Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10523


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
AMO 11. HOMERO 267.
Por tres Mezes abantados 5JOOO
Por tres mezes vencidos 6JUU0
Porte ao correio por tres mezes. 4750
SEGUNDA FEIRA 21 DE HOVEMBRO DE 1864.
i..
Por asno aiantado. j 9S00O
Porte ao correio por om asno. 3$000

rrrT-|>aVff'-V":-^
NCARREjALOS Da sUB.LR'gAO NO NOME
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino da Lima;
atal, 9 Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv.o
8r. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Giiveira; Maranno, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheko & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SBSCRIPQAO NO SL.
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins Gasparino.
kAijA DOa iJiiiPSrAS.
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyacna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho e Garanhuns as tergas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Eiu' as quartas feiras.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandare, Una, Barra-
ros, Agua Preta o Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sanir
navio.
Todos os estafetas partem ao V dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t.
13 La cheia as ; h., 13 m. e 36 s. da t
21 Quarto ming. as 4 b., 56 m. e 56 s. da ni.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
PRBAMAR DR HOJH.
Primeira as 9 horas e 18 minutos da manha.
Segunda as 9 toras 42 minutos da tarde.
PaRTIDa LO VArORKi. COS'ldRO.
Para o sai ki A^as a i e 25; para o norte at
r*?5.* 7 e 22 ^e ca^a me-,; para Fernaado nos
dias t*apsmezes dejan. marc.,mao. iul. seCenov.
J PARTIDA DOa MNIBUS. 4
Para 8 '/i da m.; de Oiinda s 8 da m. e 6 da tard.de
Jaboatao s 6 '/i da m.; do Caxang e Varzca as 7
da m.; de 'Bemnca s 8 da m.
Do Recite: para o Apipucos s 3 Vi 4,4 'A, 4 Vi,
5, 5 Vi, 6 Vi e 6 da Urde; para Oiinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboato s 4 da
Urde; paraCachang eVarzeas 4 V da tarde;
para Bemfica s 4 da tarde.
DiSNC a DOS TRJBUNAB2 DA CAPi'iAL
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta- s 10horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 he ras.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do cival: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
l.
918,
JaS DA 82MANA.
Segunda. Ss. Honorio e Heliodoro mm.
, Torga. S. Cecilia v. 111.; S. Filemon m.
23.i0.uarta. S. Clemente p. m.; S. Felicidade ro.
24. Quinta. S. Juao da Cruz c: S. Policiano ab.
25. Sexta. S. Caihaima v. 111.; S. Erasmo m.
26. Sabbado. S. Pedro Alexandrido b. m.
27. Domingo. S. Hargarda de Saboya v.
AS3IGNA-SB
no Ueci'o, em a librara da praca da Independen,
ca ps. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Fizueirna
de Paria & Filho. 8 em,a
PARTE QFFIMAL
GOYESKO DA PSOVL^GIA.
Continnaco do expediente do dia 16dc novcnibrede
18fii.
Offlcio ao coronel commandante das armas.
Respondo ao scu offlcio n. 200 de 9 do correlo,
declarando que pode V. S. autorizar o coronel
commandante do 7 batalho de nfantara a fazer
as desperas neoessarias para condugo da hagagem
do raesmo batalho, por ocoasio do seu embarque
para a corte, certo de que sero cssas despezas sa-
lisfeitas pela thesouraria de fazenda, em vista de
documentos assignados pelo refei ido coronel.
Communicou-se thesouraria de fazenda.
Circular s cmaras municipaes do. Oiinda, Na-
zareth, Viciuria, Goianna, Ingazeira, Cabo, Ipojuca,
Limoeiro, Escada, Bonito. Cimbres, Granito, Villa-
Bella, Calimb, Boa-Vista, Pao d'Alho, AguaPreta
e Iguarassu.Nao tendo a cmara municipal de...
remettido at o presente o resultado da eleica) de
joizes de paz e vereadores, a que se procedeu as
freguezias de seu municipio, no dia 7 de setembro
ultimo, de ronf irmidade com o disposto no art. 106
da le de 19 de agosto de 1846, oumpre que me de-
clare qnal o motivo dessa demora, e transmitame
com urgencia e sob responsabilidade, nao s
aquelle resultado, mas tambem tortas as actas quer
das eleices apuradas quer das que deixaram de o
ser, fazendo acompaohar as deslas ultimas, os es-
clarecimentos e informacoes, pelas quaes nao foram
apuradas, afim de poder o averno resolver a se-
melhante respeito como for de lei.
Dia 17
Offlcio ao coronel commandante das armas.
Respondendo ao seu offlcio de 14 do correte, com
que V. S. remeiteu-me o que Ihe dirigi o coronel
commandante do7 batalho de infamara, cahe-me
dizer-lhe que o referido coronel j me havia ex-
posto verbalmente as apprehensoes que manifesta
naquelle offlcio, de nao poder o vapor Apa, por
falla de aecommodacoes, transportar com seguran-
za ateo Rio de Janeiro o batalho de seu comman-
do ; apprehensoes que me parecern pouce plau-
siveis, e que a agencia da companhia Brasileira de
paquotes vapor declara na inforroacao junta por
copia, sem fundamento, urna vez que o vapor ve-
nda vasio dos portos do norte, oque a dita agencia
me communicar, logo que chegue aquello
vapor.
ando-se esta circumsiancia, nenhum embanco
ha em que siga no referido vapor 7o batalho que
em todo o caso deve estar prompto para partir.
Dito ao mesmo.Visto que nao ha facultativo
em disponibilidade para acompanhar o 7 batalho
de infantana at a corlo, segundo derlarou o dele-
gado do cirurgio-rnrdo exercilo, pode V. S.conio
propoz em seu offlcio n. 2,052 desta data, a que
respondo, mandar nomear para esse servico o se-
gundo cirurgio do corpo de sade, Dr. Ernesto^
Feliciano da -ilva Tavares, ficando V. S. certo de'
qoe darei ciencia ao Exm. Sr. ministro da guerra
de semelhante oceurrencia.
Dito ao mesmo.Mande V. S. apresentar na rc-
partico de.polica, amanlia s 11 horas do dia, 3
pracas de pret, para escoltarem um criminoso que
tein de responder aojury no termo do Ro-Formo-
so.-Communicou-?e ao'Dr. chefe de polica.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Estando em termos os inclusos documentos e nao
havendo inconveniente, mande V. S. pagar ao en-
carregado da gerencia da compmlia Pernambuca-
na, como solicitou este om offlcio de hontem, a
quanlia de 7815000, proveniente de passagens da-
das por conla do ministerio da guerra, nos vapores
da mesma companhia.
Dito ao mesmo.-Remello inclusos V. S. para
os lins convenientes, dous mappas nominaes do 1110-
vimento do pessoal das enfermaras do hospital
militar da guarnic.io d -sta provincia, relativamente
primeira quinzeoa do m"z correnie".
Dno ao mesmo.Em vista dos dous inclusos
prels, e nao havendo inconvenionle, mande V. S.
pagar os vencimentos. relativos aos mezes de se-
tembro o outubro ltimos, dos cornetas emprega-
dos no 9o batalho de infamara da guarda nacio-
nal do municipio de Olinrta, conforme solicitou o
respectivo commandante sujierior, em offlcio de 14
do correnie.Communicou-se ao respectivo com-
mandante superior.
Circular todos os eommandantes superiores.
Tendo cessado os motivos que deram lugar a man-
dar-se suspender pela circular de 18 de julho ul-
timo, as formaturas da guarda naoional, baja V. S.
de expedir suas ordens, para que continen) a for-
mar-se, para as revistas e exercicios do costume,
os coipos ecompariliias da que se acha sob seu
commando superior.
Dito ao vice-consnl da Italia.Pela inlormacao
junla por copia, ministrada pelo subdelegado de
pobcia do districto de Pona de Pedras, vera o Sr.
E. P. Wilson, vice-consul da Italia nesla provincia,
o procedimenlo que Uvera aquella aulordade, com
O su'idito italiano Marco Zaechi, relativamente ao
facto que o mesmo Sr. vice-consnl trouxe ao meu
conbecimento com o citado offlcio, a que res-
pondo.
Aproveito a'occasao para renovar ao Sr. vice-
consul da Italia a seguranca de minha perfeita es-
tima e distini-la consideracao.
Dito ao commandante do corpo de polica. Pode
V. S contratar para o Service do corpo sob seu
commando, o paisano Antonio Luiz Jos dos San-
tos que ful considerado apto para is^o, em inspec-
cao de saude, segundo V. S. declarou no seu offl-
cio desta data n. 509 de hoje datado a que res-
pondo.
Dito ao mesmo.Em defermento aos requer-
memos dos soldados do corpo sob seu commando
Jos Nobre de Ollveira e Fabiano Antonio do Rosa-
rio, sobre que versa a sua informacao n. 508 desta
ata, autoriso V. S. a dar-Ibes baixa, visto que ti-
nalisaram os seus engajamentos e nao querem con-
tinuar no servico.
Dito ao chefe interino aa repanco das obras
publica?. -Turnando em con>ico o que Vmc. ex-
poz em seu offlcio de hontem, sob n. 319, concedo
z autorisaejio nelle pedida para mandar fazer por
adminislrac/io os reparos urgentes de que necessita
a ponte do Rio Formoso, os quaes constam do or-
namento que na importancia de 418,8000 reis, veio
anoexo ao seu citado offlcio, o qual lira assim res-
pondido.Com,rauoicou-se ao inspector da thesou-
raria provincial.
Dito ao t)r. juiz de direito de Santo AntaoDe-
volvo Vmc. o offlcio do escrivo do jury do ter-
mo de Santo Antao que veio junto ao desse juizo n.
24 de 5 deste mez, para ser entregue ao juiz mu-
nicipal Pedro Secundino Mendes Lins por ter este
fallecido nesta cidade antes o de haver recebldo.
Dito ao Dr. juiz de orphos desta capital.Res-
pondo ao offl ioque Vmc. me dirigi em 7 do cor-
rente, remctlendo-lhe por copia o do director do ar-
senal de guerra de 16 deste mez, e era orininal a
relacao atque elle alluda contendo as vsclarecimen-
tos que por aquella repartirlo podem ser ministra-
dos acerca dos africanos livres que li estavam ser-
vindo.
Dito ao director do arsenal do guerra.Dos ob-
jectos pertoncentes ao 2." batalho de infantaria
Jue, nos termos do meu offlcio de (2 do corrente,
aviara ser recolhidos a esse arsenal foram entre-
\
gues ao major commandante da forea da guarda
nacional destacada no quarlel do hospicio segundo
rne declarou o coronel commandante das armas em
offlcio de hontem, os de que trata a relacao por co-
pia inclusa ; cumpre por lano que Vmc. faga a
competente carga ao referido- major.Communi-
cou-se ao Exm. commandante superior da guarda
nacional do Recite.
Dilo ao mesmo. Mande V. S. despensar do ser-
vico desse arsenal o escripturarlo Jo* Alfredo de
Carvalho nos das em que elle tiver de fazer parte,
como alfercs da guarda nacional deste municipio,
do eonsclho que tem de julgar 2 guardas do 2." ba-
talho de infantaria, como soliciten o respectivo
commandante superior em offlcio de hontem.
Commuuicou-se ao Exm. commandante superior da
guarda nacional do Recife.
Dito ao gerente da companhia Pcrnambucana.
Pode Vmc. fazer seguir para os portos do sul e nor-
te os vapores Parukiba o PersinungU nos dias e
horas indicados em seu offlcio de hontem.
Portara. Para autoridades policiae do distric-
to da subdelegaeia da Capunga, 2. da freguezia da
Boa-Vista desta cidade, e de conformidade com a
proposta do Dr. chefe de polica n. 1434 d 15 do
corrente nomeo os eidadaos seguntes :
Subdelegado.
Bacharel Ayres de Albuquerque Gama por ter o
bacharel Nabor Carneiro Bezerra Cavalcanti pe-
dido exoneracao desse cargo.
Supplenles.
2.* o 4. Supplenle Francisco Antonio da Silva Ca-
valcanti.
3. Joaquim Jos de Souza.
4." Francisco Joaquim Percira Pinto,
o." o 6.a supplenle Antonio da Cunha Soares Gui-
maraes.
6. Manoel de Carvalho =oares Brando.
Communicou se ao Dr. chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vis-
ta a proposta do director geral da instruecao pu-
blica, datada de 15 do crreme, sob n. 232, resolve
nomear delegados Iliterarios dos districtos do Pao
d'Alho e de Iiamarac que se acham vagos, do pri-
meiro o bacharel Maximiano Francisco Duartc e
do secundo Joo Henriquc de Miranda.-Commu-
niiouse ao director geral da instruecao publica.
Di la.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica n. 1435
de 15 do corrente, e a bem ao servico publico, re-
solve exonerar a Ignacio dos Santos Fonceca do
cargo de I. supplenle do subdelegado do segundo
districto da freguezia do Pao d'Alho, e para subs-
tituir nomea a Jos Januario Ferrara.Commu-
nicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica n. 1401
de II do corrente, resolve nomear o capito Anto-
nio da Molla Silveira Cavalcanti para o lugar de
3. supplente do subdelegado do primeiro disircto
da freguezia de Tracunbaem, vaco por fallec men-
t do cidadao que o oceupava.Communicou-se ao
Dr. chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia conformndose
edm a proposta do Dr. chefe de polica, n. 1436 de
15 do corrente, resolve nomear a Jos Antonio de
Moraes para o lugar vago de 1." supplente do sub-
delegado do districto de Palmera, 3." da freguezia
de Garanhuns.Communicou-se ao Dr. chefe de
polica.
Expediente do secretario do gmerno do dia 17 de
novemuro de 1861.
Offlcio ao coronel commandante das armas.De
ordem do i. Exe. o Sr. presidente da provincia,
oommunieo V. S. que por despacho desta data
autorison-se o director do arsenal do. guerra a sa-
tisfazer com urgencia o podido do 7. hatalhao de
infantaria a que allude o offlcio de V. S. de boje
sob n. 2055.
Despachos do dia 17 de novembro de 186 i.
Ueqwrimenlos.
Anna Rita do Rosario.Informe o Sr. tenente-co-
ronel recrutador.
Major Jos Francisco da Silva.Reconhecida a
procuraco junta por um dos tabellies desta ci-
dade, Como exige a thesouraria provincial.Diri-
Ja-se ao respectivo inspector para effectuar o paga-
mento.
Ignacio Joaquim de Santa Anna.Concedo 15
dias para o fim que requer o supplicante.
Joaquim Jos de Abrcu.Concedo a licenca que
requer o supplicante.
Cuinmeudador Manoel Camillo Pires Falcao.In-
forme o Sr Dr. juiz municipal da pnmeira vara.
Manoel Jos da Silva Marques.Iudeferido.
COMINDODAS ARMAS.
Uuaitcl do commando das armas de Peruambuco,
na cidade do Her fe, 21 de novembrode 1861.
ORDEM DO DIA t. 16.
R'.solvondo o governo de S. M.o Imperador, que
; o 7o batalho de infantaria seguisse para a corte,
! embarca boje no vapor Api com tal destino a sua
ala direia.
i'.' Oais um corpo movcl do exercito que se des-
prende desta guarnicao, onde prestou bons servi-
dos, para continuar a prestarlos cm outra parte do
j imperio, que delles houver preciso.
O coronel commandante das armas, que teve a
fortuna de oommaodar este batalho, e conhece
perfeitamente quasi iodos os seus offlcaes ,0 sol-
dados, acredita que na presente conjunctura nao
desmentir os seus honrosos precedentes, e que
proficua ser causa do paiz a coadjuva^ao que
lhc val prestar. Tem como certo que .0 seu futu-
ro proceder justificar a escolha c a confianga,
que nelle deposita o mesmo governo.
Se para o commandante das armas penosa a
saluda deste batalho, por ter de apartar-so de
bravos companbniros de passadas Hilas, ao mes-
mo lempo satisfactoria com a esperanca que nutre,
de que o paiz o achara sempre enllocado no posto
de honra que ihe for designado, e que cada um in-
dividuo dessa corporafco ser, como tem sido, um
garante das nsiiluicoes juradas, da subordin icao,
ordem e disciplina, que faz o apanagio do soldado
brasileiro.
Recebam.porlanto, o Sr. commandante Joiio Gui-
Iherme de Bruce, os *rs. offlcaes e mais pracas
do sobredito batalho, as despedidas saudosas do
seu velho camarada, que a todos deseja prospera
viagem.
(Assignado.) Joaquim Jos Goncalves Fonles.
(Conforme.)Ocapilao, Jos Francisco de Mo-
raes Yasconcellos, ajudante de ordens interino.
Franeezes...
Bremenses..
Dinamarquez
Venesuellos.
Peruanos ...
2
1
0
o
0
Total.
O mov ment de
mesmo periodo:
, NacSes.
Partuguezes..
Marrocos___
Inglezes.....
Franeezes...
Peruanos___
Bolivianos...
Italianos___
Hamburguez
Hespanhes..
Norte-ameri.
Prussianos ...
Onentaes....
Dinamarquez
Suissos.....
Polacos.....
. 22
passageiros
Entrados.
69
10
7
7
2
2
2
1
1
1
1
1
0
O
0
35
estrangeros
Sahidos.
18
2
36
6
no
-
Total... 104
Cambios.
78

>
Brasil, parece-nos que ter em resultado urna so-
lucao rasoavel e condigna, visto a predisposifo de
cavalheiro que na corte imperial reprsenla a
maior repblica dos lempos modernos.
Anda as quesioes bancarias prendera o espirito
publico, com especialidade o coramercie, mas to-
dos confiara nos recursos do paiz, assim como as
providencias adequadas do governo em qualquer i
emergencia.
A noticia de serem submeltidos a conselho de i
investigado os offlcaes da questao da Babia e de j
serem demittidas varias autoridades pelo mesmo
motivo igualmente agradou em geral, porque de-!
monsira a consideracao em que o governo tomou
esle importante negocio. I
Desla provincia do Para pouco ha a dizer, tudo
por aqu vai sem a mnima alterago da ordem
publica, gracas a Deus.
Anda se tem conservado na comarca de Santa-!
rcm o Dr. chefe de polica, o qual porm espe- i
rado no vapor que aqu deve chegar do Amazonas 1
13 do corrente.
Passou-me na verdade pela idea de mencionar
na minha ultima correspondencia a viagem do
Exm. bispo diocesano D. Antonio de Macado
Costa.
Eu saMa delta, e tanto qne era publica, mas foi'
um completo esquecimento de minha parte; ver-1
dade que com a pressa que as vezes escrevo, nem Inglaterra27 1/2 90 dias.
tudo lembra. Franca 3S por franco.
S. Exc. foi nao s acompanhar seu pai a Baha Hamburgo.
como vai dar urna chegada corte para reclamar Portugal a 95 a 100 por 0
do governo imperial algumas concessoes era favor
da igreja paraense.
A demora do nosso prelado nao dever ser lon-
ga, entretanto licou interinamente regendo a dio-
cese o vigario geral e conego Joaquim Gongalves
de Azevedo.
A assembla provincial encerrou-se no da Io do
corrente tendo sido prorogada doas vezes para ul-
timar a lei do orcam-.-nto e outros trabaihos que
a principio foram mais ou menos procrastinados.
Est ditlinitivamente installada e approvados os
estatutos pelo governo central da praca do conv
mercio desta provincia : no dia Io do corrente te-
ve lugar a eleigo para difflnitiva nomeaco da
commisso e directores, sendo eleito os Srs. Ma-
noel Antonio Pimenta Bueno, presidente. James
Bond, vice-presidente. Augusto E. Costa, Io se-
cretario. Guilherme Branbeer, 2o secretario. Joa-
quim Francisco Fernandes, thesoureiro. Directo-
res da praca os srs. Diniz Cullese, Fortunato Al-
ves de Souza, Ambrosio Campbell e Antonio Joa- Dita entrefina,'dita I2 a 12$ 100.
quim Pereira. Dita grossa, dita 9$ a 1$100
A 31 de outubro foi festejado nesta cidade os an- Dita cabeca de negro, dita 85 a 8>500.
nos do re de Portugal pelos respectivos subditos, Cacao, diu 55 a 55200.
Alm do embandeirameoto nos navios portugus, Cravo, dita 45800 a 55.
companhia do Amazonas e em outras embarca- Castaoha, alqueire 45 a 45200.
coes, a noite houve espectculo no theatroProvi- fouros de Minas, um 35200 a 35300.
denciaque foi bstanle concorndo com o en- Ditos salgados seceos, Ultra 120 a 140.
ihusiasmo correspondidos, os vivas levantados pe- Ditos ditos verdes, dita 90 a 110.
lo cnsul portoguez e pelo delegado de polica. Ditos de veado, dita 320 a 350.
Para tornar mais solemne o espectculo, inau- Grude, de gunjuba, arroba 265 a 285.
gurou o oinpn-zario a illuminaco a gaz, a qual fa- Dito de no tros peixes, dita 165 a 25-
zia bom elTelto pela cLindado e brilhantismo -j.oaluba, caada 125 a 165500.
'uz. ,* p^rilha de Sanlarem, arroba 225 a 245-
A fachada do theatro tambem esteve Iluminada Dita do Rio Negro, dita 105 a 165500.
com as iniciaesD L, allusvas ao nome do re. Tapioca, alqueire, 35000 35500.
A representaco correu menos mal vista da Piassava era rama, arroba 15400 a 15600.
falta de actores, havendo em lodo o especia-' Os navios entrados e saludos na ultima quin-
culo a melhor ordem. I zena :
Diminutsimas sao outras quaesquer novldades, i Entrados.
a nao ser a busca que soffreu a galea Cidade d Outubro :
Bel-m, sua chegada da cidade do Porto, c bem 26, Cidade de Belm Torto.
assim os exames por que tem passado toda a car-:
ga que ha entrado para a alfandega.
Falla-se em una denuncia viuda de Portugal so-
bre moeda falsa, nao em referencia directa ao na-
vio, mas contra qualquer individuo desla praca,
.. ?e estendeu s oaelioeiras. Esta regio, hoje
la a i.r.me.ra Mado qaJ deseonhecida, merece sor convenientemente
ideCupaty.quandoeelleho- esiuada debaixo do duplo poni de visla do sua
lmerac-a!:h().e'rad0,,ly_u!,.u.ra- ''mplrtancia commercial e poltica.
A provincia de Malto Grosso, oceupando o ex-
tremo oeste do imperio, dista do htioral crea de
000 leguas, soguindo-se o caminho do Paran; e
se c.jn inulta difflculdade recebe por ah os gone-
ros Je que precisa, nao melhor o transporte pela
provincia de Minas, posto soja menor a distancia.
Entretanto, do seio de Malte Grosso partem
dolinos de primeira ordem, o Paraguay e o Ma-
deira, seguindo o primeiro para o sul, e o segn-
Dscontos.
Ca xa filial 9 Ojo-
Mau & CJO DiO.
Particular lta, 15
Metaos.
Ouro, peca portuguezas 165-
oneasliespanhnlas 305-
ditas mexicanas 295,
soberanos 85890.
pesos norte-americanos 15800.
Prata, ditos hespanhes 15920.
> ditos americanos 15600.
> ditos franeezes 15600.
> pataedes brasileiros 25000.
Os precos dos gneros de exportaru nesta data
sao :
Algodao era rama, arroba 195 a 205-
Arroz pilado, dita 25600 a 25800.
Dilo em casca, alqueire 15000 a 15800.
Borracha lina, arroba 155 a 155100.
do e
O
enti
ocea
qualquer circumsiancia.
lidi
O
corr
vam
cuilidosament
17.
cuja personalidade se ignora completamente.
Diremos que nao em referencia ao navio, por-
que chegando a este porto e examinados os passa-
geiros e bagagens, assim como toda a tripolacao
foram desemDarcados pela polica dentro de vine e
quatro horas.
Sobre a carga que tem actuado maior vigilan-
ca, visto ir assistir aos despachos e verilicac.o o
subdelegado do segundo districto.
Estes fados sao sem duvidadum transtorno in-
caleulavel para o commercio, pois que pelos cul-
pados ou indiciados, se os ha, soflrem graves prc-
juizos e ncommodos dos muitos innocentes.
E* verdade porm que autorrtade nao pode ficar
inactiva e em silencio, em face de urna denuncia,
de mu aviso em negocio de tamanha gravidade c
magnitude.
Anna Idena New-York.
Progresso Maranho.
Ligeiro Cabo Verde.
30, < ant liogrr Maranho.
Novembro :
4, Elisa Mary New-Port.
5, Gurupy Maranho.
8, Apa Portos do Snl.
Sabido?.
Outubro :
24, Paran Ro de Janeiro.
26, Ttt Bit Liverpool.
27, Eufrates Demorara.
29, Troi Fteret Trindade.
30, Enchanlress New-York.
Novembro :
5, Progresso Maranho.
Tamega Lisboa.
6, Gurnpy Maranho.
Flor do Vez Lisboa.
7, Barbara Maranho.
P. S.O vapor Apa, cuja sahida eslava annun-
Einlim aguardamos os resultados das dilegencias ciada para hoje s 10 horas da manha, transferio
da aulordade para se conhecer mais ou men ,s so- i a sahida para a noite, por ordem da presidencia ;
bre quera rerahem as suspeitas de scmelhanles de- nao obstante esta demora neuhurna novidade lia
nuncia, eu qual a importancia da sua veracidade
Nestes tres dias deve partir deste porto para o
da Rabia o brigue de guerra Alaranliao, assim co-
mo da provincia deste nome, o brigue escuna To-
noleiro.
Picamos agora aqu apenas com a Ibicuhg, ca-
nlioneira cheia de cupim desde a quilha at ao to-
po dos mastros, o cora um dos niales que deve vir
da Baha, se c chegar t
Sem duvida quando se fallar l pelo velho mundo
em os districtos navaes do Brasil, commandados
por chefes de diviso e de esquadra, noguem pre-
sumir que ha districtos, como este do norte, on-
digna de menco.
AMAZOVIS.
Itelatorio apresealado assembla legislaliva da
provincia do Amazonas, na sesso ordinaria do
Io de outubro de I8li, pelo Dr. .Uolpo de
Barros Cavalcanti de Albuquerque Lacerta, pre-
sidente da mesma provincia.
(Cootmuaco.)
Kxplorarao dos rios Htjupur,- lluxy e Madeira.
Depoisdaexploraco, infelizmente incompleta, do
graphia de Baena e no Diccionario topographico do ,
Amazonas designada
Apaporis com o nome
je dado serra e prime
Produz aigmna confuso esta troca de nome
que meu ver poder-se-ha remediar, comparando
o resultado du novas observacoes astronmicas
com as feitas em ouiro lempo pelos commissarios
de limites de Portugal e Hespanha.
Quando se houver altendido necessidades do
mesmo genero em lugares que mais de perlo o re-
clamam, nao se dever perder de vista a conve-
niencia de estabelecer urna niisso no Apaporis,
ou melhor as proximidades da serra do Cupaty,
para serem abi reunidos os Miranhas e oulras tri-
bus nos do Hynpur, como do Apaporis. A sor-
te desses Inuios e a situaco da fronteira ficarao
assim mais ao abrigo de qualquer emergencia.
O lugar em que naquelle rio for collocado um
destacamento em certo lempo, tica situado na mar-
gem direita, oilo milhas a quem do Apaporis
O terreno alto, muito feriil e corlado por um
guarapo. Urna collina prxima permute observar
o rio na extenso de 3 a 4 milhas, a quem e alm.
alas a circumsiancia de ticar em frente de urna
grandejlha, a do Inamb, lorna-o improprio lis-
calisago. Pelo Paran-merim que separa a ilha da
margera esquerda, passam canoas cm grande par-
te do anno, e preciso multa vigilancia para que
sejam vistos na entrada e sahida. Esta mesma ra-
zo tira toda a importancia ao lugar para ser for-
tificado.
Na margen esquerda, at perto do Apaporis, o
terreno alte e presta-se bem ao estabelecimento
de urna povoaco e um forte. Houve ali oulr'or.
urna aldea de Crela-. Em frente, pela margem
direita, pava o Paran-merim da Motuca, que n"
tao fundo como o do Inamb, e entra, alm dis
to, pouco cima das barreiras, observando-se d'ahi
lacirmeote as canoas que por elle passam.
Em frente trra, na primeira cachoeira, o Apa-
poris tem apenas de 70 a 80 bracas de largura, e
impossivel o passo achando-se as margens fortifi-
cadas. A serra, alia do 1,240 palmos, urna cicel-
lente atalaia em meio da planicie. De seu pincaro,
avistam-se as serras do Rio-Negro e a collina de
. Paulo de Olivenca, no Solimoes. Em urna hora,
por meio de fogos, pode-se transmillir qualquer
nolicia do alio Rio Negro ao Solimoes, por fhler-
medio do Cupatv.
Nessa aliura a distancia entre o Apaporis e o
Hyupnr de 700 brajas, mais ou menos, que se
transpoem em meia hora. A serra fica entre os
dous rios, e domina-os perfeitamente.
Na margem esquerda do Cupaty, ha excellenles
terrenos de lavoura, que se prelongam muito alm,
podendo servir a um grande povoado, como tanto
convir ao Brasil possuir naquelle ponto. Acham-se
alli duas malocas de Curets, que poderiam servir
de ncleo povoaco que se tentasse fundar.
No Writy-paraoa existem tambem pequeas al-
deas dos mesmos Indios. Sao activos, e revelam
boa ndole.
O povoado que alli se eslabelecesse viria a ser
no futuro o emporio de toda o commercio do alio
Hynpura e da grande regio banhada por seus ai-
(luentes.
Al a primeira cachoeira podem chegar barcos
a vapor de mediana grandeza.
O relaiorio que ter de apresentar-me o engo-
nheiro Coutinho, lia de competir as resumidas no-
ticias, que vos transmiti., do resulladode sua com-
misso.
Proseguindo no louvavel ompenho de a!gun= dos
meus antecessores, no sentido de descobrirein ama
communicafo cutre o rio Purs eo Madeira, ci-
ma das cachorras desle, de modo a permitir a
franca navegaco dosta provincia para a de Mato-
Gro-so e para a visioha repblica da Bolivia ; en-
carreguei ao practico Manoel Urbano da Encarna-
cao de subir c explorar o rio Ituxy, principal af-
llente do Purs, om cuja margem direita tem a
sin foz. A inclinarn do curso deste afflueute to-
da para o valle do'Madeira. Sede facto existe a
desojada coinmunicaco lluvial, cumpre procurada
no Itnxy, nico dos affluentes daquellc rio que, por
sua importancia, e pela direceo que toma, pode-
r acoso oiferecc-la.
Uma circumsiancia, porm, leva a duvidar da
existencia de seinolhanle passagom: a elevaco
de terreno que, no vallo do Medeiros, produz a
loriga serie de suas cachoeiras, e qual, na hacia
do Pur-, nao corresponde igual accidente. Como
quer que seja, lenha por to importante este ol>-
jecto, qii" nao julgo nos devam satisfazer conjec-
turas, embra plausiveis.
Em 10 de malo parta desta cidade o practico
Manuel Urbano, a quem mandei fornecer o pouco
que exigi, para levar a effeito excurso to peno-
sa, cousistindo pela maior parle em brindes desti-
nados aos ludios.
-ao dignos do maior louvor a dedicaeo 0. admi-
ravel desinteresse deste prestante eidado, quem
a provincia deve mais de um servico de.-ta ordem. r^arinn
as inslriiceoes que para este fim exped re-' '(.m esI,'leni
ri uniinilni Ihn imn 1"
ii direceo opposla.
aragoay, depois de regar torras do Brasil,
em possesses estrangeiras al lancar-se no
|io : e assim pode deixar de servir-nos por
os, pa a o Madeira que devenios altentar
visto como porten 'e ao imperio
a margem direita e grande parte da e-querda,
send)-no( garantida a sua navegaco pelos antigos
e m;demos tratados.
eir fui muito frequentado no periodo de-
de 1719 1780. Os viajantes cncontra-
tfade
do
recursos em duas povoaooes,
. urna estableci-
da 111 Calo, e outra as proximidades da segunda
cachoeira; nao sondo por isso muito sensivel a
perseguico dos Muras e Mtindiiruos, que nessa
epocivi se oppunham enrgicamente ao ingresso
dos colonos.
A extinccao das povoafoes, e a mudanca da ca-
pital de Malto Grosso da margem esquerda do
Capor para Cuyab, deram em resultado o en-
fraqnecimento das communicacoes com esta pro-
vincia.
Sera o menor auxilio em to dilatado e traba-
Ihoso caminho, contrariada fortemenle pelos In-
lios, a navegaco raramente effectuou-so depois
iiessa epocha.
Agora, porm, que os intereses das duas pro-
vincias limitrophes se acham mui desenvolvidos;
que os Indios, pacificados j nao encommodam
mais o viajante; que finalmente est prestes a
abertura do Amazona, e ainda mais prestes o es-
tabelecimento da regular navegaco vapor no
no Madeira, o seu cabal reconhenmento de
summa vantagem, afim de que possa o governo
resolver o que for mais conveniente bom dos
melhoramentos dos transportes em toda a exten-
so de.-le no, que tantas vantagens oromette ao
nierior do Brasil e ao vsnho estado da B iliva.
Moveram-me estas considerares a incumbir o
mesmo engenheiro Coutinho, investigador nfali-
gavel e intrpido viajante dos de^povoados sertoes
da provincia, da exploraco de lodo o rio e dos es-
lu lis relativos nao s vegeta^o, como tambem
nfitureza dos terrenos e da navegaco ; ao estae-
lecipnento de povoacoes, pomos fortificados e colo-
nia. militares, e ao mais |ue consta dos seguinles
arlgos das instruccoes quo Ihe dei :
lL Sondagem do no as 186 leguas de navega-
oaol desde a foz at a primeira cachoeira ; deter-
miia(ao da direceo e largura do canal, e dos lu-
gar;s onde exislirem pedras amontoadas ou res-
(iri as.
2." Estados das cachoeiras, que atravancam o
leiti do Made ra em urna ext-nsn de 70 le-
gua-, de modo a se poder avahar da possibilidado
e ce nveniencia da abertura do canaes derivativos,
ou < e urna estrada que va do prim-iro ao ultimo
sal 1. seguindo pela margem direita, que pertence
ao I rasil.
3.' -Verificar so com effeilo o Ben affluente
do Madeira, romo o consideran) os antigos, ou se
nenie lhc cabe a primasia que algnns moder-
xploradores lhe|do sobre o Manur ; e onter
issiveis inrormaco-s a respeito do lago Rogag-
Snbre o qual tantas duvidas exislem e to
'adictoijmente leem escripto alguns va-
real
nos ^
as p
nalli
cnnl
iantf
Escollia de lugares mais apropriados para o
esta eleciment de povoados, sob o duplo piint 1 de
vista
da n
qu
porq
cado
que
a pro
dse
5/
daqu
commendei Ihe que
1.Subisse o no Ituxv
do bem-estar dos habitantes e da facilidade
hvegacXo ; sendo a primeira cachoeira o ponto
i este respeito mais altenco deve merecer,
le naturalmente as suas vizinhaneas as mor-
as ou tero di', ser baldeadas dos barcos em
ieram do Amazonas, para outros nicnorese
irados aos saltos e correnlezas, nu tero de
ibarcar para serem levadas por trra.
Escolha tambem de local as proximidades
lia mesma cachoeira para afundacaode urna
colonia militar, que sirva de apoio navegaco, e
garanta os futuros povoadores daquella regio ;
ten lo-te ao mesmo lempo om vista a tiscalsago
dos barcos que trasitarem polo rio.
6.-|Exame dos punios em que convir mais
tarde levantar forliflcacSes que to somonte pres-
tem garanta ao commercio o navegaco, como
possamlfazer respeitar os direito e a soberana do
mperic
7."Ifstudar as propensoos e costnmes da tribu
actualmente se estrado pela mar-
do no, na altura das cachoeiras, e
em toda a sua exten-
i mostra, tiim de outras qualidades, aptidao para
.certos gneros de industria, segundosreferem al-
sao navegavel, procurando verificar se por si, ou | s vUjanlos ; di irib Tura quo. se dedica la-
por algurn seu affluente, communira com outro do vonra \u rop e de ou|ras onne muit0 inle_
INTERIOR.
Belem, 10 de novembro de 1861.
Aqu nos chegou ante-hontem quasi pelo fim da
tarde o vapor Apa, trazenoo 16 dias de viagem.
Agradaveis foram as noticias que trouxe, nao
s pela realisaco do consorcio de S. A. Imperial
com o conde 'Eu. mas pela attenciosa nota do
ministro norte americano ao governo imperial, em
consequencia dos lamentaveis successos praticados
pelo vapor Wassucliet contra o corsario confedera-
do no porto da Baha,
Felizmente este negocio qoe tanto ha prendido a
alinelo e exolUdo os bros kuacionaes de iodo o
de apparecem apenas sombras ou arremedos de; Puns, de que ja leudes noticia pelo interessanie
navios de guerral I relatono do encarregado della, o hbil engenheiro
E nesle districto em que ha pouco houve urna, Silva Coutinho, e da dos nos Maus e Tapajoz, rea-1
grave questo internacional, o governo deixa por Usada com as vistas de estudar o trago de urna es-
aqui tudo ao abandono pelo que se refere a ma- Irada que dever ligar o daquelle nome, parte 1
rinha. superior das cachoeiras inferiores do segundo, fa-
Nem o chefe tem um navio para car o pavi- cuitando a communicacao entre esta e a provincia
ho, ou para dar urna salva de cumprimenuv de Malo Grosso; teve lugar e.-te anno a do rio Hyu-
Forte desgraca e mo fado persegue a marinha pura, incumbida ao mesmo engenheiro pelo meu
imperial; quando os dignissimos coraprehenderao | digno antecessor,
que o Brasil sem marinha nao pode ser respeitads |
em ^eus porlos e altendido em seus direitos?
Da provincia do Amazonas tambem pouco adian-
to.
Eslava funecionando a assembla provincial, mas
com alguma opposico a presidencia.
Tinha dexado o lugar de chefe de polica o Dr.
Estelita, havendo sido substituido interinamente
pelo juiz de direito de Telt, Dr. Romualdo de Sou-
za Paes de Andrade.
O commandante das armas qne tinha do visitar
as fronteiras da provincia, ja havia regressado no
vapor faca.
Chegra a manos o vapor Paslazza, rebocando
os pequeos avisos a vapor denominados Potomayo
e Nnpo.
No dia 20 de outubro o presidente da provincia
visitn os vapores com varias autoridades da pro-
vincia.
No Potomayo, fez S. Exc. um passeio ponta
Castelhana e no regresso foi-lhe offereeido una re-
feico pelo commandante deste vapor peruano, rei-
nando em tudo muita alegra e profusao.
Do commercio do Para o que ha o segrate .
A alfandega no mez de outubro rendeu rs.....
141:955^891.
Recebedoa rs 38:451,5831.
Diversas repartieoes rs. 4:0003000.
Os na'ios entrados e sahidos durante o dito mez
foram
Entrados. Sahidos.
Brasileiros.. 11 1*
Portuguezes. 4 1
Inglezes..... \ 10
Partindo d'aipii a 14 de marco passado, na ca-
nhoneira Ibicuhy, achou-se de volta em 24 do maio,
tendo levado a excuiso al o Apaporis, affluente
do Hyupur.
A' vista do que foi outr'ora, pode-se considerar
este grande rio presentemente deserto.
Da foz, na margem esquerda do SolimSes, aquel-
lo seu affluente, exNtem apenas 12 choupanas com
70 habitantes, contando-se entre elles muitos Mira-
nhas resgatados. Esta grande tribu eslende-se do
rio Caynari, 6 dias de viagem do Apaporis, at a
cachoeira de Maracanan-coara, que a ultima, oc-
eupando a margem direita, e segundo alguns prc-
ticos, do affluente Cuemant em diantc, pela mar-
gem esquerda.
Nem um s Pace ou Xomana encontra-se j no
Hyupur; apenas se observam algumas raras reli-
quias das importantes tribus Hvury e Coret, e ou-
iros poucos Caixanas, que costumam apparecer ali
em busca de cacu. A maior parte destes ltimos
vive as Cabeceiras do rio Moc-mirim, 5 dias
de viagem da foz, no Hyupur. Ficando mais pr-
ximos do Tocantins,entrelem relacoes com os mer-
ca dores deste rio.
Um s Macana existo hoje no Hyupur. Ainda
em nosso territorio, entre aquelle e o Rio-Negro,
vagamos Macs, tribu quo ainda se conserva no
estado nmade.
O rio Mecay, que se refere o tratado de lmites
de 1777, entra pela margem esquerda do Hyupur,
dous dias de viagem quera da cachoeira de Ara-
ja-cora, ou 10 alm do Cupaty,
Os praticos do, entretanto, o nome da Cackoeira-
grande de Arara-cora e a de Cupaty. Na coro-
Madeira.
2."Observasse a navogablidade dos ros que
percorresse, e indicasse os lagos, pedras, altos,
bancos e outros phenomenos dos mesmos ; figu-
rando por horas as distancias das diversas tribus
e rios entre si, e sondndoos tanto na subida co-
mo na descida.
3.Relacionasse as tribus de indios, com dis-
criminarn das conhecidas d'aqucllas que o nao
sao, calculando aproximadamente a populaco, e
mencionando as industrias c costuraos de cada
urna.
' 4.'Procurasse, na falta de communicacao llu-
vial, o mais curto trajelo para o Madeira, em al-
tura que salve as cachoeiras; verificando qual
das duas provincias pertence o territorio por onde
atravessa de um outro no.
5.Determinasse com a possivel exaclido a
extenso desse trajelo, indicando a natureza do
terreno, genero da producc/10, ndole e carcter
das tribus ahi existentes, o o mais que fosse de
iuteresse neste caso.
Como vede?, urna exploraco modesta, mas
que com tudo pode trazor um resultado de eleva-
dissimo alcance para a provincia e para o imperio.
Pretendo em Janeiro mandar concluir a explo-
raco do Poros. A viagem do Piraj al as bar-
reiras do Hynlhnahan, muito provoitosa certas
respeitos, nada adiantou, por outro lado, do
practico Manuel Urbano, que chegra perto da
povoaco de Saraiaco no PerW. O estudo comple-
to dessa importante arteria lluvial, que, segundo
todas as probabilidades, leva ao corago do Peni,
ressa ao lesiabelecimen-o de missoes e colouias na-
cionres, t navegaco do no.
8.' Emular igualmcnc as madeiras doconstruc-
co, e as nrozas, qne actualmente sao a base do
commercio do Madeira : bem como a natureza do
terreno* em relacao lavoura.
9."Examinar a natureza goognnslira das re-,
chas quo onsiituom as cachoeiras do Madeira, e a
inelinacd e direceo dos slratos; e fazer urna col-
leecao de amostras que, com idnticos trabaihos,
executados cm outros pontos da provincia, sirvara
para se estabelecerem as primeiras bases xla carta
geolgica do paiz.
10."Observar as algas que crescem as ca-
choeiras e margens dos ros e os crustceos quo se
ahrigam as gratas : devendo merecer particular
atteneo, po estudo das primoiras, as especies que,
como as das reivas, forom alimentares. -*
11.aDar urna nolicia sobre os peixes, com espe-
cialidade los que pela grandeza o abundancia majs
se prestem aiimentaco; assim como sobre os
quadruoedes e aves. .
12. -Proceder, finalmente, observacoes aslro-
nomicas, pan determinaeo dos pontos priveipaes
do rio ; e meteorolgicas, para avaharos elemen-
tos, o clijiia e a elevaco do solo.
Tendo de mandar transportar 00 vapor Piraj
engenheiro Coutinho at o uitirr.o ponto navegavel
do ri aproveitei o ensejo, e visitei esle imporlantft
districto da provincia.
Era meu dsete subir no Piraj at as proximi-
dades da cachoeira do Santo Antonio; mas a ne-
cessldadi di minha presonfa na capital, obngou-
eva ao
sem os obstculos nsuperaveis das cacho-iras do me a regressar do lugar do Grato, outr'ora sede
Ucavale, objeclo que nao deve ser adiado para da freguezia o presMu, hoje fazenda particular,
mais tarde. onde nao se encoD\ra o menor vestigio se qur da
i\o mez de maio parti desta cidade, com o in- hahiac es antigs,
tuito do subir at as caheceiras d'aquelle rio, um O Piraj, tendo partido na tardo de 10 de jonho,
viajante Ingles, Ge rge Sandless. Receto, portan- chegou ao Ciato na manha de 18, e regressando
to, que nao nos venha caber a nos outros a glo- na nolte]oeste me na do recouhecimento das nascentes deste ri juis- na madrugada do dia 2::.
simo affluente do Amazonas. | A e'idedico seguio daquelle lugar em canoa. A
Em diversos pontos nVHa, existem promptas pa- imprrrila d trpolnci) da em que ia o propno en-
ra a viagem do Piraj 57:000 achas de lenha. genheirq, dou causa a esta alaar-se, na passagem
A explorado do Madeira, maulada fazer em de urna correnteza entre a primeira cachoeira e o
1861 por utn disilncto presidente desla provincia, salto do Theotonio. ^alvaram-se, felisraenle, todas
v)
i
MUTILADO


)
Diarlo ie PeriMlie gegnnda felra l de Xovembre de 18S4.

as vida?, >* p*ro*8r"n,*se diverso objectos, entre
ontros, alguns insirumenlos astronmicos. A va-
raco das duas cachoeiras tiuha, alm disto, estra-
gado as canoas que ainda restavam ; e por isso.
tomou o engenheiro a deliberarlo de regressarao
trato, onde ficou a esperar novos recursos da-
mi.
De prorjoto os fiz seguir, afretando psra esse
fim o vapor Inca, da companhia de navegago e
comniercio do Amaa&nas, pois que o Piraj lendo
a chamin arruinada, nao podia *ahir do porlo.
()|/tk< parti d'aqui na noite de 2 de agosto e
levo urna viagem Mu e rpida. Ga.-lou na viagem
redonda quairo das e dezenove Loras de navega-
do effecliva ; e apezarda vasante, j entao adian-
tada, do rio, nao experimentou o menor contra
lempo.
O desastre snecedino demorn o xito da com-
Dorme, pois,** Brasil cantor mu i temo.
Entre as vagas azues, que o somno eterno
Perturbar-te nao voo.
Do tea flro, pesaroso e condoido,
Pude apenas nitor este gemido,
Coa que a lyra estaleu.
Piauht.O resultado da eloigao senatorial o
seguate :
Dr. Borges Leal Branco... 264
Conselheiro Paranagu... 262
, Coronel Justino.......... 243
Ceaba. Fallecern) o Sr. Balduino Jos Tava-
res da Silva, empregado da nossa thesouraria pro-
vinnal, e o deputado provincial Leandro Custodio
de Oliveira Juca.
L-se no Ctrense:
No dia 4 de dezembro prximo futuro tem 1u-
missao, o que tonto mais para -emir agora, por- Par cm Sobral ma oipooieio industrial em bene-
navegago a vapor at o Crato veio ligar ainda tuoso missionario o Rvd. Dr Jos Antonio Mara
maior interesse a ludo quanto se refere aquella Ibiapioa.
importante via fluvial. As irmaas*de caridade, a cujo zelo e dedicago
Com os novos e mais ampios recursos de que evanglica foi confiado aquelle pi estabeleeimeulo
man a commissao, romposta hoje daquelle cap-! destinado ao recolhimenlo e educacao de orphlas
tao de engenheiros edo lente do mesmo corpo. desvalidas o ao peso de enfermos pobres, s5o as
Jos Antonio Rodrigues, aos qoaes acompanha! promotoras desse generoso beneficio, que por sua
com algumas pravas de linha o alferes do de' naturexa e fins merece a proteccao de todas as al-
fozileiros Jos Antonio de Miranda, poder ficar rais Dcm formadas.
Sem fallar das experimentadas vantagens, que
bmSL l y.bitr;iriedades : esconheco tam-' Bas dados romo conferidos 20 cabegas de gado no
bein que infelizmente nem sempre se Ua (lectiva
a responsabilidade do migistrado que se esquece a
le para fazer prevalecer o srdido interesse.
L>tou, purera, disposto a nao deixar qae triam-
pne a causa da iniquidade, para o que na presente
data dirijo ao Ex"m. Sr. presidente da provincia
urna queixa documentada, afini de ser applicada ao
juiz municipal do Ouricury a pana da lei.
Cei lamente para mim bastante penosa esta
missao, nao estando acostumade s lutas da im-
prensa e aoe pleitos forenses; mas, mpellido pela
razo que me asiste, nao recuarei do torreuo le-
gal, nico em que se lirmao meu desforeo.
A' 4 de setembro do anno passado meu sogro
Zacharias Nunes Ferreira, falleceu em sua fazen-
da, Cacimbas, que sendo o lugar de'sua residencia
e pertcncendo ao termo de Boa-Vista pela lei pro-
vincial n.330 de 7 de junho de 1862, tornava com-
pleme ojuizo do mesmo para proceder a inven-
tario.
Effectivaniente minha sogra, como meeira e in-
venlarlaute, deu principio ao inventario peranie o
juizo de orphos da Boa-Vista, fazeudo a discrip-
conlra
neutralizador
' iS? isas da moleMias ulcero>*v ua mulher. e vai a nr-w-, ,!, u.MB.
as causas
i! SSRS^tifTJSSSt JT.:
valor de 140*O0, um cavallo no valor de 20*000,
um potro no valor ce 12*000, sem que fossera
mencionados Galdina e seus filhos Victoria Joan- Tifiirinntim^, T" ----- iraeinvono mi jo:
, Mar.ha e Manoel, os qSJl! todos rS'ram d, KSSSKSS^S^SlSS tt "PT* -S" > arrema,a<5 ,eita *>el ^
antes de ser esta dada em doto Josd gaos enfraquecidos. As cr toncas asrehoras C adiud,caca com o abatimento respectivo da
delicadas podem loma-la sera susto. E' a salvaran ____ ,
aosdoeotes. Cautela para evitar asimitS* E para que chegue ao conhec.mento de todos
legitima vendidi por Caors & Barbosa fl JoL di "'LJlgares do C0S,Qme e Poicados pela ira-
Galdina
Vctor !
Este fado, nicamente favoravel Jos Vctor e
prejudicial aos mais herdeiros, pois nao enlrou
para o monte o valor de cinco oscravos, s pode ter
concluida dentro de breve termo a rude taiefa de
que a incumb. Segundo commuaicacoes que re-
celi, ha poucosdias, do engenheiro Coulinho, que-
tica va cima do Caldeirao do Inferno, o" cachue-
ra do ro, e una das de mais dfflcil travessa, nc-
nhum transtorno occorrera na passagera desse e
dos outros saltos venridos.
Por esta occasio nao deixarei de mencionar os
assignaados servidos que tem prestado cominis-
sao, naquelles de>ertos sitios, o coronel Leonardo
Ferreira Marques, de quem ella ha recebido o
mais promplus hm corros e mais efficaz auxilio.
Em roaio de.-le anno o capilo reformado Bento
Ferreira Marques Brasil, fazendero no Rio Bran
co, propoz eflectuar com trrbalhadores seas, pago<
manlidos sua custa, a deiobstruc^ao do leito
4este rio, atravancadoSn'uma extensaode duas le-
guas, pouco mais ou menos, de pedras que produ-
zem fortes correntinas; exigmdo apeuas que o
foverno Ihe fornecesse a plvora e instrumentos
precisos, alm de urna pessoa entendida para di-
rigir os trabalhos.
Levando este offerecimento ao governo, recla-
mei a vinda dedous cavaqueiros, queforam man-
dados contratar no Para, sendo eu autorisado a
despender com este servico a quantia de 2:0005
pela verba t obra geraes e auxilio s provinciaes,
egundo rae foi ltimamente communicado por
aviso do ministerio da agricultura, corainercio e
obras publicas, de 1G de maio deste anno.
Espero a chegada dos conlractados para os fa-
acr segair seu destino, alim de comecarem os
trabalhos na pocha da vasante do rio.
Se este melnoramento for levado effeito, o que
alias nao me parece cousa muto fcil com lao li-
miados recursos, grande ulilidade colher nao s
aquella parte da provincia, como mesmo esta ca-
pital, onde o abasteciraento de carne verde pro-
blema que nao pode ainda ser resolvido satisfacto-
riamente.
(Conhnuar-se-ha.)
DIARIO DE PERiTAMRUCO
Temos vista cartas e jornaes do norte do im-
perio, de que foi poilador o vapor Av, com da-
tas : do Para iO, do MaranhaoM3 do Cear 10, do
Rio Grande 18 c da Parahyha 10 do corrente.
Amazonas k Para.A minuciosa caria de nosso
eorrespondenie, narra quanto occorreu nestasduas
patarras.
Maranho.Falleceram o Dr. Alexandre Jo
de Viveiros, e o escrivo da alfandega Liciuio Jan-
sen Muller.
O cambio lrava : sobre Londres 27 '/a d.
por 12009 rs., e L-se no Publicado)' Staranlicnse:
No da .1 pela madrugada .perdeu-se nos bal-
sos bancos dos Aiins costas de Gaimaraes.prnximo
ao pharol d'liacolumim a barca francesa Vilk de
Boulogiw, trazendo do Havre 49 das de viagem.
Vinlia de passagem n'ella o grande poeta An-
tonio Goncalves Das, que embarrara bastante
doentc, e que segundo relata o coraraandante do
barro acerca de dez das tinha peiorado, e dous
antes do naufragio pouco accordo j dava de si.
Diz elle que no momento em que baiteu o na-
vio e deu log) signaes de submergir-se, arudlu o
piloto a cmara, e encontrando Goncalves Das
morto, trataran) os demais de salvar-se na chalu-
pa, chegando todos a salvamento Guimares no
mesmo da I
Humera ao anoiterer checaram os nufragos
a e.-ta ri'dade. e espalhoa-se logo a triste noticia da
morte do nossa poeto, levando a ronsternarao,
a tod i a populara", porque Goncalves Das nao era
estimado s pelos que sahiam ter, mas por quau-
tos tm um coracao para sentir.
t Dirigimo-no's huntem mesmo gerencia da
companhia de navegarao e S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia. Infelizmente nao nos puude
aquella auxiliar, apesar de milita boa ventado, na
diligencia de descobrir o cadver de Goncalves
Das ; porque o Gvrupy est para o Para e o Ca-
mossim em concert. Da parte de S. Exc. encon-
tramos os desejos e esforcos que o homem inlell-
gente costuma demonstrar em casos taes.
Di ram os Exms. Srs. Drs Letao da Cunha e
chefe da polica honlcm me.-mo todas as provn-
denrias para que fusse procurado o cadver do in-
feliz poeta, nao poupando para isso despezas, e
mandando olferecer um premio a quem o apr-
senla r.
t E" mais um acto digno de louvor, o pelo qnal
obrigara Ss. Excs. os Maranbenses ao reconheci-
mento e elima.
t Da nossa parte e de alguns amigos offerece-
mqs tambem 1:000-5 a quem trouxer o corpo de A.
Confalvfs Das.
Com ello naturalmente perderam-se os ma
auscript"S dos dramas Boubdil o Beatriz de Cenci,
e a iradueyo da Noiva de Messina, traduzida do
allemao, e mais algumas poesas lyrras, escripias
ainda no Amazonas ; porm destas temos urna co-
pia de seu proprio punho.
Tuilia em projecto, e colhdo grande subsidio
de apontametitos, para a historia dos Jesutas no
ilra>il, instrnecao publica no Brasil e na Europa,
dosenpeao do Amazonas, e costumes, usos e lin-
guagera dos indios do Brasil; mas sabemos que
desde que parti para a Europa, alm de retoques
na tradaccao, nao escreveu urna s linha, porque
urna carta amg-s j era para elle grande e*for-
50, que o prostrava.
< Recebemos do Sr. Joo Rodrigues de Oliveira
Sanios, mimoso poeta portuguez, oseguinteim-
provico com que rematamos esta desallnhada no-
ticia.
A' morte de Goncalves Das.
Improviso.
Vende a noite da vida aproximar-se
Ancioso tenlou vir asylar-se
Xo chao do patrio lar ;
Mas antes de cliegar Ihe anoitecera,
E na torra, que tanto engrandecer,
Nao pode repousar.
de taes exposicoes resultam para a industria e
para o commtrcio, fazendo bem conhecidos os
productos e creando o estimulo e emularao, pode-
rosos incentivos para a perficSo do trabalho; re-
commenda de sobejo o nobre pensamento d'aquel-
las -virtuosas lilhas de S. Vicente de Paulaa phi-
lantropica applicacao dos frnetos dessa f.sla In-
dustrial, cm que a caridade se casa to bellamnte
cora o interesse publico e individual.
t Confiando nos generosos sentimentos do pu-
blico d'esta capital, o regente daquelle estabeleci-
bdos bense obtendo carta preratoria para a ci-
gao dos herdeiros ausentes, sendo eu citado pela
. recatona dirigida ao juizo do termo de Olinda, on-
de entao resida.
Praticados esses prmolros actos do Inventario
perante o juizo compleme, foi a inventarame in-
timada pelo juizo do Ooricurv para peranie elle dar
bens a inventario.
Apenas sciente desta ntimacao o juizo da Boa-
Vista, eonscio de sua competencia, estabeleceu o
conllicto de jurisdieco, subraettendo-o a deciso
da presidencia.
Nao tardou, porm, que no dia 14 de outubro
chegasse fazenda Cacimbas o juiz municipal do
Ouricury cora os seus empregados, e exigisse da
viuva inventariaoto os bens do casal para serem
, avaliados '
C0MMEB3I0.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 18.......
!dem do dia 19..............
novluncuto da alfandega
Volumes entrados com fazendas...
cora gneros... 378
Volumes sabidos
*
com
com
fazendas...
gneros...
90
2,739
378
ment encarregou a urna coramissao composta dos I Qur pe|a inventarame, qur por alguns herdei-
e Albuquerqiie. Barros, Antonio | ros presentes foi allegado ao Sr. Veras que, guan-
do mesmo fosse elle competente para fazer o in-
Domingues da Silva e Livino Pinto Brandao para
receber e remetter al o dia 20 do corrente, qual-
quer olTerta do productos naturaes en artificiaos
era beneficio da casa de caridade.
Rio Grande e Paiiahiba.Nada occorreu, que
mereca raencao.
una serie de fados escandalosos, que o habilitaran) i
a dar por findo o inventario e a exigir do cusas a
quantia de 3385500! 11
Antes, porm, de expr esses fados cabe notar |
que, alera de nao ter eu sido citado para o inven-
tario, e bem assim os herdeiros Andr Rodrigues
Colho e Manoel Nunes Ferreira, quatro herdeiros
residentes na Boa-Vista, nao podiam ser citados,
orno foram, por um simples mandado do juizo do
Ouricury, mas sim por caria precatoria, dirigida
ao juiz da Boa-Vista.
A 3 do corrente mez era esperado em Lisboa o
vapor inglez Saladin, procedente de Liverpool, e
com destino a este porto.
E' de 510 toneladas.
Em Lisboa deve ter alguma demora, bem qne
seja pequea, sendo de crer que breve esteja
aqu,
Falleceu na capital do Cear o Sr. Balduno
Jos lavares da Silva, 2 escriptarario da thesou-
raria provincial desta provincia, que all fora pro-
curar o restabelecimento de sua sade.
Conhecamos de pe too finado, que era recora-
mendavel por suas qualidades pessoaes e por ura
trato ameno, com que se destinguia elle as rela-
e_es sociaes.
Fizeram actos na Faculdade de Direito no dia
19 do crreme os segrales estudantes :
2 anno.
Alarco Jos Furtado, plenamente.
Gonzalo Vieira de Mello Prado, simplerment.
Poinpilio Nona Pessoa, dem.
Francisco Antonio de Oliveira Sobrinho, idera.
4o anno.
Jos Gomes Ferreira, simplesmente.
Cyrillo de Lemos Nunes Fasondes, dem.
Amonio Das de Pina Jnior, plenamente.
Meaelo dos i amos da Fonr.eca Lins, idem.
5* anno.
Amcrico Jos dos Santos, plenamente.
Joo Ferreira de Oliveira e Silva, idem.
Porfirio Amando Goncalves, idem.
Francisco Rodrigues Seixas, idem.
Foram nomeados :
Subdelegado da Capnnga o Dr. Ayres d'Albu-
querque Gama ; supplentes Francisco Antonio da
Mr Cavalcanto 2., Joaqoim Jos de Souza 3.*,
Francisco Joaqun) Pereira Pinto 4., Amonio da!
Cunha Soares Guimares o. e Manoel de Carvalho
Soares Brandao 6.";
1." sui.plente do subdelegado do 2o districtode
Pao d'Alho Jos Januario Ferreira ;
3." dito do dito do 1." districtode Tracunhem,
Antonio da Multa da Sllveira Cavalcanto;
i." diio do dito do distrcto da Palmeira, Jos ta caso nao linde o inventario no raso
Antonio de Moraes; | por isso o quero acabar, V. deve vir t
Delegados Iliterarios de Pao d'Alho e llamara- )(jga ,10s S.us cimbado:-, os quo nao qniterem vir
eu
Nao sei se V. S. anda entender que se deve ne-
gar esse pagamento, agora estou cora a faca e o
queijo na raao. Espero que o meu portador trar
esse diuheiro e V. S. quanto antes traga o depreca-
do, assm como relago dos bens que V. S. nao quiz
Incluir DO inventario, pois eu ao contrario nao fa-
rei mais favores, porque nao quero faze-los e ter
niao paga
Seu amigo obrigado, Pedro A. P. Miranda
Veras.
N. B. Faca favor levar o oDcio junto ao juiz da
Boa-Vista, depois de ler e feixar.
(A publica forma d'esta carta fazendo parte da
queixa que dei presiiencia, o seu original existe
da fazenda cacimbas e dos escravos, gado e mais; era meu poder, sellado e reconhecido.)
objectos nella existentes, prometiendo aguarJar a A carta que acabo de transcrever nao est da-
ido para proseguir nos mais ter-! toda, porm pelo seu cometido, combinado com o
ventarlo que j havja comegado perante o juizo da
Boa-Vista, cuja jarisdiccao por isso se achava pre-
vena, cabia-lhe aguardar a deciso do conflicto de
jurisdicejio e fazer citar todos os herdeiros alim de
nao ficar o inrentorio eivado de nulhdades era pre-
juizo dos interessados.
Oju honesto, que prezasse a justca e a propria
digni lade, nao duvidaria altendor a tao justa ro-
clamac,ao.
O Sr. Miranda Veras, porm, sectario de eu-
tros principios mais positivos, mais tomantes, mais
realisaveis.
Abusando da boa f da viuva e herdeiros pre-
sentes, declarou-lhes contentar-se coma avaliaco
explicacao na carta reservada que Jo> Vctor C.~Bravo A C.
dirigi o Sr. Miranda Veras e no facto de haver
Jos Vctor sido recebido aboletado na casa ao Sr.
Miranda Veras, segundo o formal pedido quo este
Ihe lzera na carta confidencial III
Para completa apreciacao do carcter e procedi-
mento do r. Miranda Veras nao me ser percho
mais do que expr o cometido de algumas cartas
de seo proprio punho, escriptas nm dos herdei-
ros.
Era orna, datada de 30 de dezembro o Sr. Miran-
da Veras, j tem recebido quasi toda a importancia
das custas, exige rio herdeiro a quantia restante e
diz: o portador d'abi nao sahir sem receber essa
quantia a^sim como a cerna que aqu Ihe dei das
custas com o recibo.
Era eutra escripia da fazenda Boa Unio
a 16 de fevereiro, declara haver chegado dita fa-
zenda, [ tratar de cerlos negocios de Jos Vctor
e insta pela recepc.o daquella quantia.
Era outra datada de 19 de margo insiste pelo tal Doscarregam no dia 21 denovembro.
pagamento | Cornaca hespanhola -Ardilla-diversos gneros.
E em oulra finalmente exprlme-se pela seguale Galera nacionalMmdeU-diversos gneros,
forma : Lugre portuguezJulio idem.
Carla. Barca americana.He/imitahoado.
lllra. Sr. Joo Ferreira Nunes. Junto achara a Patacho inglez Spraj/bacalho.
copia da deciso que deu o presidente da provln- Itcccbedorla de retadas internas
cia sobre a tal queslo do Dr. Patrocinio, a vista seraes de Pcrnambuco
En?*?,"JSS V' S- reme? ""e f 17f ? FS- Rendinnto do dia 2 a 18....... 1 i:2-JO585
por este portador, e cora o offic.o junto entenda-se Idem do du i9................ 695*367
cora o Dr. juiz municipal de Boa-Vista para elle,__________
curaprlr o deprecado que mande!, e V. S. o traga ii-98!)j2
e venha com os mais herdeiros, para que nao faga; ======^
manda-Ios citar, pois maiores despezas far.;
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nainbnco, aos 28 de outubro de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o escrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
. O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin
em cumprmenlo da resolncao da juma da
cial,
.SSt-S faenrta- manrta fazer publico, que no dia 7 de
HJ.785J0aJi. dezembro prximo vndouro, peranie a roesma
ha de arrematar a quem por menos fizer
2,83o
Consnlado provincial.
Rendimentodo dia 1 a 16.........
dem do dia 17................
406.071*923, o costera da Ulum.nacopubilrada cidade deGoi-
anna, avahado cada um lampiiio era 291 rs. por
A arrematarlo ser frita por lempo de nm an-
1863 C0" d" jaDe'r0 a 8I de elembT0 de
As pessoas que se proposerem a essa arrema-
tado comparecam na sala das sessoes da referida
!B.iSi..! Sf? ""'"'-'^nado, pelo meio dia,
competentemente habilitados
pelo jorna|:0nSlar M ma"dou Publiear Presente
h-^oSfilS! ,he?ou/"aprovincial de Pernam-
buco 9 de novembro de 18i)4.
0 secretario,
n n. t.--.- a ., A' F- d'Ainiunciar.io.
rti I", '? ?e ^,en,"ar. Arari*. "n<-tal da rape,
nal orden) da Rosa, miz de direito especial do
commercio desto cidade do Recito de Pernam-
bucoe seu termo por sua magrsude imperial o
constitucional o Sr. D. Pedro 11.a quem Dos
guarde, etc., etc., '
I Paco saber aos que o presente edital virem e
d elle noticia tivcrem, cjue por este juizo e cartorio
29:931*08. do escrivo que este subscreveu, corre urna execu-
869J8091 Cao de sentenea, que a seu favor alcancou no me-
rilissimo tribunal do comraercio Bento ios da Cos-
PRAQA DO RECIFE
17 DE XOVfiJIBUO BE 1864.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio........
Saccou-se sobre Londres a 26 Vs,
e 26 J/t d. por 1*000; sobre Pa-
rs a 3ao rs. por fr., e sobre
Lisboa a 95 por cento de premio,
montando o valor dos saques pe-
lo 0Vfa a 100,000.
mos do inventario I E por esta forma conseguio j das oulras, manifesU-se ter sido posterior a de 19 Algodao........Vendeu-se o de Pe'rnambuco de
elle fazer dita avaliaco, praticando em seguida 1 de marco.
todas assas cartas conveneern de quo o Sr. Mi-
randa Veras no mez de dezembro deu por conclui-
do o inventaro para o nico fim de receber as
custas, pois nao ser assim nao se expressaria Assucar........Vendeu-se
pelo modo, constante da ultima carta. por arroba
E que idea se pode formar do Sr. Miranda Ve- \
ras quando em mareo declara haver sido decidido Agurdente.....
o conflicto, tendo j em novembro dado esse con- Couros.........
dicto por decidido ? quo era dezembro cooclue a
partIha dos bens e era marco, aps a deciso do
conflicto, chama os herdeiros sua presenca e os
16*00 a 16*500 por arroba,
o de Macei, posto a bordo, a
16*500, e o da Parahyba, da
mesina sorie, a 19*.
de 2*050 a 2*200
do inax-avado pur-
Arroz.
>3r. Veras entretanlo emenden {como hbiljn lameaca, declarando estar com a faca eo'nueiio,
risconsulto que ) que o seu mandado poda ter
execu<;ao era termo que nao era o de sua jurisdie-
co I
Sendo o nico fim do Sr. Veras o interesse que
poda perceber com a factura do inventario, e pa-
recendo-lhe penoso agnardir a deciso do conflic-
to, que f leve lugar 8 de margo do corrente an-
no, (como consta da cenido que tirei da secreta-
ria do governo) empregou para a consecuco do
seu nico desejo o miseravel recurso contide na
seguinle carta reservada, que em data de 26 de
novembro dirigi ao herdeiro Jos Vctor I
Carta. -Meu patricio e amigo Jos Vctor.-Ou-
'rnry, 26 de novembro de 1863.Saude Ihe de-
sejo e a Exma. familia. Nesta dala expero um
mandado citando aos seus cuobados e sogra para
compareerrem nesta villa no dia 9 de dezembro
alim de assislirem as partilhas, pois a questo cora
o Patrocinio foi decidida me pertencer o inventa-
rio de Cacimbas pelo que o juiz de direito me or-
denou que cumprisse a deciso, a vista disso que-
ro acabar esse inventaro, veja as copias jumas,
; que Ihe remello das decisoes desse negocio, ecomo randa Veras.
minuto 1 I que declara, no caso de uio ser tteh- Azete doce...
dido, em sua exigencia, nao fazer mais favores,
por nao querer ter mo pago 1!
Creio que aprsente exiiosijo verdica, como ,
e toda firmada em certidoes, que por brevidado
deixo de publicar, patntela a justa razo que te-
nho para me quexar do Sr. Miranda Veras.
Du felo fazer o Sr. Miranda Veras o inventaro
sera que eu, como herdeiro, osse citado para
nem um s de seus termos; avahar e partilhar
neos que so achavam em meu poder na cidade
de Olinda e que por mim nao foram aprevenlados
para tal lira: e concluir o invernado que foi pre-
cedido o ^eguido de circunstancias to graves;
ludo isto era mais que sufficiente para que eu me
julgasse offendido no meu direito e erguesse a mi- i
aba voz contra os desmandos e escndalos, que se' Car vio de pedra.
contera era todo o procedimento do 5r. Miran- Cervoja.........
da Veras no que respeilo ao celebrrimo inven- i
lario.
O governo que comprehenda todo o perigo que
corre a justca, confiada s puras mos do Sr. Mi-
nao
quero pagar multa de lO.i*, que m irapos-
HA nn i;., 1 .. ;n..n..i....... .... biH.M .v.. rn i:.. .
e"
c : Dr. Maximiano Francisco
nques de Miranda.
Remettem-nos o segointe
Duarte o Joo Ben-
que remettam procuraco, ao contrario sempre fa-
rei, sso Ihe digo para que nao se persuadan) que
quero augmentar custas, toda e qualquer demora
Vimos urna caria de" Tacarat, de pessoa cir- r'ausa augmento de despezas, seus araados cla-
curaspecla, que nos diz que os assassinalos por! niara con ira mira, porm nao dizem que elles
aquellos centros continuara, tendo sido uliimamen- qUe esli fazendo asneiras, e que por ellas que i julgar conveniente
te na comarca da Fazenda Grande assassinadocom mas rusIas pagarao, se uo comparecerera e mes-
0 publico que aquilate a enormidade do proce
'"monto de um homem a quem infelizmente foi
.^nfiada a alta missao de julgar I
O Sr. Miranda Veras que se convenga de que,
se poude abusar da longaniraidade e boa f dos
herdeiros, residentes no alto serto, jaraais pode-
r contar cora o meu silencio ou indiflerenca !
Aguardo a recepcao de novos documentos, que
deven) estar era camiuho, e voilarei imprensa se
gado, e do bruto a 1*900.
Vendeu-se a 80*000 a pipa.
Os seceos salgados venderam-se
de 150 a 160 rs. por libra.
O pilado da India vendeu-se
a 2*600 por arroba, e o do Ha-
ranho a 3*.
Vendeu-se o de Lisboa a 2*600
o galn, e o do Estreito a 24400.
Bacalho.......Vendeu-se cm atacado a 16*900
por barrica, e a retalbo a 16*000; j
BOUdo era deposito 3,200 barri-
cas.
Vendeu-se a 1*400 rs. o gigo.
Idera de 6*600 a 7*400 a ar-
roba.
dem de 1*600 a 2*300 a libra.
A do Rio-Grande do Sul vendeu-
se de 1*000 a 4*500 por arro-
ba, e. a do Rio da Prata de 1*600
a 3*000, tirando era deptMto
49,500 arrobas da primeira e
9,500 ditas da segnnda.
Vendeu-se a 19*000 a tonelada.
Idera de 5*400 a 6*000 a duzia
de garrafas.
Vendeu-se a 55700 a frasqneira.
A ingleza ordinaria vendeu-se
cora 320 por cento de premio
sobre a factura.
Manteiga.......A ingleza vendeu-se a 910 rs. a
libra, e a fnnceza a 040 rs. *. fi-
cando em deposito 600 barris de
ambas.
Massas......... Venderam-se a 63000 a caixa.
Batatas......
Caf........
Cha.........
Carne secca..
30:800*894 te, contra os administradores da massa fallida de
Andrade & Leal, e correndo dita execucao os seus
devidos termos, procedeu-sea penlioraem dinheiro
na quantia de 299*852 res, existentes no deposito
publico, e pertenerntes a referida massa, pelo que
[ pelo solicitador Clorindo Ferreira Calao.procuradoi
] do exeqnento em audiencia publica do da 14 o
1 corrente wez, fora felo o requeriraento do iheor
' segrate :
Aos 14 de novembro de 18C4, nesta cidade do
Recife de Pernambuco era publica audiencia que
aos fetos e partes fazia o Dr. juiz de direito espe-
cial do comraercio Trsto de Alencar Araripe,
n ella pelo solicitador Clorindo Ferreira Clao pro-
curador do exaqnenta Bento Jos da Costa, fora ac-
ensada a penhora feita em dinheiro na quantia de
299*852 res, existentes no deposito publico, per-
tencentes a referida massa e para pagamento das
custas da mencionada execucao, requerendo que
nao s lirassem assignados o* 10 das da lei a pe-
nliora, como os 10 das aos credores incertos, para
culo flm se Ihe desse os edtaes do estrilo,
O qne nuvido pelo juiz assim o defino : estrah c
prsente do protocolo de audiencias e junto aos au-
tos a caria preratoria.
Eu Faustino Jos da Fonceca, escrevente jura-
mentado o escrevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
S^eRuindo o que assim se continha em dito reque-
rimiento de audiencia, depois do qual o respective
escrivo que Manoel de Carvalho Paes de Andrade
quo esir suhscreveu e fez passar o presento pelo
qual c seu theor chamo, cito e hei por citados a lo-
dosios credores incertos do referidos cxeculados os
administradores da massa fallida de Andrade &
Leal para que dentro do mencionado prazo de 10
dias| comparecam ante este juizo allegando e pro-
vando tudr quanto for a bem do seu direito e jus-
tca; sob pena do se proceder as suas revehas.
H para que eheguc ao conhecmento de todos
raaijdei fazer e prsenle edital, que ser affixado
nos lugares docostume e publicados pela imprensa.
Genehra,.
Louca.....
Oleo de linhaca..
Passas..........
Quoijos.........
dem a
dem a
590 o
->v
UO a
galao.
caixa.
A sorte Ihe predlsse, ha mais de um anno,
Que marcado Ihe fra o vasto ocano
Por jazigo final.
Em vo fugir tentou ao seu destino,
Que alm, gemendo, o mar Ihe enta o hymno
Do triste funeral.
Do verde palmeiral grata sombra
Mais qnizera o canior ter por alfombra
A ierra em que nasceu :
tarde ouvr das aves o corgeio,
a noiie recoiher no fro seio
Os orvalhos do cu.
Mag uao quiz o destino caprichoso,
Qne o cantor das palmeiras mavioso
Dormisse sombra dellas :
Qaiz dar-lhe mais exieosa sepultura,
Onde, em vez de mil cantos de ternura,
Ouca a voz das proceflas.
Melhor foi I.... que nao deve o frgil barro,
Qne cm si conieve um genio lao bizarro
Ser dos vermes roldo.
Envolncro de espirito divino,
S lbe deve alternar da gloria o bymno
Ocenico gemido.
Envolucro d'ama alma grande e nobre,
Alguns palmos de trra era mu pobre
Jazigo a genio tal.
Do atlntico a vasta sepultura
E' mais propria, de certo, e mais n'altura
Do cantor iramorll.
urna surra Manoel da Costa Alerrim, que andava
por all em negocio, sendo os assassinos ManoelJ.
Jeronyrao de Menezes e seu lilho Benevides de Me-
nezes, os quaes conlinuavam a residir no mesmo
lugar onde se deu o fado, pois se contentara a au-
loridade polirial a proceder corpo de dclicto. Cor-
ra tambera por certo que fora assassinado, para os
conlius da provincia, o alferes Tiberio Capistrano
que exercia o lugar de subdelegado e comman-
dava um destacamento.
Foram tran-feridos para o dia 2.' os exames
da Escola Normal.
Foi transferido para a cadera de nstruccao
elementar de Nossa Senhora do O' de Ipojuca o
Sr. Torquato Laurentino Ferreira de Mello.
REPARTIQAO DA POLICA :
Extracto da parte do dia 19 de novembro de
1864.
Foram recoihidos casa de detenciio no dia 18
do corrente :
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Alexandrina Maria Mauncia do Espirito Santo,
Antonia Mara L'mbeiina da Conceiro, ambas por
briga.
A' ordem do de S. Jos, Manoel Jos do Nasci-
mento, Manoel Rodrigues Serpa, Desiderio, es-
rravo de Amonto Al nso Ferreira, e Sergio, es-
cravo de Francisco Jos ruarte, todos por dis-
turbios :
O chefe da 2" seeQo,
J. G. de Mesqmta.
Passageiros do vapor Apa, vindo dos portos
do norte.
Major Francisco Eduviges de Souza Mascare-
nhas, sua mulher, 2 filhos p 1 escrava, Daniel Bar-
roso e sua mulher, Julin Luduvic Plom, Augusto
Bernardo Blandm, Amonio Ribeiro dos -antus,
Caudido Francisco larneiro Montciro, Francisco
Franklin de Queiroz, Jn> Maxiraiano Barroso,
Francisco Jos Soares, Pedro da Silva Brandao,
Dr. Anlero Manoel d Medeiros Furtad, Oraclio
d'Oliveira Araujo, Antonio Basilio Carnelro Dan-
tas, Francisco Luiz Bt-ltrao, Antonio Jos Ramos,
1 criminoso e 2 pracas, Joaquim Jos Venancio,
mo se nao maudarem proruragao nao sei mais o
que qnerera que eu fara era beneficio driles, s es-
pero que lodos comparecam, quanto as custas Ira-
gam dinheiro, pois o que Ihe peco que veja uraa I
carta qne Rufino remelle ao Joo seu cunhado. |
Espero quo se nao opporo mais salvo se querom
que eu nao receba as custas e ludo se faca de gra-
ga assim como a vista de todos, farei o que poder
e mesmo alguin abate de minha parte.
Adeos meu patricio. Aqu o espero no dia 8
para jantar.-Seu amigo M. Veras.
N. B.-Quando vierera tenho casa para todos
se arranjarem e a minha casa por V. fica espe-
rando.
(Ksta caria cuja publica forma aeostei poliyo
de queixa quo dnigi a presidencia, bem como'di-
versas oulras do punho do Sr. Veras, existe em
meu poder. Esl reronhecida a firma e nao Ihe
falla o sello.)
Esta carta que cima transcrevo, diz por si tudo,
revela o carcter do sr. Miranda Veras, o sou
corpo de del ido I! I
Ella nao precisa ser comentada : a sua leitura
convence qual o fin a que se (.ropoz o Sr. Miran-
da Veras, o a natureza do meio a que soccorreu-se!
Entretanlo farei bem sensivel que nella, primei-
ro usa o seu autor de um ardil, dando o conflicto
ja decidido em seu favor, no mez de novembro,
quando s o foi era marco do corrente anno; se-
gundo chama a atteneo daquelle quem se dirige
para nma carta que sobre as custas o seu escrivo
(Rufino) esereve a oulro herdeiro ; terceiro, pro-
melle fazer abate as despezas; quarto, finalmen-
te, declara ler casa para os herdeiros se arranja-
rem e e.-tar a sua propria casa destinada a rece-
ber o herdeiro Jos Vctor I......
se a letra e assignaiura da caria nao estivessem
reconhecidas serem pruprias do Sr. Miranda Ve-
ras, jamis se poderla acreditar que liouvesse juiz
que a lauto desce-se I
Mas ah nao terrainou o seu srdido interesse :
fui alera___
Etdava decidido pelo Jr. Miranda Veras que no
mez de dezembro se ultimara o inventario, natu-
Alemans Bertelonico, Belisario do Reeo Barros, ramenle para que com a importancia das cusas,
Jos Patricio do Santa Auna, tenente Antonio Jos; ainda que abatidas na promessa e augmentadas na
de -anta Anna, Mara Sabina d'Oliveira, Alfredo \ cobranca, podesse passar festa folgada I
Googalves Machado, salustiano Antonio, Jos Tho- E pois nao hoove para elle embarago ou difllcul-
Rodrigues d'Azevedo, Manoel | dade alguma que nao fos>e superada, erabora cora
grande olfensa da lei e cora sacrificio dos direitos
dos herdeiros I
Exislindo na Boa-Vista tima posse de trras na
tra na fazenda Panellas, oulra
acho do Ponial, e a da fazenda
pertencentes ao casal inventariado,
nao foram avahadas, e nao obstante foi feita a par-
tilha, augmeniando-se assim as custas e despezas
do celebre inventario I
Para o acto
maz Gomes, Jos
Amonio souza Cabral.
Passageiros do hiate nacional Sobralense,
sabido para o Acarac : Jos Thom da Silva,
Francisco Goncalves da Justa, Jos Gomes da Fro-1,
ta, Joo Firmino de X. Cavalcanti, Simplicio Coe- zenda Jamba, ou
Iho de Resende, Virgilio Augusto de Moraes, Joao P,a "a Cruz dona
Adolpho Ribeiro da -ilva, Francisco Antonio de Boa-pperanca, per
Oliveira Sobrinho, Francisco Gomes Prente, Ig-
nacio Pereira de Almeida Guimares, Horacio da
Silva Rebello e Castro, Jos Doraingues da Silva,
Pompilio Numa Pessoa, Guilherme Joaqum da Para o acto da partilha fra designado o dia 9
Silva Braga. Pedro Ignacio de Souza Ribeiro, Joo de dezembro, segundo declara o -r. Miranda Veras
Capislranode Souza Vasconcelos, Manoel de Mello <:m .sua carIa> entretanto que leve ella lugar a 17
Cordeiro Monte-negro, Ravmundo Antonio de Oh- de dezembro.
velra, Antonio T. Pinhero'de Oliveira, Jos Igna-I Para esse acto nao so delxaram de ser citados
I os herdeiros, residentes na Boa-Vista, mas ainda o
1 herdeiro Malaquias Nunes Ferreira, residente no
! Ouricury I
Constando da declarado feita pela inventarame
haverem oito herdeiros, que haviam recebido dotes
ou adianiampntos de legitima, nao foram elles ci-
tados para conlenrem os bens recebidos I E cer-
to, porm, e bem notavcl e iocomprehonslvel, que
apezar disso deu-se avaliaco laes bens e foram
elles partiihados I
Se quasi lodos os herdeiros que eslavam em lae
condigoes, como eu tarnbem, nao foram citados,
nao comparecern), nao apresenlaram os bens qne
Recife, 18 de novembro de 1864.
Joao Jos Rodrigues.
Carnar, 13 deoutnbro de 1864
Ainda e vel balhurdia,devido s autoridades pohciaes, que
depois da eleigo teem praticado toda a casta de
violencias.
O subdelegado do Behedouro, freguezia do Al-
linho, melteu no tronco, capricho, oslentaudo
prepotencia e arbitrariedade, a Jos Gomes da
Silva, o qual por taes violencias delle se queixou, e
esta o mesmo subdelegado sendo processado.
Este processo tem-lhe eslimulado as iras, de,
mo lo que prometle recrutar a todo o districto, e
effectivamente lera j prendido a rautos raucos e
contina.
O subdelegado do Altinho, primo do presidente, I
so se preoreupa com a eleigo de assalto, que faz,!
dando ustificagvs e colheudo documentos do de-
logado e juiz municipal Amorim, chefe das estra-
teglas marciaes de 7 de setembro.
O Sr. Amorim, que va cada vez a me'hor as
suas (aganhas, ao paseo que enche as algibeiras de
Brasiliano, o derantado subdelegado do Altinho,!
poe rail embaragos a nma juslifirago que o pro-
fessor Jos Isidoro e os demais msanos liberac^da
eleigao de setembro pretendera dar. A historia des-
sa justificagao por demais inleressante. O Amo-1
nm, como o principal justificado, por ter sido o
autor das violencias inauditas pratcadas na refe-
rida eleigao, segundo o que esl publico, averbou.
se de suspeito.
A peigo correu aos supplentes, que por sua
vez obedecan) s promessas de major da guarda
nacional etc., ou s ameagas, at que foi s mos
do tenente Jos dos dantos Silva Jnior, o mesmo
Sabo......
Os flameugos venderam-se de
2*400 a 2*800 rada um.
O amarello vendeu-se a 120
rs. a libra, e o do Mediterrneo
a 240 rs. a dita.
Taboado de pinho Venden-so a 40*000 a duzia, a
nliima venda.
Toucinho....... Veudeu-se o de Li.-boa a 8*200
por arroba.
Vinagre........ O de Portugal vendeu-se de 100*
* a 120* a pipa.
Vinhos.........Os de Lisboa venderam-se de
200* a 220*000 a pipa.
As de coiuposlcao venderam-se
a 540 rs. o pacote de seis velas.
O rebate de letras reguloudu 9
a 11 por cento ao anno.
Para Liverpool 176 pelo as-
ado e passado nesta cidade do Recite de Per-
nanaburo, aos 18 de novembro de 1864.
E
vao
t:
Fa
del
do
pnl
bra
na
Velas......
Descontos...
Freles
sucar, e
algodao.
Vi d. 7/g por libra do
lili
Navios entrados no dia 19.
Rio Grande do Sul 32 das, patacho dinamarquez
Fredertck, de 191 toneladas, eapitSo John Car-
person, equipagem 6, carpa 10,430 arrobas do
carne secca ; a Maia & Espirito Sanio.
Lisboa35 das, bngue portuguez Laia 2., de
207 toneladas, capito Amonio Francisco Vieira
equipagem <3, carga vinho, e outros gneros; a
Euzebio Rapbael Ribeiro.
Iquique- 66 das, galera franreza Enfant de Frail-
ee, de 667 toneladas, capilo Dirand, equipagem
26, carga borra de cobre ; ao mesmo capito,
veio refrescar.
Vacio saludo no mesmo dia.
ParahybaGalera franceza Solferino, capilo La-
isne, carga algodao e ronros.
MSts sasas-. nasa swraaBiKVrr. ., **
co de souza Queiroz e Ignacio Duarte Queiroz.
CORBESPONDEITCIAS
Ao publico.
Gravemente offendido em men direito e indig-
nado com o proredimento inqualiflcavel do joiz I
municipal do Ouricury, bacharel Pedro de Alcn-
tara Peixoto Miranda Veras, venho do alto da ira-
prensa expor ao publicos justos motivos de mi- haviam recebido em dote "on adiantameto'delegi-
nha indignagao. tima, como foram taes bens avallados e nartilha-
Sei quanto sao indiferentes ao juizo do publico dost I
aquellas que como o juiz municipal do Ouricury, I Entre os herdeiros que devam conferir bens re-
por moros ignobeis se entregara a todos os des- i cbidos nola-se Jos Vctor : mas desie foram apo-
de setembro nr ximo passado, o qual a dospachou
para o dia 10 do corrente,
No da 9, s 9 horas da noite, chegando elle |
cidade para a audiencia do dia seguinle, apenas
ia-se apeando preso pelojuiz municipal Amorim,
que o trancafiou na casa da cmara I E deste mo-
do ficou fruslada a justificagao I
Ao passo que essas autoridades proceden) com
lana activdade as perseguiges eleitoraes, os
assassinatos se do impunemente as proximidades
das suas habitages.
Effectivamente, a menos de urna legoa da pavoa-
go do Altinho, Simo Bispo matou brbaramente,
com um faco a Pedro Celestino, por alcunha Pe-
dro viado, e escondeu o cadver entre amas pedras,
apagou o sangue de que eslava banhada a estrada,
lugar do delicio, e mandoa-se mudar muito fres-
camente.
H. W. Penny, carga algodao e outros gneros.
Ro de Janeiro pea Baha Brigue bremense Ca-
rtna, capito G. R. Rohlfs, em lastro.
Navios entrados no dia 20.
New-York 40 dias, barca ingleza Airan Isle, de
216 toneladas, capilo Charles Hudgson, equi-
pagem 9, carga 2,401 barricas com farinha de
trigo; Phipps Brothers & C.
Terra Nova32 das, bripne inglez Glaucas, de
226 toneladas, capito Willeam Jones, equipa-
gem 13, carca 2,250 barricas com bacalho:
Saunders Brothers & C.
Babia16 das, palhabote brasileiro de guerra Uto
de Contas, commandante 1 tenente Joaqun) No-
lasco Fontoura Pereira da Cunha.
Navios sahtdos no mesmo dia.
LisboaBi ifrne portuguez Laia III, capito Jos
Antonio Ribeiro, carga assucar.
te pelos suburbios do lugar do delicio.
EDITAES.
O doutor Trsto de Alencar Araripe, official da
imperial ordem da Rosa, juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recife de Per-
nambuco e sou termo, por Sua Magestade Impe-
rial e Constitucional o Senhor D. Pedro II, a
quem Deus Guarde etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que no da 21 do mez da no
reabro do corrente anuo, se ha de arrematar
u Manoel do Carvalho I'aes de Andrade, escri
o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do com-
raercio desla cidade do Recife de Pernambuco c
ru termo, por Sua Magestade Imperial e cons-
tucional etc. etc.
ac saber aos que o presente edital virem e
c noticia tiverem, que no dia 21 de novembro
corrente anno, se ha de arrematar em praga
lira deste juizo, na sala dos auditorios, um so-
lo de dous andares sito a ra da Aurora n. 50,
tregnezia da Boa-Vista, com varandas de ferro
o primeiro andar, tanto na frente como' no oitao-
tendo grandes salas, quartos, cosnba e um peque-
no quintal, avahado e:n 25:000*, o qual va pra-
ga por execugo de Jos Pereira Bastos contra
Francisco Antonio d'Oliveira.
V\ nao havendo langador que cubra o prego da
avaliaco, ser a arrematocao feita pelo valor da
adjudirago com o abato da lei.
E para que o presente ch'gne ao conhecimenlo
de todos, sera publicado pela imprensa e afllxado
na forma do estj lo.
Cidade do Recito, 28 de outubro de 1864.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nasrimento, es-
crivo, o subscrevi.
Trisio de Alencar Araripe.
'. Tristao de Alencar Araripe, official da ro-
al ordem da Rosa e juiz de direito especial
dQ commercio desto cidade do Recife de Per-
nambuco e seu termo, por sua magestade impe-
rial, etc.
Fa>0 saber que no dia 12 de dezembro do cr-
reme anno, se ha de arrematar em praga publica
desl juiz > uma casa terrea, sita na travessa do
Peinlo n. 8, com una porta e Janeila na frente
tendo 18 palmos de largo e 40 de fundo ; com urna
na frente e um quarto, e uma pequea sala
com cosinha, avahada por 400*000, cuja casa
[ienhorada por execugo de Jo.> Hvgino de Mi-
randa contra Manuel Jos Teixeira Bastos, hoje Ma-
noel Bastos de Abreu c Luna.
E nao ha vendo langador a arrematacao se far
pela adjudirago na forma da lei.
O presente ser publicado pela imprensa e affi-
xad' nos lugares do eostume.
Recife, 12 de novembro de 1864.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascraenlo, es-
crivo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O n
P*l
sala
alra
foi
por
Salsa de Rristol.
MOBTES CAUSADAS POR MINERAES.
Fazem-se uso de lodos os venenos activos na
medicina e lodos finalmente encurtam a vida. A
salsa parrilha de Bristol um dos poneos reme-
dios verdaderamente e puramente vegetal. Ella
nao conten um s grao de mercurio, arsnico, venda a'qVem"mas'drein praca pabra'denos
strychnraa, brornme, radme ou oulro qualquer da audiencia respectiva, a casa terrea n 47 em
veneno. Alm disso e nm antidoto contra os mes- terreno foreiro, sita ra de Santa Rita freeueza
mos e cura as molesas que estes causara. Pela de S. Jo<, tendo porta e janella na frente c"m ro-
maior parte das yezes estes venenos curara uma tulas, duas salas, dous quartos, cozinha 'ton, um
moles na subst.turado-a por oulra : porm a salsa pequeo quintal, cacimba meieira, e noria que dei-
parnlha de Bnsiol opera com a nalurea e nao ta para a ra da Praia de Sania Rila avalla por
r~
Santa Casa da Misericordia d Hecife.
A lllma. junta administrativa da Santa Casa d
Misericordia do Recife, lendo de contratar serven-
tes [para os restabelerimenlos pos a seu cargo,
dando-lhes, alem da paga eonvencionada, o susten-
to, e curando-os em suas enfermidades, manda
com idar as pessoas que tiverem escravos de ambos
os saos, e que os queiram alugar para semelhan-
te lim, a comparecerem na sala das sesso s da
mesma junta as quintas-feiras, que nao forem
impedidas, pelas 4 horas da tarde.
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do
Recife, 12 de novembro de 1864.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
-* Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematago da illumraago publica da cida-
de do Rio Formoso foi transferida para o dia 24 do
corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 12 de novembro de 1864.
O secretarlo,
A. F. d'Annunciago.
. CORREIO GERAL
Relaco das cartas seguras existentes
na administradlo du correiu desta
cidade para es sentares abaixo de-
clarados
Antonio Jos Goncalves Pereira.
Francisco de Mello Barrete. *
Guilherme Digel.
Goncalo Jos Alfonso.
Joaquim Felippe da Costa.
Joaqun Pereira Azevedo Ramos.
Joo Chrisostomo de Oliveira.
Dr. Jos Ferreira Druvalle.
Jos (Pacheco de Arago.


Diarlo de iyeraa.mfeuea Neguuda tele ti de .Yovembro c iS4.
Para Lisboa.
Sahir com brevidade o patacho portagnez Ma-
na da Gloria, recabe carga i frele e passageinis:
traia-se com seu consignatario E. R. Rabeilo, ra
D. Lima Antonia de Siqaeira.
Manoel Alves Guerra.
Manoel Firmino Ferreira.
Pela administracao do correio desta cidade,
so faz publico que hoje (21) s duas horas da lardo da Cadeia n. Sj, escripturio.
fechar-sehao smalas que o vapor Apa tem de I Para O Iklo'de lanclro.
conduzir para os portos do sul. As cartas serao
admittidas a seguros e o* joraaes recebidos at o
meio dia.
Vai sabir com brevidade o brigue nacional Sym-
pathia, de primeira classe; recebe-se carga e es-
cravos a frete : a tratar com Manoel Ignacio de
oliveira e Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
tara o ftio de Janeiro
esperado em poucos das o brigue nacional
] Almirante, o qual j lem parte de sua rarga enga-
iSo se tendo reunido numero legal dos jada 5 para o resto que Ihe falta e escravos a fre
COMPANI IA
mi 4
COXSELIIO'
DE
Srs. acciouistas para ter lugar a asserabla :te. Pa os quaes tem excellentes commodos trata- ti vos premios semo8M
gel annunciad para hojl de ordem do | ^SSSSSST^ '
AOS 61000.000
Bilhetes garantidos
A' ra do Crespt n. 23 e casas do costme
O abaixo assigoado vendeu nos seas multo feli cess|ta d( ^ pkvhumidade nos ps
os seguintes premios:
N. 871 um bilbete inteiro cora 6:0003000
N. 2107 dous quartos com 1:4005000
N. 2440 dous quartos cora 5004000
E outras maltas surtes de 1003, 403, 205 1#
Os possuidorea podem vir receber seus respec-
descontos das leis na Casa
Deixai qne os Hunos d* civilisacao vos preguem
economapara os pos 11 E*ta parle do corpo
humano por certo acuella que, ne.-t>- clima, ne
estas a perda da saude e da vida !! Fra com as
botinas e sapatos velhos; reforma-Ios
45-Rua Direita-45
Borzeguins franeezes para homem
Ditos inglezes idem a 83, 73 e
Ditos para senhora
Ditos para menina
no sen escriptorio ra da
Para Lisboa
Pretende sabir com a maior brevidade o lugro
portuguez Julio, para o que tem a maior parte da
carga prompta, para o resto e passageiros a quem
offerece os mulhores commodos trala-se com o
consignatario Thomaz de Aquino Fonseca na ra
do Vicario n. 19, primeiro andar,ou com o capilo
o sr. Francisco Antonio Meirelies, na praca.
LEILOES.
LEILAO
M
501) caixas com massas italianas
HOJE
Manoel Joaquira Ramos Silva & genros farao
leilao por conta e risco de quem pertencer e por
Sr. director sao novamente convidsdos os | cruz n. i.
mesmos senhores a se reunirem no dia 25
do corrente ao meio dia no escriptorio da
mesma companhia, aGm de examinar as
contas do semestre (indo, approvar o orca-
mento do semestre vindouro, tratar de edi-
ficaejo de novas caixas e mais obras neces-
sarias ao fornecimento d'agua e concessao
gratuita da mesma ao hospital de caridade.
prevenindo-se desde j que, na conformida-
de do art. 16 dos estatutos, a reuniao ser
considerada completa e ter efleito com o
numero de accionistas que comparecer nes-
te dia.
Escriptorio da Companhia do Beberibe 18
de novembro de 1864.
O secretario,
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Na audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos
do dia 22 di correte tem de ser arrematado o
sobrado de dous andares com um armazem e ter-
reno por detraz, sito na ra da ^enzala Ve I ha n.
110, perteocente aos herdeiros do finado Joaquim
Lobato Ferreira, sendo a dita arrematacao reque-
rida pelos herdeiros maiores e pelo tutor dos or-
phaos fllhos do finado Manoel de Almeida Lopes.
A subdrlegacia da Capunga faz publico que
se acha recolbido na casa de dttencao desde da
16 do corrente mes o pardo Valerio, o qual anda-
va fgido e diz ser esrravo de Antonio Cabral, mo-
rador na villa do Limoeiro : quem se jnlgar com
direito ao dito escravo, provando, Ihe sera entre-
gue. Capuuga 18 de novembro de. 18Gi.
O subdelegado em exercicio,
Francisco Antonio da S.lva Cavalranti.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematado da obra dos reparos do empe-
dramento da estrada da Victoria entre os marcos
de 8 a 10 mil bragas foi transferida para o dia l*
de dezembro prximo viudouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 17 de novembro de 1864.
O secrelario.
A. F. da AnnuBciacio.
Pela thesouraria provincial se faz publico, I
qne a arrematado da obra do aterro da ra do l.i-1 Dio le i I do corrate.
ma na cidade Nova de Santo Amaro foi transfer- A Q c*de A()reu ^ m^ por interven.
da para o dia_24_do correte. ; p5n ,, a^ntfl Pes,ana. de diversas fazendas fran-
Acham-se venda
ceira lotera a benefle
SWiSnAB: BBSHBRSa so,as
fif .d*Aani! ^LS^ os dito de sola o vira
ricordia-queVextrahir no dia 24 de novembro. JSl ViiSito S senhoras
Precos.
Bilhetes intoiros..... 73000
Meios......... 33500
Quartos........ 1*9>
Para as pessoas que comprarera
de 1003 para cima.
Bilhetes........ 500
Meios......... 33^30
Quartos......, 13700
Manoel Martins Fiuza
; Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete para homens
nhoras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
53000
(3000
43800
23000
53000
53000
43000
13400
13000
Fublicaeao Iliteraria.
Sabio luz o opnsouln intitulado
A i-iEt:;iei>\m
><<
MUTA ATTENCiO
Precsa-se de urna ama que cozinhe e en-
gomme para duas pessoas : na ra da Penha o.
23, primeiro andar__________________________
HDAME
VIUVA ROUTIER
faz publico que mudou seda sua residoncia da ra
Bella n. 29 para a mesma ra n. 39.____________
Trapiche da Gamboa
enao por conia e risco ue quem peruana fu ,, ___.! i. ne
otervencao do agente. Pestaa de 500 caixas com Alfadcgatlo pOP Ca 18 imperial e 1)
massas italianas sorlidas desembarcadas ultima- de DiaPCO de 1863.
mente, as ques sero vendidas em um ou mais !
lotes : seguoda-feira 21 do corrente s 10 horas
di maobaa no armazem do Annes.
LtlUO
60
figos.
DE
eaixas com
iioaE.
Thomaz de Aquino Fonseca Jnior far leilo
por conta e risco de quem pertencer de 60 caixas
de 16 libras cada urna cora figos mui.o nov os de-
sembarcados ultimamedte, serao vendidos em um
ou mais lotes : s-'gunda-feira 21 do corrente pelas
10 horas da raanhaa no armazem do Annes
LJQIIiAO
e se-
13000
13000
500
13600
Aviso aos senhores e senhoras
Av Aviso aos senhores & senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras.
ovo sortimento
C'aixei ni. Movo sortimento
Precisa-se de um caixeiro de 14 16 annos, Novo sortimento
quo tenha praiica de taberna; na ra da Madre de Novo sortimento
Dos n. 5, e d fiador a sua conducta. i Novo sortimento
~0 doio-da-Stiga fabrica de charutos e i- < gj gg^ VlmSos
garras sita a.esHuina da roa de Dorias n. 1 ten-! g ggg Jggf
do fe.to reduelo nos pregos de suas mereador.as,, caixQhas e q'lladros
ronvidaaos seus freguezes a virem lionrar seu es-1 De caxjnhas fi quadros
Ivseravos.
Precisa-se alugar um coziheiro e um criado
que sejam escravos : na ra da Cadeia n. 52, ter-
ceiro'andar.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam- t^TTJ'S
buco, 17 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. da Annuiiciacao.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrenalacao da obra da ponte do l'ontal na
ilha de Itamarac foi fransferida para o dia 24 do
crreme.
Secretaria da ihesouraria provincial de Pernam-
buco, 17 de novembro Ue 1864.
O secretario,
A. F. da Auuunciacao.
T11EATH0
cezas e iuglezas, todas proprias do mercado : ho-
,e 21 do correte s 11 horas da manhaa em pon-
.o, no seu armazem ra da Cadeia n. 37.
LEILAO
DE
Mantimentos, cabos e trastes.
Tctra-feira ti do correte s 11 horas,
o armazem do Sr. Aunes defronte da al-
fandega.
OLIMPIO
vender em leilo os manlimeutos, cabos e diver-
sos mov is tudo perteuceuie ao patacho hambur-
guez AJelbert. '_________________
LEILAO
BMPBEZA
geum\\o & m\mu.
Qnaria-feira 93 de noveaibro.
Segundo c ultimo espectculo. Concert em
beneliciode Mr. A. Reicbert, flautista de S. M. o
rei dus lielga-, com a coadjuvao da companhia
dramtica.
PRIMEIRA PARTE.
A orchestra executar una escolhida ouvertura,
depois da qual subir scena a linda comedia em
um acto
FIELWiOTELlDABE
Em seguida o heneliciado executar a excclleu-
*.e phanUsia de sua composivao
A HKL.MCOLI.I PASTORIL.
Acompanhado ao piano |ielo disncto maestro o
Sr. Smolls que o coadjuvar em lodos os iuter-
vallos.
SEGUNDA PARTE.
Ouvertura pela orchestra.
A companhia dramtica representar a graciosa
comedia em 1 acto f
SIM OU NAO?
O beneficiado intervalar com a i.ntkodl'ccao e
rvR\NTEt.LA, igualmenie de sua cotnposicao
TERGEIRA E ULTIMA PARTE.
A execuijo da espirituosa comedia em um acto
pela companhia dramtica
MUJLUER
nous JARIOS.
Terminando o espectculo com brilhantes va-
riaeoe, imitando duas flautas, sobre o thema do
' CAENAVAL DE VENEZA.
Depois do que o beneficiado executar a linda
polka
A EMCEIIM.
O beneficiado anticipa seus agradecimentos
todas as pessoas que o hinrarem, e bem assim ao
distincto pianista que o eoadjuva.
Comecar s 8 horas
DI
100 saceos com i'.-ij malatiulio.
Terca-foira do corrente,
Marques Barros & C. faro leilo por interven-
cao do agente Pestaa e por conta e risco de quem
pertencer de 100 saceos cimexcellente fejo mu-
latinho vindos do Kio de Janeiro no lugre portu-
guez Julio I, em um oa mais lotes a vontado dos
compradores ; terga-feira 22 do corrente pelas 10
horas da manba no trapiche do barj do Livta-
metito no Forte do Mallos.
Este Jantigo e importante estabelecimento, um
dos mais bem montados desta corle, com vaitissi-
mas caxias para arrecadagao de assucares e ou-
tros gneros nacionaes ou estrangeiros todas cor-
ladas por trilhos de ferro assoalhadas e forradas
de madeira com euinchas em todas ellas para ar-
rumacao e safamento de gneros, com urna ponte
sobre o mar, de 600 palmos de extensao, com p-
timos guindastes, um pessoal muito pratico Baste
servigo, prop5e-se a armazenar assucar em caixas,
feixes ou barricas pelo tempo de seis metes por
40 rs. em arroba e em saceos 30 rs. ; asmadeiras
de qualquer qualidade que forem nelle depositadas
pagano pelos primeiros seis mezes o mesmo que
actualmente pagam por tres mezes nos dentis tra-
piches e dos semestres que se seguirem tero um
abatimente de 20 por cenlo ; recebe por precos
muito mdicos qualquer mercadoria comprehendi-
da na stima tabella do regulamenlo das alfan-
degas.
A venda dos gneros nelle depositados, faz-se
eom as mesmas vaotagens que oferecem os mais
trapiches porque as condiedes para qualquer parte
da cidade sao pelo mesmo prego.
Rio de Janeiro, Io de outuoro de 1864._______
Precisa-se de urna ama que seja capaz para
o servigo interno e externo de urna casa de pe-
quena familia : da ruados Guararapes n. 18, so-
brado.__________________________________
jlo Maria Cordeiro Lima com escriptorio na
ra do Imperador n. 26, tem para vender 20 pipas
de mel nHVo de excedente qualidade em barrls de
5o e de 12 em pipa, muito bem acondicionados :
quem pretender compra lo dirija-se ao mesmo
escriptorio das 9 horas da manhaa as 3 da tarde.
Aluga-se urna ama que saiba bem coziohar e
de boa conducta, preferindo-se escrava : na ra
estreita do Rosario n. 32, primeiro andar._______
~Desenca"minhou-sc no dia 16 do corrente da
ra Nova de Santo Antonio, um cachorro galgo
com os signaes seguintes : amartillo desmaiado
: com urna orla branca em torno ao pesengo, os ps
'calcado-; de braneo, houve quem o visse seguir
pela Gamboa do Carino : quem o pegar ou delle
j der noticias pois bastante conhecldo levemno a
casa de detengao a entregar ao administrador, que
gratificar alem de licar agradecido.____________
Pede-se a certas
06
da freguezia de Santo
Aos 6:000>00.
Quinta-feira 24 do corrento mez, se ex-
irahir a quinta parle da terceira lotera
(H7a) a beneficio da Sania Casa de Mise-
ricordia, no consistorio da igreja
Senhora do Rosario
Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
yenda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000(5000 at 10,5000
serao pagos urna hora depois da extracto
ats 4 horas da tarde, e os outros no dia
seginte depois da disiribuicao das listas.
O thesoureiro,
Amonio Jos Rodrigues de Souza.
senhoras qne frequeutam o
Club Pernambucino, que se abstenhain de dansar
urnas com as outras, oque s proprio de urna
sala de dansa.______________________________
~Quem precisar de um caixeiro para armazem
de assucar, o qual tem pratica para isso, auuuocie
por este Piano.
No primeiio andar da casa n. 21 da praca
da Boa-Vista precisa-se alugar um criado de 12
i annos de idade, pouco mais ou menos, prefenndo-
se escravo. ________^____________________
Alaga-se urna casa terrea na ra da Alegra,
com sollriveis commodos e p r preco muito bara-
to, assim como um terce.iro andar e soto na ra
do Encantamento : quem os pretender dirija-se
ra da Cadeian. 33, luja de Valle Porto & C.
Precisa-so alugar urna escrava para o serv-
co interno e externo de urna casa de. pouca fami-
ia: em Fra de Portas, ra dos Guararapes n.
Nossa 26, sobrado.__
Ciiro.
Precisa- o de um caixeiro de 14 a 16 annos que
tenha pralica de negocio, e d fiador a sua conduc-
ta : na ra da Imperatriz n. 10, loja de calcado.
Precisa-se de um caixeiro com pratica de ta-
berna, que d conhecimento a sua conducta, pre-
ferindo-se Portuguez: no armazem conservativo
no largado Terco n. 23.______________________
Precisase de urna ama forra ou captiva para
cozinhar, e mais poucos servigos de urna casa de
urna pessoa; na ra dos Copiares n. 3, sobrado,
amigamente becco do Lobato.__________________
do
tabelecimento com devida prolecgao de que carece
por se achar com um variado sortimento de cigar-
ros e charutos finos dos autores mais acreditados
da Bahia, cachimbos, fumo para os ditos, fumo em
folha, fumo americano, dito dito em latas, e diver-
sos artigo* para os fumantes, em quanto a quali-
dade e prego garante-se nao prejudicar os fre-
guezes.
Sitio,
Aluga-se nra sitio na estrada do
Monteiro, proprio para passar a festa
ou por anno com urna excellente ca-
sa contendo duas salas, um gabine-
te, 5 quartos, cosinha fora, estriba-
ra, cocheira para carro, casa para feitor, dita pa-
ra escravos, cacimbad'aguadoce, tanque para bu-
nho, sendo todo murado, com coqueiros. jaqueiras
ejmais de 150 ps de laranjas de diversas quali-
dades : os pretendentes acharocom quem tratar
na ra do Imperador n. 71, primeiro audar._____
Ao amanhrrer do dia 2Q de outubro do cor.
rente anno de 1864, furtaram do cercado do en-
genho Aldea, da freguezia do Rio Formoso um
quarto de carga do mesmo engenho, o qual
ruca pombo, grande, castrado, nao novo, tem no
olho esquerdo urna belide, e pouco ou nada v
pelo dito olho, tem um callo velho no espinhago,
lagar em que teve urna bexiga, levou o topete cor-
tado rente, carrega baixo, e lem estampado no
lado direito da anca o ferro do engenho em lettras
maiusculas romo aqui se v A 1,1) E A. Adver-
te-se que os cavados assim ferrados, nao sao tro-
cados neni vendidos, e os que forem encontrados
som ser servigo do mesmo engenho sao fua-
dos, e devem ser apprehendidos; portanto roga-
se s autoridades polica**, e mesmo qualquer
pessoa do povo, qne sendo encontrad >* ditos c-
vanos sejam apprehendidos e remedidos ao admi-
nistrador daquelle engenho ou ao aballo assigna-
do proprielario do mesmo engenho, que resido na
cidade do Rerlfe, ra do Hospicio n. 50 Cidade
do Recife, 26 de oulubro de 1864 Caetano Jo.-
da -ilva Sauliago.
Aluga-se a casa terrea da ra do Soreg n.
2 : a tratar na taberna da ra do Rangel ti. 7.
Ao publico.
A mesa regedora da irmandade da glo- 'i^
riosa vrgem ina-tyr Santa Cecilia, ere ta M
na igreja de N. S do Livramento desta |H
cijtade, faz sciente ao publico e aos nos- |ag
sas mu dignos irmos que por motivos K
julos i|ue lo los devem estar scientcs e 9
inteiraiios, deixa de fazer a festa de nos- \j
sa padroeira com a devida pompa como ^g
mi
m
m
rXii
m
m
m
m
&
'!'>
0-.iS T 1 ,,1a,i' Pela delegara do 3 districto do termo
ClTUrgiaO Leal HllKlOll BeeU se faz publico que em poder do um deserto
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
M
MaTega^o costelra a vapor.
Macei e escalas.
O vapor Parahyba, comman-
dante Martins, 'seguir no dia 25
do corrente s 5 horas da Urde
para os portos cima indicados.
Recebe carga at o dia 24. En-
oramendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sahida : escriptorio no
Forte do Mallos n. i.
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer liof a pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripia
Roobaram
na noite do da 18 do corrente mez duas cabras
(bicho) com os signaes seguintes : a cabra de cor
preta, com um calombo no vasio do lado direito, e
sem chifre; a outra pequea, filha, de cor preta,
com cabega branca e piutas, e sem chifre-*: pede-
se a todas as pessnas a quem for offerecida para
comprar, que apprehendam e remeltam por um
portador Fora de Portas, na ra do Pilar n. 3,
primeiro andar, que ser generosamente gratifi-
cado.
5g e de costme. Tomou a mesa a delibe-
gfi ragao do fazer urna missa cantada solein-
5 ne, e para as passar o dia da nossa pa-
B| droera desapereebido, tem s de cantar
32 una missa nova, a qnal aqui anda nao
^ foi ramada, quu foi offerecida a mesma
Ib padroeira pelo nosso mu digno rmao o
escrvo por eleigo o Illm. Sr. Jos
Francisco do R--go, a quem a mesa Ihe li- ^">
ea assas graia por lao generosa offerta ; ^
a mesma mesa pede aos seus irmos que rjt
a coadjuvem como de esperar. S
0 secretario jiiiz interino, H
Candido Jos Rodrigues de Lima. XS
&WkMWt mmm ^ mm mt
Caixinhas a 1500
Caixinhas a 15500
Caixinhas a 1 500
Caixinhas a IfSOO
Caixinhas a 14500
Caixinhas de 53 por 43
Caixinhas pe 53 por 43
Caixinhas de 53 por 43
Caixinhas de 53 por 43
Caixinhas de 53 por i5
Rcceberam-se 10 mil caixas
Reeeberam se 10 mil caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Reeeheram se 10 mil caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Carines de visita
Car loes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
A 103 a duzia
A 103 a duzia
A 103 a duzia
A 103 a duzia
A 103 a duzia
A galera est renovada
A galera est renovada
A galena est renovada
A galera est renovada
A galera esta renovada
Cora ricos i-rtinados e tapetes
Com ricos cortinados e tpeles
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos coriinados c tapetes
Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lindase -ariadas vistas de fundo
Com lindas e variadas vistas de fuado
Cora lindas e variadas vislas de fundo
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
: A" ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
1 A' ra do Imperador n. 38
I A' ra do Imperador n.38
! A' ra do Imperador n. 38
i A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
I A' na do Imperador n. i>8
! A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
POR
Alfonso ie AHmputqm Mello
Convidam-sc osassignantes a mandarcm receber
seus exemplares ua praca da Independencia ns. ti
e 8, que serna entregues a vista dos recibos das as-
signaturas ; ah tambera eslo exposlos venda a
33000 cada um. Sao sob os seguintes ttulos as
materias de que se occopa :
Inlroducgo. Nogod liberdade. O Brasil co-
lonia. Rcvolugo de 1817A Independencia A
conslitulnieAconstituigao-A revologao de 1824.
A expulsao ou abdicago. A regencia livre. 9
partido regressisla.Ameaga dos corrundas o que-
da dos livres. A regencia corcunda.Causa dos
males da regencia livre.- Regencia corcunda
maioridade.Principios do reinado de D. Pedro.
Revolta de Minas e S. Paulo.Dominio da Praia
Lcuia. dominio liberal nao impnetava os cor-
cundas.Fetos do dominio liberal.A praiaeCfci-
chorrosenatoria.A revolla e a revoluco de
1848 A conslituinte.A conslituinte.Derrota
da revolugao. Negociago de Honorio com os libe-
raes : traidores. Venda da bandeira da cone-
tiluinle. O partido liberal durante osquatorze an-
nos do chamado ostracismo. Os corrundas e oa
libones durante osqaatoreeaiino*.Captiveiro re-
signado e voluntario des liberaos durante o* qw-
lorze anuos.O povo corcunda, mi os vermelhos a
os sabios.A situago propiamente poltica.Ins-
tituigoes livres, e direitos polticos que livemos
at o iim da regencia livre, e o que actualmente
temos em lugar delles.Os representantes da na-
go e das provincias.siloaco administrativa.
O que sao nella os Portugueses. Como o gover-
no obrigadu a corromper o paiz e a fazer-lhe
sempre maior mal.Com se multiplica e se paga
a clientella do governo para sustentarle o impe-
rio corcunda.O procnsul.O procnsul da co-
marca. Dos* cargos, dos crimes e da punigiio.A
jnstiga.Juizes municipaes.Jutes de direita
Tribnaes.Os das Relagoes.Tribnnaes do Com-
mercio.Supremo Tribunal de Jusliga.O jury.
Os advogados.Concluso. Garanta dos direito?.
A moral publica.-Dos crimes.As eleigdes.
Corollaro da obra saquarema.-O i|ue a pa-
rta. Siluag.o para com o exterior. Situara*
financeira.As Guangas do estado.-A miseria.
Perigo e salvamento dos corcundas.A liga.
Como se coiifjregam os elementos para ella.Con-
sideracoesretrospectivas. A conslituinte. I'iepa-
ros antecedentes.-ConeiliacSo e opposIgSe parla-
mentar.Monta a liga.o que sao os liberaos na
liga.Que bem farao os liberaes ao paiz.0 pro-
gresso.Seus feto.O que o prgresso e que
far.Como se deve viver nesta trra erhepada
ao prgresso.Porque o prgresso s vem com-
pletar nossas desgracas e sem mais remedio.Se
lia salvario para nos qual seria o meio e bem f-
cil. -Resumo.-As cinco provincias pernambuca-
nas. Histrico e politlea ircnnda.De qu pf*-
vm a miseria. Como se corrompe na eleieao.A
reslrigo da liberdade apar do prgresso da inmo-
ralidad*. Corollaro.
58 O agrimensor do. terrenos di- mariuha
^S acha-se no campo passande o vero ; as
pessoas que quizerem fallar-lhe procu-
re-o no sitio contiguo ao sitio do fallecido
Nicolao Rodrigues da Cunha, em San-
t'Ann.i.
Precisa-se de um bom foineiro : em -aul*-
Amaro atraz da fundigao do Sr. Stai r.
O Sr. Antonio Comes de Carvalbo, que dei-
xou na loja de livros ns. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia urna carta do Rvm. Sr.vig.irio doSal-
;ii !ro, queira declarar sua morada para se poder
aliar sobre o negocio de que trata dita rana.


COLLEGIO DE
JOAQUil.
recisa-se
de nina ama
na
ra das Cruzes n. 9, segundo andar.
111111111111
rssr
Aviso.
O abaixo assigoado ra ver
que com el I
a todas as pessoas
ti ver m transnegoes, que devem di-
rigir-se a ruado Caldeireiro n. 94.
Francisco l'ereira de Meireles.
Aze-
Antonio Luiz de Oliveira
vedo & C
Agrille* do lia uro l ni i o do Poeto.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, c para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Narega^io costelra a vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Araealy, Cear
e Acaracu'.
O vapor Persmutuja, seguir
no dia 26 do correte s 5 horas
da urde para os portas indica-
do. Receber carga at o da
25. Encommendas, passageiros e
a frete at o dia da saluda s 2 horas
escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
do exercito de nome Manoel Feliciano de Mondon-
ga, foi apprehendido um cavallo que se jatea ser
furtado, e que ser entregue a quem provar ser
seu dono. .........
"TNo da" 18 do corrente furtaram de cima de
urna mesa um candieiro grande de gaz com o pe
dourado-, roga-sea quem for offerecido do o nao
comprar, e o mandar restituir na ra de Hnrlas
n. 30, sobrado de um andar, que se gratificar o
trabalho.______________________________
Para os sacerdote regulares
e seculares.
Tendo S. Santidade o Santissimo padre Po IX,
por sua Innata devogo para com a Sanlissima
Virgem Nossa Senhora da Conceigao, autorisado e
contirmado urna missa propria e juntamente o offl-
cio que devem lodos os sacerdotes, tanto regulares
como seculares, recitar no dia 8 de dezembro,
com exclusao de outro qualquer, resolveu o pro-
prietario do estabelecimento typographco da ra
do Imperador n. 15, defronte do convento de S.
Francisco, impnmi-lo de forma a ser exposto
venda antes desse dia, e assim o espera.
Frederic S. Ballin & C
. Joo Cabe tS Filho.
Francisco Rabona & Ballista.
Jaime Hera
Crdito commercal.
i Gonzalo Segara.
i M. Perera Y. Hijos.
EM PoilTlfiAL.
ATTENQAO.
Alnga-se o sitio dos Buritis com o machinismo
da lavagem de roupa, e tarabem se vende o ma-
chinismo s,ou permutase por predios nesta pra-
ga ; era chaos proprios, e tudo em bom estado : a
tratar na ra do Rangel n. 4, loja de louga.
Aluga-se a casa da ra do Tambi
30 : na ra d S. Tliereza n. 38.
H.
% ttenco
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Em Poimr.AL.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez. Castello Branco. Gumares.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covlha. Lamego.
Beja. Klvas. Leria.
Braga. Extremos. Mo 5o
Braganga. Evora. *
Faro. Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
meis. Porto-alegre. Selubal.
Penafiel. |Thomar. Vianna do Ca^
Tavira. i Villa Nova do tello.
Villa do Conde, Portimo. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
NojMfBRIO.
Bahia. Maranhao.
Ro de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo
os saques a prazo serem descontados no mesmo
ar neo a razo de 4 por cento ao anno : a tratar
Buaao da Cruz n. 1.
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engomraar : na ra da Palma n. 41, ta-
berna.__________________
Aluga-se urna casa terrea sita na ra da Glo-
ra n. 5, retficada de novo : a tratar na ra da
Moeda n. 9.
dinheiro
da tarde
Para o Porto.
Obrigne portagnez Umoo, sabe com rauita bre-
vidade por j ter a maior parte de seu rarreea-
mento prompto, e para o resto que ainda falta tra-
ta-se com o consignatario Jos Joaquira Lima Bai
rao, ra da Cruz n. 18.
~" para o Ass
s^gue com muita brevidade o hiate Dous Irmos :
a tratar c ora Tasso Irmos.
r
A
A vista do aviso telegramraa de 18 do corrente,
de Victorio do Nascimenlo Accioli Lras, em que
declara ao resoeitavel publico que sen pai o Sr.
Sebastio da Cunha Accioli Lio, o constituio nesta
tratar de
prona*
secundo andar, ou na ra da Senzala Velha n. 96, rago bastante que passou ao seu genro o Sr. So-
onde estSo as ehaves. bastiao Alves da Silva cujo ex-procurador nao
pode assignar escrlptura de rectincagao do arren-
damento do engenho Posso.___________________
Aluga-se o grande solo do sobrado n. 13 da
travessa da Concordij, com muitos cjminodos : a
tratar no mesmo.
Precisa-se de urna ama de leite
Larangeiras n. 21. _____________
na ra das
__ Aluga-se urna boa casa na povoago do Mon-;
teiro com commodos sufficiontes eno melhor local:
a tratar com o seu propietario Jos Mariano de
Albuqnerque, ra do Imperador n. 18._______
Prerisa-seliigarnma escrava para comprar-
cosinhar e engomraar para urna casa de pouca
familia : na ra da Trempe n. 2.
M
As aulas desle"collegio ftiuccionam
|S durante as ferias e tem principio no 1
i/g5 de dezempro; os Srs. que pretenderem
fSj fazer seu exame era marco dirijam-se ao
^9 mesmo collegio a Inscrever-se no livro
JE} de matricula, assim como ene nlrarao B
t| urna lista com os nemes dos Srs. lentes e ligi
S ;,s horas era que devem funecionar a ^
litljjulas. M
Esla aiqjla para alugar urna casa na llia de
Bemhca junto a ponte da l'assagem, com cummo-
do- para familia, baDho, pintada, e pelo barato
aluguel de. 1505 por anno na ra larga do Ro-
sario n. 36 se dir qm-m aluga.
%" l PAIS
19Ra Noia-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operagoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridade e perfeigao, que as pessoas enten-
didas Ihe recunhe.cem.
Tem agua e pos dentificio.
^
Maques sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorisado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pragas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temaren
saques a praso,receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 OO ao anne: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaqoim da Costa Maia.
Urna boa casa terrea para familia
est por alugar-se na da Unio n.
39: quem pretender dirija-se ra
da Aurora n. 10. Tambera alupam-
se as tojas n. 44, roa da Aurora
i Joanna Francisca de Menezes achando-se gra-
; ventele doeute, roga s pessoas que tem penhorea
i em seu poder, que os ventura resgatar na ra Im-
i perial n. 1G8, e no praso de tres das, contados de
! hoje, sob pena de serem vendidos para pagamento.
i Recife 18 de novembro de 1804.
"^"luea-se a casa terrea da ra Pilar n. 10 ; data por seu procurador bastante para
a tratar com a proprietana na ra da Cruz n. 35, todos seus negocios, fleando sem cffeito a
Precisa-se de um rapaszinha de 12 annos,
mais ou menos, para urna loja de fazendas : no
caes de Apollo n. 17.
A ttenco
Alexandre da Cunha Coelho Catanho, professor
de msica, offerece-se ao respeitavel publico para
afinar e concertar pianos por prego eommodo : na
ra de Santa Thereza n. 18.
Offerece-se para cozinhar e* urna casa par-
ticular ama moga vmda ha pouco para esta pro
vincia : quem precisar
numero 9.
dirija-se a ra do Rangel
Sociedade Remaliva i;orybanlina
De ordem do Illm. Sr. Dr. presidente, convida
aos -rs. sucios para sesso ordinar.a hoje, pelas 7
horas da noite. Secretaria da Sociedad* Reerea-
livr Corybantina 21 de n ivembro de 1864.
O 1 secretario.
Faustino Jos da Fonseca.
CABRA"
Offerere-se urna cabra muito
eommodo prego : na ra larga
boa de leite, por
do Rosario n. 24.
S. Blutn retira-se para o Rio de Janeiro.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite : trata-se na ra
Nova n. 63, segando andar.
Alngam-se baratas urnas raei-aguas na en-
trada dos pnrtoes da travessa das Barreras, bair-
ro da Boa-Vista : a tratar na ra do Cotovello nu-
mero 25
Gratifica-se
pessoa que nodiasabbado apanhod um dedal de
onro eom as iniciaos B. C. P. que foi atirado a ra
por um menino, do sobrado do pateo da Santa
Cruz que faz e quina para a ma do Rosario da
Boa-Vista : a entregar no mesmo sobrado, ou na
ra do Queimado n. 34, loja.__________^____
Urna senhora casada contina a leccionar
msica com toda a perfeigao ; os pais de familia
qne quxerera utilisar-se de seu presumo, dinja-se
a ra da Penha n. 7. primeiro andar. Na mesma
eaaa precisa-se de urna negra ou moleque para
alugar-se.__________________________________ ;
Aluga-se uraa casa em Beberibe : a tratar
com J. L M. Reg, na ra do Trapiche n. 34.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na ra da Concordia n. 23.
Chapeo/, baratos
Cbapos baratissimos!
A6*,8el0.
Grande sortimento de chapeos de pa-
lha de Italia e trancas para senhoras e
meninas que se vendem baratissimos pa-
ra se apurar dinheiro na ra do Crespo
n. 1, junto ao arco na
Loja do liara teiro!
Companhia fidclidade de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBiXO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mdreado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
Aluga-se a casa da ra Imperial n. 9
tar na ra do Oueimado n. 32, loja.
a ira-
Consultorio medico-ebirurgico ua ra larga do Ro-
sario n. 20.
O Dr. Joo Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exercicio de sua profisse,
nao s na parte medica como tambem na chirur-
giea. |______________ ,_______________
CLlil COMMERCAL,
A directora scientitiea aos Srs. socios
tanto effectivos como addicionaes, que na
noite do dia "i-i do correle tara lugar nos
saloes das casas n.*. 1 e 3 da rita do Trapi-
che, para onde de novo vai transferirse a
sociedade, um esplendido sarao, por solera-
nisar-se o quinto anniversario da visita de
SS. MM. H a esta provincia, o terceiro an-
iversario da installac5o do mesmo club, e
de presente a sua resta ti rago.
A directora congratulando-se com toda
a sociedlide por to faustos motivos que
esse dia recorda, a pelo que agora registra
Roga-se
a pessoa que procurou para comprar urna
coUecco de cartas geographicas das pro-
vincias do Brasil, queira apparecer livra- na memoria de todos, que se interessain pe
ria ns. ti e 8 da praca da Independencia, lo prgresso desta associaco, espera que a
que se Ihe dir qHem tem para vender. concurrencia dos Srs. socios e Ilustres,
-----------Para restabelecer a saude convidados e suas familias notavelmente
Alu^-se urna evitante cas* no Poco defronte contribuir para tornar mats apraztvel e
da nutriz e junto a Margen do rio Capibaribe, e brillante o divirmento que ella tem pre-
Offerece-s" orna ama de leite ; na ra larga do perto do hanho, retitleada e pintada dias, com parado para essa mate.
Rosario n. 24___________________ muitos commodos e bastante fresca pela situacSo R .fej {^ ^ novembro de 1864.
- Precisase de urna ama tao sement para co- em que se acha : a trata r na ra d0 Hospicio n. R fa 0 Bfa a
xinhar: a tratar na ra Direita n. 10. 21, ou na mesma easa na taberna.
4\ m um

>
-


TtJF
CEARA' (NORTH BRASIL) WATER COMPANY
LImTED '
I.\C0RPOBAOA SOB A LE DE ASSOCIAf.ES ULTLA DE 18C2.
Capital lh si 60,000. m6,"Un acedes de Ib st. 10 cada urna
Juros de 6 /. an0 pagaveis aos accionistas at a concluso da obra.
Directores
JSZ!!2fESitt ES& f" '**-> *-*-*-
BftiSMfitt'SfinSS'iSLi
poros.
Ptort de Ptaulic ... segunda felra ti 4e Miembro de i 4.
ROIIPA FEITA
NO
ABH1ZEI
COMPRAS.
DB
director da companhia Metropolitana de Se-
ENGENHRIHO
S8LI.ICITAD0RES
BANQl'EIROS
CORRECTORES
ESCHIPTUHIO
a dHSwLI Ifc R SHA{P- 92 Gresham Hoose.
O BANCO, BUROPB, LIMITADO, 83, ng W.liiam Street,
continente.
B. C. e seusFiliaesno
doaoB4K^!^asa,eS^ern0 *
MflM % TON*
Compra-se ouro e prata era obras velhas
daga-se bem: na luja de bilhetes da praca da Inda
pendencia n. 22.________________
Compra-se ellectivamente
ouro e prata era obras velhas pagando-se bem :
na rna larga do Rosario n. 24, toja de ourives.
Compram-so dous escravos que sejam bons
carreiros : na ra do Trapiche n. 13._________
Comprase garrafas e botijas vazias, na fabrica
de licores ra das Orces n. :)6.
UBTRXIBO VRHE.
^D
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de rouDa frita ri
todas as qualidades, tambem se manda fazer pormedida. vonude Sos Sncer-
S P? fe S dosmelhores Profesares, assim como ^m tXm
grande e tinado sortimento de fazendas de todas as qualidades, paraiwSm, I
rado secco.
rpidamente ; e a re.._
sentida a falta de agua potavel.
no da rica provincia ou capitana do Cear gran-
10" S. e Long. 38 2' Oeste de Grenw, o Cear
tS^LBSSJ* Daser*?anD0 climapdeser'**
tideocd?nm?-?a brscente e o lugar de umeommercio que vai crescendo
-laencia de ura crecido numero de oessoas abastadas nal*nn.> h, m.,.. .------
Humero de pessoas abastadas, pelas quaes ba multo tempo
A Sida?" er",0"coalm raai* 30,000 habitantes, como consta dos ltimos relatnos
do governo provincial.
denominaSrBTmt-TmTrande traero* 25EM ^T*"16 do *J1s > *"*<>*
empo mais secco s^tem conservado Sape^*" d36Ua **" CaCmbaS as quaes duranIe
*^t&SSSSlL2E? ??rtodos t attorj e nao obstante a distancia da
da-la buscar ^ com o transporte, lera sido consum.da por aquellas pessoas que podem man
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 350 e 304000 Ditos de setim oreto
Sobrecasacasdem, 30 e 25,5000 n;t a aZ j \
Paletos dem e de cores, 250, ****. ettos esedal> >
200, 150 e......' 10,5000
Ditos de casemira, 200, 150,
iU,me...... 7^000
Ditos de alpaca, 50, 40 e
Ditos ditos pretos, 90,
30500
50OOO|
50OOO|
400002
20500
res por caneco de tres e meiacanadas vendidos nos chafarizes
esto prego o mesmo que adoptado por outras companhias de'
e de 40 ris conduelas s casas, sendo
agua no imperio do Brasil.
rfal concedm^'S LW! WaU?r ComPanv.. ,Lmited nao ter competidores e o governo provin- i
e!c!,Cpor m TPentT SUPPr""* reparUS,5eS PUb'CaS' quarleis' abr,cas>e SUSSi, I
ser definS^ rnS^I^!^e\SSt?fa,,,, BraS,) Wa,er *"-*Limiled' *ba -
W^^SSXSSmZSS^ e,B Pder da Cmpanhia ""^anas transferencias do
for JSS2 rs7e^va^orrgerda?etcaC,aibaS 6 ^ ^ e aSSm ma,s
mente
pagas.
A indemnisagao para o concesionario ser de 1,000 aceSes de lib. st 10
r pagas, percebendo juros durante a construccao, e dividendo pari vassu c
, porem nao poderao ser transferidas ant^s da conducto da obra
_0 contrato para a construccao da obra i est effectuado por u
tartoroljr.gou-sea recebar 15 /. emaccoes da companhia) incluii
ale a incorporacao da enmnanhia
oque
cada una, inteira-
como as mais accSes
centra tad
nares at- a incorporacao da companhia.
r,..i en^nbeiro da companhia em sea regresso do Cear deu
vomel a respeito da quaniidade
nao havera dillic.uldadealguma.
O contrato oflicial entro o governo
ma quantia fixada (da qual o
luiodo todas as despezas prelimi-
.50, 40 e
Ditos de brim e ganga de c^
res, 40500, 40, 30500 e. .
\ Ditos branco de linbo, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
dao, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta, 120
100, 80e. .' .
Ditas de cores, 90, 80 e. ,
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 40500 e.
t Ditas de brim branco e de co^
res, 50, 40500, 40 e .
; Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40 e
250000
""60 e
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
Colletes de fustao e brim bran-
30500j co, 30500, 30 e ....
Seroulas de brim de linho.
20480 e......
30000 Ditas de a,8d3' *^600 e. .
4^000 Camisas de peitos de linho,
40, 30 e......
50OOOjDSedemadaP?,5<:' m0'.
^a CoaPos de massa, pretos fnu>
70OOOi cezes, 100, 90 e. .
70000, Ditos defltro, 50, 40,30500 e
uffiJ^.H.***de seda> w>
40OOOj H0, 70 e......60OOO
uta iCollarinhos de linho fino, olti-
4(jouo | ma moda duzia.
20000
10400
20500 S
10600 W
S
80500 |
20000 5
Compra-se para urna encv-mmenda urna ne-
grinha e um moleque de idade de 10 a 12 annos :
na ra da Cruz n. i. escriptorio de Antonio Luiz
de Qliveira Azevedo & C.
Compra-se urna escrava que saiba engommar
e cozinhar : na ra do Crespo n. 18, segundo
andar.________
Compra-se ouro e prata, assim como coucer-
ta-se toda qualidade de obras da mesma qualida-
de com proratido : na loja do pateo do Carmo n.
7, por preco commodo.
Libras esterlinas
Compram-se em casa de Johnslon Pater A C,
ra do Vigario n. 3.______
Compra se constantemente garrafas e boti-
jas vasias : na ra Direita n. 17, fabrica de li-
cores.
Na praca da Imlependencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro e prata, e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert.
Compram-se moedas de ouro : na roa da
Cadeia do Itecifu n. tiC. armazem de Ferreira A
Mathens.
ra do Oueimade n. 8
J ., BECEBEU:
nn^fumSns85 de madera *"** "
ea4l2S.Wda diversos tamanhos e igual-
mente bonitas, tambera cora perfumaras. B
Lndascesl.nhas de v.dro cora ditas.
US xinhas imitando tartaruga com dita*
Daas com 6 e lt frasqu.nhos de cheiros.
Ubjectos para baptisados.
ba^fe^^
dos:
Bonitos c bem bordad.
d. 8, aca-
objectos para baptisa-
VENDAS.
o-aa Sortimeato completo de grava-
z;?.)O tas.
60000
0
60000
20500, Toalhas para rosto, duzia, 110,
I e.......
lt ChaPos deso, de alpaca, pre-
40000 tose de cores. 4,5000
oaa ien?es de bramante de linho. 30000
0500 Cobertas de chit chineza.. 20500
Vende se caixcs vazios proprios
para halinleiros e funileiros a \ $760
cada dih; ncstatypogra phia.
Urna
n. 48
carava.
No armazem n. 48 da ra da Aurora se dir
quem tera para vender urna bonita escravinha com
o annos de idade.
- seu parecer da maneira mais fa-
e qualidade d agua, e do rendimento; e que na conslrucgo da obra
c^ec,, .^Usados Pe,o aodhao pubic^^^ SSS^SS
obras. St',a Pag aS acdonislas J^o a razao de 6 % ao anno, durante a construccao das
desejam accoes no
SL?r?m (das EW" dimirluta quaniidade est reservada
iccoes no Brasil os pretndenos nesta nrnvinr,, ^r5n I-^j*..
Brasil) os pretendentes nesta provincia poderlo enti
safras* saasanr -* > nCSbl
para as pessoas que
com o Sr. George
DE l ICOKES
A' ra das Cruzes n. 36.
jsgsar szs ssttJttssruxpe,a mtei*
- bordades vestuarios de
dadosa"D"OS de Selm e mcrD moi, >ein bor-
Meias de seda e Do de Escocia, brancas e pin-
Joucas e sapatinhos de lia, obras muito bem
Bonitas caixinhas
coin msica e sem ella para costara e
outras oom rraujus para barba '
A Agina Branca recebeu novamente um bella
sortimento de bonitas caix.nhas com msica e sem
e la para costura, e outras com osarranjos ne
U2 b3rba L l-fim' pois' 'lacm 'inparefer
com dinheiro esta habilitado a compra-Ios por nre-
tSSt: na rua d0 Queimado-,ojada *B
BIISOMHO^IE
para Ungir cabello
A Aguia Branca na rua do Queimado n. 8. re-
pSwS tSrSa tHXcellen,e "tura para cabello, cujo
elT.-.to e rpido e proveitoso, vindo ella munida de
csclanec.mentos em porluguez, d'ond qualuer
KTSS LemC0Dhe"r o modo M3BE
Com o chromocome que serve para tineir vei
arabem hydrocallitr.china, agua para i ngi caieN
na'nMtrZT,Para IUS,raP *S e'onychS-
mantina para hmpar as unhas
sm^si
Sendo a
a sua protec-
Encontrarao os freguezes o seguinle
m% cdaS as,T,alidades inferiores a 200 rs. a garrafa.
Ditos ditos tinos a 40" rs. a garrafa
G-nebra de laranja a 83 a duzia.
Dita em botijas de superior qualidade a 200 rs. a botija.
D|ta de canolla a 500 rs. o frasco.
Agurdeme de todas as qualidades a 200 rs. a botija.
Alcool de .17 graos (espirito de vinhoj. Preco variavel.
Agradavel e b-^ato.
Agoai de colonia que se vende em pon-oes a vontade do freguez.
Pos de arroz em caixinhas a 400 rs.
Pos dentifricios em caixinhas a 400 rs.
To'n^mrracnT^^.35 T,?'8 e para tirar monaI,t0 dabocca a ^0rs. o frasco
asP/pei^^ e para a CP 800 o frasco.
0 CORTE.
Pechincha sein igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedade de padres
pelo barahssimo prego de 4$ o corte: na loja das
clumnasrua do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
rea de Vasconcellos 6 C.
i Z~m Vendi;m-se d ledade ns. 44 eSO sendo urna de 6 quartos, 2 salas
e bom quintal, e a outra menor : a tratar na rua
da lmperatriz n. 6, onde vende-se urna armaco de
amarellopor barato preco.
LIMA 11(1 litlJAFLOil.
Rua do Queimado ns. 63 6 69.
onecas de choro.
Lindas bonecas de choro que chamam papai e
mamai, de diversos lmannos : s as lojas do bei-
ja-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Lavas de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores para hornen'
e senhoras : as lojas do beija-flor, rua do Quei-
mado ns. 63 e 69.
1 aellas para cintos.
Lindas fivellas douradas com lindas pedras para
cmI"s : as lojas do beija-flor, rua do Queimado
os. oj c oy.
Capellas para noivas.
Lindas capellas para noivas 25500 cada urna: Cjlie MlUffl, QUe ChOTlK^
que fallam, etc.
ony<
rtprt ra!oav^.eParad- $ prf,eDdeD,es "*
Banhas finas
em copos, latas e soupeirinlias de vidro
opaco.
rA Apoia.Branoa sempre cuidadosa em bem ser-
JLiE bpa11freeilPZ|a. mandou vir e acaba de
receber na melhor ocrasiao os desejados conos e
as procuradas latas com banhas linas, assim como
urnas bonitas soupeirinhas de vidro
alegres inscripcoes. as quaes dizem
peito as senhoras,
que
opaco com
smeute res-
e cora tal acert que nenhuma
as Mr delxara de comprar e nao se enfadar
de ler a nsenpeo que tao merecidamente Ihe toca
e quem quizer ser bem servido diripir-=e
do Queimado, loja da Aguia Branca n. 8.
a rua
as lojas do beija-flor,
e 69. '
rua do Queimado ns. 63 e
103 BA IMPERIAL D3
Isaac Esnaty
Fabrica do rap imperial.
Isaac Esnaty tem a satisfago do participar ao
Estojos para barba.
. mSm*6 !St0foscom e- e z>uoo cada um : as lojas do beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios para meninas.
Rccebeu-se novo sortimento de balaios, com
Su. e.vaIl0s Pasaros, pelo barato pr^code....
15000 ate 4,5 cada um : as lojas do beija-flor, rua
fin ni'imi,l,i no r.i en '
c
por
Destrualo dos ratos.
aixinhas com pos para o etlvenenamento dos ratos o melhor que se tem descocerlo tanto
ser de prompto effe.to como por nao precisar precaucao com as pessaTde cas
*v**
Club commercial.
De ordem da directora se faz scienteque do dia
" d0 cTente em diante entra de novo a socieda-
aar^,"]"0 )a r!gular dos recreios e Passatempos
garantidos aos Srs socios pelos estatutos em vi-
fnk J, r,e^ular,dade -^ achava alterada em vir-
a&i 'StRzs'tt no,le de 5 de
RAPF1 mni a .Snca d.e /lpe den?m''nado .A directora se comp
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21
seguios mutuos
DE
ma liancH em dinheiro, sobre
ni i ii istia cao da
BANQUEIROS DA COMPANHIA *
O Banco de llespanha
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas
a vida.
a boa ad-
coinpanhia.
DIRECGAO GERAL
Madrid: Rna do Prado n. IO
as combinacoes de supervivencia dos
seguros
No flm doi 5 annos.
de 10 > .
de 15 >
do 20 .
de 25
1:1195300
3:942600
11:208,8200
30:2565000
moJoaquirn Fiuza
sao mais consideraveis.
SSffifitt-ft&enSalat
Jecimento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmo.
RAPE IMPERIAL, cujo rap fabricado igual ao
rape de Lisboa, e muito melhor por ser mais tni-
co e muito mais agradavel e convencido o fabri-
cante da superiondade do seu rap, pela experien-
cia de trinta annos que tem deste genero, e demais
o certilicado junto para mais seguranca dos com-
pradores o fabricante fica responsavd pelo bom
resultado do seu rap, garantindo ao mesmo tempo
o dinheiro do comprador que por accaso n3o gos-
tar (o que positivamente nao de esperar) o sendo
este precioso rap digno do preco de tres rail ris
a libra porem como o principal desejo do rabrican-
| te de ganhar crdito em lodo o imperio e tam-
| bem para chamar alinelo dos amantes da boa pi-
tada como tambem dos exportadores deste genero
tanto para o mato como para outras provincias li-
mita somente o prego reduzide de mil ris por li-
bra a retalho e em porcao de 10 libras a 900 ris
a TJ^P0 de50 libras a m ris e em porcao
de 100 libras a 800 ris e em porcao de 1000 libras
com o descont de cinco por cento orj a tres mezes
do prazo firma garantida assim o fabricante espera
a concurrencia dos senhores compradores em re-
muneracao da boa pitada examinada, approvada e
atfiangado.
O fabricante franqueia as amostras (gratis) do
seu rap tanto na fahrica como tambem no nico
deposito rua Direita n. 14 taberna.
Brev- mente apresentar a venda publica outro
rape fabricado igual ao que se fabrica nesta o an-
da para melhor, como tambem : rap princeza
rape grosso e meio-grosso, tudo a precos muito
mais reduzdos para mais animar os senhores ex-
portadores deste genero.
N. B. Nos dias de sabbado a fabrica nao
abre.
praz em assegurar que se
nao poupou esforcos para collocar de novo a so-
ciedade em tanto ou maior explendor que na po-
mdes<"creacao, ella se d por bem retribuida
com a dedlcacao constantemente demonstrada por
todos os que a tem acompanhado sem quehra de
harmona, para terdeapplaudir-sedo estado lison-
geiro que anda hoje a mesma sociedade olferece.
Rente 17 de novembro de 1864.
O secrelario,
Joao Pereira Rabello Braga.
Filas linas para cilos.
Picas (tas finas lavradas de bonitas cores para
I C,n?.s : ?' loJas do beija-flor, rua do Queimado
> .n w e 69.
Exlraelos em caixinhas.
tinos extractos em caixinhas cora o retrato da
lamina imperial: as lojas do beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabo em cahiubas.
Finos sabSes em caixinhas com vanos'retratos
as lojas dobeija-llor.rua do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
tfj'jf* lojas do Le'Ja-flor. ma do Queimado ns.
A Agina Branca, na rna do Queimado n. 8, ani-
mada pelo apreco que a sua boa ireguezia sabe
dar a essas boas novidades, mandou vir e acaba
de receber um extraordinario sortimento de boni-
las bonecas, que andan que fallara, que chorara,
e outras muitas de diversas qualidades como dan-
sannas, soldados, atiradores, etc., e todas mui bem
vestidas; assim, poi>, a Aguia Branca espera a
concurrencia dos apreciadores do qom, cert do
que acharao preces razoaveise serao salisfactoria-
dePdnheirro ma VeZ qUe comPire'3,m munidos
BHUS DE TARTARU-
GA PARA COSTURA.
Jogos de domin
vendem-se jogos de domin
as lojas do beija-flor, rua do Queimado
6 O/.
para
er
costuras e joias
se
PADARIA UNIAO.
10 LARGO DO TERCO 10
^ a ?lta0 UOt Padarla aberla ao PuW'co (e perto da estaco do caminho
ferro), acha-se montada com espaCo mais'que suficiente para poder fabricar com
SHTH^ ,da a qUaldade e quanldade de b0,aSia' Pao bolach nTas b
coitos e todas as macas que se desejar a precos mdicos e razoaveis.
p anSPMeUJ!?nOd0reSlabeleC"ne"to d3 PO''Pp torcos para bem servir ao publico
tJSSSSLi frriguezes' sseverandu-lhe desde j que s emprear farii.has es-
colindas e das meteoros que vierom ao merca.lo, ou das que receba de conta propria.
nara *> *ZES!!?.T e a0S Seus amigos e,n Fte,*ir Pede ^ue experimenlem,
para se convencerem do que asseyera em seu annuncio.
CEBTIFICAOO.
Certiflco que submettendo a exame a amostra
do rap denominado Imperial, que apresenton a
esta reparticao o -r. Isaac Esnaty, fabricante resi-
dente na rua Imperial, casa n. 193, declaron o pe-
rito nomeado para esse fim, o Sr. Pedro Maurer
que nao havia inconveniente algum em ser expes-
to a venda, ltenlo a que nenhum permeio nociso
comprometa a sande.
Inspectora da sade publica, aos o de outubro
de 18bi.
Dr. Ignacio Firmo Xavier,
Inspector da sade publica.
mwMmmm m-wmmmmmm
O baclia re
Francisco angosto da Costa
AOVeGADO
Rua do Imperador numero
| Eiisiue ie prep-ratorios
O bacharel A. R. de Torres Bandeira, s
S" professor de geographia e historia amiga M
no Gymnasio desla provincia cuntinua a H
i ensmar philosophia, rhetorica, geogra- 8
phia, e as linguas franceza e ingleza, e "
(offerece o seu presumo especialmente j
aquelles mogos que sequizerem preparar m
(em qualquer deslas disciplinas para os *
exames em margo do anno futuro. O en- $f
wst sino subministrado pelo annunciante, m
mmmmmmmmmmmumm
sos lamanhos, mu proprios
t inos e aromticos pos de
arroz
Em bonitos vasos de pedra, pcrcellana dourada,
sn,flii0m!de,,ra' esics romJ ""ptente pincel e
fu eJieem '.a,as de poles de PPe'5o. sendo todo
15200 e 15300: "e le superior qualidade e agradareis cheiros
- 63 i-mquantoao preco, nao se assuste o comprador!
, compareca com dinheiro e ser bem servido na
1 i8"11 BJanca ruad0 Queimado n. 8, endo
tambem se vendem separadamente os j.joceis
ns.
Babados bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e vanos precos : as lojas do beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69. w
T0nn.n c *dreCM pretos.
lenao-se recebido aderecos pretos de novo gos- bordados ou marca etc
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,! modos,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senhoras.
i S?*1 bravatas para senhora 800 rs. e 15000
c? : roS ojas do beiJ'a-flor, rua do Queimado
ns. o>J oy.
Espelbos de moldara.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
: as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8 ven-
de caixinhas necesarias para costura, as quaes
tem buhas de diversas qualidades, retroz, tesoura
S _'i,.r?f arranjos precisos, assim romo amostras de
e lados a precos com
A AGUIA BRANCA
vendendoreloinos.
. JLIENNE
a rua Nova n. 8, loja do cha.
Ervllhas
francezas rua Nova n. 8, loja do cha.
CORIJVTH
(Passas.)
muito nova para podins: a rua Nova n. 8, loja do
cha. J
Como nao e privativo a Aguia Branca tambem
esia vendendo muito bons e bonitos relogios para
mesa e pared, por precos comraodos, por isso ron
vem a todos aproveitarem a occasiao e proverem
se di'sse objeclo sempre necessario cm casa. Fie
porem reservado para os relojoeiros o concert qu
- W,XaS,pr,e. b^oU"daaaASSBranPca
da rua do Queimado n. 8.
63 e
nhas
Vollas de aljofares.
.c
Joaquina (aciano de Carvalho.
Na roa estrella do Rosario n. 34
Advogado Alfonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
oiras, porm, na villa do Cabo.
Previsa** de um oflicial de marcineiro e de
um aprendiz, ensjna-se com perfeicao : na rua da
auroran. 58. ^ M
|0 r. Francisco Pires Machad..
Portel la
MEDICO OPERADOR
PELA
I1 Faciildade de Parla
, Pode ser procurado rna Nova n.
44, segundo andar.
AVISO.
Para conhecimento de quem convier, o abaixo
assignado manda fazer pohlico por este, que o sac-
coque o desembargador Lourenco Jos da Silva
Santiago lema cora alguns autos e livros para a
cidade de Olmda e que havia desapparecido da ca-
"!* c<>m Emilia embarcara ao
amanhecer de 14 do crreme para aquella cidade
fraachado na rampa do caes, logo depois da
partida da canoa, por nmescravo fiel do Rvm Sr
padre-mestre provincial do carmo desta cidade
rr. Jorge, que o foi immedia lamente entrettar a
seu senhor, o qual vendo no Diario de 15 do cr-
reme o nosso annuncio, iramedia lamente nos man-
dou envegar o referido sacco intacto, peJo que Ihe
flramos ummamente agradecidos, louvando muito
InSStSL seu escravo- Recife 18 denovem-
.Caetano Jos da Silva fantigd. I
Loja de madama Theard-
Este estabelecimento se acha hoje mais
que nunca bem sonido de objectos de i
moda do melhor que pode vir ao merca-
do e nao se menciona cada um de per si S
por se tornar demasiadamente enfado- i
nho para seus numerosos freguezes quan-
do lerem o presente aviso pelo que limita- a
se era lembrar afgana arligos, cora., se- I
jam : chapelmas de dinas de palha de M
Italia, de seda, de crep branco e preto 9
para luto, chapeos redondos de palha da fl
Italia amarella e de outras cores para M
senhoras, ditos para meninos e meninas ^
ricos cortes de blonJe, ditos de moreanti- m
que do diversas cores, ditos de seda, as- 3|
sim como sedas de cores para se vende- S
rem a covados, ditas escocezas, cortes de 5i
vestidos pretos bordados a agulha, final- 91
mente um variado sortimento de fazen- i
das finas e grossas, na mesma casa fa- ~
i zem-se capas, manteletes, vestidos para "
noivas, vestuarios para meninos se bap- B
tisarem e tudo quanto perience ao toilet '
de urna senhora e recebe-se figurinos to-
dos os mezes das ultimas modas de Paris.
raitando brilhantes 15000 cada urna": n
las do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sopa.
mSSw0^ coll>eres de melal-principe para sopa
a 2000 cada urna : as lojas do beija-flor, rua 3
Queimado ns. 63 e 69.
lia para bordar.
Vende se laa para bordar, a melhor que se pde
ti,'taDt0 na 1aalidade como as cores,
B*W0 a li..'a : as lojas do beija-flor, rua do Quei-
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
soriimento de miudezas boas, e mais baratas do
que em outra qualquer parte.
Vinhos geauinos.
Chamamos a attenco dos amadores do bom vi-
nho puro, para um deposito de diversas qualidades
de vmbo superior, mandado vir por encoumenda
das propnas locilidades e com recommendaQo es-
pecial, cujo deposito sa acha estabelecido na rua
da Cruz n. 36, pm frente do neceo da lingocla.
Vinho tinto da Estremadura puro, anco-
rea de 3 caadas......12000
Dito de dita dito aocoreta de 9 caadas 28,5000
Dito do Lavradio, ancoreta de 3 1|2 ca-
nadas........... 15^000
Dito branco de Bucellas, ancoreta de 4
1|2 panadas.........20^000
Dito de Carcavellos, ancoreta de 3 ca-
lladas ..........15,5000
^irifiEi^
Aloga-se nma casa (lado da sombra) n. 6 na rua
dos Coelhos da Boa-Vista, com 3 quarlos e 2 salas
por preeo commodo : a tratar na rua do Mondeeo'
olaria d. 13. '
Experimental e conhecereis a reali-
daiic.
Carros e carrocas.
Vendem-se dous carros proprios para condugo
de assucar ou outro qualquer genero, sendo uro
| de meia volta, e tres carrocas, sendo urna para ser
2jg j i urhada por boi e duas por cavallo, tudo em bom
estado e por preco commodo ; a tratar na rua do
Sebo n 54, taberna.
Vende-se um sobrado de dons andares bem
conservado, sito na rua do Padre Floriano n. 21,
edificado em chaos proprios : a tratar na rua das
Cinco Ponas n. 71
P;tlha de carnauba
Vende-se superior palha de carnauba : no es-
criptorio de Antoolb de Almeida Gomes, rua da
Cruz n. 23, primeiro andar.
Machinas de vapor e pa-
ra descarocar algodlo.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
de carroca com mangas e
eixos de patente.
Rua doErum n. 38, findi-
Co do Bowman.
rarau
Grosdenaple de cor a 15200 o covado, na roa do
Queimado n. 43, esquina que volta para a Congre-
gacao. ______
Testamento do Porco.
Sahioa luz e acha-se a venda o testamento do
Porco, obra propria para entreter pelo diminuto
preco de 160 rs. cada exemplar : na rua do Impe-
rador n. 15, defronte de S. Francisco. Onde con-
tinua a estar a venda o testamento do gallo, da
gallinna o a peleja entre o diabo, S. Migele urna
alma.
ATTB\{]40
Vende-se urna armacao envernisada, feita a mo-
derna, com flteiros envidracados, para taberna oa
outro qualquer estabelecimento : a tratar na rua.
Direita n. 48.
Vende-se um sitio boro para passar a festa
com trras siifliciente para trabalho, iguaes matas'
para tirar lenha, e fructeiras, como bem, coquei-
ros larangeiras, mangoeira no interior para o rio
de Fragozo, cacimba plenente ao p da casa or
preco commodo de 4:0004 em vista das preci'sfes
de graca : quera pretender, dirija-se ao Aterro.
a
-


Diario de Pcrnainbuco Segunda feira ai de \oveiu5>ro de 1884.
RA UO QUfiOIAllO X. 15. .
Passand o becco da Congregarlo segunda casa.
m fi\ip t
ana
NOVIDADE
RIVAL SM SEGUNDO
Grande iiquidacode faz ndas de todas
as qualidades para se apurar dinlicijo, vende
se baratsimo na loja e amiazom da Arara, ra JfJ*""gS "2* loj? f "
j. ,_ ,.' i. i. oe JOse de Azt-'vedo Maia esta continuando *
U Imperilriz n.50, de Lourenro Pereira Men- vcnd.r mniu barato, pois seu genio dar a fazen-
des Guimares.
AO BARATEIRO DA ARARA.
Vende-se corles de chitas de cores lixas com 10
covados a 25400 e :t200, corles de carnbraia de
salpicas a 25500, :5000 e 45000 para acabar : na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende cassas a 210 rs.
Vende-se cassas para vestidos a 240, 320, ;)G0,
e 400 o covado, organdys de lindos gostos para
vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado : na ra da
imperalriz n. 56.
Cortes de 15a a Mara Tia a S;>, iifi, l-tfeKtf.
Vende-se corles de la com barra, os propia-
mente a Maria Pia a 85, 125, 145 e 165000, dilos
sera barra a 65000 : na ra da Imperalriz, loja da
da por lodo preso a vista dos cobres.
Carlas de alnetes francezes da mellior quaiidade
a 80 rs.
Grosas de pennas de ac inglezas da niclbor qua-
iidade a 640 rs.
Caixas de colchetes francezes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Grosas de botes de madrcperola muilo finos a5'6(
e 640 ris.
Carreteis cora 4 a 5 chavas
640 rs.
Resmas de papel
25000.
Grvalas da liga e de outras muilas qualidades z
500 rs.
de relroi prelo fino a
de peso o muilo superior a
Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa
Arara n. 50, de Mendes Guimares. | goo rs_
A Arara vende alpaca para vestidos de seuhora a Duzia de boioes branco para casaveques de seobo-
360 rs. I ra a 100 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores las para ves- Peras de fila de eos eslreitas com 9 varas garan-
tidos de senhora a 360 rs. o covado, laazi-' "das a 320 rs.
nhas para vestidos de senhora a 320, 360, 400, e O Expositor Porluguez para os meninos a prender
50 rs. : na ra da Imperalriz n. 56, loja da a ler a 800 rs.
Arara. Os segredos da nalureza para os meninos a pren-
As colchas da Arara de ty. der a ler a **.
Pcrcira Rocha & C. aeabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commer-
cial, onde o respeilavel publico encontrar sempre um completo sorlimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes scro vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencionada; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e Peras seccas muito novas a
ftSa,,bra'e im> 2000e 3,.?000 Paincoa 200rs.albra. | rs a bra A Arara vende cortes de calcas a 1*10.
Polvo secco multo novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a bbra. Vende-se cortes de calca de brim a 15000 e 25,' Colchas nara senhora o rrelhor oue b a 3M 1
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilnas portuguezas a 640 rs. a lata. ditos de casemira a 3*500 e 45500: na ra da gJ p q
muito novo a 640 rs. I Wem seccas multo novas a 200 rs. a libra. Imperalriz n. 56, loja da Arara. I Frascos com superiores bancas a 240, 320, 500 e
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2#800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas Lazinha da Arara a 240 rs. 1 15000.
dem prato. de oito libras e canastrinhas de i arroba a uJ"^ Iaazinhas para vestidos a 320, 360, Livros que serve para assentar rcup, pelo diminu-
Idern londrino chegado no ultimo vapor a IM 5?00 e 280 rs a libra ffiaaria t&Jfo*gX2?2m& (&&* irnos a 500 rs.
UO rs. a libra. I taruma O Maranhao a 160 rs. a libra. Imperatriz n. 56, loja da Arara. 1 Crdao branco para espartiihes muito superior, a
Sal renado em frascos de vidro a 600 rs. dem de trigo a 120 rs. a libra. A Arara vende um completo sorlimenlo deroupa vara a 20 rs.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
15200 e 10600, e em frascos grandes a
2*500. b
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 15200,15400, 15600 e 2.
Araendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 45600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa aiO rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de malarana a 320 rs. a
libra.
Avellas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
15300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 25 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 35000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 15600, 25,
25500, 25800 e 39000 a libra,
dem preto muito superior a 25000 a libra.
Cerveja prela e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 55800 a duzia.
Cognac Dfftez fino a 90^ rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especi tmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 15800,
250 0, 25200, 25500, 25800, 35000 e
35300 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
^ rs. ajibra e 85500a 85800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito botos e
bem muito enfeitados a 700e 600 rs.
Cbouricas e paios muito novos a 809 rs. a
libra.
Vendero-se colchas de damasco para cama a 45,j Ca",'has da doulrH" chri?'5a- finas e nperiores a
a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220 SJSteWtt*** : na rua da ^peratriz nu- penlcs ^ de mim a ,^ {&m e l&m
Pares de luvas de seda para houiens e senhoras a
500 rs.
cada'um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e. novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 60 1
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 15600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,
Bocajje Chamisso e outros a 800, 900 e
15000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 95000e 105000.
Wem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 35, 35500
e 45 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem deBordeaux, Medoc e S. Juena/OO
e 800 rs. a garrrafa, e 75000 a 755O0 rs.
a duzia.
dem MorgauxeChateaulumini.de 185 i, a 15
a garrafa.
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
I5200rs. a caada.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 65200 a frasqueira.
dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 55500
e 755OO cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e ljjlOO a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
calcas de
Carriti
ris.
s com 150 jardas de linda branca a CO
feila.
hStSSiRRtfBt *- branca de aT ** 200 jardas de iinha branca garant.
godao a 25, dilas de linho a 35500 e 45000, colle- rs- nft
tes decores de brim a iJtfOOeti$, ditos brancos ?sAeJ,on!asl d a 25500.de casemira a 35 e 45, cal?as de casemi- iVa2?Ad? Jg* branca e de cores lar8a Para ,oa-
ra a 55, 65 e 75000, paletots de casemira a 55000, 'nas Wj ... .. .
nt'ies de punho, oh que pechincba a
dem, quaiidade especial em garrafas muito Jl'M" 1,,re,ue de cres a ?5' Ib^-X l 120 rs.
imndfls a 1 , granucs, a ioouu a garrafa. I0S dft iMt, rto ,,nrrt:n Q ,,nata hr,nrs a;oo. i'niios
garrafa. m + Ettmtt&\EmT9* SfffiS Tidro Cm ,nta .S60TSc*
dem em garrafas mats pequeas a 800 rs. ditos de br.m de linho brancos linos a 55000, se- gllKSu0? s,uper,or '!n,a a ,0 rf-
dem, em garrafa forma de pera e ralbas de ">as a 15280, duas francezas a 1560O e 25000,; Gr^s de boIoes de Io"Ca pateado* muito finos a
vidro a 15000, s a garrafa vale o di- ^^^^^j^^^vvn^avKto quaiidade
Mariteiga'ingleza perfeitamente fir, desem- ^S^^^ZS^!^T Z \ g~~ Pa" '"P"denles, superiores a 200 rs.
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da Pudores o favor de vr ver na bem conhecida loja, CaiZm suPer,0res Phosphoros de seguranca a
da Arara, rua da Imperalriz n. 56, de Loureneo! r ?**' r;; inrt ,.,. ,. u p4A
Pereira Mendes Guimar3es. i Ga5? com ,0 envelopes o melhor qoe ha a 640
A Arara vende as percalas a 500 e 06O ra.
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinha e aletria a 600 rs. a libra e a 45
acaixinhacom 12 libras.
Nezes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixc em latas preparado pela primeira arte
decozinha a 15 a lata,
Paiiios de dentes a 160 rs. o maco.
res.
. I Caixas com 20 quadernos de papel amizade, muito
yende-se percalas de cores finas para vestidos] fino a600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito fino a 20 rs.
Kirsk garrafas muito grandes a 15800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros qtw deixamos j dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que ludo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a
libra.
pecas e carnadas, tanto em porgues como
retalho-
Quem comprar de 1005000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
Doce de goiaba em latas o melhor possivcl a
25 e em caixio a 640 rs.
Palitos do gaz a 25200 a groza.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
MACINASDEPATENT
de traba Iba r mo para
descai'oeai* aSgodo
FABRICADAS
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
Por Plant Brothers & 0.
OLDAM
DE
NOVOS E ESCOLIIIDOS eneros
TANTO EM GROSSO COMO A BETALIIO
60 MUA NOVA OO
Ultima casa junio a ponte da Boa Vista.
DUAS PALAVRAS.
t Cesse ludo quanto a antiga musa canta
c Que outro valor mais alto se alevanta.
Acha-se a disposico do resneitavel publico esle grande e magni6co stabeleci-
mento de molhados, talvez o primeira e nico boje existente era sua especialidade, por-
que o maior capricho de mos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci-
mento modelo promoveram a escolna dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quantidade e pagos qitasi todos a dinheiro deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
dignaran de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes, como pela pralica da promessa que fazemos de vender polos presos quasi do pri-
meira custo o nosso magnifico sorlimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharo
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
s&rio, promeitemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
hoiiiera rico.
a 600 e 560 rs. o covado.
A Arara vende tiras bordadas para enfeitar vesti-
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas para enfeitar vestidos
brancos a 151200 e (#400 a peca, musselina bran-
ca fina a 400 e 500 rs o covado : na rua da Im-
peratriz n. 56, loja da Arara.
Ao barateiro da Arara a 2;>i00.
Vende-se baloes americanos de lo, 20, 25e30
arcos a 25300, 3, 3$oOO e 45000.
Vende-se golinhas para senhoras a 240, 320, 400
e 500 rs., camisinhas para dilas a 15, 25, 35 e 45,
na rua da Imperalriz, armazem da Arara, n. 56.
A Arara vende madapoln enfeslado a 5-
Vende-se ppcas de madapolao enfestado com do-
ze jardas a 4500, pegas de dito de 24 jardas, das
marcas sepuintes : n. 30 a 65000, n. 250 a 65500
e 75, n. 2 85, n. 5 85500, t^95, n. PF a 105500,
n. ZZZ a 125, B a 115000 a peca, algodo a pega
de 20 jardas a 55 e 65000, dito carne de vacca a
65500, dito domestico a 75, dito sicupira a 85, dito
pao ferro a 95 a pega : na rua da Imperalriz, loja
da Arara n. 56.
Bramante de linbo a 2'mi a vara.
Vende-se bramante de linho a 25500 a vara, pan-
no de linho para lences a 640 rs. a vara : na rua
da Imperalriz loja da Arara n. 56.
A Arara vende easemiras finas a i->.
wendi'm-se cortes de easemiras para calcas a .""
| PIULAS CAflIlUIlCAS DE AVEK.
"T c- l:srvs I1'1"'1* wgetaes sao a-
J'~>J daptadas a todos os usos de um
E purgante nas familias, pois so
V perfeitamente innocentes, e era
fj.r 'lanlo miihares de pessoas con-
kw fessam com gralidao que forana
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um s caso em que baja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu alguns dos
allestados que tenius de curas
is feitas ltimamente.
nola\
Un caso notavel de
Afleccao ebronica do liyade.
Ii.i.m. Si..
Jtiiz de Fura, 17 de fevereiro de 1804.
-Tendo feilo uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze anuos eu-
femtdades do ligado e baco, com o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou
bomj pois ten lo desapparecido um grande
engolrgilainento que soffria, militas dores
sobr a regiao do figado e cosas, dores de
cabega, inchacao do ventre, nao podendo
deitar-me senao do lado direito, isso mes-
mo broctirando posiciio para ter socego, bo-
je me acho livre d'esse padecimento ; como
por aqu anda as nao baja, eu como tenho
estef proprio que de casa, lhe rogo man*
dar-mc alguns videos, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charope do
cereja, que tive occasiao de experimentar;
emj um ataque de guellas que leve urna
prqta que com elle curei, fago uso d'elles
nas tosses em minba familia sempre era
bom resultado, e por isso que pego para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, "porque tenho
feiljo uso d'ellas para uso da familia e al-
gunas pessoas, todas teem tirado gratulo
rebultado; sou
De V. S. attento obligado,
Francisco FKitnEtiiA Pals.
Para quem gosta do bom e
barato.
No estabelecimento de Gama & Silva, na na da
Imperalriz n. 60, loja denominadaPAVAOtem
urna grande porrao de varias qualidades de fazen-
das, as quaes se'vendem muito em coota para li-
quidar. A saber :
As lazinhas do Pavo.
Vendem-se iaazinhas de (juadrinhos transparen- di^se que devia fazer uso da salsa : poreni
erado
Rheumatismo e ataques keraon hoidacs.
Ili.m. Sr.
O/tro-Preto, 30 de mano de VM\H.
Posso certilicar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soffrendo eu dores pelo aupo, e que
suppunha ser rheumatismo, (molestia esta
que j bavia soffrido ha aonosl e soffrendo
tambem de ataques hemorrnoidaes, c de
uni ouvido, pois que at j pomo ouvia, e
acpmpanhado de tima dr no queixo, con-
su|te a um dos nossos mdicos, e esle me
tes, boa fazenda, pelo prego de 280 rs. o covado,
ditas largas muilo finas a 400 rs., dilas estampa-
das, cor segura, padres miudos e grandes a 320
rs. o covado, dilas transparentes com palminhas
de seda a 400 rs., ditas escocezas a 560 rs., isto tu-
do para liquidar : na loja e armazem do Pavao,
rua da Imperalriz n. 60.
o baratas a 8-ftO e 38o rs.
Vndem-se chitas inglezas escuras e claras com
as cores seguras pelo prego de 240 rs. o covado,
ditas largas, boa fazenda a 320, 300, 400 e 500 rs.
o covado : na loja do Pavao, rua da Imperalriz n.
60, loja de Gama & Silva.
Precalas a 600 e o60 rs.
Vendem-se as mais finas precalas, padroes miu-
dlnhos, gostos deliadissimos pelo barato prego de
600 e 560 rs. o covado : na rua da Imperalriz n.
eu o almanack do mesmo doutor,
coinprei em sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha cotila principiei a
toma-las, c sem as finalisar acho-mo sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : porlanto sao para mim as laes pilu-
las as melhores que tenho experimentado;
istp ein abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador c obligado,
O brigadeiro
Joo Rodrigues Fec de Cap-valiio.
-------------..... ,----, _,., v rs. o covado : na rua
iSFZl 5? e 7*0. crle : na rua da ,n'Pe'"atriz. 160, loja e armazem do Pavao.
Meias precalas, ou precalas inglezas largas a.iOO.
Vendem-se meias precalas ou precalas inglezas.
Estas machinas
podem descarogar
qualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabatho; pode
descarogar urna
arroba de algo-
do em carogo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodo
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodo
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por .que pode Jazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Sr
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
Sauiders Rrolhers & C.
IV. II, pra^a do Corpo (Santo
RECIFE.
Os nicos agentes oeste paiz.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos
objeclcs, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO ECESSARIO
Devenios ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existiodo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominaco de Liga, parecer o titulo lo nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ninguem. '
O neme e urna voz com que se dao a conhecer as cousas. E esta a mais
breve, clara e sincera explicacao que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem n5o seguir o partido desse systema diremos mais :
N5o oriundo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
militas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e'opulenia Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
lem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que tan-
to sorprehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e goslando sum-
inamette do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no ot5o do nosso estabelecimento, temos assim feilo distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e cor&as.
Ilonni Holt RIVAL SEM SEGUNDO.
Rua do (Jueimado ns. 49 e 53 loja do Barateiro
conhecido j como tal, est dispondo da fazenda
por todo o prego para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver e irag o cobre, e ver o seguinte :
Baralhos de cartas para voltarete muito
Anas a............................ 206
Miadas de Imita froxa para bordar a.... 20
Pares de sapatos de tranga de Codos os
lmannos e finos a................... 15500
Massos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de ara prela muilo superior a...
Fraseos de superior macag oleo a___
Dilos de dito perola a..................
Dilos de oleo de babosa milito finos a 320
rs. e................
loja da Arara d. 56.
A Arara recebeu um completo sorlimento de capas
e soiillii'inliai ijiics
que vende baratissimo, a saber : soulhembarque
de alpaca branca enfeitados muito de gosto a 12,
ditos de Iaazinhas de cores a 83, 105 e 125000,
capas de grosdenaple preto a 205, 25, 303 e 355
soutpmbarques prelos de grosdenaple a 205, 255
e 305OOO : s na loja e armazem da Arara, rua
da Imperatriz n. 56.
Cascniiras para capas a 3$ o covado.
Vendem-se easemiras lisas proprias para capas
de senhoras a 35 o covado, laziuhas lisas para o
mesmo fim a 600 rs. o covado : na rua da Impera-
lriz n. 56.
A Arara vende lencos de seda a 1$ e 800.
Vende-se lengos de seda de urna s cor a 800
rs., ditos finos de cor a 15, colarinhos baratos a
600 rs. a duzia : s na loja da Arara, rua da Im-
peralriz n. 56.
Ao barateiro do bairro da Boa-Vista.
Vendem-se chitas escuras e claras de cores fixas
a 240 e 280 rs. o covado, chitas Irancezas finas a
320, 360, 400 e 500 rs. o covado, porm assegu-
ram-se as qualidades e cores : e nanitas outras fa-
zendas que se vende barato, isto smeote vista
dos freguezes. Assim cheguem frecuezes, porque
s se vnJe assim barato porque est afestana
porta, e a loja da Arara da rua da Imperalriz n.
56, pode bem servir aos freguezes do bom e ba-
rato.
padres miudinhos e fazenda fina e 400 rs. o co-
vado : na loja do Pavo, rua da Imperalriz n. 60
de Uama & Silva. ,
O ganguelitn do Pavo a 39o rs.
o covado.
Vendem-se ganguelim cor de rosa para roana !
de meuitos, e vestidos pelo barato pr;go de 320'
rs. o covado : na rua da Imperalriz n. tiO, loja do
Pavao, de Gama & Silva.
Os grosdrnaplcs do Pavo.
Vendem-se grosdenaples prelos, fazenda supe-
Castrite.
Ouro-Preta. 2) de marco de 1864.
^Vlteslo que tendo feilo uso, aconsclhado
um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
liqei perfeitamente bom de urna gstrico
qu soffriae que privava-me de andar aper-
pot
ladi
boje felizmente nada sinlo.
Augusto Gollatino de Mello.
Falta de apetite.
Quro- Preto, 24 de fevereiro de I8G4.
Sendo cu allectado do figado lia muitos
rior a I5600rs. o covado, ditos largos muito en- annOS, C ltimamente soffii falta de apetite,
corpados a 25400, 23600, 258OO e 3SUU0, dilos hoj'd dou grapas a Deus por achar-me sao
brancos, cor de rosa, azul e amarello a -'5000 r.s e nerfeito com o uso itot nilnhc ,-,!h-.i..,*
o covado : na loja de Gama & Silva, denominada ,,nl .,.. pl,U,aS ^inailuas
do Pav;in rna da tmnaralri* n fi/1 uo J'> AH.
do Pavo, rua da Imperatriz n. 60.
Vestidos bruces para baile.
Vendem-se os mais ricos vestidos brancos bor-
dados proprios |iara baile ou casamento pelo bara-
tissimo prego de 255000 cada coi le : na loja e ar-
mazem de (ama Silva, rua da Imperalriz n. 60.
As novas lias garibaltlinus a .'illl)
na
rs.,
Antonio Bento Vieiba.
Sil"
s B M ss
-I-Ja
V- zs
O. -1
O O.1
co O
a. a
e a
3.
033 3is->nsa^H3
C o o cr3 T o o u o
= g-g-S.35:-3S
ut,gTO
SS^i?
ZM&Btr*
* o
en ^ ^- ^3
3 25 S? n S
- 3 2 g-o.
g-3'g-g^^
o
Q.I
o
a. ct
es
ji
M
a g
Dilos de agua de colonia superior, garan-
tida..
30
200
100
100
200
500
H o 2. g! c? S: o
ion 5 Q< -3
n> ki va Si ? t
=-2
s s
400
6i0
4TRB
llonnl uoit qnl
Vepde-se um comometro martimo inglez do
melhor fabricante Charly Frodshao. afflancando o
sea regalamento, por diminuto p-eco : a tratar
na rua Nova o. 2!, loja de Francisco Jos Ger-
mano.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor quaiidade a
12i5 a lata : nos armazens da roa do Im-
perador n. 16 e rua do Trapiche Noto 0. '8 cmara municipal
Ditos de banha muito fina a.........!'.]
Ditos de cheiros muito Qnos para o proco
a ris...........................*_
Sabonetes de todas as qualidades a rs.
160, e............................
Novellos de linha com 400 jardas a..".'..'.'
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz da todas as c
res a.............................
Pecas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
_**?.............................. 400
varas de bicos francezes, superiores a... 40
Opiata para dentes da melhor que ha a.. 15000
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a.............;.............. 15000
9 _
O O 33
O (B
sr" 2?
m a D
3 3 g'
o a.
i o
600
400
80
60
30
240
200
Vende-se superior vlnho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C, rua
do Agario n. 3.
Queijos de Minas
Vende-se na rua Nova n. 61, defpgnte (ja {llat.*
PeQas de tranca preta liza muito fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fija preta com colxetes a......
Libras do la sorlida de todas as cores a
Bonecos de choro muilo bonitos a..."..
Caixas de obreias de ma ssamoto novas a
Varas de franja .branca e deires para
toalhasa.........................
Frascos de oleo Philocomescuperior a...
Dilos com superior tinta a320 e.........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espartilho a...........
Duzias de bol5es encarnados para Testi-
gos a...............................
60
200
40
65300
160
40
600
500
800
60
QO
"53
i'
|
a.
8
e> 3
a
< .2; s
0"^ s
y t
al o
o
o
23
ir
i."
ar
O
e
9
;
e
Cotisl|iaro, dores de rabera.
Ouro-Preto, 28 de marro de 1804.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte, constipado que trouxe-me dures por
. todo o corpo e na cabeca, soll'ri borrivel-
_ Vendem-se as mais modernas lazinhas garibal- mente por esuaco de quatro das : ento
mas, fazenda inteiraniente nova no mercado, sen- um mi^O aconsplhnii-mp ana i,,m
do todas com lislras miudinhas, e transparentes,
ea
Farinha de maudioca.
a 55000 o sacco.
A melhor que f-xiste no mercado, bordo do pa-
tacho Ulysses, defronte do trapiche do baro do Li-
vramento pelo baralo prego cima mencionado,
sendo sem o sacco, e em.porfaose far alguma
differenca; na rua da Madre de Dos n. 5 e 9.
Roa da Senzalla Nova n. i.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLov
Moor libra a 120 rs. ______
Vende-se urna miilatinha recolhida de idade
16 annos, bem educada, urna negra para lodo o
servico, de idade 38 annos, por 5505, um escravo
para todo o servico, de idade 35 annos, por 7005 '
na travessa do Carmo n. 1.
nanimciled irom pipes.
Vendem-se canos de ferro esmaltados, muilo
bonspara encanamento d'agua : no armazem de
Prente Vianna & C, rua da Cadea n. 57 ; e pa-
ra informales e collocacao, os pretendentes po-
dem entend,er-se com o Sr. Schemerdine, no Mon-
dego.
d
o todas com lislras miudinhas, e
com lustro a imitaco das sedmhas, tendo vanas
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenta
e cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
vender depressa: na loja do Pavo, rua do Impe-
rador n. 60, de Gama 4 Silva.
As moilci-nissiiiias lazinhas de nina so
cor, a imitaco de gorgoreo, ven-
de o p-vo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas lazinhas de cordozinho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem vindo, proprias para
vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratissi-
mo prego de 560 rs. o covado : na rua da Impe-
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
Os mais moderos vestidos Maria Pia,
na loja do Pavo, a 16$
Vendem-se finissimos vestidos Maria Pia com
os corpinhos difieren tes, tendo todos os preparos e
com o compelento sinlo : na rua da Imperatriz n.
60, loja do Pavo.
Novidode do Pavo.
Vestidos Maria Pia a 120< 0
Chegaram os mais lindos vestidos Maria Pia
com as barras bordadas, tendo de differentes co-
res, e vende-se pelo ba alissimo prego de 125 cada
corte por estarmos prximo da fesla ; isto na loja
e armazem de Gama & Silva, rua da Imperatriz
numero 60.
Boa pechincha.
Na rua da Cruz n. 22 vende-se excellente viuho
de caj, a saber : garrales de tres caadas, cada
um 45, e em garrafas cada duas duzias 55.
bw aconselbou-me que lomasse pi-
lulas alliarticos do Dr. Ayer : com ellas fh
quei sao e completamente reslabellecido em
tres dias, de sortc que estou no ffirme pro-
posito de aconselhar o uso das dilas pilulas
todas as pessoas que forem alfcctadas de
.anstipacoes.
Agostimio Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
Irritada do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marro de 18Gi.
Atiesto e juro, se necessario fr, que. sol-
frendo ha muito lempo excessiva irritado
de estomago, pouco apetite e difcil di lao, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feilo uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Herhocenes Perera Rosa.
Lonibrigas.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1804.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram embregadas com grande vanlagcm por
mim em urna menina de dez annos, que-
soffria de vermes intestinaes, notando-sa
que os symplomas que enl.io apresenlava
eram de molestia bstanle perigosa.
Ravml-ndo Nonato S. de Tiiiago, pharma-
ceutico.
Vende-te o sobrado de dona andares n. 21,
sito na rua do Padre Flnriano, bem conservado, c
edificado em chaos proprios : quem pretender, en-
tenda-se com o Sr. Fredei Ico Chaves, residenio na
roa da Imperatriz, o qual est autorisado para tra-
tar desle negocio.
Abuu.s
para 20 al 200 retratos, muito bons e por menos
prego que em outra qualquer parle: na rua do
Crespo n. 4.
Nevralgia.
Urna caria do Ulna. Sr. Francisco Afva-
renga de Azevedo.
Para sitio.
Vende-se nm escravo de 50 annos, nao foge nem
bebe, por 2005 : na travessa do Carmo n. 1.
Vende-se um caixao grande para deposito de
gneros, proprio para renaeo ou padaria: na
rua Imperial n. 49._____
IN.IECCAO BROW.-
Remedio nfallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na ho-
cica franoeza, rua da Cruz n. 22, pre-
3#
Ha mais de sete annos que soffria dores
no hombro e nas costas, tomei urna infini-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
tes, porm nao exprimen] o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas c*-
Iharlicas do Dr. Ayer. S faz oilo dias, e es-
tou completamente restabelecido; ha tres
dias quo nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem nas costas.
Estas pululas acbam-se venda nas prin-
cipaes boticas e drogaras do Imperio, e no
Rio de Janeiro, rua Direila n. 15.
Vende-se em Pernarabuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
MUTILADO!


DUrle de rernamnnear Segunda letra II e \ov mbro de lfl.
AIRORA IIRILIhNTE.
N.84. Largo'da Santa Cruz.N.84.
Francisco Jos Fernandos Pires, tem a honra de avisar a sq numerosa fregnezia
e e*m espeeialidade aos moradores do bairro da Boa-Vista e seus arrebaldos, que fez
ara reforma era sea asseiado estabelecimento de moldados denominado Aurora Iirilhan-
te, ao largo da Santa Crtu, e eom esta peforma supno de novo o seu armazem de bons
generes, sf ndo muitos dalles mandados vir de sua propria conta, para melhor servir
aquelles que se dignarem comprar ou mandar comprar era seu estabelecimento.
No armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respeitavel publico um
lindo e novo sortimeoto dos raelhores gneros que tom vindo ao nosso mercado, e sem-
pre por presos muito razoaveis, como se v da segrate tabella que ser mudada se-
manalmente.
0
NEIM COROAS NEM MITRAS

GRlIDi: iUI;UEM
&mm<
A Aurora Brilhante recebe as libras sterlinas por 93. sendo para compra, e faz i>
por cunto du abatnenla a quem comprar de i00 para cima.
Presuntos de fiambre multe novo, a libra a
890 rs.
Mas para panella, a 560 rs.
Quijos h>ndrinos muito superiores, a libra
a 15000.
Ditos do reino vindo neste vapor a 25600.
Ditos do vapor passado a fi e 25400.
Queijos de qualha novos, a libra a 560.
Fraseos grandes cora atm-ixas a 35000,
Latas coral 1|2 libras a 15200
Ditas cora 3 e 6 libras a 25500e i-5.
Chorolate franccztnuito superior, a libra a
15120
Cha fino de primeira qualidc.de, a libra
25700.
Dito uxira a 25700.
Dito hvsson a 25700 e 2580*.
Dito perola a 25800.
Dito em caixinhas de 1 e 2 libras a 25C0O.
Oito reto a 23 e 25500.
Manleiga ingleza flor a 15200.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita em barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Latas eom 2 libras de banha refinada, a libra
a 400 rs.
Manteiga franceza nova, a libraa 640.
Dita era barris c. meios ditos, a libra a 600.
Toucinho de Lisboa a 95300 a arroba e a 320
rs. a libra.
Latas eom bolachinha de soda de 5 libras a
25000.
Dilas ruin biscoitos e bolachinbas sortidas
a 15500.
Ditas inglezas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranhao, a arroba a 25100 e a II
bra a 80 e 100 rs.
Dito Ja India a arroba 25800 e a libraa 100
e 120 rs.
Caf muito superior de primeira quadade
a 85500, 95 e 95500 a arroba.
Dito em libra a 280, 320 c 360 rs.
ViDhos em caixa de 12 garrafas, o melhor
possivel a 185 o 205.
Dito mas baixo a 105, 125 e 14$.
Dito Figueira. o mais superior pos caada a 45300 r a garrafa a 640 rs.
Dito mais baixo a 45 a caada e a 560 rs. a
garrafa.
Dito de Lisboa, boa marca, a 400 c 500 rs.
a garrafa.
Dito Brdeos a 640 rs. agarrafa.
Dito em caixa, das melhoros marcas, a 75 o
85000.
Sorveja, marca tenerte, em botijas a 7 e 85
a duzia.
Dita de diferentes marcas a 300 r?. a garra-
fa e 55800 a duzia.
Genebra de laranja verdadeira a 15 e 15200
o frasco.
Dita d pepuenos a 40 rs.
Dita verdadeira de llollanda, a botija a 480
Licores linos de varias qualidades a 800, 15
e 15500.
Cateas de viuhomasralel a 105, e a garrafa
a 15000.
Ditas eom azeile refinado a 105 e a garrafa
a 15 Conservas ingleza; e franeezas de pepinos.
seboias, azeitonas e mixide a 600, 700 e
800 rs. o frasco grande.
Caixa-eom frascos de mostarda franceza a
43 a duzia, e 360 rs. n fraseo,
EMl'Il'US OUTROSGEXER03 QUE TORN'ARIA EXFADOXilO
TUDO DE PRIMEIRA QUADADE.
Charutos finos do autor Jos Furtado de Ci-
mas, ha por muitos presos.
Ditos de outros autorss a 15500. 25 c 25500.
Gigos de batatas novas eom 1 arroba a 13.
Passas novas, a libra a 300 rs.
Figos novos a 320 rs.
Latas de ervilhas e favas portuguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas cora ostras, excellente petisco.a 640 rs.
Latas depeixe ensopado em postas, de muitas
qualidades, a 13.
Potes de vidro cora sal refinado a 500 e 640
ris.
Marrasquino da melhor qualidode, a 85 e
123 duzia.
Garrafas de dito a 80o e l&MQ-
Amendoas confitadas a libra a 800 rs.
Dita cora casca a libra a 320 rs.
Xozes, a libra 160 rs
ai'ieo, alpista, a arroba 48 e libra a 160 rs.
Grao de bico, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Vioho de caj preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 13000,15200 e
13600.
Champagne boa a duzia 205,c a garrafa a 25
Garrafoes eom genebra hamnnrgueza a 65.
Vinbo branco Xerez a garrafa a 13.
Dito Joao de Brito, pur, a garrafa a 640 rs.
Dito adoeica lo a 560 rs.
Dito do Porto, fino, a garrafa a 800 e 15
Xarope de grozeis e outras fructas a 640 rs.
Massas para sopa, amare lia, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dila estrelinha, pevide e radiabas a 640 rs.
Caixinha cora 8 iibras de dita a 35500.
S>-bolas soltas grandes, o cento a lj.
Dilas grandes em reslcas a 15280.
Duzias de cartas franeezas linas a 25500, 35
e 35500.
Duzias de latas de grasa nova a 900 rs.
Bonhoes de dita a 280 rs.
Uto-melada nova a 600 e 720 rs.'
Carne do sertao a libra a 320 rs.
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes eom farioha a 55-
Ditos eom m'lho o 33500.
Ervilhas seccas libra a 160 rs.
Lentilhas para sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha de Franca a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Araruta verdadeira a libra 480 rs.
Gomma de engommar a arroba a 43 e em
libra a 160 rs.
Sabio espanhol a libra a 400 rs.
Latas eom o verdadeira gaz liquido eom 27
garrafaa a 125-
Garrafas eom dito aSOOr?.
Saceos grandes eom feijao mulatinho cora 24
cuias por 95-
Copos c calix lapidados para vinho c agua.
Latas ninilo bem enditadas cora figos novos
a 25. 25500 e 35-
Assucar refinado cora ovos muito alvo a ar-
roba a 65500 e a libra a 200 rs.
Papel paula lo liso de peso branco e azul, a
resma a 25500 e 45500.
Vinho Madeira-secco, a 15600.
Canto de esteirasde tranca a 205-
Barris eom azeitonas novas a 15280.
Duas bataneas grandes de Romio eom os
pesos de 21 arrobas, e alguns bracos pe-
queo* do m"smo autor.
Uraa grande quantidade de caixoes vasios de
lodos os tamanlios de 120 a 500 cada um.
MEXCIOXA-LOS.
RA DO IMPERADOR IV. 40
Junto ae sobrado em qne mra e Sr. 0>berne,
Duarie /ilmelda <& C, receberam de sua propria rncommen-
da o mala lindo e variado sortimento de mol hados, proprlos
da presente estaeo.
Manteiga ingleza Macas brancas
da safra nova vinda no ultimo vapor a 1 ,ooo para sopa a melhor que se pode
rs. a libra e em barril a 8oo rs.
Manteiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vldro eom 3 libras liquido a
2^400, muito propios para mimos.
CartOes
eom bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
eom bolachinbas de soda de todas as qua-
lidades a 14300.
Chocolates
de todas as qualidades a I #000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velbos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3? a 20600.
dem perola
especial quadade a 20700 rs. a libra.
dem liysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480rs. alibra.
CO\AC ,
o muito afamado cognac Pal Brandy a l.Aoo
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
DE
desejar,
macarro, talharim" e aleiria a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
eom 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a !2Cr* .di bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
C-ARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 fs. a libr
Garrafoes
eom 4 {'i garrafas eom vinagre a 10000$
o garrafo.
GEXEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 con
12 frascos.
GEXEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
Silva & ouza
7 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
& a O por cento menos odree qne sepuasn po (na tra qual-
quer parte.
Gneros especialmente escomidos por um dos socios que na Europa se acha
1 para esse. fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabeleci-
mento.
I Os propietarios garanlem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
AO PUBLICO,
Nao nos servimos de exordios como tonslantemente estamos vendo em annua-
jcios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambera
estamos certos nenhuma attencao j mereccm do publico. O nosso fim, pois, simples-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos gre-
cos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attencao.
Yinho terde.
Cbegou o muito desejado vinho do Caittaxo vende-se nicamente neste armazem
^o garrafas.
a 600 rs. a garrafa e 3o.ooo rs, a ancora eom
de diversas cores a
rs. a garrafa e de outras militas qualrda- finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
SORTIMENTO PARA A FESTA
23Lar#o do Terco-23.
Joaqaira Simao dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do bora e ba-
rato que se venliam sortir dos bons gneros este estabelecimento que nao se arrependerao, se lhe
rara a dilferenca de 10 a 20 parenlo, pelo seu prompto pagamento ; e por isso se faz annuncio de
alguns gneros, que tendo sempre este estabelecimento um grande e vantajoso sortimento de tudo
quanto pertencento a este estabelecimento.
Seutido! Vou Tallar eom o Conservativo !!
des a l,ooo o 8oo rs. a garrafa.
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo o 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
j azul e pardo para embrulho de 1,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a I5,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa.
e l.ooo rs. o molho.
Manteiga ingleza de Ia e 2 sorte a 800, 900 e 1$
a libra.
dem franceza em barril a 600 e 640 ris a li-
bra.
Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 8800 a ar-
roba.
Batatas em caixas e gigos 10200 e 2$000 a ar-
roba.
Gaf de primeira e segunda sorte a 230, 280 e 300
rs. a libra.
Arroz da India, Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a
libra.
Pbosphros do gas a 20 a groza e 180 rs. o majo.
Passas novas a 480 rs. a libra.
Velas de carnauba Aracaty eomposicao a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs. a libra.
tLtrme'laila dos melhores fabricantes de Lisboa de
f a 2 libras a 640 rs. a libra.
On hvsson o melhor deste genero a 20800 a li-
bra.
dem perola miudinho a 20300, 20000 e 30000 a
libra.
Banha ingleza al va e superior a 480 rs. a libra.
Queijos mais novos do mercado a 20500 e 20800.
Serveja da melhores marras, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 50800.
Sabo amarello massaa 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Babia dos melhores fabricantes de
10200, 20000, 20300 e 30 a caixa.
Milito alpista e paiuco a 160e 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a diia.
dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprio para mis.-a a 500 rs. a dita.
Ilem do Porto engarrafado a 800 e 10, tomando
mais de urna caada de qualquer um (lestes ter
grande abatimeuio.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
Biscoitos o bolachas de soda a 10400 e 20.
Hassa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Ola ida era frascos e botijas e de la-
ranja de 480 a 610 e 10200.
houricas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas cora 1 e meia libra de ameixas a 10200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 30 o
galo.
cora urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a Ooo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro presunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loa rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inleiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e400rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em ealda
Alpista e Painco
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
) rs. a libra,! Dsee da casca da goialia
a 600 e 10 ocaix3e.
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 o cento na ra do Quei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 30 WO a arroba e i 40 rs. a li-
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de I e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba e 140 rs. a libra na ra do Qoei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
Amendoas confeitadas
64o rs. a libra,
dem de casca mole a4o o rs. a libra.
Ameixas franeezas em caixinhas eom lindas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 V* libra a l.loo rs.
Arroz do Maranhao e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a Ooo rs. a garrafa, e 10,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinbas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de. 6 e de 3 liliras, a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 600 rs. a libra e
em barril a 58o rs.
Batatas a 2,ooo rs. a caixa.
Champagne das melhores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, 1,80o rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas,
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a2,7oo rs.
a libra.
dem bysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra.
dem prelo homeoptico a 2,coo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a 1,000,
l,2oo e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da lialiia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
delicias e suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,000
e 4,'oo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franeezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600'rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo 5,ooo
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um.
Caf do Rio superior a 28o e Stop rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo
rs. cada urna.
Ltntilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Li;ores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
tt nteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
l,ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar eom a vista.
Id^m franceza a 64o rs. a libra, e em barril
{e far abatimento.
melada do primeiro fabricante de Lisboa
a7oo rs. alibra, ha latas de 1, 1 1/2e
'.', libras.
Ma; sa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
too rs. a libra.
Macarro, talharim ealetria a 4oo rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mosjtarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molno inglez em garrafinhas eom rolhas da
v dio a 64o rs. cada urna.
Marbsquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
algarrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oors. a lata.
Presunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a 800 rs. a libra.
Pasias novas de ramada a 64o rs. 3 libra e
C,5oo rs. a caixa.
Iden para sopa eslrellinha, pevide e rodinha
e c. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o rs. a libra.
Peixe em (alas hermticamente fechadas das
si gaiptes qualidades: savel, corvina, goras
civallinhas, e pescada a l,qoo a lata.
Paliios para denles lidiados a 14o rs. o ma-
ce de 2o rs. o macinhos.
Iden do gz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo rs.
a groza.
Painco muito novo 12o rs. a libra e 3,000 a
arroba.
Que jos flamengos, do ultimo vapor, a 2,5oo
rs.
Iden londrino muito fresco a 800 rs. a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. alibra.
Sevaiia a loo rs. a libra.
Touc nho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.'
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa o
l,4oo rs. a caada.
Idemem garrafoes eom 5 garrafas a l.ooo
rs.
Ibem He escovas
cada urna.
Velas te espermacete
a libra,
dem d,e carnauba refinada e de composicSo
a 446 rs. a libra, e de 15,ooo a ll,ooors.
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
das jmarcas menos conhecidas a 400 rs.
a garhfa e a 2,8oo rs. a ranada,
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar! a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
para lavar casa a 30o rs.
superiores a 56o rs.
CMQ!
Vinho tinta sem confeico
30,000 B<: H ANCORETAS DE CAAD AS .MI OOO
nico deposiio em Peinamlioco ra da i'ndeia o. i.
Esta aova qualidade de vinho recebida directamente de diversos lavradores de
Torres Novas (provincia da Estremadure) como atlestarn os bilhetes do camioho de fer-
ro que trazera os cascos, provando sua origem e procedencia, recommenda-s a todas as
pessoas que qneiram ter a certeza de beber vinho puro de uva como o que se bebe nes-
gas trras aonde nao panetron anda o espirito de falsificacao. E' preciso que o publico
se convenc de que os vinhos que aqu se importam nao vindo directamente do lavrador
chegam pela maior parte ou quasi tod -s sobrecarregados de prepares nocivos saude
causaudo bem graves trastornos no apparelho digestivo
0 annunciante offerece a analyse dos professionaes f sta nova qualidade de vinho
que expoe a venda, e da um premio de 1 :OOO0 a quem descobrir no mesrao algum cor-
po eslranho a natureza da uva de que feito
N. B. Para evitar a falsificacao, o annunciante declara que o nica proprietario
e importador deste vinho o qual vende somcn.e no sou armazem da ra da Cadeia do
Reoife n. 1.
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do- em latas de defferentes qualidades a 10200
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9. a lata
QUEIJO SUISSO queijos FLAMENGOS
muito iresco a 800 rs. a libra na ra do (togado* neste ultimo vapor a 20800 na roa
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e 1 do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
largo do Carmo n. 9 I 40 e largo do Carmo n. 9.
Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal deelaram aos seu?
freguezes e amigos e ao publico em'geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan* os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal rna do imperador n. 40
FRfTCTAS
. MAlA, PERAS E UVA
chegadas neste ultimo vapor, vende-se na ra do Imperador n. 40, Verdadeiro Princi-
pai.
Agua Florida.
Para resUbelecer e conservar a c6r natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna tintura, tacto essen-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias inofensivas, ella lem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D*uma salubridade incontem-
vel, a Agua Florida entretem a limpeza da cabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
coBstite poderosamente, eom a Agua Florida a
forra, a bell.-za e a conservacio dos cabellos.
Em Paris, casa de Quislaur n. 12, ra de Ricbe-
lien, e 21, boulevard Mnutmartre.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro o
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, ra do Imperador, pharmacia n. 38.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gostos para meninas
trazerem no braco : s se encontra na loia do Bei-
ja-Flor, ra do (jueimado u. 63 e 69.
Extratos e sabfto em eai-
xinhas
Lindas caixinhas cora um carto cora a familia
imperial, e dentro de eada caixa ura frasco ou sa-
bao o mais fino que passivel: na loja do Beiia-
Flor rna do Queimado n. 63 e 69.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova one
ha no mercado tanto em porcao como a retalho,
por barato preco afiancando-se aos compradores a'
superior qualidade : a tratar as segnintes ras :
Crespo n. 7, Imperador n. 28, Pone do Matto ar-
mazem do Sr. Villa defronte do trapiche do al-
godao.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs,
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rai'ha Claudia e ginja a Ooo rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e l,loo rs. a
duzia.
Gomma muito alva e nova a IGo rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras eom 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. eom o garrafo.
dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
eom rolha de vidro qualidade superior a
l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o
frasco e 11,ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
. dem Lisboa em ancoras eom 9 caadas mar-
I ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio. Colares muito fresco sem
compdsicao a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo
rs. a caada.
dem de Lisboa branco uva pura a 56o rs a
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada,
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garrafa
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Domo, Duque do Porto, D. Luiz I, D
Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
Genuino, Particular a Ooo e 1,2oo rs. a gar-
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa eom urna du-
zia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra-
fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a l,ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
Julien, St. Esteph, chateau la Rose, chalan
Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
56o rs. a garrafa.
i EKVEJTl S29I B AllltfI
a SOO rs. o copo
tueljo de Minas chegado no vapor
dem prato malte freseo
dem suisso superior
dem londrino superior.
57 Ra do Imperador 57
o


Diaria t Pwiwhei segunda lelra Si 4c Novembro de 1 S4.
D'IODURETO DUPLO
be FERROeQUININA
SO PUBLICO
Hcm o menor constran-
glmeato se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
Os elementos que compoem esla preparacao, o
ferro, o iode e a quina, a collocao no primeiro
grao Has preparaedes ferruginosas. Basta attestar
scus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
laes, c os relatnos dos prcticos mais eminentes,
que confrmiirao sua poderosa eflicacidade as
seguintes affecedes:
Minaos no mingue.
Frmino/.n.
Anrmla.
Chloroxe oh Ictericia.
Mcnatruo.
\f/i'r:;r do tero.
Mi|i|iriocH nrif e deaordea na
iurnt ruaran.
AfTeeraa pa'lmonar e
phtulale.
MoleNllaa d'^lomiino
Gastralgia*.
Ferda d'appetlte, etc.
COiivalcarenea de Ion-
Kan naaleallaa.
Maleollaa ohitoiiIo-
aa.
Papeira.
Obtrnrro das Ran-
dula*.
Humorrn frin
II u marra branca*.
liacbltiHnio.
4rr<-ci'c* ranecrosa*
e aypullltlcaa.
Pebre* typhaldr*.
Varile*, etc., etc.
Vejas se os bulletins de therapeulica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1SG0; a Gazeta
dos hospitaes de 28 dejulho I 60, ele, etc.
Alm dus pilulas de ioduroto duplo de ferro e de
Quinina de Rcbillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
ferro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Pcca-se o folhcto que se d de graca em casa
dos phannaceu ticos depositarios.
Para-se evitarem falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pnarmaciaRebillon,
4i3, ru du llac, c em todas as boas pharmacia
de Franca a dos puizes estrangeiros, etc.
16000
193000
105000
10,6000
103000
163000
93000
63000
6,5000
63000
GRANULOS
m CHEVRIER
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparaedes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir e
curar as
Dlarrheaa cornica*. M* dlgeatoca.
DyHMcnterlan. tia*trlte*.
Ddre Dyspepala*.
Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
affeccoesse manifesto ordinariamente por diges-
toes laboriosas, anidantes, falta d'appetite, pesos
d estmago depois de cada comida, caimbras es-
tomacaes, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidao, traz inc-
vitavelmenle, que soja:
MolcHtlna de ligado.
A Ictericia,
ralpl laraa de coraeo
Dre* no* rlu*.
Oppre**dea.
narra de -ahora
Irritacoe* de beclga e
da niatrlx, etc.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicacs para prevenir essas diver-
sas molestias c cural as quando sao tomados a
lempo.
O preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pbarmacia Chevrier,
c em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
Pro processo de Cberricr, pliarmacenlico em
Paris, roa do Faubourg Monlmarlc 21.
Este oleo do titn clteiro agradavcl, c de
tfffi sabor assucarado o nico que niio tem
vem o fjosto, nem o clteiro do peixe. On-
jecto tle numerosos relatnos scientificos e
mdicos, esle mdicamente que goza era
Frann de iim successo to raro como bem
merecido, recatado diariamente pelos
principis mdicos dos hospitaes de Paris.
O OLEO DE PICADO DK BACALIIO DESINFECTA-
DO ferruginoso emprega-sc com os maiores
successos as molestias em que se empresa
o oleo quaudo sao acompanhadas de debili-
dade c atona.
Deposito geral em Pernambnc roa da
Cruz d. 22 em casa de Caros A Barboza.
Albuns baratos.
Acabam de chegar loja de miudezns do novo
rival, ra do Qneimado n. 16, un riquissimo sor-
limento dealbuus para retratos, desde 12 at 100
retratos, os qoaes se vendem muito mais barato do
que em oulra qualquer parte, a saber :
Bonitos albuns para 12 retratos. 23000
Ditos ditos melhores para 12 ditos 23500
Ditos ditos para 20 ditos..... 23.'00
Ditos dites melhores para 20 ditos 25800
Ditos ditos para "0 ditos..... 43000 j
Ditos ditos ricos para 50 ditos. 83000
Ditos ditos muito ricos para 50 ditos. 165000
Ditos ditos riquissimos para 5<) ditos. 255000
Ditos ditos nquissiinos para 50 e 100
ditos............ 303000
Attencao.
Vndese cu aluga-se o sitio da Torre, perten-
centc a Jos Mariano de Albuquerquc : a tratar
com o mesmo na ra do Imperador n. 12. Faz se
todo negocio._____________________________
Vende-se a armacioe utenciiios da taberna
da ra de Aguas-Verdes n. 48. _______
VEME-SE
um pequeo sitio no Barro-Vermelho cora alguns
arvoredos de tracto, o qual tem 42 palmos de lar-
go e 600 do fundo, muito proprio para quem qui-
zer passar a fesla por ficar muito perto do banho,
tendo o mesmo sitio urna grande casa de taipa, a
qual tem 2 salas, 3 quartos, 1 quarto de venda e
casinha fra : quem pretender dinja-se a roa Im-
perial n. 62, que ah se dir quem vende.
Vende-se um carrinho de 4 rodas cora doas
assentos, para um ou dous cavallos, muito leve, e
de modella elegante, bem commo um canriolet de
duas rodas, moderno e novo, com os competentes
arreios : a tratar na ra do Queimado n 13, pri-
meiro andar, escriptorio
Vndese gomma de araruta muito alva e
nova a 100 rs. a libra e 35 a sacca : na ra das
Cruzes n. 24, esquina da travessa do Ouvidor.
Cbrlolet americano.
Vende-se um cabriole! americano de 4 rodas
com dous assentos, em perfeito estado : quem o
pretender, dirija-se a cocheira da ra do Impera-
dor que pertencea ao Sr. Malveira.____________
Fabrica de espiritos
Roa Direita n. 47
Na fabrica de espiritos da ra Direita n. 17 ven-
de-te espirito de vinho de graduacao subida, lico-
res de todas as qualidades, finos e grossos, canna
de cabeca, reino, aniz, genebra, e genebra de la-
ranja, tudo por menos do que em outra qaalquer
parte.
en cao
O Vigilante est alerta, nao lhe era permittido ]
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o'
seu canto, afim de annunciar ao respeilavel publi-
eo o grande sortimento de galanteras do melhor
gosto propriamente para qualquer mimo, que aca-
j ba de chegar neste nltimo paquete, assim como
muitos ontros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua ronta como de consignaco que
est resolvido a vender por prerns muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, dar extracao
o grande deposito que tem, que espera merecer
prolecco do respeilavel publico empregando pare
I isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quem satisfeitos; isto so no Gallo Vigilante, ra do
i Crespo n. 7.
Rices porta-joias.
Cofre de multo goslo por
Cestinhas transparentes torradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
I Ricos cofres cora camaphen.
Lindas cajxinhas com pedras brancas.
Lindo balao com calungas dentro, tara-
bem para joias.
Tamhalier para ditas.
i Cestinhas ditas.
I Cosmorama ditas.
Urnazinhas.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-
eos; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado, a 105,123 e 155, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
45000.
Ricas fivellas avulsas para slnto, o melhor que se
pode encontrar, a 15500, 25, 25500 c 35 o par;
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabaxes ou eeslinbas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
possivel a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais lepes
com pequeo defeito, leques de sndalo eom pe-
queo defeito por barato preco de 85 e 105, chi-
nezesmuito bonitos tambera, pelo barato prego de
|45e 5, bentarallos muito bonitos, tambera porba-
I ralo preco de 45 e 55, leques de charo tambem
por 45, tudo isto para acabar, perdi.ido-se tai-
vez 80 por cento; so no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desojar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga com en-
feites o sem elle para menina; s no Vigilante,ra
do Crespo n. 7.
Pulsciras.
Lindas pulseiras de contas e de missansa, cures
muito lindas e de muilo gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do yres-
po n. 7.
Leques.
Rlquissimos leques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato preco
i de 125 e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Pcntcs
lmbemenegaram os nquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa lina, que se vende por 25,
35 e 55; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas caetas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissiuio proco de
15500 e 25. '
Sapalinbos e mcias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
, nhas e touquinhas para as ci laocinhas se baptiza-
rera; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Voliinlias.
Lindas voltinhas de porcias falsas com ernzinhas
fingindo brilhanles, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato preco de 15 e 15200, as
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
l Crespo n. 7.
Cnnhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e33;s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Eufeiles para srnhora.
Riquosissim enieites com lago c sem lago e de
outros^muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
j guante, ra do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins ae cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
relroz a 200 rs.
Babadinhos enlrcmcios.
! Riquissimos babadinhos ntremelos com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 13200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascanilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que admirara aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 23; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Filas de lia.
Filas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrura de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelfaos.
Riquissimos espplhos com moldura dourada
sem ella de 83, 105, 123 e 145, assim como com
eelumnas de differentes tamanhos a 25, 35,45, 55
e 65; s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Lidos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqui
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de muito gosto a 15500 e 23- assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um ; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tinctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos dehanha japoneza
a 25 e a 15, assim romo outros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
ATTENCAO
Os presos da seguate
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de coutas
eom os portadores.
1 WBITfSE CHr08A lilla Nfc
1 ..i T da Aurora> na roa larga do Rosario n. 38,
leccueii1 riquissimos enfeites e cintos a Harta Pa.
os enf( ites sao para cabega e rende se junto com
os cin o, pois enfeites e rintos fui encommenfla
especi; I que lizemos, por quanto obra muilo fina
e COO que anda nao veio igual a este mercad-,
saloa da Aurora que receben, e esta que-
mando quem duvida venha com dinheiro r.ara ver
i o gosto Assim como tambem receben cintos do
couru lorrado de velludo, que tanto serve 1 ara <
nhora remo para meninas, tambem d.: imiiiogo;to.
Rica rapellas brancas de differciites qualidades.
Can siuhas muito finas para geuhora.
Co'larinho< e puohos tambera para senbora.
RIJA BA CAIIEIA 1IO RJBCIFE I. 53.
(Logo passando o arco da Coneeige)
Grande reduceo de precos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annuneiante.


huVrlsa d tuaposiie sol de Francis-
co! Mae.sJrli, ma do Queinat
n ti mero 22
Nesta fabrica ehegado pelo ultimo vapor ur.i
completo sortimento de (engallas e cachimbos de
espumado mar ede outras mais qualidades, as*
sim como tambera chupetas para charutos muflo
fins, e1 fumo caporal, e sempre tem prompto um
bom sprliraenlo de chapeos de sol de todas as
qualidades, na qual se fazem e se conceitam ludo
periemlenie a esla arte.
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
coiiegag.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manleiga ingleza a ^ ,000 rs. a libra, bem assim o de outros' sad* T mercado, em bem acondicionados barris:
. U* A t J *! -I .------------------ ***^va utw Ul UIULV1U VtC iili -JIJ.H it 'O i lil.ik JMUUUiUl nuu ivo. ^uui c (UJCllll.1 II *IMC>, lilil Uf HZIIM.l. IIHIO
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de Uoe a l.Coo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduegao a qoelj8 4 pm pessoa que se retir ou para fra da
estao obngados, encarando todos os das de seus freguezes reclamac5o de pregos, e qualidades, vincam-se de um e outro portadores: Pr?v,nf!M : no Corredor do R.spo, cas
al informado deste novo estabelecimento. para lhe vender troneros nao nrnnrir* rlA nm Mtahiapiir..ntn -laat. u-. m
para Ibe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
tao somente obter a concurrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromplidao e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteegao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendagao, afim de que nao vio em outra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 800 rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 60 rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600 rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preiohomeopathicoporserde superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,too rs.
Linguigas, chourigas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chourigas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e I,5oo e 600 rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Gaf do Rio a 2Go e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,000
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paingo ealpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor Estearinas a 5Go rs. a libra, e em caixa com
passado a l,6oo e l,8oo rs. | 25 libras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e lavas porluguezas em latasj pre-
paradas a Co rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino viudos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,uoo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo c l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo G libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras echernee, vezugo em
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
tas com 9 caadas por 43,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo eoo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 000 rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
J. 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
wnho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinbas de Nantesem quartos e meias latas
a 3Go e 5Go rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a G4o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 2io rs. a
libra.
das que tem vindo ao nosso mercado a! Bolachinha de soda em latas cora diversas
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-' qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este prego. | para mimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, ejPassas muito novas de carnada a 4oo rs. a
5,7oo rs. a frasqueira. libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras,
dem de laranja verdadeira de Aliona em Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
H.ooo rs. a duzia. Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra,
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo Bolachinhas d'agua em sal da (asnea do Beato
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
porl,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 83o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza era potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeirode Zara em garrafas
grandes a l,ooors. e H,ooo a duzia-
Palitos para dentes a 14oe 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 0,000 e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutosde todos osfabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba era latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em catxoes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco reGnada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molbos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Vende-se o deposito do pateo do Carmo n. o,
proprio para qnalqner principiante, com poucos
fondos : a tratar no mesmo.
Vendem-se dous exeellentes cavallos, sendo
um com todos os andares, para montara, e outro
para carro : na estrada de Joo de Barros, sitio
da capella.
'AGENCIA
DA.
AGENCIA L0W-M00L
Ra da Senialla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiai
tuoendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston A C,
ra da Senzalla Nova n. 42._____________
Superior vnlIio Collares.
Na ra do Vigario n. 11, escriptorio de Manoel
Joaqulm Ramos e Silva & Genros, tem para ven-
der superior vinho Collares em ancoretas.
fmmmmm mmm.mmmmm
, tabnca Concei^ao da
Bahia.
Andrade & Reg, recebem constante- g
menle e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
la* fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aipodo empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
no
UMA GRANDE LIQIDACA
Excellentissimas senhoras
mesiii casa d-se alraoco, jamar, e lugar para
dorm, a algum hemem de idade que queira se
incumbir de tratar e plantar em um sitio n.uio
pequeo, promette-se bom tratamento : quim q'ui-
zer appareca a qualquer hora.
Os Cases >
OS MAIS AGGRAV1NTES
F.
D'uiua pertinaz DE
ESCRFULAS,
OU ERUPCOES ESCROFULOSAS,
Ulceras de toda a especie.
SXPHILIS, OU MAL VENREO,
TUMORES,
EtUllIcdes,
BERTOEJAS,
OPHTlALfflA,
HydropLsia,
Impigtiit,
HERPES,
Ifartros,
ERISIPELAS
ESCORBUTO,
Tinha,
GHAGAS ANTIGS,
Rkeuma,tisrno CftPQrtteftj
MBILIDADE GERAL,
Nervosidade, Nevraiiias,
FiLTi l)E iPfflfi, FiSM,
SUPPRESSO DAS REGRAS, ou
AMENORRHEA,
inmu. i me w
Kcteucao das Urinas,
KMACIArAo.
Oh emmagrecimento gem do urj >, proa
niene do estado vinoso do muy, .,
i INFLAMMACOES CHBOSICA
Affec9es Chronicas do Figado,
AssJm como todas as mais mmii.u \mi-;s m
ustias, principalmente qb'a.ndo sao
0a8ada8, 0(- produzida8 pelo mu i
livre eso no Meroi UJO ou
Quixixo,
Aimiin romo tniiibrm pelo rrpqiinilo nao ilo \\.
BONICO e mitra-. prr|iar:;.'r- llhii-rnrs:
Todas estas Enfermidades prompta e efficaJt
mente cedem A benfica, poderoza e
purificantes qualidades da mui
justamente afamada
.^.fc-fc
Roa da Senzalla n. 42.
Vende-se, era casa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicles para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
POTASSA
Vende-se potassa em barris a commedo prego o
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, e ser i p ton:
de Amonio de Almeida Gomes.
Cal de Lisboa.
A loja da ra do Crespo u. 17, de Jos Gomes Villar.
Recebeu a sua encommenda vindo de Pars, as melhores fazendas que tem vindo
a esta provincia.
Cortes de blonde completamente preparados com capella e flores etc., etc. proprios
para casamentos.
Cortes de mcreantique para noiva, mantas e capellas proprias para noiva, baloes de
todas as qualMades para senhoras, ricos cortes de seda prelado cores e moreantique pre-
lo, grosdenaples preto e de cores, cambas de cambraia bordadas para senhoras.
Chapeos de palha para senbora assim como para menina o que, tem vindo de me-
lhor, peitos bordados para camisas de homem, cassas de cores, orgrndys de lindas cesr,
chitas de todas as qualidades. MK
Capas pretas de gorgoro importantisslmas, soutembarques pretos, assim como de
cores o melhor, casaioes, pelerinas, pellives etc., etc., casaveqoes compridos de grs pre-
tos e de gorguro, fazendas importantissimas.
Novo gosto
Chales de renda pretos o mais moderno presentemente a lo e 203.
A elles antes que se acabem, fazendas de todas as qualidades proprias para senhoras.
Tapetes para forrar salas a 25O0 o covado com seis palmos de largura.
Esteiras de muito boa qualidade para forrar salas.
'VdB ui9 ooiiqnd o 9 svxoquds svwxg uivf9)o(]
'U *b odsej;) op mu ,?
ovvamon aa\[VH9 vwa
ci de lisba em pedra Esteiras para forrar salas.
desembarrada hontem de bordo da barca Bebe-
douro : vende-se por todo o preco no escriptorio Com 5 palmos de largura e muito superior qua-
de Manoel Ignacio d'Oliveira & Filho, largo do Cor- lidade, vende-se mais barato do que em outra qual-
mmm de um
A venda as boticas de Caors & Barbos,
ma da Cruz, e Joo da C. Bravo & C, ro.
da Madre de Dos.
ESCBAVOS FGIDOS.
ATTENCO.
Ignacio
po Santo n. 19.
Vende se um carro muito forte proprio para
a estacao do assucar ou trabalhar na escadinha :
quer parte : em casa de Valle Porto k C, na roa
da Cadeia n. 33, Recite.
Vende-sena ra da Praia, no armazem de Jos, em !>anto Amaro, taberna de Jos Jacnlho de Car-
Joaquim da Cuaba & C, n. 16. valfae.
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na ra Nova n. 61.
Acha-sa fgido desde o da 7 de fevereiro do
crreme anno o escravo de nome Faustino, de ida-
de de 40annos, pouco mais ou menos, cor fufa,
altura regular, groso do corpo, bem espadado,
barbado, e j com alguns cabellos brancos na bar-
ba, bracos e pernas grossas e bastante cabelludas,
tem as pernas arqueadas, porm nao muito, bs-
tame cabello nos peitos, e costuma quando quer
fallar mais apressado como que gaguejar, porta
muito pouco, que mal se percebe; costuma andar
em sambas, e as vezes embriaga-so por gostar do
bebidas espirituosas ; suppoe-se que elle seguio
para o centro, talvez em busca dos sertes : por-
tan to roga-se s autoridades policiaes que e facan
apprehender e couduzi-lo casa de seu senhr o
najor Antonio da Silva Gusmao, na ra Imperial,
em Pernambuco, que satisfar toda e qualquer
despeza que por ventura facam. e aos cauitacs d
campo offerece urna boa gratificaco.
Acha-ee ausente desde o dia 12 do eorrente
a preta Luiza.com os signaes seguintes : cor fula,
marcas de bexiga no rosto, tem duascicatrizes na
mi direita, idade 2a annos pouco mais ou metws,
levou vestido de chita e panno da co.-ta ja usadq,
consta andar nesta cidade : pede-se as autoridades
policiaes a appreheno da dita escrava e leva-la
a ra dos Pires n. 34, que ser generosamente re-
compensado.
IVegro fugiilo.
No domingo 13 do correte, ausentou-s e o preto
velho de nome Jos Maranhao, altura regular,
cheio do corpo, ps grossos, falla embarazado, le-
vou chapeo do Chili j muito usado, levou a roupi
entrouebada dizendo aos parkeiros na ra que ia
lavar roupa em Beberibe : pede-se a captura e eo-
trega-1 a ra da Cadeia do Recife n. 3.


.
8
DlarU le Peraanfeae* Segunda felra ti de Vovcinnm 4c 115 4.

?
v
Hui-oioua dos poderes entre si e com
a naco
A tradico embaraza, a roli-
na enerva e o prejaizo mala.
O Solitakio.
Que a razo soja fecunda ; que o costume se-
ja estril. Bacon, ncstc aphorisme, lem dilo o que
lili- quera e nao o que elle via.
No dominio da poltica a razao, virgem sania,
tem. sido urna virgem infecunda; o costume,
mulicr sem honra, tem sido vergonhosamcale
productivo.! entiiam, 2." ensaio.
Todos aquellos, que nos lionraram com sua at-
cengao, na leilura de nosso precedente artiga
COn|irelieniJeran) certameulo que o nosso im prin-
cipal foi separar a adminstrago da Justina, sepa-
raudo a administrado poltica, qne exerce o mo-
narcha, da administraeao publica, que estara espe-
cialmente a cargo do poder legislativo, com os
leus executores ; porque nos entendemos, que
l'Crfi'itamonte Ilusoria a primeira sem a segunda :
e com elleito, urna vez que o poder real est con-'
fundido com o poder execulivo, nao se sahendo
mais onde est o rci, c ond e estao os minis-
tros, os outros poderes estao em grande em.
taraco ; j pelo respeito, que tribulam
primeira pessoa da nacao, c j porque se arre-1
ceiam de seu inmenso poder ; de forma que em
vez de os ministros guardarem o re, o rei quem
guarda os ministros, e para melhor dizer os minis-
tros sao res, c o rei nao 6 ministro.
Diremos com Berrtat-Saint-Pnx, que fazer
una extranlia illusao acreditar, que a sortedo
raiz est ligada a certas conibinacoes de poderes !
As revolures sao produzidas pela necessidade das
cireumstancias, pelo choque dos interesses sociaes,
pela exaltado dos espintos. Ellas n.o podertam
ser prevenidas nem impedidas polo emprego de
expedientes polticos mais ou menos engenhosos.
E de facto a extranha confusodo poder executivo
com o. poder real nao passa de urna combinagao
abstracta, de um expediente Ilusorio, artificioso
ou insidioso, pelo qual um poder secundario, que
nao tem fundamento algum na vonlade nacional,
loma as redeas do governo supremo dopaiz, e con-
du-lo a seu capricho.
E mento senao a imposigao, a mentira e a Iisonjat
QQ6 pdem dar forca mas nao direilo, que pdem |
fuer dos ju>tns tyrannos, mas que nunca farao
dos yrannos justos, sao to dnraveis como sao as
paix5es que Ibes dao nascimento, e sao to rasoa-
vois como ellas, nao pdem fazer o bem que
nao obra de um da, porm sao proprios para es-
r THiar o mal ou a destruigao em- sua rpida pas-
sagem.
J vistes, bons espiritos, que ao absolutismo dos
reissuccedeu o dos ministros, que aos governos da
forga succedeu o governo das citadas, que aos go-
vernos da espada succedeu o governo dos biom-
bos, e que a humanidade pouco tem conseguido
para nao ser lyrannisada.
Dac aos res bons ministros e elles serao bons
res, mas dae aos ministros bons reis, e estes serao
tyrannos.
O povo est cansado de caminhar nos desertos,
ji perdeu as esperangas de ver a trra da promis-
Kio ; porque elle nao ve" ferir-se a rocha para ver-
ter agua nem cahir man do cu : o desespero
da sede e da fume, que o faz descrcr, porm a sede
e a fome o arrasta.
Caminha forrado sem comer nem beber o deses-
pero, a morte e a condemnagao vos seguiro !
Sabis qual a razao disto ?
E' porque os polticos, fazendo urna constitnicao,
llie disseramtodos os poderes sao delegago da
nacao, e elle conu-ntou-se com isto, e com ver na
constitaico urna grande nomenclatura de ga-
ranta?.
Porm elle nao prceurou saber se a constituirn
as garantiu pralicamente, ou se deixou aos gover-
nos o poder de abusar, a facilidade de corromper
ot a facilidade deoppnmir.
As garantas da liberdade nao sao nomes, sao
realidades na organisacao poltica.
E' ainda porque a m organisacao dos poderes
jraz comsigo una terrivel consequenciaa exis-
tencia dos partidos.
Separae o inleresse da justiga que todos os ho-
mens serao justos. E' este o segredo de urna boa
organisacJo poltica, na qual se deve extirpar
d'enlre os poderes, quanto fr possivel, o interesse
e os meios de corruuclo. E qual o meio attinen-
te a este fin ? E" tomar o poder executivo depen-
dente do legislativo, como seu principio de ser, c
e separa-lo do poder real.
E' verde que nao se pode extinguir dos homens
o sentmeuto do inttresse, porm preciso nao
confundir o interesse bem entendido, que a moral
nio reprova, com aquelle, que a moral condemna.
Com certeza se pode afirmar, que a autoridade
da le e da justiga ter perdido inteiramente o sea
imperio na sociedade, quaudo o pavo nao souber
quem o governa, a quem tem dado a sua causa
c a quem deve tomar as suas contas ; porque en-
tao que os poderes nao besitam em abusar e cui-
dam pouco de se conservar. E' assim que os po-
deres polticos estaro sujcitos a censura, e sua
responsanilidjde moral peraute o paiz os seguir
por toda paite e sempre. Os poderes pblicos,
jorcni, nao escaparo responsabilidade legal
c respuodero pelos abusos que coinmellerem, pu-
dendo soffrer penas, que a Iti commine. Confun-
d o poder execulivo com os poderes polticos e
Teres se nao tem desapparecido os effeilos da res-
pon:abilidade do ambus.
Sim ; porque a responsabilidade moral fica pai-
rando incerla sobre el les, elles sao coautores em
todos os trunes, mas nao responden] por algum :
d'onde se ve que o mais criminoso ficar impune,
e que o mais innocente ser mjustigado : a res-
ponsabilidade legal desapparece de todo : lodos os
poderes seriam impotentes para impo-la. Islo,
poim, que nao to exacto a respeito do poder
legislativo por suas condieges particulares em
nosso sy&leuia, sobe de pouto a respeilo do poder
real. Convin por isto, que elles nao se confun-
dan). Donde vem, porm, a vaotagem d'essas res-
ponsabilidades simultaneas, que alguns homens
tanto gabaui f E' um bello sopbisma I!
Por ventura o principio de que cada um deve
ser responsavei por seus actos nao ser mais um
principio de alta moral e de alta justiga ?
A coufuso dos poderes traz a sua desmoraliza-
rlo, e dcsmoralisados elles, preciso bastear as
rulas baudeiras dos partidos, com que elles se e-
veai obrir.
O povo nao v a verdade ; preciso entrete-lo
com os symboles, elle nao a pode ver mestno, di-
cen! os despota;.
Elle a v, porm que vos a confunds, elle
capaz de v-la, mas que vos o illudis.
E' preciso dividir os bomens para melhor os
opprimir........................................
O governo, que nao opprime nao tem vantagens
em govornar.....................................
Tanto mais se ambiciona o poder quanto mais
corrompido elle se acha.......................
O grande ocano da3 ambicies, quem pode con-
ter em seu leito ?
Onde est o principio da reaegao ? D'entro dos
poderes artivos T
Nao, ella deve estar em um poder independente,
que nenhuma relajo tenha com a gestao da cau-
sa publica directamente, que so precise do povo
para se conservar, e a quem o povo entregue a'
sua defesa.
Nenhum poder obrar em sentido absoluto ; to-
dos os poderes serao dependentes em si ou do po- i
vo directamente ou do povo indirectamente, de-
pendendo do monarcha.
llavera um poder forte supremo na gestao da
cansa publica, que Ihe dar as leis, porm elle es-1
tara sujeito ao povo, e todas as vezes que seo.
chame para dar contas a este, elle dever ir com a
maior vonlade e com o mais bello desinteresse. O
monarcha nao Ihe far mal algum em obriga-lo a
isto, nao tolher a sua independencia ; porque
quanto mais depender elle do povo mais indepen-
dente elle ser. Dissolvei as cmaras todos os an-
uos, e, se fr preciso, lodos os mezes, que nao ha-
ver quem tanto ambicione de ser legislador. O
estado nao perde nada com' islo; a effervecencia
das paixoes partidarias hade desapparecer, a just-
ga hade reinar.
O povo se convencer de que isto um bem pa-
ra elle e nao pode ser um mal, quando tem por tim
o bem.
Matac a influencia do poder executivo ou minis-
terial, que com um lunccionalismo tmmenso delle
dependente, esmaga o povo no mais pesado jugo,
que este exerrer a sua liberdade de voto com o
mais pleno desembarazo.
Senhores do veto absoluto, da vitalciedade ab-
soluta, da ioamovibilidade absoluta, Dada ha de
absoluto sobre a trra. Sendo o monarcha com-
parte dos ministros suspeito. Moguem repr-
senla absolutamente, ninguem delega absoluta-
mente. A philosophia e o Christanismo repellem
semelhante idea.
E' verdade que devemos considerar todos os po-
deres como protectores da sociedade, porm, notae
bem, quem protege a ouirem nao tem necessidade
de escravisar sua vonlade, o senhor nunca pode
ser bom protector; nem se poder o protector
tornar senhor.
O protector, que senhor, mais protege quando
mais escravisa e mais escravisa, quando mais pro-
tege.
Continuemos a fallar dos partidos.
Quem tem partido nao precisa da liberdade, e
quem tem liberdade nao precisa de parlido ; logo
ha partido onde nao ha liberdade. Apontae para
qualquer parte onde houver partido, e eu vos di-
rei n limine, nao ha liberdade.
A publica urna norma de obrar, ella toda ex-
perimental.
Todo o poder, toda a liberdade um facto e nao
urna abstraego, um complexo de actos, que pas-
sam pela forma invaravel do dever : estas ideas
de poder e liberdade representara realidades e nao
fiegoes.
O Ora do lodos os actos humanos o bem, quer
seja absoluto, quer seja relativo, com tanto que seja
sempre moral.
Nestc sentido os actos humanos ou sao rnateriaes
sem interesse moral immedialo, ou moraes sem
interesse material immediato.
Os aetos dos individuos ou da sociedade podem
ler relagao comsigo mesmos exclusivamente e en
tao a sua vonlade predomina, e elles sao juizes de
sua prepna causa : o interesse exclusivamente
pessoal do individuo ou da sociedade, que falla>
elles nao podem estar em luta comsigo mesmos.
O interesse individual, como o interesse social
verdade, que nao absoluto ou invaravel, porm
isto urna razao de mais para que nao se possa
estabelecer principios exclusivos e a prior!, e em
todo caso a verdade est em que a consa privada
esta no dominio do individuo, e a cousa publica
nao pode estar no dominio de algum ou de alguns,
porm do maior numero: porque nos corpo*
cotteetrvso a maioria tem a sua razao de ser na
' sociedade inteira.
Em economa poltica uns entendem que se deve
arriscar antes do que accumular os capitaes, outros
que se deve accumular antes do qne arriscar. E'
| como explica Sttiart Mili os principios da conser-
v Qo e do progresso.
Mas nao se v que isto depende das circnmslan-
cias, das probabilidades, que ellas forncee-n. e qne
em todo caso a maior somma de probabilidades,
conforme o seu valor, deve decidir o sm nnonio
e qne porlanto a verdade ser sempre urna ?
Estou bem convencido de que aquelles, que nao
sao interesselros, e que nao querem pescar em
aguas turvas estaro de accordo comigo.
Os extremos se trocam : e portanlo os ttulos
pomposos c os nomos puros sao o aparelho dos
chartaes da poltica dcstes bellos lempos: porm
aquelles, que nao se querem entregar de corpo 'e
alma, procuraro, comigo, se acaulelar sempre.
Os interesses do individuo ou de individuos
podem estar em collisao com os interesses de ou-
tros individuos ou da sociedade : quando os indi-
viduos estao em luta com individuos a jnstiga so-
cial da o direilo a qnem o tem, a questao das
provas, os lmites da juslica nao podem ser duvi-
dosos,ella hade estar de umou deoutro lado: mas
ainda aqui se da o direito a quem mais razao
tem : os poderes humanos lutam sempre com a
imperfeicao e contingencia dos meios de conheci-
mento.
Na esphera do direito civil ainda ninguem se
lembrou de plantar a divisa dos principios; por
que aqui nao se trata de poder electivo, nao se pode
fazer guerra magistratura inteira, e, ainda mais,
porque os magistrados nao podem partir a proprie-
dade, ou guarda-la para si, no caso de duvida ; por
que se lornaiia mui injuriosa.
Tal a fraqueza das ideas de partido, qual a
fraqueza dos governos partidistas.
Confirmae-vos bons espiritos, em qae dividir os
principios enfraquecer a verdade: dividir os ho-
mens enfraquecer as sociedades : e, eofraqueci-
da esta, o governo se corrompe, e a sociedaue cahe
no marasmo, que produzem os governos constitu-
cionaes, que at hoje se tem forjado, e em que s*
confunde os poderes para que elles possam cons-
pirar, e se divide as sociedades, para que ellas
sejam opprimidas.
No caso, porm, de baver collisao, entre os in"
teresses da sociedade e os interesses dos indivi-
duos, claro que o interesse de todos deve preva-
lecer contra o interesse de caoa um, o do maior
numero contra o do menor numero, e raras vezes
os ioleresses sacriOcados nao serao susceptiveis de
urna c-mpensaco rasoavel, porm aqui justa-
mente onde as opinioes extremas e os symbolos
sao mais perigosos.
J lemos fallado dos interesses rnateriaes priva-
dos e pblicos.
Quanto aos interesses moraes elles dzem respei-
lo ao governo da sociedade em seu principio, ou as
relaces entre os governanles e os governados ou
dos governados entre si.
Considerada a questao no primeiro ponto de
vista, devo dizer que ah o amago da questao,
porbm releva observar que os principios se divi-
den), nao para enfraquecer a verdade, porm para
sustentar abertamente o erro. Trata-se de um
direito natural.
Mas, ser possivel, no seculo das luzes, aventar
um erro brbaro, pondo em duvida o direito, que
tem a sociedade do impr as condiegoes, em que
deve ser governada, e em que a delegago deve
valer ? Aqui se trata de norma de obrar.
Mirabeau tinha raze, quando dizia, que nao
conceba como se poderia disputar a um povo o
direito de dar si proprio a constiluigao pela qual
deva ser governado; e elle nada nos disse senao o
que a civilisagao de um povo nao Ihe pode oc-
cullar.
Ser contestavel que todos os poderes sao dele-
gacao da naco.
Por ventura nao esl, ao menos, escripto isto na
nossa constituicao; e na de todos os povos civili.
sados ?
Nao esta isto gravado no consciencia de todos os
homens ? O juramento para os governantes o
que para us governados a justiga.
llavera ainda quim, nesta- poca, suslente, que
ha governos de origem divina ?
Fallemos ainda dos interesses Individuaos, e da
reloco, que tem com elles os poderes do estado de
suas relacSes moraes.
Se bem que a sociedade nao pode devassar os
ardanos da vida privada e deve se abster, quanto
possivel de coarctar a liberdade humana; a justi-
e,a constituida, sem desrespeitar estes direitos: por
que do contrario mal dos homens, que nao teriam
um momento de repouso, se pensando a cada passo
as garras da autoridade, que se tornara o mais
esfaimado abutre. se podesse transporos limites da
liberdade individual; ella, que tem por Om garan-
tir os direitos do individuo, nao pode flear immovel
dianle da leso feita ao direito ou a pessoa do cida-
dao por outro. E' entao que maior se mos-
'ra o poder social; porque elle toma a proprieda-
de das mitos d'aquelle, que a lem usurpado, para
restituir aquelle que a ella tem direilo : e priva
o cidadao da liberdade, quando elle atienta contra
a pessoa de seu semelhante. Na esphera do drei-
civil, que e puramente material em seu objecto>
nao se fazem duvidosos os limites da aegao do po-
der social, que apenas intervem as contestacoes
do direito provocado pelos individuos, e protege o
direito dos cidadaos somante quando elles estao na
impossibilidadede se defenderem ; j nos fallamos
relie.
Quanto juslica criminal, porm, o seu objeclo
mui diverso e muito mais espinhoso ; ha perigos
serios, a quo o poder humano entretanto nunca
podera escapar, e por isto mesmo a le o asilo da
iberdade ; porque aquillo, que ella nao condem-
na, o cidadao pode fazer e innocente.
Se nos rcflectimos, quea moralidade do Individuo
e da soeiedade, ah estao pedindo a punico, aor-
dem moral assim como a ordem material, as vezes
violentamente abalados, eslao exigindo imperiosa-
mente o seu restabelecimento, e se reflectimos tam-
bem na imperfeicao e contingencia dos meios quer
de conhecimento quer de aegao parece difBeil que
nos decidamos pela absolvicao ou pola eonderrma-
eao, pela preponderancia da autoridade ou da l
dade, da sociedade ou do Individuo.
Mas que I Poder alguem pensar que julga
bem quando pune sem a maior certeza moral da
criminaldade ?
A certeza moral a conviccao levada ao mais
alto grau, sem a qual o poder social se tornara
criminoso, punilo o crime que suppoe.
No ofllcio de magistrado, j nos o dgsemos, o
principios nao se dividem.
Quanto le que perguntam, a brandura das
penas sera mullior que o seu rigor ?
Oh n.o questao que se faga a um homem ci-
vlisado c christao : ide faze-la aos Chins, aos Tur-
cose a todos os Mahometanos, que pouco se impor-
tao da vida, e para quem a pena do morte a mais
branda; por que as Sperides os aguardan em seu
jardm cheio de volupia, e a morte para ellos
urna simples mudanga ; porque os seus deveres
sao pouco% e elles pouco teem que temer : a so-
ciedade, para elles, Ihes fazem bem.
Alm, para que desnatural questao, se a es-
rhala da penalidade nao tao grande que se possa
guardar as proporcoes da pena augmentando ou
diminuindo arbitrariamente o seu rigor 1
Nao se v que a pena de mort, de torturas, de
infamia e de dinheiro j repurnam com a civilisa-
gao e nao podem durar muto ?
A pena de priso, ainda mesmo graduada com o
trabaIho toreado, que nao se confunde com o tra-
balho obrigatorio, porm livre ; porqoe em
proprio proveito, e que indisponsavel ; porque
mnralisa a peni, e coopera para a sua acgo, nao
delxa ao legisladir, qu* qni/.er ser justo, um tal ar-
bitrio ; porque estabelecido o principio do que a
medida da pena a justiga, e que a utidade so-
cial a penas o fundamento do direito de punir ;
a escala da penalidade aindadifllcilmcnte se aceom-
modar s variedades dos crirnes, no espago Im-
menso, em que se pode desdobrar a perversidade
humana.
Hacera qnem desconhega que a nltildade nao
oode servir de medida para a pona, e que ella nao
A justiga e a moralidade dominam todos os actos
humanos e Ihes imprimara o seu cuohoe com ellat
lodos ps pudores e quig todos os governos atlingi-
ram o seu Om.
A ordem moral e material da sociedade no meio
da qual a liberdade ser religiosamente acatada e
o progresso camnhar a passos largos tal o prin-
cipio quo avvenla lodos os poderes todos os gover
nos, lodas as sociedades.
Aquelles, que defendem o espirito de partido nos
dro : verdade ludo quedizeis; porm nao ser
bom que os homens se dividam para que as opi-
nioes divergentes moderem as exageragoes dos po- i
deres, os seus desvos ? Como estaes vos engaa-
dos I Pois nao vedes que para isto, e por isto mes-
mo, que nao devem haver opinioes extremas ?
Urna vez que os homens se exagirera excltaro os
governos a exageragoes, e nunca os moderarao :
porque a exageragao nao pode conduzir senao a
exagerago.
Alera disto no meio dos poderes, que se encon-
tram os exagerados, na cmara dos nossos re-
presentantes mesmos que os principios se dividem,
e nao fra dellas somente, que vos queris os
partidos; porque dellas alias, que raiam taes
ideas II!...
D'onde que sahem os nossos representantes, o
que que os leva representagao ? Sao os par-
tidos.
D'onde sahera os membros do poder execulivo,
o que que os leva ao poder ? Sao os partidos.
Como podis vos recusardes s minhas conse-
quencias, para innocentardes os partidos e dizer-
des que o seu fim reprimir, quando em roalidade
o seu fim opprimir e opprimir sempre ?
O que que alimenta os nossos partidos senao
as pretenges exageradas, os rancores e os des-
peitos ?
Cerrae os olhos luz meridiana e dizei : nao
quero ver ; mas nao fitae o sol em pino para di-
zerdes : eu n3o vejo! 1 !...
Dize-me agora, homens partidistas, instrumen-
tos sciontes e inscientes de quanta paixo ruim as-
salta o homem, que valor teem as vossas bellas
phrases ? Liguemos as ideas.
O que e que teem os governos constitucionaes
com os vossos partidos ?...
Sim, vos tendes razao ; porque vos estaos de-
baxo de um governo de confusao, vos sois nppri-
midos e proruraes os vossos amigos, ou aquellos
que vos fazem promessas lisongeiras, queacolhois
com o Interesse proprio ; porque se haveis de ser
opprimidos queris ser patrocinados, onde ha jus-
e tl ponto deste rgimen e a prospendade do
paiz
Fra d'ahi, todo este estyfo de admiragj, tao
commum e to fcil, nao e senao urna declamago
frivola e at prejudicial.! Que desgrasada prospe-
ndade !...
Entre nos, porm, estas verdades nao s3o tao
terriveis como na Inglaterra e em outros paizes,
que quanto mais imilam as suas formas mais se
approximam do sou estado de cousas. E devemos
imita-la?
Nao : nos nao devemos imitar a Inglaterra em
sentido algum, nem nos devemos limitar a imitar
cegamente a alguem.
Nao ambicionamos o seu puder, nem a sua ri-
queza, nem a sua moralidade. Apage I com a In-
glaterra : nao queremos nada seu...
Nao : porque nos nos levemos do espirito de n-
novaco, e porque, nem os governos se achara nos
bosques, como entende Montosquieu, quaodo vae
buscar as florestas da Germania o governo repre-
sentativo, nem elles sao obra de um dia e se fazem
de um s golpe; porm que j nos pudemos ap-
proveitar as ligoes da experiencia, nossa e alheia,
para vermos d'onde vem o mal, antes que fagamos
como os outros, tentativas para destrui-lo completa-
mente.
' A lgica e a-serie das ideas, a lgica c a serie
dos factos nos devem servir de apolo para tao ar-
rojada empreza.
Sabis o que que divide os homens principal-
monte, em todos os lempos e em todos lugares?
Sao os interesses, a desegualdade do direito. Foi
isto o que dividiu a cidade de Roma em duas clas*
ses, isto o que o divide to Jas as sociedades. E'
preciso que o governo nao divida a sociedade nem
a sociedade divida o governo...
Se os interesses fossem bem entendidos, e se a
justiga fosse desegual em objecto, porm egual em
principio, bem hia a sociedade; porm assim
nao i:
Emquanto houver para os governos a facilidade
de abusarelles abusaro, em quanto houver para
elles a facilidade do corromperelles corrompe-
ro. Os partidos se disputaro a posse da fazenda
publica e e predominio absoluto dos seus interes-
ses, es nomes serviro de expediente para Iludir
os incautos, que nao auferem as vantagens desta
ou daqurlla situaco ; e porm, qualquer que seja
o pariido, a minora governinte mantera as garan-
tas do direito dos que nao trabalham contra os
que trabalham, isto c, da ampia bberdade para os
senhores da grande propriedade, e toda restriego
liga bom ser justo, mas onde ha forca bom ser possivel contra os pequeos propietarios que sao
f-, A< nil.i iun:.ll.'iii *)C i .r, .1 r i .i. 1'i I, > t i -i ( i.. i r > il.i ..ni
tone. Lu vos absolvo. Accrescentae a isto os
embaracos, com que luta a pequea propriedade,
as perseguigoes, que soffre o homem pobre.......
Agora, dizei-me: a classe proprietara nao ini.
miga da classe proletaria ? Eis os partidos.
Nao ser verdade que o poder incumbido de ad-
ministrar a fazenda publica, deve ser dependente e
responsavel, e que nenhuma relaco e Influencia
deve ter nos negocios polticos da sociedade ? Eis
os partidos.
Nao preciso republicanisar a monarchia para
que ella, em vez de ser o symbolo da riqueza e do
privilegio, como tem sido em outras eras, seja o
symbolo da egualdade nesta era de civilisago ?
Nao renunciaes vos ao brbaro prazor de ver gi
gantescas pyramides na praga publica e collossae
'ortunas em nosso commercio e mesmo em noss
lavoura e em nossa industria, para verdes do oufr
lado o povo gomendo de dr e abatido de vergonhi
pela mais execranda miseria ?!!
Que terrivel progresso este, que nao o de
todos ? E' o progresso da dignidade.
Oucamos o grande Jeremas Bentham, homer
que em poltica tem ideas mais sas do que as de-
mais cousas, fallar da Inglaterra :
E' verdade quo o governo do pequeo numero
por um concurso d circumsiancas notareis aqui
menos posado do que em outra qualquer parte
(Quod restat probamlum.) E' verdade que nesta
os que possuem as propriedades passageiras de seu
trabalho, e as vezes suas nicas torgas sao a sua
propriedade 11... Os proprietanos ganhario sem-
pre.
Para isto o remedio que o monarcha, a quem
o paiz imo\mbe a drecco moral do estado, cha-
mando este em seu auxilio, quando for preciso, es-
teja na altura, que Ihe compete, dominando todos
os poderes e fra delles; porque collocado no fas.
tigio do edificio social, elle deve dominar para re-
primir, elle deve obrar por si, sem responsabilida-
de que nao seja a moral, sem dependencia que nao
soja da massa inteira da nacao. Elle ser o ele-
mento da egualdadeI...
(Continuarse-ha.)
UM POUCO DE TUDO.
Traduzmos do Fiyaro o seguinte ;
l'MA LigAO DE DIPLOMACIA.
O marquez de...,antigo ministro de Franca na
Allemanha, e seu filho Maximiliano acabam de al-
mocar. O caf fumega as chicaras e elles ac-
cendem os charutos.
O marquez.Meo charo Maximiliano, tens 26
annos e quasi outro tanto de mil libras de rendas.
Maximiliano.Sim, meu pae
O marquez.Tens viajado; conheces as capitaes
da Europa, e sabes o italiano, o inglez, e o allemo
suflicientemente para pedires o leu jantar, per-
guntares o caminho e comprimentares cora polidez.
constituigo se achara algum.ls partes vordadera-1 Es bom cavalleiro, e jogas a espada, como se fa-
mente preciosas (nao o eremos, quando o todo tem zia em outro tempo. Ja pagas-te o tributo s mu-
por nico fim a miseria e a degradagao do maior
numero, que a classe popular, em nm paiz. em
quo um grando numero, sonan o maior, de homens
est riscado da lista dos cidadaos e jaz no maior
batimento, e urna pequea parte goza das maiores
garantas par? sua nobroza de sanguo, e para o
seu direito monstruoso da grande propriedade) de
quo a America se lem felizmente apoderado, (como
o meio de transigi entre a monarchia absoluta e
a monarchia republicana.)
Entretanto a corrupcao vive nesta Inglaterra
(como em todos os paizes que a tem querido imitar
cegamente) em que a ulilidade publica vale alguma
cousa, (ereio que a uti'idade dogoverno, ou quan-
do menos a que mais de perto a elle se refere, de
cpie falla o autor) porm a virtude ah nada (E-
verdade I)
Dos dous partidos, que se disputaram longo tem-
po u timn dos negocios pblicos, os Wigos e os
Torys: estos ltimos sao os oppressores e os dila-
pidadores em possesso e em titulo, os outros sao
seus successores era esperanca. Uns.c outros re-
epnheceai que o tim e o objecto do governo a for-
tuna de a'guns homens, em detrimento do grande
numero dos governados.
Eis o que ousaram confessar os chefos do parti-
do Tony-William Pilt e Georgos Rose, assim como
Edmond Burquo, oslo orador eloquente o mais il-
lustre dos escrptores Wigos. Torys e Wigo.s nao
existem mais. Estes partidos nao sao sendo chime-
ras. Hoje a minora governante, que luta contra
a maioria governada. Eis tedo o combate. (A
grande propriedade est consolidada.)
Na verdade do facto, a minora governante,
que se quer apoderar da propriedade toda inteira
deve alterar a medida do justo ; porque entao nao e partliha la entre si. E' mais ou menos verdade
se conhoce mais onde est o justo, onde est o til,
onde estao ambos e onde est o arbitrio ?
Nao se v que s leis de pura utitidade s devem
ter por sanogo as penas corrcecienaes ; porque se
trata de urna simples in'racgo e nao de crime ?
Que o crlmo um mal moral ?
Com este terrivel systema da utildade ; nao se
v, que a pena se desraoralisa, que nao raoralisa
sociedade nem ao criminoso ?
Examinas todos estes cdigos, que por ahi andam
e vede de quanta desproporco de quanto injustga
estao elles pejados I I I.........................
........................................
Feito isto, dizei-me onde iris vos, senhores par-
tidistas, levantar os vossos estandartes e para que
os vossos emblemas ?
Homens de consciencia e do bora senso nao vos
deixi-is arrastar por senvlhantes theoriaseconven-
cei-vos de que as ideas de partido nao servem se*
nio para excitar paixo-s e alimentar acurrupcao,
que devora as sociedades, para entreter os eS(liJ dlo universal, raciocinara muto mal. Elles sup
ritos, com futilidades afastandu-os das cousas se-
rias, para fazer algar o eolio ao egosmo orgulheso
de muitos homens, e derramar a miseria, a infa-
mia e a discordia no meio das proprias fami-
lias 1 I.............
Iheres e aos jogos. Tens cavados de primeira
classe, meu palacio e rainlia casa de campo, e en-
tretanto preciso fazer-te este pergnnta : Es ambi-
cioso ? Qne pretendis fazer noste mundo ?
Maximiliano. Nao pensei ainda, e nada fiz at
agora para isso.
O marquez.E' bastante, por quanto um dos
officios mais diflkeis o de ocioso. Eis a minha
carteira : escreve nella a tua opiniao sobre cada
urna das carreiras a seguir no mundo, em quanto
saio.
Meia hora depois Maximiliano tinha escripto :
Poltica.
Balanga de pao falso. Meus costantes folgazo,
minhas inolinagoes naturaes aflastam me da tribu-
na, da polmica e do turbilho dos negocios pbli-
cos que apenas me interessam mediocremente.
Ex-rcito.
Nao conbego a necessidade de derramar meu
sanguc pela patria. Urna espada de mais ou de
menos nao decidir a victoria. Tenho estado al-
gumas vezes no rafe militar ; e voltarn de boa
vorrtade, urna vez que nao houvesse. obrigacao dis-
to. A vida de guarnigo na provincia nao me
agrada, e aleitura do Annuario me parece sem in-
teresse.
Martnha.
Devo Robinson Cruso minha aversao esta
carreira. A amizade de sexta fera foi Ihe precio-
sa, mas no seu romance ha urna lacuna, a falta do
mulheres.
Magistratura.
E' nocessario viver sentado, e ea nao posso es-
tar parado. O presidente F. diza, ha alguns dias,
minha lia Adelaido : senhora, na magistratu-
ra nem ludo sao rosas.
Medicina.
Nao tonho coragem para fazer desapparecer da
superficie da trra urna infinidade de pessoas que
nao cunhego e que nenhum mal me flzeram. O
meu medico diz-me que algumas vezes necessa-
rio deixar obrar a natureza.
Industria.
As forjas tem mau chairo e ncoramodam-me a
cabega.
Clero.
Nao tenho vocacao. (Vejam-se as observagoes
sobre mariuha.)
Advocacia.
Eu esposara voluntariamente a raulher que nao
podesse obter por outro meio, urna vez que nu
fosse casada.
Diplomacia.
Falta-rae gravidade. Esta carreira amedronta-
me pelos estudos ridos e multiplicados que de-
manda.
I Quando o marquez voltou, encontrando Maxim-
pdeni que elle nao teria podido prosperar egual- H*>no lendo snas observagoes, proseguiu na lei-
meute sob um rgimen differente a mil respeilos
mas elles o suppdem sera prova.
em toda a parte.
A minora governante comprehende os persona-
gens salientes dos partidos, isto de cada qual
partido, cujos agentes estao no poder : anqueza
que governa.
verdade, que o principal fim dos partidos
a miseria do povo, porm ellos nao querem so-
mente assenhorear a propriedade dos que traba-
lham, elles querem escravisar a sua pessoa. O ter-
ror governa. O governo representativo___
Oucamos Dumont: Nao se podo pensar peior
do quesuppondo que os effeitos salotares do rgi-
men inglez provenham da adopgo deste rgi-
men.
Em poltica imitago nao sempre conformidade.
A couformidade exterior de governo nao constitue
senao una machina, que engaa os olhos, porm a
que falta o principio de vida.
Aquelles, que parlera da prosperidade da Ingla-
terra para propor suas instiiuigoos como um mo>
Para tirar urna conclusao legitima, preciso
mostrar que existe urna ligagao necejsaria entre
tura, nao oceultando seu prazer pela razao dellas.
O marquez.Mou charo Maximiliano, nunca
snppuz que apresentasses tio jcdlclosas observa-
dos, s quaes nada teqho que oppr, Entretanto,
parece-me que encaras-te mal a diplomacia, como
vers do que te vou dizer. Tenho notado que pos-
sues forca de vontade, e com algum estudo podes
dirigir tens olhss e labios, orgaos indispensaveis a
nm bom diplomata. Se te nao enladasses, darte-
hia urna ligo til.
Maximiliano.Nao, meu pao; daes-me muito
prazer.
O marquez.Conheces a nobre marcha do jogo
do xadrez. ^upponhamos a Europa urna taboa de
jogo e os estados as diversas casas. A Inglaterra
ser o re que contempla, impassive! e sem lomar
par e, na guerra dos brancos e preto?, que ella
julga feita era seu beneficio. A Franca ser a rai-
nha caminhando era toJos os sentidos, sempre no
combate, dando impulso. Os loucos sao os minis-
tros ; os cavalleros, de marcha rpida o irregu-
lar, os diplmalas ; as torres, o exercito; e os
peoos, os povos que vo na vanguarda. Esta bem
claro ?
Maximiliano.sim, meu pae.
O marquez.V agora as flores deste tpele,
grandes, medias e pequeas. Ellas representan!
os estadas da Europa. A flor que est no centro
figura urna grande anana, collocada em meio de
sua tea, e que poderia engolir a Europa de urna s
vez, se nao estivesse emmaranhada na lea.
Era todos os terapos os grandes peixes coraeram
os pequeos, e cada rei, semlhanga do propie-
tario aldeao, procura enriquecer custa do vizil
nho. Ora, quando um grande engle uro peque-
no, torna-se maior, mais forte e mais temivel. Tera-
se procurado, para bem commum, um meio de
impedir o rojlbo do terreno do vzinho, e os gran-
des peixes concordaram em nao comcrem mais
aos pequeos, ou ao monos comerem-nosem quan-
tidades eguaes. Esta allianga offensva e defensi-
va foi consagrada pelo tratado da Westphalia era
1C8, e, apezar de muitas raspadolla, o nico
contrato que mantm o equilibrio europea era at-
titude relativa... Agora, mou Maximiliano, es-te
mostr em diplomacia, sahendo quanto preciso.
Vae e s serio : O governo do mundo pertence aos
fleugmaticos.
Da Revolucao de Setembro transcrevemos o se-
guinte sob o titulo
DESGRAgA.
Se cousa horrorosa, nao cont, Sr. chronista.
Estou farto de Ihe ouvir casos melodramticos.
ao se assuste amigo leitor, mas ao menos
compadega-se, e derrame comnosco urna lagrima
de enternecimento.
Entao migamos. Algum assassraato aleivoso?
Ja nao ha disso, amigo.
Alguma morte desastrosa f
Nem isso, leitor Ilustre.
Entao um suicidio romntico ?
Tarabem nao, paciente ouvinte ; a grade aca-
bou com elles.
J sei. L' n incendio desastrado ?
Era bem bom, leitor, mas nem isso. A bom-
ba o vapor nao os deixa haver.
Ora essa I Entao.... Adunhei. Um rapto
raysterioso 1
Ainda nao. J nao ha amantes que cheguem
alai extremo I
Bem. Nao ponba mais na carta, Acertoi. en-
marido trahido ?
Peior, peior I
Ainda peior?.... Ento.... Urna esposa
abandonada ?
Muito peior I
Roubaram o banco de Portugal ?
Ainda peior ?
Peiur do que ludo isto nao sei nada.
Pois ha leiter. Peior que iucendios, roubos,
sedueges, suicidios, engaos, tra:goes e assassi-
natos nao ha>er nada disso, porque superior a
ludo isso o atroz martyrio de querer dar-vos no-
ticias e nao as ter, e justamente essa fatalidade
a que hoje me persegue t
Mas com todo esse cavaco v. arranjou urna
noticia.
Assim amigo, mas como a desgraga
grande pego Ihe ao menos urna lagrima de com-
paixo.
Cunte com ella. Vou chorar para casa, por-
que nao quero que o publico veja.
o
Possue urna companhia de bombeiros de Nova-
York um cao de Terra Nova que Ihe presta ser-
vaos de grande utildade.
Em quanto as torres do o signal de incendio,
o cao, que dorrae ao p da cama do bombeiro de
guarda, ladra com toda a forga at conseguir
acorda-lo. Logo que elle acorda, o rao d tantos
latidos quanias badaladas servem para indicar o
sitio do incendio.
l'reparada a bomba, sahe atraz della, dando mos-
tras de impaciente, al chegar ao sitio do sinis-
iro. Invade logo a casa incendiada, percorre to-
dos os aposentos busca por todas arparles, ladran-
do sempre, e se encontra alguma creanga dorma-
do, agarra-a corn a bocea, sem causar-lhe o menor
damno, e senpre encontra sabida para por a
creanga a salvo.
Se depara cora pessoas adulta, ou superiores s
suas forgas, aci>rdo-as, e sahe para a ra indican-
do-lhes o caminho por onde devem evadir-se.

O barjio Rolschild dentro todos os banquei-
ros, que, sem contradiegao, possue a melhor col-
lecgo de autographos de pedidos de dinheiro.
Teem-osem todos os tons.e concebidos as phra-
ses mais ternas mas reunidas t.idas as cartas do
barao, nenhuma dellas tem o valor e mereci-
meuto da ultima que acaba de receber, e na qual
seu autor prometa ao baro, mediante a somma
de cincuenta mil francos, urna existencia de 150
anuos.
A esta excedente proraessa, e nao menos ex-
cedente pedidu respondeu o banqueiro israelita o
seguinte:
t Meu1 charo senhor. Succedc me mui fre-
quenten ente vr-mo ameagado com a morte, se
uo entrego determinadas quanlias de dinheiro ;
Mas V. seguramente o primeiro que nada me
pede ao propr-nie a prolongagao da vida. A sua
pruposta realmente a melhor e a mais humani-
taria ; mas como a minha religio rae ensina que
tudos andamos c por este mundo merc de
eus, por isso nada quero fazer para me subtra-
tiir a ella. Demais, esta minha recusa em nada
prejudica o seu descobrimento ; de que V. pode
mui bem vir a aproveitar-se applicando-o asi pro-
prio. E anda que muito sioto nao poder aprovei-
tar-me dos seus offerecimenlos, desde j dou a V.
os meus cordeaes parabes pelo 150 annos mais
que vae vver nesta trra.
Sou de V. etc. J. de Rotschild.

Escrevem de Pars que grande numero de sa-
bios teem ido visitar o admiravel descobrimento
feito pelo Dr. Leveille, era Persigny le Grand
prximo de Poitiers. Todos tem voltado admirados
de contemplar o grande deposito de armas e outros
instrumentos da edade de pedra, qae oceupara a
extenso de alguus hectares. Encontrara-se alli
hachas, facas, langas, flechas, ludo de pederneira,
e em tanta abundancia qae do para encher todos
os rauseus de Franga E' um verdadeiro arsenal.
PEKNAMbL'CO, TYP. DS M. F. DE F, 4 F1LQ
j
MUTILADO



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEXSFZ1I0_HCXY70 INGEST_TIME 2013-08-28T00:10:59Z PACKAGE AA00011611_10523
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES