Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10516


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AN?0 XL. ffDMERO 260
Por tres Mezes adiaatados 5g000
Pop tres mezes vencidos 6$U00
Porte ao correio por tres mezes. 0750
SABBADO 12 DE I0TEHBR0 DE 1354.
Par amo atantafe. .... 19J00O
Porte ao correio por bm anoo. 3$00U
ENCARREGADOS DA SUBSCRrCAO NO NORIE
Parahyba, o Sr. Aptonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty.o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Marachao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro A C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
JtNCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Faleao Dias; Bahja, o
rr. Jos Martins Alves; Rio do Janeiro, os Srs. Pe-
era Martins <& Gasparino.
partida dos estafetas.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho e Garanhuns as tercas eiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat,Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhaem, RioFormoso.Tamandawf, Una,Barrei-
.i*.ro5rAl,ua Preta e PimeQteiras nas^uintas eiras.
llha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t.
13 La cheia as 3 h., 13 m. e 36 s. da t.
21 Quarto ming. as 4 h., 56 m. e 56 s. da m.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
PREAMAR DE H0J8.
Primeira as 1 horas e 18 minutos da larde.
Segunda as l horas 42 minutos da manha.
PA
Pira
a Grcnj
dias 14 d
Para
8 Vida
Jaboatao
da m.;
Do Re
5, 5 V,
manhaa
Urde;
para B
IDA DOS VAPORES COSTEIROS.
u at Alagas a 6 e *6; pri o corte at
7 e 22 de cada me?; para Fernando nos
Jetes de jan. niarr., maio. jal. set. e nov.
PARTIDA DOS OMNiBUS.
fleci/e: do Apipucos s 6 % 7, 7 Vi, 8e
de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
6 Vi da m.; do Caxang e Varzea s 7
Bemnca s 8 da m.
fe: para o Apipucos s 3 Vi, 4,4 % 4 Vi,
Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da
Cachang e Varzea s 4 Vi da tarde;
s 4 da tarde.
ADiSNC A DOS TRIBUNA3S DA CAPITAL
Tribunal do comnwrcio: segundas quintas.
Relacao: torcas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 oras.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS DA SEMANA.
7. Segunda. Ss. Florencio e Honorato bb.
8. Terca. S. Nieoatnlo ni.: S. Cartono m.
9. Quarta. Ss. Lreis.-ino e Agripino hh.
10. Quintis. Andr;AveIinof.; S. Tiberio.
11. Sexta. S. Martinho b.; S. Verano b.
12. Sabbado. S. Marlinho |>. m.; S. Livino k m.
13. Domingo. Ss Arcadio, Pauullo e /..Lina v/ms
ASSIGNA-SK
no Recite, em a livraria da praca da Independio,
cians. 6e8, dos proprielarios Manuel Figurina
de Fari & Pilho.
PARTE OFFI01AL
G9Y2R50 DA PROVINCIA.
Continuarn do expediente do dia 7 de novembrode
1864.
Circular todos os jnizes de direit^.Determi-
nando o governo imperial em aviso circular de 14
de oulubro ultimo, que os tabelles e escrives
desta provincia, nao lavrem eserpturas de con-
tratos onerosos feitos pelas ordens regulares,
sem que Ihes seja apresentada a licenca do mesmo
governo, que devem solicitar para a celebraco dos
mesraos contratos nos termos da lei de 9 de dezem-
bro de 1830 e do decreto o. 653 de 28 do dezem-
de 1849 ; assim o fago constar a Vmc. para seu
conhecimento e expedigo das convenientes ordens.
Igual aos juiws municipaes.
8 -
Officio ao Exm. visconde de Boa-Vista, comman-
dante superior da guarda nacional do Recife.
Sirva-se V. Exc. de informar acerca do que pede
no incluso reqaerimento o guarda do Io batalhao
de artilharia da guarda nacional do municipio,
Henrique Jos da Cuoha.
Dito ao bariio do Livraraento.Inteirado do con-
Nao s nao ha em toda a provincia urna cada
as condicoes recommendadas no 21 do art. 179
da constituigao, como at nao ha nenhuma que
sso possa ter o nome, excepgo da da capital,
esta mesma. alm de nao possuir urna s das
Ha
condicoes exigidas para semelhautes eslabeleci
meatos, contm um numero lio desproporcionado
de presos de todas as classes, e estes em tal pro-
miscuidad?, que, pondo agora de parte os funestos
enconvenenles d'aquel.'a falta de separaco, s
por um favor da Providencia nao se converleu an-
da em fjco de epidemias durante o forte calor que
reina nesta cidade era una grande parto do anno.
Em quatro quadras acanhadas, faltas de ar e de
luz, agglomeram-se, immundos, macilentos e doen-
tios, 40 presos de condicoes e classes diversas.
Sem ar, sem espago, sem aceio, sem quasi pode-
rem mover-se em tao abafados c hmidos recessos,
esses desgranados veem assim a soffrer muito mais
do que simplesmente o rigor salutar de castigo,
contra todos os preceilos da lei e da humanidade.
No relatorio apresentado cmara municipal
pela commissao encarregada de examinar as pri-
soes, e de que opportunamente vos darei conheci-
mento, havefs de encontrar a descripcao affligido-
ra do estado da cada, bem como a indicaco dos
me|horamentos que ella urgentemente reclama.
Convindo tomar promplas providencias sobre as-
sumpto tao melindroso, resolv transferir a cmara
leudo do officio que V. Exc. me dirigi em 5 do | pira o velho palacio da presidencia, onde funecio-
navam a respectiva secretaria e a repartigao das
obras publicas, destinando outras prisoes o lado
do edillcio oeenpado entao pela inuoicipalidade.
Acabo de efectuar a transferencia, como vedes,
pois que vindes de installar-vos no novo pago da
cmara ; mas, estando prxima a vossa reuoiao,
nao quiz autorisar despezas cora a obra de que pre-
cisa a cada.
E' indispensavcl que me habeliteis para isto
com os meios necessarios, quando houverdes de
consignar fundos para o melhoramento de algu-
mas das prisoes da provincia, que d'elle nao po-
dem prescindir por mais tempo sem grave prejui-
zo para o importante ramo de servigo com que el-
las entendem.
Neste caso, mais do que qualquer outra, est a
da cidade de TelTe. O edificio em que se acha es-
tabelecida um velho e esboroado casebre, perten-
cente municipalidade, coberto de palha, e tao
arruinado que mais me pareceu, quando o visitei,
ama habitaco abandonada por imprestavel, do
que urna casa destinada a guarda de criminosos.
Havia all uns poucos de presos, lguns j con-
demnados. Fui levado a fazer quasi favoravei jui-
zo de todos elles, tanta me pareceu a sua confian-
za na propria ianocencia, eu o decidido escrpulo
que tinham de compromti'.ev os poucos soldados
que os guardavam. De dutro modo custoso ex-
plica r a repugnancia d'aqielles horneas pela fuga
que tao f/acil se Ihes aprsenla.
E' urgente, mesmo indispensavel, dotar com
urna__ 'aquello ponto, o mais importante de todo o Soli-
moes.
Das 16 pristes que conta a provincia smente
duas, a da capital e a de Barcellos, acham-se ac-
commodadas em proprios nacionaes. Todas as
mais ou o estao na parte das casas das respectivas
cmaras municipaes, ou em casas particulares alu-
gadas para semelhante lira, ou em summa nos
quarteis dos destacamentos militares.
Em toias es te o anno prximo findo, 538 presos, inclusive re-
crutas e desertores.
Administraco da justiqa.
Graves inconvenientes embaracain em todo o
imperio o bom andamento deste importante ramo
do servico publico. Resultado da propria organi-
sacao judicial, que anda longe de ser perfeita, laes
inconvenientes sobem muito de ponto nesta pro-
vincia, onde nao sei mesmo se a reforma que ora
pende do parlamento trar sensivel mudanca ao
presente estado de cousas.
Causas locaes, que procedem da condigo espe-
clalissima do territorio e da falta de pessoal habe-
litado para os diversos cargos que o complicado
mechanismo da iostiluicao judiciaria reclama, an-
da por muito tempo difcultaro aqui a marcha re-
gular da administraco da jus.tica
Nenhuma reforma, por mais sabia e bem com-
binada que soja, ser capaz de snpprir a provincia
do que ella por ora nao tem, isto de meios de
prompta comraunicacao que encurtem as dlstan-
corrente, tenho a dizer em resposta, que j estao
eitas ao procurador fiscal da ihesouraria provin-
cial todas as|recommendacoes necessarias relativa-
mente ao embargo que poz Thora Rodrigues da
Cunho obra do cano de esgoto em construeco
na ra de Santa Isabel e de que trata o seu cita-
do officio.
Dito ao coronel coramandante das armas.Ex-
peca V. S. suas ordens para que as 11 horas do da
da manha se aprsente ao Dr. chefe de polica
urna escolta de 12 pracas commandadas por infe-
rior para conduzir seis criminosos at o termo do
Limoeiro.Communicou-se ao Dr. chefe de po-
lica.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.O
juiz municipal e de orphaos do termo da Santo An-
tao, bacharel Pedro Secundino Mendes Lins, parti-
cipou quo em 13 do mez passado, entrou no gozo
da licenca de 30 das que obteve : o que coramu-
nico V. S. para seu conhecimento.
Dito ao mesmo Remero inclusos os officios do
coronel commandante das armas n. 1,970 de 3 do
corrente e do alferes Constantino Martins Fernan-
des, a que elle se refere, aflm de que V. S. infor-
me na parte que Ihe diz respeito, devotvendo-me
os referidos officios.
Dito ao mesmo.Visto achar-se esgotado, como
consta do officio dessa inspectora n. 644 de 7
to corrente, o crdito consignado para premios
de voluntarios e eugajados para o exercito no
exercicio de 1863 a 1864, por conta do qual
despendeu o alferes commandante do destacamen-
to uricury, Pedro de Alcntara Tiberio Capjstra-'
no, a quantia de 2333333 abonada no^mezes de
evereiro a abril ltimos, os premio/Sque compe-
tan) a duas pracas do mesmo dosiacamenlo, re-
fSSSKKte kN'.^Oue sob minha^esponsabilidade
e nos termos do 7U a?> do/uecrelo n. 2,884 do
i" de fevereiro de 1862, mande levar em conta
aquella quantia no ajuste das que est prestando o
predito alferes nessa repaatigao.
Dito ao mesmo.Remeti por copia V.S. para
os convenientes exames o mappa da forca da guar-
da nacional em servigo de aestacaraento nestaca -
pita I, datado de honiem.
Dito ao mesmo.Com copia do officio do inspec-
tor do arsenal de marinlia n. 774 de 3 do corrente,
remeti inclusa a conta em duplcala da despeza de
49,5123 feita pelo mesmo arsenal com e forneci-
meiito de varios objeetos necessarios ao telegrapho
da torre do eollegio para que V. S. mande indem-
nisar a repartigao de marinha aquella quantia.
Coramunicoii-fe ao inspector dj arsenal de ma-
rinha.
Dito ao mesmo.Remello incluso o requerimen-
to do alferes ajudante do 7U batalhao de infamara
Aurelio Jos da Costa, para que V. S. mande abo-
nar em os devidos lempos a consignagao que elle
prentende deixa>* de seu sold a Francisco Jos de
Campos Pamplona nesta provincia.Communicou-
se ao coronel commandante das armas.
Ditoso mesmo.O bacharel Joaquim Theotonio
Sobres de Avellar parlicipou que, por ler comple-
tado o seu quadrienio, deixou em Vi do mez pas-: cias, de um corpo de*jnizes du fado penetrados da
sado, o exercicio do cargo de juiz municipal e de gravidade da missao que Ihes confiada, e final-
orphaos, do termo de Cimbres: o que communico mente, por que al isto Ihe fallece, de individuos
a V. S. para seu conhecimento. no caso de preencher convenientemento, as diffe-
Dilo ao director das obras militares.Mande rentes localidades, os empregos e officios da jus-
V. S fazer cora urgencia os concerios_de que ne- tica.
cessitam o cano do ramal da illuininacao a gaz em 'Entre os males que afilgem a situago presente
direegao ao dormitarlo do pessoal da companhia e por ventura continuarn a aggrava-la no futuro,
de cavallaria, e o bragode ferro da mesma illumi- existe um que a todos sobreleva, mas que enire-
nagao de que traa o officio do commandanto tanto, cusi de algum esforgo, pode ser mais de
d'aquella companhia de o do corrente, constante prompto removido. Refiro-me falta de hachareis
da copia inclusa.Communicou-se ao coronel cora- formados para exercerem os lugares de magislra-
mandante das armas. tura.
Dilo ao promotor publico do termo desta capi- No meu entender, como no de todos que tcem
tal. Additando o meu officio de 2 do corrente, tido occasio de observar por si quanto se difficul-
reraetto incluso Vmc. copia do que hontem me ta o enfraquece aqui a aegao das autoridades su-
dingio o director geral da iostrurcio publica, 6 o penores pela ausencia de bons auxiliares, opreen-
documenlo original a que elle se refere. chmenlo de laes cargos por pessoas lettradas
Dito ao delepado de polica de Cimbres. Para
os ios convenientes, remello Vmc. as chaves da
cadeia dessa villa.
Portara.O presidente da provincia, atienden-
do ao que requereu o juiz municipal e de orphaos
do termo de Garanhuns bacharel Francisco An-
tonio Cesario de Azevedo, resolve conceder-lhe 2
mezes de licenca com vencimenlos na forma da
lei, para tratar de sua sade.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o capitao cirurgiao-mr do estado
maior do commando superior da guarda nacional
do municipio de Nazareth, Dr. Symphronio Cesar
Coutinha, que tem fixado a sua residencia ne-ta
capital, resolve determinar que se Ihe passe a guia
de que trata o art. 45, do decreto n. n. 1130 de
12 de margo de 1833, e que neste sentido se espe-
sara as ordens convenientes Ofllciou-se neste
sentido ao commandante superior de Nazareth.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes, mandem dar transporte para a corte,
por conta do ministerio da guerra, no vapor que
se espera do norle, aos soldados Antonio Joaquim
de Siqceira e Guilherme Gongalves Gurjao, que
foram transferidos da compauhia de cavallaria
desta provincia, para o 1." regiment de cavalla ia
ligeira.Communicou-se ao coronel commandante
das armas.
INTERIOR.
AMAZONAS.
Relatorio aprescatado assembla legislativa da
provincia do Amazonas, na sessio ordinaria do
4 de oulubro de Isil, pelo Dr. Adolplio de
flarros Cavaleanli de Albuquerqne l.acerda, pr-
stenle da mesma provincia.
(Contlnnngao..)
Cadas.
O estado das prisoes excede a tudo quanlo po-
deria dizer-vos em seu desabono.
urna das primeiras necessidades da administragao,
e um dos maiores servigos que a provincia re-
clama.
Conhego quao difficil encontrar quem a isso se
queira prestar mediante as mesquinhas vanlagens
que a lei offerece, e sem garanta de um futuro
melhor, que compense os sacrificios e privages
de tao penoso tirocinio. Mas nao desanimo de at-
trar alguns hachareis que se resolvam vir exer-
cer os cargos de juizes municipaes e promotores
pblicos.
Ao governo imperial tenho-me dirigido neste
sentido, expoodo as difRculdades com que luto; e
posto reconhega que por si mesmo pouco pode fa-
zer, espero todava que me auxiliar nos esforgos
que nao cesso de empregar para que esses lugares
fiquem preencludos por pessoas tituladas em di-
reito.
Acham-se prvidas de juizes de direto as tres
comarcas em que se divide a provincia.
Para a de Solimoes foi nomeado, por decreto de
12 de margo de^e aun-*, o bacharel Romualdo de
^ouza Paes de Andrade, que entrou em exercicio
e nelle se tem conservado desde 12 de maio.
Est ausente por ter ido tomar assento na assem-
bla legislativa da provincia do Para, o juiz de di-
reto de Parntins, Marcos Antonio Rodrigues de
Soma.
Por decreto de 13 de abril tambem deste anno,
foi nomeado juiz municpai e de orphaos dos ter-
mos reunidos da capital e Barcellos o bacharel Ma-
noel Caldas Brrelo. Tendo-se apresentado a 7 de
junho, prestou juramento, e logo assumio o exerci-
cio do seu cargo.
A 4 de setembro deste annoconcluo o quatrien-
nio da le o juiz municipal do termo de Ega, ba-
charel Francisco Carlos Marianno Jnior, que se
acnava no gozo de um mez de licenga.
Receio que esse cargo tenha de permanecer por
mais lempo do que convm as mSos de supplen-
tes, como permanecem ainda em poder de Indivi-
duos que nao sao professionaes as tres promotorias
publicas da provincia.
: No decurso deste anno leera sido celebradas 4
sessdes do jury, sendo urna em cada um dos ter-
mos da capital, Serpa, Ega e Manes.
Neste ultimo, nao houve julgamento por falla de
processo. No de Villa-Bella da Imperatriz deixou
de ser convocada a primeira sesso no primeiro
semestre.
Nos oulros tres, foram julgados 11 crimes, com-
meltidos por 11 reos, dos quaes foram condemna-
dos 9 e absolvidos 2, e se distribuem pelo seguinte
modo :
Annos. N. dos proc. N. dos reos. Cond. Absolv.
1861 1 i i
1862 i i i
1863 5 5 14
1864 1 4 13
Somma-----11
11
Estes crimes foram todos particulares, e classifi-
cam-se assim :
Homicidio..................... i
Ferimentos e offensas phvsicas... 8
Estellionalo............"....... l
Roubo......................... i
11
Dos 11 reos, todos de 21 40 annos, eram :
Brasileiros----- 10
Estrangeiros... 1
Foram condemnados :
A' priso com trabalho.. 1
A' prisao simples....... 1
2
iiveram comego os processos :
Ex-offlcio............. 10
Por queixa de parte___ 1
11
Pelo juiz de direito da caplta!, de conformidade
com a le de 2 de julho de 1850, foram julgados 8
reos de 3 crimes, sendo por :
Homicidio.. 2
Roubo..... 1
Destes
penas :
reos foram condemnados s seguintes
Gales..:........ 6
Prisao simples... 17
Asolvidos....... 1
8
Erara todos nacionaes, de 21 40 annos de ida-
de, solteiros, e se achavam presos.
Nacomarca de Solimoes, que tambem frontel-
ra, nao houve julgamento nenhum em virtnde des-
ta le.
Pelo juiz de direito dessa mesma comarca foi
jnlfrado um processo de responsabllidade, por cri-
me de irregularidade de conducta, sendo o rocon-
demnado nerda do emprego e inhabilitagao para
qualquer oulro.
Todos estes crimes acham-se comprehendidos e
classificados no seguinte mappa demonstrativo:
CRIMES.
Homicidio..............
Tentativa .4e homicidio...... .
Ferimentos e offensas phisicas.....
Roubo ............
Furto................
Eslellionato........... '
Estupro............, .
Damno ...............
Qucbra fraudulenta .... .
Fuga de presos...........
Perjurio..............
Desobediencia..........
Uso de armas defezas. ." !
Resistencias.............
Ameagas..............
Calumnia e injuria......... .
Infracgao de posturas........ .
Offensas a moral...........
Entrada em casa alheia........
Irregularidade de conducta......
Falsidade................
Falla de execugo no cumprimento de
deveres........
Somma.
1857
18
1
12
2
1
1
36
1858
1
1
1
13
1
39
1859
i
2
19
3
i
I
1
3
3
1
I
1
->
1860
i
5
24
US
1861
20
1802
15
1

-i
I
2
Ti
18C3
i
21
Polica.
Consta na provincia a exoneragSo do juiz de di-
reito Caetano Estellita Cavalcanti',Pessoa do cargo
de chefe de polica ; assim como a nomeagao do
juiz de direito Sebastiao Cardse para substitui-lo,
visto ter obtido dispensa do mesmo emprego o juiz
de direito Luiz de Ccrqueira Lima, antecedente-
mente nomeado.
Nao obstante, contina a frente desta importan-
te repartigao o primeiro destes magistrados, at
que se aprsente o seu successor ou eu receba
'communieagoes do governo, a quera j dei conhe-
cimento disto mesmo.
Consta o pessoal da polica de 5 delegados e 22
subdelegados, alm dos respectivos supplentes.
scripcao policial, a que ficou pertencendo tambem
urna parte do dislricto do Puis, e j se acha pro-
vida de subdelegado e supplentes.
Esse ponto hoje igualmente um dos de escala
para os vapores da 2" linha da companhia de na-
vegagao e commercio do Amazonas.
Ainda nao foi possivel, nem creio que seja fcil,
inslallar o municipio de Borba, creado pela lei
n. 74 de 10 de dezembro de 1857.
E' tal o atrazo e falta de pessoal daquella de-
cadente villa e seus desertos arredores, que ainda
nao poderam ser fetas regularmente as eleigoes
de vereadores e juizes de paz.
Quantas se fizeram leera sido annulladas.
Em vista disto, julgo acertado que nullifiqueis
d., ,, ^ '. > H -"fi"c"'"- cm visia uisio, juigo acertado que nuiuiqueis
Para um territorio tao extenso e onde as cora-1 semelhante desmembrado, repondo as cousas no
lliucacoes sao lao e.ntas. este nessnal nao nndi' ..,.... a ___-_:__' K__.__ j. .... .,.
3
SI
L
mnepoon
| -sop!
S0pA|0Sqv
raunicagoes' sao to lentas, este pessoal nao pode
deixar de parecer insuficiente. Assim comeffei-
to, sem embargo da raresa da populagao, que, se
diminuta, vive disseminada e errante por esse la-
byriuto intrincado de ros, lagos, canaes c iga-
raps.
Entretanto este mesmo reduzido numero de
agentes costo se pode obter. O provimento dos
cargos de polica aqui urn dos grandes embara-
cos da administragao. Nioguem os quer, ninguem
os ambiciona, todos os repudiam ; e se alguns os
aceitara para ou viverem licenciados ou pedirem
logo ap<^mnecac.ao pretesto de molestias ou de
sacriOcioslde iuteresses.
A autewrte policial tem deveres mni arduos
comprir, I nao est nem no carcter indolente dos
'fllhs da'provincia, nem na mesqainha condicao
de fortuna em que o geral delles vive, sobmeite-
rem-se aos labores de laes empregos e s odiosida-
des que Ihes sao Inherentes, quando nao esperam
retirar d'alli ura proveito real e immediato.
Acham-se providas, no entanto, 4 delegadas
e 20 subdelegadas; faltando preencher a delega-
ca do termo de villa Bella da Imperatriz e as sub-
delegadas dos dislrietes de S. Gabriel e de Manes.
Oulro tanto nao acontece com os lugares de sup-
plentes. A falta de pessoal, apgravada anda pela
-S B
L
uoapuoQ
repugnancia que assignale., nao ecousa que possa e um povoado nas condicoes
ser suppnda pela diligencia e esforgos das au- n0(ier nrnsncrar
toridades.
mesmo p em que estavam antes do acto di
1857.
Anda obtido o fazimenloda eleigao, restariam
sempre insuperaveis difficuldades para o preen-
chiraentodos lugares que a creagao de municipio
acarreta.
Estive alli em junho ; e isto que vos digo nao
senao o resultado do que por mim obsefvei.
Acho de grande conveniencia a mudanga da
sede da freguezia de Ponte-Boa para a margem do
Solimoes, em um local prximo povoago exis-
tente e conhecido por barreas de Fonte-Boa,
A sede actual tem todas as condigoes desfavora-
tfiis para um povoado. O terreno apreste e es-
eahrosTeSias10 seja muilo elevado, hmido e
corlado de charcos que uo .-ei-eain nunca e tor-
nam a localidade bastante insalubre. E' situado
alm disto dentro do acanhado lago daquelle no-
me. Em descendo as aguas do rio, sao os vapores
obrigados a ancorar urna grande distancia. Para
penetrar entao no lago, se tal denominagao Ihe
cabe, preciso ir em escaler, o que obsorve tempo
e trabalho, esses dous grandes capitaes de que
em geral tao pouco caso se faz nesta provincia.
Era todas as creacoes do Amazonas, deve-so, Francisco Akcs da Sllveira Bnl0 plenamente,
sera de modo algum esquecer a estreiteza do pre- ll){: joa,luim A|Ves de Albuquerque, idem.
sent, ter sempre em vistas a largueza do futuro,' -
que ndico nunca
maz de Olveira, esub-dacono o Rvm. Sr. coneg
vice-retor Jos arques de CaMHm).
O Rvm. Sr. conego Joaquim Ferreira dos Sanios,
subindo ao pulpito, prafenouma oragfu> gratulato-
ria muito anloga ao acto. Primeiramente demoas-
trou em rpido esbogo a visivel protecro que a
Providencia consianiennnte lem liberalisado ao
territorio da Santa Cruz, desde a sua desrnberta
al os eossos dias : em segundo lugar, provou que
a allianca da excelsa herdeira do throno hra-ildro
cora una dynastia decahida, porm fiel e religij-
sa, preferivel a lodos os respeitus a qalquer al-
lianga com urna dynastia poderosa e reinante, po-
rm eivada de impiedade. Foi por certo um pla-
no bem tragado e melhor desenvolvido. Consta-
no- que S. S., sendo convidado pelo Exm. Sr. vica-
rio capitular para orar na solemnidade, ceder to
smente s instancias de S. Exc. Rvma., e nada
quiz receber pelo seu trabalho, para o qnal apenas
pode dispr do pequeo espago de tres dias.
Todo o arto csteve pomposo e brilhanie : a m-
sica foi do mestre da capella, o Sr. Trajano Filippe
Nery. A antiga capital de Pernambuco ainda urna
vez tomou a dianteira, e reassumio a po-igao que
outras eras Ihe coubera; e a velha e magestosa
cathedral, recordando-sede suas passadas glorias,
reuni debaixo de suas vastas naves, indo o que
de grande e de glorioso ainda resla cidade da sua
antiga lougana.
Fazemos volos para que a antiga capital de Per-
nambuco saia da apalhia e morasmo em que por
tantos annos lem vivido, e se resol va a adherir s
ideas de melhoramento e de progresso que hoje se
fazem sentir por toda a parte.
Quinta-feira noite queimou-se, no Camp
das I'rincezas, o fogo de arlilicio, complemento dos
festejos que em regosijo do casamento da serenis-
sima pnnceza imperial fez a nossa municipalidad?.
Nessa mesma noite, a empreza dotheairo de
Santa Isabel, recebeu cavalheirosamente as pes-
soas, que a ella se dirigirara, no salo do edificio
que ornara para esse fim.
O edificio eslava todo Iluminado, c no salo se
achava a msica de curiosos particulares l'ntao
Commercial, a qual alm do hymno nacional, lo-
cou algumas pegas que muito agradaram ao gran-
de concurso de pessoas de ambos os sex#s, que
alli estavam.
O Exm. Sr. visconde da Boa-Vista, em sua
solicitud pela guarda nacional do seu commando
superior, acaba de obter o quarlel do Hospicio afim
de transferir para alli o batalhao da guarda nacio-
nal, que se acha aquarlelado.
E' com etfeilo esta urna medida de neces^idade,
pois o quarlel de polica nao pode comportar dous
corpos diversos pela falta de proporges para isto,
e mesmo pela Inconveniencia que 'resolta de tal
promiscudade de soldados divergos.
A transferencia consta-nos que ser realisada
imnela
Hoje principiam as novenas da Gloriosa Vir-
gem Martyr Santa Cecilia erecta no convento do
oarm?, -?^-.-. *-,T.t'i*i< psfclffe >,: ..jy^j imwIo
de ser cantado no fim das mesmas uns ricos
sos por urna das juizas o'o anno, sendo rompo^lgao
nova do bem conhecido maestro IVreira Serzedello.
Fizeram acto na Faculdade de Direito do Re-
cife. no da 9 do crreme, os seguales esiadaa-
tes :
1 anno.
Joaquim Newton de Carvalho, plenamente.
Vicente Tavares Rodrigues Lima, simplesmenle.
sofjAiosqv
* B
na
umspuoo
sopupsqv
Jila
uuiopuo^
sopiA|Osqy
uuiapuo3
sop|A|osqv

auiapuoQ
sopiAjosqv
-sopButuapa83
sop!.\|osqv
saoqdmnQ
'Sdjowv
i ^^
seanfui
eisup |
-U03 op opepiJe|n3ajj[ i
'soiuaiuudj
|~_<
oieuo!H8|S3
oqnoa
oipiaiuioj
o
\<
u-
a
v.
o
soAJosg
sajAn
soaoia
sopeseo
sQ.no [os
u
soJiaSuejisg
flaraopau
*-n*r && a>
^.(O

saj3q|nK
snaiuoH
S3KIHD soa viva
T*tt
o
OO 00 GC 00
ESES
Em toda a provincia existem apenas dous sub-
delegados militares, o de Bacas, no rio Madeira, e
o de Tabalinga, no Solimoes.
A condicao de fronteira destes dous pontos, a
falta de que cima tratei, e alm disso pelo que
toca ao primeiro, as frequenles dissences que se
ergnem entre os coraraerciantes e seringueiros do
rio Madeira, irapoem a necessidade de conservar
em ambos esses lugares agentes que inspiren! a
mais plena confianga.
O numero dos criminosos capturados durante o
Io semestre deste anno, segundo as informagoes
que me foram ministradas pela polica, foi de 39, a
saber :
Por crime de homicidio............... 7
> de roubo................... 2
de ferimentos graves e offensas
phisicas.................. 10
de eslellionato.............. 1
de desobediencia............ 1
de desergo do exercito e ar-
mada .................... 18
39
foram capturados
No decurso do anno passado
os segrales :
Por crime de homicidio.....
> de tentativa de homicidio.
de ferimentos e offensas phy-
sicas..........
Por crime de roubo......
> de tentativa de roubo.
de furto.......
de ameagas......
de desobediencia ....
de injurias......
de uso de armas defezas .
i de damno......
de estupro......
> de offensas moral e aos bons
costumes.........
Por erime de focos prohibidos.
de infracgao de posturas. .
de acoutar desertores .
de desergo do exercito e da
armada...........
A estatisiica dos crimes julgados desde 1857 at
o presente, com indicagao dos annos em que foram
c mmettidos, consta deste quadro :
13
3
24
4
1
5
1
S
2
2
1
1
%
6
2
2
34
"Til
Estas cifras attestam que, despeito oos emba-
ragos com que lula a polica, gragas dedicago e
zelo de seu esforgado chefe, lem sido vigilante e
activa na parte que Ihe cabe em a represso dos
dolidos.
Alguns criminosos achavam-se foragidos desde
annos; e quem como vos conhece a natureza es-
pecial do vasto territorio da provincia e os recur-
sos mais que reduzidos de que a autordade dis-
pe, est no caso de julgar se o resultado obtido
deixa de ser lisongeiro.
Encarecendo-o como devo, rendo o elogio de
que se faz credor o digno magistrado, a cargo de
quem se acha este servigo, e ao mesmo tempo
manifesto-lhe o meu particular agradecimento pela
leal cooperago que rae tem prestado no desem-
penho dos mpus arduos de veres.
Dtriso cml, judiciaria, policial e eclestastica.
Pouco tenho a accresceotar neste ponto ao que
vera explicado no relatorio com que receb a ad-
ministragao.
Tendo affluido durante estes ltimos mezes
crescido numero de pessoas desta e da provincia
do Para para b lago de Cudajaz, prximo em-
bocadura do SolimSes, e cujas margeos offerecem
abundantes seringaes, creei alli por acto, de
14 de julho deste anno, um districto de snbde-
legacia. Na respectiva portarla que vos ser pre-
sente, encontrareis os limites desta nova circum-
forra publica.
Guarda nacional.Nao aprsenla alteragao esta
milicia. A suaorganisagao ainda a mesma ; o
seue-tado, prtanlo, nao pode ser lisongeiro. Dos
defeitos daquella nascem principalmente os incon-
venientes deste. Ao conhecimento do governo im-
perial de quem o assumpto depende, tenho por
vezes feto chegar uns e outras.
A condican da provincia fronteira, e por assim
dizer quutuplicadamente fronteira, aronsellio que
se d urna organisacao especial a esta forga.
No p era que se acha, nao vejo de que
de possa ser o estado e particularmente
vncia. De tudo carece, desde chefes, que ou se
acham ausentes, ou faltam e nao foram substitui-
dos, at armamento. Sem disciplina, sem instruc-
go, sem dea do que e para o que se destina,
claro que a guarda nacional pode ser tudo, me-
nos urna milicia.
Nenhuma informagao, apezar de, exigida com
muita antecedencia, foi-me presente sobre este
ramo de servigo.
Cinjo-meportanto, aos dados que encontrei nos
relalorios dos meus dignos predecessores, e aos
que existem na secretara.
O estado effectvo da forca de 5,494 pragas,
das quaes 4,671 do servigo activo e 803 da re-
serva.
Contina licenciado e ausente da capital o com-
mandante superior, coronel Leonardo Ferreira
Marques.
Entrando no gozo de um anno de licenca o te-
nente-coroncl Manoel Thomaz Pinto, que o substi-
tua na qualdade de chefe de esiado-maior inte-
rino, e que falleceu a 5 do corrente, designei
para assumraquelle"commando o tenenle-coronel
Raymundo Egydio da Costa Barros.
Para preencher a vaga deixada pelo fallecido
tenenle-coronel Joao Martins de Moura, foi nomea-
do chefe de estadn-maor o capilao Antonio Lopes
Braga. Mas nao tendo a presidencia recebido com-
municacao offlcial este respeito, nem havendo o
nomeado apresentado a sua patente, contina
aquelle official no exercicio interino do posto.
Por decreto de 9 de julho deste anno, foi refor-
mado no de major o capitao Aureliano Antonio
Delgado.
A guarda nacional acha-se alliviada do servigo
de destacamento. Sendo incumbida pela presiden-
cia de auxiliar, nos domingos, a guarnigao da ci-
dade, foi afinal dispensada desse servigo, que ra-
rlssiraas vezes prestou, desde a chegada do con-
tingente da tropa de linha que requisitei da pro-
vincia do Maranho.
Luiz Pereira de Araujo, idem.
Henrique de Alencastro Autran, idem.
Manoel Ribeiro Brrelo de Meoezes. idem.
2o anno.
Pedro Carneiro da Silva, plenamente.
Jo< da Costa Carvalho Guimares Jnnior. idem
Joao Barbalho Ucha Cavaleanli, idem.
Firmiuo Gomes da Sllveira. idem.
3o anno
Jos da Motta Nones, plenamente.
Jos Peregrino de Araujo, idem.
Pelino Francisco de Carvalho Nol.re, idem.
Joaquim Joas Bezerra Montenegro, dem.
4 anno.
uniida- Eduardo Thompson, plenamente.
'! Jos Vicente da Cosa Bastos, simplesmente.
Ruliro Tavares de Almeida, plenamente.
Manoel de Almeida MacedoSutlr, idem.
Joaquim Moreira da Silva, siiiiplesmente.
5 anno.
Barnab Elias da Rosa Caltielro?. plenamente.
Manoel Rolin Alencar, idem.
Manoel Caetano de Oliveira Passos, idem.
Resultado dos exames feitos no curso de pre-
paratorios annexo Faculdade de Direito no da
8 do corrente :
Latim.
Plenamente..... 3
Simplesmenle... ti
Reprovado...... 3
PERNAMRUCO,
12
Francez.
Plenamente...... 7
Simplesmenle___ 5
12
Hoje se extrahir a 1* parte da lotera d*
matriz de Nossa Senhora do Rosario de Gmanna
(115*), sendo os dous maiores premios de IO:000 e
3:0005.
Movimento da casa de deteogodo dia 10
de novembro de 1864 :
Exisliam....... 359 presos.
Entraram...... 7
Sahiram....... 13
Existem....... 353 .
A saber :
Nacionaes..... 284
Mulheres......
Estrangeiros...
Estrangeira
Escravos......
Escravas......
II
:t
-i
II
4
353
REVISTA DIARIA.
Ti vemos occaslao de assislir na cathedral de
Olinda no dia 8 do corrente ao solemne Te-Deum
que S. Exc. Rvma. o Sr. vigario capitular mandou
celebrar em aegao de gragas ao Omnipotente pelo
feliz consorcio de S. A. Imperial a Sra. D. Isabel
Chrislina, com S. A. Real o Sr. Luiz Filippe, conde
de Eu. Foi por certo urna feliz lembranga que oe-
rorreu a S. Exc. Rvma. de mandar celebrar um
Te-Deum na cidade de Olinda e s para a cidade
de Olinda.
O templo eslava ornado como para as principaes
festividades da cathedral; achavam-se presentes o
corpo capitular, o clero e os seminaristas, a cma-
ra, representada por alguns dos seus membros e
as autoridades e offlcialidade do lugar. Offlciou no
acto S. Exc. Rvma. o Sr. vigario capitular, servio
do do dicono o Rvm. Sr. conego Dr. Manoel Tho-1 ves, por insultos.
Alimentados cusa dos cofres provincia*- IV
Teve baixa para a enfermara :
Francisco Gomes de Andrade.
itKPAimgAo da polica :
Extracto das partes dos das 10 e 11 de novesa-
bro de 1864.
Foram recolhidos casa de detengo no da 9
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. enefe de polica, Ma-
noel e Sabino, escravos de Jos de Mallos, arenui-
sigo do Dr. juiz municipal de Pao d'Alho: e Jos
FerrSo, para rorreegao.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Antonia
Mara da Conceigo, Benedicto Donato Bispo e Va-
lerio escravo de Joaquim Manoel Ferreira de Sou-
za, para averigoagoes.
A' ordem do ir. juiz municipal da vara. Ma-
thias Jos da Paz, como pronunciado no artigo 106
do cdigo criminal.
A' ordem do subdelegado do Rerife, Eoiif*
Manoel dos Santos, por hriga; e Eugenio, eserat
de Alfonso Brrelo, a renueyimento deste.
A* ordem do da Capp.uga. Jos dos Saalos Ne-
MUTILADO



Diario de FerstMfcaeo ... abbado lt de Xovembro de 1 s4.
A'ordem do Ja Magdalena, Martiniano Bezerra.
Leite, pan averignacdcs policiaes.
A" ordem do da Vanea, Bento Joao Ferreira Be-
trra, por briga.
10 -
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chafe de polica, Fe
lisberto Francisco da Costa, para recruta ; o Jos
Mara, como desertor.
A' ordem do subdelegado de Smto Antonio, An-
tonio Jos-i Joaqtiim, para averiguac5es.
O cliefe. da 2* seccao,
J. G. de Mesqutta.
Passageiros do vapor brasileiro Pcrsinunga,
\indo do Acarar e portes intermedios :
Augusto Cesar Magalhes, Antonio Joaquim de
Almeida, Manoel de Mello Montenegro, Manoel Al-
ves Ferreira Maia, Candido Ferreira da ilva Tor-
res, Narcizo Joaquim de Mondonga, Vicente Fer-
reira de Carvaho, Belarmino de Oliveira M., Ma
noel Maria do S., Mantel Francisco de Franca, F.
da Rocha Brando, Antonio Fernandes, J. I. Go-
mes dos Res Filil), Ignacio Eduardo de Queiroz,
Antonio T. de Oliveira [., Miguel Goncalves do
Carino, Francisco de Siqueira de Carvaho, Fran-
cisco Jos Gomes, Paulino Jos Ribeiro, Francisco
ldelfonso, R. Godencio de Oliveira, Miguel Lucas
da Costa, Luiz da Rocha Fagundes, Jos Antonio
Martins Leal, dous criminosos e tres pracas de
polica que os acompanha.
OuiTUARlO 00 CEUITKIUO TUBLICO NO DA 9 DE
KOVEMBUO DE 1864.
Maria Joaquina de Sant'Anna, Ternambuco, 78 an-
uos, viuva, >anto Antonio; gastra hepalite.
Oia 10.
Maria, Pernambuco, 7 mezes, Boa-Vista ; hemor-
rhogia.
Luiz Policarpo, Pernambuco, 26 annos, solleiro,
Puco da Panella ; ttano.
Mana, escrava, frica, 48 annos, viuva, S. Jos ;
pneumona.
Maria, escrava, Pernambuco, 4 annos, Recito;
sarampo.
Delirara, Pernambuco, 4 mezes, Boa-Vista; sar-
nas recolhias.
to contigua alfandega desta cidade, propoDho Peda V. 9. deferimento. -E. H. M.-Alcofo-
que soja de>appropriaita o sobrado qu< existe en- rado.
tre urna e outra rua,|eomo se rouhece da plauta da- E nada mais secontinhaenemalgn outracousa.
quella freguezia e que julgo de pouco valor, alten- mais se declarara em tal peticao aqu mui bem e
te ao nao estado da mesura casa.- Leal Seve. fielmente copiada e transcripta, na qual via o des-
bsiiveram em praca as rendas municipaes an- pacho do theor seguinte :
> heje, e foi arrematado por Jos Siin, justificado, no dia 31 do correte, depois da
Lucio Alves pelo espaco de tres annos, o imposte
'!e SiiS2JforJr de Cu'JUeiro pela quantia aunual
te J48f000 ris, por Joao BaptiMa da Matla, e
pela quantia de 3:210*000 ris, por espaco de um
audiencia.
Recite, 28 de outubro
ripe.
Nada mais se continha
de 1864.Alencar Ara-
em dito despacho MU
GANARA fllMCIPVL.
---------------...... .......----- ---------------., ----------- ....... protesto
aiuoem estovo em (traca e foi arrematada pelo theor seguinte :
major Antonio da Silva Gusroo, por procuracao Aos 28 de outubro do 1864, na cidade do Recito,
que apresentou Jos Augusto de Araujo, a obra cm meu cartorio appareceu o snpphcante por seu
las catacumbas do cemiteno publico da frrguezia bastante procurador Rodolpho Joao Barata de AI-
do L'urenco da Matla pela quantia de. ... meida operante mira e as testemuohes infra as-
1:014*000. signadas di.-*e que reduza a irotesto o contedo
A' requerimento do Sr. Barata do Almeida, de sua peticao retro, qual oflerceeu como parte
mandott-se declarar no termo de arremataco do do presente, no qual depois de lido, se assignou
imposto de coqueiros quo s sao obrgados ao pa- com as indicadas tostemunhas.
gamento do mesmo imposto aquelles coqueiros que Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
do fruct>, e sao para negocio. crivo o subscrevi.Rodolpho Joao Barata do Al-
Despacharam-se as peliedes de Antonio Botelho raeido.Manoel Sil vi no de Barros Falco, escre-
Pinto de Mesquita, Antonio Domingos Pinto, Ber- vente juramentado o oscrevi.Secundino Eliodoro
nardino Jos Monteiro, Christiano de ouza Leal, da Cunha.
Dionizio Ferreira Cavahanie (2) Francisco Jos de Nada mais se via em dito termo aqu trans-
Barros, Guilherme Augusto de Athayde, Jos Gon- cnplo.
calves Ferreira Costa, Jos Jacintho Ribeiro, Joao E tendo o supplicante produzido suas testemu-
Antonio de Almeida, Jos Cordeiro do Reg Pontos, nhas que justificaran! a ausencia do supplicado em
Joao Soares da Funseca Velloso, Jos Mariano do lugar nao sabido sellados e preparados os autos,
Albuquerque, e outros abano assignados, Manoel
do Nascimento Jnior, Milito Jos do Livramenlo,
Luiz de Oliveira Lima, Pedro Ignacio Baplista,
Vieira & Netto, Saunders Brothers & C, e levan-
tou-se asessao
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario a
subscrevi.Barata d'Almeida pro-presidente, Reg, rldo a fl. 2.
Leal subiram a minha concluso e neltes dei a sentenca
do theor seguinte:
Julgo procedente a justificado pela qual se raos
tra ai-har-se ausente em lugar incerto, Francisco
de Paula Figucira de Saboya : assim mando que
Seja citado por editos de 30 dias para o lim reque-
P2II50ES 1 PEDIDO.
Aos vinte e tres de seteinbro do 1864, compare-
cern) os Sr.-. Henriques da Silva, Gustavo do Re-!
go, e Mello, nao pode haver sesso por falta de !
numero.
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem, secretario
a subscrevi. Heurique da Silva.Reg.Mello.'
Aos vintc e quatro de setembro de 1864, com- na sua duradoura existencia qnando exposto a
parecendo somente os Srs. Henriques da Silva, influencia do ar. O aroma derivado de olees chi
Gustavo do Reg, Maia e Mello, nao houve sesso
Passe-so a predatoria pedida contra o Dr. Amaro
Carneiro Bezerra Cavaleante, aliui de ser citado
na forma da dita peticao.
Recife.S de novembro de 1864. Tristaode Alen
car Araripe.
E mais se uao continha c era alguma outra
O perfume do hemlsphe* lo CU>a se declarara em tal sentenca aqui mui bem
occidental. fielmen,e C0P'ada e transcripta dos proprios au-
Agua florida de Murray i Lanuoan. m cnmprimento.o referido escrivo fezpassar
(EXTiiAiiiDO do daile times.") j o presente com o prazo de 30 dias pe'o qnal cha-
A verdadeira prova da genuidade e pureza de; mo, iniimo e iei por intimado e mencionado sup-
qualquer um perfume extrahido das flores consiste! plicado de ludo quanto flca dito.
por falta de numero.
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem secretario
a escrevi.RegeMello.Henriques da Silva.
Maia.
Aos 26 de setembro de 1864, comparecendo so-
mente os rs. Barros Reg, Gustavo do Reg e
Mello, nao houve sessa por falta de numero.
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem secretario
a escrevi. Barros Reg presideute. Reg.
Mello.
Aos vinte seto de setembro de 1864, compare-
cern) .-omento os Srs. Gustavo do Reg e Mello,
nao houve sessao por falla de numeo.
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem secretario
a escrivi.Reg.Mello.
micos desvanece em breve e deixa aps de si um
cheiro por certo mui pouco agradavel, porm
aquello que oblido mediante a destillacao de
frescas o odoripheras flores, se apura e aperfeica
pele contacto do ar, e por conseguinte a sua dura-
(3o de maior espaco de tempo. Eis por isso que
a agua Florida de Murray & Lamman, formando
urna concentrada prodtircao das mais raras flores
do sul, apachadas dorante o zenith da sua flores-
cencia o maior fragrancia, nao s possue a fres-
quido de um fresco ramalhete, mas lambem
indestructivel e inextinguivel, a nao ser a excepeo
da lavagem do lenco anteriormente humedecido
na mesma.
A' venda
marias.
cm todas as boticas e lojas do perfu-
GOMMEBGIO.
PRACA DO RECIFE
11 DE NuVEMUKO DE 1864
Cambio sobre Londres 90 d/v. 27 I18 d. or
1*000- V
Duhourcq Junior, presidente.
Cuimares, secretario.
Alfandega
Rendiuento do dia 1 a 9.......
dem do dia 11 ...............
222:447,5844
29.269,3842
251:717*686
Tfl ovltncnto da alfandega
Volumes entrados com fazendas..
t com gneros.
com
cora
fazendas...
gneros...
32o
253
100
953
578
SESSAO ORDINARIA AOS 28 DE SETEM-
BRO DE 1864.
Presidencia do Sr. Barata de Ameida
Presentes os -rs. Gustavo do Uego, Leal Seve,
Mello e Gameiro, abre-se a sesso e lida e ap-
provada a acta da aulecedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um offlcio do inspector da thesouraria de fazen-
da com despacho da presidencia, mandando in-
foramar, em cujo offlcio diz o mesmo inspector,
nao haver inconveniente em serem concedidos de
atormento o terreno e alagado pedido pela Cora-
panhia Brasileira de paquetes a vapor, m.is que
essa concesso s pode ser feita pelo ministro da
fazenda, a quem devem ser remettidos os papis
nos termos do aviso circular de 18 de outubro de
4859. Que fossera remellidos todos os papis ao
ngenheiro cordiador, para informar, e se Ibe re-
comuiendasse urgencia.
Outro do coronel director das obras militares Volumes sahidos
Manoel Ignacio Bricio, dizendo que tendo de pro-
ceder ao coucerto do encanameute d'agua do mes-
mo eslabeleciinento e qtiartl do segundo batalhao
* infaafia, e paseando dito encanamento por
arte da ra des Pires, c parle da do Destino,
pede a cmara que Ihe conceda a precisa licnca,
pera dar corueco a tscavaco ueeessaria. Que .-o
offlciasse ao mesmo coronel daudo-se-lhe a per-
misso pedida, e tambera o fiscal respectivo para
que senao opponha.
Outro do engetiheiro cordeador, informando a
peticao na qual varios individuos pedem para que
a cmara maude fazer os reparos de que precisa a
estrada que do sobrado grande da Magdalena vai
ter ao luttar do Luca, declara que com effeiio a
mencionada estrada pftcia* de ser reparada, e que
tendo a mesma cmara mandado fazer alii una
ponte, parece que o melhoramento da dita estrada
o complemento desia obra. A vista da infor-
maco, luandou-se orear os reparos, c neste senti-
do despachou-se a pelicao.
Outro do procurador informando a peticao da
Antouio Domingos Pinto, na qual pede o pagamento
da quantia de 2;15l*680,iin|ioriancia de alogueres
decadeiras para lodos os actos eleiloraes.iuclusive
s da qoaJjfieacao dos votantes das diferectes fre-
guezias do municipio, e bem assim dos movis que
Sornecera para o tribunal do jury ; diz ser exacto
o que allega o supplicante, e que as contas pelo
mesmo apresentadas sao legaes, sendo certo que
os objectos aellas mencionados foram por elle pro-
curador requisitados para o lim de que se trata.
Mandou-se pagar.
Outro do mesmo, infonmando igualmente a pe-
ticao, na qual Pedro Ignacio Baptista pedo o paga-
mento da quantia de 978*200 ris, proveniente
de cera que fornecera para os actos religiosos,
que tiveram lugar por occasiodas eleicoes desde dem do dia
9 de agosto do aneo pausado at 10 de julho deste !
nono, declara que esta o supplicante no ca>o de ser
pago, visto que a coala por elle apreseniada ver- i ^^^^^m
dadeira.Mandou-se pagar. -----
Outro do fiscal de auto Antonio, commnnican-
do a cmara que em consequencia de ordem della,
fizera demolir o telheiro existente na ra do Sol,
pertenceute aos canoeiros da estacao da ra Nova
deste procediraeuto mandara lavrar um termo
com todas as circuinsiancias, o qual apres^ntava a
er apreciado peta mesma cmara, e conclue de-
clarando haver despendido a quantia de 7*200 rs.
om esse trabalno, o qual pede se Ihe mande pa-
gar. Inteirada, mandou-se archivar o termo, e pa-
gar a despeza feita.
Outro do mesmo trazeudo ao conhocimenlo da
cmara quo a freguezia seu ca-go, acha-se toda
cercada de caes, e que nao cessando a mesma ca-1
mar de rerommendar-lhe em vista da exigencia
da presidencia que nao consiuta a contrauacao de
lxo sobro os mesmos caes, e nao havendo lunar na
mesma freguezja onde se deposite o lixo tirado
diariamente das ras e beccos, roga a cmara que
se digne providenciar, bem como sobre o lugar
ODde se deve fazer os despejos, pois que pela mes-
me razao de estar a freguezia rodeada de caes o
povo os vai fazendo as ras, travessis e beccos,:
sendo que desta forma nao havoro serventePque
fOM* proceder a limpeza conveniente. Que se
levasse ao conhecimento da presidencia o embara-1
Kto do mo ox^CT.P"ra prov,denc,ar a ^ 'e ** "^rem que por parte do administiador
Ihe fura ordenado, a neticlo pm mifi 1 Illm. Sr. Dr. juiz Cl.
Descarregam no dia 12 de nnveubro.
Barca ingleza liomUtt -mercadorias.
Bngue inglcz-Hurmstonmercadorias.
Brigne inlezrtosa/'cmercadorias.
Barca inglezaAraarvao de pedra.
Barca americanaMelinatabeado.
Inioortaeao.
Brigue nacional Catn /, entrado do Rio de Ja-
neiro, consignado a Maia 4 Espirito Santo, mani-
festou o seguinte :
Mercadoria estrangeira.
10 pedras marmore para tmulos, 300 volumes
eom barricas vasias intimadas ; ordem.
Gneros nacionaes
2 barricas com laranginha e canna de Paraty
em grrraloes, 1 barrica, tinta de escrever, li 0 cai-
xas velas, 3 caixoes charutos, 5 caixas cha.
Palhabote nacional Relmpago, entrado do Ass,
consignado Amorun Irmans, manifestou :
1242 alqueires de sal e 800 molhos de palha de
ca nsulia ; ordem.
Brigue inglez James Stnart, entrado de Liver-
pool, consignado Saunders Brollicrs A C., mani-
festou :
261 toneladas earvao de pedra ; aos mesmos.
Receoedorla de rendas Inferna
geraes de Pernambuco.
Rendimento do da 2 a
dem do da 11......
l
7:613*742
832J557
8:146,5299
Consnlado provincial.
Rendimentododiala9......... 11:7685911
il................ 5:503*173
17:272084
DO POETO.
Navios entrados no dia 10.
Acarac e portes intermedios9 dias e 14 horas,
vapor brasileiro Persinunga, de 422 toneladas,
commandanle Francisco Jos da Silva Rates,
equipagem 20, carpa alpodio e oulros gneros.
Baha13 das, brigue portugnez Barros 1, de
289 toneladas; capito Manoel de Oliveira Bar-
ros, eqnipagem 12, carga assucar ; a Palmeira
& Beltrao. Veio recetor ordens.
Observado.
Nao houveram saludas.
E para que chegue ao conhecimento de quem
ioteressar possa ser este publicado pela imprensa
e affixado nos lugares do coslume.
Recife, 8 de novembro de 1864.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direite especial
do commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco, por S. M. Imperial e Constitucional o Sr.
o- Pedro II, a quem Dens guarde, etc.
Fa<;o saber aos que o presente edital vreme del-
le noticia tivercm, que Aranaga Hijo c\ C-, por seu
advogado me dirigirn) a peticao do theor se-
guinte :
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.-Dizem Arana-
ga Hijo & (',., que Antonio Borges Galvo Ucha,
deve aos supplicantesa quantia de 394*630 eseus
juros, importancia de urna letra mercantil saccada
em 5 de agosto de 1859, com o prazo de tres me-
zes que o supplicado nao tem pago at o presnte, e
porque os supphcantes pretenden) garantir o seu
dircito futuro, afira de que a mesma letra nao pres-
creva, querein por isso ioterpor o compleme pro-
testo ua forma da lei, por isso requerem V. S.
qus se digne mandar que o escrivo a quem tocar
o presente, lavre o dito proteste para ser in-
timado ao supplicado, e porque este esteja au-
sente em lugar nao sabido, requerem V. S. que
se digne admitti-los a justificar a ausencia, para
julgada por sentenca se faca a intimacao por carta
edital com o prazo legal.
Pedem V. S. deferimento.E. R. M.Martins
Ribeiro.
Segundo o que assim se continha em dita peti-
cao na qual dei o despacho do theor seguinte :
Justifique no dia 31 do correnle depois da au-
diencia.
Recife, 8 de ootubro de 1864.-Alencar Ara-
ripe.
segundo o que assim se continha erajal despa-
cho, por torna do qual Tora feita a disiflbuico ao
escrivo deste meu juizo Manoel de Ca de Andrade, o qual lavrou o competen- termo de
protesto, depois do que produzmdu os sopplicantes
suas testemunhas que depozeram convenieutwmen
te acerca da ausencia do supplicado, o respectivo
escrivo fazendo sellar e preparar os autos, me os
fez conclusos nos quaes dei e profer a san (encado
theor seguinte :
Proceda a justificaco e assim mando que o au-
sente Antonio Borges Galvo Ucha seja citado por
' edito- de 30 dias para o fim requerido a fl. 2, as
cusas sejam pagas ex-causa.
Recife, 5 de novembro de 1864. Tristaode Alen-
car Araripe.
Seguindo o que assim se continha em dita sen
tenca depois da qual o respectivo escrivo Manoe
de arvalho Paes do Andrade que este subscreveu
e fez pasar o presente pelo qual e seu theor chamo,
cito e hei por citado ao mencionado justificado An-
tonio Borges Galvo Ucha para que dentro do pra
zo de 30 dias compareca ante esie juizo allegando
e provando o que tor a bem de seu direito e justi-
ca sob pena de reveiia.
Portanto toda c qualquer pessoa, prenle, ami-
go ou co-ihecido do referido ausente justificado po-
der-lhe-ha fazer scieole de lodo o expendido.
E para quo ebeguem ao conhecimento de todos
mandei fazer o presente edital que ser affixado
nos lugares do costume e publicados pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 10 de novembro de 1864.
Eu Manoel de Carualho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
Conselho iJiniii-lralivo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra precisa comprar os objectos
seguintes :
Fortaleza doBrura.
30 arrobas, plvora.
Presidio de Fernando.
15 arrobas, plvora.
Quem quizer vender taes artigos apresentera
suas propostas em cartas fechada na secretaria do
conselho administrativo s 10 horas da manha do
dia 16 docsrrente.
Sala das sesses do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 9 de oulubro
de 1864.
Antonio Pedro de S Barrete,
Coronel presidente.
Sebastiao Jos B. Pyrrko,
Vogal secretario.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin E esperado em poneos dias o brigue nacional
cial, era cumprimento da resolucao da junta da Almirante, o qual j tem parte de sua carga enpa-
fazenda, manda fazer publico, que no dia 7 de jada para o reste que Ihe fall e esrravos a fre-
dezembro prximo vindouro, peranie a mesma te, para os quaes tem excellentes commodos, trata-
Junta se ha de arrematar quem por menos fizer se com os seus consignatarios Antonio Luiz de 01 i-'
ocosleio da llluminacaopubilrada cidade deGo- veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da i
anna, avahado cada um lampio em 291 rs. por Cruz n. 1.____________
c k- u I>a!a.Lisbo,a-. 1 O dono -da amiga fabrica de charata* es-
tatura com brevidade o patacho portngoez Ma- garros, sita na esquina da ra de Hurtas n 1, ara-
na da Gloria, recebe carga frete e passageiros: do feilo redoeco dos prec-.* de suas serradora,
trala-se com o seu consignatario E. R. Rabudo, ra couvida aos seus fregucie a vires Matar sen se-
da Cadeia n. 53, escriptorio.
- Para o Rio de Janeiro segu com mnita bre-
vidafle o palhabote brasileiro Artlmr, recebe car-
gaba frete : a tratar no escriptorio de Amonio Ir-
mos, ra da Cruz n. 3. __________________
Para o Porto.
O brigue portugnez Unido, sahe com mnita bre-
vidade por j ter a maior parte de seu carrega-
mento prompto, o para o resto que anda falta tra-
ta-: e com o consignatario Jos Joaquim Lima Bai
rao, ra da Cruz n. 18. __________________
Para o liio de Janeiro
tabelecimenlo com devida proterro de que 1
por se achar rom um variado frumento de rifar-
ros e charutos fino* dos autores mni acreditadas
da Itahia, cachimbos, fumo para o> dilos. fmw '
folha, fumo americano, dito dito em laias. e diver-
sos artigos para os fumantes, em quautu a quati-
dade e preco garanie-.se nao prejndicar tre-
guezes.
ral
s
aa
8
DENTISTA DE PARS
19Ru Ktfi-lt
Fredenco Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operarles de sua arte, e rol-
loca dentes artificiaos, tudo rom upe lie
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos denuncio.
ser feita por tempo de um an-
de Janeiro a 31 de dezembro do
dia.
A arremataco
no, a contar do 1
1865.
As pessoas que se proposerem a essa arrema-
taco comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia,
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
-ecretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 9 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Pela subdelegacia do feres foi recolhkJo a
Para o Itio tlciauoiro.
Val sahr com brevidade o brigue. nacional Sym-
pathia, de primeira classe; recebe-se carga e es-
cravos a frete : a tratar com Manoel Ignacio de
Oliveira e Filho,largo do Corpo Santn. 19.
(asa para alagar na na Crespr
Aluga-se a principiar em I d<* jan*irn pmxim-
futnro o sobrado de tres andares da roa do Cresao
n. 9 : qnem pretender, dirija-se ao .'taM-rin
lo da loja do mesmo sobrado, on no de a. 13
mesma ra.
LEILSES.
DE
II
raH
O hacha re
Francisco Angosto i Oda
a o ver,.t DO
m
m
Quarta seccao da alfandega de Pernambuco, 11
de novembro de 1864.
O 3* escripturario
Manoel Gomes de S.
. 1 candelabro,
, casticaes e mangas, 2 relogios, 1 mesa para jamar,
12 cadeiras, 2 espedios, 2 camas de amarello, 2
ditas de ferro, 1 apparelho de louca para janlar, 1
dito para cha e outros objectos de urna casa de fa-
milia.
11 volumes obras completas de Buffon, 8 ditos
de geographia universal, diccionarios de Roquet
inglez e francez, tratado d'arte militar, arte de
manejar, manual do artilheiro, audictor brasileiro estreita do Rosario"n. 32, prmeiro andar,
e multas outras obras.
1 agulha de marear, 1 sextante, muitos e diver-
mmmmmam
Festa
feres 101 mooiHssw a a R .
deposito um cavalo ruco, castrado, com canga- HoYCS, |vros, mappase onlrOSObicctOS W _aM ao ltBPeraqor mT,& W
Iha ; quem tor seu dono compareca, que provan-1 ZZ\.*r
do Ihe ser entregue. SoDdelegacia do Peres, 111 .... a sauer
de novembro de 1864. .raobllia de amarello, 1 pa:
O subdelegado
Alexandre Martins Correia Barros.
Pela Inspecco da alfandega so faz publico,
que foi transferido para amanha a urna hora
da tarde a porta desta alfaodega, a arremataco
annunciada por e tital de 9 do crreme, de tres
libras e meia de tolhas de musgo preparadas para
flores artiliciaes.
Aluga se um pequeo sitio visisho ao do Sr.
Joao Alves Machado em Sanl Arma, RVa p#r* si
banho, e o lugar bastantemente aodavH : sra-
la-se ua casa de banho da ra da Cruz II.
Aluga-se urna ama que saiba bem cuzohar %
de boa conducta, preferindo-se escrava : aa raa
THE4TK0
DE
S. ISABEL
EMPREZA
GERMANO & COIIBRA.
\H\MI t \
Sabbado, 12 do cerrente.
Subir scena o rauito applaudido e magnifieo
drama de grande espectculo, em 3 actos e 5
quadros :
OS
; sos mappas.
Segunda-fcira 14 de uovdmbro
O agente Pinto autonsado pelo Sr. Francisco
Jos Ferreira, far leilo de todos os objeclos ci-
ma mencionados perlencenies ao seu finado
j pai, chefe de divso Jos Maria Ferreira, e exis-
i lentes em casa de sua residencia ra do Brum n
72, primeiro andar, onde se ellectuar o leilo.
' devendo ler principio s 10 horas em ponto do dia
! supradito.
**V*S
com todo o seu machiuismo e accessorios
Dar fim ao espectculo a nova e graciosa come-
dia cm 1 acto
jgjttocicaade recreativa
S I nlo.
Por deliberaco da actual directora e
I de conformidad.; c.i o art. 21 capitulo
| 12 dos nossos estatutos avi;0 a todos o*
., Srs. socios a comparccerem dnmiogo 13
soS do corrate bjml a* 10 horas do dia n
j casa desta sociedade para em asseasMesi
M" geral elegerem a nova directora que tras
de funccionar de novembro a mato tata-
| ro. Sala da soriedade recreativa va
** Dadlo em Pernambuco 9 de or rastre
B de iKoi i; secretario, Mariins Flcate.
i
fl
8
massas a\a-
DE
46 caixas e 7 meias com
riadas d'agaa salgada
Segunda-feira 14 do corrente.
Oagenie Pesua vertaeT-por conta e risco de
qnem pertencer 46 cantas e 7 meias com massas
avariadas d'agua salgada vndas do Rio de Janei-
ro no vapor Apa, na sua ultima viagem a este por-
te: segunda-leira li do correnle pelas 10 horas
da manha no armazem do Annes.
DOUS MARIDOS.
Crmecar s 8 horas
s 11 horas
Associaro
EDIT1ES.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direlo especial
do commercio desta cidade do Recife capital da
proviucia de Pernambuco e seu termo por sua
magestade imperial e constitucional o -r. D. Pe-
dro II, quem Dos nardo etc.
Faco saber aos que o presente edital Tiren) e del-! apresentem suas
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra precisa comprar o seguinte :
Para os educandos artfices na cidade de Ma-
nos.
1 ophecleid de d.
1 dito de sib.
1 clavcor em mib.
1 dito de sib.
2 pistos em sib.
2 irompas a pistons.
2 Saxoforn.
2 clarinetes em sib.
4 iriangulos.
2 flautas em r, de cinco chaves.
6 pares de pelle para bombo.
Para o arsenal de guerra.
2 lences de ferro de 1/8 de grossura.
2 ditos de dito de 1/2 dito de dito.
20 quintaos de ferro mjlez em barra de 11/2
pollegada e 3/8 de grossura.
8 ditos de ferro redondo de 3/8 de grossura.
8 ditos dito de 1/3 pollegadas.
_1 dito dito de 2/8.
~5 arrobas pregos francezos de 2 pollogadas a 2
e meia.
As pessoas que quizerem vender taes arligos
propostas em carta fechada na
saxGes
IX)
CAES DE APOLLO.
rxr> piidi los e sumpiuosns bailes
*a; liado 12 e domiogo 13 do tr-
renle
Em regosijo do feliz consorcio de S. A. Imperial
a Sra. D. Isabel com S. A. R. o Sr. D. Luiz Felip-
pe conde d'Eu. -------------------------"
A's 9 horas da noite a grande banda de msica j Precisa-se
dirigida pelo insigne artista Jos Antonio Alves Lel(. Diarin m
Franco, tocar o hymno nacional e em seguida va-1 *"\*no* ei
ras pegas de msica escolhidas, bem como ricas a*visl<
quadrilhas, walsas, polkas e schotebs, tudo a agr- 6 e &.
dar o respeiiavel publico.
Ser maniido o regulamento do Illm. Sr. Dr.
chefe de polica cm toda a sua plenilude.
Brigao escuna Idelherl. c urna lan-
cha e um bote
Terca-feira 15 de novembro
em ponto., tf paria da
Commercial.
E. Becker.capilao do brigue escuna hambur-
gutz Adelbert, far leilo com auterisaco do ins-
pector da alfandega em presenca de um emprega-
do da mesma reparlico para o fin nomeado, cora
assistencia do cnsul de Hamburgo, por lulerven-
go do agente Pinto e por conta e risco de quem
pertencer do casco, maslros retes, ancoras, pan-
nos c mais pertences do referido brigue tal qual
se acha ancorado neste porto, onde encalhou na
sua recente saluda para Liverpool e pelo que foi
legalmente condemnado, assim como urna lancha
e um botedo mesmo navio, os quaes objectos se-
rio vendidos s 11 horas do dia cima dito a por-
ta da Associaco lommercial.
Os pretendentes podero desd j examinaren) i
referido navio de conformidade com o inventario
existente em poder do agente cncarregado do
leilo.
AVISOS DIVERSOS.
Aluga-se um primeiro andar na roa da te-
nha e as lojas, proprias para negocio : a tratar s
mesmo.
Ao amanhrrer do dia 20 de ootubre de car
rente annoile 1864, furtarain do rerrfcOe de esv
gfiiho Aldea, da freguezia do Rio Forense asa
quarlo de carga do mesmo engrnho, o aaat c
ruco pombo. grande, rastrado, nao aevo, %rm ao
olho esquerdo urna belide, e pooro en aada ti
pelo dito olho. tem um rallo velbo ao esaMefcaea,
lugar em que leve urna bexiga, lerou o loarte car-
Udo rente, carrega baixo, e tem aspM aa
lado direito da anca o ferro do engenho em MSras
maiusculas como aqui se ve A 1.1) E A. .Vlrer
te-se que os cavados assim ferrado*, nao o Ma-
cados nem vendidos, e os que forem encontradas
som ser servico do mesmo engenho o laa-
dos, e devem ser apprehendidos ; portaaS rota-
se s autoridades poliriaes, e mesmo qoaPjwr
pessoa do pdvo, que sendo encontrad>* dMse ra-
vallos sejam apprehendidus e remellidos aa adaa>-
nislrador d.iquelle engenho ou ao abaiio a*>jraa-
do proprietario do mesmo engenho. qne reside aa
ridade do Recife, ra do II .spieio n. .W Cidade
do Recife, 20 de oulubro de IH64.Caetaae Jos
da "ilva Santiago.
ID,
Portaran ou StfS^Hltbmm da ra do Cres-
po, defronle da Lija do Sr. Airlrade, om ravalla
russo pedrez. rabeca bem leila, tendo o pe ai
do e a mo branca, e tendo o } detraz lascada
esencaminhou-se encangalhado, promalo. tal
qual ven i do serto com l.u : quem ilelle der aea>
cia ser bem recompensado, na ra do Qoeasado
n. 7.
Precisa-as ahajar urna aren que sait m-
zinhar c en?ommar : na ra da Palma uberaa
n. 41.
ATISOS MilITIMOS.
de um distribuidor para
tima parle oo bairro da
praca da Independencia ns.
Aluga-se um sino n. B nos Remedios defr.w-
te da igreja, con grande casa e coebeira a tratar
na ra da Cadeia n. 4.
Aos 10:000.000.
Quinfa-feira 17 do corrente mez, se
COMFANHIA BBASILEIBA
. DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sul esperado
at o da 14 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, commandan-
le Alcanforado, o qual depois
costume seguir
do
tnamlo, cunto Ihe.fura ordenado, a peticao m que
fririnino Pacheco Gomes, mqoer pan establecer
nina pad-ria na casa n. 14 da Praga da Boa-Vista,
allegando era seu favor possnirdita casa nm espa-
cio quintal, que vai e contrar a outros da roa do
Hospicio, tem a dizer que o allegado pelo peticio-
nario verdad,; notando-se apenas o peqaeno
embaraco que existe na aproiimaco de um pe-
queno tarrago do .cobrado que Ihe tica ha distancia
de 40 a 50 (mimos pouco mais ou m>-nns, mas ele-
vando o peticionario a chamin altura corres-
pondente as eilificacoes que Ihe fleam prximas,
o embarnco desaparecer. Concedeu.se rom a
condicao de qoe o supplicante por termo se obri-
gue a elevar a chsmin do torno a altura que ex-
ceda a d..s predios que Ihes fieam aos lados.
O hr. Seve apresentou a seguinte propo,ta, que
foi approvada, mandando-se em seguida ordem ao
procurador para eonprir o que a mesma proposta
Sendo de neeessidade a abortara da ra que
deve dar communicacao da ra do Vinario da fre-
guezia do Recife para a da Madre de Dcus, que
do commercio.O administra-
dor da massa fallida de Ronrn Roofcer & C. sen-
do Francisco de Paula Kigneira de Saboya e Dr.
Amaro Carneiro Bezerra Cavalcante, devedores a
massa da quantia de 6:0005000 e seus juros, pro-
veniente de urna letra mercantil, saccada a 12 de
margo de 1859 cora o praso de 8 mezes e vencida
a l He novembro do dito anno de 1859 e estando
a Andar os 5 annos fataes da prescripgo qner o
supplicante para garanta do direito futuro da mes-
ma massa interpor o competente protesto afim de
que fique inlerrompida dita prescripgo, e por isso
requer V. S. se digne mandar tomar por termo o
seu protesto para ser intimado aos supplicados pas-
sando-se precatoria para o r. Amaro Carneiro
Bezerra Cavalcante ser intimado no Rio Grande do
Norte onde tem o seu domiei io; c porque se ache
ausente o devedor Figneira de Saboya o se nao
saina o lugar certo de sen domicili; requer o
supplicante a V. S.sedlgneadmittirajustiflcarasua
ausenciaparaquejnlgadapfirsentongase pase carta
edital para por ella ser o supplicado intimad o coc o
prazo da lei.
secretarla do conselho administrativo s 10 horas
do dia 14 do corrente.
Sala das sessoee do conselho administrativo pa-
ra tornecimento do arsenal de guerra, 7 de no-
vembro de 184.
Antonio Pedro de S Barreto.
Coronel preeMeote.
Sebasliao Jos B. Pyrrho.
Vogal secretario.
O secretario da cmara municipal de Olinda
abano assignado faz sciente, que a praga dos im-
postos da mesma cmara annunciada para o dia 3
do corrente mez, foi' adiada para o da 17 deste
mesmo mez, visto nio ter havido sessao no referi-
do da 3 por falta de numero legal.
Olinda, 10 de novembro de 1864.
Marcolino Dias de Araujo.
Arsenal de marinha.
O arsenal de mariuha contrata carapi'nas ser-
ventes e remadores para o servigo das obra 'e do
arsenal.
Inspccgao do arsenal de ma inha de Pernambu-
co 7 de novembro de 1864.
i ^"elarto,
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
da demora
para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommeu-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. !
COMP ANUA
DAS
MESSAGERIES I1TOHLFS
At o dia 14
do corrente es-
pera-se da Euro-
pa o vapor fran-
cez Navarre, que
depois da demo-
ra do costume
seguir para a
Baha e Rio de
Janeiro.
Para fretes, condiegoes "e passagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. 9.
ex-
trahir a primeira parte da primeira lo-
tera (116a) a beneficio da matriz de Itam-
b, no consistorio da igreja de Nossa Se-
nliora do Rosario da freguezia de Sant->
Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos achara-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000^000 at lOdOOC
sero pagos urna hora depois da extraccac
at s 4 horas da tarde, e os outros no di
segninte depois da distribuico das listas,
0 thesoureiro,
_______Antonio Jos Rodrignes de Souza
CLUB PEHViniUCVM
Os Srs. socios efiectivos do Club Pern;im-
bucano sao convidados a se reunirem nos
saloes da sociedade ao meio dia de quarta-
feira 16 do corrente, afim de aprecia; em o
relatorio da directora.
'SM.A
O brigne escuna Graciosa, vae seguir em poucos
dias ao Para, pode receber algumas miudezas :
consignatario Antonio de Almeida Gomes, na ra
da Cruz n. 23, primeiro andar.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E esperado dos portos do norte
at o da 18 do corrente o vapor
Apa, commandanle Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do costume seguir para
os portos do sol.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada: encona
mendas e dinheiro a frete at o da da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo f C.
Para o Ass
segu com mnita brevi lade o hiato Dous limaos
a tratar com Tasso limaos.
(Mk Di FOI
AOS 10:000.000
Bilhetes garantido
A* roa do Crespo n. 23 e casas do costme
O abaizo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilheles garantidos da lotera que se acabou
de ezlrahir a benelicio do theatro de Santa Isa-
bel, os seguintes premios:
N. 1486 dous quartos com 6.0003000
N. 798 um meio com !:4iK),5lHJO
E outras umitas de 2005, 1003, 403 23 e 103-
Os possuidore podem vir receber sem os de,
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do tres
po n. 23.
Acham-se venda os da primeira parte da
primeira lotera a beneficio da matriz de Goianna,
que se.extrahir no dia 12 de novembro.
Presos.
Bilhetes iuteiros..... 12300c
Meios......... 63000
Qoartos........ 33000
Para as pessoas que compraren:
de 1003 para cima.
Bilhetes........ 113000
Meios......... 53300
Quartos......, 23750
___________________Manoel Martins Pinza
Os ahaixo assigdados tem autonsado nsta
data ao Sr. Jos Mnniz de Almeida para robra1"
de todos os seus dev, dores ami^avelmento mi ju-
dicialmente. Rerifo 10 de novembro de 1864.
Guitnares & Lima.
Domingo 1 de no.emurt Ir 1864.
Abrir-se-ha a nova confearia de Copino Frei-
las denominada dos Auanazrs situada a ra da
Cruz n. 16, os donos deste novo lalBltm-aai
tem a honra de annnnciar ao re>pei'avel putox-n
que tem montado urna fabrica para poder saie-f-
zer tudo que tor concerneute ao meswo r ns-nir
cimento, pudendo satisfazer toda a eucoaMuenda
ao uso da rpita1, em consequencia do sor Frn-
las ter exercido o lugar principal em alguaus fa-
bricas das principaes casas sendo orna a da ra*a
Carceller (desde algum lempo do Sr. Juio Goa-
calves Guimares.) /
:>l irianiratc
haver om sortimeoto de doces para eh
Das 9 horas da manha em diante haVera nm
sortimeoto de pastis frescos, pao-de-l, aaNa
inglez.
Ter dias extraordinarios qoe havera raspa-
das grandes, |> Para grandes jaatarr*
Pegas montadas para centro de mesa sendo da
i amendoas, diUs de tmaras de ovos, ditas d eara-
mello e po-de l, gallieau* a la du chze i
le decorados, gatheaus de la reina.
! Pastis de diversas
que seria enfa jonho especificar
Fmclas crystahsadas.
Podins de marrasquino.
Hons bocados.
Doces de gema dovo de
Casamentes.
Bailes e baptizados.
Bandeijas ricamente enfeitadas levando eaf tes
anlogos ao mrsmo lim. Para mimo presara-aa
po-de-l entonados com dsticos ou sea eses sea-
do o dccnnfriio rnm asseio.
llavera
de mao de vaeca.
Assucar refinado, sorvetes, vinhos fino, lie
xaropes, refrigerantes, tanto licores como c
e doces.
lualldades
a qti
diversas qua
gela
Assucar candi, pasth.-s e pa para tora romo para a praea. sendo em porrio a
far no preco dilTerenca roii.ideravfl.
O abaixo assignado, respondendo ao utrate-
eicn annunciu Jo Sr. Feliciano Joaqnim da> Sanio
publicado no Diario de honlem, Ihe dertara aneT
com quanlo fuja o minio que ponsivel ao sea
contacto impuro, v-se obrigado a dizer-He, aaa
nada tem que ver com o escravo Eicoji| pan
ruja entrega deve dingir-se ao Sr. lenle tatoaio
Mnrla de Araujo, rendeiro do engenho Paatas aan
nao s propn-lario de>to, romo de lodosas *
escravos que Ihe sao pertencentes. inrlnsive as i_
nome Joao, e Germano, que se arham era seo pe-
der a quasi dnus annos jior con-ea-o do a>Mao
depositario, I.KU|iletou se, 8 S. do* seos s^rrrs-.
e cobrando por ellos iuitividualmenle reada dta
ao abaixo assijjuado; pro. eJnnriito esto ajoaal
raheria bem a om houiem. que vessa
pao.
Recife, II de novembro de 1864.
Manoel Barbota m
Precisa-se .le 35m
i das Cruzes n. 37.
canta
caanMeirosa m


Ivotcdo





Diario de _*er3a_ah_eJ ftabbado tt de Vovembra d la_.
I
BAfiQl'EIBOS
COMHtCTORKS
ESCRIPTORIO
THE
CEARA.' (NORTH BRASIL) WATER COMPANY,
INCORPORADA SOI! A LE BE ASSOCIACOES MUTA DE 1862.
Capital lh st 60,Q*W>, cm 6,"0< acges de Ib stAO cada urna.
Depositando !0 s. por cada aceao pedida e lib. st 1 e 10 s. quando farem distribuidas.
As seguales chamadas nao excedero a lib. st. 2, cada orna, era poderaoser feitas com nter-
vallo menor de tres mezes.
Juros de 6 */ ao uno pagaveis os accionistas at a conclaso da obra.
Directores.
WILLIAM FRA:\CIS DOBSON. Esq. Bearsted House, near Madstone, (presidente) director da conipa-
ahia das Docas e ar mazeos, de West London.
JOHN CLAltK, Esq. 3, Dunster Ceurt Mincing Lae.
JAMES DAWSON, Esq. 2, Biliter Square, London, director da companhia Metropolitana de Se-
guros.
THOMAS GEORGE FARDELL, Esq. 6, Montagu Placp, Montagu Square.
WILLIAM JESSE. Eq. Maisonette. Ingatestone, Essex.
JOHN WILLIAM STDART, Esq. V. cnsul -le S. M. Britannica, no Cear.
AUGUSTUS WEHNER, ?s< Lime Stree, director do banco Europeu : Limitado.
emoenheibo ALFRED THOMAS COOK, Esq. 3, Bridge Street, Westminster.
sollkitaoores MESSRS. W. H. P. SHARP, 92 Greshara House.
O BANCO, EUROPEU, LIMITADO, 83, King William Street. E. C. e seus Filiaes no
ContineBte.
MESSRS A. W RICARDO, 11 ngel Gourt Throgmorton Street
3, DUNSTER COURT, Mincing Lae. .
O porto e cidade do Cear a sede do governo da rica provincia ou capitana do Cear gran-
la ao norte do Brasil, e est situada em lat. 3." 41' e 10" S. e Long. 38 29' Oeste de Grenw, o Ceara
rodeado por um terreno arenoso, e sem exagerar, na maior parte do anno o clima pode ser conside-
rado secco. Sendo a capital de una provincia floresrente o lugar de umcoramercio que vai crescendo
rpidamente ; e a residencia de um crescido numero de pessoas abastadas, pelas quaes ha multo tempo |
sentida a falta de agua potavel.
A capital e seu termo, contm mais de 30,000 habitantes, como consta dos ltimos relatnos
do governo provincial. .
A agua supprida pelas chuvas bem raras, e pelas cacimbas, cuja agua em consequencia de
drainagens, lillracao do mar, etc., no verdadeiro sentido da palivra nao potavel. -.._., ,
Em urna distancia rasoavel da cidade acham-se na propnedade do Sr. Jos Paulino Hoonnoitz
denominadaBum-icaum grande numero de olhos d'agua c diversas cacimbas as quaes durante o
tempo mais secco se tem conservado com agua. ... j, __ A.
A agua destas cacimbas reconhecida por todos ser a melhor; e nao obstante a distancia da
eidade, e grande despea com o transporte, tem sido consumida por aquellas pessoas que podem man-
Desejoso de remediar a grande falta d'agua de boa qualidade, o governo provincial conceden
a Jos Paulino Hoonnoitz, urna concessao com previlegio exclusivo por cincoenta annos para supprir a
cidade com aeua potavel ao preco de 20 ris por caneco de tres e meiacaadas vendidos nos chafartzes,
e de 40 ris conduzides s casas, sendo este preco o mesrao que adoptado por outras companhias de
asna no imperio do Brasil. .,
A Cear (North Brasil) Water Companv, Limited nao tera competidores e o governo provin-
cial concedeu mais o direito de supprir s repartes publicas, quarteis, fabricas, e casas particulares,
"7 Pr Zl *i^JS concessao a Cear (North Brasil) Water Companv, Limited, acaba de
^^TSSSSX^S^^S'^ companhia as necessanas transferencias do
previlecto, e mais documentos, sendo: ..... ....._. .i ,,..
hvre dominio do terreno que comprehende as cacimbas e olhos d agua, e assim mais o que
fr necessario para as obras dos reservatorios, galeras, etc. ,,.... a ___. ;.r
A indemnisacao para o concesionario ser de 1,000 upes de lib. st. 10, cada urnai nte.ra-
meote pagas, perccbendo juros durante a construcgao, e dividendo pon passu como as mais acroes
pagas, porra nao poderao ser transferidas ant*s da conclu-ao da obra.
O contrato para a construyo da obra j esta efectuado por urna qnanlia fjxada (da qual o
centratadorobrigou-se a receber lo % emacsoes da companhia) incluindo todas as despezas prelimi-
nares al a ineorporacao da companhia. ____, m.- r-,
O engenhero da companhia em seu regresso do Ceara deu seu parecer da mane.ra mais fa-
voravel a respeito da qoantldade e qualidade d'agua, e do rendimcnto; eque na construcgao da obra
m^SS3S!tSa*. wmm eoconcessionario *^*^]^
cia, eet., legalisados pelo tabellio publico, poderao ser examinados pelos accionistas no escriptono da
COmpaDl"ler "" *rinUtas o iuro a razao de 6 o/, ao anno, durante a construccao das
obras.
ffKHUHMHHHMIM^^
ROUPA
NO
ABBASni
DE
UETREXRO VSRDE.
Neste estabelecimento ba sempre nm sortmento completo de roupa eita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos coneer-
rentes, para o que tem om dos melhores professores, assim como tambem tem nm
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
30(5000 Dltos 4e etim preto. .
250000 Ditos de ditos e seda branco,
6 Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro de 14 16 annos,
que tenha pratica de taberna; na ra da Madre de
Dos n. 5, e d Dador a sua conducta.
A pessoa que annunciou um mulato para;
alugar, para o trrico interno e exleruo de casa |
' de familia, pode manda-lo ra larga do Rosario
n. 28, 2. andar, ou declarar a moradia para ser,
procurado.____________________________:
Aluga-se o sitio que foi do tinado Domingos
A. Gomes Gnimares, no Caldeireiro, confronte ao
do Sr. Dr. Jos Bernardo Galvfio Alcoforado, com
ptima casa de vivenda, cocheira, etc., etc. : a
tratar com T. de Aquino Fonseca Jnior, na ra
do Vigarie n 23, primeiro andar.______________
Aluga-se
urna casa na ra do Mondego n. 69, com bastantes
commodos: a tratar na ra da Cadeia n. '7.
Precisase de urna ama para comprar e co-
sinhar, paga-se bem : no beceo da Hua no Recite
n. 2, primeiro andar.
Mt]ITAAT,E\(iO
"M. Casacas de panno preto, 355 e
gg Sobrecasacas idem, 30)5 e .
S Paletos idem e de cores, 25,
204, 450 e ......
* Ditos de casemira, 260, 15)5,
120, 100 e......
,Ditos de alpaca, 50, 40 e .
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40 e......
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linho, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor -
100000 Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 40001
70000 Golletes de fustao e brim bran-
305OO co, 30500, 30 e .... 20500
Seroulas de brim de linho,
30500, 20400 e......20000
. Ditas de algodao, 10600 e. .
30000 Camisas de peitos de linho,
40000! 40,30 6......
Ditas de madapoln, 20500,
dao, 100, 70e".....50OOOi 20e. .......
Calcas de casemira preta, 120, j Chapeos de massa, pretos fran-
100, 80 e......700001 cezes, 100, 90 e.
Ditas de cores, 90, 80 e. .
10400
20500
10600
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e. .
Ditas de princeza e merino pre-
to de cord3o, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40 e .......
70000; Ditos defltro, 50, 40,30500 e
i Ditos de sol, de seda, 120,
40000; 11070 e......
; Collarinhos de linho fino, ulti-
40000 ] ma moda duzia. .
I Sortimento completo de grava-
20500! tas.
20500 Toalhas para rosto, duzia, 110,
| e........
70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
40000 tos e de cores.....
Lences de bramante de linho.
30500 Cobertas de chita chineza.. .
A
80500
20000
Jos LOureneo Goncalros Barreira,
portognez, relira se desU provincia.____________
f Os abaixo assignados avisan aos seus ami-
gos e freguezes que mudaram o sea estabeleci-
mento da Traviata para o restauran! do corropio
na ra do Rosario estreita n. 11, primeiro andar,
onde encontrariio bom sorvete eiu copos grandes a
240 rs., caf, serveja etc., etc., e charutos das me-
lhores qualidades que ha no mercado.
_____________________Costa \ Mello._______
Jo.i) Pedro Vogeley relira-se para a Europa
I o tratar de sua saude.__________________
OITerece-se urna ama para cosinhar e engom"
mar : na ra da Penha n. B5.__________^_
Offerece-sc para ser ama urna senhora por-
tugueza para o servieo de casa de hornera solteiro
sendo que esta senhora afllanga a sua conducta :
quem a pretender dirjase a ra das Larangeiras
ID..______________________________________
Aluga-se um andar terreo na ras da Palma
' n. 66, e oulra casa terrea na ra do Caldeireiro
n. 37 ; a tratar na ra do Imperador n. 9.
CosiDheire.
Precisa-se de um perfeito cosinheiro no hotel
Trovador : na ra larga do Rosario n. 44, paga-se
; bem.______________________________________
Precisa-se de 8003000 reis ao premio de 2
I por cento ao inez, sob hypothrca na quarta parte
! de um sobrada de dous andares, qne valle 6 000.
! Quem quizer fazer este negocio dirija-se a ra das
i Cinco-PonUs n. 72.
Precisa-se de urna ama para comprar, cosi-
nhar e engommar: Jia ra da Cruz n. 1), segundo
andar.
pago
40000
30000
20500
<
PRD1EIRA E ANTIGA CASA FELIZ.
Aviso o9 senhores e .enfloras
______! Aviso aos senhore? o s?nhoras
subdito Aviso aos genitores e senhora
Aviso aos senhores e senhora
Aviso aos senhores e senhora
Aviso aos senhore e senhora
Aviso aos senhores e senhora
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e s^nhoras
Aviso aos senhores e senhoras.
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimenlo
Novo sortimento
De caixinhas e quadros-
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
Caixinhas a !5-">
Caixinhas a !00
Caixinhas a 14500
Caixinhas a IA-KM)
Caixinhas a 11500
Caixinhas de "> por 43
Caixinhas pe "3 por 43
Caixinhas de 53 por 43
Caixinhas de 53 por 43
Caniulias de 53 por 43
Receberaiii-se 10 mil CSSUS
Receberamse 10 mil caixas
Reeeberam-se 10 mil raixa*
Receberam se 10 mil raixa
Beceberam-se 10 mil caixas.
: Cartes de visita
i Cartoes de visita
: (barloes de visita
Cartoes de visita
CartSes de visita
Manoel Alves de Araujo, deseja saber a onde A 103 a duzia
mora Domingos Martins Gomes e Prancisco Mar- A 1())j a lill
tins Gomes, portuguezes.________________ A 103 a duzia
A 103 a duzia
A 103 a duzia
A galera esta renovada
ama da Cadeia n. 5o, primeiro andar pre-
cisa-se alugar urna escrava que engorante e te-
nha algum geito para tratar de chancas.________
A galera est rpnovada
51110. ; A galera est renovada
Aluga-se um sitio na estrada do IA galera est renovada
Monleiro, proprio para passar a festa A galera esla renovada
Para obter accoes (das quaes urna diminuta qnant.dade esta reservada para as pessoas que I
desejamarcoes no Brasil) es prelendentes nesta provincia poderao entender-se tMjJfe"f
Patchet, corrector geral. praga do Corpo Santo ou com o Sr. John J. Fosler, engenhe.ro dos contralado-
res, ao botel de Europa, ra do Trapiche n. 12._____________________________________________
CONSILTORIO MEDICO-CIRURGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADO.
3 Roa da Gloria, casa do Fundao
O Dr. Lrtbo Moscoso d consullas gratuitas aos pobres lodos os das das 7 s 1
horas da manhSa, e das 6 e meias 8 horas da noite, excepto dos^ das santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropria.lo sortimento de carteiras
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos preces segutntes
PORTUC1AL.
IHIRTO.
Ra das Flores, ds. 1 e 3 (jwiio igreja da Misericidia.)
GBAME LOTERII DE IIESPAMIA.
CUJA EXTRACCO TERA' LUGAR N DA 23 DE DEZEMBRO DE 1864.
"3
ou por anno com urna excellente ca-
Isa contendo duas salas, um gabme-1
te, 5 quartos, cosinha fora, e>triba-
i ria, cocheira para carro, casa para feitor, dita pa-
' ra escravos, cacimba d'agua doce, lauque para ba-
! nho, sendo todo murado, com coqueiros. jaqueiras
e mais de 150 psde laranjas de oiversas qnali-
| dades : os propendentes aeltaro com quem tratar
na ra do Imperador n. 71, primeiro andar.____
luga-se urna casa terrea recenlemenle edi-
! Bcada, com duas salas espsgosas, tres quartos
grandes, cozinha o quintal murado, em Santo 1
I Amaro, na estrada de Olinda : a tratar na casa ^
j contigua, passando a do r. Gomiis do Correio.
Aluga-se ou vende-se urna eaa terrea, em
' muito bom e.-tado, sita na ra da Mangueira da
Boa-Visla : a tratar rm ra do Livramento n. 39,
ou em Olinda com o promotor publico.
f tapete-*
e tapete
f l:l|.rt-
e tapetes
p aspases
A pessoa quo annunciou precisar fallar rom
a vuva de Francisco Jos Tarafes, alim de fazer
entrega de nmacneommenda, podedirigir-se a ra
do Hospicio n. 78, aula do sexo feminiuo, que ahi
encontrara a mesma senhora.
Com ricos crlinados
Com ricos cortinados
Cora ricos cortinados
Com ricos cortinados
Cora ricos cor uados
Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lindas e variadas vistas de lundo
Com lindase aadas vislas de fondo
Com lindas e variadas vistas de fondo
Com lindas e variadas vistas de fuado
asa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa amerii-ana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A' ra do Imperador n. 38
PREMIOS
de
de
de
Carteiras de 12 tubos grandes,
de 24 tubos grandes,
de 36 tubos grandes,
de 48 tubos grandes,
de 60 tubos grandes.
125000
18^000
24(5000
305000
3?>#000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com
os remedios
aue se pedir. _.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 15 00.
Sendo para cima de 12, custaro os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopalhia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes voluntes com diccionario............ TtSv\
Medicina domestica do Dr. Ilering,........... Snnn
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. WJJJj
Diccionario de termos de medicina '.* ,
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
te de seren nuvaraente reconimendados as pessoa* que quizerem usar de remedios ver-
daderos enrgicos e duradores : ha ludo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparaco, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escraves para traUr de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivcl, tanto na parte alimentar, como na medica, t
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cojo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
Paga-se 25000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem SHjettar aos precos
azoaveis que costuma pedir o annunciante
1
1
l
2 de 20.000 pesos fortes.....................
8 de 10.000 dito?...........................
15 de 5.000 ditos............................
30 de 2000 ditos...........................
106 de 1.000 ditos...........................
2.100 de 500 dilos...........................
90 aproximacoi'S de 400 pesos cada urna, para
es 99 nmeros restantes da centena que oble-
nha o premio do 300.000...................
dita1; de 300 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que oalenha o premio
de 100.000...........................
ditas de 200 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que obtenha o premio
de 50.000..............
2.999 reintegros de 100 pesos para os 2.999 nmeros
cuja tenninaciio seja igual do que obtenha o
premio de 300.000
99
99
w ~
5.560 premios em 30.000 bilhetes.
SESOS PORTES
300:000 ou
400:000
50:000
40:00n
80:000
75:000
60:000
106:1 "00
1.050:000
39:600
MOEDA POIITCGUEZA
A' ra do Imperador n. 38
A' rita do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
Precisa-se de um caixeiro que Ja tenha al- A- rua j0 imperador n. 38
I guma ortica de botica, e que seja de boa comliic- A- rlla d i,,ieradr n. 38
29:750
19:800
299:900
270:0005000
io 0005000
43:0005008
36:0904000
72:0005000
67:5005000
54:0005000
95:4005000
945:0005000
33:6405000
26.7305000
17:8205000
269:91050000
2.28U-.000
2.050:0005000
PREgOS EM MOEDA FORTE.
Bilhetes interos.......a 1085000 || Quintos de bilhetes....... a
Meios bilhetes.........a 545000 II Decimos................a
215600
105800
JOS IGNACIO FERRF.IRA RORIZ,
COM LOJA DE CAMBIO E BILHETES DE LOTERAS.
Ayancado no governo civil do Porto, em conformidade do edital
de 28 dejunhode 1860.
Satisfaz com promptidao todas as encommendas que Ihe sejam feitas, mesmo em
grande qnantidade e petos precos cima indicados, vndo acompanhadas do seu importe; e
no lira da extraeco remelle a lista dos premios.
Para informaeoes, e pedidos no escriptorio da rua da Cruz, n. 19.
QfiGL OQD.
y*
Casa de campo
No Monteiro a denominada Cana Fstula, i
aluga-se para se passar a festa ou annual-
mente : trata-se na luja n, 8 da rua do Cres-
po esqoina da do Imperador
UMA GRANDE LIQUIDACAO
Excellentfosima senhoras
Para direcro do Clob Pernamncane
Desembargador Jnao Pereira da Costa Motta.
Dr. Aprigio Justniano da Silva Guimares.
Jos Joaquim de Moraes Sarment.
1 Ignacio Joaquim de Souza Leao.
> Jos dos Anj is Vieira de Amorim.
> Alexandre de Souza Pereira do Carmo.
' Negociante Antonio Luiz dos Sanios.
> Jos da Silva Loyo.
Antonio de Moura Rolim.
Theodoro Christiansen.
Carlos Roeclc.
> Jos de Azevedo Andrade.
- Na praca da Independencia loja de livros do, sembaracada com todos os seu Perlen^s
Diario de PcrnambHco, tem urna cana para o Sr. Mtato*, Um e mais utencll^,jlfcJg ruado
Mondego n. 47, muito afreguezada, com
.a ; a fallar na rua larga do Rostrfo, botica n. 3i.
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
! commenda, e todo o qualquer concert.
Precisa-se alagar urna escrava que saina co-'.
ziitli.tr, engommar o vender na rua, sendo de boa
conduca, paga-se bem : na rua das Cruzes n. 36,
[ primeiro andar._____________________________'
Precisa-se de uineaixeirj de 14 a 15 auuos
para taberna ; trata-se no pateo de S. Pedro n.
24, ou na rua da Senzalla .Nova n. 9.
Precisa-se de urna ama que saiba rozinltar c
faser todo servlco interno de casa de poura fanri* |
lia ; na rua d; Concordia n. 38.
Ama de leite.
Ha urna para alagar na rua da Cruz n. 33 (Re
cife), de bom procedimento, moca e sadia._
Precisa-se de urna preta, que de mnhaa I
venda verduras, e de tarde bolinhos : na rua do |
Cotovello n. 25.____________________________
Alugam-so baratas urnas meias aguas na
entrada dos portoes da travessa das Barreiras,
bairro da Boa-vista : a tratar na rua do Cotovel-
lo n. 25.
Secretaria da soeiedade Recreativa
(oryantina.
De ordera do Illm. r. Dr. presidente, convido a
todos os Srs. socios para que no da 17 do andante
hajam de comparecer na casa das respectivas ses-
s5es pelas 7 horas da noite para o fim de proce-
der-se eleicao do director de mez, bem como
tralar-se da discussao dos estatutos que tem de re-
ger a mesma soeiedade.
O Io secretario,
Faustino Jos da Fonseca._____
Alnga-se um mualo mogo para todo servio
de casa tanto interno como externo, multo fiel e
diligente, adverte-se que tambem serve para al-
gum estabelecimento. ________
Al
Aluga-se urna casa em Beberibe : a tratar
cora J. I. M. Reg, na rua do Trapiche n. 34.
Attenftio.
O*erece-se por venda urna padaria livre e de-
como
A loja da rna do Crespo n. 17, de Jos Gomes Villar.
Recebeu de sua cneommenda viudo de Pars, as melhores fazendas que tem vindo
a esta provincia.
Cortes de blonde completamente preparados com capella e flores etc.
etc. proprios
para casamentos. .,
Cortes de mcrcanlique para noiva, mantas c capellas propnas para noiva, baioes de
todas as qualades para senhoras, riess cortes de seda preta de cores e moreantique pre-
to groslenaples preto e de cores, cami.-as de cambraia bordadas para senhoras.
Chapeos de palha para senhora assim como para menina o que. tem vindo de me-
lhor, peitos bordados para camisas de homem, cassas de cores, orgrndys de lindas cores,
chita* de lodas as qualidades.
' Canas pretas de gorgurao importantissima, souteraharques pretos. assim como de
cores o meJhor, casacoes, pelerinas, prives etc., etc., casaveques coropndos de grs pre-
los e de gorgurao, fazendas importantissimas.
Aovo gosto
rini,.; (Ia rpnda nretos o mais moderno presentemente a 155 e 205.
A enes ante* qne se arabenr. faiendas de todas as qualidades proprlas para senhoras.
Teles para forrar salas a 2-500 ocovado com seis palmos de largura.
Esleirs de muito boa qualidade para forrar salas.
'mdR u ooiiqnd o 9 su.ioquds svwxg wvfolo<
'l\ -ii odsajj ep biu ,y
ovDvamon aaMvno vm
'esa ^bot
acadmico Antonio Jos Lopes Fimo.
0 abaixo assignado avisa ao Sr. Manoel Barbosa
da Mlva, qne o escravo Estevo, que fas part* ds
que, Cim o engenho Frescondim, lhe form por
mim arrendados, chegou a rainha casa no dia 6 do
corrente s seis e meia horas da noite, allegando
qne por nao poder soffrer os seus raaos tratos, na
manhaa do mesmo dia sahira do seo engonho Ca-
jabuss, onde se achava com os mais escravos, e
viera procurar a minha companhia. E como anda
esto arrendados ao dito Sr. Barbosa, que est se
loeupietando dos seus servicos, previno ao mesmo
que o pode mandar buscar. Recife, 10 de uoveui-
bro de 1864.
Feliciano Joaqnim dos Pantos.
KM llllMillll
1 t ouifaulila adeudarte de |
seguros martimos e ler- a
restres eslaoeleclda no
Rio de Janeiro.
AGBSTRS EMP8PNAMDUC0
Antonio Lnit de Oliveira Azevede k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n .1.
casa liara familia, portao separado, perto barque, grande quintal e todas as commodidades
precisas; vende-se com 2 escravos velhos ou sem
elles: a tratar na raesrna.________________
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
camboa do tarmo n. 8 : n rua Nova n. 47, lija'
Offerece-se um homem porluguez para
criado grave, em qualquer casa particular
ou para feitor de sitie! na rua da Cadeia do
I\ecife n. 38, primeiro andar,
CBRA~COM~CRIA.
Aparceu no sitio de Jnao Jos Rodrigues Men-
des, em Ponte de Ueha, urna cabra com cria :
quem fr seu dono, dirjase ao mesmo sitio que
dando os signaes certos se eutregara sem despesa
alguma.
Urna boa casa terrea para familia
esl por alugar-se rua da Untao n.
39: quem pretender dirjase rua
da Aurora n. 10. Tambem alugam-
se as lojas n. 44, rua da Aurora.
"Criado e escraTO.
Na rua do Hospicio, slio n. 8, casa terrea com
portan de madeira, precisa-se de um criado de bons
costumes ; e tambem se compra um escravo de 12
annos para cima, que nao tenha vicios nem acha-
ques^______________________________________
Siiiu para a uai\
Aluga-se a casa no lugar de Sarrt'Anna, com
commodos para grande familia, tendo a mesma si-
tio com arvoredos : na rua da Cruz n. 4.______
Companhia de segaros marl-i.
nos Utllldade Publica.
A direegao convida aos Srs. accionistas para se
reunirem em assembla geral no esenptorio desta
comnanhia, no dia 15 do corrente ao meo da, em
conformidade da primeira parle doarl. 41 dos es-
tatutos. Recife, 10 de novembro de 1864.
Os directores,
Feliciano Js Gomes.
Domingos Rodrignes de Andrade.
Aluga-se o segundo, terceiro e quarto andar
da casa da rua da Cadeia n. 4: a tratar no arma-
zem de mesnr\___________________
Na rua Imperial n. 1, precisase de urna
preta para vender raiudezas.
A' rua do Imperad i n.38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
____________________A. W. Osho.
Monte Pie Pepnlar l'ernanhih-aM.
Por ordein da direct^ira convido Ma Srs. s,-^io9
a comparecerera na casa ilas tmfir* as 10 hora-
da manhaa do dia 13 do correnv, I li.n te s*
reunir a assembla geral para a |K>#se da no-a
direc^ao.
Secretaria do Monte Pi Popular Ivrnambaeaao.
do novembro de 1864.
Bernardo Falcan .1 Souza,
1" secrelarii'.
m fiua flora n
SLqja de maduma Tlieard^
Este estalielecimenlo M afta taje mais ]
que nunca bem sonido de objrt t
M moda do melhor que pode vlr ao merr.v
g do e nao se menciona cada um &>: per si
MS por se tornar demasiadamente enfado-
"M nho para seus numerosos fre:iteztsquan-
do lerem o prsenle aviso que lunila-
mI se em lembrar alguns artigo.-, cum m
jtf jam : cbapelinas de dinas de palha de
7 Italia, de seda, de crep branro e prrlo
>R para luto, chapos reiloodos de palha da
' B senhoras, ditos para meninos e un mim, I
3R ricos cortes de blonJe, dilos de moreaoli- :
ySi que de diversas cores, dilos de s., as- |
^s sim como sedas de Cores para se vende- ;
*R rem a covados, ditas homM curtes de
*tidos pretos bardados a aguiha. tiual-
mente um vanado sortimenlo de fazra-
SK das linas e grossas, na mesma casa la- ,
'J zera-se capas manleielo. vestidos para
| noivas, vestuarios para meninos se bap-
B* tisarem e ludo quantu pt-rtence ao toitel
Mi de urna seuhora e recebe-se ii_.nmu- U>-
S Aluga-se no Monteiro para se pw a f<^l
a primeira easa da esquina do na fresca, da rua do Xisto, com commodo tara graat-
de familia : os pretendenies p->de se dinRir ao*
Srs. Andrade Reg na mesmo no Moaieiro qo
achara com quem tratar.________________
Precisa-se de urna ama para todo servir:
na rna do Vi-ario n. 27, segundo an lar._________
PRECISASE
De urna preta que saiba comprar, cosinhar e
de pequea familia e
Thpdr de Oliveira Neves, e Ambrosio engommar para nma casa
JorTerSantosconprararaaoSr.'FranciscnCe- paga se bem : a tratar pa rua da Cadeia do Re-
. j. .-----... a~. --iw>_ cife n. 19, primeiro aunar.
dos Santos compraran ao Sr.
lesllno Ramos, a taberna da travessa dos
tos n. 18. livre e desemharacada:
julgar com direita a qualquer
mesma travessa n> graso de 3 das.
Expos-
e se alauem se
reclaraacao, dirija-
se a
grammatlea latina
_ Precisa-se de nm rapaz que lenha pratica de que admtlte rtiManos
J,. Antonio Vereira da Silva lecciona em
pelo tem|io das'ferias, para o
que quizerem frecuentar
taberna: na rua do Socego taberna n, 56.
i durante esso tempo ; no largo do Ter$o n. 33.
Secunda e ultimo dividendo
J K ller & C. administradores da massa fallida
de Martinho de Oliveira B-rges autorisados pelo
Illm. r. Dr j'iiz especial docommerclo pagam o
segundo e nltimo dividendo aos respectivos, ere-
dores.
Caebaifft
Offerece-se urna cocheira e estribara onde as
pessoas que forem passear a ravallo M a carro
poderao boU-los para serem tratados por preco
commodo: as barreteas do ('.achanga casa *
Joaqoina Marques da Cunha.__________________n
' "Alngam-se dnas rasas novas muito fresca*
em um dos melhores lugares da Capiuwa: a Ira-
tar no pateo da mairiz de Santo Antoaio n. b.
ALUGA-SE
ama caa terrea na rna da Gloria n. 52 : a tratar
no Reri na da Moeda armazem w. ''.
Raptad Remandes branles, declara a
respetavel publico que deisou de ler era deposito
o rap do Sr. Izaque Esmaly, fni pelo motivo de
nao querer ser collado, era quanto a qualidade
afirmo que superior.____________________
O bilheile inteiro h. 407 e os meios 1.496 e
2,948 da 115* lotera beneficio da matnz de Nossa
Senhora do Rosario de (loyanna, perten<-m ao
Sr. major Jos Mrtin< Ferreira, moril>r em Ma-
co do Ass, e Bcam em poder do abano assig-
nado.
Recife, 11 d enovembro de IH64.
Dr. Ftrrmrm.
Precisase de urna ama forra ou cativa que
saiba cosinhar o diario de urna casa de pouca fa-
milia : na rua d Rrum n. H4.________
A BMUl que annunciou querer comnar ua
bomba de regar capim, queira dtngir-se a est
lypographa.





DUrl 4c *frw sabido 1 te Xovembro 4c 184.
PIULAS CATIURTICIS DE AYER.
JU
fessam cota gratidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
uta s caso era que naja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestados que temos de curas
nolaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
O advogado Jos_detodoy Vasconcellos fl
pode ser procurado na rna estreita do
SES: *--" W|

m RIJA IMPERIAL 193
Isaac Esnaty
Fabrica do rap imperial.
Isaac Esnaty lem a saiisfacao du parcipar ao
respeilavel publico que se acha establecido na ra
S!SnS,?" fabrica de raP denominado
nare, imperial, cujo rap fabricado igual ao
rape de Lisboa, e moito mullior por ser mais tni-
co e muito mais agradavel e convencido o fabri-
cante da superiondade do" seu rap, pela experien-
cia de tnnta annos que tem desle genero, e demais
o certificado junto para mais seguranca dos com-
pradores o fabricante Oca responsavel pelo bom
resultado do seu rap, garautiodo ao mesmo lempo
o oinneiro do comprador que por accaso n3o gos- .
lar (o que positivamente nao de esperar) e sendo de Ayer, que me fez favor de ilar i vi
te e de ganbar crdito em iodo o imperio e um- 1 ; padecendo ha mais de doze annos en-
bem para chamar attenco dos amantes da boa pi- fermidades do figado e baco, eoai o USO
Mn?00,"10 tambtm dos exportadores deste genero das pi lulas posso lhe asseeurar (rae estou
xssavrjsnssStt ^V iento **>*
bra a retallio e em porgao da 10 libras a 900 ris engorg> lamento que soffria, muitas dores
2en,PorCade50iibras a 850 ris e em porcao sobre a regiao do figado e costas, dores de
dL Jlbras.a^)0rt'seemporode,000libras cabeca, inchaco do ventre nao nnrimrin
como descont de cinco por cento ou a Ires mezes deitar-mi spn^n Ac.iaj a-L-V a0.P0Uent10
do prazo firma garantida assim o fabricante espera e Seid0 d0 lado d|reitO, 1SSO mes-
a concurrencia dos senhores compradores em re- mo PrCurando posicao para ter socego 1)0-
fflancj? da ba P'tada examinada' aPProvada e je rae acho livre d'esse padeciraento ; como
(Sitante franqueia as amostras (gratis) do ESKLfAfi: **
este proprio que e de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que Uve occasiao de experimentar;
i ataque de guellas que teve urna
Aluga-se urna casa em Apipucos confronta
l^'ZVr^' ,r6S W^ToSa
ora, o logar e dos mais pheresco a casa est
za: fssr a,.fim dBfflarA ^c
uro a tratar no lugar com o S?. j,Js Joaquim
Estas .ptalas vegetaes sito a-
daptadas a todos os usos de um
purgante as familias, pois sao
perfeilamente innocentes, e em '2 r?l?r\ne.? pra?a Ba lrav^sa da ra
quamo militares de pessoas con-1 e -6' ""JL^^ & Lobo.
1 Engommase a contento dosTrei-uezes e mais
GRAGEAS
de
GELIS E CONT
r7Hneld,e0d!a 9 d0 correnle ausentouso da
casa do seu senhor, o escravo Martinho; quera o
pegar leve-o a ra Nova n. 89.
0 I)r. Francisco Pires Machado
Affeeee chrooica do ligada.
Illm. Sr.
Juiz de Fra, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pi lulas catharticas
Portel la
MEDICO OPERADOR
l'KLA
Pacnldade de laris
Pode ser procurado a ra Nova
segundo andar.
Apprond p#u Acidemia da Medicina da Farn.
Resulta pelos dous relatnos, adoptados pela dita
Academia em 1840 e em 1858, que as cnAGEAS de
C.ELIS e coxte sao o melhor e mais cflicaz remedio
rerrugmoso para curar a chlorosis (alias fluor-albo), os
uxos brancos, a fraqueza de coapleixio nos dous
sexos, e tambera para ajudar a menstruaco das mocas.
Estas Grageas nao sao vendidas senao em caixinhas
ou vidros cobertos com rotulo e fechados com urna lira
levando a firma do depositario geral : LABEI.OIVYE,
pharmaceutico, ra Bourbon-Villeneuve, 19. Parii.
I Deposito geral em Pernambnce ra da
I Lniz n- 22 em casa de Caros & Barboza.
A AGUA
44,
n.
LOJA 1)0 IIEIJAFLOK.
Kua do Queimado ns. 63 e 69.
Bonecas de choro.
orio medico-chlrTrgTo ^^7^ I -SeivSs S ?&??$!&&
sino n. 20. Ja-flr ra do Queimado ns. 63 e 69.
fl I I T- *>-.. aa ...
caE nw erre,ra da S,lva Wwwdo sua
nln 'A n S*, em a- exercici0 de sua proflsso,
nao s0 na parle medlca como Ja v ,
seu rap tanto na fabrica como tarabem no nico
deposito ra Direita n. 14 taberna. .
Brevemente apresentar a venda publica outro
rap fabricado igual ao que se fabrica nesta e an-
da para melhor, como tambem : rap princeza,
rap grosso e meio-grosso, tudo a precos muito
rape grosso e meio-grosso, tudo a precos muito -*_*" t!ueiids que leve uma
mais reduzdos para mais aDiraar os senhores ex- Prela 9e cora e"e curei, fago uso d'eiles
Donadores (Ih.sIp upnprn as tnscoc am mlnU rnn.:i:. ________
portadores deste genero.
N. B. Nos dias de sabbado a fabrica nao se
abre.
CEnTIFICADO.
Certifico que submettendo a exame a amoslra
do rap denominado Imperial, que apresentou a
esta reparticao o r. Isaac Esnalv, fabricante resi-
dente na ra Imperial, casa n. 193, declaron o pe-
rito nomeado para esse fim, o Sr. Pedro Maurer,
que nao baria inconveniente algum em ser expos-
to venda, atiento a que nenhum permeio nociso
comprometa a saude.
Inspectora da sade publica, aos 5 de outubro
de 1864.
Dr. Ignacio Firmo Xavier,
Inspector da sade publica.
Trapiche da Gamboa
as tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesm as pi-
lulas pode montar a doze, Jporque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, todas teem tirado grande
resultado; sou
De V. s. atiento ebrigado,
Francisco Ferreira Paes.
nes7a mIT Joa,'u,m d Mello, antigo advogado
thSon?S?eiaefpr0cyador fiscal WtaddTda
maisKSnazeild.a' empreg0 <*ae servio por
amns dn ,?T5'COnt,Dua a advo8ar todos'Tos
ramos do civel e enme: na ra do Imperador
uaDmete Tortuguez.
lia,rta.Ct.U5drec53o,a,,abade s^Pender as rega-
i de socio ao w. Joaquim Gerardo de Bastos*..
Linas de pellica.
a tIas de pellica branca e de cores Pa omens
mado nsa63: S.*** d Leja-flr' rua do uei"
Fiyella8 para ciatos.
Lindas fivellas douradas com lindas pedras para
63 e 69S 'JaS d beija-flor' ra d0 Queimado
Capellas para noivas.
Lindas capellas para noivas 23500 cada uma
nastojas do beija-flor, rua do Queimado ns.63 e
Estojos para barba.
. .,u.ii. uciaiuu ae casios... 3*+* estofos com espelho para barba 1500
mw^!>&M -pel espil0 de ,res an" n,^000, cada.ora : nas ,0Jas d beija-flor, rutdo
nos oceurou com dedicafao e inteireaa em wol, Queimado ns. 63 e 69.
mmEStESS9* com "" esPC veo 1 Grande Balaios para meninas
Rheumafismo e
ataques hemorrhoidaes.
Illm. Sr.
Ouro-Preto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
Alfandegko por earh JKri.l ^S^t ^eSsff 3U %
de marco de 1863. queja bavia soffrido ha annos) e soffrendo
anc ie'ai?"g0 e imiiorunie estabelecimento, um tambem de ataques hemorrhoidaes e de
dos mais bem montados desta corle, com vatissi- um ouvido nnk mm 9i!/. ,n,l
mascaxias para arreeadacio de ssucares e ou- u ', po s ^ue ale Ja pouco ouvia, e
tros gneros nacionaes ou estrangeiros todas cor- acomPaDria(J0 "e uma dr no queixo, con-
tadas por trilhos de ferro assoalhadas e forradas sultei a um dos noSSOS mdicos e este me
de madeira com cuinchas em todas ellas para ar- disse que devia fazer uso (la salsa norm
timos guindastes, um pessoal muito pratico neste comPr?' em s^ casa um vidrinho das mes-
service, propoe-se a armazenar assucar em caixas, mas P'lulas e por minha conta principiei a
leixes ou barricas pelo tempo de seis mezes por toma-las, e sera as finalisar acho-me sem is
pagarao pelos primeiros seis mezes o mesmo que .U0> c mesrao dos ataques hemorrhoi-
actualmente pagam por tres mezes nos demais tra- daes : portanto Sao para raim as taes pilu-
SSuml?08JW" que se seuirem tero um las as melhores que tenho experimentado
pZ&SEZ&SfflBBB Uo cm a ""* esrmenud0'
da na selima tabella do regulamento das alfan-
iNao tardou em receber o devido pago Ainda'as
sifraa ,qae,ra ^ Mes.
mnlr,ri ? d?Ste gabDete ? ftatOM nos
mostrara. A direccao suspendeu as regalas de
ZZhmlk BaStS- Sobre el,a recai 2 res!
pon.ab.l.dade que possa acarretar este acto que
mu. o deslumhra os membros da direccao. Rec.
fe 11 de novembro de 1864. t c
a7a C9rpo de policia compra 100 bonets re-
dondos para a sec?ao urbana ; quem quizer for-
doVitSpo d'a d Crrente' DVecrela"
O tenente secretario
Luiz Jernimo Ignacio dos Santos.
Fitas finas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
T? j 69S S d beija'flor' rua d0 Queimado
rua do Oueimado n. 8
BECEBEU:
Bonitas caixinhas de madeira envernisadas, com
finas perfumaras.
Outras de papellao de diversos lamanhos o igual-
mente bonitas, tambem com perfumaras.
Lindas cestinhas de vidro com ditas.
Caixinhas imitando tarlaruga com ditas.
/Y? c.om 6 e frasquinhos de cheiros.
Objectos para baptisados.
A Agua Branca, na rua do Queimado n. 8, aca-
ba de receber os seguintes objectos para baplisa-
Bonitos e bem bordados vestuarios de cam-
bra 13,
Ditos c modernos chapozinhos de setim e toucas
bordadas e enfeiladas.
Sapatinhos de setim e merino muito bem bor-
dados.
Meias de seda e Do de Escocia, brancas e pin-
tadas. r
fea"CaS C sapalinhos de ,aa> obras muito bem
Bonitas caixinhas
coin msica e sem ella para costura, e
oulras com arraujos para barba.
A Aguia Branca recebeu novamente um bello
sornmento de bonitas caixinhas com msica e sem
ella para costura, e outras com os arranjos neces-
sanos para barba ; assim, pois, quem comparecer
com dmheiro est habilitado a compra-Ios por pre-
go commodo : na rua do Queimado, loia da Atta
liranca n. 8. e
Finos e aromticos pos de
arroz
t ten cao
Em bonitos vasos de pedra, porcellana dourada,
vidro c madeira, estes com o competente pincel e
sem elle, em latas de potes de papellao, sendo todo
elle de superior qualidade e agradaveis cheiros,
Lmquanto ao prego, nao se assuste o comprador,
comparega com dinheiro e ser bem servido na
loja da Aguia Branca, ruado Queimado n. 8, ende
tambem se venden separadamente os pinceis.
O Vigilante est alerta, nao lhe era permittid
deixar pawar desapercibido sem que nao dsse o
seu canto, aum deannunciar ao respeilavel publi-
co o grande sorlimento de galanteras do nielhor
gosto propnamente para qualqoer mimo que aca-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim coma
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua conta como de consgnacao que
esta resolvido a vender por precos muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar eitrarao
o grande deposito que lem, que espera merecer
proteccao do respeilavel publico empregando pare
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
L S*"' SI s no Ga,, Vigilante, rua do
Ricos porla-joias.
Cofre de muito gosio por 16000
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por iSi(m
Lindas jardineiras. --~-^^^_-__iOA0OO
A AGIA BRANCA
vendendo relogios.
Fnglo ha 8 das a preta Bonifacia com os
sigoaes seguintes ; baixa, chela do corpo, bcos
grasos e com bastante cabello, bem conversante,
consta que anda de noite com timao e saia preta ,
int.iulando-se forra; sahlo com saia de chita en- e 69.
carnada velha, cabe5ao e um chales rolo. A pes-
soa que der noticia del la ou a levar rua Nova
n. oo, t-era bem recompensado pelo trabalho.
10*000'
10*000
16*000
9,6000
GV)00
65000
6*000
Extractos em caixinhas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
lamilla imperial: nas lojas do beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabo em cahunas.
Finos saboes em caixinhas com vanos'retratos :
m***^^****\Q^ privativo a Aguia Branca tambem
Vendem-se tira, hUZb. ,,. vendendo muito bons e bonitos relogios para
das nas loias do iK n, fl / n "leS Vapa" m-esa e pfede'por preos commodos, por isso con-
63 e 69 be'ja-flor, rua do Queimado ns. vem a todos aproveitarem a occas e proverem-
. se desse objecto sempre necessario em casa. Fica
Vpnikm 8^ m'n0 P.rem Jeservad0 Para os relojoeiros o concert que -~ i" <-..c8,ai as aeseaaas ce'
. S;f5ueJS?S de domin a tf*00 e W300: algum d,a 9ua|1ucr Melles venha a precisar, pois bazes para meninas irazerem no braco omaisrifa
ho'ja-flor, rua do Queimado ns. 63 3ue "'nao chega para o bico da Aguia Branca. Possivel a 2*500, 3o00, i*, o* 74,e lo* MVnl
da rua do Queimado d. 8. Vigilante, rua do Crespo n. 7 *'
Babados bordados litm li/i*i ilnm.' Pentes
e JSlESiPS: ^rdadH0S d0- Varias lar6uras' "UMIU* finUS ^ artigo tem um grande sortimen.o, tanto
euabaixoassignada co^n^nTe USKRi ."8. ^ ***"' do em copos, latas e soPeirhas de vidro e^t3e3ffKSS
do rapP imSl 1 SicT^V?*0 T U5 v Abafadores de rcde- PC0- ^!' lanl ***** como de taruruga Cm eE
no cuPresoeP m is o q.K m2e< li^ho'conhe 80O^r?rl^nflfcdOref de re,de de 'm CreS v>A APoiahBra"fa "" cuidadosa em bem ser- ^CresnTn T m* mCDDai S Bo V6tanSS
do que excelente nwTSS f i 800 rs. cada um: nas lojas do beija flor, rua do v,r a sua boa freguezia, mandou vir e acaba de Lrespo n* 7"
la enn^S *JP eost0 a6radavel Queimad0 ns- 03 e 69. receber na melhor occasiao os desejados copos e .._ Mais leqaes
lticos cofres com camaphen.
Lindas caixiuhas com pedras brancas.
Lindo balao com calungas dentro, tam-
bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
Urnazinhas.
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7
Ricos porta bouquetes de diversos patos e pro-
cos ; so no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos sintos
^!,b0lcAnha alad0' a m- li* e 5*, ditos sem
4*000 meSm 8S10> a **S00' 3*> 3^30(>
Ricas fivellas avulsas para siuto, o^nelhor que se
pode encontrar, a 1*500, 2*, 2*50(C 3* o par;
so no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cabazes oo cestinhas.
Ate quechegaram as desejadas cestinhas ou ca-
como pela conservagao da saude.
Recife, II de novembro de 1864
Mana Thereza dos Santos.
Precisa-se de um
Varadouro em Olinda.
COMPRAS.
degas.
A venda os gneros nelle depositados, tz-se
com as mesmas vanlagens que olTereccm os mais
trapiches porque as condigoes para qoalquer parte
da cidade s;io pelo mesmo prego.
Rio de Janeiro, Io de outuDro de 1861.
De V. S.
Amigo certo, venerador e obligado,
O brigadeiro
JOO RoDItIGLES FE DE CaRVALHO.
Admirado.
Contina a estar fgida a escrava crioula, de
nome Joaquina, fula, alta, muito falladeira. e mui-
to conhecida nesta cidade e na villa do cabo, pelas ''quei perfeilamente bom de
que frequentam a casa de seu se que solfria e que privava-me de mda?"ae'r~
Gaslrite.
Ouro-Preto, 29 de marro de 1864.
Atiesto que tendo feito us, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
Adcrecos pretos. jas Procuradas latas com banhas finas, assim como com Pequeo defeito, leques de sndalo com
Tendo-se recebido aderecos pretos de novo gos- u,mas '.onila.s soupeirinhas de vidro opaco com <1UCD0 deeito por barato preso de 8* e 10* chi-
----------------------to sao expostos venda : nas lojas do beja-flor, ale?res insc"PCoes. as quaes dizem smenle res- nezes muito bonitos lanibem, pelo barato preco de
forneiro : na padarajio rna do Queimado ns. 63 e 69. pe" as senhoras, e com tal acert que nenhuma *** e 5' uentarallos muito bonitos, tambem por ba-
Cravatas para senhoras. : 2"Ci as ?' delxa-ra de comPrar e nao se enadar rato preco de 4* e 5*, leques de charao tambem
Lindas grvalas para senhora 800 rs e 1*000 ?JSm* 1DscriPCao Que tao merecidamente lhe toca por 4*. ludo isto para acabar, perdendo-se tal-
HOCICAS
Compra-se onro e prata em obras velhas ,
daga-sebem: na loja de bilhetes da praca da Inde m!m
pendencia n. 22.
Espelhos de moldara.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
las : nas lojas do beija-flor, rua do Queimado ns.
uma gastrite
Admira-se, cmo esta e"scrava vaiTonllanlemen. KTKfcfiiETSff
te a sambas ; no salgadinho, passeia por toda esta U0' ,10je ,ellzmenle nada sinlo
cidade desfarcada, j de timao saia Lalo, (como i AGOSTO Gollatino i
tem sido or W7ik pn-nniriii^ cQm ^,. i_____________
de Mello.
tem sido por vezes encontrada) sem que aguma
autondade policial, inspector de quarteirao, ronda,
soldado de polica, ou capitao do campo, que cora :
a leiiura dos aununcios, que constantemente sao
publicados nesh-jornal, nao a tenham capturado ----------- -j-i wa
ou dado noticia ? Su-peita-se. e com fundamento annos> e ltimamente soifri falla de apetite,
2eit SL2S Tu.Tpt^li d0 criad0 Jarol)'la h0J'e dnu epaCas a Dcus Pr achar-me sao
$ttU,?&%tURJ If!?1? COm uso *-l*W- catbar.icas
Aurora, a tinha seduzido para ir para sua f* AJCr*
Falla de apelite.
Ouro-Preto, 24 de fevereiro de 1804.
Sendo en afiectado do figado lia muilos.
Lompra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-so dous escravos que sejam bons
carreiros : na rua do Trapicho n. 13. >
Compra-se na rua do Impeador n. ?E urna
ou duas prensas de copiar cartas, anda queesfe-,
jam em mo uso, com tanto que tenham perftito o
paraRno.
^T^S^LT^ **JP*>> **** Pr" Sdnl'la c 69.'
Voltas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilbantes 1*000 cada uma : nas
I3S do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sdpa.
a' m'se co,neres de metal-principe para sopa
a 2*000 cada uma : nas lojas do beija-flor, rua 3
Queinjado ns. 63 e 69.
L5a para bordar.
Inn,rarSe,laa, Para bor.df', m^0T ? ^ cocurrenria
cao : na rua de Apollo n. 20.
Compra-se cobre velho
g:i Velha n. 1.
encontrar, tanto na qualidade, como nas cores,
: nas lojas do beija-flor, rua do Quei-
quandam, que choram,
que fallam, etc.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, ani-
mada pelo apreso que a sua boa ireguezia sabe
oar a essas boas novidades, mandou vir e acaba
de receber um extraordinario sorlimento de boni-
tas bonecas, que andam que fallam, que choram,
e outras mnias de diversas qualidades como dan-
sarinas, soldados, atiradores, ele, e todas mui bem
assim, pois, a Aguia Branca espera a
la dos apreciadores do qom, certisde
que acbarao pregas razoaveis e serao satisfactoria-
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missan-a cores
muilo lindas e de muito gosto a 1,5 c 1*200.'
Para segurar manguilos.
Tambem chegaram as liguinbas estreitinhas de
borracna que as senhoras tanto precisan) para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muito
do'7 3 Par' S VigilaBl1'' rua dS arcs-
Leques.
Rlquissimos leques de madrperola tanto para
sen horas como para meninas, pB|0 barato preco
cUM2* c 14*; so no Vigilante, rua do Crespo
Peitles
tambem chegaram os riqnissimos pentes de concha
rua da
companhia, e Ingo que deixou de ser criado do
mesmo Sr. Mello R.-go, desappareceu tambem a
escrava, que grande falla lem feito ao serveo da
casa de sua senhora.
Protestarse desde ja proceder judicialmente con-
Axtomo Bexto Vieira.
Constipacao, dores de cabega.
Ouro-Preto, 28 de marro de 1804.
Attesto que achando-me atacado de uma
tra quem a tiver houiisiada- Roga-se por tanto as ,
autoridades pohciaes, capitaes de campo ou outra Iorle constipado que trouxe-me dores por
qoalquer pessoa, que empreguem os meios com- todo o corpo e na cabera, soffri liorrivel-
.Bfc4SS mente por emv,de 'ualro dia^""*
rua da Aurora, do visconde da Boa-Vi-la um am|g aconselhou-me que tomasse pi-
lllas atharticos do Dr. Ayer : com ellas fia
Para quem tiver dividas a cobrar
Um solicitador bastante conhecido, tendo de
partir no vapor eesteiro para Mussor.c daln para
a_cidade da linperatriz e Pahu de dentro, da pro-
vincia do Rio Grande do Norte, donde voltara em
ims de janeiro prximo, antes de se abrirem os
triouoaes, se ollerece a promover cobrancas de di-
vidas, mediante algum interesse, nao so alli como
nos lugares adjacentes, que nao distem daquelles
pontos mais do que cinco a oito leguas. Mas antes
de suavtagem, tem de estar por alguns dias em
boianna : quem pois se quifer aproveitar do en-
sejo podera procura-lo no escriptorio dos Srs. Ra-
cha Lima & Guimaracs, na rua da Cadeia do Re-
cire, ou na loja de fazendas da rua do Cabug do
W. Antonio Francisco dosSantos.successor de'Mar-
tins 4 Santos.
quet sao e completamente restabellecido em
tres dias, de sorte que estou no flirrae pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que furem aflectadas de
constipac,es.
Agostimio Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
-- Compra-se garrafas e botijas vazias, na fabrica
de licores a rua das Cruzes n. 36.
Compra-se para uma enccmmenda uma n-
grinha e um moleque de idade de 10 a 12 annos :
na roa da Cruz n. 1. escriptorio de Antonio Luiz
de Olivera Azevedo & C. i
Compra-se uma escrava que saiba engommar
e cozinhar : na rua do Crespo n. 18, segundo
andar.
Nas mesmas lojas se encontrar sempre grande
na rua da Alfande- sorlimento de miudezas boas, e mais baratas do
que em outra qualquer parte.
i'in/io verde
para particulares e em pipas,
em barris de a
muito superior
Gorra/as
Compram-se garrafas vazias : na rua da Cadeia
do Recife n. 53.
barato.
Compra-se uma bomba de aguar capim
rua Bella n. 5.
No estabelecimento de Gama & Silva, na rua da
Imperatriz n. 60, loja denomiuada-PAVO-tem
Aluga-se um terceiro andar da casa n 48
na rua do Trapiche : a tratar no armazem da
mesma.
Precisa-se de um
rta em Santo Amaro,
Starr.
forneiro bom : na pada-
airs da fundicaa do Sr.
Precisa-se aiugar uma escrava para o serv-
ce nterno e externo de uma casa de pouca fami-
lia : m Fra do Purtas, rua dos Guararapes a.
26, sobrado.
Precisa-se de
padaha n 69.
Padoria.
, um araassador
na rua Direita,
Precisa-se de um cosinheiro : na casa de
pa*to da ruadas Larangeim.a, 10._________
Aluga-se a casa terrea da travessa das Bar-
reiras n. 6, com quintal, alguns arvoredos e por-
to para a camboa : a tratar defecte da mesma
na olaria do Sr. Zaearias.
Irrilaco do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marro de 1864.
Attesto e juro, se necessario for, que. sof-
frendo ha muito lempo excessiva irritacao
de estomago, pouco apetite e diflicil diges-
to, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Hermogenes Pereira Rosa.
Lombrigas.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos, que
soffria de vermes intestinaes, notando-se
que os symptomas que ento apresentava
eram de moteslia bastante perigosa.
Ravmundo Nonato S. de Thiago, pharma-
ceuiico.
para Ungir cabello
na uma grande porcao de varias qualidades de fazen
____ das as quaes se vendem muito em conta para li-
Compra-se ouro e prata, assim como concer- qnidar. A saber :
ta-se (oda qualidade de obras da mesma qualida- As lazlnhas do Pavo.
de com promtdo : na loja do paleo do Carmo n. \ Vendem-se lazinhas de quadrinhos transparen-
7, por preco commodo.___________________j tes, ba fazenda, pelo preco de 280 rs. o ovado,
Comprase uma rotula grande de porta de ^,tas largas muil rinas a *400 rs., dilas eslampa-
roa, j servida : na entrada da rua da Palma lado cor se8urai padres miudos e grandes a 320
esqoerdo, pintado de encarnado i rs-o covado, ditas transparentes com palmiohas
-------------Mlhms p8<<,ri|n,:-------------T seda a. m'*-> ditas escocezas a 560 rs., isto lu-
i.lln as esterlinas ., do para liquidar : na loja e armazem do Pavo,
Compram-se em casa de Johnston Pater & C, rua da Imperatriz n. 60.
vSmTc^ a, *4 C 3* rS' HPmada de 'P*T**~~ receio de ofTen-'
-e chuas inglezas escuras e claras com der ao cabello preparado. Os pretendentes acha-
mente servidos uma vez que compaream munidos ,ar,a!'u?:i o de massa fina, que se vende or 25
de^dmheiro. J* c o*; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Canelas.
Biqnissimas canelas de madreperola proprias
llm S"'r p,VL'nlp' Pelo barasslmo preco de
Sapatinhos e meias de seda.
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
rollados, assim como meiaszinbas de seda, corrazi-
nhas e louquinhas para as cr.ancinbas se baptiza-
rem; so no Vigilante, rua do Cresj,o n. 7. *
Vollinhas.
BSSKl?.,,Dh.a8 de t,ero,as falsas com eruzinhas
fing ido brilbantes, assim como eruzinhas avnlsas
e voltinhas, pelo barato preco de i e 1*200 as
cruzes avuls asa400 rs.; s no Vigilante, rua do
Lrespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor cos-
i possivel, as*. 2*soo e3; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeites para scnbora.
A gtva Branca, na^rua do Queimado n. 8, re-jonSSKjSf ffifii'.??.11? e e
ceben e^sa excellen.e tintura para cabello,'cujo HEeITOffii V ** *V'"
efeilo 6 rpido e proveitoso, vindo ella munida de' q <
esclarecimentos em ponuguez, donde qualquer nHftc ,P. 1,ancel,ns-
pessoa pode bem conhecer o modo de suplicar rJ tranceI.,n? ae cabello para relogio ou la-
Com o i-hromocome que serve para lingir, vcio pein.,barallssimo Preco de 1*300, ditos de
tambem hydrocallitr.china, agua para tingir cabel- relroz a 200 rs.
los, coloricomo para lustrar os ditos, e onychro- \ abadiulios cnlrcmeios.
Una para lmpar as unhas, e callicomiphila, A P'Quissmos babadinhos enlremeos com lindos
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas necesarias para costura, as quaes
----------------------------___________ ,em 'inhas de diversas qualidades, retroz, tesoura
Vende-se uma casa de pasto na rua da Lapa ? ouIros arranjos precisos, assim como amostras de
n. 13, com hasiantes commodos para passageiros, crdados ou marca, etc., e lados a precos com
sendo repartida em duas casas : a tratar na Ri- modos.
^11?_______________BAHS DE TARTARC-
Para quem gosta do bom e GA PARA COSTURA.
1 A Aguia Branca na rua do Queimado n. 8, ven-
de bonlios bahus cobertos de lartaruga c de diver-
sos tamanilos, mui propnos para costuras e joias.
Compra-se um moinbo de pedra com arma- vwhhjbi-bo mitas ingiezas escuras e c i der ao cabelli
cao ou sem ella para moer milho : na rua do Co- as cores seguras pelo preco de 240 rs. o covado rao preco raroavel
tovello n. 2o. ditas largas, boa fazenda a 320, 360, 400 e 500 rs'------------------------1
| o covado : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n.
60, loja de Gama & Silva. .
Precalas a 600 e 560 rs.
Vendem-se as mais linas precalas, padroes miu-
' dnD,,&0Sl0S delirad issimos pelo barato preco de
Vende Se CaiXOes VaziOS propriOS 61.e.S6 rs- covado : na rua da Imperalnz n.
para bahnleiros e funileiros a 1760 m^S^^2S a \s_____________,*****, por precos qneaonun
-"- Metas precalas,ou precalas ingiezas largas a 100. Fabrica de chapeos Je sol lie FltOCis- Peores,havendo fltaslargas proprias
ezas> CO MflPstrali ih Aa .,*;mnA 'e'^nue se pode vender a 300 rs. a va
VENDAS.
rada Dm; pesia typographia.
Massimiliano Zacchi, e Pietro Maltei, riti-
ram-se para fora da provincia.
Aluga-se a casa terrea da rua do Jardjm n-
3o : a traiar na rna do Gabog n. 2.
Precisa-se de uma ama nacional bu portu'
gneza, que cosinhe e engomle: na rua do Im"
perador n. 71, 2 andar._______________^^
t- Precisa-se de nm ca.'xeiro portuguez com
pratica de molhados, que sej',? hbil, agradavel e
dnsembarassado; tendo estas quai.'^des e dando
fiador a sua conduca nao se olha o ov'de*>; na
rua das Cruzes o 24.
Nevralgia.
ma carta do Illm, Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
Farinha de mandioca.
a 5*000 o sacco.
A melhor que existe no mprcado, bordo do pa-
tacho Ulysses, defronte do trapiche do baraodo IJ-
vramento pelo barato prefo cima mencionado,
sendo sem o sacco, e em porgse far alguma
dilferenga ;_na rpa da Hadw de Dos n. 5 e 9.
Bixas de Hmbrgb^
Vendem-se na rua Nova n. 61.
Vendem-se meias precalas ou precalas ingiezas,
padroes miudinhos e fazenda fina e 400 rs. o co-
vado : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60
ae Gama & Silva.
O gangiielim do Pavao a 39o rs.
o covado.
Vendem-se ganguelim cor de rosa para roupa
de meninos, e vestidos pelo barato praco de 320
rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 60, loja do
Pavo, de Gama & Silva.
Os grosdeniples do Pavo.
Vendem-se grosdenaples pretos, fazenda snpe-'
i 1*600 rs. o covado, ditos largos muito en-
---------- .,.,..,,,,,.... cuucun-iua ana rniuus
aesenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 1*200, 1*300, 2* e 3* s no Vigilante,
i rua do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
1 Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
, larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
pnas para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
Vende-se a taberna da rua do Padre Florano n. P c.
5, por se nao querer dous eslabelecmentos da ,,as-
mesma ordem : a tratar na mesma. brande sorlimento de lilas de diversas larguras
e qualidades, por precos que admiram aos com-
para cin-
ara, e peca
AfffMQAO
na do Queimado Twj
tn. 7.
co Maeslrali,
numero 22
Nesta fabrica chegado pelo ultimo vapor um
completo sorlimento de bengallas e cachimbos de
espuma domar ede outras mais qualidades, as-
sim como tambem chopelas para charutos muito
finas, e fumo caporal, e sempre tem promplo um
bom sorlimento do chapeos de sol de todas as
qualidades, na qual se fazcm e se concertam tudo
perlencente a esta arte.
a 2*; s no Vigilante, rua do Crespo
Machinas de vapor epa-
. relogios,
Vende-se em casa de Johnston Pater <
C, rna do Vigario, n. 3. nm bello sorti-
mento de relogios de onro patente in.
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem urna variedade de
qoniosttrapcelins para osjmesmoslt
Ella mais de sete annos que soffria dores
no hombro e nas costas, tomei uma inni-
dade de remedios sem achar alivio algum.
! Dr, angustia, tormento sao palavras for-
tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido ; ha tres
dias que na'i? sint0 a mais leve dr no hom-
bro nem nas cb?**8'
Estas pululas act>^m-se venda nas prin-
Tremocos notos a 3,200
a arroba.
Vende-se saceos com tremocos vivos a 35200
' Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca: s no Vi-
gilante, roa do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espedios com moldura douradate
sem ella de 8*JO*, 12* e 14*, assim como con
columnas de difterentes tamanhos a 2*, 3* 4* 54
e 6*; so no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
n,rlT,ssm,sjaiT0S efi8uras de porcelana fina,
Pm / sa,a' seDdo melhor gosto que aqu
.temanparecidojs no Vigilante, rua do Crespo
PomliOS a Venda. or a l*6O0 rs. o covado, ditos largos muito n-1 UlttlaJUUW UC VUpi
Vendem-se os melhores pombos e borrachos por corpados a 2*400, 2*600, 2*800 e 3*000, ditos t1 lp prego commodo : nas Cinco Pontas n. 67 brancos, cor de rosa, azul e amarello a 2*000 rs a uroW*W*' tlI^UUtlU,
VttZtggSA.T1 M^\M Vestidos brancos para baile. XaiXaS de ferrO batido tfift-l Para pos de arroz.
HJn?r?n;Se0SmaKSrC0SVeslid0S bneosbor- ^ W TO1XU UdUUU, LOd : iqaissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
dados propnos para baile ou casamento pelo bara- flO ft (\9i COhrP ; cousa de muito gosto a 1*500 ill ssim como
SSS SIT dC f^? Cada TV6 : na 'Ja e ar- DJ J W58 s cora Pos a SO ri ctda um; TE
mazem de Gama & Silva, roa da Imperatriz n. 60. HOtta S IgQfl. dBlltftdAS e V,gllante' rua do Crespo n. 7.
- Vende-se urna negra crioula, bonita figoraj A* 0(*vraocx Am mnncen J Perfnmarias.
a qnal sabe engommar e coziBhar, com 16 a 181 U" IxiYYOQti, COm HiailgtlS e
arroba : na rn"ndTfo"da'rua'dVBrmn:8rdTraz &*- Cada -'-,e : "a 'ja ear-!
do arsenal de marinha.
w "7. Ve"de"se a casa terrea n. 25, sita na roa de
Maiias Ferreira, na cidade de Olinda : quem a
pretender dirqa-se. rua Augusta n. 59, que acha-
r com quem tratar.
Farinha de mandioca
annos de idade : no pateo do Terco n. 141.
Negocio de vantagem.
'-'"' j'uiuiaa aoiK" ;-------... ..^ j^...^ uimu uo L cipaes boticas e drogajT'as ^o Imperio, e no tordo ou com Tasso irmaos.
Ro de Janeiro, rua Direitt." n- 5- Vende-se nm selm ing
Vende-se em Pernami,huco:
na pharmacla francez^ dc
P.WPFR & C.
RUA NOVA N. 18.
Vende-se a taberna da rua das Aguas-Verde n.
aoordo do patacho Ulysses, .ancorado ao trapiche ?5 ^0T mo,'vo de nm dos socios ter de se retirar
barao do Livramento no Forte do Mattos : a tralar para ora da ProviDcla, vende-se com os fundos a
a hnrtn mi rnra (Tacen Irmins I Vontade (lo comnrar cm raran do nm snrin tar im. '
eixos de patente.
RuadoBrumn. 38,fundi-
Co do Bowman.
todos os pertences;
n. 32.
nglez m bom uso, com
na rna da Cadeia Nova
llar f--- f'""-', 'ci>uo-ac ui.....s looauB a _______________^__^^_^.^^^ zes se farlndn non
iar vontade do comprar em razo de um socio ter ou- Arando linnilonaA A~ S~ rua do Cre^no n 7
_ I tra Ubernae retirar os gneros que nao agradar Wrantie UOlUflAOBO te lCS i
'Om an COmnrador. nara vactMn na 1 4. n.-.*.. ___^__^_^_
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tinctivos e olferecinienlos as sinhasinhas dos me-
j Inores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos debanba japoneza
; a 2* c a 1*, assim como outros objeclos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
____ zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante
. na n Crocnn n 7 '
Vende-se orna easa na Capunga cora pons
commodos, quinsl murado, com iaranf eiras e en-
cllente agua de Jjeber : quem pretender dirlia-se
a rua Velha n. it ."'
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qnalidide a
\U a lata : nos armazens da rua do Im-
perador n. 16 e rua do Trapiche Novo n. 8.
para vestido: na loja de Paredes Porto, ruada
Imperatriz n. 48, vende-se lansinhas para vestidos
de bonitas cores a 280, 300 e 320 rs o covado
Sf* aC3bar' Chegllera a ellas antes 1Uft se aca-
,mhn^ndem'se 20 ac5es do Nov Banco de Per-
nambnco : na rua da Cruz n. ,,
ATTENiO
Aos Srs. padelros
Est-se acabando a farinha de milho a 120 rs a
libra : na padara (Je Antonio F. da Silva Beiris
O a dos Pires n. 42, '

'
. '


(

Diario de Pcrnainlmco abbado lt de \ovembro de 18*.
CL
COM
RUA DO QLTJtiOIADO ff. 45.
Passaad o becco da Congregado segunda casa.
NOV1DADE
Pereira Rocha C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazera de molhados denominado Clarim Commer-
ciai, onaoorespeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos memores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes serao vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencioncda; garante-se obom \ATiri-
peso e t>oa quaudade dos gneros comprados neste armazem. As colchas da Arara de 2*.
Arrn7 do Maranhn t j. ,.....aA an n< Vendem-secolchas de damasco para cama a M,
Z, "I ilhr, ,e I 60.'. SSS Peras seccas mu,t0 novas a 600 n a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220 d,las *> chita a 2000 : na ra da Imperatriz nu-
iuu rs. a nora, e 10800, 2,5600 e 3*000 Painco a 200 rs. a libra. i rs. a libra imero 56-
Polvo secco muito novo a 400rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra. virara T*1de ?ries, d*. f1?" a S?* -.
1 Vende-se cortes de calca de bnm a 1600 e 25,
Grande liquidacode faztDdas de ledas
as qualidade8 para se apurar dinheijo, vende
se baralissinio na loja e aman ni da Arara, ra
da Imperatriz n. 30, de Lourengo Pereira Men-
es Guimares.
AO BARATEIRO DA ARARA.
Vende-se cortes de chitas de cres lixas com 10
covados a 1*400 e ;t200, corles de cambraia de
salpico a 2*500, 3,3000 e 4000 para acabar : na
ra da Imperatriz n. oti, loja da Arara.
A Arara rende eassas a 240 rs.
Vende-se eassas para vestidos a 240, 320, 360,
e 400 o covado, organdys de lindos gostos para
vestidos a 320, 360 e 400 r?. o covado : na ra da
Imperatriz n. 56.
Cortes de la a Hara Pia a 8*, I 25. lio e i (i?).
Vende-se cortes de la com barra, os propia-
mente a Hara Pia a 85, 125, 145 e 165000, ditos
0
AO RESPEITAVEIj publico*
RA DAS CINCO POMAS N. 86
Esquina da nova ravessa de N. .loo.
Desejando o proprietario do
5iTUd0^?tolrieTWW,'l*d> gasaoseu genio emprebendedor, commcrcial e especulativo, resolveu ceder a
A Arara rende alpaca para vestidos de senhora a fl a.ssa'l0H' .4uan.do as horas caladas da noite o seu solicito espirito se agi
ifiA j turbilhao de ideas, tendentes todas a bem servir e agradar aos Generosos
Ameixas francesas em latas e em frascos a
1*200 6 15600, e em frascos grandes a
2*500.
Idm em. caixinhas elegantemente enfeitadas
cora ricas estarabas no interior das caixas
a 1*200,10400, 1*600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 4*600 a arroba.
Azeite doce francez ranito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a610 rs. a garrafa.
Araruta/verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellas mnite grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1*300 rs.
Bolachinhas de sd, latas grandes, a 2* rs.
a lata.
dem inglezas muito novas a 3*000 a barri-
quinhaea 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
embarrila 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 1*600, 2*.
2*500, 2*800 e 3J000 a libra,
dem preto muito superior a 2*000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melbores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 5*800 a duzia.
Cognac infflez fino a 90") rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
'dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melbores fabricantes da Baha
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 1*800,
2*010, 2*200, 2*500, 2*800, 3*000 e
3*500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs.. a libra e 8*500 a 8*800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Cbouricas e paios multo novos a 800 rs a
libra.
Presuntos de Lamego era calda de azeite e
muito novo a 640 rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2*800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cadajum.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de ltmpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem steartnas muito superiores a 60 0 .
libra.
Eigos em caixinhas ermeticameote lacradas
a 1*600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Lniz I. Mara Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, UOO c
1*000 a garrafa, e era caixa com ama du-
zia a 9*000 e 10*000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 3*, 3*500
e 4* a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 300 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
grande armazem do Propheta dar lar-
a inspiraco
agi lava n'um
0 rs iiuiunurtu uc iucda, iciiucuica luuoa Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves- desta bella provincia, de abrir mais este grande estabelecimento de novos e
t'do; de senhora a 360 rs. o covado, laazi- escolhidos gneros, quasi que especialmente destinados as pessoas que rcoram na fie-
Dhas para vestidos de senhora a 320, 360, 400, e \ guezia de S. Jos, e aquelles senhores que transitara pela va frrea par;i quem em ver-
1 dade sao sem conla o numero das vantagens que se Ibes offerece, oto so com relaco a
modicidade dos frotes, como da facilidade e brtvidade da condueco dos objectos com-
prados.
O sonho do Propheta ser tima verdade pratica tao acceita e abracada como as
palavras simples e bem intencionadas dos vellios patriarchas desses lempos idos, si o Se-
nhor Deus dos exercilos nao o quizer contrariar.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata. dtos^uMiir? T 883o 45500 -^nTruVda' 'Phela tSo querendo resti ingir-se a forma ordinaria de negociar resolved
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra. Imperatriz n. 56, loja da Arara. tambem, depois de profunda meditacao, de nao vender smente os seus gneros a di-
Figos de comadre e do Douro em caixinhas1 Larinhas da Arara a 210 rs. nbeirocorrete ; mas tambem de por em pratica troca delles por outros da produo'o
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a Vendem-se laazinhas para vestidos a 320, 360, do paiz ou por escravos, bois. cavados, etc. Assim, pois, fique na inteligencia de todos,
1*800, 5*500 e 280 rs a libra 7 e u*rs''Dd',asfiinas de todas,a3 cres a a' ^uc PR01>HETA receber como moeda de qualquer dos senhores agricultores, issocar,
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra. impera""* E? loS daArara '' i al&odr,' agurdenle, milho, feijo, cavallos, escraros, etc., etc. e Ibes dar o mesmo valor
dem de trigo a 120 rs. a libra. H A Arara vende m completo sortimento de roana'em gneros, escolhidos a conteni.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD feila. I Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objectos re-
a 560 rs. o frasco e 6*200 a frasqueira.! Vendem-se roopas fetas a saber: calcas de cbidos por troca, o fropheta nao demorar a diflerenca que deve dar em dinheiro.
dem em garrames de 3 e 5 galoes a 5*500 brim e cores a 2* 25500, ditas brancas de al-' Um eslabelecimento que com tantos sacrificios e despezas acaba de ser aberio
e 7*500 cada um com o Garrafn ?T a-25, 'l8 de linh.^a3'5^0 J*00?1 colle' deve inspirar a todos a certeza de que se vender muito '
fiZi. Van .1 ,T,n 1 tes de cres de Drim a 15600 e 25, ditos brancos rir rrp.KA frollpyin M
Graixa a 100 rs. a lata e 1*100 a duzia. a 25500,de casemira a 35 e 45, calcas de casemi- nr cie(il[0 e 'reguezia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. TA*f-W e 7*000, paietots a semin a 55000, Ararula ver(la(]era a 320 rs. a libra.
dem, qnalidade especial em garrafas muito ffif" pretos e de cores a 65, 75, *kJgV Arroz doMaranho Java p do VmoAa t 80
ffrandps a 1 Mm a narrara 125000, paletets de alpaka preta a 35 e 35500, di-,Ar* U;"i' ia?*. t jirafa- tos de alpaka de cordao e alpaka branca a 45500, 100 e 120 rs. a libra, e a arroba a 1*800,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. ditos de brim de linho brancos linos a 55000, se-1 2*500 e 2*800
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de roias a 15280, ditas franeezas a 15000 e 25000, mpn.inn(. 9 9o rs ii,r9
vidro, a 1*000, s a garrafa vale o di- cD?m,sas f5ezas a 2* e 25S00, ditas de linho in- JSSTliSalSlBlIlM e
.ntioiro glezasa 35000: e outras muitas roupas feitasque Ameixas iiancezasa lOtU, I04UU e l)t>uu
se torna enfadonho mencionar, que vista do com- j em latas, frascos e lindas caicliinhas muito
prador ^e dir o preo, por isso roga-se aos com- proprias para memosear alguem,
pradores o favor de vir ver na bem conhecida loja Ampririnas rnnfpilulie da Arara, ra da Imperatriz n. 56, de Lourenco Amenaas conieiUas em liados de viro
PereiraMendes'GnimarSes. a I* o frasco.
A Arara vende as percalas a 500 e 560 rs. Alpiste a 160 rs. a libra e a 1*500 a arroba. |
Manteiga ingleza perfectamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melbores conservei-
ros de Lisboa a 660 rs. a lata.
Marrasquinuo de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
e 800 rs. a garrrafa, a duzia. | Macas finas para sopa: estrellinha, pevide,
dem Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 1* rodinha e. aletria a 600 rs. a libra e a 4*
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa
1*200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 1*800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixamos, dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porcGes como Doce de goiaba em latas o melhor possivcl a
retalho- 2* e em caixao a 40 rs.
Quem comprar de 100*000 pan cima te-1 Palitos do gaz a 2*200 a groza.
a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
j Peixe em latas preparado pela primeira arte
decozinha al* a lata,
Paliios de dentes a 160 fs. o maco,
dem de dentes a 120 rs.
Vende-se percalas de cores finas para
a 500 e 560 rs. o covado.
A Arara vende tiras bordadas para enfeitar vesti-
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas para enfeilar vestidos
brancos a 15200 e 15400 a pera, musselina bran- ,
ea fina a 400 e 500 rs o covado : na ra da Im- Azeitonas por todo o preco
peratriz n. 56, loja da Arara.
Ao barateiro da Arara a 2*300.
Vende-se baloes americanos de 15, 20, 25 e 30
arcos a 25500, 35, 35500 e 45000.
barato com o fim de se adqni*
dem em botija a 300 e 400 rs. a botija.
Graixa em lat sa 1*200 a duzia.
Limonadas de diversas fructas a 1*000 o
frasco.
Licores inglezes e francezes a 1*000,1*500
e 2* a garrafa.
Lingoas americanas a 800 rs. cada urna.
Lingucaspromptas em latas a 1*200 a lata.
Manteiga ingleza Leste genero o que ha de
melhor a 800 rs. a librae em barril a 700
rs.
s Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa. |Idem mais baixaa640e 720 rs. a libra.
Azeite do Lisboa a 640 rs. a garrafa e 4*800. Manteiga franceza a 520 rs. a libra, em barril
a caada. a 6 40 rs a libra em retalbo.
Azeite doce emboioes com 9 garrafas a 5*500 Massade tomates a C40 rs. a libra,
como boiao. Marmelada muito nova a 640 rs. a libra.
Mollios inglezes a 400 e 040 rs. a garrafinla.
; Biscoitos inglezes de diversas marcas a 1*300 Mostarda preparada a 400 e 040 rs. o frasco,
a lata. ] Massas para sopa macarrao, talhai im e alel ia
Bolacbinbas de soda, oval e lunch a 2*000! a 400 rs. a libra.
Vende-se goinhas para senhoras a 240, 320, 400 L f ,com 3 l.uras' Q> \^m filia? em caixinhas a 3*000 a Caixir.ha.
e 500 rs., camisinhas para ditas a 15,25, 35 e 45, Bolacbinbas americanas em borricas 26 Marrasquino de Zara verdadeiro a l*a00 o
na ra da Imperatriz, armazem da Arara, n. 56. libras a 2*000. frasco.
A Arara vende madapolo entestado a i*. ; Banha de porco da melhor qualidade a 360, dem mais baixo a 800 rs. e 1COO o frasco.
Vende-se pecas de madapolo entestado com do-, rs. a libra. Milho em saccas com 20cuias a 3*5C0.
ze jardas a 45000, pecjis.de dito de 2, jardas, das Ba|atas em ggos e ^ l0(]o Q prezUnlo ingle/, para fiambre vindo no ultimo
das
marcas sepuintes :' ri. 30 a 65000, n. 250 a 65300
r o abate de 5 porcento.
j Passas muito novas a 480 rs. a libra.
MCIJINASDEPATENT
de trabalhar mo para
descarocar a'godao
e 75. n. 2 85, n. 5 85500, $g9& n. PF a 105500, ^af mdo a 10*000 ou 8*000 a arroba,
n. ZZZ a 125, R a 115000 a pega, algodo a pega Caf superior a 7*500, 8*00 e 8*500 a
de 20 jardas a 55 e 65000, dito carne de vacca a I arroba
65500, dito domestico a 75, dito slcupira a 85, dito c,,a nes, BenPTa f prnos n nue lia dfl mplhn-
pao ferro a 95 a peca : na ra da Imperatriz, loja t,Ud neM0 &eDero "" 4ue "d ue memo-
da Arara n ka assim como lamnem temos auo nelns nr-
9
GRANDE E SMPTOSO ESTABELECIMENTO
da Arara n. 56.
Bramante de linbo a 2*5'0 a vara.
Vende-se bramante de linho a 25300 a vara, pan
no de linho para lenges a 640 rs. a vara : na ra I Charutos de todas as melhore
da Imperatriz loja da Arara n. 06.
A Arara vende easemiras finas a o*.
i Vendem-se cortes de easemiras para caigas a 5..
JioOO, C5 e 7500O corte : na ra da Imperatriz,
assim como tambem temos baixo pelos pro-
cos seguintes: 1*400, 1*600, 1*800
2*400, 2*600. 2*800 e 3*0C0 o fino.
e peores mar-
cas do mercado a 800, 1*000, 1*000, 2*.
vapor a 800 rs. a libra,
dem mais antgo a 640 rs. a libra.
dem do Porlo a 640 rs. e sendo inteiro
500 s. a libra.
Passas tovas a 400 rs. a libra.
Polvo a ICO rs. a libia.
Painco a 160 rs. a libra.
Pomada a 240 rs. a duzia
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
DE
ES EES
SOTOS E ESCOE1IIDOS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
OO MITA. UO VA >
Ultima casa junto a ponte da ESoa Vista.
DUAS PALAVRAS.
Cesse tudo qnanto a amiga mu.-a canta
Que outro valor mais alto se alevanta.t
Acha-se a disposico do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci-
mento de molhados, tal vez o primeiro e nico boje existente em sua especialidad, por-
que o maior capricho de maos dadas com mais apurado goslo de abrir um cstabeleci-
mento modelo promoveram a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quanlidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como viio ser pelas pessoas que se
dignaran de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos pre;os quasi do pri-
meiro custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharao
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
et te, e aquelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
sario, proraeltemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
homem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa qualidade dos
objectos, orno pela fidelidade dos presos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO ECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominaeo de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
niBgtiem.
O neme urna voz com que se do a conhecer as cousas. esta a mais
breve, dar e sincera explicacao que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais :
N5o oriundo do Brasil o imponente titulo do nosso eslabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apanbamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
lem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que tan-
.sorprehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-
isamente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oit3o do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e corda.
louni solt qni mal y-pense.
Pimenla do reino a 320 r. a libra
2*800,3*000, 44000,5*000, 5*500e 6* i Peixe cni latas a 1*010 a lata, savel, cor-
o cento. vina, pargo e outros.
f*j-a Arara n. 56. 1 Cbourigas i as mais novas do mercado a 12* Papel de peso a 2*000 a rema ^
t A Arara receben um completo sortimento de capas 0 barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a \ dem dem muito lirio a 4*000 c 3 00
e soutbembaniues ellas que pechincha. dem mai fim a IJ O
r&jssssxsi drss gis^1^^'1^^^11^ ?"a,n,aso ^ ^5ooe *^o.
ditos de laazinhas decores a 85, 105 e 125000, w!* marca a ma,s acreditada que tem dem paia.cmLrUlio a 1*200 a reSKa
capas de grosdenaple preto a 205, 2o5, 305 e 355 v,n^o a 500 rs. a garrafa, e meia garrafas: Palitos para denlos macos com CH macinh^
Estas machinas l'K&W EK5L*S!S!!!ft \*, 235 ^ por 320_rs._ branca e preta. | a 80, 120 e 200 rs. o
podem descarocar
iiuulquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
d^lSrairte ?J* e 'nrra"em"da Arara' rua Conservas inglezas a 800s. o frasco fazenda ]
Caserairas para capas a :* o covado.
Vendem-se easemiras lisas proprias para capas
de senhoras a 35 o covado, laazinhas lisas para o
chique.
dem franeezas a 500 rs. o frasco.
Cevadinha de Franca a 240 rs. a '
, su e zi/U rs. o maco,
do gaza2;;.000a groza.
ra.
dio em carofo
em 40 minutos,
on 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodo
limpo.
Assim romo machinas para serem movidas por
animaes, que descaroeam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-so aos Srs.
agricultores a vrem ver e examina-lo, no arma
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
Sanaders Brothers & C.
I. II, praca do Corpo Manto
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Rua do Queimado ns. 49 e 53 loja do Barateiro
conhecido j como tal, est dispondo da fazenda
por todo o preco para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o seginte :
Baralhos de cartas para vol trete muito
finas a............................
Miadas de linha froxa para bordar a-"."
Pares de sapatos de tranca do todos os
tamaitos e finos a...................
Massos de superior grampos para cabellos
Duzas de palitos de gaz superiores a. ...
Libras de ara preta muito superior a...
Frascos de superior macaca oleo a ....
Ditos de dito perola a.................
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs. e
rs., ditos finos d er a 15, colarinhos baratos a Ra,ra'a-
600 rs. a duzia : s na loja da Arara, rua da Im- Ceblas por lodo prero.
peratriz n. 56.
Ao baraleiro do bairro da lla-Visla.
Vendem-se chitas escuras e claras de cres finas
a 240 e 280 rs. o covado, chitas lrancezas finas a
320, 360, 400 e 500 rs. o covado, porm assegu-
ram-sc as qualidades e cres : e muitas outras fa-
zendas que se vende barato, sto smente vista
dos freguezes. Assim cheguem freeuezes porque
s se vndc assim barato porque est a festa na
porta, e a lo)a da Arara da rua da Imperatriz n.
56, pode bem servir aos freguezes do bom e ba-
rato.
Qneijos flamengos do ultimo vapor a 2*600.
dem londrino a 900 rs. a libra.
: dem prato a 040 rs. a libra,
i a libra.
a libra,
300 rs.
Copos lapidados que sempre se venderam e
se vendem em muitas parles a 8.-S c 10*,
vendemos a 5*5( O e 0*000 a duzia.
Copos para vinho a 3*000 a duzia.
Doces de calda vindos de Lisboa Reste ultimo
lata.
i Sabo massa a
120, 180, 200 e 2';0 rs. a
libra, e em caixoes por menos.
Sal relinado a 000 rs. o vazo (pote de vidro.)
Toucinbo de Lisboa, de Sanios e americano
a 100, 240 c 32o rs. a libra e em arrota
a 5. 7, c 9*000.
P 2? < -1 55 SS > >- O SCS
M
a
5
O 63 o
""- M ffc
o
200
20
rl.ataU5KI*IB
u
C- S B o
3 O as O
5.3 & *
j.
" a. 03
C.O.
> CB
CD
-1 o a>
^S&
= 8^1 s.'-" = f
w E.g 2. Z
" J t
s w n
so
3. ir
M
t
I 55
vi es 3
So CD
g2.
as eo
o nr o.
ai as O
sis
O 5?
_ ha
^3 Cp
os -
es
e
vapora 6 JO rs. a lata das melbores fruc-, Tijolos para limpar facas a IGOrs. cadaur.
tas da Luropa. vinho do Porlo em ancoi as com 70 garrafas
dem da goiaba e da casca o melhor que e j a 30*000.
possivel por diversos precos, e conforme Vinhos de Lisboa e Figueira qualidades mag-
nificas a 3*000, 3*500 e 4*000 a caada.
Vinho do Porlo em pipa a 5 e 0*000 a caada.
Vinho branco de Lisboa e Porto em ancoras,
os
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.
Vende-se um comometro martimo inglez do
melhor fabricante Charly Frodshan. alangando o
sea regalamento, por diminuto prego : a tratar
na rua Nova n. 2!, loja de Francisco Jos Ger-
mano._______________________________1
- Vendem-se dous encllenles terrenos promp-
tos para se edificar com 64 palmos de frente am-
bos e 300 do fundo, junto a fabrica do Bowman ca f
roa do Brum, aterrados at a linha do caes tendo
j parte do caes feito : a tratar na na dos Gua-
rarape p. J8, '
8
AfRBCAa
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna dnzia : em casa de Johnston Pater & C., rua
do A'gario n. 3.
Uueijos de Minas"
Vende-se na rua Nova n. 61, defronte da Illa' I D"zas de boloes encarnados para vesti
cmara municipal. dos a,,,,..,,,,..,.,.,,............
Ditos de banha muito Jia a..........
Ditos de cheiros muito finos para o preco
a res........................t" ];
Sabonetes de todas as qaalidads a 'rs
160, e............................
Novellos de linha com 400 jardas a.'.'.'..'.'
Carriteis de linha de cres com 200 jar-
das a..........................*
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pegas de litas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a reis..............................
Varas de bicos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a............................
Pegas de tranca preta liza muito fina a.'.
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fita preta com colxetes a......
Libras de la sortida de todas as cres a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de obreias de ma ssamuto novas a
Varas de franja .branca e deires para
toalhasa.........................
Frascos de oleo Philocomescupenor a...
Ditos com superior tinta a320 e.........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espartilho a.
500
400
640
600
os
-1
C
i'
5
i
s
SE.
ce
CKS
OS
3
OS
1
os
os
I)
er
as
o tamanhn dos caixoes.
. Ervilhas em latas a 640rs. a lata.
; dem seccas a 200 rs. a libra.
, Espermacete americano a 1*200 a libra,
dem francez a 560 rs. o masso com 0 velas.
Figos de comadre em caixinhas muito lindas
a 800 rs. a caixa.
Farinha de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
I Fumo do Para a 1*800 a lata grande.
Fumo americano a 1*400 a libra.
Fumo em macinhos para sganos a 200
rs. o mago.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a 3*500
jGenebra de laranja I* o frasco,
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.

80
600
500
800
60
200
bao muito bonitos
Sao muito modernos
Sao muito baratos
O barateiro Joaquim Luiz dos
Santos, acaba de receber um es-
plendido sortimento de soutembar-
ques e capas ricamente enfeitados e
que vende muito barato ; mandem
ver Exmas. Sras. para se convence-
ren! desta verdade, na rua do Cres-
po
n. i, junto ao arco.
IJMM
Para colletes.
Vendem-se abotoaduras douradas que nao des
merecem a cor com as efDgies de SS. MM. o Sr.
D. Pedro II, D. Luiz I e Maria Pia e outras com
as cor-s braslleira e portugueza: as ras larga
do Rosarlo n. 30, do Queimada n. 46 loja do Gui-
mares Bastos e da Cadeia do Recife n- 49.
barris e pipas a 4*000 e 5*000 a caada.
Vinagre de Lisboa a 1*000 e 2*000 a cana-
| da.
Vinagre em garrafoes por 1*000 comogar-
rafo.
Vinagre em ancoras para 1*600 com a ancora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 040 rs. cada ma.
Vinho deHordeaux neste genero temos granda
porcaoedasqualidades melbores que lera
vindo ao nosso mercado em garrafas, em
ancoras, em barris equartolas oqual ven-
demos por procos muito baixos.
O BALIZA
DECLARAOAO.
O BALIZA declara pelo prezente que
deixa de publicar os precos pelos quaes ven-
de as suas mercadorias por motivos qne ao
respeitavel publico pouco interera. Serve
provisoriamente de baze os precos do Pro
plieta.
fiaa
: ORDEM 1IO mu
O BALIZA concede plena liberdade aos
seus amaoeis collegas Clarins, Unioes, mitra-
dos e croados, para que possam saltar, her-
rar e tudo mais quanto lhes aprouver, at
a sua segunda ordem.




!

Diarlo de PerioihtM ... sabfoado 1* e Yovcinbro e lle
EF0RM4.
AURORA BIIILHIME.
N. 84.Largo da Santa Oruz. -N. 84.
Francisco Jos Feraaodes Pires, tem a honra de avisar a sqa numerosa freguezia
e eom especialidade aos moradores do bairro da Boa-Vista e seus arrebaldes, que fez
nova reforma em seu asselado estabelecimeuto de molhados denominado Aurora Brilhan-
te, ao larjo da Santa Cruz, e eom esta reforma supno de novo o seu armazem de bons
genero*, sendo mmtos dallds mandados vir de Sua propria conta, para melhor servir
aquellas que so dignaren comprar ou mandar comprar em seu estabelecimenlo.
No armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respeitavel publico um
lindo e novo sortimeoto dos melhores gneros que tem vindo ao nosso mercado, e sem-
pre por precos muito razoaveis, como se v da segumto tabella que ser mudada so-
manalmente.
NEM COROAS NEM MITRAS
0
GRAMOJE
AHMAZJB1I
DE
RIJA DO IMPERADOR IV. 40
Junto ao sobrado em que mora e Sr. 0btrae,
Dnai'te Aluielda *& C, reeeberam de ana propria cnconimcn
da o mala lindo e variado sortimento de molhados, proprles
da presente estaeao.
Manteiga ingleza Macas brancas
da safra nova vinda no ultimo vapor a l,ooo;para sopa a melhor que se pode desejar,
A Aurora Brilhante recebe as libras sterlinas por 85, sendo para compra, e faz ">
por cento de abalimeoto a quem comprar de 100$ para cima.
libra
Presuntos de Hambre muit novo, a libra a
800 rs.
Ditus para panella, a 360 rs.
Quoijos londrinos rauito superiores, a
a 1*000.
Ditos do reino vindo neste vapor a 2600.
Ditos do vapor passado a j e 2i00.
Queijos de qualha novo-, a libra a 560.
Frascos grandes com uniM a 3*000,
Latas com i|2 libras a 15200
Ditas rom 3 e 6 libras a 25500 e 43.
Chocolate francezmuito superior, a libra a
15120
Cha lino de primeira qualidade, a libra a
25700.
Dito uxim a 25700,
Dito hvsson a 25700 e 25800.
Dito prola a 25800.
Dito em caixinhas de 1 e 2 libras a 25600.
Dito preto a 2g e 25500.
Manteiga ingleza flor a 15200.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita em barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Lata< com 2 libras de banha refinada, a libra
a 400 rs.
Manteiga franceza nova, a libraa 640.
Dita em barris e meios ditos, a libra a 600.
Toucinho de Lisboa a 95500 a arroba e a 32o
rs. a libra.
Latas com bolachinlia de soda de 5 libras a
25000.
Ditas com biscoitos e bolacbinhas sortidas
a 15500.
Ditas inglezas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranho, a arroba a 25400 e a li-
bra a 80 e 100 rs.
Dito da India a arroba 2*800 e a libraa 100
o 120 rs.
Caf muico superior de primeira qualidade
a 85500, 95 e 95500 a arroba.
Din em libra a 280, 320 e 360 rs
Vinhos em caixa de 12 garrafas, o melhor
possivel a 18J e 205
Hit i mais baixo a 105,125 >' '45.
Dito Figueira. o mais superior possivel, a
caada a 4-5500 e a garrafa a 640 rs.
Dito mais baixo a 43 a caada e a 360 rs. a
garrafa.
Diio de Lisboa, boa marca, a 400 e 500 rs.
a carrafa.
Dito Brdeos a 640 rs. a garrafa.
Dito em caixa, das melhoros marcas, a 7* o
85000.
Serreta, marca tenentc, em botijas a 7 e 83
, a duzia.
m?? Dila de diferentes marcas a 500 rs. a garra-
( tCen^bra de laranja verdadeira a 15 e. 1*200
o frasco.
Dita de llollanda em frascos grandes a 1* e
popuenos a *40 rs.
1 Dila verdadeira de llollanda, a botija a 480
,' fi Licore-i tinos de varias qualidades a 800, 15
g e 15500.
,> Caixas de vinho m-jscatel a 10*, e a garrafa
;':? a 1-3000.
Ditas com azeite refinado a 10* e a garrafa
a 1*000
c^
4?
w
Jp
Charutos (nos do autor Jos Furtado de Ci-
mas, ha por ruuitos precos.
Ditos de outros autorss a 1*500. 2* e 2*500.
(Jigos de batatas novas com 1 arroba a 1*.
Passas novas, a libra a500 rs.
Figos oovos a 320 rs.
Latas de ervilbas e favas portuguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas com ostras, excellente petisco.a 640 rs.
Latas depeixe ensopado em postas, de muitas
qualidades, a 1*.
Potes de vidro eom sal refinado a 500 e 640
ris.
Marrasquino da melhor qualidode, a 8* e
12* a duzia.
Garrafas de dito a 80rj e 1*200.
Amendoas confitadas a libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
Nozes, a libra 160 rs.
nieo, alpista, a arroba 43 e libra a 160 rs.
Grao de bico, a arroba 4* c libra a 160 rs.
Vinho de caj preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 1*000,1*200 e
1*600.
Champagne boa a dnzla 20*,ea garrafa a 2*
Garrames com genebra hamniirgucza a 6*.
Vinho branco Xerez agarrafa a 1*.
Dito loao de Brilo, puro, a garrafa a 640 rs.
Dito adocicalo a 560 rs.
Dito do Portu, fino, a garrafa a 800 e 1*
Sarape de grozeis e outras fructas a 640 rs.
Massas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita brama a 320 rs.
Dita estrelioha, pevide e rodinhas a 640 rs.
Caixinha com 8 libras de dita a 3*500.
scbolas solas grandes, o cento a 1*.
Ditas grandes em resteas a 1*280.
Duzias de cartas fraucezas finas a 2*300, 3*
e 3*500.
Duzias de latas de graxa nova a 900 rs.
Bunhoes de dita a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do serlo a libra a 320 rs
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes com faruha a 3*.
Ditos com milho o 3*500.
Ervilhas seccas libra a 160 rs.
Lonlilhas para sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha de Fringa a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Araruta verdadeira a libra 480 rs.
Gomma de engommar a arroba a 4* e em
libra a 109 rs.
Sabao espantad! a libra a 400 rs.
Latas com o verdadeiro gaz liquido com 27
garrafaa a 12*.
Garrafas cora dito aSOOrs.
Saceos grandes com leijo mulatioho com 24
cuias por 9,3.
Copos e calix lapidados para vinho e agua.
Latas muilo barn enfeitadas com tizos novos
a 2*, 2*500 e 3*.
Assucar refinado com ovos milito alvo a ar-
roba a 6JI300 e a libra a 200 rs.
Papel pauta to liso d* poso branco e azul, a
resma a 2*500 e 4*300.
Vinho Made.ira-secco, a 15600.
Cento de esleirs de tranca a 205-
Barris com azeitonas novas a 15280.
Conservas inglezase francezas de pepinos,'Duas bataneas grandes de Romo com os
sebolas, azeitonas e mixide a 600, 700 e pesos de 21 arrobas, e alguus bracos pe-
rs. a libra e em barril a 800 rs.
Manteiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
; a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
Cart5es
com bolos francezes a 500 rs. cada ura.
Latas
com bolacbinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1^300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1(5000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velaos para 500 rs.
Queijos flameugos
chegados neste ultimo vapor a 206oo. *
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por monos de
30 a 20600.
iilcm perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
I il ti ni hvsson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
e aletria a
800 rs. o fraseo grande.
Caixas rom frascos de mostarda franceza
45 a duzia, e 360 rs. n fraseo,
qttenos do mesmo autor,
l'ma grande quantidade de caixoes vasios de
lodos os tamaitos de 120 a 500 cada um.

E MU1TOS OL'TROS GEN'KROS QUE TORNARA EXPADONilO MENCINALOS.
TUDO DE PRIMEIRA QUALIDADE.
I4f3,<&uj@aj
SORTIMENTO PARA A FESTA
4r>
I SERVATO
23-Law> do Tereo-23.
Joaquira Simao dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do bom e ba-
rato que se venliam sortir dos bons gneros este estabelecimenlo que nao se arrependero, se Ihe
ar a differenca de 10 a 20 por cento, pelo seu prompto pagamento ; e por Isso se faz annuncio de
aljuns gneros, que tendo sempre este estabelecimenlo um grande e vantajoso sortimento de tudo
chanto pertencente a este estabelecimento.
Sentido! Yo fallar com o Conservativo !!
e 2J sortc a 800, 900 e 1*
a 600 e 640 ris a li-
Manteiga ingleza de 1
a libra.
idera franceza em barril
bra.
Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 8*800 a ar-
roba.
batatas em caixas e gigos 1*200 e 2*000 a ar-
roba.
Caf do primeira e segunda sorte a 250, 280 e 300
rs. a libra. *
Arroz da ludia, Maranho e Java a 100 e 80 rs. a
libra.
Phosphros do gaz a 2* a groza o 180 rs. o mago.
Hassas novas a 480 rs. a libra.
VSlas de carnauba Ararat y ruin posiefio a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs. a libra.
Mirmedada dos melhores fabricantes de Lisboa de
1 a 2 libras a 640 rs. a libra.
Ca' hvsson o melhor deste genero a 2*800 a li-
bra.'
dem perola miudinho a 2*500, 2*000 e 3*000 a
libra.
lanha ingleza al va e superior a 480 rs. a libra.
Queijos mais novns do morcado a 2*500 e 2*800.
Serveja da melhores marcas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 5*800.
Sabao amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Babia dos melhores fabricantes de
1*200, 2*000, 2*500 e 3* a caixa.
Milho alpista e paingo a 160 e 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a dia.
dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprio para missa a 500 rs. a dita.
Idam do Porto engarrafado a 800 e 1*, tomando
mais de urna caada de qualquer um uestes ter
grande abatimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
Biscoitos e bolachas de soda a 1*400 e 2*.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Gentbrade Olaada em fraseos e botijas e de la-
^ ranja de 480 a 640 e 1*200.
'houricas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas com 1 e meia libra de ameixas a 1*200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 3* o
galo.
UM\
.Minos
Vinho lint sem confeicao
m#00 KJI i\COIIETlS DE8 C A ViIIAS 30,000
nico deposito em ernamliuco roa d;i i.adeia n. I.
Bsla n va qualidade de vinho recebkk directamente d diversos lavradores de
Torres Novas (provincia da Estremadurc) como attestam os bilhetes do caminho de fer-
ro que trazem os cascos, provando sua origem o procedencia, recommenda-s a todas as
p-'ssoas que qtteiram ter a certeza de beber vinho puro de uva como o que se bebe nes-
m trras sonde nao panetrou anda o espirito de alsficacao. E' preciso que o publico
so convenc de que os vinhos que aqu se mportam nao vindo directamente do lavrador
Cheg; pela maior parle ou quasi tod s sobrecarregados de preparos nocivos saude
fifusaudo bein graves transtornos no appardbo digestivo
O anotincante offerece a analysc dos professit-naes f sta nova qualidade de vinho
qoa ^npo a venda, e dum premio do l:0OO a quem descobrir no mesmo algum cor-
po C3t.-aho a namvza da uva de que feito
N. B. Para evitar a falsilicaeao, o annunciante declara que o nico propriebrio
o imtwtdor dote vinho o qual vende somen e no sen armazem da ra da Cadeia do
K'Voife n. 1.
para sopa, macarrao, talharim
480 rs. alibra.
C'V%C
o muito afamado cognac Pal Brandy a i,8o*>
rs. a Rarrafa e de outras muitas quafida-u
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 410 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, grove, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botlea
de excellente qualidade a 2$00 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de I,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRRem ancoretasde 9 caadas a IJJ.ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caxa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista e Panino
o mais novo do mercado a i 40 rs. a libra,
e 4)9400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 1 000 o cento na ra do Quei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BIGO
muito novo a 3$ 400 a arroba e UOrs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.
QUEIJO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do chegados neste nftimo vapor a~2^800 na na
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
largo do Carmo n. 9 I 40 e largo do Carmo n. 9.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan! os mesmos precos nos seguintes lugares:
lniao e Gommercio ra do Queimado n. 7
0 Verdadeiro Prinr-ipal ru do Imperador n. 40
FBUCTAS
, MACAA, PERAS E UVAS
ciiegaas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro Principal-Rua do Queimado n. 7, Uniao e Commercio,
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e U30o a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2(51800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1 e I 200
a garrafa e de 10(5 a 123 a caixa. as mar-
cas s5o as seguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitoi.
Latas
com 10 libras de banha a 4000.
Bolachinha ingleza
a 1^800 a barrica da mesma que
vendern a 23000 e 23400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r .d bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mai
cas de 43500 a R3500 a duzia.
C-ARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 13500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 23500 a 33000 a ar-
roba desses que vendern por 33400.
CAF
de l.1 e 2. sorte do Rio de Janeiro a 835f
e 83800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafdes
com 4 '/a garrafas com vinagre a I3000ca
0 garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 13000 o frasco, e de tl#06C
a caixa.
DEM
em frasqueiras de llollanda a 53800 coa
12 frascos.
GENEBRA
de llollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto deLamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 5Co rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo b
caixa e 3io rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 53 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muilo novas
em quartos e inteiros a 23 o quarto e 63500
a caixa e 400 rs. a libra,
" Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800rs. a libra e UOrs. o pao.
Frutas era calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da guiaba
a 600 e 13 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 33500 a ar-
roba e 140 rs. alibra na ra do Qoei-
madon. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACBINHAS
em latas de defferenles qualidades a 13200
QUEIJOS FLAMENGOS
rz
^^%
C?
riffiAO
COMMERCIO,
i?eTro^(
^ARTE MEIDA?
y
Acaba de receber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o propietario em
offerecer 30S seas freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, a Saneando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a l,ooo
rs, a libra e 8oo rs. sendo em barril,
dem franceza a ;6oors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, Iimo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a 1 ,ooo
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
qne os melhores que temos tido no mer-
cado.
Passas muito novas em quartos e inteiros a
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caia e 4oo
rs. a libra.
dem corinthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para ambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 83500 cada urna.
Massas para sopa macarrao, talharim aletria
a -loo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem prato es melhores e mais frescos do H2?5?I2S*- .u i .
mercado a 8oo rs. a libra sendo inteiro. ""fij"" a 7,0 rS' a duZ,a e "' *
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a l,3ooe l,4oo rs.
Fumo americano em chapa a l,6oors, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 33 a
caixa e 6o rs. a libra*
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
2loors. a resma.
Potes com sal retinado a 48o rs. cada um.
Bicos fiascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
a /,ooo rs. a
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao 6 urna timara, facto essen-
rial a contestar, a mesma agua dando a rr primi-
tiva ao cabello. Cnmposta de plantas exticas e
de substancias inofensivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio eorante qne el-
les tem perdido. D'uma salabridade incontesta-
vel, a Agua Florida entretem a lunpeza da cabeca
de. Oleo de Florida
Compsto de .obstancias vegetaes exticas, elle
constile poderosamente, com a Agua Florida a
forc,a, a hefl ra e a conservaban dos cabellos.
JSm Paris, rW de Quistaur n. 12, ra de Riche-
lien, e 2f, bonlevard Muntmartre.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gostos para meninas
trazerem no. braco : s se entontra na loja do Bei-
ja-Flor, ra do Queimado n. 63 e 69.
Extratos e sabao em eai-
xinbas
Lindas caixinhas rom nm rariao com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bao o mais fino que passivel: Da loja do Bcija-
Flor ra do Queimado n. 63 o 69.
Superior cal de Lisboa.
Sendc-se superior cal de Lisboa a mais nova one
ha no morcado tanto em porcao como a retalho,
por barato precn afianando-se aos compradores a
superior qualidade : a tratar as seguintes ras :
Todos os frascos, nno_ tendo intacto e claro, o Crespo n. 7, Imperador n. 28; Fone do Mallo ar-
HgP.lg^ggMfc rcputadwftim, nwem do Sr. Villa defronte do trapiche do al-
Deposte, ra do Imperador, pharmacia n. 38. godao.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 2 1(2 libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
l,ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a ca&ada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos 1 ,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrames com 4 */ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 */ ditas de venagre al.ooo rs.o
garrafo.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,oon rs. com a ancoreta
Mem em pipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com I duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8eo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
O propietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregua
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os mesmos precas nos seguintes lugares:
TJniio e Commercio ra do Queimado n, 7.
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
I Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven-
dern a 2,ooo e 2,5oo rs. \
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
Idemdesebo muito dura Gngindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 5o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautado e liso a 3 ,ooo rs. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fuguetiroa 2,oors.
a resma.
dem embrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/a libra a
l,2oo e8oors. a libra,
dem cm frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira
duziae 6oo rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo rs. o moJboe
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs, o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libraa
10,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra. .
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra a 4,5oo rs. a
arroba. .
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba/
Peixes em latas al,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Riato saceos
grandes a 4,ooe rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo e l^ooo rs. a
caixo.




. .
\
Diarlo de PimIim abitado it de \ovembro d lt4.
PUBLICO
Sem o
Cimento
Importe
menor constran-
se entregar o
do genero que
nao agradar.
ABMAZEM
flTTENCfiO
Os precos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajusfe de eontas
com os portadores.
RA DA CA1NBIA DO REIFE 33.
(Logo passando o arco da Coneeifo)
Crande rednccSo de preeos, equivalente a dez por cento menos do que ostro qualquer
anunnciante.
m!irtc fc^?l,e*a*'TN0 posso por mais tempo susten,ar Preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
52,0DJ eclos-.e lc- dando com isto ocasio a todas as espeluncas acaharem porbom prego a manteiga de tempero, e gritarem em
2S.22LP em ven! p,eI ?reco qu,e eu ven,l'J' ra- e" andido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
55 SrnS *"" ?ncont.rar de sovse- vendercom um Por cento a carola, resolv fazer esta grande reducto de precos, como veris
L cohf,gJ e a' p01,s como sabe!s ca Pcl meu bairro' at a abertura do moninravel armazem de molhados Unio Mercantil nao
ItfS nhr;t? pref e raf^'ga ingleza a n5o ser o de Uoe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
S J 8 os'e"caraBdo todos os das de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingamrse de um eoutro portadores
J 5 ? kT n0V0 esta,elec'ient0- P/ra lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimenttf desta ordem que o seu fim
rao somentc obter a concurrencia de seus freguezes. T
Para bem de todos.
SS8 ?e,?horas afei0 !ue Presidio, aos arranjos deste noto estabelecimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
a^^ZTJT S' CODVldaJa u?a vlzlta ao mes> yertos de que sem duvida me dao a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisaron, e quando nao pocara vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tao bem servidos eomo se viessem pessoalmente, bavendo para com estes toda recommeodacao, afim de que nao vSo em outra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e era barricas de 4 duzias se faz abati-'
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se; ment.
faz abatimento. I Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
dem franceza a mais nova que tem vindo ao | e 8,5oo rs. a arroba,
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou' dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MGLHADOS
ALIANC
DE
Silva & Soma
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
& a iO por eento menos
odrero que sepnaan |>ao n ira qual-
quer parte.
RIVAL SEM SEGUNDO
\enaVr mate barato, po.* ara genio dar a im-
da por todo preso a fa dos cubrts
! Uta8sdresa"iueles fra da melhor qwlid:.
Grojas de peonas de ac inglezas da n.clhor qua-
lidade a 640 rs. 1
Caixas de clcheles francezes de superiores ooali-
dadrs a 40 rs. *
Grosas de boloes de madreperola iuuito finos a 560
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 citaras de relroz preto Uno a
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muito superior a
r SioOOO.
Grvalas da liga e de outras militas ultiMes a
500 rs.
: Caivetes para penna rom 3 fallas fazendii Lo;; a
800 rs.
Duzia de boloes branro para rasaveoues de gtttfe-
' ra a 100 rs.
Pecas de na de cs estallas com 0 varas garan-
Generos especialmente escomidos por um dos socios que ua Europa se acha lidas a 32o rs.
para esse fim. Expositor Portagnez para os meninos a prender
ment.
metos a 5oo rs.
Cha hyssoa de superior qualidade a 2,Coo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o raelhor que se pode desejar
oeste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, I,8oo e 2,ooe rs. a
libra, garante-so ser muito regular, igual I
ao que se vende em outra parte por 2,4oo i
e2,6oo rs.
Linguicas, chourifas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,5oe rs.
ganmte-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouri^as e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e 1,500 e Goo rs. a libra.
Qneijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2.2oo rs. edo vapor
passado a l,6oo e I,8oo rs.
Estearinas a 56o rs. a libra, e era caixa com
25 libras a 52o' rs.
dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito fino excellente dem do Gear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranh3o a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Alelria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,000 rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massastornam-se.recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse fim.
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latasj pre-
paradas a 64o rs.
MarmelaJsrTmperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
doria,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em orinabas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 8oo e l.ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaos das marcas mais acredita-
das que t'im vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-1
idade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditasimperiaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora*l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,50o a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozas muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e H.ooo a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
a ler a 800 rs.
Os si gredos da natureza para os meninos a Lirta-
i der a ler a t000.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado Gamihas da doutnna ebristla, finas e sopa-lora a
armazem. 3*0 rs.
Pentes finos de marta a 1.&000, 1200 e l&ffl.
m t Ivf]m TsT^Th Pa,-es de luvas de seda para nmt,ls e wanews a
ic n^ .A-MM a i Gollinhas para senhora o melhor que ha a 3S0 e
iNao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annun-' )0 rs.
cos deste genero, pois s5o palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambera' PrSS.*0,n suPriores btoba a 240,320,500 e
estaraos cerlos nenhuma atienco j merecem do publico. O nosso fim nois simlos-' t 5
mente fazer ver que o verdadeiro e principal intefesse de todos est na fabela do?prl L,VrSqUe !!*J^^l,P*iWi.
eos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a atiendo.
E grande avantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabeleci-
Vinko verde.

Chegou o muito desejado vinho do Cartaxo vende-se nicamente neste armazem
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, Cerveja branca e preta das marcas mais a-
400 eooo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo, crediUdas que vera ao mercado a5,ooo e
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa era caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Donro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo,ooo rs. ea9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhns inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. | para mimo a 64o rs.
rs. o frasco, e Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
I libra e 6,000 rs. a caixa cora 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
Genebra de Hnllanda a 56o
5,7oo rs a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Aliona em
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
H,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a loo
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiaedas
mais acreditadas marcas conhecidas rio
nosso mercado a 2,000, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,000; dito em caixoes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a. 4oo rs. a
e 36o rs. era barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,000. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
mol ios com cento e tantas porl,2oors.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64e rs. a libra,
dem de casca mole a4o o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 */ libra a l.loo rs.
Arroz do MaranbSo e da India o melhor que
ha neste genero de 80 a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado- em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e 10,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,000 rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
8olachinbas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 600 rs. a libra e
em barrita 58o rs. J
Batatas a 2,000 rs. a caixa.
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
lo preco de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordao branco para csparlilhes muito superior
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha branca a CO
ris.
Cartoes com 200 jardas de linha Llanca caraoti-
d< s a 60 rs.
Grosas de pennas de ac superiores a fiCO rs.
Varas de franja branca e de cores larga para loa-
Ihas a 160 rs.
Pares de boloes de punho, ol que pechiurba a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e' 5|^ ^ ^m menw tinta a 100 n.
~ it. i j __ urosas de boloes ae louca prattado mu fiaos
1,000 rs. a libra, desnecessano mais jeo rs.
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista,
dem franceza a 64o rs. a libra, eem barril
se far abatimento.
AGENCIA
DA
AGEMIi LOW-MOGB.
Ra da Senialla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
nm completo sortimento de moendas e meiat
moendas para engenho, machinas de. vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
ra da Senzalla Nova n. 42. ________
Superior vinho Collares.
Na roa do Vigario n. 11, escriptorio de Manoel
Joaqun) Fuimos e Silva & Genros, tem para ven-
der superior vinho Collares em ancoretas.
wmmw imMmmw
: Fabrica Concei^ao da
Bahia,
Andrade it Reg, recebem constante- f
mente e tem renda no seu armazem n. 9
34 da ra do Imperador, algodao d'aqael- 9
la fabrica, proprio para saceos de assn- j
ear, embalar aiRodo empluma etc., etc., 1
pelo preco mais razoavel.
^y

easees
GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
FIHVDICO DE SIHOS
* DE
WLLACA, IU10 1 C.
RA DO BRU1I T. 40
Chamamos a atiendo de todas as irmanda-
m des e contrarias para o que abaixo publicamos.
ix^ amor 1ne v'anios arte qne professamos e o desejo que tf mos de concorrer com o
''j2 "l0550 frace cont,nP^n,e- Para a vr chegar em nosso paz ao grao de perfeicao que para
S desejar, nos mpellio a mandar Europa um dos nossos socios, afim de particular-
g?) mente estudar a melhorjnaneira de bem fundir os sinos.
Grandes tonta as difflculdades que tivemos a superar, afim de podermos conseguir o
sso desidertum ; porm grapa aos esforcos e bons ofltaoa de um nosso amigo o nos-
^s-; nosso i
^.-' so socio pode ser admiltido m urna das memores fabricas de Lisboa.
s~ Muito lucramos e muito tem a lucrar o publico, por que sem receio desermoscon-
Z"? testados podemos afflrmar, que os sinos fabricados em nosso estahelecimenlo em nada
Sg$ se parecem com esses almofarires de mo gosto que por ah se fazem.
Js/& Estamos habilitados a fondir sinos de todos os tamanhos desde 16 libras at 100 ar-
robas, com emblemas, ornatos, etc., conforme a vomade ou gosto do comprador guar-
dando em seu fabrico todas as n-gras da arte. Pedimos, portanto, em recompensa de
tantos sacrificios e despezas a proteccao do publico.
Villaga, Irmao & C.
Ra da Senzalla Nova d. 42. Cal de Lisboa en dra
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de desembarcada hontem de bordo da barca Bebe-
ferro coado libra a 110 rs., idem de Low fu[.0 *"*** P?,r'?do. r,reo no escriptorio
Moor libra a 120 rs. So n 19 C' Fi'b'larg0 do Cor*
Muinhescom rudas, palentes. j-------------------------------------------
Moinhos grandes com rodas, patentes, e afianca- c*l IIboa.
ido nreco n rf V?1" i,brican,e P" moer caf, e proprios pa-1 "* P" vender a mais nova, e ltimamente che-
> ra refinacao por serem de especial qualidade e de Pada a mercado, em bem acondicionados barris :
Ra da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C.,
sellins e siliioes inglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montana, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Marmelada do primeiro fabricante de Lisboa
a Too rs. a libra, ha latas de 1, 1 1/2 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. a libra.
Macarro, talharim ealetria a 4oo rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molbo inglez em garranhas com rolbas da
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinbo verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs- a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a 8oo rs. a libra.
i Passas novas de carnada a 64o rs. 3 libra e
J 6,5oo rs. a caixa.
1 dem para sopa estrellinha, pevide erodinha
, etc. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o rs. a libra,
rs. o gtgo, 1,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas, Peixe em latas hermticamente fechadas das
uxira o melhor possivel a 2,7oo rs. a seguintes qualidades :savel, corvina.goras
Vibra. i cavallinhas, e pescada a l,ooo a lata.
Mm perola qualidade especial a2,7oo rs. Palitos para dentes lidiados a !4o rs. oma-
f a libra. | co de 2o rs. o macinhos.
I dem hysson o melhor que ha neste genero dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2,loors.
[ a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra. i a groza.
dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra. Painco muito novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a arroba.
duzia, e 56o rs. a garrafa. n .. ...
Chocolate francez, hespanhol e suisso a l,ooo, QuJ0S flamengs> do u]ll> vapor, a 2,ooo
l,2oo el,4oors. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas
sejam regala,
' Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
libra I dem frTnc^s sw-Wa7o7deraias qua- T!Jol PaIa 'mPar ^cas a 15o rs. cadaum.
lidade cada frasco a 5oo rs. .Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra- 1'*00 rs*a ??nada-
fa, e lo,ooo rs. a duzia. Wem em &arrafes com 5 garrafas a l.ooo
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra. rs*
Cravo da India a 6oo rs. a libra. Ibem de escovas para lavar casa a-36o rs
Canella a 9oo rs. a libra. I cada urna.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo o,ooo Velas de espermacete superiores a 56o rs.
e 5,5oo rs. a duzia, e *5oo rs cada um. a libra.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra, dem de carnauba refinada e de composicSo
e 7,5oo a 8,5no rs. a arroba. i a 44o rs. a libra, e de 15,606 a 1 l,eoo rs.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,ooo rs. a arroba.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas ul- Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
timamente a 64o rs. a lata. das marcas menos conhecidas a 4oo rs.
dem ceceas a 1.6o rs. a libra. a garrafa e a 2,8oo rs. a caada,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra. i dem Figueira especialmente escolhido neste
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
bra. caada.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a9oe;,, ..
rs. cada urna. i,(lem Llsboa em ancoras com 9 caadas mar-
Favas portuguezas em latas chegadas ul-' -ca esPecial a ^.o00 rs- a ancora.
mmente a 640 rs.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e ginja a 9oo rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e l,Ioo rs. a
duzia.
Gomma muito al va e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
Fdem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
l,ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o
frasco e H,ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
1.800 rs. a garrafa.
Tesouras para costura superior qualidade a iUO
ris. ,
Escovas para limpar dentes, superiores a 260 rs.
Caixas com superiores phosphoros de sesurauc-
160 rs. '
Caixas cora 100 enrelopes o melhor que ha a 640
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, raoito
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito fino a20rs.
O Perfume da Moda.
AGUA FLORIDA
De Murray & Lanman.
rs.
dem londrino muito fresco a 800 rs. a libra.
e outros da Bahia como Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. cada
trovadores, guanabaras, 0,um." t, 10 ...
delicias e"suspiros a l,6oo, 2,ooo, a Sevadinha de Franca a 18o rs. a
e 4,ooo rs. a caixa.
-= Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
Esto raro rpo delicado perfume
quasi que inextinguivel e tao chcio de
mimosa fragrancia e frescura como o
delicado cheiro da8 proprias.Y.erdese-1 -
tes flores. Durante os mezes caloren-
tos do rerao o seu uzo tornase minen-
teniente aprazivel o desejavel em eon-
sequencia da influencia refrigiranto o
suave que ella produz sobre a peile:
em quanto que uzada no banlio elfa
imparte o corpo lnguido e caneada
urna certa elasticidade de vigor e forja..
Ella imparte transparencia as facoe,
e remove pannos, sardas e bertoejas di
sobre apelle.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
composico a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo
rs. a caada.
dem de Lisboa branco uva pura a 56o rs. a
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada,
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garrafa
dem engarrafarlos generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
Genuino, Particular a 9oo e l,2oo rs. a gar-
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa com orna du-
zia.
a garra-

dem Madeira legitimo a l,2oo rs.
fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
Julien, St. Esteph, chaleau la Rose, chatau
Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa, e
56o rs. a garrafa.
P0T4SSA
na roa da Cruz n. 23, primeiro andar,
s Antonio de Almeida Gomes.
esenplon: I todos os tamanhos: vendem-se nicamente odepo"
_____ [ *,t0 da raa da Cadeia, loja de ferragens n. 56 A,
Cal de Lisboa.
Vende-se na rna da Praia, no armazem de Jos
Joaquim da Cunta A C, n. 16.
de Bastos.
Vende-se urna molatinha de 16 annos de
idada, recolbida e com nabt-lidades ; no lareo do
1 Ter?o n. 33. *
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, ra
Trapiche n. 13, por prego razoavel.
do
Pistn.
Vende-se nm pistn em hom estado, pelo barato
preco de 15$; na ra do Crespo n. 3.
CERNEJA EM llilUUfi
a 800 rs. o copo
Queljo de Minas chegado no vapor
dem prato amito fresco
dem snisso superior
dem londrino superior.
O TNICO ORIENTAL DE KEMP
PARA 08 CABELLOS,
E uma preparayo admiravel para lim-
par, aformosear, conservar e restable-
cer os cabellos.
A venda as boticas deCaors 4 Barbosa,
ra da Cruz, e Jo5o da C. Bravo & C, res
da Madre de Dos.
NOVA LOJI.
.11. 10 hlA DO <|(E PO IV, 10.
Joaqoim da Silva Boa-vista mudou o sea esta-
belecimento de Duendas para a ra do Crespo
n. 10, est resolvido a vender por barato preca
alim de adquirir freguezia.
Chitas baratas.
Vende-se chitas percalas a 500 rs., ditas fran-
cezas linas a 480 rs. ditas a 440 rs., ditas de dita
a 260, 280, 320, 340 e 360 rs.., ditas esireita.s-a
200, 220, 240 e 260, s se vende por este preept
na ra do Creste n. 10, loja do Boa-vista.
O Boa-vista vende
brim pardo com lisia a 720 rs. a vara, dito a 80t>
rs.,dito branro de linho a 1*000, dito a 1*2001;
grvalas de seda de gosto a 1000, e nm comple-
to sortimento de castores e brim a 480 rs. o w-
vado, s na ra do Crespo, loja do Boa-vista, c
quem vende barato, tambem se dao as amostras
deuando penhor.
ESCRAVOS FGIDOS.
57 Eua do Imperador 57
&
Acba-se fgido desde o da Io do corrente*
cabra Eugenio, de idade de 40 50 annos pou/O'
mais ou menos, com os signaes s eguiMes : rara
pintada de bexigas, orna falta de dente na frente,
iraja roupa branca oVservfco ecostuma andar coto
uma caita a tocar, foi escravo do Sr. PergrnliR
de Aquino Fonseca : roga-se as autoridades poli.
ciaes e c*pitaes de campo de o capturar levando-o
ao hotel de Franca onde se pagar todas as despe-
zas relativas.________
Desaparecen o escravo Joao, crilo, Se e
tatnra baixo, grosso do corpo, representa ter 40-
annos pouco mais ou menos, muilo regrista e r. m
falta de dentes na trente, levou caifa de atada*
sinho azul e camisa do mesmo panno com listras
largas de cOr, cu o preto rol comprado ao Film.
Sr Antonio J.* Dnarte, de -. Lourenco da Mt-
ta, em 6 de ontubro prximo passado; qoen
aprehender qneira lvalo em Ponte de Ui-hfe no
sitio de Joao Jos Rodrigues, nu na ra da Madro
de Deus n. 28, que ser rtcompensado. .
Pugio da casa do abaixo assignarto di> topar
engenho Boto, disiricto de Santo Ante, nma es-
crava rrioula de nome Joanna, com os signan a*
gnintes. altuja regular, rosto seno, idade 30 a
40 annos, rem falla de dpntes na frente, muito r*-
grista, osa de roupa preta eooi o litlo de tiu* :
quem a pecar sera geopremenle pago levando
ao pateo da Ribeira n. 13.
Manoel Antonio-Soares.

.
MItlD


H

8
Dlir! I
ikne* -> abhad 1* de Novenibro e it4.
LITTERATR.
lt 525 do sapramencionado regulamento n. 737
(esla engranada, o arresto foi requerido como
preparatoria de acgao, que se havia de propor e j
se considera Chagas como executado que occulla os
beos!) e por isso vem por meio do presente ag-
gravo pedir reparagao do que se Ihe fez, dignan-
do-so V. Exc. de mandar que subsista o mandado
DI POICO DE TIDU.
Concluimos a queslao judiciaria cuja solugo
comegaraos hontem a dar noticia publica.
Ofaclo de um devedor ir a um lugar do seu ,
1 >milio, de.xando ahi todava sua fam ia e esta- **"^ Hembrora "* ^ 8* P >*^
b, lecimento, constitue-o na comprehenso do pr- JCggravado- aegrav-Dr- J" J" Ferr"3ira de
mero meuibro do i do art. :i3 do regulamento
n. 737 ? Apresentada a minuta supra ao Exm. Sr. presi-
Desle despacho isterpoz-se por parte de Manoel denle do lri,'una' com a resposta do mcritissirto
Alves recurso do aggravo, cuja minuta ase- "r" 7" Araripe a!l de direito especial do com-
galntc : mercio, liouve S. Etc. por bem por termo a ques
Para V. Exc. se aggrava, como aggravado tem ,5 com a lura'n*a seolenca que abaixo se trans-
por termo nos autos, Manoel Alves Ferreira, com
ni reante matriculado, fisto doeslylo\) U Dr.
juiz especial do comnierio dcsta cidade, por oc-
creve
Sentenca
Aggravado nao foi o aggravante com o despacho
casita do despacho de folhas a folhas trinta e tres. dc folhas tnnta e sele Pel em virtude da qoal toruou sera elTeito o mandado rou al?6Xavo de Francisco das Chagas Cavalcanti
da prtso expedido pelo despacho de folhas viola e de AII'u1ueiW> fazendo cessar a prisao contra
ama contra Francisco das Chagas Cavalcanti de Csle dtcretada> Porquanto tendo esta prisao sido
Albaquerque, sendo o motivo de seu acaravu o se- dcIerminada Pr llegar-se que o aggravado havia-
guinie : se sentado furtivamente de seu domicilio, nao
__ se pode dizer que assim tenha succedido s pelo
Consl.tu.ndo-se o aggravado devedor do aggra- fact0 de ,er eIle viQUU a csla caad deixando a|)i
vaoto da qiuulia de cinco contos rezenlos e aoven- sua fam|ja> assim como no se Me ajzer
ue tres m,l e noventa res com hypolheca em se lenha aqui oceultado quando procurava ao ag-
ctaeo escravos, como se moslra da certido de fo-
lhas seis, licou
Tal phenomeno tem chamado a attengao de toda
a gente, tanto mais por nao haver naqoelle sitio
gente preta, o que mesmo em todo o Algarve mui
raro encontrar.

Ha em Lisboa urna fabrica de condecorares,
que varias vezes se annuncia nos jornaes, a qual
Oh piimavera, como tu instigas a amar ?!!
E' que a vida renasce como a congossa a beira
no I
Como a papoula no prado !
Como a violeta na serra !
Como o jarro na azinhaga!
A existencia lorna-se em um edn !
Em um ram-illifle de delicias, o folgar
sendo urna das mais perfeitas nestes productos tem
feito extraordinarios fnteresses depois que os de- noso, apaixonado e louco!
mocratas assumiram as redeas da governagao. Finalm. nte, em um precioso friso das
Calcula-seque desde que o governo histrico es- ras flores da vida !
t no poder team d'ali sabido as seguintes conde-
corares para varias fardas, casacas e casacos:
100 medalhas da ordera do lagarto, usados a su-
capa por alguns envergonhados.
3,000 gro-cruzes de differentes ordens.
4,000 commendas.
8,000 hbitos de cavalleiros.
10,000 medalhas ao mrito de outros tantos pa-
triotas, 5,000 dos quaes nada flzera a beneficio da
humanidade.
Entre os compradores destes annexins figuram
400 regedores da parochia, 500 cabos de polica, e
1,000 galopins eleitoraes; 3,000 declamadores,
contra as fardas de bolotas, e 5,000 tribunos de
praga.
Da mesma fabrica tem sahido diversos ouropeis
e quinquilharias para 500 baroes, 80 viscondes, 50
vertgi"
verdadei-
IU" gravante, com elle tratava a respeito da divida, por lft
por essa mesma esenptura cons- .... .m. ,..-. rBcnnnc,..i .J, ,- 'K i condes, 10 marquezes e 4 duques fabricados pe os
r flue e||e esta responsavcl, e anda tao pouco acau-
derado depositario assumindo por i-so a respecli-' ,i.j,. ...,,.,__ f. _
..,.,. ,. ., teaao e occuito, que tul preso na ra do Cresoo
vas respetabilidades. Por mol vos al egados na, _, ra. /.. uun|w>
. j, t i. uma das mais pub icas e freauentadas desta nraca
petigao de folhas duas requereu o supp icante pre- nmn ,,,;, ,, 4uoo, ues" Prd5a-
. ... como tudo consta dos autos, e esta bem dcmnns-1 t .
catona para o juizo de Sennhaem, alim de serem i ,raj ^ ,* '. UCU1 ULIUUUb guracoes, festividades publicas, recepgoes reaes,es-
apprehuudidos e remettidos
como tudo consta dos autos
ia Cidade i S*2 m,nUla de flhas vinte e sele e resPs'a | SmSTSm
r ... de folhasquarenta.
.enc.onsdos escravos, como se mostra de folhas, N do
quatorze; pon-m havendo o aggravado occoladoL^ ^^ ^
demcratas da actualidade.
Alguraas das medalhas estao hoje oxydadas por
figurarem em todas as procissSe?, enterros, inan-
aquelles e a si proprio afim de inulilisar a delegen
ca, como se ve da certido dos offkiaes de jusliga
passada a folhas dezeseis, homisiou-se nesta cidade,
onde foi o requerimento do aggravante e por man-
dado do juizo especial do commercio, em virtude
da peticyo de folhas dezoilo verso, e por torta do
art. 343L. 2- e regulamento n. 737. Entretanto in- jo servicoser feito por mulheres mofas que sdis-
terposto o aggravo de folhas vinte e sete, o illus- tinguiro pelos nmeros,
tiado Dr. juiz especial do commercio, reparando e
o despacho aggravado,
e pague o aggravante as cusas,
Recife, 14 de outubro de mi.Anselmo Fran-
cisco Peretti.
Trata-se de organisar em Londres, diz a Gazeta
dos Estrangeiros, restaurantes agigantados, em que
reformando o seu priraeiro despacho, mandou por
o aggravado em libertada, fazendo por esta forma
evidente aggravo ao aggravante.
O snpracitado art. 343 L. 2", admilte a detencao
pessoal do devedor, quando este, sendo domicilia-
rio, intenta ausentarse furtivamente, ou mudar de I tar-se-hao em carirnhos, que correro sobre carris
domicilio, sem sciencia dos credores. O aggravado de ferro.
A lista sera annunciada todos os dias pelos jor
naes da raanhaa.
O pao e a carne serao cortados por meio de appa.
relhos mechanicos.
A cerveja chegar aos consumidores por tubos
conductores dispostos no slo e os pratos apresen-
domiciliario em o termo de Serinhaem, para evitar
a apprehensao dos escravos em questo, nao s os
occjltou, porm anda deixou aquelle termo e col-
iocou-se nesta cidade, a abrigo uas justicas d'ahi.
inutilizando ppr essa forma toda a dehgencia pos- j
sivel, como se v da supracitada certido de folhas '
dezeseis verso. Alcm disto o seu homisio foi exu-
berantemente provado pela inquirigo de folhas a
folhas e todas estas condifoes o collocaram, sem a
menor coutradicyao, sob sanecao do predito artigo
3i3. Mas apezar disso o duulo juiz especial do com-
mercio. pelo seu despacho de folhas trinta e tres,
catjndeu ora sua sabedoria, que dito artigo nao tou em meia correspondencia.
Um repartimento especial ser destinado aos
caes dos freguezes, que sero servidos por criados
adestrados para este strvigo.

Meu charo, convido-te a alraogar contigo, di-
zia ao seu maior amigo um sucio muito conhecido
entre a rapazeada.
Com todo o gosto.
Vou brevemente casar-me com.... E' uma
rica herdeira, j vs. Teoho este negocio muito
adianlado. llei vencido rauitas difliculdades e es-
pjJia ter applicayo, porque o aggravado achava-
0 nesta cidade trataudo com o aggravaute, e por-
yue fra aquelle preso era urna das ras mais fre-
gueuiadas desta mesma cidade.
Cora o respeito seinpre devido s deliberafoes
do juizo permita V. Exc. ao aggravante dizer que
laes fundamentos nao podem proceder. Nao o pri-
ineiro, por que ainda quando eslivesse provado
que tratava-se de qualquer negocio entre o aggra-
vado e o aggravante, nem por isso ficavajuris el
^,* ;'.''.'*suspenso o mandado de prisao, pois que
coulinuavara a permanecer as causas que deter-
minaram sua decretacao, c i|ue o mesmo juiz ag-
gravado reconhece que justificavara o pedido. Nao
o "segundo, porque nao pode ser motivo jurdico de
nao occullaco o faci de ser um individuo encon-
trado em algum lugar publico ou particular, uma
vez que o que se allegou foi que o aggravado se
ausentara do seu domicilio (Serinhjem) para frus-
trar as deligencias da juslic.a, e que o fizera furti-
vamente sem sciencia do aggravan'.e, sendo que o
faeto de ter sido aquelle preso nesta cidade prova
mais que bastante a sua ausencia daquelle termo
e o motivo delta.
Por tanto do exposto ver V. Exc. que se fez ag-
gravo ao aggravante, quer em consideracao ao dis-
posto no art. 343 L. 2o, quer em consideracao ao
argumento deduzido da doutrina consagrada no
A fabrica trabalha com actividade, e vende ba-
ratos todos esses enfeiles, que pela sua vulgarida-
de hao de vir a cahir em desaso.
tiomem dou-le os parabens; mas o que real-
mente eu nao entendo essa historia denina cor-
respondencia.
Pateta! E' fcil de entender : escrevo-lhe e
ella nao me responde.

N'uraas escavayoes recenteraente feitas em uma
das antigs vas de liorna dcscobriu-se o sepulchro
de um senador,, ao que parece, porque, achando-se
como que mumificado, tinha intactos e bem con-
servados laltclmia, ou tnica de senador, e os
cotnuruos negros com o C de prata que entao se
usava.
Por certas feridas que se lhe observaram no
peito e na garganta, suspeitam alguns antquarios
que os restos achados pertence.u ao senador Mon-
tano, que, segundo resa a historia, deu uma noute
to fortes pauladas no imperador ero, semeonhe-
cer, que por pouco o nao inalou.
Nero.diz ainda a historia, irritado por estes mus
tratos, comquanto muito bem os merecesse, mandou
tirar a vida a Montano.

Diz-se que n'uma trra do Algarve uma campe-
ueza dra a luz qnalro cranlas, todas vivas e de
perfeita saude, com a particularidade de seren
duas brancas e duas pretas.
FOLHETIM
O ESQUELETO
Do Boudoir transcrevemos o que segu :
AllTIGO DE FLORES.
Este artigo de flores, consagramo-Io s damas.
A quem melhor do que as senhoras quadrara
ellas .?
D'ahi, estamos na primavera, nsste lempo em
que gyra sol tao lindo e radiante I N'este lempo
em que os goivos aem tristes parecem, quadra D-
rente, em summa, em que no seu proprio convento
do Grilo a madresdva sorrir contente, largando o
ar habitualmente bisonho 1
Hoje nao ha jacintho algum eu adonis, por mais
timido que seja, que nesta quadra amena, vrente
e Dorida haja melindre em patentear ao seu amor
per feito o deluyo de seu affecto 1
Nao Ihes viola consideracao alguma, abrir o co-
racao s rosas que loucamente estremecer.
Nos jardins, lmpida luz da la, quantas... oh
quantas boas noites vao abrindo ensejo centena-
res de declaraces e protestos de mutuas sauda-
des ?!
E entao a dama, pura como a acucena, e envergo-
nhado como a sensitiva, antever em taes collo-
quios de felicidades, perpetuas lembran^as que as
chagas do sentiraento, nem mesmo sero capazes
de lhe riscar do peto as maravilhas de taes noites
de gozos incriveis e ao mesmo tirapo de martyrws
to crueis t
Qual ser o narciso que ao p de seus amores
eternos, em brincos tao finos e innocentes, como
brincos de princeza, deixar de lhe pedir suppli-
cante : Nao medeixes?
Oh I nenhum!
as primaveras dos coragoes as esperanzas sao
tudo !
as decepcoes seisma-se por instantes to rpi-
dos e passageiros, como os proprios instantes sai%
Ao lado de uma lucia-lima de 18 annos, que fer
vorosamente se estremega, que nos pague olhares\
com olhares, sorrizos com sorrizos, e a flor do af-
fecto com as raizes da adorac/io, ninguem dir :
ilal-me-quer 1
Ninguem !
Todos a uma acreditaro as suas phrases, como
se acredita em que o cravo nao possue espiados,
nem a camelia essencia, nem as campainkas per-
fume.
A primavera da alma das senhoras desanuvia-
da como o cu d'abril.
Azul como o azul da hortense !
O seu porvir da cor verde do mangencao !
Ou do alecrim do norte, que diz amores !
Ou da baundha e mangerona que rescendem
como o jasmin perfumado no seu embriagante jas-
nuneiro 1
Franca de Bonaparte, soberba Albion, vos sois
as responsaveis pelas desgracas do velho mund),
vos sois os pesos da grande batanea europea.
Brasil, prodigio americano, gigante esforzado,
accordae Nao sois a estatua pregada no pedestal,
nao, nao, vossos fllhos sabem chorar
dos povos captivos.
O beijo de theatro, filho da vontade de poeta,
obrigatorlo ; e s tem signiQcacao quando os ac-
tores trocam os papis, quer dizer, quando as men-
tiras se convertem em verdades.
O beijo nacional o que, sendo filho dos costa-
as miserias mes, se d como se do os bons dias, ou como se
d a um amigo.
Salva, pois, primavera !
*
l'EKGLNTAS INNOCENTES.
Qual c o maier inimigo dos actores ?
E' o ponto, especie de artilheiro que apenas os
v em scena, nao faz se nao apontar-lhes as pecas.
Quando a gente se aclia na ra em dia de tro-
voda o que o melhor que tem a fazer ?
Meller-se n'um mnibus, por que tem conductor
a porta!!!
Por que que o frade se devia constipar muito ?
Por estar semprc no convento. ( jY com vento.)
Em que se parece o castello Jde S. Jorge, com
lualquer sebrecasaca ?
Em ter canhoes.
Por que assevera o povo que verdade tudo o
que est em lettra redonaa ?
Por que sabe que nao se imprime nada sem pro-
vas.
Qual a maneira mais breve de fazer um cesto ?
Pegar n'um lapis e escrever dous tercos.
Com que se parecem os Azores com um agui-
mao ?
Em terem Ponta Delgada.
Quantas prs, finalmente, figuraram na morte dos
7 castelhanos em Aljubarrola ?
Duas : apa do (orno eap d'eira.
*
DIALOGO X'l'M BAILE DE MASCARAS.
Dous sugeilos encontrando-se n'um corredor das
torrinhas.
Ai I o meu genro 1
Ai f o meu sogro !
O senhor por aqui depois de um anno de ca-
sado !... oh !...
Passado um quarto de hora de moral reciproca :
O genro.Dizia-me entao que a tal Rosinha...
O sogro.Ah ( meu charo... deliciosa! nns ps...
urnas mos... uns othos.. um verdadero thesouro...
Dizia-mc eato que a tal Amelia...
O genro.Ah divina! Uns olhos... amas mos...
uns ps...
O sogro ( aparte).E' preciso que eu arranque
meu genro das mos de semelhante sanguesuga.
Era capaz de me engolir o dote de mitiha filha.
O genro ( aparte ).E' preciso que eu arranque
meu sogro das garras de semelhante harpa. Era
capaz de dar cabo de tudo que miaba mulher lem
a herdar.
Este artigo nos remedido pelo Sr. P. P. :
VPVAT POLONIA.
O machado russo a vae estrangulando, mas ella
vive e vivera, em quanto existir um s polaco.
Um povo de bravos, luta, geme, chora, mas nao
cansa, nao recua, camioha, caminha at devassar
a aurora da redempgao.
Russia, a oppressao a (raqueta avltate das
nacionalidades.
O Mague que corre dos opprimidos nunca fot es-
tril, o sello do martyrio, do martyrio que brota
palmas, e estas palmas soletram o poema da victo-
ria, o eptaphio da vergonha dos vencidos.
Russia, duvidaes o que val um polaco ? Val um
mundo de herosmo.
Dubiecka fallae, Moscou treme; S. Petesburgo
sois omnipotente ? Apagae vossos morroes. reti-
rae o canbo, a Polonia ser vre.
No presente j fostes pisada pela bandeira trico-
lor, e a causa da polonia a causa de toda huma-
nidade, e as aguias do occideate oade ensaiarcm
os seus vos ?
Russia teu passado ? Vencedora ? nao sempre
vencida, e por aquelles que opprimis no santo
combate do resgate.
Koseiosko, soldado do universo, parli a louza,
desenrolai as vossas gloras. Valentes polacos aa
mirae-as, admirae o vosso sublime hroe, e com
batei sempre e sompre almas fundidas no enthu-
siasmo !.'
Raga de Clopikis e Dembinshis, erguei-vos com
coragem Dos sempre ouvio os justos gemidos
de um povo.
Denodados Pernambucanos, leoes do norte do Em Franca e na Italia, onde tudo respira poesa,
Cruzeiro, a mocilade nos convida a dispensar um est admiltido o beijo como uma cousa indispensa-
bolo para familias honradas, para a defesa dos vel nos cumprimentos. ,-V
bercos, para os martyres da Polonia I Recu- No beijo da mi ao filho, nesse nao fallemos,
5a;' ? porque o oigamos soberanamente santo para fazer
E' um polaco que corre at aqu, escapo do cu- o objecto de uma chronica.
lello e do ogo quem vo-lo pede : recusae-o ? sao *
os Andradas quem vo-lo implorao recusae-o ? E' Continuara as senhoras a adoptar os trajes mas-
Christo quem vo-lo aconselha, sim, sim o catholi- linos, o por tal forma, que daqui a pouco ha de
.cismo est insultado. Um bolo pode valer uma ser muit0 diflldl distinguir os dous seos.
orac,o# ^ra> nos veremos.
A mocdade acadmica de Paris corre ao theatro As prendas que hoje est usando o seso que qua-
sahe ao palco, pede emprestado a roupagem do ar-1 si podemss chamar forte sao :
lista, aventura-so aos vae-vens do jogo da scena, I ChapeuGorro com viseira.Camisa com col-
ea Franja inteira desfaz-se em explosoes de ap- i leirinto e punhosGrvala e mantinha-Paletot
plausas em respeito a abenegajao, em saudacao as' abaloadoGaboCapa JalecoCasacaAmeri-
grandes Ideas, e tudo isso porque, porque em re-
sultado a mocdade chora o pao para os lofelizes.
Que editicativo exemplo I E nos acadmicos
brasileiros, nao somos as columnas degelo da Sue-
cia, tambem temos corajoes, temos coracoes, temos
familias, temos patria, tambem vamos correr ao
theatro, ido ver, povo brioso, at que ponto sobe a
noura e enthusiasmo doiilho brasileiro. O dia est
prestes. O dia em que a bandeka de nossa patria
vai abrajar-se cora a Polonia, sao os coracoes de
duas nacionalidades, que vo seatir idnticas pul-
sacoes se encontrando, se estrenando at prorom-
perem em seus hymnos, hymnos que esturgirao
na velha Europa e voavo ao cu Nou-finis po-
lonia.
Pronunciemos mais dous nomes em respeito a
gratidas, este escripto estar completo. Germano,
Cotmbra, abristes as portas do Santa Isabel a mo-
cdade para a commemorac/w d'um pensamento
quasi divino ? Sois ao palco os mestres d'essa
porpao de mancebos fervorosos ? pois bem, se um
da a historia agazalhar estes pequeos incidentes,
que solidariamente rahecemos, a esponja nao pas-
sar sobre os nomes de artistas to sublimados, tao
patriotas f
Na Revolucae de Setembro, i-se esta physiolo-
gia do beijo :
Os amantes dividem os beijos era beijos de con-
trabando, de confianca, de rigor, de corapaixo e,
por fim, em beijos de reticencias.
O de contrabando, se bem que se lhe nao expli-
ca aorigem, manfesta todava as suas tendencias
e corresponde ao genero dos improvisos amorosos.
Como delicio nao premidlado, costuraa ser unido
pelos paes da victima cun a incommunicac.o tem-
poraria.
O de confianea fimo mais da franqueza que do
amor, e as mainans tem-o por cousa naturalissima,
quando se persuadem que o noivo nutre as melho-
res ntencoes do levar a filha egreja.
O de rigor pertence exclusivamente ao to e ao
sobrinho ; um beijo de sangue puro, porm ao
crusar-se a affeiQao com qae se d e recebe, poe
ello em pratica aquelle adagio que diz : >0 sangue
ferve mesmo sem fogo. >
O de rigor brota nos labios do amante como
n'um vaso brota a ffor, porque assim o exige a es-
tacao: onde ha amantes nao ha luz, ha beijo de
rhjor... est pro vado.
O de comproraisso uma variante do beijo arti-
ficial.
O de reticencias no dizer dos intelligentes, o
beijo mais significativo, o de mais transcendencia,
... s pode expressar-se deste modo :
CABILLO CASTELLO BRINCO.
Continuaco.
XXIII
Sluu a criada bocea da mina, no desvaria-
do intento de chamar quem levasse d'ali a fi-
daiga.
Suspendeu-a a lembranga de fazer publica a des-
grana de sua araa. Voltou cora a vela, que lhe ca-
hiu das mos coavulsas, e se apagou. Aterrada e
cega as trevas, invocou a Santa Virgem e pediu
iogo perdo da parte intermediaria que lhe fizerara
lomar desde Lisboa, nestes desventurados amores
llnha sido ama do menino esta criada, que se affei-
oara, como usam affeigoar-se estas mulheres, a
$ua senhora. Nao obstante, em conllicto de tanta
angustia, a sua idea, quando se viu no escuro, foi
uir da trra, e mudar para outraonde a nao co-
nhecessem. Nesta perplexidade, ouviu gemer sua
ama, e proferir expresses n'uma toada me-
donha.
Avisinhou-se s apalpadelas, e tirou por ella de
obre a cadver ; porm os bracos de Beatriz es-
lavam como erapedrenidos s ilhargas do morto.
Chamou-a, agilou-a, buliu-lhe na face, baldaram-
so vozes e esforco*. Crescea o terror da mulher ;
decidio-se pela fuga, sem j dar tent, nem discu-
tir, a crueldade e desamor do acto. Foi ao seu
quarto, embolara os valores que tinha; e, tirante
esta ultima prova de hora senso, no mais pareca
douda a correr por aquella estrada fra sem des
tino.
Por volta de uma hora da manba, Beatriz es-
pertou da lethargia, e sacuda os membros para
espancar a viso horrenda, o sonho de se estar
abracada no cadver do amante. A visao teimava
em atirar-lhe ao seio o carpo glacial de um morto,
e ella esfregava as palpebras, e arrofecia as mos
na testa.
Qae horror de sonho !... exclama va suffoea-
dae, apalpando as costas de Raphael, conti-
ouava a dizer em saa alma :Parece qae o simo
debaixo das mos !... Qoe horrar, Virgem San-
llssima !...
Bracejoa, e den com os bracos as paredes ha-
do cadver com phrenetica ternura. eBijou-lhe o
perfil do rosto ; levanlou para si a cabeca como
hirta ; apertou-a convulsamente face dola ;
correu-lhe a mao pelo seio, e ensopou-a com bu-
Ihoes de sangue, ainda quente. Refugiu, levanlou-
se, bateu com a face as asperezas da saibrada
angulosa de seixos, gritou por luz, chamou a sua
criada, e correu ao longo da mina de encontr ao
claro da abertura. Quanda sahiu de rosto no ar
livre, e se viu sosinha, e nao soube comprehender
e cahiu a um lado sobre o seio do cirurgio, que
a relancetava.
Nem um monusylobo Nem o nomo do filho !
Nem o nome do amante !...
Morrea.
Ao anoutecer, chegou Nicolu de Mosquita. J
desde o alto da sorra eminente a Palmeira ouvira
o dobrar dos siaos a finados. Tangiara as torres
das irmandades de todas as freguezias prximas.
Apeou, correu ao quarto de sua ranlher, e viu-a
que profundezas de abysrao eram aquellas, e que j na ante-camara amortalhada, com Martinho Xa-
circo de chamraas havia de abranger-lhe o espi- ver, cabeceira do esquife,
rito e que infanda agona se passava debaixo dos Que isto ?! clamdtt elle ; explquem-me
olhos do Senhor... a perdida, a tortorada por tor- esta horrenda desgraca !...
mentos,nao sabidos de nome neste mundo, cahiu,! Martinho Xavier nao respondeu. Nicolu ins-
a poucos passos da mina, cahiu como pregada em tou pela resposta com gesculaeao de furioso,
relanceando os olhos ameacadores a todos os
lados.
Sahiu s salas, cheias de gente. Ergueu um
brado, pedindo a historia da morte de sua mulher.
Ninguem sabe responder, disse uma voi.
Acsrcaram-no os cirurgioes, e conlaram o que
sabiam ; os criados depozeram leal mente o que
tinham visto, e accrescentaram que a ama do me
nio desapparecera,
Vo busca-la 1 vao prende-la !rebramu
Nicolu.
Martinho Xavier acompanhou o cadver da filha
at ao jazigo da capella, depois de ter assistido aos
fugira para Hespanha. O boato correu assim, e a
opinio publica deu-lhe peso. Os paes de Raphael,
sorprehendidos por esta nova, sahiram carainho de
Palmeira. Ricardo de Almeida appareceuao mes-
mo lempo nos arredores de Palmeira, e defen-
deu o seu amigo com a cloquencia da verdade e
da angustia, na presenta de numeroso publico, ex-
clamando :
O assassino de um, ou de ambos foi Nicolu
de Mesquita 1
Enganavam-se todos.
Os paes ae Raphael Garfao esculavam as diffe-
rentes vozes com um spasmo e silencio, que fazia
chorar. Nao sabiam dizer ao que tinham vindo :
procuravam o seu filho! Voltaram para casa. A
mae esperou dous mezes. Apagada a esperanza
de tornar a velo, foi procura-lo n'outros mundos.
O velho menos feliz que a esposa, ficou-se espanta-
do a olhar contra o jazigo em que Ih'a fecharan), e
d'alli sahiu idiota para a escuridade de uma cma-
ra, onde agonison dez annos.
Ricardo de Almeida, convicto de que seu primo
Raphael tinha sido assassinado por ordem de Ni-
colu. nao poda soffrer que a voz publica infamas-
se a memoria do desgranado, poupando o assassi-
no. Como j nao podia com o silencio desinfamar
a honra de Beatriz, foi a Chaves, e contou a Marli.
nho Xavier os promeneres dos amores de Raphael
com sua prima, e as intencoes com que elle gai-
r de casa d'elle para Palmeira. O velho achou
rasoavel a supposicao do morgado do Ponlido;
mas a sua angustia j nao tinha respradouro. A
indlgnidade da filha culpada e morta enieava-lhe
os bracos para a vnganja. Com que direito ira
elle vasar uma baila no peto do hornera, que bar
baramente se desultrajra!... Pediu elle a Ricar-
do de Almeida que se callasse para qae o tempo
levasse a lembranca da horrvel tragedia na sua
onda de sangue.
Can^aram se os pregoeiros da dosgraga. Ao fim
Um parenlheses da vida nao lem explicacao pos-
sivel.
Alm d'estes, conheceme distinguen) os polticos
o beijo de Judas, o beijo offlcal e o beijo do
Santo.
O primeiro nao carece de explicago : o segun-
tem-a nos beija-raos reaes (que c entre nos os
monarchistas de 18i'l aboliram e que as demago-
gos historeos da actualidade restabeleccram. Ad-
ame. Isto tem contos largos), e o terceiro em pre-
caverse contra o que pode succeder ; equivale a
chegar e beijar um santo.
Anda ha o beijo de forga. ou o de theatro ; e o
beijo nacional.
canaCaigas -Ditas de bordadosBotas de salto-
Botas Sowrof ou de montare, por fim bengala
cora estoque!
Se as damas ainda conservara as saias, bem
contra sua vontade o ai dos borneas se ellas se
lembram, algum dia, de as abandonar de lodo.
Entretanto, confian) muitos, que apesar da ma-
na actual de seus ostudados atavos, a mulher se-
r sempre o que ho dito sabios e experimentados
escriptores : um pu/f, to bonito quaado fasti-
dioso.
Nao a opiniao do chronMa.

Fallava se uma destas notttes, n'ura dos circuios
mais concorridos de Madrid, acerca da opera Faus-
to, que to bous resultados ha produzdo empre-
za do theatro dos Campos Elyseos ; quando appa-
receu um cavalheiro muito conhecido entre os ho-
rneas polticos :
Que tal lhe pareceu a V. Exc. o Fausto, Sr.
F. ? perguntou um dos concurrentes aos re-cem
chegado.
Eu lhe digo, respondeu este levando testa o
dedo ndice da mao direita, as decoragoes nao sao
feias, mas a obra que careca de argumento, como
todas as comedias de magia.
Estas palavras dizem mais que todo o poema
que inspirou a grandiosa conpeccao do distacto
Gonnod.
. .,.
Temos hoje as seguintes e mais circumstancia-
das nformagoes acerca do crlme de envenenamen-
to perpetrado na quima feira em Villa- Nova de
Gaya.
No portal da Gasa de um fulano Barbosa, na ra
das Palhacinhas, eslava Guilherme de Almeida, fu-
nileiro, morador no sitio do senhor do toureiro,
quando s 9 horas da manha li passava ura ra-
pazinho, por nome Adolpho, com o atmoco para
Joaquim Pinlo Malheiro, funileiro estabelecido no
sitio da Bandeira.
Guilherme de Almeida chamou o rapazinho e
persuadiu-o, mediante a promessa de Iho dar 10
rs., a ir pedreira denomina la do Sebasiao ver se
l andavam pedreiros, e a dexar-lhe no entretan-
to a chocolatera que levava.
Orapazlnho acceilou, foi pedreira, e voltando
a receber os 10 rs. e a chocolatera da mao de Gui-
lherme de Almeida, correu a levaro al mogo a Joa-
quim Pinto Malheiro.
Este, tendo ao p de si un rapaz aprendiz de
pedreiro, na occasiao em que almogava, deu-lhe
do seu al mogo, porm ambos sentirara logo gran-
des altlicges.
Os facultativos que foram chamados, reconhe-
cendo os symptomas de envenenamento, applica-
ram logo b conveniente antidoto. Nao obstanteo
prompto socrorro, o funileiro Joaquim Pinto Ma-
lheiro anda est em perigo da vida.
A autoridade respectiva, apenas fo.,informada
do acontecido, mandou capturar o criminoso, que,
segundo o depoimento das testemunhas no auto-de
iuvestigaco, tido e havido por muito mu, por-
que, alrn de ter estado j preso por um crirae
atroz contra a moral, imputam-lhe a morte de sea
pe, de um irm.o e de uma filha !
Para prova da malvadez da sua ndole cita-se
que. tendo um macaco, o enforcra no quintal; e
tambem, n'um dos seus impetos maldosos, matara
com um tiro um galo que tinha em tanta estima,
que o trazia com guizos ao pescogo e brincos as
belfas.
O motivo porque este malvado quiz envenenar
Joaquim l'icto Malheiro, porque este tem o seu
estaltelei'imento prximo a uma casinhola, que elle
est fazendo, no intuito de por ali a venda es pro-
ductos do-seu trabalho da funileiro-
Aqui eonrma-se bem o nfo : O-teu inimigo
o offlcal. do teu officio. >
O que fra de toda a duvda que o tal Gui-
lherme de Almeida um grande malvado e que
deve ser punido com lodo o rigor da justiea. >
trra pela flecha de am rao.
A's tres horas, rompa a manha. Uns corre-
teiros, que passavam, ergueram aquella mulher,
envolta n'um manto branco, ferretado de sangue.
Reconheceram a fidalga, e chamaran) a grandes
brados os servos da casa. Acudiram todos, e le-
varan) em bragos Beatriz.
No mesmo ponto, sahiu um criado para Leiros,
e outro para a Ribeira de Our a chamar Nieolu
de Mesquita Estenden-se ama rede de homens a
procurarera nao sabiam elles quem ; viam a fidal-
ga ensanguentada, e julgavam ni ferida. As cria-
das examinaram-na, e apenas lhe vram o rosto
escalavrado. Vierara cirargiSes, e decidirn) que j responsorios. Sahiu da capella; e, sem entrar
os ferimentos visives, a nao exlstirem outros,' a despedir-se do pae de seu neto, tomn a crian-
eram resultantes de uma queda com o rosto sobro cnha nos bragos, e accelerou o trote do cavallo,
pedra. : caminho de Chaves.
O sangue das mos entenderam que recentara Nicolu da Mesqnita perguntou pelo filho. Res-
da face, quando ella se apalpou. ponderam-lhe que o av o leva ao eolio, sahida
Beatriz abra os olhos, na presenga de muitas da capella.
pessoas circumpostas ao leito. Despediu gritos Saltou furioso d'entre os cavalheiros que rodea-
coasecutivos, sem intermisso de socego. Rasgou vam, e quiz ir na pista do sogro. Retiveram-n'o
as vestes interiores, e as faces de quem lhe ret- lembrando lhe que ainda esta va quente o cadver
nha os bracos. Cessou de gritar, e interrogava de Beatriz,
os espavortdos circumstantes, peguntando quera I No outro dia, por noule, chegaram avista de "euramezosprocessoscomegadosestagnaram.se, pogouha as nimbas chagas, quando devias lava-
matara Raphael Gareao. Os ouv*mWncaravamse Palmeara os criados de Raphael Gargo com o ca- a min*ua de indlc,os- Marl,nho XaV'er', IDStad0 las cum lagrimas I Tu, por amor de quem eu dei-
e nao respondan). Embravecida So silencio, a valle, na forma das ordens de seu amo. Espera- ^ restituir o neto, desappareceu com elie, e com xei que Beatriz fosse victima da seduega! Tu
esposa de Nicolu de Mesquita atirava-se do leilo ram-n'o a noute inteira : De manha repentina- *>a parte dos seus cabedaes. O menino tinha f que inienormente exultas com o meu opprobno, e
fra, arrepelando-se, e lacerando as maceragSes e mente, vlram-se cercados de regedor e cabos qae Quatro ann05> ^'aquella poca. Seu av dizia que com a queda de uma perdida na tua vuragera l._..
feriaas do rosto con as unhas. Tngiu-se-lhe de os interrogavam sobre o que fazam parados n'a- um escarate de fogo a cara e testa. Relumbra.'' quelle sitio. Como gaguejassem, foram presos; e, oa morte de sua mae- Re'Us'ara-se com o sen the-1 Margarida preparava os seus bas para ausen-
vam-lhe os olhos. O arquejar do peito resoava timoratos entre ferros, declararan) a que fins vi- souro em Londres._________ tar-se; e Nicolu langava^se-lhe de joelhos aos pos.
como era paroxismos. A coogesto cerebral de- nham. Nicolu de Mesquita foi para a Ribeira d'Oora, exclamando:
no intuito de e condcunar a elle como homicida
de Raphael e Beatriz. Era uma gurago mera-
mente este reparo no escarneo de Margarida. A
Franceza ageitou as feicoes magua do seu ami-
go : interiormente que ella se deleitava atroz-
mente, vendo-se no juizo do mundo e de Nicolu
tao deshonrada como a mulher purissiraa, por amor
de quem fra abandonada generosidade do pri-
meiro homem que quiz acoita-la da vergonha de
pedir el'a um amante em troca de um jantar e de
um vestido.
Os exteriores da Franceza eram, pois, uma coi-
mera do morgado de Palmeira. O que lhe dava
estas visesera urna ioterna dilacerago, que todo
o repouso e esperanga lhe converta era raiva e de-
salent. A publicidade da sua ignominia aggra.
vada com a hypothese de ter sido elle o assassino;
afora o perdiineuto do filho, ao qual a Providen.
ca lhe suscitara no corago um amor incendiario
estas angustias, centuplicadas pela dolorosa
travago de todasfizerara da vida deste homem
um e>pectaculo aborrecido s raras pcssas que
o tratavam, e, mais que a todas, a Margarida Fio-
ment.
Assim que ella proferia uma palavra de banal
consolago, Nicolu enfuriava-se, e dizia que o seu
vilipendio nao transiga com os Tactos consumma-
dos, como a deshonra de muitos homens.
Margarida injuriada assim na pessa de seu
marido, abria uma das vlvulas do seu felo fel
que o despreso da sociedade eraborca violentamen-
te na consciencia das mulheres despresiveise re-
batia-lhe as injurias com aviltameHlos.
A repetigo destes cooflctos disparou na amel-
ga de rompimenlo por parle de margarida. O ator-
mentado homem, irado pela ameaga, bramiu :
Pois vae-te, mulher fatal I vae 1 que a tua
! expiago ainda nao comegou Uma adultera l es-
j t na sepultura I Eu estou aqui n'esta agona, que
tu, vs!... Tu maldita, ousas ainda espremer a
clarou-se. Sjccorreramse das copiosas sangras
os facultativos ; porm no momento em que o in-
midas da mina. Entao qae foi o supplicio indis-1 tenso alago do rsto pareca esfriar, Beatriz abra
criptivel do crmpteio despertar. Ergueu-se de sal- os 0lhos, encontrou os do filho que chorava, sacu
to. Vibroa tMMfodissimo grito. Rojon-se ao Ion? I \a os bragos com vibra^es de metal electrisado ^.her, ou com suas proprias Rtfos a estrangulara e elle supptinha dos boatos propalados pelo Alrooida
Nicolu de Mesquita ordenou que os trouxessem buscar as consolagoes de Margarida Froment. En-
sua presenga. Atterrados pelo apparato, conta- ganara-se. O aspecto moral d'esta mulher figu-
rara tudo. O morgado snppoz um momento, que rou-se-lhe um demonio, que o escarneca na sua
Raphael Gargao fra o motor da morte de sua mu- ignominia, a ignominia de ser deshonrado, como
Nao me deixes nesta solidao! bem vs que
todos fogem de mim Nao lenlto ninguem 1 nin-
guem I at o filho me roubaram !...
A Franceza condoia-se; estendia-lhe compade-
cidas mos; acolhia-o D03 bragos cora ficticia ter-
'
nura, e despresava-o tanto quanto elle mais se en-
vileca.
As mavosidades momentneas de Nicolu pare-
can) ridiculas caricias de velho idiota; os exas-
peres, interpellados com as caricias, afeiavama'o.
horrivelmente.
Margarida pensou em fugir-lhe, recoiosa da al-
gum accesso de furia sanguinaria.
Induziu-o a sabir da quinta da Ribeira dOura.
para Li>ba. Nicolu recebeu jovialmente o al vi-
tre; mas d'ahi a nada, rompa em exclamagoes.
contra a mulher, que lhe aconselhava dar: maioc
publicidade sua deshonra.
fcM mentecap:o tdizia entre si a. Francesa
O diaboque o ature!...
Nicolu de Mesquita foi ao solar de Palmeira,
passados dous mexes, abrir as janeas e arejar o
palacete, que nunca mais se abrir. Meditava em
transferir para ali a Franceza, desejo que ella
manifestara por lhe haverem dito, que a casa, e
bosques e jardins de Vidago eram magnficos. +
Deteve-se a revolver as commodas e bahs de
Beatriz, onde nao encontrou papel suspeito. 0>
mordomo fez-lhe saber, que ascaixas da ama ainda,
estavam fechadas no quarto, porque ninguem dava
nolicias da paragem que clk tinha.
Nicolu fez arrumbar as caixas, e encontrn;
alguns massetes de cartas, e uma medalha de-ouro
com o retrato de Rapbael Garco, e uma naailha
com cabello idntica aquella com que o MaajajJa de
Beatriz morrera.
O morgado leu as cartas, sem excepgO daqnel'a
em que Raphael alludia galhofeiraraent ao episodio
burlesco de casa das primas Cmaras em Bem-
tica.
Nicolu sentio o feroz impulso de ir insultar o
cadver de Beatriz ao jazigo, como a inquisico
fazia aos monarchas. Tinha exemplo de boas
fonles. Desisti da lamentavel inepcia, e fugio
como do si mesmo para a Ribeira d'Oura. Quando
chegou nao encontrn Margarida Froment.
Sobre um piano vio um papel fechado, cora estas
breves linhas:
< J nao podemos ser seno muito desgranados,
< um em presenga do outro. A mulher fatal nao
t quer fazer mais victimas. Adeus.
Margarida, esposa de E. Froment.
Nicolu, corridos tres minutos de eilnpefaccjto,
exclemou :
Pois ha Deus, que castigue assim!?
(Continuar-se-ha.)
PERNAMBl'CO. TYP. DE M. F.DE F.&. FILHO
'
...
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF7S43I54_0UHIC3 INGEST_TIME 2013-08-28T02:29:15Z PACKAGE AA00011611_10516
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES