Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10539


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i


\
AMO ILJIERO 283,
Por tres Mezes adiantados ft$O00
Per tres mezes vencidos 6$UUt)
Perte ao correio por tres mezes. 4750
DIARIO
. /*
SABBADO 10 DE DEZEMSRO DE 1864.
Per atno adianU.de. .... 19MOO
Perte ao correio por hh une. SgOO
C.i ABJRBwADOS DA aUBSCRirCA NO NOR'IE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. AutouioMarques da Silva; Aracaty,0
Sr. A. de Lemos Braga; Gear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Baha, o
rr. Jos Mar ti ns Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins Gasparino. |
PARTIDA D03 ElAFKf AS.
Olinda, Cabo a Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Garuar,
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat,Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, RioFormoso,Tamandar, Una,Barrei-
ros,Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao >/> dia.
EPHEMERIDES DO HEZ DE DEZEMBRO.
6 Qiarto cresc. as 5 h., II m. e56 s. da m.
13 Loa cheia as 4 h., 52 m. e 26 s. da m.
21 Quarto ming. as 2 h., 42 m. e 58 s. da m.
28 La nova as 7 h., 1 m. e 44 s. da m.
PRBAMAR DE HOJK.
Primeira as 1 horas 18 minutos da tarde.
Segunda as 1 horas 42 minutos da manhaa.
PaRIDa DO$VAJrORto COSTKIROj.
Para o sal at Alroas a S e 25; pira o norte at
a Granja 7 e 22 d#cada mer; para Fernando nos
dias 14 dos mezes deiSKi. marc., maio. rol. sel. nov.
PART** DOS MNIBUS.
Para o Recife: da Apipucos s 6 tyt, 7, 7 yb 8 e
8 Vi da m.; de Olinda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 Vi dam.; do Caxang e Varzea as 7
da m.; de Bemfica#s 8 da m.
Do Recife: para oftpipncos s 3 Vi 4,4 i/t, 4/,,
5, 5 V<, 8 V e 6 tarde; para* Olinda s 7 da
manhaa e 4 >/i dliarde: para Jaboatao s 4 da
tarde; paro Cachang e Varzea s 41/ da tarde;
para Bemlca s 4 4a Urde.
ADIKNCa DOS TRJBNABS DA CAPI7AL
fribunal docommercio: segundas a quintas.
Itelacao: tercas e sabbaddr s 10 horas.
Fasenda: quintas s 10 horas.
Joizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito da orpnaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tarcas sextas ao maio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
4 tarde -.,
DIAS DA SEMANA,
5. Segunda. S. Pedro Chrysologo b.
6. Terca. S. Nicolao b.; s". Leoncia m.
7. Quarta. S. Ambro.-io b. dr. da egreja.
8. Quinta, egj A Immaculada Conceicao de Mara.
9. Sexta. S. Leocadia v. m.; S. Gorgooia v.
10. Sabbado. S. Melchiades p. m.;S. Camello m.
11. Domingo. S. Dmaso p. m.; S. Francisco c.
ASSIGNA-SB
no Recife, em a livraria da praca da Independen.
en ns. 8*8, dos propriettrio* Manoel Figueiro
de Faria Pilho. :---------
v
PARTE QFF1C1AL
fiOYEIKO DA PROVINCIA.
Continuarlo do expediente do dia 5 de dezemliro
de 4864.
ORkio ao chefe interino da repartieao das obras
publicas. loteirado de quanto expoz o seu ante-
cessor em offieio de 30 de novembro ultimo, ao
qnal vieram annexas as pravas do concurso, que
se proceden no dia 28 daquelle mes, para preen-
ebiraenlo das vagas existentes nessa repartido, te-
Bnho a dizer em resposta, que por ora o estou
disposto a nomear a qualquer dos oppesitores ao
lugar vago de conductor.
Quanto, porm, aos de practicantes, mande Vmc.
p-los novamente concurso, marcando um praso
dnplo ao do primeiro.
mencionados em a nota por copia inclusa.Com-
municou-se ao Exm. presidente d'aquella pro-
vincia.
Dito ao presidente da cmara manicipal de Ta-
caran!Constando a esta presidencia que Vmc.
encarregou a um individuo de vender particular e
cora e alliciente de um estylo brilhante e seductor,
com affectado ioteresse pela humanidade, incul-
cando aqu e all duvidas, que o nomem do povo
nao est em estado de resolver : lisongeando o es-
pirito e o curazao humano com a Ilimitada liber-
dade de pensar, e com mximas de urna moral fa-
refinadamente o desimo de miuncas da freguezia cil e commoda, pois que nao exige outra crenca se
de Fazenda Grande, convm que me informe cir- nao a que dicta a razo, nem outra moral seno a
cumstanciadamente o que ha a semelhanle res- inspirada pelo puro sentlmeoto da natureza; vai
peito. I sorrateira e insidiosamente corrompendo a inno-
Dito a cmara municipal da cidade da Victo- cenca, seduzindo os coracSes sinceros, illudindo a
ra.Informe a cmara municipal da cidade da mocidade inexperta, vai conseguirlo desestimar
Victoria qual o motivo porque ne assignaram o a crenca catholica, insinuar a indifferenca religio-
termo de arrematacao do imposto de tOO rs. sobre sa e sufocar nos coracoes todos os sentimentos de
cargas de bacalho, carne e peixes seceos os mes-, virtude.
Ootroslm, dos concurrentes, que merecern ap- poico esta cidade desta capital e sendo tao fre-
provacao paja escreventes, pode o primeiro Joao
Joaquim de iqaeira Varejo cootinuar a prestar
os seus servicos nessa repartido, visto que j tem
servido interinamente com ido, cerno Vmc. afflr-
ma, e tamben os outros dotfs approvados podeto
ser aproveitads, se os seus servicos forem abso-
lutamente necessanos e Vmc. os requisitar.
-r- 6 -
offlcio ao Exm. premenje da provincia do Para.
Recebi o offieio de V. Exe. datado de 14 de no-
vembro ultimo, e agradecendo o enidado que teve
V. hxc. de enviar a su presidenci a relacio de
espolio do fallecido escreventedo vapor de guerra
JJebortbe Francisco Martins Ruarte, rogo-lhe que se
digne mandar enviar para aqu os objectos men-
cionados em dita relaco afim de serem entregues
a Antonia Lucinda dos Prazeres mai do mesmo fal-
lecido.
Dito ao Exm. Visconde da Boa-Vista comman-
dante superior da guarda nacional do Recife.Com
este offieio ser entregue a V. Exc. armamento
corrame que existiam em poder do guarda do
2.' batalho de infantaria deste municipio Manoel
Galdino do Nascimento.
Dito ao Exm conselheiro presidente da relacao.
Transmiti a V. Exc. para seu conkecimento co-
pia do aviso circular expedido pelo ministerio da
justica em 16 do raez Ando, reeommendando a In-
teira e liel execucao das disposicoes comidas na
circular n. 70 a aviso n. 74 de 7 e 8 de fevereiro
de 1856, que vedam as consultas a respeito dos ca-
sos oceurrentes.Igual ao desembargador presi-
dente do tribunal do commercio e ur. chefe de po-
lica.
Dito ao coronel commandante das armas.Rogo
a V. S. se digne infonnar-me se da secretaria do
commando das armas consta ser Antonio Quirino
dos Santos, praca do 10a batalho como declara sua
muiher Alexandriaa Mana do Espirito -auto.
Dito ao mesmo. Remeti por copia a V. S. para
seu conheci ment o aviso da repartico da guerra
de 1 > de novembro ultimo, determinando que ne
arsenal de'guerra se ponha era execucao o regu-
mos vereadores que firmaram o offlclode 11 de
novembro ultimo, que veio annexo o citado ter-
mo, notando-se mais que sendo feita n'aquella data
a referida arrematacao, smenle hoje chegou a se-
cretaria do governo o predito offieio, deslindo tao
quentes as commumeacoes d'ahi para aqui.
Dte ao vigario da freguezia do Poco da Pa-
ne lia. Gumpre que Vmc. remetta-me cora a pos-
sivel brevidade, como se exigi em circular de 24
de agosto ultimo, o mappa dos bitos havidos nessa
freguezia durante o anao passado.Iguaes aos vi-
garios das freguezias de S. Pedro Martyr de Olin-
da, Varzea, Jaboatao, Tracunhaera, Itamb, Ma-
ranguape, Santo Antao, Escada, Una, Agua Preta,
Quipap, Garanhuns, Papacaca, Cimbres, Alaga
de Baixo, Ingazeira, Santa Mara da Boa Vista,
>enhor Bom Jess da Igreja Nova e i.'abrob.
Dito ao delegado do Brejo. Em resposta ao of-
fieio em que Vmc. coramunicou ter feito destacar
em 17 de novembro prximo lindo, 12 pracas da
guarda nacional, e pede providencias, aOm de que
para ahi v um destacamento, trono a dizer-lhe
que nenhuraa providencia ba a dar per ter parte
da forca de 1.' linha marchado para o sul, e a que
resta tem de seguir o mesmo destino : e que as
12 pracas da guarda nacional chamadas a ser vico,
em virtude de reqnisico dessa delegacia, deven
nelle eontinuar, nao como destacadas, mais nos
termos do art. 86 da lei n. 602 de 19 de setembro
de 1850 e da" circular desta presidencia de 5 do
raez lindo.
Portara.O vicepresidente da provincia atten-
dendo ao que requereu a sociedade dos Artistas
Mechanicos e Liberaes instituida nesta cidade e em
vista do que dispoe o 5' do art. 29 do decreto
n. 2.711 de 19 de dezembro de 1860; resolve no-
mear para o lugar de director da mesma sociedade
a Rufino da Costa Pinto.
Dita. O Sr. gerente da companhia Pernambuca-
na mande dar transporte at o Rio-Grande do Nor-
te, no vapor que tem de seguir para ali no dia 22
do correte, em lugar de r destinado a passageiro
de estado, Jos Ignacio Fernande.- Barros.
Dita. O Sr. gerente da companhia Peroambuca-
na de navegacao costeira faca transportar para
Macei, por conta do ministerio da guerra no pri-
meiro vapor que seguir para a llana do sul, 10
caixoes com artigos de fardanento e 2 com med-
lamento especial das enfermaras a contar do 1* de camentos e outros objectos, todo destinado ao cor-
janeiro prximo futuro em diante em todas as suas po de guarnicao.Ofciou-se ao Exm. presidente
disposiebes que forem compativeis com a natureza | das Alagoas para que sejam transportados daquella
da enfermara dos menores all estabelecida, bem
como que nos futuros contratos para fornecimento
de gneros ao hospital militar se estipulen) multas
paraos casos de contraveneno e mais acondicao mul-
to expressa de se poderem regetar os gneros que
nao forem de primeira qualidade, sendo substitui-
cidade par a do Penedo nao s os preditos caixoes
mais tambera as pracas que as acmpanham.
Con tima tao do expediente do secretario do governo
do dia 5 de dezembro.
Offieio ao coronel commaadaote das armas.De
dos por outros comprados a cusa do fornecedor ordem do Exm_ g vice-pres.dente da provincia,
^TXZ^'r^^X1^,***,. ceramanico a V. S. que nesta data autorisou-se o
D to ao mesmo.- Constando-me de aviso da re direclor do arsena, ^ saliSfazer o pedido
part.cao da guerra de 2. de novembro ultimo, que do e0mmandan.e da companhia de cavallaria a
se expedie ordem a presidenta da nrovincia de a|iada offlcio d v g b 2 ,M
Sergipe para ser abonado a familia do capitao do
7 batalho de infantaria Joaquim Martins Fontes,
sold da patente deste, a contar do 1* daquelle
E (o que nao menos dignos de lastima), na
execucao de seu plano de subversao religiosa e so-
cial, ja nao procura as precaucoes d'outr'ora;' boje
osteota-se por toda a parte altiva e orgulhosa, ar-
resta os anathemas da igreja e o zlo dos pastores,
aoroveitando-se da tolerancia dos governos que,
entretidos em promover a prospendade material
dos seus astados, e esquecendo que um dos tins da
incredulidad* enfraquecer o principio de autori-
dad, que a perverso das crenc>is produz a per-
verso dos costumes, porque o homem obra sem-
pre de conformidad* com o que er ; que quera
despreza as leis de Dens nao pode respeitar as dos
boraens; consenlem que ella v minando es fun-
damentos da roligio e da sociedade.
Isso nao urna flecao, urna triste realidade,
que a historia contempornea nos atiesta, que to-
dos nos vemos e sentimos no meio de nos. Quem
pode duvidar que a impiedade nos ba infecciona-
ao com o seu contagio pestilencial ? Quem pode
duvidar que quasi todas as fontes de instruegao se
acham, por assim o dizer envenenadas ? que os li-
vros impos vendem-se livremente, e andara pelas
roaos de todos I que exista no paiz urna propagan-
da protestante que se nao tem feito um s prosli-
to para nenhuraa das innmeras e ridiculas seitas,
em que se divide o protestantismo, tem talvez feito
rauilos descremes e libertinos T que a soeiedade
bellica dislribue imponemente pela populaco in-
cauta biblias falsificadas f que a indifferenca reli-
giosa, a deserenca a despreso da religio e dos
seus ministros, a libertinagera, a eorrupco dos
coslumos vai tomando um carcter assusiaaor, que
nos faria receiar ficarmos sem f, sem religio, sem
igreja, se o proprio Deus nao nos bouvesse promet-
lido que contra ella nunca prevaleceran! as poten-
cias infernaes.
Alentado por essa promessa feita por Aqubllb,
para quem o futuro com o passado i nm instante
sampre presente, simultaneo, a indivisivel: que
tem em sua mo os deslinos da bumanidade, e a
cuja vontade e poder nada resiste: canOado na
proteccao d'AQHBLLB que fiel, que nao falta as
suas proraessas, e que prometteu assistir a sua
igreja at o tlm dos secnlos : confiado na ndole do
nosse povo, na aeco auxiliante da graca, que vsi-
velmeuie se manuesla as repelidas conversoes de
protestantes, que ba quatro mezes se tem dado, e
na reccao catholica que comeca a desenvolver-se
auxiliada por essa pletade de brilhantes e vigoro-
sos talentos que temos o prazer de ver serapre na
vanguarda da lucta; nao duvido do triumpho do
catholicismo entre nos, nao desespero de urna re-
forma as ideas e nos costumes.
Apezar dos progressos da iocredulidade, ha an-
da era o nosso paiz, e especialmente em Pernam-
buco, muito espirito religioso ; umitas almas se
ras da raaaSSadodia 11
igreja de 1%m SenHira
para solemnizar fflsti
lada padroelra do iraperii
nesse dia.
A infantaria ir
gas do estb, e o
(Asslgnale.)J*
(Conforme.)O
raes Vasconctllot,
em frente da
os Militares
rgem Immacu-
de celebrar
nlciaila para dar as descar-
e una salva de 21 tiros.
Jse Gonr.alves Fontes.
, Jos Francisco de Mo-
ante de ordens interino.
mez em diante ; assim o transmuto V. S. para
a expedico das convenientes coramunicacoes.
Ditoao mesmo.Nrva-se V.S. de informar acer-
ca do que pede Vital das Chagas Coelho no inclu-
so requerimento.
Dito ao mesmo. Queira V. S. informar acerca
do que pede o capelio da colonia militar de Pi-
menteiras no incluso offieio.
, Dito ae mesmo. Sirva-se V. S. de informar -
brcado.quepede no incluso requerimento o sol-
dado do 4* batalho de artilharia ap, Francisco
Automo de Almeida.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmillo V. S. para seu conhecunento e exe-
cucao na parte que Ihe tocar, copia do aviso que
em 18 de novembro ultimo me dirigi o Exm. Sr.
ministro da fazenda, reeommendando mu especial-
mente que as concesses tanto de terrenos de
marinha propriamente, taes como dos de alluvio
accrescidos aos de marranas alagados, mangues ou
devolutes encravados as povoagoes e seus arre-
dores, se declare sempre a natureza do terreno
para evitar-se duvidas na execucao dos 29 e 30
da lei de 9 de setembro de 1862, fazendo-se a
mesma declaracao no livro de assentamentos dos
proprios nacionaes.-para o tim indicado no mencio-
nado aviso.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Transmuto a V. S. para d'fim conveniente, o inclu-
so arrolameuto dos escrvos ganhadores, cujas se-
nllores residem na freguezia da Boa-Vista desta
cidade.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Olinda e Iguarassu. Nao pode ter lugar o
pagamento da folha e prets do official e pracas do
9 batalho de infantaria destacados na cidade de
Olinda, como V. S. solicitou em data de 4 desle
m z, em vista do que oppoz o inspector da thesou-
raria de fazenda em offlcio n. 702, junto por co-
pia.
Dito ao commandante superior da guarda naci- >
nal no Brejo. Declaro V. S. para seu conhac-
ment e fins convenientes, que as 1 pracas da
guarda nacional que se acham em servico na vil- i
la do Brejo, em virtude de requesico do respecti-
vo delegado, devem nelle continuar, nao como
destacadas, mas nos termos do art. 86 da le n.
602 de 19 de setembro de 1830, eda circular desta
presidencia de 5 do mez Godo.
Ditao inspector do arsenal de marinha.Cons-
tando-me que se mandou depositar nesse arsenal
at que se Ihe passe carta d: emancipadlo, de
conformidade como decreto n. 3,310, de 24 de se-
tembro ultimo, a africana livre Emilia, que esleve
servindo no recolhirneolo de Nossa Senhora da
Soledadedo Goianna, fago apreseotar a V. S.
para ter igual destino a menor Mara, a
qual havia fleado em dito recolhiroento, e lilha
da referida Emilia. Comrauoicoo-se regente do
recolhi ment de Goianna.
Dito ao direcior das obras militares.Mande da sua intelligencia, quebradas tedas as armas do
V. S. fazer cora urgencia os concertos de que ne- racciocjnio, lancou raao das do sarcasmo e do des-
eessitam as maogedoras das cavallarigas da com- dem; o desesperando de poder aniquillar o catbo-
panhia de cavallaria, como solicitou o comman- lecisno, que, sendo urna concepcao divina, tao
dante das armas era offlcio de 30 de novembro ul- immudavel, como a razo de Deus, e indestructi
Despachos do dia 6 de dezembro de 1861.
Requer intentos.
Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes Drum-
mond.Em 30 de novembro prximo passado foi
contratado o servico da classificacao e do ndice
alphabetico das leis irovinciaes.
Antonio Jos Varel a.Informe o Sr. Dr. chefe
de polica.
Amonio Jos de Castro.Informe o Sr. inspector
da thesouraria provincial, ouvinde o Dr. procura-
dor fiscal.
Antonio Luiz Martins da Rosa.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Costodio, Carvalho 4 CInforme o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Francisco Jos da Paz. -Informe o Sr. inspector
do arsenal de marinha.
Henrque Al ves Mariano.Nao tem lugar a vista
da infornacao.
Irmandade do Santissimo Sacramento da fregue-
zia da Boa-Vista desta cidade.Informe o Sr. tlie-
soureiro das loteras.
Igoez Luza do Espirito-Canto.Informe o Sr.
Dr. chefe de polica, ouvindo o Sr. administrador
da casa de detenco.
Irmandade do Senhor Bom Jess das Dores
erecta na igreja de S. Goncalo desta cidade.In-
Vjrme o -r. thesoureiro das loteras.
Jos Caetano Pires da vi I va.Informe o r. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Joo Landelino Dornella Cmara.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
D. Mara Joanna de Carvalho Paes de Andra-
de.Nao tem lugar em vista da informacao.
Manoel Antonio Freir.Como requer.
Manoel Luiz Colho de Almeida.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Representarlo dos commerciantes nglezes nesta
cidade; Saunders Brothers & C, Johansthon Pater
& C, Bbristophaer -tarr & CInforme o >r. Dr.
chefe de polica, ouvindo ao delegado de polica.
GOVERNO DO BISP.-1DO DE
PERNAMBUCO.
SEDE VACANTE
Dezembro de 1864.
Expediente do dia 6.
Offlcio ao vigario interino de S. Jos.Se em to-
dos os lempos foi necessario a instrueco religiosa
do povo, mullo mais o' hoje, quando o veneno
corrosivo da impiedade circula por todas as veas
do corpo social. Passaram verdade, os lempos
dessas lucias encarnizadas, e gloriosas, as quaes
a igreja sempre combatida com o ferro, com e fogo
e com a sciencia, foi sempre victoriosa; mas ven
cida em lucta franca e leal, a impiedade com a
obstinaco, a-lucia e malicia do anjo maldicto, que
a inspira, eneetou outro combate mais perigosa,
por ser insidioso e desleal Esgotados os arsenaes
EXTERIOR.
-----------------h-------:-------------------
(OKKBHPOfliKVtlAS BO DIA
RIO DH PKRVVTIltl 4 O.
4mbubo.
:> de Mvenere de 1881.
No domingo, 30 ooutubro, s 2 horas da tarde,
foi .finalmeaje assigjiada em Vienna a paz cora a
inamarca. Da pavas da Austria, ella foi assigna-
da pelo conde da Hochberge pelo baro de Bren-
ner, do lado da Prnssia pelos rs. de Westher e
de Balan, 0 do da Dinamarca peles Srs. de Quaade
e Krieger. 'Ao nwfcitardar, dentro era tres sema-,
as, devera ser taadas as ratificacees ; peosa-se
todava que a troO ja ter lugar nos prximos
dias, e que talvez Otmo j se ache realisada nes-
te momento. DepsWda ratificaco espera-se a pu-
blicacao offkial doauado.
Entreuoao, as fberentes disposicoes da paz j
chegaram ao conhattaaento publico pela va confi-
dencial, ea seguiato ade-se considerar como au-
thentieo.
O instrumento do paz corapoe-se de 24 paragra-
phes, com dous protocollos annexos. O instru-
mento principal conyaj primeiramente as dispasi-
ronteira entre os ducados e
as conveoeSes financeiras.
5es acerca da liberdade.de
ios habitantes do Scenle-
e-versa. e mais conven^oes
cao penal de tedas as agita-
ces polticas havidas durante o ultime anno, de
ambos os lados, em referencia Inta reciproca ;
QnalmeBte aestlpulacao, que dentro em tres sema-
nas, depois de cureprida a ratificaco, deve achar-
se realisada a evaeoacao do lutland da parte das
tropas alliadas. O .primeiro dos proloeollos anne-
xos contov as determioacoes detalladas acerca
da evacuaco do InfJaad, e o segundo protocollo
determina que o re Christiano.IX, logo depois da
ratificaco, por meio de orna proclaimco popu-
laco dos ducados, tnr de publicar mesma a sua
cesso as grandes potencias, sentando-a do seu ju-
ramento do fldelidade para com a corda da Dina-
marca.
Quanto ao regulamento da froateira, a Dina-
marca cede juntamente com es ducados do Schle-
swig, Holstein e LaoWiburgo, ao mesmo lempo o
enclave, Mageltondera,, situado" do primeiro duca-
do, assim como sua parte as ilhas de Silt, Folir,
Arnrum e Ruin. Em troco a Dinamarca recebe a
llha de Arroe, at agora schleswigueza, e a linha
da fronteira entre o Schleswig e lutland ser tira-
edes acerca a ful
a Dinamarca, e
Em seguida as
emigraco, conc
swg e do.losean
prohibindo a pers
acto legalmente nullo, como a Dinamarca desde a
morte do re Frederico VII da Dinamarca j nao
livera mais direito algura sobre oHolslein.. Em
Brevedito, era Monch, Sluttgart, Dresde Hannover,'
de nenhuma maneira se acho dispostos a retirar
sem mais nem menos, as tropas federaos de Hols-
tein, como a Prnssia o exige.
A decisao, debaixo dessas circunstancias depen-
der provavelmente da Austria, e all teve lugar,
desde 27 de ontubro, urna mudanca, que excila
Unto os receios de uns, como as esperanzas d'ou-
tros. No dia citado, o conde Rechberg sahiu do
ministerio, eutrando em seu lugar como ministro
dos negocios estaaogeiros, o general conde de
Mensdorff Ponily, at agora governador da Ga-
licia.
As opinioes acerca da tendencia e importancia
desta mudanza ministerial nao se achao anda
completamente estabelecidas Se porm nao en-
gano lodos os indicios, sua tendencia de apar-
tar-so necessariamente da alianga com a Prussia
improvisada pelo conde de Rechberg, e approxi-
mar-so de novo mais aos antigos alliados da Aus-
tria, os estados secundarios da Allemaaha. Simul-
tanearaenta, segundo parece, o fim d'uraa acorao-
dajo com a Franza em negocies da Italia ter da-
do a decisao, e urna soluzo amjgavel da Austria
para com o imperio Occidental permittiria quante
antes a emancipaco da alliaaca cora o rival afle-
mo. Neste sentido, ao menos, a grande maioria
comprehende a mudanza ministerial na Austria, e
cora grande impaciencia espera-se a attitude do
pelo padre mesire Lino. Recebida con agrado,
manda-se archivar.
Um exemplar dos Apontamentos para o Diccio-
nario Histrico e Geographico do Maranho, e urna
breve memoria sobre a introdcelo da vaccina na
mesma provincia, offerecidos pelo respectivo autor
o socio honorario Dr. Cesar Augusto Marques.
Sao recebidos com agrado, e manda-se archivar.
m exemplar do Epitome Histrico de Portugal.
desde a fundazo da monarenia at o presente, of-
ferecido pelo respectivo autor o Sr. David Gon-
Zalves de Azevedo. E' recebido com agrado, e
manda-se archivar.
Um mappa deraoBstralivo das preparazoes exis-
tentes no gabinete de autopsia da faculdade de
medicina da Baha pelo conselheiro Dr. Jonathas
Abotl, lente de anatoma descriptiva da mesma Fa-
culdade. Recebido com agrado, manda-se ar-
chivar.
Tirado de tomar assento o Sr. lente coronel
Justino Pereira de Faria, o Exm. presidente oomea
para a commissao de recepeo os Srs. Dr. Soares
Brandio e padre mestre Lrao.os quaes ntroduzem
no recinto ao mesmo Sr. Pereira de Faria, que em
urna al locuzo agradece a honra de sua admisso
ao Instituto, era cujo norae responde-lhe o Sr.
Nascimenio Fui tosa, como seu orador, dan do-I he
as boas vindas e felicitando ao Instituto pela im-
portante acqnisicao que nelle fazia.
Corre-se o escrutinio, e sao approvados como
socios correspondentes os Srs. Drs. Herraogenee
-oertes Tavares de Vasconcellos, Alexandre do
Bernardo Pereira do
> da de
imped
questao de successo seria acelerada, e os planos
da poltica de Bismark, so nao d annexar os du-
cados, ao menos de colloca-los em relazo
pendencia da Prussia, encontrarla um
uiento Insuperavel.
Edtretanto houve um entremez singular no du-
cado de Lanemburgo, do tamanho de 39 milhas
quadradas e com urna populaco de crea de 80
mil pessoas. Este ducado assim como nos nnos
de 1848 a 1830, tambera agora nada teve a fazer
cora a questao do Schleswig Holslein. Em conse-
quencia dos tratados de Vienna elle tica perten-
cendo a cora da Dinamarca e tao ponco um
objecto dos direitos de successo do duque Frede-
rico de Augusteraburgo, como dos da gr-duque
de Oldemburgo. Fura simplesmente urna trra
pertencente a cora da Dinamarca, e se a mesma
a ceder pela paz actual, tornra-se assim propria-
mente um bem sem senhor. J desde muito as
vistas da Prussia com grande avidez, se tinhara
dirigido acquisizao dessa pequea ierra, e os
esforcos do conde de Bernstorlf, ministro prussia-
no em Londres, souberam ganhar para esse plano
um prximo prente do mesmo, o conde de Berns-
torfi Gyldeasteen, o chefe da dieta de Lanem-
burgo, a qnal ao todo consiste de onze memhros.
Na dieta desse paiz rennida no dia 20 de outubro,
e mesmo, depois de se haver entendido previa-
mente com os difiranles membros, apresentou a
. proposta da annexago Prussia, e no dia 22 a
da de Nieder-Wodstedt na costa occidental at deta tomou urna resaluso, a qual bem que re-
Vantrap perto do Konigsau( a fronteira. at agora) jetando expressamenle toda a incorporado na
Prussia, se declarava era favor de urna uniao pes-
impacieucia espera-se
gabjnete de Vienna na questo acerca da remozo suza Pereira "do Carmo e
das tropas d'execucao do Holsteio. i Carmo
Se ao certo a oplniao cima exposU se confir- 0 Sr; Dr. witruvo Pinto Bandeira, em nome do
mar, a mudanza ministerial em Vienna tambera Sr. Thonai Brrelo Lins de Bar ^*
sena de alta importancia para o futuro desenvol-
v menlo da questo dos ducados. A solucao da
e d'alli de sudeste, passando Chrisliansfelde para
Heilsminde no Bltico. A Dinamarca ganha desta
conservam puras, e preservadas do contagio; e maneira nm triangulo para nordeste, e um outro
aqnelles mesmos que apestados se transviara fa- para nordoeste do ducado de Schleswig, dos qnaes
zem-no uns por leviandade, outros por imitaco,' entretanto a maior parte do primeiro encerra o en-
esles por singularidade, aquelles por louca vida- clave Ripen, que at agora j pertencia ao lutland ;
de, quasi todos por ignoraucia, porque nao tem da
religio seno um conbecimeto superfinal e imper-
feto ; e neubum por couvccao systhemaiica, e
odio a verdade catholica.
A f que as suas palavras e as suas aezoes
parece extincta; existe em germen nos seus co-
razoes, como o prova a esponlaneidado e avidez
com que essas grandes mulliddes de povo.coucor-
rem para ouvir a palavra de Deus annoaciada pe-
los nos.-os missionarios.
O nosso bom povo tem pois fome e sede de dou-
o segundo comprehende a pennsula de-Stende-
rnp, sendo por causa da sua posizao em frente da
ilha da Fionia de grande valor estratgico para a
Dinamarca.
De importancia maior sa as concesses feitas
Dinamarca na questo financeira. Primeiramente,
nao Ihe /o imposia urna indemnisacao aos alliados
pelas despezas da guerra. Era segundo lugar os
ducados, comprehendida a parte que Ihes
lora concedida do activo commura, tomara sobre si
21 3/4 milboesde thalers da Prussia das dividas do
trina e nstruczo religiosa: dd-sn-lhe. Ella o;'ntigo estad* geral. E mais tem.os ducadas de pa-
unico antidoto contra o venena que Ihe propina a !gar penseos aos funecionarios, nelles antigamente
impiedade, porque babilila-o para conhecer os seus [empregaias da parte da Dinamarca e demiltidos
artificios e os seus perigos; nao se Ihe recuse :'!desde o Tompimento da guerra; verdade que
expliquem-se-lhe os principios e praticas do calho- 'com a restrieco mu essencial, que desse favor s
Ipcismo, porque quem desconhece a verdade, nao! gozaro os que foram empregados em confermida-
pode discrimina-la da mentira e do embuste : en-
siue-se-lne a escollier entre o bem e o mal, a vida
de das leis dos ducados.
D'outro lado, .a Dinamarca tem de entregar aos
e a morte, qae o cercam incessantemente : diri- ducados todos os fundos perlencentes aos mesmos,
jam-se seus passos vacilantes na jornada perigosa; transportados para Copenhague no comezo da qc-
da vida; arranque-se acisania que vai brotando\eupazaoederal do Holstein e depois da oceupazao
por entre o grao semeado no campo, fecunde-se: do Schleswig, assim como os fundos e capitaes al
em urna palavra, cora o saudavel orvalho da ver- agora administrados em Copenhague para os duca-
dadeira doutrina esse germen de f, que existeJ dosurna somma que monta a alguns milhoes.
no fundo dos seus corazei, e a graca divinada Alera disso a Dinamarca fica brigada a restituir
que fazem todos os navios alleraes capturados, *n natura
Z*
Aquelle que faz o que quei; mesmo dos
o que elle nao quer, far o resto.
Recoahecendo ludo Isso deliberei que. se publi-
carse um pequeo jornal destinado nicamente
instrueco religiosa das classes menos Ilustradas,
e accommodadn a sua capacidade, o qual ser dis-
soal com a cora da Prussia, sob reserva da cens-
litaizo particular e de todas as mitras circuns-
tancias do pequeo ducado. Esse voto natural-
para o museu numismtico d Ii%......,, .,___^
maedas chinezas de brooze chamadas cacha, e
duas russianas de prala.Recebldo com agrado.
Vera a mesa e sao lidas.
Urna proposta des Drs. Soares de Azevedo e
Aprigio Guimares apresentaudo para socio cor-
respondente o Sr. David Goncalves de Azevedo.
A commissao de admisso de socios.
Outra dos Srs. major Salvador Henriques e pa-
dre-meslre Lino concebida nos seguales termos :
< Que se pr imova desde j, por todos os meios
ao alcance deste Instituto, a inauguracao das esta-
tuas de Vieira, Vidal de Negreiros, Camaro e
Henriques Dias, sendo a do primeiro erigida am
frente do arsenal de marinha, em commemorazo
da entrega das chaves da cidade, que naquelle
bairro elle fez ao general Brrelo de Menezes de-
pois de as haver recebido do general bollandez
Segismundo ; a do segundo em frente da fortaleza
das Cmco-Pon tas, para conmemorar qae Ihe coube
a gloria de apoderar-se desse imprtante baluarte
da cidade maurlea; a do terceiro ao campo das
Princezas, e a do quarto na praca da Boa-Vista,
para commemorar seus leitos de bravura as pro-
ximidades desse lugar, devendo as columnas ser
de pedra de Lisboa, segundo o modelo junto, e as
estatuas de marmore feitas em Genova, para onde
se far a respectiva encommenda, logo que estejam
preparadas todas as plantas e orcamentos relativos
execucao destes monumentos. A' commissao
de trabalhos historeos e archeologicos.
E nao havendo mais nada de que tratar-se, le-
vanla-se a sesso, sendo marcado o dia 22 do cor-
rele para aseguinle sessao.
Hontem comezaram os actos do Curso Com-
inercia! Pernambucano, sendo examinados os quatro
estudantes do 1* anno Antonio Leile Pereira Bas-
tos, Jos Joaquim Dias do Reg Jnior, Antonio
Jos Alves de Carvalho e Antonio de Frailas Pa-
mente nao contentou plenamente em Berln ; mas
eonsolando-se com o proverbio melhor algnma' nasco.
cousj do que nada nao foi rejeitado, e segundo o primeiro foi approvado plenamente, e os d-
se diz abriramse negociazoes com a Austria acer- mas simpliciter.
ca da acceta$o da offerta de Lanemburgo. Na quarta-feira pela tarde seguio para a Eu-
Esl-se promplo para indemnisa-la pecuniaria-1 ropa 0 vapor emnon, da nova linha de Liverpool,
mente pela cesso da actual posse eommum, e se-! e de hoje em dame espera-se d'alli o Gallilo, da
gundo todas as pparencias esses dasejos da Prus-
sia tem esperanzas de sereno, deferidos em Vienna
at certo ponto. A Austria, segundo se assegura,
concordar que a Prnssia se apropne o Lanembur-
go como indemnisacao das despezas da guerra,
supposto, que ao mesma lampo pague urna parte
das despezas da guerra austracas. Tanto mais
decididamente, nesse caso, a Austria insistira na
mesma linha.
O Memnon tomou nesle porto 786 saccas de algo-
do com o peso do 4,492 arrobas ; as quaes pelo
prezo da pauta imporlaram em80:856,5000, deque
deduzio-se de impostas a quantia de 9,702*720,
sendo dos geraes 3:659920 e dos provinciaes
4:442,5800.
Arribou hontem do nosso porto a galera fran-
por quem, e de quera, como diz S. Bernardo, a
benigna raao do Omnipotente regeneran quanto
havia creado, ampara-lo com o seu poderoso pa*
trocilo,
timo. Fizerara-se as necessanas communica-
c5es. *
Dito ao director do arsenal de guerraForneca
Vmc. ao Dr. chefe de polica, como elle solicitou
em offlcio de honlsm, 12 pares de algemas para
serem enviadas a diversas autoridades policiaes.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Faca Vmc. apromptar coa ur-
gencia para serem enviadas ao delegado do corpo
vel, coma o sen poder, procura sob mil differentes
formas, frustar os seus effeitos, inculindo a des-
erenca nos espirilos incautos
Ne>te designio, j nao accommelle de frente, te-
niendo sor apercebida; usa da fraude e do artifi-
cio ; nao discute mais invectiva: nao falla razo,
excita as paltes: j nao publica, como oulr'ora
obras mathodicas de irreligiao, espalha com pro-
fuso romances, anedootas burlescas, e muitas ve
de sade do exercilo as Alagoas, os objectos tes obscena, peqqeoos o frivolos espripto, onde,
os navios
com seus earr.egamentos, ou, em quanto isso nao
fr mais possivel, a pagar urna indemnisazo cor-
respondente seu valor.
^ Anda outra, disposicao da paz ,que todas os
soldados e marinheiros dos ducados t agora ain-
tribuido gratuitamente, "devendo o primeiro nu- da no servio da Dinamarca devem ser dimillidos
mero sahir no da 8 do crrante, dia em que pre- e urna ultima que aqui notaremos, determina, que
tendo celebrar a solemnidadc da inauguracao da ouan' as relaces" pelitico-commerciaes dos duca-1 neg0cos
nova matriz de S. Jos dessa cidade, da da Cok- dos e da Dinamarca, ambos tralaram-se reciproca-
cbizao Immaculada de Nossa Sbnhora, sob cujos ente sob o p das nazoes mais favorecidas
auspicios ponho o referido jornal. Queira a mes- Depois dse achar assim realisada a parte in-
ma Senbora chea como de graza, e era quem, lernacional da questo SchleswigHoIsteineza, e a
completa liquidacao com a Dinamarca, aprsenla-
so agora *m scena com dupla urgencia, a questao
de successo. Como os nossos leiloras sabem, nao
podia-se tratar da mesma era quanto faltavam ain-
Ter por ttulo esse peridico O 01TO DE DE-' da os documentos comprobanro, que o rduque
ZEMBRO, nao s por ser esse o memoravel dia da de Oldeosbuago tinfta de apresentar acarea dos di.
Conceicao de Mara Sanlissima, como para com- reitos sobre a successo por elle levantados. No
memorar a iNAUQi'GAgo no novo tbmplo di S. fdja 3 do correnfe eases documentos foram flnal-
Josk. pente entregues "flieta, e pode-se esperar, qua.
Bem quizera eu poder conseguir que fosse pro- *n breve haverun resoluzao, hem que aiodi
pagado por toda a diocese; mas fallecem-me os feo sobre a qnesfio de successo ; mas ao menos
meios, e por ora s posso distribu-lo nessa cidade, acoresrdas modalidades como a mesma ser leva-
e aqui na calhedral de Olinda. No dia 8 de dezem- a urna .decisao. Os negeeras entre nos Vao
bro ser pois distribuido somente nessa matriz de- m urna 'Jentido extraordinaria, e muiU agoa
S. Jos; mas desde o domingo 18 do mesmo em: Jdeanda correr ao mar ate que com a'salucao
diante sera entregue aos liis em todas as quatro fi* questfcjle successo a qnesto Schleswig Hols
raalrizes do Recife e na calhedral desta cidade. telneza chegne finalmente sua conclusao /deflni,-
Sendo pois o fim dessa publicazo todo religioso liva.
, Entretanto ha questo;cerno fermar poviso-
rio bo ducados at essa conclusao Tarac ne-
vas difleranzas entre as diversas partes da. Alle-
manha. A paz com a Dinamarcaargumetila-se
na Prussia acha-se concluiada ; a execucao da
ofederazoallema no Holstin perdeu ass^mo seu
Veto e o seu fim. A paz com a Dinamarca ale
, cede W ducados Austria e tTrHssia^
r consequenea s cUa$em de deternfinar a
ipeito da futura oceupacao' militar e acerca da
lado interino. E por essa razo o plano do ga-
lete de Berln de remover em primeiro lugar
Holstein as tropas d'execucao, fornecidas como
10 sabe pilo Hanover e pela Saxonia. Nos estados
secundarios da Alleraanha reina opinio difiran-
se i verdadadizem allque a execucao nao
ai mais objecto em na direczao contra a Dia-
rea a questo do Holstein nao se acba anda re
conslituice do Schlfeswig-Holstein como estado fe- ceza Tonkin, de 470 toneladas, "commandante Hu
deral allemao, totalmente independete da Prussia. iot> pertencente praca do Havre, por achar-se
O Sr. de Bismark voltou da sua viagem aos Aa-j mayamente, doente o capito. la de Passagua, no
nhos de Biarritz, depois de baver-se demorado dous ; Chile, para o Havre, com um carregamenlo de ni-
dias em k ans, onde tivera audiencia do imperador tra|0 de suja o aproximar-se de trra bateu
Napoleo e diversas conferencias com o Sr. Drouin nos baixos de Olinda, perdendo o lene,
de Lhuys na sua volta Berln, alli encentrara a o Sr. Dr. Joo Jos Ferreira de Aguar foi
principe de GortschakofT, durante cuja residencio designado para fazer parte da commissao de exa-
na capital prusiana uvera repetidas entrevistas mes do curso d preparatorios annexo a Faculdade
com o mesmo. de Direito desta cidade.
No dia 2 do crrante o vice-chanceller da Prus. ( ^a iat, $ jo 40- e |0Qg_ o 21 31' foi encon-
sia parti para S. Petersburgo, depois de haver trado no da ^ do passaj0, pelo brigue lianove-
chegado na manhaa do mesmo da era Berln o im-' rano stephenson, o lugre hamburguez Acajidius,
perador Alexandre. O imperador all se'-derritorou precedente de Memel com destino a Port-Ntal.
e de interesse da igreja, encarrego V. Rvma. de
providenciar para que elle se distribua pelas pes-
soas que eoncorrerem a essa matriz no menciona'
do dia 8 de crranle, esperando do seu zelo que
nao se recusar a prestar esse servigo a religio a
ao povo.
COMMANDO DAS ARMAS.
Quartel do eommaado das armas de Pernambnea,
na eidade de Recife, 7 e dezeahro de 1861.
ORDEM DO DIA N. 26.
O coronel commandante das armas em cumpri-
mento as ordens que recebeu da vice-prssidencia
communicadas em offlcio de 7 deste mez determi-
na qne urna-brigada eoraraandada pelo Sr. tenente
coronel Jos da il va Guimares, composta dos ba-
talho 3* de infantaria da guarda nacional desta
municipio, do 9* da mesma arma do exereitn, e
de um parque de quatro boceas de fogo servidas
por pracas do 4 batalho de artilharia a p, e da
companhia de artifiooj, teja postada pelas 10 bo;
at hoje, e tenciona seguir esta noite para Peters-
burgo. m,
Antas da sua viagem Berln elle livera em
Niza um encontr cora o imperador Napoleo.
A crise ministerial na Ha viera nao se acha anda
resol vida formalmente. Passa agora por certo, que
o Sr. von der Pfordten tomar de novo a pasta dos
estrangeiros em lugar do baro de
Schreuck, que se retirou. Como se sabe elle oc-
cupra a dita pasta at a entrada do Sr. de
Schrenck, achando-se desde ento em Francfort
como enviado da Baviera junto dieta.
Nos das 3i' de outubro e l" de novembro oNatio-
nalverein allemao teve a sua reunio geral aunual.
Em suas resoluges elle se declarou mui decidida-
mente coaira urna annexo do Sebleswig-Holstein
Prussia, exigindo por coma sua entrada no Zoll-
vereln e urna couvenzo com a marinha prussiana.
Ao resto elle persisti sobra todas as exigencias do
seu programma, sobreludo de ser .posta era execu-
cao a constiiuizo a.Iema do anuo de 1849.
I I II
RE1STA DIARIA.
solvidi, e o de ver da dieta do tratarjde nmasolu-
cio no sentido federal, um dever que eneonlra sua
axpresso pela prasenca das tropas federaos. Di-
lora mais qne, elm disso, a cassao do Holstein i
Austria e Prussia do parto da Dinamarca era um
Hontem funeconou o Instituto -Archeologico e
Geographico Pernambucano sob a presidencia do
Exm. Mousenhar Muniz Tavares, e com assisten-
cta dos Srs. Drs. Soares d'Azevedo, Joaqun Por-
lella, Nascimenio Feitosa, Witruvio Pinto Bandei-
ra, Soares Braudo, Aprigio Guimares, Seraphicov
Gervasio Gampello, e Torres Bandeira, padre mes-
ire Lino e majbr' Salvador Henriques.
t-0 Sr. sertiario perpetuo da conta do seguinie
expediente :
L'm offieio do Dr. Lourenco Francisco do Almei-
da Calauho comm'nmeando a sua aceitajo do'so-
cio correspondente.Inteirado.
Ootro do Sr. teneole-ooronel Justino Peralta de
Faria communicando que na presente sesso se
ajiresentana a tomar assento como socio effectivo.
loteirado. WMk
DoMBUmeros do ConsUUicional Pernambucano.
tras ditas do Brasil Agvicola, um dito do Brasil
HhUVKQ e um dito 'jo Futuro ofleracdos pelas
respectivas redaezoes. Recebido com agrado,
manda-se archivar,
Un numero da Aurora Ptmmbuama, de 7 de
abril de 1821, como urna 'cortosidade, offerecida
A casa de delenzo estar aberla amanha i
visita do publico desde as 10 horas d'amanba at
1 da tarde ; e das 4 as 6 desta, e nao al as 8 d a
noite, como hontem foi publicado por engao.
Em outro lugar vo publicados uns docu-
mentos, que se referem ao Sr. Dr. Francisco Luiz
de Oliveira Audrade relativamente ae modo hon-
roso por que se portn S. S. na qualidade de juiz
na comarca da Maioridade, do Rio-Grande do
Norte.
Folgamos do aprezo que soube merecer o nosso
comprovinciano por suas qualidades pessoaes e de
funecionario publico.
Chamamos a attenzo de quem competir para
um segundo andar, de um sobrado da ra do Quei-
mado, d'onde a qualquer hora se langarn aguas
inundas para a ra com incommodo de quera
passa.' l
O Sr.'fiscal deve fazer com que isto cesse, pois
do referido,sobrado nao esta a primeira vez que
temos queixas a consignar nesta Revista.
Hoje d a sociedade recreativa Fraernidade
das Familias a sua partida deste mez.
Hoje se extrahir a ultima parle da 3' e 1*
da 4* lotera do tbeatro de Santa Isabel (i 19), son-
dos dous maiores premios iO:- 00 e 3:0005-
A companhia de seguros Utilidade Publica d,
ao seu ex-caixeiro cobrador, que se acba ceg,
40 meosaes e nao 451, como publicamos.
Passageiros da barca portuguesa S. Manoel il,
vindo do Porto: Basilio dos -antos, Joo da Cos-
ta Lopes, Manoel G. Ferreira, Manoel Joo de Cas-
tro Torres, Jos Martins de Barros, Joaquim Fer-
reira da Rosa, Joaquim Martins de Barros, Antonio
Marques de Oliveira, Antonio Mooteiro, Jos Mon-
teiro, Joaquim Lopes de Carvalho, Jo- Augusto
Dias, Antonio Fernandes da Silva e Franeisco Pe*
reir da -Uva.
.
(.
*-
Passageiros do brigue portogaez f/mao, sa-
bido para o Porto : Joo Vasque, Romao Das e
Jos Joaquim Pereira.
Passageiros da lancha Flor do Rio Grande,
sahido pare o Rio Brande do Snl : Januario N.
Thomaz, Flix Gomos Barbosa, Mara Virgina da
Anounclacio, Joo Vicenta Ferreira do Anaral,'{
Antonio Jacintho de Oliveira Caminha.
- Movimento da cas de detenco do da 7 de
dezembro d- 1864.
Existiam....... 338 presos.
Cntraram...... (9
Sabiram....... 17 a
\
C
l


Marte t Pcraaifefcae Sabbado i o t Dezeuibro de i34.
V

Existen....... 139
A saber :
Nacionaes..... 169
Estrangeiros... 18
Mu Hieres......
Estraogeiras... >
Escravos...... 43
Escravas......
339
Alimentados a custa do cofr'js orovinciaes. 133
Movimento da casa de detencao no dia t de
dezembro de 1864.
Existan..... 33 preso.
Entraran..... 10
Sahiraoi...... S >
Existen...... M4
A sabir :
Nacionaes..... 175
Mulheres...... 17
Estrangeiros... 6
Estrangeira 1
Es cutos...... 42
Escravas...... 5
344
Alimentados a custa dos cofres provinciaes. 133
Kra admiravel rr a asstnldade, oafn com que
todo a competencia, sem distineco de prssoas,
grandes, pequeos, ricos e pobres, carregaram o
material aecessario para a obra, prestando-se todos
a tudo, sean periurbacio, e sem estorvo.
E terminara ahi o tolo do incansavel apost-
lo ? Nao por certo I
Urna respeitavel, piedosa coofraria composta
1 jmente de senhoras, de todas as jerarcbias, porm
honesta, e de coatunes irreprehensiveis, fui insti-
tuida na igreja matriz, para reuder fervorosos cul-
sob
o augusiissimo nistrava.
CORRESPONDENCIAS

Senhores redactore$.Queiram por especial fa-
\or dar publtcacao a protesto infra, que ba quast
dous mcres Coi mandado publicar em um dos jor-
naes dessa cidade, eoue at o prseme supponho
nao ter sido dado ao prelo, nao sei porque fata- de suas radigas apostlicas, echoandoem toda
lidade. Ets o protesto que vai com o norne de to
dos os seus asignatarios
tos a nossa Mal Santfeslma,
tfWO das Dores, de que* por excellencia devoto o
vario apostlico, seu instituidor.
Wta coofraria, que em seu nascimento j conta
; cerca de duzenta mulheres alistadas, deve ser de
! marta utilidade para a religto, gracas as pas u-
lences de que se acbam animadas as devotas
senhoras, que se collocaram a sua frente.
Eis era resumo os importantes frucios das santas
tmssoes na freguezia de Muribeca, as qnaes sempre
oram assistidas por numeroso auditorio, crescen-
do espantosamente nos ltimos das o numero de
concurrentes, qoe affluiam de todos os angulosa
lugares circurovisinhos, e que bem se podia coro-
putar em raais de oita mil pessoas, bavnde nesta
aglonieraco, por assim dizer heterognea de indi-
viduos de tedas as classes, reinado a meitior har-
mona, e concordia.
Prebenchido e praso em que Rvm. missionario,
tendo concluido a ana santa tapeta, se devia retirar,
urna comitiva numerosa de cavalleiros, e pedas,
, com as lagrimas nos olhos, e summamente penho-
rada por tantas beneficios recebidos, o foi acm-
paahaado na distancia de rroatro leguas, e condu-
zindo com muita reverencia a arca que encerrava
a bella iraagen das Doras, companheira insepara-
tento fez com que seu irmao, o Sr. Melquades d
Costa Barros, se me insiuuasse cent* verdadeirO
amigo, e habilitado para qualquer servico, que
del le precisa sse tendente a mesma massa. Piel
irmao de sea irmiio, o Sr. Melquades, bem desem-
peohoa o papel de anjo corruptor, nao sabia do
escriptorio da massa e adevfnhava qualquer ser-
vico que havia a fazer-se, e prevaleeendo-se de
minha boa fe, e gratido, como o anjo das trevas,
mostrava-me um horisonte de lucro, e felicidades,
que me poderiam provir das fundes, que eu admi-
a
extensa do trajelo, religiosas cancoes, at a po-
voaco dos Arrogadas, onde foram todos bem rece-
t Peante o governo de Sna Magestade Impe- bidos, eafavel mente acolhidos pelo digno Rvm. Sr.
riel, peraate a naeo, protestamos contra as vio- vigario Guimares, acompanhado de muitos de
de
ser victi-
de paz e ve-
Jpgazeira no
lencias exterces de que acabamos
mas as sapposias eleicde de juizes
readores havidas nesta freguezia de
dia 7 de setembro corrale.
Cellecada a autoridade oeste termo em mos
menos dignas, recommeodada antes pelos crimes
malversacoes, do que por outro qualquer predi-
cado, cujos desatinos de balde tem sido denuncia-
dos pela imprenta, arvorados taes individuos em
partido poltico, a que denominara de progressis-
tas, segundo approximava-se e dia das ditas elei-
Ses, vio-se o delegado de polica, Laurentino de
Vaacoucillos Calacade Brito, e os subdelegados dos
districtos en que se acha dividida a freguezia des-
envolveren) a nuis escandalosa cabala, notificando
seus bons parochianos, IJue pressurosos sahiram ao
entfontro do prestita religioso.
Depois de ligeiro descanco, proseguindo o acom-
panhamento em demanda a rampa da ponte do
povoado, ahi, se achavam postadas, tremulando os
pavilhes auriverdes, a galeota, catraia e lanchas,
subministradas pela generosidade dos Exms. Srs.
presidente da provincia, baro do Li vramento, e
inspector do arsenal da marinha, e eatre os harrao-
iiosos sons de agradavel msica marcial, e ribora-
bo dos fogueles, aportou a procisso fluvial no Va-
radoaro de Olinda, onde flcou recolhido a sua ca-
pella de Santa Cruz dos Milagros, a Senbora das
Dores, e tambem o pregoeim evanglico, coberto
de bencaos e saudades, e creador do respeito e
Pela primeira vez pedio-me a troca de qualro-
cenlos patacSes por moeda papel; acced, por nao
ver nessa permntta prejuizo; porm 4 u/eciso que
diga, que s entregou o equivalente d'ahi a muitos
das.
Em seguida aconselhou-me o Sr. Melquades a
compra de- algodes, e ontras qnaesquer tranzacoes
de que me fruissem lucros, porque era asneira
(dizia elle) conservar sem movimento o dinheiro
da caixa : e^por ultimo pedio-me o imprestimo de
nove conloa para pagar ao Mouro sob pretexto
de que prefera dar-me esse lacro, antes do que ao
Sr. Teixeira : a tudo rae neguei, sempre I he di-
zendo, qu.e nao podia dispr do que na* era mea.
Pobre, e presando demasiadamente a minha
honra, eu nao tinha, e nem tenho a audacia de
homem acostumado a encarar a fortuna d'outrem
como a sua propria, e desconfiando sempre de mi-
nha inteligencia, acostumei-me a ouvir os dicla-
mes dura respeilavel amigo, bem certo de que
quem o ouve, e segu nunca pode ser adro.
Taes foram as consideraedes que demoveram ao
Sr. juiz Leao, em eompanhia de sen digno escri-
vao Lobo, a fazerem a visita domiciliaria, que
flzeram ; visita, que tendo por tira cansar a mi-
nha aerdicao, seguioo as insinuaces de que =-
tava possuidos io fz mais do que patentear a fl-
dehdade do mea comporta ment, e os convencer,
que nao na casa do obscuro fabricante de sabao,
que nao de encontrar o ladran; mas sin nos pala-
cios d'onde partera os minios para oa julgadores
da terrra.
Aracaty, 9 de novembro de 1864.
Augusto Dias Martins.
(Do perftdico Aracaty, de 11 de novembro de 1854.)
Spetmlant* entrada, de fte-
a Brender a Brandis, nuni-
1 caixa lioha de algodo ; a Luiden Wild & C.
13 barricas o i caixa ferragem ; a Prenle Vi-
anna & C.
t barrica cerveja ; a J. O. da Ponte.
12 pacotes canos de ferro, 1 barrico mssaogas :
a Roberts Lightbown & C
4 caixas 14 barricas, 8' nacotes o 254 pecas ;to
BaraodeLivramento.
Escuna bollanaeza
Iheodam consignada ;
festou seguinte :
300 caixas queijos, 200 saceos arroz^ 300 gij
batatas, 20 barricas e 500 frasqueiras geaebra, 2ff
barr s pregos, 16 caixas mar more, 20 dM tema
de vldro, 1 caixas esporas 35 ditas) esftagardas
140 feixes de junco, 100 barris salitre, i O-'caixas
vidros paravidraca, I26baas e 8 macos papel
para embrulho, 2i caixas vidrns em- obras-, 901 fo-
gareirose2 barricas grandes, 60 chapas para fo-
go, 2 barricas lampos, 1 caixa roupa, 1 dua lonca
e miudezas, 1 dita summede grozelle, i maco pa-
pel, 24 caixas dito de imprimir, 113 ditas dito d.>
escrever, 50 caixas vela stearinas, 6 garrafoes
azeite para luz, 1 embrulho livres, 1 boceta cha-
peos, 1 dita vestuarios; aos consignatarios.
4 caixasalfinetos, 2 ditas rame de latao : a N.
O Bieber & C.
Recebedoria de rendas Internas
de Pernambnco.
geraes
Rendimento do dia 1 a 8
dem de du 9........
9:148*179
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 7......... 27:537*408
dem do dia 9 ................ V.Q51J086
31-: 608*494
n, 187 de 13 de malo de 1861 e respectivas ins-
trucc5es, teve hoje rugar o proceseo da abertura
das cartas atrasadas perteacentes ao mex de no-
vembro de 1863 condemnadas a consummo pelo
artigo 138 do regulamento aos crrelos de 21 de
dezembro de 1844, assistiado a esse processo o cora-
merciante Francisco Landelno da Silva. aVssta
abertura resuliou achar-se seis cartas com docu-
eientos que ficam discripUs em livro para este lira
destinado, sendo ama de Silverie Manoel des Res
( de Lisboa ) para Jes Joaqun da Cnnba com um
recibo, outra de P. C. Salgado para Mara Theo-
dora Vianna de Carvalho con urna letra da quaa-
lia de 8390O reis, outra de Julio Aagosto da Ro-
cha (de Portugal) cura ama eertido de leptismo,
outra de Francisco Martins de Aguiar e Silva ( do
Cear ) para Joo Francisco de Souza cem um re-
Alina, sua aia ..... D. Marta Posji*.
O anjo....... n.5.
A lauco, prefeilo .... Gmxoat.
Valeriano, general romano Lisbee
Aurelio; pai de Cecilia Cotoabra.
O sammo sacerdote Porto
O diafco....... Borto*.
Olio, servo de Valeriano Teixeira.
Marcos, chnstao..... Santa Ucea.
Ceatorfo.cenfidente de Almae* Luiz.
Primeiro chrisiio .... Porto.
Segando dito..... Gaionraes.
SokJedos resenos, mrinOJee, rhriiiiee,
pies*, massas, et., ene.
Todo o raacMBsro* exaessOb por habis
tas, est elegante e ri
fcl^rt5jffiSJtf) hora^o^tVcrfcentran- ***' ""
ja por si, j por seas inspectores de qnarteires os estima dos Muribeqnenses.
cidados vutaotes, impoudo-lhes a obngaco de vo-
taren) na chapa da polica, sob pena de tiearem
debaixo de suas vistas e de Ihe seren recrutados
seus liihos, e outra iguaes e atierradoras amea-
fas ; notificando alera desses os guardas nacionaes
a quem diziam que s a elles, deieedu e subdele-
gados, deviain obedecer e nao aos eommandanles,
mandando finalmente que viessera armados para
dita eleico.
Ao passo que a polica preparara e dispunha
deste modo as cousas, o reverendo vigario encoin
Nao; deixarei er olvido os relevantes servicos
prestados pela orthodoxa irmandade do Santissimo
Sacramente da matriz, cuja mesa regedora tendo
por chefe o Rlm. Sr. Dr. Joaqun Elviro deMoraes
Carvalho, muito fez em meu adjutorio, nao pou
pando sacrificio para que nos actos religiosos
houvesse sempre toda a decencia, e ordeni. Lou-
vores Ibe sejan dados.
Agradeco cordialmente a meus irmaos sacerdo-
tes, os R ras. Srs. mestre de ceremonias do solio
episcopal, mea especial amigo Vicente Pereira da
mondado, Jos Antonio Alves de Brito, administra- de Silva Gramaraes, prior da piedade frei Flix
oa e aconselbava em desobriga
a >rno, pois que do
que volassem na
contrario seriam
Iwta^uiuvo, ;eus filhos recrutados, e mesmo Ihe
aSo seriam recebidos es votos.
a taes escndalos veio acarocoar a chegada de
maTorca de linda, mandada pelo Dr. juiz de di-1
xeito da comarca, Joo Rodrigues Chaves, sob o'
eommando do lente de infautaria, Manoel Joa-
quiui da Silva Curchatur. que veio reforjar o nu-
meroso destacamento de noticia que aqu se
acha va.
Chegado o dia 7, esta villa representara o as-
pecto de urna praca conquistada. Grupos armados
enlravam pelas ras anuacando desurdeus, diri-
giudu palavras provocadoras dizendo que o go-1
Terne havia de gaubar a eleicao, ou raorreria
muita gente ; que nao se receberiam votos de li-
beraos e epposicionista : Igum, e que haveria mui-
ta norte .-e os liberaes apreseulassem-se na
eleieo.
Nativldado Pinten le, ~ Augusto Adolfo Soares
da KuseweKer, e Joaquim Jos de Farias, que
comigo corapartilharam no arduo e oneroso mister
do conflssionario, e na administrago do* mais sa-
cramentos, portando-se de modo edificante, e cima
de todos os elogios merecidos.
Finalmente agradeco em geral a todos os meus
psrecnlanos a decencia, compunego, modestia, e
brandara, com que respeitosos mantiveram boa
ordem. e observaran as santas, e saudaveis ins-
trucede, que se Ibes dava para seu bem. A lodos
estreitamente abraco, pedindo anda nma vez, per-
dio de aignma offensa inrolantaria qae Ihes ser-
visse de agravo.
Povoaco de Muribeca, 20 de novembre de
1864.
Padre Joaquim de Aragao Ebla.
Collocadas a cousas .esta tri.tesi.tmco, ven- Zao^^---^l
do e part.de liberal que negam-He a forca de -ail muDlcipal e d.orS dos ,ennos
bayonetas e bacaraartes a co-partc.pacao as elel- de5la comi^ da maioridade. conslanlen
A cmara municipal desta villa, atiesta qoe o
Dr. Francisco Luiz Corren d'Andrade ; comoeons-
cargo de
annexos
;, constantemente sem
oe, e qne a presenca de qualqner de seas me.n-, ,Qlerrupao a|suma> desde 0 d'ia ,.. de feven,ro d8
bros nau.s na igreja como na v.l a, determinara 18S1 $ dfa 20' do agosto deste anno, quando
a etplosao ne>sa solJadesca desenfre.ada e insul- por se acn com d b arruinada
tadorae nesses paisanos armados e escandecidos, ^or uosa ani CODgestao que soffrera a 6 ^
resolvern, para nao serem vlcl.mas seus mera- mar?0 destc anno J*$ alr$,' do ane
bros occuliarem-se as vistas da gente da polica, desde ,.ntao tem gido vc,^ma
arredando-se da proxunidade da villa, at que ella
pelos
seja aesoecupada
esli, protestando levar ae conhedmenlo do gover-
no imperial todas essas violencias, pedindo a an-
nullaco dessa asuruacao.a que simuladamente da
a polica o nome de eleicao.
Iugazeira, 8 de setembro de 1864. Goncalo
Jos do Nascimento Leile, eleilor.Jos Francisco
do Nascimento, dem. Francisco Amonio da lio-
eba, idem.- Marrolino Antonio Xovier, dem.
Izidro Nery da Costa Mralo, supplente de eleilor.
A u ton io Manoel de Carvalho, eleilor.Jos Pe-
dro de Seuza, idem.Agostioho Nery da Costa
M o ato, dem,Manoel dos Aojos Leonel, snpplen-
te de eleitor. Alexandre Gomes de Andrade,
eleitor.
Dislricto de S. Jeao de Ingazeira, 12 de novem-
bro de 1864.
Um Heitor.
PlUGAgOES A PEDIDO.
Santas misses em Muribeca.
Setiores redactores. Ha vendo j urna bem
aparada peona de hbil e distincto parpehiano da
freguezia ue Muribeca descripto elegantemente no
seu coaceitaado Diario a pomposa recepc.o, qne.
flzeram os meas amados paiochianos ao virtuoso
missionario apostlico o Rvm. r. conego Joao
Chrisostorao de Paiva Torres, nao agora de mi-
abas inieucdes acabar to eioquente trabalho, cuja
f loria bem ionge eslou de disputar ao seuautur; mas
camprindo rae o rigoroso dever de solemnemente
agradecer a cooperago, e obsequios recebidos de
alguos dedicados amigos, nao posso, sem carregar
sobre mira a pecha de ingrato, deixar de faz-lo,
vencendo assim a repugnancia de escrever para o
publico, pois son o priranro a reconbecer-me in-
cempt.tenie para tao ardua tarefa, e porque nao
seja licito limitar me to somonte a pagar a divida
de ralnlao, tocare: per accidens, e succintanente
nos abundantes fruclos colhidos durante os ditosos
diasdesaiitilicacao para minha feliz freguezia.
Sao incalculaveis, sem davida, os beneficios que
resultara aos poyos, mxime as parochias ruraes,
provenientes das misses, oa predica evang-
lica 1
E con effeito a ignorancia dos deveres dochris-
tianismo em que vivem, como adormecidos, uraa
to graude porcao dos nossos irmos, dignos de
melhor torle, pera dnleiencia de quem Ihes mmis-
ir o pao da Divina PaJavra, por certo a invene-
aada origem de tantos males, de to funestas
aberracoes, e desvos da senda da religiao santa
do Crucificado.
Ora, nma simples expesicao das misses pouco
celebradas o? povoaco de Maribeca, demoostra a
verdade de minha assercad.
tendo o Rvm. missionario brasileiro, o Sr. cone-
go Joao Chrisosieino, a qunn ano de coracao,
attendido aos neus ardeutes desejos, dirigio-se a
esta (reguezia; onde mlssionou por espaco de
desoito oas, eom grande utilidade e proveito da
pequea grei, qne me fui inmerecidamente con-
fiada E quaes foram os beneficios espiriluaes, e
materiaes Jeitos pelo enviado do Senhor f
Ser por reatan nec^ssario innuraera-los? Kao,
pois o testemufiho dos habitantes desta, e das fre-
garziastfmitrofes attestam altamente, que mais de
mil e qninheatas confl.sdes se flzeram, e muitos
casamenios de concnbinados se effectuaram, alm
de notar-se a mudanca de costones, mais docilida-
de, mait submisnao as leis, mais respeito as auto-
ridades, mais observancia aos sagrados dictames
vio se forrado a dei
. xar o exercici j de seu cargo, para entrar em uso
^"L"^l^!J,aiderm^ios. Q^ durante esse lempo, exerceu a
vara de direilo por diferentes vezes, chegaodo
tudo a mais de dons annos e que finalmente, o
comprtamento civil e moral que teve sempre, e
contina a ter j como empregado publico, ej
como particular foi sempre e contina a ser o
mais honesto e melhor possivel, vi vendo e exer-
cendo ditos cargos, com toda probidade, dignidade
e independencia de carcter, e inteligencia nao
vulgares : pois o que nos cumpre altestar.
Paco da cmara municipal da villa de Porto Ale-
gre, l do oulubro de 1S64.
Antonio Baptista Fialho,
Presidente.
Antonio Goncalves da Silva,
Joaqun Alves Fernandos Pimenta.
Felippe Soares da Silva. ,
Joaquim Nobre d'Almeida.
A cmara municipal da villa de Pao dos Fer-
ros, por eleicao popular na forma da le etc.
Atiesta que o bacharel formado Francbco Luiz
Correia d'Andrade, juiz municipal e de orpbos
dos termos reunidos desta comarca da Maioridade,
desde o dia 10 de fevereiro de 1861, quando en-
trn em exe.rcicio de sea cargo, sempre exerceu
sen interrupcao alguna, as iincedes de sen cargo
at o dia 20 de agosto do correte anno, quaodo
por se achar com a sua sade bastante arrumada
deiteu o exercicio, dando parte a esta nesma c-
mara ; durante esse lempo exerceu interinamente
a varado direito por mais de dous annos, e de
tudo istp, sempre deu parte a esta corporacao, e
sempre."desempeohaodo com ba conducta civil e
moral, j como empregado publico, e j como par-
ticular j e o que lem esta corporacao altestar
de baixo do juramento de seu cargo.
Paco da muoicipalidade da villa de Pao dos Fer-
ros em sesso extraordinaria de 18 de outubro
de 1864.
Manoel Pereira Leile do Reg,
Presideote.
Antonio Pereira do Reg Jnior.
( Jos da Costa Barros.
Manoel Francisco da Costa.
Manoel Rodrigues de Souza.
Estrada de ferr de Ptenrambwo.
Era nossa conviccao que e Tren de passageiros
que sabe da capital as 4 horas e 10 minutos, se-
gundo a ultima tabella, ba va en. cao i toiponco lem-
po falhar de partir a essa hora,
Verdade que tinharaos os borneas das se i ene as
exactas para dirigirem o saovineoto do tren por
forma a ser urna realidade e aviso da conpanha
ao publica, as j as nossas prevsoee deram o
resultado que esperavamos, paa que quarta-feira 7
do correte o tren parti das CincooPontas as 4
horas e 25 minutos, isto am quarto depois da
hora. t
Com o andar dos lempos, durante a safra do as-
sucar, esse facto ha de inulta vezes dar-se, per
que sondo o trem de passagayos sujeito as even-
tualidades de trem de carga, que por sua nata-
reza dove demorarse as estacos para receber
earga na razo que heuver, deaiorando*sepor isse,
ora raais lempo, ora meos, eonsequeecia oeces-
saria que o facto de quaria-leira tem de reprodu-
zir-se, a neoos que compaobia seja indifferente
aos lucros, quer dos particulares, quer os seas pro-
prios, constante que se faga eflectiva a letra da ta-
bella ultima, o que repugna rennos.
-Eraquaolo ao Sr. superintendente interino, nada
dizemos por que d-se o facto de estar tambera in-
terinamente vende os negocies do consalado in-
glez, sendo que ha na estrada, de ferio o enge-
nheiro fiscal qae seu vedor.
O perfume do hemlupherlo
occidental.
Agua florida de Mnrray & Lammaa.
(RXTHAHIDO DO D.MLE TIMES.)
A verdadeira prova da genuldade e pureza de
qualquer am perfume extrahido das flores coosiste
na sua duradoura existencia quando exposto a
influencia do ar. O aroma derivado de olees chi-
micos desvanece em breve e deixa aps de si um
eheiro por certo mu pouco agradavel, porm
aqueile que obtido mediante a destiilacao de
Nenas e odoripheras flores, se apara e aperfeica
pele contacto do ar, e por conseguate a sua dura-
cao de niaior espaco de tempo. Eis por isso que >
a agua Floiida de Murray & Lammnn, formaodo '
ama coocentrada produeco das mais raras flores
do su I, apaohadas durante o zenith da sua flores-
cencia e maior fragrancia, nao s possue a fres-
quido de am fresco ramalhete. mas tambem
indestructivel e ioextinguivel, anlo ser aexcepcao
da lavagem do lenco anteriormente humedecido
na mesma.
A' venda em todas as boticas e lojas de perfu-
maras.
MOYIMEHTO BO PORTO.
A'ut'ioj rntradtt n# dta 9.
Hamburgo-42 dias, patacho haoovenano Jacob**,
do 21 toneladas, capitao I. H. Wegner, equipa-
gem 7, carga (azoadas e outros gneros; a Rothe
Bedoulac.
Iquiquo59 dias, galera franeeza Tonkin, de 580
toneladas, capitao Herland, equipagem 18, carga
salitre; ao mesmo capitao. Veio refrescar.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio Grande do >ul-Lancha Flor io Rio Grande,
capitao Vicente Ferreira da Costa, carga diffe-
rentes genero.
ParahybaBrigue escuna ioglez Hollyhcck, capi-
tao J. Aeo; em lastro.
EB1TAES.
0 Dr. Tristao de Aieacar Araripe oficial da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do eom-
mercio desta cidade do Recifa de Pernambuco
e seu termo por S. M. I. e Constitucional o Sr.
D. Pedro II a quom Dos guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle ooticia tiverem que no dia deseaove do cor-
rete mez, se ha de arrematar por venda a quera
nais der en praca publica deste joize depois da
audiencia respectiva, os objectos segoinies. Un
aoel com brilhanle avaliado em vinte e quatro mil
res, um dito raais pequeo avaliado por oito mil
ris. ama casoleta de euro avallada por sete mil
res, um anel sera pedra e nm par de bricos de
ouro avaliado tudo em dez mil ris, cojos objec-
tos sao per lene en tes a Augusto Erald, e vio a pra-
ca por execnco de Manoel Francisco de Paula.
Em falta de licitantes ser a arremataoao feita pelo
prego da adjudicaco com o abatimento respectivo
da lei.
E para que chegue ao conhecimeoto de todos
maodei faxer o preste edital, qne ser afixado
nos logares do co-turne e publicados pela impren-
sa. Dado e passado nesta cidade do Retifo de
Pernambuco aos 7 de dezembro de 1864. Bu Ma-
noel de Carvalho Paesde Andrade, escrivao o
escrivi.
Titstao de Alencar Araripe,
BECUliyOES.
GMME1I0.
Coaces offlelaes.
PRACA DO RECIFE
9 DE UEZEMBRO DE 1864.
Londres 90 d/v. 27 1|4 d. por
Cambio sobre
1,5000.
Duboarcq Janior, presidente,
uimares, secretario.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 7.......
Idem de dia 9...............
229:923J04o
36:959552
266:882597
Moriniento da alfandega
Velamos entrados com (azoadas...
eom gneros.
125
,294
Tolumes sahidos
i
com
com
fazendas.
gneros.
487
508
419
691
Santa Casa da Misericordia do
Hecife
do Evaogelho, a caridade, o perdo dat Injurias, o
esquccimtmto de odios, e vmganca, de inimlsades
anieqossinus.
Anda nais, parece mcrivel a rapidei eom qne,
m lo pouco lempo, se edifirou nm cemilerio,
poneos passos distante da natrlz, en lugar conve-
niente, adaptado as neeeesiados da freguezia, e
murado de lijlo e eal, eom ama primorosa facha-
da, que tem do ter afortaoveada por nm elefante
poni da ferro, haveado atada materiaes para a
construeco de ama capella, intra-mures, dedicada
a Nossa seohora das Dores, e todo isto eom mdi-
co dispendio, qae a piedade do fleit liberalmente
prodigalisou.
Ao publico.
Tando na qualidade de admiuistrador da massa
fallida de Pacheco & Mende, mandado no ultimo
do tnez de oulubro prximo passado ao juiz muni-
cipal o bataneo mensal qae determina o art. 867
do cod. commercal, eom espanto vi caegar em
minha casa o mesmo juiz acompanhado do seu
hbil escrivao Lobo, e lodo trmulo exigir urna
das chaves ao cofre (que para faeilidade dos pa-
gamentos dos devideodo, os juizes anteriores ti-
hara deixado en nen poder), e o immediato exa-
me do sea estado. Como era d meu dever eo-
tregaei a chave, e procedendo ojuiz cora o seu
escrivao ao exame, cera pasmo viram estar o co-
fre em perfeito estado de conservaco, e os seus
fundos em harmona eom o bataneo.
Com quanto semotnante successo me seja glo-
rioso, e mostr a todas as luzes a fidelidade de
minti gerencia, cora todo, siolo a preciso de pa-
teutear ao punlco as razos, que actuaran) no ani-
mo dojuit para proceder semelhantemenle, e mes-
mo, porque o publico ayesado a reconbecer desde
o priociaio na gestao da mesma massa, ama seria
nao interrompida de roncos; eu que son pobre,
que vive em perfeilo aotagooismo eom o ouro, e
eue por conteqoencla nao posso contar com a
protocolo da jastiea, devo tado patentear em
defeza do anico bem qae possuo, a honra.
Oaallgareha de er segara, iterm coneeber
ao Sr. Juiz Leao, qae ea negoeiava, e comprava
algodio cem os dinheiros da massa confiada a mi-
nha f oarda, e que se foste sorprehendido eviden-
ciara a verdade.
O joiz que parece vivar tambem em aotagonismo
com a crtica, assim como en cora o ouro, com fa-
cilidade aereditou, e em companhia de seu escri-
vao procurara aviluodo-me, mostrarem-se pela
priateira vea em soa vida, (tratos a quem os consi-
derara, e os mimoseara Largando o Sr. Ba'ros a
admaistracao de Pacheco 4 Meodes coberto de
mane, qoe oa tribaoaes te.ra julgado crimes,
penseu qae da mesma maneira ea devia sabir,
por ter tido a aadacia de o saceeder, t neite in-
Desearregam no dia 10 de novembro
Barca inglezaCfe/ton-farinha de trigo.
Barca ingleza Cornocopi'a^roerradorias.
Rrigue inglezMaced mercadorias.
Barca inglezaMiranda divW* gneros.
Escuna hollandeza-SareWanridem.
Hiato nacional -Lindo Pnquete dem.
Escuna lianoveriana-Hemei idem
Brigue naciooal Alfredo carne de charque.
Brigue surco-Astirtaboado.
Brigue argentinoAila -charque.
Galera franeeza Toukinsalitre.
Brigue hanoveriano SfosArusen diversos g-
neros.
Patacho dinamarquez VentasIdem.
Patacho bao ver i a no -Jacobgarrafoes vatios.
Barca franeezaRapide sal.
Barca portuguesa S. Muntl II divewos g-
neros.
iBanortaeo.
Brigne ingles Mand, entrado de Liverpool mani-
fesleu o seguinte :
4 caixas camisas e fitas de algodo; a Alves
Hamburger &
1 caixa chapeos de sol de algodo ; a Carneiro*
Nogueira.
21 fardos e 4 caixas fazendas de algodae, dita de
linho, dita de la, chapeos de sol da seda, e ditos
de algodao ; a E. A Burle & C.
1 barrica louca ; a W. 'artioeaa.
4 fardos e 1 caixa fazenda de la e de algodo ;
Phinps BrOthers de C.
25 barricas cerveja, 67 gigos louca, 1 caixa bur-
ra de ferro, 2 ditas linha de algoda ; a Deucker
& Barrozo.
5 caixas therebentina, 2 ditas drogas: a Caors
& Barbosa.
i caixas chitas; a Guilherme da Silva Guia-
raes.
2 caitas fazenda de linho ; a Joan Keller & C.
5 barricas cerveja, 23 e meia toneladas de car--
vio de pera ; a ordem.
10 barricas breu, SO volames soda : a Mia A
Espirito Saato.
25 caixas linha de algodo; a Ixidort Net-
U> dr C
" 2 caixas obra de seleiro ; 'a Ferreira & Ma-
theu?.
50 glgos louca; a Thom B. & Roberts.
flt barricas cerveja ; a Adaroson Hovrie A C.
10 gigos e 34 barricas lou$a : a Th hristiansen.
1 caixa Otas de algodo ; a D. P. Wild & C.
15 caixas fazenda de algodio, sapatinhos de la,
2 ditas comeres de ferro e ferragem ; ta Mello Lo-
bo&C.
200 tyjollos; a Joao de Aranjo.
Peraote a filma, junta administrativa da Santa
Casa de Misericordia do Recife, no dia 9 do cor-
rente, pelas 4 horas da tarde, na sala de suas ses-
ses, tem de ser arrematado o fornecimenlo dos
seguintes materiaes : 50 enchameis de 5 pollega-
das quadradas, 100 travs de 7 po1 legadas quadra-
das e 30 de comprimento, lijlo de alveoana gros-
sa, cal preta, areia e taboas de assoaiho de louro.
Os pretendentes devem apreseotar as suas pro-
postas em carias fechadas.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 5 de dezembro de 1864.
O escrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro-
A Illma. junta administrativa da Santa Casa
deMisericordia do Recife, tendo de contratar es re-
paros do sobrado da ra Nova n. 53, convida as
pessoas que se quizerem encarregar dos referidos
reparos a comparecerem nesia secretaria das 9 ho-
ras da manhaa as 3 da tarde, afim de obterem as
necessarias inforraaces para poderem fazer o res-
pectivo orcamento.
Secretaria da -anta Casa de Misericordia do Re-
cife, 5 de dezembro de 1864.
,*_ O escrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Santa Gasa da UsericoNia d Hecife.
A Illma junta administrativa da Santa Caso de
Misericordia do Recife man 'a fazer publico que
no dia 15 do correte, pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas sessoxs, tem de ser arrematado por
quera mais vanlagens ofterecer, o fornecimenlo dos
generes qoe bouver de consumir nao s os esta-
belecimentosde caridade, como lambem os col le-
gios de orpiios, ne trinestre de Janeiro a marco
do anno de 1863.
Esiabeieciraeotos de caridade.
Manteiga franeeza, libra, tapioca, idem, caf era
grao, idein, a&sucar braneo em torrao, arroba, di-
to refinado primeira surte, idem, dito dito segunda
serte, idem, arres pilado do Maranhio, idem, ba-
callao, idem, toueinbo de Lisboa, idem, sabo
amartillo, idem velas de carnauba, idem, dita es-
permacete masso de i libra, farieha de mandioca
da ierra, alqueire, viabo tinto de Lisboa, caada,
dito braneo, idem, agurdente branca, idem, vina*
gre de Lisboa, idem, azeite dece, dem, dito de
carrapato, dem, farello de Lisboa, sacco, carne
verde, libra, pao e bolacha, idem.
Collegio de orpbos.
Assuear refinado, libra, caf em grao, idem,
maateiga franeeza, dem, arros pilado do Mara-
nbo, idem, batatas, dem, aletria, dem, carne ver-
de, idem, peixe fresco, Idem, pao e bolacha, idem,
toucinho de Lisboa, dem, fannha de mandioca,
alqueire, foijao, dem, azeite doce, garrafa, vina-
gre de Lisboa, dem,
para Aotooio Jos Pereira Braga, com urna procu-
racao bastaote, e outra finalmente com am reqae-
rmenlo do sentenciado do presidio de Fernando
Herculano Dias Correa para Jeao Francisco de
Seuza. Por ultimo procedeu-se ao queima de to-
das as mais cartas de que se lavrou o respectivo
termo, que o que se segu.
Correio de Pernambuco 6 de Jezembre de 1861.
O administrador Domiogos dos Passos Miranda.
Termo de consummo das cartas em ser perlencen-
tes ao mez de oovembro de 1864.
8:1464251 As 6. dias do mez de dezembro de 1864 na sala
1KW1A928 da admmistracao do correiode Pernambuco, acban-
do-se presentes es senhores administrador e the-
soureiro Domingos dos Passos Miranda e empre
gados abaixo declarados, procedeu-se era virtude
do artigo 138 do re^ulameuto dos correios de 21
de dezembro de 1811, o consummo de 243 cartas,
sendo 110 sellada, e 103 nao selladas na importan-
cia de 149220 reis, que nesta dala flea descarre-
gadas ao mesmo administrador e thesoureiro, como
consta da factura. E para constar se lavrou este
termo em que a-signard o dito senhor administra-
dor e thesoureiro e empregados.
E eu Eduardo Firralno da Silva, ajudante e con-
tador escrevi.
O administrador e thesoureiro
Domingos dos Passos Miranda.
Offlciaes papelistas
Lniz de Franca de Oliveira Lima.
Esmael Amavel Gomes da Silva.
Vicente Ferreira da Porciuncula.
Pralcante
Agnello Heraclio de Araujo Pernambuco.
Poneiro.
Maooel Marinho de S raza Pimeniel.
De ordem do Illra. Sr. inspector da thesoura*
ria de fazenda desta proviocia se faz publico para ;
coohecimento de todos a circular do tribunal do '
thesonro n. 46 de 4 do correte mez, abaixo trans-
cripta.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 29 de novembro de 1864.servindo de
offlcial-raaior, Maooel Jos Piolo.
CIBCLAR N. 46.
Ministerio dos negocios da fazenda.Rio de Ja
neiro em 4 de novembro de 1864.
Carlos Carneiro de Campos, presidente de triba
nal do thesouro nacional, tendo resolvido que sb
substituam as notas de 100,5000 da 3* estampa, or
dena aos Srs. inspectores das thesouranas de fa
zeoda, que mandando poblicar esta resolucao pui
aanuncios nos peridicos das provincias, e poredi
taes afixado em todos os municipios, procedara a
referida sebstitnico com o producto da renda das
respectivas thesourarias, solicitando a remessa dos
fundos precisos, no caso de deficieocia da mesma
reBda ; e remettam meosalmenie ao thesouro as
ooUs que se forera suhstituindo, devidameote ca
rimbadas e inotilisadas.
Nos annuncios e ditaes far-se-ba a declaracau
de que em tempo competente se marcar o dia em
que deve principiar o descont da lei do valor das
notas que nao tiverem sido at cutio substituidas.
Carlos Carneiro de Campos.
O conselho administrativo para fornecimenlo
do arsenal de guerra precisa comprar o seguinte :
Para o 9* batalhao de infautaria.
1,000 varas de bnm braneo.
500 varas de algodiozinho.
100 bonels redondos.
100 esleirs. w
100 mantas de laa.
As pessoas que quizerem vender taes artigo
apresentem suas propostas em carta fechada na
secretaria do cooselho as 10 horas do dia 14 do
corrente.
Sala do conselho administrativo para forneci-
mento do arsenal do guerra, 7 de dezembro de
1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastin Jos Basilio Pyrrno,
Vogal secretario
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimenlo do
arsenal de guerra precisa comprar os genero se-
guinte :
Para a colonia militar de Pimeoteiras.
6 limas chatas de 15 16 pollegadas.
6 ditas ditas de 10 12 ditas.
4 ditas de roda.
4 ditas meia-caoa de 6 8 pollegadas.
1 tarracha fina.
2 tornos para bancadas.
2 pedras para aliar.
1 escala.
2 cerras de iracar de 5 palmos.
2 desbastadores.
2 cerrlas de fixa.
2 travadeiras.
1 bigoroa para taneeiro.
2 caadas de espirito de vnho de 36 40 grao.
As pessoas que quizerem vender ditos gneros
apresentem suas propostas em carta fechada na
secretaria do conselho no dia 12 do correte is 10
horas da manhaa.
Sala das sesses do cooselho administrativo, 5
de dezembro de 1864.
Sebastio Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
cenographo,
A empreza conta que este espectculo rteedeta
aos marlyres da Germania, nao s pelo saaier asa
mero de traosformaedes beta combinada, casa
pela vanedade de suas scenas e graciosidades de
qne conposlo.
Coraecar s 8 horas
Os b Hieles vendido para qoiata-feira lea eav
Irada neste espectculo.
AMA-VHAA
Domingo, 1 de dezembro
Ter lugar a terceira represeoiacao do rugai
fleo drama en 4 actos e 8 qnadro, oread de ato-
sica e variado machioismo
A VIDA, MILAGRES E MARTTRK)
M
MTS.I CECILIA
Protectora da atnalra.
Em consequencia dos professores da orehestra
acbarem-se campronettides com algnmas festao.
o espectatolo
Comecara s 81|2 horas.
ATIMS HaMTllle.
COKPAIHIA BRASILEERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do noria atoan-
do at o dia 17 do corrale o va-
por Oyapock, ceranaadaote Aa-
tonio Marcelino de Puaiei ehei-
ro, o qual depois da deeaora da
costume seguir para os portea do sal.
Desde j recebem-se passageiros e eagaja-swa
carga qne o vapor poder condoxir, a anal daver
ser embarcada no diado snaejMsaaa: rareea
mendas e dinheiro a frete ateo diada sabidaaa 2
horas, agencia roa da Cruz a. i, eaeriatorie de
Antonio Lniz de Oliveira Azevodo A Cl
COMPANHIA nagfT.r4
SE
PAQUETES A VAI
Dos portee
do at odia ti
por Paran, ceennaai
pitao de fragata Saato |
al depoit da denM
me seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se paetifeiro a
carga qae o vapor poder coodozir, a ,
ser embarcada no dia de sna ehegada,'i
das e dinheiro a frete at o dia da sabida aa 1 ha-
rs : agencia, roa da Cruz a. 1, campearse da Aa-
tonio Luiz de Oliveira Axevedo C
eagaja-eea
Para Lisboa
P. Tiei-
0 brigus portognex Lata 11, capitao A.
ra vai sabir com brevidado portar a a
de sea carregamento pmmpio : qoeat a
qazer carregar ou ir de penaren, dirrja-sa aa
seo consignatario E. R Rahello, roa da Cadeia a.
55. escriptorio.____________________________
rara o Rio de Janeiro
0 bem c.onhecdo e veleiro brigue aacioaai Al-
mirante, capitao Jos Moreira Maia, areleado se-
guir cora nuila brevidado, ten parle da sea ear-
regamenti promplo : para o reato qae Ibe bita
e sera vos a frete, para o quaes lesa exretieates
coramodos, trala-se cora es seas rnniif Hetien Aa-
tomo Luiz de Oliveira Azevedo di (L, ao sea es-
criptorio ra da Cruz a. i.____________"_________
Har Lisboa
O veleiro e bem condecido brigne portofoez
Concetcao de Mara, capitao Jannario Jos de Oli-
veira, pretende seguir rom muita brevMadr, tata
parte de su carregamento promplo : para o rose
que Ihe f.ilta tratase cora o seos roas
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C,
criptorio ra da Cruz n. 1.

.
Para o Porto.
Correio geral.
Pela adrainislraco do correio se faz publico qoe
as carias abaixo mencionadas deixaram de seguir
seus destinos por se a diarera mala com sellos
servidos.
Joao Gonzaga Jasmim de S (Goyaz).
Bibeiro, Guimares <& C. (Corte).
Ao da ierca-feira 13 do correte, (Inda a
audiencia do Or. juiz municipal da i* vara, se ba
de arrematar o moleque Ismael, por execuco de
custas, eocamiuhada contra Francisca Candida de
Miranda.
CORREIO GERAL.
Relacas das cartas seguras existentes
aa admiaistracao d> correio desta
ei clarados
Francisco Antooio Abren Pereira.
Francisco Aotooio Caroeiro Cardse.
Francisco de Melle Brrelo.
Goncalo Jos Alfonso.
Herculano Mamart Franco.
Joaquim Felippe da Costa.
Joo Pedro Collares Moreira.
Dr. Jes Ferreira Drovalle.
segu at o da 20 do correle o brigne portotjttes
S. Manoel I, capitao Cario! Ferreira Soares
no mesmo quizer carregar oa ir de pas*ageni,
rija-se a ra do Vigerio n. 11, escriptorio de X.
J. Ramoso Silva & Georos.
CJMP^H^ERNAMBCANA
aa
IVarcgaco eostclra a rapar.
Ara caj e escalas.
O vapor Parahyba, eommndaftle xearttas, se-
guir para os porto indicados no dia II ror-
rente as 5 horas. Recrber earga al o dia 13 : eav
comraemlas, passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da tarde do dia da sabida : escriptorio a
Forte do Mattos n. 1.
I*
Para a
preteode seguir com muita brevidado o
Dous Amigos, tem parte de seo cana
prorapto ; para o resto qoe Ihe Uta, irata-e coa
o seus eon.-ignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C, uo sea escriptorio roa da Cruz atv
mero 1.
milis.
/
cal, cuia, lenba em acbas,
cento.
As propostas devem ser apresentadas em cartas D- Luiza Anoia de Siqaeira.
fechadas, eeveado ser especiaes, j para os estabe- Luiz Vlanna.
Ifciraentos de caridade e j para os collegios de
orpbos, sao tambera aceitas propostas soraente
para a carne verde e para o pae e bolacha, tanto
do esiabelecimentos de caridade como dos colle-
gio de orphos.
Os pretendentes pdem dirigir-se a esta secreta-
ria as horas de seu expediente, aflra de colherem
as iiformafOs que jalgarero precisa, o no arto
da arrematado devem comparecer acompanhads
de seus fiadores, ou munidos de cartas deste, qae
(carao responsaveis pelo ioteiro comprimento dos
respectivos contratos.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia de
Recife, 7 de dezembro de 1864.
O esenvae,
r. A. Cavalcanti Cousseiro.
Cansaladu de Portugal
Era Peraara buce.
No da 13 do crreme mea tem de ir a leilo a
tab'rna do aoseuta subdito poriuguez Antonio Jo-
t Vieira Braga, sita na Lmgoela n. 7; previne-
te por consequencia aos devedores desle e-tabe-
leclincnto, que pelo consulado de Portugal era Per-
nambuco trata-se da arreoadaco de todos o; bens
do ubredito Braga, para que elles ve ao mesmo
consulado pagar seus dbitos, do contrario sere
a isso obrigados judicialmente.
Pela adminisiracae do correio desta cidade
THEATKO
S. ISABEL.
EMPREZA
GRR1AN0 k C0IUBR4.
1.V recit d^ assi^oatara
SADBADi, (0 DI DEZEMBRO DE 18f|.
Tere lugar a segunda repreentaco do graade
e magnifico drama acre, ornado de coros e de
lindas traasforraacoes, dividido em 4 actos e 8
quadroe
A VIDA, lljLAGIGS E MABTYRIO
SiNTA "CECILI4
PROTEC! rORA DA MSICA
te faz publico, que de'conformidade com o decreto Cecilia ,
PERSONAGENS.
D. Antonina.
OLYMPIO
Fax htilo amannaa -abbido 10 do romea, aa
< 1 horas, en >eu escriptorio aa roa da Casiasa da>
Recife a 26, primeira andar, de diversos escravee
de ambos os sexos. _______
LELiO
na
Imputantes dividas
Jos Izidoro Martins preposto
fara leilo a requerimento dos
nassa fallida de Joaquina Vieira CoHho
por mandado do Illra. Sr. Dr. jais upara! A
oiercio, das dividas activa da taaaata anaam
imporuocia de 81:661*114 rs.
Segaofa-feira 12 t carmle.
No primeiro andar do sobrado da roa da C
do Recife n. 48, s 11 horas, es minadiaaii po-
den examinar a r<-laco e eorneai
achara em poder do mesmo preposte.


2


WUD
10 barris com toucinho e 15
canastras com vastan has.
Segn, la-feira li do corrate.
O agente Pestaa por conu oV qoeat ertraoos
fari Icilo de '0 barr coa eacatteoJe taorNthae
24 canastras com castaabas ata lotes a
dos compradores: vgoada-feira IS
pelas 10 hora* da maobaa
defronte da alfandega.
a
%
LEILAO
Fazendas ovariodos
if
SeguntlH.feiral2de _
O agente Pinto far lettaa per
perteocer deTJrferento fatrw
sejam: aigodaoznhos, algedoes
toque de avaria : as II horas do dia
arntatem da roa da Caota a. 3*.

keii
O


a
yiT f>y*-*


\
V
.1>
Piarlo e **riia**a aaMreate *e *embro e 1S.
LEIIAO
M
100 barricas de farinha Bal-
timore
Segunda-feica 12 do corrale.
O agente Pestaa vender por coala risco de
quem perteacer U)0 barricas coui farinha de Bal-
timore de marcas acreditadas seodo 5o marca os-
tra fina e 50 marca Best Family, desembarcada
ltimamente, em lotes a vontade : seganda-feira
12 do correte as 11 horas da manuaa ao arma-
lera do Annes defronte da alfandega
LEILftO
Antonio V. da Silva Barroca far lellao de ma-
apoloes, alzodozinhos araados.
Segunda-feira 12 do correte ao meio
lia.
Em sea armazem ra da Cadeia a. 4.________
LEILAO
DE
Urna casa terrea na ra do
Pilar
Martins prepostodo a?ente Almeida (ara reilao
roqueriraeoto das administradores da massa fal-
lida.de Amorim Fragoso Santos & C, e por man-
dado do Illra. Sr. Dr. juiz especial do commercio
de ama casa terrea sita na ra do Pilar n. 3, em
terreno proprio, pertencente a mesraa massa
Tereafeira \ i do corrate.
Defroate da Associaco Commercial, s 11 ho-
ras do dia cima.
Precisa-se alagar ama boa casa cora bstan-
les commodos para urna familia estrangeira.-oe
bairro da Boa-vista, ou raesmo alfan sitio parto
da cidade, oom unto qoe aoja fresca, tenha bom
quintal e baoheira, agradando paga-se bem : a
tratar na raa do Trapicho Novo n. 1, primeiro
andar. _____________________
Aioga-se ama casa no Cachang ao p da Sr.
Jos Rodrigos, com 2 quartos, sala na'freute e
airaz, cozinha fra: a tratar na mesma casa.
Offerece-se uro rapaz porlaguez para criado
de casa estrangeira ou para embarcar: quem pre-
cisar annancie pelo iario.
nua Nova n 3*
gLoja de madama TheardJ
AVISOS DIVERSOS.
O padre Flix Brrelo de Vascooeellos tem
aberto uin curso particular de latim durante as
ferias, "em siia casa na ra do Imperador n. 35,
Este estabelecimento se acha boje mais
que nanea bem sorlido de objectos da
moda do aiellior que pode vir ao merca-
do e nao se menciona cada urn de per si
por se tornar demasiadamente enfado-
nho para seas numerosos freguezes quan-
do lerem o presente aviso pelo que limita-
se em lembrar algnns artigos, como se-
jam : chapelinas de dinas de palba de
Italia, de seda, de crep branco e preto
para lote, chapeos redondos de palha da
Italia amarella e de outras cores para
senhoras, ditos para meninos e meninas,
ricos caries da blonde, ditos de moreanti-
que de diversas cores, ditos de seda, as-
sim como Sodas de cores para se vende-
rem a covados, ditas escocezas, cortes de
vestidos pretos bordados a agulha, final-
mente uin variado sortimento de fazea-
das Anas e grossas, na mesma casa fa-
zem-se capas, manteletes, vestidos para
noivas, vestuarios para meninos se bap-
tisarem e ludo quanto pertence ao toilet
de ama senhora e recebe-se figorinos to-
dos-os mezes das ultimas modas de Pars.
m
. Sr. Antonio Jos Marques, que mo-
prlmeiro andar, rnente para a das* dos senho- i d padre Floriano n. 41, queira
res esludantes provectos que se quizerera prepa-
rar para fazerem seus eiames em marco do anno
vindouro.
Conpanbia da estarna de ferro
DO
Recife a Silo Francisco.
(LIMITADA.)
Festa na Tilla do Cabo.
Domingo 11 de dezembro.
Haver alm dos trens ordinarios as horas do
rostume, nm especial que partir das Cinco Ponas
para o Cabo ao meio dia e voliar do Cabo para
as Cinco Ponas a meia nolte.
Asslgnado-Richard Austin,
Superintendente Interino.
AttenQio.
Festa so'emne de Nossa SenUora da
Cooceicio coa procisso e lnzida
avaluada a Urde aa villa do cabo
no domingo 11 de dezembro.
Hotel do Cabo..
O propietario deste estabelecimento em razao
da concurrencia que espera que haja para esta
festa, tem empregado todos os meios ao seu alcan-
ce para poder bem receber os seas numerosos fre-
guezes do Recife para passarera este dia na villa
do Cabo, gozando do apreciavel baoho do Pirapa- rjc caixinhas e quadros
ma a 1< passos do hotel. De caixinhas e quadros
Preco de atrooto a jantar para ama pes'oa 33-
Precisa-se de urna familia capaz que
se queira encarregar da varrela e engora-
raado de roupa de hornera, tora toda a per-
feicao e aceio ; dirigir-se ra Bella, so-
brado de 2 andares, n. 37.
~
:r
AUTA-ATHNQI*
O esTivao da mesa regedora da ir-
mandade de Nossa Senhora da Conceicao da
Congregado para cumprir o que determi-
na o arl, 48 do comptomisso da mesma ir-
mandade, avisa a todos os seus carissimos
irmos para reuoirem se no consistorio da
mesma igreja no domingo H do corrente
mez as 9 hora- da manha, para em mesa
geral elegerem a aova mesa que tem de
funecionar no futuro anno de 1865._____
MADAlG
VIUVA RQUTIER
faz publico que mudoa seda sua residoncia da roa
Bella n. 29 para a mesma raa n. 39.
vir a praca da Independencia ns. 6 e 8
negocio de seuinteresse.
bss .,* a **
Lythographa de Albert Kiduux |
Ra da Cruz n. 46.
RECIPE.
Este estabelecimento antigo e mnito co- 8
B nhecido nesta praca lendo sido por falta g|
2 de empreados na obngacao da resino- mt
Kt gir os seas trabalhos durante algans me-1
I tes, acha-se agora em estado de execu- |||
55 tar os trabalhos os tris delicados qe m
SI se podem fazer em chapa de podra, assim 1
jg coma cartoes de risita con o retrato da fg
gS pessoa (moito em trae na corte) toda
I classe de desanos, mappas geograptcos
I e qualqner trabalho relativo ao commercio
| bem executado e por procos razoaveis.
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores o senhoras
Aviso aos senaoTcs e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
A*iso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhora.
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo serumente
Novo sortitneole -
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
3--WJA KSTREITA DO ROSARIO-3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar denles artifteiaes tanta per meio de,
artolas como pela pressio do -ar, nao fe-
cebe pana algumasem que as obras nao
nquem a vontade ie seus donos, tem pos
e outras preparaedes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
Precisa-se de ama ama para casa t duas
pessoas da familia : na ra estreita do Rosario n.
11, segundo andar. ';____________
Precisa-sa de
Imperador n. i.
um cazinheiro : na ra do
Caixinhas a 14500
Caixinhas a 1M00
Caixinhas a 1500
Caixinhas a 14500
Caixinhas a 14500
Caixinhas de 54 por 44
Caixinhas pe 54 por 44
Caixinhas de 5& por 44
Caixinhas de 55 por 4
Caixinhas de 54 por 4
Receberam-se 10 mil caixas
Reeeberain-se 10 mil eaixas
Receberam-se 10 mil caixas
Receberam se 10 mil caixas
Receberam-se 10 mil caixas
CarlSes de visita
Cartoes de visita
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C
Agenle* do Banco l'nio do Porto.
Competentemente aulorisados sacam por lodo
os paquetes sobre o mesmo Raneo para o Porto s
Lisboa, e para as seguate agencias.
Londres sobre Banh of London.
Aos 6:000*000.
Seita-feira 16 do corrente mez, seex-
trahir a quarta parte da decima lotera
(120') a beneficio da matriz da Boa-Yista,
no consistorio da igreja de Nossa Senhora
do Rosario da freguezia de Sant > Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
renda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000^000 at 100000
ero pagos urna hora depots da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguate depois da distribuico das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andart por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharo como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fnso, cb amado por escripta
m\ a mma
AOS 10:000.000
Bilhetes garantidos
A' raa do Crespo n. 23 e casas do costme
O abaixo assignado vendeu nos seas
zes bilhetes garantidos da lotera que
de extrahir a beneficio da matriz d
ta, os seguales premios:
Um miiio n. 1047 com a sorto de 6:0005000 .
Um inteiro n. 2538 com 1:4005000
Um iateiro n. 1511 500500
E outras muitas sortes de 1005, 405, W5 e 105
Os possaidore podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da ultima parte da ter-
ceira e primeira da quarta lotera a beneficio do
taeatro de Santa Isabel, que se extrahir no dia
19 de dezembro.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios......... 65000
Coartas........ 35000
Para as pessoas que comprareis
de 1004 para cima.
Bilhetes...... 115000
Meios........ 55500
Quartos......, 24750
lianoel Martins Fiuza
******-*:!
De ordem do film. Sr. cipuao presi-
dente da rmandade de N S. da Concei-
cao dos Militares, convido a todos os nos-
sos irmaos aflm de assistirem nao s a
festa da padroeirajio dia 11 do corrente
como a da Senhora Sant'Anua ao dia 18
mesmo.
Consistorio da rmandade de N. S. da
Conceico dos Militares 9 do dezembro
de 1864.
O secretario,
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos'
Aluga-se urna casa em Beberibe, do porto da
Madera, a belra do rio, com 2 salas, 2 quartos,
cozinha fra, muilo fresca, e concertada de aovo :
a tratar na roa Dlreita n, 09._____________^
Precisa-se de um amassador: napadaria
em Santo Amaro, atra da fandicao do Sr. Starr
Fugio da caa do major Antonio da -uva
Gusmo o sea escravo pardo de nome Luiz, conhe-
cido por Luiz Monteiro, Idade 24 annos, pouco ^
mais oa menos, bstanle alto, seeeo.'btjm parecido,' parige5 e vsta
pernas compridas, cor clara, cabellos cachiados.ca-, Qartges e y^'Sjla
uhoto, e o principal signal lar am cima de cada Qarles c VjSjta
mo urna estrella azal e tres pintas tambera aznes, j '
formando urn triangulo en cada lado do rosto,
official de pedreiro. pintor catador : portanto
loga-se s autoridades policiaes, assim como aos
senhores de engenho e propnctarios aonde elle for
trabalbar, intituiando-se forro, tanto nesta provin-
cia como fra della, qae o faca prender e remet-
ler ao sobredito senhor, qne pagara todas as dts-: ge"a ^ 11a
pezas, assim como a quem o conduz.r dar urna A galena MmM
boa gratificacao. _^________^__
a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A galera est renovada
Na ra dos Pires n. 24, precisa-se
eserava boa cozinheira, paga-se bem.
de una

T
1SN
J
Francisco de Pauta Pereira, subdiio porlu-
4 guez, vai a Lisboa tratar de sua sande. ______
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na
ra da Praia n. 2._____________________
Precisa-se de um amassador : na ra estrei-
ta do Rosario n. 5._____________________
Ao amanhecer do dia 20 de outubro do cor
rente anno de 1864, furtaram do cercado do en-
genho Aldea, da freguezia do Rio-Formoso um
quarlio de carga do mesmo engenho, o qual
ruco pombo, grande, castrado, nao nevo, tem no
olho esquerdo urna belide, e pouco ou nada v
pelo dito olho, tem um callo velho no espinhao,
lugar em qae leve ama bexiga, levou o topete cor-
lado rente, carrega baixo, e tem estampaao no
lado direito da anca o ferro do engenho em lettras
maiusculas como aqu se ve A LD E A. Adver-
le-se que os cavados assim ferrados, nao sao tro-
cados nro vendidos, e os que forera encontrados
som ser servico do mesmo engenho sao fua-
dos, o devem ser apprehendidos ; porlanto roga-
se s autoridades policiaes, e mesmo qualquer
pessoa do povo, que sendo encontrado* ditos ca-
vallos sejam apprehendidos e remettidos ao admi-
nistrador daquelle engenho ou ao abaixo assigna-
do proprietaro de mesmo engenho. que reside na-
cidade do Recife, ra do Hospicio n. 50. Cidade
do Recife, 26 de outubro de 1864.Caetano Jos
da vilva Santiago. '_________^^
muito feli
se acabou
da matriz da Boa-Vis-
Attenco
Srs. redactores do Diario de Pernambuco, ven-
do eu era seu bem conceituado jornal de 29 de
novembro prximo Ando, um annuacio firmado
pelo !>r. Domingos Vaz da Costa Agr, solicitando
de um Sr. Antonio Goncalves da Silva, tres letras
de 1:5005 cada ama, firmada por Gonzalo Gomes
de Souza e mais recibos e documentos, qae em
confianga tinha-osentregues ao referido Antonio
Gongalves da Silva e como dito annuocio se possa
entender com o meu amigo o Sr. Antonio Goncal-
ve* da Silva proprietari e negociante morador em
Santo Anto e para arredar qualqner suspeita que
possa offender os brios e reputacae daquelle se-
nhor peco a Vmcs. que se digne transcrerer estas
quatro linhas em urna das columnas desea uiarto.
Wenceslao Machado Freir P. da-Silva.
Recife 3 de dezembro de 1804.
Acha-se fgido desde odia 7 de fevereiro do
corrente anas, o eteravo do nome Paustlno, de
idade de 40 annos, poaco mais ou meuos, cor fu-
la, ahura regular, grosso do corpo, bem espadan-
do, barbado e j com alguns eabellos braneos na
barba, bracos o pernas grossas e bstanle cabellu-
das, tem as pernai arqueadas, porra nao muilo,
bastante cabello nos peitos, e costuma quando quer
fallar mais apressado como qne gagapjar, porm
muito pouco que mal se percebe costuma andar
em sambas, e as Tazas ernbriaga-se por gostar da
bebidas espirituosas ; suppde se que elle seguio
para o centro, talvez era basca dos sertfies : aor-
lanto rogase s antoriuades policiaes que o facara
apprehender e conduzilocasa desea senhor ma-
jor Antonio da Silva Gusmo, na ra Imperial em
Pernambuco, que satisfar toda e qualquer despeza
que por ventura fagam, e aos capies de campo
offerece urna boa gralificagao.________________
Hoj~9~dd dozembro da 1S64 fugio do casa de
seu senhor o escravo Herculano, pardo escuro,
com 35 annos, alto, cabellos carapinhos, olhos e
orelhas pequeas, tem apenas blgode e pera, per-
na e andar de quebra mangue lendo o p esquer-
do torio e sahido para fra camopata deseri e por
isso pucha alguraa cousa pela perna auando anda,
levou vestido calca branca remendada e camisa
branca, levando na caneca chapeo de palha, ron-
duzio igualmente toda roupa que possae, suppoe-
se andar aqui mesmo pela cidade : quem o pegar
leve-o a roa Direita n. 54, que ser generosamen-
te recompensado.________________________
Jos de Castra Redondo vendeu aos Srs. Pau-
lino Ferreira da Costa e Joo Pioheiro da Rocha,
a sua taberna sita na ra da Penha n. 33, livre de
dbitos e desembaracada de qualquer onus, se al-
gemsejulgarcom direi a nalquer reclamaco
com pareja no mesmo estabelecimento no prazo de
3 dias.______________
Francisco de Paula
guez, vai a Europa.
A galera est renovada
A galera esta renovada
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Con lindas e variadas vistas de fundo
Cora lindas e variadas vistas de funda
Com lindas e ariadas vistas de fondo
Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lindas e variadas vistas de fundo
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A' ma do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n.38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n.38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra d~Injperador n. 38
Frederic S. Ballin & C.
Joo Gabe & Filho.
Francisco Rahoba 4 Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Angra Terceira. Figueira.
Paria
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vei. Castello Branco. Guimares.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilha. Lamege.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. MoD^0_
Braganca. Evora. ^
Faro. Fafe. Mowcorva.
Oliveira d'Ase- Pinhal. Regoa.
meis. Porto-alegre. Seiubal.
Penafiel. Thomar. Vianna do
Tavira. >Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Porlimao. Villa .Real.
Villa Real de Viieu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
NO'IMPSBIO.
Baha. Maranbao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesrao
Banco a razio de 4 por cento ao anno
na raa da Cruz n. 1.
a tratar
Pereira, subdito portu
ATTENG&0.
Convida-se a todos os irmos da irmandade
de N. S. da -oledade da freguezia da Boa-Vista,
para urna reuna domingo 11 do corrente, pelas
10 horas da manha,. para o fim de elegerem a
! nova mesa que deve reger a*mesma irmandade no
prximo anno de 1865O escrivo interino,
Manool Ferreira Ramos.
Josebedeo Manas de Almeida participa ao res-
peitavel publico que despedio-se da casa dos Srs.
Quinteiros & Agr, ese acha estabelecido com ca
ta de armador no boceo Largo n. 1, e ahi estar
sempre prompto para tado que for de sua prois-
se. O mestr encarrega-se de fazer enterros, to-
mando a seu cargo vestir o corpo, armar a eca
ou urna, contratar a msica e os padres, e igual-
mente os carros fnebres e os de passeio7 e ludo
mais que for preciso, a contento dos donos do en-
terro, e por menos do que em oalra qualquar
Parte-_________________________^___
Agostnho Antonio da Silva, subdito.
guez, retirase para o Cear. __
- Precisa-se de uin caixeire para taberna
ra do Alecrn) n. 2. __
O Sr. J. Krause que moroa em urna das es-
tacos da estrada de ferro, e que de presente di
em se mudara para o Afogado, tem ama carta de
importancia nesta typograpbia.
O Sr. Joaquim da Silva Campos qae mora
as proximidades da povoaejio do Afogado, pede-
se quando vier ao riecife, appareca na livrana ns.
6 e 8 da praca da Independencia, que se Ihe pre-
cisa fallar. _________________________
Alnga-se urna casa na roa de S. Francisco,
em Olind, proprla para quem qnizer tomar ba-
nhos salgados : a tratar na ra do Encantamento
numero 11.
A. W. Osborne.
Pnbllcac* Iliteraria.
Saho luz o opsculo intitulado
A LIBERDADK
NO
BRASIL
POR
O Dr. Carolno Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na raa do Impe-
rador n. 17,2o andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da noite
para o exercicio de sua proBsso de me-
dico ; seodo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixades por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do Interior, prosegue, com o
maior affinco, no das mais diffieeia e deli-
cadas operac5es. como sejam dos ergios
ourinarios,do5 olhos, partos, etc.
na;
de
Pallarla.
am amassador
na roa Direita
COIlUMM
DE
Precisa-se de ama mulher para sarvicos de
ama casa de pouca familia : na roa da Cadeia do
Recife n. 31 se dir quem precisa.
Aluga-se o primeiro andar e loja de am so-
brado na ra da Penha, proprio para negocio, por
barato prego : a tratar no segundo andar.
"Estrada de ferro.
Pede-se ao chefe do trafico para que nao seja
s seas alhadesque gozem de pesar-se os saceos
vasios, e as mais partes contados ; assim pede-se
a igualdade para todos.________
*^-_Precisa-se de urna ama.para todo o servico
de casa de pouca familia : na travessa da matriz
de >aato Antonio n. 8.
Seguros Martimos Utilida-
de Publica
A dlreecaoena eomprahia paga o 11 dividen-
do a razo de 285 por accao, no escrptorio oa
mesma, ra da Cadeia n. 42, todos os das uteis
das 10 as 4 horas da Urde.
Recife 9 de dezembro de 186*.
Os directores
Feticiaiw Jos Gonwe.
Domingos Rodrgaos de AnUradc
Dividendo.
Massa fallida de Anorina Fragozo San-
to* k G.
Os administradores a'stao autorisados a pagar o
1 dividendo i* 5 por oento, devendo porra rea-
lUar-se do dia 2 de Janeiro prximo em diante, em gou, e qae at o presente nada ha resolvdo, ape-
virtUde de ordem do pial. Sr. Dr.juiz especlT*} xar dse loe laraedido por varias vezes, pois fa
ejramereid. pagamento ser fetto de mel da xem de qoatro a*%lnco annos que tomou posse de
as 2 horas da tarde, no escritorio da ra do VI- dito papel. Espera-se que nao se descuide, poi* do
gario n. 2', primeiro andar. contrario veri o seu nome por extenso.
Para a festa.
Aloga-se am sitio na na do Cabral da ci-
dade de linda, cora casa terrea, cora co-
piar oa frente, bota os fundos para a estra-
da e margena do ro Beberibe, cota com-
modos para familia, estribara para cavallo
e capias para sustenta-los, arvoredos de
fructos, sem visinho defroate nem pele
fan io, com ptimos passetos, sala e gabi-
nete na frente, mnito propria para passar a
festa, e tambem se alunar por anno : a fal-
lar no Recife, aalivrariari. 8 e8 da praca
da Independencia, e em Olinda na casa con-
tigua'com o capito Antonio Bernardo Fer-
reira. __________
Precisase denm caixeiro com pratica de ta-
berna1: a tratar n roa daCfeW o Recife na-
mero |3.
Rogase ao Sr. S. T. B. o favor de entregar
o papel e sabscrtycao a favor da vi uva de Jos
Francisco da Costa Guimares de qae se enearre-
Precsa-se
numero 9.
Precisa-se de um caixeiro que entend per-
feitamente de molhados, seja fiel, intellgente, e
saiba desempenhir saas obrigacoes, despachando
o expediente da casa na ausencia do pat*3o ; ten-
do as habilitacoes exigidas e daolo fiador a sua
Ixendueta, nio se pora duvida dar-se um tarco nos
lucros : quera jalrar-se com as nabilitaedes ne-
eessarias deixe carta fechada nesta typograpbia
eom as iniciaes B. B. B. para ser procurado. Pre-
vine-se que caixeiros para encher nmeros nao se
precisa, pois ha de sobra. M.
Antonio Goncalves da Silva declara ao Sr.
Domingos Vaz da Costa Agr qoa pod mandar
buscar os documentos ou ttulos de que falla no
seu annuncio .ueste jornal do dia 29 do prximo
passado, e que se a mais tempo sao os entregos,
foi porque o senhor nunca os procurou, e qua as
teodo por favor guardado s a sua pessoa os que-
na entregar, como de faci o far araanha, das 10
as 11 horas do dia, na ra da Imperatriz n. 78.
lima pomada!...
Sr. Veame: o sea Juito naufragoa; desde
que!!... E 'iuetn lio sabio na medicina como o
senhor, deve ganhar muito dinheira com a poma-
da do seu veame. A riaeira aceita a ledos quan-
to l vio; que tntrltgencia rara de boticario, fax
lastima III Responda, senhor,
Ao medica.
v
Qoem tiver um molegu de 14 a
para alagar, drija-se a raa da Cadeia
meiro andar.
A luga-se
o tereeiro aniar da casa da roa Direita n. 36, o
qual tea eomraodos para grande familia : a tratar
no segundo andar da mesma casa, oa no Reeife na
ra da Cadeia n. 3.
"^TAinda est para ser vendido o sitie? tra-
vess do Remedio ra freguesa os Afogados n.
21 : quem o pretender, alrija-se a roa de S. Fran-
cisco, sobrado n. 10.
Affonso de Albuqutrque Mello
Convdam-se osassignantes a mandaren receber
seus exemplares na praca da Independencia ns. f
e 8, que sero entregues vista dos recibos das as-
1 signaturas ; ahi tambem esto exposlos venda a
35000 cada um. Sao sab os seguintes ttulos as
materias de que se oceupa :
Introducciio.Nocao da liberdade.O Rrasll co-
lonia.Revolucao de 1817A Independencia.A
consltulntAconstituicaoA revolucao de 1824.
A expulsao ou abdcacao. A regencia livre. O
partido regressisia. -Ameaca dos corcuodas e que-
da dos livres. A regeneia corcunda.Causa dos
males da regencia livre.-Regencia corcunda e
maioridate.Principios do reinado de D. Pedro.t-
Revolta de Minas e S. Paulo.Dominio da Praia
Luzia.O dominio liberal nao inquietava os cor-
-------i cundas.-HFeu>8 do dominio liberal.A praia eChi-
portu-, chorro-senatoria.-A revolta o a revolucao de
; 1848 A constituinte.A constituinte.Derrota
da revolucao. Negoelcao de Honorio com osjibe-
raes : traidores. Venda da baodeira da cons
tituinte.-O particMiliberal durante os quatorze- an-
nos do chamad ostracismo.Os corcundas es
liberaes durante os qnatorze annes.Captiveiro re-
signado e voluntario des liberaes durante os qaa-
torae anuos.0 povo corcunda, ou os vermelhos e
i os sabios.A situacio propriamente poltica.Ins-
titulces livres, e direitos polticos que tivemos
at o fim da regencia livre, e o que actualmente
temos em lugar delles.Os representantes da na-
co c das provincialSituacao administrativa.
O'qae sao nella os Portugaezes. Como o gover-
no abrigado a corromper o paiz e a fazer-lhe
sempre maior mal.Come se multiplica e se paga
a cliettella, do favern para sustentar-se o impe-
rio corcunda.-O procnsul.O procnsul da co-
marca. Dos cargos, dos crimes e da ponico.A
justica'-Juiz8>.manicipeB.Juizas de direijo,-,
Trlbanaes.Os das RelagSes Tribanaes do Com-
mercio.Supremo Tribunal de Jasti?a.O ]ory.
Os advogados.Coaclusao. Garanta dos direitos.
A oral publica.Dos rimes.As eleicSes.
Corollaro da obra saquarema.O que a pa-
rta. fitoacie par com extenor. Sitoaeae
financeira. Aa flnanoas do estado.A miseria.
Pergo o salvamento dos corcundas.A liga-
Como se congregam os elementos para etta.Con-
sideraoieanetrospectivjB. A constituinte. Prepa-
ros aniocedentes.-^telHaeao e opposicao parla-
mentar. Monu a liga.O que sanos Maraes na
liga.Que ben fario O liberaes ao paiz.O pro-
:resso.Seus feitos.O qoe o progresso e que
ara.Como se deve ver nesla trra echegada
lo progresso. -i-Pbrque o progreao s ven eow-
Stetar nossas desgranas e som mais remedio.Se
a salvacao para nos qual serla o meio e bem f-
cil. -Resumo.-A's cinco provincias pernambuca-
as. -Hstorieo e plillca eorcuiM.Be que pro-
vm a miseria. Como se corrompe na leicao.A
restricao da Hberdade apar*) progresso da immo-
ralidade.Corollaro.
Trilhos de ferro do Recife a Ateos.
Tendo do fer-se para Europa a eBCommeoda
do material para a emprezados trilhos de ferro do
Recife a Apipuco, o abaixo assignado pede a to
dos os senhoros correctores que esto agenciando
accionistas para a mesma empreza, o favor de
mandarem at o dia 10 do corrente mez no escrp-
torio da ra do Imperador n. 85, segundo andar,
a relacjfo que cada um tero em seu poder, com os
nomes dos accionistas. Recife 7 de dezembro de
1804.Antonio Luiz dos Santos.
CoosalterU medica-chWgieo na ma larga do Ro-
sario n. 20.
O Dr. loao Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exerelek) de sua profissae,
nao s na parle medica como tambem oa chirur-
gica.
A Mouwtu oa
ral corleada palo
ero/irte i m M
prevalecenles e
ha em toda a
pnfennidades de
genero humano: disse
brn earriptor da
ais de ma terca
todos aqoeBes qae
da velhice to victiaaaa, i
la oa indircrloa oa
la :por ai sao
"activa, porm a prmripol
ras outras enfermidades qoe i
ramente attribuidas.
E' ama causa directa oa
mamar, das molrtiias fijwm,
go e affccfde do cerebro: Entre oa
numerosos symptomaa rl
tes : falta de appetitt ; stmkimm* pml-
lido e s vezes inchado, s vrset e oaao
altura transparente e outras corado t m-
martenlo ao redor da bocea ; frmamnm a
molleza nos msenlos: difestm frmtm r
appetite irregular, falta de energa,
inchado e evncuaco irregular ; QUM
mal tem seo assento sobre os
cor azulada raoslra-s* em roda
quando ataca os orgiee
tornam-se arenaemadoa: hlito ftno,
a lingua carregada, dores de cakoea, tam-
teiras ele.
as pessoas de daipoeiyao eacraaaaaaa ao-
parecem frequenteraente crupres aa palo
da cabeca e outras partes do corpo, t pro-
disposlas s affeces dos pmkmitt, do /apo-
do, dos rins e dos orgos difreotioaa o oOa
rinos. Portanto, nao aoaaente,
que padecem das forma mkeromns e
culosas da escrfula qoe neressiloai
teceo conlra os seus estragos;
quelles em cujo sangue existe o faro I
te d'este lerrivel flageiio (e as vezs
ditario) esli exposlos tamben a aoflrai
enfermidades que elle causa, qoe sao:
A phhysica, ulceraces da
lomago e dos rius : trapenes e el
des eruptivas da culis ; rosa oa
borbulhas. pnslulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos. ulceras e tkagsm. rktm-
matimo, dores nos ossos, nm costas t um
cabeca, debilidades fe mininas, plores
cas causada pela ulceraco interior, t
fermidades uterinas, hidropesa.
Ido, enfraqtiecimento e debibdade
Aos pulmoes a escrfula prfwlus
los e finalmente consnmpfo pahmoumr
as glanalas ella produz im-liacaa e I
se ulceras: nos orgaos li
desarranjos qoe produzem
pepsia, molestias do f gado a aos ras :
na pelle produz erupces e
neas.
Todos estes males tendo a
gem, carecem do mesmo reaaedn: a
ber : purificar e fortalecer o sangr.
A aaloa parrllha e Aje*
composta dos antdotos mais emrazes ^
a sciencia medica tem podido
para esta m lestia assoladora e para a
de todos os males provenientes Tala
contm virtudes verdadeiramente exl
uarias provado incontestaveiaaeale
curas nolaveis e bem conhecidas qae loa
feto de tumores, erupces cutneas, trm-
pelos, borbulhas, nascidas,
ulceras, r he unta, sarna, paret
sia, tosse quando cansada por dtposee tu-
berculosos nos pulmoes. Demli>tade pa-
ral : Indigesto, Sgphilis consta
^molestias mercariaes, molestias das
res, ulceraces do tero, a nevralga a
vulcoes epilpticas e era saoema, inda
de enfermidades qne nascem da
do sangue. Vede as certidoes no Al
nack e Manual de sade do Dr. Ayer
se distribue gratuitamente nos logares o
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de tongas e
riosas experiencias, e ba ahondantes
das suas virtu les: posto qoe
ao publico sob o nome de Snlsa parrilha,
composlo de diversas plantas, algoaaas das
qaaes sao supe ores a metbor salsa parri-
lha no sea poder alteran*.
PEiTOBAL DI CIMJA M I1DL
Cura promplamenle a asthma, broochite.
tosse, defluxo, ao
phthysica primaria,
pulmonares. e
molestias
Cas-
is annos
53, pri-
Desapparecou do sitio defronte 4a fabrica do
rap n. 40, um mutura com os stgnaes seguiatas :
bico encarnado, no fim da-titata car da cate: quera
o tver achada e queira restituir, leve ao'dllo sitio
que ser recompensado.
O portagmt Albino Raptista da
Rojea, relojoeiro e dourador na4
praaa da Independencia loja n. if,
faz qoatqoer concert mais barato
4o ao entro qoalqaer e responaa-
bHisa-se pelo seu trabalho, espera
roineio de seus compatriotas.
rrattiisco do Paala Pereira, sab* portu-
guez, vai i Europa.
Precisa-se de urna ama secca forra ou capti-
va para o servico interno de urna easa de pouca
familia : na ra do Principe n. A '.
Precisa-se de am criado forro oa captivo pa-
ra o servico interno e externo do gymnaslo pro-
vincial.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, d
e dos pulmoes podem ser curadas a
co lempo pelo peitoral oc caarja
A1ER.
A' venda as principaes boticas e
ras do imperio, e na afeara
Rio de Janeiro roa Dimita n. 15.
Veode-se em
ma pbaraiaela ffi
P.MAURER
RA NOVA
AC.
W. 18.
Ama.
Precisa-e de urna ama para o servico interno o
externo de ama casa de pouca familia : na raa da
Senzala Velha n. ti, segundo andar. _________
Um carro.
Urna pessoa que rera-se boje para o mato com-
pra na narra de 4 radas o 4 aeseiftos que seja
mesmo americano : a tratar oa ra do Livraaen-
ta n. 34. ______________________
Precisa-se da ama ama qae saiba cosiohar
para casa de penca familia : no caes do Ramos
n. 4. .- J___________
Precisase de ama ama para engonanur : no
Passeio Publico n. 5 loja de fazendas ou na roa de
deaahs.
eoai-
Imperadsr n. 63, loja
Prijcisa-se alujcar ama ama que
nhar; na roa da Imperairi n. 17.
saina
Uol rapaz uortug^iet com pratica de caixeiro
pnoeipalmelo de lahorna offerece-se para qual-
quer esubeieciraenhs dando dador a sua eotjuo-
ta: quem precisar procura na roa do. *
n. 19. 1
!
COLEGIO DE S.
JOAQUIM.
As aulas deele tStnmm tmtemomm
rante as feriase tem anorisie a I* *
dezembro : oa Srs. qne
zer seu exane em urea
mesmo oeltogio- n I
de matricula, assii
urna lisia come omes Oes Sr*.
e as horas-em ama de van fa
kol*S.
mm Proetaa-so de un cwwlmire
ga-se bem agradando: na roa da
O.J6, erik anear, m 8 m t
EsU ainda para litar ama
Bemhra junio a sent da
do paralami Ua, baoho,
alogael de 1301 por anno
sario aw, 36- ao Oir qoem alega.
-Nasneaial
a 33; compram-se obras de
precioaas, assim como o faa
coeunenda, e todo e
Preeisa-se de urna ama para casa de hornera
solleiro: na roa goQoeimado a. 47.___________
Precisa-se de um menino para caixeiro de
taberna : a tratar na roa da Cstovello B. 15.
Na Na Velha
11900.
Atten$o.
a. 1) lavase chapen 4o
Cbill
Pr*cia-sa alugar urna ama para eaeoumtr
e .cozinhar, que .preste-se a comprar ". o* rita da
Gildeireiro n. 11.
D.-se 1:100 eom hypotheca em orna easa
terrea ti'sttx cHade : qoem pretender anflonoie.
Unlao e Vlrttrito.
Sesso hoje (lOj as 6 horas da tardo,
,
<



otarla de PnruBkMt Sabbada 10) de Dezembro e 18 4.
Saude dada^klodo o mundo.
Pelos precies! ajjj Lta Srs firimaull A
C, pharmaeeejjp mmT' P1"'0*'!* Na-
poleao, ra te UnKe 7 en Pars.
Porque os Srs. mdicos e o publico usam de pre-
ferencia dos medicamentos especiaes dos Srs. Gri-
maull & C, pharmaccuticos era Pars, rom os qaaes
elles tem sempre oblido as caras as mais exiraor-
dinarias T
1;* Porque esto casa sendo sera contradlta a
mais importante de Pars, honrada com a chentella
de ama parte da corte, patenteada por S. A. I. o
principe Napoleao s vende productos de urna efi-
cacia recenhecida.
S.* Porque esses medicamentos representara as
mais recentes conquistas da medicina e da ca-
mica.
3 Porque tem todos um gosto agradavel, salis-
fazem a vista, e podara ser administrados sem pe-
rico, tanto s maneas como as pessoas adultas.
4. Porque elles differem inteiramente desses re-
medios inglezes e americanos, preparados por in-
dustriaes estrannos, tanto a med :na como a pfar-
macia, dos quaes nao tem nem a sciacia nem os
litlos.
5. Porque estes medicamentos s se applicam a
um numero limitado de doencas, e nao as curam
todas, cono os remedios de que acabamos de fal-
lar ; emflm cada producto lera sua applicaco par-
ticular.
Por isso pensamos prestar um servico a todo o
mundo, indicando aqui as importantes propieda-
des dos principaos medicamentos dos Srs. Gri-
mault A C.
\arope de raifor lodado.
Emtiregado com successo certo em lugar do oleo |
e ligado de baraiho, tao desagradavel, to diffl-
eil a digerir. E' o especifico o mais certo contra
as escrophulas, o lymphatismo, a moleza das car-
nes, os humores das enancas, a papeira, os rheu-
matismos, o escorbuto, as afierres da pelle, as
molestias do peito.
Todos os mdicos de Paris o empregam como o
depurativo o mais poderoso, e o recommendam era
lodosos casos que precisa-se corriglr a acrimonia
do sangue, e dar-lhe todos os principios vitaes que
perdeu, seja pelos excessos. pelas affecedes lym-
phaticas, escrophulosas, e venreas.
Varopc de quina vcruicllia fer-
roglnoso.
Ou associacao dos dous poderosos remedios da
materia medica que sao : o ferro um dos princi-
pis elementos de uosso sangue e a quina que o
Inico e o febrfugo por excedencia.
Este delicioso medicamento ag-adavel ao paladar
e a vista, tem um resultado admira ve I as flores
brancas, dores de estomago, falta de appelite, po-
breza de sangue. Elle sobretudo ntil as senho-
ras e as mocas delicadas, para desenvolver e re-
gularisar a menstruaco e suspender os effeilos
perniciosos das flores brancas, que sao a causa de
tantas doencas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
das forcas e da saude para os doentes enfraqueci-
dos pelo tratialho, os excessos, as aflecedes escro-
phulosas ou venreas.
As mais de familia acharao neste xaropo um me-
dicamento sem igual, para fortificar c desenvolver
o systema ossio das crianfas e os preservar das
afl**$s,t>scro|ihulosas.
Elixir digestivo de pepsina.
Delicioso licor que oceupa o pnmeiro lugar en-
tre as novas conquistas da sciem-ia, a pepsina pos-
sue com efleito a propriedade importante de fazer
digerir os alimentos quasi sem soccorro do esto-
mago, o remedio soberano das gastrites, gastral-
gia;, das iiiflammaces do estomago, dos ligados e
dos intestinos. Elle supprime os gazes, as nauseas,
as pituites, o desgosto dos alimentos, e presta urin-
eipalmente um inmenso servico as senhoras n'uma
poslcao interessante da qual supprime os vmitos.
As pessoas que padecem de cancro no estoma-
go ou nos intestinos, verao sua vida prolongada
pelo uso do elixir de pepsina, e os velhos e cunva-
lccenteso sustento de sua saude e o reparador de
suas forcas; porque com una boa digesto sempre
se gosa de boa saude.
Xarope peitoral de S. Jorge.
Novo especifico, sem opio, reconhecido como o
melhor medicamento para curar a tosso. defluxo,
catarrho, grippa, irritante do peilo, angioas, dores
de garganta, coqueluxa[etc.
Este deicioso xaropo popular em toda a Franca
foi descoberto pelos monges da abbadia de S. Jor-
ge, no Anjoive actualmente preparado pelos Srs.
Grimault C, nicos proprietarios da verdadeira
receila. Recommenda-.-e aos doentes que usem ao
mesmo lempo das deliciosas paslilhas peitoraes ao
sueco de nlface de loureirocereja dos Srs. Gri-
mault & C, este excellente remedio composlo
om as duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo tempo as mais inolTensivas da materia me-
dica, e nao contera opio.
Injeceo e capsulas matico.
E^tes dous productos que constituein a mais re-
cente e a mais importante mediacao para curar os
corrimentos e as molestias veneraes do homem e
da mulher, sao exclusivamente vegetaes nao con-
tera mercurio, e sao preparados cora as folhas do
malico arvore do Perou. Nao ha molestia conta-
giosa aotiga ou recente que resista ao uso desses
dous raeios. Sua rapidez de aeco superior a
tudo quanto se tem feito at hoje. As capsulas
nunca cansam o estomago nem os intestinos como
as capsulas de copahyba, rubeba e outras; a in-
jaccao nunca produz o eslreitamento como aconte-
ce com as Injeccoe com base metlica aconseja-
das at hoje.
Todos estes productos vendem-se as principaes
pharmacias do Brasil, agente para vender por ata-
cado, no Rio de Janeiro, E. Chevolet, em Pernam-
huco, Caors & Barbosa, na ra da Cruz n. 28, na
Baha, Lima & (ranos e em todas as boas phar-
macias do Brasil.
Deve-se exigir sempre a assignatura Grimanlt &
C, por que ha faisiticacoes perigosas.
Vende-se na botica fraoceza ra do Imperador
n. 38.
0
Inimzeiii de motilados
a SI-RA DO IMPERlDOIt-81
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
Francisco Jos Leite, tem a satisfazlo da avisar aos seas fregaezes e ao respeitavel publico que
estando rtstabelecido de seas ineommodoe de saude, acha-se novamente eom um bello e bem sortido
armazem de seceos e molhados primorosamente seolhidos como sempre caprichoa ter das melheres
qualidades, e francamente afflanca s pessoas que se dignaren) comprar em sea estabelecimento que
alli de preferencia a outra qualquer parte sen mais bem servidos, em qualidade e preces, como em
pesos e medidas, no que sempre o anounclame oi eseropuloso, em summa, nao illude a pessoa al-
guma. *^
Aos Srs. de engenho e lavradores que o queiram honrar como seu comitente Ibes assegura que o
producto de sea labororieso trabalho ser o mais bem reputado no mercado desta praca, para o que
se julga convenientemente habilitado pela longa pratica coramercial que tem exereido, sendo seus por-
tadores despachados com presteza depois de ter fielmente camprido saas ordens.
Fornecer gneros aos Srs. agricultores e negociantes que Ihe raerecam esnfianca, fazendo um
abate vantajoso aos que pagarem a vista saas raercadorias, e encarrega-se da venda de qualquer ge-
nero do paiz mediante ama mdica commisso, otregando de prompto sea producto, e sendo este ap-
plicado a compra de gneros em sen armazem, prescindir da commisso.
Dos seas antigos e benignos freguezes espera o annunciaote sua valiosa proteccao, freqaentando
como oatr'ora saa casa, e pelo reeonhecimento que Ihes tributa oflerece espontneamente seus ser-
Ticos.
Julga desnecessarle publiear a tabella dos procos de seas gneros : sao seos recargos garanta
sufflcente de poder acomponhar os menores precos de idnticos e mesmo de mais apparatosot esta-
belecimeitos, tende somente em vista o augmento de saas vendas diarias.
Prevenco necessarla
Tendo sido o proprietario esUbelecido muitos annos com o mesmo ramo de negocio na mema
ra, julga prudente advertir que s affirma e se responsabilisa pelo que tem declarado no que disser
respelto ao armazem
OVSKI.IIO
DE
Attencao
E ehegado a nova loja de miudezas de Maaoel
Joaquim Das & C., ra da Imperatriz n. 78, que
|nj o lampio na segunda poru, por baixo do Sr.
Dr. rilaoga, um completo sortimento de objeclos 6
de gosto para senhora, como bem: ricas ti velas ^mX!aL salho:.^Js oom'dade nos ps
.-:_.' ,.:.-. ..___,' ~r? mirpauz a graodd maioria das mo eslas a Mn>
Deixai que os Hunos da civilisacao vos preguen
economaparaos psII Esta parle do corpo
humano por certo aquella que, neste clima ne
de tartaruga para sintos, ditas douradas eravadas
cn.aedr.oha. espeei.esem goTloTe^eaTh!: ZTnzsTsl^T^^llV ""'
gleza, gosto propriamente moderno, ditos a pnnee- Ihos^ reforma-Ios a
za, pentes com guarnieses de pedrlnhas, gosto mui
delicado, propriamente para atar cabello, voltas Borzem s francezes
Mara Pa, o mais brilhanle que se od achar era DitSTezes demi a 8 7*
gosto, pulse.ras de contas de novos gestos para se-; g ms raraSnhoS
nheras e meninas, um completo soriimemo de fitas n !f""?
j i tT "" '"orma-ios a
45-Rua Dereite~45
para homem
le
lisas e lavradas o mais moderno que se pode en-
contrar em gosto para sintos, sendo de 2 a 6 dedos
gravatlnhas de gosio para senhora, e outros mui-
tos objectos que se torna enfadonho mencionar, e
que so com a vista se pode dar a devida attencito
ou mandando os caixeirosem casa com alguns dos
objectos mencionados.
O rapaz portuguez que annunciou por este
Diarto para criado em casa estrangeira, appareca
no hotel Trovador, ra larga do Rosario n.- 44.
i mm
mmm
81-RUA DO I il'IIlAUOIt-HI
Segunda casa do lado direito indo do pateo do Collegio.
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chegaram os modernos vestidos de dentelle de seda eom barra, inteiramente novos
em gosto e qualidade : loja das columnas, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia
de Vasconcellos & C, successores de Jos Moreira Lepes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos de senhora
Superiores cortes de seda de cor, de morante, de g<>rgurao e de selira imperial.
Dilos de blond, e de cambria branca bordados.
Ditos de laa com barra e grande variedade em cores e padrSes.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de quadros escosseza e miodas.
Superiores las lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpico., com flores e de quadros.
Lindas pampolinas de quadros e de flores, fazenda inteiramente nova.
Superiores cassas de cores, e lindas cambraias organdys.
Grande variedade de chita de cores, de percalia e outras muitas fazendas de gosto.
Para hombros de senhora
Lindas eapas e bonrnoux de casemira de cor.
Ditas de la e de seda.
Grande variedade de sout'embarques de seda de 18$ a 40$.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados Anos, de cachimira com listras de
seda e de fil preto.
Camizinhas modernas, zuavos brancos e de cores, colletes de cambraia, lindas gol-
linhas com punhos e outros muitos artigos.
Para cabeca de senhora e menino
Superiores chapeos e chapellinas de palha de Italia enfeitades para senhora.
Ditos de feltroenfeitados para senhora.
Ditos de palha enfeitados para menino.
Grande sortimento de enfetes modernos de retroz, de froco, de cabello e de flores,
para senhora.
Na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcel-
os C.
Ama
Precisa-sede ama ama para lavar e engonmar:
na rna do Trapiche, sobrado n. 36.
Para 1T testa
Aluga-se, um sitio com muito bons commodos
na Torre, a margern de rio Capibaribe : a tratar
com Antonio Jacintho Borges na ra da Concordia
numero 4.
Na ra do Imperador n. 46, pnmeiro andar,
precisa-so de ama ama forra ou captiva para co-
zlnbar.
C '%.B1.\' ETE
PORTUGUEZ E LEllUR H PER-
UIIBUCU.
De ordem do Illm. Sr. presidente do conselho
deliberativo convoco aos membros do mesmo con-
selho para se reunirem em sessao extraordinaria,
na sala das respectivas sessdes, sabbado 10 do
correte, as 6 horas da tarde.
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portuguez de Leitura em Pernambaco 6 de dezem-
bro de 1864.
A. A. dos Santos Porte
____________________1* secretario.
Precisa-sede um rapaz de i4 a 16 annos pa-
ra caixeiro: na ra da Praia n. 47.
COMPBAS.
Compra-se onro e prata em obras velha*
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da Indf
pendencia n. 22.
Compra-se effectivamente
onro e prata era obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Bosario n. 24, loja de ourives.
Compram-se dous escravos que sejara bons
carreiros : na ra do Trapiche n. 13.
Compra-se garrafas e botijas vazias, na fabrica
de licores ra das Cruzes n. 36.
Ditos para menina
SapatCes esmaga cobra
Ditos de Nantes de duas solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de borracha para senhoras
Dilos de dita para meninos
Ditos de tpete para homens e
nueras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
> retrae presa laa s
peso liso miito
se-
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Una doQueiuiddo i. 19,
Vende-se o seguate:
Altencao II
Ricas laazinhas, fazenda a raelhor que tem vin-
do ao mercado, tanto em gosto como em qualida-
de, pelo baratissimo preep de 560 rs. o covado.
Ditas nuudinhas carmezins, proprias para vesti-
dos de meninas e camisnhas a 640 o covado.
Cortes de laa cora 15 covados, pelo barato precc
de G,J. r
Coberlas de chita da India a 2*500 e 3J.
Lences de panno de linho a 2 e 2*500.
Pecas de cambraia de forro com 8 1|2 vara*
3*200.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a H t
duzia.
Ricos cortes do la com barra Maria Pa i
o melbor jm ha a 330 o
a 140, 310,9M.
arara iM
algodo eom 10 varas,
1|2 palmos de largara
Pecas de planillas de
proprias para saia a 4*.
Algodo enfestado com 7
a 15100 rs. a vara.
Esteira da India, propria para forro de sala de
4, o, e 6 palmos de largara, por menos preco de
que em outa qualquer parte.
Neste estabelecimento tambem se encontrar
um grande sortimento de roupas feitas, e por me-
dida.
XAROPE
deLABELONYE
Saques sobre Portugal.
O abalxo assignado, autorizado pelo
Banco Mercantil Portuerise. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma vis-
la, e a praso ; podendo, os que temarera
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Uanco, descontando 4 OjO ao anno: na
laja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
DE
COMPR.M-SI
moedas de ouro de 10* e 20*
do Becite n. 22.
na ra da Cadeia
Compra-se urna negrmha de 3 a 7 annos :
ga ra das Cruzes, era Santo Antonio, n. 41, se-
undo andar.
Compram-se diarios para emhrulho, paga-se
bem : na padaria da ra da Imperatriz n. 66.
Compra-se urna burra, estando perfeita :
anem a tiver annuncie para ser procurado.
Compram-se dous consolos de Jacaranda em
bom estado : quem os tiver annuncie ou procure
na praca da Boa-Vista, botica n. 6, que lbe diro
quem compra.
Impregado eom invirinel successo desde 30 anuo
ft\i Mdicos de todos o paizes contra as molestias
orgnica* ou nao orgnicas do coracio, as dirersa hy-
dropisias e a mainr parte dai molestias do peito e dos
bronehios .pneumonas, eatarrkot pulmonares, attkmu,
MjlaatsMcdM ntrvotat dos bronckiot, catarrlteirai, $ie...)
O XAROPE de labelo. ve usa se vende sent tai
Krrafas com rotulas de cor e fechadas com urna chapa
'ando a firma do inventor.
R>rl.nn-Vlllrnrutr. 11).
la PARS.
GRAGEAS
GLIS E CONT
VENDAS.
FAZENDAS BARATAS,
Chapeos de palha enfeitados para senhoras e meninas de 6$ a 10(5.
Bonitos vestidos de la com barra a Maria Pia a 18,<5,
Cortes de ditos dita estampados finos a 6#8o0.
Capas de grosdenaple preto bem enfeitados a 2o# e28#.
Soutembarques e capas brancas bordadas a 10$.
Organdys mimo do co de lindos padroes a 1 Grande e variado sortimento de chitas largas de 300 a 500 rs.
Bramante de linho de espantosa largura a 550u rs.
Admiravel sortimento de gravatas de seda a 320, 400 e 480 rs.
Na ra do Crespo n. 1 junto ao arco de Santo Antonio.
Loja do barateiro!
Romance.
Vende-se na praca da Independencia li-
vraria ns. 6 e 8, o romance Martim o en-
| geitado ou Memorias de um escudeiro, obra
! do distincto escriptor Eugne Sue, autor
! das melhores obras conhecidas, pelo dimi-
| uto preco de 2500 por 4 volumes em
broxur.
F(H0 DO AR
No arauzem da bola amarella no oilo da se-
cretaria da polica, recehem-se encommendas de
fago do ar para dentro e fora da provincia.
A agnia bratKa recebouJuvas de pellica.
-- Preeisa-se atajar ama cosinhera icrava~oa
torra: ns ra da Madre de Dos n, 36.
m
O bacharel
Fraacisce Angosto da Costa
AftVeOADO
Ra do Imperador numero 69.
Alugam-*e daas easas mui lo frescas, com
muitos commodos, para assar a festa, no Caehan-
g, per preco nwito barato : a tratar na padaria
do Chora-menino.
Preeisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : na fita da Palma n. 41, ta-
berna. ________________________________
Alugam-se o terceiro e quarto andares do so-
brado n. 10 da ra do Cahup.______________
Um rapaz brasileiro con pralica de eaixeira
offerece-se para ser empregado em toja de fazen-
das-, escriptorio, ou outro qualquer estabelecimen-
to, dando fiador a sua conducta : queea precisar,
oroeare na fabrica da travessa do Carioca n. 2,
teytb9amos. _________________
iRlA 1)0 IMPERA
DOR N. 22
Grande armazem de lalas.
Tem a venda :
1 Productos chimicosmedicinaes os
mais importantes em medicina.
i. Productos chmeos e utensis
para photographia e outras industrias.
3. Todas as materias e utensis
empregada na pintnra a oleo e a col-
la para pintores, tintureiros, enver-
nisadores, douradores e vidraceiros.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Perdeu-se urna pnls'eira de ouro com dous
pingentes e alguns rubins, no trajelo da ra da
Aurora al o palacio do governo, ao anoitecer do
dia 30 de novembro prximo passado : quem
achando-a quizer restituir o poder fazer no es-
criptorio do Sr. Floriano Correia de Brito, ra das
Trlncheiras, que sera bem recompensado.______
Na ra dos Martyrios n. 2, primeiro andar,
preefca-se de duas amas, sendo nma de leite e ou-
tra para o servico de casa de familia.
|c!5
Companhla fidell
seguros martimo* c ter-
restres estabeleclda ao
Rio de Janeiro.
AGENTES EMPEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, praam seguros de navios, mercado-
ras e predios no sea escriptorio ra da
Cruz n .1.
s
s
Precisa-se de um criado
42, 2* andar.
na ra d a Cru n.
Vi uva Moreira & Filb sacam sobre Lisboa.
Sahiu luz o quarto numero da Revista do
Inslitulo Archeologico e Geographka Pernombuca-
no, conlendo, alm das sessdes do.Inslituto, o mili-
to interesante relatorio da commisso eocarrega-
da de descobrir o jazigo de Joo Fernandos Viei-
ra, e urna curiosa estatistica da revolta de 1710
em Pernamhucn, chamada a guerra dos mascates.
Acha-se a venda na loja de livros de Jos Noguei-
ra de -ouza, ao Arco da Santo Antonio, onde se
acham tambem os nmeros anteriores.
Assignatura por anno 54. namero avulso 1>500
Urna boa casa terrea para familia
esta por aiugar-se ra da Uniao n.
39 : quem pretender dirija-se roa
da Aurora n. 10. Tambem alngam-
se as lojas n. 44, ra da Aurora
Sfill
- Alagare o sobrado de un andar o *otao
... nos Afogado,.nq^ateo da Paz: a tratar no
jialee do Teryj 44. ___________
AlugMo a loja da rna dos Ucrtyrios n. 2 : |
a tratar u iw o Crejpo n. t. )
Contina a vender-se tres terrenos situados
na ra do Brom do bairro do Recife, com 3i pal-
mos de frente cada um, e 300 de fundo, todos ater-
rados at a liana do caes, e promptos para se edi-
ficarem propriedades por fazer o ultimo delles
frente para a ra do Ocidenle, ten-io ja construi-
das tres casas de raadeira e ti jlo, que rendera 304
por mez : trata-*e na roa dos Guararape* n. 28.
Aluga-se urna excellente escrava e um escra-
vo, eferava sabe fazer servicos de ama casa de
familia* interno e externo : na ra dos Pires ou-
Inero 84.
Tendo de seren publicadas as poesas de
Jos Antonio Seifert cora o titulo deInspiracoes
poticasos senhores que dignaren)-se prestar sua
assignatura, podem dirigir-se s seguintes casa :
na livraria econmica, ra do Ciespo n. 2, ra da
Cruz, estabelecimentos de banhos de Cedrim 4C,
e nesta typographia.
THESORO DAS MAIS '.
Providencia das enancas.
COLLARES ROER
Electro-mag hc tkos
. CHAMADOS
COLLARES ANODINOS DE DENTICAO
Contra as coovuisoes e para facilitar a
dentico das crianzas preparados e inventa-
dos por Royer, pharmaceutico da esco-
la superior de Pars, succeesor de Chorean,
membro da academia de, medicina,
aotiga casa de Buullon-Lagrange, pharmaceutico
do imperador,
chefe dos trabalhos chiraicos da escola pe-
lytechnica, director da escola de pharmaeia de
Pars, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vendem-se unicameite na loja do
Gallo Vigilante rna do Crespo n. 7._________
- Jos
neiro.
FOLHISTHAS
Har 1865
Acham-se venda na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia :
A FOLHINHA DE PORTA, abrangendo o
kalendario civil e eccleiastico, tabellas de
feriados, de emolumentos dos tribunaes
do commercio etc. a i (50 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Ratnha em verso, o Stabat Mater em
verso, devoco ao agonisante, cor ac o de
Jess, cntico em louvor do Santissimo
Rosario, cntico a Virgem Maria Nossa
Senhora, trinta e tres chistosas aneductas.
um indito poema sobre as aventuras de
um cosinheiro, o canto de urna solteira
(poesa), crescido numero de mximas e
pensamentos, urna historia como muitas
(romanen^ e vinte e cinco novas e pi-
lhericas charadas a 320 rs.__________
Vende se caixes vazios proprios
para balioieiros e funileiros a 1 760
cadaom; nesta typographia.
Libras esterlinas.
Vende-se quem as quizer comprar no armazem
n. 33, da ra da Praia, se dir quem as vende.
*pprordai pala Ac.d-mu ue Medicina da Paria.
Resulta pvios dous relatorios, adoptados pela dita
Academia em 1840 e em I858, que as GRAGEAS d
Glis e cont sao o melbor e mais efficaz remedie
ferruginoso para curar a cblorosis (alias fluor-albo), os
fluxos brancos, a fraqueza de couipleixao nos dous
sexos, e tambem para ajudar a menstruafio das mogas.
Estas Grageas nao sao vendidas seno em caixinhas
ou vidros cobertos com rotulo e fechados eom urna, tira
levando a firma do depositario geral : i.AHti.owt,
pharmaceuco, ra Bourbon-Villeneute, 19. ParU.
Deposito geral em Pernambuc ra da
Cruz n. 22 em casa de Caros 4 Barbn.
RELOGIOS^
Vende-se em casa de Johnslon Pater &
C, roa do Vigario, n. 3. um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente io-
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem urna variedade de
boniosttrancelins para os mesmoslt
Alfouns
para 20 at 200 retratos, muito bons e por menos
preco que era outra qualquer parle: na ra do
Crespo n. 4.
0 VIGILTE
Ra do Crespo n. 9.
O pallo vigilante tendo sido agraciado pelo pom-
poso Ballisa, na soa ordem do da, e pela Branca
Aguia, apesar de que, para estes o Gallo com seus
agudos esporoes nunca os offender*, antes os agr- j
ciara na mesma conformidade, para que o Baliza,
possa marchar era frente, a Branca Aguia possa
levantar seu vo, levando no bico as palinhas seu
ninho ; e o Gallo ficara em seu espacoso campo
dando de novo o seu canto annuaciando a seus
bons regnezes e ao respeitavel publico
0 grande sortimento de objeclos de muito gesto qne |
RIVAL SEM SEGHDO
Ra do Queimado ns. 49 e 55 mTle
de Jos de Azevedo Maia est
vender mnito barato, poi
da por lodo prego a viu dos rofoj.
Cartas de alnetes francezes da
a 80 rs.
Grosas de pennas de ac instas*
ldade a 640 rs.
Cairas de colchetes francezes de
dades a 40 rs.
Grosas de boles de madreperola bmjMo
e 640 ris.
5I000 Carreteis com 4 a 5 oitavas
6*000 640 rs.
4(1800 Resmas de papel de
HOOOl 2*000.
Sooo GlBu"d*li|a e de 0,,,r*,,a
Soo Ca8ooer '*" p*nM "*3 M>m **
IjOOO Duzia de bolSes branco para easaveviaes de
ra a 100 rs. -
l PTa de i?ie ts M,reiUs eom 9 **
1#000 tidas a 320 rs.
500 O Expositor Portoenez para os
ItWOO a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para o
der a ler a 1*000.
Caminas da doulnna efaristaa, teas e
320 rs. ^
Pentes Anos de marte) a 1*000, 1*300 e
Pares de luvas de seda para borneas e
500 rs.
Gollinhas para senhora
500 rs.
Frascos com superiores banbas
1*000.
Livros qne serve para assentar roopa, pelo teatja-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito fistos a 500 rs.
Cordao branco para esparUlsm ssoMo imiim
vara a 20 rs.
Carinis com 150 jardas de liafca
ris.
Candes com 200 jardas de liaka braaca
d' s a 60 rs.
Grosas de pennas de aeo soperiores a MO rs.
Varas de franja branca e de cores tarca para toa-
lhas a 160 rs. ^
Pares de boldes de pnabo, oh oaa atrasaiti a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tiatt a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 n.
Grosas de betdes de ktoea rnlrio- saarte tea *
160 rs.
Tesouras para costara superior qoalidae a MO
ris.
Escovas para limpar denles, soperiores a 200 rs.
Caixas eom soperiores pbospboros de maiaaii a
160 rs. ^
Caixas com 100 envelopes o melbor aae aa a Ht
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, saant
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo ssjsjUa tea a 20 rs.
AAGIM
ra do Uueimado n. H
Grande sortimente de objec-
tos de gosto.
A Agnia Branca ames mesmo de ser coadeeara-
da com o pomposo litlo de- desat.lica, t*m$trir>
pelo gabinete do intrpido e gil Baltsa, aiaadoa
ver o grande sortimento de objectos de fasta aae
agora acaba de receber e eipo-le a aarenarae de
sua boa freguezia do numero da ojoal taalfipla a
infante, e por que para estes rila ja mais abrir oa-
vio para os beliscar, deseja que tataftaa
dos agudos exporoes do vigilante gallo.
Eis o que ha de bota :
Finas capeilas brancas para aortas.
Meias brancas de seda para ditas.
Bonitas ligas de seda para ditas.
Ligas.
Ditas ditas para manguito.
Luvas de pellica enfeitadas para dita*.
Ditas de seda brancas bordadas para onava?.
Gravatas brancas bordadas para ditas.
Rosas e ramos de flores finas para eoivas e i
vidadas.
Fitas brancas e de cores, lisas e lavradas.
se pode encontrar de nielbor.
Bonitos port bouquet*.
Leqoes te sandilo e madreptrola.
Cascan illias > maravilhas braarasede
para enfeitesde vestidos.
Lindos adererros de perolas falsas.
Outros de bonitas a agrada veis cures.
Outros de mosaico.
Pulceiras, brincos e nielas de dilo.
Outras de aljofares trancos e decores.
Outras de cornalina, e chapa de rhn-t.il.
Voltas de aljofares bracos e de cores,
grossos.
Fi velas grandes de larlaroga e dooradas.
Outras pequeas de ac, dooradas e re
Bonitas e'enrorpadas Illas para estas.
Cintos largos de diversas qualidadrs.
Talliere para criai
Acbam-se de novo a venda na loja aa .tcaia
Branca : ra do Queimado o. 8.
Vi tal ha* flaa.
A Aguia Branca na roa do Queimado ,
I


BU
,1
acaba de receber.
Ricas caixinhas com msica ricamente enfeita-
das para coslura, proprio para um delicado
nio.
Riquissimos cofresinhos com cadeados d metal
para guardar joias.
Ricas caixas com eslejo, contendo todos os per-
tences para homem.
Riquissimas vultas fingindo perola.
Ditas odio lacinho de Uta.
Ditas de lindas cores e preta, de todas as gros-
soras.
Lindos aderecos cora pedrinhos fingindo bri-
llantes.
de receber essas eslimadas navalhas teas da ac
refinado, dos acreditados e bem eoaheridns faln-
, cantes J. Rogers & C : enjos aomes bastaa para
j justificar a bondade dellas.
Tambem receheu aliadores e massa.
Knfeites boaitos para aallea, ca-
samento e pasaclaa.
i A Agnia Branca na rna do Queimado a. 8 rst
completamente prvida de boaitos eafttrs de lo-
I res, e outras dilterentes qoalidades, e tete te aas-
I tes modernos conforme ver a arefaateata aae
I comparecer munido de dinheiro. Tesa tao ~
{ boaitos de marroquim para bailes.

Manoel de Araujo val ao Rio de Ja-
Havendo-se perdido ha 6 deste mez duas le-
tras vencidas nesse mesmo dia, nma da qaantia
de 700* aceita em 6 de julho do eorrente auno,
cinco mezes de praso, por D. Luiza Francisca de
Faula Cavalcanti de Albuquerque Laeerda, e ou-
tra de 901*682 aceita em 0 de junlio deste mesmo
anno, a seis mezes de praso, por Joao Vieira da
Cunha, ambas sacadas por Gabriel Soares Raposo
da Cmara; previne-se aos mesmos aceitantes, vis-
to a nao terem pago no vencimenlo, que s o fa-
c ver achado, visto nao poderem ellas a mais nin-
gurra aiwvejtar, o favor de leva-las a ra da Au-
rora n. 78, m a na do Crespo n. 18,
PARTE DE ENGENHO.
Vende-se urna, parle do engenho Itanhenga sito
na freguezia de Pi d'Alho : quem pretender com-
pra-la dirija-se a esta typographia que se dir com
quem deve fallar.
Vndese nm lastre com oito lanternas, de
muito bom gosto,-a preco commodo: a ver na ra
Velha a. 15, e tratar na roa do Atalho no oitao da
caixa d'agita. guara casa__________________
VeiHe-se. no segundo an lar do sobrada da
ra do Trapiche junto a casa do Blaodm (entrada
pela ra dos Tanoeiros) os seguintes ohjectes,
ainda em muito bom uso : sendo urna raobilia de
amarallo, urna cama franceza e um lavatorio do
mesmo pao, urna mesinha de Jacaranda para jogo :
as pessoas que pretenderen}, podem procurar ver
a toda horado da.
Auvolope* mui grande* para mi-
Ricas fivellas para ciato, de todas as qualidades fleta*.
Acham-se a venda na roa do Qoriir.ado a. 9, taja
da Agnia Branca, e bem assim ootras ppsjaeaa*.
ti iudeza* de prlnoefra inalldade.
Como geral mente sabido a Aguia Braaca pre-
sume ler sempre o bom para bem servir a saa pea
freguezia, e por isso raandoo vir c araba de rece-
ber nn variado sortimento de mindexa de pnmei-
e bom gosto.
Bicos cintos do ultimo uo-to de Pars.
Grande sortimento de lindos enfeiies para cabe-
ca, sendo do ultimo gosto e de todos os precos.
Flores muito linas para noivas.
Lnvas enfeitadas e meias de seda para noivas.
Chaposinhos, sapatinhos e meias de seda para
baptisado.
lliqaissimas filas de todas as qualidades para la- ra qualidade e difllreis de se encontrar em
Vinbo de Porte r da Madeira
Custodio Jos Alves Gatmaraes tendo recebido
de consignacao os verdadeiros vinhos da Madeira
e do Porto em caixas de urna e de duas dnzias,
convida aos amantes deste velbo xarope mullo
agradavel e pe toral, que quizerem apreciar o qne
bom, se dirigirem a roa do Crespo n. 7, pols
seus precos serao razoaveis._______________
Yende-se ama carroca de cava I lo em bom
uso, eom seus pertences : na roa da Soledade nu-
mero 7t.________________________________
Vende-se um boi com urna carroca e pipa
para agua, e outra para cavallo com todos os seus
pertences na ra dos Prazeres n. 7.
ATTENCAO.
Vendem-se dous lustres, o* mais ricos qne a es-
ta provincia tem apparecido, cada um de 24 luzes,
mullo elegantes e bonitos, o melhor que possivel,
e se vender pelo menos proco a mais em conta
que for possivel, pois nao foram mandados vr pa-
ra negocio; vende-se porque quem os maodou vir
ao Sr. Jos i para si mor reu : na roa Nova,
na roa Nova, no grande arma
Azrete de Aodrade, que muito se lbe agradecer ]wa de touca lina e ordinaria n. 49.
co, cintos e cinleiros.
Camisihas e goiinhas para senhora.
Riquissimos jarros e figuras para ornamento de
sala.
Grande sortimento de gravatinbas tanto para se-
nhora como para homem.
Luvas de pelica branca e de cores.
Cascarnlhasde bonitas cores.
Trancinha?, galao e maravilhas para enfeites.
Transelms de cabellos e de retroz para relogios.
Papel amisade e de outras qualidades.
Bolsas para viagem.
ntremelos e babitdnhos de lindos padrSes.
Lencinlios de linho bordados.
Meias para homem, seohoras, meninos e meni-
nas.
Fitas de veldo lisas e com mtame de todas as
larguras.
Thesouras e caivetes de (odas as qualidades.
Grande sortimento de sabonetes.
Lindos vasos com banha para oflererimeatos.
Caixinhas com seis frasquinhjbs.
Essencias de todas as qualidades.
Agua verdadeira Florida.
Agua da Colonia, em garrafas grandes, e en
frascos quadrados e garrafiohas.
Pomada lina de todas as qualidades.
Superior banha em frascos e copos de todos os
taannos.
Saho iaglez em paos grandes e pequeos.
Escovas de cabo de madreperola, marflm e de
osso, para denles.
* Peales para desombaracar, com friso de metal a
sem elle.
Ditos de tartaruga e de muitas outras qualida-
des.
Pentes de tartaruga para senhora
Ligas de seda e de algodo, assim como muitos
outros objectos de goslo que seria irapossi vel raen-
einar, qtn a vista far fe, $4 no Gallo Vigilante,
ra do Cwpo n. 7.
qualquer parle, constando elle de caixmaae te i
cellentes linhas de novellos graades e pinjaraei.
Caixinhas de linhas para croacbet a
meia.
Carielras com superiores agnlhas.
Caixinhas com ditas e que cada papel
Fita fina e elstica para abanhados de
Dita de puro linho e de dinerales largaras ata
para coz.
Mui bom cordao francs esa pecas graades para
vestidos.
Trancinbas de algodo de diferente? e feaate
mordes para enfeiies.
Boldes fios de osso e madreperotas.
Outros de velludo e seda para vesass.
Clcheles franceses de boa enaitdade em eaiii-
nhas redondas.
Carleiras ou estojoe em* afanas e cate para
cronchet.
Didaes de roarfim e madreperola.
Agolheiros de dito.
Canelas de madreperola.
Escovas de dita e marfim para

Assucar crjalalsad a fabrica
2 de Julho
Na Babia.
No armazem da roa da Madre te Daas a.
ha venda o multo superior
em saceos de 2 airabas, aa preco te 5*
roba.
J. Keller & C vendesa
de Bord*aox, tanto em auartola
de duzia de garrafa*.
Folha de Flandres
Cariara
Vende-se na fabrica da travesea te
2, caes do Ramos, superior tana te
ver e tratar na mesma fabrica.

r
Q


Otarlo de Pernambuc Sabbadu i O de Dezembro de 1*4*4.
K
\
f
CLtRIM
GOMMEBC
RA 1IO QU12IM ADO Jtf. 4$.
Passand o becco da Congregado seguna casa.
NOVIDADE
Pereira Rocha 4 C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 43 um armazem de molhados denominado Clarim Commer-
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que tem ao nosso mercado os
quaes serSo vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencioncda; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhio, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
40200 e 40600, e em frascos grandes a
24500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
" a 40200,40400, 40600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpiste a 460 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Aceite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
Jdcra de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Aramia verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelinas muito grandes e novas a 480 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
4030o rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a Uta.
dem inglczas muito novas a 30000 a barri-
qninba e a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cb hysson, huchin e perola a 40600, 20,
20500, 20800 e 3JM)00 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cervea preta e branca, das memores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac insrlez Ano a 90i rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, so de pepino, a 720 rs.
dem, so de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 40800,
200 0, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 8050o a 80800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
Painco a 200 rs. a libra. I a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. C
Presuntos de Lamego em calda de azeile e
muito novo a 640 rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
Fo va liquidadlo de faz**ndas at o liin
do mez, para fechar facturas vende-ge multe
barata, por ser a ultimo mez de festa, que es
freguezes devem aproreilar : naloja e armazem
da Arara, ra da Imperatru n. 56, de Laura-
te Pereira Mendes GuimarSes.
Faxeddas especiaes para senhera.
Veoe-se ricos cortes de vestido de laa a Mara
Pia para senhora de bonitas barras a 80,100,130,
140 e 160 o corte : na roa da Imperatriz n. >6,
loja da Arara.
A Arara rende a 20400
Cortes de chita de cores fixas com 16 covados
a 20400 e 30200 ; cassas do cores a 320, 360 e
400 rs. o corado : na ra da Imperatriz n. 36,
loja da Arara.
Corles de cambraia de salpicos a 20400.
Vende-se corles de cambraia de salpicos a
20400, 30 e a 45000 a peca, ditos de cambraia
liza e fina a 30500,4*500,5*500 e 60, tiras bor-
dadas para enlejiar vestidos e entremeios a 10 e
a 10200 : na ra da Imperatriz u. 56, loja da
Arara.
Soutembarques a 7, 8, e a 460.
Vende-se soulembarque de laazinhas de cores
para senhoras a 70, 80 e a 10*, dito de grosdena-
ple preto muito enfeslado a 200, 250 e 300 : ricas
capas de grosdenaple a 200, 250, 300 e 350, para
liquidar: na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A Arara vende alpaka de cores para vestido.
Vende-se alpaka decores para vestidos a 360
rs. o covado, challes de laazinhas a 14600 e 1*280

Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata. _! dito de merino a 4*500, ditos finos a 4*500, 7* e
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra. 8* : na roa da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas i Liazintaas a Mara Pia a 500 r.
dem prato. f 0U0 libras e canastas de I arroba a ^,5*^.'^ S*S
dem londrino chegado no ultimo vapor a i0uu, d^duu e zoy rs. a iiDra. coreg a 3^ 400 e 500 rs, ditas lizas de cores pa-
900 rs a libra Familia do Maranho a 460 rs. a libra. jra capas e vestidos a 560 rs. o covado, casemiras
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.! dem de trigo a 420 rs. a libra. ^pari capas de septum a 1*800, 2*500 e 3* : na
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD rua,da imperatriz n 86, loja da Arara
' a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.! ** f* '" f* 20
.. 11 i,.^ Vende-se chitas de cores fizas a 240, e 280 rs.
dem em garrames de 3 e 5 galoes a 50500 0 ^^o, dilag francem a 320,360,440 e 500 r.
6 70500 cada um com O garrafao. i e covado, percallas para vestidos finos a 500 e 560
Graixa a 400 rs. a lata e 40400 a duzia. rs. o covado, camisinhas para senhora a 10,1*600
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. j* e Sfftgt^^^^JJSi 1Eh2
,. .,..__ 1 __ ,__, 240, 320 e 500 rs., enfe les para cabeca a Mana
dem, quaiidade especial em garrafas muito Pia'a 1#> imo e jg para ,,quidar. a rM da
grandes, a 40800 a garrafa. Imperatriz n. 56.
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.! Baldea americanos para senhora.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de: Vende-se baldes americanos, os memores que
virtrn a 4/1000 srt a Garrafa valfl o di- lem vindo ao mercado, de 20, 25, 30 e 35 reos a
victo, a i0wu, so a garraia vaie o ui j^^ ^ e 3^ e ^ dUog de t^ina,,^ e
nneiro. ... musselina a 4*500: na ra da Imperatriz n. 56,
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
librv e da
cada|um.
Sardinh'as de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 440 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 60 O .
libra.
Eigos em caixinhas emticamente lacradas
a 40600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejara : Velho de 4845, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz-1. Mara Pa,
Bocage Chamisso e outrbs a 800, 900 e
40000a garrafa, e em caixa cora urna du-
, zia a 90000 e 400000. .
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480. 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
dem Morgauxe Chateaulumini de 4854, a 40
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
402OOrs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 40800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porces como
retalho-
Quem comprar de 4000000 para eima le-
ra o abate de 5 por cento.
barcada de pouco a 900 rs. a librv o
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Ma^a de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conserveL
ros de Lisboa a 60 i rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, .
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinha c aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinha com 42 libras.
Nezes muito novas a 460 rs. a libra.
Peixc em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 40 a lata,
Paliios de dentes a 460 rs. o maco,
dem de dentes a 420 rs.
dem de flor a 200 rs*.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixao a 640 rs.
Palitos do gaz a 20200 a groza.
i Passas muito novas a 480 rs. a libra.
LIGA.
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
DE
NOTOS E ESCOLIADOS GEMEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
SO -K4 HOVA O
Ultima casa junto a ponte da Boa vista.
DUAS PALAVRAS.
Cesse tudo quanto a amiga musa canta
Que outro valor mais alto se ataranta.*
Acha-se a disposiclo do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci-
mento de molhados, tal vez o primeiro e nico boje existente em Sua especialidade, por-
que o maior capricho de mos dadas com mais apurado gosto de abrir um eslabeleci-
mento modelo promoveram a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como v5o ser pelas pessoas que se
dignarein de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes, como pela pralica da promessa que fazemos de vender polos presos quasi do pri-
aseiro custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna qu aeliarao
em sosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc ec, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s corapram o neces-
sar.o, promeitemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
hornero rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltario satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos
objectos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
futuro nos justificar.
MACHINAS DEPATENT
le trabalhar mo para
desearocar aSgodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
6LDAH
Estas machinas
podem desearocar
oualquer especie
'de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duafi pessoas para
o trabalbo; pode
dascarocar urna
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por da oh 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover .seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a viren] ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
Saonders Brothers & C.
91. II, praea do Corpo Santo
RECIFE.
Os nico* agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateiro
conheeido j como tal, est dispondo da fazenda
por todo o preco para apurar dinheiro, quem qoi-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o seguinte :
Baralhos de cartas para voltrete muito
finasa............................ 206
Miadas de linha froia para, bordar a----- 30
Pares de sapatos de tranca de todos os
lmannos e linos a...........*.A..... 1500
loja da Arara.
Cassas da Arara a 280, 320 e 400 ris t (ovada.
Vende-se cassas de cores a 280, 320 e 400 rs.'o
covado, lencos de feda a 800 e 1 : na ra da
imperatriz n. 56, loja da Arara.
Pateadas para hornera.
Vende-se cortes de calcas de brim para homem
a 1600 e 2*, ditos de casemira a 3*, 3*500 e
4*500 5* : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Koupa feita para homem de tedas as qnalidades.
Vende-se palitols de brlm de cores a 2*, 2*50 e
3*, ditos branco a 2*500, dito de linhe fino a 5*,
ditos de alpaka de cores e bramos a 5*, ditos de
meia casemira a 4*500 e 5*, ditos de casemira a
6*, 8*, 10*, 10*, 16* e 20*, ditos de panno fino
preto a 8*, 10*, 14*. 16*. 20* e 30*, calsas dfr
brim de cor a 2* e 2*500, dita de dito branco a
2* ditas dedito de liuho a 3*500 e 4*, colletes de
cores a 2*, de brim a 2*500, de casemiras de
cores e pretas a 3*300 e 4*, calsas de caemira a
5*, 60 e 8*, de meia casemira a 3* e 3*500, ca-
misas francezas a 2*e 2*500, de liuho inglezas e
pregas largas a 3j e 3*500, grvala* de todas as
qualidades de 500, 800, 1* e 1*400, collarinho
de lodos os tamanhos e muito bem feitos, para li-
quidar por ser tempo de fe:ta : na ra da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
Colchas para cama a 2.
Vende-se colchas de chita para cama a 23, ditas
de damasco a 4*. ditas de fusto a 5, chitas para
cobertas a 320, 360, 400 e 500 rs. o covado : na
ra da Imperatriz n. 56. loja da Arara,
A Arara vende madapolo entestada a i#.
Vende-se pecas de madapolo entestada a 4* a
eca, dito inirlez de 24 jardas de n. 30, a 65, de 1
a 5*500, n 250 a 6*300 e 7*500, n. 5 8*500,
*$9*000, R. D. P. 10*. ZZZ II*, n. 20, dito a
14* a pega -, algodozioho marca s a 5*500, dito
carne vacca a 7*, dito dsmestico a 7*500, dito
pau forro a *, dita SL9 a 10*, dito T a 10* a 12*,
dito sicuptra a 8*500, para liquidar, na ra da
Imperatriz n. 56, leja da Arara.
Palitols de alpaka.
Vende-se palitots de alpaka preta de 3* e 3*500,
ditos finos de cordo, lizas e brancas a 4* : ra
da Imperatriz u. 56, lo]a da Arara.
Aa baroteiro da rna da Imperatriz n. 56. "
Vende-se seroulas a 1*280, ditas trancezas a
i*600e 2* : e outras muito boas (azendas que o
fregus encontrar na loja da Arara, rna da Im-
peratriz n. 56.
Perftimaria e saboneta de
Toilet
da casa Viole, perfumista com privilegio,
M. impera-
de S.
da rainha Isabel II
Massos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de ara preta muito superior a..
Frascos de superior macaca oleo a ....
Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa mnito finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida..............................
Ditos de banha muito fina a............
Ditos de ebeiros muito finos para o preco
a ris.
CAVACO NECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominado de Liga, parecer o titulo do nomo armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque no* tambem nos riremos mas n5ose zangue'sabontes de todasas'qidds a60'rV.
nioguem. 160, e............................
O neme urna voz com que se d5o a conhecer as cousas. esta a mais! NoyeHos de linha com 400 jardas^a
breve, clara e sincera explicarlo que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais:
Nao oriunio do Brasil o imponente titulo do nosso eslabelecimento. Foi a
umitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra bouve um rei que instituto a mu honroza or-
lem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que tan-
to sorprehendeu a corte desse monarcha. gradou-nos esta historia .e gostando sum-
mmente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, ecol- Varas de bicos francezes, superiores a...
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pecas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores ebeiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris.
locando-o no oitSo do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
Uounl aolt BALDES DE ARCOS
Na roa do Queimado n. 40, letreiro verde.
So oiores e bem armados baldes pelo diminuto prece de 2*, advertindo que vendetn-se por
esteprecporrod nr-M comprado tuna grande porfi e querer-*e acabar.
Opiata para dentes da melhor que ha a
Frascos de agua para dentes. superior a
tudoa........................... 1*000
Pecas de tranca preta liza mnito fina a..
Caixas com 4 papis deagulhas Victoria a
Varas de fita preta com colxetes a......
Libras de iaa sortida de todas as cores a
Bonecos de choro muito bonitos ......
Caixas de obreias de ma ssamnlo novas a
Varas de franja .branca e deires para
toalhasa.........................
Fraseos d oleo Philoeomescupenor i...
Ditos eom superior tinta a320 e.........
Caixas de linha de gaz rom 50 novellos a
Enfiadores para espartilho a...........
Duzias de botSes encarnados para vesti-
dos a.............................
fornecedor das casas
triz dos Francezes e
de Hespanha.
As flores as mais esquisitas, as plantas as mais
ricas em aroma, os blsamos os mais odorficos,
servem a comnosicio dos producios exclusivos da
rainha das Abeihas.
Sabo real de Tridace.
O nico recommendado pelas celebridades me-
dicas como hygienlca, da pede.
Balsamo de liole'a.
- Pomada fluidificada pelos oleo virgens para o
servieo dos cabeleireiros.
Gotas de Violetas.
Extracto da flor natural, perfume de S. J. a rai-
nha Victoria.
Sahao de balsamo de Violetas.
Homenagema S. M. a Imperatriz.
Agua da belleza de Sua Magestade a
Imperatriz.
Loccao benfica para o toilet das damas.
flor de arroz rosada.
De S. H. a Imperatriz Eugenia.
Perfume de nctar.
Este p refrigerante preserva a pelle de todas as
aflecedes dormaes.
Hosado das abellias.
Loccao refrigerante paja o toilele e os banhos.
Greme podpador.
Da belleza da pelle.
Para prevenir as jusgas e refrescar o rosto.
Creme Sevign
**{ tomposfeao especial, para lustrar e fizar os ban-
640 Us (cabellos.)
eco drene fro espumoso.
Segredo da belleza.
Para refrescar o tessido dermal.
Perfanies das brisas de mait.
Delicias dos lencos*e saldes.
Dicado a S. M. a Imperatriz da Russia.
Caixa de Juvencio.
Cofre mysterioso.
Encerrando talismans, segredo para belleza.
Vermelho da China, preto indio e branco
de Lys.
Para passeios e soires.
P iMrisoalal
Pasas uonas o brilho de oacarregado.
Perfumes boriseulaes.
Para perfumar as cartas, toalhas e os qnarlos.
Vende-se na roa do Imperador n. 38, botica
franceza.
30
200
100
100
200
500
400
80
60
30
240
200
400
40
1*000
60
200
40
6*500
160
40
80
600
300
800
60
200
Vende-se a casa terrea n. 28 da i ua de Ma-
thias Ferreira, na cidade de Olinda : quem a pre-
tender dirija-se a eata n. 89 da ra Angosta, qoe
achara com quem tratar.
Vinio to Parto superior,
em barris de oitavo e dcimo : vende Antenio
Luiz de Oliveira xzevedo & C, no se escrlptori
roa da Cruz n. 1.
AS ARMAS!
O GRITO DA GUERRA JA' SE FEZ OUYIB.
LA TAI IIMili
T
SENTIDO.
O
BAUZA
m ^v^%%.

m
m
M
O assumpto importantissimo.
O assumpto importantissimo.
O assumpto importantissimo.
Ninguem interrompa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reifie o siltncio em todas as columnas.
Nao se admitte CMUestarSa.
Nao se admitte contestacSo.
Nao se admitte contestaba.
Os apoiados sao prohibido!.
Os apoiados sao proMefes.
Os apoiados sSo prohibid*.

ADVERTENCIA.
Antee de entrar na materia o inconsavel Baliza nao pode pmceaalr te;
i fazer o seu signal de horror as <1 (tiradas coras e mal feitas mitras dos
apostlos do progresso, inimigos do povo e chupadores do singue da
tdade.
A detestavel sede de oiro tem obseccado seus coracoes de vampiros.
Querem fazer fortuna com a rapidez do coriseonao sabem ter k
^esperar.
S3o os perfeitos unos da civilisacSo.
Malditos sejam elles--j que nao possivel ao Baliza por-Ibes as m
*na cabeca os bculos na mo e os sapatoes esmaga cobras nos ps e exj
i publico por tres das.
ORDEJJI DO DIA.
N'esla casa nao se Iludo ao povoos pesos esto ateridosa batanea do(
|melhos fabricantee os gneros, partindo do soffrivel at o ptimo, podas mr*
escolhidos a vontade por todos, desde o pobre agoniado Clarim at o ni alto
iGeneral.
Nao sendo o agrado e a sinceridade predicados que smente
i chegado para bico da domesticada e encantadora aguia bromea, esiao i
}mais terminantes ordens para que d'ora em diante se redobre a aUeacesj.
com todos os freguezes, de forma que se opere a mais perfeila liga de enleres-"
ses recprocos, a fazer inveja a todos at ao proprio caraUeiro da esquina da:
'Nova.
Quando ao dispontar da brilhante, aurora ou da aurora rrifiaiifr,
Joovir o garboso gallo vigilante, com aquella bisarria que Ihe propra, o
! canto sonoro, signal de chamada dos amaveis freguezes e predilectas fre**zi
) tambem o solicito Bauza estar prompto em ordem de marcha, agradavH rol
a aguia branca, diligente como o gallo, grave como o propketa, no mait per-
afeito e continuo movimento, servindo a todos, e a todos contentando.
4DDITMNT0.
Os precos.do grande sortimento d'este magni.ico armazea, se aci
, sideiavelmente reduzidos, e a respectiva tabella deixa de ser publicada por i
}a alma do negocio o segredo. Os freguezes reconbecerSo em vista do
to que pretender que o preco que se lhes pedir ser to rasoavel qoe
i reclamaco offerecero. Venham todos a
|l RA DO L1VRAHEKT* S8
AO GRANDE ARMAZEM DI GIBADOS
DO
BALIZA
PROPR1EDADE
M


M. PEDRO DE MELLO.
-?
/
L





m*rso oerer
o abijado JO e Bezesnbro is 1S4.
GRANDES ARMAZENS
Largo da Santa
Cruz ns. 42 e 84,<
[esquina da ra do
.Cebo.
D
ESPECIA ES
Largo da Santa?
jCruz ns. 12 e 84, j
esquina da roa doj
fcebo.
O dono dos Ja mu lo acreditados armarais de molhados denominados Aurora
lirillian, aeaba de receber de sua propria neommeBda, muilos gneros delicados
propios da presente estacao, e tendo grande sortimento omprado aqui.aBanca que todos
os seus gneros sao do t.'qualMae.
^ A segante tabella servar a mos de base para ajuste de cantas asa por-
n ... 'Nenhnm armaiem vender mais barato, e mlhores gneros do que a Aurora
aniante, ja pelo grande sortimento que tem, ja mesmo por sen dono se achar encom-
modado em sua saade e ter de vender um de seas armazens agora, e o outro na pr-
xima primavera, por isso deve-se aproveitar ama quadra deslas para se comprar
Lalas com 8 libras de chourcas muito novas,
a 7*500. '
Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
mais de i2 qualidades, a 1,5000, J#28G e
1*400.
Ditas com ostras, excellente petisce para fre-
gideira, a 720 rs.
Ditas cora ervilhas novas, ensopadas, a
729 rs.
Ditas com favas, a 610 rs.
Ditas com ameixas a i$200, 1J800 o 3500.
Ditas cora marmelada do afamado fabriean-
cante Abreu, a 880 rs. j
Ditas de massa de tomate, a 500 rs.
Ditas com figos de comadre, novos, a 14500,
2$ e 2$d00.
Ditas com bolachinhade soda muite novas, a
2000. '
Ditas cora biscoilinhos inglezes de omitas
qualidades; a 15480.
Chocolate.
Chocolate superior omito aovo, a Jibra a
1*200.
Macarro telharim e aletria amarella.a libra
a 480 rs.
nito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinha, pevide e outras mas-
eas, a caiza 35500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra a 240 rs.
Ervilhas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Farinha de aramia verdadeira, a libra a
500 rs.
Arroz do Maranhao, em sacca a arroba a
25400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, arroba a 35200 e a
libra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a 95500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Vicho braneo fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 35500 e a garrafa a 480 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabo massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Farinha.
Saccas grandes-com farinha de Goianna mni-
to nova, a 35000.
Caf.
Caf do Rio moho superior, a arroba a 85,
85800 e 95000.
Cha.
Cha temos oestes gneros o melhor possivel,
hysson, a libra a 25600.
MU perola a 30000.
Bito uxira a 25700,
lito hysson muito lino a 25800.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25500.
Bit* mais baixo a 25000 Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Esperncete.
O nasso com 6 vellas de espermacete a 600,
40 o 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 2g500.
Notes.
Nozes, a libra 160 rs e arroba a 45000.
Alpista e paiieo.
Alpista e paineo, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Dtto'de santos, a arroba 75000 e a libra a c"ts Anas parajogar.aduzia a 25500.

Castrabas.
Castanhas novas vindas neste vapor, a arro-
ba 45000 e a libra 200 rs.
Azeitenas.
Barris com azeitonas novas a 13500
Maiteiga.
Manteiga flor, a libra a 15000.
Dita mais abaixo a 800 rs.
a 640 e a 500 Dita menos superior a 640 rs.
Dita franceza nova, a libra a 720 rs.
Dita dita em Larris e meios ditos, a libra a
60 rs.
Dita para tempera-a 400 rs.
Queijos. .
Queijos novos viudos neste vapor a 35200 e
35500.
Ditos londnnos muito novos, a libra a
15000
Papel.
Papel alraaco pautado, a resma a 45800
Dito dito lizo de linho, a resma a 45500
Dito de peso lizo e paulado, a resma a
255OO
Dito de embroltiotom a 15 e 1*200.
Vinho Hadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15500 e 25-
Temperos.
Folhas de lonro, pimenla do reino, cominho
e cravo, a libra a 4'-O rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
460 rs.
Aaradoas.
Amendaas com casca, a libra a 320 rs.
* Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400
e pequeos a 640 rs.
lijlos de limpar.
30 : Tijolos de arear facas a 140 rs.
raa.
260 rs.
Mullios com 1*25 sebolas grandes, a 13280.
Mostarda franceza caixa com 2 duzas a
85000.
Frascos com mostarda preparada era vina-
gre, a 400 rs.
Ditos com conservas inglezas e francezas,
- a 640 e 800 rs.
Ditbs com sal refinado fino,
res.
Ditos com a verdadeira genebra de larania
a 15200.
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira,
15000.
Ditos de 1 garrafa de Hollanda verdadeira,
a 640 rs.
Botijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
fiarrafdes com 2 galoes com dita, a 63000.
Serveja boa, marea, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 65000.
Vinho mscate! de letuba, a garrafa a
13000.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 800 rs.
ea 13200.
Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
25000.
Azeite refinado portuguez e francez, a gar-
rafa a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
75,85. 95 e 105 a caixa.
Ditas cora dito branco, a 75000 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 205.
Ditas com duque do Porto verdadeiro, a
185000.
Ditas com chamisco superior, a 145000.
Ditas com Porto velho e outras multas mar-
cas, a 125000.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640,
720 e 800 rs.
Dito de Lisboa mnito bom, a caada a
35200, 35500 e 45000, e a garrafa a
e 560 rs.
Dito da Pigueira, das segralas marea, (N.) Dniias de boHSoRte graxa n. 97 a 25600, e
11 A. A.) (J. L. G) (O. M.) a caada a 1 de latas a 15000, e os botos a 240 rs., ea-
45500 e a garrafa a 660 e 640 rs., deste j da um, e as latas a 100 rs.
que j est engarrafado e lacrado com o rk. ...
rotlo do armazem. tiSarutts naos.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-. Charatas finos des mlhores fabricantes da
da a 35500 e 45000 o a garrafa a 480 a! Babia por diversos pregas, caixas eraeias
520 rs. i caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, que deixam de a-
il! nunciar-se.
A 4 S 0 CORTE
Pechincha sem igual.
Lindos cortes para vestido de percales, de cores
claras e escura^ com ara&de mriedad& de padres
pelo baratissir$p prefQ df 4$ 9 corte: na laja das
clumnasrufi dQ Crespn. 13, de Antonio Cor-
rea de Vasconcellos & C.
NIM CORO AS NEM MITRAS
GRADU ARAZEM
DR
RIJA BO IMPERADOR SU 40
Junto ao sobrade em que mura Si*. Osberne,
B>uarte Almel2a a* C, receberaan de sua propria encommen-
da mais liado e variado sortimento de molhados, proprlos
da presente estaeio.
Manteiga ingleza | Ma^as brancas
ESPLENDIDO AKMAZEM DE MOLHADOS
AL1ANCA
M
- Silva & Souza
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de cores
A a O por cesto menos odreeo qne sepnaan bao
qner parte.
tra
da safra novavioda no ultiS vapor al,ooo!para sopa a .melhor que* jdn desojar, para eJZ eSpeCalmenle eSCoUlidOS Pr u dos socios gue a Eoxop.
rs. a libra em harril a ftnn rs. mararrSn talhoim &>!<,;'<; inn t _____ .
rs. a libra e em barril a 800 rs.
Manteiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeiladas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Aineixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20460, muito propios para-mimos,
Cart5es
com bolos franeezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolaebinhas de soda de todas as qua-
lidades a 13300.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos memores fabricantes a 800 rs., tambera
temos velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206o.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2*1600 cada um.
lueljo
londrino o mais fresco qae se-pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
[as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para manos a 900 e 1,5200.
Oh uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
U a 2^(600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a "25600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talliarim e aletria a
480rs. alibra.
COftWC
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a;
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de.2,2oo, a4,5ooa resma do me-
lhor. -
Papel de botlea
I de excellente qualidade a 20200 a resma,
! PAPEL
; azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR em ancorlas de 9 caadas a 15.000 rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Painoo
o mais novo do mercado a 140 rs, a libra
o 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 ocento na ra do Qoei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Garmo o. 9
GRAO DE- BICO
muito novo a 30400 a atroba e 140 rs. a li-
bra na ra do Queirordo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carm n. 9.
QUEIJO SUISSO
muito fresco a 800 rs. libra na r.oa do
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
macarr2o, talharim ealeria a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas mareas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa:
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
24800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des mlhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 4 20 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso Filho,
F. 4t M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do-Douro e eutros muitoi.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachnha ingleza
a 10800 a barrica da raesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120c* A bra.
Gervejas
dos mlhores fabricantesje de todas as mai -J
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outres em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.* e 2. sorte do Rio de Janeiro a 808#
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 / garrafas com vinagre a 10000 ti
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOO
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 epm
12 frascos.
GENEURA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e a i ,00o a garrafa.
Marmelada
dos mlhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo b
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 3 caixa e 60 rs.
a libra.
Passas nuito utjs
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 8O0 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
eutros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba e 140 rs. a libra na ra do Qoei-
mado'n. 7, rna do Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLAGHINHAS
em latas de defferentes qualidades a 10200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
chegados neste ultimo vapor a 20800 na ra
do Queimado n. 7, ruado Imperadorn.
40 e largo do Carmo n. 9.
ment.
armazem.
grande a vantagem para todas as pessoas que compraren ueste
Os propietarios garantem todos os generos^sahidos de seu j mnito acreditad*
AO PUBLICO.
Mo nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo
cos deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos absti vemos, e de que
estamos certos nenhuma atiencao j merecem do publico. O nono fin pon! i
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interease de todos est o tabella do an-
cos que pssamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attencao. '
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Carlaxo vende-se nicamente neste
a 600 rs. agarrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
Oie rs. a libra,
dem de casca mel a4o o rs. a libra.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seos
2!S am,gos e ao ^bhco em ?eral qaePara facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal Ta do Imierader n. 4a
* FRICTA
MA^AA, PERA E UVAS
cnegadas neste ultimo vapor, vende-se na ra do Imperador n. 40, Verdadeiro Princi-
pal.
-
Agua Florida.
/jpde-se om sellim* an, hffljje malas, tu
> em ifun estado : na riu da Cadeia aova bu-
so uro earro
^erro da Boa
rabilho de
ria do Sr.
P0T4SSA
Vende-se potassa em barris a comroedo proco o
oa rna da Cruz n. 23, priraeiro andar, eseriptori:
de Antonio de Almeida Gomes.
Para restabelecer e coaservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna tintura, facto esen-
cial a* contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composla de plantas exticas e
de substancias iaofleasivas, ella tea a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que oj-
ies tem perdido. D'uma salubridade incontest-
vel, a Agua Florida enlretem a limpeza da caneca
detroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Olao de Florida,
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
conslite poderosamente, eom a Agua Florida, a
(Orea, a belleza e a conservacao dos cabello*.
Em Paris, casa de Qmslaur b. 1, roa de Riche-
en, e SI, boulerard Moatmartre.
Todos os frascos, nio tendo intacto e claro, o
timbre prtteado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, rna do Imperador, pbarmacia n. 36.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor quadade a
12)) a lata : nos armazens da ra do Im-
perador b. 16 4 ra do Trapiche Novo n. %
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oe rs.
dem em latas de 1 l libra a i,loo rs.
Arroz do Maranhao e da India o melher que
ha neste geuer-o de 80 a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
( 4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e lo,ooo
rs. a dona.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitenas muito novas a 2,000 rs. a anco-
reta.
Alpista limpoa 14o-rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
mlhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banba de porco refinada a 600 rs. a libra e
em barril a 58o rs.
Batatas a 2,000 rs. a caixa.
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a2,7ders.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,000, 2,4ooe 2.600rs. a libra.
dem prelo homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das mlhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e56o rs. agarrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a 1,00o,
l,2oo el,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Far-
tado de Simas e outros da Babia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
deliciase suspirosa l,6oo,2,ooo, 3,ooo
e 4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco,
dem francezas surtidas ou- de urna so qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
Copos finos para apta,. vinho a 4,800 5,ooo
e5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs c*!a um.
Caf do Rio superfor a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs,
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainba Claudia e ginja a 9oo rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e l,loo rs. a
duzia.
Gomma muito alva e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garraces de 16 garrafas a 4,800
rs. com o garrafao.
dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada om.
dem inglezas em garrafas brancas bordada
com rolha de vidro qualidade superior ai
4,eoo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o
frasco e H,000 a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
/*
Lentilhas muito nova excellente
ra aopa a 2oo rs. a libra.
Licores fraBcezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8001
l,ooo rs. a libra, desoecessario ans
elogios oeste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista.
dem franceza a 64o rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de 1
a 7oo rs. a libra, ha latas de I, I
% 2 libras.
Massa de tomate em latas de l e 1 abras a
600 rs. a libra.
Macarro, talharim ealetria a 4o rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs.
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o fraseo.
Molho inglez em garrafiabas com reins i
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a 1 ,t
a garrafa, e 10,000 rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em lalas a 7oo rs. a
Prezunto para fiambre inglez verdadeira,
garantindo-se a qualidade a 800 rs. a libra.
Passas novas de carnada a 64o rs. a labra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide en
etc. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o rs. al
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades: savel, corvina, goras
carallinbas, e pescada a l,oooa lata.
Palitos para denles lidiados a 14o rs. o ma-
co de 2o rs. e macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2.1oors.
a groza.
Paineo muito novo 12o rs. a fibra e 3,ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ultimo vapor,
rs.
dem londrino muito fresco a 800 rs. a L
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs.
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada ana.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
l,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a Loor
rs.
I bem de escovas para lavar casa a 36o rr
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 56o rs
a libra,
dem de carnauba refinada e de composieSs
a 44ors. alibra, e de 15,ooo a ll^oors.
a arroba.
Vinho om pipa, Porto, Lisboa e Figueira
das marcas menos conhecidas a 4o rs.
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira especialmente escolhido oeste
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4.5o rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas
ca especial a 22,ooo n. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito frese
composico a 600 ra. a garran, e
rs. a caada.
dem de Lisboa branco uva pora a Na rs. a
garrafa, e a 4,5oo rs. a eaaada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garran.
dem engarrafados generosos Lagrimas d
Douro, Duque do Porto, D. Loiz I, n
Pedro V, Nctar, velho sereo, Nafras*
Genuino, Particular a 9oo e l,2oo rs.a gar
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa cent man dn
zia.
dem Madeira legitimo a !,* rs.
fa, e a 12,oeo rs. a dazas,
dem Moscatel a l.ooo rs. a _
dem Bordeaux das acreditadas
Julien, St. Estepa,cbaiean n
Margan e outros a 6,5oo rs. a
56o rs. a garrafa.
Vende-se superior vinho do Porto em eaixas de
urna dasia : em casa de #obssft Pater & C, rna
do A*lro n. 3.
Superior cal de Lisboa.
Vende-se superior cal de Lisboa a mais nova
qoe ha no .mercado, tanto ero perrao como a reta-
lho, por barato prego,aBangandose aos compra-
dores a snperlor qnaltdade: a tratar as egniotes
ras : Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forte do Ma-
t0?,ffisem o8r-AyiHa' afronte do trapiche
CEBVEJA M BARMIj
a 00 rs. o ennn
mde ninas chegadn no vapor
m prato anulan fres*
Mana anlsso superior
Mem londrino snperlor. fe A
57 Boa Jo Imperador 57


ataris e
10
P
1


.'
-iv
*
t
O Vigilante est alerta, nao Uta era permitiid"
deixar passar desapercebido sea que nao disse o
sea canto, aflra de annunciar ao respeitavel publi-
co o graodo sortimento de galanteras do melhor
goeto propriamente para qualquer mino que ac- que parece seda a 649 rs. o
ba de cbegar oeste ultimo paquete, asska con quadnnhos de seda a rs.
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua conta como de conlgnacao que
est resolvido a vender per pregos multo baratos
para vender muto e ganhar pooco, dar exrracao
grande deposit que tem, que espera merecer
Grande Kqnidacao.
Ra da Imperatriz n. GO.
Loja de fazedas do pavo de Gama & Suva
Acba-se este estabelecimento completamente
sonido de fazendas inglezas, francezas, allemas e
suissas, propnas tanto para a praca como para o
mato, promelteodo veeder-se mais barato do que
em outra qualquer parte, principalmente sendo em
porco, e de todas as fazeadas do-se amostras,
deixaade Qear penhor, ou mandam-so levar em ca-
sa pelos caixeicos da luje do Pavo.
As chitas do Pavao.
Vendem-se chitas Inglezas, claras e escoras pelo
barato prego de 140, 260 e 280 rs. o eovado, tln-
tas segura; ditas francezas de cores seguras a
320, 340, 360, 400 440, 480 e 500 rs. o eovado,
fazenda muiio superior e bonitos padrSes : s na
toja do Pavo.
As laazinhas da exposicao do PavSo.
Vendem-se laazinhas as mals modernas que tem
vindo ao mercado, proprias para vestidos e sou-
tambarques por serem lisas e de cores muito de-
licadas a 560 e 500 rs. ; ditas lisas com um lustre
eovado, ditas com
o eovado, s para
acabar : na loja e armazem de Gama & Silva, roa
da Imperatriz u. 60.
O Pavao vende para lato.
Vendem-se superior setlm da China, fazenda
toda de la sem lustre, tendo 6 palmos de largura
nrotecgo do respeitavel publico empregando pan proprio para vestidos, capas, paletots, ralsas etc.,
so todas e as meihores diligencias para que fi-lpelo baratissimo prego de 2*, 2(J0, 2*00 e 3*
quem. satisfeitos; sto s no Gallo Vigilante, ra do .o eovado, cassas pretas lizas, chitas pretas largas e
Crespo o. 7.
16*000
185000
105080
16*000
10*000
65000
6*000
e pre-
Ricas porla-joias.
Cofre de muito gosto por
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Hicos cofres com camapheu.
Lindas caixinhas com pedras brancas.
Lindo balao com catangas dentro, tam-
ben para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
raazinhas.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos parta boaqoetes de diversos gestos
eos; s no Vigilante, ra do Crespo o. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado, a 10*, 12* e 15*, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 2*500, 3*, 3*500
4*060.
Ricas fivellas a valsas para simo, o melhor qne se
pude encontrar, a 1*500, 2*, 2*500 e 3* o par $
so no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabaies m cestinhas.
At qne ehegaram as desejadas cestinhas ou ea-
bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
pessivel a 2*500, 3*500, 4*, 5*, 7* e 10*; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais letra
eom pequeo, defeito, leqnes de sndalo com pe-
queo defeito por barato preco de 8* e 10*,. chi-
nezes muito bonitos tambem, pelo barato prego de
4* e 5, bentaraHos muito bonitos, tambem por ba-
rato preco de 4* e 5*, leqnes de charo tambem
por 4*, tudo isto para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cente; s no Vigilante, ra do Crespo
. 7.
Pente.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
qne se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como tartaruga comen-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Pnlsetrae.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto al* e 1*200.
Para segurar manguitos.
Tambem ehegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as seoboras tanto precisam para se-
gurar manguitos por ser mnito commodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do cres-
po n. 7.
LCqnCS*
Rlquissimos leqnes de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato preco
de 12* e 14*; s no Vigilante, roa do Crespo
n. 7.
Pestes
tambem ehegaram os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 2*,
3* e 5*; s no Vigilante, ra do Crespo a. 7.
Canelas.
Riquissimas caetas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo prego de
1*500 e 2*.
Sapatinhos e meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e touquinhas para as cnancinhas se baptiza-
ren) ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato preco de 1* e 1*200, as
eruzes avuls asa 400 rs. s no Vigilante, rna do
Crespo n. 7.
Golinhas. .
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possfvel, a 2*, 2*500 e 3*; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para se ahora.
Riqnosissira enfeites com laco e sem lago e de
ontros.muitos gostos a 1*, 1*500 e 3*: s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Traneelins.
Lindos traneelins de eabello para relegie ou lo-
netas, pelo baratissimo prego de 1*500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos entrneles.
Riquissimos babadinhos ntremelos com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 1*200, 1*500, 2* e 3*; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Casrarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilbas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinbas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de 8tas de diversas larguras
e qualidades, por pregos qne admirara aes com-
pradores, havendo fitas largas propnas para cin-
teiros que se pite vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 2*; s no Vigilante, ra do Crespo
b 7.
Fitas de lia.
Fitas de lia de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espeltaos.
Riquissimos espelhos com moldnra dourada
sem ella de 8*, 10*, 12* e 14*, assim como com
columnas de differentes tamanhos a 2*, 3*, 4*, 5*
e 6*; s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Lindes jarres e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de gala, sendo o melhor gosto qneaqui
tem apparecido; s o Vigilante, rna do Crespo
a. 7.
Para pos de srroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
eousa de multo gosto a 1*500 e 2*. assim como
paeotes s com os pos a 320 rs. cada um; so no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banbas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos eom dis-
Nnctivos e offerecimentos as sinhasinbas dos me-
lbores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos debanba japoneza
a 2* e a 1*, assim como ootros objectos qne nao e
possivel por hoje annonciar, e vista dos fregue-
xes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilaale,
roa do Crespo a 7.
2* e 3* tomos das biogra-
e ootros homens i (lostres
gorgor*, veo-
)estreitas, manguitos, colarinhos, pannos, e enfei-
tes, todo preto proprio para luto fechado, e muitos
oetros artigos que se vendem por precos mais
em conta do que em ootra qualquer parte por es-
tar liquidando ; s na loja do Pavo a ra da im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bordad* do Pavo.
Vende-secamisinbas com manguitos epollinhas
bordadas, pelo barato prego de i* e 1*280 cada
16*000 um, manguitos s a 500 rs. cada par, ditos com.
9*600 gollinha a 800 rs., gollinhas a 400 e 480 rs., de fil
6*000 a 240 cada gollinha bordada, romeira de cassa ede
fil muito bera bordada a 2* cada urna, manguitos
que servem
par, camisa com manguitos e golfas com a compe-
tente grvala de seda, fazenda fina, pelo barato
prego de 3*, e rnuitas outras bordadas que se ven-
dem por pregos muito em conta: s na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama Se
Silva.
Vestidos soulambarqoe.
Pelo ultimo vapor francs ehegaram riquissimos
vestidos soulambarqoe, os mais modernos que
neste mercado tem apparecido, os quaes esto
promptes com saia, corpinho e seu competente
soutambarqoe, tudo guarnecido de seda, eludo e
renda. Qoem tiver bom gosto dirjase loja do
Pavo, na ra da Imperatriz n. 60.
O Pavao.
Na loja do Pavao vende-se moder-nos mantele-
tes de grosdenaples a imitagao de capas, as quaes
sae bastante compridas ; assim cerno tero um sor-
timento de capas pretas as mals modernas qne ha
no mercada, sendo ricamente bordadas. Ditas en-
feitadas tudo por prego commodo : na loja de Ga-
ma & Silva, roa da Imperatriz n. 60.
As modcrDissimas laziahas de una s
cor, a imita* o de
de o p*ve.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordozinho, as mais pro-
prias e mais lindas qne tem vindo, proprias para
vestidos, seutambarques, capas, etc., dam-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissi-
mo prego de 560 rs. o eovado : na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
Para quem gosta do bom e
barato.
No estabelecimento de Gama & Silva, na ra da
Imperatriz n. 60, loja denominadaPAVAOtem
urna grande porgao de varia qualidades de fazen-
das, as quaes se vendem muito em conta para li-
quidar. A saber :
As laazinhas do Pavo.
Vendem-se laazinhas de quadrinhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo prego de 280 rs. o eovado,
ditas largas multo linas a 400 rs., ditas estampa-
das, cor segura, padres miudos e grandes a 320
rs. o eovado, ditas transparentes com palminbas
de seda a 400 rs., ditas escocezas a 560 rs., iste tu-
do para liquidar : na loja e armazem do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60.
Preealas a 600 e 560 rs.
Vendem-se as mais finas preealas, padres miu-
dinhos, gostos deliradissimos pelo barato prego de
600 e 560 rs. o eovado : na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavo.
Meias preealas, ou preealas inglezas largas a. 500.
Vendem-se meias preealas ou preealas inglezas,
padres miadinhos e fazenda fina e 400 ps. o eo-
vado : na loja do Pavo, rna da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
O ganguellmdo Pavo a 39o rs.
o' corado.
Vendem-se ganguelim cor de rosa para roopa
de meninos, e vestidos pelo barato prjgo de 320
rs. o eovado : na ra da Imperatriz n. 60, loja do
Pavao, de Gama & Silva.
Os grosdeaaples do Pavo.
Vendem-se grosdenaples pretos, fazenda supe-
rior a 1*600 rs. o eovado, ditos largos muito en-
corpados a 2*400, 2*600, 2*800 e 3*000, ditos
brancos, cor de rosa, azul e amareUo a 2*000 r.s
o eovado : na loja de Gama & Silva, denominada
do Pavo, ra da Imperatriz^. 60.
As uevas las garibaltfraas a 500 rs.,
aa toja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
dinas, fazenda inteiramente nova no mercado, sen-
do todas com listras miudinhas, e transparentes,
ccim lustro a imitagao das sedinhas, tendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenta
e cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o eovado para
vender depressa: na loja do Pavo, roa do Impe-
rador n. 60, de Gama & Silva.
us mais moderaos vestidos Mara Pia,
a loja 4o Pavo, a 16$
Vendem-se finissimos vestidos Mara Pa eom
os corpinbos differentes, tendo todos os preparos e
eom o competente sinto : na ra da Imperatriz n.
60, loja do Pavo.
AO PUBLICO
Sem o Menor eonstran-
glmento se entregar o
Importe do genero qne
nio agradar.
ARMAZEM
ATTENCO
tabelln para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajnste de contas
com os portadores.
AO MERCANTIL
HIJA HA CA1NBIA DO RfiCIFC. HT. 53.
(Logo passando e aree da Ceneeieio)
Crande rednceSo de precos, equivalente a dez por eento menos do qne ontro qualquer
annunelante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da maoteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de outros
oiuitos objectos, etc., dando cora islo ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritaran em
alta voz, qnepodem vender pelo preco que eu vendo M I Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vina encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redcelo de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca-pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados TJniSo Mercantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de f,4oe a 4,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduccio a que
estao obrigados, encarando todos os di as de seus freguezes reclamecSo de precos, e qualidades, vngam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o sen fim
tao smente obter a concurrencia de seas freguezes. *
Para bem de todos.
Senhores e Senhores aceto que presidie, aos arranjss deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptidao e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a protejo e preferencia na compra
dos tmm queprecisarem,equand nao pocam vir poderao maadar seas portadores, ainda que estes sejam penco pratices, pois
serao tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vo em outra parte
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
14-Bua Kreita-14
Unieo deposito de rap i asterias
Isaac Esnaiy ; amanea a sua lea ejssWMt ear
supenor ao rap da sense ras av#a presa, a
prova faz f : vndesela reos a l| i leija
em porcaode 10 libras para mis a ftO rs.-. uo>
bem. abre crdito ao
rente.
0 Prrfuac 4a
AGUA
De Murrav d' Laiia.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a Hbra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hyssou de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
Idea perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim e melhor que se pode desojar
oeste genero 2,600 rs.
dem preto homeopatbico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,600, i,800 e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e 2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo e 600 rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. edo vapor
passado a l,6oo e t,8oo rs.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati- f
ment.
Caf do Rio: a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba. -v
dem lavado de primfira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cetr* de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a leo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a leo re. a
libra, e 3,ooq rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oq
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrSo e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talberimbranco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse m.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente qua-
viado ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
Idea do Alentejo o que se pode desejar de
frese e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas ja pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l,ooo e l,2oo rs. abra.
Espermacete em caixinbas contendo 6 libras
por 4,000 rs., parante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, goras. pesca-
da, salmao, ostras e chernee, vezogo em
latas grandes a 800 e S,eoo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao uosso mercado a
6,000, 7,000 e 8,000 rs. a caixa, garnte-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Holladda a 56o rs. o frasco,
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de A'tona em
, frascos grandes a 1.000 rs. q lt asco, e
H.ooo rs. a duiia.
A/ovidde do Pavo
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditasimperiaes emlatas
de 3 libras por r,5oo rs.
Ameixas francezas em latas d 1 e meia libra
por 1,2o; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exterior a 1,2oo 1,5oo, e 1,80o rs.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna daa.
Batatas muito novas a 5o re. a libra e 2,soo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. s frasco e
8,000 a duzia.
Vassouras descova para esfregar casa a 32o1
Nozes muito novas a 16o rs. a lrbra
Molho ingles em garrafa de vidro con-!
rolda do mesmo a 5oo re.
Mostarda ingleza dos meihores fabricantes a
800 rs. r> frasco.
Mostarda franceza em potos j preparada
a 4oo re.
Lentilhas excellente legum ps*s sopa 2oo
rs. a libra.
Este raro '|ii> Ylkao pasfil
quasi qne inextioguives ti.
mimosa fragrsasfl c fretenm c-
delicado cheiro das propinas TurJwa
tos floree. Duraiita man
toe do venlo o aeu nao turn--" i
tmente aprazivel e Jusajsat.f f::i ron-
eeqoencia da influencia refrijprj
suave que ella prouz aabre a
em qu.mtu que tizada no bauii^ t.
imparte o eorpo bn^nklo c-
una certa elasticidade de .
Ella imparte tranipartmi-i e
c icnioev jAuuiw, nardmt t hrtmj io di
sobre a pee.
o ma MBLmL r mt
PARA 08 GABELIdS,
nina preparaco admirave-l pars fisa>
par, afonnoeear, eoneerrar
ccr os cabellos.
A venda as boticas de Caors sursox.
roa da Cruz, e Joio da C. Bravs C, res
da Madre de Dos.
3 M I
JC052 =-!. o 5
3' S 3 fror 2 3 :
a
5 W Bw
8&
v
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipaPorto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5eo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo, I
3,000 e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,3oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa,
Vinho do Porto das meihores marcas, que
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. e a 9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o re. a garrafa.
Sardinhas de Nantesera quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda emlatas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
} Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo re. a caixa cem 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
-2
dem de Hollanda em botijas grandes 4oo Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas <* w o-3 %\
grandes a l.ooo re. e I i,000 a duzia- Iggggagg
Palitos para denles a 14o s 16o re. o maco-
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o re. abra.
Sevadinha de Franca maito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahia e das |
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo.a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das meihores marcas a
l,oeo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; ditoemcaixoesa6ors.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de6 e 12 por librea
32o rs. a libra e 10,000 re. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o re. a
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.

d
et>
!
S 5
^3 v & > ?
o2.5:o=-3^2
a.m P ^ o
0-3
Para a festa.
Queijos frescos a %i, passas aovas
a U, e a libra a 400 r*., Isas a tftO,
tarrafa > 300 rs. a libra, azeiloaas a IJMS a sararesa. s
gan da garrafa a 32Q roatU.ifa Hlat ij, a as e U
rs.. dita franceza a 640, eh miadiaa* a ttUOs
U, caf serle a 180 a libra, &14S* a anaftav
de 2a sorle a 240 a libra e 7*500 a amiba, arras
a iOO rs. a libra e 3# a arroba. Hartaba ats
280 a libra, stearinis a 620, palito* para Osara
140 o masso, do gaz a 200 rs., cbastlsjaa a 640 r*.
a libra, eomma a 120, sabio sas em potes de vidro a 449, coacervas a MU rs., la-
tas rom bulachinha a 1*400, aletria a ssAaaba
400 rs. a libra, cerveja braaea arrta a 5CS,
fino do Porto engarrafado a 1*120 > 800 rs.,
co para missa a 500 rs., insta 4* Lisboa a 90 a
garrafa e 2*600 a caaada, aa Pifaeira abata
3*200, azoite doce a 600 rs. a garrafa, aa
pato a 260, vinagre a 200 rs., faz a 400 : :
mazem da Estrella, largo do Parairo a. 14.
AGENCIA
DA
AGENCIA L0W-H001.
atoa da Senulla teva a. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiat
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Vendem-se o l1
antas de algn* poetas
a provincia d< Pernambuco, pelo commeadadar
A. J. de Mello ; obra que todo Brasileiro, c mor-
mente todo o Pernambucano deve conbecer e dar a
ler a seas Albos : as roa do Imperador n. 14.
Atter'Co
Vende-se a casa terrea da rna Imperial i. 272,
moderna, grande quintal, cacimba e portao para a
otar pequea, tudo de pertra e cal, nova, chao
preerie : a tratar na rea do Imperador n. 47.
c*m&sX" Arados americanos e machinas para
res,e vende-se pelo ba alissimo prego de 12* cada, lavar roupa: emjasa de 8. P. Johnston & C,
corte por estarmos prximo da fe&U ; islo na loja
e armazem de Gama & Silva, ra da Imperatriz
numero 60.
< amisinbas a i $000*
Vesdem-se ramisinbas com manguitos, sendo
mnito bem enfeitadas. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato prego de dez tustoes cada
orna: na loja do Pavao, roa da Imperafriz b. 60,
de Gama A Silva.
Vrstides par mcainas.
Vendem-se s mais modernos vestidinbos para
meninas, sendo mudo bem entenados Mara Pia,
tendo de differnntes tamanhos, pelo barato prego
de 8* cada um : na loja do Pave, ra da Impe-
ratriz a. 60, de Gama & Silva.
1im feiu barata.
Vende-se um grande surlini ntu de reupa feila
para homens, s- ndo caigas de Inm brance e de
cor, ditas de rasemira preta e de rores, ditas de
SORTIMENTO PARA A FESTA
mai
ra da Senzalla Nova n. 42.
^KaSaSatt
ica Conceicao da :
Bahia.
Andrade k Reg, receben constante-
mente e tem venda do sea armazem n.
34 da rea do Imperador, ajgodao d'aquel-
a fabrica, proprio para saceos de assu- y
ear, embalar atgodio emploma etc., etc., M
pelo preco mais razoavel.
mmxmmm mmm wmmm
Roa da Seaialla a. lt.
Vende-se, era casa de S. P. Johnston A C,
sellins e silbos inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
meia caaemlra, paietot* mccos e sobreasaros de chicotes para carros e raonUria, arreios para
easeotira < panno preto fino, colletes de todas as Cra\\{vi r^ioin d
qualidades : na loia do Pavo, ra da ImperatrU carr08 a um .e a1ous C^a1108. reiogiOS de
ouro patete inglez. l
Rna da Senzalla Nava a!
n. 00, de Gama & Silva.
Gresdenaalede ear a 1<$>600 e covade.
Vende-se grosdenaple de cor azul, branco e pre-
to, pelo barate areeo de 1*600 o eovado : na hija
do Pavao, ra da imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Paiaedfli 00 rs. e eovado.
Vende-se a verdadeiro panno de Imho proprio
para lenca, toalhas Basw, pelo barato preco
de 700 rs. a vara i do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 66, de Gama^5( Silva.
Icouomla dePavio.
Vende-se pan acabar, ama aorgSo de reurhos
de lias cassas da todas as qualidades, e per pro-
cos muito em coola; quem tem eeonomia qne
pode apreciar : isto na loja do Pav3o, ra da Isa-
peratm n- 4%se Gama & Silva,
i"
Neste estabelecimento vendem-s:tac o--
forro coado libra a UOrs., idemd eLow
Moor libra a!20rs.
Fio de aliadlo da Babia
Teas para vender Antonio Lua de Ollveira Aze-
vedo* C no su wrriptnrin rna da Crui n. 1.
Vende-se
superior farinha de mandioca, a bordo dos brlgnes
escunas PrtaciBv, D. Affmsa e Na0 Stt, atracados
no caes do Baro do Livrameolo .' a tratar a bor-
do, oa no largo de Corpo Santo n. 4, primeiro an-
dar, eserlptorlo de Palmelra dt Beltrao.
4RMAZEIH CONSERVATIVO
23-Largo do Teito-23.
Joaqnim Sim,> dos Santos, dono deste armazem de melbados avisa aos amigos do bom e ba-
rato que se veoham sortir das bons generes este eetabelecimeale que nao se arrependerio, se Ste
far a differenga de 10 a 20 por cento, pelo sea prompto pagamento ; e por Isso se faz annoocio de
ilguns gneros, que tendo sempre este estabelecimento um grande e vautajoso sortimento de lado
luaato pertencente a este e>tabelecimento.
Sentido! Yon fallar com e Conservali^o !!
e 2* sor te a 809, 900 e 1*
a 600 e 640 ris a li-
Manteiga ingleza de 1
a libra.
dem franceza em barril
bis.
roncinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 8*800 a ar-
rolla.
Batatas em caixas e gigos 1*200 e 2*000 a ar-
roba. *
a de primeira e segunda serte a 230, 280 e 900
rs. a libra.
trroz da India, Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a
Ubre.
ttiosphros do gaz a 2* a groza e 180 rs. o mago.
>assas novas a 180 rs. a libra.
Yelas.decarnauba Aracaty coraposigo a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs a libra.
iarmeilada dos meihores fabricantes de Lisboa de
1 a 2 libras a 640 rs. a libra.
Cha hysson o melhor deste genero a 2*800 a li-
bra.
(dem perela mmdinho a 2*300, 2*000 e 3*000 a
libra.
laana ingleza alva e saperier a 480 rs. a libra.
Queijos mais novos do merrado a 2*500 e 2*800.
Serveja das meihores mareas, tanto branca como
preta a 000 rs. a garran e a duzia a 8*000.
Sabio amarello massa a 180,200 e 240 ri. a liara.
Charutos da Babia dos meihores fabricantes de
1*200, 2*000, 2*500 e a* a cafc*.
Milho alpista e painco a 160 e 140 rs. a libra.
Vinho de figueira verdadeiro a KOO rs. a garrafa,
dem de Lisboa das meihores marcas a 400 a diia.
dem da Porto em barril superior pinga a 040 rs.
dem firanea proprio para sata* a Mfc ro. a dita,
dem de Porto engarrafado a 800 e (*, tomando
mais de ama caada de qualquer um destes ter
grande abatimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 800 e 640 rs.
Biscoites e bolachas de soda a 1*400 e 2*.
Massa da lmate a 600 rs. a libra.
Gegebra de Olaada em fraseos botijas e de la-
ranja de 480 a 640 e 1*200.
Chouricas as mais novas a 860 rs. a libra.
Latas com 1 e meia libra de ameixas a 1J200.
Aieite doce de Lisboa a 440 rs. a garran e 3* o
galn.
Vendem-se travs e wiaaaj a> loara aaaaV
deiro, de 22 a 40 paliaos: aa raes aa Baaaaa a. i.
Vende-se um comomwro martimo inglez do
melhor fabricante Cbarly Prodshan, sfflangando o
seo regulamento, por di mina to proco : a trotar
na ra Nova n. 21, leja de Francisco Josa Ger-
mano.
Armado.
Vende-se orna armago toda envldragada e nova,
ou mesmo cdese a casa a quem assim lhe con-
vier: na roa da Imperatriz n. 13.
Esteiras para torrar salas.
Com 8 palmos de largara e mnito saperier qua-
lidade, vende-se mais barato de ene esa aira anal-
Juer parte : em casa de Valle tarto k C, aa rna
i Cadeta n. 33, Recita.
jn^chinas de vapor pa-
ra descaropir algodo.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas e
de carroca eom mangas e
eixos de patente.
Rna doBrum n. 38, fnndi-
tflo do Bowman.
EXKHTES A MARA HA.
A loja aa Aarora, aa ras torga
38, receben novos gosto* as aaentos
com plumas de froro ao freato,
cada, assim con tacas
qaalidada*, rtqunilmai i
malote coas fiwlas, tasa)
pedras, riquissimas Isas largas da
vradas, proprias para
bisas; naalmeate toas _
dazas finas, que s a vista tos
rora, roa larga do Rosarla n, 38.
SBfomma, coas nasa cria da S assaa
fue de 12 anuos de besito Sgara : so satos ds>
erco n. 141.
~=~Veade-sc a tabersa da rsalNrrito a atTsa
poneos fundos, proaria para prtorlpaaato, e i
afregneuda : a tratar ss i
]
Bixas de Hmburg*
Vendem-se na rna Nova n. I!.
Est Fngido.
Contina a estar I
iwow saarccftaW oo j
lo aa atoara refalar,
pe, tem aasa apa grasa
redonda, nariz chato, barba pasca, tos asesa as
denles, e quaaao Vti mel iirsimSi gaieaii, sato
togtoo ba naraata eass : farasanaasavat ase -m
^^*nsp.SSJ*BJ|
do Imperador a 55. ]
Antonio Ltnz do$





Dlri < PeraaataM abbael) ole BMeakr* i 4.


LITIER ATORA.
PI1AR*AI>IA.
CANTO I.
(Conclusao.)
(Ser que desde o polo arroje as aguas,
e, quando afrouxa, as desampare o vento T
Sera que as vagas: da voluvel Tethis
molos influa o luminar segando
e co'as abases da la estue o pego?
cu queTltao flmmigero, no erapenho
de haurir as ondas com que eeve o rogo,
rga as aguas do Oceane e as suba aos astros ?
Vos, a quem os phenomenos da mundo
dessocegam o espirito, indagae-o I
T,, causa de to crebros raovimentos,
sejas qual fores, pois que prouve aos mimes
que ficasses occnlla, occulta flca I
Misterio d'iuunortaes, em paz te deixo i)
Levam signas tambem os dos presidios
de Nemosso, e do A'turo, l onde
Tarba faz curva enseada ao mar sereno.
Respirara desoppressos de inimigos
o Sanlono, o Bitrige, os notados
Soessdes pelo comprido de suas armas ;
o Lenco, o Rhono em dardejar to fortes;
aquella gente Squana, a primeira
no girar dos borseis ; o Belga, insigue
em conduzir seu rodador covino,
falcato cocho de esporiorompente ;
Arverno?, povo que do povo lacio
irmao se inculca, e de prosapia iliaca ;
Nervio, nimio rebelde e tinelo em sangue
do morto Cotta ; os Vangies, que vestem
anchas bragas, quaes Srmatas ; os feros
Btavo*, a quem animo requintara
co'o som vibrante u recurvadas tubas ;
os do solo onde o Singa serpenteia;
os visinbos do Rhdano, oude o A'rar
por elle arrebatado, as caudalosas
ondas Ihe aggrega, e vito de envolla aos mares ;
os que habitar Gebennas, assentada
l da serra no ultimo, na rocha
que pende a branquejar.
D'ora em diante
j livres os Pictoes seus campos lavrem ;
j nao vem derredor acampamentos,
a Ihes tolher o instavel genio, os Tronas.
O Ando, aborrido de estagnar em nvuas
do Deduar- beira, j do Ligar,
v Co'a placu. ente se recreia.
Folga de alas creas desclngida
Gnabos a afamada ; e vos, Trviros,
vendo a guerra transpor, folgaes nao menos;.
c assim vos outros, Ligares, cabecas
renteadas hoje. n'outro lempo guapas
co'as madeixas pendentes sobre os hombros,
quaes a Gllia cornada eguaes nao tinha;
e os que a Tenlates sangue abomiooso
votam em sacrificio ; os que Heso applacam
em feras aras hrrido, e os que brlndam
co'o homicidio a Biranis, deidade
rival, no atroz, da Scythica Diana.
Vos, Bardos, vates pregoeiros
des fortes, dos hroes na guerra exnetos,
ves que os perpetuis na voz da fama,
cntae ; foi-se a represa aos vossos carmes.
Vos, Druidas, co'a paz tornae aos vosses
hrbaros ritos, sacrificios torpes.
(Sois vos quem so conhece o que sao numes T
ou sois quem so o ignora ? Os altos bosques
por lucos habitaes. Em vossa crenca,
inanses tcitas de Erebo, dominios
lbregos de Plulo l sob a trra,
uo n'os ha para as sombras dos que merrem -,
para ontro globo o espirito, inda o mesmo,
se iransfere, e se incarna em membros novos
Se o que prophetisaes nao sao chimeras,
morrer na existencia Ilimitada
pdr um breve intervallo. Afortunados
povos da Ursa! nm erro vos exime
do mximo terror, terror da morte.
D'ahi, esse valor propenso s armas ;
essa destimidez perante a morte ;
esse haver por insana covardia
poupar-se um existir que inteiro rolla.)
At vos, finalmente, os que as fronteiras
contra hirsuitos Caicos nos guardaveis,
segus via de Roma ao desamparo
do Rheno ameacador largaes as ribas.
Mal Cesar congregou tao grossas torgas,
cresce nos ansos, era conflanga medra.
Langa por toda Italia a gente sua ;
as cidades fintimas guarnece !
Aos perigos reaes que o povo assustam
accrescem os que inventa e incorpa a fama.
Esta, invadindo os nimos das turbas,
ji Ibes prediz os prximos desastres ;
e veloi nncia da cercana guerra,
slta linguas sera cont em falsas novas.
Nos piainos da laurfera Hevania
j vem bandos com fero atreviraento
em som de gnerra airando, algnns referem.
Diz-se at, que onde o Nar se langa ao Tibre,
brbaras hostes do tyranno Cesar
se bao visto campear : que trax comsigo
FOLHETIM
quanta gnia, quanla signa ajanctar poude,
e as traz em mais de umeorpo, assimilhaveis
a densos arraiaes que vem marchando.

Quem se lembra do Cesar d'outro tempo,
ver o mesmo nio er; vem carrancudo,
vem maior do que foi; vem mais enorme
do que o proprio inimigo a qnem vencer ;
I na col arrasta aos d'eotre Rhenee Alpes,
I catervas que arrancar aos fins da Ursa,
. e aos patrios tectos, co'a formal promesea
de um sacco em Roma, A face dos'romanos.
Cada um co'o sea medo ingrossa a fama;
ninguem viu, todos crm, deliran) todos,
e as invencSes do sosto o susto aggravam.
Nem s o valgo ao vo temor se entrega.
Dos assentos da Curia os padres mesmos
saltam ; e ja fagindo, qne o senado
guerra odiosa aos censales delega.
Nao atinam onde ir, nem de que fogem.
Onde o risco T onde a esp'ranga? onde o segure?
Co'o fmpeto da fuga toa correm :
vio tropellando arrebatada plebe.
Atravez dos cardumes densos, longos,
fluctuantes, dos pvidos qne emigrara,
prorompem. Crreis, vendo aqnelle quadro,
que incendiarios brataes lancaram fogo
s casas da cidade ; ou que notantes
algura tremor de trra as allua.
Tamanho era o delirio, o desaecrdo
da gente a discorrer de roa em roa.
Tem que s dosortar dos patrios maros
Ihes podera valer.
E' como quando
o tumultuario sal das syrtes lbyeas
rechaca o mar immenso ; e o astro ao peso
das velas range e estala; e raestre e chusma,
desamparando a popa, s ondas pnlam.
Nao sossobra inda o lenho, e j naufragan).
Fogem de Roma, e para a gnerra correm.
Nao val a voz do pae, caduco, informo,
a revocar um fllho ; aos ais, aos gritos
da consorte fiel, o esposo sardo ;
e nem a deprecar merc dos Lares,
em trance de tal risco, instantes perdn).
Ningnem detere i porta os ps trementes ;
ninguem parou a ineber-se pelos olhos
das saudades de sitios tao queridos
que o adeas talvez ultimo Ihe davam ;
nada embarga o correr vertiginoso.
Deuses facis em dar os bens supremos :
quo difficeis nao sois em conserva-Ios I
Cidade em que as nacoes vencidas ferrem,
e que abrangera larga a especie humana,
s de ouvirem que Cesar se avizinha
j Ih'a largam em prosa as mos covardes.
Pols de Roma e soldada m trra alheia
eo'um simples ralo em meio de inimigos
r dos p'rigos da neite ; ama trincheira
co'as leivas do arredor presto iogenhada
Ibe d as tendas socegados somnos,
e a ti, Roma, o s fallar-se em puerra
j te deixa deserta ? I urna s neite
aes muros tous os-cidades nao fiamT t
Mas denme, demos reala a taes pavores:
viram Pompeo fugir; tremer j podera.
Para que nem sequer lenge esperanca
os aterrados nimos conforte,
de fado inda peier vem ciaras mostras.
Deuses mioazes de prodigios enchem
a trra, es cus, o mar. As atrs noites
riram astros incgnitos ; 0 polo
a arder em chammas; pelo ar razio,
obliquos Cachos ; c a incendid cauda
de temivel slgnal que moda imperios :
um cometa 1 Em fallaz serenidade
amiadados relmpagos falgiam ,
e na atmosphera densa, o fogo ethreo
rariava termas : amas vezes, longo
a simular um dardo ; ostras, esparso,
feigao de urna lampada, suspensa
da celestial abobada. Um coriseo,
sea navens nem trovio, saltoa do orle
a cabeca do Lacia As estrellinhas,
que s usam girar nos vaos da noite,
viram-se ao meio dia; a loa ebeia,
e que era ento do sol completo espelho,
co'a a terrea sombra se eclipsou de um lanco.
Titao mesmo no vrtice do Olympo
sumiu seo cuche ardente em grossas trovas,
e fez que os povos em tamanho escaro
julgassem morto o sol; similhanca
de quando refugiu para o n aseen te,
dos Tbyestos festins espavorido,
e em noite borrivel submergiu Mycenas.
Na Sicilia Vuleano abra sanbado
as boceas do Etna; mas o (gneo arrojo
nao sabia recto aos ceos : vergoo, pendeu-se.
descaa contra a Hesperia. Aira Charybdis
remoinhou npr de sangue; os caes de Scylla
deram uivos feraes: roubou-se o turne
da ara de Vesta; o facbo qu s latinas
ferias declara o m, abra sua chamma,
como a thebana pyra, em linguas dais.
A trra se abaten nos polos ambos;
e dos notantes cumes sacudlram
a antiga nev os Alpes ; empolou-s
tanto o mar, que afogou a hesperia Calpe,
e os cumes do Atlas.
*
Lagrimaram (consta)
nossos deuses indigitos; os Lares,
para mostra do aporto em que era Roma,
tresuavara. Os rotos que a piedade
nos templos rai pender, rinham-se a (erra.
Dirs ares da noite inxovalhavam
o pleno dia; e pelo escuro as feras
largando o mato sem temor corriam
a incovilar-se em meio da cidade.
Brutos remedam fala. Humanos partos
rem pasmosos em numero de membros,
estranhos na feicao. que s mies poera me
Vaticinios horrficos de Cumas,
grassam de bocea em bocea. Os Bellonrios,
pela cruenta deusa iufurecidos,
rao c'os rasgados bracos proclamando
dos deuses as lencos*. Tremendas cousas
andam a uivar os Gallos de Cybelle,
por entre as turbas sacodindo a grenha, j
e insanguentados. Soltam ais das ornas
ossos qne expiagdes tinham logrado.
De armas fragor, e rozear estranho,
retumba as imprvias espessnras.
Cara* cara phantasmas se deparam.
Os qne s abas de Roma o solo amarinara,
desertara de pavor; que Ennnys, grande,
sacudindo e inclnando alto pinheiro
co'a ramaria a arder, cerca a cidade,
da descomposta grenha a soltar sil v
Assim outr'ora a Eumnide acossara
Thebana Agave, ou [do cuel Lvcurgo
contra elle proprio revira va a foice;
tal, emfim, obediente seva Juno,
Megera dea terror quelle Alcides,
que em reinos de Pluto sem medo intrra.
Resoaram trombetas. Alarido
tal, como quando exrcitos se embatem,
idebeu as auras tcitas da noite.
Viram-se resurgir no campo mrcio
manes de Sylla a predizer desgraga ;
Junto ao glido Aoine os lavradores
fugiram, vendo a Mrcio alear a fronte
do moimento arrombado.
Estes prodigios
fizeram que, segundo a antiga usanga, ..
se acordasse em chamas os Tascos vates.
D'elles todos o mximo nos annos,
Arunte, morador na ermada Lana,
primava em decifrar no raio avisos,
ler em veias de tpidas intranbas,
ou no bater de peonas pelos ares.
Logo antes de mais nada, Arunte ordena
se toiuem quantos hybridos abortos
dea contraria a si manta a natureza;
e tudo que nasceo d estril ventre,
fogo infausto o devore ; que isto feito,
em proclssa -i roda da cidade
se vo seos consternados habitantes;
que os Pontfices, arbitros do culto,
pelus contornos dos Pomrios todos
com lustra) festa os triaros purifiquem;
que a turba dos ministros inferiores,
regacada Gabina, os acompanbe;
qne das Vestaes a antistite innastrada
conduza o vlrgem coro, aicos olhos
-qne legrara ver a ilaca Minerva ;
depois os quindecmviros, custodios
das leis do fado e arcanos sybillinos,
que do riacho Almon trazem cada anno
a lavada Cybelle -, augures, doctos
no observarem o vo s sestras ares ;
septoiviros, fiscaes dos restos nodos;
os reires Ticios ; os roganles sali*,
de ancilio ao coito; e os Flmines, mol anchos
-co'o topo agudo na fidalga fronte.
Emquanto aqueil prestito girava
costeando os anfractos sinuosos
da to vasta cidade, andava Arunte
a colligir do raio esparsos oges,
.0 a suterral-os com murmurio mesto.
Confere ao sitio o titulo de sacro.
Achega s aras escoibido touro.
J Ihe eslava a espargir na fronte o rinho,
e a salsa mola no cutetlo esconso,
e inda a rez, com horror ao sacrificio,
teimava em Ihe fugir; aos cornos torvos
se Ihe agarrava e se penda em peso,
arregazada a turba dos ministros;
ajoelba, cede o bruto, o eolio estende,
lera o golpe i do rasgue todava
do salta sangue em rbida espadaa;
s corre um virus negro I Infla Arante,
pasmado do funesto sacrificio!
Para indagar a clera dos deuses,
as visceras arranca ; bastn logo
para aterrar ao uate a cor da intranba -
parliAa.com malhas denegridas,
e sangarra coalhada; um todo lvido
entremezclado sanguneos raios I
Nada o figado em puz I As veias pnlam
da banda do inimigo amiacadoras I
Do anhelante pnlmao, latete a fibra I
Entre os orgos vitaes, limites apenas I
O corrgio, jacenle I Cada orgio
a gnltejar por fstulas materia I
Nao me hade esqaecar que o tapete era de pena-
Do redenho atrarez, cada intestino
a ver-se l por dentro I Horror de horrores I
nunca em victima acbado impunemente I:
nm dos lobos do figado, mnguado,
quanto creseido o outro I aquello, marcho,
flscido, infdrmo; ett'outro,o mais proterro,
1 enrgico a pulsar veloz co'as veias I
1 Dense! exclama o que de vos alcance,
< ousarei nunca aos poros declralo ? I
Vejo que a litacao do sacrificio,
t nio na acceltaste, Jpiter supremo I
A's intranhas da rez que ahi jaz sem vida,
t S vieram do inferno as potestades.
< Nefandas coasas nos prediz o medo,
f mas ser mais nefanda a realidada,
O co nos mude em bera tao feas mostras,
que nunca mals em visceras se'crea ;
< erabora a Tages de embusteiro accosem,
< que tal arte inventou I >
D'esta maneira
Inleava, incobria o Tasco vate
[ com rodeios de astuto os eras agoaros.
Mas Fgulo, applicado a estudar ames,
e penetrar nos celestiaes arcanos,
Fgulo, que, melbor que a egypcia Memphis,
os astros sabe, e os clenlos qne os regem,
diz: jgjj|
c Ou livre de leis som flra divaga
< no espago este asrrerso, e toa correm
c essas constellagdes, ou, se ha destinos
c qne dirieem tudo isto, a grande crise
1 Roma, o gnero humano, estao ehegados.
< Rasga-se a trra ? afandem-se as cidades ?
< sobe o calor a logo ? o solo infido
< nega os pies ? inrenenam-se as nascentes ?
Ignoro o mal que nos tragis, numes;
sei tao s qne nm sem numero de humanos
1 rai de nm lance morrer.
t ce a fra estrella
do nocivo catarno ora accendesse
t l no alto dos cos ssus negros fogos,
< dera o aquario deucaliueas chuvas,
sumir a trra en mar. Se com leus raios,-
Phebo, o Leao emeo gemesse oppresso,
< sob o leu gneo carro arder o elher,
t abrazara-se o mundo. Esses incendios
c nao n'os vemos aqui. Mas tu que inflaramas
< o Scorpio ralnaz de accesa cauda,
e Ihe torras as garras, tu, Gradivo,
que atrocidades andaras dispondo I
< Pois Jpiter, que prspero planeta,
Jaz opprimido em seu profundo occase;
i Veons, que salutfera, desmata;
c e Mercurio, to rpido nos giros,
i parou 1 S Harte reina i A qne andam fra
c os signos de suas rbitas, levando-se
t s escuras por meio do universo 11
< O O'non da espada o nico brilhante I
UM POUCO DE TUDO.
Lase na Estrella do Norte o segulnte :
MCAO SALUTAR PARA A M0C1DADB.
A maior parte dos mancebos, arrastados pelo des-
O Sarraceno considerando a mecidade e a ri-
queza dos vestidos deste, dlsse-lhe :
Ao menos, dererias esperar a velhice para
entrares na vida monstica, se tens semelbante in-
tento.
Mil querendo fazer-lhe sentir que deremos ser-
vir aoSenhor em todo o tempo, mrmente na pri-
meira edade, den-lhe esta sabia resposta :
Como 1 queris que eu espere a relhice para
consagrar-me ao servico de Deus I Mas um sacri-
ficio arrancado pela necessidade ento digno
delle ; e julgaes que um relho, que j nao tem
torcas para servir ao principe, seja mais proprio
para o servigo do Re dos res ?
O Sarraceno, tocado deste discurso, mo6trou-lhe
o caminbo, enchendo-o de elogios, e antmando-o
a seguir seu projecto. Elle o executou a fc ejeilo,
e reparou de tal modo as desordens de t/juren-
tnde, que salvou-se por suas virtudes santidad?
mals eminente.

O 1
vario das paixoes eu pela torrente dos mus exem
pos, perdem-se aas veredas do vicio; e urna
vez engolfados, raro que tratera de eonver-
ter-se.
Imaginam pelo contrario, que a mocidade sendo
a estagao dos prazeres, nao devem oceupar-se se-
nao em gozar as doguras, e se pensam em sua
conversan, smente adra de defer-la para a ve-
lhice.
Vamos pdr-ltjes dame ios olhos um exemplo
mui proprio para desengana-los deste erro.
Aqui rero nm mancebo que se tinha perdido
orno elles; porm, ao mesmo tempo, aprenderam
por sna conducta e por suas palavras, que, quando
se tem tide a desgraca de aflastar-se de Deus,
se nao poderia apressar-se mano em roltar para
elle.
Este manoabo, chamado Nil, era de um aspecto
e de urna jovalrdde de espirito, que, junto van
tagem do urna voz agradavel a loaos os dotes de
belleza, o fizeram pretender tudo no mundo, ao
sabir da infancia.
Apezar da educagao mui christaa que tinha re-
cebido, deixoa-se em breve seduzir pelos atracti-
vos deste mundo engaador, cajo perigo a Vaque-
ta e a inexperiencia de sua edade o impedirn)
de sentir
Adoptou as mximas do mundo, segua seus
exemplos : contrahia amisades pergosas, e estas
amisades nao tardaran) a arrasta-lo para o crime
mas o pensamento das verdades etapias, de que
se tinha alimentado desdo os prmeiros nn'os de
sua vida, excitaran) em breve o arrependmento de_
sua alma ; e o terror da morte, n'uma febre vio-
lenta que o accommetteu, tornou-o efficaz.
No mesmo instante, e sem esiar ainda curado
da febre, lerantou-se, e prliu para procurar n
solido um asylo onde podesse rlver ao abrigo dos
perigos do mundo.
Encontrou em r:agem um Sarraceno que per
guntou-lhe bruscamente quem era, d'onde rinba,
e para onde ia. N descobriu-ibe ingenuamente'
sea designio.
0 MILHOR DOS CAPITAIS
Mulher, somos bem desgragados I
E porque ?
Porque porque ? Tens tu' algum capi-
tal ?
Qne queres dizer ?
Sim, um capital; isto um bem que est
ali, que produz em todos os seis mezes, todos os
annos... Um capital que...
Nos temos dous, Jos.
Onde ? raostra-nos.
Nossa Mara o nosso Vctor.
Sim bellos capilaes I Dous filhos de hontem,
e que o bom Deas faria melbor em chama-Ios
para si.
Oh Jas 1 que disseste t ? pox-se a mi
a chorar.
O mando, bomem honesto na extensSo da pala-
vra, compreaendeu esta linguagem das lagrimas
o apertou a mo de sua esposa, dizendo :
Vamos, nao chores I E levantando-se desco-
briu o bereo onde dormiam dous meninos, nm
lendo dous annos de edade, e outro dous mezes, e
cobriu-os de ard antes carletas.
Qaarenta annos esgotaram-se depois desta
scona.
Eis-nos diante de ama casinha de risonho as-
pecto entrada da aldea de ***
Urna vinha de verdes pmpanos e vermelhos
cachos alcatifava tambem a porta e as duas janel-
lavque o melbor taiacelro de Pars nao o saberia
imitar.
Sobr um banco de carvalho debaixo de nma
amoreira, est tranquilamente assenUdo um ho-
rnera, enj fronte encanecida altesla que passou
sofsenta.
roupa branca como a nove, e um chapeo de
pafha defende dos ardores do sol o rosto bromeado
pelos trabalhos do campo.
Tornae, vosso caf est prompto, disse urna
voz que sahia do interior ; e no mesmo instante
nm bello menino de dez annos vem trazer ao seu
av um bom vaso^ de leite ao lado de um bule de
caf.
E dizer que nao devoraos esta felicidad
a nossos filhos I diz o pae deixando cabir urna
grossa lagrima dos olhos.
Sim, dlgamo-lo, cara Jos, replicn a mu-
lher, rindo assentar-se ao p delle porque nao al-
raogava s. Nao l'o tinha promettido ? O bom
Dens. t bem vs acora, dea-nos dous excelleutes
capitaes : Mana e Victor. O essenciai era edca-
los bem -, nos o Uzemos, gragas divina bondade,
o aosos filhos sao juntos de nos os dilectsimos
ministros da Providencia.
ou r*a rAixAiroo a a
Ouri, Oibo, as instrnegees
atiento para conkeeerdes a 1
Aos-hei com um bello do, ni 1
le; porque M tal lamb
rinbe e unignito diente do 1
eu fui sempra o mais asnada eV
mos : e ella ao ensiaara o 1
gao recebo as miohas patarras,
precoit e viveras. Poarae a
dencia, nao te esqnegas nem > desr
vras do mioba bocea, fea a luiaeo,
guardar : ma-a, o ella te >
no mea, e recebe
para qiie se maltipliqaem os
Nao te deleites aas veredas ees
agrade o caminho dos mns. Foga
passes por elle ; desria-te e 4etxa-o;
nO dormem som torero felo nal : I
somno se nao reiam armado
lies coraem o pi da impieaaea e
da iniqudade. Mas a rerada dos j
qne resplandece, rae adianto
permito. OJcaraiobo dos iapioa t 1
nao satmm onde o cahir. AppKea-te
n cuidado possiret guarda de tea eoraie, par-
que delle que procede a rMa. ftiairi da i a
liogna maligna, e estejaa leage de a.
detrahem. Os teas orte ornea dfraaa, e
palpebras precedam o* leu paaa. Dirija i
reda em qne pees os leas ps, I
minhos serio firmes. Ifie
direiU, nem para a aquwda; reara aa p de
mal, porque o Sennor eoaheee
estao tlireiu ; e se qne esli a
uns carainhos de perdigo.
a priaesra, so
ViXTU HORAS DE UTEIRA
ROMANCE ORIGINAL.
poa
CAMILLO CASTELLO BRANCO.
(Confinuocao io n. 8i.)
&Laa
Euzebio mandara comnosco um caixeiro para
nos introduzr a sala, onde a Sra D. Antonia ba-
ria de vir receber os cumprimentos.
Como a senhora se detere algnns minutos, o que
serapre acontece s damas qle a nao alinham nem
infeitam para goveroarem soa casa, minha mi
achou curta a demora para admirar-se das pompas
e galanteras, que adornaran a sala do Sr. Enze-
bio Luiz Trota.
Eu tarabea) estar entretido a examinar um pre-
sinti de barro que mostrara a lingua de papeld
rermelho, e esbogalhara os olhos de ridro. Este
pretinho, cotado em doze rintens, esura entre duas
ricas jarras chinezas, com flores do Constantino.
Sobre o pedestal de um chronometro, cujo rerti-
ee era a estatua de Welliogtoo, vi nm cosinho de
vidro com ama alcoflona na bocea, e orna cigr-
reira de raissangacom as iniciaos de Euzebio Luiz.
as tagres acharoadas dos ngulos da sala
brilhavam os mais bom imaginados brinqnedos de
creancas, gatos que miaram, galinhas que cacare-
jaram no centro dos pioialnhos, tudo por molas, e
anndroea de eavallaria de chumbo postos em or-
deindtbalalha contra outros esquadra.
Minha mi achara'isto Ilndlssimo, e en estar
de pachorra para passar ali algumas horas apra-
siveis na expoisseio do bom gesto de nm bomem
rico. '.
cu; mas sim para que elle a trate corneo amor que
gem aveludada, que pareca urna alfombra de ses- ella merece, e a nao obrgue desgragida escravi-
tiarem prlncezas mouras, emlrjnanto que no Itmiar dio com que nao podem as esposas de vinte annos-
da porta e soleiras das janellas os estrados eram
capachos de palba, avallados prximamente em tlO
rs. cada um.
N'um panno da parede estavam os dous retratos
em corpo inteiro de Euzebio Luiz e sua senhora,
primorosos traslados do exacto e mimoso pincel do
Rezende: n'outro panno, ressaltavam as cores vi-
vas de nm quadro de fructos em que sobresahia
primeira las o escarate apetitoso de urna melancia
aberta em talhadas, e nm aafate de pecegos que
ressumaram o sea doce sueco.
N'outro panno pendiam de cordies de seda, re-
matados em borlas franjada de ouro, dez paineis
da historia do fllho prodigo, nao de casaca preU,
como o rosti a imaginacao de nm trolha franeez,
Mas a senhora, toruou D. Antonia agitada e
lagrimosa, como se chama?
Eu sou Mara.
Da casa Rebordaos ?
Sim, minha senhora...aecudin rainba mi,
pois V. Exc. conhece a minha familia 71
Este senhor o seu Albo Antoninho ? tornou
D. Antonia.
E' sim, minha senhora.
A esposa de Eozebio Luiz corren para miro,
apertou-me ao seio, e exclamon:
- O meu Antoninho t
Nisto, e nesta postara nos sorprenden o marido.
O marido nao ficou mais espantado do que
en I observei ao meu verdico amigo Antonio Joa

COUSAS
SELLOS BXBUPLOS DE RBSPE1T0 PARA COM AS
SANTAS
Felppe II, re de Hespanha, qu a historia nos
aprsenla como um dos maiores principa de sea
scalo, tinha sahido de Madrid para passeiar em
carraagera.
Encontrou o vigario d'ama pequea parochia
de campo, que, precedidpdn 3ra menino, levara o
santo Viatico a um doen|i ; deseen logo de mu
coche, e fez subir o sacerdote, acompanhando-o
cora a cabeca descoberla e a mo na portinhola at
chegar a casa do doente.
'*S
Eranm pobre jardinero.
O principe assisliu com a maior devogio toda
a ceremonia. Dea em seguida urna esmola consi-
deravel quelle qne se acabara de administrar, e
subindo de novo no coche com o padre, a quem
offereceu o lugar mais honroso, tornou a acompa-
nha-lo at a egreja, imitando aisto o exempb de
um de seus Ilustres anlepassados, Rodolpho de
Hapsbourg, tronco da casa d'Austria.
Este principe, estando caga, encontrn nm
cora que levava o Viatico ; desceu do cavallo, fez
mentar padre, e conduzu elle mesmo o cavallo
pelo freio.
Possa conducta edificante desles dous grandes
principes apagar a impressie que tem causado no
espirito dos mancebos as norrveis profanagoes de
que elles tem sido testemunhas nestes ltimos
tempos I Possa' ella ensnr-lhes que a verdadera
grandesano consiste em fazer alarde de sea des-
prezo para com as coasas santas, mas em honrar
e servif a seu Creador e seu Senhor I
____________ .
L-se no 'Jornal do
gointe:
Sobre a passagem da Camila i
em Lyon (Franca) o jornal
guite noticia :
A' sua ebegada ao
encontrara doas mes
primeiro andar, para o
aas filhos, o principe Panto s a
e a segunda, no sali do na do ca,
mitiva imperial.
A mperatriz foi, em coaasaasa i
do de sade, transportada, ea naa
sua carroagem para a cantara ojna ao
parada, onde Ibe foi servido o
S o imperador da Rnaa,
'nos, tornou lugar na mea
ra, e para a qual coarioea
robert.
E' intil dizer-a ajas o director do
tinha adornado o
com todo o esplendor posare!.
A imperatrix di
nos leitos do traas botcL
Os augustos rtajsales trazem
mam no hotel onda pasa a sonto.
Sao leaos de peMasadro de 1
e severa, unican
onro na; arestas.
O imperador e a iaperatriz
goroso incgnito.
O imperador tem 49 asaos, ds
e as suas maneiras militara
cacao que Ibe den o imperador Niestia, aa pao.
qne em tenra edade, segnato Sisea a
pbos, tratoa de o formar soa U
perante, fazendo-o vestir o naiforme ole *
ensinando Ibe o exercleio coa a ;
cabo instructor.
A imperatriz tem na
sir, sobre o qual a donata
Use*.
Alexandre II o a imperarla partirn I
(20) s 10 horas para
L-se no Diario do RtedeJt
ro na POLoau.
7saa>
'
P
abragadas, tinha arrepios d sangue e de cabellos.' sua casa para mais nao sahirmos
detTa. Ao flm de
Aos meus olhos, em que por vetes a poesa do cu tres das, e d^algumas conferencias do negociante
aniepoe o sea prisma, ambas ellas se*me figura- epm o seu socio, partimos todos para Vairo. Fran-
cisco Elisiario ia coramovido e alegre, pedia-me
perdi de haver tratado grosseramenle, beijava
as maos de minha mae, e promettta ser nm digno
marido de sua sobrinha.
Adriana sahia do convento, confiada nestas pa-
lavras do D. Antonia : A menina de.hoto em
ram n'uma s, pela identiScago dos beneficios
maternos; urna dera-me ao mundo-, a outra dra-
me e seu sangue.
Agora, em poacas palavras, te dire quo Antonia
Pires fra casada com ara mo hoaem que a dei-
xara mae de ama crianga de dez das, e dasappa-
receu dos Arcos. Antonia foi dar a Braga, com o diante vae ter infte, que hide guarda-la dos rg-
filho ao seio, no entento de engeila-1o, assim qne res de sea mando. Eu sou nma velha amiga de
se Ihe offerecesse aleitar um fllho alta Neste diverlir-me : a minha filha ha de ir onde en for,
tempo, recommendira minha mae o ajuste4e urna e onde quizer passar as suas horas com satisfagio.
ama para me crear, Foi Antonia no dia em que eu
nasc para minha casa, e levava ainda o fllho, que
Voltamos ao Porto,
degolavam-se os Innocentes no thealro de S. Joic
mas de vestes patriarchaes, em conformidade com quim. Desabafa-me desta anciedadel Ea cuido
a pocha bblica do edifleativo caso. J que ests inventado com a mais desastrosa phanta-
No outro panno do grande quadrado da sala, es-' sla, se te nSo sahes naturalmeute dos |bragos de D.
tavam as janellas guarnecidas de cortinados da-! Antonia I Parece-me que a natureza nio se repela
mascados de diversas cores, explendidoS,alterosos, ainda em semelhant disparato I
lardeados de bracadeiras de esmalto. Ora, como te Pols vaes ficar de novo surprendido com a
disse, os debruos destas cortinas cabtam sobre ca- smplissma naturalidade deste encontr. D. An-
pachos de palha.
Ea comegava a rir-me, qaando a Sra. D. Anto-
nia entrn na sala Minha mae levantou-se a cueto
lonia, lavada em lagrimas, sentou-se, e disse ao
marido, com intercadencias de solucos :
Eu j te contei, Euzebio, a minha triste rlda
da estofada cadeira, em qne a afundira, e alen- toda. Lembr4s daquella senhora, que pagou a
dea a mi esperangosa protectora de sua sobrl- qaem criase o meu fllho para eu criar o del la,
nba. D. Antonia para, flrma-se multo no rosto de quando rae vi desamparada Aqu tens o menino
miaba mi, e mormura:
A senhora...
Soa a ta de Adriaone, que renho pedir V
Exc. o faror de Interceder com o Sr.. Pranelsco
Eliziario, sio'para perdoar a sua ranlher alguma
I culpa, qo ella esto iqnoewto como 99 ojos do tante mmondo com
qne eu criei a me seio.
Minha me correa a abracar-se em D. Antonia,
assim com uhs ares de estremunhada ao acordar-
se de m alegre sonho. Euzebio Luiz manifestou o
mais genuino amblante de bom bomem. Eu, bas-
0 Unce i aas reina|
tinha vnto e dous das resolnda. a enge.U-lo. *-! Ponwi a exacuca0. Mlnha me choron mais qne D1
nha mi riu a crianc.nha, e viu-lhe no rosto as la- Aalmit. fl Francsco E,str0 1B,erroropeu por
grimas da mi. Compadeceu-se de ambos, e aug- j yezgs Q es^Mal0i eXprobando-a patifaria de He-
roentou ao alario da minha ama para ella poder rodes> em Ab8|rophes muil0 raais eioqaentes que
pagar a criagio do seu filho. Quando en ja estova M do amor da
aoartado e robusto, o marido de Antonia voltou r
trra, e uron Inculcas da residencia da molher. I Minta Pr,maJ*ao cboroa IDem na> ^ZV
^ __ Te sempre entretida a examinar os rauda o ton-
Apresentou-se i minha mae cpm autondade de !. n. *.
marido, e levou comsigo Antonia. Mraha me nun- Mdos das ^ ** \T lT>'Z
ca mar tore novas da minha ama, at aquella ho- W^ A^**IZ2ZZZ
sentada no vellido acol- thcalro uda e Patead.como a eslivesse prepa-
Em Pars sneceden aa
funda irapressio as pasas, sjsa so
lembro assistiam na capaila
nia religiosa para festejar o
rador Alexandre.
Eslava all reunida toda a
le em Pars.
Estavam todos ajoeihados,
ooviu nm grito torrivel de Vira a
pronunciado em idioma polaco, e qne
debaixo do chao.
Fiearam todos estnpefaetos : a
lideceram e ihasmu rhegaraa a
da, como costase aa asa lasa,
cuja precedencia se caer, lasa
sepulcral. S o sacerdote soasen
fri.
Os Rossos qne aatsama ce
atrevem a fallar em case lio estopeis.
Mu prescndindo mesmo da adral
o milagro desapparece para quero
digios dorentriloq
I
f
ss <
phia para favorecer aa amigo, a ejsa a
ca dos licores nio deria levar w
revolucionarios at curslos;ia das
nio desafiei o sanden qne
tara sentindo a felicidad
grammalicaes, Era a fsi
qne me deliciara o concia
Francisco Elisiarto
cante. Adriana appareesa
joias de sua aas, a da
forecra naqaoflsj dia. A'
tiro dia, rainha prima
vestido um bebo brilbaoto, e
No dutro dia da ehegada m^rj^ dtose-me :
sed-
rada nm auno, a e>pera daquella noute.
ra em que recoaheceu
choado da sua othomana.
A continuago da historia tambem se te diz em' No da segulnte, deu Euzebio Luiz um jantor
breves termos. dangante. Desde as cien da tarde at, s duas da
O marido de Antonia morreu, quando o filho li manba os pulenta alees, asertos pela primeira
nha ais annos. A mi, com as economa de aa vez, estiveram animidisiimos. Foi J il a profnsio
trabalho e beneficios de um compadre, mndou o
filho para o Brasil. O lilho nriqueceu, e morreu
ingrato aos sacrificios da mi. Ja sabes q
da vida tinha s pobre mulher, quando
Luis Trota a foi bascar ao viaducto de Arnoso.
D. Antonia fes que nos fechassem as portas 1)1
I
Mea primo, accolu-me
brancada alas
agradece a felicidad* de
Aceeitot a pedra que aqui res.
Termlnou s historia.
Francisco Elisirno ato
lamen le dizer, se meto da mais
dade concebida pela isa
honra est guardada as
suaespoja, como a
orna de ouro em mies do tonta.
na, ra a toda a bailes, a
eoariancia de todas as saa
urna fas Ibe classiUcoa
arada M Ismhns da sriaetoto dssa
do serngo, qu eu, escrersado a primeira loeal em'
miaba vida, entend que devia esorever profnsio
com dona ff, para crear urna distineco, que nio
encontrei erada no diccionario de synommos.
Nio ai te foste tu, ou outro jornalisu que ento
me observou que nio er? licito alterar a ortbof ra- PERNAMRl'CO. TY
(Con/iss


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKCBY2W3D_1R1EPP INGEST_TIME 2013-08-27T20:18:04Z PACKAGE AA00011611_10539
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES