Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10531


This item is only available as the following downloads:


Full Text

10 XI.
Por tres Mezes adianlados 5$O0
Por tres mezes vencidos 6JUU0
Porte ao correio por tres mezes. 0750
OARTA FEIRA 30 D K0VEMBR0 DE 1864
Por asno adiaatado.....\ 9000
Porte ao correio por ara un. 3U0u
Memtammmm
cj' AUREuAIjGS DA sBSCRttCAO NO NORIE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, e Sr. Antouio Marques da Silva; Aracaty.o
Br.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSfRIPgAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Bahia, o
rr. Jos Martius Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins PARTIDA DO &SIAFSSA&.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyaana e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ouncury e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, Una.Barret-
ros,Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
flha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partera ao Vi dia.
EPHEMERIDES DO MEZ EE NOVEMBRO.
6 Qnarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t.
13 La cheia as 3 h., 13 m. e 36 s. da t.
21 Quarto ming. as 4 h., 56 m. e 56 s. da ni.
2D La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
PRBAMAR 2 HOJB.
Primeira as i horas e 30 minutos da tarde.
Segunda as 4 horas 54 minutos da manha.
PAKtl/i B0H VAi-OR cOS'ltJiPi.
Para o sn! at Alagas a 5 a 25; para o norte at
a Granja 7 e 22 le cada me;; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan. marg.,mao. jal. set. e nov.
PARTIDA DOS OMNiBUS.
Para o Recife: do Apipucos s 6 Vi, 7, 7 Vi, 8 e
8 Vi a m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 Vi da m.; do Catanga e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos as 3 V?, 4,4 'A, 4 Vi,
S, 8 V*, 5 /i e 6 da tarde; para diinda as 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da
tarde; para Cacaang e Varzea s 4 Vi da tarde;
para Bemfica s 4 a tarde.
AUDIBNC A DOS TRIBUNAS* DA CAPtfiL
Tribunal docommercio: segundas qnintaj.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orpbaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do cive: tarcas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
PARTE GFFICIAL
OTIVISTFRIO DO I.flPERIO
3* seccao.Rio de Janeiro.Ministerio dos ne-
gocios do imperio, era 13 de novembro de 8G't.
Illm. e Exm. Sr.Accu de V. Exc. de 6 de oulubro prximo passado, no
qual conimunica que expedir orden) a cmara mu-
nicipal da villa de Iguarassu, aflu de fazer a apu-
rago dos votos do municipio na ultima eleigo a
que se proredeu pa a vereadores, sem altenderaos
da freguezia de Itamaraca, os quaes mandou V.
Exc. lomar em separado por nao poder ser appro-
vada esta eleiyo, em razio das irregularidades
que nellas se deram, e que espera V. Exc. as actas
da referida eleigo de Itamaraca para sobre ella re-
solver como for de iei.
O governo imperial, tirando de ludo inteirado,
aguarda a resuluco que V. Exc. houver de tomar
sobre a dita elelco da freguezia de [(amarar nos
termos do art. US da Ici n. 387 de 19 de agosto de
1846, e aviso n. 540 de 19 de novembro de >86i ;
advertindo, porm. que nao deve V. Exc. mandar
que entrem em exercicio os cidadaos eleitos verea-
dores rnente pelos vulos apurados por aquelle
modo, seno no caso de ser effectivaraente annul-
lada a eleigo da referida parochia de Itamarar,
ejle verilicar-se que os votos da raesma parochia
nao constituem a maioria dos do municipio ou nao
azem desta parte importante, nos termos do aviso
D. 62 d 21 de fevereiro de 1853.
Deas puarde V. Exc. Jos Liberato Barroso.
Sr. presidente da provincia de Pernambuco.
MINISTERIO DA FAZENDA.
DKCnETO N... HE 14 DE NOVEMBRO DE 1864.
D providencias sobre os dinheiros que o banco do
Brasil recebe em conla corrente e sobre a re-
partigao dos seus dividendos.
Considerando a necessidade de providenciar so-
bre os dinheiros que o banco do Brasil recebe em
canta correte simples e a juros, bem como a res-
peito do quaniitativo do dividendo que poder re-
partir pelos seus accionistas, hei por bem determi-
na! que, emquanto nao se abrir de novo o troco
dos seus bilhetes por ouro, se observe o seguinte :
Art. Io As sommas que o banco do Brasil rece-
darem dar transporte para a corle ao predilo ca-
pito e sua familia, e communicou-se ao coronel
commandante das armas.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Approvo a arremaco, que, segundo consta do seu
offlcio de 24 do corrente sob n. 500 effecluou-se
parante a junta dessa thesouraria relativamente a
obra da ponin do l'ontal da ilha de Itamaraca com
> abate de 15 por cento no valor do respectivo or-
eamento, sendo arrematante Joo Agostmliode S
Pereira, e fiador o Dr. Cosme de Sa Pereira : o
que declaro a V. S. para seu conhecimento e lim
conveniente.
Dito ao mesmo.Acenso recebido o oflicio de 24
do corrente, sob n. 499, em que V. S. me partici-
po" haver Joau Carlos Meudes da Cunha Azevedo,
dando por hadures Antonio da >ilva Gusmo e Joa-
quim Canuto de Sant'Anna, arrematado por 290
ris diarios cada ilm lampeo e por tres annos, a
contar do primeira de jaueiro prximo vindouro,
a illuminaco publica da cidade do Rio Formoso,
e em resposta teDho a dizer que approvo essa ar-
rematado.
Dito ao mesmo.Mande V. S. p3gar a Antonio
Jos Duarte Coimbra, empresario do theatro de
Santa Isabel, a importancia da segunda parte da
ubvenco concedida pela le n. 596 de 13 de maio
do correute anno, a que tem direito, por haver
cumprido com as condicoes do seu eonlrato, como
se v do incluso requerimento documentado.
Dito ao cnsul de Portugal.Tendo nesla data
submeltido a deciso do governo imperial a mate-
ria dos ofllrios que me dirigs o Sr. Dr. Claudino
de Araujo Guimares, cnsul de Portugal nesta
provincia, em datas de 19 de outubro ultimo, e 8
do corrente, relativamente a arrecadacao do espo-
lio do finado Manoel Jos Freir de Andrade; as-
siin o communico ao mesmo Sr. cnsul para sua
sciencia.
Renov ao Sr. cnsul de Portugal a seguranza
de minlia estima e distincta consideraco.
Dito ao director das obras militares.Ordene V.
S. ao segundo tenente do corpo de engenheiros Jo-
s Tiburcio Pereira de Magalhes, que examine o
edificio denominadoLazareto do Pinae apre-
sente-me o orcamento da despeza a fazer-se com
os concerlos necessanos quelle estabelecimento,
segundo declarou o inspector da sade do porto,
no incluso oflicio que me ser devolvido.
Dito ao superintendente
rena o que a nossa sociedade tem de mais dis-
tincto na ordem ecrlesiastica e civil, a fim de que.
todos tomemos parte nessa festa inaugural, que
pelo seu objecto interessa tanto a religiao como a
mesma sociedade.
Nesta determinacao, nao podendo esquerer o
generoso apoio que tenho encontrado em V. Exc,
nao so no que diz respeito aos negocios eclesisti-
cos a meu cargo, como principalmente para reali-
zar o designio em que sempre estive de abrir nes-
te anno ao culto publico a nova matriz de S. Jos,
tenho a honra de convidar a V. Exc. para que se
digno assistir a essa solemnidade.Neste sentido
se offJciou aos Exms. Srs. commandantes das ar-
mas, titulares do imperio, deputados assembla
geral, deputados provinciaes, chefe de polica,
cmara municipal, aos cheles de reparticoes, aos
commandantes dos corpos, empregados pbli-
cos etc.
Dito ao vigario de Santo Antonio.Cabendo ao
clero indubtavelmente o pnmeiro lugar as festi-
vidades da religiao, e tendo eu de slemnisar a
inaugurarlo da nova matriz de S. Jos, desse bel-
lo templo, cuja concluso era esperada com impa-
ciencia por todos os fiis, do meu dever convi-
dar a V. S. e ao clero da sua freguezia para tomar
parte em urna solemnidade, para cuja, pompa e
brilhantismo todos devemos concorrer.
Espero peis do reconhecido zelo de V. S., que
compareca com os Revds. sacerdotes da sua fre-
guezia que o quizerem acompanhar, nao s no dia
7 de dezembro s 3 horas da tarde em a nova ma-
entendendo-se com qualquer dos membros da com-
misso, pmmova entre os parochianos dessa fre-
guezia aquellas offerlas que Ihes dictar o seu po
coracao.
Igual ao Sr, Marcelino Jos Gong alves da Fonte.
Eu nao aspiro a obter grandes quantas, eu s meutos elevados da imprensa Ilustrada. A razo
desejo que todos concorram, que o espirito religio- que Carreras aprsenla para justificar eta medida
so se oesenvolva, que todos tomem parte em urna que os povos nem sempre sao solidarios dos orros
tesuviaade que e de todos; muilo pesar teria eu ou das injusticas de seus governos.
por certo se se dlssesse que a rica e commerciante i O redactor do Hila tomou a tarefa de ampliar
treguezia de Pedro Gongalves, que tao genero- o pensamento daquelle, pe.lindo respeito para os
smente concorre para qualquer obra pia, ou para Brasileiros que soffiem o jugo imperial, sympathia
qualquer acto da religiao, no meu tempo recusara' para os que cultivara em sua alma as grandiosas
a contribuir com o seu obulo para urna festivida- aspiracoes republicanas; guerra contra esse go-
de ha tantos annos esperada por todos os fiis. vurno, que um vilipendio para o continente das
este intuito pois espero que V. S. ou por si, ou! repblicas; e aerrescenta o furibundo relac-
Quarlel do coramaido das armas de Pernambuco,
na cidade do Recife, 28 de novembro de 1861.
ORDEM DO DIA N. t7.
O coronel commandante das armas determina
que na manhaa do da 1" de dezembro vindouro se
passe revista geral de mostra em seus respectivos
quarteis aos corpos movis d-t exercilo e campa-
nillas desta guarnicao pela ordem seguinte :
A's 6 horas a companhia de artfices, s 6 )% a
ala esquerda do 7o batalhao de infamara, s 7 a
companhia decavallaria.s 7 >/2 ao 9o batalhao de
infamara, e finalmente s 7 yt ao 4o batalhao de
artilharia a p.
Oulro siio
., faz constar o mesmo coronel com-
triz de S. Jos, a hm de proceder-se com a solem- mandante das armas, que segundo lhe participou
nidade possivol bencao do mesmo templo, como o Sr. capitao commandante oa companhia de ca-
ta iibern na igreja de Nossa Senhora do Tergo s 9 vallara desta guarnicao em offlco n. 260 de 10 do
horas da manhaa do dia 8 do mesmo, para aeom- corrente, foi engajado na forma da Iei em vigor
panhar o Sanlissimo Sacramento que d'ahi tem de- para servir por m*is 6 annos, com as competentes
ser trasladado era procissao para a nova matriz, vantagens, o soldado da mesma companhia Flix
onde em seguida ter lugar a solemnidade da inau- j Nunes dos Santos,
guraco.Iguaes aos Revms. vigarios da Boa-Vis-1
ta e Recife e aos superiores dos conventos do Re-
cife.
da estrada de ferro.
. Communicando-me o engenhero fiscal da estrada
ber em conta corrente simples serao consideradas | de ferro o desencarrlhamento do trem, que vioha
como parte integrante da emissao em circulaeao; j do interior antes de hontem a tarde na eslacao da
e daquellas que receber em conla corrente a ju
ros so poder empregar o equivalente a tres
quartos.
liba, e declarndome ser esto accidente, bem co-
mo oulros havidos de igual natureza, devdo a in-
, capacidade dos individuos encarregados do servico
Art. 2 0> dividendos que se repartirem de ora : das agulhas dos trilhos da mesma estrada, chamo
era diante pelos accionista- do banco nao excede- para este objectu a attenco do Sr. superintenden-
rao a 12 por cento ao anno, e os lucros que resta- te, recommendando-lbe, que procure remover se-
ren serao applicados a augmentar o fundo de re- melhanle inconveniente, pelos meios que lhe pare-
"SlL r a ,. ... cerem mais rasaves; alim de evitarse a repro-
Larlos Larneiro de Campos, do meu conselho, duco do taes accidentes, que podem trazer conse
senador do imperio, minisiro e secretario de esta-
do dos negocios da fazenda, presidente do tribu-
nal do thesouro nacional, as,sm o tenha entendido
e lca-e"xl!c"trfSfr>' ""*'--------------
Palacio do Rio de Janeiro, 14 de novembro de
186'i, 43 da independencia e do imperto. Com a
rubrica de S. M. o Imperador. Carlos Carneiro
de Campos.
G0YERS0 DA PROVINCIA.
quencias lamen aveis.
Dito ao Dr. juiz de direito de Flores.-Recon>
meado a Vmc que procure coolralar com quera
offerecer mais vantagens a fazenda provincial, o
raelhorameuto da estrada a partir da povoacao da
Baixa-Verde at a villa de Flores, inclusive o lu-
gar denominado Brocots, para o que se acha con-
signada a quanlia de 6:0005000, devendo Vmc.
remetter copia desse eonlrato para ser definitiva-
mente approvado.
Dito ao commandante do brlgue barca llamara-
c.Pode Vmc. fazer seguir para o Maranho no
dia indicada em seu oflicio n. 144 di 26 do corren-
te o hiato de guerra Ri de Contas, que vai reunir-
se a divso do 3 districto naval.
Dito ao thesoureiro das loteras. Em vista do
Expedienta do dia 26 do novnnl.ro de 1SCS.
Oflicio ao Exm. Visconde da Boa-Vista, com-
mandante superior da guarda nacional do Recife.
Informe V. Exc. sobre o que pede no incluso
requerimento o guarda do primeiro espiadro de que me requeren o vigario da freguezia de ossa
cavallana deste municipio Jo- Lopes Machado. | >enhora do Desterro de (tamb, Antonio Rufino
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. infurn.ar acor-: Severiano da Cunha, autoriso Vmc. a mandar en-
ea do qur pede no incluso requerimento, o guarda tregar ao supplicante depois do prazo da Iei e de
do sexto batalhao de infamara deste municipio, haver prestado na thesouraria provincial flanea
Tertulianw Ernesto do Moraes Carvalho. | edonca o beneficio da primeira parte da primeira
Hilo ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar lotera que foi extrahida em favor das obras da
dispensar do .-ervico da guarda nacional at o da igreja matriz d'aqaella freguezia, do qual opportu-
8 de dezembro prximo vindouro, os 9 guardas meme prestar esntas naquella repartilo o re-
mencionados na inclusa relagao, os quaes sao ar- ferido vigario.Communicou-se ao inspector da
thesouraria provincial.
Dito ao conselho de compras navaes.Ficam
approvados os contratos, que celebrou o conselho
de compras navaes com differentes pessoas, como
mo participou em seu oflicio de hontem para for-
necerem ao alinoxarifado do arsenal de marnha
os objectos mencionados no citado oflicio a que
respondo.Communicou-se ao inspector da the-
souraria de fazenda.
Poitaria.O presidente da provincia, atinden-
oslas e estao empregados no servico da nova ma-
triz de S. Jos.
Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. de expedir as
suas ordens para que seja dispensado do servido
da guarda naeiunal em quanto estiver oceupando
o lugar de inspector de qoarteirao do Giqui na
freguezia dos Afogados o gua da do sexto bata-
lhao de infamara deste municipio Manoel Gomes
Pereira Guerra.Communicou-se ao Dr. chefe de
polica.
Hito ao mesmo. Convido V. Exc. c os ofliciaes do a que nao se acha completamente organisado"o
desponlveis da guarda nacional sob seu comman- esquadrao de cavallaria n 4 do municipio do Boni-
do superior, para assistirern ao conejo que neste to, e de conformidad.' com o disposti nos avisos de
palacio tem de fazer-se a Elligie de S. M. o Impe- 4 de Janeiro de 1850 e 15 de fevereiro de 1860,
rador as 5 horas da larde do da i dezembro viu- resolve nomear a Pedro Alexandrno da Costa
douro, anniversario natalicio do mosmo Augusto Lios para tenente e a I^nacij Ferrea de Lima
Senhor.-Fizeram-se os demais convites do eos- para alferes da primeira companhia do referido
tome. esquadrSo.Communicou-se ao respectivo com-
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar mandante superior,
por a disposicao docommandadte das armas, os, Dita-Os Srs. agentes da companhia brasileira
corpos da guarda naeiunal desta cidade, alim de de paquetes mandem dar transporte para a corte
reunidos aos de primeira llnlia e sob a direceo do por conta do ministerio da ueira no vapor que se
oflicial aquem por Iei competir o eommando mar- espera do norte, ao major dosehundo batalhao de
diarera para o Campo das Princezas assistir ao infamara Francisco Eduwiges de Souza Mascare-
cortejo que se tem de fazer a Eflige de S. M. o nhas e sua familia.
Imperador no palacio desta presidencia as 5 heras Expediente do secretarie do governo do dia 26 de
da larde do da 2 de dezembro prximo vindouro, n.mi i.,,
anniversario do feliz natalicio do mesmo Augusto i _m novemero ae 1&M.
Senhor; devendo V. Exc. providenciar convenien-1 ^ omc' ao coronel commandante das armas.O
temente para que a guarnicao da praca nesse dia Exm- Sr. presidente da provincia manda corsmu-
seja feila por ofliciaes e pracas da guarda naci- nicar a \-.S.f|e por despacho desta dala autori-
nal que nao poderem fazer parte "da parada. ; *****, d'r"(,'or do arsenal de guerra a sati-azer
Ofllciou-se ueste sentido ao coronel commandanle ^ Pedld0 d0 commandame do nono batalhao de in-
das armas. fantarla a que allude o oflicio de V. S. 2103 de 25
Dito ao coronel commandante das armas. i do corrente-
Mande V. S._ dar baixa aos invlidos addidos ao
nono batalhao de infantaria primeiro cadete Fran-
cisco Theophilo Paes Brrelo e soldados Aiexandre
Pereira dos Sanios e Joaquim Velloso do Mego,
que assm o pediram e foram considerados inca-
pazes de lodo o servico era inspeccao de saude a
que se procedeu em 18 do correle, como tudo
consta do seu oflicio de hontem n. 2015.
Dito aoDr. chefe de polica. Autoriso a troca
GOVERXO DO RISPADO DE
i'EK.vtnurc-o.
Expediente
SEDEW.tYTE
Novembro de iSCi.
Oflicio ao Exm. Sr. presidente da provincia.
Se a inauguraco de qualquer monumento publico
do reloglo da secretaria da casa de detencao por! deve ser om motivo de cvico prazer, porque os
outro melhor, dispendendose com isso at a quan-1 monumentos pblicos attestam o aperfeigoamento
tia de_255000 ris, como V. i. solicitou em oflicio das artes e da industria, e os progressos da civill-
n. 1470 de 25 do corrente. | Sacao dos povos; quando esse monumento nm
Dito ao inspector da thesouaarla de azenda. i elegante e helio templo, esse prazer cvico, santifl-
Respondendo ao sen oflicio de h..je soh n. 6*5, te-1 cado pelo influxo religioso, se augmenta, se du-
nlio a dizer que achando-se aquartelda parttdaplica; porque o progresso material caminha
forca de primeiro balalbo de infamara da guar- sombra protectora da relisiao : o civismo do cida-
da nacional desta capital, para auxiliar a tropa de
primeira linha no servico da guarnicao, mande V.
S. nao obstante as ponderacoes feitas pela conla-
doria dessa thesouraria, na informaco a que se
refere o seu citado oflicio, eflecluar sob mmha
responsabilidade nos termos do decreto n. 2884 do
primeiro de levereiro do 1862, o pagamento orde-
nado em meu oflicio de honlem, dos vencimientos
daqueila furca.
Diio ao mesmo.Mande V. S. ajustar conlas ao
capito Christovo Jos de Andrade at o fim do
mez corrente, bem como passar-lhe guia de soc-
corrimento, visto que tem de seguir para a curte
brevemente alim de reunirse ao batalhao n. 13 de
infantaria a que pertence.Ofllciou-se aos agentes
da companhia Brasileira de paquetes paraman-
de se harmonisa com a f do catholico, e o inte
resse social se concilia com o interesse religioso.
E' assim que tendo de celebrar-se no dia 8 de
dezembro prximo futura a solemnidade da inau-
guracao da nova matriz de S. Jos da cidade do
llecife; solemnidade que deve ser tao grande,
como o prazer que hilo de sentir os habitantes da
heroica capital de Pernambuco, vendo em fim rea-
lisados os seus votos de vinte annos; e que por is-
so eu, fiel Interprete dos seos pios sentimentos,
desejo se faca com a magnificencia e pompa que
devida aos actos da nossa religiao, e que exige o
esplendor e belleza do novo templo, o Hm a que
destinado, e a nossa venerado ao glorioso patriar-
cha, a quem dedicado; julgo ser do agrado de
Deus e do publico que nesse dia memoravel se
Dito rmandado de Nossa Senhora do Terco.
Havendo eu conseguido por o novo templo de S.
Jos em estado de ser aberto ao culto publico no
dia 8 de dezembro prximo futuro, e devendo no
referido dia cessar na igreja de Nossa Senhora do
Terco o exercicio parochial dessa freguezia e co-
mecar na nova matriz, para onde em primeiro lu-
gar ha de ser trasladado processionalmente o >an-
tissimo Sacramento, do meu dever agradecer a
essa irmandade, em nome da igreja pernambuca-
Asslgnado.) Joaquim Jos Goncalves Fon tes.
(Conforme.)O capito, Jos Francisco de Mo-
raes Vasconcellos, ajudante de ordens interino.
EXTERIOR.
m i:\on IIKIS.
9 de novembro de ISGi.
Aproveito o vapor de guerra brasileiro Beben-
na, a benevolencia com qoe, por tao longos annos, be, que hoje parte para esta corte, para enviar por
franqueou o seu templo para servir de matriz elle a presente correspondencia,
freguezia de *. Jos.
Significando pois a V. V. S. S. o meu reconheci-
mento e gratidao por tao relevante e aturado ser
A situagao nao tem seflrido modiflraco alguma.
Nao se sabe com certeza as localidades em que
nem que numero de
que se est embarazando com este proeedinvnle
puuco patritico.
Do Paraguay n.io ha noticias posteriores .i* qou
foram pelo Mersnj. Il.i quera rreia que o pre-.|,V*-
te Lpez saia da chrysalula e apontam remo ind
cius a couliuuada ehegada de armain-nl para elle
e o fado de ter o seu ag-nte em Montevideo re-
comprado um carregamenl i de herva mate quo
poucos das antes liavia vendido.
A prxima semina nos deve trazer a soIik
por isso a considero imprtame e den-iva. V-r
mus o que lhe terei a communicar pelu Sumtmm
a este respeito.
O nosso paquete Mtrqnez .te (ilin.ii segoia para
MailuGrossu uo d>a 4, legando o M*a pre-id-nie
para aquella provincia, e vanos offlciaes de man
nha e do exercilo.
l de novembro
Nao sahio o Uebmhe, como se espalhoa. e por-
tauto aproveito a mala do Mtaa ib aronieci-
menios de .|ue se lera tido conheciioenlo neste?
iros dias uo deixam de ter seu valor.
Como de cosluoies, os blancos, que sao uns per-
feitos cmicos e gium muilo de preparar lances
de ofleito as proximidades da saluda dos patine-
tes, acabara do espaldar cora pnfusio dnas p u\-^
do general Servando Gmez, referind a derrota
do general Flores, e sua fuga na qual uVixou em
poder do vencedor ura canlio e qualro carretas.
Servando Gmez o perseguio nula teguas, sem lo-
mar quasi nenhum descanso, e conlinuava nessa
trela. Alguns accreseenum a estas partes, que se
sabe foram f.irj idas aqu, a noticia de que o pre-
prio Flores inurieu ja, deixando no campo de bata-
Iha tambera perto de 6U dos seus soldados. Ora,
tudo uto mu natural na posiro em que' elle >e
acha ; mas, lendo se com ai ter cao eus parles,
se logo o segrate :ijue no da 3 do
crrenle as duas vanguardas se chucana, e que.
lor : tQuie a derrota que vai outra vez soffrer o
throno seja a aurora de urna regeneraro no Bra-
sil; deste planeta quebrado pelo saber han de
surgir algumas estrellas no firmamento azul da
democracia americana.
Nmguem atina com o verdadeiro motivo desta
nova tarca do governo de Montevideo, depois de
ter elle mesmo esgotado contra nos era os seus do-
cumentos ofliciaes tdo o diccionario das injurias e
das infamias, e de haver olhado impassivel para a
degradaco dessa imprensa corrompida.
Algumas pessoas que se julgam sabedoras de
tudo explicara este incidente ailrbuindo-o ao effei-
to do urna carta de pessoa altamente collocada
nessa corle, que diz que S. L o Imperador est
mui contrariado com a direceo que tomarain os
negocios, porque nao quer a guerra, e que recebe-
ria com salisfacao qualquer agente confidencial
que por parle do governo de Montevideo se lhe
apresentasse com urna proposta honrosa para os
dous paize*. AfUrmam-me que esta caria esl em
poder de Carreras.
Nao obstante, a recommendaeSo deste nao pro-
duzio o desejado efleito, porque o Pays e os outros
peridicos continuarara a escrever era sua lingua-
gem asquerosa.
O corpo diplomtico nao deu anda resposta ao i descobe"*'
nosso almirante nolificaco do bloqueio. Tem'
iSSJS^TfiSS e Pare'e T .,in:,,mente con- io general Servando Gmez >oflreu um
,c^o^e fm declarar que se re enna o assumpto reveI. Es,8 chefe deu parle de,ie succeseV
aos respectivos governos. Entretanto desde p da nau foi ella publicada, como se deduz da ua
o parliran d aqu tres ranhoneiras com o chefe ma correspondencia posterior.
Pereira Pinto, para se reunirem a mitras tres que j Po(k..se ca|eu|ar da imporUncJa deito ^^ fc
ja se achara no no Uruguay, e fazer elTect.vo o dito artnas ,)eU seBuinIt! ^ P g^eS
bloqueio, que o almirante inglez o Sr. Elliot, que F)ores dirigi aquelle enerai
chegou a esta capital ha dias, admittiocomo um | Meu caro amigo e general.-Desde qoe ae
r^nm!!:"'0^"055'1?^ Ested'g^f^' laneci a este paiz para rtum.r aos meus SS
damannha b.tann.ca esta as melhores relaefies proscriptos a patria, que Ihes e,tava vedada por
Zne?a^?ftn,e.brS":r0' I"6 D dOm'?S0 alUm um- ""',,lca "SSff e'...esqui..ha, nao Si iS
fo. convidado ,.elo Sr.Thornlon para janlar era sua s vez a orcaMa e evilar.|ne 0j ,, ^rooien.
casa meio delicado de reunir os dous cheles que ,es da guerra que susienum.*.
este dislincto diplmala empregou. Desgracadau.enie meus acios bao s.do .nterpre-
Por esta parle, po.s, o governo de Montevideo tados CJIi)0 m at|0 de dtbllldailt de mioha u
fez fiasco e os manejos dos Srs. Barbolam e Mail- !por esses ,lmlltins de MonleVjdo, que nao couhe-
lefer naufragarara Ct;in nem as fad fc S(j|(Jad ^ ^ fc
O governo argentino, pelo seu orgao oflicial, a ciluarao que atravessamos
Viioo. tambera concorreu para derrotar estes ma-1 v-oce) (neu ami ,,eIlera, t^m qaiTeoa M.
nejos declarando peremplonamenie que qualquer nos de servico a patria, e seus antecedentes o obn-
--------1------....."~ .j.-ouuu, a.c.u acto do referido corpo diplomtico que tendesse a 0..m mim. .,. 1.1.^11^...
Dito aojuize membros da irmandade do San- da brigada que enlrou pelo Cerro Largo e que I coarelar a l.berdade de aeco do Brasil seria con- f""ri|a r sanBue que vai correr neste mo-
tissimo Sacrament da freguezia de S. Jos.- tomou a villa do Mello. Estimarei que estas noticias i siderado como urna iutervencao indebita e o obri-; -^-------------- m.....nr,m _irt,
Achando-se o novo templo de S. Jos em estado de sejam exactas, porque entoa crise se aproxima de garia a intemr tambera apoiando-nos. Esta aiti-1 ria '
preslar-se as unecoes parochiaes, para que foi seu termo. 1 tude fui suttlciente para desfazer certas espe-1 .,',.,
destinado, e de vendo na qnaldade d matriz en- O geiferal Flores cancentrou todas as suas forcas; raneas. ^_ | ,, '. .
trar em exercicio no da 8 de dezembro pnuimo em urna bella posifao ao sul do rio J, e nclla espe-1 Corre como ccrlo, que alera do interesse pessoal L or tudos
futuro, dia por mim designado para a sua inau-! rou o general Servando Gomes, que nao tera-se que tem concorrido para que O Sr. Barbolam pro-'
guracao, assim o communico a essa irmandade animado a passar, e que desculpa-se para com seu teja o partido blanco, ha outro secreto, que o Bra-
para que, do referido dia em diante, se digne en- governa de o nao fazer por estar o rio cheio. Conta sil e a confederarlo nao podem deixar vingar.
carregar-se da administracao do novo templo, pro- elle com perto do tres mil homens, em quanto que Fallase em que Carreras solicitou o protectorado
ver s suas necesidades, velar pela sua conserva-1 o chefe da revolucao tem reunidos cena de cinco da Italia para o seu paiz, e que aquelle diplmala
se achara as nossas forcas.
vico prestado aos povos, cabe-me conviaar a V. V. pracas invadi o Estado Oriental. Entretanto diz
S. s. para toraarem parte no acto da ioauguracao o Nacional que ha dous mil homens no departa
da nova matriz. I ment do Salto e qualro mil 110 de Paysand, alm
que
e toc, meu general, o
deve Itr recunktco
gao e acelo, mudar para elle todas as alfaias per- mil homens. Desde o da 27 que esio vista,
tencentes matriz, exercer nelle toda a nspeccao separados apenas por aquelle rio, e tnoteando-se
que lhe compete, salvos em tudo os direitos paro- constantemente. A posicao de Servando desa-
chires, e reservando eu para mim e para o ord- gradavel, porque a esta hora tal vez o aperte pela
nario que me succeder a concluso do templo; espalda o general Netto ou alguma gente nossa.
bem como a suprema inspecciio delle e de todos os A guarnicao de Cerro Largo reunio-se a elle j,
negocios da matriz em todos os tempos. dlzera uns que composla de quinheulos homens, e
Dilo a irmandade do Sanlissimo Sacramento de outros que smeme de cem. Vi urna caria da fron-
Santo Antonio.Tendo de celebrar-se no dia 8 de teira que aflanca terem arompanhado ao coronel
dezembro prximo futuro a solemnidade da inau- Muniz smenle uilenta e cinco homens.
guracao da nova matriz de S. Jos da cidade do Na capital, o general Langa -Secca fez urna sorti-
Recife, solemnidade que eu, fiel interprete dos pa- da com setecentos homens, e voltou precipitada-
triolicos e pos sentimentos dos habitantes da mes- mente pafa a praca das Torres, na villa aa Unio,
ma cidade, desejo se faga com a magnificencia e com menos duzentos, que deseriaram.
pompa que devida aos actos da nossa religiao, e Esle fado mostra a desmoralisaco que vai por
exige o esplendor e belleza do novo templo, o fim a Montevideo.
que destinado e a uossa veneragao ao glorioso Cm tal Sr. Alfageme de Oliva, que por occasao
patrono a quem dedicado; convido irmandade da questao peruanaconseguio eslabelecerum jornal
do Sanlissimo >acramento da freguezia de Sanio para defender os Hespanhoes por BubSCl ipcao de
Antonio do llecife para que se digne comparecer seus compatriotas, que se condoeram do o ver na
na igreja de Nossa Senhora do Terco s 9 horas miseria, comprado agora pelo o governo de Monte-
do dia acjma designado, afim de acompanhar a video, tom abusado completamente da conllanga
trasladagao do Sanlissimo Sacrameuto para a nova que nelle eslava depositada, transformando o seu
matriz de S. Jos, e assistir festivdade da inau- peridico em um pasquim de injurias contra o Bra-
guraco do mesmo templo. sil e os Brasileiros. Procurou elle fazer crer que
Iguaes s irmandades do Sanlissimo Sacramento nossas tropas corametleram militas tropelas contra
das freguezias da Boa-vista e Recife. j os Hespanhoes na villa do Mello, mas foi completa-
Dia 28. i meule desmentido pelo proprio oflicio do vice-con-
Oflicio ao vigario da freguezia de S. Pedro Gon- sul, hespanhol, era qne elle se fundava. Seus con-
calves do llecife.Acabo de receber o oflicio do cidadaos Acarara mui indignados contra esle proce-
V. S., datado de 26 do corrente, no qual me diz que, dimenlo infame, e mandaran) publicar aqu um
tendo recebido o meu officio de 3 do mesmo, nao protesto solemne, deelerando que nao sao solidarios
s acceitou o convite que lhe fiz para obter entre com aquelles artigos do Sr. Alfageme. Afflrmara
os seus parochianos algumas esmolas para a inau- os jornaes de
o conceden. Os libanos eslao mu indignados com
o procedimento de seii representante, que se tem
unido cini o partido brbaro, e pelo paquete ante-
rior enviaram para o seu governo una represen*
tagao contra elle.
Chegou a Montevideo o coronel D. Dionisio Tri-
lo, que era o commandanle militar Jo departamen-
to do Salto, e que recusou voltar para seu posto
porque nao quer servir sob as ordens de Leandro
Gomes, que fji nomea.lo commandante de carapa-
nha ao norte do Rio-Negro. Por este fado est pre-
so em sua casa.
O corunel D. Basilio Pinilla tem e>tado mu en-
fermo, e nao lia esperanca de salva-lo.
O coronel Carnes, que era ura dos mais activos
ebefes blancos, parece que foi aprisionado e fusila-
do logo, em paga dos grandes criines que tem cora-
meltido.
O coronel Palleja, que ha mais de um anno est
preso sem culpa alguma, e s por prevenco, i"..-
louqucceu na prisao
O governo acaba de arrogar-se o poder legisla-
tivo, expedimlo um decreto que manda vigorar
para o anno vindouro oorgamento de 1863 a .864.
E' que para Carreras a dictadura um brinco e
a suprema aspirago de sua alma.
Na Confederagaw Argentina a ordem nao tem
sido perturbada. Nesta*capital, e em todos os pon-
tos onde a civilisacae esta mais apurada, os Bra-
sileiros recebera as mais delicadas provas de syra
patinas ; nao suecedeo mesmo, porm, na provin-
cia do Entre-Ros, refugio em que se eocasielou o
partido federal, .pie representa o elemento brba-
ro desta repblica.
Esle partido, que nao nos perda a queda de seu
Montevideo que o encarregado de
guracao da matriz de S. Jos, como que sabio logo ; negocios de Hespanha vai mandar ao Cerro Largo
com o Rvd. coadjutor para se entender com os ou-' nm agente de cunfianga para syndicar desles fac- j dolo e destruigodo seu dominio ominoso, unido
Iros membros da commissao, afim de marcarem o \ tos, visto que o vice-consul tornou-se suspeito,: a alguns blancos do Estado Oriental, procurou pro-
da em que pretendiam sahir. Diz mais V. S. que naturalmente porque fallou a verdade. | mover urna mashorcada contra os Rrasileiros na
sendo por elles marcado por vezes dia e hora, nen-1 kogo que constou cora certeza a iuvasao brasilei- cidade da Concepcin e em Gailegachu, devendo
' ra, o presidente Aguirre publicou urna extensa
proclamagao, que ura documento mu original.
Depois de fazer ao governo brasilero as mais
hum appareceu em nenhuma dessas occasioes por
elles mesraos marcadas, sendo que s se reuna
V. S., o Rvd. coadjutor e o membro da commissao
Jos Pedro das .Neves: vista do que, declarou V.
S. que ira quando fosse chamado, e de feto nun-
ca o chamarain.
Nao faltou por certo a esses bons paroebian a
vontade de concorrer em para a realisago do urna
festvidade que pela sua pompa, pela >uaespecial-
dade ha de inleressar todos os habtiantes da cida-
ao governo
acerbas recriminagoes, e de accusa-lo de desleal,
iniquo, insidioso, etc., appella para o paiz, decla-
rando que, na presenga do perigo da conquista pelo.
Brasil, devem cessar todos os odios e calar todas
as paixes de partido Nao acreditando rnuito que
sua voz tenha echo nelle, dirige-se como suppli-
cante aos habitantes estrangeiros do E^ia.lo, e
de do Recife : oceupados como esio com os seus' assusla-os cora os excessos que j leern commettido
negocios, faltou-lhe sem duvida o tempo, como evi-' e ho de commetler as forgas impenaes. Ainda
dentemente o prova a sua ausencia as occasioes nao o tranquillisa o apoio que d'ahi possa provir,
em que promettiam reunr-se. Eu pois cordeal e! embora o Alfageme afflrme que oiio Hespanhoes
sinceramente agradego a esses liis cidadaos a sua bastan para cera Brasileiros, e incita a todos os
boa vontade, e lhe pego licenca para addicionar povos do Ro da Prata contra nos.
mesma commissao dous membros, os Srs. Thomaz I O homem eslava em vespera do dia Io do novem-
Heywood e Marcelino Jos Gongalres da Fonle, os bro, e julgou encommendar-se a todos os san-
quaes coadjuvarao os sinceros desejos dos amigos los. Nem por isso, porm, escapar sua sorle,
membros, e farao que a rica e commerciante fre- bem merecida por certo, por ter-se fiado em certo
gnezia de S. Pedro Gongalves do Recife tambem se sujeito que se arvorou em politiclo e metteu-se a
glorie de haver lomado parte na festa inaugural da dar-lhe conselbos. Com esta proclamagao coincidi
nova matriz de S. Jos. a ordem para o recrutamento de todos os Brasilei-
Pde pois V. S. sahir com o coadjutor, com al- ros de cor aqu residentes, e j perlo do 50 destes
gum dos membros, ou por si s, nao sendo neces-' infelizes esto violentados no servigo sem que o
sario que se rena toda a commissao ; antes sendo Sr. Leite d o menor passo para llvra-los. Ao
conveniente que Irabalhem separadamente dous a mesmo lempo se espalhou que o governo ia obri-
dous, ou como melhor quizerem. gar os capites dos nossos navios mercantes a pa-
Dito ao Sr. Thomas Heywood.Havendo eu no- gar um personero, isto a um individuo que
meado nma commissao presidida pelo Rvm. viga-. fizesse o servigo em trra por elles a titulo de re-
rio dessa freguezia de S. Pedro Gongalves para ob- presalias; e accrescentou-se mesmo que a capitana
ter dos fiis algumas esmolas que coadjuvem a do porto tinha ordem para se apoderar daquelles
pomposa solemnidade da inauguragao da nova ma-
triz de S. Jos, e tendo cu agora mesmo recebido
um oflicio em que o Rvm. vigario m participa nao
haver colhido obulo algum dos fiis, em razao de i de ("arreras ao'chefe poltico da capital, em que
nao se haver reunido a commissao, reconhecendo declara que a llnguagem de urna parte da irapren-
os sentimentos religiosos de V. S., tomo a lbenla- sa, no que se relaciona com a queslo brasileira,
de de o nomear, e ao Sr. Marcelino Jes Gongalves tem chamado mui justamente a attengao do gover-
navios para arma-Ios.
Em vez, porra, destas duas medidas vilenlas,
apparece nos jornaes do dia 2 um celebre offle-io
da Fonte para tambem fazerem parte da mesma
commissao, o pego V. S. que, abstrahindo-se por
instantes dos negocios temporaes empregue esses
meamos instantes no servico de Deus, no bem da
igreja, no esplendor e pompa de urna das maiores
festividades que por ventura tem presenciado a
baila cidade do Recife.
no por sua inconveniencia, pelo que forcoso que
cesse ou se modifique.
Recoramenda-Rie, pois, que chame todos os prin-
cipies redacteres sua secretaria para raanifes-
tar-lhes o sincero desejo do governo de que para o
futuro no 'iebaie da queslo internacional do Bra-
nesta occasio ser insultado o nosso vice-consul e
apedrejado o escudo de nossas armas. A aulorida-
de, porm lomou suas medidas, e mandou prender
os autores desta manif.stagao, que abusavam do
nome do general L'rquza para fazer crer que pro-
cediara de accordo cora elle. A reuniao nao leve,
por con.-eguinle, lugar, e os blancos de Montevideo
licaram com urnas caras bem largas, porque j
apregoavam que Corrientes e Bnire-Rios se tinnam
levantado a favor delles, e que Crquiza marchara
com as forgasdeslas duas provincias, e corno exer-
cilo que liana passado do Paraguay, para invadir
a Uruguayana.
Entretanto ha quem assegure que esle general,
dando paite das suas providencias a esle respeito,
escrevera ao presidente Mitre asscgurando-lhc que
podia contar inleiramente com elle.
Os jornaes de hontem publicaram um oflicio do
vice-consul brasilero ao nosso ministro residente,
informando-o deste successo, assim como a nota
deste ao ministro de relacoes exteriores e sua dig-
na resposla.
Ha urna conspirago surda, todava naquellas
duas provincias com a actualidade; mas o gover-
no argentino est prevenido e olha para ellas com
attengao. O projecte de se formar com ellas e com
a Repblica Oriental um novo estado conlederado
mui acariciado all.
Combina cora os rumores vagos que correm a
ida do Dr. Derqui ha dias para Corrientes e a do
general Francia para Entre-Ros. Ao mesmo tem-
po passavam desta provincia para a Banda Orien-
tal Lopes Jordn, o padre Ereuco e oulros passares
de mao agouro do partido federal.
Foi sanecionada finalmente a le para a conver-
sao do papel-moeda, que deve ter urna grande in-
fluencia uo desenvolvimenlo commercial da pro-
vincia de Buenos-Ayres.
O ministro do inlerior, o Ilustrado Sr. Rawson,
foi provincia de Santa F, para resolver as diftl-
culdades que esla encontrando a empreza de estra-
da de ferro central. Alguns proprietarios dos ter-
renos de que ella carece, cegos pela perspectiva
de um grande lucro, esio exigindo pregos fabulo-
sos por estes terrenos, que at agora pouco vahara
(a paz). Curao soldados podemos ea-
Icnder-nus cora a franqueza e lealdade propnas le
nossaearrein e antecrdentes.
Calcule os males que aineagam a eus amigos
e companheiros se sao vencidus no combale a que
os vou provocar.
Sao evidentes por outra parte iguaes pengos
por parte do Brasil, pois um exercilo numeroso
pisa ja o territorio da patria, tudo p-la ma potinca
desses homens, que nao conheccm nossos sacrificas
nem as desgranas da patria.
< Kstamos era lempo general, de dar-nos nm
abraca sincere, e de evitar a nossos lilhos o cumu-
lo de males queameacam a patria.
Espero sua respuMa, general al as 4 hora* da
tarde do da de boje, hora a que me encontrara a
frente de um exercilo.
Nio duvide, general, da lealJade qoe roe im-
pelle a dar esta passo, erepilo-uie de vuc amigo compatriota.
Servando Gmez diz que nao responden a esta
i carta, e confesa que mudon seu acampamento no
da 4, depuis do choque do dia 3. Arcrescenta que
' quando a receben marrhou sobre Flores, e que en-
lo leve lugar a aeco, rujo Iriumpho narra, na
ju.il os coloraboa perderam aila g-rate, etc.
Tera-se dito tantas vezes qup Ptorrs esla derro-
tado que ja nmguem acredita aqu em semelhanle
cousa, por que de|iois disso que elle se aprsenla
sempre com mais forga, e denlro de pouros dia
veremos r.iais urna vez confirmado o Unn raso
dos que do <|uarenlena a estes di-parales.
No da 7 procurram reunir no ilieatro de Solis
os Hespanhoes para fazerem nina manifeslago cen-
tra o Brasil. Ira tal Sr. Vacara, Alfageme e ou-
lro sujeito, que deviam presidir 0 meeting, quando
iam para a reuni.io foram assol.iados, e por isso
julgaram prudente nao apparecer em srena.
()s pobres Hespanhoes, quasi lodos operarios,
vendo que os esta van) illu.lindo, se retiraram pan
suas casas despeitados, e mais despeitados liraram
Baira, Carreras e Acha que ronlavam muilo com o
resultado desta manifeslagao.
Se:uo neste paquete o Sr. Lonreira, que deixa
as duas margeos do Prata as mais a:radaveis re-
cordages. Eu c tico, como urna sombra, pan
continuar esle enfadonho trabalho, que anda hoje
allribuido a elle. Exercerei o espiritismo em
vida, nova forma que tal vez me esteja reservado
espaldar pelo mundo. Acompanham a e-te diitno
diplmala a quem peco muitas desculpas por t lo
felo soffrer lanto em'meu lugar, o Sr. Cavalranti
e o Sr. Franklm dous estimaveis cavalheiros que
pertenciam lambein legagio.
sil, nao se prescinda das formas caitas o dos senil-' e que devem sua importancia mesma empreza,

DIAS TA UMJJS.
2*. Segunda. S. Jacob da Marca f.
19. Terca. S. Saturnino ra. : S. Illuminala r.
30. Quarts. S. Andr ap.: S. Tmraa b.
1. Quima. 8. N'ahum pro!.: S. Eaj h.
2. Sexia. S. Itil ana v. m. s Poaeaai m.
3. Saubadu. S. Pranci.-co Xavier ap. das India-.
4. Domingo. S. Barbara v. m.; S. Osraundo.
S8IGNA-SB
no Recife, em a livrana da pnca da Indepewser..
ca ns. 6 e 8, dos proprieiarios Manoel Fueirni
de Faria & Filho. ueinu
Chegou honlem o vapor do Paraguay com dalas,
de Assurapgo al o dia 6 do correnu. A lingua-
gem do Semanario !est mu modificada a nosso
respeito ; o que significa que Lpez nao qner sahir
da chrt/silada, nao obstante j ter recebido noticia
da entrada de nossas tropas no K-i.do oriental.
ilavia aqui apostes de 0 e !2.O0050O0 em como
os papagaios, quero dizer, os Paraguayos, vinham
encontrar-se com os macacos. Boa a>neira Como
se Lpez tivesse perdido o juizo .' As minhas pa-
lavras o fizeram reflectir e causaram no seu animo
profunda impressao. 'e elle me coohecesse devia
mandarme um bom prsenle.
Pelo corFeio do Pacifico vieram noticias do Chile
al o Io de outubro, e do Per 22 de selembro.
Aquella repblica linha festejado o anniersario de
sua independencia com o maior enlhnsiasnto pos-
sivel, e por essa occasio se inanguroo em Santia-
go a estatua de Carreras no bello passeio das De-
licias.
A questao peruana-hepanhola anda o as-
snrapto de interesse. O governo loma algumas me-
didas de seguranga e de defeza, e prohibido o em-
barque de carvo de pedra aos navios belligeran-
tes.
Entretanto no Per nada occorrera de noiavel.
O congresso havia aulorisade o governo a enirar
em negaciagoes com a Hespanha, preeedendo a
evacuago das ilhas de Chinchas, e esle conlinuava
nos preparativos de defeza, tendo comprado mais
um vapor nos Estadnr.-Unidos. uccede-lhe, po-
rm, o que. occorre a iodos os paizes que se descui-
dam de armar-se para se lornarem respeilados.
Seus prepar tivos eoncluem-se com raorosidade, e
do lempo ao inimigo. por mais longe qoe esteja,

^


Diarto re reraaMbne* ... Qaai-ta felra SO t Xovcmbro de tft-t.
aecomular mnios de attaqae, fH eolloeam sem-
pre em urna posice superior para aggrcdir.
O congresso americano parece que vai consti-
tuir-se realmente, depois de UnUs diftlculdades.
Por ensaio reuniram-se na casa do ministro de Ve-
nezuela os representantes de Colombia, Brasil, Bo-
livia, Estados-Unidos da America e Per, e con-
vieram em nao dar um passo em quinto nao chc-
gasse o do Chile.
As noticias das outras repblicas carecem de im-
portancia. Em Venezuela parece que arrebentou
orna revolucao. Nodia I* de outubro devia ele-
ger-se o presidente da repblica, e, nao obstante
aprescutarem-sc diversos candidatos, conlava-se
rom a reeleieo do general Falcon.
14 de novembro.
Qaasi qae nao resta duvida de que a9 derrotas
do exercito colorado annunciadas por Servando G-
mez c-u em seu Home sao falsas.
Ao contrario, ha vehementes snspeitas do que a
posicao deste genera! nrai critica, por que se acha
ncurralado entre o Rio-Negro e rio Yi em um ter-
reno pessimo. Para corroborar estas stispeitas nao
faltam indicios. O general sa sahio rom seu exer-
cito de reserva, composto de perto de mil homens;
$ara verse consegua reunir-se a elle, e o proprio
ministro da guerra se preparava a sahir para
campanha a testa de um batalhao da guarda nacio-
nal e de urna torga de artilharia.
Aquellas derrotas, por tanto, foram annunciadas
nao s para tienuar ou destruir o elTeito que pu-
e>sso produzir o coohecimento da verdade, que
vagamente se espalhava na populacao, como para
hlbido e-governo imperial de crear Mpartieoe*
idnticas em oulros pontos, quando as necessidades
e augmento desse commercio assim o exigirom.
O art. 19 permitte a escala ou arribada em
outros lugares, fra dos portos habilitados para o
RIO DE MMIlto
10 de novemaro de 18W.
posibilitado de solver estas divida, parece enlSo
que dantos recorrer marte.
O infeliz denorj algans papis para seren eu-
vlados ao sea patrao; a elles reere-se na seguin-
te carta dirigida ao seu amigo Jos Francisco Cal-
lado, a quem tambem devia pequea somraa :
c Amigo Callado.Recebers ossa roupa, pols
tanto essa como a soja qua est na lavadeira va-
len alguma cousa; fleo, portanto, eu devendo rae-
de permittir a entrada em territorio estrangeiro, e
de facultar a entrada em nosso territorio, dentro
de una zona determinada, s autoridades encarre-
gadas da polica fluvial.
Differentes paizes civilizados teem admittido
facilitar urna operacao de crdito que o governo esse modo salutar de reprimir o contrabando, m-
tentava, propondo ao commercio cobrar os direitos dianie a aeco isolada ou collectlva das aulori-
Por decreto 5 deste mez foram nomeados ca-
commercio, em que podero communiear com a valleiras da ordem de S. Bento de Aviz os rapilaes
trra as embarcarles que no curso de sua viagem, Constancio Dias Martins e Fernando Carlos'France
necessitarem reparar avarias, prover-se de combus- ------ '
ti veis ou de outros objectos indispensaveis. I Por decretos de 7 do corrente foram nomeados-
. iXd? T Presid-n,es d0 & Amazonas I O ju.z de direito Sebastio Cardoso, para ehbfe ios". "ESZbm? o^oTT^deS""VK
tao!BI?adeSSes p0D,05 sa,TO ser"Pre a a^r- Plc d0 Provincia das Alagos, ficaudo sem sera honra vale ma mo?rer eu nao se ai.eiS
vaeao do governo permiti outro sim o governo effeilo o decreto de 20 de agosto deste anno que o de mim Pede a Deas
imperial, e por via de reciprocidade, em altenro s nomeou para iguil cargo na do Amazonas ;
necessidades do commercio, que ahi se pudossem O juiz de direito >alustiano Orlando de Araujo
descarregar gneros peruanos e receber gneros Costa, para chefe de polica da provincia do Ana-
nacionaes. | tonas.
pastarte poderao flear estes portos interme- ------
diarios, at certo ponto, habilitados para o commer-' Pelo ministerio da fazenda foi expedida com a
eio peruano brasileiro. ; a dala de 29 do passado a circular seguinte :
Nos outros artigos,o decreto acompanhon fiel-' t Transmiltindo V.Exc. para sua intelligen-
mente as clausulas da convenci fluvial celebrada ca e exeruci, es exemplares inclusos do decreto
com o Per, desenvolvendo as medidas de polica n. 3,321 de 21 do correte, que indulta os contra-
lluvial, que nellas se contm, taes como as con- ventores do art. 10 da lei n. 1,083 de 22 *2Z22 '*'?r dasembar?oes,s arriba-:agosto de 1880, e de decreton. 3,323 de 22 do cadeira de anatoma topographira, medicina ope-
das o nanfragios. dos passageiros, e as providencias mesmo mez, que regula novamente a emtssao dos rtoria e apparelhos da mesma faculdade por as-
repressivas de contrabando. ttulos ao portador, julgo opportuno fazer algumas sim o haver pedido ".uiu*ue, pur
t/n,Attenlas S eond'5es de llidado a outras observacoes a V. Exc. sobre as disposicoes do ul-1 Por cartas mpenaes de 9 deste mez foram na-
na urna providencia no sentido | timo dos referidos decretos. | turalisados cidados brasileiros os subditos portu-
e a Ueus pelo teu amigo, que deveria
andar sempre comtigo.Cala-te por era, mais cedo
se saber. Em casa do Furlado est urna caixa.
Sou leu amigo.Jos Fel.x da Cunha Santos.
Abaixo estao as seguintes palavras riscadas :
As 7 horas, no dia 10, te procurei no largo do
Roci.
t
Por decreto de 9 do corrente foi transferido o
lente da cadeira de autonoma geral e palhologia
da Taculdade de medicina do Rio de Janeiro, Dr.
Francisco Prxedes de Andrade Pertence, para a
da Cnnha prallco-mor da barra e porto da provin-
cia da Parahyba.
Da ordem do dia n. 423 publicada ante-hontem
pela repartirlo do ajudanto general, consta o se-
guinte :
Noraeac5es. Dos Srs. : chefe do seccao da !
directora geral desta secretaria de estado, Maria-
no Carlos de Sonta Corra, para o cargo de direc-
tor geral da mesma directora. Decreto de 29 de
outubro findo. .
Coronel do corpo do estado-maior de 2' classe
Jos Vicente de Amorim Bezerra, para inspeccio-
nar os corpos estacionados na provincia da Baha.
Em 13 do mez prximo passado.
posicao por nm movimento estratgico. O lempo
apurar a verdad*.
A' declaracao do bloqueio dos portos do Uruguay
pelas nossas torcas navaes respondern) os dipl-
malas eslrangeiros que aguardaran) instrurces
dos seus respectivos governos para rerooheee-lo.
-em embargo, lornnu-se cffectivo o de Sallo e Pay-
sandii, como se v da seguinte notificacao, dirigida
ao commandante de um navio de guerra inglez alli
estacionado :
Commando da 3* divNo naval do Brasil no
Ro da Prata. Paysand, 8 de novembro de 1864.
lllm. Sr.O abaixo assignado lem a honra de
informar a V. S. qup, pela razio geralmente ronbe-
1* lente do corpo de engeoheiros Dr. Bento ofgar-se e governo de nMvMn as justas
is Ribairo Sobragy, para flear dispo>eo do remaCo>s do imperio do Brasil, por offrnsas de
inislero da agricultura, commercio e obras tiu- .a a esl*,''', na rti-rnila.le, o governo de S M.
JO;
min
blicas.Em 5 do corrente mez.
1 cirurgiao do corpo de sade Dr. Olegario Ce-
sar Cabuss, e 2o cirurgiao do mesrao corpo Dr.
Levino de Bastos Varella, para servirem, este na
provincia de Pcrnainbuco, e aquello na da Babia.
Avisos de 5 do corrente mez.
o Imperador do Brasil, consecuente rom o princi-
pio eslabelecido de nter uso de medidas tm m-
vas ate que aquelle governo M resolva a offererer-
Hie as satisfacf.es evidas, manda desde esia daU
li!|uem rigorosamente bloqueados os porlos do Pay-
u e >allo, e que seja mantido o htoqnno en
da alfandega adiantados, com lo abalimento de 20
por canto, propesla i|.- nao achou acolhimenlo por
ora, nao obstante a eloquencla desenvolvida por
dades fiscaes de ambos os paizes limitrophes.
O governo imperial, inscrevendo-o no decreto,
nada mais fez do que seguir um templo, que re-
Carreras na reuniao de negociantes que concorre-; vela ate onde podem ehegar actualmente as rea-1 banco do Brasil e suas calxs filias (lei n. 683 de
ram ao seu appello. Os apuros por dinneiro sao yes de amizade entre as oacies, e demonstrar a! 8 de julho de 1853, art. 1* 6), de assignanles da
sua necessiaade, no interesse do commercio licito! alfandega (regulamenlo de 19 de setembrode 1860,
dos estados ribeirinhos, provocando o indispensa
vel accordo dos
O art. 2 deste decreto no seu paragrapho un-' guezes :
co ennumera os ttulos ao portador, cuja emisso ( Antonio Pinto, Domingos Francisco Leite Gui-
pormittida pela legisiacaoem vigor independentede: maraes, Joaquim Pinto de Souza, Jos Francisco
autor.sacaodo poder legislativo; conseguintemente de Oliveira e Silva, Jos Marlins de Souza e o sub-
V. Exc. reeommendara as autoridades judiciaes e *
administrativas dessa provincia, assim policiaes,
como fiscaes, que, sob as penas da lei, cumpram
fielmente o art. 4 do mesmo decreto a respeito das
letras e quae^quer ttulos ao portador, com praso
ou sem elle, que nao sendo bilhetes do thesonro do
mu grandes, e o governo de Montevideo capaz
de sacritlrar ludo para obte-lo. Pobre paiz I
Para mim fora de duvida hoje a exi.-lencia da
tarta em que Ihe lallei cima, por que a imprenta
ji ventila a idea da conveniencia de mandar-se um
agente confidencial a essa erie. A mesma im-
prensa annuucia que a nossa torca se retirou Cerro Largo, a garante esta noticia accrescentando
que ha mudanca de poltica de nossa parte.
Chegam hoje noticias de Urucuay que sete mil i limo, desde quando ambos comecaram
Paraguayos uiarchavam para a fronteira do Estado nar.
dito inglez Amablo Mercieca.
Por decreto do mesmo dia 9 foi feta a merc do
ttulo de conselho a Mariano Carlos de Souza Cor-
rea, director geral da 1* directora da secretaria
de estado dos negocios da guerra.
respectivos governo sobre lo
imprtame assumpto.
Creadas por esta forma as mesas das rendas de
Manos e Tabatinga, cuidon o governo de as fazer
installar quanlo ames.
Coube-me a salisfacao de inaugurar solemne-
mente i desta cidade no dia primeiro de jnnho ul-
a funceio-
Oriental com nm numeroso parque de artilharia li-
feira. Pessoas bem informadas dizem tambem que
'rquiza declarara que com esta gente ira breve-
mente ao Rio-Grandu. e depois voltaria a Buenos-
Ayres. Sem dar inteiro crdito a estas noticia,
retiro-as para chamar a atlenc'io publica sobre
-Has. Convem estarmos preparados para urna
grande guerra ; se ella nao tiver lugar, melhor ;
mas nao choremos o dlnheiho que gastarmos para
nos poupar um rev/ no Rio da Prata.
A forra brasileira qne est prxima ao sallo
ompe-se dos voluntarios do general Nelto. O
exercito anda nao passou a* Estado Oriental, ex- i
eepio a terceira brigada, que tomou o Cerro Largo.;
O bloqueio est effectivo e nao encontra imped-;
ment. Os agentes estrangeiros em Montevideo re-'
ferram seu reconhecmenlo aos respectivos gover-
nos.
O coronel Palome |ue e varios efflciaes segui-1
A da capital acha- se estabelecida em urna casa
alugada para esre fim. O edificio vasto e os seus
armazens, sendo praximos ao rio, faeilitam o ser-
vieo da carga e descarga.
O pessoal de cada urna das novas repartieres,
compe-se de um administrador, que ao mesmo
lempo Ihesoureiro, um esenvo, um escripturario, I penas da lei, afim de que procediio com todo o ri-
' art. 595 !) letras hypolhecarasdas sociedades'
de crdito real, quando se estabelecerem (lei n.
1,237 de 24 de seterabro de 1864 art. 13 3 e *>)
nao se achem enumeradas no dito paragrapho ni-
co, que se refere :
! Aos bilhetes dos aetuaes bancos de circula-
cao creados por decreto do poder executivo,
2.* Aos recibos e mandatos ao portador' contra
os bancos e banqueiros (le n. 1,083 de 22 de agos-
to de 1860, art. I- >0.)
Assim, pois. para evitar irregularidades e vexa-
mes V. Exc. dever declarar s mencionadas au-
toridades quaes os ttulos ao portador, que, na
conformidade do que fica exposto, podem ser emil-
tidos eapparecer na circulago sem dar lugar ao
precedimenlo da apprehenso, e imposicao das
porleiro e tres guardas ; mas s a daqui o lem
completo. Falta de Tabalinga e escrittnrario,
cuja designacao nao tractei de requisitar, por vir-
tode do insignificante expediente da reparticao, e
seu nenhum rendimento.
A' frente da da capital est o primeiro escriptu-
rario da thesourana de Matto Grosso, Antonio Ho-
norio Perreira, que serve em commisso desde o
dia 8 de junhe, desempenhando as funecoes do
seu cargo com dedicaciio e zelo dignos de lou-
vor.
A'requisicao sua, designei para servir em com-
ram para o Salto, apezar de saberem do bloque misso o lugar de escripturario, o chafe de seccao
aqu. Pretendem desembarcar
na Concordia e
passar para de tronte.
Urna torea de duzentos homens, que sahio hon-
tem do Paysand, entrn em FiNy Benlos, e de-
gollou urna pequea guarda de dez homens, que o
general Flores alli havia deixado.
Leandrr Gomes foi por trra ao Salto. Parece
qae se trata do abandono desta villa.
INTERIOR.
tUtZOMK.
Kelatorio aposentado assembla legislnliva da
provincia do Amazonas, na sessao ordinaria da
ide outubro de i $6 i, pelo Dr. Adolplio de
Barros Cavalcanli de Albuquerque Laeerda, pre-'
sidente da mesma provincia.
(Conlnnaco.)
MSGLAMENTO FLUVIAL MESA DE RENDAS i
da admiostracao da fazenda provincial, Jos An-
tonio de Andrade Barros, por ter passado a eier-
eer o emprego de escrivo apessoa designada pelo
Exm. presidente do Para, na forma do artigo 7 do
regulamenlo especial, para oceupar aquelle pri-
meiro cargo.
A repariieo vai marchando regularmente,
despeito de pequeos embarazos, qne procedem da
ra vootade de alguns, e da preveoeao infundada
de outros ; prevenyo que pouco a pouca ir ce-
dendo, sem duvida, o passo a opinioes mais justas.
Passando de chofre do estado de franqueza e li-
berdade absoluta para um systema de fiscalisaco
regular, era natural que o commercio extranhasse
as formulas a que pela primeira vez via-se sub-
metlifo, julgando-as ou vexatorias, au arbitrarias
Foi com efleito o que aconteceu ; mas a practica
depressa convencer d quanto promove as rela-
yoes e favorece o commercio.
As rendas internas, cargo at entao da roliec-
tora geral, hoje extincla, passaram a ser arreca-
dadas por esta estaca, datar do exercicio cor-
rente.
De conformidade com o disposto no regulamenlo
por acta
Ihorar e d .senvolver.o sy>,ema fiscal a.doptado pe-1 l^f^Z.l rSZ&VSSA'i
lo regulamenlo de 19 de setembrode 1860, com re-
lac.o uavegaco e coininercio do imperio e a re-
publica do Per pelo rio Amazonas, lovou o gover-
no expedir o resrnlamento especial que baix-iu
ora o decreto n. .1,216 de 31 de dezombro do an-
no passado; Arando ansim cumprida por nossa
parle a obrgagao contratada pelos arts 2 e 4 da
convencao celebrada com o governo daquelle esta-
do, em 22 de outubro da i858.
No tpico do ultimo relalario do ministerio dos
polica, tosse desempenhado dali em dknte pela
mesa de rendas.
Tendodo dar rumprmento ao artigo 'jotres
gulamento lluvial, designei os pon(p/de villa Bel-
la da Imperatriz e Serpa, no Afflzonas, e Coary,
Tef, Fonte Boa, S. Paulo de 0,'iveuca e Tabatinga,
no Solitudes, para escala ou arribada, em que, fra
dos port.s habilitadas |iar' 0 commercio, poderao
communicar com a Ierra as embarcares que ne-
ces negocios estrangeiros que se refere ao assumpto, e : ,""" "Ji vr "u. i"yc,- UD
qne 8.(1 transcrevo, encontrareis sufficieniemente : n,. V V* 9U,,ro'i objectos indispen^aveis
desenvolvido o pensamenlo do governo imperial I'0> '.'ros relativo ao periodo de 10 a 30 de
respeito. jjm'Dfcy vu-se (jup, neste praso, a importacao dos
Nes.-e'documento, diz o Exm. ministro de^cf*6"8 estraageiros que pagaram direitas de con-
trangeiros, referndo-se aa regulamenliK'a lG 2' 1% .JKI alla de, carla dH nla> or.C em
de 31 de dezenibro : ^ 48:804^076 res; e a dos que pagaram 1 112 por
Coiisignam-sa neste aeljuJ eoverno todas as l de "J'edienteem 807,5157 res ; montando a
vantagens ()ue no estado^ua| de80S,a ,egls|aeao M& dS gener3 estraD8eiros em......
e hnancas, possiveHnr ora conceder s erntnr- 1J-0,,*Z'
r A importacao dos gneros nacionaes procedentes
do Para, eque papa ram 1/2 por cenlo de expedien-
te, foi de 19.7205362: e a dos despachados livres
deste imposto, de 3:33433811; sendo a importacao
de ambos igual 23:0543742.
Do I er entraram productos no valor de........
12:7603 0i>, o que eleva a importacao total no re-
ferido periodo somma de 85:4255969.
A expedico realisada para o Para dentro do
cacoes |ieruag.
Comij^acurso do lempo, e depois que forem
ehsullados es interesses dos dous paizes, se faro
as alteracoes que convierem.
Experto assim o pensamento que levou o go-
verno imperial a expedir pelo ministerio da fazen-
da o regulamento fiscal provisorio, que baixou com
o mencionado decreto, dar-vos-hei eonla dos moti-
vos em que se fundaram algumas do suas Uisposi-!
cocs.
Os arls. 2 e 3, combinados com o* arts. 8 e 9
concederam as embarcares peruanas as vantagens;
que cabiam no possivel, em vista da legislaco vi-
gente.
Sendo especialmente de transito o commercio
i mesmo espaco de lempo moslra ser de 21:9453. A
' dus gneros nacionaes para os portos habilitados
da provincia foi de 3:6413000 : e a dos estrangei-
ros para os mesmos portos do 27:5345552.
Nao excedeu de 1:4045000 a exportarlo para o
Per.
pelo Amazonas, o governo imperial ordenou, pelo .BA??ra E"! .!L\ePM?.?lLgto' por fon-
aPrt. 4-, que li vissefr, plena eAao no Par'" as | "TfiSLUfeSa de ^5m *
disposicoes do regulamento das alfandegas, relati-
vas ao enireposto publico, J creado no porto da-
qoella provincia.
c As formalidades do commercio de transito se
acham desenvolvidas nos arts. 622 a
regulamento.
Bllsl**
-p 0 o/o o ^ -*
< _

CJ
o.
w
3
PJ
M
O
?
M
S. 0 v -a .
SS.. a.- 2 rr^
oo
B
;
?>
Com|iarada urna cifra com outra, v-se que a ul-
tima punco excedeu a metade da primeira.
Resulta destes dados que, no prazo cima, o mo-
1 vimenio dos valores do commercio pela mesa de
62"dodlto'rendas da capl,al sabi0 a 139:9345z-
j Alm de taes mercadorias, foram mais manifes-
O governo imperial ficou de fazer alteracoes ,ados 728 vo.ll,mes de.valo,r nao cnheHdo nave-
no sentido de modificar este rgimen; e deltas ad?s etn transil do Para ')ara a reDubllca do
teem de aproveitar-se as embarcares que lizerem; ^u' .. > .
o commercio com o Per. 1U A receita arreradada de 10 de junho a 16 de ju-
t Nao foi, porm, possivel prescindir da caucao !ho ,mPrtou em 3:0813515. como se v do quadro
dos direilos de consuuio que devem flear sujeitas Junla
as mercadorias, que com transito liverem de passar
pelo territorio o imperio.
E' urna medida de prevenco para arantelar
abases, observada nos regulamentos estrangeiros, e
em alguns at com mmlo maior rigor.
De dous modos pode ser prestada esla caucao,
segundo o arl. 6i2 do regulamento d3s alfandegas,
oo em valores, en em documentos de crdito.
t Como quer que seja, a conveniencia de evitar-
se aquelles abusos Justiflra urna tal exigenria, fcil
alias de satisfazer, ao menos no ultimo caso, at-
teoto o movimento commercial, que trar o desen-
volvimenlo das relacoes ntreos dous paizes.
< O art. 31 do decreto torna extensivos aos trans-
portes da mariuha militar peruana os favores e
franquezas de que gosam, e anda dos que houve-
rem de gosar, os paquetes vapor das linhas re-
gulares transatlnticas.
< Estes vapores estao, verdade, iscntos de cau-
cao pelo art. 613 3 do regulamento das alfande-
gas ; mas nicamente quanlo s mercadorias que
s5o transportadas nos mesmos vapores, e baldeadas
nos portos do Brasil para os do Rio da Prata.
i Ha ahi urna conlinuaco da viagem, e nada
mais; nao ha transito pelo territorio do imperio.
c Se forem constituidos os enireposlos brasileiros
feico dos enUvposlos europeus, o cwmmercio
peruano, no entreposto do Para, Jicara sensivel-
mente favorecido.
As embarcrc5es peruanas irao comprar ao en-
treposto do Para os gneros estrangeiros aGm de
reexporta-los, em transito, para o Per, e poderao
tntao fai-lo, independenlemente do pagamento
dos direitos de reexporlaco, e apenas com o onus
de ama armazenagem, e da caucao dos direitos de
consamo, sem fallar as despezas de portes e ou-
tras ioherentes todas as operacoes de commercio
martimo.
a Pelo decreto imperial foram limitados aoPar, tagem desta mesa de rendas, no annexo n. 2 do
Minaos e Tabatinga os portos Ouviaes brasileiros, regulamento de 19 de aetembro de "860.
Habilitados para o commercio dos navios peruanos. Do movimento da de Tabalinga nenhuma infor-
a As mesas de rendas de Manaos e Tabatinga, naco recebi, parecendo me, entreunto, que mui
s3) os pontos principaes que por ora parece exigir pouco ou quasi nada na arreradado.
o commercio entre os dous paizes, nao fleando in-1 iConlinuarse-ha.)
3
o
B
Si 8
u>
S Q.O-
o t
US w ^
va 2
8sl8
ilii
i rpri
WCl*
Moceo
6.6.
> co

co si
cj-*> to
cr. i* la ^;
UOC^vlotU
a
gor contra os que naoesliverem comprehendidos
em qualijuer das classes cima referidas.
A data de 14 de setembro, do que trata o artigo
7 do decreto n. 3,323 foi fixada da ultima fallen-
ca de casas bancadas occorrida na corte; refra-
se portanto a corte e nao s provincias, nestas de-
ver ser o que determinarem o* respectivos presi-
denles para o indulto em virtude do artigo 5 do
decreto n. 3,321 de 21 do corrente. E recomraendo
especialmente a V. Exc. que participe a este mi-
nisterio, na forma das ordeos em vigor, nao s a
data da publicacao dos citados decretos nessa pro-
vincia, com oa que flxar nos termos do dito arti-
go 5.
Chamo agora a attengo de V. Exc. para o art.
8* e modelo do decreto n. 3,323.
Tratando da emissao dos ttulos ao portador per-
mitidos pela excepc.o art. 10 da lei n
1,083 de 22 de agosto de 1860, e expedindo esse
modelo o governo imperial leve em vista, atienta a
faculdade concedida pela lei, regularissar o syste-
ma j adoptado entre nos da emisso de mandatos
ou os cheque* contra os bancos e banqueiros para
facihdade ,e h-juidaco de pagamentos que se fa-
ziam tambem por ineio de recibo; extrahidos deli-
vros de lalo, cuja formula, menos legitima emsua
origein, pode anda suscitar duvidas.
Ora, sein obstar a liberdade garantida a quaes-
quer individuos cm conta correte com os bancos e
banqueiros, de usarem da formula que maisoonve-
niento Ibes parecer para as ordens e mandatos de
pagamento, romo expressamente declara a primei-
ra parte do art. 9o do decreto, podem os mesmos
bancos e banqueiros contribuir para a boa ordem
e n-gularidade das operages, e auxiliar a autori-
dad publica na represso dos abusos, fornecendo
aos seus clientes em conta corrente livros de lalao
segundo o modelo annexo ao decreto.
E porque o fim das disposicoes legaes sobro os
litulos ao portador nao nem pode ser, impr aos
referidos individuos a obngac.o de passar com
clausula >o portadoros seus mandadas e or-
dens Cintra o-,- bancos e anqueru'S, mais ^imd-
conceder-lhes essa faculdade para que a possam
exercer quando julgarem a bem de suas transac-
coes e pagamento, claro que, embora o livro de
talo seja redigidonos termos indicados no mode-
lo, nao liram aquelles individuos inhibidos de pas-
sa-los pessoas determinada, com a clausula
ordem ou sem ella, como quizerem, e assim o
dispe a segunda parte do art. 8o do decreto.
Releva notar que os mandatos oii cheques que
nao forem ao portador nao Hcam sujeitos s re-
gras especias da apresentaejio ao banqueiro
no praso de tres dias, sob pena de perda do
direito regressivo do portador contra o pasea-
dor, eslabecidada no art. Io i0 da lei n. 1,083 da
de 22 de agosto, regendu-se em seus efleitos pelos
piincios geraes do direito vigeote.
Em suiima. qualquer que seja a forma dos es-
rriptos sacados ua mesma praca contra os bancos
e banqueiros, em virtude de conta corrente, e que
fr pagavelao portador nos termos da primei-
ra parle do art. 8* do decreto, deve conter para
evitar a sanelo penal da lei, os requisitos do art.
! do inesmo decreto, exigido* pelo art. 1* 10 da
lei o. 1,083 de 22 de agosto de 1860.
E, pois, afim de preench t as vistas do governo
imperial, V. fc.xc. transmittir tambem aos bancos
e banqueiros dessa provincia urna copia dos rila-
dos decretos e do presente aviso, para sua intelli-
gencia na parte que Ihes diz respeito.
Deus guarde V. Exc Carlos Carnetro de
Campos.Sr. presidente da provincia de....
Por decretos de 9 do corrente foram nomeados :
Foi remevido o juiz de direito Vicente Ferreira
Gomes, da comarca de S. Jos de Mipib, de pri-
meira entrancia, para a do Natal, de segunda, am-
bas na provincia do Rio-Grande do Norte.
Foi reformarlo no posto de tenente coronel o ma-
jor ajudante d'ordens do commando superior da
da guarda nacional da comarca do Itapicurumi-
rim, da provincia do Maranhao.
Tiveram merc da serventa vitalicia :
Joaquim daNalividadeReis Caco, dos offlcies de
2 labelliao do publico, judicial e notas e mais an-
nexos do terma do Penedo, na provincia das Ala-
gas ;
Jos Fialho, do ofilcio de tabelliao do publico,
judicial e notas do termo do -obral, na proviucia
do Cear.
Foi marcado o ordenado de 6003 ao promotor pu-
blico da comarca de Aquiraz, criada na provincia
do Cear.
Ppr decreto de 5 do corrente foi declarado sem
effeilo o decreto de 27 de fevereiro animo, pelo
qua! foi nomeado procurador fiscal da thesouraria
de fazenda do Piauby o bacharel Francisco de
Paula Penna,
Por avisos de 7 do corrente foram nomeados :
O cirurgiao de esquadra Dr. Jos Mara de No-
ronlia Fe i la i para chefe de sade da diviso naval
do 2 dstricto.
0 cirurgiao de diviso Dr. Joao Rbeiro de Al-
meida para cirurgiao do hospital de marinha da
corte.
Foi expedida pelo ministerio da fazenda com a
data de 2 do corrente s presidencias de provin-
cias a circular seguinte :
Em circular n 591 de 18 de dezombro de
1861 foram recemmendadas s presidencias de
provincia certas providencias tendentes ao aper-
fecoamento da estatislica Qnanceira do imperio, e
a igualdade e unitormidade do nesso systema tri-
butario.
Nao tendo, porm, sido satisfactorios, nem lao
ampios como coovinha que fossem, os esclareci-
roentos reeebidos em virtude dessa circular, e de
outra* ordens do thesouro, compre que, com a m-
xima brevidade possivel, V. Exc. remella um qua-
dro, como o do modelo junto, da receita provincial
e da receita municipal dessa provincia ; no qual
V. Exc. far apresentar todas as diversas verbas de
receita provincial, com a indicaco da legisiaro
que as croou e regula, e da importancia arrecadada
de cada urna deltas nos tres ltimos exercicios ;
aponiando a causa de seu augmento ou dimi-
nuirlo.
c Cumpre, outrosim, qne V. Exc remella col-
lecgcs das leis provinciaes dos tres ltimos
annos.B
- 14
Por cartas imporiaes de 11 do corrente mez fo-
ram naturalisados cidados brasileiros os subditos
portuguezes Antonio Leite de Azevedo e Manoel
Henrique Ribeiro, e o subdito allemao Frederico
Hummel.
Expedio-se pelo ministerio da agricultura urna
circular aos presidentes de provincia recomraen-
dando que tenham o maior cuidado em que as leis
urna vez sancionadas, e por virtude das quaes
existiam contractos creando e garanlindo privile-
gios em favor de companhias.quer nacionaes quer
estrangeiras, sejam respeitadas, para que nem pe-
riguem os direitos de lerceiro com a sua deroga-
cao, nem tao pouco se veja a administracao publi-
ca envolvida era pleitos e quesiSes que em laes
circunstancias sao sempre prejudiciaes ao crdito
do paiz.
- 48
Pela secretaria de estado dos negocios de agri-
cultura, commercio e obras publica passou-se o ti-
tulo de engenheiro agrimensor, era virtude das
insiituicoes approvadas pelo decreto n. 3,198 de 16
de dezembro de 2863, ao Sr. extenente de artilha-
ria do exercito Ismael Torres de Albuquerque.
- 6
O Sr. conselheiro Jos Maria da Silva Prannos
vai ao Rio da P/vats encarregado de urna missao
tfipibmacs Junio ao governo da repblica Argen-
tina. Secretario da legac.o o Sr. Dr. Joao Podro
de Carvlho Moraes, director da 2" seccao da secre-
taria de estado dos negocios estrangeiros. Consta-
nos que S. Exc. partir brevemente para aquelle
destino.
17
Por decreto de 10 do correte foi nomeado capi-
to do porto da provincia de Santa Catharina o ca-
pilo-tenente Eneas Justo de Barros Torreo.
Por portara de 15 do corrente foi nomeado
Francisco Rodrigues Bayma para o lugar do agen-
te do correio da villa do Codo, na provincia do
Maranhao, vago por demissao dada a Joao Antonio
de .-ampaio.
Pharmaceuticos alferes do mesmo corpo Irineu lan' 'OBSisiirem as causas que o determinaram.
de Souza Brilo, para servir na provincia de Sergi- a" abaixo assignado esta autorisado por S. Exc
pe, e Cicinio dos Humildes Pacheco, no bosnital ;"\V|Ce-almirante bario de Tamandar, roaa-
que os navio
militar desta corle.Em I do corrente mez.
mandante em chefe, para permittir
de guerra de qualquer nacao, nao obstante o blo-
queio, permanecam no porto, atim de continuaren!
a proteger os seus respectivos concidados residen-
tes ncsla cidade.
0 abaixo assignado aprovelta a npporlnnidade
Demissao do servico militar. Por decreto de 5
do corrente mez foi concedida ao Sr. 2o cirurgiaa
do corpo de sade do exercito Dr. Francisco Bap-
tista da Rocha, por have-la pedido.
Cooderaeao. Foi nomeado cavalleiro da ordem
de S. Bento de Aviz o Sr. capllo do corpo de esta- para aPresenlj|r a V. S. os seus protestos de perfei-
do maior de classe Dr. Jo.- Antonio da Fonseca la cslAima.,e c,'fs|derac.io.
Lessa. Decreto de 20 de outubro prximo passa-' '"m- *"" Cf,mmandante do vapor de gnerra
do e diploma de 22 do dito mez. ,Je s- SktUrt*, commandante .Volt.-alto.
Grao scientifico. Apresentarara carias de en-, "f*2 ""O* ''into- tnefe_da > divido.
genheiros civis os -rs. 1M tenentes do corpo de
engenheiros Joaquim Rodrigues de Moraes Jardim
e Jeroaymo Rodrigues da Moraes Jardim.Carta*
de 22 de Janeiro de 1863, pascadas segundo o re-
gulamenlo de 21 de abril de1860.
50 *.
Das nossas forras de trra nao havia noticia a-
guma positiva, e apenas fotuto qne pe.) depar-
tamento de Taquaremb andavam volunlarios do
general Netlo. O apparecimento de urna das nos-
sas brigadas diante de Cerro-Lirgo e subseqoente
retirada para n Pirahy eraem Montevideo atiriboi-
Foi nomeado presidente da provincia da Ba-!da a novas ordens e mudanca depolitira no Rio de
hia o Sr. deputado Lniz Antonio Barbosa de Al- j J?n'rO| esta idea suggerio a de enviar nrna mis-
meida. sao especial a esta corte, idea que era cal >ro-a-
mente disentida na imprensa, lalvez para apalpar a
opiniaa publica.
Entretanto continuava alli o governo a contar
com o auxilio das pruvincias argentinas de Enlre-
por formar
dellas n'nm
Por decretos de 15 do corrente, foram nomea-
dos :
O desembargador Miguel Jeaqoim Ayres de as-. .
cimento para o logar de procurador da sorda,! R,os e Corrientes, onde se trabalhava
soberana e fazenda nacional, na relago do Mar-! um Par"do favoravel encorporaco
nhao. s estado com o Oriental, e sobreludo a fazer gran-
0 bacharel Ernesto Pi dos Mares Guia, juiz mu- de cabedal das oromessas do Paraguay de nlervir
nicipal e de orphaos do termo do Serr, na proviu- na ',1,a com Urasil. Para robustecer esla crenca
cia de Mina-Gerae. espalhava a imprensa, embora como simples noa-
0 bacharel Constadtino Jos Goncalves, jniz mu- l0> loe j o exerci o paraguayo invadir o Prriio-
nicipal e de orpbos do termo do Cabo-Frio, na do rio brasileiro.
Rio de Janeiro. O presidente Lpez pensar seguramente mais
Oleneote-coronelreformadoSebaslioJosPereira de uma VM ant"s de atirar-se a semelhante aven-
da Castro Sobrinho, para coronel commandante su- ,ara' emDor* continu a dizrr no sen Semanario :
perior da guarda nacional do municipio de Itapicu- *6enles estrangeiros, em Montevideo, lor-
rumirim, na provincia do Maranhao. nam Brasil responsavel pelos.prejuizos qne nma
O capilo Jesuino Luiz da Silva Maura, para te- ta*Mto Pss> fazer aos seus nacionaes eslabeleci-
nente-coronel commandante do batalhao de infan- dos uaquelles lugares, e o Paraguay ver-s-ha na
taria n. 29 da provincia do Piauby. imperiosa necessidade de desempenhar o solemne
Carlos Euzebio de Moraes, capilo secretario-ge- comproroisso que contrado de velar pelos seus in-
ral do commando superior da comarca de Lmela, teresses, nao permitiindo debaixo de nenhum n-
na do Para. lulo a violaco da soberana do povo oriental.
Foi transferido do commando superior de Itapi-' Apezar destas bravatas, a unir cousa que os
curumirim, no Maranhao, para o da Vargem Gran- amigos do Brasil no Rio da Prata pareriam recelar
de, na mesma provincia, o coronel Antonio Bernar- 1ue qan"> r*rde lempo com represals,
Foi expedido pelo ministerio da justica em 31
do passado s presidencias das provincias o aviso
seguinte :
Para regular o andamento e conveniente resolu-
go das quesloes que forem submetlidas ao minis-
terio a meu cargo, e em execuyo de ordens j
espendidas em diOerentcs circulares s presiden-
cias das provincias, recomniendo V. Exc. que,
quando tiver de remetter a esla secretaria de esta-
do papis acompanhados de documentos, d o seu
Juizo cerra da idoneidade dos preiendenles e do
valor dos documentos a que elles se referirem.sub
inini- tr.-iri lo ainua todo e qualquer esclareciineulo
que colher e julgar conveniente.
Recommendo mais V. Exc. que as pelcoes
de graca que devem ser instruidas, em conformi-
dade do decreto n. 2,566 de 28 de marco de 1860,
o parecer acerca da justiraou injusticada condem-
naco, e se o supplicante merece ou nao perdo ou
conimutaco da pena ; nao sraente porque as
provincias onde os crimes sao commettidos ha
maior facilidad*, na apreciagao de sua punico,
como tambem porque, enviados todos os esclareci-
mentos a que alludo, haver menos demora no
preparo das mencionadas petices que teem de
ser revolvidas pelo supremo poder moderador.
diuo Ferreira Coelho.
Foi reformado no mesmo poslo :
O coronel da guarda nacional de Pernambuco,
Francisco Joaquim Perelra Lobo.
Foram removidos a seu pedido :
O juiz de direito Felintho Henrique de Almeida,
da comarca de S. Joao para a do Pilar, de pri-
meira entrancia, na provincia da Parahyba do
Norte.
O juiz municipal e de orphaos do termo de Cabo
Fri, bacharel Jos da Motta de Azevedo Correa,
para o da Parahyba do Sul, ambos na provincia do
Rio de Janeiro.
Foi declarado avulso o juiz de direito Joao de
Souza Nunes Lima, por nao ter entrado em exerci-
cio no prazo marcado, e vaga a comarca de Angra
dos Res, na provincia do Rio de Janeiro.
Foi concedida ao bacharel Manoel Jorge Rodri-
gues, a demissao que pedio do lugar de juiz muni-
cipal e de orphaos do termo da Parahyba do
Sul.
Por decretos da mesma data :
Foi creado no termo de Muan, da provincia do
Para, um lugar de juiz municipal, qua accumular
as funrroes de juiz de orphaos.
Foi cread. na fregaezia de Oeiras. da provincia
do Piaurtj' i?5i)iftrdinado .?a> esatstoo suoerior
da guarda uaeional dos municipios de Oeiras e Pi-
cos, mais um batalhao de infamara com seis com-
panhias e a designacao de 29 d servico ac-
tivo.
Foi concedida ao r. Dr. Achules Varejao a exo-
nerarlo que pedio do lugar de director e redactor
em chefe do alario Oficial ? nomeado para snbsti-
tui-lo o Sr. conselheiro Tito Franco de Almeida.
O governo imperial tendo de proceder a ecc>lha
de um desembargador, exigi, por aviso do minis-
terio da justica, que o supremo tribunal Ihe en-
viasse a lista dos io jaitas de direito mais amigos,
d'enlre os quaes deve-se tirar um que preencha na
relaco do Maranhao a vaga que acaba de dar-se
com o fallecmenlo doSr desembargador Joao Pau-
lo de Miranda.
A lista enviada hontem ao governo compoe-se
dos Srs. :
Hontem de manhaa suicdou-se disparando um
tiro de revolver na cabeca Jos Flix da Carilla
Santos, caixeiro do Sr. David Ferreira Bailar, de
Peroambnco, a cuja ordem viera tratar de nego-
cios na corte.
Deu-se a triste oceurrencia na ra Nova do S.
Domingos, em Niiherohy. Santos ali niorava em
casa do Sr. Jos Joaquun Gomes Abren que par-
lindo ltimamente para Sautos, eixa'ra com o
seu hospede um preio escravo.
Tiuha santos cerca de. 30 annos de idade casar
era Portugal, onde nascra, e desquiland'o-se da
mulher viera para o Brasil e entrara na carreira
commercial.
Activo e diligente, segundo se diz, ganhara a
sympatnia de seu patrao em Pernambuco, e pare-
ca destinado a um futuro feliz se nao o esravisas-
se a paixo fatal da jogo.
Das nformacoes que colhemos consta que anda
I ltimamente Santos recebera de Sr. Bailar nina
ordem, quedevia cobrar nesla praca remetter para
importancia casa de que era caixeiro; fallara
Semelhante rendimento parece exceder as pre- dessa prova do conflanca do seu patrao tencio-
vises da quando se organisou a tabella da porcen-1 nava correspooder-lbe com escrupulosa' exacti-
do... mas nesse interim vieram os parceiros
appareceu a banca, e a ordem foi descornada para'
haver com que jogar. Consta mais que ante-han-
Um os correspondentes do Sr. Baltar nesla corte
encarregarain Santos da venda de uma escrava,
cujo producto foi anda devorado pelas carias. Im-
l. Antonio Ilenriques de Miranda
2. Joao Quinno Rodrigues da
*lva......................
3.* Francisco Elias do Reg Dan-
tas.......................
4. Henrique Jorge Rabello......
8.* Pantaleao Jos da Silva Ra-
mos........................
6 MaiheusCasadodeAraujoLuna
7. Alfonso Cordel ro de N. Lo-
bato......................
8." Joao Caetano Lisboa.........
9 Evaristo Ferreira de Araujo..
1. Domingos Marlins de Paria..
U." Joao Bonifacio Gomes de Si-
queira..................... 17
12. Francisco Lourenco de Freitas
13." Antonio Francisco de Azevedo
14," Luiz Antonio Barbosa de Al-
meida ...................
15." Francisco Vieira da Costa....
o a 0 < 30 8 i/. a 3
-27 10 1
25 i 19
23 6 2
22 l 21
L8 20 4
18 6 3
17 ti 9
17 6 o
17 4 11
17 3 1
16 9 9
16 4 25
13 8 16
li 7 15
Foi expedida pelo ministerio da fazenda em 4
do correnle s thesourarias de fazenda a circular
seguinte :
Carlos Carneiro de Campos, presidente do tribu-
nal do thesouro nacional, tendo resolvido que se
substiiuam as notas de 1005 da 3* estampa, ordena
aos Srs. inspectores das ihesourarias de fazenda,
que, mandando publicar esta resoluco por amn-
elos nos peridicos das provincias e por edilaes af-
tixados em todos os municipios, procedendo refe-
rida substituirs com o producto da renda das
respectivas thc-ourarias, solicitando a remessa dos
fuudos precisos, no caso de defficiencia da mesma
renda ; e remellara mensalmente ao thesouro as
notas qne se forem subslituindo, devidamente ca-
rimbadas e inutihsadas.
Nos annunros e edilaes far-se ha a declaracao
de que era lempo competente se marcar o dia em
que olas que nao liverem sido al ento substituidas.
Para o conselho de investigaco a que vai res-
ponder o Sr. capitao de mar e guerra Gervasio
Mancebo, chefe do 2o districto naval, por causa do
desacato praticado ltimamente contra a nossa so-
berana as aguas de sua jurisdiccao naval, foram
nomeados os ,-eguintes oCQciaes :
Presidente : chefe de diviso Felippe Jos Fer-
reira.
Vogaes : capitaes de mar e guerra Elisiario
Antonio dos Santos e Francisco Xavier de Alcn-
tara.
19
Por decretos de 30 do passado :
Foi desligado do commando superior dos muni-
cipios da Chapada e Barra da Corda, da provincia
do Maranhao, a guarda nacional pertencenie ao
distrito do Riacho, incorporando-a ao commando
superior dos muuicipios de Crolina e Imperatriz, pomposas descripeoes e communtarios que danta
da mesma provincia. victoria faz a imprensa montevideana. Entretanto
Foi creado um batalhao de infamara da guarda outras toldas da mesma cidade, sem fallare.n do
nacional do servico activo, e uma seccao de com- combate, do Flores pura e simplesmenie togado a
- unhas de cavallo na direrco de Cerro-Largo, a
abngar-se sombra do pavilhao brasileiro. As
_ ,. T. I folhas de Buenos-Ayres pela sua parle naoadmii-
Em IS do corrente foi nomeado Manoel Ignacio tem senao que Flores raudasse mais uma vez da
Tomaram hontem grao de bacharel em malhe-
maticas e sc>encias physicas e naturaes os Srs.
Antonio Joaquim de Oliveira Campos. Joaquim Xa-
vierdoOliveiraPimentel e Julin Honorato Correa de
Miranda, naturaps do Para; Luiz Antonio Vieira da
Silva Coqneiro, do Maranhao; Jo.io da Cunha Bel-
tro de Araujo Pereira e Fehppe de Fiuueira Fa-
ria, de Pernambuco; Joao Ribeiro da Silva Jnior
e Joo dos Sanios Marques, da Baha; Antonio Au-
gusto Fernandes Pinheiro, Jas Manoel da Silva,
Manoel da Cunha Sampaio e Cartea Conrado de
Niemeyer, do Rio de Janeiro, Francisco Manoel
das Chagas e Luiz Antonio Paes de Barros Leite,
de S. Paulo; Catao Augusto dos antos Rozo, Fran-
cisca Jos Teixeira Jnior, Domingos Francisco
dos Santos e Manoel Correa da Nlva, do Rio Gran-
de do Sul; Josino dos Santos .Machado, Joao Victor
de Magalhes Gomes, Julio Augusto Horla Barbosa
e Augusto Ferreira dos Reis, de Minas.
- 21
Entrou hontem do Rio da Prala o paquete fran-
cez Saintonge com datas de Buenos-Ayres at 14 e
Montevideo lo do corrente.
No Estado Oriental os oxercitos de Flores e Ser-
vando Gmez enconlraram-se frente a frente sobre
o rio Yi, postado esle na margem do norte e aquelle
na do sul. A darmos crdito a algumas folhas de
Montevideo, deu-se entre ambos, no dia 4, uma ac-
co em que as torgas de Flores foram completa-
mente derrotadas, sendo logo vivamente persegui-
das por espaco de mais de 21 leguas pelas tropas
do governo, que Ibes lomaram uma peca de arti-
lharia e quatro carros do munices, malaram mul-
la gente, fizeram muitos prisioneiros e recolheram
inultos trnsfugas. Aquella peca sobretudo repre-
senta importante e briihanlismo papel em lodas as
paohia da reserva, no municipio da Barra da Cor-
da, da provincia Jo Maranhao.
que pouco adiantam a nossa causa, surja com as
potencias neutras algum conflicto, a coja sombra
venha lambem 0 Paraguay jogar a sna caria. Qom-
ze dias depois de rejeildo o ultimtum, dizem
elles, devia Montevideo estar oceupado por forras
brasileiras.
O nosso correspondente, cuj caria vai publicada
no lugar competente, refere differentes panirnlari-
dades sobre estes successos, b noticias da repblica argentina e dos estados.
Por decretos de 18 e 19 do corrente foram no-
meados :
O bacharel Jos Francisco do Reg Cavalcanli,
Juiz municipal c de orphaos do termo de Piranga,
na provincia de Mina->-Geraes, (cando sem effeilo
o decreto de 10 de ago>to ultimo, que o nomeou
para o de Jannhy, na mesma provincia.
O capitao Galdino Synesio Kenevjdes Monfzn-
ma, major ajudante de ordens do commando supe-
rior da guarda nacional dos municipios da Impera-
triz, Apodi e Porto-Alegre, da provincia do Rio-
Grande do Norte.
Pacifico Jos da Silva Castello-Branro, tenenle-
coronel commandante do batalhao n. 30 da guarda
nacional da proviucia do Piauhy.
Foi reronduzido i> Ji:>obarel Francisco Ferreira
Bannei'ra no Tugar de juiz municipal c de orphaos
do termo de Sanl'Anna do Camiso, na provincia
da Baha.
Foram concedidas as demissoes que pediram :
O bacharel Joao Clemente Pessoa de Mello, do
lugar de juiz municipal o de orphaos dos termos
reunidos do Jardim e Milagres, na provincia do
Cear.
O bacharel Domingos Pinto Franca Mascaronha,
do lugar de juiz municipal e de orphaos do termo
de Sanl'Anna do Livramento, na provincia de S.
Pedro do Rio Grande do Sol. *
Foi creado mais um batalhao de infamara da
guarda nacional no municipio da L'nio, da provin-
cia do Piauhy.
Chegaram hontem do Rio da Prata no paqnete
Saintonge os Srs. commcndado'r Joo AI ves l.oa-
reiro, ministro residente na repblica Oriental do
Uruguay, Henrique Cavalcanli de Albuquerque,
secretario e Benjamim T. de Barros, addido a mes-
ma legaco.
A galera franreza Esperance, em viagem do Ha-
vre para Valparai/.o, e entrada hontem arribada no
nosso porto, traz a .-eu bordo o capilo o 22 mari-
1 nheirns da galera ingleza Tliemaz foyden. que se
! inrendiou na altura de 6,56' lat. 11. 23 47 long. do
O. de Paris.
A Thomaz Royen ia de Liverpool para Mar-
selha.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Pelo vapor OgapOt, rhegado hontem dos portos
de sul, recebemos Jurnaea do Rio ate 23, da Babia
al 26 e de Alagoas at 28 do crrente.
Alm do que publicamos sobre as rubricas ParU
Offirinl, Exterior e Interior, apenas encontramos
o que segu.
Rio un Janeino.Foi exonerado seu pedido,
de presidente de Pernambuco o Eim. Sr. Dr. Do-
mingos de Souza Leao, e nomeado para o substituir
o Dr. Antonio Borges Leal Castrllo-Uraoeo.
Para 1* viee-pre foi nomeado o Exm. Sr. desembargador Anselmo
Francisco Peretti.
Foram nomeados:
Offldal da ordem da Bosa, A. Bonfils, consol do
Brasil emCherbonrg; e cavalheiros da mesma
ordem, Auiede Honlils, agente, e Gustave Boofiis,
chanceller do dito consulado, e J. B. Jouve, vice
cnsul em Toulon.
Sahram para Pernambuco: 16, o brigue
argentino Amitu; I*, a i...na lito patacho portognei Forte; e 20, o brigue bespa-
nhol Voluntaria.
Chegaram, procedentes de Pernambuco :
18, a galera Vmte c sete de Abril, rom 12 das; e a
i3, o brigue Belizario, rom 0.
Baha.Entraram em exercicio, no dia 15, o
lenenle-coronel D. Jos Baltasar da Silveira, de
commandante das armas, e o coronel Francisco
Talles Carvalhal de Mt-nezes, de director do arse-
nal de guerra.
Para a Europa foram despachadas 262 oiuva
do diamantes.
L-se no Jornal:
A galera norf americana h'ate Prince, que hon-
tem (23) chegou de Cardiff, com carregamaolo 4*
carvo Irouxe 4 Individuos, inclusive doassenho-
ras, e uma creanea, que Ihe foram |>ostos bordo
pelo vapor confederado Shenandoah, e que perlen-
ciain aos navios capturados Ckatler Oec, de Bos-
ton para S. Francisco, e Suzan, de Cardiff rara
Rio-Grande. Do commandante obtivemos o seguinte
relatorio:
Galera h'ate Prinee, de Portsmootb, Xew
Hamsphire, 995 lons. cap. Libbey, sabio de CardiaT
em 30 de seiembro.
< No da 6 de outubro lat 33* N. long. SI O.
falln rom a barca hollaodcza Zet Nimtpk aja
le va va 9 dias d'Amsterdam para Hala via.
No dia 28 lat. 14' N. long. 27 O. falln coas
barca bollandeza Maria, que levava Si da* da
Amsterdam para o Japo.
No da 2 de novembro mela noole Ul t
30' N. long. 28* 30' O. enrontrou om grande vapor
vella, o qual cem jardas por barlavenio, deu-H
.
MUTILADO


.
Diarlo de Fctxambtie* guara elra 39 4c Xorcnibr e i 94.
/
um tiro de pega, e levantoa a bandeira dos Esta-
dos Confederados : perguoiou o nome do nosso
navio, e depois de lhe termos respondido, rean-
dou-nos por a capa, o que Ilzemos e ento man-
doa no a bordo un bote armado e tripolado, que
nos inlimou sermos preza do dito vapor, que disse-
ram ser o Shenandoali, corsario dos Estados Coa-
federados, que ordenava aos nossos capilo e pilo-
to, que fossem ao spu navio levando os papis do
kate Prtnce, tirando no rommando deste o offlcial
da preza. commandante cooferado achando nm
documento que cerlilicava a neniralid.i le, exigi
do capilo una garanta de 40:000 dollars, dada a
qual o Kate Pnnce foi livre, e o commandante
confederado poz-lhe bordo o capilo Gillman, e
sua senhora, a Sra. S. Gage e Glho de qualro
annos, o pi.oto L. Burgess, rontra-mestre C. Bearse,
dispenseiro F. Kocias, I. M. Sampson, 1. Mooroe,
I. Eanis, todos pertencentes escuna Chaster Oak,
de S. Francisco, tomada e destruida no dia 5 de
novembro lat. 7* N. long. 27" 3' O. e tambero o
cap. F. W. Hansen, H Payne, piloto, C Henshell,
eonira-mestre, S. W. Dunn, dispenseiro, todos per-
tencentes ao brigue Suzan, de New-Yorck, captu-
rado e destruido no dia 10 de novembro lat. 4o, 30'
long. 26* 40' O. ao todo 14 pessoas.
O Shenandoah era um navio de 1,100 tons., e
forca de 250 cavallos, eom urna bateria do 4 pecas
lisas de calibre 8, 2 de 32 raiailas, e 2 de '2 tam-
bem lisas. Era o navio Soa King, pertencentes
compaoliia de vapores de Londres, Bombay e
Calcuta: construida por Stevens e Sons de Glascow,
m 1863, deitando onze milhas, e tendo rnenle
43 homens alm dos officiaes, na maior parte in-
glezes despachada de Londres, para Bembay em
setembro do crrente anno Doclarou que tinlia
tomado a barca lelena, do estido de Maine, capi-
to Suples, e a barca E. Godf-ay, cuja tripolar;.
foi posta bordo de um brigue ilinamarquez, em
viagem para o Rio de Janeiro
O capilo Wardell e os oficiad do Shenandoah
trataram-nos com a civilidade possirel em taes
circunstancias.
O cambio ticava : sobre Londres 2G '/, 26 Vi
d. por 13000; sobre Paris 350 rs. por ir.; sobre
Hamburgo 65 rs. por m. b.; e sobre Portugal 97
e 98 %
Saiiiram para Pernambuco : 12, a sumaca
Uovlencia; 10, e brigue nvensnel; i 7, o bri-
gue Olmda; e 24, a polaca hespanhola Via-
geiro.
Cbegaram procedentes de Pernambuco: a 21,
g biate Dous Amigos, com 3 das ; e 22, o brigue
remense Clarissa, com 3.
>Ktu:iPK.Le se no CoiTeio Sergipense :
O hiate nacional Atlntico Meridional, proprie-
dade de Manoel Goncalves dos -antos, morador
em Porto-Seguro da provincia da Bahia, estando
carregado com 2C duzias da taboado de lonro c 6
toros de cedro e vinhatic.o, perdeu-se na barra do
Vaza-barris no da 9 do correute na occasiao da
saluda.
c O hiate logo que deu sobro os baixos do sul,
em consequencia da correoteza da maro que vasa-
va e da escassez do vento, batea fortcmente com a
quilha, adornou de lado e acamou-se de forma a
tirar toda a esperanza de o salvaren).
t A tripolacao esrapou a nado' porque a lancha
de bordo, em que embarcou-se ella com os papis
do navio e algum dinheiro, afundou-se por nao
poder resistir ao grandes ressacas que fazia o
mar.
i Da carga sabemos que o prejuizo nao passou
de meia duzia do taboado de louro, visto como
cost veio ter o restante da madeira que foi apa-
chada pelos respectivos marinheiros
Alagoas-Nada occorreu, que mureca raeneao.
2S:2O0O78
Consnlado provincial.
Rendimentodo dia 1 a 28......... 62:382463o
dem do dia 29................ 2:03IJilJ
Mara Eugenia da Silva, Para, 30 annos, solteira, dem do di 29................ M45J616
S. Jos; parto.
- J8-
Felippe Nery de Sonza, Pernambuco, 50 anaos,
solteiro, Recite ; apoplexia fulminante.
Avclno, Pernambuco, 18 mezes, S. Jos ; gastro
enterite.
Manoel Severno do Naseimento, Pernambuco, 32
annos, solteiro, Boa-Vista ; estupor.
Francisco Blanda, Frasca, 40 anuss, casado, Ra-
do i cerebrte.
Theodora dos Santos, Pernambuco, 70 annos. viu-
va, S. Jos ; congeslo cerebral.
Mauricia Mara da Conceicao, Pernambuco, 40 an-
nos, casada, S. Jos ; bexigas.
Pedro Antonio de Barros, Pernambuco, 105 annos;
solteiro, S. Jos; velhice.
54:4145048
MOYIMENTO DO POETO.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
Pedido.
Pede-se ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia que mande pagar' o -oldi da guar-
da nacional aquartelada vencido em 15 do
correnle, pois clamor geral e nunca visto,
s guardas nacionaes.
Navios entrados no dia 29.
Rio de Janairo e escala5 dias e 20 ho-
ras sendo do ultimo porto 10 horas, pa-
quete a vapor brsileiro Oyapock, de
H>80 toneladas, commandante Antonio
Marcelino de Ponies Ribeiro, carga di
versos gneros; consignda a agenciad
companhia de -paquetes brasileiros.
Para33 dias, hiate nacional cGaribaldi.
de 109 toneladas, capito Custodio Jos
Viaima, equipagem 8, carga Tarinha de
trigo e outros gneros; a Tasso & Irmao.
Aracaty-H dias, hiate bnsileiro tSanta
Rita*, de Oi toneladas, capito Joaquim
Antonio de Figueiredo, equipagem 6,
carga algodo e outros gneros; a Tasso
A Irmo
Navio sahido no mesmo dia.
Ao merltissimo tribunal do
commerelo.
Quando a inveja e a ambico procuram crear
troperos com que ccvem seus designios, esquecem
os inais saos principios de Justina, talo aventara
com tanto que possam conseguir prejudicaradqui-| ParaHiate brasiletro de gera Rio de
rdos dreitos. Contas, commandante o primeiro te-
Assim que nao podendo a acanhada e pobre {e joaqum Fontoora Pereira da
praca de Macei comportar mais do que um agente r h '
de leudes, para o qual mesmo nao pode baver tra- | ounud.
balho, cujos fructos possam remunerar as despezas UDSenacao.
e adigas indispensaveis para a aquisiglo deste of- j rjordeja no Lamaro urna barca franceza
licio, apparece sollicitando mais um outro preten-
denle, alm do agente de leiles que j ali existe. -
Fortunato Benjamm Lins de Vasconcellos, sern
as precisas habilitacoes, sem a necessana aptidao
e at sem os requisitos exigidos pelo artigo 36 com-
binado com o artigo 68 do cdigo do commercio,
sollicite matricularse agente de leiloes em Ma-
cei II i
E o que mais pretende provar os requisitos l-
gaos com officiosos attestados, concedidos Torca
de empenhos, embora sna idade se aehe provada
ser menor de t9 annos, como exuberantemente o
mosira a cerlidao do parocho, abaixo publicada.
O meretissimo tribunal do commercio, recio co-
mo em suas decisoes nao admittir a matricula
PERftAMRUCO.
EDIT1ES.
RSVSTa diaria.
Amanhaa pelas 10 horas do dia toma posse da
adiniuistraco da provincia o Exm Sr. deseinbar-
gador Anselmo Francisco Perett,
competente juramento na cmara municipal.
O precedentes honrosos de S. Exc. e a inle reza
do seu carcter garautem um governo Ilustrado,
justo c iinparcial.
Eui juntados professores do Curso Commer-
cial Pernainbucuno, *ob a presidencia do Sr. Dr.
director geral da instrueco publica, foi honlem
resolvido <|ue eomecassem os respectivos acto no da
dia 9 de dezembro prximo, devendo seros pontos
tirados no da 8 pelas 10 horas da manlua. e sen-
do examinados i alumuos por dia sem distncao
de anuos.
Amanhaa sao examinados, na i* escola pu-
blica do sexo masculino desla freguezia de Sanio
Antonio, os alumnos Francisco Xavier Carneiro,
Alfonso Lucio de Albuquerque Mello, Maximino
Francisco Ferreira, J. Jacoine de Araujo, Pedro Ce-
lestino de Brito Macedo, Francisco Christiano Go-
mes e Joo GoOQalvcs dos Santos.
Informain-iios que as medidas que servem na
ribeira de S. Jos nao eslo afondas, dando-se Del-
tas por conseguinte escandalosa irregularidade,
alm de mais urna vez realisar-se com isto o aoe-
xim de que em casa de erreiro espeto de uiu.
E' preciso que se verifique seinellianle informa-
5'io, atim de se providenciar, caso seja ella exacta,
convldde outro siui que .-e trate de indagar qual a
causa de oppr-se atferieao das mesraas medidas
uii guarda municipal, que ali ha, como se nos diz
que elle ha eTto.
Ao nos.-o amigo capito Francisco Raphael
de Mello llego, que desta provincia seglo a MJ do
corrate para a do Amazonas, foi concedida em
data de 21 una licenca de qualro mezes. rremos,
porlanlo em breve entre nos esse digno militar.
Amanhaa se exirahir a 3.' parle da 10.* lo-
tera da matriz da Boa Vista (118), sendo o maior
premio 6:000fi000.
Passageiros do vapor nacional Oypooelc, en-
trado do I'.io de Janeiro e portos intermedios : Dr.
Luiz Felippe de Souza Leao, sua senhora, 2 cria-
dos e 2 e*eravos, Jos Antonio de Figueiredo J-
nior e um criado, Bcnjuiim Antonio da Rocha Fa-
ria, sua senhora, urna criada e dous escravos, Pe-
dro Camello Pessoa, Dr. Guilherme Marques Ba-
calho, D. Anna Joaquina Nanea dos Passos, Osear
Ferreira dos Santos Lima, Augusto Carlos Monte-
negro, Umbelino Antonio da -ilva, Augusto Jos
de Alencar, Dr. Lodovico Correa de Ollveira e um
escravo, Clara Adelaide Paes de Andrade, dous
filhos e urna escrava, Augusto de Hollanda Trajano
Ciiacou e um escravo, Antonio da Silva Ferreira
Tijtre, Dr. Maaoel de Almeida Pernambuco Filho,
Joao de Almeida Pernambuco, Jesuino Pinto de
Meirelles. l)r. Jos Antonio Magalhes Bastos e um
escravo. Dr. Manoel Lourengo da Silvelra, Manoel
Francisco Pinto, Joo de Almeida Monteiro, Fran-
cisco Guncalves Torres, Joao de Carvalho Raposo,
Joo Nunes Trigueiro, Joo Vasco Cabral, Francis-
co Marques de Figueiredo, teenle-coronel Dioni-
sio Rodrigues de Mello Castro, Francisco de Arau-
jo Lopes, Antonio Victorino Avila, Fortunato Ben-
jamm de Vasconcellos, Pedro da Silva Reg, Joo
Bacellar de OUveira, Romo Fernandes, urna praca
da armada, duas do exercito, Bernardino Gomes de
Carvalho e sua senhora, Jaime Esoaty, sete msi-
cos, um escravo de Joo Francisco Xavier Paes
Brrelo.
ERRATA.
Na correspondencia publicada no Diario n. 173,
na lintaa 12, onde se t : com procedimento, lea-se:
com um procedimento na linha 20, em vez de :
ara r lintaa 35, em vez de caes cans. ...,.
sovimento da casa de detengao do da 23 de
novembro de 186*.
Existiam....... 3o4 presos.
Entrarara...... 15
Saliiram....... 15
O Dr. Tristo de Alencar Ararpe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa c juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recife de Per-
nambuco e seu termo, por Sua Magestade Impe-
rial e Constitucional o Sr. D. Pedro II, a quem
Dos guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tivorem, que no da 19 do mez de de-
zembro do corrente anno se ha de arrematar por
venda, a quem mais der, em praga publica de-
de um lugar alias de responsabihdade, e cuja es- pois da auuencja respectiva, os bens seguintes :
cripturaco exige certas cenhecimentos que faltam a 0Jtava partH da casa je sobrado de d^.us andares
ao pretndeme, um joven que por mera cubiga sol-1 n l0 sila na rua a adre de Dees, avahada essa
licita nada menos do que a infraccao da le, nao 0uva pane por 7o ; Um terreno em Santo
em beneficio seo, porm sim com as nicas vistas inaro H travessa do Lima, freguezia da Boa-Vis-
ta, com 800 palmos de frente, e a raesma exlenso
de muro, 300 palmos de comprimento, de chao
enchuto, alm da exlenso do viveiro calculado
em200 palmos mais ou menos.e 130 palmos de fundo
(lado opposto frente), um viveiro em bom estado
precisando apenas de um pequeo concert, ava-
hado em t:200 : cujos bens sao pertencentes ao
Dr. Joo Pedro Maduro da Fonseca e sua mulher,
e vo praca por oxecugo que contra elles mo-
vo D. Maria Rita da Cruz Nena. E na falta de li-
citantes ser a erremataco feita pelo prego da
ajudcagao com o abalimento respectivo d le.
E para que chegue ao conhecirnento de todos,
mandei fazer o prosete edital que ser aluxado
nos lugares do costume, e publicado) pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recite de Per-
nambuco, aos 28 de novembro de 18i.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri
vao, e subscrevi.
Tristo de Alencar Ararpe.
de prejudicar dreitos adquiridos.
Seria melhor, mais justo mesmo que o joven pre-
tndeme reconhecendo sua falta de idade recusas-
se em lempo de semelhante pretengo, que reco-
nhecem todos ser nicamente filha de um desejo
reprovado.
Eis a certdo :
c Illm. e Rvm. Sr. vigarie desta Tregnoza de
Macei.Numa Pompilio Passos precisa a bem de
seu direito que V. Rvma. lhe d por certido o as-
sentamento da idade de Fortunato Benjamm Lios
de Vasconcellos, (litio do coronel Joo Lins de Vas-
concellos, declarando-lhe da, mez e anno^em que
nasceu e foi baptisado, que seria em '8'io a 18i0.
Assim pede a V. Rvma. Ihc delira.E. R. M.
t Macei, 16 de novembro de 186 i.
Ignacio Joaquim da Costa, presbytero secular
e vigario encommendado da fregnezia de Nossa Se-
nhora dos Prazeres desta cidade de Macei, por S.
Exc. Rvma. Certifico que revendo os livros de
assentamenlos de baptismo desta freguezia em um
delles a folha 183 se acha langado o assentamento
que prestar o do theor seguinte :
t Fortunato, filho nalural de tenente-coror.el Joao
Lins de Vasconcellos e Maria Joaquina de Olveira,
com trintae tres dias de nascido, foi baptisado so-
lemnemente de minha licenga pelo Rvj. Jos Fer-
nandes de Bulhoes, no lugar denominado Ferno
Velho. Foram padrinhos Silvestre Alves da -ilva
Jnior, casado e l). Maria Joaquina de Mello, casa-
e para constar fago este assento.
Declaro que o acto baptismal foi a S de margo
de 1846. Antonio Thomaz Tetxeira GalvSo.
t .Nada mais se coulinha em dito asseuto, que
fielmente fiz copiar.
t E para constar mandei passar a presente que
vai por mm assiguada. Padre Ignacio J-iaquan
da Costa.
c Macei, 17 de novembro de I8i.
N.67.-200.Pargou duzenlos res.Macei
19 de novembro de 1864.R. Pinto.
Recouhego verdadeira a a^signatura supra do
reverendo Ignacio Joaquim da Costa.Macei, 26
de novembro ee 864. Em teslemuuho da verdade.
O tabello publico.-Felisberto Peixoto de Araujo
Lima.
t Pernambuco, 30 de novembro de 1861.
A justira.
50 meies de sola garroteada.
As pessoas qnu quizerem vender taes artigo,
apresentem suas propostas em carta fechada na
secretaria do conselho s 10 horas da manhaa do
dia 30 do corrente.
Sala do conselho 'administrativo para forneci-
menio do arsenal de guerra. 23 de novembro de
1864.
Antonio Pedro"de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastio Jos Basilio Pyrrho,
Secretarlo.
Pela subdelegada do Peres foi apprehenddo
e recolhido a deposito um cavallo rugo pedrez, cas-
trado : quem for seu dono comparega, que pro-
vando lhe ser entregue.
Subdelegacia do Peres 27 de novembro de 1864.
O subdelegado
Alexanbrino Martins Corrcia Barros
Qnarto-feira 30 do corrente, linda a audien-
cia do Illm. Sr. Dr. jiz municipal da 2* vara, tem
de ser arrematado um pequeo sitio no lugar do
Barro, fregufzia dos Afogados, eom duas peque-
as casas de talpa, arvoredos de fructo, leodo a
casa porta e jaoeila. com a frente para o sul, um
qaarto. cozinha fora, ludo avahado em 4005, pe-
nhorado a Manoel Gonga'ves Telles o sua mulher,
por execuga de Maria Francisca Olympia Bap-
tista.
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade sao convidados, de ordem da mesma cma-
ra, os propietarios das terrenos onde se acha pro-
jectadoo passeio publico entre o edificio do gyra-
nasio e a ponte denominada do Starr, afim de que
apresenlem na mesma secretaria suas propostas,
indicando os palmos que cada um de seus terrenos
tem de frente e de fundo, e bem assim o prego
que por elles exgem. .
Secretaria da cmara municipal do Recife 25 de
novembro de 1864.O secretario,
Francisco Canuto da Boaviagem.
No dia 3 de dezembro ao mei da tem de
ser arrematado os espolies da finada Joanna Maria
da Conceigo, na raa de Hortas n. 22, a requeri-
mento de seu curador Dr. Angelo Heuriques da
Silva.
O fiscal da freguezia da Boa-Vista, faz pu-
blico que amanhaa (30 do correnle) as 9 horas do
dia rao em praga para serem arrematados peran-
te o juiz de paz do segundo districto dez cabegas
de gado suno apprehendidas em corregao.
Fiscalisago da freguezia da Boa-Vista 29 de no-
vembro de 1864. Thon-;az Augusto de Vasconcel-
los Albuquerqne Maranho.
COHREIO GERAL.
Rrlacao das cartas seguras rindas do snl pelo
vapor brasileiro tOvadock para os senhores
abnixo declarados :
I). Adelaide Emilia da Silvcira Lobo.
Alfonso Jos de Oliveira.
Dr. Americo Jos dos Santos.
Adelino de Brito Dantas.
Antonio Bezerra de Menezes.
Aulonio Curreia de Vasconcellos.
Antonio Francisco dos Santos.
Antonio Joaquim de Castra Marinho.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Carlos Mariano da Albuquerque Cavalcanti.
D. Emilia Cavalcanti de Albuquerque Oliveira.
Flix Souvage & C.
Francisco Antonio de Abreu Pereira.
Gongalo Jos Affonso.
Herculano Mamont Franco.
Luiz Antonio Vianna.
I). Mara Amalia de Albuquerque.
Marques Barros & C.
Kr. Nicolao do Bomfim.
Vicente Jos da Silva.
Os cartSc^ de Ingresso, tanto de eavallelros como'
desenhoras, poderlo ser procurados na rua do
lisrperador n. 52, al ai 8 horas da noute de dia da
festfridade, e dessa hora em dianle no mesrao
salo.
Ser rumprido o regulamenlo do Illm. Sr. Dr.
chefe de pelicia.
I I II %o
01
PORTUGCJEZES
Tnnta annos de marlyrio livemos nos, desde
1580 a 1640, e de quem ? Dos tyramnos Filippes
da Heipanha. Mas, houve um da em que os cora-
edes valorosos de quareola porluguez.s qurbraram
os grllhoes dos tyramnos e de|>ois, ajudados por
seus irmos saecudiram os exercilos dos tyramnos |2
hespanhes para longe, e arranraudo os estndar-1
tes de Hcspauha de cima de nossas muralhas, os I
substitoiram pelos pormgtiezes, e acompanhados,
pelo sabio e nobre duque de Braganga, o eollora-
ram no throno de seus aves, debaixo do nome de
D. Joao IV. Agora este dia ao deve passar no s
lencio se nao derdes regosijo algum particular,
Cra f avallo, ana orraca e kti
H Qnarta-frira SO do corrate i
I 19 horas
i Cordclro Simoes vender em leilo do
! cavallo, bonita figura, andador, para ambas as sel-
las, e ema carroga com boi.
LElLtO
DK
, ,, leilao 12 meias aguas edificadas em
menos dingi-vos nesla noiie aos saltes do ca.do siluadog na ^gj ui ^
Ajiollo, onde o digno e patritico Joao das weves >.
prepara um sumptuoso baile em manifestago de
lo grande regosijo, e que esperamos que elle nao
se ha de ponpar a esforgos, como tem feito os an-
I nos atrazados.
O Lusitano.
1YIS0S MARTIMOS.
COMPANHk PERNAMBUCANA
DE
Navegaeo eosteira a vapor
Parabyba, Natal, Maco, Aracaly, Cear
e Acaracu'.
No dia 7 de dezambro prximo
seguoo vapor Jaguaiibe, com...an-
dante Lobato, para os portos indi-
cados. Recebe carga ate o dia 6,
Eucominondas, passagviros e di-
dinheiro afrete al o dia da saluda s 2 horas
da larde: escrptorio no Forte do Mallos n. 1.
mcias a&uas etlilicadas de u* en
fimos proprios aa travessa da raa
Imperial, rende cada unta 7%.
COaDlRQ SidfS
por conta e risco de quem aertesteer vendar em
leilao 12 nu-ias asnas edificadas rm solo pruprw
acham sem numero lendo cada urna 1 porta. 1 ja-
nella, 1 sala, 1 quarto e rlimaba eom a frente pa-
ra um dos oiles da casa rronherida CampeH*.),
que se vender o em um uu r.-ais toles a vootad*
dos compadores.
Os prelendenlPS desde ja podern examinar a>
referidas casas e qualquer inforraaco o mesa*
agente satisfar, rujo leilao sera elfeduado
Qui lila-leu a 1 de dr/embro
s II horas no armazem da rua da Cadeia do K-
cile n. 48.
LEIO
DEGL1Q4C0ES.
COMPANHIA
DO
TIIE\TR0
COMPAMHIA
DAS
MESSAGER1ESIMPERIILCS
No dia 30 do |
correnle mez es- ]
pera-se dos por-
tos do sul o va-
por francez Na-
narre, comman
dante Enout, o
qual depois da
demora do cos-
tume seguir para Brdeos tocando em S. Vicente
e Lisboa.
Km S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia com Coree.
Para fretes, condigoes e passagens trata-se na
agencia rua do Trapiche ti 9.___________^^^
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte esperado
at o da de dezembro o vapor
Cruzeiro do Sul, commandan-
te Alcanforado, o qual depois
da demora do costume seguir
do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder coiiduzir, a qual devora
ser embarcada no da de sua chegada, encommen-
das e dinheire a frete al o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, rua da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
D'ama porgan de madeira dr pinte parte de carre-
gamenlo da barca amrrraaa < latina
Quima-teira 1 dedezemnra.
R. C. Denham, capilo da barca americana MKtBj
i ltimamente arribada n'cste porto, Mtta M legat-
i mente condeinnada, far le com licenga d> ios-
; peelor da alfandepa. cm prewafa d'um mpr-^ra-
: do da mesma repartigo. com WMMk do foeaal
americano, por intervenga o do tjaana l'iulj, e por
' conta e risco de quem perlenrer, d'uma purga*
de madeira depinho, parte do rarrrgamento da
dita barca, lanta quauta f>r precisa para occorrer
s despezas feitas ueste porto, as 11 horas o m
cima alto, no armazem do Baro do Livranv-nM,
caes do Apollo.
para os portos
Plalas vegetacs anacaradas de
Kemp.
A saude depende principalmente do estado do es-
tomago, do ligado e das enlranhas.Vigorise-se os
orgos digestivos, regularise-se a acgo do ligado,
restabelega-se a actividade natural dos orgaos se-
cretaos mediante o uso das Plulas Vegetaes As-
sucaradas de Kemp, e a dyspepsia, a conslpago,
a flatulenciae ascaimbras do ventre desapparece-
ro como por encanto.
Nao podem existir estas enfermdades sem que
este saudavel assenlivo conserve o vigor e a regu-
laridade das funrgdes intestinas.
As plulas de Kemp sao summamente agradaveis
absolutamente exemptas de toda a especie de subs-
tancia m.neraes e adequadamente reguladas, espe-
cialmente para as molestias peculiares do bello
sexo.
Achar-se-ho venda em todas as pnncipaes bo-
ticas e em Pernambuco as lojas de Caors & Bar-
bosa e Joo da C. Bravo & C.
COMMEHCIO.
Existem....... 354
A saber
Nacionaes..... 284
Estrangeiros..
Mulheres.....
Estrangeiras..
Escravos..
Escuras. ....
4
13 >
2 i
47
4 p
354
Alimentados a costa dos cofres r^vUi^es. 1M
Movimento da enfermara do da 30 de novembro
de 1864.
Joo Lmrenco de Saal'Anna ; deOuxo.
Obituario do cbmitkrio publico no dia 27 de
NOVEMBBO DE 1864. mn
Emigdio Ferreira do Sacramento, Pernambaco .i
mm\ solteiro, Boa-Vista; tubrculos pnlmo-
Amonio Jos de Sant'Anna, Rio-Formoso. 49 annos,
solteiro. Boa-Vista; phlhysica pulmonar.
Manoel, Pernambuco, 1 dia, S. Jos ; espasmo.
Antonia Joaquina de Sant'Anna, Fernambuco, J
annos, casada, S. Jos ; parto.
C o :vch ofOciaes.
PRACA DO RECIFE
29 DE NOVEMBRO DE 1864.
Cambios sobre Londres 90 d[v. 27 1(8 e 27 i[4
d. por 1000.
Dubourcq Jnior, presidente.
Quimares, secretario.
N0V0~B4NC0
DE
PERNAMBUCO
EM 29 DE NOVEMBRO DE 1864.
O banco descoma letras na presente semana a
10 0/0 ao anao at o praso de quatro] mezes e a
12 0/0 at a de seis mezes ; saca sobre a praga da
Bahia.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 28........ 645:6395560
dem de dia 20................ 22:656*016
668:295*576
Movimento da alfandega
Yolnmes entrados com fazendas...
i com gneros...
Voiumes sahidos
eom
com
fazendas...
gneros...
323
676
22
502
999
524
Desearregara no dia 30 de novembro
Brigue inglezBebe of lhe. Kxemercaduras.
Brigue nglezSejrtna-carvo.
Brigue portuguez-Conceifo de Jlorio-farinha
de trigo.
Galera franceza-At*-di versos gneros.
Vapor inglez -Saladinmercaduras.
Patacho inglezArfoxCT-a*mercadorias.
Escuna hamburguezaGafeu/dem.
Lugre dinamarquezFlorafarinha.
Brigue InglezAlinacarvo.
Escuna hanoveriana-Kermesdiversos gneros.
Recebedorla de rendas Internas
geraes de Pernanabnco.
Rendimento do dia 2 a 28....... 24:074*462
0 caixa desla companhia commomlndor |
Thomaz de Aqnino Fonseca acha-se atttori-'
sado a pagar no seu escriptorio rua do
Vigario n. 19, das 10 horas as 3 da tarde
do dia 4 de deiembro prximo em diante
o 33 dividendo desta companhia na pro-
porcito de U por cada actfta, previne-se
aos Srs. accionistas que este pagamento de-
ve ser em moeda de cobre que na espe-
cie que o mesmo Sr. caixa tem recebido dos
arrematantes dos chafarizes desta com-
panhia.
Roga ao mesmo tempo os Srs. accionis-
tas que deixaram do receber os dividendos
atrazados, se dignem de comparecer no lu-
gar indicado para recebe-los e saldar a
caixa.
Escriptorio da Companhia do Beberibe 18
de novembro de i86 i.
O secretario,
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Companhia de segaros martimos Ijtil-
dade publica
A drecc/io dando enmprimento ao art. 41 dos
estatutos convoca os Srs. accionistas a se reuni-
rem em assembla geral no dia 30 do corrente ao
meio da, no escriptorio desla companhia. Recife,
26 de novembro de 1864.
Os directores,
Feliciano Jos Comes.
Domingos Rodrigues de A.
Santa Casa da Htorieordia da Kecife.
De conformidade com as ordens da lllnaa. junta
administrativa da Santa Casa de Misericordia do
Recife. cenvido aos interessados pelas orphas
abaixo declaradas a apresentarem, cora a maior
brevidade possvel nesta secretaria, as certdoes de
baptismo das mesmas orphaas, visto como tendo
ellas de fazer a sua primeira communho no dia
8 do prximo futuro mez de dezembro, nao consta
do archivo desta secretaria. que estejam baplisa-
das, a saber :
Rita Candida de Souza.
Florinda.
Neemisia.
Minervinade Azevedo.
Mana Amalia dos Anjos.
Maria Lins.
Qutera dos Prazeres.
Alexandrina Cavalcanti.
Leopoldina da Paixao.
Arminda de Brito Carvalho.
Joanna Pereira do Carme.
Olimpia Adelavde de Oliveira.
Seeretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 29 de novembro de 1864.
O esenvae,
F. A. Cavalcanti Coasseiro.
Faenldade de Direito.
De ordem do Exm. Sr. director se faz publice
3oe Oca cassada a gua que requerera para estu-
ar na Facaldrde de Direito de S. Paulo o eslodan-
te Luiz Ferreira Maciel Piaheiro, at que depois
das ferias se possa reunir a congregacao para re-
solver a respeito.
Secretaria da FacnHade de Direito do Recite
29 de novemnro de 1864.,
O secretario,
Jos Honorio Bezerra de Menezes.
Peta thesonraria provincial se faz publico,
que a'arremataco da obra do atterro da rua do
Lima naicidade Nova de Santo Amaro, foi trans-
ferida para o dia Io de dezembro prximo vin-
doure.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam-
buce, 24 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. da Annunciaco.
O conselhe administrative para foroeclmento
do arsenal de guerra, precisa comprar o seguinte
Para a aula de gemeotria dos menores.
3 estojos pequeos malhemalicos.
3 caivetes linos. ^~
2 duzias de lpis finos.
4 duzias do creoes para lonsa.
Para provlmento dos armazens.
30 caxas de pennas caligraphtcas.
EMPREZA
GSSIAtlO k CeiHBRA.
QIARTA-FEIUA 30 DK NOVEMBRO lE 1861.
Recita extraordinaria, livre da
assignatura.
iepresentar-se-ha o
cm 4 actos, do sr.
Para o Porto.
O brigue portuguez l'ntao sane com inula bre-
vidade por j ter a maior parta de seu cairega-
mento prompto, e para o resto que anda falta,tra-
ta-se com o consignatario Jos Joaquim Lima Bai-
ro, na rua da Cruz n, 18.___________
Para Lisboa
muito interesante drama
conselln'iro Alencar
Dar Gin ao espectculo a comedia em 1 acto
4 CORDA SE^SIVEL.
Comecar s 8 horas
GRANDE BAILE PARTICULAR
NOS
SAIiOES
DO
CAES DE APOLLO.
LEILAO
DE
Um rico violo.
Qninta-feira I* dr dezeaabro.
No armazem da rua da Cadeia do Kecic
numero 48.
Cordeiro Simoes fara leilao de um rico v>m
aparelhado de ouro e prala, crav.;ira .!: mam e
caixa de Jacaranda. ___
LIMO
DE
Oninta-feira I" ile dexeiabro.
OLYWIPIO
vender rin leno diversas e-cia.u- ue ..ihIh
sexos com habilidades e sem ellas, t^ndo foiri ef-
les algumas cscravas fngomma'lciras e c.isinh*^
ras; ter lugar o leilao lio escriptorio do referid
agente na ruada Cadeia do Rcrth n. 26, |inm>-iva
andar, por cima do esrriptorio d.is Srs. Bailar m
Oliveira (entrada pelo beeco Largo)._________
Pretende sahir com a maior brevidade o lugre
portuguez Julio, para o que tem a maior parte da
carga prompta, para o resto e passageiros a quem
ollerece os melhores commodos trala-se com o
consignatario Thomaz de Aquno Fonseca na rua
do Vigario u. 19, primeiro andar,ou com o capito
o Sr. Francisco Antonio Meirelles, na praca.
Segu" com pouca demora ao indicado porto o
hiate Lindo Paquete a rhegardo norte cm poneos
dias: as pessoas que nelle quizerem carregar de-
vero eniender-se com antecedencia rom o respec-
tivo consignaiario na rua da Cruz n. 23, primeiro
andar.___________________________^___
Para o Rio de Janeiro
O bem conhecido e velero brigue nacional Al-
mirante, capilo Jos Moreira Maa, prelende se-
guir com mulla brevidade, tem parte de seu car-
regamento prompto : para o resio que lhe falta e
escravos a frote, para os quaes tem excellenles
commodos, trata-se com os seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio rua da Cruz n. 1.__________________
Para Lisboa
O veleiro e bem ronherido brigne portugupz
Conrrtriio de Maria, capito Januario Jos de Oli-
veira, pretende seguir com muia brevidade, tem
parte de seu carregamenlo prompto : para o resto
que lhe falta tratase com os seus consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio rua da Cruz n. 1.__________
Para Lisboa
O brigue portuguez 3ia //, capito A. F. Vici-
ra vai sahir com brevidade por ter a maior parte
de seu carregamento prompto : quem no mesmo
quizer carregar ou ir de passagem, dirija-se ao
seu consignatario E. R. Rabello, rua da Cadeia n.
5b. escriptorio. ______^^^___^^_____
Quiula-feira Io de dezembra, s 11 ha-
rs, rua da tadeia n. 53.
M
Duas casas terreas ns. 33 e 35 sita rua Bel-
la, chao foreiro, urna rende 2405 aomial, senda
que as chaves da a esquina qu e n. '&, s acto
na casa junto n. 33 para assim facilitar aos pre-
tendentes o exame previo, advrrtindo que *er*
entregues pelo maior prero que se arhar.
Pelo agrute KnaeM.
Quinla-feira 1" de dezembro, s i I ho-
ras, a rua da i adria n ;>3,;iruiazem
DE
4 casinhas sitas estrada dos Remedios, defronte
do sitio dos Arcos, tendo cada urna duas alas
e um quarto, sao loreiras, o seu rcuJinivol*
annual excede a um e mei. por aaatsv
Pelo ageate i:u/rhio
se as vender em Inlo, sao couvi "> pre-
tendentes a previo exatne.
Aracaty
Segu nestes dias com a carga que tiver a borde
o hiate Sant'i Cruz, recebe carga e passageiros "
a tratar com Caetano Cyriaco da C. M.
Corpo Santo u. 23.
III LO II.
LEILAO
I104H
Qnarta-felra SO do corrente as
11 horas.
Cordeiro Simpes far leilao por conta de diver-
sis pessoas, de varios movis, chrystaes, pianos,
cofre de ferro e outros muitos artigos que se torna
enfadonho menciona-los.
No armazem a rua da Cadeia de Recife n. 48.
Ou'ntafeira, Io "e dezf mbro,
ANIVERSARIO DA MEMORAVFX RES-
TARACO DA INDEPENDENCIA
PORTUGEZA.
O proprietario dos saloes do caes de Apollo, Joo
aas Neves, festejar, comocosluma todos os annos,
este grande dia-tde dezembro de 1640, em que
te ve lugar a restauraco da independencia de Pir-
tngal, com um explendido concerfo musical, e nm
sumptuoso baile, conforme o programma abaixo
declarado :
PROGRAMMA.
Nesle dia, conforme de costume, o administra-
dor por seu amor patritico tem envidado todos os
esforcos de que pode dispor. afim de que se achem
os ditos saloes ricamente adornados, conforme pe-
de a pompa do dia, com ricas figuras allegoricas o
trophos portuguezes, bem como as armas de to-
das as provincias. Havendo nesle dia toda a illu-
minacio a gaz, apparecendo os transparentes, e
entre elles as vistas seguintes :Terreiro do Pago
em Lisboa ; o Tejo, com os navios de guerra hes-
panhes fazendo a mudanga das bandeiras hespa-
nlwlas pela portngoeza ; a praga do Roci, com
palacio dos conjurados ; a cidade do Porto, e ponte
pensil, com o bombardeamento de Villa Nova de
Gala.no tempo do cerco ; atorre de porcellana, na
China ; as ruinas de Palmira ; a estrella da liber-
dade Iluminada com 400 bicos de gaz. A entrada
do edificio estar ornada com nm rico arce de
gosto c.hinez, il ominado a faz.
A's 6 horas da tarde quando se arrearem os pa-
vllhoes brasileiro, portugueze Italiano, se dar urna
salva de 21 tiros, e achar-se-ha presente, debaixo
de grande uniforme, a msica do 4o batalho de
artilharia (completa), dirigida pelo insigne artista
e mestre da mesma, Jos Dias Alves Branco, afim
de fazer as devidas continencias.
A's 9 horas da noute, dar-se ha principio ao
concert, tocando os hymnos brasileiro e portu-
guez, e em seguida nquissimas pecas de msica,
ensaiadas a capricho pelo insigne artista para este
dia, como sejam ricas cavatinas, operas, ouverturas
todas novas, o urna aria obrigada a requinta, pro>
segurado em seguida o baile, com ricas quadri- --,
Ihas, walsas, schoklz e polkas. M**Fe**i
O administrador dos saloes, em virtude do pro-1 Quarta-feira 30 do corrente as 11
gramma, pede a todos os seas compatriotas e ao CnrfP.im SimCS
publico ere geral, que nesle diaocoadjuvem n'ums I
tarefa tao ardua, e rogando a todas as senhoras
tjue tiverem convite especial por carta, para se
apresentarem vestidas de branco, bem come, nao
IEIjLAO
DK
Grande vantfageaa.
Urna fabrica de cenejaie j>>go de bolla* na
Suleda'le.
Cordeiro Simoes, autorizado vender em leilao.
em um ou mais lotes, a voolade d.w compratore*,
grande fabrica de cerveja, bem isanuiU, promp-
ta a trabalhar, rom todos os s<*u partHMi qu*n
novos, sexta-feira 2 de dezembro na mesma fa-
brica.
LEILAO
ao lade do
Urna mobilia, urna bomba de Japy. 1 sofae*. 1
marqueza, mesas para jantar, cade ira* brancas,
cabides, camas, can lieiros a gaz. bancas, nm
machina para engarrafar, barricas eom sevada,
urna porcao de oleo, garrafas com vioh> Bar-
deaux, Porto, Figueira, licores, genebras e ea-
tras muitas bebidas.
mmi\ simOes
autorisado vender em leilao os objecto* cima
sem reserva de preco ao correr do mariell
Sera effecluado o leilao
Sexta-feira 2 de dezemira
Na Soledade rua de Fernandes Vierra >4.
De
LEILAO
ama armario e gazRua do Rangel
n. 23.
Por ordem do consulado de Portugal Ir a lei-
lao novamente a armacao, caixdes e gaz existen-
tes na casa n. 22 da rua do Rancel, perlencenie ao
espolio do subdito portugus Agostinho da Silva
Penry, e a casa garanle-se ao pretndeme: ter lu-
gar o leilao quartt-feira 30 docerrenle s \i horas
em ponto, na mesma casa.
LEILAO
DI
Solos foreiros.
Wabbado 3 dedrzeaafero.
O agente Pinto far leilao requernwnto do
inventariante dos bens do tinado Jos Them.4e
Pereira de Bastos, e por mandado do Illm. Sr. Dr.
juiz de erphos dos solos foreiros perieareaio* ae
bens do mesmo finado, consueles das relac me
existentes em poder do mesmo agente e ser na
de bate a qoantia de 2:0004. isto as II hora* a
dia cima dito em seu escriptorio rua da Cruz a a-
mero 38.
LEILiO
DK
horas.
trela ua e 'rogando a todas as senhoras vender em leilao diversos escravos de ambos os
sexes, com habilidades e sem ellas, entre elles
nma crioula de idade 20 annos, de nome Joanna,
podero entrar sem apresentarem o carlao de con-,cosinheira,lavadeira e costureira.
,te l No armazem a rua da Cadeia n
48.
LEILAO
Fabrica de sabio.
Sito na na Imperial, edificio cora pspa/9
de 128 palmos de frente e 400 de fun-
do-, inclutndo i caideiras com fomalba a
boeiros, com 270 jardas cabulas cada
um feitos de tijolo c cal.
Madeira de pinho, resfriadores. perlazendo as*
todo 3,500 ps de emprancbamento superfino cha-
peado com ferro.
250 ps de caldeira.
16 case s vaxios.
i guindaste para 2 lonellada.
1 caraegueiro cum correnle, rompalo.
1 machina de forca de 12 cavallos.
1 bomba de 20 ps de canos.
1 serra circular eom armaco de ferro foadiA
incompleta.
1 balanca, serra, I valva, 1 sino.
3 prensas de ferro fundidos e 1 tanque.
I 1 caldeirao a 150 p-.s de cano de gaz.
i


DIarlw tic renuuikaM Q aria eira 30 tic Noveinbro tie f S4.
Eixos, correias, (amhores e rodas.
i ramo de rano para a machina de serrar.
I cubo, 400 ps de correnies e 6 quiutaes de
ierro velho.
Scgudafera 5 de dezembro.
O agente Pinto far leilo i requerimentn dos
administradores da massa fallida de Roslron Rooker
4 L. e por mandado do Illm. r. Dr. juiz especial
do eommercio de todos os objectos cima descra-
tos, os quaes ronstituem parte da referida massa
c existentes na mesan fabrica da ra Imperial.
aonde se effectuar o leilo as 10 oras do da
cima dito.
Os pretendentes poderlo examinar os referidos
objectos nos dias 25, 28 e 30 do correte, das 10
horas da manha s 2 da larde e na anti-vespera
e dia do leilo.
\
DE
2,357 acces da Companhia Pernam-
bucana.
Terca-feira 6 de dezembro.
O agente Pinto far leilo por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do conimcrcioem virlude do
que requereu os .redores da massa fallida de
Rostron Rooker & <;., de 2,357 accoes da Com-
panhia Pernambiirana de 1005 cada urna, em um
ou mais lotes a vontade dos compradores, as 11
horas do dia supradito a porta da Associaco Com-
mercial.
AVISOS DIVERSOS.
1HADA1HG
, VIUVA ROUTIER
fax publico que mudouseda sua residoncia da ra
Bella n. 29 para a mesma ra n. 39.

Aos 6:000^0110.
Corre aiuanha.
Pechincha seni igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedade de padroes
pelo baratissimo prego de 4$ o corte: na loja das
c lumnasrua do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
rea de Vasconcelos & C.
NOVO SYSTEH4
Retratos em porcelana
Retratos em porcelana
Retratos em porcelana
Retratos em porcelana
Retratos em porcelana
S conocido na America
S conhucido na America
S sonherido na America
- conhecido na America
S conhecido na America
Est prompto e ensaiado
Esta prompto e ensaiado
Est prompto e ensaiado
Est prompto e ensaiado
Est prompto e ensaiado
Para servir ao respeitavel publico
Para servir ao respeitavel publico
Para servir ao respeitavel publico
Para servir ao respeitavel publico
Para servir ao respeitavel publico
icana ra do Imperador.
CASA DA FORTUNA.
AOS 61000.000
Bilhetes garantidos
A' rua do Crespo n. 23 e casas do eoslnme
O abano assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilheles garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a benelicio da Santa Casa da Mi- fnirV.T
ios: v nucios,
SOPA
. JULIENNE
a ra Nova n. 8, loja do cha.
Errllhas
francezas ra Nova n. 8, loja do cha.
COItlYTlI
(Passas )
muito nova para podins: a ra Nova n. 8, loia do
cha.
Lm rapaz brasileiro com pralica de caixeiro
ofTerece-se para ser empregado em loja de fazen-
das, escriptono, ou oulro qualquer cstabelecimen-
to, dando fiador a sua conducta : quem precisar,
procure na fabrica da travessa do Carioca n. 2,
caes do Ramos.
u dono da amiga fabrica de charutos e ei-
Alugam-se o seguBdo e terceiro andares na
ra da Imperatriz n. 34, com proporcoes para nu-
merosa familia, tambem se aluga separado : a tra-
tar na taberna do mesmo.
f.ira das ferias.
Manoel da Casta Honorato avisa aos es-
tufantes de preparatorios que pretende
abrir o curso das ferias no Io de dezem-
bro prximo, em casa de sua residencia,
a ra da Imperatriz n. 46.
Qu nta-feira Io de dezembro do eorrmta f *?' na-e^u,Da da rua de "ortas n. i, ten-
9nn co ~k d0 f,;"0 reduccao nos precos de suas mercadorias,
anno.se extral>ira a terceira parte da. convida aos seus freguezes a virem honrar seu es-
dcima lotera (118a) a beneficio da matriz tabelecimento com devida protervo de que carece
da Boa-Vista, no consistorio da icreia de Ipor se achar rom um variado sonfmento de cigar-
Nossa Senhora do Rosario da fregVzia de SiS^SJSttSS
Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria rua do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000000 at .00000
sero pagos urna hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
aeguinte depois da distribuico das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
&k &< &. ES $ *. ?$ k Mi 0-, -M. *
agfi '- agente de leiles Olvmpio, tem seu 2& *
|L escriplorio na rua da Cadeia do Recife n. '
3R 2G, primeiro
mais acreditados
para os ditos, fumo em
folha, fumo americano, dito dito em latas, e diver-
sos artigos para os fumantes, em quanto a quali-
dade e preco garanie-se nao prejudicar os fre-
guezes.
Precisa-se de urna ama serca para tomar con-
ta de urna crianca : na rua do Hosp icio n. 3G
Na praca da Independencia, loja de ounves
j n. 33, compram-se obras de ouro c prata, e pedras
i preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
! commenda, e todo e qualquer concert.
Ao meio dia d-se bolos
rna nova de Santa Rita n. 3.
ummmmmm mmmmm
ana Nova
Saques sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorisado pelo
Raneo Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Raneo, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou
na rua do Imperador n. 63, segundo an- I
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Aluga-se um sitio no principio da estrada
Nova, com excellente casa ractificada de novo, e
muitos commsdos, coxcira, estribara, poco d'ag'ua
de beber, baixa para capim e algum arvoredo de
rructo : quem pretender dirija-se a rua do Apollo
n. 32 a tratar com Francisco Xavier de Oliveira.
Antonio da Rocha, subdito portuguez, vai pa-
ra o Rio de Janeiro._________
i Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi
nhar e engommar : na rua da Palma n. 41, ta-
berna. '
Jos Domingues, subdito portuguez, retira-se
paraj) Marauho.
Cosme Jos dos Santos Callado na rua do Vi-
gario n. 8 saca sobre a praga do Porto.
-Vctor Mauteur, subdito italiano, vai ao Ma-
ranhao.
tenco
de vendagem : na
O abaixo assignado previne que nnguem faca
negocio com urna botica sila na cidade do Rio For-
moso, que faz parte do espolio do finado Dr. Fre-
derico Relave, porque tal botica e outros bens es-
tao sujeitos ao pagamento do que dito finado fica-
Precisa-se alugar um consinheiro e um cria-
do que sejam escravos : na rua da Cadeia n. 32 3
andar.
Precisa-se fallar ao >r. Francisco de Paula
de Souza L>ao. que morou em Jaboalo : na pra-
ca da Independencia ns. 6 e 8 ; e como ignore-se
pajj_onde_niudou-se, por isse faz-se o presente.
Precisa-se de urna ama para casa do urna
mulher so, outra que saiba fazer alguma costura
ae_ajfaiale : no becco Largo n. 24, segundo andar.
j Aluga-se o sobrado n. 2G da rua da Matriz
da Boa-Vista
zeres n. 10.
sericordia, os segrales premios:
N. 2406 um meio com 6:0005060
N. 2074 um meio com 1:400,5000
N. 2694 um meio com a'OOfiOOO
E outras muiias sortes de 1003, 40J, 9f e 105
Os possuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna rua do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da lerceira parte da
decima lotera a beneficio da matriz da Boa-
Vista, que se extralnr no dia 1 de dezembro.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 700G
Meios......... 3jfoo
Quartos........ i Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 65.'I00
Meios........ 3250
Quar'os...... 1^700
.______ Manoel Martins Ftuza
Para a festa.
hirff "SiS Sili0 na rua d0 ,:a>ral da *>.
de e0lin(la C0|nasa J
par na frente, bota os tmm para i .^tra-
'la e margen do ro Ih-beribe. mi 2Z-
nodos para familia, estribara para ravallo
- cap.ni para sustenta-los. arvoredos '
t'in visinbo ijefronle riem
lunao. com eptam .asseios, sala i

p*lo
gabi-
nete na frente, muito proffk nara r
5S en,am-bcm M Por mm [ f
S ^Rec,'na'vrarian.te8 da prara
ylSSKf6^ e fc* na casa,,*-
gua com o capuao Anlonio Fk-rnardo Fer-
Est iMifddo.
to de altura XSStftJSRt
po, em maos e oc< mmim* ,i '].""'-"ta "-
Redonda, nariz ^ttlS^'^^2
j denles e quaodo falla MB^mSmlSiS
[rugido ha .marela d.as : r.-eommeodi Z
ca|iiiaes de campo o quiram
CLUB PEUMICANO
0 baile anmversario desla sociedade te-
ra lugar na noitt do i de dezembro
ximo futuro.
pro-
Aluga-se a casa n. 16 na rua da Manguera :
tratar na rua da Aurora "----"-
ao* -rs.
do Imperador j.* ^"*ff*
AiUonio Luiz dos Santos. r "
O Sr. Antonio Jtoelmtmm, iue m-
rou na rua do Padre Floriano n. il, .meira
vir a praca da Independeuria us. 6 e 8
negocio di' seu iiitere-st'.
_n. 78 com Dr. Cabrie1 j venledeiras
a tratar nos Coelhos, rua dos Pra-
Precis
n

andar, por cima do escrip- _
l&m!tigf''*mmn (eD,radai iLoja de madamaTheard
^ K ac Ksle eslabelecimento se acha hoje mais
Ao amanhecer do dia 20 de outubro do cor
rente anno de 18Gi, furlaram do cercado do en-
gpnho Aldea, da freguezia do Rio Formoso um
i
>a-se comprar um sellim nglez e os
competentes arreos em bom uso; compra-se tam-
bem estando em bom uso os arreios para um ca-
vallo de cabriole! : na rua doCabug, loja d'actiia
va a deyer ao mesmo abaixo assignado em virtude de ouro n. 1 R.
se de urna ama forra ou captiva que
cousa e que engomme : na rua do
uia de ouro n. 1 B.
Precisa-se de urna ama de leile
de medicamentos e drogas fornecidas para dita bo- PiwmJ.
tica, e muito principalmente lendo o abaixo assig- COzinl e aleuma !
nado sua accao, posta ha lempos em juizo, e que SSlWS
se acha peudeme por auDi-llacao no merelisjtimn -*' 'JJ u '-
que nunca bem sonido de objectos de
moda do melhor que pode vir ao nierca-
quarlo de carga do mesmo engento, o qual
ruco pornlio, grande, caslrado, nao nevo, tem no
olho esquerdo urna belde, e pouco ou nada v
pelo dilo olho, tem um callo velho no espinhaco
lugar em que leve urna bexiga, levou o tpele cor-
lado rento, carrega baixo, e lem eslampaoo no
ladodireiio da anca o ferro do ensenho em lettras
maiusculas como aqu se v A LO E A. Adver-
te-se que os cavados assim ferrados, nao sao tro-
cados nem vendidos, e os que forem encontrados
som ser a servico do mesmo engenho sao fua-
dos, e devem ser apprehendidos; perianto roga-
se as aolpridades policiaes, e mesmo qualquer
pessoa do povo, que sendo enconlrados ditos
vallos sejam apprehendidos e remedidos ao admi-1
nislrarior daqnelle engenho ou ao abaixo assigna- i 9
dopropneiario do mesmo engenho. qup reside na M
cidade do Recife, rua do Hospicio n. 50. Cidade <
do Recife, 2G de oulubro de 1864.Caetano Jo- ?
da >ilva Santiago.
ra-! *
g do e nao se menciona cada um de per si >
por se tornar demasiadamente enfado- 8
nho para seas numerosos freguezes quan- : do lerem o prseme aviso pelo que limita- t
se em lembrar alguns anigos, comn se- w
Bj jam : chapelinas de dinas de palha de '<^t
Italia, de seda, de crep branco e preto gB
g para loto, chapeos redondos de palha da W<
Italia amarella e de outras cores para SiS
tgg senhoras, ditos para meninos e meninas, ^
S ricos ror,es de blonJe, ditos de moreanti- SR
9| que de diversas cores, ditos de seda, as- *
jk sim como sedas de cores para se vende-
ja? rem a corados, ditas escocezas, cortes de
9| estldos pretos bordados a agulha, final-
gi mente um variado snrtimenlo de fazen-
< das finas e grossas, na mesma casa ta-
| zem-se capas, manteletes, vestidos para
i noivas, vestuarios para meninos se bap-
< tisarem e tudo quanto pertence ao toilet
| de una senhora e recebe-se Bgorinos to-
dos os mezes das ultimas modas de Paris.
pendente por apppllacao no meretissiino
tribunal do eommercio. E desde j o abaixo as-
signado protesta haver o seu pasamento por ditos Martyrios n^S, primeiro andar,
bens no poder de quem se achar. Recife 2G de
novembro do 1864.
_____ Joaquim Marlinho da Cruz Correia.
na rua dos

1
ATTENC0.
Offerece-se por venda a dmhero ou a praso urna
padaria livre e dtsembararacada, com todos os
seus pertences, como telhero, forno e mais uten-
cilios, sita na rua do Mondego n. 47, muito afre-
guezada, com casa para familia, quintal, porto de
embarque, e todas as comraodidades precisas : a
tratar na mesma.
Aluga-se a casa na Capunga, com 7 quartos,
3 salas e grande eezinln : a tralar na rua da Gla-
r n. 94 com o solicitador Manoel Luiz da Veiga.
PIIA'L.% w VBC.ETAES
DO


Recife
Companhia da estra la de ferro
DO
a Sao Francisco.
(LIMITADA.)
O superiulendente dista companhia attendendo
aos muitos pedidos que Ihe tem sido feilos e com
o lm nicamente de satisfazer ao publico, tem re-
solvido do l de dezemliroal outro avi-o, receber
pas.-ageiros para as estacoes da primeira seceso
no trem de car^a que parte das Cinco Ponas as
C horas e 13' da tarde, advertindo porm que as
pessoas que qnizerem seguir nesse trem terao d
sugeitar-se as aecommodacoes e demoras que pos-
sam haver as partidas, vi loi|oe sendo este trem
de mercadorias por ellas que regulado.
Os pregos das passagens sero como as de se-
gunda elasse dos trens ordinarios.
Os bilhetes de ida e vol la s serio recebidos e
emiltidus conforme as accommjdagcies que bou-
Alu

m

Ulferece-se por venda um lerreno na rua do Des-
lino, em direitura ao largo do Hospicio, com 234
palmos de frente, proprio para se edificar por ser
boa lacalidade, vende-se a retalho ou por junto : a
tratar na rua da Mariz da Boa-Vista n. 54, taberna.
ipriB
>'l-<
a-ee.
Alnga-seo 3o andar da casa da rna Dlreita n.36
o qual tem commodos para grande familia : a tra-
tar no 2o andar da mesma ou no Recife na rua da
Cadeia n. 3.
Urna boa casa terrea para familia
est por alugar-se a rua da Uniao n.
39 : quem pretender dirija-se rua
da Aurora n. 10. Tambem alugam-
se as lojas n. 44, rua da Aurora
verem.
Assignado Ricardo Austin,
Superintendente interino.
Precisa-se de um caileiro para urna padaria
dentro desta praca dando-se preferencia a um que
tiver deste estabe.iecimento pralica daudo fiador a
*ua conducta dirija-se a rua larga do Rosario u.
10, que achara com quem tratar.
Joaquiua Mana do Espirito Santo declara ao
publico que falso o annuneio de Jos de Olivei-
ra Ramos e silva, pois que ella nunca conlratou a
renda da heranca do sua bisav Uamiana Mara
da Incarnaclo; o muilo menos receben delle
quanlia alguma por aquella venda, que a escrip-
tura passada as notas doescrivo Brayner fal-
sa, pelo que j foi procurado, e protesta parsegui-
lo com todo o rigor da le. Perianto ninguem
cntrale com o referido Ramos e Silva negocio al-
gum relativo mesma heranja.
contrate cora o referido Ramos e Silva riehocio al-
ciim relativo me>ma heraoca.
mmm mm MmmM
Companbia Ddclidadc de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Aulonio Luiz de Oliveira Azi-vedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado- i
ras e predios no seu escriplorio rua da
Gnu n .1.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na rua do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da Boita
para o exercicio de sua prosso de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o esludo das
molestias do interior, prosegue, com o
maior affinco, no das maisdifficeise deli-
cadas operacoes. corno sejam dos ergos
ourinarios, dos olhos, parios, etc.
Ainda se
m
m
m
DR. AYER.
Nao ha necessidade mais ge-
ral em todos os paizes do que a
de um purgante que soja ao
Sant-Clalr
das ilhas ou os desterrados na ilha da Barra ro-
mance digno de ser lido pelas senhoras por seus
lances interesantes postos cm execucao por urna
senhora, 3 volamos em brochura a 2 : na livraa
na ns. 6 c 8 da praca da Independoncia.
trapiche da Gamboa
Alfandegado por carta imperial de 26
de marco de 1863.
Este amigo e imprtame eslabelecimento, um
dos mais bem montados desla corle, com raslissi-
mas caxias para arreeadaejio de assucares e ou-
Iros gneros nacionaes ou estrangeiros todas cor-
ladas por trilhos de ferro assoalhadas e forradas
de madeira com minchas em tudas ellas para ar-
rumaco e safamento de gneros, com urna ponle
sobre o mar, de 600 palmos de extenso, com p-
timos guindastes, um pessoal muito pratico oeste
servico, propoe-se a armazenar assucar em caixas
reixes ou barricas pelo lempo de seis mezes por
40 rs. em arroba e em saceos 30 rs.; as madeiras
de qualquer qualidade que forem nelle deposiladas
pagaran pelos pnmeiros seis mezes o mesmo que
aclualmenle pagam por tres mezes nos demais tra-
piches e dos semestres que se segnrem lero um
abatimento de 20 por cento ; recebe por oreos
muilo mdicos qualquer mercadura comprehendi-
da na stima tabella do regulamenlo das alfan-
degas.
A venda dos gneros nelle depositados, faz-se
rom as mesmas vanlagens que offererem os mais
trapiches porque as condigoes para qualquer parle
da cidade sao pelo mesmo preco.
Rio de Janeiro, Io de outunro de 1864.
Precisa-se alugar duas tmmm para
vendaran na rua, as quaes s.-j.im optE
a tratar no taso do Veras
n. 1 i.
Aluga-se a <> mensaes a casa terrea
n. !t da rua do Forte : na rua do fresno
n. 1>.
Ao publica.
Torna para sua casa a senhora, rujo marido foi
atacado na rua da Cadeia em urn sobrarfo o doos
andares, as 7 horas da noiio. que para alli (ora
passar o da ; e grande samaran, dono a, nao pode conseguir discsa-los. que ja a muit.
deseja fazer brinde a um eu amigo : o lempo
de fesla, alerta com elle M !
Ao publico.
Constando-me que o Sr. Francisco Alves Conli-
nho trata de receber diversas dividas pertenrentes
a firma Alves Coutnlio & Brandao em amida-
rao, o como o mesmo senhor nao pode promover
laes recebimentos, avisa aos devedores da predita
mesmo tempo innocente, eflicaz firma que o nico autorisado a receber esses debi-
e digno de toda a confianza. !los Sr- 'oaqnlm Francisco da Silva Jnior, on
As pilulas que ora oiTerecc-'5e,ssoa,?u,orisa^a,por elle ruado Amorim n. 46,
mos aol Dnhlico nreoncl.pm p^tis t T6' tSfcqoe a des-peil desIe av,so Pgrem ao
mos jo puotico preenciiem estas Sr. Loutinho, passarao pelo dissabor de pagaron
condicoes; pois podem ser to-1 segunda vez.
Pernambuco, 23 de novembro de 1864.
__^^^ Jos Dias Brandas
FIMO DI) AR
No armazem da b..la amarella no oilao da se-
cretaria da polica, recebem-se en.ommendas de
togo do ar liara dentro e fora da provincia.
.. ~ Ausenlou-se de casa do abaixa asonado, no
da 101 de noveoibro, um escravo de noim- Manoel
com 12 a 13 anno*, levando tala e esatn d- S
godao azul de lisiras. ehapia pa|ha. rrk>fI,
bem preto, muilo ladino, deutes muilo alvos eorpo
lino, tem os dedos dos ps grossos, costuro. mian-
do se falla estar se rindo, foi comprado ao Dr Vi.--
tonnr doRejtO Tucano Brrelo, i natural da Pa-
rabyba da .Norte, tem andado pela Roa Vi*u e
aterro dos A tugados, proiesta-se contra quem o ti-
ver acornado, pois sabe-se que tem dorando em
algumas casas com con-entmenlj do^ dono* pe-
de-se a sua appreheoaao, levando a rua Ai trui
n. 18, primeiro andar.
__________ Antonio Alves de Uoraes.
Sorvele de rreme hoje
Trapiche n. 18.
Creme.
ao meio dia
na rua do
CAM
no Cachang.
Ao meio dia d-se bolos
rua Nova de Sania [tita n. 3.
de vendagem : na
madas pelas pessoas mais fracas
sem perigo alum, nao tendo em
sua eomposicao mercurio nem
outro ingrediente nocivo san*.
de, mas sendo composto de a- L aT^i0*?:!? .n,a *"? ?a? ***** bem dnbar,
1 eae noa conducta, ureferindo se eserav m m.
gentes vegelaes mui fortes, s5o bastante'estrella do Rosario n SISmmT.andar
eflicientes e activas para purificar os corposi Aluga-se a casa n. 16 na fu da H5g^ehT-
mais robustos. | a tratar na rua da Aurora n. 78
Estas pilulas exploram e purificam toda; U na rua da Concoicao n. 3.
Traspas>a-se a chave de urna casa no Cacha,
pagarem ao na povoacaj, a margem do rio, com 2 salas i
quartos, cozinha fra, pelo lempo de 10
lindar em 30 de set-mbro prximo paman, p.r
2005 : a tralar no largo do engenho Rru.n oa na
rua da Cadeia n. 27.
com L)r. Gabriel,
II
Pivcisa-se de urna ama de
pollo u. 2i, segundo andar.
14 M LHTE
leile : na rua de A-
muito bons cmmodM : a
I po n. 2, e-quina.
acha para alugar
a extensao do canal alimenticio, e dao vigor I Alugam-se duas casas na povoaco do Hon-
a todas as partes do organismo, corrigindo ,oiro Por Prt'C commodo, a margem do ro. com
sua accao viciada e fazendo recuperar sua rnuitoi)ons l',!m,no'' : a tratar na rua do Cres-
viialidade.
Um remedio inestimavel contra dr de!}
cabera nervosa, cnxaqueca, priso do ven-,
tre, hemorrhoidas, molestias do fujado, fe-
bre gastro-hepatka, e todas as molestias \ i
__________________: ment do figado que causa a escassez da
" bilis na inflammacao d'este orgao que pro-!
duz detramamento da bilis no estomago ou'
em um desarranjo geral dos orgaos diges-!
tivos.
- Os abaixo assignados fazem publico que a A ictericia
sociedade que hayia entre os annuncianles, sob a produzida pela absorpcao da bilis no
lio, acha-se por sangue, dando a pelle e aos olhos urna cor
con- amarelienta ; niio smente dolorosa
JS
Precisa-se de urna preta coziuheira de boa con-
duela : na rua do Queimado n. 16, loja.
GOMPHAS.
Compra-se ouro e prata em obras Tena:;
daga-se bem: na loja de bilbetH apraraa lodo
pendeuca n. 22.
Lompra-e effecvacMBii
ouro e prata em obras ralbas pagando-se bem :
na_rua larga do Rosario n. 14,1. j. de ourive*
Acliam-s
impressos era muito bom papel da impressao
quatro diversas estampas da Senhora da Conceirao
ornados de bellas vinheias, e eslo venda na
rua do Imperador n. la, defronte de S. Francisco
bem como o offlcio da mesma .enhora, lal como'
o rezam os religiosos carmelitas.
razao commercial de Rocha
mutuo accordo dissolvida e em liquidaco, a
lar de hoje. Recife 30 de novembro de 1864.
Jos Aulonio Goncalves da Rocha.
Erasmo Jos de Mello.
Joo da Silva Ramos, medico pela l*ni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentcs
eai suas casas regularmente as horas
para isss designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasiao. D consultas aos pobres !11 Compra-se ouro e prata, trrim nwi imur
que o procurarem no hospital Pedro II, m \ tase toda qualidade de obras da me-ma q.i.lida-
aonde e encontrado diariamente das 6 H de com promtido
as 8 horas da manha.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
Compram-se oous escravos que sejam bons
carrejas : na rua do Trapiche n. IX
Comprase garrafas c botijas vazias, na fabrica
de licores rua das Craies n. :iii.
na loja do paleo do Carroo n.
7, por preco commodo.
Compram-se moedas
I DENTISTA DE PARS I
Liliana publica de banulciro.
s
19Rua Nova19
Frederico Gautier, cirurgiio dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos denuncio.
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro para loja de fazendas:
na rua de Apollo n. 70, segundo andar.
por
si, porm conduz aos mais serios soffrime-n
tos.
Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas to-
das as mantiSas, isto bastante para mover |
a ac-
o ventre gmente al que se recupere
cao saa do svstema.
u abaixo assignados fazem sciente ao the- # j_ _j r ,
soureiro das loteras para que nao pague a sorte ,. d0 'ado' lebre gastro-hepatica,
que sahir no quarto de bilhete da 3a parle da 10*! dirrlien biliosa, indigesto, a nevralgia
lotera a benelicio da matriz da Roa-Visla, que ti-' OU tic douleureux, sao todas molestias que!
Z*rZ:!>lZ^^v^:\t seu comeco n'um desarranjo da bHis.l
dos ductos da Mis faz esta
volver ao sangue, com que circula d pois
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos aproprados e nella pra-
lica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira rlasse 35000diarios.
Segunda dita.... 23500
Terceira dita.... 2000 >
Este eslabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conflanga de que sem-
pre tem gozado.
de ouro : na rua da
Cadeia do Recife n. 66. armazem de Ferreira A
Matbens.
se que fosse fuado ou perdido oa occasio de i i
comprar.Alexandre Jos Mara de Hollanda Ca-:'
valcanti. -Manoel Mara de Hollanda Cavalcaoti.
mmmmmmm-mmmmmmm
Casa para alugar-se
Aluga-se o primeir andar do sobrado sito no
Com a epigraphe ao publico sahio hontem de Apollo n. 17, e terceiro e quarto andares
um bem eleborado publicado em que seu autor em- i ~ SODr.ado da r."* doB.ru.m ? 70 : a Iratar oa rua
praza um molino publicante a assignaro seu nome.
Assim, sapientsimo senlior, que se decide urna
quesio de citaco, quero dizer, de couro podre e
broxas enferrujadas sobre pinho carcomido de cn-
nira ; e nao por raeio de allasoes a negocios da
vida privada como fez um tnesqHinho individuo
mito coobeciiio por suas miserias da elasse ba-
buleiral. Continu, pois, V. S. a desafiar seus
mulos a ievaniarem a viseira, em quanlo V. S,
cota a sua cahda, os verberar com o fla^ellante
Jatejo da sua mordacissima peona.
O meirinho.
arga do Rosario n. 34, boiica.
Aluga-se
So dia 27 de novembro do corrente anno fngio
dos Afogados um mulato de nome Jos<, de 25 li-
nos, o qual j irabalhou na estrada de ferro, e
passava por forro, e era conhecido por Jos Joa-
quim : levou vestido caiga de algodo azul j ve-
Iha, camisa de algodao azul, chapeo do chile usa-
do, com os seguidles sgnaes : baxo, grosso, cor
clara, cabellos crespos e pretos, cara um pouco
larga, nariz regular, olhos pretos, pernas um tanto
finas, e o menor signal elle ser bastante miope,
que para ver as cousas preciso levar aos olhos :
quem o capturar leve-o aos Afogados a Jos Ruar-
que Lisboa, que o seu legitimo senhor, que ser
bem recompensado.
~- Precisa-se alonar una cosiuhejra escrav oa
forra; oa rua da Madre de Dos o, 36.
por prego razoavel um sitio por delraz da fundicao
dos Srs. Starr & C, todo murado, com duas entra-
das, urna por aquelle lado e outra pela estrada da
travessa do Lima, a sahir na estrada que vai para
Olinda, dentro do mesmo sitio tem 4 casas, urna
bastante grande, outra menor, e duas pequeas,
lem tambem um viveiro com bastante peixe, e di-
versos arvoredos, como sapollzeiros, pinnas, ro-
manzeiras e coqueires ote, etc.; fra do mesmo
sitio, encoslido ao purto do lado da fundigao, tem
mais duas casas : quem pretender alugar, dirja-
se aos seus propretarios Guimaraes & Alcoforado,
no seu armazem da rua do Amorm n. 54, nao po-
dendo ser entregue a chave do mesmo sido a quem
o ten ha agora de o arrendar senao depois do da
18 de dezembro vndouro, por ter neste dia con-
cluido o arrendamento da pessoa que o havia an-
teriormente arrendado. Tambem se faz negocio
por venda com o mesmo sitio.
Precisase de um preto que saiba bem coz-
nhar para urna casa de familia : quem o tiver pa-
ra alugar, yode dirigir-se a ru larga do Rosario
n. 48, loja da Aurora, que se dir quem precisa.
O Sr. Anlonio Marinho da Silva tem dnas
cartas no consulado americano, rua do Trapiche
numero 8
Joanna Rlandin, Augusto Rernardo Rlan-
dn e Thereza Rlandin agradecem do intimo
d'ajma a todas as pessoas que se dignaran)
acompanhar aoeemiterio os restos moriaes
do seu presado marido e pal Francisco Rar-
tholomeu Rlandin, e de novo convida a ouvi-
rem urna mssa e memento que se ha de re-
zar na malriz do Corpo Santo, no da 3 de
dezembro, s 7 horas da manha, stimo dia
do seu fallecimento pelo qual sero eterna-
mente gratos.
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel de males.
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direcfoes minuciosas 3companham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, rua Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Rna Direita 15
RIO ii;.i tviiiio.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER i C.
________RUA NOVA N. 18.
Precisa-se de urna
que esleja em bom uso :
vender annuncie.
Compra-se papel Diario, pagase a 4-5 a ar-
j roba : na loja de calcado, rua da Imperalriz n. 38
I ao p do becco do> Ferreiro~.
Comprase um e-cravo mogo e sadio quesai-
ba perfeftamenle roslnhar, paga-se bem : na rua
1 da Cadeia do Recife n. 53.
Compra-se um esnravo que ten ha officio de
funileiro, e outro (pie enii nda de cozinhar na
I rua do Livrameiilo n. 20, armazem.
Comnram-se 170 mitra asAvnjnv de M
40 palmos de comprimenlo com bastante grossura
sendo de muito boa qualidade. btando-s<> na obra
quem quizer vende-los, dirija-se a
n. 5. ____________
np,. i- Sar' ",. Comjira-se nina escrava de roeia ilade na
u Dr. loan Ferreira da silva regressando sua rua de Api lio n. 70, primeiro aodar.
casa, cootiuua em o exercicio de sua prolisso,
nao s na parle medica como tambem na chirur-
gica.
, paga-se bem
Consultorio medico-chirurgico na rua larga do Ro- i rua da Per ha
20.
D. Cosmo Grillo,
para o Rio de Janeiro.
subdito italiano, relira-se
a luga-se
carroga para carallo e
quem a tiver e quizer
Na rua estreia do Rosario n 13, padaria
precisa-se de um bom amassador e urna ama uara
cozinhar.
Na rua Velha n. 2 ha urna
filhos.
ama de Jeite sera
Armazem frontelro.
Pode-se ao Sr. Meireles que nao consinta insulto
como seu visinhoda rua do Alecrim, para nao ha-
ver urna maaislade.
Ama
Precisase de urna ama que saiba cosinhar : na
rua da Imperatriz refinago n. 46.
.Na rurt estreila do Kesario u. 34
a casa terrea na rua dos Prazeres, fregucm da
Roa-Vista n. 1 A, pelo preco de 16J : a tratar na
rua estreila do Rosario n. 28.
Em qualidade de testamenteiro de D. Anna
Pastora de Jesu, previno aos devedores da mes-
ma que nao pague a qualquer dos herdeiros aquil-
lo que por vetara dever, em quanlo nao for con-
cluido o inventario e partilhas que vou requerer,
sob pena de me obrigarem a proceder como for
de direito.
___________Jo3o Goncalves Pires Ferreira.
Pede-se ao -r. Alexandrino A y res da Paixo,
professor de Roa-Viagem, que tenha a bodaade de
apparecer na rua do Rangel n. 77 a negocio que
nao ignora, do contrario se explicar qual o dito
negocio.
Jos Joaquim Pereira retira-se para Europa.
Casa para alugar.
>Iuga-se o segundo andar do sobrado sito na
rua Nova n. 35 : a tralar na loja do mesmo.
VENDAS.
e 8
A aguia branca recebou luvas de pellica.
Est ainda para alugar urna casa na ilha de
Remhea junto a ponte da Passagem, com commo-
dos para familia, baoho, pintada, e pe.'o barato
aluguel de 1504 por anno : na rua larga do Ro-
sario n. 36 se dir quem aluga.
Precisa-se de urna ama para cosinhar r na
rua do Imperador n. 46, primeiro andar.
ATTENCAO.
O subdito portuguez Rodrigo de Faria reti-
ra-se para o Rio de Janeiro.
Advogado Alfonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
o iras, porm, na villa do Cabo.
Luiz Emigdio Rodrigues Vianna tendo de se-
A pessoa que botou um cavallo alasSo no dia 3 Kair para nor,e- delxa Seus negocios incumbidos
de oulubro na cocheira da roa do -ol n. 35, para ao Sr- Dr P"'"anci_sco_de Paula Penna, rua do Quei-
tratar, e romo at o presente nao tenha appa'recido mad D- *" Pr'm*"ro andar: as pessoas que o
o dito dono do cavallo, faz-se o presente annuncio Procurarem, pxidem dirigir-se ao mesmo Sr. Dr.
para que a dita pessoa o venha tirar no praso de t>enna durante .ooncos dias de sua ausencia.
S!!?!S' d" c,onlro fiado este praso ser vend-1 Precisa-se fi urna ama para casa de pouca
." 3u58 d0 $eu '"kmen'0- Recite 29 de {familia, tanto para s -rvico interno eomo externo :
outuoro de 1864. a rua de HorUs |3a "
Aluga-se o sitio stlo na estrada do Rosarinho,
junto ao Sr. Dr. Menna : a tratar na rua Nova
numero 35.
Bernardina de Sena declara que nenhuma
pessoa faga negocio com seu marido Manoel Nu-
nes da Cruz, que se acha julgado prodigo pelo jui-
zo de orphos do termo do Cabo desde 25 de feve-
reiro de 1861, e a aonnncianle sua curadora.
('asa no Cachang
Aluga-se urna casa muito fresca na margem do
rio : a tratar com o dono do hotel, ou com Vctor
Lieutier, em Apipucos.___________
Aluga-se o segundo andar do sobrado da rua
Imperial n. 144, com bastantes commodos para
urna grande familia, com muito boa vista e muito
' frasco : a tratar na rua Direita n. 6.
rara lh65
Acham-se venda na livraria ns. >
da praca da Independencia:
A FOLHIMIA DE PORTA, abran kalendario civil e eccle-iastico, tabellas de
feriados, de emolumentos dos trbuiiaes
do eommercio ele. a ico rs.
A FOLHIMIA DE ALGIREIRA centendo o
mesmo que aquella c mais urna nova
Salve Rainha em verso,o Stabat Maler em
verso, devocao ao agonisanle, coraio de
Jess, canuco etn louvor do Santsimo
Rosario, cntico a V-rgem Mara Nossa
Senhora, tnnla e tres chistoses mmmmm
um indito poema sobre as aventuras de
um cosinlieiro, o canto de urna solteira
(poesia), crescido numero de mximas e
pensamentos, urna historia cmo minias
mmatu'o e vintc c cinco novas e pi-
hericas charadas a 320 rs.
Grande liquidadlo
de fazendas e roupa teita. na loja da bandeira, roa
da Imperatriz n. 28 ; na mesm i precisa-se de na
menino de 12 a Uannos de idadn._________
Depsitos para fa-
rinha
Vendem-se tres grandes depsitos para farioha
da trra : na rua estreila do Rosario n. 5.
Vendem-se ires panes da casa terrea na rua
da Roda n. 18 : a tralar na rna larga do Rosario
I n. 20, loja de funileiro.
J
)


i .
Diario de Pernambuco Quarta fc|ta 30 de Xoverabro de I&4.
RUA DO QUEOIADO V. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
051/1 %
NOV1DADE
fi. m.PJf och.a acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de roolhados denominado Clarim Commcr-
aMurta mSSEr P encontrar sempre um compielo sorlimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
rUn .,fm ,;?i! i S/r preQ0S muil ,esumidos como o rospeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada; garante-se obom
peso e ooa quaudade dos gneros comprados neste armazem.
Arz do Maralo, India e Java a 60, 80 e
r?Jh? Ilbra' e ^80 2#00 e 3000
Polvo secco muilo novo a 400 rs. a libra, j Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego cm calda de azeite e Ervilhas porlugiiezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2^800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
a arroba.
ABK2ifrancezas em latas e em frascos a
15200 e 10600, e em frascos grandes a
26t)0.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
coin ricas estambas no interior das caixas
a 1(5200,1^400, 10600 e 29.
Araendoas com casca muilo novas a 280 rs
a libra.
Alpista a 163 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
AveMaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoirtos inglezes de diversas marcas a
1030' rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a Uta.
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
qtiinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porco relinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha liysson, huchin e perola a 10600 20.
20500, 80800 e 38000 a libra.
dem prelo muito superior a 20000 a libra.
Carve.a preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a "arrala
e 50800 a duzia.
"Cognac inglez fino a 90' rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e espacnlmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
2*0 10, 20200, 20500, 20SOO, 30000 e
i5oO a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Chouriras e paios muito novos a 800 rs. a
libra.
Grande liquidacode faztndas de todas
as qualidades para se apurar dtobeijo, vende
se baratissimo na loja e armazem da Arara, ra
da Imperatriz n. 50, de Lourenro Pereira Men-
des Guiuiares.
AO ARATEIRO I)A ARARA.
vende-se coi tes i!e chitas de cores Osa* cora 10
covados a 25400 e 35200, corles de eambraia de
salpicos a 2500, 3*000e 45000 para acabar : na
ra da Imperatriz n. 50, loja da Arara.
A Arara vende eassas a 240 rs.
Vjnde-se cassas para vestidos a 240, 320, 360,
e 400 o covado, organdys de lindos gostos para
vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado : na ra da
Imperatriz n. 66.
CortsdelaaMariaPaa80, 120, 140 e 160.
Vende-se corles de laa cora barra, os propria-
mente a Mara Pa a 85, 125, 145 e 165000, ditos
sem narra a 65000 : na ra da Imperatriz, loja da
Arara n. 56, de Mendos Guimares.
A Arara vende alpaca para vestidos de scuhora a
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
tido.; de senliora a 360 rs. o covado, laaz-
nnas para vestidos de senliora a 320, 360, 400, e
W rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
As colchas da Arara de 20.
Vendem-se colchas de damasco para cama a 45,
t ,. --------~w .vinii.-- uu umiinaiv pala witu.i a *V
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220 22 d'chilaa UWO : na ra da Imperatriz nu-
Paincoa 200 rs. a libra. i rs. a libra. mero 56.
Polvo ser.cn muiln iwnm a /.nn re l.hr, Cflv.irl a SO rc a hri ..* Arara TCDe certcs de calcas a 10600.
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farmha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.1 dem de trigo a 120 rs. a libra.
cadaum.
Sardinhas de Nantes a 300 rs. .
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de Hmpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem steai inas muito superiores a 60 i
libra.
Eigos em caixinhas ermeticaacnte lacradas
a 10000.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha ueste peero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocaje Chamisso e outros a 800, 900 o
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 90000 c 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa o Figueira a
480, 500e 500 rs. agarrafa e30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
_. a duzia- : Ma?as linas para sopa: estrellinha, pevide
dem Morgacxe Chatesulumini de 1854, a 10 rodinha e aietra a 600 rs. a libra e-a 40
. calcas a 10600
\ende-se cortes de calca de brim a 15600 e 25,
tutos de casemira a 35500 e 45500 : na ra da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Laainbas da Arara a 210 rs.
Vendem-se laxinhas para vestidos a 320, 360,
400, e 500 rs., ditas lisas de todas as cores a 600,
ditas a Maria Pa a 640 rs. o covado
Imperatriz n. 50, loja da Arara.
LOJA IE S'llZAS riVAs
c objecfoft de rosto.
16Ra do Queimado1G
Eufeites de tabeen.
Bonitos enfeiles de lacos de filas c de froco cem
vidrilhos a 15280, 15600 e 25.
Ditos ditos com enfeite de frocos a 25500 e 15.
Ditos enfeitados com can-amiba larga a 2.*00 c
35000.
Duos ditos feitio do chapelibha c culras mnilas
qualidades diversas a 55. y
Ditos ditos riquissimos com flotes a 65-
Ditos ditos lodos de flores diversas a "5-
Bonitas capellas para noivas a 15, 35 e >5-
Bonitos cbapozinhos enfeitados pata baptizados a
45 e 55.
Benitos sapatinhos de merino e selim bordado a
15500, 25, e 25500.
Bonitos sinios de galao com fivcla para sechi ra a
25000.
Riquissimas fivelas de pedrinhas rara sinios a
15600 e 25.
Bonitas gravatinhas cora lacos para techora a 800.
Lindissimas ditas com lacos enfeitados com cascar-
rilbas (novidade) a I580 e 15500.
Riquissimas ditas bordadas cora lacos a 10600 c
25000. *
Ditas ditas com as ponas bordadas de fr.ini*, fro-
cos eboloes (ludo novidade) a 15280, 15100?
Pecas tle bonitas cascarrinas de seda de todas as
cores de diferentes larguras a 15280, 15600 e
250O.
na ra da | Ditas ditas de seda -em duas cores a 25.
' Ditas ditas de laa de todas as cores a 800.
A Arara vende um completo sortimento de roupa I Bonitas Blas do sarja lisas e de todas aseares de
feita. I 2, 4 e o dedos de largura a 640. 1-5180* 1*500.
5 de {.Tosdenaple lavrado de tedas as
4 5 dedos de larguia a *5. 15280 e
800. 15.
': Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 500 rs. o frasco e 00200 a frasqueira.'. yendem-se roupas feitas a saber : calcas de'
dem em garrafoes de 3 e 5 cales a 50500 l? del^s a 2* e *&M, ditas brancas* de al- fSSU* *>
e 70500 cada nm mm n lamfSn .godao a *fc dilas de hho a 35300 e 45000, colle- n ,*b*.
raita a lo 4 TlSJlj!SH" I *i$2 c0res dc brim a ^m dils bancos i l1** fi ?5 *? Prg"So para santos a 800.
jraixa a 100 rs. a lata e 1*100 a duzia. a 25506, de casemira a 35 e 45 calcas de caemi-' Pecasde '"<>e seda de todas as cores a 320.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. 2 a S5,65 e 75000, paietots dreasemira a 55000,! Pefile !?? ** iwto a 000, 700,80(
dem, qualidade especial em garrafas muito &* <'mo,;acoresa5, 75, 85, 105e' p'^ t,T'r&m' t??00, u lr^m-
Brandes & 10800 a carrafa 125O90, paletats de alpaka preta a 35 e 35500, di- ES" "/ ^',a d, ^ P* di-brum a 800.
Wpm mir!iF ^ to *** de rdo e alpaka branca i 45500, e > no para deb um a 240 c 320.
dem em garrafas maiS pequeas a 800 rs. duos de brim de Hubo Imteos linos a 55000 e- Sjg" 2o de franja branca lisa a 400.
dem, em gerrafa forma de pera e rollias de r0Hlas *. 1*280, ditas francezas a 15600 e 25000, i J" d; lransa llsa *nca e preta a 80.
vidro, a 10000, s a carrafa vale o di- camisas francezas a 25 e 25500, ditas de linbo n- ,eLrescas aeJouvain brancas e
->;. glezas a 35000. e onira, muitas rourws feitas que mSS0-
ionar, que a vista do com- C1 as ,!,.ranras nao i1""
nnr isso rra-se. aos enm- i Dllas Lrancas nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco-a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 040 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates cm barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa e 60' rs: a lata.
Marrasquinlio de Zara, fraseos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e' Peixc em latas preparado pela primeira arte
^ 10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixamos
de mencionar, e que ludo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porces como
retalho-
Quem comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 porcento.
decozinha a 10 a lata,
Paliios de detites a 160 rs. o maco,
dem de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
glezas a 35000: e outras _
se torna enTadonho mencionar, ,.
prador ,se dir o preco, por isso roga-se aos com
oradores oTavor devir ver na bem conhecida loja
da Arara, ra da Imperatriz n. 35, de Lourcnco
Pereira Mondes Guimares.
A Arara vende as percalas a800 e 560 rs.
Vende* percalas ee cores finas para vestidos
a 500 e a60 rs. o covado.
A Arara vende tiras bordadas para enfeitar tps-
des areos.
Vende-se tiras
de cores a
As patill
man, 1 inprr^o
aimos pelas ee
Londres. Vienna, 1
dados em aa quaes
imperfecta ou mesmo 11..,
remedio para cura! as
((rllela*. Dinrrh >
1U*.pr|t*laft. pnrmm
Eiiiliai'Mran cHKtrIro* prlvn
A u.lrllr. 4rr. !>-
A HlfiTciir ornl- trl...
rnx lio ilniI. I
Em todati as molesliai rmpreco can.,
aguas iilraiinas, especialmente 11 ana /( I..
e igualmenie aspjsiilhai 4e Vnhii'Mt meio i id.
eflira/. quando se lale le d:si paita di curta *
raeo. mas o prolongado no das anuas e pasulkei
lie Vifhy, lem gramir* inronven <\ntt6i
os alcalinos raipobrciYiii o >?ngue c i-so .Ir i.il
maneira que llics arreba.liao a '.irle \iviAeaaia.
niiiriiiva c reparulnz. Com a | :
como ella nina substancia orj,;i
transforn>?.-se ao mesmo lempo que se cft.vtn a
transfomiavSo dos aliaaenUa .
como clles c ajudo taObcm e< na 1
geral. Sua aceo vivifica o singue r 1 rf*Q*
dc tal sortc que, alad as p. s>oas que sfMMlIrrr as
afcci oes garrirs cima men ioiu.'a -i" laawsa-
menle tracas ou d'um lem|vrameW p dbil, e BeeesfiSo wbaiacial afiaaaal
lificar se, acbao no empreo das pwABlU u ftf-
sina de ffillltl, um pMeftao men> para a so
cliepar.
Avi'O importante. 0 sncceo .iis fa'k.ix
pepsina at Wasnun din eaaaa aa fa/erem \-
sificaves e imilaMM's i.Vsx' prodneio qoe ea
mulos se querem lesfa/or. I'ui por falla Tum
boa prepaiacao M fM M BtBi aatRk j-*>
alterada. Serenos aa abriga cale infonvuiwia,
exipendo os compradores .pie as psataliai trahio
as inician B. P. c taio da pkaram Ctoevrier
Oepsilogeral em Pars, pharmacia Chvn-,
SI, Faubourj'-Jlontmartre, e cm todaa aa boas
pharmacias dc Franca e dos paiies esiranfiraa.
fi
B.S s'piS
2-K3g-
2 > tr
= o
fi-
= >

to frescas a 15-
cores ent'eiladas para senbora,
wvidade do paquete a 3*.
Ditas da Escocia brancas e do cores para horaem
e senliora a 800.
Bonitas cestinbas para cestnra rom todos os per-
tences, sortimento variado* 400,500,800,15200
15C00, 25, 2500, 35, 45 e 55.
fiiquissimas caixinhas.para costuras, dispensavn-. i
carteiriuhas, bolsinbas |ara senhoras tiazercm '
na mao. com todos os pertenec de costura c

i
>-co
S.f a 2
s a
\ende-se tiras bordadas pera enfeitar vestidos muito commodas, fezend de muito cosi (novi-
brancos a 15200 e 15400 a pega, musselina bran- dade), de 7f al &$ cada urna, objeotos de tan-
ca ma -5 Afn a ROA ^__..j. .______ j. i_ lo meto .
lo gusto ueste peero.
Bonitos atuns pan retratos desde 12 al 100 re-
tratos, o mais bonito que se pode desejar e se
vende por melado de seu valor a 2-3, 25300. 33,
" U5, 183, 245 e 305-
ca fina a 400 e 500 rs o covado : na ra da Im-
peratriz n. 56, loja da .4rara.
Ao baraleiro d 1 Arara a 2<$500.
Vndese baldes americanos do 15, 20, 25 etO
arcos a 2550O, 35, 35500 e 45000.
vende-se gol i nhas parasenboras a 240, 380, 400 SP"*,tie "orraxa muilo fornidos e outros do eos-
e 500 rs., camisinhas para ditas a 15,25, 35 e 45,1 ,..,as "o*""adas para desembarazar a 15-
na ra da Imperatriz, a rmazem da Arara, n. 56. 5j!l0S dS '*0"a', para regace a 500. f.40, 8i.
A Arara vende na iauolio enfestado a 15. '. vl'.f. S.dUrados l\ rW 00 e 15800.
Vende-se pecas de n-.adapolao entestado cora do- \ %$& KS2K *2? **
ze jardas a 450OO, pecas de dito de 2i jardas, das -.^fandes de aljufares a b,tao
marcas seguintes : n. 30 65000, n. 250aG5630 Diias
9
!
I
n
1
3
c
r.
c
3

t:
C~
c

EL
o

c
il
B X
s.

P
- 3
e. 2
cT=;r
S.S -
B-ga-i 5"=- *
fi.^ = U ': Z.

-j Z- m o
I2.ll i* S
ia a 15800.
a 25500e
a a. B-a -i i
ae < 3 ^-. b
30^.=; ;'7 ---
e ? S" :
&!m'08M&*&1& Sfltsr;p'
mais pequeas com cruz de pedrinhas a 00.
! pequeas e grandes a 500 e
pennas de ac bmpas a 560.
Doce de goiaba_em latas o melhor posavel a SS^^?^?2^9MS I &2S tffB^lt
2;$ e em caixao a 040 rs.
Palitos do gaz a 20200 a groza.
Passas muito aovas a 480 rs. a libra.
MACOINASDEPATENT
de traba!bar a mito para
tesearoear agodo
FAimiCADArt
Por Plant Brothers & C.
OLDAH
GRANDE E SUMPTOSO ESTABELECIMENTO
DE
IVOVOS E ESCOIilIIDOS GNEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
60 HIJA HOVA 00
Ultima casa unto a ponte da Boa Vista.
DUAS PALAVRAS.
Cesse tudo quanto a antiga musa canta
Que oulro valor mais alto se alevanta.t
Acha-se a disposigao do respeiiavel publico este grande e magnifico estbeleci-
mento de molaados, talvez o primeiro e nico hoje existente em sua especialidade, por-
que o maior capricho de mos dadas cora mais apurado gosto de abrir um estabcleci-
pc ferro a 95 a peca : na ra da Imperatriz, leja
da Arara n. 56.
Bramante de InI- a 2>f 0 a -.ara.
Vende-se bramante de lidio a 25500 a vara, pan-
no de linbo para Ioijccs a 640 rs. avara : naraa
da Imperatriz loja da Arare n. 56.
A Arara vende caseaiiras linas a 5$.
Vendem-se cortes de casemiras para calcas a &5
SSuO, 65 e 7500O o cwte : na ra da Imperatriz,
loja da Arara o. 56.
A Arara reeebeu cm complejo sorlinieuto decapes
jf.aixiulias de papel amizade paulado a 600 o 640.
Pacotes d3 papel amizade beira duurada a 800.
Varas degrade du labvrintho francez a 100, i Cu.
200, 5i0, 320 e 400.
Varas de lafcyndtho forte bordado de croch a ICO.
240, 320, OO, 640 e 15.
Pcifumaiias finas.
Saboncl2s de bola grandes a 280 t 360.
Caixintas com perfumaras a 15, 15500 c 15600.
(.atraas com extractos finos a i, 35. 25500 e f.
.S"S.'S?n.dlTOrso8 "trartm miHl, 200, 320
400, 500, 600, 700, 800. 15, |s) e I5S00.
; s
e smillitnikrqiies
que vende baratissimo, a saber : soulhcmbarque Fraseos de'agua de Cka"a 400 500 eUT
de alpaca branca enfeitados suito de posto a 125,: Frascos de agua de Colonia e babJa dc Mansi
ditos delaazinhas decores a 85, 105elf50OD,! a 500. -o.* m ans
I capas de grosdenaple prelo t 205, 255, 305 e 35,5 Garrafas grandes de agua de Cierna a 5,1 25
soiuvmbarques (iretos de groJenaple a 205, 9* '5500. b ul-''"lon,a a "*>- -*
inho
podem descaroca r
qualqaer especie
algodao sem
tragar o fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabalho; pode
descarocar urna
arroba de algo-
dao em caroce
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por da ou 8 ar-
robas de algoda
lirapo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de alrodao
limpo, por da.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina*
memo modelo promovern, a scolba dos mais superiores gneros do nosso JU^fSS&i'JSA TmSSl'miA
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vislaW de algodo, no largo da pone nova n 47
s e 305000 :' s iia laja e araiazem da Arar; ra Frascos de oleo de babosa a 400 500 e 600
Frascos de oleo Philorome a l 800, e 700.
'* iwin iC^?' co,n superior banha frar

da Imperatriz n. 56.
Casemiras para capas a 3z> o covado
Vendem-se naseairas lisas proprias para capas
de senhoras a .13 o covado, laJnhas lisas para o
mesmo I:m a 6C>0 rs. o covado : na ra da Impera-
triz 11. 5-3.
A Acara vende leacos de. sdc a 1 ft e 800.
Vndese lencos de sida de urna s cr a 800
rs., ditos finos de cor a 15, colarinhos baratos a
600 rs. a duzia : .s na loja da Arara, ra da Im-
peratriz n. 56.
Ao baraleiro1 do tairro da Ba-Visla.
'endem-r-e chitas escuras e claras de cores fixac
15300, 15800 e 25;".................."fCZaa
Frascos com superior banha franceza a 800.
Albiins com superiores perfumaras a 74 e M
onitos frasqulnhos com superior extracto para
lenjo, sndalo, essencia concentrada capricho
da moda mundo elegante, bouquc* diversos i
pnnceza Isabel. Maria Pia e outrus a 155011 mu
rante-se a qualidade. g
A
rece I
Sinlosa travista.
loja da Aurora na ra larga do Rosario Q. 38
>eu sinlos a traviala com filas de rhnmal.to
MfiSSA E UMP
BERTH
com comuHA
Preconizados por lod os aaadtaaa
sJ!fi^,*pi,,*,*
AVISO
FalaficacdesreprfheBaiTriaeaeiadasiM
successos do Xarop, t da M,tV,
nos obngao a recordar que esses ,
no jusiameaie
nomcados n;o se
eniiego scnaoein
hcelas c em fras- ( ZZer&^f? <
eos com .1 axskna- ^
tura aqui indicada. rk"">*<,immr,t *m%h
451. ru Saint-Honor/, na nWMIHU ao
11 vrb, o em todns as pli.irnu.
de cliamalole
muito
Deposito geral cm PWummm .
.oque Cjmp^^eoa Msa de(;a,s |Jlr^j
deu lugar a obtencao de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
dignarein de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanza de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos pre;os quasi do pri-
meiro custoo nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharao
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o n'eces-
sarje, promettemos-laes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com to boa vontade, como a moeda de ouro do
bomem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar era nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltario satisfeitas, nao s pela boa qualidade dos
objectoi, como pela delidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro DOS justificar.
Saoodcrs Krolkers & C.
M. M, pra?a de Corno manto
RECIFE.
Os nicos ag.entes neste paiz.
dos fieguezes. Assim ebegeem frecuezes, porque
so se v-nde assim barato porque est c /esta na
porta, e a loja da Arara Ja ra da Imperatriz n.
56, jh.de bem servir aos fieguezes do bom e ba-
rito. _______
^ Q S5 < 55 S> 55 >"> r s 03 55 H i
res-gajeoo-s '-1 00??
3 tu S -1 = (-.. S. a r- S i; C. S
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ruado yucimado os. 49 e 00 loja do Baraidro
conhecido ja como tal, est dispondo da fazenda
por todo o pro{0 para apurar dinheiro, quem qu-
zer ven ha ver e traga o cobre, e ver o segu nte
Baralhos de cartas para voltarete muito
lioasa...........,................
Miadas de linha froxa para bordar a.
Pares de sapatos de tranca de todos os
tamsnhos e finos a..................
Massos de superior grampos para cabelis
uzas de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de ara preta muito superior a
Frascos de superior macaca oleo a .
Ditos de dito perola a...............
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs. e.
-1 w _
0_ G-
ai
3 fia Cfi V
*

?,
206
20
15500
30
200
100
100
200
^ CD "O Ep >
rjg.a larva
O
O
3 g
m M f 3 g'-g &*g 0 -
Jo?' &25gt
o- 2
<>B
CD
CAVACO NECESSARIO
Deremos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existndo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominaco de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente, I Ditos'de' banha muilo fina a........... S!
capaz de azer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos. Ditos de cheros muto finos para o pro
Ria-sc quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue nJS.8" "22111...................
?*5e fs as as neme urna voz cora que se dao a conhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicado que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem n5o seguir o partido desse sustenta diremos mais:
Nao oriunlo do Brasil o imponente titulo do nosso eslabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
" S o a M a
3irfi
.
9 S:'
ooi
o
srli
S .-D SJ
O ES Q.
v a o
moguem
O
1em da Liga. O acaso nos fez deparar com a narracao desse acontecimento, que tan-
to sorprehendeu a corte desse raonarcha. Agradou-nos esta historia e goslando sum-
inamente do trage do cavallero da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oitSo do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
ilonni sol gol mal y-pense
| Ditos de agua de colonia superior, gran-
160, e.
Novellos de linha com UOJarda'ia.'.'.'..'.'
tarrifis de linha de cores cora 200 iar.
das a...................
Novellos de linha de caz de todas
res a..........................
Pecas de fitas elsticas coni' varas pa-
ra vestidos a.
as c-
500
600
400
80
60
30
Frascos de superiores cheirs, pequeos,' a
DE ARCOS
Na rua do Queimado n. 40, letreiro verde.
raras oe ligas muito superiores e bonitas
a res.............................
Varas de bicos francezes, superiores %.'.',
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a............................
Pecas de tranca preta liza moho fina'a..
tanas com 4 papis de agulhas Victoria a
varas de fita preta com colxetes a......
Libras de lia sortida de todas as cores a
Bonecos de choro moilo bonitos a......
Caixas de ohreias de ma ssamuto novas a
Varas de franja branca e deiores para
toalhasa......................,,,
Frascos de oleo Phlocomescopenor a...
.Ditos com superior tinta a320 e.........
I ai"s de linba de P rom 50 novellos a
Lunadores para espartilho a.
M.- ^?-e.Se bem arma^os ba,5e Pe' diminuto preco de l advertindo que venem-se por, Duzas deboloes encarwdot'r''ve'sti'.
este preco por ter-ie comprado na grande porco e qoeNMI acabar. dos a..... ^7* p ves"
240
200
400
40
15000
15000
60
200
40
65500
160
40
80
600
500
800
60
100
-
v
"S'
~
B
3
8
s.2.0.
2 o
O p. *
lili
H
ft" a
fffH
-. 3
t
Bi
03
0 fi -7 a
a. k
0 '-
-3
u ->
"1
B g

g"

8
m
z
5
e
5
?i
;
e
s
inti de lavande.
. ,f,rua,dasj/""os ":,c vende-se superior agua
de lavaode a 800 rs. a garrafinha. suje.tando-se o
estabelecimento a recebe-la no caso que o com-
K2 h .a0 M a?rac' Es,a a6a 'em a proprie-
dade de tirar a caspa, e concorrer para o cresci-
ment do cabello.
Vendem-se tres escravas crioulas, mecas, de
boas figuras com habilidades, leudo urna tres fi-
Ihas de 5 a 10 annos, e urna mulatmha de 7 an-
nos: na rua estreita do Rosario n. 31, armazem
Folha de Flandres.
Vende-se na fabrica da travessa do Carioca n I
cae* do Ramos, superior folha de Fiandres a ve"r
e tratar, na mesn fabrica.
Cal de Lisboa.
.Iladapolors baratos.
I cea, de madapol.i., Oso con 4 ,
eom um pequeo deWto u w, f, ,; ,'
jrjde Dos n. 16, defr.nte da SfcV
Continua a ven ler-se tres 1
naruadoUrumdobairro d I,
mos de frente cada ume 300 d. I,,,,,,,
rado at a linha do caes, e pm,,,, ,
=.12propriedad.;spor,.az.!r: ,',
frente para a rua do Oeidenle. 1, ndo ia .
das tres casas de madeira e |,H, .
^pormei todas: ,r,t.vse na \ cS.
.
A tu cao
Vende-se um baiso d; d'o ea bo u estad 1 im .
tambemtodel para s.b. por pre.,,.,
na rua da Cadeia n. 48 '
..ni t|"
Vende-se um boi
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-1 do promp o paraTrXV'u'"nT'i'", "" 2*
gada ao aereado, em bem acondicionados barris : Gloria n. 93 mma*' nj
no armazem de Manoel Teixeira Rastos, rua
Trapiche n. 13, por preco razoaveL
do
ATTENCiO.
*.i'. tu-
rna .;
Vender um ierren.) m-.n
rente, com fundo rnmVInnin, cum
Vende-se a armacao e utencilios da taberna da
rua de Aguas-Verdes n. 48, o lugar bom para
negocio : a tratar no pateo do Terco n. 21.
vende-so um cabriole"! inglez com assento
para duas e quatro pessoas, e com arreios comple-
tos para um cavallo, tudo em bom estado : para
ver e tratar na coebeira da rua do Imperador n
23, ou na rua do Apello n. 28.
130 saina
oitao .emperrado e prmp,o-par""&'- *2
traroasa do Pounnhc. taberna n. :i 1.
Vende-se
AttenQilo.
Mitho, srecos grandes, perfeitamente mui-
to bom a..........
Farinha de mandioca a mehor do mer-
cado a
55000
55500
PTASSA
Vende-se potassa em barris a commedo preco o
na rua da Cruz n. 23, primeiro andar, eseripton:
de Antonio de Almeida Gomes.
Superior cal de Lisboa.
Vende-se superior cal de Lisboa a mais nova
Arroz'de casca eyjJJJ I que ha no mercado, tanto era porco comoareta-
Rua da Madre de Dos s 5 e' 9~ 4^|'no' Por Lara,. preco. fiancando-se aos compra-
dores a superior qnalidade : a tratar as segnintes
ras : Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forte do Ma-
los, armazem do Sr. Avlla, defronte do trapiche I
do algodo.
Vende se urna canoa nova de amarello com
A dereOm
Vende-se om adereco cravado de perolas e ru-
nins, obra de um trabalho perfelto, por muito me-
nos de seu valor
se un terreno com I JO palmo* da
da1 rua da Concordia : a tratar natraves?a j
cinho, taberna n. 33. *-*<*.'*-
Vende se cai.ips >azios'pnpri
para halinleiros e funileiros a i$7C0
cada um; nesta hfsraphi.
Assacar crvslalisado da fabrica
2 de Julho
Na flahii.
No armazem da rua da Madre do fina ^
ha a venda o multo superior assacar -rtihmdr'
em saceos de 2 arrobas, ao prero de 3T5
Elefantes fguraa
Vendem-se dHas escravas peritas engomm.v).,
ras e cozmheiras: na Iraressa do Carreo n. 1.
na rua Augusta n. 54, das 3 o cavernamede scupira, encavlhada de ferro, de
horas da larde em d.ante. carRa de im ,ij0,0s de a|venaria RroM^ e a'vias!
ta faz f ao comprador por estar anda no estadei-
ro, faltando s o calafeto : na iravessa do Pouei-
dIio, taberna n. 33.
Vende-se
superior farinha de mandioca, a bordo dos brigaes
escunas Principe, D. Affonso e Nao Sei, atracados
no caes do Barao do Livramenlo : a tratar a bor-
do, ou no largo do Corpo Santo n. 4, primeiro an-
dar, escrlptorio de Palmera & Beltro. _______
Vende-se urna porfo de paos de scupira
voltiados, proprios para construir carracas e rodas
de carro por estar cortada ha mais de 10 su us :
na travessa do Poncinbo, taberna n. 33.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
124 a lata : nos armazens da rua do Im-
perador n. <6 e rua do Trapiche Novo n. '8
Vende-se urna taberna na rua da Esperanca
)caminho novo) n, 59 : a tratar na mesma.
TO(gM
VeDde7se superior vinho do Prto ei
urna duzia : era casa de Johnston Katar A C m
do Aigario n. 3. '
Vende se uina taberna na tapunct nova m
esquinada rua das l'ernambnranss, propria n
principiante por ter poneos fundos : vendo-se mr
seu dono se querer relirar para fra
Vende-se um comometro martimoTgltz"d
melhor fabricante Charly Frodshan. arB-inrand < o
seu regulamento. por diminuto |i-cco : a" tratar
na rua Nova n. 21, lea de Francisco Jmi Ger-
mano.

I T
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
7


V
Diario c reraanfeceo Quarta frita 30 de Novembro de ssa.
NEM COROAS NEM MITRAS
A REFORMA.
airaba mlhintg.
N.84. Largo da Santa Cruz.N.84.
Francisco Jos Pernandes Pires, lem a honra de avisar a sq nnmerosa fregtiezla
e com eecialidade ass moradores do bairro da Boa-Vista e scus arrebaldes, que fx
aova reforma em sen asselado estabelecimento de molhados denominado Aurora Brilhan-
te, ao Inrga da Santa Crn, e cora esta reforma supno de noo o seu armazem de bons
gneros, s-ndo muitos delles mandados vir de sua propria eonta, para raelhor servir
acuellas que se dignaren! comprar ou mandar comprar cm sen estabelecimento.
No armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respeitavel publico um
lindo e novo sortimento dos metbores gneros quo tem vindo ao nosso mercado, e sem-
pre por precos muito razoaveis, como se vo da scgninte tabella que ser mudada se-
manalmente.
e taz
A Aurora Brilhante recebe as libras sterlinas por 95, seado para compra,
por cento de abatimento a quem comprar de 10l) para cima.
Presuntos do fiambre muito novo, a libra a
800 rs.
Ditos para panella, a 560 rs.
Queijos luiidrin js muito superiores, a libra
a 15000.
Sitos do reino vindo oeste vapor a 25*300.
Ditos do vapor passado a 25 o 2500.
Queijos de qualha novos, a libra a 560.
Frascos grandes com ameUas a 35000,
Latas com l\i libras a 15200
Ditas com 3 e 6 libras a 25500 e 45-
Chocolate francezmuito superior, a libra a
151*0
Cha Tino de primeira qualidade, a libra
25700.
Dilu uxim a 25700,
Dito hyssoa a 25700 e 25800.
Dito perola a 2500.
Dito em caixinhas de 1 e 2 libras a 25000.
Dito preto a 23 e 25500.
Mauteiga ingleza flor a 15200.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dila em barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para temper a 400 rs.
Latas com 2 libras do banha retinada, a libra
a iOO rs.
Manteiga franceza nova, a libraa 640.
Dita em Iiarris e meios ditos, a libra a 600.
Toucinho de Lisboa a95500 aarroba e a320
rs. a libra.
Latas com bolaehinha do soda de 5 libras a
25000.
Ditas com biscoitos e bolachinhas sortidas
a 15300.
Ditas inglezas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranhao, a arroba a 25400 e a li-
bia a 80 e 100 rs.
Dito da India a arroba 25800 e a libraa 100
e 120 rs:
Cafe muito superior de primeira qualidade
a 85300, 95 e 95500 a arroba.
Dito em libra a 280, 320 e 360 rs.
Vinhos em caixa de 12 garrafas, o melhor
possivel a 185 e 205-
Dito mais baixoa 105, 1*5 '' 145-
Dito Figueira, o mais superior posqvel, a
caada a 43300 e a garrafa a 640 rs.
Dito mais baixo a 45 a caada e a 560 rs. a
garrafa.
Dilo de Lisboa, boa marca, a 400 e 500 rs.
a garrafa.
Dito Bordos a 040 rs. agarrafa.
Dito em caixa, das melhoros marcas, a 75 o
85000.
Serveja, marca lenle, em botijas a 7 e 8
a duzia.
Dila de, differentcs marcas a 500 rs. a garra
fa e 55*10 a duzia.
Ginebra de laranja verdadeira a 15 e 15200
o frasco.
Dita de II /Luida em frascos grandes a 15 o
pepuenos a 40 rs.
Dita verdadeira de Ilollanda, a botija a 480
Licores linos de varias qualidades a 800, 15
e 15500.
Caigas -le. vinho moscatel a 105, e a garrafa
a 15000.
Ditas pora azeite reflnadoa 105 e a garrafa
a 15000.
Charutos finos do autor Jos Furtado de Ci-
mas, ha per muitos precos.
Ditos de outros autorss a 15500. 25 e 25500.
Gigos de batatas novas com i arroba a 15.
Passas novas, a libra a 500 rs.
Figos novos a 320 rs.
Latas de ervilhase fva3 portuguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas com ostras, excellcnte petisco.a 640 rs.
Latas do peixe ensopado em postas, de muitas
qualidades, a 15-
Potes de vidro com sal refinado a 500 e 640
res.
Marrasquino da melhor qualidode, a 85 e
125 a duzia.
Garrafas de dito a 80o e 15200.
Amendoas confitadas a libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
Nozes, a libra 160 rs
aineo, alpista, a arroba45 e libra a 160 rs.
Grao de bico, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Vinko de caj preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Co-rnac superior a garrafa a 15000,15200 e
15600.
Champagne boa a duzia 203,e a garrafa a 25
Garrafdes com genebra hamnurgueza a 65-
Vinho branco Xerez a garrafa a 15.
Dito Joao de Brito, puro, a garrafa a 640 rs.
Oitoadocicado a 560 rs.
Dito do Porto, fino, a garrafa a 800 e 15
Xarope de grozus e outras fruclas a 640 rs.
Massas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dita estrelinha, pevide e rodinhas a 640 rs.
Caixinha com 8 libras de dita a 35500.
Sebolas solas grandes, o cento a 15-
Dilas grandes em resleas a 15280.
Duzias de cartas francezas finas a 25300, 35*
I e 35500.
0
GRAYDE ARMLIZEJI
RA DO IMPERADOR W. 40
Jauto m sf brado em que mura e Sr. Otboroe,
Dnarte Almelda *fc C, reeeberam de sna propria eneommen-
da o mais lindo e variado sortimento de molhados, proprlos
da presente estacao.
Manteiga ingleza Ma$as brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a 1,00o .para sopa a melhor que se pode
rs. a libra e em barril a 800 rs.
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
MANCA
Duzias de latas de graxa nova a 900 rs.
Bjnhoos do dita a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do serlao a libra a 320 rs
Cbouri^as a libra a 640 rs.
Saceos grandes com farioha a 55
Ditos com milho o 35500.
Ervilhas seccas libra a 160 rs.
Lentilhas para sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha de Franca a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Aramia verdadeira a libra 480 rs.
Gomma de engommar a arroba a 45 e em
libra a 160 rs.
Sabao espanhol a libraa 400 rs.
Latas com o verdadeiro gaz liquido cora 27
garrafaa a 125-
Garrafas com dilo aSOOrs.
Saceos grandes cora feijo mulatinho com 24
cuias por 95.
Copos e calix lapidados para vinho e agua.
Latas milito bem enfeitadas com figos uovos
a 25, 25500 e 35.
Assucar refinado com ovos muito alvo a ar-
roba a 65500 e a libra a 200 rs.
Papel paulado liso de peso branco e azul, a
resma a 25500 e 45500.
Vinho Madeira-secco, a 15600.
Cento de esleirs de tranca a 205-
Barris com azei lonas novas a 15280.
Conservas ingleza*a francezas de pepinos.'Duas bataneas grandes de Bomo com os
sebolas, azitonas e mixide a 600, 700 e pesos de 21 arrobas, e alguns bracos pe-
800 rs. o frasco grande. quenos do mesmo autor.
Caixascom frascos de mostarda franceza a urna grande quantidade de caixoes vasios de
45 a duzia, e 360 rs. o frasco, lodos os tamanhos de 120 a 500 cada um.
E Ml'ITS OUTROS GNEROS QUE TORNARA ENFADO.N'UO MENCINALOS.
TL'DO DE PRIMEIRA QHAL1DADE.
SORTIMENTO PARA A FESTA
i CONSERVATI
23-Largo do Terco-23.
Joaquira Siraao dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do bora e ba-
rato que se venham sortir dos bons gneros este estabelecimento que nao se arrependerao, se Ihe
(ara a differenca de 10 a 20 por cento, pelo seu prompto pagamento ; e por Isso se faz annuncio de
alguns gneros, que tendo sompre este estabelecimento ura grande e vautajoso sortimento de ludo
quanto perlencenle a este estabelecimento.
Sentido! Vou fallar eom o Conservativo !!
desejar,
400 rs. a
e 2* sorte a 800, 900 e 15
a 600 e 640 ris a li-
Manteiga ingleza de 1
a libra.
dem franceza em barril
bra.
Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 85800 a ar-
roba.
Batatas em caixas e gigos 15200 e 25000 a ar-
roba.
Cafe de primeira o segunda sorte a 250, 280 e 300
rs. a libra.
Arroz da India, Maranhao o Java a 100 e 89 rs. a
libra.
Phosphros do gaz a 25 a groza e 180 rs. o maco.
Passas novas a 480 rs. a libra.
Velas.de carnauba Araeaty composicao a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 c 440 rs. a libra.
tS-irmeM.-i.la dos melhores fabricantes de Lisboa de
1 a 2 libras a 640 rs. a libra.
Cha hysson o melhor deste genero a 25800 a li-
bra.
dem perola miudinlio a 15300. 25000 e 35000 a
libra.
Banha ingleza alva e saperior a 480 rs. a libra.
Queijos mais novos do mercado a 25500 e 25800.
Serveja as melhores marcas, tanto branca como
prea a 500 rs. a garrafa e a duzia a 55800.
Sabo amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Baha dos melhores fabricantes de
15200, 25000, 25300 e 35 a caixa.
Milho alpista e painco a 160 e 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa das meihores marcas a 400 a do.
dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprio para missa a 500 rs. a dita,
dem do Porto engarrafado a 800 e 15. tomando
mais de urna caada de qualquer um desles lera
grande abatimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
Biscoitos e bolachas de soda a 15400 e 25.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Olaada em frascos e botijas e de la
ranja de 480 a 640 e 15200.
Obouricas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas com 1 e meia libra de amenas a 15200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 35 o
gala*.
. Wf (10 S
Vinho Unto sem confeico
30,000 Eli 4 VI JORET A S DE A \ AII1S 30,000
I o ico deposito era Pe mam buco raa da ladeia 0. t.
Esta rKva qualidade de vinho recebda directamente de diversos lavradores de
Torres Novas (provincia da Estremaduro) como attestam osbilhetes do caminho de fer-
ro que trazem os cascos, provando sua origem e procedencia, recommenda-s a todas as
pessoas que queirarn ter a certeza de beber vinho puro de uva como o que se bebenes-
sas trras aonde nao paaetrou ainda o espirito de falsificado. E' preciso que o publico
se convenc de que os vinhos que aqu se importam nao vindo directamente do lavrador
chegam pela maior parte ou quasitodjs sobrecarregados de preparos nocivos saude
eausando betn graves transtornos no apparelho digestivo.
O annunciante offerece a analyse dos professionaes esta nova qualidade de viaho
que expoe a venda, e d um premio de 1:0O05 a quem descobrir no mesmo algum cor-
po estranho a nalureza da uva de que feito.
N. B. Para evitar a falsificaco, o annunciante declara que o nico proprietario
e importador deste vinho o qual vende someme no seu armazem da roa da Cadeia do
Reoie n. i.
Manteiga franeeza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a560rs.
Ameudoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
iiX), muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1300.
Chocolates
de todas as qualidades a I 000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambera
temos velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados ueste ultimo vapor a 256oo.
(infijos
chegados no ultimo vapor a 25600 cada um.
Queijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1#200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 2*700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480rs. alibra.
COCV1C
o muito afamado cognac Pal Brandy a t ,80o
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 410 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulhode t,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
1.4oo rs. alibra.
Vinagre
PRB em ancoretas de 9 caadas a !8,000 rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1,000 rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs, a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 o cento na ra do Quei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 30400 a arroba e 140rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEIJO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
macarrao, talharim ealeiria
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso & Filhe,
F. < M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitoi.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolaehinha ingleza
a 10800 a barrica damesmaque
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120c* ul bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libF
Garrafoes
com 4 Vs garrafas com vinagre a 1#000ca
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, ede 110OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5(5800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueir^ a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha,
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,non a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loa rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a9,3oo b
caixa e 3io rs. a libra.
Batatas oras
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas mulo noTas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frotas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na ra do Qoei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
em latas de deffereates qualidades a 10200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
chegados neste ultimo vapor a 20800 na ra
do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
40 c largo do Carmo n. 9.
SE
Silva & Souza
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
5 a O por cento menos odree que sepaaau po raj ira qnal-
quer parte.
Gneros especialmente escollados por um dos socios que na Europa se acha
para esse fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprare neste cutibaUci
ment.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditad*
armazem.
AO PUBLICO,
Nio nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em amuo-
cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que taaobem
estamos cerlos nenhuma attencao j merecem do publico. O nosso fim, pois, smpks-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos esti na tabella das pre-
cos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attencao.
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Carlaxo vende-se nicamente oeste arauuea
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
04o rs. a libra,
dem de casca mole a4o o rs. a libra.
lindas
Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal roa do imperador b. 40
FRITCTAS
M.%VA. PERAS 1<: UVAS
chegadas oeste ultimo vapor, vende-se na ra do Imperador n. 40, Verdadeiro Princi-
pal.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao ama tintara, fcto essen-
cial a contestar, a mesma agua dando a rr primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias inofTensivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'uma salubridade incontesta-
vel, a Agua Florida enlretem a limpeza da cabera
destroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida;
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
constituc poderosamente, com a Agua Florida, a
torea, a MI za e a coaservacio dos cabellos.
Em Paris, casa de Quislaur n. 12, ra de Ricbe-
lieu, e 21, boulevard Montmartre.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, o
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, ra do Imperador, puarmacia o. 38.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gustos para meninas
trazerem no braco : s se encontra na loja do fiei-
ja-FIor, ra do Queimado n. 63 e 69.
Extratos e sabao em
eai-
xinhas
Lindas caixinhas com ura cartio eom a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bio o mais fino que passivel: na loja do Beija-
Flor ra do Queimado n. 63 e 69.
QUEIJOS
de serQ.
Vendem-se queijos do scrtSo de Serid de diffe-
renles tamanhos, em porcao a 20 a arroba e 800
rs. a libra, queijo inteiro, e 960 rs. a libra a reta-
lho : defronte da matriz da Boa-Vista n. 88, ar-
mazem de molhados
Ameixas francezas em caixinhas com
estampas a l,2oo e i,5oo rs.
dem em frascos de vidro a i,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oe rs.
dem em latas do 1 '/* libra a I,loo rs.
Arroz do Maranhao e da India o melher que
ha neste genero de 8o a loo rs. a libra, i
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa reQnado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e lo,ooo
rs. a duzia.
Mfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitenas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba. .
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 6oo rs. a libra e
em barril a 58o rs.
Batatas a 2,ooo rs. a caixa.
Champagne das melhores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, 1,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a2,7oo rs.
a libra.
I dem hysson o melhor que ha ueste genero
a 2ooo, 2,4ooo 2,6oo rs. a libra.
i dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
' Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e56o rs. a garrafa.
i Chocolate francez, hespanhol e suisso a 1 ,ooo,
l,2oo e l,4oo rs. a libra.
i Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da Bahia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
deliciase suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
Copos finos para agtia e vinho a 4,8oo 5,ooo
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alpcr-
se, rainha Claudia e ginja a 9oo rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e l,loo rs. a
duzia.
Gomma muito alva e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafao.
Iilem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
1,000 rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o
frasco e U.oeo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excelleate bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
Lentilhas muito novas excellente legara ta-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidad*
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitameole flor a 8o e
l.ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista.
dem franceza a 64o rs. a libra, e em barril
sefar abalimento.
Marmelada de primeiro fabricante de UtH
a 7oo rs. a libra, ba latas de 1, 1 12a
2 libras.
Massa de tomste em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. a libra.
Macarrao. talharim ealetria a 4oo rs. a libra,
dem branca a 32o a libra.
Mostarda fraiueza preparada a 4oo rs.
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o tnmm.
Molho inglez em garralinhas com rolhas da
vidro a 64o rs. cada urna.
MarrasquiBlio verdadeirod< Zara a l.ooo rs.
agarrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs- a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdarnro,
garanlindo-se a (jiialidadea n o rs. a libra.
Passas novas de ramada a Ht rs. libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa eslrellinha. pevide erodinba
etc. a 3,5oors.a caixa, ea50ors. alibra.
Peixe em latas hermticamente ferbadas das
seguintes qualidades: savel, cervina.goraa
cavallinhas, e pescada a I,non a lata.
Palitos para denles lidiados a 14o rs. o ma-
co de 2o rs. e macinbos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e lJUt r-.
a groza.
Painco muito novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ultimo vapor, a Mu
rs.
dem londrino muito fresco a 800 rs. a libra.
Sal reflnado em potes de vidro a 5oo rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. alibra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cad.i um!
Vinagre de Lislia a 2oo rs. a garrafa
l,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
rs.
Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 5o rs.
a libra,
dem de carnauba refinada e de composicao
a44ors. alibra, e de 15,ooo a ll.ooo'rs.
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
das marcas menos condecidas a 4oo rs.
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco sen
composicao a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo
rs. a caada.
dem de Lisboa branco uva pora a 50o rs. a
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garrafa.
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, veldo secro, Malvas*
Genuino, Particular a 9oo e 1,2oo rs. a gar-
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa com ama du-
zia.
dem Madeira legitimo a I.Soo rs. a garra-
fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Musca le I a l.ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas SC
Julien, St. Esteph, cbaiean la Rose, chatas
Margoui e outros a 6,5oo rs. a afaj
56o rs. a garrafa.
CERVEJA EM BARRIL
a SOO rs. o copo
dem prato multo fresco
dem saalsso superior
dem londrino superior.
57 Ra do Imperador 57
*
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
i
MUTILADO


Diario de Periuiliici... Quarta letra 39 de \ovcnibro de 1S4.
\
s
a agim
ra do Oueimado n. 8
REGEBE:
Bonitas caixinhas de madeira envernisadas, com
loas perfumaras.
Outras de paprllo de diversos tamanhos e igul-
aseme bonitas, tambem cora perfumarias.
Lindas ceslinhas de vidro com ditas.
Caixinhas imitando tartaruga com ditas.
Ditas com 6 e 12 frasqumhos de cheiros.
Objectos para baptisados.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, aca-
ba de receber os seguintes objectos para baptisa-
dos :
Bonitos e bem bordadts vestuarios de cam-
braia.
Ditos e modernos chapcozinbos de setim e toucas
bordadas e enfeitadas.
Sapatinbos de setim e merino muito bem bor-
dados.
Meias de seda e flo de Escocia, brancas e pio-
ladas. "
Toneas e sapatinhos de 15a, obras mnito bem
teitas.
Bonitas caixinhas
goi masica e sera ella para costara, e
ontras com arraigos para barba,
A Aguia Branca recebeu novamentc um bello
sortimento de benitas caixinhas com msica e sera
ella para costura, e outras com os arranjos neces-
sarios para barba ; assim, pois, quem comparecer
com dinheiro est habilitado a compra-Ios por pro-
co commodo : na ra do Queimado, toja da Aguia
Branca n. 8.
CHROIIJLCOIIIE
para ungir cabello
A Aguia Branca, na na do Queimado n. 8, re-
cebeu essa exeellente untura para cabelle-, rujo
eflViko rpido e proveitoso, vindo ella munida de
esclareeimentos em portuguez, d'onde qnalquer
pessea pode bem connecer o modo de applicar.
Gom o chromocome que serve para Ungir, veio
tambero hydrocallitr.ebina, agua para tingir cabel-
los, coloricomo para lustrar os ditos, e onychro-
mantina para limpar as unhas, e callicomiphila,
pomada de que se pode usar sem receio de offen-
ier ao cabello preparado. Os pretendenles acba-
rao preco razoavel.
Banhas finas
em copos, latas e soupeirinhas de vidro
opaco.
A Agora Branca sempre cuidadosa era bem ser-
vir a sua boa fregnezia, mandou vir e acaba de
receber na roelhor occasio os desejados copos e
as procoradas latas com banhas finas, assim como
mas bonitas soupeirinhas de vidro opaco com
alegres inscripcoes. as quaes dizem smente res-
peito as senhoras, e com tal acert que nenhama
que as vir delxar de comprar e nao se enfadara
AO PUBLICO
ATTENCIO
Os preeos da segulnte
tabella para todos, po-
deudo sela* servir de ba-
se para o ajaste de eontas
com os portadores.
encao
O Vigilaste est alerta, nao lhe era permittido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto, atim de annunciar ao respeitavel publi-
co o grande sortimento de galantalas do melbor
gosto propriaraente para qnalquer mimo, que aca-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua cunta como de consignaco que
est resolvido a vender por preeos muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extracao
e grande deposito que tem, que espera merecer
prolecco do respeitavel publico empregando pare
isso todas e as melhores diligencias para que -
quem satisfeitos; isto so no Gallo Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Ricos porla-joias.
Cofre de muito gosto por 16,5000
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por 185000
Lindas jardineiras. 05000
Ricos cofres com camaphen. 165000
Lindas caixinhas com podras brancas. 105000
Lindo balo com calungas dentro, tam-
bem para joias. 16,5000
Tambalier para ditas. 95800
Cestinhas ditas. 65000
Cosmorama ditas. 6,5000
L'rnazinhas. 65000
S no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Ricos porta bouqnetes de diversos gostos e pre-
sos ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos tintes
com bolcinhas ao lado, a 105, 12,5 e I'5, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 22500, 32, 32300
42000.
Ricas fivcllas avnlsas parasinto, o melhor qne se
pode encontrar, a 12500, 22, 22500 e 32 o par;
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes en ceslinhas.
At e,ue chegaram as desejadas ceslinhas ou ca-
bazes para meninas trazerero no braco, o mais rica
possivel a 22500, 32500, 42, 52, 72 e 102; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais leques
com pequeo deleito, leqnes de sndalo com pe-
queo deleito por barato preco de 82 e 102, chi-
nezes muito bonitos tambem, pelo barato prego de
de ler a inscripeo qneto merecidamente lhe tocal4e 5> bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
e quem qoizer ser bem servido dirigir-se rua; ral Preto de 42 e 52, leques de charao tambem
do Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. por lud0 lsl Para acabar, perdendo-se tal-
t B irr que andam, que choram,
que fallam, etc.
Al Aguia Branca, na ra do Qneimado n. 8, ani-
mada pele aprece que a sua boa ireguezia sabe
dar a essas boas novidades, mandou vir e acaba
de receber um extraordinarie sortimento de boni-
tas boneeas, que andam que fallam, qne choram,
e outras muitas de diversas qualidades como dan-
sarinas, soldados, atiradores, etc., e todas mu bem
vestidas; assim, pois, a Aguia Branca espera a
concurrencia dos apreciadores do qom, cert>s de
que acharo preces razoaveis e serao satisfactoria-
mente servidos orna vez que compareara munidos
de dinheiro.
finos e aromticos pos de
o-rot
Em bonitos vasos de podra, porcellana dourada,
vidro e madeira, estes com o competente pincel e.
sem elle, em latas de potes de papellao, sendo todo
elle de superior qualidade e agradaveis cheiros,
Emquanto ao prego, nao se assuste o comprador,
comprela com dinheiro e ser bem servido na
loja da Aguia Branca, ra do Queimado n. 8, ende
tambem se vendem separadamente os pinceis.
1
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas necessarias para costura, as quaes
tem linhas de diversas qualidades, retroz, tesoura
e outros arranjos precisos, assim como amostras de
bordados ou marca, etc., e tados a preces com
modos. ________________
RIVAL SEM SEGUNDO
Raa do Queimado ns. 49 e 55 loja de miudeza.'
de Jos de Azevedo Maia est continuando a
vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
da por todo prego a vista dos cobres.
Cartas de aitinetes francezes da melhor qualidade
a 80 rs.
Grosas de pennas de ac inglezas da melhor qua-
lidade a 640 rs.
Caixas de rolchetcs francezes de superiores quab-
dades a 40 rs.
Grosas de botoes de madreperola muito linos a56<
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oitavas de retroz preto uno a
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muito superior a
22000.
Gravatas da liga e de outras militas qnalidades a
500 rs.
Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de botoes branco para casaveques de senbe-
ra a 100 rs.
Pegas de fita de cs estreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 12000.
Camlhas da doutnna christaa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes finos de marOm a 12000, 12200 e 12500.
Pares de Unas de seda para horaens e senhoras a
500 rs.
Gollinhas para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
12000.
Livros que serve para assenlar roupa, pelo diminu-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordao branco para esparlithes muito superior, a
vara a 20 rs.
Carritis cun 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Cartoes com 200 jardas de linha branca garant-
d< s a 60 rs.
Grosas de pennas de ago superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
I has a 160 rs.
Pares de botoes de punho, oh que pecbineha a
120 rs.
Tinteiros de vidro cem tinta a 160 rs.
Ditos de barro eom soperior tinta a 100 r?.
Grosas de betes de louga prateadoa muito fleo a
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a 900
ris.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de seguraiga a
160 rs.
Caixas con 100 envelope* o melhor qne ba a 640
ris.
Caixas com 20 quaderaos de papel amizade, muito
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito fine a 20 rs
Fabrica de licores.
A rna das Crnzes n. 3.
Vende se exeellentes doces de todas as qualida-
des em porches a vontade do freguez.
n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregagar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga comen-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante,rna
do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de eontas e de missansa, cores
muito lindas e de muito gosto a 12 e 12200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha qne as senhoras tanto precisam para se-
gurar manguites por ser mnito commodo e mnito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do ores-
po n. 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 122 e 142; s no Vigilante, rna do Crespo
n. 7.
Prnles
lambemchegaram os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa lina, que se vende por 22,
32 e 52; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas caetas de madreperola proprias
para qnalquer presente, pelo baratissimo prego de
12500 e 22-
Sapatinbos c mrias de seda.
Riquissimos sapatinhos de-seda e de merino en-
lejiados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e louquiuhas para as cnancinhas se baptiza-
ren! ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vollinbas.
Lindas veltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avnlsas
e vollinbas, pelo barato prego de 12 c 12200, as
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
to possivel, a 22, 22500 e 32; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeiles para senhora.
Riquosissim enleites com lago e sem lago e de
oulros.muilos gostos a 12, 12500 e 32 : s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Traneelins.
Lindos trancelins oe eabello para relegie ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 12500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos entremetes.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 12200, 12500, 22 e 32; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Casearrilhas.
Grande sortimento de casearrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidades, por preeos que admiram aes com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
ftem o menor constran-
Cimento se entregar o
Importe de genero qne
oo agradar.
ARMAZEM U
RA DA CAJ1EIA DO RECIFE 3. 53.
(Lego panudo 0 arce da Coneeielo)
Grande rednccSo de preeos, equivalente a dez por cento menos do qne oatro qnalquer
annunciante.
collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com isto ocasrSo a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo! I! Ora, eu ofendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vira encontrar, des se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redcelo de preeos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molbados Uniao Mercantil n3o
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de i,4oe a I.Coo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reducco a que
estao obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamac5o de pregos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estabelecimente. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
t5o somente obter a concorrencia de seas freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidia, aos arranjos deste novo estabelecimento, c mais que tudo apromptido e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna mita ao mesmo, certos de que sem duvida rae darSo a proteegao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pogam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, aBm de que nao vao em outra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abalimento.
Machinas de vapor e pa-
ra descarocar algodo.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentada?, e
de carrosa com manirs e
eixos de patente.
Ra doBrumn. 38, fund-
Cao do Bowman.
S'Attl i ;;'.s AS .MOLEsTIlS o
E u huki
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a alio rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim e melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathicoporser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo o 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e 2,1go rs.
Lioguicas, chourigas e paios em latas de 8
libras, ermeticamenle lacradas a 5.5oe rs.
garante-se seren superiores aos que vem
em barris.
Chourigas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e 1,5oo e 600 rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
rs. e em barricas de 4 dazias se faz abat-r
ment.
Caf do Ro a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,000
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco ealpisla a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de I e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a Soo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caia.
dem e alherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propiamente
feitas para esse fim.
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor, Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
.passado a l,6oo e i,800 rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos da Basa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inleiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,Soo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l,ooo c l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino exeellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 43,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de exeellente quali-
dade a 4oo e Soo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho: branco para missa em caixa de l duzia
a 8;ooo e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Pui lo da uiclliores marca*, que
vera ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio uno,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlalas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e i,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,000 a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. e kisto e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra-
Molho inglcz em garrafa de vidro com
rollia do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas exeellente legume para sepa a 2oo
rs. a libra.
da, salmo, ostras echernee, rezago emlBolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna. cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeanx das marcas mais acredita- libra,
das que tem vindo ao nosso mercado a:Bolachinha de soda em latas com diversas
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante- qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este prego. | para mimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
5,7oo rs. a frasqueira. libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
dem de laranja verdadeira de Altona em Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
H,eoo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a toa
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
I Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a i.ooors. e 11,000 a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franga muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,500 e 3,800 a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; diloemeaixesaGoors.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banlia de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas porl,2oors.
Malte exeellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AS
Plalas Ve ge taes .Vwuearauas
De emp
Comportas dos dois novoo rfwnoi.li-> ,
Ris \, c iiiteir*
mente livres de Mercurio on outra unetw
minemos ou mataUioM, .> !. gna i
dado nos pases ctide* cm caase ''-
DISPEPSIA, EICHAQUECA,
Con>tiparo 011 PrizJ 1I0 Vrntrr,
PADECDETOS 30 FIGADO,
Affeefjfles Biliosas,
HEMORRHOIDAS, C01TCA.
Ictericia,
FEBRE GASTRO-HEPATICA,
F. oalnurafrrniiiittsHagai
nuagvo rpidamente Mil* tituindooa ;.
purgaiiii-s daatieoa.
venda as boticas de Caurs A IUrbcza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo d C, roa
da Madre de Dos.
No armazem de lazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
I1h;i doOu'imdilo 19.
Vende-se osrftulnfe:
AU.iir.iu !!
Ricas laazinhas, fazenda a melhor <|iie tem m-
do ao mercado, tanto em goto i\.nu> em qiialiaa-
de, pelo traraiissimo prero de !560r-. a ro
Ditas miudinhas earmezins, proprias [..n verti-
dos de meninas e ramisinhas a M or vado.
Cortes de laa com 15 covadns. titlu barato ir'
de(.
Cobertas de rhila da India a tfSDO r 15.
Lences de panno de linho a o WM.
rVca's de cambraia de forro ca X Ii2 varas a
35200.
Toalhas alcochoadas proprias para bh a -%J a
du/.ia.
Ricos cortes de laa rom barra M.tna Ta a
185.
Pecas de platilhas de alpod.io rom 10 varas,
proprias para s.iia a 45.
A'podao enfestado com 7 l\i pafeBM (e arpara
a 15100 rs. a vara.
Esteira da India, propria para hrra 4, 5, e 6 palmos de larpnra, por menos prero do
que em nata qnalnnrr parle.
Recta estabelecimento tamlum se eacaalma
um grande sortimento de roupas feitas, e por sao-
didn.
Para a festa
Capas, caacose aoiilrniliarque
Gama Silva receberam pelo ulliioo fraa-
cez um grande e variado sortimento tacata*, a
Icmliarques e os mais otYfBM r am ii pra-
denaples e nobreza preta, sendo rifaaataai er.f-
lados ; e vendum por preeos minio aavaasa, jor
haver grande poreo : na loja do l'uvj.. ra di
Iiriperatriz n. G0, de Gama A Silva.
1 i
AGENCIA
AGENCIA L0W-M00B.
Kua da Seoulla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiat
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
lmannos para ditos.
Arados americanos e machinas para
teiros'queTe pae vender'"i^ht!nt% Vpe^ lavar roHpa: em^casa de S^ P. Johnston C,
s no Vigilante, ra do Crespo
de 9 varas
n. 7.
Filas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelhes.
Riquissimos espelhos com moldura dourada
sem ella de 85, 405, 125 e l-*5> a-^im como com
columnas de differenles tamanhos a 25, 35,45, 55
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e ligaras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqui
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arrox.
ra da Senzalla Nova n. 42.
Fabrica ConceiQao da
Bahia.
Andrade k Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodo empluma etc., etc.,
pele prego mais razoavel.
MA GRANDE LIQUIDACAO
Excellentisslmas senhoras
Jii.'t,ieiiLC4%
Ra da Senzalla o. 42
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
Riquissimos vasos com bonecia para pos de arroz, sellins e silbes inglezes, candieiros e cast-
cousa de muito gosto a 15800 e 25,.assim como caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos on vasos com dis-
tinctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paria e Inglater-
ra, assim como os grandes ropos dehanha japoneza
a 25 e a 15, assim como eulros obj'eclos qne nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rna do Crespo n. 7.
Albinas
para 20 at 200 retratos, muito bons e por menos
preco que em outra qualquer parle: na ra do
Crespo n. 4.________________________________
Vendem-se ricos ps de craveiros, e cravos
braneos, encarnados e rajados, por preco commo-
do : na ra do Hospieio n. 38.
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Rna da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: i ac <
ferro coado libra a 110 rs., dem d eLor
Moor libra a 120 rs.___________________
Farinha de mandioca.
a 55000 o sarco.
A melhor que existe no mercado, bordo do pa-
tacho Ulyssrs, defronte do trapiche do baro do Li -
vramento pelo barato preco cima mencionado,
sendo sem o sacco, e em porcaose far alguma
differenca; na ra da Madre de Dos n. 5 e 9.
Libras esterlinas
Vende-se a quem as qoizer comprar : no arma-
zem n. 33 da ra da Praia se dir quem as venda.
A loja da rna do Crespo n. 17, de Jos Gomes Villar.
Recebeu de sua cncommenda vindo de Pars, as melhores fazendas que tem viada
a esta provincia.
Cortes de blonde completamente preparados com capella e flores etc., etc. proprios
para casamentos.
Cortes de mcreantique para noiva, mantas e capellas proprias para noiva, balde* de
todas as qualidades para senhoras, ricos cortes de seda preta de cores e mureantique pre-
to, grosdenaples preto e de cores, cambas de cambraia bordadas para senhoras.
Chapeos de palha para senhora assim como para menina o que lem vindo de me-
lhor, peilos bordados para camisas de homem, cassas de cores, prgmdys de lindas cesr,
chitas de todas as qualidades.
Capas pretas de gorgurao imporlantissimas, soutembarques pretos, assim como de
cores o melhor, casaides, pelerinas, pellives etc., etc., casaveques compridos de fres pre-
tos e de gorgurao, fazendas importantissimas.
Novo gosto
Chales de renda pretos o mais moderno presentemente a 1S5 e 205.
A elles antes que se acabem, fazendas de todas as qualidades proprias para senhoras.
Tapetes para forrar salas a 29500 o covado com seis palmos de largura.
Esleirs de muito boa qualidade para forrar salas.
']VJLdfJ uid ooiiqnd o d svAoquds svwxtf wvf9)Odj
ml\ *n ods9j[) op na y
ovdvaiiion aavvno vira
ESCRAVOS FUCrIDl*.
Fngldo.
Drsapparecen on furtaram do silio do Prn.-i
rim, junto do do cirurgiao Leal, na noiie t )0
liara 21 deste mez, nm ravallo raaaV rlara, rraav
de de meia idadp, caliera grand.\ rea Mfaajsjs>
na bexiga, de pisadura de m un. i aaasaaaa
pesado : quem o tetar pode lvalo no d.to Hato
cima que ser recompensado.
Acha-se ausente desde o da li do corrale
a preta Luiza, rom os signar? tefravaan : tm futa,
marras de bexiha no rosto, tem 4m rlratrire a*
mo direita, idade25 annos, aaaaa rnai- u mono*,
levou ve^lido de chita e panno da eam ja o-in,
consta andar nesta ridade : pede-se a* aamHafM
policiaes a apprencnso da dita exrava e leva-la
a ra dos Pires n. 34, que sera gen--ro?wn-ate re-
compensado.
rutilo a escravo Crwaaaiaa, iJjiI- a
annos, barbado, estalara regular, bem parecida a
consta andar nos arrabaldes desia cidade : qurai e
aprehender leve-o ra do Livraaenu n. Vi, aa*
ser recompensado._______________________
Fugio no dia II do rerfftfMa m.z a e>rraaa
Sophia, crioula, de idade 30 anno-, n ni M dignara
seguintes : altura regular, cor fula, beicos gros-
sos, falta de dentes na frente, kaaa laaMi Me
chita com flores encarnada, panno da raafa mor-
nado, foi presa na estrada do Caxanga. e de novo
evadise, julgase que andar orcaM >'n a|nelle
lugar : pede-se aos rapilaes de r^mpo que a pa-
guem e tragam a ra Velba n. 9i, .-oLrado. qoe
sero recompensados
Motores e prensa de algodao.
Vende-se orna prensa para enfardar e am
para mover machinas para descarocar algod
melhor systema em oso nos Estados-Unidos
America : a ver e tratar, na fabrica da travessa do
Carioca n. 2, caes do Ramos. Na mesma casa se
espera a cada momento por um navio chegar,
algtms motores inglezes para um e dous cavallos,
de um trabalho muito maoeiro e simples, que se
vende por am preco aailo modieo.
Esteiras para forrar salas.
Fugio no dia 3 do correte mez de nove
bro a escrava de neme Colecta, de idade de 22 -
nos, pouco mjis ou menas, rom os -ignaes -cania-
es : olhos aperlados, bons denles. Masa regula-
res, nariz afilado, pesrocp coeapi ido, taixa de es-
tatura, e com es ees um poucu apalhetado, levo*
um vestido de cassa desbolada e rom rile ontras
mais ; presume-se ler sido sednzida por rm i as-
nal de marcioeiria, com quem lem-se ata* algar
mas vezes as ras do bairro da Boa-Yi?u, por
isso proiesta-se proceder criminalm. nu rontra a
pessoa que a seduzio e a tivor ocruita : rogase aa
autoridades policiaes e capites de campo am da
apprehende-a e leva-la a rna da Imperairiz o. ie\
terceiro andar. __________________
Fugio do engenho Ronca, no dia 0 do coi rea-
te, um cabrilinho de nome Custodio, de idade de
II a 15 annos, secco do corpo, pemas Ooas, paa
seceos, rosto descarnado, queixo fino, macias asa
tanto altas, tem as duas unhas de ambos c d% a
grandes dos pes aleijados, tem nos bracos narras
Bkas de Hmburgo
Vendem-se na ra Nova n. 61.
genho Morenos : perianto roga-s
policiaes e aos capites de campo que facan a#-
prehender e conduzi-lo ao mesmo engenho Ronca
da freguezia da Escada, ou no Rarife, rna av A-
pollo n. 35, segando andar, qua sarao geoerasa-
mente gratificados.
'


8
Diario e Perssftfiefeac Qtirfa letra 30 \ovcnihro r .
LHIEHAIORl
Iro do calculo oeste ponto, e por cajo attrito e rai-
do fcilmente reconhcci sua existencia.
Mas esse ruido nao basta va para que soubesse
Ao cahir da noite desse mesmo dia 26, vlsitei o' palavra dorante todo o jantar
doente; e, posto que, com razo, pouca importancia
lguem hoje os pratlcos ao exame rectal, cojo Qm
Calculo vesical espkenco, de extraordinario volu- i en>-si navia uma s pedra ou mais de urna; si unt- apreciar pelo anus a existencia do calculo e mes-
extensao do recto em
espessura dos tecidos interme-
I e a da bexiga, obstam
deste ponto, com prolonga ment para a urethra,' a que mesmo pouco se consiga, mormente havendo
como se tem visto ; oa, emfim, si, sendo de tama- j hypertrophia da parte desse reservatorio, ou estan-
to consideravel, estara ou nao irnmovel por do .'oas pandes carnudas e cerradas sobre ocal-
No dia 21 de selembro prximo passado, seriara ,neio de adh-rei>cia, ou forte coulraccao da bexi- culo-, com ludo, venesndo a repugnancia do doen-
novo para de?, horas da marinas, apparececeu-mc ** 1"e> na0 deixando vaeuidade, assim impedate ou aotes medo, proced a um exame rectal, que
prximo passado, peto
Fremeuco de Luna Santos.
III
HISroniA E OBSKRVAGAO.
em casa o Sr. Antonio Jos Coelho, dizeqdo^me que e deslocamento. Entao, para sabir dessas difflcul-1 pouco adianiou-me no que tocara a certeza, ape-
havia, no dia antecedente, chegado do centro da Pa- dade- ora levantava eu o pavilho da sonda, ora zar de sentir volume preeminente ao mesmo rec-
rahyba ( Mamanguape) com um seu irmao grave-'. ahaixava ; emporrando-o lentamente para o in-: to e dureza em tudo qoanto pode alcangar a pol-
ntoote enfermo para o flm do sujeita-lo a urna ope- i terior. a direila o esquerda, com o flm de en-; pa da extremidade do dedo ndex; sendo que o
relos visto Ihe terem ltimamente assererado, contrar o que sempre encontrei em miaa clinlct, exame igual fra antes ou depois do mim tambem
pe'sas entendidas daqnt He lugar consistir a mo,| deS(le Ia0 examino calculosos; isto espago praticado pelo Dr. Seve, se bera me record.
leslia em urna pedra na bexiga, da qual ja haviam
do langadas algumas partculas.
E, pergunlaodo-lhe eu em casa de quem estava,
c a quem tinha sido recommendado, disse-me que,
tendo vindo por ordem de seu pai, o Sr. Amaro
Jos Cnelho, positivamente era mioha procura, a E' pouco tendo eu encontrado de ordinario, etu- quadnlateral, d rigorosamente urna abertura de
ningoem mais se tinha dirig lo tanto que, achan-' do. mais de extraordinario, como sejam nada de duas pollegadas, mormente levando-se em conta a
do-so o dito seu irmo doente ain la em Olinda, ourna pela sonda, encontr desta e ruido logo ao curvatura da raciso, que, na extraego da pedra,
pois quo tiuha feito a viagem por trra, desejava entrar da bexiga, mas nSo que indicasse a presen- pode anda alongar-se, como a que naturalmente
que eu o gmasse no melhor molo do t lo bem 5a de um corpo estranho marmreo, e sim de |ne fica parallela cusa do afastamento da prosla-
ajui no llecife, merc da operago ou dos meios um ca'eu'o molle e argilloso (era o que podia dar ta no mesmo acto da extraccao; resultando que
ma.s ou menos conslderavel na bexiga, choque | Mas porque pngne, eu ,a ta|ha per[)ea| lo
?.""*I*..1!***.*?.?*.** .yfi ***** obstante o grande volume do calculo, a probabilida-
de de sua adherencia bexiga, ou quasicer-
teza da cootraego desta sobre o corpo estranho f
Primeiro, porque o perineo, Tendido pela talha
segundo seu deslocameulo, forgado pela propria
sonda, ou pelas contraeges da bexiga, e mudanga
de posigo do enfermo.
cursivos mais convenientes. Ao qua respond aca,nada cortical asss espessa, superposla ao
movido pela sinceridado cora que me fallara elle', granda e forte ncleo), difflculdade em mover a
o pleoa cjuanga depositada de to longe,que
senta nao ler em casa lugar para hospeda-Ios :
mas que, havendo aqu mogos da Parahyba, seus
comprovincianos, fcil Ihe seria lalvez encontrar
em algum delles arquiescencia e benignidade bas-
taules para receb-las, emquanto se effectuasse o
tratamento ; e que em todo o caso contasse com o
cu mais ampio esfjrgo c sineeridade no desem-
penho da minha nobre missao,a respeito daquelle
seu irmao.
em qualquer sentido, e achado sempre de
no pouco em que ella a custo chegava a
sonda
attrito
mover-se...., tudo evou-me a crer que tinfia de me
haver com um enorme calculo, ou cerrado e en-
gastado pela bexiga, ou ella nimiamente adhe-
rente.
um calculo de duas pollegadas de espessura e de
cinco asis de circunferencia, que j entra no
numero dos extraordinario, pode passar por tt-
melhante abertura sem dilacerago de tecidos.
Segundo, porque, sendo um eaiculo extraordi-
nario, mas friavel, ao menos no cortical, como o
era o do que me oceupo, urna vez que as pingas
cheguem a abarca-lo, nao difllcii de ser quebrado
o extraordinario da- pe-! e reduzido de modo a peder passar em urna aber-
.... i tiza; o eapitao prestou-nos immensos favores *
E* verdade, disse o joven compos Uor. verdade; salvou-te a vida, a ti, meo Irmao que eu
Pois devias continuar assim, replicn Tonin. 'amo tanto; pois bem, eu nao hesito, nao reflicio,
O capito dingia-se para a porta, levando Liza nao calculo; aceito por marido o capitSo Simo
pelo braco. Parker.
Ha aqui alguem chamadoTrafalgar? pergun-
*ou elle.
Sim, capito, disse Liza, o appellido de um
destes mogos.
E' francez t
E', respondeu ella com certo embaraco... e
bem v... que a presenca do uniforme da mari-
nha ingleza nao Ihe deve ser agradavel-----
E apertou mo do irmao, correu para o seu
quarto, e quando se vio sozinha rompeu em pranto
e em solugos.
O capito veio ler com Henrique, nterrogou-o
com um olhar.
Meu querido cunhado, disse Henrique, s Ihe
resta agora marcar o dia.
Depois de amanha, disse Parker ebrio de
E' o que Ihe ficou visnho mesa7 tornou o contentamento; em um paiz selvagitn fcilmente
capito. se supprimem as formalidades que relardo a
Foi o acaso que o collocou ah capito. ventura.
O araso e talvez o amor, disse Parker sorrin- [ (Continuar-se-ha.)
do... e o que ha nisso de estranhar I nao tem de _______
que corar, bella Liza, todos esses rapazes devem
ama-la era segredo; mas nao ha entre ellesum que UM POUCQ DE TUDO.
seja casamento vantajoso. Sao todos aventureiros Muller, o allemo, que em um wagn do r.iroi-
que procuram gaohar a vida. nho do ferro assassinon Mr. Brigts, e que a polica
Ahi vem todos elles, disse Liza cora voz mais ingleza foi prender a New-York, foi condemnado
morte pelo jury inglez na audiencia de 29 de
outubro.
firme.
Vo ver os dominios de seu irmao, e tambem
os seus, bella Liza, disse o capito. A senhora vae
ser a rainha de Sidney.
Henrique todo pressuroso veio reuoir-se ao
apilo e a Liza.
c. _
Esta com affectado descuido disse ao irmao :
Nao vejo o Sr. Asthou e... o outro.
O presidente pronuncion a senlenga de morte na
forma usnal e disse ao condemdado que nao tinha
a esperar commulago de pena.
Pois bem, disse Muller, se a sentenga fr ex-
ecutada, morrerei innocente 1
Hontem de manh3, M. o Sheriff Daken e M. o
O certo que, relirando-se o mogo, depois da
ter-me dado palavra de volt ir, de feito foi esta
cuniprida no (lm de Ires dias, posto que contra mi-
nha espeelatira, pelo que de uso pratiear-se
a |ui com certos e determinados doentes do centro,
Cuj boa f militas vezos illaqueada, sendo mal
ucaminhados pela ganancia ou maledicencia. E,
volando o Sr. Coelho, alegrou-me muito asseverar
o que eu havia previsto ; isto que fra o pobre
doente rebebido pelo Sr. Vicente do R->go de Brltto,
(jue, com outros seos comprovincianos, morava en-
t5o na ra da Uniao n. 11; sendo que Ihes havia pro-
digalisado elle o mais invejavel espirito de frater-
nldade, de amor e de bem entendido provincia-
lismo.
E, para mais patente ficar a justiga devida a es-
ses dignos hospedes, licite nos seja nao omittir a
cirenmstancia de queera quanto o enfermo aqui
esteve em tratamento, desde o principio at o fim,
em todas as diversas phases da molestia, em todas
as snas peripecias, via-se sempre nelles o dever
a par do mais vivo nteresse pela salvago do mi-
sero, cuja vida eslava sendo esmagada pela enor-
inidade de nina pedra.
Cnegando emim o doente aqui no Recite, no dia
21 do referido mez de setembro, foi-me cffectiva-
mente entregue no da 18 ; e neste mesmo dia, fa-
jeado Ihe, eu a minha primeira visita, dei do face
com um moco branco, moreno, de estatura regu-
lar, bastante magro por effelto da enfermidade, in-
dicando um temperamento mixto sanguineo-btlio-
to, e que disse eliamar-se Joo Arcinlo Coelho, ser
natural de Mamanguape, casa Jo ha 18 mezes, e ter
6 anuos de iJade.
Ento soube que, tendo elle soffrido na infancia
alguns incoinmods de retengo de ourina, seu pai
o havia mandado tratar por curiosos da localidade
que, medicawlo-o a esmo, conseguirn fazer des-
appareeer os solTrimentos, permanecendo comtudo
a molestia cuja natureza e scieneia plenamente
ignoravam : sendo certo que, d'ahi em diante,
atravessou o doente toda a puberdade, gozando de
lia sade, e sem outros nommodos alera desses
que toda a gente na melhor disposigo costu-
mam Intervir ; tanto que andava a cavallo e a p
em todos os trabalhos quotidianos do campo (pois
ra lavrador), j administrando o servigo dos
seus escravos, j exposto ao sol e s intemperies-
Mas que, havia onze mezes, e muito depois do se
ter rasado, comegra de novo a soffrer fortemente
da retenga js de onrinas, langando estas pouco e
ponco, ftidas e carregadas, com dores terriveis,
eoceira no prepucio (signa! infallivcl o caracters-
tico nos calculosos), peso na bexiga, tenesmos, c
mais tudo quanto constltue a ordem dos sympto.
mas de um calculo vesical ; nio esquecendo a cir.
cumstancia de ter de seu dito consorcio urna filha
que deixra ao partir para esta capital, com seis
mezes de idade.
Disse mais que todos esses soTrimentos prose-
guan! desde a data indicada, sempre em augmen-
to, apezar de urna multido de beberagens que, na
falta completa de mdicos no lugar, Iho proporcio-
navam os curandeiros e homooopatas, que mais In-
flizes ainda foram desta vez, porque, alm de por
ellesliada obrar a natureza contra a grave enfermi-
dade, permanecern! sempre na ignorancia acerca
da existencia do corpo estranho; que, aflnal, ator-
mentado com tanto soffrer, e deslumbradas todas
as esperangas, deliberou-se seu pai, com sacrifi-
cios, a mandar chamar um medico a capital da
Paralaba, o jual entao, examlnando-o, diagnostica-
ra o calculo, aconselhando-o operago onde pe
desse ser ella convenientemente praticada. Aps o
que effectivamente veio ter a Pernambuco.
Assim ouvida toda a historia de bocea do pro-
prio enfermo, e parte da de seu irmao, que mais
tarde nao contestou a ida do medico, passei logo a
examina-lo com todo o cuidado, com o fim de jul-
gr de seu estado geral, de reconhecer o calculo,
seu volume, seu peso, suas adherencias, de modo a
poder formar um diagnostico, e por elle escolhe*
d'entre os methodos operatorios o mais convenien-
te e apropriado.
De feito, o estado geral do enfermo era bom : a
lingua estava hmida, larga e apenas saburrosa
em sua base; o pulso era apyretico, um pouco
erfraquecido e sem mais alterago sensivel ; a re-
gio epigstrica nao indicava, pelo apalpamento,
lesao seria do estomago, e 03 hypocondrios da
mesma forma nao pnnham em duvida o bom esta-
do do ligado o das mais visceras, nelles comidas.
A defecago era regular! O thorax eslava perfilo
com os pulmoes e o coracao; s o baixo venlre ou
a regio hypngastrica era sensivel, dorida mesmo
e prominente. Emfim, o estado geral era menos
mo pela harmona das forgas vitaes que ainda
existia.
Isto feito, depois de axaminar en os orglos se-
xuaes extern3S, e de nada encontrar digno de
menean, a nao ser alguma edemacia no prepucio,
devida aos apertos contra o prurido mrbido espe-
cial, lancei mo de urna sonda de pequea curva-
tura (a de Mercier), a mais propria para o reco-
nhecimento dos clculos, que, sendo iotroduzlda
na urethra at o eolio vesical, foi logo ao encon-
Mas at onde subira
dra ? Qual a causa certa da immobilidade e do tura quadrilateral.
aitrito em todos os sentidos ?
Coavinha, porlanto, aioda proseguir no exame :
mas taes eram as dores do paciente, no correr de
Terceiro, porque nao havia certeza, e nem po-
da haver, de que todo esse volume, apreciado no
exame, nao fosse em grande parte devido a espes-
cinco a se.s minutos emqce havia eu feito aquelle sura das des da biga> cm eonsequew.a
U fiT.T0."3?.6: J?.****** Wti" I hypertrophia ou de columnas carnosas, que fe
vezes fazem essa espessura- de mais de nove -
rar a sonda e.deixar que o-doente repousasse um
pouco.
E, como morasse elle perto do Sr. Dr: Seve, e
conviesse apressar o irabalho do exame, mandei
que chamassera logo nessa raesma occasi a
aquelle medies para expor-lhe ooccorrldo,commigo
de novo examinar o enfermo, e convida-lo para
ajudar-mo na operago.
Sao dous looco3, respondeu Henrique; nao a|derman Besley, acompanhado dos sob SherifTMM.
gagar. de Jersey e Davidson, do capello o reverendo Da-
Liza sentio que se Ihe suffocava a resprago no ^ e bem assim do director de Xewgate, entra-
peito, mas irlumphou ainda dessa erise pela forga ram na celia do condemnado Muller para Ihe de-
da vontade. j clarar o dia da sua execugao, que est flxado para
Foram cagar 1 disse o capillo, nao restam segunda-feira 14 de novembro.
mas que tres horas de da, e preciso internar-se I
muito pelo interior para encontrar algnma arvore :
ou caga.... aqui esto os seus terrenos, Sr. Hen-
rique.
nhas; dando lugar a que, no exame, um calculo
de duas pollegadas de dimetro e seis de circum-
ferencia ( que como dito fica pode passar pelo pe-
rineo (1), parega muito maior do que na realida-
de o .
Quarto, porque a impossibiiidade de mover-se
, a sonda na bexiga, e o facto da se nao deslocar o
De feito, chegando a lempo o eoMega, depois d e ca|c aQ seno uencias cerlas de adhe.
refenr-Ihe toda a novidade do exame, assevere- \ ,. ._ .
.. ,' rencia,pois que podem ser resultados de simples
Ihe logo cinco certezas,que a entao- havia eu conse- ; .
.. contraccao, nao sao motivos bastantes para se nao
guido :existencia do calcu o, seu grande voume, ,1 ,__- ._. -_j
, .7! "T: praitcar a talha penoeal, como sao contramdica-
falta de vaeuidade na boxiga, friabilidade ao me- .. *. ,a.
. ^ coes arespeito da hypogastnca (z).
nos de suas pnmeiras carnadas, e bom estado ge- *
ral do mesmo doente. Quinto, porque em casos dSceis e perigosos
sao permillidos os meios arriscados; e o meio
Nesse interm, j estando elle mais aliviado das aconselhado por Guerin, de que j nos oceupmos,
dores urethraes, convenci-o da necessidale de ser pode bem ser substituido pela talha bilateral, an-
examinado de novo pelo Dr. Seve ; e este, intro- es que se abra o veutre e se pralique a mais
duzindo urna sonda sua, acabou por verificar o terrivek das operagoes, e cuja dilferenga pratica
queeu Ihe havia dito : sendo certo que, antes de quaoto aos resultados, foi por demais sensivel eu-
ter retirado o instrumento, ainda sondei a bexiga ; ,re a primeira 0pcracao a aue f sugeito uosso en-
no quanto era admissivel. reriD0.e a ultima que precedeu sua morte. E, si
De.se segundo exame resulten o inesmo diag- sensivel sem duvida, taihar o perineo para de-
nostico em toda a ?xtenso j mencionada, e mais pois taihar o ventee, como succedra a M. Mandt,
a certeza de que ao menos o cortical do calculo e acaoa de succeder-me, mais anda o talhar-se
era friavel, ja pelo ruido surdo em vez de claro' o vsnlre para d'eiie extrahir um calculo evdente-
e distncto, quo caracterisa o calculo duro, de mente capaz de ser tirado pelo perineo,
oxalato de cal ou de acido rico,j porque os
olhos da sonda trouxeram partculas calculosas,
que, convenientemente examinadas, nao deixaram
duvida acerca de sua natureza.
Findoo segundo exame, considerando eu na forte1
Sexto, porque no primeirocssoha probabilidades^
verdade que perdidas em um desengao, ma
que trazem luz ao diagnostico sem eminente pergo
de vida; no segundo,a fatal consequeneia de um
erro, que, acarretando urna morte quasi certa,
dysuria e nao pequea urethralgia, por que feria | abysma 0 cirurK5o pei0 Udo da constiencia a da
pni(iria reputajQ.
Stimo, emfim, porque em minha opino, que
tambem fundada nc- estado e ba experieu-
de passar o enfermo ordenei que se 'he iMsm um
baulio momo, e receitei um cozimeolo de linhagaj
com urna onga de xarope de diacodio internamen-
te, a um calx de hora em hora ; e para o baixo i
ventreurna fomentago de oleo de amendoas
doce fresco com ludano, oom o fim de combater
a sensbildade, cujogro elevado impeda o exame
pelo apalpamento.
Enio convoque urna conferencia para o da se-
guinlecom a presenga ma's do Sr. Dr. Carneiro
Monleiro. Nesse dia, que foi o dia 20, como se ti-
vesse demorado este medico meu amigo, por nao
ter a lempo receido o convite, e o doente so achas-
se em boas condiges para um novo exame, visto
como, apzar do que se tinha dado no dia antece-
dente, nem febro havia elle tido e nem dores alm
das que diariamente solfria, dei-me pressa, com
o Dr. Seve, a iotroduzir de novo a sonda na bexi-
ha e a fazer urna injecgo de agua moma, com o
fim de melhor explorar a viscera e o calculo.
Logo ao ntroduzlr-se a sonda, isto logo que
esta chegou ao eolio vesical, encontrou do mesmo
modo o calculo como no dia antecedente,sem-
pre resistente aos moviraentos, sempre em con-
tacto com o bico do instrumento em todos os sen-
tidos, a produzir o ruido surdo de que tenho fal-
lado : sendo certo que a sonda, se bem que a custo
houvesse penetrado pouco, provncou logo algum san-
gue como j havia succedido, posto que menos, no*
dous primi-iros cateterismos ; e isto, sem duvida,
ento porque a sonda s penetrava abrindo caminho
entre o calculo e a mucosa que Ihe estava adhe-
rente, o que com razio havia antes sido por
na
cia, a lalha peo baixo ventre ou a hypogastn-
ca s deve ser praticada, murmeale bavendo pro-
babilidades de fortes adtierencias. autre o calculo
e a bexiga, as condiges em que eu a pratiquei, e
depois de esgotada o melhodo perineal; porque
certeza de que um calculo nao pode absolutamen-
te ser extrahido pela talha perineal s se pode
ter, se for elle do volume igual ao do cura de Lo-
che, que pezou looO grainmas, e cuja extraego f-
ra feta depois de sua morte, no hospital da cari-
dade em Pars, e provavelmenle sem que em vida
tivesse alguem o diagnosticado; ou daquelle que
em apuros collorra M. Earle, ao ponto de se ver
obrigado este cirurgo a nao acabar a opera-
Ah d'rsse o mogo, a posigao excellente.
Ha de-vir a ser o mais bonito bairro da cidade,
quando aqui houver cidade disse o capito. (I)
E' como Liverpool, tornou Henrique, dizia
meu pae, que foi um pequeo lago como o seu no-
me indica, roda do qual havia apenas algumas
choupanas de pescadores. Hnje, nao existe mais
lago, e no logardelle ha lindas casas.
Porm aqui o lago urna das mais bellas
bahias do mando, tornou o capito, olhe olhe,
rfenrique... la-est a casa do governador, -beira
do mar...
Onde? pergnntou ingenuamenie o mogo.
Quando a construirem, vira o governador,:
disse o capito, a casa j existe no plano do nosso
engenheiro Huberto... umjardiro... tambem no
mesmo plano, separa os seus dominios da residen-
ia do governador. A porta do seu parque, que
aqui vemos, d para esta pequea baliia sempre
liza como um espelho.
A bahia existe, e j nao pooco, tornou Hen-
rique.
E o Sr. tem odireito de pescar nella, repieon
o captao.
Ainda bem, eapitao, exercerei a minha airtiga
profissao, por divertimento..... Entao, Liza, nao
dizes nada ? Nao acbas esta babia mais alegre que |
a do Mersey ?
Havia nesta pergunta urna intengao qce evo-
cava a lembranga de Liverpool e do eapitao
do Orion.
Miss Liza baibuciou urna resposta equivoca
que foi eoDeua pola unnime afflrmativa dos outros
auditores.
Albertus que dava o braco as duas orphaas,
apostrophou Henrique com voz forte e disse-lhe :
Virei mu'ua* vezes visitar a tua baha, se me
deres I cenca;
aujas folhas sao musicaes como as dascasuaii-
nas. Quando soprar o vento nordeste, ellas devem
cantar com as.ondas um lindissimo dueto.
O Sr. Albertos Somraer, disse Henrique apre-
sentando-o ao capit >, um distincto compositor;
est escreveado a opera damastor. Minha irma
quo de natureza entendida em msica, diz que
este joven prometto muiio para o futuro.
E o Sr. Albertus, disse o capito rindo, vem
modo que os viajantes
ha aqu dota bellos tamanneiros
Muller nao manifestou nenhnma commegao e
persistiu em declarar que a sua condemnagao as-
sentra em falsos testemunhos, acrescentando que
! nao1 tinha que se queixar dos juizes nem dos jara-
: dos.
Sabbado, quando o infeliz foi conduzido celia
dos cooderanados, por algum lempo pareceu nao
ter a consciencia da terrivel situago em que se
achava, mas nfinal relenlaram-lhe as lagrimas dos
olhos e chorou por muito tempo.
i Serviram-lhe a ceia, mas elle comen pouco:
deitou-se depois aa cama, porm o seu serano foi
agitado.
Na manha seguinte. domingo, assistia ao o .Ti-
rio celebrado todas as semanas na capella da pri-
i sao.
O condemnado j nao afflrraa lo positivamente
a sua ionoeencia, e escola com grande fervor as
exhortagoes do reverendo Davis e um minislro da
egreja allema.
Corra esta manhaa o boato que o condemnado
se mostra disposto a fazer a confisso do seu
crime.
O proeesso de Muller e o crime de que foi con-
sequenoia d um interesse de actuaiidade a tudo o
que tende a tornar mpossiveis os alternados- con-
tra as pessas nos raminho de ferro.
No caminho de ferro de Este de Londres foram
postos em circulagao- uns novo3 wagons, a que se
attribuero todas as necessarias condiges de sego-
ranga.
E' nma carruageia de primeira ciasse com 24
assentos, 8 em cada compartimento, sendo os tres
compartimentos postos em eoromunicagao por um
corredor longitudinal, que pode tambem commu-
nicar de urna para entra earruagem.
As-paredes de eada caixa, subindo at ao teelo,
coriam as correntes de- ar dos compartimentos vi-
sinhos.
O corredor interno formado por tabiques, de
de um compartimento nao
se visiveis seno para o empragado da vigilan-
cia.
No extremo do wagn ha urna balaustrada em
plataforma para os fumadores.
Para as carruagens rom imperial ideou o inven-
tor urna escada de caracol, que permitte subirse
imperial, mesmo durante a marcha do trem.
O Sicle publioa o engragado e curioso artigo,
seguinte, que aponta Tactos completamente deseo-
estabelecer-se em Sidney para fazer representar (nhecidos
a iu a sua grande opera 7
Capito, disse Albertus, obtenha-me a con-
cesso para edificar um theatro e d'aqui a 10 an-
nos eu o inaugurarei com a representago do
damastor.
Tenho plenos poderes do Foreing-Ofpre, res-
gao I... Que a nao ser de tamanho volume, a ser j p0ndeu o capito, o terreno nao falta. Drei ao
o extraordinario entre libra a libra o meia, rom
nove a dez pollegadas de circunferencia, essa cer-
teza se nao pode dar muitas vezes, a menos que
sejam excepcionaes as condiges ; isto que ape-
zar de tamanho volume haja vaeuidade na bexiga,
mobilidade, nada de adherencias de hypertrophia e
de sensibilidade mrbida do ventre, que empega
o exame recto-abdominal.
(Continuar-se-ha.)
TRIFALGIR.
XI
O IIOMEM NtOPOB.
Conlinuago.)
Quando e trata de amor e de casamento as
mim attribuido tambem resistencia de que era rao(,as na0 precisam ouvr, advinham tudo. Quem
capaz urna contrargo forte da bexiga. Seja como
fr, o certo qoo a injecgi foi empregada, mas
nao proficua ; porque, alm de retroceder o liqui-
do, de nao ser possivel ao doente supporta-lo con-
venientemente, bem pouco foi o qne ple penetrar
a bexiga. E esse pouco, que a custo chegou a pene-
trar, era provavelmenle correspondente ao espago
mos de examinar aqu, conservar os de
lera, reconhecendo-o orno estado soberano e ia-
depeadente, e dando-the um voto na coafetterato
Em troca desias vanugens, iinpoz-lbo a obriga-
gao de foruecer ao contingente fed-ral, aoveau
soldados e um tambor.
Nao percam de vistas estes aovanu '-tiin c
este tambor, porque vo tomar om logar n
tanle na questo actualmente peodenie. O
ditos do pnne ipc de l.irhlensiein, sefiindo m
mos rerenceamentos sao 7,130 horneas va
animados de sentimentos muito pacifico?.
ao mesmo lempo tambem tem muito pouco ri
to pelas autoridades, A' vUinhanga da
devem elles, de certo, o espirito indepea
muito singular que tem.
Tinha apenas decorrido um aone depois do i
cr.ii de Vienna ler dividido os povos ear
segundo as suas conveniencias, quando os
tenst?inezes se dirigirn! ao -ru principe D. Joa
1, declarando-lhe com a sua robusta franqoeta,
que conscniiam em ser governados por eHe, par
isso que o congresso o tinha asm deaidiJo, saa*
quo jjlgavam perfeilameiiie intil pagar-Rw nan
lista civil, e que alm disso, sendo ea lie peaaa-
no numero, nao podiara foroecer todos os aoaoa,
noventa homens e um tambor para o excreto* fe-
deral.
O principe Joo era umi excellente p*s*o;
possuia ento immensa fortuna. Retpoaaaar aaa
seus subditos que dispensava muito bem a liso ci-
vil, e que, pelo que toca ao contingente militar, sa
entenderla com o governo austraco para elle o
fornecer, salvo um rr-gn la ment ulierior. O* sub-
ditos reliraram-se saii^feitos, e as rousas caiataaa-
ram de.te modo al 18.16, poca em que o principa
Aloio I siil.-iu ai Himno.
N'este espaco de tempo, os Lictitenjmanw ra-
flccliram melhor. Juluaram que nm pnaeipe, aia-
da mesmo que Ihe nao pagassent, imptraaa ao paiz
que governa certas despesas ; eomo, par eaeaiata,
festas, recepges de apparaio. Iluminage, bacas
de artificio, banquetes, etc. Mandaran*, aois, aaaa
deputago ao seu novo soben*, para Hat faaar
compreheoder, que elle devia indemaisar a pan
de todas as despesas de r.pr.'serKago qoo anal-
tan; de um governo monarrhiro.
Aloio I nao era menos boa pe?r,i do qae seaj
prederessor, adatonia a rerbimagio los seus rabdl-
tos, e com elles fixeu a semina di inlemaaro,
pagando-a com mais escrupulosa exactidao.
Os rhtenstoinezes rhecaram ao* seos fla; a>
nham realisado o seu ideal. Sos a% Eorop
que digo eu ? Sos no mundo, em vez de pagar
ra s rem governados, pelo conirarie rec
Pareca que de futuro nada potera haver, eja
alterasse a boa harmona, que assim se si lindaran
entre o principe e o seo novo.
infelizmente, susciton-se um novo motivo de **-
cona. Joo II, que actualmente aprtaria*) raf-
oante no Liehteo.lein, disse nm da: > Una va
que nao recebo urna lista civil,e que en oprnicie
a lodosos uso*, sou eu que pago aos rasas sba-
los, tenho o direito de viver a minha vontade. A
minha capital urna peqnena al leu. que sao ten
um lugar de dislrago, onde nao ha on reaara aa
prazeres. Eu sou ira mensamente rico, e pamas
veu residir para Vienna.
Effectivamente fez construir na capital de Aus-
tria um< palacio magnifico, e para ali traes 'erra aa
trens reaes.
Deixou um ministro em V'aldutz, e eontentava-
se em eorresponder-se com elle. Mas a (itabos
dos LichtensteiRezes nao ;tavam ainda satitlrtoaa.
Combinaram entre si, e mandaram urna n>va de-
putago aoseu principe Vienna. Julgue-se oaal
seria a alecria daquelle bom prinripe, nniaido.
n'uraa bella manha, vio apnarecer diaassdea
umaduzi^.ditsseus mais nelaveis subdilos.
Trocar.un-se todas as demonsiraces de decade-
za, e a depukigo expoz o objeci da sua visita, ex-
pressande-se pouco raass ou meaos a'estw ter-
mos :
E verdi.de que nao damos a V. A. S. orna lista
civil ; pelo contrario, V. A. paga-nos nma indera-
nisago. Mas tendo V. A. urna grande fortuna, a
viveudo rom um apparalo de vrrdadeiro anacipe,
faz despezas i|ue aproveiEavam ouir'ora a<> pnari-
pado. Se V. A. S. residir sempre em Veaaa
causa-nos um prejuizo consideravei, e por taata
parece-nos justo, que resida,] pelo menos seis ae-
zes no anro, na sua propria capital, i.or.rlutda
asta exposicao, apresi-ntaram algumas rec
i.ocs do c'-driii poltica.
signa
Joas II consenta na residencia, proz
urna nova constiluigo, institoio orna
de depuiados coraposla de quinze raembros, a aa-
nuiu a saiisfazer do sou bolsinho pariicuiar as
despezas da representarn nacional.
Perguntar-se-ha agora de cerio o que feito dos
noventa horneas e do tambor I Pois bea i
delles que vamos tratar.
A Austria, que de ha muito fnrnece rste eaav
Eranoraedocul caros leiores, nao se as- ,inget8> aprcstntou ltimamente ao pi-.oripeae
sustera coraesto titulo mal soante. Aflirrao que a LJciaensUiin urna lfiiliai[a Disse ao princi;*
historia quo Ihes vou coniar nao falla interesse Ue, dispensando elle os seus subditos de Ihe pa-
nera originaiidade. garem a lista civil, que sali>fazendo pelo cootra-
Conhecam a ? Nao : estou certo, pelo contrario, rio urna somma redonda, era justo qne os aaaa
que noxonhecem o principado de Lichtensteio, subditos pagassem o seu contingente railar.
falla baixo diante dellas, toma urna precaugo bem
intil.
llavera risco de recusa? perguntou o
capitn
Oh! eu disse isso inadvertidamente, respon-
deu Henrique com ligeira emogo nao possivel
encenheiro que aecresrenie ao plano um theatro,
e desde j Ihe outorgo a concesso. Tem fundos
para essa odificago?
Nao, eapitao, mas se me concederem um
terreno bastante extenso, vonderel tres quartas
partes delle para poder construir um thealro. Alm
de tudo, eu trabalho de vagar; nao com menos
de 10 annos que eu terminarei o meu da-
mastor.
E' negocio decidido, disse o capilo....
E tomando o caminho da hospedara, disse
a Liza : E' senhora, que este mogo deve a con-
cesso que acabo de fazer-lhe ; quero abrr-lhe as
portas desse futuro que a senhora antev.
Henrique approximou se, e fazendo um gosto de
intelligencia ao capito disse-lhe:
O nosso joven maestro (icaria muito satisteito
se o senlior Iho prestasse mais um quarto de hora
de atteneo. Eu dare o brago a minha irma.
Simo Parker comprehendeu, e separou-se de
Liza dizendo :
Visto que estou no meu dia de feliciJade,
que nunca descobriram o lugar microscopio que
oceupa na caria da Europa, e que quando chega-
rem a ouvir, aqu c ali, prouuuciar o nome de um
pruicipe Licuteustein, nao devera duvidar que se
trata de urna testa coroada, de um principo sobe-
rano, que tem voto na coufederago germnica ;
emllrn, de um personagemcoosideravel.
Pois bem I este principado e este principe de
Lichlenstoin suscitam na actuaiidade urna questo
de tal maneira grave, que poder bem, se nao se
altender ella, langar o fogo nos quatro cantos da
Europa, e fazer um novo rombo nos tratados de
1815.
Para Ihes fazer comprehender a natureza e gra-
videz desta questo, necessario referir as cousas xa a si, como se diz agora, a Prussia nio ba da
Os lichlensteiaezes ciitam em altos clamores
e recusndose a sati-fazi-r, pretenderi,ce aquella*
despeza deve tambem ficar a cargo de principe.
Pela sua parte, o principe quer ceder ludo; re-
nuncia ao poder supremo, e manda a seu princi-
pado a lodos os diabos ; i.-to quer dalo a Aus
tria.
Mas nao se dspe de urna popuiago deta a>
dem.couio se dipe de um nbaabodeearneiros.
Os lichtensteinezes nao qoercni ser ansiriacc^ a
prefurem lornar-se suissos. Quem ha de decidir ?
Foi o cungresso de s ."> que censlituiu o principa-
do, e portanto s outro congresso o pide de>faer.
Se a Austria langa mo do Lichleaslein, eca
que'a sonda havia feito.e aos regos que a previ'den- iue minha irmaa recue. Lisa, hlha de um pobre.J ^^ f^ m^ ^^ ^
cia da nalureza havia a seumodo preparado a serem minha irma, ser esposa de um joven e brilhante Henr.qae g Uu ,.aminhavam na frente, e nin-
depostos das ourinas ao gotejarem ellas dos ure- ofilcial da mar.nha real, o nosso salvador I ao, ^^ ^^ ouvir.,nes a conversa.
thres ; o que explica o facto do enfermo estar a i ninguem rejeita fao grande felicidade. ^ mnha querida rm-a> djsse Henriqne>
toda a hora a ourinar em pequeas porgese asen-
tir constantes tenesmos vesicaes.
Mas, se a injecgo nao foi proficua quanto aos
resultados desejados, nem por isto deixou de ser
til, confirmando tudo que ja haviamos observado,
menos o extraordinario certo e exacto do calculo, a
verdadeira causa da impermeabilidade da sonda
Desde o comego deste myslerioso dialogo, um na0 te lens mostrado amavel para com esto digno
delicado pesinho, libertando-so de dentro de um olucial que nos presin tantos servigos.
sapato de palhinha, trahalhava por baixo da mesa, I Sou mQ1|() lemda( e goslo mais de ouvir que
e por meio de um poderoso magnitsmo, continba ^ fanar
a exploso nos labios de Tonin. Ul^ prosegu0 Henrique, lembra-te daquella
Perdo, meus caros convivas, disse o capilo horrivel noute em que eu estive prisioneiro do
alteando a voz; Henrique e eu tratramos dos nosso visnho Sir Maurce, quando a minha vida e
e do liquido; isto si havia simples contraego, nosSos negocios; fallavamos da concesso de uns a vossa honra....
ou si perfeita adhcr"-ia. terrenos que eu alcancei para elle em Sidney. Por | Nao me esquego, e dou urna prova disso sa-
Ao tempo, porm, que meditavavamos bm ora nao tem grande valor, porm sao to bem crificando-me, disse Liza interrompendo-o brusca-
seriamente sobre a natureza do caso, a operago situados, que em poucos annos valoro tanto como mente. ns, se
e o methodo aescolher, entra o collega Dr. Carnei- qualquer terreno em Charing-Cross.
Tonin sorrio, e meneou acabega em ar de quem
duvida.-
Emfim, meus senhores, est acabado o jantar,
e eu convidos para verera os terrenos de Henri- j
que; um pequeo passeio.
E levantndose, offereceu o brago sua linda ""IToganas-te, Henrique, agrada-me muito.
visinha. Ento porque ests triste, porque tens os
Esperem momento, disse Albertus, que na OJhos pheS de |agrimas quand0 dizes que te agr"
suaqualidade de louro allemo, tinha tambem fes- da muiloesse casamento?
ejado o vinho da Australia I o nosso amigo Trafal- pe qUe serve ag0ra
gar pede a palavra para annutiriar....
Albertus, disse Tonin, nao disseste urna
ro Monteiro ; e com elle liz a projectada confe-
rencia. Eulao raostrei em ordem scientillca a ne-
cessidade de se praticar a operago da talha qua-
drilateral principiando pela bilateral, basean-
do-me em razes que mais abaixo conveniente-
mente exporei; oo quo concordaran! os colle-
gas, fuodaado-se tambera em motivos equivalentes.
Acabada a conferencia, depois de ter eu marca-
do o dia seguinte para a operago, receitei ao doen-
te banhos momos, o mesmo cozimento de linha-
ga calmante de que j fallei, a mesma fomentago,
um clysler laxativo para ser ministrado horas antes
da operago, cora o fim de desembarazar o intesti-
no recto.
Sabes que o capito pedio-te em casamento?
Sei.
E tu aceitas por esposo?
Aceito.
Fallas como se esse casamento te desagra
dasse.
urna discusso? disse
(I) Velpeau. Med. operat. T. 4 p. 55.
(i) Bebliot. do nied-pral T. 3 p. 66,
(1) Sidney, ou Port-Jackson, conta hoje vinte e
cinco mil habitantes; nina rica cidade, de com-
merco e industria, corresponde ao que promettia
anda no bereo: era t806.
de urna poca mais remota. Tranquilisera-se, nao
nos reportaremos ao diluvio, mas sim ao meado
do seculo duodcimo, se opermittirem.
Os lichtensteinezes nao sao os primeiros homens,
se assim oquerem I E' verdade que os seus an-
tepessados nunca duvidaram que um dia chega-
riam a oceupar um lugar entre as casas reinantes
da Europa ; mas eram excedentes cavalleiros.
O chefo da casa de Lichlenslein era senlior da ca-
sa d'E.-te, lombardo muito activo e hbil, que veiu
procurar fortuna na Allemanha, casando em 1145'
cun una joven princesa da casa de Souabe. Nao
tinha o menor principado, mas em coinponsago
teve muitos lhos, que Ihe era necessario susten-
tar e educar. A sua fertuua ora mediocre ; o pae,
na sua qualidade de lombardo, fazia, aqu e aii,
nao pequeas usuras. Naquelle tempo os monar-
chas eram muitas vezes gastadores, e o lombardo
emprestara Ihes dinheiro. Quando chegavam os
vencimentos, os mutuatarios nem sempre podiam
satisfazer osseus comproraissos, e ento davam-
Ihe em pagamento algumas pequeas porgos de
territorios, ttulos, dignidades e privilegios.
Em pouco tempo os lichtensteinezes se alliaram
s mais poderosas familias da Allemanha. Em
1614 concedeu-lhes o imperador Mathias, em tro-
ca dos seus ttulos de divida, o primeipado do
Troppau, na Silecia. Dez anuos depois, Fernando
II angraentou-os em bens, dando-lhes o principado
de.Jugendorff. Mais larde, adquiriram o tilmo do
principes do santo imperio,
Foi nessa poca que elles compraram os terri-
torios deVadutz e Schellenberg, na margem do
Rheno, prximo do canto suisso dos Gri.-ons.
Este doniioio forma hoje o principado de Lichtens-
lora, de que a pequea cidade, de Vadutz capi-
tal. O congresso de Vienna, que elimnou tantos
pequeos estados da cenfederagao germnica,
julgou conveniente, por motivos que nao trata-
licar contente.
Quanto ao principe, recusa-se devimtivamente a
governar e pagar. Seriamos por ventura exage-
rados piando no principio, dissemos que havia
aqui o germen de um conflicto muito grave
E* do Sr. J. de F. esta poesa :
SAUDADES.
(A' minha irmaa D. 31. A. F,)
E' quando, tardinba, o sol,
Indo encubrir seu fulgor,
S nos dei xa sobre a Ierra
Um grato e tibio calor ;
E' quando gorgeios lernos
Alm solta o passannho,
E pelos pa los gyrando
Da prole viga o ninho
E' quando tristonha a flor
Murchando augmenta o perfume
Que inebria, o ar difuma
No peito atea o cinraa;
E quando baixando a nonte.
Triste e muda no horisonte.
Desenrula umbroso manto
Que o pranto rae molha a freate.
Quem me dera ser as nuvens,
Que atravesso majestosas
D'esses ares a amplimde,
Nuvens bellas, cor de rosas...
Ou bem como o pensamento
Azas ter, soblil voar;
Nos arcanos ter ingresso,
O eepago atravessar.
Por que ento d'esta parte
Me desnrendendo agora
Ira buscar ventura
A plaga em qu ella mora.
PERNAMBUCO. TYP. DE M. F. DE F. et
i
'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5YPWK3L7_LSVSYW INGEST_TIME 2013-08-27T23:41:08Z PACKAGE AA00011611_10531
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES