Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10527


This item is only available as the following downloads:


Full Text
PT?> ITT
flflO lis
Por tres Mezes adiaoUdos .
Pop tres mezes vencidos .
Porte ao correio por tres mezes.
HOMERO, 271
5SO00
6JJIJUU
9750
SEXTA FEIRA 25 BE B0YEMBR0 DE 1864.
Por amo adiaotado.....i9?!)0O
Porte ao correio por on auno 3$00u
w.- NCARRKuAjS ua &TJB&CRPCAO NO NORiE
Paratiyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, y Sr. Autopio Marque* aa Silva; Aracaty.o
8r. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Marauho, o Sr. Joaijuim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Piaheiro & ; A-
nazocas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA 8UB3CRIPCAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Falcao i)ias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins di Gasparino.
iv.Ri-A fu iL.x-ct.
. Onda, Cabo e Escada todos os das.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba ca.; segundas e
sextas-oiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Garuar,
Altinho e Garanhuns as tercas fairas.
Pao d'Aiho, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, l'esqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratti.Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, na,Barrei-
ros,Agua Preta a Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t.
13 La cheia as 3 b., 13 m. e 36 i. da t
21 Quarto ming. as 4 h., 56 m. e 56 s. da ra.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
PBJBAMAR DE HOJB.
Primeira as O horas 30 minutos da tarde.
Segunda as O horas 54 minutos da manhaa.
i'ijKk.. O-i VAORcj cOSlRO...
Para sol at Alagas a 5 e S>; .r o norte ai
a Granja, 47 22 de cada ne?; pira Fernando nos
dias l4dos,Bczi-> dejan. marc.,maio.jul. sel. enov.
PARTIDA DO OMNJJs.
Paraofceie: do Apipucos as 6 Vi, 7, 7 V*. e
8 Vi d* i de Olinda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato M 6 Vi da m.; do Caxang e Variea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Red: para o Apipucos as 3 /,, 4,4 /4,4 Vi,
5, 5 '/,. */ e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa n* V da tarde; para Jaboato s 4 da
tarde; psMCachang e Vanea s 4 Vt da tarde;
para Bw^Ra s 4 da tarde.
AU:JG DOS HUBUNAB3 lA CaPRAL
Tribuna: do commereio: segundjj quintas.
Relajan tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta; s 10 horas.
Juixo do commereio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sexta* s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas a sextas ao meio
da.
Segunda rara do civel: (juanas sabbados a 1 hora
da tardo
\
:!.- i>A F^M-JA.
21. Segunda. Ss. Honorio e IMi.doro mm.
22. Terca. S. Cecilia v. ni.; S. Kilemun m.
23. Qtiaila. S. Clemente p. ni.; S. Felicidad? m
24. Quinta. S. J .:'n> da Cruz r. S. Rancian* ab
2o. Sexla. S. Caiharma f. m.; S. EraMno m.
26. Sabbado. S. Pedro Alexandrido l>. ra.
27. Domingo. S. Marganda de Saboja v.
ASS1GNA-SB
no Recite, em a livraria da praga da Independen
cians. 6e8, dos proprieanos Manoet FieJein .
de Paria & Puno.
PARTE OFFIGIAL
fiOVERXO DA PROVINCIA.
Exsedirnte do da 22 de novembro de 18fii.
Officio ao Exm. presidente da associagao com-
merr.iai benelieente.Remello incluso V. Exc.
o oBeio que me dirigi o gerente da companhia
Peroambucana de navegado CQSteira, alini de que
a ;.( na rao commercial informe acerca das alte-
rages que propon o mesmo gerente na escala que
percurrem os vaporesdaquella companhia na linlia
do sal. /
Dito ao coronel commandante das Armas.Man-
de V. S. inspeccionar e alistar no batalhao 9 aV
infantaru, se or considerado apio para Isso, o sol-
dado do cerpo de poii< ia, Manoel Beimiro da Silva,
que se offereceu para servir no referido batalhao. -
O'iiimuuicou se ao commandante do corpo de po-
iiria.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S de expedir suas
ordens para que, abaoda de msica do 4o batalhao
de artilharia a p s* aprsenle ao commandante do
9 baiallio de infaMaria da guarda nacional de
manicio de Olinda, no dia 27 do corrente, s 9 ho-
ras da manhaa, aflu de marchar com o mesmo ba-
talhao e assisiirao Te-Deum que a cmara muni-
cipal daquella cidade pretende mandar cantar no
mo-iciro de S. Denlo, em acgAo de (rayas pelo fe-
liz consorcio de S. A. a serenissima pnnceza im-
perial com o conde d'Eu.Gominunicou-se c-
mara municipal de Olinda.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Nos termos de soa informarlo de hontem, sob n.
66!, dada com referencia a da contadoria dessa
thesouraria, mande V. S. pagar Manoel Pinto Ba-
hia, confor i.e indica o commandante das armas
cm seu odleio n. 1,898, de 26 de outubro ultimo,
a quaulia de 4*000, por haver desembarcado em
seu bote, de bordo do vapor Cruzeiro do Sul, o sol-
dado Manuel Gregorio de Jess, e 4 pracas que o
escollavam.Communicou-se ao coronel comman-
dante das armas.
Dito ao mesmo.Remello V. S. para os con-
venienies e.iajnejjisjndusas ponas, em duplcala
da receita e despezado hospital mililar,sno mez de
outubro prximo passado. \
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Antoriso V. S. mandar pagar pela consignaco
do $ 3 do art. 13 da le do orcamento vigente,
conforme indica no tina! de sua informaco de
hontem, sob n. 492, ao cmpreileiro dos reparos da
cadeia de l'esqueira e da obra do acude de Cim-
bres, smente a quantia de 7094I5, proveniente
do accrescimo de obra que se deu as de seu con-
trato, vislo ler de descontarse a de 8652'0, respondeute a 756 palmos cbicos de alwnana
eitos naquelle agude, e que pelo conductor Flix
Ramos Lieulier foram considerados desnecessarios
segoranca do mesmo acude. Communicou se ao
cliefe interino da reparticao das obras publicas.
Dito ao mesmo. Respondemlo ao seu offlcio de
hontem, sob n. 494, lenho a dizer, que mande V.
S. por a concurso o lugar de Jas Tipiu/ario dessa
thesouraria, vago pelo falIfPnTiento de Balduioo
Jos Tavares da Silva.
Dito ao mesmo. Em additamento ao meu ofcio
de 19 do corrente, mande V. S. eQVrtuar o paga-
mento de que trata o rilado officio, Joao Antonio
de Araujo & C. ou a sua ordem.
Dito ao capitao do porto.-Allendendo ao que
ponderou o gereule da companhia Peroambunana
de navegaco costeira e*officio desta data, resolv
conceder ao Io engenhelro inacliinista do vapor
Paralaba, James Tomson, o prazo de 4 mezes para
apre^eutar nessa capitana documentos comprovan-
do as suas hahilitacoes para o servico em que est
empregado : o que rommunico Vmc. para seu
coiilierimen'.o.Communicou-se ao gerente da com-
panliia I'ernambucana.
Dito ao Dr. juiz de orphaos desta cidade. Apres-
se Vine, a remessa da sua informaco, que exig
por despacho de 9 do corrente, laucado sobre uin
offlcio do cnsul de Portugal, datado do dia an-
terior.
Dito o ehefe interino da reparticao das obras
publicas.Antoriso Vmc. nos termos dcua infor-
maco de 19 do corrente, sob n. 323, a receber
provisoriamente a obra dos reparos do primeiro
laen da estrada do sul, entre os marcos de 2 a 4
mil bracas, urna vez que o respectivo arrematante
se obriue a fazer de novo, como promelle, os dos
talude. do atierro de Motocolomb, passando-se o
compleme certificado no sentido de deixar o men-
cionado arrematante em deposito a quantia de....
260SOO0, como garanta dos novos reparos a que
se otiriga, os quaes serao execulados no prazo de
30 dias, depois do que ser-lbe-ha entregue aquella
quantia. -Communicou-se ao inspector da thesou-
raria provincial.
Dito ao ihesoureiro das loteras. Allendendo ao
que requeren o vigaro da freguezia de Nossa Se-
nbora do Rosario de. Goianna, Domingos Alvares
Vieira, autoriso Vmc. a mandar entregar ao suppli-
cante ou ao seu procurador, depois do prazo da lei
e de haver prestado na thesouraria provincial lian-
ra idnea, o beneticio da primeira parte da primei-
ra lotera que foi exlrahida no dia i2 do corrente,
em favor das obras daquella igreja, do qual pres-
tar contas opportonamente naquella repartigo o
referido vgario.Communicou-se thesouraria
provincial.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Respondo ao seu offlcio de 18 do corrente, decla-
rando-lhe que pode Vmc. dar ordem para que nao
toque no porto de Tamandar o vapor que tem de
seguir para a liuha do sul, no dia 23 do corrente,
fleando, porm, obrigado a percwrrcr os pontos da
Barra-Grande, Camaraglbe e Porto de Pedras, na
provincia das Alaaa*, islo que as escalas dos va-
pores da companhia Pernamburana s podem ser
alteradas pelo governo, como expresso na i' das
condieoes annexas ao decreto n. 1,113 de 31 de Ja-
neiro de 1853, e 2* das que estao appensas ao de-
creto n. 3,324 de 23 de outubro ultimo.
Portara.O presidente da provincia, allendendo
ao que requereu Jos Henrque da *ilva, tcnente
da 8* companhia do 2o batalhao de infamara da
guarda nacional deste municipio, resolve conce-
der-lhe 6 mezes de licenca para tratar de sua sade.
Dita. O Sr. gerente da companhia Pernambuca-
na mande dar transporte at o Cear no vapor que
tem de seguir para o norte, em luear de proa, des-
tinado a passageiro de estado, Francisco Kra:-.klin
de Queirox.
OVEAXt DO BISP4LDO DE
PKKX.IHIII'CO.
SEliE Yi-UXTE
Norembro de 18Ci.
Expediente do dia 17.
Offlcio ao vgano do Cabo. -Lt com Ineffavel ju-
tilo o sea offlcio de 14 do corrente, acompanhanlo
o reqaenmenta em qae Joanna Carolina Fi>ker, fl-
Iha de George Fisker j fallecido, e de Luiza Anto-
niette Fisker, esla hamburgueza e aqaelle dina-
marqoez, moradora ha mezes nossa villa do Cabo,
tendo sido Laplisada corn idade Infantil na Igreja
dos luglezes da cidade dol Recife, desabnsada agora
dos erros da sua seila, p| ide para abjurar o protes-
tantismo e entrar no g remte da igreja catholica
apostlica romana. ;
Particpame alm disso V. Rvma. que tendolhe
ella ha lempos significado este desejo, V. Rvma. eo-
carregara o Rvd. Augusto Adolpbo Suares Hurse-
weiier de a instruir na douirina e nos priucipios
da nossa religiao, e este prestimoso sacerdote tan-
to zelo desenvolveu nodesempenho da pia commis-
so de que fora encarregado, que V. Rvma. se ma-
raviihou de ver a neophita recitar a doatrina com
perfeico e responder com promptidao a todas as
perguutas.
AQiELLKquedissequeoseujagoleveeosea pozo
suave, manda destas consolayes que, atenuando
os traltaltios, e fazendo esc|uecer os desgostos e as
contrariedades que a cada pasan se experimentan)
lornam com effeito leve o jugo e suaviaam conside-
ravelmente o seu pezo; e de feito. laovisivel aac
cao da graga que, ao passo que a propaganda pro-
testante, procurando por todos os meios entorpecer
a marcha do calholicismo, j enviando por toda a
parte os seus emissarios, j destribuiudo Biblias
falsificadas, j-'i subornando os iucauos, pezar de
ludo isso nao consegue fazer nm s proslito, a
causa do calholicismo vai prosperando a elhos vis-
tos no nosso paiz, sendo que nesta diocese j com
esla so coniam cinco conversoes de protestantes no
curto espaco de 4 mezes.
lorui u anda nao cstou satisfeito; en exijo
mais zelo de V. Rvma. e da pa caridade do Rvd.
Augusto Adolpho.
V. Rvm. diz no seu offlcio que esta menina tem
14 anuos, e que sendo p-rguntada se sua mi, que
protestante e viuva, conseulia que ella abracasse
a religiao catholica, Ihe responder que por volita-
se de sua mai j ha mutto que ella era cathohea ro-
mana. Pois bem, Rvm. Sr., o seu dever de paro-
dio o chaina junto dessa viuva; falle-lbe da reli-
giao, falle-lr-e do Crucilicado, faca-lhe vera verda-
de da nossa doutrina, esrlareca as duvidas que el-
la livor, ajude a obra da i raa que nessa matrona
se vai fazeudo sentir to visivelmenle, empregae
para este firn o reconhecdo zelo e conhecimentos
de Rvd. Augusto Adolpho, empregue apropriilha
a joven neophita Guiliiermina Joanna, cujos cari-
anos, cajas grabas infanlis, cujo zelo precoee pela
religiao catholica muito poder tero sobre o temo
coraciio de una carinbosa mat. Espero que amia-
dadamente me participe o que for occorrido a tal
resgeitp, e os. fracto qiie for c"oi1edo do seu zelo
e dos esclarecidos cuidados do RvdV^gusp Soa-
res, a quera V. Rvma. agradecer da minhaApane
a solicitude cora que instruio ecathequisou a]juVen
neophita, declarando-lhe ao mesmo tempo qn?' lu-
do, confio do seu zelo apostlico, alim de que.Vo't
V. Rvma. couclaa a converso dessa matrona, flue
interessando-se tanto pelo bem espiritual de sua\"-
Ina, nao possivel que queira deixar-se ficar flas
trevas.
Remello Ihe por copia todas as instruccoes qPe
pede no seu officio, e al a profissao da f em pi>r-
laguez, esperando que a abjnracao do baptismo da
joven Fisker seja feita com toda a pompa e appa-
rato uo interior ao dasoutras conversoes qae lera
tido lugar no meu tempo. ,
Duo ao vigano de Goianninha.-Tomarei na *
vida consderacao o que V. Rrma. rae expoe act
cada projeclaaa divisad da sua fregaezia, eguar
do-me para resolver o que for mais convenientet
quando for requisitada a minba annaeocia. FicaV
assim respondido o seu offlcio de 8 do corrente.
Dito ao vigario de Nazareth. Recebi o officio i
V. Rvma. de 15 do corrente, remettendo-me o im-
pedimento de menoridade posto por Francisco Das;
Barbosa ao casamento de sua filha Mana Antonia
do Espirito Santo com Antonio Lopes de Mello.
Nesta data remeti para acamara ecclesa-tica o
termo do impedimento e os papis que vieram an-
nexos a elle.
19
Officio ao Exm. Sr. presidente da provincia.
Tenho a hopra de partecipar V. Exc. que era da-
ta de 12 do corrente foi satisfeita na thesouraria
geral a quantia 26,5600 importe da prensa de sello
que se comproa no arsenal de guerra para o ser-
vio da casa capilular da cathedral, cuja coala me
foi remeltida por V. Exc, em officio de 23 de ou-
lubro prximo passado.
Dito ao me?mo. -Accuso recebdo o officio de V.
Exc. dalado de 18 do corrente em que me declara
que allendendo as valiosas raides pormim expen-
didas em officio de 15 do corrente, acaba de re-
commendar a thesouraria de fazenda que mande
entregar em duas prestacoes ai chantre da cathe-
draldeOlinda,encarreiadoa obradacobertada mes-
I ma igreja, a quantia votada para taes obras, tican-
do o mencionado chantre obrigado a prestar con-
las opportunamente na mesma thesouraria das des-
pezas por elle pagas por canta da referida quantia,
conforme eu indiquei no meu ihCO de lo.
Novamcnle agradeco a V. Exc. a valiosa protec-
cao que se digna prestar s obras dos nossos tem-
i pos e a prosperidade do culto divino.
Nesta data communiquei ao Rvm. chantre relor
: Jos Joaquim Camello de Andrade, a resolugo
de V. Exc, afim de que elle solicite da thesouraria
a primeira preslacao.
Dito ao vj-ari da vara do Ptrto-Calvo.Em
offlcio de 26 de outubro prximo passado e harten
recebido, submette V. Rvma. ao meu conhecimen-
t e deliberacao os impedimentos postos per Jos
Bezerra Leile, ao casamento de sua filha Isabel
Francisca da Encamagao com Antero Ferreira de
Mendonca. consisiindo ditos impedimentos, segun-
do consta da peticao do referido Leite, dirigida ao
, Rv. parocho de -. Bento, e da declaracao por este
| feita nos proclamos respectivos, em ser a nabeote
' de menoridade, em ter morrido pthysica a mai da
nubente, em ser este pobre, doeule c pregui-
(010.
Respondolhe declarando que desses impedimen-
tos s o da menoridade relevante; os ouiros nao
' podem impedir o matrimonio, porque sao evidenle-
, mente futeis maliciosos, c improcedentes, e da na-
tu reza daquelles que a constituirlo diocesana em
0 n. 276 permute aos Rvs. parochos desprt7,ar
in limme, sera previa autorisacao da antoridade
; superior.
Mas como o da menoridade se acha sanado pelo
mandado de supnmenlo de idade do juizo de or-
j phos. que V. Rma. diz-lhe fra apresentado, pode
V. Rvma. autorisar a celebracao do matrimonio, se
atiunde nao constar algum outro impedimento
cannico ou civil.
- 23 -
Officio ao 1 secretario da assembla do Rio
Grande do Norte. Tenho presente o officio de V. S.
firmado em 16 do corrente, cobriodo a copia do
projecto qae supprme a freguezia de Arez, e a
incorpora de Nossa -enhora do O" da villa de
i Papari; bem como o parecer das commissoes a-ial
respeito.
Sendo a freguezia de Arez demasiadamente pe*
1 quena, e por isso difflcil de prover-se de parocho,
jconvenho na suppresso projectada, e na incorpo-
em dala de 19 dororrenle, para eu informar acer-
ca do requerimenlo que Jos Firmino de Oliveira
dirige ao governo imperial, afim de impetrar nm
subsidio com que possa ingir. nm aliar a Nossa
Senhora da Conceicao da Estada, erecta na igreja
da Coneeico dos Militares na cidade do Recife.
Nada tenho que oppr ao pedido que se dirige
ao governo imperial; antes julgo louvavel a pre-
tenco do supplicante, e fajo votos'para que ella
tenh favoravel defenmento.
Dito ao Exm. Sr. presidente da Parahyba.Te-
nho a honra de aecusar recebidos os dous exem-
plares do relatorio com que V. Exc. abri a assem-
bla legislativa dessa provincia, na sesso ordina-
ria do corrente anno, era o dia 1 de outubro
Ando.
Dito ao vigario da Nova-Cruz.De posse dos seus
offlcios de 14 e 16 do corrente, Dco cerlo quanto
ao primeiro de haver V. Rma. tomado conta da
fregoeza da Nova-Croz no mesuio dia 14 des-
te. Quanto ao que me expoe no segundo offlcio,
nao pode por ora ter lugar o que pede, sendo ne-
cessano que primeramente me aprsente sacerdo-
te idneo para tomar conta dessa freguezia.
Dito ao vigario de Goyanninha.Constando-me
que Antonio remandes de Oliveira Galvao, meniT
de 18 annos pretende casarse nessa freguezia sem
o consentimento de seu pai, desnecessario mo
lemhrar a V. Rvma. que tal casamento, jamis pe-
der effeituar sem dito consent ment, ou sem que
esle seja supprido legalmente pela autoridade
competente.
EXEI K10S *62~ -.63 RECEITA 1:2605052 1:339*350 568*140 748*710 DESPEZA
18B2 3:493*832 3:295*951
2* SIM lt 1 SKMI u IK DE 1:594*614 1:538*314
INTERIOR.
.IM.tZO.WS.
lela lorio apreseatado assembla legislativa da
provincia do Amazonas, na sesso ordinaria do
Io de outubro de IStl, pela Dr. Adolpbo de
Barros Cavaleanli de Alboqaeruue Lacerda, pre-
sidente da mesma provincia.
Correio
O moviraento da correspondencia no semestre
o que consta de seguinle quadro sob n. E.
E' evideale que a renda augmenta, ao passo que
os gastos vlf rtiuiiuiiindo.
A escriptpcao acha-se cm dia, e as Qtiantias ar-
recadadas A mensalmente recolhidas thesoura-
ria defataffi, .rv.AL
ura, commereio e navegando.
AgricottA.A agricultura, como a^rstihgne
um moderwestatistico. com prebende-' a irrdostria
extractiva, ^se consiste na colbeila e manipulaco
do produetnjaspontaneo da naturot, para o qual
nao concorrou e trabalno liuniano.;re a Industria
agrcola, qae consiste na cultura das especies ve-
getaes, quednomem aprbpria para eu uso.
Esta ultima, a bem dizer, nao a temos.
A mesma produccao dos cereaes lirailadissiraa
e insualcies*B para o consumo. Do Para importa
a provincia as quantidades que Ihe faltam, e que
nao sao pequeas. A cultura do caf e a do fumo
teem experhumtado progressiva diminuigrio.
No Rio .Negro, a do cal leve em outro lempo
grande iacrfroeoto ; mas lem quasi desappare-
cido, como ai sensivclmente desapparocendo lam-
be ra a do fasno nn rio Madeira.
Oseguintnquadro mostraa marca desse decres-
cimeulo m toda a provincia, nos annos de 1800
1864 em relacao ao anno de 1830 :
o CC I
t ""
3 3 2
> * -1
- o
-1 <
3
1 ^&
a _
i] si 1?
. -o
9 .
oo".
n
^ai
. Ss.l
Ul p>I
Ofpctos
r i Seguros
SI n>3I
21
Sil
a Cartas
21
cr.
O.
,, S Jornaes
uu I
li. 1
H Total
I ox
o> I
ce I
te
Kg \ Officio
Seguros
9)
- gg Cartas
I ere I
oo
--i
OJO
e^ o
Jornaes
ts i ej ere i
O I i* ao I t ce i oo o. I iOflH
c: I *-- I
Desses dados, tirados dos quadros da exporta-
(o, v-se que a cultura de laes generes tem ido
experimentando gradual decadencia de anuo para
anno.
Procede este phouomeno de que todas as Torgas
vivasda popoeio dirigem-se, e quasi exclusiva-
mente se concentrara na extraeco dos productos
sylvestres, a seringa, o cacao, os differentes
leos, o uaran, a eastanba, o cravo, a salsa c ou-
tras militas drogas, cuja exportarse avulta pro-
por^ao qua decresce a dos productos da lavoura.
O movmeto desta exportagao no mesmo perio-
do dj anteceaente quadro d a medida do desen-
*"* pM'ffifreft'" a industria extractiva nos ltimos
annos
H
Duranle o mesmo periodo, a receila da repart-
cao montou em 718*710, e a despeza cm........
1:538*114, ambos distribuidos do modo que se-
gu no quadro n. F.
ANNOS,
830...............
1860................
186 ..*............
1862................
1 semestre de 1863-----
Ejercicio de 1663-1864
CAFE
ffl
6,200
270
630
616
221
*
16
18
24
FUMO
m
5,613
2,270
1,187
792
529,
778
%
26

r.
3
f. 00 r- >>
t- 'W 1-5 9*
- O O ce

o % CD
mt O
O
o
O
CT.

d
<
u
! \
:'
Sr
o
ce
a
r-.
o
0)
C.
1-

o
o
-3 -M
o S
51 o
VI -"
relo do seu territorio freguezia de Papari, ao
que presto a minha annnencia. Pelas mesmas ra-
zoes porm nao posso coovir em que seja tirado da
freguezia dos Prazeres da villa de Goyanninha, e
annexado mesma freguezia de Papari, o povoado
denominado Timbo; porque nao lendo a freguezia
de Goyanninha grandes povoaedes, a ser-lhe tira-
do aquelle povoado, Ararla multo reduzida, e Ibe
viria lalvez a succeder o que se d com as fregne-
zias demasiada pequeas, e remediaramos nm mal
cansando outro.
Dito ao Exm. presidente dessa provincia.Te-
nho prsenle o offlcio de V. Exc, que velo firmado
3
fes
<
''

OO
o
oo
n
o
oo
^.
"O
B
s
o
oo
o
o
H
s SI
1 1
-30 e i; co ere i*. ere B ere
00
fcl
00
Of
sli
Apezar de seimelhanle resultado, que primeira
vista parecer Isongeiro, a situaco sob este ponto
de vista nada i.hi de satisfactoria.
A rrcsislivel tendencia da popula^o para em-
pregar-se de preferencia na colheita dos produc-
tos que a nalureza esponianeameule offerece, um
mal de que muitos comecam, felizmente, a reco-
nheceras funestas consequenclas,|como sejam, a
falta e caresta dos gneros alimenticios, o aban-
dono dos productos, a disseminaco dos habitantes,
o estrago das florestas; as molestias, a miseria ge-
ral: sera fallar na perdado ensino, uo abaixamento
do nivel da moralidade, na perversao dos costu-
mes, e em tudo o mais que resulta desses hbitos
de vida nmade e despnliciada.
. Eraquanto aiterra permanecer inculta, a provin-
cia jaze no mesmo estado de profundo atrazo,
em que infelizmente se acha muitos, a quasi to-
dos os respeitps : porque, como se exprime um
economista dif tinelo, foi a practica da agricultura
quera poz im j barbaria primitiva, e ella quem
presta a civjlUacao as bases nicas sobre que esta
descansa, e se consolida.
Tenho procurado, quanto em mim cabe, impri-
mir um impu|lso differente, erabora Uraco, como
permittem os recursos de que dlspdhho, em serae-
Ihante ramo de industria ; e -me grato annun-
ciar-vos que os meus esforcos vo produzindo al-
gum resultado!
Na viagem que fiz, emjunho, ao rio Madeira, em-
penhei-mc pojr persuadir a um fazendeiro impor-
tante da localipade, o coronel Leonardo Ferreira
Marques, das Ivantagens da cultura do algodao, e
incitei-o a tentar urna experiencia em larga escala.
Ha pouco tempo, deu-me noticia de que pozera em
pratica os me-us conselhos, e preparava terreno
para urna plantaco de 40,000 ps daquelle ar
bosto.
Para satisfa: :er o seu pedido, e o de outros, que
espero venham cedo a imita lo, solicitei de diver-
sas provincias sementes de algodao da Georgia,
sea istand ; e icabo de remetter-lhe urna quanlida-
de de semente desta especie, que devo solicitu-
de do Exm. prjesidenle do Para, e ao vivo interes-
se que toma pflr cousas da provincia o nosso digno
cnsul em Lorito.
os suburbi da villa de ^erpa, um Boliviano
tambera realisou ltimamente urna plantaco de
cerca de 18,005 ps de algodio. Trabalha cora al-
MELHOR XMPLR ENCONTRADO
guns compati ioias seus, coutratadospara este tira;
c consta-me que os arbustos vo se deseuvolvendo
maravlhosamente.
Ponho a maior confianza no rebultado e efllcacia
detenlativas laes. O exemplo ha de ser imitado ;
e esta lavoura ha de forcosanienle prosperar no
Amazonas, onde o genero brota espontaneo em
mudos lugares, e onde de mais disso, ura prodi-
gioso syslema fluvial remove o maior embarago,
lalvez, que ella enrontra em outros paizes, o trans-
porte. Fra, porm, pouco ajuizado esquecer que
a coodicao esencial para o incremento desta, como
de quatquer cultura, reside na propriedade terri-
torial.
Sem a absoluta seguranca da propriedade, tanto
no presente como no futuro, nao ha agricultura
que progrida, ou qua se aperfeicoe ; e onde una
nao existe fundada e garantida, tmbem nao pode
viver a outra
O Amazonas urna prova viva do que digo. E'
tem de llxar a mais seria attencao sobre esto as-
sumpto. Todas as raides o conselhara.
Infelizmente, como ponderei em oulro lugar, o
pensaraento da lei de 27 de setembro de 1860, ge-
neroso em cerlos pontos do imperio, torna-se aqu
profundamente gravoso, o mesmo de imposssivel
applicaco.
As simples despezas de medico c demarcaco,
razoaveis nesses outros lugares, consliluem de al-
gum modo o prego da concesso dos devolutos, e
excedem rouilo a estimativa destes terrenos no
Amazonas.
Nao tendo elle?, como de fado nao tem, o mni-
mo valor corrente, e nem ha vendo capitaes bas-
tantes para se immobilisarem, claro que o meio
da lei lorna-se de todo ineficaz para facilitar a ac-
quisico legitima das Ierra, c promover o estabe-
lecimenlo deste ramo de propriedade, to essen-
cial ao desenvolvimentoda agricultura, nossa uuica
industria e principal fonte de riqueza.
D'ahi resulta ipualraonte que o preceito d arti-
go 20 da le n. 601 de 18 de setembro de 1850 nao
leve, nem possivel que tenha execuco ,nesta
provincia, emqnanlo nao se Ihe proporcionar outro
modo d adquirir.
As trras de dominio publico continan) a ser
apropriadas pelos particulares, cmo antes daquel-
la provisao da lei.
A questao magna, como vedes, questo que to-
das as outras se prendera, nao outra na actuali-
dade : consiste no abandono da industria extractiva,
origem principal de lodos os males que afligem a
provincia ; desde a pobreza dos habitantes al o
seu quasi geral embrutecimento ; no desenvolv-
mento da agricultura, e, por consegrante, na fun-
dacao da propriedade.
Isto fere os olhos de quem percorre o interior
destes rios.
No Madeira, que passa com rrzo por ser de
todos o mais rico e mais povoado, o exemplo in-
cisivo ; ludo all jaz dosaproveitado,porque a po-
pulacao nao se fixa cm parte alguma ; move-se
constantemente para lodosos lados,em busca sera
prc de novos seringaes, que sero a seu turno des-
presados, quando comecarem a escassear. Nao ha
urna habilaco duradoura. A unir que vi com
este carcter, a que est edi tirando agora no
Grato o fazendeiro de quem vos fallei, ha pouco.
Todas as outras sao ranchos para alguns dias, co-
mo bem diz o Dr. Gonealves Dias. Em sendo
abandonadas, o mallo visinho logo as invade, eem
pouco desapparecem vestigios de qnc livessem mo-
rador.
Importa por tanto, repito, crear a propriedade,
dar-lhe as precisas seguranzas, po-la sobre ludo
ao alcance de lodos. O remedio osle. Nao des-
cubro outro. S assim se lograr transformar o
actual estado de cousas, enratzaudo esta pupulago
errante no slo que boje explora sem precisao real
para este, nem para si proprio to pouco.
(Continuar-selia.)
PERNAMRUCO.
RSVISTA LW14.
Funccionou hontem o Instituto Archeologico e
Geoijraphieo Prrnambucano, sob a presidencia do
Exm. monsenbor Moniz Tavares, e com assistenci
dos Srs. Drs. Joaquim Portella, -oares de Azeve-
do, Aprigio, Soares Brandad, Joo Alfredo, Gus-
mo Lobo, Rodrigue-; (; impeli, Torres Uandeira e
Cicero Peregrino," major Salvador Henrque e pa-
dre mostr Lino.
O Sr. secretario perpetuo d conta do segrate
expediente :
Um offlcio doSr. desembargada Alexandre Rer-
nardino do* Reis c Silvalommunicando a sua acei-
taco de sacio correspondente, a cuja escolha era
grato. Inteirado.
Oulro do Sr. desembargador Anselmo Francisco
Pereiti no mesmo sentido.Inleirado.
E' lid i urna eommunicaco da morte do grande
poeta A. Gongalves Das, em que se annuncia a
ideada construeco de ura monumento a sua me-
ntoria, solicitando o ajioio do Instituto e o auxilio
pecuniario dos Brasileiros.
O Exm. presideute approvando essa idea gene-
rosa e reveladora de amor patrio, aconselhaa aber-
tura de urna subscrlpgo.
O Sr. Dr. Aprigio lomando a palavra. prop5e
que se nome urna commtsso a quem incumba a
promoco da subsenpeo, e que se annuncie pelos
jornaes essa resoluco.
Em seguida o Sr. Dr. Gusmo Lobo propSe em
additamento, que a commisso se dirija particular-
mente a algumas pessoas.
Sao nomeados para essa commisso os Srs. Drs.
Soares Brando e Gusmo Lobo.
Esle senhor olTerece alglins ns. do Consfifuno-
nal Pernambncano e o inventario das armas e pe-
trechos bellicos procedido em 1854.Recebido com
agrado.
gao lidas varias propostas para socios effectivos
e correspondentes.A commisso de adraisso de
socios,
Sao lidas tamben) duas oulras do Sr. major Sal-
vador, urna indicando que se copie photograpluca-
mente o retrato de Joo Fernandes Vieira ; e ou-
tra no sentido de se collocar urna inscripgo na
casa em que habitou o mesmo heree.A commis-
so de trabalhos histricos.
E nao havendo mais nada a tratar, levanta-se a
sesso.
Hontem installou-se efectivamente a 6* ses-
so judiciaria do jury deste termo do Recife. mas
deixou de funccionar por nao haver numero suffl-
cenle de Juizes de fado, visto s terem compare-
cido 18 desses senhores.
A vista do que, o Sr. Dr. juiz de direlto presi-
dente procedeu ao sorteio de 30 jurados, para
completar o numero legal, *endo sorteados os Srs.:
Thomaz de Almeida Aulunes.
Dr. Jo- da Cunna Tei vira.
Francisco Ferreira Borges.
Bento Jos da ( osta.
Dr. Julio Augusto da Cunta Guimares.
Manoel Peregrino da Silva.
Manool Vieira Perdigo.
Antonio Jos de Oliveira.
Manoel de Souza Cordeiro Simoes.
Dr. Amaro Joaquim da Fonseca Aibaquerque.
Antonio Jos de Castro.
Trajano Evaristo Ferro Caslello-Branco.
Antonio Gonealves Ferreira Casco.
Manoel Jos da Htla Jnior.
Luiz de Atevedo Souza.
Antonio Jos de Oliveira.
Fraucisc.' Au.'u-to de Oliveira Barros.
l'lysses Ckles Cavalcaute d Mello.
Joo Ferreira Vilella.
Manoel Jos de Oliveira.
Francisco de Paula Cavaleanli de Allmqoerqu*.
Antonio Valentiin da Silva.
Dr. Antonio Vascoiicellos Menezcs de Druramond
Dr. Cicero Odn Peregrino da Silva.
Joaquim Franco de Souza.
Manoel Joaquim Mimos e Silva.
Dr. Eduardo de Barros Falcan de Lacerda.
Jo- Egidio Ferrein.
Dr. Cypnano Fenelon Gandes Alcoforado.
Dr. Alcibiades de A/eredo Pedra.
Foram dispensados de servirem na presente ses-
so por motivo de molestia os Srs. Jos Camello do
Reg Barros ; por arhar-se mudado do termo o Sr.
Jos Francisco do llego Barros ; e por seren di-
putados do tribunal do commereio as Srs. Jos An-
louio Daslos e Candido Casemiro Guedes Alcufora-
do, sendo todos os demais que f.liarain, multados
em 20* cada um.
Bofe tem lugar a rollago do grao de barba-
re formado aos e.-tudantcs, que coacluiram o cur-
so de sciencias jurdicas e sociaes na Faculdade
este anno.
Os bacharelandos mandan) celebrar urna missa,
em acgo de gracas ao Todo Poderoso, na igreja
matriz da Boa-Vi.-ta.
Comecam hoje os exames do i* anno da Es-
cola Normal.
No dia 29 do nile anniver<.irio
da Polonia, que rene em si gio
povo "alent dssventuroso, celeb
id de S. Francisco urna missa.
Teve elTeiiivameiite lugar, na
sorrente, o baile datNi no Club Commr.
Cosijo da mudanca de cesa e do 3* anu
da existencia desta Mxedade, asnistiodo a e
ta diversas autoridades da provincia, a ofDci.
de dos navios de guerra brasileiros surtos no p.
e um numeroso concur.-o de convidados e socu
com suas familias, calculando-se em perio de 4UU
pessoas de ura e outro sexo que all concorreram.
Informam-uos mais que oservigoda casa foi re-
gularmente feito e que houve gran le profusao de
refrescos e de doces distribuidos repetidas vezes.
Reinou sempra a ordem e a de-encia. n prolon-
gou-se o divertimento at as 3 horas da madruga-
da, retirando-se saliifeilos todos os concurrentes.
A sociedade do Club Commercial coolina agora
regularmente as suas fun.ges aa casa em que fu-
ra installada, a qual se acha preparada com todo
gosto e asseio.
Hoje tem lugar a reunio da assembla geral
da Companhia de Beber ibe.
O Gabinete Portugus de Leitura, no dia Jl
do correute, manda celebrar, na igreja do Espirite
S tuto, urna uus>a era sulTragio da alma do socio
honorario Dr. An non Gongalvcs Das; e para as-
sistencia desse arlo, convi la a respectiva directo-
ra aos socios elfecii vos, subscriptores, honorarios
e benemritos.
REPART1QAO 0A -'OLlClA :
Extracto das partes do dia 21 de novembro de
1864.
Foram recolhidos casa de detenco no dia 23
do correle:
A' ordem do subdelegado do Recife, Elias Anto-
nio da Silva e Manoel Marta da Costa, por bnga.
A' ordem do de Santo Antonio, Joaquiua Tnere-
za Nones, por disturtio.-.
A' ordem do de s. Jos, Joo Mendes dos san-
ios e Mara Joaquina do Espirito Santo, por dis-
turbios.
A' ordem do dos Afogados, Justino Francisco di
Nascimento, adisposigo do tenente-coronel recru
lador.
O chefe da 2* secgo,
J. ti. de Mesqmia.
Passageiros viudos da ilha de Fernando no
vauor nacional Persinunga .
' \ntonio Mana de Casi o Delgado, sna
'os, ca| ito Gandido Leal Ferreira,
e. 4 lilho>, aleres Einigdio Vieira de
...-s, padre Jos Lopes Das de Carvalho, Gra-
ciano Jo- de Freitas, sua senhora e I escrava.
Amaro L. A. Oliveira Tavares, Antonio Leal de
Ca-tm Delgado, sua senhora e 1 lilho. Mana Joa-
quina da Coneeico, Manoel Saturnino do- Santos
Neves, Maria Januaria Cassiana. Alexandrina Ma-
ra da Coneeico, Marimba Mana da Concrigo,
Theodora Mana do Espirito Santo, 3 cadeU, 111
pragas do exerciio. 21 sentenciados de justiga, L.
Bezerra Cavaleanli de Albuquerque, sua senhora
8 lillios e 2 netos.
- Passageiros sabidos para o Rio de Janeiro no
paihabote nacional Arlhur :
Antero Jaques da Silva e Felippe Pinto Barbosa.
Movimento da casa do delengo do da 23 do
novembro de 1864.
Existan)....... 327 presos.
Entraram...... 8
Sabiraiu....... 4
332
A saber :
2:>
11
Estrangeiros... 4
Estrangeiras... 1
Escravos...... 47
Escravas...... 3
332
Alimentados a costa dos cofres provinciaes. 134
Movimento da enfermara no dia 21 de novembro
Teve alta:
Valerio, escravo de Antonio Colol.
Obituario oo ckmitbrio publico so da 24 or.
NOVEHBHO DB 1864.
Joo Geraldo de Jess, Pernambuco, 80 annos, via-
vo, Santo Antonio ; diarrha.
Rita Fraucisca dos Aojos, Pernambuco, 64 annos.
solleira, H. Jomj : congesto cerebral.
RomSo de Castro, Hespanha, 41 annos, solleiro,
Boa-Vista; ttano.
Luiz de Franga e Silva Diniz, Pernarabnco, casa-
do, S. Jo.- ; hepalte chronica.
Rosa, Pernambuco, 2 annos, S. Jos ; bexigas.
Antonio raustino Soares, Pernambuco. 88 annos.
viuvo, S. Jos ; derramamento cerebral.
Josepha Mana de Jesu*, frica, 60 annos, casada.
Roa-Vista ; pleuro pneumona.
chronicajmmm
TRIRI "V Ali DA RKL\\'\0.
SESSO EM 22 DE NOVEMBRO.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. C0NSK1.HBIR0
SOUZA.
s 10 horas da manhaa, presentes os senhores
desembargadores Santiago, Gitiraoa, Almeida e
Albuquerque, Assis, Dona, Molla, e Domingnes da
Silva, faltando o Sr. desembargador l'cha Caval-
canti. abrio-se a sesso.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
rda, nao comparecen.
.-


Diarto de rerunfeaeo cita felra 95 de \ovcmbro de 1SS4.
i V
Pas-ados os feitos e entregues os dulribuidos.
deram-se os seguinles
JLGAMENTOS
Aggravos de peticao.
Anmrntai, Ges & Bastos; aggravado, o
ja io.
Relator o Sr desembargador Assis.
Sorteados os Sis. desembargadorcs C Santiago,
e Molla.
Deram provimento.
SKravante, Antonio Valen tini da Silva Barroca;
aggravado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Doria.
Sorteados ossenhores desembargadores Assis,
e Multa.
Deram provimento.
Affravante, Mauoel Duarte Vieira ; aggravado,
juizo.
Kulator o Sr. desembargador Molta.
Sorteados os senhores desembargadores Gilirana,
t Domingucs da Silva.
Deram provimento.
Appellacoes civeis.
Appellante, Jos Joaquim Uoncalves Bastos ; ap-;
pellado, o teneute-corouel Justino Pereira de Fa-;
rias.
Reformada a sentenra.
Appellante, francisco Santiago Hamos: appella-
do, Gabriel Antonio.
Continuada a seiitencacom declaragao.
Appellaute, Gaspar Cavalcanli do Albuquerque
L'choa ; appellado, Antonio, por seu curador.
Conlirmada a soutenca.
Appetlutfies crimes.
Appellante, Manoel Antonio de Moraes ; appel- ; nS
lada, a juslica.
Improcedente.
Appellante, Manuel Gomes Jnior ; appellada, a
juslica.
Nullo o processo.
Appellante, Antonio Barbosa do Reg ; appella-
da, a justiga.
Improcedente.
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Jos de
Moma.
Improcedente.
Appellante, o juizo ; appellado, Ignacio Mo-;
reir.
Improcedente.
Appellante, Alexandre Pereira de Souza Tava-!
res; appellada, a Justina.
Improcedente.
Appellante, Procopio Gomes Abbado; appella-!
ia, a juslica.
Improcedente.
Appellante, o juizo ; appellada, o escravo Luiz. |
A' novo jury.
llabeas-corpus.
Negcu-se soltura a Manoel Joaqun do Sasci-
mento.
Conoedeu-se a Laurenlino Xavier de Oliveira.
Coneedeu-se ordem a Justino Francisco do Nas-
eimeuto, para o dia 26, s 11 horas do dia.
DBS1GNAQA0 DK DIA.
Assjgnou-.se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
As appellacoes civeis.
Appellante, D. Juanita Maria das Dores ; appel-
lado, Antonio Alves de Miranda Guimares.
Appellante, Jos Joaqun] da Rocha Fariaa ; ap-
pellado, FrederJFO Augusto Velloso da SiWeira.
Appellante, Joaquim Jos Ferreira da Costa Re-
tuinb. ; appellado. ae' demandes Porto.
predado seos eneanlo*. !fnnra oiivimo nada
Igual, sofa seos dedos, cen! de nm in.-trumento desconhecido,e arrebatam
os sentidos em xtasis profundos.
O -r. Heiehert panindo deixa entre nos traeos
que, se traduzem na mals grata recordacao e ver-
dadera admiracao.
CORRESPONDENCIAS
Srs. Redactores. Era lempo opportuno flz ver
vcrbalmente ao Sr. administrador do consulado
provincial qne a baixa de capim da ra do Pro-
gre. sso perlencia ao ei-ihesoureiro da caixa filial
F. de lal Tavares. Ja fiz ver por esle mesmo Diario
enlrelanlo nao sei porque fatalidade consta-me que
corre urna ,execucao pela fazenda em meu uome.
Sou de Vmcs. aliento venerador e creado
Gonrah Alves Tavares.
Secretaria da thesonraria provincial de Per-
nambuco, 23 de novembro de ISGi.
O secretario,
A. F. da Annuneiaclo.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe. offleial da Impe-
rial ordem da Rosa e juiz especial do rommer-'
ci desta cidade do Recife de Pemambuco e;
seu termo, por v M. I., quo Deus guarde etc. 1
Fago ao saber aos que o presente edital virera e
delle noticia tiverem, que no dia 3 de dezembro do
corren e anno, tera lugar a arrematacao dos esera-
vos : Verissima, crioula, represenUndo ter mais
de quarenla annos, avahada em 700*, e uomingos,
de nacao Angola, maior de 50 annos, avaliado em
300$, os quaes foram peohorados a Jos Gtulheruio
Guimares, por execueao de D. Maria Venancia
de Abreu Lima Ba>los, como cessionario de Anjo-
rim, Fragoso, -antos & C., representados por seus
administradores.
E caso nao appareca lancador que cubra o pre-
TIIE4T80
S
EMPREZA
h M germano & comba,
Achando-se doente o artista Germano, nao pode
ter lugar 0 espectculo annunciado para sabbado
26 do crreme, e por isso llca transferido para
quaria-feira 30.
A empreza IraU de promptifiear com lodo o es-
mero o maehinlsmo
de todos os objeelos supra mencionados perlen-
centes a sua casa de residencia o existentes no
armazem da ra da Cadeia n. 36, aonde se effec-
tuar o leilao as 10 horas do da cima dito.
Conliniincao do leilao
" DB
HOJE.
Mello Loba & C. continan) o seo lei o da fa
zendas como madapoldes, chitas e algodaoziohos :
hoje 25 di correle pelas 10 oras da manha em
seu armazem ra da Cruz n. 63.
o UJU *,.,<* ii.uuf que cuora o pre- ro dpan n,a.ls seasorios do magnifi-
?o da avalacao.er a arrematacao feila pelo prego e 811'uos de,grande "P^Uculo, em i actos
da adjudicajo com o abale da lei.
PUBLICARES A HagO,
Anacahnlta Pe I toral de Kemp
A celebre anacahuita peitoral de Kemp, de cu-
jas virtudes especificas tanto.- annunrios appare-
ceram em nossos jornaes. E' urna composicAo do
vegetaes peitoraes e nao comra nenhum astrin-1
gente venenoso ou morta' mente narctico. E pre-
parada em forma de um xarope delicioso e um
prompto e effleaz remedio para irritaco dos pul-
' uioe>, anginas, catarrho, toase resfriamento, rou-
| quidao, affecroes catarrhaes, escaos de sangue,
: e todas as inumeraveis molestias que affectao os;
orgos da respiracao. Cuidadosa c scientifica-
mente preparada por Lanman e Kemp, Nova-
York.
Ar-ha-se a venda as Iotas de Caors <& Barbosa
na ra da Cruz, e Joao da C. Bravo ra da Ma-
dre de Dos.
E para que o prsenle chegue ao conhecimento
de lodos, ser a publicagao do presente feila por
editaes, e affltado nos lugares do costume.
Recife, 18 de novernbro de 1864.
Eu, Manoel Maria Rodrigues do Nasciincoto,
escrivao, e subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
A VIDA, MILAGRES E MARTYRIO
DI
COMPANHIA
H
OMMEHGIQ.
aesBarrel.deLa^a.arP-
de Albuer1uo Mara-
Cotacoes offlelaes.
PRAGA DO RECIFE
24 DE NOVEMBRO DE 1864.
Algodao Io sorte- 165300 por arroba.
Freles3|4 d. e 5 0|0 por libra de algodao da Pa-
rahiba Liverpool.
Assucar para o Canal457 e a 0|0 por tonelada.
Dubourcq Jnior, presidente.
*Suiraares, secretario.
Alfaudega
Rendiraeniodo dia 1 a 23.......
dem do dia 24...............
563:0695093
25.6605812
588:7295905
Yfovluieiito da alfandega
Volames entrados com fazendas.
com gneros.
Votantes sahidos
1
com
com
fazendas...
gneros...
73
328
-------401
105
540
----- 645
Ignacio
Descarregara no dia 25 de novernbro
Barca franceza flap/e/ediversos geueros.
a ^"seoBe- Barca i''g|cza- Arruu /j/farinha de trigo,
os berdeiros de Jos Frain... 1 Rriguo porluguez- Laia II- diversos gneros,
.a, a fazenda. G^ra nacionalilindello- diversos teneros.
As appellaroes crimes. < pac, o inslez Artawre-mercadorias.
laote, Feliciano, escravo; appeJIada, a g,.,-,,,', Wtuguez- Conceico de Maria farinha
Antonio Ferreira Lima ; appellada, de ,nB- ii0p0r|a?o.
FASS\r,KNS Escuna hano'eriaK?. Eilea, entrada do Rio
O Sr. desembargador Caetano Santiago passou | Grande do Sul.consignaia a Bailar A
ao Sr. desembargador Gilirana
As appellaroes cicets.
ISao se tendo reunido numero legal dos;
Srs. accionistas para ter lugar a, assembla
geral annunciada para hoje, de ordem do
Sr. director sao novamente convidsdos os
mesmos senhores a se reunirem no dia 25
do correte ao meio dia no esefiptorio da
mesma companhia, ;iim de examinar as
comas do semestre lindo, appro*ar o orea-
mento doseqiestre vindouro, tratar de edi- Machado, Virgilio, Jos Machado e
ficac3o de novas caixas e mais obras neces- c
sarias ao fornecimento d'agua e concessao
gratuita da mesma ao hospital de caridade.
prevenindo-se desde j que, na conformida-
tle do art. 16 dos estatutos, a reuniio ser
SANTA CECILIA
PROTECTORA.Da MSICA
que brevemente subir scena.
PIPIJCOS.
GRANDE
VARIADO ESPECTCULO
SABBADO, 26 DO CORRENTE,
PELA
COMPANHIA DE NACIONAES
GYMNSnOA-ACHOBATA
ri;?fficE? *+*>** *m <*
2'.Torniquele, {-elos jgveos Cyrillo, Virgilio e
Jos Machado.
3'. Encadas perigosissimas, ejecutadas pelo jo-
ven Floro Machado e toaa a campaohia, consistin-
do em difflceis trabalhos.
4". Us lutadores romanos, pelos jovens Floro
Amonio Ma-
LEILAO
DE
Fazendas avariadas
Sabbado 26 de novernbro is I i horas
em ponto.
E A. Burle 4 C. frao leilao por nlervenco
do agente Pinto e por conla e risco de quem per-
lencer de diferente* fardos de algodozmho ava-
riado a bordo do brigue inglez Ilnmiston, capi-
tao Stargius, no da e hora cima dito em seu ar-
mazem ra da Cruz n. 48.
16
DE
POnTi'ClUEXEfe.
Nossos Miaros su guerra cruel cun os lle>panli^s para nHoc*t*m
e manterem no throno a rasa dural de Bravura. f>
dia I" de dezembro esta perlo. e*e fraafc' *
em que o valor de quarenla Portugals arn ura:..
para longe os ezercitos dos tyramoos 4 Wnii
uha, e asseotaram no irono do ir nri.jo^ **
Afon>os, o chefe da raa r<-ioanii> de Brafawci,
nao deve passar no esq 11-cimento d^ve ht
jado por portuguezes e Brasileiros. rom lod <
thusiasmo, nao deveinos ponpar etorro, <
parle ja dando hrind*-. hallw, oire*' ou fmm
lares ou publico, cora lano que este dia Maa
no esquecimento.
________________l^ra Porlopuez patriota.
8*
guetj"8 smssos.
Segunda-fcra 28 do correnle.
O agente Pestaa far leilo por conla e risco
de quem perlencer de 16 queijos suissos em um
ou mais lotes avontade dos r.nmpradores : segun-
dafeira 28 do correnle pelas 10 horas da manhaa
no armazem do Annes.
5*. -Trabalhos avulsos, coa=taado da equilibrios,
executados pelos jovens Cyrillo e Jos Machado,
intermediado com um grupo, constando de mu tos.
equilibrios dificultosos.
6*. Deslocacoes, pelo joven Virgilio.
considerada completa e ter* eflelto com o\JJff.tW3^'^lflHm Cy'
numero de accionistas que comparecer nes- 8*.Romper da aurora, constando de equilibrios,
te dia, i quedas e volteios pelos jovens Virgilio, Jos Ma-
Escriptorio da Companhia do Beberibe 18'*
de novernbro de 186 i.
O secretario,
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Consulado de Portugal.
,ieilaote,
jstica.
Por este consulado ta convidados iodos os ere-
dores do Hitado subdito portuguez Agostinh) da
Silva Torres, a apresenlarom suas comas a Ah de
seren venlicadas; advertind-se que no fim do
praza.de 60 dias, contados da data deste annuneio,
se proceder ao pagamento das conlas que estive-
rem conferidas, >e para isso chei;arem as forjas
da heranca, e que nenhuma reclamagao se recebe-
r contra o mesmo espolio, logo que finde um an-
no, a contar da datado fallecimento do mencionado
sbito purtuguez.
Recife, 22 de novernbro de 1861;
O conselho administrativo para fornecimenlo
do arsenal de guerra precisa comprar o seguiote :
Para a aula de gemeotria dos menores.
3 estojos pequeo
9*.Dentista a polka, palhagada.
Os bilheles acham-se a venda em easa do Sr.
professor da mesma povoaco.
Homens e senhoras a 13-
Meninos at 10 annos a 500 rs.
Por ordem do director Cyrillo,
Jos Francisco de Mello Carneiro,
Secretario.
?*
nuaiTimos.
Appellante, D. Joiina Maria das Dores; appel-
lados, BazihiiHo de Magalhaes Castfo e oulros.
Appellaute, D. Joanua Mana das Dores; appel-
ado, Jos Ilygino de Souza IMxe.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellacao cnel.
Appellante, Francisco Xavier Mendes da SilT;|w7alqneire8
s mathematicos.
* nnivptps finos
al(STl8 =" ae rjtfM 120 couros J duzias de lapiVfinos, ^
seceos de boi ; ordem. "" Eu ..roes para lousa.
Hiato nacioual Bous Amigas?}!**0 d? \ssu: 0 Para provimento dos armaiens.
consignado a Antonio L. de Olivoira^Jeve(,o c- 30 caixas do peonas cahgraphicas.
inanifestou o seguinte : ^^' aO mems de sola garroteada.
177 arrobas de couros seceos, 37 saceos e 10 As pessoas que quizerem vender Mes arligos,
barricas com 169 arrobas de cera de carnauba, apresenlem suas proposlas em caria fechada
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
Vivega^o eoMelrn a vapor.
Macei e escalas.
O vapor Parahyba, comman-
dante Martins, seguir no dia 25
do correnle i 5 horas da tarde
para os porlos aoima indicados.
Recebe carga at o dia 24. En-
comniendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sahida : escriptorio no
Forte do Mallos n. 1.
de sal, e lOO'molhos de palha de
do
de Mello ;
desembar-
appellado, Manoel Barbosa da Sil*a.
Do Sr. desengaador Gilirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago
Appellago civel.
Appellante, Jo Gabriel Pereira de Lyra ; ap-
pellado, Anlero Vieira da Cunha.
DoSr. desembargador Almeidae Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
A appellaaio civel.
Appellante, Jos Alves Barbosa ;
dro Seincao da Silva.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Doria
As appeliacSet aveis.
Appel'anle, Juao Lopes Coulinho
Jos Antonio de Mendonca.
Apianantes, Frauci.-co Pereira de Camino e
oulro ; appellada, a viuva de Antonio do Reg
Barros.
Ao Sr. desembargador Motta
.1 appeltacQ civel.
Appellaute, Jeronymo Jos Figueira
appei'ulo o icfre HunizRiheiro.
Do Sr. desembargador Molta ao Sr.
gador Ucha Cavalcanli
A tii'iiellai;oes civeis.
AppellativFiancisco Alexandre Dulra ; appel-
lado, Thumaz Alves Maciel.
Appellante, Francisca Ferreira deAndrado ; ap-
pellado, Manel Jos Taboca.
Ao Sr. desenbargador Gilirana
^t appHlarao civel.
Appellante, a fazenda ; appellada, D. Krani...
Tuomazia da Cincei{ao Canda.
Do Sr. desembarga desembargador Caelano Santiago
A appellacao crime.
Appellante, o juizo; appellado, Jos de San-
tiago Tenorio.
ao Sr. desembargador Almeida o Albuquerque
A appellacao civel.
Apncllantes, Santos & Rolim ; appellado, Jos
Moreira Lopes.
A' 2 horas da tarde encerrou-se a sesso.
COMMUNilM.
l'm faci acaba de darse na povoagao dosAfo-
gados, que inuito e muito ferea independencia do
poder judicial, e que ataca o respeilo devido ao
Tribunal da Relacao, e por isso chamamos a atlen-
cao d- Exm. pre>identee chele de pol.cia, se estes
senhores nao paciuam cun laes attenlados, como
soe a dizer o seu auior que dizera espaliv r ter
praiirado por ordem superior; eis o fado. E' eos-
lume inlervir aiju a polica em casamenlos, pren-,
deudo e soltando os ciriadaos quando se casao, e
carnauba ; Mendes A Coelho.
Patacho nacional Capuam, entrado de Santa
Catbarina, con.Mgnado a Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C. manifesiou o seguinte :
10:070 alqueires de farinha de mandioca ;
ordem.
i:\por3avSo.
Ilrigue inglez, Quem of the I'lym, carregou para
I Liverpool 1,000 sacros com 5.00 arrobas de as-
appellado, Pe- sucar mascavado.
Rrigae inglez Ingurania, rarregon para Liver-
pool 1,266 saceos com 6:300 arrobas de assucar
mascavado, 968 ditos com 5,162 arrobas o 28 li-
bras de algodao.
appellado, tecebettorla de rendas Internas
Camino e | ,. geraes; de Pernarabueo.
Rendimenlo do da 2 a 2.......
dem de da 24..............,
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
ffavegaeo costeira a vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaly, Cear
e Acaracu'.
O vapor Perstnunga, seguir
no dia 26 do correnle s 5 horas
da larde para c fOrh>s indica-
dos. Rer.b,.r carga al o dia
2. neommendas, passageiros e
f7ele al o dia da sabida s 2 horas
aruo : escriptorio no Forte do Mallos n. I.
secretaria do conselho s 10 horas da manha
dia 30 do correnle.
Sala do conselho administrativo para forneci-
mento do arsenal de guerra, 23 de norembro de
1864.
Antonio Pedro de S Rarreto,
Coronel presidente-
Sebastiilo Jo< Basilio Pyrrho,
Secretario.
De ordem do Illm. Sr. voan 'ireTor da
Escola Normal, faeo seienle a ijv. 1 inleressar
possa, que os exames do primeiro aiho desta es-
cola tero comeco no da 25 do corrente s 7 horas
da mauhaa com assislencia do Illm. Sr. Ur. direc-
tor geral da insti urcao publica, devendo nesie dia
e nos seguinles seren os alumnos examinados em
turmas de 10 cada orna, e segundo a ordem esta-
belecida noedilal alfixado na porta de la secreta-..
'ggfS loL0,,uefaco "ul,,,car pa" conhcm,enlde SSSTSJ^SSSgSi
-------------1 Secretaria da Escola Normal de Pernambnco,
19:i305974l23 de novernbro de 1864.
DE
Urna taberna.
Terca-felra ds correte.
O agenle Pestaa legalmente autorisado tara lei-
lao da armaco, gaz, gneros *e mais uteneilios
existentes na taberna sita na (iraca da Boa-Vista
n. |t, muito propria para pnncipiaatw : terca fei-
ra S9 do correte s 10 horas, da mauhaa na mes-
ma taberna.
Para o .issu
segu com muila brevidade o hiate Dous Irmaos
a tratar com Tasso limaos.
LEILAO
DE
Fabrica de sabio.
Sito na ma Imperial, edificio com espado
de l!8 palmos de frente e 400 de fun-
da, incluindo 2 caldeiras com fornalha e
boeiros, com 270 jardas cubidas cada
um feitos de tijolo e cal.
. ?aot1 d,! pi"ho' re^riadores, perfazendo a
lodo ,J,500 ps de empranehamento superfino cha-
pead com ferro.
250 ps de caldeira.
16 case s vazios.
1 guindaste para 2 tonelladas.
I carangueiro com correnle, completo.
1 machina de forea de 12 cavallos.
1 bomba de 20 ps de canos.
1 serra circular com armaeao de ferro fundido
incompleta.
1 balanca, serra, I vlvula, 1 sino.
3 prensas de ferro fundidos e 1 tanque.
1 caldeiro e 150 ps de cano de gaz.-
Eixos, crralas, tambores o rodas.
J ramo de cano para a machina de serrar.
i Cubo, 400 ps do correntes e 6 quintaes de
ferro, re I ho.
/Segunda-feira o de dezemhro.
y agente Pinto far lei lio roquerimento dos
administradores da masa fallida de Rustran Rookor
JC. e por mandado do Illm. n\ Dr. juiz especial
n^commereio de lodosos objeelos cima deserip-
os quaes constuem parlo da referida massa
xislenles na mesma fabrica da ra Imperial,
do seeffecluar o leilao s 10 horas do dia
ma dito.
s prelendenles podero examinar os referidos
feclos nos dias 25, 28 e 30 do correnle, das 10
kas da manha s 2 da tarde e na anli-vospera
e -do leilao.
Aos 6:000>00.
Quinta-reira i" de dezembro do rorrea**
anno, se e.xtrahir a terceira parte .i
decima lotera (UN1) a haajaMa da matriz
da Boa-Vista, no cunsislorio Ha ipreja rte
Nossa Senhora do Husario da reguei-a .;
Santo Antonio.
s bilhetes, meios e (piarlos achaai-*- z
renda na respectiva, thesouraria na t>
Crespo n. 15.
Os premios de 6:0005000 at lOkSOv"
sero pagos urna hora depois da extrar^c
at s 4 horas da tarde, e os ootros n.
seguinte depois da distribuirlo daslist??.
O tbesoureiro,
Antonio Jos Rodrigoes de Soasa.
9
Gabinete Portuguez de
Leitura.
Por ordem da directora do Gabinete I' --
lnpiiez de Leitura, roovido aoa Srs. on- -
effeclivos, subscriptores, boBorarios -
mritos do mesmo Gabinete, para que j
dignem comparecer na igreja do Divido Es-
pirito Sanio, segunda-feira 28 do rorp-or.
pelas 7 horas da manha, alim de nivifm
urna missa que manda celebrar a mesma di-
rectora, por alma do nos*o sorio hinorstio
o Illm. Sr. Dr. Antonio Goocalves Das, fe-
(inclo hil.'ratn hrasileiro vn-fima do bisl
naufragio da barca franceza Vtlle de Botofwe,
eso viagem do Havre para o Maraririao. sin
provincia natal, as aguas da qual e dera
to Dfausloaconleeimenlo.
Secretaria do Gabinete Portuguez de tri-
tura em Pernambuco S3 de novernbro d*
1864.
Joaqmm Ferreira de Araujo (^imares.
____ I* ser rean.
I.
ts
^
Para Lisboa
Consulado proviucial.
Rendimentedo dia 1 a 23......... 43:8355727
dem do dia 24................ 1:9015610
47:7375367
)0
Navios entrados no da 24.
lu,3 de Fernando54 horas, vaprr nacional Peisi
nunfii, de 442 toneladas, commandanle Francis-
co Je^ da SiiVa Ralis, equijgem 20.
Triestrc 80 dias, brigue porluguez Conciira de.
Maria, de 241 toneladas, oapitao Januari'o Jos
de Oliveira, equipagetn 11, carga 2,200 barricas
com fininlia de trigo ; a Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo Si C.
Liverpool34 dias, patacho inglez Artaxerxes, de
187 toneladas, capito Gerge Eduard Harres,
equipagem 8, cargadifferentcsgneros; a Johns-
ton Paier & C.
Navios sahidos no mesm dia.
Rio de Janeiropalhabotc nacional Arthur, capi-
Lourenco Justmiano de Souza Lobo, carga assu-
car e ouiros gneros.
Cear por Liverpoolbrigue inglez Rosalie, capi-
tao J. Rowland, em la.-tro.
O secretario,
Maximiano Lopes Machado.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematacao da obra dos reparos do empe-
dramento da estrada da Vicloria eniro os marcos
de 8 a 10 mil brajas foi transferida para o da Io
de dezembro prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 17 de novernbro de 1864.
O secretario,
A. F. da AnnunciaQo.
Pela thesouraria provincial su faz publico,
que a arrematacao da obia do atierro da ra do
, Lima na cidade Nova de Sanio Amaro, foi trans-
ferida para o dia Io de dezembro prximo vin-
i douro.
Secretaria da thesouraria nrovincial de Pemam-
buco. 24 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F: da Annunriacao
Pretende sahir com a maior brevidade o lugre
portuguez Julio, para o que tem a maior parte da
a quem
e com o
consignatario Thomaz de AquinaFonsera na na
do Vinario n. 19, primeiro andar,ou com capilo
o ?r. Francisco Antonio Mwrelles, na praca.
Segu com pouea demora ao indicado porto o
hiate Lindo Paquete a chegardo norte em poueos
dias_: as pessoas que Delle quizerem carregar de-
vero entender-se com antecedencia com o respec-
tivo consignatario na ra da Cruz n. 23, primeiro
andar_____________
r'nra o Porto
ip brigue portuguez Uuido segu em poueos das
porN(er o carrepamento quasi completo, e para o
resta que ainda Ihe faltar-tr-ata-se rom o seu con-
signatario Jos Joaquim Lima Dairo, ra da Cruz
nuoriero 18.
DE
. ,357 acedes da Companhia l'cinani-
bacana.
Terca-fcirn 6 de dezembro.
O agente Pinto far leilao por mandado do Illm.
"r. Dr. juiz especial do rnmmercioem virlude do
que requeren os administradores da massa fallida
de Rostron Rooker A i.., de 2,357 acedes da Com-
panhia Pernambucana de 1003 cada urna, em um
ou mais lotes a vontade dos compradores, s 11
h iras d'i dia supradilo a porta da Associacao Com-
mercial.
AVISOS DIVERSOS.
Para o Porto.
EDITAES.
O Illm. Sr. inspector
cial, em cumprimenlo da
fazenda, manda fazer publico, que no da 7 de
n'esle sentido, fra preso Ju.-lin Mauoel do Nasi-; dezembro prximo vindouro, peranle a mesma
ment e a quinze das pouco mais ou menos con-1 junta se ha de arrematar quem por menos flzer
servara-se |ire.o em um quarto trancado da casa costeio da illuminaeopubil^ada cidade de Goi-
que serve de quartel, e privado assim da sua li-' anna, avaliado cada um iampiaoem 291 rs. por
tie'dade requeren na terca fera vinte do correnle' dia.
a Relaeo do districlo urna ordem de habeos ccr- \ A arrematacao ser feila por lempo de uman-
;.n<. e m mandado d'e>te Tribunal Un intimado I no, a contar do 1 de Janeiro a 31 de dezembro de
ao cabo do destacamento como seu delenior para '
No dia 26 do correnle, as 3 f|ors. da larde,
se nao de arrematar porta do Illm. Sr. juiz de
paz do Io disiricto da freguezia da Boa-Vi | ruada Imperalriz, os bens seguintes : 6 cadeiras
de amarello em bom estado, 1 mesa redonda, 2
marquezas, 1 mesa de louro, 1 banquinha com ga-
vetas, 1 caixa, 1 espelho grande da parado, a 10
livros de diversas qualidades; os quaes vao pra-
ca por exeengao de Custodio Alves Rodrigues da
Costa iV Innao contra Jorge Brane.
Na audienia do Illm. Sr. Drj juiz dos or-
. phaos do dia 23 do correnle tem de fer arremala-
( do o sobrado do dous andares rom jum armazem
1 e terreno por detraz sito na ral da Senzala Velha
, n. 14, pertencenle aos berdeiros do tinado Joa-
quim Lobato Ferreira sendo a dita arrematacao
da junta da | requerida pelos herdeiros maiores e pelo tutor dos
orphos filhos do finado Manoel do Almeida Lopes
O brigue portuguez Umao sahe com muila bre-
vidade por j ter a maior parta de seu cairega-
meiito prompto, e para o resto quo ainda falta.lra-
ta-so com o consignatario Jos Joaquim Lima Rai-
rao, na ra da Cruz n, 18.
LEILOES.
da thesouraria provm
rcsolncao
o apre>entar no Tribunal da Relacao na sesso de
sabbado vime e s> is do correnle, e o que fez o Sr.
subdelegado Manuel Jos da Silva Giilo furioso
por veresrapar a victima corre ao Recife lunlem
vinP1 e tres do correnle, e vollando faz remeiter ao
infeliz Justino para recrula, faz zem que tendo o prrsidenie e chee de polieiaa seu
favor nao sei ia axincalhado pelo Tribunal da Re-
lacao ; estes fados sao a pura verdaoe e estamos
prompios a prova-los, sao lerriveis os agentes do
Sr. Domingos de Souza.
O morfelico dos Afogados.
Hontem deu o Sr. Reicherl o seu segundo ron-
eerio, assignalando-se por um segundo iriumpho
onde mais Bramo, se nao enprandeceu seu nome
j lo vaniajosamenle conhecido na America e
Europa.
O prograir.ma foi bem escolhidn, alm da Fa-
reir, voimgieo Carnaval de Veneza, cnnstnU
elle de mais urna fantasa intitulada Melnmoes
Pa-toril, da hellisMinas inlrodueeoes, eTaran-
lelle, sendo ludas a< pecas de sua composfeao. Pa-
rece-nos desiiHi-essario dizer que ludo foi inaravi-
lhosamenle exerutndo, quando melhormente odi-
sea os espontaneo* o lepelidos anplaomg ijue
proroinpiaiii de. lodos os lados. Foi u-na bella
nonio.- O Sr. R"icherl um artista rei : lem Che-
gado ao sublimo na flauta, que parace ler-llie se-
1865.
As pessoas que se proposercm a essa arrema-
tacao comparceam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia.
tompetenlemenlc habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
ccretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 9 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Aununciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, de 22 do cerrente, manda
fazer publico que o concurso para preenchimento
da vaga de 2 escriplurario da mesma thesouraria,
lera lugar no dia 26 de dezembro prximo vinaou-
ro, devendo os prelendenles ser examinados na
grammatira da lingua nacional, escriplaracjio por
partidas dobradas, arimethinetica e suas appliea-
roes, com especialidade a reduccao de moed'a<, pe-
sos e medidas estrangeiras, o calculo de descont,
joros simples e rompostos, sendo |ireferidos os que
liveremhoa lettra esouberein linguas estrangeiras.
Arrcraalaeao
A arrematacao annunciada para lo dia 14 do
correnle dos bens de Manoel Francisco de Paula
penhorados por Antonio Ignacio Brando foi trans-
ferida para o dia 23 as 11 horas do dia, cuja ar-
rematacao dever ter lugar na ra. do Cisco ou
Iravessa do Pombal, devendo ser a 11tima praja.
Correio geral.
Pela administrarlo do rorreio detta cidade se
faz publico que em virtude da oonfenco postal
celebrada pelos governos brasileiroojfrancez ser
expedidas malas para Europa do dia :o de novem-
bro correte pelo vapor francez NaDiu-re. As car-
las sero recebidas al 3 horas antea da que for B- 36.
marcada para a sahida do vapor; n as jornaes at
4 lloras antes.
Administracao do correio de Pernambuco 23 de
novembro de 1864. administrado*
Domingos dos Passos* Miranda.
Ltiao
DE
Um carro de 4 rodas, 2 cavallos para o mesmo, I
cabriolet com assentos para 2 a 4.pessoas e ai -
reos para o mesmo.
HOJE
1 hora da tarde, na ra da Senzala por detraz
do armazem da ra da Cadeia n. 36, onde haver
anteriormente leilao de movis.
HDAME
VIUVA RUUTIER
faz publico que mudou seda sua residoncla da ra
Bella n. 29 para a mesma ra n. 39.
O grande anniversario da Po-
lonia.
Pelo prsenle ronvida-se aos senhores acadmi-
cos e a todas as pessoas que se inleressain pela
causa santa da Polonia, para do dia 29 do c Tren-
te, pelas 10 horas da manha, assistirem urna mis-
sa na igreja de S. Francisco. O da designado re-
sume em si glorias e dores para o pavo polaco.
Um voto de agradecimenloanlecipa-se a todos que
comparecerem a este ario.
Alu
Urna mobilla de jararand com 1 sof, 2 consolos,
4 cadeiras de braco e 18 ditas de guarnico.
Um cabriolet americano com coberta.
Um cavallo castanho proprio para sella.
Urna machina de costura com caixa, armario e
gaveta.
HOJE
Por ntervengao do agenle Pinto roa da Cadeia
.',,
DE
Crrelo.
Pela administracao do correio,desta cidade
se faz publico para fins convenientes,; que em vir-!
lude do dlsposto no artigo 138 do regnlamentoge-|
ral do* rorreios de 21 de dezembro de, 1864 e arti-,
go 9 do decreto n. 785 de 15 de maio] de 1831, se,
proceder o consumo das carias exi.-tentes na ad-,
ministracao pertenrentes ao mez de novembro de
1863, no dia 2 de dezembro prximo as 11 horas
ga-se
por prego razoavel um sitio por delraz da fundirao
dos Srs. Slarr & C, todo murado, com duas entra-
das, urna por aquelle lado e outra pela estrada da
iravessa do Lima, a sahir na estrada que ni para
Olinda, dentro do mesmo sitio tem 4 casas, urna
bastante graude, mitra menor, e duas pequeas,
lem lambem um viveiro com bastante peixe, e di-
versos arvoredos, como sapotlzeiros, pinas, ro-
manzeiras e roqueiros ote, etc. ; fra do mesmo
si,'.i, encostado ao porfo do lado da fundirn, tem
mais duas casas : quem pretender alugar, dirja-
se aos seus-propietarios Guimares & Alcoforado,
no seu armazem da ra do Amorim n. 54, nao po-
dendo ser entregue a chave do mesmo sitio a quem
o lenha agora de o arrendar semio depois do da
18 de dezembro vindouro, por ter neste dia con-
cluido o arreadamente da pessoa que o havia an-
teriormente arrendado. Tambero se faz negocio
por venda Com o mesmd sitio.
M M fMlh
AOS 6:mmmmio
HHbeies garantido
A' rna do Crespo n. 23 e casas de rntaa
O abaixo assignado vendeu nos sen* mu'
zes bilheles garantidos da lotera qne se icnp
de exirahir a benelicio da Santa GM da V
sericordia, os se^. -s premios:
N. 2'nio um meio com .OMkiOflu
N. 2074 um meio coro i:40liiNtM)
N. 2694 um meio rom 50liaiM)a
E oulras rnuias sorles de 10W, 404, die !?
Os possuidores podem vir reeeber eas resp^r-
livos premios sem os desconlos das leis na
da Fortuna ra do i.respo n. B,
Acbampe i venda os da terrean parte da
dcima lotera a beneficio da matriz da
Vista, que se. extralnra no dia I- de drzesati-
Precoa.
Bilhetes iateiros..... -5.-1
Meios......... h.*h
Quartos........ I^9u>
Para as pessoas qne compraren
de 1004 para cima.
Bilhetes........ |g ,-
Meios........ mw
Quarlos......, |$:oo
Manoel Martins faBM
1M I. a^enti de leiles Olvmpio, lem se
^5 escriplori. na roa da I jdeia m H-rih n.
^ 26, primeiro andnr, por cima do esrnp-
.3^ lorio dos Srs. Rollar At Oliveira 1 mirada
vg pelo berro Largo.)

m
Prrm.
A pessoa que achou urna rarleira de algtbeira
de marroquim preto, amarrada rom urna Ota, coa-
tendo 1805 em sedlas, diversos renbos e roma
de Irapirheiros a pairar, querendo restituir
verdadeiro domno Antonio Haptista Ferreira.
ja-se ao alerrinhn de (iqnl casa n. IS7, ene se
ratificara generosamente.
Piccisa-se tle um home u que aiba
ler, para distribuir este Diario, n urna
parte da freguezi.i do S. Jos : na pra<;a da
Independencia ns. 6 e 8.
Attencao.
Alexandre di Cunha Coelho l aianho, prole-- r
de marica, offerece-se ao respeilavel poblicu para
afinar e concertar pianos por preeo con.mwi .-i
! ra de Santa Thereza n. 18.
Arha-se ausente desde o da ll~do~rorrente
a preta Lutza, com os sicnaes seguinles: rr>r fnla.
marras de hexiha no rosto, tem duas rieairiz^ m
nio direita, idade 25 annos, pouco mais m num-.
levou vestido de chita e panno d,i e>-u j.i
con>la andar nestacidade : p.de-se a aulornlaoVs
policiaes a appreiienso da dita eserava e I-
a ra dos Pues n. 34, que ser genero>amen- r
compensado.
Anna M.ria de Carvaiko Pinto mora na roa
da Conceiro 11.10.
Creme.
Sorvetc di; creme hoje ao meio
ra -lo Trapiche 11.18.
Os prelendrntes devein apresenlar seus requer- da manha, na porta do mesmo rorri-io, e
enlos nesta thesouraria. rom dorumenlos em que' peciiva lista se acha "
menlo
provern qne sao maiores de 20 annos e tem bom
comporta meato.
E para constar se mandou publicar
pelo jornal.
aos inieres-
0 presente
:(
desde j exposta
sados.
Adminslrac.o do correio de Pernalmbuco 23 de
novembro de 1864.O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
Um piano forte de amarello, 1 mobila de mogno
com lampos de pedra, ricos quadros com finas
gravuras. 1 armnico, 6 cadeiras do balanco
americanas, 4 sofas e 12 cadeiras de Italia, 1
sof e cadeiras de Jacaranda, 1 tourador com
tampo de pedra e espelho, 1 guarda roupa de
mgno em espelho, 1 apparador de Jacaranda,
2 ditos de mogno, 2 venesianas, 1 cama de
bronze, 2 ditas do ferro, rommodas, candieiros,
louca, cidros, ervstaes, mesas e irem de cod-
nha, i ma< hia de lavar roupa c muilos oulros
objeelos que se acharo ao exame dos pretn-
danles no armazem da ra da Cadeia n. .36.
HOJE.
O agente Pinto autorisado pelo Sr. cnsul in-
glez o qual retira-se desta provincia far leilao ser recompensado.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prorapto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pre-
fisso, cb amado por escripia
Kul'o o escravo Otsplniano, de idaile 23
annos, barbado, estatura regalar, bem parecido e
consta andar nos arn baldes desta cidade : quem o
aprehender leve-o ra do Livramento n. 19, que
da

Sao convidados t-nlos os Srs. lale
da Facnldado c bacharrs para assistirem a
urna missa na matriz da Boa-Visi.i petos I
horas do dia, em aerean de graeas pela "'-
lacao do grao de bacharel que lera bajar
hoje m mesma Faculdade.
Kiijio no da 18 do rorrete nnu pr^ta la
Cosa de nome Isabel, representa ler 35 ann' !
idade, baixa, ebria do rorpo, cor muiti prwa. bsv
xicosa, co.-tiima embriagar-se, levou vestido o>
rhila encimada de rr.r rxa, sata prria. rh.i.'
branro. anda vendendo frnrtas, e moilo naabNlI
do capilo de campo Jo- Patnri>. tem *tn vis^a
pelo bairro da Boa-Varia, Campo (irande, e por to-
da a cidade : pede-so as aaaabiaaa adanaast
rapites de campo a >ua anpreh n-i, e anarjaw
a rna da Cadeia Velha do Recife n I, qmt ser'
pago* de -en Iralialho.
Alm:a-se urna raa em Fra d-- Pona, na
ilo Pilar ii. 60, e um s......oliuho na ndade eV Ofen-
da, rna doBom-Fim : qiiea as preirniler. 4>np
se a Pora de Portas, a trata! com Mannel da S*a.
Nevos.
Aluaa-se a ca-a t. rre.i da roa de Santa Rifa
n. 43 a tratar ne:la i\p^rapkia.
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
rVUTlLADO


r

Diarlo de feraM?oet Sexta letra t de Xovembro de i 4.
TINTURARA.
0 ttnlureiro da ra do Rangel n. 38 avi-
sa aos seoi freguezes qne mudou sea re-
side icia para a ra Direita n. 116, onde
continua a ungir para qualquer c6r e o
mais barato possivel.______________
Pnhllcaco Iliteraria.
Sabio Im e opsculo intitulado
A i.i ns: 12 da di:
Cansultori medieo-ciirnrgiee na roa larga do Ro-
sarle a. 20.
O Dr. loao Ferreira da Silva regressando A sua
casa, coDlioa em o exerelcio de sua pfoflssae,
nao s na parte medica como tatnbem na chirur-
gica
W**.
Escravos.
Prefijase alugar um cozi"heiro e uin criado v^y
r-! sS2

ORjQBQI
ivS
O bacharcl
Precisa-se de uraa pret escrava que seja de boa
conducta e saiba cozinhar, se agradar paga-se bom
aluguel : na rua do Quemado n. 16, loja. _____
que sejam eseravo* : aa rua da Cadeia n. 52, ter-
-. B Francisco AugusU da Coala
ADTCADO
fe*
3&
Aluga-se a casa n. 2 da ,ra,r*!'sa-5a_ *"aI' Velha n 8, ambas com comnodus para familia : a convida ana MM fregoze* a virem honrar sen es- M
ireila n. 84. tabelecimenlo com devida proleccao do que carece
ras, com grande soto na frente, sobrado no turnio, lraUr na pajara da rua n
grande quintal com jardim e frucleiras, multas
cofnrrwdos, eaeimha, ele. : quem a pretender
cure as chaves na casa da esquina confronte ._
beVna que a, Umnent M dir com quem se deve U^s
entender. __________^___ i
vi*
U dono da anliga fabrica de charuto
sarros, sita na esquina da rua d lionas n. 1, tea-
Alugam-ss as casas da rua da Paz n. 7 e rua do fello reduccao nos precos de anas mercadoria, -l*^
Rua do Imperador numero t>9. f*
JE "^Trecasa-se para casa de pouca familia de urna Por se adiar rom u.n variado sedimento de cigar- MMMW& ftX8ff m1$M&&
r. ama que eogomme alguma cousa a saia a rua, pa- $ **f flnos aulores J-^E*?*? i ~ Francisco Debanos e Leonardo Mcolli ret-
Casa para alugar-se .,,.
Aluga-se o pnmeir andar do sobrado sito no Cu_i>zes.
No da 3 dedezembro do corrate anno, depois caeJ de Apol|0 n, ^ e iercero e quarto andares
Eiisute te pre Menta
O harharel A. II de Torre* Hand. ira,
'i prowsflf do aafraj.iiia hiM'jr ataja.
M ao Gyanasia anta .r.iviiicia r itaw a
SKI luinar pbilosupliia, iln-t. rica, eaegra-
B phia, e as liflgnas frana-ia e ingtm, e
mB offerece o setl |-re>li>u o.-prrialnirt.te
VB aqut'lles niivos que sfquirerrm (rrparar
^ em qualijuer destaa dix iplinas para os
gg| exames em matr i d'i ann futuro o *n-
^ sino p subministrado aria aaaaaciaata,
H na casa dj sua n-sid-ncii, roa da<
W Ornea n. 9, andar.
4rn'ioalacao.
. _ezembro do corre
da audiencia do juiz de paz do i dtstiicto da Boa- d07obradoda ra do Bruna n. 70 : a tratar na rua
cife, rua da Moeda n 9.

I
POR
Affonso de Albuqu$rque Uello
Vista, tem de ser arrematado o seguinte : 1 com- |arg do Rosario n. 34, botica,
moda com gavetas, 1 par de consolos, 1 mesa re-
donda, 6 cadeiras com assento de palhinha, ludo !
de madeira de amarello e t jarras de marmore,
Convdam-so os assignantes a mandarem recener pertencentes a Fredenco Eskiner, porexecucao
seus ezemplares na praca da Independencia ns. 0 ,jfi pranrj.ca igunciade Mello do .Nasciment.
8, que serio entregues vista dos r:ibos A Blgnaturas; ah tambera estao exposto a venda a .
340IK) cada um. Sao sob os seguintes ttulos as | m>panna.^
materias de que se orcupa :
i'BI.I I.AH VEGETAE
DO
DR. AYER.
Introdcelo.Noci da liberdade.-O Brasil co- saba comprar e cozinhar o diario de urna casa
.onia.Revolacio de 1817A Independencia A ( pouca familia,ou compra-se urna escrava quej
consiiiuiuteAconstiluicoA revelugao de 1834. ( moga, sadia, sem vicios e com estas habililaQoe
K 9\puls.'io ou abdicacaoT A regencia livre. 9 na rua de Horta n. 58.
partido regressista.Ameaca dos corcuodas e que
Ja dos livres. A regencia corcunda.Causa dos
aiales da regencia livre.-Hegemia corcunda e
autoridad*.Principios do reiuado de D. Pedro.
ReroKa de Minas e .S.Paulo.Dominio da Praia
Luzia.O dominio liberal nao inquietava os cor-
rundas. Fetos do dominio liberal.A praiaeChi-
chorrosenatoria.A revolta e a revolurao de
1S48 A consliluinte.-A constiiuinte.Derrota
la revolueio. Negociacao de Honorio cora os libe-
T,,,.; : traidores. -Venda da bandeira da cons
tituinie. O partido liberal durante osqnatorze an-!
nos do chamado ostracismo.-Os corcundas e os vo, rua da Esperanza que vai para o Manguinbo, mais robustos.
Iiberae3 durante osquatorzeannos.Captiveiro re-'tendo boa casa e muito fresca, com 6 quartos e 4 j^slas pi|id|0 exploraaa e ptirificaio toda
^TMWaWt ti o^4catabro Tcor |^SE*** Pr^ do um ;
'rente anno do 1864, furtarara do cercado do en- eriao, prefere-sa escraro.--------------------_^---- ,
genho Aldea, da freguezia do Rio lormeso um precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e
quario de carga do mesmo engenho, o qual engommar, para duas pessoas, preferese escrava :
rnce porritm, grande, castrado, nao 6 nevo, tem no na rua da Guia n. 8.
olh'o esquerdo urna belide, e pouco ou nada v Manuel Joaquin de Souza, l'oitugu'z, retira-
pelo dilo olho, leu um callo velho no espmnaco, gfi ra |>or[Uga|.
lunar em que tete urna bexiga, levou o topete cor-
(IP\
N80 ha iiecessidade mais ge- Udo rente; carrega baixo, e tem estampado no Alugam-se o se:und-..e terceuo andares ua
ral ern lodos os naizes do que a ladod.reito da anca o ferro do engenho cn huras rua da [roperalm n. Sj, com proporco. para iiu-
a1 -if m,P iM maiusculas como aqui se v A LD E A-. Adver- merosa familia tambera se aluga separado : a tra-
de um purgante que seja ao ^M qne s cataMosaasIni rerrados, nao sao tro- tar na taberna do mesmo._____________________,
mesmo tempo mnoceille, ellicaz caj0), nm vendidos, e os que torea encontrados Augusto Moreai', subdito francez, vai a Ma-1 cha.
e digno de toda a COnanca. som s#r servido do mesmo esgenho sao furia- w.
JLIENNE
rua Nova n. 8, loja do cha.
Krvilhos
franrexas a rua Nova u. 8, loja do cha.
COBIXTJffl
muito nova para [>udins: a rua Njva n. 8, loja di*
Joo Simoes Plmenta vai provincia da Pa-
rahiba, onde precisa demorar-se alguns dias. ,
Ramn Pias, subdito hespanhol, relira-se pa- j
ra Europa.__________________________________j
Precisa-se de costureiras de alfaiate ; na rua
da Penha n. 23, primelro andar____________^^
l'recisa-se de um cozinheiro escravo e paga-'
se bem agradando : na rua da Madre de Dos n.
36, primeiro andar, das 8 as 2 horas dajarde. gentes vegelaes mu fortes, sao bastante
Aluga so um sitio no lugar do" Camnho No- efficientes e activas para purificar os corpos
para en-
de roupa,
COMPEAS.
madas pelas pessoas mais iracas nisirador daajaeMe engenho on ao abaixo assigna- j
sem perico algum, nao tendo em do.proprieiwio de mesmo engenho. que reside na
sua x.mposio mercurio nem fftlStSA ttfc&SZ*
outro ingrediente nocivo a sau- aa ,j|va Santiago. _____
de, mas sendo composto de a-
&\J US) Un
Que bello artista!!!
""male l'recisa-se de urna ama para casa de ponra fa-
milia para comprar v cezinhar, pagase
tratar na rua do Oueimado n. 33 A, loja.
I Precisa-se alugaFuma ama nacional ou es-
trangeira que saiba coser e engommar : ua rua
, do Imperador n. 71, seguudo andar.
Ao neio diad.i-se bolos de vondagem : na
rua nova de Santa Rita n. 3, ^^_______
OSr. relojero CaeUao Moreira Pontea, queira; Precisa-se de urna ama para pouco scrv.e
neu reloio de ouro para algibeira na madasLarangeiras a. 24.
anooreceben para hmpa-lo.
Marcelino Jos Lopes.
Compra-M a historia naloral de Buffon rora
estampas: na praea da Ind<*i*u4eaefal n. 18 r 20.
Compra-se ouro e amia em obras veiba
daga-se bi-u: na luja de bil tes da pra^aoa lada
pendencia n. 22.
Couipia-se clTuiuvaineule
ouro e prala eui obras asaba* payaudo-se beai :
na rua larga do Rosario n. 2i. loja de^ourives__
Comprain-se doiis rser*M qin* srjain bons
carreiros : na rua do Trapiche n. ft.__________
Compra-se garrafas e botijas razias, na f.iLnca
Aluga-se urna boa casa na povoacao do Moa- de |icort,s a na da Crntes n'.
teiro eomcommodossutBcientes eno meiiior local.:
at li i da regencia livre, e o que actualmente cora boas larangeiras do umbigo
temos na lugar delles.Os representantes da na-; do ~
puedas provincias.Situagao administrativa.
fl que sao nolla os Purtuguczes. Como o gover-!os
a tratar na rua vitalidade
Jos Maria Machado, subdito portugue*, re-
no e ohr
a corromper o
m
sempre loafor mal.Come se multiplica e se paga | sentar(.
aelientella do governo para susteniar-se o impe-' amenl0
rio corcunda. -O procnsul.O procnsul da co '
a tratar com o sea proprletano Jos Mariano
Albuquerque, rua dolmnera'dor n. 12.
Saques sobre Portugal.
O abaixo as-signado, antorisado pelo
Banco Mercantil Portnense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa o Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma vis-
de Comprase ouro U prala. assim como r> mer-
ta-se tcxla qualidade de idji.i.- da atcsaai aanUda-
*j>! de com proiiiliilao : na loja il. paleo do Cariiw a.
.;rii 7, por prefo remnodo. ___________
fe i^ihras rsterilnas
|igj Corapram-se rm casa de J..lnstou Paler A C,
feg rua do Vigario n 3._________^____
Compra se ron*':ntriiieni parrlas < boti-
jas vasias: na rua Direita a. I", labnca de li-
ra cores.
Trapiche da Gamb>a
A moral publica. Dos rrimeS.As eleicoes.
Cnrollario da obra saquarema. O que a pa-
mai P01' ea-la imoerial de 2G
Perlgo e salvamento dos corcundas.A liga.-. (|p mai'CO lie 1 oo.5.
Como se congregam os elemenlos para ella.Con-1 Ste :antigo e importante estabelecimenlo, um
sideraees retrospectivas. A constiluinte.^ Prcpa- j dos mas ijem monlads desta corle, com vaMissi-
ros antecedentes. -Conciliacj) e jt>pposit;ae parla- m3s caxas ,)ara arrecadafao de assucares e ou-
inentar.Monta a liga.O que sao os liberaos na tr0s gneros narionaes ou estrangeiros todas cor-
i:,'a.Que bem farao os liberaes ao paiz.O pro-'
gresso-Seos feitos.O que o progresso e que
ar.Como se deve vi ver nesta torra echegada
ao progresso.Porque o progresso s vem com-
pletar nossas desgranas e sem mais remedio.Se
ha sahacao para nos qual seria o meio e bem fa-
cil. -Resuma A's cinco provincias pernambuca-
.is. [iistorieo e poltica corcunda.- Be queipro-'
vin a miseria.-Como se corrompe na eleicao.A
ri itriyo da liberdade apar do progresso daimmo-
ralidade.- Corollario.
Juan da Silva Ramos, medico pela l'ni ||
versidade de Coimbra, da consultas em
sua casa das 9 as 11 horas da nianhaa,
A leierlcla
1 jg$ deixados por esenpto.
g;, nao abandonando nunca o astado da>, >^
< molestias do interior, proseeue, com o 3?!

Compram-se atuaitis de ouro :
Recita n. iMj. arma :ll di
0 -t 2: co?1! SES53C ansreift 1
ios uma coi : ^ crinan,, de- ollios, parios, etc. C&
sangue, dando t pelle e aos olhos
amarehenta ; nao smenle dolorosa por!^|
si, pormeonduz aos mais serios solTrime-n >?\?:pM'&-.$ W^^i ^'MMMM
tos. ^'tDt-C'l'lI?*
Para cura-la toma-sc de i 8 pilulas tO-LM ta ou ns d,; ta, e a praso ; podendo, os que temaren)
saques a praso.receberem avista, no mes- -~3 (;adcia do
mo Raneo, descontando 4 0|0 ao anno: ua jj{ jiatheus.
loja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou
na rua do Imperador n. 63, segundo an- *
itir.Jos Joaquim da Costa Maia. Jfcj
B&"'S*fSSI3R Kf^"^.;^^!^ ~ Compra-se papel Diino, p.ij
na roa M
Perreira A
Compra se mu piano >rr endicolar r mn ra-
!ix cni bom uso : na ra Jo vitar) da R a-Vislx
"?5'.--'ira3Rr wttf&l ~ ^oiupi.i-.-e papi ". i-*-> a i-5 a ar-
P^lBfeiiUia S^.SJ:ltfe WWWfflial roba -. na loja de calculo, rua da liiipralrn n. M
Aluga-re nm sitio no w ripio da estrada ao p do becoo do< Ferreros
Nova, com excellento casa racticada
de novo, e
muitOS cuiiimsdos, coxeira, estriharia, poi; i d'agua
ue beber, baixa para capiui o alguin arvoredo de
a roa do Apollo
Comim-se nma mnbilia com .-nuc. mo, a
tambem 12 eadniras e 2 han lona*: qn annuncie ; e tambem duas uvgrinnas de 8 a I
--'-


das 4 as fifia tarde. Visita os duentes
, V :i snas casas regularmente as horas
para iss- designadas, salvo os casos ur- .J&.
gentes, que serio soccorridos em qual- ,t$:
, quer occasio. D consultas ao pobres JB
i ijueo procurarem no hospital Pedro II, S
sonde encontrado diariamente das 6 fSt
as 8 horas da manh H
Tem sua casa de sade regularmente 0:
ruada para rt-eebjr qualqnpc doente, BE
anda mesmo os alamados, para o que m
m commod'is aprojriados e nella pra- i^i
ica jual -
!
|ol!
Para a casa de sade.
Prime.ra clas-e 35000 diarios. f&-
Segunda dita.. 2300 M,
Terceira dita.... 2000 m
FMo estabelecimenlo j bemacred
lado pelos bous servicos que tem pros- isjS
O proprietario espora qne elle conti- ;i
,. a merecer a couBanca de que seiu- f
[M pre tem gozado.
actualmente pagara por
piches e dos semestres que se seguirem terao um
abalimenlo de 20 por cento ; recebe por precos
muito mdicos qualquer mercadoria coinprehendi-
da na stima tabella do regulamento das alfau-
degas.
A venda dos gneros nelle depositados, faz-se
com as mesmas vaotageos que olTerecem os mais
trapiches porque as condicoes para qualquer parte
da cdadesao pelo mesmo preco.
Rio de Janeiro, ide outiinro de 1864._________
O porluguez Albino Baplsla da
Rocha, relojoeiro e dotirador, na
prafa da Independencia n. 12, faz
qualquer concert de relogios edoii-
rados por preco mais barato do que
outro qualquer, e responsabelisa-
'.-e pilo seu iraballio : portanlo, es-
pera proteceo dos seos compatriotas.______^___
ravrav
Aluga-se o sitio dos Rurilys com o machinismo
de lavagejn de roupa, e tambem se vende o ma-
chinlsmc
volver ao sangue, com que circula d pois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz uma serie nnu-
meravel de males
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direccoes minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharrhacia franceza dcMau-
rer & C, rua Nova n. 1S.
AGENCIA CENTRAL
B llua Sri'a U5
u3o E9-:.3 A.\'B-:aiti^.
Vende-se em Pcrnambuco:
ua pharmacla francesa
?.ER &
n. 1, junto ao arco na
Loja do barateire!
ATTENqAO.

n. 63, segunda andar.
Prccisa-sv alugar nina preta que alba coa*
inbare engommar: na rua da Palma n. 41, ta-
berna._________________; i,*i -"Alucie uma boa casae sitio na estrada do \
Monleiro com a frente para o oilao da igroja, pro-
rio paYa qualquer estraugeiro por ser muito fres-
ca, tendo Ijons comraoJos, inelosiv nm bom soiao.
estando de novo toda concertada o piulada, leudo
ositio porto ile ferro, cncheira, estribarla, latrina,
cacimba cura himba de Japy : a tratar com Anto-
lo Jos- R-vIrig'Js de Siuia, na rua do Crespo
numero 13. ._______
Compra-se um esorato que lenha oi i., da
funileiro, outro que enteada de eoiiaba* na
rua do Livratnento o. 20. armazem.
, lli .
Aluga-se o sitio dos Burilis com o machinismo
da lavagem de ronpa. e lambem se vende o ina-
cbinismo s, ou permula-se por predios nesta pra-
ca ; em chaos propri.se tudoem bom estado : a bahllleir08 O f !US; .'Has ;i 1(760
tratar na rua do Rangel n. 4, loja de louca. m \ P"
30

ga-se a ca>a da rua do Tamtii n.
ua fie s. Tliereza 11 38.
*< ana Nova n '*-B
-- O abaixo assignado f../. sci -ut quem inte-
ressar, que comprou a Joaquina Maria do Espirito
Sanio cu s .' julho deste anoo a heranca que a
mesma possa vir arrecaar dos bens dcixadi'S por
sua bisavrj Damiana Maria da Encarnagao. falle-
cida em 18.'ii na provincia das Alagoa? ; cuja he-
ranca se acha em que-iao de revmdic o;fu com o-
herdeiros
COMPENDIO DOLOROSO
me cunleiB o officio de Nossa Senhora das
Dures; o modo de resar e offerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e do-voco ; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres missonarios apostlicos capu-
chinhos italianos de Pernamhuco, approva-
do por S. M. I-, que Deus guarde; dado
luz por devociio do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
la praca da Independencia
s, on o sitio com o dito machinismo, ou g
se permuta por predios nesta prac, suido em J
chaos pinprpis e em bom estado : a tratar na rua _
do Rangel n. 4, loja de louca. Efe' !'
tez
loca
:- iMM Irmaii'iadc de !l. *' 1I3 Gouceicli ees
Militares.
IV BuiMAiair--g.-xjryn^y | > s 8 =5. 3 a, 2. W 8 i :H\ 3 a < 0 V 0 1
1 f 1 i. | -1 0 i c '- 8 0 -i V B
S- s w P ^ c 0 0 0 -1 r t Z i i 1
1 0 w "> -i 0 ' 1
1
e ile outras cores
para meninos
Uma boa casa terrea para familia fn ricos corles de blonJe, dito; de inoreanli
est por aloga'r-se 8 rua da niao u. \ ^ qnp de diver-as eres, ditos de seda, as-
39 quem pretender dirija se rua; y sun como sedas de ores para se vende-
da Aurora n. 10. Tambem alagara- /? ren a covados, duas escorlas, cortes de
^ as loias n. 44, rua da Aurora "a venidos prelos bardados agulha, anal-
-----------r^2;-------:-----5;K AnntiSI w-nta um variado sorlimento de faz.en-
De.s.ja-se saberaonde mora a Sra. D. A.i-u ^ tf f p rnWM, na nlPSI|in casa fa-
Maria de Crvalln Pinto ano-ocio de seu inte- ^ UHV^ ,..,,,.", .manteletes, vestidos para
resse. : ^ noiva>, vi-tuarius para meninos se bap-
:'M gJ5S3 3S)H '&%&& f38'~-'-> '.'"'"'" i3 M liiar.-m e Indo miau! i nerlence ao loilel
RAPE' IMPERIAL, rujo iap fabricado igual ao
lab' ^ rap de l.i.-loi, e milito n.elhor por ser mais tooi-
;..j 1.1 .ta\ .'i h convencido o fabri-
De ordem de nosso irmao presidente, convido a fyg -.........Temae-a e nos VnliQcio. !IK ,',u^'u' !" mT '''"T' l ..'"'i^' $\ espcia.ei i.oi.hco que acha estabelecido na ni?
todos os irmaos desta irmandade a reunirem-se B lem agua e pos u.nnuuu. ^ jq para loto, charas redondos de pallada m |a-Zria! n. l)3-coai tabrica de rap denoioinad.
em nosse consistorio as 9 horas do da 27 do cor- y*' -^ ^^.'sj :j. .?*,.,.;.?[ '-- b B Italia amarella e de outras cores para ^
rente, para, em me.-a geral, eleger-se o novo pre- f.* "mW.'^:i'm^'si-iJ '''-'."ri- g srnhoras ditos
sidenie. para o anno de lS-'i, conforme os eslata-1
los. O secretario,
Luiz Jerunymo Ignacio dos Sanios.
Precisa-se de um relogia de ouro patente in-;
glez hora regulador : quem tiv r e quizer vender
por preco commodo dirija-se a rua da Cruz n. 43,
no Recite, primeiro andar.____________________ |
Caiexiro.
Precisa- e de um caix"'"-" de 14 a 16 annos que
tenha pratica de negocio, e,a fiador a sua conduc-
ta : na rua da Imperalriz n. 10, loja de calcado.
3

m
JSS
' 2
Precisa-se de uma engommadeira, preferindo-se
,..,pnva : na rua do Hospicio 11. 36._____________
Precisa-se de uma ama secca para tomar con-
ta de uma changa : na rua do Hospicio n. 36.
Cruz n .1.
AMA
Na rua da Moeda n. 5, segundo andar, precisa-
<,i de uma ama estrangeira, de idade, que cozinhe,
,.gomrae e lave, tude com pereicao e limpeza:
a tratar na referida casa, das 9 horas do da as 4
da tarde.____________________________________
Precisa-se de uma ama que saiba cozinhar
. t'e duas pessoas: na rua do Sebo n. 39.
GL1I
O baile aniversario desla sociedade le-
ra lugo- na noite do Io de dezembro pr-
ximo futuro. ___^_^_______
Jos Goncalves de Oliveira, Porluguez, natu-
ral de Avmtes, havendo outro de igual nome, de
hoje em diaute se assignar Jos Goncalves de Oli-
veira Castro._______________________________
Precisa-se de oAciaes de bableiro, aa roa __j_ Keh"er
das Cinco Ponas n. 76, e paga-se pela tabella aba- Martinho de Oliveira Borges, pa-1
xo declarada quem quizer dmja-se a mesma ca- JJ^JS,^ do ,m. Sr. Dr, jui,
[especial docommercio o segundo e ultime
: dividendo aos respectivos credores.
mmm mmm mMxm^
Ur. Francise I* i rea lathaUujB
Paridla
C^^aTihanQdeildadc de gg|^ Je -^-^-^toSe^n- I
seguros maritluio e ter-!?
restres esiafoelecida n
Rio de Janeiro.
AGENTES EM BUMBOCO
Antonio Luiz de Oliveira Aze\odo 4 C, 1 ,i,preSsoji em mulo bom papel e ntida ieipressao
I competentemente autorisados pela diree- Sg i qoatro diversas estampas da Senhora da Coeceicao
; toria da companhia de seguros Pidelida- m ornados de bella- viebetas, e esi.o venda na
de, tomam seguros de navios, mercado- ^ riia j,, Imperador a. 13, defronte de S. Francisco,
' rias e predios no seu escriptorio rua da Jg |;cm como o officio da mesma eiihora, lal como
icham-se
ntida
co e mimo mai
cante da supcriond.ie do seu rap, pi la experien-
cia de trila annos que tem deste genero, e dentis
o certificado junio para mais se.guranca dos com-
pradores o fanricante lira responsarel pelo bom
resultado do seu ra. garantindo ao mesmo lempo
o dinheiro do comprador que por acca-o nao gos-
lar (n qu-- positivamente nao 6 de esperar) e sendo
esle pri'Cinsii i.ip digno do preco de tres mil res
a libra porm como o principal desejo do fabrican- do o servico
le 'le ganhaf crdito em todo o imperio e lam-
bem para chamar altengo dos amantes da boa pi-
lada como tambem dos exportadores deste genero
tanto para o mato como para outras provincias, li-
mita .rnenle, u preco reduzide de mil ris por li-
bra a retalho e ciu'purgo de 40 libras a 900 tis
de 50 libras a 80O ris e em porr;ao
Vndese catitea m-ts |irn;tin*
ra batnleiroa o futileirt
rada un; wAn lYatgraahia,
-- Vende-se nm rava I Bao com boa
rbpuado agora de N'azarelh, a ver na rua du Sol
11. eocheira : a tralar na rua DirriU n. t^t.__
Veudj--e a rasa sita a rua Impt-rial n 6,
confronte a matriz nova, runstroida au goM mo-
derno, c in cornija, 2 .la-. ipiarlos, c iaha fo-
ra, cacimba e um pequeo quintal, en prrfeMo
estado e pintada de nove, pode -er 1 1
tratar na travessa da Madre de P^/s "- 12.
Libras csln linas.
Vende-se a quem as quizer comprar : ao tim-
zeni n. 33 da rua da Pian -e dii inem as turikt.
' Vendi-se nm terreno de mal u i na
caes do Caplbaribe, com 57 palmos v '.-. ni 2T-
-- fundo : a tratar 111 rua (Ja Imneralrii n. *
gundo andar. _____________
Para ,. fe ta
Caitas, atceme *.'wieiuari|ues
Gama & Silva receberam peh ultimo rapar Iraa)-
eaa nm grande e variado sirthiMiito de eap
lembariiues e os mai- mu .1111- rasaros *>
1 -i.fei-
iues
deoaplese nnbri-aa prla, s-idn nrarneule
lados: evendem por pnco- muito baral -. r
haver grande porc.no : na loj da Paria, mata
Imperalriz 60, de (jhi > >.\ S Iva.______
Vende-se nm boi, uma rinoca a um: carro
da alfandega, tudo promplo iwra trabatbarea '>
a tratar na Rua-Vista n. ;;.'
Vende-so
superior arinba de maodi< ca, 1 b .rdo dos l,r
escunas Principe, l> **** '' v"" *ua '' *
no caes do Rarao do Liviaim uto : a lraUr a ai 1 -
do ou no largo do Corpo Sanio n. 4. pnmeir an-
ua ,v Drllro.
en. poreao de SU imras aou res e em ,. ^ (crlptorio it ,>,,
de 100 libras a 800 ris e em porcao de 1000 libras u"-v .... .
com o descont de cinco por canto ou a tres inezes gjOUieilarla a
do prazo firiiin garantida assm o fabricante espera
a concurrencia dos senhores compradores em re-
o rezam os religiosos carmelitas.
" Aluga-se P<>r 165 mensaes a casa terrea n.
26 da roa do Forte : a tratar na thesouraria das
loteras na rua do Crespo n. 15.
dos auanaze
rua da linu a. 16
HoietS docorrenle baruca >-rapadas de pesse;
muuracio da boa pitada examinada, approrada e b, |M aSim presaaiw de hambre intetrfw er
libra.______________ ___________________
"p.cbiiiria.
P nles virados de mrt:>rii|!-> a 4.J a ."5. djifeaa j
afiaucado.
O fabricante franqtieia as amostras (grati-j no,
9-u rap tanto na fabrica come ambem no BOieo
l.posito rua Direita n. 14 taberna.
sa aue achara com quem tratar
Te BELLA.
1400
Qualidades das obras e precos.
Jogos de casco para malas de 25 poile-
gadas.........
Dilo para bahus de 3 palmos 1[2 a 2 1[2
pollepadas .' ... 1-3200
Encoramentos do jogo de malas 2^200
Moldura e encoramento feito pelo mes-
mo offleial.....
Encoramento de bahude 3 palmos 1|2 a
S i|2 pollegadas ...
Com a vista e brapeza da obra dar-sc-ba mais
alguma graiiflca^ao.____________________
~ Deseacaminho.
3*300
600
MEDICO OPERADOR
fELA
Faeuldade de l*aria
Podo ser procurado rua Nova n.
44, segundo andar.
CKr.TIFIC.ADO.
Certifico que submeltendo a tame a amostra
Ka ro estrella da Hosarit n. 34
Caixelro.
Ha rua de Apollo n. 4 se dir quem precisa de
-.ira meuino de 14 annos, e que esereva soffrivel-
ducate._____ ^_________________- '
- 0~subdUo porluguez Rodrigo Jos Lardoso i
de Farii* relira-se para Bio de Janeiro. /-j-Praaca, ou
- Precisa-se de uma ama para cozinhar e fem-
arar em uma casa de duas pessoas de &;
.. rua osireia doRosarion.il, segundo andar.
Mandndose buscar ante hontem por nm preto
ao collegio de Sr. Dr. Siena, na Tamar.ne.ra, um
hah de flandres contendo 4oJ em dinheiro. rou- i Jflft Aff/\||OA f|A A11)11-
pe jolas de brilhante e mais objectos propnos pa- | UVU^ttUU 11UU3U U A1UU
ra senhora, succedeu que at esta data nao se j nilPPlllft MellO.
soubesse mais noticia desse mesmo preto, pelo I qU.t3iqUC ILCIIU,
que se suppSe o dito bah fnnado : roga-se por- pode ser procurado a qualquer hora ; as sexus-
.Na praca da Independencia, loja de ourives ^rJ*?r^ita^dEa'fc.aabfcade a fabrica nao se
11. 33, cornprara-se obras de ouro n prala, e pedral
preciosas, as.-im corno se faz qualquer obra de en-
comnienda, e todo e qualquer concert.
Precisa-se~de~ um rapaszinho da 12 annos,! ,j0 rap denominado Imperial, que a presen ton a
mais ou menos, para uma loja de fazendas: 110 ef|, repartir o r Isaac Esoaty, fabricante resi-
cacs do Apollo n. 17._______________________'dente na rua Imperial, casa n. 193, declarou o pe-
Praeisa-aa abanar ama riada escrava ou li-' rito Borneado para ese fim, o *r. Pedro Maurer, |
vreTq^saina^comtirase cozinhar para duas^ue }"r^^ *^n^
pessoa
cinho de Minas ebegado reo atrmenla.
Vende-se um 1 criouia de 20 annos, rrculbnU
e de bonita Hgura, com babllid oles na rua d* Im
peratriz o. 22.___________________________
Attenciio.
Vende-se uma Uberna ; na rib .ira n. 23
na rua da Florentina o. 20.
Vende-se na loja de livros dos Sr*.
Ao meio dia~d-se bolis de vendsgem : na
rna nova de Santa Rita a. 3.
Alum-se.
to venda, aliento a que nenbum permeio nociso Gllmarie& Oliveira. a S rs, caila Bt.
"Kect'ra Va'slde publica, aos 5 de outubro'; piar, nm opsculo p litiro que acata ser
de 1864. nulilicado, com O titulo Males Presente*.
Dr. Ignacio Firmo Xavier,
Inspector da saide publica.
tanto < autoridades ou a outra qualquer pessoa 0 in$y porm, na nlla do Cabo.
a apprchensiio do mesnic-que yJ*S*"j* "irp^isa-se de um ofBcial de marcineiru e de
Aluga-se o 3* andar da casa da rna Direita n. 36 ijtn rapaz brasileiro com pratica de carxeiro
o qual tem rommodns para grande familia : a ira- olTercce-se para ser erapregado em loja de faxen
tar no 2* andar da mesma ou no Recite na rua da das, escriptorio, ou mitro qualquer aa|atMoeiaMa)<
Cadei* a. 3.
Asatear crysialisadt da fanrira
2 de Julho
- Aluga-ss nm prioi-irj anUr n-i roa da Pe-
irii.aaloja.propria para ne0'ocio : a iraiar do
p talo andar.
Escravo fgido.
Ponfo no da 2 de junho do correte anno o es-
cravo Joaquim, trocando o nome para Hanoet, en-
oulo, d* idade 20 anuos, com os signaos sigui-
les : alto, magro, cara meia redonda, cor lula,
rosto d j lado direito, a
m Itanf. in.
Aurora n. 58.
c po\ n mm
iija-se a ra aur
^t. e.il cas 1 S.". Tobas, m'.-lre drf ra l-ica
' O Sr. Trasealo ll.telh), clete di 7* bala-
fio de fiizileiro, tem un cariada inuortincia
wi-ili d* BibJa, ni ra* da Aurora n. 4i,
<: procurar.
- Dase 1:0005 a j'iros wbre Syi> ilhecaem
aiii'le casa nesta praca : na rua da? Crine! n. 7, se dir
quem d.
n. TI.
Jos Aaacleto tira mutto bem denles a Bajajaa
e aos adulto de ambos os sexos, rbwnlia liew os
dictes forados, em easa e fra dclla, a eananadnai
por escripto a ginb|wir har.
- Precisase alagar um molequc fe 10 l au-
no* dfl idaiV, que seja esperto para < quena monta : quera o tirer ple diri;.f ** a roa
Direita n. 45, loja.
Aluga-se a casa n. 16 na rua da ang'ueira :
&MIM*
Nj BBttt>.
(Haceos para aasaiear.
rceiro andar e solao na 1 Em casa de Bicutier a H an lis A 1
Alra-se uma casa terrea na rua da Alegra,
com soflrivcis commodos a p ir prero nJ1,^Da_,;a; |
lo, assim nomo nm 1
Fugiodopofer 4 ajatti assignado, morador ao EnronWinento : qnem os r^tender dwja-se a ^ Cadei n. 58
,n povoaco d-i Pilar, em iiaiaarae. no da 17 do rua da Cadei.i 11. 33, loja de Valle Porto a u------ m*$&&5'&,
con nt-ner, a sos escrava Maria, com os segain- __- A viu,.a l(i, (;j|liprmino A>- Alboquerque BJSISWWwSWi W
le.- signa'es : |.arda, Iffgeelra, de e.tatuia regular, Martjn< percra roga pessoa a quem seu fallec- ^ rheia do corpo, con cabellos carapinhos e denles ^ ^^ onimrnn nma Ifttm P*"* cobrar, que a
alwstaw. leiiffo fia b'sta una marca de ferida c ou- ".JJJUV o^VenhVinformar n roa da L'niao n. 50,
ira imB um dos j.eiUs : ruga-se a quem appreheu-, tefn ^ mosma ,rtra_
d t a dita asertiva o leva-la na mencu na ia una,
unoRecife, rua do Pilar, sobrad, n. 141, que |^_. --- f^ Ww da Prala nu
Precfsa-s'e de umcaxeiroque tenha alguma |
ser bem recompensado^
Joo d.- Lima Freir.
i mero 43.
k' iiechinch'
E' mais Batoja dttaataaiaal haratalra da rm
do Crespo n. 10. ven 1--sp |NatrMaai
azul fazpu-la Httoifaaa#ati fnu a i<-*'> l*-
/ici^*-.-" u--* hi .....v ;- 1 f.
a tralar na rua da Aurora n. 78 cora Dr. Gabriel, imero 10.
Precisa-se de urna aun para uma casa de
pouca familia : na travesa 1 i roa das Mores na-
Aluga-se uma ama qne .ailia hem cozinhar e M mnat,, t,r,.,-,> ,j^ tf n.-ova.lo.
toa conduela, preferindo-se: escrava : na rua ^-^^^^-Bj^-^BW^ISBS*
de
estrella do Rosario n. 3i, primeiro andar.
1ILE6VEL


Diarla te reruabae sexto letra 85 de Nmvembro de 18*4.
ra do Uumado n. 8
R RECEBEU:
fin?n eai"inhas do madeira envernisadas, coni
Unas perfumaras.
Ouiras de papellao de diversos lamanhos e igoal-
mentebouitas, lambcm com pe fumarias.
Linda restinhas de vidrocom dilas.
Caixinhas imitando tartaruga com ditas.
Ditas rom 6e 12 frasquiohos de cheiros.
Objectos para bnptisados.
A Aguia liranca, na ra do Queimado n. 8, aca-
ba de receber os seguintes objectos para baptisa-
dos:
Bonitos e bem bordades vestuarios de cam-
braia.
Ditos e modernos ehapozinhos de setim e toueas
bordadas e enditadas.
Sapatinhos de setim
dados.
Meias de seda e fio de Escocia
tadas.
Toueas
feitas.
e merino moito bem bor-
brancas c pin-
e sapatinhos de laa, obras muito bem
AO PUBLICO
Hem o nicaor coustran-
glmento se entregar o

tren cao
Importe do
nao agradar.
genero que
ATTENfao i RIHL SEM SE6HD0
HMLI1VH do Queimado ns. 49 t .v. u,iaa. _u.
Os precos da seguate
tabella para todos, p-
deoslo assiui servir de ba-
se para o ajuste de eentas
com os portadores.
Bonitas caixinhas
coin msica e sem el3 para costura, e
oulras rom rraujs para barba.
A Aguia Branca recebeu novamenle um bello
sortimento de bonitas caixinhas com msica e sem
ella para costura, e ontras com os arranjos neces-
sarios para barba ; assim, pois, quem comparecer
com dinheiro est habilitado a compra-Ios por pre-
co commodo : na ra do Queimado, loia da Aguia
Branca n. 8.
chromacome
para Ungir cabello
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
cebeu essa excellente tintura para cabello, cuio
em-ilo r:pido e proveitoso, vindo ella muuida de
esclarecimentos em porluguez, d'onde qualquer
pessoa pode bem conhecer o modo de applicar.
Com o rhromocome que serve para tingir, veio
tambem hydrocallitr.china, agua para Ungir cabel-
los, coloricomo para lustrar os d-los, eonyihro-
maniina para limpar as unhas, e callicomiphila,
pomada de que se pode usar sem receio de ofTen-
der ao cabello preparado. Os pretendentes acha-
rao preco raioavel.
Banlias finas
em copos, latas e soupeirinhas de vidro
opaco.
A Aguia Branca sempre cuidadosa em bem ser-
vir a sua boa freguezia, maudou vir e acaba de
receber na melhor occasjo os desejados copos e
as procuradas latas com banlias finas, assim como
urnas bonitas soupeirinhas de vidro opaco com
alegres uiscripces. as quaes dizem smenle res-
peito as senhoras, e rom tal acert que iienhuma
3ue as 'ir delxar de comprar e nao se enfadar
n l... n naul3._____*
O Vigilante est aleru, nao Ihe era permittido
denar passar desapercebido sem que nao dsse o
I seu canto, afim de annunciar ao respeitavel publi-
co o grande sortimento de galanteras do melhor
gosto propriamente para qualquer mimo que aca-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, Unto de sua ronta como de consignacao que
esta resolvido a vender por preces muito baratos
para vender muito e ganhar poueo, e dar extracao
o grande deposito que tem. que espera merecer
proteccao do respeitavel publico empregando pars
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
queua satisfeitos; islo s no Gallo Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Ricos porla-jgias.
Cofre de muito gosto por
Ceinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres coin camaphen.
Lindas cajxiuhas com pedras brancas.
Lindo balo com catangas dentro, tam-
bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas dilas.
Cosmorama ditas. .
Urnazinhas.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-
sos ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado, a 10,5, 12,5 e 15,8, ditos sem
'A!nPorem d mesmo gosl0' a 2*500> 3& 3^m
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 15300, 24, ,J500 e 3* o par;
so no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes ou cesliobas.
At quechegaram as desejadas cestinhas ou ca-
baze
HIJA A AI* El A 1IO REt'IFE JU. 33.
(Logo passando arco da Coneeieie)
rande redcelo de preeos, equivalente a dea por cento menos do que outro qualquer
annunclante. i -a
de Jos de Azevedo Maia ota nruBiuTa.
vendar muiu- barato, poi> ..,u" ^^TLl
da por todo pirco a vi>ta it)s rJlfl" "* "^
80dresa,C,es *" I qoatala*
am!.cora 4 a3 c',a?i *re,ro** *w
R<3So-e,apel''" ****
rnalas da liga e ^c utras muitas
5(.0 rs.
i C380uT **" P6Dna C<,m ^ lu':" &" koa
! Duza de boioes bran.o para M 4, HW^
ra a 100 rs. *-
I vara- gara*
ra
muito -uj.-i
qnalida4*s
Pecasdefiudec(.fvlrM.s fon,
luas a 3z0 rs.
O Expositor Porluguex para o m
a ler a SCO rs.
"tfTiiXsr*para o! "
CaVAha* d* doulr,Da enristaa, finas 1
ot\) rs.
Pentes finos
** a yttuut
op-ricr5
105000
182000
105000
105000
105000
165000
95000
65000
65000
65000
al inrormado (leste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao Droor
t5o somentc obler a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
.rao O. be. servios como seviessom pes.oa.meo.e, avendo para co mSSffSUSUS&T^J^SJSS^tS
bazes para meninas Iraxerem no braco, o mais rica
possivel a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais leques
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato preco de 85 e 105, chi-
. muito bonitos tambem, pelo barato preco de
de ler a mscripcao que tao merecidamente Ihe toca ** e 5. bentarallos muito bonitos,, tambem por ba-
e quem quizar ser bem servido dirigir-se a ra rato preco de 45 e 55, leques de charo tambem
do Queimado, luja da Aguia Branca n. 8. Pr 45, ludo sto para acabar, perdendo-<=e tai-
vez 80 por cento; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7. r
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, es mais lindos
que se pode desejar, assim como de arreparar ca-
bello, tanto de borracha como deiartaruga comen-
reites e sem elle para menina; so no Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abalimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 5(5o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
Deste genero 2,6oo rs.
dem preiohomeopathicoporserde superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat-
menta.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e O.oop rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maralo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Ja
BOECAS
que andam,que elwram,
que fallam, etc.
rs.
A Agoia Branca, na ra do Queimado n. 8, ani-
mada pelo apreco que a sua boa ireguezia sabe'
dar a essas boas novidades, mandn vir
de receber um extrao/dinario
e acaba
sortimento de boni-
Wft 5KS JSmC^.m^.&.vff'CreS
e ontras minias de diversas qnalidades como dan-
sarinas, soldados, aliradores, ele, e todas mu bem
vestidas; as concurrencia dos apreciadores do iom, cert que acharao precs razoaveise serio satisfactoria-
mente servidos urna vez que compaream munidos
de dinheiro.
BAHDS DE TARTARU-
GA PARA COSTURA.
A Aguia Branca na ra do Queimado n. 8, ven
de bomios batios cobertos de tartaruga e de diverj
sos tamaitos, mu propnos para costuras e joias
l'ara sryurar manguitos.
Tambem chegaram as lipuinlias estreilinhas de
borracha que as senhoras lauto precisan) para se
purar manguitos por ser muito commodo e muito
barato, a 320 o par: s no Vigilante, ra do yres-
Leqtifs.
-fUqiiissnnos leques de madreperola tanto para
iPUlioras como para meninas, pelo barato preco
t mus c aromticos pos de
arroz
Em bonitos vasos de pedra, porcellana dourada,
vidro e madeira, estes com o rmpeteme pincel e
vindo an mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem pralo muito fresco a 800 rs. a libra.
I dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latasj pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a Libra.
Prezonto do reino vindos de casa r acular
a 5fio rs. a libra, e a 5oo rs. intero
X^ chegado neste
dem hysson, huxim e perola mais proprio I "TarrobT 8 rS" Ibfa* 2,2
para negocio o l,6oo, I 800 e 2,ooo rs. a Painco e alpisla a I4o rs. a libra e 4 3oo
libra, garante-seser muito regu'ar, igual! rs. a arroba *
!09qZ8Vende emUlra Parle Pr 2>4oo1Massa de rnate em latas de 1 e 2 libras a
e z,uuu rs. goo rs. e de barril muito mnerinr a Hnn
Lingu.cas, chour.cas e paios em latas de 8' rs. a hbra superior a 5oo
libras ermeticamenle lacradas a 5,oe rs. Aletria, macarro e talharim a 4oo rs a li-
garante-se serem superiores aos que vem bra, e 9,ooo rs. a caixa
embarns. ... dem e talherim branco a 32o rs a lihra
*3W2Sfr,s!!ai| rPsa?srserem propriMenie
dem londrmos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito'
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas ftancezas em latas de I e meia libra
por i,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhoscom bonitas estampas na caixa
exteriora i,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 83o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
t'i'-a al
linha t-rarra i.-,raari-
r-
ngam-se de um e outro portador..
ios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim '',vros i"e f,ene P^a ajeniar roorar,
M lo preco de 160 rs. a
Capachos redondos muito fir.os a 500 r
tordao branco para esparl.lhn mnir. -uc^r.r >
vara a 20 rs. r~-"*'
Carritis com ISO iardas de linba
ris.
Candes com 200 jardas d
d- s a 60 ra.
Grosas de peonas de ac ftMiMM a ;cO
Vam de franja branca e de cores lana i
Ihas a 160 rs. '
Pai20 l btdeS dC PDDh- 0h nm ^rti^a a
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs
Ditos de barro com superior tinu a 100 r<
Grosas de botoes de louca pratead.i, mo.tofca,
Tesouras para costura operior qnalida^ a 9M
Escovas para limpar denles, superiores a 200 r<
Laixas com superiores ph-.sphoros dr ^furanri a
ou rs.
Caixas com 100 envelopes o melhor mi ha a M
res. ^
C^<22 2 1uadernos de P>P'I aaixaJe. mn.io
fino a HD rs.
Quadernos de papel peqneno mnit. lino a JO n.
s>
de I 5
n. 7.
-, r_. -------- preco
e I#; so no Vigilante, ra do Crespo
Pentes
fino excellente qua-
sem elle, em latas d.- potes de papellao, sendo todo
elle de superior qualidade e agradareis cheiros.
Eniquanlu ao prefo, nao se as>u>le o comprador,
compareca com dinheiro e ser bem servido na
1 >ja da Agina Branca, ra do Queimado n. 8, ende
tambem se vendem separadamente os pinceis.
<& tu reiras
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas necessarias para costura, as quaes
tem lionas de diversas qnalidades, retrae, lesoura
e oniros arranjos precisos, assim romo amostras de
bordados ou marca, etc., e tados a
modos.
precos com
A AGUIA BRANCA
vendendo relogios.
Como nao privativo a Aguia Branca tambem
esia vendendo muilo bons e bonitos relogios para
mesa e parede, |10r preeos commodos, por isso ron
vem a todos aproveilarem a orrai3o e proverem
se Orase objiclo sempre necessario em casa. Fie
porem reservado para os relojo. iros o concert qu
algumda qualquer dilles venha a precisar, poi
que Isso nao rhega para o bico da Aguia Branca
da ra do Qnrimado n. 8.
Cabriole! americano.
Vendc-se um cahriolet amenca-io de 4 rodas
com dous assenlos, em perfeiio estado : quem o
pretender, dirija.se a cochera da ra do Impera-
dorqae perteneeu ao_Sr. Malvelra.
Superior uva muscatel.
Veode-ee na ruado Imperador n. 14, esquina
da travessa do Ouvidor.uva branca muscatel mui-
to superior.
~Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris :
no armazem de Manoel Teixeir Bastos, rna do
Trapiche n. 13, por preco razoave!.
Fabrica de licores.
A rna das Cruzes n. se.
Vende se excelentes doces de tortas as qualida-
de s em porgues a vontade do freguez.
3 e 80; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Canelas.
Bqussimas canelas de madreperola propras
?-"J"al!,er fenol, pelo baratissimo preco de
l*o00 e 25-
Sapatinbos e meias de seda.
Biquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
tenados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nbas e louquinhas para as cnancinhas se baptiza-
rem; so no Vigilante, na do Crespo n. 7.
Vollinbas.
Lindas voltinhas de petlas falsas com cruzinhas
lingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato preco do i e 15200, as
cruzes avuls asa 100 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Golinbas.
Riquissmas golinhas e manguitos, o melhor cos-
to possivel, a* 2*500 e3*;s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeilcs para senhora.
Biquosissim enteites com iaco e sem laco e de
outros.muitos gostos a 1,5, 1^500 e 3 : s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Trancrlins.
Lindos lrancelins de cabello para relnpis ou la-'
netas, pelo baratissimo preco de i&M), ditos de
retroz a 200 rs.
Baliadinhos entremeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
deseohos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 1*200, 15o00, 2* e 3*; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Gascarrilbas.
Grande sertimento decascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
pras para enreitcs; s no Vigilante, ra do Cres-
Fitas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e quahdades, por precos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas propras para rin-
teiros que se poe vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 2*; s no Vigilante, ra do Crespo
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qnalidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos rom moldura dourada
sem ella de 8*, 10*, 12* e 14* assim como com
columnas de differentes lamanhos a 2* 3*, 4* S*
P Bl I su nn Vii.l-ir,!.. .. J. i-________m
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Ghonilate francez, suisso e hespanol a 9oo
1,000 e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo G libras
por 4,ooo rs.,garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
idade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45 ooo rs
VinhodeppaPorto, Figueira.'eLisboaa32o, CeSeTb^"
4oo eooo rs. a garrafa, emeanada a 2,ooo,'
3,ooo e 3,8oo rs.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5r>o a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a IGo rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolhado mesmo a 5oo rs.
Mostarda inglea dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Vm Desrobrimento Espantow!
0 Muudo Sricntifirt ana
aimaocalr aparea
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a i.ooors. e II,ooo a duzia-
Palitos para dentes a 14o e Itors. o mago-
Sal refinado em (rasco de vidro com rolha do
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a G8o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
rem ao mercado como sejam Lagrimas do
Dnurn, Duque do Porto, DuqueGenuino,
p. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetona em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
io.nno rs. e a 9oo e I,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
fat^SSks^Sf6' VeZ,g em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
ir.nl;^ n i .? e ,'no rs- ca,,a ,,ma- cad0 a 2>80 rs- barrica, e 24o rs a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-1 libra.
fi*LTVlZT*L* nosso. mercado a'Bolachinha de soda em latas com diversas
0,000, 7,ooo e 8 ooo rs. a caixa, garante- qualidades a l,3oo rs.
a^aahT^l^Trr' qU0 0,,trolBol francez em caixinhas muito proprias
eSSaI u np 1 ender poreste Pre?-1 Para mimoa 6*ors.
ico f! ffifijl 56 FS- fraSC0' ePaSSaS muit0 novasde camada a 4no rs- a
dem 2 taifSf- .. Iibra e G'ono rs- a caixa >n>2a libras-
dem de lai ama verdadera de Aliona em Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frasco, e
frascos grandes a l .ooo rs. o
H.ooors. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a lihra.
Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
eja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca milito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiaedas
mais acreditadas marcas conducidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,ooo, 8,000,
3,ooo e 3,8oo a caixa de, loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da guiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixes a 6oo*s.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
lihra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,ono rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banda de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas ftancezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos.com cento etantas porl,2oors.
Malte excellente cua para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Vende-se um em3o erande para deposito de e 6*' s no V|P''ante, ra do Crespa n. 7.
eros, proprio para refinaco ou nadara : na I Lindos jarros e fiauras.
gneros
ra Imperial n. 49.
Vem1e-se urna escrava crioula com urna cria
de 2 annos, com todas as habilidades perfeitas : no
pateo do Toreo n. 141.
Vende-se por preco muito commodo nm
pardo de 13 annos de idade: a tratar na ra da
adre daPeos armazem jun.o a igreja.
Vende-se gomma nova a 100 rs. a libra e 3* a sueca : na ra das
Cruzes n. 24, esquina da travessa do Ouvidor.
Farlnlm de mandioca.
a 5*000 o sacco.
A melhor que existe no mercado, bordo do pa-
tacho utyssrs, drmate do trapiche dobarodo Li-
vramento pelo barato prego cima mencionado,
sen.to s^m o sarco, e em prgaos* far alguma
diilerenca; na ra da Madre de Dos n. 8 e 9.
Vende-se um "cahrolrt"nlez~conr"asseto
para duas e quatro pessoas, e com arn-ios comple-
tos para nm avallo, tndo em bom e>lado : para
ver e tratar na rocheira da ra do Imperador n.
23, ou na ra do Apollo n. 28.
4tt6'$d0.
Vende-se na ra da Senzala ora n. 39 a boa
massella e os bons tamancos do Porto.
jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto qoeaqui
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7. r
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroi
cousa de muito goslo a 1*500 e 2*. assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespe n. 7.
PrrfHmirias.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como ile lindos copos oo vasos com dis-
tinctvos e nfferecimentns as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de l'aris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de hanha japoneza
a 2* e a 1*, assim como outros objectos que nao e
possivel por boje anonciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Albitas
para 20 at 200 retratos, muilo bons e por menos
prego que em outra qualquer parle: na ra do
Crespo n. 4.
Vendem-se mnit bons pomhos de raga : a
tratar na ra do Aragao da B>a-Vhta, casa n. 7,
das 7 horas da maoha as 9,e das 2 da tarde as 4.
AGENCIA
AGENCIA LW-MOCB.
Ruada Senxalla ora n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiai
uiuendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
lamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar rovipa: em casa de S. P. Johnston & C.
rna da Senzalla Nova n. 42.
fabrica Conceicao da i
Bahia.
Andrade Reg, recehem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodo d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aiKodo empluma etc., etc.,
Spelo prego mais razoavel.
mmmmm mm mmmmi
Roa da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston & C,
sellins e siJhSes ingtezes, candieiros e cast-!
gaes bronzeados, lonas inglezas, tio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relugios de
ouro patente inglez.
UMA GRANDE LIQIDACAO
Excellentlftsimas senhoras
A loja da rna do Crespo a. 17, de Jos Gomes Villar.
sURrv^eU,d SQa encommenda vindo dc Paris> as melhores fazendas que tem vindo
A rmposirao \uarabiita
IVitoral 4f kmp.
Tor espaco dc muito tempo h nuiii *.
tensamente em Tainjujo para a ::
tsica nmi
CATARB.no, ASTHIA,
HMWkiTE, TOSiE COI?lSA
CEOPO O GAMOTUJO. e
Inflamma^es da Garganta e do Pelt
c isto com un n ....... '.... taedbir
mamita awoinbnwu fim u -rliiadr^
arrore qaa so ciicontra no Maaieet
A Composi9o Anacahuia Peito-
ral de Kemp i wm lawpi riUm* int^i-
ramentc difiVrentc na -na eompori* Jc
t.xlos os mais Peitoraes < Etp.-. tonurte* m*-
.ufactnrados .le fnietos axtrngent^s. rwaa
e raizes, A-c. o ni.m n:,o conten m-nhiir.i
Ad* Prtuto ou ontr.w quaeaqix-r in-^r. -
dientes venenosos.
Todas as molestias c affoc^oes la garantji
o do pulmocs desapparecem como fm ntr.
mgico encanto, mediante a acc.io late i
'mj.aravel e irreitivel remedio.
venda as boticas de Caors & Bart -
rna da Cruz, e Joo da C. Bravo C.
da Madre de Dos.
como do
grs pre-
P0T4SSA
Vende-se potassa em barris a commodo preco o <
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseripton: v.^
de Antonio de Alroeida Gomes.
Attenoao.
Milho, srecos grandes, perfeitamente mul-
to bom a..........
Familia de mandioca a melhor do mer-
, ...........34500
Arroz de casca.........3*500
Ra da Madre de Dos ns. 5 e 9.
4000
para wm Si!''1** complelan,ente PreParados cora capella e flores etc., etc. proprios
mrf,c 9r,es de mcreantiqoe para noiva, mants e rapellas proprias para noiva, baloes de
n U-\ qual!"ades lra wnhoras, ricos cortes de seda preta de cores e morean.ique pre*
lo, gros.lenaples preta e de cores, camisas de rambraia bordadas para senhora*
Chapeos de palha para senhora assim como para menina o que tem vindo de mo-
S&S& SSaBSSTTde homem'cas5as de ,res-r8rndys de ,indas cefr'
Capas pretas de gorgurao imporlanlissimas, snutembarque* pretos. assim
coros o melhor,_rasa. oes, pelerinas, pHlives etc., etc., casaveques cempridos de
tos e de gorgurao, fazendas imporlantissimas.
Novo gosto
Chales de renda pretos o mais moderno presentemente a 15* e 20*.
A elles antes que se acabem, fazendas de todas as quahdades proprias para senhoras
1 apwes para forrar salas a 2i500 o covado com seis palmos de largura.
Ruaras de muito boa qualidade para forrar salas.
7849$ 1119 ooiiqnd o d souoquas srnuxff itiofojo.ij
QYvaiion awwto viva
Motores e prensa de algodo. Esteiras pira fbrrar salas.
Vende-se urna prensa para enfardar e um motor rv,-,
Kua da seuz:Ula M i. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas dt
ferro coado libra a 110 rs., dem de Lo
Moor libra afaOrs._______
Machmas de vapor e pa-
ra descarocar algodo.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
de cairoca com manga* e
eixos de patente.
Kua do Brum n. 38, fundi-
CAo do Bowman.
LiperimeuUi e aSSE a rcali-
fa^f.
< :irm% e rarroea*.
Vendem-se dons rarr.x proprio para eoadapo
de assucar ou outro qualquer trom, sa mi
de meia volla, e tres carrocas, iurhad.i por boi e duas p. r .rallo, mdem boa
eslado e por preco commodo ; a tratar aa ra do
S-bo n 5*, laherna.
Vende-se um peqneno escaler com
todos os mais arranjo% mnilo beta fee bMMi
muito barato : quem n qoizer procure aa ra
Cruz n. 57, primeiro an4ar.
Fabrica de espiritos
Raa Dirntaa. 17
Na fabrica d>* espiritos da ra Direita a. 17 w
' de-se espirito de vinho de graduaba*
rej
Caixoes ae tolha de (landres a 500 rs.
ra da Cruz n. 6, armazem.
a
para mover machinas para descarocar algodo, do
meihur systema em uso n<* Estados-Unidos da
America : a ver e tratar, na fabrica da travessa do
Carioca n. 2, caes do Ramos. Na mesma casa se
es|>era a cada momento por nm navio chegar,
alguns motores inglezes para um e dous cavallos,
de um trabalho muito maneiro e simples, que se
vendo por um preco muilo mdico.
palmos de largura e muito superior qua- res de loda* a* qualida*"*, Bno roo,
lidade, veude-se mais barato do que em outra qual- de cabera, reino, aniz, genehra, e fmefcra
quer parte : em casa de Valle Porto i, C.
da Cadeia n. 33, Recife.
Da rua ranjn, ludo por mcuos do que em outra
parte. ______
Bixas de Haraburgo
Vendem-se na rua Nova n. 61.
Fnlhn de. r'landres.
Vende-se na fabrica da lrave>sa do Cariora J,
caes do Ramos, superior folha de Flaadre- : a ver
e tratar, na mesma fabrb.
MUTILADO


Diario de Pernambuco Sexta felra 35 de Vovembro de 1804.
RUA 1IO Q020IAI30 IV. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
NOV1DABE
mi nn.l/nrpinpLvi^tkZSZiiS** M rua do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commer-
n.S serio Sffi1SilSE"1 MT Um Comp,eto "'nenio dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
rS e boaaaa^dda dos K2S ST S?^ COm resPeilavel Publico vera Pela labe,la abaixo ^ioncda i guante-s obom.
peso e Doa quaitoaue dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do MaranhSo, India e Java a 60 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 25600 e 50OO
a arroba.
Amelias francezas em latas e em frascos a
ISOO e 1,51600, e em frascos grandes a
dem em caixinbas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a IfiiOD.mO, 10600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 10600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a6l0 rs, a garrafa.
Aramia verdadeira de malarana a 320 rs. a
libra.
Avellaas muite grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030) rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a Uta.
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banlia de poico refinada a 4i0 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
2500, 20800 e 33000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerve.a preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 300 rs. a garrafa
e 33800 a duzia.
Cognac inglez fino a 90^ rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72<" rs.
dem, s de azeitonas, a 730 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especi tmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
230 i, 20200, 20500, 20800, 30000 e
%S500 a c.iixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartdes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra,
Grande liquidacode blindas de todas
as qualidades para se apurar dinbcijo, vende
se baraiisMuio naloja e armaiem da Arar, rua
da Impcralrit n. 50, de Lourenco Pereira Men-
es (uiniarai-s.
AO BARATEIRO DA AtlAHA.
veudese curtes de chitas do cores Oas com 10
covados. a 24400 e 35200, corles de cambraia de
salpicos a 2S00, 3U00 4,8000 para acabar : na
rua da Imperatriz n. 36, loja da Arara.
A Arara Tende cassas a 240 rs.
X*nde"se MSSM para Vestidos a 240, 320, 3G0,
e 400 o corado, organdys de lindos gosios para
vestidos a 320, 360 c 100 rs. o corado : na rua da
Imperatriz n. 36.
Corles de laa a Mara Fia a 80, 120, 110 e 160.
Vende-se curies de 15a com barra, os propria-
i mente a Maria l>ia a 8*. 12*, 14* e 16*000, ditos
I sem barra a ij*000 : na rua da Imperatriz, loja da
Arara n. 56, de Mendos (taimarles.
A Arara vende alpaca para vestidos de sennori a
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
tidos de senhora a 360 rs. o corado, laazi-
nhas para vestidos de senhora a 320, 360, 400, e
300 rs. : na rua da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
As colchas da Arara de 20.
Vendem-se colchas de damasco para cama a 4*
. vuucui-so mii-nas ue aamasco para cama a #,
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220 d,Us dc cni'aa 24000 : na rua da imperatriz nu-
Painco a 200 rs. a libra. | rs. a libra. Iraero,5,6-
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra. vAh "1 5*rle? d*. c?'cas a ?&S?* ..
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata. JKSSSS f 3JS0 eQS *rua da'
muito novo a 640 rs. j dem seccas muito novas a 200 rs. a libra. Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinbas! Latinhas da Arara a 210 rs.
dem prato. r, n',n i a~ i-----u.
dem londrino chegado no ultimo vapor
AS ARMAS
|0 GRITO DA GUERRA JA'SE FEZ 011SR.'
LA VAI SIOJflKA
SEIS
o
..mi.rnr na matm m 6-iu 10.
Vendem-se laazmhas tiara vestidos a 320, 900.
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cada um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 60 i
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velno de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, D00 e
10000 a garrafa, e ero caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
de oito libras e canastrinbas de 1 arroba a ,
14800 tUXKOO f> 28fl ra i Ihr ,u0' e o0 rs;> )l,as U*** de todas as cores a 600,
r,-nha /ln VI ^nh-f, IV ,-u d,taS 3 P<* 640 TS. O COVadO U3 TU3 da
Farinha do Maranhao a IbO rs. a libra. Imperatriz n. 56, loja da Arara.
dem de trigo a 120 rs. a libra. A Arara vende um completo sortimenlo de roopa
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD feita.
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.: Vendem-se roupas feitas a saber : calcas de
dem em garraoes de 3 e 5 galoes a 50500 nm de cres a 2*e 2*50O, ditas brancas de ai-
e 70500 cada um cm o earrafao ,80d *.**> ''"^ linh0 a 3*500 e 4000'co,le-
riVjmT 7i. Vitnn j ,eide rres de b"m a ^600 e 25, ditos brancos
Oraixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia. a 24500, de eaaemira a 35 e 44, calcas de casemi-
Ltcores muito finos a 700 rs. a garrafa. ja a 54,64 e 74000, paletots d^ casemir* a 54000,
dem, qualidade especial em garrafas muito .L'SLi,"05 Ketos e de cores a 64, 75, 84. 104 e
imndes a lAftOO a oarrah 2*000, paletftts de alpaka preta a 34 e 35500, di-
hlZ, S mlg I o,n !,os de al"aka de cordao a'Paka b^ca i 45500,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. ditos de br.m de linho brancos tinos a 54000, se-
Idem, em garrafa forma de pera e rolhas de roulas a 14280, ditas francezas a 156C0 e 24000,
vidro, a 10000, s a garrafa vale O di- camisas francezas a 25 e 25500, ditas de linho in-
rjlieiro. glezas a 35000 : e ouiras muitas roupas feitas que
Yi-mff.;, ;nr.in-,n nf,;f..i nf ,se torna enfadonho mencionar, que vistado com-
Mantetga ingleza perfeitamenle flor, desem- prador ^e dir o preco, por isso rogase aos com-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da '
de segunda qualidade a 800 rs.
ALBA
m W^AaVIfc
dem francez muito nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700! 800 fs.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 705O rs. dem regular a 500 rs.
a duzia. Macas finas para sopa: estrellinha, pevide.
IdemMorgauxeChaleauluminide 185 i, a 10 rodiuha e. aletria a 600 rs. a libra e a 40
agarrafa. a caixinhacom 12 libras,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa. I Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Peixt em latas preparado pela primeira arte
102OOrs. a caada. de cozinha a 10 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 108OOrs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porces como
reta II io-
Qucm comprar de 1000000 para cima te-
r o abale de 5 por cenlo.
Paliios de (lentes a 160 rs. o maco.
dem de (lentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
oce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixao a 640 rs.
Palitos do gaz a 20200 a groza.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
IIEPATEKT
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
DE
MOTOS E ESCOIiHIDOS GEMEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RGTALIIO
60 ItUl NOVAGO
5 !!u;i casa juato a ponte da Roa Vista.
DUAS PALAVRAS.
Ccsse tudo quanto a antiga mufa canta
Que outro valor mais alto se alevanta.t
Acha-se a disposi(3o do respcitavel publico este grande e magnifico estabeleci-
mento de molhados, talvez o primeiro e nico boje existente em sua especialidade, por-
que o maior capricho de mos dadas com mais apurado gosto de 'abrir um cstabeleci-
mento modelo promoverara a escoltia dos mais superiores gene, do nosso mercado,
que por serern comprados em grande quantidade c pagos qttasi todos a diuheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
dignarem de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanza de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes, como pela pratica da proraessa que fazemos de vender polos pre.os quasi do pri-
meiro costo o nosso magnifico sortimenlo.
Pesando muito era nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharo
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e qoelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o n'eces-
sario, promeitemos-lnes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu conteni.
O real do pobre ser recebido com t5o boa vontade, como a moeda de ouro do
homem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer sejajiara com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa qualidade dos
objectos, como pela Qdelidade dos pre;os, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
ra
trabalhur nio para
descarova* aigodo
^. PADRICADAS
iWlant Brothers & C.
OLDAN
Estas machinas
|K)denidescaroQai
qoalqaer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
otrabalho; pode
descarocar urna
arroba de algo-
dio em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaos, que descarocain 18 arrobas de algodao
tropo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis dcstas machinas
mencionadas ; para o quo conviiia-se ao Sr
agricultores a virem ver e examnalo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
Saundcrs Brolhers & C.
X. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Jiradores o favor de vir ver na bem couhecida loja
da Arara, rua da Imperatriz n. 56, de Lourenco
Pereira Mendes GuimarSes.
A Arara vende asperalas loOO e 560rs.
Vende-se percalas de cores finas para vestidos
a 500 e 560 rs. o covado.
A Arara vende liras bordadas para enfeitar vesti-
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas para enfeitar vestidos
brancos a 15200 e 15400 a pega, musselina bran-
ca fina a 400 e 500 rs o covado : na rua da Im-
peratriz n. 56, loja da Arara.
Ao barateiro da Arara a 20500.
Vende-se baldes americanos de 15, 20, 25 e 30
arcos a 25500, 35, 35500 e 45000.
Vende-se golinhas para senhoras a 240, 320, 400
e 500 rs., camisinhas para ditas a 15,25, 35 e 45,
na rua da Imperatriz, armazem da Arara, n. 56.
A Arara vende niadapolo enfestado a 10.
Vende-se pecas de madapolao enfestado com do-
ze jardas a 45000, pecas de dito de 24 jardas, das
marcas sepnintes : n. 30 a 65000, n. 250 a 65500
e 75, n. 2 85, n. 5 85500, $15.95. n. PF a 105500,
n. ZZZ a 125, R a 115000 a pesa, algodao a peca
de 20 jardas a 55 e 65000, dito carne de vacca a
65500, dito domestico a 75, dito slcupira a SU, dih<
pao ferro a 95 a pega : na rua da Imperatriz, loja
da Arara n. 56.
Kramanle de linho a 203 0 a vara.
Vende-.-e bramante de linho a 25500 a vara, pan-
no de linho para leLCes a 640 rs. a vara : na rua
da Imperatriz loja da Arara n. 56.
A Arara vende casemiras linas a 50.
Vendem-se cortes de casemiras para caigas a 5'5
5*000, 65 e 75000 o corte : na rua da Imperatriz,
lifb da Arara n. 06. as&r.
A Arara reeebeu um completo sorliuieBlo de capas
e soulbembarques
que vende baralissimo, a saber : southembarque
de alpaca branca enfeitados muito de posto a 125.
,ditos delaazinhas decores a 85, 105e 125000.
(capas de grosdenaple preto a 205, 255, 305 e 355
souteinbaiques pretos de grosdenaple a 205, 255
e 305OOO : s na loja e armazem da Arara, rua
da Imperatriz n. 56.
Casemiras para capas a 30 o covado.
Vendem-se casemiras lisas proprias para capas
de senhoras a 35 o covado, l.iazinhas lisas para o
mesmo lim a 600 rs. o covado : na rua da Impera-
triz n. 56.
A Arara vende lencos de seda a 10 e 800.
Vendse lencos do seda de urna s cor a 800
rs., ditos finos de cor a 15, colarinhos baratos a
600 rs. a duzia : s na loja da Arara, rua da Im-
peratriz n. 56.
Ao baraleiro do bairro da Ba-Visla.
Vendem-se chitas escuras e claras de cres fixas
JJO J 280 rs. o covado, chitas francezas finas a
320, 360, 400 e 500 rs. o covado, porm assepu-
ram-se as qualidades e 1 ores : e muitas otitras fa-
zendas quo se vende barato, Uto smente vista
dos fieguezes. Assim ebeguem frecuezes, porque
s se vnde assim barato porque est a festa na
porta, e a loja da Arara da rua da Imperatriz n.
56, pode bem servir aos freguezes do bom e Da-
nto.
r>ci
S
4
3
O assumpto importantissimo.
5 O assumpto importantissimo.
W O assumpto importantissimo.
Ninguom interrompa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o sibncio em todas as columnas.
Nao se admitir coikte>ta(il
Nao so iiliniltc ronlestafSa
Nao se admilto conteata^ao
Os apoiadi.s sao prohibI v
Os apoiados sao pronibid >.
ADVERTENCIA.
i
Antes de entrar na materia o nconsavo
i-, ..... -"" 111.1n.1irt <> iiiLinisavci Hai.iza ik.o ix'mI.' preacriulir ih '
ftlazer osen signal de horraras doiradas coras e mal Hilas mitras dos dfsos l
^apostlos do progresso, inimigos do povo e chupadores do sangue da buaam- '
a 3-cj a c 0 ^. g>s o a 5"
b-b ; 9-3 =
w s
O.
CAVACO NECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominaco de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ninguem.
O neme urna voz com que se d5o a conhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicado que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem n3o seguir o partido desse systema diremos mais:
Nao criun lo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nos>-.-i Liga.
Na soberna e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
1em da L,ia. O acaso nos fez deparar com a narra cao desse acontecimenlo, que tan-
to sorpre'iendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-
mamente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oitao do nosso estabelecimento, temos assim feito distinguMo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
_____iiouni golt qni mal y-pense.
Vende-se um eomomptro martimo inglez do
melhor fabricante Charly Frodshao. aBancando o
seu reguiamento, por diminuto p-ego : a tratar
na rua Nova 0. 21, loja de Francisco Jos Ger-
mano.
GAZ GAZ GAZ _v_,_______________
Vende-se gaz da melhor qualidade a Vfn,des.e on> obrado de dona andares b<*m
124 a lata nm mnl> >h pm An im cons,'r,'a,lo. sil" rua do Padre Floriano n. II,
2L tll 55L2. m %d,aci% SL^PWprios : a tratar na rua das
perador 0. 16 e rua do Trapiche Novo n. 9 Qoeo Pomas n.71
trmKkQ
Vende-se superior rlnho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Paterdc C, rua
do A'gario n. 3.
BiVAL SEM SEGUNDO.
ltua do yueimado ns. 49 e 55 loja do Barateiro
ranhecido j como tal, est dispondo da fazenda
por tolo o preco para apurar diuheiro, quem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o tenate '
Baralhos de cartas para voltarete muito
finas a............................
Miadas de linha froxa para bordar a..
Pares de sapatos de tranca de todos os
lamanhus e finos a...................
Massos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de ara preta muito superior a...
Frascos de superior macaca oleo a___
Ditos de dito perola a.................
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.......................
Ditos debanha muito fina.......!!!!!
Ditos de cheiros muito linos para o preco
a ris........................ "
Sabnnetes de todas as qualidades a''rV.
160, e............................
Novellos de linha com 400jardas a..'.'..'.'
Carriteis de linha de cres cura 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pecas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de suoerinres cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris..............................
Varas de bicos francezes, superiores a...
Opiata para denles da melhor que ha a..
Frascos de agua para denles, superior a
tudo a............................
Pegas de tranca preta liza muitn fina a..
Canas com 4 papis deagulhas Victoria a
Varas de fila preta rom colxetes a......
Libras de la sorlida de todas as cres a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de obreias de ma ssamnlo novas a
Varas de franja .branca e deires para
toalhasa.........................
Frascos de oleo Philncomescnpenor a...
Ditos com snpennr tinta a320 e.........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espartilho a...........
Duzias de botes encarnados para vesti-
dos a.......... w.................. J00
208
20
1*500
30
200
100
100
200
500
400
640
600
400
80
60
30
240
200
400
40
1*000
1*000
60
200
40
6*500
160
40
fi
cffra
rs cj 3 v.
yi v> O
m 0 m e? a T
v> S.
crp.
=. as
3 CJ
-/- -
V.
* D> K $
o > -
5 * w a "
o n,a
"5 -1 < B
.^
S u o
_ o ce _
BB O
p 2. a ?-o u
* "S $ 3 2 o
r.
O
3^2. erg
a
ai

isJi
oKt;m do da.
o

ce
= M E. o
o a, a> *- cp
I 8 o
n Cckj
O M ,
M 2 <
M !*3 (S
~ O -
o) S-S^
Vi M
e VJ
S a ti
5 =a.
W 6 O
1
B
I
a.
2.
-2
Z o
o a,
& ^ >
& 3 2 r
? s
u 5 Ir s; w c
3

-i
O
2
h
"3 CD
O) -J
-> 3
3 =r
Q.
2
&3
U

i
600
00
800
60
Vinhos gemimos.
Chamamos a ltenlo dos amadores do bom vi-
nho puro, para um deposito de diversas qualidades
d vinho superior, mandado vir por enco emenda
das propnas localidades e com recommendacao es-
1 ecial, cujo deposito se arha estabelerido na rua
ra Croz n. 36, em frente do becco da Jingoeta.
Vinho lilo da El re madura puro, anco-
reta de 3 cariadas......12*000
Dito de dita dito ancoreta dc 9 ranadas 28*000
Dito do Lavradio, ancoreta de 3 li2 ca-
cadas .........- 15*000
Dito branco de Bucellas, ancoreta de 4
1|2 caadas.........20*000
Dito de Carcavellos. ancoreta de 3 ca-
adas ..........15*000
niiHMih
Grosdenaple de cor a 1*200 o covado, na rna do
Queimado n. 43, esquina que volta para a Congre-
gacao.
A dctestavel sede de oiro tem obseccado seus coraco-s de vampiro-:
Querem fazer fortuna ccm a rapidez do roriscono abem ler
esperar.
Sao os perfeitos unos da eivilisaco.
Malditos sejam elles-j que nao possivel ao Bauza poi-ll.es as auras >
pa caneca os bculos na mo e os sapatoes amaga robras nos ps e espol-m w
r- publico por tres das. j
.\ esta caa nao se tllude ao povoos pesos esto ateridos-a batanea de,
.mellios fabricante-e os gneros, partindo do soffrivel al o ptimo, n escollndos a vontade por todos, desde o pobre agoniado Chrim ale o nuis aim '
KGencral.
p Nao sendo o aguado e a sinckridadk predicados qin- smente livi^san' ^
, chegado para bico da domesticada e encantadora aguia branca, i-sio da.Li.-i \
^mais terminantes ordens para que d'ora em diante se iedr.br.: alien ,
com lodos os freguezes, de forma que se opere a mais permita liga de entere- /
ses recprocos, a fazer inveja a todos at ao proprio camlletro da ..s.iiIiIi3 da rua -;<
5 Nova.
Quando -00 dispontar da brilliaute, aurora ou da aurora bnlkmue laet \
^uvjr o garboso gallo vigilante, com aquella bisarria (|ue Ihe pn.i.ria ., ..,,- ^
canto sonoro, signa! de chamada dos ama veis freguezes e predilectas frrgmezmt "l"
5 tambem o solicito Baliza estar prompto em orden de marcha, agra.Ja, | H,ml*A
a aguia branca, diligente como o gallo, grave como o propketa, no mau 1.. r- oJ
iieito e continuo raovimento, servindo a todos, e a todos contentando.
.VDDITAMEMO.
^
Os precos do grande sortimenlo d'este magnilico armazem, se acham ron-J
sideravelmente reduzidos, e a respectiva tabella deixa de ser publicada por
jfl alma to negocio o segredo. Os freguezes reconhecerao em vista do otjef-
>to que pretender que o preco que se lhes pedir ser 13o rasoavel que neobiuiu
jreclamaco offereceriio. Venbara todos a
III % DO 1.11 IIAwr:\To 3H
40 GftlNDE R1IAZEI DE MOLHDOS
DO
BALIZA
PROPRIEDADE
M. PEDRO DE MELLO.
A
#

ffltLADO


f
OL&rle de F-ersaa-Jineo licita felra 5 de Xoven-hre e I-!.

NOVA REFORMA.
MIMM UltIL.il INTE.
Largo da Santa Cruz.N.84.
Francisco Jos Remandes Pires, tem a honra o eam e nova reform-iir*eu asseiado ostabeteciineiiU da molhades1dno>f#i_atfoAllroraBrilhan-
te, aa larga da Santa Cruz, e eom esta reforma sapno de novo o seo. armazem de bons
peeres, sendo muitos delles mandados vir de sua propria eonta, para melhor servir
quelles une se dignaren) comprar ou mandar comprar era seu estabelecimento.
No armazem da Aurora Urilhantc encontrara sempre o respeitavel publico um
liado o novo sortimento dos melhores geseroSquc tem vindo ao nosso mercado, e sem-
pre por precos multo razoaveis, como se v daseguinte tabella que ser mudada se-
ma.alniente.
NEM COROAS NEM MITRAS
GKA_ _..__ ARMAKEII
A .
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
LIANC
E
RA DO I9IPERADOR M. 40
Junto ao si lirado em que mra e Sr. Osberne,
miarle Aluaeida t C, reeeberam de ana propria encommen
da o mals Hado e variado sortinaento de molhados, proprlo* 5 a i O por cenfo me nos odreeo) qne sepoaan pao m. ira gual-
da presente estaeao. qner parle.
Manteiga illgleza Ma^aS brancas Gneros especialmente escolhidos por ura dos socios que na Europa M aclia
da safra riovvnda no ullimo vapor a 1,000'para sopa a melhor qne se pode desejar, para esse flm.
Silva & Souza
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
5 a O por cento menos
A Aurora Brilhaater recebe as libras sterlioas>w 9,8, sendo para eompra, e faz 5
por cento de batimentos quem comprar de iOO para cima.
Charatas finis do-autor Jos Furtado de fci-
- t* Presuntos de fiambre omito novo, a libra a
A. 800 rs.
3 Ditos para panolla, a 560 rs.
*S* Quijos lundrinos raaiio superiores, a libra
A, a 15000.
lo Dos do reino vindo este-vapor a 2,1*00.
W Ditos do vapor passado a Zj e 2_i00.
,'vj Quoijos de quallia novo*, a libra a 560.
'-'# Frascos grandes coro, anu-ixas a 3^000,
"V Latas com 1|2 libras a 15200
.,-&. Ditas rom 3 e 6 libra a ."00 e 4.
',-] Chocolate francezmuito superior, a libra a
mi 13120
B, Cha lino de primeira qualid&de, a libra a
$k 23700.
(#5 Dito uxim a 23700,
T^l Dito hysson a 23700 e 23800.
ij Dito perola a 23800.
, J 1) lo em caixinhas de 1 e 2 libras a 23600.
-* Dito preto ai$e_*800.
">*} Mauteiga ingleza flor a 15200.
ip Dita mais abaixo a 800 rs.
< Dilaem barril propria para negocio, a libra
:lM a 603 rs.
hp >ita para tempero a 400 rs.
v Latas rom 2 libras do banda refinada, a libra
g a 400 rs.
.J5 Manteiga francesa nova, a Hbraa 640.
\ Hila em lurris e meios ditos, a libra a 600.
; Twucinho de Lisboa a 93500 a arroba e a 320
V) rs. a libra.
\ Latas com bolachinlia de soda de 5 libras a
'K 25000.
Y-lj Ditas enm bisr.oitos e uolachinhas sortidas
y.' a 15500.
jfo Dit-is inglezas novas, a libra a 240 rs.
;' '', Arroz o Maranhao, a arroba a 25400 e a li
bra a SO c 100 rs.
Diio da india a arroba 25800 e a libraa 100
e 120 rs.
Car.'- nmiio superior de primeira qualidade
a 85500. 95 e 5)5500 a arn-ba.
S Dit) en libra a 280, 320 e 360 rs
' / Vinbos em caia do 12 garrafas, o melhor
;= possiVdl a 183 e 203-
,: Di: i mais baixoa 03,125 e 113-
Di; i Figueira, o mais superior pos-ivel, a
,: caad i i 45500 e a garrafa a 640 rs.
Do mais bailo a 45 a caada c a 560 rs. a
5 garrafa.
A Dito d>' Lisboa, boa marca, a 400 c 500 rs.
' 9. a garrafa.
j Dil > Brdeos a 6'0 rs. a garrafa,
j, Dito iin caixa. das mclhoros marcas, a 75 o
.:^ 85000.
;:.j Sei feja, marca teuente, em botijas a 7 e 85
; a duzia.
"'?} Di';', de iliffisrenles mareas a 500 rs. a garra-
'-'\\ i. < .''800 a duzia.
Genebra de laranja verdadeira a 15 e 1520o
A' o frasco.
V Dita
pepuenos a 40 rs.
5 Dila verdadeira do Holland, a botija a 480
Dn-S de varias qualidades a 800, 15
H illanda en frascos grandes a 15 c
mas-, ha pr muitos precos.
Ditos de itutros autorss a 13500. 25 e25500.
Gigos de batatas novas com i arroba a 15-
l'assas novas, a libra a 500 rs.
Fignowr'3<0 r.'
Latas de ervilhas e favas porluguezas ja pre-
paradas a 720 rs.
Ditas cbm ostras, excellente petisce.a 6i0 rs.
Latas de peixe ensoparlo em postas, de muitas
qnalidades, a 1-3.
fmtes do vidro com sal refinado a 500 e 640
ris.
Marrasquino da melhor qnalidode, a 85 e
125 a duzia.
Garrafas de dito a 80o c 15200.
Amendoas confitadas a libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
Nozes, a libra 160 rs
aii>co, alcista, a arroba45 e libra a 160 rs.
Gro de luco, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Vinho de caj preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac sunjrior a garrafa a 15000,15200 e
15600.
Champagne hoa a duzia 203,ea garrafa a 25 J
Garrafc^'s rom genebra hamnnrgueza a 65-
Vinho branco Xerez a garrafa a 15-
Dito Joao de lirito, puro, a garrafa a 640 rs.
Dito aducir lo a 560 rs.
Dito do Porto, fino, a garrafa a 800 e 15
Xarope de grozew e outras fructas a 640 rs.
Massas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dita eStrettnha, pftvide e rodinhas a 640 rs.
Caixinha com 8 libras de dia a 35500.
Sebolas soltas grandes, o cent) a 13-
Ditas grandes em resteas a 13280.
Duzias de carias francezas linas a 25500, 33
e 355i:0.
Duzias de latas de graxa nova a 900 rs.
BmUdes de dita a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do sertao a libra a 320 rs
Chouric is a libra a 6i0 rs.
Saceos grandes com firinha a 55
Ditos com un Ilion 35)00.
Ervilhas seceas libra a 160 rs.
Lentiihas para sopa a libra a 200 rs.
Sovadinha de Franca a libra 200 rs.
Sag a libra a 400 rs.
Arainla verdadeira a libra 480 rs.
Gonrtma 'i.^ nngommar a arroba a 45 e em
libra a 160 rs.
Sabo espanbol a libra a 400 rs.
Latas com o verdadeiro gaz liquido rom 27
garrafaa a 123.
Garrafa- com dito aSOOrs. 3
Saceos gran l>s com fuijo mulatinho com 24 O
cuias por 93. ,S
Copos e ralis lapidados para vinho e agua. .
Lala- mu'lo bera enf.otadas com UgOS novos >
a 23, 23500 o 33.
Assucar roflnado com ovos mnito alvo a ar- 1 Licores linos
;' t 15300.
Caixas de vi
.', a 15000.
Di! roraaz
.^ a 13 '
'< Conservas insirase
sebolas, azeitonas e
nho mascatel a 103, 8 a garrafa
roba a 60500 e a libra a 200 rs.
Papel patalo liso de peso branco cazul, a
resma a 23500 e 15500.
Vinho Uadeira-secco, a 15600.
(''iiiod! esteirasde tranca a 205-
Barrlscom azeitonas nova- a 13280.
Unas balaocaa grandes de Itomao com os
pesos de 21 arrobas, e alguns bracas pe-
quenos do mesmo autor.-
Urna grande quantMade de caixoes vsios de l|
todos as tamaitos de 120 a 500 rada un.
OUTROS GNEROS QUE TORXAKIA ENPADOXI10 MENCIDNA-LOS.
TUDO DE PRIMEIRA QUALIDADE.
azeile refinado a 103 e a garrafa
franc.o7.as dp pepinos.
rs. a libra e em barril a 800 rs.
Iiantelga fraceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas do lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
m frascos de vidrn com 3 libras liquido a
25400, mnito propios para mimos,
Oartes
com bolos francezes-a-500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas- de soda de todas as qua-
lidades a 15-100.
Chocolates
de todas as qnalidades a 15000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs tambem I
temos vellios para 500 rs.
aeijos flamengos
chegados ueste ultimo vapor a 256oo.
Queijoa
chegados no ultimo vapor a 25600 cada um.
Qnetjo
ment.
E grande a vantagem para todas as pessoas que comprarefn neste eslabHeri-
Os propietarios garanlem todos os gneros sabidos de seu j amito acredaJo
armazem.
macarra, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 45500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem le Lisboa
e de outras marcas a 400 r3. a garrafa, e Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annun-
25800 a carrada. c'os deste genero, pois sao paiavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambara
dem do Foro estamos ce r tos nenhuma atienco j merecem do publico. O nosso flm, pois, simple-
generosos engarrafado des melhores fabri-! mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos pr.
cantes da cidado do Porto a 15 e 15200; eos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attencao.
AO PUBLICO.
a garrafa ede!05 a 125 a caixa, asmar-
cas s3o asseguintes: Chamisso Filho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Doura e outros muitos.
Latas
I com 10 libras de han!.a a 45000.
Bolachmha in^eza
(a 15800 a barrica damesmaque
vendem a 25000 e 25400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r? A nra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 45500 a C-ARUTOS
londrino o mais fresco que se pode esperar charutos Thom Pinto,. Ueis e outros em
meias caixinhas a 15500.
Arroz
sendo Dteiro e 900 rs, a relalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Fkos
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Cartaxo venda-se nicamente neste arma/^m
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs. a ancora com 7o garrafas.
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
8vo I de 1 e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 858?
em libras e caixinhas ricamente douradas, 1 e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a Ubi
proprias para mimosea 900 e 15200. j arrafes
Gll UXim jcom 4 Vi garrafascom vinagre a I5000jj
o melhor que se pode desejar, que outro | o garrafo.
qualquer ni5o pode vender por menos de
35 a 25600.
GENEBRA DE LARANJA
"verdadeira a 15000 o frasco; e de UtfOOf
- dem perola
especial qualidade a 25700 rs. a libra
dem hvsson
0 mais aromtico quo tem vindo ao nosso
mercado a 25600.
Massas amarellas
para sopa, macarrSo, talharim e aletria a
480rs. alibra.
cao uva o
0 muito afamado cognac Pal Brandy a 1,8ro
a caixa.
DEM
em frasqueiras de llollanda a 55800 cos
12 frascos.
GENEBRA
de llollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groz3
e2o rs. cada caixinha.
LICORES
rs. a garrafa r de outras muitas qualid.- finos de todas as qnalidades, a io.ooo a caixa
mixide a 600, 700
"b 80 I rs. o fiasco grande.
'"'? Caixascom frascos de mostarda franceza
.' t a rluiia, e 360 rs. ojrasco,
1 E MUITOS
i

SORTIMENTO PARA A FESTA
QgAi .
gavies;- rva; b>
23Largo do Terco23.
Joaquim Simo dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do bom e ba-
ralo que se venbam sortir dos bons gneros ete estabeleirmento que nao se arrependerao, se Ihe
far a differen^a de 10 a 20 por cento, pelo seu prompto pagamento ; e por isso se faz annuncio de
alguns gneros, que tendo sempre este estabelecimento ara grande e vantajoso sortimento de tudo
uauto pertenecote a este estabelecimento.
Sentido! Vou fallar com o Conserva!! o !!
des a 1,000 e 8oo rs. a garrafa.
COSOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia. e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de mitras muitas qna-
lidades de 2.2oo. a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 25200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para emhrulho de 1, 4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Cormthias
passas corinthias muito novas proprias para
podira a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR era ancoretas de 9 caadas a io.ooo rs.
cada urna.
Cehollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l ,ooo rs. o molho.
Alpista e Pnico
0 mais novo do mercado a 140 rs. a libra.'
e 2a sorte a 800, 900 e 1
a 600 e 640 ris a li-
a ar-
Manteiga ingleza de 1
i libra.
a franceza em barril
ora.
i .ucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e
roha.
atalas em caixas e gigos 1JI200 e 2#000 n ar-
roba.
rd de primeira e segunda sorte a 2o0, 280 e 300
rs. a libra.
irroz da India, Maranhao o Java a 100 e 80 rs. a
llura.
Phosphros do gaz a ti a groza o 180 rs. o majo.
.,-as novas a 480 rs. a libra.
Yolas de carnauba Araeaty composicio a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 c. 440 rs a libra.
Mrmeilala dos melhores fabricantes de Lisboa de
I a 2 libras a 640 rs. a libra.
V'.' hysson o melhor deste {(enero a 2800 a li-
bra."
Iiiem perola miudinho a 23300, 2000 e .'{000 a
libra.
aiiha ingleza alva e saporter a 400 rs. a libra.
Queijos mais notos do morcado a 2oOO e 25800.
Ser veja da* melhores marcas, tanto branca como
preta a 300 r<. a garrafa e a duzia a 5,8800.
Sabao amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Babia dos melhores fabricantes de
t200, 2000, i&:m e 3* a caixa.
Milhu alpista e pnico a 160 o 140 ra. a libra,
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a dia.
dem do l'orto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco pronrio para missa a 500 rs. a dita.
Mein do Porto engarrafado a 800 e 15, tomando
mais de nina caada dequalqaer umdestes ter
grande abatimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 ti.
BiscoUoi e bolachas de soda a 1400 e 2 -5.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Gent-bra de Ola ida em frascos c botijas e de la-
raoja de 480 a 640 e 1*200.
hooneaj as. mais novas 360 rs. alibra.
Latas com 1 o rom libra de amenas a 1*200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 3* o
gala.
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. s
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,-oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 50o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo k
caixa e 34o rs. a libra.
Baladas novas
em caixas do 2 arrobas a 55 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas moilo novas
em pantos e inteiros a 25 o quarto e 65500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra c 140rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
mam mmmu m mmm um
TOJOS
Vim tinta sem cnfigao
$0,000 K.tt A1X1IRETAN ME CAMAMAS 30,000
Inieo deposito em Pcrnamhuco rna da lodeia n. 1.
Esta nova qualidade de vinho receida directamente de diversos lavradores de
Torres Novas (provincia da fttremadure) como atistanos bheteg. do caminho de fer-
ro que trazem os cascos, provando sua nrigem e procedencia, recoaimenda-s a todas as
oessoas que queiram ter a certeza de beber vinho puro de uva coifco o que se bebe nes-
as torras sonde nao panetrou anda o espirito de falsilicaco. E' preciso que o publico
se BOOfenc le que os vinhosque nqni se importara n*> rindo directamente do lavrador
niegan pela maior parte ou quasi tod :;.iiisaiKlo bem graves transtornos no apparelho digestivo
O annunciante ofi'erece a anal) dos profe#siinaes tita nova qualidade de vinho
que "xpe a venda, e d un premio d* 1:0X)^ a quem ijascobrir ao mesmo algum cor-
po ostranho a natareza da Uva de que c feito
N. B. I'ara evitar a falaificacao, o annuuciante declara que o nico proprie-tario
o-ioriaiior dto vinho o qual vende somen ello seo armazem da ra da Cadeia do
fteoife n. i.
e 45400 a arroba. a 600 e 15 o caixae.
CEBLAS GOMMA MUITO NOVA
muito novas a 1500:) o cento na ra do Quei- em paneiros de 1 e 2 arrollas a 35500 a ar-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar- roba el 40 rs. alibra na ra do Qoei-
go do Carmo n. 9 rnado n. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
GRAODKBICO do Carmo n. 9
muito novo a 35400 a arroba e i 40 rs. a li- BOLACIIINIIAS
bra na rna doQueimrdo n. 7, ra do- em latas de defferentes qualidades a 15200
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9. a lata
QUEIJO SUISSO QUEIJOS FLAMENGOS
muito fresco a-800 rs. a libra na ra do chegados nesto ultimo vapor a 25800 na roa
Oaeimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
largo do Carmo n. 9 i 40 e largo do Carmo n. 9.
Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
fregaezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipolaram os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
______________________
ti _,'\A. PERAS K UVAS
chegadas neste ultimo vapor, vende-se na ra do Imperador n. 40, Verdadeiro Princi-
pal.
Agua Florida.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gostos para meninas
trazerem no brago : s se enrontra na loja do Bei-
ja-FIor, ra do (juoiinado n. 63 e 59.
Extratos e sabao em eai-
xinlias
Lindas calinitas com um cari5o com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bio o mais lino que 6 passivel: na loja do Beija-
Para resUbelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agu* florida nao urna tintura, facto essen-
cial a contestar, a rnesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Compesla de plantas exticas e
de substancias inoffensivas, ella tem a propriedada
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'uma salubridade incouiesta-
vel, a Agua Florida eotretem a Imipeza da caiwca
desiroe s caspas e impede os cabellos de cahir Flor ra do Queimado a. 63 e 69,
Oleo de Florida poa rehincha.
Composto de substancias vejBlafS oxoticas, elle Na ra da Cruz n. 22 vende-se excellente vinho
conslite. podeiwament, coro a Agua Florida, a 0 caj, a saber : garrafas de (res caadas, cada
torea, a bell za e a conwrvacao dos ratjellos. Hm ^ e em garrafas cada duas duzias 5*.
Km Paris, casa de Qi|plur n. 11, ra do Riche---------------ST-----1--------------T~---------~"
lien, e 21, bonlevard Montmartre. ralha 06 ntfMM
Todo os frascos, nao tendo intacto e claro, o I Vende-se superior palha de carnauba : no es-
timbre prateado da casa, sao reputados falsos. criptorio do Antonio de Ali.oida Gomes, ra da
Deposito, ra do Imperador, pbarmacia n. 38. Cruz a. 23, primeiro andar.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64e rs. a libra,
dem de casca mole a4o o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em fiascos grandes a 2,ooo rs.
dem em latas de 1 V UDra a i,loo rs.
Arroz do Maranhao e da India o tuelher que
ha'neste genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeile doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e Io.ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Solachinbas de Lisboa da fabrica do Beato
Amonio de diversas qnalidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe l,5oo rs. a
lata e 6io rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
3anha de porco refinada a 6oo rs. a libra e
em barril a 58o rs.
Batatas a 2,ooo rs. a caixa
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, 1,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a2,7oors.
a libra.
idem hysson o melhor que ha ueste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra.
idem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a I ,ooo,
l,2oo e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
lado de Simas e outros da liahia como
sejam regala, trovadores,
deliciase suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem francezas sortidas ou de nina s qua
lidade cada frasco a oo rs.
Cognac francez e mglez a ,oeors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a iibra.
Copos nos para agua e vinho a 4,8oo ,ooo
e 5,5oo rs. a duzia, .e o'oo rs cada um.
Caf do Bo superior a 2" n. 3o rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. arroba.
Doce de goiab. superiorem latas a 2,000 rs.
Ervilhas porluguezas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
ktentj descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
' libra.
Figos em caixinhas bem enfeiladas a 9oo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs,
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainln Claudia e ginja a 9oo rs. a lata.
Graixa nova* a loo rs. a lata e l.Ioo rs. a
duzia.
Gomma muito alva e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de llollanda
frascos a 5,8oo rs
dem em botijas a 4oo
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
Iiiem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
l,ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o
frasco e H.ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
1,8oo rs. a garrafa.
Lenlilbas muito nova* excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Mauteiga ingleza perfeitamente flor a 8no e
l,ooo rs. a libra, c desoecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista.
dem franceza a 64o rs. a libra, e em barra*
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de L-H
a 7oo rs. a libra, 1)3 latas de 1, 1 1 2 *
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. a libra.
Macarrao. talharim ealetria a 4oo rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
MosUuda franceza preparada a 4oo rs. a
frasco.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasee
Molho inglez em garrafinhas com rolba da
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.oto rs.
a gariafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oeiS. a lata.
Prezunto para fiambre ingh z vndadeir,
garantiiido-se a qualidade a 8o rs. a libra.
Passas novas de rimada a 64o rs. a l;l.ta e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinba, pevide e i ilinl.a
etc. a 3,5oo rs. a caixa, e a .'ik rs. i libra.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades: savel. n rvina. ;
cavallnlias, c pescada a *oa a bta.
Palitos para denles licitado: l io rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2.1.<< r<.
a groza.
Painco muilo novo 12o rs. a libra c O.ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ullimo vapor, a _,.'ioo
rs.
Idem (endrina muilo fresco a KOO rs a lil ra.
Sal refinado em potes de vidro a Soo is cada
um.
a_i Sevadinha de Franca a 18o rs. alibra.
Sevada a loo rs. :i libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a iors. (.da nm.
Vinagre de LisliOa a 2oo rs. a garufa e
l,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a Iumm
rs.
Ibem de escovas para lavar casa a de ta.
cada una.
Velas de espermacete superiores a Me rs.
a libra,
dem de carnauba refinada e de nOBaadhi
a 44ors. a libra, e de 13,ooo a ll.ocors.
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
das marcas menos coiihecidas atoan.
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada,
dem Figueira especialmente ewoWdo neste
c 4,5oii rs. a
lugar a 6oo rs. a garrafa,
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muilo fresco >em
composiejo a 6oo rs. a garrafa, e ,.'hk>
rs. a caada.
dem de Lisboa brar.co uva pura a ii6o rs. a
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada.
Idem Porto fino em pipa a 56o rs. i pnrr-ft
"a emfra^eir'ascomV- Idcrm agarrafados generosos Lagrimas do
(. e 560 rs. o frasco J2J- ,)"("c t!t ,^,0> n- "
ion rs cada urna l edr0 V ,Sec,ar' ve,,, ** Malvas
Genuino, Particular a 9oo c 1,2oo rs. a jrar-
arafa, e a Io.ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra-
fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas Si.
Julien, St. Esteph, chaleau la Rosc.cl.aUa
Margoirx e outros a 6,5oo rs. a caixa. a
36o rs. a garrafa.
i JEiiVKJ A M BARIUIi
a SOO rs. o cop
lueljo de Hlnaa che gado no vapor
dem prato ninlta fresco
dem salsso sarperior
dem londrino superior.
57 Ra do Imperador 57
i


I
Diario de reren>n Sexta Ierra. 2& t IVevenbro de !*<**.

Grande liquidado.
Ra da imperatriz n. .
Loja de fazendas do pavao de Gama & Silva
Adiase este eslabelecimento completamente
soriiJo de fazendas ingieras, franceas, allemas e
soissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mals barato do que
tn outra qualquer parle, principalmente sendo em
poreo, e de todas as fazendas do-se amostras,
deixando ficar penhor, ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loje do Pavo.
As chilas do Pavao.
Vendem-se chitas inglezas, claras e escuras pelo
barato prego de 240, 260 e 280 rs. o covado, tin-
tts seguras; ditas francezas de cores seguras a
320, 340, 360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado,
faxenria muito superior e bonitos padrdes : s na
loja do Pavo.
As lazinhas da exposifio do Pavao.
Vendem-se lazinhas as mais modernas qne tem
vindo ao mercado, proprias para vestidos e sou-
tambarques por seren lisas e de cores muito de-
licadas a 560 e 500 rs.; ditas lisas com um lustre
que parece seda a 649 rs. o covado, ditas com
quailrinhos de seda a 500 rs. o covado, s para
acabar : na loja e armazem de Gama & Silva, ra
da Imperatriz n. 60.
Os- souterubarques do Pavao 9 e 12$.
Vendem-se es mais finos soutembarques que
teem vindo ao mercado, sendo de raxemira de co-
res pelo diminutsimo prego de 12$ cada um, di-
tos de musambiquo pelo diminuto prego de 95, s
na loja do Pavo, mas que se nao engauem : ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
O Pavao vende para luto.
Vendem-se superior setlm da china, fazenda
toda de laa sem lustre, leudo 6 palmos de largura
prop o para vestidos, capas, paleto!*, ralsas etc.,
pelo haiatissiino prego de 25, 25200, 2500 e 35
o covado, cassas (>retas lizas, chitas protas largas e
eslreitas, manguitos, colarinhos, punhos, o enfei-
le?, tudo preto proprio para luto fechado, e muitos
Mira artigos que se vehdem por pregos mais
cm conta do que em outra qualquer parte por es-
tar liquidando ; s na loja do Pavo ra da im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As coilas do Pavo 2#400 e 2800 o
covadi.
Vendem-se cortes de ehita com dex corados
25*00, ditos a 35800, com i2 covados ; sao chitas
inglezas,mas padrdes bonitos e tintas seguras'
assim tem as melhores chitas francezas e de tin-
tas gemina por pregos commodns, a saber : 320,
340' 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
. Os bordadas do Pavao-
Vndese camisinhas com manguitos e eollinhas
bordadas, pelo barato prego de Ufa 280 rada
um. manguito* s a 500 rs. cada par, ditos com
gollinha a 800 rs., gollinhas a 400 e 480 rs., de fil
a 240 rada gollinha bordada, romeira de cassa ede
fil muito bem bordada a 25 cada urna, manguitos
que serven) para calrinha de meninas a 640 cada
par, camisa com manguitos e gollas rem a comp-
leme gravata de seda, fazenda fina, pelo barato
prego de 35, e muilasoutras bordadas que se ven-
dem por pregos muito em conta: s na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos soutambarqne.
Pelo ultimo vapor francez chegaram riquissimos
vestidos soulambarque, os mais modernos que
ueste mercado tem apparecido, os quaes estao
promptos com saia, corpinho e seu competente
soutambarque, tudo guarnecido de seda, eludo e
renda. Quem tiver bom gosto dirija se loja do
Pavao, na ra da Imperatriz n. 60.
O Pav3o.
Na loja dn PavSo vende-se modernos mantele-
tes de grosdenaples a imitagao de rapas, as quaes
sao bastante compridas ; assim como tem um sor-
timento de capas pretas as mais modernas que ha
no mercada, sendo ricamente bordadas. Ditas en-
feitadas ludo por prego commodo : na loja de Ga-
ma & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
As luoHVrnissimas lazinhas < cor, a imaco de gorgoreo, ten-
de o P'to.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas lazinhas de cordozinho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem vindo, proprias para
vestidos, soutambarque.*, capas, etc., clam-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo haratissi-
mo preco de 560 rs. o covado : na rua da Impe-
ratriz u' liO, Lia de Gama e Silva.
Para quem gosta do bom e
barata
No eslabelecimento de Gama & Silva, na rua da
Imperatriz n. 60, loja denominadaPAVAOtem
urna grande porgao de varias qualidades de fazen-
das, as quaes.se vendem muito em conta para li-
quidar. A saber :
As lazinhas do Pavo.
Vendem-se lazmbas de qnadrinhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo preco de 280 rs. o covado,
ditas largas multo linas a 460 rs., ditas estampa-
das, cor segura, padroes muidos e grandes a 320
rs. o covado, ditas transparentes com palominas
de seda a 400 rs., ditas escocezas a 560 rs., tsle tu-
do para liquidar : na loja e armazem do Pavo,
roa da Imperatriz n. 60.
Precalas a 600 e 560 rs.
Vendem-se as mais finas precalas, padrdes miu-
dlnhos, gustos deliradissimos pelo barato prego de
' 600 e 560 rs. o corado : na rua da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavao.
Hrias precalas, on precalas inglezas largas a. 100.
Vendem-se meias precalas ou precalas inglezas,
padroes miudinhos e fazenda fina e 400 rs. o co-
vado : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
O gangneUan do PavSo a 38o rs.
o covado.
Vendem-se ganguelim cor de rosa para roupa
de meninos, e vestidos pelo barato pr;go de 320
rs. o corado : na rua da Imperatriz n. 60, loja do
Pavao, de Gama it Silva.
Os grosdenaples do Pavo.
Vendem-se grosdenaples pretos, fazenda supe-
rior a 15600 rs. o covado, ditos largos muito en-
cobados a 25400, 25600, 25800 e 35000, ditos
brancos, cor de rosa, azul e amarello a 25000 r.s
o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
do Pavo, rua da Imperatriz n. 60.
Vestidos brancos para baile.
Vendem-se os mais ricos vestidos brancos bor-
dados proprios para baile ou casamento pelo bara-
lissimo prego de 255000 cada coi le : na loja e ar-
mazem de Gama & Silva, roa da Imperatrix n. 60.
As novas las garibaldiuas a 500 rs.,
na teja do Pava.
Vendem-se as mais modernas lazinhas garibal-
dinas, fazenda nteiramente nova no mercado, sen-
do todas com listras mmdinhas, e transparentes,
com lustro a Imitagao das sedmhas, tendo varias
cores, sendo azul, cor de tirio, carmezim, cinzenta
e cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
vender depressa : na loja do Pavao, rua do Impe-
rador n. 60, de Gama A Silva.
Nao baratas a SdO e 39o rs.
Vendem-se chitas inglezas escuras e claras com
as cores seguras pelo prego de 240 rs. o covado,
| ditas largas, boa fazenda a 320, 360, 400 e 500 rs.
o covado : na loja dn Pavo, rua da Imperatriz n.
60, loja de Gama & Silva.
Us mais moderues vestidos Mara Pia,
na loja do Pavo, a 16$
Vendem-se finissimos vestidos Maria Pia com
os corpinhos differentes, tendo todos os preparas e
com o competente- stnto : na rua da Imperatriz n.
60, loja do Pavo.
Movida de do Pa vo.
Vestidos Maria Pia a i250<>0
Chegaram os mais lindos vestidos Maria Pia
eomas barras bordadas, tendo de diferentes co-
res, e vende-se pelo ba atissimo prego de 135 rada
corte por estarmos prximo da fesla ; isto na jnja
e armazem de Gama & Silva, rua da Imperatriz
numere 60.
Vendem-se 12 casaes de pombns bonito* e
bons, todos calcados e de bonitas cores : a tratar
na taberna da rua de detraz da matriz da Boa-Vis-
ta n. 27.
VETOI-RI
a taberna da rua Imperial n. 195 com poneos fun-
dos : a tratar na mesma.
0
rnammelled i rom oipes.
Vendem-se canos de ferro esmaltados, muito
bons para encanainenlo d'agua : no armazem de
Prente Vianna t\ C, rua da Cadea n. 57 ; e pa-
ra informaedes e eolloeagao, os pretndeme.* po-
dem entender-se rem o Sr. Schemerdine, no Mon-
dego.
i Francos de agua de Cologue a 400, 300 e 15- '
Fi a-ros Je agua de Colunia e babosa de Mansinho
a 500.
Garrafas grandes de agua de Colonia a 55, 25 e
15500.
Frascos de oleo de babosa a 400, 500 e 660.
Frascos de oleo Philorome a 15, 800, e 700.
Copos de crvstal com superior nanita franceza a
15500, 15800 e 25.
Frascos com superior banha Iranceza a 800.
Albnns com superiores perfumaras a 75 e 95-
Bonitos frasqulnhos com superior extracto para
lenco, sndalo, essenria concentrada, caprieho
da moda, miando elegante, bouquets diversos,
princeza Isabel, Maria Pia e outros a 15500, ga-
rante-se a qualidade.
gsggaailaBHBBkaBRSB

la ^V?.-'W*^
**m


LOJA HE MU DI Z\S FhAS
e objectos de gosto.
16Rua do Queimado16
Enfeites de tabeen.
Bonitos enfeites de lagos de fitas de frocos com
vidrilhos a 15280, 15600 e 25.
Ditos ditos com enfeite de frocos a 25500 e 35-
Ditos enfeitados com cascarrilha larga a 25500 e
35000.
Ditos ditos feitio de chapelinha e outras fnuitas
qualidades diversas a 53.
Ditos ditos rlquis*'mns com flores a 65-
Ditos ditos todos ie flores diversas a 75-
Bonitas capellas para noivas a 15, 35 S-
Bonitos chapozlnhos enfeiudo9 pata baptisados a
i& e 5*- A *n .
Benitos sapalinhos de merino e settm boroaao a
15500, 25, e 25500.
Bonitos sintos de galo com fivela para senm ra a
25000..
Riquissimas fivelas de pedrinhas para sintos a
15600 e 25. .
Bonitas gravatinhas com lagos para sennora a ew.
Lindissimas ditas com lagos enfeitados com cascar-
rinas (uovidade) a 15280 e 15500.
Riquissimas ditas bordadas com lagos a I56OO e |
25000.
Ditas ditas com as pontas bordadas de HwajaMn*
C08 e botoes (ludo novidade) a 15280, I5b00 e
25OOO.
Pegas de bonitas cascarrinas de seda de todas as
cores de differentes larguras a 15280, I50OO e
25000.
Ditas ditas de seda em duas cores a 25-
Ditas ditas de la de todas as cores a 800.
Bonitas litas de sarja li*as e de tedas as cores de
2, 4 e 5 dedos de largura a 640, 15280 e 15500.
Bonitas filas de grosdenaple lavrado de tedas as
cores de 3, 4 e 5 dedos de largura a 15, li5280 o
15600.
Bonitas fita3 de gurguro para santos a 800.
Pegas de fita de stda de todas as cores a 320.
Pegas de fita de veludo preto a 600, 700, 800, 15,
152OO, 15400, 15C00, 15800, 25 e 25400.
Pegas de fita de la para defecan a 800.
Pegas de fita de linuo para debr'um a 240 e 320.
Pegas com 25 varas de franja branca lisa a 400.
Pegas de transa lisa branca e rela a 80.
Luvas frescas de Jouvain brancas e de cores a Vende-se na na (lo Imperador botica
Ditas brancas nao muito frescas a 15- "~anceza n- ^8'_____________________________
Ditas brancas e de cores eofeiladas para senhora, 1TTE* IIP X O
novidade do paquete a 35- t J| | ILNLAU.
W&&^'&"J$M^&^'&l
Ai-pvovutta por varias Aeaemias e altas *
summiJadc medicas.
O qnenetWOM IW g"ral as nmlcstlas abaixo
I Uii|;iia i |.:u;. s ilu corpo, 1 qual prodoiida pelos resfria-
; i:m [ti < c iiiui'*;- <; .tras calizas, t'Mlfti, f'rcl.ii ."io-se ,
\ o* /Afi/rM..'/.'.-i'f I, fipstn, lJ''ivltjyii'. h'rnqnfZA*
'.J'.s mtMnij, i'iiiifiparviS, hUiJuiHliasis ou
I t'crnas luchartas, ct tJorts Xerrosas.
O Ml la escov.i El.tCTIVO-i'-AClTJE-
"JMCA Icill siirrcs-ii corlo para a cura lio Indas
cs''.s m lesnas, sem recoYrersea aenbonia ouira
I iMr(l-03f-r>. BMa MtMu foinia nnti nianoj.ivel
1- ptmtta, voiiIikJo i qu. 1:1 (Tollu usa, st-os mais
uteis e rliics resultados. 8eocninrojoprcserti
il.is kiIosIjs cimo. Para Biaisinbrinaccscon-
sul-lO'Se a itolica que accoi|>aiiba cada I'.scuva.
DEPOSITO GRAL
Soulevafl iii Prnee Suge'ne, 18, Parit.
Ditas da Escocia brancas e de cores para homem
e sen bou a 800.
Vende-se a armacSo eniencilios da taberna da
Bonitas cestlnhas 'para costura com todos os per- rua de Aui-Verdesii.M, oJogar bom p.ra
tences, sorlimento variado a 400,500,800,15500 neanrio : a tratar 00 pateo do TprCo n. 21.
15600, 25, 25500, 35, 45 e 55.
Riquissimas aixiohas para costuras, dispensav-n*,
carteirinhas, bolsinhas para senhora*. irazerem
na mao, com todos os pertences de costura e
muito commodas, fazenda de muito gosto (novi-
dade), de 75 at 155 cada urna, objectos de tan-
to gosto neste genero.
Bonitos albuns para retratos desde 12 al 100 re-
tratos, o mais bonito que se pode desejar e se
vende por metade de seu valor a 25, 25500, 35,
45, 85, 145, 185, 24e 305-
Penles de borraxa muito fornidos e outros de cos-
tas douradas para desembaragara 15-
Ditos de borraxa para regago a 500, 640, 800.
Ditos ditos dourados para regago a 800 e 15800.
Voltas pretas muito grandes a Mana Pia a 138(30.
Voltas grandes de aljofares a balo a 25300 e
GRANULOS e XAROPE
D'HYDROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
Resulta pelas experiencias feitas as ludias e em
Franca pelos mais afamados mdicos que as GRAN-
LAS O XAROPE de IIYDROCOTYI.A ASITICA d
a. LPINE sao o ptimo remedio contra todas as espe-
cies de MPIGENA ou HEnrES t outras molestias te
pellc, at as mais inveteradas, assim como a LEPRA
ou MOnrilE \, a siriiu.is, as MOLESTIAS ESCRO-
FULOSAS, os RHEtiATisj!09 chronieos, etc.
Deposito peral em Parit, em casa de fochmer
LABELONYE, rua Bourbot-Villentuve, 19.
Deposito geral em Pernambuce roa da
Ditas mais pequeas com cruz de pedrinhas a 900. | Cruzn. 22 em casa de Caros & Barboza.
Ditas de coral pequeas e grandes a 500 e 25.
Caixinhas de pennas de ago limpas a 560.
Caixinhas de pennas caligraphicas a 15280.
Caixinhas com 100 euvelopes a 640.
QUE UTOS
do serian.
Caixinhas de papel amizade pautado a 600 c 640. Vendem-se queijos do serlao de Serid de diffe-
Pacotes de papel amizade beira dourada a 800. rentes tamanhos, em porgao a 205 a arroba e 800
Varas de grade de labvrintho francez a 100, 160, rs. a libra, queijo inteiro, e 960 rs. a libra a reta-
200, 240, J20 e 400." 1 Iho : dofronle da matriz da Boa-Vista n. 88, ar-
Varas de lab\ ridtho forte bordado de croch a 160, rnazem de molhados.
240, 320, 400, 640 8 15-
Perfumaras finas.
Sahonetes de bola grandes a 280 o 360.
Caixinhas com perfumaras a 15, 15500 6 15600.
Oa-rafas com extractos linos a 45, 35, 25*00 e 25-! Vende-se urna armacao propr.a para venda ou
Frasco* cmii diversos extractos a 160, 200, 320, deposito, por barato prego : quem pretender din-
400, 500, 600, 700,800, 15, 15280 e 15500. ja-se a rua da LmgoHa n. 5.
mmm
M
0 CORT

r
Pechincha &em igitl.
iri
Lindos cortes para vestido de percate* de c>
claras e escuras cum grande variedade de pudras
pelo har tissimo preco de 4$ o corle: na toja m
c lumnasria do Crespa n. 13, de Antonio Co*
rea de Vasconcellas di C.

LOJA 1)0 BEIJAFLOU.
Rua do Queimado ns. 63 g 69.
Bonecas de choro.
Lindas bonecas de choro que chamam papai e
mamai, de diversos tamanhos : s as tojas do bei-
ja-flr, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Lavas de pellica.
Luvas de pellica branca c de cores para homens
e seuhoras : as lujas do beija-flor, rua do Quei-
mado ns. 63 e 69.
fivellu para cintos.
Lindas fivelias douradas rem lidas pedras para
cintos : as tojas do beija-flor, roa do Queimado
ns. 63 e 69.
Capellas para noivas.
Lindas capellas para noivas 25500 rada nma:
as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e
e69.
Estojos para barba.
Vende-se estofos com espelbo para barba 15500
e 25000 cada um : as lojas do beija-flor, rua do
Queimado os. 63 e 69.
Filas fus para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos : as lojas do beija-Oor, rua do Queimado
.n 63 e 69.
Exlractos em cahinbas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor, rua de
Queimado ns. 63 e 69.
Sabo em caixinhas.
Fines saboes em caixinhas com vanos'refratos :
as lojas do beija-flor,rna do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns,
63 e 69.
Jugos de domin
Vendem-se jogos de domin 15200 e 15300:
as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns. 63
e 69.
Babadas bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e varios pregos : as lojas do beija-flor, rua dt
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores a
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, rua Queimado ns. 63 e 69.
Adereces pretos.
Tendo-se recebido aderegos pretos de novo gos-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senboras.
Lindas grvalas para senhora 800 rs. e 15000
15200 : as lojas do beija-flor, rua do Queimado
ns. 63 e 69.
Espelhos de moldara.
Vendem-se espelhos de moldura prcta para sa-
las : as lojas do beija-flor, rua do Queimado n*.
63e69.
Colheres para sapa.
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
25000 cada urna : as lojas do beija-flor, rua d
Queimado ns. 63 e 69.
Balaias para mcaicas.
Rcceben-se novo sortim*nto i rata
forma do vanos jas-aros, pelo barato pr,i
I50OO al 45 cada um : as loja.- do U-.j- ..
do Queimado ns. 63 e 69.
Voltas de aljofare
Lindas voltinhas de aljofare* mm rrnx <' ;
nhs imitando hrilhantes 15000 cada 1
las do beija-flor, rua do Queimaio bs. 63 e *<.
Lia para bardar.
Vende se laa para bordar, riba ;r>
encontrar, tanto na qnalidade. como Mi
('5400 a libra : as lojas dobeija-fW. re
tuado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrara seiui
sortimento de miudezas boas, e mai> tac
que em outra qualquer parle. ____
""Sillosa IraTialn.
A loja da Aurora na rna larca (! Rosi r
receben sintos a travista rem Bts rl =r
largas, e fivelas graadrs esmaltada5, f'
delicada e muito moderna, os rir m< II"1 r
tem chegado a este mercado. MM fii mf't-
a toja da Aurora receben.
ESCR1V0S FUGIDC;,.
Ausenton-se da casa do rira .
dia 16 de novembro, nm esrrato |M f
a 13 annos, levando caiga, cami-a d>- ,1
de listras, chapeo de patha. nkiolo I Mata
muiio ladino, det.les mailo alvos, ci r|
os dedos dos ps grossos, eosluma qusn
esUr se lindo, fui comprado ao Ir '<
Reg Tm-cano Brrelo, natorai f.-r-.i /
Norle, lem andado pela Boa-Vi-ia m
Afogados; prote>la-*e contra qurm 1 t.v>r
lado, pois sabe-se qne tem dormido rm .na
casas com consent meato O O 1
sua apprehensao, levando rua da Cri>i n 1^
primeiro andar.
Anlouio Alves de lltra*.
Fagio da casa do abaixo a- -ign.td- > u *-
cravo pardo de noroe Narros. HMi :',2anr' u
co mais ou menos, e com os si^: Mr
altura regular, pernas compridas. m r-eura. r.
bellos annellados, olhos peqneno>. faiu ir *>,!*
nariz chalo, costuma andar depre>. e r- ^r
pulando, e anda se loma mais 1 < nheri<.. pnr b*
diversas cicatrizo de gomma pelos p.-u.*. ni.
lado e soLroahindo sobre tmias | r
visivel. urna abaixo logo da pnaMt rn taa> at
caixa do peit; elle pinta e raa si lli -
consta que elle tem trabalhadu 1, r Us ir rm
diversas casas aqui no Recifc : perianto Mi
autoridades pnlitMMa aos rapit"-- di
o fagam apprehender eeondnzi-lo ca-a r!.
senlior o major Antonio da Silva iii r I
Imperial, que gratificar generosair.
Frncid*
Desappareceu 00 furlaram do -i> ti t wi
rim, junto do do eirurgiao I^al. na as i
para 21 deste mez, nm cavado ni i !
de de mpia idade, cah^ga grande.
na liexiga, de pisadura de 1 lini. r
pesado : quem o achar pode leva-lu cw .
cima que ser recompensado.
LISTA GERAL
H7
*. ,h n .1 IHTPRU A RENFFfJO D\ SANTA CASA DA MISERICORDIA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 537, DE 21 DE JNHO DE 1862
DOS PREMIOS DA O. PARTE DA ti. LOTERA. A ^I^T^^ADA^p^|5 p0B^ES rffjjnilDOB PELA POLICA, EXTRAHIDA EM 24 DE NOVEMBRO DE 1864.
CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 537, DE 21 DE JUNIIO DE 1862, PARA PAGAMENTO DE DESPEZAS JA FEITAS COM
o
NS. PUEMS.
5 65
12
13 205
16 65
22
25
26
'33
16 105
38 205
41 65
42
44 205
47 65
48
49
51 105
56 65
58
60
74
75
76
79
82
84
85
91
100
2
3
8
9
15
19
20
12
27
32
36
39
41
43
4G
49
50 -^
52
54
06
57
58
61
2
64
68
NS.
170
71
85
87
88
91
96
99
203
14
18
21
25
28
31
32
34
36
39
50
51
54
59
61
64
71
72
77
79
84
8a
90
93
99
305
8
11
12
16
19
21
24
25
26
28
30
31
33
34
40
41
47
48
56
57
l'REMS.
65
105
65
105
65
105
65
1005
65
105
.NS.
364
66
73
75
77
78
82
84
89
90
92
93
402
8
10
12
13
14
18
23
24
26
2*
32
34
37
41
43
48
58
64
74
77
79
80
94
96
97
504
10
16
21
23
26
27
29
30
32
34
35
39
40
405
65
O escrivSo,
l'HEMS.
65
105
105
65
105
65
105
65
105
65
47
59
105
65
205
205
65
105
105
65
205
65
NS. PUEMS.
560 65
74
75
78
80
83
85
88
92
93
94
95
98
605
8
10
14
15
18
21
25
26
27
32
34
35
37
38
39
40
43
48
53
55
58
59
60
61
62
68
80
83
87
92
98
700
2
4
5
6
12
14.
15
16
17
105
65
105
65
105
65
105
105
1005
65
105
105
65
NS. ppMS.
719 65
27 -
28
29
30
31
34 -
38 -
39
40 -
41
42
43
45
46
48
52
56
57
58
60
61
62
77
"9
81
83
84
89
92
95
96
97
804
6
8
9
II
17
19
21
29
30
34
36
AO
41
43
56
58
60
63
67
70
76
105
65
105
65
NS. PUEMS.
882 65
83 -
84
85 -
89 -
91
92 -
08 -
903 -
5 -
7 -
12 -
14 -
16 -
25 40
33
35
36
40
50
58
60
62
64
6<}
71
74
78
86
88
89
90
94
98
1000
i
2
4
5
6
7
10
12
15
17
18
' 19
24
25
26
28
35
39
40
41
105
65
105
65
.NS. l'REMS.
1042 65
45
46 -
52
55
64 -
65
66
67 -
68 -
69
71
73
75
79
83
84
87
94
9o
96
97
99
1107
11
15
18
21
23
25
29
32
38
52
54
55
57
59
63
65
68
69
70
72
73
77
79
80
82
88
93
95
96
97
1206
NS. l'KEMS.
1207 405
405
65
13 65 90
26 94
30 95
31 1401
32 3
36 4
39 6
42 7
43 8
46 10
50 12
57 14
69 15
60 16
61 23
64 405 26
66 65 42
71 43
72 44
78 52
79 55
80 56
82 57
85 70
86 105 72
89 65 74
93 75
97 76
1301 mm 85
2 __ 86
11 __ 90
17 __ 92
23 __ 96
24 1506
25 7
26 11
30 1005 13
31 65 14
36 _ 18
37 20
44 _ 22
46 23
51 27
52 33
59 36
63 47
65 50
66 51
69 105 52
75 65 53
83 64
83 69
85 70
86 _ 75
>S. PUEMS.
1387 6
05
NS. l'REMS.
1578 65
82
83
85
87
89
92
96
1600
2
5
12
15
22
30
33
37
38
39
40
45
48
49
54
56
58
64
67
71
77
79
87
92
93
95
96
98
99
1704
5
6
7
. 9
12
14
18
19
22
24
27
29
30
34
35
37
105
65
105
1005
105
65
NS. fiuuua.
1741 65
43
44 -
45
46
51 -
53
55
56
38
61
62
64
65
09
74
76
77
79
82
84
80
89
90
91
93
95
96
98
99
1808
10
11
13
15
19
20
21
22
26
27
29
38
39
41
44
47
49
51
52
58
62
64
66
78
205
65
.\s. 1'Unai.i.
1879 65
80
81
86
87
88
89
92
95
96
99
1900
2
8
11
16
19
20
21
23
24
33
35
37
39
41
43
54
56
61
62
63
64
68
72
77
80
87
2007
9
11
14
16
17
18
20
21
22
29
52
54
58
59
60
62
105
65
105
65
205
65
105
65
.\S. ftliUMb.
2064 65
66
71
73
74 1:4005
75 65
76
77
80
81
82
83
85
93
94
2100
1
3
4
7
10
14
16
30
31
33
34
35
37
39
52
54
58
61
64
65
68
69
70
73
74
75
79
82
96
97
2200
5
8
14
15
17
23
24
28
105
77
79
80
81
84
86
89
2302
3
7
11
15
16
18
20
21
22
23
24
27
29
30
32
38
47
48
53
54
58
61
62
77
78
79
80
85
86
90
i\. l'ntMa. A. PUEMS.
2229 65 2393 65
30 94
33 96
39 2400 6:0005
42 1 65
43 __ 3
48 9
50 17
53 20
54 22
57 25 205
- 58 27 65
59. 28 -
63 29 105
64 30 65
66 33
105
65
105
65
105
105
105
65
37
39
40
42
43
45
47
54
56
58
60
64
66
67
68
69
75
78
80
83
86
88
90
94
98
2506
7
9
13
14
16
18
19
22
26
35
36
37
38
105
65
205
205
405
65
NS.
2541
45
49
50
53
54
55
57
65
67
74
75
76
78
79
80
81
82
85
87
88
90
92
93
97
2612
14
20
22
23
24
26
27
28
30
33
34
36
40
41
42
50
51
58
62
71
73
76
83
93
94
98
99
2701
2
l'REMS.
65
2005
65
205
65
105
NS. PUEMS.,NS. PUEMS.
2704 65'
105
65
500
65
405
I
9
11
14
15
18
25
26
29
30
33
3i
37
40
42
45
47
48
49
58
61
70
75
79
83
86
89
2803
6
7
16
23
26
29
33
35
39
41
46
53
57
58
59
63
65
66
78
81
90
93
94
99
2903
6
105
65
205
65
2910
12
32
37
38
46
n
53
BS
50
58
59
61
65
66
68
69
73
74
77
78
84
86
89
90
92
93
95
98
99
007
8
9
14
19
21
24
28
29
32
36
40
53
57
59
61
70
74
78
79
82
87
92
95
61
105
65
205
105
65
1005
65
NS. PUEMS.
3097 65
98
3101
4
8
13
18
20
42
43
46
62
m
74
75
76
80
83
88
89
91
92
. 94
99
3203
5
6
14
16
17
22
24
7
28
30
31
H
37
39
45
46
51
52
54
58
63
63
64
W
73
74
79
86
88
93
405
o5
405
NS. PMEMS.
3296 65
99 -
i.m
12
16 -
19 -
20
24 -
25
27
34
37
H
Y;
52



07

Ti
74
"
89
96
99
34W)
1

9
13
21
27
34
35
37
41
44
47
50
51
59
60
61
62

67
73
77
82
88
93
H
M
105
65
Si
*>5
205
i
15
65
Jos Pedro das Neves.
Pern.-Typ. de M. F. de Faria & Ftlho1864



6
t.

*j
LiTTER ATURA.
VIH
(Continuado.)
O 1IOMF.M FROPUB...
O Dinamarqus romprehendeu a situagao, por-
gil, o sabia do seu amor por Miss Liza; balbudoa
urna resposla evasiva, e olhou para Tenia corno
para pedir-lhe que o tiraste daquelle embarazo.
Ura disse Trafalgar cm ar de graca : o se-
ilior nao eonheee os marioheiros da minha ierra,
Rlarle e rerncat>e*e> Sexta felra 5 le Vovenu.ro #e 1R4.
~ Acabaste ? garamatudo d gourguiro. (I)
Acabei.
Vou dizer-te o que ando fazeado, responden
Mordeille ; estou esperando que passe por aqui
utn navio amigo. Ouvi dizer que o Imperador or-
denou a Decrs que mandasse urna esquadra para
a ludia...
E' verdade, disse Tonln suspirando ; ella de-
via chegar ; mas...
Comprehendo, disse Mordeille ; mas sempre
D2
encommeda e me faz arder em reos. As dnas
orphlas sao dous anjos qua Deus me enva, pois o
meu aojo da guarda j me abandonon.
A lancha alcangou o navio, cuja equipagem, for-
mada a eslibordo, bradou Ires vezes :
Viva o canillo Mordeille i
Titjen vejo nceber o liere e disse-lhe :
Sinlo nao poder dar-lhe a salva de honra ;
perlenco a marinha mercante.
Aprecio mais o bom acolhimento destes bra-
vos, disse Mordeille; quero apenar a mo a todos
elles.
Tonin explicou ao capitao Titgcn o motivo que
alli levava Mordeille, e a admissao das duas or-
phaas a bordo nio solTreu a menor dlITlculdade.
Miss Liza ficou muito coltente por saber que ia
ter duas companheiras de viagem, e pediu ao ca-
o do rbegar ca urnas duas ou tres fragatas boas
veleiras, como a Selle Ponte da Clocbetlerie .
Oh I isso por torca, Mordeille.
Tenhoa confiar-Ibes um sagrado deposito...
capitao Titjen I Esrepto no amor, sao mudaveis I"0 "M e impossivel conservar a bordo.
como a loa. E'danossa natureza : o que faz o Ura apanaou de brilhautes ? pergunlo To-
vento do sul, desfaz o vento do norte. De manhaa nin.
aponamos a proa para o norte, tardo para o sul. Cousa mals preciosa; duas meninas orphaas.
Se nao fosscmos assim, seriamos Dinamarqueses, netas do bravo Vicente Caumont o amigo e o bra- P"a0 Mordeille 1ae lhes entregasse dous chales
- feo quer dizer em francez ? disse o capillo.' &> i*> ** Dupl.ir. *** "J *<">* de palha e dous
- Quer dizer, responden Tonin, que eu ar.ia! A *" ** "me, Tonin |tirou o chapeo. KL SJ3 *
para Mayotte; porm vou com os seuhores para ~ Tem"s ainda Decao> P^gulo Mordeille, a Puco vo tou carregada desses presentes.
Ivuov.-EuteuSea.ora? ^ uns trinta mil francezes dispersos p.r toJa a parte esse mtenm, Ton.n d.z.a aos seus dous amigos
-Mas, disse Christiano, Tonin nunca tralou e lds Plres como Job. O governo nada pode fa- ,one bommer'
s. .....joule do levar-me para Moyotte 5 ele sabe z'r Cl" DeneDi:io delles, porque o directorio pouco Vio ver duas rmlas lindas como os anjos ;
ranea de que preciso muito pois nao tenho um pen do' Por lsso os corsarios francezes da India dao a olhos rasgados, lindissimos ; boceas de cereja; oes
vj na miaba bolsa.
do. Por lsso os corsarios francezes da India dao a olhos rasgados, lindissimos ; boceas de cereja ; p
sna parte das presas s familia mais necessitadas. chinezes; covinlias as faces e nos cotovellos, com
Basta, disse o capitao, nao fallemos mais nis- Fawin,,s as do goveroo. Eu nao possuo cariabas de crianga que vae fazer a prmera
so. O que cu quero que vio comigo. Preciso de dous '""''. porm Deus deve-me muito, e apo- comiflunho : sao de enlouquecer quem nao tem
passageiros. E' o quo me d lucro. Acredito que le;''J mandou-P. lia pouco, urna cousa que vale ain,la WM a sua escolha. Oh devernos ir pes
nio recrutei era um so em Santa Mara I
De veras ? disse Tonln.
Sydney melle niedo a lodo o mundo, tornou
< capitao : conhece Svdoov, Sr. Christiano? I06*0*' na Ala vermelha com lodo o respeito ;
Nao, capitao; meu lio leve pegocio l e ga-1 quancl eu fizer al8uma cousa uUl a FraD5a he' de'
ufa >u bastante dinheiro, porm morreu de urna fe- itam
I ', no dia seguinte ao de urna cacada.
Ul POUCO DE TUDO.
RDas photographias socaes do Bouioir transcre-
mos o seguiote :
0 IIOMEM DISTRAHIDO.
Todos conhecem um ou mais horaens distrahi-
dos.
O distrahido o que procura os oculos com os
oceulos no nariz, que perguiita pelo chapeo com
elle na cabeca, que veste as ceroulas do avesso
que sabe para a ra da sapalos de ourelo, que cha-
ma ao criado Tiburcin, sendo elle Jos, e criada
Felicia, quando ella Joaquina.
Isio sao abstracoes vulgares e rasteiras.
Eu porm conhego um distrahido potico, engra"
fado e romntico, que nao tem de prosaico se nao o
nome.
E' o Sr. Jos da Cosa.
Todos os Joss da Costa sao entes vulgares e
semsaboroes.
Este nao.
Jos da Costa pertence ao nosso tremebundo e
numeroso exercito... de empregados pblicos. E1
tenia do estado ha bons trinta annos.
J v o leitor, pelo lempo de servgo do nosso lio
inein, que elle nao nenhum poeta lagrimante,
anichado em urna reparligao publica, para fazer
versos com papel o peonas custa do cofre dos
emolumentos.
Oh I um sobarbo paiz... para o futuro, dis-
ta o capillo. Nao se saho de onde dabo sabia a tal
Nova llollanda. Ha cem annos anda ella nao exis-
ta. Foi o capitao Cook quem a inventou. Cahiria
ir
mais do que urna fortunaa cruz da Legiao de soa,n>ente busca-las. Acompanhem-me, meus aml-
Honra. (2) !gos. Miss Liza, venha comnosco... Entregue-
Ti va ten ac, Oca-te muito bem, disse Tonin'lheS S SeUS presea,tS' abraCando"as- Vamos, niio
percamos o lempo.
E foi cooduzindo miss Liza, seus amigos e Mor-
pedir urna cereja.... Ento, meu caro deille quo ainda conversava com o capitao, e em
Mordeille, tens as tuas costas essas duas orphaas ? um slaata chegaram osea. Tonin tinha pres-
Sao bonitas T sa de tranquili.-ar-se quanlo aos seus amores.
Oh I l estao sentadas r; vera velas; mas A bordo do corsario, deu-se urna scena das mais
sem affectacao. tocantes. As duas orphaas choravam de alegra
Tomas-me por algum pantou 1 (homem do vista dos Icstemunhos de affeicao que se lhes pro-
el o ecu como um immenso aerolitho do sol? Surg- ampo) disse Tonin. tenho me tornado um gentle- digalisava. Os nobres inslinctos do coragao tm
ra do mar como a ilha Santorin ? S Deus que """' O amor e o mar completaran! a minha edu moderad i expansao no meio do tumulto das cda-
&!. ; o que nos sabemos, reduz-se a islo: nao sa-! caCa- des> mas o cu da-lhes alguma cousa de divino
jemos nada. Tnin 0,h&a de relance para as duas orphaas, e quando ellos funeconam nessa solidao sulcada de
voltando a Mordeille disse-lhe em provengal : abysmos que se chama o Ocano.
^In bueno aiguo 1 .. ... ,
n ..... Ajudauas por miss Liza, as duas orphaas no seu
Diminutivo proverbial que exprime este pensa-
niento, sao dous diamantes da mais bella agua.
Producto do cruzamento das ragas, disse
Mordeille; o pae era francez, e a mae hoilan-
deza.
Oh I disse Tonin, islo cousa que nao falha! sem emogdes, derramou algumas lagrimas, e dis-
- Moilo bem disse o capitao, o influiremos pa- o ha nada como o cruzamento das ragas. Se o se",hes com voz aUerada :.
Eis a razao por que devenios instruir-nos,
disse Tonin; se'apraz ao bom Dbus mandar de
presente a trra nina nova America, devemos lodos
jiflnr paraesse novo mundo e povoa-lo. Hoje
um deserto; daqui a cncoenta annos ter cincuen-
ta eidades. Vamos comegar por fazer a vontade ao
bom Deus.
camarote despiram a libr da miseria, o quando
volurara ao tombadilho foram acolhidas com li-
songeiros cumprimentos.
No momento da despedida, Mordeille, o here
la que lodos os nossos amigos se casem.
Na egreja, bem entendido, disse Tonin; se ca-
sassem deoutro modo isso nos traria infelicidades...
Ai I lembra-me agora urna partculardade......
Christiaoo, cscreve a tua noiva, dizendo-lhe que a
Nora Hollauda a reclama, como o paraizo terrestre
reclamara Eva quando Adao se achava >.
Esrreverei. disse Christiano.
- Tico a bordo, proseguiu Tonin. Christiano,
sol casasse com a la, triam Olhos que nos cega-
riam pelo seu brlho e belleza.
E bem vs, disse Mordeille, que ellas pare*
cem muito pobres.
Sim, nao o podem negar. E' de se lhes dar
nmaesmola mesmo antes deltas a pedirem... Coi-
tadinhas !.... Espera tive agora urna idea___
sim, muito bem lembrado___ Foi o santo meu
padroero que me soprou isto ao ouvdo__ Arvo-
vae dizer aos nossos amigos quo eu os espero ro-me em pae destas meninas___ Hade trazer-me,
*?m. felicidade o facto de ter eu duas filhas adoptivas
E dirgndo-se a Miss Liza que se levantara, dis-:anles do meu casamento ... Fago tambem as ve-
to-Ihe
Nao nos separamos mais.
Ouvi tudo, respondeu a moga, e o meu amor
C sou para sempre.
IX
LM ENCONTR NO AI.TO MAIt.
Durante um mez o vento foi sempre favoravel ao
navio ; mas de repente ncalmou, na altura da par-
te da Australia chamada Endracht, entre o Equa-
dor e o trpico do Capricornio. Os passageiros ti-
veram do suppertar o tedio da calmara podre. Ao
anoutecer, o navio parou.
Na manhaa seguinte, quando rompeu o dia as
4.:- horas, o commandante ficou estupefacto avis-
tando a quinhenlas jardas do Albatros urna peque-
na embarcaclo di? mi apparencia, e que, gracas a
sua lig-ireza de casca de noz, e a urna brisa quas
'nsensivel, approximava-se como um pirata.
Os passageiros ainda dormiam todos. O capitao
aeordou Tonin, sempre constante na sua cama do
to nbadilho, e mostrou-lhe o supposto inimigo.
O joven offlcial olhou para elle, deu um pulo de
alegra, c rcvestmdo-se de um ar irnico disse:
Santa Luzia te abra os olhos, capitao dos ce-
gos! Pois nao reconceoste na popa o pavilhao
raocez ? Oh I hoje erguem-se dou. sos no mar;
o sjI da Deus, e o do nosso imperador.
E, lomando a bozma, grilou :
Ola! de bordo I o seu nomc?
A Uoutquo, respondeu urna voz forte como o
vento norte.
zes do governo, e assegur > a cada urna dellas ura
dote de cinco mil francos: que dizes ?
Minha querida Maria, minha cara Aotonie-
ta, entrego-as em mitos de homens de bem. Aqu,
trema sempre pela sua sorte. O navio de um
corsario s habitavel para homens. Olhem alli
esquerda : aquella linha escura, qne avstam,
a trra de Endracht, a costa de urna ilha desco-
nhecida que tem duas mil e qmnhentas leguas de
circumferencia : um mundo que comega, e que
ainda nao tem habitantes. Aquelles que primei-
ro chegam a um continente virgem, sao os esco-
ltados de Deus, porque todo o dominio de Deus
deve ser povnado. Nada do que o ?ol illumira
deve estar ocioso; todo o deserto tem um trahalho
a fazer, tem de prodnzlr messp.s. Adeus, minhas
- Ento est assira rico Vpergunton Mordeille (,ucridas ,filhas' ea moro no 0ceano- e esPero ,or-
muito admirado. nar a ve'las-
Nao da tua conta. E's bem curioso f.... Mara e Anloniela langarara-se nos bragos do
Escuta, o valento Dupleit arruinou-se no servgo seu protector para responderem ao adeus que del-
da Franga, era cinco vezes millionario. Nao lhe le recebiam.
Asthon e Sommer, impressionados pelas pala-
vras de Mordeille, enchugaram a furto as lagri-
mas, e offereceram o brago s duas orphias. To-
nin disse baixinho ao ouvdo da sua noiva :
Asthon escolheu a morena, c Sommer a lou-
ra : d'aqui a um mez estao casados assim como
deram nem seis ianls da inJeinnisagao. O filho
do seu amigo deixa duas orphaas, adoptb-as e caso-
as muito ricas.
Fallas serio, Tonin f
Juro-tc pelo meu escapulario que foi bento
por um padre nao juramentado.
O porta-voz do capitao Titjen fez ouvir estas nos.
Palavras : I Melhor I disse a bella Irlandeza; sao mut0
Miss Liza est cheia de cuidado, volle, senhor bonitas e eu poda ter ciumes dellas. Ver como
desertor. j eu hei de trabalhar para esses casamentos; pre-
Chamam-me, disse Tonin, vem comigo a ciso terse urna oscupagao a bordo.
bordo do nosso navio, e ahi combinaremos tudo. O capitao Titjen, vendo approximar-sc a lancha,
E qual o sen destino ? perguntou Mor- mandou igar todos os pavilhSes nos mastros, co-
mo em dia de feta, e Mordeille saudou com tres
Sydney, urna cidade que ainda est no ber- tiros de peca 0 navio dinamarquez.
go, e que pede casamentos a todos os chos do i X
ocano da India Embarquemos na lancha. sydnet.
Em quinto remava. Toan ia dizendo : '"ma creagao parcial todava um espectculo
Mordeille, tenho vontade de dar-te o apellido beni be!l no mundo j creado. Os passageiros do
de providencia. Nao podes imaginar o servigo que Albatros sentiram um neffavel prazer, quando no
rae prestas. ; ultimo dia de viagem, ao nascer do sol, virara de-
Ah I ainda era cima me ficas obrigado ? disse senrolar-se a seus olhos a costa magnifica de Port
o corsario. Jackson ou Sydney, bahia immensa, cercada de
Sim... em prmeiro lugar, proporconas-me montanhas que a protegem dos ventos, e que cer
a occasio de fazer urna cousa til a Franga.... lamente a providente natureza nao talhou com tan-
Bemdita seja a santa mae de Deus! disse To-mas [arde te explicare! isso ;.... depois.... te- |ta arte para abrigo dos passaros do trpico e dos
Dia : atosca do bravo Mordeille I Um navio do nho abordo dous amigos.... Sabes o que sao, cysnes pretos.
no=sopaizl Reconheeeu que eramos compatriotas 'amigos ?.... insensivelmente elles se apaixonam !
pelos sotaque da bozmal Ol I minha linda baudei-! pelas nossas namoradas, emquanto nao sao nossas!
ral o cu den-lbe a cor azul; a honra deu-lhe a! esposas___
E isso nao prejudica a amizade ? perguntou
Mordeille interrouipendo-o.
cor branca ; e a coragem deu-lhe a cor vermelha I
grande como o ocano I
Todos os passageiros, acordando sobresaltados,
subiram ao tombadilho, o Miss Liza, julgaudo que
Juvia algum perigo, correu para Tonin, em ura
encantador desaliado; Tonin, porm, s via a sua
bandeira.
Depressa, urna lancha ao mar gritou elle.
Nada ha a temer, meus IIIlos, disse o capitao,
u.n corsario francez, um amigo.
Os passageiros applaudiram com palmas de ale-
gra ; de bordo do corsario responderam da mes-
illa mancira.
Tonin precipitou-se do navio dentro da lancha,
e o vigoroso remador em poucos minutos alcangou
o brigue de Mordeille.
O bravo capilla provengal estenden os bragos
para abragar Trafalgar, porm foi blandamente
rejieliido.
Tonln correu bindeira, e depois de a ter abra
{ado, disse a Mordeille:
A li agora I Comprehendes que ella estava
em prmeiro lugar, nao deves ter ciumes I Entao,
sempre agarrado ao mar como um gabian 1 De en-
de ven? ? para onde vas ? que fazes ? J vejo que
ests espera de alguma preza.
Mas, gritou Mordeille, d-me tempo ao menos
para responder-te.
Hm, verdade, proseguiu Tonin. Tens feito
tnuitas presas? Ainda ests solteiro ? Eu von ca-
sar-me com orna picaouno poulido roume un sou-
teou;e o nosso amigo Dutertre, d-me noticias del-
le, c...
Atordoas-mc com tantas pergnntas, disse
Mordeille; nao posso responder-te em quanto nao
cessares do perguntar.
Sira, tens razao, Mordeille; mas ea estou lou-
co. Urna linda bandeira como estaf perience
Franga I passeia pelo ocano ingles I pajHr'por en-
tre as esquadras, como o vento t zraba da Vtlha-
Companhia, Old-Company t ri-se as barbas do
Leo e do Unicornio I E quando ella flucta ao so-
pro do vento... Mas tu ests ahi, Mordeille, que-
do como uro cabrestante, mudo como um alum na
imadrava; dize algnma cousa, falla.
Nao, disse Tonin, a bordo nao se pode evitar
jsso Olha, Mordeille, vas ver a minha futura; I
O navio entrava pela barra dentro, e nada an-
nunciava all a presenga do homem. Pareca que
o ocano coninuava o seu deserto em um acanha-
do espago, como um orgulhoso que, por capricho,
quer experimentar a liutnildade.
a final percebeu-se vida e movimenlo as ex-
tremidades do porto. Os passageiros que se t-
pois bem, ainda que nao queiras has de ficar apai- jnham reunido na vr*' avis,aram cUeios de ale"
gria alguns navios ancorados assim como urna
fragata, canoas de pescadores, e de um e outro
zonado por ella.
Nao, disse Mordeille, nao faco infidelidades
ao mar.
Vers, Mordeille Mas, como te ia dizen
do, tenho dous amigos ; ura inglez....
Um amigo inglez 1 exclamou Mordeille estre.
mecendo.
Converti-o, disse Tonin. Nao te zangues -
esse inglez olha para a minba futura com olhos de
francez, especialmente tarde. Isso me assusta.nariocIue primeiro explcou o Evangelho a esses
O outro allemo.... jcannibaes. Pareca ahi maior que Platao conver-
Com effeito I exclamou Mordeille, lu s pro- sando so,)re a natureza das cousas com os seus
j lado, separadas por um pequeo rio, casas de pe
1 dra e de madera construidas sem symetria, for-
mando o principio da cidade que se devia edificar
para o futuro. Poucos habitantes appareciam na*
praias, e langando-se os olhos para um pequeo
promontorio, vase um homem vestido de preto
e rodead > de hediondos selvagens; era o missio-
curas amigos entre os inimigos.
Esse iooffensivo, disse Tonin ; trovador ;
viaja para aprender as arias que canta a magosto-
sa natureza desta trra ; nao quer ser soldado e
gosta de todo o mundo menos dos msicos. Tem
urna
discpulos do cabo Sunum.
A poucos passos de distancia erguia-se, ou an-
tes sumia-se, um casebre feito de taboas e de fa-
llas seccas, no alto do qual havia urna cruz.
Por detraz da linha do horizonte habitavel, al-
voz mu.to agradavel, e de proposito abusa ,as montanhas cobertas de maltas que, de pincaro
della em presenga da minha noiva, que apaixo- em pincaro> v5o ,., nas so||d5es anda
nada pela mus.ca como todas as .rlandezas. A's exploradas,e que sao guardadas pelo monte
vezes acabara por amar tambemos cantores. Win(?eni mysteroso vulcao do qual nao podem
-Entao tens ciumes antes do casamento? per- dar idea o Vesuvio e o Etna. E' urna elevada
gunlou Mordeille.
Para nao ter depois, replicn Tonin.
Nao sennor. Jos da Costa ura cidado regula-
rsimo no cumpri ment dos seus de veres burocr-
ticos, figura sempre no lvro do ponto, com mensao
honrosa, e ainda nao tem habito de Christo.
Nao se lhe notam se nao dous defeilos.
Prim.E' proprietaro de um nariz rubido,
ponteagudo e anti-social, ao p do qual ficariam a
perder de vista os historeos e veneraveis narigoos
de Cyro, Machiavello, Catilina, (tabellis e Cyrano
i de Bergerac, o mais celebre de todos.
Secund.E' dotado de ama distraegao que es-
(ava ao talhar para qualquer litteralo da moda,
mas que, em um empregado publico da gravidade
de Jos da Costa, de muito mo effeito.
Todos comprehendem que o litteralo estude em
rasa as ahstracgSes que ha de experimentar e pa-
teniear na ra; um litteralo distrahido consa
muito chique, e d ao individuo urna certa aureola
de ceiebridarte...
Mas as distraegoes de Jos da Cesta nao sao es-
tudadas, e por isso tem o valor da originali-
dade.
E se nao veja o leitor :
Jos da Costa vai habitualmente jamar aos Ir-
mos-unidos, c entra pela porta do Roco que Gca
junto da nolica.
Pois nao raro o homem entrar abstractamente
pela pharmacia dentro, e interrompendo o expe-
diente dos basilicoes, gritar para o sorpreso phar-
macopolo :
Rapaz I urna sopa de camaro e mcia lin-
gual
Percebendo o equivoco, desfaz-se cm desculpas
e entra finalmente na casa de pasto.
Ao jamar, se acera de estar na pujadura da dis-
trago, acaba de comer sopa, e pede mais sopa e
mai' sopa, eoiuendo afinalde contas tres sopas, jul-
gando que comeu lima I
Mora o nosso ratao n'um tercero andar, mas sao
raras as vezes que, ao entrar em casa, nao vai ha-
ter ao segundo ou ao quarto e at ao quinto, por
distraegao.
Jos da Costa carrega muitas vezes do excelen-
cias o continuo da sua repartigo, julgando fallar
com o che fe, e manda o chefe detar tinta no tin-
teiro, tomando-o pelo continuo. Esta confuso
(Ilha nnicamente da coincidencia de ambos, conti'
nuo c chefe, usarera de suissas ngleza.
Jos da Costa encarregado um dia de sobrescrip-
tar varios officios, fez a seguinte salgalhada :
Mandou para o conselho de saude urna portara
concedendo um beneficio associagao dos barbei-
ros, amoladores e artes correlativas ;
Envou ao commissario regio do theatro de D.
Maria um offleio, perguntando-lhe se as Canarias
estavam sujas de febre amarella ;
Mimoseou ogovernador de Cacheu com urna no-
raeago de correio de secretaria ;
E remetteu a um criado do ministro da justiga
para quem era a nomeago um decreto exone.
rando-o do cargo de governador da praga de Ca-
cheu.
O nosso abslrahido borocrata molha vulgarmen-
te a penna no arieiro em vez de a introduzr no
tinteiro, e se quer deitar areia n'algum alvar,
vaza-lhe com tuda a certeza urna enchurrada de
tinta.
Toma a sua pitada na caxa das obreias, p9e a
penna atraz da orelna, e anda tres horas cata
d'ella, e assoa-se ao longo do collega se acaso o en-
corara sobre a mesa.
D-lhe um da, certo amigo, parte do seu casa-
mento com D. Fulana ; o nosso Jos responde-lhe
aeramente :
Eu sinlo da minha parte que tivesse occasio
de desgosto.
Encontrando de luto um collega, a quom morre-
ra um irmao, corre para elle e pergunta-lhe :
Foste tu ou teu mano aue morreu ?
No passeio publico, irava Jos da Costa conver-
sago com ura sujeito, topa com outro e vira se
para elle, continuando a conversa ; o primeiro al-
fasta-se e elle trava do brago do segundo, e toman'
do o se.npre pelo primeiro, pro egue :
Mas como eu ia dizendo : aquelle l)r. X.
um asneirao formal, um doutor qua escreve ovos
com h, bacharel com x e cavallo com k I...
Fazendo tengao de ir almogar um domingo
Nova Cintra, toma bilhele para o Lumiar hora
competente, mette-se no primeiro mnibus que en-
corara, e s tres horas depois que, achando-se
porta do Vctor, vera no conhecimento que foi pa-
rar Velha Cintra.
O pobre Jos da Costa tem desvelado algumas
noites ao sereno, no Passeio Publico, por nao dar
f do ultimo toque da'sneta.
Quando era rapaz, deu-lhe na mana namorar e
comecou a aproar o nariz aquelle immeoso na-
riz! para quantos vultos via na janellas da vsi-
nhanca.
Depois de namorisrar seis vasos de mangerco,
dous craveros, tres gatos francezes, um maltez, e
duas gaiolas de papagaio, encontrou em fim, por
acaso, urna cara humana que lhe prestou atten-
go.
Tratou-sc do matrimocantamento.
Pis Jos da Costa no eslava livre da saa dis-
traegao chronca nem no dia em que se casou.
Ao sahir da greja levou por engao o chapeo
tricrneo do padre prior e a bougala do sachris-
to...
A noite sabio e foi, como de cosame, para a u-
rea jogar a sua partida da hilhar.
Quando bateu tneia noite anda a pobre da.noiva
o esperava em casa. Foi nessario que o sogro
lhe fosse lembrar que se tinha casado n'aquelle
dia...
Jos da Costa correu aos bragos da noiva, e por
distraegao levou para casa um taco de billiar.

A VISAO.
E' vicio meu applicar a critica mystica a todas
as obras poticas, por isso mesmo que esta quali-
dade de critica a mais transcendental, elevada c
grandiloqoa.
Eu vi os seguntes versos no Conservador, nao
sei de quando, e admiro-os porque esto replectos
de philosophia mystica e allema.
Ei-los:
Eu vi a meia noute o cu abrir-se,
O sol luzr e rpido sumir-se ;
Mas um anjo ficou. >
E' natural esta tirada ; porque o sola meia nou-
te quando se nos apresenta na sua maior torca
de coroscar ; e isto evidenceia o theatro de S.
Carlos sempre que meia noute nos apresenta o
sol do Propheta sem se abrir o ceu ; porque l
em S. Carlos entendeu-se, que o cu (estylo figu-
rado) s se abre meia noute, em noutes de tro-
voadas I Oh I sim poeta, quando antecede o ri-
hombo audaz o mystico ciaro da scentelha furi-
bunda, que impvida corta o espago na amphdao
do mesmo!
Mas um anjo ficou. >
Este anjo por forga ficou s escuras e s apal
padellas, porque, quando o cu se abriu meia
noute, o sol luziu; mas rpido sumiu-se; e como
o anjo permanecen, achou-se portanto o pobresi-
nho meia noute s escuras.
t ureas azas desprende e foi voando;
Sobre a regia inansao, depois pairando,
Desceu, sorriu e entrou.
Muito bem.
O cu estava aberto, mas s escuras. O anjo
de azas de ouro, soltou o seu voo, e elle anjo, ahi
vae para urna regia mansao... e pairou... e des-
ceu e sorriu... e eotriu !
E fez tudo isto as escuras I
E o autor da Viso viu tudo islo iambem s es-
curas I I 1
t Percorrc as salas com aspecto nobre,
E n'uma cmara que alm descobre,
Sbito o vi entrar. >
E' o bicho de conta.
L-se no Jvrnal do Commercio do Rio, o se-
guinte :
O Sr. bacharel Pedro de Albuqaerque Rodrigaes
escreve-nos sobre a sua machina de movimenlo
continuo o seguinte:
Esse pnm.'iro marhinismo que temos imagi-
nado apresenta as segnintes partes.
Um tubo de dmengoes variaveis com a pres-
so que se deseja obter; apoiando-se sot.re n-na
caixa d>- distribuicao applicadaao c irpo de I .roba;
nessa caixa move-se a corredica de m lo a dar
entrada ao liquido na parte anterior ou posterior
do embolo, por meio de dous orificios ou nuridos
pr.itKados no corpo de bomba. O orificio de es-
capamento fot transposto para o lado oppoto que
apresenta urna disposgao anloga ao precedente:
isto urna caixa de escapamento com dous ouvi-
dos e a rorrediga, que movida juntamente rom a
OUtra (com que faz fptaM iucariacel, por mei
de lignrSes exteriores) por nm mesmo ev^niri.vi
O oiovimento das orreligas sendo combina! de
modo que os onvidos de mesmo compartimento do
corno de btmba c-tlo sempre em opposiga >. isto if,
o orificio de intro luegao aberto, o de escapamento
fechado e vice-versa.
O embolo communica seu movimenlo a un
eixo munido do competente volante. O exo trans-
mite verticalraenle seu movimenlo, por meio de
urna manivela e biela, a um brago de alavan-a
apoiada de molo a apresen!ir esse braco maior
extenso que o outro. Ao braco menor Vta arti-
culada urna aste de embolo qne morp-sr em nm
novo corpo de bomba sobremontdo de um tubo
que tem de elevar a agua a altura egual aquella
de que tem rahido.
monlanha de granito que vomita chammas pelas
fendas que a sulcam por todos os lados sem abrir
E nao ha oatras passageiras a bordo do teu crtera no seu cume; medonho ve-la em u
navio ?
Ha sete, mas sao feias como os sete poccades
mortaes. Vao para Sydney a ver se casam com
os selvagens convertidos que hao de acha-las bel-
las como as virtudes theologaes. Os meus ami-
gos olhara s vezes para ellas, porm voltam logo
a contemplar a minha futura, como quem come
assucar depois de tomar urna tisana; e isso me
ma
nonto escura; como que um gigante vestido de
fogo que guarda os mysterios d'aquelle deserto.
Miss Liza, encostada ao.braco de Tonin, nito va
a mmensdade desse horizonte, nem os trabalhos
dessa cidade nascente. Seus olhos nao se arreda-
vam da fragata que se achava ancorada a certa
distancia de trra; ella nem ouvia o que lhe dzia
o joven offlcial, que, no seu enthusiasmo elevava
(i) Boceas de ferro, cora figuras humanas, que Prt0 de Sidney cima do e Toulon, e procura-
se collocam nos cantos dos telhados, e que sartn va dous lugares que mais se assemelhassem sua
para se esroar por ahi achuva em continuos
jorros.
(i) Conheci muito o capitao Mordeille na sua
velhice contava-me, chorando, que desmaiara de vengal.
alegra no da em que recebeu a sua coodecorago
na India era 1806. Podem-se consultar os regis-
tros da chancellara.
trra para construir urn poste, e um agarhon esses
dous sonhos dourados do humilde cagador pro-
(Contimar-st-ha.)
Mas sbitamente o nosso Jos corta o seu elogio
com umAh !... prolongadissmo.
Era justamente com o Dr. X. que elle estava fal-
lando I
Muitas vezes sahe o nosso distrahido de urna vi-
sita, e momentos depois volre a tocar a campainha
e pergunla se aSr. D. Fulana de tal est era casa.
O criado responde-lhe boqui aberto, que elle de-
ve sabe-lo, visto que acaba de a visitar.
- E' verdade, que cabega a minha .' estava tao
dist'ahido... pego desculpa a V. Exc, sou um
criado de V. Exc... nao se encomraode V. Exc...
s ordens de V. Exc...
E inchna-se at ao chao reverenciando o criado
e matendo-o com excellencias, por que o tomar
pelo seu chefe... s por se dar o caso d'elle usar
suissas ingleza I
Jos da Costa almoga habitualmente o seu ovo
quente, mas gosta elle mesmo de o por., a aque-
cer, por que sabe o numero de minutos necessa-
rios paraaquentar bem um ovo.
Mas o que faz elle muitas vezes ?
Pega do relogio com a mao dreita e toma o ovo
na esquerda, e como o pensamento lhe anda sera*
pre devaneando nas regioes remotas, melle o relo-
gio na agua quente e pe-se a olhar marhnalmente
para o ovo espera que passem os quatro minutos
da lei.
Mas que salas sao estas ? I
Que regia mansao esta, quo tem todas as casas
aberlus a meia noute, sabendo que os gatunos m-
festam a capital na actuahdade. e que a polica es-
t ainda urna lastima, nao obstante as deligencias
que o ministerio do reino emprega para a tornar...
peior.
E como foi que o anjo s escuras descobriu urna
cmara, quando atravessava as salas com aspecto
nobre ?
rgue-vos, vate Que escorregadellall!
O que que linha nobre aspectot
O anjo ou as salas ?
Mas attengo :
N'este dia em que oulr'ora fui nascido
Hoje venho da carne j despido,
Pae, irmaos abracar
E por os possur sauaar o povo I
t Assim disse e soltando um vo novo,
No ar se vae perder I
Niveas roupas traja va: que lindo que era!
De virtudes lougo oh quem podera
Anjo tal inda ver.
Isto que de arripiar as carnet til...
O anjo do ureas azas despido da carne o em
roupas brancas... (niveasroupas) muit* lougo e
soltando um vo novo ( um vo l da sua inven-
gao I ), perdeuse uo ar .' I Pudera I s e mor-
cego, o mocho e as corujas, que se afoulam a
solUr meia noute... s escuras os seus velhos
vos.
O poeta... um graade humorstico!
Que ratao 1
Depois de ver que o anjo se linha perdido, em
lugar de ir ao governo civil dar todas as providen-
cias, que exclama :
Oh I quem pudera
Anjo tal inda ver I
Aqui fica a analyse feita Visao...
Existe o direitb da represalia. O autor da Ki-
sao exerga tambem a sua critica sobre esta minha
quadra:
Era mrio dia e contemplava a la...
Mostrara a noute um radiaute sol...
O gaz acceso tudo escurecia...
Al estrellas no lindo arrebol.
VingangaI

PBRGL'NTAS INNOCENTES.
Quando que urna pulga se pode suicidar ?
Quando saltar da saia do qualquer senhora,
pois cae dor arcos abano.
Quaes sao os homens que podem enriquecer
mais depressa?
Os cambistas, porque fazem muttos dezcontos
por dia.
Porque que os botins se parecem com os noti-
ciarios ?
Porque fazem o seu servigo com palas.
Em que se parece ura ralo (bixo) com o ponto
do theatro de S. Carlos.
Em cantar dentro do buraco.
t Os dous compartimentos deste novo corpo de
bomba esto em communicaro com a caixa do
sahda, de modo que a cada jon=adura (moTinnn
to do embolo) forma-se um vacuo, e as vlvulas
do urna pntrada rpida ao liquido, que sahe do
outro corpo de bomba, diminuindo asim ronside-
ravelmente a contrapressao. Na fsSMfjh do tubo
com os dous compartimentos desse corpo de bom-
ba, existem vlvulas que snspendem a rolnmna
liquida, e qm se abrem do iotenor para o exte-
rior logo que a pressao no corpo de bomba excedo
a pressao exterior. Vejamos agora o effeito des-
tas disnnsigoes.
c i'.he i os os tubos e aberto nm dos ouvidos a
pressao que o liquido exeree de encontr ao em-
bolo leva-o outra extremidade do corpo da bom-
ba, nesse mo nenio o ouvido que tom dado intro-
duego ao liquido fecha-se, e o outro abre-se e for-
ga o embolo a recuar fcilmente visto, qne o li-
quido daquelle compartimento deixando de estar
cm communicago com o tubo, e o ouvido de es-
capamento deste lado estando ento aberto, o li-
quido nao ple exercer pressao de alguma impor-
tancia ; e assim contina o movimenlo, que
transmittids ao eixo e deste vertiralmenlo
ao brago da alavanca. Ora, se esse brago 3,
4, 5 vezes miior que o outro, a forga que per
elle fr transmitida se tornara 3, 4, 5 vezes maior
no outro brago, e, portaran, bastante para com
urna pequea fraego da forga motriz dada osten-
tar urna columna liquida maior qne a columna
motriz, e ter ainda nm excesso de potencia para
occorrer as (riegues, contrapressoes. etc., etc.,
t Isto que se a pressao da columna motriz
de cinco atmospheras, dando tres para friegues
trahalho til, contrapressoes, etc.. fleam dua, qne.
applicadas ao braco maior da alavanca, se torna-
rao em dez cu oito na outra extremidade, confor-
me os biagos estejam entre si, como cinco on qua-
tro para um. Donde conclue-se que no segundo
corpo de bomba existe pressao mais que rooside-
ravel para o fim que se tem era vista feror a
agua altura de que tem cahidu.
Como se v chegamos a esse V-'sultado, sem
fazer se quer urna hypothese... nem tao pouco
exigir dispcsigoes impossiveis; aquellas qne te-
mos empregado existem mais ou menos nas ma-
chinas acluaes, foi urna simples applicaro da ala-
vanca. As machinas actuaos sao simples trans-
inissoras, a que apresentamos essenrialm.-nt"
multiplicado a.... a pratica peder mostrar a
contradiego, se que existe, do que haremos ex-
posto ; se algum erro existe ser de dispos--oes
secundarias que pertencem aos constructores mais
do que aos engenheiros. Chegando a cse re-
sultado, tiramos consequrncias importantsimas,
que vamos expor na ordem em que ellai nos
vieram.
c Maciiina molu continuo de pressao e compre*-
sao, motor liquido. No macbini.-mo anterior o
excesso de forga que se tinha oblido no segundo
tubo era perdido, pois que a agua era levada a>
primeiro tubo por urna simples calba, despejando
nessetubo, que deve terminar per um roe trun-
cado invertido.
Desta disposgao resultava que a potencia da
machina licava sempre constante.
Afim de aproveitar o excesso de forra, qop e
perdia, nos communicamos os tubos por meio de
um tercero tubo de concordancia. Casa esa dis-
posgao fcil de ver que a agua elevada pelo se-
guodo corpo de bomba vae comprimir a qne se
acha no outro tubo e augmentar assim a potencia
motriz.
Essa disposgao, como se v. permute dimi-
nuir altura dos tubos, sem que com isso a ma-
china dcxe de ter tanta forga como no primeiro
caso.
Machina motu-contmuo de ar comprimHo. ~
E" evidente que da ultima disposgao pas*a-se na-
turalmente substituigao do liquido pelo ar com-
primido, para o que basta reduzir sufuYicntemenio
os tubos, e dispr no 2. corpo de bornaa valrulas
que a bem carregada; parti.ularidade que di-pen*avel
nas primeiras machinas, pela quasi iocoroprosi-
bilidade dos lquidos.
Como se v essa machina efT-ctuar sea tra-
halho nas mesmas condiges de resistencia que as
machinas de vapor acluaes, e quasi com as mes-
las dispo^igoes.
E' evidente que o peso de urna semelhante
machina, suas proporgoes, e sen effeito, a tornam
muito adaptada a movimenlo das locomotiras e de
todas as ontras machinas motoras.
1 E se a questao do movimenlo do balo, como
d.zem alguns, tem encontrado a maior diflfculdade
de sua solugao na determinago de urna machina.
cajo peso e dimensoes sejam mui pe-nenas, e grande effeito motor, a machina de ar comprimido
satisfaz as condigoes maravilhosamente, o movi-
mento do eixo communicado a ama hlice ou a
grandes palhetas vencer perfeitamenle a resisten-
cia do ar.
I
Pederamos apresentar tambem urna applica-
Qual o bicho que se administra melhor;que --.------- .. "" "
vive sem extravagancias ; que nao vae a pan- 2? ummchlm"m0 ?*S M*r'
Nao admirar*) v-lo mesa metter urna ro-'degas; que nao gasta ma.s de que pesar- -1 TZ li ""'' T ""* "*
* na hoce i, julgando ser ura pedago de po. be- que ,eva a sua vidLu.to direiJa, slse',m.; ^ZSSSlSSSKS
portar com prenles nem bixassos alguns;-final- didos na materia. Esso ullimo machinismo ce-
mente, que, cont typo de economa e recudi, s.ste na queda d'agua como potencia motora
poda ser nomeado chefe de contabilidade na futa-_____________________________________
ra reforma da alfandega municipal 7 i PERNAMBUCO.- TYP. DE M. F. DE F. & PILHO
ber o conteudo do mostardpiro, pensando beber um
copo de madera; deitar vinho no salero, assoar-se
ao guardanapo e metter os dedos no meio d'um po-
'dim para tirar nm palito.

MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENOZXN6X8_6V3OH9 INGEST_TIME 2013-08-27T20:47:02Z PACKAGE AA00011611_10527
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES