Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10529


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AWHO XL. INJIERO 273
Por tres mezes adiandos 5$O()0
Por tres mezes vencidos 6$UUU
Porte ao correio por tres mezes. o7o
SEGUR:A FEIBA 28 DE ROVEMBRQ DE 1864.
Por amo adaotado. .... 49$00O
Porte ao correio por om auno 3$Q0
pji AHRBuALOS Da bUBat.Ka-gA NO NORiE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Nata!, s Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty.o
Sr.A. de Lemos Draga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oiiveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
BEazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCA BREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudico Faico Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Al\es; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
RlUiA L>Oa SalfUSAt
Oiinda, Cabo e Escala toJos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho e Garaohuns as tercas feiras.
Pao d'Aiho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una.Barrei-
ros.Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao Va dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t.
13 Lna cheia as 3 h., 13 m. e 36 s. da t
SI Quarto ming. as 4 h., 56 m. e 56 s. da m.
29 La nova as 4 h., 57 ra. e 26 s. da m.
. PREAMAR DK HOJ8.
Primeira sis 2 horas e 54 minutos da tarde.
Segunda as 3 toras 18 minutos da manhaa.
**!*'&-* LOS VA.-ORu-b (.OSi URO,.
Para o su) at Alagas a 5 e 25; uar* o norte at
5- i^f 22 de caaa tae: Par* Fernando nos
das U dos mezes dejan. marg.,maio. jul. set. e nov.
Partida do mnibus:
Para o Recife: do Apipucos s 6!/,, 7, 7 /j, 8 e
8 V, da m.; de piinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 i/, da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos as 3 V, 4,4 'A, 4 /i,
5, 5 y4>. o Vi e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
manhaa e 4 i/, da tarde; para Jaboatao s 4 da
tarde; para Cachang e Varzea s 4 /t da tarde;
para Bemflca s 4 da tarde.
AUDKNC DOS TRIBUNASS DA CAPITAL
Tribunal docommercio: segundas quintas.
Relago: tercas e sabbaios s 10 horas.
Fazenda: quinta., s 10 horas.
Juizo do commorcio: segundas s 11 horas.
Dito de orphcs: terca; e seitas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sertas ao meio
dia.
Segunda vara docivel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS HA SEMANA.
28. Segunda. S. Jacob da Marca f.
29. Terca. S. Saturnino m.; S. Illuminata v.
30. Quarta. S. Andr ap.; S. Tmyano b.
1. Quinta, s. Nahuro prof.; S. Eloy b.
2. Sexta. S. Bibiana v. n.; S. Policiano m.
3. Satdiado. S. Francisco Xavier ap. das Indias.
4. DumiDgo. S. Barbara v. m.; s. Osmundo.
AS8IGNA-SB
no Recife, em a livraria da mea da Independen-
cians. 6e8, dos propietarios Manoel Frneirna
de Paria & Filho. 8 oa
PARTE QFFIC1AL
GOVERKO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 24 de norembro de 1861.
Ollicio ao Exm. presidente da provincia do Cea-
r. Em resposta ao officio n. 24, que V. Exc. me
diripio em ti do crreme, remelto-lhe, por copia,
a informaeao ministrada nesia dada pelo director
do arsenal de guerra, na qual esto declarados os
artigos j remettidos para essa provincia por conia
do pedido do respectivo corpo de guarnigo, os
jue lem de serem enviados no primeiro vapor da
companhia Pernamhueana que seguir para o norte,
c os que com mais alguma demora terao igual des-
tino, alim de completar o referido pedido.
Dito ao Exm. Viscocde da Boa-Vista, comman-
dante superior da guarda nacional do Recife.
Sirva-se V. Exc. do informar acerca do que pede
no incluso requerimento, o guarda do sexto bata
lh > de infantana Paulino Rodrigues de Oliveira.
Dito ao coronel commandanle das armas.Sci-
ente pelo offlcio n. 2,l00._que V. S. me dirigi nes-
ta data de haver o rapilo de mar e guerra Her-
menegildo Antonio Birbosa de Almeida apresen-
tado suspeigao para nao servir de vogal no conse-
ihode guerra que tem de julgar o coronel Antonio
Gomes Leal, tenho resolvido autorizar V. S. a no-
me ir para vogal do dilo conelho o coronel de in-
fanlaria da guarda nacional deste municipio, Do-
mingos Affonso Nery Ferreirae neste sentido offl-
ciou-se ao respectivo commandante superior : o
que Ihe commueico em resposta ao citado offlcio.
Fez-seo offlcio de que se trata.
Dilo ao mosmo. Para que Francisco Jos di
Poneeea possa ser pago como V. S. solicitou em i
seu offlcio n. 1,971 de 4 do correte, da quantia
porque contratou a conducao da bagagera do se-
gundo batalhao de infant.ria do quarlel do Hos-
picio para o caes da ra da Aurora e um carreto
para o arsenal de marinba, faz-se necessario, se-
gundo informoa o inspector da thesouraria de fa-
zenda em offlcio de hontem, que o mesmo Fonceca
aprsente a respectiva conta : o que declaro
V. S. para que Ih'ofaga constar.
Dilo ao mesmo.Mande V. S. abrir assenlaraen-
to do praga, se forem juigados aptos, para isso em
inspeceo de saude, ao* recrutas Jos Miguel Mar-
reros, Vital Barbosa, Manoel Coulinho Malaquias,
Justino Francisco do Nascimento e Antonio Jos .
de Muraos, que se acho delidos no quartel do !
nono baialiio de infantaria. Communicou-se ao
lenle ceronel recrotador.
Dilo ao Dr. chefe de polica. Pelo seu offlcio n.
1461 d<3 22 do correte, fiquei inteiradado de ter
V. S. nomeado a Genuino Augusto Peixoto para
o lugar de guarda da casa de detengan desta cida-'
de. -Communiaou-sc ao inspector da thesouraria
provincial.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Remeti a V. S. os convenientes exames es balan- i
cetes e comas documentadas do Almoxarifado do
presidio de Fernendo relativamente aos mezes de I
agosto e setembro ultimo.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial. j
Constan lo de offlcio do chefe interino da repart-!
Sao das obras publicas datado de hoje, c sob n.:
26, que o arrematante da conservado do ter-
ceiro termo da estrada do sul cumprira com as
condieoes do seu contrato, no mea de outubro ul-
timo, recommendo V. *, que em vista do compe-
tente certificado, mande pagar ao mencionado ar-
rematante, a quanlia de 3045930 ris a que tem
direito. Cntiimunieou-se aopredllo chefe.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Firam approvaoas as providencias que V. S. deu
como rae parlieipoa eui seu olTicio n. >2(>de5do
corrente no sentido de ser augmentada a creago
degaliinhas para as dietas da enfermara militar
desse presidio, bem como a de animaes sainos para
sustento dos scnlenciadosdestinandopara isso a ilha
Rata.
Dito ao mesmo Approvo a deliberado que to-
mou V. S. como participou-me em seu offlcio n.
131 de 15 do corrente, de reduzir a 200 ris o fci-
tio de cada um par de sapatos manufacturado na
oflicina desse presidio a contar do 1" deste mez em
dame.Communicou-se ao inspector da thesoura-
ria de fezenda.
Dilo ao mesmo.Remctta V. S. para esta capital
na primeira opporiunidade, a disposigio do juiz
municipal da i* vara o sentenciado de juanea Jos
FranciscoQuirino, alim de verificar-se sej se acha
finalisada a sentenea que Ihe foi imposta em sessao
do jury do termo do Bunito.
Pica assim respoudido o seu offlcio n. 127 de '1
do corrente.Communicou-se ao juiz municipal da
1' vara.
Dito ao commandante do corpo de polica.Con-
Irate V. S. o paisano Manoel da Cruz c Silva para
servir no corpo sob seu comraado, visto que elle
assira o pretend-, e foi considerado apto em ins-
pecclo de siie, como consta de sua informaeao
n. aiA desta data.
Diio ao mesmo,Po le V. S. fazer engajar para
o Servcn do corpo sob seu commando o paisano
Joij Francisco de Almeida, deque trata o sea olfl-
ci n. 52 de 23 do corrente.
Dito so director do arsenal de guerra.Mande
Vine, nrgc.nisar um quadro dasbandeiras de todas
as nacoes atim de ser enviado ao commandante
do presidio de Fernn lo, que o requisita.
Dita ao juiz de direito di vara. Inf irmoVmc.
BObre o rpie pele ocommmdilor Minoel Camillo
Pires Fabo no requerimenlojincluso por copia.
Dito ao juiz de direito interino de Tacarat.
Devolvo V'rac. o requerimento que veio junto o
seuoffl'io de 27 do mez linio, e em que Antonio
Joaquim Soares pede para seu fllho Antonio Joa-
quim Soares Lisboa perdao do resto da pena que
esti cumprindo no presidio de Fernando, alim de
ser sellado e instruida p da forma determinada no
decreto n. 2,566 de 8 de margo de 860.
Dilo ao juiz municipal da l* vara desta cilade.
Remelto Vmc. para os fins convenientes, ascerti-
does de bitos o autos do vestoria e de identidade
de pessoas a que se proceleu nos sentenciados de
justiea Pedro Celestino Magno da Silva, Jos Ca-
rry, Pedro Antonio Ribeiro, Damiao Franeisco
Ferreira e Mmoel Joaquim de Almeida, quj, falle-
ceram no presidio de Fernando, seguudoeommu-
ncou-me o respectivo commandante em offlcio de
9 do corrente.
Igua's rertidoes relativas aos sentenciados Jos
Cariry e Manoel Joaquim de Almeida foram envia-
das ao Exm. presidente da Parahyba.
Dito ao me*mo. -Envie-me Vmc. com apissivel
brevidade, a gula do sentenciado de justiea Manoel
Aniceto Bezerra, que tendo sido condemnado pelo
jury da villa do Brejo, a 7 annos de prlsao, no mez
de novembro de 1857, acha-se sem ella no presidio
de Fernando como declarou-me o respectivo com-
mandante em offlcio n. 132 de lo do corrente.
Dito ao procurador fiscal da thesouraria de fa-
xenda.Informe Vmc. em que p se aeha a ques-
to, relativamente aos terrenos, onde foram demo-
lidas as casas frunteiras do arsenal de marnlia, e
que Ihe foi incnmbida por esta presidencia,
Dito cmara municipal de Ipojuca. -Respondo
ao offlcio que rae dirigi cmara municipal da
villa de Ipojuca em 5 de outubro ultimo, dizendo-
Ihe que apprevo a arrematacao dosropostos deque
trata o termo de contrato que veio aonexo ao seu
cUdo offlcio e que mande por novamente em pra-
5a, os que por falla da lidiantes dexaram de ser
arrematados.
Dito a cmara rafiqpal de Oiinda. Respon-
dendo ao offlcio de 17 do corrente, em que a cma-
ra municipal de Oiinda me declarou nao ter appa-
recido licuante algum na arreajatagao dos impos-
tos de capjm de planta, gado sumo ftovdlham
desse municipio, ar^ne se procedeu n'aqaella data,
tenho a dizer a mesma cmara que mande
por novamente em praca os referidos impostos
com o abate mencionado no final do seu citado
offlcio.
Dito ao chefe interino da repartigao das obras
publicas.Concedo a autonsagao oue Vmc. pedio
em seu oIBcio de hoje, sob n. 327. para mandar
lavrar o termo de recebiinento definitivo da obra
da pintura e caiadura do quarlel do corpo de po-
lica a qual ja se acha concluida, de cooformidade
com o respectivo contrato, cerlo de que nesta data
recommendo a thesouraria provincial, que, em
vista do competente certificado, pague ao emprei-
teiro d'aquella obra a importancia da ultima pres-
lagao, a que tem direuo, segundo consta do citado
offieio que (na assim respondido. Fez-so a re-,
commendagao de yue se trata.
Dito ao mesmo.Declaro Vmc. para seu co-
nhecimento e im conveniente, que tenho designa-
nado os engenheiro* Dr. Manoel Buarque de Ma-
cedoe teoente Jos Tiburcio Pereira de Magalhaes,
bem como o professer publico Vicente de Moraes
Mello Jnior para servirem de examinadores no
concurso a que se tem de proceder nessa reparti-
gao para preenchimento das vagas nellas existen-
les de cenductor, praticantes e escrevemes.
Dilo ao commissario vaccinador provincial.Lo-
go que conste Vmc. ter de seguir alguma embar-!
cacao para o presidio de Fernando, envi a secre-
taria desta presidencia algumas laminas e tubos |
de puz vaccinieo afim de serem remettidos ao
commandante do referido presidio.
Porlaria.O presideule da provincia, conforraan-
do-se com a proposla do Dr. chefe de polica n.
1402 de 11 do corrente, resolve noraear a Fran-
cisco de Paula Brrelo Coulinho, para o lugar va-
go de 2." supplenle do delegado do termo de Na-
zareth. Communicou-se ao Dr. chefe de po-
lica.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana, mande dar transporte at a cidade do Natal
no vapor que tem de seguir para o nrte no dia
26 do correte, em lugar de proa destinado a pas-
sageiro de estado a Reinaldo Gaudeucio de Oli-
veira.
Expediente do secretario do goreroo do dia 2 i de
norembro de 1861.
Offlcio ao engenheiro fiscal da estrada de fer-
ro.S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda
communicar V. s. que licou inteirado pelo seu
offlcio de 23 do corrente, de haver o ajudanle do
engenheiro da estrada de ferro Jos Carneiro da
Rocha entrado no da 21 deste mez, no go cencia que obteve do governo imperial. Commu-
mcou-se ao inspector da thesouraria de fazenda.
Despachos do dia 21 de novemhro de 1861.
liequerimentos.
Antonio Carlos de Lemos Duarte. Ioformo o
Sr. inspector do arsenal de Marinha.
Antonio Juvino da Fonseca.Informe o Sr. ins-
pector da thesuraria provincial.
Francisco Jos da Piedade.Junte documento
provando o que allega.
Flix Jos Filgueiras de Menezes. Informe o
Sr. inspector da theso iraria provincial, ouvmdo o
arrematante da barreira.
Francisca das Chagas Pereira. Informe o Sr.
director geral da instraecao publica.
Padre Juvenclo Verissmo dos Anjos. Prove o
que allega.
J.jfio Jos Rodrigues. Certifique-se.
Manuel Tibureio de Oliveira.Volte ao Sr. ins-
pector da thesouraria de fazeoda, para expor o
mais que Ihe occorrer.
DIARIO DE PERHAUJIRUCO
Pelo vapor Jaguanbe recebemos cartas e jornaes
do Cear, Rio-grande e Parahyba, dos quaes extra-
amos as seguiotes noticias :
Ckai L se no Crarense :
t.\a noute de i3 do corrente passou por sobre a
cjdade, na direccSo de L. O. um meteoro de luz
to viva e brilhanle, que fe: esmorecer o clarao
da la, sempre bella n'estas latitudes do norte.
t O cu tomou, por alguns instantes, urna cor
vermelha desmaiada, como o rellexo d'um incen-
dio distante; seguiram-se alguns e>t ondos leste,
o que fez algumas p.-s^oas acredilarem n'um com-
bate naval na allura do Mucuripe. >
Rio-Giianoe.Installou-se aassembla provin-
cial, coja mesa fieiiu assim composta : presidente
Dr. Jos Moreira Brandaj] vice-presideoie Dr. Luiz
Carlos Lins Wanderley, e 2" secretarios Drs.
Vicente Alves Pe eir e Jo- Al ves da Silva.
Parahyba. L->c no T/n^o :
Tiveram hoja (24) lugar os festejos offlciaes
que noticiamos em o nosso primeiro numero, em
signal de regosijo pelo casamento da nossa augusta
princeza. Celebrou-se na matriz desta capital um
solemne Te-Deum em acg.o de gragas por to
faustoso motivo, discursando sobre o assumoto o
Sr. padre Lindolplio Jos Correa das eves. O acto
foi concorrido pelas autoridades civis e militares,
offieulidade da guarda nacional, cmara munici-
pal, depulagao geral e provincial, etc. Em seguida
houve no palacio do governo conejo efflgie de
*. M. o imperador, fazeudo urna brigada ao man-
do do ir. tenente-coronel Joo Cavalcanti de Al-
buquerque Vasconcellos, as houras respectivas. A'
n 'lie lera lugar a illuminago, para a qual foram
convidados os habitantes desta cidade pela com-
misso encarregada de promover o Te-Deum. Esla
commisso compoe-se dos Srs. vigario Joaquim
Antonio Marques, padre Felppe Benicio da Fon-
seca Galvo, Drs. Joo Florentino Meira de Vas-
concellos, Epamlnondas de Souza Gouva e Frau-
cisco Jos Rabelio.
^rr
..Simplesmcnle. ... 7
,' 18
- Dia 25 -
Rhelorica.
Plenamente...... 3
7

^. Simplesmente
Reprovado.....
Ingle.
Plenamente......
Simplesmente___
Reprovados......
Levanlouse......
12
8
5
4
1
18
Remeltemnos o soguinte :
Os desastres causados por urna das pegas que
Allkjakha.Obteve sua exoneragoo conde de 1
Rectiberg, sendo substituido pelo conde de Mens-'
durir.
No dia 7 do corrente deva tr logar a rea-
oo do couselho do imperio d'Austra, para a ra-
litkar.au da paz.
A Gazetta d'Elberfeli diz. ue no tratado de
paz a Dinamarca se ourigoH a pagar indemnisagoes
pelos navios allemes aprisionados.
Inclatbisra.Fora condemnado morte o assas-
sino Muller.
Segundo o Morning Post sao falsos os boatos
de dissolucao do parlamento inglez.
No banco o thesouro nacional augmenlou sua
conta corrente com 449,960 St.
Italia.Reinava grande indignago em Turim
contra o rei, o parlamento e o ministerio, veado-
so em todas as partes pasquins e caricaturas do
re, por ter elle, segundo er o povo, cedido cinco
passageiis dos Alpes ao imperador dos Francezes, costumam marchar nos dias de parada neste an-
mediante indemnisagao pecun.aria. | no. levam-nos a lembrar a conveniancia'de ser ella
O re Viclor Emaianuel, atlendeado a neces-: retirada no dia 2 de dezembro prximo, para se
sidade de se fazerem economas, renuociou tres evitar mais urna victima.
uiilhoes e meio de seu subsidio. reparticao dv poi.ich
Eis o projecio de le para transferencia da Extracto das partes do dia 26 de novembro de
capital: |864.
Alt 1." A capital do reino ser transferida pa-1 Foram recolhidos casa de detengao no dia 25
ra Horenga, nos 6 mezes que se sigam data da do corrente :
presente le. A- ordem do Dr. delegado da capital, Margarida,
Arl. 2." Para as despezas da transferencia escrava de Fortunato Lucio, e Matheus, escravo do
abre-se, na parte extraordinaria do orgamento do Visconde de Suassuna, o primeiro por infraegao de
leS$! SS u,n ca"'ul espwal, um crdito de.... j posturas, c o ultimo como pronunciado no artigo
7,0UU.(X)u e, assim repartidas : no exercicio de 269 do coligo criminal
1864, 3,000:000, e no de i865 JP 5,000:000. A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Fe
IS urna reuniao havida em Turim, 2,000 de-: |x, escravo do Dr. Ignacio Nery da Fonceca, a re-
putados declararam ser favoraveis convengo quermento d'esle
franco italiana 0 cnefe da 2. seC(^0t
Hbspa.vha.Esperavase que cessasse dentro em j. e desquita.
poueo a cnse do thesouro, em vista das avultadas. Movimento da casa de detenco do da 2o de
quaulias em metal ltimamente ali recebidas. novembro de 1861.
Preparava-se para seguir para as aguas do mar <
Pacifico um dos navios mais vlenos da marinha
britannica, com provises para dous mezes, e sele-
cenlas toneladas de carvo, destinadas esquadra
hespanhola daquella parte.
No dia 27 do passado naufragou, no porto de
Tarragooa, a fragata americana Ocean Pearl.
India. Em <.alcut um terrivel furaco destruio
112 navios, morrendo doze mil pessoas affogadas.
Grande parte da cidade ficava innuodada. Avaiia-
vam-se as perdas em cerca de i3 milhoes de
rupias.
Japao.A passagem do estreito de Smonosaki
foi forgada pela frota alliada, com perdas peque-
as, "s Japonezes pediam a paz, offerecendo abrir
o estreito aocommercio enropeu.
Mxico.Jurez licenciou o resto de suas tropas,
chegadas i.hialma, com lengo de embarcar-se
para Nova-Orleans. U imperador Maximiliano
mandara offerecer-lhe um salvo conducto para
poder sahir do territorio mexicano.
Matamoros foi tomada pelo general Mejia.
Russia.O governo resol veu nao fazer reforma
alguma na Polonia, antes de sua reorganisago so-
cial.
DinamarcaO Folslmg (cmara) regeitou por 44
votos contra outros 44, o projeclo de missiva ao
re, tendo sido renhidissimas as discussoes.
Estados-Unimos.-ltimamente temos federaes
soflrido bastantes perdas.
Sberidao devastou todo 0 paz entre Blac-
Ridge e as North-Mounlains.
O Manchester Examiner publica o despacho
seguinie de Nova-York :
c O general Sheridan bateu o general Longslreet
em Estrasburgo, tomando-lhe 50 pegas de arlilha-
ria. >
O exerc.ito de Hood, composlo de 30,000 ho-
mens, fez urna demonstragao lormidavel na reta-
guarda do general Sherman, destruio 20 militas de
caminho de ferro, e tomou Dalton.
Deseohrira-se urna grande conspiraco, cujo
fim era formar urna confederago dos estados do '
nordeste.
Portugal.=Para o Crdito Financeiro Portuguez
foram turneados :
Presidente, conde de Avila ;
Vices-presidenles, E. Lcssa e Castro Guima-
raes ;
Directores, Teixeira d'Aguilar, Macedo Pinto,
;ouza Pinto Basto, J. F. Pinto Basto, *eixas, vis-
conde de Condola, viseonde d'Orta, C. F. dos San-
tos Silva, D. Jos deLencasire, J. Braancamp, Bar-
reros de Arrobas, L. Koenigswarther, A. Pinard,
Heutach-Leuschner, Montan e Blount.
Exstiam....... 345 presos.
Entra'ram...... 5 .
Sahram....... 3 >
Exbtem....... 347 .
A saber :
Nacionaes..... 285 .
Estrangeros... 9
Mulheres...... 3
Eslrangeiras... 2
Escravos...... 45 >
Escravas...... 3 >
PERNAMRUCO,
xmSh*
Pelo vapor inglez Saladin, chepa lo hontem de
Liverpool e Ljkfaoa, apenes recebemos alguns n-
meros da Gazeta de Portugal, que alcangam 5 do
correte; e dos quaes colhemos as noticias que se-
guem.
Franca.Realism-se no dia 28 do passado a en-
trevista dos soberanos francez e russo em Nice,
voltando o primeiro, em seguida, para S. Cloud.
_ O governo hespanhol respoudeu partecipa-
gao ollicial do convenio franco italiano, aecusando
apenas a recepgo da coinmunicago.
As noticias da Argelia do a submisso das
tribus de Bou-Aich, Zinassia, Maouchael-Gourt,
Abdalia, Mouda-Ouler-A;;se, South e urna parte da
de Rhaman.
Produzira excellentes resultados o movimento
combinado das duas columnas de Lacroix e de Al-
ger, ajudando poderosamente a pacificago do su-
doeste da provincia de Consiantina.
Honre um grande combate eotre as tropas do
marabout e as do general Jolivet, perdendo esles 7
horaens feridos o morios, e aquelles 200,
REVISTA DIARIA.
Acha-se enearregado do consulado inglez ne;ta
cidade o Sr. Ricardo Austin.
Ainda no sabbado passado nao reunio-se nu-
mero legal de juizes de facto para poder funecio-
nar o jury desta cidade, comparecendo apenas 32
jurados.
Em consequencia disto, procedendo o 4r. Dr.
juiz de direito a sorlcio para completar o numero
legal, foram sorteados os seguintes Srs. :
Miguel da ronsecca Soares e Silva.
J..o Xavier da Fonseca Capibaribe.
Jos de Barros Correa Sette.
Dr. Angplo Henriques da Silva.
Antonio Luiz do Amaral e Silva.
Ilermino Ferreira da Silva.
Jos Gongalves Torres.
J-io Bernardino de Vasconcellos.
Erancsco Canuto da Boa-Viagem.
Dr. Antonio Annes Jacome Pires.
Juvencio Augusto de Athayde.
Joaquim dos Santos Neves.
Adriano Xavier Pereira de Brto.
Vicente de Paula de Oliueira Villas-Boas.
Vicente Licnio da Costa Campello.
Vicente Machado Freir Pereira da Silva.
Foram dispensados de servir na presente sessao
o Sr. Antonio Egidio da Silva por molestia, e o Sr.
Dr. Alcibiades de Azevedo Pedra por achar-se fra
da provincia, sendo os demais que faliaram, mul-
tado- em 203 cada um.
Sabbado fizeram exames do Io anno da Es-
cola Normal os alumnos : Flix Paes da Silva Pe-
reira, Eleulerio R iberio Tavares do Espirito ">an-
to, Claudino Gomes Brrelo, Franklin Francisco
Brrelo, Manoel Roberto de Carvalho Guimares
347
Alimentados a cusa dos cofres provinciaes. 136
Passageiros do vapor inglez Saladin, vindo
da Europa :
Francisco de Scuza Mello Netto, Bernardina Be-
nedicta de Mello e John Krugger.
Passageiros do vapor nacional Jaguaribe, en-
trado da Granja e portos intermedios : Dr. Anto-
nio V. do Nascimento Feilosa Jnior, Jos Antonio
Seipert, J* Becerra de Mendes, Pedro Jos de
Amorm, Mahoel Alfonso de Aquino Albuquerque,
Antonio da Silva Fialho Jnior, Joaquim da Frota
de Maria Vasconcellos, Pompeo dos Passos Pache-
co, Vicente Henrique da Cunha, Francisco da Cos-
ta Oliveira, 1 filho menor e 1 criado, Antonio Joa-
quim de Oliveira Cosa, Lourengo Jos Gongalves,
Jos Vicente de Albuquerque, Jos Antonio de Al-
buquerque, Antonio Pinheiro Lima, Francisco Es-
teves de Queiroz e I escrava, Francisco Emiliano
Pereira e 1 criado, Genuino Fernando de Qneiroz
e I criado, Joo da Silva, Manoel Rodrigues da
Silva, Francisco Guedes do Nascimento, Antonio
Francisco, Thom Manoel Pereira Lopes, Francis-
co Pereira da Silva, Luiz Valcassada Rocha Pitia,
Vicente Andr, Braz Coriez, Tristo Martins de
Macedo Cabral, Dr. Francisco Luiz Correa e 1 es-
cavo, Domingos Henrique de Oliveira, Jos de
Borja Caminha Raposo da Cmara e i criado, Jo)
Juvenal Baibosa Tinoco, Fabrieio Gomes Pedrosa
Netto, Fabrieio Gomes Pedrosa e 1 criado, Bonifa-
cio Rodrigues da -ilva, Thomaz Antonio Nones
Menteiro, Je>uno Adolpho da Silva, Martiniano
Eleulerio da Silva, Joaquim Manoel de Souza, An- i
ionio Jos de Oliveira Caminha, Armmo Alves a(
fon;o, Manoel Antonio Pires, Jos de Oliveira C>s-
ta, Joo Travasso de Lima, Jos Januarfo Aranhas,
D. Juan Busson e 1 escravo a entregar, Gongalo
Dellno de Paula Cavalcanti e 1 criada, Antonio
Jos de Bessa e Candido Xavier da Fonseca.
Passageiros do vapor Persynunga, sabido pa-
ra o Cear :
Dr. Ignacio Dias de Lacerda, loto Francklin de
Alinear Lima e sua rma. Jos Teixeira de Vas-
concellos, Jos Pereira Maia, Joaquim Pacheco
Mendes, Joaquim Pereira da Silva Guimares, Mi-
litao Bastos Carueiroda Cunha, Dr. J. Avalino Gur-
gel do Amaral, Dr. Eugenio Gomes Becco, Jos de
Hollanda Cunha, I). Emilia Amalia de Birros. Pa
dre Sebastlo de Oliveira Lima, Francisco Fran-
cklin de Queirnz.Elvino da Silva Caldas, Dr. Pau-
lino Nogoelra Borges da Fonceca, Dr. Samuel Fe-
lppe de Souza e um escravo. Jos Pedro Carn-iro,
Francisco Jusliniano Lins Caldas Jnior, Antonio
Jos Ramos, Antonio Joaquim de Almeida, Augus- i
lo Cesar Magalhaes, Andr Epifanio Pereira Lima
e dous criados,uma escrava de Victorino Jos Mon-
teiro, Antonio Alexandrino Ribeiro Lima, Augusto
Emilio da Fonceca Galvo, Dr. Candid > da Silva
Franca e um criado. Joaquim Antonio Larangei-
ras, Joaquim de Oliveira Maia Jnior, sua senhora,
e urna llha, Dr. Joo Damisceno Pinto de Men-
donga.um escravo e um criado, Dr. Augusto Colin
da Silva Rios e um escravo, Antonio Teixeira, Vc-
tor Improto, Sareno Rezzeule, Reynaldo Gaudencio
de Oliveira, Andr Avelioo Sobreira de Melio, An-
tonio Joaquim de Santa Anna, Domingos Jos de
Saboya e Silva, Francisco Joaquim Pereira, Dr.
Luiz Ferreira de souto Jnior.
Srs. accionistas da companhia do
Bnbcrilie.
Cumprindo um dever que me imposto pelo ar-
tigo 28 6 dos estatutos desta companhia, teuho a
salsfago de trazer ao vosso esclarecido conheci-
ineoto as mais notaveis oceurrencias que se deram
durante o ultimo semestre decorrldo do Io de maio
31 de outubro findo.
Balando do activo e passico.
Do balango junto podereis conhecer perfeitamen-
le que o estado da caixa se torna cada vez mais li-
Bem que a receiia ainda nao tenha che
songeiro
gado ao ponto a que podem eleva-la as forgas da
Manoel da Costa Pereira e Lourenco Guedes Aleo- empreza, nola-se todavia que ella tem augmentado
forado, approvados plenamente ; Manoel Figueira progressivamente; e que as despezas tem sido re-
de Menezes. smplesmenle ; e2 reprovados. 1 duzidas ao strictamente necessario, gastndose
Resultado dos exames feitos no curso de pre- menos da quanlia orgada, de modo que deduzdo o
paratorios annexo Faculdade de Direito no dia
23 do corrente :
Geographia.
Plenamente...... 8
Smplesmenle___ 10
18
Inglez.
Plenamente...... 6
Simplemente 12
18
Geometra.
Plenamente...... H
fundo de reserva, e fazendoso o mximo dividen-
do que permittido, existe um fundo disponivel
que nos anima a emprehender, si nao todas, ao
ao menos algumas das obras indispensaveis ao
abastecimento d'agua na cidade, e ao futuro deson-
volvimento das rendas da companhia. Do que se
segu colhereis as necessarlas explicagSes sobre
este assumpto.
Capital
Havendo o meo digno antecessor com a vossa
annuencia fixado o valor do capital reallsado e
despendido as obras da empreza na razo de 50
por cada acgo, e isto pelos justos motivos por elle
apresenlados em seu relatorio de 16 de novembro
do anno passado, evidente que o capital real da
companhia monta na quantia de 536:800^000, ou
consta de 0736 aegoes a 50JW0O cada urna, valor
que realmente ellas representara na circulago.
Liie contando mesmo com o agio que alternativa-
mente vao tendo na praga em consequencia do
buiu xito da empreza e regularidade de suas ren-
das, v,.
Rendimento dos chafartzes e pennas d'agua
Os chafanzes foram arrematados por um anno,
a contar do primeiro de julho ultimo 30 de junho
do anno prximo futuro, pela quanti*4e 76:320J.
que comparada com a quantia liquida da penlti-
ma arrematago de 186,'tt86i, inostra a differen-
ga para mais de 1:1485000, augmento que ainda
nao corresponde ao grande consumo d'agua que
se de ve esperar de urna populago, como a nossa;
por quauo, se bem que as pennas d'agua que to-
dos os annos se vo distribuiudo por diversos edi-
ficios venham a diminuir na mesma razo o con-
sumo nos chafarizes, todavia tenho a firme co:i-
viego de que a importancia da arrematago des-
tes esta muito a quem do valor que deve pruduzir
o consumo das aguas nesta cidade.
Aioda quando se presuma que o prego da arre-
magoo do anuo de 18371858, deduzida urna
quantia razoavel para as despezas e lucros dos ar-
rematantes, uo fosse menor ao do consumo e
sim muiio regular, compre observar que compara-
do o producto desia arrematacao com o da ultima
de 1864 1865 acha-se someule a dillerenga de...
9:230,5, e nao me persuado que este resullaJo cor-
responda ao grande augmento da populago duran-
te oito anuos! PoJere estar em erro; mas a mi-
aba conviccao sobre esle ponto tal que persisto
uas averguagoes precisas para obler um resulla-
do mais completo: e limitando-me por ora a estas
ligeiras observagoes, me comprometi a dar-vos no
meu ultimo relatoiio quaesquer esclarecmenlos
que puder colher.
as pennas d'agua contratadas com diversos pro-
prietarius c reparligoes publicas al o da 31 de
outubro ultimo, subiram ao numero de 164, que
devem proJuzir a renda annual de 8:907o372, in-
cluindo-se naquelle numero as 147 que foram con-
tratadas al o ultimo de junho do crrenle anno, e
cujo producto, na importancia de 7:9065372 rs.,
fara pane de nossa renda no futuro semestre. Pa-
ra o semestre findo arrecadou-se at 31 de outubro
somenle a quanlia de 7:I30413.
As outras 17 peonas d'agua foram contratadas
pela importancia de 1:001000 a contar do mez de
julho prximo findo em diaote; e esle produelo, as-
sim como o das que aioda forera concedidas den-
tro do prazo da actual arrematagilo dos chafarizes,
ser, depois de arrecadado, restituido aos respec-
tivos arrematantes na conformidade dos seus con-
tratos.
Nao pequeo o numero dos que ainda preten-
den! taes peunas d'agua ; mas nao ebstante o inle-
resse que ellas traz-in a companhia, sou de opinio
que devemos suspender estas concessoes at que,
fetas as obras que julgardes preferiveis, se possa
continuar a distribuir maiorlporgo d'agua sem en-
fraquecer a alimentago dos chafarizes pblicos e
depsitos particulares, que alias ja se resentem
algumas vezes de falta de prompta expedigao.
A razo que me determiua a propor-vos esle al-
vitre fuuda-se no faci de liaver a directora rece-
bido com frequenca muias reclamagoes dos con-
cessionanos por falta ou escasseamenlo d'agua em
seus ramaes a certas horas do da em que ha maior
consumo nos chafarizes pblicos. Nao desconlie-
(" que a mxima parte destas faltas pruvem da
ma coiistrucco e incapacidade dos canos usados
as obras desses ramaes, cojos propnetarios ainda
inexpe lentes erraram ou foram Iludidos na fac-
tura de laes obras.
Noobstanteislo.forgosoconfessar que o grande
consumo d.agua ac.nalmeole feilo nesla cidade
e seus arrabaldes vae diunnuiulo a presso que
deve existir dos tubos dos diversos ramajs, c este
eiifraqueciuieiitu dilBrulta a dislnbuigo da quan-
lidade d'agua uecessaria por cada um delles den-
tro do espago de lempo regulado nos contratos.
Para que desappareca e.-le inconveniente e nao fi-
que a companhia, con prejuizo de suas rendas, pri-
vada de continuar a conceder novas peunas d'agua,
deveis decretar desde ja as obras necessarias ou
pelo menos as (pie adame menciono.
Obras e reparos fetus.
Desla verba despendeu-se durante o semestre
findo a quanlia total de I:l40i30, que foi distri-
buida pela raaoeia seguinte:
320592O com a collocaco de um chafarlz na
ra do *ol, era subsiituigo ai que por exigen-
cia da c.iin ira iiuuncip.il foi demolido na mesma
ra.
2115-150 com o concert do armazem contiguo
casa do agude, e com a caiadura, piutura e outros
ligeiros reparos feitos na mesma.
1805600 com dous atierros sobre a linha do en-
canamento para cobrir os canos que se achavam
expostos, seudo um na estrada de Ponte de Ueha
e outro na travessa do Parn-meiriin para o Ar-
raial.
3350 com a pintura dos chafarizes, apenas
principiada e ainda nao concluida.
15058S0 com um reparo no reboco da caixa
d'agia na ra do Pires, e diversas despezas miudas
no encanauento da cidade.
E 24055W com os concertos de torneiras e bc^s
dos ciiafarizes.
Por mais cuidadosa que seja |a fisealisage da
directora, esta verba de despera continua a ser
frequentemente repelida, creio que por causa do
poueo zlo empregado pelos guardas vendedores
d'agua. Para prevenir esle inconveniente entende
que no contrato da futura arrematago se deve es-
tipular a condigo de licar aquella despeza em to-
do caso a cargo dos arremataules, alim de que le-
nliam elles maior cuidado em responsabilisar os
guardas na razo dos prejuizos quo esles lhes de-
rem.
Obras que se devem fazer.
Por proposta do meu digno antecessor decretas-
tes que fosse elevada altura de mais tres ou
quatro palmos as paredes do agude, para que, aug-
mentada a presso d'agua no encanamento, fosse
remediada em parte a escassez, que se vae notan-
do. A directora, porra, julgou prudente nao en-
cetar esla obra antes de ouvir a opinio de pessoas
professionaes que assegurasse um resultado van-
tajoso.
Foram ouvidos os Ilustrados engenheiros Dr.
Jos Mamade Alves Ferreira, e Dr. ervazio Cam-
pello Pires Ferreira, que no seu parecer nao reeo-
uhecem que se possa tirar da obra as vaniagens
desejadas, e opinara pela collocago de outra linha
de canos ou edilicago de urna caixa d'agua que
para maior economa poder ser de ferro, licando
orgada a respeciva despeza em 30:0005000.
Este parecer prestado com a melhor vonlade e
desinteresse, pelo que mu grato me confesso aos
seus autores, resolve indubitavelmente a questo
do abastecimento d'agua nesta cidade na sua maior
forga. E na verdade, qu indo nao se queira cons-
truir outra linha de canos, indispensavel a fac-
tura de, pelo menos, mais urna caixa de deposito
no centro da cidade para satisfacer o grande con-
sumo, e prevenir os oasjs de alguns desastres
na linha existente.
Mas coosideraado-se que o levantamento do agn-
de, obra alias facillima e barata, posto que nao
abastera, pode rem-diar por algum lempo o es-
casseamento dagua na cidade, e Iraz outras van-
lagens, jas* noto embaragar a creago dos vege-
laes no IgudeTprevinir os casos desocas, van-
lageus que nao se devem desprezar, evidente que
essa obra deve ser eita em todo caso e sem de-
mora, ainda que, consgralos os seus bons resul-
tados, se tenha de construir nova caixa de depo-
sito, como necessariamente se ha de fazer, porm
com mais vagar e calculada economa.
Mas convira que essa caixa seja de ferro T Eis o
quo se deve examinar com todo cuidado e pruden-
cia, consultando nao s aos professionaes, como a
ligo que nos lem dado a pratica.
As observagoes que sobre taes assumptos me
foram benignamente miusiradas pelo meu digno
antecessor, e que com o mencionado parecer offe-
rego vossa apreciago. me parecen) to conclu-
dentes, que me dispensain de accresceniar outras.
Todava convm notar : primeiro.quo se tem ob-
servado iimadininuigo tao sensivel do vulume de
agua no presente vern, que este facto por si s
dos ministra a necessaria experiencia para tomar-
nws desde j medidas de preveocao contra a sc-
ca ; segundo, que a extineco dos vegetaes pela
allura das aguas no agude de grande inleresse
para a conservacao de sua limpeza, que hoje se faz
cora muito despendto ; e terceiro, quo se o levan
lamento do agudo nao der o augmento d'agua na
cidade na razo de 8 10 por cenlo, indicado as
observagoes do meu antecessor, bastara que dando
cinco, ou ainda menos, dos ponha fra das contin-
gencias do vero, pois que durante o invern nao
rae consta que houvesse reclamagoes sobre a es-
cassez das aguas. E si for decretada a obra da
caixa d'agua, a directora lera lempo para poder,
sem precipitag), ou desassombrada, principiar os
trabalhos preparatorios, bem como a compra de
terreno, reunio de materiaes. exames de orga-
menios e invesligacdes sobre o modo de sua mais
econmica execugo.
Nao me inclino construego da caixa de ferro,
apezarda dilTerenga de prego, porque, alm de ou-
tras razos, ella de menor duragao e indubiiavel-
raente viremos a obler agua anida mais ferrugi-
nosa do que a que lemos actualmente.
Nj que levo dito nao pretendo, nem me seria
possivel, combater a opinio dos dignos engeohei-
rosquenos obsequiaram com seu luminoso pare-
cer ; mas pens que o desejo de econoinisar que
os aconselhou a preferir o ferro alvenaria deve
ser posto de lado para edificarmos urna obra mais
duradoura, e que mais convenha salubridade pu-
blica, posto que assira tenha de fazer a companhia
maiores despezas.
Tambera julgo indispensavel a collocago de
urna grade de ferro fechada por um ou dous por-
les na frente do agude, para impedir entrada de
animaes no descuido, ou na ausencia dos guardas,
e para prevenir ouiros inconvenientes que por bre-
vidade dexo de mencionar.
Esta obra, com o levantamento do aterro e pare-
does do agude deve ser, a meu ver, executada com
preferencia a qualquer outra, e quaoto antes.
Fundo de reserva.
O governo imperial uo dignou-se, at esta dala,
resolver sobre a represeDtago, que por vossa del-
bcrago Ihe foi dirigida em 13 de Janeiro docor-
rente anno, pediodo a substiluigo do arl. 40 dos
estatutos, alim de pdennos constituir o fundo de
reserva com tres por cenlo da renda liquida, sendo
elle applicado a accumulacao dos juros, e com-
pra do arges da companhia. Entretanto, de con-
formidade com o que resol vestes as sessoes pas-
sadas, tem a directoria continuado a empregar o
fundo de reserva em apolices da companhia, como
se demonstra pela raaneira seguinte :
A importancia at hoje arrecada minia na quan-
tia de 4:8145801 rs., a saber: 4:3795865 que fo-
ram empregalos em 68 acedes, das quaes 50 exis-
tan) compradas no anoo da administracSo finia,
pelo custo de 3:2075200, e 18 acedes que foram
compradas neste semestre pelo prego de 655000
cada urna, cuslando ellas 1:1725666 Ti., incluida a
despeza de sello c corn-lageni.
Resta em dinheiro a quantia de 4045935, que
com a de 3515 rs., que brevemente se ha de re-
ceber do 32" e 33 dividendo das 68 acedes na im-
portancia total de 8185935, ser enipreg.ida em
outras aegoes, ou, na falla destas, em apolices da
divida publica, e provisoriamente posla a juros
em um dos baucos.
Despezas eventuaes.
Sob esta verba licou designada no balango quo
vos foi ltimamente apresentado a quantia de rs.
9:141:5202, que se devera ter recolbido a um dos
bancos, correndo os juros da praga ; mas a direc-
tora deixou de faze-lo, 'porque naquella poca os
bancos recusaran tomar dinheiro a juros; e alm
disto a directora esperava a definitiva deciso do
governo imperial sobre o fundo de reserva.
A importancia total de 14:4485907 que no pre-
sente balango figura sob o titulo de despezas
eventuaes ser posta juros, se assim o appro-
vardes, logo que baja algum estabelecimento de
crdito publico que se resolva a pagar juros: e o
taremos conforme as circumstancias que occor-
rerem.
t'ncommenda.
Deveno haver no deposito os necessaros sup-
priineutos para se acudir de prompto a qualquer
ruma que inesperadamente appareca as obras
da companhia, e para a factura das que forem no-
vamente determinadas, raandaram-se vir de Ingla-
terra 350 canos de ferro de 4 e 5 pollegadas de
dimetro : 18 torneiras de 4, 5 c 6 pollegadas ; 12
rolos de Dos de raanilha branca; 50 barras de
chumbo ; 50 barricas com cimento de primeira
qualidade, e 100 gales de oleo de linhaga.
Esta encomiuenda ainda nao foi salsfeita, e por
isso nao me acho habilitado para iutormar-vos em-
quanto montara sua importancia.
Arrecadu^uo do producto das pennas d'agua.
Este servigo, por cosiume amigo, era feilo pelo
amanuense da secretaria Marcolino Jos Pupe.-
No podendo, porm, este empregado, por causa
do accrescirao das pennas d'agua e distancias em
que residem os contratantes, dar conta da arreca-
dago sera grande sacrificio de sua parle, e pre-
juizo do servigo, representou directoria, allegan-
do que aquelle trabadlo, alm de estar fra de suas
obrigagoes, havia se tornado incompativel com o
servigo de escripturago, e com sua assistencia no
espectivoescriptoro. Alm de que, aehando-se j
elevado o numero das pennas d'agua, sua procura
continua a ser frequente e prometle um augmento
ainda mais considravel.
Por estas razoes a directoria em sessao de 15
de junho do corrente anno marcou provisoriamente
a quota annual do 2005000 para gratificago de
quem promovesse essa arrecadagao, al que na
presente sessao da assembla geral fosse tomada
alguma resolugo pelo modo que vos parecesse
mais conveniente.
Cumpre-me lembrar-vos que um porcenlagem
de 2 por oento, por exemplo, sobre o produelo ar-
recadado das pennas d'agua, ser gralilicago suffi-
ciente para remunerar a um fiel que seja da ron-
tianga do nosso digno caixa, e que sob a responsa-
behdade deste, possa dar conta desse servigo com
a conveniente promptido.
Aqu convm dizer-vos que as razoes indicadas
teem influido muito para que a arrecadaco nao se
ache em dia. Para regularisa-la mister arran-
jar-sa a escripturago, e a cobranga, de modo que
o* quarteis de todos os contratos sejam venclveis






Diarlo de PeraaMkne* ~. segunda felra M de Novembro de lt4.
nos mesmos nrasos coatar de Janeiro. Oeste mo-
do, facilitada a cobranca, se poder com exactido
fechar a escripturagao da receit* de cada semes-
tre no fim dos mezes de abril e outabro.
Transferencia de accoes.
For.im lavrados e assignados dorante este semes-
Pclos une cji'tom
a pagar.........
Lucros e perdas
Pelo liquido que se
applicaao actual
dividendo......
tre doze termos, pelos quasso'efTeituou a trans- Per dito dita as
ferencia de 141 teches. O seu preco regulou de despezas do se-
655 68 rs., por cada orna ; quantia esta pela
qual foi realizada a ultima venda. Da relacao jun-
ta conhecereis os actuaes accionistas e o numero
de accoes que cada un delles possue.
Dividendo.
Em consequeneia do que dispoe o arl. 40 dos
estatutos, cuja reforma, como ticoudito. anda nao
4:082*030
35:2085000
guinte semestre. 14:4185907
------------------592:3835758
Escriptorio da companhia do Beberibe 18 de
uovembro de 1864.
O escripturario
Marcelino Jo* Pupe.
Beberibe, para o semestre do Io de uovembro de
1864 M de abril de 1865, e 2 do auno finan
etica da companida.
I1ECEITA.
Saldo em caixa em Io
de n o v e m b r o de
1804..
Dito de pennas d'agua.
podemos conseguir do f overno imperial; c mesmo Orcamtnlo da reeeita e despezada companhia do
em cumprimento do que deliberases na ultima
sessao, nao se pode fazer actualmente um dividen-
do maior de 350U0 por accao, o que ven a ser o
mesmo que dividir um por rento ao mei sobre o
capital de 56501)0. que cada urna deltas representa.
Alm de que, feiloo dividendo por este modo, re-
mos constituindo maior fundo disponivel para fazer
face (tanto quanto for possivel) aogrande dispendio Rendimenlo dos chafa-
que seremos obrigedos a realisar cum a projectada rizes e Meas....
caixa d'agua e outras obras.
Or^jmcftfo.
Do orcamento v-se que a reeeita e despeza
para o semestre seguinto estao calculadas, salvas
as despezas imprevistas, ou que forem novamente
decretadas, sobro bases conheeidas. Dessc or ca-
nten lo e do balanco que o acompanlia colhereis os
esclarecimenlos (pie escuso repetir.
Concessiio gratuita.
Conhcrendo en as diili< uldades com que lata a
Santa Casa da Misericordia, para vencer as gran-
des despezas que pesam sobre as rendas iiisutH
cenles do patrimonio de caridade, cujo cofre se
conserva sempre alcancado ; c convencido de que
51:2035892
38:1605000
8:9075372
98:2715264
DESI'EZA.
Follia dos dividendos
de semestres ante-
riores ..............
Dita do 33 dividendo
35000 poraego...
Veneiniento do escrip-
turario da compa-
nbia................
Dito dos administrado-
4:0825050
32:2085000
os vos.-os senlimentos, si nao ?ao mais, sero tao res das obras.......
piedosos como os daquelles que dispensam urna Jornaesdos traualhado-
6005000
1:3505000
Io palmodeallura
contendo .... 2968 palmos cbicos en-
che em___.... J3"
! 3194 W
3> 3428
4." 3670 J5'
3920 jy
6. 4178 38'
I? 4178 30'
8 4178 30-
0." 4178 a ai-
lO. 4178 32'
38070 p. c. enche em... 274'
11 4178 3J-
12. 4178 3j-
13. 4178 33'
14.' 4178 33-
15.* 4178 3V
16. 4178 u-
17." 4178 ai-
18.' 4178 35-
19.* 4178 :6'
20." 4 78 37'
. 4 78 38'
22.* 4t78 38'
23. 4-78 39-
24. 4178 39-
25." 4'78 40'
parle do seu alimento para matar a fume c sede
dos enfermos indigentes, atrevo-me, nao obstante o
que j foi aqu decidido, a pedir o vosso consent-
ment, para que se am distribuidos diaria ogratui-
tamnte 90 baldes d'agua pelos pobres do hospital
Pedro II.
res empregados na
limpeza do acude e
do encanameuto fra
da cidade..........
Porcentagem do caixa.
Dita para o cobrador
das peunas d'gua (se
fr approvada)
Expedieote e asseio do
mesmo.............
Coneertos das obras ge-
raes da empreza....
Fundo de reserva......
Despezas evenluaes....
Saldo.................
Do abaixo assignado que vos apresento veris
que urna grande parte dos accionistas, cine nao po- A| do -
deram comparecer a esUi reuniao, sao de accordo c.,>oA,anla .J. A
que a companhia de Beberihe faca este acto de ca-1
ridade, eedeado a favor dos pobres una pequea j
porcao dos seus sempre crescenles, rendimentos e j
coadjuvando deste modo os esforcos de muitos que |
procuram dar todo desenvolvimenlo possivel aquel-
la tao piedo-a nslituicao.
A vossa generosidad* para comigo, genitores, se-
gundo creio, nao permittir que julgueis mportu-
na esta ininha proposta. E' um padre que em no-
me dos desvalidos vos pede nina ofTerenda, e que
em notoe de Deus vola agradecer.
CONCLUSAO.
Nao devendo abusar da vossa alteneao com par-1
tieularidades que eslao ao vosso alcance, concluo
aqui este imperfeito trabalUo, a>segurandovos que
se nelle nao encontiardes todas as informacoes ne-
cessarias, deveis altribuir esta falla ao receio de
prolixidade, e principalmente a defeito de memo-
ria, mas nunca da vonlade, que a tenho mui sin-
cera, para ministrar-vos de prompto, com o pres-
tante auxilio iie meus dignos collegas da adminis-
trara", quaesquer informacoes que por ventura
exigirdes.
Escriptorio da companhia de Beberibe, 25 de no-
vembro de 1864.
O director,
Padre Antonio da Cunha e Figueiredx
Illm. Srs. accionistas da companhia de Beberi-
be.A commissao fiscal desta companhia exami-
nando a escripturagao relativa ao semestre que
acaba a (indar no ultimo de outubro do corrente
anno, achou-a em orden) e asseiada, apresentando
os saldos do balanco, pelo que de parecer que
seja este approvada
O estado da companhia parecendo salisfatorio,
tendo crescido os seus rditos, e fundos de reserva
e disponivel, sein quebra dos dividendos, entende
esta commissao que a actual administrac.no bem
tem merecido da companhia pelo zelo que tem ti-
do pelos seus negocios ; e assim de opinio que
se Ihe preste um voto de agradeca enlo.
Recife, 18 de novemhro de 1864.
Joo Ignacio de M. Kego.
Luiz Antonio Vieira.
Jos Pies Ferreira.
VemonstracSo do movimcnto da caixa da compa-
nhia do teberibe no semestre findo, do 1 de mato
31 de outubro de 1864.
4505000
7635493
1785147
1805000
1505000
2:0005000
1:000500O
14:4485907
A saber :
DKinro.
Por saldo em caixa em
1 de maio de 1861. 43:8185530
Pelo quo recebeu dos
arrematantes dos
chafa izes e bi ca s
d'agua............. 38:0665638
dem dito das penas
d'agua contratadas
com diversos........ 7:1305413
dem dito do bario do
bario do Livrameo-
lo por canos de ferro
que se Ihe fornuceu. 285000 45:2255051
89:0435381
CRDITO.
Pelo que despenden.
com o seguate :
Reparos no acude e
oulros lugares...... 1:1405130
Ordenado do escriptu-
rario............... 6005000
Dito dos administrado-
res das obras........ 1:3501000
Folia de conservadores
do acude............ 423536o
Impressdes e expe-
4592600
Aluguel do escripiorio. 18059 Porcentagem do caixa. 763*493
GratiUraco ao cobra-
dor das penas d'agua 1005000
Bestituieoes de peanas
d'agua aos arrema-
tantes............... 1:6965640 6:7135223
Compra dedezoito apo-
lices da companlua
por conta do fundo
de reserva .......... 1:1725666
Pagamento do 32 divi-
dendo .............. 28:9775600
Dito de ditos ainda nao
pagos............... 9765800 31:1265466
Por saldo em caixa que
passa^ao seguinte se-
81:2035892 89:0435581

Escriptorio da companhia de Bebenhe, 18 de
novemhro de 1861.
O caixa.
Thomaz d'Aquino Fonceca.
Balanco da companJiia do Beberibe em 31 de outu-
bro de 1864.
DEBITO.
Empreza do en-
canemento.
Pelo custo........
Apolices da com-
panhia.
Pelas que perien-
cemao fundo de
reserva.........
Caixa.
Por saldo que pas-
sa ao seguiute
semestre.......
536:8005000
4:3795866
51:2035892
----------------592:3835758
Capital.
Por t0:736 aegoes
5050j0.......
Fundo de re-
serva
Peto que se anha
liquidado as se-
mintes especies
a saber :
Em 68 apolices da
companhia.....
Em dinheiro......
Dividendos de
semestre anterio-
res.
CttEDITO.
536:8005000
4:3795866
4645935
98:2715264
Escriptorio da companhia do Beberibe 18 de
novemhro de 1864.
O director.
Padre Antonio da Cunha Figueiredo.
Vice-director.
Justino Pereira de Farias.
O caixa.
Thomaz d'Aquino Fonseca.
Secretario.
Padre Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Maooel Custodio P. Soares.
Dr. Joao Jos Pinto Jnior.
Jos Pereira Vianna.
Domingos Antunes Villaca.
Dr. Jos Bernardo G. Alcoforado.
Illnis. Srs.Satisfazendo a commissao que Vv.
Ss. nos encarregaram de indicar os meios mais
convenientes para augmentar o abastecimento
d'agua a esta cidade em qualquer hora do dia, te-
mos a informar o seguinte :
O encanamento actual, pelas suas dimensoes e
pressao devida elevacao do acude, nao pode for-
necer mais que 2,50n baldes d'agua por hora, o
que correspondo a 60,000 por dia, no enlamo que
o consumo diario do 20.000 pouco mais ou
meaos.
Acontece, porm, que em certas horas do dia o
consumo regular de 4,000 baldes pouco mais ou
menos, e nao sendo os clufarizes alimentados ge-
nio pelo encanamento geral, que apenas fornece
2,500, necessariamente resulta nesgas oeeasloes,
grande escas>eamento d'agua nos chafarizes mais
baixos e falla nos mais elevados.
Nestas circutnstancias, pois, o meio mais regular
e seguro para evitar aquello mal, ser o estabele-
cimenlo d'uma segunda linha do encanamento de
igual dinienso ao existente, desde o acude at a
cidade, ou a snhsiituicao do actual por outro de
i dupla capacidade. Bsse segando meio ser boje
' de, (lillicil execueao, ltenla a necessiilade de nao
interromper-se o fornecimento d'agua cidade, e
por eonseguinte o primoiro u sem duvida o mais
conveniente, e de mais fcil execncao.
L'ma outra obra de grande e argente necessida-
de para a companhia 6a eunstrueco de urna caixa
d'agua no centro da cidade, a qual ter a dupla
vantagem de tornar meos sensivel a falla d'agua
qne actualmente so sofTre, e evitar os elfeitos de
alguin accidente no encanamento, em virtude do1
qual se nao receba agua por espacode vinte e qua-!
tro horas.
A execncao dessa obra consideramos tao til e
odispeasavel, que entendemos dever ser empre-
hendida o mais breve possivel, e para esse iim
apresentamos as seguintes bases :
A caixa ser colloeada no bairro de Santo Anto-
nio, (como mais central) as proximidades da na
Nova, onde passa a linha geral da encanamento.
Dever ser de ferr fundido com 5/8 de pollegada
de grossara, forma rireolar de 53 palmos de da-
metro, c 29 de altura, em chapas de 4,1 do palmo
sobre 3,1 piuco mais ou menos com franjas de 3.5
pollegadas de largura, ligadas conveniente por pa-
rausos. O fundo licar em nivel de 8 palmos
cima do encanamento geral, e ter um orificio de
12 pollegadas de dimetro, ligado a urna torneira o
encanamento especial para esgotar as aguas da
caixa e comluzi-las ao rio. A entrada d'agua para a
caixa se effectuar porum encanamento de 1 pol- ]
legadas de dimetro, que munido de urna torneira
correspondente se ligue caixa na altura de 8 pol-
legadas cima do fundo, ficando por essa forma
meio palmo d'agua moita, para ahi se depositar o
ferro e mais corpos que por ventura tenham vindo!
em suspensao n'agua. No centro da caixa e vert- j
clmente ser assenlada urna columna de ferro !
fundido de 29 palmos de altura c 8 pollegadas de!
dimetro, com mpia pollegada de grossura, refor-'
cada convenientemente em as alturas, onde se liga-'
rao 9 grupos horisonlaes de 6 raios cada um, for-1
mados estes de barras de ferro de urna pollegada
de dimetro, e ligadas s paredes da caixa por ore-
Ihas de ferro fundido que devem te.r as pegas cor-
respondentes da mesma caixa. Se: coberla a j
caixa cum (binas de ferro rugadas e galvanisadas, <
sustentadas por urna armaco de ferro'augular.que I
se firmar as beiras da mesma caixa.
Para abrigo da caixa ser construida urna casa
terrea de pedra e cal com o vio interno de 70 pal-'
mes de compriment", e 60 de largura, tendo as pa-
redes 3 palmos de grossura e 46 de altura, que as-!
sentarlo sobre aheerces de 8 palmos de profundi-
dade, com 8 de largura na baso, e 4 em cima. Essa
casa ser tambem coberla de folhas de ferro galva-'
n:ada?, o sustentadas por urna armacao tambem
de barras de ferro planas o angulares.
Para collocagao da caixa, sera convenientemente
preparado e solidificado o terreno, e construidos
os pilares precisos de alvenaria,' ligados por travs
de madeira, onde assenle a caixa, de forma a po-
derse em qualquer lempo visitar e reparar o seu
fundo.
Toda a obra da caixa de ferr, com a casa, tor-
neiras, canos c mais accessoros temos oreado em
30:0005000 e temos conviccao de que se nao exce-
der essa somma. Em qua'nlo, porm, a segunda
linha do encamento geral al o acude custaraessa
obra mais de 200:0005000.
Suppomos ter cumprido o que nos foi exigido
pela companhia de Beberibe, restando-nos somente
os bons desejos, de que possam merecer a alteneao
da mesma companhia as considerarles que aciina
temos feilo.
Deus guarde Vv. Ss.
Recife, 27 de agosto de 1864.
Illm.'. Srs. director e mais membros d'adminis-
traco da companhia de Beberibe.Jos Mamcde
Alves Ferreira.Gervasio Rodrigues Campello.
Observaciio sobre o maior abasteetmento d'agua
cidade de Recife e seus contornos.
A caixa da ra dos Pires tem 72 palmos em qua-
dro e 2o de altura, mas como tem pela parte inte-
rior as paredes mais grossa=, e pilares para sus-
tentar a abobada, s pode conter na sua totalidade
100.740 palmos cbicos, e de agua viva para for-
becimento da cidade 62,670, eonsiderando-se per-
dida a agua dos 1" 10 palmos, correspondente
altura em que ficam as bicas dos chafarizes.
A entrada d'agua na mesma caixa, eTectua se
pela man eir seguinte :
62670 p. c. enche em... 533'
Somma total 100740 enche em 808' ou 13 horas
e 28 minutos.
Este resultado foi conferido pelo engenheiro Da-
vid William Bowman quando pela primeira vez se
encheu a caixa, porm creio que nao houve exac-
tidao quauto ao augmento do lempo que progressi-
vamente se deu, porque devendo ser conforme a
presso que se opera no encanamento, deveria nos
15 palmos de agua viva que comeea em 32 minu-
taos, o acaba em 40 ser constantemente de 0,6 5
minutos por palmo.
Dando portanto o encanamento para o primelro
palmo de agua viva 4 78 palmos cnbirosem 32 mi-
nutos, dar em urna hora 7833, e em 24 horas ...
1880 0 e em 7 horas e 39 minutos 60000 ou 20000
canecos, que actualmente o maior consumo.
Digo o maior consumo, porqne sendo o rendimen-
! to liquido dos ehafanzes para a companhia de____
i 76:0005000, dando-se para lucre e despezas dos
'arrematantes 15:2505000, importa toda a agua for-
necida em 91:2505000 p"r anno, ou 2505000 por
i dia, correspondente a 2500 canecos a 20 ris cada
um; e se a este numero de canecos accrescentar-
mos os 5500 das peunas d'agua contratadas, tere-
57:4105597 mos o somonte o total de 18000 canecos.
I Se se elevassmeas parede do acudes4 palmos, (1
40:8605667 caria dando o encanamento em visia da presso
que se observan na caixa d'agua, em lugar de
4178 palmos cbicos em 32 minutos, ou 7833 por
hora, os meemos i-78 palmos cbicos em 28 mi-
nutos, ou 8953 por hora, dando assim mais 120
palmos cbicos por hora, ou um augmento de '4,4
I por enlo, ou em oulros termos, dar-se-hia ao con-
sumo os 20000 canecos ou 60000 palmos cbicos
em 6 horas e 42 minutos era lugar de 7 horas e 32
minutos.
E se ao mesmo lempo se abaixassem as bicas dos
chafarizes 2 palmos, o quo corresponde a mais 6
palmos de elevacao, teriamos em lugar de 4 78
palmos cbicos em 32 minutos ou 7833 por hora os
mesmos 4178 em 25 minutos ou 16017 por hora,
apparecendo assim um augmento de 2911 palmos
cbicos por hora, ou de 28 por cento, istu dar-
se-hia a populacao os 20000 canecos ou 60000 pal-
mos cbicos em 5 horas e 59 minutos em lugar de
7 horas e 32 minutos.
Pode ser que esto calculo nao seja exacto, por
ser feito vista da pressao d'agua que se observou
naoccasiao da endiente da caixa da ruados Pires,
mas se a pressao for somonte na razao progressi-
va de 0.615 minutos por palmo de altura na mes-
ma caixa, como cima tenho indicado, ento tere-
mos, para a da 4 palmos no acude, urna differenca
de 2,46 minutos, e assim em lugar de 4,178 palmos
cbicos em 32 minutos, ou de 7.833 por hora, os
niesmns 4,178 palmos cbicos em 29,54 minutos
ou 8,486 por hora, dando o augmento de 653 por
hora, ou de 8,4 por cenlo, fornecendo-se assim os
60000 palmos cbicos em 7 horas e4 minutas em
lugar de 7 horas e 32 minutos. E se ao mesmo
lempo se abaixassem as bicas dos chafarizes 2 pal-
mos, em lugar de 4,178 palmos cbicos em 32
minutos ou 7,833 por hora, os mesmos 4,178 em
28,31 minutos, ou 8854, por hora, apresentando o
augmento de 1021 por hora, ou de 13 por cento,
forneceudo por conseguinte os 60000 palmos cbi-
cos em 6 horas e 53 minutos em luar de 7 hor as
e 32 niiiintos.
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactirts.Um motivo ponderoso me obri-
garia hoje a oceupar extensamente as columnas do
seu Otario a proposito do resultado, que Uve do
mea acto do quarto anno da Faculdadede Dircito,
se os motivos, que derem lugar a es nao fossen asss conhecidos do publico.
Entretanto son toreado a escrever algumas pala-
vras de reconhecimenio ao Sr. cons'lheiro Lourei-
ro, cujo nome ja um verdadeiro epigramma.
E nem u poderla deixar de manifestar-me reco-
nhecido para com um carcter tao extraordinario,
para coin proced ment tao nobre e honroso como
os do ir. conselheiro.
Era-me impossivel esconder a mlnha gratido
para com aquella quo sabe tito hbil e gemosamen-
te fingir amisades, e bondades patornaes, que nun-
ca Ihe forain pedidas, e que ainda meliior sahe le-
vantar a sua mao de algez no momento supremo,
em que tem attrahido a si capciosa e traicoeira-
mente a conllanca de que para realisar o se'u pa-
pel.....
Ha hornens a qoem a natureza negou a propria
autonoma, e fadou-os para servirem de instrumen-
tos despresiveis e baixos de caprichos e vingancas
infames.
O Sr.jionselheiro ajudou a realisar as mais alias
asplracoes de ahnasinhas pequeninas e vis, e ri-
se de. v-las exultarem ; mas nao vio qua alguera
ao pe de S. S. ria-se tambem de o ver descer tao
baixo.
Esse alguem a opraiao publica, que fulmina
muitas vezes n'um sorriso terrivel a sua tremenda
condemnaco.
Quando aquellos, que devem dar exemplos de
elevacae de espirito e nobreza de senlimentos pra-
licam tao dignamente, quando as caes despem-se em
Arroz.
.....O pilado da India vendeu-se
a 25000 por arroba, e o do Ma-
raoho de 25600 a 35.
Azeite doce.....Vendeu-se o de. Lisboa a 25500
o galio, e o do Eslreilo a 25500.
Carne secca.....A do Rio-Grande do Sul vendeu-
se de 15000 a 45400 por arro-
ba, ficando em deposito 97,748
arrobas, e a do Rio da Prata ven-
de dezembro prximo vin-
Bacalho..
ferida para o dia !
douro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
Duco, Jt de novemhro de 1864.
O secretario,
A. F. da Aimunciaco.
subdelegada do 2* distrieto do tormo de A-
gua Preta 18 de novemhro de 1864.
fican-! nr esla subde!ef?ac'a ** aeha depositado um ca-
d emi deDo VenB^^auSd^S%0,^do dos Mon,es foi Tendido "r ^ncisco Cana-
IvSmSSSfm rSlho n0' f? por ladr0 deposito 5,000 barricas.
Batatas.........Venderam-se a 15600 rs. a ar-
roba.
. Bolacliiuha...... Vendeu-se a 45500 a barriqui-
nha.
i Caf...........dem de 65500 a 75300 a ar-
I roba.
Cha............ dem de 15650 a 25300 a libra. Benedicto Marques da Silva, por execncao que Ihe
Cerveja......... dem de 55500 a 65000 a duzia move Domingos Jos da Silva j a ultima praca.
es seguintes : ruco sujo, com a cabe-
ra pedrez, castrado, andador.
Arremataran.
No dia 29 do corrente, linda a audiencia do Illm.
Sr. Dr. juiz municipal da 1 vara tem de ser arre-
matado um mulatinho por nome Joaquim com ida-
de de 16 anno?. avahado por 8005, penltorado a
Farinha de trigo.
praca
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento
S!KaSsde *uerra ',recisa co'"p o* **
de garrafas.
Retalhou-so a
de Baltimore de
em deposito 1,600 barricas da
primeira e 3,400 da segunda, in-
clusive dous carregamentos che-
gados fiesta semana, um de Bal-
timore e o outro de Trieste.
Louca..........Aingleza ordinaria vendeu-se
com 335 por cento e 5 por cen-
to de abate por quebras.
Manteiga.......a mgleza vendeu-se a 900 rs. a
libra, e a franceza de 600 a 620
rs. a dita.
Massas......... Venderam-se a 55000 a caixa.
Passas........
Dleno dia da aureola da sua sublimidade para ves-1 ^as*as.......... ' tirem-se da lividez da corrupcao, bello ter preten- ^'J05......... Os flamencos venderam-se de
cues de regenerar e morallsar a mocidade
O Sr. conselheiro rise com elles.....eu al-
gum dia me rirel. A questao para mim de tem-
pe, e S. S. sabe que sou moco. Appeflo para o fu-
turo e o futuro ha de vir.
Recife, 19 de novemhro de 1864.
Luiz Fereira Maeiel Pinheiro.
De
e qualquer forma que se faja o calculo sem-
pre se ha de achar um augmento nanea inferior
de 8 a 10 por cento, elevamio-se o ajnde mais 4
palmos, e ile 13 por cento abaixando-;e ao mesmo
lempo as bicas dos chafarizes.
A maior aliura do acude pode fazer-se pouco a
pouco, o com pequea despeza talvez pouco exce-
dente a t :0005000, porque s consisle em elevar
com cal etijolo a muralla da mente que j se aeha
feita, eem alterar mais esleespaco para Ihe servir
de encost, e os outros lados onde for preciso,
com o barro, ou Ierra do moiile que Ihe lie.a con-
tiguo, aproveitando-se para este servico a coadju-
vaco dos serventes qu" all existem. Alm disto
ainda produz oulros eReitos de alguma considera-
(io que muio-conveni ser aproveitados, porque :
primeiro, ficando com maior altura d'agua, evita
mais a aeco do sol no fundo, o a creaco dos ve-
Setaes que apparecem nos lugares mas baixos, e
continuamente necessano arrancar, o deilar fra:
segundo, facilita e mais proniptamente pela rnaior
pressao o forca da corrento no encanamento, a
limpeza deste, as oceasioes em que para este Iim
so abrem as lorneiras : tercelro, augmenla con-
sidciavelmente o deposito do mesmo agude para
os acasos de alguma secca, ou diiuituiicao na sua
nascente, pois tendo esto pouco mais um menos,'
400 palmos de frente, e 1000 de comprimento, ele-
vando-so mais 4 palmos, oblem-se um excesso
d'agua de 1:6005000 palmos cbicos ou 533:331
canecos, que por si s pode supprir a populacao
por 25ou30 dias.
Muitos jnlgam esla obra depouca ou nenhuma
importancia, e que o maior abasteeimento n'agua
s se pode dar com um segundo encanamento, c
na falta per ser mais dispendioso, com a construc-
co de depsitos em cada um dos bairros da cida-
de. Ningoem duvida que os depsitos intermedios
na extenso da linha do encanamento ajudam mili-
to em todos os seus pontos a pressao d'agua que
nelle se opera, como a experiencia est mostraudo
rom o que existe na ra dos Pires, mas nao os
julgo por ora de grande necessidade, arhando-se
ainda bem prvida a populacao de toda a agua
precisa em oito ou nove horas, como j se tem
demonstrado, atormento fazenda-se a obra no acu-
de que tenho indicado. Quando o consumo for
crescendo exigindo maior fornecimento, far-se-
ho os depsitos que forem convenientes e indis-
pensaveis. E' verdade que os depsitos tambem
servem para supprir a falta do encanamento,
quando por qualquer accidente seja necessano fa-
zer nelle algum concert, itas para isto j existe
o da ra do Pires, e assim como se tem despen-
sado outros no vos pelo espaco de quinze annos,
pode anda por algum temp'o continuar a falla
delles, sem receio de grande transtorno. E' ne-
cessario conciliar sempre as despezas com os inte-
resses da companhia. O que convm tomar-se
desde j medidas de prevenco, isto aceumuian-
do fundos com applieacao a esses depsitos, para
quando forem precisos nao se desfalcar de momen-'
to e de urna s vez os dividendos dos accionistas,'
e mesmo queja se v escolhendo os lugares em
que devem ser collocados, para segurar a sua ac-
qqisico, e evitar que outros se apoderen) delles.
Tambem sou de opinio que a sua ronslruccao,
quando se levar aefTeito, deve ser de alvenaria,
coberla com abobodas, e nao de ferro, como alguns
indieao a titulo de menor despeza; primeiro, por
que duvido muto que custem s melade dos de
alvenaria, sendo necessario fazer-lhe iguaes ali-
cerces, e um telheiro ou casa, onde fiqueni encer-
rados, com paredes sainetales para sustentar a
coberta : segundo porque se o encanamento ape-
zar de nao ter communicajo com o ar, est con-
tinuamente largando ferrugem ou cascalho,
cora muita mais razo isto se dar, em um lugar
aberto, ora com agua, ora sem ella : terceiro por
que taes obras devem ser feitas com toda a segu-
ranga e duracao, sem necessidade de maior vigi-
lancia para sua conservacao : e quarto finalmente
porque sondo de alvenaria, podem-se ir constru-
Indo pouco a pouco sem lempo limitado, e receio
de delenoraco, proporcao dos meios pecuniarios
que se derem.
Creio ter demonstrado minuciosamente a minha
opinio sobre este assumplo, mas como posso es-
lar engaado, eu a sujeilo aos juizos mais escla-
recidos. Recife, 18 de novembro de 1864.
Joao Gonqalves da Silva.
25000 a 25300 cada um.
^bao..........O ing-ez vendeu-se de 140 a 150
rs. a libra, e o do Mediterrneo
a 250 rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se o de Lisboa a 8-5200
por arroba.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 1105
i a 1155 a pipa.
i Vmhos.........Os de Lisboa venderam-se de
1805 a 200,5000 a pipa, e de on-
tros paizes de 1805 a 1905000
a dita.
Velas.......... As de romposigiio venderam-se
a 540 rs. o pacote do seis velas.
Dcscoatos....... O rebate de letras regulou de 10
a 12 por rento ao anno.
WtMCggB A PEDIDO.
Basiliano de Magaihaes Castro, convidado pelo
Diario de Pcrnambuco de hoja, a apparecer na pra-
ca da Independencia ns. 6 e 8, para ali buscar urna
carta ; e verificando nao ser urna carta que Ihe
queriam entregar, mas, sim, a empreza deste Da-' rreteg......... Para o Canal a 455 por cento,
rio que procurava por esta forma cobrar-lhe urna
conta contrahida (lo finado Jos Fernando da Cruz;
declara alta e poderosamente, que nao Ihe pagar
semelhante conta, pela qual nao pode ser respon-
savel : dinja-se, por tanto, a empreza a inventa-
rame dos bens d.iquell- finado, nica habilitada
pagar o que realmente se Ihe deve.
J nao a primeira vez que sou encomraodado
por credoresem idnticas circumstancias, que nao
se querem desengaaar de que nao sou obrigado a
essas contas.
Recife, 26 de novembro de 1864.
para Liverpool, pelo lastro, 17
6 5 por cento e 3/ 5 por cento
por librado algodo.
MOfIMENTO 10 PORTO.
Tendo fallecido Jos Fernandos da Cruz, e ficado
devendo anno e meio de assignatura d'este Diario,
e constando-no6 que o Sr. Baziliano de Magaihaes
Castro fra instituido seu testamenteiro, elle pe-
dimos este pagamento, independente de ser ontrem
o inventarame dos bens do fallecido, por enten-
demos que a qualidade de inventariante nao dava i
direito ao pagamento ; por quanto o inventario de-
via ser feito por quem firasse de posse dos bens,!
sem que Ihe Uniese a qualidade de testamenteiro;
por tanto parece qua a nossa exigencia de paga-
mento nao fra falta de proposito, e para que pos-'
samos exigi-lo, rogamo-lhes queira indicar quem
o deve fazer.
Navios entrados no dia 26.
Rio Grande do Sul 33 dias, brigua brasileiro
Amelia, de 288 toneladas, capilo Joaquim An-
tonio do -occorro, equipagem 12, carga 11,000
arrobas de carne; a Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
Rio Graude do Sul40 dias, brign escuna nacio-
nal Joven Arthur, de 145 toneladas, capitio Ma-
noel Jos Presidio, equipagem 11, carga 8.868
arrobas de carne; a Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 C.
Iquique116 dias, barca insleza Premier, de 307
toneladas, capilo G. H. Cother, equipagem 14,
carga salitre ; ao mesmo capito. Veio refrescar
e segu para Cork.
Iquique56 dias, barca hamburgneza Francisca,
do 368 toneladas, capilo C. Decker, equipagem
16, carga salitre; ao mesmo capilo. Veio re-
frescar e segu para Falmoulh.
Liverpool-51
Para o arsenal de guerra.
10 leaces de lati de 10 libras cada um.
20 cadinhos de n. 10.
20 ditos den. 12.
200 meios de sola.
Quem quizer vender taes artigos aprsenle snas
propostas em carta fechada na secretaria do conse-
lho administrativo, s 10 horas da manha do da
3 de dezembro vindouro.
Sala das sessesdo conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 25 de novem-
bro de 184.
Antonio Pedro de S Barreta,
coronel-presidenle.
Sebastiao Antonio do Reg Barros,
vogal secretario interino.
Era cumprimento do an. 20 do regiment
interno da junta dos corretores desta praca se ha
de proceder a eleieiio da junta para o anno prxi-
mo futuro, no da 20 do corrente mez. Praca do
Recife 25 de novembro de 1864. O secretario da
junta, Frederico Guimar.ies.
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade sao convidados, de ordem da mesma cma-
ra, os proprielarios d*s terrenos onde se acha pro-
jectado o passeio publico entre o edificio do gvm-
nasio a a ponte denominada do Starr, afiui de que
apresenlem na mesma secretaria suas propostas,
indicando os palmos que cada um de seus terrenos
tem de frente a de fundo, e bem assim o preco
que por elles exigem.
Secretaria da cmara municipal do Recife 23 de
novembro de 1864. 0 secretario,
Francisco Canuto da Boaviagem.
Quarlo-feira 30 do corrente, finda a audien-
cia do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da 2" vara, lem
de ser arrematado um pequeo sitio no lugar do
Barro, fregu'zia des Afogados, com duas peque-
as casas de taipa, arvoredos de fructo, tendo a
casa porta e janella. com a frente para o sul. ara
quarto. coziuha fora, ludo avahado em 4005, pe-
nhorado a Manoel Goncajves Teiles a sua mulhcr,
por excugaa de Maria Francisca Olympia Bap-
tisla.
Cosme Jos dos Santos Callado na ra do Vi-
gario n. 8 saca sobre a praca do Porto.
No dia 29 do corrente mez, dopois que se
findar a audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz municipal
da Ia vara, tem de ir em praca para ser arrema-
tada a armacao, e mais pertences da fabrica de
chapeos da ra da Cadeia do Recife n. 46, assim
como urna percas de chapaos da diversas qualida-
des, tudo avahado em 1:3535-
E' infeliz opaz em que para se cobrar a as- :"vw|kh>i-oi das, bngue ingle Alma, de 232
signatura de um jornal, que devia ser pago em i lonelas. capilo Thomaz Mnller, equipagem 10,
quaneis adianlados, espera- seis quarteis e ain- carKa carvao '> a Thomaz GifiVrees.
que se sujeite actos! Aniyrsr58, d,las' escuna fc''- d
too toneladas, capitao y-uerken, equipagom 7,
carga mercaduras; a Roihc Bedonlac
Navios saludos no.mesmo dia.
Rio Grande do Sul pelo Rio de Janeiro brigue
nacional Sympathia, capilo .Manoel Albino de
, parrilha de Brisml: os Cimas dos paizes I U^l^?^ SS'capi.o P.
) o laboratorio de todas as enferm.dades i Hansen, carga assucar c algodaT
cutneas e ulcerosas. E esla pois a razao porque Liverpool pelo Rio Grande do Nort i-barca ingle-
esta preparaeao, que os subiuga com urna segn- ,., i ',.:,:. ,, ,,.,., ,, Z, h
dado proverbial littmlmente indispensavel Tanto L "?"' r^T "\ l''i10 l';U''U'1 ,a
no Brasil como no resto d'America he'spanho.a. I^^oTr^''^ ^^ *-""
As escrfulas em todas as suas terriveis formas j Ancios enfre
da assim nao se recebe sem
judiciaes.
Da Redacro deste Diario.
Salsa parrilha de Bristol.
A salsa parrilha de Bristol: os climas dos pai;
trpicos sao o laboratorio de todas as enfennidades i
TISE4TH0
adns no dia 27.
Aracaty-11 dias, palhahote nacional Santa Cruz.
de 01 toneladas, capit'io Jos Victorino das Ne-
vos, equipagem 9, carga algodo e outros gne-
ros ; C. C. da Cost Moreira,
Rio-Grande do -ul 35 dias, patacho brasileiro
Salcipucdes, de 229 toneladas, capilo Manoel Jo-
s Machado, equipagem 12. carga I4:000arro-
-Grande ^m^Wftttl horas,
vapor nacional Jaguaribe, de 442 toneladas, com-
mandanle Manoel Joaquim Lobalo, equipagem
30, carga algodo e oulros gneros.
Liverpool por Lisboa29 dias do primeiro e 21
do segundo porto, vapor inglez Saladin, do ;
toneladas, commandante Robert Go.lsoe, equipa-
gem 23, carga Hiendas; a Saunders Brothers
c C,
promplameiile suecumbem mediante a applieacao
deste pudoroso agente detersivo, as chagas se cu-
ran), as erupces desapparecem, as conjuncturas
contrahldas recobrara sua elasiicidade, as inllam-
inagoes e tumores se desvanecem, os cancros se
all va por meio da salutfera operacao deste gran-
de punlicador e curativo vegeta'; naosupprimindo,
mas sim extinguindo completamente.
man & Kemp, Nova-York, e acha-se venda n
lujas de i.aors & Barbosa e de Bravo & C.
gQMMEaOO.
Alfaadega
Rendimentodo dia 1 a 25.......
dem do dia 26 ...............
615:2055610
17.8125221
633:0175831
Cardiff65 dias, brigue inglez Sagelta, de 275 to-
neladas capilar. Willion, equipagem II, carga
carvao ; a Wi:son & He.
Tioviuieio da alKandesa
Volamos entrados com fazendas.
com gneros..
Volumessahidos
com
com
fazendas..
gneros.
2.(9
432
41
530
------571
671
COMPANHIA
no
O caixa desla compatiliii commendador
Thomaz de Aquino Fonseca acha-se autori-
sado a pagar no seu escriptorio ra do
r Viglrio n. 19, das 10 horas as li da larde
Escuoa hamburgueza-Gau/-gencros de estiva., do dia Io de dezembro prximo em (liante
Descarregam no dia 28Je novembro
Barca francezaRnpide mercadorias.
Brigue inglezllebe of Ihe Ejedem.
Brigue portuguez Cohckao de Martafarinha
de trigo.
Brigue portuguez Lata //-mercadorias.
Patacho inglez Artuxerxe mercadorias.
Galera franceza Adele idem.
Nao houverarn sabidas.
Brigue nacional -Alfredo-carne de charque.
Brigue InglezAlinacarvao.
Importado.
Brigue nacional Alfredo, entrado de Montevideo,
consignado a Marques Barros & C, mauifestouo
seguinte :
3,000 qnintaes castelhanos de carne secca de
charque e 60 couros seceos vacuuns; a Marques
Barros & C.
554 quintaes castelhanos de dita dita : ao capi
tao Ignacio Goncalves do Lima.
Patacho nacional Bom Jess, entrado do Rio
Grande do Sul, consignado a Maia & Espirito San-
to, manifestou o seguinte :
9,138 arrobas de carne secca de charque, 275
ditas de graxa em bexigas e 16 barricas com 104
arrobas de sebo coado ; a ordem.
Reccbedorla de rendas Interna*
geraes de Pernambiico.
Rendimento do dia 2 a 25....... 20:4485394
dem do da 26................ 1:419813
21:8685207
Consulado provincial.
Rendimentodo dia 1 a 25......... 49:1575307
dem do dia- 26................ 1:0705579
50:2275886
PRAQA DO RECIFE
96 DE NOVEMBRO DE 1864.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio........Saccou-se sobre Londres de 26 .',
e 27 d. por 15000 ; sobre Pa-
rs a 355 rs. por fr., e sobre
Lisboa a 95 por cento de premio,
montando os saques efiectuados
Beato semana em 80,000.
Algodo........Vendeu-se o de Pernambuco de
165000 a 165500 por arroba,
e o da Parahyba, posto a bordo,
a 185.
Agurdente.....Vendeu-se de 705000 a 755000 a
pipa.
Couros.........Gs seceos salgados venderam-se
a 160 rs. por libra
o 33 dividendo desla companhia na pro
porcao de '.i$ por cada acea >, previne-se
aos Srs. accionistas que esle pagamento de-
ve ser em moeda de cobre que 6 na espe-
cie que o mesmo Sr. caixa tem recebido dos
arrematantes dos chafarizes desta com-
panhia.
Roga ao mesmo tempo os Srs. accionis-
tas que deixaram do recetor os divi lendos
al razados, se dignem de comparecer no lu-
gar indicado para recebe-los e saldar a
caixa.
Escriptorio da Companhia do Beberibe 18
de novembro de 1864.
O secretario,
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Companhia de seguros martimos l'til-
dade pulil ca
A direceo dando enmprimento ao art. 41 dos
estatutos convoca os Srs. accionistas a se renal-
rem era asserobla geral no dia 30 do corrente ao
meio da, no escriptorio desta companhia. Recife
26 de novembro de 1864.
Os directores,
Feliciano Jos Gomes.
Domingos Rodrigues de A.
Consulado provinei.il.
Pela mesa do consolado provincial se faz publi-
ss-- n m xa' mmm csw hbw 9
EMPREZA
GERHA\0 k (OiilllfA.
iV recita d assignatura
OTAKIl-FEII 30 Di; .NOVEMHRO DE 1861.
Subir scena pela primeira vez, o interessan-
te drama em 4 actos e i prologo, fundado em lac-
ios da historia mgleza, nos fins do reinado da rai-
nha Elisabclh, e no comeen do reinado do Jac-
ques I. Bomposicao do inedicto escriplor franrez
M. I. Id uchardy, venido cm portupuez pelo tra-
ductor do Crrelo de LySo, Marinheiro de San Tic-
pez e oulros :
0 FILHO DO CARRASCO
ou
MRINHEIRO BERTRfii
PEItS.NAGENS D PROLOGO.
Jorge........Germano.
Samuel.......p0rlo.
O conde Hamilion. pinto.
marquez Amorny .. Coimbra.
Jacfcson.......Teixeira.
Maria.......D. Anionina.
PERSONAGEXS DO DRAMA.
Jacques I, rei de Inglaterra. Lisboa.
O conde Amorny, governador
de Porlsmoulh .... Coimbra.
Jarkson.......Teixeira.
O capilSo Ricardo .... B'irpes.
Beriram, o marinheiro. Germano.
Samuel Warton.....Porto.
Marcel.......Gni maraes.
Mariana.......n. Antonina.
Lady Arabella.....D. Camilla.
A accao passa-se em Porlsmoulh na Inglaterra.
Terminar o espectculo com a graciosa co-
media em umacto, ornada de msica
A CORDA SENSIVEL.
Comecar as 8 horas
GRANDE BAILE PARTICULAR
NOS
SAfiOES
DU
CAES DE APOLLO.
Qii ntafeira, 1 de dezembro,
ANIVERSARIO DA MEMORAVEL RES-
TAURAgAO DA INDEPENDENCIA
PORTUGUEZA.
O proprietario dos saines do caes de Apollo, Joao
das lleves, festejar, comocostuma todos os anuos
este grande dia t de dezembro de "640, em que'
leve lugar a restaurarlo da independencia de Ptr-
tngal, cora um explendido coucerfo musical e um
sumptuoso baile, conformo o programma abaixo
declarado :
PROGRAMMA,
Neste dia, conforme de costume, o administra-
dor por seu amor patritico tem envidado todos os
esforcos de que pode dispor. afim de qur se achcm
os ditos saloes ricamente adornados, conforme pe-
de a pompa do da, com ricas llguras allegoricas o
trophos portuguezes, bem como as armas de to-
das as provincias. Havendo neste dia toda a iilu-
minacao i gaz, apparecendo os iranspar-nt^s, e
entre elles as vistas settuintes : Terreiro do Paco
em Lisboa ; o Tejo, com os navios de guerra bes-
panhes lazendo a mudanca das bandeiras hespa-
nholas pela portugoeza ; a praga do Roci, com o
palacio dos conjurados; a cidade do Porto, e ponte
pensil, com o bombardeamento de Villa Nova de
co que os 30 d.as estao marcados para a cobranca Gaia, no lempo do cerco ; a turre de porcellana, na
ro dT 1864 a I86o dos imposto;: da dcima dos pre-1 dade Iluminada com 400 bicos de gaz. A entrada
d.ON urbanos das fregnez.as desta cidade e dos do edifico estar ornada com um rico arco de
Afogados, e de 5 /. *ore i venda dos bens de gosto chinea, iliuminado a gaz.
raz pertenrentes a corporacao de mao morta, se A's 6 horas da Urde quando se arrearem os na-
pr.ncip.am a contar do de dezembro vindouro, vllhoes brasileiro, portugueze iUliano.se dar urna
licando snje.tos a multa de 6 / todos os contri-salvade Si liras, eachar-se-ha prsenle, debaixo
Inles que pagarvm depois de fmdos os ditos 30 de grande uniforme, a msica do 4baulhao de
i artilharia (completa), dirigida pelo insigne artista
Mesa do consulado provincial de Pernambuco, e mestre da mesma, Jos Dias Alves Branco afim
de nnvemhrn do MM de falr % oaMllienelaS.
dias.
26 de novembro de 186t.
Antonio Carneiro Machado Ros,
Administrador.
provincial se faz publico,
A's 9 horas da noute, dar-se ha principio ao
concert, tocando os hymnos brasileiro e portu-
guez, eem seguida riquissimas pecas de msica.
que a arrematacao da obia do aiterro da ra d ensaladas a capricho p'-do insigne'arts'para este
Lima na cidade Nova de Santo Amaro, foi trans-' dia, como sejam ricas cavatinas, operas, ouverturas
.



wrio _* Vermnmhne* Segn-* letr *8 df \Tnbrt) e i84.
todas.oras, o urna aria obrigada a requinta, pro-
seguindo em seguida o baile, com ricas quadri-
Itias.walsa, schoku e polkas.
O administrador dos saldo, em rirtnte do pro-
gramma, pede a todos os seos compatriotas e ao
publico era geral, que neste dra o e trela to ardua, e rogando a tudas as senhoras
que tiverem convite especial por caria, para se
apn sentaren) vestidas de branco, bem como, nao
podero entrar setn apreseniarera o carto do con-
vite.
O*pandes de ingresse, lano de eavalleiros como
de senhoras, podero ser procurados na ra do
Imperador n. 5i, al as 8 horas da noute do dia da
t'estividade, e dessa hora era dianlo uo mesmo
(alio.
Ser rumprido o regulamento do tiln. Sr. Dr.
(befe de polica.
AVISOS MARTIMOS.
LEILAO
DR
204 chapeos do Chtli
BMMl.
s li l|i horas, por intervengo do agente Pinto,
rna da Cadela n. 38. __________________
LEILAO
DE
CEBLAS E ABRO*
HOJE
O agente Pestaa vender por eonla e risco de
quem pertencer 50 caixas com excellentes cebol-
las e 25 saceos com arros do Maranho em lotes
vontode dos compradores, hoje 28 do corrente pelas
H horas da manha, no armazem do Annes.
10
cojtiPAanHiA
DAS
MESSVCERIES lintULES
No dia 30 do
r* ^^t* corrente mez es-'
pera-se dos por- lo da armacao, gaz,
tos do sul o va-
por francez Sa-
mare, comman-
danta Enout, o
qual depois
LEILAO
da
demora do eos-
turne seguir para Brdeos tocando em S. Vicente
e Lisboa.
Km S Vicenta ha tim rapor em corresponden-
cia rom ore.
Para frotes, condicoes o passagens trata-so na
agencia ra do Trapiche n 0.________________
Para o Ass
segu com muita brevidade o hiate Dous /rmaos :
a Tratar com Tasso limaos. _______
DE
Urna taberna,
Terca-feira 29 ds corrate.
O agente Pestaa legalmenlc aulorisado far le-
an da armacao, gaz, geiieros e mais utencilios
exigientes na taberna sila na praca da Boa-Vista
n. 24, muito propria para principiante : terca-fei-
ra 29 do corrente s 10 horas da manha na mes-
ma taberna.
Os prelendentes poderlo examinar os referidos
objectos nos dias 2o, 28 e 30 do corrente, das 1U
horas da manbia as 2 a Urde e na. a_li*-vespera
e dia do leilao.______
>_X^
DE
2,357 acedes da Gompanhia Pernam-
bacana.
Terca-fetra 6 de dezembro.
O agente Pinto far leilao por mandado do lllm.
Sr. Dr. jniz especial do commcrcio em virtude. do
que requeren os administradores da assa fallida
de Roslron Rooker C, de 2.357 arges da Cora
I
AOS 6:000,000
Bllhelc garaatldos
panhia Pernambucana de 1005 cada urna, em uro ; da portuna rua do
ou mais lotes a vontade dos compradores. a*l_ Acham.se T(;n(
A' ra d Crespo n. 23 e casas do costura
O abaixo assignado vendeu nosseus muito fell
zes bilhetes garantidos da lotera que so acaban
de exlraliir a beneficio da Santa Casa da Mi-
sericordia, os seguintes premios:
If. 240 nm meio com 6:0005080
N. 2074 um meio com 1:40051X10
N. 2694 um meio ora 3005000
F, outras muilas aortas de 1005, 405, '.'4 t
Os possoidora podem vir receber sena respec-
tivos premios sem os
m
C'agente de lebles Olympio, lem sen
escriptorio na ra da Cadeia do Recifa n.
26, primeiro andar, por cima do escrp-
torio dos Srs. Bollar & Oliveira (entrada
peto becco Largo.)
___________, 1.
Crespo n
.v.nda os da
h.ras d9dia supradiloa porlada AssociacaoLom-;der|ma totera a ^gnencio da matriz da
mercial. | Vista, que se exlrahir no da i* de dezembro.
Presos.
Bilhetes inteiros..... 7500C
Mema......... 35500
Qturtos,....... 15900
Para as pessoas que compraren)
de 1005 para eima.
Bilhetes........ 65500
Meios........ 34350
Quartos........ 15700
Manotl Martins Fiusa
_5 .*>S*S34>S* wZWZxSMQU 'SBl &.&&*-
Ao amanhecer do dia 20 de outubro do cor !
rente anuo de 1864, furtarara do cercado do en-1
genho Aldea, da freguezia do Rio Foriuoso um\
quarto de carga do mesmo engenho, o qual
roca poinbo, grande, castrado, nao novo, tem no '
olho esHjuerdo urna belide, c pouco ou nada ve
pelo dito olho. tem um callo velho no espinhaeo,
demonios "das es'na (Sal '"gar em que leve urna bexiga, lovnu o tpele cor-1
omuMHHu i tado renta, earrega baixo, e tem estampado no.!
te'rceira yarto da' l><0 direjto da anca o ferro do engenho em lettras ^^
a Boa- maiusculas como aqm se ve ALUt A. Amer-
avallos assim ferrados, nao sao tro-
SALSA PARMLRi M AVEN.
Trakscrf.vemos aqu alguns
dos muitcs altestndos que tomos
rerebido das virtudes da sato
parrilha do Dr. Ayer.
Hheiiuiaiismo.
d'ella
DK JOAO JOSt I10S SANTOS.
Guio Prelo.
c SofYi rliciimalismii por mili-
tas vezes, c vendo ainiunriad
(ita iim jornal desta cidade a
Saina parrilha de Dr. Ayer, re-
a comprar um frasco e fazer so
e ames de concluir 0 primeiro fras-
MISOS DREESOS.
VIUVA ROUTIER
faz publico que mudon seda sua residoncia da ra
Bella n. 29 para a mesma ra n. 39.___________
Para o Porto.
O brigue portuguez L'niilo sahe com muita bre-
vidade por j ter a maior parta de seu carrega-
uitinto prompto, e para o resto qne anda falta.tra-
ta-se com o ron-ignatario Jos Joaquim Lima Bai-
rao, na ra da Cruz n, 18._______^_^___
"COHFANHIA BRASILEIRA
DE
PAOUiBUBS A VAPOR-
Dos portos do norte esperado
al o da Io de dezembro o vapor
Cruzara do Sul, commandan-
te Alcanforado, o qual depois
da demora do costume seguir
para os |x<>rlos do sul.
Desdo j recebem-s passageiros e engaja-so a
caiga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser'embarcada no dia de sua chegada, eiicomrcen-
das e diiilieiro a frele at o dia da saluda as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Lniz de Oliveira Azevedo & C.
LEILAO
Terca-feira se do corrente s II
Iteras, a ra da Cadela arma-
sen! n. AS.
ti9 sem. limite
De urna porcao de tapetes de raz de esparto e
pecas de oleado para cima de mesa.
De umamobilia de Jacaranda LuixXV, nova.
Oulra de amarello, um guarda-vestidos de raogno.
EUZEHI4
vender seus objectos iropreterivelmente pelo njaior
nreco que aeliar.
LEILAO
Quarta-felra 30 do corrente s
1 a oras.
Cordeiro Simpes far leilao por conla de diver-;
sas pessoas, de varios movis, chrystaes, pianos,
cofre de ferro e outros muitos artigos que se torna i
enfadonlio menciona-los.
No armazem a ra da Cadeia da Recita n. 48.
cados oem vendidos, e os que forein encontrados CO, achti-m forte e sem sentir a DBH leve
; som ser servido do mesmo engenho sao furta- rjftr DOS jOOlllOS : a parte do COrpO que es-
dos, e devem ser apprehendidos; porlanto rosa- tava affecja(]a 4'eSSe terrivel eilCOmnaodrt
SirS?"nj2S 2SS SUS? i teS(,mB0-
vallos sejam apprehendidos e remeilidos ao admi-
nistrador daquclie engenho ou ao abaixo assigna-
do proprietario de mesmo engenho. que reside na
cidade do Recife, ra do Hospicio n. oO. Cidade
do Recife, 26 de outubro de 1864.Cietano Jos
da -ilva Santiago.
Caic\iro.
Precisa- e de um caixeiro de 14 a 16 annos que.
! tenha pratica de negocio, o d fiador a sua conduc-
ta : na ra da Imperalriz a. 10, toja de calcado.
Aos 6:0000o0.
Oninta-feira i de dexembro do corrente
2SM- a ,WM, 55*0,111 PER\ABl]C.\NO|.o
Alugam-se as casas da ra da Paz n. 7 o ra
Velhan 8, ambas com roromodos para ramilla : a
tratar na padaria da ra Direita n. 84.
v Dr. Carolino Francisco de Lima San-
deetma lotera (1!8') a benencio da mal VUV I UH r.l '**'?* *" M tos, contina a residir na ra do Itnpe-
da Boa-Vista, no consistorio da igreja de () baile anmversano desla sociedade te- ag rajor n. t7,2-andar, onde pode ser pro
Nossa Senhora do Rosario da freguezia der tagsr na noite do Io de dezembro pro-; J"
Santo Antonio. ; ximo futuro.
OS bilhetes, meiOS quartOS acham-se AlHga-se a can n. 16 na ra da Mangueira : I
tenda na respectiva thesouraria ra dojtratar na ra da Aurora i. 78 com Dr. Gabriel :|
Crespo n. 15. Aluga-se una boa rasa e sitio na estrada do;|
Os premios de 6:0004000 at 100000 | Monteiro com a frente para o oitao da igreja, pro-
j
m
Krnpces. horlmlhaN. pnslnlas,
ulceras, e todas as molestias
da pello.
DO SU. JOO l'ALLA DK ASMES K SOVZA.
Uiiutl' S. I'edro.Itio d* Janeiro.
t Soffria mais de dous annos de urna
erupeo sjpiriHtica em todo o corpo, inos-
traudo-sc sempre con niais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consullei
muitos mdicos, e eslava qtiasi desanimado
qtinnilo vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella o
nos prmeiros dias a erupfo aggravou-se.
para o exercicio de sna prolissao de me- Pprm antes de acabar o seRundo frssco ti-
i
serio pagos urna kora depois da *^\gJSgX32S
at as 4 horas da tarde, e os outros no da
seguinte depois da distribuico das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
LfJILAO
COMPANHIA BRASILEISA
DE
PAQUETES A VAPOR,
Dos portos do sul espera-
'si"^ ^u al dia ^ Jo corronle va"
'- ^ u/I^s. Pur Oi/apork, comroandanle An-
^r^^-J&fgJi ionio Marcelino de Pontei Ribei
^^BkW ro, o i|nal depois d;i demora do
costume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
car,;a que o vapor poder conduzir, a qual devora
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
meadas e dinheiro a frete ateo diada sabida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C?________
Para Lisboa
Pretende sabir com a maior brevidade o lugre
portugoeziu/to, para oque tem a maior parte da
carga prorapta, para o resto e passageiros a quem
offerecc os melhores commodos irata-se com o
ronsiguatario Ttiomaz de Aquino Konseca na ra
do Vigario n. 10, primeiro andar,ou com o eapito
,
Segu com pouca demora ao indicado porto o
hiate Uiulo Paquete a rtiegar do norte em poneos
dias : as pessoas que nelle quizerem carregar de-
vero enlender-se com antecedencia cora o respec-
tivo consignatario na roa da Cruz n. 23, primeiro
andar._________________________________,
-ara o Rio de Janeiro
O bem conhecido e veleiro brigue nacional Al-
mirante, eapito Jos Horeira Main, pretende se-
guir com muita brevidade, tem parte de sen car-
rega ment prompto : para o resio que I he falta e
xscravos a frele, para os qnaeS leal excellentes
roromodos, Urata-se com os seus consignatarios An-
i Lniz de Oliveira Azevedo 4 C, no seu es-
eriptorio rua da Cruz a. 1.___________________
Para Lisboa
O veleiro e bem conhecido brigae portuguez
Concetato de Marn, eapito J.iuuario Jos de Oli-
veira, pretende seguir com muita brevidade, tem
parte de seu carregamenlo prompto : para o resto
-jue llie falta trata se com os seus consignatarios -
Antenio Luizde Oiiveira Azevedo i C. uo seu es- caes no Apollo.
DE
Um cavallo, urna crroea e u boi
Qnarta-felra 30 do corrente s
13 horas
Cordeiro Simoes vender em leilao um grande
cavallo, bonita flgu"a, andador, para ambas as sel-
las, e una carrosa com boL_______^______
armacao e gazIlua do
Rangel
De urna
n. 23.
Por ordem do consulado de Portugal Ir a lei-
lao novamento a armacao, caixoes e gaz existen-
tes na casa n. 22 da rua do Raogel, pertencenie ao
pspolio da subdito portugus Agostinho da Silva
lVnry, c a casa garante|se ao pretndeme: lera lu-
gar o leilao noarta-feira 30 docorrente s 2 horas
em ponto, na inesma casa. ________________
LEILAO
Gertrodes Mara Pastora, Vrente r'errei-
ra da Luz, Marcolino Ferreira da Luz, Jos
Leopoldino Ferreira da Luz. Benigno Fer-
reira da Luz, Janoario Jos Barbosa agrade-
cer do intimo d'alma todas as pessoas que
se dignaram acompanhar ao cemiterio os
restos mortaes de seu presado mando, lilho,
mano e cimbado Erco Ferreira da Luz e
especialmente a ordem Franciscana a ir-
mandade do senhor dos Airtictos sob a rec^ao dos Pescadores, e de novo convida a
ouvirem urna missa e memento que se ha
de rezar na igreja de S. Jos de Riba-mar no
dia 29 do corrente, as 4 1|2 horas <1 ma-
nha, stimo dia do seu falleciinento pelo
qual sero eternamente gratos.
por ser muito fres-,
sive un bom solo.
estando de novo toda concertada e pintada, tend
o sitio porto de ferro, cochera, estribara, latrina,
cacimba com bomba de Japy : a tratar com Anto-
nio Jos Itodrigues de Soza, na rua do Crcsjio
numero 13. ^__________________
Attenco.
Alexandre da Cunha Coelho Catanho, professor
de msica, olTereee-se ao n-spe.ilavel publico para
afinar c concern! pianos por preco commodo : na
rua de Santa Therrza n. IK.
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca e estudo das
molestias do interior, proseuue, com o
maior afflneo, no das mais diffieeis o deli- W
cadas operac,es. como srjara dos ergaos ^
ourinarios, dos ollws, partos, etc.
curado a qualquer hora do dia o da noite y
para o exercicio de soa prolissao de rae- %._*
dico ; sendo que os chamados, depois de >0 tina o mal ilesapparecido ci-mpletaiiiente ae
meio dia at 4 hars da tarde, devem ser Jg todo 0 corpo.
Docron Don Jos Valdes Hemiera, profes-
sor DK MEDICINA I CIIU HJIA, SUBDELEGADO
EM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS-
TRICTO.Habana.
Certifico (pie he usado l 7.arza parril-
la del'Dr. Ayer, y como depurativo lie ob-
tenido de ella los* mas felices resultados en
Coslnriipas 'los casos de ulcera crnica, como asi mismo
Precisa-se do costureiras para trabalhar por dia ensayado las Pildoras catrticas del mismo
autor y las considero como um purgante,
cuya accin ademas de ser segura, lia sido
muy eficaz en el Iratamento de las enfermi-
dades qoe exsigeu el uso de los purgantes.
y no vacilo en recomendar eslas preparacio-
nes. Y para los fines <|ie puedan convenir
doy la presente en Regla a 7 de SetiemUe
de 18 (O.
Don. JosA V. Herrera.
escrfula.
ATTESTADO DO ILI.M. Sil. FRANCISCO FeU*/.
de 26
alinhavando costuras para a machina coser.
Trapiche da Gamboa
/Alfandegado por carta imneria'
de mareo de 1863.
Este Tantigo e importante estabeleeimenlo, um
dos mais bem montados desta corte, com va.-lissi-
mas casias para arreeadacao de assuraree e ou-
tros gneros nacionaes ou estrangeiros todas cor-
ladas por trilitos de ferro assoalhadas e forradas
de madeira com Guinchas em todas ellas para ar-
rumarlo e salimiento e generas, com urna ponte
sobre "o mar, de G00 palmos de eitrasao, com p-
timos guindastes, um pessoal muito pratico este
servigo, propoe-se a armazenar assucar em caixas,
feixes ou barricas pelo tenpo de seis meses por
40 rs. em arroba e em saceos 30 rs. ; as madeiras
de qualquer qualidade que forem nelie depositadas
DE
12 meias aguas edificadas de novo em
chaos proprios na travessa da rua
Imperial, rende cad una 7S.
GO rQgiRQ' SlSffJgg
por conla e risco de quem pertencer vender em
leilao 12 meias aguas edificadas era solo proprio
situados na travessa da ra Imperial, as quaes se
achara sem numero tendo ca la urna 1 porta, 1 ja-
nella, 1 sala, 1 quarlo e cosinha com a freoe pa- i
ra nm dos oitoe.s da casa Ceonhecjda Campello.)
Os prelendentes desde ja poderis exannar as
referidas casas o qualquer informar!) o mesmo
agente satisfar, rujo leilao ser efTerluado
Quiula-feira Io de dezembro
s 11 horas no armazem da rua da Cadeia do Re-
cite n. 48. ______ ,
LE1LU0
II'urna porro de madrira de pinuo parle do carre-
ipnuMitu da barca americana Malina
Quina-feira 1 dcdczem!ro.
R. C. Denham, capillo da barca americana Malina,
ltimamente arribada n'este porto, onde foi legal-
mente enndemnada, far leilao com licenca do ins-
pector da alfandega, em presenea d'um emprega-
do da mesma reparlicao, cora assisleneia do cnsul
americano, por intervencau do agente Pinto, e por
ronta c risco de quem 'pertencer, iruma porgo
de madeira depinhn. parte do carregamenlo da
dita barca, lana quanta fur precisa para occorrer
s despezas feitas neste porto, s 11 horas do dia
cima oito, no armazem do aro do Livnmento,
eriptorio rua da Cruz n. 1.
LIIL1S.

DE
16
SUISSOS.
LEILAO
DE
Um rico violao.
Quinta-felra I* de dezembro.
No armazem da rua da Cadeia do Recife
numero 48.
Cordeiro SimOes far leilao da nm rico violao
aparelhado de ouro e prata, craveii a de marfim e
caixa de Jacaranda._______________________
LeTiIAo
DK
Ciraode vaatagem.
quey >s
HOJE
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem pertencer de 16 queijos suissos em um
ou mais lotes a vontade dos compradores : segn- Grande vaatagem. Ao meio dia da-se bolos de vera
da-fetra 28 do crreme pelas 10 horas da manha fjma fabrica de cervejaic jogo de bollas na rua Xova de Santa Rita n. X
Aluga-se uina eser.va para eosiubar e com-
prar : quem precisar procure na rua da Impera-
lriz u. 41, primeiro andar.
Deseucamiuho.
Tendo se mandado buscar hootera |>or um preto
alto e rosto comprido, ao collegio de ^r. Dr. Mena.
na Tamarineira, um hahde folha de (landres de ">
palmos de comprido, cor de caf, novo, e com V-
chadura, contendo o dito hallo, os objectos lembra-
dos abaixo seguidos, e como n.io so tenli; sabnl
noticia alguma do dito preto. roga-se encarecida-
mente tanto s autoridades, como a oulra qualquer
pessoa apprehensao do dito liati que se pagarao
as despezas e seta generosamente recompensado;
na rua do Queiinado n. di, toja do r. Ruliu.
Nota.
1 leque de madreperola, i. atis, um de biillian-
te outrode diamante, 1 alliuete de peito com pedra
branca, 1 pulseira de coral lingindo cobra. I vol-
ta da coral com a e cruz, 1 par de argas de
ouro quebradas, pentes de tartaruga para segurar
cabello, i ditos de marrafa, 2 livros de ouvir mjs-*
sa, um de velludo verde, e o outro de coiiro, 1 al-
bura cora desenhos, 3 enlettes para caheea, 4^5
ou mais cm ouro, prata e. cdulas, 1 vestido de se-
da preta moreaiiliqu-, I dito de seda amarello, 2
ditos de chai y e 1 dito de la e seda, 1 dilo de
rambraia bordado, 1 dito de cambraia azul, mais 3
ditos de cambraia de cores, ipiasi duas duzias do
camisas para senhoras, I pares de calcas para se-
nhora. algumaa satas, porcao de midas, varios len-
cos, lavas, 1 caixa de tintas, 1 dita do Irascos de
chairo, 1 par de borseguins, 1 par de sapalos, l
esparlilho, corpmhos, 1 camisinlia bordada, 1 i
retrato de pholographia, urna imagenisinha de ;
Saiit'Anna, de raassa.
Recife, 84 de novembro de 1864. _______ j
Ao publico.
Constando-mu que o Ir. Francisco Alves Conti-
nho trata de receber diversas dividas pertencentes
Arma Alv.-s Coutinho j| Drando em liquida-
rao, e como o mesmo senhor n:o pode promover
taes recebimeotos, avisa aos devedores da predita
Tirina que o nico autorisado a receber esses dbi-
tos o Sr. Joaquim Francisco da Silva Junio-, ou
pessoa aulorisada por elle ruado Ainoira u. 46,
e aqnelles que despeito deste aviso pagaren ao
Sr. Coutinho, passaro pelo dissabor de pagarew
segunda vez.
Pernarabuco, 25 de novembro de 1864.
Jos Dias Branda
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : a tratar ua rua da Cruz n. 32.
PORlWeUEfaB!
Nossos maiores snstentaram trinla annos de
guerra cruel cora os Hespaahoes para collocareni
e manterem no tlirono a casa ducal de Braganea. O
dia Io de dezembro esta perto, esse Brande dia
em qne o valor de iiuarenta Portugueses arrojaram
para longe os exercitos dos tyramnos da llespa-
nha, e asseutaram io trono do's Hemiques e dos
Afon.-os, o ebefe da casa reinante de Braganea,
nao deve passar no esquenniento de ve ser feste- trapiches porque as condicoes para qualquer parle
jado por portuguezes e Brasileiros, com todo o en- da cidade sao pelo mesmo preco.
tliusia.-mo, nao devenios poupar esforcos, de nossa rio de Janeiro, l"do outunro de 1864.
paite ja dando brindis, bailes, soires ou parliru-
j lares ou publico, com tanto pie esto dia nao passe
no esquecimento.
nos Santos.Ouro l'rto.
t Me acho ha qnasi dous anuos afTeiiado
de escrfulas, e tendo soflrido tanto que al-
gtimas vezes qnasi que diego a desanimar
da vida e maldi/er da minha infeliz surte;
pagarao pelos prmeiros seis mezes o MHJM u.n|i() s(1|| t|..i;i(|o ^ nHlll0;; me.licos d'ea-
actualmeute pagan por tres meses nos demai
piches o dos semestres qu i se seguirem terao um
abatimento de 20 por cento -, recebe por precos
muito mdicos qualquer mercadoria romprehcndl-
da na stima tabella do regulamento das alfan-
degas. .
A venda do> gneros nelle depositados, fa/.-se
cora as niesmas vantagens que offeiecera os mais
m Portuguez patriota.
Precisa-se alogar urna
nliar e engommar : na rua
bsrna.
reta que saiba cosi-
da Palma n. 4!, la-

Precisa-se de urna ama de leile : na rua das
Larangeiras u. 10,casa de pasto: preferese sem
menino_______________________
Precisa-se de urna criada escrava ou forra
para todo n servigo de poucas pessoas : na rua da
Cniao n. 40.____
la cidade, e nenlium pode vencer a tcnac*-
dade de minha molestia, eslava sem esp-
ranfas de recobrar a minha saode ; quandto
ltimamente resolv fazer uso da Salsa par-
rilha do Dr. Ayer. Complelam-se hoje
trinla e sele dias que comecei com esto
sanie remedio, e tantas memoras tenho
sentido que lenliii eonviccao de em hreve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
lempo,
Syphilla e molestia mereuriaes.
Do Ii.i.m. Su. hit. Jac.kson.
Media muito cotilleado vas provincias d
sul da Brasil.
Teuho receilado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e semnre com os
mais eli/.es resultados ; 6 o inelbor alteranr
Gabinete Portaguez de
Leitura.
Por ordem da directora do Gabinete Por-
tugus de Leitura, convida aos Srs. sucios
effeclivos, subscriptores, honorarios e bene-
mritos dio me.-mo Gabinete, tiara que se
dignein comparecer na ijjreja do Divino Es-
pirilo Sauto, seguoda-eira 28 do corrente,
pelas 7 horas da manha, atiin de ouvirem
urna missa que manda celebrar a mesma di-
rectora, por alma do nosso socio honorario
o lllm. Sr. Dr. Antonio Goiicalves Das, ilis-
tinelo Iliterato tirasileno victima do fatal
naufragio da barca trncela VtUede llnlngtw,
era viagein do Havre para o Maranho, sua
provincia natal, as aguas da qual se dera
lao infausto aconieciinento.
Secretaria do Gabinete Portugnez de Le-
uira era Pernambucx) 23 de novembro de
1864.
Joaquim Ferreira de Araujo Guiraaracs,
{ secretario. ^_^__
Sani-Clalr
das ilhas ou os desterrados na ilha da Barra, ro-
manee dij-no le ser lido pelas senhoras por seus
lances interessantes poslos em excnCSo por urna
senhora, 3 voluines em broclnira a 23 : na livraa
na lis. 6 e 8 da praca da Independonca.
TINTURARA.
O t ntuiciro da nu do Rangel n. 38 a
sa aos seus fregueze* que mudou sua re-
sidencia para a rua Direita n. ilG, onde
Aluga-se urna rasa era Fura de Borlas, na
do Pilar n. 60, e mu sobradinbo na cidade de Olio-
da, rua do Bom-Fim : quem as prelender, dirija-' m "lut- connego. -
se a Fra de Portas, a tratar cora Manoel da Silva l^eucorrlaea e Sores braneas.
Neves. : Temos cartas em que nos conlam casos
; inveterados que foram radicalmente curados
; com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
Na rua da Moeda n. i>, segundo andar, precisa-
se de urna ama e.-trangoira-, de idadr, que eozinhe,
engomme e lave, tudo comperfeicao e limpeza:
a tratar na referida casa, das il horas do da as 4
da tarde. ^____ ____ _______
Precisa-se de urna ama qui
r engommar com perfeicao, para
de duas pessoas: na rua ('
Caixeiro.
Na rua de Apollo n. 4 sa dir quem precisa de
um menino de 14 annos, e que esereva solnvel-
ineulo. _________________
Precisa-se de nina ama para cozinhar e com-
prar em urna rasa de duas pessoas de familia :
na rna oslreita do Rosario n. 11, segundo andar.
rilha.
O espaco nao nos permute Iranscreter
todos os atlestados que possuimos das vir-
tudes d*esto extra,lo cotnposto de Salsa
parrilha do Dr Ayer. Hasta declarar ao
saiba coiinhar publico que tem sido embregado ha mais
casa de familia de vinle anuos pela profisslln medica lauto
n. 39. das Ameticas como da Europa, sem nunca
desmentir a sua alia repiilaeao.
ATTENCAO.
Aloga-se o sitio dos Burith" com o maclurasrao
g- lavagein de roupa, e tambem
Para
se vende o ina-
iminisrao so, OU perinuta-sc por predios nesta ora-
ra ; era chaos proprios, e ludo era bom estado : a
tratar na rua do Rangel U. 4, loja de loncn.____
"ITAinga-se nm eopeiro para hotel ou casa
a cura radical de escrfulas e affeceos
escrofulos, syphilis e molestias syphi-
lilicas, ulceras, feridas, cliagas,
erupcOes cutneas e todo e
qualquer incommodo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMKM A
SALSA IMHRILIli DE AYKR.
A' venda na rua Direita, ns. l, 2(5 e 7G;
rua da Quitanda n. ;! : praca da Consti-
tuiQao, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
drogarias do ims
particular, e um coznheiro para as raesmas ditas:' nrincipaes pliarmacias C
. .. quem prerisar, procure no largo da Assemblea .^
Vende-se em Pernambuco:
ua pharinacia fraoceza de
numero 16.
I'ergnata.
arrolamento
Tendo-se de proceder a um arrolamenlo de to-
eontinua a Ungir para qualquer cor e o i ^ as |M5SSoas n le*m ana proflssao qualquer,
mais barato possivel. para se Ihes inscreverem seus nomes por ordem
alphabetica no novo almanak que val s
UO armazem do Aunes.
LEIO
DR
122 caixas com figos.
Cordeiro Simes
or cont e risco de quem pertencer vender em
;.-ilo cerca de l caixas com figos chegadas ulti-
mament, em um ou mais lotes a vontade dos lici-
tantes.
HOJE. ,
s 10 horas, no armazem do Aunes larga da al
andega. j_____________________
Soledade.
Cordeiro Simoes, autorisado vender em leilao,
em um ou mais lotes, a vontade dos compradores,
a grande fabrica de cerveja, bem montada, promp-
ta a trabalhar, com lodos os seus pertences quasi
novos, sexla-feira 2 de dezembro ; na mesma fa-
brica.
Aluga-se urna ama que saina bem cozinhar,
e de boa condneta, preferindo se escrava : na rua
estreita do Rosario n 3, primeiro andar.
Aluga-ss um primeiro andar na rua da Pe
nha, e a loja, propria para negocio : a tratar
segundo andar.
JLI3U.AO
DR
Fazendas avariadas.
HOJE
O agente Pinto far leilao por ordem de diversos
e por conta e risco de quem pertencer de dffe-
, Hites fazendas inglezas avariadas a bords do bn-
t-ae inglez Harnato, rapitio Starkn*, as 11 ho-
.c Ac a\i ai-imdiio no armazem da rua da La-
de
ra
DE
0 pecas de riscado de algodo com
avaria.
Segunda-leira 28 de novembro ao meto da.
O agente Piuto far leilao a requerimento de
Mello, Lobo A C. em presenea e com autonsagao
do cnsul de Franca e por conla e risco de quem
%^L^*$$ i* quriri, U
meio dia do da cima dito no armazem da rua
de fazendas avariadas.
LDIL.AO
DE
Fabrica de sabao.
Sito na rna Imperial, edificio com espado
de 128 palmos de frente e 400 de fun-
do, incluindo 2 caldeiras com fornalha e
boeiros, com 270 jardas cubidas cada
um feitos de tijolo e cal.
Madera de pinho, resfriadores, perfazendo ao
todo 3,'0l> ps de empranchamento superlino cha-
peado com ferro.
250 ps de caldeira.
16 case s vazios.
1 guindaste para 2 tonelladas.
1 carangueiro com corrente, completo.
1 machina de for?a de licavallos.
1 bomba de 20 ps de canos.
1 serra circular com arraagao de ferro fundido
incompleta.
1 balanca, serra, 1 vlvula, 1 sino.
3 prensas de ferro fundidos c t tasque.
1 caldciroe 150 ps de cano de gaz.
Eixos, correias, tambores e rodas.
1 ramo de cano para a machina de serrar.
1 cubo, 400 ps de correntes e 6 quintaes
ferro velh.
Segunda-feira o de dezembro.
O agente Pinto far leilao requerimento dos
administradores da raassa fallida de Roslron Rooker
4 C. e por mandado do lllm. ?r. Dr. juiz especial
do comraercio de tortes os objectos cima descrip-
portugigzi:
Trinta annos do martyrio tivemos nos, desde
1580 a 1640, e de quera ? Dos tyramnos Filippe*
da Hespanha. Mas, houve um da em que os cura-
c,5es valorse* de quarenla ponuguezi-s qnebrarara
os grIlhSes dos tyramoos e depois, ajudados por
seus irmaas saecudiram os exercitos dos tynwos
hespanhes para longe, e arrancando oso-tradar-
tes de Hespanha de cima de nossas muraihas, os
subsliluiraiu pelos poriuguezes, o acoiupanhados
pelo sabio e uobre duquii de Bragauea, u eoiioca-
ram io ihrono de en< aves, debaixo do n.imc de
D. JooIV. Agora este Uia nao deve passar no si-
lencio se nao derdes regosijo alguin particular,
menos dirigi-vos nesla no'ue aos sale^ do caes do
Apollo, onde o digno e patritico Joan das Ifeves
prepara um sumptuoso baile em maolfeadacio de
to grande regosijo, e que esperamos que elle nao
se ha de poupar a esfor^os, como tem feito os au-
no trazados.
O Lusitano.
iuga-se
: por prego razoavcl um sitio por delraz da fundico
dos Srs. Starr & C, todo murado, cora duas entra-
: das, urna por aquelle lado e outra pela estrada da
iravessa do Lima, a sahir na estrada que vai para
OlinJa, dentro do mesmo sitio tem i casas, una
bastante grande, outra menor, e duas pequeas,
tem tambera um viveiro com bastante peixe, e di-
versos arvoredos, como sapotlzeiros, pinnas, ro-
manzeiras e eoqueros ote, etc.; fra do mesmo
sitio, encostado ao portan do lado da fundigao, lem
mais duas casas : quera pretender alugar, dii ja-
se aos seus propietarios Guimares & Alcoforado,
no seu armazem da rua do Amorira n. 54, nao pu-
dendo ser entregue a chave du mesrao sitio a quem
o tenha agora de o arrendar senao depois do da
18 de dezembro vindouro, por ter neste dia con-
cluido o arrendamento da pessoa que o havia an-
teriormente arrendado. Tambem se faz negocio
por venda com o mesmo sitio.
n0 | para o anno de 186", pergunta-se, pois.ao tambor-
| mor do batatlio de vendelhoes se qnando be cou-
ber a sua vez do ser apontado em dito almanak, ,
quer que se esereva o seu nome proprio ou os ao-,
paratosos ttulos de-seos tbllssemenls-Dispen-j
sando-nos todava de estamparraos as laudas do I
referido almanak a equestre figura da sua nclita |
t O quartel-mestre do batalhao
Jos Cardoso!
O subdito portuguez Rodrigo
de Parias retira se para o Rie do Janeiro.
P.MflURER 4 C.
RUA NOVA N. 18.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
i e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prolis-
sao medica, e com especialidade
subre e seguinte
i" molestias
2o
3o
offieiais
d
e existentes na mesma fabrica
aonde soefTectuar o leilao as
i cima dito.
da rua Imperial,
10 horas do dia
Vctor Mauleur, subdito italiano, vai ao Ma-
ranho._______________________________
^"Precisa-se alugar trm consinheiro e nm cria-
do que sejam escravos : na-rua da Cadi-ii n. 3*
andar._____________
Franrsco Antonio de Oliveira segu para
Buenos-Ayres, tocando no Rio de Janeiro.
fiiscravo
Precisa-se comarar um bom eservra e robnsto
para o servic.o externo de 20 a 30 annos da dado:
na na do Livramento n. 4.________________
Precisa-se~d ain ozkiheiro esware e paga-
se bem aaradando : na-rua da Madre de Dos n.
5o 36, primeiro andar, das 8 as 2 horas da tarde.
Alopa'siFnm sitio no logar do Canunlv No-
vo, rna da B*(ieranea que vai para o Manguinho,
tendo boa casa e muilo fresca, com 6 quartos e 4
salas no andar terreo, c 3 salas no sotao, o qual
tem 11 janellas, e por isso torna-so muito fresco,
e mais casa para banhos de agua de beher, casa
para criados, estribara, e o sitio todo ranradu e
rom boas larangeiras de umbigo : a iratar ua rua
do Destino n. 16.__________________
de ollios;
de perto :
dos orgias geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olbos.
Dar consultas todos os dias d si
G as *0 da _anha, menos nos do-
mingos.
Praticara toda e qualquer opera-
gao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Est ainda para alugar urna casa na ilha de
Bemhca junto a ponte da Pussagem, com comino-
dos para familia, banho, pintada, e pela barato
aluguel de 1504 por anno : na rna larga do Ro-
sario n. 36 se dir quem alnga.
B-m:i/EiRO
Na rua o Fogo n. 18 encontram-so offlciaes de
bahuleire disposto* a aeeitarem as vaolaioran offer-
tas que sa fazem no Diario de 26 do corrmte. En-
contra-se de tudo, obra m. regular e boa, para |
14 I*o00 e 24. conforme o tamaito do ohierto, e
assim elle possa satisfazor a ambicio dos nfflciaes.
assim se fara tamlie.m o preco mais mdico OU
mais elevado. fflanca-s3 servido bem felo. dis-
pensando se a graiillcaeo. As pessoas a quem
onvier, apparejV no lugar cima, que acharao
com quem tratar.
^^Ignorndose oude reside nest cidade o ai'
Dr. Jos Francisco Lopes Lima Filhn, e deseando- sa que achara com quem tratar,
su fallar-llie, pedese ao mesma senhor o obsequio T> BELLA.
de annunciar sua r-sidencia, ou de apparecer no Qualidades das l.ras e preces,
primeiro audar do sobrado n. 41 da rua do Quei- Jogos de casco para uiala? de 25 polle-
mado._________
Prensa-so de neiaos de hahuleim, na ro*
das Cinco Pomas n. 76, e pana-so pela tabella abai-
xo declarada : quera quizar dirija-se a mesniM ra-
Jos Doraingues, subdito portuguez. retirase
para o Maranh.io.
ra
Antonio da Rocha, subdito portuguez, vai pa-
o Rio de Janeiro. ____
Precisa-so de ama preta cozmhcira de boa non- i
dada : na rua do Queiinado n. 16, loja.
Radas
Dito para babus de 3 palmos 11 a 2 tez
pollcyadas .... ...
Encoraraentos do jogo de malas .
Moldura e encorainento feilo pelo mes-
mo ollicial..........
Encoramento de bahude 3 palmos 1|2 a
2 1(2 pollegadas, ....-
Com a vista c bmpeza da obra dar-se ! I alguma gratiQcaco.
I4''00
14200
24200
34--;oo
noo
mais

f


mano c r
segunda elra tic Xeveuibro de i 84.
Pechincha sem igual
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com yrande variedade de padres
pelo baratissimo prego de 4$ o corte.: na faja das
c lumnasrua do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
reia de Vasconcellos l C.
igfl COM.EMO VON RAFE, XO
,g)l PORTO,
Dirigido por J. Eduardo Von Hale c ma-
dama Vob Ha fe Vtsift colirio ad-
miliemse lumnas ialeroas e ex-
ternas.
Disciplinas ensinadas.
Lnsraam-se as seguintes disciplinas
Arithmelica. calhgraphia, desenho, geographia,
historia universal, histeria natural, canto e ailla
guas ranceza, ingleza, allema, poriuuez" a
tura, croch e bordado.
Ferias.
Ha as seguintes ferias :
A terca-felra do carnaval, 8 das na naschoa a
So"; nrH de,,,0SKda kHa0 WltoSKw
Tn? t selembr. e s "'timos oito dias do
iSivos S S ,aSDa0 san'fidos sao
I nS: a<|m's?3? Para as "mnas externas.
O prego das liges de ris 134500 nnr rada
tr.mes.ro ad.an.ado; nao se fazlSmlntoal
*f taUrmasarsq,Ual,,U,er m"V dei*arWeqaeB-
<|^ Ur0 "*'"'" durante, lempo coovencionado.
O ral legio fornece os livros necessarios e lodos
Para a testa.
Aluga-se um sitio na ma do Cabral da ci-,
dade de Olinda. cora casa terrea, com co-
piar na frente, bota os fundos para a estra-
da e margem do rfo Beberibe, com com-
modos para familia, estribara para cavallo
e capim para sustentadlos, arvoredos de
tractos, sem visinho defronte nem pelo
fun lo, com ptimos passeios, sala e gabi-
nete na frente, muito propria para passar a
[esta, e tambera se alujar por armo : a fal-
lar no Recife, na iivraria n. 6 e 8 da praca
da Independencia, e era Olinda na casa con-
tigua com o capito Antonio Bernardo Fer
reir.
Eusiue de preparatorios
O bacharel A. R. de Torres Bandeira,
professor de geographia e historia antiga
I no Gymnasio desla provincia continua a
ensinar philosophia, rhetorica, geogra-
phia, e as linguas franceza e ingleza, e
offerece o seu prestimo especialmente
aquelles mogos que sequizerem preparar
em qualquer destas disciplinas para os
exames em margo do aono futuro. O en-
sino subministrado pelo aBouneiaDle,
na casa da sua residencia, ra das
Cruzes n. 9, 2o andar.
WSlWr^, e ,0d0S A?na r,ona,VM "wtaBih de Mendonca, Er-
1 I li 111 r MI 4 I IA P* porque os ,i ffSSSXHE22? P?' pre5 Til"* ,'orcia dt **>nca Macedo e Luiz Foceca
ni I ?l I lili 1*1 i Src/onae, P 0eSlraDBe,ros como de Maced0 cordialmente s pessoas que
i tilll IJIU.IL / ,... ,., Mompanharam ao cemiterio publico o cadver de
As meninas ini.rn J? .rM- S-U et,remoso mariJ". P 8 sogro ; e Ihes rogara o
lic5esTue se drno rollar. Cipara? de todas aS P" t0,,e,|uio de ouvirein a ""*. 1ue """am
tfmEl&2!3l f zandoa wntgem celebrar pela alma do mesmo finad, as 6 horas da
lea, franceza o eniZ" *? linguas : m" i ma!iaa do dia 29 do torrente mea, na igreja ma-
o o ^l^L7^:^:un de -Nos?a Senhora d0 Ter-
10.1
Isaac Esnay
Fabrica do rap imperial.
Isaac Esnaty tem a saiisfagao do participar ao i u
respe.iavel publico que se acha estabelecido na ra' r cou"X.miraP" ''a* ,enao,?e
BT MPR5iT fabfCa H deD0,l,inado lhes .TStude! preciosas e S
..^.L:v.ER,AL' CUJ raPe fabricado igual ao urna senhora.
Os elementos que compoem esta preparacao, o
ferro, o iode c a quina, a collocSo no primeiro
grao das preparacocs ferruginosas. Basta attestar
seu resultados obtidos pelos .Mdicos dos hospi-
taes, e osrclatorios dos prcticos maisemincnles,
que confirma rao sua poderosa ellicacidade as
seguintcs affecedes:
e inculcar
necessarias para
rap de Lisboa e muito melhor por ser mais toni-1 Ellas serio'tratadas rnmn momhr a -
coem.uito ma.s agradave. acoaveoeldo o^r.|ao ^1^^^%%*^\
MIP4
JULIENNE
ra .Nova n. 8, loja do cha.
Ervilhas
francezas ra Nova a. 8, loja do cha.
eOKBVTM
(Passas )
muito nova para podios: a ra Nova n. 8, loja do
cha.
Um rapaz brasileiro com pratira de caixeiro
offerere-se para ser etopregado em loja de fazeo-
das, escriptorio, ou ontro qualquer estabelecimea-
to, dando fiador a sua conducta : quem precisar,
procure na fabrica da travessa do Carioca n. 2,
caes do Ramos.
O deno da antiga fabrica de charutos e ci-
garros, sita na esquina da ra de Hortas n 1, ten-
do feito reduegao nos precos de suas mercaderas,
convida aos seus fregnezes a virem honrar seu cs-
tabelecimenlo com devida proteegao de que carece
por se achar com um variado sortimento de cigar-
ros e charutos finos dos autores mais acreditados
da Rahia, cachimbos, fumo para os ditos, fumo >m
folha, fumo americano, dito dito em latas, e diver-
sos artigos para os fumantes, em quanlo a quali-
dade e prego garntese nao prejudicar os fre-
guezes.
Precisa-se de urna ama secca para tomar con-
ta de urna manca : na ra do II >sp icio n. 36
Na praga da Independencia, loja de ourives
n. 33, rompram-se obras de ouro c prata, e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert.
j cante da snnerioridade do seu rap, pela experien-
ca de trila annos que tem desle genero, e demais
o cerliucado junto para mais seguranga dos com-
J pradores o fabricante fica responsavel pelo bom
resultado do seu rap, garantindo ao mesmo lempo
o dmheiro do comprador que por accaso nao gos-
tar (o que positivamente nao de esperar) o sendo
este precioso rap digno do prego de tres mil ris
a libra porin como o principal desejo do fabrican-
te e de ganhar crdito em todo o imperio e tam-
bem para chamar atlengao dos amantes da boa pi-
tada como tambi-m dos exportadores deste genero
tanto para o mato como para outras provincias, li-
mita smente o prego reduzido de mil ris po'r li-
bra a retalho e em porgao de 10 libras a 900 lis
e em porgao de 50 libras a 850 ris e em porgao
.:,. r .------"""-1 .-cKHi empreganos a
2^ a hy"enu' ,laa,lo-se urna comida simples.
-*aoia e muito abundante. Em caso de doenga
cha.nar-se-ha logo o facultativo da casa ou outro
f::rsote^e deihes ^
ces r*nqm,^.an?Ue menDa ?eja ad,nillida ne"
cessano, que tenha de sete at quinze annos de
idade, e que nao padega molest.a ontagio"
oSEaS ^1"da-a,.umna inlerna a quantia de
Est Fuirido.
Hlmo no nangue.
r>a*|iiC7.:i.
Anrmlii.
Clilorane on Ictericia.
Meualruo.
\lfcccr do uti-ro.
SunprrKn5r dan rc-
Kraa c ilcMordca na
nieniHriiitro.
ARccco |iiilninnr e
phlhUlf.
Molcnllax ilV-((inm;o.
GaNlralitlHN.
Convalcaccnea de lan-
Kna inolcailan.
Molenllaa i irrnrulo-
naa.
rnprlra.
ObHlrucraa daa kIuii-
dlllUM.
Huniorcft frin.
llniiiiireN hnineofl.
Haililli'iiKt.
.%ffi-cr<-fi ranrrroim
e wyphllllleaa.
Fcltrra lyi>holdea.
Varile*, ele., ele.
l'erda d'appellle, rte.
Vejas se os bullelins de therapeutica medica
Contina a estar fgido o mulato acaboclado de
norne Marcelino do aballo asslgnado. Este mua-,
to e de altura regular, bstanlo reforgado do cor- e cirurgica de 30 de norembre ISGO; a Gazeta
po tem naos e pes grandes, cabello corrido, cara dos hospitaa de. 2 dejulho 1860, ele, etc.
Han? ES Cila.* barba P"uca- Iem lodos os i Alm das pilulas de iodurcto duplo de ferro e de
doiles, equando falla mais apressado gaguej, est! minina de RebiUou, os Mdicos aconsdho
lugiao Mi quarenta das : recommenda-se aos rs. igualmente o Xarope d'iodure duplo do
capitaes de campo o quiram pegar e levar ra
do Imperador n. 53, que serao recompensados.
Antonio Luiz dos Santos.
5r. Antonio Jos Marques, que mo-
"adre Floriano n. 41, queii
Independencia ns. 6 e 8
de 100 libras a 800 ris e em por o de 1000*Traa,l nua mente e as SJ!!Kli?P2 TS ,55,W0 an-
com o descont de neo por r'ento ou a tres mel IKSftaSStt ffS-W" e*la~
3Sdaba?itadaexa,ninada>approvadae tS&Se"SSSITSS3S
PittSfJW* as oslras(gratb).do 'SaTafiSSiB6""1*
335750 rs. por trime-iire um iri,7 i"-MM0 wuiu -uac maiuing, que niu-
deve ser SJSSSx *** CmeCad r0U na r,,a do Padre Fori-DO n. 41, queira
Se por qualquer motivo se quer retirar alguma vir a Prn,;a l,a '"depcni
aiumna do collegm, deve prevenirse o director 3 negocio de setl interesse.
mezes antes, devendo sempre pagar-se o trimestre --------:-----------i---------r
que segu o aviso. p u r se o trimestre Precis.a-so alugar duas escravas para
,5^J^es.*l5!?s.ic*.Paa?a mas 155000 an- ventlerpm na ra, as quaes sejam ptimas
nico
Ao meio dia dase bolos de vendagem : na
rna nova de Santa Rita n. 3.
m Mora n %%
seu rap lauto na fabrica como tambem o
deposito ra Direita n. 14 taberna.
Brev mente apresenlar a venda publica outro
rape fabricado igual ao que se fabrica nesla e an-
da para melhor, como tambem : rap princeza,
rap grosso e meio-grosso, tudo a pr^gos muito
mais reduzdos para mais animar os seohores ex-
portadores deste genero.
N. B. Nos dias de sabbado a fabrica nao se
abre.
CERTIFIOAOO.
Certifico que submettendo a exame a amostra
vendedeiras : a tratar no becco do Veras
n. U.__________________________
Aluga-se a I6(J mensaes a casa terrea
. n. 26 da ra do Forte : na ra do Crespo
'n. 15. l
ferro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gostao de medicamentos sob for-
ma pilular c os meninos. Este xarope nao tem
como o xaro|ie d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Pcca-se o folhcto que se da de graca em casa
dos pharmaceu ticos depositarios.
Para-se evitarem falsificagdes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
1 Si. ru du Bac, e em todas as boas pharmaciaa
de Franca a dos puizes estrangeiros, etc.
mmmmwmm
i una Nova
fcoja de madama fheardl
? P m.
Este estabeleclmento se acha hoje mais
8 1Me nuni-a bem sonido de objectos de
3J moda do melhor que pode vir ao merca- *
K do e nao se menciona cada um do per si j
por se lomar demasiadamente enfado- S*5i
._^> nho para seus numerosos freguezes qnan- ^j
ggj do lerem o presente aviso pelo que limita- iss
se em lembrar algnns aitigos, com" se- 8
P iam : chapelinas de cimas de palha de ^
mx Italia, de seda, de crep branro e preto yS
m para luto, chapeos redondos de palha da 3
0> Italia amarella e de outras cores para tjm
|g senhoras, ditos para meninos e meninas, ^
^ ricos cortes de blonJe, ditos de moreanti- 35
H que de diversas cores, ditos de seda, as- v#f
^k sim como sedas de cores para se vende- jS
R rem a corados, ditas escocezas, cortes de M
| vestidos pretos bordados a agulha, final- H
B mt-nta um variado sortimento du fazen- j
B Ja? "na* e grossas, na mesma casa fa- J
zem-se capas, manteletes, vestidos para Wt
xg nnivas, vestuarios para meninos se bap- W
tisarem e tudo quanlo perlence ao toilet M
^ de urna senhora e recebe-se Ogorioos to- $|
w dos os mezes das ultimas modas de Paris. j&
-H? Cama de ferro cm seus competentes ar-
^3^jo^.
oaha?0 de ferr Cm a comPe,enle lUCa-
6 camisas de dia.
6 camisas de noite.
6 saias.
3 saiotes.
3 aventaos de peito.
18 lencos.
12 pares de meias.
Peales.
Escovas.
Esponjas.
1 guarda-chuva.
1 estojo para costura.
As Diestras tanto para as meninas internas co-
moexteraas sao completamente habilitadas as
difTerentes linguas eera todas as prendas que per-
tencem a urna senhora. 4 v
LYCEU PARTICULAR
DIRIGIOO POR
J. Eduardo Von Hafe & P. F. Keghels.
0$ abaixo assignados, professores, associaram-se
para establecer n^sla cidade urna casa d* educa-;
gao, persuadidos de que assim serao mais habilita-
dos para cumprir todos os deveres da direccao de
um collegio. *
Ambos reunem em si as vantagens de grande
experiencia no magisterio, o de todos os estados
Ra do Imperador numero G9. m ^ZZtiZ1^1^
mmmm mmm Hdlsn^s,^-&i
- Alogam.se o sesundoe.erce.rc7SSSZ ^SkZTn^^^^i^VTL^'
ra da Imperairiz n. 3i, com proporgoes para nu- estabKmeuto! perlencem excltbivanienle ao
Ao pnlilico.
Torna para sua casa senhora, cujo marido foi
atacado na ra da Cadea em um sobrado do dous
IDE BISMUTIl ,
B9!>||*liik^;i^;l
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
do rap denominado Imperial, que apresentou a
esta repartigao o >r. Isaac Esnatv, fabricante resi-
dente na ra Imperial, casa n. 193, derlaron o pe-
rito nomeado para esse lim, o sr. Pedro Maurer,
que nao havia inconveniente algum em ser expos-
to a venda, atiento a que nenhum permeio nociso
comprometa a saude.
Inspectora da sade publica, aos 5 de outubro
de 186 i.
Dr. Ignacio Firmo Xavier,
Inspector da sade publica.
O bacharel
Hllil) IIAR
No armazem da bola amarella no oitao da se-
cretaria da polica, recebem-se encommendas de
fogo do ar para dentro e fora da proviucia.
andares, as 7 horas da noite, que para all ra superiores a todas as outras pre
passar o da ; o grande saflarao, dono da dita ca- bmuth empregadas antes com o maior successo
sa, nao pode conseguir dis/asa-los, que j muito pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir e
deseja fazer brinde a um seu amigo : o tempo curar as
de festa, alerta com elle I f I -.- ... .
niarrhran enronleaa. Maa dlffeitloca.
DjHneulerlaa. UaHlrlten.
Ddrea doldmago. GalIralKlaa, ele.
D>pep*laa.
Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
affecedes se manifesto ordinariamente por diga-
toes laboriosas, azidumes, falta d'appelite, pesos
d estmago depos de cada comida, caitnbras es-
tomacae*, c, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o dcscuido, trai ine-
vilavclmcnte, que seja :
MoIcMIhs de Osado.
A Ictericia.
ral (ii uu-:io de eoraeao
COMPRAS.
Compra-se ouro e prau em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes dapragadalnde
pendencia n. 22.

m
Francisco Augusto da Costa
*5
ADVOfiADO
merosa familia, tambem se aluga separado
lar na taberna do mesmo.
Aluga-se.
Alaga-se o 3o andar da casa da rna Dtreita n. 36
o quil tem rommodos para grande familia : a tra-
tar no 2o andar da mesma ou no Recife na ra da
Cadeia n. 3.
0 Dr. Francisco Pires tachada]
Portel la
MEDICO OPERADOR
FEL
l Facnldade de Paris
t Pode ser procurado ra Nova n. I
41, segundo andar.
Urna boa casa terrea para familia
est por alugar-se ra da Unio n.
39 : quem pretender dirjase ra
Ida Aurora n. 10. Tambem alugam-
se as lojas n. 44, ra da Aurora
H mmmm mm mm~
g| < .....lanilla Odcldade de
seguro martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de laneiro.
AGENTES EMPEPNAMBDCO
AbImo Lniz de Oliveira Azerede k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomain seguros de navios, mercado- 1
rias e predios no seu escriptorio roa da H
Cruz n .L
mmmmmmmmmmmmmm
Saques sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorisado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pragas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer soturna vis-
ta, e a praso ; podendo, os que tomarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Raneo, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou i
na ra do Imperador n. 63, segundo an- i
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
a Ira-j Tudas as reqosigoes legaes serao cumpridas
I para que os alumnos d'esta casa sejam admiltidos
a lodos os exames as academias e nos Ivceus des-
te reino.
Os directores nao se deseuidarao de nada, para
que os seus alumnos sejam bem educados, consi-
derando a religiao, a moral e a civilidade como
criterios de urna boa educago. K rcorapra-se pape Diario7pTga.se a 4J a ar-
Leitura amJSS^JLVSA i.,. ruba : na '"J'4 de 5^ ru:i da Imperalr ... 38
tica?, rimo,? ^'i' doulrina chr.staa, ar.lhme- ao p do becco dos Ferreiros.
tica (primeiro curso), grammatica portugueza.geo-
Compra-se ellectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na_rua larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-so dous escravos que sejam bos
carreiros : na rua_do Trapiche n. 13. .
Compra-se garrafas e botijas razias, a fabrica '
de licores a ra das Cruzes n. 36.
Compra-se ouro e prata, assim como concer-
ta se toda qualidade de obras da mesma qualida-1
de com promtido : na loja do paleo do Carmo n.
7, por prego com modo.
E.ibras esterliuas
Campram-se em casa de Juhnston Pater A C
ra do Vigario n. 3.
Compram-se moedas do ouro : na ra da
Cadeia do Recife n. 66. armazem de Ferreira (
Malheus.
IK',1 m nOM i I ii.
OppreHMOea.
Doren de cnbeea.
Irrliacoeii de bei lan e
da iiiaiii/, ele.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias o cural as quando sao tomados a
lempo.
0 preco de cada frasco i de i francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e cm todas as pharn.acas de Franca e dos paizes
estrangeiros.
FIGADOoe BACALHAU
&,
em
graphia e historia de Portugal.
Cinguas.-Portugueza, franceza, inglez, allemaa
C Id III]l.
Os estudantes das l.'nguas vivas aprendom a fal-
lar e a e.-crevu-las com elegancia, dando-se umes-
, penal cuidado ao estylo epistolar mercantil.
mm' Commercio.Escnpturagao por partidas dobra-
'4 ||U J_i ^
Peo processo de Uaerner, pbarmaeeolica
Paris, rita do Fanhoiiri) UonImarle 21.
Este oleo de titn cheiro agradatel, e de
um saborassucaradoo tnico que no lem
nem o gosto, nem o cheiro to pei.ie. Ho-
jelo de numerosos relatnos scieniilicos e
goza
fructo : quem pretender dirija-se" a ra doi Apollo
n. 32 a iratar com Francisco Xavier de Oliveira.
&
Itenco
V' o---------- t,ww..* i v ii l|,UVUIOH Id.
Introduccao aos tres reinos da natureza potica
e Literatura.
Compra-se um escravo mogo e sadio que sai-
ba perfeitamente cosinhar, paga-se bem : na ra
da Cadeia do Recife n. 53.
Compra-se um esoravo que tenha officio de mdicos, esle mediramenlc que goza em
funilero, e outro que emenda de cozinhar : na Franca de um successo t3o raro como hem
ra do Livramento n. 20, armazem. | merecido, recatado diariamente pelo)
prtncipaes mdicos ( O OI.EO DK PICADO DE BACALHAO DESINFECTA-
j do ferrglnoso empreg.i-se com os maiores
; successos as molestias em que se empresa
VENDAS.
loja i-E mmm uvas
6 obJcc*os de costo.
loRa do Queimado16
Entalles Bonitos en relies de lagos de fitas "e de frocoscotn
v.dr.lhos a IfSSO, 13600 e $.
Ditos ditos com enfeite de froi-os a ^oOO e 33.
33000 rm caffarr'lna lara a ***' 0
Ditos ditos fcitio de chapelinha e outras muitas
qualidades diversas a 03.
Ditos ditos riquissimos com flores a 63.
Ditos ditos lodos de flores diversas a 73.
Bonitas capellas para noivas a 13, 33 e 53.
Bonitos chapcozinbos enfeitados pata baplisados a
IrJ C -JO.
B*?SrU428M,,2! dmwn6 e sem bordado a
13o00, ti, e 300.
iwoinlos de gal5com nvela iara senh ra *
Hl\l3600Iea23fiVflaS d6 pedrinhas Para sintos a
Bonitas gravatinhas com lagos para senhora a 800
Lindissimas ditas com lagos enfeitados ct-ni cascar-
rilhas (novidade) a 13280 e 13500.
*?52 di,as Lordadas com lagos a 11600 e
2^000.
Ditas dilas com as ponas bordadas de franjas, fro-
!sooob,Jlues ,lud0 uovidade> a ,8u- ,5,;o e
Pegts de bonitas rascarrilhas de seda de todas as
S*** difTerentes larguras a 13280, 13600 e
Dilas oias de seda em duas cores a 23.
Ditas dilas de Ia de (odas as cores a 800.
Bonitas lilas de sarja lisas e de todas as cores de
2, i e o dedos de largura a 640, l280 e I30.
Bonitas lilas de grosdenaple lavrado de ledas as
ijuuvk e S deds de lar8ura *, I80 o
Bonitas filas de gurgurao para santos a 800.
t cgas de lita de seda de lodas as cores a 320
?-^e 52vWudo Preto a 60. 7(l- ob, 13,
132011,13100,13600,13800,23 6 23160.
Iegas de fila de laa para dibium a 800.
Pegas de fila de linho para debram a 240 e 320.
egas rom 25 varas de franja branca lisa a 400.
Pegas de transa lisa branca e prela a 80.
*a-nlrescas dt JouVain brancas e de cores a
Ditas brancas nao muito frescas a 15.
Ditas brancas e decores enfeiUdas para senhora,
novidade do paquete a 33.
Ditas da Escocia brancas e de cores para hcinem
e senhora a 800.
Bonitas cesiinhas para costura com todos os per-
tences, sortimento variado a 400, 500,800, 13200
13600, 23, 23500, 33, 13 e 53.
Rquissimas eaiziabas para costuras, dispensareis,
carleijinhas, bolsiohas para senhoras irazercm
na mo, com todos os portences de costura e
milito commodas, fazenda de muito gosto (novi-
dade), de 75 at 153 cada una, objectos de tan-
to gosto nesie genero.
Bonitos albuns para retratos desde 12 al 100 re-
tratos, o mais bonito que se pode deseiar ese
vende por metade de seu valor a 25, 25500 35
45,85, 115, 185, 215 e 303.
Peales de borraxa minio fornidos e onlros de cos-
tas douradas para desembaracar a 15.
Ditos de borraza para regacoaSOO. 610, 8(X).
Ditos ditos dourados para regagoa 800 e 13800.
Vollas prelas muito grandes a Maria Pia a 158(0.
^i':'^ grandes de aljofares a balao a 25500 e
33500.
Dilas mais pequeas com cruz de pedrinhas a900.
Ditas de coral pequeas e grandes a 500 e 25.
Caixinhas de pennas de ago limpas a 560.
Caixinhas de pennas cahgraphicas a 15280.
Caixinhas com 100 envelopes a 640.
Caixinhas de papel amigado paulado a 600 e 610.
Pacoles de papel amizade beira dourada a 800.
Varas de grade de labyriinho IVancez a 100, 160,
r 200, 240, 320 e 400.
Varas de lahyndtho forte bordado de croch a 160,
240, 320, 400, 640 e 13.
Perfumarlas finas.
i Saboneles de bola grandes a 280 e 360.
1 Caixinhas com perfumaras a 13, 155f0e 15600.
Garrafas con. extractos linos a 43, 33, .mo e 25.
Frascos n m diversos exilados a 160, 200. 320,
400, 500, 600, 700, 800. 13, 15280 c 13500.
Frascos de agua de Culogne 400, 500 o 15.
Fra-cos de agua de Colonia e babosa de Uansinbo
a 500.
Garrafas glandes de agua de Colonia a 53, 23 e
13500.
Fraseos de oleo de babosa a 400, 500 o 600.
Frascos de oleo Philorome a 15, 800, u 700.
Copos de cryslal com superior banha franceza a
_ 15500, 15800 e 23.
Frascos com superior banha franceza a 800.
Albuns com superiores perfumaras a 75 e '.15.
Boinios frasqoinbos com superior extracto para
lengo. sndalo, essencia concentrada, capricho
da moda, mando elegante, boiiquels diversos,
princeza Lsabol, Maria Pia e oulros a I500, ga-
ranie-se a quali,ladc.
Kaccos para assiicar,
Em casa de Brender a Brandis C, rita
da CadeL n. 08.
res
ni.
1 ^
m
i
Acham-te
impressosera muito bom papel e ntida impressao
qualre diversas estampas da Senhora da ConeeicSo
ornados de bellas vintaia-, e esto venda na
rna do Imperador n. 15, rtefronte de S. Francisco
bem como o officio da mesma entrara, (al como
o rezam os relgioios carmelitas.
--anaai
DENTISTA DE PARS
19Rna Maa-19
Frederieo Gautier, cirurgiJLo dentista, I
faz todas as operagdes de soa arte, e col- m
loca, deates arlificiaes, tudo com superio- i
B_ ridade e pj-feigo, que as pessoaa salen-
didaa lhe reconhecem.
Tem aga e pos dentificio. 5
mmm-mwmm'mmmmrmmm
Casa para alugar-se
Aluga-se o primeirt andar do sobrado silo no
caes de Apollo n. 17, e larceiro nano andares
do sobrado da ma do Brum n. 70: a iralar na ra
lajga de Rosario n. 34, botiea,
Aluga-se a asa terrea "da
O ahaixo assignado previne que ninguem faga
"egoco com urna botica sita na cidade do Hio For-
moso, que faz parte do espolio do finado Dr. Fre-
derieo Belave, porque tal botica e outros bens es-
lao sujeitos ao pagamento do que dito finado (lea-
va a dever ao mesmo abaixo assignado em v.rtude
de medicamentos e drogas fornecnlas para dita no-
li__1. .. vvwou nao uiuirainis cu uue se eoipresa
Vndese cauoesvaztos proprios o oleo quando sao acompanbadas de debili-
para halinleiros e funilciros a f $760 *M'* e 'orna.
*&!!&$+" Sram?' adau; nesla typographia. Deposito geral em Pernambncn na da
A lingua franceza geralmente fallada no esla- ;---------------------------------------------------i Cruz u- 2 em casa e Caros dr Barboza.
belecimento.
Ferias.
Oito dias na paschoa, o mez de setembro e oito
Assucar cryslalisailo 2 de Julho
Na Bahit.
No armazem da Tua da Madre de Dos n. 28,
esludam mais disciplinas,
tica, e muito principalmente leudo o ab-iTxo a'ss'i''- 0s semi-internos da p.imeira classa pagam
nado sua argao, posta ha tempos em juizo e'quei PJ,anno' e os da segunda 1085
se acha pendente por appellagao no mereiissimo '" confljr|ne
tribunal do commercio. E desde j o abaixo as-
signado protesta haver o seu pagamento por ditos
bens no poder de quem se achar. Recife 26 do
novembro do 1864.
________Joaquim Martinho da Cruz Corre i a.
das no natal.
estada sd instruccao primaria e duas hnguas es- em saceos de 2 arrobas, ao preco de 53 cada ar-, csla,belec,nc"10 a recebe-la no caso que o com-
trangeiras c de 1353000, e de I90J000 dos que roba. V ? r P*r nao se agrade. Esla agua tem a proprle-
I dade de tirar a caspa, e concorrer para o cresc-
; metilo do cabello.
i Vende-se urna taberna na rna Ja Esncranca
| (caminho novo) n. 5'J : a tratar na mesma.
.agua de lavau Xa ra das Cruzes n. 36 rndense superior a"ua
de lavande a 800 rs. a garra linda, sujeitando-se o
Carros e car rocas.
Vendem-se dous carros proprios para condugao
de assucar ou oulro qualquer genero, sendo um
de meia volta, e tres carrogas, sendo urna para ser
puchada por boi e duas per cavallo, tudo em bom
estado e por prego commodo ; a tratar na ra d
Sebo n 54, taberna. o
xternos pagam conforme as disciplinas que
estudam.
Todos os pagamentos sao feitos por trimestres
adiantaoos.
Os alumnos internos que passarem o mez de se-
tembro no collegio pagaro alm da prestaeo 240
res por dia.
O abaixo assignado pede com instancia ao As despezas de livros, vestuario, remedios cu-
br.. Antonio Congalves da Silva que lhe venha ratlV0 ar'es ou objectos de recreio sao pacas oe-
fazer entrega dos papis que o mesmo abaixe as- la familia do eullegial,
signado lhe coufiou, sendo tres letras de 1:30031 O collegio nunca repor quantia alguma rece-
cada urna, firmada por Gongalo Gomes de Souza 1 bida-
a primeira a vencer-se em 31 de maio de 1865 e I Enxoval.
1 cama de ferro e um lavatorio dito com os seus gada ao mercad<>, em bem acondicionados barris :
perlences.
6 lenges, dous cobertores do laa, duas cobertas.
tres frJnhas maiores e tres mais pequeas.
3 toalhas de man, tres guardanapos.
1 jaqueta e caiga de panno preto.
2 caigas de vero.
3 rolletes.
as outras duas consecutivamente de anne a auno ,
um recibo passado pelo Sr. Pedro de Assis Campos
Cosdem de dous /cas na importancia de 3383000,
os quaes foram confiados a mesmo Sr. Pedro de
Assis para os cobrar ; um outro reribo firmado
por um escrjva de Santo Anto de um fica da im-
portancia de 2153, confiado ao mesmo escrivo ; e
mais outros papis que nao ignora o.Sr. Antonio
Gongalves quaes sejam.
O abano as-Ignara espera que com este simples
pedido conseguir que o Sr. Antonio Goncalvos fa-
ca entrega dos ditos papis, podendo al indicar o
dia e hora em que quer que sejam procurados pa-
ra dito fim, e que o nao forc a recorrer s auto-
Folha de Flandres.
Vende-se na fabrica da travessa do Carioca n. 2,
caes do Ramos, superior folha de Flandres: a ver
e tratar, na mesma fabrica.
Cal de"Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
ada ao mercado, em bem acondicionados barris
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, ma do
Trapiche o. 13, por prego razoavel.
Vendem-se Ires escravas enonlas, megas de
boas figuras, com habilidades, leudo urna tres li-
Ihas de 5 a 10 annos, e urna mulatinha de 7 an-
nos : na ra estreila do Rosario n. 31, armazem
do Moreira.
ira mm mmm mmm
E' pechincha.
K pechincha.
E' mais que pechincha
Na loja do principal baraleiro ,1a roa S3
do Crespo n. 10, vend--.se grosdenaple [gil
azul fazenda inteiramente lina e pelo di- Sj
minuto prego de 25 ocovado. |gif
Libras cstei linas.
Vende-se a quem as qnizer comprar : no arma-
zem n. 33 da ra da Praia se dir quem as vende.
Para a festa
Vende se urna taberna na Capunga nova, na
esquinada ra das Pernambueanas, propria para
principiante por ter poucos fundos : vendse por
seu dono se querer retirar para fora
ATTENQAO.
Vende-se
superior farinha de mandioca, a bordo dos brigues
escunas Principe, D. Alfonso e Nao Sei, atracados
j no caes do Baro do Livramento : a tratar a bor-
do, ou no largo do Corpo Santo n. 4. primeiro an-
dar, escriptorio de Palmeira A Beltrao.
Vende-se a armacao e utencilios da taberna da
, ra de Aguas-Verdes n. 48, o lugar bom para
6 lengos, oito camisas, quatro ditas de dormir, oito negocio : a iratar no paleo do Tergo n 21
quem nao desconhecido o Sr. Antonio Gongalves. i i guarda chuva. Vende-se um cabriolet inglez com assento
Recife 22 de novembro de 1864. 1 par de sapatos de borracha. Para duas e quatro pessoas, e com arreios comole
II..... ____IT____**_. a 'I' I m~ .,i:^^-._^ J_ ~ tnO t.-Vrl aaiull ____ ____
Domingos Vaz da Costa Agr.
4TTEN(H0.
Offerece-se por venda a dmheiro ou a praso urna
padaria livra e desembararagada, com todos os
seus perteneec, como tetheiro, forno e mais uten-
cilios, sita na ra do Mmjdego n. 47, muito afre-
guezada, com rana piara familia, quintal, parlo de
embarque, e toda* as commodidades precisas : a
tratar na mesma.
Todos os objecies do enxoval serao entregues no s para u,n rava" tudo em bom estado : para
estado em que se acharem no acto da sahida do e tratar na cocheiia da ra do Imperador n
23, ou na ra do Apollo n. 28.
<> aloes
collegial.
A correspondencia deve ser franca de porte
Direcgo do Lyceu Particular Porto
/. Eduardo von HafeFlix femando Krghels
Aluga-se a casa o. 16 na ra da Mangueia :
Na ra da Cruz n. 33 vendem-se galoes, espigui-
a tratar nVruVd;_A"u;orVn77rcomB;.Tabriel beca do norZ^A B? 'ara uitarra "-
ou na ra da Con.eico n. 3. lS2*!E. m.u" Jc'"I,m.odo' ass,m. mais
UQerece.se por renda um terreno na i *, do Des-
lino, era direitura ao largo do Hospicio, coi 234
I palmos de (rente, pr.iprio para se edificar por *er
ou na ra da Conceigao n. 3.
Alugam-so duas casas na povoagao do Mon-
toiro por prego commodo, a margem do rio. com
i muito bons commodw : a miar na ra do Cres-
po n. 8, esquina.
escovas para calgado, cera de Lisboa em velas de
todos os lmannos.
Ama e criado.
PttiSMB de urna ama e um pequeo para cra
Pedras de Foco.
----------------. |f..~...,,r.oir, |n,.|,nu (.-, .-(.- uoicar jmm *ar i reeisa-
i tratar nesta S^Saanr?1 *e ^m *itol225 u"M*^i v-nde-?e a retalho ou por junto i a do em casa de pooca familia
ft J a tratar nesta lypographia. I tratar o rs .i H tria d* Mm B. 54, tibem,! dor do Rispo p. 12
A nova loja da Aguia Branca, sita na ra Gran-
de em Pedras de Fogo, araba de recebar nm com-
pleto sortimento, Unto de fazendas como de min-
-v.....- doza, ludo propno para a festa, que v^nde por
na rq do Corre- pracofaift commodo do qu@ en) putra quslqutr
'< parte. '" 1
Capas, casacos e soul embarq nes
Gama cez um grande e variado sortimento de capas, son-
(embarques e os mais modernos casacos de gros-
denaples e nohreza preta, sendo ricamente enfei-
tados ; e ve.idem cor precos muilo baratos, por
haver graude porgan : na loja do Pavo, ra da
Imperalriz n. 00, de Gama & Silva.
Vende-se um boi, urna carroga e um carro
No armazem de izendas R.|SL?^ftra '"
ratas de Santos Coelko,
Una doQueimddo n. 19,
Vende-se osegulnte:
Atlengao II
Ricas laazinhas, fazenda a melhor que tem viu-
do ao mercado, tanto em gosto como em qualida-
de, pelo baratissimo prego de 560 rs. o covado.
Ditas miudinhas carmezins, proprias para vesti-
dos de meninas e camisinhas a 640 ocovado.
Cortes de 15a com 15 covado*, pelo baraio precc
de 63.
Cobertas de chita da India a 235W e33.
Lenges de panno de linho a 23 e 25500.
Pegas de cambraia de forro rom 8 1|2 varas i
33200.
Toalhas alcochoadas proprias para maos a 53 s
duzia.
Ricos corles de laa com barra Maria Pia 1
183-
Pegas de plat.lhas de algodao com 10 varas
proprias para saia a 43.
Algodao enfeslado com 7 1|2 palmos de largura
a 13100 rs. a vara.
Estelra da India, propria para forro de ala de
*, 5, e 6 palmos de largura, por menos prego de
que em oula qualquer parte.
Neste estabelecimento tambem se encontrar
um grande sortimento de roanas feilas, e por me-
dida.
POTASSA
QUEIJOS
do serlio.
Vendem-se queijos do serlao de Serid de defe-
rentes tamanhos, em porcao a 203 a arroba e 800
rs. a libra, queijo inteiro, e 960 rs. a libra a rea-
Iho : defronte da n>;i|r7. da Roa-Vista p. 88, ar-
mazem de molhados.
Vende-se potassa em barris a comraedo prego o
na ra da Croz n. 23, primeiro andar, eseriptori:
; de Amonio de Almeida Gomes.
Superior cal de Lisboa.
Vende-se superior cal de Lisboa a mais nova
que ha no mercado, lano em porgao como a rea-
: Iho, por barato prego, aliangando-se aos compra-
I dores a superior qualidade : a tratar as segninles
ras : Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forte do Ma-
i tos, armazem do Sr. A villa, defronte do trapiche
do algodao.
Vendem-se quatro pipas de muilo bom el
de furo novo en barris de 5o, promptos a embar-
car : na ra nova de Santa Hita n. 19, armazem
Si 11 los a traviata.
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38,
i recebeu sintos a traviata com filas de chamalota
largas, e fivelas grandes esn aliadas, obra muito
delicada e muilo moderna, os de melhor gosjo que
1 lem chegado a esle mercado, pois foi amoslras qus
a loja da Aurora receben. *
Fabrica de licores.
A rua das Cruzes u. 3G.
Vende se excellentes doces de lodas as qqalida-
des em porcoes a voniade do freguez.

-
.


Diario de Peruambuco Segunda felra 98 de Xovenifero de 18tt4.
\
RA 19 QUEIilIABIO fl. 15.
Passand o beeco da Congregacilo segunda casa.
a&m ri.n? it
-v : ;
M
NO FII) ABE
KOL III | J
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazera de molhados denominado Clanm Commer-
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes serlo vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 20 ra^6chilaa 2*000 : na rua da ,mPeratriI nu-
.1 Arara vende cortes de raleas a lGOO.
Vende-se cortes de calca de biim a IJ6U0 e 23,
Grande liqoidacao de fazindas de ledas
as qualiiladrs para se apurar dinlifi|o, vende
se baralissiuio na ioja e armazem da Arar, rua
da Imperatrii 1.50, de Lourenco Pereira Men-
des Guimares.
AO BARATEIRO DA AltARA.
Vende-se cortes de chitas de cores lixas com 10
covados a 2400 o 'MUSO, corles de catnbraia de
salpieos a 235UO, 3UO0 e 400O para acabar : na
rua da Impt-ralriz n. .'ti, leja da Arara.
A Arara rende eassas a 210 rs.
Vende-se eassas para vestidos a 2.40, 320, 360,
e 400 o covado, organdys de lindos gestos para
vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado : na rua da
lmperairiz n. 50.
Cortes de la a Mara Pa a S :>. 12, 1 i.o e 1 5.
Vende-se corles de la rom barra, os propia-
mente a Mara Pa a 85, 125, 145 e 165000, ditos
sem barra a 65000 : na rua da Imperatriz, Ioja da
Arara n. 56, de Mondes (Juimaraus.
A Arara vende alpaca para vestidos de senhora a
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores Ibas para ves-
tidos de senhora a 360 rs. o covado, Iazi-
nhas para vestidos de senhora a 320, 360, 400, e
500 rs. : na rua da Imperatriz d. 56, Ioja da
Arara.
As colchas da Arara de 2$.
Vendem-se colchas de damasco para cama a 45,
Arroz do Maranho, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 3^000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
1500 e 10600, e era frascos grandes a
2>300.
dem era caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 1.5200,10400, l06OOe2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra o a 40600 a arroba.
Azeite doce franoez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem do Lisboa a6i0 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030' rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banlia de porco relinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 25800 e 39000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerve.a preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a oOO rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac insflez fino a 90^ rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especitmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200 10, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs: a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito nevos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chooricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
Painco a 200 rs. a libra. I rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata. ditos de casemira a .15500 e 45500: na rua da
muito novo a 640 rs. I dem seccas muito novas a 200 rs. a libra, imperatriz n. 56, Ioja da Arara.
Oiipiins flamencos do ultimo vatio r a 2800' Figos de comadre e do Douro em caixinhas Laa*inhas da Arara a 210 rs. __
dem nrato Se oilo libras e canastrinhas de 1 arroba a' J"*;" "* ?"" J2tft X'
i11'ni [nau i. Kt:nn qa ik *U0, eoOOrs., ditas lisas de todas as cores a 600,
dem londrino chegado no ultimo vapor a i>uu, 5>ouu e zeu rs. a tmra. ditas a Mara Pa a 640 rs. o covado : na rua da
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra. Imperatriz n. 56, Ioja da Arara.
dem de trigo a 120 rs. a libra. A Arara vende um completo soi lmenlo de roupa
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD feita.
a 560 rs. 0 frasco e 60200 a frasqueira. Vendem-se roupas fetas a saber : calcas de
dem em garrafes de 3 e 5 gales a 50500 W^de^^gHJ, .dg b'-- J-l-
e 70500 cada um com O garrafao. es de cores de brm a 15600 e 25, ditos brancos
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia. a 25500, de casemira a 35 e 45, calcas de rasemi-
Licores muito Anos a 700 rs. a garrafa. J* a 55,65 e 75000, paletots de casemira.a 55000,
dem, quaiidade especial em garrafas muito tJS^JS!^2SS^Sh. I'J&kX
1 nnn e 125000, paletets de alpaka preta a 35 e 35500, di-
grandes, a 10800 a garrafa. tos de alpaka de cordo e alpaka branca a 45500,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. ditos de brlm de liuho brancos linos a 55000, se-
Idem, em garrafa forma de pera e roldas de "oulas a 15280, ditas francezas a 15600 e 25000,
viilro a 1AOOO n di- camisas francezas a 25 e 25500, ditas de hnho n
ro, a ouuu, so a garraia \aie o ut g|ms a 3&m e cuIras mulas roup)S fejlasqu,
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.
cada^um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 60 1
libra.
Eigos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocaje Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa cora urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa c 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Ma^a de tmales em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 705OO rs. den regular a 500 rs.
a duzia.
dem Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
l200rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 108OOrs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porges como
retalho-
Qucm comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
Magas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinha e. aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinha com 12 libras.
Nezes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixt em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o mago,
dem de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixo a 640 rs.
Palitos do gaz a 20200 a groza.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
-^_ DE
VOTOS E ESCOMIIDOS GESEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
60 -Hlli NOVA-
Ultima esisa junio a ponte la lloa vista.
DUAS PALAVRAS.
Ccsse ludo quanto a antiga musa canta
t Que outro valor mais alto e alevanta.t
Acha-se a disposigo do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci-
mento de molhados, talvez o primeiro e nico boje existente em sua especialidade, por-
que o matar capricho de mos dadas com mais apurado gosto de abrir um eslabeleci-
mento modelo promovern! a esculla dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serena comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
dignaran de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos presos quasi do pri-
meiro custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharao
em nosso armazem os melhores e mais esquisilos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e aquellos que nio po.iein dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
sario, promettemos-lnes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
hornera rico.
As pessoas que nos fizerera a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltaro satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos
objectos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO ECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominago de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
__Bia-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas n5o se zangue
ninguem.
O neme urna voz com que se dio a conhecer as cousas. E esta a mais
breve, clara e sincera explicacSo que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais :
Nao oriunio do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
iem da Liga. O acaso nos fez deparar cem a narraco desse acontecimenlo, que tan-
to sorprehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-
,mente dolrage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
ocando-o no oit3o do nosso estabelecimento, temos assim feilo distingui-Io dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
Houni solt qiii mal y-pensc._______________________________
M4CIHNASDEPATEM
de trablhar a ao para
descai-ocar agodo
FAItltlCAOAS
Por Plant Brothers & C.
LDAM
Estas machinas
podem descaroca!
i(iuali|uer especie
. (ii- algodao sem
/estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o Irabalho; pode
descarogar urna
arroba de ago-
do em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou S ar-
robas de algodo
limpo.
Assim como machinas para seren movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodo
limpo, por dia.
Os raesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis decas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova o. 47.
Saumlers Brothers & C.
X. 11. praca do Corpo Santo
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Rua do Queimado us. 49 e 35 Ioja do Barateiro
conhecido j como tal, est dispondo da fazenda
por tolo o preco para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o seguinte :
Baralhos de cartas para vollarete muito
linasa............................ 266
Miadas de lihha froxa para bordar a.... 20
Pares de sapatos de tranca de todos os
lamanhos e linos a................... IfSOO
; que
se torna enfadonho mencionar, que vista do com-
prador .,se dir o preco, por isso roga-se aos com-
pradores o favor de vir ver na bem ronhecida Ioja
da Arara, rua da Imperatriz n. 56, de Lourenco
Pereira Mendes Guimares.
A Arara vende as percalas a 500 e GO rs.
Vende-se percalas de cores finas para vestidos
a 500 e 560 rs. o covado.
A Arara vende tiras bordadas para enfeilar vesti-
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas para enfeitar vestidos
brancos a 15200 e 1400 a peca, musselina bran-
ca fina a 400 e 500 rs o covado : na rua da Im-
peratriz n. 56, Ioja da Arara.
Ao baraleiro da Arara a 26500.
Vende-se hal5es americanos de 15, 20, 25 e30
arcos a 2,8500, 33, 3500 e 43000.
Vende-se golinhas para senhora? a 240, 320, 400
e 500 rs., camisiuhas para ditas a \$, 23, 33 e 43,
na rua da Imperatriz, armazem da Arara, n. 56.
A Arara vende madapolo enff slado a 1)5.
Vende-se peras de madapolo entestado romdo-
ze jardas a 4500, pcas de dito de 24 jardas, das
marcas seguintes : n. 30 a 63000, n. 250 a 63500
e 73, n. 2 83, n. 5 83500, #*93, n. PF a 103500,
n. ZZZ a 123, R a 113000 a peca, algodo a peca
de 20 jardas a 53 e 63000, dito carne de vacca a
63300, dito domestico a 73, dito slcupira a 85, dito
pao ferro a 93 a pega : na rua da Imperatriz, Ioja
da Arara n. 56.
Bramante de linbo a '!'>< 0 a vara.
Vende-.-e bramante de linho a 2^500 a vara, pan-
no de linho para let-ces a 640 rs. a vara : na rua
da Imperatriz Ioja da Arara n. 56.
A Arara vende tasrmiras finas a 5$.
Vendem-se cortes de casemiras para caigas a 55
55300, 65 e "5000 9 corte : na rua da Imperatriz,
luja da Arara n. 36.
!l Arara recebeu um complelo soiliuienlode tapas
e outbrmbarqurs
que vende baratissimo, a saber : soulhembarque
de alpaca branca enfeitados muito de gosto a 125,
ditos delazinhas decores a 85, 105e 123000.
capas de grosdenapta preto a 205, 255, 305 e 355
soutrmharques pretos de grosdenple a 205, 235
e 3050OO : p na Ioja e armazem da Arara, rua
da Imperatriz n. 56.
Casimiras para capas a 3,-> o corado.
Vendem-se casemiras lisas proprias para capas
de senhoras a 35 o covado, laaziohas lisas para o
mesmo fim a 600 rs. o ovado : na rua da Impera-
triz n. 36.
A Arara vende lentes de seda a l e 800.
Vende-se lencos de sola de urna s cor a 800
rs., ditos finos de cora 1.5. colarinhos baratos a
600 rs. a duzia : s na leja da Arara, rua da Im-
peratriz n. 56.
Ao barateiro do burra da Boa-Vista.
Vendem-se chitas escuras e claras de cores fixas
a 2fe0 e 280 rs. o covado, chitas Irancezas finas a
320,360, 400 e 500 rs. o covado, porm assegu-
ram-s as qualidades e cores : e muitas outras fa.-
zendas que se vende barato, isto smente vista
dos freguezes. Assim cheguem freeuezes, porque
s se w>nde assim barato porque est a festa na
porta, ea Ioja da Arara da rua da Imperatriz n.
56, pode bem servir aos freguezes do bom e ba-
rato.
* 1,
r a rs =p B* ?r
=3 -" 2
T O
v> S.
O-<0 ,..0 3
2 H"5 S
3 ^- CP _
q, ai OT
rs co
c v> S _. 2
O- "i U
O o,"
O KW
is O
S-O6o

BB
?3e
^ o
o
s i' = "a S-"5 3 s & ?
1 n STSr_auO-lo

Vende-se um comometro martimo inglez do'
melhor fabricante Charly Frodshan, affiangando o
seu regulamento, por diminuto p-ego : a tratar
na rua Nova o. II, Ioja de Francisco Jos Gor-1
mano. '
GAZ GAZ GAZj j ,
Vende-se gaz da melhor qaahdde a
180 a lata : nos armaiens da rua do Im-
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater de C, rua
do A'K'"'0 D- 3.
Vende-se um terreno de marinha, sito no
caes do Capibaribe, com 57 palmos de frente e 275
de fundo : a tratar na rua da Imperatriz n. 63, se-
per ador n. l(} e rua do Trapiche Noy n. 'g gundo andar.
Massos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de ara preta muito superior a...
Frascos de superior macaca oleo a___
Ditos de dito perola a..........,.......
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida..............................
Ditos le banha muito fina a............
Ditos de cheiros muito finos para o prego
a res.............................
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................
Novellos de linha com 400 jardas a......
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris..............................
Varas de bicos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a...........................
Pegas de tranga preta liza muito fina a..
Caixas com 4 papis deagulhas Victoria a
Varas de fita preta com colxetes a......
Libras de la sortida de todas as cores a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de obreias de ma ssa muto novas a
Yaras de franja .branca e deires para
toalhasa.........................
Frascos de oleo Philocomescnpenor a...
Ditos com superior tinta a320 e.........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espartilho a...........
Duzias de botoes encarnados para vest,
dos a,,,,.........................
30
200
100
100
200
500
400
640
600
400
80
60
30
240
200
400
40
15000
15000
60
200
40
65500
160
40
80
600
500
800
60
20Q
^2
0 B
2 5
2 3
o -j
O O)
O fij
e CD
- o* '"
o a
Ir .
oso.
o
0 O)
q> 3 as "' 3
O et, O. *
=3 ~ r-r
as ST T S

a
A -i
S
- u .
En
0< =.'
3
ffl
01
O.
S
3
o_
Cu
S.
a>
a
tn B
f 5 en a,
-1
3
N
te
-3
B

w
3
o
rnammclled irom pipes.
Vendem-se canos de ferro esmaltados, muito
honspara encanamento d'agua : no armazem de
Prente Vianna & C, roa da Cadea n. 57 ; e pa-
ra informagSes e collocago, os preteodentes po-
dem entender-se com o Sr. Schemerdine, no Mon-
dego.____________________________________
AtteiiQao.
Milho, srecos grandes, perfeitamente mui-
to bom a...........55OOO
Farinha de mandioca a inlhor do mer- I
cado a...........55500
Arrat de casca.........335001
Rua da Madre de Dcos ns. 5 c 9.
A derefo,
Vende-se um aderego cravado de perolas e ru-
nins, obra de um trabalho permito, por muito me-
nos de seu valor : na rua Augusta n. 54. das 3
horas da tarde em diante.
Atteneo.
Vende-se urna taberna na ribelra n. 23.
541

GRITO DA GUERRA JA' SE FEZ OVIR
LA Vil BSIKnBIA
l
SENTIDO.
o
m
\W ^%\A&&


-
O assuraplo imponantissiino.
i O assumpto importantissimo.
O assumpto mportantissimo.
Ninguem ioterrompa o orador.
^ Ninguem iuterrompa o orador.
Ninguem ioterrompa o orador.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silt ncio em todas as columnas.

Nao se admitte coritesta(,o.
Nao se admitte rcnteslacno.
Nao se admitte contettacao.
Os apoiados sao prohibidos.
Os apoiados sao prohibidos.
Os apoiados sao prohibidos.
DVERTENC.i

Antes de entrar na materia o inconsavel Baliza nao pode prescendir de^iM
Sfaaer seu signal de horrorzs doiradas coras e mal feitas mitras dos falsos$K
"apostlos do progresso, iuimigos do povo e chupadores do sangue da humaui-^^P
1 dade.
^esperar
SSo os peifeitos unos da civilisacSo.
A detegtavel sede de oiro tem obsecrado seos coracoes de vampiros.
Querem fazer fortuna cem a rapidez do coriseonao sahem ler f nem '
possivel ao Bauza pr-lhes as mitras,,^>
(iQ Malditos sejam ellesj pie nao e
publico por tres dias.
na cabeca os bculos na mao e os sapatoes esmaga cobras nos ps e expol-os aoV '}
ouiiim no da.
m
General.
Nao sendo o agrado e a nceridade predicados que somonte tivessem^p
^hegado para bico da domesticada e encantadora aguia branca, estao dadas as{iv)
^mais terminantes ordens para que d'ora em diante se redobre as atiengOes para : .]
com todos os freguezes, ce forma que se opere a mais perfeila liga de enteres- v
ses recprocos, a fazer inveja a todos al ao proprio cavalleiro da esquina da ruaS
'Nova. af)
Quando ao dispontar da brilhante, aurora ou da aurora brilliaulc, Bzerrtfi
Joavjr o garboso gallo vigilante, com aquella bisarria (pie Ihe propria, o seujy
canto sonoro, signal de chamada dos amaveis freguezes e predilectas freguezas,.',(
'tambem o solicito Baliza eslari p rompi em ordem de marcha, agradavi-l comttt
o aguia branca, diligente como o gallo, grave como o propheta, no mais per- tj
1 feilo e continuo mo\ ment, servindo a todos, e a todos contentando.
ADDITAMEMO.
Os pre(OS do grande sortimento d'este magnifico armazem, se acham con-J
sideravelmente reduzidos, e a respectiva tabella deixa de ser publicada porque
la alma do negocio o segredo. Os freguezes reconhecero em vista do objec-Hv)
'lo que pretender que o preco que se lites pedir ser tao rasoavel que nenhumaN^''
i reclamado offerecerao. Venham todos a i)
9
RA DO IIVHAHCMO 38 /X
AO GR4NDE RHAZKM DE MOLHADOS
DO
BALIZA
PHPRIEDADE
OK
)\. PERRO DE ELLO.


:*-.v -",- *w%
*4 ^$^ifeF
olarlo de rerttMBteaetf -- wesunda letra f g te \ovriubro *> tS
AURORA BRILII1ME.
K 84. Largo da Santa Cruz. N. 84.
Francisco Jos Frnandes Pires, lem a honra de avisar a sq numerosa freguezia
e com cspecialidadc ws moradores do bairro da Ba-Vista e seas arrehaldes, que fez
aova reroroM em sen asseiadaestabelecimtats demolhadwdemuniDadaAuroraBrilhan-
tr, a larg da Santa Cruz, e com esta reforma supno de novo o sen armazem de bons
generas, senda muito? delles mandados vir de sua propria conta, para melhor servir
aquellas quu se di No armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respeitavel publico um
lindo e novo sortimento dos melhores gneros que tem vinda ao nosso mercado, e sem-
pre por procos muito razoaveis, como se v daseguinte tabella que ser mudada sc-
manalente.
A Aurora BrithwHe recebe as libras sterlina por 95, sendo para compra, e faz o
por cento de abatiraenta a quem comprar de 1005 para cima.
U
Presuntos de fiambre muito novo, a libra a
899 rs.
Ditos para panella, a 5G0 rs.
Queijos londrinos iimiio superiores, a libra
a 15000.
Silo* de reino vinde neso vapor a 25800.
Ditos do vapor passado a ~i& e 25400.
Quoijos do qualha novos, a libra a 560.
frascos grandes con atwixas a 35000,
Laias coral 1|S libras a 15200
Ditas com 3 e 6 libras a 25500 e 45.
Chocolate francczmuito superior, a libra
I51S0
Cia iino de priraeira qualic'ado, a libra
2.-J700.
Dito uxini a 25700,
Dilo hysson a 2470 e 25800.
Dito perola a 25800.
Dito em caixinhas do 1 e 2 libras a 25600.
Dito preto a 2$ e 24500.
Hanteiga ingleza flor a 15200.
Dita mais abaixo a 800 rs.
itai-in barril propria para negocio, a libra
a U'J rs.
Dita ara tempero a 400 rs.
Latas a 400 rs.
M inteiga franceza nova, a libraa 640.
Dita era barris c moios ditos, a libra a 600.
Tuucfnho de Lisboa 95300 a arroba e a 320
rs. a libra.
Latas cora bolarliinha de soda de 3 libras a
24000.
Ditas com biscoitos c boiachinhas sorlidas
a 14500.
Ditas malezas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranhao, a arroba a 25400 e a II
bra a 80 e 100 rs.
Diio da india a arroba 25S0O e a libraa 100
e 120 rs.
Caf muito superior de primeira qualidade
a84500, 04 B 94400 a arroba.
Bit. em libra a 280, 320 e 360 rs
Vinhos em caiga de 12 garrafas, o mclbor
pnssivel a 185 e 205
Du mais baixoa 105, 125 e 145-
Dit> Kigu-ira. o mais superior pos'ivel, a
caada a 44300 e a garrafa a 640 rs.
Dito mais baixo a 45 a ranada e a 5G0 rs. a
garrafa.
Diio de Lisboa, boa marca, a 400 o 500 rs.
a garrafa.
Dito brdeos a 640 r.-. a garrafa.
Djbi 'ni caixa,das melburos marcas, a 75 o
83000.
Serveja. marca teueale, ein botijas a 7
a duzia.
Charutos finos do autor Jos Furtado de Ci-
mas, ha per mullos precos.
Ditos de oulros autorss a 14500. 25 e 25500.
Gigos do batatas novas com 1 arroba a 13-
Passas novas, a libra a500 rs.
Figos oras a 320 rs.
Latas de ervilhas e favas portuguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas cun ostras, excellente petisce.a 640 rs.
Latas dopeixe ensopado em postas, de muitas
qualidades, a 15-
Potes de vidro com sal reinado a 500 e 640
ris.
Marrasquino da melhor qualidode, a 85 e
125 a duzia.
Garrafas de dito .1 80o 15200.
Amendoas coafeitadas a libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
Nozes, a libra 160 rs
aineja, alpista, a arroba 43 e libra a 160 rs.
Grao de bico, a arroba 43 c libra a 160 rs. '
Vinho de caj preparado em Sobral a 800 a (?j
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 14000.15200 c
15600.
Champado boa a duzia 205,e a garrafa a 23
Garrafes com gene bra ham&urgueza a 65.
Vinho hraneo Xerez a garrafa a 15-
Dito Joo de Urito, puro, a garrafa a 640 rs.
Dito adocica lo a 560 rs.
Dito do Porto, lino, a garrafa a 800 e 15
Xarope de grozeis c outras troclas a 640 rs.
Massas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dita estrelinba, pevide o roillnhas a 649 rs.
Camnha com 8 iibras de dita a 35500.
Sebolas soltas grandes, o cento a 15.
Ditas grandes em resteas a 15280.
Duzias de cartas francezas liuas a 25500, 35
e 35500.
Duzias de latas de graxa nova a 000 rs.
B.mhoes de dita a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do serian a lilira a 320 rs
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes rom Cariaba a 55
Ditos com milito o 35500.
Rrvilhas seccas libra a 160 rs.
Lentilhas para sopa a libra a 200 rs.
Se vadinha de Franca a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Ai rala vordadeira a libra 480 rs.
Gomma de cngonimar a arroba a 45 e era
libra a 160 rs.
Sabao e-panhol a libraa 400 rs.
e 85 Latas eo:n o verdadeiro gaz liquido com 27
garrafaa a 123.
;;
Dita de differentes marcas a 500 rs. a garra-'Garrafas com dilo a 500 rs.
fa e 53800 a duzia. Saceos grandes cora feijo raulatiuho com 24
Genebra de laranja verdadeira a 15 e 13200 cuias por 95.
o frasco. Copos e calix lapidados para vinho e agua.
Dia de llollanda em frascos grandes a 15 e Latas muito bem enlejiadas com ligos novos
jepuenos a 40 rs. a 25, 235D0 e 35.
Diia verdadeira de llollanda, a botija a 480
Licores finos de varias qualidades a 800, 13
. 13500.
Caixas de vinho moscatel a 103, e garrafa
a 15000.
Ditas cora azeite refinado a 10-3 e a garrafa
a 15000.
Conservas ingirase francezas de pepino*,'Duas
sebolas, azeitonas e mixide a 600, 700 e
800 rs. o frasco grande.
Caixas com fraseos de mostarda franceza a
44 a duzia, c 360 rs. o frasco,
1: yurros outros gneros que
Assncar refinado com ovos milito alvo a ar-
roba a 64300 e a libra a 200 rs.
Papel pautada liso de peso branco e azul, a
resma a 25500 e 45500.
Vinho Mad -ira-secco, a 1-3600.
Cento de esleirs de tranca a 205.
Barris com azeitonas novas a 15280.
bataneas grandes de Roraao com os
pesos de 21 arrobas, e alguns bracos pe-
queos do mesmo autor.
Urna grande quantidade de eaixSes vastos de
todos os tamanhos de 120 a 500 cada um.
TORNARA ENFADONHO MENCINALOS.
TUDO DE PRIMEIRA QUAI.1DADE.
(kpaankan,5i&1
SORTIMENTO PARA A FESTA
S>' 7W
23Largo do Terco23.
Joaquim Simao dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do boro e ba-
rato que se venham sortir dos bons gneros este eslabeleeimento que nao se arrependerao, se Ihe
ara a iinerenga de 10 a 29 por cento, pelo sou prompta pagamento ; e por isso se faz annuucio de
aigons gneros, -que tendo sempre este estabeleclraeata um grande e vautajoso sortimento de tudo
inauto pertencente a este eslabeleeimento.
Sentid! Vou fallar com o Conservan o !!
e 2 sorte a 800, 900 e 15
a 600 e 640 res a li-
bra e 85800 a ar-
Mtnteiga ingleza de 1
a libra.
dem franceza em barril
>ra.
Voucinho d^ Lisboa a 300 rs. a
roba.
batatas em caixas e gigos 15200 e 25000 a ar-
roba.
: j de priuieirac segunda sorte a 250, 280 e 300
rs. a libra.
Arroz da india, Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a
libra.
Phosnhros do g;iz a 24 a groza e 180 rs. o maco.
i-assas novas a 480 rs. a libra.
velas de carnauba Aracaty composico a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs a libra.
irme>la 1 a 2 libras a 640 rs. a libra.
'.'i hysson o melhor deste genero a 24800 a li-
bra.
dem perola miudiuho a 25300, 24000 e 35000 a
libra.
lamia ingleza alva e superior a 480 rs. a libra.
Queijos mais novos do mercado a 24500 e 95800.
Serveja das melhores marcas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 55800.
Sabao amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Babia dos melhores fabricantes de
15200, 24000, 25500 e 34 a caixa.
Millm alpista e paiuco a 160 o 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 re. a garrafa,
dem de Lisboa das memores marcas a 400 a diia.
dem de furto em barril superior pinga a 640 rs.
; dem branco proprio para missa a 600 rs. a dita.
I lera do Porto engarrafado a 800 e 14, tomando
mais de nina caada dequalquer umdestes ter
grande abatimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 o 640 rs.
Biscoitos e bolachas de soda a 15400 e 25.
Vfassa de tomate a 600 rs. a libra.
Gentbra do OU ida em fraseos e botijas e de la-
^ ranja de 480 a 640 e *4200.
'Ibouricas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas com 1 e mcia libra da ameixas a 14200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 34 o
gala*.
NEM COROAS NEM MITRAS
GKAX1IE ARMAKEIfl
DE
25!
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
K
Silva & Soma
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
10 por cento menos
RITA DO IMPERADOR M. 40
Junto ao sobrado em que mora o Sr. (fcboroe,
Duarte Almelda te, reeeberam de sna propria eneommen-
ft jrrffi "t" orllnaenlo de molbados, proprio, 5 iO por eento menos odrero que sepuaau Pao na ira mJ.
Mantega illgleza | MafiaS kailCaS Gneros especialmente escorir 'Tul' dos socios que na Enrona se acha
da safra nova vinda no ultimo vapor a l,ooo para sopa a melhor que se pode desejar, para esse. ftm.
macarro, tatharim e aleria a 400 rs. a
libra e 4#i00 a caixa. ment.
VinllO I 0s ProPetrios garanlem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
Figueira J A A c outras muitas marcas acre-1
ditadas a 500 rs. a garrafa,
dem ile Lisboa
6 ti*** S? a 40 rs" a garrafa' e a NSo n0S serv!mos de exordios como constantemente estamos vendo em aniuin-
2^800 a caada. j cms desle genero, pots sao palavriados de que sempr nos abstivemos, e de que tambera
dem do Porto estamos certos nenhuma atiencao j merecem do publico. O nosso fim, pe, i simples-
generosos engarrafado dos melhores fabn-; mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos pro-
cantes da cidade do Porto a i e 1)5200 tos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a- attenco
a garrafa ede 105 a 125a caixa, asraar-
rs. a libra eem barril a 8oo rs.
Mantega franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 360 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 ns. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2iH00, muito propios para mimos.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com boiachinhas de soda de todas as qua-
"idades a l&JOO:
Chocolates
de todas as qualidades a 15000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs,, tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flaraengos
chegados nesto ultimo vapor a 26oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 25600 cada um.
Queijo
E grande a vantagem para todas as pessoas que comprare neste estabeleci-
A PUBLICO.
cas sao asseguintes: Cbamisso Filho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes, i
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 10 libras de banha a 45000.
Bolachinha ingleza
a 15800 a barrica da rnesma que
vendern- a 25000 e 25400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r*- .*t bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mar
cas de 45500 a 5300 a duzia.
CHARUTOS
l0"dnl aS resC0 que slPde esPe,rar Charutos Thom Finto.. Reis
e de excellante maree a 800 rs. alibra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 15200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro,
qualquer nao pode vender por menos de I
35 a 25600.
dem perola
especial qualidado a 25700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem viada ao nosso
mercado a 25600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480rs. alibra.
(OftAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo|
rs. a arrafa e
des a l.ooo e 8oo
COPN
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada us.
e outros em
meias caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que venden) por 35400.
CAF
de l.1 e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 855f
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarraoes
com 4 \'i garrafas com vinagre a 15000 a
ogarrafSo.
GENEBRA DE f.ARANJA
ra a 15000 o frasco, e de HflOOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de llollanda a 35800 com
12 frascos.
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Carlaxo vende-se nicamente neste armazem
a 6oo rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
de diversas cores a
lindas
Amendoas confeitadas
64e rs. a libra,
dem de casca mole a4o o rs. a libra.
Amcixas francezas em caixinhas com
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em fiascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oe rs.
dem em latas de 1 '/j libra a l.ioo rs.
Arroz do Maranhao e da India o melher que
ha nesta genero de 8o a loo rs. a libra,;
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 20o rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Mantega ingleza perfeitamente flor a 800 e
l.ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista.
dem franceza a 64o rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
e de 2,5oo a 2,8oe rs. a arroba. lu.,-j a a ,l- ...
. .. Z. a,x\ a r Marmelada do pnmeiro fabricante de Lisboa
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, el a 7oo rs. a libra, ha latas de 1, 1 1 2 e
4,800 rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oors. agarrafa, elo.ooo
rs. a duzia.
Aifazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,000 rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,loo rs.
a arroba.
Boiachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversa? qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha do porco refinada a 600 rs. a libra e
em barril a 880 rs.
GENEMUA
de llollanda verdadeira em frasquoira a 600! Batatas a 2,000 rs. a caixa.
rs. cada urna. Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
PALITOS rs. o-gigo, l,8no rs. a garrafa, e 9oo rs.
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza as meias garrafas.
e 2o rs. cada caixinha. Cha uxim o melhor poseer! a 2,7oo rs. a
libra.
PAPEL
almaco, grave, peso o de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,3oo a resma do me-
lhor.
Papel de botlea
de excellente qualidade a 25200 a resma,
PAPEL
! azul e pardo para embrulho de 1, loo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a I5,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa i
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Painco'
o mais novo do mercado a i iO rs. a libra,
e 454OO a arroba.
CEBLAS
muito novas a 15000 o cento na ra do Quei-
mado n. 7, ra do Imperador a. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 35WOa arroba e 140rs. a li-'
a2,7oo rs.
/tfiiui,rmcmanto u i,ouui LILOHLS nuia.
de outras muitas qiialida-! finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa dem perola qualidade especial
00 rs. a garrafa. com urna duzia e a l,ooo a garrafa. a libra. ?
Marmelada !dem 'lvsson mel,|or que ha neste genero
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunlo de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa tura abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa o 60 rs.
a libra.
Passas diio oras
em quartos e inteiros a 25 o quarto e 65500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da easca da guiaba
a 600 e 15 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de I e 2 arrobas a 3-5500 a ar-
roba el 40 rs. alibra na ra do Qoei-
madon. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9

m mm m
Vinho tinto sem confeicao
30,000 EM AropRETAS OE S CASTADAS 0,000
nico dpposi 10 em Pcrnamlmco ra da (adeia n. 1.
Esla nova qualidade de vinho recebida directamente de diversos lavradores de
Torres Novas (provincia da Estremadure) como altestam os btlhetes do caminho de fer-
ro que trazem os cascos, provando sua origem e procedencia, recommenda-s a todas as
.jssoas que queiram ter a oerteza de beber vinho puro de uva como o que se bebe nes-
as trras aonde nao panrtrou ainda o espirito de falsificacjlo. E' preciso que o publico
-5 convenc de que os vinhos que aqui se importam nao vindo directamente do lavrador
liegam pela maior parle ou quasi tod -s sobrecarregados do preparos nocivos saude
tfusaudo bem graves transtornos no apparelho digestivo
O annuncianle offerece a analyse dos professionaes tsta nova qualidade de vinho
que expoe a venda, e d un premio de 1:000 a quem descubrir no mesmo algura cor-
uo estranho a natureza da tira de que fcifo
N. B. Para evita*- a tsw'caeo, o annuncianle declara que o nico proprietario
e importador deste vuw o qual vende somen o no seu armazem da ra da Cadeia do
Reoife n. 1.
BOLACHINUAS
bra na ra do Queiranto n. 7, ra do- em latas do defferenles qualidades a 15200
Imperador n. 40 o largo do Carmo n. 9.. a lata
-, t QU SU,Sv? QUEIJOS FLAMENCOS
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do chegados neste ultimo vapor a 25800 na ra
pueimado n. 7, ruado Imperador n. 40 c, do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
largo do Carmo n. 9 I 40 e largo do Carmo n. 9.
Os proprielanos do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a comraodidade de todos es-
tiputaram os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal rw do imperador b. 40
F5UTCTAS .
. macAa, pera e i-va*
cnegadas neste ultime vapor, vende-se na ra do Imperador n. 40, Verdadeiro Princi-
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao ama tintara, facto essen-
rial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva- ao cabello. Compnsla de plantas exticas e
de substancias noAVnsivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante, que el-
les tem perdido. D'uma salubridade incontesta-
vel, a Agua Florida entretem a Iimpeza da cabeca
de*troe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
coBstito poderosamente, com a Aua Florida, a
torca, a hell za e a conserva?ao dos cabellos.
Em Pars, casa de Quislaur n. 12, rua de Riche-
lieu. e SI, boulevard Montmartre.
Todos os frascos, n5o tendo intacto e claro, o
timbre praleado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, rua do luipmdw, pharoiacia n. 38.
Balaios para meninas
Lindos balaios dfe varios gotf para moninas
trazerem no braco : s so cncontra na loia do Bei-
ja-Flor, rua do Queiinado n. (3 e 69.
Extratos e sabao em eai-
xinhas
Lindas caixinhas com um carlSo com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco on sa-
bio o mais Ono que pissivel: na leja do Beija-
Flor rua do Queimado n. 63 e 69.
Tonrinhe de Minas
No armazem da rua do Imperador o. 14, esqui-
nada travpssa doOnvidor, vndese excellente tou-
cinho de Minas chegado recen lemente.
Pechincha.
P.'Dles virados de tartaruga a 45 e a 35, ditos
Mana Pia a 4 : na fabrica de penles n. 2 con-
fronte a rua estrella de Rosario.
duzia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a l.ooo,
i,2oo e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da Baha como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
delicias e suspirosa 1,600, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco,
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho. 4,800 S.ooo
e 5,5oo rs. a duzia, e Soo rs cada um.
Caf do Rio superior a 28o e .'{00 rs. a libra,
e 7,Soo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goabs strperiorem latas a2,ooo rs.
Ervilhas porluguezas em latas chegadas l-
timamente afilo rs. a lata,
dem ceceas a 160 rs. a libra,
rdem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeiladas a 9oo
rs. cada urna.
Favas portuguezas era latas chegadas lti-
mamente a 640 rs.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e gnja a 9oo rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e I,loo rs. a
duzia.
Gomma muito alva e nova a 160 rs. a libra.
Genebra de llollanda em frasqueiras com 12
frascos a 0,800 rs. e 5G0 rs. o frasco
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafifo.
I'dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
1,000 rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a 1,000 rs. o
frasco e H.ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
1,80o rs. a garrafa.
2 libras.
Massa de tomate em latas de I e 2 libras a
600 rs. a libra.
Macarr3o. talharim e aletria a 4oo rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com roiltas do
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, o lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em laias a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-sc a qualidade a 800 rs. a libra!
Passas novas de carnada a 6o rs. a libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide e redinha
etc. a 3,Soo rs. a caixa, e a 060 rs. a libra.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes quali Jados: savel, corvina, goras
cavallinhas, e pescada a l.ooo a lata.
Palitos para denles lidiados a lo rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2,loors.
a groza.
Pataco muito novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
Queijos flaraengos, do ultimo vapor, a 2 000
rs.
dem tondrino muito fresco a 800 rs. a libra
Sal refinado em potes de vidro a Soo rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. alibra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar lacas a loo rs. cada um!
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e'
l,4oo rs. a caada.
dem em garrafes com S garrafas a 1.000
rs.
para lavar casa a 36o rs.
superiores a 56o rs.
Ibem de escovas
cada tima.
Velas de espermaceti',
a libra,
dem de carnauba refinada e de composico
a 44o rs. a libra, e de 15,ooo a H.ooors
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
das marcas menos conhecidas a 4oo rs
a garrafa c a 2,8oo rs. a caada,
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4,000 rs a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco =em
composico a 600 rs. a garra/a, e 4,5oo
rs. a caada.
dem de Lisboa braneo uva pura a 56o rs a
garrafa, e a 4,5oo 1 s. a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garrafa
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D
Pedro V, Nctar, velho serr, Mavasi
Genuino, Particular a Ooo e 1,2oo rs. a gar-
arafa, e a lo.ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra-
fa, e a 12,000 rs. a duzia.
dem Muscalel a l.ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas Si.
Julien St. Esteph, chateau la Rose, chalan
Margoux e outros a 6,Soo rs. a caixa. e
56o rs. a garrafa.
CERVEJTA EJI BARUIIi
a SOO rs. o cope
Qneljo de ninas chgado ao vapor
dem prato mnilo fresco
dem suisso superior
dem londrlno superior.
57 Ba do Imperador 57

.
.


Diarlo de Per
aro Neguada letra t c \ovenibro de iS4.
ra do Uueimade n. 8
RECEBEU:
Bonitas caixinhas de madeira envernisadas, com
linas perfumaras.
Ontras de paprllao de diversos tamanhos e igual-
mente bonitas, tambera rom perfumaras.
Linda- cestinhas de vidre com ditas.
Caixinhas imitando tartaruga com ditas.
Ditas rom 6e 12 frasqniohos de eheiros.
Objectos para baptisados.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, aca-
ta de receber os seguintes ohjectos para baptisa-
dos :
Bonitos e bem bordados vestuarios de cam-
bra a.
Ditos e modernos chapozinhos de setim e toucas
bordadas e enfeiladas.
Sapatinhos de setim e merino muito bem bor-
dados.
Meias de seda e Qo de Escocia, brancas e pio-
ladas.
Toucas e sapatinbos de laa, obras muito bem
feitas.
AO PUBLICO
Hcm o menor constran-
gimento se entregara o
Importe do genero que
nao agradar.
flTTEHQaO
o preces da seguate
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
11 encao
Bonitas caixinhas
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deixar passardesapercibido sem queniodsseo
1 seu canto, afira de anmmriar ao respeitavel publi-
co o grande sortimeolo de galanteras do melluir
gosto propriamente para qualquer mimo, que aoa-
. ba de chegar reste ultimo paquete, assim como
1 muitos outros objectos que recebe por diversos oa-
j vios, tanto de sua ronta como de consignarlo que
est resolvido a vender por presos muito baratos
eOin lUUSCa e Sem ella para COStura, e para wnder muito o grabar pouco, e dar extraco
, r o grande deposito que tem, que espera merecer
OiltiMS COm J-. ITillljus para Dai'Da. proteceo do respeitavel publico empregando par
A Aguia Branca recebeu novamente um bello sso todas e as melhores diligencias para que fl-
sortimento de bonitas caixinhas com ffl.-ica e sem quem satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, ra do
ella para costura, e ontras com os arranjos neces-! Crespo n. 7.
garios para barba ; assim, pois, quem comparecer j Ricos porla-joias.
com diuheiro est habilitado a eempra-los por pre- Cofre de mut0 g0S|0 por 16^000
m commodo : na ra do Queimado, loja da Aguia cestinhas transparentes torradas de ma
Branca n. 8. dreperola por
til HO M iOME jindas jardineira,
para fingir cabello
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
cebeu essa excellente tintura para cabello, cujo
eflVfto 6 rpido e proveitoso, vindo ella munida de
esclarecimenlos em porlugoez, d'onde qualquer
pessoa pode bem conhecer o modo de appliear.
Com o rhromoconre que serve para tingir, veio
tambem hydrocallitr.china, agua para tingir cabel-
los, coloricomo para lustrar os ditos, eonyehro-
maniina para limpar as unhas, e callicomiphila,
pomada de que se pode usar sem reeeio de offen-
der ao cabello preparado. Os pretendenies acha-
ro preco razoavel.
Banhas finas
em copos, latas e soupeirinhas de vdro
opaco.
A Aguia Branca sempre cuidadora em bem ser-
vir a sua boa freguezia, mandn vir e araba de
receber na melhor occasio os drsejados copos e
:i? procuradas latas com banhas finas, assim como
rimas bonitas soupeirinhas de vidro opaco com
alegres inscripeoes. as quaes dizem gmenle res-
peito as senhoras, c com tal acert que nenhuma
as vir delxar de comprar e nao se enfadar
!8000
105000
405000
105000
Bicos cofres com camapheu.
Lindas caixinhas com pedras brancas.
Lindo balao com calungas dentro, tam
bem para joias. 165000
Tambalier para ditas. 95000
Cestinhas ditas. 65000
Cosmorama ditas. 65000
L'rnazinhas. 05000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos goslos e pro-
cos ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sin tos
com bolcinhas ao lado, a 105, IU e 135,ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a SPSQQ, 35, 35500
4500.
Ricas fivellas avulsasparasinto, o melhor que se
pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 o par;
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes ou cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas on ca-
bazes par meninas trazerem no braco, o mais rica
possivel a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais Ieques
com pequeo defeito, Ieques de sndalo com pe-
queo defeito por barato preco de 85 e 105. chi-
Bezes muito bonitos tambem, pelo barato preco de
que as v.r amara oe comprar c nao se e.* beutarallus muito bonitos, tambem po'rba-
de ler a mscripeao quelao merecidamente Ihe toca,**"" "L"'' ... u ,aHmbem
e quera quizer.ser bem servido dirigir-se a ra ^gt^fb!T^SSUSfS
vez 80 por cenlo; s no Vigilante, ra do Crespo
do Queimado, loja da Aguia Branca n. 8.
BOLECAS
que andam, que choram,
que fallam, etc.
A Agnia Branca, na ra do Queimado n. 8, ani-
mada pelo apreco que a sua boa ireguezia sabe
dar a essas boas novidades, mandouvir encaba
de receber um extraordinario soilimento de boni-
tas borne, que andam que fallam, que choram,
e ontras militas de diversas qualidades como dan-
zarinas, soldados, atiradores, etc., e todas mu bem
vestidas; assim, pois, a Aguia Branca espera a
concurrencia dos apreciadores do qom, certisde
que achanto preces razoaveise serio satisfactoria-
mente servidos una vez que compaream munidos
de diuheiro.
Finos e aromticos pos de
a rro i
Era bonitos vasos de pedra, porcellana dourada,
vidro e madeira, estes com o competente pincel e.
sera elle, em latas de mies de papello, sendo todo
elle (le superior qualidade e agradaveis eheiros,
Emquanto ao proco, nao se assHSte o comprador,
compareca com diuheiro e ser bem servido na
loja da Aguia Branca, ruado Queimado n. 8, ende
tambera se veedora separadamente os pintis.
' istnrelra
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas necessarias para costura, as quaes
tem linhas de diversas qualidades, retroz, tesoura
o outros arranjos precisos, assim como amostras de
bordados ou marca, etc., e lados a procos com
modos.
RIVAL Si SEGUNDO
lina do Queimado ns. 49 e 55, loja de niindezas
de Jos de Azevedo Maia est continuando ;.
vender muito barato, pois seu genio dar a asea-
da por todo preco a vista dos cobres.
Cartas de allinetes francezes da melhor qualidade
a 8 rs.
Grosas de pennas de ac nglezas da melhor qua-
lidade a 640 rs.
Caixas de colchetes francezes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Grosas de botes de madreperola muito finos aooT
e CiO res.
Carretcis com 4 a 5 oilavas de retroz preto fino a
640 rs.
lie-mas de papel de peso liso muito superior a
25000.
Grvalas da liga e de outras murtas qualidades a
500 rs.
Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de botoes branco para casaveques de senho-
ra a 100 rs.
Petas de fita de ros estrellas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Porluguez para os meninos a prender
a Icr a 800 rs.
Os segredos da naturoza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Cartilhas da doulnna chrislaa, finas e superiores a
320 rs.
Tcntcs finos de marOm a 15000, 15200 e 15500
Pares de linas de seda para bomens e seuhoras a
Gollinhas para senhora o melhor que ha a 320 e
Frascos cora superiores banhas a 240, 320, 500 e
15000.
Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
to preco de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordao branco para esparlilhes muito superior, t
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha branca a W
ris.
Caos com 200 jardas do linba branca garant-
d< s a 60 rs.
Grosas de pennas de ac superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
Ibas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, oh que pecninena a
120 rs. .
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de betes de louca prateados muito fino a
Tesouras para costura superior qualidade a 800
ris.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phospboros de seguranza a
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a 640
ris. .
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, muito
tino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo moiio fino a 20 rs.
Vende-se na loja de livros dos Srs.
Guimares & Oliveira, a 500 rs, cada exem-
plar, um opsculo p> Utico que acaba (de ser
publicado, com o titulo Males Presentes.
n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregaear ca-
ndi, tanto de borracha como de tartaruga comen-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Pulsciras.
Lindas pulseiras de eontas e de missanga, cores
muito lindas e de muilo gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
RA A CAIIEIA DO RfiCIFE M* 53.
(Logo aasunde arco di Conceiflo)
Grande redcelo de preeos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunciante.
Collegas.NSo posso por mais lempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com isto ocasiao a todas as espeluncas acabarem por bom prego a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 11! Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que viro encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reducto de preeos, como veris
pela seguitite tabella, pois como sabis ca pelo mea bairro, at a abertura do niomoravel armazem de molhados Unio Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de 1,409 a l,Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduccao a que
estao obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamafo de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
to sement obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, c mais que ludo aproraplidaO e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a prolecca"o e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratheos, pois
serao to bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendafao, afim de que nae vo em outra parte.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
-- Machinas de vapoi [o pa-
ra descargar algodao.
Moendas e meias moeii Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas o
de carrosa com manir'
eixos de patente.
Ra do Brum n. 38, fu d i -
cao do Bowman.
OS (-.NOS
OS MAIS AG61AWT1
F.
I>'urna pertinaz niirarae
ESCRFULAS,
OU EROPCOES ESCRrLi..
Ulceras de fodn I rtfrffe.
SYPH1L1S. 0lT MAL VENERE*
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abalimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Chhyssonde superior qualidade a 2,Goo rs.
a libra,
dem perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
Deste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 2io
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranha"o a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da ludia muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
para negocio o !,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a:Painco e alpisla a i4o rs. a libra, e 4,3oo
libra, garante-seser muito regular, igual! rs. a arroba,
ao que se vende em outra parte por 2,4oo Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
e2,oo rs. 6oo rs. e de barril muito superior a Soo
Linguicas, chouricas e paios em latas de 81 rs. a libra,
libras, emticamente lacradas a 5.oe rs.' Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por seren propriamente
feitas para esse lim.
oeste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
passado a i,6oo e l,8oo rs. | 25 libras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que tem, Vinho do Porto muito fino excellente qua-
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e 1,5oo e 6oo rs. a libra.
Qugjos flamengos muito frescos chegados
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
icm prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
Tambem chegaram as ligoinhas estreilinhas borracha qne as senhoras tanto precisam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muilo
barato, a 30 o par; s no Vigilante, ra do 3res-
po n. 7.
Loques.
Rlquissimos leqnes de madruperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de t2> e 145; so no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Pestes
tambem chegaram os nqaissimoa pentes de concha
de tartaruga e de massa lina, que se vende por 2>,
3l c 5^ i s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas caetas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baralissimo prego de
15300 e 25-
Sapatinhos e, meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de sea e de merino en-
fcitados, assim como meiasiiuhas de seda, torraii-
nhas e touquinhas para as emocionas se baptiza-
rem; s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Voluntas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avnlsas
e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
(iolinhas.
Riquissimas polinhas e manguitos, omelhor gos-
to possivel, a 25. 25300 e35; s no Vigilante,
ra do Crespo 11. 7.
Enfeites para senhera.
Riquosissim enfeites com lago c sem lago e de
ontrosjmuitos gostos a 15, 15300 e 35 : s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Traneelins.
Lindos traneelins oe cabello para relngio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15300, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos entremeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
deseuhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15300, 25 e 35 5 s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguesas em latas j pre-
paradas a 6o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunlo do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas. para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 0,000 e 5,5oo a
duzia,
Choculatc francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras I
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-'
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45>,ooo rs.
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de i e meia libra
por I,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora 4y2oo, i,Seo, e i,8oors.
Azeitc doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a So rs. a kbra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,800 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legurae para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l,ooors. e 11,000 a duzia-
Palitos para dentes a lio e 16ors. o mago-
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
VinhodcpipaPorto, Figueira, e Lisboa a3o,;cervcja branca e preta das marcas mais a
em ao mercado a 5,ooo
4oo e.*oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, uque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fettoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo,ooo rs. e a 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos c meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
rente e de superior qualidade, tambem tem Sardinhas portuguezas em latas grandes
de 12 por libra propria para carro. preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
Peixc em posta sovel, corvina, gors. pesca-1 boa a 64o rs.
da, salmao, ostras echernee, vezugo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna. | cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-; libra,
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,000, 7,ooo e8,000 rs. a caixa,garante-: qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro ] Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. para mimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e Passas muito novas de carnada a ioo rs. a
o,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
H,ooors. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra,
llolacllinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
creditadas que vem ao mercado a 5,000 e
5,5o Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhocidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,0190 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra elo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
61o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas sol tas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por l,2oo rs.
Matle excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
AGENCIA L0W-H00B.
Ra da Senzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meias
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres- \ m^das para engenho, machinas de vapor
po u- "' ... I e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
Grande sortimento de fitas de diversas larguras tamanhos para ditos. .....____________
e qualidades, por pregns que admirara aes com- Arados americanos 6 machinas par j
pradores, havendo fitas largas proprias para cin- rnBna. pm casa de S P. Johnston C,
teiros que se pede vender a 300 rs. a vara, e pega j U\ar lOfcpa. HH ue o. r. jui
de 9 varas a 25; s no Vigilante, ra do Crespo | ra da Senzalla Nova n. 42.
Fitas de lia. >
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
m debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gtlanle, ra do Crespo n. 7
GQ,

lfiRS ?^<
UMA GRANDE LIQUIDACAO
Excellentlssimas senhoras

a.
*
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura doura da I
sem ella de 85, 105, 125 e 145, romo com
eslumnas de differentes tamanhos a 25, 35,45, 551
e 65 i s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e lisuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
pm enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui I
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo!
n. 7.
Para pos de arroi.
Riqnisimosvasos com boneela para pos de arroz, jellins e silhoes inglezes, candieiros 6 castl-
Fabrica Conceicao da
Bahia.
S Andrade k Reg, recebem constante-
B mente etero venda no seo armazem n.
W 34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
*^ la fabrica, proprio para saceos de assu-
xa car, embalar aigodo emploma etc., etc.,
>4f pelo prego mais razoavel.
nMmmm.
etc. proprios
baldes de
sw
Ra da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
K loja da roa do Crespo n. 17, de Jos Gomes Villar.
Recebeu de sua cncommenda vindo de Pars, as melhores fazendas qoe tem vindo
a esta provincia.
Cortes de blonde completamente preparados cora capella e flores etc.,
para casamentes.
Cortes de mcreantique para noiva, mantas e capellas proprias para noiva
todas as qualidades para senhoras, ricos cortes de seda preta de cores e moreantlqoe pre-
to grosdenaples preto e de cores, camisas de cambraia bordadas para senhoras.
Chapeos de palha para senhora assim como para menina o qoe tem vindo de me-
lhor, pcitos bordados para camisas de hornero, cassas de cores, orgrndys de lindas coesr,
chitas de todas as qualidades.
Capas pretas de gorguro importantissimas, souterobarques pretos, assim como de
cores o melhor, casaefle?, pelerinas, pellives etc., etc., casaveques compridos de grs pre-
tos e de gorguro, fazendas importantissimas.
Novo gosto
Chales de renda pretos o mais moderno presentemente a 155 e 205-
A elles antes qne se acabem, fazpndas de todas as qualidades proprias para senhoras.
Tapetes para forrar salas a 21500 ocovado com seis palmos de largura.
Esleirs de muito boa qualidade para forrar salas.
cous de muito gosto a 15500 e 2#, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo d. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tlnctivos e offerecimentes as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos dehanha japoneza
a. 25 e a 15, assim como outros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se fartodo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
AllMIllH
para 20 at 200 retratos, muilo bons e por menos
prego qne em ootra qualquer parle: na ra do
Crespo 4._____________________________
Vendem-se ricos ps de craveiros, e cravos
branco, encamados e rajados, por prego commo-
do : na ra do Hospicio n. 38.
gaes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e moDtaria, arreios para
carros de um e dous mallos, e relogios de
ouro patente inglez.____________________',
Roa da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tac i e
Ierro coado libra a 110 rs., idem d eLo*
Moor libra a!20r.__________.
Mriuli de mandioca.
a 55000 o sacco.
A melhor que existe no mercado, bordo do pa- para raover machinas para descarogar algodao, do
tacho Ulysses, defronte do trapiche do bario do Li- me|hor systema em uso nos Estados-Unidos da
vramento pelo barat prego rima mencionado, America : a vT e tratar, na fabrica da travessa do
sendo sem o sacco, e em porgiose far alguma Carioca n. 2, caes do Ramos. Na mesma casa s
differenca ; na ra da Madre de Dos n. 5 e 9. espera a cada momento por um navio a ctiegar,
primita de Mannos recolhida algans motores inglezes para um e dous cavallos,
na riadaIra- de um trabalhoruito maneiro e simples, que se
"mf uid ooiiqnd o 9 svtoquds svuixr iuvfd}0j
\ -u odsajj op boj v
ovvaiion aavvno vki
Motores e prensa de algodao.
Vende-se nma prensa para enfardar e am motor
Esteiras para forrar salas.
Com 5 palmos de largara e multo superior qua-
lidade, vende-se mais barato deque em outra qual-
quer parte : em casa de Valle Porte i C, ma
da Cadeia n. 33, Recite.
Vende-se urna
e de lionita tiKura, com habilidades:
peratnz n
22.
I vende por um preco matw mdico.
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na roa Nova n. 01.
TEMORES,
RnwlMfw 1 x'^ M
BERTOEJAS, s. ^Bajtt 4 ,-
0PRTHALM1A.
Hydropisia, IflBBn^"*^ **^*'
Empfgerts, '
HERPES, Dar tros,
ERYSIPELAS "f. la^f ;'
\M Oltlil 1 0. i I inlia. )gKBt**4fr*
GHAGAS ARTIGAS,
Rheumatismo Chroncc.
DEBIUDAM (I-IA,
Ncrvosidadc. Nemlsi
F.U.T.1 DI! IPPEiTi;.....
SUPPRESSO DAS REGR I o -.
AMENORRHE.
unan, m me m :;.
Ked'iira das l'rHnn,
emacia^Au,
0 mi ule do estod vicioso doi
DIFLAIIMACOES CHB0r-:
Afec9oes Chronicas do 1-'.'gr.de,
Assim como todas .\s mai- mu n 1
I.ESTIAS, I-KINTII- AI.MKM i: ; I
t'AlSAOAS, or nNHBM I. I
I.IVKK l'SO !>0 Mr.Ki I '
Quinao,
Artalm como liimbrm p^lo freifarnic w <*
SEMCO c uinu Brrparaf r-> H'mrrmr*-
Todas estas Enfermidades prcr.r.
mente cedem a benfica, j ck! .
pin incautes qualidades l
justamente af.m: da
SLSlPiBRfll BE BW
A venda as boticas tle Ca> : i
ra da Cruz, e Joo da C. Bra
da Madre de Dos
ESClttVQS lGlic

Fugio da casa do abaixo assig
cravo pardo de n<>me Marn-, m :
10 mais ou menos, e com os mnn
altura regular, percas OMMarMl, tor !- --
bellos annelladu?, olhos pequeo-. Ub U' i
nariz chalo, cusluma andar d<| n t
pillando, e aindase torna mais nalifM : r ''
diversas cirairizcs do gonima prim ; '
lado e sobresahindo sobre loda^ i* r
visivel, urna abaixo logo da pffla 1
caixa do pplo;el|p piula e raa *iffrir
consta que elle lem traballiadu \r > Mi 1 fflt.i'
diversas casas aqui no Recifc : portoall u%
autoridades policia^s e aos rj| iiars o raipa r
o facam apprehender econdu7i-lc a rasa r*+
senhor o major Anlonio da Silva u-mao, M r
Imperial, que gratificar generosamentiv____
Desappareren ou furlaram M ~itio do Parnaa
rim, junto do do cirurgia" l.eal. na MM i
para 21 desle niez, um cavado rvaO 'I r >. (.ts*
de de meia idade, cabera grande rom iur,.i: 1
na bexipa, de pisadura d<> si lim.
pesado: quem oacharpde leva-!o n m
cima que ser recompensado.
Fugio no da 18 do correle nma arria *>
Cosa de nomo Isabel, representa l.-r :->. i
idaiie, baixa, cheia do corpo, rur n.i
xiposa, cosluma embriagar-?e, levou i
chita encarnada de cor rxa, saia prt-u. 1
branco, anda vendando fruclas. 11,1.r
do capilao de campo Jo.- Patricio, teio iMoi
pelo bairro da Boa-Vila. GbBB iirar.de. o 1
da a ridade : pede-se as autoridades 1
capitaes de campo a sna apprelii n-.\ .
a ra da CadeiaJVtha do Recife n I. ija<-
pagos de seatfabalho.
i:eravo fagido.
Fugio no da 2 de junho do eurrenl anuo o e>-
rravo Joaquim, trocando o nome para Bm
oulo, de idade 20 annot, com os signa; 1 v lis-
tes : alto, magro, cara meia redonda. < r
com urna queimadura no rosto d> M
rendido de urna rer.lha : perte-* a I"
sobaelegados da Vanea, do Giquia, Maa
outros lugares, de o apprehond-rem e mandaren
irazer ao abaixo assigoado ; igual.;
aos Srs. capitaes de campo a sna ap rehn- J
serao gratificados.
_____________Mano! da Silva 5cves.
Acha-se ausente desde o da li on> n-
a prela Luiza, com os signaes HpotaMi : 1 r
marcas de bexiha no rosto, lem dua> riraini
mo direita, idade25 annos, nonro man *u
levon vestido de chita e puni da cosa m
consta andar esta ridade : p^de-s* a aotetian'*
policiaes a apprehensao da dita esrrava efcl
a ra dos Piresn. 34, qoe ser genero^arte?I
compensado. ______
Kuio o escravo Crispimuyi. e ida*' -
annos, barbado, estatura, regalar, bem \m 1
consta andar nosarrabaides deala ridade: >
aprehender leve-o roa do Linamont '.', vi
ser recompensado.


8
DlarU t Peraambne ftegunda Ir Ira Ae \ovr rubro ie II 4.
LITTERATRA.
os sitiadores seus nao sao tao fortes.
Do assediado terreno occupa tanto
como da humilde Aricia, asylo umbroso
da Mycnea Diana, a Roma excelsa;
ou quanto vae de Roma fox do Tibre,
se da corrente as curvas descontardes.
PHARSALIA.
Poema de Lucano, Iraduzi lo em porlugim pelo
Sr. cosellieiro Jos Feliciano de Casiilho.
Comennos a publicar hoja o 6." canto da ira- J"" reba,e de ,llba' ou voz de chefes,
fluceao da Pluvsalia, feita pelo Sr. conselheiro Jo- dards voam- D> lanCa exercicio
s Feliciano de Castilho. Imm ,jra PcrPetra indignas mortes.
Oceopa-se este eminente latinista ha muito tem- Se o general Pompea inda se furia
po cm trasladar para a nossa lingtu o poema de a romper o conflicto, que o trabalha
Luraoo. A traduegao achaso agora completa, e ma'8Instante cuidado: Os pastos minguara,
sabemos que o Sr. conselheiro J. F. de Castilho -ue os tem calcado aos ps os cavalleiros,
pretende da-la estampa dentro de pouco tempo.! e ""opear dos coreis as correras.
O poema de Lncano, ape7ar do merecimento os campos us os bellicos ginetes,
superior que Ihc reconhecem os crticos mais emi- ] do eno a manjadoura aborrecidos,
nenies, nfio se acha vulgarisado e conhecido, co- j s anne|am verdura; a fome os rala ;
nio d. vera sr. Sem entramos ni exame das desfallecem no ardor da escaramuca,
caucas desse facto, e sem cntrarmos egualmente 'raquejam, varase a trra.
n'ama apresiaeo minuciosa do valor da obra lat- a' mortandade
na. cabe-nos apenas neste momento assgnalar o segue-se a corropgao Lelhaes effluvios
im nenso servigo que o Sr. conselheiro Castilho que dos podres cadveres se exhalam '
prc-ta a lingua portugueza, com a sua traduego. enchem de nevua o ar. J lavra a peste.
Fma traduego, como os lcitores pdem ver no Lembra o vapor mortfero das rochas
excerplo que publicamos hoje, un trabalho dig- ennubladas de Nesso, ou das cavernas
no de encomios. A altiloquia e robustez do verso I fa'aes d'onde Typhao resfulga as raivas.
juata-se a urna linguagem opulenta e castigada.! Inferma-se aos cardumes; nos contagios
Os entendedores poJerao ver a difficuldade de nm [ a agua, inda mais que o ar, assunje o virus,
trabalho desta ordem, em que ludo o que nao Lodacenta a bebida opila as visceras ;
gmparelhar rom o estro original, nao pode mere-
cer as honras do triumpbo.
Ciemos sinceramente que o traductor de Luca-
no as merece.
Acompanha a tradcelo o texto latino. E' o
meo de facilitar a confrontado dos versos tradu-
cidos com os versos originaos. O poema de Luca-
no nao anda em todas as mos, e haver mais de
um lelior que deseje apreciar, em toda a plenitu- j
de, o merecimento da fidelidade.
Pharsalia.
Canto 6.a
Nos altos, frente a frente, o* dous caudilhos,
soffregos de r-se s mos, j se acamparam.
Os deuses, deste circo espectadores,
vendo estao j na arena os seus athletas;
e a lucia a rebentar.
Muralhas gregas,
mui aceis de render, transpolas Cesar;
das victorias, que os fados Ihe offerecem,
urna s, a do genro, que e deslumhra.
Almeja pela hora, ao mundo infanda,
que ha de por tudo em jogo; apraz-lhe o lance
com que o fado anniquille um dos contrarios.
Tres vezes estendeu pelas collinas,
em som de guerra, as turmas e as bandeiras;
de assolador da Italia ufano alardo I
Baldas provocarles! Nao move ao genro
fra dos arraiaes a aventurarse.
Leva pendoes ; marcha, agodado, oceulto
sombra dos sarcaes, contra Dyrrachio,
praca valente que prear Ihe cumpre.
Pela oila du mar Pompeu comtudo
Ihe ganhou deaotera; occupa o morro,
que entre Taulancios se nomeia A Pedra,
e asienta os arraiaes. Desta immineocia
defender Dyrra -hlo, essa d'Epyreos
pn.c*, alias torreada e inexpugnavel;
praca, cuja pussanca nao se estriba
nao s as construyos dos que a fundaram,
c cm seus grandes reparos alterosos;
s fcil ao trabalho erguer ludo isso,
menos fcil nao guerra, aos annos,
desniantela-lo um dia : a summa forja,
que ri do ferro, natureza a deve;
teni-na em seu propro assento : o mar de emtrno
profundo em penedias Ihe rebenta.
S breve outeiro, com que prende Ierra,
a priva de ser illia. Espanta aos nautas
a congerie de fragas, que Ihe agueotam
os aprumados muros. Quando o Jonio
co'os austros furiosos se alevanta,
as viveudas e es templos Ihe estremece,
cospe-lhe os tectos de praleada espuma.
Cesar temerario : os inimigos
estao pelas colimas espalhados;
cerra los mister, sera que o presintam.
Erguer -Ibes-ha, por longe, urna trincheira.
Bl-de as tenas co*a vista. Improvisa veis
muros de leiva, farilmente rotos,
isso nao: quer mais solidos reparos.
Traz para os levantar quantas avultam
penlias flor da ierra, e quantas dormem
as minas metalliferas, as casas,
t as murallas das cidades pregas.
Funde obra, que aos vaivens, que aos mais possantes
dos artificios bellicos resista.
Atulha valles; corta montes; segu
com liuha egual por alcants e abysmos;
Cavam-se fossos; pncaros de cerros
com torreados cabellos se coroam.
Assii lieam por longe inclausurados
campos, selvas de horror, covis de fras.
Na rea espacosa do cesreo encerr,
onde mil nos nascem, correm, findam,
de sobra tem Pompeu forragens, campos,
e por onde arraiaes transmude larga.
Da circuinvallaco correndo as obras
Cesar pernoita em meio.
E que nos cantera
os muros d'Ilion, fundaco oe numes I
Que exalte fugaz partho as babylunias
muralhas suas de caduco adobe t
alais fez Cesar; que a sbitas, e em fraguas
de guerra atroz, cingiu de um monumento
regio que, no profuso, cgualaria
todo o espago que regam Tigre, Orontes,
ou todo aquelle que na Eoa Assyna
d para reino farla.
Oh I qne fadigas
tao baldas I Atulhar&^jstreito de Helles,
onindo Abydo a Ssto; abrir passagem
de mar a mar entre E'phyre e os extensos
reinos do amigo Plope, forrando
aos nautas o ir rodear Maleas rochas;
transformar, contra a propria natureza,
qnalquer porcao do globo em mais proficua,
ludo a tanto lidar seria fcil.
Temos pois circunscripta a rea da guerra.
All ferve o sem numero de vivos,
que hao de ensopar co'o sangue as trras todas.
Da Thessalia e da Libya all se aprestara
as hecatombes hrridas. Estua
toda a furia civil em parca arena.
J se ia erguendo a fabrica do muro,
sem que Pompeu de dentro a futurasse.
(Que admira I Quem, no meio da Sicilia,
leme ou sent os ladridos do Pelero t
Brtoos da Caledonla acaso esculam
Tetiiys bramir as costas rutupinas ?)
Tanto porm que viu no hostil abraco
aperlado o seu campo, desaloja
do seguro da Pedia os corpos todas:
pelas varias alturas os disparte.
Cangar-se-hio mais assim os Inimigos;
c em mais extensa linha disgregados
hirta negreja a pelle; opprime os olhos
que de inchados as orblas estoiram;
o carao se afogueia; est patente
o morbo, o merto sacro; eslranho peso
assoberba a cabeca internutante.
A morte de hora a hora augmenta horrores.
Eulre a saude e o glido trespasso
va o mal: o relmpago fulmina.
Quem languesce, exuirou.
Co'o j sem cont
dos que a morte abaleu, se irrita a peste;
que o solo, de cadveres colmado,
ao ar que se respira em dobro infecta,
Em por fora das teodas os defunctos
cif-am seus funeraes.
Valeu na angustia
do convisinho mar o refrigerio,
o A'quillo sopro que os miasmas varre,
c a costa, co'os baixeis de tanto mundo
carregada de prvida abundancia.
Cesar mais livre e larga em seus oiteiros,
nem respira mephitico ambiente,
nem bebe aguas mortferas; mas curte,
como em cerco aperlado, acerba fome.
Vem apenas as messes despontando,
quando, vista das gentes aterradas,
os animaes famintos Ih'as devoram.
Tragam-se o mato agreste, a selva brava,
planta arriscada, incgnitas raizes.
Quanto ao fogo se abraoda, o que entre os denles
embora trave as famintas fauces,
tudo que ha mais estraoho a mesa de homens,
tudo serve, se busca, se festeja,
se consom entre aquella soldadesca,
cercadera de exercto abastido I
Resolve erafim Pompeo orcar o assedo,
respirar mundo largo. Nao invoca
o manto, a protecgo da umbrosa noule,
caminho a furto quando o sogro dorme ;
fra vil: quer sahir como torreute
calcando ampias ruinas; muras, torres,
no encontr derribar; por entre as selvas
das espadas hoslis fugir, qual foge
o raio, que aps si s deixa estragos.
Por mais azaja ao seu intento, elege
aquella parte do propinquo vallo,
que se chama os Castellos de Minucio,
lugar fragoso, asperrimo de monas,
c de espesso arvoredo acoberlado.
Paraali gua pois, sem que o delate
pulverea nuvem do inimigo aos olhos.
Sbito se descobre ante a muralha.
Aguias latinas, fulgidas, sem cont,
toda a amplidao do campo estao cobrindo;
soam trombelas mil. Pavor nao ferro,
vence neste conflicto aos cesarinos.
O mais a que Ihes chega a heroicidade
morrerem no posto. J no muro
nao resta a quem se mate, e inda o vareja
um vendaval de ferro. Ao ferro o fogo
prestes suecede: resinosos fachos,
disparados com impeto de raios,
zuera pela esplanada; em breve as torres
combatidas por baixo estao nutando;
vo desabar. O lanco da muralha
s marradas do ariete fraqueja.
No viso da trincheira emfim j param
aguias do grao Pompeo.
Folgue a justica I
Liberdade do mundo, ests raiando I
... Inda nao... inda nao... quem n'o crerial
Logar, que a legioes mil, que a Cesar todo
j parecer agora irrelomavel,
salvou-se d'entre as mos victoriosas
um s, um s hroe I Nao quer se diga
que estando elle inda em pe, que estando armado
vencedor Pompeu. Seu nome Sceva.
Antes da guerra aos barbaros doRhodaao,
era simples soldado. Ali ganhara
de gru em gru a vida de centurio,
merc de muito sangue. Ante faganhas
nao recuou jamis ; nao er, nao sabe
que o valor contra a patria iacrilegio.
Vendo os seus andar prfugos busca
de abrigo onde escapar :
Que isto (exclama) ?!
Pavor nunca sentido entre os de Cesar,
impa, vi covardia assim vos toma I
t Tropel de escravos I raga indigna I a espalda
t volvis a morte, sem verlerdes sangue I
No moniodos valentes (que vergonha I)
queris faltar s vos ? queris que embado
vos andem nos cadveres buscando
i para vos dar ierra ? A' mingua de honra
t nao basta a indigoaco para reter-vos ?
Nao vedes ? Somos nos de toda a linha,
a nos os que ha preferido o hostil arrojo
para assaltar o dique, e abnr-se escampo.
< A f que ha de paga-lo I O dia de hoje
, vai custar-lhe bom sangue! Ah I que nao possa
t ver Cesar neste lance o como o sirvo I
< Isso que era expirar I Nao prouve sorte.
t Embora I cahirei glorificado
deste mesmo Pompeu. Voltae I Corramos I
< De nossos peilos o imprevisto encontr
< as langas o espedace ;ga espada intensa
t venha einbolar-se as gargantas nossas.
i'arabens I Este p, ca de tao longe,
j Cesar o avisiou ; j se ouviram
< das ruinas o eslruodo, o som das armas.
t Socios, victoria I aguente-se a trincheira I
c Vamos nella raorrendo, al que chegue
i quem n'a vem retomar.
Nunca acceoderam
em peito maior fogo as marcias tubas
que este prego de Sceva. Audacia tanta
pasma, lera traz elle os companheiros. \
Ardem todos por ver se a valenta,
de numero e lugar desajudada,
pode mais que... morrer.
Firme, Inconcusso
na tranqueira a allur-se-lhe, comeca
atirando os cadveres que atulham
das torres o interiur-jChuva de morios
fere, acorva, derriba aos da escalada.
Entre os bracos do hroe, cantos, madeiros,
toda a vasta ruina, emfim, sao armas.
Quando outras nao liver t..-m-se a si mesmo ;
ser seu corpo o derradeiro tiro.
Ora tranca, ora prtiga, rebate
qnanto peito se eleva ao rez do muro ;
quauta mo se Ihe aferra, espada a corta
das cabegas que emergem, quaes fracassa
crneo e cerebro, ao truz de enorme seixo :
quaes com vivido archote abraza; grenha,
faces, olhos, devora a labareda.
Dos corpos o montao j presta aseen io
desde a planicicie ao alto da esplanada.
Sceva por sobre as armas inimigas,
qual pardo, que os venabulos transalla,
d comsigo de um pulo em meo s hostes.
L comprimido entre os massls*os cuneos,
centro, elle s, da guerra s v costas
que espada escala. O gume anda j boto,
obtusa a poma a lamina empastada,
grossa, perra co'o sangue ; era montante,
clava ; atina, esmaga. A m da gente
cada vez mais o estreta. Alvo dos tiros
nao ha outro, s elle ; e mao nennuma
erra o ponto, um s bote se nao perde.
Que duello lao novo! u*n contra todos,
e todos contra um s I Pasmada, absorta,
indecisa, a fortuna o presenceia.
Sa na copa do valente escudo
dos dardos o graniso ; o capacete
roto, abalado, o opprime, o roe as fontes.
A's entranbas vitaes, j descoberlas,
por nico anteparo esta servindo
frechana ourigada flor dos ossos.
E' baldo o assetea-lo, inana gente I
Nao n'o alrangaes no abscondito da vida ;
j nao vae sem balista ou catapulta,
balido de phalancas ou cantos
Venha ferrado ariete, que o roje,
como porlao de renitente praga,
fra do limear; Tem nelle Cesar
seguro antemural; Pompeu, barreira.
Sceva nem ja se cobre : acha vergonha
que se diga Escuiou-se. Aniou-the a esquei
no afn de proteger forrado briga ;
t'icfu por culpa sua.
Assim patente,
s, impvido, alvo a todo o exercito.
O peito selva densa, o p j frouxo,
titubeia a procurr do inimigo
sobre quem se desabe ; horrenda imagem
de equorio monstro a rebolcar no pego;
ou de elephanle lybico opprimido
co'o peso dos venabulos, que os parte,
que os sacode do bruto peito asperrimo,
que intacto no interior, que inda incruem
de mil trechas, mil jculos mordido,
se gueiita vivo, em p, feroz, medonho.
Eis de longe um Cretense atesa o arco ;
poe mira em Sceva ; estala o tiro; va,
silva a gortynia sella ; e mais certeira
do que o frecheiro mesmo o ambicionava,
d na fonte, resvala e desee a rbita
do olho esquerdo. Insoffrido de vagares
Sceva, os nervosos vnculos rompendo,
arranca resoluto o frreo gume ;
arruja, calca aos ps o olho e a frecha.
Ursa pannonia nao Ihe ganha em furia,
quando o monteiro libyo o preso dardo
de longe Ihe eneravou ; desatinada
co'a violencia da dr, gyra em redondo
aps a hasta lethal que em si Ihe foge.
J no rosto do hroe, cruento, informe,
nao ha ler-se-lhe a ra va. A'quella vista
rompeu n'um grito alegre os vencedores.
Se, em vez do humilde sangue de um centurio'
contemplassem ferido ao propro Cesar,
nao colheram mor jubilo.
Domando
no intimo peito a dor, trocado o rosto
de altivo em consternado, a voz macia :
t Merc, coocdadaos (exclama Sceva)
c Detente os ferros : perdoae me ; agora,
fenr em mim ja ferir n'um morlo ;
nao heis mister de embeber mais langas ;
M'as descreveis. Levac-me vivo ;
Ide-me por nos arraiaes do Grande ;
nao privis d^ssa glora ao chefe vosso.
t Tornae-me exemplo a trnsfugas do Cesar,
t nao modelo a furiosos, que anteponham
posthuma nomeada ao bem da vida (>
Fou-se Aulo infeliz no vo discurso...
Nao repara que Sceva, assim fallando,
sustenta o ferro em punho, inda apontado;
mas no lancar-se presa, e j cuidando
tola em bragos, leva-la al co'as armas
qual se leva um tropho, rasga-lhe a gorja
estocada fulmnea.
O falso humilde
resurgi pois, mais ferviao que nunca,
e este homicidio Ihe refez as forgas :
Quem quer que a Sceva suppozer vencido,
como este venha, e morrer como esle.
a Pompeu s ter paz co'a espada minha,
quando aos cesarpns ps curve o joelho,
e abata esses pendes. Talvez cuidastes
que eu era como vos; que o medo morle
me faza pasmar, fugir, temer-vos.
c Quero mais ao morrer, do que vos outros
< a Pompeu e ao senado I >
Assim fallava,
quando nuvens de p virem j perto
as cesreas rohortes annunciam.
Parabens a Pompeu I se ora Ihe fogera
d'ante um s hornera legioes inteiras,
nao ja co'o ferrete de covardes ;
nao vae crime em fugir.
Desapressado
do desigual combate, o invicto Sceva
respira, e vae-se a ierra : o que o sustinha,
j de sangue esvaido, era a peleja.
Turba dos seus a levanta-lo accorre ;
leva porfa o moribundo aos hombros.
Nesse rasgado peito um ame ideam;
e a Heroicidade em sen transumpto adoram.
Dos rotos membros cada qual um ferro
lda arraocar-lbe para ofT'renda a numes.
Marte, deposto o seu arnez divino,
revestir, ceva, as armas tuas.
Que nome lao feliz na voz da fama
nao fra o leu, se os que puzeste em fuga
houveram sido iberos duroscntabros,
os d'armas curtase os de longa langa,
valorosos leutdes I Assim, nao podes
co'os leus despejos bellicos o templo
enfeitar do Tunante, nem le aguarda
clamoroso triumpho. Ai, miserando I
com quanto esforgo a tyraunia has pago I
Rechacado d'aqui, nao foi com tudo
fecbar-se no arraial, inerme, ignaro,
Depois que Alcides
eslroncou do Ossa enorme o enorme Olympo,
e a amiga inundagorola a barreira
ao pego de Nereo sallou de chofre,
Immergiu (que oala nunca inmergir I)
Ematbia, a que em seu mbito compr'ende :
i harsalia, reino do marinho Achules ;
e Phylace, a primeira que a seu tempo
fundpou lenho as rhetas costas ;
e Ptleo; e Drion, documento infausto
do furor das PieridHs ; Trachino ;
Melibea, a que em paga pyra infanda
invencivel obteve as frechas d'Hercules;
Larissa, destinada a poderosa;
Argos Ilustre, chao lavrado agora ;
. o assento e os restos da echinia Thebas,
que a tradigo nos moslra, e onde trazendo
de eu lilho Peniheo cerviz e fronte
Agave foragida as poz as chammas,
chorosa porque o mais Ihe nio salvara.
Vasadoo lago pois, apnco o valle,
viram-se, j distinrtos, numerosos,
i-lo cortando variados rios:
o Eante, crystalioo, e parco em posses,
vai-se ao poeiite a desaguar no Jomo.
Nao mais caudal o Inaco murmura,
o inda grande Pompeu ; que mar sob Euros
nao queda : assalta a fraga ; repellido ;
cresce em furia ; onde Ihe obsta um promontorio,
feroz o investe, roe desfeito, volve,
mina-o, t que elle um dia esmague as ondas.
Junto ao pego, ora manso, lia fortalezas.
Pompeu Ihes sobrevae ; por mar, por trra,
; simultaneo as investe, e presto as rende.
i Com isto j Ihe o exercito respira ;
tem por onde se alargue o acampamento ;
j pode eleger-se a go^to onde abarraquem.
j Assim o Pado, quando a foz lera cheia,
! cresce na madre ; lamido percorre
margeos, nos maranbes mal confiadas;
tra, espalha o terror nos campos lodos ;
se algum lango da ierra o nao resiste,
cede ao caudal ; se arromba, entao sae todo,
e por terreno ignoto expede a fuga :
deixa dos donos sem predio, outros medrados,
por doago do rio.
Apenas Cesar
d'aquellas excursoes houve noticia,
pela almenara d'alalaya ao longe,
corre ao muro; acha-o j desmantelada ;
eat ji quedo o p ; sao fras mostras,
quaes de ruina antiga.
Exasperou-o
o silencio, o deserto, a paz do sitio,
e inda mais o cuidar que nesse instante
Pompeo dorme tranquillo, e sonha em Cesar,
em Casar seu vencido. Urge arranca-lo
(coste perdas embora) a taes delicias.
Salta medonho ao campo deTorquato ;
mas Torquato previsto ; e-qual piloto
que, adivinhando no tremor do maslro,
vir l tormenta da circea costa
arreia o panno todo,as armas burla
reconcentrando sbito as companhas
no uterior do arraial, onde coberlo
de menos largo vallo, em c'roa estreila
contra a refreg a sua gente apinhe.
Mal rompeu Cesar o primeiro vallo,
quando Pompeu dos montes Ihe despede
Iodo o exercilo esparso, e era meio o colhe.
Nunca habitaules dos convalies do Etna,
quando aos sopros do Noto o monte arroja
da cavernosa intranha a lava em nos,
trernerara tanto do furor d'Encelado,
comu a cesrea tropa s dos rolos
com que o p cega o ar. Pasmou vencida
V as hostes; varilla ; o medo a turva ;
foge, e por toda a parte encontra o mesmo.
Da morle, morte espavoridos voam.
Bem podera, afogada em lodo o sangue,
fioar-se ali a guerra ; o propro chefe
na fragoa do ferir conteve as armas.
Feliz, livre em tuas leis, de ti senhora,
ficanas, 6 Roma, a ser um Sylla
quem veneesse em teu prol nesta jornada I
Al, dr, eterna dr I Valeu-te, Cesar,
o que dos crimes leus era o remate :
guerrear um genro po. Ai, fados tristes I
Se elle o nao fra, e tanto, os choros d'Africa
nao regariam d'Uilica as ruinas;
perdas do Munfla nao carpir Hispanha ;
polluto o Nilo de assassinio infando,
nao levara boiando esse cadver,
mais do que um pharo rei venerabundo ;
nao pisara raarmricas areias
o despojado Juba ; aos Peos morios
sangue de um Scipio nao placara
nem se vira esbulhada a humandade
de Clao, do incorrupto. Aquelle dia
bem poder haver sido o derradeiro
as desgragas da palria; e respansr-lhe
dos heroicos anuaes Pharsalia toda.
Sentindo Cesar, que algum deus Ihe impugna
d'essas ierras a posse, Eraathia corre
co'a destrogada gente.
Os pompeianos,
sendo o seu general prompto a segui-Io
por onde quer que fuja, empenham rogos
para que volva a patria, a Ausraia oceupe,
\ de inimigos alfim desassombrada.
Que de Cesar e exemplo, heide eu toma-lo ?
Jamis (exclama o Grande I entrar em Roma
sem ter deposlo o exercito, nao entro.
Eu podia, ao surgir d'este alvoroto,
haver retido a Hesperia, se qulzesse
brigar nos templos, cumbaler no foro.
Para afastar a guerra, eu transporia
da extrema Srythia ogelo, azona em chammas
arrancarle ao socego ? Eu I eu que em fuga
I* rae puz, s |.or forrar-te s marcias lides ?
Oh, que nao I e an tes sua a creia Cesar
do que eu a exponha a tal I
Dsse ; e l marcha
rosto ao nascente, por atalhos rotos,
as da vasta Candavia espessas matas,
at por pe na Emathia, a qujm destinos
fadaram neste pleito a summa parle.
Da banda d'onde o sol raa no invern
limitam a Thessalia ao penhascosas
serranas do Ossa, Quando o eslo
traz no cume dos cos mais alto a Phebo,
ej Plion co'as sombras de seus cumes
quem o arrebol Ihe affronta. Ao sol meridio,
e ao Leo do solsticio igni-raivoso,
selvas do Olhrys a regio som gara.
Dando costas a Zephyros e lapys.
Pind o vspero apressa, e incuria o dia ;
em quanto o que do Olympo habita as faldas,
livre do Breas, nunca v de nonle
da Ursa o resplendor.
Entre estes montes
se estende campo inmenso, outr'ora lago,
quando os rios no valle estavam presos,
e porque Tempe Ihesvedava toga
para a amplidao do mar, e se extravasavam
em perenne laga; hoje tem curso,
como erara cheia ento.
inda saodoso da raptada filha,
hoje Isis, de egypracos deidade.
O Achelo. O Eno, quasi teu genro,
' cras-o veste as Echinadas de limos.
; Tinelo em sangue de Nesso, o Evno corla
I a Calydonia, melegro reino.
A pelejar co'as vagas da Malea
veloz corre o SperchiaO puro Amphryso
pastos rega em que Apollo andou servindo
de pegureiro a Admeto.Nao exhala
; Anauro nvuas hmidas, nem rcio,
nem vragoes fluvitiles respira.
Nota-se um labyrintho de correnles
incgnitas ao mar vir de mil partes
ingrossar o Peneo.Accelerado
1 foge o Epdano;junla-se o Enipeo,
s desde ah lgeiro.Este recebe
confluentes d'Asopo, Phenix, Melas;
mas s o Ttare-o, era nelle entrando,
com perder nome, os seus caudaes nao perde :
resvala-lhe por cima, independente,
como em lveo de areia, em leito d'aguas.
Diz que da Styge oTitareso nado,
e ufano da matriz, desdenha, evita
andar a rio obscuro associado;
e inda em numes excita acatamento.
Co'os rios desangrouse a trra pingue.
arroteiam-na Elides-e Dlopes
Magnetes, afamados cavalleiros,
e os Mynas, remadores afamados.
L no anlro Pelethronio, a nuvem d'Ixion
prenhe, luz deu semiferos centauros.
Tu foste ura delles, Mnycho, mos brutas,
que os rochedos de Phloe esboroavas.
Tu outro, feroz Rhtito, que brandias,
depois de os estroncar s abas do Eta,
robles cabaes para luctar com Breas.
E tu, Pholo, hospedero ao grande Alcides.
E tu, ruim, que transportando as costas
no ro a bella moga, a audacia pagas
roto co'as frechas de lerno veneno.
E tu, anciao Chiron, que em cu gelado
bnlhas, ameacar co'o arco hemono
o estirado Escorpo.
Foi deste solo
que os elementos bellicos nrotaram :
- Das rochas de sua costa, ao rijo golpe
do neptneo tridcnle, aos ares pula
o ihssalo corcel, nao visto d'antes,
e presagie a mortferas batalhas,
Ali mordeu primeiro o ago, o freio,
sob as redeas do Lptha espumando.
D'aqui tambem, da pegasea praia,
largou o pinho concavo primeiro,
em que o terrestre humano ao mar ignoto
ousou langr-se, e commelter as ondas.
Um rei thssalo, Itono, aquece, forja,
affeiga osmetaes. Ese, o primeiro,
que fundi em moeda a prata, o ouro,
e o proprio cobre, em caldeirees immensos.
Dahi o amor, o computo das posses,
das alheias a lo veja; e desta a furia
de povo contra o povo em guerras implas.
De l, brolou a mxima serpete,
Python, que aos antros se arrastou de Cyrrha,
d'onde vem que inda os louros da Thessalia
ornem os pythios jogos.Dessas plagas
foi Aloo, o sacrilego gigante
que ousou co'os filhos guerrear aos numes,
quando o Plion j quasi aos summos astros
levantava a cabega, e cavalgando a
o Ossa alteroso os suspendeu no curso.
Em regio dos fados tao maldita
collocaram seu campo arabos os cabos.
(Continuar-se-ha.)
TltU llt-tlt.
O HOMEM PROI'OE. .
Nao se deveria habitar seno ascidades que an-
da estao em principio e que nao tem minas de ou-
ro as visiuhangas: ah se encontra a fraternida-
de dos lempos primitivos, e costuraos patnar.-haes.
Os aventureiros e os homens de maus iaslinctos
purificam-se, regeneram-se ahi, tragas aos bons
germens que existera no corago de tbdas as crea-
turas, e at os maturos criminosos encoulram ahi
lagrimas e arrepeudimento no dia das sangrentas
eiecugoes.
Esse pequeo povo, vivo mosaico de todas as co-
re da carne humana, correu ao lugar do desem-
barque |iara oflerccer gratuitos srmeos aos recera-
chegados e bospitalidade aos indigentes.
Ilavia mesmo na praia urna grande casa inle-
ramele nova, com este lelreiro : Sweet repose inn.
Era a estalaijem do (/oo repouso. Foi para ahi que
Touin couduziu todus os seus amigos, dizendo-
Ihes:Sou eu que pago com o dinheiro de Mada-
gascar. Em viagem, para ter-se o melhor, convra
procurar o mais caro.
Cada qual se installou o mais commodamente
que foi possivel nessa hospedara. Liza nao se se-
paroo mais das duas orphaas, e sendo muito mo-
ga para servir-Ibes de me; charaava-as suas ir-
uies.
A bella irlandeza dissimulava, quanto podia, a
febril agilago que a aiormentava; assim que en-
trou no seu quarto com Maria e Autmata, correu
janella que eslava abena, e fltou os olhos nessa
fragata onde Iremulava a banieira ingleza. Nessa
distancia nao se Ihe pudia ler o nome gravado na
p,.a.
Todas as fragatas inglezas se assemelham,
dsse ella comsigo para trauqullisar-se, e foi tratar
da sua mudauga para o gyoeceu indiano.
Tunin, apenas desembarcuu dirigiu-se a egrej-
nha para fazer a sua oragn, e convidar o apo-tulo
parajantar; purera nao obteve seno urna recusa
acoiiipaniiada de um amavel sorriso.
Depois de cumprir esse duplo dever, tomou o ca-
minlio da estalagem, e chamou o cozinheiro para
dar-lhe ordens relativas ao banquete com que que-
ra festejar a sua cliegada. A primeira cuusa que
pediu fui um bod abale, pralo completamente des-
conhecido dos cozmheiros da Australia. Explicuo-
Ihe ento minuciosamente a confecgo do guizado
que desejava, e promelteu ajudar o cozinheiro. O
joven ofiicial achava-se possuido de urna alegra
febril, andava de um lado para outro nessa cidade
figurada e apenas marcada por postes, e antes da
hora de jamar ja elle tinha anragado todo o povo
de Sidney sem distincgo de edade de sexo ou de
cor. Turnouse popular logo que chegou.
Ao atravessar um projecto de largo marcado
cora pedras, Tonin euconlrou Asthon contemplan-
do a corrente de um ro que descia l do fundo do
horizonte.
Oh este Dem inglez I disse elle, ainda ago-
ra desembarcou e j esta oceupado em fuudar al-
gunia cousa.
Asthjn voltou-se, apertou a mao de Trafalgar, e
disse sornndo:
Nao estou fundando nada; estou inventando
urna prosso.
Para gauhar dinheiro ? perguntou Tonin.
Para fazer fortuna respondeu o inglez.
Emo queres casar, retorquiu Tunin parece
que adviuhe.
Visto que t me das o exemplo.
Mas, replicn o Toulonez, todos nos Tiernos
para esta ierra, aHm de casar. Um hornera pode
con>ervar-se solteiro as cidades; mas quem vem
para ura deserto deve povoa-lo. E' auxiliar a obra
de Deus. Desempenhamos um bello papel. Mas
dize-me qual a tua invengan.
Ei-ia. Observei, logo que cheguei, que todas
estas monlanhas sao descoberlas e calvas eomo os
professores de Oxford. As florestas estao no fundo
do deserto, e ninguem se atreve a ir at l. Dizem
que ah se enrontra buch rangers...
E' animal que nao coohego, disse Tonin n-
terrompendo-o.
Sao homens que vivem as mattas, salteado-
res que vivera em boa inlelligrncia com os seva-
gens e que asselam as plantag5es dos europeos.
Lomo entre dos os devastadores de postes ob-
servou Tonin.
Ja vs, meu caro Trafalgar, que eu taco tan-
to caso desses devastadores como de um bando de
Kangours. Levarei commigo seis carpintero* >
machado, para eortar'tn arvores de cootroT5o,
faremos compridas jangadas, o este erando ri, que
vem de muito longe, dos carree ara ossa roiheiu
do pinho, de car val ho, de sbeas, de casuar inas e de
erable.
(ContinuarseM.)
UM POUCB DE TUPO.
Do Boudoir transcremos o segainte :
As folhas inglezas carpiram ha lempos a morle
de James Strict, que era um dos mais dinheiro*
uegociautes de Maucliester.
Era tambem este rato um do mais originaos
raides da ilha dos tres remos.
Singular creatura era lord Strict Levara a s-
vendade at o mais subido ponto. Em ello duen-
do : c Seja isto > isto havia de ser !
Tinha a sua duzia e meia de criados e criadas,
sem contar dous cocheiros, quatro grooms, e nea
meslre cook com MH competentes bichos. Cada
um destes individuos linha a seu cargo urna alin-
buigo especial, porem nenhum poda iniruoieUer-
se as obrigagoes do seu collega, sem corametler
um crime que nunca ficava irapuoe.
I'ni linha por obrigagu baler o falo do lord.
Outro escovava-lhe o chapu.
Outro aflava-lhe as navalhas.
Outro limpava-lhe os pentes.
Outro preparava-lhc o banho.
Outro s.udia-lhe as moscas da calva. iLord
Strict era careca.)
Outro limpava-lhe o cachimbo.
James Strict era estimado por tolos os seos,
porque os iralava como lilbus, mas era de mister
que suas ordens fossem mathematicamenle eieea-
ladas e cumpridas risca.
A mais mnima falta lava em resultado urna
tempestado, em que nao faluvara golm<. caretas
e muilas vezes o proverbial e nacional soco viaaa
corroborar a energa do discurso.
Havia urna criada que tinha as boas tragas de
James, mas nem por isso era para com ella asate
severa a inflexibilidade do gmtleman.
Be>ty tinha a seu cargo a limpeza e conserrac>>
do museu de seu amo, mas era-lhe stnnamente
prohybido deixar aberta a porta da sala, qar en
trasse qur sabisse.
Ura dia pediu Besly licenga para ir assistir as
bodas de urna sua inn.a que demorara a algunos
milhas de Mauchester. Foi-lhe concedida, por Ja-
mes Strict, urna licenga de dous das, e o bom lord
at Ihe emprestou um dos seas roelhores dofearls,
cora a sua melhor borsa e o seu melhor groom.
A servilheta pulaodo ao contente, parta e lio
alegre ia que se esqueceu de fechar a porta do
museu.
Strict dea por essa falla quando Be-ty ja ia ra
minti de Presin, e estara a milna e meia de Mau-
chester.
Habido de raiva, lord James manda montar in-
mediatamente ura criado no melhor carallo e diz-
Ihe :
a Corre j, j, na colla de Besty, e traz-m'a aqu
sem demora.
Duas horas depois, chega a pobre rapariga, nu
raorta que viva, a casa de seu rgido seohor.
James Strict avizioba-a com funal aspecto, e at-
ine franzindo o sobrecenho :
< Feche aquella porta que Ihe esqueceu aberta.
Besly fechou a porta e voltou a por-se a raaiobo
mais descangada.

A DA.NSA DO CORKOPIO.
(Epigramma)
Que doenga lao medonba
E' esta doenga nova,
l'eiur de que sama e... rooha,
Muito peior quo urna sra ?
Mas a grande celebreira
E' que s d ele mal,
iV.i crise mexeriiunra
Da campanha eleitoral.
E s ataca... esta boa I
Os cabos e regadores
Que ahi por toda a Lisboa
Assemelham roadores
Em polticos trapezios.
E' um mal bem exquisito '
E nunca elle d com fro.
Chama-se o tal sopradito;
.4 dansa do corropio.
9
BOBO INFUNDADO.
Quando em delirio |iercorres .
as cordas do teu piano,
que pensamento mundano
te seduz a phantasia -
Um mysierio vano eu sinto.
ao ouvr tanta harmooia ;
tu, porm, do ro.>io perdes
a ideal roelanculia .'
Recelas tu, qu, elevndome
nesse canto ao paraizo,
eu me amare do riso
d'um archanjo seductor ?
que desjireze de teu seio
O palpitante calor ?
e que depois mais nao ouca
as tuas juras d'amor I
Oh I nao mejulgues lao lonco
p'ra conceber tal idea :
minh'alma s leuho ebeia
de modesta aspiracao .
Se me elevo ao otinito
as azas da orago,
se me elevo a Deus, s pego
que mo d leu corago I
PERGl'NTAS INNOCENTES.
Porque que todos os depulados sao mullo reli-
giosos T
Porque todos nascem devotos, oram no ce*
vento de S. Bento, e as vezes cantam em rro...
Em que ie parecem os cruzados (reinos) coa as
parteiras ?
Em se conh"cerem pelas cruzn.
Quando se parecem as libras slerlioas, ceas a
copos de limonada ?
Quando sao de ravallinko.
Quando c que um ovo se pode parecer com una
peixe ?
Quando fr choco.
Qual a razo porque lodos os palies sao ai-
lo leves comparativamente com Hespanba e logia-
ierra ?
Por a primeira conlor muito feto, e a se-
gunda mi'hoes de libras.
Em que se parecem os accionistas da companJu
das aguas com os patos f
Em terem peanas sakidas dos canos.
Qual o paiz que cabe dentro de una botija ?
A Hollando.
PERNAMBUCO. TYP. DE M. F. DE P. k PILUC



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET6M8F0OV_FUOF8G INGEST_TIME 2013-08-28T01:15:34Z PACKAGE AA00011611_10529
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES