Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10546


This item is only available as the following downloads:


Full Text
k
aiio n. jmm 290.
Por tres nezes adiaotados 5$O00
Por tres sacies reledos 6JJ000
Porte ao correio por tres mezes. 0750
SEGOBDA FE1KA 19 U DEZEM8R0 DE 1864.
Por atoo adiaatado.....19*01)0
Porte ao correio por oh anuo 3$0O
UCO.
Cii ARREGADOS Da 8UBSC3UPGO KOMOR1E
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Manjuesa Silva; Aracatv.o
Sr.A. deLemos Brega; Cear, o Sr. J. Jos'de
Ohveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro C; A-
nazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino FalciLo Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
ricra Martins 4 Gasparino.
tnhllbA DOS KtATSAS.
Olinda, Cabo e Encada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
seitas-feiras.
Santo Anio, Grvala, Bezerros, Bonito, Caraar,
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Gabrob,
Boa Vista, Ouncury e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, Rio Formlo, Taraandar, Una, Barrei-
ros.Agua Preta e Piraenteiras as quintas feiras.
llha de Femando todas as vezes que para aii sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao / dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE DEZEMBRO.
6 QUarto cr esc. as 5 h., 11 m. e 36 s. da m.
13 La cheia as 4 h., 52 m. e 26 s. da m.
21 Quarto ming. as 2 h., 42 jn. e 58 s. da m.
28 La nova as 7 h., 1 m. e 44 s. da m.
PRBAMAR DE HOJB.
Primeira as 8 horas e 30 minutos da manha.
Segunda as 8 horas 54 minutos da Urde.
PAlUkiA DOS VAiORKa OSOJJlOi.
Para o sul at Alagoaa a 6 e 55; p*rs o norte at
a Granja 7 o 2 do cada me:; pira Fernarvlo nos
dias 14 dos mus de jan. marr, malo, jal. set. e nov.
PARTIDA DOS OMNiBU.
Para o Rccife: do Apipucos s 6 V2, 7, 7 V, 8 e
8 '/i da m.; de Olinda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 Vi da m.; do Casanga e Varzea s 7
da m.; do Bemca s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos s 3 Vi 4 4 V* 4 Vi,
5, 81/. 5 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manha e 4 Vi da tarde: para Jaboatao s 4 da
tardo; para Cachang e Varzea s 4 Vi da tarde;
para Bemflca s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAH3 Di CAPBAL
Tribuna! docommerao: segundas quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta^ s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 bora
da tarde
DUfl DA SEMnftA.
l. Segunda. S. Daro m.; S. Syndonio m.
20. Terra. S. Domiagos di'Silo al>.: J i
21. Qua'rta. S. Tboad ap. \ S. Themistorle* m
22. Quinta. S. Mdenlo ni.: S. Flaviano a*.
2.1. Sexta. Ss. Migd.mio e Mardono ma.
24. Sabbado. S. Delphino b.;S. Tarsilla ni
25. Domingo. Nasrimento de N. S. J. Ortelo.
ASSIGNA-S1
no Recite, em a Irvraria di praca
ca ns. 6 e 8, dos proprietarios
d Faria & Filho.
Rogamos aosnossos assignantes de
fura que quizerem reformar as soas
assignaturas, para o auno prximo,
bajan de dar as suas ordens para que,
antes do li.n do correle, eslejam as
juesmas reformadas, para, nao haver
interrupniu na remessa.
igualmente rogamos puelles, que
se aiham devendo o auno presente,
manilcm pagar seus dbitos, para evi-
tar que I lies seja suspensa a remessa.
ARTE 8FFIG1AL
G0VER30 DA PROVINCIA.
Expediente do dia l.'i de dezembro de 1861
uflieio ao conselheiro presidente do supre-
mo tribunal de justica. -Transmiti V. Exc.
a resposta que nesta data deu o jniz de direito
Jos Felippe de Souza Lefio, portara sobre recla-
mado de antguidade do juiz de direilo Jos Jero-
ino Mximo de Olivsira e Castro, que acoinpanhou
o offico de V. Exc. de 21.de outnliro ultimo.
Dito ao Exm. presidente do tribunal do rommer-
cio.Queira V. Exc. informar sobre o incluso re-
querimento documentado, em que Jovino Epipha-
nio da Cunha, pede ao governo imperial a serven-
ta vitalicia do offlco de esrrivo de appellacSes e
aggravos e protestos de letras desse tribunal.'
Dito ao commandanlo das armas.Remetto in-
clusa a informaco que minislrou hontemo director j
do arsenal deguerraacerradnsobjeetosque,noexa-1
me procedido no hospital militar foram considerados |
em estado de nao poderem ser recebidos, aflm de i
que V. S. se digne de dar-mc o seu pareeer a se-
mediante respeito, devolvendo a citada informa-
co, e os papis que ella vao annexos.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de mandar reo-
Iher urna prisao o pardo Rufino, que se acha
com praca no segundo bataiho de infamara, o
reclamado como eecravo do commendador Anto-
nio de Souza Lco, at que se prove o direito que
tem este sobre aquelle individuo.
Dito ao mesmo. Srvase V. S. de informar
acerca do que pede Manoel Pereira da Silva no
inrlu.M) requerimento.
Dito ao mesmo.Queira V. S. de informar so-
bre a materia do incluso requerimento de Maria
Rosa do Nascimento.
Dito ao mesmo.Queira V. S. informar sobre
o que pede Mara Francisca no incluso requeri-
mento.
Dito ao mesmo.Queira V. S. informar acerca
do que pede no incluso requerimonto Miguel Luiz
da Puritlcacao, ex-praca da companhia de art-
fices.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar com
urgencia, spbre o que pede no incluso requermen-!
to, o soldado do segundo batalnao de infamara,
Darniao Rodrigues Lopes.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de providen-1
ciar, para que ao quartel da guarda do palacio
sejam fornecidos os utensilios necessarios ao ser-
viro, e que, segundo me consta, nao tem ; cum-
prindo-me arcrescentar que a requisicao de taes
uteneilios nao tem sido feita pelos coinmandantes
da guarda, por serem estes olTiciaes da guarda na-
cional, e por isso lalvez ponea pralica no modo de
proceder a semelhante respeito.
Dito ao mesmo. -Queira V. S. ordenar ao eom-
mandnle de cavallara que, das pistolas a cargo
deila. fa;a roeolher ao arsenal de giHrraoilo, attm
de serei fornecidas ao subdelegado da fre.suezia
da Boa Vista, visto que de semelhante providencia
nao pode resultar Inconveniente al!um. como
ponderen o director daquella reparticio em oflicio
desta data, por ter brevemente de ser substituidas
por pistollas a Mini de 14m 8m, as de que usa
aquellas companhiasCommuocou-se ao director
du arsenal de guerra.
Dito ao inspector da thesonrara de fazenda. -
Mande V. S, com urgencia ajnstar contas, at o
flm do mez correntc, ao capillo do 13. balalhao
de infantaria Christovao Jos d'Andrade que segne
amanliaa para a corte, bein corno passar-lhe guia
de sorcorriment.Fez-se o necessario expediente
a este respeito.
Dito ao mesmo.De conformidade com o aviso
da reparticao da guerra de 3 d" corrente, mande
V. 3. reduzir a metade, do 1. d'estfl mez emdian-
te. a consignacao de lOjOOOrs., que deixon de seu
sold nesta provincia, o alfares do 2." batalhao de
infantaria Florentino Jos Pereira, remetiendo V.
S. reparticao de contabilidade d'aquelle minis-
terioa guia de redneciio. -Commnnicou-se apcom-
mandante das armas.
Dito ao mesmo.Tendo o hxm. Sr. ministro da
guerra permiltido romo me communicon cm aviso
de 3 do corrente, que sejam elevadas, do '." d'este
mez em diante, 6O3OOO rs., e a 21SOO0 rs., as
consignacoes mensaes de 405000 rs. e de 05000,
estabelecidas n'esta provincia, aquella pelo capitao
Joao Antonio Cardoso a esta pelo alferes Tiiiurcio
Joaqnim de Andrade, ambos do 7. batalnao de
infantaria, assim o declaro V. S. para ter a de-
vida execujao.communicou-se ao commante das
armas.
Dito ao mesmo.Participando-iiie o jniz de di-
reito da comarca de Santo Antao, em offlcio de 8
do crrante, que n'essa data entrara no guso do 15
dias de licenca, que Ihe foram concedidas por por-
tara de 28 de outubro, para tratar de sua saode,
assim o communico V. S. para seu conheci-
mento.
Dito ao mesmo.Remplto por copla, V.S. para
seu conhecimento, e devida execucao, o aviso cir-
cular da reparticao da Justina de 23 de novemhro
ultimo, determinando que sejam aceitas no juizo
dos fiitos da fazenda, como se fossem certidoes
passadas por officiaps de justica, as declaracoes
que izerem os collectoresde rendas nos mandados
executivos e precatorias, todas as vezes que se de-
rem as hypotheses de no existirem os devedorps
no lugar, estarem reduzidos a mi-eria, haverem
fallecido sem deixar herdeires nem bens e outras
consas semelhantes.leual copia fui remettda ao
juz dos feitos da fazenda.
Dito ao desembargador procurador da cora, fa-
zenda e soberana nacional.Qneira V. S. interpor
o seu parecer sobre a condece rac,5o que o com-
mandante superior da guarda nacional da comar-
ca do Bonito Francisco Bezerra de Vasconcellos
Torres, pede ao governo imperial, no incluso re-
querimento documentado.
Dito ao commandante snperior da guarda nacio-
nal do Rio Formoso. Informe V. S. se j deferio
juramento ao major commandante do esquadrao
da g.iarda nacional desse municipio, Presciano de
Barros Acrioli Libs, como se determnou em ofTi-
io de 14 de abril ultimo, e no caso de nao o ter
/cito, me declare o< motivos porque deixou de dar
cumprimento a ordens tao terminantes.
Dltoaocommandantesuperinr da guarda nacional
de Ctbrob. Fac V. S constar ao majr refor-
mad 1 da guarda nacional dessa comarca Joaquim
Leonel de Alencar. que deve pagar na reparticao
competente a importancia dos direitos, sellos e co-
nhecimentos, constantes da nota inclusa por copia,
afim de obter a sua patente de reforma. Ofuciou-
se thesourana de fazenda, para que pela repar-
ticao competente, faca arrecadar a predita impor-
tancia. Communicou-se ao Exm. director geral
da secretara de e.-tado dos negocios da justica.
Dito ao commandante ducorpo de polica.Pelo
seu offlcio desta data, fiquei inleiradode ter o sol-
dado do corpo sob seu commando, Clirispim Go-1
mes da Silva, concluido o seu engajainento e con-
trabido novo.
Dito ao vice-provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia. liaja V. S. de lembrar junta administra-
tiva da Santa Casa de Misericordia a conveniencia
de ser adiantada as obras dos concertos que se
esli fazendo na igreja de Nossa Senhora do Pa-
nizo, em ordem a que nao deixe de ter lugar o '
acto religioso que o compromisso determina seja
celebrado na Quinta-Feira Santa.
Dito ao provedor de capellas.Transmiti por
copia a Vine, para suu conhecimento, e fins con-
venientes, o aviso expedido em 30 de novembro
ultimo pelo ministerio da fazenda, acerca dos re-
quermentos sobre licencas para as corporales de
mao mora, adquerirem ou possuirem proprieda-
des nos termos do art. 1 da resolucao da assem-
Idea geral legislativa n. 1,225, de 20 de agosto ul-
timo.
Dito ao juz de direilo Miguel Goncalves Lima.
Com c;iia do olD no do presidente do Rio Gran le
do Norte datado de 5 deste m-z, transinito inelu-'
so, afim de ter execucao a portara de 29 de outu- j
bro ultimo, pela qual e Exm. conselheiro presiden-
te do supremo tribunal de justica, manda ouvir '
Vmc. no processo de reclamacao de antguidade
do juiz de direito Jeronymo Mximo de Oliveira e !
Castro. Communicou-se ao Exm. presidente do
Rio Grande do N'ort.
Dito ao juiz de dimito do Brejo. Communico j
Vmc. que, por decreto de 4 do mez lindo, houve S.
M. o Imperador, por bem, reconduzr o hacharel
Joaquim Tlieolonio Soares de Avellar no lugar de
juiz municipal e de orphaos do termo de Cimbres, j
Communicou-se a1 juiz de direito o inesoura-
ria de fazenda.
Dito ao juiz municipal de Nazareth. Respondo
ao oflicio de Vmc. datado de 10 do corrente, de-
clarando-lhe que hontem mande! registrar e cum-
prir a sua carta d> recondnecao, no lugar de juiz
municipal e de orphaos desse termo.
uto ao baeharel Joaquim Theotonio Soares de
Avellar.Consta de partieipaclo da directora ge-
ral da secretara de estado dos negocios da justica,
de 10 do mez lindo, que por decreto de 4 do mes-
mo mez, houve S. M. o imperado- por bem recon-
duzr Vmc. no lugar de juiz municipal e de or-
phaos do termo de Cintres : o que Ihe communico
para seu conhecimento, e afim de que entre logo
em exercicio, depeis de preslado o devido jura-
mento.
Dito ao partidor e contador do termo do Bonito,
Eduardo Daniel Cavalcanti Vellez de Guvara.
De conformidade com o dispostono aviso da repar-
ticao da justic-a de o do corrente, Oca marcado o I
prazo de 2mezes para denlrod"elle,satisfazer Vmc. 1
as despezas nao s da dispensa do lapso de tempo,
como da sua carta de partidor e contador do termo'
do Bonito. O que Ihe declaro para seu conhecimen-
lo.Communicou-se ao juiz de direito da comarca :
do Bonito.
Dito ao thesoureiro das loteras. Informe Vmc,;
com urgencia, quando corre a lotera concedida ao
hospital Pedro II, para acanalisacao de agua po-
tavel.
Dito aos agentes da companhia Itrasileira do pa-
quete vapor.Pode Vmcs. fazer seguir para os
portes do sul o vapor Oijnpock, a manliaa a hora
indicada em seu olfirio de boje.
Dito aos meamos.Em addltamento a minha por-
tara de honiem, expedida em favor da ex-praca do
exereito, Vinsslmo Antonio, mande Vmc. dar
transporte, at o Para, a urna menor de doze an-
uos de idade, rilha do mesmo ex-praca, no vapor
que hoje seguo para o norte.
Portara.OsjSrs. agentes da Companhia Itrasi-
leira de Paqu-te facam transportar para o Mara-
nhao no vapor Paran, por conta do ministerio da
marinha, o pratico da divisao do 3o distrieto naval
Ani mi Travassos da Rosa, que velo a esta pro-
vincia no brigne escuna Tonelezo.Communicou-
se ao commandante do predito brigue.
Dita.Us Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquete, facam transportar para a provincia do
Para, no vapor Oynpock, por conta do ministerio
da marinha, o patriCO da divizao do 3o districto
naval Joio Antonio da Slveira, que veto a e-ta
provincia na qualidade de pratico do vapor de
guerra Igualimy.
Dita.Os rs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquete, facam transportar para a corte, por
conta do ministerio da guerra, no vapor Oi/apock,
nao s a laa esquerda do 7U batal'iao de infantaria
a respectiva bagagem, e as familias dos olliriaes e
pracas mencionadas na relacao por copia junta,
mas tambem, os olliriaes e pr'acas do 2 batalhao
da m'sma arma,que firarn rcmettdas para bordo
do mesmo vapor relacionadas pelo coronel com-
mndante das armas. Cotnmunicou-se ao predito
cominandanlc.
Dita.0< Sr. agentes da Companhia Brasileira
de paquetes, mandem dar transporte al a Bahia,
no vapor Oyapock em lugar de r destinado a pas-
sageiro de estado, ao Dr. Victoriano Antonio de
Sousa.Igual a Thobias de Souza Lima.
Dita.Os Sis. agentes da companhia Brasileira
de paquetes, mandem dar transporte at a corte no
vapor Oynpock, em lugar de proa deificados a
passageiros de estado, a Joaquim Maria da Concei-
Cao e Josepha Maria do Espirito Santo, que consta
serem desvalidos.
Espediente do secretario dogoyerno do dia lo de
dezembro de 1861.
Offici ao inspector da Ihesouraria de fazenda.
S. Exc. o transmltir a V.S. a inclusa ordem dothesouro na-
cional, sob n. 183.
Despachos do dia 1 i de dezembro de 1861.
lienuerimentos.
Antonia Maria de Jess. -Informe o Sr. Dr. che-
fe de polica.
Antonio luvino da Fonseca.Indeferido avista
da Informaco
Padre Antonio Generoso Bandeira. -Deferido em
conformidade da informaco.
Feliciana Barbosa Xavier de Moraes.Os filhos
da supplicante tem idade snperior a que marca o
regulamento do collegio dos orphos para admis-
so destes; o portanto nao lem lugar o que requer
a mesma supplicante
Felicidade Maria da Concolcao.Informe o Sr.
director do arsenal de guerra.
Honorata Maria da Conceco. Dse baixa cm
vista da informaco ao filho da supplicante, e a
esta seja elle rntregup.
Irmandade do Sr. SS. Sacramento da matriz da
freguezia da Boa-Vista desta cidade.Informe o Sr.
Inspector da thesouraria provincial.
Alferes lenacio Joaquim de Souza Menczes.
Jnnte se essa pelirao ao offlcio da cmara de Po-
d'Alho, qne veio acompanhando as actas das elei-
c5es qne verain lagar no dia 7 de selembro ulti-
mo
Ignez Luzia do Espirito Santo.Nada ha que
deferir avista da informaco.
Joaquina Maria do Espirito Santo.Informe o
Sr. inspector do arsenal de marinha.
Jos dos Sanios Fernandes de Oliveira.Remet-
tido a thesouraria para ser pelo Sr. inspector da
mesma informada esta pretenclo cora a posslvel
brevidade, conforpje a determinacao constante do
Francellno de Souza Vieira e Maria da Gloria de
Jess.
Joao da Costa Barros e Anna Quiteria da Silva.
Jos Correia e Frmina Maria.
Candido Pereira da Fonseca e Francisca Maria da
Fenseca.
offlcio da presidencia de 30 de novembro prximo Manoel de Lame Ferreira e Josepha Maria da
passado e despacho de 7 do corrente.
Joao Pitia Viraes.Informe o Sr. Dr. chefe de
polica
Jos Roberto Galcndo Coelhj.Nao tem
que requer o supplicante.
Conceicao.
Targino Jos dos Santos
Conceicao.
ugar o Luiz Francisco Ramos e
ceico.
e Americana Maria da
Thereza Mara da Con-
Jos Francisco de Barros.Declare qual a jen- Francisco Jos de Oliveira e Caetana Vieira de
Cao legal que Ihe assiste, afim de marcar-lhe um
prazo razoavel para prova-la.
Proessor Luiz Cynaco da Silva.Passe portara
na forma requerida.
Manoel Ignacio de Carvalho Mendonca.Mostr j
o sifpplicante que tem mais de 35 annos de idaJe.!
Presidente e membros da sociedade Unio dos
Mestres de Archileclura Naval Informe o Sr. ca-
pitao do porto.
Vicente Ferreira Paiva Simoes.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
15
Antonio Jos Pires.Informe o Sr. major director
do arsenal de guerra.
Dr. Antonio de Vasconcellos Menczes Drum-
mond. No dia 30 de novembro prximo passado, foi
contralado com oDr.Joaquim Pires Machado Portella
aconfeceoda clasificaco das leis provinciaes, e com
o Dr. francisco de Paula Sales a do ndice arphabe-
tico das mesrnis leis, dependendo da approvacao
da assemblea provincial agratificaco pela qual foi'
contratado este servio, nao compete-me annunllar
os contratos celebrados pelo meu antecessor, e por
tanto nada lenho que deferir.
Baeharel Bartholomeu Torquatro de Souza e Sil-
va.Concedo a licenca requerida.
Candida Sabina dos Prazeres.Informe o Sr.
baro do Livramento vice-provedor da Santa Casa
da Misericordia.
Felicldade Maria da Conceicao.Como pede a
vista da informaco.
Tenenle Henrique Eduardo da Costa Gama.Nao
lem lugar a visla da inlormacao.
Padre Joaquim Mauricio Vanderley.Concedo a
licenca requerida a visla da informaco.
Joaquim Jeronymo de Serpa.Junte o suppli-
cante a informaco a que se refere em sua pellco,
que tem de subir a presenca do governo impe-
rial.
Commendador Joaquim Lucio Monteiro da Fran-
ca.Nao tem lugar a vista da informaco.
Jos Antonio dos Santos Celho.Deferido em
conformidade da informaco, devendo o supplican-
te esperar que haja crdito.
Tenente Luiz Antonio Ferraz Janior Remeiti-
do ao Sr. inspector da ihesouraria, para deferir ao
supplicante na forma requerida.
Alaria Magdalena de Carvalho.Concedo anda
A rau jo.
Antonio FeMcio da Cunha e Lourenca da Cunha.
EXTERIOR.
CORRESPOfflIEXCIAS BO DIA
RIO DE PKR\A.UKi:CO.
PORTO.
27 de novembro.
A correspondencia da capital que chega pelo
comboio da manhaa depois de aprtala, distri-
buida inmediatamente, mas a que se recebe pelo
comboio da tarde, eutregue a quem a procurar
administracao do correio, e a qne nao for procu-
rada levada pelos carleiros, na manha seguime,
ao seu destino.
A recepe. e expedicao de duas malas diari is
enlre as duas primeiras cidades do reino um
grande progresso no serrico postal, mas cumpla,
para se coltierem as mximas rantagens deste me-
Ihoramento, combinar mais opportunamente a che-
gada e partida dos correios.
A imprensa peridica porluense combate enr-
gicamente e novo horario do correio. O Commvi-
ci do Porto estrave a este respeito, no seu nu-
mero de hont'Mii, o seguinte :
Gomecou hontem a haver servico do correio
' pelos comboios mixtos; porm, segundo se v do
do annuncio da administracao do correio de>ta ci-
dade, nesia alteracao s leve em vista proporcio-
nar a Lisboa mais um beneficio quasi exclusivo.
Bem diz o povu que para os nossos governos
' Portugal Lisboa I
E sobra razo para se dizer isto.
1 Ao favor j concedido a Lisboa, com relacao
ao Porto, no servico do correio pelo trem oxpres accrescenta-se agora oulro com todo o carcter
A praca nao offereceu desde o paquete passado
alternativa sensivel no seu viver cominercial pou- odioso ele privilegio, no servio de correios pelos
co activo de ha dous mezes a esta parle. O merca- comboios mixtos !
do monetario continuou em apalhia, e as transac
Coes propriamenle ditas de commercio limitaram-
se s necessidades do consumo.
O assucar sustenta-se em boa sitnaeao. O de
Pernambuco, branco, de 2300 SlOO, o some-
nos de 2;050 2i50, e o masca vado de 1S700
L5900.
Os bancos continuam cautelosos no descont,
sendo este, para Jetras de pequeo prazo, a 7 0|0
e longo prazo a 8 Ojo
E* provavel que a reduccao da laxa que se ope-
roa no da 24 as duas pnneipaea pracas da Eu-
ropa, influa para a desoda dos descont* nos nos-
sos eslabelecimentos bancarios. O banco de Lon-
dres baixou o descont a 7 0|n e o banco de Fran-
ca a 6 0|0-
Mas pracas mais importantes as laxas tem regu-
lado entre 2 e 4 0|0- Eis os precos a que che-
garam :
Londres i) O10, Tunm 8, Paris e Berlm 7, Ams-
terdam C l|2, Bruxellas 6, Frimckfort 5 1|2, Vien-
na 5, S. Petersburgo 7, e Hamburgo 0.
Na actualidade ficam os cambios na praca do
Porto :
Sobre Londres 5i 3|4 a 90 d. d. e 00 d. v.
Sobre Paris, 3 fr., 8 d. v. 542, e 100 d. v. 534.
Sobre Hamburgo 47 1|2 3 m. d. nominal.
A representaco dos subscriptores dessidentes
do banco nacional Ultramarino, cm que pediam ao
chefe supremo do estado a dissoluco do dito ban-
co 011 a restituico do deposito feto no acto da ra
o praso de"5 dias: sendo' este despacho levado" tiflc*^1 das assignaluras, nao teve defermenio fa-
t Por estes comboios Lisboa troca malas com
Sanlarem, 1 oimbra, Aveiro e Porto, ao passo que
j nenhum destes quatro pontos as pode trocar entre
1 si I I...
Esta avidez de centralisacao ntoleravel.
A injusticia relativa gran le e a questao de
bastante importancia para se deixar correr re-
I velia.
Ptda nossa parte, quanto mais nao seja, n.io
deixaremos de protestar contra privilegios inju-ii-
Oca veis.
Nao podemos explicar de outro modo a reso-
lucao que lomaran! os Srs. ministros das obras pu-
blicas e sub-inspecior geral dos correios, porque
parando os comboios para receber e largar as ma-
las da correspondencia trocada com Lisboa, nao ve-
mos que houvesse inconveniente para largar e re-
ceber lambem a correspondencia trocada enlre os
pontos indicados.
t J se v que nao desacertamos quando disse-
mos que o servico dos correios, desde quecomecou
a exploracao dos caminhos de ferro, anda de mal
para peior, com relacao s provincias.
A nverneira tem sido grande. Na madrugada do
dia 24 desabon o muro de um quintal sobre urna
casa habitada da ra da Carvalhosa, de que resul-
tou abaler as trazeiras da ca>a e licarem debaixo
das ruinas as Sras. Maria Roza Molla e Luiza Gue-
des, e urna menina de 12 annos.
O soccorros foram prestades immedialamente.
Conseguio-se salvar a vida da menina, que apenas
conhecimento da autordade competente para delle
ficar sciente.
Manoel Poulo Peixoto.Nao tem lugar e que
requer o supplicante a vista da informaco do Sr.
commandante das armas.
Manoel Ignacio de Oliveira & Fho.Como re-
querem, sendo conservado o soldado Jezuino em
priso, at que se prove ser elle cscravo como
alegam os supplicantes.
Palmeira i Beltrao. Nao lem lugar porque nao
ha crdito.
Representaco dos commerciantes inglezes Saun-
dres Brolhors & C, Jhanston Pater C, Chris-
lovo Starr.Aguarde resposta do governo impe-
rial a cujo conhecimento levei as oceurrencias de
que trata o presente requerimento, o qual fic-.ra
na secretaria para ser deferido em tempo oppor-
luno.
EDITAL.
4.* seccao.Secretaria do governo de Pernam-
buco, em 15 de novembro de 1863 Tendo sido
rcmettdas pela commissao directora da exposicac
nacional, duas medalhas e dous diplomas de inen-
so honrosa pertencentes aquellas a A. P. S. Bar-
cellos, e a fabrica do Monteiro, c estes a A. P. S.
Barcellos e Almeida Gomes & Alves da Cunha,
expositores desta provincia ; assim o manda fazer
publico o Exm. Sr. Ice-presidente da provincia,
atirn de que comparecam na secretaria do gover-
no as partes interessadas, para Ibes sereir. enlre-
solfreu o susto, e tirar debaixo das ruinas, minio
mal ferida, mas anda com vida, a primeira das
mencionadas senhoras que. infelizmente, falleceu
no dia seguinte. A outra senhora, quando a tira-
ran), era cadver.
Faziam parle desta desditosa familia o Sr. Gual
dio Jos Ribeiro, sua esposa e um filho, os quaes
escaparam calatropue por dormirciu n'um quar-
vorvel, como se v do despacho laguinte
Nenriuma raza de interesse publico se alle-
ga, que possa justificar a dissoluco requerida do
banco nacional Ultramarino por um act 1 do poder
executivo. E nao cab. as attribuicoes do mesmo
poder mandar restituir o deposito, porque est fra
da sua competencia de determinar se lia lugar ou
nao, a que se compra o pacto social enlre os difle-110 d sala da frente,
renles interessados no banco ou seus subscriptores.! Impellido pela tempestad
Tal questao est sujeita jurisdiccao dos tribu- i
naos.
Por taes fundamentos indefiro a preteneio dos
requerenles com as suas conclusoes. Paco, etc.
Joao Cbrisostomo de Abren e Souza.
A este indefermento, e ao decreto de 12 do cor-
rente, que autorisoii o banco nacional Ultramarino
a dar comeco ssuas operaeSos, logo que as ^as
caixas tenha dado entrada o capital de 500 contos
deris, responJeram os procuradores dos subscrip-
tores dissidentes mandando citar o Sr. Francisco
de Oliveira Chamico para responder aeco judi-
cial, que os ditos subscriptores propozeram contra
aquelle cavalleiro na sua qualidade de governa-
dor do mesmo banco.
O decreto j referido aeompanhado de um rela-
lorio que fundamenta a resolucao lomada pelo go-
verno.
Depois de se historiaren! os acontecimentos que
se seguiram formacao do banco, e. qie temos da-
do conta as nossas passadas missivas, diz o rela-
torio, o seguinte
gues ditas medalhas c diplomas. -O secretario do 0 banco ou hade comecar as suasoperacoes
envernoDr Fnnrtwn rie Paula aloe dando empregoutil e applicacao productiva aos ca-
pitaes recebidos dos accionistas rxne aceilaram os
estatutos e pagaram a primeira prestacSo, ou hade
restituir as ipuantias arrecadadas para nao ter as
suas caixas um capital inerte, solacao facilima para
o dito banco, mas desastrosa para os fins da sua
creaco. lssas senam inevtavelmenle as conse-
quencias de una siluacao duvidosa ou incerla.
Qual dos arbitrios ser mais ulil causa pu-
blica? A dissoluco immediata, irremediavel de
data de no- i uma inst.tuico qne tantos beneficios pode levars
d- alm-mar, ou a dispensa lein-
governo.Dr. Francisco de Paula Sales.
CiOVERlO DOBlKiOi:a v
P12RX.1MRLCO.
SEIB8 VAO 1 \TK
Novas dispensas malrimoniaes.
Faco publico que o Exm. e Uvm. Sr. internun-
cio novamenle conredeu licenca em
vembro
i prximo passado para serem dispensados;nossas provincias d^ alm-mi
do impedimento de allinidade licita em primeiro' poraria de uma clausula da le Ka alternativa,
grao igual da lnha lateral, bem como do m- Senhor, o sentimento e a consciencia dos seus gra-
pedimento de consanguinidade em segundo grao
attingenle ao primeiro, da lnha lateral, os orado-
res constantes da relacoabaixo transcripta.
Quem, pois, tiver d procurar alguns (testes rc-
querimentos, pode dirigir-se cm Olinda secretaria
do bispado, no seminario episcopal, e no Recife
casa do Illm. Sr. conego da capella imperial Fran-
cisco Jos Tavares da Gama, jia ra da Cruz n.
, junto a matriz do Corpo Santo.
Cidade de Olindo, 15 de dezembro de 1864.
Conego Joaquim Ferreira dos Saittos,
Secretario do bispado.
Oradores que se acham ligados no impedimento de
affinidade licita em primeiro grao igual da linlia
lateral, dos quaes trata a declaracao cima.
Jos Joaquim Victoria e Francisca" Casemra de
lesos.
Jos Cosme da Silva e Francellina Maria da Con-
ceicao.
Manoel da Cosa Jnior e Eufrozina Maria de
Jess.
Joao Pereira de Brito e Antonia Perpetua de Jess.
Bartholomeu Ferreira de Mello e Athanazia Maria
da Conceicao.
Joaquim Jos de Santa Anna e Armnda Francisca
de Jess.
Avelino Jos4 Virginio e Anna Maria Julia do Espi-
rito Santo.
Oradores que estao ligados no impedimento de con-
sangumidadi' em segundo grao mixto ao primeiro
da linlia lateral.
Salvador Correia de Goes e Maria Jos do Espirito
Santo.
Manoel Domingues da Cunha e Alexandrina Maria
da Conceicao,
Joao Carneiro Pinheiro da Cunha e .nna Maria
de Jess.
Ignacio Rodrigues de Sobral c Rosa Maria de
Omena.
Romo Alves Ferreira e rsula Mara de Jesns.
Francisco Carneiro de Araujo e Anna Maria da
Conceicao.
Manoel Francisco de Brito c Mara Januaria da
Conceicao.
Raymnnpo Jos do Reg e Maria Francisca do
Espirito Santo.
Malarhias Germano da Costa e Mara Francisca da
Costa,
c procurando abrigo
no porto desta cidade". naufragon prximo da bar-
ra, na larde do da l, o patacho russo Alma. Ti-
nha sabido de Cdiz com destino a Petersburgo
com carga de sal.
Quando o patacho appareceu em frente da bar-
ra o castello da Foz fez-lhe signal para se aproxi-
mar, mas o capitao, nao podendo ganhar a barra
fundeou,ein frente da pedia conhecida pelo boom
do Cao, e du;is horas depois o navio eslava eui
grande perigo. Conhecendo-sn que a sua peda era
irremediavel, tralou-se logo de salvar a tripolacao.
Na se prestando nenhum dos martimos, que all
se achavam a tripolar o salva-vidas; por isso qne
o mar era milito, e o vento muilo forte, e o vento
muito forte, lancaram-se alguns foraetes com ca-
bos para o navio, mas sem resultado satisfactorio.
De buido lancon-se urna boia com um cabo que
veio praia, e eslabelecondo-se enio o vai-vem
salvou-se toda a tripolacao que se compunha de
nove pessoas. Ao anoutecer o casco do patacho es-
lava desfeito pelo mar.
O Sr. Shnelder, negociante allcmao e que eslava
na praia empreando esforcos para salvar a tripo-
lacao, foi ferido as rostas por um dos fogoetes
que se atlravam para estabelecer o rabo de tw-
tem.
Um ouiro naufragio succedeu hontem, 26. ao
anoilecer, ao sul da barra.
Fui o brigne sueno Di nina, que navegando de
New-Castle, carrega lo d carvo, p:ira Alexandria,
abri agua na viagem e pretenda entrar no ouro.
Salvaram-se o capitao e dous marinheiros, e
morreram o piloto e quatro tripotantes.
Em sessao do jury do 2u districto crmlaal foi
sentenciado a degredo perpetuo para frica o ru
Antonio Guedes, natural da fregu-zia de Villar de
Panizo, que era aecusad > pelo ministerio publico
de ter convidado Antonio Teixeira, soldado do re-
giment n. 18, a matar urna rapariga daquella fre-
guezia chamada Maria Quintera, e cujo crime o
dito soldado levou a efleito no ultimo dia do mez de
julho do corrento anno.
O soldado Antonio Teixeira foi tambera condem-
nado, em conselho de guerra, a degredo por loda a
vida no ultramar.
Os estados do caminho de ferro do Porto a Bra-
ga tcem continuado com actividade.
O jornal Disfruto de Aveiro, diz que no dia 7 do
corrente leve lugar n'uina sala do lyceu daquella
cidade urna reunio em que se iratou de promover
a conslrucco de um ramal do caminho de ferro
da eslaco de Aveiro ao Cojo.
Decidio-se representar ao governo para que da
empreza constructora do caminho de ferro do nor-
te obtenha, por meio de conveniente accordo, este
meihoramenlo, tendente a approximar o caminho
possvel, a lentativa das Mibscri;.e,Vs MWwti
um perigoso c miprom-Mlimento d.s rpita -s rta
operaedes desvamejwai amjnlaa, a r.r-n.ia -
sociaeo 1 .iiuu para base da sua n.nsolu n qmeji-
t>s formuladus pelacommis^o as>ociari> IUmi-
mercial de Lisboa que ha lempos eslud
sunipto, consignando tambem a opino <. ,|ne de-
ve exigir-se (|ue lados os instituidores de cstiliele-
clmeotos de eslahelei-unenios banrariii^ apre-.-n-
tein no acto da abertura das suhsrripi;.">-s as bases
sobre as quaes [,.m j,. ,,.r redi.-id -
lutos, n nao subinettam estes a sanecio do pwr-
110 sem previa disrusso delles em assemblea grral
de subscriptores.
Os quesitos a que nos referimos o os sejmates
Io Fazer-.-e uma entrada de 10 por reato *> :eu
capital antes de approvados os e-t itutos .
2o Conservarem os accionistas pnnmilivos a soa
responsabilMade, at que aalajnm realisadus tr,
por rento do seu capital.
3o Nao haver accoes ao portador em quanto ni
esteja realisada a totadade do capital do toar.
4 Que na piihliraco dos balaacetas aa|a a
ma i'ir clareza, exprim mo o mais perreplielaen
te ; a relafio enlre as obrigacoes dos bancos e >*<
valores que tem para Ibes fazrr face ; a iamortaa-
cia do numerarlo em caixa discnminarMlo as di-
versas agencias ;-e a design.n;a.<. no* valore* rf-
carteiras do [iraso dos seus vriiomentns por aMm
de um, dous, tres e in.iis amen.
No lugar de Rebello, rr.-^-i./ii de Santa Eolada
de Rio de .Moinbos. no di-lnrt. .le \ l.mna n Mi-
nho, rebentou no dia 14 urna aanajl eleetriea.
que rausou alguns olragos.
E' singular a dlracfie eaatleBOai tomada por
uma bisca elctrica que rahiu sobre om Mpa>
lento caslanheiro. A mise atr.iv.sasa. -> de lado a
lado, a ponto de tirar rumplrtamente inutilisadr>.
e sahindo depois pelo p'- do r i^iaii'i-ir 1 ..7111a
pela ierra, fazendo un sulro e >mo o J.- ur arad.
para um rasebre, cujas lelhas daslaaaa, arropado
palhas e ripas a distancia. Aln malo 1 uma ra-
della e dous caiborrinlios. Ma alnt, a di-nnru
de 5 metros, pausando por baixo de um lugar, que
desmanchou, enlrou n'um curral, onde maloo nnu
vasca.
Continuando a aua derrota, fazendo seaaare
grandes escavacoes, enlrou, em uma possilfa, nad>
matou um pnree ; a mais alguma distancia ma-
tou oulro porco de creaco. derribando paredes.
lancando por ierra alguns certieai de abelaas e
arremessando a grande distancia paos, podras e
quanto se Ihe oppunha, e depois is tal percurrido
em diversas direcijoe-, uma distancia de aada m-
nos de 60 metros, desaaaaKaaa, v.
O Ktriafo jornal da cidade de Vzco.\da a se-
guinte noMcia, digna de ser registrada ai par dos
pheuomenos mais extraordiuarios da natarexa
< No dia 3 do corrente, uma mulher o" aqu deu
luz, depois de seis mezes de iravidez, duas ase-
ninas anidas com nma s rabera, om so rosln, um
s peaeoco e um s peilo, tendo. porm aaiatro
orelhas, duas no silio compelenle e a* nutras aa
carcova; quatro bracos, dons naturalmente reto-
cados e os oulros com origera natural, mas ao>
trando taran serventa para as rusias ama
cinta e della para bano ataos p* dous corpa*
completamente perfeitos I
< Esta dupla rrranra nascea s com a vida *nf
ficienle para receber o baptismo, deitando a mi
em perigoso estado.
O mesmo jornal conta que no dia II do corren-
te, e 11 uma rasa que na penaajas de Kraoas. roa-
sellio de Tondella, lem a Exm. Sra. I, litara d
Torredeita. se snicidon, enarcando* com nma
corda, um infeliz, chamado Goncalo Pires ltin.fi
ra, qne parece fra arrasada a esta lerrivel alier-
raco de entendimeato por uma taita luporna-
dria.
Segundo o perjudico o Citnimhnrwe. pr.'winzn
0 districto de Colmara, no ann > de |Hi',:t. i>.: tM
kilogramous de l braan e s:j 71 de dita t>r.-u
Calculando o prrro da branca (termo medio por
que se vendeu) a 370, e r. da pr.-ta a IHt termx o
valor da branca l'.MiS'JS'JJO. e o d 1 preta......
32:4011980 ris.-Total 5S:0H '.Hu r
A prediwcao das otes, no dito dnnrto. ralm-
la-se em 97molos, e a da easlanlu em l:tfW a
as nozes furam vendidas. 1 rmo med. a 2*-3*>
ris o moio, e o das castanhas a iVsVt) ris.
Total I7:6(|600 reto.
Abrram termo de carga:em 12 a barra
Laura, para Pernambuco ; em ."> a barra Pii-
qurte du Uio (irnnite, para o Ido (iranoV ; em
18 o brigue Esperanza, para IVrnaml w em
25 a galera Amizade. para o Rio de Janeiro.
Com relacao aos jiortos do Brazil nao ealrou
emb irrarao aleum 1
Sahm m li a :aler,i Si.i.|.|e e a barra Fui
iwsi, para o l'.io de Janeiro.
-^T.t- -J'.' -9f .
PEJWaBIRUCO.
ves deveres dicta ao governo a resposta.
Se se tratasse de uma empreza de mero inte-
resse particular, ou que hoovesse ja sido protegida
sem proporcional resultado, cumprira nao hesitar
em fazer cumprir integral e inexoravelmente a le.
Tralando-se, porm, de uma instituico de innega-
I vel utilidade publica, contrariada porliosamenle
nos seus primeiros passos, entende o governo que
o paiz seria o prjudicado. e a sua missao nao
coperar cegamente no qne seja infesto aos grandes
1 e legtimos Interesses da nacSo o do estado.
A lei que cultiva a formacao do banco, fixa em
800 contos de ris o fundo arrecadado, necessario
para que o mesmo banco fossa comecar as suas
operacoes, c o governo rednzio agora esso fundo a
500 contos de ris com a conJirao de ser retirada
a approvseao dos estatutos, se de dentro de um
anno a contar do dia 12 do corrente, o banco nao
tiver em caixa o capital exigido por aquella lei.
Est oIBcialraente annunciada para o dia 21 de de ferro da via de Aveiro.
agosto do prximo futuro anno a abertura da ex- Foi aberto um crdito extraordinario de 15 con-
posicao internacional portugueza, que, como sa- tos de ris para a continuarn da obra do hospital
bido, promovida pela Sociedade do Palacio de militar de D. Pedro V, nesta cidade. por serero-
Crystal Porluense, e foi approvadapelo governoem nhecer que a importancia de 27:6005 que priiniti-
portaria de 17 de outubro ultimo. A exposicao, se-' vamente tinha sido appticada aquella obra nao era
girado o referido annuncio, dever durar at aos' sufflciente para concluida,
lins de dezembro. prazo que, no nosso entender, I A associagao rommeraial de Aveiro deu em 13
tem de ser alterado, porque o mez de dezembro, do corrente a consulla que o governo Ihe havia pe-
diga-se o que sedisser a lavor da amenidade do dido a respeitj da consiitucao de suciedades de
clima, de ordinario um mez de rigorossimo ln-| crdito.
verno e por isso, alm de ontras razoes, improprio! Em anteriores missivas temos dado conta dos
para exposicoes de semelhante natureza. pareceres das diversas associacoes commerciaes,
O programma da exposicao est a imprimir, e o que foram consultadas pelo governo acerca da mo-
annuncio ofllcial a que nos referimos encontra-sc mentosa questaoaqui levantada sebre acnvenien-
em todos os jornaes do paiz. cia oa inconveniencia de se formarem novos esta-
Comecou a vigorar no dia 2"> um novo horario belecimentos bancarios.
dos caminhos de ferro de norte e leste. O servico' Nessa consulta diz a associacao Commercal de
nao melhorou, e eremos que, mo como esta, assim Aveiro, que, sem voltar s ideas, boje geral mente
continuar por mais algum lempo. reprovadas, de eslabelecimentos privilegiados, e
Como dissemos no jiosso precedente resnmo de sern dar s operac.s luncaras o carcter do mo
n.Uicias, prevaleceu V-ida de haver dous correios nopolio, posslvel alliar o principio da liberdade
diarios entre esla cidade e Lisboa. Para este el- com as garantas que lacs eslabelecimentos devein
feto fecha-se na administracao do correio do Porto olferecer para se toroarem dignos da conliaoca pu-
a primeira mala s 7 horas da manhaa, e a segn- blica. Considerando que o principal cuidado que
da s 4 e 15 minutos da tarde. deve haver na creaco de to las as instituicSes ban-
As malas do correio de Lisboa do entrada na carias, e a mais necessaria seguranca da craVacia
estacao postal do Porlo uma s 7 horas da manha, dellas consiste em as precalar devidanente contra
e a outra s 8 horas e 15 minutos da tarde. os abusos do crdito, baniodo, tanto quanto for
REVISTA. H,
A m fe de um governo em seus rontrab.s. *.--
obliga os particulares para rom elle.
Por ordem do governo annunriou orons.-lbo ad-
ministrativo do arsenal de guerra Bfanaaw aataaj
objectos, e de fac'.o os romprou para serem paf -
logo que fossem recolhidos; i-io s p..--
mo quartel do anno fiuanreiro d-- ixfi.l a |N*>
(mezes de abril a junbo), e foram estes iiiulos para
a presidencia de enio ocrupada pelo Sr. lr Sama
Leao, que mandn que a ihesouraria os saii-li-
zesse. Mas cuino eslivesse esgoUda a qnoia, na o
foram,e nem se quiz autori.-ar a paga por um rre
dilo extraordinario; enlr.lanlo >-siao a lindar
os seis mezes addiriooaes daqnelle anno, e anda
noesto feitos esses pagimenlo-, tendo cabido em
exercicios (indos. E, pois, se os forneredores >jos-
taram ser pagos quando muito em quinte das roa-
forme o cosame ; se nao ha na thesouraria fa'ta
de dinheiro, nem to pouco o conselho fez e>ta>
compras sem autorisaco ; claro est que essa fal-
ta revela m f da parle do governo.
Desle modo o gowrno pe o conselho em cr-
dito, augmenta os prefos do fornerimeolo*. e fax
pesar sobro a naco um augmento de de-,- e:a rom
0 arcre.-cimo dos presas das venda*, para exigir
dos ronlribunles novos imposlos para pgame**
de desfalque qae elle creoa sem pren>ao. Se
islo governo, o que ser o de.-govera t
Depois de sua prorogac*> votada por tres
dias, e na qual nao funccionou o jury por falla de
numero, encerrou-se no sabbado ultimo a sena
sessSo judiriaria do jury desla comarca do Rerife.
O. trabadlos dessa seso foram presidid<>s pelo
Sr. Dr. juiz de direilo Ja secunda vara M .n- I Jos
da Silva Neyva, eocciipou a radeira d<> min:
publico o respectivo promotor Dr. Jos Paulino da
Cmara.
No Sabbado, por obra de I hora da urde
precipitou-se de um segundo andar dt ra das La
rangeiras uma prelinha de menor idade qne ar-
cumbio U gn de,.uis em consequeneia da queda
Ignoramos qual a razo que levou aquella avi-
sera a semelhante acto de desespero.
Vai hoje a leilo por inlervenci d> acente
Pinto um rico predio da raa imperial a oade esta
montada a fabrica de sabo, assim cosao os pertea-
ces da mesma fabrica.
1 Remetlem-nos a seguinte noticia -
'
i
aj


__*T
fosarlo ie Pif3i?2!feeo Segunda ttlfn tt> : Dczctttbro de 1*34.
f Chamare a atiendo do Sr. fiscal da frognexla
de Sao Jos, para o despejo quo se eo.tuma fazer
na travesa do Monleiro, no carago comprehendi-
do cnlre os muros do quintal da casa da ra do
Caldereta) n. 94 a a mesma travossa. Huste ja
urna porcao do lixo amootoado de encontr aos
meamos muros o qual luto, abem di saude publida,
convem ser de prompto re.novido ; cumprindo que
o mesmo Sr. liscal averige quem sao os autores
do despejo para Utos inflingir as pi-nas da le cm
urJcm a evitar a repetieao desla ortica abusiva.
Vm ctsinho.
Bgpaut^ao DA POLICA.
canto. pal., ci do governo de Purnambuco, 13 del
dezembro da 1801. Asignado, A. F. Perelti. f
PUBLiSAgOES A PEDIDO,
Mediciiia.
lTm facto de bastante pezar, me faz lembrar ao
i publico algnmas considerad-oes, que julgo uteis.
A Sra. D. Francisca Augusta de Aibuquerque,
cousorte do lilho do meo eslunavel amigo Dr. Ha
--------------. -.-> u nina iv. i (iini-j '* w
Extracte das partes do da 17 m dezembro de noel Loureneo da Silveira, moca robusta, que go-
186*- zava da melhor sade, acaba de succumbir quasi
Forara rccolhidos casa de deteneao no da 16 de repente, e foi classiScada a molestia pelo hbil
que a assislio, por febre perniciosa cere-
dezembrode 1864.
KXSli ill)....... 343 presos.
11 1
Saliiram....... 4 1
Existem....... 350 t
A saber :
.Nacionaes------ 869
Estrangeiros... 24
Muflieres...... :i 1
E Escravos...... 46 1
Escravas...... C 1
lo correlo : medico
A' ordein do subdelegado do Recife, Alfredo bral.
Roofer, James Lenyjrekerak Seat, Jobo t*vciron,j Fiqnei surprendido quando recebi a carta de
Alexaodre Couwelle, inglezes, requisicao do res- convite para assistir o seu enterro, e quando cuin-
pectivo consal. | prl este dever, fui ao marido deelarar-lhe, que o
A' ordein do de Sao Jos, Jernimo Perora da acompanliava cm sua dr, e saber como linha
Silva, por suspeilo. aquella moca suecumbid ),e de que?!) isse-me quo
A" ordem do da Boa-Vista, Manoel Jo* da Silva, |Bha lido ella urna indigestao, e que tal tinha sido
como cmplice em erime de roubo, Antoeioda Sil- a iafelicidade delle e della, |ue nao liuha cnconlra-
veira Sa Barrete, por crime de rpubo e Joaquim, do um medico naquelle da, e que este fado Ihe
escravo de Miguel Alexandrina da Fonceca Galvo abalava o espirito, c fazia crer, que, se ella fosse
por fgido. | soccorrida logo, larva nao suecumbisse ; disse-lhe
O chefe da 2* seceo, eu : V. porque nao foi a um boticario pratico
J. G. de Mesguita. para he ensinar o que devia fazer, nao v que a
- Movimento da casa de detenco do da 16 de primeira cousa que o medico receitou foi um pur-
gante do oleo de ricino, e que um purgante de oleo
de ricino ou de citralo do magnesia nunca cen
correu para o mal de niuguem, visto que V. nao
tinlia alguma pessoa em casa, que Ihe ensinasse o
qnedcvia fazer.
Quantas vezes urna mi de familia, ou urna pes-
| soaqualquor, que tenha a devida pratica, salva um
doente por Scu saber e experiencia.
Eu poderia explicar amitos netos desta ordem
com pessoas de minha casa e al contigo, mas pa-
ra nao me tornar prolixo o nao faco, liinitando-me
a explicar o que julgo de mals utilidade. A prati-
ca e experiencia me lem feito convencer, de que
as febres e outros ataques que accommeltem de
repente, os medicamentos, que se devem applicar,
Alimentados a cusa dos cofres provinciaes. 138 sao aquelles que ajudam os esforcos da natureza;
Movimento da enfermara do dia 18 de dezembro e que as mudanzas das estacoes, se est vendo
de 1864. \ sempre os accommettimentos de molestias, quer na
Ti veram baixa : primavera, no vero, outono, e mesmo no invern,
Jos Antonio de Miranda, febre. e os factos de lamenlar-se todos os das se esto
Flix Jos Rodrigues, anemia. succedendo, porque no principio de urna molestia
Passageiros do hiate brasileiro Nicolao I, en- \ nao se soub atalhar devidamenle. Nao se est
Irado do Aracaty : vendo todos os das que febres, que accommeltem,
Francisco Hciiano Pereira, Francisco Estevo e que nao apreseniam logo mao signal, o deleixo,
Queiroz, Antonio Joaquim de Oliveira Costa, Fran- o despreso do lugar a que appareca a dissolncao
cisco da Costa liveira, Vicente Ilenrique da Cu-' podre do sangue, que d'alii resultar as fferes de
3)0
1 caixa papel de cor. I dita maehiil.1 de cortar
chapeos de sol, fumo u caiximbos, i barrica gom-
ma do trigo ; a F. 11. Caris.
2 caixas agua de Colonia, 1 dita camisas, 1 dita
caitas de jogar, 1 dita sabao; a Ilenrique & Aze-
vedo.
20 caixas vidro; a Jos Antonio Moreira Das.
8 caixas drogas ; a Jod da S. Faria.
1 caixa fazendas de algodao ; a A. C. Abren.
2 ditas couro de lustre, 1 dita 1 sacco de via-
gem; a Izidoro Netto & C.
m* ; a Francisco de Alhuiucrque Rodrigues.
Barca ingleza Olindu, entrada de Terra-Nova,
consignada a ordem ; manifestou o seguinte :
2.500 barricas e 2 caixas bacalho ; a ordem-
Exportaco.
Bngue portuguez i'niiio carregou para o Porto
58 barricas e 59 saceos 3138 arrobas e 20 libras
djtssucar branco, 101 barrica e 645 saceos com
3757 arrobas e 7 libras de dito mascavado,U5 saceos
com 2-49 arrobase 10 libras de algodao, 496couros
com 13392 libras, 4 cascos com 24 caadas de
VJSmSJT Z rMm mm Pa,m0i m,is ou W ("Palmos de foi
.iS.*? "?ei'10*' a ,di?as cT?a9 P*? l;n5lnV :agurdente, Si'voame"com aVronasTtfibrai
mentos, 1 dita faccas, 1 dita latra ; a Vaz & degomma,29 pranxesde vinhatico, 10 cascos com
Leal. ,-ir.n ,*a;a.~ a____t nn___.... /
2 barricas drogas; a J. C Bravo & C.
2 caixas e 2 barricas drogas, 1 caixa ouro para
dourar ; a B. F. de Souza.
3 caixas drogas ; a Medronha & Marlios.
2 caixa movis,; a N. O. Bieber & C.
5 caixas couros ; a Fedel & C.
1 caixa miudezas; a C L Braumuller.
9 caixas miudezas, 4 ditas podras de lousa, 2 di-
tas fazenda de algodao, 1 fardo e I caixa hiendas,
1 dito e 1 dita ditas de laa, 3 caixas couro de lus-
tre, 1 pacote amostras; a D. P. Wild.
8 caixas objectos de barro, 2 ditas couro de lus-
tro, 1 dita ditos de graxa ;a Linden Wdd & C.
2 caixas fazenda de algodao, 3 ditas dita de laa,
2 pacoles amostras : a J. Keller & C.
3 caixas fazenda de algodao, 1 dita boloes, 1 di-
ta pennas de ac, 2 pacoles amostras e I caixas fa- ] je a|Odao.
360 medidas "de mol 950 ponas de boi e 3500
unhas.
Brigoo hespanhol Virgem de Moni Seal, car-
regou para Barcelona 47U saceos com 2423 arro-
bas e I libra de algodao.
Polaca hespanhola Virqem del Carmen, carregou
para o Rio da Prala 1300 barricas com 9328 ar-
robas e 19 libras de assucar branco, 20 dilas com
1967 arrobas de dito mascavado.
Vapor inglez Memnoii, carregou para Liverpool
782 saceos com 4488 arrobas de algodao.
Patacho inglez Spray, carregou para Liverpool
1000 saceos com 5000 arrobas de assucar masca-
do, 967 saceos com 4689 arrobas e 7 libras de al-
godao.
Barca ingleza John Matheus, carregou para Phi-
ladelphia 150 saceos com 756 arrobas e 26 libras
zendas de linho ; a Schafheitlin & C.
2 fardos fazenda de laa, 10 caixas fazenda de
algodao, 1 dita fazendas, 1 dita roupa, 2 pacotes
amostras ; a Carneiro & Nogueira.
1 caixa miudezas, 1 dita fazenda de algodao, 1
pacote amostras; a T. A. Dammuyer.
2 caixas fazenda de algodao 4 ditas roupa, l di
Patacho hespanhol Vencedor, carregou para Bar- Cn*..........
! celona 536 saccas com 2848 arrobas e 2 libras de Carne secca...
! algodao.
Galera franceza Melle, carregou para o Havre
pelo Rio Grande do Norte 1057 saceos com 5667
' arrobas e 20 libras de algodao.
Vapor inglez Snladin, carregou para Liverpool
1855 saceos com 9805 arrobas e 15 libras de algo- Fannha de trigo.
0, ...___ do e 1000 arrobas de ossos.
para instrumentos, 33 d tas pa- Bp| G/ carrog0a para Liverpool '
S'iW? r'nS deHVd',as f5TlBl*' .O saceos com 7,500 arrobas de .assucar masca
*diLm:,LdlIareilasde,al,ar' L*2L2*?* ***M 850 ditas com 3,815 ditase 20 libras
z duas miudezas, 1 dita vidros para espelnos e 1 a|B0,iaB
dita amostras; a Prente Vianna & C
pelo vapor Parama.
Algodao........ Vendeu-so o de IVrnambuco de
240OO a 253200 por arroba,
o de Macelo, posto a bordo, a ris
26500b depois da chegado do va-
por francez," e o da Parabyba,
a275-
Assucar........O bram i vendse de 35600 a
45000 por arroba, o somenos de
35300 a 35400, o ma>eavado
purgado de 25300 a 25500, e o
bruto de 13900 a 250W).
Vendeu-^e de 683000 a 703000 a
pipa.
0s secco; salgados venderam-se'
de 145 a 150 rs. or libra.
O pilado da India vendeu-s
a 25700 por arroba, c o do Ma
ranho a 35O0O.
Vendeu-se o de Liiboa a 23400
o galo.
Vendeu-se em atacado a 163200
por barrica, e a relalho de 163
a 185000; lie-indo em deposito
2,500 barricas.
"> .---.deram-so a 15700 rs. a ar-
roba.
Vendeu-se a 65000 a barriqni-
nba.
Caf........... Vendcuse a 75000 a arroba.
Aguarde, itc.
Couros.....
Arroz.......
Azeite doce..
Baealnio___
Batatas......
jtolachinha...
(lado opposto frente), um viv. iro em hoto oiaJo
precisando apenas de um p.qu-no cur.ri". ava-
hado fin 701)5 : cujos lien* mm [K'rieorrntK* ao
Dr. Joo Pedro Maduro da PkHm l >ua mullir,
e rio praca por exeeafia que eaatn mo-
ve D. Mana Rila da Cruz Neren. K H f.lla de li-
citantes, se a erremata o feila pelo prero da
ajudicacao rom o abatimento MPBWtrM di I.L
E para que chegue ao conh>-riinf nlodr IimIo.
mamlei fazer o pro>nte .vliul qu.- imta nflital-i
nos lugares do costume, e publicado; pela uu-
prensa.
Dado e passado nesta ridade do Itenfe de Per-
nambuco, ans 18 de novembro de l*'.i.
Eu Manoel de Carvalho Paes de An Irale. e.-cri-
vao, o subscrevi.
Trhtao de Aleucaf Ar.-.npr.
"T '"5
"J-.*

dem a 5600 a libra.
la miudezas, o
burger 1 caixa cordas
1 pacota amostras; a Alves Ham-
1 caixas obras impressas, 1 dita miudezas, 1 di-
la couros, 2 ditas chapos, 2 fardos papelo, 1 pa-
cote amostras ; a Christiam Irmo.
1 barrica marinbaos, 1 caixa espoletas, 1 dita e
8 barricas ferragens, 10 caixas facSes ; a S. P.
Johuston.
1 caixa charutos; a Th Bdlefsen.
tt anas e 2U ibras de
algodle.
Bngue dinamarquez Atalanta, carregou para
New York 569 saceos com 2,845 arrobas de assu-
car mascavado e i84 dilas com 860 arrobas e 27
libras de algodao.
Escnna hannoveriana Mina, carregou para Fal-
mouth 2,100 saceos com 10,500 arrobas de assucar
mascarada
Barca ingleza Ronald, carregou para Liverpool
nba, Jesuino Fernandos de Queiroz, Manoel Rodri-
gues da Silva, Cryslaliua da Cruz, Luiz Jos Este-
ves.
Passageiros da barca ingleza Clefton, sahida
para Hampton Roads :Wilhom Ilurot, Agnes
Williams, Magge e Williams.
OuirAmo no ce.mitf.riopublico no da 16 de
PKZKMMIO DE 1864.
Carolina Engracia da Cunta Bailar, Pernambu-
co, 36 annes, casada, Afogados, parto.
Jos Mauoel dos Passos, Pernambuco, 30 annos,
solleiro, Boa-Vista, telano irammalico.
mao carcter.
Nao quero com isto dizer, que, logo'qne alguem
se sinla accommeltido de qualquer molestia, que
se sangre, use de vomitorios, purgantes violentos,
e applique-se risicatorios : nao ? o quero que se
perturbe a natureza; rxas qnc.RO aecommettimento,
qualquer que seja, se uze dos remedios, que os jul-
go inofensivos, o que reclamo: ninguem dir
que em qualquer febre nao se possa usar de nm
purgante de limonada gasoza de curado de mag-
nesia.
Eu explico o que tenho praticado ne.-ses casos,
52 barris alcatrao, 3 caixas gomma lacea, 25 im -. 7,000 arrobas de assucar masca-
barris polassa 10 ditos fo has de z.nco dita. pre- ^ J98i MCea com ,0 ^ b g |braA
gos de dito, 63 rollos cabos, 7 caixas fazenda de Je ,4^ '
'rhr,V^ baricas,e "20 f,?s,lueiras,nebra' 5i Brigue inglez Ilebe of Ihe E.ve, carregou para
garrafa, e 1 pacote amostras ; a ordem Liverpool 1,000 saceos com 5,000 arrobas de assu-
,e "' car mascavado e 703 ditas com 3,858 arrobas e
Vapor brasileiro Paran, entrado
Isabel Mana da Conceicao, Parahiba, sopteira, 30 e que me tenho dado muilo bemmando, que to-
annos, Boa risla, febre puerperal. me urna garrafa de curato de magnesia as chica;
Gestrudes lleiiriqueta de bveira, Portugal, 5 ras, ou urna das pilulas purgativas devlame, em
annos, solteira, -io Jos, hepalile chronica. cima desta, um copo d'agua com assucar e o suc-
Manotl Francisco do Nascimento, Pernambuco, co de meio limao grande e maduro, ou de um sen-
23 aanos, sblleiro, Boa-Vista, anemia.
CORRESPONDENCIAS
. do pequeo, e se no espaco do dia nao lizer o ef-
feito purgativo o o desembaracamento das ourinas,
1 mando tomar segunda do mesmo modo; pulula, u
limonada, e as reos al terceira. A noite mando
1 meter os ps em agua quente na oscasio do aga-
salho, e dar nina chicara de cha de flor de sabugo
tambem quente com assucar, e se nao sentir me-
Ihorar da dor de caneca, que quasi sempre acom-
panha esses ataques, aconselho que appliquc sana-
Sn. redactores.Tenho sido constantemente as-
igHante de periodo da estrada de ferro, e isto
desde muilo, e sempre ass'gnei por >eis mezes,
isto posto, apenas comprava um ou ontro biihete pismo na barriga das pernas ; nao tenho em lem-
nos interrallos d'assignatora, nunca sollri a menor branca que com este melhodo tirasse mo resulta-
repulsa da parle dos empregados da dita estrada j do, e ninguem dir qae este tralamento possa ser
de ferro, e nem tao pooro me queixei, antes ser- nocivo em nenhnm caso.
via de medianeiro, quando ouvia e.-tigmatisar o No principio de tima febre, indigestao, ou mo-
procediinento de algnns empregados, sempre ouvi; leslia desta ordem, a natureza geralinente solicita
muitissunas ipn-ixas de muitos e dilferentes passa- evacuar por vmitos, ou por baixo; e se so ajuda
geiros, mas nunca me dei ao trabalho de anatisi-,
mesmo porque julgava alheio, e indigno de mim
semelhante procedimeoto.
Por urna desta* imprevistas circumstancias pre-
cise comprar bilheies, e effectivameate comprei
pelos meios correspondentes, contribuir muilo a
moderar a violencia da enfermidade: e por esta
razao que a experiencia me tem convencido, que
urna, ou duas pilulas purgativas de veame, e em
cima agua, assucar e limao, se pode usar sem ne-
os de ida c volta, e por fatalidade deixei de embar- nhum risco, e a noite o cha de flor de sabugo, e o
ar no dia em (pie os comprei, mas vendo que elles
circulavam por 24 e 48 horas havia do da santo
feriado, ele, nao hesiiei em embarcar com o bi- com limao, as muflieres quando esli regradas, fa
Iheto : mas, genitores redactores, qual nao foi a zendo ludo, mas s com a snspenco oestes dous
mals como explicado tenho, nao usando gmente
das limonadas de citralo de magnesia o as garapas
minha admirarlo quando vi um menino -ue vende
presentemente os bilheies, e ao mesmo lempo faz
a revista, dizer a mim e ao professor Seraflm, que
jamis embarraramos rom os bilheies, pois que
a ida s servia no dia em que se comprava o bi-
Ih-'te Fiqtiei estupefacto, mesmo admirei o cinis-
mo de semelnanta crianca, uio queiendo que por
forma alguma embarcassemos, e estando o trem
prestes a sabir, compro duas idas por 2j000, >en
do una para mim, e oulra para o dito professor
Seralim.
Nao pare ah, anda compre! mals dous bilhetes
e anles da viagem, fui ao chefe da eslacao, e e>te
em vista do regulamenlo, deridio-me que com-
prasse urna ida, o que liz, e no outro dia anula
artigos, c smente com ?,s pilulas, e agua e assuu
oar.
Se no estado de sade algumas pessoas, que tem
usado das pilulas purgativas de veame, se tem da-
do bem na dse de mei* pilula na occasiio da co-
mida, e ouiros urna, para regularisar a digeslio,
como nao se usar no estado de molestia? Nin-
guem poder negar, que aquellas naturezas, que
uo cursam, e nao tem as ourinas desembarazadas
regularmente, So bem, por que isto, nao s es-
quenla e inflama o sangue ; mas os escrementos
dolidos muito tempo no corpo se f.izem acres e po-
dres, de que se seguem mas consequencias; por
isso mui conveniente usar-se de meia ou urna
pilula purgativa de veame, anda mesmo no meio
loruei com o outro, occa>io em que veio, alm do da comida ; pois a sua coincosieo tal, que nada
ehefr, o Dr. engeuheiro liscal, o qual disse-me que tem que possa enjoar ou encoinmodar o estomago.
neiro, manifeslou o seguinte
Ro Rio de Jaueiro.
Gneros estrangeiros.
11 caixas objectos de cobre : a Marques Barros
& C. 1
20 bailas de papel ; a M. J. Ramos e Silva &
16 libras de algodao.
Unidades. Valores.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO'
AUTA DOS PREIJO DOS GNEROS SUJEITOS A D1REITO DR
EXPORTACAO-SEMANA DE 19 A 24 DO MEZ DE DE-
ZEHIIRO DE 1864.
Mercadorias.
Abanos.......
Agurdente d cana.....
dem resiilada ou do reino .
1 dem eaxaca........
dem genebra.......
[ dem alcool ou espirito de agua-
ardeute....., .
; Algodao em caroco.....
; dem em rama ou em laa. t
I Arroz com casca.....,.
; dem descascado ou pilado c
! Assucar mascavado..... .
: dem branco.........
dem refinado........
Azeite de amendoim ou mendo-
bim.........caada
cento
caada
arroba
Genros.
I caixao chapeos ; a Condal ves & Cruz.
1 caixao papel pintado ; a Jos Nogueira de
Souza.
5 fardos cordas: a ordem.
Gneros nacionaes.
3 ealxoes cigarros ; a Palmeira & Beltrao.
1 dito ditos; a J. Bernardo des Res.
1 dito chapeos; a Joaquim Alves.
1 caixa rap ; a Jos Joaquim de Lima Bairao.
1 caixao impressos a J. A. de Souza.
164 rollos fumo e 6 caixas rap; a ordem.
Da Baha.
I caixao charutos ; a Monhard C.
3 ditos ditos ; a Palmeira & Beltrao.
1 encapado ditos; a Jos Meudesde Freilas.
1 pacote ditos ; a F. C. do Amaral.
1 fardo e 2 caixas ditos, 1 caixao com um nicho Idern A( 'c-co
c charutos; a ordem. dem de mamona '.'.'.'.'.
Patacho dian arquez Johanna, entrado Oawo Ratatas alimcn,cas.....arroba
Grande do .-ul, consignado a Bailar & (J>'veira- Bolacha ordinaria, propria para
manifestou o seguinte: embarque ,
11356 arrobas de charque e 50 couros vaceuns;' W(,m |ma' |....... f
a 0J(le'u-. ,. Caf bom '.'.'.'.'.'.'.'.
Barca ingleza Avena, entrada de Troon, con^g- Idm csef)|ha QU restolh9 .
nada a ordem, manifeslou o seguinte : idem iorra(i0 t ]ra
500 toneladas de carvao de pedra; a ordem. Caibros um
Hiate nacional Dous Amigos, entrado de enedo, Ca) |......arroba
consignado a C. C. da Costa Moreira, manifestou o j^cm "j,rana.
seguinte:
12 saceos feijao, 230 ditos e 566 alqueires e
salamlns milho ; a ordem. i Carrio vegetal
Vapor brasileiro Oyajiocl; entrado dos portos do; Cavernas de sicupira
norte, manifeslou o seguinte : Cera de carnauba em'bruto!
De Maranhao. hdem idon em velas .
102canasiras albos; a Ferreira & Louroro. g.........
5 caixas relogios americatios; a E. A. Deloucne.' (;|iarn(os
20 caixas e 3 fardos fazendas diversas, 1 Una
queijos; a ordem.
Mercadoria nacional.
300 saceos milho; a ordem.
Do Para. .
300 barricas farinha de trigo; a Lima & Gui-
m a raes.
17 caixas banha; a E. A. Burlo & C.
3 caixas chapeos do Chile;
15500
800
800
400
800
900
55750
235000
13500
25600
12900
33000
55120
195000 a 203000 e a de Trieste
de 225000 a 235000; lieando
em deposilo' 1,500 barricas da
primeira 1,500 da segunda, 2,000
da terceira e 3,000 da quarta, ao
todo 8,000 barricas.
Louga..........A ingleza ordinaria vendeu-se
com 320 por cento de premio so-
bre a factura.
Manteiga.......A ingleza vendeu-se de 800 a 850
rs. a libra, e a franceza de 620
a 630 rs. a dita.
Hassas......... Venderam-se a 55500 a caixa.
I'assas.......... dem a 65000 a caixa.
Presuntos....... Venderam-se a 16:5000 por ar-
roba.
Sabao.......... O inglez vendeu-se a 14o rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 120
rs. a tina.
Toucinho....... Vendeu-se o de Lisboa a 85200
por arroba.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 1083
a 1155 a pipa.
Vinhos.........Os de Lisboa venderam-se de
1905 a 20O50OO a pipa, e de on-
Iros paizes de 1855 a 1955.
Velas..........As de con'poslcao venderam-se
a 540 rs. o parte do seis velas.
Descontos....... O rebate de lettras regulou de
10 a 12 por cento ao anno.
Fretes......... Para Liverpool carregando aqui
pelo algodao 3/i a 7 por libra
5 %; de Macei -'/ a '/ 5 % ;
pelo lastro de assucar carlean-
do aqu 15 por tonelada 50/.;
para o Canal inglez da Paraby-
ba 47-6 a 50-65 /
COMPAMlV
M&mkmm.
Havendo-sc abertu um chafanz mm* as
ditas pontes da Passagem da MajrdaU-n.i.
A do Rio-Grande do Sul vendeu- pera com inaior comnxHdade vetxier-se
sede 15000 a 45000 porJr;aglia aos lialutan'.is fl'aiiuelle liiL'ar. I th
&^.sEi?SHrpr,e,cmr^ ? "r
dea-sede 35000 a 3550o, lican- 'Iue decurro desla dalaao uliimo de ji.nho
do em deposito 25,000 arrobas, prximo futuro. Os prelenilentes ptHW.lo
a de Piiiiadeiphia e N..w-York apreseotar suas proposias em carta beta*
se de 20.9UUU por um.
Kscriptorio da Companliia do Bel>erir>e
i' dedezemoro a tH4.
(> secretario,
Jos Euslaqnia Ferreira Jarohtna.
Cousclho ;ulmiiiHlr.if ito.
0 conselhj admmi>lraiivo |iara fornimenw d
arsenal de guerra |>tecisa comprar o MfaMM
Para o ar-enal de gnerra.
5.000 lijollos de alvenana balida.
5.000 leihas.
40 alquciies df ral preU.
10 diios de dita branca.
i cusladiaho de pao carga rom 2-"i 7 palmos
de comprimenlo, e 13 a 16 jnlsgidw de largura
1 armba de gomma laca.
12 duzias de folhas de papel lixa sortidas.
500 caada; de azeile de carrapalo
Para os fortes d>> Buraco Urtim.
3 bandeiras grandes lapet......it birle.
Para a fortaleza do Brom.
3 chapeos.
5 esleirs.
3 maulas de laa.
As pe.-soas quo qoizerem vender la** artigo^,
apresenlera suas propostas ,.m carta fechada na
secretaria do consellio no dia 23 do corrale a* M>
horas da manha.
Sala das sessoes do conselho administratr
de dezembro de 1864.
Antonio Pedro de S Bmrret",
Conaei prr-idraie.
Sebastii) Jos liaiili l'yrrk,
vogal secretaria
4H!
.. Carne secca (xarque)
. Carneiros ....
Ce vados (porcos).....
(akos (seceos)......
Colla........
Conrea de boi, salgados .
dem idem seceos espichados,
dem idom verdes ....
dem idem cabra cortidos. .
..., ri dem idem de onca
N. O. Bieber &q rjoces seceos "
um
arroba
urna
libra
coito
um
cento
libra
um
de estivas
requeresse.
Cogite, senhores redactores, que pensanienlo nao
ficariatn fazendo iodos os passageiros de mim e do
professor que nenbnma culpa um, porque ijuem
Ihe deu o bi Mete fui eu : ropondo a mim mesmo,
que nos livi-ram por velhacos o trataules, que
queramos embarcar de meia cara.
Quando a nos.-a sabia e por domis liberal cons-
liiiiieao, srdenou que os cargos publiees fossem
dados, aos cidados scientilkos, e de illibada con-
duca, foi certamente com um lim, foi sun porque
anii-veio-i e antevea mui bem, quereudo um im-
bcil, ou ignorante embregado publico, tinha oci-
dailo bone>to de acarretar com as ignorancias,
malversacoes e silvajenas de (|ue capaz ura ho-
mem sem conheeimeiiios, e por conseguate des-
pido de uoiidoiior e incapaz de apreciar o qnanlo
deve influir 110 animo de um hornera educado, e
dos circuinstanles, um repudio, que equivallea
dizer, que o cidado quiz Iludir a eslacao publica,
ou agadanharuma vr.gum.
Foi, pois, uestes apuros em que me achei, e tn-
tao vendo quo bojf felizmente a provincia esta re-
gida por um ridadao de conherimentos o virtudes,
na,) hesitei dirigir a elle minha queixa, quo foi sa-
lisfaclnrianwnte atlendida, tomo vero do reque-
rimento e despacho que segu :
Iilm. e Exmi. r.O padre Francisco Coelho
de Lemos e Silva vem expor V. Exc. que a com-
panhia da estrada de ferio ao vale de S. Francis-
co, est extorquindo dos passageiros um onus ex-
cessivo, e quo e>t de encontr com os seus mes-
mos ivgnlamentos.
O art. 5o do regulamenlo confeccionado pela
mesma compauhia, diz, que os bilheies tomados
pHos passageiros, para id* e volia clrcularao por
24 horas, e 48 quando seja dia sanio ou feriado,
acora na execueo quiz o chefe da eslacao das
Cinco Ponas, que o comprado biihete de ida e
volta, smenie sirva a ida no dia em que o com-
prar, e soiente sirva a volta no dia seguinte ; o
que sem duvida urna nterpretacao forjada a le-
tra dos citados artnjus, e um meio de exigir mais
dos passageiros do que elles devem pagar.
sunplieanta acredita que todas as vezes que
ama estacan publica lem de exigir do ci lado urna
certa pereao de sua fortuna, nao deve exigir mais
do que, o determinado pela lei, 011 repulamento, e
acredita amda que a companbia da estrada d>-
ferro, ten lo celebrado um contrato,com o governo,
e por esse contrato convencionado a porcao, ou
paga que o pa exigir mais do que o eslabelecldo 110 mesmo con-
trato, e que quatito de mais exigir violencia, e
cqnciisso, e por isse quo semelhante exigencia
nao di-ve continuar a fazer-se, reeorre o supplican-
te a V. Exc. para que se digne dar a providencia
que em sua sabedoria entender jusla, para n5o
continuar em semelhante abuso.
Pede a V. Ex<\ que seja servido de deflrir-
Me.- E. B. MFrancisco Coelho de Lemos e
Silva.
Becife 11 de dezembro de 1864.
O sello nacional.
Imforme o Sr engenhelro fiscal da entrada de
ferro. Mario do governo de Pernambuco, 11 de
dezembrode 1864.Assignado, A. F. Peretli.
Seja indemnisadoosuppiicanie daquantiaque
allega ter pago indevidamente : nao servindo isfti
porm de regra, urna vez que o Dr. engenheim
fiscal, para eviiar novas conlestacdes, J mandn
afflxar avisos exiilicando a rerdadeira intelligenna
do artigo do regulamenlo, a que allude e suppli-
Mesmo pela economa san ellas preferiris aoutras
pilulas purgativas que ah se vendem, porque urna
faz o mesmo effeito que ires ou quatre das nutras;
e fcilmente sao elias divididas. Nao unpede que
se lome em cuna, principalmente no calor, gara-
pas oe tamarindos, de limao, de maraeoj, e que
se uze das froctas, que a estaco do tempo nos tem
proporcionado, e dos banlios quer tejudos, quer
frios e genes.
Jos da Rocha Paranhos.
i Para os Euns. Srs. presidente e rommandanle das
armas lerem.
O tenenle Manoel Erasino de Carvalho Moura,
offlcial pertenrente ao 10" batalhSo da Baha, foi
mandado para a freguezia do u''de Ipo.uca pelo
Sr. Joao Mlveira de Souza, em agosto do anno pas-
sado, commandar um destacamento de ">0 pracas
reclamado pelas exigencias eleitoraes, de entao. Es-
se destacamento acha-se a muilo, reduzido a seis
pracas, e apear dl.tso, anda lem por commandan-
le o mesmo Sr. lente Moura!I
Que prodigiosa abundancia de oflcacs ha em
Pernambuco I Entretanto o 10 balalbo j parti
para o sul e o Sr. 'enente Moura esi em Ipojuca I
Anda sao milagres dagravidade da finada admi-
nistraeo.
1 dila dilos; a Ferreira & Matheus. j(iem ein ^^ ou massa
Encommendas: [dem em calda ....
1 caixa de follia; a Joaquim Cordoso Ayres. | Espanadorcs grandes .
1 caixole; a -. S. da Silva. : [j,.m pequeos.
1 encapado; a Theodoro Clinsliansen. Esleirs para Torro
Brigue nac nal Arrellano, entrado do Rio de navjo.......
Grande do Sul. consignado a Maia & Espirito Estopa nacional
Santo, manifestou o seguinte: ... I Farinha de de mandioca.'. '.
8,745 arrobas de charque, 20o arrobas de graxa; I)]pm dft araniIa
em bexigas, 70 barricas 455 arrobas de sebo coa- Fejaa dc qualquer qud'lidad.
do, 40 couros vaceuns e 4 caixoes camas de ferro; prechaes .......
a ordem. \ Fumo em tolha, bom .
Barca ingleza Chite, entrada de Londerliam {Idem ordnar0 0u rcsloJho .
consigna a ordem, manifeslou o seguinte : 1 idem cm ro|0 D01I1.....
C28 toneiladas de carvao ; a ordein idem ordinario ourcstolho .
Barca franceza Virgi'.e, entrada de M::rsellle Gallinhas.......
consignada a Tisset freres, manifestou o seguinte : j^ornma .
1 caixa agua de flor de laranja ; a Joo da Silva ipe<;acuania (raz). !
l'aria- n r i Lenha em achas.....
500 caixas massas; a h. A. Burle & C. j Toros.........
7 barris pedamos de alabastro ; a Cherubine | Ln|ias e estekM
OOMBSEECIO.
Alfantlega
Rendimcnto do dia 1 a 16........
Idem do dia 17................
519:6393832
40.846J293
560:4863125
Hovlutcnio da alfandega
Velumes entrados com fazendas...
1 com gneros.
Voluntes sahidos
> 1
cora
com
fazendas...
gneros...
269
902
163
1,018
-----1,181
1,171
Descarregam no dia 19 de novembro
Barca inglezaMiranda diverso* gneros.
Patacho inglezTiara mercadorias.
Barca franceza- Virgile idem.
Barca franceza Colignyidam.
Brigue sueco- Activotaimado.
Barca portoguezaS. Manoel II diversos g-
neros.
Bngue hanoveriano Stepheuson cerveja e ou
tros gneros.
Barca inglezaCornocopiaferro.
Brigue inglezSegettacarvao.
Barca ingleza-Aok Out carvao.
Barca inglezaeUa Pon/e-carvao.
Barca francezaOlivier Jean Marteanio
Barca ingleza Latinan -idem.
Barca ingleza -orothyidem.
Barca inglezaOimdab>calho.
Brigue iuglezMand ferro.
Imporfaco.
Escuna hanovenana Jacobus, entrada de Ham-
hurgo, rensignada a Emil Bid.-ulac, manifestou o
seguinte :
300 barricas cimento ; ao bario do Livramento.
3 caixas meias e fazenda de algodao e liuho, 1
pacote amostras ; a Dencker 4 Barroso.
Bandier.
3 caixas papel para cigarros ; a
Medeiros.
80,000 kilmetros do sal, urna porcao de tclbas,
urna dita de louca, 9 jarros, II caixas e 3 rotamos
pucaros, louca e brnquedos de barro, 6 fardos
crina, 500 barricas cimento, 37 caixas sabao, 50
d'tas vinbo bordeaux, 494 barris e 7 pipas vinho
branco, 50 pipas. 14 meias ditase 120barris vinho
tinto, 40 caixas enxufre refinado, 70 ditas azeite
de oliveira, 15 fardos herva-doce, 10 ditos alfaze-
ma, 20 ditos alpiste, 15 ditos cominhos, 7 caixas
agua de flor de laranja, 1 dita confeitos, 2 ditas
bolos de ameudoas, 1 dita biscoilos, 1 dita caxim-
bos, 27 ditas e 2 barricas conservas, 2 ditas azei-
tonas, 1 jarro tmaras, 2 barricas azeitonas, 7 gi-
gos garrafas vasias ; aTisse freres.
43 caixas sabao, 1 dita sabooete, 1 dita ver-
month, 2 ditas carne salgada, 2 ditas perfumara,
1 dita anisete, 11 ditas licores e fructas, l jarro
frurta era ceni-erva ; a Monteiro Lopes & C.
21 caixas sabao amarello, 1 dita sementes, 1 di-
ta* calcado, 1 dita charutos, 1 dita bolos, 1 dita
cariuchos, 1 dita carlo-s, 1 dita caximbos, 1 fardo
instrumentos de agricultura, 6 caixas fazendas e
tenidos de seda o algodao, 100 barricas cimento,
4,92o lijlos, 8,400 pedras quadradas, l caixa co-
berias para chapeos de sol ; a ordem.
Hiate nacional Amc//a,entrado de Penedo.conslg-
nado a Bernardino Jos Bodrigues Pinheiro, ma-
nifestou o seguinte :
85 alqueires de milho a granel ; a C C. da C
Moreira.
10 alqueires a granel e 132 saceos milho, 1 dito
arroz, 1 dito farinha de mandioca ; a Jos Gon^al-
ves Torres.
881 salamins de milho a granel; a ordem.
Vapor nacional Persinunga, entrado do Aracaj,
manifestou o seguinte :
1,915 meios dc sola ; a Joo Jos de Carvalho
Moraes.
12 saccas algodao e 1858 meios de sola; a Jos
de S Leito Jnior.
350 meios de sola : a Antonio da Silva Falho
Jnior.
52 saceos algodao, 427 meios de sola ; a F. &
Irmo.
3 saccas algodao ; a Jos Rodrigues Ferreira.
22 saccas dito ; a Francisco Bodrigues de Albu-
querque.
2,625 meios de sola ; a ordem.
io Aracaty.
26 saceos com 114 arrobas e 3 libras de algo-
dao ; a ordem.
Do Natal.
8 saccas com 40 arrobas de algodao em pluma ;
a Castro & Mac. do.
De Mandad.
191 saceos cem 936 arrobas de algodao em plu-
_ n Mol ou nielaco.
Sstevio da Mi10_ # \
Papagaios.
libra

um
>
cenlo
arroba
alquere
arroba
1
um
arroba
una
arroba
1
cento
1
um
caada
arroba
um
quintal
um
urna
Pao Brasil
dem de jangada.
Pedras de amolar
dem de filtrar...... t
dem dc rebolo...... >
Piassava......... molho
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilhos........ cento
Pranchoes de amarello de dous
costados........ um
dem de iouro.......
Bap.......... libra
Sabao.......... >
Sal.......... alquere
Salsa parrilha....... arroba
Sebo em rama....... >
dem em velas.......
Sola em vaqueta...... urna
Taboas de amarello..... duzia
dem diversas.......
Tapiocas......... arroba
Tatajuba......... quintal
Travs......... urna
Unhas de boi....... Cento
Vassouras de piassava. ...
Dilas de timb...... 1
Dilas de carnauba..... >
Vinagre......... caada
Alfandega
(864.
25000
15600
800
15200
35000
75OOO
75400
65000
440
360
280
500
35^00
45OOO
15000
85000
:10o
300
15500
25300
155000
450OO
600
150
240
100
350
105000
I50OO
320
500
45000
25OOO
155000
15600
23000
43000
255OO
55OOO
143000
85000
850tf0
551X10
600
23500
253000
25000
i 1,3000
85000
240
900
33000
53000
55000
800
43000
15000
120
35500
205000
105000
15000
120
400!
255000 i
550001
75000
15*00:
140,3000
875000
35000
25000
65000
200
105000
83000
65000
500
MOVIMENTO 10 PORTO.
Nanos entrados no dia 17.
Havee37 das, barca franceza Coltgay, de 284,
trasladas, capilao Nicols, eqnipagcm 14, carga
dilfi-rentes mercadorias; a Tisset Frere.
Terra-Nova2 1 dias, barca ingleza Olin'a, de 253
toneladas, capilao S. Prowse, equipagem 13, car-
ga, 2500 barricas com bacalho ; a ordem.
Navio sahido no mesmo da.
Aracaty-hiate brasileiro Nicolao I, capillo Tra-
jano Theodomcro do Moura carga, differentes g-
neros.
Nucios entrados no da 18.
Cardiff.19 das, galera ingleza Madge Wtdfire,
eqnipagcm 20, carga carvao ; a Samuel P.
Johnson.
Navios sabidos no mesmo da.
Ilampton-RoadsBarca ingleza Clefton, capito
James Gavet, carga assucar.
LisboaLugre portuguez Julio, capilao Francisco
Antonio Meirellos, carga assucar.
EDIfASS.
de Pernambuco, 17 de dezembro de
(Assignados):
O l."
.- conferente, Florencio Domingues da Silva.
O i. conferente, Carlos Augusto Lins de Souza.
Approvo. Alfandega de Pernambuco, i7 de
dezembro de 1864.A. Eulalia.
Conforme.O 3. escripiurano, Joo dos Santos
Porto.
Recebedorla de rendas Internas
geraes de Pernambnco.
Rendimento do da 1 a 16..
dem do da 17................
19:4673507
7233720
20:1913227
FRAQA DO RECIFE
1 "S DE DEZEMBRO DE ISO 1.
AS THES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio........Saccou se sobre Londres dp 27,
27'/27V2 20,000* a 27 i,
d. por 15000 ; sobre Paris a 150
rsjjor fr., e sobre Lisboa de 97
a 98 por cento de premie, mon-
tando os saques effectuaaos du-
O Ilim. Sr. inspeclor da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia, manda fazer publico que
no dia 22 do corrente, peraole a junta da fazenda
da mesma thesouraria, vai novamenle praca para
ser arrematado a quem por menos lzer, os reparos
do impedrauenlo da estrada da Victoria entre as
marcas de 8 a 12,000 bracas, avalladas em 4005.
E para constar se mandou publicar o prsenle
pelo jornal.
Secretaria da ihesouraria provincial de Pernam-
buco 7 de dezembro de 1864.O secretario,
A. F. dajAnnuneiae/io.
0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial on cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, de 22 do cerrante, manda
fazer publico que o concurso para preenchimenta
da vaga de 2o eseripturario da mesma thesouraria.
ter lugar no dia 20 de dezembro prximo vinaou-
ro, devendo os prelendenies ser cx?minados na
grammatica da lingna nacional, escripluraco por
partidas dobradas, arimethmelica e suas applica-
toos. com especialidade a redurcao de moedas, pe-
sos e medidas estraugoras, o calculo de descoci,
juros simples e cranoslos, sendo preferidos os que
liverem boa lettra esouherem linguas eslrangeiras.
Os prelendentcs devem apreseotar sois requer-
mentos no.-ta thesouraria, com documentos em que
provem que sao maiores de 20 anuos e tem bom
comiKirtamento.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 23 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. da Annunciaco.
O Dr. Trislao de Alencar Araripe offlcial da im-
perial ordem da Rosa e julz especial do com-
mereio desla cidade do Recife de Pernambuco
e seu tf rmo por S. M. I. e Constitucional o Sr.
1). Pedro II a quom Dos guarde etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle notiria liverem que no dia desenove do cor-
rente mez, se ha de arrematar por venda a quem
mais der em praca publica deste juizo depois da
audiencia respectiva, os objectos seguinles. Um
anel com bnlhanle avahado em vinle e qualro mil
ris, um dito mais pequeo avahado por oito mil
ris. urna casi lela de ouro avahada por seto mil
res, um anel sem pedra e um par de bi icos de
ouro avallado todo em dez mil ris, cojos objec-
tos sSo pertenrentes a Augusto Erald.c vai a pra-
ca por execueo de Manoel Francisco de Paula.
Em falta de hcianies ser a arremataco feita pelo
prego da adjudicado com o abatimento respectivo
da lei.
E para que chegae ao conhecimento de todos
mandei fazer o preste edital, quo ser alixado
nos lugares do ro-turne e publicados pela inipicn
sa. Dado e passado nesta cidade do Rerin de
Pernambuco aos 7 de dezembro de 1864. Eu Ma-
noel de Carvalho Paes de Andrade, escrivo o sub-
escrivi.
TristSo de Alencar Araripe,
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlenff- da im-
perial ordem da Rosa e juiz de dircito especial
do commercio desta cidade do Recife de Per-
nambuco c scu termo, por Sua Magestade Impe-
rial e Constitucional o Sr. D. Pedro II, a quem
Dos guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle nolicia livorem, que no da 19 do mez de dc-
51
No da terca-fera 20 do rnrrente, na sala m
audiencias, e linda a do Illm. Sr. Dr jiiiz munici-
pal da 1* vara, escrivo Baptista. se nao de arre-
malar os seguinles predios, penhorados por exe-
cuco que a Jos Rodrigues do \'a**n nvem es
herdeiros de D. Mirla I>'>rothea Joaquina ;
I sobraso d- dons andares na roa da Senzala
Vclha n. I2H, por 3:2005.
1 sobrado inei agoa. de Ires andares, na roa do
Trapiche n. 8, por 7:2005.
1 casa terrea na ra da Clona numero 61. por
1:6005
1 parte na casa terrea da ra de Apollo 1
por 1163374.
1 sitio no lugar do Salgadinho, deoommado cor-
tuno, por 4:0005.
3 excedentes casas terreas na povoaeio d-- Be
acribe, todas de pedra e cal, senil" una "por S*,J>
oulra por :G005. oulra por KHO assim roa
algnns solos, obras de ouro e prala.
a adan pnea e vo pelo preco da adjudica-
co conforma o esenpo em mo do perteiro do
juizo para ser examinado.
De ordem do Illm, Sr. Dr. procurador fr-cal
da thpsonraria provincial avisa-sc jo- Arrel r^s de
dcimas e de diversos uiros impostos, qne a* rr-
lacoes p'sperlivs se acham em seo poder pira
serrn ajuizada : aqaeHes, pots, que qmzerem pa-
gar com guias da mesma pn curadora. potfVr.io
solicita-la* no eseriptorte da ra do Crr[". pira
o quo se Ibes concede o praso d.' 30 dias, r nU l<
do boje. Rccifa 3 de d.-zmibro de lii. O oli-
ciador da fazenda preriorUJ,
Ji>ao Fini'ino l'nrreia di ran.
Consulado provlocial.
Pela mesa do ron-o'ado provincial |.iz pnbl.-
CO que os 30 dias e-lao amdoa para a cubr^nya
a bocea do lufre do I* maestre do anno nn;ui-
ro d I864 a I865 dos imposto* dad pre-
dios ni baos das fregui-zias desta enfade t dos
Afogados, e de 5 / sobre I v.-nd.i f km
rail pertenrentes a cornoraeja de mo BnMa, se
princpiam a contar do l de tnmmmjt \n. lieando sujeilos a mulla de ti t-dos os rnniri-
bnlntes (jue pagarcm depois de lindos os ditos a;
das.
Mesa do consulado provincial de Pernarn
26 de novembro de 1864.
Antonio Carneiro Macnada IHh>
Adininilrailor.
Pela snbdelegacia do segundo di-tricioda
freguezia de Maranguape, foi apprehendido nn da
2 da corrente um quartao com cangalha, rondnzi
do por um iihlivnlii i que declarou ser desermr e
0 ter furiado em Fra de Portas quem e jnlgar
eora direilo, compareea na subdelegara n m 1I0
i'umenlos legacs qm- provem ser sua pronrj^lad>.
Subdelegada do segundo dispelo da fregnena e
Maranguape, 6 de dezembro de f*t>4. J. .>da
Cruz Fernandes Sonta.
Peranie a cmara municipal desta cidade
oslar em praca nos dias, 19 20 e 21 do c>rrcm>,
para ser arrematada por quem menos fizer, e por
espaco de tres annos, cornados de I' de Janeiro de
I865, e i|uanlia annlial de 4U0,r, a puMiearAo dw
liahalbns da mesma cmara, edo tribunal djury
aquelles que o prelenderem arrematar, compare-
eam para esse lim no paco municipal, onde se de-
clarara onaes sao os trabalhns.
Paco da cmara municipal do [rife, em -
ordinaria de 17 de dezembro de MSI.Ai
Henriques da Silva, pr -presidente Francisco "!a
nulo da Biaviagem. -ecieiario.
No dia 19 do rornnte M meio dia. na rns
de Borlas n. 22, tem de ser arrematado o espolie
da (nada Hila BapliMa do Na.-cimento.
AVISOS M1UTIM0S.
COMPAM11A PF.R.N A MIHC A NA
m
\ iv-caro cosleira a raptor
Parabyba, Natal, Maeftn, Aracaty, bal e
Aorac,
No dia 22 do corrale jrmr
um dos vapores da rnmp^nhia pa-
ra os portos cima indicados, a* i
horas da larde. Recebera carga al
11 dia 21 : encommendas, pa.-na-
geiros edinheiro a frete al as 2 horas da larde
do dia da sahida : escriplorio no Forte do
n. 1.

frira Lisboa
O brigue portuguez l.aia II, capilao A. V. Xm-
ra vai sahircom brevidade por ter a mator parte
de sen carregamenlo prompto : qoem ao i
quizer earregar ou ir de i-a-sairem, dinja--e a
zemhro do corrente anno se ha de arrematar por seu consignatario E. R. Rabello, ra da Cadea ,
venda, a quem mais der, em praca publica de- 55. escriplorio.
pois da audiencia respectiva, os bens seguintes : !__________^_________^_^^____
a oitava parle da casa de sobrado de d us andares! P.it*i a Purtn
n. '0 sita na ra da Madre de Dos, avahada es-a t dril U X Uillft
oitava parte por 7505; um terreno em Santo segu at o dia 20 do crreme o bngue portumex
Amaro da travessa do Lima, fregu-zia da Boa-Vis- S. Monas! /, capio Carlof Ferreira S ta, 0111 108 palmos de frente, ea mesma extenso no mesmo quizer earregar ou ir do pasvafem, di-
de muro, 300 palmos de comprimento.de chao lija-S a ra do Vigerio n. II, escriptorie de M.
enchuto, alm da extenso do viveiro calculado J. llamse Silva & Genros.


""^ *V ~------- .' Sur*2

Diarlo e rtrmMh&t& Segunda fcirfl 1 *t Uexcthro mt i8M-
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
.Vivega?5o eosieira a vapor.
Macci e escalas,
No da 30 do eorrente seguir
um dos vapores da companhia pa-
ra os partos cima indicados s a
horas da tarde. Recebe carga ate
Jo dia 29. Encomraendas, passa-
geiros e dmiieiro a frete al 2 horas da tardo do
dia da sahida : escriptorio no Forte do Maltes
n. I.
g' Feira semanal
DB
Trastes, escravos, relogios, ca
alise outros mui
Quarta-tVira 21 d correnie
0 cirurgio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
mturJS Cruzes sobiado n. 36, pri-
LEILOES.
r~t\
DE
MOBILIA
A 10 do eorrente.
por ordem do Rvd. C. A. Auslein o agente Pes-
taa fara leilao da esplendida inobilia da casa de
mora lia do mesme, consistindo em mesa redonda,
dita de abas, sefs, ca'leiras usuaes, de bracas e
de balaneo de Jacaranda com molas e sem ellas,
espelhos ludo no melhor estado para adorno de
sala de visitas, mullos outros objectos para sala
de jautar, orno mesa elastiea, apparador, guarda
louca armario de gosto, cadeiras, estantes, um
ptimo piano e caixa ara msica de Jacaranda,
cadeiras de differentes qualidades e feilios, corti-
OLYMPIO
J meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
vender em loilao diversos lra>tes uovos e usados, ,
escravos de ambos os sexos, relogios de algibeira, prOmDlO a QUalfllier IlOra Da-
parede e rima do mesa, cavallos de sella e cabrio-
lis, i cabriolet de 4 rodas, correales para relo-
gios, objeetos de ouro e prata eoutros inultos ob-
ects que estarao plenles no da do leilao.
53Ra da Gadeia do Recife53
LEILAO
PREDIOS
Quarla-feira 21 do eorrente. ,
O ajenie Pecana vender nnr roma risen de aue estela bem a'reguezada para a trra .
vS^s^zsssts^^s^ c. **i~\:^%nz!L .*?
com 2 salas, 3 quartos, eoMnha fora, quiutal e ca
ra o exercicio de sua pro-
fisso, cb amado por escripta
Curioso.
O curioso que teve a audacia de tirar urna por-
ta de urna casa n'um sitio do Manguind, tenha a
bondade de torna-la a por no seu lugar, do con-
trario levar-se-ha ao coohecimento da polica.
Compra-se urna taberna com psucos fundos
I sendo em bom lugar no bairro de Santo Antonio,
quera
una uroa de casquinho fino, igualmente um carro-
americano de 4 rodas, 1 cabriole! em bom uso,
urna carroca, grade de ferro para galhinheiro e[
muitos o.uros) arligos apreciaveis c que no acto se-
raj patentes.
1IOJE.
s i I horas da manhaa na casa da residencia do
mesmoSr. Rvd. Auslin, na e>trada defrontc da
igreja da Soledade indo para a do Mangunho por
detraz do sit:o do Sr. Acrioli Idos.
Fabrica de sabo da ra Im-
perial e lodos seus perlences
SEO JE
O agente Pinto fara leilao requerimento do ad-
ministrador da massa fallida de Rostron Rooker &
C. e por mandado do lllm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio, do edificio o mais ohjeclos da fabrica
de sabio da ra Imperial, assim como levar a no-
vo leilao Os objectos pertencentes a mesma massa
exposlos em leilao do dia .'i, servindo de base os
precos obtidos n aquella oceasiao, os quaos scrito
deghuivamanle vendidos e entregues no leilao do
diasegunda-feira 19 do eorrente, na inc-oina fa-
brica.
Principiar as 10 horas._______________________
DO
cimba em muito bom estado pois est concertada
de novo a chavo ac.ha-se em raao do agente
16 meias aguas n. a 16 sitas na ra do Caraa-
ro n. 5 reudem 1605 mensaes, todas ellas de pe-
dra e cal e novas pois foram acabadas ha pouco
lempo acham-se abortas e podem ser examina-
das com antecedencia : o leilao de qualquer dos
quarla-feira 21 do eorrente pe-
na praca do Gorpo Santo
Commcrcia'l.____________^_
LEILAO"
DE
O agente Pestaa far leilao por conta de quem
pertencer de 40 caixas com massas em lotes a
vontade : terca-feira 20 do eorrente pelas 10 1(2
horas na porta do Annes defronte da alfandega.
O Dr. Caroline Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 indar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da noite
para o exercicio de sua prolisso de me-
dico ; sondo meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
I molestias do interior, prosegue, com o
i maior afflnro, no das mais diffieeis e deli-
cadas operares, como sejam dos orgos
. ourinarios, dos olhos, partos, etc.
Ricas correntes de aro para relogios :
na roa Nova n. 20 e 24.______
m
AVISOS DIVERSOS. |
t
O padre Flix Rarreto de Vasconeellos tem
aherto um curso particular de latim durante as
ferias, em sua casa na ra do Imperador n. 3o,
prlmeiro andar, somente para a classe dos seoho-
res estojantes provelos que se qnizerem prepa-
rar para fazerem seus exames em marco do anuo
vindouro. i
/>!
los 10:00$0fl0e 3:000 >0O0.
O abaixo assignado tendo marcado a ves-
pera do natal para a extraccao da ultima
parte da decima e primara da decima pri-
meira lotera (ll'J da matriz da Boa-Vis-
ta, resolveu pedido mudar para o dia an-
terior (23) afim de poder pagar tados os
premios antes desse t o essignalado dia.
Acham-se, pois, a venda os bilhetes,
meios e quartos na respectiva thesouraria
ra do respo n. 45.
Os premios de 10:000^)00 at 200000
sero pagos urna hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
3
^
-
"">!
lspollo lo finado subdito por-
toigucz lose deOliveira Ra-
mos e Silva.
Terca-feira 20 do correte-
Por ordem"do lllm. Sr. cnsul de S. M. Fide-
lissima o agente Peslana far leilao por conta de .
quem pertenec do espolio do finado subdito por- seeninte depois da distribuigaodaslistas.
tuguez Jos deOliveira Ramos e Silva, con.-istindo As encomnendas seo gil irdldas S0-
emalguma molulia e diversos objectos de porce- mentealr a noite da Vspera da extracto
ljHa e ouro, indo se achara patente na ra Jo; .
imperador n. 52, terceiro andar: terca-feira 20; Como de COStumo. ___
do eorrente pelas 12 Horas da manhaa.__________I O thesouretro,
Antonio Jos Rodrigues de Sotua.
A policia.
Os moradores da roa larga do Rozarlo
A polica pedem a sua att^ncao,
25 barris Com touciuho Fra que baja de dar provileoeias
i. r an i ..*<, N'um corlo sobrad) de prostituicao.
Terca-feira 20 do eorrente. J por d-,Tems ve7KS ,m(1< chamado a iitencao
O agente Postana vender por conta e risco de Ja lin|jcja para cprtos prosiiliulos que ex'stem na
qu'm wsrteneer 13 barris com toiicinho de -antos rua |;irga(|0 Rozano, am de fazer obstar a que
12 ditos com dito de Lisboa em lotes a vontade Bque||,s PXeculoras da eoneupisceaeia prati.iuem
dos comiiradores : tere,a-feira 20 docorrenle pelas: (ail mmodoradamente aos olhos das Ilustres fami-
3--RLA ESTREITA DO R0SARI0--3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar denles artificiaos tanto por meio de
molas como pela prcsso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
, fquern a vontade de seus donos, tem pos
M e outras preparad-oes as mais acreditadas
R para conservaio da bocea.
CASA DA fiMlk.
AOS OIOOO.OOO
nilhetes garantidos
A' roa do Crespo n. 23 e catas do costme
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli
zes bilhetes garantidos da lotera, que
de extrahir a beneficio da matriz da
os seguintes premios:
Um quario n. 1796 com a sorto de 6.
Deus quartos n. 2i8 com a sorte de 1:480*009.
L'rn quarto n. 2802 com a sorte de 5005000.
E outras umitas sones de 2005, IOO3,405 e 205
Os possuidore podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os doscontos das leis na Gasa
da Fortuna rua do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da ultima parte da de-
cima e primeira da dcima primeira lotera a be-
neficio da matriz da Boa-Vista, que se extrahir
no dia 2i do eorrente.
Presos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios......... 65000
Quartos........ 35000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes....... 115000
Meios........ 55500
Cuartos........ 25750
___________ Manoel Martins Fiuza_______
Salsa parrilia de Ayer
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e todas as molestias
provenientes dekla
todas as molestias da
pellc
" clifTvsipollas, tumores, nlceras,
sarnas,
nascidas, empiigens,
REUMATISMO
SYPlHIilS
em todas as saas formas, assim como lodo
o mal que provm do uso excessivo do
MERCURIO
JUleeraco do ligado
e em summa lodos os males que lem sua
erigem na
IMPUREZA O SANGUE
um alterante poderoso para a
RENuVAUO DO SANGUE
e para dar nova forra e vigor ao corpo j
enfraquecido pela doenga.
Vendc-se na rua Direita ns. 12 e 76 e
Hospicio n. 40.
Vende-so em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
.
AudrLoug Desapparere
lnflrrega-se de t.-da e qualquer funecao Wft-'' da loja da rua Nova n. 34 niposir5o 4>
denle a sil.*! arle, tanto nesla cidade como nos ar- \ um 5,|a0 fftf ^ ro rabaldes, fornecendo n servico necessario, i(um'. i..i. nrpln ilo til.. .1.. 'i..j *____*
bindo-se-iladireccueexecucao de qualHuer ira- manleleit, ureio e ni I.t.l derola.
balho de coinlia, bem como jantares extra >rdin.v envo vido em .n11 }nt" ie lilil JIM I
res,saraos, baile.*, lanches: a>Min como ipromp- as niciaes A. D. t.. ^ e fn>\tuA> .icreJef
tendo-us a dita lija 011 nvsmn lar nolii-M
Abjfa-se urna casa nova muito fresca com ex- d() q(,e ^^ a re.Speiln ddle*. que rm
ccllenie solo sita no Cachang defrontc do eng
nho Poeta : a tratar na rua do Crespo loja de An
drade & Reg.
j Companhia fldelidade de _
seguros martimos e ter-
Hrestres estabelecida no |
Rio de Janeiro.
fS AC.EKTES EM rSPNAMBUCO
n Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
B competentemente autorsados pela direc-
| toria da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercad0-
^ ras e predios no seu escriptorio rua da
W Cruz n .1.
iHHiWHL
Alga-se a casa terrea da rua Imperial u.
7P a tratar na taberna da rua do Rangcl n^7.
Precisa-se de orna senhora habilitada, pelo
menos, a ensinar bom primeira* letras, principios
de msica e piano, c Irabalbos de agulha, que
queira ir para a companhia de urna familia, mo-
radora n'um engenho prximo a urna das esU;5Vs
da estrada de ferro, leccionar tres criancas ; (a-
rantindo-se traUmento c paga convenientes : a
tratar na rua do Trapic.'.e n. 13.________________
IVecisa-so de urna ama para nwhihar em ca-
sa de p^uca familia : na rua de Apollo n. 30.
do se Ihe gratificar .< Ihe licara assas agn-
decidoj_____________^___________________
Roga-M
I pesoa que por etig.im lt*M di loja lia
rua Nuva n i lexpusi.\v> 1! >. 1/ um ba-
laio de fr de rosa, c nit.-11 um m*ftl*\*-
le prclo de Ri de linluidfcotado niMtJi
n'uina toalha cuu peala l ial>jriMka>,
!com as iniciaos A. D. C V, irspefial fa-
jV'ir de mandar entregar Ra m ton taja >
' referidos obj-vtos qm> n ie Ih-ii agra-
dci.'ido.
Aiujtam-so MU eaMf UtTrx* em anf. A-
maro. na estrada d- l.mz >l > It-iri'. -mdo na *-
subradada, proprias para familias t p..r **x >
frescas: qnewi preiender di i .. I: j Vrti. rn
da Mani'Ufira n. 20. '|ne arli ir; r ipwM trtc.
Aluga-se 111111 rua 111 M.itr:' *
na rua do Fogo, rom seu quintal qne ra j, t~.|ra
i da de ietrax, ronlendo varios ar*> -I- d'-frnei
quem a pretnvlor i1uija->e WpM <\iTmm, -
i lirado que Imla a fenle para a rua ll<>fta i.
priineiro andar.
nhar e
berna.
engommar : na
rua da Palma n. 41, ta-
Pcn/ctf'Sr
um annel de brilhante em a nnt* d-- > .1
le, da rua Nova a rua lu MMWtatfai W o achou,'merend re>lituir. dirija *- ra*a ;
Um rapaz brasileiro com pralica de caixciro pr(.cisa->i> alugar m ama y 1 r..imitar e
offerece-se para ser empregado em loja de f.iz.'ii- (.noomii)ar. c ipi- pufste M a c mmt ..r m* rua
das, escriptorio, 011 oulro qualquer eslabelccimen-
to, dando liador a sua conducta : quem precisar,
procure na fabrica da Iravessa do Carioran. 2,
caes do Ramos.____________
Aluga-se a casa da roa da Matriz da Roa-
Vista n. 4,calada e. pintada de novo, c com com-
modos nara familia : a tratar na mesma rua nu-
maro Si, taberna.________________________
O senhor que no dia \i do eorrente mez di
do liaMcimro n. l.
l'rerisa-se alugar um fMI** qu rja \* m
cozmheiro : qnviii tiver pira alagar. ptjr *rt-
gir-sea rua lara do Rmwrm, km i* Mwmt .
.'18, que se dir quem prerin.
Precisa-.-.- ile um caiaro para l"ia r -
dezas. que tenha tilinta praira 4t fiadnr a *
conduela : quem rstiver Berta rir' ini-Unrn tarir-
I ra dirtftir-M a rua Urpt do Ikuarl >, I ;ii Sara
mm-mm
Precisa-se alujar urna escrava para o serv-
co de una casa de familia : na mesma casa offe-.
rece-seum criado de muilo bw conducta : na rua
Yelha n. 15.___________________________._________
__ Precisase alugar um ou dous pretos para o
servico de reQnacao : na rua do Rangel n. 43.
til horas da manhaa no armazem
fronte da alfandega.
do Aunes de
- ----
lp B __ cr B n 0 so < 0 2 V
g CA 3 B O c a. ^3 -5 O 3 al 5 '/. cr n 3 > s O O cr tu 0 zr
S. i Di H T3 O- a n 5 9 H O xa 1
p 5 c o f p 7^. a 0 w CA *1 O 1
bondade de os mandar estregar, pois ha pessoas Ao amaafcrm do n 20 de aaM ra a* ror
que bem o conhecem, d 1 contrario se represnelar j rente anmxle lWii. tur lar a m <1 r-
autoridade competente para tomar couhecimcule i genbo Aldea, da frepui-zia d.> lli I '" mm
0 fc,fi0 ] qoarto de carpa do me-n. <> forra ou captiva, i T'K |wmbo. prai.de. eaMra* i 1 1 vmm
66 so-1 ", '"squerdo urna bella, f prava
Precisa-se de urna ama
preferindo-se captiva : na rua de Hortas n.
brado, paga-se generosamente.
No largo da Santa Groz n. 16, pree um menino de li a 16 annos, que fflance seu
COmporlamentO, para caixeuo de taberna.______
"^"Precisa-se d um bomem que d Rador a sua
cendocta para tomar conta do urna taberna por
balanco. e cnlrando lambem com algum fondo se
Ihe dar a metade dos lucros e prejizos que p *-
saro por caso haver : a tratar na rua das Cinco
Ponas n. 140, d-fronte da e.-lacao da vi^feTroa^
Alie" gao.
Vende-se farinha de mllho de todas as quaHda-
des, fabricada na trra, por preco commodo : na
rua das Cinco Ponas n. i4, taberna._________
LEIL40
DE
Movis, escravos, pianos, crys
toe*, cabriolis e outros ob-
ject >s.
Amanhaa as 10 l|2 da manhaa.
Armazem a rtadairfeia do ecife nn-
mero &X.
Cordciro Simes
ven lera em leilao um bonito cabriolet patente
quasi novo, 1 mihiliade amarello, I piano de ar-
mario, 1 cama franceza, 1 cofre de ferro, 1 secre-
taria de amarello, I suarda rouoa de anwelio, 1
nH
ladro de p de vidro, cadeiras de balanco,ditas de
abrir e raehar, ditas de criaocis, camas para me-
Dino, candieiros a gaz, reloitios, 1 mesa toda de
yedra, 1 santuario de Jacaranda, 1 berjo e tqaar-
tinheira,
Na mesma oceasiao vender um preto iraba-
Ihador de padaria, 1 preta lavadeira, cosiuhera, 1
mole pie de 7 anuos e outros com habilidades e
sem ellas.
; Aviso aos senhores o senhoras
Aviso aos senhores o senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Consultorio raedico-chirurgico na rua larga ao ko- Av,0 aos seurU)res e senhoras
sario n. 20. Aviso aos senhores e senhoras
O Dr. loao Ferreira da Silva regressando sua Aviso aos senhores e senhoras
casa cdotiua em o exercicio de sua prolisso, | Aviso aos senhores e senhoras
mbem na chirur-
I
i lias que Ihe licam fronteiras, actos que a nossa
civilisaco reprova. Porm a polica ha sido sur-
da aos ossos rogos; porque at hofe nao tem dado
providencias.
Aquellas prostituas prevalecendo-se de terem
certa influencia para com algumas simi-anto-
ridades, entendem, que sao ellas quem devem i
ir se queixar das pessoas honestas, e poderem le- n0 f na parte medica como lambem na chirur- Aviso aos senhores e senhoras.
pelo dilo 0II10. lem um rallo p<"
losar em que leve uma baihja, bjnm l r
lado rente, earreca l.aixo. e i.ni -liiiipcra
adodiriilo da aura n I 1 !< d >
maiuseulas rmoi a.pjj M id I I !'K \
le-se que ns ravattm a*4m irifad -. 1
rados nem vendidos, e ea mn hn >" n
son ser a raevico do me-mo engenh<> sin
ilos. e devem ser a| iirelirndid"- pattMl r-f-
-! as anloriilade> policiaps, e MMW i f ta!'nr
I ie->ii.i do povo, que sendo CBMMnW ililn ra-
; valles sejam apprehen.lidos 1 rran Mh aa
nislrador daqelle engenho aa aa aaati i--ir
do proprielario do momo engenho. aa
cidade do Recife. rua do hVwpi in '-' Oiam
I do Recife, 26 de oalubro de UM.Gartaaa Jbai
da -ilva Santiago._________________________t
A aguia branca rtwKaa tal
l'rerisa-se alosar urna ranah ira Mraa aa
forra: ni rua da Hadrr de l
O bacharcl
Fraicisc* Ausosto la Cosa
Ai>\r..\Dn
da or-
n terceira de S. Francisco, ciase wmuias aos
pobres, por alma do fallecido Antonio Jos Pache-
co e Suva. -__________
var a sua lascivia ao zenith da depravacao, e de gca.
janella eseanearadas fazerem toda a qnalidade de r .MA Weate, na porta 1
judiara a torneos e madamoesellas que p?r acaso 3de S. Francisco, dase esmolas
etlfgam a janella. Sendo a rua do Rozano urna
rua de muito ciimmerco, e onde hahitam multas
familias dislinclas, no.>c deva consentir que all
mnrassem meretrze-; visto n;lo se nortarem core
decencia e rospeito vUinhanca. Na- Europa ha
balrros propriamente destinados para estas ma-
nieres publicas.
E se ha algumas que moram as principaes __ A rmandade do Glorioso S. U-inedicto, erec-
; ras das eidades, porque nao ahiisam da autor- u nn Vriner:ive| convento de S. Francisco da cidade
Novo sortiment
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
---------------------------------7 De caxinhas e quadros
- Precisase de urna ama para todo o servico ; l)(j caixjnhas e qa^T0S
de uma casa de pouca familia; prerere-se escra- ( D(j caxnlias e quadros
va: ni rua estreita do Rosario n. II, seguuoo r)0 caixinhas e quadros
andar. ^^____________
Na rua do Crespo n. 19 se inculca urna ama
de leile forra.___________________________________
Alusa-se um sobrado em Sanio Amaro, com
dous viveiros para peixe, baixa para capim, com
algum arvoredo : a traiar na rua larga do Rosa-
rio n. yx_______________________________________;
Uma boa casa terrea para familia
est poralogar-se .'< rua ca l.'nion. ^
39 : quem pretender dirija-se rua ,^
da Aurora n. 10. Tambem aluyam- m
se as lojas n. 44, rua da Aurora ^
.... ...l.....M nnic lo f .mili *S felRJRfe, AflKifiA &&&JmW
Aluga-so a loja da rua t >I N lyi
a traiar na rua do Crespo n. I-._______________
> Precisa-se alugar urna r*er.-n 1 -
gommar, lavar e eosrr, que ja f'ft- -": 'a
um eaaere que seje forro n raattra ra rasa
1I0 Sr. Cambroneein Sanl Amar.______________
Aluga-se a ra-a da rua do I tinaaj* a
tratar na rua da Matrt berna.
Rua do Irnperador numero >!).
a
-'
m
Aos senhores pas de familia.
O padre Flix Brrelo de Vas- .
concellos, cmanla particular de la- m
M tim na ma do Imperador n. U5, 1. Wi
m andar, contina a receber alumnos M
>j, de ludas as classes. durante e de- >jf_
*J| pois das ferias. Tambem esl dis-
poste a abrir um curso de primei-
ras leu ras e de francez, logo que
haja numero sufficiente de alumnos
para cada uma deslas materias, e
assim tambem a receber como in
LK.LAO
DA
Casa terrea da rua do Pilar n. 3.
Mt'tins levar novamente a leilao a casa ter-
rea da rua do Pilar n. 3, poruente a massa fal-
lida de Amorm. Fragoso, Santo; & C.
Terca-feTa O do eorrente.
A porta da Asseclaeio Commereial s 11 horas
.-Jo dia cima.
dade policial, e sabem raprichar de maneira a nao
terem inveja de qualquer matrona, no que diz res-
peito aoseu procedimeuto exterior, eno decoro
sua vizinhanca.
A'vista pois, do que cima (lea exposto, pedimos
ao lllm. Sr. Dr. chele de polica, que pela sua si-
sudeza e distineco se dijmo providenciar o que
respeitosamente Ihe soluciiamos.
Os amijas do recato-______
Jos Amonio Gomes Juoior vai mandar para
o preloum novo systema de escripturago mercan-
til por partidas dobradas, demonstrando cada con-
ta o debito e crdito em conta corrate, e conta
de. tempa ; (letras ou oulros ttulos com venci-
| ment flxo, a pagar oa receber) a caixa demons-
tra o dinhoiro em ser, e as letras que o eommer-
ciante tem a pagar ou receber, por dnheiro toma-
do ou dado a juro, empre-timo ou compra de ttu-
los, e Analmente o balanco geral demonstra o saldo
por iqudi'.r e porque ttulos, qur a dehito qur
LElbiO
"Quarta-eira 21 do eorrente s li
33Armaiera Ai rua da Cadeia do
horas.
RecifeS3
OLYMPIO
vender em leilao I iieqo-uo preio iuh-immIcu pa-
ra pe juenas impresse s com diversas fontes de
typos e miis perlences necessariis ao nabalho.
deOlinda, fazsciente ao respeitavel publico, que
a festa do seu pidroeiro tica transferida para o (lia
6 de Janeiro do vindouro anno.-O escrivao, Luiz
Gonzalo Riheiro Rarroso.
Francisco Maciel de Souza na quahdade
de amigo e teslamenteiro do finado Antonio
Jos Pacheco e Silva, agradece a todas as
pessoas que se dignaran ac.ompaohar o cor-
po do dito tinado ao remiterio, e rog.i-lhes
que sedignem de assistir a missa do stimo
dia, que se ha de celebrar na ordem terceira
de S. Francisco, terca-feira 20 do eorrente,
* 7 horas da manhaa.
lVecisi-se aluglr un sobrad. de um
an lar e sota > que tenha commoJos para
familia, m bairro de Santo Antonio : a tra-


Prjrisa-.-c arraajar am baa Ji>at^.
Mi algililia ca-a ol eiu Bh | *
ia> liras a mei.iaos, ou para almarara, :> qm
.11 de
lr--1 i -t, m-
..i aerse -ua re-
cred'ito, e de'cada coata-pr'si, e em totaidade, [ar nn travessa do Yigario n. I, escriptorio,
e qual o saldo fela a subtraeco. nrime.iro andar.
uma taboa eom nmeros I ------------------------
Conlm mais esta obra
ixos, pelos quaes conheeido o preco de uma arro-:
ba (seja elle qual for) de qualquer genero, por
uma simples multiplicacao se conhece o importe
de qualquer numero de arroba, libra e on^as.
Subscreve-se a 2 por volume, brochura, pgos
aa oceasiao da entrega, na loja de livros dos Srs.
Guimaraes & Oliveira, rua do Imperador, o em
casa do autor (das 4 as 6 horas da tarde) rua do
II -i!ll i n. 3.
"Zl precisa-se de uma ama para a cosinha
de uma casa, prefere-:e eicrava : nj ru;.
90
Augusta n.
LEILAO
DK
USI^
OJDI mUlWJCA\0
A reunia*} fimilinr do eorrente' mez ler4
Os'senho'res qne antes subserevercm quizerem lugar na noite 'lo dia 22.__________________
examinar dita Ubea, caixa bataneo allm de co- oiT-rece-se um homem de 0 a 40 annos para
nhecerem a utilidad*, da referida ubra. dirnam-se feUor de a| en-,,nho fra da Cidade, cuja tem
a casa do autor em qualquer dia.'das 4 as b oras gran le pratica j- ylantao de. cannas e seu culn-
da tarde. vo quem de seu prestino precisar, dirja-se a
: rua de S. R >m Jess das Crioulas n. 23 para tratar
i ~Jo Herqne da Uva precisa de um criado
I e qu seja boiieiro, e pode procura-lo na rua do
I Crespo n. 7 loja de Miguel los Barbosa Guima-
o rres, ou no Paleo do do Carmo n. 15 em casa de
Antonio Ferreira da Molla Braga avisa ao Sr. Gabriel Antonio, das 9 horas da manhaa as 3 da
tarde, ou na Pasgagem n. 24 unto a ponte grande.
fVttenco
Quarla-feira l do correte.
ol-rmaiem da rua da Cidcia do Recife-!3
OLYMPIO
vender em leilao diversos esOTvo* de ambos os
eus entre elles algumas eseravas cosiabeiras e-
ngomrnadeiras.
Luiz D. S. Moulinho, da cidade do Recife, que
existe em seu armazem. na ilha do Jardim, em
Barreiros, um fa.do de fazendas que tem escripto
o ame do mesmo Sr. Moutinho e mais as niciaes
lnga-.se
i. M. L., cojo fardo emiiarcaram na harcaca Nep- o ter
tuno, uropriedade do Sr. commendador Paulo de qual
Nep- o terceiro anar da casa da rua Direita n. 3G, o
lem eotnmonos para glande familia : a traiar
IHAo
DB
mp
portantes dividas,
lia. levar novamente a leilao por despacho
<11 lllm Sr. Dr. juiz especial do eomm -rcio da m-
viVas "divas da flii. fa'lida de IJjg ?
O-JClho & C na imporiancia de8r661*d* rs.
Quarla-feira 21 do eorrente.
.No prmeiro an lar do sohrado da rua da Cadeia
n, 48, s II horas do dia cima.
Aaairmt Sataadc^ dTqu me Vieira, e (oi embarcado no dia sabbado, 10 do cor- rua da Cadeia n. 3.
wateyon seggnda-foira H.__________ (K^M^SS !
"'eler Heferlea relra-se para 6ra do impe- j
rio com sua familia._____________ j
Precisa-se de urna ama : ua rua das Larau-'
geiras n. 24^_____________ |
Precisase de um cozmieiro no Gymnasio
Provincial.____________________________,_________i
0 Sr. Manoel Pereira de Andrade que costu-
mr a vender madcira* viudas pela va frrea, te-
nha a bondade de aoparecer na rua Direita n 84,
a negocio que nao ignora. _____________________
Precisa-se de om rapaz portuguez de 14 an
nos DOOCO mais ou menos, para caxeiro no Brejo
da Ma Ir de Deus; a tratar no largo di Assern-
bla n. 20.
Maques *oI*'e Portugal, j
O abaixo assiguado. autorisado pelo i
Banco Mercantil Portuei.se. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
lectivamente por 'oaos paquetes sobre
as presas de Lisboa e Por.o, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.receberem osta, no mes-
I mo Raneo, descontando 4 0|0 o anno: na
I loja de chapos da rua do Crt.;po n. 6, ou
i na rua do Imperador n. 63, tvguudo an-
[ dar.Jos Joaquim da Cosn haia.
1818 MS
De caixinhas e quadros
Caixinhas a 15-"00
Caixinbas a IJtfOO
Caixinhas a IAoOO
raisinhas a lS-iOO
Caixinhas a IA500
Caixinhas deoS por 4S
Caixinhas pe 35 por 45
Caixinbas de .'o por 45
Caixinhas de 55 por 45
Caixinhas de 55 por 4
Receberam-se 10 mil caixas
Itereberam-se 10 mil caixas
Ueceberam-se 10 mil caixas
Reccberara se 10 mil caixas
Receheram-se 10 mil caixas
Carloes de visita
Carloes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de. visita
Cartoes de visita
A 103 a duzla
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A galera esta renovada
A galera est renovada
A galena est renevada
A galeria est renovada
A galeria esta renovada
Com reos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos corinados e tapetes
Com lindase variadas vistas de fundo
Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lindas e ariadas vistas de fundo
Cora lindas e variadas vistas de fundo
Com lidas e variadas vistas de fundo
* asa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua dr- Imferador n.38
' A' rua do Imperador n. 38
A'rua do Imperador n.38 A w>Q?borpe
~Pieri=a-se de um menino de idade. de 14 a
i 16 annos ou de um homem de idade para servico
1 de campo : quem a issi se quitar prop'r, dinja-
: se ao bitio do Cafund, na estrada de Joao de
j Barros.________________________________________
_ precisa-se de um caixeiro que tenha praWea
!de taberna e d fiador a sua conducta : a taalar
i do pateo do Terco n. 141.
a) p.,ra a entrada do alumno. .;.'
Est oceulta.
A pessoa que tem oceulta em casa a preta Ru-
fina, queira entrega-la uante antes a seu senhor
do contrario tera de solTrer as penas que a le
marca para quem tem escravos escondidos.
~" Precisa-se de um homem rasado para feto:
de um sitio, dando conhecimento a sua conducta r
pode ir tratar na rua do Mondego n 107, fabrica
de rap. .___________________________________.
i;isa il*' cilin'acio.
Jeronvmo Pereira Villar transfera o seu csta-
belecmnlo de Instrueeio primaria e secundaria
para a roa larga do Ro-aro, sohrado de dous an-
dares n. 22 ; e participa nao s aos Illms. senta-
res, pais de seus alumnos, como ao resppitawl
publico, que as aulas estarao abortas no da 8 de
Janeiro do anno vindouro de 1805.
O Sr. Antonio Jos Marques, que mo-
rou na rua do Padre Floriano n. 41, queira
vir a praca da Independencia ns. 6 e 8
negocio de seuinteresse.__________________
IR
Klrrlro--raajBriirt
COLLARES ANODINOS lK DKMH \o
Contra as convulses e para faelinar a
denlieo das enancas preparadas inventa-
dos por Rover, pharmaceutio r|,
la superior ie'Pars, sucrror de Cher- ..
membro da academia de mriir-ina.
amiga casa de R milln I. iP'r.inpf. pb-rmareaMr
do imperador.
chele dos trabalhos rbiaueas da -r a a-
lytechnira, director d te-rola d' pharmaoa de
Pars, e membro da ai! t ou imp-rial
de n.edieina.
Estes rollares vendem-se aairMBtaH aa k>ia 4*
Gallo Vigilante rea do i:re-.> n. 7.
Quem liver um m"le_u d.- 14 a l*_aaa-a
para alugar, dirjase a rua da Cadeia n. 35. pri-
ineiro andar._____________________________
Alada acta para ser ecaii c'"- <
vessa do Remedio na firgauta di M*f*A
21 : quem o pretender, uinja-se a rua J.- S- Fr^a-
eise. sobrado n. 10.______________
Padaria.
Precis.i-se de um amassador : na rua Direita
numero GO.____ _________________________
o publico.
IRMAN'DADE DE SANTA CECILIA.
A mesa regedora da irmandade de -anta Cecilia
erecta na igreja de Nossa Senhora do Livrameuto,
faz ver ao respeit.vel publico desta capital e as
verdaleiras irmandadesde Santa Cecilia no impe-
rio que Frankii Pinto de. Surhona e Mamvl tea-
qnim da Encarnado (kista tendo sido iliimin.id..s
desta irmanda.le conservara em si os docomenios,
niie os consumera irmo nosso : e para que em
qualquer parle nao gose das garantas que os mes-
mos documentos pedem, levoao conhecimento oas
mesmas para que nao contemple em seus aclos
como irmans.
Recife, 16 de dezemhrode IRBI.
ihirci-lino Cielo P.ibrirn Uma.
O seiretario da irmandade.
Na (traca .la haseaeada, *i* *" '"<'"*
n. 33, compram-sp obras de ouro e prata. t prilraa
preciosas, assim coma m ht qu.il-|urr tira av f-
commenda, e todo e ajaabpsr fwrla.________
__ Preri-a-se airear urna pre'a pie -atfca r.ti-
Para a festo.
Alujja-se om sitie na rua do tnitral d-t c-
dade de Oiinda. rom casa terrea, rma co-
piar nfrente, bott 01 m | ** i !
da e margem do rfo risliiai, oa --
modos para familia, estrikina | **
e capim para sustenta-!os. arvnre-lo* V
fructos, sem visinli" ilffrnnte nena arto
fun Ir., cora opiimos passeii>s. s.i i f iratn-
nete na frente, mnil) propria para p*ar a
festa, e tamtiem se aln/ar pora-m.': a fal-
lar no Recfe, na li\raria n.f.e8 d.i trara
-la Independencia, e em Mir.da na twtmm
liana com o capitn Antonio Beniat.li> Fr-
reira________
i\a rn estrella dt Ktsan M
Advorado Atonso de Allm
querque Mello.
Dividendo.
Massa fallitla tos & C -
Os administradores estio autoriados a pagar o
! dividendo de cinco por rento, devendo porm
realisar se do dia 2 de Janeiro prximo ttn, diaijK profarado ."qualquer bora
er virti.de de ordem do lllm. Sr. Dr.jojl jy^WJJTZ, 'hr. na villa dn Oh...
do commcrcio. O pagamento sera feto de meio o ira pnrr-ro. n
dia as 2 horas da lar le, no escriptorio da rua do
Vigano n. 21, primeiro andar._____________
Afogare uma rasa commoda na povoawo do
Montciro : a traiar na rua cslreila do Rosario nu-
mero 2').
Para iejfja en rapcHa .
Vndese ion lr..no ^qn^n.. f.HW-, *'
grdame* e qnatro ban "-tas pronnBM" a
para ver e tr.ilir. n* a-rro Ja Boa >ita
hja de pintor.
ai* *a -
L


Piarlo e Pcriafcnt Segunda feira i ale Dezeaubro 4e 1964.
PADARIA NIAO.
10 LARGO DO TERCO 10
Esta nova padaria aberla ao publico (e perlo da estaco do caminho
iim* inontada com espaco mais que sufficicnie para poJer fabricar co-
coiSf p EL? el ,0da a <*u?lldi!de e Quant'dade de bolacha, pao, bolachinhas, bis-
coilo*-. e todas as macas que se desejar a procos mdicos c razoavcs
Furto.
Hontem as 9 horas do dia roubaram do sobrado
na ra das Cinco Pontas n. 29, o seguinte : i s0-
breeasaco, i caiga, 1 collete de caseinira, e tudo
novo, 1 baliuzinho de couro cheio de roupa, i par
de borzeguins francezes j calcado, i cobertor 1
travesseiro de rosto, urna porcao de roupa sui e
Garrafas e vid ros.
Compram-se vidros e garrafas vasias, que nao
sejam de azeite : na ra larga do Rosario n. 34,
botica.
ferro),
e
com
e aos seus
colhidas e
2,publiC0 fm gerdl e aos seus am'8s7m particular pede que experimenten!,
para se convenceren! do que assevera em seu annuncio.
Compra-ge urn negra moca o robusta que
t saiba engommar e eozhihar o ordinario de urna
outros objectos : portante- rogase s autoridades ca?a' nao.lendovicios, e chega-se a preco, sendo
a apprehensao de taes objectos, pois gratificare a 5ue **fa5 por t'las lualidades : quem tiver v
qaein descobrir o ladro, pois o dito foi um negro rua do Hospicio n. 40._____________
de camisa de riscado. Uompra.se urna prela de meia idade que co-
zintie bem o diario de urna casa : na rua Direila
Assadeiras
Precisa-se de
foaqiilm 1 aciano de Car val lio.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOIUSADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ima tianca em dinlieir-j, depositad nos cofres do estado, garante a boa ad-
ministraco da companhia.
DIRECCO GERAL
rador na villa do Brejo, Madre de Dos, identifica
ao publico que no dia 30 do mez passado fugio-lhe
o mulalinho, seu escravo, de nome Umbelino de
14 a t6 annos de idade, cor de laranja, cheio do
corpo, cabeca pequea, cabellos estirados e fino*
YENDAS.
Romance.
Vende-se na praca da Independencia 1-
vraria ns. 6 e 8, o romance Martina o en-
algodaozoho americano,
calca de algodao da trra e chapeo de couro de
i copa alta : quem o pegar traga ao referido seu
| sennor que sera generosamente recompensado
o r
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de iRcspanha
Madrid : Rua do Prado n. 19
mestnojpor morte do se-
da ndole deA N'ACIO-
*tSTlS3E5fR]n If'e d iatresse P*"--* cm recentes liquidares,
tItoridu-A,? m .t,,rVi' ? d,e )e!?ar?ll!UI 'lUt c a*J'--..tada Pela companhia pira os
recra n!rfi eo St,8,lrados ,la ldaJe e 3 a 19 annos, u.na imporsico anntial le 100*
sobre aEv|a|acomPanhia ,a Pel eterna mutuo todas as combina2oes de supervivencia dos seguros
smaumX!i.'l!2? asub5C.riPrw > maneira que em nenhum cas*
gOl-adO e perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
bao tao supreheodenles os resaltados que produzem as sociedades
."AL,,que anda mesmo di
e combinando-
seus clculos e
produz em effectivo metlico :
No lim de a annos.......II195300
i9 ....... 3:941*600
' d. *.......11:2084*00
' 'e |9 '.......30:2o6000
ile zo ... 80*13(4000
pecd"e^'--n^0-maOreS d?30, ?S ^^ ?aomais
ino Joaquim F
lecimento dos
i'st tszz, asa SMra B"TW* da *-**--- *
Jerony
estabe
f%t
Costa da Minga.
O Sr. Joaquim da Silva Costa vm pro-
testar contra quem rebaler letras sua a meu
favor superior a quatrocentos e tantos
mil ris duendo que s se responsabi-
lisa por esta. Nao tenlto do Sr. Costa s
esta letra, tenho mais outra de quasi tres
contos, e outra de um cont de ris, sendo
as duas ultimas provenientes de dinheiros
a premio, e a primeira de menor quantia
de transarles de negocio. O Sr. Costa
sabe mui bem que me acceilou estas le-
tras, assim como devem saber seus com-
paoheiros, que seu protesto pela imprensa
nao e que exibe nem delle as pagar, nem
de eu as rebater, esta dificuldade de tal
rebate nao vm da duvida da verdade das
letras, e da firma nellas postas, mas sim
da difficuldade da cobranca. Pois o Sr.
Costa s paga quando est com 03 ps
na porta da cadeia, assim foi com o Sr.
eommendador Joaquim Francisco Paes Bar-
reto!; assim foi com os Srs. capitaes Jos
da Silva Cisneiro Guimaraes e Jos Paulo
do Reg Brrelo, e assim foi at com o seu
j proprio sogro. Com isto tonbo respondido,
i e as letras anda nao foram ajotadas pnr
j nao estarem todas vencidas, o que agora
!no esperarei mais para demandar pe.is
: vencidas.
Becife, i i de dezembro de 1864.
Antonio Francisco Litis Wanderlev.
"ti
J. VIGNES.
. 55. RITA DO 1HPERABOR
X. 55.
ssario ._
rece aos compradores, qualidades estas inconlesta-
s que te
vontades e caprichos das pianistas, sem
.a S^S^^gg^tlS^S^
sua
^^l^'SZ^^atST^^-Z ulli*'-'e'meihoramemo^-imp7,^.
veis aos ouvidos do" apreciadores. n,eld,osas e flauIa-Ja-S o por isto multo agrada-
| DENTISTA DE PARS !
19Rua Nova19
melhores
. Blondel, de Paris, socio
todas as expesicoes.
,wc,m=rLrM^^^
CONSULTORIO HEDHKIUIfilGO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
Manteo. BMine^ino e opeiiauor.
3 Eua da Gloria, casa do Fimdao 3
horas.h mnl,lf e^Tat00''8111^ 8ralUtaS ?0S Pobres lodos os dias d* 7 s i
ioras da manliaa, e das b e me.a as 8 Loras da noite, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sorlimento de carteiras
tubos avulsos, assim como ntnras de varias dymnamisaeoes e pelos preces seguintes
Frederico Gantier, cirurgio dentisf i, I
faz todas as operacoes de sua arte, e c(-l- 3
loca dentes artificiaes, tudo com superio- S
ridade e perfeico, que as pessoas entes-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentiflcio.
Na-
jo distmcto escriptor Eugne Sue, autor
das melliores obras conhecidas, pelo dimi-
nuto preco de 20500 por 4 voluntes em
broxur.
FOLHIIVHAS
Para 18(55
Acham-se venda na livraria ns. G e 8
da praga da Independencia :
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
kalendano civil e ecclesiastico, tabellas de
feriados, de emolumentos dos tribunaes
do commercio etc. a ICO rs.
A FOLHINHA DE ALGIBE1RA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em verso, o Stabat Mater em
verso, devogao ao agonisante, coracao de
Jess, cntico em louvor do Santissimo
Rosario, cntico a Virgem Mara Nossa
Senhora, trinta etres chistosas anedoctas.
um indito poema sobre as aventuras de
um cosinbeiro, o canto de urna solteira
(poesa), crescido numero de mximas e
pensamentos, urna historia como muitas
Tromanco), e vinte e cinco novas e pi-
lhericas charadas a 320 rs.
Assadeiras de porcelana du todos os tamauhos *
na rua do Queimado n. J2, tendea Azevedo
Irmia
Pene i ras.
Recebenm grande sortimenlo de peneia* de
rame, proprias para padaria e pharmacia ; na
rua do Queimado n. j', loja de Azevedo & Erado.
Brides de Ipofuca
As verdadeiras brides de Ipojuca : rendem na
rua do Queimado n. 32 Azevedo de Irmao.
Facas de cabo de umeorne e
mar Jim.
Vendern Azevedo A Irmao, na rua do Queima-
uo n. 32.
<'0.\SKHI
DB
\^\^
i_
Deixai que os Hunos di
viM.ai;jo s prrf ur
"a roa m
a b i c
yj
B

OZ ^*"
a B ^
S. a
-o M
s?
ag
5 w> "
a. -,
o a
w CD o C
'-.- B o O se Q
S g n o g x J,
o.- e*'--<2-;g
ce
x
l o
ce
3*2
o> g
"S
-! ^ 3
8.
r s
o
y as o
fll
3 w
o ce
ai ^
a -i ?
c 3
3 O Ju
**'" "o '
- s- S S-
a o 2
a
economa-paraos ps I! |Ma parte do r
humano e pon-uto aquflla qLe. Mi f,.^Z
cessita de n.aior tfttJkm: pU humidad,. .; ."
>e introduz apim,... iait,ri, l)as moW>,^ r *
estas a perda da laude e da vi* f | | Fra '*. '
botinas esapa^s nmm ; reforma-Ios a
45-Bua Den?ito-45
Borzeguins franecz.-s para l,r, ,-m
Ditos inglezes idrm a 8#, 7 e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapatoes c-mapa -rofen
Ditos de .N'antes de du.ss solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de borracha para MBMiai
Ditos d dita para meninos
Ditos de tapete para homens
nhoras a 800 e
Sapalu.N de lustre para Matara a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
f <*-
*?.'.<>
sttm
i'lliO
liWH)
um
i ;<
*ii
l<4<
c c 0
ce
o
O-o
-
r?
A -S v-
,"_=--
as g
o
cr

^
B) 2
^3
aj o
"3 O
ce as
O aT
_ N
'c ce
a -i
3.
s
a
/
ce
03
aj
Aova liquidacode raimi,if>al tf
m d mez, para rchar farluras tmH *it
- ,: rreflirzea dnen, apratriUr : ia laja 1 aiaau.
g | da Arara, roa da latprralrii i.:, r lw,fl.
Fazcddas fspwiaes para seafcira.
M Vndese n.os corles de volido de lia .-.
W 1 la para senh. ra de bonitas barra-a |(
i- 155 e 164 o corte : na rua da Imperatriz i 3
^ loja da Arara.
0M A Arara iruie a 2:>H)0
a i. isa? a a i -,
;***00 c J-JiOO ; cassas de cores a .1) u^> ..
M 40-J rs. o covado : na rua da Imp^rairia' \&
0X loja da Arara. r m *
Corles de caabraia it salpkos a 2 > i n
Vende-se cortes de cambraia de "ab-ri,
23100. 3*oa M00O a p,ca. do, d. c5,
liza c ..na a 3:W0, iAoOO, 5*OO e 63,
y!f",',,ar/eVM0Se A-a li
a 13200 : na rua da Imperatriz
Arara.
S
n. 56.
K'jj da
Vende se caixes vazios proprios
para bahnleiros e funileiros a i 760
radanm; nesta typogr-aphia,
Assucar crystalisado da fabrica "
2 de Julho
Na Rabia.
Nof.,mazerr. da ua da Madre de Dos n. 28,
ha a venda o n.uito superior assntar cryslalisado,
" a 2 arrobas, ac preo de 53 cada ar-
Espantosa pechincha.
Alpodao superior larso com um pequeo defei-
em nina das relhas a 63 a pera cem 20 varas ;
n/^d1aM?f,lrc,deDeosn-,(i' 'Ja -Jronle da
uarda da alfandega.
soulrnbarqurs a 7. 8, e i.
Veode-M souien.haraoe de l.i;iDhas de rorr*
para senhoras a 73, 83 e a .03. d,i.. d,
pie preto muito enfestado a 0 j; -.r-i -7^
capas de prosdenaple a 203, % S*. XJ rT
liquidar
Arara.
na rua da Imperatriz n. 56, toja
(a
em saceos
rio
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C
genles do Banco Unio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Paris
\ov<> deposito de sao.
Acha-se aberto um novo deposito de sabao na
rua do Hangel n. 31, na antiga fabrica italiana,
,aonde os freguezes encontrarao completo sorti-
; ment de sabao de todas as qualidades; assim co-
mo a vantagem qne encontram para abreviarem a
qualquer freguez por ser muilo perto, e o diminu-
wcarreteque tem de paearem.
Vendem-se thesouras de Guimaraes para lo-
\l's[!i*' cabelleireiros e costura : na rua da Cadeia
do Recite n. 44, loja de fi-rragens.
D'pjIfETO DITPO
de FERROEJUININA
A Arara reude alpaka da rarrs para fnd.
Aende-se alpaka deror.-s para tnmmu :utt
r> o covado, challes da l.ia/inha- a I3CM 1.5-1
dito de mermo a 43500. dn,, mm, -. i o. : \
85 na rua Laaziohas a liara Pa a lili n
' Je!"'iC **" a Vana l'ia para 't.-uMm.
, com palmas de seda a :()0 rs, o aovado, du
cores ., 320, MO e 5O0 rs dita- Nn, S ron oi-
r capas v,.sli.i..s a 860 rs. o ruv-,,!,. r .

ra
r-.
M 1-.
ATTENCSO.
Carteiras de 12 tubos grandes,
de 24 tubos grandes,
de 30 tubos grandes,
de H tubos grandes,
de 60 tubos grandes.
lOOO
18,5000
245000
305000
355OOO
Ham burgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcenos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Faro.
Oliveira
meis.
Penafiel.
Tavira.
Frederic S. Ballin & C.
Joao Gabe & Filho.
1 Francisco Raboin Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
< Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
E.M PoHTUCAL.
d'Aze-
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Coimbra.
Cnvjihaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
[Tbomar.
Villa Nova do
Figueira.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
La mego.
Leiria.
Moncao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
\ende-ss um mulato de 23 annos de idade, pe-
rito mestre de alfriale e bom copeiro: na rua das
Larangeiras n. 18, segundo andar.
^ No eseriptorio de Malbeus Atistin &
C, rua do Trapiche n. 36, vende.se cadei-
ras de balanco americinas por preco muile
comtnodo.
Atten(#o.
Vndese urna taberna muito afreguezada, com
commodos para familia, drojiria para prinoipiaDte,
vende-se por seu dono relirar-se para Europc:
quem pretender dirija-se a mesma, na rua Impe-
rial n. 105.
Os elementos que compoeni esta preparacSo, o
ferro, o iode e a quina, a colloco no primeiro
grao das preparaces ferruginosas. Basta attestar
seus resultados ohtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e osrelatorios dos prcticos mais eminentes,
que contirmiii-ao sua poderosa efticacidade as
seguintes affcccocs:
para capas de senhora a I3--00. 5J.-4X1 ,. 3
rua da Imperatriz n. 56, |.,j;, da Ar, 1...
A Arara vende chitas a 210. 2M r 320
Vende>< chitas d cores litas a -iii "
o covado, ditas franeczas a 390, 360
, e covado, p, rcallas p.ra ve.tido- (u
ii ESS?' ''l".,,ii"h8!, m* mmmn.1 13. t-.
;^f *..^'"'nha- para senhoras mem,
,!m^eraiz't56:-5,,,;,ra,l,,U'Jar: "
llalocs americanos para srikara
i Vendo se bales ameriranos, os mWoores .pie
1 -3.K, .3 e (3500 e 43, dit-.s de Udlunlioa
mosralina a 43.>0O : na rua da Imperatriz
loja da Arara.
Cas-
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se izer, e com os nir.cdi
Um tubo avulso ou frasco de tintara de meia onca 15' 00.
Sendo para cima de 12, custaro os precos establecidos'para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
B.IVIfON.
dons S^JttS& ManU;" ^ *** *-N*od. Dn mJ
Medicina domestica do Dr. Ilering, ... ..... uSnnrt '<
Repertorio do Ur. Mello Moraes. ........ Sino P
Diccionario de termos de medicina ....... 2 JJ!' i
Si^^i^.^ec,1I1?Blosao Jemais*cobecids e' dispensam portan-i
to de serem noyamente rec^m^^^^r^lS^Zi d remedios ve?-''
dade.ros, enjeos e doradores: ha tudo dS melho?queq se pode deseja? globo de Z-
dade.ro assuca) deleite, notaveis pela sua boa conservacao, SS!S^UKSS '
Casa de mude para escravos.
Reccbe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe mulmu
operado para o que o annunciante julga'se sufficientemente habSiS ***"
Otratamento eo melhor possivel, tanto na parte alimentar como na medica e
fusionando a casa a uts de qnatroannos, ha mni pessoas de ujo conceito se nao
pode_ duv.dar, que podem ser consultados por aquella oue deseiaem manir ^
Villa do Conde. Porlimao.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No'iMr-Knio.
Bahia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendologo
: os saquea i prazo serem descontados no mesmo
Banco a razao de 4 por cento
i na rua da Cruz n. L
ao anno : a tratar
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n: 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2
3o
14-Eua Direita-14
L'nico depesito do rap imperial do fabricante
Isaac Esnaly ; aflianga a sua boa qualidade e ser
superior ao rape de Lisboa e ao rap ara prela, a
prova fazf: vende-se a retalho a 13 a libra, e
em porcao de 10 libras para mais a 8(0 rs.; lam-
bem abre crdito aos compradores em conta cor-
rente.
Vendem-se charutos da Bahia de varias qua
lidades : em casa de Monhard & C, rua do Tra-
piche n. 48.
< "11 > )i 11' r i-11 "11 de I011-
11* ol<-ntlan.
MOlPNllUM i-.NI i (ifulo-
Him.
Pnpclra.
ObMtraicco tlum alan-
fin lie.
Huilln-*'* frin.
Iluinort-M briincOH.
ItitrliKImiio.
Arft'ceocN i-aiiri'rn*ai
S -> -y<: lillcim.
Fehr<-. >|iliiiiili->.
\mile*, ele., ele.
le therapeulica medica
doentes.
Paga-se 25000 por dia durante 60 dias ed'ahi em diante 15500
a,nwoS opera";)es serlo previamente ajustadas, se nao se quizerera sujeitar
azoavets que costuma pedir o annunciante. v
aos precos
DECLARACAO
I Aluga-sc o segando andar da casa da rua de
Francisco n. 68, de preco de 163, cuja chave
O abato ass.gnado com casa' de relojoeiro na est no primeiroandrpara Ver "Ti'atarJ<*na"ra
rua do Hangel n. i7, faz ver ao respeitavel publ- N..vade Santa Bita o. 51, das 6 as horas da
co que nao .iretende passar, como alguem tem in- nnaa-
ventado, a sua casa a outra pessa, invencao essa 1
que tem por flm nico deseonceitna-lo p'erante o dir
ma-
que tem por flm nico deseonceitiia-lo peranteo c.T ^a rua da ,mPer;,*riz padaria do Sr. Costa,
publico e pemnte seus amigus e freeuezes-ao a f|Uem 'ir'Clsa de uma escrava cosinheira
contrario pretende nao so cmu.ouar 'ml a mesma para Mwa* fam"ia-
casa corno abrir outra de dilferente proflsfo e de "-No ees d'Anollo n -SK enmnrn -Q
soeledade com pessa para kso habilitada. Por- lim a Apollo n 5.*). compra-se
tanto, qnal |uer cotisa que alguem espalhe, a nao escr*^vo qe seja bom bolteiro, moco e
de peito :
dos orgos geniti
urinarios.
! Em seu eseriptorio os doentes se-
o examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
{ doentes.
lili
= Precisase de um cosinbeiro e.-cravo e pa-
ga-se bem agradando : na rua da Madre de Deo<*
n._36, prnneiro_andar, das 8 as 2 horas da larde!
Est ainda para alugar uma
Vende-se uma escrava por barato preco : a
tratar na cidade dt Olinda, rua de S. Bento n. 9.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua lorida nao uma tintura, facto essen-
cial a contesta.**, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Compnsta de plantas exticas e
de substancias inofTensivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'uma salubridade inconlesta-
vel, a Agua Florida entreten* a lnnpeza da cabega
destroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida,
Minun.1 no angue.
Fi-nqii<-7.ii.
Anemia.
ChloroNe ou Ictericia.
McnHti-uo.
Afecce-i do ulero
-iipin-.s-iirs .l;i- re-
ai-a* c iicntilruaeo.
Affecro |>iilinonar e
plilhUle.
Molexlln* rcslomnao
GiiNlrnlmlnM.
rei-ilii il'ii|ip(-lllc, cte.
Vcjao se os bitllelins
e cirurgica de 30 de noicmlne ISO; a Gaieta
dos hotpitaes de 2a dejuUto lsi'O, etc., etc.
Alm das plalas de iodureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os .Mdicos aconselblo
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
ierro e de quinina do mesmo anllior para as
pessoas qne nao goslSo -le medicamentos sob fdr-
ma pilular c os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de allcrar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folhcio que se d;i de graca em casa
dos pharmaecuticos depositarios.
Para-se evitaren* I'alsilicacocs, exija o com-
prador era cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito gcral em Paris, pharmacia Rebillon,
142, ruc du Bac, c em todas as boas pharmacias
de Franca a dos puizes eslrangeiros, etc.
m
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as oulras preparaces de
bismuth empreadas ames com o maior successo
Composto de substancias vegetaes exticas, elle pelos mdicos de lodos os paizes, para prevenir e
itin nnilArnom--"' com a Agua Florida, a curar as
constile poderosamrr
n.'iii-rlirii chronlea*.
D*rH*enlerla.
llore* il enldniaso
nj-N-iennliiB.
Os primeiros symplomas d'cssas formidaveis
Han i<(-toeM.
l.a-li He*.
GaliralKlas, ele.
forga, a hell.-za e a conservacao dos cab;;
Em Paria, casa de Quislaur n. 12, rua de Biche-
lien, e 21, boulevard Montmar'rr.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, o
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposite, rua do Imperador, pharmacia n. 38. affecces se manifestao ordinariamente por diges-
Vende-se a armayao do deposito da rua da 'jes laboriosa*i afumes, falla d'appetite, pesos
Lingoeta ti. C, propria para fabrica de charutos e f euma9 nepois de cada comida, caimbras es-
cigarros : i tratar na rua do Apollo n. 23. tomacae-,c, muilas vezes, port*MmM nervosos
------t------------------------1----------------------------com vmitos.
a ~ ,Ii '"'e ^U3S Casa1s,,,errc?s e um s(,Ihra-lo Esie estado mrbido, se o dcscuidV traz inc-
de um andar, sendo urna deltas sita na rua Irope- >!i------- .......-*-
rial e outra na rua da Mangueira da Boa-Vista, e
o sobrado tambern na rua Imperial, por prego
commodo : a tratar na rua da Praia, com Louren-
co Ribeiro da Cimba e Oliveira n. 7t>.
m,
Cassas da irara a 2S0, 320 r 100 rri* t rnU.
vende-se cassas de cores a :*n oe 100 r- o
covado, lencos de H-da a HO e 13 : na rua dk
Imperatriz ,,. m, loja da Arara.
Faieadas para ktmrm.
i tMnf: T* ***" d" raai pan hon*.->ni
12**M "I*. <* de a-emira a ::3. 33M e
\ni i : "a r"a da l"ll"'r*,r'1 u M> '"1-*
lioiina fcitapara homrm dr ledas as -fialidi-lf-*
, \ en le-.-*e paht.ts de i hm de rorw a 83, i:...
3-j di os branco a 2*500, d ,(.. Ilhv ,, .
dito5 de alpaka de <.*,. l-ram ih .. 53 d
63,83, 105, 111.5, lf.3 e 03, dilo- de |
preto a 83. 103-U3. lfi-5. 21.-3 ,,"S
bnmJevrtUetim,dit&
:,5r:l.',;'V,''li"1"!,,i"'",;'::'- ''"
o* (.. e 83, de me.a rasen.ira a a-
Maaa hanraa,a W'23300, de i ,w,, ,,.,:.-
pregas largas a 33 e 33500. grav.-...-,, ,. ,,.,,
de todo.- OS tam-tnhos e n.nit.. bem rrilos itan I.-
quidar por ser lempo de fe ta : na ...a d mma
i triz n. oG, loja da Arara. *
Colchas para rama a 2>.
Vende-se colchas de chii.i para nma a i-, d.ia-
de damasco a 43. dita-* de fo*lio a :.- rhilas r,ara
cobertas a 320, 300. 400 e O rs. .. ^>adkj na
rua da Imperalrii n. :;ii. i,.- da Arara,
1 .Irara vende niad..pol.; enfcsiada i
Vende-se pecas de Mdopola ene-Uda a i->a
FSt'JO0 Df.!,;*- -' MrdM de ., 30, i a* ov i
a >3o00, n i;>0 a 6350 e 7:,ihi n
9491000, n. i), p. I..-5. ,:,:/. 11 > n.%,. '*
1 id a peca : alp-odaotiabo marca .*. :..',: |
carne vacca a 7-5, dilo .Imh-i,,-.. ;-:,u.' .., ,
pau ferro a 83, dilo *L!) a 103, dilo r a |-j .' |-
lito s.cupira a 83500, para liquidar, na rua "da
Imperatriz n. .'6. leja da Arara.
Palilfl(s .Ir alpaka.
| Vende-se palitots de alpaka prela de .13 e Mi
ditos linos de cordao, lizas e bntHM a 43 rua
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
-lo liaroteiro da rna da imprralriz a. .*.
11 -.y!deaT ?e*"011,;,s '-5280, dHU irn, ezas a
l<3b : e outras minio boa- fazendas une o
freguez encontrar na leja da Arara, rua da la-
peralriz n. 56.
vitavclmente, que seja:
HolcHlliia le Usado.
A lelerieiii.
I'al|il lile.10 (le i-iirne.'iii
Diirf no rliia.
Yende-se
-_. ----- casa na ilha de
Bemhca junto a ponte da Passagem, com comino-
do- para familia, baoho, pintada, e pelo barato
aluguel de 1503 por anno
sario n. 3G
na rua larga do lio-
se dir quem aluga.
qualquer juizoteme
rano que por ventura delle possam fazer, restan-
do acrescentar que o respeitavel publico encontra-
lo-ha sempre disposto a bem servir relativamente
a sua prossao
____________________Fernando Garzoli.
- No caes de Apollo n. Si compra-sT um es-
cravo que seja bom boleeiro, moco e boa conduc-
ta, e u.na escrava que emenda bem de cozinha e
cnsaboado, pois se pagar bem oseu morecimento.
- Precisa-so alugar um escravo preto que seia
robusto o desembarazado, para servico leve e aue
nao pmndiea a saude, da-se-lhe comida e pa/a-se
mensalmenteseaiindo o que se convencionar na
rua Direila n. 45, loja.
= Na rua da Roda n. 6 precisa-se de um bom
oozinheiro, preforese nacional.
Precisa-se de um menino que sirva
para pasturar urnas vaccas: nesta typogra-
pbia se dir.
Preci.-a-se de urna ama que cozinhe e com-
pre, para uma casa que s tem tres pessoas de fa-
milia : na rua de Borlas n. 130.
urna armacao j desarmada e os seus utencilios de
taberna, tudo por barate prego, a vontade dos com- lempo.
OliprCHHc*.
norea de enbcea.
IrrilucoeH de ncKlga e
da inalrli, etc.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades mcdicaes para prevenir essas diver-
molesiias e cural as quando sao tomados a
pradores : na Soledade rua de Juao Fernandes
Vieira n. 64.
Vende-se a armacao com seus pertenecida
taberna sita na rua Direila n. 48. muito propria
para qualquer outro eslahcleciiiiento : a tratar na
rua do Imperador 11. 28.
Vende-se um sellun quasi novo, pois ser-
vio uma vez, com todos s arreios, cerno tambern
um par de Lolas brancas de montara : na rua de
Sania Isal.el n.!).
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsiiogeral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em lodas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes dapracaaatnde
pendencia n. 22.
=- Precisa-se. de uma ama que cozinhe, lave e
engomme : na rua da Cadeia do Recife n. 22 se-
gundo andar, entrada na rua da Senzala.
Compra-se ellectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-se dous escravos que sejam bons
carreiros : na rua do Trapiche n. 13.
GRANDE NOVIDADE.
S no Vigilante.
Riquissimos entalles de todas as qualidades para
senhoras e meninas, chegados hoje da alfandega.
lotos
Riquissimos sintos de fila larga e estrella com
livelas grandes e pequeas, com brilhanles falsos,
cousa de muito go.-to.
lbum
Tambern ehenran 03 riquissimos albuns para jeclo de numerosos
Comprase uma carleira com duas faces para
eseriptorio no armazem da rua da Cadeia do Re-
cife n. 48.
Fugio do ahaixo assignado, no dia 4 para 6
de dezembro, o escravo Andr, criouk), de idade
di annos pouco mais ou menos eom os signa-s
seguintes ; baixo, gmsso, quando andi entorta os
tt' V('t ''a'a fra' que rbtm luasi a tocar '-aale lene : na rua do Crespo VuTsM^mmlE.
cem o calcanhares um no outro, natural da -"- -.....:-------- ~
50 retratos, com capa de tartaruga e de marrim, mprlienc
s no Vigilante, rua do Ces- meaico-'' 8e merJiramente
do Pao d Alho, onde fugio 5 quem o pegar e o le-
var em casa de seu senher morador na ra-sma
villa com padaria ser bem recompensado.
Antonia Adunes da Silva.
= Compra-se uma vacca que tenha bom e abon-
le leite: na rua do Crespo n. 13, ou ei
pucos, na casa junto a d. Sr. Jos Alfonso.
Qompra-se um nego de meia idade,
sena vicios nem {achaques: ie*-ta typocra-
hat-te dir.
cousa muilo chique
po n. 7.
GAZ, GAZ, GAZ.
Recenlemente chegado.
Primoira qualidade.
Na rua de Apollo n. 2.
Vende-se uma morada de casa terrea na fre-
guezia de Santo A.tonio : a tratar na rua Augus-
ta n. 24.
Machinas de vapor e pa-
ra descarogar algodao.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
de carrosa com mangase
eixos de patente.
EuadoErumn. 38.fundi-
Co do Bowman.
PS a testa.
, Que.jos fres, os a 33, pa::as novas emquart.,s
SR C 3 ,"ra iO' **" a ,6. "wrmrlada
adO rs a libra, aze.tonas a 15800 a anr.ire. .
garrafa a 320, manlriga ingleza ILr a 'O r fam
is.. dita Iranceza a 640, cha miodinho a S3K- e
33, cafe 1' serle a 280 a libra, e 83400 a stfNta
de *' sorte a 240 a libra e 73500 a arr.la. tnm
a 100 rs. a libra e 33 a arroba, loonnh'i .ilfc a
2i0 a libra, stearinas a 620, palitos para dente* B
140 o masso, do gaz a 200 rs., rhouncas a MO rs.
relatnos sctenliicos e a libra, gon.ma a 120, sabio wassa a V r-.. m|
em pides de vidro a 440. concervas a 4(0 rs., i-.-
tas.om bolachii.haa 13400, ablria e lalhaiiti x
400 rs. a libra, cerveja branca <* prela ."-60. vii.li
lino do Porto i-n-iarrafado a 13120 o 800 r. Ir -
co para mi.-sa a 500 rs.. linio de Lisboa a Mtt a
garrafa e 2360 a ranada, da Figueira ii4>r
FIGADOde bacalha
cm
Peo processo de Oherricr, pbarmaceuliro
Paris, rita do Kaubourg Hor-tmarte M.
Este oleo de um cheiro agradar el, e de
um sabor assucarado o nico que nao tem
nem o gosto, nem o cheiro do peixe. Ob-
Vende-se trinta e nove travs de louro que
estao na estafa. das Cinco Pontas : a tratar na
rua da Praia o. 2-1
que goza em
r ranea de um successo tao raro como bem
merecido, receitado diariamente pelos
principaes medkos dos hospitaes de Paris.
0 OLEO DE FIOADO DE BACALHO. DESINFECTA-
DO FERRUGINOSO empresa-s Com OS maiores 3-520,J. a*'le dore a OO rs. a parrafa. de carra-
..o.m mSSmZ so S JSMSX'JSSai ?"*
o oleo quando sao acompanhadas de debili- ---------:---------------------------------------------.
dade e aloma. Muinho de pedra para frilho.
Deposto geral em Pernambuce rua da '^f?Jrua da Cai| Cruz n. 22 em casa de Caros A Barboza.
Grande porcao destes carellentes mninh*<. sa.*
egados a rua da Ca.b-ia loj
Bastos, os quaes se vndem ornis barato pe ..-i ve


Diario de Peruaubuco Segunda felfa 19 Je Dezeuibro de lsttl.
'I
/

lastrisGri
AS ARMAS!
fi GRITO DA GUERRA JA'SE FEZ OUVIR.s
LA Vil BOMBA!
SENTIDO.
O
Grande liquidatflo.
Hua da emperatriz n. 60.
Loja de fazendas do pavao de Gama 4 Silva
Aeha-se este estabelecimenlo complelamenle
sonido de fazendas itglezn-, francezas, allcmaas e
sutssas, proprias lano para a praca como para o
malo, prometiendo vender-se mais barato do que
em mitra qualquer parte, principalmente sendo em
I porfi, e de todas as fazendas do-o amostras,
| g-ixando licar penhor, ou mandam-sc levar em ca-
: sa pelos caixciros da loje do Pavao.
As laazinhas da expsito do Pav3o.
Vendem-se laazinhas as mais modernas que tero
viudo ao mercado, proprias para vestidos e sou-
| lamharques por serem lisas e de cores muito de-
licadas a 560 e 500 rs.; ditas lisas cun um lustre
que parece seda a 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda a 500 rs. o covado, s para
acabar : na loja e armazem de Gama & Silva, ra
da Iinperatriz n. 60.
0 Pav&o vende para luto.
Vendem-se superior setim da China, fazenda
toda de laa sem lustre, tendo 6 palmos de largura
propriopara vestidos, capas, paletots, calsas etc.,
pelo baratissimo prego de 23, 2,8200, 2#i>00 e 35
o covado, cassas pretas lizas, chitas pretas largas o
i estreitas, manguitos, colarinhos, punhos, e eufei-
\ tes, tudo preto proprio para luto fechado, e muitos
| oulros artigos que se vendem por precos mais
em conta do que em outra qualquer parte por es-
tar liquidando ; s na loja do Pavo ra da im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bordados do Pavo.
Vende-se camisinhas com manguitos e pollinhas
bordadas, pelo barato prego de Ifie 1>280 cada
um, manguitos s a 500 rs. cada par, ditos com
gollinha a 800 rs., gollinhas a 400 e 480 rs., de fil
a 240 cada gollinlia bordada, romiira de cassa ede
Ql muito beni bordada a i-5 cada urna, manguitos
que servera para calcinita de meninas a 640 cada
par, camisa com manguitos e gollas com a compe-
BA DO QUISMf ABO N. 13*
Passand o becco da Congregarlo segunda casa.
i es muam
NOVIDADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molliados denominado Ca m n r-
.ial, onde orespeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos. melhores gneros que ?em .><> m tao m Rail
quaes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencioneda; g?rank-se iImii
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 3#0O0
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600, e em frascos grandes a
26500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 10600e2.
i*\ ^%vy^*


lente grvala de seda, fazenda lina, pelo barato Amcnuoas com casca multo novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Ararula verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellas muite grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a i #600, 20,
20500, 20800 e 33000 a libra,
dem preto muito superior a 2.-50O0 a libra.
Ceneja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inelez fino a 90^ rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200)0, 20200, 20500, 20300, 30000 e
prego de .1$, e militasOQtras bordadas que se ven
dem por precos muito em conta : s na loja do
Pavao ra da Imperatriz d. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos soulambarqne.
Pelo ultimo vapor francez chegaram riquissimos
vestidos soulambarqne, os mais modernos que
! neste mercado tem apparecido, os quaes estao
i promptos com saia, corpinho e seu competente
I soutambarque, tudo guarnecido de seda, veludo e
i renda. Quem tiver bom gosto dirija-se loja do
l Pavo, na ra da Imperatriz n. 60.
O Pavao.
Na loja do Pavao vende-se moder-nos mantele-
tes de grosdenaples a imitacao de capas, as quaes
sae bastante compridas ; assim como tem um sor-
tmenlo de capas prclas as mais modernas que ha
no mercada, sendo ricamente bordadas. Ditas en-
feitadas tudo por prego com modo : na loja de Ga-
ma & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
As motli rnissimas laazinlias de urna s
cor, a imitacao de
gorgorao, ven-
de o p-vo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordaozinho, as mais pro-
prias e, mais lindas que tem vindo, proprias para
vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-se amos-
tras dentando penhor, e vendem-se pelo baratissi-
mo prego de 560 rs. o covado : na ra da Impe-
ratriz o*. 60, loja de. Gama e Silva.
As laazinhas do Pavo.
Vendem-se laazinhas de quadrinhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo prego de 280 rs. o covado,
ditas largas mullo linas a 100 rs., dilas eslampa-
das, cor segura, padrees muidos e grandes a 320
rs. o covado, ditas transparentes com palminhas
de seda a 400 rs., ditas escocezas a 360 rs., isto lu-
do para liquidar : na loja e armazem do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60.
Os grosdenaples do Pavo.
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
O assumpto importantissimo.
O assumpto importantissimo.
O assumpto importantissimo.
Ninguem. interrompa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Ningucm interrompa o orador.
Reine o silencio em todas as conminas.
Heine e silencio em todas as columnas.
Reine o silencio em todas as columnas.
^^^^^^^^^ ^ bolinhos francez* multo novos e
Nao se admit'e contestadlo.
Nao se admitte eonleslacao.
Nao se admitte contestacao.
Os apoiados sao prohibidos.
Os .apoiados sao prohibidos.
Os apoiados sao prohibidos.
ADVERTENCIA.
s?
Antes de entrar na materia e inconsavel Baliza nao.pde presceodir de ,
l fazer o seu gnal de herraras doiradas coras e mal feitss mitras dos falsos |^
'apostlos do progresso, inimigos do povo c chupadores do sangue da humani-%r
i dade. dg
A detesavel sede de oiro tem obseccado seus coraces de vampiros. cgf;
Qierem fazer fortuna com a rapidez do coriseo nao sabem ter ftiem
esperar.
S5o 'Os perfeitos nos da civilisacao.
Malditos sejam elles--j que:no possivel ao Bauza pr-lhes as mitrases
!na eaheca os bculos na mi e os sapatoes esmaget cobras nos ps e expol-os aoh||:
publico por tres dias. -^
OH O 1IO I %.
N'esta casa nao se illude ao povoos pesos esto ateridosa balanca de *>.
melhos fabricaatee os gneros, partkido do soflVrvel at o ptimo, podem eral
escolhidos a .voEtade por todos, desde o pobre agoniado Clarim at o mais alto'ip
General. ^|
Nao sendo o agrado e a sincersdadk predicados que somonte tivesserjiqgj
chegado para bioo da domesticada e encantadora aguia branca, esto dadas as(
mais terminantes ordens para com todos os fr&guezes, de forma que se opere a mais perfeita Uga de enteres-
ses recprocos, a fazer inveja a todos atao proprio camlleiro da esquina da rua^
Nova.
Quando ao dspontar da brUkante, aurora ou da aurora hrilhante, lizei-/
uvir o garboso gallo vigilante, com aquella bisarria que Ihe propria, o seuj
canto sonoro, signal de chamada dos amavds freguezes e predilectas freguesa,
Utnbem o solcito Baliza estar promplo era orden) de marcha, agradavel comol
a aguia branca, diligente como o gallo, grave como o propheta, no mais per-*
feG e continuo moviaento, servindo a todos, e a todos eonaenlando.
ADITAMEMO.
Os precos do grande sortimento d'este magnifico armazem. se acharo con-j
sideravelmente reduzdos, e a respectiva tabella deixa de ser publicada por que
[a alma do negocio 6 o segredo. Os freguezes reconhecero em vista do objec-
'to que pretender que o preco que se lhes pedir ser to rasoavel i reclamaco offeref,ero. Venham todos a
RA DO LVH\Hi:\IO 3S
AO GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
DO
BALIZA
PROPR1EDADE
DE
IH. PEDRO DE MELLO.
nor
corpados a 25400, 25600, 25800 e" 35000, ditos
brancos, cr de rosa, azul e amarello a 25000 r.s
0 covado : na loja de Gama c Silva, denominada
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
As novas las garibaldinas a 500 rs.,
na >ojfl dn I'avao.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
dinas, fazenda inlelramcnte nova no m"rcado, sen-1
do todas com lislras miudinhas, e transparentes,-
! com lustro a mitaco das sedinlias, tendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenta
I e cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para :
vender depreca : na loja do I'avao, ra do Impe- i
. raJor n. 60 Je Gama & Silva.
l's mais moderaos vestidos Mara Pa,
na loja doFaio, a IOS
Vendem se Rnlssimos vestidos Mara Pa com
os corpinhos diferentes, tendo todos os preparse j
i com o com pete nto sinto : na ra da Imperatriz n.
60, loja do I'avao.
t amisitihasa l$G<'0*
Vendem-se camisinhas rom manguitos, sendo
'. muito liem enfeitadas. proprias para senhoras e
meninas, polo barato preco de dez tustoes cada
! urna: na loja do Pavo, ra da Imperatriz h. 60,
de Gama Ov Silva.
Vestidos papa meninas.
Vendem-se s mais modernos veslidinhos para
meninas, sendo muito bem enfeitados Mara Pa,
tendo de diflerontes tamanhos, pelo barato prego
de #5 cada um : na loja do Pavae, ra da Impe-
ra'nz n. 60, de Gama & Silva.
R' upa feila Intrata.
Vende-se um prande sortimento de roupa feita
para homens, sendo calcas de briol branca e de
cor, dilas de semira preta e de cores, dilas de
meia casemira, paletots saceos e sobrecasacos de
casemira e panno preto fino, colletes de todas as
qualidades: na toja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama A Silva.
Grvsdenapledecor a to.600 o covado.
Vende-se grosdenaple de eor azul, branco e pre-
to, pelo barato preco de 1JO00 o covado : na loja
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Panno de lindo a 700 rs. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno de bnho proprio
para lences, toalhas e ceronlas, pelo barato prego
de 700 rs". a vara : na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Economa do Pavo.
Vende-se para acabar, urna pergao do rctaihos
e las e cassas de todas as rjudades, e por pre-
cos mHito era conta; quem tem economa que
pide apreciar : -tona loja do Pavao, ra da Im-
pevatriz n. 60, de Gam & Silva,
. Hadapolo a 7&A0. s na loja do Pavo.
Vende-se superior madapolo muito encorpado,
tendo 20 varas cada peca,com 4 palmos de largu-
ra pe4o baratissimo preco de 75000 a peca, ditos
muito finos a 85, 95 e 105000. E' peehincha, na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama<&
Silva.
Cortes de cassa a 34000.
Vendeaa-se muito bonitos cortes de cassa, tendo
7 varas cada corte, com desenhos muito delicados
peto baratissimo preco de 35000 o corte ; t na
loja do Pavo, ruada Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
ortes de chita franeeza.
I bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Cboun'cas e paios muito novos a 800 rs
libra.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra.
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo seceo muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Larnego era calda de azeile e
muito novo a 640 rs.
Qucijos flamengos do ultimo vapor a 26800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cada[um.
Sardiulias de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 6( 0
libra.
Eigos em caixinhas emticamente lacradas
a 1600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocage Cliamisso e outros a 800, 900 o
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 9000 e 10??000.
dem em pipa. Porto, Lisboa e Figueira a Maca Je lmales em barr
480, 500e 560 rs. a garrafa e 3,?, 35500 dem em lata a 640 rs.
Cevadinha de Franca muito -11 ror; 220
rs. a libra.
Ccvada a 80 rs. a titea,
Ervilhas portuguezas I 6i" 1 da.
dem seccas muito novas a 200 rs. a til
Figos de comadre e do DMro 1
de oito fibras o innasti inte a da wratK >
1|800, 5*500 280 i>. .
Farinba do Maranlio a ICO r?. a 1
dem de trigo a \20 rs. ? tibra.
Genebra de llollanda verdadeira wsi..i \>
a 500 rs. o frasco e 6;>2i a fr.
dem em garrafn de 3 e S frita 1 S
e 7^500 cada um com o uarr
Grana a IDO rs. a lata a 16100 a
Licores muito finos a 700II. a |
dem, quaiidade especial em f*m0m mmto
grandes, a 10800 a garrafa,
dem em garrafas mais pcajntaai a Bl <
dem, em garrafa forma 4c pera n 'i :c t
vidro, a l?>000, s a garran val 1 -
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitami;:. ?.< ..
barcada de pouco a 900 rs. a lii rs, da
de segunda quaiidade a 8( O r.
dem Irancea muito nova a 140 r. tinn.
dem de tempero a 400 rs.
a 480 i-, a
e 45 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeara, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, c 7,5000 a 7,5300 rs.
a duzia.
IdemMorgauxeCbaleauluminidc 185i, a I5
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
l5200rs. a caada.
Mai melada ini| erial dos nel
ros de Lisboa a 601 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, fr.;^' -
800 rs.
dem regular a 500 1 s.
Macas linas para sopa: estrel ni 1 '
rodmba e aletria a t'<0 rs. j M .
a caixinhacom 12 libias.
Nozes muito novas a 160 re. 1 ..1
Peixt em lilas preparado pela prirr
de coinha a 15 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o ni;-. 1 >,
Kirsk garrafas muito grandes a 1 ,)S00 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-dem de dental a 120 rs.
mos grande porco de outros que deixamos, dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeHadoa a 900 rs
pegas e carnadas, tanto em porces como j Doce de goiaba em latas o ajelhor 11
retalho- ^ e em caixo a 040 rs.
Quem comprar de 1005000 para cima te- Palitos do gaz a 2520O a p
r o abate de 5 por cento. ; Passas muito novas a 480 rs. a litu a.
la
IMACUIMSDE1
l<
V
de
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECMENTO
DE
MOYOS E ESCOIiHIUOS ESEROw
TANTO EM GltOSSO COMO A RETALHO
6O --EW HVA--@0
UHlEua casa junto a ponte da Ooa Vista.
DAS PALAVRAS.
Ira ha filar ;' f.ar:.
desea roca r wMgmtm
Por Plant Srathers c .
w

de ali!. i
- |.a,-a
hiraialno : *
tnttmjK mm
l 4e alf-
d;o e i raroen
tai W) BHM k -.
11 H ..i
por cu rn 9 ..1-
.- ; ..
t Cesse tudo quanto a antiga musa canta
t Que outro valor mais alto se alevanta.
Acha-se a disposico do respeitavel publico esto grande e magnifico estabeleci-
mento de mol hados, talvez o primeiro e nico boje siente em sua especialidade, por-
que o maior capricho de mos dadas com mais apurado gosto de abrir um eslabeleci-
menlo modelo promovern! a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtenco de vanlagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
dignaran de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
lodos, nao s pelo em prego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos presos quasi do pri-
meiro costo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharo
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinbos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s comprara o neces-
sar-.o, promeitemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
bomem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, qticr seja para com- pliadas.'J''..!"!Jia r;",';"" *"',!,>r 3
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos nEaidw^**wa.T!???.*
objectos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento..
O futuro nos justificar.
Assim como machina* ..i. -1 .
animaos, qoe deseancaai 18 arro 1
limpo, por dia.
Os mesmiis leal para vender uri!
porque peda bter mtntt mb !.:- mar)
memionadas ; para o que asantfa -. ai
agriculicres a virem v.'r e aiaiii lo, aa
zem de algodo, no largo da pon. 1 .
Saonders Rrolhers k C
31. II, praca do Corno sk/o
RBCR.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEIHI SEGURGfT
Hua do (Jueirrid'i US. i'J e 5o !.j .
conht-cido j como tal, esl dUat/iido i f.
por todo > preco ara .ipur.ir l 1 ii
zer venha ver e Irai.i .1 -idne, < rtri
Uaraltios da carias para voltarele n.
linas a......................... x
CAVACO NECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo ueste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominaco de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambera nos riremos mas nao se zangue Sabmtr"da jada as aaada V1
ninguem. 160, e.....................___
O nome urna voz com que se do a conhecer as cousas. esta a mais ?0"*!'0* ^e !.ln.ha t'nm >00jardas a..
Hassos de superior grampos para cii
Duzias de palitos de gaz soperirr- s a. ..
Ultras de rea preta muito laooiior .
Frascos de sv.piricr macaba oleo a .
Ditos de dito parola a.............
Ditos de oleo de lanosa mnito linos 3 Jlr
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, girar.
tida.............................
Ditos de hanha mnito lina 1............
Ditos de cheiros muito tinos para p arefi
a ris.
Vendem-se fimssimos cortes de chita fran- breve, clara e sincera explicac5o que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse stjstema diremos mais
Nao oriundo do Brasil o imponente titulo do nosso cstabelecimento.
muilas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Foi
barritis de linha de cores com SOO jar
das a...........................
Novellos de linha de gaz de todas a< < >-
a res a.............................
Pecas de litas elsticas com 10 vara. pa-
ceza.com 12 ovados, tendo, padroes escures e
alegres de cores lixas pelo baratissimo preco de
000 o corte; s na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60 de Gama $ Silva.
Cobertores al5800.
Vendem-se cobertores de 2 faces, sendo bastan- lem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que tao- pares de ligas ir
tantes grande?, pelo barato prego de 1*800 cada to sorprehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-' aris............*...............
Pavao'n ,me*! mmente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenbar, ecol- V*r de Mena fraaraia, sapariare a...
ilocando-o no oitao do nosso estabelecimento, temos assim feilo distingui-!o dos outros zrA^W*?1**-* '%***<"?.**,a
que se assignalaram com mitras e coras. j ,D^ a 6 .P.. .'. T^""
Ilonni aoit qnl mal y-pense. \ Peen de tranca preta iza ndaV tina a..
___________________________________________________ I Caixas c ^_.___^____________M______^_^_^_ i Varas de lila arria AlDllns Vinfin (\(\ Pnrfn i>n para 0 at 200 retratos, muito bons e por menos 1UUU UU rul lU tilgdi IdkUlU Bonecos de choro muito bonitos a......
preco que em outra qualquer parte: na ra do Vende-se superior vinho de Porlo denominado '-""s de obreras de ma ssa mnln novas 1
Crespo h. 4. D- Pedro V e rainha de Portugal, em caixinhas de. Vara?. o 'ranla -"ranea e deiores par-
ro 60.
Cambraias lisas, na luja do Pavo.
Vcndem-se pecas de camhraia lisa muito fina,
tapada e transparente, pelo baratissimo prego de
i000 t.-mio 8 1/2 varas cada invi, ditas muito fi-
nas a "i, H5, o !5 a peca, dilas Victoria com 10
varas pelo baratissimo prego de 7,5, 9<8 e 105, di-
tas Garrazes fazenda muito encorpada. fazenda pro-
pria para forro a 160 rs. a vara ou 5600 a peca ;
isto na loia do Pavao, ra da Imperatriz n. 60," de
Gama & Silva.
Cortes de la a 1,5000.
Vcndem-se cortes de las garibaldinas, matisa-
das e de quadrinhos, tendo 12 covados cada corte
pelo baratissimo preco de inSOOO o norte ; isto na
loja do PayJSp, ra da Imperatriz n- W (Je Gama &
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-'pJ?.^.***' y v......
-__ n .....___#._ j__________________-- .......__.. .r___.. ___.,_ irascos de superiores cheirns, peqoeno*. a
Vendem-se o i e 3o tomos das biogra-
phias de alguns poetas e outros homens Ilustres
da provincia de Pernambuco, pelo commendador
A. J. de Mello ; obra que todo Rrasileiro, e mor-
mente lodooPernambucano data ccpbecer dar a
ler a sau* Qlhos ; na ra do Imperador Q 4,
urna duzia de garrafas -, na ra da Cadea do Re- i toalhas a.
cife n. 66, armazem de Kerreira & Matheus. 1 Frascos de oleo Philocomefcuperior a.
______.________^^ [ Ditos com snpenor tinta a320 o.........
Caixas de linha d- gaz com '.'0 BjaaaHai .
Rl*Yfl U1AU3 UO JJ-rtlJiUllI^U I Duiias de botes enc.-o.iaos para resi.-
Vendem-se na ra .Nova n. 61 1 I
:
NO
tir
-j)
."i"'
ate

1
1
v*
r-rr
40
I '
'
M I
m
... -


DUrlu de Peruakae Segunda letra 18 e Dezembro z lS4.
AURORA BRILHAKTE
GRANDES 4RM4ZENS
lK

MOLHADOS
&j*5 Largo da Santa?
gMferm ns. 42e84,g
a esquina da ra doa
especias
Largo da Santal!
ggCruzns. 12e84,*|
esquina da ra
gCebo.
O dono dos j muito acreditados armazens de molhados denominados Aurora
Brante, acaba de receber de sua propria encommenda, muitos gneros delicados
proprius da presente esiaeao, e lendo grande sortimento comprado aqui.allanea que todos
os seus gneros sao de l. qualidade.
A seguinte tabella servir a todos da base para ajuste de contas aos por-
tadores.
Xenhum armazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
lirilhante, j pelo grande sorlimento que tem, j mesmo por scu dono se achar encora-
modado em sua saude e ler de vender um de seus armazens agora, e o outra na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna ouadra deslas para se comprar
barato.
Latas rom 8 libras de chourlcas muito novas.
a 7/1300.
Ditas graudes com peine em postas ioteiras,
mais de l qualidades, a (000, 1#280 e
15400.
Ditas com ostras, excellente petisco para fre-
fjideira, a 720 rs.
Bitas cun ervilhas novas, ensopadas, a
720 rs.
Ditas com favas, a 640 rs.
Ditas com amellas a '200, 15800 e 3,8300.
Ditas com marmelada do afamado fabrican-
caute Abreu, a 880 rs.
Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
Ditas com lisos de comadre, ovos, a IMSQQ.
23 e 20300.
Ditas rom bolachinha de soda muito novas, a
2*000.
Ditas com biscoitinhos ingieres de omitas
qualidades, a 13400.
Chocolate.
Chocolate superior muito novo, a libra a
A 1*200.
OSJ Maearro telharim e alelria amarella.a libra
'-i a480rs.
rct-, "ito dito dita branca, a libra a 400 rs.
,, > Ciixas com estrclinha, pevide e outras raas-
-' jp sa>. a caixa 3*500.
.^L Ditas dita em libras a 640 rs.
.'fo Sag. a lil)ra a '160 rs.
<:Sj Sevadinha para sopa a libra a 240 rs.
rifo Er*'lhas seccas, a libra a 160 rs.
K Ditis descascadas, a libra a 200 rs.
dfjp Tai o.'a muito nova, a libra a 280 rs.
X Parinha de ara'uta verdadeira, a libra a
MK SOrs.
Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Viahe verde superior.
A caada a 3*300 e a garrafa a 480 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engominar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabo massa, a |t>ra a 200, 240 e 280 rs.
Farinba.
Saccas grandes com farinba de Goianna mui-
to nova, a."3000.
Cafe.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,
83500 e 93000.
Cha.
Cha temos oestes gneros o mellior possivel,
hysson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxima 23"00,
Dito livsson muito lino a 25800.
Dito redondo a 23300.
Dito prelo Uc primeira qualidade a 2*500.
Dito mai6 baixo a 25000 i 15C0O.
Erra mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermacele.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas.de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prlas para mimos a 45 c 2300.
Kaes.

Arroz do Maranho, em sacca
25400 e a libra a 80 rs.
Dilo da India e Java, a arroba a 35200 e a
lllira a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a 9*300 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dito de tantos, a arroba 75000 e a libra a
260 rs.
Mol nos com 125 sebolas grandes, a 15280.
Mostarda franreza caixa com 2 duzas a
83000.
m mostarda preparada e
400 rs.
conservas inglesas e francezas,
i 640 (800 rs.
Ditos (un sal refinado fino, a 640 o a 500
ris.
Ditos com a verdadeira genebra de larania
a 13200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
15000.
se vit.
''ij) Frasco- cor
\m fire, a 40
Bitus c un
arroba a' Nozes, a libra 160 rs e arroba a 45000.
Alpista c painro.
Alplsta e painro, a arroba 43000 e a libra a
160 rs.
Carlas.
Carlas finas parajogar, aduzia a 25500.
Caslauhas.
Uastanlias novas vindas neste vapor, a arro-
ba 1*000 e a libra 200 rs.
Azeilonas.
Oarns rom azeitonas novas a 15500
Manli'iya.
Manteiga flor, a libra a 15000.
Dita niais abaixo a 800 rs.
Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em Larris c meios ditos, a libra a
660 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
; Bit de i garrafa de Hollanda verdadeira, QaeiJIW noyos vndos J, vapor a 33200 e
lj h o tu r. (,i t
s
Ski
ii
.tijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
*-?> Garrafocs com 2 gales com dita, a 65000.
rfifr Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, c a
M (1117. i a

a a 63000.
de tetuba, a garrafa a
Yin*o mjscale
rfg i*'i00.
rfljg Harrasqoinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
\ p e a 15200.
(w\ Champagne, a duzia 205000. e a garrafa a
.>.;' 26900.
H ip Azeite r< finado porluguez e trancez, a gar-
JU rafa a 15000.
/'o Caixa de vinho Rordeanx muito superior, a! ui.i.
' ,\) 75,8.5. 93 e 103 a caixa.
, '' Ditas cun dilo branco, a 75000 a caixa.
,\% > Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
/-> ro, a 203.
1'.'. Bilis com duque do Porto verdadeiro, a
':, 18500:.
C_p Ditas com ehamisco sajerior, a 145000.
Ditas rom Porto velho e outras multas mar-
cas, a 123000.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
720 (i 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a
35200, 35500 e 43000, e a garrafa a 500
33500.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
13000
Papel.
Papel almaco paulado, a resma a 45800
Dito dilo tizo de linho, a resma a 45300
Dito de peso lizo c pautado, a resma a
23500
Dilo de cmurulho bom a 15 e 15200.
Vinho ladeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15500 e 25-
Temperos,
las de louro. pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 4 '0 rs.
Velas de carnauba.
Mantos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amen loas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
CaixS.'s de doce de goiaba, grandes a 1*400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijalos de arear facas a 140 rs.
(iraxa.
f 360 rs.
Dito da Figueira, das segnintes marra, (X.) I Dazias de boioes de graxa n. 97 a 25600, e
(J A. A.) (J. L. G ) (O. M.) a ranada a de latas a 15000, e os boioes a 240 rs., ca-
43300 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste | da um, e as latas a 100 rs.
que j e-t engarrafado e lacrado com o Charutos finos
rotlo do armazem.
DiUv. de marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 35300 o 45000 e a garrafa a 480 e
o-.O rs.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Rahia per diversos procos, caixas e raeias
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, que deixam de an-
nuneiar-se.
Pechinclia aem igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedade de padres
pdo barutissimo prego de 4$ o corte: na laja das
g iumnasrua do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
roa de Vasconcellos & C.
Folha de Flandres.
Vndese na fabrica da travessa do Carioca ra.
% caos do llamos, superior folha de Flandre?: [a
ver e tratar na raesma fabrica.
POTASSA
Vende-e potasa em barris a commedo preco o
narnada Cruz n. 23. primeiro an'iir. escriplon:
do Antonio de Almeida Gomes.
NEM COROAS NEM MITRAS
0
E
GKAMIIE2
RA O IJfirEKAOOR %. 40
Junto ao sebrado em que mura o Sr. (Mime,
Dnarle Almeida A C, receberam de sna propria eocommen-1,
da o mais liado e variado sormeneo de moihados, proprloa;^'
da presente estacio.
Manteiga ingleza Ma$as brancas
da safra novavinda no ultimo vapora 1,000, para sopa a melhor que se pode desejar,
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chegaram os modernos vestidos de denlelle de seda com birra. inleiram^n* unios
em Rosto e qualidade : luja das columnas, na ra do Crespo o. 13, de adIod. Coma
de Vasconcellos 4 C, snecessores de Jos Moreira Lopes.
Fazendas de bom gosto
Tara vestidos de sealiora
Superiores corles de seda de cor, de morante, de i-rgurio e de secF iaiperul.
Ditos de blond, o de cambria branca bordados.
Ditos de la com barra e grande variedade em cores c f adro. -.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de quadros esrosseza e mindas.
Superiores liias lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpico, com llores e de quadros.
Lindas pampolinas de quadros e de flores, fazenda inteiranu-ote aova.
Superiores rassas de cores, c bodas cambraias organdys.
Grande variedade de chita de cores, de percalia e outras omitas falcadas de gaifjk
Para hombros de scnh<>ra
rs. a libra e em barril a 8oo rs.
Manteiga franeeza
da safra nova a GO rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas.
concitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2#400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos franceses a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10:100.
Chocolates
de todas as qualidades a I.-5OO0 a libra.
Presuntos inglezes
dos melbores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Qncijos
chegados no ultimo vapor a 2fG0O cada um.
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricimente donradas,
proprias para mimos a 900 e 1 #200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que nutro
qualquer nao pode vender por menos de
U a 2#600.
dem perola
especial qualidade a 2#700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 25600.
Massas amarellas
para sopa, raacarrao, talliarim e aletria a
480rs. alibra.
COtiVIC
o muito afamado cognac Pal Brandy a i,800
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4#500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2#800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri- j
cantes da cidade do Porto a 10 e 1(8200
garrafa e de 103 a 125 a caixa, as mar j
cas sao asseguintes: Chamisso AFilhe, 3.
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes, 5g5|
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 10 libras de banha a 4(5000.
Bolachinha ingleza
a 1)9800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 2?>i00.
Nozes
as mais novas do mercado a 120c? .l bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
metas caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
Lindas capas e bonrnoux de casimira de cor.
Ditas de laa e de seda.
Grande variedade de soul'embarques de seda de 185 a 'm
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino eslampados finos, de cacbimira cora httras a>
seda e de tilo prelo.
Camizinhas modernas, zuavos brancos e de cores, coeles de cambraia, lindas go!-
linhas cooi punhos c outros muitos artigos.
Para cabeca de senhora e nenio
Superiores chapeos e chapeliinas de palha de Italia enfeitados para senhora
Ditos de feliro enfeitados para senhora.
Ditos de palha enlejiados para menino.
Grande sorlimento de enfeiles modernos de relroz, de froco. de cabello e de flor*,
para senhora.
Na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Anlonio Correia de Vasconrel-
5,000
rs. a
de l.1 e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 85f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafdes
com 4 '/a garrafas com vinagre a 10OOO*a I
ogarrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas quaida- [ finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo b
caixa c 34o rs. a libra.
Batatas oras
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inleiros a 2-5 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frntas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
Chapeos de palha enfeilados para enlmras c meninas de >
Bonitos vestidos de laa com baria a Maria Pia a 180,
Cortes de ditos dita estampados finos a 608uO.
Capas de grosdenaple prelo bem enfeitadosa 250 c28A.
Soutembarqucs e capas brancas bordadas a 10">.
Organdys mimo do ci'o de lindos padrocs a 1(5.
Grande e variado sortimenlo de chitas largas de 300 a 500 rs.
Bramante de linho de espantosa largura a205Ou rs.
Admiravel sortimenlo de grvalas de seda a 320, 400 e i80 rs.
Na ra do Crespo n. 1 junio ao arco de Santo Antonio.
Loja do barateiro!
ATTENCAO EXCELLENTISSIMAS SENHORAS
paaaaoBS*
feClwlesde renda"
). de mnilo bom "
23 flos'o- Bg
E\ccllenlissiraas
Excellcnlissimas
~ Ckalrs dr renda I
I de MiU boa
Para missa do gallo
A loja Reeebeu de Pars chales pretos de renda o que ha de mais chique, para
cellentissimas senhoras levaran
A missa d
Es-
galln
com os seus vestidos braneos, pelo prego de 13,3 e 205!! I admiravel perhmrha I
Vestidos a Maria l'ia de diversas qualidades, eaacoes, ra|>as e >jutenharques.
l ^-^3 5??> ^ xzB> '^
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo. a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellenle qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de i,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Coriutliias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo is. a libra.
Fumo
o verdadeiro funv americano em chapa a
l,4oo rs. alibra.
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 15,000 rs.
cada urna.
Cekilas
as mais novas do mercad' a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista e taiuQo
o mais novo do mercado a tk -s. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 1000' o cenlo na ra do Qn& em paneiros de i e 2 arrobas a 30500 a. ar-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-j roba e 140 rs. a libra na ra do Qoei-
go do Ganso n. 9 mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
GRAO DE RICO do Carme .i-9
muito novo a 30 400 a arroba e 140 rs. a li- BOLACHINHAS
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do- em latas de defferenles quididades a 10200
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9. a lata
QUEIJO SUISSO QUEIJOS FLAMENGOS ,
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do chegado neste uitimo vapor a 24800 na na
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e
SiTlIVO
BIE
Wf 3
:*
si

BABTISS11S
N. 10-Riia do Crespo-N. 10
Cortes, vestidos de catnbiaia, branco com lisia, finos 8>."i0o.
Soulambarqties pretos ricamente enfeilados 250OO Organdys d'uma s cor, fazenda moderna Mn.
Grande variado sorlimento, chitas largas de 280 ;00 rs.
Bramante de linho, cspanlosa largura 2i00.
Corles de vestidos de linho de flores 15,->000.
Um completo sorlimento de chapeos franceses 84500.
Na ra do Crespo n. 10, loja do Principal Baiatnro.
^mmmmwmmmmmmmm
NO
ABBAZEI
DE
fe
^\
iV
&
w
largo do Carma n. 9
do Queimado n. 7, na da Imperador n.
40 e largo do Carmo n. 9.
Os proprielarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
NOVIDADES.
Queijos do Uenlejo. ditos das ilhas o mais fresco que se pode dese-
jar a 10200 a libra, e sendo inteiro ter algum abatimento, ricas caixinhas
redrndas enfeitadas, proprias para mimo da festa pelo barato preco de 40
cada urna, ricas caixas de figos tambem proprias para mimo de 800 105OJ
cada urna. Vende-se nicamente no armazem Verdadeiro principal, ra do
Imperador n. 4.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
lv-4 a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. '8
ana
Venoe-se superior inho do Parto em ciixas de
urna doria : era casa de Jolmslon Patera C, na
do A'gario n. i.
Superior cal de Lisboa.
Vende-se superior ral uiate* a mais nova
que ha os mfreado, tanto em porcao romo a rea-
Iho, por barato ?"--. afian^ando-se aos compra-
dores uperior qualidade : a tralar as sepni'.i^s
mas : Crespo n. 7, lmpprador n. 28, forte do Ma-
tos, armazem do Sr. Avilla, defronte ^ trapic'o
1 algodao.
Vinlio do i'oil't superior
em barris de oitavo o derim, vende Antonio Luir
de Albuquerque Aievedo & C : no scu escriptorio
ra a Croi o 1
^ UETSXXBO VEHDE.
^ Neste estabelecimento ha sempre nm sortimento completo de roopa fea
0 todas as.qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dot caaear-
B rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambes tea oa
*' grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para seoboras,
>*i. homens e meninos.
1/X Casacas de panno preto, 350 e 300000 Ditos de setim prelo. 5#MN
m Sobrecasacas dem, 300 e 250000 Ditos de dHos e leda hnK0
i Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......100000
m Ditos de casemira, 200, 150,
120, 100 e...... 70000
|( Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
i| Ditos ditos pretos, Vfi, 70,
g 50. 40 e......30500
5 Ditos de brim e ganga de c-
Kion Ditas de algodao, 1,5600 e. .
A^nnn Cara'sas de peitos de iinbo,
* Ditas' de madapollo, 2J500.
50000 U%. ^V7 .
; Chapeos de massa, pretos fran-
"0000 cezes, 100, 90 e. .
70000 Ditos defltro, 50, 40.30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
40000
! 00 e.......
; Ditos de gorguro de seda
pretos e de core;, (0. 50 e
Cohetes de fustau e brim brao-
I co, 30500,30 e .
Seroulas de brim de Imbo,
i 20490 e ......
2#500*
res, 40500, 40, 30500 e.
Ditos branco de linho, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80e......
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50OOOe.....
Ditas de princeza e merm pre-
to de cordao, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Cohetes de velludo preto e de
84500
noto
40000
20500
H5, 70 e......
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
tas. #
20500 Toalhas parroste, dozia, ll#,
e........61000
cores, 90 e......70000 Chapeos deso, dealpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 50 e 40000 tea e de cores.....40000
Ditos de ditas de cores 50 Lences de bramante de baho.
40 e........30500 Cobertas de chita chinea.. .
wmi mmmm
,v


Diaria de rrnaMbar Segunda felra 1 de Dezembro de 1S4.
V
0 VIGILANTE
Rna do Crespo n. 9.
O gallo vigilante temi sido agraciado pelo pom-
poso allisa, na sua ordem do dia, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo cora seas
agudos esporoes nunca os offenderA, antes os agra-
ciar na mesina conformidad?, para que o Baliza,
possa marchar em frente, a Branca Aguia possa
levantar seu v6o, levando no tico as palinbas seu
niiilu ; e o Gallo Gcar em seu espacoso campo
dando de novo o seu canto annunciando a seus
bons freguezes e ao respeitavel publico
0 grande sorlimeulo deobjecles dcmuilogosloijur
acaba de rereber.
Ricas caixinhas com msica ricamente eneila-
das para costura, proprio para um delicado me-
nino.
Riquissimos cofresinhos com cadeados de metal
para guardar joas.
Ricas caixas com estojo, cerniendo todos os per-
tences para borneo).
Riqusimas voltas fingindo perola.
Ditas com lacinhode tita.
Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
suras.
Lindos aderemos com pedrinhos fingindo br-
lbantes.
Ricas livellas para tinto, de todas as qualidades
c Lora gosto.
Ricos cintos do ultimo posto de Pars.
Grande sortimento de lindos enfeites para cabe-
ca, sendo do ultimo gosto e de lodos os precos.
Plores muito tinas para noivas.
Luvas enditadas e meias de seda para noivas.
Lhaposinhos, sa patinos e meias de seda pan
baptisado.
Riquissimas fitas de todas as qualidades para la-
co, cmiose cinleiros.
Camisinhas e gollnhas para senhora.
Riquissimos jarros e figuras para ornamento de
sala.
Grande sortimento (!e gravatinhas tanto para se-
ahora como para homem.
Luvas de pelica branca e decores.
Cascarrilhas de bonitas cores.
Trancinhas, galiio e maravithas para enfeites.
Transelins de cabellos e de retroz para reloglos.
Papel amisade e du outras qualidades.
Bolsas para viagem.
ntremelos e babadinhos de lindos padrees.
Lencinhos de linlio bordados.
Meias para homem, senhoras, meninos e menl-
BaS.
Fitas de veludo lisas e com mtame de lodas as
larguras.
Thesouras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para offerecimentos.
Caixinhas com seis frasquinhos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, e em
frascos quadrados cgarralinhas.
Pomada lina de todas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos de
lmannos.
Saho inglez em paos grandes e pequeos.
Escovas de cabo de madreperola, marlim e de
osso, para denles.
Pentes para desembarazar, com friso de metal e
sem elle.
Ditos de tartaruga e de muilas outras qualida-
des.
Pentes de tartaruga para senhora
Ligas de seda e do algodo, assim como mnitos
outros objectos de gosto que seria impossivel men- ;
cinar, quo a vista far fe, s no Gallo Vigilante, |
na do Crespo n. 7.
ra do Queimado n. 8
Grande sortimente de objec-
tos de gosto.
A Aguia Branca antes mesmo de ser condecora-
da em o pomposo titulo de domestica, conferido
pelo gabinete do intrpido e gil Balisa, mandou
ver o grande sortimento de objectos de gosto que
agora acaba de rereber e exp lo a apreciarlo de
sua boa freguezia no numero da qual contempla o
infante, epor que para estes ella ja mais abrir ob-
vto para os beliscar, deseja que tambem se livrera |
dos agudos expor5es do vigilante gallo.
Eis o que ha de bom :
Finas capellas brancas para noivas.
Meias brancas de seda para ditas.
Bonitas ligas de seda para ditas.
Ligas.
Ditas ditas para manguito.
Lavas de pellica enfeitadas para dita?.
Ditas de seda braneas bordadas para noivas.
Grvalas brancas bordadas para ditas.
Rosas e ramos de flores finas para noivas e con
vidadas.
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.

ATTENG&O
Os precos da scgnlnte
tabella para, todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajaste de coatas
com os portadores.
RA DA CADEflA DO RECIBE W. 53.
(Logo passando o arco da Conceieie)
Ciraade reducoo de precos, equivalente a dez por cento menos do que oatro qualqner
annaoclaote.
LINDOS ENFEITES
Para senhora a Mara Pa a QmAsHL
Chegaram para a lojasdo Rija rftar lini.. m-
feiles a Mara Pia e aGarihaMi, f n I, '.. <
mais lindos que tim vindo |or ai ra t fOSV
novos : as lujas do Beija Flor roa do i>uh avado
II. J e 69.
SintOspara sonhora a Mara Pia.
Chegaram tambem lindos sinio<' U.
pedra Mara Pa, o.-, mais lindos e wn mmm-
nos que tem vindo : s as lojas do l i> -!. r
ra do (Jueimado n. 63 e 60.
Peotes t tarlaru^'.i,
Lindos pentes de tartaruga para al ir rali lio
mais modernos por serem ch"iradj~ i ....
vapor : s as lojas do Bcja Flor ra d> Ow*t-
mado a. 6.1 e 69._______________________
M iUUYATH
r.
IKiima jM'jluia/ nnnv
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ngleza a l,ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
Fitas i-rarcas e de cores, lisas e lavradas, o que alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo! 11 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
8ysthema que vim encontrar, des se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redueco de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia deoutro preco de manteiga ingleza a nao ser o de Moo a l.Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
esto obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamado de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estabelecimento, para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu tim
to smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplidao e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
sero to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco, afim de que nao vio em outra par te
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
ment. por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
se pode encontrar de melhor.
Bonitos port bouquets.
Leqnes de sndalo e madreperola.
Cascarrilhas e maravilhas brancas e de core
para enfeites de vestidos.
Lindos aderecos de perola falsa?.
Outros de bonitas e agradareis cores.
Outros de mosaico.
Pulceiras, brincos e rosetas de dito.
Outras de aljofaresbrancos e decores.
Outras de cornalina, e chapa de christal.
Voltas de aljofares breos e de cores, fino e
grossos.
Fivelas grandes de tartaruga e douradas.
Outras pequeas de ac, douradas e com pedra..
Bonitas e encorpadas fitas para estas.
Cintos largos de diversas qualidades.
Talheres para crianzas.
Acham-se de novo a venda na loja da Aguia
Branca : ra do Queimado n. 8.
.Vsllias finas.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolbida a 8oo rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem viudo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
A Aguia Branca na ra do Queimado n. 8 acaba
de receber essas estimadas navalhas finas de ac meiOS a 500 rs.
refinado, dos acreditados o bem conhecidos fabri- Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
cantes J. Rogers & C. : cujos nomes bastara para; a |5ra
JUTambem Sebeu afidres e massa. : Mem perita o mais superior do mercado a
Enfeites bonitos para bailes, ca- 2,8oo rs.
samentos e passelos. ; Wem buxim o melhor que se pode desojar
A Aguia Branca na ra do Queimado n. 8 est : neste genero 2,6oo rs.
completamente provida de bonitos enfeites de fio- dem preto homeopathico por ser de superior
res, e outras differenles qualidades, e lodos de gos-1 qualidade a 2,000 rs. a libra.
ESTUtt^^SfZB > "ysson,huxim e perola mais proprio
tes
compa
bonitos de marroquim para bailes.
nvelopes mu grandes para of-
ficlos.
Acham-se a venda na ra do Queimado n. 8, loja
da Aguia Branca, e bem assim outros pequeos.
.mludezas de primelra qualidade.
Como geralmente sabido a Aguia Branca pre-
sme ter sempre o bem para bem servir a sua boa
freguezia, e or sso mandou vir e acaba de rece-
para negocio o l,6oo, I,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende era outra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, cheuricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vera
em barris.
ber um variado sortimento de miudeza de primei-: Chourigas e paios em barris de meta e uma
ra qualidade e diffleeis de se encontrar ero outra j arroba a 8 000 rs. e | ,5oO e 600 rs. a libra,
qualquer parte, constando elle de ca.x.nhas de ex-,Queijos flamengos muit0 frescos chegados
cellentes linhas de novellos grandes e pequeos.
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a I,6oo e i,8oo rs.
Caixinlias de linhas para cronchet c ponto de
meia.
Carteiras com superiores agulhas.
Caixnhas com ditas e que caa papel sortidoi
Fita fina e elstica para abanhdos de vestidos. do 30 mercado a 800 rs. a libra entet-
Dita de puro linho e de dilTerentcs larguras at, ro S6 faz abatimento.
iodos os! para coz. dem pralo muito fresco a 8oo rs. a libra.
Mu bom eordao francez em pecas grandes para|Idem do A|entc;0 0 que se pode desejar de
vestidos. ,___________LS-0------ i:k n\\n
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do MaranhSo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem dalndia muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs.a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco ealpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de I e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que terai Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos cora bonitas eslampas na caixa
exteriora 1,260, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol eu do Kempcs
de Lisboa a 85o rs. a garrafa c 9,5oo a
caixa com uma duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o fraseo e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rollia do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilbas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 1 ,ooo rs. e 11 ,ooo a duzia-
Palitos para denles a lio e Uto rs. o maco-
Sal refinado em frasco de vidre com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Trancinhas de algodao de diflerenles e bonitos
mordes para enfeites.
Baldes linos de osso e madreperolas.
Outros de velludo e seda para vestidos.
Colehetes francezes de boa qualidade em caixi-
nhas redondas.
Carteiras ou estojos com agulhas e cabo para
cronchet.
Didaes de marfim e madreperola.
Agulheiros de dito.
Caetas de madreperola.
Escovas de dita e marfim para unbas e dente
Leques.
Riquissimos leques de madreperola tanto para' DI II Al CCM ^S F H i I EM fl D
senhoras como para meninas, pelo barato preco| IiIbHL OLIII OLUUIlUu
de 12i e 14; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Penles
tambem chegaram os riquissimos pentes de concha da or lodo pnq0 a V!.,a dos ruUres.
de tariaruga e de massa lina, que se vende por 25 Urtas de allineles francezes da melhor qualidade
30 e 5$; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7. a 80 rs
Canelas. Grosas de pennas de ac inglezas da melhor qua-
Riquissimas canelas de madreperola propria-j'
para qualquer presente, pelo baralissimo pre^o d
10OO e i&.
Sapatinbos e meias ie seda.
Riquissimos sapatinbos de seda e de merino en-
hilados, assim como moiaszinhas de seda, gorraii-
nhas e louquinhas para as cnancinhas se baptiza-
ran ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com crnzin'das
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas anisas
e vollinhas, pelo barato preco de 13 e 10200, as
o.ruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 20, 20500 e30;s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Eufeiles para senhora.
Riquosissim enfeites com lago e sem lago e de
outros.muitos goslos a 10,_l0aOO e 30 : s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins de eabello para relegia ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 10500, ditos de
relroz a 200 rs.
Babadinhos entremetas.
Riquissimos babadinhos enlremeios com lindo;
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 02OO, 10500, 20 e 30; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de lilas de diversas largaras
e qualidades, por pregos que admiram aes com-
pradores, havendo fitas largas proprras para cin-
leiros que se ptle vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 20; s no Vigilante, ra do Crespo
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acahem.
Ervilhas e favas porluguezas em tatas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunto do reino vndos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
, Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
Ra do Queimado ns. 49 e oo, loja de miudezas ~_ _, i-u
de Jos de Azevedo Mala est continuando a 1,000 ei,zoo rs. a iiDra.
vender muito barato, poi> seu genio dar a fazen-] Espermaccte em caixinhas contendo 6 libras
por i.ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras e chernee, vezugp em
latas grandes a 8ooe 1,000 rs. cada uma.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, Cerveja branca e preta das marcas mais a-
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a ioo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
rem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 6io rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada uma.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 2io rs. a
libra.
lidade a 640 rs.
Caixas de colehetes francezes de superiores qaab-
dades a 40 rs.
Grosas de botoes de madreperola muito finos a56f
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oiiavas de retroz preto fino a das que tem vindo ao i;osso mercado a Bolachinha de soda em latas cora diversas
640 rs. 6,000, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante- qualidades a l,3oo rs.
ReSofjodC fle pesollso muit0 sl,Penori se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
Gravatas da liga e de outras muitas qualidades a' qualquer nao pode vender p.ir este prefo. | para mimo a 64o rs.
500 rs. Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e!Passas muito novas de carnada a ioo rs. a
n. 7.
Filas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, rna do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura donrada" Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
sem ella de 80, 100, 120 e 140, assim como com Caixas com superiores phosphoros de seguranza
columnas de differenles tamanhos a 20, 30,40, 50
i aniveles para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de botoes branco para casaveques de senho-
ra a 100 rs.
Pegas de fita de cs estreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a ler a 800 r?.
Os segredos da natareza para os meninos a pren-
der a ler a 10000.
Cartilhasda doulnna christaa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes tinos de marfim a 10000, 10200 e 10500.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
500 rs.
! Gollinhas para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
10000.
Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
to prego de 160 rs. >
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordo branco para esparlilhes muito superior, i
vara a 20 rs.
Carritcis com 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Candes cora 200 jardas de linha branca garant-
d> s a 60 rs.
Grosas de pennas de ago superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
Ihas a 160 rs.
Pares de botoes de pnnho, oh que pecbincba a i
120 rs.
Tinieiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de betes de louca prateado muito fino a
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a 500
ris.
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
frascos grandes a l.ooo rs. o Rasco, e
H,ooors. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes ioo i
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 2io rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
editadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 2io rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de i li-
bras por 2,ooo; diloemcaixesa6oors.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32e rs. a
libra.
Vetas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6io rs. a garrafa
e i,8oo a caada.
Banha de porco refinada a ioo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho d9 Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,Soo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oo rs.
Matle excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
DA
AGENCIA LOW-MOOB.
Ra da Scnzalla Bova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e metal
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos. ^^
Arados americanos e machinas par
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston A C,
ra da SenzaUa Nova n. 42.
Fabrica Concei#io da
Bahia.
Andrade A Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
!a fabrica, proprio -ara saceos de assu-
car, embalar atgodao empluma etc., etc.,
pelo prego mais razoavel.
SORTIMENTO PARA A FESTA
e 60; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindes jarros e liguras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqui
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
paeotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perramarias.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos on vasos rom dis- ------
tlnctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos rae- dezas finas, que s a vista faz f : na loja da Au-
Rna da Scnzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston C,
11 100 envelopes o melhor que ha a 640 sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
ris. caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
Caixas com 20 qoadernos de papel amizade, muito CDcoies para carros e montara, arreios para
fino a 60( rs. __ I carros de um e ,]ous cavallos, e relogios de
Quadernos de pape pequeo muito fino a 20 rs _. _,
ouro patente inglez.
38.
ENFEITES A MARA PIA.
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n.
i, receben novos gostos de enfeites a Mara Fia;
Inores e mais afamados anloresdePariseInglater-
ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a 20 c a 10, assim como outros objectos que nao e
possivel por hoje annonciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Rna da Scnzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tac/j <* i
cada, assim como tambem tem de muitas mais [err0 coad0 libra a 110 rs., dem d eLoW
qualidades, riquissimos sintos de fita larga de chs- Mftn_ ,hp, ion re
malote com fivelas, tambem largas esmaltadas do a r5>
pedras, riquissimas fitas largas de rhamalote la-
vradas, proprias para fazer sintos de pontas ca*
hidas ; finalmente tem grande sortimento de miu-
Vende-se
23Largo do Terco23.
Joaquira Siin-o dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do bom e ba-
rato que se venbam sortir dos bons gneros este estabelecimento que nao se arrependerao, se lhe
(ara a differenca de 10 a 20 por cento, pelo seu prompto pagamento ; e por Isso se faz annuncio de
jlguns gneros, quo tendo sempre este estabelecimento um grande e vantajoso sortimento de tudo
quanto perlencente a este estabeleeimento.
Sen lid o! Yon fallar com o Conservad* !!
Queijos mais novos do mercado a 20500 e 20800.
Serveja das melhores marcas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 50800.
3abo amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charetos da Baha dos melhores fabricantes de
10200, 20000, 20500 e 30 a raixa.
Milho alpista e painco a 160 e 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a dia.
dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprio para missa a 500 rs. a dita.
I lera do Porto engarrafado a 800 e 10, tomando
mais de uma caada de qualquer um destes lera
grande abatimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
Biscoitos e bolachas de soda a 10400 e 20.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Gem-bra de Olaida era fraseos e botijas e de la-
ranja de 480 a 640 e 10200.
Chouricas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas com 1 e meia libra de amenas a 10200.
Ateite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa 30 o
galo.
Manteiga ingleza de 1" e 2' sorte a 800, 900 e 10
a libra.
dem franceza em barril a 600 e 640 ris a li-
bra.
roucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 80800 a ar-
roba.
3atatas em caixas e gigos 10200 e 20000 a ar-
roba.
Oaf de primeira e segunda sorte a 250, 280 e 300
rs. a libra.
rroz da India, Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a
libra.
phosphros do gaz a 20 a groza e 180 rs. o maco.
'assas novas a 480 rs. a libra.
Velas.decarnauba Aracaty composic5o a 400 e 440
rs. a libra.
Vfassas para sopa a 480 e 440 rs a libra.
iarmeilarfa dos melhores fabricantes de Lisboa de
1 a 2 libras a 640 rs. a libra.
Cha hysson o melhor deste genero a 20800 a li-
bra.
dem perola mmdioho a 20500, 20000 e 30000 a
libra.
Banha ingleza alva e snperior a 480 rs. a libra.
OU ERPOGEE ESCEi
rim-as V Iwfa ;\ ,
BTHUUfl, WJ V-AL VESE
TOMES
Ebnllicac**
BERTOEJAS,
OPHTHLMIA,
Hydropisia,
Empigens,
HERPES,
Mfiarfros,
ERISIPELAS
BSIOKBIIO.
un lia.
CHACAS ANTIGS,
Rheurr.aismo Ci.r r;tc,
DEBILIDAD!- (KR \L
x\Trnos HWIK irTBTTIt:. NtiM.
SUPPRESSAO DAS REGR.IS, ",
AMENORREA A.
RtteaoM ilas I imr,

KMA< IA(A'>.
./. f .i .
...

DJFUmCES CE 3 C
Afec9oes Chronicas d > FIj
A* l K-n \.-. 'KIM n- \< [ \ i i
i \i VIlAS, O "|.
uvm Cao i"i M i
A*.*i:t rom lumbrm |M*I (cr%n\-i im a- 'n -!<-
SKML'O r < i::- prr|>u:i
Todos estas EnfermicLides pita
mente cedem i bencic i ,
purificantes qual).
justamente afam
SlLSPIBBFfll PE
venda as boticas deCaors ra da Cruz, e Joo da (". Bma i C,
da Madre de Dos.
rora, ra larga do Rosario n, 38.
Libras es ter Un a s
Vende-se qoem as qnizer comprar no armazem
n. 33, da ra da Praia, se dir quera as vende.
superior farinha de mandioca, a bordo dos brigues mano.
sennas Principe, I). Affonso e NSo Sei, atracados
eo caes do Baro do Livramenlo a tratar a bor-
do, on m> largo do Corpo Santo n. 4.jirimeiro an-
; dar, escrlptorio de Palinfira & Beltro.________
- Vende-se um comumeiro maritimo inglez do
melhor fabricante Charly Prodshao. afflancando o
seu regulamento, por diminuto p-eeo : a tratar
na ra Nova n. 21, Itja de Francisco Jos Ger-
Vinho de Porto.
Bordados fines.
A loja da Aurora, na rna larga do Resarie n.
38, receben, bordados de cambraia transparentes
muito finos, que tanto serve para camisas como
para vestidos e salas de senhora, pois qne Isto fo-
ram amostras que s a loja da Aurora fel quem
receben destas fazendas : qualqner seniora da tanga por cima da roana, cot!inian bom gosto que protender usar de>tes modernos ara embriagado, aMMafa por Joo Grno>
ESCRAVOS T&IBOS.
Fngio da ca>a do major Ant i ii*
Gosmaooseu escravo pardo de non.e Lui/, rofcfce-
cido |Kr Luiz Monteiro, idade 24 BMH I, i ira
mais ou menos, bastante alto, serr, Lt m \*trrim,
pernas compridas, cor clara, cal rll. > rarfttaoV -. a
ohoto, c o principal signal ter fin fin a rf- rada
mao uma estrella azul e tres pinta> BM I aflata,
formando um triangulo em cada lad d > i?;i\
ofllcial de pedreim. pintor e raiad'.r
loga-se s autoridades poliriaes. aaaflJi <>m ac
senhores de pngenhn e proprictarjo- >< x.itr tl* a>r
irahalhar,inlilulando-se forro, tanto r.-ia Trona-
da como fra drlla, que o faca petaaVf e irnu-
ter ao sobredito senhor, qoe pagara Maa as r%-
pezas, assim como a quem o conduzr flara usa
boa gratificacao.
Fugio sabbado 26 de novemliro proinim as-
sado o escravo pardo de nome Antonio, df i4aim
de 20 annos, pouco mais on menos, roai os ^%-
naesseguinies : magro, altura n polar, n"
prido, nao tem barba c cora bastantes m:rra t
bexigas, falla branda, foi erravo e cria o 9f.
Joaqoim Cavalcanti de Alboqnerqoe 4o er.*ak*
Araguari da freguezia de Barreiro*. emurrpaTa-w
nesta cidade em vender agua, aapai laa mirgw
e das santos andava calcado, de aali'fcl traer,
< hapo do chile e bengalioha fina, roasia i\n* o
intitulava de ser livre, qaandn hp i ava a >te-
mas pessoas a quem venda apoa, que srcuia tara
liarreiros, e que somenle vi-luva dep. i da fc~la
do natal : roga-se s autoridades iiliri.i e raat-
tes de campo de o apprehei derern e mandarcaa
entregar na ra do Qneimado n. 77. Alrxaarfre
Jos da Silva, que recompensar com 500.
Escravo fitaiti
Acha-se fgido a escravo Firmino, porfareaM
a tripulacao do hiate Lindo Pnqurlr. yr>u< africa-
no, de 48 annos de idade, estatura recolar, r> -t
comprido, barba poura, e falto de deetes na frrav
te ; levou camisa e ralea de algodAo aznl rifa-
se s autoridades poliriaes e qnaiqner 'ntra pe^-
soa a respectiva apprehensan, pela nnal e dari
uma graticaco na ra da Crui a. 2.1. pria e;i
andar.__________________________________
Xa noile de 15 do crreme mez rt. >appar-
ceu de Santo Amaro de Jabjato o e-rravo rabra
de nome Henrique, que representa 22 anno* da
idade, cujo escravo i! de cftatora baixa, lea aaaa
cicatriz em orna das face*, proveniente de ira
couce de cavallo, nao barbado, U\\i< man<.-..
carreiro, presume-se que o mesnvi teoh viat ta-
ra esta cidade, onde existe a mi ; fl f*
abaixo assignado peae a captura do nr**
escravo e a sna entrega ao Sr. rapi*> Silvia
Goilnerme de Barros, a quem deu aul salisfazer a quem o pegar.
Andr Ferrelra de Rwua.
Fjkio o escravo JaaVa que rejrernia lev 34 a
40 annos, calvo, alio, bastante ladin, n- n-l. *
Vende-se canos de barro para esgoto de te-
j hados : na ra do Rangel n. 4.
Vende-se sanerlor vinho do Porto, em barris de
vigsimo, em casa de Ferrera & Matheus, na roa bordados, queira mandar qoantcuinMiwapnrJ
da Cadeii do Recite n. 66. pois chegaram poucos e estao se acabaada.
Joo Muniz : quem o pegar leve a ra 4a Ca4ta>
do Recife n. 64, qoe ser gratificado.



Diarto de Peraaaafeae* Segnnda felra 11 de Dezemhro de 1164.

LITTERATi
E eu nunca hoi de ver essas lindas cousas ?
disse Liza.
Oh I
L
espero nao morrer sem tornar a ver a
minha ierra, disse Tonin.
Primeiru preciso Irabalhar e fazer fortuna
preguigoso I replicou Tonin.
6 dt'''S '|Ue "ver Pro-PW<>o a colonia que
amo pobre muco. Vou construir iiasaiiuhas v,Jluc,a nos contiou, partiremos entao para
.....>:........ii. .._. ..._____ ... 1-ranea.
thii\lc;aii.
iCoutinuaclo)
- D'aqui a pouco vera o que utn homem aq' J** Htnr' seu futuro candado Henrique, o radio, o pensa Stn5 em trabalhar este amigo
La?.) de Liverpool. Esta Mo carptntwro, lavrad.r rel)licu Tonin. Pois sim ; trabalha-
e pedreiro. o sol e o so/riso dc sua irmaa irans-
! ir
ierras, disse-ine elle, um albergue para os emigra- ran4'a-
leles, edeilea maos obra com um ardor I ~" 0I' que elicidade exclamou Liza,
que uunca ser desmentido. ~" Teremos una casinha de campo com venezia-
- Mea querido Ileurique disse Tonin, estou nas verdos defronie da enseada do cabo Brun, e
morto por tornara v-lo. passaremos boa vida, e tu, mcu irmlo Henrique,
- Mas o que elle nao espera o reforco que Tt^J ^""^ de LeD?ala "a m5' dianle
vou raandar-lhe, proseguio o capitio; qumze ro- p"Z',ft Um a,mriDte refo"nado--
bustos merioheiros da miaba fragata para traba- prwM!: as arvores, acrescentou em
lliaremeomelle. Adens, meu caro Sidney... vou -"'M.W ,
.... 3 "u i v"aqueon qu espmcho anu ?
I ii oordo,logo nos tornaremos a encontrar. O lie ; On m, ,.1, ,
que o espera, no hotel do ito repon, agora \ (Traduce livrT da''Chande para n6s ?
i roce elle bm esse nome, nao acha? h ,.
- Adeus, meu caro capao, o senhor derrama; que J^fiET Pr'UgUeZ
por toda a parle, e faz n.ui.a gente ;^ ,,, ; um r J^Le Tonin.
- Escepto eu. disse Parker voltando o rosto. za J X"2 propor. a,u,n nelio> disse Li"
Procnrava oceultar duas lagrimos que Ihe- "dee enr.queccr-nos, establecera-
ledeciam as palpebras.
Quatro mil libras I disse Manoel Soares sor-
prendido ; ha dez annos comprava-se por esse
prego toda a Nora Hollanda I... Quatro mil li-
bras !..... Cem mil francos em bom francez!.....
conf nos irouxe de S. Malo. E'|a historia de urna
moca colona, chamada Virginia, que morre afo-
gada perto de trra por nao saber nadar. Esse
livTo conhecido na India ha quinze annos, e des-
Ora, meu senhor, deve abater alguma ceusa.. a de ento todas as mojas ahi aprendem a nadar,
quarta parte... Henrique, disse Liza, trata do concluir quau-
- E' exactamente a quanlia de que necessito, to antes o tea Chatliram.
disse Honrique. e os seus maridos, Aslhon e Albertus, mor-
- Para casar, aposto en, tornou Soares rindo, reram afogados ? perguntou Tonto.
Vao desposar aquella moca bonita que ali est sen- Pois nao sabe 1 disse Marta.
tada... Nao sabemos nada, falle.
- Aquella miaba Irma, disse Henrique. Aslnon e Aiber,as parliram nonlel a nUle,
- Al, perdao, di;se Soares, muito linda, e proseguiu e|,a 0 ^ Sm-Q parker ^^
com elfe.to, ludo quanlo se pode aju.zar desla dis- doze marinheiros arraados de mn.nados de aLor.
tancia, parece-se muito com o senhor !.... Quatro dagem.
rai' 'ibras !' i Ah I meu Deus I exclamou Liza.
Nem menos urna corda, replicn Henrique O ...
terapo precioso, volto ao meu trabalho. ~ fta0 Se assusle- m,Qha irmaa 5 elltS v5 para
- Com este calor ? disse Soares. ajudar Aslhon na Cresta, junto ao lago dos cys-
- Oh I tornou Henrique, se izesse fri nao po-: neS prelos' capilao achou Pliina a lda dc
4.a Um Apolo tocando a lyra, na mesan aMav
de que a bella estatua de Cyreae. do mhi fcri-
tannico, mas n. Esta Agora foi mniU re>taara-
da, mas as addigoes modernas foram feilas
muita habilidade.
dena trabalhar... Com Iicenga, meu senhor..
Aslhon. Esta larde, veremos os nossos dous aml-
E fingi que quera dar por acabada a converja e eS descerem do valle m uma "actuante jangada
despedir a visita. do lrncos de arteras, e continuarlo nese traba-
Vamos l, tornou Soares, talvez seja bom ne- "10- Allda com elles m Prt"Sue* chamado..
Sa....So...
Soares, dizse Tonin.
iva ura escaler atado a um caes natural feito mBndo la no Cabo JJruu
ce r cha dos ; o capillo embarcou nelle, pegou nos; Liza djsse T '
re >s e dmg.o-se rira a Orwn. sao a este paii T
Tonin seguios muito lempo com os olhos, en- Rm nrtm.Sm
viando-lhe mil Leneaos, e quando o esca.er chegou p|eoa*??* DUQCa me aradou' re"
------ -...... pucouamoca. e tu rnesmo, meu caro esposo de
amntala, nie pareces gostar muio disto, e lano
que a cada passo fallas na Franja e em Touloo, e
ja me transmitidle o amor da la patria. Dep'ois
ha aqu.... um homem podoroso, cuja presenca
nao me agradavel.... e que lere ae encontral-o
sempre em toda a parte.
Mas, disse Tonin, o capilao Parker um ho-
mem muito delicado, o que podes recelar delle ?
Nada, meu amigo, nada por ora, mas o futu-
ro longo... Emlira, que queres, nao estou sa-
tisfeita em presenja desse homem, e depois de ca-
sada lerei medo delle. E1 o re. desle paiz sclva-
gem, e eu cousidero-me aqu sua escrava ; deu
provas de muita paiio e nao devemos acreditar,
tao lidas que 1JUB Ilo
, nm celebres se nao t.vessem a fcticid.de de Tollin licouP em ,n,m-
pertencer a l'rovenca. Grandes pintores enmar- No ^
eam a noaca distancia deesas admira veis paisageus SH ..r.. ? ro^,. ur 7L mmnVM levantara-
, *. *^m zsm :^i;:*;,:;*.
gocio... d'aqui a dez annos... Quatro mil libras....
Toque... Xas colonias conclue-se depressa os ne-
gocios... em sabe que aqu o scherif o tabelliao | Soares... isso raesmo... Contece-0, Sr.
mos Urna hospedara para os emigrados Irlande-! provisorio, elle quem registra as esenpturas de Antonio Sydney ?
venda... Espero-o nocartono ao me.o dia ; can-; Heais, respondeu Tonin cora voz abafada e
vm-lhe a hora ? fazendo um gesto aUirmal.vo.
i c&tremidade do
pezaroso, j tomaste aver-
.i fragata, o joven ollicial apressou o passo, e atre-
veu-se finalmente a olhar para a bemaventurada
lagem onde o esperava miss Liza. Apenas pa-
11-, um instante ao caminbo para commanicar tudo
a Cl tiaoo o s sitas duas papillas.
Paremos os tres casamentes no mesmo dia,
elle. Venliam ter coinno^ce no Suert Itepo-
Teremos conselho de familia esta noute. Em
(m, eu Ja nao estou masque e vire beau !
E aergica expressio, que significa oslaren) acaba-
dos os infortunios e voltar o bom lempo.
XV
MTSTEMO DE CM COMIHADOR.
. i estrada que pela costa do mar, vae ter de
foulon ao cabo lirun, ha paisagens
Sim, senhor.
Permitame outra indiscripQao, proseguiu
Pois.bem, esse Soares, que licou com urna
das casas de Chrisliano, vae fundar aqui um vasto
nao sao pura comparar com o Lamalgue uas que
I >< a fortuna de nao ser d. depariamenio do Var. grandt tX|tnsa0 ^1^^
Sobretudo, ta peno do cabo Brun urna formosa
enseada, cujas aguas verdes elinpidasrolao sobre
que.
Sim, senhor respondeu este fizeram-me cs-
Soares rindo con. malicia. Isso dote para sua ir-' estabelecimento, e ja comprou o p.imeiro corle de
maa ? Ella casa com aquello mojo... aquello alto madeiras por alto preco.
e morono... Adcvinhei ? E comproo-me a raim por quatro mil libras
E d licenca que o convide para assistir ao! um terreno inculto, disse Henrique.
casamento ? disse Henrique com ar alegre. ~ Devoras ? disseram as duas mojas batendo
Com muito gosto I muita honra, meu ca- palmas de contentamento.
ro ; aceito... E quando ? Oh disse Tonin, preciso que eu decifre
Muito breve ; hel de preveni-lo. ieste enigma ; mais milagroso do que o corvo do
Parece portuguez o seu futuro cunhado, disse anachoreta. Eu c nao acredito senao em mila-
Soares filando a vista em Tonin. gres dc Santos. Esse homem espalha bilhetos do
E' francez, Sr. Soares. banco como so fossem eslrassos (trapos.) Tem
Ah I... do sul da Franca, sem duvida ? ; feo muito bem em tres dias; tanta bmdade me
De Toulon... Um ofllcial de marinha retirado espanta, nao propria dos humanos. Esperem
do servico. : aqui urna hora, quando eu voltar hei de dar-lhes
Tem urna physionomia muito agradavel ; alguma novidade.
sua irmaa nao pode deixar de ser feliz. At o meio! O diabo do Tonin vae brigar com o homem
dlAMmSrarasPdP nnvnaa m-n I1?"1"? faZ Cmn0SCO PapeI d r"" Pr0dig movera Pr
os. e separaram.se. lisse Chrisliano. alimelad, a guer,a civi, mas> 0 que djr 0 Itra.*
sil, se os Estados-Unidos da America, ciosos das
suas formulas republicanas, teotarem ura dia aca-
bar no -Novo Muudo com as duas nicas monar-
chias que ali existem ? Se quizerem em nome da
maioria das populajoes americanas, bannir de toda
America a realesa I
Anda ha pouco tempo, a apprehensao imprevis-
ta, trajoeira e injuriosa do vapor Florida dos ame-
ricanos confederados do sul, pelo vapor Wassuchet
dos federaes do norte, nas aguas da Baha, debaixo
da bandeira e da artllharia brasileira, provocou ge-
ral indignarlo e merecidas censuras aos oflkiaes
americanos do norie, que ousaram affrontar de um' ,, *"* heroica' !* o-Wa*
^ An .- i, j- Ia 'l": .ndependencia L-m saIyro> JJJ^ de m p^*
cesto, dentro do qual est um Cocido. A estafan
da poea romana; mas nao de ama ex-rw
muito delicada : o motivo .' gr.-rioso ; o lrafcaaV>.
ordinario, mas a esculptura estem adrairavH cea-
dicao.
do Brasil.
Mas, como e que este imperio oftendido pela In-
glaterra e pelo.; estados americanos do norte ; este
imperio, que to grande ruido fez com essas olfen-
sas ; este imperio, que anda hoje est empregaodo
meios de se desaggravar, clamando contra os abu-
sos de duas nacoes mais fortes, ousa exprobar-lhes
abusos, que elle proprio commelte contra estados
que Ihe sao inferiores em poder e riqueza I
Se justo que o Brasil recebada Inglaterra e
dos estados americanos do norte as reparacoes de-
vidas pelos insultos que sofTreu, acaso nao ser
justo tmbem que o Brasil as d egualmente a re-
publica orienlal do Uruguay, por elle ofTendida,
talvez mais gravemente que o imperio o foi pela
Graa-Bretauha e Eslados-Unldos ?
As outras estatuas da colleccao sao aa grupo >
Mercurio e llerse mal restaurado, mas nMeressaa-
{e peto assuraplo, e um corpo de homem.
Estas estatuas foram compradas ao re Fr
co II de aples.

Transcreveraos de um jornal :
E' esperado prximamente em Londres, em
de lord Brougam, o Sr. Berryer.
O eminente advogado aceiten aa convite
um grande banquete, convite asignado por rom
Nao saben, todos que o Brasil aproveitando-se da deravel numero de membros do foro ingtez, e a#re-
rebelliao que afflige aquella repblica, aproveitan-
do-se da ambiguo do caud.lho D. Venancio Flores,
auxilia este por lodosos modos contra o legitimo
governo constituido ?
Nao sabem todos que as reclamaces d'este go'
veruo teera sido desattenilidas pelo gabinete impe-
rial, com o orgullioso desJem que mostram geral-;
mente os governos dos estados fortes contra os dos
estados mais fracos ?
Nao sabem todos que o Brasil, alimentando a
guerra civil na repblica oriental do Uruguay, pro-
cura enrraquecer este estado, para talvez, em po-
ca mais ou menos remota, se tornar o arbitro dos
seus destinos ?
A' poltica do gabinete imperial desagradar tal-
vez que um estado visinho conserve urna constitu-
co republicana. A transformarlo da repblica
mexicana ern urna monarchia representativa, dar-
Ihe-ha esperanzas de vrconvertida tambera a rep-
blica do Uruguay era um estado monarchico. Pro-
sentado, em seu nome, pelo nobre lord.
No dia i\ do mez passado reani>*> para este
lim um meeling em casa do feral.
Foi entao rosolvido que o furo, em feral, taa*
convidado a lomar parte na demonstrante de *r
feito em honra do Sr. Berr\er.
Suppoesc que o banquete se eftectuara anai
dos primeiros dias da sess.o prxima, por bueajBf
o celebre advogado francez s p-l di^por de at-
guns dias.
Henrique ,eiu com ar triumphante, Cuntar ludo I Chrisliano, estudei a cara, os gestos e o por-
i a Tonin e a Liza.
te do homem, e como nao sou mais tolo do que
A moga maniestou a sua alegra exagerando-a qualqueroulro, tenho o direito de suspeitar que
Ouvi dizer que o senhor proprietario de Iu deliri- Tonin lcou seno. j ha alguma maldade no fundo do bem qne elle pa-
sma arda de praia, e que so conservara sempre sa concesslo, e tenho o direito de vender metade'de alegria como minha irraaa ?
serenas e alegres, aiada mesmo quando o mar bate delle, ficando-me o resto para construccoes e cul-' ~ neech na0 me Parec
tunoso nos promontorios viziitios. As mais bellas tura. se Tonin abanando a cabeca.
sse elle a Henri ~ Eutao, meu cunhado, disse Henrique, nao I rece fazer. A casa que elle te comprou aquella
achas que os Irlandezes sabem neg .ciar ?... 100 que daqui se avista com urna varando, perto da
mil francos que me cahem do cu E ulo saltas
arvores do sul e do norte pendern e susurram en.
(orno dessa baudeira do sul
O momento ainda mulo favoravel para nma
muito natural, dis-
cabega.
Mas depois do meio-da, proseguio o Irln-
capella ?
-E-
Meus amigos, concedarame urna hora, escla-
recere este mysterio.
Passou-se urna hora, e mais outra, e mais urna
A repblica do Uruguay tem sido ollendida pelo
imperio brasileiro, que nlo s nlo Ihe atiende as
mais justas e repetidas reclamagoes, mas at tem
continuado a alimentar a guerra civil sustentada
, os pinheiros, as aroei-1 especulacao, lornou o estrangero, mas a colonia dez'quando vires a5 notas do banco nglez, acha-Iterceira, sem que Tonin voltasse ; ma's, como o ti- pr D' vn"c'< Flores, fornecendo-lhe dinheiro
ras que sao bem naturaes, meu caro Tonin. Innara v'l entrar na tal casa, seus; amigos nao
- Ainda as acharei mais sobrenalraes, meu i tioham cuidado, eslavara apenas impacientes.
Henrique, escuta.. aqui para nos, o que veudeste
se elle ja ulo existissc.
A naturea, alias tao variada nas suas creagoes,
C .n se algaidas vc.es ; e para n:io ser aecusada
de lusufliuieucia, expe o raesmo quadro era dis-
l mria tal que possa escapar a compararlo.
Nunca a natnreza poder prever que um da,
djbrauJo o clao da Boa Esperanca, um marlnheiro
ira sorprende-la ea. llagraute delicio de imitaclo
no ilm do mundo da Australia, e quo at llie agr-
ras, os sobreiros, as faas, os sycomoros de monta-1 vae em rpido progresso, e conv'em aproveitar a
nba; e as harmonas que parlem dessa floresta ae-' occasiao propicia.
rea, desse golfo, desse mar, nao tem nvaes na mu-' ua< |,..r ... .
- I"1,"J,,'" ^ ^ CWS d o y, um ^LtEZZZZ \ P- f~ va, urna moeda de 24
localidades como esta.... Vae edificarse aqui o1 u, .
palacio do governo, a alfaudega, o iheatro ser o ~ es,as tU agora dePreciando os
bairre ..ubre como o VestEm, ccommercialcomomeUS '''renos'd,sseHenrique.
Ladgate Hill, na Cit. ~ Deixa-te disso, replicou Tonio, anda hontein
Desejo-lhe essa prosperdade, disse o estran- nos teus ,trrenos ''avia um club de kangurs 1..
geiro sorrindo, mas nao sera tudo cedo... Eu raes- Tliveras--- nesse negocio ha alguma cousa de PretoMo contra o nisdo por que ella ahi apre-
mo tenho nteresse nisso, vislo que acabo de fnn- exlra'jrdna"0--. desconfi desse homem... tem ciada-
dar ura estabelecimento em Port-Jackson. >cara de m"'<"J0 portuguez.
- Disse o meu amigo Chrisliano que Ihe ven-! Como desconfiado o meu futuro marida
(ConUnuar-se-ha.)
UM PIUCO DE TUDO.
Dando aos nossos le lores o artigo que o Jornal
do Commercio de Lisboa, publicou acerca da ques-
tao brasilio-orlcnlal, nlo podemos omittir o nosso
decena a reprodujo em Port-Jackson de umori- ;deu Ta i:as,inI,a' ali.do lado da caPella-
(jaer nos parecer que o Ilustrado collega nao se
inspirou bem do motivo do procedimenlo do go-
glnal de cabo Biuu !
Era nas dures horas da manilla, qaando o mar
i; i '.-ido pelos primeiros raios do sol, manda seus
perfumes tetra para alegrar e despertar do ho-
mem. Dous noivos, que ho de ser esposos no
dia segrate, vera sentar-sc cora Henrique a beira
mar para, na inlimidade, fazerem sem projeeles
de famia, antes que cheguem os out.os amigos.
Foi a Providencia que nns deparou a conces-
ivo deste terreno e deste pequeno golfo, disse To-
nin. .Y primeara hora matutina, cora esta som-
bra das arvores na agua, com esta vista do mar,
aquelle grande roehedo que forma um promonto-
rio e esta briza tepida e perfumada, parece-me
que estou na enseada do cabo Brun, peno de
Toulon.
disse Liza batendo de leve no hombro de Tonin. verno imperial, deixando ainda de attender nao s
l'in pul...ni % .a- v ------------------ m Mvuwn, o* iggia. iviuu im|ici unaanog amua ne auentier nao so
cuniculo, disse O estrangero; entao j Quanto a mira, desconfiare! sempre de quem me as tradigSes da nossa diplomacia, como aos prece
lile, f ineil niimn n \1-innnl c.nn.. .... ^. *.%..hn_ ...._____ ...___ ?
mas de quem m'as der,
sabe que o meu nome Manoel Soares, e que pa- roubar quatro mil libras
go dinheiro vista.... Ora, diga-rae, quanto qur isso nunca I
pelo terreno que se estende dentro do bosque de Emfim, veremos, disse Tonin
uZTJ anglo-bras.leira e ess'ou.ra
um e?pano que diegue para urna casinha de cam- Ouv.ram-se risadas ferainas do lado do mar, an- \ do Wachusset.
; nuncando a chegada de Mara e de Antonieta.
denles do nosso governo para com aquelles povos
Nlo vemos, pois, se nao sua iojustlca da par-i
O caso pa-1 do Ilustrado collega ; e sentimos que queira eqt.u
po, um pomar e un. parque.
Vem a ser mais de metade do terreno qne
me fot concedido, disse Henrique ; espago sulli-
ciente para edificar-so urna cidide.
Pois bem, alfrum dia se edificar a cidade,
respondeu Manoel Soares.
Qur tambera ficar com a metade das mi-
nhas ierras a bera mar ?
a
Chrisliano co'idnzia-as em urna piroga do casca de
arvore, e a pequea embarcago naufragara na
praia.
Vinham as mogas todas molhadas de agua sal-
gada, como Venus quando nasceu, e nlo quzeram
sentar se a sombra, confiando ao sol o cuidado de
A REPBLICA ORIENTAL DO BRUODAT E O IMPERIO DO
BRASIL.
E* sempre sympathica ao publico, por que o
aturalmente para todos os coragoes generosos, a
resistencia do fraco contra o forte, quanlo este in-
justamente o opprime.
soldados, cavados, armas, material de guerra e mu,
niges de toda a especie.
Quer pois o Brasil que a Gri-Bretanha e os Es-
lados da America Ihe respeitem os seus direitos
como nago livre e indepeudenle 1 Quer que essas
nages, por seren mais poderosas que o imperio,
u.o abusen, das suas lonas contra elle ? Saojus
tas estas exigencias ; mas para que o sejam com-
pletamente, para que todos assim as reconhegam
principie o Brasil por dar o exemplo de respeito e
de deferencia pelos justos direitos de um estado
mais fraco. Nao seja poderoso despota para urna
pequea repblica, e poden ento queixar-se le-
gtimamente contra as duas nages de quem lti-
mamente recebeu aggravos.
A repblica do Uruguay, por ser um pequeo es-
tado que nao admitie a realesa, tem o mesmo di.
reno de ser respeilado e considerado como o Bra-
sil o lera e o sustenta agora perante. as duas na-
ges que o olfenderam.
Oh i a Franga disse raiss Liza
un. bello paiz !
deve ser
E Touliiu proseguio Tonin, ainda mais braco esquerdo onde apoiava o
- Certamente, espero um yachl ae passeio, e d,reclono:
pretendo mandar construir duas pirogas por ope- ~ ."a0 "veram medo ? Perguntou Liza,
rarios, malaios, se cora eleilo decidir o negocio ~ 'Sa'somos colonas de Caveri I disse Hara
com o senhor. i sabenus nadar como cysnes, ver.
Henrique, pensativo, segurava o cotovello do' "~ B* de c"-sil,ar-||,e. replicou Liza, nuero
Applaude-se e agrada sempre o procedimento do
mes euxugar em poucos minutos, as roupas do i ___j ^ : .
, ,UuF.3Uy prtmeirc, quando o segundo, provocando-o
bello que a Franca
moutanhas que slo guardaventos de Deas; coih-
ilis caberlas de pinheiros que cantam ; pomares
onde ehovem laranjas, e a linda enseada que tan-
to se parece com esta 1
queixo, pareca
tambera ser cysne. guando meu irmo construir
l.'n.a baha que um mar I j es'ar calculando um prego rasoavel. Depois de oseu Cl,alliram. a'' defronte da barra, Lavemos de
urna longa raedilagao, disse : jnadiir a noult nestas aguas to bellas, nlo, miabas
Bem sabe que nos os Inglezes nao perdemos i,rmaas ?
lempo em regatear, se Ihe faz conla por quatro! Escute, Liza, disse Maria, nos lemos ura II-
mil libras, poderaasj concluir o trato. | vro francez muito divertido, que o capillo Sur-
is 2
O museu brilanniro de Londres receben l-
timamente as estatuas do palacio Farnese que ha-
via comprado. Estas estatuas sao nove, a saber :
1.* Um Mercurio, quasl idntico pela attilude o
proporgoes celebre estatua do Belvedere no Vati-
cano. Oulro exemplar d'esta obra existe na ga-
com o leria de Lansdowne-house ; mas d'esles tres Mer-
abuso da sua forga e poder, o obnga a oppor ener-' curios, o palacio Farnese o mais completo,
gicamente a esse poder e a essa forga os seus di- 2.> Ln,a estatua equestre de um imperador ro-
reitos despresados e a sua dignldade offeedlda. : n.ano, da maior grandeza. A cabeca a de Cali-
Explicase ass.m, c so assira, a indignaglo que a' g,,^, n.as duvidase que pertenca' ao corpo. As
iraprensa europea geralraente inanifestou, quando perrvas do ravallo foram restauradas em multas par-
toda a oacao brasilera foi olfendida na sua capital es; mas o grupo est no melhor estado, e esta
pelo ir. Lhnstie, inmitro britannico. S assim se obra especialmente nleressante como urna da<
podem explicar lambem os applausos com que foi estatuas equesiies que em lio pequeo numero se
acolhido o procedimenlo do gabinete imperial, e a tem conservado da antigudade;
allitude nobre e digna queassuraio o Brasil n'aquel-1 3. A celebre e nica copia do Diaduraenos de
la lastimosa conjunctura. I pdete
Ha nodistncto de Wilhelmiaa iLapomai am ra-
jador dc ursos, dc sessenta annos de idade e por
nome Jacques Pierson, nao menos oasado de <*
o celebre matador de leoes.
Orga por setenta o numero Je animaes feraces
feridos bala ou a langada, m coihidos aas re-
des de Pierson, que. ainda que ferido ili ar-
zcs, nao desperdiga nunca a o.-easiio de malar am
urso.
O maior perigo que correa foi era 1336, en ama
cagada a que seu pae o acompaohao.
Este foi atacado e deilado por Ierra por ora ar-
so; mas Jacques correu em soceorro e eaterroa a
faca de mallo no peito do animal. O orso eaio
deitou fura o ferro e precipiloa-se sobre I n ipai i
i desarmado.
Seguase lula corpo a corpo, na qual oeaeador
| dotado de extraordinaria forja resista aos esto.
gos do urso para o esmagar. al que o pae
levantado, airavessou o animal com a laara
se armara novamenle.
Jacques raostra orgulhoso as cicatrizes
da conserva.
O clero francez conla 1:600 prelados-01742
curas d'almas1:900 esmoierese t:77V cenima
nidades religiosas.

De Madrid escrevem em dala de 9.:
Venficon-se boje urna batalba simulada ama a
fin de obsequiar o general tunesiao Sim-Sataa
Dez batalhoes de infamara manobraran en cam-
po que existe para esle fim a nma legoa de Ma-
drid, fazendo especialmente eierririos d<; Hnpai a
defeza. Julgo que o africano lera BVado lisaVu a
do brilhante rsiado de inslrucr; e equipa meato
do nosso brilhante exerrHo.

Em Toln esla-se constrnindo. aos diz um jornal
hespanhol, om navio dc novo svstema qne tara
urna revolugao na guerra naval.
Este navio, a qne chamam Tanreaa a aa arma
principal o esporao, e run-iruido de anaaae
devera procurar sempre atacar o iaimsfn 4e ira-
vez, e o seu volume e veloci.Ude esioi
de maneira que produzam um choque cojo
los de destruirlo excedan, a ludo aanala na eo
obecido al agora.
Para poder perseguir e alcaagar o sea adversa-
rlo tera urna velocidade e qualidades siipen are-
para o mar, e podera girar no mesmo sino em t/m>
pstiver.
Para diminuir o seu peso aparte apenar a
mastreaclo ser mu ligeira e suAeieate para
que possa fazer uso das relias ao rasa em aae
sotfra alguma avaria na machina. Moltura aous
canhoes de grosso calfCre, um a poupa ootra a
proa,
Este navio nlo lardar em ser iaarado a
siibmettido as provas pralicas que seria dt
interesse para a marinha.
FOLHETIM
VIMTC rIOIt \S DE LITE1RA
ROMANCE ORIGINAL.
POR
GAVILLO CASTELLO HUNCO.
(Continuara/) do n. 288.)
F.ni.OGO.
(Concluslo.)
li iiitera, 27 de outubro deste anno 1864, quan-
do cu, conta da pequenez do livro, cuidava em
alinbavar outra historia, que o meu amigo prova-
velmente rae nao contou, annunciouse-me ura su-
jeito do botas d'agua e cobrtjlo.
Era Antonio Joaquim.
Haviam decorndo cinco airaos sem nos vermos.
Como estaes nutrido texclamou elle.
E' a gordura da felicidadel disse eu, apal-
pando os perigilhos da barba para me convencer
da minos nutricio.E tu? que nediez I que ele-
phante de forja e sade I E's o emblema do Mi-
nti ern carne; era osso nao digo, por que tu dei-
xaste de pertencer aos aniraaes vertebrados: s
ura mollaseo intelligente, Anlooio I Como ficou a
tua familia 1 os leus rapazes ? Os teus socios da
arc santa era que inaris sobre este cataclismo
de corrupgo universal?
Ksto todos bons. A nica pessoa corrompi-
da da arca sou ea.
Tu I f
K i, sim, desde que involuntariamente de i
direito a que o meu nome se lea era vinte e tan.
tos follielins do Commercio do Porto. A pureza
da n.iulu vida e costumes quera m'a dava era a
ebscuri lade. Era quanlo o mundo me desconfe,
cjsse, sabia eu que o meu escondrijo seria defezo
curio-idade malvola e pestilencial; porra, des-
de ejae rae lizeste viver e discorrer, e parvoejar,
corno qualquer socio deste funesto club, chamado
a seeiedado, a minha pessoa, o eu subjeelivo, dei-
taa do ser eu, e passou a ser tu. Quero der que
aauiquilaste a minha individualidade lypica: con-
Bubstanciasie-me na materia universa; e contami-
Daste-me da peste geral.
Foste ingrato a quem te deu litera para vinte ^'m homem, que se chama Antonio Joaquim tem
horas! Estampaste o testemunho da tua ingrati- lodos os elementos nominaes para ser urna encel-
lo, e nao haver para ti, d'liora em diante, pes- 'tnlu creatura; mas est em divorcio da lyra clas-
soa generosa que te faga um favor, com o risco s,ca> e d alahude romntico,
certo de Bear sen lo autora dos teus livros. Pelo ~ tada vez mai sandio I -atalhou o meu arai-
que vejo, todos os infelizes que conversara coraii- Eo, apertando-rae nos bracos afectuosos, e rele-
go sao teus collaboradores, de mais a mais, gra- vai>do-me estas facecias raascavadas e innocentes,
luitos. Em Franga nao assim Balzac pagan com (IUC eu brindo as pessoas que mais preso,
os enredos das suas historia*, e todo o escriptor E'Hlo a que vieste? Vens-me deparado pela
de boa f reparte dos seus lucros com quera os Providencia dos romancistas fallidos de imagina-
auxilia- ?o ? Trazes-me o epilogo das Vinte horas de to- i hospede
Vens portante reclamar a tua quota pane tetra f
nas Vinte horas de liteira ?perguntei eu, dispos- ; Aqu estou tua dsposigio : explora-me.
to a respeitar a propriedade das ideias do meu Conta-me o que feiio dessa gente que ficou
an20. viva nos vinle e cinco captulos publicados. Aqui
Nao I aecudiu elle.Ainda nlo estou intei- tenho os Commercios mo.
ramente afislulado da gangrena mercantil que A lltr8'"a do pruneiro romance a egua que te
apodrenta a humanidade. Eu nlo vendo ideias. salvou- Ainda vive?
A intelligencia fulgor de Deus, raio de luz que Cuide que rae poupanas dorda lembran-
se nao decompoe em lama. Alugar o espirito por ca ; porm, se
urnas tamas horas ao leitor, que te compra ura li- Inf vro, urna simona, ura trafico sacrilego, um SaberaS qUt a miha sa,vadora ao decmo oitavo
chatraar ignobl com os dons da luz eterna. an" de 8ua edade' quan'10 se esIava osand as
- Portante, prescindes da la parte era di- de"C'aS de U,na inval,d rePusada e fa"a. >i
nheiro na collaboraco das Vmte horas de litei- es_couceada Pr um *M no vigo dos annos, e
ra?...Muio obrigado. nao tde sobrevlver a sua iguomloia.
- E prescindo tembera da gloria I ~ ,f lUS CgUa d6V'a f mor.rer' -bservei
i h T. eu.Baro personagem distraclo nao acaba assim
imL^T.r / TCOra"dadede espinotado por burros. Equiparou-se a tua il.us-
.mmorta..sador.-A .mraortalidade e radeclraavel. lre defunta aos grandes estadistas encanecidos,
sopodesdecahircom.godoapplausodasgerages aos grandes genios que fechara o eyelo intellec-
raTronii!" teU",0ee,nhV,,Ue ltor8,ton*- tual da sua geraglo. Em Portugal ha lamenta-
t.Us? Conta por reculos a sobrevivencia de ti raes- veis exomplos destes pinoles homicidas. Conso-
mo. As pessoas que fazem romances, e as que ie.,e meu ami?0, a consideragao de que a tua
tLZuZ D0= rraaDC"S' n Hem ***m*****m do licor embriagante,
acabar.de todo era todo. Se nao Imam perpetua- chamado gloria. O que me falla saber a posi-
das em bronze, tera uraa durago, mais ou menos c5o sncia| qm 3llngiu 0 burro. A4oslo KesIa
encarquilhada, de mumias. As necropoles, ou sa- bcm |
ISes morluarios, onde se depositara estas inuraias Sao sei.
iulellectuaes, slo as inercianas por via de regra. Hei de eu endagar isso, quando tfver paoien-
A manleiga e os corainhos .sao a rezina e o asphal- cia para examinar o destino de todos os sojeilos
te aromtico desies embalsamemos. da sua especie. Eu sei onde elles se encontram:
Meu amigo, eu j nlo pos*o remediar o que fiz: mas nao o digo aqui para me forrar catastrophe
o elernisar-te foi urna lotice irreparavel como ou- da tua egua.
tras rauitas. Desculpa, que a minha ntengo era Vamos adiante. Os filhos de Jlo do Cabo,
honesta; e tu deves imaginar quanto me serla aquello homem que desenterrou o dinheiro? O
costoso irradiar urna aurola immortal em volta pae ainda os leva s minas, em que elle explou a
do tea nome, que se ageita muito pouco a isso. dissipalodo s seus bens?
- O pae morreu. O filho mais novo, que fre- Edifica-me esse caso, meu caro Antonio Joa-' E c|la depois mm fez -
quentou a Universidade, recebeu o seu patrimonio qnim.. .. E aquella Jlo Carlos, herdeiro da D.; Fugio pela serra f.ara e 1. .1 I | f--.-
e -ogou-o em menos de tres annosa fui na Fz. Ti- Rozalinda, viuvi do general francez ? ; do mais empinado, desfechoo anas garfeando*
nha vinte e cinco annos, e eslava pobre. Foi bus- j Joio Carlos ficou na encmtadora vvenda que' que pareciam berros de pm n.a der dos
car o amparo dos irmaos. O mais vell.o, que pa- h-rdon ; e, passados annos, casou com urna mcni- dores. A juslica lanrou-Hi- a rede 'petes
dre intelligente, acotheu-o com boa sombra, edi.se na pobre, linda, edoente como aa creaturas a quem ||,os visiohos, descubrio-lbe a ossali
a criada: Faga a melhor cama e as memores o ar desta vida parece que mpegouha os orgaos mezes, enlre' urnas fragas do momie CorJova, a
iguarias para o nosso hospede. A governanlcj pneumticos da alma. meia legua de Sanio Thvrso
objectou dizendo que eram desnecessarias tantas j Pois ella tinha isso!? orgaos pneumticos na o enterro de Lourengo Pire* foi decentenva*
; ceremonias com um irmlo. O padre replicou: E' | alma ?l foito nelo filho de Felicia(I, fvrpataa. aV. aft
Tu que ja na a tens orjrlonenhum da alma, tambera. Esta sania mulher de^f-z se em UjnV-
Ao cabo de tres dias, sahiram juntos, e l u'uma meu scelerado Nao tens senao estylo. E" u que'. mas. Levou-a Deus, depois que ihe moslnxi
a agente bem organisada de corpo e
por ministerio dos horneas a jostiV*at-
entada
vina.
E que me dizes la daquelle Manoel da M.
que por ter vollado pobre do Brasil, amadaa
erigir urna cruz, em arrio de gracas aa Al-
quebrada de monte om (jue se abria urna das mi- diz toda
nas, onde trabalhra o pao de arabos, c padre parou, alma.
c disse ao doutor : V e vae depois........ a esposa de Jlo Carlos
Teu pae e meu, que Deus haja, desbaraten os morreu de pneumona?
seus ha veres; mas nao foi mendigar favures uein Nao : engordou.
esmolas : trabalhou nesta mina e n'oulras. Neste Ah! concertaram-se-lhe os orgaos da al-! tissimo?
raesrne sitio, em que estamos agora, nos referi mal Ainda bem I.......... Deram socedade
elle as suas culpas e o seus castigos, conclu.udo mullos u.euinus ? *~ tnc0Dlre' e, "e Basle aa fe.ra da S
por nos dizer : Meus liihos Maldito seja entre Muitos aojos que se confunden! e conversara 8Ud- L'le "J" e""'0"' na aeraara
vos aquelle que jogar I. Pesa sobre ti a maldiglo com as llores do jardun, onde seu pae Ihes falla da qUt t"ve a raalh,r' P"r morl* de ora m kt**,^,-
de teu pae, porque jogaste e perdesle o leu patri- generosa seuhora que Ities deu euchentes de felic- ro" Disse-me elle que ia levaalar agora amara,
monio. Se perdesle a honra tambera, nlo sei, nem dado a lodos. p em honra ,ambem do AHas.no, a ver se a
t'o pergunto: a ;ociedade o saber e t'o pergunla-! E o Lourenco Pires da iHistoria das janellas mao mna l,vrava as sn bario.
r. A' maldiglo, que te ha de ser toda a vida um fechadas ha trinla annos ? I Eolio a beranga deu-lbe algn e>pir.te pete
doloroso grvame, ha um s meio de Ihe amaciares Morreu ha dous anuos. Sahio do seu suppl- que vejo!...... E aquelle santo bom-m o'l it
as asperezas: o trabalho, o trabalho como expia- ci pela mais dolorosa das evasivas. Aquella pri engeiado, ainda pode dar-nos alfnma licae da no-
clo, conducente virtude. Teu pae era agricultor, meira mulher, que elle havia infelicitado, conti- ral de Jess?
e fez-se minero: tu s homem de leitras, cursaste oooa a persegui-lo, como te conte. Urna vez,
cinco annos a Univerdade : creio que nlo precisas eslava elle deiudo e adormecido na ourela do rio Ainda. Olha-lo em rnsto iateader a ansa!
dessaibrar minas. Abre o teu escriptoro de advo- Ave. A mendiga descia do monte eminente, e de Jesus- Na ha >emNale otis serta le-
gado, e trabalha. Se me dizes que em casa de teus reconheceu-o. Avisinhuu-se delle, carainhando s Rre' ,* olnos de"e DODe" choran, porqse,
irmos ha pi abundante e sob.jo, respondo-te que surdas, e espiando-o por entre as arvores. A dis. que ve ,arimas a'beia*. todo o lemaa mar
o ha, gracas a Deus; mas para invlidos, para tanca de dous passos, quedou-se contemplando-o cessario Dara enchuga las.
os que querera irabalhar, e nlo podera : para ti cora horrivel tregeitar de rosto e maos. ttepois, Em redor delle, mulher. Albo*, prenles
nlo, que podes, e nlo queres. A ti, ...eu irmlo, saltou como fra ao hornera, e de ura empuchao, estranhos, lodos' commungam daqueiu'
fare o que faria a um esiranho. Se nlo tens com acompanhado de pragas, despenhouo na cor- alegra. W o Iwmem de Dees cam a sea
que principiar vida, dou-te as minhas economas; rente. neste mundo. Nao se. se os ll
mas dos bens, que foram de teu pae, nem nm Com que estranheza elle acordara refW cei,il- eu, sinceramente condodo da sorte do hornero. alanceado de despostes, beneneriteada
No dia seguate, o bacharel sabio para Lisboa, Quera te coutou isso? permute esta pergunta i sa eterna. Sou leigo nesu materia. Oaaei
com os recursos dados pelo Irmao: Applicou-se lio c. y tica. qne Luiz Ferreira bom e Mal o qoe d-re aa
esforgadamente pratica do foro, que ja hoje um j Contaram-m'o lavradores que estavam nas mar os mas infelizes a Cuerea sebeas a laea
advogado de fama, e comega a recuperar o seu pa- ^ velgas da outra marge.n do rio, alguns dos quaes logia que discuto,
trmono. Nas cartas, que esrreve ao padre, nao o se lancaram inutilmente levada para salvarem
trata de irmlo chama-lhe a sua providencia, i Loureugo Pires, PERNAMBUCO.TYP. DE M. F. DE P. a TUJKh


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC3GFE74O_OG4IV4 INGEST_TIME 2013-08-27T21:04:14Z PACKAGE AA00011611_10546
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES