Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10522


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AUNO IL. HOMERO 266
Por tres nezes abantados tt$OO
Por tres mezes vencidos 6JUU0
Porte ao correio por tres mezes. &750
SABBADO 19 DE NOVEMBRO DE 1864
Por auno aflautado.....49$00O
Porte ao correio por om anno. 3$Q00
ir itiii -*f :ss"-"-
NCARRBGADOS DA bUB&UUPCAO NO NOR1E
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, e Sr. Amoi.10 Marques da Silva; Aracaty.o
Sr.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro <5 C; A-
maioaas, o Sr. Jeronymo da Costa.
NCARREGADOS DA SUBSCRIPGAO NO SL
Alagas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
era Martins d Gasparino.
PARTIDA DO KsTaF'AS.
Onda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
3anto Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho e Garanhuns as tercas eiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, na.Barrei-
ros.Agua Preta e Pimenteiras as quintas eiras.
ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao V dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t.
13 La cheia as 3 h., 13 m. e 36 s. da t
21 Quarto ming. as 4 h., 56 m. e 56 s. da ui.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
PREAMAR DE HOJR.
Primeira as 7 horas 42 minutos da manha.
Segunda as 8 horas 6 minutos da tarde.
PARTE GFFIGIAL
rvJt.iu^ i.-Oo VAiORiis lOS^ROj.
Para o sul at Alagas a 5 e 28; par* o norte at
a Gr?.nja 7 e 32 de cada me;; para Fernando nos
dias 14 dos mezes de jan. marc., mai. jal. sel. e nov.
PARTIUA Wo OMN':BUS.
Para Recife: do Apipucos as 6 V, 7, 7 /z, 8 e
8 Vi da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6y2 da m.; do Caxang e Varzca s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos as 3'/, 4,4 /* 4 V,
&, 6 l/i, 8 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manha e 4 '/, da tarde; para Jaboatao s 4 da
tarde; para Cachng Vanea s 4 Vi da tarde;
para Bemflca s 4 da urde.
AD.ENCi DOS TRIBUNAiS DA CAPITAL
Tribunal do commercio: segundas 9 quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
MAS DA SEMANA.
14. Segunda. S. Ahilio liar.: S. Gorias m.
15. Terca. S. Gertrudes v.; S. Clemenlino m.
10. Quaria. S. Goncalo de Lagos; S. Elpidio m.
17. Quinla. S. Gregorio Thaumaturgo b.
1. Sexta. S. Obdon ab.; S. Bareella m.
1!. Sabbado. S. Isabel viuv. rainha de Hungra.
20. Domingo. S. Octavio id. : S. Theope m.
ASSIGNA-SS
no Recife, em a liTraria da praga da Independen,
cians. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Fnrneirr.
de Faria k Filho. 8 c,t
(OYKR.W VA PROVINCIA.
Expediente do dia 16 de novembro de 180 i.
OITiiio ao coronel comandante das armas.Man-
de V. S. apresentar com urgencia ao Dr. chefe de
polica, 5 praca deprct para escoltaremum crimi-
noso que vai responder ao jury no termo de Olin-
da, onde devem as referidas pragas demorar-so al
o eurerrameuto da sesso do tribunal, como requi-
situu aquelle magistrado em offlcio de honlem.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao Dr. chefe de polica.Respondendo ao
Offieio de V. S. n. 1418 de 14 do corrente disendo
que o delegado da Escada deve requisitar ao com-
mandante superior respectivo as pragas da guarda
nacional que forem indispensaveis para guarda da
cadeia de conformidade rom as ordens expedidas
e V. S. communicadas cm data de 11 deste
mez.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Respondendo ao offlcio que V. s. me dirigi hoje,
sob n. 661, tenho a dizer, que mande paga sob mi-
nha responsabilidad?, nos termos do decreto n.
2884 do 1* de fevereiro de 1862, a qgantta que.se
estiver a dever ao promotor publico da comarca de
Saoto Anto, bacharel Virgino Carneiro da Cunta
e Albuquerque, proveniente de seus vencimentos a
contar de 24 de fevereiro a 16 de marco deste
anno, e de 13 de abril a 30 de junho prximos lin-
dos, visto nao haver crdito para esse pagamento
segundo consta do seu < nado odien.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S., para o Om
conveniente, o atlestado junto em duplcala que
me remeten o commadante das armas com ofcio
de 12 do carrete sob n. 2020, do qual consta ha-
Ter o Cbo da seceo urbana do corpo de polica
Edemundo Carlos Vital, apprehendido o disertor
do 9* batalho de infamara Antonio Jos dos
Santos.
Dito ao mesmo.Declare V. S. com a possivel
brevidade que despeza se lem feito por essa repa-
tico com os empregados no servigo da catechese,
mencionando a data de suas nomeagoes e quaes os
seus vencimentos. -Igual ao inspector da thesou-
raria provincial.
Dito ao mesmo.Communico V. S. para seu
conhecimenlo que em aviso de 24 de oulubro ulti-
mo, declarou-me o Exm. Sr. ministro da agricul-
tura commercio e obras publicas haver solicitado
do minsterio da fazenda a expedgo de orden pa-
ra ser augmentado com a quaotla do 2585879 o
crdito destrlbuido a e>ta provincia noexercicio de
1863 1864 para occorrer as despesas da verba le-
legraphos.
Dito ao mesmo.Remetto inclusos os reqneri-
mento do te nenie. Jos Alcibiades Carneiro e alfa-
res Francisco Ignacio Manoel de Lima, ambos do
7 batalho de infamara para que V. S. man-
de abonar em os devidos lempos as consignacqgs
que prelendem elles deixar dos respectivos sold*
neta provincia afim de serem entregues aos seus
procuradores.Communicou-se ao coronel com-
mandante das armas.
Dito ao mesmo.Recoramendo a V. S. que man-
de com urgencia ajustar contas aos offlciaes do 7*
batalho de infamara al o fnn do corrente mez.
e passar-llies guias de soccorrimenlo visto que na
forma das ordens imperiaes tem de seguir para a
corte com o mesmo batalho no da 17 ou 18 deste
mez.Communicou-se ao coronel comraandanto
das armas.
Dito ao rr.esmo.Annuindo ao que solicitou o
cnefe de polica em offlcio de 14 do corrente, sob
n. 1413, recomend V. S. quo em vista das duas
comas juntas em duplcala, e nao havendo incon-
veniente, mande pagar a Olimpio Theodoro da Sil-
va aquanlia de 305240 despendida durante os me-
zes de julho setembro deste anno, com o forne-
cimento de luz para o quartel do destacamento e
corpo da guarda da cadeia do termo de Barreiros.
Comuoicou-se aa Dr. chefe de polica.
Dito ao iospector da thesouraria provincial.
Em vista da conta junta em duplcala, e nao ha-
vendo inconveniente mande V. S. pagar a Joo
Bernardo do Reg conforme solicitou o chefe de
polica em offlcio de 14 do corrente, sob n. 1417,
aquantia de 205000, proveniente do aluguel de 2
mezes vencidos de 6 do corrente, da casa que ser-
ve de quartel ae destacamento da freguezia da
Varzia.Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Garanhuns. Inteirado pelo seu offlcio
n. 7 de 20 do mez passado, de ler V. S. reassumi-
do o exercicio do cargo de commandante superior
da guarda nacional dessa comarca, tenho a dizer-
Ihe em resposla que em 4 do mez passado, conced
aheenca requerida por V. S, e em 18 do mesmo
mez, foi a respectiva portara expedida e entregue
a pessoa que a procurou na secretaria desta pre-
sidencia.
Dit-) ao director geral da instrueco publica.
Approvo a deliberago do conselho director, con-
tida no offieio de V. S. de 11 do corrente, sob
n. 225, e designo para compe-r a commisso de
exames, de que trata o citado offlcio o Dr. Amonio
Wilruvio Pinto Bandeira Accioli de Vasconsellos
e para substituir o Dr. Francisco Pinto Pessoa; o
que Ihe commuico para seu conhecimento e di-
reccao.
Dito ao director do arsenal de guerra Forne-
5a Vmc. cora urgencia, como requisitou o com-
mandante das armas cm offlcio desta data os ar-
tigos de armamento equipamcnto e instrumentos
bellicos mencionados no incluso pedido assignado
pelo commandante do 7. batalho de infantana. -
Coramunicou-se ao coronel commandante das ar-
ma.
Dito ao mesmo.Mande Vmc. admiltir havendo
vaga na companhia de aprendizes desse arsenal
o menor Manoel do Carmo.
Dito ao conselho administrativo. -Recommendo
ao conselho administrativo que apresse a compra
de objectos autorisada por offlcio de 20 de setem-
bro ultimo, para o culto divino da capella da collo-
na militar de Pimenteiras.
Dito ao jhz de dlreito de Garanhuns. Respon-
dendo o offlcio de 26 de outubro prximo nodo,
com que Vmc. transmittio-me a pelieo, em que os
presos Francisco Barbosa da I va Mello, Ma-
noel de Abreu Pereira o silva, Braz de Mello "il-
va, Justino Ramos de Vasconcelos, Joaquim Jos
dos Santos Prata, Tertuliano Jos de Torres a Vi-
cente Telles de Carvalho pedem para responder a
novo juigamenlo no termo de Cimbres, pelas ra-
zos que expedem, e Vmc. confirma em seu citado
offlcio, tenho a dizer-lhe que verificando se a hy-
pothese de que trata o art. 304 do cod. do proc.
crim., e 463 do regulamento n. 120 de 31 de Ja-
neiro de 1842, deve Vmc. remetler os reos para
o lermo mais visinho, aflm de sercm julgados pelo
respectivo jury na forma da lei.
Dito ao juiz municipal da 2." vara desta capi
tal. Transmiti Vmc. para seu conhecimento e
execuco copia do aviso expodido pelo ministerio
da jostica em 19 do mez lindo, em solucao a ma-
teria do seu offlcio de 8 de julho ultimo, declaran-
do que aos cnsules Porlnguezes no imperio, nao
cabe a faculdade de abrir testamentos.Aviso a
que se refere o offlcio supra.
2." Seceo.Ministerio dos negocios da juslica.
Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1864.
Ulm. e Exm. Sr.Em resposla ao offlcio de V.
Exc, de 13 de julho do corrente anno, remettendo
copia da correspondencia trocada entre o cnsul
de Portugal e o juiz municipal da 2.* vara d'esla
capital, por ler aberto o testamento com que fal-
leceu o subdito portuguez Manoel Jos de Amorim,
communico V. Exc. que, tendo se suscitado du-
vida idntica n*esta corle entre o consulado geral
de Portugal, e o juiz municipal da 1.a vara, pelo
ministerio dos negocios eslrangeiros, foi declarado
em aviso de 25 de julho, que a faculdade de abrir
testamentos nao cabe aos cnsules Portuguezes no
imperio, nem pela letra, nem pelo espirito da con-
venci de 4 de abril do anno passado; porque ;
precisando o art. 13, as hypothesesem que aquella
auloridade chamada funecionar em assumpto
de heranca, excluio a de que se trata, e nem podia
deixar de exclui-la para ser coherente, urna vez
que s admitte a interferencia dos cnsules quan-
do o fallecido nao deixa herdeiros, ou designa tes-
tamenteiros, ou cujos herdeiros nao sejam conhe-
cidos, estejam ausentes, ou sejam incapazes; e es
sa interferencia necessarianente tem de ser prece-
dida de verifieaco dos casos que ella correspon-
de.Dos guarde V. ExcFrancisco Jos Fur-
tado.r. presidente aa provincia de Pernambu-
co.Cumpra-se.
Palacio do governo de Pernambuco, 15 de no-
verabro de 1864.
Domingos de Souza teo.
Dito ao bacharel Antonio Columbano Seraphico
de Assi? Carvalho.Consta de participacao da se-
cretaria de estado dos negocios da juslica de 3
deste mez, que por decreto de 25 de outubro pr-
ximo findo, S. M. o Imperador, houve por bem no-
mear Vmc. juiz municipal e de orphaos do termo
do Bonito, nesla provincia Picando sem effeito o
decreto de 8 de julho ultimo, que o nomeou para o
termo do Rorafini, na provincia de Minas Geraes;
o que Ihe communico para seu conhecimento aQm
de que apresentando previamente certido do anno
de pralica, exigido pelo art. 13 da lei de 3 de
dezembro de 1841, e prestando o devido juramento
entre logo era exercicio independente de titu-
lo que apresentar no prazo de 3 mezes contados
desta data.Fizeram-se as necessanas communi-
cacoes.
Dito a cmara municipal do Recife.Accusando
recebido o offlcio de 9 do correte, cora que a c-
mara municipal do Recife remelteu-me a lista dos
4 juizes de paz ltimamente eleitos para a fregue-
zia de Sanio Antonio, recommendo Ihe que me en-
ve urna lisia completa do resultado daquella elei-
cao, comprehendeodo os cidados inmediatos em
votos e que nos casos previstos na le tem de subs-
tituir aquelles juizes.
Dito a cmara municipal de Olinda.Declaro a
cmara municipal de Olinda que opportanamente
sero enviados aos seus destinos os offlcios que mu
remetteu a mesma cmara com o seu de 10 do
corrente.
Dito ao commissario vaccinador provincial.
Remetto a Vmc. duas caixinhas com puz vaccinieo.
Portara.O presidente da provincia attendendo
ao que requereu o juiz de direito da comarca da
Boa-Visla bacharel Antonio Buarque de Lima, re-
sol ve conceder-lhe 3 mezes de licenca com venci-
mentos na forma da lei, para tratar de sua saude
fra daquella comarca.
Hita.O presidente da provincia atlendendo ao
que requereu o profesnor publico de instrueco
primaria do Bom Jardim Torquato Laureotino Fer-
reira de Mello, e tendo em vista a inlormacao do
director geral da instrueco publica de 14 do cor-
rente, sob n. 226, resolve de conformidade com o
art. 23 da le n. 598 de 13 de malo deste anno, re-
mover o mesmo professor daquella cadeira para a
da povoago de Nossa Senhora do O' de Ipojuca.
Dita.-O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar passagein a r no vapor Per-
nunga at a capital do Cear, havendo vaga, ao
bacharel Eugenio Gomes Reco.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar passagem a r no vapor de 7 de
dezembro vindouro, at a capital do Cear, ao ba-
bacliarel Jos Avelino Gurgel do Amaral.
Expediente do secretario do governo do dia 16 de
novembro de 1861.
Officio a Flix da Cunha Macedo Franca.Pela
secretaria do governo se communica ao Sr. Flix
da Cunha Macedo Franca que existe nesta reparti-
co a carta imperial pela qual S. M. o Imperador
houve por bem fazer-lhe merc da serventa vita-
licia do oflido de tabellao de notas a mais anne-
xos do termo de Barreiros.
Despachos do dia 16 de novembro de 18fti.
Reqnerimentos.
Alexandrina Francisca das Chagas.Avista do
que informa o desembargador provedor da Santa
Casa, nao pode ter lugar o que requer a suppli-
cante.
Antonio Jos Teixeira de Mendonca Belm.Iu-
I forme o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Antonio Joaquim de Almeida Guedes AJcoforado.
I Informe o Sr. director geral da instrueco pu-
I Me1.
Antonio Rodrigues de Moraes.Informe o Sr.
: inspector da thesouraria provincial.
F anclsco Vicente de Lima.Iuforme o Sr. Dr.
i chefe do polica.
Francisco Antonio de Almeida.O supplicante
I nao est comprehendido nos casos em que a lei
i permute substiluico, nao pode porlanto ser atten-
dida a sua prctenga.
Joo Deodato Boman.Espere que haja crdito.
Jos Marcelino da Costa.Em vista da informa-
: cao nao tem lugar o que rciuer o supplicante.
Joo Correa da Paixao.Em vista da intorma-
cao nao tem lugar o que requer o supplicante.
Jos Correa Pessoa de Mello.Remettido ao Sr.
juiz commissario do municipio do Bonito, para que
procedendo as necessarias averiguacoes, informe
; se a posse a que alinde o supplicante est ou nao
; comprehendida na disposicao do art. 20 do regula-
mento de 30 de Janeiro de 1854.
Joo Joaquim de Siqueira Varejao.Nao tem
: lugar.
Joaquina Lourenca da Concelcao LimaInforme
' o Sr. director geral da instrueco publica.
Jos Ignacio de Avilla.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
i Ludgero Teixeira Lopes. -Remetlido ao Sr. en-
genheiro chefe da reparticao das obras publicas
para dar a cordeacao de conformidade com a sua
infurmaco desta dala.
Manoel Tiburcio de Oliveira.Satisfaga a exi-
gencia constante da nformago da conladoria de
fazenda.
Maria Laurinda do Espirito Santo.Indeferido.
Manoel Rodrigues da Costa Magalhaes.Informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Maximiano Henrique da Silva >antiago.-Infor-
me o Sr. inspector do arsenal de marjnha.
Torquato Laurentino Ferreira de Mello.-Passe
portara nomeando o.supplicinte para a cadeira da
povoago de Nossa Senhora do O' de Ipojuca.
O presidente da provincia, autorisado pela lei n.
598 de 13 de maio do corrente anno, ordena que
de ora era diante se observe e guarde o seguate;
Replntenlo interno da Escola Normal.
TITULO I.
Dos funecionarios da Escola Normal e empe-
gados subalternos.
capitulo 1.
Do director.
Art. 1. O director como prlmeiro funecionario
da Escola tem direegao geral em ludo que diz res- >
peto a ordem e aos estudos da Escola.
Art. 2 As suas altribuiges, alm das estatuidas ,
no cap. 3 do reg. de 28 de junho deste anno sao : \
Io Publicar, cumprir e fazer executar as or-,
dos e decisoes do governo da provincia com rela-
go Escola.
2. Corresponder-se-ha directamente com o I
presidente da provincia, com o director geral da ',
instrueco publica, cora os mestres da Escola, e
com quem mais necessidade houver.
3. Designar d'entre os ires mestres da Escola,
doos para servirem de examinadores em cada con-
Olmo ou exame de habilitago
4. Propor ao goveruo da provincia d'entre os!
mestres o que lem de servir de secretario; nomear t
e demittir o servente, quando os interesses publi-
eos assim o exigirem. ,
5. Presidir o conselho, e reuni-lo ordinaria e
extraordinariamente, segundo achar conveniente.
6. Fazer executar as decisoes do conselho, I
quer administrativas, quer correccionaes ; depois;
de approvadas pelo governo da provincia.
7. Despachar os requerimentos dos pretenden-
lea matricula, verificando com escrpulo os do-1
cumeotos de babilitacao.
8. Comparecer Escola em todos os dias uteis.
CAPITULO IL
Do secretario.
Art. 3. Ao secretario cempete:
I 1. Substituir ao director em seus impedimen-
tos.
2. A escripturago da correspondencia ofi-
cial, registros dos diplomas dos funecionarios, ac-
ias do conselho e matriculas dos alumnos em h-
vros especiaes abertos e encerrados pelo director.
3. Observar nos assentos da matricula a or-
dem numrica dos conbeciraentos expedidos pela
reparticao fiscal, com declarago da idade, filiaga
e naturalidade dos matriculandos.
4. Expedir certificados de exames e cartas
em forma de diplomas aquellos alumnos que tive-
rem concluido o curso do ensino, registrando taes
certificados e diplomas em livros especiaes.
Art. 4. O secretario poder ter junto a si, como
amanuense, o porteiro da Escola, afim de ter em
dia a respectiva escripturago.
CAPITULO 111.
Dos mestres.
Art. 5." Os mestres da Escola Normal sao s-
mete encarregados do ensino das materias esta-
tuidas na lei n. 598 de 13 de maio de 1864, e re-
gulamento de 28 de junho do mesmo anno, salvo
o que em virtude do mesmo regulamento for desig-
nado para servir de secretario.
Art. 6. No exercicio do ensino empregarao o
maior desvello para com seus alumnos, podendo
adverli-los quando nao cumprirem os seus deve-
res, e participando ao director quando se tornarem
incorrigiveis.
Art. 7.' Deverao ter cadernetas especiaes, as
quaes tomaro notas das faltas dos alumnos, o do
que Ihes parecer conveniente acerca de seu apro-
veitamento e moralidade, extrahindo semanal-
menle dessas cadernetas o que dispoa o $ 4 do
art. 10 do regulameulo de 28 de junho do corrente
anno.
Art. 8. Estaro presentes a hora designada
para o ensino, e immediatamente antes da entrada
dos alumnos; e lero effeclivamente faltado, se
um quarto de hora depois nao tiverem compare-
cido.
CAPTULO IV.
Do porteiro.
Art. 9. Ao porteiro compete:
1. Ter sob sua guarda as chaves do estabe-
lecimentn e todos os seus utencilios.
2. Marcar, um quarto de hora depois da co-
megar cada aula, as faltas dos alumnos que nao
comparecerem, procedendo chamada pelos n-
meros em que foram matriculados.
3. Nao consentir no ingresso dos alumnos
as aulas antes da chegada dos mestres.
4 o Ter inspeceo na limpeza e asseo do
esubelecimento, dando parte ao secretario de
qualquer negligencia do servente, a quem incumbe
varrer o edificio e lelo asseiado.
S 5." Servir de amanuense sempre quo o secre-
tario entender necessano emprega-lo noservigo da
escripturago.
CAPITULO v.
Do serveote.
Art. 10. O servente obrigado :
1. A varrer o edificio e te-lo convenientemen-
te arrumado, cumprindo o que Ihe for determina-
do pelo porleiro.
2. A servir de correio.
3. A encarregar-se das despezas do expedien-
te, assignando as conlas, que sero examinadas
pelo secretario e rubricadas pelo director, afim de
serem remettidas para a thesouraria.
TITULO H.
Do ensino.
capitulo 1.
Das materias professadas em cada cadeira da Es-
cola Normal.
Art. 11. Os alumnos matriculados no primeiro
anno da Escola Normal sao obrigados a estudar as
seguintes materias :
I 1." Leitura de prosa e verso, preceitos de cal-
lygraphia, nogoes essenciaes de grammatica nacio-
nal, principios elementares de arilhmetica e mais
operages fundamentaes em numeres inteiros, e o
systema de pesos e medidas.
Art. 12. Os alumnos matriculados no segundo
anno da Escola Normal sero obngados a estudar
as seguintes materias :
% 1." Desenvolvimecto de arilhmetica at as pro-
porgoes inclusive, Historia fagrada, leitura dos
EvaHgelhos, elementos de geographa e historia,
especialmente do Brasil, geometra plana e agri-
mensura, desenho linear e os meihodos conhecidos
do ensino primario.
Art. 13. As materias enumeradas no art. 11 des-
te regiment sero ensinadas por um mestre, que
ser o do pri meiro anno.
Arl. 14. As materias do esludo do segundo an-
no enumeradas no art. 12 desle regiment sero
distribu das pelos dous oulros mestres do segra-
le modo :
S 1. Na primeira cadeira do segundo anno se
ensinar Historia Sagrada e profana, especial-
mente a do Brasil, leitura dos Evangelhos e ele-
mentos de geographia.
2. Na segunda cadeira do segundo anno :
desenvolvimento de arilhmetica at as proporg5es
inclusive, geometra plana e agrimensura, dese-
nho linear e os meihodos de ensino primario co-
nhecidos.
Art. 15. Em quanto nao estiver regulansado o
curso, as materias do ensino do primeiro anno se-
ro distribuidas da segrate maneira :
% 1." Primeira cadeira, leitura de prosa e ver-
so e preceitos de calygraphia.
% i.' Segunda cadeira, nogoes essenciaes de
grammatica nacional.
S 3.*Terceira cadeira, principios elementares
de arithmetica e mais operagoes fundamentaes em
nmeros inteiros, c systema do pesos e medidas.
Art. 16. O ensino das materias do segundo an-
no ser alternado m cada aula, a saber : Histo-
ria Sagrada e leitura dos Evangelhos era um dia,
geographia e histora profana em outro, arilhmeti-
ca e geometra em um, agrimensura e desenho li-
near e os methodos de ensino em oulro, emprc-
gando os mestres urna hora em cada dia no ensi-
no das referidas materias, bem como o do primei-
ro anno.
Art. 17. O conselho deque falla o regulamento
de 28 de junho do corrente atino marrar as ho-
ras da aula.
capitulo 11.
Das ferias.
Arl. 18. SVferados na Escola Normal, alm
dos domingos e das santos de guarda :
i Os dias de feslividade nacional marcados
por le.
? 2. Os dias de luto nacional declarados pelo
governo, e o da commemoraco dos defuntos.
3 Segunda, terga:fera d entrdo e quarla
de cioza.
4. Todas as quintasfeiras do anno lectivo,
nao havendo outro feriado na semana.
5. De quarta-fir d trevas ao domingo da
paschoela.
$ 6. O oitavaro do Espirito Santo.
I 7 Be 15 de novembro do nno lectivo 3 de
fevereiro do anno segrale.
CAPITULO 111.
Dos exames.
Art. 19. No dia 15 d novembro encerrar-se-hao
as aulas da Escola Normal, nesse mesmo dia se
annuneiar quando devero principiar os exames.
Arl. 20. Os exames sro feilos sobra pontos ex-
trahidos sorte pelos examinadores, sob a presi-
dencia do'di rector da Escola, com assistencia do
director geral, na qualidade de inspector dos estu-
dos da provincia.
Art. 21. Os pontos sero organizados com ante-
cedencia pelo conselho em sesso especial, sob a
presidencia do director geral.
Aru 22. Estes ponlos devero emprehender as
materias ensinadas em casa anno.
Art. 23. Tirado o ponto pelo examinador ser o
examinando argido pelos mestres|da Escola, alter-
nando os do segundo anno nos exames do pri-
meiro.
Arl. 24. Findo o tempo marcado para o exame,
que de urna hora para a prova escripta e oral,
daro os examinadores o seu voto d approvago
ou reprovaco, assim como o director da escola, cu-
jo resultado declarar inmediatamente.
Art. 25. A votago ser feta por escrutinio se-
creto, servindo-se os meslres e director das lelras
A ou R Segundo o voto que tiverem de
dar.
Art. 26. O secretario lavrar termo, em livro
proprio, do resultado de cada exame, expedindo os
certificados da que trata o 4 do art. 3 do pre-
sente regiment.
j TITULO III.
J Dtspostcoes geraes.
* CAflTULO NICO.
Art. 27. O conselho da escola ser organisado
pelo modo estatuido no cap. 5 do reg. de 28 de ju-
nho desle anno, e no tempo nelle designado, salvo
os casos extraordinarios.
Art. 28. Elle formular de Ires em tres mezes, e
sob a presidencia do director geral novos- poutos,
sobre os quaes devem versar os exames nos con-
cursos a que se houver de proceder, lanto para o
provimento das cadeiras do sexo masculino como
das do feminino.
Art 29. Designar no principio de cada anno
lectivo os compendios de todas as materias profes-
sadas no curso, com approvaco do director
geral.
Art. 30. Autorisara a despeza com o expediente;
podera suspender at oito dias o porteiro e ser-
vente, quando nao cumprirem suas obrigagoes, ou
quando nSo se portaran convenientemente, dando
o director da Escola parte ao presidente da pro-
vincia.
Art. 31. Resolver acerca da expulso dos alum-
nos-mestres que nao se portarem com a devida
moralidade, ou derem pravas de iucapacidade para '
o magisterio, propondo por intermedio do director
geral ao presidente da provincia a uocessidade da
resol ugo lomada.
Art. 32. Promover que a Esroia funecione cm
edificio que lenha as accommodagoes para os exer-
oiekM e a quinta de que (rala o art. 16, 5 do ci-
tado regulamento. *
Art. 33. Providenciar acerca da acquisigo dos
livros. mappas e iustrumenlos proprios ao ensino,
incumbindo a um dos meslres a relago das melho-
res obras publicadas sobre a educaco e ensino
elementar, o mappas geographicos de'quo se deve
formar a iibliotneca.
Art. 34. O alumno que der dez faltas, e as nao
justificar, perder o anuo por deciso do conse-
lho.
Ait. 35. As faltas as sabbatinas soro contadas
por duas.
Art. 36. As fallas dos mestres, nao justificadas,
sero descontadas dos dias uteis a que tiverem di-
reito ao ordeuado.
Art. 37. Ao porteiro e servente sero tambem
descontadas dos gdias uteis as faltas nao justifi-
cadas.
Art. 38. Ao director compete fazer a estatistica
do eslabeiecimenlo, na forma do 5 do art. 17 do
citado regulamento.
Palacio do governo de Pernambuco, 12 de no-
vembro de 1864.
Domingos de Souza lao.
COMMNDODAS ARMAS.
Quartel do eommaado das armas de Pernambuco,
na eidade do Recife, 16 de novembro de 1861.
ORDEM DO DIA N. 15.
O coronel commandante das armas em virtude
das communfeagoes offlciaes, recebidas da presiden-
cia desta provincia, as datas de!4e 15 do corren-
te ; faz punlico para conhecimenlo da guarnigo e
finsconvenientes.que o governo imperialfoi servido
determinar por aviso de 2 desle mez, que os Srs.
capito do corpo de estado maior de segunda r las-
so Joaquim Ferreira de -ouza Jacaranda, que se
acha na corte, e lente do segundo batalho da
Infantaria Julio Pompeo de Barros Lima ficassem
disposigo da mesma presidencia ; e que por
outro aviso de 5 e tambem de 2 deste mez se de-
terminou que o Sr. segundo cirurgio do corpo de
saude do exereito Dr. Livino de Bastos Varella
Tietse servir nesla guarnigo.
Determina por tanto o meanio coronel comman-
dante das armas que o Sr. tenente Barros Lima
Oque addido ao nono batalho de infamara.
Fax outro sim constar, que tendo sido hontera
examinado as materias praticas de sua arma, o
Sr. tenente do nono batalho de infantaria Hen-
rique Eduardo da Costa Gama, foi approvado ple-
namente, era delalha, escripturago, e economa ;
e simpleamente em manejo d'armas, manobras de
batalho e exercicio de fogo.
(Assignado.)Joaquim Jos Goncahes Fortes.
(Conforme.) Jos Francisco de Moraes '/oscon-
cellos, ajudanle de ordens interino
INTERIOR.
AMAZONAS.
Relator apreseatado assembla legislativa da
provincia do Amazonas, na sesso ordinaria do
Io de oulubro de 1861, pelo Dr. Adolpbo de
Barros Cavalcanti de Albuquerque Lacerda, pre-
sidente da mesma provincia.
(Continuago.)
OBRA PUBLICAS.
Tendo resolvido no intuito, como vos disse, de
dar mais espago a cadeia, tranferir o pago da c-
mara municipal para esle palacio, onde funeciona-
vam a secretaria do governo e as obras publicas,
acha-se hoja estabelecida esta repartigo n'um la-
do do sobrado da casa que serve de mesa de ren-
das.
O seu director, capito do corpo de engenheiros
Joo Martins da Silva Coulinho, cooserva-se no in-
terior da provincia em desempenho de trabalhos
importantes de que o Incumb. A' testa da repar-1
ligao eneontrei e tem permanecido o Io tenente do
mesmo corpo. Joaquim Leovegildode Souza Coelho,
de quera pede a justiga que mencione o zelo e pe-
ricia com que serve o emprego.
Organisado pelas inslrucgoes provisorias e in-
completas de 6 de junho de 1853, esle ramo do
servigo resente-se das grandes lacunas e defeitos j
demonstrados nos relatnos dos meas lluslres
predecessores.
Com a attengo voltada para tanto outro assump-
to que diuiurnamente m'a sollicita, e entregue,
alm disso, reforma da inslrucgo publica a a do
estabelecimento dos educandos, do que ora trato,
nao pude por emquanto oceupar-me com a reorga-
nisagao do servigo das obras publicas..
Nao deixarei, porm, de levar a effeito o pensa-
memo da le n. 123 de 21 de junho de 1862, apenas
lenha concluido os trabalhos que primeiro inretei.
Contina a ser insuperavel a falta de materiaes.
Algumas vezes tem se feilo preciso paralysar as
obras em andamento at reapparecerem elles no
marcado.
Vieram para a construegao da matriz os 15,000
tyjolos encommendados no Para.
O alio prego por que chegam aqui os materiaes, |
junctoa difflculdade de os mandar vir em maior
quanlidade, sao causa do crescido custo das obras
e do exageradissimo prego dos alugueis.
B' iaconteslavel que a populago da capital aug-
menta de dia para dia. Isto se conheco fcilmente I
pela grande demanda de casas, e pela alta enorme
do prego porque eslo sendo alugadas. Nota-se, no I
enlanto que quasi nao progridem as construcgdes
particulares, e que mui lentamente proseguem as I
poucas em andamento.
O que se observa na capital, acontece em mor
escala nos oulros lugares da provincia, que quasi
toda vai supprir-se no Par* dos materiaes de que
pree isa. E' claro que, em quanto as cousas continua-
ren por este modo, nenhum incremento poder ha-'
ver na edificago regular dos povoados. Os que tenho '
visitado, e sao os mclhores, offerecem em geral o '
aspecto de urna reunio de miseraveis cabanas,
construidas a asmo. Farecem antes, para me ser-
vir de urna expresso local, rabas de Indios, do que
povoagSes de gente civilisada. Tudo all primiti-1
vo, desde o material, que nao passa de palha e bar-
ro, at a forma da construegao, que difiere pouco
de palhogas fechadas.
Conviria estabelecer aqu urna olaria vapor.
Tenho como certo que a somma que se empregasse
na acquisigo e assentamento de urna machina pa-
ra esse fim seria largamente retribuida; e incon-
testavel que dara immenso impulso s construc-
gdes deste e de oulros lugares. S a economa '
realisar as obras publicas valem o esforgo. Assen-j
tada em local conveniente c prximo a eidade, do'
modo quo a tiscalisagao fosse fcil e podesseser!
constante, fra de duvida que em pouco lempo '
dara grande proveito.
Dei alguns passos para por em pratica esta idea;
e se acaso vos parecer que nao deve ser despresa-
da, poderei talvez realisa-la dentro de breve es-
pago.
Nao faltara operarios, posto tambem nao supera-
bunden).
Por proposta do director interino diminu a ta-
bella dos salarios as obras publicas. Como ser-
ventes, empregam-se Indios de diversas directoras
e alguns Africanos dos que existem na provincia.
Durante o ultimo semestre, as obras provinciaes
executadas pela repartigo foram as segrales :
Administra/fio provincial.
Fizeram-se diversos cncertos, tanto para melho-
rar as accomodagoes, como para dar seguranga s'
portas e janellas do edificio, importando todos elles
em 2505.
Cadeia.
Com este edificio despendeu-se a quantia de
975650, sendo 285120 de caiago e concert de !
duas pnses, e 695530 de custo de urna guarita
para o pateo interno, onde julguei acertado hou-
vesso urna sanlinella permanente.
Matriz.
Bastante andamento leve esta obra no semestre
prximo frado. Acha-se concluida a parede oeste
da capella-mr, e bastante altas as do fundo e lado
ste. Apparelharam-se, (ora dsso, as pernas man-
cas que leem de servir para o ledo de urna das \
sachristias, e fez-se o simples do arco cruzeiro.
Estao compradas as vigas para as thesouras e
bm do tecto da sachristia.
Como se esgotasse a verba de 10:0005 concedida
por esta assembla, foi a obra supensa em fios do
junho ultimo.
A despeza de Janeiro junho importou em ris
7:4865230 Esta qantia sommad com a de res
3:7625630, gasta de julho dezembro do anno
passado, perfaz o de 10:2485860, que excede a ver-
ba votada, o que.provra, segundo.informa o direc- j
tor interino, de haver passado da thesouraria de
fazenda para a administragao provincial um saldo j
de 8005, pouco mais ou menos, do producto de
urna lotera exlrahida na curte em favor dessa
obra.
Casa dos educandos.
Diversos reparos, como rebocos, concerlo das
escadas e raiagao, foram realisados, na importan-
cia de 1565700. Sommada esta quantia eom a de'
5165030, gasta na conclusao do barraco, sobe to-
da a despeza no semestre a 6725730.
Alm destas, executaram-se oulras. obras que
corren) por conta dos cofres geroes.
Do seu estado e cusi vos inteu-aro relatono da
respectiva repartigo.
De muitos melhoramentos precisa a provincia.
Mesmo os indispensaveis nao os tem todos. Quasi
ludo existe anda por fazer, e o peior que
este estado ter de continuar por muito tempo. Os
recursos-sao extremamente exiguas, e fra mper-
doavel imprudencia grava-Ios com encargos supe-
riores s proprias torgas.
xiestas circumstanclas, compre proceder com a
malor cantella na decretago das despezas. Antes
a falta de um melhoraraento, que a existencia de
um defieR.
Felizmente a provincia n2o luta hoje cora emba-
raros fioanceiros mas cumpre nao exagerar a
su presente prosperidade, nem exceder-lhe a me'
dida.
E nao s o gastar pouco, como gastar bem,
gastar com preceilo, o que prova sahedoria.
Como obras mais urgentes, alm das de que te-
nho fallado, lerabro-vos a casa do mercado e o cal-
camento da eidade. Embora devam ambas ser con-
sideradas municipaes, conveniente que a provin-
cia as auxilie, atienta a grande necessidade que
dellas se sent, e a exigidade dos recursos da c-
mara.
Para a eohslrncgo da primeira foi consignado
no ultimoorgamonio municipal o crdito de 2:0005.
Creio que sem grvame, para os cofres da cmara,
pode esta verba ser duniirada no corrente exerci-
cio, concorrendo a provincia com o complemento da obra, em vista dos respectivos
plano e orgamento, que sero presentes esta as-
sembla.
A" meu ver, o local mais apropriado para isso
a praga da Imperatriz.
Mandei orgar o custo de um caes que, partindo
da cabeceira do lado de ste da ponte do palacio,
va terminar na outra margem da gamboa que exis-
te nesta praga. A salubridade e o aformoseamen-
to da capital, que nao (Kwsue um pomo decente de
desembarque, aconselham a factura dessa obra,
cuja despeza ter de correr por conta do auxilio
de 20:0005000 prestado provincia pelos cofres
geraes.
No terreno conquistado s aguas do rio durante
a enehente, que prelendo fundar a casa do mer-
cado.
O estado tristissimo das ras exige prompto re-
medio. Por haverem-nu demorado lano, a despe- ,-
za com esle servigo sera agora mais crescida. Nis- \
to nao vai simplesmente o aformoseamento da ci-\
dade; vo tambem o commodo dos habitantes e o
seu bera-estar, seriamente comprometidos sempre-'
que alguns dalles se atrevem a transitar de nqite
por essas vias irregulares e ebeias de fundas ex-
ea vagues.
Parecendo-me que seria muito mais proveitosa-
mente applicada a esle melhoramento a verba de
4:0005000 votada no orgaraenlo do anno passado
para a illuminago da eidade, segu a opiniao do
meu Ilustrado antecessor, nao contractando seme-
Ihante servigo, porque, como ella muito ajuizada-
mente se exprime em seu ultimo relatono : il-
luminago m o mesmo que nao t-la, ou peiwr
anda porque cusa dinheiro ; boa, tornase urna
despeza gravosa.!
Convm, liualmente, que mantenhais a disposi-
go comida no art. 4o 6o da lei do orgaraento vi-
geute, que autorisa a presidencia a despender a
quantia necessaria abertura de urna estrada que
facilite o commercio do municipio da Manes cora
a eidade de Cuyab a villa Diamantina, quando a
verba geral para estradas, pont s e canaes estiver
espolada ; e bem assim as dispo*ic5es do 27 do
art. 1' relativas ao ensaio de coloisago nos rios
Purus e Madeira, e ao estabelecimento de um n-
cleo de coloisago dos iudigenas do municipio de
Manes que mais prximos Cftiverem do lugar por
onde tulla de passar aquella estrada. Nada tentei
por ora este respeilo, por nao ter anda recebido
o relatorio geral dos trabalhos da commissao de
que foi encarregado o engenheiro Silva Coulinho,
disirahido constantemente, como j vos disse, em
oulras commissoes igualmente importantes no in-
terior da provincia.
Nao passare a outro ponto sem primeiro enca-
recer a necessidade de urna resolugo que regulo
os casos e o processo por que se deve p rali car a
desapropriacao por utilidade provincial e munici-
pal. Como a alguns de meus dignos antecessores,
tem-me sido sensivel a falta de urna lei destas.
(Continuar-seha.)
PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA.
Hoje 19 do corrente, s 8 horas da manha, ce-
lebra o Sr. conego Praio de Campos urna missa
pela alma de Aurelio de Figueira Faria, ua matriz
da Boa-Vista.
Acha-se de novo a concurso a cadeira de la-
lim do curso de preparatorios, atincxo a Faculdade
de Direiio desta eidade.
Remettem-nos as seguintes considerages,
que sao por cerij dignas da apreciago da aulori-
dade competente :
Sr. redactor.I.i o que Vmc. escreveu ante-
honlem acerca do transporte do 7o balalhao no
Apa, e milito judicioso por certo o seu reparo,
cuja materia careen de ser apreciada. No entre-
tanto ougo dizer, que seguir sempre no Apa o
pessoal do 7 ficando porm a bagagem para ir
pelo Cruzeiro do Sul.
Esta providencia em nada sana o que Vmc,
apontou, ao passo que traz comsigo inconvenientes
bem salientes, sendo um delles a ausencia por uns
quinze dias de toda a escripturago do batalho ;
o que cousa de momento.
c Se nos fosse lidio, aconsejaramos que se-
guissem no Apa as pracas que ficaram do 2 bata-
lho ; as quaes, por uo serem em grande nume-
ro, ficariam satisfactoriamente arrumadas ; o que
nao d-se com a addici) do pessoal do 7o, quo bem
poderia ento seguir o Cruzeiro do Sul, evitndo-
se assim os inconvenientes que Vmc. apontou, in-
convenientes que se devem acautelar, pois impli-
can) com centenas de vidas.
Quando hontem demandara nosso porto o
brigue-escuna Nao sr, procedente do Rio de Janei-
ro pela Baha, encalhou nos b.nxos da ilha do Pi-
na, ao sul da barra, onde esteve at 4 horas da
tarde, quando foi safo pelo vapor de reboque Ca-
muragibe. De trra recebeu o navio soccorros da
alfandega, do arsenal de marinha e da praticagem,
que all manilou membros seus, por estar o lugar
comprehendido era seus lmites.
Fizeram actos na Faculdade de Dlreito no dia
18 do crreme os seguintes exudantes :
2o anno.
Marcolino de Moura e Albuquerque, plenamente.
Octaviano Xavier Cutrin, idein.
Antonio Jos de Carvalho, idem.
Joaquim Pereira da Silva Lobo, idem.
Antonio Alves de Carvalhal, idem.
4 aono.
Jos Alfredo do Oliveira, plenamente.
Luiz Ayres de Almeida Freitas, idera.
Jos Joaquim Ribeiro de Campos, idem.
Manoel Barata de Oliveira a Mello, idem.
Joaquim Francisco de Arruda, idem.
Maximiano Jos lnojosa, idem.
5* anno.
Alvaro Antonio da Costa, plenamente.
Jos Ricardo Gomes de Carvalho, ideoru
Elias Jos Pedrosa Filho, idem.
Francisco Prisco de Souza Paraizo, den).
Resultado dos exames. eittvs no curso de pre-
paratorios annexo Farculda.de de Direito no dia
15 do corrente ;
Philosophia.
Plenamente...... 2
Mmplesmeute..... 5
Reprovado....... 5
1
12
Geometra.
Plenamente...... j
Simplesmente....


Mario e Pe
'* *bfcad 1 4<- Xovmbro de t 4.
Reprovado.
Dia 16
Philosophia.
Plenamente......
Simplesmente____
Reprovado.......
12
4
4
4
12
Geometra.
Plenamente...... 3
Simplesmente___ '>
Heprovado....... 4
12
Gommunicam-nos o seguate :
t Roga-se atiendo da autondade compeiente
para o chafai iz da l'assagem da Magdalena, que
desde o dia 5 ou 6 do frrenle nao fornece agua
ao* moradores do mesmo lugar, nao se achando I
elle desconcertado, segundo nos consta.
REPARTIC.AO O A POLICA :
Extracto da parte do dia 18 de novembro de
1864.
Foram recolliidos a casa de detenco no dia 17'
do torrente :
gritados, <* administradores 4a uua fallida de Me* genebnu .
a2".& C.\_ ^_ Mem alc001 tf Pirito de agua-*
AjifwMante, o r. Joao Pedro Maduro da Fonse- ardente.. .
a ; ppellada, D. Marta Rita da Crui Neves. Algodo em caroco !
Appeilantes, os administradores da fallencia de dem em rama ou em la. .
55?s*Lemos*' appeNado, Jesuino Machado Ma- Arroz com casca.....
CpKS; a Idem deseado ou pilado .
, aa os ^ministradores da massa fallida Assucar mascavado. .
tSAS3S>S^^im*^^JmmA.......
dem refinado.......
Azeite de amendoim ou mendo-
bim.........
dem de coco.......
dem de mamona.....
Batatas alimenticias.....
Bolacha ordinaria, propria para
embarque....... *
dem fina.........
Caf bom........ .
dem esoolha ou restolh ...
dem torrado.......libra
Caibros.........um
?' ......... arroba
dem branca..... >
appellado, Carne secca (xarque) ....
Carneiros........ um
Adiado o juigamento a requerimento de um Sr. Carvo vegetal...... arroba
Cavernas de sicupira .... urna
Cera de carnauba em bruto. libra
jdem idem em velas .... .
Antonio dos Santos Fontes.
JULGAMEICTOS.
Retirndose da sala das conferencias o Exm.'
!>r. presidente, e assumindo a presidencia o Exm.
w. desembargador Jos Pereira da Costa Molla,
entrn em juigamento o feito em que o mesmo
xm. R\ presidente jurou suspeico, entre partes:
Appellante, o Dr. Prxedes Gomes de Soma Pi-
tanza ; appellado, Octaviano de Souza Franca.
Procedido o sorleio e satisfeitas as formalidades
legaes
Foi confirmada a sentenca appellada.
Reassumindo a presidencia o Exm. Sr. presi-
dente A. F. Porctti, houve apenas o seeuinte lul-
gamento :
Appellante, Jos Duarte das Neves
Jos Baptista da Fonseca Jnior.
arroba
t
<
catada
>
arroba
seo
900
375
174500
14500
24300
25000
4S0Q
54120
25(100
14400
8O0
15200
35000
75OOO
ca do mesmo Sr. director com assislencia do illni.
Sr. director feral da- instruccao publica.
Os exarae-dnrarao ama hora, e segando a pro-
va escripia 6 oral quo fizerem correr escrutinio
pela forma determinada no art. 25 do reculamen-
te interno de, 12 de novembro deste aono.
conformidade do art. 338 do regulameato d. 120
ae i do Janeiro da 1842, foram sorteados festo-
nados os cidados seguia.e? : ~
S. Fre redro Goncalves.
Antonio Jos Silva do Brasil.
Manda, portante, SmgSSS. que pa-1 Sn2 SSSSSSS^
ra conheemento de lodos os interessados e obseV- Jos Francisco de> S llito
appol-
A' ordem do lllm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos deputado.
Gomes de Mello, por crime de ferimenlos graves ; desicnacao de da.
Francisco Antonio da Silva, por crime de morte, e Appellante, Francisco Antonio de Brito
Felippe Gomes da Costa Alvarenga, por crime de lado, David William Bowmao.
enmentos leves, viudos do Cabo. Appellante, o embargante 3 Joaquim Jos Fer-
A ordem do r. delegado da capital, Flix Pe- reir ; appellado, Joaquim Elviro Alves da Silva.
dro Sabino Sanliage, para correrco. Primciro dia til.
A' ordem do subdelegado du Sanio Antonio, passagens.
Theodoro, escravo de Jos Jacintho de Miranda, por Appellante, Prente Vianna A C. ; appellados,
embriaguez, os administradores da massa fallida de Joaquim Wem7dem"secco"s espichados
bll,veira- I dem idem verdes .
iJ?T aad0BC, Lpes .de ArauJ i aPPel" Mem idem cabra cortidos" '
lado, Jesn.no Dom.ngues Carneiro. Km idem de onca
Appellante Joaquim Goncalves Ferreira ; appel- Doces seceos ihra
n;^0Uv.alfan,dnAlba'lurqueFch.a- Idememgela oa massa! '. ,
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr.desem- dem em calda
bargador Silva Guimaraes. I Espanadores grandes .' '
Aggravos interpostos do julzo especial do 1 dem pequeos.
commercio. Esteiras para forro de estivas
Aggravante, Francisco do Prado ; aggravado, de navio ,mam7a cpnttt
Joaqu.m Amaro da-iva Passos. j Estopa nacional .* ." .' .* .' arroba
O chefe da 2" seccao,
J. G. de Mosquita.
Movimento da casa de detenco do da 17 de
novembro de 1864.
Existam....... 336 presos.
Cha.......... ,
Charutos........ cent0
Cevados (porcos)...... um
Cocos (seceos)....... cent0
lla- ...... libra
teuros de boi, salgados
um
Entraram.
Sahiram.
8
16
75000
440
360
280
500
35200
45000
15000
84000
250
300
15500
25500
155000
44000
600
165
240
100
350
105000
I5OOO
ser feita por teoipo de um an-
de Janeiro a 31 de dezembro de
A saber
Existem....... 328
Nacionaes...... 265
Mulheres.
Estrangeiros...
Estrangeiras...
Escravos......
Escravas......
3
9
2
45
4
328
>
um

320 d'elle utida tivcrem, que por este jaizo e cartorio
500
I50OO
25000
155000
vancia do citado regulamenlo de 28 de junho faca
publicar o presente pela imprensa.
Secretaria da escola normal 15 de novembro de
1864.O secretario,
Maximiano Lopes Machado.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin
mi, em cumprimento da resoluco da junla da
fazenda, manda fazer publico, que no dia 7 de
dezembro prximo vindouro, perante a mesma
junta se ha de arrematar a quem por menos fizer
o costeio da lllumraaeopubilcada cidade de Gol-
anna, avahado cada um lampio em 291 rs. por
da.
A arrematado
no, a contar do 1
1865.
As pessoas que se proposerem a essa arrema-
tarlo comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia,
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 9 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annnnciacao.
O Dr. Trlsto de Alencar Ararpe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernara-
buco e s-'U termo por sua magesladc imperial e
constitucional o Sr. D. Pedro II, quem Dos
guarde, etc., etc.,
Faco saber aos que o presente cdilal virem e
Luiz Amonio Goncalves Penna.
Capillo de mar e guerra Hermenegildo Antonio
Barbosa de Almeida.
Manoel Osmundo da Cmara Pimenlel.
_ Santo Antonio,
ur. Alexandre de Souza Pereira do Carino.
Candido Alfonso Moreira.
Joaquim Lopes Machado.
Joaquim Antonio Carneiro
Manoel Ferreira Antones.
Joao Mara de Albuquerque Oliveira.
Joaquim de Almeida Pinto.
r. Joaquim d'Aquino Fonseca.
Dr. Sabino Olegario Ludgero Plnho.
Manoel Jos de Oliveira.
S. Jos.
Tenente Jos Pedro da Silva.
Manoel Emelerio do Reg Barros.
Boa-Vista.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Ismael Amavd Gomes da Silva.
Jos Antonio Bastos.
Joaquim Jos de Farias Neves Jnior.
Frederico Lopes Guimaraes.
Joao Hermenegildo Borges Diniz.
Joo Cesar Cavalcanti de Albuquerque.
Dr. Francisco Gomes Velloso de Albuquerque
uns,
Francisco Augusto de Aranjo.
Dr. Luiz Lopes Castello Branco.
Dr. Luiz de Albuquerque Martins Pereira.
Galdino dos Santos Nunes de Oliveira.
Joaquim Jos de Miranda.
Jos da Vasconcellos.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi
dente encerrou a sesso Ijj horada tarde.
, Afogados.
Jos Francisco do Reg Barros.
Dr. Jo> Roberto de Moraes e Silva,
massa fallida de i Jos Marcelino Alves da Fonseca.
Joo de Sa Leito.
Alimentados a custa dos cofres provinciaes. 13o i
Movimento da enfermara no dia 18 de novembro
de 1864.
Teve baixa :
Joaquim refreir dos Santos, intermitientes.
Teve alta:
Jos Ferrao.
COMMUNICADOS.
urna
arroba
CIIRO.MCA JLDICIARI4
TRIlll \ VL o COn.nEKCIU
ACTA DA SESSO ADMINISTRA-
TIVA DE 17 DE NOVEMBRO DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTl.
dem ordinario ou restolho .
lllm. collega e amigo Dr. Lebo Moscozo.-Li a Gallinhas .
exposicao do fado dioico, que V. S. fez publicar Gomma '
no Oferta de 10 do crreme, com o fim de levar Ipecacuanha (raiz)
ao conhecimenlo de seus collegas um ponto obscu- Lenha em achas cont
ro acerca do qual V. S. loes pede explicacSes. Toros. ,
Longe de mim a ousadia de pretender illucidar Linhas e esteios. nm
com as iracas luzes do minha inteligencia qnal- Mel ou melaco. ranada
quer duvida, em que se veja embaracado um col- Mlho. ..*... arroba
lega, a quem longos anuos de pratica devera ter da- Papagaios. nm
i para caminhar livre e desas- Pao Brasil.....! quintal
do esenvao que este subscreveu, corre urna execu-
cao de senlenga, qne a seu favor alcancou no me-
ntissimo tribunal do commercio Bento Jos da Cos-
4' .con,ra w adminrstradores da massa fallida de
Andrade dem en rolo bom...... > t^snun AA.u.i.nAM.i.j.jui ......:J.a. ^. I **" {*<\wm Francisco de Miranda.
PoS-
Jorge Vctor Ferreira Lopes.
Joo Jos de Amonm.
sombrado no meio dos fados, que, em immensa va-
, riedade, se offerecem diariamente. Mas amante
da sciencia, que cultivo, nao posso urtar-me ao
, desejo de estudar as questdes, que se ventilam,
i quer no campo de tbeoria. quer no da pratica, pa-
s 10 horas da manha, estando reunidos os Srs i "S?!! "m*mJ0Tmfr meu ]uizo-
Reputados Lemos, Rosa, C. Alcoforado e sapotete
Basto, o Exm. Sr. presidente declarou abena a
NM.
Lida, foi a pprovada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Foi presente o aviso de 31 de onlubro ultimo.
Estudando rom a devida reflexo o facto publica-
do por V. s., nao encontrei circumstancla alguma
capaz de crear duvida em meu
to quo p ssa ser reputado
difflcii explicaco.
A' vista desta consideracao, devo julgar que es-
espirito, nem pon
extraordinario, ou de
dem de jangada......
Pedias de amolar..... urna
dem de filtrar......
dem de rebolo...... >
Piassava......... molho
Pomas, ou chifres de vaccas ou
novilhos........ cento
, Pranchoes de amarello de dous
costados........ um
dem de louro....... >
|Rap.......... libra
Sabia
85000
55000
600
25500
254000
25000
115000
85OOO
240
900
35000
57"
55OOO
800
45000
15000
120
35500
205000
Aos 14 de novembro de 1864. nesta cidade do 5r. Joo Jo PinT
',.' ,mb^ en,,Pnb.l Rienda que Jos Camello do Reg Barros,
da. TmSSSfUS' R LSfJSK-! *** P-es Campeo de A.mei,
- de Alencar Araripe, 1 vma
SfiUA soi^ilador 9orindo A"* Catao pro-1 Francisco Xavier Carneiro Lins.
Maooel Francisco de Carvalho Paes de Andrade.
A todos os quaes, e a cada um de per si, bem
como a todos os interessados era geral, se convida
para comparecerem na casa que foi cadea, na sa-
la das sessoes do jury, tanto ao referido dia e ho-
curador do exequente B-rato Jos da Costa, fora* ac-
Son Dennora eita em Jiuheiro na quantia de
-995852 reis, existentes no deposito publico, per-
tencentes-aNreferida massa e para pagamento das
eustas da mencionada execuco, requerendo que
nao s/ficassem assignados os 10 dias da lei a pe-
nhora; como os 10 das aos credores incertos, para
se Ihe desso os editaes do estyllo.
O que ouvido pelo juiz assira o defino : estrah o
presente do protocolo de audiencias e junto aos au-
tos a carta precatoria.
Eu Faustino Jos da Ponceca, escrevente jura-
mentado o escrevl.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Seguindo o que assira se continha era dito reque-
Tribual do commercio.
c\Zn.T!T"\0 '"0,"*' d8 commercio se de-
A.ItqT a imiSo Proferida Pelo Exm. Sr. presi-
dente do mesmo tribunal no aggravo de instru-
raento imerposto do Juizo mnnicipSVdo Sie!-
&S.SW enlre ^T l!r""te Daraayer
Carneiro 4 C aggravado Sllvino Gullherme de
narros, inserida na correspondencia publicada no
Diarto de hoje, est Incada de erros, alguns dos
quaes se notara com a simples leitura, ootros do-
li ni CnfroQtacio da original pode fazer sa-
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
namonco 18 de novembro de 1864.
Julio Guimaraes,
. Official-maior.
- A subdelegada da Capunga faz publico que
se acha recolhi-lo na casa de dttencao desde 1^ da
16 do crreme mez o pardo Valerio, o qual anda-
va fgido e diz ser escravo de Antonio Cabral, mo-
rador na villa do Limoeiro : quem se julgar com
direito ao dito escravo, provando, Ihe ser entre-
gue. Capunga 18 de novembro de 1864.
O subdelegado em exercicio,
Francisco Antonio da Silva Cavalcanti.
Iribunal de commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
PernamBnco se faz publico que nesta data fica re-
gistrado o contrato de sociedade em commandita
celebrado aos 2 do crreme mez entre Joaquim
Ferreira \ alent, commandilario, e Jos Luiz Da-
arte de Azevedo e Jos Rodrigues de Carvalho ge-
rentes e responsaveis solidarios, o 1- e 3* Porta-
meses e o 2 Brasileiro, todos domiciliados e esta-
blecidos nesia cidade sob a firma social de Duar-
te, Carvalho & C, da qual s podero usar os res-
ponsaveis ; devendo dita sociedade durar por es-
paco de dous annos, contados da data do mesmo
contrato e seRdo o seu capital de 6:5005, forne-
cidos o:0005 pelo socio commandilario, 10905
pelo socio Jos Luiz, e 5005 pelo socio Carvalho.
r-------o a..,u 527!512 pel. meno!i"50 pude comr '.......... alqneire
aoqualoExm. Sr.conselheiro Jos Liberato Bar- Prfoe"den^u.f nsamenio, e ento espero que V. Sals^ ....... arrolja
roso commumea ler sido nomeado inlerinamente,; L, f,D* dar'm^ mmm, "darecimentos, que Sebo em rama....... ,
por decreto de 26 do referido mez, ministro e se-'l me_'at"'llem a estudar devidamente a questao. dem em velas........
cretano de eslado dos negocios da agricultura, p?,^" ,. ., ^ : Sola em vaqueta. ..... urna
ommercio e obras publicas. !, Em umadoen'e traUda por V. S no meio do ou- Taboas de amarello. dtzla
Foi tambera presente um offlcio do r. desera- lfSrcmpllca5oes e ainda com P"C03 dias de ,dem diversas.......' ,
bargador fiscal, em que participa nao poder, por incommodo de sade, comparecer a sesso de ho- SSSf* i SrSt?. tribal.ho P>oenico ama Tatajuba.
je.O tribunal ficou inicirado.
Distribuiram-se aos senhores deputados,
aerem rubricados, os livros Diario e Copiador da
tras
. r.....----' |~"o Ul3 UO tUClll UI\I'IM>.......
peno, appareceu ura abeessono abdomen. Dias Tapiocas
is de se estabelecer o trabalho pyoRenicouma Tatajuba. .' .' .'.*''
abertura se fez exponlaneamente as paredes do Travs ma
sara aVdomen> casa commercial de Jos Augusto de Araujo.
DESPACHOS.
No requerimento de Domingos Martins de Bar-
ros Monleiro, de 28 annos de idade, natural desla
provincia, domiciliado nesta cidade e nella estabe-
pus ; mas posteriormente viudo o pus misturado Vassouras de piassava
com substancias excrementicias, reconheceu V. S. Ditas de timb
que outra communicaco se havia dado do abees-
socom o intestino.
Ento diz V. S. t ainda nao pude ochar razao
sufficiente para explicar a abertura do intestino
Ditas de carnauba
Vinagre. .
caada
105000 rmenlo de audiencia, depols do qual o respectivo
15000 escrivlo que Manoel de Carvalho Paes de Andrade
120 que este subscreveu e fez passar o preseote pelo
400 qual c seu theor chamo, cito e hei por citados a lo-
255000 dos os credores incertos do referidos executados os
55OOO administradores da massa fallida de Andrade &
75000' Leal para que deotro do mencionado prazo de 10
25800, das comparecam ante este juizo allegaudo e pro-
1405000 vando lud quanto for a bem do seu direito e jus-
8050001 tifa sob pena de se proceder as suas revelias.
25800 E para que chegue ao conhecimento de todos
25000; mandei fazer e presente edital, que ser afflxado
65000 oos lugares docostume e publicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 18 de novembro de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrado, escri-
vo o subscrevi.
ra, como nos domis das seguintesemquanto du-
rar a sesso, sob as penas da lei se faltarem.
E para que chegue a noticia a todos, mandei
passar o presente edital, que ser ldo e aflUado
nos lugares mais pblicos, e publicado pela im-
prensa, e tambem remoller iguaes aos respectivos
subdelegados, para publica-los e mandarem fazer
as notificacoes necessarias aos jurados, aos culpa-
dos e s testemuhas que se acharem era seusdis-
ti ictos.
Recife, 11 de novembro de 1864.
Eu, Joaquim Francisco de Paula Esteves Cle-
mente, escrivo do jury o subscrevi.
Francisco de Araujo Barros.
DECLARARES.
200
105000
85000
65000
500
lecido com casa de commissoes, pedndo ser admit- Sfg ewo, ele. Se algum dos collegas fr
i-*- ... .' mua ttt". fi ntitinf crt*M n ,,..,*,, 1 ...i. i.__^____
Alfandega de Pernambuco, 12 de ntvembro de
1864.
Vista ao Sr. desembargador
tido a matricula
fiscal.
No de Jos Pereira da Cunha Jnior, de 28 an-
uos de idade, natural desta cidade e nella estabe-
lecido com casa de commissoes e especulaeoes de
barra fra, pedndo ser tambem admettido ma-
tricula :Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de F. F. Borges, gerente da companhia Per-
nambucana de navegado costeira a vapor, jun-
tando, em cumprimento do despacho de 8 de feve-
MfO do crreme auno, o titulo de acquisicao do .
vapor Parahiba, e dizendo nao poder declarar o da {a ,que na? ,no *trevo a expender consideracoes
raque foi aquello vapor lancado ao mar, nem 1 a'f' r^pe'ln0,'fcm ?ue V: me convenga deque
aonde construido, por nao ter documento que o: *'" "fPJJ"tfrpreto mal sen peosamento.
prove : -Vista ao Sr. desembargador fiscal. I 4 t IX TV,le que V" S- se d'8nou diri'r
No de Joao da Cunha Magalhes Jnior, cidadao ?"ns C,'<,eas. doU nina prova da considera5o
brasileiro, de 37 anuos de idade, domiciliado e es-' e,n que l?uho' e maufesto o ardente desejo que
labeleeido nesta cidade com casa de commissoes o rae an'made ver Quesloes medicas entre nos
descontos de letras, pedindo ser admiltido ma-
tricula :Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Antonio Francisco Martins de Miranda e '
Francisco Martins de Miranda, pedindo que seja
registrado o seu conlrato de sociedade que ajun-
tarn : -Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de James Ryder & C, apresentando para ser t
inscripta no registro publico a nomeacao que deu,
seu caixeiro Fernando Romano Stepple": Regis-
tre-se.
No de Joao Francisco da Silva Novaes, cidado
portuguez, de 36 anuos de idade, natural da cida-!
de do Porto, residente e estabel'cido r.esta cidade |
com casa de commissoes
mais feliz, e atinar com a causa deste phehomeno
ou poder dar urna explicaco satisfactoria delle, i
(biequio de summa delicadeza e importancia, dar-
llie publicidade, com o quemutto me penhorar.
A vista das proprias palavras de v. s. s posso
comprehi-nder que V. S. quer a explicaco do mo-
do porque se fez a communicaco do tumor com o
intestino. Mas ser possivel que seja este o pon-
to obscuro perante o qual V. S. esbarrou ?
Pactos desta ordem sao to frequentes na prati-
ca, e acham na sciencia explicaco to satisfacto-
(Assignados):
O !. conferente, Manoel Caldas Barreto.
O 2. conferente, Jos Thotnaz de Aguiar.
Apj>rovo. Alfandega de Pernambuco,
novembro de 1864.A. Eulalio.
Pide
Trislo de Alencar Araripe.
Conforme.-O .'(.
Porto.
escripturano, Joao dos Santos
rae anima de ver as quesloes medicas entr
convenientemente discutidas e lllucidadas.
Sou de V. S, amigo e collega atiento.
Silva Ramos.
lo de novembro de 1861.
PUBLICARES A PEDIDO.
O perfume do hemispherie oc-
cidental.
EITRAHIDODA CAZETA MENSAL DAS MODAS..
por ceno urna quahdade altamente sa-
0 Dr. Jos Cardoso de Queiroz Fonceca, cavalleiro
das ordens de Christu e da Rosa, major da 1'
sesso a reserva da guarda nacional do muni-
cipio de Olinda, o jaie municipal suppteute em
exercicio do termo de Olinda, por S. M. imperial
e constitucional, que Deus guarde, etc.
l Face saber que pelo juiz de direito da comarca
i Dr. Abilio Jos lavares da Silva, me foi coman-
aleado ter coavocado a segunda sesso judiciaria
do jury deste termo para o dia 21 do corrente mez
pelas 10 horas da manha, que trabalhar em dias
consecutivos, e que tendo procedido ao sorleio dos
j quareota e oito jurados que tera de servir na mes-
1 ma sesso, de conformidade com os arts. 326 e 328
do regulamenlo n. 120 de 31 de janeiro de 1842,
."New-YorkS das, barca ingleza Contest, de 515 sahiram sorteados os jurados seguintes :
toneladas, capito I. F. Scott, equipagem 15, car- i Freguezia de S. Pedro Martvr.
ga differenles gneros ; ao mesmo capito, veio Alexandre Jos Dornellas.
concertar o cronometro e seguio para Aus-, Juaquim Cavalcanti do Reg Barros.
tralla. Juo Soares Raposo.
Assu17 dias, lancha nacional flor do Rio Grande, Jos Antonio da Silva,
de 42 toneladas, capio Vicente Ferreira da I Joo G
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 18.
Santa Gasa da Misericordia do Kecife.
A Illma. junta administrativa da Sania Casa de
Misericordia do Recife, tendo de contratar serven-
tes para os restabelecimentos pos a seu cargo,
dando-lhes, alera da paga eonvenconada, o susten-
to, e curando-os em suas enlermidades, manda
convidar as pessoas que tiverem escravos de ambos
os sexos, e que os queiram alugar para semelhan-
te lim, a comparecerem na sala das sesso -s da
mesma junta as quinlas-feiras, que nao forera
impedidas, pelas 4 horas da tarde.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 12 de novembro de 1864.
O esenvao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematago da illuminaco publica da cida-
de do Rio Formoso foi transferida para o dia 24 do
corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 12 de novembro de 1864.
O secreta rio,
A. F. d'Annunciago.
COMPANHIA
DO
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 16 de novembro de 1864.
Julio Guimaraes,
, Offlcial-maior.
Tribunal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
I emambuco se faz publico que nesta data letal
intcriptos no hvro da matricula dos commercian-
los os Srs. Henrique Bernardas de Oliveira e Fran-
cisco Ferreira Baltar, cidados brasileiros, domici-
liados e estabeleddos nesta cidade com casa de
commercio de gneros do paiz e estrangeiros de
conta propria e commissoes em grosso.
Secretaria do tribunal do commercio de Periam-
uco 15 de novembro de 1864.
Julio Guimaraes,
_ Offlcial-maior.
Pela thesonrana provincial se faz publico
que a arrematado da obra dos reparos do empe-
dramento da estrada da Victoria entre os marcos
de 8 a 10 mil bracas foi transferida para o dia !
de dezembro prximo vindouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 17 de novembro de 1864.
O secretario, *
_, A. F. da Annunciaco.
t ela thesouraria provincial se faz publico,
que a arremataco da obra do aterro da ra do Li-
ma oa cidade Nova de Saoto Amaro foi transferi-
da para o dia 24 do crreme.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 17 de novembro de 1864.
O secrelario,
_ A. F. da Annunciaco.
Pela thesouraria provincial se faz publico
que a arremataco da obra da ponte do Pontal na
lha de Itamarac foi fransferida para o dia 24 do
crreme.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 17 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. da .winunriaco.
O corpo de polica compra 100 bonels redeu-
dos para a seccao urbana : quem quizer fornecer
aprsente sua proposta em carta fechada, na secre-
taria do dito corpo, s 11 boras do da 19 do cor-
rente.
Q tenente-secretario,
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos-
s
THEATBO
Costa, equipagem 6, carga.sal e palha ;
Rodrigues Valle.
Bahia15 dias, brigue escuna b-asileiro Nao Sei,
de 218 toneladas, capito Francisco de ouza
Velho, equipagem 8, carga farnha d mandioca
e outros gneros; a Antonio Luiz do Oliveira
Azevedo & C.
Nao houveram sahidas.
Existe
imissoes e negocio de conta pro-! nitaria, suave c deleitavel na deliciosa fragrancia
tttZSggttLa ma,rieula: ~v,sta 5RSB?que de ,0 <"**> "SmMte
N aitZTrl*lTZ SIVa- B?rr?V T E1U Cm,0r e,,CaDt0 D0S faz lcmbrar O dulcis-
queseja registrado ura1 contra o celebrado simo incens florido do vero, ou imitaco da
Marques dos Santos Aguiar e Al- nm favorito tom de msica amigo o aual or rao-
inuo aa snva : Vista ao Sr. desembargador tura nos faz recordar aquellas scnasjpassadas,
durante as quaes ouvimo-lo pela vez primeira.
EDITAES.
Faculdade de Direito.
dindo
entre elle
Gomes de Mello.
Joo Manoel Pereira drando.
Maihias Jos da Lapa.
Francisco Lopes Machado.
Jos Joaiiuim de Carvalho Cerquera.
Bernardo Jos Melduades.
Manoel Marques -amiago Jnior.
Manoel Nunes de Mello.
Rufino da Silva Hamos.
Joo Francisco Pinto.
Ludgero Tcixeira Lopes.
Manoel de Azevedo Amorim.
Coronel Manoel Antonio dos Passos e Silva.
Luiz Jos Gouzaga.
Curato da S.
Dr. Francisco Brederodes de Andrade.
No de Luiz Jos da Silva Guimaraes, de 32 an-
nos de idade, natural desta cidade e nella estabe-
lecido com armazem de assucar, com capital su-
perior a quarenti cornos de ris, pedindo ser d
E' espintualmente delicado como o aroma da
gradina agua de Colonia, e com tudo o seu perfu-
me mais profundo e duradouro, e asuavefra
De ordem do Exm. Sr. visconde diredor, faco Bernardino Jos Serpa Jnior,
publico que em cumprimento do aviso de 5 do cor- Manoel Elias de Moura.
rente, esta novamente posia concurso com o pra- Jacintho Soares Botelho.
zo de 4 mezes, contar &-. dala deste, a cadeira de Antonio Felippe Nery Barcellos.
lalim, do curso preparatorio desla Faculdade : pelo I Jo.- Ribeiro Cavalcanti de Albu
que o candidato que se quizer inscrever dentro do Joo Pedro da Silveira.
Albuquerque.
O
Nao se tendo reunido numero legal dos
Srs. accionistas para ter lugar a assembla
geral annunciada para hoje, de ordem do
Sr. director sao novamente conridsdos os
mesmos senhores a se reunirem no dia 25
do corrente ao meio dia no escriptnrio da
mesma companhia, aflm de examinar as
contas do semestre finilo, approvar o orna-
mento do semestre vindouro, tratar de ed-
ficarao de novas caixas e mais obras neces-
sarias ao fornecimento d'agua e concessao
gratuita da mesma ao hospital de caridade.,,
prevenindo-se desde j,i que, na conformida- i. acto.'.'.".'.".'.'.'.' o "
EMPREZA
, GERMANO i COIMERA.
(Recita extraordinaria, li-
vre da assicnatura)
EM BENEFICIO DA IRTISH DIUMTICA D-
INTO.MVA MiRQOILOO.
SABBADO, 19 DE NOVEMBRO DE 1864.
A orenestra executar urna escolhida ouvertura
que servir di preludio represenUco do gran-
de e magnifico drama em cinco actos e um ur-
logo, original do Sr. L A. Burgain, autor do Luiz
de Camoes, Mostetro de Santiago e outros
QUEJA TEVE E AGORA NO TEN!
Pro,ogo..DENM,NAA:AOI)O ^
O casamento em Lordelo.
A sombra de Joo Goncalves.
A esposa modelo.
A torre da Marca.
A mo de Deus.
PERSONAGENS.
...... Germano.
--' '-- grancia nunca muda era enfraquece, como acon-
-Vista ao Sr. desembargador | tec com os mais perfumes extrahids e compos-
fiscal.
Nada mais houvo a tratar, e foi pelo Exm. Sr.
presidente encerrada a sesso s 11W horas da
manha.
__' I
SESSO JUDICIARIA EM 17 DE NOVEMBRO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTl.
Secretario, Julio Guimaraes.
As U}{ horas da manha, o Exm. Sr. presidente i
abri a sesso estando reunidos os Srs. desembar-
gadores Reis e Silva, Silva Guimaraes e C. Motta, e
os Srs. deputados Lcmos, Rosa, Candido Alcoforado
supplente Basto.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
Foi lldo o oflldo datado de hoje, do Sr. desem-
banrador Jos Ignacio Accioli de Vasconcellos'
identificando ao Exm. Sr. presidente que por in*
eommodado nao pode comparecer presente ses"
sao.
Foi lido o offlcio de 15 deste mez, do Exm. Sr.
conselheiro presidente da relaco, em resposta ao
que Ihe foi dirigido a 27 do mez prximo passado,
communicando haver designado o Sr. desembar-
gador Jos Pereira da Costa Motta, para presidir o
juigamento da causa entre partes : appellante o
Dr. Prxedes Gomes de Sonza Pitanga, appellado
Octaviano de Souza Franca, visto haver jurado
suspeicao o Exm. r. presidente deste tribunal, e
seren juizes em dito feito os senhores desembar-
gados. que deviam assumir dito cargo.
Foi apresentado pelo Sr. desembargador Silva
Guimaraes o accordo proferido na ultima sesso
11a appellaeo entre partes :
Appellante, Vicente Alves Machado ; appellados,
Prente Vianna & C.
E nao pode ser assignado por faltarem tres dos
senhores juires que tomarara parte em dito jui-
gamento.
Nao estando prseme o Sr. desembargador Ae-
noli nao podeiam serjulgados os seis seguintes
reitos, adiados na ultima essao entre partes
Appellantes, o Dr. Felippe Nery Gollaco & C. ;
appellado, Geraldo Henrique* de Mira.
Appellante, Antonio Joaquim do Mello ; appella-
dos, Manoel Joaquim Baptista e D. Joanna Maria
das Dore?.
Appellante, Fraaeisco Gomes de Oliveira
referido prazo dever justificar perante o Exm. Sr.
director :
1. Ser cidadao brasileiro :
2. Maioridade legal ;
3." Moralidade por meio de attestados
chos e de folhas corridas no lugares onde houver
tos de leos volatis.
As senhoras as quaes geralmente soffrera de d- .
res nervosas da cabeca Ihe do a preferencia a lo- residido nos cinco ullimos annos ;
a e qualquer urna outra appeaco local, como 4." Capacidade professional.
mLZZ h mer de alliviar as d0re,8i eemmu- Os Iidade de um perfume para o quarto de umdoente condemnadjs a gales, ou soffrido aecusaco iuc -
elle por sem duvida eminentemente refrigerante cial de furto, roubo, estellionato, bancarota rapto
e agradavel. .. I ou outro qualquer crime, que offenda a moral du-
Heferimo-nos tao somonte quanto a agua florida blica, ou a relgio do estado, nao se podero ins-
ae Murray 4 Lanman. crever, excepto so a aecusaco judicial tiver sido
Quanto as imitarles sao ellas despreziveis e nao argida de falsa pelo candidato, e no houver pro-
merecem a raais leve men^o.
Acha-se venda em todas
arias.
as lojas de perfu-
COMMEBGIO.
Alfandega
Rendimento do dia t a 17........ 402:134^117
dem do dia 18................ 33:152153
435:28J270
-- pro-
vocado condemnacao judicial ; e assim decidir a
congregaco por va de recurso inierposto dentro
de dez dias.
Para a capacidade professional dever exhibir o
candidat 1 algum dos documentos seguintes :
1." Ttulos de capacidade na materia em concur-
so, conferido pelo conselho director da instruccao
primaria e secundaria da corte ;
% Titulo de professor publico tanibem da ma-
teria em concurso concedido pelo governo impe-
rial ;
3. Diploma de bacharelou dedoutor as [acui-
dades do imperio, ou academias estrangeiras, ou
Pedro Antonio de Mello.
Rayiiiundo Nonato da Cunha.
Antonio de Allemo Cisneiro.
Antonio Joaquim Mereira.
dos paro- Joaquim Ayres de Almeida.
Mauoel Dionisio Gomes do Reg.
Jos Joaquim Esteves de Carvalho.
Euialio Fiancisco das Santos.
Marcos Evangelista Correia.
Melchiades Antunes de Almeida.
Freguezia de Nossa Senhora do O' de Pao Ama-
rello.
Lonrengo Jusliniano de Torres.
Frandsco Antonio Monleiro.
Manoel Cavalcanti de Albuquerque Gadelha.
Manoel Bezerra de Paula.
Marcolmo de Fraga de S.
Antonio Rufino de Araujo Cavalcanti.
Severiano Aveltno de Souza.
Major Carlos Martins de Almeida.
Jos Custodio dos Aojos.
Manoel Claudio Bezerra.
Jos Rayinunde Pereira Bello.
Joo Lins de Moraes.
Cnristovo de Santiago de Souza Pinto.
A todos os quaes e a cada um de per si, bem
como a todos os interessados em geral se convida
para comparecerem no indicado dia e hora na casa
3.
Pedro..........
Padre Mena___
Manoel Ribeiro.
Sera pifio,......
Maihias........
Josepha........
Thereza........
Lourenco.......
Joao Goncalves.
ap-
JIotment da alfandega
Volames entrados com fazendas...
com gneros..
Voiumes saludos
com
cora
fazendas...
gneros...
586
190
1,175
586
Descarregam no dia 19 de novembro.
Patadio ioglezSpray-bacalho.
Galera naeonalJ/i'ndWo-diversos gneros.
Lugre portuguezJulio idem.
Barca americanaIMinataboado
Brigue inglezfleio/e ferros.
Barca ngleza-Jona/d-pedra.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
1,365
bacharel em leltras, salvo as pessoas nolaveis por da cmara, em a sala das sessoes do jury, nao
seu talento, e reconhecidamenle habilitadas, que no referido da como nos seguintes, em quanto du-
torera dispensadas desta prova pelo governo, ou rar a sesso, sob as penas da lei se faltarem
Z^JSSS lAesl" a um e"me ,prvi0 : lu-i E Para 1ue ** a Dt'cia de todos mandei
do de conformidade cora o capitulo 4- do regula-1 passar o prseme, que ser afflxado nos lugares
s?,t* STd,V!iH'; r,- 1 do costumeereraeuido iguaes aos subdelegados do
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife, 17 lermo para publica-los e afflxarem
de novembro de 1864.
Mara----
Marianna.
Malvina....
Borges.
Porto.
Sania Rosa.
Teixeira.
D. Camilla.
D. Francisca.
Lisboa.
Coimbra.
Pinto.
Guimaraes.
D. Antonina.
D. Mara Pontes.
. Camilla.
Convidados, camponezes, soldados, etc ele
A acSo passase no Porto, no reinado d
O secretario,
Jos Honorio Bezerra de Menezes.
O lllm. Sr. director da escola normal, em
observancia do art. 19 do regulamenlo de 28 de
junho deste anno, manda fazer publico que no dia ..
21 do corrente, pelas 10 horas da manha, na sala jury o subscrevi.
do edificio era que se acha instalada a escola or- Jos Cardoso de Queiroz Fonceca.
mal^principiarao os exames dos alumnos mestre O Dr. Francisco de Araujo Barros, cavalleiro da
nos seus dis-
trictos, na forma da lei.
Dado e passado nesta cidade de Olinda, sob meu
signal e sello deste juizo, 8 de novembro de
1864.
Eu Francisco das Chagas Cavalcanti Pessoa, es-
crivo de orphos no impedimento do escrivo do
que frequeoUram o primeiro anno.
Os alumnos meslres, depois de apresentarem co-
vembro de 1864 "" ** '^ ^^P0 de SOis matriculas, do confor-
Mcrcadorias. unidades. Valores.
Abans- .......cento 1*500
Agurdente de cana.....caada 800
Idem resiilada ou do reino 800
dem caxaea......... 100
Imperial ordem da Rosa, juiz municipal da 2
vara da comarca do Recife, por S. M. o Impera-
dor, que Deus guarde, etc.
Fago saber que, pelo Dr. Manoel Jos da Silva
midade cora o disposto no artigo 4" da lei provin- Neiva, juiz de direito da 2' vara criminal desta co-
ciam. 5y de 13 de. maio deste anno, serio admet- marca, me fui communicado ter desigiadoodia
tlrtos a exames, segundo a ordem de suas nume- 24 ;do crreme pelas 10 horas da manha para
raftf;m ,. I abrir a 6* sesso do jury, que trabalhar em dias
usexames serao reitos sobre pontos extrahids consecutivos, e havendo procedido ao sorleio dos
a sorte, e inmediatamente depois sob a presiden- i 48 jurados que teni de servir na mesma sesso em
de do art. 115 dos estatutos, a reuniao ser
considerada completa e ter efleito com o
numero de accionistas que comparecer nes-
te dia.
Escriptorio da Companhia do Beheribe 18
de novembro de 18.
O secretario,
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Conselho de compras navaes
O conselho promove no dia 19 do corrente mez
a compra dos seguintes objectos do material da
armada : 90 pecas de cabo de lnho da Rsala sor-
tidodel|2a3 1|2 pollegadas; 4 i 5cas do cabo Trancse
dito de 5 a 7 pollegadas, |1000 foihas de papel ;Andr....
lixa, 40 pes degomraa elstica, 8 duzia< de ta-l
boas de cedro de 3|4 de grossura, dando-se pre-'
ferencia as que forem de maior comprimento, 145
covados de damasco verde de seda. 50 esguinehos
1 ancorte de 4 quintaes, 1 dita de 6 ditos, 6 es-
crivaninhas de metal, 20arrobas de mialhar bran-
co, 100 pecas de merlim, 50 chapeos de oleado,
20 lanternasde patente e 200 candas.
Tambem no mesmo dia contrata o conselho o
fornecimento at dezembro do corrente anno de
lengos de seda preta, para os aprendizes artfices,
imperiaes marinhelros e aprendizes ditos.
Promove o conselho o compra e elTectua o con-
trate por va de propostas que apresentem os pre-
tendentes no referido dia al as 11 horas da ma-
nha, e sao sujeitos os contratantes multa de 10
por 0|0 pela demora na entrega dos objectos,
bem como de 20 por OjO seno fornece-los, ou
forem de m qualidade.
Sala do conselho de compras navaes de Per-
nambuco, 15 de novembro de 1864.
O secretarlo,
Alexandre Rodrigues dss Anjos.
Conselho de compras navaes.
De ordem do conselho fago publico que a sesso
annunciada para amanha schase transferida pa-
ra segunda-fera 21 do corrente mez.
Sala do conselho de compras navaes de Per-
nambuco 18 de novembro de 1864.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Consolado de Portugal
Sao chamados os credores do finado subdito
portuguez Fortunato Ferreira da Silva, a virem
receber o que llies locou em rateio oa liquidaco
do seu espolio.
Nj audiencia do lllm. Sr. Dr. juiz de orphos
do dia 22 do correte tem de ser arrematado o
sobrado de dous andares com um armazem e ter-
reno por detraz, sito na ra da ^enzala Velha n.
110, pprtencente aos herdeiros do finado Joaquim niedia em 1 acto, ornada de muica
Lobato Ferreira, sendo a dita arremataco reque- A P fl D 0 II CCMCIUCI
nda pelos herdeiros maiores e pelo tutor dosor- A UUnUl OLIiOIVlL.
pbaos fiilios do finado Manoel de Almeida Lopes.' Comecar s 8 horas.
D,
Todo o scenario e vestuario ser conveniente-
mente preparado com aceio e gosto.
Terminar o especlaculo com a espirituosa co-
media era um acto, ornada de msica
A COIMl STCIVEL
. PERSONAGENS.
.'mi................. A beneficiada.
'"............. D. Camilla.
S1fer,aol;............ Lisboa.
Califourchon........... Guimaraes.
A beneficiada anticipa os seus igradecimentos
as pessoas que a honrarcm e protegerem
Os btlhetes pdem ser procurados no e
no do ihcatro.
Comecar o espectculo s 8 horas.
procurados no escripte-
Recltaextraordinaria, llrre
da asslsnatnra.
HUMIil
Domingo, 20 do correle.
Representar-se o grande drama de costuraos
militares, em 4 actos
29
nfl) fo SIU i MMM.
Terminar o espectculo com a espirituosa co-






-
Dlcrlo *e Permamhmeo L. ftafebtdo f Je *' AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado des portos do norte
at o da 18 do corrente o vapor
Apa. commandante Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do costume seguir para
portos do su!.
Desde j recebera-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
meadas e dinheiro a frete at o dia da sabida s 2
horas, agencia ra da Crui n. I, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. ____
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
IVavega$5o costelra a vapor.
Macei e escalas.
O vapor Parahyba, comman-
dante Martins, seguir no dia 25
do corrate s o horas da tarde
para os portos cima indicados.
__ Recebe carga at o dia 24. En-
eommcndas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sabida : escriptorio no
Forte do Mattos n. i.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
NaYega$io co9teira a vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaly, Cear
e Acaracu'.
O vapor Persmunga, seguir
no dia 26 do corrente s 5 horas
da Urde para os portos indica-
dos. Ileceber carga al o dia
25. Encommendas, passageiros e
a frete at o dia da sabida s 2 horas
: escriptorio no Forte do Mattos n. 1.
dinheiro
da tarde
Para o Porto.
Obrigae portuguex Umao, sane com muila bre-
vidade por j ler a maior parte de seu carrega-
mento prompto, e para o resto que anda falta tra-
ta-se com o consignatario Jos Joaquim Lima Bai
rao, ra da Cruz n. 18.________________
Para Lisboa.
Sahir com brevidade o patacho porluguez Afa-
no da Gloria, recebe carga frete e passageiros :
trata-se com o seu consignatario E. R. Rabello, ra
da Cadeia n. 55, escriptorio.
Para o Rio de 9anelro.
Vai sahir com brevidade o brigue nacional Sym-
pathia, de primeira classe; recebe-se carga e es-
cravos a frete : a tratar com Manoel Ignacio de
oliveira e Filho, largo do Gorpo Santo n. 19.
Vara o Rio de Janeiro
esperado em poucos dias o brigue nacional
Almirante, o qual j tem parte de sua carga enga-
jada : para o resto que Ihe falta e escravos a fre-
te, para os quaes tem excellentes commodos, trata-
se com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1. ____________________________
Para o^lss
segu com muila brevidade o hiate Dous limaos :
a tratar com Tasso Irmaos.
Para Lisboa
Pretende sahir com a maior brevidade o lugre
portuguez Julio, para o que tem a maior parte da
carga prompta, para o resto e passageiros a quem
offerece os melhores commodos trata-se com o
consignatario Thomaz de Aquino Fonsera na ra
do Vigario n. 19, primeiro andar,ou com o capito
o Sr. Francisco Antonio Meirelles, na praca.
LEILES.
Importante leilo
DE
Trem eslaiihado para cosiithn.
HOJE .'.
O agente Pinto far leilo por conta e risco de
quem pertencer de 3 caitas com um completo sor-
timento de cassarolas estanhadas do fabricante Ja-
py. assim como 10 barricas da verdadeira graxa
irigleza em boioes n. 87 com o duplo do tamanho
do costume : no armazem de J. A. Moreira Dias,
ra da Cruz n. 26, s 10 horas em ponto.
LIIL4
DE
500 caixas com massas italianas
Segunda-feira 21 do corrente
Manoel Joaquim Hamos Silva & genros farfio
leilo por conta e risco de quem pertencer o por
intervencao do agente Pestana de 500 caixas com
massas italianas sortidas desembarcadas ultima-
mente, as ques sero vendidas em ura ou mais
otes : segunda-feira 21 do corrente s 10 horas
da manha no armazem do Annes.
DE
60 eaixas com
Seguuea-feira 9 i do
figos.
corrente.
Tnotnaz de Aquiao Fonseca Jnior far leilo
por conta e risco de quem pertencer de 60 caixas
de 16 libras cada uina com lisios mui.u or os de-
sembarcados ltimamente, sero vendidos em um
ou mais lotes : segunda-feira 21 do corrente pelas
10 horas da manha no armazem do Annes
AYSGS DIVERSOS.
Aos 6:0001000.
Quinta-feira 21 do corrente raez, se ex-
trahir a quinta parte da terceira lotera
(117a) a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia, no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
Tenda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000,5000 at 10(5000
serlo pagos urna hora depois da extracto
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
segointe depois da distribuic3o das listas.
O thesooreiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
AVISO.
Para conhecimento do quera convier, o abaixo
assignado manda fazer publico por este, que o sac-
co que o desembargador Lourenco Jos da Silva
Santiago levava com alguns autos e livros para a
cidade de Olinda e que havia desapparecido da ca-
noa era que elle com sua familia embarcara ao
amanhecer de 14 do corrente para aquella cidade,
fra achado na rampa do caes, logo depois da
partida da canoa, por am escravo del do Rvm. Sr.
padre-mestre provincial do carmo desta cidade
Fr. Jorge, que o foi immediatamente entregar a
seu senhor, o qual vendo no Diario de 15 do cor-
rente o nosso annuneio, immediatamente nos man-
dou entregar o referido sacco intacto, pelo que Ihe
ricamos summamente agradecidos, louvando moito
a fldelidade do seu escravo. Recife 18 de novem-
bro de 1864.
Caetano Jos da Silva eanligd.
Raga-so a pessoa a quem fr oferecido um
prato com lampa, um jarro para bacia de rosto, de
louca de cor fina, e ambas as pecas iguaes em
psdro, o favor de apprehende-las e manda-las a
ra larga do Rosario n. 36, loja, que se gratifi-
car.
CASA DA FORTUNA.
AOS 6:000.000
Bilhetes garantidos
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio da matriz de Itamb,
os segulntes premios:
N. 872 um bilhete inteiro com 6.0005080
N. 2107 dous quartos com 1:4005000
N. 2440 dous quartos com 3005000
E outras muitas sortes de 1005, 405, 205 e 105
Os possuidore podem vlr receber seus respec-
tivos premios sera os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da quinta parte da ter-
ceira lotera a beneficio da Santa Casa da Mise-
ricordia que se extrahir do dia 24 de novembro.
Preco.
Bilhetes inteiros..... 75000
Meios......... 35300
Quartos........ 15900
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 65500
Meios......... 35250
Quartos......, 15700
. _________Manoel Martins Fiuza
Ama de lelte."
Precisa-se de urna ama de leite para acompa-
nhar urna enanca at a Babia : trata-se na ra
Nova p. 63, segundo andar.________________
, Precisa-se de urna ama que cozinhe e en-
gorme para daas pessoas : na ra da Penha n.
23, primeiro andar
Alngam-se duas casas novas no melhor lu-
gar da Capunga por serem muito frescas e varios
commodos: a tratar no pateo da matriz de Santo
Antonio n. 8._____________________________
Aluga-se urna boa casa terrea com bons com-
modos para familia, na ra Augusta o. 91 : a tra-
bar na ra das Cinco Pontas n. 140, ou ao caes
do Ramos n. 4._________________^__^__ I
Precisase de um menino de 13 annos para
caixeiro de um deposito : no becco do Campello
numero 1.
SAMO i LUZ
8 ESTA A VENDA NA LITKAWA DO Sil. tiUlALDC A
RIA ESTREITA DO HoSAKIO N. 12 AS
NOYES
PARTIDAS DOBRADAS
0 Acrecidas
A' Assoclaeo Commercial Be-
nellcente
DE
FEBlAIBOflG).
pon
M. Fonseca de Medeiros.
Hscravos.
Precisa-se alagar um cozubeiro e
que sejam escravos
ceiro andar.
MUTA ATIERO
um criado, .
na ra da Cadeia n. 52, ter- ** *>* senhores e senhoras
i av>so aos senhores o senhoras
- Aviso aos senhores e senhoras
Caixeiro. | Aviso aos senhores e senhoras
Precisa-se de um caixeiro de 14 16 annos, Aviso aos senhores e senhoras
que tenha pratica de taberna; na ra da Madre de Aviso aos senhores e senhoras
Dos n. 5, e d fiador a sua conducta._________ Aviso aos senhores e senhoras
O dono da artiga fabrica de charutos e ci-1 f* aos senhores e senhoras
garros, sita na esquina da ra de Borlas n. 1, ten-!AV, aos senhores e senhoras
do feito reduccao nos precos. de suas mercadorias, nhores e senhoras.
convida aos seus fregaezes a virem honrar seu es-
tabelecimento com devida protec$ao de que carece
por se achar com um variado sortimento de cigar-
ros e charutos finos dos autores mais acreditados
da Baha, cachimbos, fumo para os ditos, fumo em
folba. fumo americano, dito dito em latas, e diver-
sos artigos paraos fumantes, em quanto a quali-
dade e preco garante-se nao prejudicar os fre-
guezes.
HAUAME
VIUVA ROUTIER
faz publico que mudou seda sua residoncia da ra
Bella n. 29 para a mesma ra n. 39.___________
Para restabelecer a saude.
Ainda resta urna casa no Cachang para alagar,
muito grande, fresca e perto do banho : a fallar
na ra Nova n. 63.
O advogado Jos deOodoy Vasconcellos
pode ser procurado na ra estreita do
Rosario n. 34, das 10 s 3 horas da tarde
dos dias uteis.
Trapiche da Gamboa
Alfandegado por caita imperial de 26
de marco de 1863.
Este fantigo e importante estabelecimento, um
dos mais Lera mentados desta corle, com vaslissi-
mas caxias para arrecadacao de assucares e ou-
tros gneros nacionaes ou estrangeiros todas cor-
tadas por trilhos de ferro assoalhadas e forradas
de madelra com guinchas em tudas ellas para ar-1
rumacao e safamento de gneros, com urna ponte
sobre'o mar, do 600 palmos de extenso, com p-
timos guindastes, um pessoal muito pratico neste
servico, propoe-se a armazenar assucar em caixas,
feixes ou barricas pelo tempo de seis mezes por
40 rs. em arroba e em saceos 30 rs.; as madeiras
de qualquer qualidade que forem nelle depositadas
pagaro pelos primeiros seis mezes o mesmo que
actualmente pagam por tres mezes nos demais tra-
piches e dos semestres que se seguirem tero um
abatimento de 20 por cenlo ; recebe por pregas
muito mdicos qualquer mercadoria comprehendi-
da na stima tabella do regulamento das alfan-
degas.
A venda dm genoros nclle depositados, fat-so
com as mesmas vantagens que oficrerem os mais
trapiches porque as condiges para qualquer parte
da cidade sao pelo mesmo preco.
Rio de Janeiro, lde outuoro de 1864._______
Precisa-se de urna ama que seja capaz para
o servico interno e externo de urna casa de pe-
quena familia : da ruados Guararapes n. 18, so-
brado.
fjg l)r. Francisco Pires Machado]
Portella
MEDICO OPERADOR
jg| IELA
Faculdade de l*aris
Pode ser procurado ra Nova n. i
44. segundo andar.
3--KLA ESTREITA DO ROSARIO -3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificiaes tanto por meio de
molas como pela pressiio do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
liqucni a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para conservaco da bocea.
Sitio.
Aluga-se um sitio na estrada do
iMonteiro, proprio para passar a Testa
ou por anuo com urna excellente ca-
'sa contendo duas salas, um gabine-
te, 5 quartos, cosiulia tora, estriba-
ra, cocheira para carro, casa para feilor, dita pa-
ra escravos, cacimba d'agua doce, tanque para ba-
nho, sendo todo murado, cora coqueiros. jaqueiras
efmais de 150 ps de laranjas de diversas quali-
dades : os pretendentes acharo com quera tratar
na ra do Imperador n. 71, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama para eozinliar para
casa de pouca familia: na ra larga do Rosario n.
21, loja de calcado
Precisa-se alugar um escravo moco ou ve-
Iho para servente de urna casa de familia : na ra
da Madre de Dos n. 36, sobrado.
Aoflic.-. cap.-. Uniao e Beneficencia
tem de celebrar no dia 20 do corrente s 10
horas da manha no seu Tvmpl.-. na ra
Direita n. 31, o funeral pelo seu finado
Ir.-. Guilhermino de Albuquerque Martins
Pereira, convida para assislir a este acto de
caridade a todos os mac. .
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
Caixinhas a 15500
Caixinhas a 15500
Caixinhas a 15300
Caixinhas a 15300
Caixinhas a 15500
Caixinhas de 55 por 45
Caixinhas pe 35 por 45
Caixinhas de 55 por 45
Caixinhas de 55 por 45
Caixinhas de 55 por 45
Receberam-se 10 mil caixas
Reeeberara-se 10 mil eaixas
Receberam-se 10 rail caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Carldes de visita
Cartees de vi.-ita
Carloes de visita
Cartoes de visita
Carldes de visita
A 105 a duzia
A l5 a duzia
A 105 a duzia
A 103 a duzia
A 103 a duzia
A galeria esta renovada
A galeria est renovada
A galeria est renovada
A galeria est renovada
A galeria esta renovada
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos coriinados e tapetes
Com lindas e variadas vistas de fundo
i '.'un lindas e variadas vistas de fundo
Com lindase arladas vistas de fondo
Con lindas e variadas vistas de fundo
Cora lindas e variadas vistas de fundo
Casa americana i
Casa americana
(lasa americana
('asa americana
(-asa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A" rila do Imperador n. 38
A'a do Imperador n. 38
A* A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
__________A. W. Osborne.
Aluga-se urna casa terrea sila na ra da
Gloria n. 52, retiicada de novo : a tratar no Re-
cife, ra da Moeda u. 9.
anisan!! woiSS BRCsS SilSlcK^
Precisa-se de una ama de leite : na
ra das Cruzes n. 9, segundo andar.
Precisa-se de urna ama para comprar, eozi-
nliar e engommar, para una casa de pequea fa-
milia : na ra da Trempe n. 2.
abaixo assignado pede ao Sr. Jos da Ro-
cha Paranhos que em seu annuneio publicado no !
Diario de hontem se diz com direito a urna pe-
quena parte do sobrado n. 64 da ra da Cruz que,
se digne de exhibir sentenca passada em julgado
que Ihe dsse cs.-e direito.
Antonio Francisco das Neves.
Previsa-se de um olllcial de marcineiro e de
um aprendiz, ensina-se cora pereicao : na ra da
Aurora n. 58.____________
Quera precisar da um caixeiro para armazem
de assucar, o qual tem pratica para isso, anuuncie
por este Diario. !
Precisa-se de um caixeiro para urna loja em
Alagoa Nova, que tenha habilitacoes: a tratar na
ra da Cadeia n. 35, loja.
jj| Ao publico.
att A mesa regedora da irmandade da glo-
9 riosa virgetn martyr Santa Cecilia, erecta
W na igreja de N. S. do Livramento desta
s cidade, faz sciente ao publico e aos nos-
C5 sos mu dignos irmaos que por motivos
JK justos que todos devera estar scientes e
113 inteirados, deixa de fazer a fesla de nos-
2 sa padroeira com a devida pompa como
I de costume. Tomou a mesa a delibe-
2| racao de fazer urna missa cantada solem-
jSj ne, e para as passar o dia da nossa pa-
fM droeira desapercebido, tem.s de cantar
yj? urna missa nova, a qual aqu ainda nao
* foi cantada, que foi otTerecida a mesma
0% padroeira pelo nosso raui digno irmo o
^g escrivo por eleicao o Illra. Sr. Jos
s Francisco do Reg, a quem a mesa Ihe li-
| ca asss grata por to generosa offerta ;
g a mesma mesa pede aos seus irmaos que
a coaJjuve.m corno de esperar.
O secretario juiz interino,
Candido Jos Rodrigues de Lima.
Ao amanhecer do dia 20 de outubro do cor.
rente anno de 1864, furtaram do cercado do en-
genho Aldea, da freguezia do Rio Formoso um
quarto de carga do mesmo engenhn, o qual
ru0 pombo, grande, castrado, nao nevo, tem no
olho esquerdo urna belide, c pouco ou nada v
pelo dito olho, tem um callo velho no espinhaco,
lugar em que leve urna bexiga, levou o topete cor-
tado rente, carrega baixo, c tem estampado no
lado direito da anca o ferro do engenho em lettras
maiusculas como aqui se v A LD E A. Advor-
te-se que os cavallos assim ferrados, nao sao tro-
cados nem vendidos, e os que forem encontrado
som ser servico do mesmo engenho sao furia-
dos, e devem ser apprehendidos -, portanto roga-
se s autoridades policiaes, e mesmo qualquer
pessoa do povo, que sendo encontrado ditos ca-
vallos sejam apprehendidos eremettidos ao admi-
nistrador daquelle engenho ou ao abaixo assigna-
do proprietario do mesmo engenho, que reside na
cidade do Recife, ra do Hospicio n. 50 Cidade
do Recife, 26 de outubro de 1864.Caetano Jos
da -ilva Santiago.________________________
Aluga-se urna ama que saiba beai cozinhar e
de boa conducta, preferindo-se escrava : "na ra
estreita do Rosario n. 32, primeiro andar._______
ATTEigior
Aluga-se um sobrado de um andar e um soto
com bastantes commodos e em bom local, proprio
para passar a festa : qnetn o pretender, dirija-se a
Passagem da Magdalena, ra do Bemfica n. 29, que
na padana junto se dir quem o aluga.________
Aluga-se a casada ra Imperial n. 9 : a tra-
tar na ra do Oueimado n. 32, loja.
Rora-
a pessoa que procurou para comprar urna
colieccjo de cartas geographicas das pro-
vincias do Brasil, queira apparecer lvra-
ria ns. 6 e 8 da praca da Independencia,
que se Ihe dir qaem tem para vender.
Acha-ee ausente desde o dia 12 do corrente
a preta Lmza.corn os signaes sejuintes : cor fula,
marcas de bexiga no rosto, tem duas cicalrizes na
mo direita, idade 25 annos pouco mais ou menos,
levou vestido de chita e panno da costa j usado,
consta andar nesta cidade : pede-se as autoridades
policiaes a apprehenso da dita escrava e leva-la
a ra dos Pires n. 34, que ser generosamente re-
compensado._____________________________
.\egro fngldo.
No domingo 13 do corrente, ausentou-s e o preto
velho de nomo Jos Maranhao, altura regular,
cheio do corpo, ps grossos, falla embaraado, le-
vou chapeo do Chili j muito usado, levou a roupa
entrouchada dizendo aos pariceiros na ra que ia
lavar roupa em R-beribe : pede-se a captura e en-
trega-lo a ra da Cadeia do Recife n. 3.________
Joo Mara Cordeiro Lima com escriptorio na
ra do Imperador n. 26, tem para vender 20 pipas
do mel novo de excellente qualidade em larri- de
5o e de 12 em pipa, muito bem acondicionados :
quem pretender compra lo dirjase ao mesmo
escriptorio das 9 horas da manha s 3 da larde.
A.-. G.\ do G.- A-. do U\.
A antig.-. e Sober.-. L.\ Cap.-. Seis de Marco de
1817, convida aos seus digo.*, membr.*. para assis-
lir as exequias que a Son.-. L\ Unio & Benefi-
cencia, celebra no dia 20 do crreme s 10 horas
da manha, pelo repouso eterno do seu diga.*,
membr.*. Guilhermino A. Martins Pereira, o que
espera ser cumprido cam a devida ponlualidade,
e Ibes recommenda o
Ir.-. Hirarn Gr.\ 30
________________________Secret.-.
Para restabelecer a saude.
Aluga-se urna excellente cas* no Poco defronte
da matriz e junto a margem do rio Capibanbe, e
perto do banho, retiicada e pintada das, cora
mullos commodos e bastante fresca pela situacao
em que se acha : a tratar na ra do Hospicio n.
24, ou na mesma easa na taberna.
No primeiro andar da casa n. 21 da praca
da Boa-Vista precisa-se alagar um criado de 12
annos de idade, pouco mais ou menos, prefenndo-
se escravo.
Aluga-se urna casa terrea na ra da Alegra,
cora soffriveis commodos e por preco muito bara-
to, assim como um lerceiro audar e soto na ra
do Eacantamenlo : quem os pretender dirija-se
ra da Cadeia n. 33, loja de Valle Porto Ar C.
Precsa-se alugar urna escrava para o servi-
co interno e externo de urna casa de pouca fami-
lia : em Fr i da Ponas, ra dos Guararapes n.
20, sobrado.
Caixeiro.
Preclsa-se de um caixeiro de 14 a 16 annos, que
tenha pratica de taberna e d fiador a sua con-
ducta : a tratar em Olinda, ra dos Quatro Cantos
esquina da ladeira da ribeira.________________
Amonio Furtado e sua senhora reliram-se para
Europa. ________
O Sr. Jos Antonio de Souza Machado tem
urna carta vinda de Lisboa, na livraria da praca
da Independencia ns. 6 e 8.
Naques sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorizado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr, Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma vis-
la, e a praso ; podendo, os que temaren
saques a praso.receberera avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Cma senhora casada contina a leccionar
msica com toda a perfeico ; os pais de familia
que quizerem utilisar-se de seu prestimo, dirija-se
a ra da Penha n. 7, primeiro an lar. Na mesma
casa precisa-se de urna negra ou moleque para
alugar-se._______________________________
Aluga-se urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I. M. Reg, na ra do Trapiche o. 34.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na ra da Concordia n. 23.
Chapoz baratos I
Chapeos baratissimos!
A 65,85 e 103.
Grande sortimento de chapeos de pa-
lla de Italia e trancas para senhoras e
meninas que se venden) baratissimos pa-
ra se apurar dinheiro na ra do Crespa
n. 1, junto ao arco na
Leja do barateiro!
m
ATTENSO.
Aeha-se fgido desde o da 7 de fevereiro do
corrente anno o escravo de nome Faustino, de ida-
I de de 40 annos, pouco mais ou meaos, cor fula,
[ altura regular, grosso do corpo, bem espadado,
barbado, e j com alguns cabellos brancos na bar-
ba, bracos e pernas grossas e bastante cabelludas,
tem as pernas arqueadas, porra nao muito, bas-
tante cabello nos peitos, e costuma quando quer
fallar mais apressado como que gaguejar, porra
muito pouco, que mal se percebe; costuma andar
em sambas, e as vezes embriaga-so por gostar de
bebidas espirituosas : suppoe-se que elle seguio
para o centro, talvez ora busca dos sertoes : por-
tanto roga-se s autoridades policiaes que o facam
apprehender e couduzi-lo casa de seu senhor o
maj.>r Antonio da Silva Gusmo, na roa Imperial,
em Peroambuco, que satisfar loda e qualquer
despeza que por ventura facam, e aos cauitacs de
campo offerece urna boa graliliracao.
Aluga-se a casa terrea da ra d) Socego n.
2 : a tratar na taberna da ra do Raog-. 1 u. 7.
Cau para alonar.
Aluga-se o sebrado de um andar e solo sito m
roa de Sanio Amar o. 14, com bastantes- commo-
dos para familia : a tratar na ra larga do Rosa-
rio n. 34, botica.__________________________
Aviso.
O abaixo assignado faz ver a todas as pesse .
que com elle tiverem transaccoes, que devera di-
rigir-se a ra do Caldeireiro n. 94.
___________Francisco Pereira de Meireles.
Aluga-se o grande soto do sobrado n. 13 da |
travessa da Concordia, com muitos ommodos : a |
tratar no mesmo.
"wUteaco Iftierarla.
Sanio lu* o-opsculo intitulado
A LIBIIRDADi:
11
O agrimensor dos terrenos de marraba
acha/se no campo passando o vero ; as
pessoas que quizerem fallar-Ihe proen-
re-o no sitio contiguo ao sitio do tallecido
Nicolao Rodrigues da Cunha, em San-
t'Anna.
Precisa-se de um bom forneiro : em ?anto
Amaro atraz da fundico do Sr. Starr.
Alfonso de Albwptsri/ue Mello
i Convidam-se os assiguaiiies a mandarem receber
si ns exemplares na praca da independencia ns. &
e 8, que sero entregues vista dos recibos das as-
signataras ; ah tambera eslo expostos venda x
350OO cada um. Sao sob os seguimos ttulos as
materias de que se oceupa :
Introducco.Nofo da liberdade. O Brasil co-
lonia. Bevuluco de 1817A Independencia.A
constitulnteAconstituiroA ruvolurao de 1824.
A expulso ou abdicaeo. A regencia livre. O
partido regressista.Ameaca dos coreuodas e que-
j da dos livres. A regencia coreuoda.Causa dos
niales da regencia livre.-Regencia corcuuda e
maioridade.Principios do reinado de D. Pedro.
Revolta de Minas e S.Paulo.Dominio da Praia
I Ltizia.O dominio liberal nao inquietava os cor-
Precisa-se de um mestre de masseira e ura
menino para caixeiro, com pratica de taberna : na
ra estreita do Rosario n. 5,
- O Sr. Antonio Gomes de Carvalho, que SeT-iSSS^Si0 d,.)minio11liberal--A Pia_eCt
xou na loja de l.vros ns. 6 e 8 da praca da lude- ehorro-scoatoria.-A revolta e a rcvolticao di
pendencia urna carta do Rvm. Sr. vigario do Sal-
gueiro, queira declarar sua morada para se poder
fallar sobre o negocio de que trata dita carta.
COLLEGIO DE
JOAQUIM.
As aulas deste collegio funceionam
durante as ferias e tem principio no Io
de dezembro; os Srs. que pretenderem
fazer seu exame em marco dirijam-se ao-
mesmo collegio a inscre'ver-se no livro
de matricula, assim como ene ntraro
urna lista com os nemes dos Srs. lentes e
as horas era que devem funecionar as '
aulas.
Est ainda para alugar urna casa na ilha de
Bemhea junto a ponte da Passagem, com commo-
dos para familia, baoho, piolada, e pelo barato
aluguel de 1505 por anno : na ra larga do Ro-
sario n. 36 se dir quem alnga.
Irmanda le da Senhor liaiu Jess das Dores
De ordem do provedor convido a lodos os ir-
maos da mesma irmandade se reunircra em me-
sa geral no da 20 do corrente, as 9 horas do dia,
afim de continuarem ua discusso do novo com-
promisso.O escrivo,
Jos Lucio do Carmo.
amm-mmmm-mmms-i
i DENTISTA DE PARS
19Ra Nova19
Frederieo Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
1 M3
de
1848 A constituinte.A constituinte.Derrota,
da revolufao. Negociaco de Honorio com os libe-
: raes : traidores. Venda da bandeira da cons-
l tituinte. O partido liberal durante osquaiorze as-
nos do chamado ostracismo.-Os corcundas e os
liberaes durante os quatorze annos.Captiveiro re-
signado e voluntario dos liberaes durante os qua-
; torze annos.0 povo corcunda, ou os vermelhos e
'os sabios.A situago propriamente poltica.Ins-
ItituicSes livres, e direitos politices que tivemos
at o lim da regencia livre, e o que actualmente
I temos em lugar dellcs.Os representantes da na-
Sao e das provincias.situacao administrativa.
qae sao nella os Portugueses. Como o gover-
no obrigado a corromper o paiz e a fazer-lhe
I sempre maior mal.Como se multiplica e se paga
j a clientella do governo para sustentar-se o impa-
I rio corcunda.O procnsul.O procnsul da eo-
: marca. Dos cargos, dos crimes e da punicao.A
I jusliga.Juizes municipaes.Juizcs de direito.
Tribunaes.Os das llelacoes.Tribunaes do Com-
mercio. Supremo Tribunal de Ju.tica.O jury.
Os advogados.Concltiso. Garanta dos direitos.
A moral publica. Dos crimes.As eleieocs.
Corollario da obra saquarcma.-O que a pa-
rta. Situaclo para com o exterior. Situar
financeira.As financas do estado.-A miseria.
Perigo e salvamento dos corcundas.A liga.
Gomo se congregara os elementos para ella.Con
sideracoes retrospectivas. A constituinte. Prepa-
res antecedentes. -Concihai;o e opposifae parla-
mentar. Monta a liga.O que sao os liberaes na
liga.Que bem faro os liberaes ao paiz.O pro-
gresso.Seus feitos.O que o progresso e que
far.Como se deve viver nesta trra echegada
ao progresso.Porque o progresso s vem com-
pletar Dossas desgracas e sera mais remedio;.fp
ha salvaco para nos qual seria o meio e bom f-
cil.Resumo.-A's cinco provincias pernambuca
as. Histrico e poltica corcunda. De que pro
vm a miseria. Como se corrompe na eleicao.A
restricjio da liberdade apar do progresso daimmo-
ralidade. Corollario.
na ra da*
l'ma boa casa terrea para familia
est por alugar-se ra da l'nio n.
39 : quem pretender dirija-se ra
ida Aurora n. 10. Tambem alugam-
se as lejas n. 44, ra da Aurora
Joanna Francisca de Menezes achando-se gra-
vemente doente, rega s pessoas que tem penhores
em seu poder, que os venham resgatar na ra Im-
perial n. 168, e no praso de tres das, contados de
hoje, sob pena de serera vendidos para pagamento.
Recife 18 de novembro de 1864.
Ir.
Conipanhla fldelidade de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
RO ele Janeiro.
AfiENTES EM PEPNAMUL'CO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k f..,
competentemente auterisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
Consultorio medko-diirunjico na ra larga de Ro-
sillo D. 20.
O Dr. lee Ferreira da Silva regressando sua
casa, continua era o exercicio de sua profisso,
nao s na parle medica como tambem na ehirur-
gica.
APIPUCOS
Nabbado 19 do correue.
A companhia nacional de gymnaslicas acrbatas
contina o seu espectculo na povoacao de Apipu-
cos cora variaco de trabalhos.
O director da mencionada companhia roga aos
espectadores que se dignarem honra-lo, de nao fu-
marem para uo incommodarem as familias: es-
pera, pois, que os ditos espectadores, allendendo
ao incomraodo, deem exemplo alim de se nao pro-
duzir semelhante abuso.
Os bilhetes acham-se venda na mesma povoa-
cao, no lugar do costume ; comecaodo o espect-
culo as 8 1|2 horas da noite.
Bilhetes para hemem e senhoras a 15-
Ditos para meninos de 8 10 annos 500 rs.
Na ra estrella do Kosario n. 34
Advogado Affonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
o iras, porm, na villa do Cabo.
Veneravel ordem terceira de
N. S. do Carmo.
Por deliberacao do irmo prior faz-se sciente
aos irmaos que sao soccorridos pela ordem, que
devero apresentar mesa os seus respectivos re-
quenmentos al o dia 13 de dezembro prximo
futuro, depois de cuja poca nao sero mais ad-
mattidos, segundo determina o do ari, 94 dos
estatuios.
Secretaria da veneravel ordem terceira de N.
S. do Carmo 15 de novembro de 1864.
O secretario,
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro.
Pede-se a certas senhoras que frequeutam o
Club Pernambucano, que se abstenham de dansar
urnas cora as outras, o que s proprio de urna
sala de dansa.
CLUB COMMERCIAL.
A directora scientifica aos Srs. socios
tanto effectivos como addicionaes, que ua
noite do dia 22 do corrente ter logar nos
saloes das casas ns. i e 3 da ra do Trapi-
che, para onde de novo vai transferir-se a
sociedade, um esplendido sarao, por solem-
nisar-se o quinto anniversario da visita d
SS. MM. II a esta provincia, o terceira an-
niversario da installacao do mesmo ciub, e
de presente a sua restaurado.
A directora congratulando-se com toda
a socisdade por tito faustos motivos que
esse da recorda, e pelo que agora registra
na memoria de todos, que se interessam pe
lo progresso desta associaco, espera que a
concurrencia dos Srs. socios e illu>tres
convidados e suas familias notavelmente
contribuir para tornar mais aprazivcl e
brilhante o divertimento qae ella tem pre-
parado para essa noite.
Recife 16 de novembro de 1864.
Joo Pereira Rebollo Braga.
Precisa-se do urna ama de leite
Larangeiras n. 24.
Aluga-se urna boa casa na povoacao do Mog-
teiro com commodos sufBcientes e no rnelhor local:
i a tratar com o seu proprietario Jo> Mariano 4
Albuquerque, ra do Imperador n. 12.
Precisa-se alugar urna escrava para cemprarr
cosinhar e engommar para urai casa de pouc%
familia : na ra da Trempe n. 2.
Desencaminhuu-i-e no dia 16 do corrente da.
ra Nova de Sanio Antonio, um cachorro galg
cora os signaes seguimos : arnarello desraaiad*
com urna orla branca em torno ao Descoco, os p
calcados de branco, houve quem o visse seguir
pela Camboa do Carme : quem o pegar ou dell
der notician pojs c basiante condecido levem-no a
casa de detencao a entregar ao administrador, qu
gratificar alcm de ricar agradecido.
L0J4lt0UCU\FL01L
Ra do Queimado ns. 63 e 69,
llmieras de choro.
Lindas bonecas de choro que chamam papai e
mami, de diversos tamauhos : s as lejas dobet-
ja-Dr, ra do Queimado ns. 611 e 09.
Luvas de pellica.
Levas de pellica branca e de cores para homena
e senhoras : as lojas de Leija-ller, ra do Quei-
mado ns. CJ e 69.
I i-.rilas para cintos.
Lindas fivellas douradas cen lindas pedras par
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimad
ns. 03 e 09.
Capellas para uoivas.
Lindas capellas para noivas a 2500 cada urna:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63
e 69.
Estojo para barba.
Veode-se estofos com espelbo para barba 15-500
e 25000 cada um : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. G.'l e 69.
Balaios para meninas.
Becebeu-se novo seitimento de balaios, ce
forma de vanos passaros, pelo barato pre;o de....
1,5000 at 4 cada um : as lojas do beija-flor, ra.
do Queimado ns. 03 e 69.
Filas liuas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos: as lejas do beija-flor, ra do Queimado
.n G3 c 69.
Exlraelos em raivinlias.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor, ra do
Queimado os. 63 e 69.
Sabo em raiiinhas.
Finos sabdes em caixinhas com vanos'retratos :
as lojas do beija-8or, ra do Queimado ns. 83 e 69.
Tiras bordadas.
Vcndem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63 e 69.
Jnrjus de domin
Vendem-se jogos de domin a 15209 e 15300:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63
e 69.
Dallados bordados
Vendem-se baados bordados de varias largura
e varios precos : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores a
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Ailcrr-rns pretos.
Tendo-6e recebido aderecos pretos de novo ges-
to sao exposlos venda: as lojas do beja-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
tmalas para senhoras.
Lindas gravatas para senhora 800 rs. e 15009
15200 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
os. 63 e 69.
Esprines de moldara.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
las : as lojas de beija-flor, ra do Queimado ns.
63 e 60.
Veltas de aljolares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruzdepedri-
ohas imitando brilhantes 13000 cada urna : na&
l?s do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 fe-
Colberes. para sopa.
Vendem-se comeres de metal-principa para sopa
25000 cada urna : as tojas do beija-flor, ra >
Queimado ns. 63 e 69.
la para bordar.
Vende se la para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
65400 a libra : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 60.
as mismas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudozas boas, e mais baratas do
que f-m nutra qnaliner parle, _
tinturara.
Tinge-se com perfeic5o para qualquer
cor, e o mais bar-jto possivel:
iRangel n. 3R. segundo andar.
na ra do



Diarlo 4c re
Nabbade i Me \oveinbro de 1SC4.
THE
CEARA (NORTH BRASIL) WATER COMPANY,
LItliTED
INCORPORADA SOB i LE DE ASSOCIAC.ES MI TU DE 1862.
Capital Ib st 60,0 Depositando 10 s. por cada aeoio pedida e lib. st. i e 10 s. quando forem distribuidas,
viio m- ^S"101" chamadas nao escederoa lib. st. 2, cada urna, Bera poderaoscr feitas com inter-
vino menor de tres mezes.
Juros de 6 7ao auno pagaveis aos accionistas at a concluso da obra.
Directores.
WILLIAM FRA.NCIS UOBSON. Esq. Bearsted House, near Madstone, (presidente) director da compa-
ehia das Docas e armazens.de West T,ondon. r-
JOHN CLABK. Esq. 3, Dunster Court Minciug Lae.
JAMES DAYVSOX, Esq. 2, Biliter Square, London, director da companhia Metropolitana de Se-
^m^l^"ELL Esq-, 6> Moola6u Place. MontaguSquare.
W1LLIAM JEbSfc,. h<\. Maisonette. Ingaleslone, Essex
rrxT.^Lr?-uSJ'^DAKT' ??* l consul de S- M riunnica, no Cear.
AUGLSTU \\ EHNbR ( s.|. Lime Stree, director do banco Europeu : Limitado.
kncenheiro ALFRED THOMaS COOK, Esq. 3, Bridge Street, Westminster.
solicitadores MESSRS. W. H. P. SHARP, 92 Gresham Honse.
-asqueihos O BANCO, EUROPEU, LIMITADO, 83, King William Street. I. C. e seus Filiaesno
Continente.
correctoris MESSRS A. & W RICARDO, H ngel Court Throgmorton Street.
kscriptorio 3, DUNSTER COURT, Mmcing Lae.
O porto e cidade do Cear a sede do governo da rica provincia ou capitana do Cear eran-
de ao norte do Brasil, e est situada em lat. 3. 41" e 10" S. e Long. 38* 29' Oeste de Grenw, o Cear
e rooeao por un terreno arenoso, e sem exagerar, na maior parte do anno o clima pode ser conside-
rado secco. Sendo a capital de una provincia tloresrente o lugar de umcommercio que vai crescendo
rpidamente ; e a residencia de um crescido numero de pessoas abastadas, pelas quaes ha multo tem
e sentida a falta de agua potavel. 'y
A capial e sen termo, contera mais de 30,000 habitantes, como coBSta dos ullimos relatnos
q gOvcrDO pro*)tiCi3l
A agua supprida pelas chuvas bcm raras, e pelas cacimbas, cuja agua em couseauencia de
drainagens, nltragao do mar, etc., no verdadeiro sentido da palavra nao potavel. use,^ucu,-14
Em urna distancia rasoavel da cidade aeoam-se na propriedade do Sr. Jos Paulino Hoonhollz
denom.nada-Bem-fica-um grande numero deolhos d'agua diversas cacimbas as quaes S o
empo mais secco se tem conservado com agua. umauc
-...'.- A ap.ua ,deslas cac'">l>as reconhecida perodos ser a melhor; e nao obstante a distancia da
cidade e grande espesa cora o transporte, tem sido consumida por aquellas pessoas que podem man-
Oi-iu iili>( ir.
, D 5S*'i a Jos Paulino Hoooholtz. urna concessao com previlegio exclusivo por cincuenta airaos para sunurir a
cidade com agua potavel ao prego de 20 ris por caneco de tres e meia caadas vendidos nos chafarizes
e de 40 res conduzcas as casas, sendo este preco o mesmo que adoptado por outras companhias de
agua no imperio do Brasil. *
A Cear (Xorlh Brasil) Water Company, Limited nao ter competidores e o governo provin-
cial concedeu mais o direito de supprir as reparliges publicas, quarteis. fabricas, e casas particulares
etc., por meio de penna d agua. '
Para levar a effeito esta concessao a Cear (Nortb Brasil) Water Company, Limited, acaba de
ser deflnitivameme incorporada na pracade Londres. '
O concesionario tem depositado em poder da companhia as necessanas transferencias do
previlegio, e mais documeo los, sendo: cuna uo
O hvre dominio do terreno que comprehende as cacimbas e olhos d'agua, e assim mais o que
or necessano para as obras dos reservatorios, galeras, etc. q
A ndemnsago para o concessionario ser de 1,000 accSes de lib. st. 10, cada urna intera-
mente pagas, percebendo juros durante a construegao, e dividendo par passu como as mais areoes
pagas, porem nao poderao ser transferidas antes da concluso da obra.
O contrato para a construeco da obra j est ellectuado por urna quanlia fixada (da qual o
centratadorobrigou-se a receber 15 /. emaegoes da companhia) incluindo todas as despezas prelimi-
nares ate a incorporado da companhia.
O engenheiro da companhia em seu regresso do Cear deu ! voravel a respeto da quanlldade e qualidade d'agua, e do rendimento; e que na construeco da obra
nao havera diflieuldadealguma. v
O conlrato oflicial entre o governo e o concessionario, e mais documentos para transferen-
cia, ect. legalizados pelo labelliao publico, podero ser examinados pelos accionistas no escriptono da
obras ^ Pa8 ^ accionista3 Juro a raza0 de 6 % ao anno> durante a construeco das
ROPA FEITA
NO
ABI1KBI
DE
Caiieiro.
t*reeisa-se de um caixeiro de 14 a 16 annos que
tenha pratica de negocio, e d tiadur a sua conduc-
ta : na ra da Imperatriz n. 10, loja de calgado.
Precisa-se de um caixeiro com pralica de ta-
berna, que d conhecimenlo a sua conducta, pre-
ferindo-se Portuguez : no armazem conservativo
no largo do Terco n. 23.
fc TOMt
D-
XJETREIRO VERE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roapa eiu de j
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concer-
rentes, para o que tem um dos memores professores, assim como tambem tem um !
grande e variado sortimento de fazendas de todas as cualidades, para senhoras
borneas e meninos.
Casacas de panno preto, 350 e 300000 Ditos de setim preto. .
Sobreseas dem, 30e. 250000 Ditos de ditos e seda branco,
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da Inda
pendencia o. 22.
5)5000]
Paletos idem e de cores, 25)5,
20,5, 15,5 e......,00000
Dites de casemira, 20)5, 15(5,
12(5, 10,5 e...... 7^000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
Ditos ditos pretos, 9(5, 7(5,
5.5,40e f 3,5500 ,Serou,as
Ditos de brim e ganga de co-
res, 4^500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linbo, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
d5o, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta, 120,
.10& 80 e......70ooo
Ditas de cores, 90, 80 e.
| Ditas de meia casemira de co-
i res, 50000 e.....40000
! Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Golletes de velludo preto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40 e.......
n
60 e.......
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
Golletes de fusto e brim bran-
co, 30500, 30 e ....
de brim de linbo,
20400 e ......
30000 Ditas de alSod5o> W600 e. .
TxrxJ; Camisas de peitos de linho,
4*00| 40, 30 e......20500
Ditas de madapolo, 20500,
50OOO 20e. .' ....
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e.
50OOO
45000?
20509
20000
10400
106GO
80500
20000
70000 Ditos defltro, 50, 40,30500 e
'Ditos de sol, de seda, 120,
I US, 70 e......600^0
: Collarinhos de linho fino, ulti-
400001 ma moda duzia. .
' Sortimento completo de grava-
20500 tas.
20500 Toalhas para rosto, duzia, 110,
I e........
70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
40000 tos e de cores.....
Lences de bramante de linho.
30500 Cobertas de chita chineza.
Compra-se eflectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-so dous escravos que sejain bons
carreiros : na ra do Trapiche n. 13._________
Compra-se garrafas e botijas vacias, na fabrica
de licores ra das Cruzes n. 36.____________
Compra-se para urna enccmmenda urna ne-
grinha e um moleque de idade de 10 a 12 annos :
na rna da Cruz n. 1. escriptorio de Antonio Luiz
de Oliveira Azevcdo & C.___________________
Compra-se urna escrava que saiba engommar
e cozinhar : na ra do Crespo n. 18, segundo
andar.__________________________________
Compra-se ouro o prata, assim como concer-
taje toda qualidade de obras da mesraa qualida-
de com promtido : na loja do paleo do Carino n.
7, por preco commodo._____
Libras esterlinas
Compram-se em casa de Johnston Pater A C,
ra do Vigario n. 3.______________
Compra se cons'antemento garrafas e boti-
jas vasias na ra Direita n. 17, fabrica de li-
cores.
Na praca da Independencia, loja de ourives
a. 33, compram-se obras de ouro o prata, e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer Cdncerto.
60000
0
60000
40000
30000 l
205OO:
YENDAS.
Vende se caixes vazios proprios
para hahnleiros e funifeiros a i $760
cada uta; nesta lypographia.
Vende-se a armario e utencilios da taberna
da ra de Aguas-Verdes n. 48.
Vende-se o sobrado de dous andares n. 21,
sito na ra do Padre Floriano, bem conservado, e
edificado em chaos proprios : quem pretender, en-1
tenda-se com o Sr. Frederico Chaves, residente na em COpOS, latas e SOIipi'inilllS de Vdl*0
ra do Oueimade n. 8
RECEBE:
Bonitas caixinhas de madeira enrernisada com
finas perfumaras. 'coca
Outras de papello de diversos tamanhos e m-
mente bonitas, tambem rom perfumaras
Lindas cestinhas de vidro com dlas.
Caixinhas imitando tartaruga com dita
Ditas com b e 12 rasquinhos de rheiros
Objectos para baptisados.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n 8 aca-
ba de receber os seguintes objectos para baptisa-
Bonitos e bem bordadts vesiuarios de cam-
bala. ,u
Ditos e modernos chapozinhos de setim e toucas
bordadas e enfeitadas. "juls
Sapalinoos de setim e merino muiio bem bor-
Jba de seda e fio de Escoca, brancas e pin-
feiuT38 6 sapa,inbos de *. bras muito bem
Bonitas caixinhas
coi musir e sem ella para costura e
outras com *rraujis para tarta.'
A Aguia Branca recebeu novanienle um bello
sortimento de bonitas caixinhas com musir e sem
ella para costura, e outras com os arranjos neces-
sarios para barba ; assim, pois, quem comparecer
com draheiro est habilitado a compra-Ios por pre-
go commodo : na ra do Queimado, loja da Acuia
Branca n. 8. 8
* BIIt para tir/gir cabello
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8
cebeu essa excellente tintura para cabello "
re-
rujo
effeito 6 rpido e proveitoso, vndo ella munida de
esclarecimentos em poringuez, d'onde qualquer
pessoa pode bem conhecer o modo de applirar
Com o ihromocome que serve para tingir veio
tambem hydrocalhtr.china, agua para tingir cabel-
los, eoloncomo para lustrar os d.tos, eony.hro-
manlina para limpar as unhas, e callicomiphila,
pomada de que se pode usar sem receio de offen-
der ao cabello preparado. Os pretendenles atha-
rao pre^o razoavel.
Banhas finas
res, ao hotel de Europa, ra do Trapiche n. 12.
XAROPE DEPURATIVO
JLE GOU
SBOMO-SLPHO-IODIIRADO
Este noNO producto resaltado de una tnplicc combinado de tres melalloides cujas nropric-
le ,n'i J?"'i'0 r aS', Uromo^E"^>eeoIodo, occypa hoje a primeira ordem de
entre lodos os depurativos dos quaes o mais poderoso.
Pucl.e'TKzT,: Biache; Guiblm, Ba^osc^rDaneCLe^BirVa^^^
sua poderosa ellicacia as aCec5es seguientes: uemonsiraiao
Domr il<- pellr,
Darlran r boi bulliua de luda a capoclr.
Placar* iiiuroNaH,
Obnlrurroen Ijmphallcos,
PaptrlraH,
ENcrofulag,
Abcevaon, poMlcuiUH,
Cuneros,
Plora,
TlnUa,
Erot-biilo.
ran ou ooubaa (do Brai',
Frambocnia,
II u marea friea,
ltu< lllll.uio
ophlhalinla eaerofulosa e ebroulca,
Tlalca cacrofiiloaa,
AtTeceoea ajphllltlcaa,
Klephantlaala doa Greyas,
E lodas as doeni;as occasionadas por um tco do
sangue, e j tratadas sem ncuhum successo pelas
prepara(,oes vegelaes, iodadas e o oleo de tinado
de bacalho.
A 48 0 CORTE.
Pechineha sem igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedade de padres
pelo baratissimo preco de 4$ o corte: na loja das
c lumnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Cor-
reia de Vasconccllos & C.
ra da Imperatriz, o qual est autorisado para tra-
tar deste negocio.
Vendem-se duas casas terreas na ra da 3o-
ledade ns. H e50 sendo urna de 6quarlos, 2 salas
e bom quintal, e a outra menor : a tratar na ra
da Imperatriz n. 6, onde vende-se urna armacao de
amarello por barato preco.
Superior queijo de Minas
Vende-se no armazem de molhados na ra do
op;ico.
A Aguia Branca sempre cuidadosa em bcm ser-
vir a sua boa fregiiezia, mandou vir e acaba de
receber na melhor ocraslao os desejados copos e
as procuradas latas com banhas finas, assim como
urnas bonitas soupeirinhas de vidro opaco com
alegres inscripcoes. as quaes dizem smenle res-
peito as senhoras, e com tal acert que uenhuma
que as vir delxar de comprar e nao se enfadar
de Icr a inscripto quetao morecidamenle Ihe toca
O Xarpe de Le Goux, de urna fcil digestao c de gosto delicioso, se emprcea tambem
crlZZ^nlagCm rC, aconse'haio pelo doutorBarthV do hosptal'dos moSs, para as
enancas debis, escrofulosas c rachilicas ou sobre a influencia de um vicio hereditario c mui
superior neste emprego ao oleo de ligado de bacalho c aos xarpes depurativos e ali-escor-
buticos que se admimstravo at agora.
Deposiiogcral, em Pars, na botica Boullay, membro da Academia imperial de Medicina de
Paru, o/hcial da Legiao de Honra, e em todas as boticas de Franca e dos paizes estrangeiros.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
Iwifor da Faculdadede Smaos, membro da Academia imperial de Medicina,
Uf/icial da Legiao de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Paris.
Este. xar(5pe composto i mais de tinte annos pelo sabio lente Boullay, constitue a me'hor
maneira de administrar o tther. He empregado com suocesso em todas as doencas que tirao sua
ongem de um enthismo nervoso, como sao as:
r.alnibro de ealoniaijia,
imll^cHiea,
Cnnvu Inora,
Aeceaaaa lifaterleoa e hypo-
eandrlaeoa,
Collcaa vcaleaaa ou ervo-
ZP,SZ Zli a *?*"*< oflicial da Legiao de Honra, ra des Fosss-Montmartre, 17, c
em todas as boticas de r ranea e dos paizes estrangeiros. '
Euxaqucea,
Nl'i rillsln,
i:|iaaniaa,
Allaajara de nertaa,
V rrlla;ena,
Sy acopen,
aa, hepallcaa flalnlrnlaa,
Aeeeaaoa ile ocu e de rheu-
mallamo,
Caaaa de eavenealeaaento,
etc., etc., etc.
paizes estrangeiros.
ASTHM
i
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SFFOCgAO NERVOSA E OPPRESSlO
nico remedio cllicaz para combatlir estas molesas, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta 6 o Xarope aromtico de Succino (mbar amarelloj do D' Danet. Uoscobena inlciramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gravas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzdo.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grcnclle. e em todas as
boticas de Ranea e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz d. 22 em ca a de Caros A Barbosa.
103 KUA IMPERIAL 193
Isaac Esnuty
Fabrica do rap imperial.
Isaac Esnaty tem a satisfacao de participar ao
rcspeitavel publico que se acha estabelecido na ra
Imperial n. 193 com fabrica de rap denominado
RAPE" IMPERIAL, cojo rap fabricado igual ao
rap de Lisboa, e muito melhor por ser mais (ob-
co e muito mais agradavel e convencido o fabri-
cante da superiondade do seu rap, pela experien-
cia de trinta annos que tem deste genero, e demais
o certificado junto para mais seguranga dos com-
pradores o fabricante Dea responsavel pelo bom
resultado do seu rap, garaotindo ao mesmo lempo
o dinheiro do comprador que por accaso nao gos-
tar (o que positivamente nao de esperar) e sendo
I este precioso rap digno do preco de tres rail ris
a libra porm como o principal desejo do fabrican-
te de ganhar crdito em todo o imperio e tam-
; bem para chamar atlencao dos amantes da boa pi-
tada como tambem dos exportadores deste genero
tanto para o mato como para outras provincias, li-
; mita smente o prego reduzido de mil ris por II-
| bra a retalho e em porcao de 10 libras a 900 ris
e em porcao de 50 libras a 830 ris e em porco
de 100 libras a 800 ris e em porcao de 1000 libras
com o descont de cinco por cento ou a tres mezes
do prazo firma garantida assim o fabricante espera
a concurrencia dos senhores compradores em re
muneracao da boa pitada examinada, approvada e
afflanad.
O fabricante franqueia as amostras (gratis) do
seu rap tanto na fabrica come tambera no nico
deposito ra Direila n. 14 taberna.
Brevemente apresen tara a venda publica outro
rap fabricado igual ao que se fabrica nesta e ain-
; da para melhor, como tambem : rap princeza,
| rap grosso e meio-grosso, tudo a precos muito
mais reduzdos para mais animar os senhores ex-
. portadores deste genero.
N. B. Nos dias de sabbado a fabrica nao se
abre.
CERTIFICADO.
Certifico que submettendo a exame a amostra
do rap denominado Imperial, que apresentou a
esta reparticao o r. Isaac Esnatv, fabricante resi-
dente na ra Imperial, casa n. 193, declarou o pe-
rito nomeado para esse fim, o sr. Pedro Maurer
que nao havia inconveniente algum em ser expes-
to venda, ltenlo a que nenhum perraeio nociso
comprometa a jaude.
Inspectora da sade publica, aos 5 de oulubro
de 1864.
Dr. Ignacio Firmo Xavier,
______________Inspector da sade publica.
Cera de carnauba
Vende-se nma porco de cera de carnauba, se-
bo e parte de urna fabrica para velas : para ver e
tralar na ra do Vigario casa n. 29, a qualquer
hora. ________
Albuus baratos.
Acabam de chegar loja de miudezas do novo
rival, ra do Qneiraado n. 16, um riquissimo sor-
timento de albuns para retratos, desde 12 at 100
retratos, os quaes se vendem muito mais barato do
que em outra qualquer parte, a saber :
Bonitos albuns para 12 retratos. .
Ditos ditos melhores para 12 ditos .
- Ditos ditos para 20 ditos ....
E Ditos dites melhores para 20 ditos .
g i Ditos ditos para SO ditos. .
Oiloe diloc ricoc para SO ditoc
305000
"lint nrvrviTvi/m/iJnl I Ditos ditos muito-ricos para 50 ditos. .
U1U0 COinilierCial. Ditosdtosr.qusslmospara50dtos. .
De ordem da directora se faz sciente que do dia jilos dltos r'IU'ssiraos para 50 e 100
22 do corrente era diante entra de novo a socieda- dllos............
de na marcha regular dos recreos e passatempos A-Hw/.""
garantidos aos Srs socios pelos estatutos era vi- AlieUyHO.
gor, cuja regularidade se achava alterada em vir- Vende-se ou aluga-se o sitio da Torre
lude do fatal incendio occorrido na noile de 5 de cente a Jos Mariano de Albuquerque :
junhoi do anno prximo pasando, I com o mesmo na ra do Imperador n. 12.
A directora se compraz em assegurar que se todo negocio.
nao poupou esforcos para collocar de novo a so-1 ~--------ZEa3~n~"2----------------------------"
ciedade era tanto ou maior explendor que na po-1 "-aDrioiet americano.
Vende-se um cabriole! americano de 4 rodas
Imperador n. 14, esquina da travessa do Ouvidor, | J 'Iuem. QUier ser bem servido dirigir-se a ra
assim como superior queijo londrioo, do Reino, do Queimado, loja da Aguia Branca n. 8.
do serto, prato e suisso. GR i i % B- i % W
que andam, que choram,
que fa/lam, etc.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, ani-
mada pelo apreco que a sua boa reguezia sabe
dar a essas boas novidades, mandou vir e acaba
de receber um extraordinario sortimento de boni-
tas boneras, que andam que fallara, que choram,
e outras mnilas de diversas qnalidades como dan-
sarnas, soldados, aliradores, etc., e todas mui bem
vestidas; assim, pois, a Aguia Branca espera a
concurrencia dos apreciadores do qom, cert >s de
que acharao pregas razoavese serao satisfactoria-
mente servidos urna vez que compaream munidos
de dinheiro.
BAHS DE TARTARU-
GA PARA COSTURA.
A Aguia Rranca na ra do Queimado n. 8, ven
de bonitos bahus cobertos de tartaruga e de diver
sos tamanhos, mu proprios para costuras e joias
t inos e aromticos pos de 0
arroz
Em bonitos vasos de pedra, porrellana dourada,
| vidro e madeira, estes com o complente pincel e
23000
25500
25300
25800
45000
84000
165000
25500
perten-
a tratar
Faz se
cadesuacreagao.ellaseda por bem retribuida ^ende-se um cabriole! americano de 4 rodas elle de superior qualidade e anradaV CbeS
com a dedicagao constantemente demonstrada por "" dus asuntos, em perfeito estado : quem o E.nquanlo ao prego, nao se aut." comorador'
comparega com dinheiro e ser bem s^S na
uja da Aguia Branca, ra do Queimado n. 8, ende
todos os que a tem acorapanhado sem quebrando PreIender, dirija-se a cocheira da ra do Impera-
harmonia, para terde applaudir-se do estado lson- dor 1ue pertcnceu ao Sr. Malveira.
geiro que ajada hoje a mesraa sociedade offerece. 17nvi.ll alT
Recie 17 de noverabro de 1864.
O secretario,
Joao Pereira (tabello Braga.
Eusiue de preparatorios
O bacharel A. R. de Torres Bandera,
professor de geographia e historia amiga
no Gymnasio desta provincia continua a
ensinar phlosophia, rhetorica, geogra-
phia, e as linguas franceza e ingleza, e
offerece o seu prestimo especialmente
aquelles mogos que sequizerem preparar
em qualquer destas disciplinas para os
exames em margo do anno futuro. O en-
sino subministrado pelo annunciaote,
na casa da sua residencia, ra das
Cruzes n. 9, 2o andar.
ura pequeo sitio no Barro-Vermelbo cora algn
arvoredos de fruclo, o qual tem 42 palmos de lar-
go e 600 do tundo, muito proprio para quem qui-
zer passar a festa por Mear muito perto do banlo,
tendo o mesmo sitio urna grande casa de tapa, a
qual tem 2 salas, 3 quartos, 1 quarto de venda e
casinha fra : quem pretender dinja-se a ra Im-
perial n. 62, que ah se dir quem vende.
Vende-se um carimbo de 4 rodas com dous
assentos, para um ou dous cavallos, muito leve, e
de modelle elegante, bem commo um caoriolet de
duas rodas, moderno e novo, com os competentes
arreios : a tratar na ra do Queimado n 13, pri-
raeiro andar, escriplorio.
tambem se vendem separadamen'c os pnceis.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas necessarias para costura, as quaes
tem linhas de diversas qualidades, retroz, tesoura
e oulros arranjos precisos, assim como amostras de
bordados ou marca, etc., e lados
modos.
a precos com
A AGUIA RRANCA
vendendo relo
sopa
JLIENNE
a ra Nova n. 8, loja do cha.
JErvIlhas
francezas ra Nova n. 8, loja do cha.
4 OICI\ III
SPassas.)
ins: a ra Nova n. 8, loja
cha.
IOS,
Como nao privativo a Aguia Branca lambem
_ esta vendendo muilo bons e bonitos relogios para
_-------------------| mesa e parede, por pregos commooos, por isso con
- Vende-se diariamente leite puro ao tirar da vem a todos aproveitarem a occasio e proverem
: na rna da Soledade, volta da Trempe n. 72, se desse objecto sempre neressario em r assim como ps de plantas porm reservado para os relojoHros o concert qu
algum dia qualquer delles venha a precisar, poi
que isso nao chega para o bico da Aguia Branca,
as 5 horas da manha
e rozeiras, urna carroga de cavallo era bom uso
quem precisar dirija-se a mesma loja.
^"Bonita, boa, bem eita.
na ra do Impe-
da ra do Queimado n. 8.
do
.ao.
FABRICA ti DE i ICOKES
A' ra das Cruzes n. 36.
i SlD,u a Primeira ?es,e enero lanto pela variedade de suas produccoes como pela nerfeicao
-do seu trabalho,_os respectivos praprietarios reclamara a attenco do publico pedindo a sua proteo-
tncontrarao os freguezes o seguinte : t*-
Licores de todas as qualidades inferiores a 200 rs. a garrafa.
Ditos ditos finos a 40" rs. a garra/a.
Onebra de laranja a BJ a duzia.
Dita em botijas de superior quaiidade a 200 rs. a botija
Dua de canella a 500 rs. o frasco.
Aoardente de todas as qu'alidades a 200 rs. a botija.
AIcool de 37 graos (espirito de vinho). Prego variavel.
Agradavel 6 boato.
Ajoai de eolonia que se vende cm poreoes a vontade do freguez.
Pos de arroz em caixinhas a 400 rs.
Pos dentifncios em caixinhas a 400 rs.
Balsamo para a conservacao das gengi "as e para tirar o mo balito da bocea a 800 rs. o fraseo
oniio para a conservago dos cabellos para caspa a 800 rs. o frasco.
Paslilhas peitoraes a 15 a libra.
Uestruicdo dos ratos,
nnrC!r5an,C^,pSrP*.ra envenenanento do' ratos o melhor qne se tero descoborto, Unto [gado* olUrnTrnente, para' caix
por ser de prompto elTetto como por nao precisar pwaugao cora as pessoas de casa, 1 M.cei ; tratar na ra da Cadeia n. 35.
Sitio para a lugar perto da
pra$a.
Aluga-se a casa terrea (para pequea familia)
sita na ra das Barreiras n. 1, muito fresca, com 3
quartos, 2 qalas, cozmha, despensa, quarto para
pretos, com o silio bem plantado de arvoredos no-
j vos, tode6 botando fructo, cacimba com muito boa
agna de ensaboar roupa, casinha de tomar banho
com tanque e bomba de Japy : quem pretender
dirija-se a tratar na mesma ra, casa n. 7, com
seu proprietarlo, ou com o Sr. Zacarias dos Santos
Barros rom olaria na mesma ra.
Para Oliuda.
Um hornera solleiro pretende ir para Olinda a
tomar banhos, e admitte um corapanhelro, afim de
ficar mais mdica a despeza, podendo dirigir-se a
ra da Roda n. 48, taberna.
una Nova
n nt
O bacharel
Francisco Augusto da Costa
ADVeGADO
Ra do Imperador numero
JLoja de madama Theardi
m Este estabelecimento se acba hoje mais
W que nunca bem sonido de objectos de
jj|| moda do melhor que pode vir ao raerca-
>Mf do e nao se menciona cada um de per si
w por se tornar demasiadamente enfado-
jg nho para seus numerosos freguezes quan-
Mdo lerem o presente aviso pelo que limita-
se em lembrar algnns artigos, como se-
|p jam : chapelinas de dinas de palha de i
M Italia, de seda, de crep branco e preto ;
W para luto, chapeos redondos de palha da i
iH Italia amarella e de outras cores para i
M senhoras, ditos para meninos e meninas, !
M ricos cortes de blonJe, ditos de moreanti-
s^ que de diversas cores, ditos de seda, as- i
S sin como sedas decores para se vende- j
W rem a covados, ditas escocezas, cortes de i
g vestidos pretos bordados a agulha, final- j
3 mente um variado sortimento de fazen- i
m das finas e grossas, na mesma casa fa-
zem-se capa, manteletes, vestidos para 3
noivas, vesiuarios para meninos se bap- >
tisarem e ludo quanto pertence ao toilet !
de urna senhora e recebe-se figurinos to- i
dos os mezes das ultimas modas de Paris.
Vendem-se magnigeas redes
rador livraria Popular n. 67.
! Na ra do Palacio do Bispo, primeiro sitio'
do lado esquerdo, vendera-se sepos de oiti para
; acoigue.
Vende-se gomma de araruta muito alva e
nova a 100 rs. a libra e 3Ji a sacca : na ra das
Cruzes n. 24, esquina da travessa do Ouvidor.
Vende-se um caixo grande para deposito da
gneros, proprio para refinage ou padaria: na
ra Imperial n. 49.
Vendem-se dous excellentes cavallos, sendo
um com todos os andares, para montara, e outro
para carro : na estrada de Joo de Barros, sitio
da capella.
Fabrica de espiritos
Ra llircitan. 17
Na fabrica de espiritos da ra Direita n. 17 ven-
de-se espirito de viuho de graduago subida, lico-
res de todas as qualidades, finos e grossos, canna
de cabega, reino, aniz, genebra, e genebra de. la-
ranja, tudo por menos do que em outra qualquer
parte._________________________________
Albuns
para 20 at 200 retratos, muito bons e por menos
prego que em outra qualquer parte: na ra do
Crespo n. 4.
Machinas de vapor e pa-
ra descarocar algod&o,
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
de carroca com mangas e
eixos de patente.
Kuadotfrumn. 38, indi-
Cao do Bowman.
Bixas de Hmburga
Vendem-se na ra Nova n. 61.
Precisa-se de umjmenino portuguez, dos che-
iWM(Ji\
Novidtde doPavo.
Vestidos 4 Hara Pia a i200
Chegaram os mais lindos vestidos Mara Pia
com as barras bordadas, tendo de differeites co-
res, e vende-se pelo ba atissimo prego de 12 cada
corte por estarmos prximo da festa ; isto na loja
e armazem de Gama & Silva, ra da Imperatriz
numere 60.
Boa pichincha.
Na ra da Cruz n. 22 vende-se excellente vinho
\ de caj, a saber : garrafeics de tres caadas, cada
um 45, e em garrafas cada duas duzias 55.
Aluga-se nma can (lado da sombra) n. 6 na ra' Vende se um carro muito forte pronrio na
dos Coelhos da Boa-Vista, com 3 quartos e 2 salas, a estagio do assucar ou trabalhar na eseadinh/
por prego commodo : a tratar oa ra do Mondego, em Santo Amaro, taberna de Jos Jacinllio d Car-
olaria d. M. .' yalhe.
Mafias.
Vendem-se as caixas, no armazem Movimento,
ra da Udea do Recie n. 50. Em caixas de 100
a b5, e tambem a retalho por dilTerentes pregos.
?mmm
Grosdenaple de cor a 15200 o covado, na ra do
Queimado n. 43, esquina que volla para a Congre-
gagao. ____________ _________
Testamento do Porco.
Saho a luz a adiase a venda o lestamento do
Porco, obra propria para entreler pelo diminuto
prego de 160 rs. cada exemplar : na ra do Impe-
rador n. 15, defronte de S. Francisco. Onde con-
tinua a (star a venda o testamento do gallo, da
gallinha e a peeja entre o diabo, S. Migele urna
alma._________________________
Esteiras para forrar salas.
Com 5 palmos de largura e muito superior qua-
lidade, vende-se mais barato do que em outra qual-
quer parte : em casa de Valle Porto & C, na ra
da Cadeia n. 33, Recife.

ILEGVEL


Diario de Pernambuco Sabbado ts de Xovenibro de A 8(1-1.
CLifRIM
\

COMME
RA DO QUEIMADO ff. 45.
Passand o becco da Congregacao segunda casa.
mmim i
NOVIDADE
0
garante-se obora
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Comraer-
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sorlimento dos melbores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencioncda
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra.
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000 Painco a 200 rs. a libra. i rs. a libra,
a arroba. Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
francezas em latas e em frascos a Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. I dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2*800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato. de oito libras e canastrinhas de I arroba a
dem londrino chegado no ultimo vapor a 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
900 rs. a libra. Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs. i dem de trigo a 120 rs. a libra.
Grande liquidarn de faz ndas de todas
as qualidades para se apurar dinheiro, vende
se baratissimo na loja e armazem da Arar?, ra
da Imperalriz n. 30, de Lourenro Pereira Men-
des tuimares.
AO BARATEIRO DA ARARA.
Vende-se curtes de chitas de cores tixas com 10
covados a 2,5400 e 34200, corles de cambraia de
salpicos a 2#5O0, 3,5000 e 45000 para acabar : na
roa da Imperalriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende rassas a 210 rs.
Vende-se cassas para vestidos a 240, 320, 360,
e 400 o covado, organdvs de lindos gostos para
vestidos a 320, 360 e W rs. o covado : na ra da
Imperalriz n. 56.
Corles de la a Hara Pia a 80, 120, 110 e 1(50.
Vende-se cortes de la com barra, 08 propria-
mentea Mana Pia a 85, 25, 145 e 265000. ditos
sem barra a 65000 : na ra da Imperalriz, !"ja da
Arara n. 56, de Alendes Guimaraes.
11mi *gmvm i. *.;susrrasrssra
Vende-so alpacas de lindas cures lisas para ves
tidoj de senhora a 360 rs. o covado,
nhas para vestidos de senhora a 320, 360,
na ra da Imperalriz n. 56, loja da
AO RESPEITAVEL PUBLICO.
RA DAS CINCO POMAS N. 86
squlna da nova ravcssa de *. Joo.
Desejando o pruprietario do grande armazem do Propheta dar lar
gas ao sea genio emprebendedor, commencial e especulativo, resolveu ceder a inspiraco
que o assaltou, quando as horas caladas da noite o seu solicito espirito se agitava n'um
bem servir e agradar aos generosos habitantes
desta bella provincia, de abrir mais cstq
500 rs.
Arara.
aazi- escollados gneros, quasi que especialmente destinados s pessoas que moran na fre-
400, e guezia de S. Jos, c aquelles senhores que transitan) pela via frrea, para quem em ver-
dade sao sem conta o numero das vantageijis
10200 0 1(5600, e em frascos grandes a
2*500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
cem ricas estarabas no interior das caixas
a 10200,10400, 106OOe2.
Araendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a6i0 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de mataraoa a 320 rs. a
libra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030' rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco retinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 39000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja prela e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 90 ^ rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especHlmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200 0, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a
libra.
grande eslafccleelmrnfo de novos e
que se llies offerece, nao s c< m relaco a
brevidade da condueco dos objectos com-
verdade pratica to acecita e abracada como as
velhos patriarchas desses tcnipos idos, si o Se-
cadaum.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Ti julos de (impar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 60 (
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, Pedro, D. Luiz I. Hara Pa,
Bocaje Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
A.calchas da Arara de 20. j *odu-Ulade dos fretes, como da facilidade
Vendem-se colchas de damasco para cama a 45, | prados.
Cevadinha de Franca muito superior a 220 ?r deRchit a ** na da I*peri nu- O sonho do Propheta sera urna
mero 56. palavras simples e bem intencionadas dos
A Arara vende cortes de caifas a 10600. nhor Deus dos exercitos nao o quizer coi trariar.
nuJ h C0Tles de ~;tdc KSJ!1*60 e 2f' O Propheta nao querendo restt ingir-se a forma ordinaria de negociar resolveu
ditos de casemira a 3S500 e 45o00: na ra da .' ,-. ,.
Imperalriz n.56, lojadaArara. tambem, depois de profunda meditacao, de nao vender smente os stus gneros a di-
Laazinhas da Arara a 210 rs. i nbeiro correte ; mas tambem de por era pratica a troca delles por outros da producto
Vendem-se laazinhas para vestidos a 320, 360, do paiz 00 por escravos, bois. cavallos, etc. Assim, pois, lique na inielligcncia de todos,
40O,5O0rs., das lisas de todas as cores a 600,' que o pbopheta receber como moeda de|qualquer dos senhores agricultores, ssucar,
ditas a. Mara p.a a 640 rs. o covado : na ra da a|gotlao, agurdenle, milho, feijo, cavaUes* escravos, etc., etc. e Ibes dar o mesmo valor
tiSi*&J^m*m de ronp, ^neros, escolhidos a contento.
.". Quando a importancia dos gneros apartados for menor.do que a dos objectos re-
Vendem-se roupas fe'ii's a saber: calcas de cbidos por troca, o rropheta nao demorar a differenen que deve dar em dinheiro.
Um estabeli'cimento que com tantos sacrificios e desptzas acaba de ser aberto
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
; deve inspirar a todos a certeza de que se
rir crdito e freguezia.
roupas feilas
dem em garrames de 3 e 5 galoes a 50500 SLS*!* 2e.2^00, &r!2S2 eJ'
p 7/TiOO nada nm rr.m n e J0OUU (aua um com o garraiao. ies de cores de brim a 15600 e 25, dilos brancos
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia. a 25500,de casemira alije 4$, calcas de casemi-
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. ja a s&- 6 e 75000, paietots de casemira a 5000, Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
dem, quaiidade especial em garrafas muito {Mi'S.i'Ke dcresa?*, ff.&amV1
rrandos a 1A8fl a o-jrraf? 12*000, paelets de alpaka preU a 3* e 3*o00, di-
grandes, a l8UO a garrara. los de alpaka de cordao e alpaka branca a 4*500,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. ditos de brim de linho brancos finos a 5*000, ?e-
Idem, em garrafa forma de pera e roldas de roulas a 1*280, ditas francezas a 1*600 e 2*000,
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di- ;as" tezas a u e i&**> glezas a 3*000 : e oulras muitas roupas feilas que
se torna enfadonho mencionar, que vista do com-
prador ^e dir o prego, por isso roga-se aos com-
pradores o favor de vir ver na bem conhecida loja
da Arara, ra da Imperalriz n. 56, de Lourengo
Pereira Mondes GuimariSes. ., 0 ,.1
A Arara vende as percalas a 500 e 500 rs. Alpiste a 100 rs. a libra e a 40500 a arroba
Vende-se percalas de cores finas para vestidos Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa,
a 500 e 560 rs. o covado. Azeite de Lisboa a 010 rs. a garrafa e 408OC|
A Arara vende tiras bordadas para enfeitar vesti-; a caada.
dos brancos. Azeite doce emboioes com 9 garrafas a 505001
vender muito barato com o tim de se adqui-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 i rs. a lata.
| Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700 800 rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs. Wem regular a 500 rs.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80
100 e 120 rs. a libra, e a arroba a 108OC
20500 e 20800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixas francezas a 10200, 10400 e 10600
em latas, frascos e lindas caichinhas muit >
proprias para memosear alguem,
Amendoas confeitadas em francos de vidrp
botija.
10000 o
Vende-se tiras bordadas para enfeitar vestidos
brancos a lf"
ca lina a 400
1*200 e 1*400 a peca, musselina bran- _-Ua_.- _._ ,' n nnrn,n
de 500 rs o covado : na ra da Ira- Azeitonas por todo O prego.
a duzia.
dem Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs.
102OOrs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porc^ao de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcoes como
retalho-
Quem comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
Macas finas para sopa: estrellinha, pevide,
' rodinha e aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinhacom 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
a garrafa e Peixt em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maco,
dem de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixao a 640 rs.
Palitos do gaz a 20200 a groza.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
LIGA.
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
DE
\OVOS F ESCOLHIDOS GNEROS
TAMO EM GROSSO COMO A RETALHO
60 -KUl MOTA OO
Ultima casa junto a ponte da Boa vista.
DUAS PALAVRAS.
Ccsse tudo quanto a amiga musa canta
c Que outro valor mais alto se alevanta.t
Acha-se a disposico do respeitavel publico este grande e magni6co estabeleci-
mento de molhados, talvez o primeiro e nico hoje existente em sua especialidade, por-
que o maior capricho de mos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci-
mento modelo promoveram a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por seren comprados em grande quantidade e pagos quasi lodos a dinheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
dignarem de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos precos quasi do pri-
meiro custoo nosso magnifico sorlimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharo
era nosso armazem os melhores e mais esquisilos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e aquelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
sario, promettemos-lnes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com to boa vontade, como a moeda de ouro do
homem rico.
As pessoas que nos fizerera a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltaro satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos
objectos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO ECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e lorescente imperio um grande partido poltico com a
denominacSo de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ninguem.
O neme urna voz com que se dao a conhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicacao que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quera nao seguir o partido desse systema diremos mais:
Nao orhralo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
mui tas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
lem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que tan-
to sorprehedeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-
amente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenliar, e col-
locando-o no oito do nosso estabelecimento, temos assim feilo distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
Honnl sol qul mal y-pense.__________________________^^_
MACHINAS DEPATENT
de trabalhar mo para
descarocar aBgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAH
Estas machinas
podem descarocar
.qualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode
descarocar urna
arroba de algo-
dao em carolo
era 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
peratriz n. 56, loja da Arara.
Ao baraleiro da Arara a 20oOO.
Vndese baloes americanos de lo, 20, 2o e30
arcos a 25500, 3,8, 3o00 e 4,8000.
e S^JSA'SSeSTSl SfeS*: *lacmDba8 americanas era barricas
na ra da Imperatriz, armazem da Arara, n. 06. libras a 2000(1.
A Arara vende madapolao entestado a 10. ; Banha de porco da melhor quaiidade a
Vende-se pecas de madapolao enfesiado rom do-! rs. a libra.
Zme"'ias a Sf00, pe?as,ne 2Ki? ^J&fttnS! Ratatasem gigos e caixas por todo o prero.
marcas sepmntes : n. 30 a 6,8000, d. 2o0 a 65500 ,. r.___., lns, AA *0 ,nnA f.
e 7&, n. 2 85, n. 5 85500, &*9&, n. PF a 105500, ^f moido a 1001 00 ou 80000 a arroba,
n. ZZZ a 125, R a 115000 a pega, algodao a pega. Caf superior a 70500, 80000 e 80500 a
de 20 jardas a 55 e 65000, dito carne de vacca a
65300, dito domestico a 75, dito slcupira a 85, dito
dem em botija a lO e 400 rs. a
Graixaem laLsa 10200 a duzia.
Limonadas de diversas (rucias a
frasco.
Licores inglezes e francezes a 10000,10500
e 20 a garrafa. .
Lingoas americanas ff 800 rs. cada urna.
Linguicas promptas em latas a 10200 a lata.
Manteiga ingleza Destc genero o que ha de
melhor a 800 rs. a librae em barril a 70o
rs.
jdem mais baixaa040e 720 rs. a libra.
Manteiga fi anceza a 520 rs. a libra, em barril
a 0 40 rs a libra em retalho.
Massade tomates a 040 rs. a libra.
Marmelada muito nova a 640 rs. a libra.
I Molhos inglezes a 400 e 040 rs. a garialinha.
Biscoitos inglezes de diversas marcas a 103OO Mostarda preparada a 400 e 040 rs. o frasco.
com o hoiao.
a lata.
Bolachinhas de soda, oval e lunch a 20000
a lata com 5 libras
20
300
pao ferro a 95 a pega : na ra da Imperatriz, loja
da Arara n. 56.
(tramante de linbo a 20o' 0 a vara.
Vende-se bramante de linho a 25500 a vara, pan-
no de liuho para le&ges a 640 rs. a vara : na ra
da Imperatriz loja da Arara n. 56.
A Arara vende casemiras linas a 50.
Vpndi-m-se corles de casemiras para calcas a 55
55500, 65 e 75000 o corto : na ra da Imperatriz,
luja da Arara n. 56.
A Arara reeebeu um completo sorlimento de capas
e soulhembarqucs
arroba.
Cha nesto genero temos o que h de melho-
assim como tambem temos baixo pelos pre-
cos seguintes: I04t 0, 10600, 10800.
20400, 20000. 20800 e 30000 o fino.
Charutos de todas as melbores e peores mar-
cas do mercado a 80(>, 10000,10000, 20,
20800,30000, 40000,50000, 50500e 60
o cento.
Chouricas as mais novas do mercado a 120
o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a
ellas que pechincha.
que vende baralissimo, a saber : southembarque Chocolate magnifico a 10000 e 10200 a libra,
de alpaca branca enfeitados muito de (rosto a 125, fprvpT marca a mair jditos de laazinhas decores a 85, 105 e 125000, arveja maita a mais dtredilada que teu
1 capas de grosdenaple preto a 205, 255, 305 e 355
Isoutembarques pretos de grosdenaple
. 255
e 305OOO : s na loja e armazem^a Arara, ra
da Imperatriz n. 06.
Casemiras para capas a 30 o covado.
Vendem-se casemiras lisas proprias para capas
de senhoras a 35 o covado, laazinhas lisas para o
vindo a 500 rs. a garrafa, e meia garrafas
por 320 rs. branca e preta.
Conservas inglezas a800rs. o frasco fazenda
chique,
dem francezas a 600 rs. o frasco.
Cevadinha de Franca a 240 rs. a libra.
mesmo lim a 600 rs. o covado : na ruada Impera-! Champagne da melhor marca que aqui tem
tria n. 56. vintl0 a 20 c 24;
A Arara vende lencos de seda a 10 c S00.
Vndese lengos de seda de urna s cor a 800
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis deslas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
Saunilei's Brothers & G.
X. II, pra^a do (orno Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Vende-se um comometro martimo inglez do
melhor fabricante Charly Frodshan, affiangando o
seu regulamento, por diminuto prego : a tratar
na ra Nova n. 21, loja de Francisco Jos Ger-:
mano "*** '"' j Vende-se superior vinho do Porto em canas de
. urna duzia : era casa de Johoston Pater & C, ra
' do \igirio n. 3.
Avnocit
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da .melhor quaiidade al
120 a lata : nos armazens da ra do Im-j
Queijos de Minas
Vende-se na ra Nova n. 61, defronte da Illrav
perador o. 10 e ra do Trapiche Novo n. *g' cmara municipal.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado us. 49 e 55 loja do Barateiro
conhecido j como tal, esl dispondo da fazenda
por lodo o prego para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o seguinte :
Baralhos de cartas para voltarele muito
nasa............................ 200
Miadas de linha froxa para bordar a___ 20
Pares de sapatos de tranga de todos os
lamanhos e finos a................... 15500
Massos de superior grampos para cabellos 30
Duzias de palitos de gaz superiores a. .. 200
Libras de ara preta muito superior a... 100
Frascos de superior macag oleo a .... 100
Dilos de dito perola a____............. 200
Dilos de oleo de babosa mnito linos a 320
-?,.............................. 500
unos de agua de colonia superior, garan-
tida............................. 400
Ditos le banha muito fina a............ 640
Ditos de cheiros muito finos para o prero
. *Ti*...........................*. 600
Jabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
*6. e............................ 400
Novellos de linha cora 400 jardas a...... 80
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a............................. 60
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a............................. 30
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a....................... 240
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a 200
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a res.............................. 400
Varas de bicos francezes, superiores a... 40
Opiata para dentes da melhor que ha a.. 15000
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a............................ J5000
Pegas de tranga preta liza muito fina a.. 60
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a 200
Varas de fila preta com colxetes a...... 40
Libras de laa sortida de lodas as cores a 65500
Bonecos de choro muito bonitos a...... 160
Caixas de ohreias de ma ssamoto novas a 40
Varas de franja .branca e deires para
toalhas a......................... 80
Frascos de oleo Philocomeseupenor a... 600
Ditos com superior lima a320 e......... 500
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a 800
En fiadores para espartilho a........... 60
Duzias de botes encarnados para vesti-
dos a............................... 800
rs., dilos finos de cor a 15, colarinhos baratos a
600 rs. a duzia : s na loja da Arara, ra da Im-
peratriz n. 56.
Ao baraleiro do bairro da Uoa-Visla.
Vendem-se chilas escuras e claras de cores fixas
a 240 e 280 rs. o covado, chilas rancezas finas a
320, 360, 400 e 500 rs. o covado, porm assegu-
ram-se as qualidades e cores : e muitas oulras fa-
zendas que se vende barato, isto smente vista
dos freguezes. Assim cheguem frecuezes, porque
s se vnde assim barato porque est a festa na
pona, e a loja da Arara da ra da Imperalriz n.
56, pode bem servir aos freguezes do bom e ba-
rato.
o gigo.
Cognak inglez e francez a 800 rs. e 1;>000 a
garrafa.
Ceblas por todo prego.
Copos lapidados que sempre se venderam e
Massas para sopa macar rao, lalhiiim o aletria
a 40 rs. a libra,
dem finas em caixinhas a 3?j(00 a caixinha.
Marrasquino de Zara vcrtladeiro a 10500 o
frasco.
ttdem mais baixo a 800 rs. e 10000 o frasco.
(Vlilho em saccascom 20cuiasa 305CO.
rezunlo inglez para fiambre vindo no ultimo
vapor a 800 rs. a libra,
em mais antgo a 040 rs. a libia,
em do Porto a 040 rs. e sendo inteiro a
500 rs. a libra.
Passas novas a 400 rs. a libra.
Plvo a ICO rs. a libra.
P lineo a 160 rs. a libra.
Pomada a 240 rs. a duzia.
P menta do reino a 320 rs. a libra.
P;ixe em latas a 10OCO a lata, savel, cor^
vina, pargo c outros.
Phpel de peso a 20000 a resma.
Ii em dem muito fino a 40000 c 30500.
fiem marfim a i5< 0.
dem almasso a 3,5000, 30500 e 40000.
Iiem para embrolho a 1>()0 a resma.
Pililos para dentes macos com 20 macinhos
a 80, 120 c2O rs. o mago.
Pililos do }az a 20000 a groza.
Qbeijos flamengos do ultimo vapor a 20600.
b em londrino a 900 rs. a libra.
I( em prato a (540 is. a libra.
Rap Meurona 10000 a libra.
Sig e sevadinha a 240 e 280 rs. a libra,
Sirdinbas de Nantes a 640, 560 e 360 rs. a
lata.
Siblo massa a 120, 180, 200 e 240 rs. a
libra, e em caixoes por menos.
se vendem em muitas parles a 80 e 100,! S il refinado a 600 rs. o vazo (pote de vidro.)
p o o <5 o 99 sb > >-n k eo ^ h
3 B. m a
a o g S g<
fD-
2-&B
o 3 K
K o t
9
IS-8 5-S g-g-o-a
o

CD
ai
3S
B
a.- 2.
O
ca s
., a B O. a
es

wCf3
a ~>
a ES
CD = CO
O. 1 a, Zl c/3 j
oa3 3si
-i 'a
2.CD S-S 9
" c?S -a S
c^33g M="
a B
? 3 e: y =
5. o
vi
m
2
o.
" q. o
Q.CB M
es
T O (O
Rae
o

-3
o ocra
9 i.
BS CO "
a g 3
" s;
O =Q'
ji wo
S 2.
v
TS
-

B
B
o
ra
a
i*
CKJ
a>
re
3
8
>
e
9

c
vendemos a 505(O e 60000 a duzia.
Copos para vinho a 3000o a duzia.
Doces de calda viudos de Lisboa neste ultimo
vapora OiO rs. a lata das melhores fiuc-
tas da Europa,
dem da goiaba e da casca o melhor que
possivel por diversos precos, e conforme
o tamanho dos caixoes.
Ervilhas em latas a 640 rs. a lata,
dem seccas a 200 rs. a libra.
Espermacete americano a 10200 a libra,
dem francez a 560 rs. o masso com 6 velas.
Figos de comadre em caixinhas muito lindas;
T)ucinho de Lisboa, de Santos e americano
a 160, 240 e 320 rs. a libra e em arroba
a 5, 7, e 90000.
Tjjolos para limpar facas a 160 rs. cada um.
Vnho do Porto em ancoras com 70 garrafas
a 30;>000.
Vinhos de Lisboa c Figueira qualidades mag-
nificas a 30000, 30500 e 40000 a caada.
Vi iho do Porto em pipa a 5 e 6^000 a caada.
Vinho branco de Lisboa e Porto em ancoras,
larris e pipas a 40000 e 50000 a caada.
Vinagre de Lisboa a 10600 e 20000 a cana-
a.
a 800 rs. a caixa.
Farinha de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
Fumo do Para a 10800 a lata prande.
Fumo americano a 10400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros
rs. o maco.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a 3;>500
Genebra de laranja 10 o frasco,
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.
Farinha de mandioca.
a 55000 o sacco.
A melhor que existe no mercado, bordo do pa-1
tacho Ulysses, defronte do trapiche do barao do Li-
vramento pelo baralo prego cima mencionado,
sendo sem o sacco, e em porcaose far alguma
dilferenca; pa ra da Madre de Dos n. 5 e 9.
Roa da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro oado libra a 110 rs., idemdeLon
Moor libra a 120 rs. ________________
Vende-se uma mnlatinha recolhida de idade
16 annos, bem educada, nma negra para lodo o
servico, de idade 38 annos, por 5505, nm escravo
para todo o servico, de idade 35 annos, por 7005 :
na travessa do Ca'rmo n. t.______^^_______
Hia ni niel leil i rom pipes.
Vendem-se canos de ferro esmaltados, muilo
bons para encanamenlo d'agua : no armazem de
Prente Vianna & C, ra da Cadea n. 57 ; e pa-
ra informacoes e collocacao, os pretendentes po-
dem eniender-se cora o Sr. Schemerdine, no Mon-
dego.
Vinagre em garrafoes por 10000 com o gar-
ra fo.
Vinagre em ancoras para I ?>CC0 com a ancora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 rs. cada uma,
200. Vinho deRordeaux neste genero temos grande
plorcao e das qualidades melhores que lem
vindo ao nosso mercado em garrafas, em
ancoras, em barris e quartolas o qual ven-
demos por procos muito baixos.
BALIZA
DECLARACA.
O BALIZA declara pelo prezente que
dcixa de publicar os precos pelos quaes ven-
de as suas mercadorias por motivos qne ao
respeitavel publico pouco intereca. Serve
provisoriamente de baze os precos do Pro-
pheta.
oruem do da,
O BALIZA concede plena liberdade aos
seus amaveis collegas Clarins, Unies, mitra-
dos e croados, para que possam saltar, her-
rar e tudo mais quanto ibes aprouver, at
a sua segunda ordem.
1


Diarla *e reraarntouee ... *afebado 1 de Xovembre ? !

NOVA REFORMA.
ALBORA BRILIhME.
N. 84. Largo da Santa Cruz. N. 84.
Francisco Jos Fornandes Pires, tem a honra de avisar a sqa numerosa fregueila
e eom especialidade aos moradores do bairro da Boa-Vista e seus arrebaldes, que fez
nova reforma em seu asseiado estabeleclmento de raolliados denomioado Aurora Brilhan-
te, ao largo da Santa Cruz, e eom esta reforma suprio de novo o sea armazem de bous
gneros, sendo muitos dalles mandados vir de sua propria conta, para melhor servir
aquelles que se dignarem comprar ou mandar comprar em seu estabelecimenlo.
-No armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respeitavel publico um
lindo e novo sortimeoto dos melhores gneros que tem vindo ao nosso mercado, e sem-
pre por presos muito razoaveis, como se v da segu nte tabella que ser mudada se-
manalmente.
A Aurora Brilhante recebe as libras sterlinas por 95, sendo para compra, e faz j
por cento do abalimeoto a quem comprar de 100J para cima.
0
NEM COROAS NEM MITRAS

GRANDE ARMAZEM
ESPLENDIDO AMAZEM DE MOLHADOS
ALIANCA
f
Silva & Souza
57 RA DO IMPERADOR
Grandes reformas de peores
57
ment.
' armazem.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
ir*
Presuntos de fiambre muito nov, a libra a
800 rs.
Ditos para panella, a 560 rs.
Queijos londrinos muito superiores, a libra
a i 000.
Ditos do reino vindo neste vapor a 2,5600.
Ditos do vapor passado a2e 2J.400.
Queijos de qualha novos, a libra a 560.
Frascos grandes cora aimixas a 3J000,
Latas com t|2 libras a 13200
Ditas cora 3 e 6 libras a 23500 e 43.
Chocolate francezrauito superior, a libra a
13120
Cha fino de primeira qualidade, a libra
23700.
Dito uxim a 23700,
Dito hysson a 23700 e 23800.
Dito perola a 23800. .
Dito em caixinhas de 1 e 2 libras a 23600.
Dito preto a 2g e 23500.
Manteiga ingleza flor a 13200.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita em barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Latas eom 2 libras do banha refinada, a libra
a 400 rs.
Manteiga francesa nova, a libraa 640.
Dila cm barris e meios ditos, a libra a 600.
Toucinho de Lisboa a 93500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Latas eom bolachinha de soda de 5 libras a
25000.
Ditas eom biscoitos e bolachinhas sortidas
a 13500.
Ditas inglezas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranhao, a arroba a 23400 e a li
bra a 80 e 100 rs.
Dito da India a arroba 23800 e a libraa 100
e 120 rs.
Caf mnio superior de primeira qualidade
a 83500, 93 e 93500 a arroba.
Dito em libra a 280, 320 e 360 rs.
Vinhos cm caixa de 12 garrafas, o melbor
possivel a 183 e 203-
Dlto mais baixo a 103,123 e 143-
Dito Figueira. o mais superior possivel, a
caada a 43500 e a garrafa a 640 rs.
Dito mais baixo a 43 a caada e a 560 rs. a
garrafa.
Dito de Lisboa, boa marca, a 400 e 500 rs.
a garrafa.
Dito Brdeos a 640 rs. a garrafa.
Dito em caixa, das mellioros marcas, a 73 o
83000.
Serveja, marca tenenle, em botijas a 7 e 83
a duzia.
Dita de rentes marcas a 500 rs. a garra
fa o. 53800 a duzia.
Geuebra de laranja verdadeira a 13 e 13200
o frasco.
Dita de Ilullanda em frascos grandes a 13 e
pepupnos a 40 rs.
Dita verdadeira de Hollanda, a botija a 480
Licores linos de varias qualidades a 800, 13
e 13500.
Caixas de vinho moscatel a 103, e a garrafa
a 15000.
Ditas eom azeite refinado a 103 e a garrafa
a 13000.
Conservas inglezas e francezas de pepinos,
sebolas, azeitonas e mixide a 600, 700 e
800 rs. o frasco grande.
Charutos finos do autor Jos Furtado de Ci-
mas, ha por muitos precos.
Ditos de outros autorss a 15500. 25 c 25500.
Gigos de batatas novas eom 1 arroba a 13.
Passas novas, a libra a 500 rs.
Figos novos a 320 rs.
Latas de ervilhase favas portuguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas cora ostras, excellente petisce.a 6*0 rs.
Latas de peixe ensopado em postas, de mu i las
qualidades, a 13.
Potes de vidro cora sal refinado a 500 e 640
ris.
Marrasquino da melhor qaalidode, a 83 e
125 a duzia.
Garrafas de dito a 80o c 15200.
Amendoasconfeitadas a libra a 800 rs.
Dita eom casca a libra a 320 rs.
Nozes, a libra 160 rs
amco, aloisia, a arroba 43 e libra a 160 rs.
Grao de bico, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Vinho de caj preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 15000,15200 e
15600.
Champagne boa a dnzla 205,e a garrafa a 25
Garrafoes eom genebra hamourgueza a 65-
Vinho branco Xerez a garrafa a 15-
Dito Joao de Brito, puro, a garrafa a 640 rs.
Oito adocicado a 560 rs.
Dito do Porto, fino, a garrafa a 800 e 15
Xarope de grozeis e outras fruclas a 640 rs.
Massas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dila estrelinha, pevide e rodinhas a 640 rs.
Caixiulia eom 8 libras de dita a 35500.
Sebolas soltas grandes, o cento a 15-
Ditas grandes em resteas a 15280.
Duzias de cartas francezas finas a 25-500, 35
e 35500.
Duzias de latas de graxa nova a 900 rs.
Bunhoes de dita a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do serlo a libra a 320 rs.
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes eom farinha a 53
Ditos eom milhoo 35500.
Ervilbas seccas libra a 160 rs.
Lcntilhas para sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha de Franca a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Aramia verdadeira a libra 480 rs.
Gorama de engommar a arroba a 45 e era
libra a 160 rs.
Sabao espanhol a libra a 400 rs.
Latas cora o verdadeiro gaz liquido eom 27
garrafaa a 123.
Garrafas cora dito aSOOrs.
Saceos grandes eom feijao mulatinho eom 24
cuias por 95.
Copos e calix iapidados para vinho c agua.
Latas muito bem enfeitadas eom figos novos
a 23, 23500 c 33-
Assucar refinado eom ovos muito alvo a ar-
roba a 63500 e a libra a 200 rs.
Papel pautado liso de peso branco e azul, a
resma a 25500 e 45500.
Vinbo Madi'ira-secco, a 15600.
Genio de esleirs de tranca a 205-
Barris cora azitonas novas a 15280.
Dnas bataneas grandes de Bomo eom os
pesos de 21 arrobas, e alguns bracos pe-
queos do mesmo autor.
AO Pl lilil O,

libra e 4$500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e entras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annnn-
20800 a caada. i cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tamben
dem do Porto estamos certos nenhuma alinelo j merecem do publico. O nosso fim, pois, simples-
generosos engarrafado dos melhores fabri- mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos pre-
cantes da cidade do Porto a l^le 10200 eos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attenco.
RIJA DO IMPERADOR *. 40
J y rito ao sobrado em qoe mura o Sr. (Mame,
Duar e AI me ida t& ., receberam de sua propria encommen-
ta o mala lindo e variado sortlmento de mol hados, proprios 5 a O por cento menos odrec que sepuaau pao d tra nal-
Pre*ente etacao. quer parte.
Manteiga ingleza Ma^aS brancas Gneros especialmente escomidos por ura dos socios trae na Europa se acha
da safra nova vmda no ultimo vapor a 1 ,ooo; para sopa a melhor que se pode desejar, para esse Om. v
rs. a libra eem barril a 8oo rs. macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a grande a vanlagem para todas as pessoas que comprarem neste estanrla
Maatelga franeeza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro eom 3 libras liquido a
2#4UO, muito propios para mimos,
Cartoes
eom bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
eom bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as qualidades a 15000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos ve I nos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2#6oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
Caixas eom frascos de mostarda franeeza a Urna grande ijuantidade de caixoes vasios de
4 a duzia, e 360 rs. o frasco, todos os tamanhos de 120 a 500 cada um.
K MUITOS OUTROS GNEROS QUE TORNARA EN'FADONHO MENCINALOS.
TUDO DE PRIMEIRA QUALIDADE.
f ~u^s '"5S5 ^ggB "-g
SORTIMENTO PARA A FESTA
rw
wm
SERVATO
23-Largo do Terr;o~23.
Joaquira Simao dos Santos, dono deste armazem de melhados avisa aos amigos do bom e ba-
rato que se venham sorlir dos bons gneros este estabeleciraento que nao se arrependerao, se lhe
tora a differenca de 10 a 20 por cento, pelo sea prorapto pagamento ; e por Isso se faz annnncio de
alguns gneros, que tendo sempre este estabeleciraento um grande e vantaioso sortiraento de tudo
quanto pertenceute a este estabelecimenlo.
Sentido! Yon fallar eom o Conservativo !!
Queijos mais novos do mercado a 24500 e 28O0.
Serveja das melhores marcas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 5800.
Sabo amarillo massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Baha dos melhores fabricantes de
14200, 24000, 24500 e 34 a caixa.
Mil ho al pista e painco a 160 e 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a dia.
dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprio para missa a 500 rs. a dita,
dem do Porto engarrafado a 800 e 14, tomando
mais de urna caada de qualquer um destes ter
grande abatiraento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
Biscoitos e bolachas de soda a 14400 e 24.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Olaada em frascos e botijas e de la-
_ ranja de 480 a 640 e 14200.
''houricas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas cora 1 e meia libra de ameixas a 14200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 34 o
galo.
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para miraos a 900 e 1,3200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer ni5o pode vender por menos de
30 a 2^600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que *tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas .amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480rs. alibra.
COGAC
o muito afamado cognac Pal Brandy .-1,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qpalida-
desa l.ooo e 8oo rs. a garrafa. S
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, grave, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
;de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
j azul e pardo para embrulho de 1,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
Manteiga ingleza de i" e 2' sorte a 800, 900 e 14
a libra.
dem franeeza em barril a 600 e 640 ris a li-
bra.
Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 84800 a ar-
roba.
Batatas em caixas e gigos 14200 e 24000 a ar-
roba.
Caf de primeira e segunda sorte a 250, 280 e 300
r. a libra.
Arroz da India, Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a
libra.
Phosphros do gaz a 24 a groza e 180 rs. o maco.
Passas novas a 480 rs. a libra.
Velas de carnauba Aracatv composico a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs. a libra.
ML'irmellada dos melhores fabricantes de Lisboa de
1 a 2 libras a 640 rs. a libra.
Cha hysson o melhor deste genero a 24800 a li-
bra.
dem perola miudinho a 24500, 24000 e 34000 a
libra.
Banha ingleza alva e superior a 480 rs. a libra.
mu\
oiiffADi m mercado atts
Vinho tinto sem confeico
30,000 EM ANCORETAS DE CAADAS 30 OOO
nico deposito em Pemamliuco roa da (adeia n. 1.
Esta n'iva qualidade de vinho receida directamente de diversos lavradores de
Torres Novas (provincia da Estremadure) como attestam os bilhetes do caminho de fer-
ro que trazem os cascos, provando sua origem e procedencia, recomraenda-s a todas as
pessoas que queiram ter a certeza de beber vinho puro de uva como o que se bebe nes-
sas trras aonde nao panetrou ainda o espirito de falsificadio. E' preciso que o publico
se convenc de que os vinhos que aqui se importam nao vindo directamente do lavrador
hegam pela maior parle ou quasi tod *s sobrecarregados de preparos nocivos saude
causando bem graves transtornos no apparelho digestivo
O annunciante offerece a analyso dos professionaes esta nova qualidade de vinho
que pxpe a venda, e d um premio de 1 .0000 a quem descubrir no mesmo al?um cor-
po estranho a nalureza da uva de que feito.
^'j8' jara evilar a fe,sfcav'ita. o annunciante declara que o nico propietario
e importador deste vinho o qual vende somenie no seu armazem da ra da Cadeia do
Rcoe n. i.
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1 ,ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 o cento na ra do Quei-:
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
muite novo a 30400 a arroba e 140 rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEIJO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do
Queimadon. 7, ra do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. 4 M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
eom 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* A bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de l.*e 2. sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafoes
eom 4 y* garrafas eom vinagre a 10000 coa
ogarraflo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOT
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 coa
12 frascos.
.GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
Anos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
eom urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba era caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas miilo novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
Iportuguez o mais especial que se pode de-
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Cartazo vende-se nicamente neste armazem
a 6oo rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora eom 7o garrafas.
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba e 140 rs. a libra na ra do Qoei-
mado n. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
em latas de defferentes qualidades a 10200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS
chegados neste ultimo vapor a 20800 na roa
do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
40 e largo do Carmo n. 9.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan) os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Prineipal rna do imperador n. 40
FRIJCTAS
. macaa, pera e uvas
chegadas neste ultimo vapor, vende-se na ra do Imperador n. 40, Verdadeiro Princi-
Agua Florida.
Para resUbelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna limara, cto essen-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias inoTeasivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'uina salubridade incontesta-
vel, a Agua Florida entretem a liropea da cabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida
Composto de substancias vegotaes exticas, elle
conslite poderosamente, eom a Agua Florida, a
forca, a bell.za e a conservacao dos cabellos.
Em Pars, casa de Quislaur n. 12, ra de Riche-
lieu, e 21, boulevard Montmartre.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, o
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposite, ra do Imperador, pbarmacia n. 38.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gostos para meninas
trazerem no braco : s se escontra na loia do Bei-
ja-Flor, ra do Oueimado n. 63 e 69.
Extratos e sabfto
xinhas
em eai-
Lindas caixinhas cora ura cartao eom a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bao o mais fino que passivel: na loia do Beija-
Flor ra do Queimado n. 63 e 69.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova ane
ha no mercado tanto em porcao como a retalho
por barato prego afiancando-se aos compradores a'
superior qualidade : a tratar as seguintes ras
Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forte do Matto ar-
mazem do Sr. Villa defronte do trapicho do al-
godao.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra,
dem de csea mole a4o o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas eom lindas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 V libra a I,loo rs.
Arroz do Maranhao e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa reflnado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe l,>oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 c 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a too rs. a libra e
em barril a .'8o rs.
Batatas a 2,ooo rs. a caixa.
Champagne das melhores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a2,7oors;.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra.
dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e56o rs. agarrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a 1,000,
l,2oo el,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da Baha como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
delicias e suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo 5,ooo
e 5,5oo rs. a duzia, e JSoo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs,
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e ginja a 9oo rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e l.loo rs. a
duzia.
Gomma muito alva c nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras eom 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada orna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. eom o garrafSo.
Iiem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
eom rolha de vidro qualidade superior a
l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o
frasco e H,ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
Lentilhas muito notas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
l.ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ver
rificar eom a vista,
dem franeeza a 64o rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Lisboa
a 7oo rs. a libra, ha latas de 1, 1 1/2 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. a libra.
Macarrao. talharim e aletria a 4oo rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franeeza preparada a 4oo?rs. o
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas eom rolhas dd
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
a garrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a 8oo rs. a libra.
Passas novas de carnada a 64o rs. a libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide e rodinha
etc. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o rs". a libra.
Peixe em l3tas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades: savel, corvina, goras
eavallinhas, e pescada a l.oon a lata.
Palitos para denles lidiados.a 14o rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo rs.
a groza.
Painco muito novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ultimo vapor, a&aoo
rs.
dem londrino muito fresco a 800 rs. a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. alibra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um."
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
l,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes eom 5 garrafas a 1 .ooo
rs.
Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 56o rs
a libra.
dem de carnauba refinada e de composico
a 44o rs. a libra, e de 15,ooo a H,ooors,
a arroba.
Vinho em pipa, Pono, Lisboa e Figueira
das marcas menos conhecidas a 4oo rs
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira especialmente escomido neste
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras eom 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
composico a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo
rs. a caada.
dem de Lisboa branco uva pura a 56o rs a
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs, a garrafa
dem engarrafados generosos Lagrimas do"
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D
Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
Genuino, Particular a 9oo e l,2oo rs. a gar-
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa eom urna du-
zia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra-
fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
Juhen, St.Esteph,chaieau la Rose,chata
Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
a6o rs. a garrafa.
CERVEJA EM ABCBll
a SOO rs. o copo
Queljo de ninas chegado ao vapor
dem prato multo fresco
dem snlsso superior
dem loudrino superior.
-
57 ua do Imperador 57
a


Pll.l LA* VEGETA*:
DO
DR.AYER.
Nao ha necessidade mais ge-
ral em todos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
mesmo lempo innocente, eflicaz
e digno de toda a confianga.
As pi lulas que ora offercce-
mos ao publico preenchem estes
jcondicoes ; pois pdem ser to-
nadas pelas pessoas mais fracas
sem perigo algum, nao tendo em
sua composicao mercurio nem
oulro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegetaes mui fortes, sao bastante
eflicientes e activas para puriQcar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas exploram e purificam toda
a extensao do canal alimenticio, e do vigor
a todasjis partes do organismo, corrigiudo
sua acco viciada c fazendo recuperar sua
vitalidade
Um remedio inestimavel contra dar de
cabeca nervosa, enxagueca, pristo do ven-
tre, hemorrhoidas, molestias do figado, fe-
bre gastro-hepatica, c todas as molestias
biliosas que teem sua origem no entorpeci-
mento do ligado que causa a escassez da
bilis na nflammacae d'este orgio que pro-
duz derramamento da bilis no estomago ou
em um desarranjo geral dos orgaos diges-
tivos.
A Ictericia
produzida pela absorpcao da bilis no
sangue, dando 9 pelle e aos olhos urna cor
amarellenta ; nao smente dolorosa por
si, porm conduz aos mai's serios soffrime-n
tos.
Para cura-la toma-se de 1 a pilulas to-
das as manhaas, isto 6 bastante para mover
o ventre smenie al que se recupere a ac-
ojo saa do systema.
Mal do figado, febre gastro-hepatica,
diarrhea biliosa, indigesto, a nevralgia
ou tic douleureux, sao todas molestias que
tem seu comeco n'um desarranjo da bilis.
A observarao dos ductos da bilis faz esta
volver ao sangue, com que circula d-pois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel le males.
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direccoes minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 ilu i Dlreita 15
RIO IMirf IVIiIKO.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
ttatto ie rcruakae -. Sabbado 19 t *OTembro de 1S4.
.

AO PUBLICO
em o menor constitu-
glmento ae entregar o
Importe do genero qae
ao agradar.
t ten cao
ii;ooo
18*000
105000
iojooo
10*000
16,5000
9*000
6*000
6*000
6*000
e pre-
O Vigilante est alert, nao Ihe era permittido
deuar passar desapercebido sera que nao dsse o
seu canto, afim de annunciar ao respeitavel publi-
o o grande sortimento de galanteras do melhor
gosto propnamente para qualquer mimo, que ca-
na de chegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua conta como de consignado qne
esta resol vido a vender por precos mui lo baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extracao
o grande deposito que tem, que espera merecer
proteecao do respeitavel publico empregando pare
isso todas e as melhores diligencias para que fl-
quern satisfeitos; isto so no Gallo Vigilante, ra do
Crespo n. 7. --
Ricas pnrta-joia?.
Cofre de multo gosto por
Cestinhas transparentes torradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres com camapbeu.
Lindas caixinbas com pedras brancas.
Lindo balao com calungas dentro, tam-
bera para joias.
Taoibalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmoraraa ditas.
L'rnazinhas.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos
eos; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sin tos
com bolcinhas aolado, a 10*, 12* e 15*, ditos sem
wlca porm do mesmo gosto, a 2*300, 3*, 3*500
Ricas fivellas avulsas para simo, o melhor qne se
pode encontrar, a 1*300, 2*, 2*300 e 3* o par;
so no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes ou cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
possivel a 2*500, 3*300, i*, 5*, 7* e 10*: s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais ieques
com pequeo defeito, Ieques de sndalo com pe-
queo dercito por barato preco de 8* e 10* chi-
nezes muito bonitos tambera, pelo barato preco de
4* o o, bentarallos muito bonitos, tambera por ba-
rato prego de 4* e 5*. Ieques de charao tambem
por 4*, tudo isto para acabar, perdendo-se tal
ATTENCftO
Os precos da segnlnte
tabella para todos, pu-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de conta
com os portadores.
ARMAZEM UNA
RA DA. CADEIA DO RECIFE 53.
(Logo passando o arco i Concffio)
Grande redneco de precos, equivalente a de* por ceno menos do que outro qualquer
annunclante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiM indica > i *
M*m a** Vnm ict n^cisn 9 tnria* 0cn0i.uT "ie'gVn&,eza a >oors. a libra, bem assim o de outros
ne" Sn,bjeCl0S'/lC-' d!?d0 CT Sl 0CaS3 a tdaf a.S. f Peluncas acabarem por bom preco manteiga )ero i eritarem Kemes Dnos *" a 1*000, 1*200 e nm
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta orande reducS
pea segumte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de mol
sejabta de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a ,,600 rs. a libra. Hoje porera, resentidos da" redujo
estao obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de nrecos p nnaUrtariPs vn Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presid, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais oue tudo anmmmirl-r, p PntPi
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certosde que sem duvida me dar5op
dosgeneros que preetsarem, e quando n5o pocam vir poderlo mandar seus portadores, ainda oue estes 2
serao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, haveado para com estes toda recommendaco afimde
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolbida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento. Gaf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba.
dem franceza a mais nova qne tem vindo ao
mercado a 5o'o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem hoxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem bysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o ,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende emoutra parte por 2,ioo
e2,6oors.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a S.Soe rs.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat-'
ment.
Para quem gosta do bom e
barato.
No estabelecimenfo de Gama & Silva, na ra da
Imperatriz n. 60, loja denominada-PAVAO-tem
urna grande porejio de varias qualidades de fazen-
oas, as quaes se vendem muito em conta para li-
quidar. A saber :
As lazlnhas do lavo.
Vendem-se lazinhas de quadriDlios transparen-
tes, La fazenda, pelo, prero de 280 rs. o covado,
ditas largas muito finas a \00 rs., ditas estampa-
das, cor segura, padres miudos e grandes a 320
rs. o covado, ditas transparentes com palmichas
de seria a 400 rs., ditas escoceza a 300 rs., isto lu-
do para liquidar : na loja e armazem do I'avo,
ra da Imperatriz n. 60.
Nao baratas a 40 e 3Sors.
Vendem-se chitas inglezas escuras e claras com
as cores seguras pelo preco de 240 rs. o covado,
ditas largas, boa fazenda a 320, 360, 400 e 300 rs.
o covado : na loja do Pavao, ra da Imperatriz d.
60, loja de Gama & Silva.
Precalas a 600 c oGO rs.
Vendem-se as mais finas precalas, padroes miu-
dlnhos. gostos deliradissimos pelo barato prego de
600 e 360 rs. o covado : na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavao.
Meias precalas, ou precalas inglezas largas a. 500.
Vendem-se meias precalas ou precalas inglezas,
padrcs miudinhos e fazenda fina e 400 rs. o co-
vado : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60
de Gama c Silva.
O ganguellm do Pavo a 32ors.
o covado.
Vendem-se ganguelim cor de rosa para roupa
de meninos, e vestidos pelo barato prico de 320
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 60, loja do
Pavao, de Gama & Silva.
Os grosdenaples do Payo.
Vendem-se grosdenaples pretos, fazenda supe-
rior a 1*600 rs. o covado, ditos largos muito en-
corpados a 2*400, 2*600, 2*800 e 3*000, ditos
brancos, cor de rosa, azul e amarello a 2*000 r.s
o covado : na loja de Gama & Silva, denominada
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
Vestidos brancos para baile.
Vendem-se os mais ricos vestidos brancos bor-
dados proprios para baile ou casamento pelo bara-
tissimo preco de 23*000 cada coi !e : na luja e ar-
mazem de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
As novas las garibaldinas a 50(1 rs.,
na loja do Pavao.
Vendem-se as mais modernas lazinhas garibal-
dinas, fazenda inteiramente nova no mercado, sen-
do todas cora listras miudinhas, e transparentes,
com lustro a imitaco das sedmhas, tendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenta
e cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
vender depressa: na loja do Pavao, ra do Impe-
rador n. 60, de Gama & Silva.
As moderoissimas iziuhas de urna s
cor, a imitaco de gorgoreo, ven-
de o p*ve.
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
modernas laazinhas de cordaozinho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem vindo, proprias para
vestidos, soutambarqnes, capa?, etc., dam-se amos-
tras deixando penhor, e vendem-se pelo baratsi-
mo prego de 560 rs. o covado : na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
Os mais moderos vestidos Diaria Pia,
na loja do Pavao, a i 6$
Vendem-se finissfmos vestidos Maria Pia com
os corpinhos differentes, tendo todos os preparos e
com o competento smto : na ra da Imperatriz n.
(50_ loto Hn |)-.i-rio.
zw por cento; so no Vigan.e, ra do Crespo garane-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e ,5oo e 6oo rs. a libra.
XAROPE
deLABELONYE
Empregadu com inrariTeI saecesso desde 30 nnnoi
"pelos Mdicos de todos os ptizes contra as molestias
orgnicas ou nko orgnicas do crac*a, as diversas hj-
dropitias e a matar parte da* molestia* do peito e dos
fcronebios {pneumonas, cstarrhnt pulmonaret, asthmat,
in/laminacSes ntrvout dos bronchioi, calarrhtiras, etc...)
O XAR9PB de LABELONYB nao se i ende senao em
arrafa* com rotulas de cor e fechadas com ama chapa
erando a firma do inventor.
Em PARS, roa Ilo.irUnn-Vlllrncuvc. 10.
Deposito geral em Pernambuce roa da
Crnz n. fi em casa de Caros & Barboza.
Sedlas
Vendem-se sebolas novas era caixa e por cento ;
no armazem da viuva Paul Lope, na escadinba.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, t,
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregacar ea-
tiello, tanto de borracha como de tartaruga comen-
reites c sem elle para menina; s no Vigilante,ra
do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missansa cores
muite lindas e de muito gosto a 1* e 1*200.'
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do yres-
Leques.
Rlquissimos Ieques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato preco
de 12* e 14*; s no Vigilante, ra do Crespo
Penles
lambem chegaram os nquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 2*.
J* e o*; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas caetas de madreperola proprias
?-an|uaLluer Psente, pelo baratissimo preco de
1*j00 e 2*.
Sapalinhos e meias de seda.
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
lejiados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e touquinhas para as cnancinnas se baptiza-
rem; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhanles, assim como crozinhas avulsas
e vollinhas, pelo barato preco de 1* e 1*200, as
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
to possivel, a 2*. 2*300 e3*;s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
t'iifees para senhora.
Riquosissim eneites cora laco e sem laco e de
outrosSmuitos gostos a 1*, 1*500 e 3* : s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Traneelins.
Lindos traneelins ae eabello para relogie ou lu-
netas, pelo baratissimo preco de 1*500, ditos de
retroz a 200 rs.
Ilahadinhns enlremeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 1*200, 1*300, 2* e 3*; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeiles; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidades, por precos que admiram aos com-
pradores, havendo litas largas proprias para cin-
teiros que se pae vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 2*; s no Vigilante, ra do Crespo
Fitas de lia.
Fitas de 15a de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrom de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelbos.
Riquissimos espelhos com moldura dourada'
sera ella de 8*, 10*, 12* e 14*, assim como com
celumnas de differentes tamanhos a 2*, 3*, 4*, o*
e 6*; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. edo vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tern
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Frvilhns e lavas portuguozas cm latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, snisso e hespanol a 9oo
l.ooo e ,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por bra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 8ooe l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
a
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do MaranhSo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4co rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e lalherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto mui lo fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, etn caada
a 3,ooA e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a G8o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
1 o,ooo rs. ea 9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
am pouco praticos, pois
que nao vSo em oulra parte_
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditasimperiaos emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinbas de deverses
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oe, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Melho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lenlhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
RIVAL SEM SEGUNDO
vendrr muito barato, pois seu genio da t Sen-
da por lodo preco a vista dos robres
Cartas de alfinetes rancezes da melhor qualidade
o\j rs.
Grosas de pennas de aro inglezas da melhor qua-
lidade a 040 rs. H
Caixas de colchetes francezes de superiores onaK-
dades a 40 rs. H
Grosas de btes de madreperola muito finos a 560
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oitavas de retroz prelo fino a
640 rs.
Re|ma/s de papel de peso liso muito superior a
2*000. '
Grvalas da liga e de oulras muitas qualidades1 a
000 rs.
Caivetes para penna com 3 rolha* fazenda boa, a
BUU rs.
Duzia d.eJ?0,5es branco para casaveques de senh'o-
t3l u luu rs.
Pecas de fita de cs estrenas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
fePraXsr,DgUei para 0S rneDnos a PreD,er
Os segredos da natureza para os meninos a crca-
der a ler a 1*000.
C^S?,M da doulnna chrisla, finas e superiores a
Pentes finos de marfim
e senhoras a
o mellior que la a 320,e
Fr?5.1^coni suPer' 1 000.
Liyros que serve para assentar roupa, polo diminu-
to preco de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
tordao branco para esparlilhes muito superior a
vara a 20 rs. ,
Carritis com 150 jardas de Unta branca a 60
ris. s
Cartoes com 200 jardas de linha branca caranff-
d< s a 60 rs. .
Grosas de pennas de ac superiores a 500 rs.
A aras de franja branca e de cores larga para toa-
Ihas a 160 rs.
Pares de boles de punho, oh que pechineba a
i u rs. i
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs. ,
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes de lonja prateado muito finos a
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a 500
res. ,
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs,
Caixas com superiores phosphoros de seguranea a
160 rs. '
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a 640
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, muito
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito fino a 20 rs.
o
0 Perfume da Moda.
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversa
b,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-1 qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a l.ooo rs. o frasco, e
H,ooo rs. a duaia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa cora 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e ll.ooo a duzia-
Palitos para dentes a !4oe 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba etn latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixoes a 6oo rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinhe de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas porl,2oors.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGUA FLORIDA
De Murray & Lanmaii.
Este raro quo delicado perfume
quasi que inextinguivel c to cheio de.
mimosa fragrancia e frescura como o
delicado cheiro das proprias verdecen-
tes flores. Durante os mezes caloreit-
tos do vero o sen uso torna-so minen- ,
teniente aprazivel c descjavcl em con-
Bequcncia da influencia refrigirante o
suave que ella produz sobre a pellc:
em quanto que uzada no bauho ella
imparte o corpo lnguido e caneada
urna certa elasticidade de vigor e forca.
Ella imparte transparencia as feices,
e remove pannos, sardas e lertoejas di
solrt apelle.
0 TNICO ORIENTAL DE KEMP
PARA 08 CABELLOS,
E urna preparaco admiravel para lim-
par, aformosear, conservar e reatabele-
cer os cabellos.
AGENCIA
DA
AGENCIA L0W-M00B.
Roa da Senxalla ora n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
om completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Superior vinho Collares.
Na ra do Vigario n. 11, escriptorfo de Manoel
Joaquim Ramos e Silva fi Genros, tem para ven-
der superior vinho Collares em ancoretas.

Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa. de muito gosto a 13500 e 23, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos on vasos rom dis-
tinctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Haris e Inglater-
ra, assim como os grandes ropos de banha japoneza
* 23 e a 13, assim romo outros objectos qne nao e
possivel por haje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Vende-se o deposito do pateo do Carmo n. 3,
proprio para qualquer principiante, com poneos
fundos : a tratar no mesmo.
Um e-erava.
No armazem n. 48 da ra da Anrora se dir
quem tem para vender urna bonita escravtnha com
8 annos de idade.
Fabrica Concecao da M
Bahia.
Andrade Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodo d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar atpodao empluma etc., etc., Wt
mi pelo preco mais razoavel.
ff*xsgft mm mmmmm
Boa da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e castt-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montaria, arreios para
carros de um e dous cavados, e relogios de celleDtlaaa beber: quem pretender dinja-se
ouro patente ioglez.
GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
FUJDIAO DE SINOS
viLdi km & C.
UA IIO BRUH IV. 40
Chamamos a attencao de todas as irmanda-
des e contrarias para o que abaixo publicamos. |
O amor que votamos arte que professamos e o desejo qne temos de concorrer com o '
nosso fraco contingente, para a ver rhegar em nosso paz ao grao de perfeicao que para
desejar, nos impellio a mandara Europa um dos nossos socios, afimde particular-
mente estudar a melhor maneira de bem fundir os sinos.
Grandes foram as diflleuldades que tlvemos a superar, afim de pdennos conseguir o
nosso desidertum ; porm gracas aosesforcos e bons offlcios de um nosso amigo, o nos-
so socio pode ser admittido em urna das melhores fabricas de Lisboa
Muito lucramos e muito tem a lucrar o publico, por que sem rcelo desermoscon- i
tetados. podemos afflrmar, oue os sinos fabricados em nosso estabelecimento em nada
se parecem cora esses almofanzes de mo gosto que por ahi se fazem
Eslamos habilitados a fundir sinos de todos os tamanhos desde 16 libras at 100 ar-
a emblemas, ornatos, etc., conforme a vontade on gosto do comprador, guar-
s regras da arle. Pedimos, portante, em recompensa de
dando em seu fabrico todas
| p^j Untos sacrificios e despezas a proteccao do publieo.
i
Villaca, Irmao 4 C
Vende-se urna casa na Ca punga com bons
commodos, quintal murado, com laranpeiras e ex-
POTASSA
Vende-se potassa em barris a commedo preco o
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriptori: completo sortimento de bengallas e cachimbos de
Fabrica de chapeos le sol de Francis-; po santo n. 19.
co Maesirali, ra do Queimado
numero 22
Nesta fabrica chegado pelo nltimo vapor nm
Cal de Lisboa era pedra
desembarcada hontem de bordo da barca Bebe-
douro : vende-se por todo o preco no escriptorio
de Manoel Ignacio d'Oliveira & Filno, largo do Cor-
A venda as boticas de Caors 4 Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo & C, nu
da Madre de Dos.
Vende-se urna mesa completa de ferrinlios
de engommar, francezes, um balaio de roupa um
mocador e alguns trastes, trem de cozinha, ludo
isso de urna pessoa que se retirou para fra da
provincia : no Corredor do Bispo, casa n. 15. Na
mesma casa d-se almoco, jamar, e lugar para
dormir, a algum homem de idade que queira se
incumbir de tratar e plantar em um sitio muito
pequeo, prometle-se bom tratamento : quem qul-
zcr appareca a qualquer hora.
ttenco
Urna mucamba mulatinha, recolhida, bem edu-
cada, e habilidosa, de idade 16 annos, 1 negra pa-
ra todo o servico de urna casa, sendo insigne eri-
gommadeira, 1 negro para todo o servigo, de ida-
d0 naAnos> PrPrio Para padaria ou reOnaco
por 8003 : na travessa do Carmo n. 1.
. Vende-se urna casa de pedra e cal ua E=tr
da Nova, em trras do capilao Ignacio A Ivs Mon-
teiro, confronte ao sitio (Doutor; com 4 quarto-5
2 salas cozinha, etc.; a tratar na mesma casa
com Thereza Francisca dos Passos.
Matrimonio.
Vende-se e dominio directo dos solos em qne
estao edificadas as casas sitas na ra Nova deta
cidade para fechar algumas comas ; um patri-
monio excellente para quem queira prevcuir futu-
n^i1"''sao33solos ('ue foram avallado
em 9:7003 e que se far grande abatimento a
quem quizer todos : a tratar na ra do Queimado,
loja de mmdezas n. 33 A, das 9 horas do da as 3
da tarde.
de Antonio de Almeida Gomes.
Cal de Lisboa.
Vende-se na ra da Praia, no armazem
Joaquim da Cunba & C, n. 16.
iespnma domar ede oulras "mais qualidades, as
---------, I sim como tambem ehopelas para charutos mullo
j finas, e fumo caporal, e sempre tem prompto um
i bom sortimento de chapos de sol de todas as
de Jos qualidades, na qual se fazem e se concertam tude
1 perlencenle a esta arte.
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente cha-
pada ao mercado, em bem acondicionados barris:
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, rna do
Trapiche n. 13, por preco razoaveL
Vende-se a casa terrea n. 25, Ita na roa de
Mathias Ferreira, na cidade de Ollnfla : quem a
pretender dirija-se ra Augusta n. M. qne acha-
ra com quem tratar.
Para sitio.
Vende-se nm escravo de 60 annos, nao foge nem
bebe, por 200 : na travessa do Carmo n. 1.
ENFEITrS E ClNTOSTMATuTHr-
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n. 38
recebeu riquissimos enfeiles e cintos a Maria Pa'
os enfeiles sao para cabeca e vende-se junto cen
os cintos, pois enfeltes e cintos foi encommenrta
especial que fizemos, pof qoanto obra muito fina
e cousa que ainda nao velo igual a este mercado
s a loja da Aurora que recebeu, e esta quei-
mando, quem duvida venha com dinheiro para ver
o gosto. Assim como tambem recebeu cintos de
couro forrado de velludo, que tanto serve para se-
nhora cerno para meninas, tambem de moito gosto.
Ricas capellas brancas de differentes qualidades.
Camlsinhas muito finas para senhora.
Collarinnos e punhos tambem para senhora.

^



8
Diarlo e rriaVi<>t ... Mahhnrfo f 4 Vorembro ie 14.
:
LITTERATORA.
Consideracoes philosophicas sobre as
bellas-aries entre, os autigos.
ravel
da philosophia e das bellas arles era vez de se
abandonaren) a divertimentos inateis e ociosos.
Ura tal modo de educajao foi egualmente favo-
-_vei a poesia e as artes plsticas, obrigando os
Venos primitivos da Grecia.Pnmeiras institu- artistas e os poetas aos altos estados que nos temos
c6es.-Bella tradicao conservada entre os Gre- deixado de encarar como indispensaveis. Vitru-
gos a raspeito da ongem das artes-Systema f vio exige do artista urna sabedona vastissima, co-
edueacSo IiIk-i al, conformo aos pnncijnos da '
esUtnaria.-Primeira regra imposta ao genio. mo Leonardo de Vinel nos lempos modernos (37);
(Coneluso.) e Plutarco recommenda aos msicos, como Indis-
0 systema de educado que repoblara confirma Pnsaveis, os conhe.-imentos puros da philosophia
esta opinio. Tres elementos cousttuiam essa edu-
cajao : a grammaiica, a msica e a gymnaslica
2i), a que ajuulou-se depois o estudo do desenho.
s taremos que os modestos nomos de msica e
de gymnaslica iinham entre ellos a mais nobre e
elevada significajo. Estar por ah demonstrada
? importancia de qualqucr ramo das bellas-arlc?,
na educajao moral dos gregos, por mais insignifi-
cante qne nos pareja com as ideas que recebemos.
Segundo a opinio dos polticos, e testa delles
I'latao, somonte duas cousas deviam entrar no pn
urna vida intelligente e laboriosa, sabem entreter- cuuimuoa, para conseguir que se zessem indaga-
se as horas de descanso com os doces prazeres Ses para descobrir os vestigios do marido, que ti-
1 nha sahido no dia 7 de manha, sem fazer saber o
lugar para onde ia; accrescentou que receiava-lhe
tivesse acontecido alguma desgraca.
Mas como esta mulher nutria, depois de alguns
Savarin, a vir dar testemunho da finura de sea
paladar, tomando parte na grande manifestajao
hippophagica, que a cosinha leooeza lhes propor-
ciona.
t O banquete ha de effectaar-se nos magnficos
saloes do restaurante Keyret.
Urna lista que ser distribuida pelos convivas,
os manjares especlaesera numero de
Tres homens que vinham, de Green n'um libu-
ry, oram lanjados fra. Um d'elles flcou morto,
e os outros dous gravemente contusos.

O seio da emigrajo irlandeza, para a Americ
do norte, contina a escacear a popnlajao labo-
annos, relegues intimas com Mauricio Chenavas, riosa do paiz; e os crimes entre os pequeos ren-
seu visinho de cincoenta o sete annos de edade, deiros e proprietarios, multiplicam-so de urna raa- indicara
cultivador, o publico desconliou de desappareci- neira que intimida seriamente todos os nteresses. .
ment, e desde logo se acreditou, que devia ser Os jornaes irlandeses citam dous crimes ; um a para maior regniaridade do servijo e exigen-
resuliado de um crime combinado entre a mulher commeltido no condado de Leitrim, o outro no de cia de conforlo 0 nurnero dos talberes irrevoga-
velmente reduzdo a 120.
(38) O mesmo mostr cnsmou a Scrates a msica
e a fereles a poltica (39). Paulo Emilio tendo
pedido aos Athenienses um pintor para represen-
tar o seu triumpho e ura perceptor para seus li-
lhos, elles mandaram-ihe um s homem, o artista .
Meirodoro (40). Um dos mestres de philosophia Cncoavas, sendo conduzdos a cadea de Vienna. secretas que, nos campos da Irlanda, se encarregam
de Marco Aurelio era um pintor : Diogneto. Elle resol veram-se a fazer uma coun.sso completa, de fazer vngar os direitos dos campannozes, co-
Declararam que tinham projeclado assassinar Mol- mo uma traicao para com a causa commum.
roud, para viverem juntos sua vontade; e effec- N.(jma das u|tmas nQU uns vmes nomens>
tivamente, este nefando projecto foi executado. No annados de MpnRardM e mascarados, dirigiu-se
Moiroud c Chenavas. Procedeu-se efectivamente Kilkening.
s convenientes indagajies, descobrindo-se d'ellas Um rendero chamado Mac-Kean, estabelecido
os vestigios de um crime. em Aduon, no condado de Leitrim, tinha incorri-
Os juizes do processo dirigiram-se aos pontos do no odio geral, por haver arrendado uma fazen-
suspeitos para proceder ao auto ; era consecuencia da de que expulsara outro rendeiro. Este facto
delle forara presos tanto a mulher Moiroud, como foi considerado pelas sociedades mais ou menos
ensinou-me, dizia este imperador, a ver as cousas
taes quaes sao.
Reunidas eni si, e destinadas ao mesmo fim, to-
das as artes liberaes, a poesia, a msica propria-
dia 6, as oilo horas da noute, estando Moiroud dei-
por diversos caminhos, na direeeo da
tado e a dormir, Chenavas, armado de um graude ..
sino fornecido pelo estado : a gymnastica, que fr- mente dita, a pintura, a esculptura e a architec-1 machado, descarregou-lhe sobre a cabeea duas for-.
roa o corpo, e a msica, cujo nbjeeto era educar a tura seguiram os inesmos preceitos, para chega-' tes pancadas, que o deixaram morto. A mulher! Chegados ali, deram nraa descarga geral eon-
a!ma (23). A gymnastica dividia-se em exercicos rem aos raesmos resultados, qua eram o aperfei- Moiroud, que se achava presente, eslava armada tra aporta e janellas ; embargaram a sahida da
athletiens e dansa, que deflniam os philosophos: coamento moral, pelo espectculo constante das I de urna graude pedra, prompta a prestar auxilio a rasa' e entrando,, maltrataran) os creados da
c arte de regular fin uma justa escala os mor- bellezas phisicas e intellectuaes. (Quatremre de' Cnenavas, se losse ne'cessario- Inerdade 1ae- pretonderam oppor-lhe resistencia; es-
tvrntos de que capaz o corpo humano (26), o*: Quincy). Veudo-se depois emuaracados com o cadver, tes servos refugiaram-se com seas amos, n'um
arte de representar, pelos movimentos do corpo, os : As artes, podiam, pois, ser consideradas como: resolverara queiraa-lo, o que se veriticou em acto quarto interior.
c Os organlsadores do banqueteDr.\3lunaret
Qmvogne, medico veterinario.
*
O distincto estylista o Sr. Latino Coelho mais
uma vez moslrou o quanto fcil reproduzir na
lingua materna, que profundos phylologos dizem
uma das mais ricas em vocabulos, todas essas gra-
ciosas locujes da liugua franceza com a magis-
tral verso da linda comedia Les Ganaches, de Vic-
torien Sardou, apresentada hontem s provas pu-
casa de blicas no theatro de D. Mara II, cm beneficio do
distracto actor Sargedas.
Cirersos estados c affectos da alma (27).
Alm das dansas sagradas, que celebravam-se
nos templos em honra dos deuses, haviam dansas
a qne nos podemos chamar, como Emerico David,
polticas, que tinham lugar em certas pocas de-
terminadas, como, por exemplo, as dansas da pri-
mavera, as dansas funerarias, as da innocencia,
em Sparta, e mitras que nos parece intil lembrar.
Essas dansas nao eram vas recreajoes, como po-
neramos crer; eram verdadeirs pantomimas mo-
raes e histricas, tendo sempre por fim recordar e
perpetuar a memoria dos beneficios dos deuses e
dos successos nacionacs (28), e as quaes toma-
frmas visiveis dos progressos successivos que fa
ziam os sabios no estudo do hornera, e os moralis-
as no estudo da sociedade (41).
A primeira regra imposta ao genio era, segun-
do Platao, que as obras da arte deviam ser mode-
los dos costumes verdaderamente bellos e bons.
Nunca seremos excellentes msicos, dizia o
grande philosopho, se nao nos familarisarmos
com as ideas de tempornea, de forra, de genero-
sidade, de grandeza da alma e de outras quali la-
des que sao companheiras Inseparaveis destas (42).
Os movimentos do hornera sabio e prudente sao
dignos e cadenciados; os de um cobarde, arreba-
coutmuo. Foram buscar uma porjo de made.ra nlho do rendeiro armado de nma espingarda,
e cavacos, que lutroduziram uo foruo,que ca pro- dirigio-se para os asfaltantes, ameajando de fazer
ximo doquaila onde se commetieuu crime, naco- fogo contra o primeiro que cntrasse naquelle
ziuha, e nelle iutroduziram depois o cadver; este 1uart. mas foi-lhe arremejada uma pedra a cabe-
processo durou uma parte da noute, depois de te- ?a> e rahio sem sen'ldos- ve,ho ^Km fo.
rera l.do a caulella de porem um reparo a entrada Preso- castado, e frCado a prestar juramento,
do forno, que nao traba porta. Anda se poderam de J" havia de abandonar a herdade que traha
encoutrar alguns restos desses ossos. O cadver a,08ado.
foi queiraado vestido cora os factos que o raorto. A autordade fez varias prisOes de pessoas impli-
costuraava usar ao doiniugo, para melhor se dissi- cadas nesta scena de violencia; mas nao havendo
mular a partida. provas sufflcientes contra ellas, provavel que a
* I justca, como aconteceu al agora, nao tenba forja
As cartas de Berlira fallam de um processo que contra aquelles actos,
vam parte todos os cidadaos graves e respeitaveis. j ladc-s e sem ordena (43). A figura, ou meloda que I terminou n'aquella cidade, entre a lioha directa e | Era Miltown, no condado de Klkenny, lanjou-se
Os magistrados velavam cora grande desvelo so-1 exprimir as boas qualidades da alma o do corpo,' a linha collateral dos herdeiros da familia Blucher i logo a uma granja que pertencla ao doutor Kilpa-
fcre a conservacao dos movimentos consagrados! bella; toda aquella que traduzir clara ou confu-' o assumpto do leligio nao deixou de despertar o trick ; a granja e mais estabelecimentos foram
pela tradicc/n; sobre as figuras cuja antiguidade | smente as qualidades ms, feia (44). Mancebos, interesse em Franja. Quando em 1815 Paris es-1 consumidos; s com grande difflculdade poderam
linha reduzido a ^ymbolos; e sobre as anas do
Costumc, a que chamavara nomos ou leis (29).
A dansa que exprima as palavras da musa, islo
t a emblemtica ou imitativa, dividia-se em dan- corp0j para annuoclar a que deve reinar era vosso
sa nobre, que, segundo os termos de Platao, irai-
lava os movimentos graves e decorosos das pessoas
es mais completas; cm uma outra dansa, qual
chamavam, por desprezo, dansa vil, e que aban-
donavam aos escravos ; e finalmente em dansas
tacchicas ou dos prazeres, que eram do dominio
do culto de Baccho (30).
A dansa nobre dividia-se em dous gneros : a
dansa da guerra, chamada memphttica ou pyrrhi-
ca, e a dansa emmelia, ou da paz. A dansa pyr-
rhica representava os movimentos de ura bello ho-
mem, dotado de uma alma firme e generosa, tanto
na guerra, coma em outras circunstancias pen-
las e incertas. Imitava egualmente as inflexdes
fie um guerreiro na acjo da luta, seus movimen-
tos promptos, seguros, e dignos de um chefe que
lea consciencia do seu valor.
A dansa da paz representava um homem sa bio,
na prosperidade. Nella distinguiam-se os senli-
roentos de prazer que nascem da passagem rpida
do infortunio felicidade; da satisfajo serena o
calma que acompanha o gozo de uma continua fe-
licidade, e que imprime no homem os trajos de
orna certa nobreza a'alma, de uma firmeza de ca-
rcter, que sabe conter e dominar os transportes
da alegra, por opposijo ao qao acontece as pes-
soas infelizes e de baixa educacao.
Ora, de-tinada a exprimir as manifestagoes da
harmona intellectual, a dansa elevava-se ordem
de bella arte, e tambem de uma scencia; e entra-
va por oons^quenna no dominio da msica, que
era considerada pelos philosophos como a sciencia
por excelleocia (31).
De todas as artes, a osculptura e a msica eram
aquellas para as quaes pareciam os g'egos dotados j
mais particularmente, t Os deuses qne presidem
s nossas festas, dizia Platao, nos deram, com o
amor dos prazeres, o sent ment das proporjoes e
da harmona (32) preeminencia que at na lin
pa os Romanos pareciam reconhecer. Gratis de-
it ore rotundo musa loqut, dizia Horacio.
Os Gregos amavam ardentemente a msica, e
tinham por esta arto uma eslima tal, que algumas
aprendei a apresentar-vos com decencia no cora- tava em poder dos exercitos prussanos, o fel-ma-1 salvar as casas de habitajao. O doutor Kilpatrlck,
cao dos homens virtuosos. Pensae na harmonia rechai Blucher estabeleceu o seu quartel general: tinha, ha alguns mezes despedido, muitos dos seus
que deve existir entre as diversas partes do vosso no palacio de St. Cloud. | rendeiros, e julga-se que aquella sinistro, tem
Achavam-se ali alguns quadros que representa- ligajao com as resolujoes tomadas pelo proprie-
espirito : taes sao as regras da bella dansa (45). >' vam os membros da familia Napoleo, executados tario.
Quera nao reconhece nestas lijoes os principios' Pelos mais celebres pintores d'aquella poca. Jal-
da estatuaria grega, sobre a posijao e os mov-! ndo bonitas algumas d'aquellas pinturas, e t-
menlos das figuras, a esco ha das altitudes e a ex-' rando partido do direito de conquista, o teld-mare-
presso das paixoes Y Quanta dignidade e grande-' chai, quando se retirou, ievou as pinturas para
za no gesto do Apollo Pythio, ao lancar a frecha B<""n- Un> dcsles (>uadros' ^ eram sele> foi Pa"
na serpente I Quanta graja, e ao mesmo lempo ra poder do re da Prussia, e o segundo foi para o
quanta magestade na postura da Vemis de Mlos ; palacio do re de Wurtemberg; os outros cinco fi-
nos movimentos de Diana a Cajadora; quanta caram no palacio do principe Blucher, praja de
grandeza e elevajao nesse corpo torturado de Lao- Paris n. 2, aonde anda se acham.
Ha algum tempo, os collateraes Dzerara vaier os
seus direitos legtimos e pretenjoes a respeito da-
quelles objectos. Este negocio foi levado perante
os tribunaes, e depois de passar n'algumas instan-
cias, o tribunal decidiu que, para satisfazer os di-
coon! Sublime Grecia, que revelaste ao homem
loda a sua belleza, para que nao conservaste co-
mo um thesonro a tua independencia, a vida fe-
cunda do leu genio! Para que conquistas le a Asia
e trocaste pelo ouro do Oriente os fructos e os ger-
mens da tua forja, da tua virtude I Todos os po-
yos te admirara ; todos senlem a dr de tua mor-
te. Barbara e implacavel Roma, patria dos eros
e Caligulas, que suffocaste os ltimos suspiros de
agona da tua instituidora I a estatua colossal que
elevaste na memoria dos povos.
Grande brilhante e admirada,
Mas seu gesto medonho, e sua cara
Arrogante tmida, nao amada.
BaCHAREL A.MKHICt'.
(Crrelo Mercantil)
Em Edimburgo ju'gou-se ltimamente nma
cansa curiosa. Tres mancebos de boa familia
tinham sido condemnadns polos magistrados da
provincia, n'uma pendencia suscitada pelo mar-
quez de Daihousie, a.duas libras sterlinas cada um
e, na falta de pagamento, a dez das de priso.
O marquoz de Dathousie, mais conhecido com o
nome de lord de Panmuro, presbitiriano austero,
que muito se horrorisa pelos peccados do prxi-
mo; um dos sustentculos da igreja livre. O
delicto que aquelles mancebos tinham commettido
consista em se haverem despido para se banha"
rem n'um rio, que atravessa um bosque, que faz
versos Inleresses, fossem os quadros vendidos em parte dos dominio* do austero marquez.
leilo. Esta venda deve annunciar-se prxima-
mente. Os cinco quadros representam : primeiro
a raiuha Hortense, tendo pela mao o actual impe-
rador dos francezes, na edade de cinco a seis an-
nos (pintado por Gerard); segundo a rainha de
Os juizes do tribunal de Londres nao se confor-
maran) com a opinio dos magistrados da provin-
cia de lord de l'anmure, e do seu advogado. O
presidente perguntou se sua Exc. lord nunca se
tinha despido; se nao se despia para se detar e se
aples, mulher de Joaquim Murat, acompanhnd enlrava n'um banho era trajos de baile,
de seus filhos, de urna execujo admiravel (por I 0utro juz declarou qae |ooa a indecencia esta-
Gerard) ; terceiro a imperatrii Maria Lrtiza, tenOo wm Qa imagnaca0 dos espectadores ou das especta-
pela mao o rei de Roma (por Davldft; quarto a doras Afiua|( Q negocio decidio-se sendo annulla-
ranha de Hespenha, tende pela mo su filha.de da a priniera senlenja. O advogado que tralou
edade de nove annos (por Gerard); quinto a prin- da cmsa foi condeinnado era 12 guinos de inde|n.
ceza Borghse (por Lefebre); todos de grandeza nisajo.
natural. As pinturas esto perfeitamente conser-
Esta composijao, que apresenta o progresso em
acjo luctando com os velhos preconceitos e as
erradas crenjas dos Caturras, e sahrado glorioso
da lucta pela glonficajo do novo Evangelho so-
cial, tem dilogos de grande valor Iliterario, de
conceiluosa critica e situajees de grande effeito.
Nao nos possivel fazer a sua apreciajao rigo-
rosa, porque mal vimos tres actos da peja, poden-
do todava constatar que a execujo nos parece in-
terpretar fielmente o pensamento do antor e do
traductor.
O publico pplaudu os Caturras.
A sala estava cheia : Sargedas foi obsequiado
como merece.
Sua Magestade el-re assistiu aos doos primei-
ros actos da peja.

No quinto andar do predio n. 13, quasi defronte
do correio geral, se suicidou hoje nma senhora de
edade de 31 annos, por nome D. Francisca Luiza
da Concejo Oliveira.
Era cunhada do Sr. Monteiro, porteiro do cor-
reio geral.
Por volta das 8 horas manifestou signaes de
grande aifiicjo. Foram chamados facultativos, que
s larde Ihe acudirn),
A infeliz antes de expirar, o qne aconteceu s
i horas da tarde, declarou que havia tomado uma
porjo de verdete, ou oxydo de eobre, e pediu a
urna vlzinha que a amortalhassera deixando-lhe a
camisa que tinha vestida e um retrate que guar-
dava no seio.
Esle retrato era o de um furriel que a amava, e
que ha ponco partir para uma das ilhas.
Suppoe-se que esta ausencia fura a causa de re-
solujo to desesperada.
A suicida era urna senhora esvella, e nao desti-
tuida de at trac t vos. Era hoje o dia do seu ani-
versario.
Qulz por gallas no seu anniversaiio as tristes
vestes sepolchraes !
Misera donzella t
vadas.
Estes quadros tem tanto mais valor, por isso
que nao pode haver duvda sobre a sua autenti-
cidade, sendo todos origiuaes. Os jornaes trance-
ln POUCG DE TUOO.
No Jornal do Commercio, de Lisboa l-se o se-
grale :
Em Windsor acaba de succeder um drama hor-
rivel.
Um operario d'aquella povoajo ingleza muito zes pr0meilemannunciar a poca em que deve ter
dado ao ocio, ebegou a cahir na miseria era conse- |ugar 0 |ej|a0> e dzem qUe a Franja deve rebaver
quencia de nao querer trabalnar, e tratou ape- c?tes pnmores de arle, que lhe foram arrancados
as de promover algumas pequeas subscripjes n.uma poca la0 olorosa,
para supprir as pnmeiras necesidades de sua fa.
I milia.
Este homem enviuvou ha seis mezes, fican-' Muitas companhias de caminhos de ferro em
do s, c sem trabalho, com ciuco filhos de lenra Inglaterra teem j adoptado o gaz para illumina-
edade. q0 dos wagons dos viajantes: um caminho me-
ltimamente uma visinha bateu-lbe porta, e tropolitano, que atravessa Lindres subterrnea-
mente, emprega com vantagem este metbodo de
gnaes, foi chamar a polica.
Arrouibou-se a porta. Mas que espectculo
Na primeira casa, tres cnaujas de qualro, seis jeseripcao summaria do apparelho adoptado :
esete annos es.avara raerlas no chao. Umrae-, Uwme|ro> 0B pipente a gal eol-
d.co atteStou que a uiorle nao tiuha menos de dous ^^ ^ da guarj,a do guardaj pMe no espa.
aiai!' ... ; co de ura minuto ser cheio por um grande gazo-
No prime.ro andar, no quarto de cama, encou- metro eslabe|ecido em qualquer estac5o. Tubos
trou-se o pae, o operario Uok. Nadava n ura raar de ferr) flxos no lecto dos wagons communicam
de sangue cora as guelas cortadas cora dous gol- ^ Q recipiente do lrem> e cada um d'elles, em
pes. Mas arada viva. I consequeucia du processo por que sao executados,
Junto d elle, e no mesmo estado, agonisavaculra
lilha de oilo annos.
No msmo andar n'outro quarto interior, eslava
a lilha mais velha de Couk de doze annos de eaade,
quasi murta
vezes parpciam exagerados. Entretanto esse en-, no ieu(Ju uuvdo rcspUlJ|jr aos seus repeuaos sl.
thusasmo era justo : a msica os tinha civilizado;;
lhes tinha feito conhecer os primeiros elementos
dasseoncias. ..na Grecia Indo era attrbuido a
essa fonle de prazeres.
\"o mundo moral, como no physco, as obras
do Creador, como as do homem, tudo aquillo que
merece o nome de bello, achando-se em harmonia
com todos os seres o coi) o fim para que fora crea-
do; a belleza do corpo humano, a justija, a tem-
peranja, a felicidade das sociedades, os movimen-
tos colestes, a ordem, emfim, que liga e mantm
debaixo das raesmas leis a creajo inteira, nao
podendo existir senao pelas relacoes harmnicas
do metro e dos nmeros, apresentavam-se ima-
ginajao desse povo de poetas como estrophes de
orna symphonia universal. Obrar mal era para
es gregos faltar ao compajo, ou perturbar a har-
mona com uma nota falsa. (33)
c Por um effeito dessa idea potica e ao mesmo
tempo religiosa, diz E. David, o conhecimento e o
amor do bello e do bem foram justamente conside-
rados como o fim de todos os estudos do homem. i ,;
Todos os conhecimenlos que podiam torna lo
melhor, a sciencia do calculo e da medida, a as-
tronoma, a poltica, a propria grammatica lorna-
ram-se, como as artes do desenho, partes da mu-
sica (34). As expressSes cantar e dansar bem eram
synonimos de proceder bem. A moral era encara-
da como a sciencia nica; s o verdadeiro philoso-
pho, o sabio completo era perfeito msico (35).
Quanto ao desenho, que Aristteles considera
debaixo do ponto de vista da utilidade pratica, sua
cultura nao era menos importante na educajao li-
teral, porque facilitava o conhecimento das for-
mas que constttuem a belleza, e porque offerecia
os mais bellos motivos de prazer para o repou-
o (36).
O repouso, diziam os Greges, o termo do tra-
fcaiho. Ora, o trabalho muitas vezes para os ou-
tros, emquanto sempre nosso o repouso. Feli-
ces com effeito d'aquelles qae, preparados para
I illuminajao. ltimamente, a grande companhia
I North Britsh tomou a mesma resol ujao. Eis a
E' do Sr. H. de A. Autran esta poesia.
n'um baile.
.............. o joune enchanteresse!
Dante vous et fait ange e Virglle desse.
viCTon uceo.
Foi n'um baile, inda me lembro,
Que te vi a vez primeira,
E deutre as bellas do baile
Foste a mais bella e faceira.
As tuas loiras madeixas,
Pendentes no eolio teu,
Taes encantos te impriman),
Que de amor minha alma ardeu !... ..
Mais alva que os alvos iyrios
De tua tez a brancora,
Era a imagen) expressiva
Da verdadeira candura.
Os leus olhos de cor parda
Tinham tal graja e fulgor,
Que fulminavam as almas
Com temos raios de amor.....
teem a facilidade de estender ou encurur, de raa-
neira que se evita todo o perigo de ruptura.
Uma excellente e intelligente apprajao da il-
luminajao a gaz dos wagons pode conseguir gran-
aste iufeliz, desesperado pela miseria, e princi-' de economa para as companhias, melhorando sen-
plmente pela perda receute de sua mulher que sivelmente o bem estar dos viajantes. E'de crer
adorava, tinha perdido o animo e no exeesso da que este novo systema se generalise promptamonte
sua loucura, julgou que dava remedio aos males quando se encontrem sufflcientes meios praticos.
de todos que amava, e iraiou de euveueuar stas Consta que uma sociedade estuda esla questao
limas com acido suiphunco, ou vitnulo misturado para os caminhos de ferro belgas, e j esl de
ad'ordo com muitas outras companhias.
Tem-se tentado com vantagem ensaios
par-
ciaes.
Para aquelle que nao quiz beber o cha, usou da
navalha que se encontrou cahida no chao, junto da
garrafa que centraba os restos do vitriolo.
Em casa nao se acnou o menor pedajo de pao, ou
quaiquer oulro alimento.
A miseria era absoluta.
O operario Cook tinha trinta e oito annos de
edade. Aiuda respirava quando foi levado para o eieVa-se a 4 327:000.
hospital de Windsor, com sua lilha mais velha e
outra que estava completamente degolada. Nao ha-
via esperaojas de os salvar.

No decurso do anno passado, o parque central
de Nova-York foi visitado por 1,469:385 pessoas a
p, por 90:724 a cavallo, e por 922:450 carroa-
gens.
Suppondo que cada uma das carroagens ia oe-
cupada apenas por tres pessoas, o numero total
as immediajdes de Chatonnay, comraetteu-se
No dia de Natal, na occasiao em que o banho
excellente no grande lago, entraram no parque
94:076 pessoas a p.
Neste anno, 32:064 pessoas teem passeiado em-
Nos leus labios purpurinos
Ondeo riso enlo nadava,
Leve briza perpassando
Seus castos beijos guardava......
Emfim, no todo perfeita,
Toda graja e singeleza,
Eras mais linda que os anjos,
; Eras typo de belleza I....
Raphael, quasi divino,
Que o pincel do cu herdara,
A Madona, se te visse
De certo que nao pintara.
De Corregi as finas tintas,
Cario Dolce e Perugino,
Para pintar pederiam
O leu semblante divino.
Porom debalde..... que aos aojos
S anjos podem pintar ..
Deus nao quer de taes bellezas
Na trra copias deixar.

L-se na fevolucao de Setembro o segrate :
Em Leo lazem-se actualmente os preparativos
necossarios para um grande banquete, em que ha
de servir-se carne de cavallo.
Nos jornaes daquella cidade publican) os encar-
um crime horrivel, que produziu a mais penosa barcadas no lago; no parque plantaram-se 79:000 regados de organisar o banquete o seguinte
Impressao no cautao de S. Joo de Bournay e nos arvores e arbustos, e deram-se ali M grandes con- aviso:
pontos onde a noticia se espalhou.
Um homem ehamado Francisco Moiroud, de
certos.
OCoumer des Etats Uns allude
O uso alimenticio da carne de cavallo um
terrivel' beneficio immenso para a sade e riqueza publi-
(24) Aristot. Rep. liv. VIII, cap. 7.
' (25) Plat. Leis, liv. II e VILId.
Rop. liv III.
(26) Plat. Leis, liv. II e VILAristot. Quintil.
de music. lib. 1.
(27) Plat. Leis, liv. VII, no principio e no fim.
28) E. David Rech. sur t'art. St.
(29) Plat. Leis, liv. VII.
(30) Plat. Leis. liv VIL
3I) O mesmo, Rep. liv. III e liv. XI.
32) Plat. Leis, liv. n.
.31 Pkidias, por Lois de Rouchaud, introd.
pag. 21.
(34) Quintil, liv. 1, cap. XII.Plut. da music.
cap. 68.
(35) Plat Rep. liv. IX.
(36) Arisl. Rep. liv. VI cap. 7.
quarenta annos do edade, propietario em Hautres accidente occasionado por um turao no caminho I Introduz.do que se|a cm Franja, conse-
Combes, traba desaparecido de sua casa. A 14 e de ferro de Indianopolls a Cincinnati. O machi- guir-se-ha fazer entrar no consumo ma.s de qua-
a 20 de setembro, a Sra. Anete Gondon, de trnta nista conheceu o tufao, e viu que se approximava renta milhes de k.logrammas de carne, tao boa
e oito annos de edade, mulher de Moiroud, diriga- quando o trem chegava a ponte de Weiizel ; for- eomo a do bol, ma.s salgada que a do porco, e tres
se ao commissario de polica, e ao mure da sua jouentao o vapor para conseguir atravesar a! vezes menos, cara que toda a carne que se vende
(37) Vitruv. hv. 1, cap. 1,-Leon. de Vinci, tra- P* alcanzar um abrigo. Mas j era tarde : o
tado de pintura; introduejo.
(38) Piulare da music. cap. 47.
(39) O mesmo, vida dos hom. II. Pendes.
(40) Plin. liv. XXXV, cap. II.
(41) V. Sulter, philosophie des beaux arts ; in-
troduejo.
(42) Plat. Rep. liv. III.Id. Leis, hv. II.
(43) Pial. Leis, liv. VU.
(44) PUL Leis. liv. IL
(45) Id. Ibid. liv. VIL
i tufo abfou o comboio e destrua os rails
Mas a carne de cavalU agradavel ao pala-
Dous wagons de viajantes cairam um sobre o dar?
outro, e foram rolar n'um declive. < Os hippophagos, que fazem muilo aso della
Ficarara'ferdas urnas trala pessoas. Pr um dz,.m qQ0 sim, e o publico rutineiro diz que nao,
acaso providencial, nao ha morios a lamentar.
Alguns murov de pedra foram derrobados com o
vento ; urna grande casa de tljolo foi destruida e
arremejada a uma grande distancia.
porque nunca a provou, nern quer provar.....
t Sao por este aviso convidados mui especial-
mente os senhores membros do congressomdi-
cos e gastrnomos professos, como disse Brilla
D. Francisca Luiza da Concejo Oliveira, dei-
xou a seguinte carta de despedida ao homem que
amava :
t 15 de novembro.Meu muilo queridoPare-
ce-me que com esta carta cumpro a minha pro
mr.-.i do le osorover au ao ultimo da minha vi-
da, honlem esperei por caria la, qpiz Deus che-
gar-me a ultima prova da tua mgratido, esla nou-
te passei-a horrlvclmeote, eu nao sel se dorma, o
que sei que fechando os olhos va s velas, en-
tonos e defuntos, estou tao assustada : Deus te-
nha misericordia de mim, commelti um grande
crime, muito custa a morrer assira, o teu retrato
est unido mim, muito me custa morrer sem ao
menos ter carta tua, paciencia, Deus abrevi estes
poucos momentos que -.ao lo custosos, espero con-
fessar-me hoja, nestes intervallos que tenho em
que me deixam estas grandes affliccoes e agonas:
pejo-te que se morrer me vas ouvir uma missa
pela minha alma, se ou menos islo le merejo ; ho-
je fajo annos; vou agora fechar o subscripto.des-
ta em quanto Deus me d lugar.
Fatal preoecupajao I
Recitada no theatro de Santa Isabel na noute do
espectculo em beneficio dos marlyrcs da Polonia.
A Polonia.
Vejo 1 Um gigante repuxa
Do eolio e aunel d'um grilho!
E' um povo que eslrebuxa
Sob as garras d'um leSo I
Sola um grito, procelloso,
Como estourar tenebroso
De sorvedouro escarceu:
Y. grito d'almas farpadas
as faces ensanguentadas
D'uma aguia, que affronta o cn.
E a Europa immovel obsprva
Essa hecatombe de Anteus t
Sorri dos prantos da serva
Applaudindo os phariseus.
Assiste tranquilla e fra
Aos transes dessa agona,
Aos estos desse estertor.
Nao lhe de, nem mesmo a aggrava,
O longo sotrer da escrava
A oppresso vil do Senhor.
Polonia, os olhos do mundo
Fixam se ltenlos om ti,
Contemplando o aby.-mo no fundo
En) que revolveste ahi.
Co'a dextra marmorisada,
Cobardenao despe a espada,
Aos teus reclamos nao vae I
Emquanto, que a sos labutas,
No Colyseu dessas lutas,
Em que a vida se te esvae.
Da fronte regia sem c'ra
Cae-te de sangue o suor;
O teu solo se esboroa
Sob o corsel do oppressor.
Da Russia cauda sujeita
E's palpitante desfeita,
Que a Europa deshonrar,
A guerreira encourajada.
Que nao pune a bofetada
Que um autcrata lhe d.
Polonia, o germen dos bravos
Rasga a tu'alma em volco 1
E's o carcere de escravos
Que mordem rindo n grilho 1
Sob as plantas do flagino
E's altar d'um sacrificio
Qae tem por victimahroes!
Na panao da liberdade
Supportas com magestade
Os golpes de que te des,
A martyr aonca blasphemt
Se n'alma aglla-se a f I
Moribunda, inda na extrema
Da vida, arquejas de p I
Essa fronte de granito
Nio pende pavda ao grito
Que abre os labios d'um czar,
Que o igne* anjo da guerra
Pelos cabellos te aferra,
Faz-te a cabeea empinar.
E's humildade que medra
A forji, a grandeza, a acjo I
Tombada estatal de pedra
Que lem alma o corajo t
Embado a Russia potente
Pela mao de fero agente
Impoe-le ferrenhas leis;
Um dia, frente de espectros
Quebrars croas e sceptros
Por sobre frontes de reis.
Ao redor do teu calvario
Murmura a turba infernal,
Preparando-te um sudario,
Como se foras mortal.
Ah do sangue espadaado
De um coUsso acutilado
Surgem colossos de p,
Que sob os guantes sangremos
Esmagam sanguisedenlos
Soldados sem le, sem fs
Ardes na charama do incendio ;
Gemos nos brajos do algoz;
Mas cuspindo o vilipendio
No senho do jugo atroz :
Co'a placidez com que affrontas
Os martyrios, amedrontas
Na frrea gruta ao lec.
E' nuvem branca dourada
De morte o ralos pejada
Que aguarda a voz do Irovo.
Vejo-te rolos, quebrados
Os teus membros colossaes,
Pelo chao rulan pisados
Em montes descommunacs.
Sao monumentos disformes
Dos lidadores enormes
Que o ferro e o fogo abaten.
Esse combro de destrojos
E' mudo protesto d'ossos
Erguendo-sc hiante ao cu.
Sublime at na desgraca,
De joelho ere-te o mal;
Orando entornas a taja
Da sangunea bacchanal.
as horas em que meditas
Desatando as negras filas
Do leu funerario veo,
Vez Troias incendiadas,
Babylonias derrubadas
Nos soleos do seio teu.
Tua vontade um abysmo
Que ha de sorver o que quer;
Tua espada ura cataclysmo
Que ha de o astrocismo vencer.
Feras-nem vrtice doudo
De sobrehumano denodo
Teus filhos te livraro,
Pois, dos combates no jogo,
Sao Lenidas de fogo
Vibrando raos co'a mo.
No fragor da tua queda
Trmula a trra ululou ;
Apagou-se a labareda
Do sol, que os olhos fechou.
Pelo e.pajo entontecidas,
Tuas estrellas perdidas
Choraram prantos de luz,
Por sobre a noute das covas,
Em que, Termopylas novas,
Tombaste, beijando a cruz.
Turbe embora a crueldade
O ocano dos teus affsns;
E' apparonte a humildade
Com que se proslam Titeas.
Quando a hora promettida
Soar da tuba atrevida
Do do teu anjo vingador,
Veras, que o bardo adevinha,
Tornar-se a escrava rainha,
Tornar-sc escravo o Senhor.
Denodada eomo Sparta
Mosiras o peito ao punhal,
Sem medo que a vida parta,
Sem medo, que s inmortal.
Coutas do seio as ferelas
Por estrellas accendidas
as ramas do leu laurel.
Do teu pranto as gottas ceruias
O Eterno converte em perolas,
Que os anjos enchem de mel.
Tuas vrgens pulluidas
Pelas vis cossacas maos;
Tuas riquezas perdidas
Por sobre abrazados chaos.
Tua face azorragada
De sangue p salpicada
Porque jamis se abateu ;
Os teus templos profanados ;
Sao gritos petrificados
Chocando as portas do cu.
Portanto, martyr, descanja,
Que a redempjo ha de vir ;
A dr que abraja a esperanja
Olha impvida o porvir.
Para a froale do marlyrie
Desee uma c'ra do impyreo,
Candido raio de luz.
N'um throno de resplendores
O martyr domina as dores
Tendo por sceptro uma cruz. ;
Cede os pulsos cadeia
Que prendem pulsos, nao mais.
Fecha essa bocea que anecia
O mando r dos leus ais.
Quando aos ouvidos do Eterno
Soar um grito do inferno
Pedindo a nefanda grei,
Retomando o teu paladio
Irs enchugar teu gladio
N'uma morlalha de rei.
E um da a posterdade
Parando os ps sobre ti
Exclamara : Liberdade,
Glorias, valor, como aqai I
Porque a historia abrndo a bocea
Recordar com voz ronca
As penas de que te des.
Que essas ruinas teem vidas;
Sao pyraraides erguidas
K'nm cemiterio de hroes t
15 de novembro de 1864.
Victoriano Palhaues.
PERNAMBUCO.- TYP. DE M. F. DE F. & FILHO


/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E75JYWDBB_OMD7OW INGEST_TIME 2013-08-28T02:08:21Z PACKAGE AA00011611_10522
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES