Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10537


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO IL. DHERO 281,
Por tres Mezes adiantados SJOUO
Por tres mezes vencidos 6J0
Porte ao correio por tres mezes. 0750
OARTA FEIRA 7 0 DEZEMBRO DE 1864
Por asno adiaatado.....9I00O
Porte ao eorreio por om auno 3$00U
CK' ARRBADOS DA bUBSCRiPCAO NO NORiE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, Sr. Amonio Marques da Sil va: Araeaty.o
Sr. A. de Lempa Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Ohvjira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinhciro A C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
BNCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Gaudino Falco Dias; Bahia, o
rr. Jos Marlms Alves; Rio do Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martms & Gasparino.
aRiUA l>0> EsAtAd.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Aiunho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ouncury e Exu' as quartas feiras.
bennhaem, Rio Formoso, Tamandar, na.Barrei-
iJ0Sa AgQa e Pmenteras as quintas ,'eiras.
Ilha de Fernando odas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os esta/etas partem ao Vi dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE DEZEMBRO
6 Qua(rto cresc. as 5 h., 11 m. e 56 s. da ni.
13 Luaj cheia as 4 h., 52 m. e 26 s. da m.
21 Quapto ming. as 2 h., 42 m. e 58 s. da m.
28 La nova as 7 h., 1 m. e 44 s. da m.
PRKAMAR DB BOJI.
Primeira as 10 horas 5 i minutos da manha.
Segunda as 11 horas 18 minutos da tarde.
t*RiJ tiOb VArORivo LOSiiilROj.
Fr o sni at Alafoas a 8 e 25; ;j.-* o corte at
a Granja 7 e 22 de cad?. me;; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan. marc.,maio. jul. set. e ncv.
PARTIDA DOs OMNiBUS.
o 11a? Recie: do Apipucos s 6/,, 7, 7 >/,, 8 e
8/, da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 V da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de BemUca s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos s 3 Vi, 4,4'/?, 4 V.
c> 8 Vj, 5 V e 6 da tarde; para Olinda s 7da
manhia e 4 V da tarde; para Jaboatao s 4 da
tarde; para Cachang e Varzea s 4 V, da tarde;
para Bemfica s 4 da tarde.
AUDiBNC a DOS tRlBNAFS DA CAPITAL
Tribuai do commercio: segundas quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta., s horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civol : tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara docivel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
DAS DA SEM-JU.
5. Segunda. S. Podro Chrysologo b.
6. Terca. S. Nicolao b.; s" I.-oncia ra.
7. (Juarta. S. Amhror-io b. dr. da egrejj.
8. (Juinta. cjja A (inmaculada Conceicfm do Mara
0. Sexta. S. Leocadia v. m. s. Gorgnia r.
10. Sabbado. S. Melchiades |>. m.; S. Camello ni.
11. Dumingo. S. Dmaso a, m.; S. Kraoci-co c.
ASSIGNA-
no Reiife, em a lifraria da praca da 'ndrptaj.,..
cia ns. 6e 8, dos proprieiarios Hanoei Fianeir..
de Paria & Pilho.
PARTE 0FFIG1AL
GQYERM DA PROVINCIA.
Expediente do dia 3 de dezembro de 1861.
Oflkio ao Exm. presidente da provincia do~Bio
Grande^ do Norte.Recebi os dous exernplares da
collecco de Jis dessa provincia, promulgadas nos
anuos de 1863 1864, as quaes V. Exc. enviou-
me com o seu otQcio de 28 de noverabro prximo
Ando.
Dito ao Exm. presidente da provincia do Ama-
zonas.Constando de aviso do ministerio da guer-
ra de 16 de novembro ultimo, que ao capilo do
corpo de estado maior de primeira classe Francis-
co Raphael de Mello Reg, que seguio ltimamente
para essa provincia em virtude de ordens irape-
riaes, se concederam n'aquella data tres mezes de
licenca, cabe-me assim o participar V. Exc, que
se servir de o fazer constar ao referido capito.
Fizeram-se as demais communicages.
Dito ao Exm. presidente da provincia das Ala-
gas.Recebi com o ollcio de V. Exc. de 3 de no-
vembro ultimo, dous exernplares da collecco das
leis promulgadas nessa provincia no correte
anno.
Dito ao Exm. presidente da provincia do Mara-
nhao. Remetiendo incluso um exemplar do com-
promisso que V. Exc. fez em 27 de junho de 1860,
para a Santa Casa da Misericordia desta cidade,
julgo ter satisfeito quanto V. Exc. solicitou em seu
officio de 22 de novembro ultimo, que aecuso re-
cebido.
Dito ao Exm. Sr. Dr. Joo Cryspiniano Soares,
presidente da provincia de S. Paulo.Pelo seu of-
ficio de 7 de novembro ultimo, liquei inteirado de
haver V. Exc. nessa data prestado juramento e to-
mado posse da administrado dessa provincia, pa-
ra a qual foi noraeado por carta imperial de 17 de
outubro prximo findo.
Dito ao desembargador presidente interino do
tribunal do commercio, sirva-se V. Exc. de infor-
mar acerca do que pede no incluso requerimenlo
o bacbarel Manoel de Siqueira Cavalcanti.
Dito ao coronel commandaute das armas.En-
vi V. S. os processos de couselho de guerra dos
soldados do segundo batalhao de nfantaria, Ray-
muudo Manoel do Nascimento e Marcolino Rodri-
gues da Silva, do stimo, Jos Pedro da ilva, e do
nono da mesma arma, Jos Ra y mundo, afim de se-
rem cumpridas as seniencas proferidas pelo con-
selho supremo militar de justica em ditos proces-
sos.
Dito ^o mesmo. Tendo-me eommuoicado o
Exm. Sr. presidente da provincia da Parahyba, em
ollleio de 28 de outubro ultimo, haver sido preso
no dislricto do Talp d'aquella provincia Maximia-
no Jos da ilva, que se suppoe ser desertor desta,
sirva-se V. S. de informar se realmenie pertence
a algum dos corpos aqu existente o desertor de
que se trata.
Dito ao mesmo. Transmuto V. S. para que
lbe d o convenieole desitao, a inclusa certida8.de
assentamento do alteres Leopoldino Evangelista
Parahyba, que foi transferido do corpo de guarn-
cao da Parahyba para o stimo batalhao de infan-
taria.
Dilo ao mesmo Ao officio que V. S. me diri-
gi neta data sob n. 2142, respondo declarndo-
me que, se o commandante do nono batalhao de in-
fantaria sujeita-se a raaudar fazer a escripluraco
do mesmo batalhao nos livros que ha a venda ni
mercado, ser autorisada a compra delles couvin-
do, ao contrario que se espere pelos que se pedi-
ram ao Exm. sr. ministro da guerra, a cujo couhe-
cimento voa levar o seu citado oflicio.
Dito ao mesmo. Expeca V. S. suas ordens para
que s 10 oras do da d amanha, se aprsenle
com urgencia na reparticao da polica urna escolta
de quatro praras, afim de conduzir um criminoso
al a villa do Limoeiro.Communicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Dito ao mesmo.Remeti por copia V. S. pa-
ra sua iuielligencia a primeira via do conhecimen-
te dus objectos remettidos para esta provincia com
destiuo ao ijuarto batalhao de anilliaria a p.
Dito ao mesmo.Em cumprimento do que exi-
ge o aviso do ministerio da guerra de 21 de outu-
bro prximo passado, sirva se V. S. de prestar a
sua informadlo acerca do conteudo na petifao jun-
ta, que ao governo imperial dirige o soldado do
primeiro regiment de cavallaria ligeira Joao Al-
fonso de Albuquerque.
Dito ao mesmo.Mande V. S. postar em frente da
greja de Nossa Senhora do Terco no dia 8 do cr-
reme s 9 horas da manhaa urna guarda de honra,
alini de acompanhar o Santissimo Sacramento em
procisbo para a matriz nova da f-eguezia de S.
Jos, e alli assistir aos actos da festa de inaugura-
rao da mesma matriz.
Dito ao Dr. chefe de polica.Informe V. S. ou-
vindo o subdelegado dos Afogados a razo porque,
pertencendo Marcolino Ferreira da Costa a guarda
nacional de reserva, foi chamado n'aquella fregue-
zia a servido de ronda.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Anuuindo ao que solicitou o Exm. presidente do
Rio Grande do Norte, em officio de 6 de setembro
e 4 de outubro ltimos, transmiti por copia V.
S. para que tenha a devida execuco a lei n. 539
de 28 de junho deste anno, augmentando em 4o ad-
dicional de um por cento nos 5 por cento, a que
estao sujeitos o algodo, assucar, couros sainados
e outros gneros de produccao d'aquella proviccia
no acto de sua exporlaco.
Dilo ao mesmo.Commnnico a V. S. que em
aviso de '7 de novembro ullimo, declarou o Exm.
Sr. ministro do imperio, ter sido approvada a des-
peza de 2005000, que a presidencia aulorisou sob
sua responsabilidade, pela verbasoccorro-i pbli-
cosdo exercicio cornjnte para remunerar a Can-
dido Jos Serpa, os servidos que prestou aos indi-
gentes accommellidos de bexigas no municipio de
Olinda.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.Em
vista das 2 conlas juntas em dnplicata c nao ha-
vendo inconveniente, mande V. S. pagar a Antonio
Dorningues de Almeida Pocas, conforme solicitou o
chefe de polica, em officio do 1 do crreme, sob
n. 1,504, a quantia de 28,8060, proveniente da dcs-
peza feita durante os mezes de setembro e outubro
ltimos, com o fornecimento de luz e agua para o
quarlel do destacamento do termo de Santo Antao.
Communicou-se ao Dr. chefe de poiicia.
Dilo ao cnsul de Hanover.''ela copia inclusa
da informaco ministrada pelo administrador da
casa de detencao ver o Sr. William Oito, cnsul
de Hanovre nesta provincia, que inexacta a noti-
cia que ebegou a connecimenlo do mesmo Sr.
cnsul, e que por este foi trasida a presenta do
meu antecessor, em seu officio de 29 de novembro
ultimo, relativamente ao facto de haver o subdito
hanoveriano James Thompson, sido privado de all-
mentago, durante o tempo que esiivera detento
naquelle eslabelecimento a requisico desse con-
sulado.
Renov ao Sr. cnsul de Hanover, os protestos
de iniilia estima e considerado.
Dilo ao provedor da Santa Casa de Misericordia.'
Sirva-so V S. de mandar recolher ao hospital da
Santa Casa da Misericordia, afim de ser tratado o
preto Joaquim Pereira da Silva Mallos, que teve
baixa do servico do exercito ha poucs dias, acha-!
se doente e nao tem mcios de tratar-se.
Dito ao commandante superior da guarda naci
nal de Santo Anto.Devolvo a V. S. os pedidos
de livros, papel e mais objectos que vieram juntos
ao seu ollkio de 22 de novembro prximo lido,
afim de sern reduzidos ao que for slrictamenle
necessario e de que haja preciso urgente.
Dito ao director geral da instruccao publica.
Para cumprimento do disposte no aviso do minis-
terio do irnperio.de 2i de outubro ultimo, incluso
por copia, ministre V. S. em lempo de serem en-
viados aquello ministerio at o fim de Janeiro vin-
douro, todas as informacfos que forem possiveis so-
bre o esiade da instruegao primaria e secundaria
desta provincia, devendo V. S. continuar a remlle-
las annualmente o de conformidade com o citado
aviso e modelos tambem juntes qnr copia.
Dito ao mesmo. Em vista do que V. S. pondera
em seu officio de hoje sob n. 247, designo a pro-
fessora Alexandrina de Lima Albuquerque, para
fazer parte da commissao de oxames de qu trata o
seu citado officio.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
fcm resposla ao officio de V. S. n. 148, de 23 da
, novembro ullimo, tenho a declarar-lhe que aliente
I a insufliciencia de forca de que se resente esta ca-
| pital, nao pode por ora seu augmentada a guarni-
; gao desse presidio como V. S. solicitou, o que tr
lugar logo que desappareca a falta de for?a ocra-
1 sionada pelo embarque dos batalhoes 2" e 7 de in-
| fanlana.
Dito ao inspector do arsenal de marinha De!
conformidade com o que determina o Exm. Sr.
ministro da marinha, em aviso de 17 de novembro I
ultimo, chamo a attencao de V. S. para a fiel ob-!
servancia da circular de 2 de junho do anno pro-'
xuno passado, pela qual se ordenou que a despeza
mensal de cada verba fosse regulada pela duodci-
ma parte da quaniia total da respectiva consig-
nado.
Dito ao mesmo.-Mande V. S. para a matriz no-
va de S. Jos no da 7 do correte as 4 horas da
tarde a msica da companhla de aprendizes artfi-
ces desse arsenal, afim de assistir a bencao das
imagens eda mesma matriz.
Dito ao corouel Antonio Pedro de S Barrete
Tendo noraeado a V. ., tenente-coronel Jos An-
tonio Pinto e major S-basiiao Antonio do Reg
Barros, para de conformidade com a circular do Io
de marco de 862, examinarem varios objectos re-
mettidos para esta provincia no vapor Oyapock com
desuno ao 4 batalhao de artilharia a p os quaes
conslam do conhecimento que nesta data remetto
ao director do arsenal de guerra; assim o commu-
nico a V. S. para ter execuco.Communicou-se
ao director do arsenal de Ruerra.
Dito ao conselho administrativo.Autonso Vv.
Ss. a comprar nos termos do regulamenlo de 14
de dezembro de 1852 os objectos mencionados em
a nota por copia inclusa, para forneeimenlo da en-
fermara militar da provincia das Alaran
Dito ao administrador do correio.Participndo-
me o iuiz municipal supplenle do termo de Cabro-
bO em dala de 6 de noverabro ullimo, haver falle-,
cido no dia 3 o agente do correio daquella villa Ro-
marico Francisco dos Santos; assim o declaro a
Vmc. para seu conhecimeato e am de providenciar '
como for conveniente.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
Vmc. apresentar na matriz nova da freguezia de;
S. Jos, amanha as 4 horas da tarde a msica da
cempauhia de menores desse arsenal, afim de as-
sstlr ao baptisamento dos sinos do mesma ma-
Ir.
Dito ao juiz de direto de Santo Antao.Recebi
o seu officio de 24 do mez prximo lindo, e fico en-1
tendido de haver Vmc. incumbido ao juiz munici-
pal do termo da Escada, de assistir a revso da
lista dos jurados do mesmo termo no dia 26 daquel-
le mez por ler Vmc. de presidir no dia 28 a sesso
do jury do lermo de Sanio Antao.
^ uno ao juiz de direito Ludgero Goncalves da
Silva.Transmiti a Vmc. a inclusa portara sobre
reclamacao de anliguidade do juiz de direilo Jero-
nymo Mximo de Olivoira e Castro, e que para
Ihe ser entregue me foi enviada pelo Exm. conse-
llieiro presidente do supremo tribunal de justica em
dala de 29 de outubro ultimo.Iguaes a diversos
juizo-; de direito.
Dito ao juiz municipal da primeira vara desta ci-
dade.Com este officio ser apresentado Vmc,
para o lira indicado em seu officio de 27 de outu-
bro ultimo, o men ir Jo- irmeda infeliz Mara
Lona da Conceicao a quem o sentenciado de jus-
tica Manoel Antonio Carnciro assassinoa no presi-
dio de Fernando.
Dito ao juiz municipal de Serinhem.Com co-
p|a do parecer do conselheiro presidente da rela-
co de 26 de novembro prximo findo, com o qual
me conformo, dou solucao a consulta folla por Vmc.
em data de 31 de outubro ultimo, acerca do sen-
tenciado Antonio Florencio da Paixo.
Dito aos agentes da companha Brasileira de pa-
quetes a vapor.Podem Vmcs. fazer seguir para
os portos do seu destino o vapor Cruzeiro do Sul a
hora indicada em seu officio do hontem.
Dito aos mesmos.Respondeudo ao seu officio
de 2 do corrente, lenho a dizer-lhcs que a tropa
destinada a corte nao vai agora, por ler de seguir
em vapor determinado era vista da recommenda-
5.0 couda em aviso do ministerio da guerra.
Porlaria. -O vce-presidenle da provincia, atten-
dendo ao que requereu Hermino Egidio d Figuei-
redo, lente da 1/ cempanhiado 2.' batalhao de
infamara da guarda nacional deste municipio, re-
solve conceder-lhe seis mezes de licenca para tra-
tar de seus negocios.
Dita. -O vice-presidente da provincia tendo em
vista a informaco do coronel commandante das
armas n. 2110 de 28 de novembro ultimo, e o pa-
recer da junta militar de saude de 2 daquellemez,
resolve conceder na forma do artigo 106 do regu-
lamenlo de 27 de outubro de 1860, tres mezes de
licenca quo solicitou o tenente do corpo de guarn-
cao desta provincia Jos do Reg Barros para tra-
tar de sua saude.
Dita.Os senhores agentes da companha Brasi-
leira de'paquetes a vapor facam transportar para
a Rabia, por conta do ministerio da guerra no va-
por procedente do norte, um caixo com artigos de
fardamento destinado ao contingente do 4. bata-
lhao de anilliaria a p, o qual deve ser entregue
ao commandante das armas daquella provincia.
Communicou-se ao coronel commandante das ar-
mas.
Dita.Os senhores agentes da companha Brasi-
leira de paquetes a vapor mandem dar transporte
at a Bahia no vapor Cruzeiro do Sul, em lugar de
r destinado a passageiro de estado, a Clementino
Ferreira Gomes.
Dita.O Sr. gerente da companha Pernambu-
cana mande dar transporto at o Penedo no pri-
meiro vapor quo tem de seguir para o sul, em lu-
gar de proa destinado a passagero de estado a An-
tonio Joaquim da Silva Lopes.
Expediente do secretario do govrno da dia 3 de
dezembro.
Officio ao Dr. Joao Jos Ferreira de Agaiar.
Sua Exc. o -r. vice-presidente da provincia manda
communicar a V. S. para seu conhecimento e di-
recc,o, que nesta data designou V. S- para assistir
na qualldade de coramissariodo governo aos exa-
mes de preparatorios a que se tem de proceder na
Faculdade de Direito nos mezes de fevereiro e mar-
go do anno vindoaro, o o Dr. Jeronymo Villela de |
Castro Tavares para o substituir nos seas impedi-
JerH,'' ph,ah? a fre6uezia I}6 Villa-Flor, hoje freguezia da | Indicara uns a data de 2i de agosto queriam cillo n5 ,cnhAC .
r da I enha, agora se acha embaracado para continuar outros que se nao marcasse mak dn mi n me* ?:_?'5.tFPn?s. devendo considerar-se
memos.Igual communcagao se fez ao Dr.
VSSJSua d-C tro T*TareS e a d'reCt0r da n*;.agora se ^cha mra$ado para continuar I outros que se nao marcasse mais do que o n
nun l int ,re,t2- ,k a a ? "prcer U(a'al concessao, visto t-la eu negado,afim de se nao tomar resoluco nenhuma a est
tasLSfiVS thesonrarla de fazenda.- auiros parochos que estavam de posse da mesma respeito, antes de se ter delicada attencao com Suas
sua fcxc. o Sr. vice-presidente da provincia manda regala. Mageslades e o governo O *r Nascimento Leo
transmitur a V S. a inclusa ordem do thesouro Sendo o fim da numeracao e rubrica de qual- propuna desde o dia 15 at 3i*d agosto ;-.o Sr.
nacional n. 172. quer hvro evitar que se Ihe eubstita algnma fo- Mozer indicou desde 20 .at 31 para se ifeixarem
uno ao mesmo. Sua Exc. o Sr. vice-presidente Iba, quse d nelte qualquer outra fmude, rrio pos- mais cinco daselo menos, aos sericultores. A
da provincia manda transraittir a V. S. as tres in- so cofSehtir que o proprio parocho rubrique os este respeito disse o Sr. Mozer palavras de muita
ciusas ordens, sendo urna do thesouro nacional sob seus livros, pois de contraro intil se tornaria aniiiaeao para o futuro da industria da seda em
n. I7J0 duas em1 duplcala ns. 423 e 424, expedi- esla precauco. E' claro, pois. que osla medida Portugal. Monta j a 600 conlos o producto do ca-
das pela reparticao do ajudante general, bem como devo ser geral para todos os parochos sera excep- sulo, annualmente, nosso paiz. O Sr. Mozer um
um otuc j da secretaria de estado dos negocios da cao, nao so para evitar odiosidades, como porque dos mais intelligen
fazenda, datado de 22 de novembro ultimo. I nenhum parocho est isenlo de
. serem chamados a
Despachos do dia 3 de dezembro de 1861. Ju,zo os. seus livros, e de carecer que elles lenham
Requerimentos. I,e PllDlc : portante sem que se possa attribuir
Antonio Eugenio Paz. -Informe o Sr. inspector meu procedunento mais leve desconfianza, an-
da thesouraria provincial. ,es teQdo em vistas o bem mesmo dos parochos, o
Candido Jos de Oliveira. Informe o Sr. direc-1 piT? melheros salvaguardar de quaesquer impu-
tor interino das obras publicas. I laoes injustas, darei sempre concesso a outrem,
Francisco Gabriel das hagas. Concedo o prazo Para rubricar os livros de urna matriz, porm
pedido, sendo o presente despacho levado ao co- nurJca o proprio parocho que a rege,
nheciraento do Exm. Sr. commandante das armas.! Q^ndo, poi, se Hadaren o* livros ou algura li-
Henriques Jos Vieira da ilva.Informe o Sr. vro "es9 matriz V. Rvm. me participar, alim de
inspector da thesouraria de fazenda. ^lle eu futorise algum sacerdote para rubricar os
Henriques Alves Marianno.-Informe o Sr. Dr. noy.08 Hyros-
chefe de polica. "" ao mesmo.Respondo ao seu officio de 16
Jos Francisco da Silva.Informo o Sr. nspec- ^a ou'obre ultimo, no qual me diz que, tendo-se
tor da thesouraria de fazenda. lindado a sua proviso de vigario da vara da sua
Jos Francisco Rinovaes.Concedo o prazo re-! ',,eBueiiai proviso mandada passar pelo visitador
querido, sendo o presente despacho levado ao co-1 %es>* provincia, e com aulorisacao especial para
nhecimento do Exm. Sr. commandante das armas, i yr a Hnal entenga; me pede que continu a ce-
jse Ignacio Peris GuintoComo requer, sendo der'ln" esta graca per dous annos.
este presente ao Illra. Exm. Sr. commandante das Havendo eu, em data de 20 de outubro ultimo
armas. nomeado vigario geral forneo das comarcas de
Joo Baplista Vieira Ribeiro.Nao tem lugar a alal e.s- Jos ao Rvtl- v'gario de Papary Jos
vista da-informaco. Alexandre Gomes de Mello ; edas demais comar-
D. Maria Christina Cavalcanti Pessoa Cesar. oas dessa provinria ao Rvd. ex-visitador Francisco
Como requer, nao podendo porm entrar em con- 'us"no Pereira de Brito, nao convm que to de-
pressa altere esta diviso, multiplicando os viga-
ros forneos; menos que nao haja recoohecida
necessidade, atienta a grande longitude em que se
ache urna freguezia.
Ad virio que, quanto as ustificacoes de baptismo
para os Babeles poderemeasar-se, deve V. Rvma.
loma-las ouvindo urna ou duas leslemunhas, e isto
verbalmenle, sem forma de processo, e sem que
ntelligentes membros da praca do Porio.
Decidio-se, por fim, que se adoptasse o ultimo
alvitre, e que acceitasse o offerecimento do Sr. Al-
fredo Alien para ir a Lisboa fallar com o governo
e com Stas Mageslades, afim de precisar-se o da
da abertura da exposicao.
A commissao central tem-se havido com a
maior activdaJe. J tem orcameotos do.- annexos
que ha a fazer para dar lagar 'aos"productos" que *J!LuS?Si
ossam concorrer. Paree* me m rion. mp> I de' Pe''.cnsules de Porugal em diw*os
. quasi I
unca a endemo-epidemia reinante. Como atife
ja disse sobrevieram depois das chavas, as fofcre
pulu>lres, endmicas e reinantes ne-ta qoadra, a>
quaes se apreseniam pela nwior parte kenignas
ceden lo ao Iratamento prescripto. Pela* ultima
participages recebidas nao consta se leona *en
sivelmente alterado o estado saoitan.1, quer m
achipelago quer em Gui. Derem, prm. ma^
ou menos reinar em alguns pontos as febres m
demicas, que so do ncsU quadra, a mais insalu
bre em toda a provincia.
- No mez passado foram remettidus para Ca.
\ erde no navio l'enh-i Imwju 662. iO> litros 4>
millio (800 moios) mei.nl.: por n.nta do governo.
metade por conta da eoflMMio de mmotm. Be-
tel novos auxilos devem ja ter cturgado ao seu
destino.
A follia offlcial publica a relaja.) dos dooa
tivos oblidos a favor dos indigente* de '^00 Ver-
curso sem ter exibido a certido de idade.
Manoel Ignacio do Carvalho Mendonea.Infor-
me o Sr. tenente coronel recrutador.
Maria Magdalena de Carvalho.Concedo o prazo
de lo das centados da data deste, sendo o presen-
te despacho levado ao conhecimento do Exm. Sr.
commandante das armas.
Bacharel Mendes de S Barreto Sampaio.Infor-
formeoSr. Dr. juiz de direito da comarca de Pal- as Partes disPendain cousa alguma ; nao assim
" de idade para abrir novo lanca-
mares.
Vicente de Moraes Mello Jnior.Como pede.
<;ovi:k\o do bisp i no de
1*12 it vvw urco.
SEDti V\i;\\TE
Dezembro de 1861.
Expediente do dia 3.
Officio ao Exm. Sr. vice-presidenie da provin-
cia.Tenho presente o officio de V. Exc. dalado
do primeiro do correte, communicando-me haver
assumido nessa data a adminislracao da provincia,
na qualidade de seu primeiro vice-presidente.
I as jusiificacoes
ment.
EXTERIOR.
COBBESPOXDEXCIAS BO DIA
BIO DE PKHVUIHICO.
LISBOA.
13 de novembro.
(Continuaco.)
Quasi todos os empregados do actual conlra-
. lo do tabaco leem requerido a sua collocaco nos
Aproveite a occasiao para significar V. Exc i quadnos dos funecionarios pblicos addidos na con-
os meus protestos de estima e consldera^ao.
Dito ao mesmo. Bavendo eu convidado V.
Exc. na qualidade de desembargador da Relaco
desta provincia para assistir no dia 8 do corrente
solemmdade da Inaugurac,o da nova matriz de
S. Jos, tenho a honra de reiterar agora o mesmo
convite, afim de que V. Exc. se digne assistir
mencionada solemnidade na qualidade de vice-
presidente em exercicio.
Dito ao Exm. Sr. commendador Dr. Domingos
de Souza Leo.Havendo eu convidado a V. Exc.
para assistir como presidente desta provincia
inauguraco da nova matriz de S. Jos da cidade
do Recife, tenho a honra de reiterar agora mesmo
o convile, afim de quo V. Exc. se digne assistir
referida solemnidade como um dos mais distinclos
protectores do novo Templo.
Dito ao Dr. chefe de polica Aecuso recehido o
officio de V. S. dalado de 29 do prximo passado,
sullicilando o meu parecer a respeito das conside-
rares apresentadas pelo Dr. delegado do primei-
ro dislricto dessr termo, no seu officio de 28 do
mesmo, acerca dos festejos paatoris, e sobre a per-
gunta que elle faz, se deve continuar em vigor a
proliibico que o Exm. prelado impoz a laes fes-
lejos.
Desde qne tome conta do governo desla dio-
cese, foi um dos meus prlmeiros cmnenhos iran-
quillsar as familias, oppondo-me quanto fosse pos-
sivel, a essas dispensas de proclamas e de jusiifi-
cacoes, de que muitos se prcvaleciam para illudi-
rem a aeco da justica, e o zelo e vigilancia dos
pais de familia. O caso porm de que agora se
traa anda de maior gravdade. Esses festejos
em horas adianladas da noule, dao occasiao quasi
sempre a disturbios, e algumas vezes adesordens
de carcter serio, que a polica ? a milito custo
consegue reprimir. Alm disso a triste experien-
cia nos mnstra, que ditos festejos algumas vezes
servem de pretexlo a lins immoraes. e do occa-
siao a se perveterein algumas jovens innocentes
ou incautas, que depois chorara sem remedio sua
desgraea.
Bem sei que a maior parte das pessoas encar-
regadas de laes presepios esto animadas das mais
puras intences, e s tem em vistas eslouvores ao
Menino Deas : porm essas desgracas, de que fal-
le, e que todos os annos infelizmente apparecem,
do-se sem que essas pessoas o sa.sem queibam,
as familias honestas as possam prever ou evitar,
do-se com pessoas estranhas e Insuspeitas aes
donos da casa, as quaes s alli vo por amizade,
ou para ajudar a cantoria, como se deprehende
do officio do mesmo Dr. delegado do primeiro
dislricto, quando diz qne por varias vezes se
vio obrigado a prohibir a continuaeo de festejos
semelhantes, nao obstante haverem os donos da
casa obtido licenca especial do Exm. prelado falle-
cido, a quem elle depois dava parte do seu proce-
dimento eomo Ihe cumpria-f
A' vista pois da hora adiantada da noute emque
tem lugar taes presepios vista dos graves males
que essas reumoes costumam occaMonar, indepen-
denle da honestidade das familias que os celebram
e apezar mesmo dos estorbos que empregara para
que taes factos se nao deem em suas casas; e es-
tando eu persuadido de que ser mais do agrado
de Deus e do publico previnir essas desgracas, de
que lamenta-las depois sem remedio, esteu deter-
minado a nao conceder licencia para se fazer fes-
tejo algum as casas particulares com pompa, cora
ajunlamento de pessoas, com estrondo ou cantoria;
licando livre a quem liver verdadeira devoco fes-
tejar nojnteriordesuas casas o menino Deus sem
ostentaco, sem cantoria, sem ajunlamento ou ru-
mor fra de horas ; sendo que quem quzer lou-
var a Deus publicamente, e com pompa, deve-o
fazer nos templos que felizmente nao faltam entre
nos, e onde os fiis podem reunir-se a horas com-
petentes.
Rogo, pois V. S. que se digne dar as necessa-
rias providencias, para que cessem de urna vez
taes abusos, e o menino Dos seja louvado com a
simplicidade e pureza de coraco, que elle exige
de nos.
Dito ao vigario do Assu'.Foi-me presente o sen
officio de '4 de outnbro uliimo, ne qual V. Rvma.
me diz que, aclundo-se revestido pelo Exm. falle-
cido prelado diocesado do poder de numerar e ru-
bricar os livros de lancamentos da sua matriz, e
havendo gosado de igual aulorisacao quando paro-
forraldade da le. ranga que o maior numero u
que deseja que o governo considere funecionarios
pblicos, dando-Ibes depois licenca Ilimitada sem
vencimeoto, para cada um t >mar o modo de vida
que mais Ihe convenha, leudo sempre naquclla no-
meaco urna garanta para quando Ihes follona os
meios de subsistencia.
No Mornimj l'ost e no Evening Star do Io do j
crreme se faz larga mencodo bauiuele dado nos!
ulliinos das de outubro no London Taveh ao ma-1
rechai duque de Saldanha pelos direciores do C diz Qporto & l.iglit Wine Associalion fundada em :
Londres em 861, e da qual o nobre marechal ac-'
ceitou a presidencia honoraria.
A ssoct'tco commcrcial de Aveiro enviou j
para Libboa a resposla a consulta do governo acer-
ca das providencias, que devem adoptar-se para
conciliar o livre exercicio da iniciativa individual
na cooslituicao dos bancos, com os penliores que
exrgem a seguranca e a ellieacia das suas opera-
Qoes, propoudo aproximadamente os mesmos aivi- 1
tres, que constara do relalorio da Attotiaqo Com-1
mercial de Lisboa.
Com essa resposta, entrada igualmente no minis-
terio das obras publicas urna represenlaeao da
mesma associaco commercial aveircnse, pedindu
a consirueco de um edificio para a alfandega e
oulras repartices publicas, no terreno que oceu-
pava o i> ico episcopal, ltimamente incendiado.
No dia 6 do correnle urna hora da tarde
reuniram-se na casa da Bolsa (Porto), os subscrip-
tores do projectado banco Ilypothecario de Portu-
gal, sob a presidencia do viscon.de do Castro e Sil-
va, servindo de secretarios os Srs. Jos Pereira
Cardoso Jnior, e Custodio Ferreira Pinto Fil-
gueiras.
Esta reunio tinba sido convocada para a assem
bla resolver a questo do levantameiilo do depo
silo do producto da raclifieacao dos subscriptores
deste banco. O Sr. A. B. Ferreira, anterior presi-
dente da commissao installadora, linha licado de
posse do titulo desse deposito, feito no banco Uuio,
e nao querendo agora entregar se nao a quem a as-
sembla decidisse, esta conferid os poderes actual
commissao, para receber o referido titulo.
Em seguida o presidente, visconde de Castro e
Silva, informou assernbla de que o Sr. Miguel
Osono participara ter concluido os trabalhos de
que se linha encarregado como representante do
grupo os subscriptores do projectado banco Ilypo-
thecario de Portugal, offerecendo-se ao mesmo
tempo a fazer um relalorio desses trabalhos se se
julgasse preciso. A assernbla resolveu prescindir
do relalorio.
E tendo o mesmo presidente commettido as-
sernbla a deciso sobre a transferencia dos direi-
tos de fundador que o Sr. Miguel Osorio se presta-
va a fazer, decidiu-se nomear uina commissao para
dar o seu parecer a este respeito, a qual licou com-
posta dos Srs. Luiz Bernardino Lopes, Lourenco da
Silva Pereira Magalhes, Jos Pereira Barbosa,
Miguel da Paz dos Res, e Jos da Costa Torres
Guimars.
Dos prelos da typograpliia do Sr. Jos Lou-
renco de Souza no Porto, acaba de sahlr una obra
que' de grande utilidade para os commerciantes.
E' urna collecco de todas as rcsoiui;oes da com-
missao de pautas e do conselho geral das alfande-
gas, da legislarlo da pauta em vigor, do novo re-
gulamenlo das quarentenas, do cdigo penal e dis-
ciplinar da marinha mercante, da lei da abolico
do monopolio do (abado etc.
Escrevem do Porto com datas de 4 do cor-
rente o seguinte sobre a projectada exposicao inter-
nacional.
c Houvd hoje assernbla geral dos accionistas do
palacio de crystal. Foi n'um dos saloes da Bolsa.
Presidio o Sr. visconde ,de Pereira Machado, e fo-
ram secretarios os Srs. Joao Antonio de Miranda
Guimares e Eduardo de Mattos.
t O assumpto mais importante que alli se discu-
tio, foi a determinaco do da em que d;ve abnr-se
a exposicao. E' sabido que ha mezes se tinha Usa-
do o mez de junho de 1865 ; mas o auxilio gover-
naraenial nao pode ser dado, na parte mais mo-
mentosa, sdm o consentimento das cmaras: esto
neste caso o subsidio e a isenco de direitos para
os objectos destinados quelle concurso industrial.
D'ahl vem a necessidade do afiliar a poca mar-
cada, o que, por todos os motivos, parece muito
conveniente.
possam concorrer. Parece que em dous mezes se i
podem apromplar.
OSr. Julio Mximo de Oliveira Pimentel, vis-
conde de Villa Maior, ser o presidente da com-
missao organisadra. Pessoas muito notaveis do
nosso paiz figuram entre as que ho de compr as
respectivas commissoes
Ha urna carta vinda de Paris, e escripia por
pessoa muito conhecida dos expositores francezes
em que se l :
Pelo Momteur sonbe que loria lugar no Porto
urna exposicao em 1865. Outra deve ter lugar em
Dublin, no mesmo auno. Os commissarios irlande-
zes desejam vivamente que a Franca tome parte
nella.
a Pcdem agora a Mr... (de Caen) e a mim, pa-
ra nos encarregarmos de organisar a sergo fran-
ceza da sua exposicao. Entendemos; porm, que,
antes de tomar qualquer resoluco, convinha saber
as ratencoes da commissao portugueza.
O meu amigo Mr... o eu temos viva sympa-
thia por Portugal, estiraavamos muito darlhe o
nosso apcio, embora modesto
t Confesso que verei cora summo praier a indus-
tria franceza contribuir para o bom xito da expo-
sicao, e que ha grande interesse em por era con-
tacto, quanto tor possivel, as duas nagoes.
' sta carta foi dirigida a um dos nossofc mais
conhecidos homens de sciencia, cujo talento e sa-
ber Lisboa admirou por muitos annos.
O signatario delle pedia resposla breve acerca
das condicoes da exposicao.
Eis o que ha a este resp-ito. O Sr. Alien deve
partir brevemente para a capital.
No theatro de S. Carlos, a 21 do corrente,
haver urna recita em beneficio, para com o pro-
ducto se collocarem os bustos em marmore de. Al-
meida Garrelt e Epiphanio Aniceto Goncalves no
perystillo do iheatro normal de I). Maria II. E' pre-
sidente da commissao que est tratando do paga-
mento desla divida nacional, o Sr. Francisco Palha
(commis>ario regio do theatro normal).O grande
dramaturgo, e celebre actor portuguez vai pois ser
levantado no templo da arte esse padro comme-
morauvo.
Vai hoje na corveta Estephania, para Gbral-
tar, e seguir no paquete para o Estado da India
a lomar conta do governo gerai, o conselheiro Jos
Ferreira Pestaa e seus ajudantes os capiles
Scornichia, e D. Jorge de Mello, o inspector do
arsenal de Gou e o major Mendonga.
Chegou a mala da India, nao tem novidade.
D'Angola lia noticias.
Foi approvada a instituico d'uma associaco
commercial em Loanda. O socego era geral
em toda a provincia. As bexigas tiuham desap-
parecido no Ambriz e eram mais beniguas ne rs-
tame oas provincias.
No primeiro de ago>lo o governador geral no-
ineou urna commissao, para instituir c organisar
naquclla cidade urna biblioteca e um museu que
possam fran'juear-se no publico, logo que cheguein
a estado de ser-lhe til.
As noticias de Cabo Verde aleancam a 15 de
outubro. O governador geral da proviucia adia-
se na ilha Brava. Fi'-ara era S. Tingo encarrega-
do do expediente da administracao o secretario do
governo geral da provincia.
A noticias relativas ao estado sanitario e ali-
menticio sao as seguintes segundo os officios d'alli
viudos.
Vai-se atravessando a actual quadra n'um esta-
do quasi regular, porque as molestias remantes
sao as febres palustres endmicas, e que estas
mesnias se apreseutam benignas, cedendo na maior
parte dos casos, ao Iratameulo proscripto.
Em quanto ao estado alimenticio, est geral
mente mau pela talla de cultura, pois, principal-
mente nesta ilha (-. Tiago), se achara o> terrenos
quasi lodos incultos, e anda mesma os semeados
contrista V-los abandonados, por isso uue, depois
que lancaram o milho trra, o abandonaram,
deseavolvendo-se por esta causa cora elle urna
grande quanlidade de nalhas que aqu uina vege-
lajo luxurianle era grande abundancia deseuvol-
ve ; porm que tem o inconveniente de muiio de-
fecar as sementeiras quando d'ellas se nao apar-
tara.-
Era outros pontos desla ilha arrancaram milito
que se linha fornecido para gementes, depois de
j nascido, a titulo de que aquella sement nao
se dava n'estas trras; porm, os mais prudentes,
e que esperaram os resultados, hoje estao satisfei-
tissimos, pois anda que o grao mais miudo do
que aqu feralmente costumam semear, supre es-
ta falta por dar mais macarocas, e estas nao s
feitas em menos tempo, mas at melhor granadas
do que sao as oulras,
A colheila da purgueira, que se esperava fosse
muito abundante, desmenlio esta esperanga; pois,
pelas noticias ltimamente obtidas, menos que
o regular dos outros annos, com tudo corneja des-
de j a concorrer ao mercado.
Do que lia j grande abundancia e que suppr-
r muito aos indgenas, se elles dclla se quizerem
aproveitar, urna sement chamada jj, que se
assemelha muito ao arroz, anda que mais a miu-
do e que esta gente sempre aproveita, quando se
quer dar ao cncommodo de a apanhar.
Os soccorros pblicos acabaram-so neste depo-
sito, deixando-se'ja de se fornecer algumas requi-
siQoes, re.->ervando-se apenas algumas saccas cora
arroz para a sustentacao das enancas asyladas no
ilho de Santa Maria, e assim como para o forne-
ciinento do i hospitaes.
pane-
estrangeiros, os quaes donativos prefazera a .111.
ta de 24:66 070 n-is.
PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA.
A seguranca publica tem side mantida at agora
regularmente, com tudo o conselho de Santa Ca-
thariua comega a apresentar um especalo menos
conveniente, tendo ja arrumbado por mais de urna
vez os arnazens dos soccorros, assenhoreando-se
de parte des gneros encontrados, e isto anda que
de noute, com ludo j em numero avultado de in-
dividuos, contra os quaes se tem procedido judi-
cialmente.
O governador geral sahiu da cidade da Praia de
S. Tiago no dia 18 de setembro prximo passado
com direceo s ilhas do Fogo e Rrava, de onde
pensa em vollar a esta trra, para em seguida
visitar ao ilhas de Balravento.
Pelo officio do medico da una de saude da
provincia, Dr. Agosiinho Jos Ramos de Carvalho
se v a sua informaco sobre o estado sanitario
no mez de setembro ullimo, em que dia : que
v tem diminuido os casos de desynteri e. de.sappare-
Hoje pelas 4 horas da Urde proceder o R*m
Dr vigario capitular, cem assisleocia do clero re
guiar e secular e da irmandade do S. Sacramento
a bencao solemne da nova matriz de S. Jos, lo-
cando durante o acto urna banda de msica mar
cial, e sobrado aos ares um sem numero de giran
dolas do fugeles.
Amanha pelas 9 horas da manha, as irmaada
des do S. Sacramenlo das outras rnalrizes reunida?
a de Nossa Senhora do Terco, ncta igrej*. -ahiro
em procisso acompanhando a esta Senhora e ao
S. Sacramenlo na transferencia para a nova nu-
triz, precedendo a iraagem de :. Jorge com lodo o
seu estado e um piquete de cavallaria.
Chegado o prestito ao templo, lera lugar a missa
solemne pelo Rvm. Dr. vigario capitular, orando
no Evangelho o Rvm. conego Joaquim Ferreira dos
Santos, regendo a orchestra o Hvm. padre Primo
Feliciano Tavares ; ao que segur-se-ha um Te-
eam em aeco de gracas pela transferencia, co-
cluindo com o regresso de Nossa Seohora do Terco
para a sua igreja.
Das 6 horas da manha s 10 da noile, estar 1
matriz aberta concurrencia dos liis.
Segunda-feira noticiamos nesta Rtcuta o re-
sultado da eleico da nova junta administrativa do
hospital portuguez de beneficencia para chefe d t
qual foi escolhido o Sr. Antonio Lope> Pereira de
Mello, negociante bem conhecido nesla praca.
E pois, e de presumir que o novo provetlor etn-
pregue de sua parte lodo o desvelo em proseguir
nos trabalhos inselados pelo Sr. Manoel Iti
beiro Bastos, trabalhos que aitestam o quanto letn
elle se e>fon;ado para entregar a nova junta nao
n prfifeiii riMnmiMI '!* hnnfoin. ma* nm notr. i..
plifleado c representativo de um pensamenio graa-
dioso e symbolico da randade e do patn-iisire
portuguez em Pernambnco.
Realmeote mu dignos de loovor e respeito sao
aquelles que como o Sr. Itibeiro asios sabem ele-
varse a semelhante altura por lanos beorhVio>
prestados em favor do hospital portuguez de bene-
ficencia, os qnaes alli M achara paleles, como pa-
dres da gloriosa adminislracao a que presidio. (
a qual tribuamos os nossos sanacas como tki-
atletas da caridade.
Permita Deus que a nova junta tomaodo ronla
dos cargos a que foi elevada pelo voto de di de seus assoeiados, consiga realisar o penamerii<>
de sua antecessora, conquistando assim novos loa-
rose lornand-'-se recommeudavel aos seus compa-
triotas.
Em ronsequenria da inaugurar* da nova
matriz de S. Jes e ter o Rvd. guardio de convento
de Santo Antonio, de assi.-lir a lodos os acto des-
se da. deixa de ter lugar as horas do ro*mme.
missa conventual, pastando a ser uiia ai 'i h 1 .
da manha.
Em consequeacia de impedimento tempora-
rio do agente de leiloes, major Luiz Antonio FU
drigues d'Aimeida. acha-se como sea preri-
exercendo as respectivas funeces o Sr. Jo* Isi-
doro Martins.
Sakbado passado enlrou em julgamento w
tribunal do jury o reo Benedicto Jos dos Sanios.
iprocessado por crime de fcrimenlos grave-, -enl
abselvido por empale de votos.
Segunda-feira foi julgado no mesmo tribaaal 1
reo Joaquim Rodrigues dos Pasaaa, pronunciad*
as penas do ari. 257 do rod. crun. p >r fuit.i de
cavados; e de confrraidade com as respetas conselho de sentenra, foi canaemnad* penas di)
referido artigo, grao mximo.
II miem tercafeira foi subraellido a jnlgameaio
rea M.iiliia- Jos da Paz, pronunciado no ast
205 do cod. crin. Sendo alterada a rlassittracio
do art. do cod., em que fura pronunciado para a
art. 201 do mesmo cdigo, conforme as respeta-
do conselho, c por con>egninte nao tend* caai-
meut* o procedime.to ex officio, foi julgada aroma
ta a aeco.
A' 29 do passado foi encontrado pelo hule
Syren, na iat. N. 6* 26' e loag. 29* 51', o brigue
hanoveriano Rosseau em viagem para o porto de
Guttemberg na Suecia.
A 30 de utubro foi encontrada pela barca id
gleza Look Owt, na lal N. 4f> 5', e loag 11
13', a galera da mesma nacionalidad^ Jokn Trn*a.
que de Cardiff segua para Melbourne.
A 17 de novembro foi encantrada pela mesma
barca, na Iat. N. 21* 18' e loog. O. 2> X, a.barca
portugueza Arnunda, procedenle do Porto can
destino ao Rio Grande do Sul, trazeodo j 19 dias
de viagem.
A 24 do mesmo mez joi encantrada pela mesma
barca, na Iat. N. 7* 26' e loag. n. 26- 19", a barca
franceza General Athlmn, que de Bordeaos segua
para Buenos Ayres com 19 dias j de viagem.
A 20 do mesm* mez foi enconirada pela asesma
barca, na Iat. N. 3 59' e lang. O. 28* 3\ a galera
ingleza John Bnght, qne de Swanseaia par Poini
Gall.
E finalmente a t do correnle foi encontrad
pela mesma barca, na Iat. S. 3* V e long. O. 30
45', o brigue hallandez Fredtrtek, procedente V
Liverpool com destino ao Rio de Janeiro.
Hoje d Asssociaco Recreativa %na fnufe
a sua partida mensal.
dia 6 de deientbro
de detenro ao dia I
REPARTICAO DA POLICA
Extracto das partes do
de 1864.
Foram recolhidos casa
do correnle:
A' ordem do Ir. juiz municipal da I." vara, Ber
nardino Jos Pereira Guerra, por desobediencia.
A' o-dom do subdelegada do Recife, Itaabey Y.
lloruby, Daniel Capelane, ambos reqoe*tco do
consol inglez.
K ordem do subdelegado da Boa-Vista. Roano,
escravo da viuva de Luiz Gomes Ferreira. sem
declaracao do motivo.
A' ordem do subdelegado dos Affogadas. Jo*^
Buarqae Lisboa, a disposico d'esle.


Difiri 4e leraanbneo Qnnrtfa lelra de nczcmfcro de i %9 4.
A' ordem do de Varxea, Joo Antonio do Miran-
da, por crirae de resislencia e amelgas.
O chefe da 2* seccao,
J. G. de Mesqutla.
Movlmento da casa de detenco do da o de
dezembro de 1864.
Existiam....... 337 prests.
Entraran)...... 6
Saliiram....... 11
Existen)....... 332
A saber :
Nacionaes ---- 264
Estrangeiros... 3
Mulheres...... 15
E Escravos...... 42 >
Escravas...... 6
london & Braslllan Bank ( Li-
mited).
Capital do banco 15,000 acedes
a 100....... 13,333:3335330
Accoes emittidas 11,000 a 100 H,555:55SffS50
Capital pago a 5 40 por accao. 4,622:222^220
BALANDO DA CAIXA FILIAL EM PERNAMBUCO,
EM 30 DE NOVEMBRO DE 1884.
ACTIVO.
Letras descontadas 2,417:751*040
Crditos sobre diversos, oulros
bancos e caixas iliaes, 1,422:6755170
Caixa :
Em moeda correte. 406:2725820
4,246:6695030
3:i2
Alimentados a custa dos cofres provinciacs. 134
Moviiiiento da enfermara do dia 7 de dezembro
de 1864.
Teve baixa :
Henorato Alves do Nascimento ; syphilis.
Obituario do ck.mitkrio publico no da o
ci rubro ub 18c4.
f edro d'AlHieida Pinto, Onro Preto, 26 UM, sol-
teiro, Boa-Vista; encephalite.
Caetana Evan>ta da Conccicao. Pernambuco, 21
anuos, solteira, Recife; tubrculos pulmonares.
Militana, Pernambuco, 6 dias, escrava, Recife;
convulsCes.
Auna, Pernambuco, 16 mezes, Kanlo Antonio ; We-
xigas.
Mana, Perneuibuco, 40 annos, sollcira, Boa-\ista;
colyte.
Mana Marlins d'Annuncia.;ao, Pernambuco, 60
annos, solleira, S. Jos ; r.epatite chronica.
Baldiua, Pernambaeo, 38 annos, solteira, escrava,
S. Jos ascite.
Vana Jo.- da Couceicao, Pernambuce, 50 annos,
selleira, S. Jos; auesiiza.
Antonio Bniz da Conceice, Pernambuco, 68 an
os, tiuvo, -anlo Antonio, estupor.
CKU0MCA JUBICIARIA
TRIBUNAL DO COMMEBCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRA-
TIVA DE o DE DEZEMBRO DE 1864.
tHESlDENClA INTERINA DO EXM. SR. DESEMBARGADO
ALEXANDRE BERNARDINO DO* RES K SILVA.
s 10 horas da manha, estando reunidos os se-
ohores depulados Lemos, Rosa, Candido Alcofo-
rado, e presente o Sr. desembargador fiscal, o
Exm. Sr. presidente declarou aberta a sessao.
Lida, (oi a pprovada a acta da sessao antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Um olficio do conservador do commercio do Cea
r, de 28 de novembro ultimo, remettendo cm
omprimento do artigo 463 do cdigo do commer-
cio a carta de registro do cter Voador, que se
perdeu no lugar Paracur em 24 di mareo deste.
anuo, a qual llie foi entregue no da 26 do referido
mez de novembro : Remeltido ao Sr. desembar-
gador fiscal.
Outro do secretario da presidencia do Rio Gran-
di do X-irte, transmittindo d ordem do respectivo
presidente, um exemplar das leis provinciaes pro-
mulgadas nos annos de 1863 e 1864.Accuse-sc a
recepcao e archive-se.
Outro do inspector da thesouraria de fazenda,
declarando ter ficado sciente de haver o Exm. Sr.
desembargador Alexandre Bernardino dos Res e
Silva entrado interinamente na presidencia deste
tribunal. Inteirado.
Outro do secretario do tribunal do commercio
do Maranho, aecusando o recebimento do que Ihe
foi dirigido por este tribunal em 3 de novembro
ultimo :Inteirado.
Omro do Sr. depatada supplente Jos Antonio
Basto, participando que por continuar os seas n-
commodos de sade deixa de comparecer a sessao
de hoje :Inteirado.
Foi presente a cotaco official da junta dos cor-
retores, relativa a semana inda.Archive-se.
Disirihuiram-se aos senhores depulados, Dar
serem rubricados, os hvros Diarios das casas com-
nierciaes de James Ryder J* C. e de Domingos Jos
Ferreira Guimares.
DESPACHOS.
No requerimenio de Justino Jos de Souza Cam-
pos, pedindo que a junta dos cor etores Ihe d por
ceriido as cotagoes do assucar na semana de i a
<9 ra uatmnhro nlfifii.i, "i, o ju* wo0wUiftaa no
referida semana :Como pede.
No de Francolino Xavier da Fonseca, Manoel
Januano de Azovedo e Joaquim Gerniniano de Ar-
ruda, pedindo o registro do seu contrato de socis-
dade : -Vista ao Sr. deseoibargador fiscal.
No de Jos Gomes Villar, pedindo ser admitlido
a matricula, visto pelo Sr. desembargador fiscal:
Matriclese.
No de Luiz Antonio Rodrigues de Almeida, agen-
te de leiles, pedindo que seja admitiido como seu
preposto, durante o seu impedimento, a Jos Izido-
ro Manas : Como pede.
No de Manoel Garrido, pedindo que seja regis-
trado um contrato social que ajunta : Nao le ni
lugar em vista da informaco do Sr. desembarga-
dor fiscal.
No de Angela Romero Pinheiro, pedindo que
nao seja adiiuitido a registro o contrato que apr-
senla Manoel Garrido, visto tamben pelo Sr. des-
embargador fiscal : Foi allendida a reclamacao
em vista das razoes expendidas pele suppli-
canie.
'Duvidande a secretaria sellar e submetter ru-
brica um livro Diario, apresentado por Jos Anto-
nio Moreira Dias, que zera parte da firma fallida
de Jos Antonio Moreira Dias & C, a qnal nao
consta que se tenha rehabilitado, loi aceita a mes-
illa duvida, alim de nao ser n mencionado livro
sellado e rubricado em quanto o referido Moreira
Dias se nao rehabilitar.
Nada mais houve a tratar, e foi pelo Exm. Sr.
presidente encerrada a sessao ao meio-dia.
SESSAO JL'DICIARIA EM o DE DEZEMBRO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOS.
A. II. DOS RCIS E SILVA
Secretario, Juiio Guimares.
As 11 horas J da manha, o Exm. Sr. presidente
abri a sessao estando reunidos os Srs. desembar-
gadores Silva Guimares eAccioli, e esrs. depu-
lados Lemos, Roca, Candido Alroforado.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
O Sr. deputado supplenteBaeto faltou com parti-
cipado.
Assigaaram-se os accordaos proferidos na ultima
sessao, as appellaeoes entre parles :
Appellanle, Lourenco Puggi; appellados, Schaf-
eitlin & C.
Appellanle, Jos Joaquim da Silva ; appellados,
Ribeiro & Caduff.
JULCAMENTOS.
Appellanle, Joaquim Martinbo da Cruz Carrea ^
appellados, D. Felicia Relaves e a fazenda provin-
cial.
Adiado na precedente sessao
Foi julgadn millo o processo.
Appellante, o Dr. Christovio Xavier t pellados, a viuva e herdeiros de Joo Ferreira dos
Santos.
Adiado na sessao anterior.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellanle, Francisco Antonio de Brilo ; appel-
lado, David William Bowman.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Jos Raptistada Fonseca Jnior; ap-
dos, os curadores fiscaesda massa fallida de Aiso-
rim, Fragoso, Santas A C.
Appellantes, a vmva e herdaires de Manoel Luiz
Gonfalves ; appellado, Joio Francisco da Silva
Jovaes.
Assignado o dia de hoje, nao poderam ser pro-
postos por nao estar prsenle o Sr. Basto, que
juiz certo.
Nae tendo comparecido o Sr. Basto nao poderam
ser julgados osseguintes feitos adiados as ultimas
sessoes, entre partes :
Appellante, Augusto Frederico de Oliveira ; ap-
pellados, o presidente e directores da Caixa Filial
do Banco doBrasil nesta cidade
Appellante, o embargante 3o Manoel da Silva
Lopes ; appellado, Joio do Coulo AWes da Silva.
Appellante, Caetano Cyriaco da Costa Moreira,
euires ; appellados. Barroca A Medejros.
Appellanle, Manoel Jos da Silva Grillo ; appel-
lado, Antonio Gomes da Cunha e Silva.
Nada mais houve a tratar-se, o Exm. Sr. presi-
dente ncerroit a sessao 1 hora e >/< da urde.
PASSIVO.
Capital fornecido pela caixa ma-
triz ........
Depsitos.......
Crditos diversos, outros ban-
cos e caixas filiaos. .
888:8885800
2,046:8875440
1,310:9225700
SONETO.
Come rosa gentil ch'in sul maltino,
Stiliante ancora il rugiadoso umore
Alletta i ra del rozzo Contadino
Pe suo vivace purpurin colore.
Cosi pur la bella del tuo divino,
L- ggidro ollo imprigionomi il core ;
In guisa tal che, senza-te, reschino t
In continao dolor trar deggio l'ore.
Se la m=a tu sei, le di cui foglic
A riefrescar lamattutina aurora,
In eristallioe umore si discioglie.
I lievi zefflretti a te d'intorno,
Scherzando vanno, e i rai in te colora,
L'astro lucente apportator del giorno.
112 0/0 at o de seis mezes ; saca sobr a praca da
Baha.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 5........ 142:732*744
dem de dia 6 ............i... 5:32G438
198:059^182
Mvluacnt da alfandeea
Velames entrados com fazendas... 567
* com gneros... 845
Volamessahidos com fazendas... 178
com gneros... B
1,412
753
4,246:6995030
Recife, 5 de dezembro de 1864.
W. J. Haynes,
Accountant.
Subdelegada do Peres.
Lemos no Diario de Pernambuco de hoje estas
perguntas que o seu autor qualificou de innocentes,
dirigidas ao subde egado daquelle districto, freguc-
zia dos Afolados. [
O Qm de taes pergunlas por demais transpa-
rente, principalmente allendeudo-se a sua cduclu-
so em que o pergunlador chama a alieucao do
Exm. presidente da provincia e do Sr. Dr. chefe do
polica para os tactos a que alludcm as perguntas ;
mas acreditamos que o farinheiro atropelado
perder o seu lempo, pois se o Exm Sr. presiden-
te da provincia procurar informar-se acerca da
moralidade o carcter daquelle subdelegado e
quanto ao modo porque, elle cumpro os seus deve-
res, acabar por formar desse dipno agente da au-
tondado o mosmo juizo que ns formamos.
Podenamos dizer que o subdelegado nao agrada
a alguem, porque j nao se v naquelle districto os
escravos do certo engeuho andarem fura de horas
pelas ras a provocarem conflictos e commetterem
atontados, que muitas vetes ficavam impunes.
E' porque nao se pode tranquilaraeute conser-
var no engenho individuos sentenciados, como por
exemplo, Jos Passarisho, o qual, sabendo o sub-
delegado que estar homisiado no engenho a que
alludimos e qu3 por all andava. poz-se no encalvo
dclle, nao querendo cercar o engenho para evitar
pretexto du grande celouma, mas desenvolvendo
tal actividade em seguir as pegadas desse crimino-
so, que elle vio-se obrigado a vir entregar-se a pri-
sao, o que praticou ha poucos dias.
Podenamos anda dizer que se o actual subdele-
gado nao agrada, porque se em alguin cogenlio
aiuda hoje faz-se pegar pelos escravos do engenho
um homem forro, e o metiem no tronco depois de
dar-se-lhe urna surra, como anda nao hainuio
praticou-se, o fado nao passa desapercebido ; mas
procura a auturidade indagar para proceder contra
o autor ue qualquer violencia, quando no caso Ihe
couber proceder ; o. que nao fez em relaeao ao
facto que acabamos de indicar, porque as oflensas
foram na vistura qualificadas de leves, e os auto-
res deltas nao foram presos em flagrante, leude
praticado o faci l no recinto do engenho.
Poderlamos responder por osse modo ; mas o
nosso fim satisfazer realmente as innocentei per-
guntas em todos os seus pontos.
Vamos a elles.
_As tres primeiras perguntas sao relativas a crea-
cao de urna praca de farinha, milho e feijp, co-
braado-se por cada carga 120 rs. do trbulo, nioiivo
que d lugar, diz o perguutador, a tomarem-sc aos
almocreves seis e mais canias por dia, quanda poe
da a populacao do lugar nao consumir mi is dr
urna.
Responde-se que nao de hoje mas de muitd data
e fado que mais merece a qualicacao de inne-
cente do que as perguntas. Um mercado nac uelle
lugar como se observa em quasi todos os povnados
do mallo era urna neeessidade : a populacao l'alli
cresce lodos os dias ; o districto tica urna legua
distante do povoado dos Afogados, o em maioi dis-
tancia alguns pontos delle desde o lempo en que
foi subdelegado dos Afogados o Sr. Jos Gi igo-
'io, oboorrn jc u uualUllJC iiuc u l". i u liilui JI'O
(liga.
O actual subdelegado, quando creado o dis rielo
leve de assumir a exercicio do cargo, ja achoi essa
usanga que tolerou por entender ser a bein da po-
breza do lugar, a quein Dio pode deixar c e ser
penoso ver suppnr-se de manlimentos a una le-
gua e mais de suas casas. A essa usanca jlestao
acostumados os almocreves, que se prestam ja ella
da melhor vontade, espuntaneainenle e aili pelo
proprio interesse ou amor de lucro, prmc.ipJlmeii-
no lempo do vario em que mullo puvu para all
atflue. Anda se nao coustrangeu era enuiregou
violencia contra um s alinocrevc nem o pergunla-
dor ser capaz de iudica-lo apezur de dize/-se fa-
rinheiro.
Solire este ponto cumpre accrescentar qAe fal-
so que se lomen) seis ou mais casas numqro supe-
rior ao que exige o consumo. Nao se/ tomam
porque os almocreves nao sao ali levadas orc ordinariamente nao se consumen) mais/de duas
cargas e tal o nvmero das que se exposm ven-
da. Assnn como falso que se cobrem /120 rs. de
imposto. Pagara os almocreves 80 rs. por cada car-
ga porque tenn medidas para vendcre.m/seus gne-
ros e campo onde os cavatios descansan) e pastara.
A 4a pergunia inleiramenle calumniosa res-
ponde-se que o autur das perguntas mostr qual a
pessoa cujo cavallo appreheudido eslivesse deposi-
tado em poder do subde.egado, recebendo este por
Um a importancia do deposito.
Quanto a 5a responde-se que tendo o subdelega-
do familia que sustentar, nao est pornenhuma le
ou consideraco inhibido de comprar a sua pona
qualquer carga de genero de que precise para o
sustento de sua familia, como a qualquer outro ci-
dadao dado praticar.
Quauto a 6", finalmente, responde-se que a per-
gunia naw pode ter referencia senao ao que prati-
cou o subdelegado quanlo a urna filha de Antonio
Varclla ; faci que se passa a explicar : e se a eu-
tro refere-se a pergunta, queira o pergunlador ser
explcito, determine o facto :
Antonio Varella, morador em trras do engenho
Peres, um homem que vive cora sua muluer e
urna filha moga, sab o mesrao lecto em que mora
com suacomcubina e urna til!.a desta : todos no
lugar o apuntara como aulur de fados a que nao
dave ser ndiffereniemaautoridado. ltimamente
correa o boato de que Varella unha empregado
violencia eontra sua propria filha, alim de satisfa-
zer sua libidiuagem. O boato chegou aos ouvidos
do subdelegado e ludo concoma para torna-lo cr.-
vel, principalmente o facto de ter a rapariga, por
dous dias abandonado a casa paterna, procurando
abrigo em casa de urna senhora moradora no lu-
gar do Giijui. O subdelegado mandou ver a moga
a sua preseuca, seudu acompanhada per sua mi ;
negou ella que algum cousa se tivesse passado
cmn sua pessoa, e que se alguma cousa bavia era
com oulra, filha da concubina de seu pai.
A esta segunda tambera dirigi o subdelegado
algumas perguntas, constando-nos que contina a
aviriguar do facto. A isto limitou-se o que se pas-
sou com as duas mojas : nao se arrancou ninguem
do poder de seus pas uera em pessoa alguma se
procedeu a visloria. (Juera coohecer ou suuber o
que Autopio Varella rir-se-ha de que o perguuta-
dor inculqu ser algum pai de familia houeslo e
recatado 1
Temos salisfeito s perguntas em todos os seus
pontos por amor da justica e em honra ao carc-
ter que multo presamos do digno subdelegado do
Peres.
PgBUGAgOg A PEDIDO.
Punas vegea-s assncaradas de
kemp.
Entre as innumeraveis classes de piplas que
continuadamente se anuunciam, as pilulas vege-
tacs assucaradas de Kemp, s as que se podem
considerar como o prototypo dos aperitivos cazei-
ros, completamente effkazes e absolutamente inof
Tensivas. Na sua ermposicao nao entra um s5
nico tomo de nenhuma substancia mineral.
Consume pois o nico remedio necessario para os
desarranjos do estomago, irregnlaridade do ventro
constipaco habitual, alercoes biliosas, dispepsia
e-todas as enfer.nidades dos intestinos, predomi-
nantes nos climas calidos.
Tomadas tempo evitara infallivelmente os mor-
tferos flagellos epidmicos e endmicos dasre-
gies intertropicas. Sao as nicas pilulas que se
vendem em rasquinhos de chrislal e a capa assu-
carada quo as cobre, conserva suas vistudes e as
torna mui agradaveis ao paladar.
Arham-se em todas as boticas do mundo e em
Pernambuco as lujas de Bravo & C. e de Caors.
S Barbosa.
Dosearregam no dia T de novembro
Escuna hanovwiaflaBerma raercadoriai.
| Escuna hollandeza-Spcn/untidera.
i Brlgue inglezMacei fazendas.
jBrigue sueco-Astirtaboado.
I Patacho dinamarquezF-ir i Brigue nacional -Aifredo carne de charque.
Brigue escuna inglezHollyhockbacalho.
Barca ingleza-Jo/inMa/Atfamilia, bolactiinha
e papel.
Lugre draamarquezFloradiversos gneros.
Barca inglezaJfiran'afazendas.
Galera franeeza-<4 Brigue inglezSegetia -carvo.
arca inglezaBeUa Pou/e-carvao.
Barca francezaOtivier Jean ManecarvSe
Barca franceza -S. Miguelitm.
Barca inglezaLooA- Aut -carvo.
Barca inglezaLatina -idem.
f&eeebederla de rendas Internas
geraes de Pernambnco.
Rendimento do dia 1 a 5......... 3.3345740
dem do du 6................. 3:468*700
6:803*440
MOVIMEiVTO DO PORTO.
i r i Dia 6.
Medicina. oiservacio.
Um fado de bastante pezar, me faz lembrar ao honveram entradas nem hdas.
publico algumas cnsideracoes que julgo uteis. I Susgendea do laman para o Rio de Janeiro
A Sra. D Francisca Augusta de Aibuquerque,. P" Ba"'a- barca ingleza Meteor, cap.tao G.
consorte do Ulho do meu eslimavel amigo Dr. Ma-1 ar'. com a mesma carga que trouxe
de Terra-
Nova.
Appareceu ao sul tres embarcagoes e
urna.
a leste
EDITES.
noel Lourenco da Silveira, moca robusta, que go-
zava da melhor sade, acaba de suecumbir quasi
de repente, e foi classificada a moleslia pelo hbil
medico que a assistio, por febre perniciosa cere-
bral.
Fiquei surprendido quando reeebi a carta de
convite para assis-tir o seu enterro, e quando cum-
SpSsaeSHSS =saattSBsass
=sears
3 mo-
e pon-
p ra 1 e en afo q e devPa fazer n v^qu i *<< carros, a aber.ura de portas, ferro de um
Ppr mira coasa que o medico receitou foi um'pur-12^u*nft d* va coberu do arma-
gPanie de oleo deV.cino, e que um purgante de oleo Hf ^T^T*^*^
Hp ren, nn de citrat,' unca cen-1um corredor, travejamento e assoalho de um dos
orrapar o mal d^ ningn v "toque V. n^ 'lorroes-f- c ; |udo de conformidade como,
?inhra.gumapemcagsa, que Ihe ensinasse o '
1 que devia fazer.
Quanlas vezes urna mi de familia, ou urna pes-
orcamentos que sero presentes aos prelendentes
dependendo approvaco do contrato do Exm. Sr.
presidente da provincia.
! doente por scu saber e experiencia
Eu poderia explicar muitos lactos desta ordem
: com pessoas de minha casa e at comigo, mas pa-
; ra nao me tornar prolixo o nao fago, limitando-me
i a explicar o que iulgo de mais utiiidade. A prali-
' ca e experiencia rae. lem feito convencer, de que
as febles e outros ataques que accommeltein de
repeute, os medicamentos, que se devem applicar,
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direitd especial do
commercio desia cidade do Recife e seu tormo,
capital ala provincia de Pernambuco, por S. M.
I. e C. o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guarde
etc.
Faco saber pelo presente que Ferreira & Mar-
sao aquelles que ajudara os esforcos da nalureza; tns ()0r se aa>0ga(}0 rae dirigirn) a petico do
e que as mudancas das eslagoes, se e.-ta vendo lheor 6egUinie.
senipre os accommellimentos de molestias, quer na i nim. Sr.Dizem Ferreira & Marlins, commer-
prmavera, no verao, outono, e raesmu no invern, ] c;anteS(|esta cidade, que por si e como cessionarios
e os fados de lamentar-se todos os das se esiaoy outroSi em nies circumstancias, sao credores
[ succedendo, porque no principio de urna molestia p^r* COmmercianie Manoel Soa'res de Moura, tam-
no se soube alalhar devidamente. Nao se esta: hem a()ll restidento e eslabelecido, pela quantia de
i vendo todos os das que febres, que accommeilem, 2.07 5800, principal dos trinla e oito ttulos m-
e que nao apresentam logo raao signal, o delcixo, c|usus assignados pelo supplicado, e proveniente
o despreso do lugar a que appareca a dissoluijao, de mercadorias por elle compradas nos estabele-
podre do sangue, que d'ahi resultara as febres de dmentoa dos supplicantes e de seus cedentes, c
mo carcter. ; para fornecimento do e.-tabelecimenlo delle sup-
No i|uero com isto diz-:"
se sinla acco:nme.iiido de
se sangre, use de vomitorios
e applique-se visicatonos: nao? Nao quero que se
; para fornecimento do e.-tabclecimenlo delle sup-
izar, que, logolqne alguem p|ica(i0f CUJ0S t,tu|os acham-se vencidos e nao p.v
de nualauer mataagaJ '"> ,.,, tcudo o ?urplir.do posto-se em ruga, como ia
onos, purgantes violentos foi provado nes[t3 Juizo> eS(.ra0 Paes de Andrade,
perturbe a natureza; mas que.no accommeltimento,
qualquer que seja, se uze dos remedios, que os jul-
go inofensivos, o que reclamo : ninguem dir
que em qualquer febre nao se posea usar de um
purgaute de limonada gasoza de curado de mag-
nesia.
Eu explico o que tenho praticado nesses casos,
e que me tenho dado muilo bemmando, que lo-
me urna garrafa de citrato de magnesia as chica-
ras, ou urna das pilulas purgativas de veame, em
cima desta, um copo d'agua com assucar e o sue-
co de meio limio grande e maduro, ou de um sen-
do pequeuo, e se no espago do da nao llzer o cf-
feito purgativ.i e o desembaragameiito das ourinas,
mando tomar segunda do mesrao modo; pulula, e
limonada, e as vetos al terceira. A noite mando
i meter os pee em gna, quente na oscasio do aga-
I salho, e dar urna chicara de cha de flor de sabugo
tambera quente com assucar, e se nao sentir me-
] Ihorar da dor de cabega, que quasi sempre acom-
panha esses ataques, acwnsulho que applique sana-
pismo na barriga das peinas; nao teuho em lem-
, branga que com este methodo tirasse mao resulta-
do, e ninguem dir que este tralameuto possa ser
nocivo em nenhum caso.
No principio de una febre, indigestao, ou mo-
lestia desta ordem, a uatureza geraimenie solicita
evacuar por vmitos, ou por baixo; e se se ajuda
pelos meios correspondentes, contribuir muifo
moderar a violencia da euferinidade; e por esta
razao que a experiencia me lera convencido, que
uraa, ou duas pilulas purgativas de veame, e em
cima agua, assucar e liiuo, se pode usar sem ne-
nhum risco, e a noite o cha de flor de sabugo, e o
mais como explicado tenho, nao usando somenle
das limonadas de Citralo de magBesia e as garapas
e porque estejara os mesmos mulos coroprehendi-
dos no 7 do arligo 247 da regulameolo n. 737,
vera po islo requerer a citacao do supplicado pa-
ra na primeira audiencia do juizo, pena de re-
velia, reconhecer seu signal e ohrigaco, resultan-
lantedos mencionados titulo?, e ver ficar-lhc sobre
elles assignados os dez dias da lei, nos quaes, ou
deve pagar-Ibes a importancia cima, ou allegar
os embargos que tiver, (cando logo citado para to-
dos os termos da arco, at final deciso, sendo
igualmente cundemnado nos juros da le, depois
da hde contestada e as cusas. E porque tenha o
supplicado se ausentado para lugar incerto, que-
rrnoslo mesmo justificar, alim de proceder-se a
citagao por meio de editos com o prazo legal, mar-
cando V. S. dia e hora para dito fim, Picando as-
sini esperada a proposico da acgo, at que haja-
te o supplicado por citado, e quanto protestan! os
supplicantes juglar aconciliago.Pedem ao Illm.
Sr. Dr. juiz de direito do comraVcio deferimento
por merc.O advogado, Castello Branco.
E mais senao cwutinha e nem outra cousa algu-
ma so declarava em dita prtigo que aqui vai ver-
bo ad verbum transcripta e copiada, a qual sond-
me apresentada dei o seguale despacho :
Justifiquen) no dia 11 do corrento mez s II ho-
ras da manha.Recife, 5 de novembro de 1864.
Alencar Araripe.
Nada mais se conlinha em tal despacho aqui in-
certo, e sendo feita a distribuigao aoescrivao deste
juizo Manoel de Camino Paes de Andrade, em
seguida os justificantes Ferreira & Martms apre-
sentaram suas testemunhas, que depozeram con-
venientemente acerca da ausencia do justificado
Manoel Soares de Moura, e sendo os autos devida-
mente sellados e preparados, subiram a concluso
5L8.a,r-a|'fu i e nelles dei e profl,ri a sentenga do theor segoittte :
com limao, as mulheres quando estao regradas la- llei por JUS,Qcaila a ausen,.u de Manoel Soares
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores.O desejo de brindar o meu es-
pecial amigo, o Illm. Sr. Vicente Ferreira da Por-
ciuncula, na occasio do seu felix cousorcio com a
Exm." ,>r.* D. Mara do Carmo dos Santos Maia,
perfeila conhecedora da lingua italiana ; faz com
que en Ihes pega a impresso do segrale soneto,
que leobe a honra de ihe offerecer na dita lingua.
Preso-m ser de YV. SS. respeitador venerador
criado.
Joseph Fach'tmet.
zendo tudo, mas s cora a suspengo destes dous
artigos, e smente cora as pilulas, e agua e assu-
oar.
Se no estado de sade algumas pessoas, que tem
usado das pillas purgativas de veame, se tem da-
do bem na dse de mefa pilula na occasio da co-
mida, e outros uraa, para regularisar a digesto,
como nao se usar no estado de molestia? Nin-
guem poder negar, que aquellas naturezas, que
nao cursam. e nao tem as ourinas desembaragadas
regularmente, vo bem, por que isto, nao s es-
quema e inflama o sangue; mas os escrementos
delidos muito tempo no corpo se fazem acres e po-
dres, de que se seguem mas consequencias; por
isso mui conveniente usar-se de meia ou urna
[ulula purgativa de veame, aiuda mesmo no meio
da comida ; pois a sua composigo c tal, que nada
tem que possa enjoar ou encominodar o estomago.
Mesmo pela economa s ellas preferiveis a outras
pilulas purgativas queahi se vendem, porque urna
faz o mesmo elfeito que tres ou quatre das outras;
e fcilmente sao ellas divididas. Nao impede que
se tome em cima, principalmente no calor, gara-
pas de tamarindos, de limo, de maracuj, e que
se uze das frudas, que aestago do tempo nos tem
proporcionado, e dos banhos quer tepidos, quer
fros e geraes.
Jos da Rocha Paranlws.
GQMMEReiQ.
Cotaedes officiaes.
PRACA DO UECIFE
6 DE uEZEMBRO DE 1864
Cambio sobre Londres 90 d/v. 27 li4 d. por
15000.
Dubourcq Jnior, presidente.
Guimares, secretario.
NOVO BANCO
PEIt.VliUKlTCO
EM 6 DE DEZEMBRO DE 1864.
O banco desconta letras na prsenle semana a
10 O.'O ao auno ais o praso de quatro mezes a
de Moura, a quem mando se cite por carta de edi-
tos de trinta da.-, para o fim requerido na peiigo
a folhas 2. Recife, 19 de novembro de i864.-
Trislao de Alencar Araripe.
E mais se nao conlinha e nem outra alguma
cousa se declarava em dita sentenga, que aqui lica
ipsis verbis transcripta e copiada, em cumprirnen-
to da qual o essrivo respectivo, que este subscre-
veu, fez passar o prsenle edilal com o prazo de
trinta dias, pelo qual e seu theor chamo, cito e hei
por citado o supplicado justificado Manoel -oares
de Moura, para que dentro de dito prazo compare-
ga ante juizo para allegar o que fr a bem de seu
direlto e just.'ga, sobre o contedo da petlgao e
despacho suppra, sob pena de proseguir a causa
seus devidos termos a revelia ; portante, toda e
qualquer pessoa, prente, amigo ou conhecido do
sobredito justificado ausente, poder-lhe-ha fazer
sciente de todo o expendido.
E para que a todos chegue a noticia, mandei
passar editaes, que sero aflixados nos lugares do
costume e publicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 28 de novembro de 1864.
Eu Manoel de Camino Paes de Andrade, es-
crivo, o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
DECLAEACOES.
COMPANHIA
O caixa desta companhia commendador
Thomaz de Aquino Fonseca acha-se autori-
sado a pagar no seu escriptorio ra do
Vigario n. 19, das 10 horas as 3 da tarde
do dia Io de deembro prximo em diante
o 33 dividendo desta companhia na pro
porc3o de 3)5 por cada accSi, previne-se
aos Srs. accionistas que este pagamento de-
ve ser em moeda de cobre que na espe-
cie que o mesmo Sr. caaatem recebido dos
arrematantes dos chafarizes desta com-
panhia.
Roga ao mesmo tempo os Srs. accionis-
tas que deisaram do receber os dividendos
alrazados, se dignem de comparecer no lu-
gar indicado para recebe-los e saldar a
caixa.
Escriptorio da Companhia do Behcribe 18
de novembro de 1864.
O secretario,
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Santa Casa da Misericordia do
Recife
Perante a Illma. junta administrativa da Santa
Casa de Misericordia do Becife, no da 9 do Br-
rente, pelas 4 horas da larde, na sala de suas ses-
soes, tem de ser arrematado o fornecimento dos
seguintes materiaes : 50 enchameis de o pollega-
das quadradas, 100 travs de 7 po legadas quadra-
das e 30 de comprimentn, fijlo de al venara gros-
sa, cal preta, areia e lateas de assoalho de hraro.
Os prelendentes devem apresenlar as suas pro-
postas em cartas fechadas.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 5 de dezembro de 1804.
O escrivao,
F. A. Cavalcantt Cousseiro-
A Illma. junta administrativa da Santa Casa
deMisericordia do Recife, tendu de contralar os re-
paros do sobrado da ra Nuva n. S >, convida as
pessoas que se quizerem eoearregar dos referidos
reparos a comparreerem nesta secretaria das 9 ho-
ras da manha s 3 da tarde, afim de nhterem as
necessanas informagoes para poderem fazer o res-
pectivo orgamento.
Secretaria da ^anta Casa de Misericordia do Re-
cife, S de dezembro de 1864.
O escrivao,
F. A. Caralcanti Cousseiro.
falta Casa da Misericordia d ecife.
De conformidade com a< ordens da lllraa. junta
administrativa da Santa- Casa de Misericordia do
Recife, convido aos interessados pelas oiphas
abaixo declaradas a apresentarrra, com a manir
brevidade possivel nesta secretaria, as certides de
baptismo das mesmas orphas, visto como tendo
ellas de fazer a sua prinu ira communhao no dia
8 do prximo futuro mez de dezembro, nocuusia
do archivo desla secretaria que estejara baptisa-
das, a saber :
Rila Candida de Souza.
Florinda.
Neomisia.
Minervraa de Azevedo.
Mana Amalia dos Anjos.
Mara Lins.
Quiteria dos Prazeres.
Alexandrina Cavalcanti.
Leopoldina da Palxao.
Arminda de Brito Carvalho.
Juanita Pereira do Carmo.
Olimpia Adelayde de Oliveira.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia de
Recife, 29 de novembro de 1864.
O esenve,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
TRIBUNAL DO COMMERCIO.
Pela secretaria do tribunal do commercio se faz
publico que o hiate nacional Aforo Invtncivel, de
45 i|2 toneladas, do qual proprietario e mestro o
Sr. Jos Jsaquim Alves da Silva, obteve caria de
registro, e foi nesta data transcripto no competen-
te livro.
Secretaria, 3 de dezembro de 1864.
O oflicial-maier,
Julio Guimares.
Pela mesma secretaria se faz igualmente pn-
blico que nesta data tica registrado o contrato de
sociedade de Antonio Francisco Marlins de Miran-
da, e Francisco Marlins de Miranda, portuguezes,
eslabelecidos nesta cidade, sob a firma de Antonio
Francisco Marlins de Miranda & Sobrinho, da qual
s o primeiro poder usar, devendo o referido
contrato durar por esp.igo de 3 annos, de 7 de
novembro ultimo, com o capital de 4:28?<$035,
fornecido pelo suppradito primeiro socio em ge
eros, armacao o mais perlences do estabeleel-
menlo de moldados que constitue o objecto da so-
ciedade.
Secretaria, 1 de dezembro de 1864.
O oflicial-maior,
Julio Guimares.
Pela mesma secretaria se faz igualmente pu-
blico que nesta data lica registrado o contrato de
sociedade de Luiz Antonio Fragoso, Manoel Pedro
do Mello o Ellas Almeida lama, eslalielecidos
i nesta cidade sob a firma Fragoso, Lima & C, da
qual s podero usar o primeiro c o torceiro, viio
ser o segundo commanditario ; devendo o me.-mo
contrato durar por tempo de dous annM, contados
de 22 de noverabro ultimo, com o capital de ris
6:000$, fornecidos 2:700 pelo socio Fragoso,
3005 pelo socio Elias, e 3:000,5 pelo socio com
mandilarlo.
Secretaria, 3 do dezembro de 1864,
O ollicial-maior,
Julio Guimariea.
Pela mesma secretaria se faz lambem publi-
co que nesta data lica registrado o contrato de
sociedade de Francisca Boavenlura da Luz Lou-
reiro, Joo Paulo dos Santos Jnior e Joaquim Fer-
reira de Araujo Guimares, estabelecidos nesla
cidade sob a firma socialLoureiro, Sanios A C,
rujo uso compele exclusivamente aos dous pri
meiros, como nicos gerentes, visto ser o terceiro
socio eommanditario, devendo o mesmo contrato
durar por espago de 4 anuos contados do 1" de
novembro ultimo, com o capital do 10:3003, lor-
necidos i :803 pelo socio Loureiro, 500.J pelo so-
cio Santos, e 8:0005 pelo socio commanditario.
secretaria, S de dezembro de 1864.
O ollicial-maior,
Julio Guimares.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico para
conhecimento de todos a circular do tribunal do
thesouro n. 46 de 4 do correte mez, abaixo trans-
cripta.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per
nambuco 29 de novembro de 1864. bervmdo de
ofiloial-inaior, Manoel Jos Pinto.
CIRCULAR N. 46.
Ministerio dos negocios da fazenda.Rio de Ja-
neiro em 4 de novembro de 1864.
Carlos Carneiro de Campos, presidente de tribu-
nal do thesouro nacional, tendo resolvido que se
substituam as olas de 1005000 da 3* estampa, or-
dena aos Srs. inspectores das thesourarias de fa-
zenda, que mandando pnblicar esta resoluco por
annuncios nos peridicos das provincias, e por edi-
taes alxados em todos os municipios, procedam a
referida Subsiituigo com o producto da renda das
respectivas thesourarias, solicitando a remessa dos
fundos precisos, no caso de deficiencia da mesma
renda ; e remettam mensalmente ao thesouro as
notas que se forem substituindo, devidamente ca-
rimbadas e inntilisadas.
Nos annuncios e ditaes far-se-ha a declaracao
de que em lempo competente se marcar o dia em
que deve principiar o descont da lei no valor das
nolas que nao tiverem sido al entao substituidas.
Carlos Carneiro de Campos.
O tribunal do commercio da provincia de
Pernambuco convida aos Srs. commerciantes na-
cionaes matriculados e residentes neste districto,
comparecerem no da 7 de dezembro prximo fu-
turo, s 9 horas da manha, na sala da associaco
Commercial Beneficente, para proceder-se eiei-
go de dous depulados commerciantes, que no s-
quiote quatrienniode 1865 1868 tem de substi-
tuir os actuaes Srs. depulados Joao Ignacio de Me-
deiros Reg e Joo Pinto de Lemos, na forma rio
titulo nico do cdigo commercial e decreto n. 696
de 5 de setembro de 1850.
E para constar mandou o sobredito tribunal fa-
zer este, que assignado pelo sen secretario ser pu-
blicado no Diario de Pernambuco e Jornal do Recife,
e affixado na praga do commercio com a lista de
que trata o ai t. 5 do citado decreto.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco, 21 de ntvembro de 1864.
Eu Joao Pinto do Lemos, servindo de secretario
o subscrevi.
LISTA.
Jos Jeronymo Monteiro.
Luiz Antonio Siqneira.
Manoel Ignacio de Oliveira.
Antonio Jos Leal Res.
Jos Marcellino da Rosa.
Joo Ignacio de Medeiros Reg.
Elias Baptista da Silva.
Jos Baplisia da Fonseca Jnior
Antonio Jos de Castro.
Jos Francisco de > Leitao.
Luiz Jas Rodrigues de Souza.
Joo da Silva Faria.
V
Gabriel Antonio.
Manoel Duarte Rodrigues.
Manoel Antonio da Silva Moreira.
Joaquim Jos da Costa Fajoze*.
Jos Rodrigues Pereira.
Jos Candido de Barros.
Antonio Luiz dos Sanios.
Jo Pereira da Cunha.
Aureliano Angustode Oliveira.
Pedro Joaquim Vianoa de Lima.
Jos Joaquim Dias Fernandos.
Jos Velloso oares.
Manoel Joaquim Ramos t Sil.
Vicente Mendes NVanderley.
Joo Cardo/o Ayres.
Antonio Valentn) da Silva Barroca.
Francisco Acciole de Goova Lins.
Jos Nunes de Paula.
Antonio da Silva Ferreira Jnior
Jos dos Santos Nevc-s.
Antonio Alves Bkrfeota.
Manuel Joaquim Rodrigue* Je SWta.
Joaquim da Silva Lop,
Joo Pinto de Linios.
Vicente Jos de Rrito.
Rarlholomeu Francisco de Souza.
Jos Pires Ferreira.
Joao Pinto de Lemos Jnior.
Caetano Cyriaco da Co Joo Jos de Carvalho dones.
Lnurcnro Luiz das Nevo.
Miguel Jos de Al,re i,
Joaquim Rideiro Ponte.
Candido C Guedos Alcoforado.
Jos Antonio Baslos.
Antonio de Moura Reto.
Antonio Ignario do Reg Medeirr*
F'elisberto Ignacio de (Htvtra.
Joaquim Francisco do BtWrMs Sao.
Augusto Frederico de Oliveira.
Jos Franci co Lavra Penni.
Herminio Egidio de Figueiredi.
Manoel Jos da Silva Guimares.
Domingos Alves Matheus.
Remardino Jos Monteiro.
Silvino Guilherme d* Barros.
Thnmaz de Aquino Fooeeca.
Feliciano Jos Gomes.
Francisco Antonio da RUM.
Joaqun* Mauricio (ioncalves Rosa.
Antonio de Souza Pavolide.
Jos Gomes Leal \
Antonio Gomes de Miranda Leal.
Ilenriqufi Bernardes de Oliveira.V
Francisco Ferreira BaliaT.
Secretaria do tribunal do rommereio de Peraatn-
buco, 21 de novembro de 18ii4.
Esta cenforme.O oflicial-maior, Jwln Ammt
da Cunha Gnitnare*.
/
Segu
UnilWMII.4
DE
os Martimos Utiiida-
de Publica
Nao se leudo reunido no dia 30 do |
mero sufficente de assionistas para amp-lia r-
ral, a direcro novainente os convoca para o dia C
do correte ao meio dia.
Recife 1* de dezembro de Mk
O directores
Feliciano Jn* Gomes.
Domingos Roprigwi de An-fraA*.
Pela secretaria da cmara maniripal de.^ti
cidade sao convidados notamente, de urden da
mesma camira, os propneiarios dos terrv-aos des-
tinados ao passeio publico projwtado, os qnaes es-
tao comprehendidos enlre o Hospicio e a rna da
Saudade, comecando da ra de 100 palmos qne
vem da ponte de Sania Isabel at a chamada de
Starr, e comprehendendo tambem o alagado con-
tiguo mesma punte at a roa da Aurora, cojo?
proprietarios devero apresenlar na dita eereta-
ra suas proponas, declarando a estengao de seas
terrenos, frente e fundo, e o prego dos mesmo-.
Secretaria da cmara muni'ipal do Recife 39 de
novembro de 1864.O secretario.
Francico Canato da Roa-Viagem.
Consulado proviari.il.
Pela mesa do consu'ado provincial se faz panu-
co que os 30 dias esto marcados para a rubraara
a bocea do cofre do I" semestre do anno finaarei-
ro da 1864 a 186o dos impostes da derima dos pre-
dios urbanos das fregu-zias desta nd.-de e dos
Afogados, e de o '/, sobre a venda dos beos da
raz portencentes a corporacao de mo mora, se
principiara a contar do 1 de dezembro vindooro,
licando snjeitos a mulla de 6 '/. ldos os enntri-
baJntes <|uo pagarein depois le lindos os div :i
dias.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco,
26 de novembro de I8H.
Antonio Carneiro Machado Rio,
Adniinisirador.
De ordem do Illm, Sr. Dr. procurador fiscal
da thesouraria provincial avsa-scao-develares de
dcimas e de diversos eutrus impust-is,
lacoes respectivas se achara em seu poder para
serera ajuizadar. ; aquelles, pois. que quizerem pa-
gar com guia' da mesma procuradona, podero
solicita-las no escriptorio da ra do Cimpa, para
o que se Ihes concede o praso de .10 dias, cooiado-,
de hoje. Recife 3 de dezembro de 186i. O soli-
ctador da fazenda provincial,
Joo Firmino Correia de Araajo.
Consclho arisaSalwi'ralJTo.
0 couselho administrativo para frm rimrun dki
arsenal de guerra precisa comprar os gneros se
guinles -.
Para a co.onia militar de Pimenteira-
6 limas chatas de l.'i 16 pollegadas.
6 dilas ditas le 10 12 ditas.
4 dilas de roda.
4 ditas meia-cana de 6 8 pollcgaf-is.
1 larracha lina.
2 tornos para baocadas.
2 pedras para aliar.
1 escala.
2 cerras de tracar de o palmos.
2 de-basladores.
2 cerrlas de lixa.
2 Ira vade i ras.
1 bigorna para taneeiro.
2 caadas de espirito de vinho de M a 40 graos
As pessoas qm quizerem vender dijo* cearrw
apresentera suas propostas em caria fchala eu
secretaria do eoosellio no dia 12 du corrate as 10
horas da manha.
Sala das sessoes do conselho administrativo, 5
de dezembro de 1864.
Sebastio Jos Basilio Pjfrrko.
vopal secretario.
iiicn-* do evento
Arrematas i hoje, titula a audiencia do Dr. pro
vedor dos residuos, nm saceo com ferrageus e mi
rordo de ouro aoprehendidos pela polica.
Na audiencia do Sr. Dr. juiz de ora-haos, ao
dia 9 do cnente,pelas II horas da manha, se ha
de arrematar um terreno de voluto e fretro, ao
brcoeeguimento da ra des Fern-iros, fre*neiia
da Boa-Vista, com 10t palmos de frente e 200 de
fundo, e divide por um.-. nova rna projecuda, avis-
ta da sua I jcahdade : avahado por 30OJJ, ierre-*e
que vai praca por venda reqoeriroeato de Ma-
noel Martns Fiuza.
Correio geral.
Pela administraco do correio e faz publico jac-
as cartas abaixo mencionadas deixaram de segnir
seus destinos por se a -harem na mala rom j-is>
servidos.
Jeo Gonztga Jamim de S (Goyaz).
Ribeiro, Guimares <& C. (Corle).
TilEATKO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA
(ERM\>0 COim.4.
i 2a recih da assigaatin
QIARTA-FEIRA 7 DE DEZEMBRO DE IBM.
Tera lugar a primeira representarlo do fraadr
e magnifico drama sacro, ornado de com e da
lindas iransformacoes. dividido ca 4 actos B
quadros


I
Diario de Peraaatfctte jo-arta eira 9 de Dezembro de ii*4.
A VIDA, M1LAGBES E MARTIRIO
DE
SANTA CECILIA
PROTECTORA DA MSICA
PERSONAGENS.
Cecilia.......D. Antonina.
Alina, sua aia.....D. Mara Poetes.
Oanjo.......N. N.
Alniaeo, prefeito .... Germano.
Valeriano, general romano Lisboa,
Aurelio; pai de Cecilia Coimbra.
O summo sacerdote Porto.
O diabo.......Borges.
Celio, servo de Valeriano Teixeira.
Marcos, chrislao.....Santa Rosa.
Centurlo.eenfidente de Almaco Luir.
Primeiro christo .... Porto.
Segundo dito.....Guimares.
Saldados romanos, sacerdotes, chrislaos, ausris-
pices, massas, et., etc.
Todo o machraisrae executado por habis artis-
tas, esta elegante e ricamente preparada
A pintura a cargo do Sr. Veneri, tambem fai
honra ao disliucto scenographo,
A empreza eonta que este espectculo exceder
aos martyres da Gemiana, nao so pelo maior nu
mero de transformares bem combinadas, como
pela vanedade de suas scenas e graciosidades do
que composto.
Comecar as 8 horas
AMWIIil
Quinta.feira, 8 de dezembro.
Ter iBgar a segunda representado do magni-
fico drami em 4 actos e 8 quadros, ornado de mu-
sica e variado mac-hinisrno
A VIDA, MILAGRES E MARTYRIO
DE
*.\VrA CECILIA
Protectora da msica.
O resto dos bilhetes acha-se venda no lugar
do costume.
Coraecar s 8 boras.
LEILAO
DE
Urna fabrica de licores
HOJE.
O agente Pestaa venda por conta e risco de
quem pertencer todos os lquidos, vasilhis e arma-
cao existentes na fabrica de licores sita ra das
Cruzes n. 36, em lotes a vonlude dos comprado-
res: quarta-feira 7 do correntepelas lo horas da
manhaa na mesma fabrica.__________________
Teilao
DE
lira sobrado de tres andares e
soto e un armazem.
Sexta-feira 9 do corrente.
O agente Pestaa legalmente autorisado far lei-
lo, por conta e risco de quem pertencer, de um
sobrado de tres andares, soto e xagoo, sito na ra
daSenzalla Velha n. 142 com excellentes commo-
dos para grande familia, chaos proprios.
Um armazem terreo nos fundos do dito sobrado
com frente para o caes de Apollo n. lio, os Srs. pre-
tendentcs podem examinar com antecedencia, e a
agente acha-se prompto aqualquer esclarectmento:
o leilao ter lugar sexta-feira 9 do corrente pelas
11 horas da manhaa, junto dos Srs. Palmeira &
Reltro.
DE
50 calxas com sefeolas.
Sexta-feira 9 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencor 50 caixas com sebolas chegadas
ltimamente serio vendidas em umou mais lotes:
sexta-feira 9 do corrente s 10 horas da manhaa
no armazem do Annes.
APiPunos.
LEILAO
DE
Grande o variado espectculo 4a comaanhia de
curiosos nacionaes de gynastica e a erobatica,
quinta-feira 8 de dezembro, principia depois de
acabaros festejos da Conceigo, da mesma povoa-
^o; os bilhetes se acham venda no lugar de
costume.
Rilhetes para horneas o senhoras 1^000, e me-
ninos de 6 a 10 a unos 500 rs.
Importantes dividas
Jos Izidoro Martins preposto do agente Almeida
I far leilao a requerimento dos administradores da
; massa fallida de J 11 i n Vieira Coelho & C. e
por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
niercio, das dividas activas da mesma massa na
] importancia de 81:6615324 rs.
Scsuiiif-feica 1 do corente.
No primeiro andar do sobrado da ra da Cadeia
do Recife o. 48, s 11 horas, os pretondentes po-
dem examinar a relac.o e documentos qne se
acham em poder do rae'suio preposto.
GOSIPANHIA BBASILEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o dia 17 do corrente o va-
por Ot/apock, coramandante An-
tonio Marcelino de Pontes Ribei-
ro, oqual depois da demora do
costume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
-.leudas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. i, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C..|
GOMFANHIA BHASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul espera-
do at odia 14 do correato o va-
I \\,Pr Paran, commandante o ca-
fc.^'V-'A'r^&l''1^0 '^ fragata Sarna Barbara, o
^jgj^i "f=gyq"' depois da demora du costu-
me seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
;er embarcada no dia de/;ua chegada, cncomnjen-
das e dinhiro a frete ate o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Savegaco costelra a vapor.
Parahyba, Natal, Maceo, Aracaty, Cear
e Acaracu*.
4. No dia 7 de dezembro prximo
-t^K. segu o vapor Jaguaribe, romman-
dante Lobato, para os portos Indi-
cados. Recabe carga at o dia 6,
PEneommondas, passageiros o di-
dinieiro a frote at o dia da saluda s 2 horas
da tarde: escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
Para Lisboa
O brigue porluguez La II, capitao A. F. Viei-
ra vai sabir com brevidade por ter a maior parte
de sea carregamento prompto : quem no mesmo
quizer carregar ou ir de passagem, dirija-sc ao
seo consignatario E. R. llabello, ru da Cadeia n.
55. escriptorio.
'ara o Rio de Janeiro
O bem conhecido e v-leiro brigue nacional Al-
mirante, capitao ios Moreira Maia, pretende se-
guir com muita brevidade, tem parte de seu car-
regamento prompto : para o resto que Ihe falta e
escravos a frete, para os quaes tem excellentes
commodos, irata-se cora os saos consignatarios An-
onio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
Har Lisboa
O veleiro e bem conhecido brigue portuguez
Conc.cicdo de Mara, capitao Jaauario Jos de Oli-
veira, pretende seguir cora muita brevidade, tem
parte de seu carregamento prompto : para o resto
(ue Ihe falta tratase cora os seus consignatarios
Antonio Luiz do Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
AVISOS PITEMOS.
Aos i 0:0000000 e 3:000 <000.
SabbaJo 10 do corrate mez, se extrahi-
r a ultima parte da terceira e primeira da
quarta lotera (119') a beneficio do thea-
tro de Sania Isabel, no consistorio da igre-
ja de Nossa Senbora do Rosario da fregue-
zia de Santa Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
?enda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000^000 at 204000
sero pagos urna hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
segninte depois da distribuico das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
Instituto rckeologico e tieo-
graphico Pernambucano.
llavera sessio ordinaria sexta-feira, 9
do corrente, s a hora.da manhaa.
ORDE.U DOD1V
Recepciies do Sr. J.istino Pereira de Pa-
ria, como socio efi'ticlivo;
Pareceres t trahallios de commisses.
Secretaria do Instituto, G de dezembro
de 1804.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
Aracaty
Segu uestes das com a carga que tiver a borde
o hiate Sania Cruz, recebe carga e passageiros :
a tratar com Caetano Cyriaco da C M. ao lado do
Corno Santo n. 23.
Para o Porto.
segaeat o dia 20 do corrente o brigue portuguez
S. Manoel I, capitao Carlof Ferreira Soares; quera
no mesmo quizer carregar ou ir de passagem, di-
nja-se a ruado Vigerio n. 11, escriptorio de M.
J. llamse Silva & Genros.
COMPANHIA PEIUNAMBUCANA
DE
Xavegacao costelra a vapor.
Aracaj e escalas.
O vapor Parahyba-, commandante Martins, se-
uira para os portos indicados no dia 14 do cor-
rente as 5 horas. Receber carga at o dia 13 : en-
<-ommeudas, passageiros e dinheiro a frete at as
horas da tarde do dia da sahida : escriptorio no
Forte do Mallos n. 1.
O padre Flix Brrelo de Vasconeellos tem
aberto um curso particular de latiin durante as
ferias, em sua casa na ra do Imperador n. 35,
primeiro andar, somente para a clase dos senho-
res estudantes provecto* qne se quizerem prepa-
rar para fazerem seus exames em maree do auno
vindouro.
PROGIUMVIl
dasoIcniaissitafestada Virgem
da Conccipo. c da venco da
igreja niariz de Jos do Re-
cife.
Boje 7 de dezembro, pelas 4 horas da tarde, o
Exin.Sr. vigario capitular, reunido ao clero regu-
lar e secular desta cidade. e acompanhado pela ir-
mandade do Santissimo Sacramento da matriz de
IS. J>*s, proceder a benciio do magnilico templo
I que tem de servir de matriz mesma fregaezla, e
i que se aclia ji em etado de poder nelle funecio-
nar-se ; nessa occasio urna msica militar tocar
; as melliores e mais bera escolhidas pecas do seu
| repertorio, grande numero de gyramlolas nnun-
ciar a todas as mais igrejaa o momento da bengo,
i para que estas repiqaeO), segun>lo o costume.
No dia 8 pelas 9 horas da manhaa, as irmanda-
I des da Santissimo Sacramento das qualro matrizes
desta cidade, reunidas na grej de Nossa Seuhora
do-Tergo, irmandade da rnesma Senhora, a qual
contfuzirem rico e bera ornado andor a imagein
de sua excelsa padroeira, seguirao em solemnissi-
ma procisso acompanhando o antissimo Sacra-
i ment, que conduzido pelo Rvm. -r. padre raestre
Francisco Jos Tavares da Gama, ser transferido
! para a nova matriz, percorrendo asseguintes ras:
aj sahir da igreja do Teri;o, ra Direita, travessa
e pateo de S. Pedro, ra de lionas, travessa dos
Martyrios, ra das Cinco Pontas a recolher-se. A
iraagem de S. Jorge com todo o seu estado, e um
piquete de cavallaria preceder a procisso.
Ao chegar a igreja, S. Exc. o Sr. vigario captu-
lar proceder a missa solemne, cuja msica ser
dirigida pelo eximio profe-sor o padre Primo Fe-
liciano Tavares, orando ao Evangelho o j mui co-
nhecido e eloquente orador o couego Joaquim Fer-
reira dos Santos: em seguida ser enloado um
Te-Deum em accao de gracas pelo feliz successo
que enche de prazer todos os habitantes desta ci-
dade e especialmente os da freguezia de S. Jos.
Finda a t-oleranidade a imagem da Virgera db Ter-
co recolher-se-ha sna igreja, conduzida pela res-
pectiva irmandade.
Das 6 horas s 10 da noite, a igreja matriz de
S. Jos, conservar-se-lia aberta para todos quantos
a quizerem visitar;
A rommisso encarregada deste pomposo acto,
desejando que elle seja acompanhado de todas as
demonstracoes de possivel solemnldade, rota aos
moradores das ras mencionadas, que majndem
ornar as frentes de suas casas, bem como ter a ra
LEIL5ES.
em estado de asseio correspondente a Mag
d'Aquel le que por ella tem de transitar : e
mais aos moradores da ra das Cinco Pontas
minaren) as frentes de suas habitacees no$
7e8.
LEILAO
DK
Um sobrado.
BOJE
inarta-fetra 9 do correte.
s 11 horas da manhaa.
O agente Anreliano -legalmente autorisado Ten-
der em leilo um sobrado de nm andar no bedeo
do Padre n. 8, o qual rende 372i annuaes.
No dia cima indicado na p ira dos Srs. Palmei-
ra & Beltro, para informacoes dirijam-je ao re-
ferido agente.
>stade
anda
3 illu-
dias
JUL-1IIA1UE
VIUVA ROUTIER
faz publico que mudoa seda sua residoncia da ra
Bella n. 29 para a mesma ra n. 3>.
O portuguez Albino Baptista da
Rocha, relojoerro e dorador na
praga da Independencia loja n. II,
faz qualquer concert mais barate
do que oatro qualquer e responsa-
liilisa-se pelo seu irahalhn, espera
proteceo de seas compatriotas.
francisco do Paula Pereira, sobJilo portu-
guez, vai Europa.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra o
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, cb amado por escripia
LvthographadeAlbcrt uidouv
Ra da Cruz n. 46.
KECIKK.
Esteestabelecimento antigo e rauito co-
nhecido nesta praca tendo sido por falta
de empregados na obrigaco de restrin-
gir os seus trabalhos durante alguns me-
zes, acha-se agora em. estado de esecu-
lar os trabalhos os mais delicados quu
se podem fazer era chapa de pedra, assim
come cartoes do visita com o retrato da
pessoa (muito era nso na corte) toda
classe de desenlies, mappas geographicos
e qualquer Irabalho relativoaocommercio
bem executado e por preeos razoaveis.
Saude dada a todo o mundo.
Pelos preciosos medicamentos dos Srs. Grimault i
C, pharmacuee de S. A. I. o principe Ma-
poleo, ra de la Feuillade 7 em Pars.
Porque os Srs. mdicos e o publico usam de pre-
ferencia dos medicamentos especiaes dos Srs. Gri-
mault & C, pharmaceuticos em Pars, com os quaes
elles tem sempre oblido as curas as mais extraor-
dinarias ?
1. Porque esta casa sendo sem contradita a
mais importante de Pars, honrada rom aclientella
de urna parte da corte, patenteada por S. A. I. o
principe Napoleo s vende productos de urna efli-
cacia reconhecida.
2.* Porque esses medicamentos representam as
mais recentes conquistas' da medicina e da chi-
mea.
3 Porque tem todos um goslo agradavcl, satis-
fazem a vista, e pdem ser administrados sem pe-
rico, tamo s enancas como as peagoas adultas.
4. Porque elles diVrem inteiramente desses re-
medios inglezes e americanos, preparad js por In-
duslriaes estranhos, tanto a medicina como a pliar-
macia, dos quaes nao tem nem a scincia nem os
ttulos.
5." Porque estes medicamentos s se applieam a
um numero limitado de doenca, e nao as ruram
todas,cono os remedios de que acabamos de fal-
lar ; eraim cada producto tem sua applicaro par-
ticular.
Por isso pensamos prestar um servico a todo o
mundo, indicando aqui as importautes propieda-
des dos principaos medicamentos dos Srs. Gri-
mault & C.
Xarope de raifort lodado.
Empregado com successo certo em lugar do oleo
de ligado de baralho, t.ei desagradavel, to di fu-
cila digerir. E' o especifico o mais certo contra
as escrophulas, o lymphatismo, a moleza das car-
nes, os humores das enancas, a papeira, os rheu-
matismos, o escorbuto, as aflecr-oes da pede, as
molestias do peito.
Todos os mdicos de Paris o empregam como o
depurativo o mais poderoso, e o recommendam em
todos os casos que precisa-se corrigir a acrimonia
do sangue. e dar-lhe todos os principios vilacs que
perded, seja pelos excessos, pelas alTece.oos lym-
phaticas, escrophulosas, e venreas.
Xarope de quiua venuclhn fer-
roglnoso.
Ou assoclaeSo dos dous poderosos remedios da
materia medica que sao : o ferro um dos priuei-
paes elementos de bosso sangue e a quina que o
tnico e o febrfugo por excedencia.
Esto delicioso medicamento agradavel ao paladar
e a vista, tem um resoltado admiravel as Qores
brancas, dores de estomago, falta de appetite, po-
breza de sangue. Elle sobretudo til as senho-
ras e as mocas delicadas, para desenvolver e re-
gularisar a meustruago e suspender os efT-ilos
perniciosos das llores brancas, que sao a causa de
lanas doengas. Elle soberano depois das con-
valecencias de molestias graves, elle o reparador
das torcas e da saude para os doentes enflaqueci-
dos pel trabalbu, os excessos, as affeecjSes escro-
phulosas ou venreas.
As mais de familia acharo nesle xaropc um me-
dicamento sem igual, para forulicar e desenvolver
o systema osseo das enancas e os preservar das
afTercoes escrophulosas.
I21i\lr digestSro de pepsina.
Delicioso licor que oceupa o primeiro lugar en-
tre as novas conqui.-tas da scincia, a pepsina pos-
sue com eleito a propriidide importante de fazer
digerir os alimentos quasi sera recorro do esto-
mago, o remedio soberano das gastrites, gasiral-
gia:, das infl.unmacos do estomago, dos ligados e
dos intestinos. Elle supprime os gases, as nauseas,
as pituites, o desgosto dos alimentos, e presta iirin-
cipalmente um immenso servico as senhoras n'umai
poslco iuleressanie da qual supprime os vmitos.'
As pessoas que padecem de cancro no estoma-!
go ou nos intestinos, vero sua vida prolongada
pelo uso do elixir de pepsina, e os velhos e conva-'
lecenteso sustento de sua saude e o reparador de
suas jorcas; porque com una boa digestao sempre
se gosa de boa saude.
Xarope peitoral de Si. Jorge.
Novo especifico, sem opio, reconhecido como o
melhor medicamento para curar a tosse, defluxo,
catarrho, grippa, irritaclo do peito, anginas, dores
de garganta, coqueluxa, etc.
Este delicioso xarope popular em toda a Franca
foi descoberto pelos monges da abbadia de S. Jor-
ge, no Anjou, e actualmente preparado pelos Srs. |
Grimault <& C, nicos preprietarios da verdadeira |
reeeita. Recommenda-se aos doentes que usem ao
mesmo lempo das delieiosas paslilhas peiloraes ao
Bucee de alface de loureirocereja dos Srs. Gri-
maalt & C, este excellenle remedio composto
com as duas substancias as mais calmantes e ao
mesmo lempo as mais inolTensivas da materia me-
dica, e nao lonlm opio.
Injeceao e capsulas matico.
E>tes dous productos que constitucm a mais re- j
cente e a mais importante mediacao para curar os !
corrimenlos e as molestias veneraes do homem e
da mulher, sao exclusivamente vegeiaes nao con-
tm mercurio, e sao preparados com as folhas do
matico arvore do Perou. Nao ha molestia conta-1
giosa aaliga ou recente, que resista ao u-o desses
dous meios. Sua rapidez de aeco superior a
indo quanto se tem feito at boje. As capsulas
nuoca cansara o estomago nem os intestinos como
as capsulas de copahyba, cubeba e ouiras; a in-
jeceao nanea proouz o estreitamento como aconte-
ce com as tnjeccoes cora base metlica aconseja-
das al hoje.
Todos estes productos vendem-se as principaes
pharmacias do Brasil, agente para vender por ata-
cado, no Rio de Janeiro, E. Chevolet, era Pernam-
buco, Caors 4e Barbosa, na ra da Cruz n. 28, na
Baha, Lima k [rmos e era todas as boas phar-
macias do Brasil.
Deve-se exigir sempre a assignatura Grimault &
C.j por que ha falsificares perigosas.__________
THESOURO f>AS MAIS
Providencia das enancas.
COLLARES ROYER
Electro-magieticos
CHAMADOS
COLLARES ANOWNOS DE DENTICAO
Contra as convulsoes e para facilitar a
deulico das criaocas preparados e inventa-
dos por Royer, ptiarmaceutico da esco-
la superior de Paris, successor de Chereau,
meuibro da academia de medicina,
anliga casa de Bouillon-Lagrange, pharraaceutco
do imperador,
chefe dos trabalhos cnunicos da escola po-
lytechnica, director da escola de pharmacia de
Pars, e membro da academia imperial
de medicina.
Estes collares vtndem-se onicamente na loja do
Gallo Vigilante ra de Crespo n. 7.
mu ia mmt
AOS 10:000.000
Bilhetes garantidos
A' roa do Crespo n. 23 e casas do costme
O abaixo assignado vendeu uosseus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acaban
I de extrahir a beneficio da matriz da Boa-Vis-
ta, os seguinies premios:
m meio n. 1047 com a sorte de 6.0005060
Um inteiro n. 2538 com > > l:t00(>0
Um inteiro n. 1312 500*000
E outras rauitas surtes de 1003, 405, 2"5 e 105
Os possmdore podem vr receber seos respec-
tivos premios sem os descontos das les na Casa
I da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da ultima parte da ter-
ceira e primeira da quarta lotera a beneficio do
theatro de Santa Isabel, que se extralur no dia
10 de dezembro.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios......... 65000
Quartos........ 35000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes....... 115000
Meios........ 55500
Qoartos......, 25750
_____________Manoel Martins Finza
PftO.RAtflMt
da lra>Maciod$;i'iiissiaio Sacramen-
to para nova nr4rtz dr> S. Jos.
Quinta-feira 8 dia da Immaculada Conceicao de j
Mana, padroeira do Imperio da -anta Cruz, ter
lugar urna festa no todo poliposa, para os habi-
tantes desta bella provincia. Nesse memoravel
dia pelas 9 horas da manhaa ser condolido com
todo o seu estado-maior, a imagem de S. Jorge,
que exista na igreja do Espirito Santo, para ser
collocado na nova matriz ; ahogando igreja do
Terco seguir na frente da procisso, a qual tem
de sahir pelas 10 horas, seguindo pelas ras Di-
reita, pateo de S. Pedro, ra de Hortas, Martyrios,
becco do Marisco e Cinco Pontas, recolher, logo
que seja recolhida principiar a festa, sendo de
grande orchestra a missa dePento regida pelo
insigne mestre o Rvmd. padre Primo; finda a fes-j
ta ter lugar o sermo, sendo orador o Rvd. cone-
go Joaquim Ferreira dos Santos, e em seguida o
Te-Deum. era accao de gracas ao Todo Poderoso.
Pind todo o acto, ser trasladada em procisso i
para Nossa Senhora do Terco sua excelsa Padroei-
ra, a qual tambem arompanbara seu amado Filho |
do sua igreja para sua nova morada, e ahi perma-
necer at ao fim.
Irmandade do S. Sacramento da fre-
gnezia do Hecife.
A mesa regedora da irmandade do Santissimo
Sacramento da freguezia do Recife pede a todos os
seus unaos que se reunam as 8 horas da maoha
do da 8 do corrente, para encorporados, arompa-
nharem a trasladarlo do Santissimo Sacramento
para a matriz de S. Jos, e assistirem a festividade
da inauguraco do mesmo templo, e para o que
forara convidados peloExm. Sr. vigario capitular
dadiocese.O esenvo,
Antonio Gomes Miranda Leal.
Aluga-se o sobrado de um andar e soto
sito nos A togados, no pateo da Paz : a tratar 00
pateo do Terco n. 44._________________
Subloca-se a parte fronleira do sobrado n. o
da ra do Trapiche, com duas salas e tres quartos,
cozmha e um quarto no solao, muito propria para
escriptorio : os prelendentes podem entender-so
para conlraiar com Marcelino Jos Goncalves da
Ponte, na ra da Cadeia do Hecife I.
Precisa-sealugar um inoleque do 12 a 14 an-
uos de idade, para o servico de ama casa ; a tra-
tar no caes do Ramos n. 36.__________^^^__
O Sr. Pedro Jos de Pinto tem urna carta viu-
da de Alagoas : na praga da Independencia nume-
ros 6 e 8._______________________________
Precisase comprar um sellim inglez e os
competentes arreios em bom uso, comprase tam-
bem estando em bom uso os arreios para um ca-
vado de cabriolet : na ra do Cabug, loja da
aguia de ouro n. i B. _____
Ama de leite
Precisa se de urna ama de leite : na roa da Sau-
dade, primeira casa do lado esquerda:_______
a ra dos Martyrios n. 2, primeiro andar,
precisa-se de urna ama para casa de familia.
Salsa parrilha de Ayer
PARA A CURA DA
c todas as tnolrt!a
proveniente dr lia
todas as molestias da
pelle
Chensipeilas. taranrr, Ierras.
sarnas,
naseidas, rapiojens,
REUMATISMO
Ss PI9IIIS
em tudas as as lnuas, assim Cirtiio Uxlo
o mal que provm do uso excessivo lo
MERCURIO
l'leeraco da Osado
f, em sumnia todos 0$ males na tem sm
origem na
COLEGIO DE
JOAQUIM.
S.
As aulas deste cTlegiO funecionam du- ^M
*Sj rete as ferias e tem principio no Io de S
}g5 dezembro : o; Srs. que pretenderen! f.v IJ \
vas zer seu exame em marco dirijam-se ao |sjl
H mesmo collegio a inscrever-se no livro S
jSjjf de matricula, assim come encontraro SS
^| urna lisia com os nomes dos Srs. lente, JS
~i e a< horas em que devem funecionar as i?sJ
aulas. M
mmmm mmmm mmmmm'
=- Precisa-se de um cosinheiro escravo e pa-,
ga-se bem agradando : na ra da Madre de Dcos!
Desde que acabar todos os ac- n_ j primeiro andar, das 8 as 2 horas da larde.
tos, licar exposta venerado dos fiis o sagrado ------------------------rr.
templo at 10 hora, da noite. o qual so achara ri-! Esta ainda P*f al"*ar u,,,a casa na "ha de
carnate decorado e Iluminado. Pede-se a todas femlica junto a ponte da Passagem, com commo-
es moradores da freguesa de S. Jos de Ilumina- para farniHa, bauho, pintada, e pelo barato
rem a frente de suas casa.* nos dias 7 e 8, em re- \ ^"Suel de 1503 por anno : na ra larga do llo-
go'ijo do ser aberlo aos fiis, principalmente aos sano n. 36 se dir quem alnga.______________
parochianos da freguezia, sua nova matriz, talvez I Sahiu luz o quarto numero da Revista do
o melhor templo desia heroica provincia. A com- Instituto Archevlogico e Geographico l'ernotnbuca-
misso encarregada das obras pedo por especial no, contendo, alin das ses>oes do Insiiitito, o nuii-
favor a todas as corporacSes religiosas de manda- to interes-ante relatorio di commisso encarrega-
rem repicar os sinos de suas igrejas, om todo os da de descobrir ojazgo de Joao Fernandes Vlei-
aclos da inauguraco, que ter lugar quarta-feira ra, e urna curiosa estatistica da revolta de 170
pelas 4 1|2 da larde na occasio da bet.co da igre- em Pernambuco, chamada a guerra dos mscales,
ja, e as santas imageosj sahida na quinta-feira, | Acha-se venda na loja de livros de Jos Noguei-
ra de vouza, ao Arco de Sanio Antonio, onde se
acham tambemos nmeros anteriores.
Assignatnra por anno 33, iiumero avulso 1.5-jOO
Ao amanhecer do dia 20 de outubro do cor
! renle anno de 1864, furtarara do cercado do en-
genho Aldea, da freguezia do Rio ForinosoTum
quarlo de carga do mesmo engenhn, o qual
' ruco pomhb, grande, rastrado, nao nevo, tem no
i ollo esquerdo urna belide, a pouco ou nada v
pelo dito 0II10, tem um callo velho no espinbaco,
lugar em que leve urna bexiga, levou o topete cor-
tado rente, carrega balso, e tem estampaao no
iadodireilo da anea o ferro do engenho em ledras
maiusculas romo aqui se v A L1) E A. Adver-
te-se que os cavallos assim ferrados, nao sao tro-
cados nem vendidos, e os que forera encontrados
someer servico do mesmo engenbo sao fua-
dos, o devem ser apprehendidos; porlanto roga-
IMPURIZA DO SANGUE
K um alterante poderoso para a
RENoVAC.O IM) SANGCE
e para dar nova forfa e vigor ao corpo j
enl'raipiecido pela doenra.
Vende-se na ra Direka n. l e 7#
Hospicio n. 40.
Vende-se era Pernambuco:
na pharnaacla Iraneeza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
wutmwm mmmmmm
^| Naques obre l*ortas;al.
O abaixo assignado, aiiton-ad pelo
Raneo Mercantil Porlnense. e na ausencia
I do Sr. Joaquim da Silva Castro, saraef-
Sfectivamente por todos m pnejeiim eiw
as pracas de Usboa Porto, c mais loca-
res do reino, por qualquer toaaM s-
ta, e a praso ; podmdo, os ejot tomarem
saques a praso.reet-bcrem avista, no nf-
^@ 1110 Uanro, descontando \ 0,n ao auno: na
6a loja de chapos da na du Crespo n. 8, ou
I na ra do Imperador n. 63, aajaas ao-
| dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
FOtiO l) Ail
No armazem da bola amarella no oji da se-
cretaria da polica, receheni-se en onnin^dj e>
fogo do ar para dentro e fora da proriaria.______
Caixelro.
Precisa-se lo um ratarira para loja de falcada*:
na ra de Apollo n. 70, secundo andar. ______
de Nossa Senhora do Tercio, e na entrada de seu
novo templo, ser annunclada por urna salva de
21 tiros e 30 duzias de fogo, assim como na sa-
hida.
Srs. redactores do Diario de Pernambuco, ven-
do eu em seu bem conceituado jornal de 29 de
novembro prximo lindo, um annundo firmado
pelo xr. Domingos Vaz da Costa Agr, solicitando
de.um Sr. Antonio GoDCaWes da Silva, tres letras
de l:300|i cada urna, firmada por Goncalo Gomes
de Souza e mais rombos o documentos, que em
ronlianca tlnha-os entregues ao referido Antonio
Goncalves da silva e como dito annuocio se |iossa
entender cora o mea amigo o Sr. Antonio Gongal- se aautoridades policiaes, e mesmo a qual |uer
ve> da Silva proiuieiario e negociante morador em pessoa do povo, que sendo encontrado ditos ca-
Sau Amia e oaia arredar uuaiaoer susi-eita que va'los si:J;im apprehendidos e remetlnlos ao admi-
possa oueodnr os bros e reputaoao daijuellu se- msrratfor daqueire ongraim 01 ao atmfso "n
nhor pego a Vates, que se digne iranscivver estas dopropri-tario da mesmo engenbo, que reside
quati o Imhas em urna das columnas de seu uinrio. cidade do Recife, ra do Hospicio
Wenceslao Machad Freir P. da Silva, do Recife, 26 de oulubro de
Recife 3 de dezembro de I86i. da -ilva Santiago.
Peiflunaria o sabonetes o ^^-^^-^^E
r\ luga-se
n. SO. Cidade
1864.Caetano Jo.-
Toilet
da casa Violet, perfumista com privilegio,
fornecedor das casas de S. M. impera-
triz dos Fi ancezes e da rainha Isabel II
de Hespanlia.
As llores as mais esquisilas, as plantas as mais
ricas em aroma, os baldamos os mais odorficos,
servem a eomposico dos productos exclusivos da
rainha das Abelbas.
Salan rcul O nico reeommendado pelas celebridades me-
dicas como hygieoica da pelle.
Imiio de viole';!.
Pomada fluidilicad pelos oleo virgens para o
servido dos cabeleireros.
Goias de Violetas.
Extracto da llor natural, perfume de S. M. a rai-
nha Victoria.
Sal'iio de balsamo de Violetas.
Homenagem a S. M. a Imperatriz.
Agua da belleza de Sua Magostado a
Imperatriz.
Loccao benfica para o toilet das damas.
Fior de arroz rosa-la.
De S. M. a Imperatriz Eugenia.
Perfume de nctar.
Este p refrigerante preserva a pelle de todas s
aleceoes dormaes.
nos ilo das abelhas.
Locjo refrigerante para o toilete e os banlios.
Crcuie pouiiador.
Da belleza da pelle.
Para prevenir as rusgas e refrescar o rosto.
treme Sevign
Composicao especial, para lustrar e lixar os ban-
dos (cabellos.)
treme fri espumoso.
Segredo da belleza.
Para refrescar u tessido dermal.
Perfumes das brisas de maio.
Delicias dos lencos e sales.
Dicado a S. M. a Imperatriz da Russia.
Caixa de Juvencio.
Cofre, mysterioso.
Encerrando talismans, segredo para belleza.
Vermclho da China, preto indio e braceo
de Lys.
Para passeios e soirs.
P llolis01ll.il
Pas as unhas o brilho de nacarregado.
Perfumes horisoutaes.
Para perfumar as cartas, toalhas e os quartos.
Gratule armazem de Untas.
Tem a venda :
1 Productos ehimicos medicinaos os
mais importantes em medicina.
2. Producios ehimicos e utensis
para photograptria e outras industrias.
3. Todas as materias e utensis
empregada na pintura a oleo e a rol-
la para pintores, tintureiros, enver-
nisadores, don/adores e vidraceiros.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Precisa-se dnnm cosinheiro bom copeiro : no
hotel Trovador, ra larga do Rosario n. 44, pa-
ga-se bem.
Perdeu-se una pulseira de oura com dous
pingentes e alguns ruhins, no trajelo da ra da
Aurora al o palacio do governo, ao anoitecer do
dia 30 de novembro prximo passado : quem
aehando-a quizer restituir o poder fazer no es-
criptorio do Sr. Floriano Cor rea de Brito, ra das
Trincheras, que ser bem recompensada______
AITonso Benjamn Benet subdito francez vai
a Franca tratar de sua saude._______________
Aluya-se a casa terrea sita a ra da Alegra
n. 46 : a tratar no pateo de S. Pedro n. 18.
rasa terrea na ra do* PrazTei, fregiitia A
oa-Vista n. 1 A. pelo prc; de lfi-5 : a tratar a
ua e.-treita do Rosario n. 2S.___________
A aguia branca reeefeea iuvas i 1 < liu-a.
Cosme Jos dos Sanios Callado na ra do fV
gario n. 8 saca .-obre a praca do Porto.
I'recisa-se alocar una coMiih-ira e-rrava ea
forra : 111 na da Madre de Deus n, 36.
~ Precisa-se alugar urna preta eseran ira *>
do o servico le urna casa de patea f.uin.ia : aa
paleo do Terco n. 27, primeiro andar.
& O bacharel
8 Francisco \nausto da Cosa
mt ADVOCADO
fi Ra do Imperador numero 69.
mm^m^ mi &
Precisase de urna aina^ para rozinhar : na
ra da Praia n. 2. ______
Prensa se da quantia de :iiHI-3 ;i |am pe''
lempo que se convencionar. pagand.t-sc o capital
unido aos juros era prestaroes in-.-nsaps. rerebida
no de cada uvz quem assim quizer dar. aa-
nuneie por esla lolha._____________________
Os Srs. proprielari>< da* ca-a* da rus de S.
Bom Jess das Crioulas ns. 12, I i, 16 e ISqueinn
comparecer no sobrado na lrave**a do Porinl
n. 26, a n -goeo. pos se ignora as su is m >ra-f.-.
Manoel da Costa Ferreira vai a Uahia.
Aluga-se urna casa em Beb'-ribe. no lugar
do Porto da Madeira, caiada e pintad 1 de novo.
propria para se pa^ar a festa p-.r ser muito porS
do rio, por tralo nreci: a tratar no mesmo hipar
com Jo* Pereira Brando.
Aluga-se uini e.-crava que uiM lavar falo
e vender : a tratar na ra do Uosyirie u. MR.
Amansador
Aluga-se urna casa em Beberibe, no porto da
Madeira, a beira do rio, com 2 salas, 2 quartos,
cozmha fra, muito fresca, e concertada de novo :
a tratar na ra Direita n, 69.
Rap Cordelro.
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38,
recebeu rap Paulo Cordeiro milite fresco o qual
superior ao de Lisboa, assim como tambem tem
rap rolo imperial do Brasil tambem muito bom
rap e muito fresco, finalmente tem rap de todas
as qualidades.
Precsase de um moleque de 14 a 16 annos
para servido de casa de pasto : na ra de Hortas
numero J!_____________________________
Aluga-se a casa n. 6 na ra dos Coelhos,,
com 3 quartos e grande cozmha : a tratar na ra
do Mondego, olaria b. 13.___________________
Aluga-se o segunde andar do sobrado n 35da
ra da Matriz : a tratar na taberna do Sr. Antonio
Joaquim Ferreira Porto ; e o segundo andar da
ra do Burgos n. 7 : a tratar na refinacao da Sen-
zara nova n. 4.
Precisa-se de um amassador : a tratar na pada-
ria da ra da enzala vllia n. '.Hi. ^-^
Aluga-se um lerceiro aulaf rom rozinhA
por cima e dous solos ajBafwai da casan. 13.
sita na ra do Vicario : a tratar 110 armazem ter-
reo da rnesma ca^________________________
Precisa-se alugar urna preta qne >aiba rozi-
nhar e engommar : na ra da Palma n. 41, ta-
berna. _________________________________
Alugam-se o tercero e quarto andares do la-
brado n. 16 da ra do Cabuga.
Um rapaz brasileiro com ratita de raixeire
ofTercce-se para ser empregado em luja de (asea-
das, escriptorio, ou outro qualquer e*labeleeio*a-
to, dando fiador a sua coniueta : quera precisar.
procure na fabrica da travessa do Carioca o. 3.
caes do Ramos.__________________________
Na praca da Independencia, loja de oonrr*
n. 33, eompram-se obras de ouro e (trata, e pedra
preciosas, assim como se faz qualquer obra de ea-
commenda, e todo e qualquer concert.
s
85
I
DENTISTA DE PARS
19Ra Xeva19
Frederco Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridad e e perfei;o, que as pessoas enlea-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos denuncie.
"-fWI
Convida-se a todos os 1 rmos da irmandade
de N. S. da oledade da freguezia da Boa-Vista,
para una reuna* domingo 11 do corren!, pelas
10 horas da manhaa, para o flm de elegerem a
nova mesa que deve reger a mesma irmandade no
prximo anno de 1865 O escrivo interino,
Man ud Ferreira Ramos.
Precisa-se de urna mulher para servicos de
ama casa de pouca familia : na ra da Cadeia do
Recife n. 31 se dir quem precisa.
"^"loga-se o primeiro andar e loja de um so-
brado na ra da Penha, proprio para negocio, por
barato preco : a tratar no segundo andar.
Estrada de ferro.
Pede-se ao chefe do trafico para que o seja
s seus afllhad'ts que gorem de pesar-se os saceos
vasios, e as mais partes contados; assim pede-se
a igualdade para todos.
Precisa-ss de urna ama para lodo o servico
de casa de pouca familia : na travessa da matriz
de Saato Antonio n. 8.
Precisa-se du um amassador: na padaria
en Santo Amaro, atraz da fundieao de Sr. Starr
Na ra dos Pires n. 24, precisa-se
escrava bja cozinheira, paga-se bem.
de urna
Aluganyse duas casas rauito frescas, com
muitos cornniotos, para passar a festa, no Cachan-
g, por precd muito barato : a tratar na padaria
o Chora-menino.
Fraacisco de Pauta Pereira, subdiio portu-
giez.rai a Lisboa tratar de sua saude.
"Sor"
S de dezembro, 5HoM, cada pessoa, rna da Ca-
eia do Recife.
Um influente.
Precisa-se d ama ama para cozinhir : la
rna da Praia n. 2.
Precisase de um amassador : na roa estrel-
la de Rosario n. S.________^^_^_________
Jos Manoel de Araujo vai ao Rio de Ja-
neiro,
mmmmmmm
Para a festa.
Aluga-se om sitio na roa do Cabral da ci-
dade de Olinda, com casa terrea, com co-
piar na frenle, bota os funds para a ostra-
da e raargem do rfo Beberibe-, cota cota-
modos para familia, estribara para cava!!
e cap:m para sastenta-los, arvore-ios de
fructos, sem visinho defroute nem pele>
fun lo. com ptimos passeios, sala e gabi-
nete na frente, muito proaria para passar a
festa, e tarabea) se alujar por anno : a fal-
lar no Recie, na livraria n. I ti da praca
da Independencia, e em Winda na casa con-
tigua oom o capitao Antonio Bernardo Fer-
reira.
Furto de oran choca de ai
relio.
Vicente Al ves Machado anda aia leve
dos tres pranchoes de amarello qne Ihe fnrlaraa)
do poro de sua serrana, e por isso jnlga queja
foram vendidos pelo ladrao qne os furtoa ; s* a
pessoa pie os comprou sendo de boa f e os qui-
zer entregar, o poder faier ao abaiao assignado.
que Ihe pagar a qnantia qno dea por ditos pra-
choes, e Ihe car agradecido.
-
ETLLADO


Diarlo de rcnaaoM Qu.ir.i felra 9 de Dezembro 4c i 84.

AURORA BRILHANTE
GRANDES ARMAZENS
lE
MOLHADOS
mmmmwmwm
Largo da Santal
(Cruz ns. 12 e 8*K
Sesquina da ra dojgg
i Cebo. P
VINItS
Largo da Santas!
Cruz ns. 12 e 84j
esquina da ra dofl
ESPECIAES gcebo.
a
... dono dos J* mui10 acreditados armazens de molhados denominados Aurora
Brilhante, acaba de receber de sua propria encommenda, muitos gneros delicados
propnos da presente estaco, e tendo grande sortimento comprado aquLafianca que todos
os seus gneros sao de .* qualidade.
A seguinte tabella servir a todos de base para aiuste de contas aos por-
tadores.
N'enhum armazem vender mais barato, e melhores gneros do que a Aurora
Brilhante, j pelo grande sortimento que tem, j mesmo por seu dono se achar encor-
modado tra sua saude e ter de vender um de seus armazens agora, e o outre na pr-
xima primavera, por isso dove-se aproveitar urna cuadra destas para se comprar
barato. '
LataiK1?8 Iibras de chouri?as muil novas, Vinho branco uno, a garrafa a 640 rs.
a 75500.
Ditas grandes com peixe em postas inteiras,
mais de 12 qualidades, a 1,5000, 5280 e
1 $400.
Ditas com ostras, excellentc petisco para fre-
gideira, a 720 rs.
Ditas com ervilhas novas, ensopadas, a
Ditas com favas, a 640 rs.
Ditas com ameixas a '200, 1,5800 o 300.
Ditas com anivelada do afamad fabrican-
cante Abreu, a 880 rs.
Ditas de inassa de tomate, a >00 rs.
Ditas com figos de comadre, nevos, a loOO.
25 e 2o00. '
Ditascoin bolachinhade soda muits novas, a
25000.
Bitas cora biscoitinhos inglczes de mnitas
qualidades, a 15400.
Chocolate.
Chocolate
t2(X).
ibra
superior muita novo, a libra a
Macarro telharim e alelria amarella.a
a 480 rs.
Hito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinha, pevide e outras mas-
sas, a caiza .'15500.
Ditas dita em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
Sevadinha para sopa a libra a 240 rs.
Ervilhas sercas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
Tapioca muilo nova, a libra a 280 rs.
Farinha de ara 600 rs.
Arroz do Maranhao, em sacca a arroba*
25400 e a libra a 80 rs.
Dito da India e Java, a arroba a 35200 e a
libra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a 95500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Dito de >antos, a arroba 75000 e a libra a
260 rs.
Mol nos com 125 soblas grandes, a
Mostarda franceza caixa com 2 duzas
^ 85000.
Frasees com mostarda nrenarada em vina-
gre, a 400 rs.
Ditos com conservas inglezas e francezas,
a 640 fi 800 rs.
Ditos cem sal refinado fino, a 640 e a 500
ris.
Ditos rom a verdadeira genebra de larania
15200.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800rs.
Vinho verde superior.
A caada a 35500 e a garrafa a 480 rs.
Gomma.
Sacras de 4 arrobas, a verdadeira de se
engominar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabo massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Farinha.
Saccas grandes com farinha de Goianna mui-
lo nova, a 55000.
t? Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 85,
85500 e 9J000.
Cha.
Cha temos nestes gneros o melhor possivel,
hysson, a libra a 2500Q.
lito perola a 35000.
Dito uxirn a 25709,
Bite hysson muito fino a 2,J80#.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25500.
Dte mais baixo a 25000 15600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 320 rs.
Espermacele.
O masse com 6 vellas de espermacele a 600,
640 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libra de passas novas pro-
prias para mimos a 45 e 2g500.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs e arroba a 45000.
Alpista c paioro.
Alpista e paii.ee, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Carlas finas para jopar, a duzia a 25500.
Castanhas.
15-*80 ,;aslaiinas novas viadas neste vapor, a arro- C?K>
izias a ba 4r5000 e a libra 200 rs. lg
Azeitouas.
Barrisco. ralln** a 15100
Manteija.
Manteiga fior, a libra a 1500t.
Dita mais abaixa a 800 rs.
Dila menos superior a 640 rs.
Dita franceza uova, a libra a 720 rs.
Dita .lita em barris e meios ditos, a
660 rs.
libra a
a
Dl^2a *"arrafas de "ollanda verdadeira, I DiU pan tempere a 400 rs.
Ditos de I garrafa de Ilollanda verdadeira, *t,ai,nc V,|P,J0S-
a 640 rs. flueijos novos vindos nesic vapor a 35290 e
Botijas com dita propria para negocio, a : m-,
400 rs K F ; Bll,s 'ndnnos minio novos, a libra a
Garrames com 2 galoes com dita, a 65000.; ,*000
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, ca aPe'-
duzia a 65000. t Papel almago pautado, a resma a 45800
Vinho moscatel de tetuba, a garrafa a Dito dito lizo de linho, a resma a 45500
I5"00. 1 Dito de peso lizo e pautado, a resma a
Marrasquino verdadeiro, frascos a 800 rs. I 25500
e a 15200. Dito de embrulho hom a 15 e 15200.
Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
25000.
Azeite refinada partuguez e francez, a gar-
rafa a 15000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
75,85. 95 105 a caixa:
Ditas com dilo branco, a 75000 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do douro verdadei-
ro, a 205.
Ditas com duque do Parto verdadeiro, a
185000.
Ditas com chamisco suDerior, a 145000.
Bitas com Porto velho e outras mullas mar-
cas, a 125000.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 649,
720 e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a
352OO, 35500 e 45000, e a garrafa a 500
e 560 rs.
Dito da Pigueira, das segninles marca, (N.)
(J. A. A.) (J. L. G) (O. M.) a caada a
45500 e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado cora o
rotlo do armazem.
Bitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 35500 e 45OOO e a garrafa a 480 e
520 rs.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinhe Xerez e Ma-
deira a 15500 e 25.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 4 0 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Ameadoas.
Amendeas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400
e pequeos a 640 rs.
'fijlos de limpar.
Tijelos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 25600, e
de latas a 150OO, o os baioes a 240 rs., ca-
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos linos.
Charatas Gnos des melhores fabricantes da
Bahia per diversos presos, caixas e ineias
caixas.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859 '
Urna flanea em dinhciiv, depositado nos cofres do estado, garante a boa ail-
ministracao da companhia.
Romance.
Vende-se na praga da Independencia li-
vraria ns. 6 e 8, o romance Marlim o en-
geitado ou Memorias de um escudeiro, obra
do distincto escriptor Eugene Sue, autor
das melhores obras conhecidas, pelo dimi-
nuto prego de 2500 por 4 volumes em
broxur.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Ilespanha
DIRECgAO GERAL
Madrid: Ra do Prado n. IB
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinares de supervivencia dos seguros
sobre a vjda.
Nella pode se tazer asubscripcao de maneira que em nenhum caso mesmo'por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendenles os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL, que ainda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidacoes,
e combinando o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companhia para os
seus clculos e liquidacoes, em segurados da idade de 3 a 19 anuos, urna iraporsicao annual le 1005
produz em effectivo metlico :
No fim de 5 annos.......1:1195300
de 10 .......3:9425600
de 15 .......11:2085200
de 20 .......30:2565000
de 25 .......80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectos e mais informacoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia o Sr. Jerony-
mo Joaquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabe-
ieeimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmo.
! mmm mmuu m mmm tas
VINHQS
Vinho tinta sem confeicao
30,000 EMANCORETAS DE 8 (AVil)lS 30,000
nico deposito em Pernambuco ra da cadeia n. 1.
Esta iv va qualidade de vinho recebida directamente de diversos lavradores de
Torres Novas (provincia da Estremadure) como attestam os bilhetes do caminho de fer-
ro que trazem os cascos, provando sua origem e procedencia, recommenda-s a todas as
pessoas que queiram ter a certeza de beber vinho puro de uva como o que se bebe nes-
sas trras aonde nao panetrou ainda o espirito de falsiicagao. E' preciso que o publico
se convenga de que os vinhos que aqui se importam nao vindo directamente do lavrador
chegam pela maior parte ou quasi todis sobrecarregados de preparos nocivos saude
causaudo bein graves transtornos no apparelho digestivo
O annunciante offerece a anaiyse dos professionaes esta nova qualidade de vinho
que expe a venda, e d um premio de 1:0005 a quem descubrir no mesmo algum cor-
I poestranho a natureza da uva deque feito.
N. B. Para evitar a falsificago, o annunciante declara que o nico proprietario
i e importador deste vinho o qual vende somenie no seu armazem da ra da Cadeia do
Reoife n. 1.
Aluga-se.
Aluga-se o 3o andar da casa da rna Dtrcita n. 36
o qual tem rommodos para grande famtlia : a tra-
tar no 2 andar da mesma ou no Recife na ra da
Cadeia n. 3. _________________I
Urna boa casa terrea para familia
esl poralugar-se ra da Uniaon.
39 : quem pretender dirija-se rna
da Aurora n. 10. Tambem alugam-
sc as lojas n. 44, ra da Aurora
Companhia fldelidade de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de lanelro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercade-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
Foros.
Pede-se aos senhores que tm predios em terre-
I nos (til Plin/'trt viripnlrt la CaBftOlaSo dofl coqutiroa
nos bairros da Boa-Vista e Santo Antonio, a bonda-
| de de mandarem pagai os foros que se aeham ven-
'' cidos at a presente data na ra do Crespo n. 7
se recebe. ,
Para a festa.
Queijos frescos a 35, passas novas em quartos
a 25, e a libra a 400 rs., figos a 160, marmelada
a 300 rs a libra, azeilonas a 15800 a ancorela, a
garrafa a 320, manteiga ingleza fljr a 900 e 800
rs.. dila Iranceza a 640, cha miudinho a 25600 e
35, caf 1" sorte a 280 a libra, e 85400 a arroba,
de 'l' sorte a 2i0 a libra e 75500 a arroba, arroz
a 100 rs. a libra e 35 a arroba, toucinho alto a
280 a libra, stearinas a 620, palitos para denles a
140 o masso, do gaz a 200 rs., chourigas a 6i0 rs.
a libra, gomma a 120, sabao massa a 200 rs., sal
i em potes de vidro a 440, coacervas a 400 rs., la-
. tas com bolachinhaa 15400, aletria e talharim a
400 rs. a libra, cerveja branca e preta a 560, vinho
fino do Porto engarrafado a 15120 o 800 rs., bran-
co para missa a 500 rs., tinto de Lisboa a 360 a
garrafa c 25000 a caada, da Figueira a 440 e
35-00, azoite doce a 600 rs. a garrafa, de carra-
pato a 200, vinagre a 200 rs., gaz a 480 : no ar-
mazem da Estrella, largo do Paraizo n. 14.
una Nova n. 32
Loja de madama Theard^
Este estabelecimento se acha hoje mais
| que nunca bem sorlido do objectos de
i moda do melhor que pode vir ao merca-
| do e nao se menciona cada um de per si'
i por se tornar demasiadamente enfado-
i nho para seus numerosos freguezes quan-
| do lerem o presente aviso pelo que limita-
; se em lembrar alguns artigos, com se-
jam : chapelinas de dinas de palha de
Italia, de seda, de crep branco e preto
para luto, chapeos redondos de palha da
Italia amarella e de outras cores para
senhoras, ditos para meninos e meninas,
ricos cortes de blonJe, ditos de moreanti-
que de diversas cores, ditos de seda, as-
sim como sedas de cores para se vende-
rem a covados, ditas escocezas, cortes de
vestidos pretos bordados a agulha, final-
mente um variado sortimento de fazen-
das finas e grossas, na mesma casa fa-
zem-se capas, manteletes, vestidos para
noivas, vestuarios para meninos se bap-
tisarem e tudo quanto pertence ao toilet
de urna sentara e recebe-se figurines to-
dos os mezes das ultimas modas de Pars.
O Sr. Antonio Jos Marques, que mo-
FOLHIX1IAS
Para 1805
Acham-se venda na livraria ns. 6 e 8
da praga da Independencia :
A FOLHINIIA DE PORTA, abrangendo o
kalendario civil e eccletiastico, tabellas de
feriados, de emolumentos dos tribunaes
do commercio etc. a 160 rs.
A FOLHINHA DE ALGIBEIRA contendo o
mesmo que aquella e mais urna nova
Salve Rainha em verso, o Stabat Maler em
verso, dcvogo ao agonisante, coi agao de
Jess, cntico em louvor do Santissimo
Rosario, cntico a Virgem Mara Nossa
Senhora, trinta e tres chistosas aneductas.
um indito poema sobre as aventuras de
um cosinheiro, o canto de urna solteira
(poesa), crescido numero de mximas e
pensamentos, urna historia como muitas
fromancoy, e vinte e cinco novas e pi-
lhericas charadas a 320 rs.
Vende se caixoes vasta pronrios
para liahnleiros c funileiros a 1 $760
cada um; nesta typojsraphia,
Nova liquidacade faiendas al o fim
do inez, para fechar faeluras vende-se muito
barato, por ser o ullimo mez de festa, que os
fregnezes devem aproveitar : na loja e armazem
da Arara, rna da Imperatriz n. SG, de Louren-
(0 Pereira Mendes Guimares.
Fazeddas especiaes para senbora.
Vene-se ricos cortes de vestido de laa a Mara
Pia para senhora de bonitas barras a 85,105,135,
145 e 165 o corte : na ra da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
A Arara vende a 26100
Cortes de chita de cores fixas com 10 covados
a 25400 e 35200 cassas de cores a 320, 360 e
400 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
Cortes de cambraia de salpieos a 2:> 100.
Vende-se cortes de cambraia de salpieos a
25400, 35 e a 45000 a pega, ditos de cambraia
liza e fina a 35500,45500,55500 e 65, tiras bor-
I dadas para enfeitar vestidos e entremeos a 15 e
a 15200 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
S0111embarques a 7, 8, e a 1G.
Vende-se soutembarque de liiazinhas de cores
para senhoras a 75, 85 e a 105, dilo de grosdena-
ple preto muito entestado a 205, 255 e 305 : ricas
capas de grosdenaple a 205, 255, 305 e 355, Para
liquidar : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A Arara vende alpaka de cores para vestido.
Vende-se alpaka de cores para vestidos a 360 rt
rs. o covado, challes de lazinhas a 15600 e 15280 braMe SOlTimCllte (IP OOJCT-
dito de merino a 45500, ditos finos a 45500, 75 e
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudrzaa
de Jos de Azevedo Maia esU coniinujnoV)
vender muile barato, poi.-> ara genio dar a hw
da por lodo prego a vista dos robres.
(.ai las de aloetcs francezes da meihor qtulidad*
a 80 rs.
(rosas de pennas de ac inglezas da melhor qua-
lidade a 640 rs.
Caixas de clcheles francezes de superiores qua-
dadrs a 40 rs.
(irosas de botos de madreperola muito Unos aSM
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oilavas de retroz preto too a
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muito superior
25000.
Gravatas da liga e de outras mullas qualidades a
500 rs.
Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de botoes branco para casavques de senho-
ra a 100 rs.
Pecas de fila de cus estrellas com 9 varas garree-
(idas a 320 rs.
O Expositor Portugnez para os meninos a preno>r
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Canil has da doulnna christaa, finas e superiores a
320 rs. w
Pentes finos de marlim a 15000, 15200 e 15500.
Pares de luvas de seda para horneas e sentaras a
500 rs.
Goilinhas para senhora o melhor que ha a 320
500 rs.
I Krasros com superiores banhas a 240, 320, 500 e
15000.
Livros que serve para assentar roupa, pelo dimino-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordo branco para esparlilhes mudo superior, a
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Cartes com 200 jardas de liaba tranca garanti-
d' s a 60 rs.
Grosas de pennas de a?o superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
Ihas a 160 rs.
Pares de botoes de punho. ob que peehineha a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes de louca prateado muito nao a
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a 300
ris.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de segnraaga a
160 rs.
Caixas com 100 envelnos o melhor qoe ba a MO
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, moit
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito fino a 20 rs.
mw
ra do Vaeimailo n. 8
: na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Lazinhas a Maria Pia a oUO rs.
Vende-se lazinhas a Maria Pia para vestidos,
com palmas de seda a 500 rs, o covado, ditas de
cores a 320, 400 c 500 rs dilas lizas de cores pa-
ra capas e vestidos a 560 rs. o covado, casemiras
para capas de senhora a 15800, 25500 e 35 : na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende chitas a 210, 280 e 320 rs.
Vende-se chitas d^ cores fixas a 240, 280 rs.
o covado, dilas rancezas a 320, 360, 440 e 500 r*.
e covado, percallas para vestidos finos a 500 e 560
rs. o covado, camisinhas para senhora a 15,15600
35 e 45500, goilinhas para senhoras e meninas a !
240, 320 e 500 rs., enfeites para cabera a Maria
Pia a 15, 15400 e 25, para liquidar : a ra da
Imperatriz n. 56.
Ilaliies americanos para senhora.
Vende-se baioes americanos, os melhores que
tem vindo ao mercado, de 20, 25.
negocio de seuinteresse.
= Aluga-se urna ama para comprar e cozinhar
para urna pessoa : no becco do Lobato n. 1, so-
brado, hoje ra dos Copiares.
Precisa-se de um criado
42, 2 andar.
na ra da Cruz a.
E grande quautidade de gneros tendentes
a estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
Para a esta
Aluga-se um sitio com muito bons commodes
na Torre, a margem do rio Capibaribe : a tratar
com Antonio Jacinta Rorges na ra da Concordia
numero 4.
Na ra do Imperador n. 46, primeiro andar,
precisa-se de ama ama forra ou captiva para co-
zinhar.
GIBIVETE
POKTUGUEZ HE LKIUIU EM PEK-
NAIBOCO.
De ordem do Illm. Sr. presidente do conselho
deliberativo convoco aos membros do mesmo con-
selho para se reuuirem em sessao extraordinaria,
na sala das respectivas sessdes, sabbado 10 do
crreme, as 6 horas da tarde.
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portaguz de Leitura em Pemambuco 6 da dezem-
bro de 1864.
A. A. dos Santos Porte
___________________1* secretario._________
Precisa-se alugar urna boa casa coiu bstan-
le: commndos para urna familia estrangeira, no
tiairro da Boa-Vista, ou raesme algum sitio parto
di cldade, com tanto que seja fresca, tenha bom
quintal e banhtir, agradando paga-se bem : a
iratar na rna dn Trapiche Novo n. 16, primeiro
andar._________ '_________________
Aluga sfittmt c*sa ne Cacbang ao p do Sr.
Joie Redricues. coo 2 quartos, sala na frente e Precisase de* uma ama para lavar e engoramar:
atraz, coinha f$ra a trafar na mesma casa. na rna do Trapista, sobrado n. 36,
Mtenco
ohegado nova loja de miudezas de Manoel
Joaqiim Dias & C, ra da Imperatriz n. 78, que
tem o lampio na segunda porta, por baixo do Sr.
Dr. Pitanga, um completo sortimento de objectos
de gosto para senhora, como bem : ricas fivelas
de tartaruga para sintos, ditas douradas cravadas
eom pedrinhas especiaes en gosto, enfeites i in-
gleza, go>to propriamente moderno, ditos a prince-
za, peates com gu.irnic.oes de pedrinhas, gesto mui
delicado, propriamente para atar rali, lio, voltas
Mara Pia, o mais brilhante que se pode achar em
gosto, pulseiras de contas de novos gostos para se-
nheras e meninas, um completo sortimento da fitas
lisas e lavradas o mais moderno que se pode en-
contrar em gosto para sintos, sendo de 2 a 6 dedos,
gravatinhas de gosto para senhora, e outros mui-
tos objectos que se torua enfadonho mencionar, e
que so com a vista se pode dar a devida attenco
ou mandando os caixeiresem casa com alguns dos
obji-clos mencionados.
O rapaz portugus que annunciou por ete
Diario para criado em casa estrangeira, appareca
po hotel Trovador, roa larga do Rosario n. 44.
Viuva Moreira & Pilho sacara sobre Lisboa.
A ma
O secretario da irmandade de N. S. do Tergo
i por ordem da | os charos irmaos para se reunirem em nossa
i igreja no da 8 de dezembro, pelas 9 horas da ma-
nhaa, para a irmandade, encornorada.acompanhar
i a procis.'o da trasladado do SS. Sacramento para
' a sua nova matriz de S Jos, que por espaco de 20
annos existi em nossa igreja, e em regosijo de
tao solemne acio a mesa resolveu que a nossa ex-
celsa padroeira a virgem Senhora do Tergo, acom-
panh sse em triumpho, e ah permanecer a todo
o acto da inauguraco, que se tenha de fazer na
nov"a matriz, o que lindos ser conduzda em pro-
cissao pelas 3 horas da tarde para nossa igreja ;
por isso rogo nossos charos irmlos, que em re-
gosijo de tao solemne acto, nao deixem de compa-
recer, enmprindo dessa forma um dever para com
nossa niai Santissima, e para com o abaixo assig-
nado um tributo de gratidao-
1______________Jos Luiz de Azevedo.
i William Vanghan. subdito britnico, vai para
Europa.________________________________
4- Precisase do urna ama de meia idade Dar
inhar e fazer mais servico de urna casa de pou-
ca familia : na ra Imperial n. 215, taberna.
-L- Tendo de serem publicadas as poesas de
Jos Antonio Seifert com o titulo deInspiragoes
poelicasos senhores que dignarem-se prestar sua
assignatura, podem dingir-se s seguinles casas :
na livraria econmica, ra do Crespo n. 2, ra da
Cruz, estabelecimentos de banhos de Cedrim &C,
e nesta lypographia.
Offerece-se um rapaz portuguez para criado
de casa estrangeira ou para embarcar: quem pre-
cisar annuncie pelo Diario.
Na ra dos Martyrios n. 2, primeiro andar,
precsa-se de duasamas, sendo urna de leite e ou-
tra para o servico de casa de familia.
D-se 1:0005 a premio sobre hypotheca em
alguma casa: na ra das Cruzes n. 7 se dir
quem d. ______________
Precisa-se de urna ama para todo o servico
do orna casa : na ra d Concordia n. 65.
Aluga-so a loja da ra dos Martyrios n. 2 :
a tratar na ra do Crespo n. 15.
Esperaoca Augusta Carlota, natural da ilka
de S. Miguel, retira-se para o Cear.
Na taberna da ra da -enzala nova n. 39 ha
para se arrumar nm menino dos ltimos chegados
do Porto, j tem pratlca da mesma.
Precisa-se de urna ama de meia idade para
eozinhar : no largo do Paraizo n. 6.______
Precisa-se de um caixeiro com pralica de ta-
berna : i tratar na ra da Cadeia do Recife nu-
mero 03.
,. 30 e 35 arcos a
roa na ma do Padre Flonano n. 41, queira :2550o, 35 e 35500 e 45, ditos de bnihantma e
vir a praga da Independencia ns. 6 e 8 musselina a 45500 : na ra da imperatriz n. 56,
I loja da Arara.
Cassas da Arara a 2S0, 328 e 100 ris o covado.
Vende-se cassas de cores a 280, 320 e 400 rs. o
covado, lencos de seda a 800 e 15 : na ra I Imperatriz 11. 56, loja da Arara.
Kazcndas para houiem.
Vende se corles de calcas de brim para hornera
a 15600 e 25, ditos de casemira a 35, 35500 e
, 45500 e 55 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
i Arara.
todas as qualidades.
Vende-se palilolsde brim de cores a 25, 25500 o
35, ditos branco a 25500, dilo de linho fino a 55,
, ditos de alpaka de cores e bramos a 5-5, ditos de
Continua a vender-se tres terrenos situados mm casemira a 45800 e 55, ditos do casemira a
na ra do Brom do bairro do Recife com 34 pal- C5, 5, 105, 105, 165 e 205, ditos de panno fino
Dios de frente cada um, e 300 de fundo, todos ater-1 preio a 85, 105, 145. 165, SOI e 305 ntata de
- ate a linha do caes, e promptos para se edi- brim de .r a 25 e25500, dita de dito branco a
de cores
NA
Polka de Cornnto, arranjada para piano pelo
seu compositor M. A. Reichert, flautista de S. M. o
rei dos Belgas, e tocada por elle nos concertos que
deu nesta ridade, em outras provincias e na c*rte
do imperio, onde se vende para mais de dons mii UouPa flMla Para homo>" de
exemplares : acha-se venda na ra do Crespo
n. 4.
rados
ficarem propriedades por fazer o ultimo delles
frente, para a ra da Ocidenle, tendo j construi-
das tres casas de madeira e lijlo, que rendem 305
porjnez : trata-so na ra dos Guararapes n. 28.
Aluga-se urna excellente escrava e um escra-
vo, a escrava sabe fazer servicos de urna casa do
familia interno e externo : na ra dos Pires nu-
mero 54.
25 ditas dedito de liuho a 35500 e 45, rolletes de
cores a 25, de brim a 25500, de casemiras de
cores e pretas a 35500 e 45, calsas de ca'emira a
85, 6$ e 85, de meia casemira a 35 e 35500, ca-
misas francezas a 25 e 25500, de linho inglezas e
I pregas largas a 33 e 35500, grvalas de todas as
I qualidades de 500, 800, 15 e 15400, collarinho
I de lodos os tamanhos e muito bem feitos, para li-
- Precisa-se de dous trabajadores e de um i ?r'!darr!?rlsfrSfE*? fe:ta : na rua da lmPcra-
preto : na padana da rua do Rangel n. 9.
O Sr. Antonio Manoel da Conceico tem urna
carta vinda da Pigueira, na rua da Cadeia n. 55,
primeira andar.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na rua estreita do Rosario n. 37, segun-
do andar.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prala em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da praga da Inde
pendencia n. 22.
' triz n. 56, loja da Arara.
Colchas para cama a 2,->.
Compra-se effectivamente
onro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-so dous escravos que sejara bons
carreiros : na rua do Trapiche n. 13.
Compra-se garrafas e botijas vazias, na fabrica
de licores rua das Cruzes n. 36.
Compra-se ouro e prata, assim como coneer-
ta-se toda qualidade de obras da mesma qualida-
de com promtido : na loja do pateo do Carino n.
7, por prego commodo.
- Compra-se um annel antigo cora pedra azul smados para carro : quera pretender dirija-se ao
grande,conhecida por saphira, ou mesmo moderno escriptorio do agente Pinto que achara com quem
urna vez que a pedra nao seja pequea : na livra-
Vende-se colchas de chita para rama a 25, ditas
de damasco a 45. ditas de fusto a 5}, chilas para
cobertas a 320, 360, 400 e 300 rs. o covado : na
rua da Imperatriz n. 56. loja da Arara,
A Arara vende madapolo entestada a i.
Vndese pegas de madapolo enfxstada a 45a
pega, dito iglez de 24 jardas de n. 30, a 65, de 1
: a 55500, n 250 a 65500 e 75500, n. 5 85500,
; 95000, II. D. P. 105. ZZZ 115, n. 20, dilo a
1145 a pega : algodaoz'inho marca > a 55500, dito
carne vacca a 75, dito dsinestico a 75500, dito
pau ferro a 85, dito SL9a 105, dito T a 105 e 125,
i dito sienpira a 85500, para liquidar, na rua da
Imperatriz n. 56, leja da Arara.
PalHots de alpaka.
Vende-se palitols de alpaka preta de 35 e 35500,
ditos finos de cordo, lizas e brancas a 45 : rua
da Imperatriz n. 56, lo]a da Arara.
Ao baroteiro da rna da Imperatriz a. 86.
Vende-se seroulas a 15180, ditas francezas a
15600e 25 : e outras muito boas fazendas que o
freguez encontrar na leja da Arara, rua da Im-
peratriz n. 56.
Peehineha.
Vende-se urna parelha de cavados russos ja en-
ra n. 6 e 8 da praga da Independencia.
Compra-se urna casa at 2:0005 : na traves-
sa do Veras n. 22, se dir quera compra.
COMPRiM-SG
traiar.
moedas de ouro de 105 c 205
do Recite n. 22.
na rna da Cadeia
Compra-se um relogio de ouro pateme inglez
e bom regulador: na rua da Cruz do Recifen. 43,
primeiro andar. f
Compra-se urna neerinha de S a 7 annos :
a roa das Cruzes, em Santo Antonio, n. 41, se-
gundo andar.
Cempram-se diarios para embrulho, paga-se
bem : na padaria da rua d Imperatriz n. 66.
VENDAS.
B Vendem-se o 1" 2o e 3o lomos das biogra-
pbias de alguns poetas e outros homens Ilustres
da provincia d- Pernambuco, pelo commendador
A. J. de Mello ; obra que todo Brasileiro, e mor-
mente todooPernambucano deve conhecer e dar a
ler a seus filnos : na rua do Imperador n. 14.
Atte'Cdo
Vende-se a casa terrea da rua Imperial i. 272,
moderna, grande quintal, cacimba e porto para a
mar pequea, ludo de pedra e cal, uova, chao
proprio : a tratar na rua do Imperador n. 47.
Vende-se urna escrava que lava, cozinhTe
engomla, com urna cria de > anuos, e um mole-
que de 12 anuos de bonita figura : no pateo do
Tergo n. 141.____________________________
Vinho do Porto superior
em barris de oilavo e dcimo : vende Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptori*
rua da Cruz n. 1.
tos de gosto.
A Aguia Branca anles mesmo de ser condecora-
da com o pomposo titulo de domestica, ennferiuV
pelo gabinele do intrpido e gil Bali>a, mandn
ver o grande sortimento de objectos de gosio que
agora araba de receber e exp-lo a apreriacau de
sua boa freguezia no numero da qual contempla o
infante, epor que para eslesella ja mais abrir ob-
vio para os beliscar, deseja que tambem se livrerc
dos apodos exporoes do vigilante gallo.
Eis o que ba de bom :
Finas rapellas brancas para noivas.
Mcias branras.de seda para dilas.
Bonitas ligas de seda para dilas.
Ligas.
Dilas ditas para manguitos.
Lavas de pellica enfeitartas para dilas.
Ditas de seda brancas bordada* para n> ivas
Grvalas Uranias bordadas par.i ditas.
Rosas e ramos de flores finas para noivas e no-
villadas.
Filas brancas c de erres, las e lavradas. o Ba-
se pode encontrar de meihor.
Benitos porl pooqoet*.
Leqoes de sndalo e madreperola.
Casearrilbas maiavilhas brancas <>
para enfeites de veslMot.
Lindos aderaros de pelotas falsa .
Outros de bomias e agnktenstl cures.
Outros de mosaico.
l'ulceiras, brinco-, e rostas de dito.
Outras de aljofaresLranos e decores.
Oulras de cornalina, e chapa de 1 lin-tal.
Voltas de aljofares breos e de cores, lioo
grossos.
Fivelas grandes de tartaruga e douradas.
Oulras pequeas de ac, douradas e rom p-dns
Bonitas e inrorpadas litas para r>ia<.
Cintos largos de diversas qualidade*.
T.ilhoiT.s para -Harnea*.
Acham-se de novo a venda na loja da Agota
Rranca : rua do Queimado o. 8.
Xa val ha Quis.
A Aguia Branca na rua do (juein.ado n. I araba
de receber essas eslimadas navalaas linas ? je
refinado, dos acreditados e bem conhend** fabri-
cantes J. Rogers & C. : rujos noraes bastara para
justificar a bondade dellas.
Tambem receben ali.idores c ma-sa.
Eufeite bonito para halles, ea-
s:imrn(ni r pasados.
A Aguia Branca na rua a (Jueimado n. eta
completamente prvida de bonitos enfs o-
res, e outras dilterentes qualidades. e ulos de es-
tes modernos conforme vera o pretndeme comparecer munido de dinheiro. Trm tambera
bonitos de marroquim para bailes.
Anvclopos mui grande* para of-
firlos.
Acham-se a venda na rua do Queimado A, loja
da Aguia Branca, e bem assim ootms pe<|oeao.
.11 imlozas Ir primeira jaulMndc.
Como geralmente sabido a Aguia Branca pre-
sume ter sempre o bom para bem servir a saa *>..
freguezia, e por isso mandou vir e rala de rere-
lier 1.111 variado -01 tmenlo de miodeza de pnraei-
ra qualidade e difflreis de se encontrar em ootra
qualquer parte, constando elle de caixmhas de ex-
cellentes linhas de novellos grandes e peqoen*>e.
Caixiuhas de linhas para erooehet e posto de
meia.
Carteiras enm superiores agulhas.
Calxinhas com ditas e qne caCa papel nrtidr-.
Fita fina e elstica para aban hados de vestidas
Dita de puro linho e de dinerentes largaras am-
para coz.
Mui bom cordo francez em peras grandes pata.
vestidos.
Trancinhas do algodo de difiranles e boaimii
mordes para enfeites.
Botoes Anos de osso e madreperoUs.
Outros de velludo e seda para vestidos
Colchetes francezes de boa qualidade em raia>
nhas redondas.
Carteiras ou eslojos com agulhas e rabo par
cronchet.
Didaes de marlim e madrarereta.
Agulheiros de dito.
Canelas de madreperola.
Escovas de dita e marlim para untos e denles.
'fntvrs de qualidade.
Vendem-sc 32 Iraves de maJeira de qmlidad,
de 22 a 27 palmos de cumprimemo e 8 pnMeptie
de face : na rua estreiu do Rosario s li, type-
graphia commcrcial._______________________
Fio de algodo da Bahia
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escriptorio roa da Craz n. 1.
Armadlo.
\ende-se nma armacio toda envidracada e nova,
ou mesmo cede-se a casa a quem assim Ibe coa-
vier : na rua da Imperatriz o. 13.
Vende-se um rabnolet inelez
para dnas e quatro pe.-soas e rom arreins
pletes para um cavado, tudo em bom estouo : po-
ra ver e tratar na roxeira da rua do Imperador n.
23 ou na rua do Apollo n. -^________________
Alburas
para 20 al 200 retratos, muilo boas por araos
prego que em oulra qualquer parto: no ros 4
Crespo n. 4._____________________________
Vendem-se Iraves e enxans de loor verda-
deiro, de 22 a 40 palmos : no caos do Romo o i.







Diario de Pernambuco Quarta letra 9 de Dezeuibro de 1684.
lili 1IO QUEIMADO W. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
DE WASMAN
As patlkat digestivas com a pepsina de Wat-
man, empregao se com successo h j alguns
a irnos pelas celebridades medicaes de Paris,
Londres, Vienna, ele, cm todas as incommodi-
dades em as quaes a digesto 6 difficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel : eis o raclhor
remedio para curl as
L"iSB*S
ARMAS
NOV1DADE
Pereira Rocha 4 C. acabara de abrir na ruando Queimado n. 45 um armazem de ^^STtSSiSSS^
cial, onde orespeitavel publico encontrar serapre um completo sortimento dos menor* gneros quejera J n^ J^^
quaes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella aba.xo mencioncda, garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
DiHrrhrnn e coaatl-
uara producida*
peina elnhoracea
1< fccIllOSUH on ali-
mento.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 2#600 e 3000
a arroba.
Ameixas francezas em latas c em frascos a
10200 e 10600, e em frascos grandes a
2*500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 10600e2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
103OD rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hvsson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 25800 e 319000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cervea preta e branca, das melhores marcas
que vera ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inslez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservase 720 rs. o frasco,
dem, so de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
250 tO, 20200,20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 7006 600 rs.
Cbouricas e paios muito novos a 800 rs. a
libra.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
Punco a 200 rs. a libra. rs- a llbJ*?- ...
Polvo secco muito aovo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra
Presuntos de Lamego em calda de azeite e.Erv.lhas portuguezai a 640 rs altafa.
muito novo a 640 rs. I "era seccas muito novas a 200 is. a libia
Gaatralglaa.
nlHprpalaa.
Emliarnroa gpilrlcoa.
A gaolritc.
Aa nfforcc orgtknl-
raa da eatftmago.
Em todas as molestias empregao-se a miudc as
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
c igualmente aspaslilhas de Vichy. Essemeio c sd
efficaz quando se trate de dispepsias de curta du-
racao, mas o prolongado uso das aguas e pastilhas
ie Vichi, tem grandes inconvenientes, por quanto
os alcalinos empobreccm o sangue e isso de tal
maneira que lhes arreblhao a parte vivificante,
nutritiva e reparatriz. Com a pepsina, a contrario,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transforma-se ao mesmo lempo que se effectua a
transformaciio dos alimentos assimilhando-sc
como elles c ajudo tabcm como elles a nutricio
gcral. Sua accao vivifica o sangue e os rgSos
de tal sorle que, ath as pessoas que sem soffrer as
affeccSes gstricas cima mencionadas sao nica-
mente iracas ou d'um temperamento um perneo

'O GRITO DA GUERRA JA' SE FEZ OUVIR.^
LA TAI BOMBA!
SENTIDO.
O
ovas a zUO rs. a lima, ^cbil, e necessitao substancial alimento para for-
n.,ne fl,mann< rln iltimn vanor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas Mear se, achao no emprgo iupastlm pep-
QueiJOS flamengO dO Ultimo vapor a Z,>SUU ( ^ ^ ^^ ^ canastrnhas (]e arroba a dc Wamm, um poderoso meio para a 1Sso
dem Cdrino chegado no ultimo vapor a I 15800, 50500 e 280 rs. a libra.
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cadajum.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 60 0 .
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
seiam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mana Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
dem Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcoes como
rG Quera comprar de 100$000 para cima te-' Paiiios" do gaz a 20200 a groa.
r o abate de 5 por cento. )P*as mu.lo novas a 480 rs. a libra.
.Farraa do Maranhao a ICO rs. a libra.
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Ilollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco, e 60200 a frasqueira.
dem em garrafes de 3 e 5 galoes a 50500
e 70500 cada um com o garraao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, quaiidade especial em garrafas muito
grandes, a 10800 a garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei.
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas linas para sopa: estrcllinha, pevide,
rodinha a alelria a C00 rs. a libra e a 40
a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixc em latas preparado pela primeira arte
de co/.inha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maco.
dem de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
Doce de goiaba em latas o melbor possivel a
20 e em caixao a 640 rs.
chegar.
Aviso importante. 0 successo das pastilhat
pepsina de Wasman diu causa a se fazerem fal-
sificares c imilaccs d'csse producto que os
mulos se quercm desfazer. Pois por falta d'uma
boa preparacSo a pepsina que n'ella entra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'este inconveniente,
exigendo os compradores que as pastilhas tenhio
as iniciaos B. P. e saio da pharmaciaChevrier.
Depsitogeralem Paris, pharmaciaChevrier,
i\, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
m 9.H 3 o-

W\ *%\>\>\%*

HS**iri-i!

P
IIEIeH
3, "
n 3 n 3 ce
r 3 ? en v i M
?tSo E" reo
g-3-2 &S
o a i;
l2.il -
g g f ? *
o- 2 5' ~n
"S-lo i
o>

M4CIIINASDEPATEINT
de trabnlhar h mrt I>:-3
descaro^ar aEgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
%
/
O assump t
O assumpto
O assumpto
nportantisaimo.
importantissimo.
impoftantissimo.
GRANDE E SUMPTOSO ESTABELECIMENTO
DE
MOTOS E ESCOIiHIDOS GEWEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
60 -Hi MOVA O
raima casa junto a ponte da Koa Vista.
DUAS PALAVRAS.
Ckjsse tudo quanto a anliga musa canU
Que ontro valor mais alto se alevanta.
Acha-se a disposicao do respeitavel publico este grande e magnifico. estobeleci-
mento de molhados, talvez o priraeiro e nico hoje existente era sua espec.aUdade por-
uue o raiior capricho de raaos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabelec-
eoto modelo Eromoveram a escolna dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quantidade epagm gwm lodosa dmheno avista
TI & a obtenco de vantagens, que repartidas como f ao ser pelas pessoas que se
Estas machinas
podem descarocar
qualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bstame
duas pessoas para
o trabalho; pode,
descarocar urna
arroba de algo-1.
dio em caroco I
em 40 minutos,
oq 18 arrobas
por da ou S ar-.
robas de algodao |
limpo.
fflASSft E XAROPE
DE f
BEKTHE
COM CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Defluxos, a Grippa e todas as IrritacOes
do peito.
AVISO
Falsificacocs reprehensiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da Massa de Berth,
nos obrigao a recordar que esses productos
to justamente
nomeados nao se
entre gao senao em
bocetas e cm fras-
cos com a assigna-
tura aqui indicada. *"*. '" ***
451, ru Saint-Honori, NA PHARMACIA
LL'VRE, c cm todas as pharmacias.
Ninguem interrompa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Ninguem interrompa u orador.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silencio cm todas as rolumnas.
Reine o silencio em todas as columnas.
Nao se Mtville cuntes.a
Nao amitte ceniestotfc
Nao so ailmilto "(tntesUfM1
Os apoiados so prohibido".
Os apoiados sSo prokibid .
Os apoiados sao probbdo$.
ADVERTENCIA.
no
l> iicm. ^
Assijn como machinas para serem movidas por
animaes, que desearoc,am 18 arrobas de algodao
iKiipoJpor dia.
Os rtiesmos tem para vender um bellittNBO va-
por ^jqe pode fazer mover i
mencionadas ; para o que eonvida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e exaraina-Io, no arma-
zem j) algodao, no largo da ponte nova n. 47,
Deposito geral em Pernambuce ra da
Cruz n. 22 em casa de Caros & Rarboza.
AtteiiQao.
Milfco. srecosgrandes, perfeitamente mili-
to hom a..........
seis destas machinas Farinha de mandioca a uielhor do mor-
cado a...........
Arroz de casca.........
Ra -da Madre de leos ns. 9.
diTiarem de honrar-nos com a sua
freguezia. alentamos a
doce esperanza de agradar a
S nlt^to"S^iHiS^S^fmmti^ de que somos ca-
pazes como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos pregos quast do pn-
raer' t2EZB?2!Smm meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharao
em nosso arm^-em os melbores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo.ete.
eS Se e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
Sro proraettemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios escolludos ao seu contento
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
hornera co^^ ^ ^^ ( ^^ dg enlrar em nQssa caga> quep seja m.
nrar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, n5o so pela boa quaiidade dos
objectos. como pela fidelidade dos precos. e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO CESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
a,lopUT.Si*stnQo an'este vasto e florescente-imperio um grande partido poltico com a
deaominaco de Uga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
raoaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
capa* uc^ g^ b^^ ^uze^ por(jue ng tambem nos nremos mas nao se zangue
ninguem^ -^^ ^ VQZ com que se d3o a conhecer as cousas. esta a mais
hreve clara e sincera explicado que, pelomethodo repentino, podemos dar.
' Mas a quera nao seguir o partido desse systema diremos mais:
NSo oriundo do Rrasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. toi a
mnitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga. ...
Nasoberba eopulenta Inglaterra bouve um rei que instituio a muihonroza or-
iam Ai i lra 0 acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que tan-
toTororehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gestando sum-
Mmentraotragedocavalleiroda jarreteira, para logo o mandamos desenhar, ecol-
Sdo-o no oitlo do nosso esUbelecimento, temos assim feto d.st.ngui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e cortas.
llonoi aolt jw a J-P***
BMO ^
\ a *#oeOo
Na ra* do Queimado n. 40, letreiro verde.
Sq oiorut bem armados baloe pelo diminuto preco de 2* advertindo que vendom-se por
e54epr^rTC co^o ama grande por5o e qoerer-se acabar.
Sanndcrs Brotket-s k C.
M II, praca do Corpo Manto
RECIPE.
Os aicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 Iqja do Baraleiro
conhecido j como tal, esl dispondo da fazenda
por todo o pree para apurar dinheiro, qaem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o seguinte :
Baralhos de cartas para voltarete muito
linas a............................ 266
Miadas de linha frosa para bordar a.... 20
Pares de sapatos de tranca de todos os
lmannos e finos a................... IfciOO
DE ARCOS
Massos de superior grampos para cabellos
Duzlas de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de ara preta muito superior a...
Frascos de superior macaca oleo a ....
Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa milito finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida..............................
Ditos de banha muilo fina a............
Ditos de ebeiros muilo finos para o preco
a ris.............................
Sbemeles de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................
Novellos de linha com 400jardasa......
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a .............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a-----.........................
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris..............................
Varas de ticos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a............................
Pegas de tranca preta liza multo fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fila preta com colxetes a......
Libras de laa sortida de todas as cores a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Canas de ohreias de ma ssa mulo novas a
Varas de franja .branca e deiores para
toalhas a.........................
Frascos de oleo Philocomescoperior a...
Ditos com superior tinta a320 e.........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espartilno a...........
Duzias de botoes encarnados para vesti-
dos a.......... ...................
30
200
100
100
200
500
400
640
600
400
80
60
30
240
200
400
40
1,5000
1$000
60
200
40
65500
160
40
600
500
800
60
500
55000
55500
3$500
Vende-se
superior farinha de mandiora, a bnr-do dos brigues
escunas Psuiape, 1). Alfonso e N Sei, alracados
no caes do Bario do Livramenlo : a tratar a bor-
do, ou no largo do Corpo Santo n. 4. primeiro an-
dar, cscrlptorio de Palmeira & Bellrao,________
Vende-se um sitio em Caebang com urna
casa de vivenda, urna dita para negocio, e oulra
para padaria, ram snas competentes armaces : a
tratar eam Manoel Joaquim Moreira, ra da Im-
peratriz a. 42.
Vende-sc um Iwnilo e tem acabado piano de
urna das melhores fabricas de Pan?, o qual tem
de ser despachado em poucos das : quflin o pre-
tender, dirija-se alfandega a fallar com o despa-
cha nle^SrJoaq^iHTi C^yres^^___________
Machinas de vapor e pa-
ra descarocar algodao.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
de carrosa cora mangas e
eixos de patente.
RuadoBrumn. 38, rundi-
dlo do Bowman.
*
tales de entrar na materia o oconsavel Bauza 1A0 pude. pn
B fazer o seu simal de horrura* doiradas cor* < mal fritas mitras .ls n.>. -
f apostlos do progresso, inimigos do povo c chupadora do sangue da hunwn.-
Qdade
\ detestavel sede de oiro tem obseccado seas corarnos do vampiros.
Queresa fazer fortuna cora a rapidez do coriseonao snbem Hf
^Msperar. .
Sao os perfeitos unos da civilisacao.
Malditos sejam elles--j;i que nao possivel ao Baliza pr-lhes as nutras
Pnt cabeca os bculos na mo e os sapatoes esmaga cobras nos ps e exj.ol-c-- ao^-
puKJco por tres dias. ,'.-
;;
anm: u do da

N"esta casa nao se Ilude ao povoos pesos esto aforidosa lalan.;a <
melhos faS>ricantee os gneros, partindo do sofl'rivel al o ptimo, peaa M
escolhidos a vontade por todos, desde o pobre agoniado Clarim at o mais alto
General.
Nao sendo o aguado k a sincerioadk predicados ipu sanente lives.in .
fchegdo para bico da domesticada e encantadora arjuia Inaiicu, osio dadas a
mais terminantes ordens para que d'ora era diante se redobre as ati.ui, > para.-i-
com todos os freguezes, de forma que se opere a mais porfeila '"/-/ de tntei- -
ses recprocos, a fazer inveja a todos at ao proprio tavolMro da esquina da r-',
Nova.
Ctf) Quando ao disi)ontar da brHitante, aurora ou da aurora bullante, Ii2er<*>
ouvir o garboso galio vigilante, com aquella Murria que Ihe propria, o sob^W.
r. canto sonoro, signal de llamada dos amareis freguezes o predilectas trtgmzm
tambem o solicito Baliza filar promplo em ordem de marcha, agrad;iv.l tt
a aguia branca, diligente eomo o gallo, grave como o propheto, no mais per
feito e continuo movimento, ervindo a todos, e a todos comentando.
',,-*
m
ADTAMENTO.
v:
Vende-se potassa em barris a conimedo preco o
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, escriptori:
de Antonio de Almeida Gomes.
Vende-se a casa terrea n. 25 da ra de Ma-
thias Ferreira, na cidade de Olinda : quem a pre-
tender dirija-se a casa n. 39 da ra Augusta, que
achara cora quem tratar.
"H~Vende-se um sitio grande em Santo Amaro,
chaos proprios, com baixas de eapim. multas fruc-
teiras, viveiros de peixe. aiioa de beber, casa hoa
e grande, tendo mais 14 moradas de casas para
alugar : a tratar no mesmo sitio, na estrada que
vai para Belem, casa encarnada.
Veude-s a taberna da ra Direita n. 4t com
poneos fundos, propria para principiante, e muito
afreguezada : a tratar na mesraa.
Os pregos do grande sortimento d'este magnifico armazem, se acbam MH
sideravelmente reduzidos, e a respectiva tabella deixa de ser publicada porque
\a alma do negocio ( o segredo. Os freguezes reconhecerao em vista do objoc-
to que pretender que o preco que se lhes pedir ser tao rasoavel que nonhuma'
isclamaco offerecerao. Venham todos a
rija DO MVR.tnnvro 3**
AO GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
DO
BALIZA
PROPR1EDADE
DE
M. PEDRO DE MELLO.


ofert ie Fcra^abae ... fcuara lera de Dezrmbro le ild a.
SORTIMENTO PARA A FESTA
ZGH CONS
23Largo do Terco23.
Joaquina Simao dos Sanios, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do hora e
rato que se venham sorlir dos bons gneros este eslabelecimenta ~ s "--..^---": --
seu prompt*
que tendo sempre este estabelecimento nm grande
que nao se arrependerao,
la-
se Ihe
eza de i- e 2' sorte a 800, 900 e tf
em barril a 600 e 640 res a li-
firi a difiera de 10 a 29 porcenio, pelo seu prompto palmentoTe por i o e Tz annn d de
alguns gneros, que leudo .sempre este estabelecimento oT grande e vantaioso sortieio d lido
quanto o pertenceute a este estabeleeimento. J "memo uc iuuu
Sentid! Vou fallar com o rjenservalio !!
igleza de 1 e 2- sorte a 800. 900 t* Qaeijrts mais n0VuS do meri,ado a im) e um
Serveja das melliores mareas, tanto branca como
preta a 300 rs. a garrafa e a dnzia a 5,5800.
Sabao amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Babia dos melhores fabricantes de
15200, 2*000, 2,8300 e 3| a raixa.
Miiho alpista e painco a IGOe 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a diia.
dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprio para missa a 500 rs. a dita.
Iiem do Porto engarrafado a 800 e 15, tomando i
mais do nina caada dequalquer umdestes lera l
grande abatimento. ,
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
Biscoitos e bolachas de soda a 1*400 e 2*.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebrade Olaada em frascos e botijas e de la-
ranja de 480 a 640 e 15200.
''houncas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas com i e meia libra da ameixas a 15200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 05 o
galo.
ga i
a libra.
j!'! fianceza
bra.
Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 85800 a ar-
roba.
Batatas em caixas e gigos 15200 e 2*000 a ar-
roba.
Gaf de primeira e segunda sorte a 230, 280 e 300
rs. a libra.
Arroz da ludia
libra.
Phospliros do giz a 2* a groza c 180 rs.
Passas novas a 480 rs. a libra.
Velas d" carnauba Aracaty composigao a 400 o 440
rs. a libra.
Musas para sopa a 480 o 440 rs a libra;
Harme;h*1a dos melhores fabricantes de Lisboa de
1 i % libras a 640 rs. a libra.
Cha hysson o melhor deste genero a 25800 a li-
bra.
dem perola miudinho a 25300, 2*000 e 3*000 a
iibra.
Banha ingleza alva e superior a 480 rs. a libra.
Marauhao e Java a 100 e 80 rs. a
o mago.
NEM COROAS .NEM MITRAS
GRAM15E AI6MA2EM
ESPLENDIDO AEMAZEM DE MOLHADOS
LIANC
DE
Silva & Souza
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
& a O por cento menos
RA DO IMPERADOR N. 40
Juoto ao sc-urado em qne aira e Sr. 0.-borne,
Diiarte ASmelda i& C, receberam de sita proprla encornasen-
da o mais lindo e variado sortimento de molhados, proprlos
da presente estacSo.
rs. a libra eem barl a 800 rs, macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
Manteiga franceza libra e 40500 a caixa. ment,
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril VlTillO
odrec que sepuaan p.te
qner parte.
* *-hi
E grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste r hhrtwi
><<
em
de
NOVOS VESTIDOS DE PHANTASIA
Chegaram os modernos vestidos de dentelle de seda com barra, inteiramente novos
gosto e qualidade : a loja das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia
Vasconcellos & u, successores de Jos Moreira Lopes.
Fazendas de bom gosto
Para vestidos de seuhora
Superiores cortes de seda de cor, de morante, de g rgurao e de selim imperial.
Ditos de blond, e de eambna branca bordados.
Ditos de laa ci.m barra e grande variedade em cores o padrees.
Ditos de organdys com barra
Lindas sedas de quadros uscosseza e misdas.
Superiores laas lisas com grande variedade de cores.
Ditas com salpico*, com llores e de quadros.
Lindas pampolinas de. quadros e de flores, fazend inleiraincnte nova.
superiores oassM do cores, e luidas rambraias organdy*
Grande variedade de chita de cores, de percalia eoulras militas fazendas de gdslo.
Para hombros deseubnra
Lindas capas e bonrnoux de casemira de cor.
Ditas de 15a e de seda.
Grande variedade de sout'embarques de seda de 185 a V'S.
Manteletes de seda.
Superiores basquinas.
Superiores chales de seda, de merino estampados fiaos, de cachiinira com lislras de
seda e de filo preto.
Camizinlias modernas, zuavos brancos e do cores, foleles de rambraia, lindas col-
iiQiias com punhos e outros mu tos arligos.
Tara cabeca de senhora e menino
Superiores chapeos e chapellinas de palha de Italia enfeitades para senhora
Ditos drt feliro enfullados para senhora.
Ditos de palha enfullados para menino.
Grande sortimento de enfeites modernos de re'.roz, de froco, de cabello e de flores
t"* pini spiiiorft.
g Na loja das columnas da ra do Crespo n. 13, de Antonia Correia do Vascoucel-
| ) I0> di ti
: :-- '''.:' .'"..; .'-',-',-"' ^b^^^Si ^o&&&&
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Aineixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2#400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as cua-
lidades a i 5300.
W
<' i
Ebtc novo prodocio resultado de una trplice combinado de tres raetalloidcs cujas proprie-
dadess.o mu conhccidas o Bromo, o Encofre e o Iodo, oceupa boje a primeira orden. dc
entre lodos os uepuraiivos dos quaes o mais poderoso. M
de Paris, os senliores Cazenavc,
_pode .
As experiencias dos mdicos mais noiaveis dos hospitaes
Puche, Bazio, Blache, Guibout, Baroschct, Danct, Legroux, VasseeAbry, etc., demonstrara
sua poderosa efficacia as afTeccSes seguientes: *-'" arao
Frm5>ocslB,
llnmoreH trian,
IlarbilHiiio,
Ophtlialiiiin -i-ofiilomi e ebroulca,
TiMlrn rNrrnfulOf.a,
Afleefftca yphllltlewi,
ElrphHiilliiHlN ilon tirryoa,
E todas as dooiu;as occisiuadas por um vicio do
sanguc, c j iraladas sem neuhum successo pelas
preparai.ocs vegetacs, "dadas e o oleo de usado
de bacalho. B
DoenouM lo [>r!lc,
Doi'lroH r horbulliiiM de toda a especie,
rlaea meOMM,
Obnlrneeiir Ijmphatlcoa,
Papvlvaa,
EsrrofuluH,
Abce^xo, paaleuina,
flairraa.
I rc-r.iM,
Tlnha,
Escorbuto,
Plan ou nimban (do Brazit),
O Xarpe de Le Goux, de urna fcil digestao e de gosto delicioso, se empre-a tambera
com mu.ta^antagem c aconselhado pelo doutor Barthe, do hospital dos me i nos na a s
enancas debis, escrofulosas e rachiticas ou sobre a inlluencia de uranio hered aro %P 6 mui
superior ..este emprego ao oleo de ligado de bacalho c aos xarpes depuratWoscan\?4cT-
bulicos que se admimstravao at agora. F cpuiauyo t anu escor
Pwf ?nlf^ T ffr u b0lica Bon*y' membro da Academia imperial dc Medicina de
Pans, vtlmal da Legwo de Honra, e em todas as boticas de Franca c dos paizes eslrai.gciros
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Doutor da Faaiidadede Sciencias,mcmbro da Academia imperial dc Medicina, '
Official da Legio de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Pars.
Este xardpe romposto mais de vinte annos pelo sabio lenic Boullav. conslitup a molhiir
Clmbro. de estomago,
Indlgeatcs,
ConviilscH,
lci-cs-os h. sterlcos e Iit.iu -
ronilrlaros,
Clicas ventosas ou ervo-
j^cm todas as boticas dc Franca c dos paizes cstrangeiros. -nwwnre, i., c
Chocolates
de todas as qualidades a I ^000 a libra:
Presuntos inglezes
dos meihores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 26oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2#600 cadaum.
Qsieijo
Iondrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 14(200.
Chl uxiin
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3# a 2^600.
dem pereSa
especial qualidade a 2700 rs. a libra.
Idcm hysson
o mais aromtico que tem viudo ao nosso
mercado a 25600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talbarim e aletria a
480rs. alibra.
COttlAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
rs. a arrafa c da nuima mniQo .j..,-.!;.:..
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e S.ooo rs. a
duzia, e a 440 e 3oo rs. cada um.
PAPEL
almaro, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de boica
! de excellenle qualidade a 2i00 a resma,
PAPEL
I azul e pardo para embrullio de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Covinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 125 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso 4 Filho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
armazem.
Os propietarios garaniem todos os gneros sabidos de
seu ja muito *r*liul<>
Dniaqueca,
.".1". l'lllilIM,
Rseaasaaa,
Attii<|ii<- de ervos,
I terllxens,
Kyncopes,
-as. hepticas Hatnlcatas,
Aeeessos de gota e de rheu-
mallsnio,
Casos de cnveaenleiuento,
ele, etc., etc.
Latas
com 10 libras de banha a 45000.
Bolacliinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendan a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a ISOri A bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
C-ARTOS
Charutos Thom Pinto,. Res ejmtros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendera por 30400.
CAF
de 1. e 2. sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 "2 garrafas com vinagre a 10000 tsar
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110OOC
a caixa.
DEM
em frasquoiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finoo do todas n> qiialidajus, a !o,000 a Caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Prezunto
o verdadeiro presunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermaceie de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
AO PUBLICO,
N5o nos servimos de exordios como constantemente tamos vnulo em rutrn
cos deste genero, pots sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de nne iMh.
estamos cerlos nenhuma aliencf.o j merecem do publico. O nosso fim J .,n
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de lodos esl w tabella duTnZ
eos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos tuda a atiendo.
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Cariaxo vende-se nicamente oeste armaba
a Ooo rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas. ^^
Amendoas confeitadas de diversas cores a
o verdadeiro fumo americano em chapa a em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
l.ioo rs. alibra a libra.
Vinaore Passas mnilnms
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
PRRem ancoretas de 9 caadas a I5,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra
e 40400 a arroba.
CEBLAS
a caixa e 400 rs. a libra,
, Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixe.
mma7ona7a S iCent I,arUad0Quei- em PaneirofdeTe KUa^SO
mado n 7, ra do Imperador n. 40 e lar- roba e 140 rs.
go do Catino n. 9
GRAO DE BK:0
muito novo a 30100 a arroba e 140rs. a li-
a libra na ra do Qoei-
madon. 7, roa do Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SFFOCgO NERVOSA E OPPRESSAO
aI^! rmedi0 e,ficaz Pr combatlir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
r,lnf,%ZUpe arT? Succino (mbar amarello) do D' Danet. Lcobem intramnte
K qcTmremSrpUrXidomPrPagad S ^ "^ ^ a0S ^SSSR
MtS'fflfS Tg&SjgF"** 54' "" d COmerC' Paris-Grencllc. ^as
muito fr^r-n^r.Sl!Sr? QUEIJOS FLAMENGOS
. a libra na ruando chegados neste ultimo vapor a 20800 na ra
do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
40 e largo do Carmo n. 9.
aos seus
es-
DepoMlo ger.l em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em ca a de Caros A Barbosa.
Assnear cryslalisad da fabrica
2 de Julho
Na Baha.
No arraazem da ra da Madre da Dos n. 28
ha a venda o multo superior assnear crystahsado
"ir1 saceos de 2 arrobas, ao preco de 6 cada ar-
r >j3.
No largo do Corpo Santo n. 6, sogundo an-
dar, precisa-se de um criado.
Vende-se um sellim e um jogo de malas, tu-
no em bom estado : na ra da Gubia
n.ero 32.
nova nu-
ENKEITES A MARA PA.
A loja da Aurora, na rua larga do Rosario n.
M, recebeu novos gostos de enfeites a Maria Pia*
com plumas de froro no frento, obra muito deli-
cada, assim corno tambem tem de muitas mais
qualidades, nquissimos siutos de lila larga de cha-
ma ote cora flvdas, tambera largas esmaltadas de
pedras, riquissimas filas largas de charaalote la-
vradas, proprias para farer sinlos de ponas ca-
radas ; finalmente lera grande sortimento de miu-
dnas finas, que s a vista faz f : na loja da Au-
rora, rua larga do Rosarlo n, 38.
Queimado n. 7, rua do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
tm^ JSEJuEi! arm.aem VerdSiro^P^rmciai'decIaram a
S2E22 g e ao publ,co em eral' que Para 'acuitar a commodidade de todos
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares: wwwiw roaos
0 Verdadeiro Principal raa do Imperador n. 40
FRICTAS
ehpff9(i nw i.- MAQMJL, PERAS K 'UVAS
chegadas ne>te ultimo vapor, vende-se na rua do Imperador n. 40, Verdadeiro Princi-
Vende-so um earro
Vndese urna parte do sobrado na rua da Sen-
Cosa
aivest.
no
aferr daJrDoaBVi.,Paa9draaba!,h%d9 S* Velha n- l ,0' *1*>* P"te de ara gran-
aterro da Boa-Vista, padana do Sr. de armazem e terreno no fundo do dlm uoJSlT-
i terreno no fundo do dito sobrado
a tratar na rua da Palman. 58.
Agua Florida.
Para resUbelecer e conservar a cor natural
, dos cabellos.
A agua florida nao ama tintara, fcto essen-
XSS* *$** agua dand0 a rr Pr'ra'-
ti va ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias moffensivas, ella (era a propriedade.
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tara perdMo. Diurna salobridade incontesta-
vel a Agaa Florida entreten) a limpeza da cabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida.
/Tst0 e subitancias vegelaes exticas, elle
K11?6! P1oderosamen'<'. wm a Agua Florida, a
forca, a bel!, za e a conservacao dos cabellos.
.. Em V,3."1?- casa de Qnislaar n. 12, roa de Riche-
lien, e 21, boalevard Montmartre.
i Jk*105 .s fS* nao tendo !"ae'o e claro o
timbre prateado da casa, sao reputados falsos
Deposito, rua d Imperador, pbarmacia n. 38.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidde a
120 a lata : nos armazens da rua do Im-
perador b. 16 e rua do Trapiche Novo n. 'g
G4o rs. a libra,
dem de casca mole a4o o rs. a libra.
Amcixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l,5oors.
dem em fiascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/i libra a l.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhe-r que
ha neste genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,ooo a ,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e lo.ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica* do Beato
Amonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe i.Soo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingieza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 6oo rs. a libra e
em barril a 58o rs.
Batatas a 2,ooo rs. a caixa.
Champagne das melhores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, 1,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra,
dem pcrlaquali'lado especial a2,7oors.
a libra,
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra,
dem preto homeoptico a 2,oou rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
^ duzia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a l.ooo,
l,2oo el,4oors. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Ftir-
tado de Simas e outros da Babia como
sejam regaba, trovadores, guanabaras,
delicias e suspiros a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco,
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4,Roo 5,ooo
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um.
Caf do Bio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiabt^uperiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas l-
timamente a6io rs. a lata,
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo
rs. cada urna.
Pavas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e ginja a 9oo rs. a lata,
flraixa nova a loo rs. a lata e l.loo rs. a
duzia.
Gomma muito alva e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolna de vidro qualidade superior a
l,ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o
frasco e 11 ,ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
as qualuiata
Lentilhas muito novas excellente h iimlii
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas
de7oo a 9oo rs agarrafa:
Manteiga ingleza perftitamenle fir a 8m e
l.ooo rs. a libra, th'snecessario aais
elogios neste genero, que s se pude te-
riiiar com a vista,
dem franceza a 64o rs. a libra, eem barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Listel
a 7oo rs. a libra, ha latas de I. I l!e
2 libras.
Massa de tomate em latas de I e i libras a
6oo rs. a libra.
Macarrao. talharim e aletria a ico rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a too rs. e
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o fraseo.
Molho inglez em garrainhaa com rolhas Jj
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l,ooo rs
agarrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muilo novas a 16o rs. a libra.
O.stras preparadas m laias a 7oo rs a lata
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro
garanlindo-sc a qualidade a 8cors. a libra
Passas novas de carnada a 6lo rs. i libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa eslrellinha, rc-vide eredinha
etc. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o rs. alibra.
Peo en latas I Tmelicameiiie fechadas
seguintes qua. lades: OTd, eiltji pras
carallinhas, e poseadla I ...o, bi,
Palitos para tientes lichado, i U0 rs. o as-
co de 2o rs. o maeinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e I len
a groza.
Painco muilo novo 12o rs. a libra e 3 ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ullimo vapor, a 2,5o
dem Iondrino muito fresco a 800 n | |bra
Sal refinado em potes de vidroa 5oo' n cafo
um.
Sevadinha de Franca a 18o
Sevada a loo rs. a hbra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs libra
Tijolo para I impar facas a 15o rs. da
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a
1,400 rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a
rs.
rs. a hbra.
m
ganafa e
l.ooo
Ibera de escovas para lavar casa a 36o rs
cada tima. ri'
Velas de espermaceie superiores a 56n r%
a libra. **
dem de carnauba refinada e de cotavomA
Vinho em pipa, porto, Lisboa e Figueira
das marcas menos conhecidas a 4oo rs
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira especialmente escolbido Mu
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora
dem Lavradio, Colares muilo fresco composico a 6oo rs. a garrafa e i'*i
rs. a caada. '
dem de Lisboa branco ova pura a 36o n a
garrafa, e a 4,5eo rs. a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a r-rrafa
dem engarrafados generosos Lagrimas ele
Douro .Duque do Porto, D. Loizf, D.
Pedro V, Nctar, velho serco, Malvaste
Genuino, Particular a 9oo e 1,2oo rs a am
arafa, e a lo.ooo rs. a caixa com mna'du-
zia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. carra-
fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa
dem Bordeaos das acreditadas marca* Si
Julien, Sl.Estepb.cbatean k. RoseXSl
Margous e outros a 6,5oo rs
56o rs. a garrafa.
a caixa. e
Vende-se superior vinho do Porto era caixas de
nraa duzia : era casa de Johnslon Pater & C rua
do A'ario 3. '
Snperierca! de Lisboa.
Vende-se superior cal de Lisboa a mais nova
que ha no mercado, tanto em porcio como a reta-
lho, por barato prego, afiancando-se aos compra-
dores a superior qnalrdado: a tratar as seguintes
roas : Crespo n. 7, Imperador n. tt, Forte do Ma-
tos, armazem do Sr. Avilla, defronte do IraDiche
do algodao. r
CEKVEJl EM BARRIL
a 8o rs. o fpm
Qsieljo de ninas chegado no vapor
dem praio nnlte fresco
dem salsee snperlor
dem loadrlae superior.
57
Rua do Imperador 57 -


- t





Diario t PerMUMbaeo Qnarla fclra 9 ie^Dezembro de i 8*4.
0 Vigilante est alerta, nao Ihe era permtid"
deixar pa>sar desaprcebido setn que nao dsse o
sea canto, alim de annunciar ao respeitavel publi-
co o grande sorlimento de galanteras do melhor
gosio propriamente para qualqaer mimo, que aca-
ba de cbegar oeste ultimo paquete, assim como
muitos outros objectos que recib por diversos na-
vios, tanto de sua ronta como de consignado que
est resolvldo a vender por precos muito baratos
para vender muito e ganhar pooco, e dar cxtrago
o grande deposito que tem, que espera merecer
proteceo do respeitavel publico i?mpregando pare
isso todas e as melhores diligencias para que li-
quem satisreitos; isto s no Galle Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Ricos perla-joias.
Cofre de muito gosto por
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres com camaphen.
Lindas caixinhas com pedras brancas.
Lindo balo com calungas dentro, tam-
* bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
Srnazinhas.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Grande liquidadlo.
Ra da Imperatriz a. O.
Loja de fazendas do pavo de Gama & Silva
Acha-se este estabelecimento completamente
sonido de fazendas inglezas, francezas, allemas e
soissas, proprias tanto para a praga como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em outra qualqner parte, principalmente sendo em
porcao, e de todas as fazendas do-se amostras,
i delxando flear penhor, ou mandam-so levar em ca-
f pelos caixeiros da loje do Pavo.
As chitas do Pavao.
Vedem-se chitas inglezas, claras e escaras pelo
barato prego de 240, 260 e 280 rs. o covado, tin-
tas seguras; ditas francezas de cores seguras a
320, 340, 360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado,
fazenda muito superior e bonitos padroes : s na
loja do Pavo.
As laazinhas da exposico do Pavo.
Vendem-se laazinhas as mais modernas que tem
viudo ao mercado, paiprias para vestidos e sou-
tambarques por serem lisas e de cores muito de-
licadas a 560 e 500 rs.; ditas lisas com um lustre
que parece seda a 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda a 500 rs. o covado, s para
acabar : na loja e armazem de Gama & Silva, ra
da Imperatriz n. 60.
O I'avao vende para luto.
Vendem-se superior selim da China, fazenda
toda de la sem lustre, temi 6 palmos de largura
proprio para vestidos, capas, paletots, calsas ele,
pelo baratissimo prego de 25, 25200, tfSOQ e 35
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
rimento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENC&O
Os presos da segninte
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
14-Rua Direita-14
I'nico depesito do rap imperial d*> fabricaaie
Isaac Esnaiy amanea a isa boa qaa adee sr
superior ao rap de Lisboa e ao r|- a'ra reta, a
pmva faz f : vndese a rttolh > a 15 a libae,>
em porgo de 10 libras para mais a W.0 r.: toes-
bem>abre crdito aos compradores fin costa euf-
rente.
i
MSJ TOMA IS :!.': IM n
RIJA Jl CABEIA DO RECTifTE
(Lego passaudo o arco da Concigo)
Grande redueco de precos,
[sua n m i is mm

equivalente a dez por cento menos do qne outro qnalqner
annunciante.

AS
blusas Vfgptacs Aburara
De Scisxn
165000
185000
105080
105000
105000
Collegas.Nao posso por mais terapo sustentar o prego da manteiga ingleza a 1 ,000 rs. a libra, bem assim o de outros:
tnuitos objeetos, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabarem porbom prego a manteiga de tempero, e gritarem cmj
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 11! Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo,
KISmS&F^ HB systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reduccao de Breos, como veris;
tes, tudo preto proprio para luto fechado] e muitos: pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados UniSo Mercantil nii0| Compontes dos don botos m
outros artigas que se vendem por precos mais ge saba de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l.Goo rs. a libra. Iloje porem, resentidos da redueco a que ,;.,s p..;,.,NA UnuMi >, i
em conta do que em ontra quiquer pan. or es- eSt0 obrjgadoSj encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de pregos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores mentc ,vres 1(, Ml,rcurio OIl ..,.. .,
al informado de^te novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
t5o smente obter a concorrencia de seas freguezes.
lar liquidando ; s na loja do Pavo ra da im
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bordados do Pavao.
Vende-se camisinhas com manguitos e gollinhas
bordadas, pelo harato prego de 15 e 15280 cada
165000 um, manguito* s a 500 rs. cada par, ditos com
95000 gollinha a 800 rs., gollinhas a 400 e 480 rs., de fil
65000 a 240 cada gollinha bordada, romeira de cassa e de
65000 fil muito bem bordada a 25 cada urna, manguitos [ dos gneros que precisarem, e quando nao pogam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
C5000 que servem para calcinha de meninas a 640 cada \ 8erao t?0 j3em servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco, afim de que nao vo em outra parte
par, camisa com manguitos e gilas rom a corope-
Para bem de todos.
Senhores e Senboras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptido e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darlo a proteccao e preferencia na compra
Ricos porta bmiquetes de diversos gostos epre-, tente grvala de seda, fazenda fina, pelo barato Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
eos; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sinlos
com bolcinhas ao lado, a 105, i2 e 135, ditos sem
bolga porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
45000.
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor que sa
pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 o par;
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ciibazcs ob cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no brago, o mais rica
possivel a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais Jeques
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato prego de 85 e 105, chi-
nezes muito bonitos tambem, pelo barato prego de
45 e 5, bentaralios muilo bonitos, tambem por ba-
rato prego de 45 e 55, leques de charlo tambem
por 45, tudo isto para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cent; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sorlimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
nello, tanto de borracha como de tartaruga comen-
feitcs e sem elle para menina; s no Vigilante, ra
oo Crespo n. 7.
Pulsciras.
Lindas pulseiras t eontas e de missanga, cores
muito lindas e de muilo gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as seuhoras tanto precisam para se-
gurar manguitos por ser muito comraodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do cres-
po n. 7.
Leques.
j Rlquissimos leques de madreperola tanto para
/senhoras como para meninas, pelo barato prego
/C de 125 e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
t n. 7.
\t_- Pentes
tambem chegaram os nquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 25,
35 e 65 s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas caetas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo prego de
15500 e 2J.
Sapatinhns e meias de seda.
Riqusimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinh.is de seda, gorrazi-
nhas e louquiahas para as criancinbas ^se bapliza-
rem; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vollinbas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
flngindo brilhantes, assim como crozinhas avahas
e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as
eruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e35;s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeilcs para senhora.
Riquosissira enfeites com lago & sem lago e de
outros^muilos gostos a 15, 12500 e 35 : so no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Tranclins.
Lindos trancelins ae cabello para relegio ou lo-
netas, pelo baratissimo prego de 15300, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos entremeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15360, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sorlimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sorlimento de filas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se porte vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25 -, s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Rices espelhos.
. Riquissimos espelhos com moldura dourada
sera ella de 85, 105, 125 e 145, assim como com
columnas de differentes tamanhos a 25, >***> *
e 65; s no Vigilante, ra do Crespn. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
eousa de multo gosto a 15500 e 25, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; so no
Vigilante, ra do Crespo o. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tlnctivos e offerecimentes as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos debanha japoneza
a 25 e a 15, assim romo outros objectos qne nao o
possivel por hoje aunonciar, e vista dos fregue-
zes se fartodo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
' prego de 35, c muitas outras bordadas que se ven
dem por pregos muito em conia: s na loja do
Pavao
Silva.
ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
escolhida a 800 rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
Vestidos soulambarqne. mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
Pelo ultimo vapor francez chegaram riquissimos rjieios a 500 rs.
vestidos soulambarque, os mais modernos que' p. hvn .ip cnnPror mulidadfl a 2 finn rs
neste mercado tem apparecido, os quaes estao Lba nys&on e superior quaimaue a 2,000 rs.
promplos com saia, corpinho e seu competente | a libra.
soatambarque, tudo guarnecido de seda, vellido e dem perela o mais superior do mercado a
renda. Quem tiver bom gosto dirija-se loja do a gQ0 rs
Pavao, na ra da ^j*""- 60. ,dem huxm 0 melhor que pode dese]ar
Na loja do Pavao veBde-se moder-nos mantele-! Desle gCner0 2,000 rs.
tes de grosdenaples a imitagao de rapas, as quaes dem preto homeopatnico porser de superior
sao bastante compridas; assim como tem um sor-1 qualidade a 2,000 rs. a libra,
tmenlo de capas nretas as mais modernas que ha! ,dem ysson huxim e perola mais proprio
no mercada, sendo ricamente bordadas. Ditas en- : *'___' ,. c. Q a n;n .
fritadas tudo por prego commodo : na loja de Ga- Para negocio 0 1,600, i ,800 e 2,000 rs. a
ma & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
As modenjissimas laazinhas rie ama s
cor, a imilaco de gergaro, ven-
de oP'Va.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordoznho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem vindo, proprias para
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e 2,6oo rs.
Linguigas, cbourigas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5.5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
vestidos, sootambarques, capas,etc., dam-se amos-' Chourigas e paios em barris de meia e urna
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissl- i fe 8 0Q0 rs e j g00 e Goo rs a ibra
mo preco de 06O rs. o covado : na ra da Impe- \n .. '. r l j
ratnz n. 60, loja de Gama e Silva. i Qoeijos flamengos muito frescos chegados
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra. 8 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a leo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem dalodia muito alvoagraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paingo ealpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tmale em latas de i e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,000 rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendareis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse m.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-1
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas;
de 3 libras por I,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de i e meia libra
por l ,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
minoraos on inetal!ico, o de _-:
lade nos paues c&fidoa cm cari
DISPEPSIA. ENCEQECA,
CorMijiacjo on Prizo do Vflfer,
PADCESEOS BO n61:0.
AffecqOes Biliosas,
HEMOREHOSAiJ, CLICA,
e Ictericia.
FEBEE GAS7E0-HEPATICA,
i: oulrai 1 ifrmiicjilr mm i>.
fiks vio rpidamente sull\",
1/
11..11
c

a =r" w as z O o
sj[:iS'I.&
ty-.
SZ~~7
exteriora l,2oo, i,5oo, e l,8oors.
Azefte doce refinado Penanol ou do Kempes ^^^ ****
de Lisboa a 800 rs. a garrafa e 9,5oo a' A venda as boticas deCaors barbo-*
caixa com urna duzia. roa da Cruz, e Joio da C. Bravo C, i u
... I da Madre de Dos.
Batatas muito novas a 5o rs. a ubra e 2,eoo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. fraseo e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidr com
rollia do mesmo a 5oo rs.
12
3
S
o, 5 c a*
oo w w ^
3 S5^ 5 2 R- 2 5
Sa.
B g. ?. a
C~ 1 o 2 "1
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a 3 m c
m
s.
2
-a
o Z.~
o-"* 83
= -
Povo nnom vnefu A(\ Kawi a' neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor Estearinas a 56o rs. a libra, e era caixa com
1 did quem gUkld au UUUl O passado a i,6oo e I,8oo rs. | 25 libras a 52o rs.
blFutO. dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 43,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Sisaba do Porto das melhores marcas, que
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhasde Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 2io rs. a
No estabelecimento de Gama & Silva, na ra da! do 30 mercado a 800 rs. a libra entet-
Imperatriz n. 60, leja denominada-PAVAO-lem | ro se faz abatimento.
urna grande porcao de varias qualidades de fazen- |,iem nra|0 muito fresco a 80 rs. a libra.
duidaar f|AesaberVendem mUt Cm *"" Idem do Alente ^ue se Pode deseJar de
A^ Ifsazlnhas do Pavo. fresce e superior a 800 rs. a libra, a elles
Vendem-se lazinhas de quadrinhos transparen- antes que se acaoem.
tes, boa fazenda, pelo prego de 280 rs. o covado, Ervilhas e favas portuguezas em latas j pre-
ditas largas multo finas a 400 rs., dilas estampa-: paradas a 64o rs.
das, cor segura padroes miudos e grandes a 320' Marrne|ada imperial dos mais acreditados fa,
rs. o covado, ditas transparentes com palnunhas, .' ..,__
de seria a 400 rs., dilas escocezas a 560 rs., isto tu-! bricantes de L l ^oa a 600 rs. a libra,
do para liquidar : na lojao armazem do Pavao,; Prozunlo du vii.'<> vuulos rlft cafia particular
ra da Imperatriz n. 60. a 560 rs. a Ijl n, e a 5oo rs. inteiro.
Precalas a C00 e 5G0 rs. 11(5em m\em m. n liambre chegado neste
Vendem-se as mais linas precalas, padroes miu- vannr 7.... il-.
dlnhos, gostos delifadissimos pelo barato prego del *,P1 '. rs. """>
600 e 560 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. | Copos lap; aa gaa o,000e 5,5oO a
60, loja e armazem do Pavao. duzia,
Meias precalas, ou precalas inglezas largas a. iOGv Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
Vendem-se meias precalas ou precalas inglezas, i 1 000 e 1,200 t'S. a libra,
padroes miudinbos e fazenda fina e 400 rs. "
vado : na loja do Pavao, ra da
de Gama & Silva.
O gaDgueliuidoPavoa 39ors
o covado.
iz n 60 Espermacele em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade; tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Vendem-se ganguelim cor de rosa para ronpa : Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
de meninos, e vestidos pelo barato prjeo de 320; a> saimao, ostras echernee, vezugo em
S4o7%m Sl.Imperalnz "' ja I >atas grandes a 800 e i,00o rs. cada urna.
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sepa a 2oo.
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooo rs. e H.ooo a duzia. |
Palitos para denles a 14o e I6ors. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs, a garrafa.
Sag muito novo e alvo a,24o rs. alibra.
Sevadinha de Franca mnito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nsso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
- 3 fino a 3.8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marca a
I.oiso rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba era latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32 rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
8
1
s-s
5 0
Si
i"1
o
O as a
M g =
3 B a
o =c 3,
y a o -
3
CJ
Erli
tS c a r>
lili
a o

<*
t. <2
-'
_ >
U -I
-7 _
ss 9
er
-
o
-8

MaitupOi's a 4,0 f

peca
de 24 jardas e largo com toque de avaria, pi oprw
para forro de obras dos Srs. alfaiales m -.palit-
ros, esla pechincha torna-se twKtmmmHm *m
mesmos senhores : na roa da Madre de D* nu-
mero 16.
J. Ke'ler A C. vendem superior vinhs
tinto do Bordeaux tanto em ni'artula rom
Os grosdenaples do Pavo.
Vendem-se grosdenaples prelos, fazenda supe-
rior a 14600rs. o covado, ditos largos muito en-
corpados a 25400, 23600, 25800 e 35000, ditos
brancos, cor de rosa, azul e amarello a 25000 r.s
o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
As novas laas garibaldinas a 500 rs.,
na loja do Pavao.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
dinas, fazenda inteiramente nova no mercado, sen-
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- libra,
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas cora diversas
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-1 qualidades a i,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro, Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este prego. para mimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e'Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
5,7oo rs. a frasqueira. libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
dem de laranja verdadeira de Altona em Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a i .ooo rs. o frasco, e
i,8oo rs. a caixa com 8 libras.
H.ooo rs. a duzia. Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra,
do todas com listras miudinhas, e transparentes, [dem de Hollanda em botijas grandes a too' Bolachinhas d'agua era sal da fabrica do Beato
com lastro a irntacao das sedinhas, tendo varias
Azeitedoce de Lisboa a 64o rs. a garrafa em caixas de rluzia de garrafas.
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a 1
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
i Vende-se nm carrinho de 4 rodas rm Va*
assenlns para iim nu dous ravallo-, muito tmm o
j de modelo elegile, bem como um cabriolfl U
duas rodas moderno e novo com es romprtenim
arreios: a tratar na ra do Queimado n. 13. sfi-
meiro andar, e-criptorio.
Vende-se um boi e carroca. i nm eafaaV si-
do prompto para trabalhar : na Iku-VL-ta, ra fia
Gloria n. 93.
cores, sendo azul,"cor de lirio, carmezim, cinzenta
e cor de bavana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
vender depressa: na loja do Pavao, ra do Impe-
rador n. 60, de Gama & Silva.
us mais moderos vestidos Mara Pia,
na loja do Pavo, a 16$
Vendem-se flnissimos vestidos Mara Pia com
os corpinhos differentes, tendo todos os prepares e
com o competeuto sinto : na ra da Imperatriz n.
60, loja do Pavo.
JSovid'de do Pavo
AGENCIA
D
AGENCIA LCW-MOOl.
Ra da Senzalla aova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimeDto de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
FIRINHVDEMIM
Vende-se boa farinha de milho nova a 120 r. a
libra, diariamente: na ma do Cotovello n. 25.
Na ra do Queimado o. 14, luja, vendem-se
as segointes obras de ouro : voltas, alfinetes, brin-
cos, medalhas, correntes c pulseiras para senhora,
re|ogios patente inglez e suisso, correntes para os
mesmos, cordSes, pegas para sinteiro, urna i
Fabrica Ooicc^o da
Bahia.
Andrade & Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao 'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu
car, embalar algodao empluma etc., etc.
pelo proco mais razoavel.
Ufe
UMA GRANDE LIQIDACA
Exccllcatisimas senharas
EscBAfos mm
.
amarillos para ditos.
Chegaram os mais lindos vestido* Mara Pia ZT~Arados americanos e machinas par
com as barras bordadas tendo de d.ffrreptes co- d g p JonnstO & q
res,e vende-se pelo ba alissimo proco di i2 cada V F ,.,, Kxv. ka
corte por estarmos prximo da fesla \ isto na loja ra a i?ua i^iova u. a.
e armazem de Gama & Silva, ra du Imperatriz WWW'fW.W W&jSbW WWiXSLWIi
i amisinlias a ISO-'U*
Vendem-se camisinhas com manguitos, sendo
mnito bem enfeiladas. proprias para senhoras e
meninas, pelo barato preco de dez tustoes cada
urna: na loja do Pavo, ra da Imperafriz n. 60,
de Gama & Silva.
Vestidos para meninas.
vendem-se os mais modernos vesiidinhos para
meninas, sendo muito bem enfeitades Mara Pia,
tendo de, differntes tamanhos, pelo barato preco
de 8 cada um : na loja do Pavo, ra da Impe- WRWSWSa
ratriz n. 60, de Gama & Silva. Ra da Sen/alia D. 42.
R upa feita barata. Vende-se, em casa de S. P. Johnston A C,
Vendc-se um grande sortimmto de roupa feita gellins e silhes inglezes, candieiros e cast-
para horneas, s.ndo calcas de brim bram o de bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
cor, ditas de casenura pret e de cores, d.ias de S^lMnaM^^eni0ota^arre|og Din
meia casemira, paletots saceos e sobreasaros de cnicoies para carros e montana, arreios para
casemira e panno preto fino, colletes de todas as carros de um fr dous CavallOS, e relglOS de
qualidades : na loja do Pavo, ra da Imperatriz ouro patente inglez.
n. 60, de Gama & Silva.
Grosdenapledecor a 1600 o corado.
Vende-se grosdenaple de cor azul, branco e pre-
to, pelo barato prego de 1600 o covado : na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Panno de linho a 700 rs. o covado.
Vende-se o verdadeiro panno de linho proprio
para lences, toalhas e ceroulas, pelo barato prego
de 700 rs. a vara : na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 00, de Gama & Silva.
Reeaoaia do Pavie.
Roa da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: taco r >
ferro coado libra a 110 rs., idem d eLov
Moor libra a 120 rs._________________
Vendem-se ricos ps de craveiros, e cravos
brancos, encamados e rajados, por prego commo-
do : na ra do Hospicio n. 38.
A,,;l de lavaudc.
Na ra das Cruzes n. 36 vende-se superior agna
Vende-se para acabar, orna porcao de retalhos de lavande a 800 rs. a garrafinha, sujeindo-se o
dolas o cansas de todas as qualidades, e per pre- estabelecimento a recebe-la no caso que o com-
-' eos mnito em conta; quem tem economa que prador nao se agrade. Esla agua tem a proprie-
rancelim d cabeo, e quatro castigaos de pfltt. | peretrli 0.60, de Gama & Silva,
oment do cabello.
A loja da rna do Crespo n. 17, de Jos Gomes Villar.
Recebeu de sua encommenda vindo de Paris, as melhores fazendas que Un vindo
a esta provincia.
Cortes de blonde eomplelamente preparados com capella e flores etc., etc. prepnos
para casamentos. .__ .
Cortes de mcreanlique para noiva, manUs e capellas proprias para noiva, balees de
todas as qualidades para senhoras, ricos cortes de seda prela de cores e moreantique pre-
to, grosdenaples preto e de cores, cami.-as de cambraia bordadas para senhoras.
Chapeos de palha para senhora assim como para menina o que tem vindo de me-
lhor, petts bordados para camisas de homem, cassas de cores, orgrndys de lindas cesr,
chitas de todas ;>s BBalidailM.
Capas preu i. tu.garo importantsimas, ssulembarques pretos, assim oome ue q}
cores o melhor, casaioes. pelerinas, pellives etc., etc., casaveques compridos de gres pre- (
tos e de gorguro, fazendas importalissimas.
Novo ;;',c-'-
Chales de renda pretos o mais moderno | moli *': 205.
A elles antes que se acaben, fazendas de todas as qaaliu-ic; pioprias paraseiheras.
Tapetes para forrar salas a 29500 o covado com seis palmos de largura.
Esleirs de mnito boa qualidade para forrar salas.
Est Fgido.
Contina a estar fgido o mualo ;.
nome Marcelino do abano as-igi:ulo. Y.-\- mta-
lo e de altura regular, bstanlo refurcado !> cr-
po, tem mos e p< grande?, cabello rr:Co. rara
redonda, nariz chalo, barba poura, um 1-mIus <
denles, e quando falla mais aprensado gaguep. e*la
fgido ha quarenta das : reeommenda-s- as r.
capites de campo o quiram pegar r iVvar a raa
do Imperador b. So, que sero recompeasVn
Antonio Luiz aos Santos.___________________
2005
Fugo no da 1 de margo do correle anno, 4
engenho Florista, propriedadr do altano a^-inaJe
no termo de Atalaia, provincia de /lapsas, um n-
cravo de nome Luiz, rujos signaes sao os >tjwm-
les : cabra, com idade de 23 annos, e>iatora re-
gular, corpolenlo, cara gf rda, sem barita, rabeles
pegad?, olhos |ieqnenos e vivos, tem todo f. <
tes e bem alvos, beigos um lano grossos. al'uasa
cousa dentugo, um pouco carrancudo. iMkil a
suppor que anda existo a cicatriz '
lagarto de um lee I ra; v*i
da Palmeri -1 Indi i i sa
! de M pra '> n;z de ;
evadir-^i'oovauenle desse *
o centro : quem -. niprehearier e r.nK^ier tara a
iCadeia desta capital, oo M o referido eegt-ea
[receben a gfttrtcago de 200#.
barka
No dia 11 de novembro de 186i fugio osa ev
cravo de nome Marcelino, qne foi de Aoiocio Oc-
! mente, cujo escravo foi no da cima n enn- nado
arremalado nesta cidade de (eianna em h;tt pa-
blica, foi arrematante do referido. Luducio Cans-
canli da Cunha,VascoDcellos, lendo o uno e>crav
os segii-u'-s signae : altura regular, corpo ase-
dio, cabello desandado om pouco vermeino
esp'ecialidade n:.- feote ee I ~ds. tendo a hai
nm pooco rala e eetil '*4; ee o'
nm pouco sumidas, e leas ^ '' '
baixo, desdentado no queno >u -<
e direitas, cujo escravo calvo : <\v.
i ve-o ao engenho Carhoeira, sito na con. '<*
-p oaloo Goianna, qne promeUe a actual senhor da dito
- Vende-se nm comometro martimo inglez do JtiSteiraS ^UX'd IOrrer feaidb. recompensa.
melhor fabricante Charly Frodshai, afflangando o ,____,_ ,__________, ^_j__ Acna-se ausente desde e da 1:
sen regulamento, por diminuto preeo i a tratar
na ra Nova a, 21, leja de Francisco Jos Ger
BBano- --------------------------- da Cadeia n. 33, Recife.
'\vjLd uis ooiiqnd o 9 siO/was svwxg uivf9)0Aj
'i\ *o odsajj op boj ,v
ov3vamon aawH9 vki
9 i a -:--------------------- Acna-se ausente desde e da 12 do ramees
r Com a palmos de largura e me.te *++ a prela Lma rom os sigiaes seguinte: ct* rala,
. lidado, vende-se mais barato do que em outra qual- rfas de beiha m T |fm ua, flralnm n
quer parte : em casa de Valle Porto C, na roa d d ,5 % mmm
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris:
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, ra do
Trapiche n. 13, por progo razoavel
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na ra Nova a. 61.
levou vestida de cbita a panas da casto ja s-aa,
eonsta andar tiesta cidade : pede-se a aaioridadaa
i policiaes a apprenenso da dito escrava e levas
' a ra dos Pires n. 34, tve ser eeowrsjameto i-
compensado.
I
ILEGVEL


8
\
Dlarl de Pcrsaa^Bee Qaaita lelra 9 tie Dezenibre Je 1SS4.
LiTTMTiU.
PHARftALlA.
CANTO !.
Canto a mais que civil cmlhia guerra:
o Pilme aleado a jos; tm regio povo,
Que o ferro vencedor crava cm si mesmo :
Rostes prenla*; allianras rolas
D uro disputar de imperio, em que se empenham
do orbe todo agitado as mrcias posses,
para coimnuiirflagco; em campo e campo
'ignjes eguaes, as guias contra as guias,
e contra os pilos florendoos pilos.
Que insania, cidadaos que furia d'armas I
Dar a odiadas nagoes ausnio sangue !l
Quando arrancar ufana Babylonia
s latinos trophos instava, nrga ;
, ..indo asombra de Crasso errava inulta,
praz-voa guerra balda de triumpliosl
Co'o sangue por maos cvicas esparso,
i! que de trra c mar nao mercarieis
i a coa regi.o, na occidua plaga,
i ;ide a piumo flammeja e fervc o dia,
< onde o scyihieo mar algemam neves !
Ja teriam sentido o nosso jugo
brbaro Arases, apartados Seres,
e os que bebem (se os lia) do Nilo a fonte.
Ento (se de impa guerra tanta a sede;,
w cntao, quando o orbe as leis le acate,
embora contra ti bravejes, Boma I
inimfgos tequi nao te bao fallado.
Ai, que d ver as talas cidades!
inclinados, sem tecto, os edificios !
J cantara enorme das muralharas
Olla por torra I as casas, mudas, ermas!
pelas antigs ras erra apenas
a longe e longo um triste viandante!
A Hesperia, deslavrada ha largos annos,
pede bracos, e os bracos Ihe fallecen?.
Nena tu, Pyrrho feroz, nem vos, Peos,
le assolago tamaita befa sido a causa.
Ksirangero nenhum talhou lao fundo;
s discordia ci Se porm nao hivja outro caminho
por onde o fado nos mandasse um ero;
so um reinar de deidade sempre caro;
so fol mister a guerra dos gigantes
para firmar nos ecos de'Jove o throno.......
jj, deuses immortaes, as queixas cessaml
o nada a proco tal quaesquer horrores.
Sangrente impia Pharslia o chao maldiclo;
abrevem-se de sangue os Tyrios manes;
veja o Manda nosso ultimo desirgo;
venha, Cesar, a fome do Persia,
de Mlina cercada as vas fadigas,
a? armadas em Lucade submersas,
e no Etna rdante a guerra dos escravos.
Das pelejas civls so applauda Roma;
lidoit, soffreu, carpiu, mas hoje tua.
La qnanJo, liado o encargo (e tarde seja)
asceudendo aos astrgeros espagos,
na ethiea corte em jbilos te vires;
quer prellras o sceptro do universo,
qner de Phebo no coche ign-fulgente
girar lustrando a trra, que nao hade
temer seo novo sol, -nao sei de nume
jue se te possa oppr;a Natureza
dos cargos celestiaes a opcao te offrece.
Para cntao, desde j te suppliemos,
nao tomes para teos os cos da Ursa,
nem os d'Austro a ferver no polo opposto;
que obliquo a tua Roma avistarlas !
Se pesasses do elhcr n'um s ponto,
vergira o eixo; ao meio pois da esfea
i'IIK.TVln.' <],.' pffOO O OT(t' I lll i\j.
Alli, sereno e claro o firmamento,
veremos sempre desnuveado Cesar.
Armas cntao detondo a especie humana,
mutuo amor os mortaes inlace, adite,
o paz universal clausure a Jano.
So' tu meo numen ja ; meo estro nflamma I
dispensare! antalos de Cirrha;
de Nysa nspiracoas nao pego a Baccho.
Tu sobras s por ti, para inspirar-me
a romanas faeges condignos versos I
Direi a orgem de tamaitas cousas.
Entro n'um campo immenso : Qne impellira
furioso o povo guerra ? guerra o globo ?
*^y.-*z^ffi nalii wJMBWnH^aanan

FOLHETIM
VI\TU HORAS DE l.miltl
ROMANCE ORIGINAL.
POR
GAMILLO CASTELLO Hit ANCO.
(Continuarn do u. 217.)
XVII
Antonio Joaquim atou assim o fio do cont :
Francisco Elisiario cavalgou, saendia as per-
nas contra os ttaes expiatorios do macho, e loi em
(lireitura ao Porto. Vullti ao palratorio para ex.
pandir o mea espanto, e encontrei minha prima
medianamente consternada, c melhor disposta a
gracejar do meu resent ment que a lastimarse
dos offensvos ciumes do esposo. lieferiu-nte o
cssencial do dialogo com elle, e conclua encarre-
gando-nte de recommendar a minha me que nao
so aflligisse com o receio de t-la as soas sopas ;
que ella, acoslumada ao trabalho e paciencia, se
alimentaria com recursos proprios, indi-pendente
de favores conslrangidos. Adrianna, como vs, le-
vara a mal que minha me Ihe remetlesse Vairao
O esposo, e nina carta de religiosas admoestacoes
em ordem a concilia-los.
Fui d'ali para casa, grandemente commovido do
infortunio de minha prima, bem que ella o dissi.
mnlasse com o falso sorriso da pobreza honesta.
Pobre rapariga I nem a felicidade oVcorago, que
c a moeda v-rdadeira fabricada pelos anjos ; nem
a felicidade da cabeca, que a moeda lalsa fabri
cada pelos homens I Ver-se ella assim, tao moca,
e to bem sorteada de gragas, seqaestrada ao mun-
do, com encantadoras reminiscencias delle, e es*
11 rangas de adiar o que o mundo nao ti vera para
ella : uma alma, que parece ser cousa t*> fcil d
encontrar quanto averiguado e ceno que ha pes-
sjsj que teem duas almas, tre, e mais, a soa d-
poticao I Adrianna feclusa n'um cooveoto, n um
sepulrhro, povoade de mu ma* moved ira-, monja-
que j haviam mandado para o cea os espirito, e
s haviam c lirado em corno a expurgar na po-
breta abromas venialidades que nao tinham que
ver rom as alma- I Orno havla de gastar a rida
in p. lio drvorar-erootiooado a mnlher de viole
annos, incapaz de pedir sociedad* om logar no
banquete das sua* alegras facis, talvez crimino-
sa-, mas exemplineadas por maius mulberes sem
dccnlpa I
Fu estas e tutras renexoes a minba me, que
Permanencia ao que summo os fados negam.
Tem certa um peso enorme, enorme queda.
Roma, cmfim, j comslgo nao poda.
Tal quando, gasta a machina do mundo,
rpido oslante devorar os evos,
c os elementos reassumir o caitos,
j liao de as constellacoes abalroar-se;
despenhar-se no pego os Sgneos asiros;
| a trra, ao mar j praias recusando,
| sacud-lo de si; Phebe, infadada
de retrlliar co'a biga oblquas rbitas,
: ao luminoso irmao se ir de encontr
a demandar-lhc o dia. A natureza,
toda entre si discorde, impor termo
ao concert do attnito universo.
Alluem-se as grandezas. Eis o termo
que s pompas do crescer hao posto os nuraes.
A nenhuma nago quiz a fortuna
ceder o desaggravo de seos odios
contra o povo possanie em mar e em trra;
tu, Roma, s tu foste a cansadora
dos infortunios teos, quando em teu gremio
dominadores tres consociasle;
que o parlilhar imperio s maos de muitos,
feral pacto foi sompre. O' mal concordes!
cegos da cubiga I: e que lucrastes"
desse unir frgas abracar o mundo?
Emquanto ao mar a trra, trra os ares
nvolverem, Tito seo longo tiro
no espago proseguir, e dia e noitc
na estrada zodiacal o accompanharem,
nunca socios de imperio hao de ser fldos.
Ambiguo de reinar nao quer parceiros.
Nao vamos buscar longe estranho exemplo :
Vinha Roma a nascer, quando seos muros
tingiu fraterno sangue; e todava
nao eram premio entao d'aquel.as furias,
como hoje, trra e mar: escago asylo
continha a dous; ambicionaram-ne ambos.
Era falsa a concordia ; a paz fingida ;
mal poda durar ; durou s tanto
como Crasso aos rvaes serviu de extrema.
Vede o isthmo estreito que separa as ondas,
e de um pego e outro pego embarga as sanhas
Submerja-se ; no Ego prorompe o Jnio.
Entro esses generaes tal fra Crasso ;
tal lites quebrava os bellicos assomos.
Mas Crasso, a morle infausta suecumbindo,
tngo de ausnio sangue a assyria Carrhas.
Co* a derrota na Prthia, em Roma as iras
cobram ouso, arrancam-se das peas.
Ai I mal pensis, Arscides, quo muilo
nesse dia nefasto haveis lucrado :
Dstes guerra civil aos que vencestes.
Paite-se o imperio a ferro. Na fortuna
da nago mais potente, e onde cabiam
mar, trra, todo o orbe, uns dous nao cabem !
Julia, mutuo pinhor e inlace de ambos,
das Parcas pela dextra em flor cortada,
tinha aos manes descido. Agouro sestro
os tachos de hymioo Ihe trocou cedo
era brandes funeraes. S tu, se o fado
le alongasse o viver, tu s podas
reter d'aqu o pae, d'ali o esposo,
arrancar-lhes o ferro, as m>s unir-lhes,
como outr'ora entre os sogros eos consortes
as sabinas, formosas medianeiras.
Dos generaes a f morreu comtgo ;
ficou-lhes lvre a guerra. E'mulos bros
que ardiam num e neutro os concitaram.
Tu recelas, Pompeo, se te escurega
de teus fettos a gloria em frente aos nevos,
e ante o brilhar do vencedor das Glltas
os teus louros pirticos se murchem.
A ti, Cesar, j larga experiencia
o ncwras a uux audacia exaltam.
Mimoso da fortuna, altivo iogeitas
secundario lugar I suffrer nao podem
este, superior, eguaes, aquelle.
Qual vestiu armas com maior justiga ?
impiedade sab-lo. Ambos allegam
em seu abono mximos juizes :
A causa vencedora approuve aos numes,
avencda, a Clao.
Nos contendores
tao pouco ha forra egual. mirado em annos,
Pompeo, de multo, affeito paz e toga,
teor de general desapprendera.
Fama anhelando, prodigo co'a plebe,
chorou copiosamente, promettendo ir buscar
Adrianna ao convento, e desprezar a maledicencia
do mundo, appellando do juizo falso dos homens
para o tribunal divino. Porm, antes deste expe-
diente louvavel, foi ella mesma Vairao, no inten-
to de rednzir a sobnnha a sacrificar algons annos
de soa mocidade a nma velhice renonsada. Pediu-
llte que escrevesse ao marido em termos brandos,
convidando-o reconcilaco, e tirando o partido
que elle a nao tera encerrada como esposa indigna
de confianga.
Adrianna obedecen : qne ja tinha obedecido
razo que Ihe fallava pela fechadura do cofre de
Francisco Elisiario. Descnlpemo-la, desculpem-na
as mulheres, que teem mais poesa no seio que to-
dos os sonetos de Petrarcba j descnlpem-na estas
virgens de olbos hmidos, que passam a beira dos
esterquilmins deste mundo, e por milagre nao ca-
bero, levando os olbos postas no azul do firmamen-
to I Descnlpem-na, finalmente, as almas experi-
mentadas que sabem o que a razio a fallar pela
fechadura de um cofre cujas entranhas sao eem
coolos, embora sobre o cafre estoja sentado, como
sobre a pipa, om Sileno, qoe, ao rir-se do mondo-
rasga de orelha uma bocea, semelhante do infer-
no, absorvente de lodas as inlengoes generosas, de
'oda a poesa dourada, de todas as loaras e aogel-i
cas visualidades do melhor eoraco I
Kst desculpada I alalbei eu.Declaro-te
em nome do globo, que lem a honra de nos pos-
suir, que est desculpada la prima. Escrevea
ella, prtenlo, ao marido...
Escreveu. Acompanbei ao Porto min'-.a mae
que foi a portadora da carta, que, dsgracadamen-
te, era uma carta rom estylo, carta da cabeca,
phraseada com repugnancia do roragao, carta que
tanto po.i er santa romo immoral sania porque
offerecia o pescoco ao jago, Immoral porque men-
ta por amor da riqueza.
Nao a entendeu Francisco Elizario, nem minha
me entenda o melhor d'ella, quando o marido de
Adrianna Ihe pedia explicarles do palarriado.
Isto nao se percebe bradoa elle. -Minha
mnlher diz aqu...
E leu
Doa-le a minha alma; don-te a minha vi-
da | mas qoero ar, quero a lihrdade da respira-
r*n. r.o ji a prohib de respirar algnma vez TI
pergutrtou iracondo elle.Soa sobrioha disse-
Ihe que en a nao deixava tomar ar TI
N'i* Sr. Prancisro;respondea mioha mi.
Adrianna quer dizer, acho eu, que prensa de mais
liberdade, e mais cooflanca da pane do senhor.
Ve ni barrada I exclamou o esposo em lia-
so aura popular o attrahe, o agita;
de seu thealro o applauso o enche, o enleva.
Fiado na piWrita fortuna,
nao cura da oulras forgas que o remocem;
de seu nclito nome sombra augusta.
Alteroso carvalho em frtil campo
assoallta antigs dadivas de povo,
de cltefes alardea offrendas sacras;
ja se nao fin a em validas raizes :
' s peso o agu ma em p. Braceja ao longe
i pelos ares os -amos desvestidos ;
sombra esparte co'o (roncoe nao co'as folhas ;
i vacilla, c talv s Euro em breve o proslre ;
1 cercam-no m; tas de robusto cerne...
; Mas as venen yoes, s elle as gosa.
Cesar tem mais que o nome : ajuncta fama
de claro capitlie, valor f/enetico.
! Em cessar de vencer s v desdouro.
j Onde ambiguo, onde ira o chame, accorre
intrpido, vilenlo, e nao Ihe Importa
inquirir se a faegao deslustra o ferro.
Forga a victoria ; pe preceito aos numes ;
va sempre ao mais alto ; arrasa estorvos ;
folga deixando rasto de ruinas.
Raio, por ventos arrancado s nuvens,
remessa se rasgando o ether sonoro;
retumba pelo mundo ; escala o dia ;
os olhos franze co'o fulgor obliqao;
aterra as gentes; ru nos proprios templos :
nada Ihe embarga o transito ; devasta
quando sae, quando foge ; e num relance
os fogos que esparzira a s recolhe.
A taes cansas de guerra entre os cadilhos,
vera de reforgo as publicas : aquellas
porque as fortes nages sempre sossobram.
As riquezas do mundo avassallado,
tinham banido as prstinas virtudes,
Co'a opulencia roubada aos iniraigos,
entrou em Roma o luxo : o ouro a rodo ;
das vvendas sem limite o fausto;
desprezam-so as frngaes antigs mesas;
Irajar que mal a noivas competir,
usurpam no varoes ; pobreza honrada,
fecunda me de hroes, nioguem n'a soffre;
tudo que os povos mais deprossa extingue,
pelo orbe inteiro com afn se busca.
Ento vem o estirado latifundio,
que a vastos predios num s predio abarca.
Campos que atura re.lha de Cantillo,
que os inchadoes dos Curios amanhavam,
(bom lempo I) confundiuos largamente
dono qne nunca hao visto, e nunca os vir.
Nao : j nao era a gente que singela
desfructava na paz a liberdade.
Nesta, prestes as cleras se ateiam ;
vis alternados da penuria brotam.
Poder um cidado mais do que a patria,
j brazo que se requer a espada.
Do direlto a medida est na fon;.
D'aqui, lucias das leis co'os plebiscitos :
nos tribunos e cnsules discordias ;
no jus perturbagoes. D'aqui os fasces
extorqnidos por compra ; a mutua pela
do popnlar suflragio ; as corruptivas,
as lethaes ambiges, a abrir rada anno
ne venal campo mrcio um campo a (trigas.
Ferve a usura voraz, a avara onzena.
Foi-se a fe ; veiu a guerra, aos mos proficua.
Transpoz Cesar correndoos Alpes glidos.
Os tumultos do estado, a gnerra prxima,
andam-lhe j na mente. Eram chegados
do Rbicon estreito orla apenas ;
els d'alim-rio ao chefe se descobre
da patria trepidante a grande magem,
na cerracao nocturna r.lareiando. ^
e no aspecto mestissima. Desgrenha,
lacera as cas da torreada fronte ;
e em p, co'os bragos us por sobre as aguas,
gemebunda assim fala :
t Onde que vindes I
homens. onde trazeis meus estandartes !
Se inda sois cidadaos, se o jus ves rege,
< te hi nao mais 1
O chefe, aquellas vozes
estremece ; arripia-se; detem-se,
immovel, abatido. Em fim responde :
(Continuar-scha.)
guagem piltoresca. Faz favor de me olhar para a
testa? V lalgum T?
Nao, senhor.
Pois ento, minha amiga, nao sei que Ihe fa-
ca. Liberdade o governo d casa de seu mari-
do. Comedias e bailes o que ella quer? As co-
medias sao a perdico do genero humano; e os
bailes sao laros qne o demonio poe s creaturas
do sexo frgil. Eu sei historias a este respeito,
minha senhora, que da gente amarrar as mos
na cabera!...Sabe a senhora que mais? Eu fiz
orna grande rapazada em casar com sua sobrinha.
E' o que me diz toda a gente.
Rapazada!atalltou minha me com indis-
creta tranqueza.O que o Sr. Francisco fez aos
sessenta annos foi nma rapaziada muito serlia...
Tinha j edade para reflectir...
Arha-me muito velho ?! atalboa elle raivo-
so.Pois olhe que eu poda escollier, e casei por
cardade.. .Um bornem qoe tem cem contos.. '
Casa por earidade
E como diz, e aeabou-se Em Om, eu res-
ponder! caria de mioha mnlher, depois de pen-
sar no caso. Vou consultar o mea socio.
Nt ronsolle, Sr. Franciscodisse minha
me, erguendo-se para sabir.-Soa mulher tem
pao em minha casa, e virlade em si propr<2 para
merecer que Deus Ihe faca sentir 2 vocemec o re"
morso de a Ivr ealumsitio.
Presumo qne Francisco Eliziano flcou um lano
movido; mas quiz ir coasaltar o socio. Couheees
o Sr. Euxrbio Luiz Trota ?
Conhero e respeito esse snjeito. E um ho-
rnero honesto: di-lo toda a gente entendida em
homens honestos.
Sem te querer desmentir a t : a toda a gen-
te, peco vena para referir te sobre que c roen los
assenla a hom-slidade do Sr. Euzebio Luiz Trofa,
Castor do Pullnx-Eliziaro. A Agora del le < lam-
bem de Castor, aroahibio, qoe pertenc; aos mam-
feros da familia dos roedores (OulrEuzehmt de
Linnoi.
Francisco Elizario arrebaonon um bom capital
por ser esperte...
Fez elle muito bemloterrorapi eu.En con*-
dero honrada a ioleUigeoria universal por aqoHIes
qoe a eaaaregam em enriquecer e. No abalimen-
to da minha pobreza estpida aioda me resta o
olho penetraote da conscieocia para ver e admirar
a perspicacia dos homens qoe se I tcnplrtam, e
mais aioda dos lueupletaJos que conservam, com
applauso pub'ico, o rotulo da sua hooeslidade. ir
to qne saber, Isto qoe a prova do grande
UM POUCO DE TUDO.
Uma folha partugueza collecciona as seguimos
palavras como as ultimas proferidas por varios
personagens clebres :
Hennque VIII.Estes frades, estes frades...
| Isabel (de Inglaterra).Todo o meu reino, se-
nhor, por mais um minuto.
Loike.Basta.
Jorge 1V'.=E' s isso a morle ?
Mozart.Deixem-me ouvir aioda uma vez esses
sons que foram por espago de tanto lempo a minha
eonsolagao e a minba alegra.
Cromwel!. Estou salvo.
O general Wolf.Pois que I o inimigo vae em
debandada 1 Morro contente.
VallenA arteria j nao bate.
Washington.Muito bem.*^
Mirabeau.Deixae-me morrer ao som da mu-
sica.
Adam .Liberdade para sempre.
Madame de Stael.Eu amei a Deus, a meu pae
e a liberdade.
Napoleo.Vanguarda do exercilo.
Byron.E' chegada a occasio de descangar.
AlQeri. Apertae-me a mo, caro amigo, eu
morro.
GoetheDexae entrar a luz.
Lamenais.Nos nos tornaremos a ver.
Paulo I. imperador da Russia, tinha uma mana
singular. Quando passava revista s tropas, diri-
ga aos efflciaes perguntas extraordinarias, e s
quees era impossivel quasi sempre dar rospo-ta
acertada. Houve em certo regiment muitos offl-
ciaes, que, contrariados com taes perguntas, nao
respondiam, e desde entao o imperador dizia que
aquelle era o regiment de nao sei.
Passando um da a cavallo por uma ponte de
madeira em S. Petersburgo, viu o imperador um
offlcial que parou e o saudou com profundo res-
peito.
Paulo reconheceu logo o uniforme o disse para
a sua comitiva:
Este do meu regiment do nao sei.
O offlcial respondeu-lhe logo com resolugo :
Senhor, eu sei tudo.
Devoras I Cora que entao sabes ludo !.. .
Vamos a ver isso. Quantos pregos se erapregaram
nesta ponte ?
'ou dize-lo; respondeu promptamente o offl-
cial j ha 83,968,946 pregos.
Vamos l ; agradou-me a promptido. Quan-
tos peixes ha as aguas do Neva desdo aqui at
Cronstadl ?
Senhor, ha 632,432,369, sem contar com uns
trese que esto agora sahiudo dos ovos.
Isso cerlo ?
*e nao o fosse, nao o dira eu a Vossa Ma-
gestade,
Assim deve ser; apraz-me que se responda
a todas as minhas perguntas; a um bom officia
no permillido ignorarcousa alguma.
Certamente; mas ser isso permillido ao
imperador 7
Tambem nao ; e aqui estou eu que sei sem-
pre responder.
Permitte Vossa Magestade que Iho faga uma
pergunta ?
Falla.
Como me chamo eu ?
Conde de Bolowski.
Muito bem ; qual o meu posto ?
Capito da minha guarda.
Agradego Vossa Magestade ; sem eu o me-
recer, fez-me conde de Balowsk e capitao da sua
guarda ; eu nao era mais do que o lente Ra-
dich.
Confirmo ambas as non.eacoes, replicou o
imperador, (inrqiio Pnuln 1 nui <:.. &o eoganou.
Diz um peridico de Andai.m:. qje exista ali
uma senhora, em quem pft&omin&va a mana de
querer convencer a todos de que ara par-ota da
Virgem, de forma que, ao i tsar o rosario, dizia
sempre : Dios te, salve Marn, parienla ma I
dndose mais a circumstancia de que. se os cria-
dos nao respondiam : Ave Mara, parienla de su
seora, despedla-os immediatamento do seu ser-
vigo.
Para manter a paz na Europa, ha mais de
3,000,i 00 de soldados em armas.
Estes elementos de ordem o de fraternidade, se-
gundo uma estatlstica que temos vista, custam a
bagalella de 2,I60:000 por dia. E isto sem
coatar a despeta dos arsenaes e outras muitas
inherentes forga armada de mar e trra.
A ordem franciscana, restabalecida ltimamente
era Pranga, conta 200,000 e 300,000 freirs. Pos-
sue 252 provincias, e 26,000 conventos, dos quaes
cinco na Palestina e trila no imporio turco.
Tem dado egrej sete papas e 3,000 blspos.
Mais de otenta imperadores e mperatrizes, res
e rainhas se teem filiado nesta ordem, que tem ti-
do 3,000 santos, ntreos quaes 1,700 martyres.
O presidente do; e>tados confederados, Davis,
nomeou o caplao Semmes, commandanle qne foi
do corsario Alabama, para commandar a corveta a
hlice Electric Spark armada era corso.
O Montteur d a noticia de que foi elevado ao
grao de commendador da ordem da legio de hon-
ra o coronel mareehal de Chalons.
Por carta vinda deste ponto, consta que o coro
nel marecbal lem os seus 101 annos ; e o decano
dos offlciaes do exercilo francez.
Nos lempos da repblica e do primeiro imperio,
este velho soldado serviu sempre o seu paz, sa-
hindo glorioso, por vinto vezes, do campo da ba-
talha,
Apezar das lides da guerra, e*do peso dos an-
nos, o Ilustre coronel mareehal, traja como um
galhardo mancebo, anda direilo e gosa do pleno
uso de suas /acuidades.
Segunda carta.
DE BASILIO D'ASSUMPgiO A SUA HUMA D. CHIQ11MIA.
Ora viva, minha prima.
Dos Ihe d felicidade ;
J sei que entrpgou-se a rhyma.
Seu escrpto fez alarde,
Hoje est voc de cima.
Como qualqner ministerio,
Qqe nao soffre opposigo;
Mas, conserve seu criterio.
Nao se a fiaste da razo,
Nao d escndalo serio.
Na poltica d'agora,
L, nao metta seu bedelho:
E se qner falle de fra;
Sempre siga meu conselho,
Que a forca ir sem demora!
Faga galantes quadrinhas,
Falle em brisa sussurrante,
Em orvalhos, em Morradas...
E, se quer iom gigante,
Cante cm verso o Mal das Vinhas.
Diga, em sublime epopa,
Que o bicho de bom tamanbo,
Traz casaca usada e Oa.
Anda com todo arreganho
A' mojo de centnela;
Np crespo bigode falle,
Que sombreia a boca larga;
Continu, nao se calle,
Em verso cante a hisnaga,
Mas, olhe que nao se eolale !...
Se o assumpto nao Ihe agrada,
Do Cayapa tome conta :
Falle no Hospicio, espantada,
Diga que o povo ar Ihe apona
A cama l preparada I...
Depois que estiver vazia,
Sera ter mais o que dizer,
Falle do vate Garca,
Que a forga quiz se metter
De Apollo na estribara I
Escreva, nao tenha medo,
E nao poupe a quem merece.
Nao reserve um s enredo;
Sua lingua boa confesse...
Mas, ca, entre nos, segredo !...
Prima, na quadra presente.
O poltico da trra,
Que o paz est doente \
as eleigoes clama e ferra
Os votos da pobre gente ;
Promette muito ao partido
Em quanto delle carece;
Mas, apenas ve-se erguido,
O promettmentoesquerc,
Mama na patria inso/fridol...
E caminhe por ah...
Deixe as modas para um canto :
Quem nao sabe por aqui,
Que a moga s lem encanto
Quando nao falla de si ?...
alcance do intellecto humano I....Vaes contar-me
agora com enormes phrases a historia de Euzebio
Luiz, cuidando que me obrigas a fazer caretas de
estranho espanto. O hornera decapitu alguin ami-
go miilionario? Enveaenou tres familias que o del-
xaram herdero ?
Nada, nao : casou-ss com a me de um seu
amigo defunto, herdeira de muitos contos....
Ento isso peccado, que prove a esperleza
I de Euzebio Luiz Trofa I ? Pareces-me... A grati-
\ do, a que me obrga o favor de ir de liteira, to
lteme de te dizer que me pareces archy-lolo I
Espera, que a immoralidade do casamento
est no prologo. Na villa dos Arcos ha va uma
pobre jornaleira, que, ha cousa de quatorze an-
nos, andava a brlar cascalbo na estrada do Porto
a Braga. Era ama saja e lazara creatara de ci"
coeota e tantos annos, encorreada dos ardores do
sol, e esmoacada e descocada de ps e mos pelo
pesado trabalho de carregar e marlelar pedra.
A molner mandara para o Brasil om tHn, que
mal soubera o nome de seu pae, e c .o.-egain f -l-
menle esqoeeer o nome da mae. Esto snjeito,
qoando liqoidava m rea contos de ris com qoe
tencin?-\ regressar Europa, morrea sem dispo-
sco's. A heraoca fol depositada ao consulado
portuguez, espera de averigoacSes.
Euzebio Luiz, natural dos Arcos, eonhecia a
I procedencia do defanlo, e asim o derlaroa ne
consolado. Vieram para Portugal os competentes
avisos, e Euzebio sabiu no paquete em que elle
vieram
Chegou aos Arcos, e endagou babilmeate da
existencia da me do fallecido. De paragem em
paragem, foi dar com Hla a brilar pedra ao vm-
dncto de Arndso. Chamoa-a de parte, disse Ihe
qoe Ihe eonhecera o filho no Brasil, e liana orden
de procurar e soecorrer a mi do sen amigo, ti-
rand-va desde logo da mi loaco em qoe a en-
eootrasse. Dito ilo, levon-a romsigo para Braga,
vesliu-a modesta e limpameole, seolou-a cosa le
a mesa bru e nonve-se com lodo o cuidado para
que algoma ndge-to a nao apanhase.
Pasados tres das sania com ella para o Porto.
A e*te tem, mais de seis perseas proraravam
nos Arcos a lia Antala Pires, mi do fallecido
Joio Pires de Almeida, e sanio dos reos a procu-
ra la na estrada. O cogeoheiro conductor via-se
barba lo para responder a lodos os ot*rrogatorios
dos nrgoci dores da heranca, que se er..adiam
un., dos outros. Euzebio {Luiz Tr.fa leu annon-
cios em que Antonia Piros era avuada para se nao
deixar lograr por om tal melitante. qne a tor* bl-
car ao viaducto de Arnoso. No governo civil do
Porto j estavam tnslrucr.oes para descobrr a mu-
lher raptada ; e providencias dadas para inutili-
sar a fraude e dolo de algum contrato que vesse
descobrir-so. Euzebio pediu conselho ao seu ami-
go Francisco Elizario.
Resposta do homem honesto :
O que deve voc fazer desde j, casar com
ella ; e depois que Ihe mordam na sombra.
Antonia Pires (icou estarrecida, quando Euzebio
Ihe offereceu a grande e gorda mo, e, para vesti-
do de casamento, um corle de seda amarella, e
um chapu verde com filas vermaelhas, e um ador-
no do parreira com dous cachos de uvas frreas,
e um passarnho enlre a folhagem, que Java ares
de ser uma ralhandra.
Encantou-a tudo isto lia Antonia Pire, que
lanas vezes amassra com lacrima
seu pao.
O casant. !>!o celebron-se em Cedoteitaeom dis-
' i-a de pr <;!amas,o voitaram de carroagem, elles
e os paoYinhos, e foram jantar ao R-imo.
D'ahi a das, Enzjbio den parle sua esposa qne
Ihe havia morrido o filho. Antonia chorou. como
lodas asmes j e, depois que soobe a perdoavel
astucia do marido, que Ihe quera de alma, chorou
anda por ler enriqaecido conlra vontade do filho
iogralo.
Euzebio deixou a mulher ao Por entregue aos
cuidados do seo amigo Elisiario, e loi s afease
paquete lovaotar a heranca do paliaste. Arpm tests
om speeimen da biograptua de Euzebio Lorr Trufo.
Nao encontr saoraliads nossfessaaa sao;
faci, A alomo Joaquim observei eu. Se
Luiz nao ca nh-ira mnilo do seu re*peilo. rasan em.
se canarias tu, o osa paz esa que a
permiltida. Eu tea* a honrad* russsj sr a9n.
f). Antonia, de a ler visto mnH
de Joo, ackorar, qaand- o tjri
quer fazer em p>>slas as vramis i
lagrimas denotam leaulidiet asHgenra.
'ruaalo figura, te ais arra>ta, ressaHea tasn-
bem sao Os marab, as lias, as Seres, na bre-
ches, e a aureola ideal k dooralodaa na Meta*
roladas em cm eont-M de res*, aae le direi asna a
formoHam, rna, plasicas e tUbssJrimiate fiHaa
d >. iin^rimem-lhe oto sei eomo, um i "
qoe se chama sympalhia. Ka nio aai
com qne direilo censaras tn em Euzebio Laiz n
qae por alti anda tolerado e loavado am sujeitos
que mofara dos Euzebios. O homnin aegoaiou com
o coragao da mulher ? Cason. eom ella Jastament e
E ni) aos falla em galllnha
E ovos, quando conversa ?
E no gato da visiaha
Que muitos ratos dispersa
A' noite la na cosinba *...
Escute, prima, om momento
Tudo que en vou Ihe dizer;
Sao factos sem ligamento.
Mas que sempre bom saber...
Escure de ouvido ltente :
Gostc da moga elegante
Em Maeedo muilo hda ()
Que o repele a cada nstente:
Ella te julga instruida
O mundo a chama pedante!
E se a moca desfrutavel
Dos ps at ao nariz?
E pensando que amavel
Asneiras sem conta diz ?
Isso mulher impagavel:
Ha tanta cousa no mondo
Que merece ser rhyraada ;
Ha tanto genio fecundo
Que, sem ter escripto nada.
Inculca saber profundo!
Em todo lugar se v
Malhemalicos dest'arte,
E, ainguem sabe porque.
Tem fama por toda parte,
Se elle 6 diz o que l...
C'onhego alguos escriptor-
Rafados, do joroalismo.
E pcos versejadores.
Amigos do gallicismo,
Que sao chrismados doutores..
Este mundo nao vai bem,i
A continuar assim...
Se honras qualqver ja lem
De Iliterato, ai de mim '
Em breve as terei tambem.
Empregados. mais de um cenio '
Do bailes, (walsas, quadrllhasi
Buscando assim casamento
Para as pauprrimas lilhas,
Que Uixam sem rendtmcnlo...
Anda isso nao nada...
Se v cada moca ta,
Aspirando a ser rasada,
E namerar nonte e dia,
E Arar. ..taboqiiiada '.
N nse que brinradeira.
' i que ds vinte passa..
i isar-se S. tando, por desgraca.
Cali ; e algum aa raioeira '....
E entras romas qne toen
Se fazem com liberdade :
Ah f pobres, pobres mortaes '
Corrupta soriedade (...
Adeas, prima, i-io demais...
Sen primo do pello.
Basilio 'A*f;sfn;o.
L-se no Jorv do Commercn do Porto > se-
guinie :
E' sabido que em 184* o imperador Frassetna
Jos e-capou providenrialmente ao punhal de asn
asa*'lno. A arma do rejrirda que ferin o impe
rador pelas costas, fui impedida pelo lecido metal-
ligo do talabarte do imperador.
Em lembranga deste aronterinvmto fundoa>se
um monumento jgival, da egreja votiva, j muito
adiantado.
Uma rircumsltncia, diz a L'nto. menee aat-
tengo de quem anda por entre ee materia- em-
pregados naquelle edificio digno dos adisssraems
pe.) re ros da edade-mdia.
O fallecido vice.-rei.do Etiypto, Sat.t Parh m-
vion lili ralhau de alabastro oriental uro a**a
27 qointaesj.
O cheik Jusepli de Karam, cora permisso de atv
triarcha dts maronitas, mandou por sua parta B
madeiros de cedro do Liban, que aioda embalan-
mam a nova egr 'ja.
Estes dous presentes derara a madeira e pedo
necessarias para a construego de '
E' as.sim que dous principe- nnralan,|
didos por um prelado de Vienna a
ao imperador, co tlriburam para a i
egreja catholica no Occidente.
O prelado a quem se deven o pensamento aarnt
roso deste donativo monsenhor Oieflavlinarias
dos Santos Lugares, que duas vezes pereorreu a
Asia Menor, a Judeia e o norte de frica.
(*) Retiro-me a certas mocas, que irraram pa-
ginas inteiras dos romaners desfe a olor, para re-
ritarem nos saldes romo pensaoMBles seus
liz de qnem as soffre !
porque era rica ? (Hhera qn aJmiragio '....
tos argonautas conlvgoeu que i-ooquisiaram o
de ouro atrav.'- de mares reais lamarente* f...
Quantos mancebo*, que pareciam anltrg.ieimndJna
de sede do ideal, eu tend visto abaitareta a caee-
ga s footes sojas de uma srdida enpidez K
caidas tu que a irriso publica os mortifica '
Iha-te f)eus! A irriso publica deixou de os wor-
lilicar desdo que elles paiinharaoj a lametral
commum, e provaram que as leis do espirito lauto
algam a gente a idealidade, qnanto as le itrvvora-
veis da materia nos pacham para o mee o
estupidez de possuir cem coolos J -'
mental idade, a poesa,
tellecto, que a :, .^^h,,,
;u.tivo. antes ,|o la,,.
. iiei.t 'la primeira rteetta |u-
, Creador ronstruin para o homem no ovHrr. ik
rreag.lo, p-einado delle: pnrrn. flepots -h i
que sotfren a humanidad, protlaui
cahimlo no lodacal, onde ferment estoeouatt pu-
dre chamada dinhein). Tu nao tem visto o paito
Lamartine a nversar ratre imveuueaunos .-
jos Pois ciberas que Me auaU-it dktces J i,
para pedir, ca em bmsov dto)ia*o>fsjns3sa> IW
ouves em fortuna! e aaj m i parte '
oode :ia *sUM|BJBJtBj| g ,T-.n tes
pretes das avesjinftw, i
grarem .pie w (ara
raria. propfsadn de snauuaV na ualsUh i
qtw.tr tu a nana
o*ves e>ra fjfjarta .
enosei _. ^V*.' mm^^m^m
PERNAMBlf.- TYP. DE M. P. DE fu FU


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDRWP5500_MD8S2S INGEST_TIME 2013-08-27T21:28:18Z PACKAGE AA00011611_10537
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES