Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10530


This item is only available as the following downloads:


Full Text

r
TERCA FEIRA 29 DE HOYEMBRO DE 1864.
Per amo adaatado.....19$|)0O
Porte ao correio por nra auno. 300
nN ARREGADOS Da SUBSCBJpgAO NO NOR1E
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino da Lima;
Natal, e Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Br. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivera; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel i'inheiro & C.; A-
nazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Mariins & Gasparino.
PARriDA DOS EsTAFEIAS.
Olrada, Cabo e Escada todos os dias.
Ignarassu' Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Samo Antao Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
n- ,? e Gara"huns as tergas feiras.
Pao d Aiho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhaem, RioFormoso, Tamandar, Una, Barrei-
nJ0SJ &Qa reta e P'meneiras as quintas feiras.
una de temando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t.
13 La cheia as 3 h., 13 m. e 36 s. da t.
21 Quarto ming. as 4 h., 56 m. e 56 s. da ni.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
PBJBAMAR DB BOJB.
Primeira as 3 horas e 42 minutos da tarde.
Segunda as 4 horas 6 minutos da manhaa.
partida los vaiores costeiroi.
Para o snl at Alagas a 5 e 25; psr* o norte at
a Granja 7 e 22 de cada me;; para Fernando nos
das 14dosmezes de jan. marg.,maio. jal. set. e nov
PARTIDA DOS OMNiBUS.
Para o Recife: do Apipucos as 6/,, 7, 7 '/,, 8 e
Vi da m.; de 01 inda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6'/ da m.; do Caxang e Varzea as 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos as 3 /, 4,4 A, 4/,,
o, 51/4, S V e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 V da tarde: para Jaboatao s 4 da
tarde; para Cachang e Varzea s 4 '/i da tarde;
para Bemfica s 4 da tarde.
AUDiENCIA DOS TRIBUNAL DA CAPu'AL
Tribuna! do comrnercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do comrnercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphacs: tercas e sextas "s 10 horas.
Primeira vara do civel : torgas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do cival: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
PARTE OFFIGIAL
DLvS DA F.EMaNA.
*. Segunda. S. Jacob da Marca f.
29. Terca. S. Saturnino m. : S. I.i.mnala v.
30. (Jimia. S.Andr ap.: S. Tr.>ino b.
1. Quinta. S. Nalium prol.; S. Efe) b.
2. Sexta. S. Bibnu w. n.; S. I' rian m.
3. Sabbado. S. ttumweo Xavier ap. da Indias.
4. Domingo. S.Barbara v. ni.; S Osniuodo.
AS8IGNA-S8
no Recife, em a linaria da praga ca Independen-
eians. 68, dos oroprieiarios Manw tivunr.
de Faria k Filho. ,TO-
GOYERKO DA PROVINCIA.
Eipfdiente do dia 2o de novcnibro de ISCf.
Offlcio ao Exm. presidente da provincia do Cea-
r.No vapor Persinunga que deve seguir para o
norte a manhaa, serao enviados para essa provincia
acondicionados em 5 caixes e com deslino ao res-
pectivo corpo de guaruigo, os arligosde fardamen-
io e mais objeclos mencionados na relago por co-
pia Inclusa. Apreveito esta opportunldade para
solicitar de V. Exc. a expedigo das convenientes
ordens, no sentido de serem devolvidas ao arsenal
de guerra, como requisitou o respectivo director
em offlcio de 24 do cor rente, dez frdelas de brim,
que, por engao, foram de mais na remessa feita
em 29 de julho uliimo.OfTiciou-se ao gerente da
companhia Pernambucana para mandar transpor-
tar para o Cear os preditos caixoes e communi-
cou-se ao director do arsenal de guerra.
Dito ao Exm. presidente da provincia do Mara-
nho.as copias que aqui ajunto dos ofcios do
commandante das armas n. 2,099 de 24, e do
commandante do 4o batalho de artilharia p,
datado de 29 tudo do mez corrente, encontrar V.
Exc. os esclarecimentos que solicitou em seu oli-
co de 5 dote mez acerca dos soldados do o ba-
talho de infamara, Antonio Raymundo da Costa e
Francisco Pereira da Silva.
Dito ao Exm. visconde da Boa-Vista, comman-
dante superior da guarda nacional do Recife.
Qaeira V. Exc. informar sobre o que pede o alferes
da 4' companhia do batalho n. 6 de infamara da
guarda nacional deste municipio, Joo Fcrreira dos
Santos Jnior no Incluso requerimento.
Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. de informar
acerca do que pede no incluso requerimento o
guarda do 6 batalho de infantaria deste munici-
pio, Marcolino da Cruz Los Wanderley.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar acer-
ca do que solicita o capitao do porto no incluso
offlcio.
Dito ao coronel commandante das armas.Fica
approvado o contrato que. segundo o termo por co-
pia annexo ao offlcio de V. S. n. 2,098 de 23 do
corrente, celebrou o delegado do cirurgio-mr do
exercilo com o facultativo civil Dr. Frederico
Schultz, afim de coadjuvar este, o servigo medico
daguarnicao desta provincia : o que declaro V.
S. para seu conhecimento.Comraunicou se ao
inspector da thesouraria de fazenda.
Dito ao inspector da ihesouraria de fazenda.
Deelarando-me o commandante do presidio de
Fernando em offlcio de 28 de outubro ultimo, que
o 2o lente reformado do exercilo Jos (tabello
Padilha regressou do mesmo presidio em 18 de se-
tembro deste anno. pago da gratlticagao e etape
at f o do referido mez de setembro: assim o com-
niunico V. s. para seu conhecimento.
Dito ao mesmo.Estando em termos o pret jun-
to em duplcala, que me remetteu o commandante
superior da guardifnacooal desie municipio com
offlcio de 23 do corrente, sob n. 145, recommendo
V. S. que mande pagar os veneimentos, contar
Je 6 at 10 do corrente mez. das pravas do Io ba-
talho de infantaria da mesma guarda nacional
que se acham destacadas. Coramunicou-se ao
Exm. commandante superior.
Diio ao inspector da ihesouraria provincial.
Para cumprimenlo do que solicitou o Exm. presi-
dente do Rio-Grande do Norte em offlcio de 4 de
outubro ultimo, envie-me V. S. com urgencia urna
copia da lei daquclla provincia, n. 539 de 23 de
junho deste anno, a que allude o meu offlcio de 12
do citado mez de outubro.
Ditoao commandante do corpo de polica.Vis-
to que em inspecg.o de sade foi considerado apto
para servir no corpo sob seu commando, o paisano
Jos Francisco Pereira, pode V. S. mandar abrir-
lhe praga nos termos do regulamento do mesmo
corpo. Fica assim respondido o seu offlcio n. 526
desta data.
Dio ao director do arsenal de guerra.A' vista
do que ponderou o commandanlo das armas em
offlcio n. 2,060 de 18 do corrente, recommendo
Vmc. que mande, com urgencia, transferir para o
forte do Buraco, conforme se ordenou no aviso a
que allude o meu offiero de 12 deste mez, o carlu-,
xame e plvora que existe no paiol da fortaleza do
Brum, entregando ao commandante desta as 30'
arrobas de que trata o pedido despachado em 27
de outubro ultimo.Communicou-se ao coronel
commandante das armas.
Dito a cmara municipal do Recife.Recommen-
do acamara municipal do Recife que emita o seu
parecer sobre a infurmacao ministrada pela repar-
tido das obras publicas, acerca da suppressao da
praca da ra da Concordia proposta por esta c-
mara, como Ihe foi exigido em offlcio de 12 de se-
tembro prximo lindo.
Dito ao Juiz municipal da primeira vara desta
cidade.Achando-se no presidio de femando sem
guia, como participou-me o respectivo comman-
dante em offlcio de 7 do corrente, o sentenciado
de justiga Manoel Antonio da Silva, que allega ler
linalisado a pena de 4 annos e 8 metes de priso,
imposta pelo jury do termo do Bonito, em 1880,
hajaVmc.de providenciar convenientemente, afirn
de ser enviada para all coma possivel brevidade a
guia do referido sentenciado, ticando Vmc. certo
de que nesta data ofnYio ao juiz municipal daquel-
le termo para ministrar os necessanos esclareci-
mentos a semelliante respeito. Offlciou-se aojuiz
municipal do Bonito.
Portara ao gerente da companhia Pernambuca-
na.Em lugares de estado de que dispoe esta pre-
sidencia, mande Vmc. dar passagem para o norte
da cidade do Natal, proa, no vapor persinunga
a Jos Pedro de Carvalho, cujas comedonas se-
ro pagas por elle.
Dita.O presidente da provincia, resol ve demit-
fir do cargo de promotor publico da comarca do
Bonito o bacharel Joo do Reg Barros, e noma
para o substituir no referido cargo o bacharel
Candido Martins de Almeida. Fizeram-se as ne-
cesarias commuicages.
Dita.O presidente da provincia resol ve demit-
tir do cargo de promotor publico da comarca de
Flores o bacharel Ignacio Tavares da -ilva.Fi-
zeram-se as necessarias ommuoicagdes.
Dila. 0 presidente da provincia resolve no-
mear o bacharel Joao Alves Morgulhao para o car-
go de promotor publico da comarca de Flores.
Fizeram-se as necessarias communicagoos.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana, mande dar trasporte at a capital do Cear,
se hover vaga, r, para passageiro de estado no
vapor que segu amanha para o norte ao Dr. Pau-
lino Nogue;ra Borges da Fonseca.
Dita. Os Srs. agentes da companhia brasileira
de Paquetes, mande dar passagem de estado, r,
se houver vaga, al o Maranho no vapor que se
espera do sul, ao secretario daquella provincia,
Dr. Ovidio da Gama Lobo e a sua mulher.
Coatiauaco do expediente do secretario do goverao
do dia 22 de notembro de USO i.
Offlcio cmara municipal do Recife.S. Esc. o
Sr. presidente da provincia manda communlcar
cmara municipal desta cidade, qne por despacho
de 17 do corrente indefeno o requerimento de Ma-
noel Jos da Silva Magalhaes, sobre que essa c-
mara informou.
OVEREO DO B1SP IDO DE
i'i:il\AUIU(0.
Expediente
SEDE VClXTG
Novembro de S6-.
Offlcio ao Exm. Sr. presidente da Parahiba.Ac-
cuso recebido o ollicio de V. Exc. datado de 7 do
corrente ai ompanhando a copiada lei n. 141 da
assemhlea dessa provincia, de 4 do corrente, pela
qual foi restablecida a sede da freguezia da Ta-
quara na povoaco desle mesmo nome.
pilo ao vigario de Muricy.De posse do seu of-
rt n!L0rMUf"ui,?StabcleCd qUe aD" i te2!_Car,,s,e que P^io a demissao d'aquelle Acaba finalmente de ser assignado em Vionna o
da nao foi por mim alterado.
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS DO DIA
RIO DE PEH.\AHIII.TCO.
LONDRES.
8 de novembro de 1864.
Com anciedade era aqni esperada a mala do;
blea. e do Exm. vice-prcidenle dessa provincia, e
ltimamente pela missao do Rvm. Fr. Egidio, tenho
a dizer-lhe que approvo as medidas por V. Rvma.
tomadas, louvo muito oseuzelo, e agradeco em
nome da religiao os relevantes servicos que os pa-
rochianos dessa freguezia e as proprias autorida-
des dessa provincia prestam egreja e ao paiz.
Dito ao mesmo.Foi-me presente o seu offlcio
de 13 do corrente, o em resposta tenho a dizer-lhe
que nao polem os Rvds. sacerdotes celebrar em
casas particulares sem previa licenca do Ordinario
seja em que dias for, fura dos casos permittidos pe-
las constituiQoes diocesanas. Comtudo, como me
falla as missas de uoute
de Natal, eu o autoriso I esta calumnia, e agora j as folhas inglezas resla-
Pipn,.^ ,q?l ,id.e .B r' da Vara' dar essas beleceram a verdade, que toda em favor de nos
itcencas aos sacerdotes da sua comarca.
Pode V. Rvma. conceder-llie para benzer sinos
aos parochos que a solicitaren!.
Dito ao vigario d'Agua Branca.Accuso recebi-
alto lugar por grave entermidade. Sua Magostado
acaba de receber n'aqnella mesma residencia o
, or. Aranjoiz, enviado extraordinario do imperador
t do Meaico nesta corte. *
N'uma das minhas cartas antecedentes fallei da
nomeacao do Sr. Escandao na qualidade de minis-
tro do Mxico para o Brasil. Esse diplmala adia-
se com efiViio em Londres, e dever partir breve-
mente para o seu posto diplomtico.
Seguem ueste paquete para o Rio de Janeiro o
Srs. conselheiros Salles Torres Horneen e Miguel
ste concluio a missao em que viera a
assignalura
amento entre o
pnnceza do Brasil
-........~. ^isba segu para o
jornaes nglezes haviam publicado que o corsario I "" com a sua Emilia, que se achava residindo
Florida fora capturado naquelle porto pela fragata n ar'f" ,.-.,- *,. *
federal Massachuets; mencionando alguns que o ..i'.Parlamento britanmco foi novamente addiado
*:..._.---- I aie -> do Janeiro, nao havendo fundamento algum
para acreditar-se no boato que aqui espalho a
imprensa da opposicao acerca da di-soluc.o pr-
xima da cmara electiva. Lord Palmerston tem
por emquanto maioria nessa casa, e nao carece
por tanto recorrer aquella extremldade, de que
lancar mo todava se as circunstancias o forca-
rem. A situacao poltica da Inglaterra porm nao
aprsenla para o ministerio graves difficuldades,
de modo que tudo indica que o primeiro ministro
nao lera necessidade de recorrer medida extre-
ma de dissolver urna cmara, qne demais termi-
facto tivra lugar fra do nosso porto, dizendo ou-
tros que isso occorrra debaiio das nossas bateras
e at com connivencia das autoridades locaes I
Esta ultima verso parece haver sido exlrahida do
Index, folha que os confederados publican) nesta
capital e para a qual o capitao Morris havia man-
dado provavelmente aquella maliciosa coramunica-
o I
A chegada do paquete Magdalena Southampton
no dia 5 do correnta veio entretanto desvanecer
sos brios, attestando demais que cumnrimos o de- S!u,fS? CUrS0 legal no Bm da Proxima sess5 '
O conde de Clarendon regressou da sua viagem
mrio npla marinha de ? v'ei"ia, sem que nada conste de positivo acerca
do o seu offlcio de 15 do corrente em que me rea- ^^l|Ti2lfi X!B do fim Para ta o incremento oue tem tomado as niL n.v i g Sofflcial em qX?^!%mS& ? 'u?,le e fc -1" >"' "'"
Rvm- p, i lord Russell, o considera mais grave ainda do que nn^as car,as antecedentes
nho o Rvm. ir. Us.m.ro de M.l.tello. Apraz-me 0 caso do S. Jacintho entre este governo e o fede- menle
ver internacional que nos corra com todo escr-
pulo.
A violacao do nosso territorio
incremento que tem tomado as obras da nova 1 folha Semi-offlcial
matriz,, dirigidas pelo zeloso missionano Lapuchi-'
ver os fructos mesmo temporaes que a palavra de
Deus produz, e o impulso que recebem os templos
com a pregaco desses homens verdaderamente
apostlicos. Queira o supremo pastor abencoar es-
ses trabalhos, e faz-los chegar ao desjado comple-
mento, para bem dos povos, e prosperidade da re-
ligiao.
Attendendo distancia em que se acha essa fre-
guezia, concedo V. Rvm, a licenca quo me pede
para dar as heneaos nupciaes no lempo do Advento
e quaresma : nao concedo porm a faculdade ae
dispensar proclamas, a qual nenhum parodio pode
exercer, excepto nos casos de urgente e absoluta
necessidade.
Dito ao vigario de Anadia.Acabo de receber o
seu offlcio de 14 do correle acompanhando o re-
querimento em que Manoel Vicente Ferreira decla-
ra que, tendo em sua companhia urna tulellada,
prima e cunhada, de idade de oito annos, foi-lhe
esla raptada no dia 12 do corrente para casar com
Manoel Jos de Araujo, para o que se acha deposi-
tada no lugar do Riacho; e ppde quo nao publique
os proclamas nem do andamento a tal casamento.
Bem procedeu V. Rvma. era nao informar a pe-
licao de dispensa que Ihe foi apresentada, nem
aceitar os proclamas que Ihe foram dados : sendo
que, como V. Rvm. sabe, nao pode um parodio
proceder jamis a casamentos de impberes (quan-
do elles tem idade mais subida, mas nunca quando
esto ainda na infancia como a actual raptada) sem
licenca in seriptit dada pelo Ordinario. Espero
pois que V. Rvm. jamis dar andamento a tal ca-
samento, que s pode ter por fim o interesse ou ou-
tras causas menos decorosas.
Dia 25.
Offlcio ao vigario da villa da Independencia.Re-
cebi o seu offlcio datado de 2i do corrente; Lamento
que peloprocedimentoirregular desse homem, V. Rr.
se exaltasse, a poni de perder aquella paciencia
e moderado que deve caracterisar sempre um pa-
rodio : e lamento ainda mais que essa falla de pa-
ciencia o levasse a entrar com um seu parochiano
em urna luta corpo a corpo. Como porm dessa lu-
ta nenhum grvame veio V. Rvma., sendo que o
seu parochiano se limitou a gestos e ameacas, co-
mo V. Rvma. diz, nenhuma providencia tenho a
dar por ora. a nao ser aconselhar a V. Rvma. que
use de moderacao e brandura para com os seus
freguezes, pois do contrario se ha de adiar sem-
pre mal.
Quanto o casamento que deu motivo a essa des-
avenga, espero que V. Rvma. d as necessarias
providencias para que elle se efiectue quanto an-
te?, prevenin lo do melhor modo que puder a res-
peito dessa falta de doutrina, j insiruindo os nu-
bentes, como do rigoroso d^ver dos parochos, j
encarregando alguma pessoa idnea para que os
instrua no que Ibes falta, com tanto que esse casa-
mento se celebre antes do dia de Natal, afim de
evitar os graves males que essa demasiada demora
poder causar s-suas ovelhas.
Convm que logo que esse casamento se elTectue,
V. Rvm. me participe sem demora o dia era que
elle livor lugar.
Dito ao vigario da Serra Talluda.Foi-me pre-
sente o seu offlcio de 20 do prximo passado. no
governo e
ral : porquanto a violencia
no proprio territorio neutro
testada perante o publico inglez a circumstancia
de que a autoridade militar federal abusou da nos-
sa boa f, e o desforco qne tomamos rompendo o
fogo sobre o navio inimigo, dando-lhe caga, e reti-
rando ao mesmo lempo o exequtur ao cnsul fu-
gitivo, nos grangeou nesle paiz urna posico ai-
rosa.
A imprensa ingleza hade provalmente oceupar-
se com espago deste importante successo, e de tudo
informarei os leitores ao passo que isso for occor-
rendo. O capitao Morris, que commandava o Flo-
rida chegou Soulhampton a bordo do paquete
Magdalena, segundo publicaran) alguns jornaes
desta capital.
Qual ser o resoltado, porm, deste desgragado
incidente, em que o Brasil se acha collocado por
amor do cumprimenlo d'um dever sagrado? O fu-
ror com que o governo federal, e especialmente
Mr. Seward, tem insistido era contestar aos neutros
o diretto de tratar os corsarios confederados com o
oes aquella respeito, e de algumas tratei em
a que tem ultina
estado em discussao, se refere instancia
ia oi agora commettida ^Jf o enmelo de Lomires insisti junto do de
ro I Fica, porm, bem at- ) 'enf"a:ppir BS-0,, do conde de C repdon,
, inl*Tv.mtu,i9 em favor da hDerdado do comrnercio. Lord Cla-
rendon lera tido por missao sollicitar do gabinete
do Vienna certas reduegoes as tarifas d"aquelle
imperio em favor da Inglaterra.
As folhas desta capital publicaran) ha dias a no-
ticia da tomada pelos Inglezes e Francezes dos for-
tes japonezes no estreito de Simonosaki. O prin-
cipe de Nagato, que ali govemava, se havia oppos-
to passapem dos alijados n'aquelle ponto, que
alias Ihes fura franquead pelos tratados; havendo
levantado importantes fortificagoes para Impedir a
passagem esquadra alliada, e respondido negati-
vamente ao ultimtum dos almirantes da Franga e
da Inglaterra. Autorisados pelos seus respectivos
governos para obrigarem pela forga aqnelle prin-
cipe que assim faltava f dos tratados, esses
commandantes romperam o fogo no dia 14 de se-
tembro ultimo contra aquello ponto, consegnindo
destruir e tomar aquellas posigSes; com quanto
tivessem de soifrer viva resistencia por parte do
favoV de bdlgerartei,4etaaraeear que o gabine- St& que 2 ba,f.u oom valr' .se*ando T^m
te de Washington, n'um momento de allucinacao, ?* ""f"* a1u' Publicadas, upois da temada dos
nneira susipninr n hoia.),, nffi,.i*i f.wUrii m, rrIt5 de Simonosaki, o Taicoon sollicitara dos ai-
liados a paz que Ihe foi concedida, (cando porm
urna guarnigao franco-ingleza n'aquelle ponto.
Outra noticia digna de mengo a que esta
mesma imprensa publicou acerca do furaco oc-
corrido em Calcuta no dia 5 de outubro ultimo,
segundo a qual mais de cento e cincoenta navios
se perderam n'aquelle ponto com grande prejuiso
dos valores carregados I De Paris annunciam que
houye ao mesmo tempo ali urna horrorosa innun-
dacao, em virtude da qual perderam a vida doze
milpessoas! Esta triste noticia nao se acha toda-
tralado de paz entre a l'russia e Austria e a Dina-
marca. Fi 110 dia 3(1 do prximo passado que esse
acto leve alli lugar, e no dia 5 do corrente reuni-
se em Copenhague o parlamento, afun de ratificar
esse compromisso internacional. A Dinamarca per-
dea, pois os ducados, e demais, teve de pagar as
despezas da guerra : lao duras condigoes provain
a impoltica dos gabinetes de Vieaua o de Bcrlim,
que em seu rancor contra airadle pequeo estado
s huscam anniquila-lo. Havendo agora alcangado
a posse dos ducados, as grandes potencias allemiias
reservan) para mais tarde arrancar ao rei Christia-
no a posse da Jutland, que a Ailemanha cubiga
igualmente. El-rei da Dinamarca encarregou o seu
primeiro ministro da missao de abrir o parlamento,
naoquerendo annunciar em pessoa representa-
gao nacional o grande sacrificio quo Uvera de fazer,
cedendo ao estraugeiro as melhores joias da sua
cora. A evacuacao da Jutland pela l'russia tera
lugar dentro de tres semanas partir da ratiticagao
do tratado de paz asigoado era Vienna.
As correspondencias de Madrid tinham ultima-
mente annunciado que o general Pareja tora no-
meado para substituir o almirante Pinzn, agora
to contiendo por causa do conflicto entre o Per
e a Hespanha ; mas houve nisso engao, porquan-
to o almirante Pinzn continuar no commando da
esquadra do pacifico, sendo que o general Pareja
foi escolhido para substituir o Sr. Mazarredo. Este
diplomata nao seria de certo novamente recebido
pelo governo peruano, e por conseguinte o gabine-
te do Madrid quiz escolber um outro plenipolen- [
ciario para proseguir na discussao da sua questo
com o Per. O general Pareja encarregado pelo
seu governo de apreseolarao governo de Lima, pe-
dindo prompta satisfaego dos insultos de que se!
queixa S. M. catholica, sob pena de declarago de '
guerra, que a Hespanha comegar pelo ataque do
porto de Calho e pelo o da esquadra Peruana. O
gabinete do Lima insiste pelo seu lado pela eva-
cuago das ilhas Chinchas ; de sorte que o con-
flicto em questo parece aggravar-.se cada vez mais,
sem que nada indique um meio de reconciliagao
possivel.
As noticias de Nova-York chegam 2G do mez
prximo passado, e sao em geral desfavoraveis aos
federaes. O premio do ouro ficava por esse moti-
vo naquclla praga a 114 7(8.
O general Grant continuava defrontc de Pclers-
burg e Richmond, sem que houvesse renovado o
assalto depois dos ltimos combates desastrosos
que dera. Sheridan buscava assenhorear-se da
Lynchburg, afim de atacar Richmond pelo lado op-
posto ao de Grand; mas tres vezes tentara sem
resultado favoravel esse golpe, o que dra grande
forga moral ao inimigo : entretanto repellira Lon-
gelrel no valle de Jhenandoah, se bem que nao pas-
sasse do Mount-Jaikson, que lica a mais de 150
kilmetros de Lynchburg.
O general federal Snerman deixra Atlanta com
o gro-so do seu exercilo, sendo posteriormente ata-
cado por Hood, que assim impedio o inimigo de pas-
tar para o norte : este desastre colloca o exercilo
federal n'uma posigo perigo>a, visto como nao
Ihe ser novamente fcil entrar em Allanta, onde
apenas ficou una pequea guarnico. O bombar-
deamento de Charleston pelos federaes continuava;
mas o ataque do porto de Wilmington nao havia
ainda comegado.
DIARIO DE PEPAMRUCO
queira sustentar o acto do offlcial federal, comman-
dante da fragata Massachuels ; e em taes circums-
tancias o Brasil, menoscabado em sua autoridade,
ter talvez de proseguir nocarainho brioso em que
enlrou as aguas da ahla, retirando dos Estados-
Unidos a legagao imperial. A attengao publica
desta grande nago tem os olhos voltados para nos
nesta conjunctura, parecendo confiar que o gover-
no imperial cumpriri at final o seu dever.
As noticias commerciaes do imperio, cora quanto
de grande importancia, mereceram todava desta
vez importancia secundaria, porquanto o publico
voltou toda sua attengao para a narrago do aiten-
tado a que cima me refer.
O cambio do Rio sobre Londres veio cotado a 2G ,.
1/2 d. por mil ris, sem quo aqui se espere melho- i ff ~* ?.*T ->'-Cas le que anda
res condigoes a esse respeito durante mullo lempo. ?a PT-^? '"'f d ^h" Cm PftE;
Nesta praga nao occorreu por emquanto novas i0"' h^J,5U,d,#ta -**ava enfermo dama
fallencias de casas commerciaes brasileras. ; B2? &S&J* C^' a Tvsl,LT-"m "l "a
A directora da estrada de ferro da ahia apre- i ^fJlf ann0s' ltdu,'?e de,lN(? "Ustle ser', -
sentou ltimamente assembla geral dos accio-! i'ra JKSfJKS IS, a auminis,ra5;'- occiipan- dp|oma,ca que com e,)e lem re,ac5o. ^ mini.lro
orio semestral,'do qual resulta | JaSJjS fiEmJBkX!Eg n,no aprescn.ou tambera o pronto de lei sebr(
i,!!,,,,,^" 1 .. >-....- Recebemos pelo vapor 11
?n^f LS Par,,r,,"a-oei a',UI r<,""das. jo>naes da Europa, alcanga.
o que deixa esperar que ella nao seja exacta. \ l ....,,.,.'.. H *
Fallecen ha dias era Clumber Park, no condado *J' de Lolldr's a *' e 0s
/lo viink.n ,1____ j. .....i-.,.,._______1. mu.
inglez Paran, cartas e
ilcangando : os de Hamburgo
de Lisboa 14 do cor-
* Pouco adiantam as noticias s que tivemos hon-
tem pelo Saladm, que damos hoje com mus ex-
I ten^o.
No parlamento italiano foi apresentado o conve-
niodel5de setembro, e toda a correspondencia
para a companhia um quadro pouco animador I A
verba da receita da estrada no semestre ultimo foi I i c .', ,.
de S 74,701:1 s. 7 d., e a da despeza fot de S L iSSSXS^? <,^2SBUP' a^n!!i!.,Z
77,734:5 s. 11 d. ; sendo o balango contra de 5* 12 *"lnc, pub,l,ca a reeenle, conwncao celebra
333-4s 4d da em Paris entre o imperador Napoleao e o re
Naquella primeira verba figura o pagamento do' *J!! ,ml're,nsa '"?lcza ** Para loS a s"4
juro liquido de 7 por cento feilo peloP governo ira- l'K?^. aJJ"eller ^'"Prom-sso reconhecendo
perial, e na segunda todas as despezas da compa- ZJil a^'?enmod cava resalvada em relacao a
nhia. O presidente espera apresentar um melhor' q f a?-de RTa Pr'ncipio da nao intervengan,
balango no presente semestre attendendo asredne. J^ABffi lem Vllad' man,end? a 5W
goes a que procedeu as despezas daquella empre- tSlIuL '' S come>'a a descrer f,1","'"
ia, despedindo parte do pessoa I pela suppressao de ft fVT a.ae Parec!a haver procedido o
algumas estagosinuteis- As acedes desta empreza ai' "e e das Julh,enas> a vista das mterprelacoes
continuara todavia com grande descont, adiando- ?"sH.nqUn ~ V BV~ bTa i?
se a 14 1/2 cada urna; o que devido ao estado fex,- d.^aellli convengao. Na op.n.ao dos jornal.s-
pouco satisfactorio que fica referido.
A empreza do Recife acha-se igualmente em des-
favor neste mercado, sendo que as suas aegoes
esto a descont de Sf 6 S 5 por cada urna.
O publico esperava que o senado do Brasil hou-
vesse approvado a proposta da cmara dos depn
qual me relata que no lugar denominado Bom Suc-! tados, relativa extenso da garanta que a com-
cesso, dessa freguezia se suicidara com um tiro um i panha do Recife tem reclamado,
homem de bons costuraos civis e rdigiosos, e de I o algodo de Pernambuco e do Maranho de 1.*
mais de sessenta annos de idade. Diz mais V.: qualidado fica cotado em Liverpool a 25 d. por li-
Rm. que, attendendo vida regular e conducta i bra, e o de segunda de 22 d. a 24 d. O da Bahia
religiosa que sempre tivera esse infeliz; atienden- j de !. qualidade a 24 d. por libra, e o de segunda
isso a ter elle dado visiveis signaes de a 22 d. Cacao do Brasil de 40 s59 s. per cwt.
Caff de 1.a qualidade de 70 s.77 s. per cwt; 2."
dila de 67 s.71 s.; e ordinario 56 s.66 s. per
arrependimento e de contriegao depois que dispa-
rara o tiro, como cerlificou urna testemunha de
vista, V. Rvma. conceder ser sepultado o cadver
no cemiterio dessa freguezia, e me pede que Ihe
declare se procedeu em regra no caso verlente.
Muito bem se houve V. Rvma e nada tenho que
oppr ao seu procedimento, o qual est de accordo
com o que determinam as constituigoes diocesanas
em os nmeros 857 e 859. Fleo certo de que o
summario foi feito sem assistencia de algum dos
parochos visinhos, em razo de nao poder nenhum
del les comparecer era tempo.
Dito ao vigario da villa do Barreiros.Tenho
presente o seu offlcio de 11 do prximo passado, no
qual me declara que se acha a sua nova matriz
quasi em estado de funecionar, e me pede que au-
terise algum Rvd. sacerdote para a bemzer.
Louvando o zelo e actividade com que V. Rvma.
presidio aos trabalhos da sua matriz e agenciou os
meios necessarios para levar a effeito a conclusao
das obras, eu o autoriso para bemzer esse novo
templo com as ceremonias que prescreve o ritual
de Paulo V, e com a pompa conveniente a taes
actos.
Quanto licenca que conced ao Rvd. vigario de
Penedo para assistir a casamentos noute e admi-
nistrar o Sacramento do baptimo em oratorios pri-
vados, declaro-lhe que nao tive em vista nica-
mente o que me requereu aqnelle parocho, e sim
autorisar a pratica usual nesta dioceze. Eu disse
em data de 21 de julho : < Podem os vigarios des-
t sa provincia casar os seus freguezes em oratorio
t particular ea noute, eu conceder aoulros sacer-
c dotes a respectiva hcenga, segundo a praxe
1 desta fjdiocese: podem tambem administrar
c o Sacramento do baptismo em oratorio particular
c quando os pais da crianga residirem distante da
a matriz ou das igrejas filiaes, como tudo se prati-
c ca neste bisnado. >
Pode pois V. Rvma. usar desta mesma permis-
s3e, a qual extensiva a lodo o bispado, pois que
cwt. Pao Brasil nao tem apparecido venda.
Nzes do Maranho e do Para de 46 s.-48 s. por
barril. Assucar branco de Pernambuco e da Pa-
rahyba de 24 s. 6 d. a 29 s. per cwt; mascavado
de 18 s.-2i s. per cwt. Dito branco da Baha 23
s.28 s.; mascavado de 18 s.22 s. 6 d. Couros
seceos do Rio e do Rio Grande de 7 d. a 9 d. por
libra.
Os consolidados inglezes 3 % 89 5/8. Renda
franceza 3 % 65 frs. Fundos brasileiros 5 % a
99; ditos de 4 1/2 % de 82 1/2 a 83. Fundos do
Egypto de 7 % 95 3/4. Gregos o % 22 1/2. Ita,-
llanos 5 % 65, 64 5/8. Portuguezes 3 % 46 1/2.
Hespanhes 3 /. 48 1/8. Sardos 5 % 84. Perua-
nos 4 1/2 /. 81. Turcos garantidos 4 /. 99. Me-
xicanos 3 % 27 1/4.
Do Brasil chegaram a Inglaterra na ultima quin
tas inglezes o nico lira (bona lide) daquelle tra
tado a consagrago do principio da nao inter-
venga!), que licar alias Iludido a ser admittlda a
distinego do diplomata francez quando figura as
hypotheses em que o imperador Napoleao poderia
ser forgado a voltar sua antiga poltica. A Italia,
e com ella a imprensa ingleza, pugna pelo respei-
to absoluto daquelle principio que a Franga restrin-
ge todavia, logo que a Italia, abusando da iotelli-
gencia clara e litteral da eonvengo, buscar por
em perigo a existencia poltica do'pontilice-rei; e
esta interpretado, dada eonvengo de Paris por
Mr. DrouindeL'Huyis, prova exhuberantemente a
determinago em que esto imperador de resistir
a oceupago de Roma pelo re da Italia, frustrando
assim as vistas do governo italiano e os desejos
que a Inglaterra entretem contra a soberana do
papa. Nestas circunstancias, a imprensa ingleza
comega a combater aquelle tratado, allegando que
por elle sujeito interpretsgo do gabinete francez,
a posigo das cousas na Italia, nao vira a melho-
rar. Na Italia o gabinete Lamarmora busca con-
ciliar a interpretago do gabinete de Pars com os
desejos do povo italiano, mas alli mesmo comega a
levantar-se grande desconlianga contra a sinceri-
dade do imperador Napoleao naquelle compromis-
so : parece, entretanto, que o parlamento votar a
transferencia da capital de Turim para Florenca.
O papa conserva-se mudo nesta questo, na esp'e-
ranga por certo de merecer sempre o apoio da
Franga quanto manutengo da sua autoridade
soberana.
zena os seguintes navios : da Bahia Helenc (29) a As noticias vindas de Turim e ontros pontos da
Liverpool; da Bahia John Mayall (31) a Liverpool; pennsula italiana se referen) insnrreigo que
e de Pernambuco Ihe Janeltc e The Emity (i) acabado ter lugar no reino Vneto, no distrido de
Liverpool. Udine. As folhas italianas, que representan) as
Deste Reino-Unido seguiram para diversos por- ideas do partido d'acgao, asseveram que a revolu-
tos do norte do Imperio os seguintes: de Ciyde gao ganha alli terreno, tendo alcangado vantagens
Archibald M'Millan (21) para a Bahia ; de Liver- contra as tropas austracas ; mas as folhas semi-
pool Saladin (29) para Pernambuco; e de Liver- offlciaes dizem pelo contraro que tudo se reduz a
pool (31) Cornucopia para Pernambuco. pequeos grupos de mancebos, que exaltados pelo
Sua Magestade a rainha acha-se de regresso ao seu patriotismo buscam compromelter a nobre
castello de Windsor, depois de urna longa demora causa da Italia. Nao me parece que essa insur-
na Escossia. Essa augusta senhora teve de re- re:go venha a tomar incremento, e o governo aus-
tardar a sua chegada aquello castello em conse- triaco nao se mostra por certo amedrantado com
quencia do encommodo da princeza Luiza, que essas demonstragSes. O partido d'acgao busca com-
fora attacada da febre escarlatina; sua alteza real tudo arrastrar o governo de Turim para a luta,afim
se acha porm restabelecida, e est em companhia de conseguir por esse modo seu treslocado flm, que
de sua augusta mi. A rainha tenciona permane- consiste em comegar a guerra contra a Austria,
cer durante algum tempo em Windsor, onde j Garibaldi figura frente desse partido, de que
celebrou varios conselhos d'estado, sendo urna das chefe ; mas a opino sensata nao o apoia nesta
sessoes destinada para dar posse de conselheiro emergencia, como nao o apoiou tambera quando
privado a lord Wodehouse, que Sua Magestade em Aspromonte. elle poz em perigo a causa na-
noraeou seu vice-rei na Irlanda, em substituigo \ cional.
a transferencia da capital para Florenca, pedindo
um crdito de trinta milhoes de francos para ope-
rar aquella transferencia. Foi logo volada a ur-
gencia destas medidas nomeando a cmara eom-
raissoes para darem estes projeclos; adiando as
suas sessoes para que aquellas commissoes podes-
sem preparar os seus trabalhos.
A exposico apresentada ao parlamento pelo pre-
sidente do conselho, declara que considera a sane-
gao da eonvengo franco-italiana como urna necjs-
sidade publica, convencido de que os seus benefi-
cios serao infinitamente superiores aos inconve-
nientes.
O general Lamarmora expoz tambem os grandes
sacrificios a fazer com a transferencia da capital,
mas mostrou que com essa mudanga havia grandes
vantagens.
Entre os documentos diplomticos apresentados
pelo governo, encontra-sc urna nota do cavalheiro
Nigra, representante da Italia em Paris, na qual se
ada reunida a historia de todas as conferencias
que precedern) a assignatura da c mvenco. O
cavalheiro Nigra declara que das conferencias se
deduz claramente que a eonvengo significa o que
nella est expresamente escripto, isto que a Ita-
lia se compromette a renunciar ao emprego de
quaesquer meios violentos a respeito de Roma.
O Sr. Mosca, deputado relator da commi^so, en-
carregado de apresentar o seu parecer sobre a
transferencia da capital para Florenga j apresen-
tou o seu relatorio s cmaras, que recomegam nos
seus trabalhos.
As conclusoes sao favoraves ao projecto, e de-
clara que o im principal e eonvengo franco-italia-
na azer cessar a oceupago de Roma pelas tro-
pas francezas, e que emquanto nao satisfaga por
ora aspiragoes da Italia, prepara comtudo o seu
complemento pela forga inevitavel dos factos. Diz
o parecer que a eonvengo de 15 de setembro cons-
ume os Italianos nicos guardas do principio da
nao inlervengo applicado a Roma, e regeita todas
as duvidas que se possam ofierecer quanto a lealda-
de da sua execugo.
O deputado Boggo julgando insufflcienles os do-
cumentos apresentados, pedio que fosso communi-
cada cmara toda a correspondencia diplomtica
desde o primeiro despacho do visconde Venorta; o
presidente do conselho recusou-se a apresentar no-
vos documentos.
Houve urna interpellagao para que o governo se
explicasse sobre a exaclido do despacho do repre-
sentante da Italia em paris, que continha a exposi-
gao das negociagSes entre os dous governos : o r.
Semza declarou que julgava inconveniente por em
duvida um acto solemne da diplomacia tomando
por apoio as afirmativas dos jornaes; e acrescen-
tou que o despacho do plenipotenciario italiano ora
verdadeiro em todos os seus pontos, sendo como
tal reconhecido pelas duas paites contratantes.
O Momtettr alludindo a este incidente declara
que os commentarios que por parle da imprensa
franceza se fazem ao convenio franco-italiano pode-
r o vir a falsear o seu verdadeiro sentido deste
tratado.
o O governo francez, conclue o Monjteur oscla-
reccu este negocio estabolecendo os seguintes
pontos :
i. Entre 03 meios violentos absolutamente pro-
hibidos compreheadem se os manej.x e intriga*
revolufiooaros em todo o territorio paatfM
2.* Emprego dos meio* nicamente inora.;* e
autorisados pelas ideas de civiliar.io e do prc-
gresso.
3.* As nicas aspiragoes legitimas sao a recoaci-
liago da Italia rom a corte de Roma.
4. A transferencia da capital <* luiia para Flo-
renca, um acto serio, nao um expediente pro-
visorio, nem uina estar) no raminho tf> Roma.
5. Nao estando previsto no convenio o rao* de
urna revolugo em Roma, o governo francs reser-
va-se tido a sua llberdade de aeco. O mim-irj
Cavour, declarara releriidas vezes na ~a corta
vida, que Roma nao vina a ser a capital da Italia
sem o roosenlimenlo da Franga.
Em presenga destas e posteriores deelarares os
Italianos ja nao aspiran a olabelecer rapiul em
Roma, hmiam-se a esperar a conciliario easre
Roma c a Italia.
A Franga reservando a sua liberdade de arrie
para o raso de rebentar urna revolugo em Rema,
que se nao acha p evi-to no convenio, esla de ac-
cordo com Vctor Emmanucl, se o governo ilaliaao
secngiraos limites do despacho de-10 de outu-
bro que cstabelcceu as condigoes suppra meacto-
nadas.
Boggio na sesso de 8 pedio a suspenso dos d-
bales sobreea convencao. Lamarmora expel a
idea e recommendou cordura no exame.
A cmara nao aceitou a questo previa. Vteos-
lo assegurou que a eonvengo nao oflereee lase
para transaegao poltica entre a Franga e a Italia,
relativamente a Roma ; e acre-cent >u que a honra
e os interesses da liaba exigem a execugo leal do
tratado. Foi mais appiaudido.
Um telegramma de Turio diz que cinco romons-
soes haviam nomeado commissarios para rooreder
ao governo meios para occorrer aos rompromissos
do ihesouro ; pela antecipagio de imposto.
O ministro da fazenda -ella apre>entou ao par-
lamento um relatorio sobre o estado nnanreiro do
paiz ; e propoe-se a reduzir as despezas e augmen-
ta a receila.
Reduzmdo ja os orcamenlos da guerra e da ma-
rinha promelte o ministro reducro mai- roa>ide-
rveais nos outros ramos do servic publiro; propoe
um augmento de imposto sobre o tabaco e sobre o
cha, a venda dos bens ecclesiaslicos, e a preeepcao
antecipada do imposto territorial ; alm disso pe-
dio aulorisago, para crear certa somma em ttulos
do thesouro.
O rei Vctor Emmanuel celen espontneamente
da sua dotago a quanlia di tres milhoes para as
urgencias do estado.
Fazem-se grandes preparativos em Florenca
achando-se Ja terminados os trabalhos necessarios
para transformar em residencia real o palacio
Peto.
Os edificios para as repartigoes publicas tero os
trabalhos necessarios para o lim para qne sao des-
tinados muito adiantados. O corpo diplomtico pre-
para-se parase tran>ferir para aquellacidade mas ha
grande difflculdade de adiar alojamenios pnis os
proprietarios aproveilam-se da occasio e fazera
propostas fabulosas.
Diz-se que o general Limarmora declara aos
seus amigos que esta resolvido a abandonar a pre-
sidencia do conselho n j dia em que as ranuras
approvarem os projeclos relativos a eonvengo
franco-Italiana. Suppe-se que nesle caso Ihe soc-
cedera Iticasoli.
O estado da capital tranquillo, mas existe nos
nimos urna certa agitaeao, abafada pela expecta-
tiva das resolucoes do parlamento.
A medida re lira redugo dosexerclos pare-
ce operar-se com certos receios. Emquanto o rai-
ni.-tro da guerra emTurin decreta a di--oingiodos
depsitos do exercilo, a iinprensa italiana faz so-
bresalir que a projeclada reduco em nada en-
fraquere as forgas militares, por isso que as pracas
liceiicoadas por motivos de economa, podem de
promto voltar ao servic.
No exercilo austraco tambem se nao faz sentir
muito a reduego. Em Veueza principalmente nao
tem diminuido as forgas.
Os jornaes austracos dizem claramente que o go-
verno espera primeiro que a Italia lenha irazido a*
suas forgas militares ao electivo e-irictamente ne-
cessano a defeza do reino, para enlao proceder aos
dcsarmamentos em mais lonpa esrala.
A Corretpondenci de liorna contem algumas de-
claragoes que toda a impresM lem registrado: diz
que o governo pontificio regeitara como urna inju-
ria fjtio se Ihe faz, o olTerecimento de deixar de pa-
gar urna parte da divida pontificia pela Italia, e
que sua sanlidade se reserva lomar urna resoturo
quanto ao projecto de organisar um exereilo pa-
tilicio, por isso que nessas fikras se podem aii>iar
novos traidores.
A tentativa do insurreigo em FriouJ, em
Veneza, nao tem seguimento, e parece que, segun-
do se affinna, se acha terminada.
O movimenlo fui precipitad 1 e inopportnno uns
quarenta mancebos commandad >s por um homem
que combateu em *. Hartinho, Marsala, lomaran
na madrugada do dia 10 posse do Spelimbergo e
de Maniago. A' 1 hora da tarde retiraram-se de
M miaga, depois de terem pago todas as despezas
feitas. Os insurgentes eslavas armados todos com
espingardas novas; os offlciaes levavam revolver*
e duas bombas de Orcini ; a band-ira que os pre-
sidia era italiana: por tola a parle por onde pas-
savam da varo vivas Italia e a Ganbaldi. Os offl-
ciaes usavam camisa escarate e chapeos caiabre-
zes. As montanhas daquella parte de Veneza esto
actualmente cobertas de nev, e alm disso os Aus-
tracos tem j estabelecido cordoe* de tropas as
menlanlias para onde se refugiaram os insurgen-
tes. Calcula-se em trinta mil homens as tropas que
os Austracos tem actualmente aquarteludas na
provincia Vcneziana.
A tentativa mallogrou-se efectivamente, e o
jornaes austracos oltereccm como urna prova 4e
alfeigo daquellas provincias italianas a Austria,
faci de terom os povo visto com indifferenga a
desorden) promovida por um pequeo bando na-
quelle grande paiz.
Apezar destas ir cial, os jornaes apresentarn algumas considcaees
que pareccm dar mais importancia aquella tenta-
tiva. Asseveram de Paris que o general GaniK*!d
est disposl a tomar o commando das orca- in-
surgentes.
A Opionione Natta*a'e diz que o gabinete italia-
no nao desapprova um principioo movimenso,
mas que nao est disposto a apoiar actos iacoasi-
derados, por isso que s elle se deve juigar juiz
da opportunidade de qualquer tentativa. Entre-
tanto algnns cheles notaveis tem offererido o sea
apoio aos Insurgentes. Em Facoza houve ama,
reanio em que o partido da acgo decidi prestar
lodo o seu auxilio aos insurgentes veneziaoos.
A Italia diz que e movimento emprohendido em,
Vedina, continua ainda, usiamando que nos bos-
ques de Cansiglio se encontrara refugiados alguns
centos de insurgentes.
Notam-se repelidas desergoes entre o exercilo
austraco, mas a /falta receia que esta tentativa
seja um novo motivo para o governo au-triaco re-
novar os seus aoios de rigor, e afinal aconselba a*
partido nacional a que poupe o sea sangae, cjm
s perlence independencia Italiana. _w__
A imprensa austraca sustentando que os plano?
I combinados nao poderam levar-so a elteite peta


Mario ie ieraabneo Terea felra ^9 de Xovcmbro de 1S4.
accao da aoiorid de austraca, nao orcuha qoe o* I Palla-so pois n'uma triplica allinnea tendente a
bandos esto r.-unidos na< montanhas, quesees- forjar a Austria a determinadas concessoes.
leudeui entre Formieo, Fretnunti e Navarino, em- Os polacos entendem que o imperador dos frau-
bora diga que as tropas psrseguem aquelles ban- cezes approveitana o ensejo para concordar com
do*, e que o governo confia em que os rebeldes eLzar nos meios de satisfazer asaspiragdes da
seiam aflnal todos capturados pelos agentes da au- Polonia, combinadas com os interesses dynastieos
toridade. da Russia.
Asseveram alguns jornaes que os Austracos es- fcmvienna o em Berln causou certa impressao
tabeleceram um cordao em toda a fronteira vene- a conferencia dos dous imperadores, julgandose
liana, e que este cordao nao conta menos de.... que lem relago com a att.tude que a Franca pre-
170,000 homens; pela sua parte o general Cialdi- tende tomar na actual conjertura. Os jornaes aus-
ni mandou reforcar os postos militares da frontei- nacos registran) como am faci, a boa inlelligen-
ra italiana 3 cia uuoeils'e entre a Franca e a Austria, mesrao
O Movimento de Turin publica urna carta de no que tem convenci de 15 de setembro. A
Garibaldi, na qual concorrendo com cera libras Italia e, na opiniao d'aquellas folhas o instrumen-
nara a subscriocao que se promove, conclue as- to da poltica combinada dos dous gabinetes, so-
ijiin bre a questao romana.
t Espero que os hngaros, slavos e os habitan- Os jornaes prussianos nada dizem, por ora
tes da Gahtzia que eompoem o exercito austraco acerca da convocagao das cmaras prussianas,
em Yeneza se lembraro que a sua patria e es- mas oceupou se da attitude que o partido liberal
crava do mesmo senhor, e qua delles depende ver o progressista se prupe ornar empresenta do
esse exercilo dissipar-se como o fumo, em presen- conflicto constitucional.
ra do direilos da nacao. como aconteceu em 1800 Segundo alguns jornaes a opposicao propoe-se
com os Bourbons. recusar absolutamente discutir o orgamento, em
O presidente do conselho de ministros aus- quanto o goveruo niio liver foroeeidoos documen-
triaco, Mr. de Kicliberg pedio a sua demisso, sen- tos que julga necessarios para fundamentar o vo-
do substituido pelo conde do Mensdorff. to que a representagao do paiz tem de emillir. A
Tinha-se establecido o antagonismo entre Mr. imprensa liberal prussiana receia que esta absten-
de Richberg, c o sea collega Smerlin, resultando cao do partido opposicionista, o possa dividir,
dessa divergencia a criso ministerial. j tornando-a provelosa aos ministeriaos.
conde de Hichberg era partidario enthusiasta| Attribue-se ao governo o projecto de convocar
da allianca prussiana, emquanto o seu collega Mr. as cmaras para mostrar ao paiz, que apezar das
de Sinerlini combata a poltica prussiana, o sus-| vantagens alcatifadas pela poltica prussiana as
tentatava a necessidade de nm aecordo com a questoes externas e resistencia systematica do
Franca, sendo, alm disso, o defensor do systema partido progressista torna impossivel qualquer
constitucional na Austria. I traosaego rasoavel para a boa ordem dos nego-
A Gazela de Augsburgo fallando na demisso do : cos internos,
conde de Richberg, al tnbue a a inconsistencia e. Foi ofikialmente annunciado emj?. Peters-
versatilidade poltica daquelle estadista ; o aceres- burgo o casamento do herdoiro da cora com a
cenia que no espafo de nm anno, se vio apoltica princesa iiagmar tllha segunda do re Cnristiano
austraca verilicar as mais surprendentes trans-l da ninamarca. Os esponsaes devem-so celebrar
ormacoe; que ao hbil improviso do congressoi em Copenhague, logo que a princeza, tendo con-
dos principes, sucetdeu a renuncia reforma fede- \ cluidq a sua educago religiosa ; tenha adoptado o
ral ; que a hostilidade para cora a Russia, se se-! culto orihodoxo da igreja catholica grega. A prin-
guio o abandono da poltica austraca s ideas da j ceia Dogmar fez 17 aunos no dia 26 de novembro;
rival do norte ; ao aecordo com a Franca e Ingla- o gr-duque Nicolao tem vinte e um annos com-
terra na queslo polaca, se notou a conversa a I nietos.
respeito da Russia e as aspraf oes santa allian-| A amnista dada aos polacos asegundo se diz
5a ; que a ultima alterag) nesta poltica movel,. urna fantasmagora : Diz-se que um propietario
parece consistir n'uma tentativa do approximaeao do palatinado de Augustowa chamado Withow>ki
das fronieiras occidentaes, affasiando-se novamen- tendo pedido e alcaogado a amnista por interven
me lio
das.
Confirmase a noticia da
grandes capitaes e tantos milhares de vi-
tomada de Atlanta.
itie todos os soocorros adquiridos por qualquer
meioque o cnthusiasmo llie lem sugerido.
A idea nobre o generosa de amparar com as for-
Esperava-se em Washington a prxima queda de fas de que cada qual dispde, um poto que quer ser
Richraond em poder dos federaos. O exerclto fe-' livre, porque seconhecehroe,e nossarolgiocom-
deral, avancando lentamente, mantinham-se em
condigoes favoraveis para o attaque. Se o resaltado
nao for dioisivo, o exercito federal conta conservar
te daPrussa.
O conde de
Meosdorff-Poilly nao essencial-
fao do consulado russo de Bresda,' e confiando
as declaragoes do general Berg, voltara para
as anas pdfciges, o ser reorcado durante o invern.
Nos exercitos confederados alistaram-se tresen-
tos mil negros para fazer a campanha da prima-
vera.
O general Grant foi repellido no dia 27 de outu-
bro com urna perda de 1,500 homens morios e fe-
ridos. As perdas do general Bullen anda foram
maores.
Confirma-se a noticia da victoria alcancada pelo
general Sheridao contra as breas deSougstreet o de
Early, a pouca distancia de Sirasburgo, no valle do
Shauaodoah.
A peleja foi muito renhida; de principio es fe-
deraes cederam o campo, mas o general Shendan
chegou atempo de puder reunir de n>vo as suas
divisos conseguindo retomar com vanlagem a of-
fensiva. Os confederados tiveram entao de retirar
deixando alguns prisloneiros e artilharia em poder
dos seus adversarios.
O general Sheridam projecta marchar no cami-
nho da Vinginia central, onde fic.am as importan-
tes posifoes do Gordonsvlle e de Synchburgo, cuja
lomada compromette os meios de abastecimentos e
defeza de fichmon.
A operagao do general Hord em Georgia contra
Sherman nao foram tao vantajosas como espera-
va m os confederados e Hood conseguio cortar al-
gnmas milhas de caminho de ferro, que serviam
da communicacao ao exercito federal, mas nao se
poude sustentar as posifoes que oceupou, pois a
chegada do grosso das tropas de sherman.obrigoa-
0 a recuar, sendo perseguido pelas tropas federaes
na sua retirada para o sul.
Espera-se ancosamente pelo resultado da cam
panha eleiloral ; se for eleito o general Mao-Clel
promettid ; atravessou o atlntico, e foi abrafada
por nos acadmicos do Recife, que medindo-a
achamo-la do nosso tamanho.
Para torna-la urna realidade envidamos todos os
nossos esforfo- e no dia 15 de novembro de '864
demos um espectculo no theatro de Santa Isabel,
em beneficio dos marlyres da Polonia.
Querendo que todos os Brasileiros parlilhem do
prazer do que nos acharaos possuidos cora a cons-
ciencia de havermos praticado urna accao nobre e
generosa, por meio desta carta circular, que, con- Ignacio Jos Guimares.
liados naelevago do espirito* dos nossos jornalis- Manoel Guarino Socorro Xoguera.
tas, esperamos ver transcripta era lodos os jornaes Movimento da casa de detenca
do imperio, convidamos todos os nossos patricios a novembro de IsCi.
Sahiram.
Exislem....... 317
saben :
jNaclonaes.....
Estrangeiros..,
Mulheres......
Estrangeiras...
Escravos......
Escravas......
283
11
4
41
3
347
Alimentados a custa dos cofres provinciaes. 136
Movimenio da enfermarla.
Tiveram baixa
detenfo no dia 27 de
fazermn alguma c;usa em prol da liberdade da Po-
lonia, e dos Polacos martyres da liberdale e da re-
ligiao. Oade quer que habitis cada um de vos,
queridos compatriotas, que lr esta carta, ficai cor-
tos de que alguem ir bater em vossa porta pudindo
soccorro para libertar sua raaiqueestescrava, para
favorecer seus innaos que se acham nos ferros do
tyranno. Este alguem vos apresentar o original
desta carta que se acha assignada por nos ; nao
Ihe pergunteis quem elle a desgrafa tem seus
segredos, efazei-llie o que quererieis que vos fizes-
sem se nosso caro Brasil se achasse om ilcnticas
circumstancias. Nao faltara meios para se praticar
urna boa acfo, e o coragao dos Brasileros mag-
nnimo.
(Seguem-se as assignaturas da coramissao aca-
dmica.)
Na tarde do dia 26 do correle, o Dr. dele- i
irado do priraeiro dislricto do termo desta capital,
em companhia do subdelegado, primeiro supplenle Caetano Marques, contus5cs.
em exercicio, do primeiro distncto da freguezia da Passageiros do vapor inglez Paran, entra-
Boa-Vista, dirigi se ra do Corredor do Bispo o do de Southampton e portos interino los :Joa-
em a casa n. 38, depois de dar busca fjz a appre- quim Riso, Amonio Alves Ferreira da Silva, An-
I hensao de um bah de folha de Flandres que, com ionio uarto Carnoiro Vianna e sua senhora, An-
Existiam..... 347 presos.
Enlrarara..... 10 .
3
Existcm...... 354
A saber :
Nacionaes]..... 289 >
Estrangeiros... 5 >
Mulheres...... 10
Estrangeira .... 2
Escravos...... 45 >
Escravas...... 3
-----
354
Alimentados a custa dos cofres provinciaes. 137
Movimento da enfermara do dia 18 de novem-
bro de 1864.
Teve baixa:
Francisco Alvee Fetosa, pleuris.
lan possivel que os partidarios da paz teotem | diversos objectos, tmia sido entregue a um ganha-
chegar a um aecordo, mas as ultimas vantagens al- dor no lugar da Tamarineira e perleacia a urna
caneadas pelos exercitos federaes augraeotam as' escollar do collegio dirigido pelas Exmas. filhas do
probabilidades da reeleico de Lincoln, o neste' Sr Dr. Mena,
caso continuar a guerra tomando tal vez maiores | Dentro do bah foram encontrados diverso* ob-
onio Jos Leal Reis, Justino Rodrigues do Sonta,
Joaquim Lopes de Almeida, Jos Rodrigues de
Araujo Porto Jnior, Jos Ferreira de Moura, Se-
bastian Antonio dos Sautos, Joaquim Jos Rodri-
gues da Cuuha e sua familia, Antonio Leile de M-
mente aeigoado a poltica franeza. O cande pare- Varsovia, onde lora logo preso, mandado para presidencia do conselho em que ha annos
ce ter mais sympalliias pela Inglaterra, e semprei Suwalki o em seguida metiido em conselho de duque de Lonl, ser oferocida ao gener
proporcoes. O restabelecimento da ordem quasi jectos, os quaes todos foram entregues ao comm impo.'sivel pois em presenfa dos recursos de que eiante Antonio de Souza Rolim o bem assim urna noel Julio da Silva, Joaquim Feliciano Gomes, Hen-
os confederados dispoe nao favoravel a sua sub- pulseira de coral, eiu forma du cobra, com a cabe- -que Jos da Cunta e seu sobrinho, Joo Fran-
missao completa. ga e cania de euro, nm aunel com tres brilhantes cisco Prente Viannae sua senhora, Francisco dos
-: Em Portugal continua a fallar-so em que a ;e nm par de argolas de ouro com diamntese Santos Franco de Si, Jos Joaquim Pereira Men
tem considerado como una urna necessidade po-
ltica para a Austria a reconciliacao com a Russia.
O conde de Mensdorff prente prximo da
familia real da Inglaterra e do re dos Belgas.
E' fllho da duqueza Sophia Luza de *axonia-Cobur-
go- anfeld, irmaa da duqueza de Kenl, mi da
raiuha Victoria. Alistou-se no exercito austraco aos
15 annos de dade, e em 1841 foi elevado ao grao
de lente eld-raarechal. Era 1850 foi encarrega-
do de urna misso diplomtica por occasiao da
guerra do Schleswg-Holstein. representando de-
pois a Austria na corte de S. Petersburgo. Em 862
foi nomeado goveruador civil e militar da Galtzia.
O seu casamento com a condessa Dietriechstein,
Bma das mais ricas herdeiras do imperio, o eola-
cou com as priDcipaes familias aristocroticas da
Austria
Diz a Independen na Belga que o aecordo actual
da Austria com a Franca as questoes que locam
de perto os interesses da Austria, consume urna
garanta de paz, e o natural que o novo chefe do
guerra, sendo condemnado a 10 annos de traba
hos (oreadas as minas d,T,Siberia I
Se verdadeiro este facto apontado em varios
jornaes e que anda nao^foi desmentido, sirva isto
de aviso aos emigrados polacos, que se acham
dispostos a confiar na paternal protcceo das au-
toridades moscovitas
Appareceu em BruxMIas um folheto intitulado
O que se (ara da Polonia ? o qual aprsenla o
gr-duque Constantino como o nico soberano pos-
sivel da Polonia.
O ministro de instruccao publica da Russia que
e partidario dedicado do gra-duque, mandou al-
guns exemplares deste folheto s universidades
rnssas, cujos reitores Ih'os recambiaram. Julga-
tc eminente a demisso do ministro, que perdeu
as boas granas do Czar.
A assembla nacional de Athenas acceitoa a
mensagem, em que o re i Jorge signiflcava aquella
assembla, que o povo hellenico estava caneado do
estado auarcliico, que as faceoes representadas na
esta o ( rubras. donf a, Thompson Pater, Frederick J. Gorbett, W.
general Pas- Acham-se presos para processo, como indicia- Lehmann, Charles Lenp, Gamillo de Andrade, Dr.
sos, actual ministro da guerra. dos em crime de roubo ; visto ter sido arromb ido Antonio A. A. Ribeiro, Auna Moscoso, Antonio
Corra tambem ultima hora que se tratara de o bah, Joo Vicente Pereira do Espirito Santo e Jos E. Braga. Seguem para o sul i99.
Manel do Nascimenlo, tendo sido o primeiro o ; Passageiros do palhabote nacional Scrgtpam
portador que foi a Tamarineira buscar o referido entrado da ilha de Fernando .Sida lo Bellar-
gabinete de Vienna, apezar dos seus antecendeH- qu'ella assembla se esfrravam por perpetrar, e fi-
le, e re I ages de parentesco, procure eslabelecer xando o prazo para se" terminar a revisan da
tro os dous gabinetes um aecordo que possa I constituifao. A mensagem era acompanhada de
prevenir os conflictos e dar s eventualidades do j 36 arligos, que deviam tazer parte da constituifao,
futuro urna direecao menos critica. A este respei-! entre o< quaes ha quatro relativos instiluicao do
to conclue aquel le jornal ter o gabinete Mensdorff-
Panilly toda a sua hberdade de amisade e as suas
relagoes com a Russia e com a Inglaterra, que
igualmente sao iutirorsadas na consolidado da
paz, nao deixarao de Ihe facilitarem esia tarefa.
A nomeaco do conde Mensdorff foi aceita com
todas as proras de sympathia pela opiuio publica
em Vienna.
Esta mudanga ministerial motivo de serias
preoecupafoes na imprensa de Berln, que a altri-
bue a influencia ingleza. exercida por lord Claren-
don. Entendem que o conde de Mensdorff, livre de
comproinissos, puderia conciliar os dous campos
europeos, mas receiam que se turno rival das ideas
advogadas por Mr. de Bismarck.
A rivalidade entre a Ausiria e a Prussa mani-
festa-se era lodas as occasies. A Austria espera-
ra recebar da Prussa coneesspos na questao
aduaneira e nos negocios cornmenias, sem (aliar
das garantas pedidas para o seu territorio nao
alleinas, pois o gabinete prussiano recusando-si-
tentou entregar Austria merc das potencias
occidentaes.
O gabinete austraco comprehendendo a sua s-
tuaf.io, trata de conquistar as svinralliiasalleiiies,
aproximando os seus interesses polticos dos da
confederafao germnica. O primeiro passo dado
p-la Ausiria nota-se na opposifo que faz aos
projectos da Prussa, que pretende constituir
urna reuniao de jurisconsultos alleinas para deci-
dir, sem o concurso da dicta, a queslo da conces-
se dos ducados.
A confederago germnica querendo que Schle-
swg-Holstein entre na grande familia allemaa, nao
permitiera que sejara incorporados ou enfeudados
ao poder prussianno.
Como os ducados desejaro conservar asna auto-
noma e concorrer para a anidado allemaa, a Aus-
tria, apoiaudo estas pretencoes e empregando os
meios para que triumphem reaJquirio o seu as-
cendente moral na Alleinanha, a tu al nudo de novo
as sympathias da confederagao.
Attribue-se a Mr. de liismerk a intengao de pro-
por ao rei Guilhenne a separago da Prussa da
Confederagao, se acaso a Austria adoptar urna po-
ltica que* tire o seu apoio dos pequeos estados,
para fazer frente a Prussia na queslo allemaa.
Asseura-se que o governo austraco apezar das
disposifes pacificas que affucta, eouieca a preoc-
cuparse com o grande numero de oficiaes france-
ses de graduagoes superiores, que uestes ltimos
tempos tem visitado Veneza, julgando que devem
ser considerados mais ou menos suspeitamente.
A Gazeta de Vienna publicou a patenta imperial,
convocando o rechorath austraco para 12 de no-
vembro.
Esta medida, porm nao satisfaz pois a reuniao
de.-ta assembla rt-fere-se, nicamente a urna parto
do imperio, eniquantu que a Hungra e as provin-
cias slavas nao teem representacao nacional.
Assigdou-se no dia 30 de outubro o tratado
de paz entre a Dinamarca, a as duas potencias al-
lemes, ficaudo assim terminado o conflicto que
tanto premien a atteugo publica pelas complica-
coes que poaia produzr.
O ministro do reino em Copenhague declarou
em urna reuniao a que assistiram os deputados
jutlaudezes, que o tratado de paz fixava o prazo
de tres semanas para a evacuago da Jullaadia.
A Dinamarca restiuir os navios capturados,
mas parece que nao abrigada a pagar as iadem-
Hisages, que de principio sereclamaram pelos
prejuzos causados no coramercio allemao em con-
sequencia do bloqueio.
As duas potencias alliadas, segundo parece pro-
curam entrar em urna combinago para poupar
aos ducados o encargo do pagamento das despezas
da guerra. Para esse lira tralam de substituir ao
embolso pecuniario, a cesso do Lanemburgo
Prussia, iadomnis^ndo esta potencia conveniente-
mente a parte que perlence Austria.
A imprensa de Berln moslra-se favoravel a esta
combinagao e acouselha ao governo a nao desat-
lender ao voto dos povos, que favoravel a essa
anuexago. O Schiewy-Holsteia nao se oppoe
tambem a essa cesso da territorio.
Os territorios jutlandeses encravados no Schle-
swy e situados ao sul do limite meridional do
distrlcto de Ribe, que a Dinamarca cedeu as po-
tencias allomas foram trocadas por ama parle do
Schl-'swy sepemtrional. A
Schleswv est tizada do lado
crear um ministerio de instruccao publica, sendo
confiada a respectiva pasta ao Sr. Mandes Leal,
ministro da marinha. Approxunava-se o lempo da
abertura das cortes.
A pendencia com a santa s sobre a confirmagao
do bispo de Maco, chegra ao seu termo, com ura
desenlace, parece que satisfactorio para arabas as
partes.
Em Hespanha progrediam as negociagoes diplo-
mticas sobre a questo do Per. As eleigoes mu-
nicipaes nao tinham sido trauquillas Fallava-se
em fornada de senadores, o que todava era des-
mentido pelas folhas governamantaes.
A' ultima hora diz-nos nosso correspondente
de Lisboa :
Corre nos circuios que passam por mais bem
entrado da ilha de
oanu- mino Jos Travasso, preso Vicente Jos Teixaira o
Depois d'amanhSa se extrahir a 3* parto da sua mulner, o menor Jos Augusto Viaira Cuper-
iO" latera, da matriz da Boa-VUta (118'), sendo o tino, Claudino Jos Correia, Manoel Caetano Nu-
raaior premio 6:000,5,. nes p,,,^ jo Feliciano Machado, Claudino Mo-
Fizeramexame na Escola Normal, e foram reir de Oliveira Cruz, Manoel dos-antos Mack-
approvados plenamente, os Srs. : -Rodrigo Lobo, dooies, Antonio Fernandos de Castro, Manoel Jos
de Miranda, Jos Luis de Pranga Torres, Joaquim de Souza Nunes, Catharina Vicencia o 1 lilho me-
Klias Maciel Albuquerqoe Reg Barros, Aquilino DOr> Anna Maria da Conceigo e 3 filhos menores,
Jos de Gomes Ferreira ; simplesmente, os Srs. Jeronima Antonia, Viceucia Maria do Nascimenlo,
Joao Severino do Reg Barros, Manoel Carlos Vital, janna Mara do Rosario e Felicia Maria.
Baldoino da Cruz Ribeiro, e reprovados3. Passageiros do vapor inglez Paran, sabido
Do Cachang do-nos as seguintes informa- para 0 r,0 de Janeiro e Babia :-Dr. Sebro Tilo
Qesj, Antonio da Cunha, Jos Augusto Cocino, Dr. An-
hm das do margo on abrill deste anno foi rou- tjno Jos da Silva Nogueira, Guilherme Augusto
informados que o Sr. Mendes Leal deixar breve- j bada o engenheiro inglez W. Martineau, entrando Ricardo, Elienne Guillet, Benjamim Bandeira,
os larapios no interior da casa, quando toda a fa- Maynart Francisco, Qulntino d Silva e um cria-
railia dorma, levaudo para mais de um cont de 0 temonl Hunl.
res em joias, roupa e oulros objectos, que foram L Obituario do cbmiterio publico .no da 26 de
vistos poucos das depois, sahir da casa de um dos Novembro de 1864
indigitados autores, o famigerado t mo de gre- Mariat ptruambuco, 13 mezes, Santo An ionio
Iha Semelhante escndalo ficou impune '
conselho de estado.
_A assembla ouvio silenciosa esta eommnnica-
elo, mas a capital acolheu bem a mensagem. A
constituifao foi logo votada com os artigos addicio-
naes proposios pelo governo, e em poucos das de ve
(car terminada a u-i eleiloral de cuja discuss.io se
occtipava a assembla. Findos estes trabalhos ser
dissolvida.
As guerrillias continuam a infestar o paiz e pa-
reeem augiueniar todas os das. As devastagoes
que praiicara, reclaman) enrgicas medidas para
que se possa restablecer a seguranga geral; mas
o governo encontra difflculdades naadopg dessas
medidas.
O despacho diplomtico de lord Russcll que foi
tao mal acolhido pelo publico, como urna ameaga
de intervengo, tinha sido mal interpretado pela
imprensa que o avaliou nicamente por um ex-
tracto.
O Times confessa que as rpinioes do lord Rns-
sell expendidas nesse documento diplomtico esto
perfeitamente de aecordo com a theoria expendida
nos artigos com que esiigmatisou o mesmo des-
pacho.
Naquelle documento o ministro inglez, responde
a um pedido oflicioso do governo grego, que solli-
cita a intervengo do governo inglez para urna
prompta solugo dos debates da assembla nacio-
nal, a resppito da coostiluigao Mlenica, e longo de
fazer urna ameaga do intervengan, declara formal-
mente, que quanto menos as potencias estrangeiras
se oceuparem dos negocios da Grecia mais de-
pressa a ordem e a harmona se estabelecero na-
(jUelle reino.
Lord Russell diz neste documento :
Quanto ao pedido do conde Sponnceh em que
reclama o apoio da influencia ingleza para com a
assembla nacional, queira dize.r-lhe, que com
quanto o gabinete inglez so nao oppnnha a que o
representante de sua magostada exprima aos depu- Sr. duque de Loul
lados com quem possa tratar sobre os negocios pu-1 actual ministro da
tilicos, urna opinio a favor de urna prompta solu-
go da constituirn, nao estara de aecordo com os
principios de governo de sua magostado fazer una
tentativa para influir nasdecisoes da assembla ;
que proceder desie modo seria um mo cxemplo,
e puderia levar as outras potencias a empregarem
a sua influencia com um proposito menos louva-
vcl.
Quantos menos as potencias estrangeiras in-
tervierem nos negocios da Grecia, maiores sao as
probabilidades de se eslabelecer a Iranquillidade
interna e a paz externa n'esse reino, o
Verificoti-se o attaque entre as Ibrcss japo-
nesas do principe Nagat, e as esquadras combi-
nadas da Franca, Inglaterra e Holtanda no estrelo
de Simonosaki. A esquadra alliada compunha-se
de deseseis navios de guerra c o combate durou
tres das.
As trepas francezas commandadas pelo almiran-
te Jauris, apnderaram-se de sessenla pegas de arti-
lharia de calibre 24 e 36. As perdas dos Fran-
cez s foram pouco consideraveis, mas os japonezes
soffrerain muito, principalmente depois de empre-
hendida a fuga.
mente a pasta da marinha para tomar conta do
ministerio da instruccao publica, a cuja organisa-
go se va proceder. As cousas da instruego pu-
blica, nao tem lucrado muito cora a creago d'uma
direcgo geral junto do ministerio do reino e sob a
immediata dependencia do respectivo ministro.
Como de presumir, este ministerio, o do interior,
o que trata da poltica propriamente dita e pou-
co se pode oceupar dos negocios da instruccao pu-
blica, a nao ser dos de meros expedientes, isto por
mais sincera que seja a vontade dos ministros e por
mais inteliigeute zelo que lenham os oficiaes de
secretaria.
t A idea, pois, da creago d'ura ministerio espe-1
cialmente consagrado instruccao publica a exem-
plo d*ouiros paizes, nao nova entre nos. Projec-
to foi este que haver seis annos apresentou em
corles o distincto publicista, hoje par do reino, e | "''curso do mez referido apresentaram-se
eutao deputado, Luiz Augusto Rebellona Silva. ao anoitecer (6 horas da tarde) dous cavallos car-
Venha pois a reforma para dar unidado ao regados de madeira, transformados ao amanhecer
nosso systema da ensino, e seja bem vindo o ener- Uo dia segrate em cavallos de sella, proprios para
No principio de setembro foi brbaramente
assassinado o infeliz Ignacio Jos de Saot'Anna
Reis, sem que at hoje, segundo consta, se dsse
providencia alguma, nao obstante a denuncia for-
mal publicada por este jornal de 6 do rcferiJo
mez I
Em outabro sanio de dentro de certo eortigo
urna preta escrava para casa da seu senhor sob
pretexto de ter sido encontrada no matio fgida,
pneumona.
gico reformador das nossas cousas martimas e co-
loniaes, porque a par d incontestavel talento, re-
no um grande espirito da iniciativa e bons desejos
de Ilustrar o seu nome, vinculaado-o a melho'a-
mentos solidos e verdadeiramenla nacionaes.
Quem o substituir na pasta do ultramar ? O
conde 113 Torres Novas, quando regres cojo governo geral deixou ? O visconde da Praia
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores. Venho por meio de seu jornal
reclamar do digno adminslrador do correio desta
cidade, providencias sobro a agencia do mesmo
correio nesta comarca, visto achar-se o mesmo
quando ha das ja ella all se achava doente, pelo ( t(J nnp05sjbi,uado de continuar a exarcer esse
que nao pode ser condiizida a li ais seguro. IJ ns eslamos sen(lo prejudicad js era nos-
sos jomaos, pois quando nos chegam s maos, j
sao passados dias, o isto por intermedio de um ter-
ceiro ou quarto, como publico e notorio ; e para
prova da que acabo de dizer appellamos para di-
versos assignantes como nos, os quaes so nos tem
queixado.
Esperamos, pois, que o digno administrador pro-
curando esclaracer-.se do que aUirmamos, tome em
considerago o uosso pedido.
Limouiro, 2z de novembro de 1864.
Um prejiiddicado.
os amantes dos passeios da festa.
t Em novembro correte as cousas se (em apu-
rado rnais. Foi brbaramente espancadO e amar-
rado um pobre hoimm por ser iadrao de cavallos.
Entretanto que depois de bem martyrisado foi
posto em liberdade /
Finalmente o procedimento que acaba de ter
lugar na occasiao em que la buscar agua urna es-
Grande, actual raspador do arsenal de marinha, o cn>va, bem musir a que ponto tem chegado a au-, 9S9SS
ex-governador de Maco e encarregado do nego-
cios de Portugal na China ? O conselheiro Sergra,
que actualmente commanda a esquadra porlngurza
qua sabira para o Mediterrneo ? Seja qual dalles
for ; 0 que ninguem duvida qua os negocios af-
fectos aquel le ministerio ja nao podetn retrn-ader
da senda tragada pelo marquez de S da Bandeira
e por Mondes Leal.
Diz-se que o Grand.-. Or.\
Mag.-. Progresis!.', da Portug.-.
M.
commandnte geral da artilharia o Irmao do actual
dacia, a selvagena I Essa preta foi bastante mal-
tratada, na obstante os clamores da offendida,
para se prestar a litis libidinosos, segundo a opi-
nio da uns, o segundo a de outros para ser con-
ducida melhores lares.
Custa a crer que semelhantes fados sejam
praticados n'uma povoagao como a do Cachang,
onde exislem tantas fdinilias honestas, onde exis
PSLKA50ES i PEDIDO.
da Conf^dcrag.-. Ilem autoridades I
va alegar Gr-. Convem acabar com tanto
obrigadairo Francisco de Paula Lobo d'Avila|! imrnoralidade, tanta iramoralidade a quem incum-
be lomar conhecimento des-as cousas, que vorifi-
niiuistro da fazenda. Accrescenta-so tambem que:'lue isso melhor, o d as providencias que en-
a eleigo tara lugar por todo o mez de dezenibro. I lenae,r-
Tmbense diz une a este caralleiro olTere- wnclnlmos por ora a narraeao dos factos
cida a pasta da guerra, dndose o caso de sabir o N Pf a'lUtl,t P>roado se tein dado aguardando
o-
os a
Pedido.
Pede-se ao Exm. Sr. presidente da pro-
" viuda que mande pagar o .-od > da guar-
da nacional aquarteUda vencido em 15 do
escndalo, tanta correte, pois clamor geral e nunca visto
Os guardas nacionaes.
2 estrados para os contissiooarios...
Concert do espelno da sacrista____
3 arrobas de chumbo para os canos.
i coras de flandres para a iraagem
do fronlespicio.................
Por galvanisar a prala e a ferragera
da sacrista.....................
Pintura do convento...........,.
Eocarnace da imagem da frente..
4 duzas de tauoas de louro........
I 0 alqueire-s de cal preta a 600------
Por botar vidros as vidragas em ge-
ral, isto al o anno de 1859....
2.000 lijlos de ladrilho............
t pipas para conter agoa para o ser-
vifu do pedreiros...............
Pintura de casucaes grandes......
8 jarros.........................
Diversas (robadoras...............
Concert de um candieiro e varios
carratos do porto ao convenio.....
Jornaes de pedreiros e serventes____
Joruaes de carapinas...............
300 alqueires de cal preta a 400...
240 ditos de dita dita a 360.........
5 DMlnetros de lijlos..............
II duzas de tabois de assoalho a 8i4
6 laboas do costado ainarello a l.'j.
i ditas ae costadiulio a 115........
159 alqueires de cal branca a"til*).
6 ferros com fiordes para n-po.-teiros
e una varanda para o nicho de-
fronte do hospicio de Haan Se-
nhora das Naves...............
Por abrir e rebocar duas portas na
freuta da igreja, picar a rebocar
toda a cornija e cordao de pedra,
inriiii 1 vi: serventes.............
CoaJuo;"u) de lijlos do Varadouro pa-
ra a igreja....................
82 palmos da cordao de pedra a 320.
30 ditos de bombreiras a 400.......
60 ditos de vergas e cornijas a 400..
1 pedia (tara cisterna.............
14 cachorros de podra a 320........
Outras pedras pequeas............
Canos e os farros do repostairo.....
Corlar tras saccadas..............
Fazer 28 buracos para tufos........
Fazer dous capitais e cortar duas co-
lumnas.......................
Candufoes de areia e barro......
Ferias de pedreiros de selembroa de-
zembro de 1862. excepto a frente
da igreja......................
Ft-itio de 6 caixlbos de peilo a 12-5..
Dito de ti ditos a 7$..............
Ditos du tres ditos a 65...........
Dito da tres ditos grandes a t>>___
Dito de um dito grande............
Dito de um dito grande...........
Dilo de dous ditos a r>............
Concert da coberta aocarapina___
Feilio da duas portas de madeira...
Dito da dous estrados...............
Dito de urna escada que sobe ao cor-
redor das tribunas..............
Concert da sacrista ao ca apia...
Dito de Scaixilhos................
Dita de coberta de corredores......
Feilio da urna tarada...............
Urna (echadura...................
Rs......
5J009
75J0O0
lt>'*l
'n*ioi>
221*11)0
66JO0O
I76J0M>
I0O5O0O
105009
l.VM
2i5
245640
3.15941
2:1315 90
1 021545
1*1500
86540O
1-95(1)1
16*M>
90500
:,:iis)
19%550
MM
7one>
2652 i)
225 'i
2154.-1
ftiO
1500
toX
265i i-n.
454^0
305000
II5^00
420500
7250)1
985IW0
18500
4x500
16500
1250O
itloft
I95 I205OIS)
85UO0
MJn
r>5000
5J
24500
451W
m
'J.02O5474
Anno de IS63.
Fr. Joao Uapltsta do L>ptrit
Guario.
lleve.
Importancia do beneficio da I* parte
da i" loteria concedida etakipfO-
rincial n. 577 de 4 de maio de
1863, a bem das obras da igreja
de Nos-a Senhora das Neves, ex-
trahida am 22 de ag -lo do ina.-ino
anno........................
Importancia do beneficio da 2' parle
do mesina lotera exlrabida em 26
de setembro do mesmo anuo......
1 2305000
1 tmtm
2:4O500O
daadinini-trace a passando o: mais alK,u"'a cousa para occasiao opporuraa ;
guerra, general Passos. para a o^ia releva que aproveitando o ensejo peeamo!
^ih,. autondade coinpeteuie livre aquelle lucar de 1
Assignou-se urna convengao reconhecendo a li-
berdade da passagem do esiroilo de imonosaki.
Tem havido no Canad alguraas conlereucias
entre os delegados de lodos os territorios que cons-
tituem aquella liarte da America ingleza, para as-
sentarem as bases de urna confederafao, de ae-
cordo com o governo inglez, que ensinado pela ex-
periencia parece dsposto a fazer renuncia a Ingla-
terra ao dominio que exercia sobre aquellas colo-
nias ; o primeiro passo para entrar nesta nova po-
ltica, foi o abandono das lhas Jonias. A Inglater-
ra comprehende agora que a emancipafo das co-
lonias d mais interesses materiaes metrpoli,
que urna supremaca que so se pode conservar
eusta de grandes sacrificios, e que d lugar a gra-
ves complicafes.
presidencia do conselho.
To las oslas noticias Ihes dou, porm com re-
serva, porque nestas ferias parlamentares preciso
estar prevenido contra os fabricadores da boalos ;
entretanto, os que menciono tem lomado certo vul-
to, e nao iro muito longe da verdade. (juanto a
sabida do duque, facto que ha lempos se flirma,
anda qua as folhas da situago o desuientein cora
todas as suas forgas.
B3VSSTA DiAKU.
Damos na oitava pagina o principio de urna se-
rie de artigos, com qua o illusirado Sr. Dr. Caro-
lino Francisco de Lima Santos institua urna aprc-
eiacio sobra a alba hyppogastrica a proposito de
urna operagao idntica platicada nesta cidade pelo
competeute livre aquelle lugar da um
abutra por all pairado desde o principio deste raoz,
o qual est as coudiges, digo, tem todos os re-
quisitos legaes para um bom militar, mxime ago-
ra qua o sul precisa de bravos.
O brigue inglez Alma, procedente de Liver-
pool, encoutrou a 23 na lat. S. 3. 36' e long. O 30
20' a barca italiana Lijdin, procedente de Cdiz
com destino a Montevideo, trazendo 39 das de
viagom -, bem como a galera ingleza Jfonfe Sinaij,
procedente de Londres com destino a Port Jaksou
na Nova Zelandia, com passageiros.
A barca hamburgueza Francisca, vinda de Iqui- Importancia do beneficio da 3
que no Per, encoutrou no da 2o na lat S. 9o e
long. O 34 34' a barca ingleza Monk, que de Bue-
nos-Ayres segua para Cork.
A reuniao da Sociedade Philarmonica no
da 3 de dazembro prximo.
O vapor inglez Paran trouxe da Europa 232
passageiros, dos quaes 33 para Pernambuco e 199
para os portos do sul.
O patacho nacional Viamao, entrado hontem
do Rio Grande do Sul, apanhou, na lat. S. 32o36'
Fr. .loao Raptlsta lo Espirito
waat, etu conta corrate cota
o csitveato de %. Fraucisco da
cidade de Ollnda.
Dne
Importancia do beneficio da I1 lote-
ria concedida pela lai provincial n.
370 de lo da maio de 1835, para
obra do mesmo convento extrahido
ern 29 da agosto de 1837, cuja par-
te solfreu o descont de 8 "/" im-
posto Igual......................
Importancia do beneficio da 2* lote-
ria parte da 2" lotera cxtrahida
em dezembro de 837.............
parto
da lotera extrahida em 16 de abril
del839.......................... 1:725|000
Importancia da 4" parle da loteria
extrahida em 21 de dezembro de
1839........................... 1:610,5000
Importancia de travs velhas que se
vendern)........................ 14O5O00
Diversas esmolas recebidas para obra 3775380
Importancia do beneficio da o* parte
da lotera extrahida em 2 de agos-
to do anno de 1862............... 1:1345000
linter.
Diversas ferragens estrangeiras------
Ditas ditas do paiz................
oorameoto de rantleaos .........
Caiaco de lodo convci.io corredores
da igrea a pintura..............
Pintura da quadros...........-----
Um sino, deiluzida a importancia do
bronza do sino veliio............
l'm nicho para o aliar.............
ltaspar a itivernisar lodo o enlalho da
sacrista........................
Vidro e o troballio da o? botar......
Deliramento de aliares a tribunas da
igreja.......................
lis...."
37JJ
9.t59
M0M
20:4111 w
3H5*
:: 165000
V05*MI
mam
14H5.W
1:1
2:M0500
i'raambuco, anno do 1853.
Fr. Joao Bnptitm do Espirito Stml*,
(uardio.
Pasliihas vprmifunas
ClI.VNCMOS
6345594
1:0725000
mesmo seuiior, e daqual demos noticia ao publico I e long. O. de Greenwich 50*22', um mu temnol ..'"T "!'"" "." *^*V.'""-"V:i'
{que levou-lhe a vela grande e o mastaro do bola-!,dem da- 6 PartP da ,oler,a extrahida
de Christinof^ld, a leste segu ao sal de Stemdemp
de modo qoe fies pertencendo Dinamarca a cos-
ta oriental, que a Allemanha possma, e qae era
nma ameaga permanente a ilha dlnamarqueza de
Fionia.
O imperador Napoleo aeha-e actualmente
em Pars tendo regressado do Niza, onde se en-
contrn eom o imperador da Russia. O encontr
denles doos soberanos e a larga conferencia que
entre elles hoave, considerada como om acontec
ment poltico cujas eonsequencias mais tarde
so hao de realisar.
A nova confederagao anglo-amertcana que pro!
mette formar um imiierio poderoso, ser um emba
rago a preponderancia dos Estados-Unidos, que j
pesa no continente septentrional.
A nova confederagao deve-se compor do alto e
baixo Canad, que formaro dous estados; das tres
ilhas, do principe Eduardo, Terra Nova, e Nova
Escocia, que formaro um terceiro estado; o quar-
nova fronteira do'to estado ser constituido do Nordeste, da Colum-
do norte na cidade: bia brannica e da ilha de Vanconver. A confede-
ragao ser governada por daas cmaras legislati-
vas e por um poder executivo qoe represente a co-
roa Dritannica, mas que dimane dos sufragios li-
vres.
A autondade federal ter as suas attribuigoes
as prerogalivas da soberana, legislagao civil e en-
era tempo
E' um irabalho consciencioso, em que se reve-
lara conliecimautos medicocirutgicos profundos,
quer no terreno da theoria, quer u'aquelle da pra-
tica, em que o referido doutor lo bella copia tem
dado de si.
E pois, para a Iaitura desse esenpto chamamos
a atteneae do publico, que nelle adiara dados ac-
cessiveis a minha apreciago propria e iudepeu-
dente de conliacimeutos protlssionaas.
No s.ibbado prximo, 3 de dezembro vndou-
ro, d a sociedade recreativa Corybantina a sua
partida mansal.
lloutem comparcendo 55 Srs. juizos de facto,
foi abarla a presente sesso do jury, que a sexta
e ultima desta anno, sob a piesidaucia do Sr. Dr.
juiz da direilo da segunda vara, Manual Jos da
Silva Neiva.
_ Depois deste dispensar aos Srs. Joo de S Lei-
lo, Joaquim Jo.- de Miranda, Dr. Julio Augusto
da Guana Guimares, Joaquim Jo- de Fana Ne-
ves, Hermino Ferreira da Silva, Joo Ferris Vil-
lela e Manoel Cordeiro Simoas, bem como aos S-s.
Jos Pedro da Silva, Joo Paulo Ferreira, Dr. Cos-
me de Pereira e Dr. Caetano Xavier Pereira
de Bnto, que por motivos ponderosos deixaram de
comparecer, sendo os deroais que faltaran) multa-
dos em 205, abrio-se a srsso com 48 jurados pre-
sentes ; e anto comparaceu o Sr. Dr. juiz muiiici-
p*i da segunda vara, Francisco de Araujo Barros,
e fez apresentago de onze proeessos dovidamante
preparados para sarem julgados; dos quaes foi do-
signado o em que reo Joo Olegario de Souza pa-
cho, eobrigou a langar-se ao mar cerca de 1,206
arrobas de carne.
Em sua viagem do Rio Grande do Sul para esle
porto, iodo ferrar a vela qrande por occasiao de
aguaceiro com ventorijode sudueste, foi do tom-
badilho ao mar Manoel dos Passos, contra-mestre
do brigue-escuna Joven Artliur.
Dau-se este desastre na lat. S. 27, e 5' e long.
O 40 36'; e apezar de terera do navio atirado a
boias e pedagos de taboas, nio oi possivel salvar- *$2 a'v,ena1ria taSdJ a J0* 2^
se o conira-mestre, que nao foi vi-to mais. i-500 dlt0SJde d" d,tu a 3e*- / io.3000
em 20 do mesmo mez e anno
dem da ultima parle extrahida em
3 de setembro do dito anno.......
Rs .
Bswr.
103 alqueires de cal preta a 360.....
120 ditos de dita a 440..............
1:1343000
6965600
9:0203474
373680
55S00
Falleceu hontem o Sr. Blandin, subdito fran-
ecz, quetiuha um bolequnn ha bastantes annos na
ra do Trapiche.
ERRATA.
No relatorio da companha de Beberibe publica-
do no Diario de hontem (28 do correntc) se notam
os seguintes erros : pag. l col 3" na 3* linha em
logar de736 aegoeslea-se 10736 a:goos.
Na linha 23 da mesma columna em lugar de ar-
remago leia-se arremalago. Na mesma colum-
na, linha 44 em lugar de-renda annual-lease
ronda semestral.
IlBPAHTlQAO DA POLICA :
mina!, a navegago, os correios, e caminhos de fer-, ra entrar hoje em juigamento.
ro, os impostos e alfaodegas e orgamento das re-
ceitas e das despezas nacionaes. Cada om dos ou-
lros estados era a sua legislagao particular e a
sua autonoma interna.
Discute-se na assembla dos delegados o modo
A visita do imperador dos franceses com o czar, de evitar ma a confaso entre o governo geral e
a partida deste para Berln, a presenga de Mr. de os governos locaes, coafuso que um dos vicios
Bismark em Paris, onde foi reeebido em audien- da constitoigo dos Estados-Unidos, que de conflic-
cla pelo imperador NapoUao, ludo Jas espalhar to em confcto, levaran) aquella repblica aos hor-
boatos de combinacSo secretas. rores da guerra civil, que ha quatro annos conso-
Pedein-nos a publicagao da egutnle carta
circular aos Braslleiros.
t A Polonia gemoodo sobre a oppressao desptica
e barbara da Russia, e nos paroiismos da morte
batendo-se com herosmo para repellir os sicarios
qae Ihe roubaram a liberdade, e querera agora
dar-lhe o funesto jiresente do seisena, tem sido
ura incentivo para toda a Europa, que jamis pre-
sencioa um espectculo igual, estender-lhe os bra-
cos, e em nome da liberdade e da religiao, enviar-
da 27 de novembro de
de detengo no dia 26
da capital, Manoel
Extracto das partes do
1864.
Foram recolhidos casa
do correle:
A' ordera do Dr. deegado
Jos Martins, para correccao.
A' ordem do subdelegado da Boa-Vista, Floren-
cio Jos Baptista, e Manoel Jos Pereira, ambos
por offensas physicas graves.
A' ordem do da ('.apanga, Mariana Francisca da
Conceigao, sem declaragao do motivo, e Vctor de
Oliveira Braga, disposigo do Sr. lenente-corone!
recrutador.
O chefe da 2' seego,
J. G. de ilesguita.
Movimento da casa de detengo do dia 26 de
oovembro de 1864.
Existan)....... 347 presos.
Entraran)...... 5 >
2 taboas de ainarello co-tadinho a
123000...........................
6 ditas de assoalho a 63............
218 alqueires de cal preta a 400 ...
2,000 ljalos a 305.................
4,000 ditos a 303.................
105 al pieires de cal preta a 580.....
1,500 lijlos a 303.................
i taboa da (orro....................
6ditas de louro a 55................
300 lijlos a 303-... .............
300 ditos pequeos a 105...........
83 alqueires de cal branca a 205
100 lijlos peruanos................
1,700 lalhas sando a 63............
7 cargas de ripas a 55.............
9 ditas de a 63-
2 duzias Je tabo.s de louro escolla-
das a 435.......................
395caibros a 260.................
300 pregas caixaes a 560..........
21 travs de qualidade a 163;>00-----
4 duzias de taboas da forro a 53300.
Oobradigas a ferroltios............
Diversos pregos..................
Condugoe*de madeira e ferragem do
Recife para o convento...........
1 balde para servifo de pedruiro....
2 vidros de fspelhos..............
13 covados de alcatifa.............
Pintura da 14 castigaos............
Concert do cano de zinco.........
Concert do relogio da torre........
2in00
I83'80
873200
605" KXJ
1205000
603900
453000
33000
30500.)
905000
363000
13 3420
123000
1025000
353000
343000
903000
10*3000
136S0
3465500
223000
ll.Vl'M
395020
915850
25160
225000
105000
283000
155000
133000
e krm
A ATTK.N0.V0 DS TUDAS A~ M.b |-ara O
remedio mais agradawl e til que (azor oxpellir as lombtigas : \s r-AsrajWM
FUGAS DE KnifP. Era vez do lodos rsses iminun-
dos o perigosos remedios vermfugos compostos de
toda a ca>ia do mineraps apre-entambs um deli-
cioso conflicto Vegetal prompto a infallivel na >oa
operagao, nao causando nauseas nem incouMMdos
da qualidade almma, produzindo sempre o sen ef-
fallo ti.' urna raaneira suave e completa, naocare-
cendo depois a asil"ncii de qnalqoer om oairo
purgante : ulil como um excellente meio de fazer
rom ovar as ob>Irucco.-s do venlre, me>mo no cao
da nao existima vermes alguns e Baila a uir-
nanise alias dignas por todos os respailo* da rou-
lianca e approvago do tidos os paes de familias,
os quaes acharo estas ,wstilhas elegantemen;e
acondicionadas dentro de frasquinnos de cry.-tal e
a venda as boticas de Caors & Barbosa de Joo
da C. Bravo A C.
Q^MEICI0.
Rcndimenio do dia I a 26........ G33:Oi7jj>tu
dem do dia 28................ 12.6X1570
Mov meato da alfaad^a
Volamos entrados com fazendas..
com gneros...
Volumes sabidos com
com
fazendas...
gneros...
314
497
------Slf
m
20
Doscarregam no dia 29 denoveaibro
Brigno inglezil'be of Ihe Exediversos gneros.
Brigue inglezSegelrm -r irvo.
Brigua porluguez-t'oiicrtco ie Mara farinha
da trigo.
Escuna hamburguezaGuleulgneros de estiva.
Calora franeza -Adele -mercad >ria*.
Hiale nacional&m/'i Cruzdiversos gneros.
Barca franeza Hund dem.
Brigue nacional Alfredo carne de charque.
Vapor inglez -Sulhlmfazendas.
Recebedorla de resida lutrias
ge raes de Peraaaafcneo.
Rendimanto do da 2 a 28....... SIMVJaW
dem do da 28................ J;J
24:0745M1
Conaalado proTlaeial.
Rendimentodo dial a 26......... fTTflJMi
dem do dia 28................ *I51H\9
llaniburgo, U de vrssfert it 18(1
RELATORIO COMMiaCJAL.
O negocio contina tranquillo em feral, anas
do as vendas para o coosumo satisfactoria*, o as
depsitos moderador, os pregos parteo
darse.
Cafi.Em ronsequenria de procos
modo', o mercado mosimu-se mais as
extra.go para o consumo foi boa, e as :
melhores da Molan la. assim como o uli__
cbo do Rio influiram favoravelmeate sobra 1

-
\


/
Diarlo de Peraltaba* Terea elra 8 de .Vdwrnihro de i4.
eado, e os preeos anda que nao subissem, torna-
ram-se uiais firmes.
As vendas na quinzeaa foram de ii.OUO saccas
de caf do Rio e de Santos.
Colamos o caf regular ordinario do Rio a 6 .'!|8
c 6 7|8 sch. e o de S. omiugoi a C 3i8 e 6 3|4
ecn. (
lmportacao do 1* de Janeiro at 31 de
outubro.
1862-80,000,000 libras.
186271,300,000
186375,700,00
1864-56,600,000
Em ser em fins de ontubro :
1861-14,<'00,000
1862-10,000,000
1863-15,000,000
1864- 7,000,000
Auuear.Mais animado desde fins de outubro.
Venderam-se de assucar brasileiro 140 caixas mas-
cavado de Maranho e 600 da Rahia.
Assucar branco |a 19 '|2 e22 l|2 marco banco ;
masi avado 15 3|4 e 18 1|2.
lmportacao do assucar do de Janeiro ao ultimo
de. outubro.
186156,000.(100 libras.
186252.000,000
186362,250.000
1864-46,000,000
Em ser em fin de outubro :
186114,500.000
1862 8,000,000
1863 8.500,000
1864 9,500,000
Algodao.ltimamente mais procurado, mas os
importadores conservam-se na reserva. Nao te-
mos d natar vendan em algodlo brasileiro.
Couros.Os couro< conlinuam procurados; os
supprimeutos que recebemos enconlram prouipta
venda.
Ultimas vendas : 1,000 conro? do Rio Grande
do Sul, 2.300 do Maranho, Para c Maraniio. Em
ser 10,500 do Brasil.
Tabaco.Extracco regular. De tabaco brasi-
leiro venderam-se 669 balas, e em leilao 178 balas
a 3 e 8 1|2 scbllinits. Em ser 5,000 balas.
Carao.Sem raudanca nos preces ; o do Para
mais frouxo.
JacaraniU. Sem novas entradas, vendas regu-
lares para o consumo. Em ser um milho de li-
bras.
Natos partidos para o Brasil.
Para o Rio Grande do Sul Waalwyk e Lo-
reta.
Para o Rio de Janeiro Ornara, Ann e Ltzzy,
Boemor, Marte, Scliwan.
Para Pernambuco Jacobus.
Para a Baha Gezma.
Para Santos Sclion.
Para o Para e Maranho Mara.
Natos chegados do Brasil.
Melodt/ do Rio do Janeiro.
Rickstina e Hesolution da Rahia.
Alcijone. do Rio Grande do Sul.
Navios frotados para o Brasil.
Para o Rio de Janeiro Eslher e Sophie.
Pira a Bibia Merck e Hesolution.
Para o Rio Grande do Sul Delphim e Speculant.
Para Pernambuco Freihei e Man.
UAMBIOS.
Sobre Londres3 meses de dala, 13 marco3 e 2
schillings banco.
Prazo curt >, 13 marcos e 5 3|4 por .
Sobre Paris3 mezes de data, 192 1|2 Trancos
por 100 marcos banco.
Prazo curto, 189 1(2 francos por 100 marcos
banco.
Sobre Lisboa 46 schillings banco por 13-
Descont 4 1|2 a 5 l| por cento.
MOilMSre BO poeto."
Natos entrados no da 28.
Southampton e portos intermedios -18 dias, vapor
inglez Paran, de 720 toneladas, enmmandante
Bevis, equipagein 132, carga differentes ge-
ueros.
Ilha de Fernando 3 1/2 dias, palhalmte nacional
Sergipano, de 54 toneladas, capitao Henri.jae
Jos Vioira da Silva, equipagem 7, carga lastro
e alguma carga, ao mismo capno.
Rio Grande do Sul 40 da-, patacho nacional
Viamo, de 242 toneladas, capitao Jo= Coelho
de Castro, equipagem 0, carga < 5.600 arrobas
de carne, a Manoel Ignacio lo Oltotfn A Filho.
New*York32 dias, lagar dinamarqnez Pora, de
283 toneladas, apitao Hansen, equipagein 8,
carga 1381 barricas com fatinhade trigo e mais
gneros; a Un y Fuster & C.
Liverpool42 dias, barca inglcza Miranda, do 314
toneladas, capitao J. Gongdon, equipagem 14,
carga dilercules gneros; a T. A. de Araujo
&C.
Navios saludos no mrsmo da.
Rio de Janeiro e Rahia Vapor inglez Paran,
commandante Bevis.
Havre Barca francesa S.iho Andre, capitao Co-
endet, carga couros e aigodo.
Para Brigue escuna nacional Graciosa, capitao
Jaointho Nunes da Costa, carga assucar e ou-
tros gneros.
Lisboa Patacho portuguez Marta da Gloria, ca-
pitao Antonio de Barros Valente, carga algodao,
assucar o outros gneros.
Cear -Escuna namburgueza Superb, capitao J. C.
.-cliuldt, carga parte da que trouxe de Ilam-
burgo.
Observacao.
Suspendeu do lamard para Cork a barca ingie-
za Premier, capitao C other, com a mosina carga
que trouxe de Iquique.
tiver a bem de son direito e justiga sobre o con-
leu lo da pelicao e despacho supra, sob pena de
proseguir a causa os devidos termos a sua re-
velia.
Portanto toda e qualquer pessoa, prente, amigo
ou conhecido Jo sobreduo ausente Servulo Pereira
da -ilva poder-lhe-ha fazer sciente de todo o ex-
pendido.
E para que a noticia ebegue ao conhecimento
de todos, mandei passar edilaes, quo serlo afil-
iados nos lugares do costume e publicados pela
imprensa.
Dado e passado nesta cidade de Red fe, capital
da provincia de Pernambuco aos 28 dias do mez
de noveinbro do anno do Nascimnnio do Nosso Se-
nhor Jesns Christo de 1864.
E eu Manoel de Camino Paes de Andrade, es-
envo, o subsertvi.
Tristo do Alencar Araripe.
BECLAMCQES.
COMPANHIA
EMTAES.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito espeeial
do commercio desla cidade do Recife e seu ter-
mo, capital da provincia de Pernambuco, por
S. M. Imperial e constitucional o Sr. Pedro II,
que Dos guarde, etc.
fago saber pelo presente que Rabe Schmetau &
C, por seu a Ivoado, me enJere^aram a petiyo
da theor srguiote :
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.Dizem Raba
Schmettau & C, que qnerein fazer citar a Servulo
Pereira da Silva, para que dentro de dez dias que
Ihe sero assignados em audiencia, pague aos sup-
phcantes a quautia do 1:2603006 rs. e seus juros,
importancia de tres letras mercantis vencidas e
garantidas por hypotheca e que o supplicado nao
tem pago, ou allegue o que tiver, que o releve,
pena de sereondemnalo directamente no princi-
pal, jurse cusas, caso nao confesse ; e porque o
supplicado esleja ausente e sua familia desta cida-
de, e nao se salba o lugar certo do seu domicilio,
querem os supplicantes justificar a sua ausencia,
pira que julgaJa por sentenca seja o supplicado
citado por eiitos passando-se a competente carta
com o prazo legal.
Pedem V.S. defenmento-E R. M.-Marlins
Ribeiro.
E mais se nao continha e nem alguma outra
couSa se declarava em dita peticao que aqui
esta verbo ad verbum transcripta e copiada, na
qual dei o seguale despacho :
Justiliquem amanh- s onze horas do dia.
Recife, 18 de novembro de 1864. -Alencar Ara-
ripe.
Com tempo.Tenha lugar a Justiflcagao no dia
vinie e um do corrento mez.Alencar Araripe.
B nada mais se continha em tal despacho que
est mu bem e delinete transcripto e copiado ;
em virtude do qual sendo a peligao apresentada ao
juizo especial do commercio Slanoel de Carvalho
Paes de Andrade.
Chegando os supplicanles justificantes Rabe
Schmettau k. C. no dia determinado apresentando
suas testemunhas, estas depozeram conveniente-
mente sobre a ausencia do justificado Servulo Pe-
reira da Silva, e senda em seguida devidamente
sellados e preparados os ante*, foramme conclusos
nos mesmos dei o profer a sentenca do theor
eguiute :
Proceda a jnstiflcaco ; e arsl.m mando que o
unplicado seia cilado na forma requerida. __
Recife, 26 de novembro de 1864.-Tristo de
Alencar Araripe.
E mais nada se continha em tal sentenca que
aqnl Oca ipsis verbis copiada e transcripta. E por
orca da mesma sentenca o esenvo respertivo fez
passar o presente edital com o prazo de trinta
das, pelo qual e seu theor chamo, cito e hei por
citado ao mencionado justificado ausente Servulo
Pereira da Silva, para que dentro do indicado
prazo comparega nesto juizo, am de allegar o que
DO
O caixa desta companhia commendador
Thomaz de Aquino Fonseca acha-se autori- [
sado a pagar no seu escriptorio ra do
Vigario n. 19, das 10 horas as 3 da tarde
do dia 1 de deiembro prximo em diante |
0 33 dividendo desta companhia na pro-
porfo de 3J por cada aoc3n, previne-se
aos Srs. accionistas que este pagamento de-
ve ser em moeda de cobre que na espe-
cie que o mesmo Sr. caixa tem recebido dos
arrematantes dos chafarizes desta com-
panhia.
Roga ao mesmo tempo os Srs. accionis-
tas que deixaram do receber os dividendos!
atrazados, se dignem de comparecer no lu-;
gar indicado para recebe-los c saldar a'
caixa.
Escriptorio da Companhia do Bcberibe 18
de novembro de 18G4.
O secretario,
Jos Eustaquio Fer reir Jacobina.;
Companhia dese?,ur>s martimos i'il-
iade puliC
A direccao dando enmprimento ao art. 41 dos
estatutos convoca os Srs. accionistas a se reuni-1
rem em assembla geral no dia 30 do corrente ao
mein da, no escriptorio desta companhia. Recife,
26 de novembro de 1864.
Os directores
Feliciano Jos Gomes.
Domingos Rodrigues de A.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz pnbli-
co que os 30 dias esli marcados para a cobranga i
! a bocea do cofre do Io semestre do anno financei-
1 ro di 1864 a 1865 dos impostos da decima dos pre-
dios urbanos das freguezias desla cidade e dos
! Afogados, e de 5 '/ sobre a venda dos bens de
raiz pertencentes a corporagao de mi morta, se j
principian! a contar do 1 de dezembro vmdouro,
1 fleando snjeitos a mulla de 6 7 todos os contri-
; buintes que pagarem depois de lindos os ditos 30
dias.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco,
126 do novembro de 1864.
Antonio Carneiro Machado Rios,
Administrador.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a>rremalagao da obra do atterro da ra do
Lima najcldade Nova de Sanio Amaro, foi trans-
, ferida para o dia Io de dezembro prximo vin-
' douro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 24 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. da Annunciago.
O conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra, precisa comprar o seguinle
Para a aula de geraeotria dos menores.
3 estajos pni|u*nos mulhomaticos.
3 caivetes linos.
2 duzias de lapis finos.
4 duzias de creoes para lousa.
Para provimento dos armazens.
30 calzas de pennas caligraphicas.
50 nidos de sola garroteada.
As pessoas que quizerem vender taes artigos,
apresenlem suas propostas em caria fechada na
secretaria do conselho s 10 horas da manhaa do
dia 30 do corrente.
Sala do conselho 'administrativo para fnrneci-
mento do arsenal de guerra, 23 de novembro de
1864.
Antonio Pedro'de S Brrelo,
Coronel presidenle.
Sebastian Jos Rasilio Pyrrho,
Secretario.
Conselho de compras ornes
Contrata o conselh > sob as condigoes do estylo,
no da 5 de dezembro prximamente vmdouro, e
vista de propostas em cartas fechadas recebidas
i al as 11 horas da manhaa, bem como por tempo
de tres mezes lindos em margo de 1855, a lava-
gem de roupa dos cstabelecimentos de marinha, e
i o forneeimento a estes e aos navios da armada de
agurdente branca de 20 graos, assucar branco
grosso, azeite doce de Lisboa, arroz do Maranho,
araruta, aletria, assocar branco refinado, azeito
inferior, bacalho, bolacha, bolachiuha americana,
cal branca e preta, carne secca do Rio Grande do
| Sul, caf em grao, carnauba em velas, carne ver-
de, dita salgada, cangica ou milho pilado, cevadi-
nha, cha, farinha de man lioca da trra, feijo, ga-
linhas, lenha, manteiga ingleza, dita franceza, mal-
te, pao, sal, sabo, lijlo de alvenana grossa, tou-
cinho de Lisboa, tapioca, vinagre de Lisboa, velas
stearinas e vinho de Lisboa.
Sala do conselho de compras navaes de Per-
; nambuco 28 de novembro de 1864.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Inspec^o do arsenal de ma-
rinha.
Faz-se publico que a commissao de peritos exa-
midando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854, o casco, machina, caldeira, apparelho, mas-
treago, amarras e ancoras do vapor Persinunqa
da companhia pernambucana de navegago eos te i-
ra, achou todos estes objectos era regular estado.
Inspecgao do arsenal de marinha de Pernambu-
co 26 de novembro de 1864.
O inspector,
//. A. Bui-besa de Almetda.
Pela subdelegada do Peres foi apprenendido
e recolhido a deposito um cavallo rugo pedrez, cas-
trado : qoem for seu dono comparega, que pro-
rando Ihe ser entregue.
Subdelegacia do Peres 27 de novembro de 1864.
O subdelegado
Alexanbrino Martins Corre.a Barros.
Conselho administrativo.
O'conselho administrativo para foroecimento
do arsenal de guerra precisa comprar os objecos
seguintes :
Para o arsenal de guerra.
10 lenges de lato de 16 libras cada nm.
20 cadinhos de n. 10.
20 ditos de n. 12.
200 meios de sola.
Quem qnizer vender taes artigos aprsente suas
propostas em carta fechada na secretaria do conse-
lho administrativo, s 10 horas da manhaa do da
; 3 de dezembro vindouro.
Sala das sessoesdo conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 25 de novem-
bro de 184.
Antonio Pedro de S Barrito,
coronel-presidente.
Sebasliao Antonio do Reg Barros,
vogal secretario interino.
Quarto-feira 30 do corrente, linda a audien-
cia do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da 2* vara, tem
de ser arrematado um pequeo sitio no lugar do
Barro, freguaia dos Afogados, com duas peque-
as casas de talpa, arvoredos de frncto, tendo a
casa porta e janella. com a frente para o sul, nm
quarto. cozinha tora, tudo avahado em 4005, pe-
nhorado a Manoel Gongajves Teile-s e sua mulher,
por execucaa de Maria Francisca OJympia Bap-
I tista.
Em cumplimento do art. 20 do regiment
interno da junta dos corretores desta praga se ha
de proceder a eleigao da junta para o anno prxi-
mo futuro, no dia 20 do correute mez. Praga do
Recife 25 de novembro de 1864. O secretario da
junta, Frederico Guimaraes.
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade sao convidados, de ordem da mesma cama-1
ra, os proprielarios das terrenos onde se acha pro-
jeclado o passeio publico entre o edificio do gym-
nasio e a ponte denominada do Starr, aflm de que
apresenlem na mesma secretaria suas propostas,
indicando os palmos que cada um de seus terrenos
tem de frente e de fundo, e bem assim o prego
que por elles exigem.
Secretaria da cmara municipal do Recife 2o de
novembro de 1864.O secretario,
Francisco Cauuto da Boaviagem.
Subdelegacia do 2 dislricto do lormo de A-
gua Preta 18 de novembro de 1864.
Por esta subdelegacia se acha depositado um ca-
vallo rugo, suspeito de ser furtado, que nesle po-
voado dos Montes foi vendido por Francisco Cana-
rio, preso por ladrad de cavallos em data de 14 do
coi rente, no termo de Santo Anlo ; cujo cavallo
tem os signaes seguintes : rugo sujo, com a cabe-
ca pedrez, castrado, andador.
Arremataco.
No dia 29 do corrente, finda a audiencia do Illm.
Sr. Dr. juiz municipal da 1* vara tem de ser arre-
matado um mulatinho por nomo Joaquim com ida-
de de 16 annos, avahado por 8005, penhorado a
Benedicto Marques da Silva, por execugao quo Ihe <
move Domingos Jos da Silva a ultima praga
No dia 29 do correle mez, depois que se
findar a audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz municipal '
da vara, tem de ir em praga para ser arrema-
tada a armagao, e mais pertences da fabrica de
chapeos da ra da Cadeia do Recife n. 46, assim ,
come urna porga* de chapeos de diversas finalida-
des, tado avahado em 1:3535-
ment promplo, e para o resto nne ainda falta.tra-
ta-se com o consignatario Jos Joaquim Lima Bai-
rao, na ra da Ciuz n, 18.__________ _______
COMPNHIAPERNAMBUCANA
DE
Navegado costeira a vapor
Parahyba, Natal, Maco, Aracaly, Cear
e Acaracu'.
No dia 7 de dfzembro prximo
segu o vapor Jaguaribe, romn an-
dante Lobato, para os portos Indi-
cados. Recebe carga at o dia 6,
_ Encommondas, passagelros e di-
dinheiro a frete at o dia da saluda s 2 horas
da tarde : escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
LEILAO
DK
V^M&$
tiu cava!!o, nma carrera e um bi dk
Qnat'la-felra 3o do corrente s 2,3 j7 acres da Ctapaiiiia Pcria
19 horas lucan.
Cordeiro Simoes vender .m leilao um grande- TerCii-eira 6 l M|
cavallo, bonita liu"a, andador, para ambas as sel- .-------._._ .__; .- mmm ...
la*, e urna carroga cm boi. 1Rpn"5 "" fara ,r,,a" "or mw--
LEILO
DR
TIIE4TR0
COiflPAMlilA
DAS
MESSAGERIES PEMILES
No dia 30 do
correte mez es-
pera-se dos por-
tos do sul o va-
por francez AV
varre, comman-
dante Enout, o
qual depois da
demora do cos-
tume seguir para Brdeos tocando em S. Vicente
e Lisboa.
Km S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia comGore.
Para fretes, condigoes o passagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n 9.
COMPANHT^RASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR-
Dos portos do norte esperado
at o da de dezembro o vapor
Cruzeiro do Sul, commandan-
te Alcanforado, o qual depois
da demora do costume seguir
para os iwrtos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
por
Sr. Dr. juiz especial do rommerriem vii
que requereu os .redores da roas-1 bIMa 4a
Rostron Rooker A C, de 2.357 atfin da i'jm-
panhia Peruamhnrana de HX'-J rjtta una, nm <
ou uuis lotes a volitad- dos #ofnpfadt>r^s. ft* II
h iras di dia .-upradii a porta da A^oria^M iVtaa-
mercial.
AVISOS DIVERSOS.
EMPREZA
;krma>o & comniA.
QE.IRTA-FEIBA 30 DE NOVEMBRO RE 4864.
Recita extraordmaria, livre da
assignatura.
Rcpresentar-se-hao muito intercssanle drama
em 4 actos, do >r. conselheiro Alencar
MAI
Dar fim ao espectculo a comedia em 1 acto
A CORDA SE\SIVEL
Comegar s 8 horas
GRANDE BAILE PARTICULAR
NOS
SALOES
DO
CAES DE APOLLO.
tm+XS
COMPANHIA BRASILEIHA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul espera-
MnL|A do at o dia 30 do corrente o va-
*XKlr^> Por Oijapock, commandante An-
d^^^^^H t""' -*,arn'lllKI (1'' ''"l",'- Ribei
^8SbBkV rn>qal depois da demora do
costumo seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-sc a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: eucom
mendas e dinheiro a frete ateo diada sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, Icscriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.J
12 raeias aguas edificadas de novo em
chaos p; ojii os na Iravessa da ra
Imperial, rende cada urna 7S.
eOUQiRO' SllflQS
por conta e risco de quem pertencer vender em
leilao 12 meias aguas edificadas em solo proprio ^iI^fk^i^,
situados na Iravessa da ra Imperial, as quaes se uiniii TirB
arham sem numero tendo cada tima 1 porta, i ja- V i I U fl H 11 I F K
nella, 1 sala, 1 quarto e cosinha com a frente pa-L l,,u,,. 'WMIil.ll
ra um dos oitoes da rasa ("conhecida Campello.), f?2IIpu"llS Mue mu'loB -"'" su' ^>idoocia a
que se venderao em um ou mais lotes a vontade ",,|U -' Paraa n"'s"'t r"a p- ''-________
dos compadores.
Os prelendentes desde j pedera examinar as
referidas casas e qualquer inforraagao o mesmo
agente satisfar, cujo leilao ser effecluado
Quiuta-feira 1" de dezembro
s II horas no armazem da ra da Cadeia do Re-
clfe n. 48._______ _______________
LEiLfifJ
D'uma porriio de madeira df pinli parle do carre-
gamenlo da barca americana Malina'
Quiua-feira 1 dedezembro.
R. C. Denliam, eapilio da barca americana Malhm,
ltimamente arribada n'este porto, onde foi legal-
mente rondemnada, far leilao com lieenea do ins- Crespo D. 45.
pecior da alfandega, em presenca d'um emprega- Os premios de 6:tXK)-*0OO at (OjOOO
lepois da cwrzrjpo
e os ootros do Ja
de madeira depiho, parte do carregameiito 'da segainte depois da dislriboigo das lisUs.
dita barca, tanta qnanla for precisa para oeeorrer, O thesouretro,
s despezas feiUs neste porto, s II horas do dia Antonio Jos Rodrieoos de Souza.
cima uito, no armazem do Uar.o do Livrimento,
caes do Apollo.
Aos 6:001) 0t0
Corre depois d :imaaha.
Quinta-fcira i de de/embro dn corrate
anuo, se extrahir a terceira parte da
divima lotera (118') a bflMMl da matriz
da Roa-Vista, n. cunsislurio da roja m
Nossa Senhora do Rosario da freguezia te
Sanio Antonio.
Os bilhetes, meios e (jmrtos arham-se
venda na respectiva thesourarij a ra do
pecior ua aiianoega, em presenca U um emprega- us premios (JC o:iRU-
do da mesma reparticio, com as americano, por intervineo do ag.-jite Pinto, e por t i, i |.n-,c la t-,r I > o
conta c risco de quem perlencer, d'uma por?ad aie a? oras udi.inn
LEILAO
DE
Um rico vilelo.
Qiiinfa-fcira I* de dezembro.
No armazem da rita da Cadeia do Recife
numero 48.
Cordeiro Simo.'a far leilao de um rico violao
aparelhado de ouro e piula, craveira do marlim e
caixa de Jacaranda.
LE
Ou'nta-fcira, Io 'c dezf mitro.
ANNIVERSARK) A MEMORAVKL RES-
TAURACAO DA INDEPENDENCIA
PORTUGUEZA.
O proprietario dos saldes do caes de Apollo, Joao
das cves festejar, comocostuma todos os annos,
este grande dia-i* de dezembro de liO, em que
te ve lugar a restatiracao da independencia de \r-
lugal, com um esplendido coucerfo musical, e um
sumptuoso baile, conformo o programla abaiso
declarado :
PROGRAMMA,
Neste dia, conforme de costume, o administra-
dor por seu amor patritico tem envidado todos os
esforgos de que pode dispor. afim de que se achem
os ditos saUVs ricamente adornados, conforme pe-
de a pompa do dia, com ricas figuras allegorieas o
trophos porluguezes, bem como as armas de to-
das as provincias. Havendo neste dia toda a illu-
minacao a gaz, apparecendo os transparentes, e
entre eiles as vistas seguintes :Terreiro do Pago
em Lisboa ; o Tejo, com os navios de guerra hes-
panhes fazendo a mudanga das banderas hespa-
nholas pela portugueza ; a praga do Roci, com o
palacio dos conjurados ; a cidade do Porto, e ponte
pensil, com o bombardeamento de Villa Nova de
Gaia.no tempo do cerco ; atorro de porcellana, na
China ; as ruinas de Palmira ; a estrella da liber-
dade Iluminada com i00 bicos de gaz. A entrada
do edifiVio estar ornada com um rico arco de
gosto chinez, iliuminado a gaz.
A's 6 horas da Urde quando se arrearem os pa-
. vllhoes brasileiro, porlugueze italiano, se dar uma
salva de 21 liros, e achar-se-ha presente, debaixo
de grande uniforme, a msica do 4* balalhao de
i artilharia (completa), dirigida pelo insigne artista
e mostr da mesma, Jos Dias Alves Branco, am
I de fazer as devidas continencias.
A's 9 horas da noute, dar-se ha principio ao
concert, tocando os hymnos brasileiro e porlu-
! guez, e em seguida nquissimas pegas de msica,
i ensaladas a capricho pelo insigne artista para este
| dia, como sejam ricas cavatinas, operas, ouverturas
todas novas, o urna aria obrigada a requinta, pro
seguindo em seguida o baile, com ricas quadri-
lhas, walsas, schoktz e polkas.
O administrador dos salons, em virtode do pro-
gramma, pede a todos os seus compatriotas o ao
publico em geral, que neste diaoc-adjuvem n'uma
tarefa to ardua, e rogando a todas as seuhoras
que tiverem convite especial por carta, para se
apresentarem vestidas de branco, bem como, nao
podero entrar sem apresentarem o carto de con-
vite.
Os cartoes de ingresso, tanto de eavalleiros cono
desenhoras, podero ser procurados na ra do
Imperador n. 52, at s 8 horas da noute do diada
festividade, e dessa hora em diante no mesmo
salo.
Ser rnmprdo o regulamento do Illm. Sr. Dr.
chefe de pelicia.
portgijezes
Trinta annos de martvrio tivemos nos, desde
1580 a 1640, e de quem Y Dos tyraninos Filippes
da Hespauha. Mas, nouve um dia em que os o. ra-
ges valerosos de quarenla porluguezes quebraram
os grllhoes dos tyramnos e depois, ajudados por
seus irmos saecudiram os eiercitos dos tyramnos
hespanhes para lonpe, e arrancando os estandar-
tes de Hespaoha de cima de nossas muralhas, os
substituiram pelos porluguezes, e aroiopanhados
pelo sabio e nobre duque de Braganga, o olloca-
ram no throno de seus avs, debaiio do nome de
D. Joao IV. Agora este dia nao deve passar no si-
lencio se nao derdes regosijo algnm particular, ao
, menos dirigi-vos nesta nnile aos saldes do caes do
Apollo, onde o digno e patritico Joao das Neves
| prepara nm sumptuoso baile em manifestagao de
to grande regosijo, e que esperamos que elle nao
se ha de poupar a esforgos, como tem feito os an-
nos atrazados.
i O Lusitano.
AVISOS MARTIMOS.
Para Lisboa
Pretende sabir com a maiir brevidade o lugre
portuguez Julio, para o que tem a maior parte da
carga prorapta, para o resto o passageiros a quem
offerere os melhores commndos trala-se com o
consignatario Thomaz de Aquino Fonseca na ra
do Vigario n. 1!), primeiro andar,ou com o capitao
o Sr. Francisco Antonio Meirelles, na praga.
Segu com pouea demora ao indicado porto o
hiato Lind Pagele a rhegardo norto em poucos
dias : as pessoas que nelle quizerem rarregar do-
vero entemler-se com antecedencia com o respec-
tivo consignatario na ra da Cruz n. 23, primeiro
andar.
fura o Rio de Janeiro
O bem conhecido e veleiro brigue nacional Al-
mirante, capitao Jo< Moreira Hala, pretende se-
guir com muia brevidade, tem parte de sea car-
regamento promplo : para o resto que Ihe falta e
esrravos a frote, para os quaes tem excellentes
commodos, trala-se com os seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz a. 1.
Para Lisboa
O veleiro e bem conhecido brigue portuguez
I Conreino de Maria, capitao Januario Jos de Oli-
| veira, pretende seguir com muila brevidade, lem
parle de seu carregamento promplo : para o resto
| que Ihe falta irata-se com os seus consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo (5a C, uo seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
rara Lisboa
O brigue portuguez Mida II, capitao A. F. Viei-
ra vai sabir com brevidade por ter a maior parle
i de seu carregamento prompto : quem no mesmo
| qnizer rarregar ou ir de passagem, dirija-se ao
seu consignatario E. R. Rabillo, ra da Cadeia n,
55. escriptorio.
Qaiota-feira
DE
I" de dezembro.
0 cirurgiao Leal mudon
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 38, pri-
meiro andar, j>or cima do
armazem Pro.ure.^sista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a Qualquer Lora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fisso, cb amado por c .cripta
LEIL6ES.
lmuJlA
DG
Urna taoerna.
9IOJE
O agente Pestaa logalimnto%utorisado far lei-
lao da armagao, gaz, gneros e mais utencilios
existentes na taberna sita na praga da Boa-Vista
n. 11, muito propria para principian!" : torga fei-
ra 29 do corrente s 0 horas da manhaa na mes-
ma taberna.
LEILAO
ibo.ii:
Ter^a-feira 29 do correte s II
he ras. a rna da Cadeia arma-
zem o. 53.
f' sem limite
De urna porgo de tapetes de raz de esparto e
pegas de oleado para cima de mesa.
De omamobilia de Jacaranda a Luiz XV, nova.
Outra de amarello, um guarda-vostidos de raogno.
jEUZEHIO
vender seus objectos impreterivelmente pelo maior
prego ene achar.
OLYIVIPIO
vender oin lena.i inverso 8ia*a ue m. >- osl
Joao da Silva Ramu<, n. I i r ni
I versidadede Coimbra, da eoi
sua casa das 'J s II b"ia> da ui.ii.li. a.
DdasisCda tarde. Vi ik o* ormm
f*. en suas casas regularmente as horas
jBi para ss* designadas, salvo os caso ur-
sexos com habilidades e sem ellas, leudo entre el- IB genios, que sero >oc ;rridos nu aaaf-
lesalgnmasuscravas engommadeiras e cosinhei- Hj qUer occasio. Da consultas aos i
ras ; teri logar o leilao no escriptorio do referid .-Sg ,|e0 ,.,.,-,.,rem nn ho?pital fedro II.
agente na ruada Cadeia doRenr,. o. 26, primena |3 aonde e encontrado diariamente das 6
andar, por cima do escriptorio dos Srs. Rallar & ^ gR s >< iu,ras ja manhaa.
Oliveira (entrada pelo boceo Largo).___________j W Tf|n SM casa lie >a',,,;,. r,.
Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQMKXLA0Q_2XTL9I INGEST_TIME 2013-08-27T21:16:57Z PACKAGE AA00011611_10530
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES