Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10545


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AIIO II. IfIERO 289
Por tres mezes adianlados 5$O00
Por tres mezes vencidos 6J0U0
Porte ao correio por tres mezes. 075
SABBDO 17 DE DEZEMBRO DE 1864.
Por asno adiaatad......9J00O
Porte ao correio por dh anno 3U00
a**E :a^BU"
Cf ARREGADOS DA fcUBsCRiPCAO NO NOR'E
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Nata!, a Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty.o
Sr.A. ce Lerr.os Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveu-a; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
PaRTDA DOa BtAfSCAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os das.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Garuar,
Altinbo e Garanhuns as tercas feiras.
EPHEMERIDES BG MEZ DE DEZEMBRO.
6 Parto cresc. as o h., 11 m. e 56 s. da m.
13 Lna cheia as 4 h., 52 m. e 26 s. da m.
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A- Pao d'Alho, Nazareth, Limoeinx Brejo Pesoueira Quart0 ming- M 2 h-> 42 m- 58 s. da m.
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa. Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob' 28 Lua Dova as 7 h., 1 tn. e 44 s. da m
Boa Visla, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
SNCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO NO SL. Sennhaem'Ul Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
Alagoas, o Sr audino Falco Dias; Babia, o UTde FernS tos^SSSiSSg
rr. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-1 navio,
riera Martins & Gasparino.
[ Todos os estafetas partem ao / dia.
PREAMAR DE HOJK.
Primeara as 6 horas 54 minntos da manhaa.
Segunda as 7 horas 18 minutoi da urde.
ADiKNC A DOS RIBUNASS DA CAP3AL
PARTID.-. LOS VaORj COSIEIROj.
Para o sul at Alagas a 6 e 25; ptr o norte at ,.
a ur?.nja 7 e 22 de cada me;; par?. Fernando nos i "'Cana. dias 14dosmpeAcTd^anDaarj^ J1- el- e nov. Raiacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Para o Recife: do Apipucos s 6 '/,, 7, 7 >/,, 8 e
8 Vi da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6'/, da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s8 dam.
Do Recife: para o Apipucos s 3 /,, 4,4 A, 4 Vi,
5, 5 V4, 5 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da
tarda; para Cachang e Varzea s 4 Vi da tarde;
para Bemflca s 4 da tarde.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito da orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas 3 sabbados a 1 hora
da tarde
Ron;i
DIAS DA SEMANA
12. Segunda. S. Sereno; S. F.pimacho m.
13. Terca. S. Luzia v. m.; s. Ku.-ir u-iom.
14. guara. S. Agnello *b. m.: S. Ar.-cm > m
15. Quinta. S. Albina m.: S. Ceriliano m.
16. Sexta. S. Eusebio Verselen^c h. m.
17. Sabbado. S. Ptoriano ni. :S. liolaniro m
18. Domingo. S. Esperidiao b. c.; S. Theutimo
ASS1GNA-SB
no Recife, em a Hvraria da praca da i.
ca ns. 6 e 8, dos proprielanos Man o* l
de Faria & Filho.
n*.
)gamos aos nossos assignautcs de
oia que quizerem reformar as suas
assiiimUii'as, para o anuo prximo,
hajam de dar as suas ordens para que,
antes do li.n do corrente, eslcjam as
mesmas reformadas, para nao haver
iulciTupco na remessa.
Igualmente rogamos puelles, que
se at-ham demde o anno presente,
mandem pagar seus dbitos, para evi-
tar que llies seja suspensa a remessa:
FFIGIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
CoRtinuarao do expedienle do dia 13 de dezembro
de 1861.
Offlcio ao commandante do Presidio de Fernn-
no.Faca V. S. regr'essar a esta capital na pri-
meira opportunidade, como reqnisltou o juiz mu-
nicipal da primeira vara, em officio desta data o
sentenciadu Luiz Lapas Rodrigues Pedregulno, que
tem de ser submeitido a novo julgameoto na villa
da assemblea da provmcia das Alagoas.Commu-
nicou-se ao juiz municipal da primeira vara.
14
Offlcio ao Exm. Sr. Dr. Vigario Capitular desta
dioce.se.Simo ter deoccupar a Ilustrada attongo
de \. Exc. em um negocio do pouca monta, mas
assim se faz mister, para que possa eu exer-
cer um arto de instiga ; o caso. F01 recruta-
Jo para o servigo do exercito Joo Francisco Re-
novato, freguez do Curato da S. acerca do qual
todos concordam em ser elle casado ; mas dizem
alguns que vive com a mulher, ao psso que afflr-
ma o subdelegado que aquella individuo vive
d ella apartado, e nao tem filhos, sendo o m-tivo
pelo qual rogo a V. Exc. se digne de exigir in-
ormacoes do Rvm. Cura da S, em ordem a saber
eu com certeza o que ha a semelhante respeito,
pois nao posso dar importancia a attestados, que
de ordinario sao prestados por mero favor, e em
oflcna da verdade.
Dito aa mesmo.Julgo conveniente transmitir
a \. Exea inclusa copia do aviso expedido pela
repartico do imiierio, em 23 de novembro p. lindo,
acerca dos capitulares que se ausentara, sem li-
eenca da >de das cathedraes.
Dito ao Exm. conselheiro presidente da Rela-
gao.Transmiti incluao a V. Exc. para seu co-
nliecimonto, copia do aviso do minutario da jus-
Hea de 22 de novembro ultimo, dedaraudo exten-
sivo a esse tribunal a doulrina Orinada pelo aviso
de 7 de junho deste anno, a respailo da Relacao
do Maranho, de ser contemplado na distribuicao
dos feitos o desembargador que servir de procu-
rador da corda, fazenda e soberana nacional, sal-
vo es casos em que, por leis expressas, nao poder
unecionar.
Dito ao presidente do tribunal do commercio.
Sirva-se V. Exc. informar acerca do incluso
requerimento em que Manoel Silvino de Barros
Faico pede ser prvido aa serventa vitalicia do
ollicie de escrivo de appellacoes, aggravos o pro-
testos de letras, de.-se tribunal.
Dito ao ciunmandante das armas. = Communi-
candome o Exm. -r. ministro da guerra em avi-
so de 24 de novembro ultimo, que nessa data
se mandou elfectuar na corte a bata do cabo de
escradra do segundo batalho de infantaria Jos
Mara Gonealves da C>sta, reclamada pelo cnsul
de portugai, visto ser o dito cabo de esquadra por-
tugupz e ter assenlado praca voluntariameute de
menor idade, declarando s^r brasileiro, assim o
faco constar a V. S. para sercouhecimento.Com-
municou-se aa predito cnsul.
Dito ao mesmo. Constando de aviso da repar-
tido da guerra de 3 do corrente, que por portara
de 25 de novembro ultimo, fra nomeado o cap
tao do eorpo de estado-maior de segunda classe
Jos Ignacio de Medeiros Reg Monteiro para o
luar de director da colonia militar de Pimental-
ras, assim o communico a V. S. para seu conhe-
cimento.Igual
ra de fazenda.
Dito ao mesmo. -Em vista do incluso interroga-
torio, que Ihe ser devolvido, feito na provinra de
pret a que elle se refere para que V. S. de confor-
midade com o seu offlcio n. 719 de 12 do correle,
mande pagar ao Dr. Manoel Buarqne de Macedo, a
quantia de 10G502O em que importam as racoesde
etapes abonadas pelo delegado do termo do Ouri-
cury, no mez de outubro prximo passado a 7 re-
crutas vindos do mesmo termo e que foram apura-
dos para o exercito.Commuoicou-se ao Dr. chefe
de polica.
Dito ao mesmo. -Restituindo a V. S. o documen-
to que veio aanexo ao seu offlcio de h"1figLfKn
724, lenhoa uizer em resposta queftiJfMPp.ig.tr a
Benedicto Jos da Silva, nao a quantia deaOfiOOO
?.n.slate d0 predito documento, mas smente a de
2o5tx)9 correspondente ao alagad da parle da ca-
sa que fot oceupada pelo destacamento de 1* linha
existente no termo de Ipojuca, a contar de 2 deju-
nho al 2 de novembro deste anno, devendo o alu-
guel de outra parte que servio de cada er satis-
[01 jo pela ihesouraria provincial.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que no
abono de quantitativo que tem de fazer ao alferes
Bernardino Candido de Araujo, nos termos de mea
offlcio de 7 do corrente tenia em vista que segu
com um offlcial, alm das pracas e volumes de que
trata o citado offlcio as familias de algumas das
referidas pracas que sao casadas e um caixo de
medicamentos, ludo nestinado a villa de Tacarat,
segundo declarou-me o coraraandanle das armis
em offlcio desta data.
Nesie sentido expediram-se as ordens necessa-
nas.
Dito aa mesmo.Constando de aviso do minis-
tro da marinha do 5 do corrente que fra nomeado
o Io lente Antonio Ferreira de Oliveira, para
coramandar a companhia de aprendizes mariuhei-
ros desta provincia era subslituicao do 1 lente
Manoel Martins de Araujo Castro ; assim o com-
munico a V. S. para seu conhecimeuto e direc-
cao.Igual commuuicace se fez ao inspector de
marinha.
Dito ao mesmo.Para cumprimenlo do aviso
expedido pela repartico do imperio de 2o de no-
vembro prximo lindo, informe V. S. quaes os ven-
cimentos que pela ihesoutaria de fazenda perce-
bem os substitutos das aulas preparatorias da fa-
culdade de direrto desta cidade, quando em exerci-
cio de algumas cadeiras, especificando os casos em
que alem do ordenado de 4005000 e gratificago
de 200,5000 tenham sido pagos de outras vanta-
gens e em virtude de que dispesicao ou autori-
sacao.
Ditoao mesmo.Participando me o coronel com-
mandante qas armas em offlcio n. 2205, de 12 do
corrente, que foi despedido do servico no da 28
de novembro ultimo e em virtude do aviso da re-
partico da guerra de 17 de oulobro deste anno 9
pharmaecutico Manoel Francisco Bolelho, que esla-
va empregado na enfermara militar da villa de
Tacarat, assim o faco constar a V. S.parasen co-
nheciinento.
Dito ao mesmo.Restituo a V.S. as tres ioclusas
contas em duplcala e na importancia de 20640,
afim de que de conformidade com a sua informa-
cao de hontcm, sob n. 722, dada com referencia a
da contadoria dessa thesouraria, mande pagar ao
tenente Jos do Reg Barros para isso indicado pelo
chefe de polica, offlcio n. 1404 de 12 de novem-
bro ultimo, somente a quantia de 205040 em que
imporlava as despexas feitas eom o tornecimento
de luz e agua para o quartel do destacamento da
villa do Cabo durante os mezes de agosto outu-
bro desle anno, licando assim ratificadas as ordens
de meu antecessor acerca de pagamentos desta na-
lureza.
Dito ao inspeetor da thesouraria provincial.
Em vista do documento junto por copia, que me
foi remellido pelo chefe de polica com officio de
26 de novembro ultimo, sob n. 1,480, mande V. S.
pagar a Benedicto Jorge da Silva, somente a quan-
tia de 255, correspondente ao aluguel da pane da
casa que servio de cadeia no termo de Ipojuca, a
contar de 2 de junho al 2 de novembro deste an-
no, devendo o aluguel da outra parte oceupada pelo
destacamento all existeute ser satisfeito pela the-
souraria de fazenda.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal dos municipios de Darreros e Agua-Prela.
Recommendo a V. S. que expeca com urgencia, as
suas ordens para que o commandante do batalho
n. 45 de infantaria de guarda nacional da villa de
Barreiros, preste diariamente um inferior e os
rl^ndA1^13,'.?0 Vice-Presidente da provincia, alien- de novas quebras no Brazil ; entretanto se confia
Ke^orS.^Z^^^W Puhli:0 de.ta?-hf5 2 "T bos "* establecidos no Dra- dVrai^mo'assIm*lem^nntmci"^ aigm
r"f5I0r?]a.-!a(la'10.voaaode Itapissuma Luiz.s.l nao viro a solfrer seriamente por Tlrtude'dftu'caplWeriodo-sJ^oeiS Tfi
d'icmr L\Va' e- le,odo e-m vi^la a ioformacao do desse eslado de cou"sasrpelo"que"a7accoes do'Lo"
rpniP Lh \~* ,QSlr,uc?ao Publica' de l2 d0 cor- d," Braiiliam Bank se acho com o premio de
ari l'i h. 1 n0es?lvf., ? confl>idade com o 7 a 9.e as do Angio Portuguez & Bank com
art. 2j da le n. 598 de 13 de maio deste anno, re- o de i a i l|2 por cada aeco.
"overo referido professor daquella cadeira para Estes estabelecimentos solfrcram todava um
LS.S5S0"- Afoados -Fizeram-se as ne-; pouco com as quebras que tivoram lugar, mas os
cessanas commucicacoes. | seffs respetivos fundos de reserva sao
ton, que reclamasse contra a violencia do navio fe-
mas foi lias
._ Rio vindas
pela mala franceza ultima.
As noticias de Nova York de 9 do corrente an-
nunciam que os pnsionelros do Florida haviam
cln'gado Boston no dia 5 desle mez a bordo do
Kenrsage, havendo o navio capturado ficado em S.
Tbomaz debaixo da guarda do Wasstuhets, que
a, n noi,"7"j. ..r.,.J,uuuiOT..Mu largamente afinal o levara para um porto dos Estados-Unidos.
d ,, 7. agentes da companhia Brasileira! sufflcientes para cobrir esses desfalques ; a m de O New-Yorl; Times e o Dailu-Sew% se linham 1 rn-
SfSt a6"\ dar transfrle Paraapro-:que,Passadaestacrise, ellas se acharo durante nuncado contra ara
viutia ao para, em o lugar de proa, que segundo o muito lempo sem competidores para as avultadas
seu oincio desta data, existe vago para passageiro : transacfoes que necessan
ae estado, no vapor Paran, a Virissimo Antonio, I as oossas pracas, resulls
- batalho de in-! de grandes
aptura do Florida, sustentando
que os E ament hao de ter lugar pela satisfacao ao Brasil e ultima hora corra
1 a perspectiva nessa importante cidade que o gabinete de Was-
e aj grandes potencias allemes pWa Msta
tratado de paz celebrado em Vienna.
O tltigsrad dinamarpiez acaba i jpprotar e*-e
documento, e o re Cbristiano proclamou aos pMw
dos ducados desligndoos o juramento de ob-
diencia.
Resta agora decidir da questo de sucre.io urn
ducados, da qual se ac.ha etirarregada a di.-l. ff
ral de Francfort; tendo de examinar a. prefen.C
do principe de Oldcmburg e do duqu- de \iV-
femburg, que sao ambo*ca*Jiduos ao inr
ducal.
O principe de Hasta reclama
cenbncg, mas a Prussia
priar-se assa territorio, havendo
favor o partido feudal.
o ducado de i.m-
intriga ali para apro-
dipi-I > em
flmir,Vae br^ "erCI n7'' M,al1ao >e'n-; c : grandes lucros para essas emprezas. O supe- hinglon desapprovara o atientado commetl.do t
an.ar,a.-Commun.cou.se ao commandante das ; nntoodente do Londo & Brazlian Bank regressou Babia pelas autoridades fedenies- S!
n,1' r> o Ja Para o Rio, depois de haver estado aqu algum boato carece de coulirmacio eumvemn federal 1 AU>",J contempla todos otes maneja, s*m
de nin,Z?aS ^ ageales ^ comPanhia Bras.leira! lempo para dar conla directora das ceurren- esperar em tod ca por informwfle' do seu1 m- Cr Pr ,'l,"",an,P ^nhado l-m a sua pMMra
do paquetes fagam transportar para a provincia do cas commerciaes, que no Rio prodozlram a mator n'tro no Bra'il "WMejOM uo seu mi a e^,, rtspeil0. n-Q cre|0 en|rt%|an,0 qQe V(.n|u a
Sf*J5r P,onla da do Amazonas, um caxao e um | crise financeira, porque temos infelizmente pas-1 Este importante incidente .lnlomiiico
Sndos aC0mnatnnf!,0dnS,rUraHeQ,0S ^T e?e : ^T P*** aSe,,,C raC,;bPU '^ SSCfSJSSSSJS^
utsiinaaos a companhia de aprendizes da segunda coes para apoiar francamenie as casas de primei-
aessas provincias.Fez-se o necessario expediente I ra ordem
a este respeito.
tem aqu
tanto convm
ao$ nossos interessrs ; sendo que boje bem co-
da praga do Rio, como assim convera nbecida a circunstancia de que a autondade naval
lamDem aos interesses desse imprtame Banco. brasileira rep^llio pela torca a violencia do navio
r0'"i?..3 fJS"ni?asi a^n?--s_"0ilal.!.n" de 8uerra federal, o que a principio nao fra bem
nosso
Offlcio ao inspector da"thesouraria de fazenda. | !,t8I!ad? ?^f^!5?.^?a*^.dPS,*5.'?e 1 Pu,,lif;'do"9"eTgovernomperiar com
autorida-
conseiilr na possa do Uucenl.urg pe'la Prussia
porque nao desejara ver eta sanala engraade
Expediente do secrelario do gorerno do dia 13; de | Prezas ferres^enro que d^Pernambuco pare- i escfare'ldo com 'graT VSSS pVra o
dezembro de 1861. cem haver sido aneciadas por ter lirado suspenso brio militar. Demais minias folbas tem lar
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda. ,S8naUo PrJect0 da, cmara dos Reputados que publicado que o governoimperial, deseos
S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia manda 5 J fS5a c?mPan,lia a exleosio da garanta a maneira incompleta por que as nossas
trausmittir a V. S. a inclusa ordem do thesouro PJi?r?^ As iCSoei desl? emPreza lll'a,n a ** >4 des reagram, dcmitlira o presidente da
nacional sob n. 181. a ''*' lsl e ,"om descomo de 5 a 6 ; do e sujeitara o chefe da eslacio naval e e
te. o Sr. vce-presidente fB *Sz m '-!ual l}aixa e aS de l''al com dame dil forla'a
idittir a V. S, as 8 inclu- "TiSSS* ,- v .- na0 re8tondo 8s,in '
0.n,.m___S-.i k Em Liverpool o nosso algodao subi na ultima : sil busca regatar r,
do a
26 d.
Dito ao mesmo.S. Exc
da provincia, manda trans
?? ord.onS'seodo 6 d0 '"esouro nacional, sob n.
,7.b a 8 8 182, e duas era duplicata, sob ns. 42o
e 4.6, expedidas pela repartico do ajudante gene-
ral do exercito, bem como dous offlcios, um do .u-
cretario do estado dos negocios da fazenda de G e
outro da directora geral das rendas publicas de 5,
ludo do corrente mez.
OVEREO DOBsiODEP DI
PKRVt illll (O
SEK VAOl.m
Novas dispensas matrimoniaes.
r ac publico que o Exm. e Rvm. Sr. internun-
cio novamente concedeu licenca em data de no-
vembro prximo passado para serem dispensados
do impedimento de affloidade licita em primeiro
grao igual da linha lateral, bem como do im-
pedimento de consanguinidade em segundo grao
atliiigente ao primeiro, da linha lateral, os orado-
res^ constantes da relacaoabaixo transcripta. fe.,ndos.que os 'l2 l'or
Uuem, pois, iiver d procurar alguns destes re-
queriineatos, pode dirigir-se em Olinda secretaria
do bispado, no seminario episcopal, e no Recife a
casa do Illm. Sr. conego da capella imperial Fran-
cisco Jos Tarares da Cama, na ra da Cruz n.
56, junto a matriz do Corpo Santo.
Cidade de Olindo, 15 de dezembro de 1864.
Conego Joaquim Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
Oradores que se acham ligados no impedimento de
afinidade licita em primeiro grao igual da linha
tacao naval e a comman-
m conselho de investgacao ;
.. menor duvida de que o Bra-
rpool o nosso algodao subi na ultima sil busca resalvar completamente o prestigio da
quinzena na razao de 1 d 1|2 por libra, havendo sua autoridade brutalmente offendido.
diminuido o d-psito e augmentado o pedido. O Em Franca a imprensa tem quasi toda tomado a
ilgoda., de Pernamouco e do Maranho hca cota- | nossa defeza nesta questao ; mas nao creio que o
20 d 1|2 por libra ; e o da Baha e Macei a ; imperador Napoleao apoie o Brasil na reclamac.o
Alguns outros artigos da nossa produccao que este Taz contra os Estados-Unidos, a menosque
se acham pelas cotagoes segrales: Cacao de 40 s. o gabinete do Rio venha a solicitar os bons offlcios
*J s. per cwt. Cafe de primeira qualidade de 70 s. do governo francez.
O imperador .\apoleao, bem como a Inglaterra,
sabe quo em caso semelhante o governo federal
rom o
l 77 s. per cwt; segunda dita de 66 s. 71 s. per cwt;
e ordinario de 54 s. 65 s. per cwt. 011 112 arra-
leis mglezes. Pao Brazil nao tem apparecido a
venda, sendo entretanto a ultima cotacao que hou-
ve de 75 s. por tonelada. Assucar branco de
Pernambuco e da Parahyba 24 s 6 d 29 s. per
cwt; masca vado 18 s. 24 s. Dito branco da Babia
23 s. 28 s. per cwt; e mascavado de 18 s. 22 s.
6 d por aquella mesma medida. Couros seceos do
Rio de 7 d a 9 d por libra : ditos salgados do Rio
Grande ae 4 d 5|8 a 6 d 5|8 por libra.
Os nossos fundos pnbiicos de 5 por cento ficam
nao ousaria conduzir-so rom tamanha violencia
para com urna potencia martima de primeira or-
dem ; e portanto nao receia aquello precedente a
ponto de tomar a parte do Brasil, sem ser previa-
mente pelo governo imperial. Ao mesmo lempo o
gabinete do Rio de Janeiro, a vista das declaracoes
de Mr. W'ebb, nao poderia justificar verbalmenle o
apadrinhar-se com outro quaiquer gabinete ; pilo
que deyemos crer que, anda quando esse apoio
nao haja sido requerido, o gabinete imperial vira a
"------------------ --^-. 'IVjroi'UI III. ( ICII'i*-
lo arranjar uas diHeuMada iipliisasaii 1 \-ir aria
le Degociacdes com o ministro do P.-ro em Par
' qual '
de 97 a 99; e os 4 1|2 por certo amigos a 84 112, ser allendido na sua justa reclamacao, como assim
cento de 1863 esto a 82
lateral, dos quaes trata a der'lararo cima
Jos Joaquim Victoria e Francisca' Casemir
Jesu<
Casemira de
Jos Cosme da Silva e Francellina Maria da Con-'
ceico.
Manoel da Cosa Jnior e Eufrozina Maria de
Jess.
Joo l'ereira de Brito e Antonia Perpetua de Jess.
Bartholomeu Ferreira de Mello e Athanazia Maria
da Conceie.io.
Joaquim Jos de Santa Anna e Arminda Francisca
de Jess.
Avelmo Jos Virginio e Anna Maria Julia do Espi-
rito Sasto.
Oradores que estCio ligados no impedimento de con-
Os consolidades inglezes 3 por cento acham-sc
de 90 a 9i vista, o a 89 i|2 a praso de. 15 dias.
Os fundos italianos de 5 por certo a64 1|2. Os
bespanhes 3 por cento a 48 l|2. Os portuguezes
3 por rento a 47 1|2. Os sardos 5 por cento a 84
1|2 e 85. Os gregos o por cento a 23. Os mexi-
canos 3 por cento a 26 1|2. E os turcos por
cento garantidos a 97.
l banro de Inglaterra reduzio laxa do des-
cont a 7 por cento, e se espera que em breve a
baixara a b por cento Esse estabelecimento de
crdito lem eutrelanlo j realisado nesta ultima
quinzena algumas operacoes com firmas de pri-
meira ordem a 6 1|2 descont. A reserva desse
importante banco tem augmentado consideravel-
inente.
Seguirn ltimamente de varios porlos da In-
glaterra para o Brazil os seguinles navios : de
Bris.ol ihe Elpis (II) para Pernambuco ; de Deal
Perilla {{) para Pernambuco; e do Liverpool
Kilkliead ( 3) para o Rio Grande.
Do Brazil ebegaram a diversos porlos da Ingla-
terra os seguinles : da Baha Santa Ctatr (13) a
Liverpool i do Rio Grande Lavenia (13) a Liver-
pool; da Biliia Constantia (43) a Falmouth ; do
sanmunidadeem segundo grao mixto ao primeiro [iirt G'aI",e F'0l"inS Clmd ('i) a Plymouth ; de
da linha lateral. Macera ns (14) a Clyde ; do Rio Grande English-
Salvador Corma de Goes e Maria Jos do E Santo. a Deal : da Baha Martn (17) a Gravesend ; e de
Manoel Domingues da Cunha e Alexandrina Maria Ma.ce',0 'MhiA ^ a L'^rpool.
da Conce/co,
da Cunha e 'tona Mara
e Rosa Mara de
Joao Carneiro Pinheiro
de Jess.
Ignacio Rodrigues de Sobral
Omena.
Romao Alvos Ferreira e rsula Maria de Jess.
Francisco Carneiro de Araujo o Anna Maria
Conceicao.
Manoel Francisco de Brito e Maria Januaria
Conceicao.
Raymnnpo Jo do Reg e Mara Francisca
Espirito Santo.
Malarhias Germano da Costa e Maria Francisca da
Costa.
Franceltlno deSouza Viera e Maria da Gloria de
Jess.
Joo da Costa Barros e Anna Quiteria da Silva.
Jos Correia e Firmina Maria.
guardas que forrin precisos para guarnico da
communicaco se fez a thesoura- respectiva cadeia, os 24 em 2i huras, c espero do seu zelo e boa vonta-
de (pie esse servico se faca com regularidade at
ipie possa ser enviado um destacamento para a re-
S. Paulo, ao individo do nome Antonio Mariano, i ferida villa.
o qual sendo recrulado para o servico do exercito Dito ao inspector do arsenal de marinha.Defe-
deciaroa ter sido praca do nono batalho de in- rindo o requeriraento da africana livre Honorata
fan.aria, e que nella tivera baixa por incapacida- Maria da Conceicao, sobre que versa a sua intor-
de physica, sii va-.-e V. S. de informar cora o que i raaco 11. 795, de 13 do crreme, autoriso V. a
OCCorrer acerca da exactido de sua declarago, mandar desembarcar com guia o menor da com-
conforme exig, o pviso da reparticae da guerra panhia de aprendizes marinheiro Marcos Gomes
de 25 de noverhro ultimo. I Totonio do Correio, filho da supplicante, a quem
Dito ao mesmo. Sirva-sc V. S. de expedir as dever ser entregue
suas ordens para que as msicas militares dei- j Dito ao presidente do conselho administrativo.
xem de tocar em fre.te do palacio nos dias e ho-1 Respondo ao offlcio n 83, que V. S. me dirigi nes-
ra-, quaesquer que sejam, era quanlo nao ehegar o ; ta data declarando que Antonio Jos de Az-:vedo
Exm. Sr. presidente nomeado para esta provincia,, de ve entender-se com o secretario Dr. Francisco
dignndose lambem v. S. nao permtlir que ditas,de Paula Salles, afim desle pagar-lhe a iicportan-
msicas vio tocar em crelos levanlaJos as ras cia dos o pares de pelles para (abomba que ven-
por occasio de festejas. I deu a esse conselho, com destino a msica da com-
Dito ao me*mo.Quera V. S. informar acerca j panhia de educandos artfices da provincia do Ama-
do que pede Mana Rosa do Espirito Santo, no in- \ zonas.
eluso requeriraento. Dito ao director do arsenal de guerra.Forne-
ito ao Dr. chefe de polica. Faga V. S. cons-' ga Vrr.c. ao Dr. chefe de polica 6 pares de alge- j Antonio Fecio da Cunha e Lourenca da Cunha
tar ao administrador da casa de detencao qne foi mas com cadeados para serem enviadas ao delega- i
indelerido e requerimento de Ignes Luiza do Es- do do termo do Rio Formoso.Commuuicou se ao
pirito Santo sobre que elle informoii em offlcio de chefe de polica.
12 deste mez, declarande V. S. ao mesmo lempo! Dito ao mesmo.Para satisfacao do que exigo o
que a medida tomada primeramente por elie nao [ aviso do ministerio da guerra de 25 de novembro
fei conveniente porque tem por consequencia one- j ultimo, preste Vine, os eselarecimeutos necessarios
rar o cofre provincial.cora a importancia de sus- acercado soldado Justino Arsenio, que na quali
tent dado ao preso Manoel Fernandes des Santos dade de mancebo se acha addido a companhia de
da
da
do
apital refenram o auxilio pres-
tado no nosso porto do Rio a alguns navios btan-
meos durante o temporal occorrido all no da 10
de outubro; e dando conla desse sucees^o, men-
cionaran) todos os detalhes daquelle vendaval, que
produzio all enormes prejuzos. E' provavel que
esse furacao fosse a sequencia daquelle queem 5
de outubro destruir em Calcuta mais de 130 na-
vios, causando a morte de cinco mil pessoas alm
da enorme parda que sofTreu a propredade
naquella parte da India ingleza. A narracao des-
te desastroso successo cansoo em Londres mu
dolorosa impresso ; tanto mais que a imprensa
acensa as autoridades de negligencia, por actos
pralicados posteriormente aquella catastroplie I
Algumas folbas publicaran! j a nota que Mr.
Webb dirigi ao gabinete do Rio, em resposta
que o governo imperial Ihe escrevra para recia
de honra para o governo federal.
Os partidario* da Unio Americana ousaram pu-
blicar aqu e em Franca, que o governo federal ti-
vera motivo para capturar no porto da Babia o
corsario Florida, por quanlo o governo brasileiro se
ha va constantemente apartado dos deveres da neu-
Iralidade ; mas a nota de Mr. W'ebb, em que este
diplmala menciona o estado de intimar confiauca
do seu governo para com o do Brasil, veio fulmna-
los, de modo que aquelie castalio que haviam elles
levantado no ar contra o Brasil se acha completa-
mente desfeito, n.io havendo em todo caso abalado
j mais a opinio daquelles que para logo haviam
tomado a defeza do BrasilP
Veremos o que afinal rara o gabinete do Was-
hington, cuja deciso na questao brasileira aqui
aguardada cora o maior empenho.
Urna importante execucao de pena caplal te ve
aqui lugar no dia 14 do correle, Franca Muller, na-
tural da Saxe-Weiniar, de idade di 23 annos, foi
exocntado naquella da em rfevgale por haver rou-
bado e assassinado, no da 9 de julho prximo pas-
sado, Mr. Briggs dentro de ama earruagem em um
dos caminaos de ferro na visiohanca desta capital!
O assassino conseguir evadir-se para os Estados-
Unidos, mas era cooseqoencia do tratado de extra-
dieco tora d'all arrancado para ser julgado pelo
jury nglez, debaixo de cuja autoridade foi em 30
-do prximo passado condemnado a pena de morte
vista dos fados, que constituirn) com evidencia
a sua criminalidade. Francz Muller assassinara
com premeditacfio aquelle infeliz para ronba-lo de
um relogio e caiieia, havendo-o arremessado poste-
riormente para fra da nrruagem, oqneafiual de-
lerminou a morte d'aquella infeliz victima Des-
cobertos na posse desses sbjectos e do chapeo do
assassinado, sem querer j mais explicar a prove-
niencia dessa propredade, Muller sustenten toda-
va a sua innocoucia peranle o tribunal, baseando
a sua defeza nuin alibi que com ludo nao poude
provar.
As provas eram pois de natureza evidente con-
tra elle, e por meio dellas foi esse desgracado con-
demnado a pena ultima, que solTreu com Cragem
uo mencionado dia.
No momento porm de rCeb'T o golpe fatal, m-
pellido pelos remorsesda ronscieocia declarou elle
que tora o autor de lio nefando crim ; dando as-
sim aos seus jul^'a.lores a triste consolarlo de ha-
verem condemnado um verdadeiro criminoso! Una
Candido Pereira da Fonseca e Francisca Mara da mar ronlra alleniado commettido no porto da multidao extraordinaria assistio esse espectculo,
Baha pela marinha de guerra dos Estados-Unidos, j que commo/eu o publico pelos signaes de resigna-
0 contedo daquella neta deixa esperar que o go. cao que manifestou o suppliciado. Muller era al-
verno de Washington nao approvar a conduca do ; fjate de prolissao, e seus precedentes eram-lhe fa-
Fenseca.
Manoel de Lemos Ferreira
Conceicao.
Targino Jos dos Santos e
Conceicao.
Luiz Francisco Ramos c Thereza
ceicio.
Francisco Jos de Oliveira e Caetana
Araujo.
e Josepha Maria da
Americana Maria da
Maria da Con-
Vieira de
commandante Collin, e essa parece ser a opmiao
da imprensa britannica, que quasi por unanimida-
de lera clamado contra aquella violencia, aconse-
jando mesmo o governo inglez a apoiar o Brasil
n'uma emergencia, que interessa de perto todas as
poteucias neutras.
Entretanto anota de Mr. Webb veio causar aqu
vorayeis, o que le.-lhe-ha atlenuado a penaldade
a nao serem as circumstancis horrorosas que
acompanharam o crime.
As autoridades de Liverpool acabam de embar-
gar a sannla daquelle porto de um vapor inglez,
que formava seguir para os Estados-Unidos com
alguna subditos da rainha recrutados para o exer-
certa irrilaco, na parle em que diz que o governo cito federal Foi mais urna qnebra aqui da neu
EXTERIOR.
: americano dar ao Brasil todae quaiquer salisfacao,
i anda mais completa do que nao dara talvez a urna
tralidade deste paiz por parte dos agentes do go-
verno de Washington, pois que esse acto foi prati-
potencia martima de primeira ordem. Esta lin-1 cado f or varios desses agentes, que actualmente se
guagem tem sido interpretada pelos Times e pelo
Mornin-Post como offeosiva Graa-Brctanha, a
desde 4 al 16 do mez prximo passado. ; artfices, o qual tora considerado incapaz do servi-
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. 50 em mspecgo de saude, alm de que a respeilo
Autoriso V. S. em vista de sua informaco de non- de seu deslino se possa lomar a deliberaco cou-
tem, sob 11. 722, dada com referencia a da conta- veniente.
doria dessa iht-suararla a mandar pagar ao dele- Dito ao juiz de direito interino da comarca de
gado do termo de Caruar, ou ao seu procurador Palmares. -Reconheco ser exacto ludo quanlo Vmci
conforme solicitou o chefe de polica em offlcio n. expendeu em seu offlcio de 5 do corrente, a que
1,165, de 20 de set-mbro ultimo, a quantia de... estou respondendo, mas sao to terminantes as or-
:}58O0 em que importa a etapa tornenla ao de- dens do governo imperial para que se nao chame
serlor da armada Francisco Ferreira de Araujo, a servico de destacamento a guarda nacional, que
como se v do pretque incluso devolvo.Comrau-
nicou-se ao Dr. chefe de polica.
CORRESPONDENCIAS lll & I1"""1 lllu,,|le ministro parece dirigir-se as expres-
RIO RE PER Y .IB! niTarn s5es alludidas ; sustentando ambas que no cumpri-
LOXDRE8.
23 de novembro de 1864.
A mala do Brazil, vinda pelo Beam, foi aqu
nao admitiera inierpretacao que nao equivale a!capital do Imperio o atienlado commettido na Ba-
I urna raraccao 5 assim pois nao poisivel autori-1 hia pelo ommaulante do navio federal Wasou-
sar o destacamento do um iofenor e 8 guardas ] chets. A cotacao do cambio do Rio sobre Londres
que Vine, requisitou no referido offlcio. Em tai '
caso o que convm solicitar do commandante su
ro Barbosa da Silva, conforme solicitou o Dr. che- penor da guarda nacional providenciar para que o1 mais essa baixa agora e'xistentTn
fe de polica, em offlcio de 13 do corrente. sob n. batalho n. 45 de infamara do municipio de Bar-1 cambiaes sobre este mercado
Dito ao mesmo.Transmuto a V. S. os dous in-
clusos recibos em duplcala, afim de que nao ha-
vendo inconveniente, mande pagar a Urano Alva-
i nrmlo de um dever sagrado o gabinete de Was-
j hinglon de ve applicar a juslica, sem que carena de
l fazer distingues odiosas I
I A bem da nossa causa, toda a imprensa ingleza,
excepcao de um artigo que appareeeu no Mor-
ning-Slar rom certo espirito de hospitalidade ao
Brasil, tem condemnado o acto do commandante
federal no porto da Babia, classilicando-o de pirata-
ra e declarando a urna voz que o governo imperial
deve ser apoiado na sua reclamacao pelas grandes
potencias martimas, a quem esta questao interessa
de perto.
Ha hoje aqui a impressao de que o governo ame-
lat e aqu refutada como indicio da duracao da crise rieano attender reclamacao do Brasil, nao so
'' ^.m!"ercia! Brazi1, cuJa? Pra?as ,erao a Boffrer porqne a injustiga feta clamorosa, mas tambera
transaeces porqne a opiniao publica na Europa se lem lvan-
os jornaes inglezes tado ronlra semelhante attentado ; nao creio en-
eniregue na manhaa de 21 do corrente, sendo que
as prracipaes noticias por ella irazidas se refer-
ram ao vendaval occorrido no Rio de Janeiro a 10
de outubro, a conlinuaco do pnico existente as
pragas do Brazil em consequencia da fallencia dos
Bancos Brazleiro?, e no elfeito que produzio na
marcaram a cotacao do cambio do Rio a 26 d. 1|2
por mil ris.
Por virtude das fallencias j occorrdas no Rio
trelanto que o gabinete de Londres d passo ?lgum
em favor do Brasil, porque lord Palmerston nao
querer por certo constituir-se o campean do go-
vernn imperial nesta questao, se bem que alguns
1,553, a quantia de 40W00 proveniente do aluguel reros preste diariamente as pragas necessanas
de 4 mezes de casa que no termo da Escada servio para guardar a cadeia, as quaes devem ser rendi-
do quartel as pracas que alli estivera destacadas das de 24 em 24 horas, im offlcio que seguio
durante os mezes de julho a outubro deste anno. hontein pelo vapor francez, procedente de Kuropa, suspenden aqui os seus pagamentos a casa Ben
Comniunicou.se ao Dr Cheto de \>f"* RLSSE governo aculJado para destacar iamin Dovey &C. que se achava estre.lamente re- toroaf'^m'ijmuileaadTqM rembaixadorlnn-
Dito ao mesmo. Remello inclusa por copia, a alguns guardas,e no caso de ser mj(COucedida essa lacioncda com acasa bancaria Souto &C Consta- ees. nesta corte recehpu instruredes de Pars para
nota dos direilos e emolumentos que tem de pagar villa lera parte na d.strihuigao dT destacamento, me que o activo desta casa rnuito superior ao entenderse com lord Russell acerca daquelle Im-
o coronel Francisco Joaqun. Pereira Lobo, rean- entretanto iratare de ver so consigo air para ah' seu passivo, que montar a perto de duzenta mil nortanle ucceo
us brs. iienj >min uovey g c, Nao me constando todava que o governo do Bra
vamente a sua patente de ref (Tina no mesmo posto um destacamento do corpo policial, o que todava libras esterliuas.
alira de que V. S. ordene que spja arrecadada na nao dou como certo.
repartica-) competente a respectiva importancia. i Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa-
Igual nota foi remettida ao predito coronel. quetes.Pdem Vmcs. fazer sahir para os porlos
Dito ao mesmo.D.ivolvo inclusos o offlcio do no norte o vapor Paran, amanha a hora indiea-
Dr. chefe de polica de 28 d> outubro ultimo e 0 da em sea offlcio d parerem haver aeccilo saques na importancia de sil tenha reclamado o apoio da Franga nesta ques-
inais de cincoenle mil lluras por cont di Sr. tao, attribuo boa vonlade da imprensa em favor
Souto, que todava so achava actualmente sem da causa brasileira todas essas allegagSes ; o qne
fundos as maos daquella respeilavel firma. aqni j tonsta de positivo qoe o gabinete do Rio
E grande o recojo que existe ainda pesia praga de Janeiro ordenoa ao sea ministro era Washlng-
acham apprehendidos igualmente pelas autorida
des deste paiz.
O governo parece decedido a fazer puni los pe-
los meios competentes, aliin de fazer cessar esses
abusos, contra os quaes o parlamento e o paiz tem
constantemente reclamado. E' evidente que Mr.
Adams, ministro americano nesta corte, ha de ne-
gar quaiquer conveniencia com esses individuos.
O principe e a princeza de Galles, que regressa-
ram aqui no dia 8 do corrente, aiham-se actual-
mente em Windsor com a rainha, como eu havia
antecipado era minhas anteriores cartas. Suas al-
tezas reaes deverao porm seguir em breve para
Sandrigbam Hall, onde passarao as fastas do natal;
e paraali j lizeram parlir urna grande parle da
sua comitiva.
No dia 9 do corrente foi festejado naquellc ras-
tollo e nesla capital o vigessimo terceroanniversa-
rio do totnro henferoda coroa britannica, sendo
que em Londres houve mutas illuminagoes e ou-
tros signaes de regosijo publico.
O parlamento foi novamente prorogadoal 13 de
Janeiro, e s-lo-ha ainda provavelmente at o lim
desse mez 011 principio de fevereiro, quando come-
gar seus trabalhos legislativos. Lord Palmerston
parece confiar na maioria do parlamento, e para
contentar os conlribnintes acaba de declarar pelo
Mormng-Post, jornal semi-offlclal. que o governo,
achando-se sera receia pela paz da Europa, prnpo-
r de prompto urna importante reduego no exer-
cito e na marinha : estas noticias causaram spoi-
pre boro cnVilo aqui em favor da conservago no
poder de quaiquer administragao, por qae ellas im-
portara diminuigo nos impostos.
cer-se na Allenha.
O Conde Mensdouff Pouillv, novo ministro de
cstrangeires d'Ausina, busca apoiar-s- n.- asas
Cias secundarias allemes; e esta mudaoca n^
poltica austraca denota talwz que o gabinrtc de
Vienna se ncha descontente com a poto"-- -uibi
eiosa do rei da Prussia.
Km additamenlo ao que lenho commumeado em
orovincK t^0/0. c"nn,ct" euIre Hespanl.a e o IV^u. M
1 folbas da Londres annunciam..,ue a tinal n.p.bine
le de Madrid resolveu retirar o romm.ind.t da
esquadra do Pacifico ao almirante l'izon. .pirr.-n-
do assim remover a repugnancia que tartas, .-
autoridades daquella repblica em tratar
conquistador das llhas Chinchas.
O general Pareja lera o cmmando tai f r.-.
sendo cncarrepado ao mesmo ttsnpa da pl-ii w
poderes para apresentar ao Peni o ultimtum .N
lU'spanha.
O gabinete de Madrid parece haver perdido tod ,
esperanca de raconrilnco, deiiois d- ha\er tenia-
do
de
o qual fra eipressanteata a aalrM .
lim; e por conseguiile e-.i rasolrida a usjr da
torga, caso aquella repblica nao veohi a
no seu ultimtum.
Pelo seu lado o Peni esta gravemente onVrklido
pola oceupagao baspanhata no seu lerritono, e
esta circuinsiancia agrava senameofe a siluaro.
deixando ponca esperanca de reronciliaco : enir
tanto o Peni se arha qoasi desamparado pelas en-
tras repblicas, tendo demais dentro do paiz um
partido moderado que se ,-sta pronunciando p*la
conlinuago das negociagws com a Ifespanha pab
que possivel qne ultima hora san diftk-uldada
venha novamente a ser sujeta a di-ru-so.
As noticias do Mxico checam ale 15 dooulubr >.
nessa dala u imperador Maximiliano -e achava
em tiiianajato, donde perleodia t> da va retirar se
para a capital, dando por linda a viagem que rm-
prehendera nos seus estados.
A entrega da praca de Malamoras pelo gener-l
Cortinas ha va consolidado ronsidcravelroeni-- .
poder imperial, augmentando ao ni-sm lempo ao
recursos linanceiros do thesouro, por -r aou.>
porto muito rendosn.
Corra em New-Yrk, por onde vieram e.-i-.s noti-
cias, (|ue tivera lugar no UVavo un.a Ka
assassinalo contra a imperan iz rarts, ana nm-
gnem acredita nesla verso. lauto mais rjue o pn-
blico esta ja acostumado a ver ftiaasntidii
esse communiradus estrepitosos que aajaj i-Ik^mb
por va dos Esiados-Uunidos. onde existo muio ma
ronlada contra o estabelecimento de sua m-mar-
chia no Mxico.
O raarechal Biz-aine conlinoava a exp-dir para
Franca uina parte do exercito da easntjaejn; a
da Europa tem ja partido varios carpos du nrtnt
expedicionario aostro-mexko desuado a sobsii-
tuir o exercito francez.
_ Na conformidade traladu d.. Me\i
Franca, as francezas dei^aram asaseMs pan i pro-
porg que os carpos auxiliadores torera ai desem-
barrado.
Temos aqu noticias dos Eatados-Tnaias ate 11
do correnfe.
A eleico presidencial Uvera lugar no, r*
estados do norte, rabendo a victoria a Mr. U
que foi novamente eleito presidente da I na
urna maioria de quatro rentos mil vo.
estados de Kentucky, Ifaw-Tor*r] a Ddawar-.
deram a maioria ao gen ral Maclellan.
Este candidato ebegou todava a ohfer em
New-Yorek iriottoavta mil men,aaas lev., i
suecumbr ali como na maioria do- attadna a in-
fluencia da autoridade de Utatoto, SjM havn V
posbi Indo para sen Iriosapt .
O partido republicano dispora d'uma maioria de
dous tergos no Coogresso federal.
Mr. Jnhnson foi eleito vies-prasideata da 1
Americana.
Em virtude da eslagao invernosa c.5 belli^ t ,:'
continuavam inaciivos, sendo que Cri ob.-erv.va
se.npre Peler.-burg e Sbermdan acbava-se pjoio
de Winchesta.
Constava que Sherman evacuara Aliarla, mar-
chando contra Charlestun SJM aitacnah de impro
v-io; mas esta noticia carece de conlirmago. na
opinio dos jornaes de New-Yorrk.
O presidente Davis reunir o congress sua falla reeommendoii a continuagu da guerra.
mesmo a cusi do armamento geral dos negro.
Na opinio deste magistrado supremo, a paz -
mpossivel com as condiges olfereiidas p-lo pi
dente Lincoln; a guerra ser pois a hvputhese qoe
continuar a prevalecer naquella parlo *>
mundo.
O ouro licava a 260.
INTERIOR.
RIO DE Jt\i:mo.
21 de novembro de Isfii.
Nunca a opinio publica se manifestou mai-
sivcl e im 1 ljente contra um governo e umi -1I0 >
cao, coiiio contra o governo e a siiuago acinae>
Sempre que se toldara os horisontes. mruie leinn-
reso aspecto das cousas publicas, um reme !i >
torna indis|iensavel, circula imix-dialaim n
banco de dissolugo do gabinete, de urna mudan-;a
de poltica.
Durante a crise rommerrial de selemhro. novia
se annunciado por essas mas, asevrrad-> por 'odot
com a maior sguiidade que haviam sido rhama-
dos a S. Christovo o Sr. vi-rnnde d llal-xahy
segundo un, o Sr. marquez de Canas sefu >
outro. Trazem os paquetes do sul a certeza de n
vas complicages nos estados do Prala, e inimrdli
tamunte urna s voz, a voz da cidade inteira, r.
clama a queda do ministerio, bem romo a orgai-
sacio de um muro sol a presidencia do S)r. Piiix-n-
ta Bueno. A nomeago do r. Prannos para nsso
enviado extraordinario e ministro plenipotenciario
peranle o govvrno da Uo if. -l.rac:'io Ar^eniun. ro-
bustece a crenca popular na mu-tan.a da sito;*-,
a ponto de locar rebate al na propria rida-Mia
dos arraiaes amarellos. Se dou< horneo* para* na
ra a conversar, sbese anteripa i tratara, calrulam os momentos de vida da imagi
Foi finalmente firmada a paz pqire a Dinamarca nasceute. R' impossjvel. isto oo poda fonsm^r


Dlarl* Se Persasa^iie -- sabl> do i* U Dczenibro A 1821.

Tivernm alia :
Sabino Joro Clima da Croe .
Manuel Antonio Ribero.
Passageires do vapor nacional Paran, salu-
do para os portos do norte :
Manoel dos Sautos Maekdonel, Hypolilo Cassiano
E. Maia, bacharel Pedro Jansen Pereira e sua se-
nhora, M. A. Reichert, Manoel da Siiva Bibeiro,
dos, os curadores flseacs da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Sanios c C.
Fui conlirmada a sentenga appellada.
Appellantes, o presidente e directores da Caixa
Filial do Han -o do Brasil nesta cdade; appellados,
Manoel Jos de S e Araujo e os curadores fiscaes
de sua (alinela.
Poi confirmada a sentenga appellada.
as>im, eis o qne so ouve de toda parto, eis o apon-
rosinstro que rebenta de cenantes invisiveis, e de
que acaba do dar lesletuuuhos pblicos o Sr. lava-
res Baslos.
Mas <)e onde partean estes boatos? Quacs os no-
velleiros que arrancan aos colchos mrbidos os
es felina da >tuacao,eos coagem a protestar con-
tra a luz do sol au pino do meio dia t
E' intil prescrutar a ongem desles boatos, per- Manoel Pereira de Araujo Vianna, sua senhora, 1
deis torso lempo. Elles brutam da conseiencia do ama e 2 escravos, Veris.imo Antonio e i filho me-
povo que sent o mal e ancia por um remedio. Nao or. bacharel Jos C Cordeiro de Caslro Jnior e
ha ni velleiros do senlimento, do grito de dor que! sua senhora, Januario Lima da Silva, Dr. G. Ama-
a todos punge, da idea que acode a todos ao mes-, zonas de S, Agostinho Antonio, Thereza de Sou-
mo lempo. I za, A. Tourener, Manoel Marques Camacho, Joa-j Luiz Antonio da Silva.
A situago nascente nao cumprio nenlmma dequim Marques Camacho, Jos da Silva Cuerno, | Adiado o julgamento requerimento de um dos
suas promessas, nao reallsou urna s de suas espe-1 Francisco Cielo Toscano de Brito e 1 ama, Pedro Srs. deputados.
raneas. IVrdeu a eonflanea dopaiz que julgavaterl Antonio A. da Silva, Francisco do Bego Toscano | Appellante, Symplicio Tavares de Mello; appel-
ava>*>alailu; ninguem acredita mais Bella; sua]de Brito, F. Pereira da Silva, Francisco rerreira lado, o cmint-ndador Antonio Francisco Pereira.
empron. Particularmente uflereee ao mesmo Sr-
Duarte Coimbra os seus traeos prestimos, em qual-
quer parte onde residir.
Aproveita mais o aballo asslgnado esta eccasiao,
para dirigir ao publico de Pornambuco os seus sin-
ceros votos de gratido pelo bom tratamento que
recebcu sempre, quer como artita quer como par-
ticular. Aos seus amigos um fraternal abraco de
Appellantes, os administradores da massa fallida despedida, que ser como urna eterna lemnranca
de Amorim, Fragoso, Santos & C.
concho Firmino de Mello Azvedo.
Foi confirmada a sentenga appellada.
Appellante, Antonio da Cruz Hibeiro; appellado,
appellado, o que o acompanhar por toda a parte aonde a sor le
o conduzlr.
Becife, 16 de dozembro de I86i.
Germano Francisco de Ohveira.
existencia um pe>adelo nsupportavel ; nao lia
quero nao anhele v-la substituida. EU as origen
oceulus desse Mo dos rumores pblicos que tanto
vo> assuberba.
gabinete senle o solo tremer-lhe por debaixo
de Novaos, sua lha e 1 criada, pratico do gover-
uu Antonio Francisco da Bosa.
Passagciros do vapor nacional Persinunga,
entrado do Acaracu' e portos intermedios :
Joo Bulino da Silva, Manoel Lepes Galvao,
dos pos. E' o pnmeiro a reconhecer o divorcio que Candido Cosme Galvao, Jos Joaquim de Santa
j uo se pode disbrear, entre elle ea opinio. Auna, seldado Jos IVr de vouza, Antonio Gomes
Seno, dizeinos porque na noite de 0 para 10 del da Silva e 1 criado, Stanrisco Jos da Costa e
setembro velaran) as armas nos quarteis e corpos Silva e 1 crlido, Franeisoo\eite da Cruz e Silva,
assalto de um inimigo ? Sera isto una prova de
mutua coulianra ?
Desde que nao supprimistes a lgica dos acon-
teeuuentos nao tendes o direito de reclamar contra
as suas consequencias.
Os rumores incensantes de mudanca de poltica
CO o protesto da conseiencia do paiz contra tima
ordem de cousas de que s se recea o mal e nao
c mais possivel esperar o bom.
Ninguem conteste nais as antipalhias da naco
ao rgimen ominoso da liga progressista, porque is
so fra mpossivel. Os defensores mais interessa-
dos da situago nao a susleiitam demonstrando-llie
as vantagens, os serviros reacs que ellatenba pres-
tado ao paiz. que se uosdiz que devenios sup-
portar o guverno actual porque elle a expresso
con-titucional da cmara temporaria, essa cmara
representa a opinio da naci brasileira. Argu-
mentago viciosa que d por provado aquillo que
justamente objecto de coutestagao.
Se as eleices de a de agosto fussem a expresso
genuina a opinio publica, o paiz confiarla nos
seus eleitos, esperara ludo dellos, c nao havia de
aspirar constantemente pelo gjverno do vossos ad-
versarios, como o nico capaz de o conduzr a me-
lhores destinos.
Evoca-so o phantasma da dissolncao para impor
silencio a esso desojo ardente de das mais folizos.
to natural aos homens como as uaedes.
Anda hem I Ja chegastes ao extremo de neces-
sitardes dessa arma. (ue maior prova de vos^a
fraqueza!
Para o Sr. Pimonla Bueno perlencer ao centro
das torcas upposicioiiistas era preciso que ellas es- j
tivessem orginisadas, e se assim fosse, a situaooj
ja teria deixado de existir.
Nao o partido constitucional quem causa a
ruina do rgimen ligueiro, mas os progrossistas
assombrainio a sociedade com o lastimoso espect-
culo do sua iuipoieucia e do suas disseucSes.
Nao lizoinos al agora oppostcSo para dorrubar
ministerios. No sonado uussos amigos lom apenas
aconsolliado o dirigido, na imprensa, accendemos
una eandeia nicamente para uo sormos esmaga-
dos as tiev.is. Vio contrario, nos dias de perigo
at vos ionios auxiliado, como na quesloingleza e
durante a clise commercial, quando to fcil era
actuar na opiniao contra o gabinete que se acaba-j
va do organisar
Nao queremos que a situaco suecumba s nos-
sas nes, mas aspliyxiada nos seus proprios des-
atinos. Eis o sogredo de no.-sa tibieza no attaquo,
de nussa longaniinidadeem preseuga de erros tao
deploraveis.
Sabemos pela experiencia que o partido liberal
nao raras vezes termina sua missao no pudor por
va do suicidio.
Ein 1837 o regente Foij abandonando scu pos-
to entregou o poder aos seus adversarios na pes-
soa do r. inarquez de linda, ex Pedro do Araujo
Lima.
Em 1848, o Sr. Paula Souza retirou-se do minis-
terio aconselhando cora ehamasse seus conse-
ihos o Sr. marquez do Moni'Alegre.
J de ha muilo lavra em vossas lileras a persua-
so de impotencia da liga em bem dirigir is desti-
nos do paiz.
S falta um estadista consciencioso e patriota,
quaes furam Feij e Paula Souz.a, que tenha a eo-
rapein de suas convicges e prelira o Interesse do
estado < conveniencias partidarias. Este appare-
cer, porque a raca dus bomens honestos e dedica-
dos anula nao esla oxlinela entro nos, e nesso dia
a faeco progressista tora deixado de existir, nao
por nos, mas por ella mesma.
Do Consicional.j
REVISTA BAA.
O Exm. commandante das armas coronel Fontes
tem popado revistas em ordem de marcha aos ba-
tallioos 4o de arlilheria, 9o de inhnlana, ala es-
querda do 7" na companhla de artfices, alem de
haver amiudado os exi rcicios n'esses corpos.
S Exc. tem consignado de Diios dadas com o
Exm. Sf. vice-presidente descmliargardor Pereli,
o que seus atiteses^ores nao (loderam fazer, reu-
nindo tanta for^ao manobraudo com ella apz s
as citadas revistas.
Sua Ihaneiza, alTabilidade tudo vence apar das
synipathias do todos os seus commandados em ge-
ral, e dos habitantes dosla capital.
Militares da oruom do -r. Fouies cmnobrcssem
sua ilasse.
A barca ingleza Chili enconlrou a 5 do mez
lindo na lat. IN 34- 31" e loog. O 18" 42" a galera
ingleza Frenchamitm. procedente de Liverpool com
destino a Ceylao, trazendo 9 das de viagem ; a 17
na lat. N ~l" 40" a barca italiana Aspada, que de
Montevideo segua para Canffcom 16 das de via-
gem ; e a 27 na lot. N 6" SV e long. U 24 27' o
patacho hanoveriano Mana, trazendo 50 dias de
navegafo de Trieste para a Babia.
l) boje sua partida a sociedade Recreto da
Moeidade.
Bemettcrn-nos a segunte declaracao :
< A commisso acadmica encarregada de rece-
ber o dmhoiro do espectculo dado em beneficio
da Polonia no dia 15 de novemhro de 1864, enlre-
gnu a pessoa competente a quantia de seis corito.-
miris: outro sim declara que a desptza, por
occasio do mesmo espectculo, monlou a duzentos
mil ris. Recite, 2 de dozembro de 1864.Joo
Jos do Monte Jnior, Alvaro Aulonio da Costa,
Francisco Prisco de Souza Paraizo, Francisco Jus-
tiniano Cezar Jacobina, Pedro Osorio de Cerqueira,
Fraucisco Bodngues Soixas e Virgilio Peixolo de
Araujo Palmeira.
A mantia oitavario da festade Nossa Senho
ra da Concei^ao dos Militares, tora lugar o fugo de
vistas que expensas dos devotos c moradores da
ra Nova, fui eiicommendado ao insigne artista
Tilo Francisco de Mello.
O vapor Perttmmga, chegado hontem dos
portos do norte, nada adiantou as noticias que ti-
vemos pelo Oyapmk.
Segu" iiontem para o Bio de Janeiro, bor-
do do Oytipock, o resto das praeas do 2o 6*7" de
infanlana de lima.
Bf.PAHTIQAO DA P0L1CIA.
Extracto das partes do da 16 do dezembro de
1864.
Foram recolhldos casa de detencao no dia 15
do corrento :
A' ordi m do subdelegado do Becife, Jus Olega-
rio da paz, para correrco.
A' oidun do da Capunga, Lourenco Antonio de
Oliveira, por disturbios.
O chefe da 2* seccao,
J. G. f Mesnuita.
Movmento da casa de detengo do da 15' de
dezembro de 1864.
Existiam....... 346 presos.
ro da Silva, Domingos Antonio Goncalves Joao
Alfredo de Assis, Pedro Cousseiro de Almeida,
Francisco de Albuquorque Bodrigues, 7 escravos
a entregar.
Passageiros do vapor nacional Oyapock, sa-
ludo para os portos do sul :
Joaquina Maria da ConceiQao, Josopha Maria do
Eopinto Sonto, Jos Soelo, 1). Frar.celina de Albu-
quorque Bandeira de Mello, segundo sargento
Conrado Jos de Goes, D. Secilia Maria da Cuncei-
cao. Paulino Bodrigues Fernandos Chaves, sua se:
nhora, sua sogra, 1 (ilho menor e 1 escravo, Jos
Francisco do lUyo Bangel, Dr. Metido de Sa Bar-
rito Sampaioe seu mano, Manoel Pereira da An-
nuiiciac,o, major I.aurontino Jos do Miranda; sua
mana e 1 escravo, D Adelaide de Paula Cavalcau-
ti, Manoel da Cesta Forreira, Francisco Alvos de
linio Maia, Dr. Victorino Antonio de Souza, D.
Maria Buarquo L. V. de Gusmo e Souza e 1 cria-
da, A. L, do Jascienlro, africanos livres Ismael e
Amaro, Francisco Ferreira Pacheco de_ Mello. To-
bas de Souza Lima. api tao Chrislovo Jos de
Andrade, sua senhora, 4 Qlhos e i escravo, Ger-
mano Francisco de Oliveira, D. Antunina Marque-
Ion e criada, P: Cavalcanti do Mello e 1 criado,
Joao P. Marques, Francisco Xavier Correia, D. An-
na Maria L. das Noves, Joo Antonio das Chngas
Craveiro, Christiano AscholT e 1 lilho. e Maria Bo-
sa doE Oiiitahio do cemiterio publico no da 12 de
DEZF.MIino de 1864.
Antonia Maria da Concedan, Pornambuco, 21 an-
nos, solteira, S. Jos ; hemoploze.
Tiburcio, Pornambuco, 4 mezes, S. Jos; dyar-
rhoa.
Maria, Pornambuco, 8 mezes, *anto Antonio con-
vulsos.
Tiburcio, Pornambuco, 11 mezes, S. Jos den-
lico.
Domingos, frica, 73 annos, soltoiro, escravo, Be-
cife ; anazarca.
Francisca Soveriana Vercosa, Pornanibuoo, 48
annos, viuva, S. Jos" ; chaga cancrosa no
utore.
Uatheas, Arica, 21 annos, ;oltciro, Reeife ; me-
nengite.
Luiz Francisco da Silva, Portugal, 38 annos, sol-
toiro, Boa-Vista ; tolano.
Elvira, Pornambuco, 4 annos, Boa-Vista ; totano.
Iguacio Manoel Viegas, Pernambuco, 34 annos,
casado, Varzea ; diabetes.
-15-
rtnloni i Jos Pacheco c Silva, Portugal, 67 annos
Boa-Vista ; estopor.
Antonia Maria de Jess Mello, Pornambuco, 7a
anuos, sultoira, S. Jos ; interite.
Joao, Pornambuco, 2 anuos, Santo Antonio ; va-
rilas.
(1I10MCA JIDICURIA
Entra ram...... Sahiram....... 3 6
Existem....... A saber : Nacionaes..... Estrangoiros... Mulhercs...... 3*3 269 3 19
E-trangeras... Escravos...... Escravas...... 2 44 6
313
Alimentados a costa dos cofres provineiaes. 137
Movitnento da enfermara do dia 17 de dezembro
de 1864.
TUIBC^AIi DP COJIMKRCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRA-
TIVA DE 15 DE DEZEM1UO DE 1864.
PBBS1DENCIA I.NTE1U.NA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ALEXANOllE UEIINAIIDI.M) DOS 11EIS E SILVA.
s 10 horas da manha, estando reunidos os se-
nhores deputados Lemos, Bosa, C. Alcoforado e
Basto, o presente o Sr. desembargador fiscal, o
Exm. Sr. presidente declarou aberta a sesso.
Lida, foi a pprovada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
l'oram distribuidos para seren rubricados pelos
Srs. deputados os lvros diarios das casas commer-
ciaes de Ferreira ,\ Malhous, Fonceca & Arruda e
de SchalTelthm & C.
DESPACHOS.
No requerimento de Numa Pompilio l'assos pe-
dindo <|tie o tribunal designe o numero de agentes
de leildes que deve ter a praca do commeiciodo
Macelo, de accordo com o seu pequeo commercio.
Nao tem lugar o que requer, visto a lei nao lixar
numero ,-ara agento de loiloes.
Wo de Joo Baplista Comes Ponna, cidado bra-
silero, de 29 anuos de idade, e.-tabelecido nesta ci-
dade com armazem de molhados e casas de com-
niissoes de assucar e outros gneros nacionaes o
e.-trangeiros, pedindo ser admitalo matricula.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Antonio de Moura Bohm pedindo o regis-
tro de quatre nomeac,oes de caixeiros seus.Re-
gi.-trem-se.
No de Luiz Jos da Silva Cuimares podindoque
se Ihe declare por cortido so ou uo commer-
ciante mntriculado.Como requer.
No de Jos Antonio Moreira Dias pedindo <|ui
seja sellado e rubricado um livro diario que apre
seuta, visto tor obtido concordata de seus credo-
res, que lendo sido homologada, rehabillta-o, na
couformidade do aviso do ministerio da agricultu-
ra, commercio e obias publicas de 10 de julho de
1863.Vista ao sr. dezembargador fiscal.
Nada mais ha vendo a tratar, foi pelo Exm. Sr.
presidente encerrada a sesso as 11 horas e 1/4
da manha.
SESSO JUDICIARIA EM 15 DE DEZEMBBO
DE 1864.
PRESIDENCIA INTERINA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. II. DOS RES E SILVA
Secretario, Julio Guimaraes.
Ao meio-dia o Exm. Sr. presidente 3 bro a ses-
so estando presentes os senhores desembar-
gadores Silva Guimaraes e Accioli, e os Srs. depu-
tados Lemos, Bosa, Candido Alcoforado e suppbn-
te Basto.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
Foram lidos dous officios de 12 e um do 14 do
correnle do Exm, Sr. presideMe da provincia re-
metiendo, para que o Exm. Sr. presidente interino
se digne informar, as peticSes em que Minervino
Augusto de Souza Leo, Francisco Bullarmino dos
-autos Freitas e Manoel Siivino Falco pedem ao
govorno imperial a sorvettia vitalicia do officiode
eicrivo do appellacoes, aggravos e protestos de
letras.
Assignaram-se os acordaos proferidos na sesso
de 9 do correnle as appellagjes enlre partes.
Appellante, Jos Baptista da Fonceca Jnior;
appellados, os curadores fiscaes da massa fallida
de Amorim, Fraguso, Santos & C.
Appellante, o embargante 3o Manoel da Silva
Lopes ; appellado, Joo do Couto Alvos da Silva.
Appellante, Augusto Frederico de Oliveira ap-
pellados, o presidente e directores da Caixa Filial
do Banco dolirasil nesta cidade
Appellantes, a viuva e herdeiros de Manoel Luiz
Goncalves ; appellado, Joao Francisco da Silva
ovaes.
Appollante, Caotann Cyriaro da Costa Moreira
e ontros ; appellados. Barroca & Medeiros.
Appellante, Manoel Jos da Silva Grillo ; appel-
lado, Antonio Gomes da Cunha e Silva.
JLGAMENTOS.
Appellante, o viscoude de Suassuna ; appellados,
Patn Nash C.
Adiado na ses-ao de 9 do correnle.
Beceberam-se os embargos.
Appellante, Jos Francisco Pinto Guimaraes;
appellado, o Dr. Gabriel Soares Baposo da C-
mara.
Adudo na secso de 9 do correnle.
Nao se tomou conhecimento desembargos.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos i\ C. ; appellado, An-
tonio Ferreira da Silva Maia.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellante, Ignacio Pereira do Valle ; appella-
Adiado o julgamento requerimento de um dos
Srs. deputados.
Appellaiitos, o Dr. Antonio Agripino Xavier de
Brito e outros ; appellado, Jos Gomes Leal.
Desprezaram-se os embargos.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
Francisco Jos Leite.
Adiado o Julgamento a requerimento de um dos
Srs. deputados.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Joaquim Francisco de Mello Santos; appel-
lado, Augu-to Frederido d'Olivoira.
Adiado o julgamento requerimento e um dos
Srs. deputados.
O .-r. desembargador Accioli apresentou em
mesa solicitando as diligencias lgaos para o an-
damento do feto entre partes:
Appellantes os administradores da massa fallida
de Bastos & Lemos; appellados Compiano & Cor-
deiro.
E o Exm. Sr. presidente offlciou ao Exm. Sr.
conselheiro presidente da relaco requisitando juiz
visto existir em ditos autos a averbacao de suspei-
(o do Sr. desembargador Silva Guimaraes.
PASSAGENS.
O Sr. desembargador Silva Guimaraes passou ao
Sr. desembargador Accioli os feitos entre partes :
Appellantes, D. Nympha de Mello Accioli Fon-
ceca e outro ; appellado, Gabriel Antonio.
Appollante, Jo.- Teixoira Leite ; appellado, Ja-
mes Bydor & C.
Appellantes, Tasso & Irmo; appellados, Manoel
Jos Salgado Couto e outros.
Appellante?, Valle Porto & C ; appellados, os
administradores da massa fallida de Joaquim Jos
Silveira.
Appollante, Jos Guilherme Cuimares; appella-
da, D. Maria Venancia d'Ahrou Luna Basto.
Appellante, appellado, Joo Antonio Goncalves,
appellantes, appellados, os administradores da
massa fallida de Antonio Carneiro Pinto.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Sdva Guimaraes :
Appellante, Jos Soares Leite da Costa; appella-
do, Antonio Ferreira de S-mza Maia.
DISTRIBLigES.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes:
Appellante, o Dr. Ignacio Nery da Fonceca ap-
pellados, os administradores da massa fallida do
Siqueira & Pereira.
Appellantes, Jos Antonio Pereira e sua nulhor;
appellados a viuva e herdeiros de Joo Ferreira
dos Santos.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
Gabriel Antonio.
Appellante, Ignacio Jos da Silva ; appelladas,
Maria Joaquina e' Bita Maria viuva e herdeira do
Manoel Antonio de Paria.
Ao Sr. desembargador Accioli:
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellados, Ja-
mes Crabtree & C.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Bastos Lemos; appelladus, Coimbra & Bi-
vault.
Appellante, Jo- Duarte das Neves; appellado,
Jos Baptista da Fonseca Jnior.
Appellante, Francisco Jos da Costa Barros; ap-
pellados os administradores da massa fallida de
Pacheco & Mendes.
Nada mais havendo a tratar, encerrou-se a ses-
so s 2 horas da tarde.
Ao publico.
A' SENTIDA MORTE DA EXMA. SrA. D. BER-
NARDINA Gl'ii.iif.rmi.na Temporal de 8a-
iioa. esposa do Illm. Sr. tenente Ma-
noel JVENCIO DE SABOIA.
Nemo scit diem nec horam.....
Mais una preciosa existencia acaba de cei-
far a inoxhoravel parca I
A Exma. Sra. D. Bernardina Guilhermina
Temporal do Saboia ja nao existe I
Accommetlida de repente pelas 10 horas
da nolte de 10 do corrente dezemnro de
um pequea dor, esta foi augmentando pro-
gressivamente e no segunte dia, pouco de-
pois de meio dia, a sua alma suhia cuito
celeste com a do urna creacinha de oiio
mezes que trazia as entranhas I
O seu digno esposo e prenles emprega-
ram todos os osfor^os para salva-la do mal
que tao cruelmente a atacava; tudo, porm
foi baldado: ahora suprema tinha soado,
e a natureza devia pagar o seu tributo....
Com 32 annos de idade apenas, e 12 de
casada, a sua vida foi sempre perfumada de
candidas virtudes e puras affeiges. Faza
as delicias de seu idolatrado esposo e de seus
lonros lhinhos; mas a descarnada mo da
inorte tudoacabou; e ella nos bracos do es-
poso que chorava o seu mortal padecmento,
nao pode dar-lhe o adeos d'alm tmulo I I
Monoul Esposa e mi, santa missao que
Dos impoz a mullier, por ella foi cumpri-
da, e ninguem Iho excedeu neste dever I...
E* que ella nao era da trra; peregrina
parou ueste mundo, mas os cerdos o espi-
nos que incessanteinente a jai se enrontra,
saogranJo-lhe os ps, desprendou-se do bar-
ro e vrem ao co !
O seu extremoso consorte, cinco queridos
filhiiihos, seu pai, irmos, pareles e mais
pessoas que erain honradas com a sua ami-
sade, todos inconsolaveis e mergulhados na
mais viva saudade lamentam to sencivel
porda...
Anida hontem to chcia de vida no seio de
sua familia, e hoje descauca sob a podra fria
de una campa I...
Todos os prazeres, todos os encantos, todos
os gosos da vida; vo sempre pairar abante
do rosto esqualido e medonho da morte, e
bem raro que um regosijo Do ve,nha en-
volto oui funreas vestes e enfeitad de ne-
cro crep.... Eis a realidado do mun-
do I !...
A dor que nos causa esse nunca asss
chorado passamenlo immensa, todos o com-
prohondeui, mas devemos mitiga-la com a
consolaco do que a tinada gosa o predilec-
to lugar em que moram os anjos, seus ir-
mos.
A morte de um justo um accordar im-
mediato n'um recinto infinitamente propi-
cio-----
Basta : nao devemos perturbar o silencio
religioso e eloquente de um tu nulo....
(Jomo chnslos resignmonos ante os inson-
davets decretos do Eterno.
A morte passa entre nos e s nos separa
na apparencia para nos reunir na etornida-
de ; e se ella arrancn nossa ternura to
virtuosa senhora; so levantouentre nos urna
bureira invencivel, jamis poder riscala
da nossa memoria...
Derramemos os suspiros, as lagrimas e as
saudades tristes e melancholicas de nossos
coradles sobre o tmulo em que perpetua-
mente dormo o ente que o Supremo Cegador
acaba de forir, porque o pranto que orvalha
a campa um balsamo consolador que nos
vm dos cos ; mas roguemos-lho que inter-
ceda a Virgem Maria por toaos aquelles que
vag'.ieiam neste valle de lagrimas chamado
mundo, porquanlo as virtudes d'a^uel-
la que pranteamos convoncem-nos de que
ella, desligada hoje dos viuculos terrestres,
ti iumplia entre os coros augelicos c pude
proteger-nos-..
15 de dezembro de 1864.
'dc-m do dia 16.
42:C94J10
519:6395832
Hovluiento da alfandesa
694
1,239
Veluraes entrados com fazendas...
com gneros.
'.'o i unios saludos com
cora
fazendas...
gneros
1,933
187
903
------1,090
Descarregam no dia 17 de novembro
Brigue ingloz Man l ferro.
Brigoe nacional -Alfredo carne de charque.
Brigue argentinoAila charque.
Polaca hespanholaViajen o -idom.
Barca franceza Virgd* cemento.
Barca ingleza-Cnrnocopiadiverso? gneros.
Patacho hanoverianoJacobusalcatrio.
Brigue inglezSegeliacarvo.
Barca inglezaHelia Poulecarvo.
Barca inglezaLoo/ Oul -carvo.
Barca francezaOlirier Jean Manecarvo
Barca inglezaLatinan -idera.
Barca inglezaDoruthtjiiiem.
Barca DglezaArenadem.
itcccbedorla de retadas Interna*
gerae de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 15......... 17:8395963
Idera do da 16................. 1:627*544
19:4675507
Consulado provincial.
Rendimento do dial a 15........ 54:5295728
dem do dia 16................ 4:8l661u
59:3765338
MSIII2NTG 30 ?0ET0. ;
Noci entrado no dia 15.
Barcelona42 dias, polaca hespanhola Catalua,
de 150 toneladas, capio Juan San.uon, epuipa-
gem 12, carga vinho e outros gneros; a ordem.
Seguio para o Bio de Janeiro.
Natas takidot no mesmo da. '
New-YorkBrique dnamarquez Allante, capito
W. S. Boebe, carga assurar e algOdSo.
Coar Brigue hanoveriano Schlttmp za l.ulle, ca-
pito Strack, em lastro.
CearaEscuna dinamarqueza Ventas, capito H.
Groth, em lastro.
Portos do norteVapor hrasileiro Paran, com-1
mandante a caoito da fragata Santa Barbara.
Southamp:on e portos intermedios.Vapor inglez !
Paran, commandante Beies.
Para e portos intermediosCanhoneira franceza1
I.uten, commandante Barboten.
iVni'o entrado no dia 16.
Acarac e portos intermedios8 dias, vapor na-
cional l'ersinunga, de 422 toneladas, comman-
dante Batis, equipagem 20, carga algodoe ou-
tros gneros.
Navios saludos no mesmo da.
Canalgaleota hanoveriana Mena, capito Heeren,
carga assucar.
Bahaescuna hollandeza Speculant, capito Ne-
land, carga parte da que trouxe de Botherdam.
Portos do sul vapor hrasileiro Oyapock, comman-
dante A. M. de P. Ribelro.
Babia -vapor ngloz Galilea, commandante Bupel,
carga parte da que trouxo do Liverpool e Lis-
boa.
Sala do ronselho de compras navacs de Per-
nambuco 13 de dezembro de 1864.
Alexandre IVnlrigomios Aap-
Secretario.
Tribunal Pela secretaria do tribunal do oinnwc dft
Pernaniliueo se faz publico que ne
rriplo no livro da matricula d\>s cummerriaaen
vr. Jos Augusto de Araujo. ndado hra-ikiro. t
32 annos de idade, ateta lecid.i aaati cidjU* coa*
fabrica e exportacao do olre Trg.-ue-
Secretara do inliunal do eummer
buco 17 de dezembro de 1S64.
O oflh'ial-maier.
Juli i liiiir.ai
, COROJO G RAL.
Ilelacao das carias seguras indas d sal f s*rte.
t das eiislrates na s.IniaMrarM U rerri
desla ciiladc para os seiiburrs abiiu decla-
radas :
Dr. Agesilan Pereira da Silva.
Augusto Praajwa de ll mtmm.
A ni nio Haaoel de -onza iiwara.
Antonio Pereira I ros.
Clorindo Ferreira Cala".
I). Francisca de Jeaus Harto M,r
Frederico Cesar Bertosm i m
Francisco Amonio de r )u>- Mello.
Francisco de Melle lt.irr.-to
Francisco Pires de Oarvalfco Araanto Junn-r
Foh|ipe Nery dos Santi.s.
, Francisco Ignacia P
Coiicalo Jo- AIT'ii-i'.
Horciilano Mainart Franco.
Joaquim Foliiqio da Catea.
Joo Pedro Coliare- Moreira.
Joo Silvorio do Sniiz.i.
: Padre Jo.- Antonio dus San: s Lesea.
Dr. Jos Ferreira Drovalk
' Capito Manuel Azevi -lo do Nascimenlo.
APIPICOS
Gratule e >atiadis fsperlacilc
Pela cumpaiihia nacmnal
.Vl^Slii \ MMIITI
Sabbado 17 de 4e emtm
Ir a scenaos melhores o hem exocutad"- tra
balhos, a sempre applaudida rulun n.i
por toda comianliia, o equilibrio d'jrm.i ,
corpo, grupos, saltos, lulas a oulrn- trateaban.
A conipanliia so esforcara para satisfazer
poitavi'l publico, nos inlervulliis a mu-ira iiainan
locar e cantara varios ptdac i!
viata e de oulras i pora- para -au-
mento do publico.
Bilheles para homrns e senhoras l;MH>
Ditos para meni's ."><
Principiar < 8 l|2 horas em ponto.
AVIS3S MiaiTCSOS.

AUGOES.
i
A provincia do M^ranho acaba de perder em
Antonio Goncalves Dias um de seus lilhos mais 1-
lustros, oprimeiro poeta lyrco hrasileiro. Eunar-
cando-se do Havre em 14 de setembro a bordo da(
barca Y Ule de boulogne, alentado da grata espe- j
ranga de que Iho (aria bem urna longa viagem,!
qnil o destino que o Ilustre cantor tvesse um tu-:
mulo tam grande como a sua alma. Mais infeliz1
que J. Fraucisco Lisboa, Joaquim Gomes de Souza
e dorico Mondes, que em menos de dous annos
se tinarain em trra estranha, nao vingou Antonio
Concalves Dias dar entre os seus o ultimo alent
e dolar o seu berco com um punhado de cinzas,
em torno as quaes viessem os amigos derramar la-1
grimas de saudade.
Salteada de um naufragio, a Yille de Boulogne
sossohrou nos baixos dosAtins que quasi defron-;
tam a cidade de S. Luiz, e por mais custosas dili-
gencias que os conterrneos tenham empregado
por descubrir os restos do immortal poeta, o oca-
no avaro nada at hoje lhes deu a saber dos restos
de Goncalves Das.
Esto lamentoso acontecimento, que tem conster-
nado profundamente a cidade de S. Luiz, e nade
causar a mesma dolorosa sensaco em toda a pro-
vincia c em todo o Brasil, dspcrlou algnns
espirilos de escolha o empenho patritico de erigi-;
rom um monumento em memoria do illustre fina- '.,
Dos guarde como se fox mister.
COMPANHIA
DO
,SjgSsa^S^S&o
llavendo-sc aberto um chafariz entre as
i duas pon tes da Passagem da Magdalena,
para com maior commodidade vender-se
tagua aos babitanes d'aquelle lugar, a di-
rectori* o p5e em arrerpalaclo pelo tompo
que decorro desta dataao ttllimo de juulio
prximo futuro. Os pretendemos podero
apresenlar suas propostas em carta fechada
at o dia 21 do correnle, laucando sob a ba-
se de 20,-OOO par mez.
Escripiorio da Companbia do Beberibe
lo de dezembro del8.
O secretario,
hit
COMPA.MII \ PKRN \MI CANA
DE
Havcga^9 cotcira a rapmr
Parabyba, Natal, Hado, tnatj, uva
Aciraiit.
N i ;lu 22 do rnrrenl
um dos vaporps da romp.nhia po-
ra os portos arima ttntkti
choras da tarde. B>-i-etiera r irp afc:
"':?^??>J3&'i dia 21 : pncoinm*n(b<. pasu
mirsedinheiroafreto atae tirv a% tanfr.
do dia da sabida : escriptorio no V n. i._______________________________________
COMPANHIA PERNAMMGAHA
DK
IVavega^o costeira a vapor.
.Mac-i e csiai.is.
No illa :'.ii ilo nmaip seguir
um dos vapom da companhia |>a-
ra aa pe tea cima indicad- ** "
iberas da tarde. tWetx c.4ra ate
o da J. F.nri-uwiendas, *a-
geiros a dinheiro a frote at 2 hora- da urda 'lo
dia da sahida : e-oiiptoro no Forte o
u. I.
Pnru Lisboa
O bricue portugui-z La II. capitn A I
ra vai sabir con bisvidada p->rcer a maior parta
lo tea carregamente prompto : .pirm ao aunase
Jos Eusla-iuio Ferreira Jacobina. I g^g;;. de >****en. d.r:
Para H. lxc. o Sr. vice-presidea-
(c ver, com procede o subde-
gido de Quipap .Manoel Joo
de ftoiiza.
Eis um ollicio que o mesmo subdelegado, fra
do exercieio, mandou ao supplente que fazla suas
vezes.
Illm. Sr.Fasse pereizo abom do servico pu-
agradecida por um dos genios mais favorecidos da |
natureza americana.
Dirigindo-se neste intuito ao Instituto Archeologi-
co e Geograpliico Pi-rnambucano, os Ilustres mara-
nhenses, Drs. Antonio Ileanques Leal, Antonio
Bego, Alexandre Theophlo de Correia Leal, Pedro
Nuiles Leal e Francisco Sotoro dos Bois, sollicitam
o auxilio do povo l'ernamburaoo para a realisaco
daquulle projecto em flor.
Lorrespondendo ao convite patritico, o Instituto
representado pela commisso que delegou de seu
seio tem aberto urna subscripeo nesta cidade,
livrana dos Srs. Figuoiroa & rilho, confiando que
nao ser cmbalde o appello que faz todas as clas-
ses, com o designio de consagrar em acto a tam
louvavel a-|iir.n;o de irmos, (|ue deploram a per-
da de urna das glorias mais opuleutas da littera-
tura brasileira.
As quanUaa subscripladasdevero ser realisadas
no acto da inscripeo.
Saia do instituto, 11 de dezembro de 1864.
Francisco Leopoldino de Gusmao Lobo.Francisco
de Carvalho Soares Brando.
Ao publico.
EMPREZA GEHUANO & COIMBRA.
A actriz Anlonina Marquelou, tendo sido contra-
tado no Rio do Janeiro pelo Sr. Germano Francisco
de Olivera, para as representacSes dramticas do
thealro de Santa Isabel, nicamente pelo espacode
seis mezes, obrigou-se, depois de chegar a'esta
bella provincia, pea sua palavra, a acompaohar a
empreza Germano & Coimbra, at que tivesse esta
terminado todos os seus compromisos, quer com
o governo, quer com os de mais artistas ; e hontem
lo do corrente linalisou sua obrigago, por isso que
a pmpreza tambera eumpno a sua.
Sempre respeitada peles seus dignos empreza-
rios, sempre querida do publico que acolheu o pou-
co merecinwnte da artista, que despida de preleu-
qoos, fazia s consistir a sua gloria cm agradar,
por meio de assduo estudo da arte a que se dedi-
cou, a este mesmo nubh'co que reconocidamente
to intelligonte, quo cheio de bondade.
E' a vista de to lisongeiro acolhimento para a
pobre artista que vive da affoiQo publica, o que
he resta no fin de urna estaco, em que a vida
gasta-se, vordade, mas que se encoraja para vi-
ver no futuro ? Tributar aos seus dignos empre-
zarios nm voto de gratido pelo urbano tratamento
com que a distingui, e entregar a sua alma ao pu-
blico que a elevou com seus applausos a altura de
artista consumada.
Eis o que faz a
Actriz agradecida.
O ahaixo assignado faz publico que acaba de dis-
solver atnigavelmente. a sociedade, que tinha na
empreza do theatro do Santa Isabel, com o Sr. An-
tonio Jos Duarte Coimbra, o que se acha exonera-
do de todos os compromissos tendentes mesma
Illm. Sr. Antonio Montoiro dos dantos, supplente
em exercicio.Manoel Joo do Souza, subdelegado
do d-triclo.
f Est reconhecido. )
Peco-lhes mais senhores redactores a publieacao
dessa pega conservando a mesma orthographia.
vigilante.
O perfume do hewispherico o-
cldental.
EXTIIAIIIDO DA QAZBTA MENSAL DAS MODAS..
Existe por certo urna quahdade altamente sa-
nitaria, suave o deleiiavol na deliciosa fragrancia
desta agua popular que de to grande ornamento
serve ao toucador.
Ella como por encanto nos faz lembrar o dulc-
simo incens llorido do vero, ou imtago da
um favorito tom de msica antiao, o qual por ven-
tura nos faz recordar aquellas scenasja passadas,
durante as quaes ouvimo-lo pela vez prmeira.
E' espinlualmente delicado como o aroma da
genuina agua de Colonia, e rom tudo o seu perfu-
me mais profundo c duradouro, e a suave fra-
grancia nunca muda nem enfraquece, como acon-
tece com os mais perfumes extrahidos c compos-
! tos de leos volatis.
As senhoras as.quaes geralmente snffrem de do-
res nervosas da caneca Ihe do a preferencia to-
da e qualquer una outra applicacao local, como
um expeliente meio dealliviar as dores; eemqna-
lidade de um perfume para o quarto de um doente
elle por sera duvida eminentemente refrigerante
e agradavel.
Referimo-nos to smentc quanto agua florida
de Murrav & Lanman.
Qiianto's-imiiagdes sao ellas despreziveis c nao
morecem a mais leve menguo.
Acha-se venda em todas as lojas de perfu-
maras.
Cotaees offlciaes.
PRACA. 1)0 RECIFE
16 DE UEZEMBRO DE 1864
Conros salgados seceos145 res, por libra.
Fretede akolopara Liverpool3|4 e 7|8 de pen-
ny e 5 0|0 or libra.
Fretes dH assucar do Parahiha Liverpool 25|
por tonelada, sem primagem.
Fretes de algodao1 d| por libra, sem primagem.
Alfandega
I ousulado tic Portugal
Por ordem do consulado do Portugal em Pcrnam-
buco tem de ir cm hasta publica os bens que fica-
[rm por fallccimento do subdito portuguez Jos
i de Oliveira Ramos e Silva, morador na ra do Im-
! porador n. 52, constando de urna mobilia e objec-
tos de cozinha.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornocimonio do
arsenal de guerra precisa comprar o seguintcs :
Para o arsenal de guerra.
5.000 tijollos do alvenana batida.
5.000 tenas.
40 alqueires de cal preta.
10 ditos de dita branca.
4 custodite) de pao carga com 23 27 palmos
de comprunento, e Ll 16 polegadas do largura.
1 arroba de gomma laca.
12 dtizias de folhas de papel lxa sortidas.
500 caada; de azeite de arrpalo.
Para os fortes do Buraco e llrum.
3 bandeiras grandes iinporiaes de filete.
Para a fortaleza do Brum.
3 chapos.
8 estotras.
:t mantas de la.
As pessoas que quizerem vender taes artigos,
aprsentela suas propostas em carta fechada na
secretara do conselho no da 23 do corrente s 10
horas da manha.
Sila das sessoes do conselho administrativo, 16
de dezembro de 1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastio Jos Basiti Pyrrlio,
vogal secretario.
Subdelegada de polica da fri gueza da Boa-
Vista 13 de dezembro de 1864.
Nesta subdelegada existe um carneiro e urna
carteir cer lhes.
Coiisellto de compras navaes.
Contrata o conselho no dia 17 do corrente mez,
sob as cundeoes do estylo vista de proposlas em
cartas fechadas recebidas at as 11 horas da ma-
nha, o (brneciment no trimestre vindouro de Ja-
neiro a margo de 1865 dos seguimos objectos do
tardamente.
Para a companhia de aprendizos artfices.
Bonets de uniformo, ditos para o sorvigo, blusas
de brim branen, ditas do algodao azul, calcas de
hiim branco, ditas de aluodo azul, camisas de
algojozinho, cobertores de la, colchas d algo-
dao, fronhas de alodozinho, lengos de soda para
grvalas, lences de algodozinho, sapales foitos
no paiz. saceos de guardar roopa, e travesseiros ue
linho chelos de palha, caigas do panno azul, col-
cho(!S de linho chelos de palha, fardlas de panno
azul.
Para os imperiaos marinlieiros e aprendizes
ditos.
Braets de panno azul, camisas de brim branco,
caigas de algodao azul, ditas de brim branco, ditas
de panno azul, camisas de algodao azul, frdelas
de panno a&ul, leugos de seda preta para grvalas,
sapates feitos no paiz, e saceos de lona de mari-
nhagera.
Para os fuzileiros navaes.
Bonets de chapa e pala, caigas de brim branco,
ditas de panno azul, camisas de brim branco, far-
qetas de panno azul, fardas de brim branco, gra-
vitas de couro de lustre, polainas de panno pret-j,
e sapatoes feitos no paiz.
Cotnina o conselho a receber em todas suas
sessoes propostas acerca de maderas que precisa
o arsenal de marinha para ronstrurgo de um
transporte do Pirra ; assim como contrata mais
no referido dia,17 do corrente mez, tambem sob
signatario
.'i.'), escriptorio.
Habelio, roa da CaaVia a.
Para o Porto.
segu at o dia JO do corrente o brigop poctnjruez
S. Manoel I, capito Cartel Ferreira Soares : ay
no mesmo qnzcr carregar ou ir de pa-afra>, di-
rja-se a ruado Vigerio n. II, escriptorio de M.
J. Ramos e Silva i\ (euros.
LEIL6ES.
l)epoii de pao,
DE
liolucha
roa da n^oeta n. 6.
HOJE.
O arente Pinto fara lelo por canta V qopm
pertencer da armago e genero- <|o ilepo^it.- Ha
ra da Lingoela n. 6, s 11 horas do du cima di-
to no referido eslabeleciinento.
LI'ILAO
na
DE
16 nicia-anuas de pedra e ral ia
do Cmaras n. 5 \.
HOJE
O aginte Pestaa bgalinente autori-'adofor sea
dono f ir leilo de 16 meias aguas muito brm aaV
licadas de pedra e cal n. t a 16 silas na roa V
Camaro n. 5 A : sahhado Mi do corrente p>>las II
horas ila manha junto a A-soci.ico r.oiniiirTrial,
qualquer di-llas tem .-ala, a Ico va e ri-inha. ? Sr.
prelendenies podom com anteeedeo'-u etamina las
c o agente acha-se prompto a quadiaer esclarec
ment.
DE
Importantes dinidas.
Martins levar novamcnle a leilao por dc-'parho
do Illm. Sr Dr. juiz es ecialdo commercM dte di
vidas activas da massa fallida de J i-oinm Vialra
Cociho & C. na importancia de8l'6lilVl2i rs.
iio.ii:
.\o primoiro andar do sobrado da ra da (-.! ia
n, 48, as 11 horas do da cima.
DE
MOBLIA
A i!) du fnrr^nle.
Por ordem do Rvd. C. A. Au-tea o wmw F*-
tana fara l-ilo da cspl n lida mobilia da na de
moralia do mesme. con^i-iinlo mu mesa reatt,
dita de abas, si.fas. c.i'ipiras osnae*, de krjr- de halango de Jacaranda rom n>da- e sea ellas.
espelhos ludo no melhor estado para adata 4a
sala de visitas, minios outros objectos para -al
de jantar, como mesa elstica, amparador, guarda
louga, armario de posto, cadoira<, pump a*a
ptimo piano e caixa rara mn-ica de jacaraatte,
cad oirs de difireme- vialidades e friliaa, rvrli-
nados de sala e tapetes, leitos, oariU N ipa.
marquezas, diversas marquetas meoinkas, rnat-
modas, lavatorios, espelho-, aparplho* de 'mrn^z
as condigdes d estylo e vista de propostas re- ] para jantar. de porcelana para almoro, m-4ae>,
cebdas, a lavagem ilo roupa dos estabelerimentos urna urna de casante! Bn, igualmeaip om parro
de marinha no mencionado trimestre da Janeiro a americano de 4 rodas, l cabnolet em boa *,
urna carroga, grado de ferro para galhtent-iro
margo de 1865, bem como o forneclmnnto durante,
o mesmo lempo de carne verde aos navios da ar-
Rendimento do dia 1 a 15........ 476:945731 jmada, e ditos cstabelecimentos de marinha.
muitos outros artigo*
rao patentes.
renavcis e quena acto s-



Diarlo de Ptrnfcue Sabbado i J de Dczembro tfe i 8*4.
Segunda-feira 19 do correnle
s 11 horas da manhaa na rasa da residcnria do
mesrao Sr. llvd. Auslin, na estrada detronte da
igreja da Soledade indo para a do Manguinho por
detraz do sit'o do Sr. Accioli Los.
DE
Fabrica de sabdo da ra Im-
perial e todos seus pertences
Scgunda-feira 19 de dezembro.
O agente Pinto fara leo requerimento do ad-
ministrador da massa fallida de Rostron Rooker &
C. e por mandado do lllm. Sr. I)r. juiz especial do
commercio, do edificio e inais objectos da fabrica
de sabaoda ra Imperial, assim como levar a no-
THESOURO DAS MIS
Providencia das enancas
COLLARES KOYER
Electro- mauBelieos
CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTigO
Contra as convulsoes e para facilitar a
dentirao das crianzas preparados e inventa-
dos por Royer, pliarmaceutico da esco-
la superior de Pars, successor de Cliereau,
inembro da academia de medicina,
antiga casa de Bouillon-Lagrange, pharmaceutico
do imperador,
chefe dos trabalhos chimicos da escola po-
Ivtechnica, director da escola de pharmacia de
Pars, e membro da academia imperial
de medicina.
Precisa-se alogar nina
nliar e engonunsr : na ra
berua.
preta que rauta cnri '
da Palma n. il.la-
10 LARGO DO TERCO 10
Esta nova padaria aberta ao publico (e perlo da estaco do camiuho e
ferro), acha-se montada cora espacio mais que sufficienie para poler fabricar com
limpeza e acelo toda a qualidade e quautidade de bolacha, pao, bolachinhas, bis-
coitos e todas as macas que se desejar a procos mdicos e razoaveis.
l'm rapaz brasiteiro com ortica de eaiieiro
ofterece-se para ser empregado em loja i!e fazen-
! das, escriptoriu, ou ontro qualquer eslaheletinran-
to, dando fiador a sna conducta : ijopoj nreeisar,
procure na fabrica da travessa do Carioca n. 2,
caes do Ramos.____________________________
Sahiu luz o quarto numero da RecislM do
Instituto Archeologico e (ieographico l'ernumbuai-
no, contendo, alm das sesadas do Ins'.ituto, o mili-
to interessante relatorio da commissao encarrega-
de Joao Fernandes Vlel
vo leilao os objectos perlencentes a mesma massa Gallo Vigilante ra de Crespo n. 7._____________i
... r am IaIISa H /!; K e**\tinA<\ Ha hace ns ------------;-------------------:-----------:-----7~, r7~r7TB '
m molegne de 14 a Ib annos
se a ra da Cadeia n. 55, pri-
meiro andar.
expostos em leilao do dia 5, servindo de base os nnem tiverl
preces obtidos naquella occasifio, os quaes serao Yuear diria-
de^nitivamante vendidos e entregues no leilao do {"_, *?arJ
e aos seus
colindas e
Ao publico em geral e aos seus amigos em particular pede que experimentem, rade^ouza, ao Arco de Santo Antonio,oude se
Estes collares vendem-s"n!camente na loja do para se convenceren do que assevera em seu annuncio.
Joaquina Caetano de Carvalho.
Furto.
llontem a* h.-ras do dia ronbaraaa d*.linde
na ra das Cinco Punta* n. 2; o rtinrtt: I -
brtrasaro, 1 -.Ir, I rttssts de rj*riitira, e tj#
novo, I bahuzinno de rotiro elisio At rnpt. I par
lid borzeguiiis franr / \.\ i..l, | ,. | r Arrt r, f
travosseiro 0 rosto. MU | o rio .! r :i('> -)
mitro* objectos : porl:into t<%\ ?* a* >tilrMa***
a apprehm*aode l*M anjeen -. u -jraWira-^ a
i|uem descubrir o ladra >. Safc) o dito M ubi negro
de camisa de risrado.___
Pre.'isa-se de um rozmljeiro ou rrixi**ira.
form un captivo, para fas* le rapaos t^t-im.
apiadando pagase bem : a tratar Da ra du Q-wi-
inado n. 7.
diasegunda-feira 19 do corrente, na mesma f
brca.
Principiar as 10 horas. ______
Anda est para ser vendido o sitio da tra-
1 vessa do Remedio na fregueza dos Afogados n.:
21 : quem o pretender, ainja-se a ra de S. Fran-
cisco, sobrado n. 10.
no
Na praca da Independencia, loja de ounves I
Espolio elo finado subdito por- n. 33, compram-se obras de ouro c prata, e pedras COlllDailllia
Ihsuc* Jos de ISvcira Ra- ^^^^^Z^^T^ de en- \
mos e Milva.
Francisco Beringuer l>sar de Aadrade. m-
raJor na villa do iJrejn. \ ilr. .1 1. -. -. irniiav
acham tambeni os nmeros anteriores. ao publico que no dia :>0 do m ^.'fT^!
Assianatura por anno 53, nomero avulso 13500 t o mulalinho, seu escravn. de uw i n.D^'itio. *;
B-2-----------;-A-----3----------:---------T 14 a 16 annos de idade. r tle lirmja. rl*m o
Terca-feira 20 do corrento.
Por ordem do lllm. Sr. cnsul de S. M. Fide-
lssima o agente Pesua far leilao por conta do
quera pertenec do espolio do tinado subdito por-
tuguez Jos de.Oliveira Ramos e Silva, consistindo
em alguma mobilia e diversos objectos de porce-
|jua o ouro, todo so achara patente na ra do
Imperador n. 5, terceiro andar : tei(;a-feira 20
do correte pelas 12 horas da manhaa.
33 i
25 barris com toucinho
Terca-feira 20 do correte.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem oerieneer 13 b irris com toucinho de antos
H 12 ditos com dito de Lisboa em lots a vontade
dos compradoras : terca-feira 20 do corralo pelas
i) horas di manhaa no arraazem do Annes de-
fronte da alfandega. ^^^^______________
DE
Quarta-feira 21 do oriente s 11 horas.
3irmazea da rita da Cadeia do Recite3
DLYMPIO
veul.ra um leilao 1 puqu--nu prio raeciianico pa-
ra >e |ueiias unpresso 'S com diversas ontes do
typos e mais pertences necessanos ao trabalho.
commenda, e todo e qualquer concert.
tm
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
i molestias
2"
3o
geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
Ri riuestrella do iosaiio n. 34
Advogado Alfonso de Albu
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sexta -
oirs, porm, na villa do Cabo.
Para a testa.
Aluga-se um sitio na roa do Cabial da ci-
liado de Olinda, com casa terrea, coni co-
piar na frente, bota os fundos para a ostra
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna flanea co dinheir, lepositado nos cofres do estado, garante a boa 4-jdaemargemdjro Bebente, conicojj-
* mn;Bt..y. da rnnminhia i modos para familia, estribara para tavallo
miniStl'iiraO n lOIII|iailHld. ennta.ln -rvnrpdns de
BANOriEIROSDA COMPANHIA DIRECCAO GERAL le capim para siMenta-os. ar\orciOa
UA.>gLbiK ifructos, setn visinte defrontc nem
.Madrid : lema do Prado n. I
corpo, cabera pei|orna. cabellos ^lirados
nariz alilado, lein um euie na Irenie tf mmm.
leva vestido camisa de algod m .' tmmtmmm,
calca de algodo da t-rra e .-ha( Je **
copa alta : quem o pagar IWfa aa wiartia ^r
senhor que .-era geiiiT.i*a:ii-wr." r.-i n>tHn-j.l
Pcrdea-..e
a- 0 horas da manhaa no dia \\ ire rt+ 4
Ponte de l'rha e a K-laii.-ia, jumim Sf J J.
Moiileiro) um rolo pasjan.nlpofal > uwaio -la*
cartas escripias na linp*r
adiado, levando ao etes de ApaNa n. 31, sera jra-
liUiadn.
O Banco de Blespaoka
, fundo, com ptimos passeios, sala e
pelo
gabi-
Alugam-so du:i< c.i-.i- i rm 'ttm *
maro, na estraila d- Latil d i I .'. -end urna a*-
sohradada, proprias para tani i M i p r ^r aaanta
frescas: que/O pretrndnr di iJa-M a R>a Vi:i, ra
da Mancueira n. 20. qo> achara rinti^rnm iratar.
Aluga-se una casa u Main;, a V..r/-a. arta
de olhos;
de peito :
dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalbo pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d sj
6 as 10 da manhaa, menos nos do- jj|
mingos. B
Praticar toda e qualquer opera- ||j
gao que julgar conveniente para o |g
prompto restabelecimento dos seus iS
= Precisase de um cosinheiro escravo e pa-
' ga-se bem agradando : na ra da Madre de Dos
u. 3i, primeiro andar, das 8 as 2 horas da tarde.
Est ainda para alugar una casa na ifha de
Bombea junto a punte da Passagem, com commo-
dos para familia, baobo, pintada, e pelo barato
aluguel de 150& por anno : na ra larga do Ro-
sario n. 36 se dir quem aluga.
ncia dos seguros nete na frente, muito propria para passar a I r '" M* ">" 'i'"""1 m.
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacocs de supervive
sobre a vida. festa. e tambem se alujar pnr anno : a lal-
Nella pode se tazer a subscripto de maneira que em nenhnm caso mesmo:por morte do se- jar m jiecjf(1) n) | vraria n. 0 0 8 da pr.HM
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a este*. w.rin da Indpneniienc'n B em Olinda na Casa COD-
Soto suprebendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de-A NACI- aa inoepencetu ii, e em uunua^ua wacuu
NAL,-que ainda mesmo dimlnaindo ama terca narte do n:
e combinando o com a mortahdade dat
seus clculos e liquidacoes, em segurados i
produz em effectivo metlico : .*
No lira de 5 annos.......1:119-3300
, de 10 .......3:)Wi600
, de 15........11:2085200
, de 20........30:2365000
, de 23 .......80:3313000
as idades menores de 3 annos c maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
lo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidacoes, ligua com o capit;
da tabellado epareiuiu que c adoptada pela companhia P^aos rera.
urados da idade de 3 a 10 annos, urna imporsicao aonu?' le 100 ------ -----^.^-----
Prospectos e mais informales serao prestadas pelo sub-director nesia provincia o Si. Jeron\
quin Fiota de Oliveira, ra da Cadeia n. 32. ou a Roa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabe
' roo Joaq...
lecimento dos Srs. Ravmundo, Carlos, Leite & Irmao.
Desappareceu
da toja da roa Nova n. 24 (exposico do
gaz) um balaio cor de rosa, coutenuo um
mantelete preto de fil de tinte decolado.
envolvido em urna toalbade labvrintho com
LE1L10
Dt
ISI&WSE
Quarta-feira 21 du correle.
83--Arraazem da ra da Cadeia do llecife53
que estes objectos sejam offerecidos a venda,
a casa cora soto o largo do Pilar roga-se aquellas pessoas a quem dito offe-
n. 10, e o'utra na travessa do Tambi n. 21: quem recimento se fuer, 0 especial favor de fazer
pretender, dirija-se a ra do Queimado, loja n. 13, Inppreacnso dos referidla objectos, remet-
ou no largo da Soledade, sobrado n. 48.________ tendo-os a dita loja ou mesmn dar noticia
4 luQQ-Sg do que souber a respeitn deltas, que alem
o terceiro andar da casa da ra Direita n. 36, o
qual tem commodos para grande familia : a tratar
no segundo andar da mesma casa, ou no Recife na
ra da Cadeia n. 3.
O abaixo assignado com casa de relojoeiro na
roa do Rangel n. i7, faz ver ao respcitavel publi-
co que nao pretende passar, como algucm tem in-
ventado, a sua casa a outra pessoa, invenclo essa
que'tcm por tini nico deseoncellaa-lo perante o
as iniciaos A. D. C.V, e podendo succeder{^l,co e ^nm
Ricardo Marlms da Silva liorges vai a Por-
I tugal tralar de sua saude.
E33s3I*S miiM h-r'-^ ~.i-A :=^&&tsa\.-^Ui
;|3 Coij^aa^ia UdelSiadc uc ^
segmros msarliuio c er- L
~P rc-sres cstabeleelda no
B Rio de Janeiro.
fg| AOENTES EM PEPRAHBOC0 ^
M Antonio Ltiiz de Olivcira Azevedo A C, ^
competentemente antorisados pela direc- 2
^ loria da companhia de segaros Fidelida- ea
B de, tomam seguios de. navios, mercado- |
B rias e predios nc seu escriptorio ra da 5H
fe't Cruz n .1. K'i
1a>c-<.*ri-^-j -.-. ;r.'^a -.-.;. :-.i ^ul.T.-.--+xrmim
' Auga-se a casa terrea di ra Imperial u.
79 a tratar na taberna da roa do Rangel n. 7.
da de delrat, eoaMao v.riu- .r.' -i i-1- de Ir
quem a prelen lor dirija-se a 11
brado que bota a frente para a ru i le h UBI n. 1,
prinuriro andar.__________________
O secretario interinn >la irm^n
da l!,ia-Viagem convida, t$ urden lo Sr. ;.
lodos o< iii-:ni|prs da actnal nn'-a vpi ttoo par
urna reuniao no re*jmrtivo r-HVMtart*. i-mimgm
18 do correle, pela* '.' ti iras da nw
Per de ii-xe
m\ ~r
de se lhe gratiticar se lhe licara assas agra-
decido.
Eoffa-se
i:M&W!a pessoa flue Por engao levou da loja da
rario pretende nao so cnniintar com a mesma
casa como abrir outra de. diflereote pndissao e de
socledade com pessa para i-so habilitada. Por-
tante, qual |Uer consa que alguern espalhe, a nao I qUe'j'r'a r paraba coiips
ser o que o abaixo assignado declara, ser reputa- ra(j(ir;l engCnhn
Precisa-se de urna senhora habilitada, pelo
menos a ensinar bem primeiras letras, principios
de msica e piano, e trabalhos de agulha, que
anhia de urna familia, nio-
proximo a urna das estacoes
do como falso e conbecido o seu inventor como (|;l (.S[,.(1,|a je forro, lecciouar tres criancas ; ga-
iiiii vil calumniador. Com esta declararlo tem o ranundo-se tratamento e paga convenientes : a
abaixo assignado prevenido qualquer juizo teme- ,ratar ,..,,,,, Trapic.e n. 13.
rari que por ventura delle possam fazer, restan-
do acrescentar que o respeitavel publico eneonira-
lo-ha sempre dispo^lo a bem servir relativamente
a sna prolisso
Fernando Garzoli.
No caes de Apollo o. o couipia-se um es_
Que n liver urna boa osera va que saina co-
zinhar, e i queira alugar para orna casa de ponca
familia, dirija-se a ra dos Pires r. 2'i, que se
precisa, e da-se boa paga e bom tratamento.
Precisa-se de urna ama para cozinhar em ca-
sa de pauca familia : na ra do Apollo n. 39.
un annrl da brilhante em a n to i H ', w*na>
te, da 'lia Nnva A na U lmp> r. tm n .'.< fi
oachon, qnerendo restituir, dirijas- a ca
- Francisco de PanU Prrvira, rrth
para Furopa ata de tratar da nh >amle. >>
lhe sendo possiveJ palo m*u iot>M"-
do>, dtspedir-se patacniaaenta di t a- i**
com quera entretem relaco il>-
pelo presante, t Ha* onWere o pvaataai aa
ridude de Uabna. anude pretende de*w* ---
Precisa-se alagar orna aa pira roinnare
ensfiininar. o qua pre*te-s
do Caldeireiro n. 12.
:>r;tr : U n>
Precisa-so alugar um i**?
cosinheiro: qoena o liver para alocar, ,' tmi-
gir-se a roa larfa do Rowrio, |a da Aontaa.
38, que se dir sjaena precisa.
Preri-a-ic de nin caiseiru para M aV m-
desas, que teaha nuuta ,.i inca : M a *
condiu a : quem esliver n -t > '< Ia*'-
ra dincir-se a ra lar-ja do Itosarii, > ja da \otv-
ra n. 38. que se 'lira quem reei*a.
AloKacse o ofnodo aarf ir d I r i I da rnn
do Hospicio n. 2i. mnjto bresca t rnniSi
vistas: a tratar na mesaaa.
> Na ra da Roda n. :i prerisa-M de um
ozinhciro, prefere-se narl mal.

Feira semanal
d::
Trastes, escravo:;, rctogios, ca
vattos 6tfouro< m**ito* arligos
Qiarli-f ira 21 do OMTtnU as 11 liaras.
53 .irm-zerarua da Cadeia do Recife 53
| ta, c a praso ; podendo, o que tomarem gg referidos objeccos que SO llie licara
lt saques a praso.receberem % ista, no mes- wlfjecido.
& rao Raneo, descontando i 0|0 ao anuo: na gg I--------------.----------.-----------------.----------------:
3 loja do chapos da ra do Crupo n. G, ou ag) Precisa-se de um menino que sirva
na ra do imperador n. 63, s, girado an- SS para pasturar urnas vaccas : tiesta tvpogra-
dar.Jos Joaquim da Costa lilla. %g ^^ $Q ^
neiro, olTerece-so para tomar conta de qualquer balbo de cozinha, bem como jantares extra
sio : a fallar na rua do Pilar n. C3,_justificando rlos,saros, hailos. lanches; a>snn coi
que liomem de bem nos seus negocios,
Offerece-se um liomem de 30 a 40 annos para
Uma boa casa terrea para familia feitor de algum engenho fra da cidade, cujo tem
?>l poralugar-se a rua da l'niaon. grande praticade plantacao de canoas o sea culti-
vendera era leilao diversos irasies novos e usados,
esc/avos de ambos os sexos relogius de algibeira,
parede e cima d mesa, cavados de sella e cabrio-
lis, cabriolet de 4 rolas correles para re!o-
gios, objectos d i ouro e prata e outros mallos ob-
lectos que eslarao ptenles no da do leilao.
5J-Rua da Cadeia do Recife33
i i m ifcnniiiiit ifr-------'-----------ftSSSSSSSSSS
ftt
39: quem pretender dirija-se aroslvo: quem de sen prestimo precisar, dirija-se a
da Aurora n. 10. Tambem alugam-: rua de S. R un .lesos das Ciioulas u. 21 pa ra tralar
da Aurora | ~zz Z -T",, nA, r-n .*
dril M I'liVaiiljivi^,
se as lojas n. 44, rua
tina de ieilc.
Precisa-se de uma ama de leile pira criar uma
enanca : ua rua da Senzala Velha n. 140, tercei-
ro andar._______________________
Precisa-se alugar um escravo preto que si 11
robusto a desembaracado, para servicn leve e que
nao prejudica a saude, da-se-lhe comida e pa.'a-?e
mensalmente segundo o que se convenciooar : na
rua Direila u. 43, loja.
la com toda presteza variacoes de pecas peladas
quem do sen prestim so qulzer utilisar, dinja-sc
a rua da Cruz n. 46, primeiro andar.
ai
Alucra-se uma casa nova muito frisca com cx-
cellente sotan sita no Cachans d.-fronte do enge-
nho Poeta : a tratar na rua do Crespo loja de An-
drade .V Reg. __________________
m
V.
M
1

O padre Flix Rarroto de Vasconecllos tem
abertoam curso particular de latim dorante asifg
lorias, era sua casa na rua do Imperador n. 33, i y<
primeiro andar, smente para a ciaste dos senho-, *?$
res esludantes provectos que se quizerem prepa-
rar para fazerem seus exames em marco do anno
vindouro.
as
am
m
m
mm
m


AOS 10:0(M),000
SSSIhces garaotldo
A' roa do Crespo n. 23 e casas do costante
\os 10:o0i><;000 e 3:000s000.
Sabbado 81 do corrente mez, se ex-
tra ir a ultima parte da decima e pninei-
ra da decima pri neira lotera (121a) a be-
nelicio da matriz da Boa-Vista, no consis-
torio da igreja de Nossa Senhora do Rosa-
rio da freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria rua do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000^000 at 20^000
serao pagos uma hora depois da extracto
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
f.eguinte depois da distribuido das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sonza.
Curioso.
O curioso que teve a audacia de tirar uma por-
ta de uma casa n'ura sitio do Manguinho, tenlia a
bondade de torna-la a por no seu lugar, do con-
trario levar-se-ha ao conhecimento da polica.
"ZTcompra-se uraa taherna com psucos fundos
s.:ndo em bom Instar no bairro de Santo Antonio,
que esteja bem afreguezada para a trra : quera
liver e quizer fazer negocio, annuncie__________
"_rprecia-se de um menino de idade de 14 a
16 anuos ou de um homem de idade para servico
le campo : quem a isso se quizer propAr, dirija-
..-- j- n..._JA m .iri-uU Aa JoO dO

Aos senhoies pas de familia.
O jiadre Flix Barreto de Vas-
conecllos, com aula particular de la-
tim na rua do Imperador n. 3?i, 1.
andar, contina a receber alumnos
de tudas as classes, dorante e de-
pois das ferias. Tambem est dis-
poste a abrir um curso de primei-
ras lellras e de francez, logo que
baja numero sufficiente de alumnos
para cada uma destas materias, e
assim tambem a receber como in- S|) da Fortuna rua do Crespo n. 23.
temos algtins meninos,de cuja edu- >^ A5h.am;?*!I8^aJ^!. "ltim.?p?r.te.:(,a
cac5o o quizerem encarregar. Os
Ninguem se engae na arreruatacao da cau
da rua Augn.-ta n. 36, annnnciada para leilao .1 >
dia ifi do corrente. ouc perlenecudo ella c as (,ne
me fiarr1 com"iis 'ao abaixo assignado eral ora
nao sejam colocadas defronte da matriz nova, ne
A na
a ai
nio, e outra para engomando : na rua do Hospi
atibado) as (i l> r is
Id do Carro'
Prensa-se aliifar na m a anata *
soto que leona commod w pira bn r
ro de Santo Antonio : a tratar na 11 V\-
i'irio n. I. 'rii'toiio, primer m I ir
ci n. 36.
huma transaccao por ora pretende fazer com el-
0 abaixo assiguado venden nos seus muito feli-', Precisa-se de urna mu her para os se. vicos ,as e p6rque ,,,,, constapoo haver em orna so roa
s bilhetes garantidos da lotera, que se acabou de ama casa de pouea familia: na rua da Cadeia mai8 dfl ,,n numero ignal, slroplosmente faz a
j extrahir a beneficio da matriz da Roa-Vista, ^ '<> i seguales premios: Precisa-se alagar ama escrava que saiba en-________________M-"""'' "'r"ri' --------
l'm quarto n. 179d com a sorto de 6.000,30.10
gommar, lavar e coser, que seja forte; lamhem Offerece-se para administrar engenho um
Dous'qaartos n. 24 8 cora a sorte de 1:4005000. Ura canoeiro que seja forro ou captivo : em casa mnr.0 com bstanle pratica : quem precisar din-
Ura quarto n. 2.S02 com a sorte de 3003000. du Sr. Cambroneein Santo Amaro. ja-se a casa de Hanoel Antonio Correia em Troin-
Na roa da l'iip itri |i i I
se dir ipiem pri risa de urna
para pequea fan.ilia^_______________
r 1 :n:.-ira
E nutras umitas surtes de 2005,100.^, 40,3 e 205
1 vir receber seus resiec-
livos premios sera os descontos das ieis na Casa
Aluga-se a casa da rua do Destino 0.8 : a beta.
Os|.ossuidoreM)odemv.r receber seus respec- ,r.ltar n;i-rua da Malrll da Boa-Vista u. 34, ta-
pagamentos serao por trimestres
ai adiantados, e os precos declarados t
^ pessoalmente na occasio do ajuste
aag para a entrada do alumno.
M %m;m HHHHmni
O portuguez Albino Baptista da
Rocha, relojoeiro e dourador na
praca da Independencia loja n. 12,
faz qualquer concert de relogios e
dourado por preco mais barato do
que outro qualquer e responsabi-
lisa-sc pelo seu trabalho, e espera
proleccao de seus compatriotas._______________
Jtusica
Previnese a certa certa senhora 'da rua da I.....
que se deixe de continuar cora os seus escndalos,
pois veja que j lempo de respeitar certas fami-
lias, suas visinhanQas, e que deve-se portar como
ama senhora bem casada, e nao continuar a prs-
ticar o que se tem presenciado, do contrario......
O pai de familia.____
se ao sitio do Cafando, oa estrada
Barros.
de
Aluga-se uma casa commoda na povoacao do
Monteiro : a tratar na rua estreita do Rosario nu-
mero 26.__________________________,
" Precisa-se de ura caixeiro que tenha pratica
de taberna e d fiador a sua conducta : a tratar
no pateo do Terco n. 141.
Est oceulta.
de-
cima e primeara da dcima primeira lotera a be-
neficio da matriz da R ja-Vista, que se extrahir
uo dia 2 do corrente.
re Bilhetes inteiros..... 123000
Meios......... 6*000
Quartos........ 3000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes....... II3000
Meios........ 85B00
Quartos......, 25730
Manoel Martins Fus_____
Precisase alugar um 011 dous pretos para
servico de reBnac&o : na rua do Rangel n. 43.
Na n lile de 15 do corrente mez desappare-
ceude Santo Amaro de Jabwtao o escravo cabra
donme Henrique, que representa 23 anno> de
idade, cujo e cicatriz era uraa das faces, proveniente de um
come de cavallo, nao barbado, fallas mansas,
carrero, presume-se que o mesmo tenha vindo pa-
ra esta cidade, onde existe a mal ; e portanto o
abaixo assignado pede a captura do mencionado
escravo e a sna entrega ao Sr. capito Silvino
Guillierme de Rarros, a quem deu autorisacEo para
satisfazer a quera o pegar.
Andr Ferrelra de Souza.
berna.
Precisa-se de uma ama forra ou escrayaqnc
sirva o diario de uma casa ecompre o que lor ne
cessario : na rua da Cadeia Nova n. 37J_____
No raes lApo'.in n .'. >.
tira escravo que seja l> mi h
boa conduca, c moa escrava qw nata
bem de cosinha e ensali -i lo. p-ns
r liL-m o seu BHrecitnti.____________
Inundada das ah '.
O abaixoa-sii.'iial'. ihi-oir. iro mirt, > ir-
rnandade das alnas, erecta na nutr da i:
ta, tendo de i-nlr.-gar diu [' n
nada dever, convida a tuda a ipnta 1 *P*
por qualquer tlluli se julfar ri .!>:
mandade, de aprwtar aa an unan >'< .as-
signado, que ser. incontin< M- \
Antonio de Pan i. o r.
Prscisa-se arranjar um homem de 30 annos. _
era algnma casa ou engenho para ensinar priraei- j perdeu-se no da 9 do corrente mez um pa-
ras letras a meninos, ou para enfermeiro, do que letot com uraa cart ira contendo alguns papis,
tempranea: qu-in do seu presumo precisar, di- 'sendo todos esrrptos era inglfz ; por isso pede-se
rija se a mesma rua para tralar, ou deixe sua re- |a pessoa que laes objectos achou e os queira en-
sidancia para ser procurado. Itregar, e por de nada lhe servrem, os levar a rua
MOBMBMHHMf do Trapiche n. 28 que se gratilieara, e nao que-
^.reod'i queso saiba baja de botar por baixo da rom 2 sala> e quaiio-. pr.pru ,
porta que se lhe licara obrigado.
O Dr. Carolina Francisco de Lima San-
9 tos, contina a residir na rua do Impe-
lr rador n. 17,2" indar, onde pode ser pro-
fS curado a qualquer hora do da o da noite
M para o exercicio de sua profissao do me-
m dico : sendo que os chamados depois de
m raeio dia at 4 horas da tarde, devem ser
m deixados por escripto. O referido Dr
m nao abandonando nunca o estudo das
^molestias do interior, V"..0
He- maior afflnrc, no das mais difliceise del 1-
, cadas operacoes. como sejam dos orgaos
ourinarios, d'os olhos, partos, etc.
Ricas correntes de ac para relogios:
na rua Nova n. 20 e 2i.
Ao publico.
IRMANDADE E SANTA CECILIA.
A mesa regedora da irmandade de *anta Cecilia
erecta na igreja de Nossa Senhora do Livraraento,
faz ver ao respeitavel publico desla capital e as
verdaleiras irmandades de Santa Cecilia no impe-
rio que Frankiin Pinto de Surbona e Manoel Joa-
quim da Encarnacio Costa ; tendo sido iluminados
desta irmandade conservam em si os documentos,
que os constiluem irmao nosso : e para que era
qualquer parte nao gose das garantas que os men-
inos documentos pedern, levo ao conhecimento da*
mesmas para que nao contemple em seus actos
como i raaos.
Recife, 16 de dezembro de 1861.
Marcelino Cielo fibriro Lima.
O secretario da irmandade.
A pessoa que tem oceulta em casa a preta Ru-
fina queira entrgala quanlo antes a seu senhor
do contrario ter de soffrer as penas que a le
marca para quera tera escravos escondijos.
Alu''m-se o Io e 2o anares da casa da rua
do Nosueira n. 19 ; para ver-se, a chave acha-se
na mao do morador da loja da mesma casa, e para
iratar-se, na rua da Cadoia n. 26, esquina do bec-
co Largo, escriptorio._______________________
"3Tprecisa-se de um homem casado para feto:
do nm sitio, dando conhecimento a sua conducta r
pode ir tratar na rua do Mondego n 10/, fabrica
de rap._________________________
(lasa de cilurac.
Jeronymo Pereira Villar transfeno o seu esta-
belecimento de instruegao primaria e secundaria
para a rua larga do Rosario, sobrado de dous an-
dares n. 2 ; e participa nao s aos Illms. senho-
res, pais de seus alumnos, como ao respeitavel
publico, que as aulas estao abertas no da 8 de
Janeiro do anno vindouro de 1865._____________
O Sr. Antonio Jos Marques, que mo-
rou na rua do Padre Floriano n. 41, queira
vir a praca da Independencia ns. 6 e 8
negocio de scuinteresse^_____________.
~"Padaria.
Precisa-se de um amassador : na rua Direita
numero 69.
__ t>recisa-se de uraa ama cozraheira, livre ou
escrava : a tratar qa rua larga do Rosario n. 36,
primeiro andar. ______
Francisco Ferreira Rallar, Jos Pereira
di Cunta e David Ferreira Rallar cordial-
mente agradecem a todos seus amigos que
se dignaram acompanhar ao cemilerio pu-
blico os restos mortaes de sua muito presa-
da consorte, finia e sogra Carolina Kugracia
da Cunha Dallar, e convidara ao* mesmos
seus amigos a assi*tirem na capella do raes-
mo cemiterio a missa do stimo dia, que se
ha do celebrar segunda-feira 19 do corren-
te s 7 horas da manhaa.
v
Aluga-se a casa terrea n. 42 da rna da Ma-
triz da Roa-Vista : a tratar na rua da Madre de
Dos n. 16._______________.._____________
"Para igreja ou capella particular
Vende-so um trono pequeo comporto de qaatro
gradaraes e quatro banquetas proprias para altar:
para ver e tratar, no aterro da Boa-Vista n. 8-,
loja de pintor. ^__^_
Aluga-se urna rasa 111 I; > tapar
do Porto da Hadeira, ralada e pintona *?.
pnesar
festa poi ser mniio pert-i dn 1 1 el 1 irat
do505os tres eses de (esta: a ir.i^r m re
Direita n. 8.
coipi im
DK
Seguros Martimos rtitli-
"'O
(le Publini
A dlrcrcaodesta companhia asan o ll'dividanv
do a razio'de 2*5 por arejn, no rffjaMti da
lod >s \> da* arte
No da terca-feira 20 do corrento, na sala das. f" ""^ de 1864"
audiencias, e Prada a do lllm. Sr. Dr. juiz munici-
pal da Ia vara, escrivo Baptista, so hao de arre-
matar os segrales predios, penhorados por exe-
cueao que a Jos Rodrgaos do Passo movem os
berdeires de 1). Mariaana Doroiliea Joaquina
1 sobrapo d- dons andares na rua da Seuzala
Velha n. 128, por 3:2003.
1 sobrado mei agoa. de tres andares, na rua do
' Bernardino Pacheco dos Santos faz setenta ao ^
publico e muito principalmente ao respeilavel cor- me(irol| rn;l da deta n. It,
po do coramercio, que vendeu a sua taberna a Ma-1 das J0 fl< 4 noras d;, lA.,[,.
noel Fernandes de Faria ; e por is*o toda a pessoa
que se considerar credor do annnnciante, devera
apresentar sua conta na dita taberna, sita no
KO do mercado da ribeira n. 23. Recife 13 de
ar
de-
Trapiche n. 28, por 7:2003-
I ca*a terrea na rua da Gloria numero 61, por
1:6003
1 parte na casa terrea da rua de Apollo n. 45,
por 1163374.
1 sitio no lugar do Salgadinho, denominado cur-
tuno, por 4:0003- _
3 excelente* casas terreas na povoacao de Be
Aluga-se a casa da rua da Matriz da Boa-
Vista n. 4, caiada e pintada de novo, c com com-
modos para familia : a tratar na mesma rua nu-
mro 51, taberna.___________________________
O senhor que no dia 12 do corrente mez di
por emprestuno 4 cadeiras, 2 pares de lanternas,
e i dito de jarros de llares, pira os ditos objectos
Recife 9 dedi-zemlro de MA.
Os dircrtore*
Feliciano J..-I- Orne*.
Dowii'Ci'S |M.Inr!: Ir A:' ><*
Ac amanlliCiT 1I0 ti.a 2I ile uulubro '> ror
rente auno de 1864. furlaram d. errra* *< a
genho Aldea, da fieguezi.i do Rm MSBVaa tm
quarto de carga do mesmo o qual
meo poniho. grande, rastran, nin e s>w\ tr a*
olho esquerdo nma beNde, wmm
rieio-se a casa n. da rm da Soledade, c pedio pelo dito oiho, tem um railo vWh n t-.-pranar.
lugar em que lev.- urna benita. !' i > 1 I Sen-
tado rente, rarrega bailo, e tem s*eaaBfBaa *
autoridade competente para tomar conhecimento
do fado.
Precisa-se de urna ama
o Ai-rin-ui..-....^ -- i'recisa-se ue uiii hm forra ou captiva,
beribe, todas de pedra o cal, send-> urna por 880*, ,irjnd0.se captiva : na rua de Hortas n. 66, so-
ouua por :6003, outra por 8803 ; assim como g Ja.e,;^generosamente,
algnns solos, obras de ouro e prata.
soni ser a servico dnsnessM engenta -.' fua-
dos, e devem ser spprvlieiidulos : p-;inl rota-
se s autoridades polici.-n-*, > aassan a n-difei r
pe*so? do povo, que sendo enconirwt -*ir-*? r-
vallos sejam appreheBdnlos s remeiti.l.K ao adm:-
nistrador daoelle eng-mh u ao jluim a*ifsu-
Dividendo.
Massa fallida di Amarioi, Fragoso, San-
tos k <:.
O administradores esta) autorisados a pagar o
Io dividendo de cinco por cenio, devendo purem
realsar se do da 2 de Janeiro prximo un dlanto,
em viitude de ordem do lllm. Sr. Dr. juiz especial
do commereio. O pagamento ser feito de meio
dia as 2 horas da tarde, no escriptorio da rua di
Viga no n. 21, primeiro andar.________________
"L. Prce.isa-se alujar nmi escrava para o servi-
co de uma casa de familia : na mesma casa offe-
recc-seura criado de muito boa coaJucU : na rua
Vi Iban. 15._________
teri
ra
alim ile q
passar o natal mais contentes com os rece-
bime;.to3. LM.
O habilitado,
"ZTffS o escravo Joao que representa ter 36 a
40 annos, calvo, alto, bastante ladino, usando de
tanga por cima da roupa, coslumando a oslar sem- Aluga-se um sobrado em
nre embriagado, conhecido por Joao Grande, ou dous v.veiros papeixe, baixa
Joao Muniz : quem o pegar leve a roa da Cadeia algum arvore) : a. tratar na r;
Vcnde-se farinha de milho de todas as qualida-
des, fabricada na trra, pnr preco enmarado : na
roa das Cinco Ponas n. 144, taberna.__________
1_ Nrna do CresDO-H. 19 se inculca uma ama
de leite forra.__________________________
em Santo Amaro, com
para capim, com
rua larga do Rosa,*
Pns" forra : n rua da Madre de I'eo* n.
Cinco .__._-. Wbi'i'*
%
do Recife u. 64, que ser gratificada
no n. 10.
O bafharel
Francisco Unjdslo IHMSJ H
Rua do Imperador numero rr. '<
m mam* wmmm
Aluga-so a leja d> rna M 1? .w> o. t.
1 a tratar na rua do Crsjen o. m.



Diarlo de rermamkmeo abitado 19 de Dezembro de 184.
A molestia ou infeccao pecee
ral'conhecida pelo norae de Es-
crfula um dos males mai-a
'prevalecentes e universal que
lia em toda a extensa lista das
enfermidades de que sofresse
genero humano : disse um no-
bre escriplor da medicina que
mais de urna terca parte de
todos aquelles que morrena antes
da velhice sao victimas, ou direc.
ta ou indirectamente da Escrfu-
la :por si nao tao des.
furtiva, porm a principal cansa de mui-
rs outras enfermidades que nao llie sao ge-
ralmente attribuidas.
E' urna causa directa da phyhisica pul-
monar, das molestias do /gado, do estoma-
go e affecces do cerebro : Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falta de appetite ; o semblante pal-
lido e s vezes inchado, s vezes de urna
alvura transparente e outras corado e a-
marellcnto ao redor da bocea ; fraquem e
molleza nos msculos : dhgesto fraca e
appetite irregular, falta de energa, ventre
inchado e evacuacao irregular ; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmoes, urna
cor azulada mostra-se em roda dos ollios ;
quando ataca os orgos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhados : o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
teiras etc.
as pessoas de disposicTio escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s a/feccoes dos pulmoes, do ga-
do, dos rins e dos orgos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
teccao contra os seus estragos; todos a-
quelles em cojo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) eslo exposlos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
A phlhysica, ulceracocs do figado, do es-
tomago c dos rins : crupales e enfermida-
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipcla ;
borbulhas. pstulas 7iascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos, ulceras c chagas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, lores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fermidades uterinas.
i DENTISTA DE PARS
48Rua Nora-19
s
m
Frederieo Gautier, cirurgiao dentist i,
az todas as operaefes de sua arte, e c< I-
loca dentes artiflciaes, tudo com superi>
ridade e perfeieo, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentiflcio.
3
Antonio Luiz de Oiiveira Aze-
vedo & C
Agentes do Banco ITnio do Porto.
Competentemente aulorisados sacam por todo
os paquetes sobro o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Hanh of London.
AO PUBLICO
Sem o menor coustran-
gimento se entregar o
Importe do genero qne
nao agradar.
ATTENQAO
Os precos da seguinte
tabella para todos, po-
diendo assim servir de ba-
se para o ajuste de contas
eom os portadores.
< o-\m | no
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganga.
Karo.
Oiiveira
meis.
Pcnafiel.
Tavira.
Villa do Conde.
d'Aze-
Frederic S. Ballin & C.
Joo Gabe & Filho.
Francisco Rahoba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Figueira.
Villa
S.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Coimbra.
Covilhaa.
El vas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pradal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova do
Portimo.
Real de Vizeu.
Antonio. Faial.
No'impbbio.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
Moncao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
le lo.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
RIJA IIA CAIftEIA 1IO RECIBE N. 53.
(Logo passanio arco da Coneeico)
Grande redaceSo de presos, equivalente a dex por cento menos do que outro qualquer
aantinciante.
amitos obS"'?tS87ando SS&K'iS ^ThSUStenlar, precG ,a manteia in8,eza a l >000 rs- a libra> bem assim de outros
alta nXS^f^SS^^ 3 tda,S f, "Pe,unCM h*r Pr bom preco a manleiga de tempero, e gritarem em
L\

Deixai que os Hunos da eirilisacao vi?
-economaparaos p.s 11 E.-la parte
nmi
humano c pofrcrtOMritt que! ? rtaaTTI
cessita de ma.or ajasalho: pela homidade ao*' tZ
^.!n,roduz,a t.r;"",<; "** das BMIiiIil
estas a perla da saude
, e roa
e da vida !!! Fra rom ata
botinas e minina velhos rafcra*n-ani a M
45-Kua Dereito-45
Borzegums francezes para basara
Ditos inglezes dem a 8*, 7* e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapates esmaga cobra
Ditos de Naalet de duas solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de boi racha para senhoras
Ditos de dila para meninos
Ditos de tapete para homens
nhoras a 800 c
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
5*000
fcJOOO
usn
5*1
541 W
4-y>
t *e-
lWO
ijmo
wm
linlio ilu Pinto >un(.riur
em barris de oilavo e dcimo, vende Antonio Loit
?u?lftuuTLue,AwvedoA,::nojeQ-r'^'>
Cas-!
to smente obter a concorrencia deseusfreguezes.
ara bem de todos.
Senhores e Scnhoras
JUSUSZ P-f 30S arranj! de>Ste n0V eslabe'ecimento, e mais que tudo apromplidao e entei-
****% e m, n^ ^3 !2 a- T'- ?**J* que Sem duvida rae darao a P> <*ao preferencia na compra
^^bX^Z ZtlS P222 ,V'rKPderf mandar Seus Prtadore^ ainda que estes sejam pouco pratices, pois
Dem servidos como se v.essem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vio em outra par te
Qualquer somraa a prazo oua vista,podcndologo Manleiga ingle/a (safra nova) especialmente
os saques prazo serem descontados no mesmo pscnlhiilsTi lina r
Banco a razao de 4 por cento ao anno : a tratar *8 rS*
Bahia.
Rio de Janeiro.
Maranhao.
Para.
bem abre credilo aos ermpradores
rente.
tm cenia cor-
AGIM
na ra da Cruz n. 1.
calxeiro.
Precisa-se deum calxeiroque tenha pratica bas-
tante de molhados : a tratar na ra da Madre de
Dos, armazem n. 18.
Hermenegildo Barbosa,
vai para Bencs-Avres.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em
fti/dropesia, indiges-
ta'), enfrat/uecimmto c debilidade geral.
Aos pulmoes a escrfula produz tubercu- Compra-se effectivamente
los e finalmente conmmpco pulmonar: 2*^^Jf-fifaV***^*^hm
as glanulas ella produz ind.agoi e tomam-'r ^o^Rosar.o n. 24, loja de ounves.
se ulceras: nos oreaos digestivos
desarranjos que produzem
libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Gb hysson de superior qualidade a 2,Goo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
nhra, veihas Idem p.m homeoPat''ico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
subdito portuguez,
daga-se bem: na loja de b'ilheles da prca aa lnde ,, ^ua^^ue a z,O00 rs. a
pendencia n. 22. 'oem nysson, buxim e perola mais proprio
o causa
indigesto,
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupces e aflecces cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangne.
A salsa parrilha de Ayer
composta dos antdotos mais efficazes que
a sciencia medica lena podido descobrir, \A..
para esta m .ostia assoladora e para a cora\1^SiQtSTt^Lr
ne tnilos os males provenientes d'ella que i-------;--------------------:;-------;.,
contm virtudes verdadeiramente extraodi-Lr2KlE0 -! T'? ldad'
nanas provado incontestavelmente pelas S.I1 5l^iaChaques: "esta typogra"
curas nolaveis e bem condecidas que tem l _
feilo de tumores, erupgrg cutneas, erysi-;"
pelas, borbulhas, nascidas, chagas antigs, \
ulceras, rlieuma, sarna, parebas, hijdrope-
para negocio o 1,600, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regu'ar, igual
ao que se vende em outra parle por 2,4oo
e2,(oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamenle lacradas a 5.5oe rs.
garante-se serem superiores aos que veni
Cumpra-se una carteira com duas faces para | em barris.
cifcn' 48 : armazem da rua da Cadeia d0 Re' chouricas e paios em barris de meia e urna
-----.:------------_------.-------------------- arroba a 8,ooo rs. e 1 ,ooo e 6oo rs. a libra
,. Carioca iQueijos flamengos muito frescos chetjados
Comprase urna carroca floe soja nova e bem nesie ultimn vinnr a 9 9nn r 1 ,,, ;
; construida t de boas madeiras : na rua larga do \ 1 Iapor a.*A200 rb' e d vaPr i
Rosario n. 34.
Compram-se dous eseravos que sejam bons
carreiros : na rua do Trapiche n. 13.
Compra-segarrafasTboijas vazias, na fabrica
de licores rua das Cruzes n. 36.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alplsta a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de i e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a ooo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e lalherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propiciamente
^ feitas para esse im.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
paseado a l,6oo e 1,800 rs. | 23 libras a 52o rs.
- Compra-se uma vacca que tenha bom eaban- ,aem ondrinos s mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente aua-
'idade proprio para engarrafar em ancore-
Api-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes. ebilHade ge-
VENDAS.
Veode-se na
Itoinance.
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
I Ervilhas e favas porluguezas em latas i pre-
paradas a 64o rs..
Marmelada imperial dos mais acreditados fa^
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
- pra{a da Independencia li- Prezunto do reino vindos de casa narticnlar
1 aL-Ind^eslao. Syphths constitucional e vrana ns. e 8. o romance Martim o en- a 56o rs. a fibra, e a 5oo rs inteJro
mokMa,, mcrcunacs, molestias das mulhe-; geitado 00 Memorias de um escudeiro, obra dem inglezas para fiambre chewdo neste
res,julceraedes do otero, a nevralgia e con-;do dislincto escriptor Eugne Sue, autor vapor T
vuteoes epilpticas e em summa, toda serie das melliores obras conliecidas, pelo dimi- Copos lap
de 2)9500 por 4
pele
volumes
de enfermidades que nascem da impureza uto preco
do sangue. Vede as cerlidOes no Alma- broxur.
nack o Manual de sade do Dr. Ayer que J -------,A, .w^tw ^
se distriboe graluitamente nos lugares onde! -f OaL III Jj HAfS
se vendem os remedios. p(l ra
Este remedio 6 o fnicto de tongas e labo-
e o
riosas experiencias, c ha abundantes provas
das suas vii tu ies: posto que offerecido
ao publico sob o nome de Salm parrilha,
composto de diversas plantas, algomas das
qaaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PEITOIML E CEUEJ.V DE AVER.
Cura promptamenle a asthma, bronchite,
tosse, delluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
..... nares.
Aiiivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmoes pdem ser curadas em pou.
co lempo pelo peitohal de cerkja do dh-
aykh.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, o na agencia central do
Rio de Janeiro rua Oireita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na pharinacla franceza de
P.MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
ezas para fiambre
72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hcspanol a Ooo
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
lfc<5
Acham-se venda na livraria ns. G e 8
da piara da Independencia :
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o pcixe em P_nsta sovel, corvina, gors. pesca-
kalendario civil e ecclesiastico, tabellas de fla* sa|mo, ostras e cherne, vezugo em
latas grandes a 800 e J,ooo rs. cada uma.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao uosso mercado a
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-
feriados, de emolumentos dos tribunaes
do commercio etc. a 160 rs.
FOLHINHA DE ALGIBE1RA contendo o,
mesmo que aquella e mais uma nova!
Salve Raioba em verso, o Stabat Mater em
verso, devoco ao agonisante, coracao de
Jess, cntico em louvor do Santissimo
Rosario, cntico a Virgem Maria Nossa;
Senhora, trinta e tres chistosas anedoctas.
um indito poema sobre as aventuras de-
um cosinheiro, o canto de uma solteira!
(poesia), crescido numero de mximas e Idera de ,,olIanda em botijas grandes
pensamentos, uma historia como muilas '-------------------------------------
^romanco e vinte e cinco novas e p-'
lhericas charadas a 320 rs.
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo eooo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz L, Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo,ooo rs. ea 9oo e 1,000 a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada uma.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por I,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de i e meia libra
por i,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeitedoce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com uma duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
qualidades a i,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro .Bolo francez em caixinhas muito proprias
^llf. ?aopode ve!der Pr este Preco. I para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
1,800 rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
irascos grandes a 1.000 rs. o irasco, e
H.ooors. a duzia.
4oo I
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 1,00o rs. e II,00o a duzia-
Palitos para dentes a lio e 16ors. o mago.
Sal refinado em irasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 2io rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutosde lodos os fabricantes da Bahiaedas
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,000,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; ditoemcaixoesalioors.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6io rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a loo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
61o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,'ioo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,'oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por I,2oo rs.
Matle excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
rua do Oueimado n. H
Grande sortimente de olijec-
tos de gosto.
A Aguia Branca antes mosmo de ser cond^erra-
da com o pomposo Ululo de domrslira. enfendo
pelo gabinete do intrpido e acil ali>a, nuLdoo
ver o grande sorlimento de objeclo.- de gosio que
agora acaba de rereber e exp lo a apre
sua boa freguezia no Masara da qual aaMHBali o
infante, epor que para estes ella ja mais al rtriafe-
vio para os beliscar, deseja qoe laml*rn se livrem
dos agudos exporoes do vigilante gallo.
Eis o que ha de bom :
Finas capellas brancas para noivas.
Meias b-ancas de .cda.para ditas.
Bonitas ligas de seda para dita.
Ligas.
Dilas ditas para manguitos.
Lavas do pellica entenada para ditas
Ditas de seda brancas bordadas pira muil
Grvalas bramas bordadas para ditas.
Rosas e ram< s de flores tinas para noivas e mn
vidailas.
o que
O Sr. costa da (Inga.
O Sr. Joaquim da Silva Costa vm pro-
testar contra quem rebaler letras sua a meu
favor superior a quatrocentos e tantos
mil ris dizendo que s, se responsabi-
lisa por esta. Nao tenho do Sr. Costa s
esta letra, tenho mais outra de quasi tres
contos, e outra de um cont de ris, sendo
as duas ultimas provenientes de dinheiros
a premio, c a primeira de menor quantia
de transaces de negocio. O Sr. Costa
sabe mtti bem que me acceilou estas le-
tras, assim como devem saber seus com-
padheiros, que seu protesto pela imprensa
nao que exibe nem delle as pagar, nem
de eu as rebaler, esta difficuldade de tal
rebate niio vm da duvida da verdade das
letras, e da firma aellas postas, mas sim
da difficuldade da cobranca. Pois o Sr.
Costa s paga quando est com os ps
na porla da cadeia, assim foi com o Sr.
eommendador Joaquim Francisco Paes Bar-
reto'; assim foi com os Srs. capitaes Jos
da Silva Cisneiro Guimaraes e Jos Paulo
do Reg Barreto, e assim foi at com o seu
proprio sogro. Com isto tenho respondido,
e as letras ainda nao l'oram ajuizadas por
nao estarem todas vencidas, o que j agora
nao esperurei mais para demandar pelas
vencidas.
Recife, 14 de dezembro de 1864.
Antonio Francisco Lins Wanderley.
Aluga-se um sobrado de um andar s folio
na rua do Calabouco, e uma casa na Capnga mul-
to fresca : a tratar na travessa da matriz de Sanio
Antonio n. 8.
AGENCIA
DA
AGENCIA LOW-MOO!.
Kua da Senulla aova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiai
j moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinaspar
Vndese caixdesvaziosproptios
pura baln leiros e fu nuciros a 1$760
caila um; nesla typographia.
Assucar cryslalisado da fabrica ~
2 de Julho
Na Baha.
NoumaxesB > roa da Madre de Dos n. 28,
ha venda o rr.uito superior assr.car crystalisado,
em saceos e 2 arrobas, ac preco de 5^' cada ar- j lavar roapa: em casa de S. P. JohnstOQ C
22_______________________________"_ \ roa da Senzalla Nova n. 42.
Vende-se.no segundo andar do sobrado da
rua do Trapiche junto a casa do Blandin (entrada
pela rua dos Tanoeiros) os seguintes objectos,
ainda em muito bom uso : sendo uma mobilia de
amarallo, uma cama franceza e um lavatorio do
mesmo pao, uma mesinha de Jacaranda para jogo:
BS pessoas que pretenderen), podem procurar ver
a toda hora do da.
.Voto deposito de satoo.
Ac.ha-se aberlo um novo deposito de sabo na
rua do Rangel n. 34, na antiga fabrica italiana, I
aonde os ftvguezes encontraro completo sorti-
mento de sabo de todas as qualidades ; assim co-
mo a vantagem qne encontram para abreviarem a
qualquer freguez por ser muito perlo, e o diminu-
to carretil que tem de pagarem.
Algodao avariado
na rnade inclinado n. '7, loja
de Custodio. Car ralbo <& C.
inheim avista
35700 e \& 2 peca de algodaozinho com peqne-
no toque de avaria : na rua do Quelmado n. li.
Vendem-s thnsouras de Guimaraes para lo-
jistas, cabelleireiros e costura : na rua da Cadeia
do Recife n. ii, loja de f-rragens.
Jbabnca Concei^ao da
Bahia.
Andrade & Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da rua do Imperador, algodao d'aqael-
.'a fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodao em pluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
SORTIMENTO PARA A FESTA
Fitas brancas c de cores, lijase lanada
se pode encontrar de melhor.
Bonitos pon boiKiuets.
Lequts de sndalo t ruadreperola.
Cascarrilha-. > maravilhas bramas e de tote>
para enffites de vestidos.
Lindos adereces de perolas nlrar.
Outros de bonitas e agradaveis torea.
Outros de mosaico.
Pulceiras, brincos e rosetas de dito.
Outras de aljofares trancos e doraras.
Outras de cornalina, e chapa de 1 aafciial
Voltas de aljofares brenros e de cores. Ibm
grossos.
Fivelas grandes de tartaruga c deuradas.
Outras pequeas de ac, douradas e. c.m Bataa*
Bonitas e encornadas nas para e-i..-.
Cintos largos de diversa.- qnalidadrs.
I albores para criau.as.
Acham-se de novo a venda na loja da Agma
Drama rua do Qneiniada n. 8.
Vi albas linas.
A Agnia Branca na roa do Qneirrado n. I trata
de reeeber essas esijasadas nanAas Ismm .i.
refinado, dos arredilados c bem raa*eia |.1 ri-
fantes J. Rogers A C. : cojos noines ba>iaoi i.ara
ju>lilicar a bondade dallas.
Tambem receben ah'adores e BMa
ln. ( s bonitos para bailen, ea-
.samontos e panseios.
A Agola Hratica na na do Queimado n. 8 -u
compleaiiHiiie provida de bonitos estriara di flo-
res, e outras diflrenies qualidade-. r ant da na-
tos modernos conforme ver o pretndeme iioe
comparecer munido de ilir.lu iro. T.m tamhm
bonitos de marroquim para bailes.
Anrelopes nuil grande* para sf-
Di'ios.
Acham-fe a venda na rua do Q> -imado n. 8. lija
da Aguia Branca, e bem as.-im cun .- pei|i-m
lliiidt>zasd priineira qaallelasle.
(.orno geralmente sabido a Afina Branca | re
sume ter sempre o bom para bem s. mr l wn t< a
freguezia, e or isso mandou vir e acaba de ana
bar un variado sorlimento de muideza de prunri-
ra qualidade e difliceis de se encontrar em ooira
qualquer parle, constando elle de caixinhas d.- ex-
cellentes linhas denovellos grandes e priiuen
Caixinhas de linhas para cronehet e pon
a 800, 900 e 15
e 640 ris M-
ATTENCO.
Vcnde-sa um mulato de 25 annos de idade, pe-
rito mestre dealfmte e bom copeiro: na roa das
f.arangeiras n. 18, segundo andar. ______
No eseriptorio de Matheus Aostin &
C, rua do Trapiche n. 3C, vende.se cadei-
ras de balando americinas por prego muite
comaiodo.
Rua da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston A C,
| sellins e silhes inglezes, candieiros e cast-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Roa da Senzalla iVova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tac i i
ferro coado libra a 110 rs., idemd eLow
Moor libra ai20rs.
Vende-se
23Largo do Terco23.
Joaquim Simo dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do bom e ba-
rato que se venham sorlir dos bons gneros este estabelecimento que nao se arrependerao, se lhe
(ara a difterenga de 10 a 20 por cento, pelo seu prorapto pagamento ; e por Isso se faz annuncio de
Uguns gneros, que tendo sempre este eslabelecimenlo um grande e van ta oso sorlimento de tudo
juanlo pertencente a este estabelecimento.
Senlidn! Voo fallar com e Censervalio !!
Queijos mais novos do mercado a 2500 e 25800.
Ser veja das melhores marcas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 5800.
Sabio amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Babia dos melhores fabricantes de
1*200, 2*000, 2*500 e 3* a caixa.
Milho alpista e painco a 100 e 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa das melliores marcas a 400 a dita.
i dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprio para missa a 500 rs. a dita.
11 lem do Porto engarrafado a 800 a 1*, tomando
mais de uma caada de qualquer um destes lera
grande abatimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs
Biscoitos e bolachas de soda a 1*400 e 2*.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Ola ida em frascos e botijas e de la-
ranja de 480 a 640 c 1*200.
Chouricas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas com 1 e meia libra de amenas a 1*200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 3* o
galao.
Manleiga ingleza de 1* e J" sorte
a libra.
dem franceza em barril a 600
bra.
Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 8*800 a ar-
roba.
batatas em caixas e gigos 1*200 e 2*000 a ar-
roba.
GaJ de primeira e segunda sorte a 250, 280 e 300
rs. a libra.
Arroz da India, Maranhao o Java a 100 e 80 rs. a
libra.
Phosphros do gaz a 2* a groza e 180 rs. o maco.
'assas novas a 480 rs. a libra.
7elas.de carnauba Aracaty composigao a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs a libra.
Marmellada dos melhores fabricantes de Lisboa de
1 a 2 libras a 640 rs. a libra.
Cb hysson o melhor deste genero a 2*800 a li-
bra.
dem perola miudinho a 2*500, 2*000 e 3*000 a
libra.
Banha ingleza alva e superior a 480 rs. a libra.
Bordados finos.
A loja da Aurora, na rua larga do Bosario
Vende-se um comometro martimo inglez do
melhor fabricante Charly Frodshan, afflancando o
seu regulamento, por diminuto p-eco : a tratar a ,0Ja ua Aurora, i
superior farinha de mandioca, a bordo dos brigues narua^0Va l* de Franc,sco Jost* Ger- 38, recebeu bordados de cambraia transparentes! rOCO-S l
scunas Prtnctpe, D. Afronto e NiO Sci, atracados maD0' mo,to Bnos' 1ue Xint0. serve Para "
eo caes do Baro do Livramenlo a tratar a bor-
do, ou no largo do Corpo Sanio n. 4, primeiro an-
dar, eseriptorio de PaJmeira & Beltrao.
Carteira* com superiores agalhas.
Caixinhas com ditas o qiip eai*a iapel rtido
Fita lina eclstica para atembados de anaM
Dita de puro linho e de differenles largura afli
para coz.
Mu bom cordo francez em pecas granos para
vestidos.
Trancinhas de algodao de dinerenirs e boailos
montes para enfeiles.
II-loes linos de osso c madrepcrolas.
Outros de velludo e seda para vestidos.
Clcheles francezes de boa qualidade cm caixi-
nhas redondas.
Carleiras on enfojoa com agulhas a rala par
cronchel.
Didaes de martim e madreperela.
Agulheiros de dilo.
Caetas de madreperola.
Escovas de dila e marlim para nnhas e denle
LINDOS ENFEITET
Para senhora a Maria Pia e a (MU.
Chcgaram para as lojasdo Beija Mor lindo ca-
fe i les a Mara Pia e a Carihaldi, os melbnres r os
mais lindos que tem vindo por serem de an*tM
novos: as lujas do lieiia Flor rua do Ou. imado
o. 63 e 69.
Sintospara senhora a Maria Pia.
Chegaram tambem lindos sintos rom fivelas dV
pedra a Maria Pa, os mais lindos e mais moder-
nos que (em vindo : s as lojas do Beqa Flor
rua do Oueimado n. 63 e 69.
Pentes de tartaruga.
Lindos pentes de tartaruga para alar cabello o*
mais modernos por serem chicados pelo ultimo
vapor : s as lojas do Reha Flor roa do Ifoei-
mado n. 63 e 69.______
A ssaileiras
Assadeiras de porcelana de todos os lamanao :
na rua do Queirnado n. 32, venden Azevedo Jt
Irniao.
Pcneiras.
Itcceberam grande sortimeoio de penen ai de
rame, proprias para padaria e pbarmacu a.
rua do Queirnado n. 32, loja de Azevedo A Irao.
Bndes de Ipnjuca
As verdadeiras brides de lpoj"'a : *" ndiaa aa
rua do Queirnado n. 32 Azevedo A Irmao.
cabo de umeorne e
Vende-se canos oe barro para esgolo de lo-
bados : na roa do (tange* o. 4.
Vinho de Porto.
Vende-se superior vinho do Porto, em barris de
vigsimo, era casa de Ferreirz, 4 Malheus, na rua
da Cadeia do Recife n. 66.
camisas como
para vestidos e salas de senhora, pois que Isto fo-!
ram amostras que s a loja da Aurora foi quem
recebeu destas fazendas : qualquer senhora de
bom posto que pretender usar destes modernos
bordados, queira mandar quanto antes comprar,
pois ebegaram poucos e eslo se acabando.
marfim.
Venden Azevedo A Irmao,
Oo n. 32.
na rua do Qoeima-
Vendem-se charutos da Baha de varias wn
lidades : em rasa de Monhard 4 1'., roa do Tra-
piche n. 48.


.
-CS" '
Diario de Pcrnambuco Sabbado iJ Je Dezembro de 1H4.
B
AS ARMAS!
,0 GRITO DA GUERRA JA' SE FEZ OUVIR.
LA TAI BOMBA!
SENTIDO.
BALIZA
W^ ?%fe\A&i
m
Grande liquidadlo.
Ra da Imperatriz n. GO.
Loja de fazendas do pavo de Gama & Silva
Adiase este estabelecimenlo completamente
sonido de fazendas inglezas, francezas, allemas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
malo, prometiendo vcnder-se mais barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sendo em
porcao, e de todas as fazendas dao-!-o. amostras,
g-inndo ficar penhor, ou mandam-sc levar em ca-
sa pelos caixeiros da loje do Pavo.
As laazinhas da exposigiio do Pavo.
Vendem-se laazinhas as mais modernas que tem
vindo ao mercado, proprias para vestidos e sou-
iambarques por serem lisas e de cores muito de-
licadas a 560 e 500 rs.; ditas lisas com um lustre
que parece seda a 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda a 500 rs. o covado, so para
acabar : na loja e armazem de Gama 4 Silva, ra
da Imperatriz n. 60.
O l'avo vende para lulo.
Vendem-se superior setlm da China, fazenda
toda de laa sem lustre, tendo 6 palmos de largura
proprio para vestidos, capas, paletots, calsas etc.,
pelo baratissimo prego de 2, 2,8200, 25500 e 35
0 covado, cassas pretas lizas, chitas pretas largas e
estrellas, manguitos, colarinhos, punhos, e enful-
les, todo preto proprio para luto fechado, e muitos
outros artigos que se vendem por precos mais
em conla do que em ootra qualquer parte por es-
tar liquidando ; s na loja do Pavo ra da im-
! pcratriz n. 60, de Gama i Silva.
Os bordad-s do Pavo.
Vende-se camisinhas com manguitos e collinhas
bordadas, pelo barato preco de 15e 15*80 cada
i um, manguitos s a 500 rs. cada par, ditos com
i gollinha a 800 rs., gollinhas a 400 e 480 rs., de fil
a 240 cada gollinha bordada, romeira de rassa e de
fll muito bem bordada a 25 cada urna, manguitos
que servem para calcinita de meninas a 640 cada
par, camisa com manguitos e gollas com a compe-
| tente grvala de seda, fazenda fina, pelo barato
I prego de 35, e muilasoutras bordadas que se ven-
dem por precos muito em conla: s na loja do
: Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos soulambarqne.
Pelo ultimo vapor francez chegaram riquissimos
vestidos soulambarque, os mais modernos que
1 neste mercado tem apparecido, os quaes eslo
1 promptes com saia, corpinho e seu competente
' soulambarque, tudo guarnecido de seda, veludo e
\ renda. Quem tiver bom gosto dirija-se loja do
Pavo, na ra da Imperatriz n. 60.
O Pavao.
Na loja do Pavao vende-se moder-nos mantele-
, tes de grosdenaples a imitagode capas, as quaes
; sao bastante compridas: assim como tem um sor-
; timento de capas preas as mais modernas que ha
! no mercada, sendo ricamente bordadas. Ditas en-
: feitadas tudo por preco commodo : na loja de Ga-
1 na & Silva, ra da imperatriz n. 60.
As inotli rnissimas laazinhas de ama s
cor, a imitaco de gorgoreo, ven-
de o p*vo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordozinho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem vindo, proprias para
vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissi-
mo prego de 560 rs. o covado : na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
As laazinhas do Pavo.
Vendem-se laazinhas de quadrinhos transparen- J; pilonas, a/O rs.
de 280 rs. o covado,
RUA BO QUIHJf ABO tf. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
um ai hubam
NOVIDADE
Arroz do Maranho, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e!06OO, e em frascos grandes a
2500.
dem em caixinhas elegantemente enfeiladas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 10600e2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelinas mu i te grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, bochn e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 35000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inslez fino a O' rs. a garrafa. '
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
Pereira Rocha A C. acabara de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado i.lanm \*mmn-
ial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sorlimento dos melhores gneros que Tem ao nosso m.ri.T-
ijuaes serao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada; garant. -;e tu*
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Fraila moit supon.* a Xa
Painco a 200 rs. a libra. rs- a llL'
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. (-evada a 80 rs. a UMa.
Presuntos de Lamego cm calda de a/.eile e Emilias portagnew a NO rs. a lata.
muito novo a 640 rs. i IJem seccas muito nmas a 900 rs. i
Queiios flamengos do ultimo vapor a 20800' Figos do comadre e do Domo ni can
Idenii pralo. de oil" lihns e canastrtnhas de 1 arrui
londrino chegado no ultimo vapor
600 rs
libra
dem londrino chegado no ultimo \
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a
cada.urn.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 6( O
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Yinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,
Bocaje Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
O assumpto importantsimo.
O assumpto importantissimo.
O assumpto importantissimo.
Ninguna interrompa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silencio em todas as columnas.
Nao se admitte contestacio.
Nao se admitte contestarlo.
.Nao se admilte contestado.
Os apoiados sao prohibidos.
Os apoiados sao prohibidos.
Os apoiados sao prohibidos.
ADVERTENCIA.
Antes de entrar na materia o inconsavel Baliza nao pode prescindir dejj?
' fazer o seu signal de horror as doiradas coras e mal feitas mitras dos falsosMj
'apostlos do progresso, inimigos do povo e chupadores do sangue da humani-S|
>dade. M
A detestavel sede de oiro tem obseccado seus coragoes de vampiros. &fe
Querem fazer fortuna com a rapidez do coriseonao sabem ter fe nem^
desperar. .
Sao os perfeitos unos da civihsaco.
Malditos sejam elles--j que nao possivel ao Baliza pr-lhes as mitrase
5na cabeca os bculos na mo e os sapates esmaga cobras nos ps e expol-os ao^S
.publico por tres dias.
OltlHU DO OA.
N'esta casa nao se illude ao povoos pesos esto aferidosa balanga do(<
melhos fabricantee os gneros, partindo do soffrivel al o ptimo, podem serj8
escolhidos a vontade por todos, desde o pobre agoniado Clarim at o mais alto
'General. |
> Nao sendo o agrado e a si.nceridade predicados que somente tivessem
chegado para bico da domesticada e encantadora aguia branca, esto dadas as.
Jmais terminantes ordens para que d'ora em diante se redobre as atlencues para
com todos os freguezes, de forma que se opere a mais perfeita liga de enteres-
Ises recprocos, a fazer inveja a todos at ao proprio cacalletro da esquina da ra'
Noy i
i Quando ao dispontar da brilhante, aurora ou da aurora brilkante, tzer,
Jouvir o garboso gallo vigilante, com aquella bisarria que Ihe propria, o seuj
canto sonoro, signal de chamada dos amaveis freguezes e predilectas freguezas,
jtambem o solicito Baliza estar prompto em ordem de marcha, agradavel como?
*a aguia branca, diligente como o gallo, grave como o propheta.no mais per-<
i feito e continuo movimento, servindo a todos, e a todos contentando.
ADITAMENTO.
Os precos do grande sorlimento d'este magnfico armazem, se acham con-j
sideravelmente reduzidos, e a respectiva tabella dexa de ser publicada por que
U alma do negocio o segredo. Os freguezes reconhecero em vista do objec-
>to que pretender que o preco que se lhes pedir ser to rasoavel que nenhuma<
l reclamaco offerecero. Venham todos a
RUA DO LIVHAMBSTO 38
AO GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
%
DO
BALIZA
P1IOPRIEDADE
BE
M. PEDRO DE MELLO.
_ tes, boa fazenda, pelo preco de 280 rs.
; ditas largas mullo linas a 400 rs., ditas eslampa-
I das, cor segura, padres miudos e grandes a 320
: rs. o covado, ditas transparentes com palminhas
| de seda a 400 rs., ditas escocezas a 560 rs., isto to-
ldo para liquidar : na loja e armazem do Pavo,
i ra da Imperatriz n. GO.
Os grosdenaples do Pavo.
Vendem-se grosdenaples pretos, fazenda supe-
rior a I -j'iiiu rs. o covado. ditos largos muito en-
corpados a 25400, 25600, 2,3800 e 35000, ditos
brancos. cor de rosa, azul e amarello a 25000 r.s
o covado : na loja de (lama & Silva, denuminada
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
As novas las garibaldinas a 300 rs.,
na "op do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
dinas, fazenda inleiramenle nova no mercado, sen-
do todas com listras miudinlias, e transparentes,
com lustro a imilaeo das sedinhas, tendo varias!
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenta
6 cor de hilvana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
vender depres*a: na loja do Pavo, ra do Impe-
rador n. 60 de Gama & Silva.
Us mais modernos vestidos Maria Pia,
na loja do Pavo, a 16$
Vendem se finsimos vestidos Maria Pia com
os corpinhos dilVrenles, tendo lodos os preparse
com o conipeteio sinto : na ra da Imperatriz n.
60, loja do Pavo.
aiiibiiilias a 1$000'
YeHdem-se camisinhas com manguitos, sendo
rnuilo bem enfeiladas. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato prego de dez tustoes cada
urna : na loja do Pavo, ra da Imperafriz b. 60,
de Gama & Silva.
Vestidos para meninas.
Vendem-se s mais modernos vestidinhos para
meninas, sendo muito bem enfeitados Maria Pia,
tendo de differontes lmannos, pelo barato preco
de 85 cada um : na loja do Pavo, ra da Impe-
rainz n. 60, de Gama & Silva.
R> upa fcita barata.
Vende-se um grande sorlimento de roana feita
para homens, sendo calcas de bnm branca c de
cor, ditas de casemira preta e de cores, dilas de
meia casemira, paletots saceos e sobrecasacos de
casemira e panno preto fino, colletes de todas as
qualidades : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama* Silva.
Grosdenaple de cor a 1(5600 o covado.
Vende-se grosdenaple de cor azul, branco e pre-
to, pelo barato prego de 15600 o covado : na loja
do Pavo, ra da Imperairiz n. 60, de Gama &
Silva.
Panno de linho a 700 rs. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno de Imho proprio
para lences, toalhas e ceroulas, pelo barato prego
de 700 rs. a vara : na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Economa do Pavo.
Vende-se para acabar, urna perco do retalhos
de las e cassas de lodas as quaiidades, e por pre-
cos muito em couta quem tem economa que
pode apreciar : isto na !c> do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gamt. & Silva,
Madapolio a 7(5000. s na loja do Pavo.
Vende-se superior madapolao muito encorpado,
tendo 20 varas cada peca, com 4 palmos de largu-
ra pelo baratissimo preco de 75000 a pega, ditos
muito tinos a 85, 5 e 105000. E' pechincha, na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Cortes de cassaa 30000.
Vendem-se muito bonitos corles de cassa, tendo
7 varas cada corte, com desenhos muito delicados
pelo baratissimo prego de 35000 o corte ; s na
loja do Pavo, ruada Imperatriz d. 60, de Gama &
Silva.
Corles de cbila franceza.
Vendem-se llnissimos cortes de chita fran-
ceza, com Ucovados, tendo, padroes escuros e
alegres de cores fixas pelo baratissimo prego de
45000 o corte; s na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60 de Gama Cobertores a1800.
Ve,odcra-se cobertores de 2 faces, sendo bastan-
tantes grandes, pelo barato prego de 15800 cada
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a i#800,
2!0 10, 25200, 20500, 20800, 30000 e
35500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
; Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
10800, 50500 c 280 rs. a Id.ra.
Farinha do Maranlio a NO isa utr...
dem de trigo I Os. ? libra.
Genebra de llollamla verdadrin marra \ D
a u60 rs. o frasco e 65200 a fr.i
dem em garrames de 3 e ."> frita a 5 (
c 703UO cada um com o (arrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e IfO a A
Licores muito finos a 700 is. a gairab.
dem, qualidado especial em prrafo u >
grandes, a If5800a garrafa,
dem fin garrafas mais pequeas itM
dem, em garrafa forma de pira e prita '
vidro, a 1^000, s a garrafa vale < >
nheiro.
Mantega ingleza perfeitamente Por dfffem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, i i.
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 r. a litia
dem de tempero a 400 rs.
dem empipa, Porto, Lisboa e Figuera a Maga de lmales em barril a '.80 rs. a libra
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500, dem em lata a 640
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaos, Medoc e S. Julien a 700
Marmelada imperial dos melhores esa* i
ros de Lisboa a 60- rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos gii
800 rs.
iiiia ; i '. :
e 800 rs. a garrrafa, e 70000a 705OOrs. dem regular a 500 rs.
adu7a Macas finas para sopa: estrellmba.
demMorgauxeChateaulumini de 185i, a 10 rodinha e aletria a 600 rs.
agarrafa a caixmha com 12 libras,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa. Nezes muito novas a 160 rs a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa ejPeixt em latas preparado pela prn
102OOrs. a caada. de cozmha a 10 a tala,
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs. j Palos de denles a 160 rs. o ro.i.v.
Alm dos gneros cima mencionados te-dem de denles a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confcitados a 900 rs. a libra
pecas e carnadas, tanto em porces como i Doce de gotaba cm talas o Mftof pMwvt i.
.gtglhQ. 20 e em caixiio a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza
r o abate de 5 por cento. 1 Paisas muilo novas a 480 rs. a
libra.
NAGIIINASifEPATLM
de trab.ilhar A iso pa?s
i descarocar agcdo
r.ttmcAMs
Por Plant Brothers & C,
Hil
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO i
m:
XOVOS E ESCOIiHIWOS GEXEKOS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
O KUA HOVA OO
Ultima casa junto a ponte da Boa Vista.
DUAS PALAVRAS.
c Cesse tudo quanto a anilla musa canta
t Que outro valor mais alto se alevanta.i
Acha-se a disposico do respeitavel publico este grande e magnifico estabcleci-
mento de molhados, talvez o primeiro e nico boje existente em sua especialidade, por-
que o maior capricho de mos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci-
mento modelo promoveram a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
dignarem de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanza de agradar a
lodos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes'. como pela pralica da promessa que fazemos de vender polos pre;os quasi do pri-
meiro custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fon una que acharo
em nosso armazem os melhores e mais esquisilos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s comprara o necea-
gano, promettemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com to boa vontade, como a moeda de ouro do
homem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa quaiidade do?
objectos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
fuluro nos justificar.
CAVACO ECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominacTio de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ninguem.
O neme urna voz com que se do a conhecer as cousas. E esta a mais
breve, clara e sincera explicaco que, pelo raethodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais :
Nao oriundo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimenlo.
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
iem da Liga. 0 acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimenlo, que tan-
to sorpreliendeu a corte desse monarcha. Agradon-nos esta historia e goslando sum-
Foi a
Honni solt qnt mal y-pense.
rn'rsnaiojdoPavao.ruada'linperatriznume-.'jJj",,,^ dolrage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e
r ^------ iUsc a Inia do Pavo locando-o no oito do nosso estabelecimenlo, temos assim feito distingoi-lo dos outros
^SSf^SStS 5tito fina,' que se assignalaram cora mitras e coras
tapada e transparente, pelo baratissimo preco de
4J000 t'-ndo 8 1/2 varas cada peca, ditas muito fi-
nas a 11, 85, e 9$ a peca, ditas Victoria com 10
varas pelo baratissimo prego de 75. 95 e 105, di-
tas Garrazes faienda muito encorpada, fazenda pro-
pria para forro a 360 rs. a vara ou -J600 a peca ;
isto na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Corles de lia a 10000.
Vendem-se cortes de las garibaldinas, matea-
das e de quadrinhos, tendo Vi ovados cada corte
pelo baratissimo preco de i$O0 o corte; isto na
loja do Pavo, ra da imperatriz n. 60 de Gama &
SHva.
Albun
para 20 at 200 retratos, muilo bons o por menos
preco que em outra qualquer parle'
Crespo n. 4.
Vendem-se o i* 2o e 3o tomos das biogra-
phlas de alguns poetas e outros homens illusfes
da provincia de Pernamliueo, pelo commendador
A. i. de Mello ; obra que todo Brasileiro, e mor- i
mente todooPernambucano deve cerbecer ? dar a i
ler a seo* Albos : ni ra do Imperador n i.
Vinho do Porto engarrafado
do Vende-se snperior vinho de Porto denominado
D. Pedro V e raioha de Portugal, em caixinhas de
urna duzia de garrafas; na ra da Cadea do He-
cife n. 66, armazem de Ferreira & Malheus.
fcal
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na ra Nova n. 61. 1
D-ta^mi
[iiiili :n d '
'l'l.klijii' ,
d-' mjtM -'
-
ieaa i a
dtiaa- pM
o trah.illio :
(! -iar.;ar r,n-'
arroba de tf>>
do em i
ira 40 miniiti',
oo 18 ar- I
por di.. u 5 ar-
reas de al-
limpo.
Assim como machinas (ara -erem moviib>
animaes, i|ue dcscarucam 18 arrobas ,U: alg
iiii'l c. por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissinv
por que pode fazer moV'T seis dcstas nur1
mencionadas ; para o que MmMm m>* S"<
agricultpres a virem vdr examnalo, no anta
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
Sanaders Brothf rs L
Ti. II, praca do Corpo Manto
RECIFE.
Os nnicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Kua do Queimado M. 49 e .>. laja in Itar
condecido ja como tal, fita d.-jx>n por to.lo o preco cara apurar dinb'-ir .
zer venha ver a traga o cobre, e vera wgal
Baralhos de cartas para volUnie moito
tinas a...........................
Miada> de linha froxa para baria* a....
Pares de sapatos de '.ranea de todos o
lamanhos e finos a...................
Masaos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de rea preta muito superior a .
Frascos de superior macaca oleo a ....
Ditos de dito perola a.................
Ditos de oleo de babosa milito tinos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, carn-
tula..............................
Ditos de bsnha muito lina .i............
Ditos de cheiros muito linos para o preco
a ris.............................
Saboneles de todas as qoalidades a 60 rs.
160, e............................
Novellos de linha com 400 jardas a......
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pecas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a......................
Frascos de superiores cheiros. pequen*, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris..............................
Varas de bicos francezes, superiores a...
Opiata para denles da melhor que ha a .
Frascos de agua para denles, superior a
ludo a...........................
PtWS de tranca preta liza moito lina a..
Caixas com 4 papis de agnlhas Victoria a
Varas de fila preta com colxetes a......
Libras de laa sortida de todas as cores a
Bonecos de choro muilo bonitos a......
Caixas de obreias de ma ssamoto novas a
Varas de franja .branca e deioros para
toalhas a.........................
Frascos de oleo Pbilocomescnpenor a...
Ditos com sopenor tinta a320 e.........
Caixas de linha de gaz com SOnr.vello a
Enfiadores para espartilbo ........
Duzias de bol5cs enesrmous para Tesw-
o- i.............................
2W>
W i
t a
fflo

4M>
H i
'")
I >
l<>

14
;< I
406
V
:
llf'
.' i
m
i >
6v
|f<>
49
HO
O


/
i \
Diarlo c Peraaaafcaeo Sabbado 19 de Dezembro s iS4.
m
AURORA BRILHANTE
GRANDES ARNAZENS
WMm
VIMOS
clS>* Largo da SantaSr
(fVy.^Cruz ns. 12e84,$
S '^os.piina da ra do&
** g ESFECIAES
si? Largo da Santal?
jKCrtu ns. 12 e 84,$
|resquina da ra dojg|^
ffiCebo. ^
NEM COROAS NEM MITRAS
GRAIPE
ARUfiAZEJ?!
DE
RA DO IMPERADOR W. 40
Junto ao sobrado em que mora o Sr. 0>berne,
Ruarte Almeida *fc c, receberam de sua proprla eoeommen-
da o Miis lindo e variado sortimento de inolhados, proprios
da presente cstaeo.
Manteiga ingleza I Ma^as brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a I,ooo;para sopa a melhor que se pode desejar,
rs. a libra e em barril a 8oo rs. macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
n ii ? donn.(losJ muil acreditados armaren de molhados denominados Aurora
uriuunie acaba de rccchcr de sua propria encommenda, mnitos (teneros delicados
proprios iia presme esiacao, e tendo grande sortimento comprado aqui,afianca que todos
os seus gneros sao de i." qualidade.
, .A segualo tabella servir a todos de baso para ajuste de contas aos por-
n ... -^"I""" armazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Hniiiante, ja pelo grande sortimento que tem, j mesmo por sen dono se achar encom-
modado em sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o outro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar urna ouadra destas para se comprar
*XMfr choaricas rauito nova?, i Vinho branco fino, a garrafa a G40 rs.
a /wm j)jt0 ,je caj muito superior, a garrafa a
Ditas grandes rom peixe em postas inteiras,! 800 rs.
ab 12 qualidades, a 1*000, 13*80 e Vinho verde superior.
nitas com netM. ..ii__ I A caada a 33500 e a garrafa a 480 rs.
uiusnom ostras, exeellente petisco para fre-: rnn>m.
gideira, a 720 rs. uomma.
ervilhas novas, ensopada?, a
Ditas cora
GBI Ditas cora favas, a G40 rs.
WJ Ditas rom ameixas a i200, 1*800 e 3*800.
J- Ditas com marmelada do afamado fabrican-
as? ante Abreu, a 880 rs.
m?J Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
<"!a? lt9* Cum SS8 do coraadrc novos, a l*o00,
GH5 Ditas rom bolachinha de soda muito nova?, a
k> ",5UU0-
(-:..S Ditas com biscoitinhos inglezcs de muitas
,<;j Chocolate superior muito novo,
a 1*200.
Chocolate.
a libra a
l|J Maca rao telharim e aleiria amarella.a libra
rj a ISO rs.
' '-o dito dila branca, a libra a 400 rs.
Clisas com cstrelinha, pevide e outras mas-
as. a caixa 3300.
Dilas dita em libras a CO rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra a 240 rs.
Brvilhas seccas, a libra a 160 rs.
Ditis descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca mullo nova, a libra a 280 rs.
Fa inlia de ara uta verdadeira, a libra a
500 rs.
Atmi do Maranhao, em sacca a arroba a
2*400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 33200 e a
litra a 100 rs.
Toucioh > .le Lisboa a 9*300 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dito de -auto?, a arroba 75000 e a libra a
'i rs.
'! 11< rom 12" soblas grandes, a 1:5280.
51 tarda franceza caixa com 2 du/.ias a
8*000.
Frascos cora moslarda preparada em vina-
gre, a 400 rs.
Dus cora conservas ingleza? e francezas,
a 640e 800 rs.
Dil is om
r;i=.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de so
engommar, a arroba a 3*000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Farioha.
Saccas grandes com farinba de Goianna mui-
to nova, a 5*000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 8*,
8*300 e 95000.
Cha.
Cha temes nesles genpros o melhor possivel,
hvsson, a libra a 200.
Dito perola a 3,5000.
Dito uxima 2*700,
Dito hvsson muito fino a 2*800.
Dito redondo a 2*500.
Dito preto de prime!ra quahdade a 2*300.
Dito mais baixo a 2*000 l*00.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermaeete.
O massa com 6 relias de espermaeete a G00,
G40 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passa? novas pro-
prias para mimos a 4* e 2300.
Nozes.
Sotes, a libra 160 rs e arroba a 4*000.
Alaista e paiuro.
Alpisla e painco, a arroba 4*000 e a libra a
160 rs.
Carlas.
Carlas finas para jugar, aduzia a 2*500.
Castanhas.
Castanha? novas viudas oeste vapor, a arro-
ba 4*000 e a libia 200 rs.
Azeitnna?.
Barris com azeitonas novas a 1-3500
Slanlfija.
Manteiga flor, a libra a 1*000.
, I Dita mais abaixo a 800 rs.
sal refinado fino, a 60 e aoOO Dita menos superior a Ci rs.
, I Dita franceza nova, a libra a 720 r?.
i2S?i a ?erdade,ra genebra de laranja. Dita dita em barris e meios ditos, a libra a
;| l*-1''- I 660 r?.
D,:l'\* ?arrals >'- ""llanda verdadeira,! Dita para tempero a 400 rs.
' '' fluan
Hanteiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2<5400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachiohas de soda de todas as qua-
lidades a 1,5300.
Chocolates
de todas as qualidades a I #000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flainengos
ebegados neste ultimo vapor a 26oo.
Queijos
ebegados no ultimo vapor a 2J60O cada um.
Qneijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro c a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricimente douradas,
proprias para mimos a 900 e i 5200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3 a 2600.
I(3em perola
especial qualidade a 2#7O0 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2^600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480 rs. alibra.
roste
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1 800
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
eos**
lapidados para agua a 4,5oo o 5,oo
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
rs. a
o Hllanda verdadeira,
para negocio, a
' J Ditos de 1 garrafa
a 640 rs.
; i !! itij.is cora dita propria
;. iOOrs.
' Uarraroes com 2 galfes com dila, a 65000.
rCr\ Ser veja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
; Vinho mscate! do tetuba, a garrafa a
l*'00.
' -i Marravqoinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
' o a 15200.
--. <;!iainpi::ne, a duzia 20*000, e a garrafa a
m 25000.
V' Azeiie retinad i portuguez e francez, a gar-
rafa a 1*000.
Caixa de vinho Doraran* muito superior, a
73, 8*. 03 e 105 a caixa.
Ditas 'm dito branco. a 7*000 a caixa.
Ditas c.im dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 20*
Bitas >' 18500.).
Hilas com chamisro snperior, a 11*000.
Ditas com Porto velho e outras mullas mar-
cas, a 12*000.
a garrafa a G40,

1 to
I
1
j Vinho do Porto da pipi,
;* 720 e 800 rs.
1 .
l'i'i de Lisboa moito bom, a caada a
35200, 3*500 e 4501)0, e a garrafa a 500
e 360 rs.
Dito da Pisueira, das sesnintes marca, (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (0. M.) a caada a
45500 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
quH j est engarrafado e lacrado com o
rotlo do armazem.
Ditos d marcas mais desconhecidas. a cana-
da a 3550O e 4300-3 e a garrafa a 480 e
520 rs.
Qaeijos.
Queijos novo? vindos neste vapor a 3*200 e
3*500.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
1*000
Papel.
Papel almaco paulad >, a resma a 45300
Dito dito tizo i!e. hubo, a resma a 43300
Dito de poso li/.o c paulado, a resma a
2*500 ,
Dito do cmbrulho bom a 15 c 1*200.
Vinho ladeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 1*300 e 2*.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a lilira a 4 '0 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 volas de carnauba refinada a
480 rs.
Amemlnss.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1*400
e pequeos a 640 rs.
'fijles de limpar.
Tijolos do arear facas a 140 rs.
(iraxa.
Dalias de boioes de graxa n. 97 a 2*600, e
de latas a 1*000, e os boioes a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da
Halda por diversos precos, caixas e roeias
caixas.
:.'.'
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, que deixain de an-
p nunciar-se,
s:i3' ^-T-o !-vs^
PAPEL
almaco, grevo, peso e de entras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel Se botica
de excellente qualidade a 2#200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embtulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corintliias
passas corinthias rauito novas proprias para
podira a 800 13. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumv americano em chapa a
4,loo rs. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cek-llas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista o hiJyO
o mais novo do mercado a 1 io "s. a libra,
e 4)5(400 a arroba.
CEBLAS
libra e 4$500 a caixa.
Vinlio
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
23800 a caada.
Bdem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-1
cantes da cidade do Porto a 1* e 1200
a garrafa e de 109 a i 25 a caixa, as mar
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. lagrimas do Douro eoutros muito.
Latas
com iO libras de btmba a 4#000.
Bolachinha ingleza
a i$800 a barrica da mesraa que
vendan a 2?$000 e 2#100.
Nozes
as mais novas do mercado a WOr* .il bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 4$500 a #500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Beis e outros em
meias caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 30O0 a ar-
roba desses que vendem por 3#400.
CAF
de i. e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 855l?
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libp
Garrafes
com 4 V* garrafas com vinagre a i.$000e#a
o garrafao.
GEXEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 115000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 55800 com
12 frascos.
GEXEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e2o rs. cada cnixinha.
LICORES
Unos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros mu i tos a Goo rs. a i
libra.
Prezunto
o verdadeiro presunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermaeete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa tora abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 3io rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e GO rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos c inteiros a 25 o quarto e 65500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 15 ocaixe.
GOMMA MUITO NOVA
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chegaram os modernos vestidos de dentelle de seda com barra, infeiramrv > aoves
em gosto e qualidade : loja das columnas, na ra do Crespo n. 13 de Aotooic Coma
de Vasconcelos 4 C., successores de Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos de scobora
Superiores cortes de seda de cor, de moranle, de grgarao e de etlt penal
Ditos de blond, e de cambria branca bordados.
Ditos de laa com barra e grande variedade em cores e fadrC.-s
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de ouadros escosseza e miudas.
Superiores laas lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpicos, com llores e de quadros.
Lindas pampolinas de quadros e de llores, fazemla inteirameole nova.
Superiores cassas de cores, e lindas cambraias organdys.
Grande variedade de chita de cores, de percalia e outras motas Uzeada- de poslo.
Para hombros de sentara
Lindas capas e bournoux de casemira de cor.
Ditas de la e de seda.
Grando variedade de soufembarqucs de seda de I8J a Mf.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados Gaos, de cacbimira com luirs Je
seda e de fil preto.
Camizinhas modernas, zuavos brancos e de cores, coetes de cambraia, liadas col-
linhas com punhos e outros muitos artigos.
Para cabeca de scnbora e menino
Superiores chapeos e chapellinas de pallia de Italia eaeilaJos para senhora.
Dilos de fellroenfeilados para senhora.
Ditos de pal ha enfeilados para menino.
Grande sortimento de enfeiles modernos de retro?, de Troco, de cabello e de aVrcj.
para senhora.
Na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vaaraarel-
los & C.
yaflP'
^53
BARATAS.
Chapeos de palha enfeilados para senhoras e mnitas df 8J a \M.
Bonitos vestidos de laa com barra a Maria Pia a 18:s,
Cortes de ditos dila estampados finos a G58o0.
Capas de grosdenaple preto bem enfeilados a 2"> e28ts.
Soutembarques e capas brancas bordadas a 10>.
Organdys mimo do co de lindos padres a 1)5.
Grande e variado sortimento de chitas largas de 300 a 500 rs.
Bramante de linho de espantosa largura a 2550u rs.
Admiravel sortimento de grvalas de seda a 3O, 400 c 480 rs.
Na ra do Crespo n. 1 junto ao arco de Santo Antonio.
Loja do barateiro!

UMA GRANDE LIQUIDACA
Excellentfesimas seohoras
4 loja da ra do Crespo n. 17, de J?c Gomes Villar.
Recebeu de sua cncommenda vindo de Paris, as melhores fazendas que tem viado
a esta provincia.
Cortes de blondc completamente preparados com capella e flores etc., etc. prnarias
para casamentos.
Cortes de mr.reantique para tva, mantas e capcllas proprias para aana, l,ald>* da
todas as qualidades para senhoras, ricos cortes de seda prclade cores e moreantique pre-
to, grosdeoaples p~uio e de cores, camisas de cambraia bordadas para senhoras.
Chapeos de palha para senhora assim como para menina o que tem vindo de ae-
lhor, pcitos bordados para camisas de homem, cassas de cores, orgrndvs de lindas rir chitas de todas as qualidades.
Capas pretas de gorgnrao imporlantissmas, ssutembarqnes pretos. assim como de
cores o melhor, casatoes, pelerinas, petlives etc., etc., casaveques c.mpridos de tti>; pre-
tos e de gorgurao, fazendas importanlissinias.
FA
SSPD.4S E
1 BAEi.TISfIlAS
N. 10~Rua do Crespo-N. 10
Cortes, vestidos de cambraia, branco com lisia, finos 8A50O.
Soutambarqnes pretos ricamente enfeilados 25100*)
Organdys d'uma s cor, fazenda moderna hdo rs.
Grande variado sortimento, chitas largas de 280 .".00 rs.
Bramante de linho, espantosa largura 24400.
Cortes de vestidos de linho de flores 15->000.
Um completo sortimento de chapeos franceses 8*500.
Na ra do Crespo n. 10, loja do Principal Barateiro.
i iSscfeii ales .iiv^iiit
w


"i
i^t sn^sgaa*
muito novas a i $000 o cento na ra do Qnel-1 em paneiros de 1 e 2 arrobas a 35300 a ar-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-'
go do Carn n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 35400 a arroba e 140 rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEIJO SUISSO
rs. a
roba e 140 rs. alibra na ra do Qoei-
maiion. 7, ra do Imperador n. 40 o largo
do Carmo :\ 9
BOLACIIINHAS
em latas de defferentes qus'idades a 15200
a lata
QUEIJOS FLAMENCOS
Pechincha aein igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
p claras e escuras com grande variedade de padres
pelo baratissimo precn de 4$ o corte: va loja das
c iuninas ama do Crespn. 1$, de Antonio Cor-
reia de Vasconcellos & C.
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do chegados neste ultimo vapor a 25800 na ra
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
largo do Carmo n. 9 I 40 e largo do Carmo n. 9.
Os propnetarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
rreguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal roa do imperador n. 40
1 FI8ITCTA8
MAAA, peras e uvas
chegadas neste ultimo vapor, vende-se na ra do Imperador n. 40, Verdadeiro Princi-
pal,
AGUA FLORIDA
Do luirrav i" Lanman.
A?ua Florida.
2-%*
Foha de Flandres.
Vende-se na fabrica da ravessa do Carioca n.
2, caes do Ramos, superior falha de Flaodrc-s: a na ra da Cruz n. 23, primeiro an ver o tratar na mesma fabrica. de Antonio do Almeida Gomes.
P0T4SS4
Vende-se potas* ?m barris a commedopreco o
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agnt florida nao urna tintura, fcto essen-
cial a contesur, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias nofler.sivas, ella lem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'uma salabridade ineoaleta-
vel, a Agua Florida entreten) a limpeza da cabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida.
Composto do substancias vegetaes exticas, elle
eonstite poderosamrr'* com a Agua Florida, a
forc, a bell.za e a conservacao dos cab"..
Em Paria, casa de Qmslanr n. 12, ra de Riche-
lieu, e 21, bonlevard Montm?r*rr.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, o
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposite, roa da Imperador, pharmacia n. 38.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
1L a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. -9
E.ste raro qno dueado pc-rtmie
qnasi (ne iiie.\tini.'iiivel o tflo choio de
Mimosa fr grttnei o frescura como o
delicado cheiro das proprias verdecen-
tes flores. Durnnto os mezes caloren-
tos co voro o sen tizo torna-se iminen-
bamente aprajvel o desejavel em cdii-
sequeneje da iofluencie rcfigiraute o
suave que ella produz sobre a pella:
em qnauto que tizada no bauho ella
imparte o corpo lnguido e caucado
una certa clasficidade de vigor e forja.
Ella imparte transparencia as feiges,
6 remove pannos, sanias e hertoeja* dt
sobre apelL:
prea-
o tomo eRiEivriL de h
PASA OS OABELLOS,
E nina preparaco admiravel para Ihn-
par, aformosear, conservar e restabele-
cer os cabellos.
A venda as-boticas de Caors 4 Barbn
i'ho, por barato rrv, afancado^se aos compra- rna da Cruz, e Jo5o da C. Bravo d: C, ro
dore aperior qualidade: a tratar as segnir.ics' da Madre de Dos.
ras : Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forte do Ma-1.__________.____________________________
tos, armazem do Sr. Avilla, defronta ^ trapicto' Vende-se nma ercrava por barato preco : a
> algodao. I tratar na cidade de Olinla, roa de S. Bento n. 9.
Venoe-se superior vinho do Porto em cxas de
urna duzia : em casa de Johnston Fater & C, ra
do Aiprio n. 3.
Superior cal de Lisboa.
Vende-se superior cal ti .jls-j* a mais nova
que ha nc nsf rcado, tanto em porcHo romo a reta-
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 o 5.1, loja de miudem
de Jos de Azev.do Maia esta cootiooan.W a
vender muiK barato, poi seu genio dar a baaa-
da por todo preco a vi>ta dos rvara
(.artas de alnetes francezes da mei'bor qu.ltJaaa
3l o) rs.
Grosas de pennas de ac inginas da melbor oaa-
lidade a 6i0 rs. *^
Caixas de colchett-s francezes de superiores asaaV
dadis a 40 rs. H
Grosas de botos de madrepcrola muito Baos a CB
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oitavas de rclroz prelo Da a
b40 rs.
nel!ooo d pa''el de pwo li0 n>0'to su^rior
Grvalas da liga e de onlras militas qualidades a
hu rs.
Ca"*,es l'r,ra PeDna rom > folhas fazenda boa a
Duzia de botes branco para casaveqnes de iak.
ra a 100 rs. ^^ "as-
Pecas de fita de ros estrellas rom 9 varas taran.
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para es mt-aiaos a
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a 1
der a ler a 1,3.......
Cartilhas da douinna chrislaa, finas e superiores a
o 20 rs.
Pentes linos de ir.arfim a l000, I200 e lV4a)
Pares de I uvas de seda para Iioomm asaakonai
500 rs.
Gollinhas para senhora o melbor que ha a 3M
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 3, 39$ a
Livros que serve para assenlar roopa, pelo diaaaav
lo preco de 160 rs.
Capachos redondos raoilo fios a 500 n.
Cordo branco para esparlilnw* mono soaerior. a
varaalOrs.
Carritis com 150 jardas de liona branra a $9
ris.
Cartoes com 200 jardas de linba branca taraatt-
d' s a 60 rs
Grosas de pennas de ac soperiores a 500 rs.
Varas de franja braara a de cores larga para toa-
llas a 160 rs.
Pares de boioes de punho, oh que perhiaraa a
150 rs.
Tinleiros de vidro com lala a 160 rs.
Dilos de barro com superior tinta a 100 r..
Grosas de butoes de looca prateado BMMa laja a
160 rs.
Tesouras para costara snrerior aaalidada a Mi
ris.
Escovas para limpar denles, soperiores a SM ra.
Caixas com superiores pnosphoros de sensraaca a
160 rs. ^^
Caixas com 100 envelopes o melbor aae aa a Ma>
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel imtna, bmm
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo Bailo laa iWrs
>



Diarlo e rerafcnco
Sabbado f 1 it Deeeubro de 1864.
J -
!
0 VICHANTE
Una do Crespo b. 9.
N 0 gallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
\ pOSo Ballisa, na sua ordem do da, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para esles o Gallo com seus
agudos esporoes nunca os ofrenden, ames os agra-
ciara na mesma conformidade, para que o Baliza,
possa marchar em frente, a Branca Aguia possa
levantar seu vo, levando no bico as palinhas seu
ninho ; e o Gallo ficara em seu espacoso campo
dando de novo o seu canto annunciando a seus
bons freguezes e ao respeitavel publico
0 grande sor lmenlo de objeetos de muilo goslo que
acaba de receber.
ricamente enfeita-
um delicado me-
Ricas caixinhas com msica
das para costura, proprio para
nio.
Riquissimos cofresinhos com cadeados de melal
para guardar joias.
Ricas caixas com estejo, contendo todos os per-
tenec para hornero.
Riqusimas vultas flngindo perola.
Ditas com lacinho de lila.
Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-1
suras.
Lindos aderemos com pedrinhos fingindo bri-
lhantes.
Ricas fivellas para <;nto, de todas as qualidades
e bom goio.
Ricos cintos do ultimo posto de Pars.
Grande sortimento de lindos enfeiies para cabo-
ja, sendo do ultimo gosto e de todos os piecos.
Flores muito linas para noivas.
Luvas enfeitadas e meias de seda para noivas.
Chaposinhos, sapatinhos e meias de seda pan.
baptisado.
Riquissimas filas de todas as qualidades parala-
(o, cintos e cinteiros.
Camisinhas e gollnhas para senhora.
Riquissimos jarros e figuras para ornamento de
sala.
Grande sortimenlo de gravatinhas tanto para se-
nhora como para hornero.
Luvas de pelica branca e decores.
Cascarrilhas de bonitas cores.
Trancinhas, galao e maravilhas para enfeites.
Transelins de cabellos e de retroz para relogios.
Papel amisade e de outras qualidades.
Rolsas para viagem.
Entremeios e babadinhos de lindos padrees.
Lencinbos de linho bordados.
Meias para humem, senhoras, meninos e meni-
nas.
Fitas de veludo lisas e com mtame de todas as
larguras.
Tbesoaras e caivetes de todas as qualidades.
Grande sortimento de .-abneles.
Lindos vasos com banha para offerecimentos.
Caixinhas com seis frasquiohos.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, e em
frascos quadrados e garrafinhas.
Pomada fina de todas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos de todos os
tainanhos.
Saho inglez em paos grandes e pequeos.
Escovas de cabo de madreperola, marfiru e de
ItfMftj
Riquissimos leques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 125 e 145; so no Vigilante, ra de Crespo
n. 7.
Pentes
tambero cheparam os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massaiina, que se vende por 2$
35 e 55; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas caetas de madreperola propriat.
para qualquer presente, pelo baratissimo pre^o d
15300 e 25.
Sapanhos e meias de seda.
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e louquinhas para as cnancinhas se baptiza-
rem j s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com ernzinhas
fingindo brhantcs, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato preco de 15 e 15200, as
cruzes avuls asa 400 rs. s no Vigilante, rna do
Crespo n. 7.
Colinhas.
- Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquosissim enfeites com laco e sem lago e de
oulros.muitos goslos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Tranceln.
Lindos trancelins de cabello para relegie ou lu-
netas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos entremeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindo;
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo i
preco de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
qualidades, por procos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 25; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Filas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no \i-
gilame, ra do Crespo n. 7
Reos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura dourada'
sem ella de 85,105, 125 e 145, assim como com
eelumnas de differentes tamanhos a 25,35,45, 35
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo omelhor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arroi.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de muilo gosto a 15500 e 25, assim como
UPA FEITA
NO
ABSAKEI
1
lETBEaO VERBB.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feta de
todas as quadades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos memores professores, assim como tambem tem um g
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras, I
homens e meninos. _. An/\S
Casacas de panno preto, 35 e 300000 Ditos de setim preto. 50000^
Sobrecasacas idem, 300 e 255XX)Q i Ditos de ditos e seda branco, Jj|j
Paletos idem e de cores, 250, ( 60 e.......50000B
200, 150 e......100000 Ditos de gorguro de seda m
Dites decasemira, 200, 150, I pretos e de cores, 60, 50 e 400003
120,lO0e...... 70OOO Golletes de fusto e brim bran-
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500! co, 30500, 30 e 20500
Ditos ditos pretos, 90, 70, Seroulas de brim de
50, 40 e ..... 30500, 20490 e
linho,
30000
40000
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linho, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e.
Ditas de meia casemira de c6-
Ditas de algodo, 10600 e. .
Camisas de peitos de linho,
40, 30 e......
Ditas de madapolo, 20500,
20e........
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. .
70000, Ditos defltro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
20000
10400;
20500'
10600
80500
20000
res,
50000 e. .... 400001 110, 70 e......600^0
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cAres, 30 e
Colletes de velludo preto e de
Collarinhos de linho fino, ulti-
40000 i ma moda duzia. .
I Sortimento completo de grava-
20500 tas.
20500 Toalhas pararosto, duzia, 110,
I e........
cores, 90 e......70000 Chapeos de sol, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 50 e 40000, tos e de cores.....
Ditos de ditas de cores 50 'Lences de bramante de linho.
40 e........30500 Cobertas de chita chineza.. .
CD O" Ba c O O
> > o s es 3
-J 5J-^"_ 03 P O
CD o- *-* B G w W 71 ir _. u? w w
3 i i3g-&s.Is"-8 3
'J. '
__ 03 *
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; so no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grando sortimento de extractos e banbas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tinctvos e oflerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a
possivel
zes
ra do Crespo n. 7.______________________.
ENFEITES A MARA PA.
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n.
38, recebeu novos gostos de enfeites a Mara 1.a,
com plumas de froco no frente, obra muito dea-
cada, assim como tambem tem de multas mais
qualidades, riquissimos sintos de fila larga de cha-
malote com fivelas, tambem largas esmaltadas de
de rhamalote la-
j-
"5 w 5^ <" So
o. "i 63 12 t "
O Q.O 5 2 B>
w
C3
O
ce
w m < "
03 0> O
<~.
V>
H2
M o
g S
03 rj
BS g,
i3
. 2

Para a festa.
o a "?
! pedras, riquissimas filas largas
Pe'ntes para desembarazar, com friso de metal e vradas, proprias para feMVm,0^m.nK mfn"
sem el|e v v | hidas ; finalmente tem grande sortimento de miu-
Ditos de tartaruga e de muilas oulras qualida- dezas finas, que s a vista faz fe :
des.
rora
ra larga do Rosario n,38.
Pentes de tartaruga para senhora I lliiinlio Ift OClra Nfl milllO.
cinar.que a vista far f, s uo Gallo Vigilante, chegados a r.
rua do Crespo n. 7.
_aos a ra da Cadia loja de ferragens :
Rastos, os quaes se vendem ornis barato pcusive
4
a
a 3 _
2 1
*S 0= -, w
:,oJ
r- s c e s
=T g b.%- e o _
wt= o o 8 a^-0,
O. & W =

a
si ** o S
O 095
O as
en C6 -
g-?51 ^
3 ~ S S
a
!
Si
g ?
c
o
.
e
a.
M
-a
03
O
S. a> o
c s: o.
(A U O
n
03
03
3

c
63
5>
lili
63 O
o
s
63 -I
3s?
V
er
O)
es
Queijos frescos a 3, passas novas em quartos
a 25, e a libra a 400 rs., figo a 160, marmelada
a 300 rs. a libra, azeitonas a 1,5800 a ancoris, a
garrafa a 320, manteiga ingleza Djr a 900 e 800
rs.. dita tranceza a 640, cha miudinho a 260O e
3$, caf 1" sorte a 280 a libra, e 8^400 a arroba,
de 2* sorte a 240 a libra e 75500 a arroba, arroz
a 100 rs. a libra e 35 a arroba, tounuho alto a
280 a libra, stearinas a 620, palitos para d^ntes a
140 o masso, do gaz a 200 rs., chouri^as a 640 rs.
a libra, gomma a 120, sabao massa a 200 rs., sal
em potes de vidro a 440, roncervas a 400 rs., la-
tas com bolachinha a 15400, aletria e tallrariu a
400 rs. a libra, cerveja branca e preta a 560, vinho
fino do Porto engarrafado a 15120 o 800 rs., brin-
co para missa a 500 rs., tinto de Lisboa a 360 a
garrafa e 25600 a caada, da Figueira a 440 e
35200, azoite doce a 600 rs. a garrafa, de carra-
pato a 260, vinagre a 200 rs., gaz a 480 : no ar-
mazem da Estrella, largo do Paraizo n. 14.
Attengao.

Vende-se urna taberna muito afreguezada, com
commodos para familia, dropria para principiante,
vndese por sea dono retirar-se para Europu :
quem pretender dirija-se a mesma, na ra Impe-
rial n. 195.
Espantosa perhincha.
Algodo superior largo com um pequeo defei-
to em urna das arelhas a 65 a pega cem 20 varas :
na ra da Madre de Dos n. 16, loja dtfronte da
guarda da alfandega.
Nova liqaidacao de fazfn&ao al o m
de mez, para fechar faclnras vrnde-s uito
barato, por ser o ultimo mez de fesla, qne os
freguezes devem aprofeilar : na loja e arraazcm
da Arara, ra da Impcratrii n.56, de Loureu-
eo Pereira Mendes aimarSes.
Fazeddas espeeiaes para senhora.
Vende-se ricos cortes de vestido de laa a Marta
Pia para senhora de bonitas barras a 85,105,1^5,
145 e 165 o corte : na ra da Imperatnz u. 00,
loja da Arara. _._...
A Arara vende a 20100
Cortes de chita de cores fixas com 10 eovados
a 25400 e 35200 ; cassas de cores a 320, 360 e
400 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 5S,
lujada Arara.
Cortes de cambraia de salpicos a 24U0.
Vende-se corles de cambraia de salpicos a
25400. 35 e a 4O0O a peca, ditos de carobraia
liza e fina a 35500,45500,55500 e 65,. ras bor-
dada- para enfeiur vestidos e entremeios a 15
a 152OO : na ra da Imperatriz D. 56, loja da
Arara.
Sonlembarqnes a 7, 8, e a 160.
Vende-se soulembarque de laazinhas de cores
I para senhoras a 75, 85 e a 105, dito de grosdena-
ple preto muito enfestado a 205, 255 e 305 : ricas
capas de grosdenaple a 205, 255, 305 e 355,. para
liquidar : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A Arara vende alpaka de cores para vestido.
Vende-se alpaka decores para vestidos a 360
rs. o covado, challes de laazinhas a 15600 e 15280
dito de merino a 45500, ditos linos a 45500, 75 e
85 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Laazinhas a Mara Fia a olio rs.
Vende-se laazinhas a Maria Pia para vestidos,
com palmas de seda a 500 rs, o covado, dilas de
cores a 320, 400 e 500 rs, ditas lizas de cores pa-
ra capas e vestidos a 560 rs. o covado, cssemiras
para capas de senhora a 15800, 25500 e 35 : na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
X Arara vende chitas a 210, 2S0 e 320 rs.
Vende-se chitas dj cores fixas a 240, e 280 rs.
o covado, ditas francezas a 320, 360, 440 e 500 rs.
e covado, percallas para vestidos finos a 500 e 560
rs. o covado, camisinhas para senhora a 15,15C0O
35 e 45500, gollinhas para senhoras e meninas a
240, 320 e 500 rs., enfeiies para cabeca a Mana
Pia a 15,15400 e 25, para liquidar : na ra da
Imperatriz n. 56.
60000 i BalSes americanos para senhora.
Vende-se bales americanos, os melhores que
. tem vindo ao mercado, de 20, 25, 30 e 35 arcos a
0 ff 25500, o> e 35500 e 45, ditos de brilhanlina e
musselina a 45500 : na ra da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
H Cassas da Arara a 280, 320 c 100 ris o covado.
1 baah a Vende-se cassas de cores a 280, 320 e 400 rs. o
40uuu m ovado, lencos de seda a 800 e 15 : na ra da
30000 Hf imperatriz n. 56, loja da Arara.
20500 m Fazendas para Uomem.
Vende-se corles de caigas de brim para homem
a 15600 e 25, ditos de casemira a 35, 35500 e
45500 e 55 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Uaupa feta para homem de todas as qnaltdades.
Vende-se palitols de brim de cores a 25, 25500 e
35, ditos branco a 25300, dilo de linho fino a 55.
ditos de alpaka de cores e bran-os a 55, ditos de
meia casemira a 45500 e 55, ditos de casemira a
65, 85, 105, 105, 65 e 205. ditos de panno lino
preto a 85, 105, 145- 165,205 e 305, calsas de
brim de cor a 25 e 25500, dita de dilo branco a
25 ditas dedito de linho a 3A500 e 45, colletes de
cores a 25, de brim a 25300, de casemiras de
cores e pretas a 35500 e 45, calsas de casemira a
55, 6a e 85, de meia casemira a 35 e 35500, ca-
misas francezas a 25'' 25500, de linho ioglezas e
pregas largas a 3.; e 35500, grvalas de lodas as
qualidades de 500, 800, 1-3 e 15^00, collarinho
de lodos os tamanhos e muito bem feitos, para li-
quidar por ser lempo de fe;ta : na ra da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
Colchas para cama a 20.
Vende-se colchas de chita para cama a 25, ditas
de damasco a 45. ditas de ustao a 5$, chitas para
cobertas a 320, 360, 400 e 500 rs. o covado : na
ra da Imperatriz n. 56. loja da Arara,
A Arara vende madapolo enfestada a 40.
Vende-se pegas de madapolo enfestada a 45 a
pega, dilo inglez de 24 jardas de n. 30, a 65, de 1
a 55500, n 250 a 65500 e 75500, n. 5 85500,
! <<& 95000, R. D. P. 105. ZZZ 115, n. 20, dito a
145 a pega : alndaozinho marca > a 55500, dilo
carne vacca a 75, dito dsmestico a 75500, dito
pau ierre a 85, dilo SL9 a 105, dito T a 105 e 125,
1 dito sicupira a 85500, para liquidar, ua ra da
I Imperatriz n. 56, leja da Arara.
Palilols de alpaka.
Vende-so palilols de alpaka prela de 35 f 3iSt,
dilos linos de cordo, lizas branca a 45: '
da Imperatriz n. 56, lo|a da Arara.
Ao liarnirire da rna da laprnlriz r. 56
Vende-se serenlas a 15280, Au Wwmrmm
15600e 25 : e oulras mnito li>:<- feavaM <,u*
freguez encontrar na loja da Arara, m da I-
perairiz n. 56
GRANULOS e XAROPE
D'HYOROCOTYLE ASITICA
de j.'LEPi:
Resulta pelas experiencias feitas as Indias t
Franca pelos mais afamados mdicos que as i.ft.v^l-
LAS e O XAROPE d HYDROCOTYI. A A-l %Tir % *
*. LriNE sao o ptimo remedio eonira lodas as espa-
cies de iMriurx* ou HERPES e ostras molestias 4
pelle, at as mais imeteradas, assun como a i.F.PRA
ou MORPHEA, a MPIIII.IS, as MOI-ESTI tft t*t-
FULOSAS, OS MMUMMMM chromcov etc.
Deposito geral em Par, em casa de 1 m aiir.R
LABLONYE. ra Bourbo-ViUenf*rt, I*.
Deposito geral em Pernamb:-:*.
Cruz n. 22 em casa de Caros A MM
Machinas de vapor ep;t-
radescarocar algodo.
Moendas e meias moendiv.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentada?, e
de carroea com mangas e
eixos de patente.
Ra do Brum n. 38, f un i -
Cao do Bowman._________
Libras estert"'*
Vende-se quem as quizer comprsr no ari ai
n. 33, da ra da Praia, se dir quem as v, ml.

ESGMYS TUGEOS.
Fugio da ra^a do major AlMIi 'la v.i
Gusmooseu escravo pardo de noii.e l.i.i.*, f
cido por Luiz Monteiro, idade 24 ani >, r*
mais ou menos, bastante alto, serr, I r i -r. i
pernas compridas, cor clara, raMIos raehiatf<.,i a-
nhoto, e o principal signal ter em fin a d-1.. i
mo urna estrella azul c tres pinta- lan I en. >?\ -.
formando um triangulo em cada Mi n
oftlcial de pedreiro. pintor e nMu : f r *"
rogase s autoridades poliriaes, a*HH nm* :-
senhores de engenho c pnprMtorlM mtt f'- ta
lrabalbar,intilulando-se forro, lano iie>ia r'<'T'-
cia como fra drlla, que o faca i>rent!i r r rewri-
ler ao sobredito senhor. que pagr;i i 11 *
pezas, assim como a quem o conduzr Uara \na
boa gratifleacao.____________________
"^"Fngio sabhado 2'i de Bovembro i
sado o escravo pardo de-nome Amonio. de 20 annos, pouco mais ou m,
naesseguinies : magro, altura r^pular. n>-\. rta-
prido, nao tem barba e com bMMK mmv *
bexigas, falla branda, foi aPCfivo a rria i
Joaquim Cavalcanti de Albuquerqu- da H fi-mi--
Araguari da fregueziade Barren. -. pmarga'
nesta cidade em vender agua, porm ;o>- mu %
e dias sanios andava calcado, de pal.t. i branf.
chapeo do chile e beugalinha, fina, r -la intilulava de ser livre, quando fugio d,^. a
mas pessoas a quem vendia agua, que iipita !*
Barreiros, e que somente vollava d'-ptis da f^-i
do natal : roga-se s autoridades paltoM a rai-
tes de campo de o appreher.derem e man .-ippr
entregar na ra do Queimado n. 77, a Ali-xar.Hra
Jos da Silva, que rccompensar;i vm V,">J______
Escravo fingid'*
Acha-se fgido a escravo Firmino. r****"
tripulacao do hiate Lindo Paqurt-. im M a a-
no, de 48 annos de idade, eMaiura n aviar, J
comprido, barba pouca, e falto dt ileM.'s m fren-
te ; levon camisa e calca de algodo a/til rea-
se s autoridadei policiaes e qiialqnn- vuira pr^-
soa a respectiva apprehensio, pela qnal se rfsri
urna gratiGcaeo na ra da Cruz n. i'!, prmierf
andar.

LISTA GERAL
,20'
DOS PREMIOS DA 1. PARTE DA
4:
i O! LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 100, A BENEFICIO DA IGREJA MATRIZ DA BOA VISTA DESTA CIDADE, EXTRAIIIDA KM 16 DE DEZEMBRO DE I84.
NS. Pi'
1
6
9
10
11
1G
18
2i
28
33
35
36
39
40
49
SI
83
64
72
76
78
83
86
87
88
91
%
97
98
99
101
2
3
4
14
23
24
28
29
34
35
39
41
42
47
49
53
54
59
60
65
66
80
82
99
,EilS.
65
405
NS. PHEMS.
203 65
4
5
7
16 -
17
19
23
24
23
27
35
41
42
43
49
50
53
56
61
62
67
69
70
73
78
79
83
84
105
65
65
105
65
105
65
105
65
1005
65
95
96
98
300
6
8
11
13
14
15
16
26
27
28
30
32
39
41
43
46
49
51
53
54
60
.NS. PHEMS.
362 65
66
69
70
72
80
90
98
400
1
2
4
9
11
12
22
23
24
25
31
32
33
34
42
47
48
49
52
57
58
61
63
67
69
73
74
76
79
105
65

105
65
205
65
93
99
501
3
5
11
12
18
19
25
29
32
33
34
35
37
205
65
285
65
205
NS. PHEMS.
538 65
43
46 -
49 -
51 -
53 -
56 -
60 -
64 -
69
70 -
71
75
77
79
83
95
600
3
16
22
26
28
30
31
33
38
39
40
41
50
51
53
55
57
58
59
63
70
74
87
93
95
96
701
4
8
12
13
15
19
20
27
28
29
105
65
105
65
105
65
105
65
105
65
1005
65
205
65
iNS. PHEMS.
730 65
35 -
37
II
43 -
44 -
45 -
46
49
54
61
62
63
66
67
69
73
74
77
79
82
88
91
93
94
95
96
98
99
801
5
6
8
11
12
15
16
17
20
25
26
27
30
32
33
34
39
40
43
44
49
52
53
57
60
105
105
65
105
105
65
.NS. PHEMS.
863 65
65
66
74 -
78 -
79
82 -
89 -
90 -
92
95
97
901
2
5
9
19
21
24
26
28
33
37
39
48
49
51
52
54
55
60
64
66
69
73
75
76
81
84
85
91
94
96
98
99
1008
8
11
15
16
18
19
22
25
26
AS. PHEMS.
1027 65
65
28
35
36
39
47
48
53
57
63
72
76
77
78
79
82
87
91
99
1100
5
6
7
8
9
10
11
14
19
26
28
29
33
34
36
37
39
49
54
58
61
64
65
68
70
74
86
94
95
1201
2
6
7
12
14
205
65
105
105
65
NS. PHEMS.
1215 6
16
17
29
31
33
34
39
45
46
50
51
71
74
75
83
88
89
91
92
93
94
95
1300
1
105
65
65
105
105
65
14
17
20
21
23
25
26
30
31
37
40
44
47
49
50
53
54
55
63
65
66
67
74
76
77
78
79
82
NS. PHEMS.
1392 65
97
1400 -
3 -
5 -
7 -
9 -
10 -
15
26 -
27 -
30 -
34 -
35
39 -
41 -
42
48
63
70
74
75
78
79
80
82
86
98
1500
1
2
3
9
10
11
12
23
30
38
41
42
43
51
52
54
59
61
65
67
73
75
76
77
84
87
105
105
2005
65
NS. PHEMS.
1591 65
97
99 -
1603 -
7 -
12 -
14 -
16
20
22
26 -
27
40
48
50
54
56
62
66
71
73
74
75
77
79
82
83
84
86
87
89
90
96
98
99
1705
7
11
14
15
16
17
18
22
23
31
33
36
50
52
55
56
60
64
73
205
105
IOO5
65
105
105
65
105
65
204
NS. PHEMS.
1775 65
77 -
81
93 65
94
96 6:0005
99 65
1802
4
8
9
10
11
12
13
15
17
19
22
23
25
28
31
36
37
39
45
47
48
50
51
53
55
60
65
66
69
71
72
75
76
77
80
82
87
92
94
95
99
1900
5
21
24
31
32
205
105
65
105
65
NS. PHE
1933
39
49
50
51
52
55
56
57
59
68
69
75
77
78
83
84
85
87
90
91
2003
7
8
9
10
15
17
18
21
22
24
33
34
35
39
42
44
45
46
50
52
55
68
69
70
75
78
79
85
87
89
91
95
2102
MS.
65
205
65
NS. PREMb.
2107 65
9 -
15
17
27 -
28
33
37
40 -
44
54 -
56
58 -
59 -
61
63 -
64 -
105
65
JXS. PHEMS..iNS. PHEMS.
2270 65 2'*5i 65
105
65
71
72
77
81
83
84
85
90
91
93
95
96
98
2206
7
8
14
16
21
24
27
28
36
38
39
41
45
48
49
51
52
53
59
60
61
62
64
105
405
65
105
65
10
72
73
74
75
80
85
91
93
98
99
2300
5
11
14
15
17
20
22
26
27
28
42
43
44
49
50
54
55
59
63
67
68
69
85
88
91
92
97
2400
8
9
11
15
17
24
32
36
39
41
43
44
45
48
49
405
65
105
105
65
105
65
61
63
68 1:4005
70 65
71
73
78
83
85
87
93
94
96
97
2500
2
4
11
13
22
24
28
30
35
42
45
51
52
53
54
65
68
69
75
76
87
94
1005
65
105
205
65
405
65
105
2603
6
7
8
20
22
23
28
32
48
49
52
53
55
57
60
405
NS.
2661
63
61
68
70
73
B7
89
91
92
96
97
2702
3
7
9
10
11
12
20
21
22
23
26
28
31
32
34
39
42
43
46
48
50
51
52
54
55
61
62
64
65
70
75
77
80
81
82
83
86
PHEMS.
65
5005
65
205
_;
405
65
105
89
91
95
NS. PHEMS.
2799 65
2800
2
3
8
9
10
13
16
24
26
27
32
34
40
46
47
53
57
58
60
63
67
68
71
82
91
92
97
99
2900
7
8
12
16
23
23
32
36
38
39
43
53
55
59
60
63
67
71
72
74
77
79
80
90
NS. PHEMS.
2995 65
96
97
99
3003
6
10
12
105
65
105
65
18
21
22
32
33
37
38
39
42
45
46
50
54
55
57
58
67
72
75
84
85
99
3102
5
6
14
15
16
20
22
23
24
27
28
33
34
35
36
40
47
49
50
51
55
65
67
105
65
405
65
NS. PHEMS.
3168 65
69 -
70
71
72 -
74
84
98
99 -
3202 -
4
5
7
I
10
13
14
15
24
25
27
30
31
33
34
37
41
43
48
50
53
57
59
60
68
73
75
76
77
81
84
95
97
98
3301
205
65
105
65
105
65
7
8
15
18
19
21
23
26
27
105
65
NS. Pli
3330
33
34
33
i i

H

62
6.1
66
75
80
81
82
87
88
89
95
96
98
99
3406
10
13
15
17
20
26
29
31
32
36
38
42
43
44
52
58
62
70
72
73
76
78
7
83
85
88
89
90
92
96
98
) W
KM.
65
105
65
205
65
205
O escriv3o, Jos Pedro das Neves.
Pern.Typ. de M. F. de Faria i Filho1864.
vk
\


8
V ~
Diario ele PeraaM Sabbade i S de Dezembro de !*.
m m m
M POUCe DE TUDO.
No Jornal do Commereio de Lixboa, l-se o sc-
gaiule :
la pouco tinpo euconuou-se enforcado na casa
cni que resida, na passagem Do la Mare, um lal
homem do que de mulher. A su a converso,
brusca e pouco sonora, era de ordinario um urdi-
do de falsidades, e versavaquasi sempre a resspei"
to da sua fome. Algumas vezes dava dinhelro de
esmola aos pobres, mas pao nunca. A sua probi-
dade naoseabalava em presenca do ouro; mas
vergava dianle de un. bocado de pao.
Um da, tendo dinheiro comsigo, e pao no arma-
no, roubou um pao, que periencia a urn servente
[* liando P..., originario de Leao, om 24 annos c in(|re.ir-, ," "7 r--------- "'" Cl" """"
de edade, operario. SolTria de urna affergao hor- ,,' '..'' gl a.bom fuir- Con[ou de>ois
rival. evorava tudo inccssanleoieotc. O que
!.,' gair, va nao era solaviente >ara se sustentar,
cbegando-lhe apenas para comprar pao; os seus
cantaradas se rolisavam para llie adquirir ouiros
Mimemos; mas receiando abusar desta generosi-
dale, P.. resigna va-se, e a sua fome, aggravada
pea tenia, produzia-lhe solfrimentos atroz.es que
obrigaraai a dar-se a morte.
esto accao ao doutor Descuret, e perguntou-lhe se
lana mal em mandar cinco francos aquelle opera-
no. O doutor approvou mu.to esta sua intengo,
e accnselhou-a que juntasse vm pao sua re-
jnessa. Ouvindo estas palavras, sentio um violen-
lo ataque de cholera :
- Eu Ihe mandare! dez francos, exclamou ella
com vozcommovida, 13 francos, sequ.zerdes; mas
l obtenha de mim um boceado de pao
.Uxistem outros etcmplcs desta extraordinaria nunca.
cfermidade. Nao fallamos dos extraordinarios Em resumo, esta extraordinaria creatura viveu
une lores de que a historia faz meocao, taes co- cssencialmente para a digesto. E' defficil eocon-
ino o imperador Cl ludio Albino, que devorou uni- "' em toda a sua vida um pequeo numero de
carnete n'ara almoco, rom pones, dez meloes oslantes que nao fossem exclusivamente consa-
:./. kilos de uvas, e alguos figos e trinta e tres irados aquella funego. Aljruns momentos antes
duzias de ostras; e como o Saxonio que comia um da sua morte, nao podendo j comer pao, constran-
carneiro, um porco inteiro, dous cabazes de cere" R'a sua rmaa a comer por ella, o ra'orreu di-
j>is, quebrava com os dente?, moia, e devorava'zendo :
tapas di louca e vidro, e eremos que al n'um dia j Uma v que o bom Deus nao quer que eu
tambern conieu urna escrevaninha com as pennas, lcoma '"ais, tenha eu pelo menos o prazer de ver
caivete, tinta e areia. i comer os outros I
Has os annaes mdicos conten a este respeito Na communa de Aubel "commetteu-se ultima-
mente um crime, que as circumstancias e a opi-
niao publica tendeo a classificar de assassinato O
numero de fados curiosos e authen-
Xouvclliste de Vertiera publicou os seguales'por^ I 1 7Z7 6ae'"d''|Ue esv\e'
m^n^rac #.______. B BlUmo adeus do condemnado,
nin certo
IIGS.
Os mais recente refere-se urna menina chama-
da Anna Denise, cuja rerordago existe em Salpe-
(rire, onde morrea ha pouco lempo. Desde os
primeiros momentos da sua vida, fui atacada de
vorocidade; exhauria as suas amas, porque mama-
va ella s mais do que quatro creancas da sua
edade; quando cnegou aos dez annos, abandonou
o (tollegio em qae era educada, e onde comia o pao
de todas as condiscipnlas; passados alguns annos,! vezes Insista com o'seu" n(
estabeleceu m colleg.o, ex.g.ndo como paga uni- rom pelos lagos ma.rimonlaes, mas recusa-
carnete o pao que comia sntao uns cinco kilos va-se sempre com a ameaca de sustentar esta sua
AL
(A' O. A. J.)
Quando as horasdo crepsculo se afugentam,
Que a la triste preguigesa sae.
Gentil donsella, sem pensar, despede
Dos labios terna um suspiro... nm ai I
Quando da sesta no regaco ameno
Ao repouso da fadiga o homem vae,
A nota primeira que elle sola
E' um doce gemido, um terno ai I
Quando a saudade nos consom o peito
Pela morte de um amigo, irmao ou pae,
Se vamos junto aos tmulos seus orar
A prece nao termina sem um ai I
Como doce um ai no soffrimenlo,
Como dOce no prazer, que nosattrae,
as dores e alegras d'esta vida
O consolo s nos vem depois de um ai !
A rola que gemendo alm se escuta,
O galhe, que vergando a relva cae,
Tambem soltam sentidos urna nota
Melanclica e triste como um ai I
A virgem, que no peito sent amores
A' brisa seus segredos dizer vae-----
E p'ra o amante, que ausente nella pensa
S enva no peito um terno ai I
O nauto, que da patria longe vive,
Tem urna lembranca que como elle vae,
E no cante saudoso, que elle solta,
A nota mais saudosa sempre um ai t
Um ai tambem d'amor suspiro,
menores d'este crime e circumstancias, que se de-
ram para o seu descobrimento :
Lina tal Alaria K... residente em Anbel, tmha
um filho de lo anuos de edade.fructo de suas rela-
coes criminosas, d'aquella cora um operario. Ten-
do Mara K.. conlrah.do novas relacoes, Ilcitas
tambem, cora um tal Bartholomeu S... por multas
E' a lagrima derradeira que Ihe cae.
Um ai o que de nnm se ouve ;
E outra nota nao sei, de mim nao sae:
Meus amores, meus sonhos, meus desejos
Sao gemidos sandosos, sao um ai I
naprimitiva, bao de pagar pelo meu resgate, mais
100 v
Tem razo o algodo; eu dou-la, e todos a daro.
Nao seria justo que aquelle que cora sea suor, Ihe
regou a cultura, contlnuasse seu fabrico at final t
Sero os Inglezes, Franeezes, Russsos e Turcos,
mais habilidosos que os Brasileiros I neg ; o que
ararme, que sao muito mais espartos, por que nos
dao com o mel no beigo, e nos ainda llies licamos
agradecidos.
O que se v a respoito do algodao, v se com o
proprio cabedal com que calcamos nossos ps;
com o cabo da faca com que comemos, com as
drogas medicinaes, e. ( vergonha eterna) com o
proprio assorar I!
Desviei-me da minha empresa, quiz fallar em
agricultura, f ou para melhor dizer ) em cousas
do campo, e falleiem industria ; nao grande pec-
cado ; ambas curren) pareihas ; e se precisamos
luzes para a vida do campo, tambem as precisa-
mos para a industria : e se precisamos para a in-
dustria, tambem, c nao menos, as precisamos para
muitas cousas necnssanas a toda a qaalitode de
progresso, e por isso fallando dos bancos direi.
Os bancos; as sociedades commandilarias|; as
companhias de seguros, e outras mil instituicoes
especulativas dessa ordem, sao boas, desejaveis, e
at necessarias ; porm nunca lanas, que se guer-
reiem reciprocamente offerecendo lucros maisvan-
tajosos ao passo que se vilo creando, para depois
declararem-se fallidas, e levarem em seu enchur-
ro, o fructo de vossos trabalhos t economas; com-
paro a abundancia de eslabelccimentos desta or-
den), com a praga de gafanhotos no Egvpto, com a
diftVrenca porm que os gafanhotos, depois de co-
merem as searas, morriam a fome por nao terem
mais que comer, e os banqueiros, depois de come-
rem sens accionistas, comem-se uns aos outros (ha
nisso honrosas excepcoes). Queris que vossos ca-
pitaes vos rendam juros para vossa vida ser passa-
da regaladamente, l estao os montes e vales pe-
dindo-vos que Ih'os confiis por meio do arado e
da enebada ; assocae-vos, montae com esmero e
perfeifao eslabelecimenlos agrcolas, e veris que
auxiliados p^la prodigalidade do clima, usufrui-
reis o que banco algum ser capaz de vos ollero-
cer.
Rema entre vos a monomana commercial; que
illusao eque crime de lesapatria!! Oito militos
de habitantes espalhados por mil e untas leguas,
sem agricultura nem industria, a quercrem nego-
ciar.
oavirieis am nao ha- ese quizerdes sentar-vos, i do aaaa cnn.M,^ -
forcosamente o fareis no batete da porta, experi- B convidado n ama festa, se levanta, eco
mentando a rijura poaco comporiavtl de'um sopo vibrante exclama : brindo, en boa liagoafa
de sicupira, ou sapucaia. ra, se em Ponugual, nao quer dizer mais do oue bebo
onde ludo e pago dinheiro, onde nao se v an Pol
palmo de ierra sera nossuidor, onde a propriedade lroca aPP'aasos qQe se (azem seocir o
boje cusa rauto dinheiro, onde o povo paga iri- PW'co quando termina aqnelU palavra, e nn-
qaanto se absorve o liquido, equivale a om f
Ihe ajiroteite.
Deduz->e d'aqui que o brinde om protesto para
beber com moderacao.
Nos brindes, como em todo qoanto existe na ler
se verifica eaaa
ior dia.
Ferida em consequencia de urna queda, foi para
recasa em quanto nao desapparecesse o filho que
eslava sembr deante do mundo, recordando o
Paria, afim de se tratar ali; mas antes de entrar j mau Procedmento da mae.
n-j hospital, foi por duas vezes presa, por ter ron- j Ha dois oa lres mezes. os visinhos virara que ti-
llado a padeiros algum pao, que devorava instan.inha desapparecido o filho de Mara K.., a qual
taneameote. Foi admittida c curada de seu feri-1P"codepois casa cora Bartholomeu S...' Esp-
denlo no hospital de S. Luiz. Quando sahio diva- lnaram-se logo boatos sinistros, e o povo, justarren-
gon pela cidade, nao podendo encontrar com que tc commovido pelo desapparecimento da creanca
diala que tinha sido assassinada. A aatoridade,"
proven! ia, fez proceder as indagarles muito discre-
as para descobrir os vestigios da cranla. Fize-
ram-se buscas as proximidades da casa em que
uciasse a sua fome; foi a final resabida em Salpe-
rrire, onde estere o cargo dos cuidados dos
djutores Esqairal e Amusat.
Passado algum terapo, Dense abandonou Salpe-
trire, e consegaio, depois de muitos annos, com o
auxilio de seu trablho, satisfazer ao seu excessivo
apetito. Consultava habitualmente o doutor Des-
curet, em quera havia depositado a sua
fjanca.
Anna Denise tinha fome de diferentes especie
con-
butos que ah nao pagam, o camponez passa urna
vula alegre, efartadoquo mais necessarb Ihn ,
que nao gozara o camponoz brasileiro com lodos
os recursos quantos dado ao homem 7 I No Bra-
sil onde tudo contica, e provoca o homem la-
voura ; onde as sementes se multiplican) o cen-
tenas de vezes, o medrara a olhos vistos; onde o ra
camponez edifica sua casinha sem gastar nem te- '. ral"eeor,as-
Ihas, nem cal. nem pedra, o nem pregos; que vida E que o brinde official
devena passar I cbaroj>auha.
E passa-a ? nao : boa indolo do povo brasi- n .
leiro, se deve nao ser elle um composto de immo- Dr,odes <"om leeJuy oa cora Rheno si dif
rahdade, e devassidao : procurae a um matulo que nos de um mosquito
lenlia mulher, lilhos e filhas, onde dormem ? pro- O brinde com --
curae urna cama com lencea e traviceiro. e vede n h "'^Penas e mveros.mil
se nao lhes sao objectos desconhecidos; dormem "m" com a*ua i reservado para os m-
idos n um estrado, ou esleir, sem dim-reoca de Pre8ad<>s aposentados,
sexo, e com menoscabo das mais treviaes rearas; n.,..,. .
da moral I Senhores de engenhos: voseas ierras y aib cusloso fc v'oho cora qae bhn-
do de aobejo para exercerdes a agricultura em maior a calhegoria do brinde.
ponto grande : cscolhei para vosso uso os melhores' Por isso, quando me lembro de um f^tim r>mi
partidos do vosso engenho : do resto, do que vos no, em que se beban ------ .
fr'superfino, disponde delle por aforamentos. perulas d's>"" *" -
Minias familias de mediocre, e pequea fortuna quc por "-'on^quencia se devia bnn-
vi vem as cidades, no meio de privacoes, e da ca-! dar com este elixir, lameolo que a soeledade actual
restia porque nao podem comprar urna pequea esteja degenerada, porque nao comoreh.'n.L.
propriedade rural era que vivara, e cultivem al- -=---------
guns gneros para seus gastos. Se as convidardes
para vossos,engenhos, e Ihe aforares lalhoes de ter-
reno, ellas cederiam ao vosso convite ; vos veris
blime prazer que deve produr o escorrewr
ve pela garganta de meio milhe de reales.
o a>
>ua-
L'ra brinde pode mudar a face de
rio.
ura impe-
rosiilio i ,ii, r- -------------- fuD .. ^ f iiinuiwu, um uctc sur jui im:iuimiii;> ;
resiaia a mulher K... Esta eotalS... foram Ie que- hnalmente, quera nasceu para sapateiro,
interrogados, mas nao se tendo d'este interrgalo- nao.deve asP""ar as honras de tocador de ra-
Que lim tendes em vista, e que Ihe vendis em
ue iLoimnra em data de 21 do passado dirige- compensacao do que Ihe compraos : assira, como
nos o 5r. Antonio da Silva Ramos o seguinte es- pode um paiz ailingir ao que poderla, e deveria
crlP10 ser? De que serve o dizer-se oue um naz inde-
aos meus PATRicioa sbrhobks de engenho. pendente s pelo faci de se renr BOr leis sua" e re"s de en^'hTm. Z S VM "". U' i Sen"
Mais urna vez vou abusar de vossas paciencias,: ter urna eonsmieao liberal se elle nf.o o-Je^'-lo ses si?i,i ^T>LT\ p^ dos e cmlx"c',i^
eeaimea.MorireaUradoa.arJL Nao aeajada deooS! Rea oes commerds el ESS!^~BJLEIZ^I*
oinem a sua redaccao ; Dao critique, do lodo tre os diversos paizes, cousa necesaria loco que
mau de sua lioguagem : nao minha proissao as conveniencias sejam eguaes : deixa de ser .020
cultivar as letras, (ou melhor dizendo) cultivar- que nao baja essa paridade. '
me as letras; minha vida a muito tempo, : Nos temos um espelho alii bem perto e no qual
semear trigo, e cebollas, porque o que aqu se nos diviainos mirar MnatentiunMia _'q mQ-n->
cultiva; se for para Inglaterra, cultivarei bata- d
tas; se para ahi regressar, cultivarei caf, e man- tretan
dioca.
Deveis portanto ficar sabendo, que meu genio
naturalmente agricultor, qnr aqu, qur alli,
qur acola ; e entendo que fago bem j porque en-
tendo, que quem nasceu com vocacao para doutor,
nao deve contrafazer-se a ser general; que quem
nasceu para medico, nio deve ser jurisconsulto ;
rras povoadas deaeataaolfdk n^^i^^TT^^"P naqaelle fcpo ,-
res annualmenle sem trablho urna somma equi- flt Uo eutoa ^eragen,. se p.,de coaherer
vleme a muitos piea de assucar cultivados com preu P"rque entao esuva o vinho.
tanta despeza de vossa algibeira. O faci de dares I A importaocia e transcendencia de ura briad.-
de aforamento o vosso terreno, nao faz com que nao se pode apreciar
Ihe perenes o direito ; o doraioio directo sempre
vosso, e leudes direilo de o rehaveres, logo que o
foro deixe de ser pago.
Felto isso, creio que a agricultura m Brasil me-
morar, pois sondo eu possuidor do um terreno,
de crer que o fabrique melhor, do que o faria so
fosse apenas um rendeiro, sempre sugeito a vossos
caprichos e exigencias, o sem poder fazer estima
nem na casa, nem na fzenda, porgue diria se L-se no Echo do Pacifico
hoje estoo aqu, amanhaa posso deixar de estar, e H,-m *j lU -
assim nao me cenvem empregar meu dinheiro em | aomem zt aB siembro, a cidade de S. Fraaaat-
beneficiar o que de outrem. Queris que eu falle |co senl|u-se dolorosamente impressionada. quaodo
com a franqueza que caraclensa minha humilde recebeu a noticia de que o va or Wasck. <^.. i
peaaoa I Ovl-me : meu pae um dos senho-1 d ,acramen.o, tinha solfrido urna expk^Tln
mar, e quo um granle numero de pessoas havu
Quamas revolucoes teera sorgido do fuod, Je
um copo, entre quatro palavras proferidas ao foi
de um banquele ?
elledeixadas eram de subido valor, e a seus her- Perecido oesia causirophe.
deiros nao cabia um engenho a cada um, foi neces- *No Ju de selembro sahiu o Wasckoe, is i mo-
sanoveuder-.se para parlilhar. Fiquei. portanto,; ras da larde, ronduzmdo 175 a Un) Dassa^-ir
sem engenho e sem Ierras, e por is o, pretos, i entre os quaes se achavam mimas senL-v!
bOIS. P. r:lV.-| lllH Ir.i...........r ,1.1,1,.., r, .,,.i-,,->
tono concluindo cousa alguma que causasse sus-
penas, K...ficeu em Iiberdade, assim como seu
marido S...
As cousas
alimento em cada 2 horas; as fomes medias, que
appareciam trez ou quatro vezes purmez.sendo-lhe
nostas cccasies sufciente comer 10 kilos de "^e carne bumana.
pao, e a grande fome, que poucas vezes apparc-
A minha vocacao mandou-me estadar o modo
de tornar frtil, um terreno estril; de fazer mul-
; tiplicar as sementes quanto mais melhor; assim a
conservaram-se n'eMe estado ai i' VU comPrmdo' e Peco a tt que me conceda
e novembro. em que um ,a, Matheus' B^ na LSa^TS^SaSS ^V^Z^e
occasia em que atravessava o bosquo de Fouron- ,e"ho em vista, que ver se o Brasil rheg a oc-
'iint-Martin, viu, no ramo d'uma arvore pedaco upar um illgar rte Pri,ne,ra ordem entre as gran-
' -1 des nanees do globo, e se o vejo livre por urna
! vez de cataclismos to medonhos, como o de que
pane super.o do rorpo eslava pendurda na est sendo victima na actualidade com as innume-
cia. ULsla fo. atacada n um sabbado de allelua, < arvore por meio d'am lenco aperlado com um ar- ras ^"encas ltimamente havidas na praca do
quando petsava em jejwr. Eutao devorou em!rocno de mandeira, egual aos que usam os ho ?10' e Provavelm,>nte as demais do imperio.
i'i horas 13 a IG kilos de alimento. mons do campo para atar a lenha a nnlini. B.on.\nalr!eios ^reiam por urna vez que o Brasil,
formada d'esude-^har.o h P iS e Brasi1 Para as "*&* da Europa; creiam
lormaua a esta de^berta, dlrigia-se ao ponto la- que o fructo de vossas fad.gas, e ecconom.as, s
meado, e viu o estado miseravel em que estava o servem de enriquecer os alheios, que a troco, e
cadver.
gressei para Portugal, onde minha fortuna me con-
cede que passe urna vida tranquilla e rodeada de
cornmodidades. Mesmo aqu, fug da cidade, e
arrendando urna boa quinta, nella (digo com Te-
rencio) rari ? Eu esoero nao lindar meus dias neste velho. mas
lilhos lenham
mercio>:
rios
foi a agncullu'ra. Nos, pelo contrario; come-
gamos a negociar sem gneros para vender.
Aliaixo tantos ctabelecimentos de compras e
vendas; abaixo o numero de vendedores que j
excede o de compradores, e verieis como em bre-
ve se mudara a face escura com que o Brasil se
L^rlf' Pr am ."tra risonhaerlara' comoI boodM Portugal; logo que r
Oeeaa*h?!L f "!numeros riachos ; completado a educagao a que os quero dedicar, i Sacramento.
!S! ,!S ?" dmheir0 em fa/1ni,aS para ahi reB>-essarei; para as margeos desse meu
afore .?~ T, ^der "V* ^en^ 0U sauduso **N e ento, de perto, e de viva
iamais veris ^J!"8"6 seu^bra^os- Sem .sso, voz, vos farei ver a brea das verdades que acabo
ZXrJ2^*t2!J!lPwPm f,mH,a?' d prever. Entretanto vo tratando L melh..r
o rolineiro systema de agricultura que herdastes
de vossos bisavs, que com isso conseguirs maior
receita, e muito menor despeza. Este o desejo
do vosso patricio dedicado
Antonio da Silva Ramos.
Nos ullimos annos, Denise enlregou-se s bebi-
das alcoolicas, das quaes, em pouco lempo fazla
iminodcrado uso. De duas horas em duas horas
O rosto tinha desapparecido da cabeca,com a capa de nePocianles fazem distrahir vossas
.am os cabelfos e os ossos. As pernas, cora-! ^CtaSSZSS*S^S^SS^A
'descarnadas. encnnirar->m_ca ,i.. i.- r v
tendendo que os lquidos a sustentavam maii que j Plolarnenle descarnadas, encontraram-se na distan- osa's.
ca de mais cinco metros do corpo. Um dos ps i Estudem bem o vosso sollo; analizem bem vos-
ainda com meiae umsapato velho achou-se tam'i S? Cll,na e,xPlor',m bem vossos soberbos rios, e
bem arinrnniPipnH,H-c, a"0U se tam" i aura' estradas para os iwnlos mais longinquos,
nem a cinco metros de distanc.a, mas em direegao I que tereis conseguido ludo, concordando depois
opposta ; o outro p nao foi encontrado.
OS slidos. Depois comegou a ter gosto exquisito:
coima figado cru como os gato-, e segundo a sua
afflrmativa agugava muitas vezes os denles indo ao
campo mascar crvas.
Um dia na sua pastagem favorita colheu um
feixe de ervas e de boloes de ouro (lamnenles
oeris) consonando tudo ceia. Sobrevieram-lbe
violentas clicas, que em vo tentou calmar com
vinho e agurdente.
Chamado o doutor Descuret, eocontrou-a affec-
!ala de ictiricia. O Iralamenle que Ihe ordenou
produzio-ihe urna melbora sensivel; mas leudo
Denise bebido u;na garrafa de agurdenle, soc-
cumbio em poucas horas.
D-se porm urna circumstaocia extraordina-
ria ( Na autopsia, a que se procedeu, achou-se
que o estomago tinha pequea dtmensCto. ligado
estava muito volumoso; os demais orgos porm
encontraram-se saos.
Anda outra circunstancia notavel: os ossos
maxilares inferiores cslavam quasi inteiramente
destruidos, a que fcilmente se coinpreheuder-'i
vendo que a masiigaco tinha sido permanente
durante quarcnla e dous annos.
Esta senhora era de eslura mediocre, c de um-
coostitnigo eminentemente sangunea. O seu an-
dar, a sua voz e os seus gestos pareciam mais de
O chefe da polica, acompanhado de seus agen-
tes, denosiiou em Fouron-Saint-Martin, o esqueleto,
que se descobrio, guardando cuidadosamente a'
grvala e outros objectos, que podiam auxiliar a
reegao | que tereis conseguido ludo, concordando depois
comigo que a vida para que Deus vos encami-
nhou, foi para a agricultura.
Como podis vos serdes negociantes? nao vedes
o grande desiquilibrio da batanea? negociar, bracas desden alvorecer^do'dia, atum sejam no-
vender, comprar, ou trocar com vantagens reci-: ras de ir para o servigode seo patro ; desde que
- ---- -----u- *vv *m\, ma.'a.-) i.niii i.i-,
todas maguadas, e tristonhas pelos innmeros gol-
pes que diariamente recebis em vossas fortunas.
Portugal, este canlinho da Europa (geographira-
mente fallando) neste ponto deveria sorvir-BOi; de
exemplo ; visitae-o e veris como aqu vive um
lavradnr ; que dilforenca ha entre um pequeo la-
brador porlnguez e um senhor de engenho rico no
Brasil. Aqui, o lavrador vende tudo e pouco com-
pra : ah, compra tudo e nada vende I aqui, o la-
vrador um hon.iem activo, laborioso e incansavel;
ah, o senhor de engenho nm pacha; o que ple
mandar felorear por um negro, nao o faz pessoal-
meme, por queou inactivo, ou fi*-se em dous ou
tres mil paes de assucar quo espera, nao se lem-
brando que primeiro que elle os espera o corres-
pondente na praga.
Anda aperu mais a minha hvFolhese; um pobre '
nomi-m do campo, um iraba|hador por salario,
aqu em Portugal, vive mais farto em sua casa, ro-
deado dei Hlnos, do que ahi um lavrador que fabri-
ca *00 paes I! e por que' -por que este homem,
com quanto seja lio pobre como Job, lo activo
e amigo de agri.ullar, que irazendo de renda urna
pequea ierra, nella emprega o servico de seus
precas; d'essas tres operagoes, s execulats a se-
gunda '
jusiicas as suas investigares. Ao mesmo tempo ''< Oaa iotresse recebis em lhes venderes alguns
procedeu-se prisao de Hara K.. e de seu mari- melnares de arrobas de caf, assucar, e algodo,
, e de seu mari
do, os quaes foram interrogados separadame
a final collocado era lugar seguro.
.,---------r......., ,.... que
larga o servigo de seu patro al que vae ceiar.
Cm pouco que lucra com a terrinha que fabrica
e com o seu salario, sustenta-se, e familia.
Se tem alguma lilha. a esta compete o apascen-
j se em troca eompraes o mesmo algodo, o algodo I tar algumas ovelhas de cuja la se vestem, tra7.cn-
n'e, e nosso patricio, que ahi nasceu e viveu, por um ; do sempre cinta urna roca, e fuso, em qu-> fian*
prego fabuloso que tem por fin sustentar sua in-! do, accumula os offlcios da pastora cora a de fia-
O Sr. O. pede-nos a publicago da seguinte :
SALDADK.
Partiste, como a estrella matutina,
Que se esconde no cu raiando a aurora.
Ou cuino nivea graga encantadora
Em busca d'alma Coate cryslalina I
Sim, partiste I... Minha alma peregrina
as azas da saudade qn'a devora
Segui-te como a oave'ao longe embora
Segu a estrella gentil de luz divinal..
Ficou-me o corago em desconcert,
Quai as ondas do mar em tempestade
Tenue, frgil bate que vaga Incerto I..
Porm se como o bardo lens saudade,
Se sentes por me ver neste diserto,
Ento, meu aojo, vm, vm por pu-dade.'L
companhia rival, vinha muito pela popa, e so cfc
gou ao lugar do smistrw hora e meu depois de ter
corrido.
Este vapor presin logo soccorro as victimas,
todos os |iassageiros do Watchoe, qae se poderam
apanhar, foram conduzidos pelo Amlehpt gara o
Para maior desgrana, e>to vapor to-
cou em um banco de areia, e s pode ser pwto
nado depois de urna hora de grande irabalhc.
O quadro a bordo apresentava am aspeelo Iwr-
rivel; os cam-rotes, assim como o lorabadilho, es-
lavam janeados de morios e feriaos, lia greale
numero destes ltimos lulava com as agonas. To-
dos os mdicos da cidade do ^acraraeoto tona
chamados para prestar soccorros.
Entre os mais cruelmente mutilados earaatra-
vam-se lres mulheres. duas das quaes, inaa*-
morreram depois de lerem sido iransporudas para
bordo do vapor salvador. Os demais feriaos eraaa
homens, a maior parte dos quaes eslava, ponto av-
ies, no vigor da edade e cheios de saudade ; aeha-
vam-se horrivelmenle queimados, e aaiados u
maior parle do corpo.
Emquamo se empregavam esforgos para desea
calhar o Antlope, organisou-se em ierra ama rora-
m.ssosaniUna.e esUbeleceu-se ara hospital. Ira
prov.saramse camas, e as victimas foram trans-
portadas pelo povo, que espontneamente se uraas-
formou em enfernieiros, praticando ludo qoaaio a
humanidade pode inspirar.
A .Xnalo publica o seguinte :
Um jornal hespanhol esereve o seguinte : A congregaco do Espirito Sanio, que fori
Ninguem pode negar que os sabios sao uteis m^onaros para a Guiena franceza. acaba de ->er
humanidade. hlorisada pelo governo francez de abrir nos arre-
Sem elles, ainda se ignorara o ponto do globo ('ore de Cayenna urna escola agrcola aak moel-
Ajastiee foi depois a Aubel para proceder ao Cusira, pairando Iraballios, e evitando a fome a 'dera. O servico intern de sua casinhola pertenec em que cstiveram as columnas do Hercules adata lo da celebre colonia de 3
isto e ; o nosso algodao sane d'ahi mulher, quo deoois de ter preparado o jamar o | do descobrimento
seu inquerito.
No interrogatorio a senhora K...
como perlenrentes a seu filho. os objectos que Ihe e furtarres
. oncente; vm viajar a Europa.^ volta nalicioso; vai levar ao' serv.go em que amia'o'marido'ode ZUC3,-UU"",CUIU da Polv'ora- a ex.slencia da Da- 9* com os factosas ordens rei.g
reconheceu. com suas rscas verdes; seus qnadros amarellos, junios, e sentados sobre urna relva, ou inora. da- l,icca- e a Honrosa antiguidade da sopa de ma- at>ineulera 0< s<-'us calumniadores.
aaaa
Confessou ter sabido que seu' mes,n*s pintadas com tintas nossas, tambem via- lados em commodas eadeiras : que feliz gente I nao! Se eu fra sabio
iavia consulta i aules: ,P',ssad"s mW8 apresenta-se ah na alfsn- conhecem maiores necessblades. te [iiulo : i ohdo<
"' -uuiu'ia-1 dega todo so' -
ao urna mulher que delta carias, residente em! ber civilisaco
aaaai
foram apresentados.
011 se perder, accroen.andoque havia fimMJfffffSStl
urna mulher qu-
Lge, acerca da desapp
te do cadver, esta me
menor commogo I
Depois desia inteiTOgaci
viers deu ordem para os'dois esposos S... serem
\rxu feridos para a prisao cellular.
E' do Sr. J. de Freitas esta
suas flores de mil especies, e estas ra pedra o saboreara tanto, como nos a.) nosso, sen-i carrao-
como o matulo
s vTa a^LreJa-' de^o em.1^ sou' satis'aSO-me em escrever urna "noli-
poesa
FOLHETIM
VISTE 9IOHA DE I.UIIHl
ROMANCE ORIGINAL.
Pon
CIMILLO CASTELLO BRANGO.
(Continuagiio do n. 287.)
XXV
Passados alguns dias, por volta de nove horas
da noule, recebi a visita do meu Antonio Joa-
quim.
O benigno acaso lionorificara-me, naqnelle tem-
po, com urna posico insociavjl, anloga de Xa-
vier de Maistre, quando viajou roda do seu quar-
to. O sublime philosopho escreven ento o mais
desenfastiado o gracioso livrinho deste mundo.
Bem baja a polica de Turim, que circumscreveu
Os horisonles do autor do leproso as qualro pare-
des de urna cmara, em cujo ambiente as ideas de
ouro ondulavam como a poeira lampejante sob um
raio de sol. A humanidade nao teria aquelle livro
da saudade, do corago e do confort, se a culpa do
escriptor o nao forgasse recluso.
Eu tambem eircumvagava os olhos pelas pare-
des do meu quarto. As miohas alfaias, como otlo-
roanas e poltronas, convfdavam urna prudente
quietago, estranha tentativa de viajar. Qual-
quer destes movis demandava a immobilidade
para conservar apparencias de adorno. Se os met-
tesse a caminho, egualar-me hia a de Maistre na
queda, sera sor preciso dislrahir-me.
As cortinas do meu quarto nao eram as inspira-
tivas cassas branca e rosa do gentil narrador :
eram transparentes opacos de fabrica nacional'
que d^sfigHravaro a luz em escureza de carcere.
Os quadros irapendeotes de quatro pregos e-
rara o retrat de qualro pessoas infelizes ;
urna muiher sentada no cairel de um abys-
reo, sondando-ihe a profundeza para despenbar-
se. O segundo era aous noivos de oito mezes fe.
preciso a um homem de sua classe;
sua
ramos
ui-
as
rgo.
-mpanheiro de gem urna porgo de pao Brasil, Jat^^StS* nfc'asa de S
com elle me masca.aram, e agora, para castigo de lavrador qnal.ueV de engenho
vossa incuria, e falta de patr.oi.smo, aqui estou,, Podi-lheam coo d'agoa urna toalba urna ca
e senao qu.zerem andar volidos, qual um Ado deira, oa mesmo'Snbanco ordiS, e resta
escreveria um volume com es- Peloullimo correio chegado do Japo *> sabe
phtbsopliia dos brindes. Mas co.no o em Franga, que o estrello de Simonosaki havia *>
pircado por
para o esirangeiro vendido por 5; foi meu
dos brindes perde-se na noule dos
ca.
A origem
lempos.
A sua antiguidade deve ser remotissima, com-
quanto se suppunha que nao ser tanto como a do
vinho.
Em todo o caso devenios suspeitar quo o pri-
meiro brinde devo ter sido pronunciado por um
discpulo de Bacco Porque, aliual de conlas, quan-
chados na sepultura antes de verem florir
.......-r-M ouw ue verem uonr a ur v r.
meira primavera d.baixo do cu, em que elles se ST?T ^ *"\ ^ *?
inh-.maiiriMH cha, e alimpou as ultima agrimas, av s
Iz d m m- e? T1 Ca""nharCm' ,0n*a Wda'a *"*. e l'ed'-Ihe quo me disse^se alguma ,
luz da mesma estrella. O terce.ro quadro era um seu finado ami.ro
te Francisco Eiisiario, assim que elle apagara a to-, __ Ah !
inhei-me! herde
artista, vencido na luta com a miseria, dando o
seu nico bocado de alimento a um cao, o s ami-
go seu e ceno para a hora suprema de agona, fi- de cent'e
gurada no ultimo quadro. Com estes incentivos
chora-se ; mas nao se viaja.
cousa do
seu finado amigo.
Francisco Eiisiario respondeu :
Tomara o senhor o que elle deixou a r
Estas pessoas que vo agora dar ao
ro os sentimentos nao fazara caso delle ?
Podara I t'm troca-tintas I
As tintas que elle agora trocou perfeita-
mente. Era preto e fez-se louro.
Nao percebo o que diz o senhor, observou
meu primo.
- Eu nao pergunto quanlo elle delxou : quera, D.sse eo que o sobrinho do defunto Fernan-
Fira ri i h saber quem era. ues qUe Deus naa
o raeu amilTn^ ar de bondade, que tolera per- Amen, atalhou E.isiano revirando um o.ho
guns dias e noutes. Esta.-a preso, com o meu
quarto por homenagem de duas semanas.
rareceu-me mais que muito contristado Antonio
Joaquim. Reparando no ar desacostumado da sua
tristeza, disse-lhe :
O Porto faz-te mal, mea amigo. Tira-le
d'aqui, se nao tens urgencia de estar. Presumo
que le nauseiam ulceras, qea la phatologia so-
cial desconheca. Vae para a tua ldeia, Antonio.
Dssgragas, reduz-le a conhece-las pelos romances,
que apenas te desbaratam o tempo. Que tens t 7
o espectculo do teu amigo da mocidade louco e
encodeado da lama das ras em que dorme T
E' ludo.
Donde vens f Ede casaca 1
Do cemiterio. Assisti bonlem a um enterro,
e hoje a outro.
Hoje sei eu que era Antonio Coelho Loasada
o sepultado. E hornera 7
Era Joj- Francisco Fernandes.
Nao conheel.
era eu ; fui sera convite encostar-me no
escuro da capel la do cemiterio do Prado, porque
vi lileiras de carruagem marchando funeralmente
para all. Deviam de ser Irezentas as pessoas, que
alumi.tvam o tranziio do caixe um pomposo ja-
zigo.
Perguntei quem tinha sido nesle engao do
mundo aquelle defunto, que lo chorado de ami-
guntas parvoas, e disse
Era o Jos Francisco Fernandes.
Homem de bem ? nonrado ? bemfeitor da
humanidade ?
Acho que era honrado, de boas contas, e nao
me consta que fizesse mal a ninguem.
E bem ?
la. E eu ajuntei:
Como ficou herdeiro do lio herdou Ihe tam.
i bem os trezentos amigos que aqui vo I.. O mun!
do feio, primo Francisco I
Ora s primo Antonio! Isto de morrer a
I gente, quando principia agotar a fortuna que fez,
s-n ni hmm t ... 'cusla a ,ragar' Eu, cada vez que vou a um en-
- Eu se. ca homem l-Toraoa o mando de torro, fleo a ensatar loda a noule, e accordo acha-
minha prima Se fez bem, l o achara no outro cado.
mundo; e, seno, l se avenha. mi0 0 mardo de Adrjanna e>prrou edj?se .
ram apenar pesarosamente a mo do nosso par-
t ticular amigo Antonio Eleuterio Bernab Fernan-
des, sobrinho, e d.gnissimo herdeiro do defunto.
Esperamos, e todos esperara, que o Sr. Bernab
Ihe succeda tambem as virtudes. Morrea om
homem de bem, e deixou oulro no seu lugar,
t Rquiem eternum doneeis,domine,et lux perpetua
i luciat eis.
O autor da noticia, como v--, pede, em latn*, a
Deus que d descango eterno ao defunto e ao her-
deiro. E eu pego tambem a Deus, em portuguez,
quo d o eterno descango a todos. Agora fallar-te-
hei do enterro de hoje.
drzeseis navios de guerra, o>po,s *.
tres das de combate.
As tropas francezas commandadas p>|0 almirin
toJaurs haviam-se apoderad) de O peras de
bronze, do calibre 2i e .10.
Asperdasdos Fraaauui foram peqii.n.i-.. ..
Japoneses, iNarriaaa, haviam p.dido perdao.
Assignou se urna convenci, pela qoalos J.ip.,
nezes reconhecem a liberdad.' de passagem p.do
estrello de Simonosaki.
Mas o primo Elisiario parece que estava
limpando as lagrimas...
Acho que me constipei I Piz boa asneira em
c vir com este fro I Deixasse-me eu estar em ca-
sa-----E' a ultima vez que talonela. Quando
-Podera nao !-acnd.u elle, expriraindo-se eu morrer, que nao va ninguem ao meu en-
com pausas lgubresSe Ihe parece I estar a gfli. trro I
eeracomoPn?n Th l ST". T' ^ '" '"UDd0 lrSl' C0Illlnuei eu a diz<* a *
Ah I en o nrZ n-'r S aqU"! CDSCL'Ca' e de absIraid0 "ue 'a- Perd-me de
am.go;hchoraJpo0rsr0 "" ^^ Pe'SCU Francisco Elisiario, e fui revelar a'minha mu-
, Iher e minha mae a tristeza que mo confrangia a
Nao qae isto do morrer am negocio serio, alma.
meo raro Antonio. j Aqui tra(ro um jorna| de hoje em que fm nQtJ.
Negocio que eu nao acho qne seja, a nao ciado o enterro do amigo dos trezentos cavalheiros
ser para os herdeiros do Sr. Fernandes. Com de hontem a noule:
que entao, dizme o senhor qae loda esta gente,! Necrologa. -Derara-se hontem a trra os res-
que ahi wm. acaba de preslar o derradeiro acto u,s 'ortaes do Sr. Jos Francisco Fernandes, c
de acatamento a um cadver que era honlem ca-
pitalista...
E d'aqui vamos dar os psames a um sobri-
nho qne pilhon a heranga. Quem havia de esperar
que o tal sujeitorio havia de bardar !
dado probo, e estimado geralmente. Homens
assim, quando vo deste mundo, deixam na ler-
Eu tinha lido do portuense Antonio Coelho Loa-
sada uns graciosos romancinhos na Veni'isula e no
Commereio do Porto.
Li revistas semanaes to chistosas como delica-
das no Nacional.
Liara magnifio estudo do secut XVI, n'um
romance intitulado A ra escura.
Li outro romance denominado tX& consciencia,
que me disseram ser a resposta a outro que t ha-
vas publicado com o titulo : Onde est a felici-
dade?
Li outro romance incompleto, chamado 'Vs Tri.
peiros, que era a gloriosa legenda qne to subli-
memente explica o epytheto, que alguns palermas
cuidara soar indecorosamente para os netos ds va-
lente raga de porluenses, dovotados as conqulslas
d'lrii-mar. Tudo lera e muito d'alma meaffeigoei
ao escriptor, que sobredourava os dotes d'alio es-
pirito com a virtude da independencia oobre, e da
honra u'uina quasi pobreza.
Como hontem li a noticia da morte de Louzada
fui hoje ao cemiterio para Ihe contemplar a fronte
onde se apagou a lampada, cuja flainma elle entre
leve com o oleo do suas lagrimas, talvez! Fui e vi
gos se ia pela etern.dade dentro, e por uraa por.a | valdevinos^^'a^aVahi "de* J,
de tao bello marmore. Disseram-me oue era o Sr ivwa o innata a k. u .
Como no prestit conheci o meu honrada paren- Ninguem fazia caso delle.
raum lugar vasio, e cinceras lagrimas da huma- a vontade, porque em redor do seu i
u.dade. Bem se v.u quao grande era o numero poucos es contempladores. E elle, por entre as nal
. dos seus amigos pela concorrencia volta do seu petaras meio fechadas, pareca conta-lo*
cadver. O corpa do benemrito cidado fui en-
do mandara erigir. Cumprido o trisle dever, os
amigos do chorado Jos Francisco Fernandes, fo-
i, e coar ts
crazas do corago o bafejo vivificante das almas que
Ihe davam a sua saudade n'om suspiro, n'um como
solugo trmulo. Ali sim : verdadeiros amigos es-
tavam ali a beira daquelle esquife pobre, alirado
ao vallo cominum, perdido para sempre entre a
ossadas dos pobres. Eu lemhrei-me eoii> ph- *e-
ria um grandioso pensamento o daquell* qua ai.-
rasse sobre a sepultura rasa de Antonio CeMo
Louzada ura dos seus livros e di?sesse: Mu m nm
cpitaphio!
Sahi do cemiterio. Os manceb.-iodos o erata
-que sahiram comigo, vinham tviturooae rew.
Ihidos. Alguns pararam a porta da casad'^ale'
saiura o mono e entraram; ouiros pcrp*s,avam
dueudo:
E' ao Porto que nos damos os psames ;,r
perdido uraa das suas intelligencias. e de toda- 4
mais esperangosa era livros gloriosos para a soa
trra querida.!
Entre! n'um botequim, e apropriei-me desse jor-
nal, com o proposit de le mostrar a noticia do eq-
terro do Louzada, a qual te p*co qoo eoofr.mi^
com a do argentarlo, que se Ihe anticipan vate
quatro horas na prrsenga de Deas.
Aqui esta. Eu leio :
t bito.Hontem morrea o Sr. Antonio CoHho
Louzada, que escrevea algumas obras de mere-
cimento. Fo. arrebalado no vigor ,|,M aaaaa.
Lamentamos a perda do escriptor, que era bem-
quisto de lodos queo conheciam. c deven pou-1 a
< fortuna.
Bem se v que osla local s poda ser esenpu a
respeito de um raorlo, que deven poaco a (ortiaa
Quaodo morre alguem, que Ihe deve mait. as peal
as fnebres, molhadas em esencia de bajraaaa,
encarregara-se de saldar as eeaaai rom a .redora
fortuna, na.- pessoas dos herdeiros do defoat, ijue
ficara sendo os sacerdotes da deusa propina.
Pensei n'isie, o vim caminho do teu qort,>. p,,r
rae parecer que eras ramio air^igoal<> ao L.uzaoa!
L mesmo, imaginei que a tua sauda.l* .a abracar-
se ao cadver do amigo e que entre a* gotu* a
orvalho, que ao romper da manhaa Ihe bao de km.
medecer a Ierra, ama dellas ser a lagrima aja te
vejo na face,
(Contrnuar-sf-km.)
PERNAMBUCO.TYP. DE M. F. DE F. y
!
/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED4835FDM_FL6M07 INGEST_TIME 2013-08-28T00:12:57Z PACKAGE AA00011611_10545
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES