Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10515


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\
I
amo fe muero 259.
H
Por tres mezes adan tados 5$OU0
JPr tres mezes vencidos 68000
ae cprreio por tres mezes. 5750
SEXTA FEIRA 11 BE H0TEMBR0 DE 1834.
Por axno adaatado.....49J00O
Porte ao correio por om ano 3$D0O

ENCARRKGADOS DA SUBSCRIPCO NO ]
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty.o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
laazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO SL.
Alagdas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martina & Gasparino.
PARTIDA DOS EslAPETAS/
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Ano, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho e Garanhuns as tergas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas eiras.
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros,Agua Preta e Pimenteiras as quintas eira3.
liba de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t.
13 Loa cbea as 3 h., 13 m. e 36 s. da t
21 Quarto ming. as 4 b., 56 m. e 56 s. da m.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 2G s. da ir.
PRKAMAR DB HOJ.
Pr.meira as 1 horas e 18 minutos da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da machia.
PARTIDA IOJ VAPCRBS COSTBIBOS.
Para o sul at Aiagoas a 5 e 26; para o norte at
a Gr;nja 7 e 22 de cada me:; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan. marc.,maio. jal. set. e nov.
PARTIDA DOS OMNJU3.
Para o Recife: do Apipucos as 6 Vt 7> 7 /,, 8 6
8 Vi da m.; de Oiinda as 8 da m. e 6 da urde; de
Jaboato as 6/, da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemflca s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos s 3 Vi, 4,4 /4, V*
5, 8 Vt 8 Vi e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
manha e 4 >/t da tarde; para Jaboato s 4 da
tardo; para Cacbang e Varzea s 4 Vi da tarde;
para Bemflca s 4 da tarde.
ADiENCA DOS KUBNABS DA OaPISAL
Trii-ucal docommercio: secundas quintas.
Relago: tercas e sabbarlos s 10 horas.
Fazenda: quintas, as 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DIA3 DA FM-NA.
7. Segunda. S. Florencio e Honorato Id..
8. Terra. 8. Kieostrets ni.: S. Carlono ni.
9. Quarla. Ss. Urrissinn e Aeripino l>l>.
10. Quintis. Andr;.\vr|inof.: S. Tiberio.
11. Sexta. S. Hariinho h. S. Verano b.
12. Sabbado. S. Mariuiho p, m.; S. Luino b. m.
13. Domingo. Ss Arcadio, Pautillo e Zel.ina v.-
ASJJIGNA-SS
no Recife, em a livraria da praga da Independen
cians. 6 e 8, dos propietarios Manoei Fiiueir,,
de Paria & Filho. isueirea
PARTE QFFIGIAL
GGYSRN0 DA PROVINCIA.
Despachos do dia 7 de noverabro de 1801.
Requerimentos.
Antonio Ferreira Lustosa. Dirija-se a thesoura-
ria provincial.
D. Amalia Francelina dos Rcis Campello.In-
forme o sr. director geral da inslrucco publica.
Antonio Aprigio da Cunha Maciel." Passe por-
tara prorogaudo a liceoga no sentido da informa-
ran.
Alerandrina Francisca dasCbagas. Informe o
Sr. desembargador provedor da Santa Casa da
Misericordia.
Alexandre Emigdio de Medino. O supplicante
pode provar isengo legal do recrutamento dentro
do prazo de sessenta dias marcado no regulamen-
to do 1 de maio de 1S58.
Commendador Joaquim Lucio Monteiro da Fran-
ca.Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Jos Francisco do Reg Barros. A thesouraria
provincial se expede ordem para que a cobranca
do pedagio da barreira, de que trata o supplicante,
tenha principio de amanhaa em diante0
Commendador Joaquim Lucio Monteiro da Fran-
ca.Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Mathildes Francisca das Chagas. Indeferido a
vista da informacac. .
Virgilio Vieira da Costa Pinto. Passe portaYia
concedendo a hcenga que requer o supplicante;
X
<>Vi;il\0 DO B1SPDO DE
PEKVIMBIO.
SEUB VMftTi
Novembro de 1861.
Expediente do dia 8.
Offlcio ao conego cura da cathedral, Antonio Jo-
s de Souza Gomes.Havendo-se procedido hoje
na cathedral desta cidade ao solemne Te-Deum,
que mandei celebrar em acgo de gragas pelo feliz
consorcio de S. A. Imperial, a Sra. D. Isabel her-
deira presuraptiva do throno do imperio, com S.
A. Real o Sr. conde de Eu, e correndo V. S. o
rigoroso dever de assistir a este acto, nao s co-
mo membro do corpo capitular por mim convida-
do pelo offlcio circular datado de hontem, senao
como cidadao brasileiro, e muito principalmente
como cura da cathedral, sabendo as funccoes que
nesta qnalidade de cura Ihe cumpre desempenhar
em taes occasioes, cabe-me estranhar severamen-
te V. S. o procedimento inslito que teve, reti-
rando-se da cathedral na occasio em que eu pa-
ra ella entra va, sendo que at essa hora navia V.
S. assistido ao c gum impedimento que o inhibisse de assistir ao
acto, devia communicar-m'o a mim que presente
eslava.
Espero, pois, qae V. S. nao reincida em faltas
esta ordem para me nao obrigar a obrar como
me cumpre.
9
Offlcio ao vigario da villa dos Tourps.Tenho
presente o seu offlcio de 20 do prximo passado
em que me pede que oblenha do Rvm. prefeito do
hospicio de Nossa Suohora da Penha que Ihe en-
vi um missionario, o qual com a sua palavra po-
derosa acalme as desharmonias c as intrigas que
as ultimas eleicoes semearam ntreos povos dessa
freguezia. Tcnde-me eu por vezes entendido com
o Rvm. prefeito daqoe'le hospicio a respeito dos
missiooarios que podem ser distrahiios para di-
versas partes, sei que actualmente andam elles to
dissemnados pela diocese, que nao possivel
acudir a todas as partes onde os chamam.
Confio, pois, que V. Rvma. empregando em be-
neficio das suas ovelhas oHzelo e a candade que o
anima Ibes far ouvir a palavra do Evangelho, e
com as suas pas exhortarles ir conseguindo res-
tabelecer a paz e harmona entre os seus fregue-
zes, at que eu possa accudir ao seu pedido e sa-
tisfazer os seus pios desejos.
Dito ao vigario da Escada.Foi-me presente o
seu offlcio de 20 do prximo passado em que me
declara que neste anno cabe a festividade do Ora-
go dessa freguezia na dominga 27 do corrente, e
como essa dominga soja a primeira do advento, me
consulta se pode cantar nesse dia mise da festa
com Gloi ifieomameuto branca
Sendo privilegiada a primeira dominga de ad-
vento, e excluindo mesmo as missas solemnes vo-
tivas pro regravi, ou publica ecclesia causa segun-
do a determinacao da sagrada congregaco dos ri-
tos de 27 de marco de 1779, nao pode ter lugar a
festvidade do Orago dessa freguezia no dia 27 do
corrente, menos que nao queira V. Rvma. cantar
a missa da dominga sem Gloria e com a cor
do dia.
Dito ao vigario da Capupina Grande.Accuso
recebido o seu ofhYio de 25 do prximo passado
remetiendo inclusos os proclamas de F... que
pretende casar-se com A... ambos seus paro-
chlanos ; bem como o impedimento, que M... poz
ao nobente, e o termo de desistencia do proprio
impedimento assignada pela mesma M..., o que
tudo V. Rvma. me remette por copia, pedindo-nie
o autorise para effectuar dito casamento. Nesse
mesmo offlcio me consulta tambem, se nos casos,
CGmo o presente, em que a pessoa que poe impe-
dimenta, desiste delle, e assigna termo de desis-
tencia, pode o parodio, independente de autorisa-
cao superior receber em matrimonio os nubentes,
cujo impedimento cesson em virtude da desis-
tencia.
Devo advertir V. Rvm. que os termos dos im-
pedimentas deves ser remettidos em original, e nao
por copia como os que vieram.
Respondendo, porm, consulta quo me faz, de-
claro-lhe que em virtude das constituigocs dioce-
sanas, titulo 65 n. 276, urna vez posto um impe-
dimento, nao podem os parochos assistir ao matri-
monio, em cujas denunciajoes foi elle apresentado,
embora haja desistencia, porquanto nao sao elles
jnizes nesla materia ; e devem remetter tudo (im-
pedimento e desistencia) autoridade competente,
perante quem deve a parte interessada requerer o
que Ihe convier.
A' vista, pois, do exposto, devolvo V. Rvma. o
impedimento e a desistencia, que me enviou por
copia ; para que quanto antes me remeta o on
ginal, e possa a parte procurar o seu direilo.
Dito Illma. cmara municipal do Recife.Nes-
te momento (2 horas da tarde) acabo de receber o
honroso convite de Vv. Ss. para offlciar no solem-
ne Te Ueum que a Illma. cmara municipal do
R cife manda celebrar em acco de gracas ao To-
no Podeboso, pelo fausto consorcio de S. A. a au-
gusta princeza Imperial com S. A. real o Sr. conde
de Eu.
Agradecendo Vv. Ss. a atlencao que querem
ter para comigo, serei solicito em comparecer na
igreja matriz de Santo Antonio, no dia e hora por
Vv. Ss. designado. -
Aproveito a occasio para significar Illma. c-
mara municipal do Recife os meus sinceros pro-
testos de estima e consideraeo.
INTERIOR.
lHtZO\t.
Uelatorio apresestado assembla legislativa da
provincia do Amazonas, na sesso ordinaria do
1" de mimbro de 1861, pelo Dr. Adolpho de
Barros Cavalcan de Albuquerqtic Lacerda, pre-
sidente da mesma provincia.
(Continuacao.)
Tranquidade publica.
No decurso do semestre prximo lindo nao oc-
correu facto algum que perturbasse, ou podesse de
qualquer modo alterar o estado de profunda tran-
quilidade, de que, gracas Providencia, goza esta
provincia desde a sua creaco.
Este facto demonstra a ndole pacifica dos habi-
tantes do Amazonas ; e tamanha confianza ella me
inspira que, apezar da geral ignorancia do povo ;
da ociosidade em que vive ; dos hbitos de vida
nmade ; de nenhum apego que tem no slo, que
nao cultiva, habitaco, que nao fixa, e ao lar,
cujo salutar encanto quasi desconhece, nao creio
que possa vir a ser fcilmente translornada a se-
guranza em que at aqui tem permanecido a pro-
vincia.
Todas as fronteiras gozam cgualraente de pleno
socego.
Eleicoes.
Tendo sido annulladas pela cmara dos Srs. de-
putados as eleicoes primarias de Toff, S. Paulo de
Ollrenca e Alvelles, como me foi communicado por
aviso do mi' isterio do imperio de 5 de margo, dc-
signei o dia 19 de junho para novas eleicoes na-
quellas freguezias.
Pouco depois tive tambem de mandar proceder
em toda a provincia eleico de um deputado para
preenchimento da vaga deixada pelo Sr. Francisco
Carlos de Araujo Brusque, nomeado, por decreto
de 31 de margo deste anno, ministro e secretario
de estado dos negocio da marinha. Marquei para
este fim o dia 26 tambem de junho, as vistas de
que, por um lado, interviessem nesta eleicao os no-
vos e[eitores das freguezias que, em resultado da
deciso da cmara, linbam licado sem representa-
cao no parlamento; e por oulro lado, podesse e
eleito ser reconhecido deputado e tomar assento du-
rante a sesso que acaba de ser encerrada.
Em ambas as eleicoes corrreu o processo com a
raaior regularidade, e sem que houvesse a lamen-
tar a mais ligeira alterago do socego publico.
Para oceupar a cadeira vaga da cmara, foi re-
eleito, como sabis, o actual Sr. ministro da mari-
.iiha. em cuja unnime vptaco folgareis comigo de
Tlescobrir o arrefeciment das dissencoes passadas,
e a calma era que felizmente se manteem os par-
tidos.
No da 7 de setembro, designado pela lei para
as eleicoes de vereadores e juizes de paz em todo o
Imperio, como para solemoisar pela pratica do
mais importante dos direitos do cidadao o fausto
anniversario da nossa independencia poltica, tve-
ram ellas lugar na provincia, para o que exped em
tempo as convenientes ordens.
A eleico correu plcidamente em todas as paro-
chias; excepto na de >ilves, onde um pequeo
grupo de desordeiros, por occasio da segunda cha-
mada, no dia 8, promoveu um disturbio entre os
votantes, pretexto de qae um delles introduzira
na urna tres cdulas, em vez de duas.
Julgaodo-se coacta, a maiuria da mesa suspen-
deu a eleico e deu-me parte do occorrido, solici-
tando instruceoes e garantas. Recommendei-lhe
que, na forma da lei, designasse novo dia para ins-
tallar outra vez os trabalbos; e hei de tomar as pro-
videncias necesarias tanto para a boa ordem da
eleigao, como para a efiectiva punico dos autores
das olfensas exercidas contra o juiz de paz e sub-
delegado.
Seguranca individual e de propriedade.
A seguranca de pessoa de propriedade nao dei-
va de ser satisfactoria.
Disse, que a ndole da populacao do Amazonas
pacifica. Devo accrescenlar que e benvola e bran-
da, cono poucas ha que o sejam mais.
As causas que contribuem geralmente para a
falta de seguranca individual existem aqui em es-
cala porventura mais crescida do que era nenhuma
outra parte, vastido de territorio e suas condigoes
especiae-. rareza de populago, tibieza extrema de
espiito religioso, careucia de moralidade publica,
ignorancia, occiosidade, falta de ensino, communica-
g6es lentas, meios de acgo diminutos, urna frouxa
administrago da justiga, urna extraordinaria faltade
pessoal para os cargos de polica,e principalmente, o
uso immoderado da agurdente, suprema tentago do
indio, verdadeiro opio destas populagoes incultas e
indolentes, que as embrutece e dizima quasi tanto
quanto aos tilhos do celeste imperio o abuso da-
quelle narctico ; tudo isso concorre directa e po-
derosamente para que a seguranga individual no
Amazonas nao seja tao perfeita como fura para de-
sejar. E se a despeito de todas essas causas, insti-
gadoras dos delictos urnas, patrocinadoras delles
outros, a siluago a este respeito nao desfavora-
vel, como disse principio, deve-se isto attribuir
em grande parte quelles instinctos bons, que mui-
to importa desenvolver e fortificar pela educaco,
pelo trabalho e pelo exemplo.
A estatistica do semestre registra os seguintes
delictos :
Homicidio........ 1
Ferimentos graves.. 3
Ditos leves........ 5
Roubo............ 1
Desobediencia..... 1
Furto............ 1
Injurias.......... 2
14
Felizmente nenhum desses crlmes foi revestido
de circamstancias que o tornem no caso de mere-
cer especial mengo.
No triennio de 18611863 foram commettidos
150 crimes. saber :
Em 1861........ 44
Em 1862........ 56
Em 1863........ 30
150
Inferior qualquer destas cifras ficar de certo
a deste anno, se na pratica dot delictos o semestre
que corre guardar a proporgao com o que acabou.
Para apreciar nos seus verdadeiros termos a
comparago quo estabelego, cumpre ter em consi-
derago que nos ltimos annos, como pondera em
seu relatorio o meu illustrado antecessor, tem ha-
vido mais esmero e maior perfeigo na obtengo
dos dados estatisticos.
No relatorio que vos ser presente, do digno
magistrado que dirige a polica, encontrareis, par
de outras informagoes Interessantes, a relago cir-
cunstanciada dos crimes de mais gravdade e Tac-
tos mais uotaveis, tudo com referencia ao semestre
passado.
Nao me consta que pelos selvagens fosse prati-
cada alguma atrocidade desde que assumi a admi-
nistrago. Nemos Panntintiosdo rio Madera, era
os Mageronas do districto de Tabatinga, nem os
antropophagos do rio Janapery, repetiram os cor-
reios do anno passado.
Tanto por Isso como por ter mandado reforgar
com o numero de prajas que rae foi possivel os
destacamentos das diversas fortalezas e fronteiras,
fiz recolher capital o de 13 pragas de linha com-
mandado por um subalterno, que o meu antecessor
mandara collocar na povoago de Mau, no Rio
Negro, para obstar a novos assaltos e depredagSes
da parte daquelles Indios.
Por maiores que sejam, porm, os esforgos da
autoridade, ser-lhe-ha difflcil, se nao de todo im-
possivel, prevenir sempre a reproduego desses fu-
nestos acontecimentos em urna regio dilatada,
como esta.
Emquanto, por meio da palavra do missionario,
nao se conquistar para a civilisago e para ochris-
tianismo essas tribus barbaras que vagam no fundo
das mattas e no centro dos rios anda nao conheci-
des, qualquer diligencia do governo para impedir
actos solados de ferocidade poucas vezes deixar
de ser improficuo.
Africanos livres.
Faltando directora das obras publicas os meios
necessarios para manter na obediencia e disciplina
convenientes os Africanos livres empregados nos
, trabalhos daquella repartigo, resolveu a presiden-
j ca, por acto de li de fevereiro do anno passado,
I po-los sob a tutella mmediala da polica. Desta
medida resultaram grandes vantagens.
Ha aqu actualmente 60 africanos, alm de 8
menores que vivem em companhia dos pais.
O seu movimento desde que vieram para a pro-
vincia, em 1857, o seguinte :
Dos concedidos, por aviso do ministerio da
justiga de 30dezembro de 1856, compa-
nhia de navegago e commercio do Ama-
zonas, chegaram aqui.................. 37
Falleceram............................. 7
Restara............................... 30
Remettidos em diversas pochas para as
obras publicas, per aquello mesmo mi-
nisterio .............................. 48
Falleceram .......................... 18
Restam................................ 30
Total......... 60
Alguns estao servigo de particulares, em vir-
tude de engajaraento, que se realisa mediante li-
cenga da presidencia.
A maior parte eraprega-se, porm, as obras pu-
blicas. Besidem todos no districto da capital,
excepeo de dous cootraclados para servir era
Villa-Bella, e de outro que se acha era companhia
do engenheiro Joo Martins da Silva Coutinho, no
alto rio Madera.
Era geral, sao dados embriaguez, tornando-se
por isso rixosos, e algumas vezes turbulentos. Ra-
ros deixam de sacrificar aquello vicio as sobras de
I seus salarios, que entreunto sao elevados. Os
; poucos que nao esto neste caso possuem habta-
go propria e pequea lavoura as circumvisinhan-
gas da cidade.
Este assumpto contina a merecer a maior at-
tengo do governo e das autoridades a quera elle
incumbe.
(Continuar-se-ha.)
PERNAMRUCO,
REYISTA DUR1A.
Celebrou-se hontem o acto solemne do Te-Deum
Landamus, que pela Illma. cmara municipal ro j
mandado cantar em acgo de gragas pelo auspi- !
cioso consorcio de S. A. a princeza imperial com o
serenissimo principe o Sr. Luiz Felippe, conde
d'Eu
A igreja matriz desta freguezia de santo Anto-
nio, em que se fez o offlcio Divino, eslava decorada
ricamente, sobresahindo anda mais a armago
pelas proporgoes do templo e suas ornameolagSes
de estylo fcil o ridente.
Offlciou no acto o Exra. Sr. vigario capitular, e
a orago apologtica foi incumbida ao Rvm. padre-
mestre Grego, que a desenvolveu de modo notavel
em relago ao facto, para o qual se deprecavam as
bencos do co.
A concurrencia de assistentes ao acto foi gran-
de ; e ahi viain-se o alto funecionalismo represen-
tado as primeiras autoridades cvis e militares, o
clero, o corpo consular e pessoas gradas da nossa
sociedade, que enchiam o templo lervorosos e ani-
mados da mais fagueira esperanca de que o Todo-
Poderoso ouvir as votes de tantos coracoes brasi-1
leiros, expressadas pelas exoracoes dos levitas, que j
por entre o incens subiam ao'co.
Lina brigada da guarda nacional com um par-
que de artilharia, composta de quatro boceas de fo-
go, fez as honras militares.
Acha-se verificado ser falso o boato que ante-1
hontem circulou e tomou vulto nesta cidade com
relago ao presumido sinistro do Paran, nao sen-
do elle portanto mais que urna graca miseravel de
alguem, que se recreia em zumbar'cora a afflicgo
albeia.
Quando en'rou neste porto o briguc Caslro I,
que se.dizia ser o portador da infausta noticia, j
a graqa tinha sido dada a luz, como no-lo acaba de
declarar o commandante do referido navio ; pois
que a elle j pediam noticias do acontecimento as
pessoas qou jjrimeiro chegaram a bordo.
Alm dist, os Srs. Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C, dignos agentes da companhia Brasileira,
acabara de dirigir-nos urna carta declarando ser
falsa essa noticia.
Pelo commando das armas se contrata um
sacerdote para capello de Fernando de Noronha,
sendo o honorario 1:3005000 por anno.
Hontem, por occasio das honras militares, |
ao terminar o Te-Deum, loi ferdo um artilheiro
em urna das mos, que ficou completamente frac-
turada a ponto de carecer de amputago.
E* para, lamentar que viesse tal acontecimento
annuviar as alegras do acto, augmentando de mais
urna victima o numero dos mutilados em occasioes
semeihantes ; e alm disto para estranhar que se
nao tomassemainda providencias afira de acautelar
taes sinistros ; os quaes parece que agora se re-
produziro sempre que houver arrumago de tropa
e salvas.
A' vista dos fados, pois, pedimos a quem com-
petir que se nao omittara as necessarias provi-
dencias.
Teve lugar no dia 8 na S, como foi annun-1
ciado, o Te-Deum em acgo de gragas pelo feliz
consorcio da serenissima princeza a Sra. D. Isabel;
com S. A. o conde d'Eu.
O templo achava se decorosamente ornado ; o |
acto em si nada faltou ; assistindo a elle o Rvm.
cabido, todo o clero e varios convidados ; e sendo
o Kxm. Sr. vigario capitular o oficiante do acto.
O Sr. conego Sanios, subindo a cadeira sagrada
apresentou um bem elaborado discurso, satisfazen-
do bastante a espectago de todos os assistentes.
De Oiinda nos remettem o seguinte :
Ha lempos fallamos a respeito das juruhebas.'
matapasto e outras quahdades de hervas que exis-
tem na maior parte das ras, beccos e pateos, pe-'
dindo providencias a respeito ; porm nenhuma
attengo at o presente se tem dado ao nosso pe-1
dido. Se aquelle a quem compete vigiar sobre isto
entender que esta nos>a reclamago nao justa,
continuando assim a nao dar a menor importancia
ao nosso pedido, desde j nos dirigimos a todos os
habitantes, e Ihes pedimos, que queiram se encar-
regar de mandar li rapar a frente de suas casas, ao
menos pelo lado da limpeza e aceio das ras em
que residen, quando por outro lado outro inleresse
nao exista.
c Igual pedido fazemos aos Srs. chefes das ir-
mandades afim de que a frente e pateos dos templos
se conservem sempre limpos e com aquella decen-
cia, que Ibes devida.
A graade malta dejurubebas do pateo do Carme
esl sendo rossada, segundo nos consta, por dous
particulares. Sendo isto real, estamos bem cerlos,
que os Srs. habitantes a exemplo destes se presta-
rao aisatisfazer o nosso pedido. As ponles da Ta-
caruaa e Arrombados se acham era um estado tal,
que por um milagro da Providencia nao tem des-
abado. O Exm. Sr. presidente, a quem compete
dar as necessarias providencias, segundo nos pare-
ce, tm-se tornado iudifferente ; porquanto ha mui-
to tempo que ellas se acham precisas de reparos.
Sempre que de qualquer providencia resulta o bem
geral, nao deve u'aver a menor demora, nao s em
dar-se, mas tambem em executar-se.
Esperamos, portanto, do Exm. Sr. presidente
toda a providencia respeito, previnindo por esta
maneira o mal, antes que elle aprsenle um carc-
ter mais serio.
Deixou hontem de funecionar o Instituto Ar-
cheologtco e Geographico Pernambucano.
Araanha u a soi ledade recreativa Coryban-
tina a sua partida mensal.
Hoje no armazem do Exm. baro do Livra-
raento, no caes de Apollo, ser vendido em leilo
publico, pelo agente Olympio, 569 saceos cora as-
sucar, parte do carregamento do navio hambur-
guez Adelbert, que ia-se perdendo a semana passa-
da, dentro da barra do nosso porto.
Hoje (11) s 10 horas do dia effectuar-se-ha o
leilo de movis annunriado, por intervenco do
agente Pinto, no armazem da ra da Cadea
n. 36.
Amanhaa se extrahir a primeira parte da
primeira lotera da matriz de Nossa Senhora do
Rosario de Goianna (115a), sendo os dous maiores
premios 10:000000 e 3:000000.
Fizeram acto na Faculdade de Direilo do Re-
cife, no da 9 do crreme, os seguintes estudan-
tes :
1 anno.
Casimiro Borges Godioho, plenamente.
Augusto Pedro Gomes da Silva, idem.
Jos Igoacio Fernandos Barros, idem.
Francisco Santiago Accioli Lns, simplesmente.
2 anno.
Jos Bernardo Gomes Belfort, plenamente.
Joo Pedro Belfort Vieira, idem.
Joo Firmioo de Hollanda Cavalcanti, idem.
Tiburcio Raymundo da Silva Tavares, idem.
3o anno
Samuel Felippe de Souza Ucha, plenamente.
Antonio Saboia de S Leito, idem.
Euclides Deocleciano de Albuquerque, simples-
mente.
Um reprovado.
v 4o anno.
AntoniqfSilverio Barbosa da Silva, plenamente.
Juo Grffn do Amaral Henrique, idem.
Jos Aojfusto Galvo Pires, idem.
Antonio Martioiano Lapemberg, idem.
Lzaro Pires da Fonceca, dem.
5o anno.
Arslides de Paula Dias Martins, plenamente.
Joo Thom da Silva Jnior, idem.
Pricihaoo Antonio da Silva Freir, idem.
Resultado dos exames feitos no curso de pre-
paratorios anuexo Faculdade de Direilo no dia
8 do corrente :
Latim.
Plenamente..... 1
Simplesmente... 8
Reprovado...... 3
12
- Dia 7
Francez.
Plenamente...... 3
Simplesmente---- 3
Reprovado....... 6
Francisco Antonio do Nascimento, Pernambu-
co, 2G annos, solteira, S. Jos ; varilas.
Um preto que foi recolbido no hospitai sem fal-
la, cujo norne ignorase, Boa-vista ; apoplexia.
Paprc Guilhermino dos Santos Muniz Tavares,
Pernambuco, 26 annos, Santo Antonio ; tubr-
culo pulmonar.
Arrenio Alves da Silva, Perntmbnco, ti an-
nos, casado, Santo Antonio ; hypetrophia.
municaodo ter entrado em exercicio do mesmo
cargo.Inteirada.
Latim.
Plenamente.....
>implesmeute
Reprovado......
a
3
8
1
12
Pasaageiros do biate nacional Sant'Anna, sa-
bida para o Aracaty :Joo Busson, sua senhora e f
2 filhos menores e' Antonio Raymundo Paes de
Lima.
Movimento da casa de detengo do dia 9
de novembro de 1864 :
Existiam....... 357 presos.
Entraram...... 14
Sahiram....... 12
Existem....... 339
A saber :
Nacionaes..... 288
Mulheres...... 3
Estrangeiros... 12
Estrangeira---- 2
Escravos...... 51
Escravas...... 3
~359
Alimentadas custa dos cofres provinciaes 145
Movimento da enfermara no da 10 de novembro
de 1864.
Teve baixa.
Emygdio Manoel dos Santos.
Tiveram alta:
Antonio Lopes de Azevedo.
Joaquim Marinho Falcao.
Manoel Gomes de Mallos.
Joo Pedro de Santa Cruz.
Manoel Flix de Sant'Anna.
Manoel Das da Paixo.
Cassiiniro Marinho Falcao.
Manoel, e^ravo de Estevo.
Obituario no cbmitkrio publico no da 8 de
NOVEMBRO DE 1864.
Um preto que foi recolhido no hospital de ca-
ridade cujo nome ignora-se, 60 annos, Boa-vista ;
apoplexia.
Francisca das Chagas Nunes, Pernambuco, 50
annos, viuva, S. Jos ; um selelno.
Julia Mara Barbosa, Pernambuco, 25 annos, ca-
sado, S. Jos ; tubrculo pulmonar.
Sebastio Canuto da Silva, Pernambuco, 38 an-
nos, casado, S. Jo> ; hydropesia.
Domingos, Pernambuco, 3 mezes, Recife; bron-
chite.
Iluminata, escrava, Pernambuco, 22 annos, sol-
teira, Recife ; gastro entente.
Joo, Pernambuco, 2 mezes, Boa-vista; va-
rilas.
Jacob, escravo, Pernambuco, 8 annos, soliei-
ro, Boa-vstaj hepatte chronica.
Olmdina, Pernambuco, 1 anuo, Boa-vista ; con-
vulgoes. r .
Albino, escravo, Pernambuco, 50 annas, soltet-
ro, Boa-vista; entente.
9
Claudia da Coneelgo, Baha, 24 annos, solteira,
Boa-vista; tubrculo pulmonar.
Pedro. Pernamnuco, 18 meies, Boa-vista ; ma-
ligna,
CAARA Ml'MCIPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 10 DE
SETEMBRO DE 1864
Presidencia do Sr. Henrique da Silva.
Presentes os Srs. Barata de Gustavo do Reg,
Leal Seve e Gameiro, abre-se a sesso e c lida e
approvada a acta da antecedente.
Sendo boje o da marcado para aapurago geral
dos votos para um senador por esta provincia, e
achando-se recolbidos ao archivo desla amara as
authenticas doscollegios eletoraes do Recife, Oiin-
da, Iguarassu, Pao d'Alho, Goianna, Naiareth, Li-
moeiro, Cabo, Victoria, Serinhera, Rio Formoso,
Barreiros, Caruar, Bonito, Garanhuns, Bom Con-
selho, Buique, Villa-Bella, Ingazeira, Tacaratii,
Brejo, Cimbres, Boa-Vista, Cabrob, Ouricury,
Ex ou Granito, eas tres remettidas pelo Exm. pre-
sidente da provincia, da Escada, Flores e S Bento,
as quaes a cmara roquisitou ; em seguida passou
a mesma cmara a fazer a apurago de conformi-
dade com a lei.
O Sr. Mello senlindo-se ncommodado, pedio li-
cenga e retirou-se.
Concluida a apurago mandn a cmara fazer a
acta e a lista trplice, bem como o offlcio para o
Exm. ministro do imperio, ao qual offlcio deve
acompanhar a mesma lista, e a copia da acta.
L-se o seguale
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exra. presidente da provincia, re-
moliendo como a cmara havia solicitado, as actas
dos collegios da Escada, Flores c s Bento, e dizen
do que logo que houvesse concluido a apurago
Ihe fossem as mesmas actas devolvidas. Que as-
sim se curaprisse.
Outro do mesmo, convidando a cmara a assis-
tir ao cortejo, que no palacio da presidencia se lera
de fazer eflige de S. M. o Imperador, as cinco
horas da larde do da 7 do corrente, anniversario
da independencia do imperio.-Inteirada.
Outro do juiz de paz presidente da mesa paro-
shial da freguezia de Santo Antonio, Joaquim An-
tonio Carneiro, requesitando urna urna, bem como
os de mais objeclos necessarios para o prosegui-
mento dos trabalhos eletoraes da mesma fregue-
zia, no dia 11 do corrente, visto que pela agitago
e disturbio havidos na tarde do dia 8. resullou nao
s o quebrament da urna, como o inulilisarem-se
todos os mais objectos que Ihiham sido remettidos
para o processo da eleigao.Que se salisfizesse a
reqoisigao.
* Outro do subdelegado supplente da freguezia da
Boa-Vista, Decio de Aquino Fonseca, communican-
do baver o respectivo subdelegado reassumido no
dia 6 do corrente o exercicio do mesmo cargo.
Inteirada.
Outro do administrador do cemiterio publico
desla cidade, remetiendo urna relago que Ihe lora
enderegada pelo capello do mesmo estabelecimen-
to, requesitando diversos objectos para o uso da
capella, pede cmara antonsago para sai^fazer
nao s a exigencia do capello, como para comprar
mais urna duzia de cadeiras necessarias, visto que
as existentes na mesma capella nao sao suffiien-
les.Que se aulorisasse.
Desparbaram-se as peligoes de Francisco de
Araran Barros, Francisco Botelbo de Mendonca,
Joao Francisco Antones, Joaquim Francisco Colia-
res, Saunders Brothers & C. e !evantou-se a ses-
so.
Eu Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretario,
a subscrevi. Barros Reg, presidente, Henriques
da Silva, Reg Maia. Reg, Mello.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 21 DE
SETEMRRO DE 1864.
Presidencia do Sr. Barros llego.
Presentes os -rs. Henriques da Silva, Gustavo
do Reg, Maia e Mello, fallando sem causa os
mais senhores, abre-se asesso e lida e appro-
vada a acta da antecedente.
Le-se o seguinte
EXPEDIENTE.
I'm ollicio do Exm. presidente da provincia,
de 10 do corrente ; em resposta ao que Ihe dirigi-
r a cmara em 24 de agosto ultimo, sob n. 24, no
qual pede para que Ihe sejam dados para um pas-
seio publico os alagados de marinha ns ." e 77
existentes entre o edificio do Gymnasio ea fundi-
gao do ?tarr & C diz que naquella mesma data
de 10 recommemiara a tbesouraria de fazenda,
que no caso de haver expirado o praso marcado
a D. Francisca Amalia Moreira, para ser aterrado
e bemfe'torisado o segundo de taes alagados, faga
elfeciiva a necessaria coinminago, seno tver sido
cumprida aquella condigo, para depois de medi-
do, e demarcado ter a applicago indicada pela \
cmara, que acerca de desapropriar ao de n. 55
deve proceder amigavel ou judicialmente como fr
mais conveniente, visto tersidoesse alagado, conce-'
dido a Manoel Jos Ferreira Machado, sem onus al-
gum.-Qnanlo a primeira parte, inteirada,e quanto j
a segunda, a requer ment do Sr. Gustavo do Reg, |
mandou-se ordem ao procurador para de occor-
do com o engenheiro cordiador procurar saber
quem o actual possuidor do alagado concedido
a Ferreira Machado, por quanto con:.ta Ihe nao
pertencer mais.
Outro do mesmo, dizendo que para resolver a
cerca do que Ihe propoz a cmara em offlcio de
27 de julho ultimo, mistar que a mesma emita o
seu parecer sobre o que pondera o engenheiro em
chefe da repartigo das obras publicas no offlcio
incluso em original. Posto em discusso, resol-
veu-se leformar a S. Exc. quanto a primeira parte
do offlcio do director da repartigo das obras pu-
blicas, que nao sendo a cmara a concessionaria
dos terrenos da ra da Concordia entre a ponte da
Boa-Vista e a casa de Detengo, nao pode saber
das clausulas cora que foram elles concedidos, o
que s na thesouraria deve constar, mais o que
parece fora de davida que, os beneficios feilo;.
era laes terrenos em ulilldade to smente de seus
possuidores, e nao do publico, devem ser por
elles iodemoisados : quanto a segunda parte, que
a cmara concorda com a opinio do director da
repartigo das obras publicas, porm intende que
se nao deve esperar pelo resultado final dense
trabalho para dissidir-se o que paeffl os propie-
tarios dos referidos terrenos, pois que seria >to
em prejuizo da editlcago j principiada por elles.
Outro do mesmo, communicando haver era 14 do
crreme indifferido o requerimento sobre que
versa a informago da cmara de 17 de ago.-to
ultimo sob n. 36, e no qual Juo Baptista da Matta,
actual arrematante do imposto de 80 ris por car
ga de familia e outros legumes vendidos nos mer-
cados pblicos desta cidade ; pede Ihe seja pro-
rogado por mais dous annos o tempo de seu con-
trato ; visto como aquelle imposto deve ir a pra-
ga de conformidade com a lei. Inteirada.
Outro do subdelegado supplente da freguezia do
Recife Manoel da Silva Mendonga Vianne, com-
Outre do contador, remetiendo una relago dos
imposto; o rendas munieipaes que devem ir a
praga para o futuro exercicio de 1864 a 1865.
Que se pozesse em praga para os das 23, 26 e 18
correnle.
Oulro do fiscal do Recife, informando nao ha-
ver inconveniente om permillir-se que Saundrs
Brothers & C. estabelego no armazem n. 47 da
ra do i aes do Apollo urna prenga para enfardar
algodo por meio de machina a vapor. Conre-
den-se.
Outro do fiscal da freguezia de Santo Antonio,
communicando que o praso marcado ao capataz
dos canoeiros da estago da ra Nova para fazer
demolir o telhoiro all exi.-tenle achare lindo desde
o dia 31 de agosto ultimo, e que em conseqoeneia
de ponderagoes que Ihe havia feito e ajudante do
mesmo capataz pedindo Ihe anda o praso de oito
dias para effeciuar a demoligo, annuio a ene
pedido, mas lendo-se ultimado o segundo praso no
dia 9 deste mez, e nao fosee feta a demoligo, es-
liera va que a cmara re.-olvesse a respeito, visto
constar-llie que ficar ella ao arbitrio dos canoei-
ros, nao se realisaria.Que se ordenasse ao feral
que manda se demolir o indicado telheiro, o qual
se aaha era terreno da cmara.
Notendoapparecido quem quizesse arrematar a
obra das catacumbas do Cemiterio publico da fre-
guezia de S. Lourengo da Malla, mandu-e por
novamente em praga para os dias 23, 24 e 26 do
correte.A requerimento doSr. Mello, mandon-
se remetter ao procurador c contador a rollegao
das leis provinciaes promulgadas este aono, aiioi
de que a cumpram na parle que Ibes tocar.
Marcou-se a terceira sesso ordinaria doste an-
no para o dia 23 do correnle, e seguintes.
Despacharan! se as ptliges de Andr de Abren
Porto, Antonio Jacinlho Paes de Mendonga, Bar
tholomeu Lourengo, Claudio Debeox, Custodio Al-
ves Rodrigues da Cesta. Dioni7io Ferreira Caval-
e-ante (2), Dr. Francisco de Araujo Barros. Firmi-
no Pacheco Gomes, Fraiicisco Botelbo de Mendon-
ga, Francisco Jote da Silva, Francisco Ignacio Ti-
noco de Souza, Jesuino Jo.- Tavares, Jos Gongal-
ves Ferreira Costa (2), Joaquim Lourengo de Bar-
ros, Juo Antonio de Almeida, Manoel Joaquim de
Sania Anna. Manoel Alves Ferreira, Manoel Jos
Mauricio de Senna, Pedro Iguacio Baptista.
Levanlou-se a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem, secretario
a subscrevi.-Parata de Almeida. pro-presidente.
Leal Seve.llego.-----Mello.(ameiro.
C0MMNIC120S.
As injurias sao as razes de qiei
tem razo.
Devendo su respeitar-me, devo por isso nao res-
ponder, e effectlvamente nao respondo ao commo-
nicado que o Sr. Dr. Joaquim do Reg Barros fez
publicar contra mim, o em que, sem rslatielecer
urna discusso propria do hornera polido, estudou
mais os meios de offender-ine, que os de defen
der-se.
Felizmente todos veem. e sabem todos que eu
nao carego de justificarme, para que me nao
manrliem esses sarcasmo? que me atira o Sr. Dr.
Barros; pois que, se eu infelizmente osse tal qual
elle rae pinta e aprega, nao lena, como tenho, as
boas relagoes das pessoas mais gradas tanto desta
provincia, como da corte, e de outros lugares :
nao advocara, como ad\co, 24 annos, mere-
cendo sempre a mais plena confianga das partes,
e toda con-ideragao e loinor dos dignos magistra-
dos, ante quera tenho olhYiado. A malidicencia
prompta e frtil em dizer tudo de todos.
Ah e se eu respondes** ao Sr. Dr. Joaquim do
Reg Barros, o que respondera ? Dira o que a
minba digoidade nao quer que eu diga
Pois bem: deixando intacto o que o Sr. Dr.
Barros j disse, e o que bmiver de dizer anda.
desta vez por todas a resposta qae Ihe dou, di-
zer-lhe como disse o poeta:
Venha o mais, epstolas, som-t -
Oles, cances, metamorpboses, lado,
Na frente poes ten nome, c;Jou vingado?
Fe o amor proprio, c >mo diz um philosopho.
eomeca as disputas, a ohstinacao as prolonga, e a
lera as termina, ou. para nao ebegar a esse re-
>ulladb, nao quero disputar mais com o Sr. Dr.
Joaquim do Reg Barros.
Recife, 8 de novembro de 1864.
Jos' dos Anjos Vieira d'Amorim.
Hoje ter lugar o cxpedaculo, que os dignos >m
prezarios do theairo de Santa Isabel lenciooam dar
em signal de congratulacu pelo fausto consorcio
de sua alteza imperial a Sr." D. Isabel com .-ua al-
teza o conde d'Eu ; e, segundo esta annunciado, o
producto dessa represeniago ser declinado, con-
forme o pensaraeuto dos mesmos emprezarios, para
qualquer um dos estabeleciraenlos pios da provin-
cia.
Praticando esse acto que duplamente reora
mendavel e do mais subido aprego, provara os Srs.
Germano & Coimbra que nao podem nem .-aben
couservar-se indiferentes aos scnlinieulos de eo-
thusiasmo e de profundo regosgo, que, por i.io ele-
vado motivo, dominara o rorago de lodos os coa-
cidados deste imperio : e demonstrara igualmente
que sabem interpretar com fidelidad* o lasiAclo
de amor patrio, excitad j pelo alcance e importan-
cia d'aquelle auspicioso aconlecimento. Vendo
n'essa augusta uuio mais um penhor valioso para
a integridade da ilion; rchia entre nos, e para a
su.-lentagoda dymnastia imperante, assim cono
fnndameolaes do
theairo de Sania
dos principios e das inslituigoes
paiz, os dignos emprezarios do
Isabel nao podlara deixar de co icorrer, de sua par-
te, para a maior expanso di jubilo que resulta
dessa to grata esperaoga, e qi e I aduitdo
particularmente as solemnes i lanifestages levan-
tadas nesla provincia.
ssa espontanea
qui/.erain e>ses res-
impulso ardenle do
generoso da rarida-
Como singelo complemento
mui expressiva congratulago,
peitaveis cavalhciros unir ao
patriotismo o desenvolvimento
de ; e ninguem havera que naT applauda a inspi-
raran sublime que presidio a u na to bella resdn-
go, hoje posta em pratica.
Os Srs. Germano & Cimbrk. que, frente do
nosso theairo se tem desvelado tanto pelo tnum-
pho completo da arte que nos teem dado tantas
horas de precioso entretenimento, em tantas repre-
sentagOes de verdadeiro inleresse moral, uimin
arada mais tuda a nossa conifleragao por este no-
vo acto, que poe em relevo e altamente sigmlea a
dignidade de seus proprios sentimenios.
O publico far-ihes-lia plena justica, como
tem feilo sempre; e o penpamento dujlamenle
glorioso que os inspirou a ambos, conduzir irre-
sistivelme-jie para o noso Ttheatro um grande e
luzido concurso de espectadores.

Recife, 10 de outubro de 1160
. MUTILADO


Diario 4e Pernanteneo ... Sex PUBLICARES A PEDIDO.
Anacahuita peitoral de
, Kemp.
anacahuita Mtoral de Kemp. Alegrem-se to-
dos aquelles que por espado de annos inteiros teeni
?ivido agoniados e .filelos pelos soffrimenlos da
asthma dos bronchios.
Esta excellente inoffensivo remedio rgela! ata-
ca promptamente e com iovariavel seguranca es-
sas molestias, nie>mo as suas peiores formas.
A arvore d'onde o rico balsamo extrahidb, tem
sido verdaderamente a arvore da vida para mi-
Ihares de pessoas que padeciam das affeccoes dos
pulmoes c da gargauta.
Limpa o faz remover todas as mucosidades ac-
cumuladas nos vasos bronchios, fortilha a mem-
brana da traca-arleria e do delicado tecido dos
pulrooes, e em parte um vigor verdaderamente
maiavilhoso todo o apparelho da respiracao.
Encontra-se as drogaras de Caors & Barbosa
de Bravo & C.
ALAGOAS.
EnuBimesto d'ajaa potarel.
O vlce-presidento da provincia auteriou ao
engenheiro Garnciro Monteiro para dar principio
aos trabalhos da obra do encanamento d'agua p-
lavel, para abaslecimento desta cidade, conforme
a respectiva planta offerecida por ello e apprwva-
da con a moditicaco indicada na base do dique
do acude pelo engenheiro Carlos de Mornay.
Acude dtt eneanamente.
A' vista da 6' condicao do cootrato celebrado
para o abaslecimento d'agua potavel, por meio de
encanamento de algum dos riachos do Bebedou-
ro, foi autorizada a ihesouraria provincial para
preceder na forma das leis, desapropriacao do
terreno no lugar denominado Rio do Silva, para a
onstrurcao do acude d'agua polavel, devendo o
.inspector entender-so previamente com o enge-
nheiro Carneiro Monteiro sobre a extenso do ter-
reno indispensavel para aquella obra.
Encamnenlo d'agua potavel.
No dia 22 do corrente, o engenheiro contratante,
Joaqun) Pires Carneiro Moulelro, deu principio
as obras do encanamento d'agua potavel para a-
bastecimento de-ta capital e Jaragu.
O grande problema d'agua polavel, por meio
do maravilhesoso encanamento, est, pois, resol-
lido para esta provincia.
Desde 18io quo as colleceoes de leis conteem
disposieoes para esse grande melhoramento em
toeoelicio de nossa capital, o ha mais de vinte an-
uos que os administradores cogitam nos roeios de
nos legar esse notavel progresso.
Ao Sr. Dr. Souza Gonzaga, presidente Ilustra-1
do e ptimo administrador, coube a gloria de dis- [aflores da massa rali
aipar todas as difflculdadcs, cenar o n gordio Boge(^J*nlo1SU.!?*
que. se antepunha realisacao de urna obra tao
precisa para Macei, a gloria emfim de levar a-
?ante ama empreza que se julgava errneamente
impossivrl s forras da provincia.
Ao distinelo e'benemrito engenheiro Conrado
Jacob de Xyemer, coube a honrosa larefa de de-
linear, orear e mostrar com os dados da sciencia
que a obra era pralicavel.
E ao Ilustre engenheiro civil Joaquim Pires
Carneiro Monteiro coube, emtim, a nao menos glo-
riosa mssao de por em i ira tic a o plano d'aquelle
antro engenheiro e execular o contrato celebrado
pelo Sr. Dr. Gonzaga.
Estes tres Bornee, portanto, Conrado, Gonzaga e
Monteiro, lizeram jus a gratidao dos Alageanos e
especialmente ao recorthecimento dos Maceioen-
ses, que dentro em potico vo gosar de um grande
melhoramento, em nada invejavel aos das cidades
populosas e ricas eapitaes.
O engenheiro Conrado orcou a obra em ris
335:0005, e o contrato fo celebrado pela quantia
de 250 contos.
Fazemos votos para que tantos esforgos, c mes-
mo sacrificios da provincia sejam coroados do
mais esplendido resultado.
(Do Mercantil.)
MOVIMENTQ 110 POETO.
Navio entrado no dia 10.
Liverpool-40 dias, brigue inglez James Slewarte,
de 189 toneladas, capito John Craig, equipagem
12, carga carvo de pedra ; a .'auoders Bro-
thers i C.
Navio saludo no mesmo dia.
AracatyHiaie nacional Santa Hita, capito Anto
nio Joaquim Al ves, carga differentes gneros.
Pela secretaria do tribunal do commerclo de Per-
nambnco se faz publico, que eiistem parados
por falta de prepare os teitos abaiio mencio-
nados.
Appellacoes.
A. Manoel de Souza Pereira ; RR. Joo Joaquim
da Costa Leite, como administrador de sua mulher
e tutor de seus enliados menores, e o Dr. curador
geral.
A. Jlo Nicolao de Lyra Cavalcante ; R. Manoel
Jos da Silva Grillo.
a. Antonio Jos Conrado, successor de Julio &
Courado ; RR. Antonio Francisco das Neves, Lou-
renco Luiz das Neves, e Benedicto Jos Duarte
Cednm.
A Joaquim Elviro Alves da Silva ; R. Theotonio
da Silva Vieira.
A. Antonio Joaquim de Vasconcellos : R. Jos
Joaquim Lopes d'AIraeida.
A. Manoel Pereira Monteiro; R. Bellarmino Al-
ves Archa.
A. Felippe da Silva Pimentel ; RR. os curadores
flseaes da massa fallida de Faria A C.
AA. O presidente o directores da caixa filial do
Banco do Brasil ; RR. aniel Guimaraes & C.
A. Antonio Ferreira Leal; R. Jos de Faria Fcr-
reira Juuior como curador de Antonio Casimiro de
ouvea.
A. bacharel Joo Francisco Teixeira ; RR. os
administradores da massa fallida de Guimaraes &
Irmao.
A. Jos Narciso Camello ; RR. os curadores da
massa fallida de Seve, Filho & C.
A. Francisco Antonio da Chagas, como crixa e
projudoi da sociedade arrematante do imposto de
2r5o00 sobre cabeca de gado morto para consumo
do municipio do Recite ; R Claudio Dubcux.
A. Manoel Alves Ferreira; R. Pedro Cavalcante
d Albuquerque Uchfla.
A. Antonia Ferreira da Silva Maia ; RR. os ad-
ministradores da massa fallida de Amorim, Frago-
so, Santos a C.
A. D. Beata Mara de Jess; RR. os administra-
dores da massa fallida de Amorim, Fragoso, San-
tos A. Galdino Themisloclcs Cabral de Vasconsellos;
RR. Manoel Alves Guerra e outros.
AA. Matheus Auslin & C. ; RR. Brito, Quei-
roz &C
A. Joao Martins Ribeiro; R. Guilhermo Jorge da
Motta.
AA. Sampaio, Silva & C.; Antonio Jo de Athay-
de Alvm, e Joaquim Ignacio da Silva Colarle.
AA. O presidente e directores da caixa lilial do
Banco do Brasil RR. Manoel Alves Guerra e Bri-
to, Queiroz & C.
A. Joaquim Jos de Abreu Jnior ; RR. os ad-
ministradores da massa fallida de Amorim. Fran-
goso, Santos & C.
Arrestante o coasul portuguez nesla cidade; Ar-
restado Manoel Jos Leite.
A. Domingos da Costa Maia ; R. Silvino Joaquim
Martins dos Santos.
A. Francisco Ferreira Borges ; RR. os adminis-
falida de Martinho de Oliveira
Ramos de Oliveira.
A. O conego Firmino de Mello Azvedo ; RR. os
administradores da massa falida de Amorim, Fra-
goso, Santos & C.
A Antonio Jos de Castro RR. Francisco Anto-
nio de Brito e oulro.
A Jos Anlonio dos Santos Fontes ; RR. os admi-
nistradores da massa falida de Amorim, Fragoso,
Sanios & C.
A. David William Bowmam ; RR. Manoel Alves
Guerra e outros.
A. Francisco Ferreira Borges ; RR.
res tiscaes da massa fallida de Martinho de Oliveira
Borges e Beato Jos Ramee de Oliveira.
A. Oclavano de Souza Franca ; R. Jos Francis-
co de Barros Reg.
A. Francisco Jos Cyrillo Leal ; RR. os adminis-
tradores da massa fallida de Amorim. Fragoso, San-
tos & C.
Aggratos.
Embargle Amonio da Rocha Accole Lius;
embargado Lucidato Pereira Lima.
Exequente Jos Pereira Bastos ; ejecutados Po-
licarpo Jos Layme o oulro; embargante 3o Elias
Baplista da Silva.
Exequeule Mauoel de Souza Pereira ; executado
Joo Marinho Paes Brrelo ; embargante 3o An-
na Deltina Paes Brrelo, de Nossa Senhora do O'.
Exequentes Motta & Irmos e Joo Luiz Vianna;
executado Antonio Joaquim Vinhas por seu procu-
rador.
Aggravantes Francisco Luiz Paes Brrelo ; ag '
gravado Herculano de Andrade Fortuna Pessoa.
Seguindo-so a represontacSo do drama em 5 ac-
tos, ornado de msica :
D. CESAR DE BAZAN.
Os bilhetes acham-se venda no lugar do cos-
tume.
Comecar s 8horas.
AH.tVII.tt
SabMo, 12 do cerrente.
Subir scena o muito applaudido e ma?uifleo
drama de grande espectculo, em 3 acto/ e o
qadros :
OS
LEUDES.
com todo o seu machinisrao e accessorios.
Dar fira ao espectculo a nova e graciosa come-
dia em 1 acto
LEILAO
Da
Casa de buhar da rna4U fmprador
junto a orden ter<*eira de S- Fran-
cisco.
O agente Alraeida competentemente antorisado
levar a lelo a casa de bilhar do ra do Impera-
dor constando de 2 buhares ltimamente forrados
com todos os seus pertences, bancas de pedra, um
rico flteiro de amarello envidracado, espelho, qa-
dros gamao, bancas e mais objectos conslaotes da
relacao que se acha em poder do mesmo agente,
bem como o titulo pelo qual o dono possuidor
de dito estabelecimento o qual se acha desembara-
i do de impostos.
HOJjE
Se\ia-feira il docorreutesll horas*
H1ULHER
DE
BOUS MARIDOS.
LEIJLAO
DE
Movis como
ii
Crmecar s 8 horas
sejam;
Urna mobilia de mogno a Luiz XIV com um so-
f, 1 mesa oval, 2 consolos com tampos de pedra,
2cadeiras de bracos, 2 ditas de balanco e 18 de
guarmeo, 1 guarda vestido de mogno, toilet, 1
toucador de mogno, 2 commodas, 1 cama de mog-
no, 1 candelabro de crystal, 2 casticaes e mangas,,..
3 candieiros a gaz para cima de mesa, 1 cama bel, os seguintes premios:
Aos 10:0008000 e 3:000*000.
I Corre amanha.
Sabbado 12 do corrente mez, se extrabi-
r a primeira parte da primeira lotera
(US"] a beuelicio da matriz de Nossa Se.
nhora do Rosario de Goianna, no consistorio
da igreja de Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
?enda na respectiva thesonraria ra do
Crespo n. 45.
Os premios de 10:000K)0O at 200000
serao pagos urna hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuigo das listas.
O thesoureiro,
______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
CAS4 D4 F0KTIM7
AOS 10:000.000
Bilhetes garantidos
A* rna do Crespo n. 23 e casas do eostume
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneco do theatro de Santa Isa-
I
Hua Nova
mmmm
n :H I
]Loja de madama Theardj
S
3


i
I

Este estabelecimenlo se acha boje ma*
que nunca bem sonido de nbirriu de
moda do melbor que pode vir ao mu
do e nao se menciona cada ora de per si
por se torBar demasiadamente enf.ido-
nho para seus numeroso- mjsmmtquan-
ajplerem o presenta aviso pelo qu* limita-
se em lembrar alguns artig con se-
jam : chapelinas de rlina- de palba de
Italia, de setla. de crep branro e prrb)
liara luto, chaj eos reiloodos de palha da
lukk amarella e de otitras rr.re para
Bhoras, ditos para meninos e meninat
eos cortes de blon !, dito* d^ moreanti-
que de diversas core, data de seda, a-
sim como sedas .le eores i>aru rem a covados, duas fscncea, n.rif de
vestidos pretos bordados a ajroltw, naal-
mente um variado >ortimento de bxeav
das Qnas e grossas, na mesma casa b-
zem-se capa, mantelele>. vestidos para
noivas, vestuarios para meninos se ta>
tisarem e lodo quanto pertence a > toikt
de urna cenliora e receb.--se laurinos to-
dos os mezes das uliimas mod is de Par"
m^immm m. m m
at nn*.
siiois
DO
CAES DE APOLLO.
hxn'piiili los e sompiaosos bailes
Sabbado 19 e domingo 13 do f or
reo te
Em regosijo do feliz consorcio de S. A. Imperial
a Sra. D. Isabel com S. A. R. o Sr. D. Luiz Felip-
pe conde d'Eu.
A's 9 horas da noite a grande banda de msica
dirigida pelo insigne artista Jos Anloaw Alves
Franco, tocar o hymno nacional e em seguida va-
ras pegas de msica escolhdas, bem como ricas
quadrilhas, walsas, polkas eschotchis,tudo a agra-
dar o respeitavel publico.
Ser manndo o regulameato do Illm. Sr. Dr.
chefe de polica em toda a sua plentude.
franceza, 1 guarda roupa, 4 mesas de amarello, 2
ditas de louro, 2 cabides, bandeijas, candieiros e
muitos outros objectos pertencenies a urna casa de
familia.
ITOJK.
Ra da Cadeia n. 36.
O agente Pinto far Icilo por conta de urna pes-
I soa que se retirou dest provincia de todos os mo-
i veis cima descriptos, existentes no armazem da
roa da Cadeia n. 36.
Principiar as 10 horas.
N. 1486 dous quartos com 6.0003080
N. 798 um meio com 1:4003000
E outras muitas de 2003, 1003, 403 203 e 103- i achara com quem tratar
Os possuidores poden vr receber sem os des.
Aluga-sc no Mjnteiro para i>a<-ar
a primeira casa da esquina .lo nascente, mua '
fresca, da ra do Xto, com commodo para aa-
do familia : os pretendemos p,Je se dirifir **>
Srs. Andrade & Reg ou mesmo ao Mjuleiro
qu-
liEflilO
DE
569 saceos de assacar
O agente Olympio vender em leilao no dia 11
do corrente ao meio dia em ponto no armazem do
Illm. Sr. baro do LivrameRto no raes d'Apollo
por ordem do Sr. capilao E. liecker, do navio
hamburguez Adelbert, com autorisacae do Illm.
Sr. inspector da alfandega e em presenca do Sr.
cnsul de Hamburg ,f69 saceos de assucar mas-
cavado, avariado d'agua salgada, na occasio
quando o dito navio encaihou na sua sahida deste
porto para o de Liverpool.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
_ os
cornos das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da primeira parte da
primeira lotera a beneficio da matriz de Goianna,
que se extrahiri no dia 12 de novembro.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 12300C
Meios......... G3000
Quartos........ 33000
Para as pessoas que comprarem
de 1003 para cima.
Bilhetes........ \ ijooo
Meios......... {o
Quartos......, 23750
Manoel Martins Fiuza
Urna mobilia de Jacaranda, 1 armnico, 1 relogio
Dos portos do sul esnrado 1parede'.uma mJachi"a Para lavar roupa, 2 coo-
aiodialidocorreai^Io? SSTSX de ^ e 6Spelhos' ricos *M>
Cruzeiro do Sul, comL^.^Z^t^^MT^^^^^
te Alcanforado, o qual depois L25S' f!,,m ,ngl".e d,1 Para corridas, can-
da demora do eostume seguir 5 f*2 france" de Jacaranda, ditas
6 ue 'erro, 1 excellente mesa para advogado, com-
modas, mesas, cadeiras, mochos, mesas com pe-
dias, 2 pecas de esteiras para forro de sala, louca,
para os purtos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
-^'fi?^^#*s.sswsp|^fgasK*
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de Au-
lonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
36.
11
es-:
COMPMHIA
DAS
MESSACERIES IIPERIILFS
At o dia
do corrente
pera-seda Euro-
pa o vapor fran-
cez Navmre, que
depois da demo-
ra do eostume
seguir para a
Baha e Rio de
Janeiro.
Para frotes, rondiccoes "e passagens Irata-se
agencia rna do Trapiche n. 9. /
Sexta-feira 11 de novembro as 10 ho-
ras pin poni.
O agente Pinto far leilao por conta de um es-
trangeiro que muda de residencia, de todos os ob-
jectos cima descriptos, no dia e hora cima dito,
no armazem do sobrado da rna da Cadaia n. 36.
ama
JLE1JLAO
Da
casa terrea em chaos
na
POMPANHIA BRASILETA
Aggravante a f:\zenda provincial ; aggravadoe1
Dr. Antonio Agripino Xavier do Brito, do Rio For- j
moso.
Exequente Bonto Jos da Costa ; executados os ,-,
aradores da massa fallida de Andrade 4j PAQUETES A VAPOR.
proprws.
BOeJE
Sexta-feira i 1 do corrente as 11 horas em
ponto, no armazem da ra do Vigario
numero 10.
0 cirurgiHo Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o achanto como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pre-
fissao, chamado por escripta
Faino da casa do abaxo assgraado S E
enponho Bolo, districu de Sanio Antae. una es-
crava crioula de nome Joanna, com os .igaan se-
ROlntes ; altuja regular, ro 40 annos, cem falu de denles na fraila, maito re
grista, usa de roupa preta com o titulo de fura
quem a pegar sera penerofainenie papo levaad a
ao pateo da Ribeira n. 13.
._____________Manoel Antonio Soares.
Couapanbia le nesurm aaarUI
moa rnildade Pnhllca.
A direccao convida ao> Srs. aceionisUs para s
reun.remcm asseml.la geral no escritorio avu
companhia no dia 15 do corrente ao nVio da, em
conrorm.dade da primeira parte doart. H de* es-
tatutos. Recife, 10 de novembro de M
Os direct
reliriano JaaJ Gomes.
___________Domingos Rodrigues de Aadrade.
fcli'SS*^8 iflS* "*e iuar,') 'i
da easa da ra da Cadeia n. 4: a tratar ao
zem do mesmi\
Aluga-sc um sillo n. nos Remedios defroa-
le da igreja, com g-ande ca*a a ocheira a tratar
na ra da Cadeia n. 4.
;<*<<
'

DE
EjIABICSES.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra precisa comprar o seguinie :
Para os educandos artfices na cidade do afa-
naos.
1 ophecleid de d.
1 dito'de sib.
1 clavcor em mib.
1 dito de sib.
2 pistons em sib.
2 trompas a pistons.
Saxoforo.
2 clarineos em sib.
4 tringulos.
2 flautas em r, de cinco chaves.
6 pares de pelle para bombo.
Para o arsenal de guerra.
2 lences de ferro de 1/8 de grossura.
2 ditos de dito de 1/2 dito de dito.
20 quintaes de ferro ingler em barra do 11/2
pollegada e 3/8 de grossura.
8 ditos de ferro redondo de 3/8 de grossura.
8 ditos dito de 1/2 pollegadas.
1 dito dito de 2/8.
5 arrobas prego* francezes de 2 pollogadas a 2
e meia.
As pessoas que quizerem vender taes arligos
apresentem suas propostas em carta fechada na
secretara do conselho administrativo s 10 horas
do dia 14 do corrente.
Sala das sessoee do conselho administrativo pa-
ra fornecimento do arsenal de guerra, 7 de no-
vembro de 1864.
Antonio Pedro de S Barrete
Coronel presidente.
Sebastiao Jos B. Pyirho.
Vogal secretario.
Arsenal de marlnha.
O arseual de marinha contrata carapinas, ser-
reates e remadores para o servico das obra e do
arsenal.
Inspeccao do arsenal de ma inha de Pernambu-
co 7 de novembro de 1864.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
O Illm. Sr. inspeetor da thesouraria provm
cial, em cumprimeulo da resolugo da junta da
azenda, manda faier publico, que no dia 7 de
dezembro prximo vindouro, peranie a mesma
junta se lia de arrematar a quem por menos fizer
o cpsteio da illumioaco publicada cidade de Goi-
anna, avahado cada um lampio em 291 rs. por
dia.
A arrematacao ser feita por lempo de um an-
no, a eonlar do Io de Janeiro a 31 de dezembro de
1863.
As pessoas que se proposerem a essa arrema-
tacao comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar
pele jornal.
!>ecrelaria da thesouraria provincial de Pernara-
huco 9 de novembro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Fel mspeeco da alfandega se" Taz publico
que no da 11 do corrente mez, a uma hora da
tara*, aporta da mesma alfandega se ha de arre-
mattr Une de direitos ao arrematante, tres e
meia libra de folhas de musgo ou herva semelhan-
te, abandonados aos re>pectivos direitos por Jo-
Marceltino da Rosa, cuja mercadoria foi avahada
Qaarta secgao da alfandega de Pernambuco, 9
de norembro de 1864.
03 escripturario
.Manoel Gomes de S.
Leal.
Aggravados os curadores tiscaes da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C.; aggravados os
administradores da massa fallida de|Siqueira & Pe-
reira.
A. Jos Joaquim Barbosa da Silva; R. Antonio
Jos Alv.s de Brito.
AA. Os administradores da massa fallida de Lima
& Martins ; R Antonio Augusto Maciel.
A. Almeida & Burgos; B. Joao Rufino Fer-
reira.
PRECISASE
De uma preta que saina comprar, cosiaaar e
engommar para uma casa de pequea r.imilia e
paga se liem : a tratar na ra da (adeia do Ite-
cife n. 19, primeiro andar.
Segundo e ultimo dividendo
J. K-ller & C. administradores da massa fallid'
de Martinho de Oliveira Borges antomados pelo
Illm. -r. Dr. juiz especial do commerno pacata o
segundo e ultimo dividendo aos respectivos ere-
dores.
AHITA ATENO

a c o 3 :r. r-W O B v" -1 -c B -i a a. rr 3 1- -. ---= s -m B | > -i -r
i 5- O a c a -> i a> c a. - e 1 v. 3 3! -1 a
B a a. *-y.
O '~ os -I c 1

SAHIO A LUZ
vender em leilao uma casa terrea em chaos pro-
prios, sita na ra da matriz da Boa-Vista n. 36
E'esperado dos portos do norte i To/fLT^r^"31 le,m \ palm0S de frenta
at o da 18 do corrente o vaor! i" \ 2 8randes **h qoarlos, cosinha
! fora, quintal murado e cacimba propria, teudo 2
Apa, commandante Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do eostume seguir para
sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encorn-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
Aviso aos senhores e spnhoras
Avso aos senhores o senhoras
I Aviso aos senhores e senhoras
| Aviso aos senhores e senhoras
! Aviso aos senhores e senhoras
! Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
.. horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
y^irKB.T^Wd; RR-AD,0D0JS ******liveirarevedo% C.
A. Joaquim Pinto de Barros, cessionario de Ma-
noel Antonio Ribeiro; RR. o mesmo cessionario e
outro.
Aggravante Manoel Anlonio Supardo; aggrava-
do o juizo de Macei.
AA. Mello Loho &C. R. Jos Moura Pontes.
Aggravanie Francisco da Silva Cardoso ; aggra-
vado Joao Agostinho de S Pereira.
O secretario.
Julio Guimaraes.
Pela mesma secretaria sao cont dados os abai-
portos e 1 janella de frente e 2 grandes claros aon-
de se pode abrir algumas janellas. Os pretenden-
tes podem examina-la desde j ou enlender-se com
o rererido agente Olympio em seu armazem ra
do Vigario n. 10.
,X
DE
Aviso aos senhores c senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras.
Novo sertimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
i De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
E ESTA A VENDA HA I.1VRARIA
RlA ESTRBITA
DO
o Rosario, .i.
DE
Sr. Gualdo
12 m
PANUDAS DOHRADAS
Olfcrfridas
A' Associaco C'ommerrial I
nefleente
0
DE
O
PARA
Para
E esperada do Rio de Janeiro em poucos dias a
galera Minadlo, e depois de pouca demora ueste i de )graD univpr,a,
porto seguir para o Para, para onde recebe carga I
xo mencionados, a vi rem satisfazer os despachos a fr.ete coinmod : quem quizer carregar, pode en-
proferidos pelo meritissimo tribunal em'seus reque- '' tender-se com os con.Mgnatanos Palmeira A Bel-
rimentos para que possa estes ter o preciso anda-1lrao'-larg0 Corpo Sat" S Pr""eiro andar.
Para Lisboa.
Sahir com brevidade o patacho portuguez Ma-
na da Gloria, recebe carga fete e passageiros:
.. i'B r,u\mrias e quaaro:
M0VC1S, llVPOS, mappasCOntrOSobjedOS De caixinhas e quadros
A saber j De caixinhas e quadros
1 mobilia de amarello,! piano, 1 candelabro e caixinhas e quadros
caslicaes e mangas, 2 relogios, 1 mesa para jamar'
12 cadeiras, 2 espedios, 2 camas de amarello 2
ditas de ferro, 1 apparelho de louca para jantar, 1
1 dito para cha e outros objeclos de uma casa de fa-
milia.
M.
POR
Fonseca de Medeiroe*.
KH9Nal9
ment.
Joo Esteve Alves, pedindo ser nomeado'correc-
tor da praca de Macei
A companhia Pernambucana de navegajo cos-
teira a vapor, pedindo carta de registro para o va-
por Parahyba.
Andre de Abreu Porto pedindo exoneracao do I .-~.r
termo de responsaljilidade que assignou como pro
prietario do patacho Andr, que vendeu.
Manoel Francisco Marques, pedindo a carta de
registro do patacho Andre quecomprou.
Joao Jos da Silva Villar, pedindo o registro do
seu dlstracto desoeiedade com Jos Moreira da
Silva.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco, 23 de setembro de 1864.
Julio Guimaraes,
Oficia l-maior.
Caixinhas a lSoOO
Caixinhas a loOO
Caixinhas a l'OO
Caixinhas a l."i(H)
Caixinhas a l.'iuo
11 volumes obras completas de Buffon, 8 ditos S3S2& Zl
geograph.a universal, diccionarios de Roquet ginh.s 5eMPnnr4
nglez e francez, traudo darte militar, arte de S por^
manejar, manual do artilheiro, audictor brasileiro
e multas outras obras.
1 agulha de marear, I sextante, muitos e diver-
sos mappas.
Scgunda-felra 14 de novdmbro
O agente Pinto autorisado pelo Sr. Francisco
trata-se com o sen consignatario E. It. Rabello, ra Jos Ferreira, far leilao d.< todos os objeaps a'ci-
fta (.aile.ia n RS porinlnpA ma monn<\nn>4n<, ......i.,......^(... -_ ?_J^
da Cadeia n. 55, escriptorio.
Para o Rio de Janeiro segu com muila bre-
lade o palhabote brasileiro Arthur, recebe car-
' | ga a frete : a tratar no escriptorio de Amorim Ir-
mos, ra da Cruz n. 3.
THEATHO
DE
O brigue escuna Graciosa, vae seguir em poucos
dias ao Para, pode receber algumas miudezas :
consignatario Antonio de Almeida Gomes, na ra
da Cruz n. 23, primeiro andar.
ma mencionados pertencentes ao seu' finado
pai, chefe de divisao Jos Mara Ferreira, e exis-
tentes em casa de sua residencia ra do Brum n
72, primeiro andar, onde se effectuar o leilao"
devendo ter principio as 10 horas em ponto do dia
supradito.
fc
H
fea
DO
o presente
EMPREZA
cpvTt GERMANO 4C0IMBRA.
SEXTA-FEIRA, 11 DENOVEMBRO DE 1864.
Havendo a provincia tomado pane no rigosiio
pela fausta notcia do feliz consorcio de S. A. Im-
perial a serenissima princeza Isabel com S. A.
Real o Sr. condo de Eu, a empreza nao poda ser
indiflerente a um tal successo, que encheu
E. Becker, capito do brigue escuna
hamburguez Aiielberb, legalmente con-
demnado neste porto, precisa fretar um
navio ou tomar lugar em alg m navio, para
! levar parte do carregament do dito navio
Adelbert a saber carga de 669 saceos al-
igodaoe 189 couros seceos salgados deste
I porto para o de Liverpool. Os prelenden-
| les podem dirigir as suas proposlas em
carta fechada ao capitao no consulado de
Hamburgo ra da Cruz n. 4, al o dia 1 i
do corrente ao meio dia._____
Para o Porto.
O brigue portuguez Unido, sahe com muita bre-
vidade por j ter a maior parte de seu rarrega-
. de ju-; ment prompto, e para o resto que ainda falta tra-
bilo a nacao inteiro, e tanto mais quando o theatro ta-se com o consignatario Jo Joaauim I ima Hai
em que funeciona, possue o nome de S. A. Impe-
rial, que o adoplou desde 1850, como sua augusta
protectora.
A empreza, pois, levada pelos sentimentos de
eBthusiasmo em festejo a tao grandioso motivo, of-
ferece ao publico, no dia cima designado um es-
18.
rao, a rna da Cruz n.
Para o Hio de Janeiro
esperado em poucos dias o brigue nacional
Almirante, o qual j tem parte de sua carga enga-
jada para o resto que I he falu
plendido espectculo, cujo producto ser entregue "" para resl 1ue ine Ialu e es"avos a fre-
aoExm. Sr. presidente da provincia para que se I,e' para os W*68 lem excellentes commodos, trata-
I se com os seus consignatarios Antonio Lab de Oli-
no seu escriptorio ra da
s 11 horas
Associacao
Caixinhas de 5& por i-3
Caixinhas de ->3 por 45
Receberam-se 10 mil caixas
Receberamse 10 mil caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Receberamse 10 mil caixas
| Receberam-se 10 mil caixas
Carloes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartees de visita
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A galena est renovada
A galera est renovada
A galera est renovada
A galera est renovada
A galera esta renovada
Com ricos cortinados
Com ricos cortinados
Com ricos cortinados
Com ricos cortinados
Com ricos coriinados
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na roa da Cruz n. 53,
Io c 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profia-
so medica, e com especialidad
sobre a seguinte
Io molestias
9
e tapetes
e tapetes
e tapetes
e tapetes
e tapetes
Brigac escuna cAdelherh. e uma lau-
cha e um Inte
Terca-feira lo de novembro
em ponto, na porta da
Commercial.
E. Becker, capitao do brigue escuna hambur-
guez Adelbert, far leilao com aulorisacao do ins- ,
pector da alfandega em presenca de um emprega- Lom ,indas e variadas vislas de fundo
do da mesma reparlico para o fim noraeado com Com lm(,as e variadas vist;,s de fundo
assistenca do cnsul de Hamburgo, por interven- '
Sao do agente Pinto e por conta e risco de quem
pertencer do casco, maslros reaes, ancoras, pan-
nos e mais pertences do referido brigue tal qual
se acba ancorado neste porto, onde encaihou na
sua recente sahida para Liverpool e pelo que foi
legalmente condemnado, assun como uma lancha
e um bote do mesmo navio, os quaes ebjectos se-
rao vendidos s 11 horas do dia cima dito a por-
ta da Associacao Commercial.
Os pretendentes podero desd jexaminarem )
referido navio de conformdade com o inventario
existente em poder do agente encarregado do
leilao.
veira Azevedo & C.,
Cruz n. 1.
Para o Ass
digne de applica-lo ao estabelecimento de caridade
que S. Exc. julgar mais necessitado, e isto em
nome de S. A. Imperial.
ORDEM DO ESPECTCULO.
Uma breve introduccao pela orcheslra, logo que
S. Exc. o Sr. presidente da provincia chegue
tribuna, ser executada come preludio ao
MYMTO WAJriMBmrAT ^ ""apao lo de Janeiro.
rT?7 i"i11 w ? ACM VH MMa Vai sabir com brevidade o brigue nacional tum-
Cantado pela companhia dramtica peranie u'pathia, de primeira classe recebe se car-o lUT
efflgies deS. M. o Imperador o Sr. D. Pedro H, de era vos a frete .]Tratar" cm Manoel u "''
S. A. Imperial o de 8. A. Real n Sr. rnn,i Ao ton a,;. n mL ,AdiaV. S?m Ignacio
5 S. A. Real o Sr. conde de ltoMMTiemwtoCm^tfr
de
Precisa-se de um distribuidor para
este Diario em uma parte do bairru da
Boa-Vista : na praca da Independencia ns. A' ra do Imperador n. 38
Com lindase aadas vislas de fundo
Com lindas e variadas vistas de fuado
Com lidas e variadas vistas de fundo
Casa americana |
Casa americana
Casa americana
('asa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A' ra do Imperador n. 38
! A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
de olhos;
de peilo :
3o dos orgos geni
urinarios.
Em seu escriptorio os doeales sa-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os lias 4 9
6 as 10 da manha, menos nos ate-
mingos.
Praticar toda e qualquer pera-
rao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seos
ft doentes.
mmmmwmmmwmmmi
COXNEf.HO
DE
&
Deixai que os Hunos da eivniaeo vos prefwm
-economapara os p-s 11 E-ta parte do rorpo
humano por certo aquella que, ne.-te clima, me
cessita de mai >r agasalho: pela homidade m m
se niroduz a grandd maioria das mmVsiias, e aoai
estas a perda da saude e da villa .'.'! Fura rum as
botinas e sapalos vdhos ; reforma-Ios
45-Kua Direit-45
Borzeguins francezes para hornera 5A00O
Ditos inglezes dem a 8, 7#e MM*
Hilos para senhora %JSM>
Ditos paia menina 3JSS*
Sapatoes esmaga cobra SJSSa
Ditos de Nantes de duas solas MMtt
Ditos dito de sola e vira aJM
Sapatos de borracha para zahoras IJtoa
Ditos de dila para meninos IJ0SO
Ditos de nete para homens e se-
nhoras a 800 e UM
Sapatos de lustre para senfo ra a UM*
Ditos para casa na)
Chinelas rasas do Porto IJaw
6 ea.
A. W. Osborne.
Calxclro.
segu com muita brevidade o hiate Dous frjfla* Prfci*a-se de cf'xeiro de 14 16 annos,
a tratar com Tasso limaos. mS ?.ae tenna praVc,.a de ,aberna ; na rua da Mad>"e d
Dos n. 5, e d Oador a sua conducta.
A
a lugar.
pessoa que annunciou um mulato para
para o servico interno e externo de casa
de familia, pode manda-lo rua larga do Rosario
n. 28, 2. andar, ou declarar a raoradia para ser
procurado.
Monte Pi Popular Pernambucano.
Por ordem da directora convido aos Srs. socios
a comparecerem na casa das sessoes as 10 horas
da manha do dia 13 do corrente, a Om de se
reunir assembla geral para a posse da nova
dirercao.
Secretaria do Monte Pi Popular Pernambucano,
6 do novembro de 1864.
Bernardo Falcao de Souza,
1 secretario.
Maques aobre Portugal
O alialxo assignado, autorizado pela
Banco Mercantil Portuense. e aa aowacia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fe'tivnmcnte por lodos os paquetes obra
as pracas da Lisboa e Porto, e atis laga-
res do reino, por qualquer somma a vis-
ta, e a praso ; podendo, os que tnmirwa
saques a praso.receberem avista, ao i_
ni'> Banco, descontando 4 OjO ao anuo:
leja de rli..|>ous da ruado Crespo a. 6 oa
na ma do Imperador n. 63, sapai
dar.Jos Joaquim da Costa
.

MUTILADO



DUrlo de Perntivkaf e\t* felfa ti de Yovemforo ie lSS.
J
COMPENDIO DOLOROSO
que cootem o officio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a ce-
rda, um setenario e raais outros exercicios
de piedade e devoco; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que ae acha erecta aa egreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres raisslonarios apostlicos capu-
cbinhos italianos de Pernambuco, approra-
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devoro do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messioa.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia________^__
Piibltcaco Iliteraria.
Sahio luz o opsculo intitulado
LIBERDADi:
POR
Affonso de Albuquerque Mello
Convidani-se os assignantes a mandarem receber
seus exemplares na praca da Independencia ns. 6
e 8, que serao entregues vista dos recibos das as-
signaturas ; ahi tambem estao exposlos venda a
34000 cada un. Sao sob os seguintes ttulos as
materias de que se ore upa:
Introdcelo. Nocaoda liberdade.0 Brasil co-
lonia. Revolucao de 1817A Independencia.A
THE
CEARA' (NORTH BRASIL) WATER COMPANY,
LItliTED
INCORPORADA SOB A LE DE ASSOCIAQOES KiTA DE 48*2.
Typographia Liberal.
O seohores que furem credores da typographia
Liberal queiram apresentar seus ttulos, de quat-
quer especie, ao Sr. Leodegano Antonio de Olivei-
ra, na mesma typographia, rea das Flores a. 3.
Precisa-se de urna prela, que de .manhaa
venda verduras, e de tarde bolinhos : na ra do
Cotovello n. 25.
Capital Ib st 60,000, em 6,00 ac^es de Ib st. 10 cada urna.
Depositando 10 s. por cada aceo pedida e lib. st. 1 e 10 s. quando forera distribuidas.
As seguintes chamadas nao excedero a lib. st. 2, cada urna, era poderaoser tete coa nter-
vallo menor de tres mezes.
Juros de 6 % ao anno pagaveis aos accionistas at a conclusao da obra.
Alogam-se baratas urnas meias aguas na
entrada dos portos da travessa das Barreiras,
bairro da Boa-vista : a tratar ua ra do Cutovel-
Precisa-se alugar
znhar e ongommar :
a. 41.
--
um.i preta que salba co-
na ra da Palma, taberna
Metropolitana de Se-
Dlrectoreo.
WILLIAM FRAACIS DOBSO.V Esq. Bearsted House, near Matdstone, (presidente) director da compa-
nhia das Docas e armazens, de West London.
JOHN CLARK, Esq. 3, Dunster Court Mincing Lae.
JAMES DAWSON, Esq. 2, Biliter Square, London, director da companhia
guros.
THOMAS GEORGE FARDELL, Esq. 6, Montagu Place, Montagu Square.
WILLIAM JESSE, Esq. Masonelte. Ingatestone, Essex.
JOHN WILLIAM STUDART, Esq. V. cnsul de S. M. Britannica, no Cear.
AUGL'STUS WEHNER, Km. Lime Stree, director do banco Europeu : Limitado.
enge.nheiro ALFRED THOMAS COOK, Esq. 3, Brdge Street, Westminster.
soLLiciTADOiiES MESSRS. W. H. P. SHARP, 92 Gresham House.
bakql'eiros O BANCO, EUROPEU, LIMITADO, 83, King William Street. E. C. e seus r iliaes no |
Continente.
correctores MESSRS A. & W RICARDO, 11 ngel Court Throgmorton. Street.
escriptomo 3, DUNSTER COURT, Mincing Lae.
O porto e cidade do Cear a sede do govemo da rica provincia ou capitana do Leara gran-
lat. 3 41' e 10" S. e Lonc. 38 2'J' Oeste de Grenw, o Ceara
O abaixo assignado como tem de se retirar
para Eurapa a tratar de sua saiide, vende o seu
deposito no largo do Carmo n. 5 : a tratar no
mesmo.Jos Antunes de Azevedo.
mm ummm mm mmmmm
i ompauhia fldelldade de
segaros martimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEFNAMBUCO
Antonio Lniz de Olive ira Azevedo & (".,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
n .1.
ROUPA
A 1191 A 2H9f
DS

MTOft fc ^ w***
M-
-ac
de ao norte do Brasil, e est situada em lat. 3." 41' e 10" S. e Long.
rodeado por nm terreno arenoso, e sem exagerar, na maior parte do anno o clima pode ser conside-
rado secco. Sendo a capital de una provincia florescente o lugar de uincommercio que vai crescendo
LETRMRO V3RBH.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de ronpa feita de
todas as qualidades, tainbem se manda fazer por medida, vontade dos conror-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambrm tem tos
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senboras,
horneas e meninos.
Casacas de panno preto, 350 e 305000 Dit0* de setim preto. .
Sobrecasacas idera, 304 e 25^000 Ditos de ditos e seda branco,
Paletos idem e de cores, 250, <>,5 e.......
Ao amanhecer do da 20 de outubro do
rente anno de 1864, furtaram do cercado do
da dos livres. A regencia" corcunda.Causa dos
males da regencia livre.-Regencia corcunda e
maioridade.Principios do reinado de D. Pedro.
Revolta de Minas e S. Paulo.Dominio da Praia
Luzla.O dominio liberal nao inquielava os cor-
cundas.Fei tos do dominio liberal.A praia eChi-
chorrosenatoria.A revolta e a revolucao de
1848 A constituinte.A constituinte.Derrota
da revolucao. Negociadlo de Honorio com os libe-
raos : traidores. Venda da bandeira da cons-
tituinte. O partido liberal durante osquntorze an-
uo* do chamado ostracismo.-Os corcundas e os
liberaos durante os quatorze annos.Captiveiro re-
signado e voluntario dos liberaes durante os qua-
torze annos. 0 povo corcunda, ou os vermelhos c
os sabios.A situacao propriamentc poltica.In-
tituicocs livres, c direitos polticos que tivemos
at o fin da regencia livre, e o que actualmente
temos em lugar delles.Os representantes da na-
ci e das provincias.Situacao administrativa.
O que sao nella os Portuguezes. Como o gover-
no obrigado a corromper o paiz e a fazer-lhe
sempre maior mal.Como se multiplica e se paga
a clientella do govemo para sustentar-se o impe-
rio corcunda.O procnsul.O proconsuj _da co-
marca. Hos cargos, dos crinics e da punigao.A
justica.Juizes municipaes.Juizes de direito.
Tribnaes.Os das Relacoes.Tribnnaes do Com-
merco.Supremo Tribunal de Justica.O jury.
Os advogados.Conclusao. Garanta dos direitos.
A moral publica.Dos enmes.As eleicoes.
Corollario da obra saquarenia.-0 que a pa-
rta. Situacao para com o exterior. Situacao
flnanceira.As (nangas do estado.-A miseria.
Perigo e salvamento dos corcundas.A liga.
Como se congregam os elementos para ella.Con-
siderares retrospectivas. A constituinte. Prepa-
ros antecedentes.Concihagao e opposiciio parla-
mentar.Monta a liga.O que sao os liberaes na
liga.Que bem (ario os liberaes ao paiz.O pro-
gresso.Seus fetos.0 que 6 o progresso e que
ar.Como se (leve vi ver nesta trra echegada
ao progresso.Porque o progresso s vera com-
pletar nossas desgracas e sem mais remedio.Se
ha salvarao para nos qual seria o meio e bem fa-
cil.-Resumo. A's cinco provincias pernambuca-
nas. Histrico e poltica corcunda. De que pro-
vm a miseria. Como se corrompe na eleigao.A
restrico da liberdade apar do progresso da immo-
ralidade. Corollario.
esas* -^S
JoSo da Silva Ramos, medico pela Lni
versdade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentcs
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
11 quer occasifio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado^ diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodss apropriados e nella pra-
tica qualquer operagao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000diarios.
Segunda dita.... 2-5500 >
Terceira dita.... 2,5006
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servigos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianga de que sem-
pre tem gozado.
cor.
en-
rpidamente ; e a residencia de um crescido numero de pessoas abastadas, pelas quaes ha muito lempo ^ ge")"A"Mea/d"a fregue'zia "do Rio Fonnoso um
sentida a falta de agua potavel. I quarlo de carga do mesmo engenho, o qual
A capital e seu termo, contm mais de 30,000 habitantes, como consta dos ltimos relatnos, ruQa pomb0i grandei caslrado> n5o n9V0> tem no
do govemo provincial. olho esquerdo urna belide, c pouco ou nada v
A agua supprida pelas chovas bem raras, e pelas cacimbas, cuja agua em consequeucia ae pdo dj,0 o||)0) lfm um ra|lo ve,no no espnha?0)
".'.........I lugar em que leve urna bexiga, levou o topete cor-
tado rente, carrega baixo, e tem eslampado no
constituinteAconstluijoA revolugao de 1824.,
A expulsao ou abdicagao. A regencia livre. O drainagens "uUracacTdo mar,' etcf, no"verdadeiro' s'ent'idorda palavra n .
partido regressisla.Ameaga dos corcundas e que- Em uma distancia rasoavel da cidade acham-se na propriedade do Sr. Jos Paulino Hoonholtz
denominadaBem-ficaum grande numero deolhos d'agua e diversas cacimbas as quaes durante o ladodireit da anca o ferro do engenho em lettras
tempo mais secco se tem conservado com agua. maiusculas comoaqui se v A LD E A. Adver-
A agua destas cacimbas reconhecida por todos ser a melhor; e nao obstante a distancia na ,e.se cidade, e grande despeza com o transporte, tem sido consumida por aquellas pessoas quo podem man- cados npm ven(ijd0Si e os ()Ue forem encontrados
da-la buscar. .... ... ... som ser servico do mesmo engenho sao furia-
Desejoso de remediar a grande falta d'agua de boa qualidade, o govemo provincial concedeu
a Jos Paulino Hoonholtz. uma concessao com previlegio exclusivo por cincoenta annos para suppnr a
cidade com agua potavel ao prego de 20 ris por caneco de tres e meiacaadas vendidos nos cliararizes, ^
e de 40 res conduzides s casas, sendo este prego o mesmo que adoptado por outras companlnas de va||0S sejaQJ appre|ien(]idus e remettidos ao admi-
20^,15)Je......10,5000
Ditos de casemira, 20^, 150,
12& 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 305001
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50,40e : 30500;
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linho, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
dSo, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......70000
35000
40000
dos,.e devem ser apprehendidos; porlanto roga-
se s autoridades policiaes, e mesmo qualquer;
pessoa do povo, que sendo encontrado* ditos ca-
agua no imperio do Brasil.
A Cear (North Brasil) Water Companv, Limited nao tera competidores e o govemo provin-
cial concedeu mais o direito de supprir s repartigoes publicas, quarteis, fabricas, e casas particulares,
etc., por meio de penna d'agua. _, ,. .. j
Para levar a efleto esta concessao a Cear (North Brasil) Water Companv, Limited, acaba de
ser definitivamente incorporada na praga de Londres. .
O concessionario tem depositado em poder da companhia as necessanas transferencias do
previlegio, e mais documentos, sendo: -.
O livre dominio do terreno que comprehende as cacimbas e olhos d agua, e assim mais o que
fr necessario para as obras dos reservatorios, galeras, etc. .....
A indemnisaco para o concessionario sera de 1,000 aegoes de lib. st. 10, cada uma, ratera-
mente pagas, percebendo juros durante a construego, e dividendo pan passu como as mais aegoes
pagas, porm nao p*odero ser transferidas autesda conclu>ao da obra. /,i
O contrato para a construeco da obra j esta elTectuado por uma quanlia fixada (da qual o
ceniratadorobrigou-se a receber lo"/ em aegoes da companhia) indurado todas as despezas prelimi-
nares at a incorporaco da companhia. .__.
O engenheiroda companhia em seu regresso do Ceara deu seu parecer da maneira mais fe-
voravel a respeito da quantidade e qualidade d'agua, e do rendiraento; e que na conslrucgao da obra
nao havera difficuldade alguma. -... ......r
O contrato official entre o governo e o concessionario, e mais documentos para transferen-
cia, ect., legalisados pelo tabelliao publico, poderaj ser examinados pelos accionistas no escriptorio da
compan na^^ ^ ^ accionistas o jaro a razo de 6 o/, ao anno, durante a construegao das
obras.
Para obter aegoes (das quaes uma diminuta quantidade est reservada para as pessoas que
deseiam acedes no Brasilf as pretendentes nesta provincia poderao entenderse com o hr. beorge
Patchet, corrector geral, praga do Corpo Santo ou com o Sr. John J. Foster, engenheiro dos contratado-
res, ao hotel de Europa, ra do Trapiche n. 12.
CONSULTORIO MEBHMMJRGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra .da Gloria, casa do Fundao
3
nistrador daquelle engenho ou ao abaiso assigna-
do proprietario do mesmo engenho, que reside na
cidade do liedle, ra do Hospicio n. 50. Cidade
do Recife, 26 de outubro de 1864.Caetano los
da Mlva Santiago._________________________|
O dono da antiga fabrica de charutos e ci-.
garros, sita na es^uiua da ra de Hurlas n. 1, ten-
3o feito reduegao nos prpgos de suas mercadorias,'.
convida aos seus freguezes a virem honrar seu es-
tabelecimento com devida prolecgo de que carece
por se achar com um variado sortimento de cigar-
ros e charutos linos dos autores mais acreditados
da Bahia, cachimbos, fumo para os ditos, fumi em
folha, fumo americano, dito dito em latas, e diver-
sos arligos para os fumantes, em quanto a quali-
dade o prego garame-se nao prejudicar os fre-
guezes.
HHCBucu iMbWSC i4lW IVMlt sl&w'5t T*
1 DENTISTA DE PABIS
19Ra Nova-19
Frcderiro Gautier, cirurgiao dentista,
g| faz todas as operagoes de sua arte, e col-
BB loca dentes artificiaes, tudo com superio-
I ridade e perfeigao, que as pessoas enten-
lhe reconliecem.
Tem agua e pos denuncio.
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 6.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto c de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40 e........
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
Colletes de fustao e brim brac-
eo, 30500, 30 e .
Seroulas de brim de liuho,
20400 e ......
Ditas de algodo, 10600 c. .
Camisas de peilos de linho.
40, 30 e......
Ditas de madapolo, 20500,
20 e........
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. .
Ditos defltro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda, 120.
110, 70 e......
Coliarinhos de linho fino, ul-
40000 j ma modaduzia. .
1 Sortimento completo de grava-
20500 tas.
20500 Toallias para rosto, dnzia, 110.
e........
70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
40000 tos e de cores.....
Lences de bramante de linho.
30500 Cobertas de chita chineza.. .
70000
40000
50OO#j
2*50
20*00
10400
20500
106*0
80500
-20OtO
60*v>
60000
60000
v*_*,y
PRIMEIRA E ANTIGA CASA FELIZ.
PORTU^
PSITO.
Ra das Flores, ns. 1 e 3 (juulo igreja da Misericordia.
('asa para lugar na ra d Crespo.
Alugase a principiar em Io de Janeiro prximo
futuro o sobrado de tres andares da ra do Crespo |
n. 9 : quem pretender, dirija-se ao esiabelecimen-'
to da I aja do mesmo sobrado, ou no de n. 13 da
mesma na.
mMmM ffl mrf&mmm*Ji im i
O bacharel
Francisco Aumislo da Costa S
Fugio no da 22 de setembro ultimo, do en-
' genho Santos Mendes, na comarca de Nazareth,
o crioulo Antao. baixo, grosso, bem preto, de olhos
grandes, com 22 annos de idade, pertenceu ao
casal do finada Fortnalo Philadelpho Camello
Pessoa, morador que fo no engenho Albuquerque,
e foi arrematado pelo annunciante na praga pu-
blica do juizo de orpho da comarca de Nazareth,
este escravo pertenceu outr'ora aos Srs. Gouveia
A Leite. negociantes na cidade do Becife, que o
.venderam aodito Fo tunato. Presume-se ter sido
elle seduzido por alguem, e por Isso o annunciau-
te protesta proceder, criminalmente contra quem o
asilar e a haver das de servigo ; quera appretien-
der o referido escravo, e apresentar no engenho
Santos Mendes ao annunciante, ou na cidade do
Becife aos Srs. Manoel Ignacio d'Olveira & Filho,
ser generosamente recompensado.
Laurentino Gomes da C. Pereira BeltrSo.
ATO0,
Furtaram ou desencaminhou-se da ra do Cres-
po, defroote da loja do Sr. Andrade, um cavallo
russo pedrez, cabega bem feita, tendo o p esquer-
4o e a mi branca, e tendo o p detrax lascado.
l)esencamiohou-se encaonado, promplo, tal
qual veio do serlao eom la : quem delle der noti-
cia ser bem recompensado, na ra do Quemado
o. 7.__________________________________
Crene
corvele de crerae hoje ao meis dia : na ra do
Trapiche n. 18.__________________________
Jo^ Loirengo Gongalves Barreira, subdito
portnguez, retirase destaprovincia.___________
OsTbaixo assignado avisam aos seus ami-
bos e freguezes que mudaran) o seu estabeleci-
mento da Travata para o restaurant do corropio
na ra do Rosario estreita n. 11, priraeiro andar,
onde encontrarlo bom sorvete em copos grandes a
240 rs., caf, servej etc., etc., e charutos das me-
jores qualidades quo ha no mercado.
Costa & Mello.
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
horas da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos das santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir. m
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 10' 00.
Sende para cima do 12, custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
M YltOS.
A melbor obra da homeopathia, e Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jabr,
dons grandes volumes cem diccionario............ ?2SS
Medicina domestica do Dr. Bering,........... SESn
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. ofnnn
Diccionario de termos de medicina ...,..., 30000
Os remedies deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensara portan-
to de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem asar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparaco, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se sufificientemente habilitado.
0 tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo concetto se nao
pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operaces sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujetar aos precos
azoaveis que costuma pedir o annunciante.
GRANDE L0TEK1. OE 11SP\M14.
CUJA EXTRACCAO TERA' LUGAR NO DIA 23 DE DEZEMBRO DE
IN64.
PREMIOS
ADV6GADO
Ra do Imperador
m
numero 69.
Fes/a
Aluga se um pequeo sitio vsinho ao do Sr.
Joao Alves Machado em Sanl'Anna, uYa prto do
banho, e o lugar 6 bastantemente saudavel: tra-
ta-se na casa de banho da ra da Cruz n. 17.
Precisa-so de uma ama para casa de pouca
familia, nreferese forra : na ra da Cruz do Be-
cife n. o9. _____
Precisa-se de uma ama que eoznhe e com-1
pre, para urna casa de pouca familia : na ra de
Borlas n. 130.____________________________
Aluga-se uma ama que saiba bem cozinhar e
de boa conducta, preferindo-se escrava : na ra
estreita doBosario n. 32, primeiro andar.
(ocfejade recreativa \ovaf
Unto.
Por deliberagao da actual dirertoria eJ
I de conformidad*aun o art. 2t capitulo ]
i 12 d >s no-sos estatuios aviso a todos os i
J Srs. socios a comparecerem domingo 13 .
5 do corrate mez, as 10 horas do da na i
I casa desta sociedad* para em assembla jj
- geral elegerem a nova directora que tem *
I de funecimar de novembro a maio futu- ]
i ro. Sala da sociedaile recreativa Nova j
I Uniio em Pernambuco 9 de novembro j
I Je 1864. O secretario. Marlins Falcato.
...ri
2 de 20.U0 pesos fortes.....................
8 de 10.000 ditos...........................
15 de 5.000 ditos............................
30 de 2 000 ditos...........................
106 de 1.000 ditos...........................
2 100 de 500 ditos...........................
99 aproximares de 400 pesos cada uma, para
os 99 nmeros restantes da centena que oble-
nha o premio de 300.000...................
ditas de 300 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que obtenha o premio
de 100.000...............................
ditas de 200 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que obtenha o premio
de 50.000................................
2.999 reintegros de 100 pesos para os 2.999 nmeros
cuja terminagao seja igual do que obtenha o
premio de 300.000....................
5.560 premios em 30.000 bi Hieles................
09
99
Htsos mm
.'(00:000
400:000
50:000
40:000
80:000
75:000
60:000
106:000
1.050:000
39:600
29:7.0
19:800
299:900
1IOEDA POBTllil E1A
ou Ks. 270 00*4000
90 0005000
V. IMHIJIMH
::ii ''CIM
72:000OO
67 :im.#wo
:>i iHK5rti
y.ViooAflOO
9i5:OOi JO
Xr.MWm
s$.7/tm
17:820J
269:91040000
2.S5":Oi
205O.000O
Bilhetes inteiros.
Meios bilhetes...
PBEC.OS EM MOEHA FOBTE.
a 108001 || Quintos de bilhetes.
a 540000 || Decimos..........
2l-5>t
104800
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
lima fianpa em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garaete a boa ad-
ministrarao da companhia.
BANQUEIBOS DA COMPANHIA DJBBCGAO GERAL
O Banco de Hespanha | Madrid: Riia do Prado n. IO
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinaeoes de sopervireiwii dos seguros
sobre a vida. .... L .
Nella pdee tazer asubscnpQao de maneira que em nenhum caso mesmo .por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao suprehendentes os resultados que produzera as sociedades da ndole deA NACI'
NAL,que anda mesmo dimlnuindo uma terca parte de mteresse produzido em recentes liquidaeSes,
e combinando-o cora a raortalidade da tabella do Depareieux que e adoptada peia companhia par* JJ
Alnga-se um primeiro andar na ra da Pe-
nba e as tojas, proprias para negocio : a tratar no
mesmo.________________________________
Pivcisa-se de uma ama :na ra Velha n. 46
Manosl Garrido declara ao respeitavel pu- .
blco, principalmente ao corpo do comraercio, que Desembargador Joo Pereira da Costa Motta
nunca ful caixelro de Angelo Romeo Pinlieiro, Dr. Aprigio Justiniano da Silva (luimaraes.
JOS IGNACIO FERREIRA RORIZ,
COM LOJA DE CAMBIO E BILHETES DE LOTERAS.
A Raneado no governo civil do Porto, em conformidade do edital
de 28 dejiinho de 1860.
Satisfaz com promptidao todas as encommendas que Ihe sejam fetas, mesmo era
grande quantidade e pelos precos cima indicados, vindo acompanbadas do seu importe:
no flm da extraeco remette a lista dos premios.
Para infrmaces, e pedidos no escriptorio da ra da Cruz, n. 19.
para direceo do Club Pernarnucano
sim seu socio, como pro va re pelos tribnaes.
Aluga-se uma casa terrea recentemente edi-
ficada, com duas salas espacosas, tres quartos
grande-:, cozinha e quintal murado, em Santo
Amaro, na estrada de Oliuda : a tratar na casa
contigua, passando a do r. Gomes do Correio.
Aluga-se ou vende-se ama casa terrea, em
muito bom estado, sita na ra da Mangueira da
Boa-Vista : a tratar na ra do Livramento u. 39,
ou em Olinda com o prometor publico. _______
' i Joo Pedro Vogeley retira-se par a Europa
o tratar de sua saude.______________________
OBerece-se nma ama para cosinhar e engom-
iar : na ra da Penha n. 55.
Offetece-se para ser ama uma senhora por-
tugneza para o servico de casa de homem solteiro --------------------------------------- _._
sendo qne esta senhora afflanca a sua conducta : seus ca[cu|os e liquidacoes, em segurados da idade de 3 a 19 annos, urna tiuporsigao aonuai le 100
A pessoa que annunciou precisar fallar com
a vinva de Francisco Jos Tavares, afm de fazer
entrega de uma encommenda, podedirigir-se a ra
do Hospicio n. 78, aula do sexo femioino, que ahi
encontrar a mesma senhora.
Precisa-se de um caixeiro que j tenha al-
guma pralica de botica, e que seja de boa conduc-
ta ; a fallar na ra larga do Roserio, botica n. 34.
Precisa se saber a residencia da Sra. viuva
de Francisco Jos Tavares, que anda ha pouco mo-
ra va na ra de Cotovello n. 16, alim de Uie ser en-
tregue uma encommenda.___________________
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, corapram-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz quaiquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert._______
Precisa-se alagar uma escrava que saiba eo-
zinhar, ongommar e vender na ra, sendo de boa
conducta, paga-se bem : na ra das Cruzes b. 36,
primeiro andar. ^^______^^_^_^__
quem a pretender dirija-se a roa das Larangeiras
0.23.___________________________________
Manoel Francisco Coelho agradece mu cor-
lialmeotea todas as pessoa, que 96 9rviram do
a*er o obxequio piedoso de asuislir as ezequlas,
de Santa Rita de Cassia, e acompanharam ao ce-
iterio desta cidade, os restos morlaes de sua
presadissima comadre D. Auna Joaquiaa Claudia.
Padilba.
produz em cffectivo metlico
No flm de 8 annos.
. de 10 .
.dlo -
de 0 .
de 15
1:1194300
3:9484600
11:2084200
30:2564000
80:3314000
Precisase de umcaliceir.) de 14 a 15 auuos
para taberna ; trata-se no pateo de S. Pedro n.
24, ou na ra da Senzalla Nova n. 9.__________
Precisa-se de uma ama que saiba cozinhar e
i fazer todo servico interno de casa de pouca fami-
lia ; na ra da Concordia n. 38.______
Mas idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considerareis.
Prospectos e mais informacSes serao prestadas pelo sub-dlreotor nesta provincia o Sr. Jerony-
mo Joaquim Fiuz de Oliveira, ra da Cadeia n. 58, ou a Boa-Vista ra da Iraperatru n. 18, estibe-
leeiraento dos Srs. Raymundo, Carlos, Leite & Irmo.
Jos Joaquim do Moraes Sarment.
Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Jos dos Aojos Vieira de Amorim.
Alexandre de Souza Pereira do Carmo.
Negociante Antonio Luiz dos Santos.
> Jos da Silva Loyo.
> Antonio de Mour Rolim.
> Theodoro Christiansen.
Carlos Roeck.
i Jos de Azevedo Andrade.
- Na praca da Independencia loja de livre* do
Diario de Pernambuco, tem uma carta para o Sr.
acadmico Antonio Jos Lopes Filho.__________
O abaixo assignado avisa ao Sr. Manoel Barbosa
da Silva, que o escravo Eslevao, que faz parte dos
que, com o engenho Frescondira, Ihe foram por
mim arrendados, chegou a minha casa no dia o do
corrente s seis e meia horas da noite, allegando
que por nao poder s-ifTrer os seos mos tratos, na
manhaa do mesmo dia sahira do seu engonho La-
jabuss, onde se achava com os raais escravos e
viera procurar a minha companhia. E como anda
estao arrendados ao dito Sr. Barbosa, que esta se
locupletando dos seus servieos, previno ao mesmo
que o pode mandar buscar. Recife,. 10 de novem-
bro de 1864. ,
Feliciano Joaquim dos Santos.
Casa de campo
NoMonteiro a denominarla ^ana Fistola.
aluga-se para se passar a festa ou annual-
mente : trata-se na loja n. 8 da ra doCrw-
po esquina da do Imperador______^^^
Aluga-se uma casa em Beberihe : a In
com J. t. M. Reg, na ra do Trapiche n. 34.
Atteneo.
Oflerece-se por venda nma padaria litTt e
sembaracada com todos os sens peru-nce,
telheiros, forno e raais ulencilios, >ita na
Mondego n. 47, muito afreguezada, rom
casa i>ara familia, porto separado, perto
barque, grande qainul c todas as comn
precisas \ vende-se com t escravos velno oa
elles : a tratar na mesma. ^^^^^
_ De ordem do Sr. juiz, de novo sao convida
dos os rraaos da irmandade das Almas, erecta na
icreja matriz de Santo Antonio do Recife, para que
comparecam no consistorio da mesma irmandade,
no dia 11 de corrente as 6 horas da tarde, am de
se proceder a eleicao da nova mesa regedora.
Consistorio da irmandade das Almas, erecta na
na matriz do Santo Antonio, 9 de novembro de
1864.
O esenvao,
Joao Babtista do Reg.
Aluga-se o segundo andar do sobrad *
camboa do Carmo b. 8 : na roa Nova a. 47, ir
4TTBNC40.
Offetece-se um Itomem portug
criado grave, em qualquer asa
ouparafeitor desitk: na ra
Recife o. 38, primeiro andar,
utt para
da Cadeia do
cabra coa cria i
CABRA COM CRIA.
Aparecen no sitio de Ma Jos Rodrigies
des, em Ponte de Uchoa, uma
quem fr seu dono, dirjase ao
dando os signaes certos se entregara
alguma. ________ _____
Ama de leiie.
Ha uma para augar na ra da Cruz n. 33 (Re-
cife), de bom procedimento, moca e sadla.
Precisa-se de uma ama para todo o servioo ;
a ra do Vigario n. 87.
Aluga-se um andar terreo na ra da Palma
n. 66, e oulra casa terrea na ra do Caldoireiro
n. 37 : a tratar na ra do Imperador n. 9.
Precisa-se de um rapaz que tenha pratica de
taberna : na ra do socego taberna n, 56.
Thocdoro de (Miveira Neves, e Aslraato
Jorge dos Santos compraran ao Sr. FcijC
leslino Ramos, a taberna da travessa das
tos u. 18. livre e desernbarae,ada: e se alf
julgar cora direito a qualquer reclamojao,!
so raesraa travessa no praso de 3 dias.
Jos Antonio Peretra da Silva J^**0^"
grammatica latina pelo lempo das lew, v*n*
que adm.tte alnmnos, qre ^''"""W-*
durante esse tempo no largo do T*r?o *. .

L
MUTILADO


V*
filarlo de Peraaakneo Seita elra 114c Xovcinbro de 18 4.
Endrer Profuso "a roa estrella do
d^sdrias.<,S,0s3hofasdalarde
Salsa parrilha de Ayer
PARA A CURA DA
Aze-
Porlo.
por todo
Londres
Pars
Haraburgo
Barcelloaa
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Fara
Olivera
meis.
Penafiel.
Tavira.
Villa do
d'Aze-
do
Figueira.
Guarda.
Guimares.
I.agoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
Monco.
Moncorva.
Begoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Beal.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
e todas as molestias
provenientes dekla
i&VtPI&xa
todas as molestias da
peile
ehfrvsipellas, tumores, ulceras,
sarnas,
nascidas, empingens,
REUMATISMO
SYPHILIS
em todas as seas formas, assim como todo
o mal que provm do uso excessivo do
MERCURIO
Ulceraco do ligado
e cm summa todos os males que tem sua
origem na
s IMPUREZA DO SANGUE
L um alterante poderoso para a
RENOVACAO DO SANGUE
e para dar nova forca e vigor ao corpo j
enflaquecido pela doenca.
Vende-se na ra Direita ns. 12 e 7C
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacla f ranceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
Antonio Luiz de Oliveim
vedo A C
Agentes do Banco Iniao do
Competentemente autorisados sacan
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto
Lisboa, i- para as seguntes agencias,
sobre Banh of London.
Frederic S. BaHin di C.
> Joo Gabe <$ Filho.
Francisco Rabota & Ballista.
Jaime Meric.
> Crdito comraercial.
> Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Angra Terceira.
Caminha.
tostel lo Branco.
Chaves.
Coimbra.
Covilhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Conde. Portimo.
Villa Beal de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No'imperio.
Baha. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma praze ou vista,podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razio de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.
mmmmkim
Isaac Esnaty
Fabrica do rap imperial.
Isaac Esnaty tem a saiisfoco de participar ao
respeitavel publico que se acha eslabelecidu na ra
Imperial n. 193 com fabrica de rap denominado
RAPE' IMPERIAL, cujo rap fabricado igual ao |
rap de Lisboa, e muilo melhor por ser mais Ini-
co e muito mais agradavel e convencido o fabr-
came da superiondade do seu rap, pela experien-
cia de (rima annos que (em desle genero, e demas
o cerlilicado junto para mais seguranza dos com-
pradores o fabricante lira responsavel pelo bom
resultado do seu rap, garantindo ao mesmo lempo
o dinheiro do comprador que por arraso nao gos-! n
tar (o que positivamente nao de esperar) e sendo aCCPCiaria
este precioso rap digno do preco de tres mil ris
a libra porm como o principal desejo do fabrican- n A .
te e de ganhar crdito em lodo o imperio e lam-1, Pe ordcem do P,m-
bem para chamar atleneo dos amantes da boa pi- i! ;j brs-SOCIOS Para tada como tambem dos exportadores deste genero ajam C0/"Parecer na casa das respectivas ses-
tanto para o mato como para outras provincias, li- sAoes p. b-ras da noile Para fim de proce-
mila smente o prego reduzdo de mil ris por l- fler"se a eleicao do director de mez, bem como
hra a reallio e em porcao de 10 libras a 900 lis tralar'se da discusso dos estalutos que tem de re-
e em porcao de 50 libras a 850 ris e em porcao eer a mesma soc'edade.
de 100 libras a 800 ris e em porcao de 1000 libras 0 1 secretorio,
com o descomo de cinco por cent ou a tres mezes ._____________Fuslino Jos da Fonseca.
do prazo firma garantida assim o fabricante espera Aluga-se um mulato moco para todo servico
a concurrencia dos senhores compradores em re- de casa tanto interno como externo, muito fiel e
muneracao da boa pitada examinada, approvada e diligente, adverte-se que tambem serve para al !
Aluga-se urna casa em Apipucos, confronte
VrireJa',fomduaValas' lre? (luar'os e cozinha
ora, o lugar e dos mais piioresco, a casa est
impa; aluga-se ate o fi.n de marco do anno fuc-
'JrL ra,ar no lugar com Sr- J ,s Joaiuim
do Reg Barros, e nesta praca na travessa da ra
das Cruzes ns. 10 e 16, com Martinsjt Lobo.
Eogommase a contento dos freguezes e mais
lhaarrg?de"^dron.aiTa'qUer ""* : a tratar
-Desde o da 9 do crreme ausentou-se da
casa do seu senhor, o escravo Martinho
pegar leve-o ra .Nova n. 59.
XAROPE
deLABELONYE
quem o
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhaa
atASHJ*1* de bUhetes da PraCa da Inde
pendencia n. 22.
Empregado com invariaiel successo desde 30 anuos
Jilos Mdicos de todos oa paiies contra as molestias
orgnicas ou nao orgnicas do eorae, as Tersas bj-
ropisiaa e a maior parte das molestias do peilo e dos
aronchios (pneumonas, cetarrhnt pulraoaart, ojAmoi,
famacoet nervoso* doi oroncni'ot, calarrkeira$,etc...)
O xahopb de labelonye as sa vendeseooo
carrafas com rotulas de cor e fechadas con urna caspa
lavando a Irma ds intentor.
sa FARM, ra RflHrbau Vil lenca vr. 19.
Deposito geral em Pernambnce roa da
Croz p. 22 em casa de Caros & Barboza.
Compra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Comprara-so dous escravos que seiam bons
carreros : na ra do Trapiche n. 13 J
Compra-se narua dolmpetador n. 15 urna
ou duas prensas de copiar cartas, ainda que esto-
jara era mao uso, com tanto que tenhara nerfeito o e se"horas
parafuso. u rcuciw i
LOJA DO BEIJA FLOR.
Ra do Queimado ns. 63 69.
lioneras de choro.
Lindas bonecas de choro que chamam papai e
mamai, de diversos tamanhos: s as lojas do bei-
ja-Oor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Linas de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores para homens
Precisa se de urna ama para comprar e co-
zinhar para casa de rapaz solteiro : na ra do
Queimado n. 7.
Ourellos.
Compram-se ourellos de panno, qualaner
cao : na roa de Apollo n. 20. iua'9aer
Compra-se cobre velho
mado ns. 63 S.1*1 d beJa-0r' d Quei"
por-
ga Velha d. 1.
na ra da Alfande-
HO^0'npra'segJarrafas e boliJas v-s na fabrica
de licores a ra das Cruzes n. 36.
Compra-se para urna enccmmenda urna ne-
grinha e um moleque de idade de 10 a 12 annos :
na ra da Cruz n. 1. escriptorio de Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo 4 C.
rua do Queimado n. 8
RECEBEU:
Bonitas caixinhas de madeira envernisadas, com
linas perfumaras.
Outras de papellao de diversos tamanhos e igual-
mente bonitas, tambem com perfumaras.
Lindas cestinhas de vdro com ditas.
Caixinhas imitando tartaruga com dilas.
Ditas com 6 e 12 frasquinhos de cheiros.
Objectos para baptisados.
A Agua Branca, na ra do Queimado n. 8, aca-
ba de receber os seguntes objectos para baptisa-
dos : y
Bonitos e bem bordados vestuarios de cam-
braia.
Ditos o modernos chapozinbos de setim e toucas
bordadas e enfeiladas.
SapaUnbos de selm e merino muilo bem bor-
dados.
Meias de seda e Do de Escocia, brancas
tadas.
Toucas
feilas.
e pin-
10 l)r. Francisco Pires flachadi
Portella
MEDICO OPERADOR
PELA
Facnldade de Pars
Pode ser procurado ra Nova ja. 1
44, segundo andar.
Compra-se urna escrava que saiba eneommar
e cozmhar : na ra do Crespo n. 18, segundo
andar. "
Gorra fas
Consultorio medico-chirurgico na ra larga do Ro-
sario n. 20.
O Dr. Joao Ferreira da Silva regressando sua
casa, contina em o exercicio de sua proflssao
nao s na parte medica como tambem na chirur-
gica.
da sociedade Recreativa
Coryhantina.
r. Dr. presidente, convido a
Compram-se garrafas vazias: na ra da Cadeia
do Recite n. 53.
Compra-se urna bomba de aguar capim : na
ra Bella n. S.
Compra-se ouro e prata, assim como concer-
ta-se (oda qualidade de obras da mesma qualida-
de com promtido : na loja do pateo do Carmo n.
7, por prego commodo. '
Compra-se urna rotula grande de porta de
ra, ja servida : na entrada da ra da Palma, lado
esquerdo, pintado de encarnado
Fivella* para cintos.
Lindas flvellas douradas com lindas pedras para
n? 63 e 6^ S d beija'nor' rna do Qieimado
Capellas para noitas.
Lindas capeilas para noivas 2500 cada urna:'
flojas do beija-flor, ra do Queimado ns.63e| A Agua Branca receben novamenle um bello
Estoins nara harh. sortimento de bonitas caixinhas com musir e sem
Vende-se rstnn Z> -r!h k t el,a- para cos,ura' e ou,ras com os arranjos neces-
e 25000 cldf, m Te iP?lh/aKra-babaal*55 &K3 barba apsim- Poi*> qnem comparecer
Oueimartr ni tto"Iko"" l0jaS d be,Ja-flor> rna do com d,nhei''o **<* habilitado a compra-Ios por pre-
yu I fo commodo : na ra do Queimado, loja da Agua
e sapalnhos de laa, obras muito bem
Bonitas caixinhas
jcoin msica e sem ella para costara, e
outras com arraujos para barba.
Uenco
Libras esterlinas
Compram-se em casa de Johnston Paier iv C
ra do Vigario n 3. ''
Compra-se um moinho de pedra com arma-
cao ou sem ella para moer milho : na ra do Co- nas loJas do beija-flor, ra
mado ns. 63 e 69.
Balaios para meninas.
Rccebeu-se novo sortimento de balaios, com
KEEX de var,os Passaros> Pelo barato prego de....
15000 at 4 cada um : nas lojas do beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas Anas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos : nas lojas do beija-flor, ra do Queimado
.n 63 e 69.
Exlraetos em caixinhas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: nas lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Saliao em eaiiinhas.
Finos saboes em caixinhas com vanos"relratos :
nas lojas do beija-flor,ra do Queimado ns. 63 e 69. i
Branca n. 8.
Finos e aromticos pos de
arroz
Em bonitos vasos de pedra, porcellanadourada,
vdro e madeira, estes com o compctenle pincel e
sem elle, em latas de potes de papellao, sendo todo
elle de superior qualidade e agradaveis cheiros,
tmquanto ao preco, nao se assuste o comprador,
compareca com dinheiro e ser bem servido na
loja da Agua Branca, ruado Queimado n. 8, ende
tambem se vendem separadamente os pinceis.
A AGUIA BRANCA
yendendo relogios.
Tiras bordadas.
venaem-se tiras bordadas transparentes e tapa- esla vendendo muito bons e bonitos relogios para
s "as ,0Jas do beija-flor, ra do Queimado ns. rae*a e parede, por precos commodos, por isso con-
ov. rins anrnvpt*r<.m a occasio e proverem-
O Vigilante est alerta, nao ihe a ptrmuii
deixar passar desapercebido sem que o Mt
seu canto, afim de annunciar ao re>peiUTei mM-
co o grande sorlimento de calanterias do atclfcor
gosto propriamente para qualqoer mimo qae ata-
ba de chegar neste ultimo paqudr tm tmm
muitos outros objectos que recelw por divrrsw -
vios, Unto de sua roma como de ronsiraara ase
est resolvido a vender por precos muito baratos
para vender mnito e ganhar pouco, e dar extrao
o grande deposito que tem, que espera merecer
proteccao do respeitavel publico empregando parr
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quein satisfeitos; islo s no Gallo Vigilante, rna do
Crespo n. 7.
Rices porta-joias.
Cofre de mnito gosto por 16JOPO
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por Mioan
Lindas jardineiras.
Bicos cofres com camapheu. lOaVuo
Lindas caixiohas com pedras brancas. iOlOO
Lindo balao com calungas dentro tam-
bem para joias. itl/mn
Tambalier para dilas. fSSm
Cestinhas ditas. T
Cosmorama ditas,
l'rnazinhas.
S no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Bicos pona bouquetes de diversos gotos
Sos; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sin tos
com bolcinhas aolado, a 10*, 12* e 15*. ditos em
iJAruiPOrein d mcrao 6sl0' a *&W, 3*, 3*500-
e pre-
tovello n. 25.
VENDAS.
afflancad
O fabricante franquea as amostras (gratis) do
seu rap lauto na fabrica como tambem |nos depo-
sitos ra da Cruz n. 31 loja do Sr. Raphael ra
Direita n. 14 taberna.
Brev mente apreseotar a venda publica outro
rap fabricado igual ao que se fabrica nesla e ain-
da para melhor, como lambem : rap prineeza,
rape grosso e meio-grosso, tudo a precos muito
mais reduzdos para mais animar os senhores ex-
portadores desle genero.
N. B. Nos das de sabbado a fabrica nao se
abre.
gum estabelecimento.
Vende se eaixes vazios proprios
para balinleiros e funileiros a .$760
cada um; nesta typosraphia.
Farlnha de mandioca.
a 3*000 o sacco.
Jogos de domin
Vendem-se jogos de domin I*20O e 1*300:
do Queimado ns. 63
e 69.
vm a todos aproveitarem
se desse objecto sempre necessario em casa. Fica
porm reservado para os relojoeiros o concert que
algum dia qualquer delles venha a precisar, pois
que sso nao cliega para o bico da Aguia Branca,
da ra do Queimado n. 8.
Banlias finas
Urna boa casa terrea para
esl por alugar-se ra da Uniao n.
39 : quem pretender dirija-se ra
da Aurora n. 10. Tambem alugara-
se.as lojas n. 44, ra da Aurora.
CERTIFICADO.
Certifico que submeltendo a exame a amostra
do rap denominado Imperial, que apresentou a
esta reparlicao o r. Isaac Esnalv,
Criado e eseravo.
Na ra do Hospicio, sitio n. 8, casa terrea com
porlao de madeira, precisa-se de um criado de bons
cosanles ; e tambem se compra um escravo de 12
annos para cima, que nao tenha vicios nem acha-
ques.
A melhor que existe no mercado, bordo do pa-
tacho Ulysses, defronte do trapiche do baro do Li-
famila vramento pelo barato preco cima mencionado,
sendo sem o sacco, e para porcos se far alguma
differenca; na ra da .Madre de Dos n. 5 e 9. ins- 6J e 69-
Para quem gOSta dO bOm ei, Vendem-se es^ho^de moldD'preta parasa-
| las : nas lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
; 63 e 69.
Como nao privativo a Aguia Branca tambem i:,..,,
nicas livellas avul.-as para sinto. o melhor que pode encontrar, a 1*500, 2*, 2*500 e 3* o par
so no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes on cesliahas.
Ate que chegaram as desejadas cestinhas oa ra-
Dazes para meninas Irazerem no braco, o mais rica
possivel a 2*500, 3*500, i*. ;i*. 7* e 10*: s lo
aliados bordados I aa rua ao Uueniad0 D- 8. ', 'gilante, ra do Crespo n. 7.
Vendem-se babados bordados de varias larguras tUft/lX fina e vanos precos : nas lojas do beija-flor, rua do OWWHW UlUb \ Resto artigo tem um grande sortimento, tanto
Queimado ns. 63 e 69. J m rftnns iaj.,8 A eftlIno:,.niloc jn viinA para ah"r c?mo Para aUr Wlo. os mais IMn
Abafadores de ree P al3S e snpeirinlias dC VldrO que se pode desejar, assim corno de arretacar ra-
Vendem ->u*rV^ a *.. Onarn De"0' ,anlde Iwracha como de tartaruga rom em-
Queimado ns. 63 e 69. |W a sua boa freguezia, mandou vir e acaba de r"-'
Adcrecos pretos receber na melhor occasio os desejados copos e
as procuradas latas com banhas finas, assim como
urnas bonitas soupeirinhas de vdro opaco com
alegres inscripcoes. as quaes dzem smente res-
peilo as senhoras, e com tal acerlo que nenhuma '**,1e "' "em/ra,'0i muito bonitos, tambem por ta-
que as vir delxar de comprar e nao se enfadar _0.p.rc?0i,e T* e *> le1es de charo umUm
de ler a inscripcao qe to merecidamente Ihe toca
e quem quizer ser bem servido dirigir-se a rua
do Queimado, loja da Aguia Branca n. 8.
Tendo-se recebido aderemos pretos de novo gos-
to sao expostos venda : nas lojas do beja-flor,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senhoras.
, SP* &ravalas Para senhora 800 rs. e 1*000
l*2U0 : nas lojas do beija-flor, rua do Queimado
barato.
dente na rua Imperial, casa n. 193, deelaroo o pe-
rito nomeado para esse fim, o Sr. Pedro Maurer,
que nao baria inconveniente algum e*m'ser expos-
to venda, ltenlo a que nenhum permeo nociso
comprometa a saude.
Inspectora da sade publica, aos 5 de outubro
de 1864.
Dr. I.jnacio Firmo Xavier,
Inspector da sade publica.
Sitio para a lugar.
Aluga-se a casa no lugar de Sant'Anna, com
fabricante resi- commodos para grande familia, tendo a mesma si-
tio com arvoredos : na rua da Cruz n.
Aluga-se um terceiro andar da rasa n. 48
na rua do Trapiche : a tratar no armazcm da
mesma.
Trapiche da Gamboa
Alfandegailo por caita imperial de 26
de marco de 1863.
Fste fango e importante estabelecimento, um
dos mais bem montados desta corte, com va.-tissi-
mas casias para arrecadacao de assucares e ou-
tros gneros nacionaes ou estrangeiros todas cor-
ladas por trilhos de ferro assoalhadas e forradas
de madeira com Huinchas em ludas ellas para,ar-
rumaco e safamento de gneros, com urna po*nle
sobre o mar, de 600 palmos de extenso, com p-
timos guindastes, um pessoal muilo pralico neste
servico, pro|oe-se a armazenar assucar em caixas,
reixes ou barricas pelo tempo de seis mezes
40 rs. em arroba e em saceos 30 rs.
de qualquer qualidade que forem ne
pagarao pelos primeros seis mezes o mesmo que ,
anualmente pagan por tres mezes nos demas tra-
piches e dos semestres que se seguirem tero um '
abatimento de 20 por cento ; recebe por precos
muito mdicos qualquer mercadoria comprehendi-
da na stima tabella do regulamento das alfan-
degas.
A venda dos gneros nelle depositados, faz-se
com as mesmas vantagens que offerecem os mais
No estabelecimento de Gama & Silva, na rua da
Imperatriz n. 60, loja denominadaPAVOtem
urna grande porcao de varias qualldades de fazen-
das, as quaes se vendem muilo em conta para li-
quidar. A saber :
As lazlnhas do Pavo.
Vendem-se lazmhas de quadrinhos transparen-
tes, boa fazenda, pelo prego de 280 rs. o covado,
ditas largas mullo linas a 400 rs., dilas estampa-
das, cor segura, padres miudos e grandes a 320
rs. o covado, dilas transparentes com palminhas
de seda a 400 rs., ditas escocezas a 560 rs., isto tu-
do para liquidar : na loja e armazem do Pavao,
rua da Imperatriz n. 60.
Sao baratas aS40e 3ors.
Vendem-se chitas inglezas escuras e claras com
vSStTuTm VTmMradm as crts se6uras Pel Prc5 de 24 o covado,
. na rua ao imperador dilas liT^ La fazenda a 320, 360, 400 e 500 rs!
o covado : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n.
GO, loja de Gama & Silva.
l'recalas a G00 e 560 rs.
Vendem-se as mais linas precalas, padroes miu-
Aluga-se o sitio que fo do finado Domingos dlnhos, goslos delicadsimos pelo barato preco de
A. Gomes Gumaracs, noCaldeireiro, confronte ao ^ e.560 rs-' covado : na rua da Imperatriz n.
fio Sr tlr Jns RprnrrHn C'l,Mrt AlcOforadO Com **** 'ft':l **" :irma7prn ''n Pa*"
V o tas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 1*000 cada urna : nas
l?s do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Colberes para sopa.
- J^5&''m"se colheres de metal-prncipe para sopa
a 25000 cada urna : nas lojas do beija-flor, rua j
Queimado ns. 63 e 69.
Mais leqies
com pequeo defeito, leques de sndalo r
queno defeito por barato preco de X* e JO* rni-
nezes muito bonitos tambem, pelo barato prco de
4* e o, bentarallos muilo bonitos, "
rato preco de 4* e 5*, le
por 4*. tudo sto para acabar, perdendo-se i
vez 80 por cento; s no Vigilante, rua do Crepo
i n. 7. >"
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e do missanga eres
_,/. ^,. 7 'mnito lindase de mnito gosto al* e l*2().'
qiianaam, que choram, v* segurar maMatis.
rt%m fnllnnnx ni* rambem chegaram as liguinhas estreiiinaai<
qiie fafiani. elC. borracha que as senhoras tanto preri>am para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muito
jrts-
IIOJIECAS
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, ani- barato, a 320 o par; s no Vigilante rua do u
mada pelo apreco que a sua boa ireguezia sabe po n. 7.
dar a essas boas novidades, mandou vir cacaba Irnnfs \
de receber um extraordinario
Antonio Joaquina de Mello, antigo advocado
nesla cidade, e procurador fiscal aposentado da
thesourana de fazenda, eniprego que servio por
mais de 22 annos, conlioa a advogar em todos os
ramos do civel e "
n. 14.
Preeisa-se no hotel italiano rua do Trapi
che n. o, de um criado ou criada, prefere-se es
cravo.
laa para bordar.
Vende se lila para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como nas cores,
6*400 a libra : nas lojas do beija-flor, rua do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Nas mesmas lojas se encontrar sempre grande de dinheiro'.'
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
queem outra qualquer parle.
Bixas de Hmburgo
Vendem-se na rua Nova n. 61.
Hnho verde
em barris de 5o para particulares e
muito superior
as bonecas, que andana que ffinTrne *^ ^^Z^^^
c outras omitas de diversas qualidades como dan^ de i-'fi c 1U
sarinas, soldados, atiradores, etc., e todas mu bem n 7
vestidas; assim, pois, a Aguia Branca opera a
concurrencia dos apreciadores do qom, certfsde ,, K lentes
que acharo preces razoaveis e serao satisfactoria- 'amuemcnegaram os riquissimos ponlcs de roorha
mente servidos urna vez que compaream munidos ? ,arJaruPa e de massa lina, que s vend.- por 2*,
J0 e 5*; so no \ igilanle, rua do C.
Candas.
tanto para
meninas, pelo baraio preco
no Yigilanie, rua do Crespo
.respo n. 7.
em pipas,
do Sr. Dr. Jos Bernardo Galvao
ptima casa de vivenda, cocheira, etc., etc. :
tratar com T. de Aquino Fonseca Jnior, na rua
do Vicaria n 23, primeiro andar.
por
; as madeiras
le depositadas
Lxisle para alugar duas casas na ilha de
Bemfica, com commodos para familia, banho na
porta : a tratar na rua larga do Bosaro u. 36.
Alexandre da Cunha Coelho Catanho, mora-
dor na rua de Santa Thereza n. 18, offerece-se pa-
ra afinar c detar cordas novas em piano por com-
modo prego.
Aluffa-se
urna casa na rua do Mondego n. 69, com bastantes
commodos : a tratar na rua da Cadeia n. 57.
60, loja e armazem do Pavao.
Meias precalas, ou precalas iuglczas largas a 100.
Vendem-se meias precalas ou precalas inglezas,
padroes miudinhos e fazenda fina e 400 rs. o co-
vado : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
O gangiielim do Pavo a SSors.
o covado.
Vendem-se ganguelim cor de rosa para roupa
de meninos, e vestidos pelo barato praco de 320
rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 60, loja do
Pavo, de Gama & Silva.
Os grosdenaples do Pavo.
Vendem-se grosdenaples pretos, fazenda supe-
rior a 1*600 rs. o covado, ditos largos muito eu-
, corpados a 2*400, 2*600, 2*800 e 3*000, dilos
establecido a brancos, cor de rosa, azul e amarello a 2*000 rs.
ao corpo de 0 covado : na loja de Gama & Silva, denominada
Vende-se a casa terrea n. 25, sita na rua de
Malhias Ferreira, na cidade de Olinda : quem a
pretender dirija-se rua Augusta n. 59, que acha-
ra com quem tratar.
Fabrica de chapeos ie sol de Francis-
co Maestrali, rua do Queimado
numero 22
Nesta fabrica chegado pelo ultimo vapor um
completo sortimento de bengailas c cachimbos de
espuma do mar e de outras mais qualldades, as-
sim como tambem chopetas para charutos multo
finas, e fumo caporal, e sempre tem prompto um
bom sorlimento de chapeos de sol de todas as
qualldades, na qual se fazem e se concertara tudo
pertencente a esta arte.
| A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas necessarias para costura, as quaes
tem linhas de diversas qualidades, retroz, tesoura
e oulros arranjos precisos, assim como amostras de
bordados ou marca, ele, e lados a precos com
modos.
Riqoissimas canelas de madreperola proprias
f. aJ"ai''."('r Pri';enl('. l*lo baratetoM pre.-o de
I)o00 e 2*. r
Antonio Joaquim de Mello,
rua Direila desta cidade n. 6, declara
coramercioe a todos em geral, que Jos da Costa do PaTVrua dTlmneTatrTzIi 60
. Carvalho Guimares deixou de ser seu caixeiro T ih 1,nPeralr,z D- w: .
trapiches porque as condices para qualquer parte gerente, e por Isso jamis poder o mesmo contra- ,, VeslldOS branC08 para b,I,e*
da cidade sao pelo mesmo preco. tar cousa alguma em nome do annunciante: e de- L yenden,-se os m r.IC0S ** brancos bor- vonlade do comprar em razo de umsocio ter" ou-
Bio de Janeiro, 1 de outuoro de 1864. | J^^fllM? fica era ^bslituigao a aquel- aSSH^Xt^25!X&1^ I,ra taberna.e retirar os gneros que nao agradar
Negocio de vautagem.
Vende-se a taberna da rua das Aguas-Verde n.
84, por motivo de um dos socios ter de se retirar
para fora da provincia, vende-se com os fundos a
Admlraeo.
Contina a estar fgida a escrava crioula, de
nome Joaquina, fula, alta, muito falladeira. e mui-
to conhecda nesta cidade e na villa do cabo, pelas
pessoas que frequentam a casa de seu senhor.
le, o Sr. Joaquim Ferreira Coelho.
Joaquim de Souza de Olivelra faz sciente ao
respeitavel publico para que ninguem compro e
nem venda Anna" Jaciniha
nega seu propro nome, e diz chamar-se An'na Joa-
Adnalra-se, como esta escrava vai conslantemen-1 *lulDa do Sacramento, casada com o dito Olivera
te sambas ; no salgadnho, passeia por toda esta 9se IDtilula viuvinha honrada de Allemo.
cidade (testareada, j de tmo saa balo. como Precsa-se da urna ama n*r, ^^SH
ao comprador.
tissimo preco Je 25*000 cada coi le : na loja e ar-
mazem de Gama & Silva, rua da Imperatriz n. 60.,
------------------------------------------ \endem-se20 accoes do Novo Banco de Per-
Vende-se urna negra crioula, bonita figura, I nambuco : na rua da Cruz n. 1.
de Olivera, a qual' a T"3' saDe engoramar e cozinhar, com 16 a 18
annos de idade : no patoo do Tergo n. 141.
T,AHS DE TARTARU-
GA PARA COSTURA.
A Aguia Branca na rua do Queimado n. 8, ven-
de bonilos bahus cobertos de tartaruga e de diver-
sos tamanhos, mu proprios para costuras e joas. |
I1R0MA09I
para Ungir cabel/o
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
cebeu essa excellente tintura para cabello, cujo
effeito rpido e proveitoso, vindo ella munida de
esclarecimentos em porluguez, d'onde qualquer
pessoa pode bem couherer o modo de applicar.
Com o rhromocome que serve para Ungir, veio
tambem hydrocallilr.china, agua para Ungir cabel-
los, coloricomo para lustrar os ditos, e onychro-
mantina para limpar as unhas, e callicomlphila,
pomada de que se pode u.
der ao cabello preparado,
rao preco razoavel.
Sapalinbos e meias de seda.
Biquissimos sapalinbos de seda e de merino ei-
teiiados, assim como meiasantea de seda c<>rraz-
nhas c louquinhas paia as rnanciiihas m liilln
rem; so no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas cora rrnzinhas
fingmdo brilhantes, assim como cruzinhas avnNas
e voltinhas, pelo barato [ire^o de I* a 1*200 as
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, roa do
Crespo n. 7.
lioliuhas.
Bquissimas golinhas e manguitos, o melhor pos-
; to possivel, a 2*. 2*500 e 3*; s no Vitilante
rua do Crespo n. 7.
Enfeiles para senbora.
Biquosissim culones com lac,o c sem laco e de
ouiros>uitos goslos a 1*. 1*500 e 3* : s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Trancrlins.
Lindos trancelins de cabello para relogio oa l-
elas, pelo baratissrao preco de 1*500, ditos de
relroz a 200 rs.
Babadiiihos entreueios.
Biquissimos babadnhos entremeios coro lindos
de us7'tem recdo de B ^ SKa^SlSL Pe' ****"
L-parado. Os pretendentes acha-1 Ko CresJ?n. 7 "*' D 'g,laD!e'
tem sido por vezes encontrada) sem que alguma
autondade policial, inspector de quarteiro, ronda,
soldado de polica, ou capito de campo, que cora
a leitura dos annuncios, que constantemente sao
publicados neste jornal, nao a tenham capturado
ou dado noticia ? Suspeita-se. e com fundamento
que ella esl em companhia do criado Jacob, l
pela Capunga, titulo de forra ; pois este Jacob
quando criado do Sr. F. Baael de Mello Bege, na
rua da Aurora, -
balo, (como | Precisa-se de urna ama para comprar
sinhar, paga-se bem
n. 2, primeiro andar.
e co-
no becco da Bola no Becife
Cosinheiro.
Precisa-se de um perfeilo cosiohelro no hotel
Trovador : na rua larga do Bosario n. 44, paga-se
bem. r
Precisa-se de 800*000 res ao premio de 2
por cento ao mez, sob hypotheca na quarta parte
* i:.i,, j .j v ------------ iji/,iicva ua iud id parce
a tirana seduzdo para ir para sua de um sobrado de dous andares, que valle 6 0005
companhia, e logo que deixou de ser criado do Quera quizer fazer este negocio dirija-se a ruadas
Pistn.
Vende-se un pistn em bom estado, pelo barato
preco de 15*; na rua do Crespo n. 3.
NOVALOJl.
N. 10 hlA DO CRg!"0 w, 10.
Joaquim da Silva Boa-vista mudou o seu esta-
fazendas para a rua do Crespo
. vender por baralo preco
mesmo Sr. Mello ktoo, desappareceu tambem a Cinco-Pontas n. 72.
escrava, que grande falla tem feito ao servido da
Ponios a venda.
Vendem-se os melhores pombos e borrachos por
preco commodo : nas Cinco Pontas n. 67.
No armazem de azendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Tremocos novosa 3,20o ,
a arroba.
Vende-se saceos com tremocos vivos a 3*200
lina doQueimddo n. 19,
Vende-se o seguate:
Al le n rao II
Bcas lazinhas, fazenda a melhor que tem vin-
do ao mercado, tanto em gosto como em qualida-
j de, pelo baratissimo preco de 560 rs. o covado.
| Dilas raiudinhas carmezins, proprias para vest-' n. 7.
dos de meninas e camisinhas a 640 o covado.
: na fundicao da rua do Brumo. 85,"detraz J_C0j;,esde laa com 15 covados, pelo barato preco
Crespo
Cascarrinas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
| larguras, assim como galoznho e tranemhas pro-
i prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
| po u. 7.
Fitas.
Grande sorlimento de titas de diversas largaras
e qualidades, por pregos que admirara aos com-
pradores, havendo lilas largas proprias para cin-
leiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 2*; s no Vigilante, rua do Crespo
do arsenal de marinha.
Machinas de vapor e pa-
ra descarocar algodfto.
casa de sua senhora. "*" 'I Precisa-se de urna ama para comprar, cos-
Prolesta-se desde j proceder judicialmente con- nnar e engommar: na rua da Cruz n. 9, segundo
tra quem a tiver homisiada- Boga-se por tanto as
autoridades policiaes, capites de campo ou outra
qualquer pessoa, que empreguem es meios com-
petentes para dar noticia da referida escrava ou
mandar leva-la a casa de seu senhorPalacete da
rua da Aurora, do visconde da Boa-Vista.
Para quem ti ver dividas a cobrar
Um solicitador bastante conhecido, tendo de
partir no vapor costero para Mossor e dah para
a eidade da Imperatriz e Pau de dentro da pro-
vincia do Bio Granda do Norte, donde vollar em
fins de Janeiro prximo antes de se abrirm os
andar.
Na rua Imperial n. 1,
preta para vender miudezas.
precsa-se de urna
belecimento de
n. 10, esl resolvido
afim de adquirir freguezia.
Chitas baratas.
o rs.,diiaSfran-|JiLoen(las e meias moendas.
"*" Taixas de ferro batido,
doe de cobre.
Manoel Al ves de Araujo, deseja saber a onde
mora Domingos Martins Gomes, e Francisco Mar-
tins Gomes, portuguezes.
Precisa-se de urna ama para todo servico de
urna casa de pouca familia : na rua do Livramen-
to n. o.
Narua da Cadeia n. 55, primeiro andar pre-
sa-se alugar urna escrava que engomme e te-
tribunas, se offerece ""promover"cobTancs de di- ha a'g" g"o para tratar de enancas.
vidas medanle algum nteresse nao salli como
cezas linas a 480 rs, ditas a 440 rs., ditas de ditas
nVUM? e,360rs-vdias es,rea
200, 220, 240 e 260, s se vende por este preco
na rua do Creste n. 10, loja do Boa-vista.
0 Boa-vista vende
brim pardo com lista a 720 rs. a vara, dito a 800
rs.,dito branco de linho a 1*000, dito a 1*200
grvalas de seda de gosto a 1*000, e um comole-
to sortimento de castores e brim a 480 rs o co-
vado, s na rua do Crespo, loja do Boa-vista
quem vende barato, tambem se do as amostras
deixando penhor.
Sitio.
Aluga-se um sitio na estrada do
Monteiro, propro para passar a resto ae Liverpool, e tamben
ou por anno eom urna excellente ca-
nos lugares adjacentes que nao disteua daquelles
pontos mais do que cinco a olo leguas. Mas antes
de suaviagem tem de estar por alguns das em
Ooianna : quem pois se quizer aproveitar do en-
sejo, podera procralo ao escriptorio dos Srs. Be-1 Wat contendo duas salas, um gabine-
eha Lima 4 Guimares, na rua da Cadeia do Re-1 le' "* Q,uarws> eosioha fora, estriba-
cre, ou oa loja de fazendas da roa do Cabug do na' eocneira Para carr. casa paca feitor, dita pa-
Sr. Antonio Francisco doSantos successor de Mar- ri escra,,os> cacimba d'agua doce, tanque para ba-
rios Santos. i nno> f^nda iodo murado, com coqueiros. jaqueiras
------Kl:-------1-------8 ------------:e ma's de 150 ps de laranjas de tiversas oual-
a^SSLa^R?n, ftN?6,ro
rua estrella do Rosario q. 5, [u* rua do Imperador n, 71, primeiro andar.
RELOGIOS.
Vende-se em casa de Johnston Pater A
Cj roa do Vigario, n. 3, um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente
coa-
e
Rodas d'agua, dentadas,
de carroca com mangas
eixos de patente.
RuadoBrumn. 38,fiindi-
co do Bowman.
de 6*.
Cobertas de chita da India a 2*500 e 3*.
Lences de panno de linho a 2* e 2*500.
Pecas de cambraia de forro com 8 1|2 varas
3*200.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a 5* a
luda.
Ricos cortes de laa com barra Mara Pa a
18*.
Pecas de planillas de algodo com 10 varas,
proprias para saia a 4*.
Algodo enfestado com 7 1|2 palmos de largura
a 1*100 rs. a vara.
Esteira da India, propria para forro de sala de
a 4, 5, e ti palmos de largura, por menos preco do
Fitas de lia.
Filas de la de todas as quahdadr?, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espetaos.
Biquissimos espelhos com moldura donrajaje
sem ella de 8*, 10*, 12* e 14*, assim romo rom
columnas de differentes tamanhos a 2*, 3* 4*, 5*
e 6*; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Biquissimos jarros e flguras de porcelana Boa.
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tena apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
Grande liquidacao de Ees
jo-1 para vestido : na loja de Paredes Porto, rua da
glez, de um dos mais afamados fabricantes Ruitas cm !e ^"1% J*rt 2*"
urna variedade de
que em outa qualquer parte.
Neste estabelecimento tambem se encontrar
um grande sortimento de roupas feitas, e por me-
dida.
AWlBftGA
qoniosttrancelins para os mesmoslt
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na bo-
za, rua 'da Cruz n, 22, pre-
a 280, 300 e 320 rs". o covado
s para acabar, cheguem a ellas antes que se aca-
be m.
ATTEN(iO
Aos Srs. padelros
Est-se acabando a farinba de milho a 120 rs. a
bra : na padaria de Antonio F. da Silva Belris,
ua dos Pires n. 42.
Vende-se a taberna da rna do Padre Floriano n.
5, por se nao querer dous eslabelecimentos
mesma ordem : a tratar na mesma.
------. ; rua do Crespo n. 7.
Tara pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonerla para pos de arroz,
cousa de muito gosto a 1*500 e 2*, assim como
a pacotes s com os pos a 320 rs. cada um ; s no
> | Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos rom dis-
tinctivos e offererimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos dbanla japona
a 2* e a 1*, assim como outros objectos qoe nao e
da possivel por hoje annunciar, c vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante
T 1 Ti
O hvro do povo, obra ornada com estampas con- '^ fa^Cd de ItCOTeS
tendo a vida de Nosso Senhor Jess Christo, e'mu-1 A' rna das Cruzes m. 36
tos artigos uleis. Este liyro das familias recom- Vende-se o segrate : O Ihesouro da bocea nr-_
tnendado e approvado pe^s Exms. *rs. D. Luiz paraco excellente para a consemejo oZZZ
b;spo do Maranho e D. Manoel arcebispo da lia- e tirar o mao balito Genebra diVaiaeRa. mniSSS
bia, vende-se a 1*000 oartoriado, na livraria de. rao recomraendavel por ser eSornaSa e raS
Jos Nogueira de Soma, rua do Crespo n. 2. ao janlar facilita a digeslo mometue* e toaua*
--

MU TIL ADO


*.
Diarlo de Peraambuce Se&ta felra ti de Xoveiubro de 1804.
Cl.

COMME
RA DO 91:1201 ADO HT. 15.
Passand o becco da Congregacao segunda casa.
Grande liqoidaco de fazendas de tedas
*s qualidades para se apurar dinhcifo, vende
se liaralissiiiio ua luja c armazeni da Arar, na
'a lmperatriz n. 50, de Lourenco Pereira Me-
les Cuimares.
AO BARATEIRO DA ARARA.
Vende-se cortes de chitas de cores Oas com 10
covados a 25400 e :SA200, corles de cambraia de
salpicos a 25500, 35000e 4000 para acabar : na
ra da Imperairiz n. 66, loja da Arara.
A Arara vende eassas a 210 rs.
Vende-se eassas para vestidos a 540, 320, 360,
e 400 o corado, organdys de lindos goslos para
vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado : na ra da
lmperatriz n. 56.
Cartea de la a Maria Pia a 8, 12)51, )Je1G.
Vende-se cortes de la com barra, os propia-
mente a Maria Pia a 85, 125, 145 e 165000, ditos
sem barra a 65000 : ua ra da lmperatriz, loja da
Arara n. 56, de llendes Guimares.
A Arara vende alpaca para vestidos de senhora a
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
v,_ i ...* tl"os de senhora a 360 rs. o covado, laazi-
meira Rocha 4 C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clanm Commer- nhas para vestidos de senhora a 320, 360, 400, e
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os &** rs-: na ra da lmperatriz d. 56, loja da
quaes serSo vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencioneda; garante-se obom Arara- [
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem. YnHQm *8 J\Arara *
0 9 Vendem-se colchas de damasco para cama a 45,
Ama do Maranhao, India e Java a 60, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra.' Cavadinha de Franca muito superior a 220 ? 5 Je chita a 25000 : na ra da lmperatriz nu-
Painco a 200 rs. a libra i rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e; Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
NOV1DADE
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30O0
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 6 10600, e em frascos grandes a
24500.
dem era caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estarabas no interior das caixas
a 10200,10400, 10600e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avell5as muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cu hysson, huchin e perola a 10600, 20,
25500, 2d800 e 3JW00 a libra,
dem preto muito superior a 2#000 a libra.
'Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vera ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inflez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200)0, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
re. a libra e 83500 a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra,
muito novo a 640 rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 re.
cadajum.
Sardinbas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Ve I las de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 60 (
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ba neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 9000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa c 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordame, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
dem Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa
102OOrs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande .porcSo de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pegas e carnadas
retalho-
Quem comprar de i00#000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. a libra.
I Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 50500
e 70500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
mero 56.
A Arara vende cortes de calcas a 10600.
Vende-se cortes de calca de brim a 15600 e 25,
ditos de casemira a 35500 e 45500: na ra da
lmperatriz n. 56, loja da Arara.
Laaiinhas da Arara a 210 rs. I
Vendem-se laazinhas para vestidos a 320, 360,
400, e 500 rs., ditas lisas de todas as cores a 600,1
ditas a Maria Pa a 640 rs. o covado : na ra da I
lmperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende nm completo sortimento de roupa
feita.
Vendem-se roupas feitas a saber: calcas de
brim de cores a 25 e 25500, ditas brancas de al-
godao a 25, ditas de linho a 35500 e 45000, colle-
tes de cores de brim a 15600 e 25, ditos brancos
a 25500, de casemira a 35 e 45, caigas de casemi-
ra-a 55, 65 e 75000, paletots de casemira a 55000,
Este novo producto resultado .lo urna triplico combinacao de tres melalloitlc .rija* proprie-
dades sao mu conliecidas, o tromo, o Euxofre e o lodo, oecupa boje a iiiaiilB orden de
entre lodos os depurativos dos (paos o mais poderoso.
As experiencias dos mdicos mais notaveis dos hospitaos do Paria, os senhoros l.az.nave,
rucho, Bazin, Mache, Guibout, Baroschet, Danet, Lcgroux, Vastee Aabry, etc.. demomim
sua poderosa eflicacia as affccces seguientes:
DoruraiH de pcllr,
Mnrlron horbulliaa ale todn eapeclr,
Plural niueOKU*,
(iliHii'urrot-H lympaalleo,
l'aprlraa,
E*erofHlaa,
Abrnici. postemas,
Cuneros,
l leer,
Tlaha,
Enrorbnta,
Man ou noubaa (ilo Brazil),
O Xarpe de Le Gooz, de urna fcil digestao o de gosto delicioso, se emprega tamoen*
com muita vantagem'o aconselhado polo doutor Barthe. do hospital dos meninos, pan as
criancas debis, escrofulosas c rachilicas ou sobro a influencia de mu vicio hen-iiiurio. t )
superior neste emprego ao oleo de figado de bacalho c aos xarpes depuramos aaaV
bulicos que se administrado at agora.
lr ambrala,
11 u morca frloa,
llilrlilli.mu.
Ophtlialmla rarrafnlasa e rfcroalra
Tnica t-aerorulaaa,
AiTrreoea a| ahllltleaa,
I Irphantlaala da l.rriM,
E lodas as doeni;a$ occasionadas por 'im trio do
sanyui'. e ja tratadas spiii nciihum nMajaj pitas
pre|>arai;ocs vrgrltrs, iodadas ( oleo tt k;atl<>
de baralbo.
Deposiio geral, em Pars, na botica Boullay, Miembro da Academia imperial 'aris, official da Legio de Honra, e em lodas as boticas de Franca c dos wmtm osirancciros.
dem, quaiidade especial em garrafas muito ?L'2i"BOS pretose de cores a 65, 75, 85,JMt
o-nrulps a 1ASAO a ir-rifa 125000, paletots de alpaka preta a 35 e 35500, di-
granees, a ftHUU a garraid. los de dlpaka de eo^ e a| ka branca a ,im
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. ditos de brim de linho brancos finos a 55000, se-
Idem, em garrafa forma de pera e rolhas de rontas a 15280, ditas francezas a 15600 e 25000,
vidro, a 10000, s a carrafa vale o di- camre>s francezas a 25 e 25500, ditas de linho in-
nf.p:r, glezas a 35000 : e outras muitas roupas feitas que
,, 1 t -. n- 3 se torna enfadobho mencionar, que vista do com-
Mantetga ragleza perfeitamente flor, desem- prador ^se dir o preco, por isso roga-se aos com-
pradores o favor de vir ver na bem conhecida loja
da Arara, rna da lmperatriz n. 56, de Lourenco
Pereira Mendes Guimaraes.
A Arara vende as percalas a 500 e 560 rs.
Vende-se percalas de cores finas para vestidos
a 500 e 560 rs. o covado.
A Arara vende tiras bordadas para enfeilar vesti-
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas para enfeitar vestidos
brancos a 15200 e 15400 a pega, musselina bran-
ca fina a 400 e 500 rs o covado : na ra da lm-
peratriz n. 56, loja da Arara.
Ao barateiro da Arara a 20500.
Vende-se baldes americanos de 15, 20, 25 e 30
arcos a 25500, 35, 35500 e 45000.
Vende-se poliurias para senhoras a 240, 320, 400
e 500 rs., camisinhas para ditas a 15,25, 35 e 45,
na ra da lmperatriz, armazem da Arara, n. 56.
A Arara vende madapoln enfestado a 40.
Vende-se pecas de madapolao enfestado com do-
ze jardas a 45OO, pecas de dito de 24 jardas, das
marcas seguintes : n. 30 a 65000, n. 250 a 65300
e 75, n. 2 85, n. 5 85500, $$9& n. PF a 105500,
n. ZZZ a 125, li a 115000 a pega, algodo a peca
de 20 jardas a 55 e 65000, dito carne de vacca a
65500, dito domestico a 75, dito sicupira a 85, dito
pao ferro a 95 a pega : na ra da lmperatriz, loja
da Arara n. 56.
Bramante de linho a 2->>( 0 a vara.
Vende-se bramante de linho a 25500 a vara, pan-
no de linho para lenges a 640 rs. a vara : na ra
da\Imperatriz loja da Arara n. 56.
A Arara vende casemiras linas a 50.
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 000 rs. a lata.
Marrasquinlio de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas finas para sopa: estrellrnha, pevide,
TOdinha e aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinha com 12 libras.
! Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
e I Peixe em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maro,
dem de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
tanto em porgues como j Doce de goiaba em latas o melbor possivela
20 e em caixao a 640 rs.
Palitos do gaza 20200. a groza.
Passas muilo novas a 480 re. a libra.
GRANDE E SUMPTOSO ESTABELECIMENTO
M4CHINASDEPATENT
de trabalhar mo para
descarocar aSgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & G.
0LDAJ1
DE
NOVOS E ESCGLIIIDOS CEXEKOS
TANTO EM GROSSG COMO A RETALIIO
OO RUJL NOVA GO
Cltima casa juate a ponte da atoa Vista.
i
DUAS PALAVRAS.
c Cesse tudo quanto a antiga mu-a canta
. Que outro valor mais alto se alcvanta.i
Acha-se a disposico do respeitavel publico esle grande e magnifico estabeleci-
mento de molbados, talvez o primeiro e nico hoje existente em sua especialidade, por-
que o maior capricho de raaos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci-
mento modelo promoveram a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quantidade c pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtencSo de vantagens, que repartidas como vito ser pelas pessoas que se
dignarem de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca do agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pratka da proraessa que fazemos de vender polos pre;os quasi do pri-
meiro .custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que achanto
em nossa armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram oneces-
sario, protueitemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escollados ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
homem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao 6 pela boa quaiidade dos
objectos, como pela fidelidade dos presos, e bom acondicionamento.
0 futuro nos justificar.
CAVACO ECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico alguraas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominaco de Liga, parecer o titul do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ninguem.
O neme urna voz com que se do a conbecer as cousas. E esta a mais
breve, clara e sincera explicado que, pelo metbodo repentino, podemos dar.
Mas a quera nao seguir o partido desse systema diremos mais:
N3o oriundo do Brasil o imponente titulo do nosso eslabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
lem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narracao desse acontecimenlo, que tao-
0 sorprehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-
inamente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oit5o do nosso eslabelecimento, temos assim feilo distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
ilonnl sol qiii mal y-pense._____________________
Estas machinas
podem descarocar
qualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
seudo bastante
duaspessoas par
o traba I ho ; pode
descarocar urna
arroba de algo-
do em carocc
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por da ou 5 ar-
robas de algodao
lirapo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e exaroma-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
Saunders Brothers A C.
IV. II, praea de Corpa Santo
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
^endem-se cortes de casemiras para caigas a "5
35300, 65 e 75OOO o corte : na ra da lmperatriz,
loja da Arara o. 06.
A Arara receben um completo sortimento de capas
e suiillic 111I1 arques
que vende baratissimo, a saber : southembarque
de alpaca branca enfeitados muito de gosto a 125,
ditos de laazinhas de cores a 85, 105 e 125000,
capas de grosdenaple preto a 205, 26'5, 305 e 355 I
soutembarques pretos de grosdenaple a 205, 255
e 305OOO : s na loja e armazem da Arara, ra
da lmperatriz n. 56.
Casemiras para capas a 3$ o covado.
Vendem-se casemiras lisas proprias para capas
de senhoras a 35 o covado, laazinhas lisas para o
mesmo fim a 600 rs. o covado : na ra da lmpera-
triz n. 56.
A Arara vende lencos de seda a Ify e 860.
Vende-se lencos de seda de urna s cor a 800
rs., ditos finos d cor a I", colarinhos baratos a
600 rs. a duzia : s na loja da Arara, ra da lm-
peratriz n. 56.
Ao barateiro do bairro da lla-Vista.
Vendem-se chitas escuras e claras de cores (xas
a 240 e 280 rs. o covado, chitas Irancezas linas a
320, 360, 400 e 500 rs. o covado, porm assegu-
ram-se as qualidades-e cores : c muilas outras fa-
zendas que so vende barato, isto smente vista
dos fregupzes. Assim cheguem fregueses, porque
s se vnde assim barato porque est a festa na
porta, e a !o|a da Arara da ra da lmperatriz n.
56, pode bem servir aos freguezes do bom e ba-
rato.
XAROPE D'ETHER
DE BOULLAY
boulcr da Faculdade de Setnaos, membro da Academia imperial de .rt.'i< .na.
Uf/icial da Legue de Honra,
Ra des Fosss-Montmartre, 17, Pars.
Este aartfpc composto i mais de vinte annos pelo sabio lente Boullay, consiitne a m tmr
maneira de administrar o Eiher. He empregado com suocesso em lodas as doencas qne tir^o ^aa
origen) de um crithismo nervoso, como sao as:
Eaxaqucea,
\-ruly,n*.
I>|I|1MIKI-.
Altaf|iir de ervos,
icrllui'ii-.
Sj IICO|>OI,
( aliuhri). de ralDinaco.
IlMltgCKtcM,
I.OIIt lllMll'.
Ii'foin iMatrrlcoM e hj po-
roniIrlarOH,
Clica** tcuioHU. ou nrr*o-
, hrpailra le
ArrrKmmn Ir ola a>
matlama,
Caaoa ir rmririIrMfiM.
tic, tte., etc.
Deposito geral, em Pars, na botica de Boullay, doutor em Stmtin, membro l4.
iperial de Medicina de Pars, official da Legio de Honra, ra des PaastoJ
imperi
cm todas as boticas de Franca e dos pai7.es estrangeiros.
-Montmartr>>. I", e
ASTHMA ASTHMA ASTH1A
SUFFOCgO NERVOSA E OPPRESSAfJ
l nico remedio eflicaz para combatlir estas molestias, acalmar um attaque d'asma c impedir a
volta e o Xarpe aromtico de Succino jambar amarello) do r Danet. l)escob recente, este novo ]>roducto se tem propagado com extrema rapidez grabas aos admiraveis resal-
tados que tem sempre producido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-llrenclle, e em todas aa
blicas de Franca c do cstrangeiro.
Deposito geral em Pernambttco ra da Cruz n. 22 em ca a de Caros BarLusa.
4frSf
,S1&J^&&
UMA GRANDE LIQUIDACA
i:xccllen(lsima senhora
-fcex.
A loja da ra do Crespo a. 17, de JoscGomes Villar.
Recebeu de sua cncommenda vindo de Pars, as melhores fazendas qu>: tem vmdo
a esta provincia.
Cortes de blonde completamente preparados com capella e Dures <[,., etc. propric
para casamentos.
Cortes de mcreantique para noiva, mantas e eapellas proprias pira notva, balo- u'c
todas as qualidades para senhoras, ricos cortes de seiia preta do cores e inon-antique pr-1-
lo, grosdeuaples preto e de cores, caini>as de camhraia lior.ladas para sea horas.
Chapeos de palha para senhora assim como para m.mi.ia o que htm vmdo Je nw
Ihor. peitos bordados para camisas de homem, eassas de core*, orgrnlvs de linda? ec<
chitas de todas as qualidades.
Capas pretas de gorgurao importantissim.v, sootemban|nes preHs, as-im can
cores o melhor, casaces, pelerinas, pellives etc., etc., easaveques romp idos de uto- ure- \'f'>
tos e de gorgurao, fazendas importantissimas. '
Novo gosto
Chales de renda pretos o mais moderno presentemente a 155 e 20,y
A elles autes que se acaben), fazendas deludas as qnahdidc- proprias i ira sea
Tapetes para forrar salas a 2500 o covado com seis palmos de largnra.
Esleirs de muilo boa quaiidade para ferrai salas.
']Did Ul9 oojjqnd o 9 sd.ioi[iids
\ u odsaaj op enj
ovjvaiiion aaMVH9
.V
VMl
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateiro
conhecido j como tal, esl dispondo da fazenda
por todo o preco para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o seguiste :
Baralbos de cartas para voltarete muito
finas a............................. 206
Miadas de linha irosa para bordar a___ 0
Pares de sapatos de tranca do todos os
lamanhos e finos a................... 15500
Massos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. ...
Libras de ara preta muito superior a...
Frascos de superior macaca oleo a ....
Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs. e.....................,
30
200
100
100
200
500
400
640
o'

g-S-ts-s -.
a?op'r.so^H2
2 3"-; a c O O rr-'-< u O O 03 o
B 00 S
35&= 'i-as
loiSialBS'?!!^*^
t/3
Vende-se um comometro martimo inglez do
melhor fabricante Charly Frodshan, afflancando o
sea regulamento, por diminuto preco : a tratar
na ra Nova n, 21, loja de Francisco Jos Ger-'
mano.__________________________________________i
Vendem-se dous excellentes terrenos promp-
tos para se edificar com 64 palmos de frente am-
bos e 300 do fondo, junto a fabrica do Bowman na
ra do Bram, aterrados at a linha do caes lendo
ty parte do caes feito : a tratar na ru dos Gua-1
rarapes n- Vi,
Vende-se superior vlnho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater de C, ra
do Aar 3-
Queijos de Minas
Vende-se na ra Nova q 01. defroqte ('a lllm.*
cmara municipal.
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida..............................
Ditos de banha muito fina a.........
Ditos de-cheiros muito finos para o preco
0 aris............................. 6oo
Jabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
**>. e............................ 400
Novellos de linha com 400 jardas a...... 80
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das............................. 60
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a............................. 30
Pecas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a....................... 240
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a 200
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris.............................. 400
Varas de bicos francezes, superiores a... 40
Opiata para dentes da melhor que ha a.. 15000
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a............................ 150OO
60
200
40
65500
160
40
Pecas de tranca preta liza mnito fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fita preta com colxetes a......
Libras de lila sortida de todas as coros a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de obreias de ma ssamuto novas a
Varas de franja .branca e deires para
toalhasa.........................
Frascos de oleo Philocomescopenor a...
Ditos com superior tinta a320 e...-......
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
En fiadores para espartilho a...........
Duzias de bot5es encarnados para yesti-
ton,,,,..,........................
600
500
800
60
S00
CP Q9
I
O.
S b
a M
2 5
"" 3
" % -
1 '>
o 0*1
ilf
W 05 O
o
a>
a f-a
-I
a, 03
Q.O.
?|b
3o
o

=r-S:3
a

A' ra das Cruzes n. 36.
5 o
2 ra
*
- o
X.Q.
f a o

> s
> -
tn
"O
a
i

3
-i
o
s
Sendo a primeira neste genero tanto pela variedade de suas arooerot como pela perte,ii;.ic
do seu trabalbo, os respectivos proprietarios reclamam a attengo do publico uedindo a sua di
cao. Knconlrarao os freguezes o seguinle :
Licores de todas as qualidades inferiores a 200 rs. a garrafa.
Ditos ditos finos a 100 rs. a garrafa.
Genebra de laranja a 85 a duzia.
Dita em botijas de superior quaiidade a 200 rs. a botija.
Djta de canella a 500 rs. o frasco.
Agoardente de todas as qualidades a 200rs."-a botija.
Alcool de 37 graos (espirito de vinho). Preco variavel.
Agradavel c barato.
Agoa de colonia que se vende em porcoes a vontade do fregus.
Pos de arroz em caixinhas a 400 rs.
Pos dentifricios em caixinhas a 400 rs.
Balsamo para a conservarlo das gengivas e para tirar o mo balito d.i
Tonilo para a eonservaco dos cabellos e para a caspa a 800 rs. o frasco.
Paslilhas peitoraes a 15 a libra.
estruirao dos ratos.
i
Caixinhas com pos para o envenenamento dos ratos o melhor qne se tem descoforto
por ser de prompto effeito como por nao precisar precauco com as pessoas de casa.
>'aj 8 JO rs. o I ra^ec
unic
Sdomuit" bonitos
Sao muito modernos
Sao muito baratos
O barateiro Joaquim Luiz dos
Sanios, acaba de receber um es-
plendido sortimento de soutembar-
ques e capas ricamente enfeitados e
que vende muito barato ; mandem
verExmas. Sras. para se convence-
ren! desta verdade, na ra do Cres-
po n. 1, junto ao arco.
m
ATTENQAO.
Vendem-se madeiras de travejamento de diver-
sas dimencoes e de boas qualidades, por preco
eommodo no caes de Capibanbe, em casa do Sr.
T. Boempck, a tratar com o (libo do mesmo se-
ntar.
RA DO QUEIMADO NUMERO 11
Loja de fazendas de Augusto Fredericodos Santos Porto.
Chegaram este estabeleciment ricas colchas de seda para camas de neivos-
Moreanlique e sedas adamascadas para vestidos de noivas.
Enfeites de cores e eapellas brancas.
Superiores cortes de organdys goslos os mais modernos.
Bonitos cortes de chaly com'barras compridas a 205-
Cortes de la de barras de 105 a 185-
Esteiras superiores para sala com 4, b e 6 palmos de largura.
Casimiras de cores para capas de senhoras, e roupas de homem.
Cortes de superiores casimiras para costnmes completos.
Grosdenaple branco,azul, cor de rosa, preto, cor de caf ete.
Chapos de palha de Italia para senhoras.
Pannos finos e superiores casimiras pretas.
Finissimas percalas, cambraias de cor, ditas brancas.
Tapetes grandes para sof, balites de arcos brancos e de cores.
Malas para viagem, superior silistrina preta, bombasina preta.
Cantao, merino de cordao, prlncezas, lencos de cambraia, de linho, silesias, bretanhas r m-
tras muitas fazendas que se vendem por commodos precos.
PECHINCEl
Roa da Madre de Dos n. 9.
A 44IOOO.
Saceos grandes com farinha de mandioca pelo
barato preco cima mencionado.
Vende-se ,urna mulatinha de 16 annos de
idadg, recolhida e com habelidades ; no largo do
Terco n. 33.
Para colletes.
Vendem-se abotoaduras don radas que nao es-
merecem a cor com as efflgies de SS. MM. o *
D. Pedro II, D. Luiz I e Hara Pia e outras ci c\
as coros brasileira e portrjgueza: as ras lar:.
do Bosarlo n. 30, do Qneimada n. 46 loja !> Gu*-
mares & Bastos e da Cadeia do Recife a. 49.
Vende-se urna casa de paste na ra i* La a
n. 13, com bastantes commodos para passa sendo repartida em dtias casas : a tratar aa R-
beira n. 23.
/
m
<
MUTILADO


Diarle e rmuAm -. sexta lelra 11 de Xovenbro e t4.

AHI08.4 BWLIIiME.
Largo da Santa Cruz.N.84.
Francisco Jos Fernandes Pires, tem a honra de avisar a sq numerosa freguezia
e com especialidade aos moradores do bairro da Boa-Vista e seus arrebaldes, que fez
nova reforma em seu asseado eslabeleciment de molhados denominado Aurora Brilhan-
te, ao torga da Santa Cruz, e cora esta reforma suprio de novo o seu armazem de buns
gneros, sendo muitos delles mandados vir de sua propria conta, para melhor servir
aqueiles que *o dignarem comprar ou mandar comprar em seu estabelecimento.
.V arm.izcm da Aurora Rrilhante encontrara sempre o respeitavoi publico um
lindo e novo sorlimento dos melhores gneros que tem viudo ao nosso mercado, e sem-
pre por pnces muito razoaveis, como se v da seguinte tabella que ser mudada sc-
manalmente.
A Aurora Brilliante recebe as libras sterlinas por 9. sendo para compra, e faz o
por cento de abatimcnto a quem comprar de 1005 para cima.
uiJ
Presuntos de flambre muito novo, a libra a
800 rs.
Ditos para panella, a 560 rs.
Queijo londrinos muito superiores, a libra
a ooo.
Dilu do reino vindo ncstc vapor a 25600.
Ditos do vapor passado a 2* e 2J4O0.
Queijos de qualha uovos, a libra a 560.
Frascos grandes com amcixas a 3000,
Latas com l|-> libras a 15200
Ditas eom 3e6 libras a 25500 e 4.
Chocolate francezmuito superior, a libra a
15120
Cha lino de primeira qualidade, a libra a
25700.
Dito uxim a 25700,
Dito hysson a 25700 e 25800.
Dito perola a 2J800.
Dito em caixinhas de 1 e 2 libras a 25000.
Dito pelo a 23 e25500.
Manteiga ingleza flor a 15200.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita em barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Latas rom 2 libras do banha refinada, a libra
a 400 rs.
Manteiga franreza nova, a libraa 640.
Dita em barris e meios ditos, a libra a 600.
'1 o km n lio de Lisboa a 95500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Latas com bolachinua de soda de 5 libras a
25000.
Ditas com biscoitos c bolachinlias sortidas
a 15500.
Ditas inglezas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranhao, a arroba a 25400 e a li-
bra a 80 e 100 rs.
Dito da India a arroba 25800 e a libraa 100
e 120 rs.
Caf muito superior de primeira qualidade
a 85500, 93 e 95500 a arroba.
Dito em libra a 280, 320 e 360 rs.
Vinhos em caira de 12 garrafas, o melhor
possivel a 185 e 205.
D.to mais baixo a 105,125 e 145-
Dito Figu.iira. o mais superior pos-ivel, a
caada a 43300 e a garrafa a 640 rs.
Dito mais baixo a 45 a caada e a 560 rs. a
garrafa.
Dito de Lisboa, boa marra, a 400 e 500 rs.
a garrafa.
Hito liordos a G40 rs. a garrafa.
Dito em caixa, das melhoros marcas, a 75 o
85000.
Sorreja, marca tenente, em botijas a 7 e 85
a du;.a.
Dita de diferentes marcas a 500 rs. a garra-
fa c 55800 a duzia.
Genehra de laranja verdadeira a 15 c 15200
o frasco.
Dita de IIollanda em frascos grandes a 15 e
pepupnos a 40 rs.
Dita verdadeira do Ilollanda, a botija a 480
Licores linos de varias qualidades a 800, 15
e 15500.
vinho mscate! a 105, c a garrafa
Charutos finos do autor Jos Furtado de Ci-
mas, ha por mui tos precos.
Ditos de'outros autorss a 15500. 25e25300.
Gigos de batatas novas com 1 arroba a 15.
Passas novas, a libra a500 rs.
Figos novos a 320 rs.
Latas de ervilliase favas portuguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas com ostras, escolente petisco.a 640 rs.
Latas dcpeixe ensopado em postas, de muitas
qualidades, a 15-
Potes de vidro com sal refinado a 500 e 640
ris.
Marrasquino da melhor qualidode, a 85 e
125 a duzia.
Garrafas de dito a 80o 6 '5200.
Amendoas confitadas a libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
Xozes, a libra 160 rs.
ainco, alcista, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Grao de bico, a arroba 45 o libra a 160 rs.
Vinho de caj preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 15000, 15200 e
15600.
Champagne boa a duzia 205,e a garrafa a 25
Garrafcs cora genebra hamourgueza a 65.
Vinho branco Xerez agarrafa a 15.
Dito Joao de Brito, puro, a garrafa a 640 rs.
Dito adocicado a 560 rs.
Dito do Porto, fino, a garrafa a 800 e 15
Xarope de grozeis e outras fructas a 640 rs.
Massas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dita estrelinlia, pevide e rodinhas a 640 rs.
Caixinlia com 8 libras de dita a 35500.
Sebolas solas grandes, o cento a lo.
Ditas grandes em resteas a 15280.
Duzias de carias francezas fiuas a 25300, 35
e 35500.
Duzias d>! latas de grasa nova a 900 rs.
Bonhoes de dita a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do serlao a libra a 320 rs.
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes com familia a 53.
Ditos com niilhoo 35309.
Erviltias seccas libra a 160 rs.
Lenlilhaspara sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha do Franca a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Araruta verdadeira a libra 480 rs.
Gomma de engomraar a arroba a 43 e em
libra a 100 rs.
Sab.io espanhol a libra a 400 rs.
Latas com o verdadeiro gaz liquido com 27
garrafaa a 125-
Garrafas eom dito a 500 rs.
Saceos grandes com feijo mulatinho com 24
cuias por 95-
w
Caixas de vinl
a 15000.
Ditas com azeitc refinado a 105 e a garrafa
a 15000.
Conservas inglezas e francezas de pepinos,
soblas, azeitonas e mixide a 600, 700 e
800 rs. o frasco grande.
Caixas com frascos de mostarda franceza a
45 a rlnzia.c 300 rs. o frasco.
Copos e calix lapidados para vinho e agua.
Latas muito bem enditadas com figos novos
a 25, 25300 e 35-
Assucar refinado com ovos muito alvo a ar-
roba a 63300 e a libra a 200 rs.
Papel patalo liso d peso branco eazul, a
resma a 25500 e 43500.
Vinho Mad'jira-secco. a 15600.
Cento de esleirs de tranca a 205
Barris com azeitonas novas a 15-80.
Duas bataneas grandes de Romao com os
pesos de 21 arrobas, e alguns bracos pe-
^ quenos do m-smo autor.
Urna grande quantidade de caixoes vasios de
todos os tamanhos de 120 a 500 cada um.
E Ml'ITOS OUTROS GNEROS QUE TORNARA EXFADONO MENCINALOS.
TUDO DE PRIMEIRA QAUDADE.

a^S

t< '-'JO
SORTIMENTO PARA A FESTA
o' r^
23largo do Terco-23.
Joaquira Simio dos Santos, dono deste armazem de raolhados avisa aos amigos do bom e ba-
lito que se venham sortir dos bons gneros este estabelecimento que nao se arrependerao, se lhe
rara a difterenca de 10 a 20 por cento, pelo seu prompto pagamento ; e por isso se faz annuncio de
alguns gneros, que tendo sempre este estabelecimento um grande e vantajoso sortimento de ludo
quanto pertencente a este estabelecimento.
Sentido! Yon fallar com o Conservativo !!
Queijos mais novos do mercado a 25500 e 25800.
Serveja das melhores marcas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 55800.
Sabo amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charulos da Baha dos melhores fabricantes de
15200, 25000, 25500 e 35 a caixa.
Milho alpista e paingo a 160 e 140 rs. a libra.
Caf de primeira e segunda sorte a 250. 280 e 3001 yinno de F'8ueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa.
e 2' sorte a 800, 900 e 15
a 600 e 640 ris a li-
Manteiga ingleza de 1
a iibra.
dem franceza em barril
bra.
Toucinno de Lisboa a 300 rs. a libra e 85800 a ar-
roba.
Batatas em caixas e gigos 15200 e 25000 a ar-
roba.
rs. a libra.
Arroz da India, Maranhao c Java a 100 e 80 rs. a
libra.
Phosphros do gaz a 25 a groza e 180 rs. o maco.
Passas novas a 480 rs. a libra.
Velaste carnauba Aracaty com pos i rS o a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 430 e 440 rs. a libra.
larmeilada dos melhores fabricantes de Lisboa de
1 a 2 libras a 640 rs. a libra.
C hysson o melbor dste genero a 25800 a li-
bra.
dem perola miudinho a 25500, 23000 e 35000 a
libra.
Danha ingleza alva e superior a 480 rs. a libra.
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a diia.
dem do Porto era barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprio para missa 500 rs. a dita.
dem do Porto eogarrafado a 800 e 15, tomando
mais de urna caada de qualqaer um destes ter
grande abatimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
Biscoitos e bolachas de soda a 15400 e 25.
Massa do tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Olaada em frascos e botijas e de la-
ranja de 480 a 640 e 15200.
Chouricas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas com 1 e meia libra de ameixas a 15200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 35 o
galo.
. L manas
Vinho tinto sem confeico
30,000 EJH AXCORET AS DE C A V Vil AS 30,000
Inicodeposito em "ernambiica roa da/Cadeia n. i.
Esta nova quadade de vinho receida directamente de diversos lavradores de
Torres Novas (provincia da Estremadure) como attestam os billietes do caminho de fer-
ro que trazem os cascos, provaodo sua origem e procedencia, recommenda-s a todas as
pessoas que queiram ter a certeza de beber vinho puro de uva como o que se be5e nes-
sas trras aonde nao panetrou ainda o espirito de falsificacao. E* preciso que o publico
so convenc de que os vinhos que aqui se importara nao vindo directamette do lavrador
otegam pela ma.or parte ou quasi tod ,s sobrecargados de preparos nocivos saude
causando bem graves transtornos no appareiho digestivo
O annuocjanle offerece a analyse dos professionaes esta nova qsalidade de vinho
que expoe a veada, e po estranho a natureza da uva de que feito.
N. B. Para evitar a faisifleacao, o annunciante declara que o nico propietario
e importador deste viuho o qua! vende somen:e no seu armazem da ra da Cadeia do
0
NEM COROAS NEM MITRAS

GRAIOE
ARMAZEM
DE
RA DO IMPERADOR *. 40
Juuto ae Sf orado em qae mura o Sr. Osberae,
Dnarte Almelda t C, receberam de sua propria encommeii-
da o mais lindo e variado sortimento de motilados, proprlos
da presente estaeo.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a l,ooo;para sopa a melhor que se pode desejar,
macarro, talharim ealeiria
rs. a libra e em barril a 8oo rs.
manteiga franceza
da safra nova a 6Uo rs. alibra, e em barril
a 360 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Aineixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2#400, muito propios para mimos.
Cartees
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas do soda de todas as xma-
lidados a 14860.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 256oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2#600 cada um.
4|ueljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-1
cas sao asseguintes: Chamisse AFitho,
F M Nctar ou' vinho dos teuzes' Acaba de receber de sna proPria encommei>da um grande e variad sortiao*
LLt'Hn^LnLln^ni.r268' "olhados todos primorosamente escollados, por isso apressa-se o proorieta
lagrimas
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellhs
para sopa, macarro, talharim c alotria a
480rs. alibra. i
COGNAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a f,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPN
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo. a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa i
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Paingo
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 o cento na ra doQuei-1 em paneiros de I c "arroba
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar- roba e 140 rs. a libra
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
muite novo a 30 iOO a arroba e 140rs. a li-
do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da me3ma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120c Al bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as ma
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de l.1 e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 803f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 Va garrafas com vinagre a 10OOO;aa
o garraao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Ilollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Ilollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Laraego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba era caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
era caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frntas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
s a 30500 a a-
na ra do Qoei-
mado n. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
isso apressa-se o proprietario
: offerecer aos seas freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus genero
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 1 ,ooo
rs, a libra e 8oo rs. sendo em barril.
dem franceza a ',6oors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio al,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 8oo rs. a libra sendo intoiro.
Genebra marca gato a 1.7oors. agarrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes I
marcas : Osborne, Crakoel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a l,3oo e l,4oo rs.
Fumo americano em chapa a 1,6oo rs, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 30 a
caixa e 6o rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, aen-
dua amarga, percicot. de Turin, Btete
morangos, limao, caf, laranja, cidra, giin
ja, canella, cravo, rlela pimenia a l.ooo
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garaote-ae
que 6 os melhores qoe temos tido no aer-
eado.
Passas muito novas em quartos e inteiros a
2,ooo rs o quarto, a 6,oo a caixa e loo
rs. a libra.
dem corinthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 6io rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a I,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para Gambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios ramio novos a 64o a libra.
Caixas de (raque n. 1 a 80500 cada una.
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a loo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa.
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e Too rs. a
I garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo c l.ooq rs. a caiu,
os mais baixos sao dos que por ah se ven-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
2loo rs. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Bicos frascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
bra na ra do Queirardo n. 7, ra do-1 em latas de defferentes qualidades a 10200
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.1 a lata
QUEIJO SUISSp QUEIJOS FLAMENCOS -~
libra na roa do chegados neste ultimo vapor a 20800 na ra
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
do Queimado n. 7, ruado Imperadorn.
40 e largo do Carmo n. 9.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
lnio e Commercio roa do Queimado n. 7
0 Verdadeiro Principal rea do Imperador n. 40
FRUCTAS
fhm. MA^AA, PERAS E UVA
2?v2i22i2 2P6 ^l-86 D0S se8uintes lu*ares: Ra o Imperador n.
40, Verdadeiro Principal-Rua do Queimado n. 7, Unio e Commercio.
Agua Florida.
Reoife n. 1.
Para restablecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agna florida nao urna tintara, fcto esen-
cial a contestar, a mesma agoa dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composla de flamas exticas e
de substancias inoffeusivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'nma salnbridade incontela-
vel, a Agraa Florida entretem a limpea da cabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida.
Composto de substancia* vegetes exotieas, elle OUDeriOr C81 U LlSDOa.
S5?J??2&J2E a A8k ,orida' a Sende-se *F&* "' de Ul nova & feSL 4 *fnmfil? *S tMA na mprcad tanl em Pr5 """> a retalho
lien .? b'ooleardM^ Z."' rUa delBcne- ipor barat0 pre aneando se compradores a
Todo! ?K? rib^SEE' .. 5.uperor ^MAie : a tratar as seguintes ras :
Mmtar^^A& t"0' Crespo 7' ImPera "SW^ 558? d0 Sr-Vi,,a defron,e ^^.ichoao..-
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gostos para meninas
trazerem no braco : s se encoulra na loja 4o Bei-
ja-Flor, ra do Queimado n. 63 e 69.
Extratos e sabao em eai-
xinhas
Lindas caixinhas com nm carlo com a familia
imperial, e dentro de cada caixa nm frasco ou sa-
bao o mais Bao que passivel: na loja do Iieiia-
Flor ra do Queimado n. 63 e 60.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 2 1(2 libras.
Foijao verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
iSozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
l,ooo rs.agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a ooo rs. a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicio a 560 a garrafa e 4, ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garraoes con 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. cora o garrafo.
dem com 4 '/ dRas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garrafo.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem empipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com I duzia da garrafas de vinho Bor-
deara fazenda moito especial a 6, Seo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Caf de premeira qualidade a 8.3.x e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3.ooo n.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaly a 9,;ioo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a ."(Jo r>. a libra, e em
caixa a 5o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaro pautadoe lisoa3.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5uo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueleiroa 2,oors.
a resma.
dem embrulho de 1,2oo a 1,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas del '-libraa
l,2oo c 8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
a j.ooo rs. a
Molhos inglezes a 8oo c l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tsente verdadeira
duziae 6oo rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5.5oo
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de Ierro
viudas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo rs. o molboa
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garraoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos
com 2o rs. o macinbos a 12o rs. o'
Cominhos muito novos a32ors. a libraa
1 o,ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franga a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomnra a 28o rs. a libra e 5,loo a arroba.
Peixcs em latas a l,ooo rs. a lata ja prosapia
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biito saceos
grandes a 4,ooe rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo a i,aoe rs.
cafado.
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seos fraga
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estpoioQ
os mesmospreos nos seguintes lugares: ""
Uniao e Commercio ra do Queimado n. 7.
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
j


Diario de Persaflikaeo Sexa letra f I de .\orembro de 1SS4.
&0 PUBLICO
iem o menor constran-
glmento ge entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENCflO
Os preeos da seguate
tabella c para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
con os portadores.
m*
RITA I)A CADE1A 150 RE.CIFI. M 53o
Grande redueco de preeos,
(Logo passantlo o arco da Coneeigo)
equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunciante.
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS RIVAL SEM SEGUNDO
Htlli (lo Utii'iiri'j.i.. ... i\
L1ANG
.. \. .. : ..:
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a 1,000 rs. a libra, bem assim o de outros
tnuitos objectos, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom prego a manteiga de tempero, e grilarem em
alta voz, que podem vender pelo prego que eu vendo 11 Ora, eu oflendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vira encontrar, de s se vender com um por cenlo a carola, resolv fazer esta grande reduegao de pregos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de I,4oo a l.Coo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
estao obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamacao de pregos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimenlo. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento des-ta ordem que o seu nm
t5o smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplido e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a protecgo e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pogam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommeudago, afim de que nao vao em oulra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
escolhida a 8oo rs. a libra, em barril se ment.
faz abalimento. Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7,8oo
dem franceza a mais nova que tem viudo ao i e 8,5oo rs. a arroba.
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
meios a joo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathicoporserde superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
a 2,ooo rs. a
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, I,8oo e 2,ooo rs. a Painco e alpista a I4o rs. a libra, e 4,3oo
libra, garante-se ser muito regular, igual j rs. a ai-roba,
ao que se vende em oulra parte por 2,4oo Massa de tomate em latas de I e 2 libras a
e2,too rs.
Linguigas, chourigas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chourigas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e I,5oo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a I,6oo e I,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latasj pre-
paradas a 6io rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunlo do reino viudos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
eolia,
Choculate francez, susso e hespanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambemtem
de 12 por libra propria para carro.
Pexe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras c chernee, vezugo em
latas grandes a 8ooe I,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talbarim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propiamente
feitas para esse um.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellcnte qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 4S,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figucira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellcnte quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinbo branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuioo,
D. Luiz L, ftladeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meiaslatas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica,
libra.
e 24o rs. a
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, quo outro
qualquer nao pode vender por este prego.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona em | Figos de
frascos grandes a I .ooo rs. o frasco, e
ll,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs. _
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e H,ooo a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha (
mesmo a 5oo rs.
Ceneja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franga milo nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiaedas
mais acreditadas marcas couhecldas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; ditoemcaixoesaGoors.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
HE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
& a O por cento menos odrec que sepuaan po n ira qual-
quer parte.
Gneros especialmente escomidos por um dos socios que na Europa se acha
para esse. fim. *
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabeleci-
mento.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
Hua do Uuuimau M. 49 e o.j, toja d aiiM>na
cWJeAie.eolhB1r,f!|J intiman.;., .
tender mimo barato, po, s,u -, -, ^ ._ Ur^
da por lodo prego a vista dos ruLrts.
Cartas de allinetes (raneen da inetfcor qu'irfaav
a b rs.
Grosasde pennas de acu iaglezss da ::. Ur ^l--
lidade a 610 rs. *
Caixas de clcheles (rancezes de .-uperiom aavU-
diidi-s a O is.
Grana de boloes de madreperola muito lino* a.~C;
e 640 ris.
Carreleis com 4 a 5 oilavas do reln z prt* a>a
MO rs.
Re.>mas de papel do peso liso Mn MfMbva
mooo.
Grvalas da liga n de outras minia- ,* '.: :
SCO rs.
Caivetes para penna coi fonas fa/n.. i
800 rs.
Duzia de boloes branco |iara casav p t M m*V
ra a 100 rs.
Pecas de lila de tos estrellas coa v.ira*|*ia*-
lidas a :n rs.
O Expositor Portngucz para es ju-uinc* a preECer
a ler a 800 rs.
Os segredus da nalureza para os n niCMM I ,ri-
der a ler a I 000.
Cartilhasda doulrina chrisiaa, finas <> roa .-: re*
320 rs.
Penles finos de narlim a lMO, IJ1W lff&
| Pares de luvas de seda para hom- :is i ftata ras a
500 rs.
JGoJlinhas para senhora o Bel r qu _;
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annun- wo rs.
cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambem1|,r?g}coni ***** mmm a Mi ^,S
estamos certos nenhuma attengao j merecem do publico. O nosso fim, pois, simples- Livrosqae serve para asseuiar roui. i -o ibu.-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos esta na tabella dos pre-j io prego de 160 rs."
eos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attenco. r-apafnos redondos mno finos a ."oo i>.
Cordao branco para esparlilhes iiiuio -oreritr, a
Vinho verde.
AO PUBLICO,
Chegou o muito desejado vinho do Cartaxo vende-se miicamente n*sle armazem
a 6oo rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
4G ENCA
DA
AGENCIA LOW-MQOR.
Roa da Senulla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
nm completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston de C,
ra da Senzalla Nova n. 42._____________
Superior vinho Collares.
Na ra doVigario n. 11, escriptorio de Mano el
Joaqulm Ramos e Silva & Genros, tem para ven-
der superior vinho Collares em ancoreas.
Fabrica Concei$to da I
Bahia.
Andrade k Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aqacl-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodao em pluma etc., ele,
pelo prego mais razoavel.
mmmmmmm
Roa da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montana, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
POTASSA
GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
FUKTDICAO DE SINOS
* DE
VILLAR IRMiO i C.
BITA BO BRUM H- 40
Chamamos a atten^o de todas as irmanda-
des e confrarias para o que abaixo publicamos.
O amor que volamos arte que professamos e o desejo que temos de concorrer com o
nosso fraco contingente, para a ver chegar em nosso paz ao grao de perfeico que para
desejar, nos impellio a mandar Europa um dos nossos socios, afim de particular-
mente estudar a melhor maneira de bem fundir os sinos.
Grandes foram as difflculdades que tivemos a superar, afim de podermos conseguir o'
nosso desidertum ; porm gracas aos esforcos e bons officios de um nosso amigo, o nos-
~ so socio pode ser admillido em urna das melhores fabricas de Lisboa.
5?^ Muito lucramos o muilo tem a lucrar o publico, por que sem receio de serraos con-
Wf testados, podemos afflrmar, que os sinos fabricados em nosso estabelecimenlo em nada
J se parecem com esses almofarizes de mo goslo que por ah se fazem.
Estamos habilitados a fundir sinos de todus os tamanhos desde 16 libras al 100 ar-
robas, com emblemas, ornatos, etc., conforme a voniade ou goslo do comprador, guar-
dando em seu fabrico todas as regras da arte. Pedimos, portanto, em recompensa de
tantos sacrificios e despezas a protecgo do publico.
Villana, Irmao & C.

Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e i,5oo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 Vi libra a l.loo rs.
Arroz do Maranbo e da India o melhor que
ba neste genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a Ooo rs. a garrafa, e lo.ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Amonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,ooo e i,5oo rs.
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a I,3oo e 2,2oo rs.
lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em gigos de 36 libras a I,ooo rs.
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, 1,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
! i lira.
Ider* pprnla qualidado espacial a 2,7oe rs.
aBbra.
Idenhysson o melhor que ha neste genero
\ a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra,
j dem prelo homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
" Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a I,ooo,
l,2oo e I,4oors. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas c outros da Bahia como
sejam regaba, trovadores, gnanabaras,
delicias e suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
! dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a Ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo 5,ooo
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas porluguezas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs,
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e ginja a Too rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e I,loo rs. a
duzia.
Gomma muito al va e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafSo.
dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
l,ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o
frasco e U,ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
Vende-se potassa em barris a commedo prego o
na rna da Cru n. 23, primeiro andar, eseriptori:
de Antonio de Almeida Gomes.
Cal de Lisboa.
Vende-se na ra da Praia, no armazem de Jos
Joaqun) da Cunha & C. n. 16.
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado fibra a 110 rs., idemdeLow
Moor libra a 120 rs.
Muinhoscom rodas, patentes.
Hoinhos grandes com rodas, patentes, e afianza-
dos pelo fabricante para moer caf, e proprios pa-
ra reOnaco por serem de especial qualidade e de
lodos os tamanhos: vendem-se nicamente no depo-
site da ra da Cadeia, loja de ferragens n. 36 A,
de Bastos.
Blscoiitos.
Vende-se em casa de Southall Mellor & C., rna
^rapopiebe n. 38.
H9BB
Destru* ao dos rates
' Vende-se tamben) caixinhas com pos que in-
fallivel para o envenenamento dos ratos, nao sendo
. necessario precaugo com as pessoas de casa.
Gal de Lisboa em pedia
desembarcada bontem de bordo da barca Bebe-
douro : vende-se por todo o preco no escriptorio
de Manoel Ignacio d'Oliveira & Filho, largo do Cor-
po Santo n. 19.
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e intimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris:
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, ra do
Trapiche n. 13, por preijo razoavel.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a Ooo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
l,ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista,
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Lisboa
a 6oo rs. a libra, ha latas de 1, 1 i/2 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de I e 2 libras a
6oo rs. a libra.
Macarrao, talharim ealetria a 4oo rs. a libra,
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolbas d9
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
a garrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs- a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a 7oo rs. a libra.
Passas novas de carnada a ios rs. 3 libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide erodinha
etc. a 3,5oors.acaixa, ea56ors. a libra.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades: savel, corvina, goras
cavallinhas, e pescada a l.ooo a lata.
Palitos para dentes lidiados a 14o rs. o ma-
to de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo rs.
a groza.
Painco muito novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ultimo vapor, a 2,5oo
rs.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra e
sendo enteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a loo rs. cadaum.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
l.loo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1 .ooo
rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra,
dem de carnauba refinada e de composicao
a 36o rs. a libra, e de lo,5oo a ll.ooors.
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
das marcas menos conbecidas a 4oo rs.
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada,
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com O caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
composicao a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo
rs. a caada.
dem de Lisboa branco uva pura a 56o rs. a
garrafa', e a 4,5oo rs. a caada,
dem Porto Ado em pipa a 56o rs. a garrafa.
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
Genuino, Particular a Ooo e l,2oo rs. a gar-
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
dem Madeira legitimo a I,2oo rs. a garra-
fa, e a 12,ooo rs. a duzia-
dem Muscatel a l,ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
Julien, St. Esteph, chateau la Rose, chatau
Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
56o rs. a garrafa.
vara a 20 rs.
Carritis com loO jardas de linba IfMM >U>
ris.
Carloes eom 200 jardas de inha !rarra i:rai-
d- s a 60 rs.
Grasas de pennas de ac mptriortl a m rs.
Varas de franja branea e du core* lufa i-ia u .
I has a 160 rs.
Pares de boloes de pinino, uh que perr.incfcj a
120 rs.
Tioteiros do vidro com tima a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de boloes de louca praleauo nimio liaos a
160 rs.
Tesouras para costura snperior qualidade a JW
ris.
Escovas para limpar denles, superiores a StlO rv
Caixas com superiores phosphuros de Mf u -t^a a
160 rs.
Caixas com 100 cnvelopes o melhor que l a G'tt
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel ati.izde, lanift
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muilo (ico a 20 r.
' i i "^*"
lTm Destobrineite Espanta*)!
O Ululo Kiientifiu DMiiniaatnlc o ppn*a.
CERVEJA EifI BAIlltlfi
a tOO rs. o copo
Qneljo de ninas chegado no vapor
dem prato multo fresco
dem suisso superior
dem londrlno superior.
57 Ra do Imperador 57
.4 (ouiposi'&o Anacahuite
Peitoral de kcnip.
Tor espado de limito te ropo > ka naido -
tensamente cm Tampico par: a cura le
TSICA pulhokab,
CATAREHO, ASTHM1
BSOifCfllTE, TOSSE C0IYUL8A,
CRPO OU GARROTILifO, e
Inflammaijrjes da Garganta e do Pefoi
e isto com nm resultado tao folia e a*tia>
i amento asombroso o pao 011 madeira d'uifla
arvore que chamao A.kacauuita. e qux i*
se encentra no Mxico.
A Composicao Anacahuita Peito-
ral de Kemp c mu Xurope delicio.^: inMf-
ramentc difierente na sua coatpoatcae fe
todos os mais Peitorae e Expcetorante Ma-
nufacturados de fructOK astringente, vaaaaa
e raizes, Ac., o mesmo uo contein n nhaaa
Acido Prusiico ou outros quacaqacf iujp-
dientes venenosos.
Toilas as molestias a affecees garguna?
e dos pnlmdca desapparecem como por a
mgico encanto, mediante a acr.o dete fe
. omparavel e irrcsistivcl remedio.
A venda as boticas de Caors & arboj
ra da Cruz, e Jlo da C. Bravo i C, na
da Madre de Dos.__________
Farinha de mandioca
a bordo do patacho l'tytsrs, ancorado ao trapircv
barao do Livramtntono Forte do Mallos : a tratar
a bordo ou com Tasso Irmos.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualnUde
1-25 a lata : nos armazens da roa do hav
perador n. 10 e ra do Trapiche Noto n. S.
ESCBIVOS FGIDOS.
Fugio da casa do abaixo assipnado o sea *-
cravo pardo de neme Marcos, idade 32 annos. i .
co mais ou menos, e com os signaes -t .uititb..
altura regular, pernas compridas, ro i-i;u, ra-
bellos annelados, olhos pequeos, (alta de deafr*,
nariz chato, rostuma andar depressa. e rimo afe
pillando, e anda se loma mais ronhericV p< r M
diversas cicaln^cs de gomma pelos peilos. rosta'
lade, e sobresahindo sobre todas por >e feraal a ;>;n
visivel, urna abaixo lego da garganta no vo <* *
caixa do peito ; elle pinla e raa soffriv. In ente.
consta que elle tem Irabalhado por esie i ffirio na
diversas casas aqui no Becife : portanto r> ta-se a
autoridades policiaes e aos capies de i-aiupo i|uo
o facsm apprehender e conduri lo a NM de h*
senhor o major Antonio da Silva Gosmao. na rw
Imperial, que gratificar generosamente.
Acha-se fgido desde o dia 1" do rorrete o
cabra Eugenio, de idade de 40 50 annos aw
mais ou menos, com os signaos .* apatas : car
pintada de bexigas, urna falla de dente na freal*.
traja roupa branca deservico erosioma andar roa
urna taita a locar, fui escravo do Sr. IVrgentin?
de Aquino Fonseca : roga-se as autoridades poli-
ciaes e ca pitaes de campo de o capturar l^vaao-o.
ao hotel de Franga onde se pagara todas as despe-
zas relativas.
Desapareeeu o escravo |Joo, crilo, de es
talura baixo, grosso do corpo, representa ler V-
annos pouco mais on menos, mnile regrisla con
falta de dentes na trente, levon calca de algnrlao-
sinho azul e camisa do mesmo panno coi li.-ir.-a
largas de cor, cu o preto foi comprado ao Htm.
Sr. Antonio Jos Dnarie. de v Loiirt*nco da Mal-
ta, em 6 de mimbro prximo pascado : <|orm o
aprehender qneira lvalo em Poale de DrMa a
sitio de Joao Jos Rodrigues, on na roa da Madre
de Deus n. 28, que ser recompensado.





Diario e Peraaa.kao> exta felra 11 Je IVorembro e ift.
r
x>

LITIERATURA.
EM POICO DE TIDO.
Em pleno secule XIX, l hem no corago da ve
Iba e culla europa, um governo forte, desptico e
tyranno abusa ferozmente do sea poder contra
una nago pequea e ja extenuada Li bem no
coraeo da ve'lia e culta enroca, a Polonia, bra-
cos com o colosso do norte, proslrada e ja seni re-
cursos materiaes para sustentar a saula causa de
sua emancipago. de sua liljerdade, estrebucha e
iiurre 1 Ella, se nao a mais amiga, urna das mais
antigs o tradidonaes monarchias da Europa, a
defensora extrema de todas as nacionalidades sof-
redoras e opprimidas, ella que ve e admira em
c?.Ja um de seus lilhos um hroe e um martyr,
em cada urna de suas filhas urna verdadeira he-
roina, langa os olhos sHpplicantes para todas as
suas rmas, implora-llies soccorro e auxilio.....
mas, as ouiras, recelosas de urna lula, covardes e
deshumanas, voltam-lhe as costas e zombam de
seos gemidos com o sorrizo glacial da indifferen-
ci, appcllando sempre para a acco elraz e pode-
reta de sua podre diplomacia !
O nobre povo, o povo martyr, em cujo seio pa-
rece ter tido origem a liberdade, confiado em si c
cidade da academia do Recife, que coneebeu a I de Paquita.
grandiosa idea de metigar, ao menos em parte, as
dores de Lntos milhares de victimas sacriflcadas
ao furor da Russia. A mocidade brasileira, em
cojos coracocs pulsa com ledo o seu vigor o amor
paz, est tambera no interesse que inspirou a mo-1 te retrata a alma apaixooada do inspirado cantor em se conservar sempre mui occupada e que tu-
de Paquita. do sob sea cuidado esteja em ordem.)
----- Tal foi Santa Anna, assira devem ser todas as
Achava-sc um dia n'um' armazem de msica, de mulheres christaas: de taes mulheres accrescenta
Milo o inspirado autor da Lucia, e casualmente, I Espirito Santo na cencluso do capitnlo.
deu com os olhos no frontespicio de urna opera de I A graca engaadora, e a formusura vaa : a
da liberdade, nao podia de modo algum, ser indif-! Verdi, recntenteme publicada. mulher ique teme ao Senhor essa a que ser
ferenle a causa da Polonia, nao podia cerrar os Representava o tal frontespicio o sol radiante, | louvada. Dat-lhe do fructe das snas mos : e as
l aos gemidos de angustia desses infelizes no centro do qual se lia o titulo da opera, e o no- suas obras a louvem as assemblas dos juizes.
me de seu autor em ledras to grandes como ca
martvres da liberdade, em quem sobram valor,
coragcm e desesperada energa para a lula, mas
a quem faltam recursos para sustenta-la.
A mocidade coneebeu a idea de mitigar ao me-
nos em parte, as dores de tantos milhares de victi-
mas, mas, como ?
Eis o que ella vae fazer.
Em qualquer dos dias deste mez, no tbeatro de
Santa Isabel, dar um espectculo dramtico, cujo
producto ser destinado a esse Om : e, praza a
Deus qne, esses poneos recursos cheguem seu
desuno.
%
Esse exemplo, esse acto que a mocidade acad-
mica do Recife vai praticar, novo no Brasil, mas
j foi praticado na Europa pelos estucantes das
duas celebres universidades de Paris e de aples,
que por esse meio concorreram para sua visar os
infortunios e as dores da desditosa Polonia.
pnchosas.
Reparando o editor que Donizetti tinha a alten-
go tiaxada sobre o frontespicio litliograpliado da
opera, perguotou-lhe que tal Ihe pareca a idea; ao
que o celebre maestro respondeu :
Que o sol tem manchas j eu o sabia; mas
que fossem verdes, isso que nao.
J os peridicos estrangeiros dao como verifica-
do o celebre banquete de Leao, de que aqu falla-
mos, e em que foi exclusivamente servida carne de
cavallo.
Assistiram mais de cem convidados, entre etles
muitos mdicos, jornahstas, professores, etc.
Foram servidos os seguintes pratos: sopa de
caldo succolenlo de cavallo; guisado de cavallo;
milos de cavallo com trufas; cavallo lamode;
Ote..., te,a m acloqM m*\ZZl!TZT" ** ^ """"
la broche) paH froid
s em si, alliva-?e como um louco nessa luta abso-
rtamente desigual, faz prodigios de valor, mas a' honra a mocidade do Recife, r
tjrca bruta lanca por ierra esse punhado de bra- Srs. Germano Francisco de Oliveira e Antonio! de 7all-
v >s, que culam com o seu precioso sangue a defe- Jos Duarte Coimbra, aeluaes emprezarios do thea-' conv,vas gostaram.
tro, porque, alm da presta5o gratuita do edifico ProPa&ar-se-na modessa hippophagia.
e da parte de sua companhia, o Sr. Germano lera
levado a sua bondade ponto de, ensaiar o drama
si dos seus direitos calcados e desconhecdos fa-
ce do mundo inteiro pelo prepotente governo da
Russia!
E diante desse quadro horrivel de um povo br-
baramente massacrado, que v suas propriedades
constanteraen'e Incmdiadas, suas filhas deshonra-
tas e atrozmente acornadas na praca publica ex-
piraran aos golpes do fero knout, foragido, perse-
guido e sem guarida na trra que o vio nascer, o
que faz a eoropa intera ?
Conscnte que um s e nico governo zombe as-
im tao cynica e impunemente das santas leis da
justica e da moralidade, o continu praticar ac-
tos, que, por sua crueza e requintada barbaridade,
s podiam ser cominettidos pelos selvagens, em
quem faltasse de lodo o inslincto da humaoidaae !
O que faz, o que tem feito a Inglaterra, essa na-
cao tao forte, mas s para afrontar as naces pe-
quenas ? O que faz ella que se aprega, face do
mundo inteiro, a raantonedora dos direitos e da li-
berdade dos poros opprimidos t
E' que o malhado leopardo britannlco tem me-
do das frreas e possantes garras do leao do nortel
Covarde, nao ousa encara-lo, nem tao pouco me-
dir-se com este !...
O- que faz a Franca, essa nago gloriosa, cujas
armas victoriosas tem levado a conquista e a civi-
isacaoi toda? as partes do mundo ? Ella tambem
receia, por que receia tomar a iniciativa, c ficar s
no campo!
O que tem feito a Prnssia e a Austria, essas
duas fortes potencias, cuja forca immensa consiste paixao ;
L-se no Cowrier as la Rochelle que os habi-
om t^\ ~mt*SrJ"Jl ""' "T""' """*""* tanes da communa doBoisilha de K), toma-
com todo o capricho e paciencia, e nao se tem non- Mm. ; j Y.
pado a ensinar a esses mocos os mvsterios e bee" "" ""* J Um8 "!* f? U"i"
zas da nobre arte que professa Se f*W<- Seria ella talvez um
___. ., meio de prevenir os innumeraveis incendios tao
Honra, pois, a essa mocidade que ?e levanta, a I frequentes nos campos,
que da o primeiro brado, no Brasil, a favor de
briosa patria de Koknzko e Longiewitz f honra a
aguaita que, como o Sr. Germano, querem tam-
bem tomar parte directa nessa demonstraego pela
santa causa de um povo qne geme e que chora a
sua nacionahdade perdida e os seus direitos rou-
bados
Avante, pois, mocidade do Recife! A sympathia
pela causa da Polonia, a sympathia pela causa de
todos os povos soffredores I Ella nos cobnr de
heneaos I....
O tao apreciado poeta Raymundo Bulho Pato
acaba de offerecer s lettras um livro em prosa.
E um elegante volume de 343 paginas, ntida-
mente impresso na typographia Universal, e intitu-
lado Digresses e novellas.
Conten este volume sete singellas narrativas ro-
mnticas :
Malhilde -a triste historia de um amor tao r-
deme qnanto infeliz, e que termina com a morte
dos dous amantes;
Vento do Levanteum ligeiro qaadro da volu-
billade feminil, no qual se mostra que o amor pa-
ra certas mulheres mais um habito do que urna
em numerosos exercitos estacionados era sua*
f.onteiras? Ah nao nos lembravamos.... Estao
agora oceupados era riscar do mappa das monar-
chias da europa a vclha, pobre e pequea Dina- [
marca I
Diante pois deste silencio tao profundo, a Russia
a semelhanca de.impetuoso tufo que tudo prostra
e derruba, quer que mais tarde se diga sobre a
Polonia, o que oulr'ora se dizia de TroyaCampus
ubi Troya fuitQuer acabar cora o ultimo Polaco,
para ao depois dizer a Polonia nao mais se le-
vantar : ella dorme na paz dos tu nulos I
A Polonia dormir, mas no tmulo reservado aos
grandes povos, cercada das bencos c das lagrimas
5o mundo inteiro I No entanto que a Russia vivi-
r eternamente amaldieoada e olhada como um
governo que faz vergonha a humanidade 1
A causa da Polonia, sympthica por ser a causa
do pequeo opprimido contra o forte oppressor,
tem levantado adeptos ferozes, tem atti aludo as vis-
tis dos povos de todas as nacoes, por que o povo
sempre amigo da liberdade, tem horror |por tudo
qnanto despotismo e escravido.
No Brasil, felizmente, a causa da Polonia tem
sitamente interessado todas as classes, todos sen-
tem e lamentara a triste sorle desse povo. e cada
golpe desfecbado sobre a cabeca de um Polaco,
cada morte que soffre a Polonia n'um de seos va-
lentes filhos, o eco dessa triste e infausta noticia,
vem retumbar nos ngulos do vasto imperio que
ce aflige por nao poder soccorrer essa gloriosa
naci.
A causa da Polonia, dizemos nos, tem conquis-
tado as sympaihias povo brssileiro, e a prora
nao est s no pronunciamento da irnprensa do
e nos- quaes toma muitas
vezes parte o espirito mal intencionado.
140 propietarios acabam de formar, por asto
publico, urna associaco cojos estatutos vo sersub-
meltidos -approvaco do governo;
Urna das bases desta instituico exigr da par-
te dos associados a responsabilidad pelos darenos
que se derem em caso de incendio, e, consequen-
temente, dar 9 direito de participar da fortuna de
cada um, proporcionalmocte, na reparaco dos i-
nistros.
Cada um des associados ter, pois, interesse
em vigiar e defender a proariedade do seu visi-
nho. t. urna das-phases moraes que essa a6socia-
gao apresenta que deveri ser administrada gra-
tuitamente por uro conselho composto de (juraze
miembros.
L-se na Cruz o seguinte :
MKDITAC O SOBRE SANTS ANNA,
Considerae priiBgiro, que o que nos daida
mais elevada da santidade supereminente de -ao-
ta Anna e de seu beroaventurado esposo S. Joa-
quira, que foram eseolhidos pelos decretos do
co, para seren o paes daquella Iramaculada
Virgen), que havia de dar ao muedo o seu Salva-
dor, e ser me de Deas.
Que de gracas nao receberara para serero dig-
nos de offerecer esta esposa virgem ao Espirito
Santo de Deus I
Quam santa e celes foi a educacao que derano
a-sua fiiha abencoada !'
Quam perfeitamente Terificararo-: sentencad
seu Divino Netto, qus a arvore se conhece pales
fructos !
Qoan'a- reverencia; estima, [affei^ao e detocao
nao devemos este felrz casal.
loaos os verdadeiros filhos de Chtfato, teravsen-
pre amado a sua me, o a consideran) coma a 'saa
do dever, cinge a coroa de esprahos imposta par propria ; por lauto amor quo devemos ter -, es
um amor impossivel; dous grandes SaatOB dos^aes recabemos tal H
Therezai plangente historia de urna martyr
do amor mais puro ;
O Bussacointeressante discripgo de viagem,
na qual vem intercalado um romancinbo, cujo pro-
togonista, trahido no seu affecto, abandona o se-
cuto e vae buscar na mansid3o da clausura, como
allvio a suas excruciantes dores, a3 docuras da vi-
da asctica;
A pallida estrellao snpplicio de tres seres apai-
xonadus : um poeta que enlouquece de amor por
nao poder gozar a mulher que adora; urna infelit
rapariga victima da paixao que sent por esse ho-
rnera que a nao presa, c urna esposa que, escrava
^1 na da Saudadeurna scena desoadora da eo-
inedia humana;
K Magdalenai historia de urna esposa desgra-
nada ; como tantas outras victimas da protervia oe
um marido brutal.
Nao para as estreitezas de urna simples noticia
a apreciacao de um tal livro.
Ha ahi innmeras bellezas que admirar, e ap-
plaudir; a doce poesa do sentmento bafeja por
tal forma essas tao breves quao suaves historias,
que, para a critica severa ter de attentar nos seus
leves defeitos, do que ainda a composigao mais cui-
dada seoo isempta, teria de primeramente tragar
em longas paginas o panegyrico do poeta, que o
como poucos,
Fique essa missao reservada a penna mais hbil
e a scelo mais propria, que a nos s nos cumpre
aconselhar, aos que sentem, a lelura de to po-
ticas e sentidas narrativas, aonde oeslylo plangen-
n
Considerae em segando lugar, pie as proprie-
dades de urna mulher vleme, isto sabia, e- vir-
tuosa, comidas na Epstola da fes& de Santa Anna
(Proverbios XXXI.) coocordam perfeitameate esta
grande Santa : particularmente, de faztr o bem,
e nao o mal, em todos os dia de sua vida; sua
industria infatigavel em adquirir as.riquezas es-
pirituaes de todas as virtudes, reunindo- um the-
souro para toda a.elernidadc ; sua diligencia no
exercicio de obras de misericordia e caeidade, etc.
t Fortaleza e belleza sao a sua roupagem diz
o sabio, fallando do interior dalla, t eella rir-se-ha
no da final : (at naquelle dia quano os admi-
radores insensatos de vada,de& mnudanas sefo
tristes.) c Ella abre a bocea cora sabedoria, e a
lei de clemencia est na sua. lingua, (por ser sem-
pre prudente em patarras, caldosamente compa-
decedora em desculpar os defeitos do prximo.)
Ella tem cuidado bem de sua casa e nao tem
comido o pao do ocio : (per urna applicaco seria
FOLHETIM
OJESQUELETO
POR
CASILLO C.4STELL0 BRINCO.
Conlinuaco.
XX1
Chega urna hora, em que a mulher, esphacelada
pelas cordas em que estrebucha, quando a mo in-
cr-horavel do dever Ih'as estira e reaperta, sent
em si a desesperada ousadia de pregoar face do
proprio marido o seu amor maldito. Se o insulto
A moral se nao desprende eulo dos labios febris
da euergumena, porque era todo o coracao, con-
gestionado do sangue pegouhento, como que se
*bre urna vlvula por onde os pulmes iogerem
um oxigonio purificante. Esta tufada de ooin ar
nao tem que ver cora os orgaos coramuns das func-
(5es respiratorias. E' Huido eslraulio a Bicbat e
Orlilla : chama-se Esperanza.
Foi a esperanza que poz inordaga aos delirios de
Beatriz. A preseuca do mando, eiu cujo rosto re-
vi* o escaraeo rancoroso, exagilava-a em ancladas
arreraeltidas contra os bracos que a sustinhara.
N'uina interrailteucia de quebranto, a Ullia de
Marlinho Xavier tirou da luz do seu inferno um
claro de duvida, e logo o deleite satnico da espe-
rauca. E sorriu, e alirou com aquelle sorriso ca-
ra de Nicolu de Mesquita.
Avisaran) o velho do afflictivo astado de sua fi-
Iba, pessoas inleirameote alheias ao complicado
enredo do infortunio de ambos. Martinho mandou
dizer a Beatriz bue visse ao sea quarto. A senbo-
ra cobrou reas, e, descsompusla de feicoes, abei-
rou-se cama do pae.
Ja nao lempo de evitar o espectculo da
oossa desgraca. Beatriz ? perguntou elle.
E', meu pae, disse ella. Eu vou voluntaria-
mente raorrer n'um convento ; mas deixem-me
levar o meu filbo.
Oconvenlo que significa 1 Em que se re-
habilita a deshonra fechada n'um convento ? Res-
ponde, Beatriz I
Morre-se... marmurou ella.
Nao morre... desespera-se e redobram as or-
^as qne impellem ao crime. Nao te chamei para te
iiropor convento. O que eu quero o segredo da
tua queda. E' preciso que mintas ao mundo. Vae
com teu marido para Palmeira. Dilacerem-se
oceultas da gente, se nao pdom reciprocamente
perdoar-se. A tua ignominia ainda ignorada. Teu
ma'ldo sabe-a ?
Beatriz fez um gesto negativo, baixando os
olhos e escondendo o rosto.
Nem desconfa ? tornou o pae.
Nao sei... murmurou ella.
Pois salva a mim I Emenda-te, desgrana-
da 1... Dexame morrer, e depois... e depois expOe
socedade o opproprio de duas familias, e o teu
filho que receba a heranca I
Beatriz ajoelhou. beijando soffregamente a mo
do pae.
Nicolu de Mesquita entrou nesta conjunecao, e
disse tranquil amene :
E>ias melhur, primo Marlinho ?
Creio que sim... Podis ir para a vossa casa,
quando vos aprouver. Eu vou sahir de Chaves
para urna das minhas quintas, logo que possa...
Observo que te impacienta a nossa... ou pelo
menos a rainba presenca... replicou Nicolu. A
prima Beatriz, se queres, fica e eu irei.
Vo ambos... Beatriz pertence-te.
Ao dia seguiute, sahiram para o Vidago.
No trajelo de aiguraas leguas nao trocaran) pa-
lavras. Beatriz la de liteira cora o filho. O marido
cavalgava, e adianiara-se a grande distancia. De-
pois, na encruzilhada de duas estradas, avisinhou-
se reute cora a lileira e disse :
Eu vuu a quima de Leiroz, e demoro-me l
alguns dias.
Apertou a mo da esposa, beljou o filho, e se-
gua outra vez a estrada.
Beatriz exultou.
Chegada a Palmeira, escreven, e mandou o cria-
do de confianca a Fayoes, com nma caria. Era a
carta um grito de angustia, ama invocaco mi-
sericordia de Raphael.
O criado foi de Fayes ao valle d'Aguiar. O
morgado esfava em casa de Ricardo. Aqui rece-
ben a carta, e respondeu qae s onze horas da se-
grate noute estara em Palmeira. Beatriz, pre-
cavida pelas desconfianzas do marido, mandou se-
cretamente indagar se elle eslava na quinta de
Leiroz. Soube que d'alf, onde descancra nma ho-
ra, se encaminhra de noute i Ribeira d'Oura.
Beatriz exultou anda. Margarida Froment abona-
i va-lbe seguranca d'uraa tonga entrevista.
O dia seguate fora tumultuoso em daas aldeia-s
prximas do Vidago. ontre as quaes eslava situada
a casa de Palmeira. Os malhadores de duas casas,
enrixadas desde muto haviam-se travado na ves-
pera, ao encontrrem-se as respectivas esiurdias
ou testas de cada malhada. As rebecas, violas,
olarinetas e bombos, de parte a parte fiearam pe-
dacos no campo da sanguinolenta briga. Os dous
mais valentes jogadores de pu tinham mordido a
poeira, deslombados pelos formidaveis mangaes,
cuja pancada mortal. Os sinos das duas fregue-
zias tangeram a rebate, e os moradores sahiram
armados a guardaren) as raas do seu ten torio.
O da immediato era santificado; e, na capelii-
nha do cume da serra, havia romagem. Espe
rava-se ali desordem, que se avantajou expec-
tativa.
As espingardas retroaram toda a larde, na que-
brada das duas serras sotopostas chan da romei-
ra. Alguns bravos tinham por l expedido a al-
i ma entre as urzes dos matagaes. Os vencedores
perseguiram os vencidos at s raas da sua fre-
guezia ao oscurecer, e ahi fiearam atalaias at alta
noute.
Raphael sabira ao (m da tarde do da anterio
caminho de Fayes. Amelia chorara ao despedir-
se d'elle. Laura quizera demove-lo da partida,
sem perceber o intento. Ricardo pedira-lhe que
escrevesse a Beatriz, conlando-lhe a morte do seu
criado, o dialogo com Martinho Xavier e absoluta
neressidade de acabarem ou espagarem-se os seas
perigosos enconlros.
Tudo Ihe direi de viva voz continuou Ra-
phael Garco.Nao ir (raqueta e desdouro, so-
bre ser crueza. Esta mulher, que assim escreve,
desgracadissima.
Melhoras a situacao d'ella I replicou Ri-
cardo.
Convence-la-bei conformidade. E aqui te
don a minha palavra de honra, que amanhaa ter-
minan) as nossas relacoes. Falla muiio era mira
a tua cunhada, que eu amo deveras.
Fui Raphael a casa no intuito de armar dous
criados de provada coragera, e cingir ao pulso urna
manlha de oaro cora una retrato de Beatriz. Eta
prenda Ihe dera a prima em Lisboa. O retrato,
cepiado de outro, que Nicolu de Mesquita Ihe
!r,5idara tirar, era era marfim, admiravelmente
perfeito. Aa manlha, era cuja rosca inferior es-
Sim, o proprio Dos Ihe dar a recompensa do
fructo de suas mos ; e as assemblas de Syao ce-
leste resoarao os seus louvores para sempre.
Considerae em terceiro lugar, do Evangelho de
hoje, aquelle exceilente thesuuro que Santa Anna
acnou e apropriou, entregando tudo para com-
Pra-lo.
O reino do cu, diz nosso Senhor, 8. Mal'
XIII 44, t qual thesouro oceulto no campo, que
quando um homem o ache oceulte-o e alegremen-
te v e venda tudo que posssue e compre aquelle
campo.
O reino do cu nesta e outras passagens do
Evangelho, quer dizer o reino de Dos dentro de
as, por sua graca n'alma; aquelle reino pelo
qual elle vive e reina era nosso interior, pela f,
esperanca e amor, e pelo espirito de recolhimenti)
e oracao.
Ora este reino de Dos em nossas almas na
verdade um thesouro de valor infinito, que pela
posse de nosso Dos nos enriquece, aqu pela gra-
ca, no futuro pela glora.
Este thesouro oceulto dos filhos do mando
quando deseonhecera e zonibam da idea da felici-
dade de urna vida espiritual e interna ; porm as
lilhas de Dos, eujos olhos nao sef fecham verda-
de, descobrem este thesouro nestmiavel : nao pou-
pam trabalhos nem despezas para obterem a sua
posse : al venden) tudo para comora-Io ; isto ,
renuociam seus caprichos-, suas paixoes, suas af-
feicoes mundanas, inclinages sensuacs, sua pro-
pria vontade, e tudo que vae de encontr a urna
felicidade tao grande; e assim elles meamos se tor-
nara o reino de Dos; assim comecara a gosar um
cu sobre a trra.
Resolver procurar primeramente o reao de Dos
na vossa alma, mais do que tudo ; e todas as ou-
tras cousas vos sero aecrescentadas : seras um.
bem reembolsado, com lucro infinito, de tudo que
tiverdes despendido na compra delle ; e todas as
cousas boas, eonjunctamente com elle, vos sero
dadas.
Pede-nos o Sr. A. de Souza Pinto a publicaco
desta- poesa inspirada ao ler o livro de poesas
Segredos d'almaz actriz Eugenia Cmara.
Ante as paginas singelas
Deste livro, qae magia,
Que suave poesa
Veio o meu peito innundar I
To vicosas, puras, bellas,
S'erguem aqui a d'alma as flores
Que a taca dos dissabores
Vi um momento abrandar !
Suaves como a crreme
Do regato chryslallino,
Sao estes versos um bymno
De saudade e puro amor!
SEGREDOS D'ALMAfervente
Doce, terna e perfumosa,
Nao os perfumes da rosa,
Mas dos jardins do Senhor !
Bem haja a artista inspirada
Fonle de tantas riquezas,
Quo foi copiar tollornr.
E as harmonas nos cus !
Bem haja a mente fartada,
Bemdicto o genio sublime
Que em phrases d'anjos exprime
Os pensamentos de Deus 1
Eu a quem o solrimento
Roubon da vida os encantos,
Senli ao lr estes cantos
Reviver-me o coracao I
E a chamroa do sentiraento.
Pelas dores suffocada,
Foi no meu peito avivada
Ao sopro da inspiragot
Ante as paginas singelas
Deste livro, que magia,
Quo suave poesa
Veiu meu pero innundar!
To vicosas, puras, bellas,
S'erguem aqui d'alma as flores,
Que a taca dos dissabores
Vi um momento abrandar I
lava cabelle- de Beatriz, mandara Raphael abrir as
inicaes de ambos, a gravar a data d'aquella nonte
de embriaguez de cabeca e coraeo, jurara elle
morrer com a manima no braco ; e, bem que vio-
lasse o juramento depondo a como incomraoda, e
reparavet cunhada de Ricardo, nao quiz appare-
ccr a Beatriz sem ella.
Depois, com os seus dous valentes a p, e elle
cavalgado no sen garboso friso, foram caminho de
Palmeira por caminhos transversaes.
Raphael ia triste. Nunca os prantos de sua me
a compungiram assira I O pae descera ao pateo,
e dera-lhe um abraco, estando j Raphael com o
p no estribo. Os criados esperavam-no fra da al-
deia, liara nao alvorocarem os velhos.
As dez horas e raeia da noute, o morgado de
Fayoes apeou alm Taraega, d'one se enxerga-
vamas alvejantes chamins e claras boias da casa
de Palmeira. Raphael esporou o signal convencio-
do, urna luz na alta janella de um mirante acastel-
lado. s onze horas illurainou-se o mirante e elle
aproximou-se entregando o cavallo a guarda dos
criados com ordem de voltarera na noute seguinte.
Cingiu-se fachada do edificio, d'onde costumava
ver Beatriz n'uma janella, para Ihe indicar qual
das portas eslava abena.
Espera I disse-lhe ella que ainda nao
pube mandar abrir a porta. Andam fra dous cria-
dos, por causa das desordens da romana.
Kaphael tmha ouvdo o tiroteio, de distancia de
meia legua, e entendeu a referencia.
Beatriz continuou:
Os criados esto ali para baixo com ontros ho-
raens, e nao podera lardar___ A noute esta lin-
da... haveraos de passear no jardim.
Sim, fllha.
Ama-rae ainda ? tens pena da tua desgra-
nada Beatriz ?
Amo-te, prima ; nao vejo, porm, motivo de
compaixo.
Se tu soubesses o que eu tenho sofTrido... o
que eu soffri em Chaves. Espera I
Ouviram grande fallario.
Sao elles que vera ahi, prosegua ella agita-
da. Olba, Raphael; esconde-ie ali ao lado da ca-
sa. Est l um aqueducto aberto ; entra para
dentro, e deixa-os passar. Logo que os dous cria-
dos, em que nao tenho oonflanca, entrarem, vou eu
mesma abrir-te a porta do jardim. Teta paci-
encia,,..
No Jornal do Commercio, de Lisboa, l-se o se-
grate :
O imperador da Allemanha, depois da famosa
batalha denominada de Belgrado, dada entre as
I tropas imperiaes e os Turcos, no dia 16 de agosto
i do 1717, e gaoha pelo maior general daquelle lem-
po, o principe Eugenio de Saboya, enviou inme-
diatamente a lodos os soberanos a noticia de urna
victoria tao grata a toda a christandade.
A el-re D. Joo V foi mandado D. Gaspar Igna-
. co de Kuk, para Ihe aanunciar, da parte do im-
perador, to fausta nova, e o monarcha porluguez,
era testemuiiho da sua alegra, Ihe deu um annel
com ura brilhanie avahado em mais de rail pala-
cas (nove contos de res I) e o nomeou cavalheiro
da ordem de S. Thiago ; e a rainha o presenteou
com urna venera com a insignia da mesma or-
dem, cercada de brilhantes no valor de........
G003000 rs.
Alm disso, o enviado foi armado cavalleiro na
egreja patriarchal, que era a capella real, e rece-
beu o manto no mosteiro de Sanios, por maos do
D. Prior do convento de Palmella, cabeca da or-
dem deS. Thiago.
Era esla a anliga granJeza dos monarchas por-
tuguezes.
N'uma Gazeta de Lisboa de 1717 se le o seguin-
te annuncio :
< Do senhor de Bayo empenhou Duarte da Sil-
va, corrector, nma Ovella de diamantes, e urnas ar-
recadas de diamantes e esmeraldas de conside-
ravel valor, e por nao se lembrar onde fez o em-
penho, pede a quem uveras ditas pecas Ih'o qaei-
ra declarar, para se Ihe pagar o seu principal e
os seus juros vencidos, e deraais he dar suas al-
vicaras, e seno, se quer tirar carta de excommu-
nho. >
E' curioso este annuncio. O corrector nao se
embra a quera empenhou os objectos de valor, e
pretende requerer exeommunhao contra quem os
ti ver.
Oenhor de Bayo que devia pedir exeommu-
nhao contra o corrector, que empenhava objectos
de valor, esquecendo-se do que fizera.
A excoramunho nesse caso havia de ter tanto
valor como a oracao de -amo Antonio para adiar
os perdidos, ou a objurgatoria a Satanaz para es-
tar diante da cruz al desencantar o perdido.
L-se na Revolucao de Setembro o seguale :
Coutaram-nos hoje um caso romntico que acaba
de succeder em Lisboa, e que a chroniea deve
registrar guardando o segredo do nome dos per-
souageos.
A. urna dessas creaturas, que, por muito lidar
as lulas da vida, conhece como poucas o coraeo
humano, e como nao abastada diz como o poe-
ta : le prends mon bien ou je le trouve. llavendo
tido relagoes com um Brasileiro, deu-Ihe as mais
decididas mostras de urna paixao exaltada, que a
final tinha a sua sede na bolsa. O Brasileiro ia
sair de Portugal, e ella na hora da despedida
dsse-lhe:
Antes de partires quero revelar-te o segredo
que enlaca o meu deslino ao leu.
Falla. A nimba vida a tua.
Sinto que eslou em vesperas de ser mi.
Ah!
Varaos ter ura doce fructo do nosso amor.
Eh!
Ura filho ou una filha.
Ihl
Que doce ventura!.........
Ohl
O Brasileire eheio de pasmo, confuso, e amor,
com effuso a futura mi do seu futuro filho;
deu-lhe nao se sabe quantos cartuchos de libras, e
pedio-lhe que logo que nascesse o raeuino ou me-
nina quera o seu retrato, para Ihe mandar as
mesadas.
E parti.
Ura feio dia recebeu pelo paquete a notificace
do bom successo da amada.
A carta dava noticia de urna menina.
Como a nossa filha ? perguntou elle na
primeira carta. Manda-me o retrato. Ahi vo as
mesadas e dinheiro para o baptisado.
O retrato ir, tornou ella. A menina mesmo
o teu retrato. Cabello louro, clara de olhos pretos..
esperta e vivaz como tu.
As mesadas foram pontualissimas.
A pequerrucha nao gastou deltas cinco reis, por
que o caso era pura phantasia. Mas o demonio que
as tece, fez com que o Brasileiro ardendo em aucia
de ver a filha, annuuciasse a sua vinda a
Lisboa.
Oh filha I... eu espero que elles passem, e
aproveilo a frescura do aqueducto, disse sorriudo
Raphael; e, acostado a parede do jardim foi indo
at encontrar a bocea da mina.
Os criados pararara ainda, conversando com os
seus companheiros sobre a batalha da larde. Di-
zia um d'elles :
O que eu tenho pena de levar est bala
para casa na davina !
Tambem eu I
Por hoje nao ha mais que ver, disse um ter-
ceiro. Vamos embora.
Querem voces que nos demos a ultima des-
carga ?
Valled clamaran) todos.
Aqu nao disse um dos criados de Beatriz, que
a Qdalga toma medo. Vo descarregar os baca-
martes ahi para diante.
Despediram-se dos que fiearam uns quatro que
seguiram, apenando as armas, e polvorisando as
peJreneiras.
Quanao chegaram a pouca distancia da mina,
em que Raphel se esconder, disse um :
Se voces querem ver o que herrar urna ca-
vina, vamos estoira-las dentro da mina. Isso faz
ahi um tro vo, que nem pega de artilhera.
Est dito.
Raphael devera ouvr a proposta, se a este tem-
po nao viesse do outro lado urna estropeada de
dous cavallos, que perpassavam diante da mina.
Os cavalleiros, cirurgioes das cercanas, estive-
ram conversando com os homens armados, e con-
tando que vinhara de examinar os feridos e os
morios nos montados da romara.
A este tempo j Beatriz estava janella, maldi-
zendo a paragem dos homens n'aquelle sitio. Os
cavaileir s seguiram o seu caminho, e os das da-
vinas disserara :
V I agora os tiros todos a um tpmpo !
E desfecharam os quatro bacamartes contra boc-
ea da mina.
Raphael Garco, como empurrado pelas duas
balas que Ihe entraram no peito, recuou alguns
passos, e cahiu, de brco, e os bragos cruzados en-
tre o peito e a Ierra.
Os lavradores, depois da descarga levantaran)
PCinde grita e apupada. D'alm, dos ronfins da
freguezia, irrompeu medonba celeuma de brados,
e estrondear de tiros.
de se reunir em Bronswicb ara -:
Fatalidade! E Deas fez-me estril roa
Sara! Nada, preciso ncommeodar urna
filha.
E et-la que trava de ama penna, e escreve para
um intimo de uraa trra da provincia :
Sr. F. Va a misericordia da villa, e escott a-aw
l uraa exposla de anuo i tneio a dous anous, eque
seja clara, de cabello louro, e olhos pretor.
O Sr. V. cuiupi io a misso a nsca, e a pequ :rru-
china, que lida como ura menino Je->us, araba
de cliegar a Lisboa, aonde era breve o pai im-
provisado vira abragar esta filha de encom-
menda.

O almirante Van Dackum, commandante da
esquadra surta na baha de lluntleback, espidi,
ainda nao ha muito, urna ordem do da, qae, por
mallo original, lera sido muito fallada em tioae-
nhague.
O almirante autorisou a tripulaco dos difira-
les vasos de guerra a saltar ero Ierra mas eom a
seguinte condigo : que s poderla ulilisar-s* da
graga, cada da, um homem por cada navio. De
forma que, segundo os calculo* qoe para logo te
lizerara, o ultimo hornera da tripulaco vicha a
caber-lhe a sua vez de ir a trra la para j

A junta municipal de Turin fez afflxar a listo das
mancebos nascidos era 1844 chamados ao exerto
pela lei do recrulamenlo.
Era frente da lista l-se o nome do priaciee
Humberto.

Acaba
gresso.
Um congresso de principes f
Nao.
Um congresso de diplmalas ?
Tambera nao.
Um congresso de polticos f
Nao......... Im congresso de....... denos d
notis.
Foram debatidas graves c importante, qoe*-
loes:
P A queixa dos estrangeiros sobre a rareatu
doi airaogos e jamares.
2." As reclamagt.es sobre a exiguidade da
garrafas.
i" Os protestos contra o subido preco
velhas. ^
4.' O descontentamento provocado pelo
servigo dos criadas.
E sabem o que este congresso decidi?
Que almogas, jamares, garrafas e vellas i
ptimos, e baratos.
S votaram contra o servico dos criados
Assim devia ser: assim foi e ha de ser
sempre. .-

Veraiscles sabia de cor os nomes de todos os
habitantes de Alhenas. Tinha por costuro* dizer
que o que elle necossitava era de ama arte da
esquecer, e nao de recordar.
Muila memoria havia de ter Metndates, de
quem contam que sabia vinte e dous idiomas ;'ou,
melhor ainda, tantas qoantas eram as aaeoe*
sujeitas ao seu dominio.
Um tal Simplicio, amigo de Santo Agostao.
recitava a Eneida de Virgilio as avessas, m a
comecar pelo ultimo verso, e sabia de cor totfaa aa
obras de Cicero.
Jos Scaligero aprenden de memoria o lloaw-
ro em vinte e am dias, e os deraais postas gragea
em quatro raezes.
Achando-se em campanha um offtpial nn* era o
caixadecerto batalhosublrahiu uns fundos pertea-
centes ao corpo, e os foi perder todos n'um logo de
Cinhecendo o compromettimento da oa posi-
gao, tratou de evar-lhe as cnnseqaencia5 apre
sentando-se ao coronel como viciima de um ronbo
violento, contra o qual havia sido intil toda a re
sistencia.
da,
perfua-
E o senhor nao conhece os ladres *
tou-'he o coronel.
Nao, senhor.
Conserva alguns signaes particulares dos
possim dar indicios?... ^^
To pouco ; erara muitos.
Havia algum, rassiiu o coronel abaiaa-
blusiT' CI" Um gorr,)i"0 sem "soraeoaaa
<>eo que sim, balbucioa o offldil.
Calges estretos e borzeguras
Sim, senhor...
E n m bordo as mos ?
Exacto.
J o suspetava : sim, senhor ; era nada Me-
nos que a dama de pus .'...
Observou ura dos homens
Querem voces ver que os patifes entran na
freguezia ? Carrega c avanga, rapazes I...
E correram em direitura ao ponto da vozeha.
Beatriz esperou alguns minutos, duendo ov-
tre si.
Elle agora j podia sahir da mina, que par
aqui nao est mnguem I
Espern arada alguns segundos, e diss i soa
criada confidente, que eslava coro ella :
Isto que ser?! Elle nao apparece I... T
que peosas ?..
Eu nao sei, fidalga! respoodeu a criada.
Tera indo de ser vislo, por alguem, qae s)
d'aqui nao enxergueraos e o Q Jalgo veja la de da-
tro da mina...
Ha de ser isso... mas olha... a ooole est
to clara... e eu nao vejo ninguera por alif..
Vamos nos l?
Pois varaos, scubora.. Eu nao tenho aaf-
do ncuhum.
Nem eu... Estar elle ja no jardim ?
Descerara de mansinho ao jardim, olluraoi os
recamos sombros, descerraran) a porta, saniraoa
ao caminho, e pararam a bocea da mina.
Raphael I.. chamoa ella, primo Raphael I..
Nao falla 1.. Onde est elle ? O'meu limo".
Ouviu um gemido no interior da mina.
Ouviste ? perguntou Beatnz a criada, que
trema, ouviste um gemido?
Ouvi, fidalga. Santo Deas, misericordia '
que sera ?!
Ranhaelt Hapnael!... clamou a bradoa lao-
triz, e ei.trou mina dentro, chamando sempre, ale
tropegar e cahir subre um corpo inerte.
Urna luz, urna luz! exclamou ella. Raphael'.
t eslaes morto ? I..
Morto!.. balbucioa elle. Adeas t.. a raow-
cheu-se, no vasquejar da suprema agooia.
Una luz !... bradoa anda Beatriz.
A criada correr a casa, e sabira loga cea aau
vela.
Quando entrou na mina, viu sua ama protirada
sobre o cadver, e a face eosangueniada per .la-
ve-la rossado, ao cahir, as podras sqaioata ajee
sainara das paredes do aqueducto.
(Continuaru-km.)
PERNAMBUCO -TYP. DE M. F. DE F. A FUgD
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVFLE50B4_HEJWLZ INGEST_TIME 2013-08-28T03:00:10Z PACKAGE AA00011611_10515
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES