Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10517


This item is only available as the following downloads:


Full Text
1



AHIJO U. HOMERO 261,
Por tres Mezes nliautados ft$UUU
Pop tres mezes venados 6$UUU
Porte ao correio por tres mezes. 0750
.
SEGHDA FEIRA 14 OE HOVEMBRO DE 34.

Por asno ad'aDtado.....19$W,0
Porte ao correio por om aono SfOOU

EXiARR&GADOS a tboLlUj-gU So \utwE
Paranvba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, y Sr. Antonio Marques da Suva; Araoaty.o
8r. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaqun) Marque* Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinfceiro & C; A-
Dazouas, o Sr. Jeronymo da Costa.'
INCARREGADOS DA SBSrR[pgA0 NO SL
Aiagdas, o Sr. Claudino Falco Das; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Mariins Gaspartao. |
i..1Wj.A i.Oo Cui.ubiAJ.
Oiinda, Gaoo o Escaua toaos os dias.
iguarassu', Goyanna e Paranyca uas segundas e
sextas-eiras.
Santo Anto, Gravata, Becerros, Bonito, Garuar,
Alttnbo e Garanhuns as tercas fetras.
Pao d'Aiho, iNazaretn, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Relia, laearat.Caorob,
Boa V ista, Ouricury e Exu as quartas feras.
Sennhaem, Rio Pormoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros,Agua Preta e Pimenteiras as quintas fetras.
lina de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Toaos os estafetas partem ao Vi dia.
EPHEMERIDES DO MEZ IE KOYEMBRO.
5 Quarto cresc. as 9 h., 3!f m. e 2 i. da t.
i-'. La cbea as 3 h., 13 m. e 36 s. da t
21 Quarto ming. as 4 ti., 56 m. e 56 s. da m.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
FREAMAR DB BOJB.
Primeira as 3 horas e I! minutos da tarde.
Segunda as 4 horas 6 minutos da manha.
j-R ta O^ VmOBsa i-OSlUROj.
Para o sol ata Aiagdas u 6 e 25; par* o norte at
? i?^a a 7 e i de cada fue:; para Pernar.do QOI
das 14 dos mezes de jan. marr-., maio. jal. sel. e nov.
PARlbA l0o OJLX BUS.
Para o Recife: do Apipan as 6'/:, 7, 7 i/,, 8 e
V da m.; de Oiinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato s 6/, da m.; do Caranga e Vanea s 7
da ra.; de Henifica s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos as 3 Vi, 4,4'/, 4 %
o, o 'A, 5 V e 6 da tarde; para Oiinda as 7 da
manha e 4 Vi da tarde; para Jaboato s 4 da
tarle; para Cachang e Varzea s 4 V, da tarde;
para Bemca s 4 da tarde.
aU.ENG Tribuna, docommnrcio: segundas quintas.
Relacao: terc,as e sabbajlos s 10 horas.
Fazenda: quinta s 10 floras.
Juno do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: terca e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civsi : tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara docivel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
PARTE QFFISiAL
GOVBMO DA PROVEA.
Expediente do dia 9 de novembro de lSl'.i.
Ofcio ao Exm. viscoude da B la-vista, cominan-
dame superior da guarda nacional do Recita.
Sirva-se V. Exc. de informar sobre u (pie pede no
incluso requerimeat o guarda doesquadrao de ca-
vahara n. 1 desta cidade.
Dito ao mesmo.Junto achara o offi.'io do Dr.
chefe de poiir.ia.n. I36i,que deixoa de aoompanhar
o que V. Exc. dirig ein 7 do correle.
Dito ao coronel couunandinie das armas.Baja
V. S. de providenciar convenientemente para que
a forca da guarda nacional em servieo de destaca-
mento nesia cidade, sea aljala uoquartej do Hos-
picio, Arando V. S. certo de que o respectivo c ora
mandante superior lem ordem para manda la
transferirdo quartel do corpo de polica para aquel*
le.Offlciou-se ueste sentido ao Exm. commaudan-
te superior.
Dito ao mesmo.Pote V. S. despedir da phar-
macia do hospital ni .litar o boticario Braz Marceli-
no do Sacramento, i|ue asiin o solicitou no reque-
rlmenlo sobre que versa o seu olhVio n. 199o, d
8 do rorrele, licando deste modo rescindido o
contrato que elle celehrou para servir naquelle es-
tabeleei meato.Commuuieou-se a thesouraria de
rzenila.
Dito ao mesmo.Teado a cmara municipal do
Rocife de mandar soltar em a ute de 10 do ror-
rent-, algum fogo de vista no campo das Princezas,
em signal de jubilo pe" Miz consorcio de S A. a
Augusta Princesa Imperial cura o conde d'Eu, ba-
ja V. S. de providenciar convenieui-meni para
que duas das msicas dos corpos de linda, se apre-
sentem no mesmo campo as 9 horas da noite, alim
de ah tocarem em quauto durar semelliaute fe.-le-
jo. Communicou-se a cmara municipal do Re-
cife.
Dito ao mesmo.Expega V. S. as suas ordens
para que as 3 pracas, que se acham na povoajo
de Nossa Senhora di O', voltein para o destacamen-
to de Ipojuca, e ah permanec-un, eraquanto func-
cionar o jury da mesma villa. Communicou-se ao
delegado de polica de Ipojuca.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Nao importando interriipcao de licenca o feto de
ter sido removido para Santo Anto o promotor do
Limoeiro bacharel Virginio Carneiro da Cunha e I
Albuquerque, durante o uraco da mesma licenca,
visto que nem na poriaria de remocose fez deca
ordena que ueste sentido se expecam as conv e
ientes ordens. Coinrauuicou-se a thesouraria
proviiii'ial.
Dita J presidente da provincia resolve remo-
ver a Ulisses Ccleles Civalcante de Mello do lu-
gar de langador di consulado provincial, para o
de 2. escripturario da mesma repariicn, vago pe-
la aposentadona concedida a Luiz de Ase.vedo Sou-
za. e para aquelle lugar nomea a J >o Paulo Fer-
reira. -Communicou-se a Ibesouraria provincial e
ao nomeado.
Ditao presidente da provincia, tomando em
consiileraco o que expoz o insiieclor da thesou-
raria i.r..viu.-ial, em offlcio de 5 do corrente sob
n. 476, resulve demiltir o amanuenso da mesma
thesouraria Uiysses Justiniano de Oliveira.Com-
iniinicouse ao Inspeolo da thesouraria provincial
it.O presidente da provincia resolve noinear
o pralieanle da thesouraria provincial Pedro Ale-
xandrin > Ma -ha lo para o lugar vago de amanuen-
se da mesma liiesoiiraria, e para o de pretirite a
Joaquim Tranquillino de Lomos Duarte.Couirau-
iiicu-e a thesouraria provincial.
Cipedieule do secretariD do yarenio do dia 9 de
novembro de 1SH1.
Olucio ao Exm. Visconde da Bn-vjsta cimman-
dante superior ordem de Sua Exc. o Sr. presidente da provincia,
conira mico a V. Exc. q.ie por despacho d'osta data
autorisou-se o director do arsenal de guerra a sa-
tisfazer com urgencia o pedido de cartuxame,
que allude o olucio de V Exc. de hoje datado.
^r
S !)A "M N-i.
14. Segunda, s. Abiliodiac.; S. Gorias ni.
15. Terca. S. Gertrodes v.; S. Clenu-ntino m
16. (juarta. S. Goncalo d- Lagos; s. Elpidio m.
i/. Quinta. S. Grego-i.. Thanraaturau b.
18. Srxta. S. Obdn uh.; 8. Barrilla m.
19. Sabbadn. S. Isabel viuv. rainlia de Hungra
SO. Domingo. S. Octavio m.; S. Tlicope m.
AS8IGNA-SS
no Recife, m a imana da praca da Independfn-
cian*..68 8, los proprietanos Manoel Ficueirr.a
u, Faria 4c Pilho. *"*m*
Osjornacsde Londres avaliaram as fallencias sar ao Brasil com a sua familia pelo paquete Bglez
occorridas no Rio em doze milh5',s esterhnos, sem ,de Southamplon de 9 do prximo futuro,
contar us prejuizos que seguir-se-hao de novas que-1 A rainha dever deixar Balmoral no dia 18 do
bras por motivo daquellas I Icnrrente de regresso a Vindsor, onde chegar a
I ara dar una idea da grave situacao em que ?o 26. Alli permanecer Sua Magostad* ate que par-
achava o imperio, annunciaram essas mesmas fo- tira para Osborne, ondo pasar o Natal como tem
Ihas o expediente tomado pelo governo de dar pnr costme dopois do fallecimento da principe
curso forcado s notas do banco do Brasil, autori-1 Alberto.
sando ao mesmo lempo a emisso destas no triplo,' Partiram hoje de Copenhague com destino a In-
aflm de por este modo habilitar o banco a aecudir iglatnrra Ss. AA. RR. o principe e a princesa de
aos descontos que a crise veio tornar mais urgen- Galles, Andando assim a via^-em que fizeram na-
les : a imprensa ingleza nada tem argido contra a quelle reino e na Suecia.
serie de medidas adoptadas pelo governo imperial Algumas futhas haviam annunciatlo a visita de
naquella emergencia, ainda mesmo a respeito da- SS. AA. RR. a Paris, e disso dei noticia na minha
qudla qu-, atlendendo a situacao poltica da capi-
tal, ordenou o pagamento dos depsitos a comecar
por acuelles que haviam depositado qoanlias me-
nores.
A idea que agora advoga em VienHa o conde
Rossell por intermedio de lord Curendon, sena
como ocomplem >nto daeoavenciu Kr.inc.o-ltaliana.
celebrada exclusivamente em favor da Italia.
Por esse trtalo que aluda espera pela ratifica*
cao do parlamento italiano, el-rei Vctor M.ujoI.
aproximara a sua capital das portas de Roma, re-
solvendo asim p^lo nico modo possivel o d"Sejo
que o s-u governo tiuiia do consolidar a soite da
Italia sob o ponto de vi>ia militar a administrativo;
o drtsarinainenio reciproco da Italia e Austria tra
ria para aquella a vanlagein de nao declararse
Bnanceiramente arruinada, cono tanto se toeeia.
Mas o imperador Francisco Jos nao subscrevera
provavelmente a um plano, que se por uin lado
Ihe seria vanlajo-o, porque Ihe permtttiria fazer
economas, por ouiro llie seria fatal, visto como i-
11 espaolios do dia 8 de novembro de 1861.
lleqnerimcnlos.
Apolonia Mara de Mello.informe o Sr. desem-
hargador proved..r da Santa Casa da Miseri-
cordia.
Antonio Soares de Lima.Fca marcado o prazo
do vinte das para o lim que requer, devendo ser
e-te apresentade ao r. capto do porto.
Gamillo de Leles Fonseca. Informe o Sr. cora-
man.laule do brigue barca Uamnraci.
Digna de Santa Rosa.Informo O Sr. Dr. direc-
tor geral da oslrnceao publica.
Henriqueta Francisca de Ramos.Aprsenle a
, supplican'e seu lilho ao r. inspector do arsenal
i para ser dimitido na compauhia de aprendizes
marnheiros onde ha vaga.
Tenenie Hermino Egulio de Figneiredo. Passe
portara concedendo a licenca que requer osuppli-
cante.
Joaquim Hilario do Espirito Santo.-O supli-
cante >e inspeccionado opportunamente.
Joaquim de Gum.io Co-iho.Informe o Sr. ios-
enlrar n'um arranjo qualquer com a Auslria para
aquello lira, e a torca-la se porvenlura o gabiuete
de Vienna viesse a faltar ao promeltido O receio
que t-'m mostrado este governo de arriscar
jrJjT T, 2wown ,le a,rr,<(,ar ? Mf. I decretaran, a Italia urna,
da qual es a colhe.ido immensa vantagem, nao da- la, d:l Ilali v,. t< '
na uronfiirin nluiMn im cuna RMnun.uiihidAj n.,l ,' '-*
cao alguma, e nem por dis.io-ico de le foi deter-, ,,eclor escorara provincial.
* I lii-.il t'urin 'i it.i 1 ln.,i,t..i..; I i
minada a cessaco das licencas na hypoih-se do
que se trata, obvio pie o sapplicante tem incoo-
testavel direito aos vencunen\os que como promo-
tor Ihe cabera desde 24 de f-vereiro al 17 de raar-
c/>, occorreudo que, por identidade d razan apro-
veite ao supplicante o principio eslabelecido pela
deciso n. 421 de 2 de outubro de 1860.
Nestes termos recoinmeudo a V. S. que faga ef
fectivo o pagamento pedido pelo mencionado ba-
charel no requ'-rimeoto sobre que vorson a sua in-
ormaco de 4 do correte sob n. 641, dos 22 dias
com que se coinpldou a sua licenca alm dos que
ainda se Ihe deve acerca dos quaes nao se ollorece
da vida
Dito ao masmo. Ao commaudante colAi^iaesdo
hyate de guerra Cai/i que se vai incorporar ao
3o di-tricto naval, mande V. S. abonar ao c nrimis-
sario o mez de dezerabro prximo vindouro romo
solicitou o c.ommaulaute do brigoo-baroa Itamn-
rac em oIR-io desta data sob n. 120 Counnuni-
ceu-se ao comiiiundaiiie do brigue-barca /fama-
rara.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S, em vista dsua
informaco de hontem, sob n. 647, dida com re-
ferencia ao parecer da contad tria desa thesoura-
ria a mandar pagar ao alferes Felisb-rlo da Ci-ta
Correa, a quautia de 863 00 por ello despendida
com o seu transporte da povoacao de Piranlias ci-
r.
lia
Jos Pereira de Alcntara do O".Informe o Sr.
inspertor da thesouraria de fazenda.
Tenente Joo Eduardo Pereira Birges.Informe
o Sr. commaudante do corpo de polica.
D. Jnjiuia da Silva Medeiros. Inlorme o Sr.
lente coronel recrutador.
Mara da Gloria Silveira. Inscrevam-se os fi-
los da suppiicanie para sercm admittidos quando
h-raver vaga
Manoel Tibnrcio de Oliveira. Informe o
inspector da thesouraria de fazenda.
Noberta Antonia das Dores ilveira. Nao
vaga.
Despachos do dia 9 de novembro de 1861.
Ruerunfnto.
Antonia Mara de Oliveira. -Prove o que allega.
Tenente coronel Bernardo J <> da Cmara.-In-
forme o r. enitenheiro fiscal da estrada de ferro.
Braz Marcelino do SacramentaAo Sr. coronel
commaudante das armas se expedo ordem. para
ser o snpplicaole desped lo do ser vico do hospital
militar.
Francisco do Reg Barros.Informo o Sr. com-
mandante superior di guarda nacional dos muni-
cipios de Oiinda e Iguarassu.
Francisco Jos da Roza.Informe o Sr. Dr. juiz
de direito da comarca de Tacarat.
Jos Rodrigues de Oliveira Lima Jnior.Infor-
antecedente carta mas posteriormente vieram
contradizer aquelle aununeo, declarando que por
emquanto >S. AA. RR. nao faziam essa viagem,
devendo regressar brevemente Grt-Bretanha.
Aqu haveria em geral grande receio de adoptar; O duque de Cornwal, filho de S -. AA. RR., regres-
aqueiie expediente, alias subversivo porante o prn- j mu a Balmoral, viudo de Frendsburgo bordo do
cipio da igualdade legal; mas o salus populi seria; vapor Salanis depois de haver estado na Dinainar-
naquelle caso motivo para justificar a medida do ca com seus illostres avs.
governo. A imprensa inalcza annuncia com grande ats-
hnire outros valores cahram aqu considera- faco a lerralnacao da guerra na Nova Ze|an>lia
vclineute, ao receber-se a noticia daqnella crise pelajubmissao das tribus, que haviam durante
commercial, as aegoes do London & Brasilian Bmkmuilo tempo combatido a autoridade da rainha.
easdoAngioi Portuguese Bank ; as pnmeiras nossa guerra lonifi iqua a Graa-Bretanha leve de
que se achavam com o de premio descerara a perder bastantes dos seos subditos, alm das avul-
8 de desconte se acham ao par ecom 1 de pre- ladas despetas em qie incorreu por motivo dessa
mi, as segundas que tnham um premw de 2 1|2 insurreigao. Acreditase que aquella colonia go-
se achara ao par e a l|2 de premio I sar agora de paz, que ha de certo contribuir para
O gerente d-t London & Brasilian Bank veio do o maior desenvolvimenlo do importante commcr-
Brasil a bordo do paquete de Brdeos, ailra de dar ci que ella j fez cora a Metropole. O general
urna precisa conta da situacao da Filial do Banco Cameron, que all commanda em chefe as forjas
po rio em oonsequencia das quebras daqnella cida- britannicas, mosirou toda energa durante a crise
de, ras quaes es*e banco ficou comprometido, se- por que pissou o governo daquela possesso bri-
gundo se diz, na somma de setenta mil libras ester- tannica, hacend bem merecido da patria e em es-
liuzs- __ serial dos eurepeus residentes naquella parte dos
A siluacao desses dous eslabeleeimentos nao dominios de S. M. brilannica. A perseveranca
entretanto considerada precaria, sobre ludo por desee distincto ofilcial se deve o resultado que teve
que se espera que elies i rosjeram rpidamente, aquella guerra, nao deixando elle de constante-
visto licarem com o campo lvre depois da desapa- mente dirigir as operaces militares n'um terreno
ricao das principaes casas bancanas do Rio ; este que s elle conhecia bem, apezar dos ferimenlos
e talvez o motivo por que os fundos dessas em- graves que recebera n'uma das batalhas. Lutan-
prezas comceam a levantar-se de prompto do pa-! do quasi sempre com fotcas inferiores, o general
uico que aqu existe em consequencia da crise ha-1 em chefe das tropas britannicas conseguio um re-
vida na praca do Rio de Janeiro. I sultado que s era esperado para multo mais
Osjornaes francezes annunciam que essa catas-j tarde.
trophe commercial treuxe comsigo graves prejuizos O parlamento brilannico foi novamente proroga-
sobre Pars, Lio, Marselha, Madrid e Milao. do al 15 de novembro prximo, e como o decreto
Resta praca, bem como na de Liverpool e na de da prorogacao nao mencionava a clausula do que
Manehester, continuam as fallencias, causadas so-' nesse dia ambas as casas se reunlriam afim de co-
bre tudo pea baixa que tem havdo no precedo mecarem a diteossoo dos negocios pblicos. Vrto
algodao. que novo adiamenio ter lugar n'aquelle da at
Muitos milhoes esterlinos se acliavam embarca- que em fins de janeire do anno prximo tenha de
dos nessa especulaco; de modo que a baixa do rcunir-se a representafao nacional, como costu-
preco desse artigo, coincidindo com a alga do des- i m?, salvo era occasioes extraordinarias. O minis-
como que ainda de 9 0|n; havia necesKarinmente' wio,Pa(merstoii-Rosseil nao deseja por certo e-we
de produzr una crise fatl, cujos effeos sao ja termodlvislo como llies eni^ommoda a presenca
sentidos aqu e o sarao brevemente na India in- i do parlamento, onde a opooscao tem tomado avul-
gleza que principalmente entrara nessa especu-, tadus-proporefios* e no 'fin da prxima se.ao, te-
'aC*'>. j r este gabinete de proceder a nova eleicao, que
Tudo isto espalhou o desanimo neste mercado, Ihe nao ser provavelmente favoravel, porque o
onde todos os valores se aeham depreciados, at partido tory tem ganho ltimamente todas as elei-
mesmo os consolidados ingleses 3 0,o que apenas (fies nucaos a que se lem procedido. Lord Pal-
esio colados a 88 1|2, 88 3|8 ; e com quanlo se mersten entretanto, apesar de haver concluido no
i espere que o descont do banco de Inglaterra leva dia 20 do correte o seu octogsimo anno de ida-
brevemente baixar de 1 0|o, nem por isso se ob- de, nao d signaos de querer retlrar-se da vida
serva aqu symptomas de urna solida auimaco poltica, o ha de por consegninte empenhar tima j mesma nediaco do governo de Ornto nenlium re
artido conservador, no intuito! sultado favora^e
e que ella traria iram-msos beneficios e superiores
aos sacrificios q le un mnha ; que a trasla lacio da
capital feria oexcellente resuludo de alla-tar da
Italia as tropas e.->traoeiras, preparando assim tia-
ra uma s-duco deduilva o satifaetnria
romana. As sesses das
al nova ordem.
Os ministros Li Marmora, Sela, Lnnza e Petite
foram reeleitos diputados. A populacho mos'.rou-se
niis tranquilla, mas as ca*es operaras e pro-
prietaria uota-se certaexcitacao.
No da 17 houve em Turin um meeling de ope-
rarios, em que se resolveu apresentar una petico
ao parlamento para que se formule urna aecusaco
ao ultimo ministerio, e assigoar petieoes contra o
convenio franco-italiano.
Actualmente nada se sabe com certeza a respel-
a qnestao
cmaras foram addiadas
miniiindo o sea exerciio perderla os seus raeios de i,, ,i. ,
aeco, emquanto que a Italia peder sempre contar St r n .anball, pela cele-
com outros recursos, taes como a boa voi.ta.le da 2 affl^ r. ** >"'. ha porera
Venetia em seu favor e a ma voulade da Hungra SSentZ .le I, "** 'nU' dtS'
conira a Austria.
a propdr ao parlamento que
que a Consolida^o do poder
na sua carta eucoutram-se os seguiules
pe
temporal
perodos
O plebiscito, o governo, o parlamento c o paiz,
e que Roma seria a cap-
ra prestigio algura aos seus comproiiiissos, ^1?en"eOo'0^7.7!S!iSSiSfSTS
que chegado o casus-bell. ni.igue.n confia que a LuUgj recoIlhe,e-se o dredo que o estrange.ro in-
do tirar a espada, a menos va,r ll!M1 Sl(bre Rf|).t
Inglaterra houvesse
que por mudanca de circumstancias o seu nteres-
se a levasse para um til lado. Assim, pois, o ser-
vico que a Gra Bietanha et ora prestando a
Italia nao passa de urna ofijeiosidade, e entra no
numero daquelles que se pode prestar por preco
bem barato.
Lord Russell quer thema para dizer na prxima
sesso do parlamento que nao descuidou a causa
da Italia, alias extremamente sympathioa ao povo
inglez ; o por couseguinte servio-se daquelle ex-
pediente, com o qual parece concordar lord Pal-
merston. que por vezas tem sido o aJvogado do
desarmamento geral das naces.
As noticias de Lima asseram que o governo pe-
ruano eslava dUpostu a inlimar a Hespanha a re-
tirar suas forras das ilhas Cliincbas, >ob pena de
declarar Ihe inmediatamente a guerra. E>ta po-
ltica era milito popular ali, e o congresso apoiaria
o governo nessa dircrcao.
A Hespanha por seu lado nao quer ceder, e com-
quanto retirasse do commando das suas torcas na-
vae.< no Parifico o almirante Pinzn nem por isso
deixar as iihas Chinchas sem que o governo de
Lima se pre-te a acceders reclaraacoes do gabine-
te de Madrid.
Nestas circumstancias tudo indica que cedo on
tarde comecara ali a lula entre essas duas poten-
cias, lula que urna vez engajada ser teirivel pela
rivalidad.11 pie ai n.la existe entre aquelles amigos
colonos da Hespanha e e>ta. A nao ser a repbli-
ca do Equador, nao me consta que nenhuma ouira
potencia propize.sse rae.liar nesse conflicto, e a
para o commercio.
' rendida lula com o par
dade do Penedo, bem como deSSpracasdo exeicito nie o Sr. eogeulleire chefe da reparticao das obras
que regressaram para esta capital, como se v do
requerimenlo documentado qoe dcvolvo.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Atlendendo ao que SolcitOU capilo do corpo do
estado nnior de 1" classe Francisco llaphael de
Mello Reg, no olll.'io junto por copia, dala lo de o
do correiite, recoinmeudo V. $., que, pelo mxi-
mo da tabella annexa ao regolamuntu de 9 de ju-
nho iiitimo, mande pagar-lhe as quanlias a que ti-
vr direito, como ajuda de cu gens de insprccn que na qualilado de chefe iu-
lerino da rcparlico das obras publicas fez fura do
Io dslrclo.
Na mesma conformidade lambem deve ser paga
ao engenlieiro Franri-co ApoligOflO Leal a ajuda
de rusto que se Ihe e-i a deve.r segundo consta
do final do citado officio.
Dito ao memo.Rotlnindo a conla, na impor-
tancia de 7.53000, despendida com o sustento dos
pre>os pobres da cadeia do Bonito no tninestra do
julho a selemhro deste anno, tenlio a dizer que, em
vi>ia das raides presentadasera sen oflino de hon-
tem, sob n. 478, com referencia ao parecer da con-
tadura dessa thesouraria, mande V. S. pagar a Ri-
beiro Si Galvo, indicados paia isso em meu oili-
cio de 28 de outubro prximo findo, nao aquella
quantia, mas sm o que Justamente se esiiver a
dev-r de tal sustento, depois de dedoxidos os
183400 correspondentes ao escravo Luiz, os quaes
deero ser salsfeitos pelo respectivo senhor, o
felta a correccao da falta de c lin.-Uencia que se DO-
pblicos.
Jo Balduino Soares de Carvalho.A' visla da
inforraacn do coronel commaudante das armas,
na. lem lugar o q le re quer o supplirante.
J .fio Francisco da Co^ia. Requera por escrplo
Manoel Jos de Uendonca.Em vista das nitor-
maedes nao pode por ora ser alteiidido o su|>pli-
cante.
Manoel Joaquim das Trevas MarranoInforme
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Manoel Paulo Peixoto.- O supplicante foi julga-
do capaz para todo o servieo em mspece.o de sau-
de o regressara para o presidio de Fernando, logo
que deponha em um procasso em que lem de ser
ouviilo.
Mara Laurinda do Espirito Santo.-Informe o
Sr. Dr. ch-f; de poliea.
A crise ter de fazer o seu curso, c s quando a' de alrancar nina forte maioria na nova cmara,
conlianca vier a restabelecerse que essa anima- Aqu j se acredita que, a nio ser motivo extraor-
co reapparecer, limitada todava pela prudencia diarlo, esle ministerio alravcssar a prxima ses-
que ali s nem sempre presidio nestes ltimos tem- sao legislativa, p>f quanto elle j solfreu os cm-
pos s avalladas transac^es que aqu tiveram lu- batos que rereiava por motivo das qoesldes de po-
t';r- lilioa exterior, que o publico e o parlamento inglez
A baixa que soffreu o camb.o do Rio sobre Lon- tanto debaioram, dando todava era resultado um
dres aqu repula la o preludio de serios sacrifi- triumpho para esta administraban. A questo bra-
cios futuros para os tomadores de letras daqnella sileira yira sem duvidi novumenle a cotilas, mas
praca sobre esta, visto como se acredita que a cri- esse incidente nio arriscara nem mes-no a posico
se do Rio de Janeiro ir monopolisar es-a especie offlcial do conde de Russell, quanto mus a do .-a-
de transaccoes em pnucas mos, que ho de tirar bnete nleiro : o mini-lerio, o principalmente lord
partido dessa circumstanria. Russell, siistentarao que tem feito lodos os e>f.ir-
Os fundos pblicos do Rcasil de .'i0|0 licam a 9i 0*H me liante el-rei de Portugal, para reconciliar-
de dividendo, c os de 4 l|2 0|Q a 81 1|2. E-ta de- se com o Brasil, buscando assim laucar o odioso
presso nos nossos ltulos de crdito ple altribnir- do nenlium resultado das negoeiacoes pendentes
se nao s a declaraeo da guerra entre 0 Brasil c sobre o governo Imperial, O quera eslou certo ai-
Montevido, como principalmente depreciac/io tribnlro o desejo de hurailhar a dignidadj da co-
ger I em que se achara to los os valores no to-k- roa inglez*! Nao nos fallarn defensores, que se
Exrhange : as folhas desia capital annunciam o co- encarregaro de prnvar evideulomente o contrario
mero das hostilidades entre as forcas navaes doim- d'uma tal proposieSo, mas o parlamento nio leva-
perio e um t canhonera da Repblica Oriental, que r jamis a sua censura, se houver de manifesta-
tora inciuda a pique pela artilhana innniga : 'a, ao poni de retirar a sua conlimca ao ministe-
Nnguorn duvida aqu da superioridade do Brasil rio, pelo que sahir vencedor continuando assim
sobre a pequea Repunlica Oriental, salvo no caso a s'ia existencia, por amor da qual lem j dado
em que esta, alliando-se com as repblicas visl- innmeros exemplos de contradire') com as mi-
consiga transformar a sua presente situacao, ximas polticas que aqu regulara a vi la dos gabi-
nlias,
por que eniao o Brasil tera de lular cora um im-
iiugo superior que havia de Ihe tornai a guerra
prolongada e muito mais dispendiosa.
A simples tmsiblidade de urna tal eventual ida-
de ha de influir mais ou menos oeste mercado,
Presidente e directores da caita filial do banco ron,ra nosso crdito publico, que se figura aos
do Bra-il. Informe o Sr. inspector da thesouraria ^redores do Brasil neste paiz menos solido em pro-
de fazenda.
EXTERIOR.
tO!UlLSPO\E\rjAS BO 1>IA
itfio ia: i's:Ht\v3iHisjo.
iitiMn,
23 de oulubro de ISfii.
A noticia que para esta praca enviara o tele-
ta entre iss 4 prosas contemplados em ultimo lugar rapno i Li-boa, em 14 do crrente, da crise cora-
na predita conla. Hiemal surgida no Rio ue Janeiro, pela fallencia
Dito ao dtector geral da instruccio publica. uo ualli:'J SuUlo ouiros, veio espalbar um pnico
Mande V. S. por em concurso a cadeira de linguas extraordinario ue^e mercado, onde muitos valores
latina e fran.eza da villa de Omieury, creada pe- Conuexos cora a situacao das cousas uo Brasil bai-
la le n. 574 de 5 de abril do .-orrent anno. xarara repeutinaiiienie I
Dito ao commaudante do corpo de polica.De Ne.-le monieuto em que, desde o dia 20 do cor-
conformidade com o que solieitou o Or. chefe de reute, estamos de posse dos detalhes da(|Uellacalas-
policia, mande V. S. augmentar com mai tres
pracas o numero das que cnmpoo a guarda da ri-
beira aa freguezia da Boa-vista desta cidade.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica
Dito ao chefe nterin) da reparticao das obras
publicas.Resp-ndendo aooffici queVmc. me di-
rigioem 7 do corrente sob n. .113, (eniio a dizer
netes perante o parlamento. Anda na ultima ses-
so da casa dos communs, por occaso da di cus-
sao de Mr. Disraeli acerca da questo dinaraarque-
za, o ministerio cons-rvou o poder achando-se
ai^nas com urna pequen* maioria: em outras oc-
casioes, achou s em minora, se attendermos que
alguusdos ministros volaran em quesio s minK-
porco dos maiores encargos que o nossotheso'uro friae?' '|Ue por -*so recotnmcndavam abstengo
possa eveotualraenle contralor.
Os .1 Oo Porliiiriiezes Sesma 463(4. Os Chilenos 0
Oo a 100 ex dividendo. Os Peruanos 4 l|2 0|fl a
80. Rus>os 4 ||2 0| 8i ; dib-s 5 0|Q de 1862-87
:i|8. Italianos 3 Q|0 ^i 3i8. E consolidados turcos
BO)a 49 1,2.
O aluodo superior de Pernambitco e do liara-
nhao ca otado a 23 1|2 d. e 24 d. por libra, e o
de qu.ilnlade meda a 21 d. por libra. Dit > supe-
rior da Baha a 22 d por libra, e inferior a 20 d.
As transaccoes deste artigo continuara animadas,
rom quanto os seus procos nao indiquem tendencia
para meihorarem.
t opne e uas medidas adoptadas pelo governo ira- do Rlode 7 d. a 9 "or |iba D ios
penal, continua anda nesta praca o ineuo que se ... r.nnde de ka 11h Ll iL T ~~a
espao.ara, pelo recelo Uas con-equeuc.as desastro-: ?? ,?.TJ' d- a 7 d- l">r "bra; salgados de 4
Cacao do Brasil fica colado de 41 s a 39 s. per
cwt. Pao Brasil nao lem apnarecido venda no
mercado. Assucar branco de Pernamhuco e da Pa-
rahiba de 24 s., 29 s. per cwt; masca vado de 17
per c\vl. Uito branco da Baha 22 s. 6 d. a 28
mascavado de 17 s. a 2 s. per cwt. Couros seceos
seceos do
s.
3|4 d. a (i l|2d.
As acedes da estrada de ferro da Baha ficam a
descont de S 6 por cada urna apolice; as de Per-
nambuco a descont de 5 a 4 ; e as de Sao
Paulo com o de 2 l|2.
Do norte do Brasil rhegaram a diversos portos
Vstd Reino Unido os seguintes navios : do Para
Thr Flmist (II) a Liverpool ; de Mice Riphiel
(14) a Liveniool; do Para Arar.aty (14) a Liver-
pool; do Rio Grand" LroparA (14) a Falmonth ; de
Pernamhuco Nna (17) a Liverpool: de Macei
Chance (16) a Falmouth ; da Baha Albina (16)
Falmouth ; da Parahba Town nf Livn-pnol (18; a
Liverpool ; e da Parahba Ulnvnter (21) a Liver-
pool. Para o Brasil segiiiram ; de Remstrom Prn-
!ipo pela quantia mencionada no seu rilado ofll- ja vai para tres mezes. \tfU Charlte (14) para oRo Grande, e de Liver-
ci, devendo essa cmara remetlcr-me copia do O Union Bank of London soffreu, segundo se af- pool o vapor Herschel (19) para a Baha,
termo do respectivo contrato. firma, uin projuizo e dous mil eoutos de reU.eom PorUria.O presidente da provincia, tomando a quebr di ca.-a Gomes 4 Filhos, e este banco era tria o Sr. Mitucl Mara Lisboa, que viera pelo pa-
nol ronsideracao o que requereu o 2o escriptnra- muas veles o fornecedor de quantias metlicas qnete do Brasil chegado a Brdeos no dia 17 do
rio do consulado provincial, Luiz de Azevedo Siu- em Tavor- naquella casa com a qual tinha sempre corrente. Aquelle diplmala veio aqu traz-r no-
za, e tendo em vista o que a esse respeilo infor- uia -'O"1 corrente. lirias de sua alloza real o conde d'Eu a familia de
maram o* chefes das repartieoes competentes, re-1 Agora porm que a crise do Rio de Janeiro veio Orieans. pertindo em seguida para Vienna, onde Ic-
solve aposenta-lo no mesmo lunar, com o ordenado causar aqu to senos prejuizos, a exportado do r de snbmetler a as-ignatura do dnquo do Gotha
corre-pond nte ao tfri|M> de servco nos termos dos n.vos capilar* para o imperio ha de tomar-se ex- o tratado de casamento entre sna alteza a prin-
arts. 7 das disnn-iees yeraes di I-i n 192 de 12 tremamente difilcil, alm da pausa que haver em cpza Leopoldina do Brasil o o joven principe de
de abril de 1847, 2 da de n. 276 de 7 de abril de tola a sorpj de tran.-yicces commerciacs enlre esta Saxo.que j se acha no Rio de Janeiro. O Sr. Lis-
1851 e 3 da ue ii. 486 de 16 de maio de 1860, e praga o as jo Bra>rl, bo nao so demorar pa Europa, devendo regres-
sa> que aqu bao do surgir por va de um seine-
l'ianle oslado de cousas ; e c >in efleito j se deu
p jr faluda Desta cidade a firma commercial Rudge,
Mureira & i.., em consequencia da crise do Rio de
Te a de*peza a fazer-se com a parle da esiraado J.neiro, romo claramente aiiiinnm essa firma na
norte a partir do rio B at a ponte do Bnjary de- circular com que no da 1:- do crrenle, aunuuciou
ve correr prla veba eventuaes segundo dispe aos seus credores a sospensio dos pagamentos,
o art. 45 da lei do orcamento vigente, e disso ac- Rec bo de dar sciencia a thesouraria provincial para o achara ihlere.-sadas do perto com o Brasil, veiibam
lira indicado n<> final de seu citado ITIcio Offl- asusiender igualmenie os seus pagamentos, e des-
ciou-se neste sentido a thesouraria provincial. I desconliaufa resultara de prompto um lurte
Dilo a cmara municipal de S. Bruto. Declaro aba.o as relaees commerciaes entre os dous
a cmara municipal da villa de S. Bent>, era res- paizes ; tanto mais que este triste successo veio
posta ao seu offlcio de 26 de outubro ullimo, que coincidir enn a crise commercial c monetaria, em
approvo a arreraataco dos impostos desse mu- que se acha tambera laucada, a praga de Londres
cipio pela quantia mencionada no seu rilado offl- jvai para tres mezes.
de voto por parte delles
A rainha parece achar-se satsfela com lord
Palmerston que Ihe fez a ventado, protegendo a Al-
leiiiiuha com detrimento tiara a Dinamarca, e Mr.
Glid-tone que lao excellentes ri'sultados tera lira-
do para o ihesouro inglez da sua bberdade de cora-
mercio, merece lambem o apoio da soberana que
nis-.ii soguilla pela maioria da na^o : este hbil
ministro conseguio reduzr aqu o imposto sobre o
iucomc tax a 7 d por libra sterlina, apesar das im-
portantes reduccoes feitas por elle na paula das
alfandegas.
'el pro.luzio, sendo que pelo contra-
rio leve lugar ltimamente umi interrupeao dere-
laco-s entre o Per e o Equador, por haver osle
fallado a neutralidade na drsavenca existente en-
tre aquella repblica e a-IIcspanha.
A serte das armas parece pois dever ser o juiz
enlre a Be-panha e aquella sua antiga colonia, so-
brea qual o gabinete de Madrid quer anda excr-
ccr direitos, como disso prava o iitulu de com-
miuio com i|ue iii.iuJou a Luna o Sr. Mazar-
redo !
A noticias de N iva-York chegam al 8 do cr-
reme. O general Gran! uvera no dia 30 de selem-
hro ultimo um encontru com as forcas de La.* jun-
io de Ricnoiond, sera que todava conseguisse para
as armas federaos urna vantagem decisiva. As l-
nhas de ambo os exerntos se acham a distancia de
4 inilli is de Rieliinond, o a cada momento se eslie-
ra que os exeroiio bellignranles eiiirem n'uma
balalba geral antes que bajara de recolher-se a
quarleis de invern.
O general Sherman orcupava Allanta, se bem
que a sua posgo a seja precaria pela dilllulda-
de de com.nuuicago-s com as forcas federaos.
Xa balalba de 30 de St-tambru o exercito fivleral
pretende haver alcancado victoria t-ndo feito tres
rail prisioneiros alm de setereolos niortos os jor-
naes de Richmond porm nao confessam essa van
lagem, allegando que asposiges respectivas sao a>
mesmas.
O partido da paz coniinuava a fazer progresso
no norle.
Em taes circumstancias, pois, ple crer-se que
o partido liberal, presidido pelo ministro Palmers-
ton, est destinado a governar ainda por aiguin
tempo a Inglaterra, salvo caso extraordinario que
possa determinar urna mudanca qualquer na opi-
nio publica, a qual se conformara enlo o par
lamento e a rainha.
Existe entretanto na actual administrarlo um
homem qoe se tem tornado obnoxio a opinio pu-
blica, que contra elle se tem j levantado varias
vvzes, esse homem o conde Russell, que al uao
estimado por lord Pabnerston com quem tem es-
tado em algumas occases em desaecrdo. Sem
peosamento poltico fixo e an la menjs sensato, o
aclud ministro de estrangeiros tem levado a In
giaterra a representar um papel secundario, tor-
nando odiado no exterior o nome deste povj : suas
tergiversares tera sobretndo desgostado a parte
sena da naci, que tena preferido ver discutida
com franqueza pelo conde Russell a poltica que
elle tem seguido as qoestbos exteriores. E' prra
a cipalmente quanto ao modo de tratar essas ques
toes que lord Russell tem errado para com opu-
blico do seu paiz, resultando d'ani a impopulari-
zado em que cabio.
Presentemente acaba de enviar lord Clarendon
a Vienna para solicitar da Austria um desarma
ment parcial, obrigando-se a conseguir da Italia
ouiro tanto, e isto com o intuito de salvar o gover-
no italiano da crise financeira emque est por mo-
tivo dos armamentos que sustenta
Esta idea tom sido ridicularisada por impratlca-
vel, tanto mais que desde a guerra da Italia a lo
glaterra tera apenas representado o pueril par,ei
de um conselhelro desronceituado I Ninguer, 'es-
pera resultado algum da missSo .le lord Cnd.in'
a nao ser que por virimle disM o coadr, Russell
veuha a oahir em tnaior ck'scredito.
o sobre nos. Condomna-se
a liaba a ser rscrava, desmembrada ou doleal.
Seo governo maniera as clausulas da Conven-
ci, e>labelece o feudalismo ; Roma entregue por
espaco de d.os anuos a una lula feroz o sem re-
sultado ; a Italia algeraada e immovel em pre-
senca dessa lula : Aspromonte permanente-
mente.
Se o governo nao sustentar as clausulas da
conveneo a deshonra da naco italiana, a guer-
ra que a Franca nos ha de fazer para punir a vio-
lceo dos tratados livremento ronseniidos. E' o
perdimento de toda a conflanea da Europa a res-
peilo dos compromissos que a Italia possa contra-
lur no futuro
A caria de Mazzini eausou mpressao no partido
de aecao que se prepara por lodos os modos a rea-
gr conira o convenio.
A imprensa franceza publicou a carta de Mazzi-
ni com um argumento irrospondivel sobre o alcan-
ce da conveneo a favor do poder temporal, noto
tal conveneo assim considera la pelos homeus
mais exaltados do partido de aecao.
La Patrie assegura que a Russia e a Prussia se
mostrara favoraveis ao convenio, e que emprega-
ro conjunctamente o< seus esforcos neste seutido
junio do eovernaustraco.
O Constilucunul declara que o governo francez
nao tem a menor intenco de complicar a questo
romana, com a veneziana, nem de alear o fogo no
norte da pennsula, quando se esfurca para o ex-
linuuir no sol.
U governo italiano preparase entrelanlo para
que a transferencia da capital para Flurenca se
exeeulo dentro do prazo marcado. O governo vai
pedir as cunaras mu crdito para acudir as des-
pozas da transferencia, pois essa transferencia
obriga a mudar para Florenca triata a quarenta
in.l pe-sois, poif em lauto se calcula o numero de
empr. gados e das pessoas que os devem acompa-
nhar.
Florenca urna cidade peqaena, conla apenas
112 mil almas, mas o governo Habano quer alojar
os seus funrdonarlos e reparlices Uo oslado, sem
dar a trallenmela o carcter de urna medida revo-
Inconari.i a vilenla; tenciuna pois approvoiiar to-
dos os convenios, algumas igrejas, e o edificio do
c.illegio ra tar, cujos alumnos sero mandados pa-
ra outra cid ide.
O governo era consequencia da transferencia da
capital de Turra tencin d ir a esta cidade as se-
guintes eoinpensaces :os proprietarins licaro
ailivados era doze milhoes, a cidade em dez mi-
liies qoe constiluiain a sua anliga divida ; os ira-
po.-los tero urna diminuico de 700 mil francos
aunuaes durante um pr.izo ndetermlna'ln; a rida-
de alm disso gnsar de rertos privilegios commer-
ciaes que farioemn qne se torne urna especie de
culada livre do norte da Italia. Turin licara com
u na guaruicu de vfotH mil hwmens.
A li.i'a passa lambem por nina crise financeira
que tem causado grandes embaraces ao seu go-
verno.
Tera-se fallado em augmento de mposios, mas
i ereia-se que esta inediJa seja mal acoln.la. por
isso que o paiz se aeha j inoito sobrecarregado.
O ministro da fazenda Sella estuda as economas
possves. Hgurando entre ellas a suppresso da
verba destinada para a viagem de circumnavega-
cao que devia empieheuder o navio de guerra Ma-
genta.
O general La Marmora propSe o il-'sarmamento
em proporcoes rasoaveis, veniicando urna .lirni-
niiico de 180 mil homens no oxei cito, sendo a
maiioba tainbeo reduzi.la. Ji so eomecaram a dar
algumas baixas, mas essa raduerflo as liieiras do
exercilo, nao o enfr.qui'ce, por isso qaa os solda-
dos excusos do servieo ainda eiara dos que tiohara
felo parte do exercilo borbnico, e segundo de-
clarara os correspondentes erara um pessimo ele-
mento entre as tropas italianas ; alm disso os sol-
dados qu- tem til.) baixa, podem ser immediaia-
mente chamados s armas.
O governo itiliano cunee.leu nina amnista aos
implicad is nos acmtecimentos de Aspromonte.
A, esquadra italiana foi roduzda a urna s divi-
san.
Xao consta ainda que o santo padre ou o cardeal
DIARIO DE PER Temosa vista cartasejornias da Europa, trazi-
dos pelo vapor francez Nacnrre, com datas: de
llarnburgo 20, de Londres 23 e de Lisboa 28 do
passado.
A questo italiana contina a estar na lela,
e a servir de thema aos coinineiitarios dos homens
publicas do todos os estados da Europa ; cada uin
a avalia pelo prisma nimias vezes Ilusorio das
suas opimes; .pierem uas que o convenio de lo
de setembro tera um alcance mudo vantajoso para
a onida le italiana, querem outros que os ajustes
garanlom ao summo pontfice a posse pacfica dos
actuaos estados da groja.
O facto mais importante da ultima quinzena o
discurso proferido pelo marques de Pepoli em Mi
lo quando foi convidado a um banquete dado por
lodas as c.lasses da socedado.
Lamos o discurso e nelle encontramos assercoes Antonelli lenhara avancado por ora urna nica pa-
de inuito alcance talvez dividas ao enlhusiasino do Uvra a respeilo das >uas ratencoes neta conjunc-
momento, e que nio lero talvez a importancia tura, pareomdo pelo contrario que era nada se al-
que se Ihe lem querido altribnir. (erar o systema que o governo tem sempre se-
AfTinna o marquez de Pepoli, no sen discurso gilo,
que, naquella tratado nao ha o menor ataque aoj Dizem alguns correspondentes que o exercito-
programma nacional oque pelo contrario queiira, ponliiicio se ha de compor de doze mil homens,
os ullin is los da cadeia que unia a Franca aos sendo seis mil salii los dos ofuVia-s subalternos e
ininigos da Italia ; que toda a Italia viciara iiiuexi-' soldados do exercilo francez qoe qoizerem flear ao
vel e era amias pela integridade do territorio, nao j servieo do anto Padre, consentindo o govsrno
permttindo vergeohosas enssoos e conquistas es-1 francez nesses en/ajamenios, e os outr>s seis mil
trangeiras. Torminou o seu brinde bebendoain-1 sero recruiados na Polonia; duem que assim se
tegridade, indepenlencia, a mudada da naco a conseguir um exercito composto de bons soldados
ridade de Turin, b.-rco da rossurreico italiana que serio attrahid.K a pte errien, pelos sol los
Ele discurso cansou profon la impresso, pois vanlajosos que Ihes offerecero. Os Polacos e os
faz suppr que Pepoli, como um dos negociadores Praneates lento ihefos das sua* rosiieclivas na-
e signatari.* do tratado, interprete fiel das inten- coes, e o commando superior sera conftido ao ge-
coes oN) governo italiano, o que este prosa em fa- neral Laraoricire,see.te annuirque Ihe hade ser
zer de Roma a capital do reino italiano. j felo pelo governo pontificio. As potencias caiholi-
Assegura-se que o governo (ronces, pelo seu em-' cas concorrerio com as somm ts nacassortos para
baixador em Turin fizara constar ao governo la- as des.iezasd'aqnelle exercilo, pagando a I-Vano., a
liano o MBhlJmentn com que o gabinete imperial Austria e a Hespanha cada urna a qmrta parte,
roeeneva a noticia das panvras profer las naqnel- sendo a quarto parte restante dividida igualmente
'a banquete; e o j irual Li Frnnre assegura que pela Biviera e Portugal ; mis tud l<|o nao passa
se as declaracocs d governo italiano no parlamen- de eonjecluras phantotolas imr a.|uei|es que pre-
to ronllrmarera a interpretar.) dada pelo marquez tndem precipitar os acooleciraentos, imaginndoos
de Pepoli ao convenio de 15 de setembro, esse cou- no silencio o remanso dos seus irahlnates.
venio Bcarla de fact. annullado. I O tratado de paz entro a Dinamarca, a Aus-
Abrlu-se o parlamento italiano no da 24 de on- tria e a Prussia ia ser brevemente a-siunad ; 0
tuhrn. esse da era esperado com milito inieressc. gabinete dmamarqoet oooformou-sa finalmente
O relat rio do ministerio s cmaras declara que com as ideas dos gabinetes alliados ; na partilha
a conveneo linha sido urna necesMdade publica ; do activo da monarcliia tlxou-so a somma de iiov

MOTILADO


V

Diario de Peraaiafeneo ... Segunda re-Ira i t e novembro de nu.
milhoes, dos quaes so dev deduzir a parte que
porteni nos (turados ua divida do estado. A ulti
ma questao que se levanlou foi a dos direito- do
Sunda, que ^ram nm imposto especial, perteuceute
xrtusivamente cora dinamaniueza, por Uso que
prego, qne constituio uma prande sncir-dade serr-1 O brigue mmm Romu r me di l i mn ,
a. comram.ficacoos-m. Turqua da Europa, pira segt* ^.a^,;,-".irS!!dB^ar?r.mTm &.*^ *******************
ilu do aoligo imperio do Oriente. na sexta-feira pasada pela tar.lo na lainar.io, alim
A questao dos conventos entra era nova phase; de largar aqu o menor Casimiro Eduardo Cra-
quando poda julgarse terminada. (tinguy Jnior, o que effectivanwute se deu.
O pafiarchado conseguid do.scohrir os ttulos' Este menino, de idade de lo anuos natural da
que mostrara ..s dimites que tem aos bensdos con- referida provincia; e tendo-o o pai embarrado
por que o governo desclava ptV termo deintfl
hgenria que i \isiia entre os dous corpas.
No grao-dorado de Badn tun-se ex rulado o msiahelecimetito do ampo
grandes reformas, ape zar da upposigo que enron-
traram da parte da rraego adema. Entretanto
o Sunda uma dependenria do territorio dinamar- es.-as reformas, anda que importantes nao satisfa-
quez ; e o producto desses direitos s conec*ram a somos progressfc-laa narionaes.
figurar nos rendimenlos communs da monarebia, Os principos rhefes deste partido redigiram um
na
Ira
govern
importancia da ca'pitalisaeao desees direitos pelos v.gao de todas as .leigVs de quatro em quatro proposito o clero prego que j nao quer aereitar cedia o rapaz em ImAotarT
ducados. Houve e.nfim urna transarlo, entre a annos ; revisan da lei .sobre a msponsabilidade dos a indemnlsago ohencda. Os debates vo rero- Falur do s'S mao i
Dinamarca os alliados : os ducados, a cargo; dos ministros applicagao do jury ; -reforma radical mecar sobrest questao em que as exigencias do pleonasmo, StXSSAxlL!SS^J m
quaes firariam as despezas da puerra, e a part.lha do ensinu primario ; -senaraeo absoluta da es- clero sao anoiadas nein v*r da R..7n,.; L-n,.,^ ^m!,;..?". ....Ud_'-eiz W^JSJ?
da divida ('011111111111
accordo rom as duas grandes potencias allemaas, gatorio
rspezas da puerra, e a partidla do cnsino primario ; separago absoluta da es
com a Dinamarca, pedirn de cola da igtvja adopeo do ca.-aineuto civil obri-
aboligo da pena de mora ;retorna da
para se beneficiar o activo da monarebia, rujo en-
cargo Ibe perlenria rm parto e para seren com-
prehendiilos i a divisao do capital proveniente do
resgate dos direitos do Sunda ; os adiados demons-
traran (me aquel les fundos eram tao communs a
toda a monarebia, como os emprestimos que se ti-
nliam ve i lirado, e ijue eram pagos por meio dos
recursos geraes ; e que alm disso aquelle capital
apoiadas pelo povemo da Roumania. eseriplor portuguez para com um povo reiativa-
Lontinua em Con-tantinopla a crise commercial, mente bebidas. E'por certo repetir uma idea,
escasseaudo cada vez mais o numerario. sempre a mesina.que nao adanla um naaso as
organisacao militar tomando or basu a obrigacao Falleceu em Madrid oSr. D. Saturnino Col- providencias que se peden, a-rtial
,ao do lempo de servico : deron Collantes, estadista bem conhecido. *cm embargo, continuaremos commetter esse
A rom aina geral de crdito de Hespanha pleonasmo; pas sendo nos de urna pontualidade
suspendeu 17 os seus pagamentos em consequen- rigorosa na remes.-a dos Diarios
do s.rvir
garantas para a libeniede
dtreito de ssoriacao.
O partido liberal offereee o sen apoio
ao gowrno que iniciar eslas reformas.
O estajo da Russia causa serias preoecupa
roes ao nvenlo de S. IMersl.urgo. As noticias
da imprensa c para o
decidido
tado impuro e viciado do sangue.
Os que soffrem destas molestias podem oslar na
certeza que nao tem a menor pancula de Rubstan- ?.J ^f "0nl" dos Santos1Ev1anP'HS
fias mineraes, mercuriaes, ou outro qualquor ve- w?"?. n? mcer,''sa. d' luK3r.,,a, Ttf
Beo nesta medicina.
Ella inteirainente innecent, e pode ser toma-
da por pessoas no maior estado de fraqueza ou as
enancas mais delicadas sem lhes causar o menor
mal.
_E' preciso acaulelar-se contra as tres falsifica-
Coe3 e imitaeoes que existem, pedindo a legitima
salsa de Bristol preparada nicamente por Lauuian
& kemp.
venda em casa do Caors A Barbosa e J. da C.
Bravo & C.
\
nao provinha so do resgate ds direitos do -unda,, chegadas das fronteiras aniuuuiain certa agita^ao
as tamben) da navegado do Bider, origem de em todos os aumios, falla-.,! de uma conspiraco
rendimenlos especiaes dos ducados. | formada entre os polacos enrorporadus as tropas
O arrurdo a que se rlir-gon consiste em sati-fa-
ser a Binamarca urna somma redonda, destinada
a auxiliar os ducados no cumprimento das obriga-
$6es que Ibe foram impostas, e que salva, i elo me-
nos na apparencia o principio que a Binamarca es-
tabeleceu na conferencia.
cia da suspensao dos pagamentos da casa Guilhao 6t
Irmao, de Pars; o dimito desta companhia o
Sr. Guillion, tmlia nella 16 milhoes de reales, a
corre por mneguinte os inesmos nseos que os
outro* associados ; calcula so que o seu activo se
aproxime de 150 milboes de reales, e que expo-
210.
aos nossos assig-
nantes, frequentemente recebemos mclamaeoes
por nochegareui elles a seu ae-tino, como ora se 'dem do dia i2................ 9.3ilCi
da i.ara com o Sr. Dr. Julio Cacar Andreuii, d'
Alfaudega
Rendimcntodo dia 1 a II........ 281:717^686
Casias, no Marauhao, que
guintes palavras: Pela 2.'
se n >s dirige as se-
vez reclamo a remes-
Em virtude do qual despacho se proeedea a en-
quiriQAo de teslimuulia-, que deposeram sob sobre
respeilo da
residencia de
Antonio Bao, e sendo todo autuado e preparado
me vieran os autos conclusos, e por mim lidos,
nelles profer a sentenca do iheor segvinte :
Visto provar-se pelo depoimento das testemn-
nba< que o snpplicado Antonio Baoacba-se ausento
em lugar incerto, hei por justifica a sua aosencia,
o cscrivao passe carta de edtos com o praso de 30
dias, e pague o jOsUSnante as cu>tas.
Piinieiro districto da fmguezia d- Santo Anto-
nio, 2i de outubro 18ti.-Antonio Be. nardo Quin-
teiro.
-Nada mais se continha em dita sentenga dada
nos autos por bem da (pial se passou ao* justifi-
cantes o pros-nie edltal cun o praso de 30 dias,
pelo qual se chama e cu o ref.oido Antonio Bao,
para que denlro dos 30 compareca por si, ou
J procurador, para se preceder
na forma da peticaoa
281:23l8oO
-'-..... -. u^ ...o,..-, o ^uo r*i-io- a do Diario, de que sou assignante. Depois que
raudo moilo bons negocios, a perda para os depo- aqui chepoei, teoho recebido uma nica vez nina
sitantes nao seja muito prande moia duzia de folhas, devendo n.dar-lhe quo ou-
j de Hespanha, em vista tros asignamos esto queixo.-os pela m e inter-
Hoviinea(o da aSfandesa
russas aquartelada as provincias prximas"do
volga ; os potaros tem-se assoriado socios nossos
que perleni iam a nina sociclade secreta intitula- desta rrise foram convocados para augmentar o ca- rompida'd stribucao
i"nps Nihill.-tas. Estes absortados teem em vista pital orial em 7o milhoes de males. v-~-----
Volamos entrados com fazendas...
com gneros.
levar o incendio a todas as povoacoes das cidades
daqucllas
Em presenca oo lal reclamaco, dirigimo-nos ao
O marquez de Salamanca ..florecen, os seos ser- Sr. administrador do correio'do Marauhao para
Volurnes sanidos com
com
fazendas.,
gneros..
37C
163
120
303
------483
que a Austria hnba linsoccullos, |wis nao leudo in- 18, e estiveram em Leao no dia II. O imperador
teresse na qoestau material da conquista, desejava Napolei partiu no da 2(5 ao meio dia para Niza,
ver-?e em circunstancias de retirar a sua e>qua- onde ter uma conferencia com o imperador da
dra do mar do norte, para a empmgar no Mediier- Bttssia.
raneo, onde maion-s mteresses exigiam a presenta.
de urna marinlia do guerra.
Establecida a paz e terminadas as conferencias,
nada se resolveu sobre a soberana do novo es-
lado.
Os jornaes ministeriaes prussianos dizen que
apenas se assigne o contrato os adiados submelte-
rao Dieta uma proposta para fazer cessar a oceu-
paga feleral do HoMeim pelocor|io do execug.io ;
se a dieta annuir a e.-te convite, os Prussianos d-
carao senbores absolutos do lermno; os rebultados
da guerra e |irincipalmente a cessao dos ducado
feila pela Dinamarca a favor das ditas potencias,
parecen tem annullado os dimites anteriores.
A Austria e a Prus-ia considerar-se-hao legiti-
mas possuidoras dos ducados, incluiudo oHolsl-im,
que nao fui conquistado, puis j a Dinamarca o
abandonou sem opposicao autoridade federal.
As duas potencias adiadas haviam declarado na
onferencia de Londres, que eslavam encan rgadas
de pedir a separacao completa dos ducados de
Schle^wig o do Ilol>ieiin, no reino da Dinamarca.
e a sua reueiao em um s estado, sob a soberana
do principe d'Augusiemburgo.
O gabinete prusiano comejou a estabelecer as
suas rel;u;oes com este principe ; o duque aceitou
a escusa do servieo apreseniado pelos cnselnei-
ros Samwer e Praneke, cujas opinies liberaos nao
agradarin Prussia. As sympathias da Prussia
por este candidato nao serao, porm, a tiuilo gra-
tuito, pois a Prussia conseguio collucar ao lado do
duque d'Augusteinborpo homens dedicados ao
princi|iio do protectorado prussiano ns ducados, e
aleo lisso prepara as cousas para subjugar as
opinies nos ducados.
Continuam as manifeslacSes no Sclileswig-Hols-
tei n. Os delegados dus campos reuniram-se em
Pinneberj;, no HolMcim meridional e houveram as
seguiules resnucSes para expressarem os desejos
do pan : reconheeimento inmediato do duque de
Augustemburgo, e installaco de utn governn re-
gular; joslailaco do cdigoconstiluciunal de I8i8,
o revisao da constituicao pelo soberano con o r.uii-
curso da representa^ao Dacional ; estabelecimento
de rela^ot^ intimas com a Prussia por meio de po-
deres cousiiiucionaos ; admisso de delegados do
aiz as conferencias, para all advugarcm e de-
inderem os interesses linancciros dos ducados.
" A siloacao interna da Prussia nao melliora :
no estado actual das cousas, nein o governo nem a
op|K)sic;io tencionam modificar a sua reciprpca si-
tuarjo ; ha desinteliigencia entre os membrosdo
gatiii!.'!.'. pela necessida le de se sabir de urna si-
tuayo tao grave o irregular, que principalmente
devida amiga queslao militar. As,.egura-se que
o ministro da fasenda pedir a sua dernisso por
nao estar de accordo com o ministro da guerra a
respeiio da questao constitucional.
ipase a existencia de urna convenco secreta
em que a Prussia garante i Austria as sua- pro-
vincias nao allemSas.
A viaiiem de Mr. de Bismark Paris tem dado
muito que pensar, e todos Ibe attribuent fins poli-
ticos : alllrma-se que Mr. de Bismaik nao queren-
do aceitar a responsabilidade de se garantir
Au>tria as provincias nao allemaas, trata de en-
trar em negociaedes com o imperador Napoleao,
para que este Soberano C(invide de novo a Europa
para um euiigmsso geral, onde se estabeleca o
equilibrio europeu sobre novas bases. O impera
dor nao apreseututi anda resolucao alguma sobre
esto grave assumpto; entretanto assoveram al-
guns que o gabinete francez nao est disposto a
renovar a iniciativa da convocacao dos soberanos
eurupeus a um congresso, e oulms dzem que Na-
poleao nao abaudoua anda o seu projecto lavo-
xito.
Um lelegramma de Vienna declara nexarton
boato de que a Austria e a Prussia se oppunbamga
reuniao de um congresso europeu.
Entretanto parece que se preparan as cousas
para urna mudanca no ministerio francez, servin-
do de indicio da retirada de Mr. de Drouyn de
Lbuv- as transferencias diplomticas que ultim-
rseme se tem elfectuado. E' porm, muito proa-
vel que a niudanea |ior que actualmente passa a
Europa, modifique as opinies polticas dos diffe-
rentes gabiuetos, e que os homens de principios se
nao possam moidar a mudanga radical que se vai
operar, e preferireni abandonar os negocios p-
blicos.
A poltica austraca tambem parece mudar,
mas apezar de se annunciar urna crise ministerial
a saluda de Mr. de Rickberg, aflirmam os jor-
naes que este diplmala moldara a sua poltica s
novas ncressidades da siluaco, e nao abandonar
a gerencia dos negocios pblicos.
pavilh nacional
peruano.
A Hespanha pretende que o Per antes da rest-
tuc.ao das ilnas Chinchas di a salisfgao exigida :
pela sua parte o Per pretende que uma vez quo o
A viagem do imperador e imperatrz da Rusia j governo hespanhol desappmvou o procedimento
loi notificada oihnalmeiite corte das Tulherias. dos seus agentes, e recouheeeu a llegalidade da
A familia imperial francesa mnunciouao seu oceupagao, segundo o direuo internacional, a equi-
dade e o dircito exigiam que cessasse primeiro a
oceupago e se restituisse ao Per as ilhas que sao
sua propriedade incuntestavel.
Pelos ltimos teb'grammas consta que em con-
ruc!nla.,rna re')u,,l,i?a d" T. ntRar a ,iar.exP|i- Antonio Ribeiro Pacheco de Avila, dem.
nh'TL h ques,a P,'nd,'.nte evern. hesP" Francisco da Costa Ramos, idem.
nhol suspenden as suas relacoes diplomticas com 40 armo
aquella repblica. Antonio de Carvalho Serra, plenamente.
, ,l l u ?, ? n W" dlPloma,lieas enlre Ernesto Od.lon Maciel Monlero, smplesmente.
!nhor?-? ?* \ S P"rlu8'"'1zes reclamaram a MiUhias Nlines Bandeira de Mello, plenamente.
"rL rJno, ""Psra(,r do ce'BSle ,ra" Liif. da Silva Bastos idem.
Jefferson Mirabeau das Mercez Gordo, idem.
peno recusou.
O viseando da Praia
Grande de Macan quando
projecto de viagem a Compigne. O reaiment de
drages da imperatrz leve ordem de voltar para
Pars.
O re da Russia quando voltou para Berln
visitou o imperador da Rus>ia em Darmstadt, e o
czar na sua volta de Niza entrar em Berlin
O principe e a princesa da Prussia renunciaran
a sua viauem a Niza, e s rao Suissa.
Acha-se em Paris o conde de Flandm, fllho
segundo do re dos bel.-as.
I A rainha Victoria el em Balmarel com o
principe Alfredo, e princesa Helena, e o principe
Leopoldo. Contina a go-ar ptima saude" O
lidio dos pnneipes de Galle*, chegou de Dinamar-
ca a Ba'lmoral, aeompanhado pela condessa de
Grey ; a familia mal mgressan brevemente a
Windsor.
_0 conde de Ru-sell abri solemnente a exposi
gao de indusliia das classes operaras de North
London, na sala de agricultura do Istingtou, ha-! China,
vendo grande concurso. Lord Russell pronunciou O governo chnez recusa-se a ratificar esta con-
0 seu discurso de abertura no meio de novos ap- dic.io do tratado e esta a causa da desintelli-
plausos. gencia da China em Portugal.
Lord bladstone ministro da f.izenda empreen j o soberano do Japo nao sent a forga nc-
deu a sua visita ,uoual aos distnctos manufactn- cessaria para fazer respeitar pelos seus vassallos
reros de Lancashire. No seu primeiro discurso los tratados que concluio com as potencias eslran-
em Liverpool lord Gladstone, contra a expectativa geiras ; encontra poderosa opposigao da parte do '
peral nao tratou de forma alguma de poiitica in-! principe pate que tem us seus dominios o os-
; mas em B.lton mostrou a ne- imito de Simonu-Saki protegidos por fortalezas.
Manoel de Araujo Ges, idem.
Minarte Pereira Borges, reprovado.
Nicolao Rodrigues da Cunha Lima, plenamente.
Ricardo Jos Teixeira Jnior, simplesniente.
2 anuo.
Virgilio Augusto de Moraes, plenamente.
Julio Cesar de Mendonga Ucha, dem.
Antonio Pedro Fernara Lima, idem.
Francisco Jos de Souza, idem.
3 anno
Manoel Fernandes de Araujo- Jorge, plenamente.
Iguaco Jos de Oliveira Arruda. idem.
noveubro.
urias.
gneros
ra.
.ao.
iatcraia>
geraes de Pcrnaufibuco.
Rendimento do dia 2 a 11....... 8: 465299
dem do da 12................ 574343
aos termos de conciliario .,
lim de que rile nao fique Indefeso.
O porteiro desie juizo pubbcar esle nos kn>
res mais paMieos dente district.i, e afflxar pau-
sando iviiidao emforuia. Dado epassadoueste
primeiro distri,-t,> ,1a fiv-u^ia de Santo Antonio
lOacidadfl do Itecife do IVrnambuco aos 24 de ou-
] tubro de 18li.
40! E cu faqun da Silva Reg, escrivao
; crevi.
Antonio Bernardo Quinteiro.
Sobsorevi o assigno. Em fe de verdade
O esrriv-io
Jaqum da Silva Rege.
quo o es-
9:020642
Coasulado provincial
Rendimentododia I a II.
dem do dia 12........
17:273382S
2.7485690
20:0225518
? anno.
concluio um tratado com a China alcangou inserir jeS1,ino j05 Gomes, nleame'nle.
nell.' uma clausula, pela uual os soberanos chinas Fkmloo Licinio da Silva Soare
dem.
de pre-
o dia
Lalim.
Plenamente ..
Simplesmcnte.
Reprovado ___
i
9
1
12
Francez.
Plenamente...... i
Simplesniente___ 7
Reprovado....... i
Nesta situagao, resolveu o principe fazer fogo aos
navios estraiipeirus, abrindu assim por sua conla 12
as hostilidades cun a Europa. Os Inglezes reuni- Para opresidio de Fernando de Noronh. e^-
ram naquelias paraguas forgas navaes e tropas de pede amanhaa a companhia Pernambucana o seu
desembanjue para atacaren os fortes japonezes, e vapor Patbuuua, que deve partir ao meio dia.
e as esquadras combinadas da Franca, Inglaterra
e Hoponda ja parliram para o estreito de -iinono-
Saki com o intuito de >ubjugarein o principe Na-
gauque se declarou em rebelliao contra o Tai
cuun.
O governo marroquino mandou pag.->r pelos
rendimenlos da alfandega 12o mil francos,da u-
demnisagao (pie o governo francez linha recl nado
Rolachinha..
Caf.......
Cha........
Cerveja.....
A situagao interna da Austria na'o (ambem
llsongeira. Annuncia-se a prxima convocara
do reichsraih ou dieta geral da monarchia, ias
nesta assembla nao se acha representada uma
grande parte do imperio. Parece que o governo
nao encontrar grande opposigao no miehsrath ;
os membros deste curpo combaten a poltica aus-
traca, que, longe de acmpanhar as ideas da
poca, e de se harmonisar com as tendencias das
povos, mantm os principios tradicionaes.
Julga-se necessario uma reconciiiago ron a
Hungra, que se uo recusa a esta reconciiiago,
mas qoemgeitar sempre qualqner constitugao
que Ihe seja outhorcada pelo imperio, por isso que
qwr a sua autonoma completa.
Os jornaes de Vienna tornan a annonciar a
convocagao da dieta hunpara, mas parece que nao
ha esperanca desta reuniao mudar a face dos ne-
gocios. O governo austraco tein de fazer conres-
sao para conseguir omstabelecimenlo das relages
entre o imperio e a Hungra.
Falla-se da partida do imperador d'Austria para
a Hungra, pois deseja conhecer pessealmente s
neeessidades daquelle reino.
A dieta germnica celebrou a sua prmeira
sessao em que foi apresenlada urna proposta pro-
vocando urna censura aos commissarios federaes
por haverem concluido convengoes telegraphicas.
Este acto considerado como abuso do poder, esta-
becee a rivalidade da dieta contra a Austria e a
Prussia que foram as duas potencias que promo-
veiam a nepociagao daquellas convengoes.
Na Baviera e W'urtemberp houve mudanga de
gabinete provocado pela attitude que all tem to-
mado os partidos, em presenca da poltica adopta-
da a respeiti dos negocios, da Allemanha. Es|>e
ra-se no Hesse eleitoral igual crise. Tem all lo-
mado grande desenvolvimento, as rivalidades en-
tre o governo o a representagao nacional. E .-stado que ameaga seriamente o governo do grao-
por occasiao da ses-o da abertura, na qual de-
clarou que nenhuma razao exista para se sup-
Massas...
Passas___
Sabo....
Toucinho.
Vinhos.
Velas..
Descontos...
!e5-dSEJ^.^S.80^' "&W F5re- Frotes......... Para Liverpool, pelo algodo V
d. a 8 /o pelo vapor e V a Vi
por navio de vela.
cessidade do propresso incessaute, tanto aparte
folitica como sucial, mas por meius pacficos, pro-
movendo-se o desenvolvimento da e.ducago. De-
clarou que quera que o povo estivess-e sempre ao
fado do que faz e projecia o parlamento em seu
favor, o concluio com um pomposo elogio ira-
prensa livre. Lemurou que durante alguns annos
se clamara que a SUprressio do valle nos jornaes e
a aboligo do imposto sobre o papel admitiria a
pnblicacu de jornaes por prego inflan e que pro-
daziria orgus perlgosos que alimentassem as
mas paixes e tendessem a criar as rivalidades no
paiz. > Accresreutou que tao simstros recelos
eram desmentidos, que esses igaos da oplniio
publica vendidos por prego nfimo, nunca offende-
r.im os principios moraes, oein o mspeito pelo ca-
rador (icssoal, sempre foram fiis niissao qne
emprehenderaiii. e sempre ino>lraram a sua de-
dicagao a le, e a sua lesldade ao Himno.
Estas palavras prodiiziram sons.-.co.
Lord Staniby, membro do partido conservador,
apreseiilou-se aos eleilores ao seu dislricto. No
discurso proferido em Kmgo Linn tocou em todas
as questoes pendentes de poltica interna e exier-
11a. Disse (pie a Inglaterra devia manler a sua
neutralidade em todas as qsesldes externas ; e
evitando pronnnciar-se sobre as difllculdado que
pode encontrar a reforma eleitoral, que todava
deve estar no pensamenlo do par Moque aguarda
o momento favoravel para a solugao deste proble-
ma, declarou que nao era praticavel urna refor-
ma parcial, o que no estado actual das cousas nao
julpava possivel uma reforma radical.
O re da Grecia na mensapem que dirigi
cmara queixa-se da lentidao com que seguein as
discusses, o que havia desesperado o povo pm
po, em con;equeuria disto marcou c praso de um
mez para terminar acn tituigao ealei eleitoral :
em seguida ao (|ue a cmara recobrar a sua li-
berdade de aeco. O jiovo acolhen bem a raen-
stgem mal, reinando em Alhenas a maior tran-
quilidade.
A minora da cmara quera fogosamente de-
morar a dissolugao da assemWa, fizendo suspen-
der a discussao da lei fundaineutal para fazer
pausar primeiro uma serie de leis secundarias. A
mararia oppoz-se pronueciando-se pelo addiamento
desta proposta donde resutou uma sessao tumul-
tuosa, na qual nao s se profer rain injurias, mas
os deputados chegaram a vias de facto. Altri-
huem-se estes excessos aos partidarios bulgarislas.
Tem-se praticado alguns excessos, e ltimamente
se malloyrou uma tentativa de assassinato contra
o ministro do mino.
Lord John Russell annnnciando ao governo hel-
lenico o reconheeimento da Gr-8retanha declara
que a Inglaterra condemna todos os actos de anar-
chia seja qual fr a bandeira que os cubra, e ter-
mina duendo que se fr necos-iario uo duvida
entrar em accordo con os governos de Franga e
Russia para se adoptarem medidas f ffleazes aflu
de consolidar a ordem e a nova dynastia.
O Times desapprovando a lingnagem de lord
John Russell pronunciase pela adopgo de tima
poltica de nao intervengao, e pede (pie sedeixea
todas as nagoes Grecia assim como a Roma a
completa liberdade de regularem como Ihps con-
vier os negocios internos; isio tanto em relagao
intervengao armada como diplomtica.
Dize'r a uma nago estrangeira ; diz o Times :
isto legal, e isio faccioso, um procedimento
condemnavel, quer se adopte uma aegao coerciva,
quer se trate de um eonselho que fica desatten-
dido. >
Esta lingnagem do Times rescitou alguns grace-
jos da imprensa fram-eza, que mostrou ao jornal
ingles que os prinripaes fundamentos da sua sr-
gumeniago se produzam na poltica seguida pela
Inglaterra, uma questao dao-germnica.
O Morning Post recommenda aos Gmgosqne nao
confundan) a liberdade poltica com a lcenga de-
senfreada ; qae reprimam as paixes anarchicas
que ameacam arrastar o soberano e o povo a um
abysmo.
Os nltimos artigos da constitugao prega vota-
dos pela assembla comprehende a aboligo de po-
na de morte por crimes polticos, e a obrigacao
que o re tem de nomear um herdeiro ao throno,
com o consenlimento da cmara dos deputados, se'
porventura nao tiver descendencias.
Apmsentou-se tambem uma proposta para quo
fosee red pido nm decreto condemnando o ultimo
ministerio do re Othon, chamado o ministerio san-
guinario.
Foram apresentadas assembla nacional e ao
mi peliges das provincias pedindo a transferen-
cia da capital para Ceriutho. Esta idea bem re-
cebida em Alhenas.
O principe Joinville chegou Athenas com seu
irmao o duque de Aumale. Foram residir no ho-
tel de Inglaterra, onde o mi Jorge os foi visitar
aeompanhado por um ajudanie do campo.
r. rnoPaC0 "pnto de S. M. F. o Sr. D. Pedro V, coebrouvse no igualmenterum remedio certo para rhenma- afinVe'"^!)?"elaTsa
t^ts^^jsjs^^ssft fincarug,,ez d'esla cidade umamis-pr ^5+m^^~9* ^ ^^ sanio0; Sai^ttffai;
e affeccoes nevralpicas.debtlidade geral e nervosa rmenlo, espera receber inerce. Joaquim de Al-
nEPARTigAO DA POLICA :
Extracto das partes do dia 12 ae novembro de
1864.
Foram recolhidos casa de detengo no dia 11
do correle :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Fran-
cisco Feij de Mello, para recrula.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
de indemnisagao peloassassinalo de um frsnehtam Venancio Lniz Jos, tamben para recrula; Miguel,
Tetuao. I escravo de Domigns Martins, Anselmo, escravo do
O ,'overnador desta cidade Sidictchach foi preso Dr. Raphael, Antonio, escravo de um fulano Bar-
e substituido as suas funeges por Sidi-Beu Man- hnsa, Antonio, escravo de Manoel Jos Dantas,
sour caid de Medida. Leandro, escravo de Atina Tin-reza de Siqueira,
Os insurgentes da Costa em Tunes depois do Raymnndo, escravo do Dr. Maduro, JoSo, escravo
Icmm sido derrotados submetterain se. de Jnao Hatheos, Adriano, escravo de Jos Pedro
Diz a Patrie que o governo francez nao ten- d'Andrade, Monsueio, escravo de nm fulano Ter-
ciona ractilicar o tratado de lo dejullio ultimo tuliano, Trajano, escravo do Dr. A y res d'Alhnquer-
feit.) pelo Sr. Aubaiet cmn o imperador de Aunara que Gama, Jacintho, escravo de um Clorindo de
e (pie por agora s tura execogao o tratado de 18G2 tal, Estevao, escravo de Lniz Caetano Borges, Fir-
ao qual de futuro poderau ser felas alguinas moii- mino, escravo de Paulo Jos G unes, Luu, escravo
(icages reclamadas pelo imperador Tu-Dueem pro- de Manoel Felppe de Souza, Cyuriano, escravo de j Manteca
juizo dos interesses ua Franga. Felppe do Nascimento Farias, Manoel, escravo |
A snblevagao das tribus de Argel sao ponco da yiuva Matlas, todos por infrarcao de postaras;
satsfaciorias; a suldevagau das tribus, tem-se des- Bibiano da Silva, dispnsico do Illm. Sr. Dr.
envolvido, o loma inaiores proporges; os Indige- ''befe de polica; Joao, escravo de Raymnndo Jos
as parecem obedecer aochamamentodeumaguer- Monteiro, por briga, e Felisberto, escravo de Jos
ra santa. Flix Pereira, por embriaguez.
No dia 2 o coronel Jolivet, sustentou una luta A' ordem do de S. Jos, Domingos Jos Antonio
heroica contra um uumerosissimo corpa do exerci- Martins, por disturbios,
to rebelde. A' ordem do da lioa-Vista, Manoel Gregorio do
Os Arabos tiveram 400 morios, o os Francezcs Socorro Nogueira c Sabino Joao Chinaco da Cruz,
82 e 27 feudos, por erimentos ; Angelina Mara do Espirito Santo,
Varios esquadrcs de ca vallara regular perso- e Francisco Mana da Conceigo, por briga.
guem Sidi-Ben-Abdalah. O chefe da 2* secgo,
O duque de Mapenta marocha! Mac Mahon go- J. G. de Mesquita.
vernador geral de Argel parlicipou ao povejuo que Passageiros do patacho portuguez NovoLimai
nao obstante lerem-se as tribus rabes empenhado entrado do Porto :
na luta, fieava senhor da situagao, e que seriaui Manoel Martins do Moura, Antonio Joaquim
sumientes os esforgos pedidos. Fernandes, Jos Joaquim, Luiz Augusto, Ga-
0 iniiislerio da guerra lera mdobrado do activi- briel (exposto), Joao Antonio Ba cellar, Manoel S.
dade para mandar os ltimos ref >rgos promettidos Bacellar de Moraes, Joaquim Julio da Rocha,
ao duque de Magenta, para a expedigo de outubro PresOyJos de Pai va, Jos Pires, Hermeleu Go-
no iuterior do paiz.
Um corno federal avaoca sobre Richmond ra de Souza Vasconcellos, sua senhora" D. Mana
omquanto o general Mieridam continua a marchar Fernandes de Carvalho edous filhos menores, Ali-
na dirercao do rio James, deveudo achar-se ao tonio Teixeira, Joao era|ihico Teixeira. padre Jo-
mesmo lempo as immediages de Richmond que Marcelino Pereira da Cunha e Francisco Pires,
deste modo licara entre dous exercilos federaes. Passageiros do vapor francez Navarre, vindo
Para fazer face a estes perigos, o presidente fcf- da Europa :
lerson Davis chamou s armas todos os homens de Rossi, um irmao e um filho, Fontibus de Ver-
16 a "O auuos. Esta aititudo evidencia a situagao saldes e sua mulher, Harismendy Auiruste, J. V.
em que os separatistas se acham eollocados, de- Duarte Branlo, sua mull r e um filho, Heory
pois de uma lo Iduga e sanguiolenla campa- Burle, Lfisdotono Burle, conselheiro Joao Lins Can-
nha. sanso deSinimb, Hermann Niemayer, Beroar-
Este acto do governo do sul parece demonstrar dio Duprat, Blair Sylvain, J. da Silva Loyo Ju-
que est reduzido a ultima extremidado e que nior, Manoel Joao de Amirim, Joao Pereira. "
necessario, vencer ou morrer. Seguein desla provincia :
Continua entretanto a luta eleitoral. O general Francisco Jos Ferreira. 2 Irmaos. 3 escravos e
Fremont cedeu da sua eleico.
PRAgA DO RECUE
19 DE \!\ a;Hitllt F. ll.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio........Saccou-sr. sobre Londres a 27 >/j,
27 /. 27 e 26.'/.-, d. por 1,5000,
sobre Paris de 35o a 358 rs. por
fr., e sobre Lisboa a 9o por cen- j
to de premio, elevando-so os sa- i
ques elfi ciliados durante a se- '
mana 90,000.
Algodao........ Vendeu-se o de Pernambuco de
185 a 185600 por arroba, antes
da cllegada do vapor, porm
provavel que soffra alguma bai-
xa depois da chegada; e o da
Parahyba a 195400 a ultima
venda.
Assocar........ Vendeu-se de 15950 a 25050
por arroba, do bruto.
Agurdenlo.....Vendeu-se a 805000 a pipa.
Couros.........Os seceos salgados veuderatn-se
a 160 rs. por libra.
Arroz.......... O pilado da ludia vendeu-se
a 25600 por arroba, a o do Ma-
rauhao a 35.
Azeitedce..... Vendeu-se o de Lisboa a 2600
o galo.
Bacalho.......Vendeu-se em atacado a 155000
por barrica, a retadlo a 145500;
ficando em deposito 6,000 barri-
cas.
Vendeu-se a 45500 a barriqui-
nha.
dem de 75 a 85 a arroba,
dem de 15600 a 25300 a libra.
Vendeu-se de 55800 a 65000 a
duzia do garrafas.
Fariuha de trigo. A de Philadelpliia o New-York
retalhon-se a 205000 por barrica,
e a de Trieste a 235000 tirando
em deposito 400 barricas da pri-
meira, 400 da seguuda e 2,000
dalerceira.
Genebra........ Vendeu-se a 05300 a frasqueira.
Lotiga.......... A inglesa ordinaria vendeu-se
com 320 pur ceoto de premio
sobre a farlura.
A iigliza vendeu-se a 910 rs. a
libra, e a franceza de 620 a 640
rs.; (cando em depositu 800 bar-
ris de ambas.
Veiidcram-se a 65000 a caixa.
dem a 85000 a caixa.
0 amarello vendeu-se de 140
a 150 rs. libra, e o do Mediter-
rneo a 120 rs. a dita.
Vendeu-se o de Lisboa a 85300
a arroba.
Vinagre........O de Portugal vendeu-;e d 1005
a 1205 a pipa.
Os de Lisboa venderam-se a
2005000 a pipa, e os de outros
paites de 1605000 a 1855000 a
dita.
As de composiyao venderam-se
de 520 a 540 rs. o pacote de
seis velas.
O rebate de letras repulou de 10
a 12 por rento ao anno.
BLM?0ES.

0 eonselho administrativo para fornecimento do-
arsenal do puerra precisa comprar o seguinte :
Para os educandos artfices Ma cidade de Ma-
uos.
1 opherleid de d.
1 dito de sib.
1 clavicor em mib.
1 dito de sib.
2 pistos em sib.
2 trompas a pdoos.
2 Saxofurn.
2 clarinetes em sib.
4 triangulas.
2 llaulas em r, de cinco chaves.
6 pares de pede para bombo.
Para o arsenal de guerra.
2 lenges de ferro de 1/8 de prossura.
2 ditos de dito de 1/2 dito de dito.
20 quiutaes de ferro inplez em barra de 11/2
pullegada e 3/8 de grossura.
8 ditos de ferro redondo de. 3/8 de grossura.
8 ditos dito de 1/2 pollegadas.
1 dito dito de 2/8.
5 arrobas prego* fraucezes de 2 po Bogadas a *
e meia.
As pessoas que quizemm vender taes artigo
apresentem suas propostas em carta fechada na
secretaria do eonselho administrativo s 10 horas
do dia 14 do correte.
Sala das sessen do eonselho administrativo pa-
ra fornecimento do arsenal de guerra, 7 de no-
vembro de 1864.
Antonia Pedro de S Barreta.
Coronel presidente.
St'bustiao Jos B. Pyrrho.
Vogal secretario
Correio geral.
Pela administraeao do correio desta cidade se
faz publico (pie em virtud- da convenci postal
celebrada pelos governos brasileiro e frane z, se-
rao expedidas malas para a Europa no dia 15. do
corrento pelo vapor inglez Ommm. As cartas se-
rlo meehidas at 3 horas ames da qne fur marca-
da para a sabida do vapor, e os jornaes at- ho-
ras antes.
Administragao do correio de Pernambuco 12 de-
novembro de 1864.0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda, 'i
THE ATM

KM
BENEFICIO DAS llRTTES|DA POLOMA.
ierca-fMia, 18 do correte.
Fioda a execncao de uma bella ouverlora, subi-
r o panno e enntar-se-ha em prsenca da bandei-
ra brasileira o hymno nacional.
Em seguida v scena a bandeira polaca e
sera festejada cantndose o hymno desla nago-
Depois ter luaar a representagao do muito ap-
plaudido drama em cinco actos
.Vum dos intervallos
diversas varag-s
MOVIMENTO HO PORTO.
Navio entrado no dia 12.
Bordeaux e portos intermedios 17 dias, vapor
francez Navarre, de 1271 toneladas, comman-
dante H. Enout, equipagem 115, carga difieren-
tes gneros.
Navios saludos no mesmo dia.
Bo de Janeiroescuna nacional Carlota, captao
Antonio da Cruz Baptista ; em lastro.
o Sr. Beichert se prestar
de flauta, aeompanhado
piano pelo ^r. Smoltz.
A execugao do drama ser feita por algnns aca-
dmico?..
A concurrencia do povo pernambucano neste
festejo ser certa. A Polonia espera ; o Brasil des-
cansa.
Comegar s 8 horas.
N B.Os bilhetes que nao forem distribuuosa
vender-se-ho na ra do Atalho da Caixa d'Agid
n. 3.
AVISOS MARTIMOS.
A impmnsa americana nao de modo algum lhacar, Aupusto de Araujo Santos e un escravo
ho-til candidatura de Mac Clellan. Joaquim Sicoes Daltro, Antonio Jos Lopes Filho,
Em Portugal pur causa da recusa da confir- Jos Alves da Silva Pereira, Eduardo Thompson,
mago do bi-po de Maco (Feij) na parle da corte Joaquim Moreira da Silva, Antonio Joaquim de
de Boma, temase un desabordo cora a Santa s Senna Jnior, Antonio Silverio Barroso da Silva,
2 criados, Henriqne Moncalda, Guilherme de Lai-. Liverpoo barca inpleza Si-raphina, capitao E.
correudo
mmente
tambem boat
puldicados para
os de que os decretos ulti- Eduardo Augusto da Silva, Antonio Joaquim
ara a supnresso do varios Jnior, Jos Antonio Gomes, Joaqun lloge
Ribas
Lamb; carga algodo e outros gneros.
Drontheim-escuna hollandeza Cornelia, capitao
Tieusma, carpa couros e outros gneros.
Rio de Janeiro e Balda vapor francez Na.iarre,
commandante H. Enout.
Navio entrados no da 13.
convento de freirs, onde faltava o numero cano- Oliveira, Luiz Gumes Amado de Aguiar Filho.
togeno de Porto, 49 das patacho portuguez Novo Lima,
nico, encontrariam resistencia, e que esta resisten-
cia espiritual augmentara o desaccordo. O nosso
correspondente porm da-nos com reserva estas na-
ticias.
Prodnzira profunda scnsaglo a noticia da sas-
pen>ao de pagamentos da casa Suato e outros es-
tabeleomentos bancanos do Bo de Janeiro.
A chegada do marechal duque de Saldanha a Lis-
boa dava motivo a progno-ticos polticos a que to-.
davia parece faltarem solidos fun lamentos.
Fra publicado um contrato (dependente da ap-1
provago das conta) entre o governo e a casa Bai-
ley & Leelham, de Hull, para a navegagao entre l
Lisboa e frica occilentaL Acores e Algarve. Es-1
lava assignada a conces>o uo privilegio hypothe-,
cario a companhia geral de crdito hypotherario!
portuense. Fra retirada a appruvacao dos estatu-
tos da companhia geral de crditos e hypothecas.
Ti vera lugar a prmeira audiencia concedida por
el-mi ao enviado extraordinario e ministro pleni-
potenciario de sua magestade o imperador do M-
xico.
Movimento da casa de detengo do dia 11
de novembro de 1864:
Existiam....... 353 presos.
Entraram...... 28
Sahiram....... 13
A saber
Existem
368
s
Nacionaes..... 288
Mulheres...... 7
Estrangeiros... II
Escravos...... 34
Escravas...... 4 >
368
Alimentadas custa dos cofres provinciaes 143
de 171 toneladas, capitao Thoophilo Jos Soares
de Moura, eqnipagein 14, carga vinho o outros
gneros; a Amorim Irmaos.
Navio sahido no mesmo dia.
i Rie-Grande do Sul. Patacho nacional Relmpago,
capitao Luiz Antonio Rodrigues, carga sal.
Observago.
cnspendeu do lamarao para o Canal o brigue
portuguez Barros I, capitao Manoel de Oliveira
Barros, carga a mesraa que trouxe da Bahia.
EDITAES.
PERNAMBUCO/
REVISTA DIARIA.
O major Antonio Bernardo Quinteiro, cavalheiro
da imperial ordem da Rosa, e juiz de paz do 4o
anno do primeiro districto da fmguezia de San-
to Antonio da cidade do Becife de Pernambu-
co, etc.
Fago saber aos que o presente edital vimm, que
- i por parte de Tasso Irmaos me foi feita a petigo
sepnieto :
Tasso Irmaos querem fazer notificar Antonio
Bao, pura que em conclliacao ihes papcm a quan-
lia de 3075500, importe do, farinha de trigo que
Salsa de Bristol.
O grande ptiriflcador do sangue.
A nica preparagao original e genuina para a
! cura radical dos mais perigosos e confirmados ca- iiscompFoua din'nero; sob" pea de so "proce-
sos de escrophulas ou mal do rei, chapas antigs, der a revena na forma da |e e por que o supl-
lewensos, tumores, abeessos, ulceras e todas as eado se tenha ausentado para lugar incerto, re-
quahdades de erupgoes escabrosas e escrophnlosas querem V. S. dgnese admitti-lo a justificar a
c a iegilinia salsaparnlha de Bristol, preparada por ausencia, e, sendo quanto baste, o julpue p->r sen-
v a -'-- I>0 '* il do correnle, anniversarto do possa- Lanman Kemp. tenca mandando nassar rana ad,tii nnrifeiti
S&SJSJS^*!*^*" no W ga.* S^ M F. oSr. D. Pedro V.colebrou^e no E' igualmente'um remedio certo para rhenma- ffS"^^^ ^XL%
ion nospual jiortuguez desla cidade uma missa por tism >s,empigens, tinha,escorbuto, tumores branros ronciliagao : pede ao Illm. V mu de paz defe-
seu represso os principes tocaram em Corf. Folgomos
seT SS^ST^S^ST^ bo? ZStSC^VS^J^a V' t SSSS* **********; TTiff P *> o despacho seguinte- Como
na Ito. de Canda, altribu.do s predicas do 3S i d?qKK SgfoS. ^ **>, > *g2& nnico rcmed, cert0 para | ffi- 88538'SOB ^
i
O bngne escuna Graciosa, rao seguir em poneos
das ao Para, pode receber alpumas miudtzas
consignatario Antonio de Almeida Gomes, na ru
da Cruz n. 23, primeiro andar.
COMPANHIA BRASILEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E" esperado dos portos do norte
at o da 18 do cor rente o vapor
Apa, commandante Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do eosunie seguir, para
os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder conduiir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptoiiode
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para LisboaT"
Sahir com brevidade o patacho portuguez Ma-
na da Gloria, recebe carga frete e passageiros
traia-se com o seu consignatario E. R. Rabello ru
da Cadcia n. 55, escriptorio.
- Para o Rio de Janeiro segu com molla ore-
vidade o palhabote brasileiro Artkur, recebe car-
ga a frete : a tratar no e:criptorio do Amorim Ir-
maos, ra da Cruz n. 3.
Para o Porto.
O brigue portuguez nto, sabe com muita ore-
vidade por j ter a maior parte de seu rarrepa-
mento proo-pto, e para o resto que ainda falu tra-
ta-e com o consignatario Jo- Joaquim Lima Bai
rao, rna da Cruz n. 18.
Ac rcn'
tocando no Cear, segu o Mate Sobraleae com a
carga que tiver a bordo, no dia 16 do crreme
'v'l?r^ r fi".aSer-s' ,rata-S9 com Cawaoo
Cynag da C. M. 4 Irmao, no l,rgo do Corpo Sao-
,. **' Rlodeaanelro.
\ai sabir com brevhiade o brigue nacional San-
patina, de pnmeira classe; recebo-so carga e es-
cravos a frete : a tratar com Manoel Ignacio de
Oliveira e Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
MUTILADO
.
,?


Dlsrio de *ernamVtse -- eguifcd* tetra 14 d* Sovetubro de 1S4.
>-
GOMPANHIA PERNAMBUCANA
De
Mavegae rosteira a Yaaar.
Ma de Fernando de ftoreaha.
0 vaiior Perstnungo, eomman-
danle Ratis, segu uo da 15 do
convino ao meio da. Recebe
carga, enoommendas e passagei-
______, ros somente at 11 horas do dia
da sahida ; escriptorio no K irte do llano n. 1.
rara o Itio UeJnnetro
esperado em poucos dias o brigue nacional
Almirante, o qual j ti*m parto de sua carga enga-
jada ; para o resto que Ihe faltt e escravos a fre-
te, para os quaes tem excedentes commodos, trata- e bom de cabriole!.
se con) os seus consignatarios Antonio Luiz de OH- j
veira Azevedo & <".. no seu escriptorio roa da
Cruz n. 1.
~ .
^.LUeQn5 a?radar o Pretendentes, o balanco paPa djreccao di) Club PenumUCaBO
S^taaS^SS* V^T"!?. PrgWjuio Poreirada Costa Motta.
andar: o leila ter logar qninia-feira 17 do cor-
rete, as 10 horas d'atnanba no referido Pio-
gresso.
Para o.akm'i
tegue com muita brevilado o hiale Dous limaos :
a tratar cjm Tasso Ir raaos.
LEILSES.
lijmjLAo
DIS
Um cavallo.
QuiDta-feira 17 do corrente as M horas.no
armazn! da ra do Vigario o. iO.
OLYMPiO
vender no dia e lugar cima, um cavallo de sella
DE
Dr. Aprigio lustiniano da Silva Guimaraes.
> Jos Joaquim de Mjraes Sarment.
> Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Jos dos Anj >s Vieira do Anorta.
Alexaudrc de Souza Pereira do Carino.
Negociadlo Autonio Luiz dos Sautos.
Jos da Silva Loyo.
> Antonio de Mour Roliin.
Theodoro Christiansen.
Carlos Roeck.
> Jos de Azevedo Andrade.
Na praca da Independencia loja de livros do
Diario de Pcrnambuco, tem urna caria para o Sr.
acadmico Antonio Jos Lopes Filho. ^^^
DA F0B11M
AOS 61000,000
I slbete* garantidos
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costnme
O abano assignado vendeu nos seus mu tu feli
zes bilhetes garantidos da
de eurahir a beoelieio
os seguimos premios:
N. 1183 um meio com 10.0005000
N. 37o dous quartos com 3:000.3030
N. 1535 um inteiro 8005000
N. 2193 um meio com
iJtJ rill IJIS LUIAL iJ3 ^^ Aluga-se onf'sitfo na estrada da
/..,.,, iVoiii./il O^ RMMonleiro, proprio para pnssr a fesl
>sll<4( ij,>lt'iltj WWym"" I............ "ii mu i exoeilente ea-
P 1 i i eHBESHBsa coutendo nuas salas, um gabine-
i abrica do rape imperial. e, s qUart0S, COi '*, &
asa.isfaeo de par.icipar ao n'JS^^W***#* |'
ie se Cha estabelecido na ra !1*2?2 ,m',a d "gua dore, tanque para ba-
Isaac Esnaly tem a i
lotera "que se acabou respeitavel publico que se ach estabelecido na ra
da matriz de Go.aona, bVgd&Jfi vo,u fabrica de rap denominado D* !*T /^" ^,,a?aJ'V,m ^,e!r,is'),lue,r"
RAPE' IIIPEHIAL. cojo rap c fabricado igual ao "'dls "e lU ,P"de. ,ar*"Jas *> oiverss qoali-
rap de Lisboa, e inuilo nielhor por ser mais toni- os preteudentes acharan com quem tratar
roe muito mais agradavel e convencido o fabri- Da a do Imperador n. 71, primeiro odafc__
cante da su per ion da de do seu rap, pela expolien- Aluga-se urna casa terrea receniemeie edi-
cia de trirlla aonos que. iem dcste genero, o domis ficada, com duas salas espacosas, tres quartu*
j o certilicado junto para mais seguranea dos com- grande?, cozinha e quintal murado, m santo
Santo
easa
Trastes etc., etc., etc.
Qujnta-feira 17 d correle as 11
ras.
H.
sN
&
DE
que por nao |K)der seffrer os seus mos tratos, M
manhaa do mesmo dia satura do seu engonho Ca-!
jabuss, onde se achava com os mais escravos, e f
viera procurar a minha companhia. E como anda j
N. IO-aruiazem ra do Viario--N *0 esto arrendados ao dito Sr. Harbosa, que est se j
. ____, locuidetando dos seus serviros, previno ao mesmo;
OLIMPIO
em seu armazem, vender em leilao urna mobilia
4*(f000
E outras muitas sones de 1(W*, 40J e it.
Os possuidore> podem vir receler seus respec-1 pra.lures o fabricante ln-a respon>avel pelo bum Amaro, ua estrada de Oiiuda : a tratar ta
O aba.xo assignado avisa ao Sr. Manoel Barbosa, Uvos iM ^^ mmm is itis ai -
da >ilva, que o escravo Estevao, quo faz parte dos da Forluna fua do 23
que c,mo engenho Froscoml.m, Ihe foram Acham-se a venda os da primeira parto
n,m,nnnAa, S: moh !,'u SmS ?Tm"r!i lotoria a henftflcio rta i-'r*'Ja ma,ri* u I *<""?* "">;1 cnpornmenaa. porte d.ngir-se
^XSlZXmXJl S .til l;lUaM 1ue se trahir no dia 17 de novembro. f "bra Pr recos. toedeganhar crdito am todo o impero e tam- encontrara a nusma senl.ora. T
Rihnt- ,-i ,i,., itnnn "O l'ara chamar attenrao dos amantes da boa pi- .-----------------------.-------
: tada como lamben) dos exportadores deste genero | 'J Pedro Vogeley retira-so para a Europa
. tamo para o mato como para outras provincias, li- i lra,:"' do sua saude.________________
| mita siiientc o proco reducido de mil ris por li- ] Offorcce-so para ^ar ama urna reBfcora ! bra a relallio o em porcio de 10 libras a SKM) lts tugueza para o amigo de rasa de liometD soiteir
de Jacaranda, mesa elstica, cogollos, quadros re-
ligios, camas francazas, duzias de cadeiras e oulros
muitos artigos.
AVISOS DIBS0S.
loveis, livras, mappaseoatrasobjeetos
A saber :
I mobilia de amarello, 1 piano, 1 candelabro,
caslieaes e mangas, 2 relogios, 1 mesa para jamar,
i2 cadeiras, 2 espelhos, 2 camas de amarello, 2
ditas de ferro, 1 a^parell.o de louga para janlar, 1 I recisa-se de om distribuidor para .
dito para cha e outrosobjeclos de urna casa de fa- p>' Diario oat urna parte do bairr., da g
mua. Boa-Vista : na praca da Independencia os.
II volumes obras completas de Buffon, 8 dnos e H.
de geograpliia univer.~al, dicciouarios de Ruquetl ------'---------------------------------------------'!
Ufflet e fraucez, trata lo fl'arto militar, arte de :
manejar, manual do ai tillieiro, audictor brasileiro'
e muitas outras obras.
1 agulha de marear, 1 sextante, muitos e diver-
sos ma[ipas.
IIOJJE.
O agento Pinto antorisado pelo Sr. Francisco
Jos Fi-rreira, far leilao de tolos os objeclos ci-
ma mencionados |iertencenles ao seu finado
pai, cliefe do divisad Jos Mara Ferreira, e exis-
lentes oui casa de sua residencia ra do Brum n
72. primeira andar, onde se efectuar o leilao.
Aos 6:000-000.
Quinta-feira 7 do corrente mez, se ex-
traer a primeira parte da primeira lo-
que o pode mandar buscar. Recifo, 10 de novera-
bro de 1864.
Feliciano Joaqnim dos can(os.
Coenpa'nh'ia UdcTidaile de^j
segaros martimos e ter-1
restres esiabeleclda ao |
Rio de f aaelro.
AGENTES EUPEPNAMBUCO
Antonia Luiz de Oiiveira Azevedo & C, Hj
competentemente autorisados pela direc- S5
toria da companhia de segaros Fidelida- f
de, tomam seguros de navios, mercado- fil
rias e predios no seu escriptorio ra da &
Cruz n .1.
7000
Meios......... ;);i00
Quartos........ 1900
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 65j00
Meios......... AilO
Quartos........ 15700
Afano,-.'/ Martins Fiuza
. u em porco de 50 libras a 8j0 ris e em poroao sendo quo esta senhora aflianca a sua conducta -
' do 100 bbras a 800 ris e em porco do 1000 libras -
: com o descomo do cinco por cont ou a Ires mozos
iUeiici
Mills Latham A C. pede a quem por en-
gaiu) recebeu no dia 8 da correle, 30 pe-
leas chitas de largas que iam para os Srs.
i Francisco Pereira de llendonca c
, ra fazer o favor de declarar ; e se o porta-
dor dellas nao as entregou, quem poder dar
jalguma noticia certa ; os tnesnios estao
baowSaeUrenn,h56^atICa P'^ptos a dar unta gratificaco.
.do prazo tirina garantida assien o fabricante espera
a concurrencia dos senlioros compradores em re-
munerago da boa pitada examinada, approvada o
aMancad.
O fabricante franqneia as amostras (gral>) do
seu rap lano na laluira cuno tamboiu no nico
deposito ra Diieita n. 14 taberna.
quem a pretender dirjase a ra das Laraugiras
JONlnlielro.
Precisase de um porfolio cosinhclro no hotel
Trovador : na ra larga do (osario n. 44, pnga-so
bem.
Prensa-s de 800000 rcis ao premio de 2
! por rento ao mez, sol hypoHVca na quarta yarte
Brevemente apreseotar a venda publica outro do um sohiado de dous andares, que vallo C 0005.
rap fabricado igual ao quo so fabrica nesta e ain- Quem qnizor fazor este negocio dirija-so a ra da
da para mclbor, como tamboni : rap princeza,, fJinco-Pontas n. 72.
rap groso e moio-grosso, ludo a preflos mimo j
para mais animar os senbores ex-
portadores deste genero.
N. B. Nos dias desatibado a fabrica na i se Osabaixo assignados avisam nos srus ami-
abre. ; gos e froginv-o quo mudaram o .-eu oslab(leci-
ci:i(tific\do. i "H'iiio da Trmala para o restauran! do'corropio
Cerlillco que sobmetteado a exame a amostra na ra do Rosario estreita n. II, prlmeiro andar,
do rap deuominadn Imperial, que apresontuu a n<'e oncontraro bom sorveloom copos grandes a
esta reparlieao o r Isaac Ksiialy, fabncaute resi- 240 re., caf, serveja etc., etc., e charutos das me-
quei- i niais rednzidos
Josrt Lonrenco tompvos iarreTra, subdito
portuguez, relira se desta provincia.
taberna : na ra do
- Aluga-se urna casa em Apipucos, confronte a igroja, com duas salas, tres quartos e cuzinha; Aluga-se a principiar em Io de Janeiro prximo | dente na ra Imperial, casa u. 193, declarou o pe-: mores qualiades que ba no morcado.
tena (1IG') a beneficio da matriz de Itam- fora, o lugar e dos mais pitoresco, a casa est j u turo o sobrado de tres andares da ra do Crespo ril,) nomeadojiara esso Om, >r. Podro Maurer,'
l), no consistorio da isrreja de Nossa Se- limpa; aluga-se at o fim do marco do anno fue- n. 9 : quem pretender, dirija-se ao estabolecimen- 'H>e nao havia inconveniente algum om ser expes-
to da l.ja do mesmo sobrado, ou uo de n. 13 da l0 a venda, attenti a que nonbum permeio nuciso
mesma ra.
(tosas-]**; %s.
nhora do Rosario da freguezia de Santo 'urn: a T*Sf no luar rom *; J ,s JoAq'i!"
*._ i do Bogo Barros, e nesta praca na iravessa da ra
ni h ih h das Cruzes ns'10 ,6, co,n Marti"s & Lob-
devenlo ter principio as 10 horas'eni Talo do d''a LIS? ^,qUarl0S acam-se ,a Engommase a contento dos freguezes e" mais
supradiio. ;Tenda na respectiva thesourana ra do barato quo om ootra ipialquer parto : a tratar no
; Crespo n. 15. largo de S. Pedro n. 13
O
z^zzM
K.
eaiuse7 neias com aissasava-
i-iadas ifagua saldada
+. m i. mh
O agente Pestaa vender por conta e risco da
quem pertencer 40 caixas o 7 moias com massas
ranadas li'agna salgada tindas i\o Bio do Janei-
ro no vapor Apa, na .-ua ultima viagem a osle por-
to: segunla-loira 11 di) torrente pelas 10 horas
da m.mlia no armazem do Anuos.
^
lV
r^S
DO
premios de 6:00031000 at 40,3000; Desde o dia 9 do crreme auseutou-se da
sero pagos uma hora depois da extraccO Casa ri0 seu 'enhor, o escravo Martinho; quem o
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia ppg:,r leve" a rua *Nova "i9-
seguate depois da dislribuico das listas.
0 thesoureiro,
____Antonio Jos Rodrigues de Souza.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da rua do
Queimado para a rua das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
ua tUelberli. e i raa lan-armazera Progl'essista, aon-
cnaeumbie !de o acharao como sempre
O bacharel
compronv lia a saude.
' i ospectoria da sade publica, aos o de outubro |
Francisco Ansosto da Costa
0 l)i\ rruocisco Pires
m Porlella
n.
Tetvi-feira 15 de ti iveinbio s 11 horas
etn ponto, na porta da AssoeiacSo
Cominercial.
E. Booker.capitao do brigue escuna hambur-
gus Aileibrrt. far leilao rom autorisac.io do ins-
pector da alfande^a en presenta de um emproga-
do da mesma reparlieao para o lim nomeado, com
(asistencia do cnsul de Hamburgo, por.rutorven-
cao do ag-nte Pinto e por coala e risco de quom
pertencer do casco, maslros reaes, ancoras, pan*
os e maispertoncsdo referido bngue tal qual
se acha ancorado nesto porto, onde encalhou na
sua recente saluda para Liverpool e pelo que fui
MEDICO OPEBADOB
VELA
aFaeuldade de Faris
iM Pode ser procurado rua Nova
44, segundo andar.
mmmm mmm
Antonio Joaquim do
nosta cidado, e procurador fiscal aposentado da
thesouraria de fazenda, emprego que servio por
mais do 2 annos, contina a advogar em todos os
ramos do eiveJ e crirae : na rua do Imperador
n. 11.
ADVOCADO
Rua do Imperador numero 69.
i wmmm mmm mmm
Fesia
m I de 1864.
i?f*|, Dr. Ignacio Firmo Xavier,
jgg ^^ Inspector da sade publica.
O adviigadu Jos deGodoy Vasconretlos fc,
pode ser procurado na rua estreita do S
Bosario n. 3i, oas 10 s 3 horas da larde B
dosdjas uto
m 5
Trapiche da Gamboa
aII"iihIi; u!o por cada imperial tic 26
il." marco le \SiY,\.
Este fantigo e importante estabeloeimonto, um
dos mais bem montados desta corte, com vastissi-
do assurares e ou-
todas
ii i a nidn i eBno Aldea, da freguezia do Bio l-ormoso um tros gneros nacionaes ou estrangeiros todas cur-
Moiio, amigo aJ,v,gati(|uario le carga do mesmo engonho, o qual ladas por trilitos de Ierro assoalbadas o forradas
prompto a qualquer Jiora pa- y
ra o exercicio de sua pro-
fissfto, chamado por escripta
>'aradmiro om Olinila.
Aluga-se urna casa em Bebenbe : a tralai
com J. I. M. Bego, na rua do Trapiche n. 34.
Attenrao.
Olerore-se por venda urna padaria livre e de-
sembarazada rom todos os seus portoncos, romo
tolheiros, forno e mais utensilios sita na rua do
Mond: go n. 47, muito afroguezada, com grande
Os Srs. socios elfectivos do Club Pernam-
bucano sao COnviilad"S a se reunirem nos casa para familia, porlo separado, perto do. em- eiddo\lo Borifo riia do Il'ispieio n. 50 Colado
salos da sociedad,-ao meio dia de quarta- tum, grande quintal o todas as commodidades doflwife 26do. oatobro de lA.-Caetano Jo4
legalmento rondomnado, a.-s.m como urna lan.-ha W do correnle, aim de aprecia;em O pre-.isas; v.nde-ecom 2 escravos velhos ou sem da Uva Santiago.
eum boto do iiiesmo navio, os quies ebjectos se- relatoiio da directora.
rao vendidos ;is II horas do dia cima dito a por-
! Aluga se um pct|uono sitio visinho ao do Sr.
Joan Alvos Machado em Sant'Anna, fi>-a periodo
. Iianho, c o lugar has .intrnente saudawl: tra -
i fa-se na casado hanho da rua ila t'.ruz n. 17.
' Ao amauhiTor do dia 20 le outubro do cor.
' ronlc anuo de 1864, Birlaran) do cercado do en- mas rafias para artecadacao
do Bio Pormoso um
piario de carga
| race ponibo, grande, castrado, nao novo, tem no de inadeira com guinchas em todas ollas para ar-
ojbo osquerdo urna blido, e pnuco ou nada v rumacao o safamento do gneros, com uma ponto
pelo dito olbo, lein um callo velho no espinhaco, sobre o mar, de C00 palmos de esteasao, com op-
lugar em quo tovo urna bexiga, levou o topeto cor- tunos guindastes, um pessoal muiio pratico nesle
lado rento, carrega baixo, o tem esla-npauo no servioo, propoe-so a armazenar assiicar em caixas,
lado direito da anca o ferro do engonho om leitras feixes ou barricas polo tempo to seis mozos por
maiusculas como aqui so v A LD E A. Adver- 40 rs. em arroba o em saceos 30 rs.; as madenas
to-se que. os eavallos assim forrados, nao sao tro- do qualquer qualidadoqoe forem nollo depositadas
cados nem vendidos, e os que forem encontrado* pagarao pelos primeiros seis mozos o mesmo que
som ser servioo do mesmo engonho sao furia- actualmente pagam por tros metes nos demais lia-
dos, e deven) ser approhendidos ; poriant' ruga- piches c dos semestres qu^ se segnirem tero um
se s autoridades polieiaes, o mesmo qualquer abatimente do 20 por cont ; recebo por precos
pessoa ib) povo, que sendo encontrad is ditos ea- muito mdicos qualquer morcadoria compreliendi-
vallos sejam appi ehendidos o remollidos ao ailmi- da na stima tabella do regulameuto das allan-
nislrailer daquodo engonho ou ao abaixo a-signa-
dopropri-daiio do inesmoengenho, que reside na
;.i da A.s.suRiacao i ommorcia
0< iirotnaentos poderao desdi' j examinaron) i
referido uavio dii cunforinidadc com o inventario
existente em poder do agento euearregado do
leilao.
Os abaixo. assigitados tem autorisado nosta
data ao Sr. Jo;<5 Muniz de Almeida para, cobrar
de todos os seus devedores amigavelmente ou ju-
X
mesma. r. _---------;, -^j -i j i Kio de Janeiro, Ioo
ftuiin--------Segundo e ultimo dividendo---------xam
Fii\li\ll j J- K ller & C. administradores da ma>sa fallida i Contina ansiar fug
* ~* 'V s Igfc Martinho do Oiiveira B-irges auioiisados pelo nome Joaquina,'fula, ai
degas.
A'venda dos gneros nelle depositados, faz-se
rom as mesmas vautagens que offerecein os mais
IrapicliPS porque as i- indicos para qualquer parte
da cidado sao polo mesmo preco.
ltio de Janeiro, Iode outubro de I8G4.
diciaim-nte. H-iife
Guinutrios o Lima.
10 de novembro de 1864.
LElL&O
DE
Movis, e ehristaes e outros
objectos de gosto.
-Quarta-fe ra 1G do corrente s 10
e meia horas.
far leilao por cunta do uma pos^oa qun se relira
para o Bio Grande do Sui, do diversos oiij.otos de
fusta, movis, ch'isiaes.joias, trens de cosinha, lou-
^a,piano, machina de c-stura ote. ote. Os qnaes
>tai a i patente" ao exame dos compradores, no ar-
mazem a rua da Cadeia do Becife n. 48.
Caixeiro.
Procisa-se do um caixelro de 14 16 annos,
que leona ortica do taberna ; na rua da Madre de
Dos n. e d Mador a sua conducta.
ATTENQAO.
O abaixo assignado respondo ao Sr. Manoel Bar-
bosa da Silva, que comparndose o seu annuncio
estampado no Diario de Pernatnbuco de 12 do cor-
rente, com aquello em que o abaixo assignado o
convioou a mandar buscar o escravo Estevao, que
se acha em .seu poder, reconhece-se a distancia que O dono da antiga fabrica do charutos e ci-
lla entre a educaco de cada um, sondo que por garrs, sita na esquinada rua do Hurtas n I, ten
cerlo nao favoravel ao Sr. Mauocl Barbosa o re- dofeito redcelo nos oreos de suas merradorias,
suliado do tal comparaba.i. convida aos seus fregnezes a virem honrar seu es-
Poge o Sr. Manoel Barbosa, segundo diz, ao con- tabeleuimeoJo com devida proteccao de que carece
tacto impuro do abaixo assignado. porm deve lem- por se adiar com um variado sortimento do cigar-
brar-se quo nao parece assim acontecer desde que ros o charutos ti mis dos autores mais acreditados
r*a?o.
_0ida a oscrava crioula, de
de Oiiveira Birgos auloiisados pelo nomo Joaquina, fula, alta, muito ftllail.-ira. e mui-
Offercco.-se um honiora portuguez parapim. r. Dr. jaiz especial do eommorcio oagam o to conhecida nesacidade e na villa do cabo, pelas
criado grave, em qualquer casa particular *egnndo e ultimo dividendo aos respectivos ere- pessoas que freqoenlam a rasa de seo senlior.
ou para l'eitor destlu-! na rua da adeia do do2:_________________________________I. ***<, cao*eu^er.a ai onsiantemen.
Rioifa n < nrimoiro aiulir Aluga-se una ama quo saiba bom cozinhar e a sambas uo salgadinho, passea por lo la esta
KeClte n. -i, primeiro andar, /ln hn9 ,>,i^, r.r.,r,\lh^a ; de boa eondurla, preforindo-se escrava :
estreita do Bosario n. 32, prtineiro andar.
na rua
LEILAO
DE
Escravos de ambos os se-
xos com habeliddes e sem
ellas.
Quinta-l'eira i 7 do corrente s 11
horas.
Armazem a rua la Cadeia do Re-
cite n. 48.
U tS
Vender em b ilao uma escrava oe 20 a 2o an
S. S. toiido doixado de cumprir as obrigacocs que da Baha, ciebiuiiios fumo para os ditos, fumo om > JsJ^Tj aa Ih'i l>i*a .mliu.
la. fumo americano, dito dito om latas, e diver- I ai d HirCLl'H la O I.IUJ I Cl u.uu
fu
conlrahira para com o mosmo abaixo assignado, da
assim lugar a que o abaixo assignado procure apro- sos rticos para os fumantes, em quanto a quali-
ximar-so-lhe, alim de rasgur-lhe a mascara com quo dado e preyo garante-so nao prejudicar es fa
arleiramonto procura furlar-se ao eumprimento de guezes.
suas obrigacoos para com o abaixo assignado, a :'**ss :bwbb
I
"I
Domioge \;\ de novemhro de 18(>4.
Abrir-se-ha a nova eonfoiiaria de Coelbo c Frei-
las denominada dos Ananaz-s situada a rua da
Cruz n. 16, os donos deste novo estabetedMNo
tem a honra de annnnriar ao respeitavel pobUcv
que tem montado uma fabrica para poder satisfa-
ier todo qn fr cooremente ao mesmo etaliele-
cimento. pudendo satisfazer toda a encomniMCa
ao uso da capital, em cooseimeocia do socio H#ei-
las ler oxerrido o lugar principal em alguma^wi-
bricasdas principaes casas sendo uma a da casa
Carreller (desdo algum lempo do Sr. Joao (ios-
calves Guimaraes.)
Diariam -iso
liavor om sortimento do doces para cha.
Das 9 horas da manhaa em diante haver .uoa
sortimento de pastis frescos, piio-de-l, bapo>
ingiec.
Ter dias extraordinarios que haver omjlV
das grandes, podios de dv-rsas qnalidadea etc.
l'ara graude janiaa*es
Pecas montadas para centro de mesa sondo ^
amondoas, ditas de tmaras de ovos, ditas de raja-
mello o pao-do l, gatheaus a la du chze ricaraao-
le decorados, gatheaus do la reina.
I'asci de diversas qualidadtm
que s:-ria enfadonho especilicar a qualidade.
Prucias crjstabsadas.
Podios de marrasquino.
Bous lineados.
Doces de gema d'ovo de diversas qualidade?.
(]a smenlos.
Boles o baptisados.
Bandeij.is ricamente enfeitadas levando en( itea
anlogos ao mosmo lim. l'ara minio prepara-so
po-de-l enfeilados com disticos ou sera ellos sen-
do o de c-.mfi to rom asseio.
llavera gelea
do mao do vaeca.
Assucar refinado, sorveles, vinhos finos, licores,
xaropfs, refrigerantes, tanto licores como charopes
e doces.
Assucar candi, pastilhas e pasta dejujuba tanto
para fora como para a piafa, sendo pin/porro se
far no proco differeiiea con-idorave|.
Precisa-so de offlciaes
das Cruzes n. 37.
de cbaiuteiro na rua
tem sido por vezos encontrada) som que algoma
auloridado polioial, insiiocpir de quaiteiro, ronda,
soldado de polica, ou capitn de campo, quo com | O abaixo assignado, respond. n>lo ao ostrate"
a loituia dos annuncios, que conslanteroenle sao i pi<"o annuncio do Sr. Feliciano Joaquim dos Simios,
Albino Baptista da Rocha declara ao publico
que ii>sia data cassa a nreenraeS que no dia 10
do corrente passou ao Sr. Jtm<|Uim Praneisco de publicados nesle jornal, nao a tenham capturado I publicado no Mario do honiem, ihe declara que.
Albunuerqne Santiago, para naver ao sr. a. Hor ou ,ja,|0 |na Su-peia-se, e com fundameotn I com quanto faja o mais que pos Irand a quantia do que o aifnoiieanto so presuma
acciiminodaram' as
credor, e em cuja quosto so
parles por miorveiiyiio do Sr. J. B moofond, sem
oenhum trxbalhu do mosmo Se Sintiago.
Rcife, 12 de novembrnde IS6i
Albino Bdplta da Rorha.
quo ella esta om rompaoliia do criado Jacob, l
prla Capunga, titulo do forra ; ptiis oslo J.io.di
quando criado do Sr. P. Rafael do Mello Rogo, na
rua da Aurora, a linha seduzido para ir pata sua
companhia, e logo ipie deixou do ser criado do
nicsiiiu Sr. Mello R go, desappareceu tamben) a
escrava, quo grande falta tem Cello ao sei vico da
casa de sua senhora.
Piotesta-so desdo j proceder jodicialmenta ron-
tra quem a livor holllislada- R"ga-so por tanto as
caio e si'us socios lereffl.
Havondo a directora d'aquolla soei. dado, marca-
do o dia l(j do corrente ao meio dia p ira a reumao autoridades polieiae, eapos de campo ou ouira dupla ao abaixo assignado ; proCedimnilo esto qu
coiuacto impuro, v-so obrigado a di/er-io, quo
nula tem que ver com o i scravo K-levao, para
coja entrega deve dingir-so ao Sr. louunto. Antonia
Miri.i de Araujo, rendeiro du eugoubo Paccas, que
nao s depositario deste, como de lodos os
osera vos que ihe sao pt-rb nceles, iuelusive os da
nome Joao, o Germano, que ge acliam em seu po-
der a quasi dous aun s por ooiisen-o do mesmo
depositario, locupletando se, S S. dos seus servi-
o..s, e cobrando per ellos iuiiividamenle remla
u
DENTISTA DE PAR
19Rua Nova -i9
Fredenco Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as opera^oes de sua arte, e col-
loca denles arliliciaes, tudo com superio-
ridade e perfei^o, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos denuncio.
tros escravos que estai o patentes.
Nota mesma occasio vender um novilho to-
rio, bonita figura e manso.
LIMO
E
DE
s c r a v o s .
OiiBla-feira 17 dia.
No armazem da rua do Vigario n. 10.
vender m lei-ao diversos escravos com babeli-
dades esem ellas.
quom nao tem pago o que deve, nao obstante ser
a isto condciniiado pelos tnbunaes compelontes.
Quem procede como o r. Barbosa da ilva,
qur em rnlaco ao abaixo assignado, qnr em re-
laeao ao Sr. Ignacio America de Miranda, genro
do coronel Bernardo Jos da Cmara, qur fi-
nalmente platicando outras honrosas factmkat j
devidamente apreciadas pelos tribunaes do paiz,
por cerlo .|ue deve fugir ao contacto dos homens
honrados que nao respiram o mesmo ar impuro,
que aquellos que ja tem seu torno na casa de de-
tenciio.
Quanto ao mais sabe o Sr. Manoel Barbosa que ----------
se o escravo Joao existe em poder do abaixo as- fl f TF N I A l
signado por consenso do depositario o Sr. Anto-! Hl l LliyHU,
nio Maria do Araujo, que, em nada se parecendo' Tondo a directora do Club Pernambucano mar
I com o sr. Manoel Rarbosa, exprossamenle recom- eadoo da 16 do correte ao meio da para a reu-
" | mendou ao abaixo assignado que tratasse do es- nio da assombla goral, afim de elegor-se a nova
todo o caso o directora para o anno vindouro, e como a hora
se porven- marcada soja inconveniente para a inaior parto
tambem re- dos socios, que sao empregados publicse empre-
__, sendo con- gados no cuiimercio, pedimos mesma directora
vidado a tomar coota do escravo Germano, o nao a transferencia da reunio para a noute do mesmo
quer fazor, allegando ser fujao dito escravo. i dia. Algans sociosL_____________________
Nao se afflija o Sr. Manoel Btrbosa, pensando j Aluga-se a casada rua Imperial n. 9 : a tra-
que o abano assignado Ihe cobrara das de serv- ,ar na rua do Oueimado n. 32, loja._____
eos dos escravos em questo dasite que vieram ao ,:-rrr.-,:. a. i______...
seu poder: semelhaute procedtaie.il., somonte < ~ Prec.sa.se de nm menino de 13 anno^para
proprio daquelta que allegando acharem-so d|.OM- ca,xe,ru J" um del)0:ilto no becce do C"W
lados os escravos pertenci-ntes ao abaixo assignado numero 1.______________________________
todava esta lneupletando-se de seus sorvicos, o que j Pjiagaio IH^Illo,
plenamente esta provado at com doclaraces do! x/non do primeiro andar do sobrado n. 10 da
proprio depositario Antonio Mara de Araujo, nao uavaatt da rua das Cruzes, no sabbado 12 do cor-
ot.stanie ter S. s. produzdo testemtinhas que per- rente, um papagaio contrafoito, falla poico, mas
jurando, depozeram o contrario, Inca arfa que bonit levou no p um podaeo do corrente de
sera em breve devidamente apreciada pelos tribu- ferTrt: qm 0 pegoa querendo restliii-lo, dar
da asscmtda gor.il, que deve eleger a nova direc- qualquer pessoa, quo empregnem es meios coro-
loria, e nao leudo tal vez allantlo iocouveoieo- ptenles para dar noticia da referida escrava, ou
cia d'essa hora para a grande m liona dos socios, mandar leva-la a casa de son soiihorPalacete da
lembiainos nn-suia duei loiia a >ouveuienea da rua da Aurora, do visconde da lloa-Vi.-ta.
mudauca de hora jura a nouto do mesmo da;
a lim de' quem o liqui muitos socios privados de
t-Jiuar parle Oessa reuoiao.
Ututos dos socios prvalos.
DO
Armazem Progresso
DO
K,ar0 da Pcnln u. IO.
Quiuli'ffira 17 do con rute
A's 10 Imras d'amanha.
Francisco Fernandos Duarte far leilao por in-
tervenc do agesto IVstana, do-gen. ros, arma-
-jao e uteaeiiios existentes no dito armazem em
uso ou mais Jotes, vontade dos preiendontes. As
proporces dto estafcelorimoiit tem olferecido, e
olToreuer graBes,vaiiUigons a lodos seus pou-
dores, pnncipalmealo boje que osla mudo acredi-
tado e areguesado, evitando assim s despezas de
aaooncius que neerssaiiamente se tinham de fazor
irao tornar u-qae. | o mais qu tudo a boa|
i^w.i^wiyh0 hornera aada se move.
naes, os qnaes decidirlo quom o desalmado que
procura lncupletar-se a custa dos suores alhPios.
Continu o Sr. Barbosa na sua missao do insul-
tarme, cerlo de que jamis Ihe darei respo.-ta al-
' guma, deixando suas dialribes eulregues ao des-
prezo que nierecem.
Recite, 12 do novembro do 186i.
Feliciano Joaquim dos Santos.
mn -****mm
O abaixo assignado retiran lo-se lioje t o Rio de Janeiro, levando em sua compa-
nhia suas duas irmaas, ped desculpa de
nao ter ido possoabneiito agradedocer a to-
das s possas que tomaram parte em sua
dor pelo fallecimenlo de seu pre-ado pao o i
capiio do porto oavdj de divUoJus ua- |
ria Ferreira, e aprevoita a occasio para of
ferecer os seas limitados prestimos na |
corte.
Francisco Jos Ferreira.
R"cifo, 12 de n ivHmbm do ISo't.
parte na Otosnu casa, ou na taberna da esquma
da mesma traversa n. 10, que ser gratificado.
Na roa da Cnneeieo n. 47 precisa-so de uma
ama para pequea familia. _____
Manoel Jos Pires, subdito portuguez, retira-
se para fora da provincia. ______

Antonio dos Santos Boatos, cidado portu-
guez, retira-se para o Rio de Janeiro. ^^^^^
D. Mara Toixeiri Franco Fialho, viuva de
Francisco Ferreira Fialho, faz publico que est
procedendo a inventario dos bens do sou casal,
pelo juizo de orphos desta cidado, escrivo BriU),
tondo feito absteneo da meiacao que Ihe deveria
caber ; asim, se errdores e intoressados do espo-
lio houverem, a lies espocialineate avisa, para
que cuidem de seus dircitos.
Useravos.
Precisase alogar um cozi heiro o um criado
que sejam escravos : na rua da Cadeia n. 2, ter-
oeiro and ,r.
Precisa-se de urna ama paia comprar, cozi-
nhar e engommar, para uma casa de pequea fa-
milia : na rua da Trompo n. 2.
Para jursia iver dividas a cobrar
i Um solicitador bastante c-mhecido, tendo de
! pa> tir no vapor costero para Mossor.e daiu para
i a eidade da mperatriz e Pahu do dentro, da pro-
vincia do Rio Grande do Norte, donde voltar em
s caberla bem a um nomein, que tivesse cara d*
po.
Recite, 11 de novembro de 1861.
Manoil Barbosa da Si/mi.
Procisa-se do um caixoiro que j leona al-
guma pratica de botica, e que soja de boa uomlnc-
a ; a fallar na rua larga do i: isario, botica n. i.
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras do ouro, prala e pedras
fins de Janeiro prximo, antes de se abrirem os preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert.
Preclsa-se alugar urna escrava 'que saiha co-
ziuhar, engommar e vender na rua, sendo* de boa
conducta, paga-so bem : na rua das Cruzes n. 36,
primeiro andar.
tribunaes, so ofterecea promover cobranzas do di-
, vidas, mojianle algum inleressp, nao .- all, como
nos lugares adjacentes, quo nao dislem laquelles
pontos mais do que cinco a oto leguas. Masantes
de sua viagem, tem de estar por algnns dias.era
;Goianna : quem pois se qnizi-r aprovoitar do on-,
1 soin, podor procralo no escriptorio dos Srs. r. Precisa-se de tima ama que saiba cozmhar e
cha Lima & Guimaraes, na rua da Cadeia do Re-! h* t"do "^WS ,ut,'rno (le ?" de Puuea faBU-
cife, cu na Inja de fazeudas da rua do Cabug do ha ; na rua da Concordia n. 38._____________
Sr. Antonio Francisco dosSanlos.successor de Mar- j Ama de ieitte.
tins 1 Santos.__________________________ Ha nrnapara a|gar na rua la Cruz n. 33 (Re-
Aluga-se no Monleiro para se passar a festa j eite), de bom precedraenlo, moca e sadia.
a primeira casa da esquina do nascento, muito
Albino Baptista da Rocha, relojopiro e donrador fresca, da rua do Xisto, com commodo para gran-
na praija da Independencia n. 12, faz qualquer do familia : os prelondoutes pode se dirigir aos
conc rio de rolojios, ou domado por preco mais Srs. Andrade i\ Reg ou mesmo no Monleiro que
bardo do que otiiro qualquer, e responsahilisa-se achara com quem tratar.
pelo sou trabalbo, e espera proteccao dos >eus com-
patriotas,
Precisa-so na rua do Vigario n. 27, segundo andar._______
Na tarde do da 10 do corrente, no logar Ca Auga"n>se duas casas novas muito frescas
punga, polas 2 horas da tardo, mandou o abaixo cm Um dos meihres lugares da Capumra: a tra-
assiunado um sou oscravmho pardo, com idade de tar uo palC d| malriz rte Sanl0 Antonio n. 8.
8 a 9 anuos, de nome Cnristiano, procurar um ou-
tro escravo qne costana ftwir, na persnasio de
que o encontrasso por alguma taberna Nao vol-
tando mais o referido e*rravinho Christiano, e nao
sendo acostuma lo a fugir, nenlium juizo provavel
pode fazor o abaixo assignado, so est fgido jun-
ta bouto com o outro, de nome Lucas o e-tattira
| ALUGA-SE
orna casa terrea na rua da Gloria n. .*2
no Bwife rua da Mueda armazem n. 9.
~Ol)Tlhe.ie
a tratar i
Secretaria da miedade Reereativa
i orviaiitina.
De ordem do Illm. r. Dr. presidente, convido a
todos os Srs. socios para que no da 17 do andante
hajam de comparecer na casa das respectivas sos-
es pelas 7 horas da noito para o lim de prece-
derse a etoicSo do director do mez, bem como
tratar-se da discusso dos estatutos que tem de re-
ger a mesma socwdade.
O Io socroiario,
Faustino Jo- da Fonseca.
. Alqga-se um mualo moc.o para todo servicp
de rasa tanto interno como externo, muito liol c
,0 '' diligente, adverte-se que tambera serve para al-
2,948 da 115"-lotera beneficio da matriz de Nossa ; gum e Senhora do Rosario de Goyanna, pertencm ao'
biixa, ou roubado : em quaiqu-sr das hypothoses Sr. major Jos Martins Ferreira, morador em Ma-:
pedo-se s autoridades policiaes, assim como a cao do Ass, e licam em poder do abaixo asjjg-
qualquer particular a captura dos referidos escra- nado.
vos, ea entregar na Capunga velha, casa de Gui-
Iherme Ferreira Pinto.
A mesa regedorada irmandade de Santa Ce-
cilla erecta n* 'greja d" N. S. do Livramonio, con
vida a todos os seus ini- para a elogio da nova
mesa ipio tem do roger e-U irniuviado no aun i
do 1864 l8tio para o dia 15 do correuto, as 10
Recife, 11 d enovembro de 1864.
Dr. F Precisa-se de uma ama forra ou cativa que
saiba cosinhar o diario de nuia casa de pouca fa-
milia : na rua do Brum n. 84. ________
A pessoa que annunciou querer corapar uma
bomba do regar capim, queira dirigirse a esta
horas ita inanha. Escrivo uterino, Hyppolito Jo- ivpographia. ______________^__^__
s de Lima.________________________------| A ppsSl,a qUe' annunciou um mulato para
Na loja do chapeos da na Di relia n. 61 pre- aiUgar, para o servio interno e externo de casa1
L'ma boa casa terrea para familia
est por tingarse A rua da Umao n.
39 : quem pretender dirjase rua
da Aurora n. 10. Tambem alugam-
seas lojas n. 44, rua da Aurora.
C'r'ado e escravo.
Na roa do Hospicio, sitio n. 8, casa torrea coro
1 portan demadera, precisase do um criado do hon*
' costumos ; e tambem se compra um escravo do 12
annos jaca cima, que nao leiiba vicios pem.acba-
q*- ___________^__________
hu Jim a asar.
Aluga-se a casa no higar de Sant'Anna, com
casa da
Trapiche
Alimm so o------- tercoiTcTandaros la ri*a"i rto u,n '".....no ,le l a ,3 *ano*'(]w V'' de temilia, fi-le manda-lo rua larga do Rosario eomm.Klos para grande familia tondo a mesma si-
2 ?h13! n 8 flnur i r a/o ra aprender ooiriio o que d fiador a sua conduc ..8{l ,, 'mt ou docUrar a inoradla jara sor I com arvoredosj napa da Cruz n. 4.______
che n. 34. i ta, prefero se nacional. procurado.________________________ (ompanliia (lo siluros oiaritl.
bom assim a garanta da chavo |
arrendainenlo, e da maneira que aprouvor; lodos
.-< gneros existeirtos sao d- primeira qualidade,
o causando por tanto translorno algum aopro-
prieurio ficar com parte, ou toda porco do gene-
0 -r. relojoero Caetano Miroira Fontes, queira
T1NTUKAR1A.
Tinge-se com perfetco para qualquer
enttegar o meu relojio de ouro para algiheira, que I ._ B mn k., rWJ;Ai. Hn
ha mais de um anuo o receben para limpa lo. ; >r, e O ma.8 barato posivel. ta rua dO
Marcelino Jos Lopes. Rangel n. segundo andar.
Anga-se um preto escravo, ptimo rnzinhei- tratar i-om T. de Aqum
i, e para todo o ser vico : a tratar no caes do Ra- do Vigarb n 83, pninei
ro,
mos n. 4.
Fonseca
inoiro andar.
Jnior, na rua
Na rua da Cadeia n. oo, primeiro andar pre-
- A Dossoa aTdesea fallar com Francisco cl-a-so alngar uma escrava que engomme e te-
Martins Gomes, dirijan a na Velha n. 33. i nha sigan geito para tratar do criancas.
aos Utllldade Pnbllca.
A directaconvhla aos Srs. accionista- para se
reunirem em assombla geral no escriptorio desta
comsanhia, no dia tS do corrente ao nv-i> diarero
confu midtde da primeira parle doart. 41 dos es-
Ututos. Recite, 10 de novembro de 4864.
Os directores,
Feliciano Jos Gomes.
Domingos Rodrigues de Aodrade.

.


.-jfS
orarlo tfc
*< Segunda eira 14 de Vovembru de 1S4.
PILULAS CATHARTICAS M WHL i
Estas pilulas vegetaes s3o a-
mvuvZ ndlSJLT8 ^ U-m u '" r.res-
purgante as fomihas, pois sao po, defront da l..ja do Sr. Andrade. nm cavallo
perfellamente innocentes, C em russo pedrez, rabila liem feila, tendo o p esquer-
quanio milhares de pessoas con- *'e a m5 br*n,a< e WnAo i' detraz lascado.
fessam com gralidao tme foram l^rn<,an',nh"u;?e nrangalhado, promino, tal
curi turdaas por ellas de molestias 4a sera bem recompensado, na rua do Queiuiado
severas e perigosas;nao ha nj?-___________________________^^
um SO caso em que haja SU*pe-1 Preciase Safar un preta que saiba co-
tas do mais leve resultado iiijii- Binhitr e engoramar : na rua da Pato, taberna
n l
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestados que temos de curas
nolaveis feitas ltimamente.
Ura caso notavel de
AHeceio chrouira do ligado.
Illm. Sr.
Juiz de Fura, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo lirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais d doze anuos en-
femidades do figado e bago, com o uso
das pilulas posso loe assejmrar que estou
boin, po:s ten io desapparecido um grande
engorKitamento que solTria, muitas dores
sobre a retf.So do ligado e costas, dores de
cabeca, inchacao do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posico para ter socegn, ho-
ja me acho livre d'esse padecimento ; como
por aqui anda as nao haja, eu como tenho
este proprio que de casa, Ihe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle Ihe sa-
tisfar, assim bem como do champe de
cereja, que tive occasin de experimentar;
em um ataque de guellas que leve urna
preta que com elle curei, fago uso d'elles
as tosses em minha familia semprc em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns fr;>squinhos, e mesm as pi-
lulas pode montar a doze, "porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, todas teem tirado grande
resultado; sou
De V. S. atiento obligado,
Francisco Ferreira Paes.
libe lunatismo e ataques bemorrboidaes.
Illm. Sr.
Ouro-Preto, 30 de marco de 180 i.
Posso certificar-Ule que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excelentes, pois
que solrendo eu dorfs pelo coipo, e que
suppunlia ser rlieumatismo, (molestia esta
queja havia soffrido ha anuos) e sofriendo
tambem de ataques liemorrltoidaes, e de
um ouvido, pois que al j pouco ouvia, e
acompaiihado de urna dr no queixo, con-
sultei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fa/.er uso da salsa ; porm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
coiuprei em sua casa um vidrinlio das mes-
mas pimas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo coi po; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques, bemorrhoi-
daes : poriauto sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado;
isto em abono da verdude. Sou
De V. S.
Amigo ceilo, venerador e obrigado,
O bi igadeiro
JoAo HoniuG es Kku de Cakvai.iio.
u. 41.
Aluga-se nm sitio n. 5 nos Remedios defron-
te da igreja, com grande casa e cocheira : a traUr
na rua da Cajeta n. 4.
Aluga-se o segundo, terceiro e quarto andar
da casa da rua da Cadeia n. 4: a tratar no arma-
zem do mesmo.
PRECISASE
De urna preta que saiba comprar, cosinhar e
engommar para urna casa de pequea familia.e
paga se bem : a ti alar na rua da Cadeia do Re-
cife n. 19, primeiro andar.
Aluga-se um terceiro andar da casa n. 48
na rua do Trapiche : a tratar no armazem da
niesma
AO PUBLICO
Hcm o menor constran-
-Iment se entregar o
Imparte do genero que
ao agradar.
TTENQO
Os preces da seguate
tabella 6 para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de tontas
com os portadores.
Precisa-se de um forneiro bom : na pada-1
ra em Sauto Amaro, atrs da fundicaa do Sr.
Starr.______
Precisa-
ra interno e externo
lia : em Fra de Portas, rua dos
26, sobrado.
Precisa-se de
padaria n. 69.
t-adnria.
um amassador : na rua Direila,
RIVAL SEM SEGUNDO
Rua do (Jueimado us. 49 e 55, toja de miudezas
| de Jos de Azevedo Maia & C, esta continuando a
vendar muiu barato, pois seu genio dar a fazen-
da por lodo preco a vi>ta dos cobres.
tartas de alliuetes rancezes da melhor qualidade
a 80 rs.
Grosasde pennas de ac inglezas da melbor qua-
lidade a 6*0 rs. _
Caixas de clcheles fraurezes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Grosas de botoes de madreperola muito finos a 860
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 aitaras de relroz preto fino a
640 rs.
Resmas de papel de poso liso muito superior a
ZejpUUU.
Grvalas da liga e de outras muitas qualidades a
500 rs.
Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duza de botoes branco para casaveques de senho-
ra a 10U rs.
PeCas de Otada cus estrellas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs. "
0 ^St5ntm para os meninos a preDder
^sttimtr* para os meninos a Pren-
Carmhasda doulnna chrislaa, finas e superiores a
Pentes unos de marfim a t000, MfQO e i&SOO
Pares de luvas de seda para homens esentiorasa
ou rs.
como veris GoHinoas para senhora o melhor que ha a 320 a
umao Mercantil n3o m i>n r.
." 'l.:?.1 .P650 Ve Fnteiga.inglea a nSo ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Iloje porem, resentidos da redueco a que vtJgm suPeriores b3ai 240,320,500 e
CS Livros que serve para assentar roupa, polo dimina-
u fim lo preco de 160 rs.
tao somente oter a concorrencia de sra$ freguezes. Capachos redondos muito finos a 500 rs.
ARMAZEM UNIAO
RUA DA CADEIA DO RECIPE W. M.
(Logo passando o arco da Cene*icio)
Cirande reduecio de preeos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunciante.
mi,iiAB nhSfJ'f J'T^ P08S- POr mais I"*tt>* o preco da manteiga inpleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
----------------r 52^EL& a T ,s, ocas,5 a todas as e ZK um. Pca"adae SoSa S ^thema EX2 ^ ^ ^ eU muio''' ra* Cu 0,rendido com eslas obscu. idade> e receioto em adoptar o mesmo
Gwraraln 22122 SS^"^ 5 "*&?* "f P* ceoto a t*0** resol vi fazer esla g. ande reducfao de preeos,
uararapes n. peU segundei tabella, ^^ como SabejS f? ^ ^ ^.^ ^ ^^ ^ mmm^ ^ ( ^^ ^ \
libra.
.m. .i.' ,j -o- -o-- -,-" ,wj>j ,a. a urna. iitijc Lnuriii, icscmiuws ii.i reuwxau a qu
S inSS! \ todw og dliS de seus frpguezes reclamaC3o de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portado.
ireita, altlSSlSSS "V estabelecientG- Para Ilie vender goneros nao proprios de um estahelecimento desta ordena que o seu fi
Precisa-.-e de um cosinheiro
pasto da rua das Larangeiras n. 10.
na casa de
Para bem de todos.
Aluga-se a casa terrea da travessa das Par-
raras n. 6, rom quintal, alguniarvoredos e por- reza com que
tao jiara a camboa : a tratar dtfronle da mesma' dos gneros
na olariado Sr. Zacaras.
Massimiliano Zaccbi,
ram-.-e para fora da provincia.
Cordao branco para espartilhes muito superior a
vara a 20 rs.
Carntis
ris.
com ioO jardas de linha branca a 60
Triti-1 "r0 .ti0 bem servidos como se,'iessm pessoaimente, aVeado para com esteltoda rKaumlZ^m^i^mm
A luga se a casa terrea da rua do Jardim n.
35 : a tratar na rua do Cabug n. 2.
__ j Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oo rs. a
faz abatimento.
ibra,
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
em barril se
Caf do Rio a 26o a 28o rs. a libra, a 7.8oo
Precisa-se de urna ama nacional ou portu- >uem tranceza a mais nova que tem vindo ao e 8 5oo rs a arroba
pSrT 7,r2,andarenSmme' ** ^i "^fS "' bra' e barril "em lavado deprimeira qualidada a 3oo rs.
--------------------------meiOS a OOO rs. a ||hra e 9 ooo rs a irrnha
- Precisa-se de um caixe.ro portogon com Cb hysson de superior qualidada a 2 6oo rs
pratira de molhados, que seja hbil, agradavel e i:lra H 'uors-
desembarassado: tendo estiis q'ualidades" e dando ""ra'
fiador sua conducta nao se olha o ordenado: na Wem perola 0 mais superior do mercado a
rua das Cruzes n 24____________________I 2,8oo rs.
Existe em poder de Francisco Jos Vieira,! dem huxim 0 melhor que S8 pode desfijar
da villa de Santo Tyrso, como testamntelo do I oeste genero 2,fioo rs.
St?ueM?:ne;smd^r
al, em morda forte: um saino da corita fechada' qalldade a 2,000 rs. a libra.
em 20 de abril de 1849, de 13*627, pertencentea dem hysson, huxim e perola mais proprio
liaslrile.
Ouro-Prelo, !) Atteslo que tendo feito uso, aconseliado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
liquei perfeitamente bom de urna gastrite
que solida e que privava-rae de andar aper-
lado, boje felizmente nuda sinlb.
Arc.Lsro Gollati.no de Mello.
Falla
Owo-Preto. 24
Sendo eu afectado
annos, e ltimamente
hoje Ion grac-is a Deus
e perfeito com o uso das pilulas calbarlicas
do Uv. Ayer.
Amonio Rento Vieira,
de apetiie.
'/ fevereiro de 1864.
do figado lia niuilos
soffii falta de apetite,
por acbar-me sao
Constiparan, dores de cabefa.
Oiim-I'ielo, 28 de marro de 18(54.
Atiesto que, adiando-me atacado de urna
forte constiparan que iroiixe-me dores pr
todo o Curpo e na cabeca, solfri hoirivel-
mente por "espaco de quatro dias; ento
un amigo aconsellvu-me que lomasse pi-
lulas atlurticos do Dr. Ayer : com ellas fia
quei sao e completamente reslabellecido em
tres das, de sorte que estou no ffirrne pro-
pos to de aconselhar o uso das dilas pilulas
todas as pessoas que lurem aectadas de
MStipacoes.
Agostiniio Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
Irrilaro do eslmna^o.
Ouro-Preto, 29 iIp mano de 1864.
Atiesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito teopo excessiva irritagao
de estomago, pouco apetite e diflicil diues-
tao, d'elli tenho experimentado sensiveis
melhoras ilepois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Heiimocenes Pereda Rosa.
Lombrigas.
Ouro-Preto, 28 de morco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vautagein por
mim em una menina de dez annos, que
soffria de vermes inteslinaes, notando-se
que os sympiomas que entao apresenlava
eram de molestia bastante pengosa.
Ravmundo Nonato S. de Thiago, pharma-
ceulico.
Jos Carlos Lemos ; nm saldo da conta fechada
ni 20 iie abril de 1849, d* ilol5, peiW-ncenle a
Luiz Eli-y Dorio: um sabio da conta fecnada em
I de maio de 1849, de 43,5893, perlencente a Ben-
lo Jos Alves, lodi'S desta cldad- do Recife de Per-
nanibuco. Pela segunda e ultima vez sao os mes-
idos nu seus legtimos successores convidado a
mandar receber essas quantias, no praso de seis
i.ezfs, em casa de Jos Joaquim Bmbosa Lima, na
lidadedo Purto, praga de Santa Thereza n. 58.
Precisare de tima ama para o servjgo de
urna casa de poora familia, que saiba lavar, eu-
g niinar, razinhar e comprar : a tratar no oitao
ia S. Pedro n 26.
para negocio o l,6oo, 1,800 e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito re^u ar, igual
dem do Cear .de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do MaranhSo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
ao que se vende emoulra parte por 2,4oo Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
e2,too rs.
Lingmcas, chouricas e paios em latas de 8'
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oo rs.'
garante-se serem superiores aos que vem I
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo e 600 rs. a libra, i
Queijos flamengos muito frescos chegados'
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na luja de bilnetes da praga da Inde
pendencia n. 22.
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a bbra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,noo rs. a caita.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras
Compra-se eflectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na rua larga do Itosario n. 24, loja de ourives.
Compram-se duus escravos que sejain bons
carreiros : na rua do Trapiche n. 13.
- Comprase lia roa do Impeador n. 1S, orna
00 duas prensas de copiar cartas, ainda que e>te-
jain em iu u><>, com tanto que. lenhara perfeito o
parafuso.
passado a 1,600 e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz ahalimento.
dem praio muito fresco a 800 rs. a libra.
Mem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e lavas porluguezas em latasj pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particuL'-
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado nestfe
Comnram-ae onrellos de panno, qualquer por-"- UF 7-2|,.rS 3 ''bra'
cao : na rua deApc,iio_n^2o. Copos lapi lados para a gua a 5,000 e 5,5oo a
Ci,iii|.ra-se garrafas rbotijas vazias, na fabrica I U/1'a' .
de licores rua das Crozes n. 36 Choculate francez, sqisso e hespanol a Ooo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por I,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhoscom bonitas eslampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Ratatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas-
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
No/.es muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolda do mesmo a 5oo rs.
Mostarda inle/.a dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellenle legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e 11,ooo a duzia-
Palitos para denles a 14o e leo rs. o mago.
Sal refinado em irasco de vidro com rolha do
mesmo a f>oo rs.
a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
i n __. MITKTHF1F ftt'Kj a o*
Vinho de pipa Porto, Figueira. e Lisboa a32o, Ceneja branca e preta das marcas mais a-
4oo eooo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo, crediUdas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca tnuilo nova a2oors.
Charulosde todos os fabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conlircidas no
nosso mercado a 2.ooo, 2,5< o, 3,ooo,
Compra-se para una enci.iiimeiida una ne-
irrinha e um im.leqoe de idad-' de iO a 12 annos: Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
na rua da Cruz n. 1. e-cript.irio de Antonio Luizj por 4,Ooo rs., arante-se
do OH reir Atevedo & C
D>mpra-se umaescrava i|ue saiba engommarj
coziohar : na rua do Crespo n. 18, segundo
andar.
serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lis!wa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ono e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores mar;as, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Dmiro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz L, .Madeira secca, Malvazio fino,
Fettoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. ea 9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinlias de Nanlesem quartos e meias latas
a 36o e 5(o rs. cada urna.
Sardinhas portagoezas em latas grandes
Gorra fas
Compram-se garrafas vazias : na rua da Cadeia
do Recite n. i3.
Ciiinpra-M> miro e prata, assim como concer-
ta se toda qualidade de obras da mesma qualida-
le com priHiitidu : na loja do pateo do Carino n.
7, por |>ri go eoinmodo.
Uhr.t.s esterlinas
Compram-se em casa de Juhiislon Pater & C,
rua do Vigario n 3.
_ Compra-se nm moinho de pedra com arma-
cao ou sem ella para moer milho : na rua do Co-
tovello n. 2o.
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
i Peixe em posta sovel. corvina, gors. pesca-] boa a (54o rs.
da, salmo, ostras echernee, vezngo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
; latas grandes a 8ooe l.noo rs. cada urna, cado a 2,8oors. a barrica, e 24o rs. a
' Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- libra.
das que tem vindo ao nosso mercado a' Bolachinha de soda em latas com diversas
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa,garante-1 qualidades al,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. I para mimo a 64o rs.
rs. o frasco, ePassas muito novas de carnada a loo rs. a
libra e 6,oon rs. a cai\a com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
YENDAS.
Vende-se um sel
todos os pe tences;
n. 32.
m inglez em bom uso, com
na la da Cadeia Nova
EVFEIT'SbClN OSAMKlU'14.
A loja da Aurora, ua rua larga do Rosario n. 38,
receliru riqusimos enfeiie e cintos a Maria Pa,
os enfejies sao para cabega e vende-se junto com
os cintos, poi< enfeltes e cinto- foi encommenda
especial que fizemos, por quantu obra muito lina
Genebra de Ib.llanda a 56o
5,7oo rs a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altana em
frascos grandes a l.ooors. o frasco, e
1 l,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda cm botijas grandes a 4oo
3,5oo e3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac ingle/, das melhores marcas
l,oi*o rs. a garrafa.
Doce da casca da guiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; diloemcaixoesa6oors.
cada um.
Farnlia de araruta vetdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Gapil de diversas fruas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do paz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinhe de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,<>oo. rs
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
mullios com cento etantas por l,2oo rs.
Malte excedente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Mrrralgia.
Urna earta do Illm. Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
no hombro e as costas, tomei urna infini-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
tes, porm nao exprimen) o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. So faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido ha tres
dias que nao siuto a mais leve dr no hom-
bro nem as cosas.
Estas pululas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e drogaras do Imperio, e 110
Rio de Janeiro, rua Direila n. 15.
Vende-se em Pemamhuco:
na ptaaranela franceza de
P.IHIFIR & C.
BA NOVA N. 18.
AGENCIA
AGENCIA LOW-MOOR.
Una da Seuzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiat
tnoendas para engenho, machinas de vapoi
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
.amanhos para ditos.
Arados americanos e machinas par
e cousa que anda nao veio igual a ote mercado, lavar roupa: em casa de S. P. JohStOD r C,
s a loja da Aurora que leceheu, e esta quei- ma da Senzalla Nova n. 42.
mando, quein duvida venha com dinheiro para ver--------------------------------------------------_____
o gosto. Assim como tambem recebeu cintos de Superior vinho Collares.
ouro forrado de velludo, que tanto serve para se- Na rua do Vigario n. 11, escrlptorio de Manoel
(Si
ouro rorrai'o de velludo, que tanto serve para se- wa rua do Vigario n. II, escrlptorio de Manoel si&\ A^~ n ^ V r. '^^ \ l 11*
nhora ramo para meninas tambem de muilo go>to. Joaquim Ramos e Silva & Genros, tem para ven- P eS G COEirariS DlFil O Qlie UaiXO llUllCillJlOS.
Ricas capailas brancas de aifferentes qualidades.
Camisiulias muito tinas pan senhora.
Co.'lannhos e puuhos tambem para senhora.
der superior vinho Collares em ancoretas.
fabrica Conceicao da i
Bahia.
Andrade & Reg, recebem constante- 5
mente e tem venda no sea armazem n. 9
34 da rua do Imperador, algodSo d'aqael-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodo empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
FUlVOieAO BE SIftOS
* DE
VILLAR, IA0 & C.
jKI\ DO KHIII \. flO
Chamamos a attenolo de todas as irmanda- ||

j Candes com 200 jardas de linha branca garant-
I d' s a 60 rs.
Gio.-as de pennas de ac superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larca tiara to.
Ibas a!60rs. v
Pares de botoes de punho, oh que pechincha a
120 rs.
Tmteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes de louca prateado muito linos a
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a 500
ris.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.,
Caixas com superiores phosphoros de segurancaPa
160 rs.
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a 640
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, muito
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito fino a 20 rs.
Os Casos
OS MAIS A66RAVANTH
E
D'mua pertinaz auracao
DE
ESCRFULAS,
OU ERUPGOES ESCROFULOSAS,
Ulceras de toda a especie,
SYPHILIS. OU MAL VENREO,
TUMORES,
Ebnllicoes,
BERTOEJAS,
OPHTHALMIA,
Hydroplsa,
Empgens,
HERPES,
Miar trox,
KRYSIPES
ESlORIlllO,
iihn.
GHAGAS ANTIGS,
BFi.eumatsrrTQ CKpcrrt'Q,
DEBILIDADE (ERAL,
Nervosidade, Ncrraltrias,
FILM DE 1PPETTE, FASTIO,
SUPPRESSO DAS REGRAS, ou
AMENORRHEA,

5s4
'?/'
i
Altencao
A
Urna mucamba mulatinha, recolhida, bem edu-
cada, e habilidosa, de idaite 16 annns, 1 nejtra pa-
ra todo o servieo de urna casa, tmdo insigne en-
oinmadi-ira, 1 nero para toito o servido, de ida-1
de 26 annos, proprio para padaria ou refinacao
por 8005 : ^a travessa do Carino n. 1.
Vemlp-se urna preta crioula, de idade de 30
annos, i oucu mais ou menos, que cozinha, lava,
'n?'i m roa e cose a i ir orna cou.-a : na rua da Praia
o. 35, segundo andar._____________________
- Vende-se um cavallo andador, e bem conhe- faes bronzeaJos, lonas inglezas, fio de vela,
cido : para ver, na cocheira ra porta Urea na rua chicotes para carros e montara, arreios Dar
daBoda,cmdiasu,eKdas.0horasas2daUrde. arros de um e i.OUS cavallOS, e relogios'de Uf^^^Tr^l^^S^S
I
O amor que votamos arte que professamos e o desojo que temos d.- concorrer com o
nosso fraco contingente, para a ver rhegar em nosso pan ao grao de pernicao que para
desejar, nos imi-illio a mandar Europa nm dos nossos socios, afim de particular-
mente estunar a melhor maneira de bem fundir os sinos.
Grandes (oran as difflruldades que Ovemos a superar, afim de podermos conseguir o
nosso desidertum ; porm gracas aoserforcos e bons offiems de um nosso amigo, o nos-
. so socio |'6ile ser admitlido em urna das melhores fabricas de Lisboa.
Muito lucramos e muito lem a lucrar o publico, porgue sem receio de sermos con- jj5
Wt& testados, fiodemos affirmar, que os sinos fabricados em nosso eslahelecimento em nada ?^'-
i gSc se parecem com esses almofarizes de mo gosto qtw por ahi se fazem. Z'r
I &/ Estamos habilitados a fundir sinos de todos os lmannos desde 16 libras al 100 ar- g
robas, com emhlemas, ornatos, etc., conforme a vontade ou gusto do comprador, guar- 5<
m
dando em seu fabrico todas as regras di arte. Pedimos, portanto, em recompensa de JgS!
sel I
Rua da Senzalla n. 42
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C, I Wg
lins e silhes inglezes, candieims e castt-: ItM
BS tantos sacrificios e despezas a prolecjao do publico
Villaca, Irmao & C.

m
m*

Roa da Senzalla Xova n. 42.
Cal de Lisboa em pedra
Reteiicao das Irmas.
EMACIAgAO,
Ou eminar/recimento /eral do corpo, prove-
tente do estado vicioso do mugue,
fflFLAMWACOES CHBONICS,
Afeo9oes Chronicas do Figado,
Assim como todas as mais similhantes .mo-
i.kstia8, l'rincipalmkntk tjbando sao
USADAS, OU PRODUZIDAS PKL0 Utl
UVRI uso do Mercurio ou
QoiHIHO,
,tuim romo tambem fr\ frpqnrnte nn de AR-
SNICO e oainu prepara;' e Mlaeraca
Todas estaa Enfermidades prompta e efficaz.
mente cedem A benfica, poderoza e
purificantes qualidades da mui
justamente afamada
NM1PIRRILH1 DE IIROT,
venda as boticas de Caors & Barboza,
rua -la Cruz, e JoSo da C. Bravo & C, roa
da Madre de Dos.
N0Y4 LOJI.
N. 10 MA DO HE PO R, 10.
Joaquim da Silva Boa-vista mudon o seu esta-
beleiiini'nto de fallidas para a roa do Crespo
n. 10, est resolvido a vender por barato preco

Neste estabelecimento vendem-se: tachas de desembarcada hontem le bordo da barca Bebe- afim de adquirir freguezia.
Vendem-se
ouro patente inglez.
P0T4SSA
don ornamentos para a celehracao das missas,
*endn duas caslas, branco encarnado, rxo ver-
de, calix, missal, estante, pedra, ele., Indo em bom .
estado, e preco commo.to : na casa do sachnsto
la ordem terceira de S. Francisco. uj
mn nin mnr de Antonio de Almeida Gomes.
(jAa (jAA (iAZ
Vende-se paz da melhor qnalid.de a
125 a lata : us armazens da rua do Im-
Moor libra a 120 rs.
Mviulioscom rdas, p;t lentes.
Moinhos grandes com rodas, palenles, e allanca-
dos pelo fabricante para moer caf, e proprios pa-
linuro : vende-se por lodo o preco no escrlptorio
de Manoel Ignacio d'Oliveira 4 Filho, largo do Cor-
po Sauto n. 19.
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
Vende-se potassaem barris a commedo prefoo ra relnacao por serem de e.-pecial qnalidarie e de Kada ao mercado, em bem acondicionados barris :
r.ai.:M"^n;_-=!.-P"m^r? andar' eseriPton: todos os tamaitos: vendem-se nicamente no Vpo- j no armazem de Manoel Teneira Bastos, rua do
Cal de Lisboa.
site da rua da Cadeia, loja de ferragens n. 56 A,
de Bastos.
Vende-se na rua da Praia, no armazem de hs
- ----- ----- f ciauv-fo fin i ui un i i peragor p. 10 rua do Trapiche Novo n. 8. Joaquim da Cunha & c, n. ie.
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na rua Nova n. 61.
Chitas baratas.
Vende-se chitas percalas a 500 rs., dilas fran-
ceza* linas a 480 rs. dilas a 440 rs., ditas de ditas
a 260, 280, 320, 340 e 360 rs... dilas estreitas a
200, 220, 241" e 260, > se vende por este preco
na rua do Cresle n. 10, l'ja do Boa-vista.
O Boa-iisla vende
brim pardo com lista a 720 rs. a vara, dilo a 800
rs.,dito branco de linho a 1,5000, dito a 152(0,
grvalas de seda de jn-slo a liOOO, e nm comple-
to Mirtitn mu de rastnres e brim a 480 rs. o co-
vado, s na roa do Crespo, loja do Boa-vista, 6
Vende-se nm pistn em bom estado, pelo barato qnem vemte barato, tambem se doas amostras
preco do 15 ; na rua do Crespo n. 3. dentado penhor.
Trapiche n. 13, por preco razoavel.
Pistn.
NilTlLDOl
\


Diario de Pernanibuco fcegunda lelra 14 de \oveiubro de 18ttJ.
CLAMA!
COMME
11L V 1IO QUEIMAIIO ff. 45.
Fassand o becco da Congregado segunda casa.
i f\ 7>PITfi
wmm
Grande liqndacode faz ndas de lodas
as qiialiilades par se apurar dinheijo, vende
se baratsimo na luja e armazeni da Arar?, ra
da Imperalriz n. So, de Lourenco Pereira Men-
des liiiimarai's,
AO bARATEIRO DA ARARA.
Vende-se corles de chitas de cores lixas coro 10
covados a 2400 e 34200, corles de cambraia de
salpicos a 2^500, 3U0l)e 400 fiara acabar : na
ra da Imperalriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende cassas a 210 rs.
Vende-se cassas para vestidos a 240, 320, 3C0,
e 400 o covado, organdys de lindos gotos para
vestidos a 320, 360 e.400 rs. o covado : na ra da
I imperalriz n. f>6.
I Corlfs de la a .aria Pia a U, 12,5, 1 i e fl#.
Vende-se corles d la com barra, os propria-
mente a Mana Pia a 8,5, 12*, 144 c 165000, ditos
sem barra a 64000
0
AO RESVEITAVEIj PUBOCO.
RA DAS CINCO POMAS N. 86
Esquina da nova travessa le S. Jo5o.
NO ni) ABE
Arara n. 56, de Afeudes Guimaraes.
A Arara
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
tidos de senhora a 360 rs. o covado, laazi-
Pereira Rocha i C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados ilenominado Clarim Commer- nhas para vestidos de senhora a 32o, 360, kw,e
al, ouilo orespeitavel publico encontrar senipre um completo soitimento dos melbores gneros que vem ao nosso mercado os
qaaes serao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionrda; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
na rna da lmperatriz n. 56, loja da
500 rs.
Arara.
As colchas da Arara de 2$.
Vendero-se colchas de damasco para cama a 44,
Arroz do Maranhao, India e Java a 0, 80 e
100 rs. a libra, a 10800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e om frascos a
152)0 o 10600, e em frascos grandes a
i 'O'JO.
dem om caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 10600e2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a l\bra.
Aloisia a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeitc doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelinas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030' rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a Uta.
dem inglczas muito novas a 30000 abarri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banba de porco renada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hvssm, huebin e perola a 10600, 20,
2J5J0, 20800 e 35000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Corve a preta e branca, das meihores marcas
que vem ao mercado, a 300 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac infflez fino a 901 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melbores fabricantes da Bahia
e especi tmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
250 <, 20200, 20500, 20SOO, 30000 e
<5500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 8050' a 80800 rs. a arroba.
Cartees de bolinbos francezes muito novos e
era muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra,
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220 S'5e6chi,aa : na rua da Imperalm DU'
200rs.alibra. I rs. a libra.
Painco a 200 rs. a libra. rs. a
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. I dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
dem londrino chegado no ultimo vapor a I 1)5800, 50500 e 280 rs. a libra.
900 rs. a libra. Familia do Maranhao a ItiO rs. a libra.
Sal refinado era frascos de vidro a 600 rs dem de trigo a 120 rs. ? libra.
cada um. Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
Sardinhas de Xantes a 300 rs. a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 60 ^
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600. ---~""-"~
Vinhq,dG-Pbrto engarrafado o melhor que
"" ta neste pena o e de varias marcas, como
sejara : Voltio de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocaje Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 90000e 100000.
dem em pipa. Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 300 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Mcdoc e S. Julien a 700
Desejando o proprielario do grande arniazein do Propheta dar lar-
ru'da Froperatriz, uja da gas ao seu genj0 emprebendedor, commeicial e especulativo, resolveu ceder ainspiraco
oo, de Mendes Guimaraes. que o assaltou, quando as horas caladas da noite o seu solicito espirito se agilava n'um
veade lpapara vcslidos de senhora a turbiihao de ideas, tendentes todas bem setvir e agradar aos gtneosos balitantes
desta bella provincia, de abrir mais este grande e&take!cvlmcnto de ni.vos O
escolbidos gneros, quasi que especialmente destinados s pessoas que aoram na fre-
guezia de S. Jos, e aquelles senboies que transitara pela via fenea, para quem em ver-
dade sao sem conta o numero das vantagens que se Ibes ofierece, nao s Cira i tla^ao a
modicidade dos fretes, como da fcil idade e brevidade da conduego dos objectos com-
prados. .
O sonho do Prophcta ser urna verdade praUca tao acceda c abracada como as
palavras simples e bem intencionadas dos velhos patriai chas desses lempos idos, si o Se-
nhor Deus dos exercilos nao o quizer contrariar.
O Propheta nao querendo resti ingir-se a forma ordinaria de negociar resolveu
tambera, depois de profunda meditacao, de nao vender smenle os seus gneros a d-
nheiro correte ; mas tambem de por em pratica troca delles por ouiros da produca
, lazmhas para 1 320, 360, do paiz ou por escravos, bois. cavados, etc. Assim, pois, fique na Dtelfigencia de lodos,
400, eoOOrs., ditas ii>as de todas as cores a 600, nne o propheta recebera como moeda de qualquer dos senlioies agricultores, .ssucar,
ditas a Maria Pa a 640 rs. o covado : na rua da algodao, agurdenle, milbo, feijo, cavallos, escravos, etc., etc. e Ihesdar o mei-mo valor
lmperatriz n. 56, loja da Arara. .^em teneros, escomidos a contento. t.
A Arara vende um completo sortimento de roupa e Quan(io a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos otjectos re-
Ma. cbidos por troca, o t-roptaeta nao demorar a dtffercnca que deve dar em dinbeiro.
brimtcorls aTe uSi Staft a m eslabelecimento que com tantos sacrificios e despezas acaba de ser aberto
dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500 "2i ^ drtas de hT 34500 e 44000, coiie- deve inspirar a todos a certeza de que se vender muito barato com o fam de se adqm-
e 705t)O cada um com O garrafo. fes de cores de brim a 10600 e 20, ditos brancos rjr cre(jl0 e freguezia.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia. a 20500, de casemira a 34 e 44, caigas de caserm-
Ucores muito finos a 700 rs. a garrafa. & f> *& e ^ooo, paietots eMMtoi ojooo, A,aruta verdadeira a 320 rs. a libra.
dem, quaiidade especia, em garrafas rauito %gUTlSSKSln ^A^\^4^P!^^/!mS
grandes, a 10800 a garrafa. tS de alka de cordL e apaka branca a 44500,1 lt'0 e 120 rs. a libra, e a arroba a 1 #ou,
dem era garrafas mais pequeas a 800 rs. ditos de brina de liobo brancos linos a 54000, se- 20500 e 2f)800.
Idin, era garrafa forma de pera e roii.s T*" '80 d,las (rs ****?* ^m' Amendoas a 280 rs. a libra.
vidro, a 10000, so a garrafa
A Arara vende cortes de calcas a 10600.
Vende-se cortes de calca de brim a 10600 e 20,
ditos de casemira a 34500 e 40500 : na rua da
lmperatriz n. 56, loja da Arara.
Ladnbas da Arara a 210 rs.
Vendem-se
nheiro.
2T i camisas francezas a 24 e 24500, ditas de linho in- AmeMg franCezas a 10200, 10400 e
xale o di- gl a 300r,: ^^ M^iWfe^JJ^^a?S e luidas cajil.ir.ha
se torna enfadonho mencionar, que a vn-UuO Cd!B^ cui^" -!-- J^ 1. .
10600
asmuit
dem em botija a 3>0 e 400 rs. a botija.
Graixa em lat sa 10200 a duzia.
Limonadas de diversas fructas a l0QQO_fl_.
frasco. f*
Licores inglezes e francezes a/f0OOO, 10500
e 20 a garraa^..
barcada de imhico a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs,
dem francez muito nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melbores consenti-
ros de Lisboa a HO rs. a lata.
Marrasquino de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
e 800 rs.garrrafa, e 70000 a 70500 rs. dem regular a 500 rs.
a duzia. Macas finas para sopa: estrellmha, pevide.
dem Morgauxe Chateaulumini de 1851, a 10 rodinha e alelria a 600 rs. a libra e a 40
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem- prador ,se dir o prejo, por isso rogase aos com- propnas para; memo sear aigbera,
a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa c, Peixe em latas proparado pela primeira arte
1200 rs. a caada. de cozinha a 10 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs. Paluos de denles a 160 rs. o ma<;o.
Alm dos gneros cima mencionados le- dem de dentes a 120 rs.
mos grande porco de outros que deixamos [ dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudosei vendido por Amendoascinfeitados a 900 rs. a libra.
pecas e carnadas, tanto em porgues como Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
rel"a||10. 20 e em caixiio a 640 rs.
Quera comprar de 1000000 para cima le- i Palitos do gaz a 20200 a groza
r o abate de 5 por cento. JPassas muito novas a 480 rs. a
pradores o favor de vir ver na bem conhecida loja Amendoas confeitadas em frascos de vidro
da Arara, rua da lmperatriz n. 56, de Lourengo a JA 0 frasco
^SmSSSmnm e 560rs. i Alpiste a 160 r, a libra e a 40oOO a arroba.
Vende-so percalas de cures finas para vestidos Aze.te doce francez a 90o r;,. a ganafa.
a 500 e 560 rs. o cova-to. Azeile de Lisboa a 640 rs. a grrula e 40800
A Arara vende tiras bordadas para enfeilar vest- a caada.
dos brancos. Azeile doce emboioes com 9 garrafas a 50500
Vende-se tiras bordadas para enfeilar vestidos ^^ 0 boio.
brancos a 10200 e 10400 a pega, musselina bran- _.ltnnM nnr tftdo n nreco.
ca lina a 400 e 500 rs o covado : na rua da Iro- zalonas pm tCKl0 0 ** m)
peratriz n. 56, loja da Arara. j Biscuitos inglezes de diversas marcas a lsJOO
A< barateiro da arara a 20500. | a lata.
Vende-se ha loes americ^.s de 15, 20, 25e30 Bolachinhas de soda, oval c lunch a 0000
arcos a 20500, 34, 34500 e 44000. a iata com 5 libras,
vende-se goiinhas para >*"*$ g0; Bolachinhas americanas em barricas 26
e 500 rs., camismha* para ditas a 14.24, 34 e 44, *""
na rua da Imiperatriz, armazem da Arara, n. 56. I IlDias a Z>UU'.
A Arara vende madapolo enfestado a 40. Banba de porco da melhor quaiidade a JOO
Vende-se pecas de madapolao entestado com do- rs. a libra,
ze jardas a 40000, pegas de dito de 21 jardas, das Rautas em gigOS e caixas por todo O prero.
n.arcas sej-uintes : n. 30 a 60000, n. 250 a 64a00 Caf mojdo a {f.^ () ou b000 a am,ba.
80OOt. e 80500 a
Lingoas atnei icanas a 800 rs. cada urna.
Lingmcas promptas em latas a 102(0 a lata.
Manteiga ingleza ueste genero o que ha da
melhor a 800 rs. a libra e em barril a 700
rs.
n. 30 a 64000, n. 250 a 05500
e 74. n. 2 "80, n. 5 80SOO, <$**. n. PF a 100500,
n. ZZZ a 124, R a 114000 a pega, algodao a pega Late superior .
libra.
MCWMSIEPaTENT
de traba I ha r i nao para
dcscaroipai* agodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
GRANDE E SMPTOSO ESTABELECIMENTO
DE
TANTO EM G H03SO COMO A BETALHO
iU> KUJL ROVA-GO
i"S;ua casa junto a ponte da BSea Vista.
DAS PALAVRAS.
i Cesse tudo quanto a anlipa mu-a canta
t Que oulro valor mais alio se alevauta.t
\cha-se a disposico do resneitavel publico este grande e magnifico estabeleci-
, i-'o de iolhados, talvez o primeiro c nico boje existente em sua espectalidade, por-
uue ) maior capricho de maos dadas com mais aparado gosto de abrir um estabeleci-
in. rito modelo t-romoveram a escolto dos mais superiores gneros do nosso mercado,
nue n-ir seren comprados etn grande quanlidade cpagos quasi lodos a dmheno a vista
eu Ccar a obtenclo de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
di marera de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
lilis nao s pelo emprego das raaoeiras condescen.ientes e delicadas de que somos ca-
paws'. como pela praiica da pro.nessa que fazemos de vender polos pre.os quasi do pn-
meir casto 0 nosso magnifico sortimento. ... .
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
ditersas clases da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharao
JnSSo armazem os melbores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne que.jo, etc.
te .-te e auelles que nao podem dispor de grandes recursos, que so comprara o neces-
:,, nfomettemos-lnes servi-los de gneros novos e sad.os, escolbidos ao seu contento.
-real do pobre cr recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
Aoessoas que nos ftzerem.honra de entrar em nossa casa quer seja para com-
rar oara seu gasto, ou para negociar, vollaro satisfeitas, nao so pela boa quaiidade dos
1 bjectoa, como pela Qdelidade dos precos, e bom acondicionamento.
6 futuro nos justificar.
CAVACO ECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
Pt3IL\Si*stindolaneste vasto e florescente imperio um grande partido polilico cora a
iSSo de fcte, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
iIp" fa/er zaoirar a alguns e de desatar o riso a muitos,
!_ fia-se quera quizer, porque nos tambem nos r.remos- mas nao se zangue
"en!l O neme urna voz com que se do a conhecer as cousas. esta a mais
breve clara e sincera explicaC.3o que, pelomethodo repentino, podemos dar.
Mas a auem nao seguir o partido desse sistema diremos mais:
Nao oriun lo do Brasil o imponente titulo do nosso eslabelecimento. Fo. a
Xsoberba 7oplS u .TgESrr. bouve um rei que instituio a mu, honroza or-
Na soberoa e op ^ ^ mn^.Q desse acontecimento, que taa-
TSt, rrtP desse monarcha. Agradou-nos esta historia e goslando SDm-
Pl*f^ 2hTd7i5lt para logo o mandarnos desenhar, ecol-
^ o SE do ^^SSSl'SL assim feilo distingui-.o dos outros
,0-0
i assignalaram com mitras e coreas.
iiouui solt qnl mal y-peose.
pnde-e um comomelro maritimn inglez do
fabricante Charly Frodshan. afllancando o
por diminuto pn^o : a tra
Nova n. 21, loja de Francisco Jos
melhol
sen rj/gularneuto
n rin
mano.
Ger-
> Vendem-se dous expelientes terrenos promp-
tos para ie edificar com 64 palmos de frente am-
bo* p :tfiO do fundo, junto a fabrica do Bowman na
'ua do Rnim atorrados al a linha do caes lendo
M parte do cea feito ; a tratar na rua ios r,ua-
wrapes o, 28,
Krmfik*
Vende-se superior vlnho do Porto em caixas de
urna dnxia : em casa de Johnston Pater & C, rua
do Aigario n. 3. ______________
Queijos de Minas
Vende-se na rua -Nova n. 6J, defrootc da Iltm.a
cmara municipal.
Estas machinas
'V'", ";V.-.-^ podiMiidescaroca
S quali|aer especie
3de algodao sem
estragar o rio,
sendo bastante
duas pessoas para
o tralialho; t^de
desea rogar urna
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Assim como machinas para seren movid&s por
animaes, que descarocain 18 arrobas de algodao
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pdc faier mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que coiivida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem do algodao, uo largo da ponte nova n. 47.

i
de 20 jardas a 5& e ($000, dito carne de vacca a
65500, dito domestico a 75, dito slcupira a 8, dito
pao ferro a 9* a pega: na rua da lmperatriz, loja
da Arara n. 56.
Bramanle de linliu a 25' 0 a vara.
Vende-se bramanle de linho a 2500 a vara, pan-
no de linho para lei-ces a 640 rs. avara : na rua
da lmperatriz loja da Arara n. 56.
I Arara vende caseiuras finas a a#.
Vendem-se cortes de casemiras para raleas a 55
55300. 65 e 75000 o corte : na rua da Imperalriz,
loja da Ararn d. 06.
A Arara recelteu um completo sorliacnlo de capas
e si;iillii'iiiliaii|i.es
que vende baratissimo, a saber : soulhenibarque
de alpaca branca enfeitados mnito de gusto a 125,
ditiis delaazinhas decores a 85, 105 p 125000.
j capas de gnisdenaple preto a 205, 255, 305 e 3f5
i souleuiharques pretos de grosdenaple a 2U5, 255
e 305OOO : s na loja e armazem da Arara, rua
da lmperatriz n. 56.
Casemiras para rapas a 3$ o covado.
Vendem-se casemiras lisas proprias para capas
de senhoras a :t5 o covado. Hatinnas lisas para o
mesmo tim a 600 rs. o covado : na rua da lmpera-
triz n. 56.
A Arara vende lencos de seda aloe 800.
Vende-se lencos de seda de urna s cor a 800
rs., ditos finos de cor a 15, colarinhos baratos a
600 rs. a duzia : s na loja da Arara, rua da lm-
peratriz n. 56.
Ao barateiro do hairro da lloa-Vista.
Vendem se chitas eseuras e claras de cores fixas
!a 240 e 280 rs. o covado, chitas Iramezas finas a
; 320, 360, 400 e 500 rs. o covado, porm assegu-
ram-sc as qualidades e ores : c muitas ontras fa-
zendas que so vende barato, i.-to smente a vi>la
dos tregeles. Assim ebeguem freuuezes, porque
s sa viide assim barato porque est a festa na
porta, e a lo|a da Unta da rua da lmperatriz n.
56, pode bem servir aos freguezes do bom e ba-
rito.
M.
Sauodei's Brolbei s & ('..
II, pra RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Rua do Queimado ns. 49 e 55 loja do Uaratciro
conhecido j como tal, est dispondo da fazenda
por tolo o prego para apurar dinheiro, quein qui-
zer venha vr.e traga o cobre, e vera o seguinte :
Raralhos de cartas para voltarete muito
linas a.........................
Miadas de linha ftoxa para bordar a....
Pares de sapatos de tranca de todos os
tamaitos e finos a...................
Massos ile superior grampos para cabellos
Uuzias de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de arda prola muito superior a ..
Frascos de superior macaca oleo a ....
Ditos de dito perola a.................
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.............................
Ditos de banha muito fina a............
Ditos de eneiros muito tinos para o prego
a ris.............................
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................
Novellos do linha com 400 jardas a......
Carnteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de paz de todas as co-
res a .............................
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.....................
Frascos de snoerinres rheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris.............................
Varas de Lieos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes,.superior a
tudo a..........................
Pegas de tranga preta liza muito fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fita preta com colxetes a......
Libras de laa sorlida de todas as cores a
Bomcob de choro muito bonitos a......
Caixas do ohreias de ma ssamnto novas a
Varas de franja .branca e deires para
loalhas a.........................
Frascos de oleo Pliilocomescnpenor a...
Ditos com superior tinta a3 20 o........
Caixas de linha de paz com 50 novellos a
Enfiadorps para espartilho a..........
Duzias de boloes encarnados para vesti-
dos a.,.,...........................
200
20
15500
30
200
100
100
200
500
400
040
600
400
80
60
30
240
200
400
40
I5OOO
15000
60
200
40
65500
160
40
80
600
800
800
60
200
ji

rt> =r" Se O O rr'-"- a? o O a o
C- as w i. n 3 t -, a
o 2 ?, o c v w
= -0-3
C as

tu -
t t B e
a- Vj
9 C
o. 2 aa 3 *" -i
o a." 3 3 2 S
rf = e
O r- ffi
P9
as n> -. r.
-
-
*? a
w 71 < 2 -3
- e = ^ o
9^1?i

CB
e 3 5 "2
3 2. -
2 3 S as y ^ 5
ct> J ~
S"Q.X,g
r_ as
o
-3
"2 a
3f .
O O
5 as
V' co -
Sol'
o ==.
Cfi as O
S. o
0 a
I!
V S
O
as
9
o &S
o o. -
o. cd cg
os rr ^T*

m
03
O.
B
lili
te 5
as o
tj
9
-s
O
o
as
B" as
- ? S" a> o
S "1 G 3
B 0^5 ? a.
s ?
g32
c,0
51
T3 ce
as 1
Si
as
as
B
as
I
I
S.
3
VI
c
9
SE
e
mmmM-wmmMWMwv
*4
Sdomuit bonitos
Sao muito modernos
Sao muito bar o tos S
O barateiro Jo?quim Luiz dos m
Santos, acaba de receber 11ra es-
plendidosoitimento de soutembar- "
ques c capas ricamente enfeitados o |p
que vende muito barato ; mandem *j
ver Exmas. Si as. para se convence- ^
rem desta verdade, na rua do Cres- H
po n. I, junto ao arco.
arroba.
Cha nesto genero temos o que lia de melho-
assim como tambem temos baixo pelos pro-
cos segui.tcs: ii4i0, l^iW1, I800,
2(5400, 2^600. 2(5800 e?i0l0o fino.
Charutos de lodas as melliores e peores mar-
cas do mercado a O, 1^000.1C00, 25,
2680U, 3000, 45L00, oOOO, Ii?j00etii5
o cento.
Chouricas as mais novas do mercado a 125
o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a
ellas que 6 pechincha.
Chocolate magnifleo a lr>000 e l,->200 a libra.
Cei veja marca a niais acreditada que tem
vindo a 5u0 rs. a parala, e nieia garrafas
por 320 rs. branca e pela.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco fa/.enda
chique.
dem francezas a 5f 0 rs. n frasco.
Cevadinha de I-Yanca a t'40 rs. a libra.
dem mais baixa a60e 720rs a libra.
.Manteiga franceza a 520 rs. a libra, un barril
a 6 40 rs a libra em rttalbo.
Massa de tomates a C40 rs. libra.
Marmelada muito nova a 640 rs. a libra.
Molhos inglezes a 400 e 640 rs. a garrafinha.
Mosiarda preparada a 400 e 640 is. o frasco.
Massas para sopa macairao, talluiim e aletria
a 400 rs. a libra,
dem finas em caixinhas a 3(00 a caixinha.
Marrasquino de Zara verdateiro a tkJC o
frasco,
dem mais baixo a 800 rs. e l000 o frasco.
Milbo em saccasom SOcuiasa 35CO.
Pie zumo ingle/, j ara hambre vindo no ultimo
vapor a 8l'0 rs. a libra,
dem mais ant go a 640 rs. a libra,
dem do Porlo a 640 rs. e sendo inleiro a
5'0 rs. a libra.
Passas 1 ovas a 400 rs. a libra.
I'lvo a 11 0 rs. a libia;
Painco a 160 is. a libra.
Pimiada a 240 rs. a duzia
Pimenta do reino a 320 rs.
Pcixe em latas a i^UiO a
vina, parpo e cutios
Papel de peso a 20000 a resma.
Mein dem muito lino a 4000 e 3'00.
dem niailim a i;>5 0,
dem a!inas.-o a 36000, 3/>;f0e 4OC0.
I em paia embrolho a 1(5200 a resn a.
Paliios para denles macos com2(' macinhoa
a 80, !2u eiC rs. u maco.
Palitos do gaz a '.'000 a grn/a.
Queijos Oamergosdo ultimo vapor a 2I600.
dem londrino a 9i 0 rs. a libra.
j dem prato a 640 rs. a libra.
a libra.
la,a, savel, cor*
qni
tem Rap Meurona 1(5(00 a libra.
Sag e -e\adinha a 2'iOe 280 rs. a libra,
Champagne da melhor marca que
vindo a 20?> e 24f> o gigo.
Coguak inglez e francez a 800 rs. e IM',00 a j Sardmbas de Mantesa 610, 5 gnala. laa.
ceblas por todo proco. Sabio massa a 120, 180, 200 e 240 rs. a
Copos lapidados que sempre se venderam el libia, e em caixOes por menos.
se vendem em militas parles a 83 e 10/>, Sal refinado a 600 r*. o \azo (pole de vidro.)
vendemos a M 0 e 6,->00i a duzia. Toueinho de Lisboa, de Santos e americio
Copos para vlnho a 3.->00< a duzia. a 160, 240 e 32o rs. a libra e em arroba
Doces de calda vindos de L'sboa r-ieste ultimo a 5, 7, e 90O<>.
vapora 6 0 rs. a lata das melbores ftuc- Tijolos para limpar
tas da Europa,
dem da goiaba e da casca o melhor que e
facas a 160 rs. cada mr,
Vlnho do Porto em ancoras com 70garrafas
a 30,3000.
possivel por diversos precos, e conforme .Vinhos de Lisboa eFigaeira qualidades mag-
0 tamanho dos cales. nificas a 3(5000, 33( 0 e 450< 0 a caada.
Ervilhas em latas a 640 rs. a lata. Vinho do Porto empipa ai>e6O00a tanda.
dem seceos a 200 rs a libra. Vinho branco de Lu-hoae Porlo em ancoras,
Espermacetc americano a Ii200 a libra. barris e. pipas a 4000 e 55000 a caada.
dem francez a 360 rs. o masso com 6 velas. Vinagre de Lisboa a I 000 e 2J000 a c?a-
Figos de comadre em caixinhas mnito lindas I da.
a 800 rs a caixa. Vinagre em garrafoes por l#C00 comogar-
rarinha de trigo a 120 e 140 rs a libia. rafiio. ,
Farinha do Maranhao a 24" rs. a libra. Vinagre em ancoras para Ii600com a ancora
Fumo do Para a 16800 a lata grande. | de 9 caadas.
Fumo americano a 1 ?>400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros a 200
rs. o maco.
Farelo ero sacas de 80 a 90 libras a 3800
Genebra de laranja i& o frasco,
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.
[Vassonras americanas a 040 rs. cada 1 ma,
Vinho delordeaux nestp genero temos grande
porcaoe das qualidades melbores que-rpnj
vinco ao nosso mercado em parrafas, em
ancoras, em bairise pianolas o qual ven-
demos por procos muito baixos.
ATT^CiO
Aos 9r. padelros
Est-se acabando a farinha de milho a 120 rs. a
libra: na padaria de Antonio F, da Silva Beiris,
ua dos Pires n. 42.
fjsng) cfe tfe cffe *k dfe rM t
BALIZA
DECLARACAO.
0 BALIZA declara pelo presente que
deixa de publicar os precos pelos quaes ven-
de as suas mercadorias por motivos qne ao
respeitavel publico rouco mtereca. Serve
provisoriamente de b;>ze os precos do l'ro-
pheta.
O BALIZA concede plena liberdade aos
seus amareis collonas Clarins, Unies. mitra-
dos e croados, para que possam saltar, her-
rar e tudo mais quanto Ihcs aprouver, at
a sua segunda ordem.
mmm
MELHOR XMPLAR ENCONTRADO l
,MUT
1


r-







*
>
Diarl NOVA HEF0RN1
At'K08.\ BUlLllim'.
Largo da Santa Cruz.K84.
Francisco loso Furnandes Pires, tem a honra de avisar a sqa numerosa freguezta
a eom especialidad) aos moradores do bairro da Boa-Vista e seus arrebaldes, que fez
nova reforma etn seu assoiado estabeleciinento de molhadbs denominado Aurora Brilhan-
4b, m< largo da Santa Crtu, e eom esla reforma suprio de novo o seu armazem de bons
g-Mmros, s-ndo mos dll>-< mandado* vir de sua propria cauta, para melhor servir
aquellas que so. dignare comprar ou mandar comprar em seu estabelecimento.
No armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respeitavel publico un
lindo e novo sortimenlo dos melhores gneros que tem viudo ao nosso mercado, c sem-
pre por precos muita razoaveis, como se v da seguinto tabella que ser mudada sc-
manalumite.
NEM COROAS NEM MITRAS
E
0 MINIO RDM
GI1MIE
E
ARMAZEM
DE
RIJA DO IMPERADOR TUS. 40
Junto ao sobrado em que mura e Sr. > lame,
Duarte Almeida & c, receberam de sna proprla encommen-
da o mais liado e variado sortlwento de motilados, proprlos
da presente estaeo.
Manteiga ingleza Macas brancas
j da safra nova vinda no ultimo vapor a l.ooo, para sopa a melhor que se pode desejar,
j macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
A Aurora Brilliante recebe as libras sterlinas por 9, sendo para compra, o
irorcento de abatimento a quem comprar de 100 para cima.
faz
Presuntos de fiambre muilo novo, a libra a
800 rs.
Ditos para panella, a 560 rs.
tuHijos |..ndnths muilo superiores, a libra
a i 000.
Ditos do reino viudo nesie vapor a fiOO.
Ditos do va;mr passa.lo a 2 e 2i00.
Queijos de quallia novos, a libra a 560.
Frascos grandes com aitvitas a 35000,
Latas com I l( libras a 15*00
Ditas com 3 e 6 libras a 25500 e 45.
Chocolate francezmuito superior, a libra a
45120
Cha litio da primara qualidi.de, a libra
25700.
Dito uxim a 25709,
Dito byssoo a 25700 e 25800.
Dito jiewla a 25800.
Dito mn caixinhas de 1 e i libras a 25G00.
Dito preto a 2;} e 23500.
Manteiga ingleza flor a 15200.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita-em barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Lata* com 2 libras de banha refinada, a libra
a 400 rs.
11-tnteiga franceza mh, a Jibraa 640.
Dita em b.irris e muios ditos, a libra a 600.
Toueinho de Lisboa a 95300 a arroba e a 320
rs. a hlrra.
Lata* com bolaehinha de soda de 5 libras a
25000.
Ditas eom biscoilos e bolachinhas sortidas
a 15500.
Ditas ingleza novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranhao.a arroba a 25400 e a li-
bra a 80 e 100-rs.
Dito da India-a arroba 2800e a libra a 100
o 120 rs.
Caf milito superior de primeira
a85500, a-5 e 05*00 Dlti em libra a 280,-320 e 360 rs
Vinho em caixa de 12 garrafas, o melhor
possivel a 185 e 205
D'ti mais baixoa 105, 125 e 14$.
Dito Figii-ira. o mais superior posivel, a
caada a 45500 ft a ganafa a 640 rs.
Dito mais baixo a 45 a caada e a 560 rs. a
garrafa.
Diio de Lisboa, boa marca, a 400 o 500 rs.
a narrara.
Dito brdeos a 640 rs. a garrafa.
Diti 85000.
Sorveja, marca lente, em botijas a 7 e 8J
a ntia.
Dila de diferentes marcas a 500 rs. a garra
fa c 5*800 a duzia.
Genebra do laranja verdadeira a 15 e 15200
r5J o frasco.
(S ta de II )llanda em frascos grandes a 15 e
/>j pegenos a '40 rs.
Da verdadeira de Hollanda, a botija a 180
Licor<>< (luis devanas qualidades a 800, 15
e 15-500
CX> Caixas 'le vinhomscate! a 105, c a garrafa
V.3g a 15000.
~A Diii* cim azeitc refinado a 105 ea garrafa
^S5% a (000
Conservas ingleza*e francezas de pepinos,
Charutos finos do aulor Jts Furtado de Ci-
mas, ha por mallos preces.
Ditos de (nitros aulorss a 15509. 25 c 25500.
lligos de batatas novas com 1 arroba a 15.
Passas novas, a libra a500 rs.
Figo nevos a 330 rs.
Latas de ervilhas e favas perluguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas com ostras, excellentc petisco.a 640 rs.
Latas dopeixe ensopado oa postas, de muitas
qualidades, a 15-
Potes do vidro com sal refinado a 500 e 640
ris.
Marrasquino da melhor qualidode, a 85 e
125 a duzia.
Garrafas de dito a 80o e 15200.
Amendoas eonfeiUdas a libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
N'ozes, a libra 160 rs.
ainco, alpista, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Grao de biro, a arrubn 'i& e libra a 160 rs.
Vinho de caj preparado ern Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 15G00, 15200 e
15600.
Champagne boa a duzia 205,ea garrafa a 25
(arralos com genebra hamnurgu<>za a 65.
Viuho branco Xercz a garrafa a 15-
Dito Joo de Brito, puro, a garrafa a6i0 rs.
nao adocicalo a 560 rs.
Dito do Porto, liuo, a garrafa a 800 e 15
Sarape de groieis e outras Duelas a 640 rs.
Maesas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita brama a 320 rs.
Dita estrelinha, pevide e rodinhas a 640 rs.
Camtiha com 8 libras de dita a 35500.
Sebolas solas grandes, o cent) a 15.
Ditas grandes em resleas a 15280.
Duzias de curta* francezas finas a 25500, 35
e 35500.
A
9
toblas, azeitonas e mixide a 600, 700 e
R'IO rs. u frasco grande.
Camas com frascos de mostarda franceza a
4> a' ritma, e 360 i*s. o fras-en,
K MUITOS OUTROS GNEROS QUE TORNARA KM- A DON i 10
TUDO DE PRIMERIA QUALIDADE.
qualidade Dnzias de latas de graxa nova a 900 rs.
B-mboes de dita a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do sertao a libra a 320 rs
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos'grandes com farinha a 55.
Ditos com nulhoo 35500.
Ervilhas seccas libra a 160 rs.
Lentnas para sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha de Franca a libra 200 rs.
Sag a libra a 400 rs.
Araruta verdadeira a libra 480 r-.
Gonima de ongmmoar a arroba a 45 c em
libra a 160 rs.
Sahao espaahol a libra a 400 rs.
Lafas com o verdadeiro gaz liquido eom 27
garrafaa a 125.
Garrafas com dito aSOOrs.
Saceos grandes com feijo mulaiaho com 24
cuias por 95-
Copos e catlx lapidados para vinho e agua.
Lalas muilo bem enf.-Radas com figos novos
a 25, 25500 e 35-
Assucar roflna'io com ovos mui-i alvo a ar-
roba a 65500 e a libra a 200 rs.
Papel patiiaUi liso de tieso branco eazul, a
resma a 2-5500 e 4550).
Vinho Madeira-secco. a 15600.
Orno de esleirs de tranca a 205.
Barris eom azuitoaas novas a 152S0.
Duas balaneas grandes de Rotnao com os
Pasos de 21 arrobas, e alguus bracos pe-
_ quenos do msmo autor.
L'ma grande qaantid&dede caixocs vasios de
todos os tamanhos de 120 a 500 cada un.
MENCINALOS.
rs. a libra e em barril a 800 rs.
Manteiga franeeza
' da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
i a 560 rs.
' Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2#400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezas a 500 rs. cada ura.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a I#300.
Chocolates
de todas as qualidades a ftoOO a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tamben*
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2#600 cada um.
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e i$200.
Cht uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer no pode vender por menos de
38 a 206OQ.
dem perela
especial qualidade a 2,5700 rs. a libra.
dem livssou
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2#600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480rs. alibra.
cov\c
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
rs. a Karrafa c de outras muilas qualida-
des a l.ooo e 8on rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agna a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
mm
SORTIMENTO PARA A FESTA
c' r5Bk"r;
23-Largo do Terco23.
in.i^a*a^S;5an,?s'dono de,ite- armazern de molhados vm aos amigos dobonefat,
f^TZS^^wTS^^^. a ^e estabelecimentn que nao se arrependerao, se Ihe
at.f.n r/ T P waU>' p0l S8Q Tompto pa-amento ; c por isso se faz annncio de
Sentid! Vnu fiMarcom o Conservnli !!
Manteiga ingleza de 1" e 2
a libra,
dem franceza em barril
bra.
surte a 800, 900 e 15
a 600 e 640 ris a li-
Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 85800 a ar-
roba.
Batatas era caixas c gigos 15200 e 25000 a ar-
roba.
Caf de pi imeira e segunda sorte a 250, 280 e 300
rs. a libra.
Arroz da ludia, Maranhao e Java a 100 e 80 rs. a
libra.
fhosphros do gaz a 25 a groza e 180 rs. o maco.
Passas novas a 480 rs. a libra.
Velas de carnauba Aracaty oomposicio a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs a libra.
Marine lada dos melhores fabricantes de Lisboa de
I a 2 libras a 640 rs. a libra.
-Cb hysson o melhor deste genero a 25800 a li-
bra.
dem oerola miudinho a 25500, 25000 e 3100 a
libra.
fianha ingleza al va e superior a 480 rs. a libra. I
Queijos mais novos do mercado a 25500 e 25800.
Sorreja das mvIbettM mareas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 55800.
aabao amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Baha dos melhores fabricantes de
15200, 250(10, 25500 e 35 a raixa.
Miiho alpisu e patuco a 160 e 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdndeiro a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa das memores marcas a 400 a dia.
Mein do Porto em barril superior pinga a 640 rs
dem branco proprio para missa a 500 rs. a dita.
IJem do Porto engarialado a 800 e 15, tomando
inais de urna caada de qualquer um destes lera
grande abatnenlo.
Conservas inglezas e portuguesas a 500 e 640 rs.
Biscoilos e bolachas de soda a 15400 e 25.
Vlassa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Ola ida em frascos e botijas e de la-
_ ranja de 480 a 640 e 15200.
'.houncas as mai-. novas a 560 rs. alibra.
Latas com 1 c meia libra de. amellas a 15200.
Azoite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 35 o
galao.
PAPEL
almaco, grave, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
1 Ihor.
Papel de botflea
j de excellente qualidade a 2A00 a resma,
PAPEL
azul e pardo para cmbrulho de i,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l ,4oo rs. a libra
Vinagre
PRRem ancorlas de 9 caadas a 15,000 rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
, e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Paingo
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra
e 4)5400 a arroba. I
CEBLAS
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas maFcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do lorto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-1
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinlia ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
venden a 20000 e 2,0400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120c* ( bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thorn Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2. sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 l/i garrafas com vinagre a 1OGOCM
o garra fao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OO(
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENESRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oc
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a Goo rs. a
libra.
Preznnto
o verdadeiro preznnto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo c
caixa e 3 lo rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muilo novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas can calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, gima e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsee da casra da goiaba
a 600 e 10 o caixae.
Mearte MMmm?
g^^5^^^2^^^^^
Acaba de receber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento
de molliados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o propietario em
offerecer aos seHS freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos pregos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecule ar
mazem. *
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a l,ooo
rs, a libra e 8oo rs. sendo em barril,
dem franceza a 6oors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 lihras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a ,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2.8oo rs.
dem menos superior a esse que se vendo
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra.
Licores francezes e portuguezes das seguiu-
tes marcas creme de violetas, geroUes, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botenm
morangos, limo, caf, Iaranja, cidra, gin-
ja, canalla, cravo, rlela pimenta a .ooo
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garaDte-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
Passas muito novas em quartos e inteiros a
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e ioo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
dem mais baixo bum para negocio a l,5oo, Presunto para Oambre ioglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos ghegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 8oo rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
rs. a libra.
Chourigas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 80500 cada urna.
Massas para sopa macarro, talharim aleiria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
| Charutos em grande quandade e de todos os
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes' fabricantes mais a creditados a l,5oo,
marcas : Osborne, CrakiM-1, Mixed, Victo-j 2>ooo, 2,5oo, 3,ooo'e 4,ooo rs. a caixa,
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui- os mais beixos sao dos que por abi se va-
os mais beixos sao dos que por abi
dem a 2, o e 2,ooo r \
tas a l,3ooe l,4oo rs.
Fumo americano em chapa a 1 6oo r* a
l,bra a Cafe de premeira quah fi.3noe9,ooc
Araruta' de todas as qualidades. IM larroba f 2y ,a k^3-
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 30 a "^JSRf ??,dade a 8'ho rs- a ar"
caixa e Oo rs. a libra- kJ2!. S/ "1?-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras,A,laranLa0a ,2rs-a^a,3:ooors.
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes- com sal refinado a 48o rs. cada um.
Bicos frascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
a 2,0ors. a
*^- !.So,Sl?a5rUa^Q,e-'em P*2W 2Mrrobas'aV3U a ar-
do Imperador n. 40 e lar- roba e 140 rs. a libra na ra do Qnei-
mado n. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
mado n. /
go do Carao n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 30W>Oa arroba e 140 rs. a li-
bra na rna do Queimrdo n.
mmm
Vinhn tinta sem onfeico
80,000 Eli ,1 \COKET.1K DE 8 CA Y V1MS 30,000
UuicooYbusiio em POnBblreo roa di < alei;i n. 1.
fel n ya qualidade de vinho rebebida directamente de diversos lavradores de
Torres ovas (prov.ncn da Extremadme) como aUestam os bilhetes do caminho de fer-
ro que trzem os caicos, provando su. origen e procedencia, recammenda-s a todas as
pessoai que que.ram ter a certeza de beber vinho puro de uva como o que se bebe nes-
fias trras aonde nao panclrou anda espirito de Msificaco. E' precia que o publico
STmV -que "S v,n,,0S(,,9 afI,, s,! imporlam nao viudo directamente do lavrador
hogn pela maiorpirlc ou quasi tod s sobicearregados de preparos nocivos saude
causando beta gWs IranstoriK.s no appardho dige.tivo
O annuricWe ofierece a ana'yse d> professi- na^s ^sta nova qualidade de vinhn
qtjo pxp5e ; veuda^ da um premio d* I =0^ a quera descobrir no mesmoalaum co-
po ostranhn a namr^f da uva de que feito
IH. B. Para ov\ar a falsilicac5o, oannunciante declaraquee o nico uroprietario
e 'mnortador deste viHioo quaj vendo sumen.e no sbh arimum Ha r, aJ n!..,- ^..
P.offtj o. I.
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
lnr l' rua d"" em latas de defferentes qualidades a 102OC
imperador n. 40 o largo do Carmo n. 9.! a lata
QUEIJO SUISSO OUEIJOS FI 4MFNTOS
m Oue Sa ?AS lra i"13 rL ^^^^Sm na rna
USdoctL no IaiPerador n- 40 e i | Queimdo n. 7, rua do Imperador n.
largo do Carmo n. 9 | 40 e largo do Carmo n. 9.
hsrfnsW.CSSf'l? do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
reguezes e amigos o ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares: wmmoaiaaue ce tocto* es-
nio e Commercio raa do Qoeimarlo n. 7
0 Verdadeirn Principal rpa do Impf ndor n. 40
FHUCTAS
u WA^AA, IMII \S e uvas
7, Uniao e Commercio.
riual vende smenle no seu armazem da rua da Cadei
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A airua florida nao urna Usina, facto cen-
nal a molestar, a mema aiua dando a rr urim-
lVacaK.Ci,,,el10- "mP',!!la ri ulanus exotiras e
de sub.siancias inoffHBMVas, ella lem a nrounedade
le restituir aos cabellos o (.rinripio corone qm- el-
les tem perdido. D'uma salut-ridade inronle^la-
vel, a Agua Florida entreten] a Imipeza da cabeca
detroe as caspas e imppde os cabellos de cabir
Oleo de Florida
Compnsto de substancias vegetaes exticas elle
conslite poderosamente, com a Ariu Florida a
forca, a hell za e a consurvacao do> cabellos
Em Paris, casa de QmsUur o. 12, rua de BJche-
lien. e 21, bonlevard M-ntrnartre.
Todos os frascos, nao lendn intacto e daro o
timbre pratea.lo da easa, sao repuladoMSos.
Balaios para meninas
Lindos btete do varios gostos para meninas
trazerem no braco : s se cncontra na lea do Bei'-
ja-Hor, rua do ijueimado n. 63 e 69.
Extratos e.sabao em eai-
xinbas
Lindas caixinhas com um cartao com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bao o mais fino que passivel; na loia do cija-
Flor rua do Queimado n. 611 e 69.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se soperi >r cal de Lisboa a mais nova ooe
ha rn> mircailo tanto em porfao como a relalbo
por barato preco aflawaBdOHV aos compradores a
sunerinr qualidade : a tratar as sepuintes ras
Crespo n. 7, Imperalor n. 28, Pone do Matto ar-
marem do Sr. Villa defronte
Deposito, rua do Ioipe'rador, oarmac'T 38. >&! "" n t,,,a w,ronie do trai'icEc do al*
Frutas era calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, pinja e outros muilos a lo rs. a
lata de 21 r2 libras.
Foijo verde em bages em latas a 6io rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, era caixa de urna duzia a lo,ooo e
l.ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a canada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,000 rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
[ticos litros com tigos 1,000 rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrames com 4 */% garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 l% ditas de venagro a l.ooo rs.o
garra fao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda mnito especial a 6,800 rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
a arroba,
dem da India muito superior
arroba, e loo rs. a libra,
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libr*
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arr*
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs.
roba, e 30o rs. a libra,
dem de sebo muito dura Gngindo esparra^-"
te 3iio rs. a libra,
dem de esparmacete a 56o rs. a libra,
caixa a 52o rs. com 23 libras.
Papel o melhor que se pode desejar pares
Srs. empregadoi^ublicos a 5,ooo rs. a ts
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaro pautado e liso a 3,ooo rs. a resma,
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
dem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/ libra a
l,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos
frascos para 1,4,00 rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova
2oo rs.
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. e frasco
Cravo a 48o rs. a libra.
>s em
a /,00o rs.
Cerveja Tenente verdadeira
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5-
e 6,000 rs. a duzia e too rs.a garrafa'
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferrr
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo rs. o molho<
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,c
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo 1
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs Fi
caixa.
dem de dentes lixados em macos grano.
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masa
Cominhos muito novos a 32o rs. a Ijbr
10,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadtnha de Franja a 18o rs. a libra
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5o r. a
arroba. w
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixcs em latas a l,ooo rs. a lata j proioto
a comer-se. r
Farello de Lisboa marca N. e Biato
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l.ooo 1
caixao.
J* proPrietario do grande armazem Uniao e Commercio declara ans smk fre*ua
niao e Commercio rua do Queimado n. 7.
U Verdadeiro Principal rua do Imperador n. 40.
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO !
MUTILADO



Dtario de PerBaarfsBta Segunda felra 14 ic \'uvemJ>ro de 1834.
LOJA 1)0 BEIJA FLOR.
Ruado Queimadons. 63#69.
Boureas de choro.
Lineas boneeas de churo que chamam papai e
atamai, de diversos taniauhos : s as tojas do bei-
ja-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Linas de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores para homens
rita do Uueimado n. 8
RECEBEU:
sonoras : as lojas do beija-flor, ra do Quei- i r Bonila* caili.nnas do madeira envernisadas, com
una perfumaras.
Outras de papello de diversos tamanhos e igual-
mente bonita.-, tamben) com perfumaras.
udo ns. 63 e 69.
Fivellas para cintos.
' Lindas fivellas douradas com lindas pedras para
tintos: as lojas do beija-flor, rna do Queimado
ns. 63 e 69.
Capellas para notos.
Lindas capellas para uoivas 2*500 cada urna:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e
6 Dif.
Eslojos para barba.
Vende-se estofos com espelho para barba 15500
-2*01)0 cada nm : as lojas do beija-flor, ra do braja.
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios para meninas.
Recebeu-se novo sortimento de balaios, com
forma de.varios passaros, pelo barato prego de
1*000 at 4* cada um : as lojas do beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas finas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos: as lojas do beija-flor, ra do Queimado
.n 63 e 69.
Extractos eni caixinhas.
Finos extractos em caixinhas coiii o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor, ra de
Queimado ns. 63 e 69.
Sabo em caiiinbas.
Fines sahoes em caixinhas com vanos'retratos :
oas lojas do beij-flor.rua do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
6369.
Joos de domino
Vendem-se Jocos de domin 15200 e 1,5300:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63
e 69.
Babados bordados
Vendem-se babados bordados de varias largura?
e varios presos : as lojas do beija-flor, ra de
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Adcreeos pretos.
Tendo-.se recebido aderemos pretos de novo gas-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Gratatas para senhoras.
Lindas gravatas para senhora 800 rs. e 15000
Lindas cestinhas de vidrocom ditas
Caixinhas imitando tartaruga com ditas.
Ditas com 6e 12 frasquiohos de rheiros.
Objectos para baptisados.
A Agoia Branca, na ra do Queimado n. 8, aca-
ba de receber os seguintes objectos para baptisa-
dos :
Bonitos o Lem bordados vestuarios de
Coat
r

ira
Ditos e modernos rhapezinhos de setim e toucas
bordadas e enfeitadas.
Sapatinhos do setim e merino muito bem bor-
dados.
Meias de seda e fio de Escocia, brancas
tadas.
Toucas e sapatinhos de laa, obras muito bem
feitas.
Bonitas caixinhas
coin mnsica e sem ella para costura, e
oulras com iraujus pxra hai-ba.
A Aguia Branca receheu novamenie um bello
sortimento de bonitas caixinhas com msica e sem
ella para costura, e outras com os arranjos neces-
sarios para barba ; assim, pois, quem comparecer
com dinheiro est habilitado a compra-Ios por pre-
co conunodo : na ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Finos e aromticos pos de
arroz
Em bonitos vasos de pedra, porcellana dourada,
vidro e madeira, estes com o comptenle pincel e
sem elle, em latas de potes de papello, sendo todo
elle de superior qualidade e agradaveis cheiros,
Emquanto ao preco, nao se assuste o comprador.
comparen com dinheiro e ser bem servido na
I ja da Aguia Branca, ra do Queimado n. 8, ende
tambem se venden) separadamente os pinceis.
A Agnia Branca, na rna do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas necessarias para costura, as quaes
tem luiras de diverjas qualidades, reros, lesoura
e outros arranjos precisos, assim romo amostras de
bordados eu marca, etc., e lados a pneos cim
modos.
BAHUS DE TARTARU-
GA PARA COSTURA.
A Aguia Branca na roa do Queimado n. 8, ven
de bonitos halius cobertos de tartaruga e de diver-
sos lmannos, min proprios para costuras e joras.
A AGUIA BRANCA
vendendo relogios.
Como nao privativo a Aguia Branca lambem
' esta vendendo muito bons e bonitos relogios para
mesa e paredf, por ptoeoe commodos, por isso con-
vm a lodos aproveiurem a oci asio e proverem-
se desse objerio sempre necessario em casa. Fita
porm reservado para os relojo' iros o concert que
algumdia qualqner delles venha a precisar, pois
que sso uo i hega para o bko ca Aguia Branca,
e P'i- da ruado Queimado n. 8.
cam-
CIIUOIIMOJIE
para tingir cabello
tfeneao
15200 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Espelbos de moldura.
Vendem-se espelhos de moldura prcta para sa-
las : as lojas do beija-flor, roa do Queimado ns.
63 e 69.
Voltas de aljofares.
Lindas voltiohas de aljofares com erui de pedri-
ohas imitando brilbantes a 15000 cada urna : as
las do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colberes para sepa.
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
a 25000 cada urna : as lojas do beija-flor, ra j
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende se laa para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
65100 a libra : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
que em outra qualquer parte.
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deixar passar desaperrebido sem quenodsseo
seu canto, alim de annunciar ao respeitavel publi-
co o grande sortimenlo de galanlerias do melhor
gosto prupriamente para qualquer mimo que ara-
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-1 ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
cebeu essa excellente tintura para cabello, cujo muitos outros objectos que recebe por diversos na-
efTeito r:pido e proveitoso, vindo ella munida de vios, lauto de sua conta como de consignacao qoe
esclarecrmentos em porluguez, d'onde qualquer est resolvldo a vender por precos muito baratos
pessoa pode bem conherer o modo de applicar. I para vender muito e panhar | ouco, e dar extracao
Com o hromocome que serve para tingir, veio: 0 grande deposito que tem, que espera merecer
tambem hydrocallitr.china, agua para tingir rabel-! proteceo do respeitavel publico empregando pare
los, coloricomo para lustrar os dios, e onychro-1 sso tooas e as melhores diligencias para que fl-
Machinas de vapor e pa-
ra descargar algodito.
Moenaas e meias moends.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
mantina para limpar as unhas, e callicomiphila,
pomada de que se pode usar sem receio de offen-
der ao cabello preparado. Os pretendenles acha-
ro preco razoavel.
Banhas finas
em copos, latas e soupeirinhas de vidro
opaco.
A Aguia Branca sempre cuidadosa em bem ser-
vir a sua boa freguezia, mandou vir e acaba de
receber na melhor occasio os desejados copos e
as procoradas latas com banhas finas, assim como
urnas bonitas soupeirinhas de vidro opaco com
alegres inscripcoes. as quaes dizem smenle res-
peito as senhoras, e com tal acert que nenhuma
que as vir delxar de comprar e nao se enfadar
de ler a inscriprao qnelo merecidamente Ihe toca
e quem quizer ser bem servido dirigir-se a ra
do Queimado, loja da Aguia Branca n. 8.
eixos de patente.
RuadoBrumn. 38, fundi-
$0 do Bowman.
quem satisfeitos; islo s no Gallo Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Ricos porla-joias.
Cofre de multo gosto por 165000
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por 185000
Lindas jardineiras. 105000
Ricos cofres com camapheu. 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas. 105000
Lindo balo com calungas dentro, tam-
bem |iara joias. 165000
Tanibalier para ditas. 95000
Cestinhas ditas. 65000
Cosmorama ditas. 65000
l'rnazirias. 65000
S no Vigilante, rna do Crespo u. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-!
eos; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sin tos
com boleinhai solado, a 105. i?A,9oVr","5', J*oOO
bolea puTfir. rtn
*K fivellas avu^spansinto, o melhor queje |
s no Vigilante,' ra do Crespo o. 1.
Calmes ou cestinhas.
Al que cliegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas rrazerem no braco, o mais rica
possivel a 2*500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
.Vais lepes
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queno defeito por barato preco de 85 e 105, chi-
sarinas, soldados, atiradores, etc., e todas mu bem nezes muito bonitos lambem, pelo barato preco de
vestidas; assim, pois, a Aguia Branca c>peraa ;4*e 5, beiitarallos muilo bonitos, tambem por ha-
concurrencia dos apreciadores do iiom, cert >s de rato prego de 45 c 55, leques de diario lambem
que acharao preges razoaveis e serao satisfactoria- j por 45. ludo isto para acabar, perdendo-se tal-
mente servidos urna vez que compaream munidos vez 80 por cenlo; s no Vigilante, ra do Crespo
de dinheiro. Id. 7. i

s,.vyi un,
que failam, etc.
Perito.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejarj assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga corr en-
fertes e sem elle para meoiua; s no Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Pnlseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanjia, cores
mune lindas e de muilo gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreilinhas de
borracha que as senhoras lanto precisan) para se-
gurar manguitos por ser muilo eommodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do [jres-
Leques.
Riquissimos loques de madreperola lanto para
spnhoras como para meninas, pelo barato prego
de 125 e 145; s no Vigilatne, ra do Crespo;
II. 7.
Pcnles
tambem chegaram os rrquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 25,
35 e 55; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas canelas de madreperola propilas|
para qualquer presente, pelo baralissimo preco de
15500 c 25.
Sapatinhos e meias de seda.
Biquissimos sapatinhos de seda ede merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e louquinhas [rara as criancinhas se baptiza-
rem; s no Vigilante, ra do Crespo'n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avnlsas
e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, os
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Coliuhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25. 2550O e35; s do Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeiles para senhora.
Rlquosissim enleites com lago e sem lago e de
outros.muilos gostos a 15, 15500 e 35 : s do Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins de cabello para relogie ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
retro?, a 200 rs.
Babadinhos entremeios.
Riquissimas babadinhos entremeios com lindos
deseBhos lanados e transparentes, pelo baratissimo
preeo de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo o. 7.
Casearrilbas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sorlimenlo de filas de diversas larguras
e qualidades, por precos que admiram aos com-1
pradores, havendo fitas largas propnas para cin-1
teiros que se poe vender a 300 rs. a vara, e pega'
de 9 varas a 25; s no Vigilante, ra do Crespo
O. 7.
Fitas de 15a.
Fitas de la de lodas as qnalidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelbos.
Riquissimos espelhos com moldura dourada*
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim como com
columnas de diflerentes lmannos a 25,35,45, 55
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo d. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo omelhorgosio que aqu
lem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo i
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz, |
eSuLdi mimo pre!" a igeos z t, *"?. ~:zz
(re s com os pos a 320 rs. cada um; s no
,, ante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
''nde sortmentede extractos e banhas, poma-
Vende-se a taberna da ra do Padre Floriano n.
5, por se nao querer dous esiabeleciineutos da
niesma ordena : a tratar na mesma.
Grande liquidadlo de laes
para vestido : na loja de Paredes Porto, rna da
liTiperalriz n. 48, vende-se Innsmhas para vestidos
de bonitas cores, a 280, 300 e 320 rs. o eovado :
s para acabar, cheguem a ellas antes que se aca-
ben).
FIGADOdf 8ACALHAU
P^
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
Cn val rnr en ca ale lan-
a malenilaa.
Maleallaa cacpefulo-
aaa.
Papi-lra.
Obliucco da* Blan-
d 1 I
Humarca frloa.
Humarra brancos.
IlarhltlBlilo.
Affeceoc rnnccroa
e ayablllllcaa.
Fearc typbaldea.
Varile, etc., ele.
Os elementos que compoem esla preparacio, o
/ierro, o iode e a quina, a colloco no primeiro
grio das prejiaravocs ferruginosas. Basta attestar
seus resultados ohtidos pelos Mdicos dos hospi-
laes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
que conficmro sua poderosa eflicacidade as
seguintes affeccoes:
MI nana Mangue.
Fraajaeaa.
Aaeaala.
Chloroae Ictericia.
Menatrao.
Affeceaen do ulero
Supprcunoe da re
graa e denortlea na
ueanlruMcao.
Affecraa pulmonar e
ahlalale.
Maleallaa de-Kima o
GaalralKlan.
lerda d'appetlte, etc.
Vejo se es bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1&60; a Gazeta
dos hospitaes de 2 dejulho 1860, etc., etc.
Alm das piluls de iodureto duplo de ferro e de I
' 10 de nebuln, os Mdicos aconselho
Ei eme o Xarope d i o dure duplo de
e de quinina do me sin o aullior para as
pessoas que nao gosio de medicameutos sob fdr- |
ni pihilar e os meninos. Este xarope nao lem '
como o xa ro te d' iodure de ferro, o ineonvenienie
de allerar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para-se evitarem falsiticagoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signaiura do inventor.
Depsito ge ral era Pars, pliarmaciaRebillon,
442, rae du Bac, e em todas as boas pbarmaciai
de Franca a dos puizes esirangeiros, etc.______
GRANULOS
Peo aroiesse de tuerrnr, pliaiBiaceuftco
Pars, roa do Faubourg UoRttnarte 21.
Este oleo de um chehu agradav$t* o dt
um sabor assinaradu o muco que nSp ten
nem o (oslo, iiem o cheiro do pe'xe.. Ok>-
jecio de numerosos relatorios scieuJt^
mdicos, este inedicamenie que goza ea\
FratiQa de um successo to raro como fitiv
merecido, receilado diariamente pela
priucipaes medites dos hospitaes de Pars.
O OLEO DE HGADO DF. BACALIIO DESINFE<:TA-
do raammao emprega-se com os omorof
succe.-sos as moleetias iim que se eniprcr?
o oleo quatido sao seompanbadas ie dcbiiT-
dade e aloma.
Deposito geral em Peraamnnoi rra fla
Cruz p. i'i em casa de Caros cV l'arboxau
Fabrica dft t-ha|ios le sol dr FraiiC-
co Naeti'li, ra do QueiRa'rsx
numero 22
Nesia fabrica 6 chegado pelo ultimo vapor un*.
completo sorlimenlo de bengailas e cachimbos da
espuma do mar ede outras mais qnalidades, as-
sim como tambem chupetas para charutos mulat*
linas, e fumo caporal, e sempre tem promptu wW>
bom sortimento de chapeos de sol de todas a
qualidades, na qual se fazem e seconceitara luff*1
perleneente a e.-la arte.
Parlaba de maudioca.
a 5^000 e sacco.
A melhor que existe no mercado, bordo do ga-
lacho Ulysses, defronte do trapiche do barao do a-
vramento pelo barato prego cima mencionarte^,
sendo sem o sacco, e em porprJose far alguna
dilTerenga ; na ra da Madre de Dos n. S e 9.
Vende-se a casa terrea 11. 2-j, sita u ra .a
Malhias Ferreira, na cidade de Olinda : quem^a-
pretender dlrija-se roa Augusta n. >9, que acha-
ra com quem tratar.__________
Vndese urna casa na Capunga erm boas
commodos, quintal murado, com laran niav-tx-
cellente agua de beber : quem pretender dirlja-JB-
a ra Velha 11. 4a.
Vende se caixes vazios proiul^
para tiahaleiros e funileiros a 1$7(&
1 aila uui; nesta tv|iegraphia.
A Aguia Branca, na na do Queimado n. 8, ani-
mada pelo apreco que a sua boa ireguezia sabe
Pnrlac iVacnin danta dft a a !*>"* eww boas noTldade?, mandn vir e acaba
XtUUUO UdgUd, UC11UIUUS, c de receber um extraordinario sorlimcMo de boni-
|1a PflVrAPl OCitY Tnfl'nO'qi p ,as flnccas, que andam que fallam, que choram,
uc yjai "V v-viu luau^uo t/1 e outras muitas de diversas qualidades como dan-1 queno def.-ito por barato
iin 'J.ass,m como re lindos copos ou vasos com dis-'
ihorocl*&.TTFim*n,0S as sinhasinhas dos me-
IDons e mais afmanos autores o nm e inpiaier-
ra, assim como os grandes ropos debanha japoneza!
aiea 13. assim como nulros objectos que nao e :
possivel por neje annonciar, e vista dos fregu-1
zes se far lodo neeocio; na loja do Gallo Vigilante,
rna do Crespo p. 7.
Hnho verde
em harris de 5o para particulares e em pipas,
muito superior
Vende-se urna casa de pasto na ra da Lapa
n. 13, com bastantes commodos para passageiros,
sendo repartida em duas casas : a tratar na Ri-
beira d. 23.
BISMIITH
DE CHEVRIER
Os granulos au bismuth de Cbevrier bem
superiores a todas as outras preparaedes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de lodos os paizes, para prevenir e
curar as
Dlarrkeaa caranlcaa. I Mae dlgeatdea.
Dyeaeatcrlae. I Gaatrllea.
Darea d'ea*4a*aga. | Gallralclaa, ele.
aMMB---------------1 ~
Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
affeccoes se manifestao ordinariamente por diget-
toes laboriosas, azidutnes, falta d'appetite, pesos
tTestmago depois de cada comida, caimbras es-
tomafae*, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
*nm vnmilot.
Esle estado mordido, se o aescuiuao, w,. iuc-
vilavelmente, que seja:
Oaaeeaadea.
Drea de .-uera
Irrllaeeade bila e
da ni Mlr l, ele.
oleallaa de flaada.
A lelercla.
Palpllaeao de eeracae
Ddrea noa rlna.
Os granulos Chevrier sio ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao tomados a
lempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em lodas as pharmacias de Franca e dos paizes
eslrangeiros.
ESCRAVOS rUGIBOS.
Acha-se fgido desde o (lia Io do ouvnte^
cabra Eugenio, de idade de 40 a 50 anuos pouco
mais ou menos, com os signaos s eguintes: rara
pintailade bexigas, urna falta de denle na frente,
traja ronpa branca deservido ecostuma andar cora
urna caita a tocar, fui eseravo do Sr. Peigenlino
de. Aquino Ponseca : rogase as autoridades puli-
ciaes e cipilaes de campo de o ca|>turar hvando-o
ao hotel de Franca onde se pagara tudas as despe*
zas relativas.__________________________________
Desapareceu o eseravo Inao, crioh, de$
(atora baixo, grosso do coi po, representa ler 40-
annos pouco mais ou menos, muito reg isla e rom
falta de denles na trente, levou caifa de algodo-
slnho azul e camisa do mesmo panno n m titiras
largas de cor, cu n preto foi comprado ao Illm.
Sr Antonio i.c/ nnn,lo ,, \Mruv>^m^
la, en ,____...u plWOlo ; qnem^>
aprehender qneira lvalo em Ponte de Urina upi
sitio de Joao Jos Rodrigues, na na ra da Madre
de Deus n. 28, que ser rt compensado.
Pujiio a capa do ahaixo assignado do lugar
engenho Bolo, distrielo de Sanio Anio, urna s-
erava crioula de nome Joanna, com os signaos so*
40 annos, '^fimi&^JSg*** J a
pri-ia, usa de roupa preta com o titulo ue^Hiu*.^.
quem a penar ser generosamente pago levando-a:
ao pateo da Ribeira n. 13.
________________Manuel Antonio SoareS;_______
Fuglo ha 8 das a preta Ronifacia, com ee
signaes sepuinlps : baixa, cheia d curpa, bracoei
gros9os e com bastante cabello, bem conversante^
consta que amia de nnite com timao e aia preta,
inlitnlando-se forra; sahio com sata de chita en-'
carnada velha, cabecao e um chales rola A na*.,
soa nue der noticia della ou a levar ra ofa>
n. oa, ser bem recompensado pelo traba iba.
i
I
LISTA GERAL
m
DOS PREMIOS DA 1. PARTE DA I. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. !06, A BENEFICIO DA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DO ROSARIO DE GOYANNA, EXTRAHIDA EM 12 DE NOVEMBRO DE 1861.
NS. PREMS. NS. ! PREMS. NS. 1 PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. FREMS. |NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. 1 BREIS. NS. PREMS. ns. prems.Ins. prems.
9 10 I0 161 3 10 303 10* 478 10* 652 10* 832 10* 985 10* 1141 10* 1284 10* 1452 10a 1600 10* 1808 10* 1974 io 2144 10* 2343 40 2498 10a 2653 102 2759 W 2917 10* 3126 10*
^~ """ 7 84 -~ 57 ^ 36 86 20* 43 87 53 1 _ 1 83 _ 48 __ 45 l'J-5 99 40,8 57 40* 61 18 __ 31
12 - 65 9 85 67 20* 39 90 10* '18 95 59 17 20* 16 88 m^ 49 _ 47 2501 10,8 58 40* 67 . L 32 __ 36
13 73 20 86 68 10* 41 ~- 91 49 20* 1301 64 19 10* 17 ... 89 w^ 3 _.,, 48 1 2 60 10* 68 __ 35 _ 40
16 ~ 77 ~ 2b 98 72 43 ~~ 92 52 10* 4 65 30 21 _ 95 __ 54 __ 51 amma 5 61 73 1 38 __ 41 _
17 ~ 81 aaaa. h 607 75 mm 45 ^ 93 57 8 67 32 _ 30 m^ 96 56 _ m Mi 8 __ 65 _ 79 39 _ 42
18 89 39 10 40* 76 46 95 60 12 68 35 _ 35 aajp 97 60 __ 61 _ 14 __ 66 _ 81 47 ,__ 51
19 93 40 11 10* 78 51 97 - 62 13 _ 69 _ 36 . 37 a^ 98 61 ^ 66 20* 16 _ 67 81 51 _ 53
16 94 49 19 40* 97 100* 52 98 64 22 76 37 39 _ 2012 14 15 16 17 64 ^_ 69 10* 17 ^m 69 aa 83 53 __ 56
27 97 69 22 20* 9 10* 53 1000 - 66 25 83 50 40 . 68 aa. 73 18 _ 72 _ 91 58 _ 58
29 98 --- 70 29 10* 700 56 4 69 33 20* 91 51 45 _ 75 _ 74 PB 23 _ 75 BBBB 94 __ 70 BBB 61 .a,.
33 99 '-'3 20* 30 8 - 65 5 70 34 10* 94 58 49 _ 78 H 75 -_. 24 _ 76 ^_ 97 lt 77 65
34 1005 200 74 40* 33 14 _ 69 6 71 36 40* 95 59 52 20* 80 ... 76 ajm 25 __ 79 _ 2805 81 , , 69
37 43 47 SO 52 10 i " 78 3:000* 37 15 _ 70 7 73 39 10* 96 62 53 20* 18 81 __ 79 aaaa 27 __ 82 8 87 aa 70 _
^^ 4 aea| 79 10* 43 17 _ 71 8 - 74 43 1504 _ 70 63 10* 19 92 __ SO aaaa 30 M 85 , 19 88 __ 71 1
- 5 BB^J 80 45 22 73 9 81 44 5 71 66 27 20* 10* 93 400* 82 _ 33 _ 89 ... 13 94 ... 72 __
10 14 83 86 z 46 48 p. 27 34 20* 10* 82 83 __ 12 14 83 10:000* 84 10* 48 49 7 8 16 18 79 82 70 72 28 29 35 38 2212 14 20 23 10* 86 87 - 38 44 93 95 15 16 3000 3 74 76
57 58 65 68 71 74 75 80 84 86 93 94 Ib 17 92 93 20* 10* 54 58 61 67 41 42 85 88 : 15 16 mm 95 98 55 59 20* 86 89 73 74 89 91 48 53 96 2701 24 26 5 11 90 92
22 25 26 28 34 37 39 45 48 53 ^"" 94 - 44 94 21 99 ^ 64 10* 22 _ 93 76 _ 44 25 _ 2404 . 57 20* 2 ^^ 27 _ 12 205 95
95 ^* 75 45 97 * 24 1200 65 27 _ 97 78 45 _ 34 .. 5 58 10* 3 __ 29 0* 14 m 96
400 79 51 901 27 6 68 29 a 1701 79 54 _ 35 6 59 5 _ 30 10* 17 __ 3202
1 t 87 88 52 57 4 6 z 31 32 10 20 100* 70 77 32 33 9 12 80 83 ~ 55 57 - 36 38 10 13 64 67 _ 8 10 20* 20* 35 40 23 27 4 6
3 5 8 9 13 20* 10* 20* 10* 89 90 9* 98 = 60 61 65 66 74 7 9 12 17 18 35 37 39 46 63 20* 10* 21 24 28 30 31 10* 78 85 86 87 88 40* 10* 35 37 39 48 M 800* 10* 20* 10* 18 19 26 39 42 - 85 90 91 92 1902 68 73 74 75 77 44 47 48 50 53 17 19 25 29 36 82 85 87 89 90 20* 10* 11 12 16 17 19 10* 44 45 51 55 59 40* 10* 33 37 44 46 50 m,. 11 21 24 29 4t
101 54 15 600 75 19 66 100* 35 95 M 46 9 _ 78 56 46 94 20 H 61 .... 51 ... 41
3 57 --- 17 2 76 25 67 10* 37 96 62 -J-_ 53 , 13 79 100* 10* 58 ^_ 48 96 22 mm 62 __ 59 aaaj 42
3 60 18 6 78 32 73 40 1403 M 64 _ 55 .^ 21 81 66 ___. 49 _ 2600 __ 24 _ 62 aaaa 65 mm 46
7 205 62 19 8 82 38 75 41 5 mm 65 40* 56 _ 23 83 68 ^_ 0 ^_ 2 .y 25 _ 87 aaaj 66 mm 52 ._
14 10* 65 21 10 85 41 81 47 10 66 10* 57 aa 28 BBB 98 72 Wm 51 _ 9 30 68 aa 68 mm 58 20*'
18 67 23 17 87 45 85 49 11 _ 67 58 ,... 34 .1, 2102 73 _ 53 . 17 _ 32 69 mm 69 a. 61 10<
22 68 27 19 91 48 87 51 19 __ 68 60 _ 35 ._ 3 82 55 v. 26 33 72 78 _ 62
24 n 28 20 97 20* 50 90 56 20 _ 74 asa. 63 Mm 40 mm 4 83 20* 60 _ 27 __ 40 _ 73 79 -a 65 100*-
27 77 30 22 805 10* 52 99 57 25 77 _ 67 _ 44 aajaj 12 20*- 93 10* 63 29 42 84 98 M 68 10**
29 ' 81 34 29 6 58 1101 - 59 26 __ 82 1 , 68 _ 48 p. 15 10* 97 20* 64 . 30 _ 43 __ 89 a 3100 20* 70 a
35 82 38 32 100* 7 59 5 20* 60 29 __ 84 ... 70 mm 52 M 20 2307 10* 69 31 40* 45 _ 90 40* 3 10* 72 M
36 84 20* 40 33 10* 8 63 14 10* 61 30 a_ 85 ... 71 - 63 ama. 26 __ 10 76 __ 33 10* 46 _ 91 10* 11 82 mm.
40 85 10* 59 40 12 67 16 62 32 _ 90 aajaj 72 ... 64 aya. 30 n 11 _ 80 34 -~ 48 aa 93 13 _ 90 _
44 87 61 43 14 69 18 66 38 92 78 _ 65 aa>j 35 20* 19 82 36 49 96 15 aj 91 m.
45 88 63 45 15 71 21 68 42 _ 93 89 a 06 |ka 36 10* 28 83 42 50 99 - 17 wmn 92 _.
a 58 anj 90 67 47 19 76 26 69 44 94 SI 68 ... 41 * 34 87 49 . 52 2900 - 18 20* 93
94 70 48 20 79 33 - 79 48 _ 97 _ 1807 40* 76 -_ 42 a 42 90 52 . 58 _ 4 - H 10* % -
* 302 75 49 31 82 34 83 49 --- 98 " 1 \>
O scrivoo, Jos Pedro das Nem. Pern. =Typ. d Martoel fgueiroa d b Fan a & Filho= (864.
f i/ILT Ll * r\r> :e !iV IF i . M 1 M( :c 1 rF U ------- , L )
1 C -A ; 1 ti \L )C l\ A\ J TIL J il )( 1 1

-.



-
Dfarl de ??Ha-vi!M ftegnutta frlra 14 At Vovomhro t **.

*>
LIT'ER ATURA.
UM POUCO DE TUDO.
L-se no Commerciu do Porto o seguirte :
Coala uina coi res, ondeucia de Larlsruhe que
serlo cuude polaco, depois de ter felu una assi-
dua lOite a urna uas unu foi musas mulheres da
quelia cidadi, ;i abaiuonia para api -o..lar as
u-s liomeaayeii a nina viuva milito rica c anda
nova.
A despresada, que acreditara nos protestos do
cumio, e uaiuava apaixuuadameiiie, nao lamuu eui
dar pela ua iuUdtMiiiade, e liateu de acariar-iho
ootra vesos alio, tus; mas venuu que eram balda-;
dos os seus ito^icvs, juiou vlugar e.
A o do Corralo nana giauuo baile cm casa da
titlVa, pai a celebrar as suas nupcias coui o cumie-
A eila era esplendida, e a viuva, opuleula do
auwo, laia cuiu uucauUdura gtara asumirs dos
aeus salc-, quaudu de repeule a uUcUdida, eom 0
SOrriSO aos labios, se chegou a el/a a pretexto de
tunaa inicua la, e uu luouitiiUo eui que eiia se ni- i
cliuava, aliroU-lbe ao rosto o couledo de un vi-1
dio quo tuina fcCaUu na wo.
Corieram lodus ao guio dado pela viuva c reco-
nheeeram cun terror ijue o roslo e os hombros cs-
tava.u quumaUos por acido suipliuneo.
Em quanto se passava eslu drama no salao, ia
ora oulro mais terrivet.
Um criao liuliase apresenlado ao ronde alguns
fiiomeiilos antes e Iho entregara urna c.irla urgen-
te. Leudo a enipallideceu o conde, e saluu preci-
pitado.
No dia seguinte acharam oseu cadver com Ires
punhaladas.
A viuva Bcar desfigurada e tal vez cga.
Da que fra despresada pelo con le nada se sa-
bia >|uandn foi encontrado o seu cadver em um
riarlio que corro perto da cidade.

Um provmriano franeez, que vae esludar medi-
cina em Pars, eniruu uo primeiro domingo do cor-
rente em urna casa do bairro latino, onde, segundo
conta a tradiccau, viveu algum lempo Joo Tliiago
Rousseau.
Um criado conduziu o esludante a urna especie
de agua-fui tada, cujos movis amigos liie davam a
appareneia de um gabinete de antiguidades.
Se o senhor quizer, pode oceupar este quar-
to em que WeU Kousseau duraule os seus estu-
dos.
Que me diz I
E' o que mu digo. Desde o secuto passado
nada se muden nos movis d'oste aposeuto.
Ura adeus I uo engulo essa.
Dou-lhe a miulia palavra de honra que a
verdade o que llie sonto. Esta era a mesa do phi-
iopho.
Ah I
Nesta commoda guardava Rousseau as suas
casacas e calpoes.
Oh I
Esto relogio ebra d'elle.
sim T I
En.ni, aojui est a sua rama.
Pois Rousseau dormiu aqu I
J11"1 """ se mudou cou>a nenhuma.
Nesse caso."., mu mu >__ ijo os
lenpes devem estar muito sujos.
O criado deleve o estudaule.
Nao senhor, uo esli sujos. Rousseau era
grande philosopho e por taso dorma sem lenpes.
O scnor pode fazer o mesmo.
Mr. de Sa.t ------,u,,,em d's'"cto no
s.uuc mundo, mas coitado I esla doudo rema-
lado.
O espiritismo, dizia elle ba pouco a um dos
seus amigo-, e a reaee.au definitiva do esplritualis-
mo cunta o materialismo. Ilecurdo-me perfeita-
mente das mmiias existencias anteriores, o posso
asegurar que fui o primeiro adoradur de Cleopa-
tra, o segundo da duqueza de Barry...
-- E o lerra-i. o da clebre Aiionyma, bailarina
do tlieatro de C iVeni-Garden, em Londres.
E' verdade, nao haduvida. Ha tres diasque
cbeguei de Londres.
O pobre do fldalgo de Saint D... affirma eom a
melbor boa f d'este mundo que esta em continuo
lalo c m as pot.acias subre-uaturaes. Precisa de
uml(vro?za>I o livro rae-lhe Das mi*. Quer
urna cadeira ? traz I ah esl logo uina cadeira por
FOLHETIM
por
GAMILLO CASIELLO BRAXCO.
Continuaciio.
XXIV
A interrogado do morgado nao Ut mais abalo
no tribunal da Pr. vi,enra, que os insultos de Ju-
liai. e as pruvucapes de Luthero ao homein eus
da Gainta.
Coufessuuse castigado, conheceu que expiava :
a PruVidcucia que mais quera do Verme t Del-
Xou-o a revolver se nos opiuiios e voltou a face
do guzaio, que se pascia em sua propna podri-
da.
D.-sde a mella ora. Nicolao, olhaudo-se no ba-
{j e.-pellio de sua conscieucii, viu-se hediondo ; e
aos vi J ros, em ime uuueos di as antes segosava e
nareisava nos seus frescos e garbosos quareoU e
qualru annos. vase agora eueanjeenio, da noule
ao dia, o. .1 lapides de coudemuado uas ultimas
seleuU horas do oratorio.
t Eu posso aiuda evantar-me d'e*te abatimen
lo I dmacomsig.) elleIre longe d'aqni, re
Franja, a Italia, a toJa parte o le a rii|iieza inven-
la d-licias, ire g ar, esi|uec.r-ine viver I
Eie Jeafoero acalentava-ltie o easero breves
nstame*. La no etcessodi sua alma havia urna
eiatwracao de veneno, que Ihe euava na cliaga, as-
sim juo o linimento da esperauca comevava a ci-
cainia-la.
Duas veies uvera as malas feitas para sabir de
Portugal; porm, a hora de partir, senhoreava-o a
proslfajjao de um eufermo no evtremo periodo da
CUful^ com desaieuw aauii|uiiador, que o forca-
va a desistir, exeiamaudo:
Dude vuu eu ? Em que parte do muudo se
acabam s iiuiiies do uieu iiifmuo ?
eulau, coiu.uovia a lagrimas ve-lo chorar a
He cu.u saudades do fiiho; mas nein a consolacao
amarga desles prantos ihe era concedida I S >bre-
sallavaoa duvida de sereileoiaedaquellacreau-
ca. Uaiculava p vada na nunilrta de oum, que encontrara na cana
da ama ; agora, infera d'aquulla dala provas cun-
cbideutes da legituniilaie d> lidio d Beatriz ; lo-
f'. K<*vMiria.
irs gravad k, podendo ellas meramente comme-
morar o dia em que fura dada a preuda. Execra*
delraz d'elle, mas as vetos nao se aproxima sufrT
cientemente, e o fldalgo da com o costado no
chao.
E nSo s esta a prga que s veies Iho pregan
os espirito*. Ha occasies em que Ihe nedem di-
nlieiro emprestado.
Horado, dsse-lhe urna nonte a voz argentina
de um espinto, emprcsla-me tres mil francos para
urna obra de.raridade.
Meo caro Eliaeim, respondeu o fidalco, que
me pedirs que eu le nn faea ? estao naquella ear-
lelra que e.-ta Bobre a minha secretaria. Mas como
beide ir busca-Ios sem luz !
Pois nao sabes que nao preciso de luz ?
Ah, verdade; perda a minha dislraeco.
No da segninte tinha elle tres mil franros de
menos, mas sua esposa liaba mais ura magnilico
diamante.
Horacio esperava o pagamento da quanlia em-
picotada, mas como uo apparecia o seu caro Eiia-
cim, aproveilou a murle de um tabelliao para Ihe
enviar a sua sombra a reclamar os tres mil fran-
cos.
O pobre homem ignnrava que foi sua esposa que
empregou o diuheiro em um diamante.
Apezar disto nao se cura, e sua mulher diz a lo-
do o mundo que lena o marido mais espirituoso
que pode haver.
E' mais um enfermo que padece da febre da
seiencia, arvore cnida de que todos cortam le-
nha.
A recolta total dos caminhos de ferro francezes,
durante o primeiro semestre de 1864 foi de fran-
cos 243,589,684, tendo sido era 1863 de 228,167,261
francos.
Houve. portanto, em 1864 um augmento de fr.
13,372,423.
Desde o i de julho de 1863 a 30 dejunho de
1864 abriram-se 938 kilmetros de caminhos de
ferro.
A pxtencao total dos caminhos de ferro france-
zes era exjdaracio no dia 30 de junho de 1864 era
de 13,357 kilmetros.

Em Inglaterra e Franca tem-se frequentemente
fallado em conceder o direito cleitoral s mu Hieres
lendo e.-ta opinio Ilustres partidarios.
Os jornaes de Moravia do a noticia de que o
governo daquella provincia decidi que as viuvas
que pagam impostos tenham de futuro o direito de
votar as eleicoes municipaes.
#
L-se no Sport:
Segundo urna estatistica baseada etn cuidadosas
observacoes, o numero de ravallos de carros e car-
ruagens que circulara no boulevard dos Italianos,
em um dia de 10,750.
E-ta cifra, que parece muito elevada, est longe
de chegar ao raovimento de circulaco que ha na
ponte de Londres.
Contou-se naquelle ponto desde as 8 horas da
manbaa at as 8 horas da noute a passagem de
18,000 carruagens de todo o genero, o que d urna
cifra de perto de 28,000 cavados.

Pedem-nos de Torres Vedras, no interesse da
humanidade, a publicaco do receituario do Dr
Vilelle para cura das febres inlermitentes, afflin.'
cando-nos o Sr. marquez de Penalva, que nos faz
MBtm indicada :

Antimonio tarlarisado 1 escrop. Dissolva-se em
pequea quatitidade de agna destilada e misture-se
com urna unca de manteiga de porlo, dividrado-se
esla massa em 24 papis.
nppircaynu.
No da da sezao, e urna hora antes daquella em
que cosluina dar, amorna-se a massa de dous pa-
pis, n'iim brazeiro, e com ella se fomentara os
bracos, desde o pulso ao sangradouro, at se gastar
toda a mass.i, abifando-se os bracos por algum
lempo para Ihes evitar o contacto do ar.
No seguinte dia correspondente sezao, proce-
de-se do mesmo modo, fazendo se a fomentago,
eom igual porcao de massa, no estoniano c ventre
No tereeiro da. tambera correspondente sezao.
faz-se fomenlaQo desde as viruas at as cosas, e
no quarto dia as curvas e barrigas das pernas,
sempre com a massa de dous papis.
Se a cura se nao consegue cora esle primeir0
tratamento, repete-se al se conseguir.
Era Plate-Cily, nos Estados Unidos, cnmmelteu
-e ura crime horrivel contra a humanidade e as
ieis divinas.
O capito Ford, do exercito federal, fez compa-
recer perante um conselho de guerra ura medico
franeez, o Dr Ttiomaz, acensado de ter curado as
feridas de um soldado confederado. 0 Dr. Thomaz
coofessouo seu crime, e o capito Ford raaodou-o
fuzilar.
Este (seto odioso, que vem narrado no Courricr
des Etalsl'iiis foi confirmado pelopnmrio capito
Ford em mn relatorio offlcial que elle fez ao gene-
ral Roseneran*.
E-te sceleraJo capito gloria-se de sna faea-
nha !.....
Devenios todos esperar que esle crime, que co-
bre de infamia urna na cao inleira, annumiado no
Courrier des Etats-Unts, sera promptaraente des"
mentido para salvar a dignidade humana, pois se
assim nao acontecer, o conselho de guerra que pro-
ferio urna semelhante sentenca, o capito e os ho-
mens que a cecularam devem ser postos fra da
le e considerados exclusivamente como aniniaes
ferozes e da familia dos immundos, e como tacs es-
magados ou envenenados.
As leis e os tribunaes nao teem, neste caso, que
se importar com as formulas ordinarias de um pro-
cesso ; qualquer horaem lem direito de matar laes
scelerados, no momento em que todas as nagoes da
Europa organisam um congresso para tornar in-
violaveis lano os mdicos como os feridos, de am-
bos os partidos, cabidos nos campos de batalha I

Resa urna ancdota de Cambreus, que um dia
S. Vaast viu um menino que audava a destruir
um pomar. Nao contente com arrancar as fructas,
o eodlaorado rapasiuho pisava com um pau e cun
os p< as peras e as macas que elle iizera cahir
ao chao.
Sera pronunciar urna palavra, o bispo agarrn o
menino por una oreiha, e obrigou-o a abaixar-se
at aos desgranados fruclos que cobriam o solo.
A crianca ouviu entao, diz a ancdota, urnas vo-
zes estranhas e lamentosas.
Choram I Solucam I Amaldi?oam-me -ex-
clamou.
Ah entao os fruclos padecem como os ho-
rneo s?
Meu fltho, respondeu o santo, Deus poz em
toda a parteo solTriinento, para que em toda a par-
te exista a compaixao. Os fruclos teem a sua vida,
sentem e padecera como os horneas. E' esta a du-
ra lei imposta pelo pecca lo a lo la a natureza. Pa-
ra a outra vez arranca os frustos para satisfazeres
o teu apetite ; mas nao os maltrates intilmente,
porque, o mal e o bem, Tito aos proprios seres in-
feriores, ser-nos-ha contado la nos cus.

Um aldeo de Hamburgo conduziu aos altares,
aos cincoenla annos de edade, a sua decima mulher.
Este matrimonio attrahiu grande numero de espec-
tadores a sua celebraco, os quaes levarain a noiva
em triurapho peas ras da aldeia.
Os Romanos faziam o contrario : conduziam em
triumpho o marido. No tempo do imperadorTheo-
dosio, um humera do povo que havia casado com
vlnie nulheres, contrahiu novas nupcias com urna
d nzella que havia mandado para o oulro mundo
viole e dous maridos.
O publico eslava ancioso por saber qu.il dalles
enterrarla o segundo ; mas nao tardou em sahir de
duvidas, porque a mulher passou a melhor vida. O
povo precipitou-se em massa a ir buscar aqut-ile
uas mos, como costuraa fazer aos vencedorf1"13
f-lo passeiar n'ura carro tnuraphal pelas
principaes de Roma.

i .
Segundo a estatifica recentemeote potw"
peie vicariato,a popuiacao de Roma ascendo, este
anno, a 200,000 almas; de forma que de um para
outro anno soffreu um augmento consideravel.

S. M. a rainha de Inglaterra acaba de conceder
o titulo de baro, p ira si e para os seus successo-
res, ao Sr. C. Lycll, multo c^nhecido como gelogo
distinto e quo navia dn presidir ao congresso que
a 14 do correte, deve lerse verificado em Bath.
Em quanto entre nos se di>tribuem com mo
larga oommendas e dislinccocs honorficas a quan-
to parvo por ah enxameia, l fra, mais sisados
que n>, s ttulos e as honras s resahem nos ho-
mens de rei-onhecido mrito.
*
Da Revolucao de Selembro Iranscrevemos :
Erara 2 horas e muia da noute, quan lo descon-
fiados ura do outro marehavam a passo lento, com
ar mysterioso e aspecto taciturno dous municipaes
pela ra Nova do Carmo.
Aguda voz Ibes feriu os delirados tympanos.
Era u.ii cidado, que tendo sah lo de S. Carlos,
vinha lomado de um ataque de inelom ma, e cu-
toa va com a mais esganca la voz de tenor diversas
cao o espirito do odio, que mais tarde havia de emangaentado, e tendo-o agarrado os soldados,
rnanifeslar-se pf um modo to desastrado. j leexclamava:
Ha das, n'utna torea-feira ao m*io da. Arnaldo e
Mlinrat e sna mulher paravam em frente da casa
Se cah as garras da justica nao foi porque nao
cantatas populares na clave de d. Mas esle d ex-! dos Gui.nbaud, na occasio era que pae e lilho ap- *l*sJ.,tIZT^t^Z^Zi 2S?*!
eitou a ira dos mantenedores do publico socego,' parelnavam um carro para a vindima. Guimbaud,
que se lembraram com saudade duqiiaiiio lio des- assim que viu Muorat, dis-e para o fillio :
concertado coueerw allribuiana os felizes que ja>
tiara deiados. Sub o dominio desta humanitaria
idea, e esquecidos do artigo da carta que d>z que
BeuliUtn ciJadijpde ser olj igaio a fi/.er o del
xar de fazer cousa que as leis uo deleruiiuem, di-
Vae-ma buscar a espingarda.
Dito e feiio : o rapaz trouxe a arma.
llclior.il e>tava, entilo, a uns cinco ou seis pas
sos de distancia. Gotmlmad faz pontana, e desfe-
cha cun elle. O tiro feriu-o as rostas ; Gulmbaod
ngiu-se a pauuilia ao cantador inlerro.npendo-o dispara segundo que vae ter Ihe a um braco. O
Que grilaria essa ?
Je etiaule ce herus qui regua sur la Franco
El par droil de couqute et par droit de uaissaucei
- Nao percebo. Explnjue-se.
*Io cauto laruu il capitn pielose
Chelgrau sepoichro liber di Clinsto. .
Pea um cmiudu se^uicuro o uosso capilo
e as uossas armas ? Isio posio um lusulto a po-
lica I
As armas e os baroes assignalados... i
Prosegua anda o cantador.
Ah zomba da forya ? Esl preso.
Nunca mais.
Acompanhe-nos.
Nao quero.
brido coi re a abrigar-so u'uma casa prozima ; a
mulher, transida de susio, corre a soccorrer o ma-
rido.
Gumibaud pae Irava da espingarda, engatha-a,
e corre alraz da mulher de Muorat que de certo
era victima se nao vem, naquelie momento algo-
mas pessoas, Irazidas ali por l-IK,io das deto-
naedes.
Recrescc o furor dos assassinos.
Vo em cala do restante da familia Mliorat, que
andava veiidimandu, em sitio distante d'ali. Mas,
leudo algiiem avisado lempo aquella pobre gente,
vinham a toda a presea acudir aos seus. Sabe-Ibes
ao encontr Guimbaud pae e lilho, munidos d'uma
espiugarda de dous canos, e d'uma carabina, arma-
E o pacifico cantador deilou acorrer trauteando: da de bayoneta. Fogemllies os Mliorat ; a mu
Fugiu Custodio
Gaspar Teixeira,
Deixou no campo
a A cabelleira.
llier que nao pode seguir o marido e o lilho, fo,
abrinar-se junto d'om pobre veadimador. Guim-
baud pae corre sobre ella e d-llie qaalro bayune-
ladas. Com os auxilios de um tal Olile, os M-
liorat agarrara a Gmmbaud, lan^am-o por trra
desarinam-o, e preparavam-se j para lrar-lhe a
vida, quaudo o lilho teve a valenta de o salvar.
A polica cancou-se de balde, e nao pode agar
rar esta grande criminoso.

Morreu ha pouco as mmediaces de Olmutz na Arnaldo Mliorat iraosportado para urna casa
! Moravia, um campouez de 117 airaos o tres mezes immediata para ser tratado ; mas mesmo l vo ter
de edade. I os Gmmbaud, que disparam dous tiros na direeco
Este centenario, que at ao fi.n da sua longe carreira gosou todas as suas faculdades phys.cas a ,;m a ,norle a ^em t,ver a ou?ad,a de se Chegar
moraes em toda a plenitud*, eslava Minorado de i ^ara e"es*
urna bella rapariga de 23 annos com a qual devia Em quanto ludo sto se passava, Bidault, eom-
em poucos das passar a quartas nupcias.
Era um vaioroso veterano das lide- coijugaes.
*
A semana passaa foi enviada pelo caminho de
mi- -ario de polica do bairro, tinha preparado um
certo numero de agentes policiaes, e vinha com
elle.s na direc^ao do snistro. J a este tempo o>
Guimbaut, dispostos a resistir at ultima, se li-
ndara retirado, indo einboscar-se, armados de es-
ferro para Pars urna amia monstruosa, a pr.nei-, das or dtiraz das am,res do jardun da sua
ra das arraias, pescada por uns Grvennos. \ ,
residencia.
O commissario, munido das insignias do seu caro
go, fez-Ibes duas iniiinacoes sem obter respoata ; a
Esle peixe gigante pesa va 110 kilogrammas, e
tinha de curaprimento dous metros e dez centme-
tros. Da va de comer a um regiment.
Escrevem de Kiel Agencia lavas :
O hroe do da ura marinheiro prnssano ; e,
lerceira, Guimbaud pae apona coulra elle a espin-
garda, gritaudo : Maldito commissario, olna que
le esieudo I...
Bidault na la soffreu porque o tiro foi dar no tec-
ettectivamente, as suas aventuras sao dignas de i l0 fc U|M casa immedlata.
Logo que tal soube, o co.nmandante da aendar-
merie maiidou partir uina escolta a loda a pres.-a.
.! Jumamente com a escolta chegou o secretario ge-
ral da prefeitura, e varios funccionarios pblicos.
Toda esia gente cercou logo a casa d'onde parta
Este marinheiro, chamado Gern, foi ferido no
' combate naval de Jasmund e cahiu ao mar.
Depois de ter nadado durante quatro horas, foi
] visto e recolhido por ura brigue de Lubeck.
Esle brigue foi capturado por um navio dina-
marqus e Gern foi conduzido como prisioueiro
; de guerra para Nybourg.
A 15 de agosto, Gern, evadindo-secotn mais tres
, prisioneiros, foi perseguido por ura descmenlo de
soldados dinamarqueses.
va entao o lilho, emqnanto a soledade e insulana
de lo la a convivencia Ih'o nao mosirava como es-
telo mi -o vida.
Vagan lo de quinta em quinta, a fioal deixou-se
ficarem Palmeira, encerrado em pouquissmo da
casa, esiranlio ao governo d'eda, maccessivel a fo-
reiros, a criados, a raros amigos que o procora-
vam. Ums noraeo conseguir entrar ao quarto
de Ncolau de Mesqud i; era o octogenario reiter,
varo de preciaras Virtudes, que adviunara o e>-
sencial da augusba do lid ilg i, que elle ba oleara e
beijara nos bracos de sua rae, qu in Jo a*si-liu s
es'lrondosas fe>las do baptisado. Q lautos esforco-
fez o sanio hornera para urar luz e as disirac-
ces do campo loJas se malograran!, (.hamava-
ine o pensamenlo a cousas de lavoura, obras co-
rae^adas, raeilioramentos que fazer, a recousiruc-
gao da torre de menagein meio arruiuada.
Nicolu responda :
O raeu tmulo e-l edificado ha duzentos
annos : nao leuho outras obras que fago, padre
reilor.
Anda receiosode impacienta-lo,o anciao teiraava
em f.iiiar-uie de obras.
Um da, tres mezes depois da morte de Beatriz,
isia o clrigo :
Quauau vi abrir-se o aqueducto da agua que
vae dar ao jaruun, e aulavam l trabalhadores,
cuidei que V. lite, resolver, como seus paes ha-
viara te icionado, formar um grande tanque no
terreiro para beberem os cavallos. Esteve a mi-
na aberla mis das, e depois, logo depois que S.
BmL. a Sr. D. Beatriz que Dens tera, fallaceu, fe-
chou-se o aquedticto.
que eu inaudei suspender todas as obras,
respondeu Nicolau.e ofeiturmandou logo empedrar
a bocea da mina.
E por que nao hade V. Exc. entreler as suas
horas u'uma obra lo ulil para a casa e para o
pevo ?
Que me importa o povo e a casa ? replicou o
fldalgo.
O povo creio eu que importa a V. Exc. meu
bom tidalgo, por que paes e avs d'e.-te puvo fo-
rara sempre como li h->s Uus ricos homeus da Pal-
meira do Vidago. O povo lucrara muito se V.
Exc. Ihe desse para as suas necessi lad-s, a agua
que superaban I i nos hortose quinta, Esla pobre
gente, qu and i os calores seccam as fontes,vae bus-
car a grande custu e penla de tempo, a agua
fregU'-zia prxima. Aqu lem V.Exc. que esla em
sua mo, cura pequenissimo dispendio, soccorrer
urna fusilara continua.
O eouimaiidaoie ua escolla, acompanhado dos
soldados, eiicamiiibousa denodadamente para a
casa, e uessa teutativa bouvu alguns Terdos. O
inspector da polica que, pouco pouco, se tinha
aproximado da casa, ouviu a ura dos Guimbaud
estas palavras :
Havemos de matar em quanto podermos -
ern matou dous e teve anda forca para se lau-
car n'uma lancha e ganhar o alto mar.
prusiano ecbntrn?riei "V.e u'n navio de Ruerra mas' e"' se nos uAbM0 *iaaaVs datnuS cab'
o desgracado e onrJ ,h*!m Jaz'* moribundo i das cabecas.
ff mS^m'ial^J'^^ r.. 1%r,,.......... | .._Ak-lHMfene.adaurde, veiu de Tolosa um
dos os cuidados. lazendo iioule, decidirain que devera dar-se casa
Gern esl oo hospital de Dantzick e espera-se i U1" ataque era forma.
i!alva"'0 A columna de ataque, que era composta do 17* de
a a:i. ^t,i.. -capadores, da gendarmei ie, e de cabos de polica,
A Aajle, de Tolosa, narra o segrale caso : V, ,. '
Havia raezes que, por motivos insignificantes, se!C eo"""a"dada P^jJ; "". ca'"*' di to-
dera nina desavenga entre as ian.il.as Mliorat e """"' avan?u en> d"e<^' a -1 d^ la *
Guimbaud. I ami 'orilss,,n;t de-carga, de que resullou cahir
n., .....j, r ,. ... murtalmenle ferido o capito Mattei.
D urna fo te asnada, fe.ta era agosto tillimo, aos uiml)aud lllu imt,ti ulua ,
Mliorat pelos Gmmbaud, seguira-se a condemna-
i;o imposta pelo tribunal de polica a estes ltimos,
mi 17 de setembro.
No dia seguinte, e era um domingo, Mliorat,
tendo ido ver urna plantacio de couves que Ihe
perteneia, achou-a toda destruida. As suspeitas
calorara logo, como era de ver, sobre Guimbaud ;
e Mliorat fez queixa .10 commissario de polica do
bairro.
Guimbaud pae e filho pagaram a colma, o o ma-
! gislrado ameapou-os cora a comparencia no tribu-
: nal judicial, em caso de reincidencia.
Desde entao, comecou de germinar-Ibes no cora-
ern mira dous tiros de pistola, e uina punhalada, e
nao consegu 2 alar-rae.
F-te miseravel, sua mulher c um filho, tendo
escalad ao incendio, forana transportados para o
hospital de Tdo-a, e d'ahi, se e.-caparem raorte,
jiro levados aos tribunaes.
O incendio s se extingui s 9 horas da noute,
cen os auxilios dos bombelros de Tolosa.
Em loda aquella lucta medonha, a tropa, mostrou
denodo e coragem.
Dos assassinos s um soceumbio; da parle da
forca armada, houve desgrapas a lamentar, laes
cuino : a morte de um bravo militar e varios feri-
ineutos graves, na cura dos quaes muito se ho
distinguido alguns raeJicos do hospital de To-
lesa.
As exequias do gendarme Montgut forara muito
concorridos. O cadver foi enterrado no cemiterio
de s. Cvpnauo.
___
L-se na iifroiurdo de Setembro o seguinte:
PASA QUE SERVE 0 DINIIEIRO ?
Para ser bom mopo;
Para ser bem recebido ;
Para ser cavalheiro;
Para ser acceito em presenca de urna mam
melindrosa ;
Para ser h-miem de bem 5
Para ter bonito cabello, anda que seja calvo;
Para ter prestigio local;
Para ser louro, ter olhos negros, ser elegante
hornera da moda, bem fallante e sempre galantea-
dor e gracioso:
S se necessita ter muito dnhero, muito di-
nbeiro I v
O dnhero a mola real do seculo.
Rotechild um rei entre os soberanos da Eu-
ropa.
Mires urna potencia.
al amanea um genio inspirado pelos espirito
invisiveis : um mgico um feiliceiro.
Hornera que nao tem draheiro um homem
perdido,
Com dinheiro ascende-se ao templo da gloria ;
mas da gloria terieaa, se intende.
Sera draheire, cai-se no muladar, no olvido, no
drspreso.
Quantos poderosos pelo dinheiro, j se v, pen-
saro at em escalar a bemaventuranpa, deslum-
hrados pelo o incens e adulapoes que Ihes tributa
o infeliz genio humano !
Miseria do humera I
O saber s- o que alcanca a immortalidade, e a
virtudc a que abre as perlas do cu I
EM QUE SE PODE CONVF.RTEK UM HOMSK T
Em assento quando viaja de carrn-agem.
Em numero, quando vive na hospedarla ou vai
para o hospital.
Em cuso, quando aneado da colera.
Em fulano, quando fallam delle.
Em bilhete, quando vai ao thealro.
Em autor de das, quando tem filhos.
Em prximo, quando tem fraquezas.
Em primo, quando paga.
Em alma, quando vive n'uma-ejdade populosa.
- -t.-i..(,in rm-.niio sppne a w militar.
Em //-iii-setisV, quando anda pela ra.
este povo, que lo alegre ficou, assim que eu Ihes
disse a intenc&o abenpoala de V. Exe. Parec que
tera praga de inveja aquella obra 1 Seu Exm."
av abriu a mina, o paesinho de V. Exc. -ronti-
nuou-a, ao Sr. morgado fez lavrar quince bracas;
e quando esta mina ia por pouco encontrar-se cora
o aquedinto, que desee da ierra, vejo eu os joma-
leiros a lapa-la de cantara grossa.
Ncolau ergueu-se cora semblante enfastiado, e
o reitor calln se, como sempre, a presso do tedio asso aava no roslo do morgado
como preparapao para um grosseiro. Queira dei
xar-me s, padre reitor.
ueste dialogo dea iuleirado o leilor, que a mina
UciSU seudo a sepultura de Raphael Garp >, e que
u apodrecimeuto du cadver nu chegou a ser
p.eseulido pelo ftido das exhalapoes.
XXV
O virtuoso reitor do Vidago, presenciando as la-
grimas cora que Nicolao fallava de seu lilho, e da
iinpossibil lade de descobrir a paragem delle, foi a
Chaves, e inuspeitaraente averiguou de pessoas
intimas de Mariiuho Xavier, e inmigas do viuvo
de Beatriz, que o nieumo eslava ein Londres co 11
seu av, esperando o lempo proprio de entrar em
collegio. Esle descubr ment arrancou o pae ao
seu marasmo.
Aquella nica estrella, a espapos, Ihe preluzia
un fuluro, na velhice que elle esperava receber da
vontade divina como castigo. Anima lo pelo sacer-
I dote, Ncolau foi Londres, on le. esperou intil-
mente seis mezes o apparecraeute do lilho uu ao
jsogro. O imprevisto encontr d'um amigo de
1 Lisboa, ligado diplomacia portuguesa, esperan-
pou-o em descubrir a residencia de Hartinhu Xa-
vier, se elle exi-lia em Lou Ires. De feto, e fcil-
mente se deparou as nvesligaedes poliches o ve-
Iho li lalgo vivendb nos arrabaldes, cora mudesla
decencia, e quasi incoramunicavel. Nicolao, sosi-
nho, e commovdo de jubilo, que Ihe amaciava as
asperezas da ndole, apreseniou se de sbito ao
pae de B-atnz, no momento em que o velh pas-
seava o menino sobreo chao arrevaldo do jardim,
ensinando-lhe os nemes das 11 ires e arbustos. Foi
urna sorpresa, que Mariiuho Xavier nao prevenra,
deixan lo abortas as portas gradeadas do jardim.
So Ncolau batesse porta, nao lli'a terlam aberio,
sera previas consultapes e liceupa du velho, cioso
Pygo.aleo daquelle thesouro.
Ncolau rorrea arrebatad 1 ao filho. A crianpa
apavorada daque.le humen, de luugas barbas bi an-
teas, aconchegou-se do seo do av, que se curva-
ra a ofende lo, sem ter linda rercheeido o gen-
ro. O morgado, com os olhos mareados d" la-
grimas, parou curta distancia do grupo, o disse
affocluo-a e tristemente :
Tois tambera t me foges c despresas, filho
da minha alma ?
0 pae de Beatriz fez espanto da desfigura-
rn do genero. O menino reconheeeii-o pela voz, e
o*cillava entre o av e o pae, dizendo com voz tre-
mida e balbucante falla :
O meu pap nao morreu ? O av disse que
| sim.
Morri, meu filho, .Tiorri -respondeu solu-
pante o desgranado.
Martinho Xavier enehen-se de compaixao da-
quelle homem, ferido pela mao divina. Baxou
olhos rrfane, e di-se-lhe ;
Ahrapa-n. Miriinhn. que tPii pae.
E a mama ? pergunton o menino, aperlado
nos tirapos do pae. E a mama tamnem nao mor-
rea ? Onde est ella ?
O rubor da alegra e do alvoropo coou-se ins-
tantneamente no roslo do pae, e um romo nedneo
de mortalha, amarelb-rida pelo tempo entre as ta-
boas sepultadas do caixo, Ihe cobriu a parte do
roslo que as barbas descobrlam.
Mart.uho Xavier comprehendeu a amargura da-
quelle silencio, e houve pej 1 de nao poder levan-
lar a voz em defeca de sua filha.
Nieolu, con. o menino nos tirapos, avisinhon-se
do sogro, e disse-lhe compnngenie, e com os olhos
qnebiados de supplicante amargura.
Nao sei porque me has de odiir, primo Mar-
linho I
As mnhas desvenluras, se fossem sabidas, com-
moverim loda a gente, e a* mnhas culpas seriara
perdoadas. Que julga* t de mim T
Que s ura infelizre-poudeu brandaraenle
o velho.
Bem hajas Ivolveu Ncolau. BstWso per-
gnniar-te se me julgas o assassino de Raphael
GarpSo.
Que me importara isso ? redarguiu Marti-
nho. Seria bem uiorlo, se era infame 1
Atrozmente infame !... E quem meassevera
que ello nao vive T
Martinhi Xavier, encarou penetrantemente nos
olhos de Nicclu, e dis*e :
pparec.e a una janella, dizendo
aos soldados que se renda.
Fiado nielo, gemame Montgut, dirige-e elle,
ed.z-lhe que lance fra a espingarda; mas ape- do'lue akTra im*ia*> e de algnma MS
Em pombinha, quando a mulherjhe faz festinhas
Em amado ouvintf, quando-vTaos sermoes.
Em ponto, quando joga.
E por ultimo, em cadver quando morre.
Acaba de publiear-se em Pars nma obra, que
lem por titulo : Novo systema dos mundos; pr-
xima reproduepo dis di uvios unversaes.
J se v que o fim do mundo est mais prximo
val aopnio do illusire autor daquella verdadeira
profera, bom sera que nos vamos preveniudo em
predispor os nimos e as conciencias, para que
nos nao colha de sbito o da tremendo do
juizo.
Na precitada obra annuncia o autor varios
diluvios.
Pareco que um s bastar para dar cabo do
tuto isto.
Deus tenha compaixao de nos I
as tinha proferido e baila, varando-lhe o peilo, o lancou por Ierra para
nunca mais se erguer.
Levada de um impulso militar, ao ver prostrado
o seu cantarada, a tropa avancen. Deslo ataque
decisivo resultou o ferimenlo mortal de Guimbaud
lilho, o incendio de um palheiro, que fez logo presa
das chammas toda a casa.
D'entre as labaredas sahio Guimbaud pai, lodo
Nao sei, pela vida de meu filho eu t'o juro,
Martinho Xavier, so a minha palavra perden a tui
conlianpa I Deus fulmine este anjoque tul) que
me resta, se eu co-nprohan lo que morte foi a de
Bcairiz, e se lenho sombra de suspeita do destino
que levou o vilo, que tantas vaies me apontaste
como...
Basta I nlerrompeu o velh, est aqu urna
ciaopa, que Deus dotou cora precoce entend*
melo. Ha dous no/nes, une eu exijo que esle me,:
nio esquepa. Veos buscar teu lilho ?
Nao primo : venho pedir-te que volles com
elle e contigo a Portugal. "
Nao; leva-o,e de.xa-me morrer, onde mais
nao veja a sombra de minha liiha.
Ficare comtlgo, Mariiuho Xavier, o com
meu lilho, disse Nicolao, Virei eu perturbar o teu
socego f
Ven*; mas eu acceito de boa vontade o que
esla determinado por Deus. Picars comnosco.
Assistirs educnpo de Martinho ; e quando elle
livor a sabe loria, que ontiabalanpa as desventu-
ras, e fortalece o animo para subjnga-las, entao
res para a patria, e eu estarc ento morlo e es os ltimos mil francos ha de enguli-los como Gil.
querido. bert enguliu a chave.
Nieolu de Mosquita apo*entou-se na vivenda do.' A coraparapo modesta observou ura.
sogro, sem intentar melhora-la. Afora os conten-1 Gilbert, aeradlo, oulro, estremece de horror
lamentos aspirados nos labios da enanca, o re- [ saliendo que foi parodiado por urna besta maior da
Unitario da houra de Ernesto, degenerara Unto
em pundonor de espintos, que, aberla a conjunc-
pao prospera, toinou conta da mulher do seu
amigo.
Margarida cravou os olhos em Nieolu, e f atraz do espantada. O morgado inclinara-se a ou-
vir urna pergunta do fiiho. Martinho Xavier fra
estranho ao lanpo
Volvidos quinze das, Nieolu, passando no bos-
que de Itolouha, viu um hornera, que guiava um
phaetonte, cm que nim duas multieres de imponen-
te belle-a, e bnlhantemente vestidas, inclinadas
para o elegante conductor dos fogosos cavallos*
RecoEbeceu-o.
Ao p delle eslava urna roda de Francezes, um
dos quaes, apontando o trnsenme do phaetonte,
dizia aos uniros :
Abi vae Ernesto Froment espalhando es lti-
mos dez mil francos da fabrica veudida.
Oulro ajuntou :
Em dez annos gastou duzentos mil francos.
Ainda um lereeiro :
Com seis magnificas mulheres. Diz elle que
tanto de sua vida era dr sera nterinisso. Ne-
nhuma vriedade prororava s suas n.editapes,
marca.
Nieolu passou avante, e dizia enlre si:
uo poda se quer conversar cora o primo em a--1 Ernesto e Margarida n.o expou, por que :>e
sumptos ligados ao nome de Beatriz. Se o pae, no, nao devera nada.
secreto de alma Ihe havia perdoido, envergonhar- vista a grande cidade, Martinho Xavier desejou
se-hia de confessa-lo. Cuno j nao po 1.a mal tice- a quielaco da sua castaa, sua cabana de Lon-
dres Ncolau seguiu-o authomatican.enle, disi-u-
lindo em sgredo a ordem das leis providenciaos.
A in luepo que vimos haurir da impunidade de
la, tambera fogia de suscitar rememscencias deil.
As-im passaram, nesta angustiosa e contempla-
tiva mudez, ura anno.
Martinhi, observan lo com dr o deperecmenti! Margarida, e do alegre viver de Erne.-tu, prova
do gei.ro, suggeriu a id de irein ver Franca, que o hornera principiava a formar um systema
Nieolu approvou-a indill-renteraeote. Como co-' ra'ional em materia de expiapSes.
nhecia as miulezas de Pars e outras ci la les, ds-1 Te'" e-capado a muit > paMosoplo e theologo a
se que a todas iriun, excepto L^ao. Aqu devia grande verdade, une elle apanhou pela incoercivel
vi ver o marido de Margarida Froment. guedelha. E' effectivaineule verdade que uns cer-
Fora.n, e ao tereeiro du de residencia cm Pars, tus maridos de urnas certas mulheres nada ex-
Nieolu viu 110 boulevard dos Italianos ura hornera P'ain- V** 'I^h nao se devem nada,
condecido, encostado a v.drapa de um estabelecl-' A **!"*> d,es e <* parece que a Prov-
mento de modas; era o cham>ller, que havia sido den,'ia diz e,n li*a*t* chaa :
Quera matn, nois, Raphael ? Morto esl do consulado franeez n. Porto. D'ahi a segundos, | U St ,,,,lrU,iei". l avenham.
elle. Raphael tinha um s amigo ; era Ricardo viu sahir nina mulher de bello exterior, e dar o Mirganda, Nieolu e Rapha-I foram exc plaa-
de Almeida. Tenlio urna carta delle, caria-rece
bidas lodus os pa lurtes. Ricardo nunca mais teve
novas de Raphael... Quera o malou, pois ?
brapo aquelle homem : era Margarida Froinenl. jdos desle miosprepo da Providencia.
Da maueira que o brioso amigo do mandada______________iConlinuar-e-Aa.)
infame, como elle a caihatugara, o campeao vo- PERNAMBUCO. TYP. DE M. F.DE F. & FILHO
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPHRP1UA7_ZNZHG7 INGEST_TIME 2013-08-28T03:01:56Z PACKAGE AA00011611_10517
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES