<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Friday, November 18, 1864 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10521

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Friday, November 18, 1864

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10521

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10521

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Friday, November 18, 1864

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10521

Full Text
AIIO XL. HOMERO 265.
Por tres Mezes adiaiitados . 5$O00
Per tres mezes vencidos . 6J00
Porte ao correio por tres mezes. 750
SEXTA FEIU 18 DS NOYEMBRO DE 1864
Por amo adiastado.....19$00O
Porte ao correio por am auno 3)000


NCARRKGADOS DA SUBbUUPQAO NO KOR1E
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marqnes da Silva; Aracaty, o
8r. A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARRKGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Aiagoas, o Sr. Claudino Falco Lias; Bahia, o
n. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PARTIDA DO KAFEiAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyauna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo lito, Grvala, Bezerros, Bonito, Carnar,
Altinho e Garanhuns as tercas eiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas eiras.
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, Una.Barrei-
ros,Agua Preta e Pimenteiras as quintas eiras.
iiha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/, da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t
13 La cbeia as 3 b., 13 m. e 36 s. da t
21 Quarto ming. as 4 h., 56 m. e 56 s. da m.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
PREAHAR DE HOJL
Primeira as 8 horas e 54 minutos da manhaa
Segunda as 7 horas 18 minutos da tarde.
i->jum-- los VAPORSa los^ro-*.
Para o sul at Aiagoas a 5 e 25; par o .-lorie at
a Granja 7 e 22 de cada me:; para Fernando uos
dia 14 dos mezes dejan. maroTm.nio.jul. set. e nov.
PARTIDA DOS OMNJJUS.
Para o Recife: do pipucos s 6 >/i, 7, 7 /*. 8
8 Vi da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 V, da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife: para o pipucos s 3 Vj. 4,4 'A. Vi>
8 8 lU, 5 Va e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da
tarde; para Cachang e Varzea s 4'/da tarde;
para Bemfica s 4 da tarde.
ADiBNC a DOS TRBUNA3S Ca GaPK aj,
Tribuna' do ccmmercio: segundas e quintas.
Relago: tercas o sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta^ as i floras.
Juizo do coinmereio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DLAS DA REM LNA.
14. Segunda. S. Abiliodiac.: S. Gorias m.
15. Ten.-a. S. Gertrades v.; S. Clemeoiijo m.
1(5. Quarla. S. Gonralo de Lagos; S. Elpidio m.
17. Quinta. S. Gregorio Tliaumaliirgo b.
18. Sexta. -S. (tilden ab.; S. Barceiia m.
19. Sabbado. S. Isabel viuv. rainha de Hungra.
20. Domingo. S. Octavio m.: S. Tlieope m.
A3S1GNA-SB
no Recife, em a livraria da praca da Independen-
cians. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Ficueir,-.
de Paria k Filho. ,ro*
PARTE OFFIGIAL
Ministerios reunidos.
DECRETO N. 3,322 DE 22 DE OUTL'BRO DI 1864.
Estabelece alyumus disposicoes complementares das
disposicoes'do decreto n. 3,309 de 20 de setembro
de 1864.
Hei por bem, para completar as disposigoes do
decreto n. 3,309 de 20 de selembro de i861, de-
cretar o seguinte :
Ait. Io A administrago das casas bancarias,
logo que tiverem verificado ou feito os balancos
respectivos, cla relaeoes distinctas conforme o art. 873 e seguintes
do cdigo commercial.
Art. 2o As sobreditas relaeoes sero publicadas
em todos os jornaes da corte por seis dias succes-
sivos.
Art. .'Io Contra a admisso ou excluso de qual-
quer crdito, ou contra sua indevida classificacao,
podem os interessados usar da reclamago judicial
que Ihes permitte o arf. 860 do cdigo commer-
cial, pela forma determinada no art. 5o desle de-
creto.
Art. 4o Ojuizdas reclamngoes ser o mesmo
juiz que tiver declarado a fallencia.
Art 5 A reclamaco ser intentada perante o
juizo commercial psr meio de urna petigo inicial.
instruida com o titulo e docuraenlos contenientes,
na qual o reclamante articulando o seu crdito, ou
impugnando o crdito de outrem, pedir que seja
citada a adminislrac.au ou o credor do titulo recla-
mado para dentro de tres dias improrogaveis vir
oppor o que llie convier ; e findo este termo pro-
seguir a reclamaco, lixando o juiz urna breye di-
lago para as provas e outra para as allegagoes fi-
naos, o que sendo feito ser proferida a sentenga,
a qual pode ser appellada.
A dilacao para as provas nao exceder de a dias,
e para as razoes linaes de 48 horas, e quer urna
quer outra sero improrogaveis.
Art. 6o Se, todava, parecer ao juiz, vista da
reclamago ou conlestago, que a materia carece
de mals alta indagago, receber a contestarlo e
tomar o processo ordinario.
Art. 7 As cusas da reclamaco sero imputa-
das pela forma estabelecida no art. 860 (m fine) do
cdigo commercial.
Art. 8o Alcanzando o reclamante sentenca a seu
favor ser ella intimada administrarlo para
cumpri-la as preferencias ou distribuigoes a que
deve proceder conforme o art. 808 e seguintes do
citado cdigo.
Art. 9 Os credores reclamanles ou ausentes se-
ro provisionalmente contempladas as reparti-
eres pela forma que determinan) os arts. 860, 861
e888 do mesmo cdigo (e ass. n. 10 do tribunal do
commercio da corte de 9 de jolbo de 1857.)
Art. 10. A porcentagem que compele s adml-
nistragoes das casas bancarias ser calculada pelo
modo seguinle : um por cento al que a arrecada-
cao se eleve effectivamente a quantia de quatro mil
contos; mas meio por rento da quantia que exceda
de quatro at oito mil conloe, e mais um quarto por
cento da que exceder de oito mil contes.
EITectiva a arrecadacao se considera a quantia
liquida, que devor ser repartida entre os credores;
da qual deduzir-se-ha precipuamente a sibredita
porcentagem.
A porcentagem ser dividida igualmente entre
os tres membros de cada una administrago.
Art. 11. Ficam revogadas as disposigoes cm con-
trario. .
Os meus ministros e secretarios do estado dos
negocios das diversas repartieses assim o tenham
entendido e facain executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 22 de outubro de
1864, 43 d.n Independencia e do Imperio. Fran-
cisco Jos Furtado.Jos Liberato Barroso Car-
los Carnciro de Campos.Joo Pedro Das Vieira.
Henrique de Beaurcpare Rohan.Francisco Xa-
vier Piulo Lima. Jesuino Marcondes de Oliveira
S.
ful
GOYERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 15 de novembro de ISfii.
OITieio ao Exm. conselheiro Bernardo de -'ouza
Franco, presidente da provineia do Rio de Janeiro.
Pelo sen olicio de 3 do correte, liquei inleirado
de haver Y. Exc. nessa data prestado juramento e
tomado posse do cargo de presidente dessa provin-
cia, para o qual foi nomeado por carta imperial de
20 do mez prximo findo.
Dito ao lixm. I)r. Luiz Antonio Barbosa de Al-
meida, vicepresidente da provincia da Bahia. -
Picando inteirado de haver V. Exc. na qualidade
de 3o vire-presidente assumido a adminislraco
jffl-
mento dos encargos da verbajustiga de l1 ins-
tancia, exercino de 1863 1864 : assim o declaro
V. S. para sea conhecimento.
Dito ao mesmo.Remeti por copia V. S. para
ter execuco na parle que Ihe toca o aviso expe-
dido pela reparlico da guerra relativamente a
consignagao de 145 mensaes que deixou de sen
sold na cdrle o tenente do 2 balalhao de infanta-
ra Joo Pedro Correa
Dito ao mesmo.Expega V. S. as snas ordens
para que na recebedoria de rendas internas arre-
cade a importancia das despezas que segundo a
nota por copia inclusa tem de pagar o padre Je-
ronymo Jos Pacheco de Albuqoerque Maranho
para obtengan do seu titulo de vigario collado da
freguezia de Nossa Senbora da Conceigo da'cida-
de de Nazareth.Officiou-se neste sentido ao pre-
dilo padre.
Dito ao mesmo.Remello por copia a V. S. pa-
ra seu conhecimento e devidos efTeitos o termo de
contrato que assignou o padre Joas Yertuliano
Cursloo de Macedo para exercer o seu ministerio
no presidio de Fernando em substituido ao padre
Jos Lopes Das de Carvalho.Communicou-se ao
coronel commandante das armas.
Dito ao mesmo.Remetto incluso o requerimen-
to do tenente do 7o balalhao de infamara Seve-
riano Rabello da Silva Pereira para que V. S. pro-
videncie convenientemente no sentido de ser abe-
nada em os devidos tempos a consignagao de dous
tercos do respectivo sold que esse ofJQciat preten-
de deixar nesia provincia para ser entregue a seu
procurador Francisca Ignacio Pinto.uommuni-
cou-se ao coronel commaodante das armas.
Dito ao mesmo.A vista do requermento que
aqu ajumo mande Y. S. abonar cm os devidos
tempos a consignacao que pretende deixar do res-
pectivo sold nesla provincia, o capito do 7o bata-
iho de infamara Joo Antonio Cardoso para ali-
mentos de sua familia a contar do 1" de dezembro
vindouro em diante.Communicou-se ao coronel
commandante das armas.
Dito ao mesmo.AulorisoV. S. a mandar abo-
nar em os devidos tempos a consignagao que, se-
gundo o requermento incluso, pretende deixar de
seu sold nesla provincia o alferes do 1 balalhao
de infamara Felisberto da Costa Correa para ser
entregue a seu procurador Antonio Jos de Olivei-
ra Miranda.Communicou-se ao coronel comman-
dante das armas.
Dito ao mesmo.-Em vista da conta junta em
duplicata, que me foi remettida com officio do di-
rector da reparlico das obras militares datado de
12 do crreme, e sob n. 179, mande V. S, pagar
Joaquim Jos Ferreira Penha, quando houver cr-
dito, e nao se dando inconveniente, a quantia de
46260O rs., a que se julga com direilo por ter
concertado os ladrilhos de diversos compartimen-
tos do hospital militar, e elto novos ladrilhos em
outros compartimentos, segundo consta do citado
officio.Communicou-se ao director das obras mi-
litares.
Dito ao inspector da thesonraria provincial.
Restituindo as 3 contas que vieram annexas ao seu
officio de hontem sob n. 486, da despeza na impor-
tancia de 1105400 rs., feita com o onoifoi dos
presos psbres da codeia do termo do Buique nos
mezes de julho setembro deste auno, tenho a di-
zer em resposla que, em vista do exposlo em seu
citado officio, mande V. S. pagar ae cabo Joo de
Hollanda Cavalcanti somonte a quantia de 925 rs.,
em que importa tal despeza, por ter de descontar-
se 18^400 rs. preveniente do susiento do preso
Ponciano Vergueiro Bispo, que desertor.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do P.>o d'Alho.-Expega V.S. suas ordens para
que urna guarda de honra de alguns dos batalboes
sob seu commando superior assista ao Te Deum,
que no da 21 do correute se tem de cantar na ma-
triz da freguezia de Pao d'Alho, em aego de gra-
gas pelo feliz consorcio de S. A. imperial a sere-
nissima princeza D. Isabel, com S. A. real o conde
d'Eu.Officiou-se ao director do arsenal de guer-
ra para fornecer o necessario cartuxame.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Flores. De novo remetto Y. S. o mo-
delo da relago de officraes que allude o seu of-
ficio de 17 do mez prximo findo, e idntico ao que
acompanhou a circular desla presidencia de 10 de
outubro do anno passado, aflm de que seja cumpri-
da com a urgencia j recommendada. Igual ao
commandante superior da guarda nacional de Olin-
da c Iguarasa.
Dito ao inspector do arsenal de marinha. Man-
de V. S. recolher a esse arsenal a africana livre
Emilia e urna filha de nome Loun-nga, al que
pela reparligao da polica sejam expedidas as res-
pectivas cartas de emancipagao.Communicou-se
regente do recolhimento de Goianna, onde se
achava a africana de que se irata.
Dilo ao capito do pono.De conformidade com
o disposlo no aviso da reparligao da marinha de 3
em meu officio de 3 de agosto ullimo, tenho a di- que roandasse celebrar por sua mulher as missas.
zer a Vmc. que convoque extraordinariamente o de corpo presente que se pudessem dizer, tendo |
referido conselho para o dia 13 de dezembro pro- apreseniado V. Rvraa, no dia seguinte urna certi- .
ximo vindouro, que para isso designo, afim de to- dao de quatorse missas de corpo presente, cuja!
mar conhecimento das reclamagoes que tenham total importancia recebeu do mesmo Custodio :
deixado de ser attendidas pela junta revisora da Tendo sido notorio a este que nenhuma missa
freguezia de Aguas-Bellas, *e celebrara naquelle dia por tal tengo, o haven-
Dito ao gerente da companhia Pernambucana do-me elle, repassado de d*r e de consternagao,
Por conta do ministerio da guerra mande Vmc. apresenlando pessoalmente umaquelxa neste sen-.
dar passagem para o presidio de Fernando no va- tido, lamentando, nao o dinhero que havia dado,
por Persinunga ao capellao do mesmo presidio porm os suffragios que haviam faltado alma da
Joas Vertuiiano Cursino de Macedo, bem como a sua fallecida consone :
sua bagagem. Tendo eu offlclado Y. Rvma. no aia 7 do cor-
Portaria.O presidente da provincia atlendendo rente, afim de que respondesse grave aecusagoj
Cadeiras.
16 do sexo
m a s c u-
lino.
3 do sexo
feminno.

409
49
438
Urna cade-ra por habitante. l'm alumno por habitante.
2.518 1 por 88
13,433 2,121 1 por 600 1 por 77
A idade escolar, de 6 a 15 annos, regula o sti-
mo de urna popularao.
ao que requere" o guarda aconai da 6' compa- que se Ihe fazia, e no'improrogavl prasodelres Sendo a do Amazonas de 40:300 habitantes, te-
nhia do 3 batalho de infamara deste municipio, das me apresentasse a certidao de cada um dos _
Antonio Ferreira dos Santos, resolve conceder-lhe Rvds. sacerdotes que no referido dia haviam cele-
ir ao centro da pro- brado missa de corpo presente pela alma da fal-
lecida mulher de Custodio Manoel Gongalves :
Havendo eu remettido este offirio pelo escrivo
do juizo ccelesiastico, Manoel Pereira Brando, e
tendo ha muito espirado o praso dos tres dias que
em dito officio Ihe marquei, sem que V. Rvma.
to : e no da receita, s obras feilas para destino da
casa e uso dos proprios educandos.
Tendo lindado com o exercicio a consignago do
auxilio de 2005000 mensaes, prestado polos cofres
gentes em favor do esiabelecinienio, por conia da
verbaCaiechese e civilisago dos Indios,acabo
de mandar facer elleciiva, sob minha responsabli-
dade, a referida prestago neste novo exercicio.
Tenho entre mos a reforma do regulamento de
26 de margo de 1858, para o que foi autorisada a
presidencia pela le n...
(Continuar-se-ha.)
seis mezes pe licenga para
vincia.
Dita.O presidente da provincia tendo em vista
o que requere Jesuino Pinto de Meirelles, 4o es-
criptuario em commisso na altandega desla capi-
tal, e bem assim o que a esse rospeito informaram
as repartigSes competentes, resolve conceder-lhe haja cumprido o que Ihe foi ordenado :
um mez de licenga com o vencimonlo de quatro Nao sendo possivel que fique impune um tacto
quintas partes do respectivo ordenado, para ir desla ordem, que alm de criminoso, retardaos
provincia das Aiagoas tratar de seus interesses. suffragios s almas dos finados, c se tem tornado
Dita.O presidente da provincia resolve nomear publico nessa cidade, c querendo eu conciliar a
o Dr. Augusto Carneiro Monleiro da Silva Santos justiga com a equidade :
para o cargo de membro do conselho director da Tenho resolvdo, por ora, suspender a \. Rvma.
instruegao publica.-Communicou-se ao director do exercicio de suas ordens por espago de quatro
ral. mezes, que devem ser contados do da em que
Dita.O presidente da provincia resolve nomear V. Rvma. restituir a esmola das missas que se nao
effeclivamente a Raymundo da Silva Maia para o celebraran], (indos os quaes me requerer para eu
lugar de agente fiel de deposito e pagador da re- resolver o que for de justiga, esperando que esta
partigao das obras publicas.-Communicou-se ao penna correccional, advertindo a V. Rvma. da san-
chefe inlerino da repartigao das obras publicas. idade do seu ministerio, o far para o futuro
Expediente do secretario do govemo do dia 15 de absier-se de praticar aegeslao improprias.doi ca-
novembro de 186-1.
Officio ao Exm. Dr. Tito Franco de Almeida, di-
I'opulaco absoluta.
40,300
BX
IJado escolar de ambos os
sexos.
5,737 meninos de 6 15
annos.
Ora, exislem as escolas publicas e particulares
Logo, nao recebeu instruegao 5.235, ou apenas
a recebe menos da duodcima parte da popula-
gao.
Este resultado, que alias nao deve ser acceito co-
mo exacto, pois nao merecem inleira fe os mappas
dos professores, base nica do calculo, est ainda
assim muiio longo de ser lisongeiro.
Nos paizcs inais adiantados da Europa, na Fran-
ga, por excmplo, a proporgo enlre o eusino o a
populago aproximadamente de um alumno por
PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA.
Pelo ministerio da agricultura, commercio e obras
publicas foi publicado o seguinte decreto n. 3,324,
em data de 23 do passado, approvando as condi-
goes para novago do contracto com a companhia
Pernambucana.
Hei por bem approvar as condig5es que, para
execuco da le n. 1,232 de 10 do mez passado, e
novago do contrato com a companhia Pernambu-
cana de navegaran costeira por vapor, com este
baixam, assignadas por Jesuino \ Marcondes de Oli-
vtira e S, do meu conselho, ministro e secretario
do estado dos negocios da agricultura, commercio e
j obras publicas.
enze habitantes. Na Prus.Ma a relagao 6 anda mais Falac0 do lll0 de janeir0 em a de outubro de
ravoravel; chega a ser de um por seis. 1,8Cij 4a, da independencia e do imperio. Com a
A differenga como se ve, enorme. Porm on- rubrjca de sua magesUwJe 0 Imperador.-Jesuino
de ella mais avalla e no prego do ensino. \ Marcondes de Oiveira e S.
dessa provincia, como me commumcou cm seu o.- ------r --r,--
ci de 3 do crreme, asseguro V. Exc. que terei 1 do crreme, recommendo a Vmc. que remeta ao
sempre o maiorempenho em rumprir suas ordens, quartel general de marinha no primeiro vapor que
quer sejam relativas ao servigo publico, quer ao
particular de V. Exc.
Dilo aoExm. Dr. Joaquim Florencio de Toledo,
8" vice-presidentc da provincia de S. Paulo.Pelo
seu officio de 24 de outubro ultimo,fiquei inleirado
de haver V. Exc na qualidade de seu 5" virc-pre-
sidente, assumido naquella data a adminislraco
dessa provincia.
Dito ao Exm. vsconde da Boa-Vista, comman-
dante superior da guarda nacional do Recife.
Sirva-se V. Exc. de informar acerca do que solici-
ta o Dr. chefe de polica nos dous cilicios ns. 1420
e 1425 que aqu ajunto, datados de hontem.
Dito ao coronel commandante das armas.Re-
metto inclusos o officio do inspector da thesourara
de fazenda, datado de hontem, e a tabella a que elle
al lude, ila etapc para as pracas dos corpos em gnar-
nigao nesta provincia, do pao alvo para os doentes
das enfermaras e da forragem para a companhia
de cavallaria no semestre de Janeiro junho do
anno prximo vindouro, afim de que V. S. informe
sobre o arbitramento desses vencimentos.
Dito ao mesmo.Remetto inclusos V. S. os
processos de conselho de guerra fetos ao cabo de
esquadra Antonio Coulinho Serpa e dos soldados
Joo Francisco da Costa e Jos Anselmo Damio,
este do 4 batalho de artilharia p, e aqnelles
do 9* de infamara, afim de serem cumprdas as
sentengas proferidas pelo conselho supremo militar
em ditos processos.
Dilo ao mesmo Pode V. S. mandar recolher ao
9 batalho de infsntaria, como propz em seu of-
ficio n. 2087 desta data, as pracas que esto desta-
cadas em Olinda, visto j ter-se apresentado na-
quella cidade o destacamento da guarda nacional
que deve subsMuir as referidas pragas.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Reeoramendo V. S. que nos termos de sua nfor-
macao de hontem, sob n. 654, dada com referencia
a d confadona dessa thesouraria, mande liquidar
para ser paga opporlunamcnte, a quantia de 125
a que se est a dever a Ihomaz Tavares de Mo-
raes, proveniente de sanguesugas que allugou pa-
ra serem applicadas ao capitao da guarda nacional
Joaquim Antonio Seve quando em tratamento no
hospital militar, visto pertencer essa divida ao
exercicio j encerrado de 1862 a 1863.
Dito ao mesmo.Communicando-me o Exm.
ministro da justiga em aviso de|28 de outubro iV\j.
timo, haver solicitado do ministerio da fazemJa^,
expedigao de ordens para ser posta nessajh^jQy.
raria a quantia de 3:0005 para occorr^J; paga.
passar do norte, para o que ficam expedidas as
convenientes ordens, o recrutaao Jos Pedro de
Albuquerque Lima, afim de examinar-sc se elle
com effeito desertor da armada como se suspeila.
Expediram-se as ordens de que se trata.
Dilo ao director do arsenal de guerra.Enve-
me Vmc. com brevidade, afim de ser ministrada
ao Exm. presidente das Aiagoas urna relago dos
pregosdos objectos de artigos bellicos de que trata
o officio constante da copia junta.
Dito ao mesmo,Mande Vmc. recolher aos ar-
mazens desse arsenal os objectos mencionados na
relagao inclusa, os quaes foram dados em consu-
mo no 7 batalho de infaMtaria, segnndodeclarou-
me o coronel commandante das armas em officio
n. 2,035 desla data.Communicou-se ao coronel
commandante das armas.
Dito a cmara municipal de Garanhuns.Re
commendo a cmara municipal da villa de Gara-
nhuns que mande extrahir do livro competente e
remllame com toda a urgencia copia das actas
de todo o processo da eleigo de julzes de paz e
vereadores a que se procedeu na freguezia desse
municipio no dia 7 de selembro ultimo.
Dito ao procurador fiscal da thesouraria de fa-
zenda.Para cumprimento do disposto no aviso do
ninisterio da agricultura, commercio e obras pu-
blicas, de 29 de outubro ultimo, envie-me Vmc.
com brevidade copia do officio que dirigi a repar-
ligao da fazenda em 31 de agosto deste anno, re-
lativamente a terrenos pertencenfes a aldeiamentos
de Indios.
Dilo ao juiz municipal da primeira vara desta
cidade.Com copia do officio do presidente das
Aiagoas, de 17 de outubro ultimo, remello a Vmc.
rector geral da secretaria de estado dos negocios
da justiga.De ordem de v Exc. o Sr. presdeme
da provincia aecuso recebido o officio de 26 de
outubro ullimo em que V. Exc. commuaicou ler
entrado no exercicio do cargo de director geral da
secretaria de estado dos negocios da justiga.
Dito ao coronel commandante das arma<.O
Exm. r. presidente da provincia manda declarar
a Y. S., em resposla ao seu officio n. 2,030 de 14
do crreme, que por despacho desta dala autori-
sou-se o director do arsenal de guerra a satisfazer,
nao havendo inconveniente, o pedido de vestuario
para o sentenciado militar Francisco Antouio da
Silva.
Dito ao director geral da instruegao publica.
De ordem de S. ,Exc. o Sr. presidente da provincia
communco a V. S., que, segundo coastou de offi-
cio do delegado Iliterario de Ingazeira, de 26 de
outubro ultimo, prestou juramemo e entrou em
exercicio no dia 14 daquelle mez o professor pu-
blico inlerino do districto dos Afogados Jos Tho-
maz ilo Amara I e Mello.
Dito ao capito do porto.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda aecusar recebido o officio
de hontem, sob n. 102, em que V. S. Ihe commu-
mcou naver assuiuldu o oxereieio da oapilao da
porto.Communcou-se a thesouraria de razeoda.
Dito ao engenheiro Jos Carneiro da Rocha, aju-
danie do engenheiro fiscal da estrada de ferro
Tendo o governo imperial concedido a Vmc. em
24 de outubro ultimo, 2 mezes de licenga com
vencimentos para tratar de sua saude, S. Exc. o
r. presdeme da provincia assim Ih'o manda com-
municar, afim de que solicito nesta reparligao a
respectiva portara,
Despachos do dia lude novembro de 186!.
Requerimentos.
D. Amalia Francelina dos Res Campello. Km
vista da informagao nao tem lugar o que requer a
supplicante.
Andr Avelino Sobreira de Mello.D-se, haven-
do lugar vago.
Padre Antonio Generoso Bandeira. Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Francisco Ursizino Paes de Andrade. Informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Jos Jeronymo de Souza Limoeiro. Iuforme o
Sr. deseabargador procurador da cora.
Jesuino Pinto de Meirelles. -se, havendo
vaga.
Josepha Maria do Espirito Santo.-Dse, haven-
do vaga.
Joaquina Maria da Conceigo. D-se, havendo
vaga.
Precisa-se de um rapaz de 12 annos mais ou
menos, para una luja de fazendas : no caes de
Apollo n. 17.
G01En\0 DO BISPADO DI2
PERNAMBUCO.
SEDE \\a\lr,
.Novembro de 186-4.
Expediente do dia 13.
Officio ao vigario de Cajazeiras.Tenho presen-
te o seu officio de 21 de setembro, que s agora
me chegou s mos, pelo qual V. Rvma. me infor-
ma que, apresentando-se-lhe uns oradores vaga-
bundos, denominados ciganos, c oblendo dispensa
(por V. Rvma informada) do segundo grao de con-
sanguinidade em queseachavam ligados, V. Rvma
os cazara sem preceder licenga minha ; apresenta-
me as causas que o levaran) a assistir a esse con-
sorcio, c me pedo que Ihe perdoe se acaso com
esse acto commetteu um erro.
racter sacerdotal. Assim Ih'o coinmunico, pois
para sua intelligencia.
Dilo ao vigario da Boa-Vista.Tendo eu nesta
data suspendido do exercicio de todas as suas or-
dens, por tempo do quatro mezes, ao Rvd. Fran-
cisco Alves de branles, assim o communco a
V. S. para sua intelligencia, afim de nao consentir
que o dito sacerdote exercile acto algum de seu
ministerio sacerdotal na freguezia de que V. S.
digno parocho.
Iguaes aos Rvmos. vigarios de Santo Antonio,
S. Jos, e Recife, e aos superiores dos tres con-
ventos da niesma cidade.
Dilo ao vigario da freguezia da Imperatrz.
Aecuso recebido o seu officio de 30 do prximo
passado tendente ao preenchimento da freguezia
de Port'Alegre, e de ludo fleo inleirado : sendo
que, como ja Ihe ha de ter constado esl por mim
provida de parocho encommendado a menciona-
da freguezia.
Devolvo-lhe os documentos particulares que me
mandou.
Dito ao vigario de Penedo. Tenho presente o
officio de, V. Rvma. datado de 10 do correte, no
qual me communica ler expirado sua proviso de
vigario encommendado dessa freguezia, e me pe-
de que d as providencias que julgar conveniente.
Em resposla tenho a determinar-lhe que pode
cimtinnar a reger dita freguezia, devendo, quanto
afcicj, mandar solicitar a competente prnvUao do
vigario encommendado.
( Dito ao vigario da vara de Penedo. Aecuso
recebido o seu officio do Io de outubro prximo
passado no qual solicita de mim providencias so-
bre as juslificagoes de casamenlos, bitos e bap-
tisados, bem como nova proviso de vigario da
vara da comarca de Penedo, e em resposta Ihe de-
claro que quanto a proviso, pode V. Rvma. con-
linuar a exercer o cargo de vigario da vara nessa
comarca, deveodo quanto antes mandar solicitar
o competente Ululo. Quanto as juslificagoes de
baplismo, casamentos e bitos, havendo extrema
urgencia, pode V. Rvma. sentencia-las.
Incluso devolvo a proviso finda, que Y. Rvma.
enviou.
As 18 cadeiras de instruegao publica da provin-
cia, como acabamos de ver, oslao na razo de urna
por 2,121 habitantes.
Com o ensiuo primario despendeu a provincia
no semestre decorrido 6:2905000, razo de......
12:3805000 aiinualmeote; de modo que nesse pra-
zo custou o ensino de cada alumno 135733.
Resumindo, lem a provincia urna cadeira para
2,121 habitantes, frequenlada por um alumno so-
bre 77 habitantes, e cusiando a educago de cada
um 275466 rs. por anno, desproporgo infinita cora
o prego que se observa as estalislicas da Europa,
onde a instruegao elementar nao excede de 2 fr. e
poucos cent, nos paizes em que mais alto sobe o
seu custo.
Ensino secundario.
As ditferentes aulas que compunham o curso do
lyceu foram frequentadas por 54 aiumnos, o que
da um alumno por 746 habitantes.
Com este tamo ds ensino despendeu a provincia
durante o semestre 2:1005000, ou 385888 rs. por
cada discpulo secundario, que vem assim a custar
por anuo 775777 rs., despresada a fraegao desle
como dos demais clculos.
Casa Tendo obtido em dala de 30 de abril a exonera-
gao que pedio do cargo de director o cidado Al-
varo Botelho da Cunha, nomeei para substitui-lo o
major Arvstides Ju:-lo Mongnier, que j dera pro-
vas de grande aptido para e>te mistar quando es-
teva na gerencia interina do estabelecimento por
occasio de sua inaugurago.
A SUa uuva amiuislra^u vao oorrocpondoudo
ao conceito que Ihe valeu a primeira.
Oestabeleeimenio se desacreditara a ojhos y.s-
tos, por falta de urna zelosa direego; e nao sei -e
anda existira em p, a nao llie baver acudido
lempo com o remedio que c salvou.
Bojf, sinto a mais viva salisfago em assegurar-
vos que se acha regenerado, e cello prestara pro-
vincia todo o beneficio de que capaz, e leve em
vistas o seu Ilustre fundador.
Chamo a vosta alinelo para o que expoe e re-
AlIAKOV%$.
lela torio apreseelado assembla leyislaliva da
provincia do Amazonas, na srssao ordinaria do
lde outubro de 180 i, pelo Dr. Adolpuo dr
Barros Cavalcanli de Albuquerque Lacerda, pre-
sidente da inesina provincia.
(Conlinuacao.)
Ensino primario.
Nao foi augmentado o numero das escolas, que
contina a ser de 25, sendo 5 do sexo feminino e
20 do masculino.
Destas exislem providas 16; mas s urna, a de
villa Bella, o vitaliciamente. Daquellas apenas
3 o esto. Vitalicia tambem a professora da ca-
pital.
V-se, pois, que de 19 professores que conta ac-
tualmente a provincia, nicamente 2 sujeilaram-se
prova de capacidade.
O argumento que se pretenda inferir d'ahi con-
tra a idoneidade de grande parte des mestres nao
parece fra de razo. ^^^ '
No rclatorib desta reparligjjp^ericontrareis as al-
teragoes que se deram^pguadro dos professores
durante o ultimo s>.-3pre.
E' urgente v"3 a"jn do augmento do crdito des-
Condicdes a que se refere o decreto n. 3,324 de 23
de outubro de 1864.
i.' A companhia Pernambucana de navegaco
costeira a vapor continuar a perceber por espago
de mais 10 annos, contados do da 2 de setembro
de 1863, datada approvago dos seus ltimos esta-
tutos, a raesma subvengo de 84:6005000 annuaes,
que presentemente recebe do estado, em virtude do
contrato de 22 de novembro de 1854.
2.' Ao govemo imperial tica o direilo de desig-
nar as escalas que devero fazer os vapores da
companhia dentro dos limites extremos da sua li-
ona de navegago
3.* A companhia continua sujeita a lodos os onus
e obrigagoes dos contratos vigentes.
Palacio do Rio de Janeiro, em 23 de outubro de
1864.Jesuino Marcondes de Oliveira e S.
Por acto da presidencia de 16 do correte,
foi approvada a deliberago do conselho director
da instruegao publica, no sentido de compor-se a
commisso de exames do Curso Commercial Per-
nambucano, do director geral, do professor respec-
tivo de cada cadeira c de mais outro.
Em consequencia disto, foi designado para esle
ultimo lugar o r. Dr. Antonio Witruyio Pinto
Bandeira Accioli de Vasconcellos, em cujos impe-
dimentos funccionar o Sr. Dr. Francisco Pinto
Pessoa, segundo deliberagi do Exm. presidente.
Teve lugar aomingo 13 do correte, em ses -
sao solemne da assembla geral, a posse do conse-
lho administrativo da Sociedade Monte-Pio Popular
Pernambucano, o qual se coinpoe dos seguintes se-
nores :
Director.Rufino da Cosa Pinto.
Vice-direclor. Olegario Francisco Mendes.
j 1. Secretario.Bernardo Falco de Souza.
| 2 Dilo- Jo< Ribeiro da Conceigo.
, Orador.Joao Xavier e Silva,
i Thesoureiro.-Theodoro Antonio de Jess Borges-
Vogaes.
| Capitulino Joo da Rocha.
i Capitao Joo Francisco Marques.
Luiz Gonzaga de Menezes.
clama o direclor no rclatono que me dirigi e vos i VicUirino js,i jos Pasaos.
se.a presente. Manoe, Jos de Assumpgo.
B indispeiisavel levar a elleito as obra* de que Joio Bat,,sla da Si|va i>raxedcs.
Irregularmente obrou Y. Rvma porque devia uuado aocrorrer-Jgdespezas das aulas,coosigm-is
saber que os parochos nao podem receber em
matrimonio os vagabundos sem licenga por es-
cripto do ordinario ou do provisor do bispado, sob
pena de suspenso do officio a arbitrio do mesmo
ordinario, como determina o Concilio Tridentino
sess. 24 cap. 7 e a constituigo diocesana n. 299.
E nem o podem desculpar os pedidos e instancias
a que V. Rvma. ceden., pois jamis deve um na^
rocho attender a pedidos que involvam de^Tia '
parle formal Infracgo da lei. ,
Attendendo porm ingenuidade cogf que V. |
Rvma. exp5c lodo o occorrido, attenrdo des-
culpa que pede para a falla eKrqfo cahiu, eu o
absolvo da pena em que incornrfifdvertindo-o que
deve abster-se de commetj nha gravidade.
Devolvo a dispensa de parentesco a lim do ser
convenientcment-archivada.
Dilo ao yigafo de Papary. Pelo seu officio de
o do corrcjrte fleo Inleirado de que V. Rvma. se
acha .Dessa capital do Rio Grande do Norle na
una vetba par^erem ellas furnecidas dos movis
e utensilios 2R6 indispensaveis, e de que todas,
prihcipalovffe a do sexo masculino da capital, sen-
tem ab&Hft necessidade.'
Fffuenlaram as aulas durante o semestre pas-
sad5458 alumnos, a saber :
Meninos... 409
Meninas... 49
Total.
458
das es'
Nestes ires ltimos annos, o movimenlo
colas tem sido o seguinte :
Annos. Alumnos.
1861 456
1862 465
1863 421
A Irequencia no semeslre ultimo, se nao atlingio
eilra do anno de 1862, excedeu todava a do de
1863 e mesmo a do de 1861.
Afora urna escola que existe na villa de Borba.j
precisara lauto o edificio principal como os dous
outros em que trabalham as offlciuas.
A do lado do poenle deve ser destinada habi-
tago do director, enfermara, arrecadagao e algum
outro misier como esle.
Contando com o vosso empenho em que prospe-
re to til estabelecimento, maudei organisar o or-,
(amento das obras necessarias, para que vista
delle possaes mellior resolver respeito.
l'rge tambem provar acquingo de instrumen-
tos e utensilios para as diversas ollicinas, despro-1
vidas actualmente das que mais indispensaveis!
Ihes sao.
O pessimo estado do instrumental da msica mo-
veu-me a aniicipar-me vossa solicitude, man-
dando vir de Pernambuco o de que a banda preci-
sava.
A quantia de 2:0005000, que para esse lira
mandei i or disposigo do Exm. presidente da-
quella provincia, foi superior ao cusi dos que j
chegaram e esto inuilo a meu contento.
Como esta, autorisei ouiras despezas que nao po-
diain ser adiadas, e que espero approveis.
Cuido de contraciar um ine-iie paiaaollicina de
ferreiro, que dsso acha-se privada desde que, por
amor da boa ordem e disciplina, tomei a delibera-
gao de fazer retirar d'ali c passar disposigo do
juiz da-- execugoes o comdemnado allemao Gui-
iiierme Blajins, gne desempenhava aquella func-
cao. -
!;' nolavcl que em um estabelecimento desta or-
dem, destinado educago de jovens artistas, ser-
vissem de mestres dous gales, sendo um delles da-
do em excesso ao vicio da embriaguez 1
Acompanho o pensamento do director quando
pondera a conveniencia de substituir a offleina de
chapeos de palha, de que nenbum proveito se lem
colhido, nem de cerlo se colher, por outra de tor-
neiro ou de laloeiro.
A offleina de chapeos nao promelte resultado ra-
voravel : primeiro, porque deponde da materia
prima, a palha bombanassa, cuja culiura fura pre-
ciso inlroduzir e propagar previamente no paz, o
que nao fcil emuma provincia onde todos fogem
da agricultura, ainda a mais commoda e suave,
para se entregarem exiraego dos productos sil-
vestres ; e segundo, porque nao poder a industria,
a que ella se refere, levar to cedo vantagera a
concurrencia do Per, onde esssa mesma industria
floresce ha muito tempo
Exislem a.-.lualmente 39 educandos distribuidos
do seguinte modo pelas differentes officinas :
Ollicinas de Numero dos educandos
Marcineiro............ H
Commisso de exame de contas.
Francisco de Paula e Silva Lins.
Luiz Francisco de Albuquerque Mello.
Joo Fernandes da Cruz.
Fizeram actos na Faculdade de Dlrcito no dia
15 do crreme os seguintes estudaotes :
i nno.
Francisco Odilon Tavares Lima, plenamente.
Venancio de Oliveira Ayres, simplesmenle.
Jos Roberto Vianna Giiilhon, idem.
Arminio Adolpho de Ponies e Souza, idem.
Manoel Gomes Viegas, idem.
Antonio Manoel de Sampaio Jnior, reprovado.
Jos Jorge de Siqueira Filho, simplesmente.
Marcolino Pinto Cabial, idem.
Agesi'au Pereira da Silva, plenamente.
Augusto Egydio Caslro de Jess, idem.
Vicente de Souza Queiroz Filho, simplesmente.
2o anno.
Jos Francisco l'choa Cavalcanti, plenamente.
Joaquim Antonio de Magalhes Caslro Jnior, idem.
Clemente de Oliveira Mendes, idem.
Barlliolomeo Tcixeira Palha, idem.
4" anno.
Tiburlino Barbosa Nogneira, plenamente.
Luiz Antonio Ferreira Souto, idem.
Jos Tliorn da Silva, idem.
Miguel Augusto do Nascimento Feitosa, idem.
Jos Francisco de Araujo Lima, idem.
Jos Francisco de Barros Reg, idem.
5' auno.
Francisco Justiniano Cesar Jacobina, plenamente.
Raimundo Mendes de Carvalho, idem.
Anlonio Pinto Nogueira Accioli, itcm.
Joo Alves Mergulho, idem
Resultado dos exames feitos no curso de pre-
paratorios annexo Faculdade de Direilo no dia
14 do correte :
Francez.
Plenamente...... 4
Simplesmente----- 5
Reprovado....... 3
os esclafecimentos ministrados pelo juiz municipal! frfidade de deputado assembla dessa provin- a respeito da qual nao possuo informages, o ensi-
do termo de Quebrangulo daquella provincia.acer^fcfa ora em exercicio. Fico igualmente scienie de no particular reduz-se a trez aul
ca do sentenciado pertencente a ella, Luiz,Lopes
Rodrigues, existente no presidio de Fer/tQi'ao ; e
desle modo lira satisfeito o que Vmiv.'8citou
seu officio de 4 de maio do anno crtente.
em
que, durante a sua ausencia da freguezia de Pa-
pary fica na administraco da mesma o Rvd. Ra-
silio Freir Navarro.
Dito ao capellao da colonia Leopoldina.Tenho
Dito ao mesmo.Remello jactso por copia o I presente o seu officio de 12 do corrente e para de-1
decreto de 15 de outubro {timo, sommutando na liberar sobre o que nelle me consulta cumpre que :
pena de 4 annos oVgss a de 8 annos, que foi me remeta a aulorisago que leve do Exm. bispo
Emposta a lie:-n>v-jno da Costa Leite por sentenga fallecido.
do jurydeS capital de 30 de novembro do anno 16
passado'. Jdm de que Vmc. faga cumprir o refer- Officio ao padre Francisco Alves de branles.
do d^rto I Tendo fallecido no dia 27 de outubro prximo pas-,
>'Dito ao'juiz municipal do Buique.Inleirado!sado a mulher de Custodio Manoel Gongalves, e Iota- *"*. . onu|a.
pelo seu offlciode 3 do corrente, de nao ter func tendo-se V.Rvma. offerecido aeste parajmandar di-, A proporcac^ntr as aulas publicas e Popula
donado, pelas razoes nelle declaradas, o conselho zir missas de corpo presente com a esmola de dous gao, avahada era 40.300 habitantes, aa .eguime
municipal de recurso desse termo no dia designado' mil ris, e havendo dito Custodio recomraendado resultado.
capital, das quaes urna do sexo masculino, e duas
do feminino; aquella com a frequencia de 46
alumnos, e estas com a de 18 discpulos, ao to-
do 64.
Reunido este numero ao dos que concorreram
s escolas publicas, v-se que receberam ensino
durante o semestre 322 meninos de ambos os se-
xos, dividindo-se em
Alumnos.. 455
Alumnas.. 67
Philosophia.
Plenamente......
Simplesmeute.....
Reprovado.......
Livreiro...
Ferreiro.
Alfaiate....
Sapateiro..
Cnapelleiro.
I
.'i
9
7
39
A aula de msica frequentada por 26 destes
alumnos e a de primeiras leliras por todos os do
estabelecimento.
A receita deste, no semestre decorrido, foi ue
2 5425493. incluida a quanlia de 275498 perten-
cente ao exercicio de 1862 1863 e arrecadada no
que arabou A despeza, no mesmo periodo, mon-
teu 2:5395920. Da eonfrontaco destas duas
cifras resulta em favor da que se refere receita
um saldo de 25573.
Convrn attender, no calculo da despeza, para a
compra de materiaes e objectos fra do ordinario,
e de que foi indispensavel prover o estabelectmen-
(/
12
2
6
4
12
Geometria.
Plenamente..... 4
Simplesmente...
Reprovado...... 1
12
Hoje faz leilo sem limite o agente Almeida,
da casa de bilhar da ra do Imperador, junto a
ordem de S. Francisco.
0 ^r. Antonio da Silva Ramos dirgenos a
seguinte carta, solicitando-nos a publicago de ou-
tra a que servia ella de capa :
Coimbra, 23 de outubro de 1864.
i Presadissimo patricio e amigo.
f Fiado na bondade de V. S. para com todos, e
qoe o julgo capaz de se eslender aos patricios ausen-
tes ; por isso o encommodo rogando-lhe o favor de
bar publicidade a inclusa cartinha. que assim d-
selo que seja lida pelas pessoas d'essa trra, para
maior prova de gralido para com esse bom irroo.
Desejo que V. S. e sua excellenlissima familia em
geral, usufruam a mais complet fellcidade, po-i
que preso-me de ser com estima e respeito de \.

MUTILADO


DESIGUALO DE DI*.
da para julgamento
dos seguimos
Al ves
S. patricio o amiga abrigadsimo.Antonio da
Silva Ramos. Assignou-se
Coimhra, 23 de outubro de 1864. feitos :
Querido mano Joao da Silva Ramos.De certo ju ameiiacdcs crime*
dcves Ucar sorprehendido, quando vires qae por Appellante, ojulzV; apellado* Bazilio
este paquete nao recebes carta minha, e que no! Correia e oulros uazino
outio da vires esta reduzida a lettra redonda. Appellante, o juizo ; appellada Paulina l
Nao te admires, nem pasmes, por que o caso nao ger. "wwww, rautraa Klin-
para lamo. Depois gue deiiel essa minha sempre Appellantes, o raizo e Antnnin h, r -
lembrada patria, lenho reeebido de ti, as provas, appellados, o juiz!e Flix 2iLL Co,ce,5aJ
mais cabaos de verdadera amisade fraternal. Non- Appellante, o juizo anneliad., Tii-. v
ea fas pude pagar, por que nunca me occupaste' iario da Rocha. appellad> Tertuliano Na
em rasos semelhantes ; mas, o qoe certo, que a I Appellante, o iuiza -------- ,
divida eslava em aberlo, era mlster paga-la, se de Sauta A.,.', J **>. Joao Lourenco
Piarte U *Mmmmm ... exia reir i de \ovfmbro de tt4.

oppoz-se ao sou seguimento por oecaslao de Ihe tem sen nrwtimn , ~ 7"
irem os autos para responder minnta dos aeeri- vants ou para reparar o aggravo, ealeono adilhar aditZa ? ni^,'^ ""fi""'!
condemnou os.aggravantes as costas JR fresca,""vu'tS'meTSSo KSS
ao sen advogado.
Recife, 14 de outubro de 18G4.
Eslava assignado pelo presidente do mesmo
tribunal do commercio.
ral, e la rae
oras e
entrelenbo por desfastio em comer
nao ii lotiim, ao menos in parlibus. Por tanto,
pedindo-le desculpa da oflenca qoe fago a tua mo-
destia, direi, que so da maoeira mais publica
que desejo agradecer-te em meu nome, no de mi-
nha mnlher e Mines a tua Ineratavel franqueza, e
eavalht'irisrao pira comigo no ultimo negocio em
que izi-sto o favor de seres ura de meus gratuitos
procurador.
O rasgo de toa generosldade para comigo foi to
grande, lio raro em crealuras d'este mundo, cheio
de villanas c miserias, que deveria ser publicado
em lettras bem visteis para conhecimentos de to-
dos ; porem, a causa d'eu nao poder realisar este
meu ardente desejo, sabe-la tu, e por isso dispen-
sar-me-has de t*a explicar. Permitte-me que aqni
naesmo agradeca ao nosso cunhado Jos Brandao
da Rocha e ao s meu Henrique Tozer, todos os
trabamos que tiveram comigo relativamente a va-
rios negocios de que os fiz meus procuradores, e o
modo como desempenharam as procuraees.
Kecebe tu, e elles, um abraco do teu mano do
coracao.Antonio da Silva Ramos.
Gommunicam nos o seguinte :
ch.m-se depositados pela subdelegada do
de Sauta Auna.
JS?SL0aini appel,ad0' Manoe.PitaBa-:
PUBLICAGOES 1 PEDIDO.
Appellante, o juizo ;
bosa de Mello.
appellado, Martinho Bar-
.. .-... --r~ >. yuta suutiDiciMtlil uu "|'in.'ii*llli', (J
listricio de Maneota do termo de Iguarass, tres ; Almeida Calado.
eavallos, sendo um russo pombo e de tamaito re-
gular, ontro alazo, grande e o lerceiro castaoho e
tambem do lamanho regular. O segundo e o ter-
ceiro forma apprehendidos em poder do Joto Bap-
tisla do Amaral. por se suppor que sejam furtados
6 o primeiro foi encontrado vagando em urnas la-
vouras ; e assim quem tiver direilo aos mesroos
comprela na dita subdelegada que prevando o
respectivo dominio, ser-lhe-hao entregues. >
REPARTICAO DA POLICA :
Extracto da parte do dia 17 ae novem bro de
1864.
Foram recolhidos a casa de detenco no dia 16
A' ordem do I)r. delegado da capital, Cosme de
la), por ter sido encontrado nos Irilhos da estrada
de ferro, Felisberta Mara da Conceico, para cor-
leccao.
A ordem do subdelegado do Recife, Francisco
Nepomuceuo da Silva, por offensas pbysicas.
A' ordem do de Sao Jes, Mano. I Ignacio de Car-
valho de Mondonga, Serafim da Silva Santos, Cs-
ate Damio da Silva e Caeano Marques, disposi-
tivo do tepnte-coroiiel recrutador.
A'ordem do da Boa-Vista, Manoel Tavares da
Silva, por fenmento, Francisco Evaristo de Souza
Lydia tscrava de CJorindo Ferreira Cato, sem de-
clarago do motivo, Manoel escravo de Mara Joa-
quina, por fgido.
A' ordf m do da Capuoga, Rufina Mana da Con
ceico, para correcgo e Valerio escravo de Anto-
nio Cabral, por fgido.
A' ordem do do Poco, Felippa lgoacia da Silva,
para eorrergo.
A' ordem do do Peres, Jos Miguel Moreira de
Barros, a disposicao do Dr. delegado da capital.
A' ordom do de Santo Antonio, Manoel Francisco
de Souza, pjr briga,
O chefe da 2* seccao,
J. G. de Mesqua.
Movimento da casa de detenco dodia 16 de
novembro de 1864.
^WftiSFda; Neves; appe,,a-
tt^SSS p,adre Jos AntoDio dos Santos Les-
inPPH ' Jose Pin, de Magalhes.
uSSSE? ia viuva de Joao Vieira da Cunha
appellada, a fazenda.
.. PASSAGBNS
JT oesembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourengo Saatiago
As appellaroes civeis.
Appcllanle, Juvencio Soares Villela ; appellado,
Francisco de Hollanda Cavalcanti.
,ocAPpe"aDle> r- Antonio de Vasconcellos Mene-
BandeirardnSell2.; **** ^"^ AD,D
DoSr. desembargador Almeidae Albnquerque ao
>r. desembargador Assis
... A oppellarao crime.
Ln'e, o juizo; appellado, Francisco de
Uvtnhat.
J
aneja do citado ratnlaaenlo de 28 de junho faca
publicar o presente pela imprensa.
.o?lcretaria da escola normal 18 de novembro de
186*.O secretario,
Maximiaoo Lopes Machado.
Aiacahnila peitoral it Kenp.
nln "! I'."1.?168 '0SSe Pde CneRar a Ser """"a1
nao sa auihar a temno, porm eitar-sfl-ha com-
pletamewe o perigo fazeodo-se oto remedalo da
WA peitoral DBOBft a quaI mediante a
TIIEVHO
DE
S. ISABEL
un hnnrt i n -------------- d cranao-os em suas enrernmdades, manda
r artn *? nn? *enc,a ceder raP'damente a ir- convidar as pessoas que liverem escravos de ambos
"*S v.w! eS.6 8ganta, e reatabeleeer sua os sexos, e que os oueiram alogar para seme han-1
1.1 lim O n, .nt.r ....... ...________1^ J__ _^__ *
BECLABAyOES.
Santa Casa da Risericordia do Keeife,
A Illma. junta administrativa da Santa Clisa d' JSMPREZA
Misericordia do Recife, teodo de contratar serven-' (FliMlXfl 1 miMIH' t
tes para os resUbeleelmentos po a sen arco : Nao Dodendo i, ('..Y, V,nKA'
dando-lhes, alem da paga ,onvenciooada, o suste^' de Mr KSSloSLV Vu"3 em ^
to, e curando* em .mas enfermidades anda gas, brevemente "BhSrcaSo novo dia"' '
... appellardo ctvel.
an. iPei nAe> A,lt0,,' Joaquim de Vasconcellos ;
appellado, 0 dor D desembar8ador Assis ao Sr. desembarga-
A saber
lixisti.im......
liniraram.....
Saliiram......
Sxistem.......
.Xacionaes ___
Mulheres......
Eslrangeiros...
Estraogeiras...
Escravos......
Escravas......
:):16
18
18
336
267
6
9
i
48
4
336
presos.
Ai appellacoes civets.
n^lfi ei ,os Marcclino Al ves da Fonseea;
appellada, a fazenda.
nonir'u"16' ? Maria Fnwclsca dos Sanios; ap-1
penado. Manoel Joaquim Liraoeiro.
dr i vhA8e?barfador Mo,la ao Sr- desembar-
gador Uchoa Cavalcanti
A appellaqao civel.
Appellante Jo3o Carlos Barbalho da Cunha
vedo appellad0' An,i'o 'os Goncalvcs de Aze-
. J?JLr def emhargador Ucha (^valcantl ao Sr.
aesembargador Dominguos da Silva
As appellaroes ctveis.
Appellanles, Santos d Holim ; appellado, Jos*
Moreira Lopes.
Appellante, Jos Gabriel Pereira de Lyra ; ap-
pCr!ado' Ai'cro Vieira da Cunha.
o Sr. desembargador Domingues da Sil va ao Sr.
desembargador Caetano Santiago
... A appellaqao crime.
Appellante, Guilnerme Jos de Siqueira ; ap-
pellada, a justica.
distribuiq5rs.
Ao Sr. desembargador Assis
.4 appellarao civel.
Appellante, Vicente Mendes Wanderlev ; appel-
lada, a parda Guilhermina.
Ao Sr. desembargador Doria
A appetlacao civel.
i APP.v'ante, Antonio Ferreira da Ponte ; appel-
lado, Manoel Ferreira da Ponte.
Ao Sr. desembargador Motta
A appellarao civel.
Appellante, a fazenda ; appellado, Jos Mximo
Soares de Avellar.
.4 appellardo crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Virginio Ban-
deira Wanderley.
Ao Sr. desembargador Ucha Cavalcanti
A appellaqao civel.
appellante, Francisco Antonio Alves Mascare-
mos ; appellado, Jos Antonio Ferrao de Piguei-
redo. s
A appellaqao crime.
Appellanle, o juizo; appellado, Vicente Ferreira
da Costa.
Ao Sr. desembargador Domingues da Silva
A appellaqao crime.
Appellante, D. Antonia'Jesuina Borges; appella-


SBRE O SEPULCHRO
Po mmi finado ami^i
Aurelio de Flguelroa Farla
A vida c a gargalhada da desgrana
Do que tem pos na trra, olhos nos cos I
A alma perfume que no mundo passa
Buscando a llor que o derramaraDos!
Da existencia as lubricas veredas,
Guiado (los leus nao dste quedas,
Daquellas em qne a alma s quem cae.
Jai ah I A mortalha em dobras fras
emelha a nuvem que arrebata Elias.
A mono o Pedre, qae oes diz:Enlrae 1
O que ha no mundo, que nao sej treva 1
O que ha na vida, que nao seja dr T
Deste rido exilio ninguem leva
Gotta de mel, ou ptala de flor.
Quem destampa o sepulchro o cu franqueia
Em quanto o corpo sobre um leito anela
A alma desdobra as azas que encolheu
Da grande luz no glido abandono I
Nmgoein morre, transita por um somoo.
Morrer na ierra acordar no cu I
Quando tna alma alegre, sequiosa
Abra os labios sofrga de luz,
Viste a aurora fechar-se tenebrosa,
Cahiste de joelbos junto cruz.
Passaste a mo as faces, eram fras I
Abriste a bocea, um threno de agonas
Golfou por ella, em ais, o coragio I
Foi a ultima nota arrebatada
A' lyra de urna vida arrebentada
Ao contacto fatal da negra mo t
Abram-se aqu as amphoras do pranto I
A sepultura lagrimas requer I
l'm tributo de lagrimas santo,
Fde as plantas de Deus humedecer.
Consente que entre os prantos derramados
Por teus paes, teus irmos angustiados,
Corra o pranto do amigo, que aqu vem.
Nao ha hypocnsia nesta magoa;
Nao ha mentira nesta gotta d'agoa;
Kecebe a minha lagrima tambera 1
16 de novembro -1864
______ Victoriano Palharbs.
accao vigorosa, regular e sauda'vel.
Os que dizem que a asthma incuravel muto
Esto fortificante coroposicao vegetal subjaga essa
afflicnva molestia anda mesmo quando debaixo
das roi-mas as mais obstinadas e aggravantes
As anginas nunca terminaro em bronchitsa
tosseem phtysica-nem aronquido em asthma,
se desde logo de seu principio forera atalhados com
BMe balsamo vegetal suavisadose sedativo, seus be-
nficos efTeitos sao promptamente notados as en-
fermidades dos pulmoes, dos vasos bronchios e de
Pde-se achar venda em todas as boticas e lo-
jas de drogas.
EM
i
(Recita extraordinaria, II-
vre da assignatnra)
A OSH& ,9 DE S5BS DE 1864
qu %-SS teSS Uraa es,"olhlda ou'"iura.
OBMEBCIO.
por
t'oacc.H offlelaes.
PRACA DO RECIFE
17 DE NOVEMBRO DE 1864.
Frete de assucar para Liverpool17i6 e 5 OO
tonelada.
Frete de algodao de Macei para Liverpool-7i8 d
e o 0|0 por libra.
Dubourcq Jnior, presidente.
Quraaros, secretario.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 16........ 374:3125708
dem do dia 17 ................ 27.6il409
402.131,}117
ovlmcnio da alfandega
Volames entradas cora fazendas...
eom gneros.
Volames sabidos
eom
com
fazendas.
gneros.
31
363
------ 394
182
460
642
Dcscarregam no dia 18 de novembro.
Barca americanaAfefnataboado.
Patacho portuguez-Novo /.ima-diversos gneros,
balera nacionalMindello dem.
Patacho inglezSprat/-hacalho.
jumaca hespanhola -Ardillamercadorias.
Lugre portuguez Julio charque.
Sumaca hespanhola -Fidelta-idem.
Brigua hespanholF^ianf-idem.
Barca ingleza James Stuwartarrio.
Importacao.
Patacho hespanhol Ardilla, entrado de Barce-
lona, com destino a este porto e ao do Rio Grande
no norte, consignado a Pereira Carneiro & C, ma-
nifestou o segointe :
. Carga por este porto
1 pipas, 16 melas, 98 barris e 40 caixoes vi
... "" nyyunaut-, u. /llllua
Aiimpntados a cusu dos cofres provnciaes 331 do, Bento Aires da Cruz
iT Passta8e,ros uo niae brasileiro Nicolao 1, en-1 A appellanw civel.
jS^0impC,y :i a n Appellante, a administrado dos recolhimentos
joacpjim facundo de Castro, sua senhora,3 filbos < da Gloria e Conceico ; appellado, Joao Antonio de
menores e 1 criado, e Germano Gomes da Gnu. Oliveira.
A' 2 horas da tarde encerrou-se a sessao.
CHKOMU JUDIGIAUIA
THIBVXAL DA RELACO.
8E.s>AU EM lo DE NOVEMBRO.
PBBSIDENCI DO RXM. SU. C0NSBLHEIR0
. SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Santiago, Gitirana, Almeida e
Albuquerque, Assis, Doria, Motta, Ucha Cavalcan-
ti, e Domingues da Silva, faltando o Sr. desemoar-
gador Lourenyo Santiago, abrio-se a sessao.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
ra, nao compareceu.
Passados os feitos e entregues o* distribuidos,
oerain-se os semiintes
JL'LGAMENTOS
llecursos enmes.
Becorrente, o juizo; recorrido, Manoel Joao An-
lunes.
Relator o Sr. desembargador Almeida e Albu-
querque.
Sorteados os senhores desembargadores Motta
uttiraua e Domingues da Silva.
Improcedente.
Recrreme, Joaquim Gomes de Leiroz; recorri-
do, o juizo.
Belator o Sr. desenmargador Almeida e Albu-
querque.
Sorteados os senhores desembargadores Ucba
Lavalcanti, Motta e Domingues da Silva.
Deram provimento.
Becorrente, o juizo ; recorrido, Jos Felippe de
Amoiiin.
Relator o Sr desembargador Assis.
Sorteados o* senhores desembargadores Doria,
Almeida Albuquerque e Gitirana.
Improcedente.
Recrreme, o juizo; recorrido, Francisco Am-
me da Silva.
Belator o sr. desembargador Doria.
Sorteados os senhores desembargadores Assis,
Gitirana e Motta.
Improcedente.
Becorrente, o juizo ; recorrido, Manoel de Pinho
Jnior.
Delator o Sr. desembargador Motta.
Sorteados os Srs. desembargadores C. Santiago,
Assis e Doria.
Improcedente.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Luiz Francisn.
de Miranda.
Relator o Sr. desembargador Domingues da
Sorteados os senhores desembargadores Motta
Santiago e Amienta Albuquerque.
Improcedente.
Appellaqes crimes.
Appellante, o promotor ; appellado, Joao Fer-
reira de Lacerda Jnior.
A' novo juiy.
Appellante, Antonio Carlos Pessoa appellada,
A' novo jury.
Appellante, o juizo
Lima.
A' novo jury.
Appellante, juizo;
Improcedente.
Appellante, u juizo
da Tiiudade.
A' novo jury.
Appellanle, o juizo
Leocadio.
A' novo jury.
Appellante, o juizo; appellado, Estevao Jos
rerreira.
A' novo jnry.
Appellaqdes civeis.
Appellanle, Dr. Deodoro Ulpiano Coelho Cata-
nho ; appellado, Jos Paulo do Reg Barreta
Desprezarnm-se os embargos.
Appellantes, os herdeiros de Christovao Dionizio
de Barros ; appellado, Dr.
de Araujo Beltro.
Confirmada a sentenca.
Habeas-corpus.
Loncedeu-se ordem de habeas-corpus a Mauoel
Domingues dos Res, para o dia 19 do correte, as
11 horas do da.
CORRESPONDENCIAS
k mos 25 barris azeite de oliveira, 8 ditos aniz, I tacao comparecam na sala das sesses da referida
Para or. engenheire fiscal da estrada de ferro | j^Tordera"'8 dltos amendoas e5.^ ^tSSZ^MSS^1 ^ "* **'
er. R4Q(.S*'f*JfoRio Grande da Norte. E para constar se mandou publicar o presente
Regulamento para as estradas de ferro, que bai-; "**n ?lxas' *w meias, 690 quartos do dita pas- pelo jornal.
o decreto n. 1,930 de 26 de abril de ?as' .J0 barricas alpiste, 10 saceos cominhos, 10 Secretaria da thesouraria provincial de I'ernara-
! barricas garranzos ; a ordem.
te lim, a compareerem na sala das seseo s da
mesma junta as quinias-feiras, que nao forera
impedidas, pelas 4 horas da tarde.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 12 de novembro de 1864.
O esenvao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
COMPANHIA
DO
Si
Sao convidados os Srs. accionistas desta j
companhia a reunirem-se emassembla ge-
(ral no dia 18 do crtente mez ao meio dia
| para em conformidade dos seus estatutos
deliberar-se sobre as conlas do semestre
fiido,a edilicacio de novas eaixas e mais J1"0'0*-'--
obras tu?cessarias ao fornecimento d'agua e '., .....
concessao gratuita da mesma ao hospital de 3. .
caridade. 4.
. Escriptorio da Companhia do Beberibe 14 s-' *
de novembro de 1804. jPedro
O Secretario, Padre Mena..'.'.'.'.'.'.'.'.'.
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina. Manoel Ribeiro......'.'.
Pela thesouraria provincial se faz publico Serapio,.............
que a arrematacao da illumma^ao publica dacida- Man'a*...............
de do Rio Formoso foi transferida para o dia 24 do ,osePa...............
crreme. v Thereza..............
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam- Lourenco...
buco 12 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annuncncao.
Arsenal de marlnka.
O arsenal de marinha contrata carapinas, ser-
ventes e remadores para o servico das obra e do
arsenal.
Inspeccao do arsenal de ma inha de Pernambu-
co / de novembro de 1864.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos. -.....--. u .-^ccacuio eom
a ~~L fj?"? ,8d0 comente e a ultima praca media em umacto, ornada de mu^ici
dosbens de Luiz Mulib, por execucao de semen-1 a nikiaii g/imTuS.*M.
ca que move Tranquilino Soum Sefse, cuja relacao \ l|||!||i WlV^llll
os lancadores em mo do poruiro acharo. vHIlrl l'Ul'IJI f LL .
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provm I PERSO.VAGENS
cial, em cumpnmenlo da resoluco da junt da Mimi................. A- hpnefi(,iad,
: fazenda, manda fazer publico, que no dia 7 de ZW................ n ramilla
i dezembro prximo vindouro, perante a mesma Tamerlo............. Lisboa
i junta se ha de arrematar a quem por menos fizer Califourchon........... Giiimares
1 nCnfe,l^|daHl"U,!Dag0 WW'M cilade de Gol- A beneficiada anticipa os sens Vgradeciment-
; anna, avahado cada un lampiaoem 291 rs. por as pessoas que a honrarem e protegerera
i : ramn, i Dl|hetes pdera ser procurados no eseripJe
A arrematacao sera feta por lempo de um an- rio do theatro.
no, a contar do 1 de Janeiro a 31 de dezembro de
lobo.
As pessoas que se proposerem a essa arrema-
QUE JA TEVE E.AGOR NAO TEWl
DENOMINADO DOS ACTOS
A maldifo.
O casamento em Lordelo.
A sombra de Joao Goncalv?
A esposa modelo.
A torre da Marca.
A mi de Deus.
PERSONAGENS.
Germano.
Borges.
Porto.
Santa Rosa.
Teixeira.
D. Camilla.
D. Francisca.
Lisboa.
Colmbra.
Pinto.
Guimares.
D. Anionina.
D. Mara Ponfes.
D. Camilla.
Joo Goncalve........
i Trancoso.............
Andr.........
'Mara...........,''"'
Maranna....................'
I Malvina..........
c -., i j '............... " .anima.
convidados, camponezes, soldados etc etc
JoJ*ccaopassaseno Porto, no reinado de
Todo o cenarlo e vestuario ser convenlect?-
mente preparado com acelo e gosto.
Terminara o espectculo som a espirituosa ro-
I
sapeiros um caxo de carregar aaeocar, tendo ao
lado a inscripco 3* ciaste, de maneira que a ep-
irada rt ferro de Pernambuco excedo a loiro kc,
art. 74, porque tem carros de 4 classes, vnlo qo'
Srs. mlartores. Ha pouco tempo merec o es- novamente apparecido nao tem feices dos de 3*j
penal obsequio de publicarem em seu conceituado classe. Mas por que se dao na estrada de ferro
jornal a petlco e replica, que fiz ao juiz munici-! ssas oceurrencias e nao chegam ao conhecimento
pal do termo de Ipojuca o Sr. bacharel Francisco do Sr. engenheiro Pical nem dos seus dous aju-
Brandao Cavalcante de Albuquerque na execucjio danles ?
que encaminho contra Francisco Antonio de 01 i E'porque ha completo menospreso as colisas
xou cora
1857.
Art. 74. Cada comboyo dever conter carros ,
de tres classes de viajantes em numero suficiente eceBCuoria de rendas lof ernaa
a juizo do engenheiro fiscal do governo, sem que 2 era es de Pernambneo.
todava o numero de vehculos do comboyo excoda Rendimento do dia 2 a 16....... 13:155530o'
ao mximo que o governo marcar quando Ihe for dem do di 17..........\..... 358,4038
apresentada a planta de que trata o art. 31. _________
Art. 130. L'm engenheiro fiscal por parte do 13:6131343
goverao exercer constante inspeccao sobre o es- =====
lado de toda a estrada e suas obra*, sobre o mate- Consulado provincial
nal rodante, e sobre oprocedimenlo da administra- Rendimentodo dia 1 a 16.:..... -93Ufl88
qo da estrada de ferro. [den) do dia ,7...... .. 8691809
Vi da 12do correte appareceu notrem de pas
buco 9 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annunciagao.
Conselho deeempras navaes
O conselho promove no dia 19 do crreme mez
a compra dos seguintes objectos do material da
armada : 90 pecas de cabo de llnho da Russia sor-
tidodelj2a3 1|2 pollegadas; 4 pegas de cabo
dito de a a 7 pollegadas, 1000 folhas de papel
ixa, 40 paes degoraraa elstica, 8 duza- de ta
boas do cedro de 3|4 de grossura, dando-se pre
ca as que forem de maior comprmento, 145
Comegar o espectculo s 8 horas.
AVISOS MABITIMOS.
__________---------">->' o uiaioi i-.Mii|ii'irnKiiio, i "was, agencia rna aa uruz n. 1 ea
30.800*004 ^ancoro e ETS5LES8 id.1,f.ed!-^>.e?uil'chos ^tonio uiz de Oliveira Azevedo C.
MOVIMENTO BO PORTO.
; appellado, Jos de Souza
appellado, Joao Dionizio.
appellada, Josepha Maria
i appellado, Antonio Jos
veira, eos despachos que o mesmo Sr. bacharel
lirandao proferio a'aqnella petifao e replica, mos-
trando assim ao governo imperial e ao publico a
maneira, porque o Sr. bacharel Rrandao adminis-
tra a Justica, e para mais prova d'islo venho agora
pedir-Ibes o obsequio de trancreverem no mesmo
jornal o despacho infr3, pelo qual o muto Ilus-
trado e justcwro presidente do meretissimo tribu-
nal do commercio o Exm. Sr. desembargador An-
selmo Francisco Peretti na carta testemunhavel
entre partes, como aggravantes, Daraayer Carneiro
& C, e, como aggravado, Tlieotonio da Silva Viei
r.i deu provimento ao aggravo interposto de des-
pachos proferidos pelo Sr. bacharel Rrandao. juiz
municipal de Ipojuca, idnticos quelles que pro-
ferir na minha petigo e replica, em que recia
m-i sobre o precedimento igual ao que ti vera o
mesmo juiz para com Damayer Carneiro & C,
que deu lugar a mesma carta totemunnavel.
Acresce mais, para que o governo imperial o o
publico bem conheca a maneira, porque o Sr. ba-
charel Brandao administra justica, que sendo
aquella minha execugo cncaminhada por carta
precatoria executadoria, que foi do juizo especial
do commercio d'esta cidade para o juiz d'aquelle
termo, devia o Sr. bacharel Rrandao devolver a
mesma carta precatoria e execuloria com os em-
bargos, que o Sr. Oliveira oppz a penhora, que
de os de grandes trabalhos e fadigas consegu
fazer, ao jniz especial do commercio, quera por
forga do art. 501 do regulamento n. 737 cabe a
decise dos mesmos embargos, recebendo-os ou
regeiando-osj'n limine, mas Uto nao fez o Sr. ba-
charel Brandao, que sendo-lhe conclusos os autos
mandn dar vista as partes sobre os mesaos em-
bargos, protelandcaisira a-totj qtlfiu!? nao'ihe
caba senao remetter os embargos ao juiz deprV-
cElo art* 5ojpensSo da eMcuao nos termos do
Nos processos commerciaes offerecidos embar-
gos a execucao, o que se segu o juiz regeita-los
ou recbelos e manda-Ios contestar: o Sr. hacha
re Brandao deixando de remetter os embargos ao
juiz deprecante e dando vista as partes no que
protela o feilo com erande satisfacao de' meu de-
vedor, que nao tem outro recurso senao a protela-
gao, mostra-se assim duas vezes ignorante das
disposicoes da le, a nao se querer suppr que
de proposito as viola para favorecer urna das
partes.
Veja, portanto o publico a maneira porque des-
tribue justica o Sr. juiz municipal de Ipojuca !
Recife, 17 de novembro de 1864.
Silvino Guilherme de Barros.
Aggravados foram os aggravantes com o des-
pacho de fl. 3 pelo qual o juiz a quo tendo manda-
do notificar ao aggravado para nova nomeaco de
bens, indeferlo a pelicao de fl. 2, em que os mes-
mos aggravantes reclamavam contra ote procedi-
menlo, porquanto tendo o aggravado sido intimado
para nomear bens no prazo legal, e nao o tendo
feto conforme a gradagao establecida no art 512
do regulamento n. 737 de 25 de novembro de 1850 e
de accordo cora o art. 508 l. deste, devia o juiz
a quo attendendo ao.que presereve o art. 510 do
indicado regulamento, ter feto pausar mandado
de penhora. como Ihe fora requerido : sendo qoe
uno joiz inostrou que o accordo do tribunal do
commercio a que refero-se, e cujo theor nao
esuiu te:iha sido proferido em caso edentico e
acerca de hypothese mteiramente igual aprsenle.
publicas ; porque nao se lera ao povo Pernam
bucano a consideracao que Ihe devida, e por-
que finalmente se escarnece le, s pessoas e s
cousas.
Que razo ha para que no trem de passageiros
s tinlia um wagn de 3* classe, sendo que esta
classe a mais concorrda ? Se o art. 130 fosse ob-
servado, cortamente que isso nao se daria.
Quando depois do Io do corrente comecou o trem
de passageiros, que alterou o movimento da estra-
da, o chefe da estagao, por falta de commodo para
os passageiros de 3* classe, porque como Hca dito,
s ha um wagn, que muitas vezes tinha mais de
50 passageiros, por circunstancias do momento, fa-
za transfer-las para a 2* classe ; essas oceurren-
cias, porm, nao chegam aos ouvidos do Sr. enge-
nheiro fiscal, mas sem duvida nenhuma chegaram
aos do Sr. Duprat, cjiefe do trafego, por isso que
no dia 12 veio o tal caxo de carregar assucar ar-
vorado em wagn do 3* classe I I I
Ao Sr. engenheiro fiscal cumpre averiguar o que
0 que levamos dito.
Continuaremos.
Recife 14 de novembro de 1864.
Y.
Navios entrados no dia 17.
Aracaty11 das, hiale brasileiro Nicolao I, de 47
toneladas, capilao Trajano Theodomiro de Mou-
ra, eqmpagem 6, carga algodao eoulrosgene-
: ros ; a Prente Vianna & C.
Nado sahido no mesmo dia.
BalnaIliate brasileiro Dous Irmos, capitao Joa- or O
quim Goncalves da Silva Santos, carea baca-1-1
|ho.
i ancorte de 4 quinara, 1 dita de en vanilinas de metal, 20 arrobas de mialhar bran-
co loo pecas de merlim, 50 chapeos de oleado,
120 lanternasde patente e 200 caetas.
i Tambfm no mesmo dia contrat o conselho o
I fornecimento at dezembro do correte anno de
lencos de seda preta, para os aprendizes artfices, I
imperiaes marinhelros e aprendizes ditos.
Promove o conselho o compra e eir.ctua o con-
trato por va de propostas que apresentem os pre-'
tendentes no referido dia at as 11 horas dama-
aa, e sao sujeitos os contratantes mulla de 10
fela demora na entrega dos objectos,
i como de 20 por 0(0 senao fornece-los, ou
COMPANHIA BRASILEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E esperado dos porlos do norte
at odia 18 do corrente o vapor
Apa, commandante Carlos Anto
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do costume seguir para
portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1. escriptorio de
EDITAES.
i forem de m qualidade.
mSBBBB i Sala do conselho de compras navaes de Per-
nambuco, 15 de novembro de 1864.
O secretario,
-------------! Alexandre Rodrigues dss Anjos.
Facnldade dp nlroltf L.,7 thesouraria provincial se faz publico,'
ate LneZeS' C0"tar d dala de"e- a * "e toa**** ca thesouraria provincial de Pernam
ini n nSuS, Temor!0 dei'a Faculdade : pelo buco, 17 de novembro de 1864 eram"
que o candidato que se qu.zer inscrever dentro do o secretario
referido prazo dever justificar perante o Exm. Sr. A. F. da Annn acao.
l'SercidadinhrasiiPim "~ Pela lnfS0raria provincial se faz publico,
1 Maiorid.de uZ gUe a r"matJfao da obra do aterro da ra do L-'
v^Z-1 a g"' ; ma na cidade Nova de Santo Amaro foi transfer-
Ch2s P de /ffier,r-rd^atlestados * par- da^para dia 24 d0 ""
e de folhas corridas no lugares onde houver
COMPANHIA PERNAMBUCAA
DR
Xavegaeo costelra a vapor.
Macei e escalas.
O vapor Paran aba, comman-
dante Martins, seguir no da S5
do corrente s 5 horas da tardo
para os portos cima Indicados.
.. Recebe carga at o da 24. En-
commendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sabida : escriptorio no
1-orte do Matlos n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
^Tavegafo costeira a vapor
Parahyba, Natal, Maco, Aracaly, Cear
e Acaracu'.
O vapor Perstnunga, spgoira
no dia 26 do crreme s o horas
da tard.j para os portos indica-
dos. Rereber carga at o dia
2."i. Encommendas, passageiros e
a frete at o dia da saluda s 2 horas
escriptorio no Forte do Mattos n. 1
<*.**
dinheiro
da tarde
Para o Porto.
Ao conselho.
A direceo da gatnneteira, est actualmente co
xa, isto , falta-llie urna muleta, um segundo saca-
trapos ; e como ser a tercena pessoa que tal
lugar oceupa na presente administrado, convr
que o prximo tuturo sacatrapos seja da feicao do
pnmeiro, e que os genios, os sentimentos e as
habilitacoes corram parelhas para nao disparar
=->'!; um para seu lado.
Qu;,rem um conselho ? lejam um palusco com-
me il f'iui ; Hejam um maganao que, sem tirar
nem por, tout upiropos ; elejam o doutor fian-
cez, e vero que tem ,r"v>. Mas quem esse
portento, essa phenix de no..; aspecle, esse beiji
residido nos cinco ltimos annos j
4." Capacdade professional.
Os que, porm, tiverem sido em algum tempo
condemnad.is a gales, ou soffrido aecusacao judi-
cial de furto, roubo, estellionato, bancarta, raptj
ou outre qualquer crime, que ofrenda a moral pu-
blica, ou a rehgiao do estado, nao se podero ins-
crever, excepto se a aecusagao judicial tiver ido
argida de falsa pelo candidato, e nao houver pro-
vocado condemnaco judicial \ e assim decidir a
congregacao por via de recurso interposto dentro
de dez das.
Obngue portuguez Unido, sabe com muita bre-
vidade por ja ter a maior parte de seu carrega-
menlo prompto, e para o resto que anda falt tra-
ta-? e com o consignatario Jos Joaquim Lima Ra
rao, a ra da Cruz n. 18.
Para a
vho dos sacatrapos, esse doui?r l'*cez ? o
"paz e modesto :
cont de gente,
digo, mas nem pi, porque o
apeoas por simplicidade tem-se en
e arrota postas de pescada e carap.'anga quando
tem comido sardinha de barril.
E' sujeitinho bem quisto e geralmente 'dorado
no commercio por ser ura palo como ha pou"os ;
em falla de gente, e por conveniencias puntan
em urna loja de fazendas, que nao situada na"
pracinha, e como patro (soi dtsant) tem mostrado
que o sabe ser ; por exemplo, estando dentro de
easa, o sugeito vio impassivel estpido fado da-
rem bordoada de grosso calibre em nm pobre
menino seu caixeiro. Nao foi por medo de apa-
miar calabrote que elle presenciou modo e mie-
do Q/\ ^r...nM-n.A -~----. __J- ..
canddati algum dos documentos seguintes :
l.' Ttulos de capacdade na materia em concur-
so, conferido pelo conselho director da inslrucco
primaria e secundaria da corte ;
2." Titulo de professor publico tambem da ma-
teria em concurso concedido pelo governo impe-
il.ll .
3." Diploma de bacharel ou de doutor as facul- rente
dades do imperio, ou academias estrangeiras. ou '
bacharel em lettras, salvo as pessoas notaveis por
^eu talento, e reconhecdamente habilitadas, que
forem dispensadas desta prova pelo governo ou
oue se quizerem prestar a um exame previo 'tu-
- de conformidade com o capitulo 4 do reeula-
nftSo de 5 de mao do 1856.
SeNtria da Faculdade de Direito do Recife 17
de novelero de 1864. Ie' ll
O secretario,
os Honorio Bezerra de Menezes.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 17 de novembro de 1864.
O secretario,
_ A. F. da Annunciagao. .. Para Lisboa.
I ela thesouraria provincial se faz publico, banira com brevidade o patacho portuguez Ma-
que a arrematacao da obra da ponto do Pontal na!'"' *W, recebe carga frete e passageiros
ilba de Itamaraca foi fransferida para o dia 24 do I ,Jra,,a's,e com Peu consignatario E. R. Rabello ra
crreme. r i da Cadeia n. 55, escriptorio.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-! Para o Rio deliro secue com muita hr.
buco, 17 de novembro de 1864. vidade o palhabo.e brasileiroTttnr, reSS 5
O secretario, ga_a frete : a tratar no escriptorio de Araorira Ir-
n o. A. F. da ^nnunciacao. i maos, ra da Cruz n. 3.
o sr. Antonio Gomes de Carvalho, que dei-1
^mddl7rofessionald-era-1"^ i o BOTETi 7SVSS. dTmr
algum dosdnr.limpntns cqi.i. nlo^ n,.nil.-.i.,o .,..- ___.. j. r, v '. " '"_ue
pendencia urna carta do Rvm. Sr. vicario doSal-
gui-iro, queira declarar sua morada para se poder
fallar sobre o negocio de que trata dita carta.
O corpo de polica compra 100 bonets reden-'
dos para a secgo urbana : quem quizer fornerer
aprsente sua proposta em carta fechada, na secre-
taria do dito corpo, s 11 horas do dia 19 do cor-1
Para o II i o de Janeiro.
Vai sahir com brevidade o brigue nacional Sum-
pat/iia, de primeira classe; recebe-se carea e es-
cravos a frete : a tratar com Manoel Ignacio de
oliveira e Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
Para o Hio de Janeiro
0 tenente-secretario,
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos.
Consiliario
t esperado em poucos das o brigue nacional
Almirante, o qual j tem parte de sua carga enea
jada : para o resto que Ihe falta e escravos a fre-
te, para osquaes tem excellentes commodos trata
se com os seos consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio rna da
Cruz n. 1.
de Portugal
Sao chamados os credores do finado subdito
portuguez Fortunato Ferreira da Silva, a virern Par ******-----'---------
E^poC 'heS,0C0U 6m ra,e na W> eege com muita trZl'fSDous Irmaos -
- N. audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz de orphaosl ,ratarcom Tasso ***
do dia 22 do corrente tem de ser arrematado o
tao repugnante scena nada dsso : a lia-' O Illm Sr c i "or
gna la fazer das anas, mas sendo muto comprida observancia dei'art l .<
umadessasl L.vrem-se de mal pnncipiarao os exames dos alumnos mestres
qde requentarara o primeiro anno
Os alumnos mestres, depois de apresentarem eo-1
nhecimento do consulado provincial de haveren
pago a 2- prestacao de suas matrculas, de confor-
midade com o disposto no arlgo 4 da lei provin-
cia n. 598 de 13 de majo deste anno, serao admet-
tidos a exames, segundo a ordem de suas nume-
racoes.
Os exames serao feitos sobre
urna dessas I
Alrn dsso rapaz prestimoso, e se Ihe chamam
pedante por maldade: dotado de prudencia nes-
tonana aa conselhos, falla bonito que nem urna
tarca hespanhola. A's vezes susceplivel de irri-
tares nervosas : por exemplo, qnando urna di-
reegao nao Ihe consulla a opinio autorisada ira-
tando-se de su-pender os direitos de algum socio
da logo o homem por poc e por pedras, e poe d
bestas os amigos ern cuja canda pegava navespe
i sobrado de dous andares com ura armazem o ler-
da escola normal, em Tl>1)0 Por aelrat, sito na rna da *enzala Veiha n
regulamento de 28 de .,10- Pprtencente ao herdeiros do finado Joaquim
Lobato Ferreira, sendo a dita arrematado reque-
rida pelos herdeiros maiores e pelo tutor dos or-
phaos nihos do finado Manoel de Almeida Lopes.
Provendo Sa5ajSSM5S ra?ra^'SCXStSJZ J5T ***^^"^^X^Sa^oS
mando que o lu.z a quo reformando o dWh I S 'L" SUffJ?? ***** e. Presenta- cia do mesmo Sr. director com assistenci? deI lhn
\ se grave
para
Pedro Pereira flezerra! mando que o imz a quo reform^^o des^h
cunalmente proceden quando d, pois de ter man- 111?!,?? P?tenl L)ndon' am *?
dado tomar portermo o aggravo ftR nTv.! WftSatt ?&&
szr::& m3=W=
Os exames durarao urna hora, e segundo a pro-
va escripia e oral quo fizerem correr escrutinio
pela forma determinada no art. 25 do regulamen-
to interno de 12 de novembro deste anno.
Manda, portanto, o mesm Sr. director, que pa-
ra conhecimento de todos or interessados e obser-
CORREIO GERAL.
Rlacaa das caria seguras existentes
o;. '^ninisli'ai'Ao d<> corri-in desta
tvht ^m as senlieres abaixa de-
claradas
Dr. Antonio Vasconcellos. '^ezes Druaraond.
Clorindu Ferreira Clao,
Francisco de Mello Rarreto.
Gulherme Digel.
Gongalo Jos Alfonso.
Guilfe de Lailhacon.
Joaquim Pelbpe da Costa.
Capitn Joao Jos Rodrigues.
Dr. Jos Ferreira Dru valle.
D. Luiza Antonia de Siqueira.
LBIIOIS.
IKILVO
UOIE.
Sexta-feira 18 do crreme as 11 ho-
ras, a ra da Cadeia u 53 araiazem
DE
Urna casa terrea nova assobradada pera nana
de detraz, edificada ha tres annos, na estrada de
Luiz do Reg, defronte do hospital inglez, com
palmos de frente, com porta de cocheira ao lado"
de fundo cerca de cem ditos, cacimba s, ouiniai
murado com 200 palmos de funde, com ramios
commodos para grande familia, as roadeiras s5
de boa qualidade. As chaves acham-se na casa d^
esquina onde padaria.
Pelo agente Gnzeblo
se vender em leiloa casa cima pelo maior pre-
l oue se achar e ser entregue a quem quizer
; em,, *ar Mem o seu dinheiro livre de maior risco
Os preu. "wa>a podero examina-la desde j e
para inforn,. v**y o referido agento as dar.
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO !

_


Diarlo de FermaMbneo Hexa felra 19 de \ovembro 4c 19*4,
Sem limite.
O agente Almeida far segunda vez leilo da
casa de bilhar da na do Imperador junto a or-
den terceira de S. Francisco constando de buha-
res ltimamente forrados de novo com todos seus
pertences, diversas banquinbas com prdra raarmo-
re, um rieo fiteiro de amarelio envidrando, espe-
Jho, i|uadros, pumoes, bancas, etc., o que tudo
cunsta da retacan em poder do agente, bem como
o titulo de dominio do dito estabelecimento que se
ha desembaracado de impostos.
ilOJE
s 11 horas do dia no mesmo es.abelecimento.
LEILAO
DE
Diverges escravos de ambos os sexos
e de um cahrioM com arreios qaasi
novoe moito elegante
O agente Alineada far leilo dos escravos e aa-
briolet cima no dia sexta-feira 18 do correte s
ti horas do dia.
No largo do Corpo Santo junto a taberna dos
Srs. Palraeira & Bellro.
Chapo7. baratos
Chapeos baratissimos!
A W, 8* ei05.
Grande sortimenlo de chapeos de pa-
ma de Italia e trancas para senhoras e
meninas que se vendem baratissimos pa-
ra se apurar dinheiro na ra do Crespo
n. I, junto ao arco na
Loja do baratcire!
E EST A VENDA NA LIVBARIA DO Sn. EBALDO A
RA BSTREITA P0 ItOSARIO N. 12 AS
LEILAO
So veis, p anos e outros arligos de casa
Armazem ra da Cadeia do Recife
numero 48-
IIOtfK
Soxla-feira 18 do correte is 11 horas.
Curdeiro Simvs
ara leilo porecnta de urna pessoa que se retira AlfaiKleEailo DOr Carta imperial de 26
para fora da cidade, de diversos movis consistin-
Precisa-se de urna ama para comprar, cozi-l
nhar e engommar, para urna casa de pequea fa-
milia : na ra da Trempe n. 2. ;
O abaiio assignado pede ao Sr. Jos da Ro-
cha Paranhos que em seu aoouncio publicado no
Diario de hontem se diz com direito a urna pe-
quea parle do sobrado n. 6* da ra da Cruz que,
se digne de exhibir sentenca passada em julgado
que Ihe dsse esse direito.
Antonio Francisco das Neves.
Aluga-se a casada ra Imperial n. 9 : a tra-
tarnarua do Oueimado n. 32, loja. _____
SAHIO A LUZ
DA NA LIVBARIA DO Sr.
streita no Rosario n.
DE
PARTIDAS DOBRADAS
Oflereeidas
A* Associaeo Commereial Be- '
nefleente
DE
10
Para restabelecer a saude.
Anda resla urna casa no Cachang para alugar,
muito grande, fresca e perto do banho : a fallar
na ra Nova n. 63.
mmmmmm mm mmm mmm
F5 O advogado Jos deoduy Vasconcellos
I pode ser procurado na ra estreila do
m Rosario n. .'ii. das 10 s 3 boras da tarde
jKt dusdias uleis.
s
-
MUTA ATTENClO
PRAMBCO.
POR
II. Fonseca de Medeiros.
Escravos.
Precisa-se alugar um cozmheiro e um criado Aviso aos senhores e senhoras
que sajara escravos Nna ra da Cadeia n. 32, ter- Aviso aos senhores o senhoras
ceiro andar._________________________________ Aviso aos senhores e senhoras
Teodo ambareado o desombargador llouren- Aviso aos senhores e senhoras
co Jos da Silva Santiago para Olinda s o horas Aviso aos senhores e senhoras
da manhaa defcoje 14 d novembro, na rampa do ** senhores e senhoras
chafariz ao p da ponte da lado da Boa-Vista, en- AVIS0 aos senhores e senhoras
tre outros objectos que mandou bular ua canoa foi Aviso aos senhores e senhoras
um sarco de la em que Postuma levar autos para Av!b0 toa senhores c senhoras
a relacao, e como ao chegar a Olinda l nao che- AVJS0 aos senhores e senhoras.
gasse o referido sacco previne-se que quem o liver
achado o v entregar em Olinda ao mesmo dc-
sembargador que est assistindo ao lado da igreja
de S. Pedro Novo ou na ra do Hospicio n. 50 ao
desembargador Santiago, que gratificara bem. Ad-
195 BU4 IMPERIAL I93i l^fc^ mudoau
Isaac Esmty \12LZ*? m,do
L?k u a ti i Uueimado para a ra das
Fabrica do rape imperial. (> obrado n 5? \
Isaac Esnaty lem a satisfaco deT participa. ao ^1 UZtt> fcJUI iUO H. .}(), pi"l-
ruspeilavel publico que se cha esUbelecido b rua niPlTO flTlifir T\(\V <*imn Ar\
Imperial n. 193 com fabrica de rap denominado IaAOIIU dlllldl, )V1 CUHa (10
HAPE' IMPERIAL, cujo rap fabricado igual ao flrmfl'7PTil PrAOTP rap de Lisboa, e muilo melhor por ser ais luni- ai iAu*Z.01ii JL I U^I caaiolti, dUJA-
co e inuilo roais agradavel e convencido o fabri- t\a *\ .ci"n""Jn PATTin Bflitm
cant da snperioridade do seu rap, pria exponen- uc u l^11*" W GVJUOU OClliprO
eia de trinu annos que lem deste fenero, e demais nrftTnntn l AimlmiPI* hnrt nn.
o certificado junio para mais seguranca dos com- jV^UIlipLU d qudlqUcl ilUid ydm
pradores o fabrcame tica responsavd pelo bora Va n PYPrM'n flp GTI<1 ni-fl.
resultado do seu rap, gvaoiiodo ao BWMM ompo xt* v vav/i viviu u.v >"'Ui yiv
o dinbeiro do comprador qw por accaso oo gos- fio^/N ^maiA nnr POPrinf Q
lar < que iwMiiva,-ui nao de e^wv) e sendo lloOflU, L/lldllldUU \)Vl UOUriptd
este preioso ra|> dif no do preco d imim
Trapiche da Gamboa
irens de cosiuba etc.
.^ft
HO*E
.'Sexta-feira 18 de novembro s II
rua da Cadeia n, 53.
DK
Lina casa terrea n. 19 A, sita rua do
de marco de 1863.
Este Jantigo e imprtame estabelecimento, um
dos mais bem mentados dcsta corte, com vastissi-
mas caxias para arrecadaco de assucares e ou-
tros gneros nacionaes ou esirangeiros todas cor-
tadas por trilhos de ferro assoalhadas e forradas
de madeira eom cuincbas em todas ellas para ar-
hoias, rumacao e safamento de gneros, com urna ponle
sobre o mar, de 600 palmos de extensao, com p-
timos guindastes, um pessoal muilo pratico neste
servieo, prope-so a armazenar assucar em caixas,
feixes ou barricas pelo tempo de seis mezes por
Socego
:re,ueZia da Boa-Visla nova, rende *m r, por 71 em ar obH STsaSoTab Z ^ m de-n
anno, e e foreira, as chaves se acham junio no
numero 21.
li de urna mobilia de Jacaranda nova, cadeiras
de cereja, ditas de amarelio guarda roupas, dito
le magno, cadeira de conduzr (palanquim), cama
de armaeio, tapetes de raiz de esparto e um fardito
completo de cavallaria da guarda nacional, pali- i
eiro de prata, figura obra do Porto.
Importante leilo
DK
Trem eslanhad para cnsinha.
Sabbado 49 do cor rente.
O agente Pinto far leilo por coma e risco de
cftifm psriencer de 3 caixas com um completo sor-
timento de cassarolas estanhadas do fabricante Ja-
py, asslm como 10 barricas da verdadeira graxa
ingleza em boiocs n. 87 com o duplo do lamanho
do costunM : no armazem de J. A. Moreira Dias,
rua da Cruz n. 26, s 10 horas em poni.
UILAO
de qualquer qualidadeque forem nellc depositadas
pagaran pelos primeiros seis mezes o mesmo que
actualmente pagara por tres mezes nos demais tra-
piches e dts semestres que se seguirem tero um
abalimento de 20 por ceuto ; recebe por procos
muilo mdicos qualquer niercadoria comprehendi-
da na stima tabella do regnlamento das alfan-
degas.
A venda dos gneros nelle depositados, faz-se
com as mesmas vaDtagens que oJTerecem os mais
trapiches porque as eondicoes para qualquer parle
da cidade sao pelo mesmo prego,
Kio de Janeiro, Io de ouluorn de I86i.
Na rua da Cadeia n. o5, priiuciro andar pre-
cisa-se alugar urna escrava que ungoinme e le-
nha algum geito para tratar de enancas.
Precisa-se de nina ama que seja capaz para
o servieo interno e externo de urna casa de pe-
quena familia : da ruados tiuararapes n. 18, so-
brado.
a
vertese que o sacco contiha 6 autos a alguns li
vros que nao podemaproveilar a pessoa alguma,
e ia fechado com um cadeadinho de metal ama-
rello. Recife 14 de novemhro de 186't.___________
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro de li 16 anno?.
que tenha praiica de taberna; na rua da Madre de
Dos n. 5, e d liador a sua conducta.
2\ovo sorlirueoto
Novo sorlimeuto
Novo sortimenlo
Novo sortimenlo
Novo sorliraento
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
Caixinhas a ISoOD
Caixinhas a l&'iOO
Caixinhas a 1 j'ii'u
Caixinhas a t A-MHi
Caixinhas a 1500
Caixinhas de 55 por 45
a libra porm como o principal desejo do fabrican-
te de ganhar crdito em todo o imperio e tam-
bem para chamar atten^o dos amantes da boa pi-
tada como tambem dos exportadoras deste genero
tanto para o mato como para outras provincias, li-
mita smente o preco rcduzide de mil ris por li-
bra a relalho o em'porcao de 10 libras a !KK) lis
e em porco de 50 libras a 830 ris e era porrao*
de 100 libras a 800 ris e em porcfio de 1000 libras
com o descont de cinco por rento ou a tres mezes
do prazo firma garantida assim o fabricante espera
. a concurrencia dos senhores compradores em re-
' mnneracao da boa pitada examinada, approvada e
afliangada.
O fabricante franqneia as amostras (gralisi do
seu rap tanto na fabrica como tambem no nico
deposito rua Direila n. li taberna.
Brevemente apreseotar a venda publica oulro
rap fabricado igual ao que se fabrica nesta e an-
da para melhor. corno tambem : rap princeza,
rap grosso e raeio-grosso, ludo a prtcos muiu
__-^_Agoes RobertsoM Wiiliam- sahe do im;>eri
Maggie Herter Wiiliams val Eurapa.
Casa para alujar.
Alaga-se o sobrado deum andar e sotan sito aa
rua de Santo Amaro n. 14, rom bastantes conwno-
d<*- para familia : a tratar na rua larga do Rosa-
rio n. 34, botica.
Aviso.
as pessoa?.
lesera di-
O dono da amiga fabrica de charutos e ci-
garros, sita na esquioada rua de Hortas u i, ten-
do feito reduccao nos precos de suas merradorias, Caixinhas pe 5& por 4
convida aos seus freguezes a virem honrar seu es- Caixinhas de SJ por 43
tabelecimento com devida proteceao de que carece (Jaixinhas de 53 por 43
por se achar com um variado sortimenlo de cigar- Caixinhas de >3 por 43
ros e charutos finos dos autores mais acreditados
da Bahia, cachimbos, fumo para os ditos, fumo em
folha. fumo americano, dito dito em latas, e diver-
sos artigo? para os fumantes, em quanlo a quali-
dade e prego garanie-se nao prejudicar os fre-
guezes.
AJoga-se urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I. M. Rogo, na rua do Trapiche n. 34.
DE
>t)!i caixas com uiaasas italianas
Sejunda-feira 21 do corrente
llanoel Joaijuim Ramos Silra 4 geuros faro
leilSo |ior conta e risco de quem pertenec- e por
intervencao do agente Pestaa de oOO caixas com
massas italianas sortijas desembarcadas ultima-
mente, as ques sero vendidas em um ou mais
lotea : segunda-mira 21 do corrente s 10 horas
Ja manbaa no armazem do Ajines.
Francisco l'ires
Poitella
i*.
j x
ios 6:000*000.
Oiiinta-fcira 21 do corrente mez, se ex-
trahiri a quinta parte da terceira lotera
1171) a beneficio da Sania Casa de Mise-
ricordia, no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da fregnezia de Santo
Antonio.
Os bilbetes, meios e quartos acham-se a
renda na respectiva thesouraria rua do
Crespo n. 15.
Os premios rtc 6:000-5000 at 10(5000
erSo pagos ama hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dis
aitrfe depois da distribuicao das listas.
O thesoureiro,
Amonio Jos Rodrigues de Souza
Ama de lelte.
Precisa-se de urna ama de leite para acompa-
tihar urna eriteca al a Bahia : irata-se na rua
Vova n. 63, segundo andar.
fo largo do Corpo Sanio
lar. precisa-se fallar
deOliveira & C.
Pod
MEDICO OPERADOR
PELA
Facilidad o de Faris
e ser procurado rua Nova n.
4, segundo andar.
Machad*
Ao amanhecer do dia O de outubro do cor.
rente anuo de 1864, urtarana do cenado do en-
genho Aldea, da fregue/ia do Rio l'ormoso um
quarto de carga do mesmo engAntut, n qnal
ruco pombo, grande, rastrado, nao novo, tem no
olho esquerdo urna belide, e pouco ou nada v
pelo dito olho, tem um callo velho no espinhago,
lugar em que teve urna bexiga, levou o topete cor-
tado rente, carrega baixo, e tem estampano no
lado direito da anca o ferro do engenlio em lettras
maiusculas como aqu se v A LD E A. Adver-
te-se que os cavallos assim ferrado?, nao sao tro-
cados nern vendidos, e os que forem encontrados
som ser servigo do mesmo engenho sao fua-
dos, e devem ser apprehendidos; perianto roga-
se s autoridades policiaes, e mesmo qualquer
pessoa do povo, que sendo encontrado* ditos ca-
vallos sejam apprehendidos e remeitidos ao admi-
nistrador daquelle engenho ou ao abaixo assigna-
do proprietario do mesmo engenho, que reside na
cidade do Recife, rua do Hospicio n. 50. Cidade
do Recife, 26 de outubro de 1864.Caelano Jo.-
dajilva Santiago. ___________
Aluga-se urna ama que saiba bem cozinliar e
de boa conducta, preferindo-se escrava : na rua
estreila do Rosario n. '.M, primeiro andar.
Sitio.
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificiaes_tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
liqueni a vunudf de seus donos, (fin pos
e outras preparagoes as
para conservago da bocea.
mais acreditadas 83

ATTERCO.
7 de fevereiru do Aj^+ua do Imperador n. -'IS
K.iustino, de Ida- A. na do [inperodor . :I8
Acha-se fgido desde o da
corrente auno o eseravo do aome
de de 40 annos, pouco mais ou meno?, coi' fuia,
altura regular, grosso do corpo, bem espadado,
barbado, e ja com alguns cabellos braocos na bar-
ba, bracos e pernas grossas c bastante cabelludas,
tem as pernas arqueadas, porm nao limito, bas-
tante cabello nos pedos, e cosluma quando qoer
fallar mais apressado como que gaguejar, porm
muilo pouco, que mal se percebe; cosluma andar
em sambas, e as vezes embriaga-so por gostar de
Debidas e?|iirituosas : suppoe-se que elle seguio
para o centro, talvez em busca dos serloe? : por-
tanto rog-se s autoridades policiaes que o faoam
appreliender e couduzi-lo casa de sen senhor o
major Antonio da Silva Gusmo, na rua Imperial,
em Pernambuco, que satisfar toda c qualquei"
despeza que por ventura facam, e aos eauitaes do
campo offerece urna boa grtiiicago.
Receberam-se 10 mil caixas
Receberarn-se 10 rail caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Carlees de visila
Carldes de visita
Carldes de visita
Cartoes de visita
Candes de visita
A 103 a duzia
A 103 a duzia
A IOS a duzia
A IOS a duzia
A 103 a duzia
A galena est renovada
A galera est renovad
A galera est renovada
A galera est renovada
A galera esta renovada
Com ricos c-rliuados e tapete
(>jm ricos cortiuadus e tpeles
Com ricos cortinado? e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tpeles
Com lindase variada? vislas de fundo
Com lindase -ariadaas vistas de fundo
Com lindas e variadas vistas de fund
Com lindas e variadas vistas de fundo
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
(asa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A' rua do Imperador n. .'18
A' rua do Imperador n. 'Ati
A' fna do Imperador n. .'S
A' Ju ulii!|n-ra(Ior u. in
o abaixo assignado faz ver a todas
que com elle liverem transacgVs, que
rigir-se a rua do Caldeireiro li. y i.
Francisco Pereir de MHreles.
Precisase de mu caixeiro de ii a l'i annos.
que de liador a sua conduela : na rua do Rangel
ii. 8. deposito.
Aluga-se i rasa terrea da raa do Socego n.
t : ^ tratar na taberna di rua do Rangel n. 7.
Precisa-se de una mulher
- --....... .... .wiuaueza de boa
mais reduzdos para mais animar os senhores ex- conducta, que saiba bem engommar, e que leiilm
portadores deste genero.
N. B. Nos dias de sabbado a fabrica nao se
abre.
CERTIFICADO.
Certifico que submeitendo a exatne a amostra
do rap denominado Imperial, que apresenlou a
esta repartican o -r. Isaac Esnaly, fabricante resi-
dente na rua Imperial, casa n. Ivi, declarou o pe-
rilo nomeado para esse lim, o r. Ped Ifanrer,
que nao havia iconvenienle algum em ser exis-
to venda, altenti
pralit-a de cozinliar, para casa de iioinem solteiro :
na rua do Liiramenta n. 7.
Aluga-se o grande solio do sobrado n. 13 da
travesea da Concordia, com amitos c-miuiodos : a
tratar no mesmo.
Precisa-se de urna ama saeea para tratar de
urna cranga : na botica fraua-za, ra da Cruz nu-
mero 21
No dia 18 do corrente, no lugar e a? horas
a que nenhum permeio nociso do t:mma^ hl4Vl,r;l reunio da 6C,ejado Philar-
compromelia a saude.
Inspectora da sade publica, au? ;; j
de 1864.
outuljro
Dr. I.jnaao Firmo Xavur,
Inspector da sade publica.
Millo para alngar perto da
praca.
Aluga-se a casa terrea (para pequea familia
sitaua rua das Barreiras u. i, mmtofiesca, com A
qnartos, 2 sala?, cozuiba, despensa, quarto para
pretos, com o sitio bem plantado de arvoredos ne-
vos, todcs botando fructo, cacimba eom muilo boa
agua de ensaboar roupa, casinlia de tomar banfco
com lauque e bomba de Japy : quem pretender,
; dirija-se a tralar na niesma rua, casa n. 7, com o
I seu proprietario, ou com a Sr. Zacaras Jos Sau'os
Barros eom alaria na mestna rua.
momea.
j^5 0 agrimensor dos terreos de manha
^ acba-se no campo passando o verao as
|^ pessoas i|iie quizerem fallar-Ihe pro<-u-
}^ re-o no sitio contiguo ao sitio do fallecido
.Nicolao Rodrigues da Cunha, em San-
t'Amia.
P3<
BMia pllml.t.
l'm liomem solteiro pretende ir para Olinda a
I lomar banhos, e admitte utn companheiro. alim de
I Qcar mais mdica a despeza, podendo dirigir-se a
i rua da Roda n. 48, taberna.
1
O hachare!
r -i ii cisco Augusto da Cosa
CLUB CO.MMKHGIAL.
A directora seieuiiloa aos Srs. socios
tanto effectivus como addicionaos, qu m
noite do dia ~i do uorreiiletsr lugar aos
saldes das casas -. 1 e 3 da n dn Traai-
che, paaa onde ile novo vai transterir-se
i sociedadi.', um esplendido sai j. por solem-
I nisar-.se o quinto atmiversario da visita de
. Ss. .M.M. li a esta provincia, o teroeiro au-
| niversario da installacSo do mesmo club, *
wb< de presente a sua eslancigo.
W A directora congratuiaodo-se com toda
a sociedade pur lau funestos motivos qiaa
AUVSfiADO
x*

A' rua do Imperador n. 38
A" rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A. \V. Usboinc.
Aluga-se urna casa terrea
Gloria n. iit, ratificada de novo :
Cie, rua da Moeda u. 9.
sita na rua da
a tratar no Re-
Adelauio Emilia da Silveira Lobo, Antiiuio Ilor-
ges, Julio e I), inostlienis da Silveira Lobo sobri-
nhos do linado liento Itandeira de Mello, convidam
aos seus amigos e aos amigos do fnado, ouvirem
urna missa tesada por alma delle no convento do
Carmo. pelas 6 horas da manhaa do dia 10 do cor-
rente, < esperam que nao fall m a esse acto de
caridade e religiSo.
Precisa-se de um trabalhador
da rua nova de Santa Rila:
na refiacao MM
Aluga-se nm sitio na estrada do \ ATlAl'flVftl OrdPTll tfiTfiftlTl Monteiro, proprio para passar a festa I T c Wl viucut WLi^ila u^
ou por auno com urna excellenle ca- pl .S, nn ijlTMllO
sa contendo duas salas, um gabine-' " m
a:^i SE3JSS HML.
I'recisa-se l uuia ama de leite :
rua das Crnzes n. 9, segundo andar.
l'm
te, 5 quartos, cosinha fora, estriba-! Por deliberacao do irmao prior faz-s. Miente
ra, cocheira para carro, casa para feitor, dita pa- aos irmaos que sao soccorridos pela ordem. que
ra escravos, cacimba d'agua doce, tanque para ba- deverao a presentar a mesa os seus respectivos na-
n. 6. segundean- nho, sendo todo murado, com coqueiros. jaqueiras querimeulo? ale o da 15 de duzembro prximo
com os Srs. Jos Gonealves j efmas de 130 p? de laranjas de diversas quali- roturo, depois de cuja poca
! dades : os pretendentes acharao com quera tratar
-Precisa-sede urna ama que cozinlie e en- na raa do '"aperador n. 71, primeiro andar.
,omme para duas pessoas : ua rua da Penha n.'
33, primeiro andar______________________
Alagam-se duas casas novas no melhor lu-
jar da Capnnga por serem muito frescas e varios |
-immodos : a tralar no pateo da matriz de Santo
Antonio o. 8.
Aluga-se nma boa casa terrea com bonscom-
n o.los para familia, na rua Augusta n. 91 : a tra-
ir na rua das cinco Ponas n. 140, ou no caes
Jo Ramos n. 4.________________________^^^^
Preeisa-se de um menino de 13 annos para
aixeiro de um deposito : no becco do Campello
numero 1.
MDAME
VIUVA KUTIER
u publico que mudou se da sua residoncia da rua
Helia n. 9 para a mesma rua n. 39.____________
m^M. fwm.
aos g:ooo.ooo
Bilhetes garantidos
V raa do Crespo n. 23 e casas do rstame
O abaixo assignado vendeu aos seus muito feli-
zea bilhetes garantidos da lotera que se acabou
e extrabir a beneficio da matriz de Itamb,
os seeulntes premios:
>'. S7t nm bilhete inteiro com 6:0000d0
N. 2107 dous qnartos com 1:4005000
N. iW dous quartos com 5008000
E ontras muitas sones de 1008, 405, 305 e 105
Os possuidores podem vir receber sens respec-
li va* premios sem os descont* das leis na Casa
da Fortuna na do Crespo n. 23.
Acham-se venda os da quinta parte da ler-
ira lotera a beneficio da Santa Casa da Mise-
ricordia que se extrahir no dia 24 de novembro.
lre -Bilhetes mteiros..... VOGC
Meios......... JfJH
Qnartos........ t*900
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ ?5500
eios......... 35250
Quartos........ E,.*700
Manoel Marttns Fmza
"-T~Adelaide Emilia da Silveira Lobo, Antonia
fiorges, Julio eUemosUieoes da Silveira Lobo, su-
toinhos do Uado Bonlo Banduira de Mello, convi-
dara aos seus amigos e aos amigos do linado a ou-
virem una missa resada por alma delle no con-
v*iita do Carmo, pelas 6 horas da manhaa do da
1!) do corrente, e esperam que nao fallem a esse
acta de caridade c religio.
manidos, segundo determina o Io do art. 94 do?
estatutos.
Secretaria da veneravel ordem terceira de N.
S. do Carmo lo de novembro de 1864.
O secretario,
Jeronvmo Emiliano de Miranda (.'astro.
Pede-se a certas senhoras que frequeulam o
Club Pernambocano, que se abstenhain df dhnsar
urnas com as outras, oque s proprio da urna
sala de dama.
-**M WM lli^liMS
Caixeiro
Preci?a-se de um caixeiro de 14 a 16 anno?, que
tcnlia pralica de taberna e d liador a sua con-
duela : a tralar em Olinda, rua dos Quatro Cantos
e-quina da bule r i da ribeira.
Antonio Portado esna senhora retirara-se para
Europa.
O Sr. Jos Antonio de Souza Machado tem
urna carta rinda do Lisboa, na livraria da praca
da Independencia lis. 6 e 8.
- Aloga-se urna boa casa com bastantes com-
modos para grande familia, na cidade de Olinda,
roa do Amparo n. 4 : a tratar na rua de Aguas-
Verdes n. o.
Rua do Imperador numero 09.
jKnRJSBKJK kSSJKjH W&f&.$&.x?\
CAI1IXETK
POHTUGUEZ iifiLUriIlii t\\ PE*-
\UIHIC0
1 f De ordem do lllm. Sr. president.- do ronselho
i deliberativo convoco os membros do mesmo con-
jtollina reimirem se em sessjo extraordinaria, na
sala das respectivas sessoes, sexta-ierra 10 uu cor-
rente, as 6 horas da tarde.
Secretariaido consellio deliberativo do Gabinete
Portuguez de Leitura em Pernambuco 15 de no-
vembro de 1864.
A. A. dos Sanios iiorto
___________ 1. secretan j._______
Imperial luslituto de \. S. to Bom
(lonselho.
llavera neste instituto um curso de ferias para
osestudanles que se quizerem preparar para mar-
co ; a matricula acha-se aberla desde Ja para as
i segointes aulas:
Pbilosopiiia.
Geographia.
Rnetorica.
Geometra.
Ingl-z.
1 COLLEGIO DE
JOAQUIIVI. i
As aulas deste collegio funecionam fi
durante as fifias e tem principio no Io 5
de dezerabro: os Srs. que pretenderem a
fuer seu exame em marco dirijamse ao i
mesmo collegio a inscrever-se no livro
de matricula, assim como ene ntrarao *
urna lista com os nomes dos Srs. lentes e ij
as horas em que devem funecionar as {?
aulas. >
mm^mm mmmms
esse dia recorda, e polo que agora registra
na memoria de todos, que se interetsam pa-
lo progresso desla assocJvo, espera que a
conctirreocu dos Srs. socios e Ilustro*
convidados e suas amilias ootavelmente
contribuir para tornar mais aprazivel #
brujante o divertimento quo ella lem pre-
parado para essa noite.
Keoife 10 de Bovemhro de 18fii.
Joo l'ereira Uebello Braga.
Creme.
frapiche n. 18.
o d. .- ri.ijuj!
s.
Pedro de Alcntara Monle Lima, Manoel
Rodrigues do Monte Lima, Gulhermiuo Ro-
drigues do Monte Lima e Bernardino Rodri-
gues do Monte Lima, agradeccm cordialmen-
te a todas os seus amigos que se dignaram
assislir as exequias de sua muito presada ir-
maa Anna Joaquina do Nascimento Lima,
que teve lugar no da 13 do corrente mez no
convento do Carmo, o esperam que se dig-
nem de no da 19 de mesmo mez assistir a
missa do stimo dia que ter lugar s 6 ho-
ras da manhaa pelo descanco de sua alma.
Domingo 13 de novembro de 1864.
Abrir-se-ha a nova confearia de Copino & Frei-
tas denominada dos Aoaaazee situada a rua da
Cruz n. 16. Os donos desle novo estabelecimento
tem a honra de annunciar ao respeitavel publico
que tem montado urna fabrica para poder salisfa-
zer tudo que fr concernenle ao mesmo estabele-
cimento, pudendo satisfazer toda a eucommenda
ao uso da capital, em consequencia do socio Frei-
las ter exercido o Jugar principal em algumas fa-
bricas das principaes casas: sendo urna a da casa
mmm
Maques sobre l*orti!ga!.
a O abaixo assignado, autorisado pelo
1?? Raneo Mercantil Porluense. e na ausencia
S do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca cf-
Bfeclivainente por lodos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e. Porto, e mais luga-
| res do reino, por qualquer soturna vis-
S la, p a praso ; podendo, o? que tomaren)
Si saques a praso.receberem avista, no mes-
88 mo Banco, descontando 4 OjO ao anuo: na
B loja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou
I na rua do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Preeisa-se de um bom forneiro : em 'aoto
Amaro alraz da fundic.ao do Sr. Stai r.
Precisa-se de uro ineslre de masseira c um
menino para caixeiro, com pralica de taberna : na
rua estreila do Rosario n. o.
Cluu peroamliucno
Chamamos a attencao do Sr. Dr. cliefe de polica
para o revoltante c escandaloso faeto que acaba de
'pra;icar para com a sociedade cima, composta
de dozeotos e tantos socios, o seu actual empreza-
, rio Polycarpo Jos La y me e inpia duzia de meninos
\ espertos, chamados credores do mesmo, p 'is alm
de ferlr de perto o? direitos adqueridos o a digni-
! dade de cada nm dos sucio?, traz como consequen-
cia immediata a violajao dos estatutos da socieda-
' de o de um contrato que existe entre o emprezario
e a niesma.
Esperamos que o Sr. Dr. chele de polica, syndi-
' cando do tacto, e entrando no conbecimento da
I verdade, islo , de que ludo quanto se passo nio
i foi mais do que una versonhosa patota eleitoral.
tramada por alguem t combinacao com o empre-
, zario, providencie de modo que. sejam respeiudos.
! os direitos dos socio?, e cumprido fielmente os es-
i tatutos da casa e o contrato da empreza.
j Algum socio*.
' Precisase de um ofUcial de raircin'iro e de
nm aprendiz, ensina-se com perfeico : na rua da
; Aurora n. 58.
v

fina senhora casada continua a leecionar
msica com loda a perfeii;o -, o? pais de familia
ue quizerem utihsar-se de sen presumo, dirljn-se
Esta alada para alugar urna casa na ilha deia rua da Penha n. 7,primelfe anlar. Na mesma
Bemtira junto a ponte da Passagem, com comino- casa precisa-se de una negra ou moleqae pata
dos para familia, banho, pintada, e pelo barato alugar-se.___________________________________
aluguel de 1505 por anno : na rua larga do Ro-
sario n. 36 se dir quem aluga.
inunda le do Senhor Rom Jess das Dores
Be ordem do provedor convido a iodos os ir-
' miios da mesma irmandade a se reunirem em me-
. sa gcral no da 20 do corrente, as 9 horas do dia,
alim de continnarem na discussao do novo corn-
il romisso.O escrivao,
Jos Lucio do Carmo.
Precisa-se de um menino portuguez, dos che
f*^-~- -, " - *,mmm ericas das principaes casas: sendo urna a da casa rt .., caiiero de urna loiaem Mi
Precisa-se de ama ama para coz.nhar para Carceller (desde algum tempo do Sr. Joao ^-toTl^^^SlbiSiaa!^ i
le pouca familia: na rua larga do Rosario n.: calves Guimares.) Mace, a lralar na rua aa lj'iae'a " J0-
casa de pouca taraitia: na rua larga do Rosario n. calves Guimares)"
21, loja de calcado ________ Diariamente
moco oo ve- ha ver um sortimenlo de doces para cha.
gDEffsTA DE PARS
19Roa Nora19
Frederieo Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas ihe reconhecem.
Tem agua e pos denticio.
Quem precisar de un caixeiro para armaiem
de assucar, o qual lem pratica para Uso, auuuacio
por este Ihano. _________________
O r. Aulonio da silva umares nao se es-
g naya, etc.
Precisa-se de um i lina t> ira casa da pouca
familia : oa rua da Concordia n. 23.
Precisa-se alugar um escravo
Iho para servente de urna casa de familia'
da Madre de Dos n. 36, sobrado.
na rua
A oflic. . cap.-. Unio e Beneficencia
tem de celebrar oo dia 20 do corrente s 10
Tioras-daTnarthaano sea Temtfl.-. na rua.
Dimita n. 31, o funeral pelo seu finado
Ir.-. Goilhermino de Alhnquerque Martins
Pereira, convida para assistir a este acto de
caridade a tedos o? mag. ___________
ATTENQAO.
Aluga-se nm sobrado de um andar e um sotao
com bastantes commodos e em bom local, proprio
para passar a festa : quem o pretender, dirjase a
Passagem da Magdalena, rua do Hembra n. 29, que
na padana junto se dir quem a aluga.
Das 9 horas da manhaa em diante haver um
sortimento de pastis frescos, po-de-l, bollo
ioglcz.
Ter dias extraordinarios que haver ipa-
das grandes, podins de diversas qualidades etc.
Para grandes juntare
Pecas montadas para centro de mesa sendo de
amendoas, ditas de tmaras de ovos, ditas de cara-
mello e pao-de l, gatheaus la du chze ricamen-
te decorados, gatheaus de la reina.
Pastis de diversas qualidades
que seria enfadonho especificar a qualidade.
Fructas crystalisadas.
Podins de marrasquino.
Sons tacados.
Doces de gema d'ovo de diversas lyuattdades.
Para casamento.
Bailes e baptisados.
nua Nova n
joja de madama Theard
Este estabelecimento se acha hoje mais
5 que nunca bem sortido de objectos de
|g moda do melhor que pode vir ao merea-
do p np se menciona cada um de per si
R por se tornar demasiadamente enfado-
K nho para seus numerosos fresuezes qnan-
mt do lerem o presente aviso pelo que limita-
g se em lembraralguns arligos, com' se-
jam : chapelinas de dinas de palha de
m Italia, de seda, de repe branco e prefo
para luto, chapees redondos de pama da
M Italia amarella de outras cores para
S senhoras, ditos para meninos e meninas,
R ricos cortes de blonJe, ditos de moreanti-
^1 'J J JLJVy^V
Aluga-se urna casa (lado da sombra) n. 6 na rua
dos Coelhos da Boa-Vista, com 3 quartos e 2 salas,
por preco commodo : a tratar na rua do Mondego,
olara n. 13._______ '_________
__Joanna Francisca de Menezes achando-se gra-
vemente doente, roga s pessoas qne tem penhores-
em spu poder, que os venham rescatar na na Im-
perial n. 168, e no praso de tres das, contados de
hoje, ob pena de sprera vendidos para pagamento.
Reeife 18 de novembro de 1864.
L'ma boa casa terrea psra familia
esl por alugar-se rua da Unio n.
39 : quem pretender dirija-se rua
da Aurora n. 10. Tambem alugara-
se as lojas n. *4, rua da Aurora.
APIPUCOS
Sabbado IB do eorrente.
A companhia nacional de gymnasticas acrbatas,
'contina o seu espectculo na povoaco de Apipu-
ama forra ou aMflL, com variaci() de irabalhos.
saiba cosinhar o diario de orna casa de pouca ia- 0 director ^ mencionada companhia roga aos
Precisa-se de urna
osinhar o diario
milia : oa rua do Urum a. 84.
i espectadores que sa dignaran houra-lo, de nao fu-
maren) para uo iocommodareiu a? familia: es-
i pera, pois, que os ditos espectadores, aUeodcod
Companhia fldelldade de aj jj mi^0,d0f deem exem))|e ati.u 6e se nao pro-
seguros martimos e ter-|g duir semelhante abuso.
ana mmmmmmmmmm
m Come obla I lelldade de |
qup do diversas cores, ditos de seda, as-
Bandeijas ricamente enfeitadas levando enfeiles [ S5 sim como sedas de carea para se vende-
lalogos ao mesmo iim. Para mbno presafll-se '. B rom a covados, das escoeczas, cortes de
Precisa-se de um caixeiro para urna loja em
Alagoa Nova, que tenha habililacoes: a tratar na
rua da Cadeia . 35. loja.
m
anlogos ao mesmo lira, l'ara mimo prepara-:
po-de-l enfeitado com dsticos ou sem elle? sen-
do deconfeilo com asseio.
llavera gela
de mo de vacca.
Assucar refinado, sor vetes, vanos Uno.-, ierres, i"
xaropes, refrigerante*, lanto licores cerno chai upes
e doces.
Assucar cand, pastiihas e pasla de jiijiilia: tanto
para fora como para a praca, sendo era porco se
far no preco dilerenja consideravel.
vestidos pretos bordados a agu'lha, final-
mente un variado sortimento de fazen-
das finas o grossas, na mesma casa fa-
zem-se capas, manteletes, vestidos para
notvas, vestuarios para mearnos se hap-
tisarem e todo quanto pneme ao toilet
de urna senhora o mcehe-se liuurno? to-
dos os meios das ultimas modas de Pars.
restres estafeeleelda no
Rio de lauelro.
AGBNTBS EM PKCNAMBUCO
Antonio Lnii de Otiveira Azevedo i. C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia da seguros Fidebda-
de, tomam seguros 4o navios, mercado-
rias e predios no seu ecripterio roa da
Cruz n .1.
33 I Consultorio medire-rbirurgice na roa larga do Ro-
sarlo n. 20.
0 Dr. Joao Perreira da Silva regressando sua
casa, contina era o exerclcio de sua profisso,
nao s na parle medica como tambem na chirur-
gica.
Os Mhetes acbaoMB a venda na noama povoa-
{o, uo lugar do costume ; comecando o espacia-
onlo as 8 1|2 hars da aoite.
Na ra-i estreila do Kosarta a. 31
Advogado Alfonso de'Albu-
querque Mello,
pode spr procurado a qualquer hora ; as sextas-
o ira, porte), na villa do Cabe. _____^^
TINTURARA.
Tinge-se cora perfetolo para quaiqner
cftr, e o mais barato poasivel: na rua do
Rangel o. 3. segundo andar.


Diarlo e
ifeueo sexta lelr 18 ie Xoveuibro de i $-4.
Club commercial
De orden, da directora se fai sciente que do dia
22 do corrente em dame entra de novo a socieda-
de na marchaWlar dos recreios e passalempos
garantidos aos Srs socios pelos estatutos em vi-
gor, cuja regularidade se achava alterada em vir-
tude do fatal incendio occorrido na noito de 5 de
junnoi do anno prximo passado.
A directora se compraz em assegurar que se
nao poupou esforcos para collocar de novo a so
ciedade era tanto ou maior explendor que na po-
ca de sua creaco, ella se d por bem retribuida
cora a dedicacao constantemente demonstrada por
todos os que a tem acompanhado sem quebra de
harmona, para terdeapplaudir-sedo estado lison-
geiro que anda hoje a raesma sociedade offerece.
Recite 17 de novembro de 1864.
|0 secretarlo, s35s8
Joao Pereira Rabello Draga.
Eusiue de preparatorios
O bacharel A. R. de Torres Bandeira,
professor de geographia e historia antiga
no Gymnasio desta provincia continua a
ensinar philosophia, rhetorica, geogra-
phia, e as linguas franceza e ingleza, e
offerece o seu presumo especialmente
aquelles mocos que se quizerem preparar
em qualquer destas disciplinas para os
I exames em margo do anno futuro. O en-
: sino subministrado pelo annunciante,
i na casa da sua residencia, ra das
: Cruzesn. 9, 2 andar.
Sebolas.
Vendem-se sebolas novas emeaixa e por cento ;
no armazem da vi uva Paula Lopes, na escadinha
Na ra do Palacio do Bispo, primeiro sitio
do lado esquerdo, vendem-se sepos de oiti para
acoiien?.
GRAGEAS
GLIS ECONT
Appaovadaa pala Academia de Medicina de Parla.
Reauka pelos dous relatnos, adoptados pela dita
Academia em 1840 e em 1858, que as GRAGKAS d
GLIS e CONT sao o melbor e uiais efficaz remedie
ferruginoso para curara cblorosis (alias fluor-albo), os
fluxos brancos, a fraqueza de compleixio nos dout
sexos, e tambem para ajudar a menstrua^ao das mocas.
Estas Grageas nao sao vendidas seno em caixinbaa
ou idros cohertos com rotulo e fechados com urna tira
levando a firma do depositario geral : LABELONYB,
jharuiaceutico, ra Bourbon-Yilkntute, 19. Part.
Deposito geral em Pernambuce roa da
Cruz n. 22 em casa de Caros & Barboza.
Hna da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Low
Moor libra a 120 rs.
ftO PUBLICO
Sem o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM UNIO
flTTENQAO
Os precos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslin servir de ba-
se para o ajuste de rom as
com os portadores.
RCANTIL
SOPA
JLIENNE
ra Nova n. 8, loja do cha.
Ervllhas
francezas ra Nova n. 8, loja do cha.
CORIITH
(Passas.)
muito nova para podins: a ra Nova n. 8, loja
cha.
CONFIAS.
Corapra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes dapracadalnde
pendencia n. 22.
a molestia ou infeccao pecec
rali"onhecida pelo nome de Es-
crfula um dos males mai-a
prevalecentes e universal que
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffresse
CA DA C1IIEI1 DO RISCIFE HT. 53.
(logo passando o areo da Coneeicio)
Grande reduccSo de precos,
equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunciante.
amitos ob&to8^da5o^JK A"-teT^ Mtoto pr SREmUsfffiS 3 SS m f RClunCaS ac;abarem Pr bom PreC a manteia ^ tempero, e gritarem em
systllema nue mTnSar %JP?! ^ ra' 6U ff?ndido com estas obscuridades e receloso em adoptar o mesmo
^Suintet^ cento a carola, resolv fazer esta grande redueco de precos, como veris
SVSFfflS**^1*^* Pd m-eU ba,rr0 a V abertura d0 omoravel armazem de ralbados Uniao Mercantil nao
bre escriptor da medicina que "^rtol^
RIVAL SEM SEGUNDO
vender muito barato, pois c seu genio K Cn*
da por lodo preco a vista dos robres.
Cartas de alnetes francezes da melhor qualidade
Grosas de pennas de aro inglezas da melhor
lidade a 640 rs.
qua-
Caixas de clchelos francezes de superiores quali-
dades a 40 rs. M
Gro'^AdeAboles de mad''*'Perola muito Unos a 560
e o 10 res.
Carreteis com
640 rs.
Resmas de papel
2*000.
Gravatas da liga e de outras muilas
500 rs.
Caivetes para penna com 3 folhas
800 rs.
4 a 5 oiiavas de reiroz preto fino a
de peso liso muito superior a
qualidades a
fazenda boa a
Duzia de boloes branco para casaveques de senho-
ra a 100 rs. ^
com 9 varas garan-
Pecas de fila de cs estreilas
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
si itr i n'.'U rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 1,5000. v
Cartilhas da doulnna ebrislaa, finas e superiores a
Pontea finos de marfim a 1000, 1,8200 e U500
Pares de luvas de seda para homens e senhoras
500 rs.
Gollinhas para senhora
500 rs.
! Frascos com superiores
1,6000.
o melhor que ha a 320 a
banhas a 240, 320, 500 a
reza com aue serlo SZ2JS!ZS? P? 3S arranj0S dele D0T0 estabe'ecmento, e mais que ludo apromptidSo e entei-
iStSSmJSSSSi e Znl U V'Z,ta a meT'- Cert0S,de que sem duvida me dar3 a Protecc3 Preferencia na compra
- waotJ^^ ainda que estes sejampouco pratices, pois
_ i serao tao oem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacio, afim de que nao vio em outra paite
Mantciga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oo rs. a libra, em barril se
faz abalimento.
Compra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-so dous escravos que sejam bons
carreiros : na ra do Trapiche n. 13._______
Compra-se garrafas e botijas vazias, na fabrica
de licores ra das Cruzes n. 36.
Compra-se para urna encommenda urna ne-
grinha e um moleque de idade de 10 a 12 annos :
na ra da Cruz n. 1. escriptorio de Antonio Luiz
de Oliveira A teredo & C.
Compra-se urna escrava que saiba engornraar
e cozinhar : na ra do Crespo n. 18, segundo
andar. __________
Compra-se ouro e prata, assim como concer-
ta-se toda qualidade de obras da mesraa qualida-
de com promtidao : na loja do pateo do Carmo n.
7, por preco rommodo.
Libras esterlinas
Compram-se em casa de Johnston Pater & C
ra do Vigario n. 3.
Compram-se diarios para embrulho na ra
da Iroperatriz loja de calgado n. 38. ao p do b
co dos Ferreiros.
que
mais de urna ierra parte de
todos aquelles que morrem antes
da velhice sao victimas, ou direc-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la :por si nao tao des.
.uctiva, porm a principal causa de mui-
rs outras enfermidades que nao.lhe sao ge
ramente attribuidas.
E' uma causa directa da phyhmea pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affecedes do cerebro: Entre os seus dem franceza a mais nova que tem vindo ao
numerosos symptomas acham-se os seguin- mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
tes : falta de appetile ; o semblante pal- meios a 5oo rs.
lido e s vezes inchado, s vezes de uma Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
altura transparente e outras corado e a- \ > 'bra.
marellcnto ao redor da bocea; fraqueza e'. dem perela o mais superior do mercado a
molleza nos msculos : disgesto fraca e 2,8oo rs.
appetile irregular, falta de energa, ventre Moni huxim o melhor que se pode desejar
inchado e evacuaco irregular ; quando o oeste genero 2,6oo rs.
mal tem seu assento sobre os pulmes, uma
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgos digestivos, os olhos
Para bem de todos.
YENDAS.
Vende se caixes vazios proptios
para balmleiros e fuoileiros a $760
cada um; nesla typojiraphia.
tornam-se avermelhados :-o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
teiras etc.
as pessoas de disposico escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pello
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s a/feccoes dos pulmes, do figa-
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas idcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
p^teceo contra os seus estragos; todos a-
V^ quelles em cujo sangue existe o virus laten-
= tc-d'esle terrivel flagello (e as vezes heri-
ditario) estao exposlos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
A phthijsica, ulceracoes do figado, do es-
Vende-se a armacaoe utenclios da taberna
da ra de Aguas-Verdes n. 48.
Vendc-se o sobraao ae dous andares!).""?!;
sito na ra do Padre Floriano, bem conservado, e
edificado em chaos proprios : quem pretender, en-
tenda-se com o Sr. Frederico Chaves, residente na
ra da Imperatriz, o qual est autorisado para tra-
tar deste negocio.
Vendem-se duas casas terreas na ra da So-
ledade ns. 41 o 50 sondo uma de 6 quartos, 2 salas
e bom quintal, e a outra menor : a traiar na ra
da Imperatriz n. 6, onde vende-se umaarmacao de
amarellopor barato preco.
Confeitaria dos Aiianazes.
Ra da Cruz ii. 16
HOJE, 18 do correte, haver empadas para 600 gem,
a I cada urna. _________ ger
Para sitio.
Vende-se um escravo de 50 annos, nao foge nem
bebe, por 2003 : na iravessa do Carmo n. 1.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,ooe rs.
garante-se serem superiores aos que veni
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e uma
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo e Goo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,ooo rs. a arroba,
dem lavado deprimeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e D.ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a Soo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e ,ooo rs. a caixa.
dem e talherira branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse fim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
em barris de 8
muito superior
Vinho verde
para particulares e em pipas,
Ma?ag.
Vendem-se as caixas, no armazem Movmento,
ra da Cadea do Recife n. 50. Em caixas de 100
a CjS, e tambem a retalho por diferentes precos.
VNDESE
um pequeo sitio no Rarro-Vermelho com alguns
arvoredos de fructo, o qual tem 42 palmos de lar-
go e 600 de fundo, muito proprio para quem qu-
zer passar a festa por ficar muito perto do banho
teodo o mesmo sitio uma grande casa de taipa a
qual tem 2 salas, 3 quartos, 1 quarto de venda e
casinha fra : quem pretender dinja-se a ra Im-
perial n. 62, |ue ah se dir quem vende.
Vende-se um carrinho de 4 rodas com dous
assentos, para um ou dous cavallos, muito leve, e
de modell elegante, bem commo um caoriolet de
duas rodas, moderno e novo, com os competentes
arreos : a tratar na ra do Queimado n 13, pri-
meiro andar, escripiorio.
Uma e-crava.
No armazem n. 48 da ra da Aurora se dir
quem tem para vender uma bonita escravinha com
8 annos de idade.
tomago e dos rins: erupcOes e enfermida- dem do Alentejo o que se pode desejar d
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latas i pre-
paradas a 6&o rs. i
Marmelada imperial dos mais acreditados "fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra. .
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Esperraacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 8oo e l.ooo rs. cada uma.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Ilollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Aliona em
frascos grandes a l.ooo rs. o frasco, e
ll.ooors. a duzia.
As novas las garibaldioas a 50U rs.,
na loja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas garibal-
dinas, fazenda inleiramente nova no mercado, sen-
do todas com listras miudinhas, e transparentes,
com lustro a mitaco das sedinhas, tendo varias
cores, sendo azul, cor de lirio, carmezim, cinzenta
e cor de havana, etc.; isto a 500 rs. o covado para
vender depressa: na loja do Pavao, ra do Impe-
rador n. 60, de Gama & Silva.
As modernissimas laiziuhas de urna so
cor, a imitaco de gorgoro, veo-
de o P*vo. *
Chegaram pelo ultimo vapor francez as mais
aiadernas laazinhas de cordozinho, as mais pro-
prias e mais lindas que tem vindo, proprias para
vestidos, soutambarques, capas, etc., dam-se amos-
tra deixando penhor, e vendem-se pelo baratsi-
mo prego de 560 rs. o covado : na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja de Gama e Silva.
Os mais modernos vestidos Baria Pia,
na loja do Pavo, a 16$
Vendem-se finissimos vestidos Mara Pa com
os corpinhos differentes, tendo todos os prepares e
om o competenlo sinto : na ra da Imperatriz b.
60, loja do Pavao,
VnJe-se o'deposito do pateo do Carmo n o
proprio para qualquer principiante, com noucos
fundos: a tratar no mesmo.
Vende-se ama rauJatinha recolhida de idade
16 annos, bem educada, urna napra para todo o
servco, de idade 38" .anaosi por 550#, gm escravo I quena
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipcla ;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacaibunculos, ulceras e chagas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costas e na
eaftcu, avOcnuutes-ftvuninQS, lores bran-
cas causada pela ulcerando interior, c en-
fermidades uterinas, hgdropesia, indiges-
to, enfraquecimento e debilidade geral.
Aos pulmes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consumpeo pulmonar :
as glanulas ella produz inchacoes e tornam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupces e affecces cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
carecem do mesmo remedio: a sa-
purificar e fortalecer o sangue.
A. salsa parrilha de Ayer
composta dos antdotos mais efficazes que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta m lestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado ncontestavelmente pelas
curas notaveis e bem conhecidas que tem
feito de tumores, erupces cutneas, erysi-
pelas, borbulhas, ?iascidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parebas, hydrope-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmes. Debilidade ge-
ral :Indigesto, Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceracoes do tero, a nevralgia e con-
vulces epilpticas e em summa, toda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certides no Alma-,
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtu les: posto que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilhar
composto de diversas plantas, algumas das
quaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PEIT01UL OE CEREJA DE AVER.
Cura promptamenle a asthma, bronebite,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas asj
molestias pulmo-
.... nares.
A lima os ethicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmes pdem ser curadas em pou-
co lempo pelo totoral de queja do dr.
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernarabuco:
a pharmacia franceza de
P.MAURER i C.
_________BA NOVA N. 18.
Vende-se muito barato um carro americano
de dous assentos com roda e varaes de sobred-
ientes ou troca-se por outro tambem americana
de superior qualidade voUando-se o que 5e con-
venciouar : a tratar na ra da nutriz da Boa-Vis-
ta sobrado n. 18.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a ioo e 500 rs. a garrafa, om caada
a 3,000 e 3,30o rs.
Vjnho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz L, Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. ea 9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada uma.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a loo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
1,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
que nao vao em outra parte
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Livros que serve para assenlar roupa, pelo diminu-
to preco de 160 rs.
Capachos redondos muilo finos a 300 rs.
Cordao branco para esparllhes muito superior a
vara a 20 rs. *
Carritis com 150 jardas de linha branca a fifi
res.
Cartoes com 200 jardas de lnha branca garant.
Grosas de pennas de aeo superiores a 500 rs
ihas de fiADja braoca e de cores larea Para l0*-
iiias ou rs.
Pares de botoes de punho, oh que pechincha a
1" I5i
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro cora superior tinta a 100 rs.
Ameixas francezas em latas'de 1 e meia libra Gr,ToS bt6eS de loU5a pra,eados mm,0'finos
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, I,5oe, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com uma duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra-
Molho inglez em garrafa de vidro c
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a ioo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
AGENCIA
DA
AGENCIA LOW-MOOR.
Roa da Senulla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
om completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas~pari
lavar roapa: em easa de S. P. Johnston & C,
roa da Senzalla Nova n. 42.
Superior vinho Collares.
Na roa do Vigario n. II, escriptorio de Manoel
Joaquim Ramos e Silva & Genros, tem para ven-
der superior vinho Collares em ancorelas.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 1 ,ooo rs. e 11 ,ooo a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o maco.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l.oso rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; ditoemcaixoesa6oors.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Tesouras para eostura superior qualidade a 500
res.
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de seguraaca a
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a 640
res.
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, muito
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito fino a 20 rs.
Um Descobrimeato Espaatoso!
O Hondo Sfirntifiro nnanimamente o appro^.
Vende-se a casa que se acha coocada nos
alicorees do anti(,'o engenho da Magd>|ena com
commodos sufflcientes para uma familia nao pe-
quem a pretender dirjase all das 4 ho-
E^r^rs''^'^:lsi=, SV2K r5S
Fabrica Conceicao da
Bahia.
Andrade k Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodao empluma etc., etc.,
j pelo preso mais razoavel.
Roa da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston d> C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,

GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
FOTDI^AO DE SIMOS
* DE
VILLACi IRW10 4 C.
RIA DO BRUM IV- 40
Chamamos a atten^ao de todas as irmanda-
des e confrarias para o que abaixo publicamos.
O amor que votamos a arte que professamos e o desejo que temos de concorrer com o
nosso fraco contingente, para a ver chegar em nosso paiz ao grao de perfeicao que para f
> desejar, nos impeli a mandara Europa nm dos nossos socios, afim de particular- f,
1 mente estudar a melhor maneira de bem fundir os sinos.
mm
A (omposicao Aliar almila
Peitoral de Kenip.
Tor cspa<;o tensamente om Tampico para a cura de
TSICA pulmonar,
CATARREO, ASTHMA,
BROfeCHTTE, TOSSE CONVULSA,
CRUPO O GARROTILHO, e
Inflamma9es da Garganta e do Pelto,
c isto com uin resultado tao feliz c venladei-
raniente assombroso o pao ou madeira d'uma
arvorc \ que chaiimo Anacahuit, c que s
se encontra no Mcxioo.
A Coraposico Anacahuita Peito-
ral de Kemp un Xarope delicioso, intei-
raniente differente na sua composicao de
todos os mais Peitoraes e Expectorantes ma-
nufacturados de fructos astringentes, cascas
e raizes, Acido Prussico ou outros quaesquer ingre-
dientes venenosos.
Todas as molestias e affecces da garganta
c dos pulmes desapparecem como por nm
mgico encanto, mediante a accao deste n-
i-rmiparavel e irresistivel remedio.
venda as boticas de Caors Barboza,
roa da Cruz, e Joao da C. Bravo & C, nu
da Madre de Dos.
W6*


>*Ny Grandes foram as difflculdades que tivemos a superar, afim de podermos conseguir o
^ nosso desidertum ; porera gracas aos esforcos e bons ornaos de um nosso amigo, o nos-
so socio pode ser admittido em uma das melhores fabricas de Lisboa
Muito lucramos e muito tem a lucrar o publico, por que sem receio de sermos con-
testados, podemos afflrmar, que os sinos fabricados em nosso estabelecimento em nada
se parecem com esses almoarizes de mo goslo que por ah se fazem.
://f Estamos habilitados a fundir sinos de todos os tamanhos desde 16 libras at 100 ar-
robas, com emb emas, ornatos, etc., conforme a voniade ou gosto do comprador, guar-
* i", 6nT SrU- fabriC0 lodas as regas da ar,e- Pedimos, portanto, em recompensa de
W^\ tantos sacrificios e despezas a proieccao do publico.
I^i) Villana, Irmao Si C.
b9 E$MSSSgS55$
@^
,3>'

mmmi
Vende-se uma casa
chicotes para carros e montara, arreios para commodos, quintal murado, com laranpeiras e ex-
carros de um e dous cavallos, e relogios de celle,lle.aua de beber: quem pretender dirlja-se
ouro patente inglez. n- 46>
POTASSA
Vaade-se potassa em barris a commedo preco o
na ru d# Cruz n. 23, primero andar, eseriptori:
de Antonio de Almeida Gome*,
Fabrica de chapeos 'le sol de Francis-
co Maeslrali, roa do Queimado
numero 22
Nesla fabrica chegado pelo ultimo vapor um
Cal de Lisboa,
Vndese na ra da Praia, no armazem.
I Joaquim da Cunna & C, n. 16,
completo sortimento de bengallas e cachimbos de
i espuma domar e de outras mais qualidades, as-
______. sim como tambem chopetas para charutos multo
finas, e fumo caporal, e setnpre tem prompto um
bom sortimento de chapeos de sol de todas as
d.e los qualidades, na qual se fazora e se coneerlam (do
1 pertencente a esta arte.
Gal de Lisboa em pedra
desembarcada hontem de bordo da barca Bebe-
douro : vende-se por todo o preco no escriptorio
de Manoel Ignacio d'Oliveira A Filho, largo do Cor-
po Santo n. 19.
Para quem gosta do bom e
barato.
Xo eslabelecimento de Gama li Silva, na ra da
Imperatriz n. 60, loja denominada-PAVAOtem
uma grande porc.io de varias qualidades de fazen-
das, as quaes se vendem muilo em conla para li-
quidar. A saber :
As laazinhas do Pavo.
Vendem-se laazinhas de quadrinhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo preco de 280 rs. o covado,
ditas largas multo finas a 400 rs., ditas estampa-
das, cor segura, padres miudos e grandes a 320
rs. o covado, ditas transparentes com palminhas
de seda a 400 rs., ditas escocezas a 660 rs., isto lu-
do para liquidar : na loja e armazem do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60.
Sao baratas a s-io e 3tors.
Vendem-se chitas inglezas escuras e claras com
as cores seguras pelo preco de 240 rs. o covado
ditas largas, boa fazenda a 320, 360, 400 e 300 rs.
o covado : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, loja de Gama & Silva.
Precalas a 600 e o60 rs.
Vendem-se as mais tinas precalas, padroes miu-
dinhos, gostos deliradissimos pelo barato preco de
600 e 360 rs. o covado : na ra da Imperatriz n.
oO. loja e armazem do Pavao.
Meias precalas, ou precalas inglezas largas a 100.
Vendem-se meias precalas ou precalas inglezas,
padioes miudinhos e fazenda fina e 400 rs. o co-
vado : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
O gaagnelim do Pavo a 38o rs.
o covado.
Vendem-se ganguelim cor de rosa para roona
de meninos, e vestidos pelo barato prsco de 320
rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 60, loja do
Pavo, de Gama & Silva.
Os grosdenaples do Pavo.
Vendem-se grosdenaples pretos, fazenda supe-
rior a 1^600 rs. o covado, ditos largos muilo en-


Hanara venl maTsMv?^nuniamPnfA^h0 arpados a 2^400, 25600, 2800 e" 3,8000, ditos
gada aPo meVrcaddo IF^SSoSSSS'&St:: J""^^JlT!; Tama T& d SX! K
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, ra do ^pS&: SWlSSSLt S^ denominad*
Trapiche n. 13, por preco razoavel. do Pavao> da ^Peratr.z n. 60
_-_________ F F ^___________________, j Vestidos branros para baile.
Vende-se a casa terrea n. 25, sita na ra de; Vendem-se os mais ricos vestidos brancos bor-
Mathias Ferreira, na cidade de Olinda : quem a, dados proprios para baile ou casamento pelo bara-
pretender dirija-se a ra Augusta n. 59, que acha* lissimo preco de 255000 cada cile : na loja e ar-
fa com (juem traiar. | mazem de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.

.**





Diario de Pernambnco Sexta feira 18 de Voveuikro de 19114.
CL
k Mtilt
C OMINE
RA DO gi:ediado W. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
0 PROFHETA
AO UEMPEITAVEfi PITBIjIC^O,
RA DAS CINCO POMAS N. SG
Esquina da ora travcssa de s. doito.
Grande liquidadlo de faztndas de lodas
as qualidades para se apurar dinhei, vende
se baralissimu na luja e armazem da Arara, ra
da Imperatriz n. 50, de Lourenco Pereira Men-
des Guimaries.
AO BAIUTEIKO DA ARARA.
Vende-se cortes de chitas de cores lixas com 10
covados a 25400 o 35U0, cortes de cambraia de
salpicos a 25500, :J^(jU0 j i5000 para acabar : na
ra da Imperatriz n. SO, toja da Arara.
A Arara vende cassas a 210 rs.
Vende-se cassas para vestidos a 240, 320, 360,
e 400 o covado, organdys de lindos gostos para
vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado : na ra da
imperatriz n. 86.
CorlesdelaaHariaPaaSf>, 120, i-1**160.
Vende-se corles de la com barra, os propria-1
mente a Mara Pia a 80, 12$, 145 e 160000, ditos: Desejando o proprietario do grande armazem do Propuea ilar lar-
Arara^Lge dfSe :dnauadamperatriz' k'Ja da' gas ao seu genio emprehendedor, commercial e especulativo, resolveu ceder a inspiradlo
A Arar Teide^'liaVpara^mtidos de senuor a qua,ldo nas horas caladas da noite o seu solicito espirito se agilava n'iu
3g0 rg turbilhao de ideas, tendentes todas a bem servir e agradar aos generosos habitantes
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-i desta bella provincia, de abrir mais este grande estabcleclmcnlo de nevos e
tidoo de senbora a 360 rs. o covado, laazi- escolhidos gneros, quasi que especialmente destinados s pessoas que moi am na fre-
^00* Para vestidos desennora a. 320> 36> 4.00 Arara!' : a rua da ,mPeratriz D- 56, loJa da, dade sao sem conla o numero das vantagens que se lites offerece, nao so com relajo a
Ai colchas da Arara de 20. jmodicidade dos (retes, como da facilid.ide e brevidade da cunduccao dos objectos com-
Vendem-se colchas de damasco para cama a 45, prados.
Peras seccas muito novas a 60O rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220 dltas ".chita a 25000 : na rua da imperatriz du- i O sonho do Propheta sera urna verdade pratica to acceita e abracada como as
Paincoa 200 rs. a libra. rs. a libra. meroab. palavras simples e bem intencionadas tos velltos patriarchas desses lempos idos, si o So-
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra. VmSSEH dTclira debS f Se, e u [ nhor Dusdos erciu nao o quizer contrariar.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilhas portuguesas a 640 rs. a lata. ditos de casemira a 838 So na rua da' I 'Pheta nao querendo restrmgir-se a forma ordinaria de negociar resolveu
muito novo a 640 rs. dem seccas muito novas a 200 rs. a libra, 'mperatriz n. 36, loja da Arara. ;tambem, depois de prolunda meditaco, de nao vender smente os seus gneros a dt-
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800' Figos de comadre e do Douro em caixinhas Larinhas da Arara a 210 rs. i nbeiro corrente ; mas tambera de por em pralica troca delles por oulros da prodcela
dem prato. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a 4nYendem'se l5aiinnas Para vestidos a 320, 360, do paiz ou por escravos, bois, cavallos, etc. Assim, jiois, fique na intelligencia de todos,
dem londrino ebegado no ultimo vapor a| 10800, 50500 e 280 rs. a libra. dtK<^r%ditasinas de IodaSaa? cres iftt que I,R0I>HETA receber como moeda de qualquer dos senhores agricultores, ? ssucar,
900 rs. a libra, Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra. imperatriz 56 toflVwa? algodo, agurdenle, milho, feijo, cavalles, escravos, etc., etc. e Ibes dar o mesmo valor
Sal renado era frascos de vidro a 600 rs. i dem de trigo a 120 rs. a libra. A Aran vende m completo sortimento de roupa em gneros, escolhidos a contento.
Genebra do Hollanda verdadeira marca VD' feita I Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objectos re-
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.' Vendem-se roupas feitas a saber : calcas de cbidos por troca, o a-ropheta nao demorar a differcuca que deve dar em dinheiro.
dem em earrafes de 3 c B a ^Annn brim de Cres a 20 e 24500, ditas brancas de al-; Um eslabelecimento que com tantos sacrificios e desptzas acaba de ser aberto
e 70500 cada um mdJS god^ a U> di,as de linno a 3*500 e 4*000' colle-
e /flwu caaa \ m com O garrafdO. tes de cores de brim a 15600 a 25, ditos brancos
NO VID ABE
Pereira Rocha &C. acabam de abrir na rua do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Comraer-
i!mp*S-0 resp, ? h, ve.n,os1Pr Precos muito resumidos como orespeitavel publico ver pela tabella abaixo mencioneda; garante-se obom
peso e boa quandade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 el06OO, e era frascos grandes a
2*500.
Ideracm caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 10600e2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira e matarana a 320 rs. a
libra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs, *
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra,
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 2800 e 3000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, -a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
2*0 10, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
beta muito enfeitadosa 700e 600 rs.
Chotiricas e paios muito novos a 800 8. a
libra.
cadajum.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 60 <
libra.
Eigos em caixinhas ermelicamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 4815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocage Cbamisso -e outros a 800, 900 c
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a-90000e 100000.
dem em pipa. Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
agarrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
IdemMorgauxeChateauluminide 1854, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a
102OOrs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
r--;-. iaa i^ .-,. les ue ,:ures ae nnm a l^OUU e z#, anos orancos Pr radiln a traanaiia
Gram a 100 rs. a lata e 10100 a duzia. a 25500,de casemira a 35 e 45, calcas de casemi-,nr C,e,l e ,rtgueia-
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. ra a 5& 60 a 75000, paletots de casemira a 55000, Araruta verdadeira a 320 rs a libra
"SaStuSS^Sf' rra'aS mU, SMB^flfflSR !'e^Ma,! A do Maranhao Jav, e do ^.80,
granues, a iuu a garrara. tos de alpaka de cordao e alpaka branca a 45500, 100 e 120 rs. a libra, e a arroba a 10800,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. ditos de brim de linho brancos tinos a 55000, se-! 20500 e 20800.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de rooIas a i$280, ditas francezas a 15600 e 25000, Amendoas a 280 rs a libra
vidro, a 10000, s a garrafa vale O di- camisas frjnceas a 25 e 25500, ditas de linho in- Ameixas francezas al A200 14400 fl l-ilfiOO
nhoirn S|ezas 35000; e outras muitas roupas feitas que Ameixas 11 ancezas a \0zw, l#4UU e i;>oui
deve inspirar a lodos a certeza de que se vender muito barato com o fim de se adqui-
n^.^-'-__i ._* '. -. se torea enfadonho mencionar, que avistado com-
Manteiga mgieza perteitamente flor, desem- prador ,se dir o preco, por isso roga-se aos com-
da
garrafa
barcada de pouoo a 900 rs. a libra, o
de segunda qnaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores esnservei-
ros de Lisboa a 60'1 rs. a lata.
Marrasqurhho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas finas para sopa: estrcllinha, pevide,
rodinha e aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinha com 12 libras.
! Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
e Peixt em latas preparado pela primeira arte
i decozinha.a 10 alata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maco.
Alm dos gneros cima mencionados le- dem de dentes a 120 rs.
mos grande porgao de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudoser vendido por [ Amendoas confeitados a 900 re. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porgues como j Doce de goiaba em latas o melhor possivela
retalho- 20 e em caixo a 640 rs.
em latas, frascos e lindas caichinhas muito
proprias para memosear alguem,
Amendoas confeitadas em frascos de vidro
a 10 o frasco.
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40500 a arroba.
Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa.
pradores o favor de vir ver na bem conhecida loja
da Arara, rua da Imperatriz o. 56, de Lourenco
Pererra Mondes CuimarSes.
A Arara ve*de as percate a 500 e 560 rs.
Vende-se percalas de cres finas para vestidos
a -300 e 560 rs. o covado.
A Arara vende liras bordadas para enfeitar vesti-
dos brancos.
Vende-se liras bordadas para enfeitar vestidos
trancos a 15200 e 10400 a peca, musselina bran- ,
ca fina a 406 e 500 rs o ovado : na rua da Im- | Azeitonas por todo 0 preco.
dem em botija a 360e 'tOO rs. a botija.
Graixaem lat.sa 10200 a duzia.
Limonadas de diversas, fructas a 10000 o
frasco.
Licores inglezes e francezes a 10000, 10500
e 20 a garrafa.
Lingoas americanas a 800rs. cada una.
Linguigas promptas em latas a 10200 a lata.
Manteiga ingleza neste genero o que ha do
melhor a 800 rs. a libra e em barril a 700
rs.
dem mais baixa a 640 e 720 rs. a libra.
Azeite de Lisboa a 640 rs. a garrafa e 40800 .Manteiga franceza a 520 rs. a libra, em barril
a caada.
Azeite doce em boioes com 9 garrafas a o $500
com o boiao.
a 6 40 rs a libra em relalho.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
.Marmelada muito nova a 640 rs. a libra.
Molhos inglezes a 400 c 640 rs. a garrafinha.
peratriz n. 56, loja da Arara. 1 Biscoitos inglezes de diversas marcas a 1 300: Mostarda preparada a 400 e 640 rs. o frasco.
Ac barateiro 4a Arara a 20500. a lata. Massas para sopa macarro, (aiharim e aletria
Vende-se baloes americanos de 15, 20, 25 e30 Bolachinhas de soda, oval e lunch a 200001 a 400 rs. a libra.
"vILt?00'.-3?' 3*300 e 4?000"<.t\ . aoa a lata cm 3 l'bras, dem finas em caixinhas a 3C0O a caixinha.
Vende-se gohohas para senhoras a 240,320,400 ,. e 500 rs.,camisinhaspara ditas a 15,25, 35 e 40, i Bolachinhas americanas em barricas 26 Marrasquino de Zara verdadeiro a 1)5500 o
na rna d Imperatriz, armazem da Arara, n. 56. libras a 20000. frasco.
A Arara vende atadapolo enfestado a 40. Banha de porco da melhor qualidade a 300 dem mais baixo a 800 rs. e 10000 o fiasco.
Vende-se pecas de madapolao enfesiado com do- rs. a libra. Milho em saccas com 20cuias a 30500.
ntfflliniSJP'. Tint ffinnn ftA Batalas em g'gs e xas por todo o prego. Prezunto inglez para fiambre viudo no ultimo
Quem comprar de 1000000para cima te- Palitos do gaz a20200 a groza.
r o abate de 5 por cento. jPassas muilo novas a 480 rs. a libra.
LIGA.
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
DE
\ovos 1: escoi.iiidos gemelos
TANTO EM GROSSQ COMO A RETALHO
60 -RCi NOVAGO
L'Uima casa junto a ponte da Roa vista.
DUAS PALAVRAS.
Cesse tudo quanto a amiga musa canta
Que outro valor mais alto se alevana.t
Adia-se a disposigo do respeitavel publico este grande e magnifico eslabeleci-
mento de molhados, talvez o primeiro e nico hoje existente em sua especialidade, por-
que o maior capricho de mos dadas com mais apurado gosto de abrir um eslabeleci-
mento modelo promoveram a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtencuo de vantagens, que repartidas como rao ser pelas pessoas que se
dignarem de honrar-nos com a sua freguezia, alentamos a doce esperanga de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos precos quasi do pri-
meiro custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acuario
em aosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
ele etc, e aquelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
sario, promettemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com to boa vontade, como a moeda de ouro do
hornera rico.
A pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa qualidade dos
objectos, como pela fidelidade dos pregos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO ECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e floreseente imperio um grande partido polilico com a
denominago de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ninguem.
O neme urna voz cora que se dao a conhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicagao que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais:
N3o oriundo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
lera da Liga. O acaso nos fez deparar cora a narraco desse acontecimento, que tan-
sorprehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e goslando sum-
uiamente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oito do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
Honnl solt qnl mal y-pense._______________________
MCHiMSOEPATENT
{ de trabalhar a nao para
escarcear aBgodSo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machinas
podem descarocar
^qualquer especie
"de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoas para
o t rabal lio ; pode
descantear urna
arroba de algo-
do em caroco
em 40 miautos,
ou 18 arrobas
por da ou .5 ar-
robas de algodo
Jimpo.
Assim como machinas para serem movidas ,por
animaes, que descaro^aai 18 arrobas de algodo
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis deetas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
marcas seguintes : n. 30 a 65000, n. 250 a 6)800
e 75, n.4 85, n. 58*500, #5.95, k PF a QfSOO, Caf moido a 1O0 n. ZZZ a 125, l a-U5000 a [.era. algodo a.peca | Caf superior a
de 20 jardas a 55 e 05000, dito carne de vaoca a
055OO, dito domestico a 75, dito slcupira a 85, dito
pao ferro a 95 a peca : na rua da mperatriz. loja
da Arara n. 56.
Bramante de linho a 20300 a vara.
Vende-se bramante de linho a 24&00 a vara, .r an-
no de IdIio para lenQes a 640 rs. a vara: na rua
da Imperatriz loja da Arara n. 36.
1% Arara vende casimiras finas a 50.
Veadem-se cortes de casemiras.para caifas a 55
o550G, 65 e 75000 a corle : na rua da Imperatriz, |
loja da Arara n. 36. iChouricas as mais novas do mercado a 120
A AraraTecebeu uu completo sorlimenlo de capas o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a
e seulbetnbarijues ellas que 6 peehincha.
r&JsgsssSE rs aars ssSftmagniico a' * ?' f00 a libra-
ditos delaazinhas decores a85, 105e 12500o! arveja marca a mais acreditada que tem
capas de grosdenapie preto a 205, 235, -'105 e :i55; "ndo a 500 rs. a garrafa, e meia garrafas
,S0?e.'J^r",ues pre,os de erosdonaP|e a 200, 255' por 320 rs. branca e preta.
lajSS&iri? r?* C armaZem da Arara" fUa I Conservas "gezas a 800 rs. o frasco fazenda
Casuiras para capas a 30 o covado. ,,. <]ue"
Vendem-se casemiras lisas proprias para capas > 'em francezas a 500 rs. o frasco,
de senhoras a 35 o covado, lazinhas lisas para o Cevadinha de Franga a 240 rs. a libra,
mesmolim a.600 rs.-ocovado : na ruada Impera-.Champagne da melhor marca que aqu tem
rs.,^itos finos 600-rs. a duzia : s na loja da Arara, raa da Ira-1 Ceblas por lodo prego.
Copos lapidados que sempre se venderam e
Ao barateiro do burro da llua-Visi.
Vendem-se chitas escuras e claras de ores ixas
a 240 e 280 rs. o covado, chitas Irancezas finas a
320, 360, 400 e 500 rs. orado, porm assgu- |CoPs Para vinho a 3000 a duzia.
ram-se as qualidades e ciir.es : e muitas outras fa-1 Doces de calda vindos de Lisboa neste ultimo
zendas que so vende barato, isto smente vista
dos freguezes. Assim cheguem freeuezes, porque
Sauuders Brolkeis k G.
M. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes oeste paiz.
s se vnde assim barato porque est afesta'na
porta, e a loj;i da Arara da rua da Imperatriz n.
56, pode bem servir aos freguezes do bom e ba-
rato.
vapor a 800 rs.a libra.
70500, 80000 e 80500 a' dem mais ant go a 040 rs. a libra,
arroba. dem do Porto a 040 rs. e sendo inteiro a
Cha nesto genero temos o que h de melho- 500 rs. a libra,
assim como tambem temos baixo pelos pre- Passas novas a 400 rs. a libra,
gos seguintes: 10400, 10600, 10800, Polvo a ICO rs. a libia.
20400, 20(500, 20800 e 30OCO o fino. t Paingo a 160 is. a libra.
Charutos de todas as melhores e peores mar- Pomada a 240 rs. a duzia
cas do mercado a 800,10000,10GOO, 20, Pimeiita do reino a 320 rs. a libra.
20800,30000, 40000,50000, 50500 e 60 Peixe cm latas a 10010 a lata, savtd, cor
o cento. vina, pargo e outros.
Papel de peso a 20000 a resma.
dem idetn muilo lino a 40000 c 30.' 00".
dem marfim a 405' 0,
dem almasso a 30000, 30500 e 40000.
dem para embrulho a 10200 a resma.
Palitos para dentes macos com 20 machino
a 80, 120 e2C0 rs. o mago.
Palitos do gaz a 20000 a groza.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20000.
dem londrino a l)C0 rs. a libra,
dem prato a (40 is. a libra.
Rap .Meurona 10000 a libra.
Sag c sevadinha a 240 e 280 rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 640, 560 e 360 rs 2
lata.
Sabo massa a 120, 180, 200 e 240 rs. a
libra, e em caixes por menos.
Sal refinado a 600 rs. o vazo (pole de vidro.)
Toucinho de Lisboa, de Santos e americano
a 160, 240 e 320 rs. a libra e em arroba
a 5, 7, e 90000.
se vendem em muitas partes a 80 e 100,
vendemos a 50500 e 60000 a duzia.
27.V! rS' a la,a das melhores fruc' ITijolos Para limPar facas a 'G '* cada um.
tas da Europa. vinho do Porto em ancoras com 70 garrafas
goiaba e da casca o melhor que e | a 300000.
dem da
RIVAL SEM SEGUNDO.
Rua do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateiro
conhecido j como tal, est dispondo da fazenda
por todo o prego para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o seguinte :
Baralhos de cartas para volUrete muito
finas a............................
Miadas de linha froxa para bordar a...'.
Pares le sapatos do tranca de todos os
tamanhos e finos a...................
Massos de superior grampos para cabellos
Duzas de palitos de gaz superiores a. ...
Libras de ara preta muito superior a...
Frascos de superior macaca oleo a___
Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.
200
20
15500
30
200
100
100
200
ffiiffsffliSl
SP -J ., rr. /3 O r-r* ^_ *"* B? O
ponto] por; diversos pregos, e conforme Vinhos de Lisboa e Figueira qualidades mag-
nificas a 30000, 30500 e 40000 a caada.
ta
ge-*
= cra o, 3 i g- 2
lilla-8 ~
g S
- s a
0 S*! 3.3 - es
-iftnil
5- 5 B *" K 8*
s-s'a S S o. M
1 x mi
a 3

aS*
"=-=>=
-2. = (C
C a P ->
es
2
Ditos de banha muito fina a...........'.
Ditos de cheiios muito finos para o oreco
a ris.
500
400
640
600
OTfflSA
Vende-se um coraoraetro martimo inglez do '
melhor fabricante Charly Frodshan, amaneando o |
seu regularaento, por diminuto prego : a tratar
na rua Nova o. 21, loja de Francisco Jos Ger-
mano. "u v 1 Vende-se superior vinho do Porto em canas de
___ urna duzia : em casa de Johnslon Pater & C, roa
GAZ GAZ GAZ ^,00.3.
Vende-se gaz da melhor qualidde a
120 a lata : pos armazens da rua do Im-1 yende-se na rua Nova n. 61, defrontt
perador Q, 6 e rua do Trapiche Novo n. "8 'cmara municipal.
Queijos de Minas
Illnv
Sabnetes de todas as qualidades a 'rs.
r 160, e............................
Novellos de linha com 400 jardas a.'.'.*..'.'
Urnteis de linha de cres com 200 jar-
das a..........................77.
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris..............................
Varas de bicos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a............................
Pegas de tranca preta liza mnito fina a..
(>aixas com i papis de agulhas Victoria a 200
Varas de fita preta com colxetes a...... 40
Libras de la sortida de todas as cres a 60500
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de obreias de ma ssamoto novas a
Varas de franja .branca e deires para
toalhas a.........................
Frascos de oleo Philocomescupenor a...
Ditos com superior tinta a320 e.........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Knfiadores para espartilho a...........
Duzjas de botSes encarnados para vesli-
400
80
60
30
240
200
400
40
I5OOO
I5OOO
60
160
40
80
600
500
800
60
2
a 8
?!
O 0
l i
s *z y*
8> a
co B o
o
"O
o
O -1
erg""
3
aro
o
g
z
otamanho doscaixoes.
Ervilhas em latas a 640 rs. a lata,
dem seccas a 200 rs. a libra.
Espermacete americano a 10200 a libra,
dem francez a 560
0>
a.
B

s
O p,
i" a 8 S,
al

3
o
ai
o
9 a
o 3
o, -,
a
3 ="
S o
D"
5
a.
f e
Vinho do Porto em pipa a 5 e 60000 a caada.
Vinho branco de Lisboa e Porto em ancoras,
barris e pipas a 40000 e 50000 a caada.
rs.omassocom6 velas. Vinagre de Lisboa a 10600 e 20000a .ana-
Figos de comadre em caixinhas muito lindas da.
rs- a caixa- : Vinagre em garrames por I -5000 com < gar-
rafo.
9
e
rs. a caixa.
Farinha de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Farinba do Maranhao a 240 rs. a libra.
Fumo do Para a 10800 a lata grande.
Fumo americano a 10400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros
rs. o maco.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a
Genebra de laranja 10 o frasco.
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.
j Vinagre em ancoras para 1 600 com a a.'ora
I de 9 caadas.
i Vassouras americanas a 640 rs. cada ,.ma.
a 200 Vinho defiordeaux neste genero temos gi ande
I pprco e das qualidades memores que tora
30500, vindo ao nosso mercado em garrafas, em
ancoras, em barris cquarlolas o qualven--*
i demos por procos muito baixos.
a w mi *g $} i* ?M
Sao muito bonitos
Sao muito modernos
Sao muito baratos
0 barateiro Joaquim Luiz dos
Santos, acaba de receber um es-
plendido sortimento de soutembar-
ques e capas ricamente enfeitados e
que vende muito barato ; mandem
ver Exmas. Sras. para se convence-
ren! desla verdade, na rua do Cres-
po n. 1, junto ao arco.
too
Parlaba de mandioca.
a 55OOO o sacco.
A melhor que existe no mercado, bordo do pa-
tacho Ulysses, defronte do trapiche do baro do Li-
vramento pelo liara 10 preco cima mencionado,
sendo sem o sacco, e em porcaose far alguma
dilferenca; na rua da Madre de Dos n. o e 9,
DECLARACA.
tLIZA declara pelo prezente que
deixa de publicar os precos pelos quaes ven-
de as suas mercadorias por motivos qne ao
respeitavel publico pouco ntereca. Serve
provisoriamente de baze os precos do Pro-
pheta.
OUIIEM DO IIIA.
O BALIZA concede plena liberdade aos
seus amovis collegas Clarins, Unioes, mitra-
dos e croados, para que possam sallar, her-
rar e tudo mais quanto lhes aprouver, at
a sua segunda ordera.
VS8S
?<#M



'
l!u-:o 4e PeriuikiM sexta Mira 18 ir \ovcmbro de 1S4.

NOVA MEF0BM4.
AUR0K4 BRILH^TE.
N. 84. Largo da Santa Cruz. N. 84.
Francisco los Fernandes Pires, tem a honra de avisar a sqa numerosa freguezia
e com especialidade ms moradores do bairro da Boa-Visla e seus nrrebaldes, que fez
nova reforma era seu asseiado estabelecimento de molhados denominado Aurora Brilhan-
te, ao larp;o da Santa Cru, e eom esta reforma snpno de novo o sen armazem de bons
generas, sendo mudos delles mandados vir de sua propria conta, para melhor servir
aquellos que e dignaren) comprar ou mandar comprar em sea estabelecimento.
No armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respcilavel publico um
lindo o novo sortimento dos melhores gneros que tem vindo ao nosso mercado, c sem-
pre por precos muilo razoaveis, como se ve da segrate tabella que ser mudada se-
uianalruenie.
*vX
NEM COROAS NEM MITRAS
o
GRAIilfi
DE
RIJA DO IMPERADOR 1. 40
Junto ae sobrado em que mura e Sr. 0>horne,
Duare Almeida dt C, receberam de sua propria eneonmen-
da o mala lindo e variado sortimento de molhados, proprios
da presente estacio.
Manteiga ingleza | Macas brancas
da safra nova vinda no ultimo vapor a 1,000; para sopa a melhor que se pode desejar,
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS

A Aurora Brilhante recebe as libras sterlinas por 9, sendo para compra, e faz 5
por cento de abaitmento a quem comprar de 1005 para rima.
Presuntos de Hambre muito novo, a libra a
800 rs.
Ditos para panella, a 560 rs.
Qaeijos londrinus muilo superiores, a libra
a 1*000.
Ditos do reino vindo neste vapor a
Ditos do vapor pa&sado a t e i&iQO.
Queijos de qualha novos, a libra a 560.
Frascos grandes com amrixas a 3*000,
Latas com i\i libras a 15200
Ditas com 3 e 6 libras a 25500 e 45.
Chocolate francezmuito superior, a libra
15120
Cha fino de primerra qualidade, a libra
2-3700.
Dilu uxim a 25700,
Dito hvsson a 25700 e 2580.
Dito perola a 24*00.
Dito em eaixinhas de 1 e I libras a
Dito iruto a2Je25500.
Manteiga ingleza flor a 15200.
Dita mais abaixo a 806 rs.
Dita era barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Latas rom 2 libras de banha refinada, a libra
a 400 rs.
Manteiga franceza nova, a libraa 640.
Dita em barris e nietos ditos, a libra a 600.
Toucinho de Lisboa a 95500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Latas com bol.ichinha de soda de S libras a
25000.
Ditas cora biscoitos e bolachiiihas sortidas
a 15500.
Ditas inglezas novas, a libra a 240 rs.
i Arroz do Maranho, arroba a 25400 e a li-
bra o 80 e 100 rs.
. Dito da India a arroba 25800 e a libraa 100
i e 120 rs.
Caf muio superior de primeira qualidade
a 85300. 05 c 95500 a arroba.
Dito em libra a 280, 320 e 360 rs
Vinhos em cafn de 12 garrafas, o melhor
possivel a 185 e 205.
Dito mais baixo a 105, 125 e 145.
Dito Figii'ira. o mais superior possivel, a
caada a 45500 e a garrafa a 640 rs.
Dito mais haixo a 45 a ranada e a 560 rs. a
garrafa.
Dito d<' Lisboa, boa marca, a 400 e 500 rs.
a carrafa.
Dito Brdeos .. 040 rs. a garrafa.
DitH em caixa, das melhums marcas, a 75 o
8500H.
Surveja, marea (mente, en botijas a 7 e 85
a duzia.
Dita d' differentes marcas a 500 rs. a garra-
f.i e 55800 a duiia:
ii ni-br.i de laranja verdadeira a 15 e 1520o
o frasco.
Dita ile II i.lar.la em [rseos grandes a 15 o
ChariHos linos do autor Jos Furtado de Ci-
mas, ba por mu.ii.i- presos.
Ditos de mitro* antorss a 15500. 25 e25500.
Gigos do batatas novas com 1 arroba a 13.
Passas novas, a libra a 508 rs.'
Figos nevos a 320 rs.
Latas de ervilhas e favas portuguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas com ostras, excellente petisco.a 646 rs.
Latas de peixe ensopado em postas, demoitas
qualidades, a 15-
Potes de vidro com sal retinado a 500 e 640
rls.
Marrasquino da melhor qualidode, a 85 e
125 a duzia.
Garrafas de dito a 80o e WBO.
Amendoas concitadas a libra a 866 rs.
Dita cora casca a libra a 320 rs.
Noies, a libra 160 rs
ai neo, alpista, a arroba45 e libra a 160 rs.
Grao de Meo, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Vinho do caj preparado em Bobral a 860 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 15000,15200 e
15600.
Champagne boa a duzia 205,e a garrafa a 25
Garrafes com genebra hamnurgueza a 65.
Vinho branco Xerez a garrafa a 15.
Dito Joio de Brito, puro, a garrafa a 640 rs.
Oito aducicaJo a 560 rs.
Dito do PoTt, lino, a garrafa a 800 e 15
Sirope de grozeis e outras fruclas a 640 rs.
Massas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dita estrelinha. pevide e rodinhas a 640 rs.
Caixinha com 8 libras de dita a 35500.
Soblas soltas grandes, o cen') a 15.
Ditas grandes em resteas a 15280.
Duzias de cartas francezas linas a 25500, 35
e 35500.
Duzias de latas de graxa nova a 900 rs.
Bonhdes de dita a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do serlao a -libra a 320 rs
Chouricas a libia a 640 rs.
Saceos graudes com familia a 55-
Ditos eom nullioo 35500.
Ervilhas seccas a libra a 160 rs.
Lentillias para spa a libra a 200 rs.
Sevadinha de Franca a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Aramia verdadeira a libra 480 rs.
Gomma de origommar a arroba a 45 e em
libra a 160 rs.
Sabao espanhol a libra a 400 rs.
Latas com o vi>rdadeiro gaz liquido com 27
garrafaa a 125-
Garrafas rom dito a-'OOrs.
Saceos grandes com feijo niulatinho com 24
cuias por 95.
Copos c calis lapidados para vinho e agua.
Latas muito bom enfeitadas com gos novos
a 25, 25500 e 35.
Assucar rofinado com ovos muito alvo a ar-
roba a 63500 e a libra a 200 rs.
Papel paula le liso de peso branco e azul, a
resma a 3500 e 45560.
Vinho Mad-ira-secco, a 15600.
rs. a libra e em barril a 800 rs".
Manteiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2#400, muito propios para mimos.
Cartes
com bolos francezes a 800 rs. cada um.
Latas
eom bolachinbas de soda de todas as dua-
lidades a 15300.
Chocolates
de todas as qualidades a l000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 256oo.
iiaeijoN
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra c 4#500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-''
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Idea tic Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2^800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado das melhores fabri-
cantes da cidade do Corto a 10 e 10200
a garrafa e do io,-5 a 120 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Charaisso AFilhe,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,!
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
j com 10 libras de banha a 4^000.
Boltichinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
; vendan a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a Ocf .*i bra.
Oervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
DE
Silva & Souza
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
a a i o por cento incisos odree qnc sepuaan pAo na ira qual-
quer parte.
Gneros especialmente escomidos por um dos socios que na EuroDa se ach
para esse flm. *
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabeleci-
mento.
Os propietarios garanten) todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
AO PUBLICO,
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em armun-
cos deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que lambem
estamos certos nenhuma attencao j merecem do publico. O nosso fim, pois, t simples-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tafclla dos pre-
cos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attencao.
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Cariaxo vende-se nicamente neste armazem
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Amendoas confeiladas de diversas cores a
64o rs. a libra,
dem de casca mole a4o o rs. a libra.
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um. cas de 40500 a fi05OO a duzia.
QueIJo C-AHTOS
e de encellante maree a 800 rs. a libra meias caxnba3 a mm
sendo mteiro e a 900 rs, a retalho. ; ..,
r\ i Arroz
UOnSerVaS inglezaS : do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
as mais novas que se pode esperar a 760 rs. a M rs- 1Dra' 20500 a 30000 a ar-
pepui'nos a R40 rs.
3 Oila verdadeira tte Ilollanda, a botija a 480
v Licores Uns (levaras qualidades a 800, 13
o 13500
O Caixas de vinho mascaiel a t0<3, e a garrafa
;' a I 000.
Unas cota azeile refinado a 105 e a garrafa Cento de esleirs de tranca a 203-
a IJOOO. Illarriscom azeitonas novas a 13:280.
Conservas ingieras e francezas de pepinos,1 Duas bataneas grandes de Romao com os
selas, azeitonas 9 mixide a 660, 700 p pesos de 21 arrobas, ealgans bracos pe-
8i> rs. o fiasco grande.
Lianas com frascos de mostarda franceza a
4-5 a iliizin. e 366 rs. o frasco,
o frasco.
Figos
em libras e eaixinhas ricamente donradas.
proprias para miraos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro:
qualquer nao pode vender por menos de!
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hyssou
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480rs. alibra. <
COtiAC i ,
o muito afamado cognac Pal Brandy a i>8fKi
rs. a garrafa
des a 1,ooq e
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.* e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
t! arral es
com 4 '/j garrafas com vinagre a 10OOO*a
o garraflo.
GENEBRA DE LARANJA
Terdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOC
a caixa. .
DEM
em frasquera de Ilollania a rison con
12 frascos.
GENEBftA
de Hollanda verdadeira em ft-asijueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros pertos do gaz a 2,2oo a groza
e-2o rs. cada caixinha.
LICORES
de outras muitas qtKjfida-j fines de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
?8
ijuenos ('i in<*smo autor.
L'ma grande quanliilade de caixoes vasios de
todos os tamaitos de 120 a 500 cada um.
K MUITOS OUTROS GNEROS QUE TORNARA EXFAhOXIlO Mi:\CIONA-LOS.
TIDO DE PRIMEIRA QfALll> \I)E.
wB -^' '&&'

SORTIMENTO PARA A FESTA
23~Largo do Terco-23.
Joaquim Simao dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do bom e ba-
rato que se venham sortir dos bons gneros a este estabelecimento que nao se arrependerao, se lhe
far a differenea de 16 a 26 por cento, pelo seu prompto pagamento ; e por isso se faz annuncio de
alguns gneros, que tendo sempre este estahelecimento nm grande e vantajoso sortimento de todo
quanto perlencente a eale estabelecimento.
Sentido! Vou fallar com o Conservativo !
8oo rs. a garrafa.
CWPOS
lapidados para agua a 4,oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a UO e 5eo rs. cada um.
SVVPSL
aimaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de ,2oo. a 4,.fioo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
; de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
! azul & pardo para embrulho de 1,4oo a 2,2oo'
rs. a resma.
poriuthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fume
o verdadeiro furao americano em chapa a
l,ion rs. alibra
Vinagre
PRRem ancorlas de 9 caadas a !S,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1 ,ooo rs. o molho.
Alpista e Pain$o
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
Manteiga ingleza de 1" e 2* sorte a 800, 900 e 1*
a libra.
dem franceza em barril a 666 e 640 ria a li-
bra.
Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 85800 a ar-
roba.
Calatas em caixas e gigos 1266 e 25060 a ar-
* de primeira e segunda sorte a 250, 28') e H06 Yl^A* "C?2 verd.fde,ro a 500 rs- ."*
rc i'iiro i dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a dna.
dem do l'orto em barril superior pinga a 640 rs.
Queijos mais novos do mercado a 25506 e 25800.
sorreja das melhores marcas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e. a duzia a 55800.
Sabo aniarello massa a 180,206 e 246 rs. a libra.
Charutos da Bahia dos melhures fabricantes de
15206, 25000, 25500 e 35 a caixa.
Miiho alpista e painco a 160 e 140 rs. a libra.
rs. a libra.
Arroz da ludia, Maranho e Java a 100 e 80 rs. a
iibra.
?hosphros do gaz a 25 a groza e 180 rs. o maco.
PasttS novas a 480 rs. a libra.
'olas de carnauba Aracaty coraposicao a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs. a libra.
rmellada dos mcUiores fabricantes de Lisboa de
1 a 1 libras a 640 rs. a libra
"ha hysson o melhor deste genero a 25800 a li-
bra.
ijem perola miudinho a 25500, 25066 e 35600 a
libra.
'anha ingleza alva e saperior a 480 rs. a libra.
dem branco proprio para missa a 560 rs. a dita.
Hem do tarto engarrafado a 860 e 15, tomando
mais de nina caada de qualquer umdestes ter
grande abatimento.
Conserva> ioglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
Riscoitos e bolachas de soda a 15400 e 25.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Ola ada em frascos e botijas e de la-
^ ranja de 480 a 040 e 15200.
'.houricas as mais novas a 360 rs. a libra.
Latas com 1 e meia libra de. ameixas a 15200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 35 o
galio.
com urna duzia e a 1,00o a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a Goo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java o India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a ,:oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete' de diversas marcas a 3Go rs.
a libra e era caixa ter abatimento.
VFXAS
de carnauba era caixas de arroba a 9,3oo
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas niiiin novas
em quartos e infeiros a 20 o quarto e HATjOO
a caixa e400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800rs. a libra c 440 rs. o pao.
Frutas eaa calda
chegadas tillimaroente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
llsre da casca da guiaba
Ameixas francezas em eaixinhas com lindas
eslampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em fiascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 V* libra a l.loors.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
ha ueste genero de 80 a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada,
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafe, e 10,000
rs. a duzia.
I Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
I Azeitonas mnito novas a 2,000 rs. a anco-
reta.
! AJpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
I Bolachinbas de Lisboa da fabrica do Beato
Amonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooc i,5o rs. a
lata e 64o rs. a libra.
! dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a 1.3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de poreo refinada a 600 rs. a libra e
em barril a 38o rs.
1 Batatas a 2,ooo rs. a caixa
Champagne das melhores marcas a 2,ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cb uxim o mellior possivel a 'J,7oo rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a 2,7o rs.
a libra.
i dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,"ooo, 2,4ooe 2,600 rs. a libra.
deni preto homeoptico a 2,oeo rs. a libra.
Cerveja das melliores marcas a 6,000 rs. a
du2ia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a 1,00o,
l,2oo e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da Babia como
aojan regala, trovadores, guanabaras,
delicias e suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
o 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e mglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-docea 4oo rs. alibra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canda a Ooo rs. a libra.
Copos nos para agua e vinho a 4,800 5,ooo
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
l,ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ?e-
rilicar com a vista,
dem franceza a 64o rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante do Lisboa
a 7oo rs. a libra, ha latas de 1, 1 1/2 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. a libra.
Macarro, talharim e aletria a 4oo rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs.
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrahnhas com rolhas d
vidro a 64o ts. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a 1,000 rs.
a garrafa, e lo.ooo rs. a duiia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantiudo-se a qualidade a 800 rs. a libra.
Passas novas de carnada a 64o rs. libra e
6,5o rs. iKcaixa.
dem para sopa estrellinba, pevide e rodinha
etc. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o rs. alibra.
Peixo ero latas hermticamente fechadas das
seguintes qualiJades: savel, corvina.goras
cavallinhas, e pescada a l,ooo a lata.
Palitos para denles lidiados a lio rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2.loo rs.
a groza.
Painco muilo novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
Queijos fiamengos, do ultimo vapor, a 2,ooo
rs.
dem londrino muito fresco a 800 rs. a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. alibra.
ISevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um."
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
1,400 rs. a caada.
dem em garrafes com 5 garrafas a 1.000
rs.
mkm\
offifAnf m mttMM DfJS
las
Vinho lint ,sem confeico
mOOO K.?11WCORKT A N DE ( VV1.IAS 30,000
l nico deposito em pRrnamhnco roa da t lea n. 1.
Esta n va qualidade de vinho recebida directamente de diversos lavradores de
Torres Novas (provincia da Estremadure) como altestam os bilhetes do caminho de fer-
ro que trazem os cascos, provando sua origem e procedencia, recommenda-s a todas as
pessoas que queiram ter a certeza de beber vinho puro de uva como o que se bebe nes-
>as trras aonde nao panetrou ainda o espirito de falsiieaeo. E' preciso que o publico,
se convenga de que os vinhos que ;iqu se importam nao vindo directamente do Invrador
ebegam pela maiur parte u quasi tod*s sobrecarregados de preparas nocivos saude
causando bem graves 'transamos no appardho digestivo
O annunciante offereoe a anaJysc dos professionaes fsta nova qualidade de vinho
que PxpSe a venda, ie -d utn premio de 1 :OOO0 a quem descubrir no mesmo algum cor-
po estranho a natureza da uva de que feito
N. B. Pm evitar a falsicaco, o annunciante declara que o uni preprietario
e mnortador deste vinho o qual vende somen e 00 seu armazem da xua da Cadeia o
Ueoifo n. 1.
e 40400 a arroba. a 600 e 10 o caixe.
CEBLAS GOMMA MUITO NOVA
mutto novas a 10900 o cento na ra do Ouei- em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
mado n./, ra do Imperador n. 46 o lar-, roba el 40 rs. alibra na ra do Qoei-
go do Carmon. 9 marto n. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
GRAO DE BICO do Carmo n. 9
muito novo a 30 iOO a arroba e 140 rs. a li- BOLACIIINHAS
bra na na do Queimrdo n. 7, ra do-' em latas de defferenles qualidades a 10200
Imperador n. 40 e largo do Carmo a. 9. a lata
QUEIJO SUISSO QUEIJOS FLAMENGOS
muito fresco a 800 rs, a libra na ra do chegados neste ultimo vapor a 20800 na ra
Queimado n. J, ra do Imperador n. 40 e do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
largo do Carmo n. 9 i 40 e largo do Carmo n. 9.
Os propnetanos do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan] os mesmos precos nos seguintes lugares:
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40
FRfTCTAS
. ma^aa, peras k uvas
cnegauas neste ultimo vapor, vende-se na ra do Imperador n. 40, Verdadeiro Piinci-
Agua Florida.
Para restabdecer e conservar a afir natural
dos cabellos.
A agua florida nao una tintara, fado essen-
cial a contestar, a mesma agua dando a rr primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substaocis inoffensivas, ella tem a prepriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
tes tero perdido. D'ania salabridade incontesta-
vel, Agria Florida enlretem a limpeza da cabera
deitroe ai caspas e impede os cabelles de cah'ir
Oleo de Florida
Conaposto de substancias vegetaes exticas, elle
constitn poderosamente, com a Agna Florida, a
torpa, a bell.za e a conservacao dos cabellos.
Em Paris, rasa de Quislaur n. 12, ra do Riche-
lieo, e 81, boulerard M:>ntmartre.
Todos os frascos, uo tendo intacto e claro, o
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, roa do Imperador, pharroscia n. 38.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios roslos para meninas
Irazerem no brago : s se eneontra na loia do Bei-
ja-Flor, ra do Oueimado n. 63 e 69.
Extratos e saMo
e 5,5oo rs. a duzia, e Soo rs cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Ooce de goiaba superiorem latas a 2,000 rs.
Ervilhas portuguezas era latas cliegadas l-
timamente a 64o rs. a lata,
dem ceceas a I6o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em eaixinhas bem enfeitadas a 9oo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs,
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e ginja a 9oo rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata c I .loo rs. a
duzia.
Gomma muilo alva e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,800 rs. e 560 rs. o frasco
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafes de I garrafas a 4,800
rs. com o garrafo.
dem de tres aadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
1,000 rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o
frasco e 14.000 afrasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida auissa a
1,80o rs. a garrafa.
Ibera de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 5fo rs.
a libra,
dem de carnauba refinada e de composico
a i4ors. alibra, e de 15,ooo a li.ooors.
a arroba.
I Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueia
das marcas menos conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada.
Mem Figueira especialmente escolbido neste
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
1 ca especial a 22,ooo rs. a ancora,
dem Lavradio, Colares muito fresco sera
composico a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo
rs. a caada,
dem de Lisboa branco uva pura a 56o rs. a
1 garrafa, e a 4,5oo rs. a caada,
i dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garrafa,
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz J. D.
Pedro V, Nctar, velho secco, Mavasio
Genuino, Particular a 9oo e 1,2oo rs. a gar-
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa cora orna du-
zia.
dem Madeira legitimo a 1,2oo rs. a garra-
, fa, e a 12,000 is. a duzia.
dem Muscatel a l,ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
Julien, St. Esteph, cbaleau la Kose,chatau
Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
36o rs, a garrafa.
xinhas
em eai-
Linda.- eaixinhas com um carlo com a familia
! imperial, e dentro de cada caixa nm frasco on sa-
bao o mais fino tjue passivel: na loja do Beija-
Flor rna do Queimado n. 63 o 69.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova nue
ha no mercado tanto em porcao como a retalho,
por barato preco afiancando-se aos compradores a
superior qualidade : a tratar as seguintes ras:
Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forle do Hallo ar-
mazem do Sr, Villa defronte do trapiche rjo h
godao..
CJEltYEJ.-t EM HA IIICir
a SOO rs. o eopo
Qiicijo de ninas chegado no vapor
dem prato mnlto fresco
dem salsso superior
dem londrlno superior.
57 Kua do Imperador 57
a



ILEGVEL


Diario ie Per
leo exa felra 18 de Xoteiubro de i984.
LOJA DO BEUA FLOR.
Ra do Queimado ns. 63 % 69.
Bonecas de choro.
Lindas nonecas de cbfiro que chamam papai e
mamar, de diversos tamanhos : s as fojas do bet-
ja-ftr, roa do Qeaimado ns. 3 e 69.
Lina 4e pellica.
Luyas de pellica branca e de cores para boraens
e senboras j as lejas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Fivf lias para cintos.
Lindas Ovellas douradas com lindas pedras para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Capelias para neivas.
Lindas capelias para noivas 25500 cada urna:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e
Estojes para barba.
Vende-te estofos com espelho para barba 15500
e 2,5000 cada um : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios para meninas.
Rccebea-se novo sortimento de balaios, com
ifu ade nrm* Passaros. Pe'o barato precode....
19000 at 45 cada um : as lojas do beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas linas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
.n OJ c 69.
Extractos en caixinhas.
rinos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabo em caiiinbas.
Finos saboes em caixinhas com vanos'retratos :
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
03 e 09.
Jogos de domin
Vendem-se jogos de domin 1,5200 e 15300:
as tojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 03
e 69.
Habidos bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e varios precos : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 0 69.
AhafMores de rede.
Vendem-se abaftdores de rede de varias edres i
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, ra- do
Queimado ns. 63 e 69.
Adereces prelos.
Tendo-se recebido adrecos pretos de novo ges-
to sao erpostos- venda : as lojas do beia-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Gravata para senboras.
Lindas grvalas para senhora 800 ra. e 1,5000
1*208 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. oJ e 69.
Espetttos de moldura.
Vendem-se espelhos de moldura preta para s-
las : as lojas de beija-flor, roa do Qneimado ns.
63 e 69.
Voltas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 1,5000 cada una : as
las do beija-flor, ra do Queimado ns. 63'e 69.
Colheres para gfjh
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa.
25OOO cada urna : as lojas do beija-flor, ra y
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vndese 13a para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
65100 a libra : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
que emoutra qualquer parte.
E.\ FEITTSTC\ fOSTMARiTFir"
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n. 38,
recebeu riquissimos enfeites e cintos a Mara Pa,
os enfeites sao para cabera e vende-se junto com
os eintos, pois enfeites e cintos foi encomraenda
especial que flzemos, por quanto obra muito fina
e cousa que anda nao veio igual a este mercado,
s a loja da Aurora que recebeu, e esta quei-
mando, quem duvida venha com dinheiro para ver
o gosto. Assim como tambero recebeu cintos de
couro forrado de velludo,'que lanto serve para se-.
nhora cerno para meninas, tamhcm de mnilo gosto. i
Ricas capelias brancas de diferentes qualidades.'
Cainisiuhas multo linas para senhora.
Coilariuhos e punhos tambem para senhora.
ROUPA FEITA
4 AGUIA
NO
iBIAZEI
DE
%wm fc ton*,-
LETRERO VKROJB.
. Neste estabelccimento ha sempre nm sortimento completo de ronpa feita de 3
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor- |
rentes, para o que tem nm dos melhores professores, assim como tambem tem um i
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras, S
nomens e meninos.
Casacas de panno preto, 350 e 30(5(000 Ditos de setim preto.
Sobrecasacas dem, 300 e. 2o#)00
Paletos idem e de cores, 250,
20$, 150 e......10,5000
Dtes de casemira, 200, 150,
12,5, 100 e...... 7,5000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40 e......30500
Ditos debrim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. 30000 S5 de a'*odao! l&fv\
Ditos branco de linho, 60,50 e 40000 2 3de peitos de haho'
Ditos de merino preto de cor- Ditas' de madapoln, 20500,'
daoiO0,70e.....500001 20e. ... ,0600 1
Calcas de casemira preta, 120, chapeos de massa, pretosfran-
100, 80 e. ... 70000 cezes, 100, 90 e.
Ditos de ditos e seda branco,
.0e.......
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
Colletes de fustao e brim bran-
co, 30500,30 e .
Seroulas de brim de linho,
20400 e
50OOOJ
40000*
20500 1

20000 I
10400 I
20500 I
ra do Oueimade n. 8
RECEBEU:
Bonitas caixinhas de madeira envernisadas, com
finas perfumaras.
, Outras de papellode diversos lmannos e Igual-
mente bonitas, tambem com perfumaras.
Lindas cestinhas de vidro com ditas.
Caixinhas imitando tartaruga com ditas.
Ditas con 6 e 12 frasquinbos de chelros.
Objectos para baptisados,
A Agnia Branca, na roa do Qneimado o. 8, aca-
| Da ae receber os seguintes objectos para baptisa-
Bonitos e bera bordaies vestuarios de cam-
braia.
Ditos o modernos chapozinhos de setim toncas
bordadas e enfeitadas.
. Sapatnhos de setim e merino muito bem bor-
: dados.
I Meias de seda e fio de Escocia, brancas e pin-
! Toucas e sapatinhos de la, obras muito bem
i fetas.
WSt
Ditas de cores, 90, 80 e.
Ditas de meia casemira de ed-
res, 50000 e.....
1. Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 40500 e. ,
i Ditas de brim branco e de c-
res, 50, 40500, 40 e .
; Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
"0000 Ditos defltro, 50, 40,30500 e
Bitos de sol, de seda, 120,
WWi H0,70 e. !
Collarinhos de linho fino, ulti-
40000 j ma moda duzia. .. .
Sortimento completo de grava-
20500 tas.
80500
20000
60OOQ
20500 Toalhas parroste, duzia, 110,
cores, 90 e. .... 70000 Chapeos de sol, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 50 e 40000 tos e de cores. .
Ditos de ditas de cores 50 Lences de bramante de linho!
** e........ 30500 Cobertas de chita chineza.. .
60000
40000
30000
20500
48 0 CORTE
Pechineha sem igual.
Lindos cortes para vestido de percales de cores
claras e escuras com grande variedade de padres
pelo baraiissimo preco de 4$ o corte: na loja das
c luinnasrua do Crespn. 13, de Antonio Cor-
rea de Vasconcellos S C.
Finos e aromticos pos de
arroz
Em bonitos vasos de pedra, porcellana dourada,
vidro e madeira, estes com o competente pincel e
sem elle, em latas de potes de papello, sendo todo
elle de superior qualirtade e aaradaveis cheiros,
Emquanto ao preco, nao se assuste o comprador,
compareca com dinheiro e ser bem servido na
Ijja da Aguia Branca, ruado Queimado n. 8, onde
tambem se vendem separadamente os pinceis.
Costnreiras
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas necessarias para costura, as quaes
tem linhas de diversas qualidades, relroz, tesoura
e outros arranjos precisos, assim como amostras de
bordados en marca, etc., e tados a precos com
modos.
A AGUIA BRANCA
vendendorelogios.
Como nao privativo a Aguia Branca tambem
est vendendo muito bons e bonitos relogios para
mesa e parede, por pregos commodos, por isso con
vm a todos-aproveitarem a ocrasilo e proverem
se Aesu objecto sempre necessario em casa. Fie
porm reservado para os relojoHros o concert qu
algum dia qualquer delles venha a precisar, poi
3ue isso nao chega para o bico da Aguia Branca,
a na do Queimado n. 8.
Maciiiiias de vapor e pa-
ra descamar algodao.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas (Tagua, dentadas, e
de carrosa com mangas e
eixos de patente.
RuadoBrumn. 38, findi-
c/ao do BOwman.
v. cabrlele americano.
lmm?nZSLom. c*brioiet menraiio de 4 rodss
pretender, rtinja-se a cocheira da ra do loipera-
dor que perlencen ao Sr. Malvis '
Superior qttejjo,deTKST
Vende-seno armazem de molhado-; na na do
Imperador n. ti, esquina da travessa do Ouvld t
assim como superior queijo londrino do Rer,'
do serlao, prato e suisso.
Cera decaroauha
Vende-se nma porcao de rra de carnauba ....
bo e parte de urna fabrica para velas : para
tratar na ra do Vigario casa n. 29, a qn I, ..
hora.
falrimonio
Vende-se o dominio directo dos solos
esto edificadas as casas silas na ra Nora de>H
cidade para fechar algumas contas : um ai.-
monio excellente para quem queira prevenir /' ritj
ro le familia ; sao 33 solos que foraru .
em 9:700* e que so far grande abMimento *
quem quizer todos : a tratar na ra do Qo, ,.-.,; k
loja de miudezas n. 33 A, das 9 horas do da as .i
da tarde.
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na ra Nova n. 61.
Fnammelled irom pipes.
[ v^"'fi-sn fromma de ararula muito alva e
Vendem-se canos de ferro esmaltados, muito ri * a H-ta* f ,i$' a Mcca': na rua das
hons para encanamento d'apua : no armazem de i S D- 2- ,,s,ll,ina da travessa do Ouvidor.
Prenlo Viann; C, ruada CaJeia n. 57 ; e pa
fa mtorma?^Ve*coocaQo," os" pretenden tes .'o-! ^^"BOnita, \), beUl feta.
dem entenderse cora o Sr. Schemerdlne, no Mon-1 Vendem-se maaniscas rdes : na rua do Impe-
deKo. ; rador livraria Popular n. 67.
Bonitas caixinhas
coid mosca e sem ella para costura, e
outras com arranjos para barba.
A Aguia Branca recebeu novamente um bello
sortimento de bonitas caixinhas com msica e sem
j ella para costura, & outras com os arranjos neces-
i sari0^.na''a. barba ; assim, pois, quem comparecer
; com dinheiro est habilitado a.compra-los por pre-
co commodo : na rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8:
HROAiAOi9Ifi
para Ungir cabello
A Aguia^ranca, na ruadoQueimado n. 8, re-
cebeu essa excellente tintura, para cabello, cujo
effeito e rpido e proveitoso, vindo ella munida de
esclarecimentos em portugoez, d'onde qnalqner
pessoa pode bem conherer o modo de-applicar.
Com o chromooome que serve paraaingir,- veio-
tambem hydrocallilr.cbiua,,agua.para tmgirxabel-
los, coloricomo para lustrar os ditos, e onychro-
mantina para limpar as unhas, e callicomiphila,
pomada de que sepde^usar sem receio de offen-
der ao cabello preparado. Os preterid entes aera*
rao preco razoavel.
Bmthas finas
era copos, latas e soopeirinhas de vidra
opuco.
A Aguia Branca sempre cuidadosa em bem ser-
vir a sua boa freguezia, mandou vir e acaba de
i receber na melhor occasiSo os desejados copos e
; as procuradas latas com hanhas finas, assim cerne1
urnas bonitas soupeirinbas de-vidro opaeo com
\ alegres inscripc^es.. as quaes dzem sement res
| peito as senhoras, e com tal acert que nenhuma
que as vlr delxar de comprar e nao se enfadar
de ler a inseripcio qneio merecidamente Iheicw
;! o quem quizer ser bem servido dlrigir-se a re*
I do Queimado, loja da Aguia Branca n. 8.
B1IJVECAS
que andam, que choram,
que fatlam, etc.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, ani-
mada pelo apreco que a sua boa ireguezia sabe
dar a essas boas novidades, mandou vir e acaba
de receber um extraordinario sortimento de boni-
| tas bonecas, que andam que fallam. que choram,
e outras muitas de diversas qualidades como dan-
sarinas, soldados, atiradores, etc., e todas mui bem
.vestidas; assim, pois, a Aguia Branca espera a
concurrencia dos apreciadores do qom, rertis de
que acharao preces razoaveis e serao satisfactoria-
inent servidos urna vez que compareara munidos
de dinheiro. .
Mm DE TARTAft-
sos tamanhos, rom propnos para costuras e jolas- I todo negocio. ""perauor n. iz. r az se
Vende-se diariamente leile puro ao iirar d.i
vacca : na rnada Soledade, volta daTren>|c n. 7-,
as o horas da manha ; assim como ps de i (antas
e rozeiras, urna carroca de cavallo em boni uso
quem precisar dirlja-se a mesina loja. f
Vende-se nma mesa completa de ferriurT-s
de engommar, francezes, um balaio de roupa, un
toncador e alguns trastes, trem de eeiinlia, tbri.)
isso de urna pessoa que se retirou para Pora iLi
provincia : no Corredor do Bispo, casa n. Iff. Na
mesma casa d-se almoco, jamar, e lagar |fai i
dormir, a algm hemem de idade que qneiri se
incumbir de tratar e plantar em um sitio raoiH
pequeo, promette-se bom tratamento : qoeni qih-
zer appareca a qualquer hora.
Uene
t
NOVA LOJA.
N. 10 hl.A DO UirM'O \, 10.
Joaqeim da Silva Boa-vista mudoo o seu esta-
belecimento de fazendas para a ruadoCrtspo
n. JO, est resolvid a vender por barato preco
afim de adquirir freguezia.'
Chita baratas.
Vende-se chitas percalas a 'OO rs., ditas fran-
cezas finas a 480 rs, ditas a 440 rs., ditas de ditas
a 260, 280, 320, 340 e 360 rs., ditas estrellas a
200,220, 240 e 260, enee vende a por este preco
na rua do Cresle n. 10, loja-do Boa-vista.
0 Boa-vista vende
brim pardo com lista a 720 rs. a vara, dito a 800
rs., dito branco de linho a 1,5000, dito a 15200,
grvalas de seda de gosto a 1000, eum comple-
to sortimento de castores e brim a 480 rs. o ro-
yado, s na rua do Crespo, loja do Bea-vista,
quem vende barato, tambem se dao as amostras
deixando penhor.
Albuns baratos.
Acabam de chegar loja de mindezas do novo
rival, rua do Qneimado n. 16, um riquissimo sor-
timento de albuns para retratos, desde 12 al 100
retratos, os quaes se vendem muito mais barato do
que em outra qualquer parte, a saber
Bonitos albuns para 12 retratos. .
Ditos diios melhores para 12 ditos .
Ditos ditos para 20 ditos.....
Ditos dites melhores para 20 ditos .
Ditos ditos para 50 ditos.....
Ditos ditos ricos para 50 ditos. . .
Ditos ditos muito ricos para SO ditos. .
Ditos ditos riquissimos para 50 ditos. .
Ditos ditos riquissimos para 30 e 100
ditos..........
l'ma mucamba mnlatinha, recomida, bem cau-
cada, e habilidosa, d idde 16 annos, 1 negra pa-
ra todo o servico de urna casa, sendo insigne cn-
gommadeira, 1 netrro para torio o servico. de ida
de 26 annos, proprio para padaria ou reftaeao*'
por 800,5 : na travessa do Camin. 1.
Vende-se urna casa de peda e cal ua jr
da Nova, em trras do caDitao Ignacio Alves Bo.-
teiro, confronte ao sHio1 (Doutor) rom 4 qarlns
2 salas, cozinha, etc.; a- tratar na mesma iwa
com Thereza Francisca dos Passos.
ESCB1V0S FGIDOS.
25000
25500
2*500
25800
45000
85000
165000
255000
Desaparecen o escravo Joao. orllo, de es
tatura baixo, grosso do corpo, representa ler 40-
annos pouco mais ou menos, muito regrista e com
falla de dentes na trente, levou calcado algudao-
sinho azul e camisa do mesmo panno com listras
largas de cor, cuo preto fot comprado ao Illm.
Sr Antonio Jos Doarte, de-. Lonrenco da Mal-
ta, em 6 de outubro prximo passado ; quem o
aprehender queira leva-lo em Ponle de Deba no
sitio de Joao Jos Bodrignes, ou na rua da Madre
de Deus n. 28, que ser recompensado.
Fuglo ha 8 dla a preta Bonifaria, com es
signaes seguintes : baixa, cheia do corpo, bracos
grossos e com bastante cabello, hem conversante,
consta que anda de noite com timao e sala preta,
inlitulando-se forra; sabio com saia de chita en-
carnada velha, cabecao e nm chales roto. A pes-
soa que der noticia delta ou a levar roa Nova
n. 53, ser bem recompensado pelo trabalho.
ATTEM04O
Atten^ao.
305000
Domingo 13 do correte sabio da casa do abante
assignado, com urna bandeija com frotas para
vender, a sua escrava mulata de nome Lu/.:, d.-
16 annos de idade, pouco mais ou menos, levon
saia de chita branca cem flores zoes, e casave-
que da mesma fazenda, chales de 13a carniiunv,
costuma fazeY bastante aposento na roa dos Pires
em duas casas, sendo urna dellas do carroceiro de
nome Francisco Cabreira ; o motivo da fgida foi
o desapparecimento de alguns objectos da casa,
se desc olla que a dita mulata esteja acornada em
alguma casa para onde elle carregava estes cMi
tos : portanlo pede-se as autoridades policfac .
capitaes de campo a apprehenso da referida mu-
lata e leva-la ao sitio do abaixo assignad i. na n
vessade Joao Fernandes Vieira n. 3.
Guilherme Joaquim da Silva Braga.
\
i
LISTA GERAL
116
DOS PREMIOS DA 1. PARTE DA 1. LOTERA. CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 481, A BENEFICIO DA IGREJA MATRIZ DE ITAMB, EXTRAHIDA EM 17 DE
NS. PROS
2 oy
i
6
8
10
13
14
19 -
23
31
38
40 -
44
47 -
30 -
32
56 -
57
60
64
68
73
74
84
85
90
91
93
103
10
H
14
22
23
24
28
29
34
N
37
39
40
41
44
47
51
52
53
56
59
61
6t
66
67
74
NS.
177
78
81
82
85
94
95
96
97
203
5
8
S2
23
25
28
30
31
32
33
35
38
48
51
52
56
57
60
63
65
66
68
73
77
78
82
86
87
95
300
1
4
10
11
12
23
27
31
32
38
39
41
48
50
51
PBEMS.
65
105
105
65
m
65
NS.
352
56
61
68
73
78
79
80
83
87
89
9!
401
3
7
8
12
13
15
21
22
35
30
31
41
42
43
44
48
50
1
54
55
56
60
61
63
70
72
74
7g
76
77
81
92
94
98
99
501
3
8
10
11
12
PKEMS.
65
105
405
105
105
65
105
65
NS. PKEMS.
515 65
17
18
22
24
26
34
36
41
43
44
45
48
49
52
55
60
61
64
68
70
72
73
74
77
86
91
92
96
99
601
7
11
13
16
17
18
19
20
23
24
25
26
31
y
45
46
52
54
57
62
63
69
71
75
NOVEMBRO DE 1864.
105
105
NS.
679
80
81
85
88
91
92
93
94
95
96
701
3
9
14
17
18
19
21
22
25
27
29
32
34
36
43
45
48
49
50
51
52
56
58
59
62
67
69
76
80
83
84
90
92
94
97
800
6
11
13
15
16
17
24
205
PKEMS. NS.
823
27
47
48
51
52
56
68
69
72
77
86
95
98
99
901
6
9
13
15
20
22
25
27
28
29
30
39
46
47
51
72
77
78
81
82
83
88
89
92
99
i. NS. PKEMS.
1041 65
105
105
65
6:0005
65
105
65
405
65
205
65
105
65
105
65
1006
11 105
15 65
16 105
17 65
23
26
30
31
33
37 _
39 _
40 ^^
45
47
30
52
33
54
57
61
62
08
70
72
74
81
85
96
97
1101
7
14
18
20
22
23
24
29
38
39
41
42
43
44
4o
48
52
55
56
58
59
65
67
69
71
80
86
90
96
97
1201
3
10
14
17
26
205
NS.
1227
28
31
33
34
36
38
39
40
42
47
48
50
51
53
62
64
66
67
68
71
73
77
78
79
82
83
88
90
95
97
1302
12
14
15
17
20
21
23
24
26
27
31
32
39
41
43
44
47
52
54
55
57
63
65
PKEMS.INS. PKEMS. NS. PKEMS.
405
O escrivao, Jos Peirt das Neves.
65(1366
70
80
81
83
90
91
99
1400
I
3
4
5
6
9
14
18
19
26
27
30
34
36
38
39
44
47
50
56
63
64
65
66
70
73
77
80
87
92
93
99
1518
21
29
31
36
38
39
40
44
46
51
2
55
62
105
65
105
105
65
405
65
105
105
65
65
1563
69
70
72
74
75
83
84
85
88
89
92
93
98
99
1600
4
12
14
15
21
23
27
30
32
41
44
47
48
54
55
68
70
72
' 73
74
77
80
81
87
88
90
92
93
94
95
97
1702
3
6
10
18
19
23
27
NS. PKEMS. .\S.
6|
105
J 1733 20, i 1929
- 35 * 5 33
. 39 - 35
. 40 - 36
45 38
52 39
59 43
60 45
61 47
63 51
64 52
67 i-3 53
70 65 56
71 61"
72 65
73 66
76 69
76 73
85 205 75
86 65 76
89 _ 77
90 78
93 105 79
96 65 80
97 81
1803 ^_ 85
4 __ 87
5 95
9 _ 2001
10 205 2
12 65 4
13 6
14 _t 9
26 13
30 14
32 16
33 19
35 22
49 24
51 40
57 - 41
60 47
63 1005 48
67 65 49
76 - 58
77 60
80 62
88 205 66
92 405 67
96 65 70
1905 105 71
7 65 79
8 90
17 91
22 97
PREMS.
65
105
105
65
105
105
65
NS.
2099
2103
5
6
7
8
9
19
20
22
28
29
30
37
39
40
44
46
47
48
52
54
57
61
65
68
69
76
77
78
79
81
85
86
88
92
95
96
98
99
2211
13
16
20
24
25
26
27
29
32
36
43
45
50
61
PKEMS.
65
1:4005
205
65
205
105
65
NS. PKEMS. NS.
2263
74
75
78
82
105
65
90
92
93
94
97
98
2302
3
4
7
15
19
20
25
28
32
36
37
39
41
46
48
49
54
56
63
65
68
73
74
76
80
83
84
87
88
89
93
96
2400
1
3
7
10
13
17
18
21
29
205
65
1005
65
105
65
205
105
105
65
2436
38
40
42
47
48
52
54
57
58
61
63
67
70
72
73
76
84
87
98
99
2502
5
7
9
12
13
14
18
19
21
27
28
35
36
39
41
42
46
50
54
65
66
67
70
71
73
79
81
82
84
85
91
93
96
PKEMS.
65
3005
405
65
1005
65
105
65
205
1005
65
NS.
2597
2600
4
6
11
16
18
21
24
27
28
29
31
33
39
45
47
48
49
52
53
55
56
60
66
67
68
69
71
72
76
84
85
87
91
98
2700
1
2
5
9
12
14
21
22
23
27
33
35
45
48
49
51
53
54
PKEMS. NS. PREMS.
65|2755
58
59
60
62
64
65
74 105
77
81
83
05
105
105
105
105
65
89
93
95
2803
4
6
9
10
11
22
24
30
32
33
40
43
46
47
51
60
61
63
65
69
72
75
81
83
85
86
88
95
96
2901
4
11
13
15
20
22
23
28
29
405
65
205
105
65
105
65
105
58
60
03
68
74
78
83
84
87
89
95
99
3001
2
4
7
9
10
12
1
16
20
21
23
2o
27
32
36
42
45
51
57
59
61
64
66
69
70
77
78
82
84
88
105
65
NS. PKEMS. i NS. PREll
2930 65 3089
36 95
36 97
37 3102
38 3
39 4
44 5 105
46 6 205
47 10
49 13
50 18
18
28
33
34
;7
io
42
44 205
53 65
59 -
70 -
72
75
77 -
78
81 105
5 65
93 -
94 -
95 -
97 -
98
3200
7
19
21
23
28
29
33
38
41 205
45 65
46 -
52 105
60 65
66
67
83
84
97
88 105
94 65
98
205
65
NS. PKEMS.
3299 65
3300
2 -
10
12
17
23
28
32
37
48
53
61
62
67
69
73
77
80
105
65
1005
65
82
85
89
90
91 -
92 -
97
99
3402
4
5
A
16
18
20
21
24
29
30
32
33 -
36 -
54 -
56 -
60
61 -
64 -
66
67 -
75 -
77
78 -
86 -
89 -
9* -
96 205
105
65

Pern. Typ. de M. F. dt Faria & Flk* iMi
V
'
-. ---.-"


8
Dlarl 4e Pemeamfeae* -. atrita letra 18 Xovenibro *e i *
i
LITTEBATulA.
Eis-nos no mel de um ddalo, e quasi pronun-
ciando urna blaspheniia poltica, porqoe nos deixa-
roos guiar por urna bussuia defeituosa, querendo
ru.Mu^x u-i ti tirar de uma circunstancia nica, sera o concurso
tonslderacoes phllosopIlKasSObie as de outros elementos, Igualmente utels perfeigao
beuas-aries eiltr es antigOS. do apparelho social e a cada urna das saas pecas,
Estado quarlo. s truclos que produziria urna seiva de compaixao
Assumpto de que tratara este e os seguintcs estu- mais complexa.
do>.InsnlTiiit'ncia dos systemas propostos por .,.,..., ,.j.
diversos crticos para explicar os grandes resul- A ''"erdade e evideotemenle favoravel a todos
lados a qoe chegarara os Gregos na esculptnra os exercicios da intelligencia; mas ella apenas
' na pintura, o refutaeo dos principaes.-Di- um campo, onde tanto se podem elevar suraptuosos
pns.-ao sobre o bello ideal.Confoimidade desta
expressSo om as opintoes espalbadas na anli-
guidade, o que havia negado Mr. Kmerico David.
Continuaco do paragraplio precedente.
(Continuago.)
palacios rodeados de frondosos arvoredos e belissi-
moi jardios, como miseras choupanas cobertas de
espinheiros e de venenosas hervas: a questao
saber qual a energa e o alcance da sociedade quo
o labora. A abundancia e a belleza dos frucios
Uous caracteres incompativeis servem de argu-,
... uto nos crticos qne vee.u na religiao dos regos da lerra' diz E- David> a recompensa do traba-
^principal causa da perfeigao da estatuaria e da pin-',ho e da sabedoria do cultivador.. O mesmo acon-
tar .. Para uns analtas ideas da theogonia grega,,tecc com os fructos da *"**** ImP"a> P0IS
elevando cima dos sentidos aimaginago do povo, iconnecer aD,es oe?Pirto das lostiinic5es que re-
t) poda deixar de produiir tao sublime poesia em um Pvo do 9ue rau da ,iberdade de ^
e arle tao bella (I). Para outros, o carcter sensual gosa e,Ie"
la religiao popular, em que o dogma fundameulal No estado critico das theorias artsticas, impor-
c i que os deuses tinham formas semelliantes as ta ainda menos observar a forma dos governos de
do corpo humano (2), favorecem o progresso das que entretanto se teem com demasa occopado al-
arles de milacao, ensinando aos artistas que na guns escriptores; porque o que requer todo e
nriturcza so acliavam os nicos modelos de perfei-
5o.
Os priiiieiros esqueccm as bellezas e a poesia das
Escripturas e do Evangelho, os segundos a contra-
diccao flagrante que existe entre os principes sen-
saaes, assigaados aos artistas como fontes de ins-
pirag,>s, o o carcter eminentemente moral que
I onecemos as estatuas grega?, por menos que
cejamos conhecedores.
qualquer progresso ntellectual constituir-se parte
i integrante e necessaria das funeges de urna com-
munidade poltica qualquer, sob qualjuer rgimen
que seja, mas onde o espirito nacional e cvico se
possa desenvolver; viver sustentando por um
complexo de opinioes sas e de altos interesses, que
drijam para o mesmo fim todos os nimos, dan-
do-ibes o conhecimento palpavel dos sfus proprios
recursos, era vista do caminho que Ibes tracam
, as circunstancias physicas e as necessidades de
O qne havera, com effeito, na religiao pagaa, uma perfc|a c|vj|j 5o
jue o i ossa exceder a belleza da virgen), t bella en-
ire -aas companheiras, como uma aeucena entre Bagados nos principios at aqui desenvolvidos,
Os espinos 1 (3). Christo nao detentre os fi- entremos no estudo das caosas aquesedeve a
Ihos dos iiomens o mais bello?, llavera nada mais pereigao das bellas artes na sociedade grega.
admlravel do que a candida belleza dos aojos, e a'' estudo ocurro.
mage>tade do Eterno codera, porventura.a grande- Tempos primitivos da Grecia.=Primaras institui-
coes.Bella tradtrao conservada entre os Gregos
a respeito da origem das artes.=Systema de edu-
cando liberal, conforme aos principios da estatua-
ria. Primeira regra imposta eo genio. (10)
O bomem o que o tornam as iostituicoes.
A Grecia 6 de todos os paizes o que apresenta
mais accidentes em suanatureza topographica. Ca-
dcia de roontanhas, uma infinidade de torrentes, de
golphos e de bahas transformara o seu territorio
em um labyrintho inextricavel.
Essa diviso physiea do solo dividi os primeiros
t jm o parallelo que ensaiaes entre as santas eren- habitantes em uma multido de tribus e povoages
as J i tr.idicco ehristaa e as excntricas profu- j mdependentes.
tk J i paganismo, para convcoc-la de esterilida- i D'ahi perpetuas conlestages e calamidades sem
e A que teem chegado esses artistas que, des-' fimi catIsa primordial do carcter turbulento dos
piando a sublimidade das imagens bblicas, vo : he||tnoS) das suas indomaveis parxoes e do genio
lili;-ir ntreos neres e as legendas pagas oas- | heroico que abrilhanta historia da sua celebri-
dade.
ti ' Jpiter de Homero? Percorrei a Historia Sa-
grada. .. guamos assumptos para incendiar a ima-
ginacao dos poetas I Um menino coofuniindo uma
assembla inteira de acreditad >s doutores, e mais
larde um homem-Deus, sahindo triumphante e co-
fcerlo de gloria de um tmulo, onde descera pelo
amor dos mortaes...
Qoantos bordos, quantos prophetas, quantos mar-
tyre?, para inspirar o mais vasto poema e mais su-
fcliiiie epopa Hasta difamadores do ebristianismo,
vontade geral, que segla llvremente seus cheles do coracao, que invocou o genio da imitacao; ou-
sumpte habitual de suas coraposiges, e a quede-
Ka ..n ter chegado se bastassem as liegoes mytlto-
Inimiges cercavam as aldeias, piratas pilhavam
lgicas para engendrar, sem o concurso de outras | as costaS) sa|[eaores- infestavam os caminhos o
causas, o Apollo do Belveder ou o Jpiter lym-
grfeo ?
Relatar o parecer dos quo sostenan) nao ser de.
ida a excedencia da arle grega a outras causas,
alm do sensualismo da religiao, analysar o es-
tylo i); todas as suas producedes, lembrar a cas-
tiila .: serena e grave daquelias figuras, que ape-
espalhavam, com os- animaes ferozes, o terror as
florestas e nos campos.
~e comecava urna guerra, o espirito devinganoa
e de rapia afervorava a colera e acendia- o
furor : homens, mulheres e croancas, nao obti-
nham cora a derrota seno o captiveiro ou a mor-
te; o povo vencnlo desapparacia, o veneedor
gar de nuas s, inundem respeito, s nos desper- j tomava o lugar. (II)
Cam ideas de orden), de harmona e de unidade : Em taes pocas at se desconbece o nomo grego,
cora a grara e a docura no Amor e Psychs, com a que se ligam tao bem os epithetos de doenra e
a prandeza moral em Laocoon, com o pen>amento huraanidade.
Essa pequea reuna de estados autnomos pa-
reca de continuo rolar para sen berco de barbaria,
e sempre era vesperas de sucumbir; mas um genio
ardenle e viril, atormentado pelas necessidades, se
nao perece, desenvolve suas faculdades com origi-
nalidade e com extraordinaria energa. Tal foi o
que Ihes acontecer. Continuemos.
A agitacao e a fraqueza das tribu? consol ida vam
infinito no Apollo do Belveder, e com a soberana
magestade no Jpiter Olmpico.
Mas que triste ida preciso fazer da arte, para
sustentar que nao se pode esta elevar perfeigao
sem descer ao sensualismo I Qual , pois, o seu
fim, c que papel representar ella no seio da socie-
dade 1 Applica-la a satisfazer os sentidos, conside-
rando-a debaixo do ponto de vista da imitagao ma-
lena? nao p-la par desses objec.os frivolos, a ..bordado md.vldnal-, a raexper.enoa dos ind,
que tirando sua existencia de um principio intei- daostornava necessar.o o espirito publico; as deli-
ramento sensual, nao otlerecem relaco alguma beragoes do estado e a vontade do povo erara uma
om a cultura do espirito e as necessidades moraes e a mesma cousa.
di hornera ?E nao foi o sensualismo queemRo-' Pergos communs e sempre presentes uniara
rna so opnoz aos ltimos progressos das artes, co- nseparavelmente as familias, e os nomes de pae,
mo nos diz Plinio, que prendeu na Blgica e na Al- niho, esposo, se tornaram synonimos dos de defen-
lemanha o genio nacional em sua elevaclo espon- sorj gUarda, vingador.
lanea ? Que prostituiu em Veneza e na corte de A amisade tornou-so sublime; a hospitalidade,
Franga o talento de Trajano, de Lebruno de tantos J um laQ0 ue sagrada uniao.
artillas da decadencia? A allianga que formavam dous povos tinha por
t Se os artistas, dizia Plato (4), nao represen- testemunhas os deuses: o ferro e o fogo erara in-
lassem os hroes como modelos de virtude, seria Capazes de a romper.
linter obriga-los pelo rigor das leis, ou prohibir j Monumentos, e muilas vezes aliares, foram ele-
qoe entre nos trabalhassem os pintores, poetas e va(jos pe|a previdencia dos chefes s victimas do
estatuarios Incapazes de exprimir as suas obras a amor patritico.
a harmona e a belleza que sao a conse-
e deliberava com elles. (14)
Astradigoes, os poetas, os historiadores nao re-
presentara asslm a infancia do povo grego ? Nao
foram esses oscostumes antigos quequizeram lem-
brar Homero, Eurpides, Sophoeles e outros, met-
iendo tao ingenuas expressees de amizade frater-
nal, de amor filial na bocea dos hroes que decan-
tan) ? Com que singeleza os mais terriveis guer-
reiros, Achules, Ajax, e o implacavel Philoctetes
se enternecem com a lembranca dos seus antigos
prenles, chamando-os, invocando-os no infortu-
nio, e como exprimen) sua pungente dr f Quan
ta simplicidade ao lado de tanto valor o de tanta
grandeza!
Nesse estado de perturbares, *e infortunio e
de herosmo, antes mesmo de terem conbecido as
bellas-artes, os Gregos tinham, pois, sentido as af-
feces ternas e suaveis que as fazem desejar, e
bem assim as virtudes que as aperfeicoam. O sen-
timento da liberdade, o amor da gloria, o orgolho
patritico, que ennobrecera o gosto ; a emulaco,
hbilmente estimulada pelas tradcoes, pelas eren-
gas populares e pela historia ; todos os sentimen-
los nobres que, movendo os hroes, as cidades e
at os mars debis individuos, produziram tantas
maravilhas e accoes memoraveis, desenvolvern)
se debaixo da influencia das mesmas instituicSes,
e por um effeto das mesmas causas. (15)
Com o andar dos lempos e sem que nma longa
experiencia fosse para isso necessaria os legislado-
res reconheceram, como haiva acontecido com os
antigos poetas, a necessidade de desenvolver as
forcas physicas do povo pela influencia das pai-
xoes e das virtudes patriticas. Mas a sitacao
em que se chava a rracao ainda era a mesma de
algnns seeulos antes. De continuo a Intarem nns
contra os ontros, os diversos estados viviam de
actividad e de guerra. Ameagados pelos barba-
ros da Asia, e obrigados a manter e a nntrir mi1
Ihares de escravos, mnitas vezes tao valentes co-
mo os propros cldadaos, es Gregos se viam na
imperiosa urgencia de prodnzir, como os limita-
dos meios que possnlam, os mais espantosos re-
sultados. Na simplicidade em que viviam, a mor
parte das machinas de guerra lhe eram desconhe-
cidas, sendo o corpo humano e sua sensibilidade
moral os nicos instromentos que a natareza pu-
zera a soa disposigao. Era preciso, por conse-
qoenci3-, procurar e manter no fondo dos cora-
goes o germen das paixes generosas, e por estas
em actividade depois de as haver fecundado. Esta
arte sublime tornotrse o objecto da rivalidad^ dos
legisladores. (16) Jogos, festas, prazeres, poesia,
religiao, recompensas, todo que Inflamava a iraa-
ginagao, todo que fallva ao senhmento ou a-vai-
dade nacional foi empregado com m mesmas vistas.
Quanlas instituigoes admiravels de simplicidade
foram fundadas com o fim de fortiScar a naeiona-
lidade, mnltiplicando as affeigSes e serrando seas
lagos I O nome de mae, que o amor dava s cida-
des (17), o de fratras (18), que substituimos pelos
termos geomtricos de circuios, secgoes, on peto
jurdico de districtos; os banquetes communs
de Lacedemonia e de Creta ; as hetairides, ou fes-
tas dos amigos, celebradas em Magnesia ; as tro-
pas sagradas de Thebas ; os amantes e as amadas
de Creta edos Esprtanoslo hymc de Castor,
que cantavam estes ltimos, marchando ao com-
bate (19); o sacrificio de amor ne3se momento
terrivel (20) ; o antigo aliar da Piedade, sempre
em p, em uma praga de Alhenas (211; odas Gra-
gas, deusas dos benefieios, em outras- cidades ; a
galera deTheseu, que durante 800 annos consecu-
tivos ia de Alhenas a Dlos render grapas aos deu-
ses pela reslituigao dos jovens Athenienses ; as
deputagSes annuaes, que visita vara os altares-em
toda a e:ilenso do paii; todas essas testas e jo-
gos, fundados em honra dos grandes'acoatecinien-
tos, erara ioslituigoes mu simples, mas- que len-
diam a aproximar os individuos, pelo'habito- cons-
tante dos mesmos prazeres, e a educar os eora-
goes.
objectos de verga mui bem fabricados; e qne eon
a mais argentina voz de abbarytono entoava era
execatar aqaelle gracejo inconveniente, appareceu
tra, a feliz necessidade em que se aehavam os com a cara coberta de sangue.
gregos de exigirem tantos prazeres como soccorros Aque||e a qaem tinha qaerao metter modo, pre- agradavel melopeia este preg"o :
do corpo humano, de apreciaren), por consequen- gra-lhe involuntariamente com o martello naca-1 Oh I... cestos I... condecas I ?
cia, as formas sob o ponto de vista da utilidade jjeca Pois esse honrado cestetro que nao s fez um
mas muilos milheiros dellcs, no
physiea e a da torga moral dos individuos.
(Continuar-se-ha.)
UM POUCO OE TUOO.
O Jornal Internacional de Londres diz que lhe
foi communicada urna carta escripta de Sherbro,
| a 120 milhas de sorra Lea, em 13 de setembro
ultimo, por M. Elie E Iwards a um de seus corres-
pondentes era Manchester, na qual se l a seguiole
passagera :
Acabo de saber dos meus feitores que M. Julio
Grard, o explorador francez, tao coohecido em
Franga pelo nome de Matador de LeSes, morrera
afogado no rio Jong, entre Mokelleh e Wootah.
L-se no Commercio do Porto o seguinte :
Palleeeu nodia 18 do correte, em Clunber (In-
glaterra), e duque de Newcastlo, Henrique Pe-
Iham Clinton, 5o duque e par de Inglaterra.
Tinha nascido a 22 de maio de 1811, em Lon- bomba de incendios para cada localidade.
Felizmente a ferida nao foi mortal.
*
' cesto e um cento,
i que adquiri uma fortuna, dizem que de seis con-
Os districtos agrcolas de Yorkshire esto toma- t05 ae ris, foi ha das mordido por um lacran, e
dos de um pnico semelhante ao que em certa morreu grangrenado.
poca se propagou na Normando, no tempo da Acabou-se aquelle popular fabricante.
Restaurago. Dcsappareceu aquelle singular typo da vasta ga-
lla mais de seis semanas que por raaos invisi- loria que a capital possue.
veis sao consumidos por meio do incendio as me- A ella e aos seus cestos : Parre sepullis.
das do feno e de trigo, as herdades soladas e at
as matas. A polica nao descansa, mas apesar dos Ha annos foi nomeado bibliotecario d el-rei de
premios offerecidos nao pode celher os culpados. Franga um sugeito que era mui nescio e rude : en-
0 mais que tem feilo prender tres ou quatro va- controu-se depois da nomcago, com um amigo que
gabuados suspeitos, cuja participagao nos incen- o eonhecia e este lhe disse
dios duvidosa ou que s nao Iratarara fle fugir
ao contagio do exeraplo.
As perdas causadas durante uma semana foram
avaliadas em 10,000 libras.
As freguezias ruraes organisam companhias vo-
luntarias de bombeiros, e tratara de alcangar urna
Vamos l, vamos l, que agora tem V. ex-
cellente occasiao para aprender a lr.
dres, e contava 53 annos.
Descende da amiga familia dos baroes de Clin-
ton, que em 1756 herdou o ducado de Newcaslle.
Era conheeido com o norae de lord Lincoln.
Foi alumno na Uoiversidade de Oxford, e, che-
gando sua maioridade, entrou na cmara dos
communs (1834), sendo constantemente reeleito
at 18j, prmeiro pelo condado de iSottingham e
depois pelo burgo de Falkirk.
Nesta ultima data> foi oceupar a cadewa de seu
pai na cmara alta e continuou a apoiar o parti-
do conservador, de que era um dos representantes
moderados.
Separou-se dos antigos tories na dupla questao
da dota gao do clero catholico e da reforma 'as ta-
rifas, pela qual votou.
Nomeado'lord da thesouraria noprirneiro gabi-
nete de sir Roberto Peel (1834)> foi no segunde
prmeiro commissario do. dominicos (18411846)
que lhe dava voto deliberativo no conselho.
Em 1846 foi algum tempe secretario em chafe
para a Irlanda.
Em 1852 fez parle do ministerio Aberdeen, e,
depois de ler dirigido a administrago das colonias
foi era junho de 1854 encarregado da pasta da
guerra, que a guerra com a Russia tornava muito
importante.
Mal comegou a campanha, levantou-se um clamor
geral contra o ministro, pela iasufficiencia das pro-
visSes do exercito.
O duque defendeu-se no parlamento com tanto
espirito como moderago.
Em fevereiro de 1855 passou a pasta- a lord
Panmnre.
No outono de 1855 vizitou a Crimea e todos os
postos militares do mar Negro.
Em junho de 1859 toroou a ser ministro das co-
lonias.
Do sea casamento com a til un nica do duque
de Hamiiton (1832), da qual estava publicamente
separado desde 1830, o duque de Newcaslle teve
cinco thos
O mais velbo, Henrique Pelhaiu Alexandre, c on
de de Lincoln, representou Newark na cmara
dos communs desde 1837 1839.
O conde Lincoln succede a seu pai nos ttulos e
paralo.

Na esecugo dos trabalhos de restaurago da ca-
thcdral de Troyes, comeg-ados na uns quinze an-
nos, descobriram-se numerosos fragmentos de pin-
turas a fresco e de mosaicos e moedas do terceiro
seculo.
Todo* esses objeelos, da era gallo-romana, esto
no museu da cidaoe.
Mas uma descocerla mais importante feita na
mesma localidad, assignalada pela Revista Ar-
checlogica.
Tinha sida preciso fazer excavagoes no local do
coro da cathedral a uma altura de 5 metros e meio
e n um cumpriraento de 11 metros e largura de 8,
No meio das mudangas e da emigragao, o amor
da patria reduzia-se primeiramente uni3o col"
lectiva dos votos particulares aos interesses locaes,
quando, porm, pela influencia do& usos o das lels
a consciencia dos interesses privados foi ligado ao
gozo das felicidades soeiaes, o senlimento indeciso
do patriotismo tornou-se em uma convlcgo geral
tao fecunda em ssus efleitos como o sao as virtudes
innatas.
. Seguindo o progresso do povo grego na civili-
sago, e considerando suas necessidades, seus io- ,v de Mo|ay aec(do em 1333
leis, v-se a que devem as artes
graca,
quencia doscostumes, temando que a juventude da
oossa repblica, creada entre essas imagens vicio-
sas que produz a arte em maos inhabeis, como no
meio de nius alimentos, nao contraa irreparaveis
aicios. (5)
Eis um sabio e Grego, achando na arte grega o
que delle exige : nao a imagem sensual das licgoes
mythologicas, mas a repressao moral dos costumes,
da virtude; erecommendando aos legisladores a
inais activa vigilancia sobre as produegoes artsti-
cas, i Que ideas differeiites temos nos, exclama
um erudito Escossez, na academia real de pintura,
cm Londres, nos que aecusamos de estirilldade a I moraveis pocas da vida,a uniao dos consortes>
religiao e a poca, quando abandonamos os desti-1 0 Dascimen(o de um filho, sua elevagao ordem de
nos das artes s leis da fatalidade, ou ao capricho j guerreiro, sua volta, seu triumpho-eram solera-
de um certo numero de homens opulentos e igno- mdades qUe tornavam ainda mais caras as
rantes, crendo a sua cultura desligada por si pro-. afleig5es, o reconhecimento da patria e o amor da
familias,
i Soutenue
para a construsgo de um carneiro em que se de-
positassem os cornos dos bispos de Troyes.
as priraeiras carnadas foram achados es corpos
de tres bispos : o de Nicolao de Brie, que morreu
em 1269; o de Pedro de Arcis, fallecido em 1395.;
o de Mallier que morreu em 1678, co reinado de
Luiz XIV, e emfim o de um deo capitular, Pedro
Todos os annos, nos dias que marcavam gene
rosas recordagoes, a pedra que cobria as reliquias
de um guerreiro bravo era o ponto das reunioes
solemnes; o mais puro leite e as mais miosas flo-
res cobriam os tmulos; jogos pblicos comegavam
no meio da mais locante saudade.
As homenage^s rendidas s virtudes dos morios
despertavam a emulago dos vivos.
A poera dos tmulos reanmou-se e formou
geragoes de valor; cada aldeia chamou-se um im.
perio, cada soldado nm here. (12)
As festas era que cram celebradas as mais me-
rina da moral e da legislagao (6)
c O fim da arle representar o bello; mas a ar-
fortunios, suas
hellenicas sua origem ; qual o fim a que se pro-
pozeram nos primeiros tempes ; quaes as primei-
ras regias que seguiam, percorrendo o trilito da
perfeigao, e finalmente qual a sua utilidade na
educagao popular.
Urna antiga tradicao so eonservava na Grecia so-
bre a origem das bellas artes, isto , que o amor
as tinha inventado. O comego da historia da esta-
tuaria um complexo de fbulas e de allegonas
do mesmo genero, que encerram frequentemenle
verdades mui fecundas. Nos vimos, com efleito,
que o amor, a amizade, o reconheeiment c a sau-
dosa lembranga dos morios invocaram o genio das |
artes, como um interesse legitimo. Anda nao
tudo. Do mesmo modo que o prmeiro senlimento
do coracao foi um amor ingenuo, os primeiros pra-
zeres do' espirito foram prazeres simples e suaves.
Essa primeira necessidade de satisfago ntellec-
tual traduziuse na arte por uma simplicidade har-
mnica e rhythmada, que o gusto raanteve al a
decadencia do espirito original grego, e que reve-
a um grande sentimento de ordem.
te se produz no seio da sociedade, e deve por isso
representar o bello, servindo ao mesmo tempo a
moni e a legislagao.(7)
Nao por consequencia ao clima, nem facili-
darte dos costumes, nem s altas ideas da theogo-
Bla, nem ao carcter sensual da religiao, que de-
vem os Gregos sua proeminencia as bellas artes
A qus, pois, a devem elles 1 t A arle uma ave-
sinha dos bosques, que odeia a gaiola e s pode
viver em liberdade, dizia Plato. Mas a liberda-
de poltica, que alimentara a poesia cmica e aelo-
quenca, nao foi por varias vezes interrompida, co-
mo em Sicyone, sob Aristralo; em Athenas, sob
llippias; em Samos, sob Policrates; em Syracusa,
sob Diniz e Gelon, sem que deixassem de prospe-
rar a architectura e a estatuaria ? (8; Qoantos es-
Cados livres, ao contrario, deixarara de as cultivar?
Sparla as proscreveu, banindo Temotheo o as
artes mecnicas do seio da mais ampia liberdade,
c o'proprio Plato, achando ha pouco que avezinha
selvagera nao poda viver na escravido nao fecha
as portas da sua Repblica a Homero e a Phidias,
fundando um governo livre ? (9)
Por debaixo desses sepulcros havia uma carnada
de craza, depois fustes de columnas, e fundagoes
de uma igreja primitiva, sobre cujas ruinas se er-
gueu a cathedral existente.
Mais abaixo oocontraram-se numerosos frag-
mentos de construegoes informes e sem carcter;
depois outra carnada de ciozas e por baiio dellas
alguns restos perfeitamento conservados de uma
construego gallo-romano que oceupra todo o es-
pago revolvido.
Assim, no lugar onde eet hoje a cathedral de
Troyes, mas em um nivel inferior, parece que pr-
meiro levantaram os romanos urna construccao ;
um pouco mais cima editicaram outros um mo-
numento sem estylo e inclassi&cavel j depois os
primeiros enristos ergueram uma igreja ; por ci-
ma delta esto deiados os sepulcros dos bispos dos
seeulos XIII e XIV. E emfim, como corOa de tudo,
a cathedral com as suas altas torres.
Na carnada iafenor, mesmo ao lado dos frag-
mentos da construego romana, achou-se um mon-
As companhias de soguros j fallara em eleva-
gao da laxa dos premios que nao tinha nada de
mdica.
O Portugal do Rio de Janeiro., d a seguinte no-
ticia :
O nesso correspondente de Sama Gatharina com-
munica-nos o seguinte :
Prepara-se aqu um lindo quadro de flores arti-
ficiaes para ser olTerecdo a S. M. el-rei D. Fer-
nando : estando ao cuidado da primeira florista
aqui conhecida ; o trabalho irnpossivel descrever.
V. o apreciar por todo este mez, que ser remel-
tido para essa corte.
Conta o Internacional, peridico de Londres.que
o seu collega do Daily-Telegraph, foi condemnado
no anno pas.-ado ao pagamento de prejuizos ao
proprietario de um restaurante de caminho de fer-
ro, porque um dos correspondentes d'aquella folha
nao s tinha achado uma sopa m e ridiculamente
cara, mas at tinha tido o atreviraento de o dizer.
Ninguem Ornou mais a fallar n'isso, e cerlos
industriaes podiam continuar impunemente, gragas
ao seu monopolio, a considerar os seus hospedes
de arribagSo como cousa que se pode espatifar -
vontade, e a envenenados um por um pelo prego
mais respeitavel que era possivel.
Ofa, ha pouco dias ia para Manchester Henry
Leggatt, vendedor de gravuras de Cornhil.
Sahiu do carroa estago de Rugby, pediu uma
sopa, e por nao ter tempo para mais, enguliu a de
uma vez. Por m mal tinha entrado no carro, co-
megou asentir no estomago dores insupportaveis
que nao lomaran adeixa-lo. Nodia seguinte, a
causa daquelias torturas fci langada do corpo :
era um prego de tres quartos de pollegada, que por
imperdoavel deseaido cahira na sopa comida em
Rugby.
O-prego tinha rasgado os inteslinos; a inflam-
maco declarou^se, e Leggatt suceumbiu depois-de
oitodias de atrozes sodrimeats.
E do Sr. J. T. esta poesa
SEM VER-TS.. .
Acres momentos de pezadas dores
Murcham-me as flores que o prazer encerra
Sem ver-te eu sinto que o prazer se esquiva t
Queres que viva sem sorrir ua trra ? I
Oh I nao me fm>s a teu roslo- maga
Deixa que eu veja a fascinar rainb'alraa ;
Dcixa que eu goze divinal ailago
Nao restiluas a meu peito a calma !
Horas bem ditas de celeste nalato,
Quando do seio de agucenapura
Um ai eu sinto esvaecer-se lento,
N'aza do vento seggregar-se altura!
Oh t eu quizera que o momento doce
Queem riso d'anjo de continuo inspira,
Viesse ao menos despertar minh'alma
Q'instante amargo em que a sos delira I
Quizera ao menos... mas fatal desejo I
Pouzar-te um beijo na morena face !
Ver-te corada co'o rubor do medo.
Qual so em segredo que eu de ti fallasse !
Da-meos momentos do prazer infindo
N'um dos olhares de teosolhos bellos;
D-me um sorris) de teu labio lindo.
Virgem formosa de-gentis anhelos !
Oh I ne me fujas divinal donzella
Rosa singela que adorei na vida I
Sem ver-te eu sinto que o prazer se esquiva
Oh 1 semprevivade minh'alma qu'rida I
A um novo porleiro de certo eslabelecimenlo
publico deu o empregado competente, como cos-
tume naquelle lugar, a seguinte ordem :
D'aqui para dentro nao pasSSa ninguem sem
deixar a bengala na portara.
Eis que apparece um sugeito trazendo as m3os
as algibeiras das calcas.
O senhor nao pode passar, diz-lhe o por-
leiro.
Porque*
Porque antes tem de deixar a bengala na
portarla.
Mas, se eu nao a trago ...
Tanto peior I Tem de a Ir buscar.

Ifa dias praticou-se em Londres um roubo, que
nao deixa de ser curioso.
Um gentleman e sua esposa achavam-se deita-
dos na cama, eis que senlem barulho debaixo
della.
O' menino, olha que est gente debaixo do
leito... sent barulho.
Nao gente, o cao... Black I... Black!...
O inglez deitou a mo de fra da roupa, e es-
tendeu o brago fazendo festa ao Black.
EITectivamente sentlutres ou quatro lambedellas
nos dedos, e certo que era o cao adormecen.
Pela manlta, quando acordon, viu as gavetas
abertas ; dinheiro relogios e varias joias, tinha tu-
do desapparecido.
Um ladro raettido debaixo da cama, fra o au-
lor do roubo.
Vendo-se perdido por um movimeuto que fizera,
e vendo que o tomavara por um cao, livrou-se imi-
tando os afagos do aminal.
Verdade que o lamber amo ao inglez alguma
recompensa mereca !
*
Ha dias, achando-se um operario parisiense, que
tem a paixo pela pesca linha, sentado na mar-
gem do canal Saiat-Martin, de cana em punho, sen-
lio o anzol prender-se-lhe no quer que era, mas
que elle logo conheceu nao ser o peixe que morda
Empregou forga, e qual nao serla o seu espanto
ao ver surdir lsuperficie da|agua a cabega de um
cadver t
Ao6 gritos do operario aecudiu gente, e condu-
liram para trra aquella fnebre pesca.
Era o cadver de um operario de urna fabrica
de papis pintados da ra de Charenton, que ha-
via desapparecido ha dias.
Cr-se que o homem se afogara voluntaria-
mente.
(1) Winrkelman, Mengs e outros.
(2) Emenco David.
3) Contico dos Cnticos, cap. 2 verso 2.
(4) De leg. lib. II.
(5) De rep. lih. III.
(6) Lewes, Cfinuferacions sur les arts. en Angle-
ierre Londres, 1815.
S7) l,onwes, considerations.
8) Emerico David. Rech. sur Vart St. Sect. II
li
(9) Plat. de Rep. lib. III.
par les charmes de l'harmonie, la
raison consolida ce qu'avait inspir un heureux
instinct. Dans la nuit ou les nations demeurent
quclque fois ensevelies, le gnie pohque est le
premier gue se rvetlte annonmnt tapproche du
jour. Des poetes, emus par les malheurs publics>
chaierent les hommes bienfaisans, les douceurs de
la fraterntt, de la vhitable glotre; les betes fero
ees, a-t-on dit, les conterent; les forts agites
marchrent leur suit; rpeles par toutes les
bouches, leurs saintes mximes devinrent des
lois. (13) >
Eram estas as qualidades naluraes do povo gre-
go; foi esta a educagao recebida das necessidades
dos infortunios que emballaram o berco de sua
trabalhosa Infancia.
Conforme aos costumes desses lempos heroicos,
foram os primeiros governos, que se compunham
de um rei ou de um general, cuja autoridade re-
sidia no valor e na eloquencia, armas tao efflcazes
as sociedades hellenicas, como o eram em todas
a; outras a espada e a langa ; de alguns nobres
que se criam descendentes dos deuses, e que con-
firmavam sua supposta origem celeste com gran
des aegoes em favor da nagao; emfim, de um po-
vo cheio de patriotismo, que nao obedeca seno
(10) Grande parte da substancia deste e dn
precedente tstudos foi tirada de E. David. Rech.
sur rart St.
(11) E. David. Rech. sur tari. St.
(12) E. David. Rech sur tart. St.
(13) Ibid. pag. 23............-Nao traduzimos
esta passagem por nos ter parecido mui bella no
original.
tao de vasos quebrados, pregos muito grossos, res-
Apenas creadas as bellas-artes, os legisladores tQS fle C0Ziha, tudo c( berlo por uma espessa ca-
se apoderaran) dellas e as empregaram a nutrir as raada de lelhas com reborda, e telhas redondas
virtudes cvicas que as tinham feito nascer, lgau-1 quebradas.
do-as assim aos destinos da sociedad.. As artes : FeIse noUve, uma moedade Yalenle,6na0 me.
com effeto, convinham manvilhoumeote^ ^ de ^^ que parecc
manter esse systema de moral publica em que os ] ^ Mer0VBgl0S
homens de estado se propunham a operar MU-1v
trucco pelo prazer (22), aproximar muluamente O terreno oceupado hoje pela cathedral de troyas
os seres, uni-los ao bem da patria e elevar o ca- era, portanto, no tempo do dominio remano, pro
racter moral dos individuos, considerando-os como | pnedade de urna opulenta familia de patricios,
defensores das inslituigoes e como depositarios da
f poltica.
Alguns operarios empregados na construego de
uma casa, perto da antiga barreira do Throno, em
Intimamente ligadas ao governo, e sempre con-, par^ l(jndo v|StQ m0|Ter um dos seus camaradas
sideradas como os principaes elementos da vida | caho accdenta|menle de am aadame e raor-
social, as bellas-artes elevaram-se na Grecia cora a ^ ,ransportorain 0 cadver para um apo-
prospendade publica, e nao cah.ram senao quan- (^^ ^ esperando a n,ervengo da autor,
do desabou o magestoso edificio das leis e da liber-
dade, que aformoseavam (23).
A excellencia e a constancia do gosto na Grecia,
relativamente s bellas-artes, tiveram pois duas
dat'e segundo a lei.
Pouco depois chegou outro operario que andava
a trabalhar em uma obra prxima, e ouvindo a
causas principaes : uma foi o habito dos prazeres narracao da desgraga que tinha succedido, entrou
no aposento onde estava a victima daquelle acci-
(14) Hesiod. Theog. vers. 81...-Id. ibid. vers., denle, e estava a contempla-la com expressao de
430.Ilia d. liv. 11. vprs. 84.. profunda dr, quando ouvio uma voz que lhe bra-
(15) E. David. Rech. sur Tart. SI. Mewejii;; dava em lQm km e ,ugnbre.
fragments de la sculptureantique: pag. 206. .220. .
(16) Arist. de Rep. I.b. III, cap. 6* ~ -ue vens faier aqul T
(17) Plat. de Rep. lih. IX. Isncrat. Paneg. O trabalhador que nesse momento pensava estar
(18) Plat. de Leg. lib. V. et VI, in fine.Strab.! s0 com 0 defunto, arreincssou um martello que ti-
liv. IV. nha na mo em direceo ao sitie de onde sahira a
(19) Plutrc. Homens llustres ; Licurgc. Id. de ^.^ .
MX Stewens : frag. de la sculpt. antique, IX. Os morios nao fallara.
(21) Pausanias ; livro I, cap. 17. jj0 raesmo instante ouviose um grito, e um ho-
32! RZillctuTr^SLw. 30. I mera que se tinha escondido era um canto para
L-sc na Revoluc.o de Setembro, o seguinte :
El-rei de Sm acaba de enviar um riquisstrao
presente ao imperador Napolcao.
Consta todo elle de animaes de differentes espe-
cies.
Vem entre outroi uma cobra d'agua, de cor ne-
gra, cuja mordedura fulminante como um ata-
que de apoplexia.
i
No da Io d'este mez occorreu orna terrivel des-
graga no thealro de Magdeburgo (Prosita), duran-
te a representagao da um drama intitulado : Ro-
bert et Bertram.
A acgo do primeiro acto d'esta pega passa-se
n'uina torre, elevada altura de um terceiro andar
cima do nivel do tablado. De repente, e sem que
at hoje possa saber-se porque motivo, partiram-se
algumas vigas, e n'um momento todas aquellas de-
coragoes cahiram em cima da orchestra arrastan-
do comsigo os dous actoros, que se aehavam em
scena.
Estes desgragados morrerara no mesmo instan-
te e outras pessoas gravemente feridas. Urna se-
nhora perdeu um brago, que lhe ficou litleralmen-
te separado do corpo.
O director do theatro teve que indemnisar os fe-
ridos e as familias das victimas com a somraa de
10,000 florins.
'
Diz o Journal de Bruxellas que se est tratando
de crear era Paris uma agencia telegrapnica capaz
de empedir com a celebre Agencia Havas.
O director da Presse convidou a imprensa pari-
siense a uma reuraao e parece que adherirn) do
melhor grado a inaior parte dos seus represen-
tantes.
Dase como certo adheso dos directores da
Patrie Le Temps, La Frunce, Le Constitutwnel,
Le Pays, L Opinin, Ntionale, Le Monde e L'U-
nion.
Sendo assim, semelhante projecto parece mostrar
os melhores signaes de roalisar-se.
Um dos senadores ltimamente nomeados pelo
imperador iNapoleao o conde de Neuwerkerke,
oriundo da Hollanda
E" um esculptor distincto, que tornou o seu no.
mo clebre pelo seu modelo em gesso de Guillar-
me o Taciturno.
As suas obras sobresahiram era todas as expo-
sigoes desde 1843.
Nesceu em 1811.
E' desde 1849 membro da academia [de Bellas-
Artes e director geral dos museus imperiaes.
L-se no Jornal do Havre :
Os jornaes allemes sao actualmente muito fe-
cundos em planos de transformagoes do mappa da
Europa, us jornaes d'alra Rheno planisam as
seguintes bases a unidade da Allemanha :
O rei da Prussia toma o titulo de imperador da
Allemanha do Norte, e o imperador da Austiia o
da Allemanha do Sul.
A Allemanha do Norte comprehender princi-
palmente a Allemanha protestante, e abranger
alm do actual territorio da Prussia, os reinos de
Saxona, Hannover, os ducados de Schleswg-
Holstein, Mecklemburgo, Oldemburgo, Brunswich
Nassau, Saxe-Coburgo, Saxe-Weimar, e o eleitora-
do de Hesse Cassel.
A Allemanha do Sul abragar a Allemanha ca-
tholica, e comprehender a Austria propriamente
dita, a Bohemia, os reinos da Baviera e Wurtem.
berg, e os ducados de Bada e de Hesse Darms-
ladt.
Os dous imperadores residirao temporariamente
em Francfort, sendo esta cidade a sede de um par-
lamento nico, que represenlar toda a Alle-
manha.
Se a descendencia masculina de um dos impera-
dores vier a extinguir-se, o chefe da outra casa
imperial lornar-se-ha imperador de toda a Alle-
manha.
E' escusado accrescentar que o consentimento
da Franga ser oblido mediante a cessao do terri-
torio da margena esquerda do Rheno, o da Italia
pela cessao do Vneto e o da Russia pela cesso
das provincias polacas, que pertencem Austria e
Prussia.
Chamase a isto na Allemanha o piano de Mr.
de Bismark, que lem o defeilo de nao dizer o des-
lino que deve dar-sc aos res e principes sobera-
nos, que a reforma poria cm disponibilidade.
L-se no Jornal do Havre :
Um intrpido Inglez, residente em Bolonha,
tem lia muitos annos o costume de tomar banhos
de mar no invern, com tudo o tempo.
Crava uma bengala na rea, na qual pendura os
seus vestidos, mergulha rautas vezes brinca com
as ondas e volia a ve-tir-se em pleno ar, agoutado
pelo briza pouco hospital ira que acaricia habitual -
mente as costas da Mancha.
Um habitante de Bolonha, M. Max X..., teste-
munha accidental d'esta phantasia britannica, jul-
gou |ue a empreza nao era difficil, e um dia era-
ron a bengala ua areia, pendurou os seus vestidos
e langou-se aeua, apesar do fro e da briza.
Nao leve seoo um accidente no prmeiro dia, e
foi que o seu cao, animal muito intelligente, julgan-
do os vestidos de seu amo exposto, arrancn a ben-
gala e transporlou-o todo para lugar mais se-
8ur0-
M. Max X... tornou gosto ao exercicio e todos
os i ovemos vai praia, como o inglez.
Ambos aflrontam a porfa a agua fra e os ven-,
tos contrarios, mas uma Inta cortez e muda.
Os dous nadadores nao se fallam, nao se conhe-
cem e nunca foram apresentados um ao outro.
Quem nao eonhecia um gordo vendedor de objec-
tos de verga, que percorria ha annos todas as ras
de Lisboa, guiando uma bonita carroga tirada por
um gordo jerico, na qual se via iramensa varleda-1_______________^_______________________
de de cestos, condegas, acafates, cadeiras, e outro' PER.NAMBUCO.- TYP. DE M. F. DE F. 4 FILHO
.
v


<*,'