se serem superiores aos que vem; bra, e 9,ooo rs. a caixa.
I em barris. dem e lalherim branco a 32o rs.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo eGoo rs. alibra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propiamente
feitas para esse lim.
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
passado a 1,600 e 1,800 rs. 25 libras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que tera Vinho do Porto rauilo fino excellente qua-
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei?
ro se faz abalimento.
dem pralo muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latas ja pre-
paradas a 64o rs.
: Maimelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
I a 060 rs. a libra, e a 000 rs. nteiro.
I dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
marcas, dita de araruta, dita do Maraohao, dita do Aracaty.Fumo, Copos lapidados para a gaa a 5,oooe 5,5ooa
do Bio em latas dito em rolos, dito em lata (do Para) para cigarros. duzia,
Genebra ingle/.a marca gato, dita dita em frocos, dita oe II llanda em
frascos, dita dita em botijas, dita de Humburgo un frascos, ditaem bo-
tijas, dih em garrafoes.Giaxa em latas.Limonada de diversas fruc-
u\s.Licor inglez, dito francez, dito allemo. Manteiga ingleza ilor,
dita de 2.a qualidade, dita de 3.a, dita de 4.a, dita fianceza de 1.a qua-
lidade, dita d.ta de 2 'Massas pira sopa, macan ao, lalhaiim e alelria,
dita cstrellinha e 1 evide branca eamareila.- Marrasquino de zara de 1.a
qualidade, dito 2.a dita, dito 3 a dita. Mat melada muito fina.Molho
inglez, dito francez.Mostar a ingleza, dita iranceza. Presuntos in-
glezes para fiambre, ditos americanos, ditos doPoilo para tempero,
dito de Lisboa. Passas de Malaga, ditas de Corinlhias para podim.
Pomada do P rio.Pimenta do reino. Peixes em Utas, t-avel, corvi-
na, pargo, espada, congr, chermy pn-par do pelas memores artes de
t sinha.Papel greve branco, dit pautado, ditualmaco, dito de pes-,
dito amarello Palitos lixados para denles, dit"8 ditos com llores, ditos
americanos, dilos do gaz.Oueijos inglez e londrino, dito flamengo dito
pialo, dito suisso.Bap Meuron, dito francez Sal. me em latas de 1
libra o melhor que aqui tem vinJ. Sirdinha de Basse, dito de A.
L'Auile. Sabao nacionol, dito raassa e nao massa, dito inglez. Sal
nacin 11, dito inglez a varejo, dito em vidros. Toucinho d Lisboa e
Pono, dito de Santos.Tijolos para limpar facas Vinho>, neste gene-
ro os nossos armazens tem o melhor soilioirnto que se pode im ginar,
duque do Porto, lagrimas do Douro, C mes, Bocagc, Hara Pia, .
Luiz, Pedro II, Marvazia, Madeira, Cherry, Bordeaux, tudo engarrrf do
Prevenimos o publico de que no armazem da liga stemvinhos. engar-
rafados no estrangeiro, dito em pipa do Pono, Lisboa, Figueira e de Sete,
dito em b rril de todos os p*i*es, dito em ancoras, dito chamisso mui-
to proprio para casa particular em bairilinhos com UO garrafas por
i Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
1,00o e 1,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4.000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
I Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 43,ooo rs.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,ooo; ditas imperiaes emlalas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e 1,800rs.
Azeile doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 83o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o fraseo e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a i60 rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e II,000 a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16ors. o maco-
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a boo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, Cerveja branca e preta das marcas mais a-
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
' a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. ea 9oo e l,oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
da, salmo, ostras echernee, vezugo era Bolachinhns inglezas as mais novas do raer-
latas grandes a 800 e !,ooo rs. cada urna. cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- libra,
das que tem vindo ao uosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,000, 7,ooo e 8,oeo rs. a caixa, garante- qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
! qualquer nao pode vender por este preco. | para mimo a 64o rs.
; Genebra de llollanda a 56o rs. o fraseo, e, Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
i 5,7oo rs. a frasqueira. libra e 6,ono rs. a caixa com 28 libras,
dem de laranja verdadeira de A'tona em Figos de comadre a 24o rs. a libra
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
11,00o rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes j 4oo
e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhasd'agua era sal da fabrica d Beato
creditadas que vera ao mercado a3,ooo
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. alibra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutosde todos os fabricantes da Bahiaedas
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2.ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em lalas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs.
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeile doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas
64o rs. a garrafa.
Palitos do saz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo
32o rs. a libra e 8,000 a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,noo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
DA
AGENCIA LOW-HOOB.
lua da Seozalla aova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo so r tim en t o de moendas e meias
preco a satisfazer o mais exigente comprador eiLqwnto a qualidade e^ moendas para engenDOj machinas de vapor
garantida por nos e peles seus importadores, dito em caada por preco
baretissimo, dito branco para mi>sa.Vinagre puro de Lisboa, dito ham-
burguez, dito em garrames. Vassouras do Porto, ditas americanas.
ATTENQAO EXCELLENTISSIMAS SENHORAS
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
lamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Excelleitissimas
Evcellenlissiinas
gSChatcs de renda
H de muito bom g
IJOSlfl.
^Cuales de renda
j| de muito bom
! gosto.
Para mlssa do gallo
4 laja Heceeu de Pars chales pretos de renda o que lia de mais chique, para as
cellentissimas senhoras levarem
A missa do gallo
com o seus vestidos brancos, pelo preco de 15* e 20* I ti admiravelJineta t
Vestidos a Maria Pia de diversas qualidades, casacoes^cjapaste souterobarques.
Tfli lili
Cylindros para pada
ra.
Na padaria da roa Direita n. 84 lia para vender
os conheeidos e aer-ditado* eylindrw ameneanos
para trabalho de padaria, lmamante chegados.
ESPERAR
Fabrica Ooncei$Lo da M
BaJiia.
Andrade k Reg, recebem constante- ^5
J| mente e tem venda no seu armazem n. ||f
IH 34 da ra do Imperador, algodao d'aqaei- >
g la fabrica, proprio para saceos de assu- ^
car, embalar ainodo empluma etc., etc., g|
pelo preco mais razoavel.
SORTIMENTO PARA A FESTA
MAZEM (MSERVATI
23Largo do Terco23.
Joaquira Simi dos Santos, dono deste armazem de methados avisa aos amigos do bom e ba-
rato que se venham sortir dos bons gneros este estabelecimento que nao. se arrependerao, se lhe
tara a diflerenca do 10 a 20 por cento, pelo seu prompto pagamento ; e por isso se faz annuncio de
ilguns gneros, que tendo sempre este estabelecimento um grande e vantajoso sortimento de tudo
juanto pertencente a este e.stabeleeimento.
Sentido! Vou fallar com e Censervalho !!
Vfanteiga ingleza de 1
a libra,
dem franceza em barril
bra.
e 2* sorte a SOO, 900 e 1*
a 600 e 640 ris & Ji-
Ra da Senzalla n. 42.
Vende-se, era casa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Rna da Senzalla Nova n. 42.
Reeebeu correntes de ac polido e faciado para I Neste estabelecimento vendem-se:tac/i l
relojrio, leques de sndalo, sintns de velludo de co- ferro COado libra a i 10 rs., dem d eLoi
res o mais bonito qoe tem vindo ao mercado, Inne- \Jonr libra a 420 rs.
tas de tartaruga, hufalo e de a^o dmiradas, intei-
Vende-se
Toncinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 8*800 a ar-
roba.
jautas em caixas e gigos 1*200 e 2*000 a ar-
roba.
laf de primeira e segunda sorte a 250, 280 e 300
rs. a libra.
irroz da India, Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a
libra.
Phosphros do gaz a 2* a groza e 180 rs. o mago.
*assas novas a 480 rs. a libra.
7elas]de carnauba Aracaty composiclo a 400 e 440
rs. a libra.
ifassas para sopa a 480 e 440 rs a libra.
Carmenada dos melhores fabricantes de Lisboa de
i a 2 libras a 640 rs. a libra.
Cb hysson o melhor deste genero a 25800 a li-
bra.
(dem perola mmdinho a 2*300, 25000 e 3*000 a
libra.
Banha ingleza alva e saperior a 480 rs. a libra.
Queijos mais novos do mercado a 2*500 e 28O0
Serveja das melhores marras, tanto branca como
rela a 500 r>. a garrafa e a duzia a 5*5800.
ao amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Baha dos mclhures fabneantes de
1*200, 2*000, 2*500 e 3* a caixa.
Mil lio alcista e patuco a 160 e 140 r. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a dita,
dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprio para missa a 500 rs. a dita.
liem do Porto engarrafado a- 800 el*, tomando
mais de urna caada de qualquer um destes lera
grande abalimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
Biscoitos e bolachas de soda a 1*400 e 25.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Ola rtda em frascos e botijas e de la-
ranja de 480 a 640 e 1*200.
Chouricas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas cora 1 e mia libra de ameixas a 1*200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 3* o
galo.
Vende-se um comometro martimo inglez do
melhor fabricante Charly Frodshaa, affiancando o
seu regulamento, por diminuto p-ero : a tratar
! ramente novo o monVUo. lavas de pellica pretas,
-------- nwlla. de cores e orancas, graxa econnmica, tinta com-
Vendem-se laranjas aoces, pni pe*f rouucaiiva para escrever e copiar, dando provas saperior farinha de mandiora, a bordo dos brigues oa"ruaOTa~riri8ja "de Francisco Jos Gar-
uase glandes quantidadfiS, a preco Cim- jepois de 8 dias de evxiptt, ad-reeoe camafeo, seunas Principe, D. Affonso e Nao Sei, atracados ^^ '
modo no sitio do lobrado atraz do Am- botoes eamafeu. para punno, brincos balan doura- #> raes do Bario do Livramento a tratar a bor-
dos, enfeiles modernos etc. : na ra do Qoeima- do, on no largo do Corpo Santo n. 4. primeiro an-
. ------- do, loja de miudezas n 33 A._________________ dar.escrlptorio dePalmeira & Beltrao.
lobos para aadlelro t*z.
Venrte-se no armazem de louca de Duarte, Pe-
reir & C, rtu do Creapo n. 16, por preso cotu-
do.
Prela superiar de Lisboa a 5* o saeco. Vendem-se charutos da Baha de varias qua-
Tem para vendar Antonio Luiz de Oliveira Axe- lldades : era casa de Mouhard 4 C.,
ved.) & C b,o sea cwripttrio rna da Cruz o. 1. j piche 48.
Vinho de Porto.
Vende-se superior vmh do Porto, em harria de
ra do f ra-, vigsimo, em casa de Ferreira 4 Matbeus, na ra
da Cadaia do Reeifc a. W.
Assucar erjslalisade da fabrica
2 de Julho
Na Babia.
ICoa.maze da rna da Madre de 0aas i. 28,
ha venda o rilto saperior assuar erysulisado.
em saceos e 2 arrobas, ao prec,o de 5* ada ar-
rsb.
MUTILADO
V)
S ^ g. a S i-r "s 2 -r. m
V. -j 2. > --
Veudcui-M* "o jardas le oli'ailn
qualidade, para forro de -ala : ou ra : |
do n. 34._________________________________
/ ihras etterlv-a*
Vende-se qnem as quizar mwfirar r ,rr
n. 33, da ra da Praia. .e dir qurm veade
SilSAPSI
Ti
ilt.


PREPARADA mOkWKR
LAMIAS k h '
r
NOVA YX
Composla de snl-t m ib.
propriedades emiiirntem i ti
approvada pelas juntas e x
dicina ; usada nos princhnes '
vis. militares e da niarinlia i
no r lilimente amernano ; re
facultativos os mais distincti-s <] i
Brasil e da America hayluti
CUBA RADICALMENTE
escropludas, rlieumalismo, esrorl i i fermidades venreas e mer. ni
antigs, morphea c todas m m>k
venientes d'um estado vicioso do aaayvfc
Emquanto existem varias mLtfe e
falsificacos, preciso a maior caui* la pr
evitar os engaos,
A legitima salsa de Brisiol vende-se par
CAORS & BARROZA
JO) DA C. BRA SO A c.
ESCRAVOS F&ILGS.
Fugio saldado S6 de novemhro i roTire .---
sado o escravo pardo de nome Anutni. r itfae>
de 20 annos, pouco mais on MH; un. m if'-
naesseguintes : magro, altara rfpular. mMor^f-
prido, nao tem barba e com bastante* n r>
bexigas, falla branda, foi e>cravn e rna d*> S.
Joaquim Cavalcanti de Alhoqm-ri|t:e .!(, -rcah*
Arauuari da freguezia de Barrrir<>. r-mi.rerata-**
nesta ridadeem vtnderagua, pnf.rr^ < .r;.
e dias santos andava calcado, de paftrM hrwn,
chat>o do chile e bengalinha On. rtm*ti ere x
ntltnlava de ser livre, qnandn fngio dis aira-
mas pessoas a quem venda asna, qoe tttwki (ara
Barreiros, e que somenle vcltata Mi da fes
do natal : roga-se s autoridades pnttriae e ray-
tacs de campo de o appreherder> m e rnr>tarer.
entregar na ra do Qneimado o. 77, a AlfiawNa
Jo.i-A da Silva, qne rerompeBsaf.i n "V.
No da 9 de detembrn de |Xhi fi'fi r
desensenhoro wravo Hercnlann. nardo e*er.
com 35 annos, alto, cabellos rarapsafca, aalMa e
orelhas pequeas, tem apenas hip . as e andar de quehra-mangne, ti ndn i pf i .nar-
do torto e anido para fra romo pata oV en. t
par isso poxa alguma ronsa pela i anda, levoa vesiidu cai^a branca renirr.da <
misa branca, levando rhapo de tal'a r ni
igualmente toda roupa qne poBe. ann-oe-se as-
dar aqoi mesmo pela ridade qoe* n perar lere-
a ra Direita b. 54, qoe aera generes:areate r -
compensado.
Escravo ftigidn
Fugio no dia 5 de jinhe do rorrenie anao as-
cravo Joaquim, rriooio, de SO aaaos V i *ale. evoa
os sienaes secuintes : alto, masr^. r%r avia re-
donda, cor fula, com ama qoeima lora a* ranea ea)
lado direito, rendido de ama venlha, mea gap:
pede se aos lllms Srs. sabdeleg*4 i Vanea,
Peres a Afogados, Pas>agem da Madalew. haaa-
rassii e mais fregoems, e a*t eaa*rei rat-nar- *
campo, qne o apprehendam, qoe erik gralfaVati
pelo abaixn signado, em Fra a> Partas, ra i
Pilar n. 53, primeiro andar.
Manoel da Silva Heves


DI*rlo t JVreawknro ... intua telca 9* ale eVf^ubr de 1*.
V

M
'V
CICERO.
Este nome nao o de um orador, o da mesma
n a praga onbllca para subir aos rostros. Ti-
rina na mo um rol* de pape! e um stelete de
chumbo para notar seos exordios, suas demons-
trares c peroraeoes.parles preparadas ou inspira-
das de seus discursos. Seu traje, cuidadosamente
conforme ao uso amigo, nem tinha a negligencia
do cn.ro, nem o apurado do epicurista. Nao fe-
A eloquencia como a entendemos e como Cicc- ria os oll,0:> pelo esmero, nem os olendia pela sor-
i i a eotendia, nao smente a arte de fallar aos didez. Mostrava-se vestido e nao ornado com sua
homens na praga publica ; 60 dom de sentir bas- ,nga de pregas perpendiculares unida ao corpo.
t inte, |. wsar com justeza, saber lado, imaginar NJo quena que as cores attrahindo os olhos des-
1 na fsplendnr, exprimir-so rom energa, e com- sem distracedes aos oaridos. Sea aspecto doentio
ID ,1 pela palavra escripia ou vocal, aos outros sobre tuJoem sua mocidade, enleressava por usa
hmeos a idea o sentimento, a convcgo da ver- lauguidez do corpo domado pela espirito. Yia-se-
dad*, a admiracau do bello, o gosto do hone.-lo, o Ihe as insomnias e medtacoes. Nao fallando em
cnihu>ia.-mo da virtude, o devotamento ao devvr, sua vz grave e acentuada pelo exercicio, toda sua
1 herosmo da patria, a f na immortalidade, que *PP*Maeia externa era a de urna pura intelligen-
Ornara a alma honesta, o coraco sensivel, o es- c,ai(jue s pedia a materia a forma stricla muito
l rito justo, a razos, ascienda popular, a ima- necessaha para se tornar visivel a humanidade !
ginaro artista, o patriotismo ardente, a coragem Mas o povo romano, como o povo grego acostu-
areI, a hberdade qnerl.la, a pbilosopma religiosa, mado pela freqaeoeia do foro a iolear como artista
, rehgiao conforme a idea mais alta da Divindade, seUs oradores, apreciava em Cesar", em Hortenco
...',... palavra, que fazem o md.vduobom, o po- essa magrem de corpo que attes.ara o es Lo a
1 fraDde hnmamdade ian'a- NlSo, as vi.ibas, a consumisso da alma A ma
Em oque entendemos por-ideal da eloquen-1 greza e pallidex de Cicero tinham urna parte de seu
:ila suppde a posse e exercicio de todas as prestigio e de sua magesiade.
3
seu tempe Scevola, Hortencio, Cotia, Crasso, e j em um da tantos movis quantos um artista-ha- O bico de marfim faz o seu nioho maito mai Que ella tira do nabo e me
sobretudo Antonio, de quem ello proprio depois bil concerta em dous. j cedo do que os seus congeneres ; tive occasio de Porque muda de rlir a rada n
s?arrltae"OU eloquencia' em seus lra,ados sobre Por tant0, -"'tor, nao creiaes que os picancos observar que comecavam nos prlmeiros das de D.r se h.a que ll.irtuam-lhe
' Honrava-se de ser seu discpulo e era cavo-Mando) SPJa com 8e 4 ,era mar?- Af,!nas sei- 1ue cava" nurna arvore '".' As sombras hndas de Ma aa,
cava reproduz,r pe.a SSIRSS^* 2T2* ** "^pido* ^ $*"**" *** """ ""** ^ d0, Qu' a,,am*'n,e ***-
chos de seus discursos que haviam commovido a > ^3^t&TLSSTl!i A '+ P-* arvore e a sua inclina 'D" <"a
Ai tr .^h VU enCTd SeQ CSPirt- t "25 -6 cuja exi me a'n o s ao l* mpor.am-.he muo ; elle procura os lugares }+* ""lU?
Anda desconhec.do como orador, sua fama como Wlf ,* tU *L "T 1 1\* Z mais retirado. i,m ,.r,n i,. ,,.,.,,1,. J h a ** "*> "-
'acuidades ioteliectaaese moraes do humem reu
midas ua palavra : potencia do verbo humano.
II
rVrguem como Cicero reuniu em si ludo isso, a
i desse orador (|ue cnfprebeodemos contar a his-
t iria. Poeta, pliiiosopho, cidado, magistrado, con-
Sttl, aJmiiiisIrador de proviucias, moderador da
repblica, dolo e victir/ia do povo, theologo, juns-
EOsulto orador supremo, humem hCResto sobre
Codo, leve aira disso a rara felicidade de emprc-
gar lodos esees diversos dons as vezes no melho-
rarncato c delieuu de sua alma na solidao. oulras
i zes no governo do povo, e na dirercao dos nego-
cios publico de sua patria que entao eram s ne-
gocios do universo, e applicar deste modo seus
dons talentos, coragem e virtudes a bem do seu
ai:, da humanidade, c do culto da divindade,
ao passo que por si mesmo os apeifeigoava.
III
Das nicas fallas se ihe pode imputar : a van-
gloria de'si proprio, e fraquezas reaes ou antes in-
decisoes lamentaveis no flm de sua vida para com
(.3 t\ ramios de sua patria. Mas estas duas faltas, |
se estudar-se bem sua historia, nao sao faltas de
. .1 carcter, mas antes de seu lempo.
A va gloria era a virtude dos grandes homeus
uCSSes lempos em que a religiao, mais magnnima
v. mais livre das saldados humanas, nSo l^via an-
da ensinado aos homens a abnegaeao, a modestia,
a liumildade, quedeslocalisam para nos a gloria
mundana, colloeando a na satisfacao muda da
voiisciencia ou smenle na approvacao de Deus.
K quanto as enmposi^ocs com os successos e
rom as ivrannias que se aproximam de longe a
Cicero, preciso dar attencao ao estado da repn-
tilica romana, a corrnpcao dos costumes rovar-
dia do poro, a enervacao dos caracteres de sen
mpo, para ser justo com esse grande homem.
tm n-nhuma epeeha de sua carreira civil mostrea
elle hesitado ao cumprimento do dever. Se en-
'.-aqueceu ante Cesar, nao aflracoD ante a murte ;
i.ias para apoiar a alavanca deesa forca d'alma que
SOi be pede, e para sosinho sustentar a repblica
contra Cesar, preciso Ihe era um ponte de apoio
iia republii-a. Bise ponto de apoio e que faltara.
" aN fui a alavanca que faltou a Cicero, foi o pon
13 de apoio. Pode-seacensar sea tempo, mas nao
o idado.
IV
jNi-uliurna frma de governo foi mais capaz do
formar homens completos como a repblica roma-
:.i, taes romo acabamos de definir na pseos do
gr inde orador romano. Inda se nao havia inven-
i issas divises de facilidades eessas especiaii-
dadej de preSssSes, que decoropOe um homem em
!-:\rr~K'*, e o rebaixam deeompondo. Entao nao se
dfzia : Este um cidado civil, [aquello um cida-
do soldado, este poeta, aquelle orador, este advo-
gado, aquelle cnsul ; era-se ludo ao mesmo lem-
po, sea natorea ea vocacao vos dessem todas
'S^as apliddes. Nao se mntilava arbitrariamente
i natoreza, como fazemos tao infelizmente boje,
com grande prejmzo da grandeza da patria e da
humana. Nao se impunha a Deus um m-
ximum de faeuld. des que Ihe era defeso exceder
quando creava uina intelligencia mais universal,
ou urna alma maior que as outras. Cesar advoga-
, fazia versos, escri-via o Anti Caldo, conquisla-
v,i uo Gailias. Cicero escrevia poemas, fazia tra-
tados de rbetorica, defenda causas nos tribunaes,
faliava aos cidadaos na tribuna, discutir o gover-
no no senado, percebia tribuios na Sicilia, com-
mandara exereitos na Siria, philosophava com os
ejoutos, e ensinava liiieratuia em Tuscnhem ? Nao
ora a profissao ora o genio que fazia o homem e
o homem entao era tanto mais homem, quanto
mais universal era.
D ah a grandeza desses homens mltiplos da
antiguidade ; quando, melhor inspirados, qnizer-
mos crescer como ella, aboliremos essas barreiras
Cosas e arliurarias que nossa civilisacao moder-
na poe entre as faeuldades da natureza c os serv-
eos que um mesmo cidado pode prestar sob di-
versas formas a sua patria.
Nao prohibiremos a um philosopho o ser polti-
co, nm magistrado o ser heme, um orador o
ser soldado, nrn poeta ser um sabio ou cidado.
Taremos homens e nao machinas humana-. O
mundo moderno ser mais forte e mais bello, e
mais conforme ao plano de Deus que nao fez do
homem um fragmento, mas um todo.
V
Cicero, tal como o vemos nos retratos e cartas
de seus contemporneos ou dellc mesmo, tinha al-
ta estatura, necessana a um orador que falla ante
o povo e que lem perciso de dominar com a ca-
neca aquellos a quem deve dominar pelo espirito ;
suas feeo'seram severas, nobres, puras, elegan-
tes, esclarecidas pela intelligencia que para as>im
dizer as tinha moldado a sua imagem, a fronte ele-
vada e pulida cumo o marmore destinado a rece-
ber e a pagar as mil imoressoes que o feriam ; o
nariz aquilino, mui apertado entre os olhos, a-.vis-
la ao mesmo tenlio concentrada, firme, segura sem
proroeacao quando se ixava e derrama va sobre a
(nullido, a bocea espirituosa, de labios rasgados,
sonora, passando com facilidade'da melancola das
grandes preoecupacoes graca du sorriso as fa-
Jtes cavadas, plidas, emmagrecidas pelas fadigas
do estudo e dosrdiscursos na tribuna; sua attitu-
de tinha antes a calma do philosopho do que a agi-
tacao do tribuno. Nao era urna paixo era um
peosamento'que se encarnava e nelle se desenha-
va aos olhos do poro.
Conheola-se que elle aspirava iluminar e nao a
desvairar a mnldio, toda a autoridade da virtude
publica, toda a magestade do poro romano lerau-
tara-se com elle quando ella se erguia para fallar.
Um numeroso e grave sequilo de rhetoricos gre-
VI
Elle nasceu n'uma pequea cidade municipal,
perto de liorna, chamada Arpinum, patria de Ma-
rio. Sua me, Helvia, mulher superior pela cora-
gem e vertude como todas as mes em que se mol-
dam os grandes homens, deu-o a luz sem dr. Um
genio appareceu sua alma, diz nm reino boato,
e annunciou Ihe que amamentava na pessoa dessa
crianca a salvaeo de Roma : o que significa que
a phisionumia eo olhar desse menino derramavam
no coraco do sua me e de sua ama nm tal qual
presenlimento de grandeza e virtudes matas. Hel-
via era de um sangue Ilustre. Sua famina pater-
na coltivava obscuramente suas modestas posses-
soes as visinhancas d'Arpinum, sem buscar car-
gos pblicos, e sem rir Roma, satisleita com sua
mdica fortuna e a consideraco local de que jc*a-
va no seu torro.
Apezar da novidade de seu nome, que Cicero-fez
ouvr pela primera vez em Roma, essa familia Fe-
montara, dizem. aos prmeiros reis decahidos do
Lacio. O av e os tios de .Cicero j se nariam ds
tmguido pela aptido por os negocios e por algol
mas mostras inexperadas de elaquencia as depur
lacoes que sua cidade tinha enviado Roma para
l sustenlar graves interesses.
E' raro que o genio seja solado em urna fami-
lia ; ha sempre germens antes de apparecer m
fructo consumado.
Remontndose algumas geracoes em'uraa
ra?a, reconhece-so por symptomas precursores o
grande homem que a natureza parece nella prepa-
rar gradualmente. Deu-se isso na potica familia
de Tasso, cujo pae fui um poeta de segunda ordem
e mesmo na familia de Mirabeau, de quem o pae e
os tios eram oradores naturaes e selvagens, um
tanto gastos, porm talvez mais naturaes que o so-
brinho ; assim como Cicero e muilos outros. A na-
tureza elabora por mnito tempo e surdamente suas
obras primas na humanidade, como nos mineraes
Ainda desconhecido como orador, sua fama como 1,/Z7, t T* "
noeci ch,.!.^-, a iim, ,>au .Kr .. fellz com) a do Pionco douradu. Nao sendo a sua
poeta ciiegava a Roma pe publicacao de um poe- ,. rnm, ..,., ,_T .
j j came i omi'ia sa i irosa, abenas nm nennenn mi-
ma pico sobre as garras eos destinos de Mario,l mpro ,liri,u. um p.queno nu
seu grande compatriota. meP? d V,f "M "',mn "*> e ,al ",a,s l,,an!0
i pre-tara ellos verdadeiros servicos. A distancia
Roma passava eulo por urna des*, crises ira- S^T! 22?; T ?'''" ""S-' V"
gcase supremas que agitara os imperios ou as ^ferera n'
repblicas no momento em que suas instituicoes
as tem elevado ao mais alto grao de virlude.gloria,' picaneo dourado anda commodaTiente sobre
e liberdade, a que a Providencia permitle a um os T3mos delgados ; sobre as arvores saltando, ea-
povo chegar. | n,'n,,a de banda, ou em espiral, desee do mesmo
Chegadas a este ponto culminante de sua exis- modo' sempre com a cabeca levantada e a cauda
tencia e de seu principio, as nac5es come^am a em cima da casca para fazer del le um apoio.
estremecer e a vacilar, antes de precipitarem se El,c sal,a com facilidade sobre o terreno em
era sua decadencia, como por urna rertigem de 1ae lem Pr costume pensar, e aonde t rae
prosperidde, ou por urna lci de nossa imperreita guando quer apanharnm escaravelho,urna lagarta,
natureza. um grao de milho que a'gum esquilo dexou chir,
. ou para examinar as raizes mortas das errores, ns
pedagos de pu que jazem no chao, e que aiirahem
as formrgas, o outros insectos de que se sustentara.
As peras, as magas, as hagas selvagm, parecem
ser-lhes asradareis^emfim ef?e visita as planta-
goes de miihov^He usa anda verde e que no
invern furta de (Wfixo dos telheros.
E' o momento em qae os povos criam os malo
res horneas e os RUtern malvados, como para
preparar actores mais sublimes e mais alroses a
esses dramas trgicos que elles do historia. Ci-
cero apparecia na vida precisamente no momento
do complemento e decomposigo da repubfirt ro.
mana, de sorte que sua historia, envolta com de
sua patria, desde seu nascimeoto at o seu suppti-1 Comtade confessamos que elle lera por iw'migos
eio, ao mesmo lempo a historia dos homms raccon e a cobra preta.
mais memoraveis ou mais execrareis do universo; O primeiro Infroduz a pata na habiaciio do pas-
a das maiores virtudes e dos marores crimes, de? saro, lira os ovoa quando pode alcan^n-los, e al-
mais brilhantes triamphos e das mnis sinistras ca- Ruma* rezes os paes ; a cobra conlenia-se com os
tastrophes de Rema. A liberdade, a servido do ovos e ninhada.
unirerso se conquistam, se perdem, se jogara Muitas aves de rapia obrigara o picaneo dou-
durante meio secuto nelle, ao redor delle, e com rado aroar ; mas, em geral, este ultimo escapa-
elle. A alma de um s homem o beo do mundo, ln;S refugiando-se em urna das cavidades visi-
e sua palavra o echo do universo. nha, e nada mais carioso do que o desespero de
A XI que toes tesfemunha pando a rr->are, no niomen-
U pr.nrtpw da repobla romana er.v a junc-go t0 de agarrar a sua prew, e v inrroduzir-se e des-
successiva a principio di Ralia, depoi* da Eurspe appar?cer.
e depois ainda do mundo entao contiendo, a- domi-
nago dos Ramales. Augmealar era saa lei. Nao ? pl*a de V** dour^das- nao feio, prtuei -
se augmenta em territorio seno pela guerra; a P*,me, ''? 1 ""* ^ a ** M^'
guerra era pote a fatalidad* desse povo. Defensi- 'TJ^'x''^"- i 2T "?.* ** ""
va ao nrincinm o ^ forradas. Mas nao obstante* adornos de ater che
*a ao principio, a guerra romana lornentee depois- .
que fazemsobresahir a sua capa de um verde es-
aggressiva, e a-linal universal. A guerra- trac se-
de de gloria, a gloria d popularidade, a populari-
dade d aos ambiciosos o poder poltico. O'trium-
pho em Roma tornou-se urna' nstituico, esta ins-
tiluico dava para assira der um corpo a-fama e
fazia dos triumphadores cantMatos tyrancia '
m \
curo, e a saa veste de fundo ruivo, lavla de par-
do e esbranquioado, nao obstante a dourodnra das
auas azas e o-vivo a.'aranjado que decora o cano
mais retirados, e lem um grande cuidado em pT>r
a entrada do seu ninho em salvo das ihuvas :
por isto que o faz immediht.imenle em baixo de
um ramo grosso. Segu primeiro um plano hori-
sontal, de exlenso de algumas polegadas ; depois
desee em linha recta, e algumas ates at a um
metro de profnnddade. talgo que o ninho c tanto
mais profundo quanto mais velho o passaro. Oj
buracos que examine) tinham em termo medio sete
polegadas de dimetro n> interior, ainda que a en-
trada, perfectamente redonda, apenas tivesse a ca-
pacidade preci.a para dar passagem ao pas-
saro.
O bico de marfim sustenta-se principalmente de
coleupleres e de larva--, o que nao impede-0 de lan-
car-se sobre a uva brava, cujos cachos devora pe
gando se as vinbas e cando suspenso man. ira
de melnarncos.
Elle prefere OS Cintos mais elevados; comludi.
se descobre o tronco despedacado de urna arvore
merta, utaoe e demole-u em poneos das. Veem-
se esses autigos moaarebas dae nussai floreras de
tal serte guipados por este yassaro, que os -cus
tronces vaciliantes parece nao serem nmfnnUadoi
que pela montao de earaeos que cerca-os.
A forca do bico de iinrlim 6 tao grande, qoe
presencie? destacar elle de urna si vez ped.-y-ns de
casca de site a oito polegadas de c >mprimenJo ; e,
principiando na exlrcrmdade dos ramos, descascar
em algumas horas urna arvore morU naextensflo '' n"u
s Tinte e cinco trinta-ps. Fazia isto sallar.-!" '-"' '", -
para traz, agitara a cabera da direita para a ee- Qnal Serpe dift>rme t
qnerda, apoiara o ound sobre a arvr-re para as- Qbe ahi
segorar-se do lugar preciso em que estotam na 7;ie um
vermes, e contmoava o deseaeeameate com novo Afl ,,
ardor.ao passo que a sua forte voz exprima urna ;
vivastiisraeio.
O casal contina nnido, anda depois da partida A itada r
da mnh-ida relo we a temara destes picancos E c rallo nociur.
mira tanto quanto a uaexislencia. Do -.vnir
Rogi ki med nbo na mm
i m
O bosq i rerV, i MMh h\.nda.
A misterio 0 Tiiitirj
M ni i- f hu!..- onde a ruta s-m-
E de 1. i
Kis ahi Ir- Mol
D pro-iiibule iiinif 'toada
De bea luage a psala anaa
i ugindo--:-n! ai.
K pensa-
se harnease i
K ja mu!"- nK, -tjsK.-
Crese
Do n i:. qtn \* rt
Km I
As I
Porque i i
As llores da
V> vicio leu r

basa
fu [
Espera..
II
K' nou
est longe de ser 5o bello como o picaneo de bico
r> marfim. i, bo trage des', a rr e c-estylo de
van-Dirk ; o preto bhlhante largamente ertendido
iZnTZ^T^T detr;U,I,ph0Se sobria cauda, o branco tao bem debnnd. das
Z mrnTdn? P rP* grandeS e:terC," d0 PCSTO^ e*"ieo, realcado pelo neo car-
tos, lomados qnasr permanentes, se tornaram mm ,..., j jT_,il
huihmim mili. r tL 7. Ji mira da poupa pendente, e pem brilho tfts o hos,
Zn"2T:r T exercos per- me rerorn-aram ?empre as Zm&mm vrovc-
manantes sob a. nstitaicao a mais fatal liberta- coes desse artiga, inimi.avel.
de e ao poder, inteiramente moral, das lers,. Os
Quando- o bico de marfim est no chao, elle di.
irige-se lo::o para a aore mais vzinha, sobc-a co- K' d saea !--rr
rajosamnte com graade ligeiresa, e chegaJo ao >,a srrTa '
come, escndese e agacha-se. An quanto 3be, i ^
das pennasdae-azas e cauda, o picaneo dourado |descrerendo urna espiral, prolere o seu pZ, ao-i, ''
quasi a cada- sallo que 4. e cala-sa logo que ckeoa S* ar''
; lugar em que se julga seguro. Algumas veiesI M*t 'l'"
qne ficavam reunidos em legioes as provincias
conqaistadas, ou na Italia comegavam a elevar
seus generaes cima do senado e do povo,-.e a
formar pro ou contra esses generaes grandes fac-
. .... ,-. .......-----i f> u ninii-a essss generaes eranoes rae-
sume o conten talvez em urna s alma as virtudes
das almas de cero geracoes.
VII
Essas altitudes e esses gostos oratorios e littera-
$oes civis. Os que eram liceucrados depois de se
Ibes ter partilhado torras formara m na mesma
Ralia e nos campos de Roma miemos de descooten-
tes pimplos a tomarem armas-, sua nica profis
---------- ..,., ui.iuura c Mio-i.i- r......i-- .......i un .iiiii,..., sua uiiie.i jutla-
nos da familia do Cicero, e a ternura que se mu- ^> e a dar bandas ou legioes as sedicoes polfti-
da em ambicio por seu lilho no corago de urna r
nol.ro mae, fizeram crear as Iettras gregas e ro-
manas a crianca que cedo promedia tanta gloria
sua familia.
A lilteratura grega era entao para os jorens ro-
manos o que a lilteratura ialina M depois para
nos : a trajiego do espirito humano, o modelo da
hngua. o grande predecessor de nossas ideas. A
rpida e unirersal intelligencia da crianga fez an-
tes una exploso do que progressos as primeiras
liegoes que recebeu sahindu do bergo, sob os olhos
de sua mae. Sua vocago para as cousas intellec-
tuaes fui tao prompta, to maravilhosa, e tao un-
nimemente reconhecida em torno delle as escolas
d'Arpinum, que elle provou da gloria com que de-
via embiigar-se quasi eomegando a viver. Os me-
ninos seus rompanheiros de escola exponiaaea-
mentco proclamaran! r dos estudantes; conlavam
a seus paes, voltando d'aula, os prodigios de com-
prehenso e memoria do fiiho de Helvia, e Ihe fa-
ziam por si mesmos segui-lo al porta de sua casa,
como a um patrono de sua infancia.
Quando a superioridade desmedida entre as
changas e os homens, nao suscita inveja ; soffrem-
na e proclamam-na como um phenomeno, e como
os phenomenos sao solados e nao se renevam, nao
humilham o ciume, espanlam-no.
Tal era o sentimento que inspirava o joven Ci-
cero aos filhos d'Arpinum. Porque nao inspirou
elle um to nobre e to honroso, mais larde a Clo-
dio, a Octavio e a Antonio ? 1
VIII
A poesia, esta flor d'alma, o aflagou .primera.
Ella o^sonho da manha das grandes vidas, con-
ten em sombras todas as realidades futuras da
O bico de marfim s habita n,tn parte o'os Esta-
dos-unidos ; nao ha qntm se-lmbre da jamis
t-Ios visto nos estados do cenro ; e en .-jejihiim
lugftrdesta regiio. a nalureza tas florestas-parece
conv-.r a seus babitos.
VIndo do nor, na embocailnra do Oblo que
elle encontrado pela primera re ; depois- rislo
freque-ntemente r.as margens tft Mtssissipi, qnr
nos dirijamos para- o snl, quc para o fhsotiri.
A Isste, elle parece- ter a Carolina do norte por li-
mita, posto que se possa r-lo mras rez. no es-
tade -da-Marrland; Vos o acharis: a ees* em to-
da* as florestas e'pessas que l.owlam os aifluentes
d grande rio ; matos terrenos baixos ra Carolina
do- snl, da Ceorgt*, d-i Alahama. do Mf*eip. p
da Cnisiana sao- os hlgures que prefere. Erte rt><\-
de coostantemenie, faz o sen ninho, e passa dias
E como fosse abrigado a responder mais explici
'ament, accr-wenton :
oas, aos tribunos demagogos, cu a genera*^ am-
biciosos. O senado e o poro estaram pois prestes
a,ser dominados e subjngados em Roma pela pro-
pria guerra e pela gloria que tinham destinado a
subjugar o mundo. Tinham enviado tyraaeos ao
mundo e o mun-Jn vencido recambiara Ihe* tyrau-
nos domsticos. J a espada zombava dasleis; j,
sob um respeito apparente per a autoridade nomi- fetEes nns W"*rioe panlanos desta restao, onde
nal do senado, os generaes e triumphadcres mor- acfla em ammdaoea o alimento do sen iosto.
canciavam os cargos, os consulados. Os.governa- Qne nao possa eu pintar-vos esses charcos pro
dores de provincia trocavam suas lesioes ou se fundos, cobertos de cypresies gigantaseos, cujos
emprestavam seus exercitos, para aeree- de novo ramos vigorosos abrem-se ooroo para dizer ao te-..
entregues nn-tempo prefxc-pelas leis. Roma nao nerario que pare, e reniel nos obstculos que I mendigo.
passava de urna grande anarehia dominadora do esperam-n'o aa nao po*a en descrerer-ros e- Responden este, maravilhsJo do desprono-.ito
mundo no ettenor, mas onde os cidalaos tinham sa solidolinaccessivel onda ramea astameos eiK
cedido a reoljdade da soberana s legioes, onde a todos os sentidos, enormes- arvores que azem te
constiluieao apenas conservava suas. rormas, onde chao, cipas,.adineres de berras trepadeiras *-
i innt bar
l jr.-.p-'m -.'-ir
'
Di ;iM. da
wga-se tao .oftement-j peies pe* qce tica agarrado Laocaade o por i
; casca mu-as horas depois da sua morle. Quaadoi
o apanbaes com a mo, o pe perineo, elle vos j j^SZaJaS \ -
fer rolentanente com bi.-o e unhas que t-m em i Com as d-a-
eatremo forteo-e aliadas, e vos faz crois feridr.s- ^n'1'1 ''' *
Em-semelbaoteeanjanctun da um grito lgubre eUiOfoeai :h^ appare,
laoimoso. Palavra
------ Camiaha
^ ) padre FeKppe de Oultreaan no sea Mopoj 'Ju"'" "
CMtt, puU:eado em liS, conta algons casos-
curiosos a respeito da confiasaa.
eferindo as-FsVss Aos Pttre do Diserto, ii
qce-om des'e penosos solitaeios nu cm da, por
Bf-neeial favor Je Deus, o demonio, que Mdava oc-
>e-j-girodo ctUroie, parar prximo a todos c* *8 ei' J**
fSBfessionarit^ oside havia pseilenles. ~nfi* a> "*tva'- e -' "*"
'.re.igiosos.tiuriopergu^-Hie.e.nomedc.r:
l**us, o que andar por ali fajeado ? P um sreoo raen
Ando restruindo, resporjleu-lhe o cwiiescen ,:'""" ",;
;ate demonio. K m"a'ite '< '
Avanea .-ti-ga. Ode a ,, r i
E entra eg u-r ,> -.pfcir ta
>"a lar.-ira naciezaa nm ,'H>ir I-b.
Brota d*un ><>. ;-\.i .- aaema
Koubei a esta gente a vargonlia de peccade O miserrina
quando estavm para o commetter ; restiiuo-lh a n"s l,>tT r 'rr,aln" u n- 'r*'-
agora em.Ua.ddse para que se pejem de o coa:,' rq"e
i e;-sar I
Pediu um dro em certa estrada a bolea a v.:n
os geuerac* eram tribunos, onde as- faegoes erara, mam
campos.
Tal era o estado da reuublica romana quando a
fcarreira intraasitavel ?
yue nao possa eu -ros. fazer oomprehender os
joven Cteero reslin a toga viri!e comecou sau Derigos d**>9 terreno, sujo lodo aler tsamente
papel de- cidado, orador e magistrado na se a C00ftr, l,l,l"na alcatf de musgo, esmaltada, d^
lirios e golphSes, alcatifa lamaceota que, cedeado
presso do p, poe em.porig* os dias do impru-
do tesapo.
(ContinHar-se-ha.)
l'JJ POUCO 2 TDOO.
O Sr. A. do Mondonga offerece-nos a s*^uinlo
Iradueco :
O l'ICANgo D AZAS DOlHABAS E OPICANQO Di WC0 DE
MARFIM.
dente que calca-a ; oque, raeludo em muitas .par-
tes, dexa rer a agaa lodosa que oceulta b F.gu-
rae-ves essa atmosybera snflaeante, esse ar pesti-
lencia que durante o esto abafa aquelle que risita
semelhantes lugares sempre cobertos de sombra,
orkJi! o onvdo i assaltado pelo grasac.das ras,
silro dos replis,. mugid do crocodilo ?
Quantas rezes, leitor, pensei na dfferonga dos
Logo que apparece a primavera, a voz dos pi- -------------v-
cangos dourados se faz ourir do cimo da? arrores papis que, ne*le mando, iabem pon sorte aos he-
mnxl^^ .x nr-Alf. ._i_________ in.in: miinl i I,-, n.i ., .1,. -,.... _.,..: .. __ i ..a. ..
moras, e proclama alegremente a entrada da o-
ra eslagao. A linguagera destes passaros um n
mens, quand(^ longe dessas regioes. nwdonlias, eu
ria o especulador apressar a pello de- um picaneo
so probngado, que oure-se de muito longe e que de bico de marfim, e admirar-se orqae o indiri-
n n 1,1-,, .* L. .,1.,,.^; nr..u..____,___ j..^ .______^____ __ .
na a pobrei"
Cesa
Suaa li land* es jcosV
D ^:>'r ; .,.,
,
S. t.iv I i ,
F !mga i de rm Moau
LamU a oedci
v.w ..ni cumulas iuu.is as leaiiuaues muirs aa i ....... -t.- #"- ------ ii- ~ .....,..- ju uv |iuimu mwiiram-se por ei
existencia, move os phanlasmas de todas as cousas a propria alePria- Muilos machos perseguem do que perseguir o passero aavs desses clur- Por ella triste a sertanejo twavo
antaa .ia m. ...____i., ...._______,_. I u'na femea, e, para orovar-Ihe a forca de sinceri. coi, pedia-lho urna meia coma mu tmc.-i nsea .mi n,,f, ..... a.________-
antes de mover as proprias cousas ; o preludio1, U'na femea' para Provar-Ine a bfea de sincer- coi, pedia-lhe tima meia eora em troca dessa pe
dos pensamentos e o presseniimento da aego. Asda(ll! da sua Paix5o, curvara a caneca, abrem a le que obtivora com perigo da sua vida, prepara-
naturezas ricas, como Cesar, Cicero, Bruto, Soln, Icauda- caminham de banda, para diante e para di com meslria, o transportada a milhares do mi-
Plaio, comecam pelaimagiago e'a poesia ; ,m eo-n movimentos e Mtos to graciosos, que lhas ^ '"-?ar e" luxo das seivas superabundantes nos hroes, nos
homens de estado, nos oradores e philosophos. In-
feliz de quem nao tem ido poela ao menos urna
rez na vida I
IX
Cicero foi poeta mui novo ainda, por muito tem-
po e sempre. Nao foi to soberano orador senao
porque era poeta. A poesia o arsenal do orador.
Abr Deroosthenes, Cicero, Chatam,Mirabeau, Ver-
gmaud : todas as reze em que esses oradores sao
-ubhmes, sao poetas. O que se decora de sua elo-
queocia, sao imagens e paixoes dignas de ser can-
tadas e perpetuadas era rersos.
Ao sahir da adolescencia, Cicerojpublicou mui-
los poemas que o collocaram, dizem as historias,
entre os poetas afamados de seu tempo. Plutarcbo
affirma que sua poosia cgualou sua eloquencia.
Ao mesmo lempo elle estudava a philosophia nos
mestres gregos dessa sciencia que a todas abrange;
segua s-'bre tudo as lig5es de Philon, sectario de
Plato. Abriu assim sua alma por todos os poros a
sciencia, a sabedoria, a inspirago, a eloquencia.
Recolhendo quanto tinha sido pensado, cantado ou
dito de mais bello antes delle sobre a trra, para
formar em sua alma ura thesouro inexhaurivel oe
verdades, de exeraplos, de imagens, de elocugao,
de belleza moral e cvica, elle tencionara augmen-
tar e esgotar esse thesouro durante sua rida, para
! traz con movimentos e gestos to gracioso!, que
! seria preciso um temperamento mais que surum- sonVido.... Mas roltemos. ao bico de marflia !>eu
i banco para nao rir com e-les. A femea roa e rae ro cheio de graca, alada que delle use .aras
pousar seWe^aarrore prxima ; seguida de vezes, e que renore o impulso das suas atas antes
perto por seus W*** pxeleudentes, algumas Ce ter esgo.ado a sua duraeo. Elle pasea de nma
vezes em numero de c.nco e seis 5 e a mesma ce- arvore para a outra, de urna s r-roada de remoma renova-se. Nada de combates, nada de vendo urna curva elegante, como se s nixesse
ZLen,nnlrrSrVafiS:Hfrm g',lanteS 8t 'ibrar"se as azas entre os dons ciroos, anda mes-
momento em que um del ese preferido, eento moque a sua distancia fosse de o tonta ou cem
rao procurar urna outra bel a. rd^c ,, i -----
n iJardas- SUa P,ul"ag"i ""Ottrwe entao em toda Daquelle corpo os candidos mysiehos.
x oucar um tronco d'arvore, e a sua belleza, c impressiona vivamente o especj Divino sangue Ihe realca as veas.
Neste estado mal posso le um real, quanto mais
una bolea.
Bocea; que tal ossestes K elle a v,
nao eslava o maifeitor naquella boea.dtepesto Laaca-!ne cap cima aa> ara bm
para recusa.^ e crente de r^ie em capa o andrajos i ^b***"** eila, rrv, !b d.. 1
de pobre ha quasi sempre mais, emurtoraaL, do-,'.
que elles crtzem, ou parecem ter, atiror.-o ao men- Dut
digo e matou-o! l Roginde :a um
Foi-lbe em cenl.nent. s capa, e encontrando nos A punaai ida 11I1
remend vinte moedas ti ouro de bcni cunho ex- Sja osle Hefjo oae en -1
clamou i *t;r d>pedida niic .
- duerna alma deste marolo aonde ir pa-' f, f U"1""1'" '
Ha .,. ir;iI1| u ,;j.: 1 im calaaer
j Qoetesaado-a Ih* dtixua n
J comecava 1 ,
IA paeot dus n .-. a 1
[ E a~ Bdres C ni .rl I I
No momento e -:,
Aes pas da virpea saal 1 h
No lvame ,1 -jrnr .1 .-isj cii*..
CoBM cruz de di sgale
E suavsima-
Cantavam
l'a-sava nm ravailr
D'agilado ror.-el. i^on as rbas -n-i
Olhos lorvus, raaa 1 ru
Que os basas matiaa Ir- ..
Era hornvel. it a
Oiic madruga a-^raul^. u .ro d. po-
lla gaiairsoa, a sa aaaaoi daan -
Nanea vi de maah.u rn
rar !
E' 3o Sr. Toldas B. de Menezes osia
LOMBA RUSTICA
{Ao mcu amigo.A. Coireiaik Catiro.)
Coma um perfume que embalsama os eagapos
E as abelhas attrabe a flor que o exhala.
Vaga o renome da mulher a,s& boda
Qoe na selva se viu. Rivaes perdidos
Ja no punho modiram-se por eila
Que amostra da corage a er e a seiba
Sangue as olhos e suor na fronte
Dexou lombar, aos ses.do meio-dia,
Pelo ermo acaoega atoEmentada.
I. se avwta urna choga. Ali se esconde
No seu einho de palha a ave esgarrada.
Caneada e louca o s ma sealira
Nesse banha do cu fervendo enlstanos
Que seu dormir. Sobre ella arregalados
Da noute os astros aira vez das frestas
No leilo vin-na estremecida, anciosa
Revelar ao seu anjo espavorido
E do somno emergindo a face ntida
as al vas carnes ducemente escorrem
_ IVpni| wvvv mnpvoi w uiButv mmmm pea----------------"" *"-J -* ** uao,'ai cutid C
gluria de sua patria e sua propria gloria, ramoria- toda a sua alrgria e orgnlho ; e se possuir urna
lidade terrestre de oue os homens daquelles lempos numerosa familia, contribue para a felicidade, os
faziam ura des flns e nm dos pregos da rir- '
lude.
Segua tambem assiduamente pele raesmo lempo
as sesses dos tribunaes e do Foruro, este tribunal
gos, libertos ciernes e c.dadaos romanos salros das deliberagoes polticas diante do poro, estudao-
por seus talentos o acompanhara quando airare,- de, Tendo obrar os graildfS rae$,reg da tribuna ^
apressa-sa em fazer m buraco asss espac/iso; tad r.
que possa recebe lo e sua ninhada. L ,am,-
Quando o macho trabalha, a femea esl ianto "loando roa,excepto na estagaodos "'"'s "-" uucemen.e escorr.
delle, e fe.iela-o a cada bocado q^ra Se elle ""T "" ** ? ^ ""^ 0Uvlr >ogu que ; ^ues hos azues de ondas celestes,
est fatigado, e..a contina a obra; e elle, em- f2L\^^0^^^ ^ Abandonada assira de riso era riso
quantofleseanga, entreten, a coraoanheira cora osZmSk!. ** fam0i De SOnho em sonhQ d,latandoMRracas.
mais tornos objeclos. E' assim que finda-se a sua Nao accorda, desbrocha, abre com as llores,
toreta. A voz do bico de marfim clara, forte, quasi las- E a estrella da manha Ine accende 0; olhos
ETtaloprazer que experimentara, que sallara ;imosaj oven>-n de muito longe, talvez na dis- Inquietos, grandes que borbulham dalma.
nos ramos, sbem e descere, fazera sobre o pu .tcenlos novecentos p.ssos j ella pa- A' esmo lavram nos seus lombos rgidos
um ruido de matraca com o bico, afugentam os "" 0m S "* "gadog da olarinela ; e ** Lours cabellos nctua.ido espartos
morcegos da arvore em que se eslabeleceram des- t* S S"aS ?,aS $ .sn,*ce,,em ordinariamente Como urna irradiado du sol nos mares,
aflam os amscato para que entrera na sua habita- W"S P ****** nelas duas !*" ^as,. abundante Pesa-lhe nos hombros
gao ; e cacarejando de vez era quando, nutren, se Ei^ ^ ,, *! T?** "^ mm ? *" daS ""^ balaDfiada& ~
abundantemente de crtcopUres, urm.gas e larvas deCObrem "*wt* *>"e as Profere> e muilas ves L,,," l0,reu,es 1ue d'um monle cahem
de toda a especie. Causa da sua mortp- E'" suas oudas ru,ando aras d'uuro.
Cnca-se o picaneo de bico de marfim, nao que E has de ver: -este archanjo conderauado,
elle seja nocivo, como certas pessoas o suppoem, ^sla pouiba cahio em lago ignobil,
mas porque um bello passaro, cujo rico adorno Ksla mulher se mancha era lodo infame.
de cabega, inclusive o bico, serve para enfeitar o Presuma com seius de dunzella
sacco de chumbo aos nossos cagaderos, e um dos Off'iece aos beijos vis aquella testa
Da Smam fil*t,ai
segu :
asea ion
Ceaeare como ajanan
muilos amigos que me vistas*.
Ora rejam' B ,-n pensar,
contrario.

i
seaaara*
I mmfu al*.! t m,a..,
erabea. E *>js#*. do nabo .1. -'

Em menos de quinze dias, a femea poe quatro,
cinco ou seis ovos cuja alvura e transparencia
picangus dourados sao muitofellzes, porque oro- SaCC ae,chumb0 aus noMOS cacadores, e um dos Ofl.ece aos beijos vis aquella les
duzem duas ninhadas por eslagao ; donde podis rnatosdo raie de guerra da maior parle dos In- Branca, pendida, como la baga
concluir que ha abundancia delles. i "'*" Vl 8randes onee* cojos cin,os estavara in" La Dara ccaso,-ao despontar do da.
., teiramente cobertos de poupas e mandbulas desses E nem sei como os soorus da lascivia
Ate mesmo no captiveiro ; o p.cango de axas picangos : elles do-lhes a maior Importancia. Fi- Nao murcharam he La es Z^.
douradas jamis se de.xa aba.er; coqserra bom nalraente, os v.ajanles de todas as nacocs proco. I Melbas d > rl"o e me. -^ hl '
Sppe,Ue ; e, para dis,rahr,e, fura despeda rara egnalraeoie os despojos deste passio. | ^It ^Z^Z "^
Porque chora, rmnlu
Pois nao hei .le rhorsr
do *...... elle que era |
vida I Nao imagina coetn
felu se -o*Usse menos
mulheres e de estol fosa _
Com effeit.., mnha sen!
indulgente para oj \ hv.

Do que mais BJHa o.
nhora ?
De raen primo Joca, e > InuL,
roes.
Com qoe anan nber
de Maiu, arrevciMM ao aesac r
sobre Dome de Cu^IRe r
- Fui para mostrai
coc//io.
11 "'
qte
1
Mandei-o ehamar. d-uior. 1
me pode salvar. Ate agora ireeaen aaadna
homeopalhas, nada bz-ram elle< |
ma. Eslou iraca: nao le neo pasan a>
franqnrza, pode curar-ssc *
Soa (vaneo, aMaaa seaaora a _
cas de cura-la. Sen pulso csia resasse
fraqueza ha remedio Vanan* entrar V
mente.
Bem se diz, doctor, ojee so a
ji e sade.
PER.NAMBICO.-----TVP DF M F rF.
-
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E51VMK8YV_E3LJX4 INGEST_TIME 2013-08-27T21:47:30Z PACKAGE AA00011611_10555
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES