Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10551


This item is only available as the following downloads:


Full Text

.
aiiso n. pggao 295
Por tres ezes adiaiitddos 5$O00
Por tres mezes vencidos 6$UUU
Porle ao correio por tres mezes. 67oU
SABBADO 21 DE DEZEMBRO DE 1864.
Por amo adiactado.....19$00O
Porte ao canto por una auno 3$l)UU
C ARREbADOS da bUBsCRU'gAO NO NORiE
Paranyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, e Sr. Amonio Marques da Silva; Aracaty o
te.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos'de
Olivara; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C: A-
mazunas, o Sr. Jeronymo da Costa.
KNCARREGADOS DA 8DBSCRrPCAO NO SL.
Atagas, o Sr. Ciaudino Falco Dias; Bahia o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pa-
riera Martins & Gasparino.
JtaRIjA DO EifAFElAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Paranyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anuo, Gravan, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altmho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ouncury e Exu' as quartas feras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barra-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas ,'eiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE DEZEMBRO.
* QUarto cresc. as 5 h., 11 m. 56 s. da m.
13 Loa cheia as 4 b., 32 m. e 26 s. da m.
21 Quarto ming. as 2 h., 42 m. e 58 s. da ni.
28 La nova as 7 h., 1 m. e 44 s. da m.
PRBAMAR DE HOJB.
Primeira as 41 horas e 42 minutos da macha.
Segunda as 12 horas 6 minutos dajiarde.
PaRxDa UO VaxORo U)S._JlO;.
Para o sol at Aiagas a 6 e 25; pjr* o raorte at
a Granja a 7 e 22 de cada me; ; para Fernando nos
dias lidos mezes de jan. mar;.,iimio. jal. sel. e nov.
PARTIDA DOs OMNJJLS.
Para o Recife: do Apipucct. as 6 '/,, 7, 7 i/i, 8 e
8 Vi "da m.; de Oiiuda s 8 da ra. e 6 da tarde; de
Jaboato s 6 >/ da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Henifica s 8 da m.
Do Recite: para o Apipucos as 3 Vt, 4,4 %, 4 V,
5, 5 V?. 5 7, e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manha e 4 '/ da tarde; para Jaboato s 4 da
tarie; para Cacbang e Varzea s 4 '/, da tarde;
para Bemfica s 4 da tarde.
aUBXNC-s DOS iRBUNABS Da CAPBL
Tribuna; doconrawcio: segundas quintas.
Relaco: tercas e sabbai-.M s 10 horas.
Faxenda: quintas as 10 horas.
Juizo do commsrcio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e- sartas s 10 noraa.
Primeira vara do civel : tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a i iora
da tarde
DIAS DA 8BMAJIA.
1!>. Segunda. S. Daro m. S Syndoao m.
20. Ter^a. S. Domneos de Sito al..: Moa
21. Hilarla. S. Tliollic ap. : S. Xli. ini.-lirlr- m
22. Quinla. S. Hnorlo m.; S.Flaviaoo m.
13. Sena. Ss. Mi|nlanio o Mardonto un,
24. Sabbado. & Delpiun. h ;S. Tarsilta m
o. Domingo. N;iMiiiicni. de 5. s. J. Gfcnete
ASSIGNA-SI
no Recife, m a ivraria da praca da Indcfaden
cians. 6 8, dos proprietanos'Manoei Ficn-ir
d* Faria h Filho.
PARTE OFFIGAL
(OVKKX) DA PROVINCIA.
CoHlinuafo do expediente do dia 20 de drzembro
de 1801.
Olllcio ao Exm. presidente da provincia das Ala-
gas. Pela leitura da informago do coronel com-
iiiainlaiiic das armas desta provincia, constante da
copia inclusa, Reara V. Exc. rnteirado de que nao
pos.-ivel por a disposigo do coronel reformado
da guarda nacional Francisco Joaquim Pereira Lo-
to, sem que preceda ordein do govt-rno imperial,
a prafa montada que V. Exc. soheitou em seu ofD-
cio de 13 do correle, para servir de ordenanza
ao mesmo coronel.
- 2i
Cilicio ao Exm. presidente da provincia do Ma-
ranhao.Nos dous folhetos que aqui junio encon-
trara V. Exc. o reglamelo li~cal da coinpanhia
de illiiminago a gaz desta provincia, bem como o
contrato feto coin a mesina compauhia, e deste
modo julgo ler satisfeito a exigencia constante do
sen ollici datado de 9 do correte.
Dito ao Exm. visconde da Boa-Vista, comman-
dante superior da guarda nacional do Recife.
Srvase V. Exc. de informar se guarda rernisso
o individuo de nome Fernando Antonio Correia,
para quem se solicita dispensa do servigo da guar-
da nacioual no incluso elBao, por estar exercendo
o lugar de inspector do dcimo quarto quarteiro
na freguezia de S. Jo>.
Dito ao mesmo.Ao olllcio que V. Exc. dirigi-
me hontem sob n. 137, respondo declarandolh-,
que a torga da guarda nacional de>te municipio
chamada ltimamente a servico de destacamento,
deve ser rendida de dous em dous mezes, como
se pr.uicou em outras occasoes de aquartela-
IlUlllO.
Uno ao E*m. conselheiro presidente da relago.
Fagochegar ao conhecimeuto de V. Exc. por co-
pia o oflicio que nesta dala dingio-me o coronel
commanoanle das armas, atini de que passadas s
ferias se digne de providenciar para ser julgada
coin a possivel brevilade, a appellago inierposla
pelo soldado Bernardo Vieira da Silva, da semen-
ga que em ses-o do jury do termo de Agua Prela,
o coiidemnou a 20 annos de gales.
Dito ao coronel commandnie das armas.Da
nformaco junta por copia, ministrada em 19 do
con. ote, pelo coiiiuiandanie superior da guarda
nacional deste municipio, ver V. S. a razo por-
que o batalho numero 2 de infaniari: deixou de
dar guaruicao a prafa no dia 18 do con ente.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar -
ceVolPcTy (jue pede no incluso requeriineuto Joo
dos Sanio Fanas.
Dito a mesmo. Annuindo ao que solicitou o
nspeclorjda thesoararia de fazenda em oltlcio de
4.1 do ciWrenle, sob n. 721, recoinmendo V. S. a
Bxpedicji de suas ordens para que os prets de ra-
ro 's (J/e elapa abonadas a recruias em deposito
nesta apita, sejam de (ra em diante remeltidos
direoiaiiieme presidencia, alim de que esta Ibes
de o conveniente destino.
Dito ao mesmo. Antes de receber o oflicio de
V. S. de hontem sob n. 283, j havia expedido as
convenientes ordens para regressar a esta capital
o teiieute do nono balalhao de iufantaria, Manoel
Erasuiu de Carvalno Honra, coin as pracas de pri-
meira linha une elle eommandava na villa de Ipo-
Joca, para onde mandei seguir um destacamento
de pravas do corpo de polica.
Diio ao mesmo. -Queira V. S. informar acerca
do que solicita o coiiimandanle superior da guar-
da uacional do municipio do lUcie no incluso o-
ficio.
Dito ao mesmo.. Transmuto V. S. para seu
conhei Hlenlo o ollicio em original, que em dala
de 19 do crreme me dirigi o delegado do termo
de Sanio Anto, e que me ser devolvido, com re-
ferencia a praca de cavallara que d'alli regressou
para esta capital.
Dito ao Dr. chefe de polica.Pelo seu olTicio n.
1586 de 20 do crreme, liquel inleirado de ler V.
S. n'aquelia dala nonieado a Mauoel Jeronymo da
Co-la Lehoa, para substituir o guarda da casa de
deteugo Mauoel Antonio Freir, que falleceu no
da 19 do correnle Commuuicou-se tliesourana
provincial.
Uno ao mesmo.Devolvo V. S. a represeula-
^ao de Manoel Pereira Quaresma, que veio junta
ao en olllcio n. 1388 de 20 do crreme, para ser
asiguado o despacho nella proferido em 19 do cr-
reme.
Dito ao mesmo.Respondo ao olllcio de V. S. n.
loHo de 20 desle rnez, coin referencia a outro do
administrador da casa de delengo, dizendo que
mandei retirar desta seis pracas da seeco urbana
do corpo de polica, por julgar de summa necessi-
dade, e a.sim o exigirem as urgencias do servigo
publico; e que se ha guardas daquelle eslabeleci-
mento licenciados, convin que V*. S me envi
seus uunies para providenciar a respeito : calien-
do accrcscenur que os presos a que allude o refe-
rido administrador podem ser conduzdos a pre-
senca de V. S. pelas pracas da mesma secciio ur-
Laua ijne anda all licaram, ou pelas 12 ou 14 que
eslo as ordens de V. S. como consta do mappa do
respectivo corpo.
Dito ao meMiio. Ao olfleio n. 1583 de 20 do
crlenle, em que V. S. trouxe a esta presidencia
as pooderacoes feias pelo subdelegado supplenie
em exercicio do pnmeiro disinclo da freguezia da
Boa-Vista desta cidade, por occasio de reduzr-se
o numero das pracas da seeco urbana do corpo
de polica a sua oispnsioao, respondo dizendo, pa-
ra que laca consiar acuelle subdelegado, que lo-
mei aquella provideucia por se fazer precisa, po-
rm que aiuda licaram pravas na Kibeira e a sua
disposico, e que para alguina diligencia pode re-
quisilar as que forem necessarias; que o que faz
apparecer o zl da auloridade policial, fazer
inuiio com poucos me os: e que nao possivel
que a ante sala de cada urna das autoridades des-
la cidaJe, se pareca com um quarlel geueial, quan-
do lia tanta deliciencia de torca para os servieos
Oais urgeutes, havendo pontos no interior, onde
por faita de um destacamento as cadeas nao sao
guardados.
Dito ao inspector da thesouraria de azenda.
Inleirado de quauto V. S. expz era seu ollicio de
13 do correnle sob n. 72i, procurando saber se o
lente coronel recrulador oeste muuicipio e no
de Cunda obrigado a inlemnisar a fazenda na-
cional a importancia das raeoes de etape abonadas
a tres recrutas coustanles da nota que veio anne-
xa ao citado olllcio, os quaes seudo remetlidos pelo
preduo lenle coronel para o deposito do nono
batalho de iufantaria, foram, passados dias postos
em liberdade. uns por ineapazes do servico e ou-
tros por apresenlarem isencao legal, tenho a dizer
em resposla qoe, conformando-me com a opiniao
do contador lessa ihesourai a, entendo que o re-
crulador s dever Bear sujeito a iudemnisicao
dessa ordem, quando tiver procedido de mi f o
que uo se prova ler acontecido p prsenle caso.
Aunuindo entretanto ao que V. S. propoz no fi-
nal d'aquelle ollicio, acabo de expedir as conve-
nientes ordens para que, os prels de etapes a re-
crutas em deposito nesta capital, sejam remetlidos
directamente esta presidencia, para, depois de
convenientemente examinados, lerein distino, a-
companhados das necessarias declaracoes.
Dilo ao mesmo.Transmiti a V. S. para os con-
venientes exames,-' as comas documentadas e em
duplcala da despeza feila no hospital militar em o
mez de novembro ultimo.
Dito ao mesmo. Transmiti a V. S. para os
convenientes exames, as Inclusas copias das actas
do conselho administrativo do arsenal de guerra,
datadas de o e 14 do eorreule.
Dito ao mesmo.Remeti inclusos por copia o
avi>o da reuariieo da marrana de 17 de outubro
ultimo, c a consulla do conselho naval a que elle
se refera, para que V. s., nao havendo inconve-
niente, mande addicionar s quantias recebidas
nessa thesouraria provenientes de descontos para
o asylo de invlidos como pedio o inspector do ar-
senal de marinha em oflicio de hontem, copia jun-
ta sob n. 3, a soma de 803J374 que esl comprehen-
dda no peculio dos aprendizes artilices do mesmo
arsenal e perlence acs sete menores que diserta-
ram e cinco que falleceram, mencionados na rea-
gao, copia n. 4, fazendo-se a respectiva escriptu-
raga de conformidad* com a requisigo do mes-
mo inspector.N'este sentido oIBciou-se ao inspec-
tor do arsenal de marraba.
Dito ao inspector da ihesouraria provincial.
Constando de olllcio do chefe interino da reparti-
do das obras publicas, datado de hoje, e sob n.
351, haver o empreiteiro do lanco da estrada do
Bujari a cidade de Goianna feito 'ire quarlos das
obras do seu contrato, recommendo a V. S. que,
em vista do competente certificado, ejno havendo
inconveniente, mande pagar ao meucionado em-
preileiro a quanlia de 4:7705000, a que tem drei-
to, proveoiente da terceira preslacao do supradilo
contrato. Commuoicou-se ao chefe interino da
repartico das obras publicas.
Dito ao mesmo. -Em vista do competente certi-
ficado, e uo havendo inconveniente, mande V. S.
pagar aoempreileiro Jos Mamede Alves Ferreira
a quantia a que tiver direito por haver feilo entre-
ga provisoria das obras dos l-i, 14, 15 e 16" l-
eos de 500 bragas na estrada do Pao d'Alho a Na-
zaretn, as quaes acham-se concluidas de confor-
midale com o respectivo contrato, segundo consta
de oflicio do chefe interino da repartico das obras
publicas, datado de hoje e sob n. 353.Communi-
cou-se ao predito chefe.
Dilo ao vice-provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia. Pelo olllcio de V. -i. do 19 do correnle,
Hquei rnteirado dos motivos pelos quaes deixou de
seguir para a corle no ultimo paquete a vapor, a
educanda do oollegio das orphas Andrelma do
Nascimento Lobo.
Dito ao commandante do corpo de polica.
Mande V. S. dar baixafao soldado do corpo sob seu
commando. Benedicto Jos Pereira, visto j |tei
completado o tempo de servico e nao querer con-
liouar como dedarou no requerimento sobre que
V. S. informou em oITlco n. 571 desta data.
Dilo ao mesmo.Se est incapaz do servico do
corpo so'b seu commando, Jos Joaqnim de Lima,
a que se refere o attestado medico junto ao olDcio
de V. S, n. 568 de 20 do corrente, preciso pro-
ceder-se de conformidade com o que manda o re-
glamento de 2 de dezembro de 1853.
Dito ao inspector da sade do porto. Rcspon-
dendo ao ollicio que Vine, dirigi a presidencia em
25 de novembro ultimo, tenho a declarar-lhe que,
por falta le crdito nao pode ser autorisada a exe-
cugo dos reparos necessarios ao lazareto do Pina,
os quaes eslo oreados era 93 5900.
r Dito ao director do arsenal de guerra. Faga
Vmc. recolher aos armazens desse arsenal os ob-
jectos mencionados na relaco inclusa, que per-
tenciam ao stimo batalho da infamara, e lli-
sero apresentados por parle do commafldanto das
armas. Clliciou-se ao coronel commandante das
armas.
Dito ao mesmo. Mande Vmc. recolher a um
dos armazens desse arsenal dous caixoes conlendo
o archivo doexlincto hospital regimental, os quaes
eslo depositados na guarda da thesouraria de fa-
zenda, onde deve Vmc. mndalo procurar, con-
vindo que sejam examinados os referidos caixoes,
alim de uoserem estragados pelos cupins.Com-
raunicou-seao coronel commandante das armas.
Ditoao mesmo.Concedo a autorisagao que Vmc
solicitou em seu ollicio n. 115 de 17 do correnle,
para mandar calafetar a sala da enfermara desse
arsenal, nao excodendo a respectiva despeza da
quantia de 6O.3O11O.Communcou-se a thesouraria
de fazenda.
Dito ao juiz de direiu da primeira vara desta
cidade. Cnmmunico a Vine, que por portara de
hontem conced um mez de licenga ao promotor
publico desta cidade Jos Paulino da Cmara, para
tratar de sua sade. Igual communicago se fez
ao da segunda vara.
Ditoao delegado supplenteem exercicio de San-
to Anio.Inteirado do contede do seu olHcio de
19 do corrente, com referencia a praga de caval-
laria que d'ahi regressou para esta capital, por or-
dem desia presidencia de 12 do corrente, e lendo
perfeita sciencia, nao por tradigao, mas por conhe-
cimenlo especial que tenho do modo por que Vmc.
precede, espero que contine a desempenhar as
funeces do seu cargo com zelo e boa vontade.
Dito ao presidente e membros do conselho de
compras^ navaes.Ficam approvados os contratos
que em 5 e segundo o termo annexo ao olllcio de
16, tudo do corrente, effectuqu esse conseibo com
diversas pessoas para fornecerem os viveres, die-
tas e objeelos de consumo que forem necessarios
aos navios da armada e estabelecimeutos de mari-
nha durante o trimestre a contar de Janeiro a mar-
go do anno vindouro. Coramunicou-se a thesou-
raria de fazenda.
Dilo ao vigario da freguezia de S. Vicente.Res-
pondendo ao seu oflicio-de '8 de novembro ultimo,
cbeme dizer-lhe que o inspector da thesouraria
provincial a quem ouvi acerca da materia do seu
citado ollicio, declarou-me que nao se achava com-
prehendido na lei do orgamento vigente nenhum
crdito para as despezas com a matriz dessa fregue-
zia, e por isso nao se pode remover os obstculos
que se apresentam administrago do pasto espi-
ritual na mesma matriz, devendo Vmc. quanto ao
quepropoe relativamente a capella de Cruangy,
entender-se com o Exm. Sr. vigario capitular, que
a auloridade competente, ceno deque a mim
nao so deve o provimenlo de que trata aquelle seu
offleio.
Dilo ao empreiteiro da ponte do Recite. Accu-
sainlo recebido o oflicio que Vv. Ss. me dirigiram
em 20 do correnle, protestando por todas as per-
das e damnos resultanies da demora havida na
deciso do governo imperial, relativamente a con-
sulta que em 13 de agosto ultimo fez o capillo
Domingos Jos Rodrigues, ngenheiro fiscal das
obras da ponte de ferro do Recife, a qual foi leva-
da por esta presidencia ao conheci ment do mes-
mo governo, em 8 de outubro prximo lindo ; tenho
a dizer-lhes que nesta data submetlo a considera-
gao do Exm. Sr. ministro da repartiese da agricul-
tura, a materia do sen citado oflicio.
Dilo a cmara municipal do Recife.Cumpre
que a cmara municipal do Recife providencie
com urgencia sobre o que representa o juiz de paz
do Io disincto da freguezia de S. Frei Pedro Gon-
galves do Recife no oflicio incluso por copia.
Cito a cmara municipal do Rio Formoso.
Constando de oflicio do juiz de paz mais votado do
ldistricto da freguezia de Una, datado de 17 do
corrente, nao ter a cmara municipal do Rio For-
moso al'aquella dala saiisfeito a requitigao aue-
ihc fez o mesmo juiz de paz, de urna copia da ac
ta da eleigao de eleitores daquella freguezia, lti-
mamente approvada pela cmara dos Srs. deputa-
dos, recommendo a mencionada cmara municipal
que satisfaga com urgencia essa requisigao, dando
ao mesmo tempo a razo porque ainda o nao fez.
Communicou-se ao pradicto juiz de paz.
Circular a todos os delegados de polica.Re-
commendo a Vine, que remella a secretaria do go-
verno a relaco nominal dos presos existentes na
cadeia desse termo, que em virtude de ordem do
Dr. chefe de polica deve ministrar com a deca-
ragao do tempo em que se acham detenlos, do mo-
tivo da priso, se esto ou nao processados, e se
sao pobres, certo Vmc. de que nao sero pagos os
fornecmentos fetos aos mesraos presos pobres,
em quanto nao for recebida a mencionada relago
na secretaria relativa ao mez a que se referir o
Dredlto fornecimento.
Portara. O vice-presidente da provincia tendo
em visto a proposta do director geral da nstruc-
go publica, datada de 20 do corrente, sob n. 256,
resolve nomear para os lugares vagos de delga-
dos litterarios dos districtos de S Jos desta cidade
o bacharel Francisco Aramthas de Carvalho Mou-
ra, do Rio Formoso o Dr Ludgero Gongalves da
Silva e de Cabrob a Belarmino Ferreira Padilha.
Communicou-se ao director geral.
Dita.-O vice-presidente da provincia tendo em
vista o que solicitou o director da coinpanhia do
Beberibe em oflicio de 19 do corrente, e atienden-
do a que por portara de '6 de outubro de 1854,
se mandn construir entre oulros um chafariz no
largo de S. Gongalo da freguezia da Boa-Vista,
cuja necessdade era ento sentida, e hoje ainda
mais se reconhece, nao so nelo grande desenvol-
vimenlo que a edificago all tem lido, mas espe-
cialmente para o fornecimento d'agua potavel ao
hospital Pedro II, nnco eslabalecimento publico
que ainda nao goza desse beneficio, aitendendo
tambem a representacfto que a esta presidencia
dirigiram o anno passado os moradores da Capun-
ga, solicitando a construego de um chafariz na-
quello lugar, e considerando que igualmeule se
faz indispensavel outro chafariz no lugar denomi-
nadoCampo Verde -do bairro da Boa-Visto, on-
de a populago bastante numerosa e se v obri-
gada a abaslecer-se de agua potavel que all
conduzda em carrogas e por alto prego ; resolve
autorisar a predita companhia do Beberibe a cons-
truir dentro do prazo de dous annos, e mediante
as vantagens de que trata o 6 do art. 2 da lei
provincial n. 46 de li de junho de 1837, tres cha-
fanzes nos lugares supraeilados, a saber : um no
largo da igreja de S. Gongalo da Bo-Visla, outro
no Campo Verde, e outro finalmente na Capunga.
Fizeram-se as necesarias communicagoes.
Expediente do secretario do governo do dia 21 de
dezembro de 1861.
OIBcio ao chefe interino da repartigo das obras
publicas.O Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia manda remetter a V. S. 30 exemplares impres-
sos do regulamenlo dado em 9 de julho deste an-
no para essa repartigo.Tambem remetteu se
thesouraria provincial 12 dos preditos exemplares.
Despachos do dia 20 de dezembro de 1801.
Requerimentos.
Benedicta Maria da Annunciagao.Informe o
Sr. capito do porto, depois que foi inspecionado o
fllho da supplicante.
Domingos da Cunha e Silva.Informe o Sr. ca-
pilao director da colonia, ouvindo aos concessiona-
rios supplicados.
Feliciano Pinto de Vasconcelios.-Concedo a li-
cenga requerida vista da eformagao.
Irmandade do SS. Sacramento da freguezia da
Boa-Vista desla cidade.Nao tem lugar vista da
informago.
Josepha Maria do Livramento.Ioforme o Sr.
inspector do arsenal, declarando se o filho da sup-
plicante o mesmo menor, sobre que verga a in-
formago constante do oflicio n. 798.
Jos Norberto Cazado Lima.Junte attestado
de molestia passado por facultativo.
Bacharel Joo Diniz Ribeiro da Cunha.Avista
da Informago nao tem lugar o que o supplicanto
requer.
Jos Bernardo Ribeiro.Como requer : sendo o
presente levado couhecimento do capilo do
porto.
Racharel Jos Paulino da Cmara.Conceda a
licenga pedida vista da informago.
Fr. Joo Baptista do Espirito Santo.Informe o
Sr. major director do arsenal de\euerra.
Joo Eugenio da Trindade.Sellada a peligo
volte. y
Josepha Maria do Livramento.-/Seja entregue a
supplicante o seu filho, que so/cha a disposigo
do Sr. capito de mar c guerra inspector do arse-
nal.
Manoel Jos Pinto.Informe o Sr. baro do Li-
vramento, vice-provedor da santa Casa da Miseri-
cordia.
Miguel Joaqmm das Chagas.Concedo a licen-
ga requerida.
Mara Magdalena de Carvalho.Prove a suppli-
cante ser de menor idade o outro filho, que tem,
alm do que foi recrutado.
Paula Maria das Dores. Prove a supplicanto
que viva em sua companhia o recrutado.
Rosa Maria das Virgens.Informe o Sr. barao
do Livramento, vice-provedor da Santa Casa da
Misericordia.
Silvena Maria das Dores.Informe o Sr. barao
do Livramento, vice-provedor da Santa Casa da
Misericordia.
Salyro Jos dos Prazeres.0 filho do supplican-
te vista da informago, s pode ser alistado na
companhia dos aprendizes marinheiros : para o
que devera o mesmo supplicante conduzir dito seu
filho a presenga do Sr. inspector do arsenal.
DIARIO DE PER 1 AMRUCO
Temos vista joroaes do norte at o Cear, tra-
zidos pelo vapor Jaguaribe, sendo : do Cear at
15, c da Parabyba at 22 do corrente.
Cear.Foi condemnado 8 mezes de priso,
pelo jury da capital, o Dr. Pedru Pereira da Silva
Cuimares, no processo de responsabilidade inten-
tado pela cmara municipal.
Parahyba. O algodo acliava-se cotado : !.
sorte 238000 rs., 2." 21*31000 rs. e 3.' 195000 rs.
por arroba; o assucar bruto 13450 rs. e o branco
45500 poi arroba; os conros salgados 40200 por
arroba.
Ficavam carga : barca Asuhodel, patacho
Hollyhock e brigue Alexandra, todos inglezes, para
Liverpool.
A alfandega renden, do 1." 17 do corrente
25:96258u5 rs. e o consulado 17:8505376 rs. -
Durante esse mesmo tempo entraram para o
mercado 2,935 saccas de algodo.
PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA.
Constando ao Sr. ngenheiro fiscal da estrada de
ferr que alguns passageirose expedllores de mer-
cadorias tem deixado de apresemar as suas recla-
magdes S. S. contra fados havidos no servico da
I mesma estrada, pela insignificancia destes 011 por
consderagoes de outra ordem, aquelle ngenheiro
; pede-nos para que roguem s aos mesmossenhores,
que bajam dedar-lhe conhecimenlode qualqoer ir-
regulandade e abuso, que corometlam os emprea-
dos da dita estrada, ou demora e estravio que sof-
frara os gneros na sua remessa ; para o que po-
dero dirig r-se ao seu escriplorio na estago das
Cinco Ponas durante toda a manha ou as horas
de partida dos (reos.
Proprielarios e moradores da ra Nova de
Santa Rita, queixam-sedo incommodo que Ibes
causado pela poeira do carvo de pedra que conti
nuadamente se descarrega e carrega n'um deposi-
to desse genero all existente ; de maneira que sao
forgalos a terem as janellas de suas casas fecha-
das durante esse trafego para assim evitaren) o
damno que aquella poeira causa, estragando-lhes
os movis, as roanas, etc., etc. lm disto aceres-
ce que nao iKidem fuer uso ou servirse dos res-
pectivos quintaos para enchugar roupas, urna vez
estas ficariam da propria cor do carvo /
Segundo nos dizem, os depsitos de carvo no
Rio de Janeiro nao sao dentro da cidade, e se assim
, por que outro tanto nao se faz aqui ?
Esperamos, pois, da pessoa, a quem competir, a
remogo para lugar appropriado, desse deposito
que tanto prejudica a saude, quanto repugna com
o asseio daqnella parle da cidade.
O peridico religioso ito de Dezembro, que
nos domingos se distribue as matrizes, por occa-
sio da mi-sa parochial, ser distribuido amanha
depois da missa de Natal, meia noite, as matri-1
zes desta cidade, e como a cathedral de Olinda se
acha ern obras, e deva a solemnidade de natal, que
os Rnns. conegos costumam celebrar, ter lugar na
igreja do Seminario episcopal da mesma cidade,
ah por conseguinte que sera distribuido naquelle
dia o referido peridico Olio de Dezembro.
Reclaman] contra a inconveniencia de con-
certarem->e canoas e alvarengas as costas da
praia da ra Nova de Santa Rita, o que mullas ve-
zes se faz al no propno becco contiguo ; pois dis-
to pode resultar algum desastre, mormente por oc-
casio do alcalroamento e d'oulros servieos que
dependen) do emprego do fogo.
Esta reclamago nos parece tanto mais proce-
dente, quanto eremos que para esse servigo ha lo-
cal destinado pela capitana do porto, tendo sido
para isto previamente consultados todas as precisas
condicoes de conveniencias e propne'dade.
Ora, na eonvicgo de que tal proceder seja abu-!
sivo das licengas, se as ha, concedidas para serae-
Ihanies comerlos, pedimos que se providencie para
que elle nao tenha conlinuago, evitndose assim
a occurreiicia de algum inceodio.
Na rui do Cabug existe um quintal, cojo,
estado de immundicie sendo um foco de infeegao,
carece de alguma providencia no sentido de fazer |
esappaieeer aquella porcaria.
Admira cerlamcnle que se reduza um quintal a
tal estado.
Somos informados de que tora filho dacasua-
lidade o faci, que noticiamos de haver-se precipi-
tado do 2 andar de um sobrado da ra das Laran-
geiras urna prelinha ha dias, sendo isio mesmo ve.
mica.lo pela syndicancia procedida pela polica!
para entrar no couhecimento da causa originaria j
daquelle desastre.
Rrpabtico da polica.
Exiracto da parte do da 24 de dezembro;
de 1864.
Foram recolhidos casa de delengo no dia 23
do correlo :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe do polica, An-
tonio Felisberlo Monleiro, como sentenciado; c,
Manoel Benedicto do Nascimeuto, como desertor do
7o batalho de iufantaria, vindos do termo d'Agua-
Preta,
A' ordem do Dr. delegado da capital, Manoel,
escravo de Joo Francisco, por mfracgo de pos-
turas.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Manoel Ro-
drigues Serpa, Joo Duarte de Olvera e Joaquim
Jos de saul'Anna, por dUturbios.
A' ordem do da Capunga, Jos, escravo de Lou-
rengo Alves de Castro, por fgido.
O chefe da 2" secgo,
J. G. de Mezquita.
Passageiros entrados do Rio de Janeiro, na
barea nacional Rio de Janeiro :
Jos Antonio de Souza e Manoel Ferreira.
Passageiros vindos do Acarac, no vapor na-
cional Jujwiribe :
Nicolao nmphronio, Antonio Sacaba, Antonio
Virginio, Francisco Salles de Souza, Antonio Alva-
ro Ferreira da silva e 1 criado, Antonio Joaquim
Brito de Olvera, Je.-uino Adolpho da ilva, Juan
Busson, Irineu da Assumpgo Machado, Justino
Rodrigues de Paiva Machado, 2 presos de justiga e
4 pracas que o escoltam.
Passageiros da escuna portugueza Emma,
vinda da ilha de S. Miguel.
Francisco do Reg Braodo, Jos Maria de Fre-
tas, Thoinaz Francisco do Espirito Santo, Joo Bo-
telho Jnior, sua senhora e 3 fillios menores,
Francisco Xavier da Silva Mello, Manoel Lourengo
da Silva, Umbelina Rosa de Jess, Mariana Ignaria
de Belncourl, Antonio Xavier da Silva Mello,
Francisco Tavares de Coulo, Joo Pedro Lei te,
Fructuoso da Silva Olvera, Antonio Jos da Costa,
Maria da Conceigo, Maria da Gloria, Jos Pereira
Campos, Manoel Pavo Pereira de Araujo, Jos da
Cjsla Mello, Joo Pienlel Carvalho, Manoel P-
mentcl e 1 filho menor, Luiz Muuiz de Almeida e
Joo Raposo.
Passageiros do vapor brasileiro Persiiwnga,
sahi 1o para os portes do norte :
Francisco Jos Pereira Cavalcautc de Albuquer-
que, Jos Joaquim de Santa Anna, Antonio Lopes
Galvo, Candido Calisto Galvo, 2 escravos de
Jco Forrcira da Silva, Jos Ignacio Fernandes
Barros, Francisco Telles Cavalcaute de Albuquer
que, a prela Rosa, Francisco de Assis Pereira Ro-
cha Jnior, 1 escrava de Joo (arlos Bastos de
Olvera, Melitana Mincrvna da Conceigo, Fran-
cisco Joo de Barros, Jos Joaquim da Silva
Gomes.
Obituario do cemitkrio publico no da 21 de
dezembro de 1864.
Joo Manoel da Cunha, Pernambuco, 18 annos, sol-
teiro, Recife tubrculos pulmonares.
Anna Joaquina Moreira, Pernambuco. 50 annos,
viuva, Boa-Vista ; phihysica pulmonar.
Manoel Gomes da Silva, Pernambuco, 25 aunos,
solteiro, Boa-Vista ; bronclute e diarrhea.
22
Jeronyma Teixeira, Pernambuco, 32 annos, soltei-
ra, Boa-Vista ; laringite ulcerosa.)
Maria, Pernambuco, 7 dias; S. Jos ; espasmo.
Manoel do Sacramento, Pernambuco, 50 annos, ca-
sado, Santo Antonio; anazarca.
Maria Hila d". Mello, Pernambuco, 72 annos, viu-
va, Sanio Antonio ; velhice.
Joo Jos Mendes, Portugal, 36 annos, casado, Boa-
Vlsta ; phihysica pulmonar.
essvJo, e lida e approvada a acta da antece-
dente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE-:
l o ofDcio do Exm. presdeme da provincia, an-
torisando, como a cmara Ihe pedio em oflicio di!
19 do correnle, a dispender quantia de 6:0005.
com os festejos que tem a mesma deliberado fa-ier,
I em manifoiac.io de regozjo pelo consoreio de S.
I A. a angosta princesa imperial, com S. A. o conde
de En.
Por esta occasio louva S. Exc. a cmara petos
patriticos sentimdotos de que se acha a mesma
possuida por to fausto acontecimento. Iniei-
rada.
Outro do inspector da alfandega desta cidade,
devolvendo a medida padro de caada e suas
divi.-oes, requisados pelaalfandefa em 13 do cor-
rente ; agradece a promptidta com que. a bem do
fisco, foi atiendnla semelhante requisicao.Intoi-
rada, e que .-e guardassem as mesmas.
Outro do subdelegado lg supplenie da freguezia
tonio Ramos, pela quantia de 2 ;.*.',>->. por tem
po de nm anno.
Despaelmain-se as petieSe le Antonio iMflM
Piulo de Mesquia, Candido Thom.v. Pereira Dutra
e Francisco Antonia Correia filtran. Auna Joa-
quina do Rosario, Francisco de Paula I:
l'clwa, Francisco de Barros Correia ji), Pratiico
de Paula Real, rrancisco Jos Cibral. Francisco
Gomes Ferreira de Sa I.eit.i GnllMTnM AugMt
de Alhayde, (uiiherme Celestino do Carmn, Joo
Manoel Carneiro de Lacerda. Joaqonn Francisco
de Paola Estoves Clemente, Lucas Animo,. F.v.iu-
gelista. Mauoel Francisco nmh*, Manoel il.iriin-
de Carvallio, Manoel Jo^e Mauri. io de >enna.
vantou-se asesso.
Eu Francisco Canuto da Boa-Viage, secretario
a subscrevi.
Declaro em lempo ter o Sr. wreaM Mello re-
requerido que se ordenasse ao procurador para co-
brar dos proprielarios das mu, cojos oiles dei-
tavam para beccos abertos pela ranura a impor-
tancia de im-tade desse Mides. H a V Ligero o de
da Boa-Visla, Dedo de Aquino Fonceca, commoni- I e|arei.-B,rros llego,
lo corrente, o exer-'
bdelesacia no impedimento do respecti
ando ter assumido no dia"2 dVcorente;'o'ewr-! S-dlT EM^. SL* A'
Cielo da subdelegada no impedimento do respecti- m--ego,-Leal 8M. lili I tfimM
vo subdelegado ; assegnra arada urna vez a cma-
ra que sempre o achara promplo a preslar-se ao
servigo publico, e ao particular da me.-ma cmara.
Inteirada.
O Sr. Mello pede a patarra,que Ihe sendo conce-
dida, declara, que nao tendo o secretario mencio-
nado na acta a pouco approvada, a deliberarlo que
acamara tomou quando se ultimara a apurago
geral de votos para vereadores, de remetter ao
Exm. presidente da provincia com a copia da men-
ina acta, as copias das actas das eleigoes procedi-
das ltimamente as freguezi.is da Varzea e S. Lou-
rengo da Malta, para seren com aquella levadas
ao conhecimeuto do governo geral, requera que se
cumprisse a mesma deliberago da cmara.Posto
em di.-cussao foi approvado o requerimento.
Outro oflicio do ngenheiro cordeador. informan-
do nao haver inconveniente sobre a pretengo da
companhia Brasileira de paquetes a vapor, relati-
vamente ao terreno alagado que Osa em frente do
deposito de carvo da mesma companhia na ra da
Praia de Santa Rita.Mandou-se informar neste
sentido ao Exm. presidente da provincia.
Outro do mesmo, informando contra a pretengo
de Manoel Martins de Carvalho, sobre a reedifica-
cao de sua casa sita ra da Guia freguezia do
Recife.Indeferiose.
Outro do mesmo, informando tambem contra a
pretengo de Barlholomeu Lourengo, de continuar
com a edificago do muro junto sua propriedade
ra do Sebo.Adiado requerimento do Sr.
Seve
Outro do procurador, dizendo que achandose
cncarregado de tratar dos festejos mandados fazer
pela cmara em significago de jubilo pelo fausto
consorcio de S. A. a augusta pnnceza imperial, e
devendo fazer logo o pagamento das despezas com
esse acto, pede mesma cmara autorisagao para
procurar os meios precisos para adquirir a impor-
tancia de 6:0005000 marrada para os mesmos fes-
lejos, podendo descontar letras para esse fim, e que
nunca excelam a quota fixada.Autorisou-se.
Foi approvado um parecer da commissao de pe-
tigoes no sentido de se permittir a ir nandade do
-antifsimo Sacramento da freguezia de Munheca,
estabelecer um cemiteno no lugar onde ja existir
outro, principiado por occasio do choleramorbus.
A me.-ma commissao apresentou um parecer no
sentido de se mandar pagar o que se dever ao pre-
goeiro do jury Francisco Jos Honorato Serra-
Grande.Adiado requerimento do Sr. Mello.
Entra em discu->o o parecer sobre o passeio
CIIROMCA JLDICIAKI4
TRIBUNAL DA RELAI, *.
SESSAO EM 20 DE NHM
PBBSIDERCU DO KX.M. SU. i ~-!-.l IIKIRO
SOI I. \.
As 10 horas da manha, pnsenifs os scohoro
deserabargadoies Caetano Sant.ago. Ciiiiaiu. Cu-
renco Santiago, Almeida e Albuqiurque, As>is.
Dona, Molla, Barros Vaac weeU w h wnfn di
Silva, Guerra, procurador da torne, falundo Sr.
desembargador l'choa Cavalca :i, afcrin-W ses-
so.
Passados os feitos e entrugui.. os efrrarad-,-
deram-se os scguinles
JI'I.GAMENTOS
Carta ttslemunkiir.l.
Aggravantes, a viuva e hanMrw d.- Flor
Jos Carneiro Monleiro: aggravado. Syiuphronin
Pacheco do Quciroga.
Relator n Sr. desembargador Asis.
Sorteados os lantow de;einbaigadorcs Doria,
e Almeida Albuquerque.
I)i rain provinit-nto.
Aggravanle. Rozeudo Alves da Silva, aggrava-
do, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Duria.
^ Sorteados os senhoresdesi.-uibai>.tdui< l.ourcu.i
Santiago e Almeida Albuquerque.
Negaran prorimeMo.
A'jiji avo de i>etiaio.
Aggravanle, Jo- Duaite Rangel ; Ifgm
juizo.
Relator o Sr. desembargaJor Domingues da
Silva.
Sorteados os Srs. deseinbargadore- Barros da
Vasconcellos e Gitirana.
Deram piovmenlo.
AppeUafdn riteis.
Appellanie. r. Jacmtho Paei Pinto da Silva .
appcllada, U. Joaquina Perpetua Mavignier.
Confirmada a sentenca.
Appellanic. Silvestre Domingues da Silva Pie
leira ; appellado, Jos Joaquim de Almeida ]
] Sampaio.
Reformada a sentenca.
Appellaiiic, D. Mana' francisca dos Santos; ap-
pellado, Manoel Joaquim Limoeiro.
Confirmada a senteuga.
Appellanle. a fazenda ; appcllada. D. Francisca
publico adiado em sesso de 13 de julho do anno Thomaz.a daCooeeieio uulia.
passa o. Desprezaram-se os embargos.
O -r. Gu>Uvo do llego pede a palavra, e diz que A|l(11.||aIlleSi a pri,la ,,all|/L. .,
vola contra o mesmo parecer por julga-lo im-xc-1 du- Kr aiu-i,.L. Duarte Freitas.
quivel, aitendendo aos meios de que p le a cma-
ra dispor para tuna tal obra, na factura d:. qual
tena de-dispender tal vez centenas de contos de
ris, importando em nao pequea somma o diohe-
ro qoe a cmara leria de empregar, j com a com-
pra dos terrenos perteneentes particulares, que
provavelmente o exigiriam apenas fosse adoptado' deAtou.iucnnT
o parecer, einbora afirme o contrario o nobre Sr. Necarm sollii
vereador autor do projerto.
Disse mais que a cmara, adoptando tal parecer,
parece contradictoria em sen proceder, pois que
nao tendo podido at hoje, por falta de mpios, fazer
um pago para suas sessoes, que sem duv'nla seria
menos dispendioso e de milito mais urgente neces-
sdade, como que agora quer fazer um passeio
publico de grandes dimensoes, cujo dispendio ser
mmenso. nao s para sua factura, como para sua
alimentago? Senhores, disse o orador, se isto nao
contradieco, permittam que diga, parvoice e
illuso, e eu nao quero Iludir ao publico, porque,
senhores, islo nao negocio de veremos, cousa
muito positiva, objeclo s de dinheiro, e eu oo
o vejo, e nem d'onde elle venlia. As rendas da
cmara tem oscilado enlre 80 100 contos de ris,
nesles ltimos annos, e mais da torga parte gasta
com o seu pessoal, e o que Ihe tica nao tem ebega-
do Den para rousas urgentissimas em bem real do
municipio e do publico, e como agora vai empre-
hender urna obra destas s para recreio ? Repele
arada o orador : Senhores, se nao embagadella,
parece contra-scnso, por isso, declara votar contra
o parecer.
O Sr. Seve pede a palavra, e julgando que esse
parecer por elle dado j nao exisiia, contina a
susteDta-lo, contrariando a opraio do Sr. Gustavo
do Reg.
Nao havendo quem mais fallasse, foi posto a vo-
tos o parecer c approvado.
iu Ulna appella-
Reformada a sentenca.
Appellaues. os berdeiros de Jos Francisco B-.
lm ; appcllada, a fazenda.
Desprezaram-se os embargo-.
// I0i lU-COTfMS.
Negou-se ordein a Leoncio Dez^rra
C tiHR.V MIMI11VVI..
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 26 DE OUTU-
BRO DE 1864.
Presidencia do Sr. Barros Reg.
Prsenles os Srs. Henriques da Silva, Gustavo
do Reg, Leal Seve, Mello e Gameiro, abre-se a
Nomeou o Sr. presidente urna commissao para
tratar de procurar os proprielarios das casas exis-
tentes no terreno onde se pretende fazer o passeio,
e delles saber quanto quenam pelas mesmas casas,
e esta commissao ficou composla dos Srs. Seve,
autor do parecer, e Gameiro.
A requerimento do Sr. Henriques da Silva, or-
denou-se ao advogado que scientificasse ao sollici-
tador para nao propor questo em juizo sem previa
licenga do juiz por onde devia correr a mesma
questo.
Deliberou-so que o fogo de vista que a cmara
pretende mandar fazer, se sollasse no campo das
Princezas.
O Sr. Seve pedio a palavra e disse que constan-
do-lhe nao estar ainda encommendado o sermo,
propniha que fosse convidado para faze-lo o Sr.
conego Joaquim Pinto de Campos.Foi appro-
vado.
Encarregou se ao procurador para se entender
logo com o mesmo cenego p ira es.-e rim, e voltan-
do o procurador conego Ihe declarara nao poder acceilar, agradecen-
do a lerobranga que leve a cmara.
O sr. presidente nomeou novas commssoes que
foram compostas pela forma seguinte :
Sade, os rs. Simplicio e Reg e Albuquerque.
Polica, os Srs. Barata e Leal eve.
Edilicagoes, Gameiro e Reg Maia.
Peticoes, os Srs. Leal Seve e Angelo.
Omiterio, o Sr, Gustavo.
Maiadouro, o Sr. Simplicio.
Esleve em praca o imposto de 80 rs. por carga
de farinha, e bem assim as demais rendas mnnici-
paes, e foi apenas arrematado aquolle pnmeiro por
Manoel Jos dos Santos e Silva, sob fianga de An-
Cavafcaati
sollura a Francisco Antonio da Silva
DII.IENCIAS CITUS.
Com vista ao Dr. curador geral
A ai>i>ellaro ctvel.
Appellantes, Jos Joaquim Ozorio e outros; ap-
pellado, Luiz Paulino Cavalcauli de Albuquer-
que.
PAHMMH
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitiraua
A ameUaca civel.
Appellanle, Jo>ephina'Seha>tiana C.ivalcanii de
Albuquerque ; appellado, Bernardo leed de Bar-
ros.
Do Sr. desembargador (".tirana ao Sr. desembar-
gador Loureuco Santiago
A appeilaftw civel.
Appellanle, 1). Joanna Maria da- Dora appe!"
lados, BaziliaHo de Magalhes Qtslro OMTW.
Do Sr. desembargador Lourengo Sanliago ao Sr
desembargador Almeida e Albuqu ifMM
Ai apfeaeitt rireis.
Appellanle, Jacintlio Alfonso llotelho : appellado.
Manoel Elias de Moura.
Appellanle, D. Joanna Maria das Dores ; appel-
lados, Baziliano de Magalhes Cfestre outro-,
DoSr. desembargador Almeidae Albuquerque ao
Sr. desembargador Attb
A appetlacBt eireL
Appellanle. Dr. Antonio de VaaeonceWJI a-
tea de Drummond ; appellado, Francisco Antonio
Bandeira de Mello.
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
dor Doria
A appfllarao rirrl.
Appellanle, Monica Igez da Silva ; appellada.
Toaran C.atharina da Conceigo.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembar-
gador Guerra
As appeacoes cireu.
Appellanle, Vicente Mendes Wanderley ; appel-
lada, a parda Guilhermina.
Appellantes, Joo Gomes da Costa j appellado,
Joaquim Jorge de Mello.
Appellanle, JosSoares do Reg appellado. Jos*
Joaqmm de Olvera.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
desembargador Caetano Santiago
A appellaro civel.
Appellante, Urbano Egvdio da Silva CosUW>Or-
dim de Albuquerque ; appellado, Tbomaz Jos de
Sena.
distribi igoF>.
Ao Sr. desembargador Citirana
A aMMtapM fircl.
Appellante, Amonio da Silva Gusmo ; appelU-
do, Firmino Tbeotonio da Cmara Santiago.
Ao Sr. desembargador Lourengo Santiago
A appellaro cirel.
Appellante, Jos Luiz Pereira Lima ; ppellaJ >,
Joaquim Pereira Maia.
Ao Sr. desembargador A>>s
A appellaro eivei.
Anpell3ntes, Josepha Mara da Conceigo e seus
filhos ; appellado, Joo Ribeiro de Lemos.
Ao Sr. desembargador Almeida e Albuquerqw




Diaria r Pcrsamfeoie sabbado 94 de Dczenibre *e iC4.
A npprfnicao riref.
Appellanto, Jarintho Lail da Silva appeilado,
Mauoei Pereira da Costa.
Ao Sr. desembargador Doria
Appettacao cicel.
Appcllante, Manuel F.lix de Mello ; aupellado,
Manuel Carneiro de Freilas.
Ao Sr. desembargador Motta
A appcllaf civel.
Appellante, Manuel Jorge de Souza; appellado,
Francisco de Assis Pereira Freir.
A' 1 liora> da larde enceras mi a sessao.
Deram-se as finas do natal.
TRIRIMAL 1IO COWMERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRA-
TIVA DE 22 DE DEZEM1KG DE 1864.
HKSanHCIA INTV.ItlNA DO EXM. SR. DESEMHARGADOR ,
ALEXANDHB BBRHABDUH) DOS MIS E SILVA.
s 10 limas da tnanha, estando reunidos us Srs.
depatadas Lemas, Rosa, C. Aieoforado e supplente
Ila.-to, e presente o Sr. desembaraador fiscal, o
Exni. Sr. [iresidente declarou aborta a sessao.
Lida, fot a ppi uvada a arta da sessao anlece- |
denle.
EXPRIUE>:TE.
Furam distribuidos tara serem rubricados pelos i
senhorus depntado?, o Irvro Diariu da casa rom- j
mercial de Joo Francisca" Antunes, e o Copiador |
da de fhomax Fernandesda Cunha.
DESPACHOS.
No requerimento de Jos Hermino de S Sou-
za e Ti ajano Evaristo Ferro Caslello Uranco, pe-
diodo u registro do sou contrato de sociedade qoe
apresentam :- Vista ao Sr. desembargador 1'iscal.
No de Joaqnim Ferreira Coelho, pedindo o re-
gistro de urna procuraco que aprsenla :Regis-
tre-se.
No de Eduardo Alexandre Burle & C, pedindo
tambera qoe seja registrada urna proeuraco que
apresentam : Reoistre-se.
No dtt J<>ao ltibeiio Lopes, pedndo que se regis-
tre a copia du termu de arreudamenlo que apr-
senla : Registre-se.
No de Domingos da Cesta Espinheiro, consigna-
tario da escuna nacional Bella, da praca da Batea,
pedindu que se faca na carta de reg-tro que apr-
senla a cumpeleiile nota, declaraudo ter a mesma
escuna mudado a armaco para patacho : Como
reqoer.
Vollando informado pelo Sr. desembargador fis-
cal o ('llicio du conservador do eommercio da Cea-
ra, de 28 de novembro ultimo, que aeompanhou a
carta de registro do cter Voador, que se perdeu
naquella provincia : -O tribunal mandou que feita
a competente ola, se archive.
No requerimento de Jos Antonio Moreira Das,
informado pelo Sr. desembargador fiscal, pedindo
que seja sellado e rubricado o seu livro Diario, vis-
to considerarse rehabilitado rom a cordata que
obleve de seu.- i-redores, a pual fui homologada :
Nao tein lugar a vista du parecer fiscal.
fo de Wilson & Hett, pedindo que a junta dos,
corretores Ihe atieste qual a ohrigacao em que es- ;
to os navios franceses S. T. Micheil, Olivier e
.lean Mane para 0001 os supplicautes : Altes-j
tem.
No de Ges, Bastos & C, pedindo o registro do
contrato de sociedade que lizeram com Julio da
Costa Ribeiro, e a rehabilitacu dtsle : Vista ao
Sr. desembargador fiscal.
Nada mais havendo a tratar, foi pelo Eira. Sr.
presidente encerrada a sessao as 11 horas e meia
da manha.
COMMUNIOABOS.
illui. Se. Dr. Lobo Hoscoso. (1)
Antes de entrar no desenvolvimento do ponto
que faz o objecto da presente disenssao, julgo in-
dispensavel declarar a V. S. que estou determina-
do a quebrar at a ultima langa, e a esgotar todas
as rotabas forcas na questo medica, em qne estou
com V. S. empenhado : mas que fra deste terre-
no nao levantarei qualquer luva, que me seja lan-
cada, porque entendo, que liomens de sciencia de-
vem-.-e reciprocas attencoes, e que assumptos gra-
ves convm que sejam tratados sem paixo, com a
mxima dignldade, e com o mero intuito de che-
gar-.-e ao desrobrimento da verdade.
Nao vem fra de proposito esta minha declara-
gao a visia dos elogios, reve.-lidos de ironia, qne V.
S. me dirige em SOS carta ; pois quero que lenha
a devidi interpretacao o met silencio a este re<-
peito, sabeodo-se que deixo de responder de urna
maneira satisfactoria, para nao me desviar da ques-
to dotithual, ven io-a dentro em pouco transfor-
mada em troca de insultos, como cosame dar-se
entre nos, sempre que se discute qualquer ponto*
ainda o mais serio e importante.
O campo da sciencia vasto, eu delle nao me
afastarei ; dtonlire com calma, e nao faltarei ja-
mis a considerarlo que V. S. sempre me me-
rereu.
Collocado nestas condicoes, espero que V. S. se
conservara igualmente dentro dos limites, que me
tenho presenpto, porque possamos tocar a meta
de nussos desejos, que a illucidacao do ponto cli-
D'co, que ao espirito de V. S. pareceu obscuro.
Posto isto, ven tratar da questo.
Consulton V. S. .-eus collegas acerca de um facto
de sua clnica, dizeodo que o methor modo de Mu-
cidar urna questo, era submetle-la ao juizo de
mullos, e declarando que qualquer resposta seria
vm obsequio de summa importancia, que muilo o
penhoraria.
Nao pude ser indifferente a tao honroso convite,
e sem confiar em rotabas forcas, mas desejoso ape-
na< de o auxiliar com meu estudo em seus justos
esfurcos em bem da sciencia; apressei me pedir-
lne expliracoes, que julguei necessarias, acerca do
modo, porque en havia interpretado seu pensa-
menio.
Pelo romero de sua carta, parereu-ne que V.-.
se limitava a querer saber o modo, porque urna
metro-peri'onite puerperal, terminada porsuppu-
raco, tinha podido abrir eommuniraco com o
inteslino ; e tendo a interpretacao, que eu havia
dado sua exposieo clnica, sido um pouco mais
vasta, e comprehendido um maior numero de ca-
sos; boje eu teria de modificar ligeiramente mi-
nba assercao, oizendo que fados desta ordem a
scirnaa os possur, se bem que nao mui frequentes,
e que os expica de urna maneira satisfactoria.
Mas, tratando V. S. na mesma missima, de feri-
mentos de arma* de fogo,de abeessos na fossa ilia-
ca, iias paredes do ventre e no escroto, e declaran
do que nina s tez nao encontrn a perfuracao do
intestino, sou levado a pensar, que minha primeira
intrepreteco foi exacta, e que V. S. deseja saber,
como qualquer tumor do abdemen pode estabele-
cer communicaco com o inlestino ; visto que o
caso narrado por V. S., e que foi o primeiro, de
que leve coohecimento, Ihe eausou tamanha admi-
ra gao.
Pdnsando deste modo, eu repetlrei o que disse
em minba primeira carta, que fados desta ordem
sao frequentes na prutica, e acham na sciencia ex-
plicaco satisfactoria.
V.ja o meu collega o que dizem todos os patho-
logistas.
Tome por typo de abeessos deste genero os da
ossa iliaca, e 06 do figado. Que variedades de ca-
minliu- nao abrem estes tumores para evacuarem
o pus nelles cuntido ?
Os ancessos da fossa iliaca despejam o puz no
intestino, na bexiga (observaco de Jonhson) na
regiao lombar (ob. de Battersby) no tero, no pe-
ritoneo, na vea cava inferior (ob. de Demaux) jun-
to ao pequeo trocnter, e pela parede abdominal.
Estas observacoes sao acompanhadas de factos.
A o" observaco das liecoes clnicas de Duptiy-
tren trata de um abeesso da fossa iliaca, que abri
expontaneamente na pelle, e que continuando a
despejar pus por esta abertura, dousou tres mezes
depuis o anegaram as materias fecaes a sabir pela
fistuia.
O- abeessos no figado podem communicar-secom
a vea cava, intestinos, peritoneo, pleura, pericar-
dio, pulmao e pelle.
que tenho dito nao de lavra propria, mas
d-se era lodos os tratados de pathologia, como
Grisclle, Valleix, Fai.re, no dicelooario de 60 vo
Jumes, no repertorio das sciencias medicas, etc ,
etc., etc.
Tenho conhecimento peta minha clnica e pela
de alguns collegas nossos de factos desta ordem,
os mais importantes.
Tratei de um tanoeiro no Forte do Mattos, qne
leve um abeesso no ligado, e cujo pus veio a ser
cxpellido pelo pulmao : curou-se, e ainda vive.
A>-isii em eompanhia do Dr. Pereira do Carmo
a urna conferencia acerca de ama doente do Dr.
Sabino, que, depois de nm parto, leve um abeesso
(I) Este communicado nao sabio a mais tempe
por falla de esparo,
i?.
qne evncuou fao o seu conloulo pela vagina. Es-
ta do 'nie restaheleceu-sc completamente.
Em nutra conferencia com varios colegas a res-
peito de. um doente du Dr. Joao Ferreira, um ab-
eesso na face Interna da parede abdominal den
sah da ao pus pelo canal inlestiual, e curou-se sem
grande diffieuldadc.
Eui minha casa de saade tive um negro cora ab-
eesso na fussa ilaea,que fez estragos considera veis,
e que abri na pelle e no intestino, dando sabida as
feses pela abertura da parede abdominal.
Recordo-me ter lido no Diario de Pernambuco
um facto da clnica do Dr. Carollno, assistido por
outros collegas, que tendo um seu doente um ab-
eesso na fossa iliaca, estabeleceu esta communica-
cao com o reto, com a bexiga e com a pelle, e por
estes tres caminhos sahio o pus neile exhalado.
Este dueule curou-se e ainda boje c empregado pu-
blico.
O faete occorrido em minha casa desaude, e o
ob.-emdo por Dupuytren co bem semelhantes,
em quaato a sua terminaco, ao que V. S. {ia-
blicou.
Para provar com factos a verdade de minha as-
serciio de sobra o que tenho dito. Mas para que
cancar me a narrar casos de propria observaco,
para que recorrer alheia auloridade, quando V.
. mesmo os deve ter idnticos em sua clnica.
Eu nao posso admiltir qoe meu nobre collega,
em 22 annos de pralir.a, nio lenha observado um
su caso desta ordem, ea pelo men- una fstula
completa do anus, subsequente a tumor eircumvi-
staho, ijue nada mais do que a communicagao
dupla do abeesso com a pelle e com o intestino.
E ser paraa sciencia diflicilaexpliragiio de um
tal (ihenomeno ?
Nao : ella o explica, como eu o disse, de urna
maneira satisfacloria : aduiittiudo, |ue se forma
us tecidos visiones oestes tumores, urna inflam-
magao, chamada adhesiva, porque seu resultado a
secrecao e urganisago de urna lyinpba plstica,
que colla os orgus^juxla-poslos entre si, e d sa-
hida ao pus pelo caininho que se vai abrindo, sem
que haja derramamiento de pus na cavidade se-
rosa.
J v, pois, meu illustre collega, que a sciencia
fornece nuiles exeaiplarcs de tumores do abdomen
abundo em diversos lugares, e omitas vezes si-
multneamente na pelle e no intestino, eque a ex-
plicagao da passagem do pus, sem derramamento
na cavidade serosa simples.
Nao descobri na sciencia medica com o que U-
nbo dito nenhura problema difficil como o da qaa-
dralura do circulo, repito apenas o que mui
sabido, e nao podendu crer que meu collega o
ignorasse, nao poude deixar de me causar admi-
raciio a consulta, que dirigi aos membros de nossa
classe.
Mas concedendo mesmo que o facto a que V. S.
se refere nao em ludo igual aos que tenho men-
cionado, mas que quer V. S. tratar apenas de urna
melro peritonite puerperal que lerminou por sup-
puragao, e que deu sahida ao pus pela pelle e pelo
inteslino, anda assim, meu rollega deve saber que
a sciencia condece factos d'esta ordem, se bem que
nio tao frequentes como os primeiros de que fallei,
e que n'este caso a explicago da communicagao
do intestino com o abeesso a mesma que expend,
e que entao eu ttnba razo em denomina-la fcil e
salisfaturia.
Vejamos o que dizem os autores a tal respeito.
Grisolle fallando das peritoniles parciaes, diz que
principalmente n'este caso, que se v o derrama-
ment abdominal se crcunscrever, e ter sahida
pelo intestino, ou alravez das paredes ahdominaes.
Nd reportorio das sciencias medicas (diz Chomel)
que o pus exhalaao no peritoneo nflamroado pode
ter evaso pelo intestino e pelas paredes ahdomi-
naes. Elle cita Pedro Franck que diz oo seu tra-
tado ( de curandis hominum morbis) ler visto urna
mulher e urna menina acrommettidas de periloni-
te, abrir-se o abdomen expontaneamente junto a
regiao mubelical, e fornecer grande, quanlidade de
materia peniforme : e accrescenta mais que elle
observou ignaes casos em mulheres em puerperio,
sem que fussem sempre mortaes.
Igual menguo fazem os autores, que citei, e entao
deve o meu illustre collega ver agora, que tive ra-
zao em emiltr a proposico que V. S. quer contes-
tar acerca do conhecimento qne linha a sciencia
de factos d'esla natureza, e da maneira satisfactoria
por que os explicava.
O pus exhalado no peritoneo pode sabir j pela
pelle, j pelo intestino, e podem dar-se casos de
ser evacuado simultneamente por ambas as par-
tes, sendo para estes a explicacao a mesma.
stabelecida a communicagao de um abeesso
com o inteslino. mais frequenle e regular ter o p-
sahida pelo inteslino, du que as materias fecaes en-
.rarem para a cavidade do abeesso, por que sendo
a communicagao, por um processo especial, aberta
(Teste para aquelle com o tim de evacuar a mate-
ria n'elle contida, de crer que :. abertura seja
mais propria para o que foi destinada : mas, tima
circumslancia qualquer, pode imprimir modifica
ges diversas n'esse ponto, e, torna-lo apto para dar
passagem reciproca as substancias comidas no ab-
eesso e, no intestino, ou mesmo tornar mais fcil o
despejo d'este n'aquelle foco.
Ja v, pois, meu illustre ]qne nada ha de ex-
traordinario no fado, que encontrn era sua clni-
ca, e deve agora estar convencido, de que a scien-
cia o explica de urna maneira fcil e satisfatona.
A' vista do exposto tive eu toda a razo em duvi-
dar da interpetrago, que dei a seu communicado,
pois me pareceu imposstvel quo meu illustre colle-
ga se embaragasse com a explicago de um ponto
tao simples e fcil.
O facto que V. S. observou importante e cu-
rioso, mormente pela sua feliz terminaco, e como
tal V. S. o devia publicar, por que a sciencia lucra
com taes conhecimentos, mas nao considera-lo como
nunca observado, e ainda mais como obscuro.
Antes de terminar a presente rarla, desejava en-
trar em consideragoes de ontro genero arerca do
facto em questo, mesmo por que nutro serias du-
vidas em quanto ao diagnostico feito por V. S. de
tima melro peritonite puerperal, terminada por
suppuragao, mas devo concluir para nao tornar-
me por de mais prolixo.
Este estado de meu espirito nasce em parte de
minha apoucada inteligencia, mas permitta-me V.
S. que Ihe attril.ua a onIra parle,pois, contra os pre-
ceitos de sciencia, foi V. S. pouco minucioso Da
discripgo dos symplomas e marcha da molestia,
quando, consultando seus collegas, acerca de nm
ponto obscuro de pralica, devia nada occullar para
os poder habilitar a julgarem, como se assistissem
paciente.
Esta minha franqueza deve ser por V. S. descul-
pada, considerando que ella necessaria as con-
dlcgoes em que me acho, desejoso de o auxiliar na
explicago de um facto clnico, que Ihe pareceu
obscuro, e acerca do qual eu teria de fazer consi-
deragoes se meu illustre collega tivesse narrado to-
do o occorrido cora a de vida minnciosidade.
Terminando devo confessar a meu nobre amigo,
que quando acceitei o convite feito por V. S. seus
collegas foi na conviego de que com isto Ihe (Tes-
tara um obsequio de summa importancia, e que
muite o penhoraria, como V. S. o declaroo, e que
ainda n'este intuiloestouresolvdo a nao abandonar
a tarefa qne encetei, por ser de V. S. amigo e col-
lega.
13 de dezembro de 1864.
Silva Ramos.
61 5 de estar a nota otn branca e s com o alga-
rlsnto, (piando foi asignado : olhos vistos urna
invenco miseravel, que nao ha de fazer fortuna.
Essa nota, que prevel de gneros o fazendascom-
pradas a Santiago ,v Irmo, quando estibelecidos
com casa de negocio em Rio Formozo, em jnlho de
1839, nuaca foi contestado peloSr. Joao Mauricio,
que desde aquella poca ha embullad i o portador
com promessas de pagamentos; segundo pode ser
testemunhado pelo Sr. r. Pedro Gauliano Ralis e
Silva, que enterveio ltimamente, ainda em no-
vembro prximo passado, para urna accominoda-.
gao. Quando em fim se v constrangido a pagar
porque caneado de esperar, o portador rerorreio a
aeco da justiga, c que se lembra de acomar de
falso o titulo, que alias sempre reconbecera I
As cirenmstancias, todas falsas, que menciona o
*r. Joao Mauricio para por em duvida a veracida-
de do titulo, sao de ordem tal, ,ue s em.juizo po-
dem ser devidamente contrariadas, visto como
urna a urna ha de ser destruida por depoimentos
de pessoa*, que tem conhecimenlo da transaego.
Se essa nota promissoria fosse eivada do vicio,
que Ihe attribue o Sr. Joao Mauricio Wandcrley,
cerno se explicara o facto de haver esenpto aquel-
le Sr. carta Santiago & Irmo, em que reconhe-
ce o debito de que resa a nota 1
Recorreu. por tanto, o Sr. Joao Mauricio a um
mo expediente para nao pagar o que deve ; e se
com a pubticaco a que me refire suppoz, que
creara una opnio que Ihe fosse favoravel, enga-
na-se redondamente Hei de fazer valer o meu
direito, e desde ja protesto perante e publico ar-
rancar ao -r. Joao Mouricio, a mascara de calum-
niador, com que se acoberta.
Se em 1862, o Sr. Joao Mauricio diz haver-se ne-
gado reforma solicitada por mais de urna pessoa,
em tace da velhacada com elle pratirada, como
que de.>de logo nao fez publica essa falsidade ou
tralantice para evitar, como agora o faz, qne fosse
ella iransaceionad. ? Se o Sr. Joao Mauricio
ustiro e viseiro em artimanhas desla ordem, tenho
f que desta vez nao tirar lucro do plano inmo-
ral a que recorreu.
Recife, 23 de dezembro de 1864.
Leopoldo Jos Felippe Santiago.
irritante para depois de se ter f-ito a barba, sobre-
puja e exrjde todas as mais aguas aromticas
para o toucador, inclundo at mesmo essa tao afa-
mada gma de Colonia de Joao Marta de Faria.
Acha-se a venda em todas as principaes droga-
ras e lojas de perfumaras.
Medicina.
CORRESPONDENCIAS
Sr*. redadores.Acabo de lr em seu conceltoa-
do Diario de boje ama publicacao assignada pelo
Sr. Joao Mauricio Wanderley. em a qual este se-
nhor, com audacia estupenda, tem o desplante de
qualficar de falsa urna nota promissoria da quan-
lia de 1:6263, que aceitou a favor de Santiago &
Irmo, atlribuindo-me o crime dessa falsidade de
couloi rom meu sogro o Sr. Francisco Simes da
Silva Mafra. E chamar a juizo criminal o Sr. Joo Mauricio para
applicar-lhe na fronte o ferrete de calumniador in-
digno ; mas em quanto a jusligano intervempara
castigar aquelle que deve ser punido, nao posso
deixar suspensa a opnio publica acerca de um
facto que, a ser verdadetro, feriria profundamente
a mBha reputago.
Cuufessa o Sr. Joao Mauricio que acceitou aSan-
liago 4 Irmo urna nota pnmissoria; essa confis-
siu ja por si demonstra a existencia de um titulo
de debito, que nao foi pago no da do venciraento,
pelo acceitante, e por conta do qual apenas diz, de-
ra a quanta de cem mil ris, o que nao rauto
em favor do Sr. Joo Mauricio.
Accrescentando, porm, que essa nota fra pri-
mitivamente da importancia de 1269, e que fra
falsificada para 1:626, o Sr. Joo Mauricio col-
luca-se em urna posigo desgragada, de que espe-
ro na justiga do paz nao conseguir sahir airosa*
mente.
A historia de fazer-se de 16 ; de aBtepr-se a
FUBLIiiCQES A PEDIDO.
Cleico da mesa regedora da irniaada-
de de \ossa Seuliora da Cooceico da
igri'ja a Goiigregaco, para o futu-
ro auno de 1*65.
' Juiz por eleigao.
O Illm. Sr. Domingos Jos Ferreira Guimares.
Juiz por devogo.
O Illm. Sr. Antonio de Moura Rolim.
Juiza por eleico.
A Exma. Sra. D. Anna Christia Monteiro, esposa
do nosso irmo Victorino Jos Monteiro.
Juiza por devogo.
A Exma. Sra. D. Mara Pinto Leite da Silva No-
gueira, esposa do Sr. Maooel da Silva Nogueira.
Escrivo por eleigao.
O 111ra. Sr. Antonio Jos Ennes Braga.
Escrivo por devogo.
O Illm. Sr. capito Jos Rodrigues de Souza.
Kscrivo por eleigao.
A Exma. Sra. D. Felippa Francisca Mesquita Car-
doso, esposa do nosso irmo Francisco Antonio
Correa Cardoso.
Escriva por devogo.
A Exma. Sra. D. Amelia Constancia Dantas Bastos,
esposa do nosso irmo Jos Joaquim Gongalves
Bastos.
Thesoureiro.
O Illm. Sr. Joaquim Lopes da Costa Maia. ,
Procurador geral.
Illm. Sr. Bernardiuo Correa de Rezende Reg.
Procuradores.
Os Illm-. Srs.:
Jos Augusto de Abru Cardoso.
Jos Al ves da Silva Guimares.
Mesarlos.
Os Illms. Srs.:
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello.
Maooel Albino de Amorim.
Manuel Ferreira da Silva Jnior.
Antonio Jos Barbosa Vianna.
Jos de Mello Cosa Oliveira.
Guilhcrme Jos de Souza.
Sebastio Jos da Silva.
Jos Joaquim Pereira de Mendonca.
Manocl Jos Moreira.
Joo Fernaodes Ramos de Oliveira.
Mordomos.
Os Illms. Srs.:
Joo Fernaodes Lopes.
Joo de Souza Ramos.
Joo Baptista Fernandos.
Joaqun) da Silva Boa-Vista.
Manoel Severiano Duarte.
Manocl Joaquim Stiro.
Manoel Jos da Costa t'ereira.
Manoel Ferreira Barbosa.
Jos Laurentlno de Azevedo.
Jos Barreta Paes de Mello.
Se ven no -ara i va da Cunha.
Joaquim da Silva Negueira.
Manoel Jos Carneiro,
Casemiru Jus da Silva.
Joaquim Moreira da Silva.
Luiz Mariins de Araujo.
Antonio Feraeira da Cunha.
Jos Francisco de Andrade Jnior.
Joaquim Duarte de Rezende Reg.
.Narciso Jos da Silva.
Antonio Jos Arantes.
Bernardinu Jos Monteiro Jnior.
Antonio Gongalves de Azevedo.
Joo Antonio da Silva.
Joo Evangeliza da Silva.
Hajor Luiz Jos Pereira Simoes.
Manoel Pedro de Mello.
Joo Ribeiro Lope.
Bernardo l'ereira do Valle Porto.
Joaquim Duarte Campos.
Ao Sr. Di-, juiz de capel Ins.
O compromisse da irmandade de Nossa Senhora
do Livramento, em um aos seus artigos, determina
que se far todos os annos a festividade de sua Pa-
droeira no seu respectivo dia, isto em setembro,
e cunseguinlemente a eleigao de nova mesa, no do-
mingo seguinte, vi-tojque'por forga da mesma, leie
nu urna mesa, exceder a sua administracao amis
de um anno-, por muias consideraces, etc., po-
rm, a illustrissima mesa de 1863 a 1864, enlendeu
qoe deotro da capital, onde existe jmz de capellas, j
e mais autoridades, devia zombar dos preceitos a
que obrigado a respeitar.
Alongando para o anno de 1865 a sua boa ad-
minisiragao, contra a lei, sem menor utilidade,em-
bora nada tenham promovido a bem da irmandade
em relagoa outras mesas, que com grandes obras
e estas de impossibilitar a fazer qualquer acto, to-
dava faziam a festa de sua Padroeira no corredor,
e a elego no seu respectivodia. nunca houve juiz
de capellas que alterasse a le.
Procurou a illustrissima mesa oceupar-se com a
reparago da pequea obra do coro, no entretanto
esta se foi fazendo de modo, que s flcasse promp-
to para a noite de fesla, occasio do brinde do con-
sistorio, vivas e applausos, de urna administrago
que passou o logro nos irmlos que esperavam pela
festa e eleigao, nao Ihe servindo de vergonha esta-
rem duas casas do patrimonio penhoradas por di-
vidas. Que tal ioteresses ? que boas adminis-
tran jes 7 que gente necessaria para continuar...
Quera dvidar, v a igreja na noite de Natal, bote
a luneta no consUtorio, e vira lerabranga dos ca-
rsimos devotos, que se agarrara a devogo, como
as ostras as pedras, principalmeete algucs, que es-
to no caso de serem jubilados. Pelo que have
mos diio de suppor que o Illm. Sr. Dr. juiz de ca-
pellas, ignorar semelhante abuso, ou sena Iludi-
do, lodavia pedimos providencias.
O frmao da msica velha.
Recife, 23 de dezembro de 1864.
Um facto de bastante pezar, me faz lembrar ao
publico alguinas considerages, qoe julgo uteis.
A Sra. D. Francisca Augusta de Aibuquerque,
consorte do lilho do meu estimare! amigo Dr. Ma-
noel Lourengo da Silveira, moga robusta, que go-
zava da melhor sade, acaba de sucoumbir quasi
de repente, e foi classicada a molestia pelo hbil
medico qoe a assistio, por febre perniciosa cere-
bral.
Fiqtiei surprendido quando recebi a carta de
convite para insistir o seu enterro, e qaando cum-
pri este dever, fui ao marido declarar-lhe, que o
acompanhava em sua dr, e saber como linha
aquella mogasuccumbido.e de que^D isse-me que
tinha tido ella urna indigeslo, e que tal tinha sido
a infelicidade delle e della, |ue nao linha encontra-
do um medico naquelle da, e que este facto Ihe
ahalava o espirito, e fazia crer, que, se ella fosse
soccorrida logo, talvez nao suecumbisse ; disse-lhe
eu : V. porqne nao foi a um boticario pratico
para Ihe ensinar o que devia fazer, nao v que a
primeira cousa que o medico receitou foi um pur-
gante de oleo de ricino, e que um purgante de oleo
de ricino ou de citrato de magnesia nunca cen-
correu para o mal de ninguem, visto que V. nao
linha alguma pessoa em casa, que Ihe ensinasse o
qne, devia fazer.
Quantas vezes tima mi de familia, ou urna pes-
soa qualquer, qne tenha a devida pratica, salva um
doente por seu saber e experiencia.
Eu poderia explicar mailos tactos desta ordem
com pessoas de minha casa e at comigo, mas pa-
ra nao me tornar prolixo o nao fago, limitando-mc
a explicar o que oigo de mais utilidade. A orti-
ca e experiencia me tem feito convencer, de que
as febres e outros ataques que accommettem de
repente, os medicamentos, que se devem appiicar,
sao aquelles que ajndam os esforgos da natureza;
e que as mudangas das estagoes, se est vendo
sempre os accommellimentos de molestia", qner na
primavera, no vero, outono, e mesmo no invern,
e os factos de lamentar-se lodos os das se esto
succedendo, porque no principio de urna moleslia
nao se soube atalhar devidamenle. Nao se est
vendo todos os das que febres, que accommettem,
e que nao apresentam logo mo signal, o deleixo,
o despreso do lugar a que apparega a dissoluco
podre do sangue, que d'ahi resultara as febres de
! mo carcter.
Nao quero com isto dizjr, que, logo que alguem
| se sinta accommeltido de qualquer moleslia, que
se sangre, use de vomitorios, purgantes violentos,
e applique-se visicatorios : nao? Nao quero que se
perturbe a natureza; mas que,noaccommeltimento,
qualquer que seja, se uze dos remedios, que os jul-
go inofensivos, o que reclamo: ninguem dir
que em qualquer febre nao se possa uar de nm
purgante de limonada gasoza de cilracto de mag-
nesia,
i Eu explico o que tenho praticado nesses casos,
e que me tenho dado muilo bemmando, que to-
me urna garrafa de citrato de magnesia as chica-
ras, ou urna das pillas purgativas de veame, em
cima desta, um copo d'agua com assucar e o sue-
co de meio limo grande e maduro, ou de um sen-
do pequeo, e se no espago do dia nao fizer o ef-
feilo purgativo e o desembaragamento das ourinas,
mando lomar segunda do mesmo modo; pulula, e
limonada, e as vezes at terceira. A noite mando
meter os ps em agua quente na oscasio do aga-
' salho, e dar urna chicara de cha de flor de sabugo
tambem quente com assucar, e se nao sentir me-
Ihorar da dor de cabega, que quasi sempre arom-
panha esses ataques, aeonselho que apphque sana-
| pismo na barriga das peritas ; nao tenho em lem-
i branca que cora este methodo tirasse rao resulta-
do, e ninguem dir que este iratamenlo possa ser
nocivo em nenhum caso.
No principio de tima febre, indigesto, ou mo-
leslia desta ordem, a natureza geralmenle solicita
evacuar por vmitos, ou por baixo; e se se ajuda
pelos meios correspondentes, contribuir muilo
moderar a violencia da enfermidade: e por esta
razo que a experiencia me lem convencido, que
urna, ou duas pillas purgativas de veame, e em
cima agua, assucar e limo, se pode usar sem ne-
nhum risco, e a nuite o cha de flur de sabugo, e o
mais como explicado tenho, nao usando somenle
das limonadas de citrato de magnesia e as garapas
com limo, as mulheres quando esto regradas, fa-
zendo tudu, mas s com a suspengo destes duii>
artigos, c somonte com as pilulas, e agua e assu
aar.
Se no estado de sade algumas pessoas, que tem
usado das pilulas purgativas de veame, se tem da
do bem na dsc de mei<- plala na occasio da co-
mida, e outros urna, para regularisar adigesto,
como nao se usar nu e.-tadu de molestia ? Nin-
guem puder negar, que aquellas naturezas, que
nao cursam, e nao tem asourinas desembarazadas
regularmente, vao bem, por que isto, nao s es-
quinta e inflama o sangue; mas os escremenlos
| detidos muito tempo no corpo se fazem acres e po-
'dres, deque se seguem ms consequencias; por
| isso mui conveniente usar-se de meia ou urna
pilula purgativa de veame, ainda mesmo no meio
da comida; pois a sua cumiosigo tal, que nada
1 tem que possa enjoar ou encommodar o estomago.
I Mesmo pela economia san ellas preferiveis a oulras
pilulas purgativas queahi se vendem, porque urna
faz o mesmo effeito que tres ou quatro das outras
e fcilmente sao ellas divididas. Ne impede que
se tome em cima, principalmente no calor, gara-
pas de tamarindos, de limo, de maracuj, e que
se uze das fructas, que aestago do tempo nos lem
proporcionado, e dos banhos quer tepidos, quer
frios e geraes.
Jos da Rocha Paranhos.
[Cem do da 23................. 98003
31:02332'9
Consulado provincial.
Rendimentododia 1 a22......... 1111; 7163*i'6
dem do dia 23................ 7:611*381
109:327*037
COHMEBCIO.
Alfandega
Rendimentodo dia 1 a 22........ 710:3123324
dem do dia 23................ 27:3058Ui
737:8183218
702
O perfume
I lo
hemfopherio
en tal.
e-
0 perfume o miis balsmico e aromtico de quan-
tos se conhecetif, por sem duvida a agua de Flo-
rida de Mnrray e Lanman. E' o verdadeiro espiri-
to, a verdadeira ossencia das flores encerradas
qual Asmodeu em urna garrafinha de crystal. O
seu aroma fresco qual o de um ramalhete recera-
colhido e composto de odorferas flores, e mesmo
depois que este murcha e perde seu cheirn, e-te
perfume tirar no objecto qne ha tocado tao poro
e delicioso como no principio-
No salo calido : no banho como empregnatono
aromtico; cerno aroma fino e delicado para o le-
en, vestidos e a pelle; ou dilindo, como mel anli- '
Moriniento da alfandega
Velamos entrados com fazendas... 234
> com gneros... 468
Volumessahidos com fazendas... 273
com gneros... 971
------- 1,244
Descarregam no dia 24 de novembro
Barca francezaflio Grande mercadorias.
Brigne portuguezFloriml a diversos gneros.
Rrigue portuguez Uelampago idem.
Brigue austraco -Anaslacio -farinba de trigo.
lirgne inglezMana" ferro.
Escuna ingleza Presidentesal.
Barca franceza- Virque sal e cemento.
Barca inglezaBella Poule carvo.
Barca ingleza urotliyidem.
Importacao.
Escuna nacional Calado, entrada da Bahia, con-
signada a Palmara & Beltro, manifestou o se-
guinte :
7.717 arrobas de charque, 212 ditas de graxa
em bexigas e 57 couros seceos; a ordem.
Barca nacional Clementina, entrada do Ro Gran-
de do Sul, consignada a Maia & Espirito Santo,
manifestou o seguinte:
13,386 arrobas de charque, 130 barricas com
975 arrobas de sebo-coado, e 10 pipas com 300 ar-
robas de graxa, 18 barris tainhas, 4 fardos mi-
llii; a Maia & Espirito Santo.
Barca aacienal Rio de Janeiro, entrada do Bio
de Janeiro, consignada a A. L. de Obveira Aze-
vedo & C, manifestou o seguinte :
Gneros estrangeiros com carta de guia.
606 frasquelras genebra, 600 saceos farele, 40
barris e 150 baldes de folha banha, 10 caixas pa-
pepel, 24 ditas cha, 3 caixes fazendas, 1 caixote
Seneros, 1 caixa chapeos, 1 caixao amendoas, -'00
olhinhas para escriptorio, 24 caixas canella, 19
ditas ignoro, 1 dita e 249 barris vinho, 1 caixao
amendoas; a ordem.
Genero. naeionaes.
1,567 saceos caf, 20 ditos farioha, 150 pes de
sebo, tOO caixas sabo, 2 ditas gneros, 1 barril
tinta de escrever, 300 caixas velas, 107 barris 28
latas e 67 rollos ramo; a ordem de div-rsos.
Reeebedorla de renuas Interna
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 22......... 30:043*236
Navios entrados no din 22.
Rio Grande do Sul 38 das, patacho brasileiro
Barros de 268 toneladas, capito Silverio da
Silva Gallo, ejuipagem |i, carga 13900arrobas
de carne secca ; a Maia & Espirito Santo.
liba de S. Miguel26 das, escuna pertugueza Em-
nta, de 8o toneladas capitn Augusto BoffM Ca-
bra!, equipagem 10, eiu lastro ; a Juao do llego
Lima.
ilwJM saludos no mesmo da.
Rio de Janeirobrigue brasileiro Almirante, capi-
to Jos Moreira Maia, carga algodo e outros
gneros.
Par-palhabote nacional Limo Paquete, capito
Hennque Antonio do Amaral, carga varios g-
neros.
Portos do nortevapor brasileiro Persinunga, com-
mandante Relis.
Aracatyhiate brasileiro Exalarao, capito Traja-
no A. da Costa, carga Natos entrados no dia 23.
Rio-Grande do Sul38 das, barca nacional Ce-
mentina. de 268 toneladas, capito Joaquim Au-
gusto Gadr, equipagem 12, carga 13,000 arro-
bas de carne secca ; a Maia & Espirito-santo.
Rio de Janeiro34 das, barra nacional Rio de Ja-
neiro, de 270 toneladas, capito Luiz Gongalves
de Figueiredo, equipagem 11, carga caf, vinho
e outros gneros ; a Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo V C.
Babia7 dias, escuna brasileira Calada, de 148
toneladas, capito Aureliano Barbosa de Moraes,
equipagem 11, rarga 7,717 arrobas de carne ; a
Palraeira iS Bellrao.
Lisboa23 dias, brigue portuguez Relmpago, de
235 toneladas, capito Joo Epiphanio da Silvei
ra, equipagem 12, carga vinho, farello e outros
gneros : a Thomaz de Aquino Fonceca.
Baha6 das, barca ingleza Netherlon, de 325 to-
neladas, capito S. Morrish, equipagem 13, em
lastro ; a Saunders Brothers & C
Cdiz23 dias, barca ingleza Com, de 230 tone-
ladas, capito Daniel Robin, equipagem II, car-
ga sal; a ordem.
Acarac e portos iutermedios8 dias e 10 horas,
vapor brasileiro Jaguaribe, de 458 toneladas,
commandaute Manuel Joaquim Lobato, equipa-
gem 30, carga algudo e uutros genero*.
liba de Fernando35 dias, barca ingleza Endu-
mion, de 619 toneladas, capito James Slill, equi-
pagem 18, em lastro ; a Saunders Brothers
&C.
Navios saludos no mesmo da.
Aracatyhiate nacional Artista, capito Joaquim
Jos Al ves das Neves, em lastro.
Liverpool pela Parahybabarca ingleza Olinda,
capito S. Prowse, em lastro.
Manlciga franceza.
Feijo molatiobo ou preto.
Arroz pilado.
Azeite duce.
Vinagre.
(^af em grao.
Cha bvson.
Barallio.
Farinba da trra.
As pessoas que quizerem vender ta* artife*,
apresentem suas proposta* es* carta fecha. j.
secretaria do cooselbo oo dia 3 du eorrent -i W
horas da maoha.
Sala das sessoes do concibo administrativo, 23
de dezembro de 1864.
Amtmm Pedro de S Bmrrtto,
Coronel pre-iJeete
Sebastio Jour Htsili ffrrto.
vogal -errriarw.
Corris.
Pela administrarn do c.rreio Vhu rjrfanws
faz publico que em virtwu. ;. paSai
celebrada pelos governos lirastlono r rasw-f/. <*-
raoexpedidas ssafassan nsfnsa ao du 3*i
enmate p.-io vapor tantea lnMlpi \
as seria rwntwssn sM 3 basas auu ^ .pw br
marcada para a tablea do tanas e os jetan* ata
i oras ante*.
Administraran do r rr i da r masaam-o .
dezembro de ISfti Oadmimstr 11
Union

EDTiES.
O Dr. Tristo de Aloncar Araripe, oflicial da im-
perial ordem da Rusa, juiz de direitu especial du
eommercio desla cidade do Recife de Pernam-
buco e seu termo pur S. M. I. e Cunstitucioual u
Sr. D. Pedro II a quetn Dus guarde etc.
Faco saber aos que o prsenla edital virem e
delle noticia liverem, qne Antonio Jos Paula de
Carvalho por seu advogado me dirigi a [ eiico do
theor seguinte :
Illm. Sr. Dr. juiz do eommercio.Diz Antonio
Jos Paula de Carvalho, que qoer fazer citar a seu
devedor Manoel Soares de Moura, para os termos
de urna arcao sumaria, pela qual llie pretende pe-
dir o pagamento da quautia de 1>9C00 rs., que
Ihe devedor, e por que o supplicado se acbe au-
sente em lugar nao sabido, requer que justificada
a ausencia, se passem editaes para por esle meio
se elfectuar a citaco, visto j esiarem esgotado>
os unios conciliatorios, pena de revelia : pede a
V. S. que distribuida esta llie delira na lorma re-
querida. Espera receber merc.Souza llangel.
Segundo o que acuna se cooiioha em dita peli-
c'i, na qual dei o despacho do liieor segrale: jus-
tilique a ausencia no dia l do correte mez depois
da audiencia. Recife, 10 de dezembro de 1861.
Alencar Araripe.
Segundo o que cima se contralla em dito des-
pacho por forca do qual foi feita a diMritiiico do
escrivo deste meu juizo, Manoel de Carvalho Paes
de Atidrade ; e produzindo o suppliraule suas tes-
lemuohas que depozeram convenientemente acerca
da ausencia do supplicado Manuel Soares de Mou-
ra, o respectivo escrivo fazendo sellar e preparar
us aulos me os fez conclusos, nos quaes dei e pro-
fer a sentenca do theor seguinte :
Hei per justificada a ausencia do supplicado que
se mostrou adiar em lugar incerto, pelo que man-
do que sea citado por edilos de 30 das para o tim
requerido a folhas duas. Recife, 17 de dezembro
de 1864.Tristo de Alencar Araripe.
Segundo o que cima se continua em dita sen-
tenca depois da qual se mostra que o respectivo
escrivo Manoel de Carvalho Paes de Andrade, que
este subscreveu e fez passar o presente edital com
o praso de 30 dias, pelo qual e seu theor chama,
cita e hei por citado ao mencionado supplicado au-
sente, para que compareca ante esle juizo allegan-
do e provando lude quanto for a bem de seu direi-
to e justica sob peoa de revelia. Porlanto toda e
qualquer pessoa, (trente, amigo ou conhecido do
mencionado justificado ausente, podei'-ihe-ha fazer
sciente de todo o expendido.
E para qu enegue ao eonbeeiraenlo do todos
mandei fazer o presente edital cora o praso de 30
dias, que ser afJQxado nos lugares do costuran e
publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 20 de dezembro de 1864.Eu Ma-
nuel de Carvalho Paes de Andrade, escrivoo sub-
screvi.
Tristo de Alencar Araripe.
Pea inspeceo da alfandega se faz publico
que no dia 24 do correle mez, a i hora da larde
a porta da mesma reparlico, se nao de arrematar
livre de direito, ao arrematante, duas caixas mar-
ca W. nmeros i e 2, vinda do Porto na barca
portugueza S. Manoel II, entrada em 9 deste mez;
centendo bruto 239 libras de marmelada em latas,
avalladas pela tarifa em t59334 ris ; as quaes
caixas foram abandonadas pelos mesntos Marques
Barros & G. aos respectivos direitos.
4/ seeco da alfandega de Pernambuco, 22 de
dezembro de 1864.
O 3." escriturario,
J. dos S. Porto.
APIPUtQS
GRANDE E VAHhDO ESPECT*
CULO.
Principiaras s 7 beran em i
Gymii&stica ammai a
SiI.liado, e domingo.
Onde rao tiabalhos ese ilhi.li^ l.em n ota-
dos, o qual a c >inpinhta -e .-f raan para .tto-fa-
zer o publico, ron-t.indo do homem rasa, i s i
aeria, corda tesa, saltos mortaes ao arro a> bap.
Trapesio aerio, a sempre appla-i'fi
Graciona constando d fog etvrtnco bem executados Irabalho-.
Billietes para lioinem e seahora a IJ.
Para meoioos a M nj
Os bilhetes acham-- .i venda r
turne.
atoomammn
COMPAJHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Des porli" do ul ,
ale o da30 du catfi ale ana 4>
(Moni da cnnipanhia ^pnl m-
|i"is guira para m porlnssV nmv.
Desde ja rerebem-se pasagetrns e enoja--** a
carga que o vapor aasasf coodnzir, a aat Vvrra
ser embarrada no da de oa rbraaa: earnaa
mendas e dinheiro a fretc ateo diada sanad
horas, agencia roa da Croa a. t, rsrriptono de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo di C
_ comfahiFp'cknambl'i:\>a "
^sV
SSffP
3taveg.if5o coslrlra a nanxsr.
Maceta i alas,
.No da W do rorreas jegair.
unuJiK vapor--* da enasoaaku pa-
ra os pnrtos inai imra*-* a* 3
horas da tarde. R. re .-.r;. ase
da tt, Kr.enmmenil:
geiros e dinlieiru a fret- ate i hora- da lar* *r
dia da sahida : escriptorio a Forte de ssana*
nJJ_____________________________
COMPANMl PERVAMBI'GX
DE
!\'av(*sa^ie> alrira a na asear
Aracaly era direiiura.
Segu di reda tarafe o vafr *r
BManaaar. cTiaaaati Muara
nn da 24 d" nanaanj i- 1 ^>vas
,it.-i tarde, i;.''! cnesja >' usa
enconiin ni i- j.--..
dinheiro a frete at a- Sbnm asi rtu As -ihida
escriptorio no Porta t HMBS n 1.
COMPANHIA Bjk^ASjXEIKA
M
rAQCETBfl 1 VAPOR
I' |irto do ort-
d" bj a san ::i do correa1 a va-
Rli/l^.P01; Paran, ii>waadaalr a ra-
ipitu de : nta Bar bar, c
jii.ii lie; ,- I demora do
mesepuir para OS |>orto? do stil
Desde j re-eljera-se passagi-iros e
carga que o vapor poder cooduzr, a
ser embarcada no dia de sua chegada. i
das e dinheiro a frete al o dia da i
ras : agencia, ra da Croa n. I
tonio Luiz de nliveira Azevedo 4 C
Para o Para pretende seguir em pone** dan*
o palhabote Boas Amigo* : para poora rarfa .p<
Ihe falla, trata se com os sa< roniraa:ario An-
tonio Luiz le Oliveira Azevedo di C, no saaea--
rripiorio roa da f.ruz n. I.
Para o Rio de Jmmerm
pretende seguir com muita br-vidarle o bnrne es-
rnna Nao Sei, lem parte do ~ru
prompto : para o resto que Ihe falta e es*
frete, para os quaes lera 'Vi lenle-
trata-se com os seus ronsignatarii* Ai
de Oliveira Aaevedoii C, no iptoriu ra
da Cruz n. 1.
Tara Lisboa
DECLABAQOES.
Tribunal do commerrio.
Pela secretaria do tribunal do eommercio de
Pernambuco se faz publico que nesta data fe ins-
cripto no livro da matricula dos commerriantes o
Sr. Juo Baptista Gumes Penna, cidado brasileiro,
de 29 annos de idade, domiciliado e eslabelecido
nesta cidade com armazem de molhados, e casa de
commissdes de assucar e ontros gneros do paiz e
estrangeiros.
Secretaria do tribunal do eommercio de Pernam-
buco 23 de dezembro de 1864.
O official-maier,
Julio Guimares.
Conselho adnalnistratlro.
0 conselho administrativo para fomecimemo do
arsenal de guerra precisa comprar o seguintes :
Para pintura da fortaleza do Brura.
20 arrobas de oleo de linhaga.
20 ditas zarro.
10 ditas alvaiade de zinco.
1 dita por preto.
5 ditas er.
48 broxas surtidas para pintar.
Para eompanhia dos menores.
20 galoes de gaz.
Para o rancho dos aprendizes menores nos mezes
de Janeiro e fevereiro.
Pao de 4 oncas.
Bolaxas.
Toucinho.
Carne verde.
Dita seca.
Assucar refinado 21 sorie.
O veleiro e bem mohecido bripoe pnriafn^z
Conreiaio de Mana, capito Januarw Jo Ja 0n>
veira, pretende seguir com mima brevtdade. tem
parte de seu carregamenio pmropio para i re
|M Ihe falta trata-se rom os eos ronNjnaUnn5
Antonio Luiz de Oliveira Azevelo C. no sea es-
criptorio ra da Cruz o. 1.
Para a Bahia
Pretende seguir com hrevidade a soasara aar-
tenria, tem parte de sea car recmenlo prusaato
para o resto que Ihe falla trata-e rom as as
consignatarios Antonio lana de Oliveira Azevedo
Si C, no seu escriptorio roa da '".ruz n. 1
Ki le laaclrs*
Segu no dia 25 do crrenle o brigue Cmtr J.
recebe escravos a frele, o qual trata-se a
Trapiche o. 4. _________
Murunliao
Para o Maranhao segu o GartbaUL em poocx
dias, tem parte da cara prompta : a tratar asan
Tasso Irmo.
LEILOES.
LEILAO
DE _
Terfa feira i" do correle.
O agente Pesua fara leilo por coala a rnro
de qnem perteocer de urna escrava necra, mora,
que cosinha, engomma e lava, om negro im ame
Izaias e um negro moco proprio para Indo a ser-
vico lerca-feira 17 do correte pelas IS horas da
manha no largo do Corpo Saoto. _________
LEILAO
Toucinho de Lisb >a e harris reat ln-
prilnW
Terca-feira 27* do crreme.
O ageote Pestaa vender por coala e riea e
qnem perteacer SO barris com loariabo de S ar-
robas de Lisboa e barris com Inajtoieas lodo vmao
de Lisboa e desembarcado nltlmanvnte e ser
vendido ero lotes a vootade dos eaajmradntvs :
terca-feira 27 do correte s 10 boras esa penas
no armazem do Aunes.





Diarto de f eruaBE&seo -- Habb.ido 8 4 de Dezenfero de lita-i.
AVISOS DHE1S0S.
0 padro Felis Barreto de Vasconeellos tem
aberto um curso particular de latim durante as
ferias, ein sua casa na ra do Imperador n. 3o,
prlnniro andar, samante para a ciaste dos senho-
res estudantes provelos quo se quizerem prepa-
rar |iara fazereni seus exames em marco do auno
vindouro.
O cirurgio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazein Progressista, aon-
de o acharo como sempre
prompto a qualquer hora pa-|
ra o exercicio de sna pro-
ji DENTISTA DE PARS s uvl M {*msX'
drade \
i<3
Reg.
Aluga-se ama casa nova muilo fresca com ex
19Hua Sou-l
Frederico Gautier, cirurgio dentist i,
faz iod*s as operacoes de sua arte, e ce I-
loca denles artificiaos, tudo com superio- >
ridade e perfeii o, que as pessoas enten- I !g:-;
didas lheVeconhecem. |tf Companhia fldelidade de g
Tem agua e pos deotificio. seguros martimos e ler-1
restres estabeleclda no 5
Rio de AGENTES EM PBPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Aievedo A C,
competentemente autorizados pela direc-
tora da companhia de seguros Fdelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
predios ao seu escriptoro ra da
n .1.
Precisa-se de urna senhora habilitada, pelo
menos, a ensinar bem primeiras letras, principios
de msica e piano, e trabalhos de agulna, que
queira ir para a companhia de urna familia, mo-
AtteuCM.0 "~* Sl' *nton'"*s Wtrcpies, qoa mo- f
. M z~t n roa na ra do Padre Floriano n. 41, queira
Mr. .Noel Eyvaut, tenJo viudo do Pars pelo pa- 0 .
quete francez Eslremadure negado em l3do cor- vir /*" d Independencia ns. b e 8 ai
eelleniesolo sita no Cachang defronte do enge- rente, troaxe um rico sortimento de rendas de ero- negocio to seuintRTgsse.___________________
nbo PoetSJ a tratar na ra do Crespo toja de An- l comimitocio *e1eeiaiiM pode ^procurado "_~ JoSl-, n,,,U|tJ (j,,,,,^ julllor vn lliadar para
' o prel juiii novo systema de escriptoracjto mercan-"
Precisa-se alugar um sobrado de um
andar e soto que tenha commodos para
amilia, no bairro de Santo Antonio ; a tra-1
ar na travessa do Vigario n. 1, escriptorio,
priineiro andar._____________________ i
Alugam-se baratas ornas mei-aguas na estra-
da dns porloes da travessa das Barraras do bairro
da Boa-Visia : a traiar na ra do Cotovello nu
mero 23.
no hotel Italiano na ra do Trapiche n. 5.
O Sr. Antonio Gomes de Aroena tem nina tu por partidas dobradas, demonstrando c&da eou
caria viuda de Lisboa : na ra da Cadcia, escrip- ta o uebilo e crdito em osota correle, e eoMa
torio n. 17. j de lempo (letras ou outros ttulos com venri-
- '6"r. Joaquim Marques -aniiagc- roteado de ment 'ko, a pagar on receberr, a raixa demons-
chegar a o hotel italiano a negocio de sea ialarexe. ,ra ** em ser, e as letras que o eomroer-
- rante tem a pagar ou recebar, por dinheiro loma-
Para a festa.
Aluga-se um sitio na ra do Cabral da ci- r'adora o/m engenho prximo a urna das estacos
iliib
  • niimli rom ra iiaut de uiimid, com casa ten ea, wno ou rantindo.se tratament0 e paga ^..-i.mp. *
    nSSlO fil) amado or AWmnra P'ar "a frenle* ,)0la 0S fu,ld"s Para a cslra" traur na ra do Trapica n. 13.
    iissau, \jU rtlUtUU pul WCripta mar,,P,m f|0 rfo He.herihe. com com- -----Tzrrrr..................." rr
    Preeisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
    Ailverte-seao Sr. Feliciano Joaquim > modos para familia, estribara para cavallo' nhar e engommar: na ra da Palma n. 41, la-
    do Aguiar, que a sua assignatura desie e capim para sustenta-los. arvoredos de berna._________________________________
    o Diario est por pagar desde oatubro do'Tractos, sem visinbo defronte nem pelo! L'm rapaz brasileiro com praiica de caixeiro
    anuo passado, e que o propietario da loia funio, com ptimos passeios, sala e gabi-'^erere-se para ser empregado em loja delren-
    ddounves-Ja.rua larga do Rosario n. 40, nete na frente, muito propria para passara tfigggS* RlC f? rquemepreS
    tem declralo que nao se responsabilisa, festa, e tambem se alujar poranno : a ral- procure na fabrica da travessa do Carioean. i,
    portanto S.S. qneira mandar satisfazer nes-1 lar no Hecife, na livraria n. 6 e 8 da pra ta lypographa. Ida Independencia, e em Jlinda na casa con- Anda est para ser vendido o sitio da tra-
    5'Sr^^ BtUKltt!mMt 'goa com o capito Antonio Bernardo Fer- jessa do Remedio na freguezia dos Afogados n.
    tmSz& *Wj3RS4.1 WLmOKBM ..(;:ra 21 : quem o pretender, oirija-se a ra de S. r-ran-
    ^ ; ..".:______________________________.---------- cisco, sobrado n. 10. ________
    .Sl A """SSf df f 20 e 0Ulub';0 d, ?' : -Napracadalndependenria, loja de ounvee
    !! Le,nhe\nMde &2n "SrEilS um n- 33, compram-se obras de ouro e ata, a pedrea
    genho Aldea, da frejuezia do Rio preciosas, assira como se faz qualquer obra de en-
    quarlao de carga do mesmo engenho, o qual e ^ V nualouer concert
    ruco pombo, grande, rastrado, nao novo, tem no Pwwat e loao e quaiqner cencerro.-----
    iiu.i:i no
    tem a honra de prevenir as pessoas quo
    .i
    |@k lem qualquer concert ou amolaeao em jfc?
    v maos delle que venham os buscar al o >jgj
    >* lno de Janeiro, es que ficarem dessa dala j*<
    B serio vendidos para pagamento dos mes- Ha
    Nj mos, uao se attendendo a reclamadlo al- u
    guma passado esse prazo.
    Approveila essa occasiao para avisar m
    aorespeitavel publico, que elle tem para S
    vender os : -
    m
    m
    m
    AFIADORES
    i
    i
    de sua .ivenco, pelos quaes ohleve um S
    PRIVILEGIO DE 15 ANNOS 8
    a sua superioridade sobre lodos os que S
    appareceram at boje de sobre-mo- sBi
    que el les lem \ji'
    re- W I Wtl
    >j^ do provado pela eztraccao q
    *^i nu Itio de Janeiro, aoode .a
    ciados.
    ao muito apre-
    olho esqperdo urna belide, e pouco ou nada v
    pelo dilo olho, tem um callo velho no espinhaco,
    | lugar em que leve urna bexiga, levou o topete cor-
    tado rente, carrega baixo, e tem estampado no
    i ladodireiio da anca o ferro do engenho em lettras
    maiuseulas com, aqu se v AI.DE A. Adver-
    te-se que os cavados assim ferrados, nao sao tro-
    cados nem vendidos, e os que forem enconlrados
    som ser servico do mesmo engenho sao furia-
    dos, e devem ser apprehendidos ; porlanto roga-
    se s autoridades polieiaes, e mesmo qualquer
    pessoa do povo, que sendo encontrado* ditos ca-
    vallos sejam apprehendidos e remedidos ao admi-
    nislrador daquelle engenho ou ao abaixo assigna-
    do proprielario de mesmo engenho, que reside na
    cidade do Rerife, ra do Hospicio n. 50. Cidade
    do Recife, 26 de outubro de 1864.Caetno Jos
    da -11 va Santiago.
    O hachare!
    Na ra estreita do -Rosario n. 34
    Advogado Affonso de Albu
    querque Mello,
    pode ser procurado a qualquer hora ; as sexta
    o iras, porm, na villa do Cabo.
    mmmmmwmm
    Aos 6:000*000.
    Sexta-feira 30 do crreme mez, se ex-
    trahir a primeira parte da primeira lotera
    (lii1} a beneficio do hospital Pedro II, pa-
    ra canalisaco d'agoa e ga, no consistorio
    da groja do Nossa Seniora do Rosario da
    freguezia de Santo Antonio.
    Os billietes, moios e quartos esto a ven-
    da na respectiva thesouraria ra do
    Ospo n. lo.
    Os premios de 6:000000 at 10(51000
    seo pagos urna hora depois da extraccao
    at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
    si-suinte depois da distribuigaodas listas.
    As encommendas serao guardadas so-
    menteala noite da vespera da extraccao
    como Je costumo.
    O tbesoureiro,
    Antonio Jos Rodrigues de Souza
    Aluga-se a casa terrea n. 26 da ra do
    Furto, estando bem concertada, caiada e
    pintada a 18 j mensaes : a tratar na ra do
    Crespo ii. 15, das 10 horas da manliaa ate-
    as 4 da tarde.______________________
    Previne-se a Sra. Maria Joaquina de Oliveira
    Campos que nao pague a ordem sacada pela Sra.
    1>. Hara Nascimentode Jess, a favor deJoaqolm
    Doimngues Coelho, cuja ordem se acha com pa-
    gue-se a Theotooio de Oliveira N'eves. a qual se de-
    seneaminhoo do poder do mesmo hontem 22 do
    corrente.___________________________________
    Estrada de ferro do Recife a
    Sao Francisco.
    Francisco Augusto da Costa
    ADV6CAD0
    t Ra do Imperador numero 69.
    Prerisa-se alugar urna escrava que saiba en- [
    gommar, lavar e coser, que seja forte ; lambem
    um canoeirp que seja forro on captivo : em casa
    do Sr. Cambnmeem Santo Amaro.
    i~ O Dr. Carolina Francisco de Lima San-
    S| tos, contina a residir na ra do Impe- 9R
    '| rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro- ^?
    ^ curado a qualquer hora do diae da noite tj,
    9^ para o ejercicio de sua prolissao de me- K
    dico ; sendo que os chamados, depois de >&
    meio dia al 4 horas da tarde, devem ser C^
    deixados por escripto. O referido f)r. SK
    |fi| nao abandonando nunca o estudo das
    yj molestias do interior, prose : ,WJ maior affiner-, no das mais difficeise deli-
    & Wk cadas operai/oes. romo sejam dos orgaos Wt
    ** 5 ourinarios, dos olhos, parlo?, ele. fea
    ^M
    Wk
    rmjA tmmmm m um.
    Usas pilulas vegelaea >o a-
    daptodas a to|os os u^"s ik* uro
    purgante dm laiiiilli. \* w
    parfeiimnli uemaln ero
    quanio milhan^ >\ [M>s>a
    fi-ssan rom gialuiwi i|it<* i.raro
    coradas por Hias Ai Batata
    severas e per^aae;al
    mu >> OOB iii qW haj.i ~n-pei-
    las fki mus h'vo r>sulta*l rioio por mi uto.
    l'iiMiiiiiiH'S .|.|iii aiffin -
    atiosilos que toM >\t curas
    A TU

    .a0
    e qual o saldo feita a subiracco.
    Contera mais esla obra urna taboa com nmeros nokr.-is feitas u!!irn;imiiit>'.
    flzos,petos quaes conhecido o preco do tmia arro- Um'aso iiotavol ,1o
    ba (seja elle qual for) de qualquer enero, por
    nma simples multiplicado se toohece o hBporte
    IHVrrio rbrair> do ligado.
    lllM. .S-
    Juiz xie Fura, 17 <> fnrrnr 1^'.
    Tmdo fetto uso m pillas < iiluif.
    74: a traiar na ra larga do ltosario n. 3G, de- caaa do autor (das 4 as 6 horas da larde) ruado ,|, Avcr, iii^; me lo/, favor ik dar mu
    ''0>"'.. ,-------jr-------------rj.------------- Os"ser!lo'res que anles desubscrever quizerem '|rn' tr,| ''^1" i" rwrtrtl MB m\
    Allllia K'lllIHOs prO>luenCias. examinar dita Ubia, caixa e halanco, alm de po- do ; padecendo ha mais d ilo/.c aniu
    Os moradores da ra larga do Rosario anda nhecerem a utilidade da referida obra, diriiam-se f(;i ululados di (igadn P ba-'n. mu n ii^.j
    respeilosjmenle pedem ao lllm. r. Dr. chefe de a casa do autor em qualquer dia, das 4 as 6 horas -.ias niuias ,|iSl. n, a<<--'lir,r ,,,,,. ^<|.
    polica, qoe pela cordura e illibada reelido com da larde ELP!!^PV^i '", ,
    nom. pos ten lo nesapi r < na .-raatlc
    O r. Theophtb Orozmho da Cunha Son! de qualquer numero de arroba, libra e onras.
    Mator queira appareeer na ra estrella do osario Subscreve-se a 25 por voliime, broehura, p-gos
    a negocio que nao ignora.____________________na occasiao da entrega, na loja de livros dos Srs.
    Aluga-se a casa terrea da ra de Hurtas n. Guimares & Oliveira, ra do Imperador, e i
    I
    po
    que compre honroso onus que Ihe est confiado,
    se digne attender as justas queixas que dilos mo-
    radores leem feilo por meio deste conceituado
    Diario, sobre os escndalos impdicos que as ln-
    chelas de re lo lupanar de dita ra, pralicam
    vista das familias honestas ; lendo estas que teiem
    as saasjanellas semprefechadas,para obviar a que
    os adolescentes presencien! taes immoralidades
    At admira que aquellas lllbas do deslino-lihidi-
    noso, sendo mofar flltorum, e tendo-os a seu lado,
    senao envergi)nhem das suas proprias acedes. Qui-
    loramos nunca lancar inaodapenna para rliamar-
    mos a alleocao da.pohcia para os actos indecentes
    destas infeliies niulheres; mas se nos vendarmos
    os olhos a lanos escand dos de e/framata libido, e
    os homens que teem a s-'U cargo o rgimen das
    leis do paii nao providencirem estes abusos, en-
    tre pouco tempo sero as meretrizes a vergonha
    das disuadas familias que ornam esta segunda
    Vfneza.Os amigos do recato.
    Aluga-so a casa terrea com commodos, na
    ra de Santa Thereza n. 24 : a fallar na camboa
    do (".armo n. 8.
    mmms
    Publica^o liticraria.
    Sabio luz o opsculo intitulado
    A i,HHfl-:iiiAfl>i<::
    NO
    POR
    Affonso de Albuquerque Mdlo
    Convidam-sc osassignantes a mandarem receber
    seus exemplares na praca da Independencia ns. 6
    e 8, que serao enlregues vista dos recibos das as-
    Por esla superintendencia dar-se-ha urna
    gratificaco de 2000 a quem descobrif o
    au'or do roubo de algumas saccas com al-
    godo etc. feito noarmazem da estafao das
    Cinco Pontas na noite de 2^ para 21 do
    corrente. assim ,corao promette-se guardar
    s -grede.
    Assignado Ricardo Auslin,
    Superintendente interino.
    THESOt'KO HAS MAS
    Providencia das crian cas
    COLLARES KOVJElt
    Eleclro-magnclicos
    CHAMADOS
    COLLARES ANODINOS DE DENTICAO
    Contra as convulses e para facilitar a
    dentieao das crianzas preparados e inventa-
    dos por Rover, pbarmaceutico da esco-
    la superior de Paris, successor de Chereau,
    membro da academia de medicina,
    amiga casa de ouil.on.I.agrange, pbarmaceutico !&^l^^Xliberdade.-Onrns.l co-
    chef, dos trabalnos eh micoV da escola po- loma -Hevolueao de 1817-A Independencia-.A
    lytechnica, director da escola de pharmacia de tT*Ztt$?3Sfc~\ *".;?' pp O
    Pans, e membro da academia imperial Zt&SgSZEt iSS2Zti
    Estes collares vende,,se nicamente na loja do L^^aTr S'2e
    igilante ra de Crespan^____________maioridade.-Principios do reinado de D. Pedro.-
    AlUga-Se a 0000 mensaes a casa Revolta de Minas e S.Paulo.-Dominio da Praia
    terrea n. 263 dama Imperial, concertada, Luzia.-O dominio liberal nao ioquieUva os cor-
    ca
    me
    ru
    raes:traidores.Venda da bandeira da cons
    ^------------------------------------------titunte. O parlido liberal durante osqualorze an-
    Traspassa-seo arrendamento doenge- nos do chamado ostracismo.-Os corenndas e os
    nho Sanl'Apna, mnenle e corrente, com boa liberaes durante osqoatorreannos.Capliveire re-
    safra criada, periodo embarque meia le- signado e volunlario dos liberaes duranleosqua-
    . ... i o i-v, torzeannos.0 povo corcunda, ou os vermelhos e
    gua c muito porto da villa de Sennhaem os sabos.-A siiuacao propri amen te poltica.-Ins-
    as pessoas que pretenderem dirijam-se a tituicoes lvrcs, e dreiios politices que lvemos
    ra Uireita n. 3. 'ale ofim da regencia livre, e o que actualmente
    -7-r-------------------------- temos em lugar delles.Os representantes da na-
    AlU0'a~SGt coedas provincias.sitnacao administrativa.
    j J? i 'i w. c O que sao nella os Portuguezes. Como o gover-
    a casa terrea da ra da Mainz da Boa Vistan. 42: no ubrigadu a corromper o paiz e a fazer-ihe
    a tratar na ra da Madre de. Dos n. 10.
    Precisase de 1505 sobre penhores de prata :
    quem os liver annuncie.
    lusa-se urna casa terrea nos Arrombados,
    com commodos para grande familia, com 2 salas,
    I quartos, cozmha grande, perto do ri>, comba-
    nheiro novo, a casa foi reedificada e esl pintada
    de novo : a Iratar no armazem do Sr. Annes de-
    fronte da alfandega^_________________________
    Precisa-se de um bom cozinheiro, um copei-
    ro e um criado para um estabelecimonto publico :
    na ra do Trapiche n. 22._________________
    Urna boa casa terrea para familia
    esl poralugar-se ra da Uoiao n.
    T 39: quem pretender dirija-se ra
    O Dr. <>>sme de S Pereira conti- H
    na a residir na ra da Cruz n. 53, SI
    t e 2o andar, onde pode ser prosa- jjj
    rado para o exercicio de sua profis- (<
    sao medica, e com especialidade
    sobre o seguate
    Io molestias de olhos ;
    2o de peito :
    3o dos orgaos geniti jflj
    urinarios. 31
    Em seu escriptorio os doentes se- a
    rao examinados na ordem de suas
    entradas comecando o trabalho pelos j|j
    doentos de olhos.
    Dar consultas todos os dias d s
    6 as 10 da manha, menos nos do-
    mingos.
    Praticar toda e qualquer opera-
    c3o que julgar conveniente para o
    prompto restabelecimento dos seus 8
    doenles. H
    Preeisa-se Je um caueiro de 14 a 18 annos
    para armv.ein de m ilhados com p"ati>-a ou sem
    ella: a tratar na ra do Imperador n. 81.
    engorgitamento ipie .-"iVna
    sobre a regiSe Je ligad.....vistas, don
    cabeca, incbaco 4u ventre, ....o pnaha
    di'itai-me sonn d*i lado iluv;->.. i>>i m',-
    mo procurando pnsicjhi para ler >,,_>n, ho-
    je iao acho livre d'esse padern Me : cmno
    poraqui anda as nie kja, eu an i
    oste proprio que do rasa, Ihf -< t< m.u-
    dar-ne alguns vidro, c o cusi rih Hm sa-
    tisfar, assim iiriii i niiiii ilu t de>
    cere|;:. que live occastSo de esprnasaMM
    em mu ataque de gmdlas .|iie i-.-e urna
    preta que cun elle curn, bfii u~> i*Hks
    as tOMOS iu minha fannlia > nipre esa
    bom resultado, e por isee que |
    mandar alguna frasiiuinhos, e n -no aa i
    lulas pode montar a itoze. ^porque
    feito oso d'ellas para uto da i'anniia
    gumas pessoas, todas leca lira granrle
    resultado ; son
    De V. s. aliento nhrigadi,
    Francisco Fimos.) Pao
    fllifiimalisiue c itafBM henwrrbiNilae*.
    Ilim Sn.
    Ouio-Pretn, 30 de marn ih \Hti'.
    Posso certflcar-lhe que as pitola ca-
    Alaja-se urna casa junio da do Sr. eommen-
    dador Joao Pinto de Lemos, na ra de S. Pedro tbarticas do I)r. Ayer Sao exceNnles. poi*
    Apostlo em Otinda, propria para os banhos sal- qoe solrendo ou dores pelo carpo, i-que
    gados : na mado Kncantamenlo n. 1'.
    Esl ainda para alugar urna casa na ilha de ,im> i;j lovja soll
    da Aurora n. 10. Tambem alugam- Bemlica junto a ponle da Passagem, com comino- ,'(''_ i
    se as tojas n. 44, ra da Aurora ---------'!,:- "-- ^- ~ ~~>
    isuppunha ser rheiimaUsmo, mu -na es4a
    Precisa-se alugar um ou done prelos para o
    servico de refinaco : na ra do llangel n. 43.
    53 ."5
    . %
    J3 /) CO B
    B '" 1 -i
    If 8 |

    -r

    O 2.
    o
    O. V
    V -1
    lile
    rp
    -i s o
    O &* v
    a o f
    3 5 _
    V o
    9 B > *i
    3 w Z T
    I
    . ha aniiosi r ^iiTrendo
    do^ para familia, banto,*lSZ+?Z> *&< **W> M.....- de
    aluguelde 1503 por anno na ra larga do Ro-' um "lvido. DOiS -po ate ja pOUTO miui. e
    sano n. 36 se dir quem aluga. aonmpaiiliado de una dr no queiv. on-
    Isultei a um dos no-sos niii > -. Me ni
    disse que devia finer uso da salea : pon*
    leudo ou o almanack do mesmo douii>r.
    Retirase dosla provincia Thomaz Ebom e
    sua malner D. Itxa Ebom. e suasdua^ Dlhas me-
    nores Isabel e Maria, quem liver canias com elle
    poder procnra-lo para receber ou pagar, em sua
    casa no largo do Corpo Santo n. 21 ou na ra do i onipiei cm sua rasa um vidni.l.o das xweir
    Imperador n. 28.
    Ths. Kalium.-. I. R. 18.-.
    Precisi-sede urna ama forra oa captiva para
    casa de poaea familia, que saiba coziohar : na
    ra da Praia ti. 9.
    Roga-se ai. Sr. Mariano Lopes Rodrigues que
    j se digni declarar sua residencia para lhe ser en-
    tregue urna carta.
    OSr. morador da ra Nova qoe se
    acha a dever 6q arteis de assignaluris des-
    signaiuras; ahi tambem esio exposlos venda a qual tem commodos para grande familia: a traiar te Diario, queira manda-las pagar poiS
    :ir)iH) cada um. Sao sob os seguintes ttulos as] no segundo andar da mesmacasa, ou no Recife na' assim como elle gosta de receber a paga de
    seus serviros deve attender a dis ou-
    Bfflj tros, principalmente o do Diario em que
    A l uga-se
    o terceiro andar da casa ila ra Direila n. 3, o
    ra da Caiiea n. 3.
    Maques sobre Poi'ugal.
    0 abaixo assignado autorisado pelo
    Raneo Mercantil Portuei.se. e na ausencia
    do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
    fectivamenle por todos o paquetes sobre
    as pracas de Lisboa e Por .o, e mais luga-
    res do reino, por qualquer somma vis-
    ta, e a praso ; podendo, o^ que tomarem
    trabalham mais de (i() pessoas.
    Js. Lehmann retira se da provincia.
    mas pillas e por minha ron la priie ipu-i a
    toma-las, o sem as linalisar acho-un
    dores pelo corpo : e sem sentir. esM do
    ouviilo, o mesmo dos stsasn emsvrkss>
    daos : porlanto sao para inim toSS pilu-
    las as melbores que tenho expenmentado ;
    isto em aliono da venlade. Son
    De V S.
    Amigo certo, veneradare okrifedo,
    o brigadetro
    Joo Honitici k.s Fn nt Cartai.no.
    Precisa-se de urna ama para servico do
    ' ca familia ; na ra Nova n. 11.
    pou-
    Sl
    m 4 FORTl^
    !.4
    AOS 6:000.000
    IJilhetes garantidos
    V ra do Crespo u. 23 e casas do eostume
    O abanto assignado vendeu nos seus muito feli-
    zes hilhetes garantidos da lotera, que se acabou
    de extrahir a benelicio da matriz da Boa-Vista,
    os seguintes premios:
    Deas quartos n. 2873com a sorte de 10:0005000
    Uous quartos n. 2033 corn a sorle de 3:000000
    E oulras maltas sones de 100a, 405 e 205-
    Os [ussiiidorespodemvir receber seus respec-
    tivos premios sem os descontos das leis na Casa
    da Fortuna ra do Cresoo n. 23.
    Acham-se venda os da primeira parle da
    primeira lotera a beneficio da Santa Casa da Mi-
    sericordia, que se extrahir no dia 30 do cor-
    rete.
    Preeos.
    (Jilhetes inteiros..... 75000
    .leios......... 35000
    Quartos........ 15900
    Para as pessoas que compraren)
    de 1005 para cima.
    'ilhetes....... 6*300
    Meios........ 35230
    Quartos......, 15700
    Manoel Martins Fiuza
    Escravo fgido.
    No dia 12 de dezembro de 1864 fugio um escra-
    vo parda de nome Fructuoso, de boa altura, refor-
    eado do corpo.de idade de 30 annos, pouco mais
    u mimos, com as barbas grandes e um pouco
    brancas, a falla um tanto grossa : quem o appre-
    hender pode levar a seu senhor Joao de Souza
    Lelo, no engenho Maranhao, que ser beni recom-
    pensado. ______
    Grande baile hoje 21 do correute,
    nos salesdo caes d'Apollo, depois damis-
    sado gallo, dar-se-ha principio a meia noi-
    te. lntrada para hometn 20, e senhora
    gratis.
    - Vende-se um escravo de 20 annos de idade,
    permito cosinheiro e perito boleeiro, da-se a con-
    teaio, garantindo-se qualquer das habilidades :
    tratase na ra do Oc.-tino n. 18, nos fundos da
    taberna do Lino. __________________ '
    ~" Aluga-se urna das melhores casas na povoa-
    c.rn de Cachanja : a iratar no Cachang defronte
    da igreja.
    Precisa-se alugar urna preta para o serviyo a clientella do governo para suslentar-se o impe-
    inlerno e externo de urna casa de pouca familia, rio corcunda.-O procnsul.O procnsul da co-
    preferindo-se que tenha de 40 annos para cima : | marca. Dos cargos, dos crmes e da punicao.A
    a tratar na ra do Socego n. 56, taberna. justica. Juizes municipaes.Juizes de dreito.
    dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
    Dividendo
    Massa -fallida d Aniorira, Fragoso, San-
    tos & C.
    Os administradores eslao autorisados a pagar o
    Io dividendo de cinco por cenlo, devendo porm
    realisar se do dia 2 de Janeiro prximo em diante,
    em virtude de ordem do lllm. Sr. Dr. juiz especial
    I do commerrio. O pagamento ser feito de meio
    sempre maior mal.-Cumu se multiplica e se paga ; d da ,0 no ,,scriplorio da rua do
    \ i Attencdo
    *
    Aluga-se a casa assohradada n. 36. sita na rua
    da Alegra, muito propria para os senhores estu-
    dantes, por quera sempre esleve oceupada : a Ira-
    tar na rua do Mondego, plana n. 13.___________
    A pessoa que tem levado da eslacaodo Ri-
    beiro os Diarios do Sr. lenenie-coronel Zeferino
    Velloso daSilveira, do p-esente anno, queira man-
    dar satisfazer sna importaoria, alias se annoncia-
    I rao seu nome, para ser conliecido como recebe-
    dor do alln'io contra a vonlade de seu dono.
    liaslrile.
    Ouro-Preto, de marro de ISM.
    Atiesto que leudo feito uso. aionselhadu
    por ura aoigo, das pilulas do Ur. kjrr,
    liquei perfeilamonle bom de um i
    que solivia e que privava-me de an I
    lado, hoje felizmente nada aiolo.
    Augusto Gollatiko hk Mello.
    ize-
    Prev.ne-se ao Sr. tbesoureiro das loteras, Tribunaes.-Os das elaCoes.-Trbunaes do Com-
    indo-s perdido dous meios bilhetes da lote- memo.-Supremo Tribunal de Justica-0 jury.-
    que tendo-s perdido uvu:
    r. que corre hoje, da matriz da Boa Vista, de ns. Os advogados.-Conclusao. Garanta dos d.re.los.
    2108 e 2329, para que, se por sorte sahir algum -A moral publica.-Dos cnmes.-As eleicoes.-
    premiade, os nao pagar senao ao abaixo assignado, Gorollar.o da obra saquarema. O que e a pa-
    que esl prompto a provar a sua posse e a quem ,a- S,luav-o para coni e exterior S.tiiarao
    oscomprou. nnanceira. As finanzas do estado.-A miseria.
    Manoel Antonio de Jess.
    Vigario n. 21, primeiro andar.
    Offerece-se um mullier com bastante leile
    para criar : na rua da itoda n. 47, loja.________
    Alteneo
    Retratos em porcelana
    Retratos em porcelana
    Retratos em porcelana
    Retratos em porcelana
    Relratos em porcelana
    S conhecido na America
    Perigo e salvamento dos corcundas.-A liga.- So conhecido na America
    Como se congregam os elementos para ella.-Con-: So sonhecido na America
    sideraces retrospectivas. A comtituinte. Prepa-' So conhecido na America
    ros antecedentes.-ConcihaQao e opposigG parla- i So conhecido na America
    mentar.MonU a lga.-O que sao os liberaes na Esl prompto e ensaiado
    I liga.Que bem farao os liberaes ao paiz.-O pro- E^la prompto e ensaiado
    i gresso.-Seus feitos.0 que c o progresso e que Esta prompto e ensaiado
    far.-Como se deve viver oesia trra echegada Eati promplo e ensaiado
    ao progresso.Porque o progresso s vem rom- Esl prompto e ensaiado
    pletar nossas desgracas e sem mais remedio.-Se erejr ao respeila-e pub c
    Srs. redactores.As presentes clrcumstancias de .
    minha posigao de estudante me provocam a vir, ha salvagao para nos qual seria o meio e bem fa-
    inesperadamente, soccorrer-me de um ngulo do cil.-Resumo.A's cinco provincias pernambuca-
    seu conceiluoso Diario; porqne a nao serem ellas as. Histrico e poltica corcunda.De que pre-
    ada me estimulara a sahir ao publica para dar vm a miseria. Como se corrompe na eleicao.A
    urna satisfacio necessaria ao gracejo de mo gos- restricao da llberdade apar do progresso da immo-
    to, de quem quer, que, pretendendo ludibriar-me rahdade.Corollario.
    ante a opmio dos que pouco me coohecem, maxi-| Aluga se a casa assohradada n. 68 sita na
    me, urna daquelles de quem me faz depender a rua da Pa|mai e outra casa ,errea na praa d0
    necessidade de educarme, despejadamente faceto, Caldeireiro n. 37 : a tratar ua praca da Indepeu-
    abusando da boa fde V Me. mandou-me, por seu ,jenca n_ 32.
    Diario, que fosse a casa de...., rua de..., onde nao ------''-------------------------------------
    tenho absoluiamente negocios nem interesses, para Arrenda-so a mata da propriedade Apipucos
    -ras da
    tra-
    ca
    Para servir ao respeilavel publico
    Para servir ao respeilavel publico
    Para servir ao respeilavel publico
    Para servir ao respeilavel publico
    icana rua do Imperador.
    fazer suppor aos que devem apreciar severamente nos das 27, 28 e 29 do corrente, pelas 4 hora
    0 n.eu portaraento, que tenho por eostume re- ^rAe> na casa da, residencia do actual admiras
    quenia-las poslergando os graves deveres de mi- dr. maJor ^io Francisco do Uego Maia, onde po- do ao mercado, tanto em goslo como em quakda-
    i'ha classe! i ^erao ver os pretendentes as condigoes da mesma de, pelo baralissimo preco de 560 rs.o covado.
    No armazem de azendas ba-
    ratas de Santos Coelho,
    lina doQueimddo n. 19,
    Vende-se o seguate:
    Atteneao II
    Ricas lazinhas, fazenda a melhor que tem vd-
    Agrade^o a dicaeidade do incgnito gracioso ; e arreraatacao_em qualquer da,
    rogo-lhe i|ue nao continu por amor de minha re- Aolouio Antunes Lobo declara ao publico e
    pulaco. Theophilo Orisimbo da Cunha Souto com especialidade a) corpo do commercio desla
    Maior. cidade, que o Sr Antonio Jos de Oliveira Lobo,
    Perdeu-se um bilhete do Rio de n. 2211 da deixou de ser ara caixeiro e encarregado da ge-
    48 lotera, assignado 110 verso por Feliciano Primo rencia da sua loja de miudezas da rua do Quei
    de Souza: quem ackar leve-o rua do Vigario mado n. 75, desde o da 1 de dezembro de 186
    u;i4-__________________________i (lasa de cdui*,aco.
    " O Sr. J. J. de Souza Serrano tem urna carta Jeronyrao Pereira Villar trasfeno o seu estaa duzia.
    ne ta typographia.______________^__^____ belecimenlo de nstrucijao primaria e secundari-
    Uilas mludinhas carmezins, proprias para vesti-
    dos de meninas e camisinbas a 640 o covado.
    Corles de laa cora 15 covados, pelo barato prec<
    de 6*.
    Cobertas de chita da India a 250S e 3.
    Lences de panno de linho a tf e 2JJ500.
    Pecas de cambraia de forro com 8 1|2 varas i
    35200.
    Toalhas alcochoadas proprias para maos a Bf
    Pegas de plalilhas de algodo com 10 varas,
    Ricos cortes de laa com barra Maria Pa a
    _ No largo da Santa Cruz n. 16 precisa-se de para a rua larga do Rosario, sobrado de dous an-
    um menino de 14 a 16 annos de ida Je, e que afi- daresn. 22 ; o participa nao s aos Illms. senho-
    ance seu comporlamento, para caixeiro de taberna, res, pais de seus alumnos, como ao respeitavcl proprias para saia a 4#.
    -----;-----------------:. ~-------------- .. publico, que as aulas estarao abertas no dia 8 de Algodao eofeslado com 7 IrJ palmos de largura
    - A pessoa que diz ler urna caria para e Sr. JDe anno vjndfluro de ,865 a UIQ0 rs a vara. |
    Mariano Lopes Rodrigues, queira ler a bondade --------------------------- ---------------------------------- Esteira da India, propria para forro de sala de
    de a mandar rua do Rosario da Boa-Visfa n. 43.; A tteilCaO. 4, 5, e 6 palmos de largura, por menos prego do
    ' ...._____a'ue em outa qualquer parte.
    Nesle estabelecimento tambem se encontrar
    caixeiro para uradeposito; Aluga.se a casa ^bradda n". 36. sita na roa ^K^ltobfc"^?
    1a, mu propria para os senhores estudan- m grande sorlimenlo de roupas feitas, e por me-1
    no pateo do Carmo, e que d fiador a sua conduc- ^ ^|S*
    ta : a traiar na rua Imperial h. 51, taberna.____ tes, por quem sempre esteve oceupada : a traiar
    TINTURARA. ua rua do Mondego, olara n. 13.
    O t'ntureiro da rua do Rangel n. 38 av: -
    sa aos seus freguezes que mudou sua re-
    side >cia para a rua Direita n. 116, onde
    continua a Ungir para qualquer cor e o
    mais barato possivel.
    dida
    Est occulta.
    ---------- Consultorio medico-chiruryiee na raa larga do Ro-
    sario n. 20.
    A pessoa quo tem occulta em easa a prea Ra-' O Dr. )o5o Perreira da Silva regressando sua
    fina, queira entrega-la qnanlo anles a seu senhor casa, contina em o exercicio de sua nfoflseae,
    do contrario ter de sofTrer as penas que a iei nao s na parte medica como lambem na WW-
    marca para quem tem eseravos escondidos. gica.
    Antonio Luiz de Oliveira
    vedo a C
    \!orilis do Banco Unio do Porto.
    Competentemente aatorisados sacan) por todo
    paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
    Lisboa, e para as seguintes agencias.
    Londres sobre Banh of London.
    Paris Fredcric S Ballin & C.
    Hambirgo Joao Gabe & Filho.
    Barcellona Francisco Rahoba & Ballisla.
    Madrid Jaime Meric.
    Cdiz Crdito commercial-
    Sevilha Gonzalo Segoria.
    Valencia M. Perera Y. Hijos.
    Em Portugal.
    Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
    Arcos de Val de Carainha. Guarda.
    Vez. Castello Branco. Guimares.
    Aveiro. Chaves. Lagoa.
    Barcellos. Coimbra. Lagos.
    Bastos. Cnvilhaa. Lamego.
    Beja. Klvas. Leiria.
    Braga. Extremos. M -
    Braganga. Kvora. *
    Faro. Fafe. Moncorva.
    Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
    meis. Porto-alegre. Setubal.
    Penafiel. Thomar. Viannado Cas-
    Tavira. Villa Nova do lello.
    Villa do Conde. Portimo. Villa Real.
    Villa Real de Vizeu. Madeira.
    S. Antonio. Faial. S. Miguel.
    No'imperio.
    Bahia. Maranhao.
    Rio de Janeiro. Para.
    Qualquer somma prazo ou vista,podendologo
    os saques a prazo serem descontados no mesmo
    Banco a razao de 4 por cento ao anno : a tratar
    na rea da Crnz n. 1.
    Aos senhores pais de familia. S
    O padre Flix Barreto de Vas- 8
    concellos, com aula particular de la- Q^
    tim na rua do Imperador n. 35, i. H
    andar, contina a receber alumnos ^|
    de todas as classes, durante e de- ^
    pois das ferias. Tambem est dis- ^s
    poste a abrir um curso de primei- B
    ras lettras e de francez, Ioro que M
    haja numero suficiente de alumnos
    para cada urna destas materias, e 5
    assim tambem a receber como in-
    ternos alguns inenit)0s,de cuja edu-
    caQo o qoizerem encarregar. Os ^5
    pagamentos sero por trimestres K
    adiantados, e os presos declarados M
    pessoalraente na occasiao do ajuste |$
    para a entrada do alumno. .;.
    Alnga-se nina casa, lado da sombra, com
    bastantes cemmodos, na rua da Matriz da Boa-Vis-
    ta : o i* andar lodo eaiado e pintado na rua da Pe-
    nha, e a? lojas por tralo prego : tuao a iratar nu
    segundo andar.
    Calla dr aprtile.
    Ouro-Preto, de fwereiro de 1861
    Sendo eu affieclade do lipadn ha muid.
    anuos, e ltimamente soUri bita de afi
    boj' ilnu grabas a Ihiis \i"i acliar-me
    e perfeito com o uso das pilulas catnarl
    do Dr. Ayer.
    Amonio Boto Vieira.
    Consliparo. ilires de rabera.
    Ouro-Preto, S d marro d>- I sil',
    Atiesto que achando-me alaradn d> una
    forte constipaco que trooae-me ilAres i'r
    todo o corpo e na cebefa, soflri hon
    mente por espaco de qttatro diw : enti
    um amigo acoDselhou-me que loBaas* |>i
    lulas albarticos do Dr. Ajer : com etbe fi
    quei sao e comptetamenle rrsi.ilMii.inin em
    tres dias, de sorte que ostou no flirm.- pr,
    psito do aonselliar o uso das ditas |>iiiilas
    todas as pessoas que fon-ni aflertadas i'.f
    .*nstipacr>es.
    Agostimio Jos da Silva, negociaale de f.i-
    zendas. ____________
    Irrilarfm do fslomagn.
    Ouro-Preto, ) ilr mano >!> IHtli.
    Altesto e juro, se neceseario Kr, ejpe. <> f-
    frendo ha muito lempo exeessrva irrk
    ilo estomago, pouco api'iiie e dMkil di
    to, delta tenbo eipstiniao sssmvcm
    melhoras depois quo tenho feito us<> das pi
    lulas calharli.-as d Dr Aver.
    Antonio IIkhmoikni:s Pbhdba llo<\.
    Lombriyas.
    Ouro-Preto, S de mano de I8G.
    As pilulas do Dr Ayer albssrss), t>-
    ram empregadas com graade vasSayem por
    mitn em urna menina de dez anuos. >\\w
    sollria de vermes inlestinat-s. Nota
    que os symptomas que eni.in aprejwtai 1
    eram de molestia bastale perayoea.
    Ravsundo Nonato 8. K Thiago. phartin-
    ceulico.
    :#
    Neuralgia.
    Uma carta do lllm. Sr. Francisco Ah -
    renga de Azevedo.
    Ha mais de sete anuos que soffria rt.
    do hombro e as costas, Itmwi uma inliin-
    dade de remedios sem achar sWi alium.
    Dr, angustia, tornient) siio .alavras fiw-
    tes, porm nao exprimem 0 que i.nle
    frido: ltimamente tomei as pilulas
    tbarticas do Dr. Ayer. S faz oilo dias.
    tou completamente ralsMscids); ha in-
    dias que nao sint. a mais leve dr no hom-
    bro nem nas costas.
    Estas pululas acham-se venda n^s prir,-
    cipaes boticas c drogaras do Imperio, e iu
    Rio de Janeiro, rua Direila n. em
    Vende-se em PernamhucO:
    A phamacia fraarrza le
    P.WftUnER 4 c.
    I HUA .NOVA N. 18.



    Diarl* <&c reraanaaiieo abbado 8 4 le Dezembro de 1SS4.
    COMPRAS.
    Compra-se ouro e pratt em obras velhas
    daga-se bem: na luja de bilhetes da i;;ia Inde
    pendencia n. 22.
    Comp;-a-se effectivamente
    ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
    na ra larga do Rosario n. 24, luja do ourives
    Compram-se dous escravos que sejain bons
    carreiros : na ra do Trapiche n. 13.___________
    Comprase urna carleira rom doas faces para
    eseriptorio : no armazem da ra da Cadeia do Re-
    cito n. 48.____________________________________
    = Compra-se urna vacca que tenha bom e abun-
    dante leile : na ra do Crespo n. 4o, ou em Api-
    pucos, na casa junto a do Sr. Jos Alfonso._______
    Compra.se urna prela de meia idade que ce-
    zinhe bem o diario de urna casa : na ra ireita
    numero 17.________________^__
    Comprara se escraxos que sirvan) paia ser-
    vido de campo : na roa Direita n. 3._____________
    Comprase um balcao de aroarello que tenha
    volu : na.ra do Cotovello n. 1, taberna._______
    No cae de Apollo n. 54 compra-se um es-
    cravo que seja bom beleeiro, moco e boa conduc-
    ta, e urna escrava que entcnda bem de cozinha e
    ensaboado, potasa pagar bem aseu merecimeoto.
    Compra-se urna taberna com psuros fundos
    sendo em bom lugar no bairro de Santo Antonio,
    que esteja bem afreguezada para a trra : quem
    tiver e quizer fazer negocio, annuocie.___________
    "5o#odo
    Comprase urna casa terrea cojo valor nao ex
    ceda de 4:0005000. Na ra da Concordia n.71
    junto ao aobrado do Sr. Manoel Firmino.
    YENDAS.
    Romance.
    Ventle-se na praca da Indepen>.ncia li-
    vraria ns. 6 e 8, o romance Martina o en-
    geitado ou Memorias de um escudeiro, obra
    do distincto escriptor Eugne Sae, autor
    das melhores obras conbecidas, pelo dimi-
    nuto proco de >o00 por 4 voluntes em
    broxur.____________________________
    Har lts(>5
    Acham-se venda na livraria ns. 0 e 8
    da prara da Independencia :
    A FOLI1N1IA DE POHTA, abraogendo o
    kalendario civil e ecclesiastico, tabellas de
    feriados, de emolumentos dos tribunaes
    do commercio etc. a 1(50 rs.
    A FOLHI.MlA DE ALGIBEIBA contendo o
    mesmo que aquella e mais urna nova
    Salve Rainha em verso,o Stabat Materem
    RIVAL SEM SECUNDO
    lina do de Jos -de Azevedo Mata est contrallando i
    veader muiu barato, pois *e$enio dar a fazen
    da por lodo preco a vista dosvbres.
    Cartas de allinetes fraucezes 4a melhor qualidade
    a SO-rs. t
    Grosasde pennas de ac ing4ezas da melhor qua-
    lidade a 640 rs.
    Caixas de rolchetes franceis de superiores quab-
    dades a 40 rs.
    Groses de botoes de madreperola muito finos a 561
    e'640 ris.
    Carreteii com 4 a 5 oitavas de retroz creto fino a
    6*0 rs.
    Resmas de papel de peso liso muilo superior a
    25000.
    Grvalas da liga e de outras militas cualidades a
    00 rs.
    i aniveles para penna com 3 folhas fazenda boa a
    800 rs.
    Uuza de boldes branca para casaveques de senbo-
    ra a 100 rs.
    Pecas de fila de cs estreitas com 9 varas garan-
    tidas a 320 rs.
    G Expositor Portuguez para os meninos a prender
    a ler a 800 rs.
    Os segredos da natureza para os mea i nos a pren-
    der a ler a 15000.
    Cariilhas da doulnna christaa, finas e superiores a
    320 rs.
    Pentes finos de runrfim a 15000, 15200 e I5"i00.
    Pares de luvas de seda para horneas e senhoras a
    500 rs.
    Gollmiias para senhora o melhor que ha a 320 e
    oUO rs.
    Frascos com superiores banhas a 240, 320. 5001
    15000.
    Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
    to preco de ICO rs.
    Capachos redondos muito finos a 500 rs.
    Cordao branco para esparlilhes muito superior, i
    vara a 20 rs.
    Carritis com .'O jardas de linha branca a 00
    ris.
    Cartes com 200 jardas de linha branca garant-
    - s a 60 rs.
    Grosas de pennas de ac superiores a 500 rs.
    Varas de franja branca e de cores larga para toa-
    Ihas a 160 rs.
    Pares de botoes de punho, oh que 180 rs.
    Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
    Ditos de barro com superior tinta a 106 rs.
    Grosas de batees de louca prateadoa muito fino a
    160 rs.
    Tesouras para costura superior qualidade a 500
    ris.
    Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
    o
    AO PUBLICO
    Sena o menor constrau-
    glmente se entregar
    Importe do genero qne
    uo agradar.
    ARMAZEM
    ATTENQAO
    Os precos da seguiste
    tabella para todag, po-
    dendo asslm servir de ba-
    COXMEL
    M
    ^.
    k.
    V
    a
    Deixai que os Huno d. i ivm-.ica aregnea
    economapara os |.>r |j |M mrj
    humano i-|ior<( rio ai|uriia i,i... i. i. rus, wm
    cessita de n.ai..r tftttM \ -la hum.HUr
    se iniroduz a grano- maioria da audrsliat, na
    estas a perda da saude da nfc r T r Fra
    se para o ajuste de tonta botinas e sapa.os vihn naaaiii i
    cona os portadores.
    45-Rua Dereity-45
    CANTIL
    RA 11V CADEIA DO REilfE tf. 53.
    (Logo passando o arre 4a Cenceiee)
    Grande reduccSo de precos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
    annunclante.
    nf
    Borzeguras tnmuut para honra
    Ditos inglezes dem a t5. 7* e
    Ditos para senhora
    Ditos para nrmaa
    SapatoVs esnefa r i ra
    Ditos de Nanu- de duas olas
    Ditos iiu de MNa e vira
    Sapallo de berracke para Matan
    Ditos de. dua para meninos
    Ditos de tapete para horneo
    nhora> a Kot) e
    Sapatos de lustre para -enhora a
    Ditos para casa
    Chinelas rasas do Porto
    e .**-
    I*.i
    :m
    i wat
    Agua Florida.
    Para resUbelecer e caamar a rix natara
    dos rabillos.
    A agna florida nao ama iiainra. fano
    Collegas.Nao poseo por mais lempo sustentar o prego muitos objectos, etc., dando cona isio ocasie a todas as espeluncas acabarem por bom prego a manteiga de tempero, e gritarem em
    alta voz, que podem vender pelo preco que en vendo!! 1 Ora, en oflendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo r.a' a. ontesur,
    svstiiema que vim encontrar, de a se vender com um por cenlo a carola, resolv fazer esta grande reduccSo de precos, como veris tiva ao cabello. &>.....,u de |.lBU% JXSTe
    pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, al a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao f *"*f???fto" J*1'*. a en****?
    se sabia de outro prego de manteiga ingleza .a nao ser o de Moa a i,600 rs. a libra. Iloje porem, resentidos da redueco a que V^llS^i^XyT\f\T'v''
    estao obr.gados encarando todos os dias de seus freguexes reclamacao de precos, e qualidades, vinpam-se de um e outro portadores a, a Agua Vten* SllTlSS, T?ZZ
    at_ intormado deste novo esiabelecimcnio. pura Ibe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu um ** as tu** impra m 5nit<.
    tao somonte obler a concurrencia de seus freguezes. ^ Oleo de ITarii
    ,____..... Composto de sub>iaiicu, Tpjru-e^io< --
    Para bem de todos.
    Sensores e Senboras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo e'stabelecimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
    reza com que serao tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darlo a proiecco e preferencia na compra
    dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderlo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, pois
    serao tao bem servidos como se viessem pes^oalmente, bavendo para com estes toda recommendaco, afim de que nao vao em oulra par le
    Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricasde i duzias se faz abati- Antonio de Lisboa em latas com 6 libra
    escolhida a 800 rs. a libra, em barril se
    faz abatimento.
    dem franceza a mais nova que tem vindo ao
    mercado a 5tio rs. a libra, e em barril ou
    meios a 5oo rs.
    Cha bysson de superior qualidade a 2,Goo rs.
    a libra.
    Caixas rom superiores phosphoros de seguranca a Idem pereIa 0 mas super0r do mercado a
    Caixas com 100 cnvclopes o mrlhor qne ha a 640 2,000 rs.
    ris. ; dem nuxim o melhor que se pode desejar
    Caixas com 20 quadernos de papel amizade, muito i i,esle genero 2,(5oo rs.
    Qufiadrno?deSpapel pequeo muito fino a 20 J ,dem P.r,e,lJ ""meopathico porser de superior
    ----- -----------------------qualidade a 2,uoo rs. a libra.
    Libras esterlinas ldem uJ8nluxim e perola mais proprioj
    ment.
    Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
    e 8.000 rs. a arroba,
    dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
    a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
    dem do Cear de superior qualidade a 2io
    e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
    arroba.
    Arroz do MaranhiSo a loo rs. a libra, c 3,ooo
    rs. a arroba,
    dem da India muito alvo egraudo a 100 rs. a
    libra, e 3,ooo rs. a arroba,
    dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
    a arroba.
    Rosario, cntico a Virgem Mara Nossa
    Senhora, trinta etres chistosas anedoctas.
    um indito poema sobre as aventuras de
    um cosioheiro, o canto de una solteira
    (poesa), crescido numero de mximas e
    pensamentos, urna historia como muilas
    ('romancea e vinte e cinco novas e pi-
    lbercas charadas a 320 rs.
    para negocio o 1,600, l,8oo e 2,000 rs. a Pataco e alpisla a I4o rs. a libra, e 4,3oo
    libra, garante-se ser muito reguar, igual i rs. a arroba.
    ao que se vende era oulra parte por 2,4oo Massa de tomate era latas de I e 2 libras a
    e2,3no rs. 600 rs. e de barril muito superior a ioo
    Linguicas, chouncas e paios em latas de 8 rs. a libra,
    libras, ermeticamenle lacradas a 5.5oe rs. Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
    garante-se sei em superiores aos que vem bra, e 9,ooo rs. a caixa.
    em barris. .dem e lalherim branco a 32o rs. a libra,
    Chouncas e paios em barris de meia e umaj estas massas tornam-se recomendaveis as
    arroba a 8,000 rs. e 1,000 e Goo rs. a libra. 1 pessoas doentes por serem propiamente
    capas de velludo, massa, tartaruga e mariim, a|!Queijos flamengos muito frescos chegados' feitas para esse lira.
    gnus dos qoaes con. micros.- opio para augmentar i nes,c oilimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
    Vende-se quem as quizer comprar no armazem
    verso, devoco ao agonisante, cui aCO "de; n^33, da ra da Praia, se dir quem as vende.
    Jess, cntico cm louvor do Santissimo: jnrasC0S COlE TOlimia arabka
    dissolvida e pincel.
    Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
    aguia branca.
    N ros albuns.
    A aguia branca acaba de rfceher oulra enrom
    menda de bonitos e bem eneadernados albuns de
    -----Veillle Se CtiliCS VaZt'OS propi'iOS o Umaoho dos retrato, conlinunndo a ser.m ven-
    didos por precos rommodos: na ra do Queimado
    loja da aguia brama n. 8.
    para nahnieiros e funileiros a 1 $760
    rada un; nesta (ypo^raphia.
    CAZ, CAZ, CAZ.
    Rpcenlemenle chegado.
    Primoira qnalldade.
    Na ra de Apollo n. 2.
    ESPEA (IV
    Receben correntes de ac polidn e faciado para
    T< |(i|io, tajaos de sndalo, gint>i i]c velludo de co-
    res o mais bonilo que tem viudo ao mercado, lune-
    tas de tartaruga, bfalo c de ac dooradas, inlei-
    ramente novo o modelln. luvas de pellica preas,
    de cufes e Drancas, graxa econmica, unta coin-
    monicativa paraescrever e copiar, dando provas
    depnis de 8 dias de escripia, adereces eam fen, j
    botoes eamafeu para pannos, brincos balodoara
    dos, enfeites modernos ele. : na na do Queima
    do, loja de miudezas n. 33 A._____________
    passado a l,6oo e l,8oo rs.
    dem londrinos os mais superiores que tem
    vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
    ro se faz ahaiimento.
    Ideal praio muito fresco a 8oo rs. a libra,
    que ha de melhor e mais agradave, e por i,-soac- i dem do Alentojo o que se pode desejar de
    ba de recelier diversas figuras e vasos de p de j fresco e. superior a 8oo rs. a libra, a elles
    pedia com lina hanha, a>.-im como bonitos frascos
    Galanteras para /'estas
    A aguia branca nao ressa de encommendar do
    de excelienles extraelo.se liadas calxin'as de ma-
    deia euveinisaiia rom finas perfumaras, ludo
    mui propnu para |ueseules de festas ele., bavendo
    dinheirodiiija-se o pretend nle a ra do Queima-
    do n. 8, luja Oh aguia branca.
    Ail fino para engom-
    ina A aguia branca na ra do Queimade n. 8, rece-
    beu glbulo* de aml lino e fra.-quiuhos com es-
    >encia de dito para engommados.
    Outros eufeites.
    A aguia bianca acaba de receber por este ulti-
    Bspantosa pccliiiicha.
    Algodao superior largo com um pequeo defei-: mo vapor um novo .-ortiinenio de bonitos e dehea-
    to em moa das orelhas a 65 a per;a cen 20 varas : dos enfeile> d- ruoldes inteumenle novo8 e de um
    na roa da Madre de Dos n. 16,
    guarda da alfandega.
    Vendem-se thesoaras de Gimares para lo-
    fislas, cabelleireiros e costura : na ra da Cadeia
    lo Recife n. 44, loja de f.-rragens. _____________
    loja defronie da apurado g..>to, assim pois comparecam os pieteii-
    denie> munidos de d'iiheiro e com disposiyau de
    gastar : na luja da aguia branca ra do Queima-
    do n. 8.
    antes que se acabem.
    Er vi Ihas e Cavas portuguezas em latas j pre-
    paradas a (Jio rs.
    Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
    bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
    Piezunio do reino vindos de casa particular
    a 5(o rs. a libra, e a oo rs. inleiro.
    dem inglesas para fiambre chegado neste
    vapor 72o rs. a libra.
    Copos lapidados para a gua a o,ooo e 5,ooo a
    dir/ia,
    por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
    mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
    de 3 libras por l,5oo rs.
    Ameixas francezas em latas de l e meia libra
    por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
    tamanhos com bonitas eslampas na caixa
    exteriora I,2oo, 1,506, e l,8oors.
    Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
    de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
    caixa com urna duzia.
    Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
    caixa com 2 arrobas.
    Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
    8,5oo a duzia.
    Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
    Nozes muito novas a i6o rs. a libra
    Molho inglez em garrafa de vidro com
    rollia do mesmo a 5oo rs.
    Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
    8oo rs. o frasco.
    Mostarda franceza era potes j preparada
    a 4oo rs.
    Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
    rs. a libra.
    Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
    grandes a I.ooors. e 11,000 a duzia-
    Palitos para denles a l4oe 16o rs. o mago.
    Sal refinado em frasco de vidro com rollia do
    mesmo a boo rs.
    conslite podero-am ron a Agua F! ruto, j
    forca, a bell za a a con-ervaca do- raaV '.
    Em Par;.', casa de QuisUur n. 15, roa Rwa*-
    lieu. e 41, boulevard Mi.ntm--'
    Todos os frascos, nao lendo iniarsn r rtar<> t
    timtire prateado da casa, san repatado* fal-
    Deposito, ra do Imperador, ihiiiaei *.
    0 IVrfiiiuc da Moda.
    AGUA FLORIDA
    De Murrav A" bnman.
    4oo eoeo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
    3,ooo e3,8oo rs.
    Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
    dade a 4oo e ooo rs. a garrafa, em caada
    a 3,ooo e 3,5oo rs.
    Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
    a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
    Vinho do Porto das melhores marcas, que
    Tem ao mercado como sejam Lagrimas do
    Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
    D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
    Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
    10,000 rs. ea 9oo e I,ooo a garrafa.
    Vndese um mulaiiiiho de 20 aneos, sem
    Vicios era achaques, propno para pagein : a tra-
    tar na ra Prqnenos pentes de t<> r-
    tarnga
    A aguia branca na roa uu Queimado n. 8, rece-
    \ ili o> ii >iuri-r, ceben novaH.enteesse* |n-qeuos Km>s de tarta-
    EJGrande sonimeoio de vndros de 'lodos os tama "ut'a *\w P"r ""* quah.la.les de p.qoenos, lisos,
    nhos : na ra da Cadeia, loja de ferragens do bonitos md reilus Una i slima tem nwrecidopa-
    Ba>to=. i,a as S'-nhora>. s. guiar o cabello quando alado ; a
    ~,,m ~r-------------------------7v---------------------- i aguia biauea poiein avi.-a aiiuullas oes.snas uue os
    .lobos para candleiros a gaat. haviam enco.i.mendado e a quem n>ais queira
    Vende-se no armazem de louca de uarie, Pe-1apn.veilar a urcasiau de os compiar continuando
    reir 4 C, roa do Crespo n. 16, por prego com-: a seren vendidos pelo mesmo preco de 4 cada
    mudo. ; um.
    Cufnitros para~pada-\E^"n,, bruna* ficam pretos
    v IIU bom re-ultado e u rapio., clieiio que produz
    fin a iiuiura de elirunacoma, e nie.-ino o faeillinio
    * '"oiiu de ap, lirar tem ^e tomado mui conhecidu e
    Na padaria Ja na Direita n. 84 ha para vender apreciada por todos ^ue usam della e por conse-
    os conhecidos e acreditados cylindros americanos I guite augmeiilado a t-ziracao, pelo que a aguia
    para trabalho de padaria, uiiiuiamanle chegadus.! branca Mianduu vir maia o novo soriimento que
    7 i.;TJ "* acaba de receber con.-laiidu tile de
    1 OU'' rSa Caixas cum ihiuinacoma para Ungir os cabellos.
    t- t ... r l'rasens Corn dilu ii'0!l>a l.ara lu-llal dil'<
    Vendem-se queijos de Minas : na ra Nova uu- D(ls ,m by _. '---------------------------------------------------Dllos com ory.hronianiina para liOiparas unhas
    Veude-se conservas de horUhce em caixas Sabuneto biam-os para lavar os cabellos,
    de duas du/ias d frasese a verdadeira graxa n.' Pomada cailicuniiphiia para dar cheiro aos di-
    J7 em laias, todo por preco coinmodo uo armazem tos sem nffeiider a pn paiacao fela.
    \Sapats ile marmquim dou-
    Vendem-se laratijas doces, pm peque-'
    as e glandes (jianlidades, a preco cB-
    modo : no sitio do sobrado atraz do Am-
    paro.
    nir/n fiara bilr8
    Esses sai>atos do grande lom vendem-se nica-
    mente na ra do Qu< imado loja da aguia braia n.
    a i-5 o par.
    V iiIih da MadeiiM a do tirtt Mems finas pata senhoras
    Vende aeoBilpwW vinho da Madeira'e do por-' /ii)*'/i H
    la, em caitas de urna e dua* duzias : so na loja v ....
    do Vigi!aute, ra do Crespo n. 7. brau" ?C "a FUa Que,mado lola da a8nla
    Nova exposiclO de candiel- Esponjas iwspara rosto
    Veiuiem-se na ra do Queimado loja da aguia
    "rauca n. 8.
    a 36o e 5io rs. cada urna.
    Sardinhas portupuezas em latas grandes
    preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
    boa a (5 4o rs.
    Choculate francez, suisso e hespanol a Ooo I Vinho Colares o mais superior que tem
    I,ooo e l,2oo rs. a libra. vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
    Espermacele em caixinhas contundo 6 libras | Sardinhas de Nantesem qnartos e meias latas
    por 4,ooo rs., iraranie-se serem transpa-
    rente e de superior qualidade, tambem tem
    de 12 por libra propria para carro.
    Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-,
    da, salmao, ostras echernee, vezugo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
    lalas grandes a 8oo e J,oon rs. cada urna. | cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
    Vinho Bordeaiix das maicas mais acredita-, libra,
    das que_tem viudo ao Dosso mercado a Bclachinha de soda em latas com diversas
    6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-1 qualidades a i,3oo rs.
    se ser de qnalidaile supei:or, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
    qualquer nao pode vender pir este preco. | para mimo a 64o rs.
    Genebra de H'.llanda a 56o rs. o frasco, e
    5,7oo rs a frasqueira.
    'dem de laranja verdadeira de A'tona em
    frascos grandes a 1 .ooo rs. o fusco, e
    11 ,noo rs. a diuia.
    dem de Mollanda em botijas grandes loo
    25 libras a 52o rs.
    Vinho do Porto muito fino excellente qua-
    lidade proprio para engarrafar em ancore-
    tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
    Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a.32o, Cerveia'"branca e"preta das marcas mais a-
    creditadas que vem ao mercado a u.ooo e
    5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
    Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
    Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
    Charutos de torios os fabricantes ra Baha e das
    mais acreditadas marcas conhecidas
    nosso mercado a 2,ooo, 2,5io, 3,ooo,
    3,500 e 3,8oo a caixa de loo charutos.
    Cognac inglez das melhores marcas a
    i.oso rs. a garrafa.
    Doce da asea da 'goiaha em latas de 4 li-
    bras por 2,ooo; dito em caixoes a 6oo rs.
    cada um.
    Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
    libra.
    Velas de carnauba de 6 e i 2 por Libra a
    32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
    Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
    e 4,8oo a caada.
    Banha de poros refinada a loo rs. a libra
    e 36o rs. em barril.
    Capil de diversas frutas muito frescas a
    64o rs. a garrafa.
    Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
    Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
    32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
    Ameixas francezas em latas de 3 libras por
    2,noo. rs.
    Cebollas solas a I,4oo o cento ; ditas em
    molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
    Malte excellente cha para os navegantes a
    a 2oo rs. libras.
    Passas muito novas de carnada a 4no rs. a
    libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
    Figos de comadre a 24o rs. a libra e
    l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
    Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
    Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
    Este raro qoo delicado perfan
    qnaei qne inextingnivd e tiu
    mimosa fragrancia e i .
    delicado cheiro das propriaa lenlfrrn-
    tes flores. Durante >>< tm
    toe do vero o sen uzo ton
    teniente aprazivi-l e Jescjavcl
    seqnencia da influencia refrigim
    suave que ella jtroduz aaa*a a adl
    em quanto que azada no banbo
    imparte >> corpo langnklo e can
    nina eerta taetcidade de viaja*
    Ella imparte Irmiupmnmtim m fei
    c removt panno*, tormo
    O TOXICO OKIEM.IL : KEW
    PARA OS CABELLOS,
    K nina preparacio ailmiravcl para
    :ir. at'onnnsear. conservar i.
    car os cabellos.
    A venda as boticas de Caer I
    ra da Cruz, e Joo da C. |:ra\<> A ...
    ila Madre de Dos.
    ros a gaz.
    Vi ra \o*a u. 941.
    O ! labnleeinMiiio avisa u ituMico, ijue. tem rerebido
    um ri |iiisMiriip surtiinenlo deiijerlns de to ijuali'ia-li's, como ^ejarn artifOM caiidieiro-, phraa
    de zinco. i| iadr.<, tion>cas haslaate yraO'ie, jugos
    d^ muias i|ualiitades, tamhuretes paia crianza.,
    Suailros de indas as finalidades, diver>as vi-'a-
    a Eurnpa, gravuras linas n-i i. m-.-jiii'.-. a histuria
    sagrada e ontra> muitos ariigos rjue por gusto se
    pude visitar este novo esial>elerrr.enlo, o qnal
    franco desde as 6 horas da rnantia al as 9 da
    noite, lulo pur presea bastantes conimudos que
    agradaro aos pn-tnriderjies : na ra Nova n. 20,
    loja i\u (^arneiro Vianna.
    JS'oc'i exposico de farrageng e
    ohjei:t"S de metal finos.
    V rna \ma n. ao.
    O proprielario d--ie t,em conhecido eslaheleci-
    nienl i av qoissimo soriimenio de tulas a^ cuiilerias e mu-
    laes, pin tolo-* os ueneros que se i>n le desejar, to-
    do-' os |uviHiid"ii!e* ficarai bem satisfeilo em v.r
    um nqnisoinvi orMnvmto de oiijtctos.qHepor go<
    ion ems
    A bja da Aurora na ra larga do Rosarlo n. 28
    recnbeu riquissirnas lioneras enfeiiadas lano de
    luiiea ionio d- seja, linalmenie mo muo proprias
    parador de mimo a qualauer menina. Assim ro-
    mo lanibem rereheu riquissirnos ei.faites a impe-
    ratrii ruana de itiUit gnsio o AGENCIA
    AGENCIA L0W-M00R.
    Una da Sruialla aera n. 42.
    Neste esiatieleciiiiento continala haver
    uu completo soriiuiento de moendas e meiai
    moendas para engenho, machinas de vapor
    e taclia? de Ierro batido e coado, de todos ot
    amauhos para ditos.
    Arados americanos e machinas par
    lavar rowpa: em casa de S. P. Jonnston & C.
    na da Seuzalla Nova n. 42.
    $**:& m m m mm, mmmmw,
    1 fabrica Conceicao da m
    i Bahia.
    KAndrade A Reg, rerebem constante- S
    menle e lem venda no seu armazem n. ffi
    at 34 da ra do haperadnr, aleodao d'aqnel- ^
    ffi !a fabrica, proprio -ara saceos de assu- 2
    W car, embalar aieudo empluma etc., etc., j|R
    ji pelo preco mais razoavel. tf
    'A'SK^WW'l W'4"4S "SWE^t
    W^RapK^RiSK^ NK3K *' 9RJK! WlaR'
    Boa da Seuzalla n. 42.
    Vende-se, em casa de S. H Jnhnston A C,
    SORTIMENTO PARA A FESTA
    23Largo do Terco23.
    Joaquira Simo dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do bom e ba-
    rato que se venham sorlir dos bons gneros este estabelecimenlo que uo se arrependern, se llie
    ara a dlflttrenca de 10 a 20 por cento, pelo seu prompto pagamento ; e por isso se faz annunrin de
    ilguns geueros, que tendo smpre este estabelecimenlo um grande e vantajoso sortlinento de ludo
    (uanio perteuceuie a este estabelecimento.
    Sentido! Vou fallar rom o Conservad o !!
    Manteiga ingleza de 1" e 2' sorte a 00. 900 e 15
    a libra.
    dem franceza em barril a 600 e 640 ris i li-
    bra.
    Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 85800 a ar-
    roba.
    latatas em caixas e gigos 15200 e 25000 a ar-
    roba.
    Queijos mais notos do mercado a 25500 e 25800.
    Serveja das melhores marcas, tanto branca como
    preta a 500 rs. a garrafa a a duzia a 55800.
    >abo amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
    Charutos da B;ilua dos melliore* fabricantes de
    15200, 25000, 25500 e 35 a raixa.
    Miiliu alpisla e paiuc,o a IGOi- 140 rs. a libra.
    al de primeira e segunda sorte a 230, 280 e 300 Y^A^T^a ver,!ahde,r S0 rK IS^
    re 1 ii,r < W* "e Li.-boa das melhores marcas a 400 a dua.
    rs. a nina. i..._ j............ 1___:. _____- ___ ..,.,
    wroz da India, Maranhio
    lil.ra.
    Phosphros do gaz a 25 a groza e 180 rs. o maco.
    'assas novas a 480 rs. a libra.
    se'lins e silboes ingieres, candieiros e casti- ^5%B0*" Mr*V*-a ,hra' ,. *n
    nn.c. k-, ..., r, 1/. o. ;. .i,.. ii 7elas decarnaiiba Aracaly composicao a 400 e 440
    faes lironzeailos, lonas malezas, ho de vela. r. a iii,ra
    LINDOS ENFEITES
    Para senhora a Mara Pia e a Garibaldi.
    Cheiaraio para as lujas dn R>ija flor luidos cn-
    faiies a Mana l'i > e a liaribaldi, os melhores e os
    mais lindos que i> nj vindo por s>rem re go*tnS
    novos : as lujas do Iteija Flor ra du Queimado
    n. 63 e 69.
    Sinf'apara senhora a Mara Pia
    Chegaraw tarnliem lindosi-inios cum fivelas de
    podra a Mara 'u, os mai- lindas e mais moder-
    nos que tem vindo : > as leja- do lieija Flor
    ra do Queimado n. fi.3 e 69.
    Pi-nies de tartaruga,
    Lindos nenies lie tartaruga para atar cabello ns
    te se iiod-m comprar todos pirprecos militas cmn- mais modernos por rerem cheeadns pelo ultimo
    )l"s : n; rija Nava n. 20, loja de Carneiro vapor : so as lujas do Btija Flor ra do Quei-
    lanua, mado n. 63 e 69.
    rato; qumi duvidar mande bu-car para ver ogoslo chicotes para carros e mi)'>tai ia, arreios para' Vlassas para sopa a 480 e 440 rs a libra.
    ; carros de um e ilOUS Cavallos, e relogios de Harmeilada dos melhores fanricautes do Lisboa de
    miro uniente iiHp7 a libras a 640 rs. a libra.
    1 Cha bysson o melhor deste genero a 25800 a h-
    Koa da Senzalla lava n. 42.
    Neste estabelecimento vendem-se: tac/} o
    ferro coado libra a HO rs., idemd eLoa
    Mojar libra a 120 rs.
    bra.
    Vende-se
    dem perola miudinho a 2J50O, 25000 e 35000 a
    libra.
    Banha ingleza alva e superior a 480 rs. a libra.
    e Java a 100 o 80 rs a ,,lein J Hurl" e,n barril OperlOT pinga a 640 rs.
    c java a iw e ou rs. a Wem hranC prni,n |l;ira lnjS>a a q,, rs &lU
    I iem do Porto engarrafado a 800 e 15, tomando
    mais tle nina caada de qualquer um lestes lera
    grande abatimento.
    Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
    Biscoitos e bolachas de soda a 15400 e 25.
    vlassa de tomate a 600 rs. a libra.
    Gen* bra de Ola ida em frascos e botijas a de la-
    ' ranja de 480 a 640 e 15200.
    'hoarii'.'is as mai< novas a 560 rs. a libra.
    Latas com 1 e meia libra de ameixas a 15200.
    Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garran e 35 o
    galo.
    3
    s
    linfa) do PurUi rxi>rcial.
    O mais generoso o penninn vinho do P> ri car-
    cas novas e especiaos, em caiinha* do tjmmm
    fas, sendo marcaRainha tle Pi>rir>cal- a If5*'i*
    a caixa, o marca Podro Va 165 : em f ir
    far-se-ha nm abalo razoavel rio Mirui.m *r Fr-
    reira A- Malh'iis. jnnl ao arco da 1'^ n-ou i.. .
    66. No mesmo armazem lia Unihem HiIm i^
    vinho do Porto em Moi'WWiVl tMmtmfh* i ^'5
    cada urna, e em porco pmt mu alfiirrj n n*a
    superior frioha de mandinra.a hrdo dos hrigues
    sennas Princinr, D. Alfonso e A'ao Sol, atracadas
    en caes do flaro do Livrameiiln a tratar a bor-
    do, ou n larjro dn^orpo Sani.. n. 4. primeiro an-
    dar, e-icrlpturio de PaiV/ieira A BoltrSn.
    Vendem-se chariu* da Baha de varias qua-
    lidades : ein tasa piche n. 48.
    Veude-M' um comiiui'iro maiiliioo inglez du
    melhor fabricante Charly Frodshan. aHanoando o
    seu rognlamento, por diminuto p'oco : a tratar
    na ra Nova o. 21, laja de Francisco Jos Ger-
    mano.
    Vinho de Porto.
    AssucarcrvslH lisa do da fabrica
    2 de Julho
    N'/Bahia.
    Que bello prente!
    Cheparam de novo rna Ib*, loja n 7 !;
    bonecas r icanieule re Hirt*>. t qnae rh.-n.-r' ra-
    pai e ma-mai ; o-te nm dos mais a-roarn-
    presente que so pode fazer a m*ninas de *i a 'O
    annos de idado.
    Assndeiras
    Asadoiras .le porcelana de ledos ns lamanh. -
    na ra do Queimado n. 3i, vendem aaawaa A
    i Irniaj.
    Pendras.
    Itoceberam grande soriino-nio do ponen as do
    rame, propria1: para p.daria pharmari>: na
    ra do Qn-imado n. 32, 1 'ja de A reverto \ Irn ....
    Urdes de imjmn
    As verdadeiras bridas ''< l|i-jnoa : rmrmn ra
    rna do Queimado n. 3al Auttm A Irmao.
    Facns de cnUo de nnuarnr
    r.
    No.mazercd> ruada Madre de fleos n. 28, nmvfhn
    Vende-se superior vinho do Porto, em barris de h3 vpnda o n.uito npprior assv.car rrystahsado,; /
    vicsimo, pm casa de F^rreirt & Malheus, na ra em saceos e 2 arrobas, ao prejo de 55 ada ar- Vendem Azevedo i Irmao, na rna do i)r- ima-
    da Cadeia du l'.cie n. 66. TjO* uo n. 32.


    .
    Diario de Pernaulmco Sabbado 24 de Dezembro de lsti-4.
    AS ARMAS!
    0 GRITO DA GUERRA JA'SE FEZ OUVIR.I
    Li Y AI KJ1B i :
    SENTIDO.
    BALIZA
    ^ ^ Wb^,

    m
    m
    <
    0 assumpto importantissimo.
    O assumpto importantissimo.
    0 assumpto importantissimo.
    Ninguom ititorrompa o orador.
    Ningucm interrompa o orador.
    Niuguem intorrompa o orador.
    Reino o silencio em todas as columnas,
    fieine o silencio cm todas as columnas.
    Reine o siltncio Nao se admilte contestar; ao.
    N3o se admilte coniestaco.
    Nao se admilte contestaco.
    Os apoiados sao prohibidos.
    Os apoiados sao prohibidos.
    Os apoiados sao prohibidos.
    ADVERTENCIA.
    Antes de entrar na materia o inconsavel Bauza mo pode freScendh de
    Ifazer o sen signal de horror as doiradas eoras e mal feilas mitras dos falsos .Or
    'apostlos do progresso, Hiimigos do povo e chupadores4o sangue da humani-'t?
    idade. ~<,h
    A deleslavel sede de oiro tem obsecrado seus coraces de vampiros.
    Querem fazer fortuna rom a rapidez do coriseo nao sabem ier f-nem^
    esperar. j
    Sao os perfeitos unos da civilisaco. y
    Mald'rtos sejam elles--j que nao possivel ao Bauza pr-Ihesas mitras J^
    na eabeca bculos na mao e os sapates nmago cobras nos ps e expol-os ao!^
    publico por ires dias. rft
    m
    OltIHU 1*0 2>I %.
    N'esta casa nao se iliude ao povoos pesos eslo aferidosa balanca doX
    melbos fabricantee os gneros, partindo do sofrivel at o ptimo, podena serStt
    escolhidos a vontade por todos, desde o pobre agoniado Clarim at o mais aito^f
    General.
    Nao sendo o \gbado e a sincekioade predicados que smente tivessem
    chegado para bico da domesticada e encantadora aguia branca, eslo dadas as
    mais terminantes nrdens para que d^ora em diaate se redobre as attencocs para^i
    com todos os freguezes, de forma que se opere a mais perfeila liga.c enteres-
    aas recprocos, a fazer nveja a todos at ao proprio camlkiro da esquina da ra
    Nova.
    Quando ao dspontar da briUiante, aurora ou da aurora brilhcade, Ozer
    ouvir o garboso gaita vigilante, com aquella bisarria que me propria, o seu
    canto sonoro, signal de chamada dos amaveis freguezes e predilectas freguezas,
    tambem o solicito Baliza estar prompto em ordem de marcha, agradavoj como
    a aguia branca, diligente-como o gallo, grave como aprntela, no mais per-
    i feito e continuo movimento, servindo a todos, e-a todos contentando.
    Grande liquidadlo.
    Ra da f mperatriz n. ttO.
    Loja de fazendas do pavo de Gama A Silva
    Acha-se este estabelecimento cumpletameDle
    sortidu de fazendas inglezas, francezas, allemas e
    sansas, propnas lano para a praca como para o
    mato, promettfndo vender-se mais barato do que
    em nutra qualquer part-, principalmente sendo em
    porciio, e de todas as fazendas do-se amostras,
    deiiando ticar penbor, ou mandam-sc levar em ca-
    sa pelos caixeiros da loje do Pavo.
    Vestidos soutambarqne.
    Pelo ultimo vapor francez chegaram riquissi"''
    vestidos soutambarqne, os mais modernos que
    neste mercado tem apparecido, os quaes estn
    promptos com saia, corpinho e seu competeub
    soulambarque, tudo guarnecido de seda, yeludo e
    renda. Quem tiver bom gosto dirija-se loja di
    Pavo, na ra da Imperatriz n. 60.
    AOS TRES MIL VES1I-
    &
    Na loja do Pavo, a 3$. 4$
    e 7$000.
    Vendcm-se lindissimos cortes de vestidos india-
    nos, sendo todos bordados e de listras de cores e
    brancas, proprios para casamento, pelo baraiissi-
    me proco de 3 cada corte por se ler comprado
    urna grande pore,ao, sendo rateada que tale 65,
    ditos Mara Pa, tendo quatro pannos, fazenda
    para o coevo com os competentes eneites para o
    mesmo, pelo baratissimo prego de 13 cada um,
    ditos de todas as cores com as barras bordadas a
    Grox, sendo cada um em seu rarto, tendo cada
    um todos os eofeites precisos, p'lo baratissimo
    prego de 73 rada um, daos com babados multo bo-
    nitos, mas sem ser em rarto, pele diminuto pre-
    go de 35300 cada um ; adverndose que os tonos
    da loja do fiavo vendem estes validos por lio di-
    minuto prego por terem comprado urna grande
    quautida-de e con vi r Ihe liqaidarem logo, na sua
    loja, ra da Imperatriz n. 60,'de Gama & Silva.
    Aos vinfce mil covados de laa.
    Grande prch lucha, a 2-10
    e rs.
    Veadem-^e as mais bonitas luazinnas transpa-
    Tentes, sendo com listras o quadrinhos miudiohos,
    -e lias, tendo de todas as cores, assim romo pretal
    e roas para luto, pelo fcaratissiino freg de 240 o
    covado, ditas transparentes com paiininhas de seda
    Mara Pia, tendo da todas as ceres, o tambetn
    algumss proprias para luto, pelo barato prego de
    3U cada covado, i-tc por haver urna grande por-
    eao : ta ra da Imperatriz n 60, de Gama &
    Si lv.
    Latas e copos com banha fina.
    A aguia branca, na ra do Queimado u. 8, rece-
    be* esta estimada banha fina em latas e copos, isso
    aksrn de oulras em diversos frascos.
    As inotl' i-tiissimas l^ziulias t t?ma s
    cor, a imi.irao ^e gorgorea, vea-
    de-o p^o.
    Ohegaram pelo ultimo vapor franeez as mais
    modernas laazimias de enrdoz.nho, as mais pro- Cognac iniHez fino a 9ft1 rs. a garrafa
    prias e mais lindas que t:ni vindo, propnas |>ara >. -.^ 6
    vestidos, smitamdarques. capas,etc., dam-se amos- rrU!M',T*s' '-u rs> IrSSC0.
    tras deixando petihor, e'vendem-se pelo baratissl- 'dem, SO de pepino, a 72" rs.
    mo prego de 8SO rs. o covado : na ra da Fmpe- dem, s le azeitonas, a 750 rs
    rairiz n 60, loja do Gama e Silva. Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
    AslmlDUasdoPmo. e especidmente da fabrica imperial de
    Vendem-se hazinnas de qoartrielios transparen-: r^i^v i in 1 V L.A
    tes, boa fazonda. pelo prec de 20 rs. o covado, I ?a",1,do *erreira Jorge da Costa a \S8(>0,
    ditas largas iiiltotinas a 400 rs., ditas eslampa-; 230 >, 25200, 2#500, 2|5S00, 3000 e
    das, cor segura, padr-s muidos e grandes a -izD ^i|S00*a Caixa
    ZiSAttSEtt&gStt ct doio "^LTA^ 28e ^20
    do para liquidar : na loja e armazem do Pavo, rs: a ,,bra e 83-Vl'a 83800 rs. a arroba,
    ra da Imperatriz n. 60. Cartoes de boinhos francezes muito novos e
    te gresenaples do Pavao. bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
    Vondem-se grosdenaples pretos, fazenda supe- .Chouricas e p;iios muito novos ?, 800 rs
    rior a I56O0.TS. o covado, dil^s larcos muito en-1
    rorj.ados a 25'tOO, 25600, 25RO0 e 35WW. ditos
    lirancos. e&r de rosa, azul e amarello a 25000 r.
    ncovado : Mioja de Gama & Silva, denominada
    do Pavao, rua da Imperatriz n. 60.
    As novas laas gw-ihaliliuas a oOO ts.,
    a ji do PavA.
    _ Venrlem-w ** mais modernas lazinhas jariba!- j
    divas, fazeadakiteirsiRente nova no mercado, sen-:
    do .todas coai li- tras raindinlias. e transparentes,
    cora lustro:* KixNico das sedmhoR, leudo varias!
    cores, sendo azirl, cor de lirio, carmezim, rinzenta
    ener de bavaaa, Me.; i*to a uo rs. c covado rener di't.r* r.; na leja do Pavao, ra du Impe-
    rador n. 60 de Gama & Silva.
    "sua
    , ~*
    RA 1IO QUEJIJf ARO 1.'. -.
    PassandO o becco da Congrega^ao segunda casi.
    NOFIDADE
    Pereira Bocha A C acabara de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem e molhados denominaih. <
    libra.
    ortagnezaa a MO r* 11
    ial, onde o respeitavel publico encontrar semprc um completo sorlimento dos melhores gneros que M ni w
    tuaes serSo vendidos por pregos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencu.ncda ; gaiai.t. -
    teso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
    Arroz do Maranho, India e Java a 60, 80 e' Perasseccas muito novas a (500 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito np.
    1UO rs. a libra, e 10800, 23600 e 30001 Painco a 200rs. a libra.
    a arroba. I i*q\v0 secc muto novo a 400 rs. a libra.
    Ameixas francezasem latas e em frascos a' Presuntos de Lamego em calda de azeilc e
    13200 e 1)5600, e em frascos grandes a! muito novo a OiO rs.
    2->500. Queijos flamengos do ultimo vaper a 2:">800
    dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
    com ricas estambas no interior -jas caixas
    a 13200,1340U, 10600e 29.
    Vmendoas cora casca muito novas a 280 rs.
    a libra.
    Alpista a 160 rs. a libra e a 43600 a arroba.
    Azeite doce francez mnito fino em garrafas
    grandes a 960 rs. a garrafa,
    dem de Lisboa a640 fs. a garrafa.
    Araruta verdadeira demaiarana a 320 rs. a
    libra.
    Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
    libra.
    Biscodtos inglezes de diversas marcas a
    1530" rs.
    Bolachinhas de soda, latasgrandes, a 20rs.
    a lata.
    dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
    qiiinha e a 200 rs. a libra.
    Baaha de porco refinada a 440 rs. a libra e
    em barril a 400 rs.
    Cha hysson, huchin e perola a ItffiOQ, 20,
    235(10, 20800 e .'HN'OO a libra,
    dem preto muito superior a 23000 a libra.
    Cene,a preta e branca, das melhores Marcas
    que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
    e 50800 a duzia.

    libra,
    rs. a libra.
    Cevada a 80 rs. a
    Ervilhas .
    dem aereas muito novas a m r<
    Figos de enmadre c do tUmn n
    de oitn librase canasti i;.h..- >! I
    10800, 50500 c MO rs. j Un.
    Farinba do Maranlii. a l0 n. >
    dem de trigo a l0rs. > liii
    (ienebra de llollanda veradvi a > \'
    a 560 rs. o frasco e Iff "
    dem em garrafes e 70500 cada nm cna <> r
    Graixa a 100 rs. a latac 10100 a
    Licores muito linos a 700 is. ..
    dem, quaiidade especial em garrata u
    grandes, a IdfeOOa prrafa.
    dem em garrafas mais pqwM "!
    dem, em garrafa forma de peta n
    vidro, a 10000, s a pmfe e ,
    nbeiro.
    Manleiga ingleza perfeitareni
    barcada de pouco a MiO rs. a
    de segunda quaiidade a M 0
    dem francez muito nova a N0 n
    i dem de tempero a MI n.
    Maca de tomates em larril a 480 r^ a
    dem cm lata a 040 rs.
    Mai melada imperial dos melbii
    ros de Lisboa a 60 rs. a
    Marrasquinho de Zara. t"i; -
    800 rs.
    dem regular a 500 rs.
    Macas finas para sopa : olrdtei
    rodinha e aletria a MO rs ..
    a caixinhaeoro 12 libras.
    Nezes muito novas a 160 rs. a I
    Peixt em latas .reparado pela pi n r.i arta
    de co/.inha a li a Mi.
    Paliios de denles a IMra.oa
    dem prate.
    dem loFslrino chegado no ultimo vapor
    900 rs. a libra.
    Sal reinado era frascos de vidro a 600 i
    cada um.
    Saratanas de Xantes a 300 rs.
    Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
    Tmicinbo de Lisboa a 320 rs. a libra.
    Trjolos de Impar facas a 140 rs.
    Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
    dem stearraas muito superiores a 6( 0
    libra.
    Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
    a 10600. i
    Vinho do Porto engarrafado o melhor que
    ha neste peero e de varias marcas, como |
    sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
    Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mana Pa,
    Bocaee Chamisso e outros a 800, 900 e
    10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
    zia a 90000e 100000.
    Idera em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
    480, SOOe 560 rs. a garrafa e 30, 30500
    e 40 a caada,
    dem b raneo de Lisboa muito fino a 500 rs.
    a garrafa.
    dem d,e Nordeaux, Medoc e S. Julien a 700
    e 8< )0 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
    a di la.
    'dem .'dorgauxeChateaulumini de 1854, a 1?)
    a > (arrala.
    dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
    \ inaj ;re de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
    t0 200 rs. a caada.
    jrsl. garrafas moito grandes a 10800 rs.
    Al- m dos gneros cima mencionados le- dem de denles a i -o r>.
    ;mos grande porfo de outros que deixamos dem de flor a 200 n*.
    de n lencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs i utr-
    pecas e carnadas, tanto em porpes como Doce de goiaba em latas o roell.
    retall 10- 1 e era ca'x<'ft ''*0 rs.
    Qi icm comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 2080(1 i groa
    ri o abate de 5 por cento. Passas muito novas i i*0 rs. a
    wmm m*\
    i y :
    i M
    le tfi*al>alh&r & **'%** \*t?.
    Kl'l!H-\n\S
    ADDITAMTO.
    con-J
    Os precos do grande sortimento d'este magnifico armazem, se achara
    sideravelmente reduzidos, e a respectiva tabella deixa de ser publicada por que
    \a alma do negocio o segredo. Os freguezes i econbeeero em vista do objec-
    'to que pretender que o preco que se Ihes pedir ser to rasoavel que nenhumac
    ireclamaco offerecerSo. Venham todos a
    Hit flO LIYHVHHVrO 3S
    AO GRANDE ARMAZEM DE MOLIIAOOS
    DO -
    BALIZA
    PROPRIEDADE
    Vendem-se tinissjmcs vestidos Varia Pia cora
    os corpinhos diflerente^, tendo ledos os preparse
    com compcleiito sjiito : na ra da Irnperutriz n.
    u), loja amisiabasa IjiU'O*
    Vendem-se eamisinlias com manguitos, sendo
    muito bcij enrolladas, proprias para genhoras e
    teninas, pojo barato prego de vi liKldes rada
    uma : na kja do Pavao, ra da Imperafr b. 60,
    de Vestidos para eninas.
    vendem-se s mais modernos vestidinhos para
    meninas, sendo muito liem enfeitados Mara Pia,
    fc-ndo d*dilTer*ntes tamanhos, polo barato i.reco
    de 8$.cada um.: na loja do Pava, ra da Impe-
    ratriz 60, de t'ama & Silva.
    Rntipa fcila ha rala.
    Vende-se um prande sortimeato de roupa feita
    para horneas, sendo caigas de brun brant e de
    ror, ditas de casemira preta e de cores, ditas de
    meia easenin, palefeits saceos e subrccasacos de
    casemira e panno prelo lino, rolletes de todas as
    qualidades ; na Joja do Pavo, ra da Iinperairiz
    .u. 60, de Oaiiia & Silva
    CrOKden/itle de cor a 15600 o ovade.
    Vende-segrosdenaple V cor azul, branco e pre-
    to.jielo barato preco de 10600 o covado : na loja
    do Pavao, roa da Imperatriz n. 60, de Gaica A
    Silva.
    Panno de lijibo a JoO rs. o covado.
    VenJe-se o verdadeiro panno di linho proprio
    para lenges, tnalhas e ceroirli#, pelo barabt pr-eeo
    de 700fs. a vara : na loja do Pavao, ra da Im-
    peratriz*. 60, de Gama & Silva.
    Economa du Pavo.
    Vende^sefiara acabar, uma pcrco do retalhos
    detas e cascas do todas a= qualidadeti, e por pre-
    eos muito f m conia ; i|uem tem cconomia que
    pode apreciar : isto na le> do Pavao, ra da Im-
    peratriz d.0, fe Garr A Silva,
    Madafiolo a '0000, s na loja da Pavo.
    ' Vende-se superior madapoln muito eacorpado.
    tendo 'JO varas cada peca, com \ palmos de largu-
    ra pelo baratissimo (eco de 70000 a peca, ditos
    muito finos a 80, 95 e J0000. E' pecbiuVba, ua
    loja do Pavo, ra da imperatriz n. 60, de Gama A
    Silva.
    f.orlesdecassaaSrJOOO.
    Veodem-se muito bonitos corles de eassa, tendo
    7 varas cada corte, com desenbns muito delicados
    pelo baratissimo prego de 3000o o corte ; s na
    loja do Pavao, ruada linpeatriz ?. 60, de Gama A
    Silva.
    Corles de rhita fraDeeza.
    Venden, se linissimos corles de chita fran-
    eeza.com >2 civados, tendo, padroes escuros e
    alepres de cores ftxas pelo baralissimo pre^o de
    401100 o corto; s na loja do l'avao ra da Impe-
    ratriz n. 60 de Gama <& Silva.
    1 A- MLM M \Hlll
    aSn^XrS E SUMPTOSO ESTABELECIMENTO
    VOTOS m INCOIJIUDS GNEROS
    TANTO EM GUOSSO GOMO A RETALHO
    60 -Hl HOVA-CO
    Ultima cnsa junto a ponte la Roa Vista.
    Por Plant Biohor-
    I .
    DAS PALABRAS.
    r
    "i*
    .
    d.
    i
    tm W n
    no I* in
    piir lin.piv.
    BSMB fumo machinas para ser-ni mm h<
    animaes, qoe escarocaa M arrul
    iin|io, por dia.
    Os mesmos tem para vender m I ., v1
    porque pode fazer mover N rl .-;,
    mencionadas ; para o ime ..nvia -. .
    . agricultores a virem mt e examina l...
    que por Kerein tomprados em graaae quantiuade e pagos quasi toaos a dinheno a vista zt;|n le algodao, no largo da ponie m n \j
    deu lugar a oliteticao de vtutigons, que repartidas cuino vao ser pelas pessoas que se
    ilignarem le lirmrar-nos cotn a sua reguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
    iodos, nao pelo em prego das manaras enndescendentes e delicadas de que somos ca-
    pa/es. como pela urlica da promessa que fazemos de vender .polos presos quasi do pri-
    tneiro custoonosso magnifico sortimanlo.
    Pesando muko em nosso animo os meios pecuniarios de que poden despor as ni II mi c*rmm~t*r
    Jicersas classesda uossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharao III VAL SEPi SEG
    em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinlws, licores, champagne queijo, etc.
    < Cesse tudo quanto a amiga musa canta
    * <}uc ou'..-..' valor mais alio se alevanla.i
    4cha-4e.a disposicio do respeitavel publico ette grande e magnifico estahcleci-
    mentode multados, talvtz o prkneiro e uiueo hoje exLlente em sua especialidade, por-
    que o waiur cafiltiebo de oaos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci-
    menio modelo promovera) a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado,
    Saunders Rrolbm ,.
    M. II, prava d c orpo ^arlo
    HKGIFK.
    Os nicos agentes neste pau.
    Ra do Queimado i:>.
    i no tal.
    i! I
    etc ^c, e quelles que nao peden dispor de grandes recursos,.que s compram oneces- conheciUo j
    sar,o, promeitemr>s-Ihes.servi-lo8 -de gneros novos e sadios, escoJtidos ao seu contento. por ,0l,(,'" !.r'-"'" ;,!"i"r a
    * 0 real du pohiy.ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do Kra2* mS^*1S^
    hornera rico. nna.-1.......'.......!...'.'
    s pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, juer seja para con- v,ia de lnha hoia pan I arriara.
    prar para seu gasto, ou para negociar, voltaro satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos l>a.res ***>M? I,f! ,ranVa rt
    objectos, .',omo pela fidelidade dos presos, e bom acondicionamento. uSSttiSS
    O taUro nos justificar.
    . I r r.r
    la 'll-;. ti I
    ilir-h.
    -
    Ni UltO
    M
    CAVACO NECESSARIO
    superior gran.pos para afc?!
    Duzas de palilc-s de faz >open- i
    Libras de nea preta mimo Frascos de superior Bueaf oleo a .
    Ditos de dito penda a.
    ; Ditos de agua de colonia superar caraa-
    tida.
    Devemns ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo ululo que Di,0.s deol'' adojilamog. Ei-la6.
    Exirtindo neste vasto e flornscente imperio um grande partido poltico com a
    denorainaoo de t>iga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente, Wloa de harta muito bmi
    capaz de fazer zangar a alguns e de desalar o riso 3 muitos, jDitO! ^ ** "'"<> Ina para pmp
    Ria-se quem quizer, porque nos tambera nos riremos- mas nao se sangra? gawu!t' '*immm**mm
    lem. j 160, e.........................
    - O neme uma voz com que se do a cnnliecer as cousas. esta a mais Novenos de linha com MtjiaV.'
    DE
    )l PERRO DE MELLO.
    Cainbraias lisas, na loja do Pari.
    Vendemse |.ecas de cainbraia lisa muito fina,
    tapada p transparente, pelo baralissimo prec/> de
    '000tndo 8 1/3 vara* cada peca, ditas muito fi-
    nas a 75, y&, e i>5 a pega, dita> Vict-.ria cm 10
    varas pelo haratis.-imo preco de 7. 94 e 103, di-
    tas Garrazes fazenda muito encapada, fazenda pro-
    pria para forma 160 rs. a vara ou -23600 a peca :
    isio na lna do Pavao, ra da Imperatriz n. 60,'de
    Gama 4 Silva.
    Corles de la a {000.
    Vcndem-se corte1 de laas garibaldinas, matisa-
    dai o do >|!iadrinhos. ten-lo I-i Covados cada corte
    pelo bar=tissimo preco de fcfflOO o corle : i
    l"ia do Parlo, ra da imperatriz d- 60 de Gama &
    Ira.
    breve, clara e sincera explicado que, pelo methodo repentino, podemos dar.
    Mas a quera n3o seguir o partirlo desse sytierna diremos mais:
    NSo orinnio do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
    muitas centenas de leguas que apanhamns a nos
    Na snberba e opulenta Inglaterra houve um rei qoe instituir a mu honroza or-
    lem da fjga. O acaso nos fez deparar com a narracSo desse acontecimento, que lao-
    to snrpre'endeu a corle desse moiaii'ha. Agradou-nos .esta historia e gustando sum-
    .namente do trage do cavalleiro da jarretera, para logo o mandamos desenhar, e col-
    locando-n no oitio do nosso csLibelecimento, iemos assim feito distingui-!o dos outros
    que se assignalaram con mitras e coras.
    fllonul sttl qn mal y-pensc.
    Albitas
    para 20 al 00 retrates, muito bons e por menos
    prejo que em outra qualquer parte: na ra do
    Crespo n. 4. __
    VHiulem-SH o I" 2o e .1" tumos das hiogra-
    nhias de algiin* poetas e outros homen* Ilustres
    da pn-vineia d- Pernamhuco pelo eommendador
    A. J. de Mello ; nbra que todo Bra*lero, e mor-
    mente todimPernanihiicano deve ennhecer a dar a
    Jer a seu (lirios : na ra do Imperador n 4.
    Vinho do Porto engarrafado
    Vende-se superior vinho do Porto denominado
    D. Pedro V e rainha de Portugal, em-caixinhas de
    urna duzia de garrafas; na ra da Cadea do Re-
    cife n. 66, armazem de Ferreira 4 Matheus.
    Bixas de Hmburgo
    Vendemse na ra Nova n. 61.
    Carriteis de liaba de cores'com 50o jar-
    das a.............................
    Novellos de linba de gaz de iodas a- i -
    res a.............................
    Pecas de litas elsticas com 10 vara* iri
    ra vestidos a.....................
    Frascos de superiores cheiri.s. pequen*, a
    Pares de ligas muito superiores e fceam
    a ris.......................... #
    Varas de bicos franreze, superir>rr-< a"..',
    Opiata para denles da melhor que ha a..
    Fi ascos de agua para denles, superior a
    tudo a..........................
    Pecas de tranca preta iz. muito fina ..
    Caixas com i papis deagulha* Victoria a
    Varas de tila preta eom rolletes a......
    Libras de laa sorlida ie hMlas a< Htm a
    Boneco de choro minio bonitos a......
    Canas de obreias de ma ssa.nnto ea*a>a
    Varas de fianji .branca e deidres para
    toalbas a.........................
    Frascos de oleo Philocomocupenor a...
    Ditos com superior tinta a;i*0 e......
    Caixas de linha de caz mm "Onoet?o< a
    Enfiad- res para espartilho ......
    Duzias de boloes NMtflMM para esti-
    i
    a ii
    no
    #0
    :m
    40
    m
    m
    Mt
    - J
    t-
    O


    - ;-,
    J

    Otarlo Ae rera&afcac sabbade 34 ie Dczembro de 1164.
    AURORA BRILHANTE
    GRANDES ARMAZENS
    MOLHADOS
    mmmmmmm
    Largo da Santal
    Cruz ns. 12 e 84,^
    fjsjuina da ra dojfli
    a* i ESPECIAES icebo.
    wmwmm ***
    Largo da Santal
    Cruz ns. 12 c 84#|
    [esquina da ra doi
    NEM CORO AS NEM MITRAS
    o
    E
    GUACHE ARMAZEM
    na
    RIJA DO IHPERADOR X. 40
    Junta a o sobrad em qne mra o Sr. O-barne,
    Ruarle Almelda fc C, receberam de sna propria eacommei-
    da o mais lindo e variado sortiaiento de mol hados, proprlos
    da presente estaco.
    Manteiga ingleza Macas brancas
    da safra nova vinda no ultimo vapor a I ,ooo, para sopa a melhor que se pode desejar,
    PS
    &3$m
    O dono dos j rauilo acreditados armaren de moldados denominados Aurora
    Bn.liante, acaba de receber do sua propria encommenda, muitos gneros delicados
    proprios da prsenla estacao, c tendo grande sorlimento comprado aqui,aOanca que todos
    os seus gneros sao do l. qualidade.
    A seguinte tabella servir a todos de base cara aiuste de contas aos por-
    tadores.
    Xeuhum armazem vender mais barato, e meihores gneros do que a Aurora
    Brilhaate, j pelo grande sorlimento que tem, j mesmo por seu dono se achar encom-
    modad em sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o outro na pr-
    xima primavera, por isso deve-sc aproveitar urna quadra destas para se comprar
    barato.
    Latas com 8 libras de cbouricas muito novas,
    . a 75300.
    .-% nilas &rani,es com Pe'^e em postas inteiras,
    .-) mais de 12 qualidades, a I000, l,580 e
    s^l Ditas com ostras, excellente petisco para fre-
    y:H gideira, a 720 rs.
    <3j5 Diias cora ervilhas novas, ensopadas, a
    A 7Ors.
    ,'. 3 ''as com avas, a 640 rs.

    r-'^h ila cuin mar,nelada do afamado fabrican-
    : S cante Abren, a 880 r.
    la I'ilas Je massa de tomate, a 500 rs.
    S itascum tigos de comadre, novos, a 15300,
    Ditas 'om nolachinha de soda muito novas, a
    2-3000.
    Ditas com biscoitiohos inglezes de muitas
    qualidades, a 15400.
    k Chocolate.
    9?Vi Chocolate superior muito novo, a libra a
    ^ 15200.
    Macano telharim e alelria arnarella.a libra
    , a iSO rs.
    - io ditu dita branca, a libra a 400 rs.
    Caitas com estrelinlia, pevide e outras raas-
    sas, a caixa 35300.
    Ditas dita em libras a 640 rs.
    Sag, a libra a 30 rs.
    Sevadioha para sipa a libra a 240 rs.
    Ki-vilhus seccas, a libra a 160 rs.
    Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
    Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
    Parioha de araruta verdadeira, a libra a
    300 rs.
    Arroz do Maranhao, em sacca a arroba a
    25400 e a libra a 80 rs.
    Diiu da India e Java, a arroba a 35200 e a
    libra a 100 rs.
    Touciiiho de Lisboa a95300 aarroba e a 320
    rs. a libra.
    Diio de santos, a arroba 75000 e a libra a
    iiO rs.
    Motos com 123 sabotea grandes, a 15280.
    U tarda franceza caixa cora 2 duzas a
    85000.
    Frascos rom mo-tardi preparada em vina-
    gre, a 400 rs.
    Ditos c ra conservas ingleza; e francezas,
    a 640 e 800 rs.
    Ditos com sal refinado fino; a 640 e a 300
    iris.
    Ditos com a verdadeira genebra de laranja
    a 15200.
    Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
    VIH.
    Ditos de 1 garrafa de Hollanda verdadeira,
    a 640 rs.
    Botijas com dita propria para negocio, a
    400 rs.
    (arrafes com2 galoes com dita, a 6-5000.
    Sorreja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
    dotia a 65000.
    Vinho mscate! de tetuba, a garrafa a
    15000.
    \Marrisquinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
    ^S\ 15200.
    CliamWne, a du^ia 205000, e a garrafa a
    25000.
    IJ Azeite refinado prtoguez e francez, a gar-
    "%. rafa a 15000. '
    '' % Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
    W 75, 85. 95 e 105 a caixa.
    Ditas com dito brinco, a 75000 a caixa.
    Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
    ro, a 205.
    Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
    185000.
    Ditas com chamiseo superior, a 145000.
    Ditas com Porto velho e outras mullas mar-
    cas, a 125000.
    Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
    720 e 800 rs.
    Dito de Lisboa muito bom, a caada a
    35200, 35500 e 45000, e a garrafa a 500
    e 560 rs.
    Dito da Figueira, das seguintes marca, (N.)
    (J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
    45300 e a garrafa a 560 e 640 rs., teste
    qu j est engarrafado e lacrado com o
    rotlo do arraazem.
    Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
    da a 35500 e 45000 e a garrafa a 480 e
    520 rs.
    '
    CS
    c*
    c
    Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
    Dito de caj muito superior, a garrafa a
    800 rs.
    Vinho verde superior.
    A caada a 35300 e a garrafa a 480 rs.
    Gomnia.
    Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
    engommar, a arroba a 35000 e a libra
    120 rs.
    Sfete massa, a linra a 200, 240 e 280 rs.
    Farinua.
    Saccas grandes com farinua de loianna mui-
    to nova, a 35000.
    Caf.
    Caf do Rio muito superior, a arroba a 5*5,
    85500 e 95000.
    Cha.
    Cha temos nesles gneros o melhor possivel,
    hysson, a libra a 25600.
    Dito perola a 35000.
    Dito uxima 25700,
    Dito hysson muito fino a 25800.
    Dito redondo a 25300.
    Dito preto de primeira qualidade a 25300.
    Dito mais baixo a 25000 15600.
    Erva mate.
    Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
    Espermaceti.
    O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
    640 e 720 rs.
    Passas.
    Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
    prias para mimos a 45 e 2500.
    N'ozes.
    Nozes, a libra 160 rs e arroba a 45000.
    Alpista e painco.
    Alpista e painco, a arroba 45000 e a libra a
    100 rs.
    Cartas.
    Cartas finas parajogar, a duzia a 25300.
    Castalias.
    Castanhas novas vindas neste vapor, a arro-
    ba 45OOO e a libra 200 rs.
    Azeitonas.
    Barris com altitonas novas a 15300
    Manteiga.
    Manteiga flor, a libra a 15000.
    Dila mais abaixo a 800 rs.
    Dita menos superior a 640 rs._
    Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
    Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
    660 rs.
    Dita para tempero a 400 r?.
    Queijos.
    Queijos novos vindos neste vapor a 35200 e
    35500.
    Ditos loudrinos muito novos, a libra a
    15000
    Papel.
    Papel almaco pautado, a resma a 45800
    Dito dito lizo de linho, a resma a 45500
    Dito de peso lizo e pautado, a resma a
    2-5300
    Dito de embrulho bom a 15 e 15-00.
    Vinho Madeira.
    Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
    deira a 15300 e 25.
    Temperos.
    Folhas de lotiro, pimenla do reino, cominho
    e cravo, a libra a 4''0 rs.
    Velas de carnauba.
    Massos cora 6 velas de carnauba refinada a
    480 rs.
    tanteas*
    Araendoas com casca, a libra a 320 rs.
    Doce.
    Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400
    e pequeos a 640 rs.
    Tij dos de litnpar.
    Tijolos de arear facas a 140 rs.
    Graxa.
    Duzias de boiSes de graxa n. 97 a 25600, e
    de latas a 15000, e os boioes a 240 rs., ca-
    da um, e as latas a 100 rs.
    Charutos finos.
    Charutos finos dos meihores fabricantes da
    Bahia por diversos precos, caixas e meias
    caixas.
    E grande quantidade de gneros tendentes
    a estes estabelecimentos, que deixam de an-
    nuuciar-se.
    48 0 C
    Pechincha sem igual.
    Lindos cortes para vestido de percales de cores
    claras e escuras com grande variedade de padroes
    pelo baratissimo preco de A$ o corte: na lja das
    e lumnasrua do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
    rota de Vasconcellos AC. ,9
    Fot.ha de Flandres.
    Vndese na fabrica da travessa do Carioca 'u.
    5, caos do Ramos, superior faina de Flandres: |a
    ver e tratar na mesma fabrica.
    P0T4SS4
    Vende-se potasa om barris a commodo preco o
    na roa da Cruz n. 23, primeiro apdir, eseriptori:
    'de Antonio de Almeida Gomes.
    macarrao, talliarim e aleiria a 400 rs. a
    libra e 4#500 a caixa.
    Vinho
    Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
    ditadas a 500 rs. a garrafa.
    dem de Lisboa
    e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
    23800 a caada.
    dem do Poro
    generosos engarrafado dos meihores fabri-
    cantes da cidade do Porto a ## e i 0200
    a garrafa e de 105 a 12# a caixa, as mar
    cas sao as seguintes: Chamisso AFilho,
    F. A M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
    lagrimas do Douro e outros muitos.
    Latas
    com 10 libras de banha a 4-5000.
    Bolachinha ingleza
    a 1#800 a barrica da mesma que
    vendan a 25000 e 23400.
    Nozes
    as mais novas do mercado a 120r* .l bra.
    Cervejas
    dos meihores fabricantesje de todas as mai
    cas de 43500 a fi^SOO a duzia.
    C-ARUTOS
    Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
    meias eaixinhas a 1 500.
    Arroz
    do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
    * 80 rs. a libra, e 23500 a 33000 a ar-
    roba desses que vendem por 33400.
    CAF
    de 1.a e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 835f
    e 83800 a arroba, e 280 a 300 r. a libr
    arralos
    com 4 '/a garrafas com vinagre a 13000 $m
    ogarrafao.
    GENEBRA DE LARANJA
    verdadeira a 13000 o frasco^ e de M3000
    a caixa.
    DEM
    em frasqueiras de Hollanda 1 5380O eom
    12 frascos-.
    GENE R A
    de Hollanda verdadeira era frasqueira a 600
    rs. cada urna.
    PALITOS
    os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
    e2o rs. cada caixinha,
    LICORES
    Diios de tudas as qualidades, a 10,000 a caixa
    com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
    Marmelada
    dos meihores fabrienntes de Lisboa, como se-
    jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
    libra.
    Pregunto
    o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
    a libra.
    ARROZ
    Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
    de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
    VELAS
    de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
    a libra e em caixa ter abatimento.
    VELAS
    de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo b
    caixa e 34o rs. a libra.
    Batatas novas
    em caixas de 2 arrobas a 53 a caixa e 60 rs.
    a libra.
    Passas muito novas
    em quartos e inteiros a 23 o quarto e 63500
    a caixa e 400 rs. a libra.
    Chocolate
    portuguez o mais especial que se pode de-
    sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
    Frats em eaEda
    chegadas ltimamente, pera, pecego, gtnja e
    outros muitos a 640 rs. a lata.
    Dsce da casca da goiaba
    a 600 e 13 o caixe.
    GOMMA MUITO NOVA
    era paneiros de 1 e 2 arrobas a 33500 a ar-
    roba el 40 rs. a libra na ra do Qoei-
    mado n. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
    do Carmo ?.. 9
    BOLACHINHAS
    ra do-'em latas de defferentes qualidades a 13200
    a lata
    rs. a libra e em barril a 800 rs.
    Manteiga franceza
    da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
    a 560 rs.
    Araendoas
    confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
    libra.
    Ameixas
    ata frascos de vidro com 3 libras liquido a
    23400, muito propios para mimos,
    Cartoes
    cora bolos francezes a 500 rs. cada um.
    Latas
    com bi.'/laiiiinhas de soda de todas as qua-
    lidades a 13300.
    Chocolates
    de todas as qualidades a 13000 a libra.
    Presuntos inglezes
    dos meihores fabricantes a 800 rs., tambera
    temos velhos para 500 rs.
    Queijos flamengos
    chegados neste ultimo vapor a 23600.
    Queijos
    ebegados no ultimo vapor a 2^600 cada um,
    Queijo
    londrino o mais fresco que se pode esperar
    e de excellante maree a 800 rs. a libra
    sendo inteiro e a 900 rs, a retalio.
    Conservas inglezas
    as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
    o frasco.
    Figos
    em libras e eaixinhas ticamente douradas,
    proprias para mimos a 900 e 13200.
    Cha, uxim
    o melhor que se pode desejar, que outro
    qualquer nao pode vender por meaos de
    33 a 23600.
    dem perola
    especial qualidade a 23700 rs. a libra.
    dem hysson
    o mais aromtico que tem vindo aO' aosso
    mercado a 23600.
    Massas amarellas
    para sopa, macarrao, talbarim e alstria a
    480 rs. alibra.
    0 muito afamado cognac Pal Brandy a ,8oo
    rs. a garrafa e de outras muitas q-jada-
    desa 1,000 e 800 rs. a garrafa. -
    COPO
    lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
    duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
    P.1PEL
    almaco, greve, peso e d&outras muitas qua-
    lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
    lhor.
    Papel de botica
    J de excellente qualidade a 23200 a resma,
    PAPIi
    azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
    rs. a resma.
    Corinthias
    passas corinthias muito novas proprias para
    podim a 800 rs. a libra.
    Fumo
    o verdadeiro fume americano em chapa a
    l,4oors. alibra.
    Vinagre
    PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
    cada urna.
    Cebollas
    as mais novas do mercad o a 7,ooo rs. a caixa
    e l,ooo rs. o molho.
    Alpista o Painco
    o mais novo do mercado a 14o rs. a libra,
    e 43400 a arroba.
    CEBLAS
    muito novas a 13000 ocento na ruado Qoel-
    mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
    go do Carmo n. 9
    GRAO DE BICO
    muito novo a 33400 a arroba e 140rs. a li-
    bra na ra do Queimrdo n. 7,
    Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
    QUEIJO SUISSO QUEIJOS FLAMENGOS
    muito fresco a 800 rs. a libra na ra do chegados neste ultimo vapor a 23800 na ra
    Queimadon. 7, ra do Imperador n. 40 e do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
    largo do Carmo n. 9 40 e largo do Carmo n. 9.
    Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
    freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
    tipularan os mesmos precos nos seguintes lugares :
    0 Verdadeiro Prineipal roa do Imperador o. 40
    NOVIDADES.
    Queijos do Uenlejo. ditos das ilhas o mais fresco que se pode dese-
    jar a 13200 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimento, ricas eaixinhas
    redondas enfeitadas, proprias para mimo da festa pelo barato preco de 43
    cada urna, ricas caixas de Ggos tambera proprias para mimo de 800 13500
    cada urna. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, ra do
    Imperador n. 4.
    GAZ GAZ GAZ
    Vende-se gaz da melhor qualidade a
    I v3 a lata : nos armazens da ra do Im-
    perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. *8
    Ifflilli
    Venae-se superior vinho do Porto em cbixas de
    urea duzia : era casa de Johnston Pater Je .C, ra
    do A'gario n, 3.
    Superior cal de Lisboa.
    Vende-se superior cal ii JitSa a mais nova
    que ha ne mercado, tanto em porcSo como a reta-
    Iho, por barato pr.\o,afianzndose aos compra-
    dores uperior qualidade : a tratar as segniies
    ras : Crespo n. 7, Imperador n. 58, Forte do Ma-
    tos, armazem do Sr. Avilla, defronte trapicho
    algodao.
    ""Violto (lo Porto superior
    em barris de oitavo e dcimo, vende Antonio Luii
    de Albuquerqne Azevedo & C.: ai seu escriptorlo
    roa i Crv a 1
    OTOS
    Cami
    NOVOS VESTIDOS DE PHAJVTASIA
    Ches aran os modernos vestidos de dentelle de seda com barra, ioteiramn'
    em go.-to e qualidade : loja das columna*, na ra do Crespo n. l.'l' de Antonio (
    de Vasconcellos & C., successores de Jos Moreira Lepes.
    Fazendas de bom gosto
    Para vestidos de senhora
    Superiores cortes de seda de cor, de morianl*, de g rguro e de seths imperial.
    Ditos de blond, 0 de cambria branca bordados.
    Ditos de l.u com barra e grande variedade em cores e ; adiv.'.
    Ditos de organdys com barra
    Lindas sedas dequadros escosseza e miudas.
    Superiores laas lisas com grande variedade de cores.
    Ditas com salpicos, com llores e de quadros.
    Lindas pampolioas de quadros e de Sores, (azeoda inleiramenle or.
    Superiores cassas de coree, e lindas cambraias organdys.
    Grande variedade de chita de cores, de percalia e outras ouitii (airadas de go?to.
    Para hombros de senhora
    Lindas capas e bonrnouz de casemira de cor.
    Ditas de laa e de seda.
    Grande variedade de sout'embarques de seda de l& a 40.
    Manteletes de seda.
    Superiores basquinas.
    Superiores chales de seda, de merino estampados fiaos, de cachimira com listras de
    seda ue fil preto.
    Camizinhas modernas, zuavos brancos e de cores, rolletes de cambraia, lindas gol-
    hnhas com punhos e outros muitos ar'.igos.
    Para cabeca de senhora e enino
    Superiores chapeos e chapellinas do palh de Italia enfeitadas para senhora.
    Ditos de feltroenfeitados para senhora.
    Ditas de palha enfeitados para menino.
    Grande sorlimento de enfeites modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
    para senhora.
    Ni loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Aatonie Carreta de Vasconcel-
    los A C.
    81BIJA DO fllPERlDOR-Sl
    Segunda casa do lado direito indo do pateo do CoQegn.
    Francisco Jos Leite, tem a satisfaco de avisar aos seus freguezes e a<> rt'>|>-ii.iv,l
    publico que, estando restabelecido de seus incommodos de saude. arha-M- ri>>\.murria
    com um bello e bem sortido armazem de seceos e mnlhados plfmHnHnoi MriMH ;
    como sempre capricliou ter das meihores qualidades, < francamente affianra ;i> [ i> que
    se dignarem comprar em seuestabelecimento^que alli de preferencit nutra qu.ilqiipr par-
    te sero mais bem servidos, em qualidade e precos, como em pesos c medidas, no que
    sempre o annunciante foi escropulo>o, em summa, niio illude a pesaru algnmn.
    Aos Srs. de engvnho e lavradores que o queiram honrar como sen omni
    assegura que o produeto de seu laborioso trabalho ser o mais tem reputado no ui^rca-
    de desla prgci, para o>quesejolga convenientemente habilitado pela hinga prati-a .-
    mercial que tem exerc'rdo, s^ndoseus portadores despachados com presteza, npril de y-
    rem fielmente cumprido as sua ordens.
    Fornecer gneros aos Srs. agricultores enegociantes que Ihe m.-re^am confianra. b-
    zendo um abate vantajoso aos quepagarem a vista nos m.Ti-adonas. i mcVMpMiAl
    venda de qualquer genero do pata, mediante urna mdica cominissfm, niire^am!. d
    prompto seu pr duelo, e sendo este applicad compra de gneros era sen armazea,
    prescindir da commissao. .
    Dos seus atrtigos c benignos freguezes espera o annunciante sua valiosa protKflB, fre-
    quentando coiao outr'ora sua casa, e pelo reconhecimento que ihes tributa tttna e\poo-
    taneamenie seus servicos.
    Julga desHecesario publicar a tabella dos precos de seus gneros : sao seus iirursos
    garanta sufieiente de poder accempanhar os menores precos de idntico e me^ao de
    mais apparatosos estabelecimentos, tendo somene em vista o augmento (te suas m r ias
    diarias.
    Provcneo necessarla.
    Tendo sido o proprietario- estabelecido muitos annos com mesmo ramo .le aso-
    cio na mesma roa, julga prudente advsrtir que s aflirma e se responsal-disa pelo qoe
    tem clteclarado no que disser respeito ao armazem.

    m wmma
    81-RUA do iiiipi:rador-^i
    Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
    max&$.?:wt\
    \%*m> ii ^v^%,
    l
    &h
    m
    UETRJEXKO VXBBX.
    Neste estabeleciraento ha sempre um sortimento completo de roopa fdila de
    todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos conc.r-
    rentes, para o que tem um dos meihores professores, assim como tambem tem um
    grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para seoboru,
    homens e meninos.
    Casacas de panno preto, 35(5 e 300000 Ditos de setim preto. .
    Sobrecasacas idem, 30/1 e 250000 Ditos de ditos e seda branco,
    5*001
    Paletos idem e de cores, 255,
    200, 150 e......100000
    Dites de casemira, 200, 150,
    120, 100 e...... 70000
    Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
    Ditos ditos pretos, 90, 70,
    50, 40 e......30500
    Ditos de brim e ganga de co-
    res, 40500, 40, 30500 e. 30000
    Ditos branco de linho, 60, 50 e 40000
    Ditos de merino preto de cor-
    60 e.......50OW
    Ditos de gorgurao de seJa
    pretos e de cores, 60, 50 e 40OOC
    Colletes de fusto e brim brac-
    eo, 30500, 30 e 2OG
    Seroulas de brim de linho,
    i 24*00 e......20000
    Ditas de algodao, 10600 e. 10400
    Camisas de pedos de linho,
    : 40, U e......20^00
    Ditas de madapolo, 20500,
    do, 100, 70 e..... 50OOO 20c. .......tfM
    Calcas de casemira preta, 120, Chapeos de massa, pretos fran-
    100, 80 e...... 70000! ceies, 100, 90 e. 80500
    Ditas de cores, 90, 80 e. 70000 Ditos defltro, 50, 40,30500 e 20000
    Ditas de meia casemira de c- Ditos de sol, de seda, 120,
    res, 50000 e..... 40000, 110, 70 e
    Ditas de princeza e merino pre-
    to de cordSo, 40500 e. ,
    Ditas de brim branco e de co-
    res, 50, 40500, 40 e .
    Ditas de ganga de cores, 30 e
    Colletes de velludo preto e de
    Collarinhos de linho fino, ulti-
    400001 ma moda duzia. S0OCO
    Sortimento completo de grava-
    20500 tas. |
    20500 Toalhas parroste, duzia, 110,
    I e........60000
    cores, 90 e......70000 Chapeos deso, de alpaca, pro-
    Ditos de casemira preta, 50 e 40000 tos e de cores.....40000
    Ditos de ditas de cores 50 Lences de bramante de linho. 30000
    40 e........30500 Cobertas de chita chineza.. 20500
    LTlrBlTIU
    Acha-se venda os seguintes testamentos, obras
    proprias para entreler do palo, da palinha, do
    perco, a peleja entre S. Miguel, urna alma e o dia-
    bo, da onca typre, e do vigario feito em viriude
    do sonho parchial, a 160 rs. rada exemplar : na
    ra do Imperador o. lo, defronte de S. Prauoisco.
    Novidade.
    Chegaram loja de Manuel Joaquim Dias A 6.,
    ruada Imperatrlz n. 78, que tem o lampiao na se-
    cunda porta, os nos smtos a travtata, que se ven-
    dem por mdico prego.
    14-Eua Direita14
    l'nico deposito do rap imperial do ttlricnu
    Isaac Esnaty ; affianra a sna l>a qoaliitade t -er
    superior ao rap de Lisboa e ao rap ara preta. a
    prova faz f : vende-se a retalha a A a liltr,
    em porrao de 10 libras para n *i> a 8fO rs.: \.m-
    bem abre crdito aos compradores em coala ror-
    rete.
    ATTENQAO.
    Vende-se urna morada de casa irirea e aova ma
    freguezia da foa-Visia na roa do SoccfO a. tft, *o
    Campo Verde em chios proprias : a tra'ar m
    ra da tropera tnz loja n. 8,
    -



    Diario de l*crsukeo atibado 4 e Desentbio de lt4.
    0 VIGILTE
    IIiia do Crespo u. 3
    O gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
    poso Ballisa, na sua ordem do da, e pela Branca
    Aguia, apesar de que, para esles o Gallo cora seus
    agudos esporoes nunca os orTender*, ames os agra-
    ciara na mesilla conformidad, para que o Baliza,
    pos? i marchar ein frente, a Branca Aguia possa
    levaalar seu voo, levando no L/itu as paliubas seu
    ninha ; e o Gallo Qcara em seu espacoso canfpo
    dando de novo o seu canto annnnciando a seus
    bons freguezes o aorespeilavel publico
    0 grande sortinento teobjeetes de muilo gosto qne
    acaba de reeeber.
    ricamente enfeita-
    uin delicado me-
    Ricas caixinhas rom msica
    das para costura, proprio para
    nio.
    Riquissimos cofresinhos com cadeados de metal
    para guardar jotas.
    Ricas ca xas com estejo, eontendo todos os per-
    Maces para houiem.
    Riquissimas vullas Qngindo peroia.
    Ditas com lacinho de lita.
    Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
    suras.
    Lindos aderecos com pedrinhos flngindo tri-
    banles.
    Ricas fuellas para tinto, de todas as qualidades
    e bom gasto.
    Bicos cintos do ultimo posto de Pars.
    Grande sortimento de lindos enfeites para cabl-
    ea, sendo do ultimo gosto e de todos os precos.
    Flores milito finas para noivas.
    Luvas enfeitadas c meias de seda para noivas.
    Chaposinhos, sapatinhos e meias de seda pan.
    ba plisado.
    H.i'juisiraas fitas de todas as qualidades para la-
    ce, cintos e cinteiros.
    Camisinhas e goiinhas para senhora.
    Riquissimos jarros e figuras para ornamento de
    sala.
    Grande sortimento de gravatinbas Un* para se-
    obora como para homem.
    Luvas de pelica branca e decores.
    Cascarrilhas de bonitas cores.
    Trancinhas, gallo e maravilhas para enfeites.
    Transelias de cabellos e de retroz para reloglos.
    Papel amisade e de outras qualidades.
    Bolsas para viagem.
    Entremeto* e babadiahos de lindos padrees.
    Lencinbos de linho bordados.
    Metas para homem, senhora, meninos e meni-
    nas.
    Fitas de veludo lisas e com mtame de todas as
    larguras.
    Thesouras e caivetes de todas as qualidades.
    Grande sortimento de sabonetes.
    Lindos vasos com banha para olfereoimentos.
    Caixinhas com seis frasquiohos.
    Essencias de todas as qualidades.
    Agua verdadeira Florida.
    Agua da Colonia, em garrafas grandes, e em
    irascos quadradosegarralinhas.
    Pomada fina de todas as quadades.
    Superior banha em frascos e copos de todos os
    lmannos.
    Saltad inglez em paos grandes e pequeos.
    Escovas de cabo de madreperola, marim e de
    osso, para denles.
    Peotes para desembaragar, com friso de metal e
    sem elle.
    Ditos de tartaruga e de ronilas oatras cualida-
    des.
    Penles de tartaruga para senhora
    Ligas de seda e de algodo, assim como mu tos
    eutros objeetos de gosto que seria impossivel en-
    cinar, que a vista far s no Gallo Vigilante,
    ra do Crespo n. 7.
    Voltizas.
    Lindas vollinhas de perolas falsas om cruzinhas
    fingindo brilhantes, assim cerno cruiinhas avulsas
    e voltinhas, pelo barato preco de 1* e 1*200, t
    cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
    Crespo n. 7.
    Legues.
    Riquissimos leques de madreperola tanto para
    senhoras como para meninas, pelo barato prego
    de 12* e 14J; s no Vigilante, ra do Crespo
    B. 7.
    GRANDE XOVIDADE.
    S no Vigilante.
    Riquissimos enfeites de todas as qualidades para
    senhoras e mininas, chegados hoje da alfandega.
    lotos
    Biquissimos sintos de lita larga e estreita com
    flvelas grandes e pequeas, com brilhantes falsos,
    cousa de muito gosto.
    Albuns
    Tambem chegaram os riquissimos albuns para
    50 retratos, com rapa de tartaruga e de marBm,
    cousa muitochique : s no Vigilante, ra do Cres-
    po n. 7.
    Goiinhas.
    Biquissimas goiinhas e manguitos, omelhor gos-
    to possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante,
    ra do Crespo n. 7.
    Enfeites para senhora.
    Riquosissim enleites com lago e sem lago e de
    ontros.moilos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
    gilante, ra do Crespo n. 7.
    Trancelios.
    Lindos trancelios ue cabello para relagie on lu-
    netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de I
    relroz a 200 rs.
    Babadinhos entremeios.
    Riquissimos babadinhos entremeios com lindo
    desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
    prego de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
    ra do Crespo n. 7.
    Cascarrilhas.
    Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
    larguras, assim como galSozinho e trancinhas pro-
    prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
    po u. 7.
    Filas.
    Grande sortimento de Olas de diversas larguras
    e qualidades, por precos que admiram aos com-
    pradores, havendo Gtas largas proprias para cin-
    teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega
    de 9 varas a 25; s no Vigilante, roa do Crespo
    n. 7.
    Filas de la.
    Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
    ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
    gilante, ra do Crespo n. 7
    Ricos espetos.
    Riquissimos espelhos com moldura dourada"
    sem ella de 8,5. 105, 125 e 145, assim como com
    eelumnas de differentes lmannos a 25, 35,45, 55
    e 05; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
    Lindos jarros e figuras.
    Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
    para enfefte de sala, sendo omelhor gosto queaqui
    tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
    n. 7.
    Para pos de arroz.
    Riqnissimos vasos com bonecla para pos de arror,
    eonsa de multo gosto a 15500 e 25, assim como
    pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s so
    Vigilante, ra do Crespo n. 7.
    Perfumaras.
    Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
    das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
    tinctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
    Ihores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
    ra, assim como os grandes copos de banha japoqeza
    a 25 e a 15, assim como outros objeetos que nao e
    possivel por hoje annunciar, e vista dos trege-
    les se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
    ra do Crespo n. 7.
    ATTENQAO EXCELLENTISSIMAS SENHORAS f ^&ffi&&z&MT!
    ___JL,.,,
    V?X*L ^ S? '3* Da s.. dita .ranceza a 6&. rha .
    EChalesde renda
    | de muito bom
    1 gosto.
    Chales de renda
    9 de muito bom
    gosio. I
    ExcelleRlissimas
    Eicellentissimas
    Para mlssa do gallo
    A toja da roa dt Crespo n. 7, de Js Gomes Villar.
    Recebeu de Paris chales pretos de renda o que ha de mais chique, para
    cellentissimas senhoras levarem
    A mtssa d<> gallo
    com os seus vestidos brancos, pelo prego de 155 e 205111 admiravel pechincha I
    Vestidos a Maria PU de diversas qualidades, casacoes, capase soutembarques.
    as Ex-
    Para a festa.
    Laaobas a Hara Pia a 500 rs. I
    Vende-se laziohas a Maria Pa para vestidos,,
    com palmas de seda a 500 rs, o covado, ditas de Q*J^ rwr*. '
    cores a 320, 400 e SQOra ditas lijas de cores pa-1 JJ. ^

    nada Imperatriz u 56, loja da Arara. a m -% (>
    A Arara vende ehiUs a 240, 280 e 1 rs. ^ 5or(p a JW) a mn ; 745W| nmfa
    Vende-se chitas de cores fixas a 240 e a 10 rs. a libra e :i5 a arruto, i.o -
    o covado, dilas francezas a 320, 300, MH eiwn j 2So a |i|ira rtmjmt a m j** pa
    e covado, percallas para vestidos finos afWe&W ,M, () mt~ d(,pai a 2(, rl,
    rs. o covado, camisiuhas para senhora a 15, >#ouu a |i(in sornina a |j,(> ,a|.j,,
    35 e 45500. gollinhas para senhoras e meninas a tpJ. rtc v|dro a 440 iiUfrx ^ a l# ,
    240, 320 e 500 rs., enfeites para cabega a Maria o,^^,,!,,, iiMK ,,,,
    Pia a 15,15400 e 25, para liquidar : na rna da 4(J fS a |j|(ra cerveja |,ranra r ,,
    m*
    .-Vttenco
    A' nova loja de mindezas de Manoel loaquim
    Oias & C, ra da Imperalriz n. 78 que tem o lam-
    po na segunda porta, por baixo do sobrado do
    Sr. Dr. Pitanza. Este estabelerimento contina a
    venderos liBdosenfeites de gostos modernos que
    recebe por todos os vapores, e juntamente as mui
    procuradas flvelas de tartaruga e outras douradas
    cravadas com brilhantes pedras, havendo mais
    urnas outras que-servem para sinlos de meninas.
    Assifli como se nde un? completo sortimento de
    litas achamalotadas para sintos, e outras de sarja
    de tedas as cores, temos para completar o brilhan-
    tismo de nma menina os seguintes objeetos, como
    bem : lindas pulseiras de contas imitando perolas,
    voltas Maria Pia, gravatinhas de lodas as cores,
    pentes de quatro denles cravados com pontnhos
    de cores, ditos dourados e cravados com pedrinhas
    imitando a brilhantes, gostos modernos, e ostros
    muitos objeetos que se lornam enfadnnho mencio-
    nar. Advertimos, porm, que tambem se mandam
    os caixeiros com os objeetos cima mencionados,
    as casas que por ventura nao tenba por quera
    mandar comprar.
    -^~Na rui do Trapielie n. 16, vende-se papel de
    linho de 1J qualidade para cigarros.
    IVOVO IVA1
    LOJA DE MIUDEZAS FINAS
    16Eua do Queimado16
    Enfeites de caldca.
    Bonitos enfeites com lagos 15280.
    Ditos ditos com lagos e vidrilhos 15600.
    Di los ditos com lagos e f reos 25-
    Ditos ditos enfeitados com frocos na frente
    25300.
    Ditos ditos ditos com cascarrilha 25 e 35-
    Ditos ditos feitio de chapozinho 45.
    Ditos ditos enfeitados e flor na frente 55-
    Ditos ditos ricamente enfeitados de flores para
    bailes e casamentos 85.
    Bonitas capellas para meninas e noivos a 15,
    15500, 25 e 45-
    Bonitos chapozinhos ricamente enfeitados para
    , baptisados 45 c 55-
    Bonitas louquinhas de hlonde de seda enfeitadas
    ! para baptisado l600 e 25-
    Sapatinhos de setim para baptisado 25.
    Ditos de merino bordado idem idem 15600 e 25.
    Riquissimas grvalas de pona bordada para se-
    nhora 15-
    Ditas ditas com lagos feitos idem 1#380, 1*609
    e25-
    Luvas de Jonvin enfeitadas para bailes e casa-
    mentos 35-
    Ditas ditas sem enfeites 25-
    Voltinhas de aljofares 15, 25 e 35-
    Pulseiras de aljofares e contas 640 rs.
    Voltas grandes Maria Pia i& e 15600.
    Ditas lapidadas mais pequeas <5-
    Bonilas fitas de sarja lisas e listradas de lodas as
    cores proprias para enfeites de dous dedos de lar-
    I gura 400 rs. a vara.
    Bonitas fitas de grosdenaples lisas de todas as
    cores proprias para lagos e cintos de 3, 4 e 5 dedos
    de largura a 800 rs., 15280 e 15500.
    Biquissimas Otas de grosdenaples lavradas, bo-
    nitos padroes e de todas as cores, proprias para
    lagos e cintos de 3 1/2, 4 e 5 palmos de largura a
    15, 15280,15500,15600, 15800 e 25-
    Pegas de cascarrilha de seda de diversas cores e
    larguras 15200, 15600 e 15800.
    Ditas dilas de seda de duas cores estreita e larga
    a 15600 e 25-
    Dilas de las de velludo de differentes larguras
    a 15, 15280, 155OO e 15800.
    Duas de filas de la para debrum de vestido
    800 rs.
    Dilas de fitas de linho para debrum de dilos
    240 rs, e 320 rs.
    Ditas com 25 varas de trancinha branca eslreiti-
    nba lisa para bordar vestidos 400 rs.
    Luvas de cores para montara 500 e 800 rs.
    Chicotes para montara 640 rs.. 15280, 25000 e
    35OOO.
    Bolsas pretas para viagem 25200.
    Pentes de borracha para regago 500 c 800 rs.
    Ditos ditos dourados 15-
    Ditos dilos dourados com pedrinhas 15600.
    Ditos de concha esmaltado para segurar cabellos
    15000.
    Ditos de dita com pedrinhas idem 15 e 15500.
    Dilos de dita dourados e com pedrinhas dem
    25OOO.
    Bonitas guarnigoes de pentes para segurar ca-
    bellos e marrafas dourado fino com cachiebos de
    uvase ped rabas 45-
    Pentes de borracha com costas de metal 15-
    Duzias de colheres de metal do principe para
    cha e para sopa 15800 e 35200.
    Ditas ditas de concha grandes 25.
    Caixinhas com 100 envelopes 640 rs.
    Caixinhas com papel amisade pautado 600 a 640
    rs.
    Pacotes de papel de beira doorada 800.
    Caixinhas de pennas caligrapbicas 15280 a
    Cestinhas de costuras muilo bonitas com perten-
    ces 500 rs., 15280, 35, 45, 55, 85 e 125-
    Neste artigo ha oojecios de muito goslo para
    mimos.
    Botoes de punho a 200 e 800 rs.
    Dilos com as armas imperiaes 15280.
    Bonitos quadros grandes com moldura dourada
    Imperatriz n. 56.
    Ralees americanos para senhora.
    Vende-se baloes americanos, os melhores que
    lem vindo ao mercado, de 20, 25. 30 e 35 arcos a
    25500, 35 e 35500 e 45, ditos de brilhanlraa e
    musselina a 45500 : Da ra da Imperatriz n. 56.
    I loja da Arara.
    Faiendas para homem.
    Vende se corles de caigas de brim para homem
    'a 15600 e 25, dilos de casemira a 35, 35500 e
    45500 f 55 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
    Arara.
    Roupa feita para homem de lodas as qualidades.
    Vende-se palitols de brim de cores a 25, 25500 e
    de varios" santos", como,"s. Jos, S. Antonio, o~Bom 35, dilos branco a 25500, dilo de linho fino a 55,
    Pastor, a Vlrgem com oM-oino.a Ceia larga, Des- ditos de llpska de cores e hran. os a o5, ditos de
    cimento da Cruz, fructas difiremes, a safra do Iri- meia casemira a 45500 e 55, ditos de casemira a
    go, a safra das uvas e outros differenles de muilo, 65, 85, 105, 105, 165 dilos de panno lino
    gosto para adorno de sala etc. a 55. prelo a 85, 105, 145. 165, 205 e 305, calsas de
    Bonitos albuns para 12 retratos 25 e 25200. brim de cor a 25 e 25500, dita de dilo branco a
    Ditos dilos para 20 ditos 25200 e 25500. 25 ditas dedito de linho a 35500 e 45, rlleles de
    Dilos dilos para 100 ditos 65. i cores a 25, de brim a 25500, de casemiras de
    Ditos ditos de veludo para 100 ditos 105. I cores e pretas a 35500 e 45, calsas de casemira a
    Ditos ditos de marroquim Chagrain riquissima 55, 63 c 85, de meia casemira a 35 e 35500, ca-
    jvo uara 100 rs. misas francezas a 25 e 25500, de linho inglezas e
    pregas largas a 33 e 35500, grvalas de todas as
    encadernagao e pap-l de relevo para
    Beiratosa 155, 205 e 255.
    Bonitos albuns com sortimento completo de fi-
    nissima perfumara 65 85-
    Bonitas ceslinbas cora frasquinhos de extratos a
    15280.
    Caixinhas com 6 garrafozinhos de exlratos a
    15.
    Bilas com 12 garrafiubas de ditos 15600.
    Frasquinhos de varios extractos 160 rs., 200,
    240, 500, 800 1, 10280 15500.
    Frasquiohos de essencia para lengo 13500.
    Garrafas de exlratos finissimos 29500, 33
    3#500.
    Frascas d'agua de Colonia 400,500 e 1.
    Garralas de dita de dita 500 rs., 1500, 25000 e
    2:500.
    Frascos com vinagre aromtico de Venus para
    dr de cabega l0O0.
    Frascos de oleo bilocme 720 e lOOO.
    Frascos de oleo de babosa 400, 500 e. 600 rs.
    Ditos de banha franceza 600 e 800 rs.
    Copos de christal com banha franceza 15280 e
    15500.
    Sabonetes de bola grandes 280 rs.
    Pacotes de pos de arre 600 e 800 rs.
    Escovas para denles, 160, 320 e 480 rs.
    Nova liquidacao de tatito at o lini
    do mez, para fechar facturas vende-s muilo
    barato, por ser o ultimo mez de fesla, qne o
    freguezes devemaproveilar : na loja e armazem
    da Arara, ra da Imperatriz n. 56, de Looren-
    eo Pereira Mendes Gnimares.
    Fazeddas espeeiaes para senhora.
    Vende-se ricos cortes de vestido de laa a Maria
    Pia para senhora de bonitas barras a 85,105,135,
    145 e 165 o corte : na ra da Imperatriz n. 56,
    loja da Arara.
    A Arara vende a 2<>i00
    Cortes de chita de cores Oxas com 10 covados
    a 25400 c 35200 ; cassas de cores a 320, 360 e
    400 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 56,
    loja da Arara.
    Corles de tambraia de salpicos a 2:>-ifl0.
    Vende-se cortes de cambra 1a de salpicos a
    25400, 35 e a 45OOO a pega, dilos de cambraia
    liza e fina a 35500,45500,555OO e 65, tiras bor-
    dadas para eofeitar vestidos e entremeios a 15 e
    a 15200 : na ra da Imperatriz o. 56, loja da
    Arara.
    Seulembarqnrs a 7, 8, e a ll.-.
    Vende-se soulembarque de laazinhas de cores
    para senhoras a 75, 85 e a 105, dilo de grosdena-
    .ple preto muitoenfestado a 205, 255 e 305 : ricas
    capas de grosdenaple a 205, 255, 305 e 355, para
    liquidar : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
    Arara.
    A Arara vende alpaka de cores para vestido.
    Vende-se alpak3 decores para vestidos a 360
    rs. o covado, challes de laazinhas a 15600 e 152H0
    dito de merino a 45500, ditos finos a 45500, 75 e
    85 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
    Cassas da Arara a 280, 320 e 400 ris e covado.
    Vende-se cassas de cores a 280, 320 e 400 rs. o
    covado, lengos de feda a 800 e 15 : na ra da
    imperatriz n. 56, loja da Arara.
    qualidades'de 500,800, 15 e 15400, collarinho
    de lodos os tamanhos e muito bem feitos, para li-
    quidar por sertempo de fe;ta : na ra da Impera-
    triz n. 56, loja da Arara.
    Colchas para cama a 2 \
    Vende-se colchas de chita para cama a 2, ditas |
    de damasco a 45. ditas de fusiao a 5j>, chitas para
    cobertas a 320, 360, 400 e 500 rs. o covado : na
    ra da Imperatriz n. 56. Inja da Arara,
    A Arara vende madapolao enfestada a i$.
    Vndese pegas de madapolao enfestada a 45a
    pega, dilo inglez de 24 jardas do n. 30, a 65, de 1
    a 55500,11 250 a 65500 e 75500, n. 5 85500,
    Sc 95000, R. D. P. 105, ZZZ 115, n. 20, dilo a
    145 a pega : algodozinho marca ^ a 55500, dito
    carne vacca a 75, dito dsmestico a 75500, dito
    pau ferro a 85, dito SL9 a i05, dito T a 105 e 125,
    dito sicupira a 85500, para liquidar, na ra da
    Imperatriz n. 56, leja da Arara.
    Palilols de alpaka.
    Vende-se palitots de alpaka preta de 35 e 35500,
    ditos finos de cordo, lizas e brancas a 45: ra
    da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
    Ao baroteiro da ra da Imperatriz n. 56.
    Vende-se sereulas a 15280, ditas trancezas a
    15600e 25 : e outras muilo boas fazendas que o
    freguez encontrar na loja da Arara, ra da Im-
    peratriz n. 56.
    GRAGEAS
    GLSE CONT
    fino do Porto engarrafado a 1512 m
    co para missa a 500 rs.. linio V I :
    garrafa c 25600 a ranada. Iftfbj ra
    3-5200, azoile doce a 600 r?. mtt *
    pal" a 2(0, vinagre a 200 r.-. ;. 1
    matero da E.-lrella. largo do Paran- 1 ____
    MiinhQ de irilta para ailk*.
    Grande porgao d.-tes nnM
    chegados a ra da r.iiVia I--ja rt- I -fin*
    Bastos, os quaes se venden ora* bn-raM r-
    Machinas de npoi j -
    ra descansar alirixifio.
    Moendas e meias bmmL
    Taixas de ferro baI id< >. t"?-
    dee de cobre.
    Rodas d'agua, dentadas, e
    de earroc com muv.~
    eixos de patente.
    Ra doBnimn. 88, f\*o.'-
    Cao do Bowman.
    Attrncv e perhimhu
    Vende-se urna boa armario pri-i-ria ;
    dezas ou oulro qualqoer nep-ci-- p r r r-
    tissimo : a Halar na ra da* Larany- -r :.
    Corles S la a 5,000 r*.,
    com 15 covados de lindo de*eho. Ifcn
    elles, que pelo prego esta acabando -- r..
    ra da Madre de Dos n. lt>, dvfnnte -i. p
    da alfandega.
    escrayos rucixc:
    Approdai pe Academia Medicina d* Parla.
    Resulta petos dous rclalorios, adoptados pela dita
    Academia em 1840 e em 1858, que as GRAGEAS de
    Glis e COXT sao o mellior c mais efficaz remedio
    ferruginoso para curara chlorosis (alias fluor-albo), os
    flujos brancos, a fraqueza de compleiio nos don
    sexos, e tambem para ajudar a menstruacao das mocas.
    Estas Grageas nao sao vendidas sena em caixinlia
    on vidros cobertos com rotulo e fechado com urna lira
    letando a firma do depositario geral : LAHELO^YB,
    pharmaceutico, rus flouroon-l'tlfnfuce. 19- Para.
    Fugio da raa do maj*-r AnmniM Hi
    Gnsmao o seu escraro pardmir c-.n I.
    cido por Luiz Monleiro. idad> H
    mais ou menos, bastante att". scn-n. I r
    pernas compndas, cor clara, ral
    nbolo, e o principal si-;nal i i-r r, r-n a v raa
    mo urna estrella azul e tre* pinia> i^n lra uma,
    formando um triangulo em rad-t uiln # r-i>.
    offirial de pedreiro. pintor e caiatlinr : pt-t
    loga-se s autoridades priMM
    senhores de engenho e propr ir tarto *** ?ffe fcr
    trabalbar. inlilulando-se forr-i. labio iw-U >r-
    cia como fra drlla, que .- faga | r. i
    ler ao sobredito senh-ir, que papir
    pezas, assim romo a quero o ronduzr ara ).
    boa gralilicagao._____________ ______
    Fu^io sabbado 26 de Duven-l-ro pnn
    sade o esrravo pardo de in-nie kM, -v
    de 20 annos, ponro mais ou MH, < m
    naesseguintes : magro, allnra regnL.r.
    prido, nao tem barba e rom basur > i um #
    bexigas, falla branda, foi errao t r <
    Joaquim Cavalcanti de Alt-uqii-rqne n Mjntt
    Arau-uari da freguez ia de Barreir-< -1 n-rr
    nesta cidade em vender agua, porm tm rt-ratoft
    Deposito geral em Pemarubnce na da e das santos andava calcado, d* paMM kraarr
    CrUZ n fi em casa de Caros A Rarhoza. chapeo do chile e nengalinha fina i ;
    _________________________________ inlitulava de ser livre, quando Wfh i m > li-
    !VOTO deposito de su o. mas pessoas a quem venda agua.
    Aca-se aherto um novo deposito de sabao na Barreiros, e que somenle v. Itava ,>.
    na do Rangel n. 34, na antiga fabrica italiana, do natal : roga-se s auloridade r-ur.ai- r-.v*-
    aonde os freguezes encontrarao completo sorti- a^^ campo de o apprehri *****
    ment de sabao da lodas as finalidades ; assim co- entregar na ra do Queimado n .
    moa vantagem qne enrontram para abreviarem a Jos da Silva, que recomnenara cm S
    qualquer freguez por ser muito perto, e o diminu-
    to carrete que tem de paearem.
    J. Keller & C. ventrera superior vt-
    nho Unto d> BOTdeain, tanto em quartOla as c andar de quebra-mangne, i n <
    como em caixas de dtizia de carrafas. lo wrto e sahido para fra como pala
    por isso puxa alguma cousa pela
    V*arte de engenho.
    Vende-sc urna part-- do engenho Italienga
    sito na fregnezia de Pao d'Alho: quem a
    No da '.) de dezeml.|n de !, i .
    desensenhoro oscravo lf->rrnhn.
    com 35 annos, all->, cabell-is r.irapml..-.
    orelhas pequeas, tem apenas Ug-Mt-- arta
    iV -
    anda, levou vesiido calca branca rem. ni .
    misa branca, levando chapeo d* pjlii-
    igualmente toda roupa que po<- i
    dar aqu mesmo pela cidade : quem i r
    pretender dirija sea esta typographia onde a rua Dreia B. 54> qae m geBer-a.- rr
    se dir com quem se deve tratar. I compensado.
    LISTA GERAL.
    m
    DOS PREMIOS DA ULTIMA PARTE DA
    io: E,: H:
    LOTERA, CONCEDIDA PELAS LEIS PROVINCIAES NS. 100 E 402, A BENEFICIO DA MATRIZ DA BOA VISTA DESTA CIDADE, EXTIUHIDA EM 23 DE DEZLMBRo
    DE 1864. >
    NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
    3 10* 182
    6 84
    15 205 87
    17 10* 88
    21 91
    23 20* 200
    24 10* 1
    25 12
    26 13
    30 16
    32 19
    33 32
    34 34
    43 35
    50 37
    59 39
    62 54
    63 58
    66 60
    68 61
    6 66
    70 70
    73 71
    80 78
    82 8o
    83 88
    84 97
    86 304
    0 6
    94 8
    96 9
    101 10
    6 13
    24 _ 15
    32 _ 16
    39 21
    44 24
    48 26
    80 h 28
    56 f 30
    59 33
    60 _ 36
    66 42
    67 20* 43
    70 10* 52
    72 53
    75 54
    78 58
    364 10* I 10*
    67
    72
    73
    75
    78 40*
    79 10* 41 38 10*
    83 51 39 10*
    88
    89
    94
    96
    401
    5
    9
    10
    16
    24
    25 20*
    27 10*
    31 20*
    32 10*
    44 21 76 40*
    48 -23 77 10*
    50
    52
    54
    55
    61
    62
    20* 70
    10* 71
    72
    73
    76 20*
    78 10*
    79 79 30 20*
    85 83 31 10*
    97 20*
    99 20*
    20* 502 10*
    10* 8
    9
    11
    17
    22
    23
    O escrMo, Jos Pedro das Neves.
    527 10* 723
    28 26
    32 27
    38 40* 31
    39 20* 34
    40 10* 37
    41 38
    51 mm 39
    53 - 40
    62 46
    70 - 47
    74 - 52
    78 54
    83 65
    89 56
    91. -- 58
    95 20* 62
    98 10* 64
    99 65
    605 69
    13 71
    15 72
    19 74
    21 76
    23 77
    26 78
    33 _ 79
    36 82
    37 _ 86
    44 _ 87
    45 89
    51 . 91
    55 802
    57 _ 5
    67 9
    69 19
    77 26
    79 30
    83 31
    89 35
    98 42
    99 48
    702 50
    10 52
    12 56
    17 60
    18 61
    19 64
    865
    69
    72
    74
    76
    77
    79
    80
    81
    83
    84
    87
    88
    89
    92
    95
    98
    99
    901
    13
    17
    22
    24
    26
    28
    30
    37
    45
    51
    55
    59
    61
    63
    66
    77
    80
    83
    85
    96
    97
    99
    1003
    12
    16
    17
    27
    29
    30
    10*
    NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.NS. PREMS..NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.[NS. PltEMS.
    1031
    38
    39
    40
    41
    46
    47
    48
    49
    51
    52
    55
    57
    60
    63
    64
    69
    70
    71
    76
    79
    80
    81
    86
    88
    90
    91
    1104
    6
    16
    30
    34
    36
    37
    39
    41
    45
    61
    70
    72
    77
    78
    80
    81
    84
    89
    97
    98
    10*
    40*
    10*
    1204
    l
    10
    13
    17
    18
    20
    21
    24
    32
    41
    47
    49
    50
    53
    57
    59
    61
    64
    71
    72
    78
    81
    h
    83
    91
    92
    96
    97
    1300
    4
    5
    7
    9
    11
    12
    18
    24
    39
    40
    41
    50
    55
    57
    59
    66
    68
    71
    40*
    10*
    20*
    10*
    20*
    10*
    40*
    10*
    40*
    1372
    81
    8S
    86
    88
    92
    94
    97
    1401
    4
    7
    12
    13
    16
    21
    23
    26
    34
    36
    37
    41
    42
    43
    44
    46
    47
    48
    49
    58
    59
    61
    62
    63
    69
    72
    76
    79
    81
    90
    94
    97
    98
    1501
    3
    5
    8
    11
    12
    10*
    20*
    20*
    10*
    1513 10* 1671
    17 78
    18 84
    19 90
    25 20* 91
    33 10* 97
    35 1705
    37 6
    41 7
    53 10
    54 11
    56 15
    57 27
    67 29
    73 41
    74 20* 42
    75 10* 45
    76 51
    86 55
    92 56
    93 20* 58
    96 10* 59
    99 63
    1601 i 66
    2 ^^ 68
    3 _ 70
    19 k VI
    20 __ 72
    21 _ 78
    22 _ 81
    23 _ 83
    " 25 _ 86
    26 87
    28 89
    36 _ 90
    33 91
    37 M 92
    39 94
    40 1802
    42 6
    44 8
    45 9
    51 15
    54 - 20
    59 25
    60 31
    5 34
    69
    10*
    100*
    10*
    20*
    10*
    40*
    20*
    10*
    20*
    10*
    40*
    10*
    400*
    1849
    57
    65
    69
    73
    74
    83
    '86
    87
    88
    93
    95
    96
    98
    99
    1902
    3
    5
    11
    14
    25
    37
    38
    40
    46
    47
    49
    51
    55
    56
    57
    61
    65
    76
    77
    81
    83
    85
    89
    90
    92
    93
    94
    96
    2000
    2
    8
    10*
    100*
    10*
    %_
    20*
    10*
    2012
    15
    18
    22
    24
    26
    33
    34
    44
    45
    47
    48
    49
    53
    56
    63
    64
    67
    68
    71
    72
    77
    82
    83
    84
    88
    93
    94
    98
    2103
    5
    9
    13
    17
    18
    19
    21
    24
    29
    37
    38
    42
    43
    47
    50
    54
    55
    40*
    3:000*
    10*
    40*
    10*
    20
    10*
    2158
    59
    60
    67
    71
    76
    77
    81
    85
    87
    98
    2203
    7
    10
    11
    12
    15
    19
    25
    27
    28
    34
    36
    39
    43
    45
    46
    49
    54
    57
    76
    85
    87
    88
    91
    92
    2308
    10
    11
    12
    15
    16
    21
    22
    25'
    26
    33
    10*
    100*
    10*
    20*
    10*
    100*
    10*
    2335
    38
    41
    44
    52
    55
    56
    57
    58
    59
    62
    63
    65
    69
    70
    71
    79
    88
    92
    96
    2401
    6
    7
    9
    12
    15
    17
    20
    27
    33
    36
    37
    40
    41
    47
    49
    53
    66
    67
    80
    81
    89
    93
    94
    98
    99
    2506
    10* 2508
    11
    15
    20
    21
    23
    24
    26
    10*
    20*
    40*
    10*
    29
    31
    33
    35
    36
    50
    52
    55
    58
    59
    61
    63
    65
    69
    74
    80
    89
    91
    92
    93
    95
    2603
    4
    5
    13
    16
    17
    18
    22
    23
    32
    34
    35
    39
    41
    42
    47
    54
    20*
    10*
    2656
    57
    65
    68
    70
    71
    73
    78
    80
    83
    90
    91
    95
    98
    99
    2701
    13
    18
    19
    20
    25
    26
    27
    28
    29
    31
    34
    35
    42
    51
    52
    55
    58
    61
    64
    67
    69
    76
    79
    86
    89
    2800
    1
    8
    11
    16
    18
    10*
    100*
    10*
    2821
    26
    28
    31
    37
    39
    40
    41
    48
    49
    51
    57
    65
    67
    73
    79
    81
    86
    87
    96
    98
    902
    12
    13
    24
    27
    31
    33
    35
    36
    37
    39
    40
    43
    50
    54
    57
    60
    61
    64
    76
    80
    82
    84
    86
    87
    95
    10*
    20*
    10*
    10:000*
    10*
    20*
    10*
    20*
    10*
    20*
    10*
    2998
    3003
    5
    10
    13
    20
    22
    13
    24
    30
    35
    41
    42
    44
    45
    48
    55
    56
    57
    61
    64
    66
    67
    72
    74
    75
    76
    80
    81
    82
    83
    84
    88
    91
    93
    3100
    3

    7
    10
    12
    13
    21
    22
    26
    29
    34
    10*.li;ki
    40
    M
    47
    49
    50
    53
    57
    58
    62
    66
    70
    Ti
    73
    79
    82
    87
    92
    96
    3203
    I
    7
    9
    10
    11
    23
    24
    28
    39
    33
    37
    3t
    39
    43
    51
    O
    62
    74
    7
    81
    82
    83
    83
    9$
    97
    9
    1J
    40*
    I0i
    MI
    10*
    son*
    m
    liat*
    10*
    10*
    au*
    m
    Pern.=Typ. de Manoel Figueiroa de Faria & Ii7Ao=1864.
    )


    -

    Diarfo t Pcr*smbnc> --- ftabbado f 4 ele Dezembro de I S4.
    LIIERATRA.
    fflSTDKIA DE UM CONSCRIPTO DE IS13.
    pon
    ErcKuuju-Chatriaa.
    IV
    Condnuago.)
    ::\ j nos vinle minutos que eu caminhava,
    i msaado respirar, quando de longc rae trrtou
    i. na voz ronca, como i embriagado :
    Q lem vem la?
    Alonguei os olhos airares da noule pardarenta,
    fl vi, :i uns Cioeoeata passos adianle de niin, o bu-
    A' esquina da casa da cmara y um espectacu
    o de quo me lembrarei loda a vida. E' l que es-
    lava o grande cartaz : mais de quinhemas pes-
    soas, genle da cidado e dos arredores, homens e
    mulheres, apinhados, aperladas, pallidos e com o
    Descoco esiendido, filavam no silenciosos como se
    fosse alguma eoasa terrivel. Nao podiam lelo e
    de lempo a tempos um ou oulro dizia em rancez
    ou allemao :
    Mas nao morreram todos !... pode ser que
    elle csrapasse.
    Oulros grilavam .
    Ninguem v ; deixem ler !
    Una pobre velba ergua as mos de tempos a
    l .1 oheiro Pinacle, com a sna grande cesta as eos- lempo*, gritando :
    las, s u brrele de pello de lontra, suas luvas de _
    13a e sea pao ar-olado. A lanterna pendente de ~ Christovao> meu Chrislovao t
    u na aza da cesta allumiavalhe a cara avinhada, o I ulros'com ,DdlSnados de ouvi-la, diziam :
    l ;>u lo capote amarcllo e o grosso nariz laia de Fagam calar essa velha f
    i lor. Arregalava orno um lobo os olhos pe- Pensava cada um em si e s em si. E contiuua-
    '1 'uioos, repetiodo : i mente chegavam mais do lado da porta da Aile-
    Quem vem la? manha. Afinal Harmantier, da polrcia, sahiu da
    O tal Pinacle era o maior mariola deste mundo, Casa abob'jdai}a do co^ "^da pertilou-se
    ceg e completamente calvo, estava assentado era Do Boudoir transcrevemos a seguinte poesa 9 c. por dia. A capital nio tera o direito de se en
    urna cadeira, por detraz do torno, com a cabera do Sr- F- M- de Souza Viterbo, do Porto :
    cahida sobre o peito e os grandes olhos brancos Jos^ BSTEVA0-
    Suraiu-se o fragor do raio
    no alto dos degros, com um papel egoa ao que
    estava pregado na parede. Seguiam-no alguBs sol-
    dados. Entao todo o mundo corren para o lado
    onde elle estava, mas os soldados ffeeram afasfar
    Ja no auiiu anterior liaba tido urnas questoes com
    o Sr. Goulden, que llie pedir a importancia de
    um rclogio que elle tora incumbido de entregar ao
    S.\ Anstelt. cura de Horacrt, e cojo valor emdi-
    nhairo liuha passado s algibeiras, dizendo que os pnmeiros e Harmantier poz-se a ler o anoo-
    n i lioha entregado. Mas, apesar do juramento co, de que me lembro bem, e que terAo guarda-
    toit pelo relhaeo ppranle o juiz de paz, o Sr. do> porque toi publicado na gazeta. Lia devagar.
    O tul I ii lioha a certeza do contrario, porque nos- Ninguem dizia urna patarra : a velha, que- nao en-
    se dia nem elle nem eu tiohamos saludo de casa. lendia nada de francs, eseutava como os outros.
    Ale n dis-o, leudo querido daogar Pinada com itoder se-hia ouvir voar urna mosca.
    Caliiarina na testa dos Quatro Ventos, ella nao At ao fim ninguem disse nada ; mSs enro sa-
    conseotio, porque sabia a historia do relogio, e n,ram grilos e gemidos de todos os lados ; duas ou
    i:v:>mr, porque nunca me deixava o brago. lres mulneres quasi cahiram e toram levadas em
    O bregeiro, que nao linha bons figados, nao me tiracos
    polia ver por isso, c quando de repeute o avistei E toda aquella gente iaembora, mas chegava
    i) i meio da estrada, com o seu pu de sorveira, '8 ma's H0-6 nao tiuha ouvido, e de hora era hora
    .s ilidamente argoladn, nao iquei muito satisreito, Harmantier sahia para ler o annunciov
    p iiie nao tinlia soccorro a esperar. Felizmente, Istodurou at noute e de todas as rezes era
    u -aminho que vae de re lor do cemitero ficava- a mesma cousa. Eu nao me demorei ali, e bem
    ma esqnerda, e sem Ihe dar resposta, deitei a quizeranao saber nada de ludo aquillo.
    correr, metlendo-me em nev at barriga. Sub a casa do coramandonte da praca. Entran-
    Eolao, adivinhando quem cu era, gritou elle do na suasala. vio aalmocar. Era-um'homem j
    faoso : velno' mas v,goroso, de faces vermemas e bom ap-
    Ai! s tu, meu coso I...Espera! espera Pellte-
    ahi! quero saber como passas. Vaos de casa de i Ah, s t ?disse-me elle. Entao o Sr. Goul-
    Calharioa, ladro de relogios? den nao vem ?
    Bu saltava como una lebre por cima dos mon. .. ________, _, ,. .
    i, h .-., ii j ->ao Sr. commandante. Esa incomrnodado.
    les de nev, e elle anda tentou seguir-me, mas ,-. m lh ... "
    , Fizeram-lhe mal as mas noticias.
    embaracava-o a cesta, e por isso, vendo que cada,
    vei nio affistava mais, poz urna mao de cada lado' *n> s'm>s,m-tem rzao ;disse elle, despe-
    d bocea e grilou : jando o coporealmente para sentir.
    IK-ixa estar, meu coxa, deixa estar. Has de ; E em Quantoeu levantava o globo do relogto de
    pagir oquedevvs. O recrutamento niio tarda; Parede accrescentoo :
    h3.> de ir zarolhos, coxos, corcundas e ludo. Has oiha, has de dizer ao Sr. Goulden que hsve-
    fle ir tambera : eonla com isso. E has de acabar mos de tirar a desforra. Que diabo nao se pode
    ocle teem acabado os outros. vencer sempre. Ha quinze annos que os levamos
    E insto rontinuou o seu caminho, rindo como toque de caixa ; justo conceder-lhes este bocadi-
    mbriagado que eslava, e eu, quando j nem ti- nho de consolagao... E depols, olha, a honra est
    n'i.i f.ireas para respirar, metti-me na estrada salva. Nos nao tomos derrotados se nao fosse o
    explanadas, dando gracas ao cu por ter achado Irio e a nev, os taes senhores cosscos haviam de
    tpoporto de raim o atalho, porque Pinacle. que ter para peras... Mas paciencia ; as vacaturas
    i n i ?empre a navalha prompta quando se desa-1 vao ser breve preenchidas e depois que se acaa;
    viiiln com alguem, podia muito bem ser que me
    pregasse algama das snas.
    Apesar de lao violenta corrida, sentia gelados os
    oe-los dos ps, e deitei outra vez a correr.
    Nessa noule gelou a agua as cisternas de Phals-
    liargo e o vmho as adegis, coua que nao tinlia '
    acontecido nos ltimos sessenia annos.
    as linhas exteriores, na prirneira ponte e de-
    baixb da porta da Allemanha, ainda me pareceu
    m.uor o silencio do que pela maahaa, e linha al-
    piinia cousa de terrivel por ser de noute. Rrilha-
    v im algumas estrellas entre as grandes nuvens
    brancas que se desdobravam por cima da cidade.
    Em 10 la a ra, na i eueontrei viva alma, e quan-
    docheguei ao nos =o passadic, depois de ter fe-
    tellem.
    Eu ia dando corda ao relogio ; elle levantou-se
    e toi ver, porque era grande amador de relojoarla.
    Deu-me um piparote com com ar jovial, e dopois,
    quando eu ia retirar-me, disse, apenando o pesado
    capote, que tinha aberto para os lados em quantQ
    coraia.
    arregalados como se visse os seus tres Blhos estn-
    djflos acs seus pfis. Nao dizia nada, mas grossas
    gatej de suor lho corriara da testa pelas faces era-1
    magrecidas, e o seu rosto estava to paludo como
    se a alma estivesse para deixar o corpo. Quatro
    ou cinco dos seus antros camaradas do lempo da
    Repblica, Desaters, Nivoi, o velho Paradis. o gi-
    gante Preissard, tinham corrido a sua casa para
    consola-lo, mas estavam silenciosos, fumando nos'
    seus cachimbos c fazendo caretas de penalisados. De
    tempos a lempos dizia algum delles:
    Vamos, Feral, vamos............ Pos nos
    J nao somos dos velbos do exercito de Sambre
    e Meuse T
    Ou isto :
    Animo, porla-bandeira, animo I...... Nao
    tomos nos os que tomamos de assallo a grande ba-
    tera de Fleurus ?
    Ou outra cousa semelbanle. Mas elle nao res-
    ponda De minuto em minuto snspirava, as suas
    velhas faces cavadas entumeciam-se, depois curva-
    va-se e os outros faziam entre sd sgnaes, abanando
    a cali va como qncm dizia :
    Isto nao vae bem.
    Eu dei-me pressa em acertar o retogio, porque
    me cortava o norago ver aquelle pobre velho em
    lamanha atlliccc.
    Quando enlrei em casa, cnconlrei o Sr, Goulden
    banca.
    Ah, vieste, Jos: e entao?
    Entao, Sr. Guuldea, o saibor tinha razao para
    nao'sahir, porque horrivel.
    E conlei-rfre tudo por miodo.
    sso sabia eu'; disse elle com tristeza, mas
    sto so o prfneipio de maiores desgracas: esses;
    Prossianos, es?es Austracos, esses-Russos, esses!
    Hespanrres e todos esses povos que temos saqueado
    desde tflMf vao aproveitar-se dos nossos revezes
    para se arremessarem sobre nos. Ja que temos
    querido dr.r-lhes rets, queelles nao conheeiam nem
    por Eva era por Axtao, e que nao queran), vao
    elles agora impr nos-tambem soberanos, e nobre-
    za, e tudo o qtie d'ah* se segu. De maneira qoe
    vamos perder tudo o que tinhamos gaaliada- pela
    revolucao. 0!ha que e que nos-vae acontecer [
    agora. Em quanlo andante l por fia, nao me
    sabio isto da cabeca:
    (Continuarse ha)
    UM PSUCa DE TUDO.
    Le-se sa Estrella' do Norte o seguiDt :
    NATAL.
    Nascea-o Divino Meuino, o desejado das nacoes,
    o promellido dos prophetas ; as setenta semanas
    esto para acabar ; o sceptro j sahiu da tribu de
    Jud ; Cesar Augusto fechno as portas o templo
    de Jano ; a-Virgen) concebeue deu a luz e Belm '
    to humilde enire as cidades do Reino v nascer
    em um pre^epioo Verbo encarnado, Deus toito ho-
    mem.
    Tal a sefemnidade qno celebra todos os annos
    a clin.-tandr.d-- inleira.
    Aos cantor, dos pastores, acconrados pelos cantos
    anglicos, soccedera os accedes de todos os fiis
    espalhados sobre a Ierra.
    Quando naseen o Salvador, sraente os echos
    das montanbas de Beln repetiram os alegres^
    sons ; hoje porto que os suecessore dos apstalos
    ievaram a boa-nova de um polo outro, o univer-
    sointeiro entoa ohymno ceteste : Gloriara ex-
    que darma descansa-\eelsis eo et i* trra pax ions.
    do. A dansa vae comecar outra vez na primavera. Hs iambtm festejamos onaselmento do Deus
    Os senhores kalmukos nao hao de ter .empre o- Menino ; os echas la Belm do Brasil, como outr'-
    invern a seu favor. Diz-lhe isto 1 j ora, os ecnos ^ montaB,a8 e felfa de jaaa>
    Sino, Sr. commandante, respond, fechando a hao de repetiros cantos d alegra,
    porta. Os meninos do Para bao de festejar o anaiver-
    Diz ao Sr. Goulden
    A sua gorda pessoa e o seu ar de bom humor
    sario do nascnenlo do -alvador, desde Deus que
    cha 11 a pona pareceu-me sentir calor. Mas nao | t.nham-me consolado alguma cousa; mas em todas tm S am0U> *** ,an' B*,*a de St Ver rdea"
    do por elles, e qa&amaldigea'< os qae escandalisam
    poda ser, porque o reg de agua que coma do as cafas onde fui depois, a dos Harwlch, a dos
    pateo ao comprido da parede eslava gelado. Es- Frantz-Toni, adosDurlach, noouvasenoqueixa- a
    perei um pouco para tomar folego e depois sub a | mes. As mu|heres principalmente estavam na
    oseada as escuras, segurando-me ao corrimao. | maior afn,c5o. 0s nomens n3o dizjam nada e.
    Quando abr o meu quarto, delic.ou-me o calor | passeavam de um lado para o outro com a cabeca
    do togao. U Sr. Goulden estava assentado ao pe cani(la sobre 0 peil0 sem ao menos attentarem no
    do lume, na sua poltrona, com o barrete de seda
    preta arregacado para o alto da nuca e com as
    maos sobre osjoelhos.
    Es tu, Jos ?perguntou elle sem olhar pa-
    ra iraz.
    Son, sim senhor. Est agradavtd isto aqu.
    Qae fri la vae fra, Sr. GouldeoJ.. .Nunca tive-
    ii >< um invern assim.
    Isso naodisse elle em tom grave.E' um
    invern de que nos lembraremos tl'ajui a muilos
    annos.
    Entao fui ao gabinete para tirar o capote, os
    manguitos e as galochas. Ia para contar-lhe o
    meu encontr com Piuacle, quando elle me per
    guntou:
    Entao, divertiste-te muito, Jos ?
    Oh, muito I E' verdade, a lia Gredel e Ca-
    tiiarina recoinraendam-se muito sua lembranca.
    Estimo, eslimo I a gente nova tem razao pa-
    ra querer divertirse, por me depois de velha, a
    forja de ler soffiido, de ter visto injnsticas, egois
    ni) c desgracas, j nao ha vontade de diverti-
    meolos.
    Estas cousas diria-as elle como para si, olhando
    pira a fogueira. Eu, que nunca o vira tao triste,
    perguutei-lhe :
    O Sr. Goulden nao est born
    Has elle, sem responder-me, murmuron :
    Ora ahi e?ll ah esta o que sao as grandes
    nacoes militares.. .ahi est a gloria I
    E abanava a cabega, e curvavase embebido em
    medilacoes, rugando as grossas sobrancelhas gri-
    zallias e juntauJo as mos sobre os joelhos.
    Eu nao sabia j o que havia de concluir de tudo I
    aquillo, quando elle, endireiiando-se, me disse :
    A esta hora, Jos, ha quatrocentas mil fa-
    milias a chorar em Franca. O nosso grande exer-
    cito perdea-se uos gelos da Russa. Todos esses
    borneas mocos e vigorosos que vimos passar du-
    rante dous meses, ou ficaram sepultados na nev
    o;i prisioneros dos Cosscos, o que anda peior.
    A noticia' chegou hoje de tarde. Quando se pensa
    msto, de morrer de assombro 1
    Eu calava-me; o que eu via bem claramente a
    que laraos ler breve novo recrutameolo, como era
    cosime depois de cada campanha, e que desta
    vez poderia milito bem ser que os coxos nao esca-
    passem. Isto punha-rae em suores fros e a pro-
    phecia de Pinacle arripiava-rae os cabellos.
    Vae, Jo-, vae ; deita-te e dorme soregado.
    Eu nao lenho somno e fico aqu... Estas cousas
    dao cabo de raim 1 Nao notaste nada na cidade ?
    Nao, senhor.
    Entre no meu quarto e deite-me. Estive muito
    tempo sem poder conciliar o somno, scismando
    com o recrutamento, com Catharina, com todos
    aquellos militares de homens enterrados na nev,
    e as>eilando comigo que andara bem se fugisse
    para a Suissa.
    A's tres horas percebi que se ia detar meu
    patrao. Alguns asuntes depois, adormec lam-
    Lem.
    que eu fazia.
    As onze horas s me fallavam duas casas : a
    de La Vahlerie-Charaberlan, velho fidalgo que mo-
    rava no fundo da ra grande com a Sra. Chamber-
    lan de Ecof e a menina Joanna, sua filha. Eram
    emigrados que tinham rindo havia tres ou quatro
    annos. Nao frequeotavara nenhuma casa da cida-
    de e s tratavam cora tres ou quatro abbades velhos
    dos arredores. O Sr. de La Vablerie-Cliamberlan
    era doudo pela caga; tinha seis caes e um carro
    de dous cavados; o lio Roberto, da ra dos Capu-
    chinhos, servia de cocheiro, de palafreneiro, de
    criado e de picador. O fidalgo usava sempre urna
    V
    na vasia amplido do espaco,
    mas um luminoso trajo,
    que jamis se apagar,
    gravado no firmamento,
    dizet-rno o monumento
    d'esse hroe, d'csse portento,
    que a patria nao possuej !
    Das leis no sagrado templo,'
    urna alampada derrama
    seu oleo, porm a chamma
    nao se apagou, reflVctiu
    as paredes, mais brilhante,
    o vulto d'esse gigante,
    que nunca, nunca um instante
    a liberdade trahiu !
    Era a liberdado a flmula
    que na fronle Ihe raiava,
    era o togo, que agilava,
    que Ihe entumeca a voz,
    quando cheo de pujanza,
    olhos filos na esperanca,
    revindcava a heranga
    de nossos grandes avs I
    Se tordes ao sr.nctuario,
    do seu coragao de lino
    iuda la veris um cirio
    a fulgir em cada altar I.
    E as paredes branqneadas
    por vos 9endo interrogadas,
    nao poden) litar caladas,
    ho-de seus Cellos contar I
    Ento, escutar julgando
    a voz, que nunca trema,
    quando a causa defenda
    d'ate seu berco natal,
    com o herosmo no peito,
    ebeos d'imraeoro respeilo,
    sabereis reuder o preito
    ao orador sem rival 1
    E, vendo em luto a cadeira,
    que elle abandonou to cedo,
    palpitantes, em segredo,
    oh! talvez interroguis :
    quem ir ali sentar-se ?...
    quem de seu nome apossar-se ?...
    quem cantar sem disfarce,
    como elle, a verdade aos reis ?!
    Mas ao sahirdes do templo
    esquecereis bem depressa
    (Romeiros, cuja promessa
    julgaes sem obrigaco)
    a ternura daquella alma,
    ora iracunda, ora calma,
    Ihe daris a ingratido I
    Seja o vosso esquecimento
    a sua croa de gloria I...
    E que Importa, se na historia
    seu nome j se esculpiu?
    Deixae aosec'lo vindouro
    vingar tamanho desdouro,
    cobrindo a fronte de louro,
    onde a ingratido cuspiu!
    Nao receeis que o futuro
    esta divida nao pague,
    talvez elle uo alT.gue
    de seus tilhos umita dr,
    mas veris que ou Ihe cusa,
    ebeio de ufana justa,
    mais c'roas na frunte augusta
    do nosso here vir depr I
    Tem cada poca seus erros !
    Vem de manchas enlutados
    os fetos por nos herdados
    das passadas geraces!...
    Se houve recompensa o Gama,
    nos inda erguemos da lama,
    quem fez immortal a fama
    de nossos bros Camoet!
    Sim, esta testa ser a festa das meninos paraec-
    ses; os cnticos serao cantados por elles meamos,
    e a solemnidad* realeada per sua presenciu
    Do alio do cu, do fundo- do tabernculo* Jess
    Christo sorriudo para essa mocidade reunida Ihe
    dir ainda : etxni vir mim. os meninos, e os
    meninos doeeis voz do Deus sacramentado vi-
    ro tomar logar no banqurte sagrado ; pas a no-
    vena do Moaino Deus que de ve principiar no dio da populacaa.de Paris.
    'i na egrejo.de Santo Alatandre, acabar no da.;
    1- de Janeiro de 186i pela communho. dos men-'
    nos e meninas que frecuentaran) o catbecismo. | '* PeIo*n"c'o* d Desde 1831, succede o. contrario, e o augmento d-
    Convida.-se os fiis, particularmente os paes dos- co nrinnr,nimn, ^ i___.
    r e se principalmente no-elemento operario, que exce-
    eninos para assistirem a novena quo principiar au h,a ,> tar Na Correspondencia de Portugal l-se o seguin-
    te-resumo de urna commuoicacao feita rcenle-
    mente academia das seiencias moraes, e que com
    prehende noticias curiosas e interessantes cerea
    At 1831 a-popuJagao parisienseaugmentou mu-
    menic
    todos c>6 dias s 7 horas da noule.
    quo principiara de hoje 0 lBrco ()a populadlo Mal. Eis o* prioci-
    paes termos do augmento
    Era 1800, Pans centava 347,000 almas; em
    182G, 890,131 ; atn I86, 1,033,897 ; e em 1836,
    1,174,346.
    Nesta ultima d&ta, o recinto das fortiicagoes en
    Le-se na, Gazctta del Poplo de Florenga :
    Teirse fallado ranito as tollas estrangeiras,
    i |ieta de caga, um chapeo de couro curtido e bo-1 principalmenie ua Inglaterra e na America, de
    tas com esporas. Toda a cidade Ihe chamava o uma curiosa experiencia tota sobre os cadveres
    perdigueiro, mas ninguem punha a bocea na se-' de Pessoas que morreram de morle violenta, que! cerrava I,33.9i2 habitantes ; cinco annos depoU,
    ahora nem na menina. i consislia em reproiluzr pela photographia os olhos a raesma superficie conim 1,696,141, ou o aug-
    da. victima pnucas horas depous da morto, porque,; meato de 170(00 almas aui cinco annos.
    Eu ia bem triste quando empurre! a pesada porta n^ enlender da muitS physiologistaSi a im,,ressao | V(imnR,.._ nns .^
    de roldana, cujo sonido se probngava ne vestbu- ^ ultimo objocto conlemplado fica intacla aa re- JZ 1 T P
    lo. E qual nao toi a micha admiragao quando lllta do 0|ho eoorme ag>onieragao t Sena fecil provar que o
    ouv, no meio da magua geral, uma aria de canto I lu auraero dos inconvenientes excede, e muito, o das
    acompanhada n'um cravo! O fidalgo tocava e sua! nossas flnas fallaram d,sl e o al- vantagens; ha, porm, pessoas que, a proposito,
    filha acompanhava-o. Nesse tempo anda eu nao guraai Ia* de var,as e*eriencia "* eolhido lngara os olhos para Londrvs, fazem observar qu
    sahia que a desgraga de nns faz a fortuna de bom resalalo ; mas havia pc-MO gente que acre-
    outros, e disse comigo, com a mao j no ferro- dilase> e a,nda ra"no* os sabl0^ lue'no 1ue toc*
    h a descoberlas, sao sempre incrdulos.
    Quando se descobriu o cadver da mulher Spa-
    Estes ainda nao sabem as noticias da Russa.
    Em primeiro lugar, deve-ootar-se que Londres
    Masnstoabrio-seaportadacosnha,cacriadaign(,i.ochefe dos erapregados da segnranga pu- vou mu.tos seculos, e nao 30 annos, a sor o que
    liza deitando a cabega de fra perguntou: lea, Leopoldo Viti, resolvou ensaiar esta prova, e' > dePls' ^ occur* uma superficio de terreno
    apopulagao ali taas coosideravel, e tira* por
    conclu>o que Paris pode ainda augmentar
    muito.
    soberbecer da sua caridade.
    Ao lado deslas miserias marchara a orgulbosa
    opulencia dos estrangeiros prdigos, as mulheres
    manteudas, os tenores com 100,000 francos e todas
    as loucuras da ociosidade rica.
    Passemos outra estatislica nao menos cu-
    riosa.
    A administragao das pompas fnebres, qne um
    monopolio, sustenta um grande pessoal, c o sen
    material tambem coosideravel. Comp5e-se de
    331) cavados pretos e brancos, e 300 carruagens de
    toda a especie.
    A medida dos funcraes pagos, de todas as classes,
    de 110 por dia ; e os abusos do monopolio fazem-
    se sentir pelos pregos exagerados. O funeral de
    Meyerbeer cuslou 14,000 francos; e nao leve ne-
    nhuma ceremonia na egreja, em consequencia da
    religi) do defunto.
    As despezas do offlcio da prloceza Czarloriska,
    na pequea egreja da ilha S. Luiz, elevaram-se
    goman de 19,000 francos. As do offlcio da duque-
    za de Montebello a 28,000 francos. Ura enlerro
    nos Invlidos, com a cosiumada solemnidade, leva
    a uma despeza de 60,000 a 80,000 francos. Cusa
    caro morrer era Paris.
    No Commerao do Porto l-se o seguinte :
    Uma das questoes mais importantes aestudar
    na exploragao dos caminhos de ferro a vclocida-
    de com que correm os comboios. Os reglamen-
    os administrativos flxam limites mximo e raioi-
    mo, mas a verilicago em extremo dilcil, por
    nao dizer impossivel.
    A hora da chegada a cada estago, comparada
    com a hora da partida, nao mais do que um in-
    dicio, uma probabilidade da velocidade com que
    tem marchado o trera; nao a determina com cer-
    teza.
    Com effeito, concebe-se fcilmente, que se o ma"
    ehinista teve demora em uma rampa ou em uma
    curva, pode, augmentando a velocidade era outra
    parte da linha, e principalmenie nos declives, che-
    gar a estago na hora proscripta. O agente eo.
    carregado da verili'ago oo tem nenhum meio de
    saber se a velocidade marcada no regulamen'o for
    excedida, e se o comboio nao toi exposto ao perr
    go terrivel e muito frequente de ura deseucarrila-
    menlo.
    Havia ja muito tempo que ura eogeohero, M-
    Borde, medilava este problema. Communicou a
    outro engeoheiro, seu amigo, M. de Meritens, o sea
    projecio de construir uma machina que podesse in-
    dicar, depois da corrida, a velocidade do comboyo
    em todos os pomos da linha.
    Ambos estudarara e resolvern) o problema, e
    construirn) a machioa que hoje tem o oome de
    Verift'-ador de marcha Bordi; e Meritens.
    E' tao simples esti raaihina, que possvel em
    algumas linhas deserare-la de maneira que seja
    comprehendida por todos.
    Com effeito, se, por meio de uma correia de
    iransmissao, se esiabelece communicagao entre o
    eixo de ura vago euma roldana collocada ao cea-
    tro de uma rola grande, fcilmente se poder dar
    a essa roldada a velocidade do eixo.
    A roda gyra iadependeote da roldaaa, e por
    meio de urna corabinagao de engrenagens s ter
    dado volia quando o corabiyo liver corrido toda a
    linha. Segunda roldana, egual prirneira, col-
    ocada em um poito da circumferenca da roda-
    Ser, pois, levada por a roda a todos os pontos e
    por cousguiut durante (odas as eslagOes da li-
    nda.
    Se se pe em communicagao esta segunda rol-
    dana com a prirneira, gyrar cora a velocidade
    desta, e como passa sobre todos os pontos da linha-
    nao ha mais do que fazer que ella ioscreva a sua
    velocidade era cada ponto para que o problema se-
    ja resol vido.
    Para isso ha ura regulador de torgas centrifuga
    aa seguoda parte. Q-iaodo os globos do regulador
    se alTKtam ou se aproximara, segundo a velocida-
    de augmenta ou diminue, o regulador move em
    um ou outro seatilo um lapis que nscreve era
    uma olha circular para isso preparada, e co.o re-
    gularidade mathemabea, a velocidade do comboyo
    em todos os pontos da linha.
    Chegalo ao tira da corrida, tira-se essa tolha,
    collocada na caixa do veriflcLor, o acha-sc a ex.
    posirao da velocidade de que Coi animada a loco-
    mutiva. _
    Ah est-i, portaoto, ura verificador certo e faci.
    que simplifica consideravelraente a inspecgasi, e
    que indicar sempre s companhias se o servigo
    tem sido feito regularmente, os regularaentos ob-
    servados, e se toi exposia a perigo a vida dos pas-
    sageiros.
    O Southern Righls, grande vapor mercante coa-
    federado da America, chegou a Londres no diu 26
    uVoutubro. co um valioso carregamento.
    Percorreu o eanal da Manchia, tendo toado a
    Imodeira ingleza, e assim passou pelas fnigatas fe-
    deraes Nigara e Sacramrnlo, que se achavam es-
    taaionadas porto de Dows.
    A cmara de comraerciode Rouen approvou, de-
    pois de vanas expeneacias, uma nova vegetal que
    subslitue perfeitaraente o algodo.
    E urna especie de capim da Chiaa que pelas
    suas propriedades iide tornar a dar vida s fabri-
    cas de Manchester, Leed, Suffrolk. etc.
    N'um escripto- do Sr. Haviland, de Bridgewater,
    diz o Esco/iasc-Jido em uma das sessoes da Bri-
    Luiz
    Quem est ihi 1
    Sou eu, Luizinha.
    Ah, o Sr. Jos : venha por aqu.
    Tinham a pndula em um vasto salo onde raras
    vezes entrava alguem; as altas jaaellas de persia-
    qne tinha I ido nos peridicos.
    Insistiu pos na sua idea singular, e consegniu
    fazer a experiencia, nao obstante haver j nessa
    epocha, indicios certas sobre o autor do crime.
    O phutographo >emplicin toi
    muito mais coosideravel.
    Finalmente, couvm saber que en Inglaterra a
    populago geral do reino cresce em proporgao da
    de Londres e das outras cidades, emquanto em
    enearregado da Franga, Pars, Lyon, Marselha, St. Etienne, etc.,
    oas que davam sobre o pateo ostavara fechadas, operago. povoam-se nao no mesmo tempo e as mesmas
    mas via-se o preciso para o que eu ia fazer Passei,! E' iBU,il diier {'ue ,he aPPli(,o o^s os cuida-' proporgdes que os campos, mas em prejoiio dos
    pois, pela cosinha e acerte a velha peudula, raag- dos "or saber ^ se lratava de uraa cossa mPr- campos
    pillea pega de raarraore braoco. Loba exaranava l
    o meu trabalho.
    Meu senhor, en jogo o xadrez.
    Como! Pois la jogas o xadrez sosioho?
    Nao, meu senhor, jogo-o cora Dos !
    Cora Deas! Dere-le custtr poaco qoaiio
    perdes.
    Perdoae-me, roen bom senhor, ma- .-*ta*s eo-
    ganado. Jogmos rijo, jogroos a valer, a quan-lo
    perco pago exactissimamenle. Esperaenm iasuast,
    talvez sejaes de bom agouro; estoo boj de ama
    intolicidade pasraosa... Ah! xeque tmtttt, H
    Deus quera ganhou. O arcebispo ria, e o caso era
    para isso.
    O infeliz jogador com o maior saogac fn. d
    mundo tira 30 gninus da sua algibeira, e dans o
    ao prelado e diz-lhe :
    Meu senhor, quaodo perco envia-me Dras
    sempre alguem para receber o qoe Ihe p^rtmrf. e
    assim uao hesitis era acceiur e o destribuir pelos pobres, qae sao os seas tbesoa-
    reiros. E' o preco da partida.
    O arcebispo qoiz escusar-se, mas ria-s* obrir-
    do a acceilar os 30 gninus, mormeote pela aps*-
    cago que o jogador Ihcs da va.
    Das depois tornou a passar pelo mesmo bosqa*.
    e vu ainda o seu jogador na mesrea atlitude <|ne a
    prirneira vez. Fez-lhe este apenas o va. sitoal pa-
    ra que se aproxlmasse, e disse-lhe :
    Meu senhor, teoho perdido, que um nunca
    acabar, desde a ultima vez qne os vimo. mss
    agora espero desforrar-me. Ellectivamenlex'^ie
    e mate. Foi Deus quem perdeu.
    Bem, diz o arcebispo quera te ha de pa:ar ?
    Sem duvida nenhnma, qne SSfSfj v-. ma
    senhor, joguei 300 guinus, e Deus, quando canto
    eovia-rae sempre alguem que pague, to exam-
    nente como eu o costurao fazer quando prco. Te-
    nho mesmo neste bosque e nao distante d'aqni. al-
    guns amigos que vos certiQcarao disto mesmo, se
    acaso vos nao liaes aa mioha palavra.
    Cootra este argumento nao havia repli.-a ; o ar-
    cebispo houve por bera pagar os 300 guien*, sera
    esperar que a isso fosse provocado pelos amigos do
    jogador do bosque.
    l'ma senhora, ainda nova e elegantemente re-
    tida eotrou em urna loja de papel da na Vave
    des Petits-Champs, em Paris, e pedlu delicadamea
    telicengaao don) da loja para ali esrrever uma
    caria, que Ihe era muilo urgente expedir.
    Seduzdo pelas bellas maneiras c tom ccwiez da
    senhora, o dono da loja offereceu-lhe o lugar era
    que eslava escrevendo aa sua carleira e apresea-
    tou-lho tudo quaato Ihe poderia ser preciso : de-
    pois, pordiscrigao, affastou se am pouco, afira de
    nao incemmodar a bella descooheeida.
    Quaodo esla acabou de escrever e de fechar a
    caria, levaotou-se c com urnjsorriso maito amavel
    despediu-se do obsequioso logista, que a conduziu
    at porta.
    Alguns miamos depois asseutou-e de oovo o
    dono da loja sua carleira.
    Eslava aberta a gaveta ; machinalmeote olhoa
    elle para os valores que l devjam estar, e h>oo
    sorprendido, reparando que Ihe faltavara tres notas
    do banco de 100 francos cada ama.
    A bella desconhecnla era uma famosa ladra re-
    cejando sem duvida fazer bulha, oo locara em
    urnas moedas de ouro que estavam junto da no-
    tas.
    Em Colmery (Franga). andando a brincar n -
    campo cinco criangas, tiveram a lembraoga de en-
    torcar urna della-, que foi tirada a srte.
    Armaran) a torca em um ramo de arvere, ent-
    cularam o seu Irisle designio.
    Por felicidade o ramo da arvore erj,>u lano
    qoe o enforcado pode tocar com os ps no rhm
    bnamou a si toda a sua energa c con-egmu ti-
    rar-se da posigo desesperada em que se achawa.
    As outras criangas tinham fgido.
    A polica preudeu todava os mai- velbos, para
    averiguar se houve inlengo ma nesta bnn.-ail.-ira.
    Nao se podem deixar mancas entrega
    A leitores nossos que talvez penspm qne a Hua-
    gria uma pequea oago de dous ou ir ni
    Ihes de almas que pouco receto podera m-, rar
    Austria quaodo se move mais ou menos snrla-
    mente para alcaogar a saa ind.-p.-nd-nn. rtire-
    mos que, segundn documentos ofHriacs do ul:.ao
    recenseamento, tem 10,074:i">.'i alma-
    E' claro que nao uma bagatela.
    A Hungra conla quaiorze nacionahdaoVi di7r-
    sas, sendo o elemento magyare- o mai< no-e-
    roso.
    Segundo as na?ionalidids; ha aa llungn ....
    5,314,202 magyares, 1,412,403 slovacos, I.I3U23
    romanios, 800,734 allemes, :UH.9H; ruinmios.
    372,191 israelitas, 293,648 serbio*, l'i.12S rreaus.
    70.102 dalmaias, 53,0.H wendos, 36.H42 boh-
    24,454 blgaros, 67,7i'> gregos e 3.327 irm.i
    O capito Jacqu.-rvn, conunaodaote do aavio
    .1/Cf, de Sai al Malo, navegand para II p.nha-
    enconlrou ha pouco tempo no mar, na m.-js dilo-
    rosa situago que se pode im.-gin.ir, um ssmasajat-
    ro semi-morto de tome s de fro, que VPOH *
    voutade das ondas em ura batel, em que ;a iiuham
    morrido cinco dos seus infelizes companr.
    A historia desle aconttcimentu como e--ta e-enp-
    la na relago do capito tiaAlice cm sua paitie-
    tica simplicidale, a seguate :
    Obrigado gor ventos contrarios a arribar, para
    meiler mantiinentos na trra mais jtroxima, .!iri-
    ga a muilia derrota uara Hespana
    Em uma madrugada o raarintoiro de qnarto
    annunciou um barco sem vela. Man-le demandar
    aijuelle ponto. Chegado a pejuea* disunci... re
    tich medical associahon, foi investigada com muilo -eouheci um barco quasi arruinado c um boiiurut
    Ha visitas em casa, Luizinha 1
    deixar entrar nraguem. .'
    Por c esto todos multo alegres.
    E' verdade : nao sei o que sto. Ha mudos
    annos que nao aconteca aqu tal cousa.
    Tornei a por o globo no seu lugar e sah, scis-
    mando com aquellas cousas, que me pareciam
    extraordinarias. Nao me veio idea que aquella
    gente se alegrava com a nos=a derrota.
    Dobrei a esquina da ra para ir a casa de Feral,
    esmero a hora em que se realsa a raorte as doen-
    cas agudas e as chronicas.
    Foram colligidos esclareeiraentos a respeto de
    3,000 a 6.000 casos.
    O resoltado de investgacao Ilustrado n'um
    grande diagramma.
    E o (mi pratico deste trabalho mostrar que a
    maior rnortalidade tem rugar aa hora em que os
    doentes, por via de regra, nao sao tratados pelos
    enfermeiros, oem alimentados.
    A respeito do uso Intempestivo dos estimulantes
    e dos alimentos, o Sr. Haviland entra em largas
    consideragoes tambem : e pretende provar que o
    seu emprego feito no momento em que meos se
    Reproduziu com o seu mehior apparelho um raL E um mal e n5 am ^e"1- e n5 ha econo-
    olho da infeliz Spagnola, e depois, por meio de misU inle,,iKenle que nao o saiba e nao se entris-
    as dimensoeslde uma saladeira. jdigente soccorridopor 13 16 habitantes; mas esta
    Chegado a este ponto e depols de ter cuidado |clfra "So ,liz ai,Hla ,,,do' P01"*06 M bairros rmlen- i ^Ua^ijoodoMttdo-se aos "dictaran de" ama "pernT-
    samenle tirado as provas, sabe-se o que resultoo.,los enc"nrem verdade pelos nmeros favoraveis c0Sil r0ljna
    Resullou que no olho se viram bem mareados os aue ** Com effeito, a hora de maior rnortalidade eotre
    contornos da parle inferior e da face direila de Para conhecer a situago tal qual realmente, a ama da noite e oto da manhaa, ao passo que o
    uma pessoa. E essa pessoa era um dos dous In- preciso saber-se qoe o 13 districto, por exemplo, mnimo se d entre o meio-dia e a uma hora da
    dividuos queja eslavam presos como culpados na- conta i indigente por 5 1/2 habitantes; o 14, 1 tarde.
    por 9 ; o 20, 1 por 10 ; eis os elleitos do mons- O estado da questo promette continuar, para
    queda raorte.
    O eloqoente desenho est agora as maos da au- ,fU08,) acervo da populago em uma acanhada su* conflrmago ou retiflcago de illagoes tiradas pelo
    a quem chamavam o Portabandeira, porque na
    edade de quarenta e cinco annos, sendo ferreiro e toridade judicial, e quem viu em carne e osso o Perfic'e*
    pae de familia de ha muito tempo, tinha levado a aecusado que anda est preso ou o seu retrato | Outro exemplo : ha em Paris 10,636 familias
    bandeirados voluntarios de Phalsburgo em 92 e s pholographado, dizque nao possvel um engao, que oceupam domicilios de menos de 100 francos;
    linha vollado depois dacampanha de Zarin. Tinha e que se pareeem como duas gotas de agua. imagnese o que podera ser, uos tempos que cor-
    os tres rapazes no exercito da Russa, Joao, Luiz e Esperamos que os sabios da nossa cidade se rem, uma habitago do 100 francos em Pars!
    Jorge Feral; Jorge era commandante de dragoes; oceuparo com esta importantissma experiencia. Queris saber o que recebem em soccorros os
    os outros eram offlciaes de infanlaria, A gravidade do caso e o valor d'esta descoberta 101,570 pobres da nossa cidade ? recebem 4,200,000
    Eu ia a imaginar a dr de Feral; mas o que eu serio compreheodidos por lodes, porque deste francos por auno, o que, tolla adedugo dos soc-
    imaginava nio era nada comparado com o que vi modo poder a justica, em mudos casos, valer-se corros particulares, leva o subsidio annual a 34
    quando eutre no seu quarto. Aquelle pobre velho, deste oovo e terrivel argumento, fraocos por cada 1 ou 2 francos 83 c. por mez, ou
    Sr. Haviland.
    fcxtrahimos o seguinte :
    ROtTBO INDUSTRIOSO.
    0 arcebispo de Cantorbery encontrou um certo
    dia em um bisque, que elle atravessava bastantes
    vezes, um homem assenhdo ao chao cora ura jogo
    de. xadrez, que pareca preoccupa-lo bastante, col-
    locado diante de si.
    Que fases ah, meu amigo ?
    immovel a bordo. Mandei chamar a falla \
    pasta foi levantar aquel!; noraem am braco i itei-
    xa-lo cahir outra vez, como se o estorco para er-
    gue-lo mo tivesse e-g, ladu toda a energa. Mmtt
    detar urna embareagu ao mar, e dei i.r.Vm para
    que > homem tos-e traatdo para bordo. K.-tava seei
    voz, cora o corpo inchado, a lingua mlun*. rid t e
    sen) poder articular uraa palavra. UaodVi que
    fosse tratado cora todos os cuidados, aa mioha c-
    mara.
    c Passados alguos das de as.-idoos desvelos,
    pode o oaufrago contar-n-is a sua terrivel historia.
    Fazia parte da tripdago de uro oavio aov-nra*
    que ia de Inglaterra para Nova York, carrjate
    de carvo de pedra. Abalroado por oulro aavio
    desconhecido, o barco americano toi a pique rtz
    mioutos depois do embate. De cominafo rusa
    mais ciaco borneas, tiaha procurado a salvacau aa-
    quelle mu batel, quasi desfeilo, sem vela, sem
    raaotimeotos, e com o corpo meio iiiciii J > em
    agua.
    t Havia tres dias que estava oesla borrorosa po-
    sigo sem alimento nenhum, quaodo toi milagro-
    samente salvo pelo capito do Alire. Declara que
    os seus infelizes compauheiros morreram, uos de
    tome e fro, oulros levados pelas ondas, que eo-
    briam o pobre bote a que lodos se trabara aculbido.
    c O homem salvo est hoje de perfeta saurfe em
    Saint-Mal, d'onde passara ao Havre para apresea-
    tar-se o cnsul americano. >
    PERNAMBl'CO.-----TYP. DE M. F. DE F.4 FILHO


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID E7H8647QA_FSQ0ER INGEST_TIME 2013-08-28T00:57:58Z PACKAGE AA00011611_10551
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES