Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10525


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\
>\
MO XLJOMERO 269.
Por tres nezes adiau lados 5SOU0
Pop tres mezes vencidos 6JJ0UU
Porte ao correio por tres mezes. 0750
NCARRBiiADOS DA SBS.CII-CAO NO MOR i E
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araraiv, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Marar.hao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
NCARREGAD03 DA SUBSCRIPCAO NO SL.
Alagas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martms & Gasparino.
iaR'JiA bus ajiaiiA.
Oitnda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anio, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
d i'.T? e "fOhoiis as tercas feiras.
Pao d Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira.
S1^ Fiores. Villa Bella, Tacarat.Cabrob
uoa vista, Ooricury e Exu' as quartas feiras.
Serinnaem, Rio Fonnoso, Tamandar, na.Barrei-
fihrHITa Pre,a d Pim,nteiras as quintas feiras.
una ae Fernando todas as vezes que para ali sahir
QaVlO.
Todos os estafetas partem ao V dia.
OABTA FEIRA 23 DE ffOYEMBRQ DE 1864
Por amo ad*s;o>.....491000
Porte ao correio por ob anno. 3$0u
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
6 Quarto cresc. as 9 b., 33 m. e 2 s. da t.
13 La cheia as 3 n., 13 m. e 36 s. da t
21 Quarto miug. as 4 h., 56 m. e 56 s. da m.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
PRKAMAR D8 HOJE.
Primeira as 10 hora 54 minutos da manhaa.
Segunda as 11 boras 18 minutos da tarde. ,
i-atxiUtt l>O VArORia O)SttR03.
Para o sul at Aiagas a 5 e 25; par* o norte at
a Granja a 7122 de cada me?; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan. marc.,maio. jal. set. e nov.
PARTIDA DO OMNiBUS.
Para o Recife: do Apipucos s 6 'A, 7, 7 >/, 8 e
8 Vi da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato s 6 >/, da ni.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos s 3 '/i, 4,4 yt, 4 V,
o, 5 A, 6 V e 6 da urde; para Olinda s 7 da
manha e 4 V da tarde; para Jaboato s 4 da
tarde; para Cachang e Varxca s 4 /i da tarde;
para Bemfica s 4 da tarde.
DiENC A DOS TRIBUNAS Da CARti
Tribunal docominercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 1G horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juiso do commercio: segunda< s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civtl: tercas sextas ao meo
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
P1RTE 8FFICIAL
GOYERSO
DA PROVINCIA.
Continuarn do expediento do dia ISde noTemhrede
1861.
Offlcio ao inspector da tliesonraria de fazenda.-
flerommendo V. s. que, atiendendo as valiosas
razoes expendidas pelo Exm. vicario rapilular no
offlcio junio por copia datado de 13 do corrente,
mande, nao obstante o que ponderou em sua in-
ormaco de 28 de setembro ultimo, sob n. 558,
entregar em duas prestacoes ao chantro da catite-
dral de Olinda, Jos Joaquim Camello de Andrade,
encarrepado da obra da eoberta daquella igreja, a
quantia volaoa pelo goveruo imperial para a pro-
dita obra, devengo o menrionano chantre prestar
contas opportunamente nessa reparticao das des-
pezas por elle pagas per ennta dessa quantia.
Communieou-se o Exm. Dr. vigario capitular.
Dito cmara municipal do Recife. Recebi
em 16 do corrente o offlcio que a cmara muni-
cipal da cidade do Recife dirigio-me com data de
20 de outubro prxima Ando, remettendo copia
da acta da apuraco geral da eleicao de verea-
dores e juizes de paz, a que se procedeu ltima-
mente as freguezias do seu municipio, fazendo-
a acompanhar de copia da eleicao da freguezia
de S. Lourenco da Matta, das que se fizeram na
matriz e capella do engenho s. Francisco na fre-
guezia da Varzea, e de urna nctico documenta-
da que a essa cmara apresentra Jos Thomaz
Cavalcanti Pessoa, protestando contra a eleicao da
freguezia dos Afolados.
E em resposta, sou a dizer a essa cmara, que,
cabendo-mc a attribuicn de jul.ir provisoriamen-
te as eleicoes de vereadoresejuizes de paz, tenho
resolvido ap^rovar a que se fez na matriz da fre-
guezia da Varzea, e determino a essa cmara, que,
tomando em separado os votos da eleicao fela no
engenho S. Francisco, inclua naapuragao geral os
da eleicao da matriz, remetindome o resultado
para ser subraettido apreciaco e deciso do go-
verno imperial.
Dia 19
Offlcio ao Exm. Dr. vigario capitular desta dio-
cese. sirva-se V. Exc. de informar acerca do que
impetra do governo imperial no incluso requeri-
mento Jos Firmino deOliveira Regia
Dito ao Exm. presidente da assoeiacao commer-
ial beneficente.Informe V. Exc. acerca da me-
dida que prope o gerente da companhia Pernam-
bucana no offlcio incluso por copia, datado de 17
do corrente, relativamente a sahlda de seus vapo-
res nos dias 14 e 30 de cada mez paraos portos do
sul.
Dito ao coronel commandanle das armas.Pode
V. S. contratar mais um facultativo civil para ser-
vir na guarnico desta provincia, visto que de
necessidade supprir a falta do 2 cirurgiao Dr. Er-
nesto Feliciano da Silva Tavares que vai acompa-
nhar o 7 batalho de infamara at a corte.
Fica assim respondido o seu offlcio n. 20,66, de
18 do corrente.
Dito ao mesmo.Sobre o offlcio junto dos agen-
tes da compendia Brasileira de paquetes vapor,
sirva-se V. >. responder-me cora urgencia acerca
da possibilidade e conveniencia de ser transporta-
do para a corte a ala direila do 7 batalho de in-
fantera que para all t.-m de seguir.
Dito ao mesmo.Informe V. S. sobre o que pede
o major do 2 batalho de infantaria no requeri-
mento que aqui ajunto.
Dito ao Dr. chefe de polica. Tendo o comman-
danle superior da guarda nacional deste munici-
pio de pascar revista aos batalhoes de infamara
ns. 4 e 6 das freguezas do Puco da Panella e Afo-
ganos, os quaos contrauaro a formar-se as res-
pectivas paradas em lodos os dominaos para ejer-
cicios ; assim o declaro V. S. para que previna
as autoridades civis daquellas freguezas de seme-
ntante occurrencia.-Communicou.se ao Exm.com-
mandante superior da guarda nacional do Re-
cife.
durante o mez de outubro ultimo. Coramunicou-
se tm Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Em vista da inclusa conta,
mande \. s. pagar a Joao Antonio de Araujo A C.
a quantia de 288*137 rs., preveniente de 14,000
envelopes que vendeu para a secretaria da presi-
dencia.
Ph ?v0 con,mandante superior da guarda nacio-
nal de Olinda e Iguarassu'. O modelo para a re-
laco de offlciaes a que aliada V. S. em offlcio de
11 deste mez, fui de novo enviado com o desta pre-
sidencia de 15 do crreme.
Dito ao eoeenheiro chefe interino da reparticao
das obras publicas.-Remella V.,ic. a cmara mu-
nipal desta cidade, com a brevidade possivel, urna
cetina da planta da estrada que secue do Mangui-
nno para a ponte de Ueha, organisada por occa-
siao de ser empedrada a mesan estrada.Com-
munlcu-se a cmara municipal do Recife.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de
paquetes a vapor.- Podem Vmcs. fazer seguir
para os portos do sul n vapor Apa, amanha a
ora indicada em seu offlcio de hoje.
Dito aos raesmos.Nao pudendo seguir no va-
por Apa, a ala direita do 7. batalho de infanta-
ra sera que seja transportado o respectivo archi-
vo, como pondera o commandanle das armas e
communicando-me Vmcs., refenndo-se a partici-
pado do commandante do vapor, nao ser possivel
o receber, por falta de espaco a bordo, declaro
\ mes. que ficam sem effeito lodas as ordens que
naviam sido dadas para o transporte do referido
batalho, que tinham de partir, seguindo apenas
cerca de 40 pracas do 2." batalho, e alguns recru-
tas : o quo tudo commuoico para sua intelligeucia
e governo.
Dito aos mesmos.-Informem Vmcs, com toda
a urgencia se pode embarcar no vapor Apa, as
condicHS da portara desta dala todo o batalho 7
de infantaria.
Portara.Os Srs. agentes da companhia Brasi-
leira de paquetes vapor, mandem dar transpor-
te para a corte no vapor Apa, por conta do minis-
terio da guerra a ala direita do 7. batalho de in-
famara com os offlciaes a ella pertencentes, bera
como as bagagens destes e o archivo da respectiva
ala, consume de 8 ou 9 canoes de 6 7 palmos
de cumprimento e 5 de largura indo as pracas de
pret armadas e equipadas.
Dita. 0< Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes, mandem dar transpone por conta do
ministerio da guerra, no vapor Apa, a Anna Joa-
quina da Conceigao que acompanha para a corte a
seu marido o soldado do 2. batallo de infantaria
Antonio Alves da Silva.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes vapor, mandem dar transporte para
a corte por conta do ministerio da guerra no va-
por Apa, aos soldados Antonio Joaquim de Squei-
ra, e Guilherme Goncalves Gurjao que Iteran
transferidos da companhia de cavallaria desta
provincia, para o 1. regiment de cavallaria li-
geira.Commuaicou-se ao coronel cemmandante
das armas.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
Je paquetes mandem dar transporte para a Baha,
por conta do ministerio da guerra no vapor Apa, a
Manoel Faustino, que tev bata do servico do
exercito no batalho n. 7 de inrantana, em 2 do
corrente.
Dita.Os Srs. agientes da companhia Brasileira
de paquetes vapor manden dar transporte at a
Baha no vapor Apa, em lugar de r destinado a
passageiro de estado, ao ajudante de engenheiro
fiscal da estrada de ferro desta provincia, tenente
Jos Carneiro da Roeba.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes vapor mandem dar transporte para
o Rio de Janeiro no vapor Apa, em lugar de r
destinado a passageiro de estado, ao aspirante Joo
Egidio Castro de Jess.
EDITAL.
2' seecao.-Secretaria do governo de Pernambii-
co, 19 de novembro de 1864.Pela secretaria do
governo se faz publico para conhecimenlo dos in-
teressados que os despachos proferidos pelo Exm.
Nal DA Uto.
21. Segunda. Os. Honorio e Helindofo mm.
22. Terca. S. OriUi v. m.: S. Kilrnom m
21. Ojiara. S. Clemente p. ni. 5. Krltrt4* m
24. Quinta. S. Ma da Cruz r. S. Poitruao*.
2. Sexta. S. Caikanaa v. ni.; S. Kra-mo m
26. Sabbado. S. Pedro Alexaodndu l. m.
27. Domingo. S. Mar^anda de Sabo>a v.
ASSIG.NA-SI
no Recife, em a livrana da praca da Indrcfij,.
ca ns. 6 e 8, dos proprieianoa Ma^Ml b -
de Fari k Fimo. ^^ ^^ "***
m
grande sacrificio s despezas de medico e dema
cacao. '
Urna providencia sobre as trras situadas as
visinhanjas das Ironteiras cousa que mutto
urge.
A provisao do art. 1" m fine, da lei de 18 de
setembro nao satisfaz as necessidades. A zona de
titulados tenentes coronis ; e as cruezas,
abusos e despotismo exercidos por elles sao tanto
ncio facultado pela lei, no intuito de promoveio A
povoamento dos limites do imperio
Reclama tambem nma medida especial a sit
Ma?sPmnraf^'h a-,erd^ e'0Jd'ec,0rparcial* da Per#egU'ao desenvolvida contra os Mir.uiha>,
5?d?ffin?hf,i^',,SW9.deqa2'08'e ?Iuelin,,am encado mais para as margeos do
MmiL SS'dSnffi 'nd,' Pr V5*"' Hy"p"r' c*^entrVaram-se temerosos lora do noss,
StiEHrSS^Z^.**!**!*!? ter.ri,orio- nos Yertos anda nao trilhados ne.r;
autoridade.
A consecuencia que, longe de progredir, a con-
cao do dominio particular no municipio da cap
Esgotado 7 de julho de 1857 o segundo pr
oe seis mezes, concedido aos 17 de Janeiro par;
legitimaco e revalidaco, verificou-se, em vista
recommendado no aviso do ministerio
quista pacifica dos indgenas se diOkulia de dia
para da ; e nao s se difflculta, como mesmo se
perde a olhos vistos.
Um numero crescido de tribus, que j havam
descido das cabeceras de alguns ros outros lu-
gares igualmente remolos, estabelecendo-se aldea-
2rto das as vizinhangas de cerlos povoados,
,. nem
pelos regates, nem pelos directores.
Como estes, temos perdido e iremos perdende
outros habitantes, que, educados convenientemen
te, seriam de grandsimo presumo na nessa ex-
tenca linha de fronteira.
Cumpre o urge prover de remedio males de
tamanha gravidade. Cumpre reter esta populacao
que se afasia
no imperial, eoBfbM um resoeitivel aeerduM, lo
illu-tre per. sabor como pvla ar.lent- e wi.UI- e
zelo apot >hco, de cpie teni id mravel --x-m-
po, o reverendo I) J,-,- Anl.ni- Mria lh.i
para vir enr^rrear-se Mfa urefa sania E'
mado de verdadairu jubilo que v.h ana
proxiaw ebegada eme rirtoaai vario, >o*
tender aos anuos nem as fadigas, aeeiiou arMoan
o convite que Ihe dirig.
*egunde me previne, diligenciara al o ba da
anno adquirir companhHros que com rile veabaaa
de 25 de 7*5*S7=-3 ^SffSSU^SJW
Plse.s/:?es'nar,as ou concessoes suje.tas a essas lidfles e aos bal i os da vidi nr?n o l &S
formalidades.
As ierras de que os possuidores sa teriam po
dido assenhorear, pelo favor da lei de 18 de ta
assim como aproveilar a que. se trabalnar em lio sagrado mi*ier ; mas m-r *. ar-
concenlra nos desertos, perdida para a religiao, ranje ojor na., dz-rae seguir nessa eu>a oan
intil para a sociedade. Cumpre ir ao encontr para esta provincia.
destes restos despersos de tribus, que mutuamente i Tencinno colloca-lo frente de urna bw*s*> q*-
se combatem e destruem em um lula selvagem ; me proponho cre.ir no Puros onde com.> otoTo
reuni-los em missoes que tenham por base o ensi- desciment de grande parte da gentili lad- dan mar
aos hbitos da vida primitiva, que iam tro- 1? a quo sejam Rolonias mistes, se me gens superiores a uial m .stra Mi es *,*>>+&*
cando a pouco e pouco por coslumes mais brandos f? e*Pr,niJr assim; cumpre finalmente, cuidan-. para isto. Euto nao hesitarei era a e civilsados. i" aa sorle de tantos infelizes, eslabelecer, nesta que, pelo menos naqunlle ponto fteara rM4.
lro Entre tantos outros exemplos, cilar-vos-hei o dos parie,[emola do pa]z' pos,os av;">?a 'rtL"*a!l;.C ^0. J^tr Catuqueiras, establecidos em differentes malocas S0 A ^u.Pa? a..l ?osso territorio. I lonisaco indgena.
H a SffJ aSm Uma c?nsu'taJ1d0 JuiI commissH- tia"v5S5Kardrte toJaWyTrOTlTO"^ I Nada disl s faz sera misionarios e bons mis-
rio a tai respeito ; mas dando disto conta ao go- |jm5es *' vumo ao 00 sionanos.
auenhveraiu TJV?'1 d? P"derar-|ne a wIoid# i D.spersaram-se todos nao ha muto lempo, e ol- n Jce"ho*os "*** governo, cuja solicitude,
que haveria em releva-los da pena, e a perturba- tarara de novo s cabaceiras daniudle m?wi Possoassegurar-ves, nao se aparta deste nleres-
caoque a effectiv.dade do commisso produzca doJntomwtDna2To ^^^^l^^''^^ (^Mqwmb^wMOiosm.
nos ltenosos e as transaccoes reahsadas P.rosbTbojoll^X^ tK^ootTS cJ^n?.-fuDdar nissoesnos lugares em que mais
distantes I
Este facto,
boa f.
O governo presta a devida consideracao
sumpto
ao as-
e posto nao dependa hoje smente delle
clono fundar
preciosas e convenientes se toroam.
A catachese ser, porm, improficua e
^ d"^ blAbot aV^ &r%%r^.
volutas, nem elevar deT commTsso.os D0sseir0s ST&ft. 2. reCe'a d-S PPuJi,coe '^genas acompanhar de portoo trabalho, de modo que a in-
cohicaiorJ dJf*,S S,da civ,lisafimas d,anIe da Igena seja arrancado a um lempo barbaria e a
minM?!^- aventure.ros e do despotismo en-; ociosidade. Por isto, meu pensamento ir-lhes
Zinc?. f* ,s- t0Cv^ades.u "P^a o limite dando seguida oceupacao, apenas comecem a ouvir
tauS l h,DtDra-' o' assim''ue ama parle no- respeilososa palavra santa do missionario.
tavel das tribus Pace, Hyury e Xaraana, em vista 1 Antes mesmo do rae dirigir sobre isto ao gover-1
<
K
C
3?
<
Dilo ao inspector da tnesonrara de fazenda.! Sr. ministro da justica em requerimentos de partes
Partecipando o bacharel Angelo Caetano de Souza desta provincia, sao os que se seguem :
Em 27.Bacharel Ignacio Dias de Lacerda, ma-
gistratura. Prejudicado.
Em 27.Bacharel Celso Tertuliano Fernandes
Cousseiro que em 23 de setembro ultimo, deixou
por molestia o exercicio do cargo de promotor pu-
blico da comarca da Boa-Vista, e roassomio em 3
de outubro prximo lindo ; assim o commumeo
V. S. para seu conhecimenlo.
Dito ao mesmo.Tendo concedido permissao
para o coronel commandanle das armas, mandar a
corte, acompanhando o 7o batalho de infantaria, o
1" cirurgiao do corpo de saude Dr. Erne>to Feli-
ciano da Silva Tavares, que se achava empregado
em commi-sfio especial designada pelo governo ;
assim o commumeo V. para que mande passar
guia de socRurrimeoto e ajjstar cotilas ao referido
cirurgiao at o fim do mez corrente. Offlriou-se
aos agentes da companhia Brasileira de paquetes,
para manoarem dar transporte para a corte ao 2o
cirurgiao de que se irata ecommuaicou-se ao coro-
nel commandanle das armas.
Dito ao mesmo.
Joan Carneiro Monte'ro da Silva Santos.Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria provincial.
M^ria Ro Mara da Conceicao e Oliveira.Em vista da
nformacao nao tem lugar o que requer a suppli-
cante.
Quinten, magistratura. Prejudicado.
Em 22.Pedro Jos Pereira, perdao.-Indefe-
rido.
O secretario do governo.
Dr. Francisco de Pauta Salles.
Despachos do dia 19 de novembro de 1861.
Requerimentos.
Andr Avelino de Barros.Indeferido.
Amlr de Abroa Porlo.D-so.
Alberto Rdoux. Informe o Sr. desembargador
proved ir da Santa Casa de Misericordia.
Anolonia Mara de Mello.Em vista da informa-
cao n.o tem lugar o que requer a supplicante.
Francisca Mara da Luz.Como requer.
Ignacio Joaquim de -anl'Anna.Em visla da
.. O bacharel Antonio hernandes informacio mo tem lugar o que requer o suppli-
Trigo de Loureiro, partecipou que renunciando o cante.
re>to da licenga do que gosava, roassomio o exer-
cirio do cargo de juiz municipal e de orphos do
termo do Buique, em 31 de outubro prximo lindo :
o que communico V. S. para seu conlieci- i
ment.
Dito ao mesmo. -Communico V. S. que o juz
municipal e de orphaaos do termo de Iguarassu
bacharel Joao Carlos Augusto Uavalcaote Vellez l
enirou no Io do correte no guso da licen^a que
obieve para tratar de sua sade.
Dito ao mesmo. Communico V. s. que o ha-
dare! Carlos Eugenio" Duarcho Mavjgnier foi em
5 d^ste mez, nomeado pelo respectivo juz de dire-:
to para exercer interinamente o cargo de promotor
publico da comarca do Cabo, o qual deixou em 16
do corrente por se ter apreseutado o respectivo pro..
lj.Te!aro. i
Dito ao mesmo. Participando o bacharel Jos
Antonio Corroa da Silva em dala de 5 du crren-
te, que nessa data reasuraio o exercicio do cargo
de promotor pohlico da comarca de Goianna, re-:
nunciando assim o resto da licenca que obteve
pora tratar de sua sade : assim o communico
V. S. para seu couhecimento.
Dito ao mesmo.-Participando o bacharel Anto-
nio Rogerio Freir de Carvalho que, em 8 do cr-
reme entrn no exercicio do cargo de promotor
publico da comarca do Rio Formoso, e no dia 9
do seguinte entrou no gozo da licenca que obteve:
assim o communico V. S. para seu conheci-
menlo.
Dito ao mesmo.Mande V. S. entregar ao com-
mandante da companhia de apresendizes artfices
do arsenal de marinha
INTERIOR.
Relatorio apresealado assembla legislativa da
provincia do Amazonas, na sessio ordinaria do
Io de outubro de 1861, pelo Dr. Adolplio de
narros Gavalcanli de Albuquerque Lacerda, pre-
sidente da mesma provincia.
(Continuaco.)
Trras publicas.
cinto dizer-vos que o pensamento da lei de 27
de setembro de 180 nao leve at hoje realisacao
na provincia.
Nenhuin s dos particulares que reqnereram
aconcesso de terrenos devolulos e foram aiton-
didos pelo governo, traclar de medir e demarcar o
lote que pediu e obteve.
Recusara todos faze-lo, em vista das despezas
que acarretar o trabalho da medico. Assim ra'o
ii-em declarado muitos.
Ao governo imperial dei em tempo conhecmen-
a quantia de 6 rs, em to do que occorria respeito deste r .ino de serv-
que segundo a informaco do inspector do mesmo co, e nessa occasiao aventei algnmas *
arsenal constante da copia, inclusa importa o pe-
culio depositado nessa .hesourara, e pertcncente a
Manuel da Conceicao Olympio da Silva, que fez
_ os posseiros
que nelle incorreram, e sao tidos, espero todava
e deveis contar que providenciar esle respeito
com a solicitude e equidede que o caso pede e as
circumssancias aconselham.
CATECHESE E CIVILISACAO DOS INDIOS.
Colomsago.
Quanto tenho a dizer-vos sobre o assompto re-
sume-se bera nestas tristes palavras: < No Ama-
zonas nao ha catechese.*
Assim com effeito. Era todo este immenso
valle, povoado anda de tantos milhares de selva-
gens, nem um missionario existe I
A sluacao este respeito anda a mesma, se
nao e peior, do que a descripta p jr todos os meus
llustrados predecessores.
Tres seculos parece nao terem sido tempo bas-
tante para penetrar estas florestas visinhas da ci-
vilisaco e arrancar barbara Ignorancia era que
vivera tantos infelizes filbos da natureza.
Era ura paiz christo, em um paiz civilisado,
doas passos a bem dizer da cruz e das livres ins-
tituicoes, cuja sombra nos abrigamos cultos e
tranquillos, vagara tribus ioteiras, entregues anda
como a trezentos annos, como ha mil, aos instioc-
tos foros e grosseiros da natureza primitiva ; bar-
baros, pagaos, aniropophagos I
Cumpre reconhecer urna verdade, amarga de
dizer-se, roas necessaria, por ventura, de ser repe-
tida. O pouco que existe feto neste elevadissirao
assumplo obra de outros lempos.
A catechese, cene, offereceu ento frequentes
pretextos deploraveis extorses e violencias, e i
flagellagoes mais deploraveis anda ; porm ine- i
gavel que sempre deixou de si algura boin esii-
gio, algnm raro frucio, que boje saborearnos. j
O catechumeno era quasi sempre um escravo, e '
nao um doulriuando ; o padre muitas vezes ura I
senhor cupido, era lugar de um mestre, um pro-
lector e ura guia, as celebres incursoes, por va de
regra, uma cacada de borneas, em vez de um i
apostolado. Mas par de todos csses tristes ex-'
cessos, de toda ossa frequente deturpaco do mais '
sagrado dos ministerios e da u ais sublime das
virtudes christas, esforzados raissionarios, verda-
deros apostlos derramaram largamente co'a
palavra santa a crenca, e co'a crenca.i a civilisacao
no seio das tribus ferozes da America.
Hoje, quem vai ao encontr do indio no fundo .
de suas florestas virgeus, no interior destes ros !
sem um 1 Nioguera, nao ser o regato, menos '
brbaro por certoque elle, porm mu.lo mais cor-1-
rompido ; que o expoli., deprava e deshonra, mu.veo. (Porto-Alegre
pretexto de commerciar com o triste. ___________________
Pennitti, este respeito, referir-vos um caso
observado por mim.
Em tudo tem mais forca o exemplo do que as pa-'
lavra ; por isto consigno aqu o de que fallo.
Pouco depois de miuha ebegada a provincia,
vieram a esta capital o chefe ou tuchna e alguns I
indios da tribu Maus. Trajava aquello camisa de < > ______
ordinario risoadii de algodo e calca de zuarie '
azul, parecendo inteiramenle penetrado da belleza! Estas cifras teem todava pouco de certas, como
de semelliante vestidura, porque o indio por na- faz crer, entre outras cousas, a super'o-i lade nu-
I 11 i' 11 -i i rnunn.ii .1 .. 1 .. .__ .i! _.___ 1
Promelte auxiliarme efflcazraeote aa realnoo
desie designio o nossu virtuoso prelado, imm a#-
plaude, como eu, a viuda de to dedicado sacer-
dote.
Alm do que espero obler do vwso patriou*.
so|icitei ltimamente do governo um aoxilio espe-
cial para e-ta obra imporUote.
Na provincia exisiera creadas .19itiri>rterias, da*
quacs achaiL-se vagas 3. O algarismo dos irvlny,
sujeitos a todas ellas de I7,i8U; sendo x MM r
OVbse 9,072 muflieres babiUodo 755 (ogos, e mn
suiu 21 capellas.
O quadro que segu contera a distriboicao do
todos elles pelas diversas directoras o o
a isto se refere.
I
/ Manacapur .....
i Acara...........
Manac e Juscar.
Aib.......!....
Amatary..........
'.............
Jundatuba........
Catu...........
Yapur..........
Teff.............
Yuruh..........
Tonantins........
Julahy..........
Tabatinga........
Fonte-Boa ......
Aoam..........
S.Paulo.........
Caldeirao........
'. Manaquiry......
4
B
u
a
Manicor.......
Auta-ass......
Abacaxis .....
Murumurutuba...
Canuma........
Maus...........
Andir..........
Sapucaia-oroca..
(Grato...........
[S. Pao..........
[ Mamur........
NOMES DOS DIRECTORES.

y.
{Acara...........
Maranca........
l'aups e Icana...
p
-
AIto Puns___
Iliixy........
Papaan......
Anima i
Juvencio Alves da Silva................
Hypolito Lourenco Serto...............
Balbioo Jos Pereira Guimres.........
Dmaso de Souza Barriga............
Barlholomeu Ferreira do Prado.........
Bernardo Alves Martins................
Antonio Jos Ribeiro...................
Felippe Monleiro da Silva..............
Estulano Alves Carneiro................
Marcos Jos de Oliveira...............
Manoel Augusto Zaoy Pacuoiti..........
Mauoel Jesuinode Azevedo Gomes......
Ju>to Jos Domingoes Borges...........
Padre Jos Mara Fernandes.............
Amandio Joaquim da < osla............
Antonio Lobo de Macedo........ ......
Padre Manoel Ferreira [Jarreto...... .
Alexandre Ferreira das Rovos...........
Jos Ricardo Zany Pacinotb............
Vaga................................
Jos Antonio Rodrigues Jnior..........
|Francisco Antonio Rodrigues...........
Antonio dos Santos Velho...............
Antonio Francioco Prente Jnior......
Joo Rodrigues de Medeiros............
Manoel Joaquim da Cruz...............
Jos Mara da Conceicao................
Vaga...............................
Vaga..............................
Manoel Joaquim Martins.. ..........
Victorino Antonio Estrella...........
Candido Manoel Jaciotho do Souza___
Joo Jos de Oliveira..............
I
Manoel Caetano Vieira Cavalcante.
Manoel Urbano da Encarnaco.........
Jesuino da Costa Fonseca..............
Joaquim Brano de Souza..............
Manoel Joaquim de Castro.............
[ Ayapu..........| Manoel Nicolao de Mello.
21
II
i-i
i
8
20
9
i
4
ir,
18
8
13
12
II
I
21
14
B
9
53
13
7
10
30
103
32
3
28
211
9
81
27
83
9
t
12
ADULTOS.
s
4
89
31
I
20
46
22
17
8
2 i
231
33
191
124
36
11
29
41
63
36
90
30
56
131
91
138
301
39
102
206
26
346
386
2120
91
149
7ao
K53
9 i
34
7
2,'i
55
20
20
7
25
552
40
207
140
19
11
36
23
31
40
129
26
54
181
100
140
394
47
9i
222
36
322
401
3080
101
121
MKKORES.
6164
II
li
a
18
32
16
II
8
9
H
12
57
89
12
8
19
12
10
24
95
II
15
IOS
56
61
50
3
98
50
12
27.1
2
1
12
15
4
l
33
11
I
5
8
oV>
II
71
71
2i
1
M
15
I
3o
8o
9
2:1
92
65
71
70
l
78
g
206
94
27
75
166
69
Vi
n
66
588
102
529
427
91
31
112
M
3
160
193. 192
1134
41
2670
1166
43
50
2609
142
135
399
76
148
512
312
40!
72o
9:i
372
NACES
Mura.
Pac,Hyory,Mariot,T
Mura.
Pace, Hynry.
dem.
Maraa, Araos.
Cayaxaoa.
Tucuna, Manserona.
Mura.
1
Cucaras.
530
87
1301
Mura.
p
Mundurum.
Mundurucii, Macu.
Mura. Mau.

Mura, Tara.
Mora.
Man.
Xiriana. Rapiana
Jabana, Madaoaca.
Hiver>as.
1171 Sapara, Macuxi e outras
7.'oO Diversas
276
20.')
331 Mura.
3
KA
tureza propenso ceria iustnctiva vaidade, d'omle
Ihe vem a predileccu por adornos e atavos.
Entre outras cousas, procurei informar-me do
preco daquellas pegas de roupa. Cada uma cus-
tara ao pobre tuchana a bagatella de urna arroba
de uaran, isto o valor de 233000 a 305000 I
No seguinte facto dou-vos um oulro exemplo do lalorios.
merica das muflieres.
A boa vontade e ei'.igencia do digno
ral nao teem conseguido aproximar ua ^...uiu
o numero do indios altribuidos a cada urna direc-
tora. Ohstam anda islo as msalas razoes de
que vos teem dado conhecimento os passados re-
modo como em geral se negocia com estes infeli-
zes no interior da provincia.
No Rio Pins eslava tundeada em certa altura
a coborta de um regato portnguez de nomo An-
tonio Paulino de Biito Amorim. Passa um indio
j meo civilisado comalgumas arrobas deseringa,
Termino este capitulo manifestandovos o propo-
sito em que estou de nao preencher as vagas de
director que forera apparecendo.
Julgo que sera sempre de algum beneficio para
o indio liberta-lo ao menos desses perseguidores
offlciaes, j que todo o meu empenho e cuidado
Iructo do seu trabalho durante o anno, destinadas sao impotentes para reprimir no todo
parle da mesma com.>anhia. Communicou-se ao
inspector do arsenal de marinha.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.
Transmuto i V. S. os inclusos documentos, afim
de que estanto em termos, e nao havendo incoo
considera-
res no sentido de mostrar a conveniencia de uma
medida especial que exentas-e aqui de todo e qual
qoer onus a concesso de Ierras de cultura e de
creacao.
O carcter de venda condicional e o encargo
pecuniario que d'ahi decorre para o concesrona-
rio nuliiflca o pensamjnto generoso da lei de 27
de setembro.
Por pequeo que o onus pareca e
veniente, maule pagar a Joo Cario- Augusto da efectivamente seja, pesado demais p ira aquefles
Silva, conforme solicitou o chefe de polica era of- a quem affecta. < poder desc rahecer isto quem
flcio de 17 do corrente. sob n. 1,443, a quantia de for alheio ao nenhum valor que aqu teem as ter-
1:8024433 rs., despendida cora o sustento e dietas ras e s eondicoes de extrema pobreza dos hab- .,
ornscidas aos presos pobres da casa de deieocao tanle, poucos dos quaes precisara occorrer sem' Ibas das nossas breahas T
ao pagamento de um seu credor. Prop>-lhe o
regato a compra do genero e como nao fbssfl ac-
ceila, attrahe o indio coberta e fcilmente o em-
briaga. Nesse estado, transporla-o para a sua
canoa, amarrada ento popa da embarcacao ; I
deixa Ihe um ou dous ubjectos de nenhum valor
e um garrafo de agurdenle; apossa-se da serio-
ga ; e, o que d a esta scena de torpe cspoliacc
DQ cunho de cynica perversidade, corta a amarra
da caua, e deixa a ir, levada pela forte correute
do rio, com o misero mergulhado no somno pro-
lando da embriaguez I
Quando no da seguinle acordou, conheceu-se o 1
indio roubado e na distancia de tres dias do lagar
em que adormecer I Voltou reclamar a bor-
racha ; mas nada conseguiu senao trabalhar por
espaco de tres mezes para quem tao vilmente!
despojara, sem outra recompensa mais do que pro
raessas que nunca foram realisadas.
Desla vez, felizmente, nao lic.ou o crime de todo
impune porque, chogando o facto ao meu conhe-
cimento. maodei coliigir as aeeossarias provas, e
instaurar processo ao seu autor, que anda se acha
preso.
Uepois do procediraento do regato, nada me in-
dlgnou tanto neste negocio, como a pruteecAo des-
envolvida em seu favor, quando te ve de compare-
cer perante o tribunal do jury, que unnimemente
o absolveu do crime ignobil e provadissimo de
que era aecusado.
Isto pelo que toca s transaccoes. No mais, a pre-
senea du regato traduz-sequasi sempre pelos ac-
tos de Immoralidade que pratica na choupana do
indio, onde a familia ofleudida em sua honra, de-
pois que ao chefe consegue embriagar, para nao
se Ihe h.ipor uma nova sorte de flagellaco como
com tanta verdade se exprime o meu illustrado
antecessor.
Da civilisacao, que elle desconheee; dos ho-
mens, de cujo contacto foge com desconfianca, ara-
so pela tradirco de uma experiencia, que nao foi
curta nem pouco dolorosa, que exemplo outre e
que outre pregoeiro ohega presentemente at os fl-
violencias de lanos
Ihante carcter.
os abusos e
seme-
outros que nao teem
fConfMMar-Sff-Aa.)
PERNAMRUCO,
REVISTA DIARIA.
Amanha funecona em sessao ordinaria o Insti-
tuto Archeologico e Geograpltico Pernamburamo.
Na lat. 6o 10' e long. O 26" 53' encontrn o
brigue portuguez Lnia II um grande navio, que
ardia ; e na altura das Ihas do Cabo-Verde a bar-
ca franceza Rapid, procedente de Marseilie com
para quem tao vilmente o, destino a este porto, trazendo j 32 das de viagem.
A 20 para 21 do prximo paseado, soffreu na
lat. S. 34* 39' e long. O 47 40' a .barca brasileira
Nova Carolina um lo forte temporal, que foi for-
cada a alijar o navio, lancando ao mar obra de
2.500 arrobas de carne secca e 40 barris de tai-
nhas salgadas.
A referida barca que entrou no dia 21 do cr-
reme neste porto, vinha do Rio Grande do sul.
Remettom-nos o seguinte:
Srs. redactores da Revista Diaria.Rogamos-
Ihes de por raeio do seu importante j >rnal, pedir
providencias a quera competir da modo a acabar
com os escandalosos furtos que a olhos vistos do-
se no Forte do Mattos, nes algodoes que entram
por trra e por mar.
E' inacreditavel oque se v all; com o maior
destacamento e cyuisrao atiram-se essa alluvio
de vadios e vagabundos sobre as saccas de la,
que, a seraelhanea de famintas piranhas, em um
instante ahi os vemos com os seus saceos de pro-
pertencem ; e por essa occasiao que se presencia
o espectculo mais degradante c desmorahsador ;
dir-se-hia que nesta ierra nao existe nem vislum-
bre de polica.'
' Assim, poi, -rs. redaclores, tenham paciencia
e pecam providencias a sanar semelhante escn-
dalo, que dest'arte prestaro Vmcs ura ser vico im-
raenso Ierra onde nasceram.
Recife, 22 de novembro de 1801. Os prnsa-
nos.. >
De Nazareih enderecam-nos a seguinte com-
municacao :
Srs. redactores da Revista Diaria.Longe es-
tavamos de suppr que a advertencia publicada
em sua Revista Diaria de 14 do passado, viesse
servir de incentivo s iras da furia, cujos actos da
mais consumada selvageria denunciamos ao publi-
co. Bem longe estavamos, repetimolo, de suppor
que essa mulhor redobrasse de furor contra suas
desgranadas victimas.
Mas infelizmente assim foi : a todas as horas,
a todos os momentos, com o azorraguo em punho
ella contina a dilacerar as carnes j magoadas
dessas infelizes creaturas, que teem por nico li-
mtivo os gritos com que atordoam os vizinhos
< "vi.1 ha mudos das, e a imprenso ainda res-
ta, que os habitantes da ra da ... e de outras ras
prximas habitaco dessa panlhera, andaram so-
bresaltados aos pungentes gemidos arrancados pelo
ltego um desses infelizes escravos.
Uma vez p ir todas : tempo de cessar esse
escndalo em face de um povo civilisado ; tem-
po que o Sr. Br. promotor publico e o r. subdele-
gado, a quem nao sao estrauho- esses fados, dei-
xem a culpa el condescendencia em que at hoje
lee o permanecido e lancera suas vistas para tanto
soffri ment.
E', pois, em nome da religo, em nome dessa
porco desventurada e em uome da moralidade pu-
blica que ergueraos anda um brado de indiguaco
contra to abominaveis atrocidades, e acorreegao dessa mulber desnaturada ; mas a re-
pressao do crime pelas autoridades competentes.
Amanha se exirahir 5' parte da 3* lote-
ra da Santa Casa de Misericordia (117"), sendo o
maior premio 6:0003-
RSPXflTICAO DA POLICA :
Extracto das partes do dia 22 de novembro de
1864
Foram recolhidos casa de detencao no dia 21
do correte:
A' ordem do Dr. delegado da capital, Josepha,
escrava de Jos Marcelino da Cunta Fragoso, por
I fgido.
*' ordem do subdelegado do Recife, Manoel Da-
reii-a de Carvalbo, pan correccio; e Ma
Cyriaco, a dispusico do teoeole-corooel rerruu-
dor.
A'ord'm do da Boa-Vi Silva, a dispo^ico do lenente-corooel rerrutador
Cdi-io. africano iivre, por desordem.
A' ordem d d\ Capunga. Jooi Maria da Stlva
Machado, iwr su>|Wito ; e J.io. OMOM 'tf Aolo-
nio Jo< Goocalve> P.re Ferreira. por fugidj.
A' ordem do do Poro, Jo*'; Francisco, a dispo-
siciu do lllm. Sr. Dr. cnefe de polica.
O chefe da 2" seccao,
J. G. Ae Mrsquita
Movimento da casa de detencao do da SI de
novembro de isr.\.
Exisii.im....... 3:i5 presos.
Kniraram...... 14
Sahirain....... 12 >
A saber

psito por elles traiidos, repletos dessa materia.
c E' principalmente chegada dos vapores eos-!
teiros, que de ordinario veera abarrotados desse tvo dos Santos, sem declaraco do motivo; Anna-
produeto, que clamamos por providencias da auto- nias, africano llvre, para correceo.
ridade local. O desembarque dase no caes da A' ordem da de S. Jos, Valerio Manoel do* Pra-
companhia em numero superior a 800 saccas, para zeres, Umbelino Pedro Alex.radrino, Manoel Jos
d'ahi seren depois coaduzidas aos depsitos a que do Nascitnento, por disturbios; Mauoel Jos Pe-
r : Nacionaes 267
Muflieres...... 3
Estrangeiros... M
E-Irangeiras... t
Escravus...... 48
Escravas...... 4
337
Alimentados a custa dos cofres proviociaos til
CIIROMCA UDICIAIIA
TRIIll:.\AL VO (ONHEBCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRA-
TIVA :>K 21 DE NUVEMBKO UC IHdV.
PHBSIDBNCIA DO EXK. SM. DK.SUUABbA0
a.v>ljio kium'i.-i.o paasm.
As 10 horas da manilas, e-Uo.lo reunido* o* Srs.
deputados Cerno*. Rosa, C. Alcolorado e Basto, o Exm. Sr. presidente declama abano a
ses>o. ,
Lida, foi a pprovada a aeu da sesso aooeco-
denle.
EXPENSTB.
Foi apresentado um olBcio do Exm. pro idioso
da provincia da Paralla, acumpanitsudo o retalo-
rio com que abri a sessao da asseinbla prov.ariat
no correte anno.Accu>e se a recoci e archi-
ve-se.
Oulro do secretarla da Associacao Coinurnat
Benelicenle, aecusando a recepcau do que Hm Uk
dingiiK) por este irit.un-I, e participando que oVjmb
dadas as provincias para qoe Mja aii-feiia a re-
quisico que o mesmo tribunal Ihe Ibera. losst-
rado.
Tendo do designado o dia 7 de dezembro pr-
ximo futuro para a elelco de doas depaudos qao
A


Mari* de Pernaanlme Quarta reir t3 le Vovonihro de 1861.
o segrate quairifljinio de 1865 a 1868 tem de
substituir a duus dos actuaes, que findam este an-
uo oseu quatriennio, mandou o tribunal, em obser-
vancia do qoe dispoe o artigo 5 do decreto n. 696
de 5 de setembro de 1850, que se afflxe na praca
do commercio e se publique no Diario de Pernam-
iuco e Jornal do Recife a lista geral dos commer-
eianles establecidos no districto do mesmo tribu-
nal, que se acham as circumslancias legaes de
podcrem votar e ser votados.
DESPACHOS.
No re<|uerimenio de Loureiro Santos & C, pe-
dindo que seja registrado o sen contrato do socle-
dade que aprsenla .Vista ao Sr. deserabargador
Mal.
No do Maia A Espirito Santo, apresentando para
jno seja registrada umescriptura de hypetheca :
Registre-se.
.Nada mais houve a tratar, e foi pelo Exm. Sr
presidente encerrada a sesso s 11V* horas da
manhaa.
SESSAO JIDICIARIA~~E~M SI DE NOVEMBBO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. BESEMBARGADOIt
A. F. I'EHETTI.
Secretario, Julio Guimares.
As 11', horas da manhaa, o Exm. Sr presidente
abri a sesso estando reunidos os Srs. desembar-
gadores Res e Silva, Silva Guimares e Arrioli, e
s Srs. deputados Letnos, Rosa, Candido Alcoforado
e supplente Basto.
Lida, foi approvada a acia da sessao antece-
dente.
Foi apresentado o oflleio de 19 do corrente mex,
do escrivao interino de protestos de letras, commu-
icando ao Exm. Sr. presidente em cumprimento
de suas ordens, que as minutas que llio foram en-
viadas pela familia do finado escrivao Martins Pe-
reira contm duientos protestos que nao se acham
inscriptos no respectivo livro do registro.
Foi tambem apresentado outro oflleio de 21 des-
te mez, do mu.-mo escrivao, pedindo a S. Exc. que
sendo omissa o incompleta a relacao que Ihe en-
viou a secretaria, se dinnasse ordenar que esta
orapletasse os eselarecimentos que ihe sao preci-
sos para conhecimeuto do destino que tiveram mui-
tos dos feitos nclla mencionados. E o Exm, Sr.
presidente mandou devolver Ihe dita relacao cotn
a qual julga ter sido satisfeita sua requisicao.
Apresenlados pelo Sr. desembargador Accioli,
foram assgnadns os accordos proferidos na ses-
so de 14 deste mez, as appellaooes entre par-
tes :
Appellante, Thomaz Teixeira Bastos; appella-
dos, os administradores da massa fallida de Joa-
quim Jos Silveira.
Appellanles,Sampaio Silva & C.; appellado, An-
tonio Jos d Castro.
Appellantes, o Dr. Felippe Nery Collaco ap-
pellado, Geraldo Henriques de Mira.
Apresentado pelo Sr. desembargador Silva Gui-
mares foi tambem assignado o accordo proferido
oa sesso de 14 do correute, na appellacao entre
partes:
Appcllante, Vicente Alves Machado ; appellados,
Prente Vianna &C
JULGAHENTOS.
Appellantes, o Dr. Felippe Nery Collaco <& C ;
appellado, Geraldo Henriques de Mira.
Adiado na sessao de 14 do correte.
Receberam-se os embargos com o voto do Exm.
Sr. presidente.
Appellante, Antonio Joaquim de Mello j appella-
dos, Manoel Joaquim Oaptisla e D. Joanna Mara
das Dores.
Adiado na sessao de 14 deste mez.
Foi confirmada a sentenea appellada.
Appellante, Francisco Gomes de Oliveira ; ap-
pellados, os administradores da massa fallida de
Seve, Filhos & C.
Adiado na sessao de 14 do corrente.
Foi confirmada a sentenea appellada.
Appellante, o Dr. Joo Pedro Maduro da Fonse-
Adiado na sessao de 14 do corrente.
Ful confirmada a sentenea appellada.
Appellantes, os administradores da fallencia de
Bastos & Lemos ; appollado, Jesuno Machado Ma-
Iheiros Braga.
Adiado Da sessao de 14 do corrente.
Foi confirmada a sentenea appellada.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C. 5 appellado, Jos
Antonio dos Santos Fontes.
Adiado na sessao de 14 do corrente.
Foi confirmada a sentenea appellada.
Appellante, Jos Duarte das Neves ; appollado,
Jos llaiitsia da Panuca Jnior.
Adiada na sessao de 17 do corrente mez.
Foi reformada a sentenea appellada.
Appellante, o embargante 3o Joaquim Jos Fer-
reira ; appellado, Joaquim Elviro Alves da Silva.
Adiado o julgameuto requenmonto de un dos
Si.- depuiados.
Appellante, Bcrnardino Jos de Carvalho; ap-
pellados. Seixas & Azevedo.
Adiado o julgameuto a requerimento de um dos
Srs. deputados.
Appellante, Joaquim Ignacio Bibeiro ; appella-
dos, os administradores da massa fallida de Seve,
Filhos A C.
Adiado o julgamento requerimento do ura dos
Srs. deputados.
Appellante, Francisco Antonio de Brilo ; appel-
lado, David SVilliam Bowuiau.
Ordenou-se uina di'igencia.
PASSAGBHS.
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. desem-
bargador Silva Guiuiares, a appellacao era que
sao :
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Bastos & Lemos ; appellados, Compiano & Cor-
deiro.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Accioli, os feitos seguintes :
Appellantes, os curadores Oseaos da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos A C.; appellado.
Antonio Ferreira da Silva Maia.
Appellante, Ignaciu Pereira do Valle ; appella-
dos, os curadores fiscaes da fallencia do Amorim,
Fragoso, Santos A C
Appellantes, Guimares & Oliveira ; appellados,
Braga Silva Appellantes, os curadores fiscaes da fallencia de
Amorim, Fragoso, Santos A C.; appellados, Luiz
Jos Rodrigues de Souza e Rodrigues & Ribeiro.
Appellantes, Moreira & Duarte ; appellado, Pau-
lo Jos Gomes.
Appellante, Francisco Antonio de Brito ; appel-
lados. Rocha Miranda, Filhos & (i
.Appellante, JosGonealves Malveira; appella
dos. Yaz A Leal.
Appellante, Caetano Cyriaco da Costa Moreira,
como administrador de sua mulher, Manoel Leo
de Castro e outros herdeiros de D. Antonia Maria
de Castro ; appellados. Barroca & Medeiros.
Appellaule, Simplicio lavares de Mello ; appel-
lado, o commendador Antonio Francisco Pereira.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Joaquim Francisco de Mello Santos ; appellado,
Augusta Frederico de Oliveira.
Appelianles, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos A C.; appellado, c
conego Firnuno de Mello Azdo.
Appellante, Jos Joaquim da Silva ; appellados,
Ribeiro & Caduh*.
O Sr. desembargador Silva Guimares jurou
suspeicao e passou ao Sr. desembargador Ac-
cioli, o feito entre partes :
Appellante*;, os administradores da fallencia de
Siqunra A Pereira : appellados, os administrado-
res da fallencia de Guimares & Irrao.
D1STRIBU1COES.
Ao Sr. desembargador Accioli:
Appellantes, o administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos A C. ; appellado,
Francisco Jos Leile.
Ao Sr. desembargador Res e Silva
Appellante, lgna.io Jos da Silva ; appellada?,
-Mana Joaquina e Rila Maria, viuva e herdeira de
Manoel Antonio de Faria.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares :
Appellante, Jos Teixeira Leite ; appellados, Ja-
mes Ryder & C.
Aggravos internostos do juizo especial do
commercio.
Aggravante, Luiz Augusto Rubin Mavignier ;
aggravada, a caixa filial do Banco do Brasil nesl
cjdade.
Aguravanle, Domingos Jos da Costa Amorim ;
aggravados, ng administradore* da massa fallida
de Amorim. Fragoso, Santos & C.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso 1% hora da tarde.
CORRESPONDENCIAS
O hospital portuguez de beneficencia desla pro-
vincia um estabelecimento digno de encomios.
Alm do bora tratamento all dado ao enfermo cor-
po, tornam-se dignos de veneraco os actos, que
na cura da enferma alma sao postos em ?c;o pelo
mui respeitavel capello-regente daquelle estabele-
cimento o Rvm. Sr. padre mestre Caetano Jos Pe-
reira Pinto de Lemos I
Este sacerdote, que bem comprehende os deve-
res de seu ministerio, imitador discpulo do grande
apostlo Paulo, emprega todos os meios seu al-
cance para que nada falte daqoella caridade re-
commendada pelo mesmo apostlo ; porque Unto
o abastado como o Indigente, all tratados, gozam
daquellcs soccorros e consolos de que tanto neces-
sita a alma naquellas horas em que, perdidas as
esperanzas desta passageira vida, s almeja purili-
car-se, para enlrar gloriosa na eternidade.
De ha muito o Rvm. Sr. padre Caetano incan-
savel em ministrar s ovelhas do rebanho do Se-
nhor a cura seus males. Pelo cholera, em 1836,
sendo coadjuctor na villa do Cabo, e quando mais
recrudescia o mal pelo rigoroso invern de enlo,
no meio da devastacao geral, nao ressou ura mo-
mento, nao havia hora diurna ou nocturna que o
inhibisse de prestar todos os soccorros de que pre-
csavam aquellas ovelhas, sendo notavel que cura-
va, nao s da parte mais sublime a alma, mas
anda applicava ao mal remedios, que sua cnsta
comprava ; e sendo a freguezia extensa e nao ha-
vendo all outro sacerdote, (pois que o vigario es-
lava doente) nenhuma ovelba se resentio de falta
de pasto espiritual I
Desenvolvendo-se segunda vez nesta provincia
o mesmo flagello, e achando-se enfermo o parocho
da freguezia de Mnribera, S. Eac. Rvma. o virtuoso
prelado desta provincia (de saudosa memoria), sa-
bendo por experiencia que o Rvm. Sr. padre Cae-
tano nao era sacerdote que vollasse costas ao peri-
go, quando se trauva do s*rvico do Senhor, o no-
meou vigario interino de dita freguezia, e... fal-
lem os municipes della, que rendendo gracas ao
Altisslmo por Ihes ter enviado to digno discpulo
do Evangelho, quando nao havia sacerdote que se
tivesse prestado a soccorrer aquella populaco com
os sacramentos, appareceu este ministro do Senhor
como santelmo ; pois que, com aquella coragem
que o caractersa, encarava o inimigo sem temor,
com tanto que nao faltassem urna s ovelha os
mui necessarios e consolaveis remedios d'alma.
Quando houve elle de retirar-se do lugar, por so
haver nomeado (depois de extincto o cholera) novo
parocho, aquelle povo preparava-se para desobede-
cer este acto ; e se nao fossem os conselhos do
mesmo Rvm. Sr. padre Caetano, (injustamente exo-
nerado de um lugar que por direito Ihe competa)
e das pessoas gradas do lugar, que tendo envidado
os maiores esforcos para que fosse nomeado viga-
rio to digno ministro, o que nao poderam obter
por mesquinhas intrigas manejadas pela inveja de
alguem que influa no palacio episcopal, talvez ap-
parecesse esse nao pequeo damno, visto o estado
deebulicao em que aquelles parochianos se acha-
vam csiii a infausta noticr de que nao tinham sido
attendidos seus tao justos rogos, que cm una peti-
co assignada por todos elles, com attestados anne-
xos de todas as autoridades e dos Srs. de engenho
d'alli, foram dirigidos ao Exm. prelado, onde se
vein descriptos todos os actos deste digno
pastor I
Receba, pois, a junla administrativa do hospital
portuguez de beneficencia muitos cmhoras pela
excellente acquisico que fez, nomeando o Rvm.
Sr. padre mestre Caetano Jos Pereira Pinto de Le-
mos capello-regente do estabelecimento.
Desculpe o modesto saeerdole um amigo, que
de perto conhece sua beneficencia sempre em ac-
co, a manifestacao de suas excellentes quali-
dades.
P.L.
Senhores redactores.Uo devendo por amor de
minha dignidade descer a discutir pela imprensa
com o signatario do urna correspondencia contra
mim publicada em seu Diario de 5 do corrente, e
conhecendo bem que esse signatario nao passa de
um instrumento adrede aproveitado por algum
meu desaffecto para me insultar, nao posso com
tudo deixarde recorrer anda urna vez s colum-
nas do seu iartq para vir explicar ao publico al-
guns factos, que relativamente execuco, de que
se trata namesma correspondencia, loram atribui-
dos a meu pai.afim de que faca desapparecer a m
impressao, que por ventura possam elles ter pro
duzdo contra o mesmo meu pai, pelo modo porque
foram expostos.
Aproveitar-me-hei da occasio para fazer ligeiros
reparos acerca da mencionada correspondencia.
Comecando pelo facto de haver meu pai, depois
da apprehenso dos oens dos executados e antes
da arrematacao dos mesmos, disposto em favor do
teuente-ceronel Luiz do Albaquerque Maranhao,
de varios escravos apprehendidos, os quaes na
correspondencia a que me reliio, sedeu a entender,
por meio de calculadas reticencias, que deixaram
de ser comprehendidos na arrematacao, passo a
fazer ver ao publico o que se dou senielhante
respeito.
Ahando-se meu pai em 1831 ou 18J a dever
certa quantia ao tenente-coronel Maranhao, e sen-
do instado por este para o pagamento da mesma,
o que nao poda fazer na occasio, tomou a resolu-
co, para satisfazer em parte ao seu credor, de
ceder a este, por conta do que Ihe deva. o direito
que linlia na qualidade de exequente, sobre quatro
dos escravos apprehendidos, declarando ao tenen-
te-coronel Maranhao que ditos escravos pe tenciam
referido execueo, e que deviarn ser levados
praca, a que tinham de ir todos os bens dos exe-
cutados, peo que somonte depois da dita praca
poderia p.-.ssar ao mesmo tenente-coronel o pape
de venda desses escravos, se por ventura os arre-
matasse, ohrigando-se, caso assim nao suecedesse
a pagar ao me.-mo tenente-coronel a importancia,
pela qual Ihe fazia antes da arrematacao a cesso
dos ditos escravos.
Efectivamente os escravos, de que se trata,
foram em 1837 comprehendidos na arrematacao
dos bens dos executados, a excepeo de um que" j
nao exista na occasio, e arrematados por meu
pai, que depois disto firmn o negocio que havia
feito com o tenente-coronel Maranhao, sendo que a
declaracao feita pelo mesmo tenente-coronel, -apar
mira publicada em seu OfurtO de 14 do passado,
acerca da morle do escravo, que j nao exista na
occasio da arrematarn, tornando bem patente
qual a convenco de meu pai sobre taes escravos,
me poderia dispensar de dizer alguma cousa a esse
respeito, se por ventura a boa f e a sinceridade
Uvessera cabido em partilha aquelles, que me
tem aggreddo.
O negocio feito entre o meu pai e o finado Joo
Lobo do Barros, acerca de urna pequea parte do
engenho Aereas teve lugar na mesma conformida-
de do negocio feito com o tenente-coronel Mara-
nhao, tendo sido a escriptnra de venda da dita parte
de engenho passada em notas do tabellio Alves
de Mello, no da 29 de dezembro de 1838, isto ,
depois de haver decorrido mais de um anno da
arrematacao dos bens dos executados, como pode
verificar quem nisto tiver interesse.
Em vista da exposigo, que acabo de fazer acer-
ca desses /actos, pelos quaes foi meu pai pela pri-
meira vez argido, e que em nada prejudicaiam
aos executados, decidam os espiritos rectos e desa-
pasionados o que houve nelles que se possa pres-
tar, mesmo de leve, a marear a reputaco de meu
pai, e bem assim que qualificaco merece aquelle
que. publicando pela imprensa csses factos, nao
duvida para seus negrejados fins descrev-los com
cores que se acham bem distantes das verdadeiras,
deixando de fallar a verdade ao publico para quem
se deve escrever sempre com toda sinceridade.
Explicados essee factos, cumpre-me alguma
cousa dizer acerca de urnas enigmticas combina-
ces numricas, feitas na dita correspondeneia
com o fim de se insinuar que nao foram levados
praca publica todos os escravos apprehendidos e
que existiam na occasio da arrematacao, sem
cora tudo se ter a coragem de se declarar quantos
escavoi deixaram de ser arrematados e quaes os
nomes dos mesmos.
J fiz ver ao publico que os quarenta e um es-
cravos mencionados no termo de apprehenso e os
qj nao tendo sido mencionados foram efectiva-
mente apprehendidos (em numero de oito e nao de
novo, como se l no men primeirocommnnicado,
ficando assim corrigido este erro, com que foi pu-
blicado o mesmo communicado) jumamente com o
d>us escravos, que se achavam fra do engenho
em poder dos executados, e que vieram depois
reunir-te aos outros, prrfaziaui o numero de cin-
coenta e um escravos.
Dos referidos cincoenta e um escravos tinte o
setei nao existiam quando leve lugar a penhora
dos ben* dos executados em 1837, como o prove
com documentos authcnticos e irrefragareis, pelo
que s devia a mesma penhora eoroprehender,
como de facto comprehendeu, vlnte e quatro dos
ditos escravos, dos >|aaes anda urna escrava veio
fallecer antes da arrematacao, como coesta dos
autos da execueo, sendo que por conseguate
smente vmte e tres dos escravos apprehendidos
podan) ser, como foram, arrematados.
Ora, reunidos a esses vmte e tres escravos, que
foram arrematados, os vinle e sete queja nao exis-
t? ra antes da penhora, e a escrava, que fallecen
antes da arrematacao, temos exactamente o total
de cincoenta e um escravos.
Se alm dos cincoenta e ura escravos, de que fiz
menco, exisliram em poder de men pai alguns
outros pertencentes aos executados, ou se arrema-
tacao dos bens dos mesmos executados deixou de
comprebender algans dos escravos penhorados, e
que existiam na occasio da arrematacao, nada
mais fcil do que se designar pelos propros no-1
mes quaes sejam esses escravos.
E' assim que deve proceder quem tem conscien-
cia do qne diz, pondo tudo em termos claros, e nao
como se fez em dita correspondencia, procuran-!
do-se de proposito tudo confundir per meio de in-
comprehensiveis e malvolas combinacoes mime-;
ricas.
Em quanto nao forem indicados pelos nomes
quaes es escravos que se subtrahiram execugo
e que della deviarn fazer parte, todos os esforcos
para se insultar a memoria de meu pai, rebaixan-
do-o ao nivel dos seus calumniadores, sero iutel-,
ramete improficuot. I
A duvida manifestada acerca da veracdade das
certidoes de bitos, que flz publicar em seguida ao
meu priraeiro communirado revella bem at que
ponto as suggestes do odio podem apagar a luz
da razo Pois essas certidoes passadas cora toda a
authenlicidade por um parocho podem ser postas
assim em duvida, sem que o mais leve fundamen-
to se aprsente para islo, e smente para por este
meio se estigmatisar um adversario? Sementante
arguico nao merece as honras de urna contus-'
tacao.
Entretanto nao houve a menor hesitacao em se
fazer pairar semelhante duvida sobre a reputaco
illibada do parocho, que em desempenho de seu
cargo passou essas certidoes, sendo de notar que
esse parocho tivesse sido o Rvm. Basilio Gongalves
da Luz, que foi o protector da familia dos executa-
dos, e que a estes mesmos tem por diversas vezes
prodigalisado generosos soccorros, como aqu
publico e notorio. Assim, porm, devia succeder,
porque para a demonstradlo do direito, de que se
apregoam revestidos os executados, tudo so ha de
sacrificar, j nao sendo bastante o atassalhamento
da reputaco de meu pai e as arguices feitas aos
magistrados, que em favor delle se pronunciaram,
sem selombrarem os que assim procedein, de que
inuteis >ero todos os esforcos para se sustentar
tal direito custa da reputaco de pessoas to res- i
peilaveis, e qne sem duvida nenhuma se acham |
eollocadas em posico muito elevada, para que Ihos ;
possam alcancar os ataques que Ihes sao dirigidos, j
Nao exacto que titease eu concorrido, como se
disse na dita correspondencia, para a grande de-
mora que houve na questo que aqu sustentou
Francisco Gomes de Araujo Pereira contra Joo
da Malta Rodrigues Fundador, por quanlo, leudo
eu comecado a funecionar em dita questo, como (
advogado de Fnndador, em agesto ou setembro de
1836, e tendo-se terminado a mesma questo em
principio de 1838, por meio de urna conciliaco,
em virtude da qual Francisco Gomes pagou ao
mea constituinte a quantia de dez contos de ris,,
est visto que de nenhuma maneira poda eu ter
concorrido para a demora de raas da qualorze an-
nes, que houve na dita questo, sobre cuja anal y se
me abslenno de entrar, visto em nada se referir
execueo de que se trata, podendo recorrer quera
tiver empenho em saber de que lado est a razo
na mesma questo, a discussohavida acerca della
pela iraprensano anno de 1837.
Quanto ao que se disse em referencia aos Alber-
tos e Victorinos, e as horaiso prestado aoassassino
de nao sei quem, que fiz importante figura as filei-
rasdo partido liberal, nao se tendo precisado acn-
tecimenle algum que me fosse alirihuido ou al-
guem de mnha familia, c antes tendo sido esses
nomes e o facto do dito homisio trazidos impren-
sa de um modo todo nebuloso, sem se determinar
o que com elles se quiz dizer, comprehende o pu-
blico que me vejo tolhida de dar a nica resposta.
que de mim se devia esperar a tai respeito, a qual
era arrastar aos tribunaes o signatario da dita cor-
respondencia, afim de receber o raercido premio
de sua temeridade.
Nada mais accrescenlarei ao quo j disse em
meu prlmeiro eorarnunicado, nao s acerca do di-
reito de meu pai, na questo agitada contra os ex-
ecutados, como tambem acerca duque so deu re-
lativamente execueo, desde que teve comeco
em 1843 at que se ultiinou em 1837; Se os execu-
tados seriamente julgam que o casal de meu pai
Ihes devedor de qualquer quantia, de data ante-
riar accao contra elles proposta, e bem assim,
se culendera que o saldo, que devora ao mesmo
casal, nao mais que sufOciente para fazer face
aos rendmentos dos bens, sobre que versoua ex-
ecueo, desdeaapprehen>o at a arrematacao dos
mesmos, o que era tal caso Ibes cumpre fazer
recorrer aos tribunaes do paiz, e perante elles de-
monstrar o direito, de que tanto se inculcam re-
vestidos, e que Ihes e contestado pelo casal de
meu pai. Cao, porm, se aclieui convencidos de
que nao (em fundamento para assim proceder, en-
to recolliam-se ao silencio e tiquein certos de que
pelos meios a que assentaram de recorrer, nunca
podeio conseguir formara convieco do que fo-
ram vctimas da jusilla, como dizem, as decises
proferidas em favor de meu pai.
Em relacao aos insultos, que com mo larga me
foraiii prodigalisados e memoria de meu pai na
mencionada correspondencia, deixando que o sig-
natario da mesma o o seu autor se barafusiem a
contento na charco immundo, a que os tem arras-
tado o inslinctode que se dotados, apenas me li-
mitarei a applicar, tanto a um como a outro, o se-
g inte pensamento de um dtstincto escriptor :
sermo tmago aninu cst : qualis Mr" talis oraiw
est.
Aqui termino, Srs. redactores, rogando-Ibes a
impresso denlas lindas em seu conceituado Ota-
rio.
N" 18 de dezembro de 1864,
7Mi'm Francisco de Mello Cavalcanti.
~PBLjirriM7~
Ouvimos dizer que a benemrita companhia do
Beberibe trata de dar agua gratuitamente ao hospi-
tal de caridade Pedro II, o qual compra noscliafa-
rlzes pblicos toda a que necessila para o seu
gasto. E' urna caridade bem pensada, opportuna e
louvavel; ja porque com a cmancipaco dos Afri-
canos, que estavam ao servico do hospital, sobre-
ven] a despeza de paga aos conductores dtsse ge-
nero, ej porque o importe dessa doaco dividido
pelas acedes da companhia, talvez nao correspon-
da a mais de 20 rs. por aeco. Os senhores accio-
nistas, verificando essa esmola, enlhesouram esse
vintem no seio dos pobres para o acharem na mi-
tra vida, certos de quo, sem a caridade, tudo o que
se faz para a salvacao intil.
Tributamos, pois, desde j, os devidos louvores a
tao bello rasgo de philantropia, cuja dea tendo sido
aventada, de esperar que seja realisada, reco-
nhecidos, como sao, os nobres e generosos senti-
ineotos dos .-rs. accionistas.
Pillas vegetaes assucaradas de Kemp
Qualquer urna pessoa que se siota atacada da
bilis etc. que faca uso destas admiraveis pilotos,
por este meio tem tomado a raelhor das precau-
edes contra todas as molestias epidmicas. Urna
s rtse pode salvar urna pessoa da febre amarella,
do cholera ou das febres intermitentes beliosas.
Produzem um effeito verdaderamente maravi-
lloso em lodos os desarraigos do ligado e do
venire.
Ellas se compSem exclusivamente de substan-
cias vegptaes e ser urna medicina fortificante que
nunca debilita, pode por teso ser administrada,
com a mesma seguranca tanto s enancas as mais
tenras como aos homens mais robustos. Sao as
nicas pilulas de dicionadas em frasquinhos de crystal e sao ina-
preciaves como o melhor dos remedios, para as
pessoas de ambos os sexos seja qual fr a sua da-
do Encontrar-se-ho em todas as lojas de dro-
gas e as boticas de Bravo & C." e de Caors &
Barho;a.
dem do dia Si................ 42:i23872
339:9434083
Movlmento da alfandega
Vol umes entrados com faxendas... 96
* cora ganaros... 274
370
Volamos sabidos com fazendas... 181
com gneros... 946
------1,127
Descarregam no dia 23 de novembro.
Escuna dinamarquezaSuperodiversos gneros-
Barca iglezaArrau slefarinha de trigo.
Brigue portuguez -Laia //-diverso s gneros.
Galera nacionalMinadlo divers os gneros.
Brigue inglezGlaucus -baealh o.
Imparta Escuna nacional Antonia Maria, entrada do Rio
Grande do Sal, consignada a Amorim Irmos, ma-
nifeston o segrate :
9,228 arrobas de carne secca, 130 ditas de sebo
era rama, 290 ditas de graxa e 50 couros vaccuus;
a ordem.
Barca nacional .Yormu.entrada do Rio Grande do
Sul, consignada a Maia A Espirito Santo, manifes-
tou o seguiste:
7,917 arrobas de carne secca, 200 barricas sebo
coado pesando 1,300 arrobas e 1,613 ditas de car-
ne secca; a ordem.
Barca nacional Nova Carolina, entrada do Rio I
Grande da Sul, consignada a David Ferreira Bal- j
lar, manifestou o seguinte :
16.320 arrobas de carne secca, 190 ditas de se-
bo era rama, 179 ditas de dilo em pes e liil ditas
de graxa era bexigas.
Brigue-escuna nacional Principe D. Alfonso, en- i
irado do Rio de Janeiro, consignado a Manoel Bas-;
tos Alves Lima, manifestou o seguinte :
, l caixo laa; a Gabriel M. Carnetro.
Gneros nacionaes.
163 saceos caf, 50 rolos fumo, 1 caixo agoa de
flor e 4,494 j alqueires farinha e mandioca ; a
ordem.
Recebedorla de rendas internas
gerae de Pernambueo.
Rendimento do dia 2 a 21....... 16:0774132 1
dem do du 22................ 1:149*811.
17:226*943
Consulado provincial-
Rendimento do dial a 21......... 37:116*314
dem do dia 22................ 4:304*198
Jos Joaqoim Dias Fernandos.
Jos Velloso tiestas,
Manoel Joaquim Ramos e Silva.
Vicente Mendes Wanderley.
Joo Cardozo Ayres.
Antonio Valentim da Silva Barroca.
Francisco Acciuie de Gouva Lin*.
' Jos Nunes de Paula.
j Antonio da Silva Ferreira Jnior.
1 Jos dos Santos Neves.
Antonio Alves Barbosa.
Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.
Joaquim da Silva Lopes.
Joo Pinto de Lemos.
Vicente Jos de Brito.
Bartholomeu Francisco do Souza.
Jos Pires Ferreira.
Joio Prtrto de Lemos Jnior.
Caetano tyriaco da Costa Moreira.
Joo Jos de Carvalho Moraes.
Lourenco Luiz das Neves.
Miguel Jos de Abreu,
Joaquim Bibeiro Pontos.
Candido C. Guedos Alcoforado.
Jos Antonio Bastos.
Antonio de Moura Rolim.
Antonio Ignacio do Reg Medeiros.
Felisberto Ignacio de Oliveira.
Joaquim Francisco do Espirito Sanio.
Augusto Frederico de Oliveira.
Jos Franci co Lavra Penna.
Herminio Egidio de Figueiredo.
Manoel Jos da Silva Guimares.
Domingos Alves Matheus.
Bernardino Jos Monteiro.
Silvino Guilherme de Barros.
Thomaz de Aquino Fouceca.
Feliciano Jos Gomes.
Francisco Antonia da Rosa.
Joaquim Mauricio Gongalves Rosa.
Antonio de Souza Pavolide.
Jos Gomes Leal
Antonio Gomes de Miranda Leal.
Henrique Bernardes de Oliveira.
Francisco Ferreira Bailar.
Secretara do tribunal do commercio de Pernam-
bueo, 21 de novembro de 1864.
Est conforme.O ofleial-maior, Julio Au/j usto \
da Cunha Guimares,
do districto da Boa-Vina as pecas seguinte:
6 cadeiras, 2 marquezas, 1 me?a redonda, urna
mesa e urna banca, ama caixinha, e um espelbo
de parede,
AFOGADOS.
Por esta snbdelegacia se faz pnbliro qoe se arha
depesilado um cavado ruco pedrez rom andares,
o qual foi encontrado no lugar da Embiribeira,
se juiga ter sido furtado : qsem se julgar com di-
reito, provando, Ibe ser eotregue.
O subdelegado,
Manoel J.* da Silva Grillo.
Pela sobdelegacia do Peres foi recomido a
deposito um cavado ruco satlilho, do servico de
moer engenho por ter as marca* no peno preve-
niente do pe tora I : quem forsea dono, compare
ca, que provando Ihe ser entregue.
Subdelegada do Peres 21 de novembro de 1864.
O Mi I .Megado,
Alexandre Martins Corren Barros.
Na audiencia do film. Sr. Dr. juiz des sr-
phos do dia 23 do corr.-nte lem de ser arremata-
do o sobrado de dous andares rom um armaina
e terreno por detraz sito na ra da Senzala VHha
n. 14, perlencenle aos herdeiros do finado Joa-
quim Lobato Ferreira sendo a dita arrematacao
requerida pelos herdeiros maiores e pelo tnmr dee
orphos filhos do finado Manoel de Almeida Lopes
THEATRO
DECLARARES.
41:420*712
Navios entrados n o dia 22.
Rio Grande do Sul35 dias, b arca nacional Norma,
de 244 toneladas, capito Frederico Jos Prates,
equipagem 12, carga 10,000 arrobas da carne
secca ; a Maia & Espirito Santo.
Rio Grande do -ul37 das, escuna nacional Anto-
nia Marta, de 174 toneladas, capito Thomaz de
Aquino Ribeiro, equipagem 10, carga 9,200 ar-
robas de carne secca ; a Amorim & Irmo,
Rio de Janeiro-32 dias, brigue escuna nacional
Principe u. Alfonso, de 143 toneladas, capito
Manoel Homem de Almeida, equipagem 10, car-
ga farinha de mandioca e outros generes ; a Ma-
noel Basto de Abreu e Lima. -
Hamburgo por Portsraowtli 90 dias, do prmero
porto, 33 do segundo, escuna hamburgueza Su-
pero, de 120 toneladas, capito J. C. Schuldt,
equipagem 8, carga differeule gneros ; a Ma-
noel Joaquim Ramos e Silva & Genro.
Navios saludos no mesmo dia.
Liverpool Brigue inglez Queem Plyn, capito J.
Bewnett, carga assucar e algodo.
Penedo ilute brasileiro Amelia, capito Anto-
nio J. R. Pinheiro, carga differentes gneros.
Observado.
Suspendeu do lamaro para o Havre, a galera
franceza Infante de Franc-a, capito Durand, com
a mesma carga que trouxo de Iqutque.
Sania Casa da Misericordia do Hecife.
A Illma. junla administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife, tendo de contratar serven-
tes para os restabelecimentos pos a seu cargo,
dando-lhes, alem da paga eouvenconada, o susten-
to, e curando-os era snas enfermidades, manda
convidar as pessoas que liverem escravos de arabos
os sexos, e que os queiram alugar para semelhan-
te fim, a coraparecerem na sala das sess s da
mesma junta as quinlas-feiras, que nao forem
impedidas, pelas 4 horas da tarde.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 12 de novembro de 1864.
O escrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
COMPANHIA
EDITiES.
C M1HEBCI0.
Alfandega
Rendimento do dia I a 21........ 497:819*211
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
viucial, era cumpriraenlo da ordem do Exm. Sr.
presidente da proviuca de 20 do corrente, manda
fazer publico, que no dia 22 de Janeiro de 1863,
perante a juula de fazenda da mesma thesouraria,
se ha de arrematar a quera por menos Hzer, a
obra da ponte de Motocolomh, avahada em rs.
F8:930*000 rs.
( A arrematacao ser feita na forma da loi provin-
cial n. 343 de 13 de roaio de 1834 e sob as clausu-
las ".-pei-iaes abaixo copiadas.
As pessoas quo se propozerem a essa arremata-
gao coinparecam na sala das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado, pelo meio dia,
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria proviucial, 22 de outu-
bro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Auuuociaco.
Clausulas especaos para a arrematacao.
! A obra da ponte de Motocolomh oreada em
68 930,3000 rs. sera executada de conformidade
com o respectivo ornamento, observando eraquanto
as dmeiiMJes e dealhes, o que se acha na planta
approvada pele Exm. Sr. presidente da provincia
e archivada na reparticodas obras publicas, onde
poder ser examinada pelas pessoas que pretende
rern contratar sua construeco.
2* A obra sera executada dentro do prazo de 13
mezes, contados da data do respectivo contracto.
3* Os pagamentos sero realisados em o presta-
rles : a i* de 10:000* rs. no fim de 60 dias depois
de assignado contrato ; a 2* de 13:0005, quando
o emprnleiro apreseutar os conhecimentos de ter
sido toda a ferragem embarcada na Europa ; a 3a
de 20:0 0*, quando todos os esteios e travs esli-
verem convenientemente eollocadas ; a 4* da me-
lado da quantia que anda restar em cofre, quan-
do a obra for concluida e eutregue provisoriamen-
te, e a 5* da outra metade, quanto tiver lugar a
entrega definitiva, seis mezes depois.
4* Para os casos nao prevenidos no ornamento e
nem as presentes clausulas, observar-se-ha oque
dispoe a lef regulainentar das obras publicas.
5*0 contraante nao poder em lempo algum
allegar prejuizos e pedir indemnisacoes, quaesquer
que sejam os fundamentos que Ihe assistam.
O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
O tribunal do commercio da provincia de
Pernambueo convida aos Srs. commerciantes na-
cionaes matriculados e residentes neste districto,
coraparecerem no da 7 de dezembro proxim3 fu-
turo, s 9 horas da manhaa, na sala da associaco
Commercial Beneficente, para proceder-se eei-
go de dous deputados commerciantes, que no se-
quinte qualneuniode 1863 1868 tem de substi-
tuir OS actuaes Srs. deputados Joo Ignacio de Me-
deiros Reg e Joo Pinto de Lemos, na forma do
titulo nico do cdigo cemmercial e decreto o. 696
de 3 de setembro de 1850.
E para constar mandou o sobredito tribunal fa-
! zer este, que assignado pelo seu secretario ser pu-
j blicado no Diario de Pernambueo e Jornal do Recife,
. e allixado na praca do commercio com a lista de
que trata o art. 3o do citado decreto.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambueo, 21 de ni vembro de 1864.
Eu Joo Pinto de Lemos, servindo de secretario
o subscrevi.
LISTA.
Jos Jeronymo Monteiro.
Luiz Antonio Siqueira.
I Manoel Ignacio do Oliveira.
[AntonioJos Leal Res.
I Jos Marcellino da Rosa.
Joo Ignacio de Medeiros Reg.
Elias Baptista da Silva.
Jos Baptista da Fonseca Jnior
Antonio Jos de Castro.
Jo> Francisco de S Leito.
, Luiz Jas Bodrigues de Souza.
I Joo da Silva Faria.
{ Gabriel Antonio.
I Manoel Duarte Rodrigues.
Manoel Antonio da Silva Moreira.
Joaquim Jos da Costa Fajoze.
Jos Rodrigues Pereira.
Jos Candido de Barros.
Antonio Luiz dos Santos.
Jo- Pereira da Cunha.
Aureliano Augusto de Oliveira.
Pedro Joaquim Vianna de Lima.
O
IS5o se tendo reunido numero legal dos
Srs. accionistas para ter lugar a assembla
geral annunciada para hoje, de ordem do
Sr. director s3o novamente convidsdos os
mesmos senhores a se reunirem bo dia 25
do corrente ao meio dia no escriptorio da
mesma companhia, aflm de examinar as
| contas do semestre indo, approvar o orfa-
mento do semestre vindouro, tratar de ed-
Qcaco de novas caixas e mais obras neces-
sarias ao fornecimenlo d'agua e coneessao
gratuita da mesma ao hospital de caridade.
prevenindo-se desde j que, na conformida-
de do art. 16* dos estatutos, a reunio ser
considerada completa e ter efleito com o
numero de accionistas que comparecer nes-
te dia.
Escriptorio da Companhia do Beberibe 18
de novembro de 18(54.
O secretario,
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematacao da obra da ponte do Pontal na
ilha de Itaraarau loi transferida para o dia 24 do
crreme.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bueo, 17 du novembro de 1804.
O secretario,
A. F. da Aiiuunciaco.
Pela delegara do 3o districto do termo do
Recife se faz publico que em poder de um desertor
do exercito de nome Manoel Feliciano de Hondn-
ga, foi appreheudido um cavallo que se julga ser
furtado,e que ser entregue a quem provar ser
seu dono.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematacao da obra dos reparos do empe-
drameulo da estrada da Victoria entre os marcos
de 8 a 10 mil bracas foi transferida para o dia Io
de dezembro prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bueo, 17 de novembro de 1864.
O secrelaio,
A. F. da Annunciacao.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematacao da obra do aterro da ra do Li-
ma na cidade Nova de Santo Amaro foi transferi-
da para o dia 24 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bueo, 17 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. da Annunciaco.
Jl'IZO DOS FEITOS DA FAZEND.v.
Quinta-feira, 24 do corrente, depois da audien-
cia do Illm. Sr. Dr. juiz dos feitos da fazenda, ir
a praca por venda a fabrica de crystalisar assucar
na povoaco do Monteiro, com todos os seus uten-
silios, adjudicada a fazenda provincial cora o abate
da lei, po> 7:4795309, para pagamento da execu-
eo contra Jos Guilhermo Guimares.
A casa de sobrado de dous andares e soto, no
pateo do Paraizo n. 28, lendo 22 palmos de frente
e 81 ditos de fundo, de boa construeco e em bom
estado, avahada em 8:000$.
A casa terrea no mesmo pateo, n. 13, com 21
palmos de frente e 53 ditos de fundo, de perspec-
tiva baixa, com porta e janella, cozinha fra e esto
em alguma ruina, quintal murado e cacimba, ava-
hada em 980f.
A casa terrea na ra das Aguas-Verdes n. 6, ten-
do 21 palmos de freute e 78 ditos de fundo, com
porla e janella, com sotio, cozinha fra, quintal
murado, cacimba de tijollo, com porto para a ra
de Hurtas, avahada em 1:40 5.
O sitio e casa terrea, na ra Direila dos A loga-
dos n. 41, a qual tem 56 palmos de frente c 90 di-
tos de fundo, de perspectiva elevada, com urna
porta e qualro janellas de frenla, de caxilhos en-
viili arados, bem construida e em bom estado, ten-
do duas salas, duas alcovas, um gabinete, mais ou-
tros quartos e cozinha, um algrete no eito, do
nascente, sobre columnas de tijollos, sendo a sua
coberta de taboas e sobre esta mais urna coberla
de lenco! de chumbo, com um jardim em frente e
tendo o sitio de terreno em sua frente 300 palmos
e 800 de fundo at baixa mar, com toda a frente
murada de gradeamento de ferro por cima e um
porlo do mesmo metal, com urna cocheira, estri-
bara e seis quartos para pretos, formando no cen-
tro um quadrado todo plantado de arvores fruct-
feras e em estado de se desfrurlarem, com algu-
mas latadas de parreiras, urna caeimba grande de
lijlo bem construida e um banheiro ao pe, tam-
bera de tijollo e cal, e um viveiro no fundo, seodoj
o terreno propro, avahada em 10:0005.
A casa terrea na mesma ra Direila n. 43,cons- [
truida de lijlo e cal, de perspectiva elevada, era
bom estado, com 30 palmos de frente e 90 ditos de
fundo, urna porta e duas janellas, duas salas e
quarios precisos, cozinha lora, quintal murado e
cacimba, avahada em 1:3005 ; penhorados por ex-
ecueo da fazenda provincial contra Jos Pedro
Velloso da Silveira, como fiador de Francisco Pi
da Silva Valonea.
Recife, 19 de novembro de 1864.O solicitador
da fazenda provincial, Joao Firmtno Correa de
Araujo.
Arremata-se em praca finda no dia 19 do cor-
rente os bens de Jorge Braem a requerimento de
Malernus Lenr, por ordem do Illm. Sr. juiz de paz
EMPREZA
GEMIAM i CimiUit.
Quarta-feira 93 de novembro.
Segando o ultimo espectculo. Concert ens
beneficio de Mr. A. Beichert, flautista de S. M. o
re dos Belgas, com a coadjuvaco da companhia
dramtica.
PRIMERIA PARTE.
A orrhestra execular urna escolhidaoavertora,
depois da qual subir scena a linda comedia em
um acto
FIEL NjUNFIIIE! IDADE
Em seguida o beneficiado executar a excellen-
te phanlasia de sua composic.au
A im:LA\ oi.i a r wiomi
Acompaohado ao piano pelo disimcto maestre c
Sr. Smolts que o coadjuvar era todos os nter-
vallos.
SEGUNDA PARTE.
Ouverlura pela orcheslra.
A companhiadramatica representara a granosa
comedia em 1 acto
SIM OU NAO?
O beneficiado inlervalar com a i.vtrowccao e
tabantpxla, igualmente de sua rompoico
TERCEIKA E ULTIMA PARTE.
A execueo da espirituosa comedia em um acto
pela companhia dramtica
ESTIVE YO CLUB
Terminando o espectculo com bnlhanies *%
riacoes. imitando duas (lautas, sobre o thema do
CARNAVAL DE VENXZA,
Depois do que o beneficiado executar a linda
polka
A I Ai I lili.
O beneficiado antecipa seus agradtcimentes
todas as pessoas que o honrarem, e bem assim ao
dislmolo pianista que o coadjuva.
O resto dos bilheles est disposicao do publico
no escriptorio do theatro : os procos sao os do es-
tylo.
Comecar as 8 horas
MISOS MiHITIMCS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
M
IVavegneo costeira a rapor.
Hacei e escalas.
O vapor Piirahyba. eomman-
dante Marlins. seguir no da i-
do crrenlo as 3 oras da tarde
liara os porlos cima indicados.
Recebe carga ate o da 24. Ea-
tonunendas, passsgeiros e dinbeiro a lete ate as
2 horas da tarde do dia da sabida : escriptorio no
Forte do Mallos n. 1.
CU.MPANII1A PER.NA_MDTCA.NA
DE
IVavegaeo coslelra a vapor.
Parahyba, Natal, Maco. Aracaty. Cear
c Acarara'.
O vapor Pnsmuit'j'i. seguir
no dia 26 do crrenle as 3 horas
da Urde para os portos indiea
dos. Recbela carga at o dia
23. Enrommendas, passageirns e
dinheirc a frete at o da da sabida a^ 2 horas
da tarde : escriptorio no Forte do Mallos n. I.
"ara o Assm
segu com milita brevidade o Date Dous Irmaos
a tratar com Tasso limaos.
Para Lisboa
Pretende sabir com a maior brevidade o lugre
portuguez Julio, para o que tem a maior parte da
carga prompta, para o resto a passageiros a quesa
offereco os melhores commodos trala-se cora o
consignatario Thomaz de Aquino Fonseca na ra
do Vigario n. 19, primeiro andar.ou com o capito
o >r. Francisco Antonio Meirelles, na praca.
LEIL6ES.
DE
Diversos livros de litteratura
HOJE
(Sem liinilesj
Cordeiro Simoes far loilo por ordem de ama
pessoa qne se retira para fora, de diversos livros
de litteratura, no arraazem da ra da Ladea do
Recife n. 48.
a i:ai io
u
l'K
s
r
ju
vallo
HOJE.
Cordeiro Simoes fara leilo de um cavallo roela-
do com lodos os andares, grande e h*oila figura.
no armazem ra da Cileia do l-cife n. 48.
LEILAO
DE
Urna car roca e bi
MM
Cordeiro Sjmes vender era leilo urna earro-
ca quasi nova e um bo mano, bonita figura esa
frente ao arroazera ra da Cadeia do Rerife ni
mero 48.
DE
Fa eudas arar indas
II(MB
Adamson Howie & C farao leilo |
rao do agente Pinto por conla e rbw
perteneer de differentes faz*nda* netoas araa-
das a bordo do brigue inylez Inmisin, eapto
Stargins, as 10 horas do dia cima dilo no sen ar-
mazem da ra do Trapiche n. 41


l.



Diario de Pcra*mtsneo <|Marta felra 9S de novembro 4c IC4.

liKIIiAO
MOVIS
nojE.
Cordeiro Simoes far leilao de diversos trastes
atado* e oulros muitos artigos de gosto, os qaaes
se achara palete o exame dos pretndeme*, no
armazem ra da Cadeia do Recife n. 48.
Eaeravaa.
Precisase alugar ura cozn-beiro e um criado
que sejam escravos : u ra da Cadeia n. 52, ter-
ceiro andar.
O dono da antiga fabrica de charutos e ci-
garros, sita na esquinada ra de Moras n i, ten-
do frito redueco os precos de suas raereadorias,
convida aos seus freguezes a virem honrar seu es-
tabelecimento com devida proteceao de que carece
por se achar cora um variado sortiaiento de cigar-
ros e charutos finos dos autores tnais acreditados
da Bahia, cachimbos, fumo para os ditos, fumo em
folba, fumo americano, dito dito era latas, e diver-
sos artigos para os fumantes, em quanto a quali-
dade e preco garanie-se nao prejudicar os fre-
guezes.
, Ao amanheeer do dia 20 de outul-.ro do cor
Sant-Clalr ; rente annode 186V, furtaram do cercado do en-
das ilhas ou os desterrados na ilha da Barra, ro- enho: Aldea, da freguezia do Rio Formoso um
manee digno de ser lido pelas senhoras por seus quwtao de carga do raesmo gento, o qnal 6
lances interessantes postos em execuco por urna r"e I'ombo, grande, sirado, nao e novo, tero no
senhora, 3 voluntes em brochura a 25 : na lime esquerdo urna bel.de e pouco ou nada v
na ns. 6 e 8 da praca da Independoncia. Pel d" olno- um ca lo velpo no espmhaco,
--------------------!-~----- i lugar em que leve urna bexiga, levou o topete eor-
CoStQflPflS tado rente, carrega baixo, e tem estampado no
0 Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da noite
para o exercicio de sua profissao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
roeio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue, com o
maior a Hinco, no das mais difneeis e deli-
cadas operacoes. como sejaro dos ergaos
ourinarios, dos olhos, partos, etc.
DA
Barca americana alia, sobrcsaleales .$
c todos seus perlences.
Qainta-feira 2 de novembro.
As 10 horas em ponto porta da associacao com-
mercial o casco, mastros reaes, ancoras, cor-
rentes, gurups, enxarcias, reaes, sextos de ga-
via e vaus em um s lote, s 11 horas, no ar-
roazera do barao do Livramento caes do Apollo,
mastaros de gavia, ditos do paneles, vergas,
cabes, paanos, cascos, sobresalenles e mais per-
tences em muitos e diversos lotes.
R. C. Denhain capit.o da barca americana la-
itua, fara leilao com licene do inspector da alfan-
dega, em presenca de um empregado da mesma
re par ti gao para o lim nomeado, com assislencia do
cnsul americano, por intervenco do agente Pin-
to e por conla e risco de quem pertencer, do cs-
eo, mastros reaes, pannos, ancoras, correnles, so-
bresalenles e todos perlences da referida barca a
qual se acha ancorada nesta porto onde arribou
Dor forca maior na sua ultima viagem de Boston
para Buenos-Ayres e pelo que foi legalmente con-
deranada.
Os pretendentes poderao desdo j examinarem zes bilhetes garantidos da lotera que se aoabou; Antonio l \LZ d OLvOfiri
o inventario existente em poder do agente deven- de exlrahir a beneficio da matriz de Iurob, '
do comparecerem as 10 horas do dia 24 ao leilao os seguintes premios:
Aluga-se.
Aluga-se o 3* andar da casa da rna Direia n.3f
o qnal tem roromodos para grande familia : a tra-
tar no 2 andar da mesma ou m Recife na ra da
I Cadeia n. 3.___________
Prccisa-se de um amassador que te sujeila
j a levar todos os dias una carrosa com pao ao ar-
i seal de raarinha.______
Aluga-se urna casa sita na ra de S. Gonca-
| lo n. 38 : a tratar na ra larga do Rosario n. l,
pada ra.
Est ainda pan alugar urna casa na ilha de
Bemhca junto a ponte da Passagem, com comino-
dos para familia, bal.o. pintada, e pelo barate
aluguel de 1505 por anuo : na ra larga do Ro-
j sario n. 3o se dir quem aluga.
lilil i iTiririA ^-ss-bi^s-msk
LISA Al Ifc^AU m DENTISTA DE PARS 1
a aos senhores e senhoras jg__Rna Xova19 H
Precisa-se de urna ama do leite para acom-.
panhar urna crianca at a Bahia : na ra Nova
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores o senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores c senhoras
Prccisa-se de costureiras para trabalhar por dia lado direito da anca o ferro do engenho em letlras
alinhavanrto costuras para a machina coser. i maiosculas como aqu se v A L E A. Adver-
- te-se que os cavallos assim ferrados, nao sao tro- Aviso aos senhores e senhoras
cados nem vendidos, e os que forem encontrados | Avo aos senhores e senhoras
som ser servico do mesmo engenho sao furia- Aviso aos senhores e senhoras
n. 63, segunda andar.
m\ DA FOKTlJiYt
AOS 6:000.000
Bilhetes garantidos
A' rna do Crespo n. 23 e casas do eostnme
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
j dos, o devero ser apprehendidos ; porlanlo rota- Aviso aos senhores e senhoras.
se s autoridades policiaes, e mesmo qualquer i Novo sortirnento
pessoa do povo, que sendo encontrado ditos ca-
| vallos sejam apprehendidos eremeltidos ao admi-
. nislrador daquelle engenho ou ao abaixo assigna-
do proprietario de mesmo engenho, que reside na
cidade do Recife, ra do Hospicio n. 50. Cidade
' do Recife, 26 de outubro de 1864.Caetano Jo.-
da Mlva Santiago. _^__
Aze-
do casco, a porta da associacao commercial e as
il horas, no armazem do barao do Livramento
caes do Apollo.____________.
LEILAO
DE
Um piano forte de amarello. 1 mobilia de moguo
cora lampos de podra, ricos quadros com finas
gravuras, 1 armnico, 6 cadeiras de balanco
americanas, 4 sofs e 12 cadeiras de Italia, 1
sof e cadeiras de Jacaranda, 1 toucador coro
tampo de pedra e espelho, 1 guarda roupa de
magno cem espelho, 1 apparador de Jacaranda,;
2 ditos do roogno, 2 venesianas, 1 cama de'
bronze, 2 ditas da ferro, commodas, candieiros,
louca, vidros, crytaes, mesas e trem de cosi-
ulia. 1 machina de lavar roupa e muilos outros
objectos que se acham ao exame dos preten-
dentes no armazem da ra da Cadeia n. 36.
Seila-feira 25 de novembro.
O agente Piulo aulorisado pelo Sr. cnsul in-
glez o qual relira-se desta provincia far leilao
de todos os objectos supra mencionados perten-
centes a sua casa de residencia e existentes no
armazem da ra da Cadeia n. 36, aonde se effec-
tuar o leilao s 10 horas do da cima dito.
LEU
DE
Uro carro de 4 rodas, 2 cavallos para o mesmo, 1
eabriolet com asuntos para 2 a 4 pessoas e ar-
reios para o mesmo.
Sexta-fcira 2o de novembro
N. 872 um bilhete Intelro eom 6.0003000
N. 2107 dous quartos com 1:1005000
N. 2440 dous quartos ora 5005000
E outras muilas surtes de 1005, 405, 205 e 105
Os possuidore podera vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acharo-se venda os da quinta parte da ler-
ceira lotera a beneficio da Santa Casa da Mise-
ricordia que se extrahir no dia 24 de novembro.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 75000
Meios......... 35500
Quartos........ 15900
Para as pessoas que comprarem
de 1005 P^ra cima.
Bilhetes........ 65500
Meios......... 35250
Quartos......, 15700
Manoel Martins Finta
Na ra do Amarim n. 46, segundo andar, en-
gomraa-se cora todo o esmero e perfeic, e mais
barato do que em outra qualquer parte : tambem
cose-se costuras para lojas por preco barato.
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : na ra da Palma n. 41, ta-
berna.
Aluga-sa urna casa terrea sita na ra da Glo-
ria n. 52, relificada de novo : a tratar na ra da
Moeda n. 9.
vedo & C
Agentes do Banco Inio do Porto.
Competentemente autorizados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Faro.
Oliveira
rois.
Penafiel.
Tavira.
Villa do Conde.
Frederic S. Ballin & C.
> Joo Gabe t Filho.
Francisco Raboba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
> Gonzalo Segoria.
i M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
d'Aze-
4 rna de leite.
Precisase de urna ama de leite
Nova n. 63, segundo andar.
trata-se na ra
Alugam-se baratas urnas mei-aguas na en-
a 1 hora da tarde, na ra da Senzala por detraz trada dos portoes da travessa das Barreiras, bair
do armazem da ra da Cadeia n. 36, onde baver
anteriormente leilao de movis.
AYISOS MYESSOS.
ro da Boa-Vista :
mero 25
a tratar na ra do Cotovello ou-
Gratifica-se
pessoa que no dia sabbado apanhnu um dedal de
ouro com as iniciaes B. C. P. que foi atirado ra
por um menino, do sobrado do pateo da Santa
para a rita do Rosario da
sobrado, ou na
AMA DE LEITE
Offerece-se urna ama de leite ; na ra larga do
Hosario n. 24.
Aluga-se urna boa casa e sitio na estrada do
Monleiro com a frente para o oitao da igreja, pro-
prio para qualquer estrangeiro por ser muito fres-
ca, tendo bons commodos, inclusive um bom soto.
: estando de novo toda concertada c pintada, tendo
! o sitio porto de ferro, cocheira, estribara, lalrina,
cacimba com bomba de Japy : a tratar com Anto-
nio Jos Rodrigues de Souza, na ra do Crespo
numero 15.
Aluga-se a casa da rna do Tambi
30 : na ra de S. Tliereza n. 38.
O Sr. Antonio Gomes de Carvalho, que dei-
xou na loja de livros ns. 6 e 8 da praca da lude- ruz
pendencia urna carta do Rvm. Sr. vlgario doSal-iB'oa.ViSia : a entregar no mesmo
gueiro, queira declarar sua morada para se poder raa do Queimado n. 34, loja.
tallar sobre o negocio de que trata dita carta.
Instituto Arckeologico e Geo-
grapMco Pernambucano.
llavera sesso ordinaria qainta-feira, 24
do correte, s 11 hora da manhaa.
oitis:u DO DIA.
Votacocs adiadas :
Trabalhus e pareceres de conunisses.
Secretaria do Instituto, 21 de novembro
de 1864.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
Aos 6:OUO>000.
Corre auauuha.
Quiita-feira 24 do corrate mez, se ex-
trahir a quinta parte da terceira lotera
(117a) a beaelicio da Santa Casa de Mise-
ricordia, no consistorio da igreja de Nossa
Senliora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesoararia ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000;>000 at 100000
sero pagos urna hora depois da extracclo
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuiejo das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Coirabra.
Covilhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Eorlimo.
do
Figueira.
Guarda.
Guiroares.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
Moncao.
Moneorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Novo sortiraent
Novo sortirnento
Novo sortirnento
Novo sortirnento
De eaixiabas e quadros
De caixinbas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
Caixinhas a ISOI)
Caixinhas a 1500
Caixinhas a 1500
Caixinhas a i00
Caixinhas a 1500
Caixinhas de ."3 por 4&
Caixinhas peo, por 4
Caixinhas de 5 por 4
i Caixinhas de Si por >
| Caixinhas de 55 por 4$
Rcceberam-se 10 mil eaixas
Receberam-se 10 mil eaixas
Receberam-se 10 mil eaixas
Receberam se 10 mil eaixas
Receberam-se 10 mil eaixas
Carl8es de visita
Carloes e visita
Carloes de visita
Cartoes de visita
Carloes de visita
A 10 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 10 a duzia
A 105 a duzia
A galera est renovada
A galera est renovada
A galera est renovada
A galera est renovada
A galera esta renovada
Com ricos c rimados
Com ricos cortinados
Com ricos cortinados
Com ricos cortinados
Com ricos coriinados
Frederic o Gautier, cirurgio dentista, ft
faz todas as operacoes de sua arte, e col- i
loca dentes artieiaes, tudo cora superio- 5
ridade e perfeieao, que as pessoas cuten- i
didas lhe reconhecem.
Tem agaa e pos denticio. {2
l'ma boa casa terrea para familia
est por alugar-se ra da Unio o.
39 : quem pretender dirija-se ra
SALSA P4IRILII4 DE ATE*
TnA.NScncYEWo* aqu a
dos auilus aitrstt( qm>
no-bulo ras MrtudV. da
parrilla do Dr. AyT.
IlhrnniatUHi*.
br. joAo *s: w Ourv l'relo.
< SofTri rheumalisrnoporaai-
tas vezes. e veixlo aimun-iaiw
em um jornal dc.-U n.Uie 1
Salsa parrilha de Ifr. Afer. n-
soivi-mca comprar um frasco e faz*r aw
d'ella ; oaBtWM concluir o prin^-iro fra-
1 co, acltei-me forie e sem s.-lir a nui> \e%m
dr nos joelhos : a parte lo corpo qu* -
lava affectada d'ess- terri\H encnatimd*
que NnlMMM lanas noites <)< s.-mo.
:j Bpvos. hoi-l>uiba%.
nlecra, e ivam m
; da pe le.
1)0 SR. JOAO PAILA DE AMO fc !WKZ\.
Ra de S. IVdro.Ilio ile Janeiro.
Soffria mais de dous anm* dr mm
erupfao sypbiliiira em Mb ocorpo. 1
da Aurora 11. 10. Tambem alugam- trando-se sempre coiu mais violencia
se as lojas n. 14, ra da Aurora
mm mmmm mm mmm
Compaoliia fldelldade de j
seguros martimos e ter-
restres estabeleelda no
Klo de Janeiro.
AGKNTES EM PKPNAMBUCO
Antonio Luit de Oliveira Azevedo k C, c
competeniemente autorsados pela direc- |
loria da companhia de seguros Fidelida- |
de, tomam segnros de navios, mercado- I
rias e predios no seu escriptorio ra da S
Cruz n .1. M
mm mmmmmmmmmm
S. Blum retira-se para o Rio de Janeiro.
----------
c tu c es I 5' a 0 VI m p 0 a 0 c 0 S s -i ra c CA a m i 0 -I 0 M 3 KJ + '_ a o-c-cz B -1 B 10 Di -i - 0 -1 O 8 w -I 0 9 -1 Zl. 0 i -1 flfi s. -I 3 g > a 0 3 -1 a 3 H O a > O cr &> r> 1

e tapetes
e tapetes
e tapetes
e tapetes
e tapetes
ma Nova n 32
oja de madama TheardS
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faal.
NO^IMPBRIO.
Bahia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo Com lindas e variadas vistas de fundo
os saques a prazo serem descontados no mesmo Com lindas e variadas vistas de fundo
Banco a razao de 4 por cento ao anno : a tratar, Corn lindas e ariadas vistas de fondo
na ra da Cruz n. 1. j Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lindas c variadas vistas de fundo
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A" ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ruado Imperador n. 38
A. W. Osborne.

vas
n.
0 cirurgio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharo como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripia
(JaievJro.
Precisa- e de um caixeiro de ti a 16 annos que
tenlia pratica de negocio, e d Gadur a sua conduc-
ta : na ra da Imperatriz o. 10, loja de calcado.
^"Precisase de urna ama forra ou captiva para
cozinhar, e mais poucos servicos de urna casa de
ama pessoa; na ra dos Copiares n. 3, sobrado,
amigamente becco do Lobato.
Modas francezas
Madama Millochau Buessard rerebeu urna nova
remessa de modas, eonsislindo em chapeos de pa-
Iha e de clina para senhoras, ricos enfeites para
soirf, fitas de todas as qualidades, bicns brancos
e pretos, toucados e sapatinhi'S para baplsado, le-
ques ricos, ditos singelos, espartilhos do ultimo
gosto, luvas de pellica para hornero e senhora, ri-
cas pelerinas para noivas e sores, enfeites de
flor de laranja e veos para noivas, (velas para
sintos, camisinhasetc, lavam-se e enfeitamse os
chapeos de palha : na ra da Imperatriz n. 1.
A chatn-se
impressos em muito bom papel e nitida impressao
quatre diversas estampas da Senhora da Conceico
ornados de bellas vinhetas, e esto venda na
ra do Imperador n. 13, defronte de S. Francisco,
bem como o oficio da mesma .enbora, tal como
o rezam os religiosos carmelitas.
J. Keller 4 C. administradores da
massa de Martinho de Oliveira Borges, pa-
gampor autorisafo do Hlm. Sr. Dr, juiz
especial do commercio o segundo e ultimo
dividendo aos respectivos credores.
CLUB PGR\A*nlCA\0
0 baile anniversario desla sociedade te-
r lugar na noite do Io de dejmbro pr-
ximo futuro. E' permiltido todo o luxo
nos toillets.
Precisa-se de urna ama que cozinhe e en"
rame para dnas pessoas : na ra da Penha n-
23, primeiro andar__________________________
""^"Precisa-se de um rapaszinho de 12 annos,
mais ou menos, para urna loja de fazendas: no
caes de Apollo n. 17.
Previne-se
a quera interessar possa que nao comprem bens
alpuns pertencentes ao Sr. alferes Anlonjo Muniz
Tavares, por quanto ditos bens aiuda nao furam
inventariados e existem orphaos.
. __________O orphosinho.
Precisa-se alugar urna criada escrava ou li-
vro, qne saiba taxer compras e cozinhar para duas
pessoas: na raa da Florentina n. 20.
Offerece-se para cozinhar em urna casa par-
ticular um moco vrado ha pouco para esta pro-
vincia : quem precisar, dirija-se a ra do Rangel
numero 9.
Aluga-se urna ama que saiba bem cozinhar e
de boa conducta, preferindo-se escrava : na ra
estreita do Rosario n. 32, primeiro andar.
A ttenco.
m
Alexandre da Cunha Coelho Catanho, professor
de msica, offerece-se ao respeitavel publico para
afinar e concertar pianos por preco commodo : na
ra de Santa Thereza n. 18._____________
Aluga-se por 16 mensaes a casa terrea n.
26 da ra do Forte : a tratar na thesouraria das
loteras na ra do Crespo n. 15.
A pessoa que precisar de um feitor para si-
tio, e que sabe escrever, dirija-se a casa de Do-
mingos da Silva Miranda Pinto, na ra das Flores
n. 1S, cocheira, que dar informaces aceres.
Pede-se a certas senhoras que frequentam o
Club Pernambucano, que se abstenharo de dansar
urnas com as outras, oque s proprio de urna
sala de dansa._______________________________
CABRA'
Offerece-se urna cabra muito boa de leite, por
commodo preco : na ra larga do Rosario n. 24.
Este estabelecimento se acha hoje mais
que nunca bem sonido de objectos de SS
moda do melbor que pode vir ao merca- |k
do e nao se menciona cada um de per si >>
por se tornar demasiadamente enfado- xri
uho para seus numerosos freguezes quan- 5$5
do lerem o presente.aviso pelo que limita- rga
se em lemlirar alguns artigos, cum> se- S
jam : rhapelinas de dinas de palha de ^
Italia, de seda, da crep branco o prjffo
para luto, chapeos redondos de palliada
Italia amarella e de outras cores para
senhoras, ditos para meninos e meninas,
ricos cortes de blonJe, ditos de moreanli-
que de diversas cores, dilos de seda, as-
sim como sedas de cores para se vende-
rem a co vados, di las escocezas, cortes de
vestidos pretos bordados a agtilha, linal-
mt-nta um variado sortirnento de fazen-
das finas e grossas, na mesma. casa fa-
zem-se capas, manteletes, vestidos para
noivas, vestuarios para meninos se bap-
tisarem e tudo quanto perlence ao loilet
de una senhora e recebe-se figurinos to-
dos os mezes das ultimas modas de l'aris.


m^m z^wm*
i..
>
A vista do aviso telegramma de 18 do corrente,
de Victorio do Nascimenlo Accioli Lns, em que
declara ao respeitavel publico que seu pai o Sr.
Sebastio da Cunha Accioli Lius, o conslituio nesta
data por seu procurador tostante para tratar de
todos seus negocios, (cando sem effeilo a procu-
racao bastante que passou ao seu genro o Sf. Se-
bastio Alves da Silva cujo ex-procurador nao
pode assignar escriptura de rectificacao do arren-
diiMltlO do engenho Posso.
Jos Maria Machado, subdito portuguez, re-;
tira-separa Portugal a tratar de sua s.iude.______
Aluga-se um sitio no lugar do Cammlio No-
vo, ra da Esperanca que vai para o Mauguinho,'
lendo boa casa e muito fresca, com 6 quarlus e 4
salas no andar terreo, e 3 salas no soto, o qual
tem 11 janellas, e por isso tornase muito fresco,
e mais casa para banhos de agua de beber, casa
para criados, estribara, e o sitio todo murado e
com boas Iarangeiras do umbigo : a tratar ua ra
do Destino n. 16.
Deseja-se saberaonde mora a Sra. D. Auna
Maria de Carvallo Pinto a negocio de seu inte-
resse.________________________
A viuva de Guilbermino de Albuquerque
Martins Pereira roga pessoa a quem seu falleci-
do marido entregou urna letra para cobrar, que a
raeinodaVratraanSar ^ "* ** ** "' I Tendo S" SaBlidade SaD,issimo **? P, *
o oesuno oa mesma lejra._____________________ fQT m lf)nala devog5o para com a Santissima
Fugio no dia 22 de setembro prximo passa- virgen Nossa Senhora da Conceico, autorsado e
do o preto Manoel, Congo, de idade 70 andos, ca- conlirmado urna missa propria e juntamente o offl-
bellos e barba brancos, pernas arqueadas, baixo. ci que devem lodos os sacerdotes, tanto regulares
tero em um braco urna marca, levou camisa de al- como seculares, recitar no dia 8 de dezembro, |
godozinho de listra, calca de caseroira de qua- com exclusao de outro qualquer, resolveu o pro-
dros, chapeo de palha, um tabolciro com vendas prielario do estabelecimento typographico da ra
de sitio, provavel que tenha mudado de trajo em do Imperador n. 15, defronte do convento de S.
razao deter furtado aquantia de200 em dinhei- Francisco, impnmi-lo de forma a ser xposto i
ro, consta ter fallado ao Sr. do engenho Santo E*- venda antes desse dia, e assim o espera.
Alnga-se urna boa casa na povoaco do Mon-
teiro com coramodossofficientes eno melhor local:
a tratar com o seu proprietario Jos Mariano de
Albuquerque, roa do Imperador n._12;_______
Precisa-se alugar ama escrava para comprar,
cosinhar e engommar para urna casa de pottea
familia : na rna da^Trempe n. 2.
Maques sobre Portugal.
O abaixo assignado, aulorisado pelo B
Banco MuirantirPortuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- g
lectivamente por todos os paquetes sobre xas
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga- 8
res do reino, por qualquer somma vis- |
ta.. e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.recebcrem avista, no mes- 8
mo Banco, descontando 4 0| ao anno: na ]|
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador u. 63, segundo an- >
I dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Aluga-se urna casa era Beberbe : a tratar
com J. I. M. Reg, oa ra do Trapiche n. 3.
WM Chapoz baratos! gm
Chapeos baratissimos! 2y|s
m A 63,83 e t03.
3$ Grande sortirnento de chapeos de pa- JH
>) lha de Italia e li ancas para senhoras e .-<;
qq meninas que se vendero baratissmos pa-
}Qz ra se apurar dinheiro na ra do Crespo
S n- '- junto ao arco na
Loja do barateii'o!

Mo-
ra, prove muitos tiwdk-aniriikis i muitos meilicos. e eslava ipiai <'.<-*n nicwW
mundo vi os annuncios l Mka p*irrtlkm
do Dr. Ayer: comeen a fa/.cr lia
MM primeiros dias a rrmpr" :ipjra\'Hi->#,
porm antes de acabar o segur*' rasni -
nlia o mal desipparwii compl>'taiin*tit d*
todo o corpo.
Doctoii Dos Josk V.\i.iks Hemeii. r-WMA-
sor k HEMam v oihirjia. mamuaum
KM AMBAS AS lACII.TADE DEI. S*>TO 9H-
TittCTo Habana.
Certifico que he usado l;i Z-ir:a parrU-
: la del Dr. Ayer, y como depurativo !* ofc-
tenido de ella los'mas febeo r.-su'ta.!. > em
los casos de ulcera crnica, como .ai mi-mo
ensayado las Pildoras catarliemt del luisa
autor y las considero como irm porpnte.
cuya accin ademas de s.t wmwn, \a ~io
muy eficaz en el tratamento de las eider
dades qae exsigeu el uso de km MMJI
y no vacilo en recomen.tur estas pRfM#
nes. Y para los lines que puedan ^'m
doy la presente en Regla ;i 7 de Setetubro
j de 1800.
Constando ao abaixo assignado que alguem Pb*' jm, \ *'
procura rebator letras de quantia superior a 4503 rwBll.
aceitas em seu nome, e. sacada em favor de Anto-. attkstado io Ili.m. Su. Kr\m i t
nio Francisco Wanderley Lins, previne ao publico. pos Samo__fino l'nt>
que elle apena deve ao mencionado Antonio Fijan- u j j n".L; 'aiT.i-ta
cisco a quantia de 400 e lautos mil res, e ddsde A ,. ."' a I"3?' """*. ;"",,w a" ,a
j declara que se nao responsabiliza por outra ae -scroiulas, a lendo Mitlriilo Uiilo 'jue;
qualquer letra que nao seja a de 400 e tantos mil Rumas vezes quasi que tktB a M I
reis de que devedor ao mesmo Wanderley Lins. da vida e maldizer da minh.i infeb/ s<>rte -
Engenho mn^^o^. en| s(](( ,,,,, ,,, ^.^ ^
------..-----------.,-.---------------------:------: la ciuaile, e iieiiliiim pode vencer a tenace
I m rapaz brasileiro com praiiea de caixeiro i i_,i. i, ,
offerece-se para ser empreado em loja de faren- daem espo
das, escriptorio, ou outro qnalqoer estabelecimen- raneas de recobrara minha saude : quaMto
to, dando fiador a sua conducta : quem precisar, ltimamente resolv ,uer uso da <>-i mr
procure na fabrica da iravessa do Carioca n. 2,! ,-///, ([0 )r AlJI,r Q,mi,| hoj
trima e seto dias que eomecei e>m >*m
sant(' remedio, e lanas melb< ras t--nkt
sentido que tenho coinicco de -m bref*
'recobrara minha saude, perdida ha laa
! lempo. *
Syphilis e luolrstiasaaerrariacs.
1)0 ll.l-M. Su. 1h. Jackson.
Medico muito eonhrcidu as prwmcta* mi do Hi a*tl.
Tenho recodado a Salsm pamlhm !#
\ Dr. Ayer nos casos ni.u> iiiveteradR> do
Si/p/iil/s coiisliiuciniuil c ><-mrre otn <
mais felizes resultados : o mellior jUeraa
te que coabeeo.
I cucnilic i e llore* braora*.
Temos cartas em que aos rmnaai -**
inveterados que foratn radicilmeiil.- orado*
com um ou dous fratesa d'est.i Sal-a par-
ril/ia.
O espaoo nao nos permute transererer
lodosos attestados que possuimos d;is vir-
tudes d'este extra to coiii|><>stn e Salsa
parrilba do Dr Ayer. Basta iladafai aa>
(iiil lioo que ten sido eni| _-.i.I" na niaii
de viole anuos pela profissan aw Bra tanto
das Americas como da K:tioi. ..-in minea
desmentir a sua alta reputaco.
caes do llamos.
SI Eusitio de prep>ratorif>8
SE O bacbarel A. I\. de Torres Bandeira,
35 professor de peupraphia e historia amiga
Ba no Gymnasio desla provincia continua a
Bfi ensinar philosophia, rhetorica, peogra-
^S phia, e as lineoas franceza e inglea, e
gK olTiT.-ce o seu prestimo especialmente
||g aquelles mocos que se quizeren preparar
^ em qualquer destas discipliuas para os
aS exames em marco do auno futuro <> en-
^B sino subministrado judo annuiieiaole,
25 na casa d.i >ui residencia, ra das ,
S Cruzes n. 9, a andar.
SOPA
JL1ENNE
ra Nova n. 8, loja do cha.
BrrIlhM
francezas ra Nova n. 8, loja do cha.
CORItfTH
(Passas )
muito Dora para podios: a ra Nova n. 8, loja
cha.
do
i
i Ama de leite
Nos Afflicto<, sitio do Sr. major Barros, precisa
se de nina ama de leite sem lilho, que seja escrava
ou forra, leudo bom e bastante leite, paga-sc com
generosidade.
i Francisco Deblaties e Leonardo Nicolli rcti-
ram-se para o Maranhao.
Alupa-se urna casa terrea sita na ra da
Gloria n. Si, relificada de novo : a tratar no Re-
cife, ra da Moeda n. 9.______________________
Roga-se pessoa a quem for offerecido um
prato com lampo, um jarro para bacia de rosto, de :
louca de cor fina, e ambas as pecas guaes em pa- "" "rT"."" { "" """""
dro, o favor de appn-heude-las e manda-las a ra }lldua yuiiantia n. ul :
larga do Rosario n. 20, loja, que se gratificar.
Na ra do Trapiche n. S, precisa-se de ura
criado, prefere-se escravo.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar
engommar, para duas pessoas, prefere-se escrava :
na ra da Guia n. i.
Para os sacerdotes regulares
e seculares.
Manoel Joaquim de Souza, Portuguez, retra-
se paraPortugu\^______________________
Alugam-se o segundo e terceiro andares na
ra da Imperatriz n. 32, com proporces para nu-
merosa familia, tambera se aluga separado : a tra-
tar na taberna do mesmo.
c O cao que ladra nao ni o ni e :
a E se faz gaido porque tem onie
tevao para compra-I o, e nao se saben lo mais noti-
cias delle, se faz o presente annuncio, protestando
haver de quera o tiver em seu poder dias de servi-
co e a importancia do furto, conforme a lei : ro-
ga-se s autoridades policiaes e capites do campo
a apprehenso, e entrega-lo na praca da Santa Cruz
n. 4 que se gratificar; provavel que ande pelos
engenhos Santo Estevio, Guerra e Velho em razio
de ter sido do engenho Mrquez e seus filhos.
csr QUe bello artista!!!
OSr. relojoeiro Caetano Moreira Fon tes, queira
para algibeira
O barhare
Francisco Augusto da Costa
O cavalleiro da ra Nova agradeoendo ao autor
qne o honrou cora este titulo, pede que lhe per-.
imita honra-lo tambem com o nome deprimeiro
glossador ealamodas-da profissaode vendelhees, entregar o raeu relogio de c
e comprar um bom par de esporas para o acom- que a mais de anno n,ct,eu para |,mpa-lo.
panbar cm alguma marcha que sahir na sua or- Marcelino Jos Lopes,
dem do dia>. A pequenez e a obscuridade do ne-
gocio docavalleiro-, nao pode, por certo, com-
petir com o sumptuoso e primeiro capitalista da '
sua profissao: e por isso tambera nao tem inveja
da superioridde e barateza dos gneros que o no
breglossadorenuncia ao publico.
O Io sargento.
Augusto Moreau, subdito francez, vai a Ma-
cci.___________________________________
Urna pessoa habilitada se offerece para en-
gommar e ensaboar toda a qualidado de roupa,
muito era conla : na ra da Gloria n. 31.
O abaixo assignado julga nada dever nesta
praca, e se alguem se julgar credor aprsente suas
contas no praso de tres dias. Recife 22 de novem-
bro de 1864.
Jos Maria Machado.
' Precisa-se de um caineiro que tenha alguma
pratica de taberna : a tratar na ra da Praia nu-
mero 43.
Entre a ra da Imperatriz e a ra Nova per-
deu-se um aJJinete de peito de mosaico : a pessoa
que o achar, querendo reslitui-lo, far um favor,
alem da recompensa que se lhe dar : a tratar cora
o Dr. S Pereira, ra da Cruz n. 53.
Despedida.
Jos Joaquim Fonseca de Albuquerque, ca-
dete do 7 balalho de infamara, segu para o su I
no vapor Apa ; e como nao lhe seja possivel des-
pedase pessoalmente de todos os seus parentes e
amigos, prevalece-se do presente para o fazer, as-
segurando-lhes que em qualquer parte onde, a sor-
te o enllocar, poderao dispor do seu limitado pres-
t ni o e hons desejos.___________
Ao meio dia d-se bolos de vondajem : na
I ra Nova de Santa Rita n. 3.
M ADVOCADO
^ Ra do Imperador numero
mmmm mmmm wrk
VIUVA ROUTIER
faz publico que mudou se da sua residoncia da ra
Bella n. 29 para a niasma ra n. 39.____________
TTTENQAO.
Aluga-so o sitio dos Burilis com o machinismo
da lavagem de roupa, e tambem se vende o ma-
chinismo s,ou permutase por predios nesta pra-
Qa ; ero chaos proprios, e tudo em bom estado : a
tratar na ra do Rangel n. 4, loja de louca.___
Al upa-re um sitio no principio da estrada
Nova, com excellente casa raetificada de novo, e
muitos commsdos, coxeira, estribarla, poco d'agua
de beber, baixa para capim e algum arvoredo de
fructo : quem pretender dirija-se a ra do Apollo
n. 32 a tratar com Francisco Xavier de Oliveira.
AMA
Precisa-se de uroa ama para casa de pouca fa-
milia para comprar e ceziohar, pagase Dem : a
tratar na ra do Queimado n. 33 A, laja.______
__ Precisa-se de urna ama livre ou escrava pa-
ra todo o servico de. casa de pouca familia : no
pateo da matriz de Santo Antonio n. 8._________
Precisa-se alugar urna ama nacional ou es-
trangeira que saiha coser e engommar : na ra
do Imperador n. 71, seguudo andar.
Ao meio dia d-se bolos de vendagem : na
ra nova de Santa Rita n. 3,__________________
Na ra da Praia, armazem de carne n. 23,
precisa-se de um menino portuguez de 12 a 14
annos de idade para caixeiro.__________^_^_
Precisa-se de urna ama para pouco servico :
na ruadas Larangeiras u. 24._________________
Precisa-se fallar como Sr. Joaquim da Fon-
seca Silva, na ra do Crespo n. 11, primeiro
andar.____________________________________.
Caixeiro.
Preeisa-sa nos armazens da Aurora Brilhant" de
Para a cura radical de eacroMsi afleve
escrofulos, syplulis e saoleilns \*pfci-
liticas, ulceras, bridas, erupvoes cutneas e Intfct s
ijiialijuer incninnw*l" pie
provera d'uru
impuro de saafaw,
TOMEM A
vti.s* i\itmi.n t ot; tiKR.
A' venda na ra burila, as. 12. 2H s "'.
n ia da !di>li-
tuifo, n. 30 e llospirio". r. io. |
principaes pharmacias dr/^ahas do isas
qerio.
Vende-se em Pernambuco:
a phartaaela franrr/a le
P.MflURER & C.
________RA NOVA N. 18.________
Reaaraa
na noite do dia 18 d correla m.-z diu- nhn
(bicho) com os signaes seguate : a cabra d* car
preta, cora uro calumbo no vasio Udo dr^it>.
sem chifre; a outra pequea, filia de rer i-r-u.
com cabeca branca e pinta, e sera chifre* i-t*-
se a todas as pssoas a quem f>r "ff-recid* p*r
comprar, que apprehendaiD e rfwiu* pr nan
portador Fora de Portas, na ra Jo Pilar a. 23.
primeiro andar, que sera geueroiantli grauf-
cado.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53.
Io e 2* andar, onde pode s*r procu-
rado para o exercicio de sua protis-
so medica, e con especialidade
sobre u seguinte
Ia molestias de olhos;
2 de peilo:
3* dos or^'i s geniti
urinario^.
Em seu esuiptorio os doentes sr- |
rr> examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalbt) pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os das d si
6 as 10 da manhaa. menos nos de-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto reslabelecimento dos seu
doentes.
Aluga-se urna casa terrea na rna da Alesna,
cora soffri veis commodos e p^r preco nuil bara-
to. n um caixeiro para andar a inaiur paila do IcmJo do Encantamento : quem .s prei.'id.'r dirij- .
na ra. I ra da Cadeia n, 33, laja de >alie Porto t.



-
Diarlo 4c Pe
-- 4|uarU (cira 99 de \o\einbro de l ROPA
NO
ABH1ZEI
DE
fcW^ % TON**
61rHiltA\ ID ty'fflUlMaD^D
KJETREIRO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de a
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor- 2
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um a
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 35<$ e 300000 Ditos de setim preto. .
M?E *7- m *km 25000| Ditos de e sedabranco,
Paletos dem e de cores, 250, g# e
m,Me. 405000; Dtos de'gorgu'ro d s'ed
pretos e de cores, 60, 50 e
Francisco l'ircs Machad}
Portel la
MEDICO OPERADOR
PELA
Facaldade de Paria
Pode ser procurado ra Nova n.
44, segundo andar.
Na i'in estreila do Itosario n. 34
5,500038
Ditos de casemira, 200, 150,
120, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50. 40 e......3500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. 30000
Ditos branco de linho, 60,50 e 40000
Ditos de merino preto de cor-
dao, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....40000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e do
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40 e........
Colletes de fusto e brim bran-
co, 30500, 30 e
Seroulas de brim de linho,
20400 e......20000
Ditas de algodao, 10600 e. 10400
Camisas de peitos de linho,
40, 30 e......20500
Ditas de madapolo, 20500,
20 e........
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. .
70000 Ditos defltro, 50, 40,30500 e
.Ditos de sol, de seda, 120,
H0, 70 e......600^0
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
tas.
20500 Toalhas para rosto, duzia, 110,
e........
"0000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
40000 tos e de cores.....
Lences de bramante de linho.
30500 Cobertas de chita chineza..
40000,
20500
10600
80500
20000
60000
0
60000
Advogado Alfonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
oirs, por^n^jNllado Cabo._____________
Precisa-se de um oficial de marcineiro e de
nm aprendiz, eusina-se cora perfeico : na ra da
Aurora n. 58.
Trapiche da Gamboa
Alfandegado por carta imperial de 26
de marco de 1863.
Este fantigo e importante estabelecimento, nm
dos mais bem mentados desta corte, com vastissi-
mas caxias para arrecadago de assurares e ou-
tros gneros nacionaes ou estrangeiros todas cor-1
tadas por trilhos de ferro assoalhadas e forradas
de madeira com euinchas em todas ellas para ar-
ruinado e safamento de gneros, com urna ponte
sobre o mar, de 600 palmos de extenso, com op-
j timos guindastes, um pessoal muito pratico neste
servico, propoe-se a armazenar assucar em caitas,
i fexes ou barricas pelo tempo de seis mezes por
j 40 rs. em arroba e em saceos 30 rs.; as madeiras
j de qualquer qualidade que forem nelle depositadas
pagano pelos primeiros seis mezes o mesmo que
actualmente pagam por tres mezes nos demais tra-
piches e dos semestres que se seguirem tero um
abalimente de 20 por cento ; recebe por precos
muito mdicos qualquer mercadoria comprehendi-
da na stima tabella do regulamento das alfan-
degas.
A venda dos gneros nelle depositados, faz-se
com as mesura vaotagens que offererem os mais
trapiches porque as condigoes para qualquer parte
da cirtade sao pelo mesmo prego.
Rio de Janeiro, lde outupro de 1864._______
Jos Goncalves de Oliveira, Portuguez, natu-
ral de Avintes, havendo outro de igual nome, de
boje em (liante se assignar Jos Goncalves de Oli-
veira Castro.
40000
30000
20500
COMPRAS.
! Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: naloja de bilbetes da praca da Inde
pendencia n. 22.
Pechincha sem igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claros e escurns com grande variedade de padrees
pelo harntissimo prego de 4$ o corte: na luja das
c lumnasrua do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
rexa de Vasconcellos C.
Lompra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na_ruajarga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Comprara-se dous escravos que sejara bons
carreiros : na ra do Trapiche n. 13.
Compra-se garrafas e botijas vazias, na fabrica
de licores a ra das Cruzes n. 36,____________
Compra-se ouro e prata, assim como coneer-
ta-se toda qualidade de obras da mesma qualida-
de com promtido : na loja do paleo do Carmo n.
7, por preco com modo.
Libras esterlinas
Compram-se em casa de Johnston Pater A C
ra do Vigario n. 3._______^^^
Compra se coosiantemente garrafas e boti
jas vasias : na ra Direita n. 17, fabrica de li-
cores.
Compram-se
Cadeia do Recife
Matheus.
moedas de ouro : na ra da
n. 66. armazem de Ferreira &
THE
GEARA (NORTH BRASIL) WATER COMPANY,
Compra se um piano perpendicular e nm ca-
ix em bom uso : na casa do vigario da Boa-Vista.
Compra-se papel Diario, paga-se a 45 a ar-
roba : na loja de calcado, ra da lmperatriz n. 38
ao p do becco dos Ferreiros.
3*
TC1I
INCORPORADA SOB A LE DE ASSOCIACOES MTM DE 1862.
ital Ih st 60,0nn, em 6,"0~~flCces de Ib
0 s. qua.._
a lib. st. 2, cada una, uem poderoser fetas com inter-
Juros de 6 % ao auno pagaveis aos accionistas at a concluso da obra.
CaP" es
vallomenor de tres mezes.
Compra-se urna mnbilia com pouco uso, o
tambem 12 cadeiras o 2 banqulnhas ; quem ti ver
annuncie ; e tambera duas negrinhas de 8 a 10
annos.
LOJA 1)0 BEIJA FLOR.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
fanecas de choro.
Lindas bonecas de choro que chamam papai e
; mami, de diversos tamanhos : s as lojas do bei-
ja-flor, ra do Queimado ns. 63 69.
Luvas de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores para homens
e senhoras : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Fuellas para cintos.
Lindas lvellas douradas com lindas pedras para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Capellas para nonas.
Lindas capellas para noivas 25500 cada urna:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e
e69.
Estojes para barba.
Vende-se estofos com espelho para barba 15500
e 25000 cada um : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios para meninas.
Rccebeu-se novo sortimento de balaios, com
forma de varios passaros, pelo barato preco de....
15000 at 4 cada um : as lojas do beija-flor, roa
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas finas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos : as tojas do beija-flor, ra do Queimado
n 63 e 69.
Extractos em cahinhas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabo em caixinhas.
Finos sabSes em caixinhas com varios^retratos :
as lojas do beija-flor,ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63e69.
Jogos de domin
Vendem-se jogos de domin 15200 e 10300:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63
e 69.
Babados bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
ovarios precos : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede..
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Adereeos pretos.
Tendo-se recebido adereeos pretos de novo ges-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senhoras.
J"*" grvalas para senhora 800 rs. e 15000
15200 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Espelbos de moldara.
Vendem-se espelhos de moldura preta para-sa-
cn : Jl?s ,0Jas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63 e 69.
Voltas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 15000 cada urna : as
las do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sopa.
*.P^Pm'se colneres de metal-principe para sopa
a 25000 cada urna : as lojas do beija-flor, ra 3
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende se laa para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
6*400 a libra : naslojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
.Garrafas grandes de agua de Colonia a 55, 25 e
15500.
Frascos de oleo de babosa a 400, 500 e 600.
Frascos de oleo Philorome a 15, 800, e 700.
Copos de rrystal com superior banha franceza a
15500, 15800 e 25
Frascos com superior banha franceza a 800.
Albuns com superiores perfumaras ;i 75 e 95-
Caixinhas com pe fumarias a 15, 1.5o 0 e 15600.
Garrafas com exiractos linos a 45, 30,10500 e 25
Frascos com diversos extractos a t60, 200, 320,
400, 500, 600, 700, 800. 15, 1280 e 15500.
Bonitos frasqulnhos com superior extracto para
lenco, sndalo, essencia concentrada, capricho
da moda, mundo elegante, bouquels diversos,
princeza Isabel, Maria Pia e oulros a 1J500, ga-
raniese a qualidade.
ra do Oueimado n. 8
RECEBEU:
Bouilas caixinbas de madeira envernisadas, com
finas perfumaras.
Outras de papellio de diversos tamanhos e igual-
mente bonitas, lambem com perfumaras.
Lindas cestinhas de vidrocom ditas.
Caixinhas imitando tartaruga com ditas.
Dilas com 6 e 12 frasquinhos de rheiros.
Objectos para baptisados.
A Agoia Branca, na ra do Queimado n. 8, aca-
ba de receber os seguinles objectos para baptisa-
dos :
Bonitos e bem bordados vestuarios de cam-
bra a.
Ditose modernos chapozinhos de setim e toucas
bordadas e enfeitadas.
Sapatinhos de selim e merino muito bem bor-
dados.
Meias de seda e fio de Escocia, brancas e pin-
tadas.
Toucas e sapatinhos de laa, obras muito bem
feitas.
Bonitas caixinhas
com mosica e sem ella para costura, e
ootras com arranjos para barba.
A Aguia Branca recebeu novamenle um bello
sortimento de bonitas caixinhas com msica e sem
ella para costura, e outras com osarranjos neces-
sarios para barba ; assim, pois, quem comparecer
com dinheiro esta habilitado a compra-Ios por pre-
co commodo : na ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
< iiieoiE %< para tingir cabello
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
cebeu essa excellenie tintura para cabello, cujo' paf, camisa com m
Grande liquidacilo.
Ra da Imperafrlz n. o.
Loja de fazendas do pavfio de Gama & Silva
Acha-se este estabelecimento completam-ma
sonido de fazendas ingina-, francezas, allmiAas e
suissas, propnas tamo p.ira a prac.i romo para 0
mato, prometiendo vender-se mus DaraM do qu
em outra qiiak|iier parte, prinripaim.-nl.; sendo ea
EV re lodi,s,as faze,"Ias da0!- ira,
cenando ficar penhor, ou m .n sa pelos caixeiros da loje do l'avo.
As chitas do Pav.
\endem-se chitas ingiezas. claras e escura* n*u
barato preco de 240, 260 e 280 rs. o eonST C
tas seguras; dita* francezas de cores seguras
320, 340, 300, 400, 440,480 e 500 rs. o eowfc
fazenda minio superior e bonitos padrocs s o
loja do Pavo.
As lazitihas da e.xposivao do Pavao
Vendem-se liailntuM as mai modernas que tem
vindo ao mercado, proprias para vestidos a lambarques por serem lisas e de cores muito" de
liradas a 560 e 500 rs.; ditas lisas rom um |u-ir
que parece seda a 646 rs. 0 covad. dius con
qnartrinhos de seda a 500 rs. o covado, so para
acabar : na loja e armazem de Cama i'Si I va rua.
da Imperatriz n. 60.
Os .^outembarques do Pavao 9 e 125
Vendem-se os mais finos soutembarnues nua
teem vindo ao mercado, sendo de caxeimra de en
res pelo dimiuulissimo pnce de 125 cada um di"
tos de musan.l.iquo pelo diminuto preco de 95 s
na loja do Pavao, mas que se n:o engaoem a roa.
da lmperatriz n. 60, do Gama d Silva.
0 Pavao vende para hilo.
Vendem-se superior setim da uhina, fazenda
toda de laa sem lustre, tendo 6 palmos de largura
propnopara vestidos, capa, paletn, ralsas etc
pelo baratissiino prego de 25, 25200, 25300 e 35
o covado, cassas pretas liras, chitas pretas larcas e
estrellas, manguitos, colarinhos, pnnhos, e enei-
les, ludo prelo proprio jara lulo fechado, e muilos
outros artigos que se vendem por pren mais
em coma do que em onlra qulquer parte por es-
tar liquidando s na loja do Pavo a roa da im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 20400 e 2d8()0 o
covadi.
Vendem-se cortes de chita com dez covados i
25 00. ditos a 35800, com 12 covadm; OmSSm
inglezas.mas padioes bomtos e tintas voras *
assim lem as melhores chitas francezas e de tin-
tas seguras por precos commodos, a saber 'J-0
340', 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na |,ja d
Pavao a ra da Imperalriz n. 60, de Gama le
Os bordaos do Pavo.
Vende-se camisinhas com manguitos e collinhas
bordadas, pelo barato preco de 15 e 152*0 rada
um manguitos s a 500 rs. cada par. ditos cera
gollinha a 800 rs, gollinhas a 400 e 480 rs. de S
a 240 cada gollinha bordada, romeira de rW.4.
filo muito bem bordada a 25 cada orna, n.ancuitos
que servem para rali inha de meninas a 6i0 cada
effeilo rpido e proveitoso, vindo ella munida de
esclarecimenlos em porlnguez, d'onde qualquer
pessoa pode bem conhecer o modo de applicar.
Com o ehromocome que serve para tingir, veio
tambem hjdroralliir.china, agua para tingir cabel-
los, coloricomo para lustrar os daos, e onychro-
mantina para limpar as unhas, e callicomiphila,
pomada de que se pode usar sem recejo de offen-
der ao cabello preparado. Os pretendenles acha-
ro prego razoavel.
Banhas finas
em copos, latas e soopeirinhas de \idro
que em outra qualquer parte.
Compra-se urna negrinha que tenha de 4 a
5 annos de idade : na ra das Cruzes em Santo
Antonio n. 41, segundo andar.
Compra-se um Diario de Vernambuco de
qualquer dia do anno de 1845: na praca da In-
dependencia n. 22.
da companhia Metropolitana de Se-
mU^nSSXt f*! 6' M0BU*U Placp' MontaguSquare.
iniiv ir.. ??f?.I?: Ma,soiiette. lngaiestone, Essex.
SKWS Kl Vv S3 S. M. Briunnica, no Cear.
ALMts VNUl.VEK, ?s.i Lime Stree, d rector do banco Euruneu I imitaHn
e.ngeNHK.ko ALFRBO THOMAS t:OOK, E>q. 3 Bridge SlreVT^tmS
S0LI.ICITAD0RBS MESSRS. W. H. P. SHARP 02V,reshainH.>,,'a
Bx^cEaos O liftag, ^^Tm'^^SS^mm Stree, I
SsT.StTRCAR,)0 M Angel GurogmortoD Street.rot
i, uu:>&X ll LULRT, Mincing Lae. E
de ao JlEiVtii2Sl& S !LM- P*** ou.capiania do Cear
rodeado por um
anu piovmea uoreseenie e o lugar
sentida a falta de agua"poavl.JID "^^ UUmeT0 de peSSas abas
A capital e seu termo
do governo provincial.
CORRF.CTORES
ESCdleTORIO
C. e seus Filiaos no
T h
gran-
contera mais de 30,000 habitantes, como consta dos ltimos relatnos
1>BS i mar; eI" ?SnSS JfcBS
YENDAS.
Vende se caixdes vazios proprias
para balinleiros e funileiros a 1JJ76U
cadaum; oesta tvposraphia.
Umst e^crava.
No armazem n. 48 da ra da Aurora se dir
quem tem para vender urna bonita escravinha com
8 annos de idade.
Venoe-se um sellim em bom estado e um
jogo de mala : na ra da Cadeia nova n. 32.
Attentflo.
Milho, srecos grandes, perfeitamente mui-
to bom a..........
Farinha de mandioca a melhor do mer-
cado a........
Arroz de casca.......
Ra da Madre de Dos ns. 5 e 9.
55000
55500
35500
drainagen
I
denominada
empo mais secco se tem conservado com agua"
Bem-fica- grande numero de olhos d'agua e diversas cacimbalVS"qu'es dnme o
c,ade,e|=^^
a Jos* Pa&ooLT^ ***** conceden
cidade com agua poUvel ao preco de 20 ffwSX*ffiE!E 55 P3ra SUpprir a
ser mJSSS tS^^SV^S10^ BraS,) Watr Cmpan^ Lirailed- 1
|^ilw^SSS- CmPder da Cmpanhia ""as transferencias do
flr wJzsstSi z^z^s^^r*e oihos d'agua-e --o *
A indemnisacao para o concessionario ser de 1 000 arrop* Ao lik ia .j .
contratador obrigou-se a receber 15 % em acedes
nares at a incorporagao da companhia.
obras. Sefa P*g0 m accionis,as J"o a razao de 6 % ao anno, durante a construejao das
tolh de Flandres.
Vende-se na fabrica da travessa do Carioca n. 2
caes do Ramos, superior folha de Flandres: a ver
e tratar, na mesma fabrica.
Jos Maria Machado faz publico que nesla
data venden ao Sr. Joto Alves da Cruz a sua ta-
berna sita na ra da Senzaianova n. 2, llvre e de-
sembaracada. Recife 21 de novembro de 1864.
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, ra do
Trapiche n. 13, por preco razoavel
Vaccas de lee!
Tourlnas e da trra.
Nos Afflictos, sitio do Sr. major Barros, ha qua-
tro vaccas de leit para se venderem : quem as
quizer comprar, appare^a de manhaa at as 8 ho-
ras, e de tarde das 5 horas em diante para ve-las
e tratar do ajuste.
Fabrica de licores.
A ra das Cruzes n. 3G.
Vende se excellentes doces de todas as qualida-
des em porcoes a vontade do freguez.
Vende-se um caixSo grande para deposito de
gneros, proprio para refinaco ou padaria : na
ra Imperial n. 49.
r&^rR^t.m,"?aM.nm*din,D,,to qnlidade est reservada
& Ia? arcoes.no Brasil> as Pretendentes Beata
Patchet
provincia poderao
para as pessoas que
enlender-se com o Sr. George
raichet, corrector geral, praca do Corno Sai .Tnm o75.TiSTT o c"ieuuer-se cora o sr. George
res, ao hotel de Europa! uado.Trajche o i2 Foster, engenheiro dos contratado-
Precisa-se de urna escrava
cozlnhe o diario, ensaboe "e"compre : a'trar'na
ra das iNimplias, casa terrea nova sem numero
junto de outra assobradada n 9
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro e prata, e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualijuer concert.
Aloga-se um sitio na Capunga, no fim da es-
trada do sitia aonde esteva o Sr. procurador Alhu-
querque, o ao lado deste, com casa grande e feita
a moderna e com bastantes commodos, a diversos
arvoredos de fruclo, e todos de boa qualidade a
tratar na ra da Penha n. 31, loja.
" Mademoisele~Aa Vielsehe de'LabasitTse-
gue para Pars.
Vende-se urna escrava crioula com urna cria
de 2 annos, com todas as habilidades perfeitas : no
pateo do Terco n. 141.________
Vendem-se ammaes de roda, sendo novos
gordos e bons : quem quizer dirija-se ao engenho
u Vende-se um cavallo fino com bons andares
timado agora de Nazareth, a ver na ra do Sol
n. 35, cocheira : a tratar na ra Oreita n. 53.
Vende-.-e a casa sita ra Imperial n. 36
confronte a matriz nova, construida ao gosto mo-
derno, c m cornija, 2 salas, 3 quartos, cosinha fu-
ra, cacimba e um pequeo quintal, em perfeilo
estado e pintada de-novo, pode ser examinada : a
tratar na travessa da Madre de Dos n. 12.
Vende-se por "preco muito commodo um
pardo de 13 annos de idade: a tratar na ra da
Madre de Dos armazem jun.o a igreja.
Superior uva miiscatel.
venderse na ruado Imperador n. 14, esqnlna
U travesea do Ouvidor,uva branca rnuscatel mui-
LOJA l>E MIUDKZ.4S FI\AS
i" objectos de gosto.
16Ra do Queimado16
Eofeites de cabeca.
Bonitos en fe i tes de lagos de fitas de frocoscom
vidnlhos a 15280, 15600 e 25.
Ditos ditos com endite de frocos a 25500 e 35.
Liin^feitados com tascarrilha larga a 25500 e
350OO.
Ditos ditos feitio de chapelnha e outras muias
qualidades diversas a 55.
Ditos ditos riquissimos com flores a 65.
Ditos ditos todos de Dores diversas a 75.
Bonitas capellas para noivas a 15, 35 e 55.
Bonitos chapozinhos enfeitados pata baptisados a
*5 e 55.
Bonilos sapatinhos de merino e selim bordado a
15500, 25, e 25500.
Bonitos sintos de galo com fivela para senhr ra a
Riqiiissjmas fivelas de pedrinhas para sintos a
15600 e 25.
Bonitas gravatinhas com lagos para senhora a 800.
Lindissimas ditas com lagos enfeitados com cascar-
ninas (novidade) a 15280 e 15500.
Riquissimas ditas bordadas com lagos a 15600 e
Ditas dilas com as pontas bordadas de franjas, fro-
cos e boloes (ludo nofidade) a 15280, 15600 e
25OOO.
Pega de bonitas cascarrilhas de seda de todas as
cores de diflerentes larguras a 15280, 15600 e
25000.
Ditas ditas de seda em duas cores a 25.
Dit;is ditas de laa de lodas as cores a 800.
Bonitas litas de sarja lisas e de todas as cores de
2, 4 e 5 dedos de largura a 640, 15280 e 15300.
Bonitas fitas de grosdenaple lavrado de tedas as
cores de 3, 4 e 5 dedos de largura a 15, 15280 e
15600.
Bonitas fitas de gurgurao para santos a 800.
Pegas de fila de seda de lodas as cores a 320.
Pegas de lita de vetado preto a 600, 700, 800, 15,
15200, 15400, 15600, 15800. 25 e 25400.
Pegas de fila de lia para debrum a 800.
Pegas de fita de linho para debrum a 240 e 320.
Pegas com 25 varas de franja branca lisa a 400.
Pegas de transa lisa branca e prea a 80.
Luvas frescas de Jouvain brancas e de cores a
25300.
Ditas brancas nao muito frescas a 15.
Ditas brancas e de cores enfeiudas para senhora,
novidade do paquete a 35.
Ditas da Escocia brancas a do cores para hornera
e senhora a 800.
Bonitas cestinhas para costura com todos os per-
tenres, sorum-mlo variado a 400,500,800,15200
15600, 25, 25500, 35, 45 e 55.
Riquissimas caixinhas para cosluras. dispensaveis,
carteirinhas, bolsmhas para senhoras trazerem
na mo, com todos os pertences de costura e
opco.
A Aguia Branca sempre cuidadosa em bem ser-
vir a sua boa freguezia, mandou vir e acaba de
receber na melhor ocrasiSo os desejados copos e
as procuradas latas com banhas finas, assim como
I urnas bonitas soupeirinhas de vidro opaco com
alegres inscripgoes. as quaes dizem smente res-
| peilo as senhoras, c com tal acert que nenhuma
que as vir delxar de comprar e nao se enfadar
de ler a inscripgfio qiielao merecidamente Ihe loca
e quem quizer ser bem servido dirigirse a ra
do Queimado, loja da Apuia Branca n. 8.
que andam,que choram,
que fatlam, etc.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, ani-
mada 1 co apreco que a sua boa ireguezia sabe
dar a essas boas novidades, mandou vir e acaba
de receber um extraordinario
tas bonecas.
auguilos e gollas rom a compe-
tente gravita de seda, fazenda fina, pelo barato
prego de .15, c militas outras bordadas que -e ven-
dem por precos muito cm coma : s na loja do
Pavao a ra da Imperalriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos soutamLanjne.
pelo ultimo vapor francez ebeparam riquissimos
vestidos a soiitambarque, os mais modernos que
neste mercado tem apparecido, o quaes e-ta
promptos com saia, corpinho .e seu competente
soutambarque, tu Jo guarnecido de seda, vellido e
renda. Quem liver bom gosio dirija-se loia do
Pavao, na ra da lmperatriz n. 60
O Pavao.
Na loja do Pavao vende-se modernos mantele-
tes de grosdenaples a imilagao de capas, as quaes
sap bastante compridas; assim como tem um sor-
timento de capas pretas as mais modernas que ha
no mercada, sendo ricamente bordadas. Dilas en-
feitadas tudo por prego commodo : na loja de Ga-
ma & Silva, ra da Imperalriz n. 60.
Jfara quem gosta do bom e
barato.
nrlimento de bom-
que andam que fallam, que choram,
e onlras militas de diversas qualidades como dan-
sannas, soldados, atiradores, ele, e todas mni bem
vestidas; assim, pois, a Aguia Branca espera a
concurrencia dos apreciadores do iiom, cert de
que achanto pregas razoaveis e serao salisfactoria-
mente servidos urna vez que compaream munidos
de dinheiro.
BAHUS DE TARTARU-
GA PARA COSTURA.
A Aguia Branca na ra do Queimado n. 8, ven
de bonitos bahus coberlos de tai taruga e de diver
sos tamanhos, mu proprios para cosluras e joias
tinos
,I\o estabelecimento de Gama & Silva, na na da
Iiapcralnz 11. 60, loja denoniiiiada-PAVAOtem
urtia prande porcao de varias qualidades da fazen-
das, as quaes se vendem muito em coula para li-
quidar. A saber :
As lazlnhas do l'avo.
Vendem-se laazmba de quadrinhc.s tranparen-
*, boa fazenda, pelo precn de 2K0 rs. o evado
dilas largas mullo linas a 400 rs., dilas estampa-
das, i or segura, padroes miudos e grandes a :i0
rs,. o covado, ditas iransparenles com palminhas
de seria a 400 rs., dilas escocezas a 56o rs., ia* tu.
dd para liquidar : na loja e armazem do Pavo
ra da lmperatriz n. 60.
Mo baratas a S-fO c 39o rs.
I Vendem-se chitas mglean escuras e claras rom
a cores seguras pelo prego de 2i0 rs. o evado
ditas largas, Loa fazenda a 320, 360, 400 e 500 rs*
o covado : na loja do Pavo, ra da lmperatriz n
60, loja de Gama & Silva.
Prccalas a G00 e '660 rs.
Vendem-5c as mais linas precalas, padroes miu-
dinhos, roslos deliiadi.-sjmos pelo barato preco de
6(0 e 560 rs. o covado : na ra da lmperatriz n.
6C, loja e armazem do f'ao.
e aromticos pos de
arroz
Em bonitos vasos de pedra, porcellana dourada,
vidro e madeira, estes com o competente pincel e
sem elle, em latas de poles de papellao, sendo todo
elle de superior qualidade e agradaveis cheiros,
Emquanto ao prego, nao se aseaste o comprador.'
comparega com dinheiro e ser bem servido na
I ja da Aguia Branca, ra do Queimado n. 8, ende
tambem se vendem separadamenle os pinceis.
f'Ktnreira>%
A Agoia Branca, na ra do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas necessarias para costura, as quaes
tem linhas de diversas qualidades, retroz, lesoura
e outros arraujos precisos, assim como amostras de
bordados ou marca, ele, e lados a
modos.
pregos com
A AGUIA RRANCA
vendendo relogios.
Como nao privativo a Aguia Branca tambem
esla vendendo muito bons e bonitos relogios para
mesa e parede, por precos commodos, por isso con
vem a lodos aproveitarem a occasio e proverem
se desse objeclo sempre necessario em casa. Fie
porm reservado para os relojoeiros o concert q'n
algum da qualquer delles venha a precisar, poi
que isso nao chega para o bico da Aguia Branca
da ra do Queimado n. 8.
Machinas de vapor e pa-
ra descarocar algodao.
Mcias precalas, ou precalas ingle zas largas a. 500.
Vendem-se meias precalas ou precalas inglezas,
padroes miudinhos e fazenda fina e 400 rs. o co-
vado : na loja do Pavao, ra da lmperatriz n. 60
da, Cama & Silva.
O gaoguellm do Pavo a 3*ors.
I r o covado.
Vendem-se ganguelim cor de rosa para ronpa
ib} meninos, e vestidos pelo barato pr>r de 320
rs. o covado : na ra da lmperatriz n. 60, loja do
Pvao, de Gama A Silva.
Os grosdenaples do Pavo.
Vendem-se grosdenapljs pretos, fazenda supe-
rior a 15600 rs. o covado. dilos largos muiiu en-
cobados a 25400, 25600, 25800 e 35000, ditos
brancos, cor de rosa, azul e amarello a 25000 r&
o fovado : na loja de Gama & Silva, denominada
dO Pavao, ra da lmperatriz n. 60.
Vestidos brancos para baile.
Vendem-se os mais neos vestidos brancos nor-
(nov.jMoendas e meias moendas.
dade), de 75 at 155 cada urna, objectos de tan
to gosto nesle genero.
Bonitos albuns para retratos desde 12 at 100 re-
tratos, o mais bonito que se pode desejar e se
vende por metade de seu valor a 25. 25500 31
45, 85, 145, 185, 245 e 305. """***
Pentes de borraxa muito fornidos e outros de cos-
tas douradas para desembaracar a 15.
Ditos de borraxa para regago a 500, 640, 800.
Ditos dilos dourados para regago a 800 e 15800.
Volias pretas muito grandes a Mana Pia a 15800.
voltas grandes de aljofares a balo a 25500 e
3530O.
Ditas mais pequeas cora cruz de pedrinhas a 900.
Ditas de coral pequeas e grandes a 500 e 25.
Caixinhas de pennas de ago hopas a 560.
Caixinhas de pennas caligraphicas a 15280.
Caixinhas com 100 envelopes a 640.
Caixinhas de papel amizade pautado a 600 e 640.
Pacoles de papel amizade beira dourada a 800.
Varas de grade de labyrintho francez a 100, 160,
200. 240, J20 e 400. '
Varas de labyridtho forte bordado de croch a 160,
240, 320, 400, 640 e 15.
Perfumaras finas.
Sabonetes de bola grande* a 280 e 360. Vende-se n
Frascos de agua d Co.ogne a 400, 500 e .5 odosos ma^s amnjos moRoTem ei oTbS
Frascos da agua de Colonia e babosa de Mansinho muito barato : quem o quier procure na ra da
a 8W- Cruz n, 7, primeiro andar.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
de carroea com mangas e
eixos de patente.
Ra doBrum n. 38, findi-
gjto do Bowman._________
fcxperiaieutai e conhecereis a reali-
da<>e.
Carros e earrocas.
Vendem-se dous carros proprios para condugo
de assucar ou outro qualquer genero, sendo um
de meia volta, e tres carrogas, sendo urna para ser
luchada por boi e duas pir cavallo, ludo em bom
estado e por prego commodo ; a tratar na ra do
Sebo n 54, taberna.
dados proprios para baile ou casamento pelo bara-
tsimo prego de 25500"} cada c.ie : na loja e ar-
mazem de Gama & Silva, rna da lmperatriz o. 60.
As aovas las garibaldinas a ;iU rs.,
na 'oja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
di jas, fazenda inleiramente nova no mercado, sen-
do todas com listras miudinhas, e transparentes,
com lustro a imilagao das sedinhas, tendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, earmezim, cinzenta
e Cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
vender depressa : na loja do Pavo, roa do Impe-
rador n. 60, de Gama A Silva.
A i mude ni iss i mas lxzinhas de
cor, a imilaco de
de o p- vo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordozmbo, as mais pro-
prias e mais lindas que tem vindo, proprias para
vestidos, soutambarques, capas, ele, dam-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratsi-
mo prego de 560 rs. o covado : na ra da lmpe-
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
Us mais mudemos vestidos Hara Pia,
na loja do Pavo, a 168
Vendem se finissimos vestidos a Maria Pia com
os corpinhos diflerentes, tendo todos os preparse
com o compeleuto sinto : na rna da lmperatriz a.
60, loja do Pavo.
naso
gorgoro, ven-
JSovidade do Pavo.
Vestidos Maria Pia a 1250"0
Chegaram os mais lindos vestidos alaria Pa
com as barras bordadas, tendo de diflerentes co-
res, e vende-se pelo ha atissimo preco de 125 cada
corte por estantos prximo da festa ; isto na loja
e armazem de Gama 4 Silva, ra da lmperatriz
numero 60.
i.naiumclicd irom pipes.
Vendem-se canos de ferro esmaltados, muito
bons para enen menlo d'agua : no armazem de
Prente Vianna 4 C, ra da Cadeia o. 67 ; e pa-
ra informaedes e collocago, os pretendentes po-
den) eotender-se com o Sr. Schemerdine, no T
dogo.
\


"

Diarlo de Pernambuco Qnaria letra 93 de Xovembro de 18tt4.
COM
imuu
RA 1IO QUISO! ADO Jtf. 15.
Passand o becco da Congregacao segunda casa.
wmm
NOV1DADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na roa do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clanm Commer-
cial, onde o respeilavel publico encontrar serapre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencionada; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10 2>50.
dem em caisinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10100, 10600e2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeile doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a6i0 rs. a garrafa.
Ara ruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avcllaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030' rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a Uta.
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banlia de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 25800 e 39000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerve.a preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac in?lez fino a 90' rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especilmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
250 i), 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a aba.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs: a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartes de holinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chonricas e paios muito novos a 800 rs a
ibra.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
Painco a 200 rs. a libra. I rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 6iO rs. j dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre edoDouro emcaixinhas
dem prato.
Grande liqnidaco de faz ntl.is de lorias
as quaiidade para se apurar dinnei^o, Tende
se baralissimo na loja e ainiazem da Arara, ra
da Imperalriz n. 50, de Lourenco Pereira Mon-
des Guimares.
AO BARATEIRO DA ARARA.
Vende-se fortes de chitas de cores lixas com 10
covados a 25400 e 3A20O, corles dt cambraia de
salpico* a 2fioU0, 300 c 4000 para acabar : Da
ra da inipcraihz n. 'G, toja da Arara.
A Arara- vende eassas a 210 rs.
Verlde-se cassas para vestidos a 240, 320, 360,
e 400 o covado, organdys de lindos gostos para
vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado : na ra da
lmperatriz n. 86.
Corles de la a Hara Pia a 80, 120, 1S0 e 160.
Vende-se cortes.de la com hara, os propria-
mentea Mara Pia a 8, !2, 145 e 165000, ditos
sem barra a 65000 na ra da lmperatriz, loja da
Arara n. 56, de Mendes Uuimares.
A Arara vende alpaca para vestidos de senhora a
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
tidos de senhora a 360 rs. o covado, lazi-
nhas para vestidos de senhora a 320, 360, 400, e
500 rs. : na ra da lmperatriz n. 56, loja da
Arara.
As colchas da Arara de 20.
Vendera-se colchas de damasco para cama a 45,
ditas de chita a 2J000 : na ra da lmperatriz nu-
mero 56.
A Arara vende cortes de calcas a 10600.
Vende-se corles de calca de brim a 15600 e 25,
ditos de casemira a 35500 e 45500 : na ra da
lmperatriz n. 56, loja da Arara.
Laa/khas da Arara a 210 rs.

dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.
cada.um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 60 i
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocaje Cliamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
5? K caf inhav!?l arroba a' mSSISZ Sfcrs SffSiSti Z:
10800, 50500 e SO rs. a libra. ditas a Mara Pa a 640 rs. o covado : na ra da
i Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra. lmperatriz n. 56, loja da Arara.
dem de trigo a 120 rs. a libra. ; A Arara vende um completo sortimenlo deroupa
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD | feita.
a 560 rs. O frasco e 60200 a frasqueira.'_ Vendem-se roupas feilas
brim de cores a 25 e 25500,
dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500
e 70500 cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
a saber : calcas de
ditas brancas de al-
godao a 25, (tilas de linho 35500 e 45000, colle-
tes de cores de brim a 15600 e 25> ditos brancos
a 25500, de casemira a 35 e 45, caigas de casemi-
ra a 55 65 e 75000, paletots de casemira a 55000,
ditos Goos pretos e de cores a 65, 75, 85, u)5 e
dem, quaiidade especial em garrafas muito SKTJWSfflK. it*W&
grandes, a 10800 a garrafa. tos de alpaka de cordu e alpaka branca a 45500,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. ditos de brim de linho brancos linos a 55000, se-
Idem, em garrafa forma de pera e rolhas de ronias a i#i80, ditas franrem 15600 e 25000,
vi.lrn a IJWMft <<\ a mnifi viln n di- camisas francezas a 25 e 25o00, ditas de linho in-
viaro, a 10UUU, so a garraia \aie o i- g)ezas a 3(6000. e ou|ras mujtas roupas fetlas que
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamenle flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Ma^a de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 6,0 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60- rs. a lata.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
dem Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 re..
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porfi de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porces como
retalho-
Qucm comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
1 800 rs.
dem regular a 500 rs.
j Macas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinha e aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinhacom 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
; Peixt em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maco,
dem de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixo a 640 rs.
Palitos do gaz a 20200 a groza.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
GRANDE E SMPTOSO ESTABELECIMENTO
DE
MOYOS i-: ESCOLIIIDOS CEDEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
SO JRUA NOVA OO
Ultima casa junio a ponte da Roa vista.
DUAS PALAVRAS.
Cesse ludo quanto a amiga musa canta
c Que outro valor mais alto se aUvanta..
Acha-se a disposico'do respeitavel publico esle grande e magnifico estabeleci-
mento de molhados, talvez o primeiro e nico hoje existente em sua especialidade, por-
que o mainr capricho de mos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci-
mento modelo promoveram a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vo ser pelas pessoas que se
dignaran de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes c delicadas de que somos ca-
pazes'. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos presos quasi do pri-
meiro custoo nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharo
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc ele, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
sario, promeitemos-lnes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com to boa vontade, como a moeda de ouro do
homem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos
objectos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO NECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las. .... ,-.
Existindo neste vasto e (brscente imperio um grande partido poltico com a
denominarlo de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ninguem. .
__O neme urna voz com que se dao a conhecer as cousas. E esta a mais
breve, clara e sincera explicaco que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais:
Nao oriunlo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
1em da Liga. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que tan-
to sorpreiiendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e goslando sum-
.namente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oitao do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-Io dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
ilonni sol qnl mal y-pensc._________________________
Afuie&i
Vende-se um comomeiro martimo inglez do
melhor fabricante Charly Prodshan. affiancando o
sea regalamento, por diminuto p-eco : a tratar
na ra Nova u. SI, loja de Francisco Jos Ger- yene_s6 snperior ynn0 doPorto em ^UM de
urna duzia : em casa de Johnston Pater dt C, ra
GAZ GAZ GAZ doAigaroD.3.____________________
w^^f?, a!tm Zi;aa J Vende-se um sobrado de dons andares bem
Vende-se gaz da melhor quahdde a ^^^^ sil0 na rQa do Padre Fiorano n. 21,
120 a lata : nos armazens da ra do Im- edificado em chaos proprios; a tratar na ra das i
perador d. 16 e roa do Trapiche Novo n. '9 cinco Pomas n. 79.
MACIIINaSDEPATEM
de trabalhar mo para
dcKcarocar agodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDl
Estas machinas
podem descantear
?"qualquer especie
""de algodao eem
/estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode
descantear urna
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
simpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animacs, que descarocam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convio*a-6e aos Srs.
agricultores a virem ver e exanuna-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
Sauoders Brothers & C.
IV. II, praca do Corpo Santo
REC1FE.
Os nicos agentes nesle paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Uueimado ns. 49 e 55 loja do Baraleiro
condecido j como tal, est dispondo da fazenda
por todo o proco para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o segointe :
Baralhos de cartas para voltarete muito
flnasa............................ 206
Miadas de linha froxa para bordar a____ 20
Pares de sapatos de tranca do todos os
lmannos e Unos a................... ]*>O0
Massos de superior grampos para cabellos 30
Duzias de palitos de gaz superiores a. .. 200
Libras de ara preta muito superior a... 100
Frascos de superior macaca oleo a___ 100
Ditos de dito perola a.................. 200
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs. e............................... 300
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.............................. 400
Ditos de banha muito fina a............ 640
Ditos de cheiros muito Unos para o preco
a ris............................. 600
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................ 400
Novel los de linha com 400 jardas a...... 80
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a............................. 60
Xovellos de linha de gaz de todas as co-
res a............................. 30
Pegas de flus elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a....................... 240
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a 200
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris.............................. 400
Varas de bicos francezes, superiores a... 40
Opiata para dentes da melhor que ha a.. 15000
Frascos de agua para denles, snperior a
tudo a............................ lfiOOO
Pegas de tranca preta liza muito fina a.. 60
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a 200
Varas de fita preta com colxetes a...... 40
Libras de la sorlida de todas as cores a 65500
Bonecos de choro muito bonitos a...... 160
Caixas de ohreias de ma ssamuto novas a 40
Varas de franja .branca e deires para
toalhas a......................... 80
Frascos de oleo Philocomescupenor a... 600
Ditos com snperior tinta a320 e......... 500
Caixas de linha de gaz com 'O novcllos a 800
Enfiadores para espartilho a........... 60
Duzias de boi5es encarnados para vesti-
dos a............................... KK)
se torna enfadonho mencionar, que vista do com-
prador ^se dir o preco, por isso rogase aos com-
pradores o favor de vir ver na bem conhecida loja
da Arara, ra da lmperatriz n. 56, de Lourcncp
Pereira Mendes Guimares.
A Arara vende as percalas a 500 e 560 rs.
Vende-se percalas de cores finas para vestidos
a 500 e 560 rs. o covado.
A Arara vende liras bordadas para enfeitar vesli-
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas para enfeitar vestidos
brancos a 15200 e 15400 a pega, musselina bran-
ca fina a 400 e 500 rs o covado : na ra da lm-
peratriz n. 56, loja da Arara.
Ao baraleiro da Arara a 2500.
Vndese baldes americanos de 15, 20, 25 e30
arcos a 25500, 35, 35500 e 45000.
Vende-se golinhas para senhoras a 240, 320,400
e 500 rs., eamisiuhas para dilas a 15,25, 35 e 45,
na ra da lmperatriz, armazem da Arara, n. 56.
A Arara vende madapolo entestado a -1.
Vende-se pegas de madapolo entestado comdo-
ze jardas a 45000, pegas de dito de 24 jardas, das
marcas seguintes : n. 30 a 65000, n. 250 a 65500
e 75, n. 2 85, n. 5 85500, #*i>5, n. PF a 105500,
n. ZZZ a 125, R a HjOO a pega, algodao a pega
de 20 jardas a 55 e 65000, dito carne de vacca a
65500, dito domestico a 75, dito slcupira a K5, dito
pao ferro a 95 a pega : na ra da lmperatriz, loja
da Arara n. 56.
Bramante de linbo a 25'0 a vara.
Vende-se bramante de linho a 25500 a vara, pan-
no de linho para lenges a 640 rs. a vara : na ra
da lmperatriz loja da Arara n. 56.
A Arara vende casemiras finas a 5$.
Vendem-se corles de casemiras para caigas a 55
55500, 65 eJ750OO o corte : na ra da lmperatriz,
luja da Arara n. 56.
A Arara recebeu um completo sortimento de capas
e soulbembarques
que vende baralissimo, a saber : soulhembarque
de alpaca branca enfeilados muito de gosto a 125,
ditos delazinhas decores a 85, 105e 125000.
capas de grosdenaple preto a 205, 255, 305 e 35#
soutembarques pretos de grosdenaple a 205, 255
o 305000 : s na loja e armazem da Arara, ra
da lmperatriz n. 56.
Casemiras para capas a 3> o covado.
Vendem-se casemiras lisas proprias para capas
de setrfioras a 35 o covado, lazinhas lisas para o
mesmo fim a 600 rs. o covado : na ra da lmpera-
triz n. 56.
A Arara vende lencos de seda a id e 800.
Vndese lencos de seda de urna s cor a 800
rs., ditos finos de cor a 15, colarnhos baratos a
600 rs. a duzia : s na loja da Arara, ra da lm-
peratriz n. 56.
Ao baraleiro do itairro da Boa-Vista.
Vendem-se chitas escuras e claras de cores fixas
a 240 e 280 rs. o covado, chitas Irancezas finas a
320, 360, 400 e 500 rs. o covado, porm assegu-
ram-se as qualidades e cores : e muitas ontras fa-
zends que se vende barato, isto smente vista
dos freguezes. Assim cheguem freeuezes, porque
s se vende atiim barato porque est afesla na
porta, e a loja da Arara da ra da lmperatriz n.
56, pode bem servir aos freguezes do bom e ba-
rato. ____


s; 3 M as
es
o a
tt S
'J. 2J .__
~- .--
o c.6 -
' B" S" EL S s 5:2 g
,-=1 o "
O C w
8 3 :
. Bl
S"9 cS = *
en
re
(X
fi :=r
en w "j
_ r, ce
slfis
2
& 13 fg II
-j*g 5 2
O M
2 3
"O as
-i O
a '
O OR
O 63

re
T O u 2
co eo o c 2,
g a r> c -j :^ r?
Sai m
re
O
ir.
a'

5 m M
en as O
OQ S 2
S a> as
5 o
S3
OS
-1
O.
S
B
o_
c-
tt>
en
re
OQ
I
CD
s
3
o
a,
s
e
g
9
Vinhos genuinos.
Chamamos a attengao dos amadores do bom vi-
nho puro, para um deposito de diversas qualidades
de vinho superior, mandado vir por enco-umenda
das proprias localidades e com recommendago es-
pecial, cujo deposito se aeha estabelecido na ra
da Cruz n. 36, em frente do becco da lingoeta.
Vinho tinto da Estremadura puro, anco-
reta de 3 caadas......125000
Dte de dita dito ancoreta de 9 caadas 285000
Dito do Lavradio, ancoreta de 3 1|2 ca-
adas .........* 155000
Dilo branco de Bucellas, ancoreta de 4
||2 eanadas.........205000
Dito de Carcavellos, ancoreta de 3 ca- ^^
nadas..........155000
PECBIN0H4
Grosdenaple de cor a 15200 e covado, na roa do
Queimado n. 43, esquina que volla para a Congre-
gago.
O GRITO DA GUERRA JA9 SE FEZ OUVIRi
LA TAI BOMBA '
SENTIDO.
o
1\\ ^w^%
-
-
t
O assumpto imporiantissimo.
O assumpto importanlissimo.
O assumpto importantissinio.
Ninguem interrumpa o orador.
Ninguem interroropa o orador.
Ninguem interrompa o orador.
Reine o silencio em todas as columnas.
Reine o silencio em lodas as columnas.
Beme o sikneio em todas as columnas.
N5o se admilte contestare
Nao se dmilte conlestarao.
Nao se admitte contestado
Os apoiadns vio prohibido
Os apoiados sao prohibidos.
Os apoiados sao prohibidos.
DVERTEKCIfl.
Antes de entrar na materia o inconsavel Bauza nao pode presendir 2
.fazer osen sif/nal de horror as doiradas coras e mal leitas mitras dos btsoa
'apostlos do progresso, inimigos do povo e chupadores do sangue da lium-mi-'
idade.
A delestavel sede de oiro tem obseccado seus coragoes de vampiros.
Querem fazer fortuna com a rapidez do coriseonao sabem ler fe nei
j esperar. jjw,
Sao os perfeitos unos da civilisaco. v*f^
Malditos sejam elles-j que nao possivel ao Baliza pr-lhes as mitras .
^na cabeca os bculos na mo e os sapatoes esmaya cobras nos ps e e\pol-os a3 '
publico por tres dias.
OBBI2M DO DIA.
N'esta casa nao se Ilude ao povoos pesos estilo ateridosa batanea do4n
melhos fabricantee os gneros, partindo do soffrivel al o ptimo, podem ser -i)
escolhidos a vontade por todos, desde o pobre agoniado Clarim at o mais *fajt
! General. t
Nao sendo o aguado e a slncehidade predicados que lmenle ti\issem ',
.chegado para bico da domesticada e encantadora ayuia branca, esio dadas as..,
^mais\erminantes ordens para que d'ora em diante se redobre as atteocoes para^
com todos os freguezes, de forma que se opere a mais perfeita Hija de enteres- *ses recprocos, a fazer oveja a todos at ao proprio (avatletro da esipiina da rua^j
5 Nova.
Quando ao dispontar da brilhanle, aurora ou da aurora brilhantc, km
Jouvir o garboso yallo vigilante, com aquella bisarria que Ibc propria. o sen.s
canlo sonoro, signal de chamada dos amareis freguezes e predilectas freynezas,
ltambem o solicito Baliza eslar prompto em oidem de marcha, agradavH coamm
>a ayuia branca, diligente como o gallo, grave como o prophela, no mais per-
1 feito e continuo movimento, servindo a todos, e a todos contentando.
uns mn:\To.
Os precos do grande sortimento d'este magnifico armazem, se acham ron-j
'sideravelmente reduzidos, e a respectiva tabella deixa de ser publicada por que
la alma do neyocio o segredo. Os freguezes reconhecero em vista do ohjec-J
'to que pretender que o preco que se lhes pedir sera to rasoavel que nenhuma*
1 reclamaco offerecero. Venham todos a
ra do 1.1%itiiii:\to 39
AO GRANDE RHAZEX DE MOLHADOS
DO
BALIZA
PROPRlED.iDK
DE
HI. PEDRO DE MELLO.




Piarlo de rfrnanfcPfr, ... qBara felra 13 4e Xorembro de !.
i
NOTA REFORMA.
AURORA HUINTI.
K 84. Largo da Santa Cruz. ~ N. 84.
. M^nf,0iM.lFernande5J>iresi,elm a h0Bra de avisar *! nnmerosa frejjuezia
eora e>p*cialidade ao* oradores do bairro da Boa-Vista e seus arrebaldes, que ex
aova reforma era seu asselado estabelecimente de molUadosdenoiDinado AuroraBrilhan-
te, ao urgo da Santa Gru, e eom esta reforma suprio de novo o seu armazem de bons
gneros, sendo muitos delles mandados vir da sua propria conta, para raelhor lervir
aqueUes que >e dignarem comprar ou mandar comprar era sea estabelecimenlo.
Noaimazemda Aurora Hnlhante encontrara serapre o respeitavel publico um
lindo e novo sorttmeote dos melbores gneros que tem vindo ao nosso mercado, e sem-
pre por pregos rnuitorazoaveis, como se v daseguinte tabella que ser mudada
uanalmente.
se-
&H
0
NEJM COROAS NEM MITRAS
GRAXiNE
ARMAZEM
DE
BIJA DO IMPERADOR N. 40
Junto ao sobrado em que mura o Sr. (Mierae,
Duare Almelda A c, receberam de ana propria encommen-
aa o mals Ilude e variado sortimento de molhados, proprlos
da presente estaco.
Manteiga ingleza Maeas brancas
da safra nova vinda no ultimo vapora l.ooo para sopa a melhor que se pode desejar,
5 a
ESPLENDIDO ARMAZEM DE M0LHAD08
LIAKC A
Silva & Souza
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
f O por cesto menos
odrec que sepnaau bao
,ner parte.
tra |mjI
A Aurora Brilh&nW recebe as libras sterlioas por 95, sendo para eompra, e
por cento de abatimeot a quem comprar de lOOf para cima.
faz
Presuntos de fiambre muite novo, a libra a
890 rs.
Ditos para panella, a 560 rs.
Quuijos londrinos muito superiores, a libra
a 1J000.
Ditos de reino vindo ueste vapor a 2600.
Ditos do vapor passade a S# e 25100.
Queijos de qualha novos, a libra a 560.
Frascos grandes com ameuas a 3,5000,
Latas com 1|2 libras a 15200
Ditas com 3 e 6 libras a 25500 e 45.
Chocolate francezmuito superior, a libra a
15120
Cha tino de primeira qualidade, a libra
25700.
Dito uxim a 25700,
Dito hysson a 25700 e 2580.
Dito perola a 25800.
Dito em caixinhas de 1 e 2 libras a 25000.
Dito preto a 2$ e 25500.
Manteiga ingleza flor a 15200.
Dita niais abaixo a 800 rs.
Dita em barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempere a 400 rs.
Laia* com 2 libras de banha refinada, a libra
a 160 rs.
Manteiga francesa nova, a libraa 640.
Dita em barra c meios ditos, a libra a 600.
Toucinho de Lisboa a 05500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Lata* com bolachinha de soda de 5 libras a
25000.
Ditas com biscoitos o bolachinhas sortidas
a 15500.
Ditas inglezas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranhao, a arroba a 25400 e a li-
bra a 80 e 100 rs.
Dito da India a arroba 25800 e a libraa 100
e 120 rs.
Caf muio superior de primeira qualidade
a 85500, 95 e 95500 a arroba.
DiU) em libra a 280, 320 o 360 rs
Violtos em caixa de 12 garrafas, o melhor
possivel a 185 e 205.
Dito mais baixo a 105,125 e 145-
Dito Pisa 'ira. o mais superior possivel, a
caada a 45500 o agarrafa a 640 rs.
Diio mais baixo a 45 a caada e a 560 rs. a
garrafa.
Diio de Lisboa, boa marca, a 400 e 500 rs.
a garrafa.
Dito Brdeos a 040 rs. a garrafa.
Dil.i em caixa, das melhoros marcas, a 75 o
83000.
Serveja, marca tenenle, em botijas a 7 e 85
a duzia.
Charoles finos do autor Jos Furtado de Ci-
mas, ha per rauitos precos.
Ditos de outros autorss a 15500. 25 e 25500.
Gigos do batatas novas com 1 arroba a 15-
Passas novas, a libra a506 rs.
Figos novo a 320 es.
Latas de ervilhas e favas portuguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas com ostras, excellente petisce.a 640 rs.
Latas dopeixe ensopado em postas, de umitas
qualidades, a 15.
Potes de vidre com sal refinado a 500 e 640
ris.
Marrasquino da melhor qualidode, a 85 e
125 a duzia.
Garrafas de dito a 80o e 15200.
Amendoas confeitadas a libra a 800 rs.
Dita cora casca a libra a 320 rs.
Nozes, a libra 160 rs
awieo, alplsta, a arroba 4Se libra a 160 rs.
Grao de bico, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Vinho de caj preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 15000,15200 e
15600.
Champagne boa a duzia 205,e a garrafa a 25
Garrafes com genebra hamnurgueza a 65.
Vmho branco Xerez a garrafa a lo.
Dito Joao de Urito, pur, a garrafa a 640 rs.
Oito aducir lo a 560 rs.
Dito do Porto, Uno, a garrafa a 800 e 15
Xarope de grozeis e outras fructas a 640 rs.
Massas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dita estrelinha, pevide e rodinhas a 640 rs.
Caixinha com 8 libras de dita a 35500.
Sebolas soltas grandes, o cento a 15.
Ditas grandes om resteas a 1^280.
Duzias de cartas francezas finas a 25500. 35
e 35500.
Duzias de latas de graxa nova a 900 rs.
Bonhoes do dita a 280 rs.
Marraelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do sertao a libra a 320 rs
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos "grandes com farinha a 55
Ditos com milhoo 35500.
Ervilhas seccas a libra a 160 rs.
Lcntilliaspara sopa a libra a 200 rs.
Sevadinlia de Franca a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Aramia venladeira a libra 480 rs.
Gomma de engommar a arroba a 45 e em
ibra a 160 rs.
Sabao espanliol a libraa 400 rs.
Latas com o verdadeiro gaz liquido com 27
garrafaa a 125.
Dita de diferentes marcas a 500 rs. a garra-Garrafas com dito aSOOrs.
fa e 5-3800 a duzia. [Saceos grandes com feijao mulatinho com 24
Genebra de laranja verdadeira a 15 e 152001 cuias por 93.
o frasco. (Copos e calix lapidados para vinho e agua.
Dita de llollanda em frascos grandes a 15 e Latas muito bem enditadas com figos novos
pepuenos a ri40 rs. a 25, 25500 e 35.
Dita verdadeira de llollanda, a botija a 480 Assucar refinado com ovos muito alvo a ar-
roba a (55500 e a libra a 200 rs.
Papal paulado liso de peso branco e azul, a
resma a 23500 e 45500.
Vinho Madeira-secco, a 15600.
Cento de esteirasde tranca a 205.
[larris com azeitonas novas a 15280.
Duas Palancas grandes de Romao com os
pesos de 21 arrobas, e alguns bracos pe-
_ queno do mesmo autor.
Urna grande quantidade de caixoes vasios de
todos os tamaitos de 120 a 500 cada um.
Licores linos de varias qualidades a 800, 13
c 13500.
Caixas de vinho muscatel a 103, e a garrafa
* a 13000.
Dilas eom azeite refinado a 105 e a garrafa
a 15000.
Conservas inglezas e francezas de pepinos,
sebolas, azeitonas e mixide
800 rs. o frasco grande.
Caixas com frascos de mostarda
43 a duzia, e 360 rs. o frasco,
rs. a libra e em barril a 8oo rs.
Manteiga franeeza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
era frascos de vidro com 3 libras liquido a
jHQO, muito propios para mimos,
CartOes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
cora bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 44360.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2#6oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2#600 cada um.
Queijo
londrmo o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1#200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
Idcio hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480rs. alibra.
COCUI C
o muito afamado cognac Palo Brandy a l,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO*
lapidados pata agua a 4.5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
Gneros especialmente escolhidos por um dos socios
para esse im.
grande
ment.
que na Europa >aa
a vantagem para todas as pessoas que compraren oeste eslabelsc-
armazem.
Os propietarios garanlem todos os gneros sabidos de seu
| muito acreditad
AO PUBLICO,
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas mareas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, ei Nao nos servimos de exordios como conslantemenie estamos vendo
20800 a caada. jcios deste genero, pois s5o palavriados de que seora nos abstivemos" e de u* i
dem do Porto : estamos certos nenhuma atiencao j merecem do publico. O noaao fia nJ
generosos engarrafado des melhores fabri- mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tab-'h 7^
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200 eos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a atteocu ***"
a garrafa ede 100 a 120a caixa, asmar- tt i -.
Vmho verde.
cas sao as seguintes: Chamisso & Filho,
F. dr M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros amitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma qua
.vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r j bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mat
cas de 40500 a 0500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outres em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 3jj400.
CAF
de 1.a e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafes
com 4 '/i garrafas com vinagre a 10OOOtB
.
PAPEL
almaco, grave, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,ooo a resma do me-
lhor.
a 600, 700 e
franeeza a

E MUITOS OUTROS GNEROS QUE TORNARA E.WADO.WIO MENCINALOS.
TUDO DE PRIMEIRA QUALIDADE.
&*

'8>J8
K
SORTIMENTO PARA A FESTA
rw
23Largo do Terco23.
rato Jftth^\0J,S aT' dono doste arma*em de molhados avisa aos amigos do bom e ba-
S&ttiB^^lffi^^ a este estabelecimenlo que nao se arrependerao, se he
Stns Zm u, tprin L t(\ Pel? ? prompto PaSao>ento ; e por isso se faz anmincio de
qTatofScrees^ U'n *rande vautajoso sortimonto de tudo
Sentido! Vou fallar com o Censem i o !!
Manteiga ingleza de 1" e 2"
a libra,
dem franeeza em barril
bra.
Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e
e 2* sorte a 800, 900 e 15
a 600 e 640 rls a l-
o maco.
roba. ........ aar-
atatas era caixas e gijos 1,5200 e 25000 a ar-
roba.
af de primeira e segunda sarte a 230, 280 e 300
rs. a libra.
Arroz da India, Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a
libra.
Phosphros do gaz a a grtza e 180 rs.
Fassas novas a 480 rs. a libra.
Yelas de carnauba Aracaly coraposicao a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs. a libra.
ttirmetlada dos melhores fabricantes de Lisboa de
1 a i libras a 640 rs. a libra.
Cha hysson o melhor deste enero a 25800 a li-
bra.
dem perola miudinho a 2300, 2000 e 35000 a
libra.
Banha ingleza alva e suponer a 480 rs. a libra.
Queijos mais novos do mercado a 55O0 e 25800.
Serveja da melhores marcas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 55800.
iabo amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Baha dos melhores fabricantes de
1500, 25000, 25300 e 35 a caixa.
Milho alpisla e painco a 160 e 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a diia.
dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branca proprio para missa a 500 rs. a dita
dem do Porto engarrafado a 800 e 15, tomando
mais de urna caada de qualquer umdestes ter
grande abatimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
uisceitos e bolachas de soda a 15400 e 25.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Ola oda em frascos e botijas e de la-
^ ranja de 480 a 640 e 15200.
Obourigas as mais novas a 660 rs. a libra
Latas com i e meia libra de amenas a 15200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 35 o
Papel de botica
;de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulhode l,4ooa 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa 1
e 1,000 rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 4^400 a arroba.
CEROLAS
o garrafa o.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de llollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha,
LICORES
Anos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loe rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 060 rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo b
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas oras
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e400rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e UOrs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da guiaba
a 600 e 10 o caixae.
Chegou o muito desejado vinho do Cartaxo vende-se nicamente oeste
a Goo rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora cora 7o garrafas.
anaaz.'a
"SCW m0A rCent 1aruadQ,,e- em paneiros de Ve 2 irrabu! 30500 a ar-
2?fi o" 71rua J IruPerador n. 40 e lar- roba e 140 rs. a libra na ra do Qoei-
go do Carmo n. 9
GRAO DE RICO
muito novo a 30100a arroba e UOrs. a li-
bra na rua do Queimrdo n. 7, rua do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEIJO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na rua do
Queimado n. 7, rua do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
Qoei-
mado n. 7, rua do Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
em latas de defferentes qualidades a 10200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
chegados neste ultimo vapor a 20800 na roa
do Queimado n. 7, ruado Imperadorn.
40 e largo do Carmo n. 9.
mami
mwmm m mmf tos
f7. .flMI
Vinho Unto sem confeico
30,000EWMCORETASDE CAADAS30,000
Ubico deposito em Peinamliuco roa da ladeia n. 1.
Tru*^!? n:' 7 ^U.alldad de vinho recebida directamente de diversos lavradores de
Torres Novas (provinca da Estremadure) como altestam os bilhetes do caminho de fer-
ro que trazem os cascos, provando sua origem o procedencia, recommenda-s a todas as
P9eT'Lfe q'!e,ra-m ter a certeza de beber viaho poro de ova como o que se bebe nes
t\ZPJtT Pan-TU ainda PW de fcW5*>- E preciso que o publico
LZX lq S.V,nhuS que aqui Se iraPrlam n3 rind0 directamente do lavrador
oliogam/pela mator parte ou quasi tod ,s sobrecargados de preparos nocivos saude
cauaaudo bem graves transtornos no apparalho digestivo *"
<,., ?ftannuncJante J0.fferece a anal>'se dos profossionaes esta nova qualidade de vinho
que expoe a venda, e da um premio de 1 :OOO0 a quem descobrir no mesmo algum cor-
po ettranho a nainreza da uva de que feito. b
N. D. Para evitar a falsificacao, o annuneiante declara que o nico oroDrietarin
e importador deste vinho o qua! vende somen;e no seu armazem da raa da Cadeia do
frAniP7oaSaP/-prietari0S d,??rande 3rm,azem Verdadeiro Principal declarara aos seus
tfn.ES 5 g0S e ao publ,co em gera1' quePara facHitar a commodidade de todos es-
upuiaram os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal roa do imperador n. 40
FRUCTAS
. MAlA, PERAS E UVAS
cnegaaas neste ultimo vapor, vende-se na rua do Imperador n. 40, Verdadeiro Princi-
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
,A-agU! ?orlda no uma 'ntora, ficto essen-
1 ahc,abe"0-- Soraposla de P|anas <*&* e
! DC,as ,no'fe1?s,''. '* tem a propriedade
de restitoir aos cabellos o prineipio corante que el-
li !eT.nPe d-, D uma sal"'"-dade incontesta-
vel a Agua Honda entreten! alimpeza da cabeca
deotroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida.
Jrc,m.i0St0 t. sub8lancias vegetaes exticas, elle
rn", ,. P1oderosa,nel. cora a,Agua Florida, a
frca, a bellia e a conservado dos cabellos.
Ern Pars, casa de Quislaur n. 12, rua de Ricbe-
liea. e 21, boulevard Montmartre.
tiJh,da0L,0,S "/08 ^^o intacto e claro, o
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, rua do Imperador, pharmacia n. 38.
Balaios para meninas
Lindos balaios do varios gostos nara meninas
iraierem no brago : s se eBcontra na loia do Bel-
ja-Flor, rua do Queimado n. t3 e 69.
Extratos e sabao em eai-
xinhas
Lindas caixinhas com um cartao eom a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bao o mais fino que passivel: na loia do Beija-
Flor raa do Queimado n. 63 e 69.
Boa pechincha.
Na rua da Cruz n. 22 vende-se excellente vinho
de caj, a saber : garraffles de tres caadas, cada
um ij, c em garrafas cada duas duzias 5.
Palha de carnauba
Vende-so superior palha de carnauba : no es-
criptorio do Antonio de Almeida Gomes, rua da
Cruz n. 23, pnraeiro andar.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra,
dem de casca mole a4o o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l,Uoors.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em Jatas de 1 '/i libra a l.loo rs.
Arroz do Maranhao e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oe rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e lo.ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banba de porco refinada a 6oo rs. a libra e
em barril a 58o rs.
Batatas a 2,ooo rs. a caixa.
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra,
dem perola qualidade especial a2,7oo rs.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra,
dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
^ duzia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a l.ooo,
l,2oo e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da Babia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
deliciase suspirosa l,too, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco,
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo 5,000
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas l-
timamente a 6o rs. a lata,
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo
rs. cada uma.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e ginja a 9oo rs. alala.
Graixa nova a loo rs. a lata e l,loo rs. a
duzia.
Gomma muito alva e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs-. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada uma.
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
IrJem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
i,ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o
frasco e 14,600 a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
muito novas excellente legoMps-
Lentilhai
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamenle flor a 8o
l.ooo rs. a libra, desoecessano aa
elogios neste genero, que s se pdt ve-
rificar com a vista.
dem franeeza a 64o rs. a libra, e esa karnl
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Lote
a 7oo rs. a libra, ha latas de I, I I i
2 libras.
Massa de tomate em lates de I e 2 libr a
6oo rs. a libra.
Macarro. talharim ealetria a 4o rs. a Ubn.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franeeza preparada a 4o rs
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o frasro.
Molho inglez em garrafinbas com rolba*
vidro a 64o rs. cada uma.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Ostras preparadas m latas a Too rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez \eiit*leir0
garanlindo-sc a qualidade a 8oo r*. a libra
Passas novas de carnada a 64o r*. a libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinl.a. pe\i.le .> r.*l*hj
ele. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o rs. alfera.
Peixe em latas hermticamente fechadas .iis
seguintes qualjades: save/, corvina, cora
ravallmhas, e pencada a I,non a Isla.
Palitos para denles lidiados a 14o rs o ma-
co de 2o rs. o macinhns.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2.1.. r<
a groza.
Painco muito novo 12o rs. a libra e 3 goo a
arroba.
Queijos flamengos, do ultimo vapor, i i ta
rs.
dem londrino muito fresco a 800 rs. a libra
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs .*!*
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o n ibra
Tijolo para limpar facas a 15o rs cada risa
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
l,4oo rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a | ooo
rs.
lavar casa a 36o rs.
a 56o rs.
Figueira
a 4oo rs.
Ibem de cscovas para
cada uma.
Velas de espermacete superiores
a libra,
dem de carnauba refinada e de connosiefe
a 44o rs. a libra, e de 15.ooo aTfWrT
a arroba. "^
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e
das marcas menos conberidas
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada
dem Figueira especialmente escohido oeste
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo r> a
caada. *
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo i*s. a ancora
dem Lavradio, Colares muito fresco sea
composico a 6oo rs. a garrafa e 4 5m
rs. a caada. "^
dem de Lisboa branco uva pora a 56o rs a
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada.
dem Pono fino em pipa a 56o rs. a garrafa
dem engarrafados generosos Lafraaas A
Douro, Duque do Porto. D. Lniz I I)
Pedro V, Nctar, velbo serco, MalVasi
Genuino, Particular a Ooo e l,2oo rs a ~ar-
arafa. e a lo.ooo rs. a caixa com aa do*
zia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a sarra-
fa,e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa
dem Bordeaos das acreditadas marcas St
Juhen, St. Estepa, chacean la Rose chatas
Margoux e outros a 6,5oo rs
56o rs. a garrafa.
a caita
(ERVEJ1 EM BARRIL
a SOO rs. o copo
iiieijo de Minas chegado no vapor
dem prato multe fresco
dem suisso superior
dem londrlao superior.
57 Rua do Imperador 57
H& %U^%^,
\


BUrlo c PeraaMliBe* Qiiarta felra 89 de Jfc'orenibro de 1S-4.
DIGESTIVAS
DE PEPSINA I
DE WASMAN
As pastilhas digestivas com a pepsina de Wtw
van, emprcgao se com auccesso h j alguns
annos pelas celebridades medcaos de Pars,
Londres, Vicnna, ele., cm todas as incommodi-
dades em as quaes a digesto difficil, penosa,
imperfecta oa mesmo bnpossivel : eis o melhor
remedio para cralas
GaaUralftU*.
BJoprp!.
Eiuliai uro Nlrlron
A fcuxtritc.
As affrcre* orgni-
ca do entiiiatto
Dlarrhcaa e ronill-
araa prsfltixldaa
prlilH rlbrWi
dctectaoaaa dea II-
Mltnlo.
AO PUBLICO
Nem e menor coustran-
gimento se entregar o
Importe do genero que
oSo agradar.
ATTENCSO
Os preeos da seguale
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
Em todas as molestias empregSo-seamiude as
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
e igualmente aspastilhas de Vichy. Csse meio & s
efficaz quando se trate de dispepsias de curta du-
racSo, mas o prolongado uso das aguas e pastilhas
t Vichy, tem grandes inconvenientes, por quanto
os alcalinos empobrecem o sangue e isso de tal
maneira que Ibes arreblh5o a parte vivificante,
nutritiva c reparatria. Com a pepsina, a contrario,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transforma-se ao mesmo lempo que se effectua a
Iransformaeo dos alimentos assimilhando-se
como elles e ajudo tabcm como elles a nutricao
geral. Sua accSo vivifica o sangue c os drgos
de tal sorte que, alh as pessoas que sem soffrer as
affeci.des gstricas cima mencionadas sao nica-
mente iracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, e necessiiao substancial alimento para for-
tificar se, achio no emprgo das pastilhas pep-
sina de Wasman, um poderoso meio para a isso
chegar.
Aviso importante. 0 successo das pastilhas
c pepsina de U as man diu causa a se fazerem fal-
silu-acdcs e imitacoes d'esse producto que os
mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
boa preparaco pepsina que n'ella entra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'este inconveniente,
exigendo os compradores que as pastilhas tenhao
as iniciaes B. P. e saio da pharmacia Chevrier.
Depsito geralem Parts, pharmacia Chevrier,
ti, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
I encao
MASSA E XAROPE
DE ,
BERTHE
COM CODEINA
Preconizados por todos o^medicos contra
as Defluxos, a rippa e todas as IrritacSe*
do peilo.
AVISO
Falsificacocs reprelicnsiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da Massa de Berthd,
nos obrigo a recordar que esses productos
to justamente
nomcados nao se
cnlregao senoem
boeelas e cm fras-
cos com a assigna-
tura aqui indicada. ~""B. mmmtm htpnaur
451, ru Saint-Honor, NA PHARMACIA no
i.uvkh, e cm todas as pharmacias.
Deposito geral etn PernamDuc rua da
Cruz o. 22 em casa de Caros & Barboza.
Atten$io.
Vende-se ou aluga-se o sitio da Torre, perten-
centc a Jos Mariano de Albuquerque : a traiar
com o mesmo ua rua do Imperador n. 12. Faz-se
todo negocio.
Vende-se gomma de aramia muilo alva e
nova a 10 rs. a libra e 3*5 a sanca : na rua das
Cruzes n. 24, esquina da travessa do Ouvidor.
Cbriolet americano.
Vende-se um rabriolet americano de 4 rodas
com dous assentos, em perfeiio estado : quem o
pretender, dirija-se a cocheira da rua do Impera-
dor que pertenceu ao Sr. Malveira.
Fabrica de espiritos
Rua Direita n. 17
Na fabrica de espiritos da rua Direita n. 17 ven-
de-se espirito de viriho de graduarao subida, lico-
res de lodas as qualidades, finos e'grossos, canna
de cabera, reino, aniz, genebra, e genebra de la-
ranja, ludo por menos do que em outra qualquer
parte.__________________________________
Testamento do Porco.
Sahio a luz e acha-se a venda o testamento do
Porco, obra propria para entreter pelo diminuto
prego de 160 rs. cada exemplar : na rua do Impe-
rador n. 15, defronte de S. Francisco. Onde con-
tinua a estar a venda o testamento do gallo, da
gallinlia e a peleja entre o diabo, S.Migele urna
alma.
ATTE\(JA0
Vende-se urna armaro envernisada, feita a mo-
derna, com fiteiros envldracados, para taberna oa
cuiro qualquer estabelecimnlo : a tratar na rua
Direita n. 48._____________________________
Farinlta de mandioca.
a 52000 o sacco.
A melhor que existe no mercado, bordo do pa-
tacho Utysses, defronte do trapiche do barao do Li-
vramento pelo barato prego cima mencionado,
sendo sem o sacco, e em porcaose far algurua
di Merenga; na roa da Madre de Dos n. 5 e 9.
EXFEITrS E C1M0S A MARA PA.
A loja da Aurora, na rua larga do Rosario n. 38,
recebeu riqusimos enfeites e cintos a Maria Pa,
os enfeites sao para eabega e vende-se junto ter-
os cintos, pois enfeites e cintos fui encommenda
especial que lizemos, por quanto obra muito fina
e cousa que anda nao velo igual a este mercado,
s a loja da Aurora que receben, e esta quei-
roando, quera duvida venba com dinheiro para ver
o gosto. Assim como tamben) receben cintos de
couro forrado de velludo, que tanto serr para se-
ahora como para meninas, tamben) de muilo gosto
Ricas capellas brancas de differentes qualidades.
Camisiuhas muito finas para senhora.
Co'larinhos e punhos tambera para seahora._
Vndese urna negra, a qual lava e cozinha
o diario de urna casa: a tratar na rua da Concor-
dia n. 62.
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deixar passar desapercibido sem que nao dsse o
seo canto, afim deannunciar ao respeitavel publi-
co o grande sortimenlo de galanteras de melhor
gosto propriamente para qualquer raimo, que aca-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
niuitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua conta romo de consignacao que
est resolvido a vender por pregos muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extragao
o grande deposito que tem, que espera merecer
prut> cgo do respeitavel publico empregando pare
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quera satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Ricas porta-jeias.
Cofre de muito gosto por 16,5000
Cestinhas transparentes torradas de ma-
dreperola por 182000
Lindas jardineiras. 102000
Ricos cofres com camaphen. 102090
Lindas caixinhas com pedras brancas. 102000
Lindo balo com calungas dentro, tam-
ben) para joias. 162000
Tambalier para ditas. 92000
Cestinhas ditas. 62000
Cosmorama ditas. 62000
Urnazinhas. 65000
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquete* de diversos gostos e pre-
gos ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Rices sintos
com bolcinhas ao lado, a 102, 122 e 152, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 22500, 32, 32500
42000.
Ricas (relias avulsas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 12500, 22, 22500 e 32 o par;
s no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Cabazes ou cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no brago, o .nais rica
possivel a 22500, 32500, 42, 52, 72 e 102; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Hais lepes
eom pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato prego de 82 e 102, cbi-
nezes muito bonitos tambera, pelo barato prego de
42 e 5, bentarallos muito bonitos, tambera por ba-
rato prego de 42 e 52, leques de charo tambem
por 42, tudo isto para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cento; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Pentes.
Neste artigo lera um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, es mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregagar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga com en-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante,rua
do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de eontas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 12 e 12200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do Qres-
po n. 7.
Leques.
Rlqoissimos leques de madrcperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
do 122 e 142; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Penles
tamberachegaram os nquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa lina, que se vende por 22,
32 e 52", s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Caetas.
Riquissimas canelas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo prego de
12500 e 22.
Sapalinlios e meias de seda.
Riquissimos sapatinbos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiasziohas de seda, gorrazi-
nhas e touquinhas para as criancinhas se bapliza-
rera; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Yollinkas.
Lindas voltinhas de iterlas falsas rom eruzinhas
fingindo brilhantes, assim como eruzinhas avulsas
e voltinhas, polo barato prego de 12 e 12200, as
cruzes avos asa 400 rs.; so no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
to possivel, a 22, 22500 e 32; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeites para sen hura.
Riquosissim enfeites com laeo e sem lago e de
outros^muitos gostos a 12, 12500 e 32 : s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Traneelins.
Lindos traneelins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 12500, ditos de
rctroz a 200 rs.
Rabadinbos ntremelos.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 12200, 12500, 22 e 32; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Gasearrilbas.
Grande sortimenlo de cascarrilhas do diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de Atas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que admiran) aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 22; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espellios.
Riquissimos espelhos com moldura dourada
sem ella de 82, 102, 122 e 142, assim como com
celumnas de differentes tamanhos a 22,32,42, 52
e 62; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Liados jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de muito gosto a 12500 e 22, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos rom dis-
tinctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim romo os grandes copos de banha japoneza
a 22 e a 12, assim como outros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
ses se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
RUA DA CADEIA DO HEilFE 53.
(Logo passando e arco da Coneeieie)
Grande redcelo de preeos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunciante.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o prego da manteiga ingleza a 1,000 rs. a libra, bem assim o de outros
tnuitos objectos, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta toz, que podem vender pelo preco que eu vendo! I! Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vira encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reduegao de pregos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do- momoravel armazem de molbados Uniao Mercantil nao
*e sabia de outro prego de manteiga ingleza a n3o ser o e l,4oe a l.Coo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduegao a que
est5o obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamado de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado daste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
to sement obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceto que presid, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptido e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida rae darao a proteegao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratces, pois
serao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommeodacao, alan de que nao vaoem outra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vndo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cbhysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huiim o melhor que se pode desejar
Deste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem bysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,600, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e 2,6oo rs.
Linguigas, chourifas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,5o rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouri(as e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo e 600 rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentojo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latasj pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa parti-cular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
ansia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo e i,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras echernee, veztigo em;
. latas grandes a 800e l,ooo rs. cada tima.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
Idcm de laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
11,00o rs. a du2ia.
dem de Ilollanda em botijas grandes a 4oo
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs.. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,000 rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paincp e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,000 e 3,8oo rs.
Vinho braaco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a G80 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro. Drfque do Porto, DuqaeGenuino,
D. Luiz l Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa do 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. e a 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. |
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da faferica do Beato
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por t,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. e Irasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar easaa 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de tidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o fraseo.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e i4,000 a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 46o rs. o mago-
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oe rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutosdetodososfabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de 4 00 charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,000; dito em caixes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 42 por libra a
32o rs. a libra elo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
61o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,noo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por 4,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
RIVAL SEM SEGUNDO
Rua do Queimado n?. 49 e 53, loja de _Mn_
de Jos de Azevedo Maia est runiinuamlo
vender muiit barato, pois s^u geuio dar a fazeu-
da por todo preco a Tisia dos robres.
Cartas de alnetes francezes da _elhw Mft_Mi
a 80 rs. H
Grosas de pennas de aro ingleza da tibor -
lidade a 640 rs.
Caixas de clchelos francezes de superiores cuali-
dades a 40 rs.
Grosas de botos de madreperola u.uito C^os a560
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oitavas de reina prt-tu i'.no z
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muito superior a
2000.
Grvalas da liga e de Mitras muiu; *__
500 rs.
Caivetes para penna rom 3 folhas fazeud;. b_ *
800 rs.
Duzia de botoes branco para casaveuues de m r.tw-
ra a 100 rs.
Pecas de fita de cus estrellas com 9 varas gaiw-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portugoei para os meninos a prtaoer
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meuinus a pH>
der a ler a !000.
('.amidas da doulnna ehristaa, finas e rnprrkre? a
320 rs.
Pentes Gnos de mardm a lCC0, l2CU t 16_
Pares de luvas de seda para hunns totora* a
500 rs.
Golhnhas para senbora o melhor que ha a ".o *
50 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 3.0, .',i;0
1000.
Livros que serve para assentar ronpa, r.elo dimitir-
lo prego de 160 ra.
Capachos redondos mtito finos a 500 rs.
Cordo branco para esparlilhus multo so| i ricr, a
vara a 20 rs.
Can neis com 150 jardas de linha fcfMffl a ff>
ris.
Cartoes com 200 jardas de linha branca pnaS>
d' s a 60 rs.
Grosas de pennas de ac superiores a CfO r?.
Varas de franja branca e de cores larga 1.1ra lo*-
Ihas a 160 rs.
Pares de botoes de panno, oh que perl-ir.rt a a
120 rs.
Tinteiros de vidro eom tinta a 100 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes de louca prateaJo.- muito Dees a
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a W*
ris.
Escovas para 1 impar dentes, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de segur.-.ua a '
160 rs.
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a 640
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, mutte
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muilo fino a 20 rs
GRADE CORA
PARA TODAS 18 MOLIXTIAS 1*0
ESTOMABO, IIII AS WM
m*
AS
AGENCIA
DA
Albnns
para 20 at 200 retratos, muito bons e por menos
preco que em outra qualquer parte: na rua do
Crespo n. 4._____________________________
__Vendem-so mnit" bons pombos de raga: a
tratar na rua do Aragao da B.ia-Vista, casa n. 7,
} das 7 horas da maaua as 9,e das 2 da tarde as i.
AGENCIA LGW-MGGL
Rua da Senzalia nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiat
tuoendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos. ____
Arados americanos e machinas para
lavar rowpa: em casa de S. P. Johnston cV C.
rua da Senzalla Nova n. 42._____________
Supoior vinho Collares.
Na rua do Vigario n. 11, escriptorio de Manoel
Joaquim Ramos e Silva & Genros, tem para ven-
der superior vinho Collares em ancoretas.
mmmm mmmmmmmm
& Fabrica Conceioao da
Bahia.
Andrade & Reg, recebem constante- 3R
mente e tem venda no sen armazem n. f|
34 da rua do Imperador, algodao d'aqnel- gis
la fabrica, proprio para saceos de assu- H
car, embalar algodao empluma etc., etc., ffg
pelo preco mais razoavel.
Roa da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhSes inglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, lio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavados, e relogios de
ouro patente inglez.
kvSS ^aff^Stf _ce>^C|
UMA GRANDE LIQUIDACA
E-ceIlentislmas senhoras
A leja da rua do Crespo n. 17, de Jes Gomes Villar.
Recebeu de sua encommenda vindo de Paris, as melhores fazendas que tem vindo
a esta provincia.
Corles de blonde completamente preparados com capella e flores etc., etc. proprios
para casamenlos.
Cortes de mcreantique para noiva, mantas e capellas proprias para noiva, balSes de
todas as qualidades para senhoras, ricos cortes de seda preta de cores e moreantiqne pre-
to, grosdenaples preto e de cores, cami.-as de cambraia bordadas para senhoras.
Chapeos de palha para senhora assim como para menina o que tem vindo de me-
lhor, peitos bordados para camisas de homem, cassas de cores, orgrndys de lindas coesr,
chitas de todas as qualidades.
Capas prelas de gorgurao importantissimas, soutembarqnes pretos, assim como de
coros o melhor, casacoes, pelerinas, pellives etc., ele, casaveques compridos de gres pr-
tos e de gorgurao, fazendas importantissimas.
Novo gosto
Chales de renda pretos o mais moderno presentemente a 15,5 e 205.
A elles antes que se acabem, fazendas de todas as qualidades proprias para senbora?.
Tapetes para forrar salas a 2j500 ocovado com seis palmos de largura.
Esleirs de muilo boa qualidade para ferrar salas.
f.18/3 W9 oo\\qnd o d svdoquds smiix^ wvb}oj
'l\ *n ods3j) op boj ,Y
OYvamon aawno vmi
P0T4SSA
Vende-se potassa em barris a commado prego o
oa rua da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriplori:
de Antonio de Almeida Gomes.
Padtiria.
Vende-se a padaria da rua Imperial n. 112 rom
todos os seus pertences: a tratar no caes de Apol-
lo n. 55, armazem.
Motores e prensa de algodo.
Vende-se urna prensa para enfardar e am motor
para mover machinas para descarogar algodo, do
melhor systema em uso nos Eslados-Unidos da
America ; a ver e tratar, na fabrica da travessa do
1 Carioca n. 2, caes do Ramos. Na mesma casa se
espera a cada momento por um navio chegar,
alguns motores inglezes para um e dous cavallos,
de um trabalho muito maneiro e simples, que se
i vende por um preco mullo mdico.
Esteiras para forrar salas.
Com 5 palmos de largura e muito superior qua-
lidade, vende-se mais barato deque n. ulra qual-
quer parle : em casa de Valle Porto 4 C, na rua
da Cadeia n. 33, Recife.
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na rua Nova n. 61.
Ptalas Vegeiaes kammim
De .cmp
Omipostns Jos doa novo* rcsinofcies eh_a_
(los PODOPHILIMA C LBPTA3I>RIHa, I" Btl
ment livres nt:; rn mm
minoraos ou metallieos, sao i>: gr_ni< .uili-
'laclc nos ]>;i;.7.es cli'los em raaoe d*
DISPEPSIA, I5CHAQECA,
f oihpario oa Pritifa do Ttotn,
PiDEC_S?TOS DO FIGAM
Aftega Biliosas,
HEKOJlUHOfflAS, COLICi,
Ictericia,
FEBRE GASTHO-HEPATICA,
L Hrtrai rnfrrmidaii's ti_|M
RUaa vio rpidamente substitniutl o* ant'dH
purgantes drstier.
A venda as boticas de Caen Barbo_.
rua da Cruz, e Joio da C. Bravo o C, nu
da Madre de Dos.
Roa da Senzalla tova t.
Neste estabelecimento vendem-se: tachu '.
ferro coado libra a 110rs.,dondeLe*J
Moor libra a 120 rs.
ESCB1V0S rUGiii-.
ATTENQO.
Acba-se fgido desde o da 7 de fevereir* _
correte anno o escravo de nome Faustino, dr Uta-
de de 40 annos, pouco mais ou Beso*, ior fula,
altura regular, gro^so do corpo, bem es|ad-<_,
barbado, e j rom alguns cabe los breact* ua l *r-
ba, bracos e pernas grossas e bastarte raleliudas,
tem as (ternas arqueadas, porm nao muito, tos-
tante cabello nos peitos, e cosluma quando iji r
fallar mais apres-ado como que pagu-pr. r<>r_
muito pouco, que mal se percebe: < o-tuma andar
em sambas, e as vezes embriaga-e por p ?ar ft>
bebidas espirituosas ; snp|oe->e que i lie seca-
para o centro, talvrz em busra dos srrtin : pa^
tanto roga-se s autoridades poliriaes que a fae>_
apprcbender e couduzi-lo casa de srn a bm a
major Antonio da Silva Gusmao, na rua ln.|enaL
em Pernambuco, que satisfar toda e qualquer
despeza que por ventura facam, e aos rauities 4a
campo offerece urna boa gralifirarao. ______ _
Au.-entou-se da casa do aballo assig__a, a
dia 16 de novembro, um escravo Manuel, rom 11
a 13 annos, levando calca, camisa de algodo azul
de listras, chapeo de palha, crioulo bem preto,
muilo ladino, dectes muito alvos, rorpo tino, tem
os dedos dos ps grossos, costuma quaml se falla
estar se lindo, foi comprado ao lir. Vinnno do
Reg Tuscano Rarreto, natural da Parahiba <||
Norte, tem andado pela Boa-Vista e aterro doa
Afogados; protesta-se contra quem o liver acos-
tado, pois sabe-se que tem dormido em algninas
casas com coosentimento dos douos : i>ede-so a
sua apprenensao, levando rua da Cruz n. l,
primeiro andar.
Antonio Alves de Moraes.
Fugo da casa do abaixo assignado o seu es-
cravo pardo de nome Marcos, idaile 32 annos, po
co mais oa menos, e com os signaes seguinles i
altura regular, pernas cumprida.-, oar e-eur. <-_
bellos annellados, olbos pequeos, falla d:- denla,
nariz chato, costuma andar depressa, e emo qo
pulando, e anda so torna mais conhecido por ter
diversas cicatrizas de gomma pelos patios, na_ij
lado e sobresahindo soare todas per e lorsar nu>
visivel, urna abaixo logo da garganta no > da
caixa do peito; elle pinta e caa s'.ffrivrlmentp, a
consta que elle tem trabalhado por wta oflkio em
diversas casas aqui no Recife : portanto roga-se aa
autoridades policiaes a aos rapitaes de campo qna
o fa(am apprehender aconduzi-lo rasa do tea
senhor o major Antonio da Silva Gu Imperial, que graiiiicar genarosauaente. V
V


s
Diaria ele PcruiNti Uara felra *3 de Yovcnihro ie I a4.
UTTERATRA.
Harmona dos poderes entre si e com
a naco
E convm clharmos com indifferenga para este
estado de coosas T
A rehgiSo do calvario pede a resignadlo, mas
nao pede a infamia, pede o esquecimento das in-
jurias, norm nao manda, que pactuemos com o
crime contra os mais sagrados direilos de todos por
A tradicao embaraga, a rol.- um silencio COndemnavel, que nos entreguemos a
na enerva e o prejuizo mata ra sacrjflcio mpuro e ^^ ( ^ ^ curwnos
O Solitario, aos decretos de Satn, que executam os ministros.
(tj0DCIUi,a0-; '('ra Por ventura preciso que novos Numas ve-
E preciso que o poder legislativo ealeja cima nham crear novas religioes, que alimentando as
do executivo ou ministerial, e que o poder real es- supersticoes da idolatra, levantem aras a tantas
(ja tena de todos os outros: o como diz Benja- divindades quanlos sao os sentimentos do cidadao?
mln Constan!, t que as assemblas subsistan) l- j Numa soube por a boa t no numero das di-
vrei, imponentes, animadas, mas que os seus des- vindades, e fez sentir assim a todo o povo que os
sios possara ser reprimidos para nao serem des- decretos do cu punem o prejurio, e os Tetjnas
slados participam tambem da inviolbilidade celeste, afira
E sendo o monarcha partecipe do poder execu- de l'ue se resPeitasse os limites da propriedade
lira seristo realisavel ? diz BM notavel escriptor
Nao; porque no dizer de Benjamn Constant, a: Por ventura estas mesmas divindades conspi-
furca repressiva deve estar no exterior. Nao; por. rariam contra elle................
yue os ministros se confunden) com elle, e nao se i>uma creou um pontfice, que nao tnha contas
sabe mais distiogui-los: e sem remedio, as assem- j a dar nem a monarcha, nem ao senado, nem ao
Llas bao de ser dominadas por este?. mesmo povo. Elle tnha autoridade para suspen-
fcerviudouos de parodia diremos que separando- der as assemblas, e todos os actos polticos, de-
so o poder executivo do legislativo, e unindo-se ao "'arando que tal da, em que os magistrados ouo
poder real ou administrativo poltico, o primeiro rei Rzessem algnma consa, era da de festa.
quo governante somente na aprdicagao, e Isto N, porm, queremos que o pontfice seja o
*nesm> por delegago, se torna governante nao s monarcha, e que elle faca os santos di as, em que
em applicagao como em principio; porque assnme Pvo toma conhecmento de soa causa, e pro-
urna tal forga o preponderancia, que conseguir nuncia em ultima instancia a sua vontade sobe-
domnar todos os outros e at o proprio povo e o rana-
De bocea aberta e olhos enfumagados eslavamos atinal foi tomado pelos piratas, qua Ihe roubaram
todos ha multo lempo. Nao hava necessidade de a carpa levando mais de raetade.
oculos especiaes para veriflcarmos que ludo anda
oscurecida e que a alhmosphera peja-se de som-
bras carregadas de electricidade.
Turto por um oculoseria o titulo de urna come-
dia que eti escreveria, se o caso fosse para rir.
Por um oculo esta o governo olhando o resultado
aa saruivadti oriental que a esta hora, as campi-
as do Uruguay, fustiga as hervas e enregela os
borneas.
No acto da abordagem os malaios da guarnilo
Jancaram-se ao mar, nadando para fra do na-
vio; o contra-mestre foi morto, o capitao e o ga-
neiro ambos muito feridos Acarara sobre a co-
berta.
Os piratas cortaram urna das maos ao ca-
pitao e fizeram-lhe torturas, para elle declarar
se o navio tnha ou nao dioheiro a bordo. Era
conclusao, o navio, depnis de roubado, -foi incendia-
Por um oculo est o -r. ministro da fazenda do, e pouco depois o Young-Greck pode tomar o
olhando o fundo vaslo dos cofres bancanos. ganeiro e sua mulher, que andavam sobre urna
Por um oculo esta o Sr. ministro do imperio taboa, e duas milhas de distancia d'este destaca
olhando para as provincias, que carecen) de presi- do navio,
denles.
rei proprio ; a sua responsabilidade ser perita-
mente Ilusoria, e elle ser o governo de facto; por
que a administrago publica j 6 urna fonte inex-
Cotivel de recursos e de dependencia o qua nao
para os ministros a administrago poltica, que es-
s as mos do imperante.se ellcs ten nella a mais
poderosa intervengan pela grando confianga deque
-monarcha se acha possuido para com elles e que
cua escolha bem assignala? E' o laclo vivo.
l'erquo razao se ha de deslocar os poderes de
ana orrtem natnral? Sement por amor de fiches
estpidas, e do combinagoes asblractas e va* ?
Nao s v que do consequenclas fataes d'ahi ema-
oam T
Entretanto o poder legislativo, que. 6 o verdadei-
r governante, se torna dependente, e governado
tanto em principio com em applicagao.
Os epnosos sustentadores da confosSo dos po-
deres me poderao objectar dizendo : O rei pode,
como o tribunado romano, ser chamado forga re-
pressiva exterior sem parte na lei e na execu
ptoTII! Que admiracaotlll
P le, sera duvida nenhnma, sem ser um sim-
ples tribuno, sendo o seu primeiro representante
e o seu perpetuo defensor, e por islo mesmo que
o pnrm, em lodo caso, a comparacao da ma-
aiarchia com o tribunado muito a eleva aos olhos
de todos.
Se o monarcha fosse participe do poder legisla-
flvo ou execulivo, elle nao estara na altura, que
alie compele. Enlo as funecoes do legislador
cu de executor elle devia ler urna tal preponde-
rancia, que elle se tornara em governo absoluto.
E' isto talvez o que preparou o legislador consti-
tuinte, porm, felizmente, o nosso monarcha cedeu
aos ministros este terreno. Com elles nos pode-
rnos....
Ento a coherencia peda que o monarcha, nao
fie devendo humlhar aos seus compartes para le-
gislar ou execular contra sua vontade, devia ter
O veto absoluto, e o veto absoluto o governo ab-
soluto.
Se poder dizer que nao precisamos de um ma-
gistrado especial, no sentido do tribunado de Ro-
ma, incumbido de defender urna classe contra as
Cendencias, usurpadoras da oulra ; porque o dog-
ma da egualdade est universalisado. Pois nao I
Kmbora fosse isto urna repelicao de principio,
nos devemos analysar as prooosicoes.
Que seja especial ou que no seja nao importa,
porm o que devemos indagar se a represso
ou nao necessaria, e se ella deve ou nao estar fra
dos poderes, aue se chama activos, e isto o que
nos parece j termos demonstrado no longo curso
de nossas ovesligacoes.
Pizemos, porm, aos que lorem amigos de nossa
constituigo, que para demonstrar que o principio
de represso necessario, ah est o poder mode-
rador, e se a rivalidade nao existe entre os pode-
res ou impossivel o poder, que ella chama mode-
rador intil. *e existe dentro existe fra.
E' verdade que a sociedade brasileira nao est,
como a romana, dividida em patricios e plebeus;
porm resta provar que todas as sociedades se po-
dem dividir, e se dividem em um caso dado nao
Brrcgimentando os homens como partidos ou como
manadas, com o emblema de urna idea exagerada,
que serve para defender tndo e para combater
ludo, isto para defender todos os escndalos, to-
das as infamias e todos os infames, ou para com-
bater todas as aegoes justas e rasoaveis, para de-
enderem ou para combaterem certas e determina-
das ideas, ou actos que ellas traduzem ou tendem
a iraduzir, e que n'este caso os guvernos possam
lomar um ou outro partido para oppnmir a um e
dar a outro o ganho de causa ?
E n'este caso nao se v que preciso que naja
um principio de represso, que deve estar fra dos
Cutres poderes e lora do coniaclodas paixoes e dos
fnieresses, e a ollas eminentemente superior T
Que este principio nao ple estar melhormente
loealisado do que no imperador, ou melhormente
combinado do que com o elemento monarchico ?
A suprema administrago abrange mais, ser-lhe-
lia preciso envidar esforco de aclividade para
ipreeneher seu fim.
Nao se v que elle quem est em melhores
Condiccoes para representar a justiga ? Elle o
elemento correctivo.
Arreceiae-vos porm desles governos disfama-
dos, que vos lyrannisam, sem vos sentirdes, que
levam a dissuluyao e a miseria por toda parte sem
serem vistos___; porque, quando mal pensardes,
a pezar dos esforco* da parfectibilidade humana,
soltaremos a barbaria..........................
Pois o poder ministerial ou executivo, que tem
Sido oceupadj por tantos homens, este que di-
aelsT
He perguntar alguem.
E' este mesmo, eu vos repito, que vedes a cada
momento assalta lo, e que a cada passo assalta o
paiz, este mesmo, que muitos invejam, e que
Cantos odiam quaudo nao sabe repartir os favores
Com os transigentes, este a que quasi todos obe-
decem ao menor aceno, e cuja vontade se advinba,
que mais vence quando mais sabe transigir, men-
tir, engauar e sophismar, mas que nunca dura
muito......................
Eu nao vos sei explicar bem as cansas, porque
lies sobem ou cahem de to alto : qoe vos digam
aouelle>, que ja tem ido la.
O que verdade que um grandi estadista
Irancez, para responder a ouirem.que Ihe pergun-
lava como conseguir subir tao alto, o coxo esta-
dista levantou-se, camiohou coxeando, e com isto
responden. Vale a Terdade.
E este pontfice incum'ne-se da direegao moral
de estado, de harmonsar a vontade dos represen-
tantes com a dos representados, de equilibrar os
poderes com a nago.
A mocldade aeademlca.
i Va noute do espectculo por ella dado, no thea-
tro de Santa Izabel, em beneficio dos martyres
da Polonia.) ()
Bemdicto o solo, bemdicto,
Que cria filhos assim I
Que ho de levar ao infinito
A sua gloria sem fim I
Na trra da liberdade,
De soberba mageslade,
Erguereis famoso altar 1
Aonde irlo sobranceiros,
Do futuro os Rrasileiro5
As nobres frontes currar!
Abatidas, respeitosas,
D'Europa altivas nag5es,
Em vos olhario ciosas
Nova raga de Cat8es I
Mancebos 1 a grande ideia
Que esses crneos incendeia,
Mais hrilhar no porvir I
Quando o povo soberano
Fot livr*, como o ocano,
No seu eterno bramirt
Ouando o povo, hoje nm escravo,
Tornar-se altivo senhor 1
Quando ninguem desse bravo
Tolha as azas de cndor 1
Quando forte e reunido,
Travar combate renhido
Langando por trra o algoz !
E o anjo da humanidad,
Surgindo na immensidade,
Fizer ouvir sua voz I
Eis o mancebo gigante
Que denominan) Brasil t
Formoso, rico, possante,
Mostra ao mundo o seu perfil I
D'alm mar ouvindo um grito
D'um povo, que geme afflicto
Nos ferros da escravidao;
Solta do peito valeate
Gemido terno e plangente
Pelas desgragas do irmo t
Doourodesuas minas
Vae o collosso offertar
Aquella que, leis divinas,
Ho de em breve libertar !
A' grande e infeliz Polonia,
Que as negras uoules de insomnia
Passa em tortura a gemer 1
Mas que um dia aos oppressores
Mostrar que era s flores
So colheni d'agro poder I...
Eu tenho f no futuro,
Puis meu coragao me diz
Que o firmamento, inda escuro,
Tomar roseo matiz I...
Que o anjo da liberdade,
Surgindo na immensidade,
Como montanha de luz I
Bradar aos opprimidos:
Gloria ao Senhor, sois remides,
Descangae a vossa cruz I >
Em quanto porm nao raa
A aurora da redempgo,
Vos, que podis, amparae-a
A triste, a oppressa nago I
Mostrae com prazer profundo,
Ao velho, que o novo mundo
A liberdade aprenden
No quebrar das cataratas,
E na graodesa das matas
Que Omuipotecte Ihe deu I
Recife, 15 de noverabro 1864.
A. de Souza Pinto.
Por um oculo olha o Sr. ministro da jusliga para
as comarcas, que reclaman) os seus juizes effec-
ti vos.
Por um oculo olha o Sr. ministro da guerra em
busca de um homem para director geral da secre-
No dia segulnte, o navio salvador pode aproxi-
mar-so do Louiza e receber ainda dous chinas,
um cosinheiro e outro passageiro, nicos que res-
tavam a bordo, os quaes estavam pendurados as
ancoras. Estes quatro, que parecen) os nicos
tana da guerra e para as miseras fortalezas da ? escaPar. ^ram levados a Bcngkok, e d'aqui
Baha.
Por um oculo olha o Sr. ministro da mrinha
para as pegas dos navios de guerra, que nao do
tiros se nao para pregar peca ao estado.
Por um oculo olha o para o congresso americano.
Per.
a Singapura na vapor Choto Phya.
Diz o jornal d'ondo extrahmos a noticia, que
se nao tivesse apparecido o Young-Greck, a
perda do Louiza havia de ser atlribuida a ura
tufao.
Na semana passada soube-se em Macu ter si-
que vae reunir no jo tomado pelos piratas, prximo de Caul.in, um
grande taumo d'esta praga, cora urna impor-
Por um oculo, finalmente, est o Sr. ministro da ,aDte e valosa carga de assucai.( que se avaUa
agricultura olhando, em busca de novos ares e no- era 40 000.
vos climas, onde restaure a sua abalada saude.
Nao tica aqu o assmnpto da minba comedia nao
escripia.
Por um oculo estao os capitalistas olhando para
os seus capitaes.
Por um oculo olhara os leiloeiros a ver se acham
quem lance sobre tantos bens, que nao encontram
compradores.
UM P0UC8 OE TUDO.
Transcrevemos da Semana Illustradao seguinte:
Escrevo esta chronica semanal, debaixo de som-
bras impresses.
Andara os lempos enfarruscados a melter medo
ao mais destemido Roldo.
Pt-lo cea, pela trra e pelas aguas, anda tndo
larvado.
Os phenomenos meteorolgicos repercuten) na
baixa esphera, reproduziudo-se em phenomenos
moraes do mais carrancudo aspecto.
Na semana linda houve um cclypse I Um ecylp-
se s f pergunlar-me ha o leilor ou a leitora.
A Deus granas, nao houve mais do que ura.
Annunciado, embora presvisto, esperado, quem
senil) sen.e tocado de curiosidade ante o pheno-
roi-no f
Era por ventura, menos annunciado, menos pre-
visto e menos esperado o eclypse bancario do dia
10 de selembro T
Deixou por isso de commover a todos profunda-
mente T
Comoquerque fosse, andou a popnlaco da corte,
a observar o eclypse do sol. por meio d vidros en-
fumagados, de bocea aberta e olhos para o cu,
como quem se arreceia de nm perigo, que est no
ar, e esta embasbacado dianle de tamaoho as-
sombro.
Singular preoecopaglo dos espirilos I
(') Esta poesa deixon de ser recitada por moti-
vos particulares.
Apparecen era Yeddo publicado um papel do se-
guinte theor:
Ha muilos annos que todas as mercadorias estao
caras, c por isso o povo soffre. Recebeu-se pois
agora da capital (Kioto) a seguate ordem : To-
das as fazendas que os negociantes tiverern para
vender, devera mostra-las ao Taicun, dando-lhe
Por um oculo (e este bem enfumagado) olham conta do seu custo, e porquanto as querem vn-
cenos folicolarios para os actos da comraisso ad- der. o examinar-se isto, se se encontrar no fu-
ministrativa da casa Soulo, a cujo honrado chefe, turo vendas feitas por pregos exorbitantes, os ven-
hb atlrado as mais negras e infames injurias. dedores sero julgados criminosos, e como taes
Por um oculo (o do panno da bocea) olhara as castigados, e os pregos dos arligos gradualmente
emprezas tneatraes para as plateas vazias. ; reduzidos.
Por um oculo anda inda o publico estupefacto !
a admirar o esqueleto das defunctas illuminacoes Tem sid0 muilos e saccessvos os temporaes que
Por um ocu'o estao ainda as familias, os logistas ,ern S0Prado na costa da China-
da ra do Ouvdor e os photographos, observando Todos os vapores vindos do norte dao noticia
as estrellas atravez das claraboias e vidracas que- de tufoes, o de grandes juncos virados 00 des-
bradas. pedagados pela costa, e de navios desmastrea-
Por um oculo esto os moradores do Cattete es. os'
No dia
perando o Messias que deve calgar a sua ra, res-
tituiado vida todos os Lazaros arrebentados por
apoplexia, em virtude dos saltos mortaes que lo-
ram obrigados a dar.
Por um oculo, a final, est o Sr. Dr. chefe de
polica observando a aproximacao do eclypse do
dia 10.........
*
ABAIXO A VELHICE.
De todas as mazellas, que infesao o agorentao a
especie humana, a peior, fra de questo, a ve-
Ihice.
G d'este mez houve ura tufao violento
era Fuchau: comegou pelo NE, e terminou ao SO,
sendo a maior forra do vento ao NO, marcando
entao o barmetro 29,0't.
Os juncos chinas soffreram grandes perdas, e
mesmo entre as navios surtos no rio Um houve
grandes avarias.
Em Amoi houve outro tufao no dia 12, que
cansou graves prejuizos, nao s no ancoradouro,
mas ainda no litoral da cldade. Comegnn este
pelo N, rondando ao NE, e depois ao SQ, onde
acabon, marcando o barmetro 29,55.
Chuvas abundantes e pesadas, e inundagoes em
Suatau e Can lio, ameagam destruir a nova colheita
Ha mnito quem diga
(Por ser maganao)
Que de coragao
Inveja esta vida ;
Mas se elle duvida ;
De tanta mazella,
Que venha p'ra ella,
Ver o que bom.
Ver como soffre,
Devido seu zelo,
Geral atropello
as suas emprezas;
Pois tantas proezas
P'ra a corte diro,
Que o pobre sem pao
E' posto na ra.
Apenas no Hm
De vlnte e mais annos
Se da aos maganos
A sua reforma ;
Porm de tal forma
O tempo se conta,
Que at se desconta
Quera 'steve doente I
Se acaso por honra
O bom empregado
Nao qner ser pisado
Por outro maior ;
Entao peior,
Se diz: tnao tem bro,
< Fulano vadio,
Nao presta p'ra nada.i
Com estas e outras
S bem feliz,
Quem sabe o nariz
Melter onde quer;
Pois quem nao quizer
Soffrer a pitada,
Nao gente honrada.
Vae logo p'ra foral
Portanto nao vejo
Qual seja o proveito
Que tem o sujeto,
Que honrado trabalha,
Por mais qu'elle valha,
E' semprc aleunhado
De ser empregado
Quo nao tem dioheiro! I
Em Sbangae chegaram este anno os tufoes,
acontecimento pouco vulgar n'aquella latitude.
Dizem osjornaes locaes que a tempestado do dia
13 para 14 do correte, fu como ha muitos annos
nao ha noticia. A intensidade do vento dorou
seis horas. O barmetro desceu a 28,94.
Em trra abateram algumas casas.
No mar foram grandes os desastres. Afanda-
rara-se muitos botes de carga, perdendo-se n'estes
37 vidas.
Era Wossung foram praia o vapor Wrtght,
barca ingleza Syrian e escuna Rebecca, que se
perderam completamente
As euarnices salvaram-se ; porm a mulher
e um Qlho do capitao da escuna Rebecca morrram
afogados.

Em Ningp houve ltimamente um grande tu-
fao n'esta cidade, duraote o qual marcou o bar-
metro 28,50.
Houve serias avarias em Ierra e no mar, sendo
E' tao verdadeira esta proposigo, que enuncia-
la, c lavrar urna sentenga, da qual nem se pode ap-
pellar para o tribunal da grammatica, porque ahi jde arroz completamente.^
mesmo se encontra o axioma do conhecmento de j
meio mundo senectus ( morbus a assegurar
O que eu assovero.
Assim que a velhice doenga, est resolvido sem
appellago nem aggravo.
Mas se doenga, como flea demonstrado e se
demonstra em um abrir e fechar d'olhos, olhando
para os velhos escancarados, deve haver na med.
cia remedio a tao grande mal.
Ha ou nao T
Ha ; mas os velhos de ambos os sexos nao que-
rem smente viver. Querem vida longa, mas em |
perpetua mocidade.
Arrenegam-se dos cabellos brancos, dos dentes
desmantelados, das rugas, dos denunciantes pos de
de galinha e at da gota, iniraiga irreconciliavel
das walsas, das polkas e das redhowas.
Cabellos brancosesses estao abolidos ha mais
de quarto de secuto. Cahem na simplicidade de
traze-los apenas os ginjas avarentos, que sao capa-
zes de vender o resto do pello preto, pela impor-
tancia do tisoamento do branco, que nao egua[
ao dficit da mais pequea das casas bancarias em destruidos muitos juncos, ckops e botes de carga;
liquidago, ao contrario, muito limitada, segundo calculam-se 200 vidas perdidas, o em 100:000 taeis
o calculo do melhor deoigridor de caes, que avalia I os prejuizos do propiedades,
o empretecimento de cada uraa era meaos de doze Em auas toaa a costa da China, desde Sanghaa
vin,eDS- a Ningp e na Formosa, se soffreu nao pou-
Bem se deixa ver que nao caro. Pode custar co n'estes ltimos das com tufojs quasi suc-
cada cabega notificada 245000 por semana.
Dentes desmantelados j ninguem traz. Os de-
funtos, vendo que nao precisara de comer, era de
rir era de morder, cedem aos vivos o que nao
querem que a trra consuma. Nisto nao ha profa-
nagao da religiao dos morto*
As rugas, isso sim, que desde, tempos immemo-
riaes teem feito o martyro das Dolahelas, das Ar-
midas. das Ninons de Lelos, e de todas os Cupi-
dos engelhados, He.bes e Ganymedes, cuja ascen-
dencia entronca-se na arvore da scienca, sob a
sombra da qual Adloeootava a Eva, as sslas da
primavera, a historia do cabos, que foi depois es-
cripta por Moyss.
Sendo, pois, as rugas, o fataes ps de gallinha,
o maior embarago da rejuvenago, nao era possi-
vel que o seculo actual, desbancador de todos os
seus antecessores, seculo do progresso sem limites'
asdeixasse cruelmente comprometiendo as faces
encovadas das ta*, das velhas incgnitas, que nun-
ca vio alm dos 29 annos.
Descobriu-se afina) I
Creme Oriza o nome da milagrosa agua de
Ninon de Lelos, com a propriedade de destruir
as ru>as, preserva-las e dar pelle urna frescura,
que parece urna mocd ide perpetua !
Cada pequea infusa do prodigioso liquido custa
a bagatella de 45000.
Nao caro; e quem disser que merece flear
enrugado at oas meninas dos olhos.
Exullae, velhas amaveis I
Enchei-vos de Jubilo I Ninguem mais com razio
vos poder chamar de furias e de parcas, de gai-
leiras e de preciosas ridiculas.
Dou-vos os parabons, e tao sinceros, que, tendo
j os meus ps de gallinha e edade cima da sena-
torial, vou comprar dous frascos do portentoso li-
cor rugni-vora.
Se me pilho sem ps de gallinha, se me liberto
do rheumatismo, armado como me acho de dentes
postigos, de cabellos cnsraixados, fago echo com-
vosco, mirillas tas, gritando mais do que vos
todas.
Abaixo a velhice I Viva a eternidade 1 Suppri-
mam se oscemiterios I Suma-se o dia de finados,
em que esta se enthusiasmando cora Creme Oriza
oImmortal.

O Singapore Daily Times conta qoe o brigue
Louiza, sahido de Hong Kong em 18 de maio ul-
timo, estando em calma na costa dn Hainan, foi
atacado por um grande junco de piratas.
O navio snsteniou fogo emquanto pode, mas
L4-se na CoalicSo o seguinte :
0 EMPREGADO PUBLICO.
E' vida enfadonha
Daquelle, coitado,
Que para o estado
Trabalha constante;
Nao tem um instante
Socego na vida,
Pois nem p'ra comida
Tem hora marcada I
s nove e um quarto
Se acha no ponto,
E soffre descont
No seu ordenado;
E o pobre, coitado,
Sem ter a gorgeta.
L prega urna peta
Ao seu alfaiate I
Apenas no livro
Assigna a entrada,
Comega a massada,
Sentado sua mesa ;
E j com presteza
L vem um registro
De offkio ao ministro,
Mandando baiangos.
Depois, outro offlcio
Dizendo : Senhor,
c Eu como inspector,
f Vou j declarando
c Qu'est se Andando
A verba correio,
E ainda nao veiu
c A ordem precisa.
c Por isso eu espere
Que vossa excellencia,
c Tendo paciencia,
< Ordene a remessa
c Da verba, com pressa,
< A fim de que os pobres
Nao fiquem sem cobres
Por todo este mez. >
Assim vive empro
Quem serve a nago,
De penna na mo
Seis horas inteiras,
Com dr de cadeiras,
Assento doido,
E o corpo moido
De tantas esfregas t
L-se na Physiologia da Paixao o seguinte :
PHYSIONOMIA DA MOQA S0LTEI*A.
E' a moga solteira urna creatura essencialmente
fallaz, complexa e mysteriosa especie de Protheu,
de Camaleaoente a um tempo astuto e ingenuo,
timido e audaz, mas cujos coslumes, apezar das
differengas de climas, de ragas e hbitos, offerecem
admiraveis analogas.
Divide-se esta variedade da especie mutiter, em
muiias cathegorias. Mas antes de enumerar as
suas divises e subdivisdes, esbogaremos alguns
tragos graes, que a distinguen).
E' altiva, inconstante, curiosa, excessiva o sensi-
vel; est sujeita a sbitas sympathias, e nuoca ar-
razoadas ; enamora-so repentinamente de um sem
numero de paixosinhas, movimentos instinctivos
de um coragao, quo procura com instancia affei-
ges flores de um dia, que emmurcnecem logo ao
desabrochar I
E* a moga por naloreza dissmulada; tem sem-
pre reservado um numero infinito de pequeos es-
tratagemas.
Repare-se como est aquella moga com os olhos
baixos, como sao seus ademans tmidos e cir-oms.
pecios... nao erguer urna s vez sequer os olhos
durante a vossa visita, mostrar-se-ha inteiramente
entregue ao sen trabalho : aposto como iris jurar,
que c surdu c muda T
Coitado de vos I
Ainda mal nao chesate a porta da roa, j ella
vosanalysa, distilla, disseca....
E' um chuveiro d reflexoes acerca de vossa
pessoa, rosto e maneiras :-nm diluvio de obser-
vagoesurna inundago decriticas engenhosas,ma-
lignas.... Era summa, submette-vos a urna autopsle
moral.
Examinemo-la agora, quando se acha em reu-
nioes.
Um dos tragos caractersticos das reunies da
mogas que ellas so andam, saliera, entrara, cor-
rem e param conectivamente.
Todos estes diversos movimentos execntani-e
com tal unio e exactido, que honrariam a urna
companhia de cagadores.
Nao fazemns mengo da funesla e estramblica
maula, que teem as mogas de se abragarem e bei-
Jarem ao p de todos........
E' tao conhecido este facto, que se torna super-
no tocar nelle.
Tambem nao ha urna s pessoa, que nao t?nha
observado a differenga que existe entre urna reu-
nio de meninas, e a em que se acha algum ho-
mem.
Acha-las-heis, quando a sos, simples e naluraes;
mas se entra um homem, notareis immediatamen-
te gatimanhas, posturas estudadas, inflexes parti-
culares, etc. Esta toma um ar pensativo, aquella
som-se, aquell'outra estira os ps.
Mas desgragado de vos, se tlverdes a impruden-
cia de aventurar-vos em um circulo de mocas,
que se conheceml.. Antes ser um viandante
extraviado nos bravios sertoes da America, e eahir
de improviso no meio d'uma mysteriosa assembla
de cascaveis.
Achar-vos-heis sem gua, em urna especie de
Cit ou Cours des miracles, onde se falla um dia-
lecto iniutelligivel....
Surpreendereis palavras desconhecidas, risos a
sob-capa, signaes inexplicaveis; 011 viris, em per-
ceber, murmurinhar a vossos ouvidos urna lingua-
guem methaphisica, phantastica, cabalstica, sata-
nica, hyerogliphica lili
E' dar-se a perros.
Se puzermos de parte as observag5es geraes, e
entrarmos as diversas cathegorias da esperie cha-
mada moca solteira, observaremos primelramente
a moga da capital e a da provincia.
Aquella frivola, elegante, artificial e graciosa,
esta pesada, immobil desgeiti>sa o embiorada :
reconhecereis aquella pela sua forma di-semha-
ragada, e esta pela immensidade de seu chapu,
quando de uso trazo los pequeninos, pelo talho
golhico de todo o seu facto, pelo modo rom que
pega no leque, assim como pelas cores vivas, que
a distinguen).
Tem-se mollas vetes cooperad es estflMea*.
com as borboletas,
Nao queremos repetir esta resepiriLie, s*s-
mo per j ser um tanto rtcoe;
diremos, que ha um poni dests sessssaaaea
infelizmente escapou aos raUaesderes de
drigaes.
Queremos fallar da transforme*).
Com eflVilo, exisiem duas pocas esa
para as mogas. A primeira. i a era das liews de
piano, bordar, etc.; isto dura dos 13 aos 16 aaaan.
e nos paizes do norte at aos 19: forma *?
trajo singelo, ro>lo infantil. Pensa pao
vezes, e nao sonha seno com bagatelas.
Mas apenas troa a oulra poca, quebra a
boleta inmediatamente o involucro...
Enlo que ella verdadeirameole Torna-se-lhe o coragao nm abymo
ment um mysterio a mrwto nm voltio.
Se foi solida a sua educado, M boa casa-
mento sua idea fixa; mas se a rannm mee
leviandade, se e abrasada a soa i-nwmr>> *
cultura das artes e da poesa, oh | eato f-lhe-
ha a vida nm meditar sem fim coallas aer-
recmenu; fra da sociedade sera oa esi. Interamenle ideal, em falfar de nm gatlo eea-
digioso de filas, mantas, chapeos, vestidos.
Adopta entio a BMdB em lodo o seo neor.
Sao todas as suas argdes calculada*; se se le-
vanta, para Ihe almirarem a velta fonaa, w
sorri, para mostrar os lindos deaies.
Reparae, que s borda ou eowerta o cassOa
para que Ihe notis as candidas saaieha<.
J Ihe nao ser vem as artes de ealevo, mas -iB)
de casqnilharia. V
O trabalho entao deixa de ser oceuparao
mais um meio de agradar.
Nao gola mais do baile por si. ornipa-*
com o par do rie rom a dansa nanea mais r
diante dos homens.
Vvia oul'ora de inslincto,afora s vive pela ca
beca e pelo coragao.
L-se na Franct:
Os drtcnnvntos ofn>ia*i qan a Sama M ensi-
ma expedir tem diversas formas, e denomina-*
assim:
Bula, breve, lettra latina, win>*e t res-
cripto.
A bula, tragada em perpaminho pardaoe.
leva um sello de chumbo, est techado ao aatl-
po uso romano de kaleoda*. nonas e iris*, a
escripia em caracteres gothicos e com abrevia-
turas.
O breve >' escrpto em perranmaV branm,
tem selle de tinta encarnada. Leva a formula
annnlo piscaloris, esti fechado sefnado o raleda-
rio, o as mais das vezes vae Brando pelo rardeal
secretario.
A lettra latina vae em papel braaeo. leeaasa
como o breve, sellada com lacre encaris e ar-
mada pelo papa.
Tem por forma Dafnia Rom* of*i S. Pttvwm,
etc.
Todos estes documentos Jo esenatns em lasam.
O qutrgrapho qoe irmilas vates emtmwk *r
em italiano, e deve ser refistrado par aat waarta.
por isso que considerado como acto paraenlar do
papa.
O rescripto a resposta dada pele sapa, por
nm cardeal 00 pele secretario de orna ronfre>
gao margem ou so reverso se sam pescas aa
consulta.
L-se em urna folha portugueza :
Encontramos hoje cinco poeuorx oasaaao em
um errao penhasro a beira do Tejo, eaatrmsaaass
com aspecto melanclico os ltimos rain do *
ponente, naquella phase em que nm fecoado safe-
ristao decrevia assim:
la o sol esconderse qnal gallinha
Para casa mais redo
Porque de mogas e ladrees tea medo.
Calmoso elle precisa
Ir per-se fresca em mangas de catana.
Os cinco filhos de Apollo lidavam em
sar um hymno a capricho ao re dos **
mavam por esta guisa :
Um poeta de agua dore. -Oocam. O f*|
pirnco escalda-me a mente. Nao ka se
sista ao encanto desta scena graadMes :
De fulva, aurfera cor arpintado
O celeste docel, saudades chora
Do astro, que, baixando ai
Corre p'ra o leito onde nasce a
ert
Bravo Excedente, excUmaram em curo es
quatro. Pedes desaliar a Arcadia em pe*.
Um filho de Thalia.O Meu estylo oatre. al-
ten gao :
/
Knvergonhado o sol dos mil escndalos
Que Listas offereceu durante o dia,
Apagando as fornalhas, logo aos
Deixaudo a escuras sucia lio bravia.
ptimo. Admiravel. Tens aboca beaasrfsae,
prorompeu anda o coro.
Um alumno de Slclpomene Agora retirme aves*
Ougam :
Do seu throno Omnipotente
Brande Deuscom forte msenlo
Flamgera espada randente,
Que mata o sol no poente,
Tiogindo em sangue o creposculo'
Magnifiro I Sempre trgico'
Um eleito de Eruto. Sem vaidade
que Ihes nao fico alraz :
Va o sol no carro de 00re
Pelas ramoinas do cu ;
Na fronte cheia de looro
Pousa-lhe altivo chapea
E sobre a cola de malna
Reluz-lhe em cada medalba
De urna victoria o trepaa.
A la vem l ao longo
Medrosa a mais nao poder
E paluda como nm mnoge
A inveja a faz padecer.
O' sol, dessa rn* mel,
Qnndo a fngir eu le t*je
Sinlo em mim nm tal desejo,
Qoe te digo, parle o pejo.
Que a amhigo de*te poeta
Era poder dar-le ca beixo.
vceme
Magnifico
Vencera t
Venceste e
PERNAMBUCO-TYP. DE M. t.M f. flHT>
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMVW7AAM6_NX8ICO INGEST_TIME 2013-08-27T23:36:47Z PACKAGE AA00011611_10525
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES