Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10514


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AilIO XI. MERO 258.
Por tres e/es adiaotados 5$O00
Ptr tres nezes vencidos 68000
Porte ao correio por tres mezes. #750

QUINTA FEIRA 10 BE JTOVEMBRO D 1S54.
Por asno adietado. .... 191000
Porte ao correio por ib annr 3J000
ENCARREGADOS DA SUBSCRII'CAO NO MU
Parahjba, o Sr. Antonio Aluxandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty.o
Sr. A. de Lemos Braga; Gear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Marauhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Cost.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SL.
AlagSas, o Sr. Ciaudiuo Falcao Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de. Janeiro, os Srs. Pe-
era Martins & Gasparino.
FARriDA DO >IAFETA3.-
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassn", Goyanna e Paranyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Garuar
Altinbo e Garanhnns as tergas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaral.Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu'nas quartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, na.Barrei-
,,J0Sa Ai"a Preta e Pimet"eiras as quintas feiras.
ilha de Fernando todas as vezes que para ali sair
navio.
Todos os estafetas partem ao >/, dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 ni. e 2 s. da t.
13 La cheia as 3 h., 13 m. e 36 s. da t
21 Quarto ming. as 4 h., 56 m. e 56 s. da m.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
PREAMAR DS BOJE.
Primeira as 0 horas e 30 minutos da tarde.
Segunda as 0 horas 51 minutos da manhaa.
J.\&M^A i.Oc VaORi'j lOSiRO.
Para o sol at Alaj-oas a e 23; para o norte at
% ? a 7 B 2 de cada m'i J'3rfi Fernando nos
das 14 dos mezo? dejan. marg.,maio. jul. set e nov.
L PARTIDA DOS MNIBUS.
a 11*? Recife: d0 Apipucos s 6 V, 7, 7 /:, 8 e
8 V *m.; de Olinda s 8 da a. e 6 da tarde; de
Jaboaxao as 61/2 da m.; do Caxang e Varzea s 7
da ra.; de Bemfica s 8 da m.
- ?ii e: para AP'PUC0S s 3 % 4,4 A, 4 Vi,
o, o V,, 5 1/2 e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhw e 4 i/s da tarde; paraJaboatao s 4 da
tarda t para Cachang e Varzea s 4 Vi da tarde;
para lemca s-4 da tarde.
ADilNCiA DOS TRIBUNAES DA CAP7AL
Tribuna! do commercio: segundas 4 quintas.
Relaeao: torcas e sabbados s iO horas.
Fajeada: quintan s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s i i horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira tara do eivel: tergas sextas ao meio
dia.
Segunda vara docivel: qnartas sabbados a i hora
da tarde
DUg DA '5M.JA.
7. Segunda. Se, PIomm|# Honorato bb.
8. Terca. S. Nieostra^n.; S. Cartonom.
9. Quarta. Ss. I'rcis>ino a Agripen* bl>.
10. Quintis. Andre>veJiM f. ; S. Tiberio.
11. Sexta. S. Marlinho t>.; S. Verano b.
12. Kabbado. S. Marlinho p. m.: S. Livino b.
II. Domingo. Ss Anadio, Paullo eZebinav.i
ASS.'GNA-SB
no Recite, em a livraria da praja da In
ca ns. 6e 8, dos j>roprie:ariia Manoei F
de Paria k Filho.
PARTE OFFIGIAL
GOTOiO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 7 de norembrode 1861.
Offlcio ao Exm. visconde da Boa-Vista comman-
dante superior da guarda nacional do Recife.Sir-
va-se V. Exc. de informar acerca do que solicita
o Dr. chefe de polica no offlcio n. 1.362 que aqui
ajumo.
Dito ao Exm. conselheiro presidente da rea-
cao. Interpona V. Exc. seu parecer sobre a ma-
teria do incluso offlcio n. 25 que com data de 21 de
outubro prximo lindo, dirigio-me o juiz de direilo
da comarca de Garanhuns.
Dito ao coronel comoiandante das arma*.Fico
sciente, pelo seu offlcio, n. 1,989, desta data, de
que forga de l linha so pode concorrer com um
parque de artilharia para a parada do dia 10 do
correte, por occasiao do Te-D^um Laudamus que
tem a cmara municipal desta cidade, de mandar
cantar na matriz desta freguezia, e cabe-me rii-
zer-lhe, em resposia, que convm providenciar
para que a fortaleza do Brura salve nesse dia a
iiora que V. S. julgar mais apropriada.Commu-
mcou-se ao Exm. commandante superior da guar-
da nacional do Recife.
Dito ao mesmo.Informe V. S. acerca do paga-
mento que solicita o Dr. chefe de polica nos dous
offlcios, que aqni ajumo.
Dito ao mesmo.Remetto a V. S. o incluso pro-
cesso de conselho de guerra feito ao soldado do 2o
batalhao de infamara Manoel Flix Cypriano, alim
de ser cumprda a sentenca proferida pelo conselho
supremo militar de justica, em dito processo.
Dito ao inspector da thesourana de fazendaPor
aviso de 12 de outubro prximo findo, me foi de-
clarado que S. M. o Imperador em data de 7
uaquelle mez, houve por bem prorogar por um
mez, o praso que, pelo Exm. presidente da pro-
vincia do Espirito Sanio, foi marcado ao juiz d
direito Ludgero Goncalves da Silva, para entrar em
exercicio na comarca do Rio-Formoso : o que com-
municoaV. -. para seu conheciniento.-Offlciou-se
ao Exm. presidente da provincia do Espirit
Sa.to.
Dito ao mesmo.-Pancipando Manoel Nicolao
Rigueira Pinto de Souza. que em 24 do mez findo,
e na qualidade de 3* supplente assumio o exercicio
do cargo de juiz municipal e de orphaos do termo
de Serinhaem : assim o communico a V. S. para
seu conhecimento.
Remetto por copia Vmc. o aviso circular da re-
particao da justica, de 22 de outubro ultimo, para
serem observadas as suas disposicoes na execueao
do decreto n. 122o de 20 de agos'lo do anno cor-
reme, que autorisa o governo a conceder as cor-
porales de mao-morta, licenra para adquirirera
ou possuirem bens de raz.Igual circular a todos
os juizes municipaes.
Dita a lodos os juizes municipaes. Para cum-
primeoto do aviso circular da repartico da agri-
cultura, commen-io e obras publicas, da 17 de
outubro ultimo, preste Vmc. com toda a urgencia,
informacdes circumstanciadas acerca das legiiima-
coes e revalidacoes de posses, sesmarias e outras
concesses de trras, com relaeao aos servicos
executados no crreme anno.
Offlcio aommandante do brigue barca llamara-
ra.--Faga Vmc. embarcar opportunamente com
guia no vapor que est destinado ao presidio de
Fernando afim de cumprir all apena a que est
condemnado o grumete do corpo da armada Albi-
no Jos Garca, de que trata o seu offlcio n. 116 de
I do crreme, a que respondo ; ficando Vmc.
certo que neste sentido offido ao commandante do
mesmo presidio e ao gerente da companhia Per-
namliucana.Fez-se o necessario expediente.
'efe
Uruguay.
Circumstannias ponderosas, como fossem, conse-
guir por meios amistosos do governo da repblica
do Estado Oriental do Uruguay a soluco de varias
reclamacoes que perante elle temos pendentes, e a
adopeo de providencias e medidas, que efflcaz-
mente protejam c garantam no futuio a vida, hon-
ra epropriedade dos Brasileiros all residentes ;
exigiram que e governo imperial dirigisse um ul-
timoappello amigavel quelle Estado, enviaudo-lhc
nestas vistas urna misso especial, confiada ao Sr.
conselheiro Jos Antonio Saraiva.
O governo da repblica nao correspondeu, porm,
com a solucao desejada, ao reclamo amigavel que
Ine dirigir o de S. M. o Imperador ; e, recusando
formalmente fazer punir os graves alternados e abu-
sos de autoridade assignalados pelo plenipotencia-
rio brasileiro, collocou este na imperiosa necessi-
dade de expedir instruccoes ao almirante baro de
Tamandar e ao commandante doscorpos do exer-
cito, estacionados na fronteira, para procederem
represalias, e empregarem as medidas mais conve-
nientes, no sentido de tornar effectiva a proteccao,
a que leem direito os subditos do imperio, e que \ que ...,. Uoi
naopode ou nao qulz assegurar-lhe o governo hontem, quarta-feira 9 do correte, apresentando-
or,en!al- i me como um hornera, que solTre do mal (nao se i
- QSr. Dr. Vilella Tavares envia-nos aseguin-
te nota^ acerca da noticia, que hontem publicamos
com rericao ao incotnmodo, de que fra accom-
mettido.
Nao insistiremos sobre a c'assificaco do mal de
S. S, aceitando de boa vontado a correccao que.
Ine aprsenla, e mesmo fazendo votos para que
nao tenham repeticaoas vertigens que o incommo-
dam ;n as, em correspondencia aos termos da no-
ta de S. S., cumpre-nos determinar que se aceita-
mos a noticia, na forma em que publicamo-la, rc-
cebendo-a como exacta, foi por constar-nos que j
ha lempos havia S. S. sido accommettido de urna
certigem, de que esiivera enfermo por dias : e
nem vemos motivo de queixa razoavel da parte de
S. S. (wa publicaco actual, em que nao entrou
intencao alguna malvola, e antes manifesta a
considerado devida a sua pessoa. No entretanto Pi-
camos de sobrTviso para salisfazer ao pedido de
S. S., de cujas vertigens nos nao oceuparemos
mais; e quem dera que o mesmo podessemos fe-
zer acerca de outras cousas. -jfc
Srs. redactores da Revisla Diaria.A^notTria.
Viucs. deram meu respeito no Diario de
3 I
I SP
1
1 ?
y.
3

^
e>

Masculino.

Fcminino.
2
>
o
o
>
HoP/r!ar,t~^ Presidenle ^ Provincia atienden-1 "Malograda assim a tentativa pacifica da misso I^q"ie"maT)%uai4dU.z queluovaraenteata-
rn,ee^ !L '" f Prof?5S.or Pu^!,c0 ** l?.5' I extraordinaria em Montevideo, devemos confiar no; cado na Capunga, dNindc vollei para esta cidade na
iruccao primaria da freguezia de \ cente \ ir- governo imnori /... ,. ...~..-^-.1, 1 rar/i .in a.. c S._____.. 1 ___
gilio Vieira da Cosa Pinto, c tendo em vista a in- -
formacao do director geral da instruegao publica,
resolve conceder-lhe 2 mezes de licenca com ven-
cimenlos a contar do dia 3 de oulubro ultimo,
para tratar de sua sade, onde Ihe convier.
Lommunicou-se ao director geral da instrueco
publica.
Dita. O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica n. 1371,
de 4 do crreme, resolve nomcar para os lugares
vagos de 1., 2., 3., i.', 5. e 6." supplentes do
subdelegado do 2." dstrieto da freguezia do Pao
do Alho os cidadaos seguntes:
Ignacio dos -antos da Fonceca.
Francisco Jos de Barros c Silva.
Antonio Joaquim Corroa Lins Wanderley.
Bernardino Caetano de >ouza.
Diogo Soares Carnciro de Albuquerque.
o Jos Vieira de Mello.
Communicou-se ao Dr. chefe de policia.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes mandem dar transporte para o Ma-,
ranhao por conta do ministerio da guerra no pri-'
meiio vapor quepassar do sul a D. Maria Carolina
Travasso (tabello casada com o lente do 7o ba-
talhao de infamara Sev>riano Rebello da Silva
mona em aionieviueo, uevemos connar no 1 cauo as uapunga, d onde vollei para e
imperial, cujo criterio e patriotismo sabe-! tarde do di 1 6 do corrente, inexacta.
1 rttcitait-t ......... .. .,....' .1___:__ :- Ci o.xlY~~ : ..._i.-a.
rao fazer respeitar, como convm, os direitos e in
teresses dos subditos Brasileiros residentes naquel-'
la repblica, e por conseguiote a propria honra
nacional.
Demarcaco da fronteira do Brasil com a repbli-
ca do Per.
Anda nao poderam ser incetadosos trabalhos da
demarcacao de nossa fronteira com aquelle Es-
lendo o ministro da repblica no Rio de Janeiro comparecer onde quer que a i
communicado ltimamente que o Sr. almirante Ma- faz necessaria. O que tive na Canung
nategui, commissano do Per, fura obrigado a re- dessas vertigens, e alias muito fraca, pr
Eu soffro, verJade, de vertigens, que ha se-
guramente 16 a 20 aonos, ora mais, ora menos
foites me incommodam, mas domesmo modo que
solTre mnita gente nesta cidade e fra della, e sem
que por essa causa tenha do ao Diario. Essas
verligens, que 110 lempo de calor se exarcebam,
nao me ten privado de cumprir o meu dever, tan-
to que anda nao faltei um dia Faculdade de Di-
reilo, de que sou lente, e nem tenho dexado de
a mnha presenca se
.;a foi urna
proveniente
tirar-se para Londres por motivo de sade, acres- sera duvlda de eu ir a p at l, voltar a p e fu-
centaodo que se linha dirigido ai seu governo para mar charutos fortes : nada mais. Agradeco pois
que so lhe dsse successor ; dispensou o governo 1 o cuidado que a Revista Diaria lera por mim, e
m^^^^J^m- Tis,a dos inclasos docu- Pr'erra7u'^^^
S^nnf^ ^mJ^^!!^0^' mandlJ \ S- Communcou-se ao coronel commandanle das ar-
pagar comorme solicitou o respectivo commandan- mas.
te superior em offlcio de 5 do crreme, sob n. 129 EDITAL
mVdos'omeat dpaAVMS,hf ,me7 de UlUbr ul,i! K ^^rio-Secretaria do overno de Pernambu-
^,rn mn e U,iha'tamboTes cmelas c co 7 de novembro de 1864. Pela secretaria do
clarins empregados nos corpos da guarda nacional 1 governo de Pernambuco se faz constar ao Sr. juiz
S^l1an,C,''0- mrauniC01"se ao Exm- coin-idt direi, Dr Ludgero Goncalves da Silva que S.
mandante superior da guarda nacional do Re-1 M. o Imperador Houve por bem prorogar por nm
nitA mm. -r ,r.A I nez o prto qae pelo Exm. presidente da provin-
D.to ao mesmo.-Transmitto a V.fiS. para o fim! cia do Espiriio Santo lhe foi concedido paVa en-
cpnvcnienle as inclusas notas do gaz na importan- trar em exercicio na comarca do Rio Formoso
ca de i:(Wo42U, consumido no tremestre de jullio desta provincia. O secretario do governo Dr.
setembro desle anno com a illuminacao dos Francisco de Paula Salles.
quarteis dos corpos em guarnigao nesla provincia, I ______
da companhia de cavallaria e unalineute no hospi-
tal milital.Communicou-se ao coronel comman-
dante das armas.
_ Dito ao inspector da thesouraria provincialPode
V. S nos termos do sua informaco de 5 do cor-
rente, sob n. 474 e de conformidade com os meus
officios de 17 de outubro e 4 do andante mez, man-
dar pagar a Antonio Fe reir Lustosa a quanlia a
que tiver direito proveniente do abale concedido
pelo art. 46 da le do orcamento vigente ao arre-
matante dos impo.-tos provineiaes as comarcas
da Boa-Vista, Cabrob e Tacaral.
Dito ao mesmo.-Constando de nffleio do chefe
interino da repprticao das obras publicas, datado
de hoje e sob u. 312, que est satisfeia a condicao
4a do contrato celebrado com Jos Francisco do
Reg Barros arrematante da construccao da casa
da barreira de Moreuos, expeca V. S. as suas or-
dens para que a cobranca do pedagio naquella
barreira teuha principio da manhaa em diante,
data em que deve ser cornado o praso de 18
mezes, cencedido ao predilo arremtame, como
iudemnisacao das despezas felas com a referida
casa. I
Dito ao cnsul de Hainburgo.Respondo ao I
offlcio de 4 do crreme, com que o Sr. C. L. P.j
Roock, censul de Hamburgo, liouxe aomeu conhe-
cimento a conla que devolvo. rcmeitendo-lhe a
inclusa copla da informaco que acerca do citado
offlcio minislrou o capiao do porto desta pro-
vincia.
Circular a todos os commanlantes superiores da
guarda nacional.Recommendo a V.......a expedi-
o de suas ordens para que seja prestada ns ter-
mos do art. 86 da lei n. 602 de 19 de setembro de
COMIMDODAS ARMAS.
Quarlel do commafldo das armas de Pernambuco,
na cidade do llecife, 9 de novembro de 186i.
OUEM DO DA N. 13.
_ Tendo fallecido no dia 3 do corrente o Sr. capi-
ao de estado-maior de segunda classe, e comman-
dante da fortaleza de Tamandar, Luiz de Franca
de CarvalBo, que foi sepultado na capella da mesnia
forialeza, conforme parlicipou o respectivo almoxa-
rile, o particular Io sargento Jos Ilygino Xavier
da Fonceca,, o coronel commandante das armas no-
nieia para eommandar imerinamente a mesma
furtalt-za o Sr. alferes reformado do exercito Jorge
Rodrigues Sidreiras, que dever quanto antos se-
guir para o seu desuno.
Assignado. Joai/uim Jos Goncalves Fonles.
Conrorme. Jos trancisco de'Moraes e Vascon-
celos, ajiiiiante de ordens interino.
imperial parte da commissao aqui existente, re-
commendando ao mesmo tempo ao respectivo che-
fe, capito tenente Jos da Costa Azevedo, se con-
servasse n provincia at floalisar e coordenar os
trabalhos preparatorios de que se achava incum-
bido.
O Sr. Costa Azevedo, julgando opportuno enten-
derle pessoalmente com o governo acerca desses
trabalhos, conforme trouxe ao meu conhecimento,
parti com os seus auxiliares para a corle, onde
obteve a sua exoneraco.
Acha:se, pois, novamente dilauda a poca em
que terao comeco os trabalhos desta to protralmia
demarcacao.
Saide publica.
E lisongeiro o estado sanitario.
Gracas a Divina Providencia, nenhunia epidemia
de carcter grave manifestou-se este anno na pro-
vincia.
Nos mezes de 1 a reo j abril grassaram espor-
dicamente na capital algnmas febres catharraes.
Presentemente reina, tanto nesta cidade como
as margens do Solimoes, a coqueluche bem ca-
racterisada ; e, como sempre acontece, tem ataca-
do de preferencia as enancas. Neslas mesmas,
peco que nao se oceupe mais com ss miohas ver
llgeOS.
Sou de Vnics. atiento venerador e criadoDr.
Vtlella Tavares.
Recife, 10 de novembro de 1864. >
Com a chegada hontem do brigue Castro I,
do Rio de Janeiro, espalhou-se a noticia d3 se ter
perdido o vapor Paran, que ltimamente d'aqui
sahio com o 2 batalhao de infantaria, nos abro-
lUos, baseada na Informaco do commandanle da-
quelle navio, que diz ter visto sossobrar um vapor,
estando em di.-iancia. e que ao passar perlo do lu-
gar vira boiar bonets e pelrechos bellicos, ueos
queira que se nao realise a informaco de seme-
ihame nuiicia.
Depois d'amanliaa se exlrahir a Ia parte da
Ia lotera da matriz de Nos.-a Senhora do Rosario
de GoiJona (lio-1), sendo os maiores premios___
10:00O| e 3:000.
CBPr. Amonio Jos Rodrigues de Souza, en-
trn emlexercicio de thesoureiro das loteras.
r T mo tora annunciado, o concert do Sr. Reicherl,
tlaulisia belga.
Esperavamos essa occasiao para julgarmos por
Masculino
- I I 1*
:l
Feminino.
M
en
a
Masculino.
Feminino.
y.
vi
n
Masculino.
Feminino.
x
n
z
: o

=
3
I
-a
2.
- \
I I
I .
Masculino.
Feminino.
c
i:
^. I TOTAL.
y 1

uUu0 iJicicreucu as enancas, esias mesmas, c>|ieiavainos essa occasiao para julgarmos por
porem, os casos fataes conlam-se por poucos, e so "s mesmos do verdadeiro mrito desse artista tao
entre as de teora idade e mais dbil constitu-1 apreciado na canifal do imnerm pannumiumni.
INTERIOR.
1850, a forca da guarda nacional que fr requisi-
"0 da comarca e pelo:
o servigo ordinario
ASIlKOX.tK.
Relatarlo apresentado asscmkla legislativa da
provincia do Amazonas, na sessao ordinaria do
Io de outubro de 18G, pelo Dr. AJolpho de
Barros Cavalcanti de Albuquerque Lacerda, pre-
sidente da mesma provincia.
Senhores membros daassembla legislativa pro-
vincial. Nao se lendo podido elfeciuar a reuniao
da assembla legislativa da provincia no dia 25 de
Xada pelo juiz do direito da comarca e pelos dele- marco, inalado por lei para a installacao dos vos
" ario no mu- sos trbalas, nem no da 31 de julho, designadi
gados de policia, para
n'cjp': para essr^m por meu antecessor' cab-me hoje a
Offlcio ao commandanle superioj da guarda na- honra, em cumprimenfo do dever que me impoe o
conal do Pao d'Alho.Communico a V. S. para art. 8o da lei de 12 de agosto de 1834, de infor-
seu^conhecimento e para que faca constar ao agr- mar-vos do eslado dos negocios da proviucia, para
ciado, afim de solicitar a sua patente, que por"de-
creto de 13 de setembro ultimo, S. M. o Imperador
houve por bem nomear a i-rancisco Manoel Be-
zerra de Vasconcellos, para capito secretario
geral do conselho superior da guarda nacionat a
cargo de V. S.
Dito ao director do arsenal de guerra.Remetto
por copia a V. S. para ter execueao na parte que
lhe toca o aviso de 11 de outubro ultimo, em que
o Exm. -r. ministro da guerra nao s mecomrau-
nica a expedico de ordens, para ser enviado
esta provincia, o armamento Mini de 14m, 8,
mencionado em a nota tambem por copia junta,
que foi nomeado por decreto de 23 de Janeiro des-
te anno.
O curto espaco que tenho de administraco, os
mltiplos e variados assumptos pelos quaes cons-
tantemente forcadaa dividir-so aattcnco daprimei-
ra autoridade, esobreludo os limitados recursos de
que disponho, nao permittiram que (osse qual de-
vora ser, o eu desejara, a exposijo que venho fa-
zer-vos.
No minucioso relatorio com que passoume a
administraco o meu Ilustrado antecessor, e vos
ser presente depois de impresso, encontrareis,
porm, ampias noticias e esclarecimentos sobre os
afim de ser substituido o que se acha destribuido diversos ramos do publico servico. No mais, sup-
pelos corpos, indicados em dita nota mais tambem priro as vossas luzes e o conhecimento qu ten-
exige conta por meio de mappa classifirado, do des das cousas da provincia,
que fr substituido e arrecado nos armazens desse i E antes de ir mais adianle, consesti, senhores
arsenal, da quantidade existente respectivo estado que vos diga|desde j coma franquezajque devoaos
e qualidade.Igual copia foi remettida ao coronel' escolhidos da provincia e occasiao solemne em
commandante das armas. que nos achamos, como igualmente ao cargo que
Dito ao commandante do eorpo de policia.De- j oceupo, que, se sao abundantes e maravillosos os
feriado o requerimento do soldado do corpo, sob eleineulos naluraes de grandeza desta regiao aben-
seu commando Francisco das Chagas Gregorio so-' coada, nao sei se nao sao, infelizmente, anda mais
versa a sea informaco, n 486, de 4 do
auloriso V. S a dar lhe baixa do ser-
\
bre que
corrente,
tico.
Dito ao mesmo Em deferimento o requeri-
mento do cabo de esquadra do corpo sol> seu com-
mando Manoel Baptista da Silva, sobre que versa
a sua informaco n 489, desta data autoriso V. S.
a dar-lhe baixa, visto que por molestia se acha
impossibilitado de continuar no servico.
Circular a todas as cmaras municipaes da pro-
vincia.Recommendo a cmara municipal de.....
que d em tempo as providencias necessarias afim
de que se reunara as Juntas quahlicadoras das
freguezias do seu municipio, na 3.* dominga de
jaiero proximo-vindouro, havendo o maior cui-
dado para que se faca regularmente todo o pro-
cesso da qualiflcacao, e tendo-se em vista para a
orRarilsaco das respectivas listas o disposto no
decreto n. 2865, de 2l de dezembro de 1861, e mais
disposiefies de leis em vigor.
Dita a todos os juizes de direito da provincia.
poderosas e em maior numero as causas de seu
alrazo actual e vagaroso adiantamento
E' forca, que nao liis tudo d'aquelles: e que. ao
passo qno os promoverdes com intelligente esforco,
vos oceupeis era corabater estas com o empenh
sincero e a perseverante vontade, quo a provincia
tem direilo de esperar de vosso patriotismo.
Familia imperial.
Gracas Divina Provindencia, SS. MM. II. e as
augu>tas princezas continuara a gozar sade.
Folgo de comraunicar-vos que S. M. o Impera-
dor, na falla de encerramento e abertura da as-
sembla geral, em 3 de maio ultimo, declarou tra-
tar do cousercio das mesmas seremissimas prince-
zas, -nas augustas filhas.
To fauslo aconieclmento. que brove dever rea-
lisar-se, satisfaz plenamente os votos sinceros dos
Brasileiros, que zelamos em cada um dos mem-
bros da familia imperial outros tantos penheres sa-
grados das nossas livres inslituigdes.
RelacScs entre o Brasil e o Estado Oriental do
entre as de tenra idade e mais 'debi constitu-
cao.
Como nao ignoraes, a duracao deste incommo-
00, que coincide no Amazonas cora a poca da
descida e subida das aguas, longa e perlinaz,
cedendo mais accao do tempo, como nos outros
lugares acoutece, do que a dos medicamentos, cu-
jo emprego quasi geralmenle dispensado por
improlicuo.
De todo o ponto inexacta a supposicao que ge-
gralmente corre respeito da insalbridade do
clima do Amazonas. Protesta contra essa idea
errnea a eslatistica mortuaria, dado mesmo todo
o descont grande imperfeico com que feilo
semelliante trabalho.
As molestias graves e communs a quasi lodos
os paizes sao aqui pouco observadas.
As que se tornam mais frequemes sao as febres
calliarraese as paludosas, cora carcter endmico
em cerios lugares, e epidmico em outros. Mas
na pluralidade dos casos osse mal nao accommclte
com intensidade, antes cede fcilmente a um tra-
tamento apropriado. A falta deste e o despreso
da populaco pelos preceitos hygienieos, anda
quando atacada da enferraidade, sao os verdadei-
rosmotivos dos casos fataes, que raro se do.
Comega a tornarse sensivel a falta de institutos
de beneficencia, onde sejam recolhidos os enfer-
mos pobres. O espectculo da indigencia j de si
e autigidor : mas quando esta se ajuma a enfer-
midade, o quadro de todo se anuvia; eosenti-
rneoto christo, que nao senao a philantropia
esclarecida pela luz do Evangelho, sente-se ferido,
e interroga mudamente a sociedade
Entretanto, com pezar vo lo digo, sem embargo
da proteegaa devida aos desvalidos, forga reco-
nliecer que tao palpitante necessidade nao pode
ser, por emquanto, mais largamente attendida do
que pela provincia. Nao o periniltem as suas
circunstancias.
resullado
apreciado na capital do imperio, e a pouco estrepi-
tosamente applaudido na Bahia.
Com efTcito o Sr. Reichert se nao exceden, cor-
respoudeu maravillosamente a espectaliva dos que
ouviram-no najuella noute. Parecia impossivel
que a lano se prestasse a flauta, instrumento de
tao poucos recursos. Quem nunca a ouvio tangi-
da |ior um Reichert nao avalia por certo os Ihesou-'
ros de harmona que encerra esse inslrumeolo to i
geralmenle conhacido.
Tocou o Sr. R iicherl duas difflclirnas e brilhan-
lea phantasias do Bohemia sobre molivos de urna
aria allemaa e de oulra tyroliana, urna variaco !
ADVERCENCIAI
Na totalidade dos doentes existem 128, sendo
74 homens e 54 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
Pelo Dr. Ramos s 6 i|4, 6 1|2, 6 Ii2, 6 Ii2, 6
3|4, 6 3|4. '
Pelo Dr. Sarment s 8 1|2, 9, 8 3|4. 8 I|2, 8
1|Z, .'.
Falleceram :
Francisco Amaro da Silva, phtysica pulmonar.
Joaquim Jos de Sant'Anna, id'em.
Alexandnna Mana da Conreigao, enthenorrhagia.
Luiz de Moura, febre maligna.
Jos Joaquim de Santa Anna, ttano.
Anna da Paz Goncalves, phtysica pulmonar.
Empregados internos oeste hospital:
10 irmas da cndale.
1 sargento o 1 cabo para a enfermada de po-
licia.
1 porteiro.
1 enfermeiro e I ajudante.
8 africanos livres.
7 africanos escravas,
1 carpina.
Passageiro vindo do Rio uo Janeiro no bri-
gue nacional Castro l: Jos C. de Andradc Pinto.
Omro do fiscal da freguezia de Sanio Asteis.
informando que a pret"ngo de Jo*i Caeuao de
Carvallu. justa, pois que por vezes lem prn
i ciado qnererem os condnetares de vehculo* pas-
sar pelo becco d iCalabouco, que apenas tem 9 Irt
palmos de largura, pelo que acha conpni*nle a
coiracag-ao da pedra, romo reuur o suoplicanle
Pemtiic-se.
Oulro do fiscal dos Alogados, informando que a
casa onde oulr'ora vender plvora, no lugar do
Barro-vernielho da mesma freguezij. Jo> Antonio
Moreira fias, ena qual pretende coolinuar Manoei
Tlieodoro da Cunba, fra elabelecida coro liceoca
da camari, accresrendo que o deposito aeha-se
collocado cncoenta bragas distante de qualquar
edilicagao A'vista da informaco, roacedeu-se a
llcenga.
Oulro do administrador do cemiierio publico da
freguezia de S. Lourengo, remetiendo o mappa do*
enierramentos que se zeram no dito e*tabeleci-
nienio de 21 a 31 de agosto ultimo.Ao procu-
rador.
O engenheiro cordeador apresentou o orramento
paraa coiD-trucco de 25 catacumbas no cemiteria
publico da freguezia de *. Loureugo oa Malta sa
importancia de 1:015*.Mandou-se por em praca
para os das 10, 12 e 14 do correte.
A requerimento do Sr. Reg e Albuqu^rqBe.
mandon-se olliciar ao juiz de |az da freguezia da
Varzea haver o Exm. presidente da provincia, or-
denado suppre.-so do segundo distrielo da mes-
ma freguezia para neste sentido proceder a elei-
gao, visto nao ter anda o mesmo Exm. presidente
resol vido sobre as ponderagSes que lhe izera a c-
mara em offlcio de 26 de agosto ultimo, >ob n. 42,
requerendo lamoera que se communicasse isto
mesmo S. Exc.
Mandou-se remetter commis-o de edificagoes
(rs. Mello e Gameiro) urna peligo, na qual Joa-
quim Francisco Collares, propietario da casa a.
w da ra Bella replica sobre o despacho que lhe
fra dado em se>so de 31 de agosto prximo
findo.
A requerimento do r. Mello, marcou se cama,
ra para o dia 5 do corrente.
Despacharam-se as peiiges de Anselmo Jos
Duarte Cedrim ft C, Antonio Jo c Martins Biaja,
Joaquim Antonio Rodrigues, Joo da Costa Braga,
Jos Antonio Vieira, Joaquim Francisco de Paula
Esteves Clemente, Joo Antonio de Almeida. Joao
Francisco Antunes, Manoel Martins de Crvamo,
Maria da tonceigo Veiga, Manoel da Silva Jaco-
me Pe Leva ntou-se ases>o.
Eu Francisco Canuto da Roa viagem, secretario,
a subscrevi.-Rego e Albuquerque, p. p llenn-
quesda Silva.-Baraia d'AIneida.-Reg>.-Mello.
Gameiro.
CMARA MIMCIPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 3 DE
SETEMBItO DE 1864. ()
Presidencia do Sr. Barata de Almeida
Presentes os -rs. Reg e Albuquerque, Henri-
ques da Silva, Gustavo do Reg, Leal Seve, Mello
e Gameiro, abreve asesso e lida e
aela da antecedente.
Le-se o segrale
EXPEDIENTE.
Fin offlcio do Exm. presidente da provincia,
sobre o carnaval de Veneza, e urna linda puka i transmitlindo copia das posturas adoptadas pela
intitulada a Faceira. | cmara municipal da corle, acercados terrenos de
Em tudo a execucSo e o gosto levados ao maior i marinha (|ue nao se acham anda beneficiados, e a
gr-ra de perfeicao, arrancaram os mais unnimes} q1"' se refere o aviso do ministerio da fazenda dt-
applausos, particularmente no carnaval onde pare-1 22 de agosto ultimo, lembra a necessidade de eon-
ce ouvir-se duas fiamas perfeilamenlo dislincts,! feccionar-se arugos de postara semelhanles, alim
de sorte que ouvindo-se sera ver-sc o homem, a de seren portas em execugo nesla capital depois
illu^o a mais compela. ] de approvadas.Que se remettesse
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS S DE
SETEMBRO DE 1864
Presidencia do Sr. Reg e Albuquerqtu.
Prsenles os -rs. llenriques da Silva, Barata de
Almeida, Gustavo do Reg, Mello e Gameiro. bre-
se a sessao e lida e approvada a acta da antec-
deme.
Le-se o seguale
EXPEDIENTE.
Lm offlcio do Exm. presidente da provincia, di-
zendo ter-lhe sido entregue o offlcio da cmara de
-b de agosto ultimo sob u. 42, no qual a mesma
cmara antes de dar execueao a ordemque lhe f,
ra expedida, pela presidencia annullando a diviso
dosdislriitos depazfeilapeladiacamara na fregue-
zia da Varzea, por ser essa divido da exclusiva
competencia da as-embla provincial, pondera que
. tendo ella depois da lei provincial n. 134, que re-
approvada a guloit os dislricios di> paz em toda a provincia pro-
cedido a novas divisos em diversas h-eguems. es-
lao essas allerages por aqueila razo no mesmo
caso de seren aunullad as. alim de evitarse os in-
conyenientes ijue d'ali podem provir. Em re-pos-
la diz S. Exc. que nao ha Motivo para a cmara
sobrestar na execugo da snpracilada ordem. vM*
que esia nada tem i|ue embaan- qualquer deiibera-
gaoqueposteriormente a prenidepjcia venliaatomar
sobre oobjeclo dc.jue Irataacamara.a (|uem recom-
menda que alagaelfeciiva aquellacrdem. eque mi-
nistre para soluco do que pondera, os devita es-
clarecjmentos, declarando quaes a* freguezias. a
....... rr--------- >c -~ .W...W......V. M Commissao ......->.M*Mraj umMUHiuu quue^ 11 f^nr/ia>. a
no car laval e na Faceira o Sr. Reichert revela- de pulira para traiar da confeceo dos mesmos que allude, o numero dos distrielos nellas <-read
essas duas pegas i arligos, menos na parte do j 2., porque islo j se *
I acha providenciado nas postaras.
Oulro do mesmo, dizendo que em vista do offl-
cio n. 38. do 17 de agosto prximo lindo, no qual
a careara lhe communicra ter arbitrado ao cirur-
, gio encarregado do curativo dos presos pobres da
flollanda, Franca, Inglaterra, Escocia. Irlanda e casa da delengo Francisco Jos da Silva, a grati-
Bstados-Unidos, alcanzando sempre as maiores licagao annual de 600,5 por contar mais de Irinta a
ovaeoes eap|ilau-os; nao podia pois deixar de [um annos de servigo, e pretender continuar no ex-
prodmir o entliusiasmo com que foi otivido entre
se. demais mui habiieompositor
sao obras suas.
Consta-nos que compue com faciUdade e bom
gosto, sendo me-ino considerado na Europa como
flautista e compositor de primeira forga.
O Sr. Reichert tem-se ja feilo ouvir na Blgica,
Nem me parece que deva produzir .
efflcaz o recurso, lembrado por alguns, caridade
individual; nao porque pouha em duvida os senti-.
mentos de humanidade dos filhos da provincia, lia ^ [""opnedade,
sim porque vejo quo limitada e modesta aqu, naquelle dstrieto.
a fortuna particular. Amanhaa deve ter lugar o sorteio para a
Urna in-tituigao de caridade, para o lim a que 'sexla sessao ju liciana do jury desta capital, a qual
udo. exice recursos avnliadn < n..i-m ,n..nr... se acha convocada para o da 24 do crreme.
alludo, exige "recursos avultds e permanentes,
que o grau da riqueza dos habitantes ainda nao
pode comportar.
Manter o beneficio que tem sido concedido pelos
cofres; alarga-lo mesmo, quanto seja possivel,
consignando maior verba para o tratamento dos
indigentes na enfermarla militar; em minha
opiniao, quanto na actualidade se pode rasoavel-
mente exigir de vos, ltenla a exignidade das ren-
das publicas, que demandara severa economa e a
applicago mais til.
Movido por este preceito, fixel ltimamente a
diaria de lfiOOO para cada indigenle, cessando a
pratlca de pagar o que niiudamenle se despeudes-
se com o tratamento de cada um delles.
Nao lem progredido o servigo da vaccina. A'
repugnancia que a populagao, em geral desconfia-
da, manifesta contra o emprego desse preservativo,
accresceu a m qualidado do puz vaccinieo vindo
do Para.
Tendo-o feito renovar agora, ordenei ao director
dos educandos que mandasse apresentarsemanal-
mente seis destes ao commissario, para serem su-
jeitos a essa preservadora operago.
(Coni'niiarse-fca.)
ercicio de seu emprego, resolveu approvar essi
acto, o que commuoicava cmara para seu co-
nhecimele, e devidos effeitos.Que se lizessem a
convenientes communieacoes.
Outro do juiz de direito da segunda vara, Dr.
Manoel Jos da Silva Neivas, dizendo ler vencida
a quantia de 27600 de cusas, que devera ser pa-
gas pelo cofre municipal, segundo consta da certi-
do quo remetto, e pede que se llie mande pagar.
Que o contador passasse mandado.
Outro do subdelegado supplente da freguezia da
oc .,,..,. p. ...u- Boa-Vista, Decio d'Aquino Fonseca, comraunican-
que tem sofrido seus ataques ido haver assumido o exercicio do dito cargo, em
consequencia do impedimento do proprietario ; as-
segura cmara que o achara sempre prompto a
salisfazer as exigencias do servigo publico etc.
Que se respondesse.
Outro do engenheiro cordeador, parteoipando
que dirigindo-se ao lugar da Varzea para orgar os
reparos de que precisava a estrada que vai dar
nos.
Seu concert foi concorrido, assislindo a elle a
flor de nossa sociedade, que hoje Iributa-lhe a mais
bem merecida ndmirago.
Considerado vago o lugar de subdelegado da
Passagem da Magdalena, por haver fallecido a
pessoa que o oceupava, loi nomeado para elle o Sr.
alferes Antonio Jos Leopoldino Arantes.
Repulamos boa a nomeacao, e contamos que des-
empeorar satisfactoriamente esse cargo, e por
isso chamamos logo a sua atlencao para garan-
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Hoje celebra-se na matriz desta freguezia g-
Santo Antonio o Tc-Deum em aegao de gracas pelo
consorcio de S. A. Imperial a Sra. Isabel, her-
deira presumptiva do throno.
. O Instituto Archeologico e Geographico Ptr-
nambucam faz hoje a sua l* sesso ordinaria deste
cerrenle mez.
_ Expediram-se erdens pela presidencia para
nao haver expediente hoje nas reparligoes provin-
eiaes e geracs, em consequencia dos festejos pelo
desposorio de SS. AA. II.
Consta-nos o seguinte :
A demissao do amanuense da thesouraria pro-
vincial L'lysses Justniano de Oliveira, para cujo
lugar foi promovido o praticante da mesma the-
I souraria Pedro Alexandnno Machado, que foi subs-
tituido por Joaquim Tranquillino de Lemos Du-
arte ;
A aposentadoria do segando escripturario do
consulado provincial Luiz de Azevedo Souza, que
loi substituido pelo lancador do mesmo consulado
l'lysses Cokles de Albuquerque Mello, a quera
substituio tambem Joao Paulo Ferreira.
HEPART1CAO DA POLICA :
Extracto das parles do dia 9 ae novembro de
1864.
Foram recolhidos casa de detenco no dia 8
do corrente :
A' ordem do Dr. delegado da capital, Honorio
Jos da_ Rocha, para correcgo; Maria Rila da
Conceigo, Estevo e Joaquim, escravos, este de
Ignacio Luiz de Brito Taborda e aquelle de Jos da
Silva Loro, todos por crime de roubo.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Benedicto
Gomes de Oliveira, Bernardino de Sena e Silva,
Vrenle Jos da Costa e Jord > Jos Ferreira, para
averiguages policiaes; Belchior, escravo de um
Fulano Mamede, por embriaguez.
A' ordem do da Boa-Vista, Cypriano Bernardo
s e'
ILpUlUJ UO '|H- |'l. 1 |--i>.i a Oi"H tlUU aquella povoago, como lhe fra ordenado, achara
ditos reparos j fetos, sendo o Exm. baro de
Munbeea, segundo lhe inforraarara, quera os nian-
dou fazer pelos s^us escravos, de sorte que presen-
temente dita estrada presla-se sem inconveniente
algum ao tran.-ito publico, sendo apenas necessario
para o anno prximo futuro, quaudo se approxi-
mar a eslago invernosa, langar-se em parle della
alguraas carrogas de ara para impedir as escava-
gocs dos ps dos animaes.Inlerada.
Oulro do mesmo, informando o requerimento, no
qual Jos Gongalves Ferreira Costa pede, para que
lhe seja concedido fazer sotas nas casas que est
edificando na ra da fundigo em Santo Amaro,
diz que as ditas casas sao de paredes singellas,
mas que sendo tambem de pequea largura (22
palmos), parecelhe que as ditas paredes podero
supportaro accrescirao que Ihes qur fazer o pe-
ticionario. Concedeu-se.
Oulro do mesmo, communicando, em conse-
quencia do que lhe lora ordenado, que a casa ter-
rea n. 26, sita ra do Rosario da freguezia da
Boa-Vista, e a que se referan os papis que re-
mette, esta na planta da cidade para ser demolida,
alim de alargar-so a tua que da praca da Boa-Vis
ta vai ter Soledade, passando pela caixa d'agua,
mas quanto a ser dila casa indispeusavel para o
aforniosearaento da ra c utilidade publica, diz
. da ra e .
a urur.ni uo ua Boa-visia, <_.ypriauo Dcruaruo i que nao se alargando mesma ra desde a praga
do Rosario e Norberla Maria da Conceigo, ambos da Boa-Vista, pouco sensivel ser utilidade que
por brlga. da demoligo da mesma casa vira ao publico, sendo
A' ordem do da CapuDga, Joo Jos Candido,! prefer vel ao sou ver, que em vez da demoligo, se
por suspeito, ) trate do abrir a mesma ra at sahir na Soledade, ,
O chefe da 2* secgao, j o que custar menos e ser de maior proveilo,. vado
/. G. de Mcsqu'.ta, Couceileu-se a licenca requerida. O Sr. tarata e Almeida,
e a data em que o foram.Que se cumpnsse.
Nesta occasiao o Sr. Gameiro pede a palma e
declara-se em oppoicao a deeisaa do Exm. pre-i-
dente da provincia mandada cumprir pela cmara
porque emende ser ella Ilegal.
Oulro do mesmo, n-.-poiidemio ao offlcio da c-
mara de 31 de agosto prximo lindo, declara que
as mesas parochiaes das freguezias da Varzea
Afogados, devem ser organisadas pelos tiritar .
supplentes da actual legislatura como deier..iinou
em Officio de ;t0 de agosto e 1- do correte : em
vista da doulrina do aviso de 2tfdejunlio ultimo,
no qual o governo imperial declarou que a appro-
vacaoda eleigo de deputados importara a do res-
pectivos eleilores. Concluindo julga S. Exc. con-
veniente remetter a cmara as copias dos ..ilieio
dirigidos ao juiz de paz da freguesa d* Vanan so-
bre a duvida apresenlada pela nu-sma cmara, e
que foi tambera submeltido a sua deciso pelo re-
ferido juiz de paz em relaeao a mesma freguezia.
Inleirada, e que se expedissem as ordens conve-
nienles.
Oulro do Exm. visconde de Camaragibe. n-mel-
tendo, conforme lhe pedir a cmara por offlcio de
31 de agosto prximo passado, urna lista dos vo-
lantes da freguezia de s. Loureoco, moradores n
territorio que da mesma freguezia fra de-mem-
orada para a da Varzea. -Nesta ormino I apre-
seotado igualmente outro offlcio do vigano deS-
Luurengo, Jo> Idelfonso Rodrigues da Silva Dutra
acoinpauhad 1 tambem de urna Unta dos votantes
moradores no territorio desligado daquella fregue-
zia para a da Varzea, cuja lisia por offlcio de 31 de
agosto lhe exigir a cmara. Po discusso, o Sr. presidente prope a cmara se
de opiuio que se remella ao juiz de paz da fregue-
zia da Varzea a lista fumen Ja pelo Exm. visconde
de Camaragibe.
O Sr. Gustavo do Reg, pede a palavra e oppde-
se bastante a remessa da mesma lista, lirnvtndo a
sua opiniao de que nao lera ella carcter ofi-
cial.
O Sr. Mello pede tambem a palavra. e sustenta
que sinenie a lista mandada pelo Exm. visconde
de Camaragibe deve ser reineliida: que rumpre a
cmara o dever de satisfacer aoidem Jo Exm. pre-
sidente da provincia da remessa de nma lista ao
juiz de paz, e que oflereceudo duvida a primeirn
que fura remettida, devia remetter a de que se
trata.
O Sr. Barata pedindo tambem a palavra. diz qoe
enteade dever a cmara mandar ao juiz de paz da
Varzea nao sd a lisia foraecida pelo Exm. vi-rond*
de Camaragibe, eonm a que fra pelo respectivo
juiz de paz de S. Lourenco, para serem ambas com-
binadas.
O Sr. presidente Reg e Albuquerque, qoe de-
pois de abundar em raui'as considerages, eonclue
sendo de opiniao que su remella a lista conformo
requer o Sr. Mello.
Nao havendo qiicm mais tomasse a palavra, fot
posto a volas o requerimento do Sr. Mel!o e appro-
declarou votar contra
i


V,"



Otarlo ie PeraanHneo Quinta Tetra lo de Xovcinhro de 1t4.
/
a remessa da lisia forneeida pelo Eim. viscondtf
de Caramagibe, porque emende que deia ser tam-
tam remullida pelo juu da paz.
O Sr. Gustavo do Reg, dectarou volar contra
pela mosraa razo porque o fe o Sr. Barata de Al-
meida.
O -r. presidente Hugo e Albuquerque, declarou
por fim que votava contra a remessa da lista dos
votantes da freguezia de S. Lourenco para a da
Varzea, por estar convencido que estes devein vo-
tar oa freguezia oude foram qualicados, e tanto
assim deve sur que o eleitonsAe um districto, embo-
ra delle se mude, vai votar naquelle onde fura
eleito.
Outro offleio do Qscal da freguezia do Recite, in-
formando nao ha ver inconveniente em se permittir
que Ausiilmo Jos arte Cedrm & C, facara o
caso quo preteudem na casa n. 17 da ra da Cruz,
Bde pretenden! estabelecer urna casa de banhos.
Remetteu-se.
Foi approvado um parecer da commisso deedi-
fieacoes no sentido.de se conceder que Joaquim
Francisco CoHares fasa* rofcerta de sua casa u. 4a
da ra Bella sem que lavante a cornija da raesina
casa.
Despacharam-se as pelices de Francisco de Bar-
ros Correa, Jos CaetaHo de tarvalho, Jos Gon-
Sadres Ferreira Costa, tenente-coronel Joo Vieira
e Mello c Silva, Luiz Jos Marques, Manoel Jos
da .Fonscca.
Levanlouse a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem, secretario
a subscrevi.Heuriques da Silva, pr-presidenle.
' Reg.Leal Seve. Barata deAlmeida.Mello.
Janeiro.
panhada por um harmonios orchestra, na qual
cantaran durante todo o acto quatro menores do
collegio dos orphaos, cujas vozes excedern a ex-
pectativa.
Orou no Evangelho o Rvm. Fr. Antonio do Es-
pirito Santo, o qual com o talento que o divague
reciiou ura elocuente- discurso anlogo ao Mt*
A' tarde subiam aos ares alguns baldes do Api-
las formas e bom gosto.
Pelas 8 horas da o nte comeca o Te-Deum, tocan-
do a mesraa msica por to lo o acto.
O templo eslava pleno de fiis, orando nessa oc-
casiaa o Rvm. padre Mello e Albuquerque, que nao
menos eloquente, desenvolveu um interessant e dis-
curso.
Findo o acto deu-se cornejo a um tieqoeno fogo
artificial, porm bem desempenhaJo que nad a dei-
xou a desejar.
A igreja era peqoen para accumular u m to!
grande numero de devotos.
Estamos cerros de que alora da mesa adminis- i
trativa em geral, o juiz thesoureiro e secretario,
nao pouparam os seos esforg is para que esta festa
fosse lio espen liJa orno de facto reaiisou-se, de-
vido nicamente aos bons desejos e devoco de to ;
dignos membros de semolhanto corporaco.
CORRESPONDENCIAS
a Alam-1
COMMNliliBOS.
dos tenidos de algodao e saceos de linho
son Ilowie & C.
500 caixas sabio, 8 ditas e 17 fardos tazenda de
Ilnho, de algodao, e meias de dte; a J. Pater
ce C.
3 fardos e 8 caixas tecido de algodao ; a Scha-
fheillin & C
6 caixas e 3 fardos tecido de algodao e brim de
linho ; a T. Jeffenes.
li fardos e 7 caixas tecidos de meias. de dito,
saceos de tapetes; a A. C. de Abren.
15' fardos e 35 caixas tecido de la, dito de algo-
dao, mantas de lia, roupa, camisas, lencos, meias,
miudezas, etc.; a T. Christianspn.
2 caixas e 1 fardo chapeos de sol de alpaca, e te-
cido de linho ; a R. Lightbown & C.
200 saceos arroz, 25 toneladas de pedra de las-
tro ; a Saunders Brothers 10 caixas tecido de algodao; a Southal Mellors
A C
25 ditas dito dito e lengos de dito; a Mills La-
tham & C.
11 caixas biscoutos, 1 dita presuntos a Duarte
& C.
20 ditas vinho ; a Rothe & Bidoulac.
2 ditas objectos de botica; a Caors & Bar-
bosa.
8 caixas phospharos; a Ferreira & G
1 barril presuotos ; a Palmeira & Beltro.
15 ban is manteiga ; a J. S. Fonie.
10 ditos resina, 20 tambores de ferro soda ; a
Maia C. ,
6 barricas e 9 caixas ferragens, tintas, estanho e
70 feixes ps de ferro ; a Prente Vianna
MQYIMENTQ DO PORTO.
Navio entrado no da 9.
Rio de Janeiro27 das, brigue nacional Castro I,
de 192 toneladas, capito Joaquim A Ivs Morei-
ra, equipagem 12, carga varios gneros ; a Maia
& Espirito santo.
Navio snhi'lo no mesmo dia.
Canalbrigue inglez Dante, capito Thomaz Gar-
dener, carga assucar.
EDITAES.
Srs. redactores.E no auge do prazer que ex-
perimenta aquello a que restituirn) a vista e a ac,
sade, perdidas, que venho testemunhar ao Ilim. & C.
Sr. Dr. Cosme de Sa Pereira o meu agradecimen- 6 barricas canos de chumbo ; a Wilson &
to publicando o feliz resultado que acaba de al- Hette.
cancar na extraccao da catarata, da qual me acba- { 2 caixas biscoutos; a Lasscrre & C.
va j ceg, e com q ue no espaco do 12 dias de-! 30 barras de eslanho, 15 caixas linha de algodao,
sois, ja va, grabas a sua pericia e dedicaco pelo 48 barricas cutilaria, serrotes, ferragens, etc.; a
bservaco medico-cirnrgiea de urna metro-perito- j aperfeicoamento de ssa sciencia, a quem devo cer- Izidoro Xelto k C.
nite purpera seguido de abeesso oa regio nra-' {?me,n, m?is Precioso bem que possuia -a vis
f r 3 ,. 5 tada qual ja goso depois dessa melindrossima
e remmunicarao de intestino delgado. 0peraco, praticada no dia 20 de
A cmara municipal desta cidade, desejando
que o Te-Deum que se tem de cebrar em aecd de
gracas pelos desposorios da augusta princeza im-
perial com sua alteza o conde d'Eu, seja solemni-
sado do modo o tnais brilhante, e recelando que al-
gumas das pessoas a quem se mandou convidar
nao tenham recebido as respectivas carias por
qualquer motivo, declara pelo presente que sao
convidados para assistir ao mesmo Te-Deum que
devu-a ter lugar as 11 horas da manha do dia
19 do correte, na igreja matriz de Santo Antonio,
as primeiras autoridades da provincia, o Exm. Sr.
vigario capitular, e os clrigos de todas as oroens,
' os titulares, os senadores, deputados geraes e pro-
j vinciaes, o corpo consular, os magistrados o Exm.
director, e lentes da Faculdade de Direito e os das
aulas, de preparatorios, os chefes das reparticoes
publicas e seus empregados, os offlciaes da guarda
nacional e os de l linha, os negociantes matricu-
lados^ corpo eleitoral dos municipio, e os cidados
condecorados de todas" as ordens.
Paco da cmara municipal do Recife 8 de no-
vembro de 1864.
Luiz Francisco de Barros Reg, presidente.
O brigne escuna Graciosa, vae segor tm sancas
Os exames para o lugar de pratcantes consta-
ro du linas parles :
!* Lingua nacional, abrangendo a escripia, le-
tura e analyse grammatiral.
.. Puzenno "oear e,de aqaarella, ariihmetica! dias ao ParaTpode receber' atonas"' m
em todas as suas operaces e geometra linear. consignatario Ant-nio de Almeida Gomes, na ra
_Os exames para o lugar de escrevente, consta- da Cruzn. 23, primeiro andar.
rao de leiiura e escripia, analyse grammatical, I--------sTj ----------ESTlr:-----------------
anthemeiica em lodas as suas operages. E- Becker, capito do brigoe escuna
Sero examinadores no concurso dos conduc- hamburguez Ailelbert, Icgalmenle coo-
dmf='o0nlhKfedareparti^ das.obras P^as o demnado neste porto, precia fretar un
dous engenheiros nomeados pelo presidente da M-t, ,,>, Z1 Ji i. .,.-
provincia. nwo ou tomar lugar em alg ni navio, para
_No concurso dos pra.tcantes eescreventes.se- levar parte do carregamento do dito navio
rao examinadores pessoas versadas as materias Adelbert a saber carga de 6*)9 sarros |fr
rSSffi"0 p"ig-5ma- .-. i godao e 189 couros seceos salgados deste
Depon de concluidos os exames e feta a classi- nnHn n,m ji- ^v~yj ~ e r -,
ficaCo dos candidatos, segundo as habil.lacoes, o f0rt0 Para o de Liverpool. Os preten!.n-
engenheiro em chefe, far urna exposi>ao 'ao pre- les Puem dirigir as suas
sidente da provincia, emittindo o seu juizo sobre
o raerecimento individual dos mesmos candidatos,
ajuntando quaesquer consideracoes que devam
influir em favor da iduueidade de cada um dos
concurrentes.
Esl conforme.
O secretario interino
Manoel Lourenco de Matlos.
proposias *m
carta fechada ao capito no consolad -Ih
Hamburgo ra da Cruz. n. i, ;it o dia II
(b correte ao mr-io dia.
Para o Porto.
TIIEATliO
belical
Gura completa. Iximo "passado com asslsteacia
No da 14 de abril do correte anno fui chama- Francisco Gjncalves de Muraos,
4o para ver urna escrava da lima. Sra. There-
xa Vasconcellos, moradora na praca da Roa-vista
b. 7, 2" andar.
Havia oito dias que esta preta linha dado lu
urna crianca em perfeito estado de sauJe, em quan-
. to que ella comegou a soffrer dores agudas no bai-
lo veatre acompauhadas de febro intensa, dores
de cabeca excessiv;is, e outros syraptomas de gran-
de inOammaco : foram tratadas estas dores como
.eontraccoes lenuas, vulgarmente chamadas tor-
tas.
Nao cedendo de maneira alguma s applica^oes
' varias qualiUades fui eu chamado para me uca-la.
Examinando a doente, achei o ulero enormemen-
te destendido, a ponto de exceder o umbigo, sen-
bilidade exquisita do ventre. particular pentoni-
les, febre ardente, lingua secca, saburrosa e es-
branquicada as bordas, dores de cabera, suppres-
sio dos lochios e todos os mais symptomas, pro-
prios da perilonites puerperaes graves: alm de
lima pertinaz constipacao de ventre. Recorr por
vexes applicaco de saoguesugas, cataplasmas
emolientes, pomada mercurial sobro o ventre,
aos calomelanos em dse purgativa, e depois aos
inicos, principalmente a agua iugleza e prepara
Taces de ferro; logo que amainaran) a febre e os
outros symptomas de agudeza. Restabeleceram-so
s lochios e appareccu appetite, mas no meio disso
aem as dores do ventre cediam, nem diminua sua
. seusibilidade, que era tal que uo permittia fazer
a mais ligeira presso, e quasi impossibilitava de
fazer os necessarios exames.
Ao li.n de alguns dias observei que perto do
umbigo a iochacao fazia urna preeminencia, como
se quizesse ali formar-se urna colleccao de pus :
continuei a applicar cataplasmas emolientes e no
14* ou 15 de miaba assistencia, abriu-se com ef-1
feito este pequeo tumor daudo sahida a urna gran-
de quanlidade de pus degenerado e de pesslmo
ebeiro: sendo que estas duas qualidades foram por
setembro pro-
do Illm. Sr. Dr.
e perante muitas
pessoas de amisade, as quaes cert ament agrade-
jo o empenho e o desvello que tlvram commigo
os Srs. Drs., dedico um vjto solera n e da mais sin-
cera gratid*.
Recife, 7 de novembro de 1864.
Joo Braulio Correa e Silva.
PUBLICARES A PEDIDO,
Devendo ter rugar hoje 10 do corrente o Te-
Deum e mais festejos que os Pernambucanos se
digoam fazer pelo feliz consorcio da nossa prince-
za imperial, pede-se aas donos dos estabclecimen-
tas pblicos de fecharem smenle por este dia as
suas casas, como acconteceu na capital de impe-
rio.
Alguns commerciantes.
NENIA
Oil'erecida ao Eia. Sr. monsenhor Dr: Francisco lialas PaPe|i 400 frasqueirasgenebra, 189 barr
2 caixas tecido de algodao ; a Plnpps Brothers,
&C.
1 dita tecido de linho; a E. Fenton.
6 barris oleo, 26 fardos e 35 caixas tecido de al-
godao, de linho, de la, toalhas de linho, ditas de
damasco, peilos de camisa, lencos de seda, cober-
tores de algodao, chapeos e sol de alpaca; a E. A.
Burle &C.
181 barricas cerveja, 1 barril preniutos, 2 ditos
\ mantimentos, 4 ditos conservas, 2 caixas biscou-
I tos, 2 ditas queijos, 1 dita sabio, 1 dita miudezas, 1
dita urna medida, 1 dita fructas em conserva, 1 di-
I ta mostarda, 4 fardos estopa, 12 Mos tecido de li-
nho, 89 ditos c 16 caixas dito do algodfto, 1 dita
roupa de algodao e la, 1 dita camisas de algodao,
1 (Ja objectos de escriptoro, 3 ditas chales de ca-
sivnra, 12 ditas cobre e 22 barricas enxadas ; a
ordem.
Galera brasileira Mindello, entrada do Rio de Ja-
neiro, consignada a Palmeira & Beltro, manifes-
tou o seguinte :
13 volumes compondo urna prensa, 2 caixas
compondo urna machina, um debulhador e um cor-
tador de capim ; ao visconde de massuna.
22 caixas fazeodas ; a Linden Wild & C.
2 barricas estupim ; ao bario do Livraniento.
10 fardos fazendas, 5 ditos e 5 caixas canella,
Francisco Canuto da Boaviagem, secretario.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria pro"n
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 8 do corrente, manda fazer
publico, que no dia 10 de novembro prximo vin
douro, peranle a junta da fazenda da mesma the
souraria se ha de arrematar a quem por menos ft
S. ISABEL
EMPREZA
i O brigue portuguez lauto, sane com roat bre-
vidade por j ter a maor parle de sea rarre?a-
mento promplo, e para o resto que anda talla ira-
ta-fe rom o consignatario Jo-e Joaquim Lima Ba>
rao, ra da Cruz n. 18.
Para o Hio de Janeiro
esperado em poucos dias o brigue niritaai
. Almirante, o qual j tem parte de sua carra e*fa
Ijada ; para o resto qne Ihe falu e rsenro* a e-
i te, para os quaes tem excellentes commodo, trau-
| se com os seus consignatarios Antunio Luis de iMi-
i veira Azevedo & C, no seu e=criptorio roa da
: Cruz n. 1.
Para o Avmi
segne com muita brevi lade o hiate Dous Irmmos
' a tratar com Tasso limaos.
Para o Itlo dclanrir*.
Vai sabir com brevidade o bniue nacional 5ym
patina, de primeira classe : mimi arra es-
m Maonel lyaacis de
Corpo santo n. 19.
LEILuES.
Mnniz lavares.
Memento, homo, quia pulvis es,
et in pulveres revertera.
cas cerveja, 10 volumes cinzas ultramarinas, 100
saceos arroz, 100 barril banha de porco, 25 diios
vinho, 50 ditos manteiga, 502 caixas massas, 1,967
Na ampulheta do lempo ma.s um grao de'areia i V0,umes rricas vastas j a ordem de diversos.
magada, mais um vacuo as ledras f P1!3 de Jn,aftnd,?ca'* ""* 4 rapei 66
O padre Gnifhermino dos Santos Muniz Tavares, Ilatase 4I rolos fumo' c *14 saccos cafe ; a ordera
| acaba de morrer A humanidade e o progresso
GERMANO & nmiBHA.
SEXTA-FEIRA, 11 DENOVEMBRO DE 1864.
Havendo a provincia tomado pare no rigosijo i
pela fausta notcia do feliz consorcio de S. A. Im-
pertel a serenissima princeza O. Isabel com S. A.
" R>oSr;cond0<>eEu,a empreza nao poda ser
zer o costeio da llluminaco publica da cidade do {na'nVrente a um Ial successo, que encheu de Jo- rravos a frete : a traur M
Rio Formoso por tempo detres anno a contar do bll a na5ao IDt,firo> e laDt ma|s quando o theatro Oliveira e Filbo, largo do d
l' de Janeiro de 1863 ao nm de dezem'bro de 1867 cm, 1ue ruD(""ena. possue o nome de S. A. Impe-
avaliado o costeio de cada lampeao em 291 ris rial>1ue a por dia. protectora.
As posoas qne se propozerem a esta arramatacao \ en}Prn*> P<>'s. tenfa pelos sentimenlos de
compar^am na sala das sessSes da mesma junta fnthusiasmo em festejo a tao grandioso motivo, of-:
no dia cima mencionado pelo meio dia, competen- ,recf ? PUD||C. no dia ac'ma designado um es-
teraenle habilitadas, aonde encontraro as condi- P,e,1ldo espectculo, cujo producto ser entregue
coes da mesma arremalaco. ao Exm. Sr. presidente da provincia, para que se
E para constar se mandou publicar o presente dl8ne deapplica-loao estabelecimento de caridade
pelo jornal. 1,ie Exc. julgar mais necessitado, e isto em
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam- Domede s- A- Imperial,
buco, 10 de outubro de 1864: ORDEM DO ESPECTCULO.
O secretario, Urna breve introduccao pela orchestra, logo que
A. F. d'Annunciacao. S. Exc. o Sr. presidente da provincia chegue
O Dr. Tristao de Alencar Ararlpe, offlcial da im-, tribuna, ser executada come preludio ao
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
de diversos.
RSKJ&hu obrelro' em qDi0 que no Hecebedlorla de rendas Internas
nvrn da postendade se eserovera mais um nome.
Esto nome o d'ele.
Bom tilho, bom eldadio, elle leva sepultura
a admiracio de quem o conhecia; Iliterato, elle
deixa seu nome desenliado as paginas do pro-
gresso, mas u'esse progresso que alfecta Intel-
llgencia e vida, e nos que tivemos occasio de
"A trra Iba
seja
geraes de Pernambnco.
mn altribuidas demora que houve na abertura L. ff, saudo:iaraoale d,zemo
do tumor, a qual teve de se fazer naturalmente.
Porm nos das que se seguiram, dizia urna outra:
escrava que enfermava a doente, que o pus cheira- J
va a excremento e que ella linha visto partculas,
deile misturadas com o pus : parecendo-me ex-1
traordioario que pela abertura do abeesso sahissej
ciateriaes fecaes, ordenei que nao se lizesse o cu-
Rendimento do dia 2 a 8
dem do du 9.........
Salsa de Bristol.
RENOIMENT
INTERNAS
A SALSAPARRILHA DE BRISTOL.
Trinta annos de triumphantes resultados ho
dado a este antisptico vegetal urna reputaco in-
rativouo da seguinte emquantoeu nao chegassee eomoiensuravelnieale superior todas quantas
se fossem mudando durante a noute para serein das as mais R|as por mim examinadas. Com effeito no outro da as eruptiveis. Os mdicos os mais eminentes, os pe-
1 horas da manhaa fui eu mesmo fazer o curaiivo,! ri0Ulslas e os eseripiores de medicina sao outras
e venflquei que de envolta com o pus sahiaro as lantas testimunhas da sua efflcacia quasi maravi-
materias fecaes, taes quaes podem ella se achar, |n0j!a. Tem salvado e continua a salvar as vidas
pouco mais ou menos no meio da exiensao do m- e os membros de milhares de pessoas. Nunca foi
testino delgado, e como a quaotidade de pus era administrada em vo, anda mesmo nos casos os
xcessiva, e o abat ment di doente extremo, man- raajs tem veis e obstinados. E1 o nico remedio
dei dar-lhe charope de curato de ferro, que no ou- para aj escrfulas, erysipelas, herpes, chagas as
tro da mudou a cor das materias que sainara pelo poroas, abscessos, humores, molestias svphiticas
abeesso, o que veto tirar todas as duvidas acerca da; e mercariaes, assim como toda a casta de moles-
abertura do intestino no antro do tumor, tiasdapnlle. Em quanto existam tres imtacoes
Contmuou assim a doente por manos das a en- \ 8 falsicaces desta medicina, por tanto preci-
fraquecera olhos vistos, pelo grande esgoto de pus! soevitar engano, pr0curando a original e verda-
e quasi perda total da substancia alimentar, a qual ueira ,0j.is de Caors 4 Barbosa, e de Joo da
foi apenas reduzda a caldos, por que uao se pode Cooceco Bravo & C
obter da doente que deixasse de tomar alimento de
flnalidade alguma, visto como la no seu bes;unto,
entendeu que, se nao tomase ao menos caldos
morrena de fume;posto que eu Ihe aQlancasse que
lomando clysteres alimentares e applicando cata-
plasmas da mesma nalureza nos pulsos e estoma-
go ella se conservara sem perigo durante os das
Sue fossem necessarios para se obter o fechamento
a tumor : mas nada pode convence la : e isto nao
deve causar admiracio n'um ente de tal quahdade,
quando muita gente que se diz de bom seoso, en-
tende que morre logo que deixar de comer dous
ou tres dias.
Nesse cmenos apparece um outro tumor, dis-
tante meia polegada da fstula para a parte Inferior
viudo furo, pouco depois deixou o primeiro de
dar sabida s materias
102,5750
525500
5:943$ 5261
1:1815805; na
1
GOMMEBGIO.
Cotaees offlciaes.
PRAC/V DO RECIFE
9 DE NOVEMBRO DE 1864.
Algodao primeira sorte 195200 reis, e segunda
sorte 175200 reis. por arroba.
Couros seceos salgados 130 res, por libra.
Cambio sobre Londres 90 d/v. 27 Ii4 d. por
15000-
Descontos 9 0[o ao anno.
Dubourcq Jnior, presidente,
uimares, secretario.
DA RECEBEDORIA DE RENDAS
GERAES DE PEnNAMBUCO DO
HEZ DE OUTUBRO, A SABER :
Renda da typographia nacional. .
Foros de terrenos de maruiha.. .
Renda dos proprios nacionaes. .
Laudemios.....................
Siza dos bens de raiz.............
Decima addiional das corpora-
coes de m.io mora.............
Direitos novos e velhos e de
chancellara....................
Ditos de patentes dos offlciaes da
Kuardn nacional................
Di/.ima de chancellara...........
Matriculas da Faculdade do Di-
reito .....................
Mulla por iufrac^'es do regula-
mento.........................
Sello do papel fixo................
Dito do proporcional.............
Premios dos depsitos pblicos...
E'in 11 ornen tus.................
Imposto sobre lojas e casas de
desceios...........
Dito sobre casas de movis, rou-
pas, ele. fabricados em paiz es-
trangeiro............
Tana de escravos.........
Cobranca da divida activa ....
Indcmnisncops...........
Deposito de diversas origens.....
do commercio desta cidade do "Recife capital da
provincia de Pernambuco e seu termo por sua
maRestade imperial e constitucional o Sr. D. Pe-
dro II, quem Dos gnard i etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
d'elle noticia tiverem qce por parte de Vianna &
Guimares me foi dirigida a seguinte petico :
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.Vianna & Gui-
mares que sendo Manoel Joaquim deOliveira 4 C
devedores de nove letras, urna da quantia de 4415,
saecada em 23 de agosto de 1860, a quatro mezes
de prazo, outra de 9905200 reis, saecada a 7 de
dezemhro do mesmo anno, a dous mezes, outra de
1:8985760 res, saecada a 15 de dezembro do mes-
mo anno, a um mez, ontra de 1:8985760 reis, saeca-
da a 15 de dezembro do mesmo anno, a um mez, ou-
tra de 8935400 reis, saecada a 22 de dezembro do
mesmo anno, a um mez, outra de 1:960512 reis,
saecada a 24 de dezembro do mesmo anno, a um I
mez, outra de 2445085 reis, saecada era 29 de de-
sembr do mesmo anno, a dous mezes, outra de,
1:0005, saecada a 8 de agosto do mesmo anno, a
seis mpzes, outra de 2:0005, e mais outra de
9975490 reis, saccadas arabas a 20 de setembro do
i mesmo anno, com o prazo de seis mezes, querem
infifin os suPlicaDles Para reserva de sea direito futuro,
S2S interPr competente protesto contra os supplica-'
dos para que nao prescrevam as ditas letras e seja
assim interrompda a prescripeo na conformidado
da le.
6:1415701
1:4725041
7:6135742
IIIMVO MACIOMAIi
Cantado pela companhla dramtica perante as
efflgies de S. M. o Imperador o Sr. I). Pedro II, de
S. A. Imperial e de S. A. Real o Sr. conde de Eu.
Seguindo-se a representaco do drama em 5 ac-
tos, ornado de musir :
D. CESAR DE BAZAN.
Os bilhetes acham-se venda no lugar do
turne.
Gomegar s 8horas.
eos-
SAIiOES
DO
CAES DE APOLLO.
Exdendilos e sumpiuosus bailes
Na i) hado 12 e domingo 13 do cor-
rete
Em regosijo do feliz consorcio de S. A. Imperial
a Sra. D. Isabel com S. A. R. o Sr. D. Luiz Felip-
pe coude d'Eu.
A's 9 horas da noite a grande banda de msica
E por que os supplicados se tenham ausentado dirigida pelo insigne artista Jos Antonio AI ves
desta cidade a muito tempo, e at o presente se Franco, tocar o hymno nacional e era seguida va-
nao tenha sabido logar certo do leu domicilio, re- ras pecas de msica escolhidas, bem como ricas
-utnftQ quer a V- S" Se dlgne adniit,ir a ustlicacao aflm quadrllhas, walsas, polkas eschotebis, tudo a agra-
^jiikhki de que julgada por sentenca sejam intimados por dar o respeitavel publico.
edilaes e com o prazo da lei : pede deferimento .
*"f""" rereber merc.Dr. Moraes Silva,
zyo^sjzuj Justifiquem no da 26 do corrente as tt horas
.n ftco.AAA da manhaa.Recife 24 do outubro de 1864.-Alen- i
19:96850001 car Araripe.
a-^oar E SUD'ndo os autos a minha concluso nellesdei
S^jf a e8u'nte sentenca :
fSSrS? Julg0 Proredente a justificagao e mando que os
Sr' t supplicados se citem na forma requerida a folhas
" duas.Recife 20 do outubro de 1864.Tristo de
Alencar Araripe.
Em cumririmento se passou o presente pelo qual
intimo os indicados supplicados de todo contendo
desie edital.
O presente ser publicado na forma do esiylo.
Recife 4 de novembro de 1864.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Ser mantido o regulameato do Illm. Sr. Dr.
chefe de polica em toda a sua plenitude.
VISOS MARTIMOS.
4455900
2:9875250
1605000
3765000
9555041
13253401
2525^88
Tristo de Alencar Araripe.
222:4475844
Movimento da alfandega
Volumes entrados com fazendas...
com gneros.
Volamos sabidos
com
com
fazendas..
gneros..
178
234
179
251
412
430
fecaes e a suppuracao co-
mecou a diminuir de maneira que em poucos dias
Jez-6e a cicatrsaco da primeira abertura, e ao tim
de quiote dias tambera a segunda desappareceu. Aliantlega
Durante todo este lempo adoente nao deixou de, Rendimentodo dia 1 a 8........ 191:6255241
tomar as preparacoes ferruginosas que fizeram | 'dem do dia 9 ................. 30:8225603
tambem o beneficio de conservar o ventre lubrlcoe
dispensar clysteres cuja applicaco era muito in-
ommoda. A convalesrenca eomejou a seu turno
rpidamente e em punco lempo a doente loi fazea-
do esforeos para se erguer do leito, onde to acer-
as dores a tinhara preza, e d'onde nunca esperou
nem ella nem ninguem, que se levantasse.
Ainda nao pude achar razo sufDciente para ex-
plicar essa abertura do intestino dentro do abees-
so : sabe-se quanto previdente a natureza em ca-
sos de abeessos no ventre, onde, antes de chega-
rem elles a seu termo, a natureza tem tomado to-
das as precaucoes, feito as necessarias adheren-
cias aura de impedir a infiltracao ou derramamen-
1o de pus na cavidade pertoneal. Acho escusado
entrar em conjecturas que afina! nada adianta-
liara. Se algum dos collegas formis feliz e aliar
com a causa deste phenomeno ou poder dar ama
explicaro satisfactoria delle, obsequio de summa
delicadeza e importancia, dar-lhe publicidado cora
oque muito me penhorar.
O melhor meio 'te se elucidar ou decidir urna
qnesto, c submet(-la ao juizo de muitos.
A paciente flcou livre de todos esses incommo-
dos, e acha-se no exercicio de sna vida coslumeira.
Recife, 4 de novembro de 1864.
Dr. Lobo Hoscoso.
Teve realidade no domingo 31 do passado a fes-
la pomposa dos S5 Chrispim e Chrlspiniano, erec-
ta no convento do Carino desta cidade.
E" digno de louvor o esforco da mesa adminis-
trativa do anno de 1863 a 1864 que se esmerando
ora toda dedicaco auresenlou aos deis urna festa
esplend-la e magestosa.
Facamos urna pequea analyse do que presen-
ciamos.
. No dia 30 ao meio dia subiam aos ares diversas
gyrandolas de foguetes, annunciando o principio
da festivdade.
A msica do 4" batalbo de artilbaria tocava
Bellas e interessantes pegas tornando assim mais
brilhante o acto.
A' noite principiam as vesperas, e pela madru-
gada seguinte urna salva de bombas reaes, que re-
tumba vam no ar, indicava o alvorescer desse dia ;
sendo nessa oecasio levantada a bandeira, e car-
regada por meninas que trajavara de branco, orna-
das de capellas.
Era bello vr-se de nm Ialo, a harmona da
msica com o cntico que soltavam estes elegantes
anjinhos, e de oolro lado os raios do sol despun-
tando ao oriente, romo quersndo apreciar tambem
w loavores dosSS. Chrispim e Chrispimano.
' Pelas 11 horas do dia 31 comeca a festa acom-1
Dcscarregam no dia 10 de noveubro.
Barca ingleza Ronaldmercadorias.
Brigue inglez-Harmstonmercadorias.
Brigue inglezfloso/mercadorias.
Barca inglezaAun carvo de pedra.
Barca americana.Wr/inataboado.
Lugre portuguezJulio -diversos gneros.
ImportaeSo.
Brigue inglez Harmston, entrado de Liverpool
consignado Paln Nash & C, manifestou o se,
guinte :
1 caxa objectos de escriptoro ; a N. O. Bieber
Si C.
1 volume com um cavallo do balanco; a R. Kru-
kemberg.
15 barris resina, 25 ditos manteiga, 4 barricas e
2 caixas objectos de selleiro, 4 ditas cutilaria, 2 di-
tas e 9 barricas ferragem, 38 feixes de ferro, 200
saccos arroz, 3 caixas e 27 fardos tecidos de algo-
dao e de linho ; a Patn Nash d C.
24 fardos e 22 caixas tecido de algodao e de la
e algodao; a Sempson & C.
9 canas e 2 fardos tecido de algodao ; a Joo A.
de Araujo.
6 faraos tecido de algodao -, a Braga Son & C.
26 ditos tecidos de algodao; a Greenup &
Schwind.
1 dito lona ; a J. A. Moreira Dias.
4 ca xas lencos de algodao e tecidos de linbo; a
D. P. Wild.
8 caixas e 3 fardos tecido de algodao, de linho,
de 13a e algodao, tapetes para sof ; a Joo Keller
& C.
50 barris barrilha, 1 dito e 5 caixas cutilaria, 1
dita miudezas, 1 caixa lilas de algodao, 2 ditas pan-
no para solho ; a S. P. Johnston <& C.
3 lardos saccos para assucar; a Brender a
Brandis.
1 caixa toalhas de linho e algodao ; a Guilhermc
da Silva Guimares.
3 ditas e 2 fardos teridos de algodao, meias, ob-
jectos de selleiro e capachos de palha j a L. A. Si-
queira.
1 dita objectos de escriptoro, 136 di las e 22 far-
48:3255996 f
Pernambuco, 31 de outubro
Recebedoria de
de 1864
O escrivo,
Manoel Antonio Simte dn Atnaral.
DECLABACOES.
COMPANHLA BBASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sul esperado
at o da 14 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, commandan-
qual depo >
seguir
1LE1LJLO
Da
Casa de buhar da ra Je impender
junto a ordem lerreira de S- frai-
ciset.
O agente Almeida competentemente antorHadc
levar a leilo a casa de buhar do na do Impera-
dor constando de 2 bilhares ltimamente forradas
com todos os seas pertenees, bancas de pedra, um
rico fitero de amarello envidracado, e- peino, qoa-
dros gamo, bancas e mais objeVto* con-lames da
relaco que se acha em poder do mesmo afate,
bem como o ltalo pelo qual o dono pnaMer
de dito eslabelecimento o qual se acha detestan-
do de i m pos tos.
HOJE
Sexla-feira 11 dcerredle s 11 k*r>.
LEJlil
Movis
DE
com** sejam:
Urna mobilia de mogno a Luiz XIV coa mi sa-
fa, 1 mesa oval, 2 coosolos com lampos da sadr,
2cadeirasde bracos, 2 ditas de balanco e 18 de
guarnicao, 1 guarda vestido de mofli, toda, I
loucador de mogno, 2 comraodas, I cama l
no, 1 candelabro de erystal, i easUeaes 11
3 candieiros a gaz para cima de mesa, I
franceza, 1 guarda roopa, 4 mesas de amareis, 2
ditas de louro, 2 rabdes, Inndeijas, caadieirns :
mu tos outros objectos pertenreotes a ama casa de
familia.
HOJE.
Roa da Cadeia n. :Ui.
O agente Pinto far leilo por costa de non ses-
soa que se rt-tirou de?ta provincia de lodus os mo-
vis cima descriptor, existentes so irwnici da
ra da Cadeia n. 36.
Principiar as 10 boras.
IEISAO
Consulado provincial.
Rendimentodo dia 1 a 8......... 10:7045132
dem do dia 9................. 1:0645779
11:7685911
RENDIMENTO DA MESA DO CONSULADO PRO.
VINCIAL EM O MEZ DE OUTUBRO DE 1864,
A .-vABI.H :
Direitos de 90 rs. por !f) do as-
quear exportado.......
Dito de 20 rs. por caada d'aguar-
d e li te, ele......................
dem de 30 rs. sobre caada d'al-
cool........................
Dito 3 Oln dem do algodao expor-
tado ..............
Dilo de 7 01o do mel.......
Dito de 8 por ceuto de couros
seceos, verdes e espichados...
dem dem de 5 idem dos mais
gneros exportados.......
Dcima dos predios urbanos .
toa rs. por meia siza de es-
cravos .............
10 por cento de novos e velhos di-
reitos dos empregados provin-
ciaos...............
1 0|0 sobre producto de cada lei-
lo .........................
Imposto de 12 por cen i sobre
dive-'i esl" e|Hi'iw.nlu9 .
Restituicoes e reposicSes ......
505 sobre chapeos estrangeiros e
roupa etc....................
Imi.nsi'i p4 pin rauta 8"bre di-
vern9 t>9iibpleciQjeot09 fra
da cid' i>......................
Dilo (le 5 0|0 sobre os premios
maiures das loaras ..........
Imyo-lo sobre rarrot, omuibus,
carrncai e vehculos........
10 por capim..............
Eunilii" entos de pulira.....
2005 sobre casas de cambios.....
1005 sobre corredor eomraerciale
agentes de leilo.............
20 Ojo do c "-um" d'asuardenle .
2 Oo sobre flaneas crimes ......
505 rs. sobre escravos exportados.
Sello de herangose legados.. .
Multas da decima emais impostoi.
59:9255973 I
4:4665566
3065050
25160
39:7005796
155120
1:2895739
6135591
4:9375b'45
2:1705000
4195841
1:1125228
605000
1605309
005000
1
725800
1
2:7005000
'665000
1365800
45200
2OO5OOO
Mesa do consulado provincial, 31 de
le 1864.
.. 3 oscriP'oraro,
Pedro Semiao da Silva Braga.
- A cmara municipal desta cidade dirgndo-
se de novo aos seus municipes existentes nesta
capital, pede-lhes que illuminem as frentes de
suas casas no dia 10 do correute, para demonstra-
cao de maio' rigosijo aos festejos que tem de fa-
zer no mencionado dia. Paco da cmara munici-
pal do Recife 8 de novembro de 1864.Luiz Fran-
cisco de Barros Reg, presidente.Francisco Ca-
nuto da Boa-Viagem, secretario.
Arsenal de marinha.
O arsenal de marinha conlrata carapinas, ser-
ventes e remadores para o servico das obra e do
arsenal.
Inspecco do arsenal de raa inha de Pernambu-
co 7 de novembro de 1864.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Repareao das obras publicas.
De ordem do Sr. engenheiro chefe interino da
reparticao das obras publicas, se faz publico que
o concurso para o prehenchimento das vagas de
conductor ter lugar no dia 28 de novembro, s
ia5izu jo horas da manha nesia secretaria, e o de pra-
ticantes e escreventes no dia 29 do mesmo
mez.
Os concurrentes sero argidos as materias
consumes do programma abaixo transcripto, ap-
provado pelo Exm. presidente da provincia.
Os requermentos para iuscripco dos candida-
tos devero ser apresentados at o dia 25, e pode-
rao ser instruidos com quaesquer documentos, ou
titulo scientifleo que abonem a capacidade dos
mesmos candidatos.
Repartico das obras publicas 26 de oulubro de
1864.
O secretario interino
Manoel Lourenco de Mattos.
Progamma do concurso para conductores, prati-
cantes e escreventes da repartico das obras pit-
blicas.
Os exames dos concorrentes aos lugares de con-
ductor da repartico das obras publicas sero ao-
nunciados pelas folhas diarias, com antecedencia
de 30 dias.
Os referidos exames constaro de 4 parles:
1." Elementos de mathematicas.
2.a Topographia e praiea dos instrumentos.
3.* Elemeutos de astronoma.
4.* Dezenho linear e de aquarella.
A primeira parte abrange : toda a arilhmetica;
algebra at equacSes do 2 grao, a ama s In-
icognita; geometra elementar, al avaliaco dos
1425000 volumes, com applicago a cubaco dos atierros e
725000: escavacoes; trgnometria rectelinea.
643880 j Segunda : levantamento de plantas ; nvela-
3005000 memo ; uso e discripeo dos diversos instrumen-
4085150 tos, taes cono ni veis, bussula, graphomelro, pian-
1795098 chela, thermometro, barmetro e redaco de rea-
torios, ou exposico dos trabalbos execuiados.
Terceira : systema planetario ; mov ment an-
nuoediurno da trra; de.-cripco da esphera
te Alcanforado, o
da demora do costume
para os pertos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e draheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, raa da Cruz n. 1, escriptoro de An-
| tonio Luiz de Oliveira Azevedo C.
COMPAMHIA
DAS
1ESSAGEBIES URINALES
At o dia 14
do corrente es-
pera-se da Euro-
pa o vapor fran-
cez Navarre, que
depois da demo-
ra do costume
seguir para a
Bahia e Rio de
Janeiro.
Para fretes, condiccoes "e passagens trata-se l
agencia ra do Trapiche n. 9.
569 sacc* > assiear
O agente OUmpio vender em leilo ao dia II
do corrente ao meio dia em ponto n armamm do
Illm. Sr. baro do Livrnmenlo no raes d AsoNo,
por ordem do Sr. rapilo K. Berker, do savio
hamburguez Adelbert, com autorHaee do Illm.
Sr. inspector da alfandega e em presenra do Sr.
cnsul de Hambnrg ,569 sacros de assocar mas
cavado, avariado d'agtn salgada, sa oerai4o
quando o dito navio encalhoo na sna sabida deste
porto para o de Liverpool
LEILO
algtft proprits para
996 saccos de .
assocar.
(Variados.)
O agente Pinto far ieile por cunta e risco
quem pertenrer de 996 saccos, parte das
marra M. T. It. a variados a bordo do vapor 1 Belez
Gladiator, s 11 horas do dia cima so ansazem
da ra da Cadeia n. 36.
Para o Rio de S. Francisco.
Pretende seguir al o dia 10 do crreme a escu-
na nacional Carlota, com a carga que tiver :
quem nella quizer earregar ou ir de passageni
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptoro roa
da Cruz n. 1.
Lma mobilia de Jacaranda, 1 armnico, I rtistio
de parede, urna machina para lavar roopa, 3 esa
solos com lampos de pedra e rpelhos, riros asa
dros com finas gravura* 1 -- -j riJ.ljIriJ
1 sillio, 1 sehm inglez e I ditopara rorrhtai, esa-
dieiros a qi, 1 rama franceza de Jacaranda, titas
de ferro, I excdeme mesa para advocado, coaa-
modas, mesas, cadeiras. mocho*, mesa.* a
dras, 2 pecas de esleirs para forro de sala,
vidros e oulros muilos objerios existentes no
zera da ra da Cadeia n. :(6.
COMPANHLA. BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E esperado dos portos do norte
at o da 18 do corrente o vapor
Apa, commandanle Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do cosiume seguir para
portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga aue o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptoro de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio de Janeiro segu mm muila bre-
vidade o palhabote brasleiro ArfAui-, receue car-
ga a frete : a tratar no escriplorio de Amonra Ir-
mos, ra da Cruz n. 3.
Sexta-feira H de nounbrsas 10 to-
ras em ptilt.
O agente Pinto Tara leilo por ronta de ta es-
irangeiro que moda de residenria, de todos as as-
jtetos cima desenptos, no dia e hora aciasa ais
no armazem do sobrado da roa da Cadaia s. X. '
PARA
ara
E esperada do Rio de Janeiro em poucos dias a
galera Mindello, e depois de pouca demora ueste
porto seguir para o Para, para onde recebe carga
a frete commodo : quem quizer carregar, pode en-
tenderse com os consignatarios Palmeira 4 Rel-
trao, largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
Para Lisboa,
outubro ce este; medida do tempo verdadeiro, medio e Sahir com brevidade o patacho porlagnez Ha-
sideral; laiitudesig longitudes terrestes. no da Gloria, recebe carga a frete Tpassageiros :
yuarta : trabalbos de plantas; perfis longotu- trala-se com o seu consignatario E H Rabeilo ra
Baleabas de coaBtrucjes., da Cadeia n. 55, escriptorio.
dmaes e transversaes
urna
DK
casa terrea em chaos
proprios.
Soxta-feira 11 do corrente as 11 horas em
ponto, 110 armazem da ra do Vigario
numero 10.
r\ rK rr
p-
vender em leilo urna casa terrea em e,
prios, sita na ra da matriz da R>a-Vi*ia
(lado da sombra) a qual tem 32 palmo* ds
70 de fundo, 2 grandes sala-. 4 qnarlos, es
fra, quintal murado e cac.mba prosria,
portos e 1 janella de frente e 1 rasde*
dse pode abrir algumas jasallas. Oa .
tos podem examnala desde j 00 emendar ja
o referido agente Olympio en sea
do Vigario n. 10.
DE
Movis, livros, nnppasenifrt^objerlts
A saber :
I mobilia de amarello, 1 piaso, 1 candelabro
caslicaes e mangas, 2 relogios, 1 mesa para matar'
12 cadeiras, 2 espelhos, 2 ramas i amaren
ditas de ferro, 1 apparelho de louca para matar I
dilo para cha e outros objeclos de ama eau da b.
railia. >
II volme? obras completas de BoBoa. f Ada
de geograplna universal, diccionarios de tami
luglez e francez, tratado darlo sWar arte l

i
MUTILADO


m
Dlsrlo de Pernatmeo Qniuta Iclra O 4t \ovcuibro t 14.
m
\
manejar, manual do artilheiro, audictor brasileiro
e muitas outras obras.
i agulha de marear, i sextante, mallos e diver-
sos mappas.
Segunda-tetra 14 de uovtimbro
O agente Pinto autorisado pelo Sr. Francisco
Jos Ferreira, far leilao d>i todos os objectos ci-
ma mencionados pertencentes ao seu finado
pai, chefe de diviso Jos Mara Ferreira, e exis-
tentes em casa de saa residencia raa do Brum n.
72, primeiro andar, onde se effwtuar o leilao
devendo ter principio as 10 horas era ponto do dia
sapradito.
tftMAft
DO
Brigac escuna tidelherh. e urna lan-
cha e um b i te
Terca-feira l> de njvembro s II horas
em ponto, na porla da Associaco
Commercial.
K. Becker, capitao do bague escuna harabur-
guez AdeWert, far leilao com autorisacao do ins-
pector da alfandea em presenca de un empuja-
do da mes.ma repartido para o lim uoraeado, cora
aasisteocia do cnsul de Haraburgo, por mterven-
c.o do agente Pinto e por coota e risco de quera
perteacer do casco, raaslros reaes, ancoras, pan-
nos e niais pertences do referido brigue tal qual
se acha ancorado neste porto, onde encalhou na
sua recente sahida para Liverpool e pelo que fol
iegalmente conderanado, assim como urna lancha
e um bote do mesmo navio, os quaes objectos se-
rio rendidos s 11 horas do dia cima dito a por-
ta da Associajo Commercial.
Os pretendentes podero desd j examinaren) )
referido navio de courorraidade com o inventario
existente em poder do agente encarregado do
leilao.
KC4fDEIIC0JES
A' ra das Cruzes n. 36.
Sendo a primeira neste genero tanto pela variedade de suas produccoes como pela perfeicao
do seu trabalho, os respectivos proprietarios reclamara a attencio do publico pedindo a sua protec-
cao. Encontrarlo os freguezes o seguinte:
Licores de todas as qualidades inferiores a 200 rs. a garrafa.
Ditos ditos tinos a uu rs. a garrafa.
Ginebra de laranja a 8* a duzla.
Dita em botijas de superior qualidade a 200 rs. a botija.
Dta de canella a 500 rs. o frasco.
Agurdente de todas as qualidades a 200 rs. a botija.
Alcool de 37 graos (espirito de rinho). Preco variavel.
Agradavel e bi'ato
Agoa de colonia que se vende em porcoes a vontade do freguez.
Pos de arroz era caixinhas a 400 ts.
Pos dentifricios era caixinhas a 400 rs.
Balsamo para a conservacao das gengi vas e para tirar o mo hlito da bocea a 8 )0 rs. o f ras co
Tonito para a conservacao dos cabellos e para a caspa a 800 rs. o frasco.
Pastilhas peitoraes a 1$ a libra.
estruicdo dos ratos.
Caixinhas com pos para o envenenamento dos ratos o melhor que se tem descoberto, tanto
por ser de prompto effeito corao por nao precisar precaujo com as pessoas de casa.
Offerece-se urna ama para cosinhar e mais
algum servico interno de alguraa casa de familia :
quem qoizer dirija-se ra da Iraperatriz n. 41,
se dir.
AVISOS DIVERSOS.
Instituto Arclieologico e Geo-
grapliico Pernambucano.
Haver sessSo ordinaria quinta-feira, 10
do corrente, s i I hora da manhaa.
ORDEN DO DI l.
Volaces adiadas;
Pareceres c trabalhos de commissOes-
Secretaria do Instituto 8 de novombro
e 1864.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
Precisa-se de um distribuidor para
este Diario em urna parle do bairro da
Boa-Vista : na praoa da Independencia ns.
t c8.
Aos 1O:0O$O0U c 3:000 000.
Corre depois d'amaaka.
Sabliado i 2 do corrente mez, seextrahi-'
r a primeira parte da primeira lotera!
(115a) a benelicio da matriz de Nossa^Se.
nhora do Rosario de Goianna, no consistorio
da igreja de Nossa Senhora do Rosario da
reguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes, raeios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000^000 at 20000(1
serao pagos urna hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuico das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sonza
Club Pernambucano.
Acham-se abertos naquiuta feira a noite
10 do corrente, os sales do club para as fa-
milias dos socios que quizerem assislir aos
festejos que tero lugar no Campo da* Prin-
cezas.______^_^_^______
Ao aroanhecer do dia 20 de outubro do cor.
rente anno de 1864, furtaram do cercado do en-
genho Aldea, da freguezia do Rio Forraoso um
qnarto de carga do mesmo engenho, o qual
ruco pombo, grande, rastrado, nao novo, tem no
(.Um esquerdo urna belide, e pouco oU nada v
pelo dito oiho, tem um callo velho no espinhaco,
lugar em que leve urna bexiga, levou o topete cor-
tado rente, carrega baixo, e tem estampado no
lado direito da anca o ferro do engenho em lettras
maiusculas como aqui se v A LI) E A. Adver-
te-se que os cavallos assim ferrados, nao sao tro-
cados nem vendidos, e os que forem encontrados
som ser servic* do mesmo engenho sao fua-
dos, e devem ser apprehendidos; portento roga-
se s autoridades policiaes, c mesmo qualquer
pessoa do povo, que sendo encontrado ditos ca-
vallos sejam apprehendidos eremettidos ao admi-
nistrador daquelle engenho ou ao abaixo assigna-
do proprietario do mesmo engenho, que reside na
cidade do Recife, ra do Hospicio n. 50 Cidade
do Recife, 26 de outubro de 1864.Caetano Jos
da -Uva Santiago._________________^_____
O dono da antiga fabrica de charutos e ci-
garros, sita na esquinada ra de Hortas n. 1, ten-
do feito reduccao nos precos de suas mercadorias,
convida aos seus freguezes a virem honrar seu es-
tabelecimenlo com devida proteceo de que carece
por se achar com um variado sortimento de cigar-
ros e charutos finos dos autores inais acreditados
da Baha, cachimbos, fumo para os ditos, fumo em
folha. fumo americano, dito dito em latas, e diver- te e de ganhar crdito em todo o imperio e (mi-
sos artigos para os fumantes, em quanto a quali- bem para chamar attencao dos amantes da boa pi-
dade e preco garante-se nao prejudicar os fre-' tada como lanbem dos exportadores deste genero
guezes. lanl (,ara mat0 Ctao Para outras provincias, li-
"_________________________________ mita smente o prego reduzido de mil ris por li-
Ttinnnra nina I ihpritl bra a retalho e em poreao de 10 libras a 900 lis
iypograpma iauuu e m porco de 50 j-jv a 830 r .g e em por?5o
Os senhores que forem credores da typographia de 10 yg^ a 800 rjJ e ern p0TCrM de 1000 |bras
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C
Agenlc do Banco Uniao do Poete.
Competentemente autorizados sacam por tod o
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguinles agencias.
Londres sobre Ranh of London.
Pars
Hamborgo
MDANCA
a ri
Bareellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
A muito acreditada fabrica de licores, de Soares Irmo, muduu-se para
J das Cruzes n. 36, onde foioarmazem Progressisla.
FredericS. Baiiin&C. Neste estabelecimento aprompta-se com aceio e brevidade qualquer tirnimil.i
Franciscotf!2ft Ballista. lano para dentro da provincia como para foradella- ,^_ _,_
Encontrarao os freguezes todas as qualidades de bebidas espirituosas fabricadas
com todas as regras d'arte; nao se usando de preparaces venenosas para poder tcaitr
barato. Vende-se em porcoes e a retalho, tanto engai raladas como a medida.
Licores de todas as qualidades ordinarios e finas.
i encina em botija.
Dita de laranja que vende-se tanibem por medida. ,
Agoa-ardente de todas as qualidades.
Espirito de vinho (alcool) de 37
CAPIL
De superior qualidade e de diversas fructas, assim como o da muilo aprwiafd
orchata.
Jaime Mcric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Poirrt'CAi..
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Figueira.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
Moncao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madcira.
S. Miguel.
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim corao se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert._____
Precisa-se alogar m escravo para comprar
e fazer outros servicos de asa de pouca familia 5
na travessa da Madre de Deus, armazem de Barros
& Silva.________________________________
Precisa-se alngar urna escrava que saiha co-
zinhar, engommar e vender na ra, sendo de boa
conducta, paga-se bem : na ra das Cruzes n. 36,
primeiro andar.____________^__^______
\n m IMPERIAL 193
Isaac Esnuty
Fabrica do rap imperial.
Isaac Esnaty tem a satisfacao de participar ao
respeitevel publico que se acha estabelerido na ra
Imperial n. 193 com fabrica de rap denominado
RAPE' IMPERIAL, cujo rap fabricado igual ao
rap de Lisboa, e muito melhor por ser mais tni-
co e muito mais agradavel e convencido o fabri-
cante da superiondade do seu rap, pela experien-
cia de trite annns qoe tem deste genero, e demais
o certificado junto para mais seguranza dos com-
pradores o fabricante Oca responsavel pelo boa
resultado do seu rap, garantindo ao mesmo lempo
o dinheiro do comprador que por accaso nao gos-
tar (o que positivamente nao de esperar) o sendo
de tres mil ris
Amarantes.
Arcos de Val de
Voz.
Aveiro.
Barcellos. Coimbra.
Bastos. Covilhaa.
Beja. Elvas.
Braga. Extremos.
Braganja. Evora.
Faro. pare.
Oliveira d"Aze- Pinhal.
meis. Porlo-alegre.
Pena fiel. Thomar. Vianna do Cas-
Tavira. (Villa Nova do
Villa do Conde. Portimao.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
Nojmperio.
Baha. Maranuao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo
os saques prazo seren descontados no mesmo
Banco a razio de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.______________________
"O snbdilolcancez G. de Laillucar parte para
o Rio de Janeiro.
Preeisa-se d8 um forneiro bom
ern Santo Amaro, atraz da fundicao
: na padaria
do Sr. Slarr.
Antonio Joaquim de Carvalho Menezes avisa
ao respeitavel corpo do commercio e ao publico
em (toral, que desde o dia 9 de agosto prximo
passado mssolveu a soriedade que tinha na pada-
ria ua na das Cinco Pontas n. 146 com Antonio
JacinilD Cesar, que gyrava sob a firma de Cesar M
Menezes, e tem adinettido dessa data cm diante co-
mo seu socio a Belmiro Pessoa Esteves da Silva,
finando igualmente snjeilo a todo o activo e passivo
da dita padria que gyrara sob a firma de Mene-
zes & Silva.
Antonio Joaquim de Carvalho Menezes.
Menezes 5 Silva declara ao corpo do com-
mercio e ao publico em geral, que estao liquida-
das tortas as transaccoes que haviam da extracta
firma Cesar & Menezes._____________________
Precisa-se de um caixeiro al a idade de li
annos, que d fiador a sua conducta : na ra do
Rangel n. 8, deposito. __________^___
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar,
para casa de homem solteiio : na ra Direita n.
78, refioagao.
D
D
USTRESRO V~RK.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento complet de roupa tiu de;
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem ,ra
grande e variado sortimento de fazendas de todas as finalidades, para senhora.s,
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 35(5 e 3050001 D't<>s de setim preto. .
Sobrecasacas dem, 305 e 25$000 Ditos de ditos e seda tanto,
Paletos idem e de cores, 25J, 6# e.......
205!, 151 e......100000! Ditos de gorgurao de seda
Ditos de casemira, 20?, ioj?, pretos e de cores, 6$, 5 e
12^, 10/J e...... 79000 Cohetes de fustao e brim bran-
^OOOj
BlOOfl
este precioso rap digno do preco m n mi res -_rA|Bga-se urna casa assobradada, com oqnar-
a libra porem como o principal desejo do fabrican- 3salaf! quinla| inurad(> sendo a |irimera sa|a
rt.i ... ..i.-... ..im.IiI i tiwvt lAirt \ irvinarin a fin. -. j l i
forrada de papel, cacimba com agua de beber, na
ra do Progresso n. 14 : a fallar na ra da Praia,
armazem de carne secca n. 34 juuto a ribeira do
pcixe. ________
Ditos de alpaca, ;i9, M e
Ditos ditos pretos, 9#, 7|,
5(5. W e......
Ditos de brim e ganga de co-
res, 45500, 4& 33500 e. .
Ditos branco de linho, 63, 55 e
Ditos de merino preto de cor-
dao, 105, 73 e.....
Calcas de casemira preta, 123,
335001 co, 35500, 35 e ....
Seroulas de brim de liaho,
35oOO: 23400 e ......
! Ditas de algodo, 15800 e. .
35000 Camisas de peitos de linho,
4*000, 43,33e/.....
| Ditas de madapolao, 23500,
550O0 23 e........
1 Chapeos de massa, pretos fran-
3fM
25600
13400
8e o annuncio que faz o Sr. Arcenio Antonio
da Cnnha Miranda sobre o sitio dos Torroes, na
freguezia da Varzea, e se o que pertence a D.
Libera/ queiram apresentar seus ttulos, de qual- eMnTdeseouto de cincVpor'cento"oo Vir mezes' Alexaadrina Perpetua de Jess Maia, porque nao
quer especie, ao Sr. Leodegano Antonio de Olivei- do prazo Brma garanida a ra, na mesraa typographia, ra das Flores n. 3. a eoncurrenCia os seDhores compradores em re-! ra-se em lempo que ella nao autorisou a ningaem
Precisa-se de urna prela, que de mnha muneraco da boa pilada examinada, approvada e para o vender.___________________________
venda verduras, e de tarde bolinhos : na ra do affiancad... ,.,,.! A# DUblCO.
15, 83 e......75000; cezes, 105, 95 e .
Cotovello n. 2o.
S1!:*
AOS 10:00(),00()
ISBiccs garantidos
A' roa do Crespo 11. 23 e casas do costume
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli
?.es bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a benelicio do theatro de Santa Isa-
bel, os seguinles premios:
N. 1486 dous quartos com 6:0005090
N. 7J8 um meio com 1:4005000
E outras militas de 200$, 1005, 405 2i>5 e 105-
Os possuidores portem vir receber sem os des.
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-sc venda os da primeira parte da
primeira lotera a beneficio da matriz de Goianna,
que se extrahir no dia 12 de novembro.
Presos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios......... 65000
Quartos........ 35O00
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ H5000
Meios......... 55500
Quartos......, 25750
Manoel Martins Fiuza
iocle .iade recreativa Vuva
Unio.
Por deliberacaj d actual directora e:
do conforraidade cora o art. 21 capitulo
12 dos nossos estatuios aviso a todos os
Srs. socios a coniparecerera domingo 13
do eorrente me, as 10 horas do dia na
casa desta sodedch para em assembla
sreral elegerem a nova directora que tem
de funecionar de novembro a maio futu-
ro. Sala da sociedade recreativa Nova
Uniao em Pernarabuco 9 de novembro
de 1864 O ^eereterio. Martins Flcalo.
Alugam-se baratas urnas meias aguas na
entrada dos portoes da travessa das Barreiras,
bairro da Boa-vista : a tratar na ra do Cotovel-
lo n. 25.________________________________
Preeisa-se alagar urna preta que saiba co-
zinhar e engommar : na ra da Palma, taberna
D.41.__________________________________
0 abaixo assigna lo como tem de se retirar
para Eurapa a tratar de sua salido, vende o seu
deposito no largo do Carmo d. 5 : a tratar no
mesmo.Jos Antunes de Azevedo.
O fabrcame franqueia as amostras (gratis) do
seu rap tanto na fabrica como tambem Jnos dep-
sitos ra da Croa n. 31 loja do Sr. laphaol ra
Direita n. 14 taberna.
Brevemente
Raphael Fernandes Abrantes. morador na ra
da Crnz n. 31, declara que por Iho nao coavir del-
xa de ter em deposito o rap annunciado pelo Sr.
i a venda publica outro Isa* Esnaty, e que entregon ao dito senlwr o ra-
rap fabricado igual ao que se fabrica nesta e ain-! P depositado sem qoe fizesse venda algn, e que
da para melhor, como tambem : rap princeza, | por este hcam completamente millos os tres an-
rap grosso e meio-grosso, tudo a precos muilo 'uncios estampados_nestc Oiirw a tal respeilo.
Festa
Aloga-se um primeiro andar na ra da Pe-
nha e as lujas, proprias para negocio : a tratar no
mesmo.________________________________
Pivcisa-se d- nm ama : na roa Velha n. <6-
Precisa-se alugar urna escrava cozmlieira ou
urna ama forra : a tratar na ra do Cresyo n. 14.
segundo anJar._______________
Manoel Garrido declara ao respeitavel pu-
blico, principalmente ao corpo do commercio, trae
nunca fui caixeiro de Angelo Romeo l'inlieiro,
sira seu socio, como provarei pe.lo< tribunaes.
Para quena tlver dividas a cobrar
Ura solicitador bastante eonhecido, tendo de
partir no vapor cesteiro para Mossor e dam para
a cidads da Iraperatriz e Pau de dentro da pro-
vincia do Rio Granda do Norte, donde voltara em
lias de Janeiro prximo antes de se abrirem os
tribuoaes, se offerece a promover cobrancas de di-
vidas mediante algum interesse nao s aili corao
nos lagares adjacentes que nao disteu daquelles
pontos mais do que cinco a oito leguas. Mas antes
de sua viagera tem de estar por alguns das em
Goianna : quem pois se quizer aproveitar do en-
s]0, poder procara-lo ao escriptorio dos Srs. R-i-
cha Lima & Gutmares, na ra da Cadeia do Re-
cife, oa na loja de fazendas da ra do Cabug do
Sr. Antonio Francisco dos Santos successor de Mar-
,jns A Santos._____________________
Desapareccu o escravo Joao, crilo, de es
tatura baixo, gtosso do corpo, representa ter 40
annos pouco mais ou menos, muito regrista e com
falte de dentes na frente, levoo calca de algodao-
slnho azul e camisa do mesmo panno com listras
I argas de cor, cn;o preto fol comprado ao IUra.
Sr Antonio Jos Duarte, de -. Lourenco da Mal-
ta, era 6 de outubro prximo passado ; quera o
aprehender queira leva-lo em Ponte de Ceb* no
siUo de Joao Jos Rodrigues, ou na ra da Madre
do Den n. 28, que sera recompensado.______
Precs4-se de nmcalxeira de t4 a 15 annos
para-taberna ; trata-se no pateo de S. Pedro n.
St, oa na raa da Senzalla Nova n. 9.__________
> Precisa-se de uina ama que saiba cozinhar e
fazer todo servico interno de casa de pouca faini-
i'a 4 na ra da Concordia n. 38.
Alaga se um pequeo sitio visinho ao do Sr.
Joao Alves Machado em Sant'Anna, uva prto do
banho, e o lugar bas;anlemenle saudavel: tra-
la-se na casa de banho da ra da Cruz n. 17.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia, prefere-se forra : na ra da Cruz do Re-
cife n. 59.______________________________
Precisa-se de urna ama que cozinlie e com-
pre, para urna casa de pouca familia : na ra de
Hortas n. 130.
mais reduzdos para mais animar os senhores ex-1 Pelo presente se convida aos irmaos da Se-
portadores doste genero. i nhora Sant'Anna da irmandade erecta na igreja da
N. B. Nos dias de sabbado a fabrica nao se] Santa1* Cruz, para que comparer-am no dia 10 do
abre. i corre^tp. as 7 horas da noite, no consistorio da
certificado. mesna, aliin de proceder-se a eleifo da nova rrte-
Cerliflco que submettendo a exame a amostra a reidora, ticando os meemos irmaos e ros de
do rap denominado Iinpnrat, que apresentou a (ue Ae nao comparecerem como tem acontecido
e.ta reparli^ao o *r. Isaac Esnaty, fabricante res1- por'variaa vezes, a eleitjao se f ir com o numero
dente na ra Imperial, casa n. 193, Ociaron o pe- jos irn.aos presentes. O secretario,
rito nomeado para esse lim, o sr. Pedro Maurer,' Francelino Eleulerio Ferreira Chaves.
que nao baria inconveniente algum em ser expes- ----------------------------------------------
to venda, atiento a que nenhum permeio nociso'
Ditas de cores, 95, 83 e.
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 45^00 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 43500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Colletes de velludo preto e de
cores, 95 e......
Ditos de casemira preta, 55 e
Ditos de ditas de cores 53
43 e
mmmmm
85500
25000
73000 Ditos defltro, 55, 43,35500 e
! Ditos de so!, de seda, 125,
45000; 115, 73 e......650"0
; Collarinhos de linho fino, nlti-
45000; ma moda diizia. 65000
Sortimento completo de grava-
255O0 tas. 3
25500 Toalhas para rosto, duzia, 113,
I e........65000
75000 Chapos deso, dealpaca, pre-
43000 tose de cores.....'">000
Lentes debramante de linho. 3$J0
35500 Cobertas de chita chineza.. 25500
UNIO.
comprometa a saude.
Inspectora da sade publica, aos 5 de outubro
de 1864.
Dr. Ijwieio Firmo Xavirr,
Inspector da sadc publica.
Trapiche da Gamboa
- Aioga-se urna ama que saiba bem cozinhar e |fan(leaa<10 DOI' Carta imperial (le 2(5
de boa conducta, preferindo-se escrava : na ra de ^ de j m^
AlM
IIC
\4
escrava
estreita do Rosario n. 32, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama para comprar, cosi-
nhar e engommar: na ra da Cadeia u. 19.
Precisa-se de nm rapaz que enha pratica de
taberna : na ra do Socego taberna n, 56.
FsteTantigo e importante estabelecimento, um
dos mais bem montados desta corte, com vastissi-
mas caz las para arrecadaco de assucares e ou-
tros gneros nacionaes ou estrangeiros todas cor-
tadas por trunos de ferro assoalhadas e forradas
De ordern do Sr. jufz, de novo sao convida de raadeira com guinchas em todas ellas para ar-
dos os irmaos da irmandade das Almas, erecta na rumacao e safamento de gneros, com urna ponte
igreja matriz de Santo Antonio do Recife, para que sobre o mar, de 600 palmos de extensao, com op-
comparecam no consistorio da raesma irmandade, timos guindastes, um pessoal muito pratico neste
no dia 11 do corrente as 6 horas da tarde, alim de
se proceder a elcicao da nova mesa regedora.
Consistorio da irmandade das Almas, erecta na
na matriz de Santo Antonio, 9 de novembro de
1864.
O escrivao,
_______^______Joao Babtista do Reg.
Precisa-se no hotel italiano ra do Trapi-
che n. 5, de um cria Jo ou criada, prefere-se es-
cravo__________________________________
para direceo do Club Pern imacaoo
Desembargado? Joao Pereira da Costa Motta.
Dr. Aprigio Justioiano da Silva Guimaraes.
> Jos Joaquim de Moraes Sarment.
> Ignacio Joaquim de Souza Leao.
Jos dos Aojos Vieira de Amorim.
> Alexandre de Souza Pereira do Carmo.
Negociante Antonio Luiz dos Sautos.
Jos da Silva Loyo.
Antonio de Moura Rolim.
> Theodoro Christiansen.
Carlos Roeck.
Jos de Azevedo Andrade.
Na praca da Independencia loja do livros do
Diario de Pernambitco, tem urna carta para o Sr.
acadmico Antonio Jos Lopes Filho.
Preeisa-se de um fenicuro que seja bom
ra estreita do Rosario n. 5.
iliiiiiiifi
l'alao e Vlrtiide:
Hoje 10 de novembro nao ha sesso.
H. Q.
Secretario interino.
na
servico, propoe-se a armazenar assucar era calas,
feixes ou barricas pelo tempo de seis mezes por
40 rs. em arroba e em saceos 30 rs. ; as madeiras
de qualquer qualidade que forem nelle depositadas
pagarao pelos primeiros seis mezes o mesmo que
actualmente pagam por tres mezes uos demais tra-
piches e dos semestres que se seguirem tero um
: abatimente de 20 por cento ; recebe por presos
muito mdicos qualquer mercadera comprehendi-
da na stima tabella do regulamento das alfan-
degas.
i A venda dos gneros nelle depositados, faz-se
: com as mesmas vantagens que offerecem os mais
trapiches porque as condicoes para qualquer parte
da cidade sao pelo mesmo preco.
Rio de Janeiro, Io de outuoro de 1864.
Admlraco.
Contina a estar fgida a escrava crioula, de
nome Joaquina, fula, alta, muito falladeira. e mui-
to conhecida neste cidade e na villa do cabo, pelas
pessoas que frequentam a casa de seu senhor.
Adraira-se, como esta escrava vai constantemen-
te sambas: no salgadnho, passeia por toda esta estabelecimento para o genr como seu proprio de
cidade desfarcada, i de afio saia balao, (como hoje em diante, e obrigado a liquidacao do activo
tem sido por vezes encontrada) sem que alguma e passivo da exmete firma como orneo responsa-
autoridade policial, inspector de quarteiro, ronda, vel. Recife o de novembro de 18b*.
soldado de polica, ou capitao de campo, que cora ; Joaquim Dias Pinheiro Larangeira.
a leitura dos annuncios, que constantemente sao | Joaquim Antonio Larangeira.
publicados neste jornal, nao a tenham capturado
ou dado noticia ? Suspeita-se, e com fundamento
que ella est em companhia do criado Jacob, l
pela Capuoga, titulo de forra ; pois este Jacob
quando criado do Sr. F. Rafael de Mello Rege, na
roa da Aurora, a tinha seduzido para ir para sua
companhia, e logo que deixou de ser criado do
A abaixo assignada faz publico s autoridades
competentes que de tres casinbas de laipa que
possuio o finado seu marido Jos Ferreira, na tra-
vessa do Freitas, a de n. 16 tem um p de coquei-
rono fundo e M monea por exeeocao da fazen- cojhtlas e das melhores
da, e as de n. 14 e l demolidas, existe o vao de
60'palmos, e que Ihe pertencente a posse, (can-
do responsavel a fazenda da quantia de 265696 : para se COIivencCtem 00 que aSs.C\eta
as-im qualquer pretndeme s mesmas Ierras be-
neficiadas pelo dito seu marido Jos Ferreira, diri-
ja-se tratar com a viuva, na ra do Amorim nn-
mero ** ., j n
Ignacia Mana do Carmo.
Precisa-se de urna passoa ipie se encarregue
do servico de urna cocheira ; a tratar na ra Bella
numrro 5.__________ _________
Sitio.
Aluga-se um sitio na estrada do'jig
Monteiro, proprio para passar a festa, cifi
ou por anno com urna cxcellente ca-
sa contendo duas salas, um gabine-|
te, 5 quartos, cosinha fora, e>triba- j
ria, cocheira para carro, casa para feitor, dita pa- j
ra eseraros, cacimba d'agua doce, tanque para bal
nho, sendo lodo murado, cora coqueiros. jaqueiras j
e mais de 150 psde laranjas de diversas quali-
dades : os pretendentes acharo com quem tratar
na ra do Imperador n. 71, primeiro andar.____
Joaquim Dias Pinheiro Larangeira e J laquim
Antonio Larangeira fazem scieute ao respeitavel
publico e com especialidade ao corpo de commer-
co, que nesta data dissolveram ainigavelmente a
sociedade que tinham na taberna da ra do Rosa-
rio da Boa-Vista n. 2, que gyrava sob a razao so-
cial de Pinheiro & Larangeira, ficando o ex-socio
Joaquim Dias Pinheiro Larangeira na posse do
10 LARGO DO TERCO 10
Esla aova piularla aborta ao publico (e perto da estao d<> r.-iminU
ferro), acha-se motilada com espaco mais ijue sufficienie para poier fabricar c_i
llmpcza e aceio toda a qualidade e qoantidade de bolacha, pao. bolacliinhas, bis-
coilos e todas as macas que se desejar a precos mdicos e razoaveis.
U dono do estabelecimento nao poupar exlorcos para bem servir ao publico
e aos seus amigos e freguezes, asseverando-lhe desde j que s emprear farinlias es-
qoe vicrem ao mercado, ou das que receba de costa propria.
Ao publico em geral c aos seus amigos em particular pede que expcrimcnlein,
em seu annuncio.
Caetano de Carvalho.
PKIMEIM E ANTIGA CASA FELIZ.
PORTUeAL.
PORTO,
Ra das Flores, ns. i e 3 (juulo igreja da Misericordia.i
PLANO
CUMIE LOTEIIII DE ESHMIt.
CUJA EXTRAGgAO TER A' LUGAR NO DIA 23 DE DEZEMBRO DE I8'.
PREMIOS
Aluga-se um andar terreo na ra da Palma
n. 66, e outracasa terre na ra do Caldeirciro
n. 37; a tratar na ra do Imperador n. 9._______
do
de
mesmo Sr. Mello Rcgo, desappareceu tambem a
escrava, que grande falta tem feito ao servico da
O abaixo assignado avisa ao Sr. Manoel Barbosa casa de sua senhora.
da Mlva, que o escravo Estevo, que faz parte dos Protesta-se desde j proceder judicialmente con-1
que, com o engenho Frescondim, Ihe forara por Ira quem a liver horaisiada- Roga-se por tanto as |
raim arrendados, chegou a rainha casa no dia 6 do autoridades policiaes, capites de campo ou outra (
corrente s seis e meia horas da noite, allegando qualquer pessoa, que empreguem es meios com-
que por nao poder soffrer os seus mos tratos, na
manhaa do mesmo dia sahira do seu engonho Ga-
jabuss, onde se achava com os mais escravos, e
viera procurar a minha companhia. E corao anda
esto arrendados ao dito Sr. Barbosa, que est se
locupletaudo dos seus servicos, previno ao mesmo
que o pode mandar buscar. Recife, 10 de novem-
bro de 1864.
^^^^^ Feliciano Joaqoim des gantos.______
Aluga-se uina casa terrea receuteiueiite edi-
ficada, com duas salas espagosas, tres quartos
grandes, cozinha e quintal murado, em Santo
Amaro, na estrada de 01 inda : a tratar na casa
contigua, pascando a do Sr. Gomes do Correto.__
Aluga-se ou vende-se orna casa terrea, em
muito bom estado, sita oa ra da Hangueira da
Boa-Vista : a tratar na ra do Livramento n. 39,
ou em Olinda com o promotor publico.________
com
fazer
ptenles para dar noticia da referida escrava, ou
mandar leva-la a casa de seu senhorPalacete da
ra da Aurora, do visconde da Boa-Vista.
Aluga-se a casa terrea defronte da inreja
Manguinho n. i\ : a tratar na ra da Madre
Dos n. i 4.______________________________
Casa de campo
No Monteiro a denominada Cana Fstula,
' aluga-se para se passar a festa ou annual-;
mente : trata-se na loja n, 8 da ra doCres-
i po esquina da do Imperador
I Aluga-se urna casa em Beberihe : a tratar
' com J. I. M. Reg, na roa do Trapiche n. 34.
CABRA COM CRIA.
Aparceu no sitio de Joao Jos Rodrigues Men-
dos, em Ponte de choa, urna catira com cria ;
quem for seu dono, drija-se ao mesmo sitia que
dando os signaos certos se entregar sem despesa
alguma>
A pessoa que annunciou precisar fallar
a viuva de Francisco Jos Tavares, alim de
Theodoro de Oliveira Neres, e
Jorge dos Santos compraram ao Sr. Francisco Ce
lesiino Ramos, a taberna da travessa dos Repos-
to* n. 18. livre e desembarazada-, e se alguem se
julgar com direite a qualquer recUmac,o, dirja-
se mesma travessa no praso de 3 dias,
Precisa-se de um caixoiro que j tenha al-
guma pratica de botica, e que seja de boa conduc-
a ; a fallar na ra larga do Roseno, botica n. 34.
Attencao.
Offereee-se por venda urna padaria livre e de-
sembarazada com todos os seus pertences, como I
telheiros, forno e mais mencIKo*, sita na ra do
I Mondego n. 47, muito afreguezada, com grande
casa para familia, portao separado, perto de em- j
Ambrosio barque, grande quintal c odas as commodidades;
precisas; veude-se com 2 escravos velhos ou sem
elles : a tratar na mesma.
1 de ...................................
1 de...................................
1 de ...................................
2 de 20.000 pesos fortes...................
8 de 10.000 ditos.........................
15 de 5.000 ditos..........................
30 de 2.000 ditos.........................
106 de 1.000 ditos.........................
2.100 de 500 ditos.........................
99 aproximares de 400 pesos cada urna, para
es 99 nmeros restantes da centena que oble
nha o premio de 300.000...................
99 ditas de 300 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que obtenha o premio
de 100.000..............................
99 ditas de 200 ditos para os 99 nmeros res
tantes da centena que obtenha o premio
de 50.000.................... ......
2.999 reintegros de 100 pesos para os 2.999 nuweros
cuja terminacao seja igual do que obtenha o
premio de 300.000......................
5.560 premios em 30.000 bilhetes.
PESOS FORTES
300:000
400:000
50:000
40:000
80:000
75:000
60:000
106:000
1.030:000
39:600
29:7fcO
19:800
299:900
MuE>.\ POIITI.'lil'EZA
ou Rs.
37:000000
90.0UOJUUO
43.0OOJO0ft
36 090*000
72:0004II09
07:500*000
54.000JOM
95:4000U0
45:000009
3o:640*OOt)
26.730*00
17:820*000
269:910*0080
2.250:000
2.050:000*000
- Aluga-se o spgundo andar do sobrado da
ramboade- Carmo n. 8 : na ra Nova n. 47, loja'
Offerece-se um boraem por mguez para
criado grave, em qualquer casa particular
Jt- Antonio Pereira da Silva lecciotia em
eutrega de urna encomraeada, pod dirigir-se a ra grammatka latina pelo lempo das feria*, para o ^rna^fchor "ilp-rtii-''na ra da Cadeia do
do Hospicio n. 78, aula do sexo feminine, quo ah que adrante alumnos, que quizerem frequenlar "" JCd Ie'1"1 "j?*" '; ,
encontrar a mesma senhora. durante esse tempo \ no largo do Terco n. 33. IRectfe n. 38, primeiro anuar,
PRECOS EM MOEDA FORTE.
Miares inteiros.......a W8005 || Quintos de bilhetes....... a amo
Meios bilhetes.........a 54*000 || ecimoe................a 10*800
JOS IGNACIO FERREIR ROHIZ,
COM LOJA DE CAMBIO E BILHETES DE LOTERAS.
Afanrudo no govern Civil do Porto, em conformidade do edital
de i dr jnnho de 1800.
Satisfaz com promplidao todas as encommendas que Ihe sejam feitas, mesm* em
grande qnantidde e pelos precos cima indicados, vindo acompanhadas do sen importo;
no flm da extraeco remelle a lista dos premios.
Para infrraajoes, e pedidos no eseriptorio da ra da Crnx, d. 19.
^ .
MUTILADO


Diario ale PcrautHaea Quinta elra O ale Xovembro e 184.
PIMA* VEGETAE9
DO
DR. AYER.
Nao ha necessiJadc mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
de um purgante que soja ao
mesmo lempo innocente, effica/.
e digno de loda a conflanca.
As piluias que ora offerece-
mos ao publico preenchem estas
condices; pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais iracas
Stt'Dr.
Francisco -Pifes Machado]
Portel la
MEDICO OPERADOR
lEt.V
Faculdade de Pars
Pode ser procurado ra Nova n. !
4, segundo andar.
am wasman
As pastilluis digestivas com a pepsina da Was-
man, emprcgio se com succcsso ha j alinins
-nnos pcl.is celebridades medicaes de Pars
ondres, Vieena, ele., em todas as incommodi-
Censullorio medico-chiruroico na ra lana do Ro- dadesfem as ^uacs a "gesto difficil, penosa,
. s J imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melhor
n n- i- ,- remedio para cural as
u Dr. Joao Ferreira da Silva regressando sua
sem perigo algum, nao tendo em So-"* Cm exerc'ci d-e sua profisso'
sua composiro mercurio nem'gica.
outro ingrediente nocivo sau-: errdaii' A
de, mas sendo composto de a- k
na parle medica como tambem na chirur-
gentes vegetaes mui fortes, sao bastante
efficientes e activas para puriOcar os corpos
mais robustos.
sociedade
riv han lina.
Recreativa
Gastralgia*.
B)lNpcp*la.
Emboraroo galrleoa.
A ((UHlrlte.
A afTeeeea orgAnl-
ca* do mtdmago.
Dlarrheaa e a coimd-
pacuo produrldon
pclua elaharaeoea
di-rcclnoitaadoaall-
lucnlo*.
Em todas as molestias emprego-sea miude as
De ordera do Illm. >r. Dr. presidente, convido a a6uas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
todos os Srs. socios para que no dia 9 do andanlo e igualmente aspastdhas de Vichy. Esse meo 6 sd
hajam de comparecer na casa das respectivas ses- cfficaz quando se trate de dispepsias de corta du-
a louas as partes do organismo, corrigindo a mesma sociedade.
sua ac^ao viciada e fazendo recuperar sua o i secretario,
vitalidade- _________Faustino Jos da Fonseca.
: Um remedio inestimavel contra dr de H- Ledebour subdita allemao retira-se para
cabeca nervosa, enxaqueca, priso do ven- a Europa-________________
tre, hemorrhoidas, molestias do figado, fe- EnsQO de preparatorios.
mancira que lhes arreblhao a parte vivificante,
nutritiva c reparatriz. Com a pepsina, a contrario'
como ella 6 urna substancia orgnica, albuminosa'
transforma-sc ao mesmo lempo que se cffeclua a
transformacao dos alimentos assimilhando-sc
como ellcs e ajudo tabcm como elles a nutricio
-eral. Sua accao vivifica o sangue e os rcaos
e tal sorte que, alh as pessoas que sem soffrer as
Grande liqaidaco de fazendas de todas
as qualidades para se apurar dineijo, vende
se baratissiuio na foja e armazem da Arar, ra
da Imperatriz n. :>0, de Lourenco Pcreira llen-
dcs Guimares.
AO BARATEIRO DA ARARA.
Vende-se cortes de chitas de cores xa.s com 10
covados a 25400 e 3,8200, corles de cambraia de
salpicos a 2*500, 3*000 e 4*000 para acabar : na
ra da Imperairiz n. 56, loja da Arara.
A Arara rende tassas a 210 rs.
Vende-se cassas para vestidos a 240, 320, 360,
e 400 o covado, organdys de lindos costos para
vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado : na ra da
lmperairiz n. 56.
bre gastro-hepatica, e todas as molestias" O Dr. F. N. Collago, Wo de leccionar a seu fi- afe^
bthosasque teem sua origem no entorpec- ^^^iJ^^^h^^ alumnos, que SfrSSTd^iS2SS2tote
sem barra a 6*000 : na ra da Imperatriz, loja da
Arara n. 56, de Mendes Guimares.
A Arara teade alpaca para vestidos de senbora i
3G0 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
tidos de senhora a 360 rs. o covado, laazi-
nhas para vestidos de senhora a 320, 360, 400, e
500 rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
As colchas da Arara de 2.
Vendcm-se colchas de damasco para cama a 1*,
ditas de chita a 2*000 : na ra da Imperatriz nu-
mero 56.
A Arara vende cortes de calcas a \ 600.
Vende-se .cortes de calca de brim a 1*600 e 25,1<.
ditos de casimira a 3*500 e 4*500 : na ra da C0,n mus,Ca e sem ella para COStra, e
rua do Vueimado n. 8
RECEBEU :
Bonitas caixinhas de madeira envernisadas, com
finas perfumaras.
Outras de papellao de diversos tamanhos e igual-
mente bonitas, tambem com perfumaras.
Lindas cestinhas de vidro com ditas.
Caixinhas imitando tartaruga com ditas.
Ditas com 6 e 12 frasquinhos de cheiros.
Objectos para baptisados.
A Agnia Branca, na ra do Qneimado n. 8, aca-
ba de receber os seguintes objectos para baptisa-
dos :
Bonitos e bem bordados vestuarios de cam-
braia.
Ditos o modernos chapozinhos de setim e toucas
bordadas e enfeitadas.
Sapatinbos de setim e merino muito bem bor-
dados.
Meias de seda e fio de Escocia, brancas e pin-
tadas.
Toucas e sapaiinhos de laa, obras muito bem
feitas.
Bonitas caixinhas
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Laazinhas da Arara a 240 rs.
Vendem-se laazinhas para vestidos a 320, 360,
Uenco
oulras com arraujos para barba.
A Aguia Branca recebeu novamenle um bello
sortimento de bonitas caixinhas com musir e sem
em um desarranjo geral dos orgaos diges- i Precisa-se alugar um escravo para o servigo ^iso importante. 0 successo das pastilhas
"VOS. de um pequenj sitio; a tFatar no mesmo, ra do pepsina de W asman diu causa a se fazerem fal-
Trempe n. 2. sificacoes c imitacoes d'esse producto que os
mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
A Ictericia
e produzida pela absorpcao da bilis no .- Aluga-seum mulato mocopara todo 5er^>' STSeDuX^Si STSSiZ^
asrnnaennndo-', ^e 5 tsuma ^\^at^ffu^jffFl aS5=^Kittau:
amarellenta; nao o somonte dolorosa por gura estabelecimento.
si, porm conduz aos mais serios soffrime-n
Preci.'a-se de um menino de 12 a 14 annos,
que tenha pratica de taberna : na ra larga do
Rosario n. 3.
Urna boa casa terrea para familia
esl por alugar-se ra da Uniao n.
39 : quem pretender dirija-sc ra
da Aurora n. 10. Tambem alugam-
se as lojas n. 44, ra da Aurora.
tos.
Para cura-la toma-se -de 1 5 piluias to-
das as manhias, isto bastante para mover
o ventre smene at que se recupere a ac-
cao sia do systema.
Mal do fif/ado, febre gastro-hepatica, I
diarrhen biliosa, indigesto, a ncvralgia
ou tic douleureux sao todas molestias que Na rua do Ho;picio slioe*C8racvafa- terrea com
tem seu comeco n'um desarranjo da bilis. portao de madeira, precisa seTde. umiSASS
A obserrarao dos ductos da bilis faz esta costumes; e tambem se compra um escravo de 12
volver ao sangue, com que circula d pois annos Para cima, que nao tenha vicios nem acha-
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie innu- !!=!^=!5!^a5s?-5---aaaBama3aaBBj!Bai
meravel dmales.
Todos estes incommodos sao curados com
as piluias do Dr. Ayer.
exigendo os compradores que as pastilhas tenho
as iniciaos B. P. e saiao da pharmaciaChevxier
Depsi to geral em Pars, pharmacia Chevrier!
21, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
pnarmacias de Franca e dos paizes estraneeiros.
na o.
400, c 500 rs-.^ditasplisas de todas as cores a 600, ella para costura, e outras com os arranjos neces-
sarios para barba ; assim, pois, quem comparecer
com dinheiro est habilitado a compra-Ios por pre-
co commodo : na rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Finos e aromticos pos de
arroz

a
O
(A pj
illHHfll!
slei3,*!.g-ll8
52,-fi 1^ = 2." &"s
S 8sS3?3-5'3
|H| 3 2 &.. o S
2.Q*.
COMPRAS.
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, rua Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 llua Direifa 15
RIO <:.! a\i:i no.
Vende-se em Pcrnambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER & C.
___________RUA NOVA N. 18._________
Precisa se de urna ama para comprar seo-
zinhar para casa de rapaz solleiro ; na rua do
Queimado a. 7.
Compra-se ouro e prata
loia de I
pendencia n. 22.
Direccoes minuciosas aeompanbam cada! **]E^1& bEes ft p^dTmd


Compra-se efectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-sc dous escravos que sejam bons
I carreiros : na rua do Trapiche n. 13.
Compra-se na rua dolmpeador n. 15, nma
ou duas prensas de copiar cartas, ainda que este-
| jam em niao uso, com tanto que tenhara perfeito o
1 parafuso.
Ourellos.
Compram-se ourellos de panno, qualquer por-
{ao : na rua de Apollo n. 20.
|
!
I
a
n
3
o
c
E
P
O
o
3
a
2

o
-i
3
C
(6
s

O.
O
co
o
=r
a.
n
a
o
Crt
s
-, o
ditas a Mara Pa a 640 rs. o covado : na rua da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende um completo sortimento de roupa
feita.
Vendem-se roupas feitas a saber: calcas de
brim de cores a 2 e 2^500, ditas brancas" de al-
godao a 2,3, ditas de linho a 3#500 e 4,5000, colle-
tes de cores de brim a 15600 e 2,8, ditos brancos
3 U 0, % e5-2S? a r* e 4' ca,as de casemi-1
ra a of, b^ e /0OOO, paletots de casemira a 5000,! sem elle, em latas de potes de papellao, senSo todo
.itfum ,preto!edecoresa61' 7*> ^ 10* e. elle de superior qualidade e agradaveis cheiros,
isoo, pa etois de alpaka preta a 3 e 3^500, di- Emquanto ao preco, nao se assuste o comprador.
f de.al|.'aka "rdao e alpaka branca a 4500,' compare{a com dinheiro e ser bem servido na
ditos de brim de liuho brancos finos a 5*000, se-; ,oja da Aguia Branca, rua do Queimado n. 8, ende
roulas a 15280, ditas francezas a 1*600 e 2*000, ambem se vendem separadamente os pinceis.
camisas francezas a 2* e 2*500, ditas de linho in-,l ^TW ^^ JL .
; glezas a 3*000 : e oulras muitas roupas feitas que j \ \ (l\ IA RR A lVf! A
se torna enfadonlio mencionar, que vista do com-
Em bonitos vasos de pedra, porcellana dourada,
vidro e madeira, estes com o competente pincel e
prador ..se dir o preco, por isso roga-se aos com- VeildeildO PelOfflOS.
pradores o favor de vir ver na bem conhecida loia r ^ V,
da Arara, rua da Imperalriz n. 56 de Lourenco "2 ?a0, Pr,Y.a,1lV0 a A?u,a. Branra ,ambem
Pereira Mendes Guimares LourcnCo es|a vendend0 rauil0 Lons e bonitos relog.os para
A Arara v^nde as n<.rls ., KAA ion .* mesa e Parede. Por PrtiCs commodo?, por isso con-
A Arara vende as percalas a oOO e o60 rs. Vm a todos aproveitarem a occasiao e proverem-
w e4e Percalas de cores flas Pa" vestidos se desse objecto sempre necessario em casa. Fica
a 500 e 560 rs. o covado.
porm reservado para os relojoeiros o concert que
o
o
Sitio para a'usar.
Aluga-se a rasa no lugar de Sant'Anna, com
. Ca9?ffl9ac para grande familia, leudo a mesma si-
tio com arvoredos : na rua da Cruz n. 4.
Aluga-se um terceiro andar da rasa n. 48
na rua do Trapiche : a tratar no armazem da
mesma.
Antonio Joaquina 6c Mello, amigo ndvogado
nesta cidade, c prornrador fiscal aposentado da
theso uraria de fazenda, emprego que servio por
mais de 22 annos, contina a advogar em todos os
ramos do eivel e
n. 14.
Compra-se cobre velho
ga Velha n. 1.
na rua da Alfande-
Compra-se garrafas e botijas valias, na fabrica
de licores a rua das Cruzes n. 36.
Compra-se ara urna enccmmenda urna ne-
grinha e um molcque de idade de 10 a 12 annos:
na rua da Cruz n. 1. escriptorio de Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C.
Compra-se urna escrava quo saiba engommar
e eozlnhar : na rua do Crespo n. i8, segundo
andar. ,
S
D
o-
P
a o
I 3
o
o. *
i 1
3-1 Wm
elSa. a>3
p* E, as
o a o te go
ts -g 2.
c -. n 5- = a,
I g e s- ? *
e- s ^- ~
n 5-3 g i
M
lili
lll
5 5 pa
o 3
3 c Arara vende tiras bordadas para enfeilar vcsli- algum dia qualquer delles venha a precisar, pois
que isso nao rhega para o bico da Aguia Branca,
da rua do Queimado n. 8.
Banhas finas
em copos, latas e sonpeirinhas de vidro
opaco.
A Aguia Branca sempre cuidadosa em bem ser-
18*000
10*1
10*000
10*000
16*000
!>*
*uoo
6*000
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas para enfeitar vestidos
brancos a 1*200 e 1*400 a peca, musselina bran-
ca lina a 400 e 500 rs o covado : na rua da Im -
peratriz n. 56, loja da Arara.
Ao barateiro da Arara a 2;>:00.
Vende-se baloes americanos de 15, 20, 25 e30
arcos a 2*500, 3*, 3*500 e 4*000.
S
8S *
"i lis
8 a s
* **J
Un
5. Z
I 9
e

crime: na rua do Imperador
trii
rrafas
A Arara vende madapolo enfestado a A$. uraas bonitas soupeiriuhas de vidro opaco cora
Vende-se pecas de madapolo enfestado com do- ale8<"es inscripcoes. as quaes dizem smente res-
, ze jardas a 4*000, pegas de dito de 24 jardas, das Pe" as senhoras, e com tal acorto que nenhuma
I marcas seguintes : n. 30 a 6*000, n. 250 a 6*500 (lue as vir delxar de comprar e nao se enfadar
e 7*, n. 2 8*, n. 5 8*500, &S9JL n. PF a 10*500, de ler a mscripgao que tao merecidamente llie toca
n. ZZZ a 12*, R a 11*000 a peca, algodao a peca 2 'luem luizer ser bem servido dirigirse a rua
de 20 jardas a 5* e 6*000, dito carne de vacca a d0 Queimado, loja da Aguia Branca n. 8.
6*500, dito domestico a 7*, dito slcupira a 8*, dito
pao ferro a 9* a peca : na rua da Imperatriz, loja
da Arara n. 56.
Dramante de linho a 2-S'ii (i a vara.
Vende-se bramante de linho a 2*500 a vara, pan-
no de linho para lences a 640 rs. a vara : na rua
Deposito geral em Pernambuce rua da ida ImPe.ra.lriz loJa da Arara n- 56-r
Cruz. 22 em casa de Caros & Barbou v J Arara.T,endcasemiras finas a f* M
___________________ Pdiuutd. yendem-se cortes de casemiras para calcas a o* dar a essas boas novidades, mandou vir cacaba
--*----- o*oOO, c* e 75000 corte: na rua da Imperatriz, de receber um extraordinario sorlimcnio de boni-
LVJ4 UUllrl l't II If I ,ja rara n-6, ,, tas bonecas, que andam que fallara, que chorara,
BOJVECA^
qnandam, que choram,
que fallam, etc.
A Aguia Branra, na rua do Queimado n. 8, ani-
mada pelo apreco que a sua boa ireguezia sabe
O Vigilante est alerta, nao ihe era iifinifr
deixar passar desapercebido sem que nio d
seu canto, alim de annunciar ao rcspeilavet
co o grande sortimento de galanteras de anilwf
gosto propriamente para qualquer mimo que aca-
ba de ebegar neste uilimo paqurtr, ass roaw
muitos ontros objectos que recebe por diversa a-
vios, tanto de sua ronta romo de censignacao que
est resolvido a vender por precos muito barawl
para vender muito e ganhar ponco, e dar esfrac s
o grande deposito que tem, que espera ouretefao
proteceo do respeitavel publico empregando part
isso todas e as melhorcs diligencias para que -
quem satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, raa i
Crespo n. 7.
Ricos porla-jtias.
Cofre de moito posto por
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres com camaphen.
Lindas caixinhas com pedras brancas.
Lindo balao com calungas dentro, tam-
bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
Crnazinhas.
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-
{os ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos siatts
com bolcinhas aolado, a 10*, 12* e 15*. ditos sem
bolfa porm do mesmo gosto, a 2*500, 3*, 3*500
4*000.
Ricas ivellas avulsas para sinto. o melhor roe
pode encontrar, a 1*500, 2*, 2*500 e 3* o par:
s no Vigilante, rua do Crespo d. 7.
Cabazes ou cesliib.
At que chegaram as desejadas cestinhas cu ca-
bazes para meninas trazerem no braco o mais rica
possivel a 2*500, 3*500. 4*. 5*, 7* e 10*; s ao
\ igilante, rua do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os oais liados
que se pode desejar, assim como de amparar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga coaca-
feiles e sem elle para menina; s no Vigilaaie rui
do Crespo n. 7.
Mais leqies
com pequeo defeilo, leques de sndalo rom pe-
quuoo defeilo por barato preco de 8* e 10*, cai-
nezes^muilu bonitos lambem, pelo barato preco da
4* e 5, bentarallos muito bonitos, laml*n por ba-
rato preco de 4* e 5*. leques de .haro laaibeai
por 4*. tudo isto para acabar, perdendo-se lal-
vez 80 por cenlo; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de coma* e de missanga, cures
muito lindas e de muito gosto a I* i |*2l.
Para segurar manguitas.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas o
borracha que as senhoras tanto preci.-am para se-
gurar manguitos por ser muilo commodo e muito
baralo, a 320 o par; s no Vigilante, rua do -ires-
po n. 7.
Leques.
Rlquissimos leques de madrep. rola tanto para
senhoras como para menina-, atb barato ptrn
Precisa se saber a resideucia da Sra. viuva
de Francisco JosTavares, que anda ha pouco mo-'
rava na rua do Coiovello n. 16, aflu de Ihe ser en-
trege urna enrommenda.
Aluga-se o sitio que fui do finado Domingos
A. Gomes Guimares, noCaldeireiro, confronte ao
do Sr. Dr. Jos Bernardo Galvao Alcoforado, com j
ptima casa de vi venda, cocheira, etc., etc. : a
Comnram-se garrafas vazias : na rua da Cadeia
do Recife n. 53.
Compra-se urna bomba de aguar capim : na
rua Bella n. 5.
Compra-so ouro e prata, assim como conrer-
ta-se toda qualidade de obras da mesma qualida-
de com promtido : na loja do pateo do Carmo n.
7, por preco commodo.
Compra-se urna rolula grande de porla de
tratar com T. de Aquino' Fonseca Jnior, na rua rua, ja servida : na entrada da rua da Palma, lado
do Vigarii n 23, pnmeiro andar. esquerdo, pintado de encarnado
Ba do Queimado ns. 63 e 69. .* hJE*rEP .*.
lionecas de choro.
Lindas bonecas de choro que chamam papai e
mamai, de diversos tamanhos : s as lojas do bei-
ja-flr, rua do Queimado ns. 63 e 69. soutembarques pretos de grosdenaple a 20*, 2o*
Luvas de pellica. e ^"5000 : s na loja e armazem da Arara, rua
Lavas de pellica branca e de cores para homens da '"'l'eratriz n. 56.
e senhoras : as lojas do beija-flor, rua do Quei- i Casenuras para capas a 3> o covado.
mado ns. 63 e 69. Vendem-se casemiras lisas proprias para capas
Fivellas para cintos. dfi senhoras a 3* o covado, laaziuhas lisas para o
a Arara recebeu um completo sortimento de capas c outras muitas de diversas qualidades como dan- ,iP i
sarinas, soldados, atiradores, ele, e todas mui bem I nej!."* e l**'rt no Vigilante, rua do Lrespo
vestidas
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas neces.-arias para costura, as quaes
Penles
isimos pentes de roncha
que H vind-' por2*,
, rua do Crespo n. 7.
Canelas.
Riqusimas caotas de madr>per..!a proprias
para qualquer presente, pelo baratsimo prera de
1*500 e 2*.
Sapaiinbns e mrias de seda.
Riquissimos sapaiinhos de seda de merino en-
Existe liara alugar duas casas na Una de
Bemfica, com commodos para familia, banho na
porta : a tratar na rua larga do Rosario u. 36.
Alexandre da Cunha Coellio Catanho, inora-
dor na rua du Sania Thereza n. 18, offerece-se pa-
ra afinar o deitar.cons novas em piano por com-
modo preco.
cim^daSn^e,|fi^d0HUra,da? T IDd3S,P^raS PT SSrf a m rS' 0C0Vad : Ba rUa ^ IlUPera' ilcm linhas de f^**-b retroz, tesara I feitados, assim SiTSmKl^M
ns" 03 e S! J ^'^ d QUeimad Arara vende lencos de seda a 1 e 800. Sffi""*!Li^ asl0 ^Tc \ J^SSSSSF^
VETBS.
de urna s cor a 800
colarinhos baratos a
Precisa-se de
rua da Cruz n. 51.
um official de baibeiro : na
linlio verde
Desappareccn lia 5 das, do lu.sar do Forte
do Mattos, una cabra (bicho) de sigaes, mamas
pretas e brancas, cuja cabra ainda d algum leite
por ler dous cabritos tambera desapparecidos, e
da mesma cor da cabra, djs quaes um deiles com em.l)arrisde nara particulares e era pipas,
chifres pequeos: portanto roga-se a quem souber mmt0 sunerior
dirlgir-se ao referido '
primeiro andar, que
pensado.
bordados ou marca, ele, e lados a precos com rem; s no Vigilante,ruado Grana n 7*
modos. Vollinbas.
BAHTJS DE TARTARTT-L Linda1vol1linlias aperlas falsas com rruzinhas
VT. VJ Jz ~\h-h*! I line'Dd "rilhaub's, assia como Imi .Im
6A PIRA fiOSTIRA !vollinhai!- ne|bara'preco i<- smm
v""i- x I"w* 'U^'^X M.IXX* | cruzes avuls asa iOO rs.; s no Vigilante roa do
A Agina Branca na rua do Queimado n. 8, ven- Crespo n. 7.
aiJii -i?r. /nnrs" VS0' tM*2 ,rancozas flnas a < bonitos bahus cobertos de tartaruga e de diver- (iuliuhas
: 3J0, .S6, 400 e 500 rs. O covado, porem aSSegO- sos tamanhos mni nrnnnnc nnra Mudnraa a iniac r>- u""u"*,s*
i ram-se as qualidades e cores : e muitas outras fa- L~1 P J ^"^'mas pol.nbas e manguo, o melhor -, s-
Calatos para memnas. zcndas / M, vende baraI ist0 somente a vjs| CJlffiS^H \g^l^EK : l'T'r1' a 2*-,3*i0 u :l; 6 no v"e,
Ceen"S 2df.?'s passaros, pelo barato precode.... U se vnde assim barato porque est festa na fiara tWHV CU(>('() hnffi,es fara *
1*000 ate 4* cada um: as lojas do beija-flor, rua, poria, e a lo|a da Arara da rua da Imperatriz n. lirnjll WUVIIU Riquosissim enleites com bco e sen. lam cae
do Queimado ns. 03 e 69. ; -6 pode bem bervir aos freguezes do Lm ba_ A Aguia Branca, na rua do Queimado D. 8,
Capellas para noivas. Vende-se lencos de seda
Lindas capellas para noivas 2*500 cada urna: T,h d,los 'mo.s de .Cr a -1-- -
j as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 0 ^ a dn,?ia : so na loJ:l da Arara rua da ,m"
1 p qo r j.ci itiiz n. ou.
Vende-se urna taberna em Olinda,siia na rua Estojos para barba Bara,e'10 o hairro da lla-Vista.
dos Quairo Cantos n. 4, em urna das melhores lo-1 Vende-se e^tofos com (nalhn nara harha i i*sno Vendem-se chilas escuras e claras de cores fixas
caNdades, cora poucos fundos: a. ratania mesma. | Jgg Sc^al0uforab ^^asTolafdo beijat?, ruK a 2i0 c 28
Vndese ltnad0 ns-C3 e 69-
urna taberna em um dos melhores lugares para
negocio : na rua Imperial n. 195.
lugar, rua da Roa n. 12,
ser generosamente recom-
Vende-se a casa terrea n. 25, sita na rua d
Malhias Ferreira, na cidade de Olinda : quem a
Filas linas para cintos. ral
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos: as lojas do beija-flor, rua do Queimado
re-' onlros'muilos goslos a 1*, J/J5O0 e 3* : s' no Vi
cebeu essa excellente tintura para cabello, cujo guante, rua do Crespo n. 7.
Aluga-se
urna casa na rua do Mondego n. 69, cora bastantes
commodos : a tratar na rua da Cadeia n. 57.
pretender dirija-se rua Augusto n. 59, que acha-
r com quem tratar.
Vende-se urna mulatinha de
idada, recolhida e com habelidades
Terco n. 33.
Antonw Joaquim de Mello, estabelecido na FlhrffJ di! fhanMil > mil rua Direila desta cidade n. 6, declara ao corpo de i- U^rrailCIS_
commercio e a todos em geral, que Jos da Costa j CO MaCsirall, ma UO QCiniailO
Carvalho Guimares deixou d ser seu caixeiro
gerente, e por isso jamis poder o mesmo contra-'
tar cousa alguma era nome do annunciante : e de-
clara igualmente que fica em substituicao a aquel-
le, o Sr. Joaquim Ferreira Coelho.
numero 22
Nesto fabrica o cliegado pelo ultimo vapor um
completo sortimento de beagallas e cachimbos de
espuma do mar ede outras mais qualidades, as-
sim como tambem chopetas para charutos muito
Joaquim de Souza de Oliveira faz scienteao finas, e fumo eanorl/ emor tem"romoo nm
I!Lpei!.all''-Ub.".c^ "a,a. 1ue ".'"g^m compre e | bom; sortimento'de 'chapea de sol RiH
nem venda Anna Jacintha de Oliveira, a qual
nega seu proprio nomo, e diz chamar-se Anna Joa-
quina do Sacramento, casada com o dito Oliveira
ase intitula viuvinha honrada de Allemo.
Precisa-se de
qualidades, na quai se fazom e se concertara tudo
pertencenle a esta arte.
Negocio de vantagem.
le ama ama para comprar e co-1 Veqde-se a taberna da rua das Aguas-Verde n.
rJ^rEoandTr"- M0daB0,a U Rccife 84> P/ v d ocios ler de se retirar
D- z' pi I Para fora da provincia, vende-se com os fundos a
l'o.sinhtfiro.
; vontade do comprar em razo de um socio ter ou-
Precisa-se de um perfeito cosinheiro no hotel $*&&!""""" ** 3gradar
Trovador : na rua larga do Rosario n. 44, paga-se i------^5---------------------------__________
bem. -vendem-se 20 accoes do Novo Banco de Per-
Precisa-se de 800*000 reis ao premio de 2
por- cento ao mez, sob hypotheca na quarta parte
de um sobrado de dous andares, que valle 6.000*.
nambnco : na rua da Cruz n. .
Ponidos a venda.
S.=rsfnZe7r2eSl negC dJa"8e"'a ^' PrSS?^? ^sSToSs9^^^08 ^
Precisa-se de urna ama para comprar, cosi-
nhar e engommar: na rua da Cruz n. 9, segundo
andar.
precisa-se de urna
Na rua Imperial n. 1,
preta para vender miudezas.
Tremocos novo* a 3,200
a arroba.
Vende-so saceos com tremocos vivos a 3*200 a
arroba : na fundicao da rua do Brumn. 85, detraz
.n 63 e 69.
Extractos em caiiinhas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
16 anuos de, familia imperial: as lojas do beija-flor, rua do
no largo do Queimado ns. 63 e 69.
Sabo em caixinhas.
Finos saboes em caixinhas com vanos'retratos : I
as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns.
03e69.
Jugos de domin
Vendem-sc jogos de domin 1*2C0 e 1*300::
as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns. 63
e 69.
Uabados bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e varios pregos : as lojas do beija-flor, rua do :
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Aderecos pretos.
Tendo-se recebido aderegos pretos de novo gos-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senhoras.
Lindas gravatas para senhora 800 rs. e 1*000
1*200 : as lojas do beija-flor, rua do Queimado
ns. 63e69.
Espelhos de moldara.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
2 ~ C o o 3 ST^S. as p o "
sg a
03
en
U.


B>
2 3 =-o -
= ^
C V3 U ._,. 2
D< "s as
c.ffl3oS-
co a S &_ o
ce M P
6 2 5' be '" w '
j.
g?3 5l^
a -

Ul c
GRANULOS e XAROPI
D'HYOROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
Precisa-se de orna ama que saiba cozinhar e ; do "rsenal de marinha.
fazer todo o servigo interno de casa de pouca fa-
milla : na rua da Concordia n. 38. _______
Manoel Al ves de Araujo, deseja saber a onde
mora Domingos Martins Gomes e Francisco Mar-
tips Gomes, portuguezes.
Precisa-se de urna ama para todo servio de
ama casa de pouca familia : na rua do Livramen-
to n. 8._______________ Resulta pelas experiencias feilas as Indias -
HirinJiCit.!. o kk____ .-j-------- Franca pelos mais afamados mdicos que as grano.
mrua da Cadeia n. 55, primeiro andar pre- ias e o xarope de iiyduocotvla asitica d<
alia algura geito para tratar de changas. cieg de impigems oa herpes e outras molestias da
-,- _-----------------;------ pel'e, al as mais invelerodas, assim como a lepra
i mge-se com perfeicao para qnalqaer, u horphea, a sipiul, as molestias escro-
cr, e o mais barato possivel; na roa do rL0SAf. bheijmatismos cbrpnicos, etc.
Ranopl n S eannnAn ,!- Deposito geral em/>m, em casa de foRMER
jiangei n. *, segarjao aaaar, jlabelonyb, m pourho*-ruki>we, 19.
-
.
fl,
T3 BJ 3 -
-^ "SI. o

o ooq
<* e.
5*8 I
3 en
Si a> so
oso.
W p O
8 o.
3s,e,Bsi'.H
S.33.S:cS'Sg.
c o
o
-1
"a
u
J-
Cu
3
S.fl|
O -3T3 p
bj S 9 B
. ,ma
H o
O
s
3
Bi
w S M
-1
o -j
P 0^3
-5?
-o I
su -^
3 3
|l
s
J)
so

s
s
3
e
I
i
9

C
5
effeito 6 rpido c proveitoso, vindo ella munida de
esclarecimenlos em portuguez, d'unde qualquer
pessoa pode bem conheccr o modo de applicar.
Com o rhromocorce que serve para Ungir, veio
tambem hjdrocallitr.cbina, agua para tingir cabel-
los, coloricomo para lustrar os ditos, e onychro-
inantina para limpar as unhas, e callicomiphila,
pomada de que se pode usar sem receio de oen
Tranrelins.
Lindos trancelins de cabello para relogia on l-
elas, pelo baralibimo preco de !*0O, ditos de
relroz a 200 rs.
liabadinhos enlreaes.
Riquissimos liabadinhos enlreoieios cem liados
desenhos tapados e transparentes, pelo b.-.ratij-in
pro-
prias para enfeites; o no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
: Fitas.
Grande sorliraenlo de lilas de diversas largaras
e qualidades, por pregos que admiran ao com-
para ei-
l'uuiuuu uu uuv .'l uuuii u..u ociii itiiiu ug uncu'. i a/i>\ i*- ,m o --
der ao cabello preparado. Os pretndanles ada-' prec? "f.1*'200. '*>00. 2* c 3*: so no \ig.lante,
rao preco razoavel. j rua do Crespo n. 7
\t-------------------------i7.----------;------i Casearnlkas.
JNO ariliazem (le aZeiaaS Da- Grande sortimento deeatafla de diversa.
, -i n r ii larguras, asMm como galaozuiho e trancinhas
raas de hantos Coelho,
lina doQueimddo n. 19,
Veude-se o seguate:
n. Atteneio II
Ricas laazinhas, fazenda a melhor que tem vid- : pradores, havendo litas largas proprias
do ao mercado, tanto em goslo como cm qualida- teiros que se pode vender a 300 r a vara
de, pelo barajissimo prego de 560 rs. o covado. de 9 varas a 2*; s no Vigilante, rna do Crespo
n. 7.
Filas de lia.
Filas de laa de todas as qualidades. proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
iros espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura donraJae
sem ella de 8*, 10*, 12* e l-3. .i.-im rrmo cata
columnas de diferentes tamanhos a 2*, 3*, i*, 5*
e 6*; s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Lindos jarres e lignras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana laa,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto qoeaqni
Ditas miudinhas carinezins, proprias para vesti-
dos de meninas e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de laa cora 15 covados, pelo barato prego
de 6*.
Cobertas de chita da India a 2*500 e3*.
Lenges de panno de linho a 2* e 2*500.
Pegas de cambraia de forro com 8 1|2 varas ;
3*200.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a 5* a
duzia.
Ricos cortes de laa com barra Hara Pa
18*.
GAZ GAZ GAZ
las : as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns. I2)J a lata : nos armazens da rua do Im-
63 e 69.
Voltas de aljofares.
Lindas voltiuhas de aljofares com cruz depedri-
nhas imitando brilhantes 1*000 cada urna : as
las do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sopa.
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
2*000 cada urna : as lojas do beija-flor, rua 3
Queimado ns. 63 e 69.
Liia para bordar.
Vende se laa para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
6*400 a libra : as lojas do beija-flor, rua do Quei-
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
que era outr qualquer parle,
Bixas de iraburgo
Yeodem-se na roa Nova d. 6f.
Pecas de platilhas de algodao com 10 varas,
proprias para saia a 4*.
Algodao enfestado com 7 1|2 palmos de largura tem apparecido; so no Vigilante, rna do Crespo
a 1*100 rs. a vara. n- '
Estelra da India, propria para forro de sala de Para pos de arre.
.* raaiwaae a j 4, 5, e 6 palmos de largura, por menos prego do Riquissimos vasos com bonecla para pos de arm,
I que em outa qualquer parte. cousa de muito gosto a 1*500 e 2*, a.-im caas
Neste estabelecimento tambem se enconlrar pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s ao
um grande sortimento de roupas feitas, e por me- Vigilante, rua do Crespo n. 7.
per ador n. i 6 e rua do Trapiche Novo n. 8.
ESPANTOSA
pechincha.
Gravatas de seda prela a 660 rs., madapolocs fi-
nos com 24 jardas a pega por 7*800, com um pe-
queo defeito, tambem se vendem varas a 400 rs.,
chitas francezas escuras finas, cores fixas, a 320
o covado, do-se amostras com peuhor,algodao lar-
go muito superior com 24 jardas por 6* a pega
com um pequeo defeito : na loja defronte da
guarda da alfandega, rua da Hadre de Dos nu-
mero 16.
Vende-so urna escrava crioula, moga, com
habilidade, sem vicio, com tres filhos de idades de
5 a 9 annos, mais nma mucamba com habilidades,
com 18 annos, urna dita com 20 annos : a tratar
oa rua estrejta do Rosario n. 31,
d'da. Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, r^
das, assim cerno de lindos copos ou vasos ron aw-
tinctivos c oflerecimentos as sinhasinbas dos me-
Ihores e mais afamados autores de Pars e Inglaier-
(ra, assim como os grandes copos debanha japoaea
Vende-se a taberna da roa do Padre Floriano n.' a 2* e a 1*, assim como outros objccios que aio e
5, por se niio querer dous estabelecimentos da possivel por hoje annunciar, e vista dos frrgae-
mesma ordem : a tratar na mesma. zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilaste
T .-----------=-----jt----------------- rua do Cresro n. 7._____________
O livro do povo, obra ornada com estampas, con- ^^ lO'UVXQQ, B IICOTCS
tendo a vida de Nosso Senhor Jess Christo, e mui-! A' rna das Crnzes B 36
tos artigos uteis. Este livro das familias recom-1 Vende-se o seguinlo : .0 Ihesoure a boera
rnendado e approvado pelos Exms. rs. D. Luiz paragao excellente para a conserraco
hispo do Haranho e D. Manoel arcebispo da Ba- e tirar o mo balito. Genebra de caoW^L-S!
&32i SaaSS "!. "P*^.^.rS??"*!*^.Pr "restoraachS/E:
Jos Nogueira de gouza, rqa do Crespo n. 3,
aojantar facilita a digestao.
BHriliwi.
temada




.
i
\
Diario de Peraaiubaco Qnitia fcira lo de .\uventbi o de 1 Ht-.
mm)
RA DO QUC20IADO IX. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
na i
NOV1DADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commer-
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes ser5o vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo raencioncda; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 3*000
a arroba.
Araeixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600, e em frascos grandes a
24500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas ostambas no interior das caixas
a 10200,10400, 10600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barr-
quinhae a 2O0 rs. a libra.
Banlia de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin.e perola a 10600, 20,
20500, 2800 e 39000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Ceneja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inslez fino a 90") rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
2;)0 >0, 20200, 20500, 20300, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs: a libra e 85500 a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
.bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Chouricas c paios muito novos a 800 rs a
libra,
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640 rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chgado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cadajum.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem slearinas muito superiores a 60 i
libra.
Eigos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor qne
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,
Bocage Cbamisso e outros a 800, 900 c
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 9000 e 10000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 500 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
JFarinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
! dem de trigo a 120 rs. a libra.
', Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 50500
e 70500 cada um com o garralao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, quaiidade especial em garrafas muito
grandes, a 10800 a garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rollias de
Grande liquidaco.
Ra da Iingici-atrizn. GO.
Loja de fazendus do Pavo de (ama A Silva.
Acha-se este estabelecimento completamente
sorfido de fazendas inglezas, francezas, alUmas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mallo, prometiendo vender-se mais" barato do que
em outra qualquer parle principalmente sendo em |
porcao, e de todas as fazendas dfto-se as amostras'
deixando ficar penhor, ou mandam-se levar cm
casa pelos caixeiro's da loja do Pavo.
As cuitas do Pavao.
Veodem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato preco de 240, 260 e 280 rs. o covado, tintas
segaras; ditas francezas de cores seguras a 320,
34G, 360, 400, iiO, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padrfies : s na loja do
Pavao.
As laziohas da eiposiro do Pavo.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soulembarques por seren lisas e de cores muito
delicadas 560e500rs.; ditas lisas com um lustre
qne parece seda 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda 500 rs. o covado, s para aca-
bar : na loja e armazem de Gama Imperatnz n. 60.
Os vestidos do Pavao.
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido
de la, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, corpinho e collete separado ; ditos
com listas de seda e tambem com barras e enfei-
tes para o corpo, por prego mais barato do que em
outra qualquer parle, e se quizerem urna prova |
do que se diz, mandem ver loja e armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. I
As cassas do Pavo a 210, 280, 300, 320 t
3G0 rs.
S o Pavo vende as finissimas cassas persianas
imitaco de la, com cores fixas, 360 rs. o co-
vado ; ditas francezas muito finas 240, 280, 300
e 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madapoles do Pavo
Vende-se pega de madapolo infestado com 12
jardas cada peca pelo barato prego de 4, 45500 e
5 cada pega, fazenda muito superior : s o Pa-;
vo ra da Imperatriz n. 60, notando que a pega
| leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
bavr duvidas nem engaos : isto previne o Pa-
I vo, de Gama & Silva.
Bramante de linho do Pavo
20, 904OO, 2#eOO.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
vidro, a 10000, s a garrafa vale 0 di- de$ palmos de largura por prego muito commo-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
. de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
Jdem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
I Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julicn a 7001 800 rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs. i dem regular a 500 rs.
a duzia. i Magas finas para sopa: estrellinha, pevide,
dem Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 10 rodinha e aletria a 600 rs. a libra c a-40
a garrafa. a caixinha com 12 libras,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa. ; Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre d Lisboa a 200 rs. a garrafa e, Peixe em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maro.
102OOrs. u. ranada.
Kirsk garrafas muito grandes a l?5800rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-j dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos: dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que ludo ser vendido por j Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porgues como Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
retalho-
Quem comprar de 100;>000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
20 e em caixo a 640 rs.
Palitos do gaz a 20200 a groza.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
MACHINAS DEP ATEN!
de trabalhar mo para
escarolar aSgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLAfl
GRANDE E SUMPTOSO ESTABELECIMENTO
DE
MOTOS E ESCOLIADOS GEHEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALIIO
I
M
Ultima casa jissUo a ponc la Roa Vsa.
DUAS PALAVRAS.
t Cesse ludo quanto a amiga musa canta
.Que outro valor mais alto se alevanta.
Acha-se a disposico do respeilavel publico este grande e magnifico estabeleci-
mento de molhados, talvez o primeiro o nico boje existente em sua especialidade, por-
que o maior capricho de maos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci-
mento modelo promoveram a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por sercm comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
dignarem de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todos, nao s pelo emprego das manchas condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos presos quasi do pri-
meiro custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que achanto
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
sario, promeltemos-lues servi-los de gneros novos c sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser receido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
homem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos
objectos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
.Ir-'1, I i esa.
m^Mh* sendi
r-^otra:
Estas machinas
podem dcscarocar
'qualquer especie
, de algodao sem
'estragar o. o,
sendo bastante
pessoas para
trabalho; pode
descarocar urna
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
CAVACO NECESSARIO
Devenios ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denoroinaco de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ninguem.
O neme urna voz com que se do a conhecer as cousas. E esta a mais
breve, clara e sincera explicacao que, pelo melhodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais:
Nao oriundo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
lem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narrado desse acontecimento, que tan-
fesorprehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e goslando sum-
.namente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oitao do nosso estabelecimento, temos assim feilo distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras, e coras.
Un mi i solt |iii mal y-pense. ______ _________^^^
Vende-se nm comometro martimo inglez do
melhor fabricante Charly Frodshan, amaneando o
seu regulamento, por diminuto prego : a tratar
na roa Nova n. 21, loja de Francisco Jos Ger-
mano._______________ -
Vendem-se dous excellentes terrenos promp-
tos para ie edificar com 61 palmos de frente am-
bos e 300 do fundo, junto a fabrica do Bowman na I
ra do Brum, aterrados al a linha do caes tendo
j parte do caes eito : a tratar na ra (Jos Gaa-'
rarapes n- 88.
Vende-se superior vlnho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C, ra
do A'gario n. 3.
Queijos de Minas
Vende-se na ra Nova n. 61, defronle da 111.'
caroara municipal.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis dcstas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
Sauodcrs Brothers & C.
X. II, praca do Corpo Santo
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 53 loja do Barateiro
conhecido j como tal, est dispondo da fazenda
por todo o prego para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o seguinte :
Baralhos de carias para voltrete muito
fluasa............................. 200
Miadas de linha froxa para bordar a____ O
Pares de sapatos de tranga de todos os
lmannos e finos a................... I$o00
Massos de superior grampos para cabellos 30
Duzias de palitos do gaz superiores a. ... 200
Libras de ara preta muito superior a... 100
Frascos de superior macaca oleo a____ 100
Ditos de dito perola a.................. 200
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs.e............................... 500
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.............................. 400
Ditos de b3iiha muito fina a............ 610
Ditos de cheiros muito finos para o preco
aris............................. 600
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................ 400
Novellos de linha com 400 jardas a...... 80
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a............................. 60
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a............................. 3Q
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a....................... 240
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a 200
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris.............................. 400
Varas de bicns francezes, superiores a... 40
Opiata para dentes da melhor que ha a.. 1#000
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a............................
Pegas de tranca preta iza muito fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fila preta com colxetes a......
Libras de la sorlida de todas as cores a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Canas de obreias de ma ssamnto novas a
Varas de franja .branca e deires para
toalhasa.........................
Frascos de oleo Philocomescuperior a...
Ditos com superior tinta a3 20 e.........
Caixas de linha de gaz com 30 novellos a
Cofiadores para espartilho a...........
Duzias de botdes encarnados para vesti-
dos a.,,,.....,..................... 200
60
200
40
6JB00
160
40
86
600
500
800
60
do, por ter de acabar" a factura, a vara por
2**00, 25100, e 25600 s o Pavao : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de linho do l'avo.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-!
gura proprio para lences e toalhas de mo pelo
baratissimo prego de 610, 720 e 800 rs. a vara, al-;
godaozinho com oito palmos de largura proprio
para lenges, pelo baratissimo prego de i& a vara,
assim como tem o melhor algodozinho tanto cm
largura como em corpo, proprio para lenges, ca-
misas de escravos, etc., etc., prego muito commo-
do^ vista da fazenda; s o Pavo : ra da Im-!
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os guardanapos econmicos do Pavao e s do
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda- i
apos econmicos e todo linho, tanto para as casas
de familia como para hoteis, botequins, etc. etc.,
pelo baratissimo prego de 35 a duzia, isto s na
luja do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
AAoaihado do Pavo.
Vende-se panno de linho adamascado proprio
para toalhas de mesa, pelo diminuto prego de 25500
rs. a vara, guardanapos de linho a '5 a duzia,
toalhas de mo a 55 cada duzia, na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
ir s o Pavo (a S05OO).
Quem tem bales por tal preco 1
Vendem-se os baloes americanos muilo superio-
res com 20 e 25 arcos pelo baratissimo prego de
255OO e 45, ditos de 25, 30 e 35 arcos com fitas,
muito bem armados e tambem tem cores escuras
pela barato prego de 35500 cada um : s na loja
do vo, ra da Imperatriz t.. 60, de Gama &
SilvT.
1 0 Pavo vende para luto.
Vende-se superior selim da China, fazenda toda
de la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletots, caigas, etc., |
pelo baratissimo prego de 2, 25200, 25300 e 35 o .
covado, cassas pretas lisas, chitas pretas largas e
1 estreilas, manguitos, colarinhos, punhos, e enfeiles,
1 tudo preto proprio para luto fechado, e muitos ou-,
tros artigos que se vendem por pregos mais em
conta do que em outra qualquer parle por estar
liquidando ; s na loja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60, de|Gama & Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavo pelo
barato prego de 600 rs. o covado ; ditas de listi-
nhas niuit miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-.
ralissimo prego de 300 rs. o covado ; garantem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
lera em Paris : isto na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama ; Silva.
As tluas do Pavo 94OO c
SgSOO o corte.
Vendom-se cortes de chita com dez covados
25100, ditos 25800, com 12 covados; sao chitas
inglezas, mas padrcs bonitos e tintas seguras;
assim tem as melhores chitas francezas e de tin-
tas seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400,140, 500 rs. o covado : na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos e golli-
nhas bordada?, pelo barato prego de 15 c 15280 I
cadaum, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
com golinha a 800 rs., golinhas 400 c 480 rs., de j
fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 25 cada
urna, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 610 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente gravata de seda, fazenda
fina, pelo barato prego de 35, e muitas outras i
bordadas que se vendem por pregos muito em!
conta : s na loja do Pavo ra da Imperatrfz
n. 60, de Gama & Silva.
As roupas do Pavo
Vende-se panno prel fino muito superior pelo
barato prego de. 25, 25300, 35, 35500 e 45, dito !
muito fino 55 e 65 o covado, casimira preta de I
urna s largura e muilo fina a 15800, 25 e 25500
e 35 o covado, cortes de casimira de cores a 55,
35500 e 65, casimiras enfestadas de urna s cor
proprias para caigas, paletots, coletes, capas e para
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos do grande tom.
Vende o Pavo.
Vendem-se os mais ricos vestidos de merino com
barra Maria Pa, sendo das cores mais delicadas
que tem vindo ao mercado, pelo baratissimo prego
de 225 cada um, viudos cada um em cu carto,
com o competente figurino : isto na ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos indianos.
Vende o Pavo a lOgOOO.Qg
Vendem-se os mais ricos vestidos indianos, com-
Pjehendendo saia, soutambarque e collete, de fus-
lo, sendo tudo bordado, e de differentes cores, e j
os mais modernos que tem vindo ao mercado : na '
loja de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Vestidos i Maria Pia
a a$ooo.
Vendem-se bonitos cortes de vestidos Maria
Pia com barra, tendo bastante fazenda cada corte, .
pelo baratissimo prego de 55 cada um : na ra da
Imperatriz 11. 80, de Gama & Silva.
FaHnha de mandioca
a bordo do patacho Ulyssfs, ancorado ao trapiche
baro do Livramento no Forte do Mallos : a tratar
4 bordo ou com Tasso Irmos.
INJECTION BROU
PERFUMARA medica hygienica
De J.-P. LAROZE, qumico, pharmaceutico de la Escola especial de Pars.
Estes productos sao o resultado da iplrar,ar> das leis da hygiene perfumara, que %r ergac t
tornase phainiacia da belleza, enrarrejada de prover lijgiene da p< He. dos wfcrilw, d .s .U :ites,
orgios to impon.altes; cnto evita e deslroc as causas das doeneas que sua irniaa mais velbl,
i pharmaeia propriamente chamada, tem que curar.
OLEO DS A VELA rsUTUMABO pan r, nJir
dureza dos eablloa a >ua aloma, o \>Jro. 2 Ir.
ELIXIR BCNTIFRICIO pan curar iroedialemente as
dores ou raivas de dentes, o vidro 1 Ir. 25
pos DEimrRicios con DE ROSA com has. de
Magaesia, para branquear e conservar os 4MM;
o vidro...........1 fr. 25
OPIATO DEtITIPRIOtO para fortificar as gingivas
evitar as nevralgias dentarias; o pote 1 1Y. 50
CWRATIVO DENTARIO para tratar os dente]
cariados antes do chumbaniento, e evitar os ab-
cessoa e dores ; e vidro cora o Instrumento o fr.
AOtja LEOCODERMIHA, para conservar a frescura
t aa fuaccOes da pella; o vidro 3 fr.
BSPIRITO DB AHIE IlECrtTriOADO complemento
do aeeioda boceadespois de comer; e vidro 1 fr. 25
SARAO LBIOTnrOMEDIOniAL, de violeta, amenJoa
amarga, bouquet, e pi.......2 fr.
CRXMX DE CABAO LENITIVO MEDICINAL de
Iemaa de ovos, para evitar as fendas, friciras e
Dencaa de pelle, d REME DB SABO LENITIVO MEDICINAL ea
pos. Ella especial para a barba, o aceio das
senhoras das enancas, o vidro.....2 fr.
VINAGRE DE TOILETTE BVP
.->a.i\ idade e s-la a.<:a* NNJBCa .
IIOR trli taa
'..!:' I fr.
COLD CREAM SUPERIOR par rosten ..- a patta
clara, frasca, edisphaa'i, e evitar os na ? r\,.;\mu
do uso das c'ires, o pote......1 5S
AGUA DE OOLOONA SUPERIOR. 'm M ata
mbar; permanencia de seu perfume o lax lascar
para o locador, banhos geraes e !,. aes, o iJ.ro I Ir.
PASTILLAS ORKETABS do IV. i'au. '.UDMM,
Eara tirar o chairo do ubi o e para inud.':.ar M
allitos fortes; i a 2 fr. a caia.
AGUA DE PLORES DE ALPASESIA
buscado para tirar as cemichoes, for.ifuar a re-
frescar caries orgios, a vidro.....I Ir. J
ESPIRITO DE HORTBLAE SOPERPISN. Bll*
aperfeicoamento ndispensavel de aceio da bocea
depois de comer, o vidro......I fr. Ea
POHMADA CONSERVADORA de quiain-l pura
para forlilcar os cabellos, os embelleaar e war
o encantamento prematuro, o pote.. ir.
agua (.ostral para conservar e embellezar os
cabellos, e fortificar suas raizes, o vidro. 3 fr.
Depsitos em cada cldadc, em caza dos pliarmaccutiros, perfumistas, rabelleirelros, segoeiautes
modas e de fazendas. Varejo: Pharmacia Laroze, ru Ncuie-des-Pctits-Charap, S6.
Expedicoes: em caza de J.-P. Laroze, ru dei Llons-Saint-Paul, n* i, em Pan*.
XAROPE ^
DE CASCAS de LARANJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
PBARMACECTICO DA ESCOLA SUPERIOR DB PARS.
" Este xarope, regularisando as func5es do estomago c intestinos, destro* essas
mdisposicoes proteiformes, e faz abortar as molestias de que sao indicios precurso-
res. Mdicos e doenles tem rcconliecido quo restabelece as indigestdes, fa??ndo
desapparecer os pesos de estomago, que calma as enxaquecas, espasmos, e caimbras,
que sao resultado de digestdes penosas. Seu gosto agradavcl e a faeilidade com que
se suporta, o tem feito adoptar como especifico infallivel das doencas nervosas,
gastritis, gastralgias, clicas de estomago e de enlrar.has, palpitafrs, dores de
coracSo, vmitos nervosos; sua aec.o sobre as funecoes asimiladoras tal, qae os
mdicos mais Ilustres o tem adoptada por rc&ripicnte real dos don primeiros
agentes therapeuticos: o 'lodureto de Potassa c o froto -lodureto de ferro, tendo
observado que dcbaixo de sua influencia, o primeiro pcrtlc sua Meto irritante, e e
segundo seu effeito adstringentc.
XAROPE DEPURATIVO
Do oascas de laranjas amargas com Is-
dureto de potassa.
O iodurcto de potassa, administrado em
solucao ou dcbaixo da forma solida, causa ao
doente urna grande repugnancia, ou determina
accidentes que e forefto renunciar a esta
medicabas cilicaz.
Unido porm ao Xarope de cascas de laran-
jas, elle na8 causa nem gastralgias, nem per-
turbacao do estomago e intestinos, c gracas a
este salvaguarda, os tratamentos depura'ivos
so continuados sem interrup(3o, as affec-
ces escrofulosas, tuberculosas, cancerosas e
as secundarias e terciarias, mesmo reuma-
Ihismaes, as quaes elle A o mais seguro espe-
cifico. A dose est definida de tal maneira
que o medico pode varial-a a sua vontade:
O frasco: 4 fr. 50 c.
XAROPE FERRUGINOSO
De cascas de laranjas amarga? con
proto-iodareto de ferro.
A associaco do sal ferro ao Xarope de ca
cas de laranjas tanto mais racional quanto
que este xarope, impregadn s, para estimu-
lar o apetite, activa a secreta da tueco g-
strico, c par tim irgularisa as ruscc,o< s abdo-
niiuaes, neutraliza os mos effeitos dos ferru-
ginosos e dos ioduretos (peto de cabera, j.ri
sao do ventiY, dores epigstricas) em quanto
que facilita sua absorpeo. Dissolvids no
Xarope, elle se toma e tt tupporta fcilmente,
por achar-se no estado paro mais assinnl.ivel,
e assim pode continuar-se a cura da pallidez,
corrimentos braneos, anemia, afecedes escro-
fulosas e racuitismo:
0 frasco: fr. 50 c.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE esto sempre em frascos especiaes
(nunca em meias garrafas nem em frascos redondos). Expedicoes: em casa
J.-P. LAROZE, ru des Lions-Saint-Paol, 2, Paris.
Ra do Imperailor n. ;J8. botica Iruiiccza. /^^^
ii i mi .......... nr
=o O
fcil&tl'f1?
-Sf1S
^|l!lK!?l:Iii.i^f9
s3fefe; R'Mdslil
iJINWiHiHl'iiiltfUla
*!hihl4"itllli I Ii-Ilfc
"

nv9*
.p3>Bilrt;
3 t "i" r -.y
. -2IV
2 M 5" 5
- o 2
.eige
s .t u
o S"H ^ a-j i
"o?= I *o
P O 4 n CaJ w
s P g-s i S.! i
?? = !'-SfZf S23SC|I g
1-s
Vi aW -1
rj; rs C __
I s
r o
>
g
so
e

(t
a'
I
>
PB
00
o
Ifslilli
B'iif f^ti
= B
III" VetM
X a,
c" ri -.
. 3 n n :

Pal
9 E Z
<4
o
O

O
33
<9 E. 5 So"
Vende-se na ra do Imperador botica (ranceza ti. 38.
Mili

'S

OTW
LECTRO
MAGNTICA
Approvada por varias Academias e altas
sumtnidadcs medicas.
O que occasiona em g"nil as molcslias abaixo
designadas a eslat,uar, partes do corpo, a qual produzida pelos resfria-
nicnlos c muilas onlras cauzas, cntao declaro-se
os Ilheumathma, Gota, Paralgsia, Fraqueza
dos membres, 'onstipacti, Ktephantiasis ou
Peritas Indiadas, ct ores Ifertotat,
O tio.da escova ELECTRO-MAGN-
TICA tem succi-sso certo para a cura de (odas
esias molestias, sem recorrer se a ncnliuma outra
medicabas. Ella tem urna forma mui manejavel
cprodnz, avonladc dequem tl'ella usa, seos mais
uteis c felizes resultados. Seo emprego preserva
das molestias cima. Para mais ioformacescon-
gul-te-sc a noticia que accompanha cada Escova.
EEPOSITO GCBAX
Boulevart du Prince Evgne, 18, Pars.
Vende-se na ra do Imperador botica
franceza n. 38.
Para colletes.
Vendem-se abotoaduras douradas qne nao des-
merer-em a cor com as offlgies de SS. MM. o Sr.
Ra da Bttfrc lo. \k<>:\ ?>. *).
Suecos grandes rom fjrinba de mam
Laralo preeo cima u ein-ionado.
Macinas de vapor pft-
jra descarocar algodao.
iMoendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, eot-
dee de cobre.
Rodas d'agua, dentadiis, c
de carroca com mangas c
eixos de patente.
Ra do Brum n. 38, findi-
Cao do Bowman.________
VIIMIO VES
No armazem da Atiror Dnlhante ha o m> ttw vinho verde que lem vidilo no iMrean a Vi i*, a
garrafa e a ranada a "3")00, muito propr'i ; ifa
a prsenle csiarao por ser menos carrifM
pirito -J
ATTENQAO.
\endcm-se maderas de travpjamcnlo *' ti:ver-
gas dimenroes e di boas qualidades. por i
commodo no caos de Capibanh-. em casa *> Sr.
T. Roeni|iek, a tratar com o (libo do mesmo --
nhor.
Vende Se CaileS VaziOS propriOS. D. Pedro II, D. Lqx I e Maria Pa e eulras com Vende-se urna easa de pasto na roa da L
va bahaleiros e funileiros
cada Din; nesla typograpbia.
APa ui-Aa o fiinili.ins a i7fi0 as'cor-.s brasileira e portugneza: as ras larga n. 13, com bstanles commodos para pa.a*eiM,
QieirOS e IUniieirOS d l^/OU d() Rosarlo 30> do Qneimada n. 46 loja de Gal- sendo repartida em doas casas : a tratir r,
1 mafes 4 Bastos e da Cadeia do Recife n. 49. beira n. 23.

r
i
MUTILADO




.>.
DUrle e Periashao Quinta clra O de \ovrmbio de 1SS4.
NOVA KEFORMi
AURORA BRILIIIME.
N.84. Largo da Santa Oruz.N.84.
Francisco Jos Fernandes Pires, tem a honra de avisar a sqa numerosa freguezla
e com especialidade aos moradores do bairro da Boa-Vista e seus arrebaldes, que fez
nova reforma em seu asseiado estabelecimeato de molhados denominado Aurora Brilhan-
te, ao largo da Santa Cruz, e eom esta reforma supno de novo o seu armazem de bons
gneros, sendo muitos delles mandados vir de sua propria conta, para melhor servir
quelles que se dignarem comprar ou mandar comprar em seu estabelecimento.
No armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respeitavel publico um
lindo e novo sortimento dos melhores gneros que tem vindo ao nosso mercado, e sem-
pre por precos mu lo razoaveis, como se v da segutnte tabella que ser mudada se-
nsualmente.
A Aurora Brilhante recebe as libras sterlinas por 9$, sendo para compra, e
por cento de abatimento a quem comprar de 100 para cima.
faz I
Presuntos de fiambre muito novo, a libra a
800 rs.
Ditos para paneila, a 560 rs.
Queijos Inndriaos muito superiores, a libra
a 1,8000.
Dilo? "do reino vindo neste vapor a 2^000.
Ditos do vapor passado a 25 e 2,jSi00.
Queijos de qualha novo?, a libra a 560.
Frascos grandes cora anu-ixas a 30O0,
Latas com 1|2 libras a 15200
Ditas com 3 e 6 libras a 2*500 e 45.
Chocolate francezmuito superior, a libra
15120
Cha lino de primeira qualidi.de, a libra
25700.
Dito uvim a 25700,
Dito hvssou a 25700 o 25800.
Dito perola a 25800.
Dilo em caixinhas de 1 e 2 libras a 25600.
Dito preto a 2g e 25500.
Manteiga ingleza flor a 15200.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita em barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Latas com 2 libras de banha refinada, a libra
a 400 rs.
Manteiga franceza nova, a libraa 640.
Dita em Iiarris e meios ditos, a libra a 600.
Toueinlio de Lisboa a 95500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Latas com bolachicha de soda de 5 libras a
25000.
Ditas com biscoilos e bolachinhas sortidas
a 15500.
Ditas inglczas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranhao, a arroba a 25400 e a li-
bra a 80 e 100 rs.
Dito da India a arroba 25800 e a libraa 100
e 120 rs.
Caf muito superior de primeira qualidade
a 85500, 95 e 95500 a arroba.
Dito em libra a 280, 320 e 360 rs.
Viudos em caixa de 12 garrafas, o melhor
possivel a 185 e 205
Dito mais baixo a 105,125 e 145-
Dito Figueira, o mais superior possivel, a
caada a 45500 e a garrafa a 640 rs.
Dito mais baixo a 45 a cauada e a 560 rs. a
garrafa.
Dito de Lisboa, boa marca, a .400 e 500 rs.
a carrafa.
Dito brdeos a G40 re. a garrafa.
Ditoeracaixi,das.melboros marcas, a"5 o
}-~gboo.
<35 Scrvep. marca tenente, em botijas a 7 e 85
a a du7.ia.
vvS3 Dita de diferentes marcas a 500 rs. a garra-
\W fa e 55800 a duzia.
v, Geoebra de laranja verdadeira a 15 e 15200
' o fraseo.
\m Dita de Hollanda em frascos grandes a 15 e
X pegenos a 40 rs.
C'fS* Dita verdadeira de Hollanda, a botija a 480
WVV Licores linos devanas qualidades a 800, 15
X e 15')'00.
O Caixas d-< vinlio m.iseatel a 105, e a garrafa
';'/ a 10060.
X Ditas com azeile refinado a 105 ca garrafa
a 15000.
Charutos fios do autor Jos Furtado de Ci-
mas, ha por muitos precos.
Ditos de outros autorss a 15500. 25 e 25500.
Gigos de batatas novas com 1 arroba a 15-
Passas novas, a libra a500 rs.
Figos novos a 320 rs.
Latas de ervi I lias e favas portuguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas com ostras, cxcellente petisco.a 640 rs.
Latas de peixe ensopado em postas, de mu i las
qualidades, a 15.
Potes de vidro com sal refinado a 500 e 640
rls.
Marrasquino da melhor qualidode, a 85 e
125 duzia.
Garrafas de dito a 80o e '5200.
Amendoas confortadas a libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
Nona, a libra 160 rs.
aii>co, alpista, a arroba45e libra a 160 rs.
Grito de bico. a arroba 45 c libra a 160 rs.
Vioho de caj preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 15000,15200 c
15600.
Champagne boa a duzia 205,e a garrafa a 25
Garrafoes com genebra hamnurgueza a 65-
Viuho branco Xerez a garrafa a 15-
Dito Joio de Brilo, puro, a garrafa a 640 rs.
Dito adocicado a 560 rs.
Dilo do Porto, fino, a garrafa a 800 e 15
Xarope de grozeis e outras fructas a 640 rs.
Massas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dita estrelioha, pevide e radiabas a 640 rs.
Caixinha com 8 libras de dita a 35500.
Sebolas solas grandes, o cento a 15.
Ditas grandes em res'eas a 15280.
Duzias de cartas francezas finas a 25500, 35
e 35500.
Duzias de latas de graxa nova a 900 rs.
Unnhoes de dita a 280 rs.
Marraelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do serlao a libra a 320 rs.
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes com farinlia a 55.
Dilos com milho o 35500.
Ervilhas seccas libra a 160 rs."
Lentiibas para sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha do Franca a libra 200 rs,
Sag a Fibra a 400 rs.
Araruta verdadeira a libra 480 rs.
Gorama de engomraar a arroba a 45 e em
libra a 160 rs.
Sabao espanhol a libra a 400 rs.
Latas com o verdadeiro gaz liquido com 27
garrafaa a 125.
Garrafas rom dito aSOOrs.
Saceos grandes com feijo umlatiuho com 24
cuias por 95-
Copos e calix lapidados para vinlio e agua.
Latas muito bem enfeitadas com figos novos
a 25, 25500 e 35.
Assucar retinado com vus muito alvo a ar-
roba a 655D0 e a libra a 200 rs.
Papel patalo liso d-> peso branco eazul, a
resma a 25500 e 45500.
Vinho Madeira-secco. a 1-OO.
lento de esleirs de tranca a 205-
llarris com azeitonas novas a 15280.
Conervas ingleza* c francezas de pepinos,'Duas bataneas grandes de Bomao com os
ebolas, azeitonas e mixide a 600, 700 e
800 rs. o frasco grande.
Caixas com frascos de mostarda franceza
45 a rlmia.e 360 rs. o frasco,
pesos de 21 arrobas, e alguns bracos pe-
queos do inesmo autor.
Urna grande quantidade de caixoes vastos de
todos os lmannos de 120 a 500 cada um.
MUITOS OUTROS GEXEROS QUE TORNARA ENFADON1IO MENCINALOS.
TUDO DE PRIMEIRA QUAL1DADE.


SORTIMENTO PARA A FESTA
i>a."
Mil UlFi
23-Largo do Terco23.
NEM COROAS NEM MITRAS
0
c.imvbk
ARMAZEUf
DE
RIJA DO IIHPERADOR I. 10
Junto ao sebrado em qne mura o Sr. Osberoe,
finarle Almelda & C, receberam de sua propria enconimea-
da o mais lindo e variado sortimento de molhados, proprlos
da presente estaeSo.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a 1,000; para sopa a melbor que se pode
rs. a libra e em barril a 800 rs.
Manteiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2:5400, muito propios para mimos,
Cartees
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinbas de soda de todas as qua-
lidades a l#3O0.
Chocolates
de todas as qualidades a 1 5000 a libra. '
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2#6oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2#G00 cada um.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1#200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3# a 2#600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem livsson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
talharim c aletria a
Joaquira Simo dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do bom e ba-
tato que se venham sorlir dos bons gneros esto estabelecimento que nao se arrependero, se Ihe
far a differenca de 10 a 20 por cento, pelo sea nrompto pagamento ; e por isso se faz annuncio de
alguos gneros, quo tendo sempre este estabelecimento um grande e vantajoso sortimento de tudo
quanto pertencente a este estabelecimento.
Sentido! Vou fallar com o Censenatho !!
Manteiga ingleza de Ia e 2a sorte a 800, 900 e 15
a libra.
dem franceza em barril a 600 e 640 res a li-
bra.
Toucinho de Lisboa a 300 rs. a libra e 8800 a ar-
roba.
Raalas em caixas e gigos i200 e 25000 a ar-
roba.
Cal de primeira e segunda sorle a 250, 280 e 3j)0
rs. a libra.
Arroz da ludia, Maranhao c Java a 100 e 80 rs. a
libra.
Phosphros do gaz a 25 a groza e 180 rs. o mago.
Passas novas a 480 rs. a libra.
Velas.de carnauba Aracaty composicao a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs a libra.
Marmeilada dos melhores fabricantes de Lisboa de
1 a 2 libras a 640 rs. a libra.
Ca hysson o melhor deste genero a 25800 a li-
bra.
Uera perola miudinho a 25300, 25000 e.35000 a
libra.
I! inha ingleza al va e superior a 480 rs. a libra.
Queijos mais novos do mercado a 25300 e 25800.
Serveja das melhores marcas, tanto branca como
prela a 300 rs. a garrafa e a duzia a 55800.
Sabo amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Babia dos melhores fabncantes de
15200, 25000, 25300 e 35 a caixa.
Milho alpista e painco a 160 e 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a diia.
dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprio para missa a 500 rs. a dita,
dem do Porto engarrafado a 800 e 15, tomando
mais de urna caada de qualquer um uestes ter
grande abatimento.
Conservas inglezas e portuguezas a 500 e 640 rs.
Biscoitos e bolachas de soda a 15100 e 25.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Olaada em frascos o botijas e de la-
ranja de 480 a 640 e 15200.
'.houri^as as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas com 1 e meta libra de ameixas a 15200.
Azeite doce de Lisboa a 440 rs. a garrafa e 35 o
gala.
para sopa, macarrao,
480rs. alibra.
COC XA C f
o muito afamado cognac Pal Brandy a l.yoo
rs. a garrafa o de outras muitas qualida-
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COI*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
I azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
i,4oo rs. alibra
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs, o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 40400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 10000 o cento na na do Quei-1 em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
macarrao, talharim ealeiria
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidde do Porto a U e 14200
a garrafa e de 105 a 12# a caixa, as mar-
as sao as seguintes: Chamisso & Filho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas de Douro e outros muitoi.
Latas
com 10 libras de baha a 4000.
Bolachinha ingleza
a 1#800 a barrica damesmaque
vendan a 2,5000 e 2400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120c* .ti. bra.
Oervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 4!500 a <5#500 a duzia.
C-ARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 1^500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
de 1.* e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 853f
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 */ garrafas com vinagre a 15000b
ogarraf5o.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de 11J08C
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 55800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abren e outros muitos a Ooo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3;ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo b
caixa c 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muilo novas
em quartos e inteiros a 25 o quaito e 65500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsee da casca da goiaba
a 600 e 15 o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
Acaba de receber de sua propria encommenda um grande e variado sortoMm
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o propietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em gcral a seguinte tabella dos seas genere* e
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a l,ooo
rs, a libra e 8oo rs. sendo em barril,
dem franceza a ,6oors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7eo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o mais superior que se pode
desejar" a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio era latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a I,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato ws melhores e mais frescos do
mercado a 8oo rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a Ooo rs. a garrafa.
i
Biscoilos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mu- j
tas a l,3oo e l,4oo rs.
Fumo americano em chapa a l,6oors, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Btalas novas em caixas de 2 arrobas a 35 a
caixa e 6o rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oo rs. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Bicos frascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 35400 a arroba e 140 rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carrao n. 9.
QUEIJO SUISSO
muito fresco a 800 ts. a libra na roa do
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
roba e 140 rs. a libra na ra do Qoei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
em latas de defferenies qualidades a 15200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS !%
chegados neste ultimo vapor a 25800 na roa
do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
40 e largo do Carmo n. 9.
esiss!
KaviriAQi is igRmooi m
.VINHOS
Vinho tinto sem cmifeicao
30,000 EM AMCORETAS DE 8 VA VIII1S 30,000
Loico deposito em c mam buco roa da u4eia u. 1.
Esta nova qnalidade de vinho recebida directamente de diversos lavradores de
forres Novas (provincia da Estremadure) como atiestam os bilhetes di> caminho de fer-
io <|ue trazem os cascos, provando sua origem e procedencia, recommenda-s a todas as
pessoas que queiram ter a certeza de beber vinho puro de uva como o que se bebe nes-
M3 trras aonde nao panetrou ainda o espirito de ralsificacio. E' preciso que o publico
80 convence de que os tintaos que aqui se importa b3o vindo directamente do lavrador
chegam pela maior pacte ou quasi tod s sobrecarregados de preparos nocivos saude
causando bem graves transtornos no appartlho digesti-vo-
0 annunciante offerece a analyse dos professionaes i sta aova qualidade de vioho
(m expe a venda, e d um premio de 1:0005 a quem descubrir no mesrao algam cor-
Ijoestranho a naiureza da uva de que feito
N. B. Para evitara falsificac3o, o annunciante declara que o uni proprietario
c importador deste vinho o qual vende somen.e no sen armazem da ra da Cadeia do
l'eoife n. I.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan) os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unio e Comuicrcio roa do Queimado n. 7
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador o. 40
FRUCTAS
MAC, AA. PERAS E UVAS
OMgadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro Principal-Ra do Queimado n. 7, Uni5o e Commercio.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao c ama tintura, fado espa-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Composta de plantas exticas e
de substancias inoffeusivas, ella twn a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'uma saluhridade incontesta-
vel, a Agua Florida entreten) a limpeza da cabeca
deroo as caspas e impede os cabellos de cabir
Oleo de Florida
Composto de substancias regetaes exticas, elle
constite poderosamente, eom a Agoa Florida, a
forca, a bell za e a ronservacao dos cabellos.
Em Pars, rasa de Quislaur n. 12, ra de Riche-
Hea, e 21, botrievard M Toaos os fraseos, nao tendo intacto e claro o
timbre prateado da casa, sao repuiados falsos.
Deposite, ra do Imperador, pharmacia n. 38, godio.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gestos para meninas
trazerem no brago : s se encontra na loia do Bei-
ja-Klor, ra do Queimado n. 63 e 69.
Extratos e saho
e
xilias
em eai-
Lindas caixinhas com un carian com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bo o mais Gno que passivel: na loja do Beija-
Fior ra do Queimado n. 63 e 69.
Superior caldo Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova aue
ha no mercado tanto em porcao como a retalho,
por barato preco aGancando-se aos compradores a
superior qualidade : a tratar as seguintes ras :
Crespo n. 1, Imperador n. 28, Forte do Mallo ar-
maiem do Sr. Villa defronte do trapiche do al
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muilos a 12o rs. a
lata de 21(2 libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
iSozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
l.ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco eonhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3.ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
Ricos livros cem figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 '/* garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. coa o garrafio.
dem com 4 / ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garrafo.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com a ancoreta
dem em pipa puro sem o batisme a 2oo rs.
a garrafa e f ,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
dean* fazenda muito especial a 6,8eo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Torin. Botea,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, fin-
ja, canda, eravo, rlela pimenta a 1 .ooo
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garaote-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
Passas muito novas em quartos e inteiros a
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra.
dem corinthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabrieantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 6lo rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a I,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para Gambre inglezes a Too e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. I a 8500 cada orna.
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,ooo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa.
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e Too rs. a
garrafa.
Charutos era grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a cre litados a 1,5oo,
2,ooo. 2.5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa.
os mais baixos sao dos que por afti se ve-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 2o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra. 3.ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2.Ooo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a iibra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a %Jkm rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura lingindo esparmaca-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a rea-
ma, j se vendeu por T.ooo rs.
dem a Imago pautado e liso a 3.000 rs. a resma,
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,oo rs.
a resma.
dem embrulho de l,2oo a l,4oo rs.
a resma,
i libra a
Ameixas francezas em latas de 1
l,2oo e 8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle I,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Consenas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
rs. a
Molhos inglezes a 8oo e i ,ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente rerdadeira a T.ooo
duziae 6oo rs. a garrafa,
dem de outras marcas prela e branca a5,S
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs a garrafa.
Vassnuras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo rs. o molnoe
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a ioo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o
Cemintos muito novos a 32o rs. a hora
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24e rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,.ioo a
Peixes em latas a 1 ,ooo rs. a lata ja
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo l.ooo rs, o
caixao.
O proprietario do grande armazem Unio e Commere-io declara aos seos Crmm
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estiptaou
os mesmos precos nos seguintes lugares:
limito e Commercio ra do Queimado n, 7.
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.



m
J'
Diarlo de reraamkiaeo Quinta letra i O de .\ovembro de i 9 4.
-o.
\
10 PUBLICO
Sem o menor constran-
tinento se entregar o
importe do genero qne
5o agradar.
ARMAZEM
ATTENQ&O
Os preeos da scguinte
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
RUI DA CADES A DO RECIFE W. M.
Grande redcelo de preeos,
(Logo passando o arco da Conccico)
equivalente a dez por cento menos do qne ontro qnalquer
annunciante.
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
ALIANC
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
nuitos objectos, etc., dando com islo ocasio a todas as espeluncas acabarem porbom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 11! Ora, eu oendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
8ysthema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redcelo de preeos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados TJni5o Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Iloje porem, resentidos da reduccao a que
esto obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamacao de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
aal informado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu Bm
to smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptido e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proleccao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
eerSo tifo bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vo em oulra parte.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
a libra, e 9,o"oo rs. a arroba. porl,2oo; ditas em caixinhas de deversos
dem do Ceara de superior qualidade a 24o tamanbos com bonitas estampas na cai
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente, rs. e em barricas de 4 duzias se faz abali-
escolhida a 8oo rs. a libra, em barril se ment.
faz abalimento. Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
dem franceza a mais nova que tem vindo ao! e 8.5oo rs. a arroba.
mercado a 56o rs. a libra, e em barril oa dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
meios a ooo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra,
dem pere-la o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopatliicoporser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooe rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em oulra parte por 2,4oo
e2,liGo rs.
ngulas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a y.5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo e Goo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lira.
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor; Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latasj pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunlo do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a Doo
l,ooo e I,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras echernee, vezugo em
latas grandes a 8oo e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das q;ie tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qnalquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a 1 ,ooo rs. o frasco, e
11 ,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo
es
zu libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Yassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro c
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a i.ooors. e 11,ooo a duzia-
Palitos para denles a 14oe 16o rs. o maco.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
DE
Paulo Ferreira da Silva k Companhia
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
& a 10 por cento menos odrero qne sepnaan pao ma ta qnal-
quer parte.
Gneros especialmente escolhidos por um dos socios que na Europa se acha
para esse fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarera neste estabeleci-
mento.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
AO PUBLICO,
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annun-
cips deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambem
estamos certos nenhuma attencao j merecem do publico. O nosso fim, pois, simples-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos pro-
cos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attencao.
Viiiho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Cartaxo vende-se nicamente neste armazem
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, i Cerveja branca e preta das marcas mais a-
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a loo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
1 o,ooo rs. ea 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4no rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
creditadas que vera ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutosdetodososfabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixes a 6oo rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaza 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
, 64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/ libra a l.loo rs.
Arroz do Maranhao e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a Goo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e lo,ooo
rs. a duzia.
Vlfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em gigos de 36 libras a 1,000 rs.
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra.
Idm perola qualidade especial a 2,7oo rs.
Va libra.
Id^m hysson o melhor que ha neste genero
,J a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra.
! dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a 1 ,ooo,
l,2oo e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-j
tado de Simas e outros da Baha como,
sejam regala, trovadores, guanabaras,'
delicias e suspiros a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
I Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
1 dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
AGENCIA
DA
AGENCIA LOW-HOOB.
liua da Seuzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
aro completo sortimento de moendas e meiat
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos._______________
Arados americanos e machinas para
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
roa da Senzalla Nova n. 42.____________
Superior vinho Collares.
Na roa do Vicario n. 11, escritorio de Manocl
Joaquim Ramos e Silva & Genros, tem para ven-
der superior vinho Collares em ancoretas.
l3
?'\S ?*& s.**' \&*TJ- %&
Fabrica Ooncei$io da
Bahia.
Andrade & Reg, recebem constante- H
mente etem venda no sen armazem n. 55
34 da rna do Imperador, algodo d'aqwol- ^jf
la fabrica, proprio para saceos de assu- jjS
car, embalar algodao em pluma etc., etc., H|
pelo preco mais razoavel.
Ra da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
aellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
tarros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
P0T4SSA
Vende-se potassa em barris a commedo preco o
na rna da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriptori:
de Antonio de Almeida Gomes.

m
s/y

GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
FOTDICO DE SINOS
* DE
VILLAR, IRMAO k C.
Rll DO IIRUM N- 40
Chamamos a attencao de todas as irmanda- |
des e confrarias para o queabaixo publicamos. S
O amor que votamos arte que professamos e o desejo que temos de concorrer com o $!
nosso fraco contingente, para a ver rhegar em nosso paz ao grao de perfeicao que para
desejar, nos imiiellio a mandar Europa nm dos nossos socios, aflm de particular-
mente estidar a melhor maneira de bem fondir os sinos.
Grandes foram as difieuldades que tivemos a snperar, afim de pdennos conseguir o
nosso desidertum ; porm gracas aos esforcos e bons officios de um nosso amigo, o nos-
so socio pode ser admittido em urna das melhores fabricas de Lisboa.
Muito lucramos e muito tem a lucrar o publico, por que sem receio de serms con-
testados. podemos afflrmar, que os sinos fabricados em nosso estabelecimento em nada
se parecem com esses almofarizes de mo gosto que por ahi se fazem.
Estamos habilitados a fundir sinos de todos os tamanhos desde 16 libras at 100 ar-
robas, com emblemas, ornatos, etc., conforme a voniade ou gosto do comprador, guar-
dando em seu fabrico todas as regras da arte. Pedimos, portanto, em recompensa de
tantos sacrificios e desperas a protceco do publico.
Villana, Irmao & C.
tss
&?) SBBlSH^SBSSBSS^^^^^*^ ^'^^i'^':^''^s0^^'^^'^0^B
a
\
Cal de Lisboa,
Vende-se na roa da Praia, no armazem de Jos
Joaquim da Cunha & C, n. 16.
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLo*
Moor libra a 120 rs._________________
M .-i nlos com rudas, patentes.
Moinhos grandes com rodas, patentes, e afianza-
dos pelo fabricante para moer caf, e proprios pa-
ra reflnacao por serem de especial qualidade e de
todos os tamanhos: vendem-se nicamente no depo-
sito da rna da Cadeia, loja de ferragens n. 56 A,
de Bastos.__________________
Blscotitfos.
Vende-se em rasa de Soulhall Mellor & C, ra
^rapopiche n. 38.
Destruico d s ratos
Vende-se tambem caixinhas com pos que in-
fallivel para o envenenamento dos ratos, nao sendo
aecessario precaoco com as pessoas de casa.
Gal de Lisboa em pedra
'desembarcada bontem de bordo da barca Bebe-
do uro : vende-se por todo o prego no esenptorio
de Manoel Ignacio d'Oliveira & Filho, largo do Cor-
po Santo n. 19.
Cal de Lisboa.
Ha para vender mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris :
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, ra do
Trapiche n. 13, por preco razoavel.
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
!,ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista,
dem franceza a 56o rs. a Mbra, eem barril
se far abalimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Lisboa
a 6oo rs. a libra, ha latas de 1, 1 1/2 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. a libra.
Macarro, talharim e aletria a 4oo rs. a libra,
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco,
dem ingleza em p a 6io rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolhas da
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a 1,000 rs.
a garrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs- a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a 7oo rs. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. i libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide e rodinha
etc. a 3,ioo rs. a caixa, e a 56o rs. a libra.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades: savel, corvina,goras
cavallinhas, e pescada a l.ooo a lata.
Palitos para dente lidiados a 14o rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2,loors.
a groza.
Painco muito novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ultimo vapor, a 2,5oo
rs.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra e
sendo enteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a loo rs. cadaum.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
l.ioo rs. a caada.
Idemem garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
RIVAL SEM SEGUNDO
itua Jo gueimado tu. 49 e 55, loja de mtudoM
de Jos de Azovedo liaia & (1, esto evMtauudb %
vendi-r mum barato, pois un ncio dar hien-
da por lodo prego a v>ta dos uhr< >.
( ai las le allineies francezes 4a uielbor ilMifii
a 80 rs.
Grosas de peonas de aro inglezas da melhor o-
lidade a 640 rs.
Caixas de clcheles francezes de >nperores
dadis a 40 rs.
Grosas de botoes de madre perola muito ftan
c 640 ris.
Carreteis com i a 5 oitavas do rcirtz ru> feo
640 rs.
Resmas de papel de peso iso Bata -nttriar *
1,2000.
Grvalas da liga e de outras multas quilaa? a
500 rs.
(.'aniveles para penna rom 3 fo!La faz-mi. *. i
800 rs.
Duzia de botoes branco jura casaveijuei d. semio
ra a 101 rs.
I'(\-,is de fu de ros estrenas rom varas gar*>
lidas a ;. rs.
O Expositor Portuguez para os itcninus a pr-'ii-r
a ler a 800 rs.
Os sigredos da nalureza para os L..-ue> a j rl-
der a ler a i ooo.
('.amibas da doulnna cbrislaa, finas, e -eper>< .< i
320 rs.
Pentes Anos de marfim a lfix\ !SOO e gH
Pares de luras de seda para borneas c sffjftfjpji
500 rs.
Gollmhas para senhora o haIIio.- <,.. La >'.C >
500 rs.
Fraseos com superiores bandas a 4i>
1000.
Livros que serve para assenlar MM, telo siauwi-
to preco de 160 rs.
Capachos redondos muito l'mos a 500 rs.
Cordao branco para esparlilbtis uiuito -u^criwr, *
vara a 20 rs.
Carrilis com 150 jardas de linba brama a C >
ris.
Cartoes com 200 jardas de iuha 1 rauca prai'i
* s a 60 rs.
Grosas de pennas de ac superiores a TOO rs.
Yaras de franja, branca e de mm i-rga para ba
Ihas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, oh que pecbiacta
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a ICO n.
Grosas de botoes de louca prattados nimio fitcs
160 rs.
Tesouras para costara superior qualidade a S.D
ris. __
Escovas para limpar denles, superiores a OOr.
Caixas com superiores phosphoros de seguratea a
160 rs.
Caixas com 100 envelopes o melhor iae la a C'0
ris.
Caixas com 20 ijuadernos de papel amza fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muilo fino a 90 r*
SALSAPARRILHA
Ibem de escovas
cada urna.
para lavar casa a 36o rs.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo5,ooo Velas de espermacete superiores a 56o rs.
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada um.
Gaf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeiladas a 9oo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
a libra,
dem de carnauba refinada e de composico
a 36o rs. a libra, e de lo,5oo a ll.ooors.
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
das marcas menos conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada,
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
composico a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo
rs. a caada.
r? S? ?ainn 3 i8?!.!? e0l n^rf. Idem de Lisb0 branC0 UVa Pura a 56 rS' 3
Sraixa nova a loo rs. a lata e l,loo rs. a garrafaje a |5w rg g ^
duzia.
Gomma muito al va e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. cora o garraf3o.
I'dem de tres caadas a J,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
l,ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o
frasco e 11,ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kisch Wasser excellente bebida suissa a
f ,8oo rs. a garrafa.
dem Porto fioo em pipa a 56o rs. a garrafa.
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
Genuino, Particular a 9oo e l,2oo rs. a gar-
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra-
fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a i,ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
Julien, St. Esteph, chateau la Rose, chalau
Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
56o rs. a garrafa.
CERVEJA EM BARRIL
a seo rs. o copo
q>ucijo de Ulnas chegado no vapor
dem prato mnite fresco
dem suisso superior
dem londrlno snperlor.
57 Ra do Imperador 57
i
DE BRISTOL.
As curas milaj;rr>6as de
i:\ckofi^IH,
TTXjCI3X1..US,
< ii \. in \vnfe^,
ENFERMIDDES SYPHILITiGAS.
Erysipelas, Rhor:natUmo,
Nevralgias, Escorbuto.
ele, ec, clr.,
que tem gnagesdo hitl. < alto re
lime
Salsaparrilha de Bristol
por todas portas do
smente denlas :
OBirerso, sao t*
nica Legitima o Original
SALSAPARRILHA PE PR1ST0L,
PREPARADA I.X'I.I"< !V V MK V ': l'T:
L\\MA!V k KEHP E MW1 TMK,
Mediante a rectitailo Dr. C. C Br L
venda as boticas de Caors & Barbn,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo A C, rna
da Madre de Dos.
bomuit- Iwnilus
Sao muito modernos
Sao muito baratos
O barateiro Joaquim Luiz dos
Santos, acaba de ranbtf um es-
plendido soi timento de souti-mbar-
ques e capas ricamente enfilados e
que vende muito barato ; manden
ver Exmas. Sras. para se convence-
rem desta verdade, na ra do Cres-
po n. 1, junto ao arco.

s
ESCLAVOS FGIDOS.
Fupio da casa do ahaixo a>.-ipnado o sem n-
cravo pardo de neme Marcos, idade M anuos, pi-m
co mais oa menos, e com os sifnais trfeiMrs :
altura regular, pernas compridas, cor escora, ca-
bellos anortados, olhos pequeos, falla de deaks,
nariz chato, costuma andar Opress. < rene cjee
pulando, e anda se torna mais conhecido por Mr
diversas cicaln.es de gomma pelos peiios, cemr
lade, e sobre.-aliindo sobre todas pr se turna I ais
visivel, urna abaixo logo da garganta no to da
caixa do peitn ; elle pinta e raa soffrivelwMc, *
consta que elle tem Irabalhado por esle tAm *m
diversas casas aqu no Becife : norunto rota-M a*
autoridades policiaes e aos capitae de campe %ae
o facam apprehender e eondon-lo casa de mu
senhor o niajor Antonio da Silva (u.-mao, sa roa
Imperial, que gratiflear generosamente.
Est ftigido 20 dias
o mulato arabocclado de nome Marceljn, eseraro
do abaixo assignado. E>te mulato tem ahora re-
gular, corpo refoicado, ps e mos graevs, rem
redondo, nariz chalo, cabello corrido, barbar t
to pouca, e anda descalco, consta andar pelas ro*a
desta cidade : quem o pegar e levar i rna do Im-
perador n 55 ou em Olinda roa de & froto *m
frente da ladeir do Varadooro, ser
do.Antonio Luiz dos Santos.
Arha-se fgido desde o dia 1 do correte e
cabra Eugenio, de idade de 40 .i 50 aseos peer*
mais ou menos, com os siitnaes .. eguiiies : rara
pintada de bexigas, orna falla de dente na frente,
traja roupa branca deservido ecustuma andar re
urna gaita a locar, foi escravo do Sr. Vrc^ef'-)
de Aquino Fonseca : rogase as autoridades *-
ciaes e capites de campo de o capturar leaeJo-o
ao hotel de Franca onde se pagar (odas as desea
zas relativas. \

MP
\




8
Diarte de Perambae* ... Qnlnia lelra f o NoTembr t lt4.
seu estabelecimento, constltue-o na comprehenso pouco Ihe foi intimada a precatoria defolhasii h mum t. -. ..
dop^ membrodor-do ar..3 dore, ecomo ^-^^l'.ff^^r^pSK
n- 737 T Sennhaem ceruiora, quo o aggravante se occul
Illm. o Exm. Sr. presidente do tribunal do cem- tou, bem como aos escravos T
raercio.Para V. Exe. se aggrava Francisco das
Chavas Civalcantl de Albuquerque, preso na casa
de detengao d'esta cidade do despacho, polo qual o de aggravante
meritisimo- Sr. De. juiz de direito especial do tado reglame
E, com tudo, en estou pezaroso.
E desle modo, que se prova a oceultago ?
spp iiA kMUM. ,. IAh' meu pae de 1Qem fui serapre amado,
Ser isto bastante para se requerer a detengao Que lip longe de seu filho est '
quera a
commercio ordenoo a priso do aggravante, como
regul
de 18j'0, e o faz
como tacao no art. 3i3 | 2 do ci- Este fllho nao passa --n momento
gulaiuat0 ? Sem lembrar.se de todos de l.
so porque o aggravante nao fot encontrado era
M POLCO DE TUDO.
L-se na Constituida o seguinte :
Era Balurii, por pessoa fldedigna me foi infor-
mado, BOTve,4fpo:s da grande crise eleiloral, o
segrate dialogo entre dous caodilhos importantes
de partidos contrarios.
O partido liberal leve a maioria.
>*ego, contesto: o conservador '
teni.
Tanto nao ten,, que nao i- 10. Que ydlr ^ ^
r ,m (lamentos, em que se baseou o agravado para re- decorre de ralbas 18 a fallas 1<> v ,-, X,,
-amod, queja vencer,, se houv, du.i- querer obter o mandado dedeSolo, m\mnU**^^?ZrSZ
aggrava, permma V. Exc, que faga algumas con-1 ves, guarda-livros do aggravado, e oulra^cL
i Todo povo de jubilo folga,
mcurco no art 343 do reglamelo n. 737 de! casa logo de prime. vez, que ali forara o. ,ui-
2-' de novemhro
guine :
- ciaes, (se que o forara) segue-se lgicamente,
se tenlia oceultado e aos escravos ?
Ora duplcala !... Isto nao nada !
Como nao nada t
Duplcala s faz, quem nao tem conllanga
nas suas torcas.
Nao podamos ter eonUanea nos bacamattes
que voces nos apontavam.
Tiveram medo.
sioi, de ncorrer.
Pois quom tem medo de morrer, nao se met-
ta nestas cousas.
Por ahi avalle o leilor o bom senso poltico de
tal grey.
* *
Quando o cholera ja tinha deiado immorredoo-
ras fjcanhas n'uma de suas pracas d'arma nesta
provincia, voltando alguem alu perguntou como
natural, a um de seus amigos:
Ento tua senbora nada solTreu da peste?
Pois nao sabes ? Morree i
Morreu!... Ah I sinlo muito: dou-te os
roeus sinceros pezames!
Mal comegara a dizer estas palavras entrara e
comprimenlra-o urna joven senhora muito linda.
Amigo, tornou-lbe logo o limo, aprsenlo-te
!:.iola muibur...
Est viva I exelamou tile espantado. Ento
estavas cagoando 1...
Nao... esta murta I... Esta C minba segun-
da mulher.
Ah isto oulro caso... Dou-te os parabens
e a senhora.
sideragoes em ordem a demonstrar a in fe e mo- Seiva.
o explendor da sua comitiva, a sua vida regalada
e ociosa, a magnificencia do seu palacio tinham de
de tal modo seduzido o coragao do ambicioso pas-
tor, qne disse comsigo.
Nunca poderel ser feliz seno quando eu pu-
der viver como aquel le vive.
E confia lo na promessa do poderoso califa, foi
pedir para pastar a grande senhor.
O califa fez algumas objeegoes, mas Ben-Adab
recordou-lhe o seu juramento: elle tnha jurado
pela sua barba.
Eis pois Ben-Adab tornado senhor, possuidor de
Transerevemos da Estrella do Norte o segrate : maenitic;* t-rra. ,iQ ...____.
Ura califa de Bagdad, nao se em que secuto, an- "i6" d?D de F? dS mai8 esP'<*d'ds palacios
dando um dia caga, cabiu do cavallo em
Brota mais urna saudade,
Cae mais um lyrio de amor:
1ue Um grilho de mais se langa
No meu todo sem vigor.
coiua. Tinha visto um rico senhor da vlsinhanga :i mos um operario hbil, queremos pora str ftk-
dos arredores de Bagdad, servido por milhares de
montava, e raurreria infallivelraente se nao fosse escraTO5.: aPena^izia urna palavra, ou exprima
um desejo, tudo se fazia segundo a sua vontade.! signaeo as penas inscparaveis da
.._ u. .^I,J ., 1UU ue aermnaem, no quai u aggravante tem domicilio, nunca ratentou fur-' caUfas auar da sen
anda planta cannas, e tem sua familia, veio a esta tivamente auseular-se delle tamo n ,! c
cidade, e por infe.icidade sua ,6 achou dinheiro de que e renden%SSX!^XSfS T' ***** !
para os arranjos n^cessarios em mao do aggravado da menos m 22Ti" T.T "/s Vf duZld "1ra seu Pal
A poltica urna menina linda, forraosa e engra-
Cada, so com o defeitosinho de namorar cora todo
o mundo.
A poltica arada um grande sobrado de muitos
andares, na loja e no quintal habita a plebe, no
primeiro andar os tantum quo (raga de gente des-
ci ipta por Buffon), no segundo os ilholes, no ter-
ceiro e quarto cardes e caretas.
Quando a plebe sobe ao primeiro andar para
filiar aoBfOHfMM quo, enes sem se moverem man-
dam-n'a entrar; mas os ilholes arregalam os
olhos e eseaucaram as bocas, os cardes e as care-
tas ficam rugindo como os vermes quando fervi-
lliara n'uma fructa podre.
Que quer f pergunta a gente de Bulfon.
L'ui empreguiilio para meu lho, que casa-
do e pobre.
L'm cargsiuho de inspector de quarteirao
para m-u sogro, ijue hornera muito damnado.
Ura dito de subdelegado para meu compadre
Anistacio, que fez duas inertes por brincadeira,
quando era soltiiro, qua(ro dellorameatos u'umas
raparigas por serem mullo traquinas, etc.
O meu pae den duas cacetadas n'um cabra
c assassinou a qualro individuos na eleigo de
i8i... Tem mais merecimento.
Emftm abundara os pedidos de todas as sortes,
caa "tiiTSom mais direito.
Nisto chegatu os tilhotcs e respondem :
Depo:-; que nos estivermos bem arranjados
e servidos, as vagas que bouverem serao suas.
Amem :arrematara os tantum quo.
Apoiado muito bem exclamara os cardes
e caretas, dando assovios plebe, que desee um
pouco desconcertada.

m sujeito muito feo que ha n'esta cidade foi a
casa de seu amigo e perguntou :
si para casar ?
Estou.
Quando?
Amanha.
Nao me convidas ?
Nao teria duvida; mas minba noiva muito
dada faoiquitos.
Offerecemos a leitora publica a soluco de urna
questo importaniissima suscitada em nosso foro
rinmercial com relagao a detengao pessoal de um
devedor.
O fado de um ouvedor ir a um lugar fra do'
seu domicilio, deixando ahi todava sua familia e
seu caixeiro, arabos seus ehus fiis, quan-
do pouco digno, com que o aggravado procedeu d certo que por esta cidade se procurava teste-
para com o aggravante. munhas, que fossem depr no sentido dajustifi- um l,aSlor 1ue lhe fezPa""ar o cavallo, com grande Masnio'ti'na
Tendo o aggravante contratado o arrendamento caco risco de ser taml,era victima.
de om engenho no termo de Serinhaem, no qual O aggravante tem domicilio nnn ,*. / ; P/alifa' cobe.rto dt feriJaf e do ^ntusSes (os
, wn!...".....! ,Qlentoufur_ califas apezar de serem califas, tambera quando
se fazem contusoes), foi con-
_ palacio. Quando llie passou o
Manoel Alvos Ferroira, o qual tunme facilitn, mente seuTredT'l.??" ^ Qfe'Z' '"^ solfriraenlo quiz ver o seu salvador. Forara
auimando-o para que tomasse o engenho por ar- iros .t 2 ,.,1 "'eXu"vel, que coate chamar o pobre pastor, conduzram-no ao palacio,
juro ate de urna pequeua quant.a de r.s! I e foi introduzido no quarto do principe doente. Es-
m uuio e caviiusa a allegado do aggravado, de te dirgiu-lhe as seguines palavras :
que o aggravante intenta va auseniar-se furtiva-
mente, que ainda no da 29 do corrente as 2 |,o-' ~ SaU'aslcmo a v,da' raeu n,ho 1uero recom
ras da tarde, esteve no escriptorio do propr.o ag- tt9ZTZll f *!lZ?*l^\'m^*~mS^'* os diver^em
gravado, empresenga do solicitador Albuquenme
-:-O solicitador Albuquerque, e desses mesrnos,
que se eucarregaram da nubre misso de depdr
contra o aggravaule, traiudo desl'arte suas'cons-
ciencias.
passar a ser o patrao ; de patro a propnelano -
de proprieiario capitalista ; de capitalina *
mera poltico ; de homem poltico ministro ; e
quem sabe ? De ministro tal vez a alguma cooza
mais!...
E somos Infelizes, inf lizes por colpa nosrn !
Porque nao procuramos a felicidade onde ttt*
est EM NOSSOCORAQO.
Porque juliiamos que a pstalo faz a feliridade.
quando ella consiste na disposigo em que cada
um vive no seu estado, qualquer qne elle seja.
Todos, todos nos somos chamados feliridade,
ricos e pobres, governantes e governados. peque-
nos e grandes ; Deus, em sua divina bondade, fez
a relicidade para lodo o mundo.
S feliz aquelle que soffre com parienria e i
rcndament<), oITcrecendo-lbe dinheiro e tudo o
mais, (pie precisasse, declarando-lhe, que nao Iha
dsse cuidado o pagamento, pois que com elle se
accommodaria do melhor modo.
Animado por estas fementidas promessas o ag
gravante se debiten para com o aggravado em um
pe |Uena quamia, sobre a qual foi o aggravado
contando juros e juros capazos de, em pouco tem-
po arruinar urna solida fortuna.
Quando o aggravante tranquillo procurava traba-
Ihar alim de solver seu debito, e ir com os recur-
sos, de que dispunlia, maniendo sua innumerosa
que fazer : nao sabia 1er, nem es-
crever; comecou a aborrecer-se...
Um bello dia, disse elle.
Nao hei de solfrer por muito terapo urna tal
vida Um homem como eu, nao pode ficar na obs-
curidade. E' necessariolangar-me no grande mun-
do ; necossario adquirir influencia no mundo po-
ltico. A poltica, a poltica; eis o que me falta.
E depeis de haver rnminado esta idea, depois de
haver formado varios planos (absurdos como bem
se pode suppr), depois de. haver maduramente
que hei de dar tudo quanto
rae pedir. Bem v, prpgos do dr (Ma
queam.nhageneros.dade e digna do meu poder. dec|arou.|he que se elle quera tornado feliz e
- Oh I meu senhor, responden o pastor, eu nao cumprir a sua pa|avra a| 0 fim devja nomea.|o
dese,o grandes soasas. Para eu ser feliz basta-se seu gr5o.vi;.ir, m primeiro minitr0
apenas urna pequea cousa-e ter urna choupana 0 prinnipe esteve a ponto de se ene
Para prova de que o aggravante nunca ratentou S?? ?^Jg!?*!+'2*i ^ Cm m d ^er expiar a Bou-aSmm^ST^-
dade. A idea comtudo Ihe pareceu engragada.
nem intenta ausentarse furtivamente de seu do-
; com a minha mulher e meus filhos.
Quem sabe? Pode ser
familia, vencendo a forca de vontade daquell que micilio,nem Ifl Puco oceultar seus bens, os quaes! ~ Tu n3 s difflcil de contentar, diz-lhe o cali-
tem brios, e deseja satis'fazer nos coiiiuroraisso's os Pr maUs VeZes or,;receu ao ^ravado era paga-,fa 8Tndo-se : e chamando o seu visir, mandou' casa grossa esteja o germen de um grande homem
que debaixo desta
maiores obstculos apresenta-se o aggravado eii- mi"'m de seu aebita' epor clle uau forem acceitos, dal* inmediatamente ao pastor urna casinha e um
grado o prompio pagamento desse debito, ou a se- 0,rtre,:eraos lliais documento, que juntamos, pelo! prado situado Jant0 de Bagdad,
guranga d'elle.
Foi quando o aggravante fie a sua palavra, nao
podendo vir esta cidade, porque os seus inte-
resses no engenho teriam em sua ausencia, de sof-
frer consideravelmeute, autorisou seu procurador
para assiguar a escriptura de hypotheca de seus
cinco escravos, a qual ao foi passada segundo sua
'ros?
qual se mostra, que o aggravante o nico desejo, I ^ vae meu homem pulando de contente, con-
que linba e tem, era entrar em urna corabinago taodo a loda a *eate a sua felicidado, e nesso mes-
cora seu credor, ainda com grave prejuizo de sua rao dia tomen posse do seu nevo dominio,
parte, pois que parece, que a fatalidade, que o I 1>a0 ,on8e de sia casa havia um visinho com o
atirahiu a casa desse credur, innoculou no diuhei-: qual tomou conhecimeuto. O visinho tinha um pe-
ro, que delle receoeu, o veueuo de sua perdigo 1 queno rebanho do qual lirava urna bonita subsis-
Por qualquer modo, pois, que se encare a;,encia'
inlengao, e conforme sua determioago, como mos- 1uestao> voe que o mandado foi injustamente! Esqneci-me de pedir algum gado ao ealifa'
trara na aegao do dez dias, que o aggravado Ihe exijedido> aliando com o mais profundo respeito. dizia u,n dia nosso paslor ; o meu visinho vive
raove. Ainda mais, se, como se allega, pela hypoiheca rau'10 mais cominodamente que eu. U que hei de
Aluda neste faci mostra o aggravante que sem" de folhas seis il llias ouse ai5Kravan|e se cons-1eu fazer de um camP sem vaccas e sem carnei-
pie praticou de boa f, porquauo nao tudo o ag- Muia deP"tanu dos escravos hypothecados, o
que curapria fazer-se, era inleiiiar-se a acgo
competeute de deposito, e nao ter-se requerido a
carta precatoru de folhas l't a 16 contr* a ex-
pressa eterraiuago da lei.
A vista, puis, do deuuzdo espera e respeilosa-
menle pede a V. Exc. se digne dar provimento ao
presente aggravo por ser de recouhecida justiga.
E receber merc -cora ura ducuraeuloEra ag-
gravoo advogado, Francisco Augusto da Cosa.
Em presenga da minuta supra o meretissimo
Vencida a hypoiheca, nao pode ainda o aggra- Sr. Dr. juiz do direito do commercio deu o des-
vaute salvar seu debito, veiu esta cidade, e of- pacho segrate.
fereceu ao aggravado urna composigo, que Ihe era Reparo o aggravo, e reformo o despacho de fo-
,or deniais favoravel. Ibas 24, pelo qual se mandou passar mandado de
Follas as propostas respectivas, e quando no dia deleCao coulra o aggravante.
9 do correle as i luras da lar Je em a ra do
gravado, antes da hypotheca documento algum seu,
ello deu-lbe garanta a seu debito cora a hypothe-
ca, visto nao poder de prompto dar o dinheiro, at-
ientas as ditflculdades, com que sempre lutou, pois
que como sabido, o senhor de eugenho s pode
ler dinheiro (salvo sendo capitalista) quando mee
sua safra, e que ainda assira para mo-la, mister
dispender muito, que era aiguns anuos, como os
passados, o producto das safras nao chega para o
costeio.
FOLHETIM

9UELETO
POR
CIMILLO CVSTELLO BRINCO. *
Contnuacao.
XXI
Chegaram os fidalgos ao Vidago. Beatriz entrn
contente na enorme gruta de arvores seculares,
que emboscavam a casa de Palmeira.
Quinze dias depois, Hargarida Fromeni, com o
seu mordomo e criadas aposentavam-se na quinta
da Ribeira d'Oura. Nos arredores corria que esta
dama, com suas aas, e mordomo, vestidas bi-
zarra, era urna Ilustre eslrangeira, que viajava, e
parara ali, embellesada nos encantos do sitio.
Martinho Xavier nao visitn a filha, e, respon-
dendo ao genro, que Ihe annuociava a chegada,
nem promettia ir ve-lo, por estorvo de infermida-
des, nem o convidava a ir a Chaves. Nicolao de
Mesqtilta azedou-se da indelicadeza, e disse mu-
lher que o pae era urna creatura intrartavel,
Informou-se o morgado do viver de Baphcl. Co-
Iheu que vivia muito no Pontido com Ricardo, e
com os amores incipientes de um cunhada de Ri-
cardo, dotada com duzeutos e cracoenta mil cruza-
dos. Varreram-se-lhe suspeitas do pensamento.
Foi Ribeira d'Oura deteve-se oito dias.e voltou,
forgado pelas conveniencias, e j nao pelo ciume.
N'este espago de lempo, Raphael Garco passou
tres dias no palacete de Palmeira, e revistou com
Beatriz, as calidas horas das noutes de julho, os
macigos das murtas, os algreles das flores almeja-
das em Lisboa, os arvoredos cerrados as abras do
Tamega rumoroso. Noutes lindas, scismadoras
como as do lempo ido, mas que diferentes ao espi-
Era vista da certido de folhas 18 e folhas 19
uespodesla cidade ia o aggravante era corapa- verso podia-se considerar exacta aallegagao.de
de seu advogado pa,a o m de ass.gnar-se as que aggravante se oceultou e intentava ausen-
letras para ler luar o des tracto da hypotheca, ,ar-se furtivamente, mas considerando-se que o
o aggravante intimado do u.aadado de detengao, o aggravante achava-se n'esta cidade tratando com
recolimlo a pr.sao lili | seu credoi. andava d(J pub||C0i ^^ assm que
Ainda mais, Exm. Sr., este mandado foi reque- foi Preso em u,na das ruas mais frequentadas
ridoeobtido pelo solicitador Albuquerque, procu- desla cidade reconhecc-se a improcedencia Ma
rador do aggravado, o qual tinha assestido a todo Juslincac5t e maaifesta-se nao dar-se a hypoth e
o negocio proposlo pelo aggravante na propria casa do arlig0 343 2 do regula,I>ento n. 737, em qta
do aggravado I! ise funda aggravado, como se v de sua petigif
Ora, se o aggravanle foi a casa do aggravado, e 'a ,0,baa verso' EPa8"e o aggravado as cusas,
ahi entrou com elle em arranjos, Picando ambos Recife' de oulul>ro de 1864. Alencar Aranpe.
certos do que bavia a fazer-se, como que o ag- -----
gravado ousou allegar peranle o juiz a quo para ^^ *' desejo de ver esta poesa no dominio
obler o mandado de detengao, quo o aggravante in- do publico, que nos induziu a pedi-la ao Sr. Joa-
teutava ausentar-se furtivamente de seu domicilio, 'Iu'm da Silva Goulart para publica-la ; mas
quando o seu domicilio em Serinhaem I ? nicamente, o prazer, que ti vemos de ver que do
Aqu o que se descobre, e o desejo, o gosto sel- estro d'uma lernra enanca de 12 annos de edade
vatico de fazer urna grave injuria ao aggravante, sem instruego, arrancou a saudade paternal tao
e urna represalia a seu advjgado, victima da mais vibrantes notas. Damos os parabens ao Sr. Gou-
uegra traigo... a quo nao extranho o solicitador 'art.
Albuquerque. Qlwndo ^ brjza dj nQute
Agora vejamos, se pela justilicago, que decorre Vai cobrindo de mvstlrs vus
de folhas 18 a folhas 19 v., se poda ordenar a de- 0 que eu soffru aqu nesle desterro
tengaodo aggravante como ocurso no art. 343 i 2 ; Deus saUe) sei eu sab-os cus>
do reg. n. 773 de 2.' de noveinbro de 1850 ?
Mas um da, meu Deus, eu espero
O aggravaule rendeiro de um engenho em Se- Ver-me livre de tantos tormentos,
rinhem.oude lera seu domicilio, e onde nunca foi E ento zombarei das astucias,
procurado, ao menos que Ihe conste, e nem to Que supporto dos fados cruentos.
Na manha do da seguinte dirigiu-se o animoso
pastor ao palacio, e pediu para fallar ao califa. Es-
te tinha dado ordem para o delxarem sempre en-
trar.
Ento meu amigo, disse-lhe o principe cora
bondade, s feliz? E a tua casa coramoda ?
Muito comraoda, senhor, respondeu o pastor,
e eu sou muito feliz ; porem falta-me urna cousa
indspensavel: ura rebanho como o do meu visi
Stisfez logo a sua pretengo, e mandou-lhe dar
inmediatamente o turbante de grao-visir.
O grao-visir mette mos a obra.
Primeiro que tudo nao entende nada dos nego-
cios. Acha-se cercado de petigoes, de requerimen-
tos, de queixas, etc., etc. Confunde tudo ; quan-
do deve recusar, concede ; quando deve conceder
recusa. O califa regeita alguns planos que levou
sua approvago. Agasta-se, aborrece-se e in-
quieta-se ; nunca se viu to desgragado.
Que vida, que vida I exclama jlle ao deitar-
se : como que um visir pode viver um mez ? Eu
nao sou mais do que o primeiro escravo do califa.
E' elle que me contraria em tudo que eu quero
fazer. Agora percebe eu bem a razio disto ; para
eu ter a paz e ser feliz necessario que eu seja o
senhor... Se o califa me quizesse ceder o lugar,
como todo ira bem.
Ben-Adab pensa nlsto toda a noule.
Convence-se cada vez mais da necessidade do
poder absoluto para a sua felicidade ; e apenas o
califa se tinha levantado, j o seu grao-visir im-
provisado, introduzido na cmara de S. A., Ihe pe-
" i dia humildemente que Ihe cedesse o seu lugar.
nho.Seeuno tiver algum gado nunca poderei J^ j!
viver desafogadamente. Venho pois pedir V. A.
que 3e digne mandar dar-me ahi urnas doze ca- ,
Der.as. mente, foi logo condemnado a levar cem paula-
Na verdade, replicou o califa, quem tem um .
Assentou-se, e ordenou que Ihe mordes-
se n'um dedo (o qual tendo-lhe mordido forte-
campo precisa de gado, leras o que pedes, e esco- | O que ests tu a dizer ? Repele, disse elle a
'hers d'entre os meus rebanhos o gado que quize- Ben-Adab.
res. Vae-te embora, e s feliz com o teu rebanho.
E o pastor escoi ueo duas pequeas duzias e meia
do mais bello gado de S. A.
Serei, dizia elle baixinho, esfregando as raaos,
mais rico do que o meu visnho. Agora sou o ho-
mem mais feliz do mundo.
Sim; mas que o seu campo era muito peque-
no para tao bello rebanho. Alm disto havia a um
quarto de legua urna fazenda muilo bem tratada,
muito bonita e muito rendonsa.
O uosso homem j nao se contenlava com o que
Eu digo, senhor, que vos deverieis deixar-me
reinar em vosso lugar, e estou certo que toda a
gente ganhara com sso, o imperio, eu, e at vos
mesmo...
O principe entendeu bem desta vez o que o seu
primeiro ministro quera. Levantou-se e bateu as
palmas. Immediatamente appareeem qualro es-
cravos negros.
Volia as cosas, diz elle ao visir.
Ben-Adab obedeceu.
O califad-lhe ura immenso pontap aonde eos-
turne da-los ; faz signal aos seus negros que lan-
tinha. Andava pensativo e trisle. Urna noute disse cem a rao ao visir aterrado, e cooduzam-no a
elle para a mulher : pontaps al a porta do palacio. Ahi tiram-lhe lo-
Nos nao poderemos ser felzes senao quando dos os seus vestidos, dexando-o apenas em cami-
tivermos una pequea quinta, como aquella que
aqui Oca perto. Amauha vou Bagdad para tra-
tar deste negocio; verei se posso fallar ao califa, e
pedir-lhe-liei que me d aquella pequea fazenda.
O que isto para elle 1
Se bem o disse melhor o fez.
No dia seguinte fez o pedido ao califa ; este, de-
pois de urna reprebenso amgavel, maodou dar
ao seu protegido a dita fazeuda, e aconselhou-lhe
que nao seguisse tanto as suas ideas de engrande-
cimento.
Oh I Agora, respondeu Ben-Adab (era o no-
me do pastor), agora acabaram todas as minhas
ambiges, e nao tenho preciso de mais nada.
E todava tres metes depois procurava elle de
novo o seu bemfelor, um pouco envergonhado,
verdaJe, mas muito decidido a pedir mais alguma
mm
.........- ixiiciucmai, mame vinao i jem meus Dragos, quaoao amos se be.javam...
incida. Acha- -bradouo velho.-Vae perguntar a tua me qne IE-pudente, Raphael, tu, pudeste perde-la, quando
is salas; ver- lacaio le deu o'sangue plebeu que te gira as demias guardar a dignidade dos leus, respetar a:
listante, ligei- veas I j esposa de ura amg_ fl|ha dc um velho< (e
flava do caraeterfde Raphael. Repuguava-llie o lora
galhofeiro do pruno de Ricardo d'.viineida.
va-o mundano de mais; bora para as
de mais para a vida intima. Nao ob
ramete conlradizia a prapenso da filha.
Raphael nao poda romper de vez o enlace com vier
Bealnz : promettia, porra ser forte e honrado, tribos.
assira que o casamento se tractasse. O criado de Raphael, seu companheiro e guarda
Aqni o temos, pois trauslornado, e seduzido pelo desde os quinze annos, esporeou o cavallo com
exemplo da felicidade do primo. As diferengas um bacamarte em puuho.
de genio, que metes antes observara elle, entre si i Alto ahi I -ordenou Raphael ao seu valente
e Ricardo tornaran] era ideutidade deaspiragdes. criado. O homem susiove o impelo do cavallo, e
izia-lhe o castellao de Agolar que principasse a receben, no mesmo ponto, duas balas em cheio pei-
sua reforma, renunciando s abominaveis intelli- to. Oscillou sobre a celia, inclinou a cabega ao
gencias cora a esposa de Nicolao de Mesquita. Ra- pesc.go do empinado cavallo, e, destribado cahiu
phael meutiu, protesiou despedir-se d'eliacavalhei- morto em trra.
ramete, recoilieu-se a Faydes ; e assim que hou- E' urna espara de assassinos I exelamou Ra-
ve nova da segunda ida de .Mcolu quima da phael, abocando a pistola ao peito do lo.
Ribeira d'Oura, voliou para o Vidago. Como quizeres, canalha I Vaes agora mor-
Martinho Xavier sabia os passos do genro, e os rer tu, s mos de um velho, que deshonraste.
do sobrnho. Ao genro perdoara ; ao sobrinho nao Dosfocha I corda a tua vida com o homicidio !
podera. Um da, charaou dous valentes Albos de Mata quem te vae varar esso preverso coragao I
um caseiro das suas trras de Barrozo. Deu a cada O pae de Beatriz deve morrer s tuas mos I
um sou bacamarte ; e ao cerrar da noute, orde- Raphael abaixou a arma apontada, e disse : '
nou-lhes que o esperassem fra de Chaves, com Atire I aqui rae tem mais perto 1...
ura cavallo redea. No sellira iam afivelados' E impeliiu a trancas o cavallo para a frente, e
coldres de pistolas de alcance. j qas ao alcance do brago de Martinho.
A' meia noule, havam camrahadoquatro leguas. | O velho retirou o dedo convulso, que premia o
A casa acasttellada de Fayes negrejava, como um gatuno.
morro de fragas a ura eitavo de legua distante. Antes quer que os seus criados me assassi-
Martinho parou e disse : j nem ?exelamou Raphael.Pois enlo que atirem
A' urna hora devem aqui passar dous homen, elles I
a cavallo. Se o quo vier rectaguarda Dzeral-j Ura hornera innoceule est ali morto no chao;
gum leve movimento com arma, atirem a matar, matem agora o criminoso; desculpem-se de urna
Ao que vier na frente nao Ihe ponham mo. Se barbaridade cora ura acto de justiga. Salvem a
acontecer matarem o criad fujam, e esperera honra de seu amo, que o sangue do meu criado
me alera Tamega. Eu l .re. ter. i nao Ihe pode lavar as nodoas I
Antes da hora marcada aos criados, queseem-| Martinho Xavier fraquejara. Aquelle silencio
rilo de ttaphael I Poesa exponlanea.essa fenecer breuriaram n'uma bouga, ouvi-se perto oesirupi- era urna estraogulago que Ihe afogara nagargan
como as flores d>: eolao.
da forca de
fatigado. Beatriz
Raphael eslava ..., ^..a Cll, rt,neiia, irmaa e iramovel como estatua.
de Laura, Mgueira como sua irma, olhos mais Quem ? perguntou, engatilhando
ardeotes, espintos mais scintillanles, cheia de gra- pistola.
$a na conversaco, e de meigas puerilidades no son M.,rtnho Xavier, pae de Beatriz.
eu amor. Meu lio I exelamou Raphael, abaixando o
Aconteca, porm, que o pae de Amelia descon brago da pistola.
fcJS
sa, exposto irriso dos que passavam.
Ben-Adab, envergonhado e confundido, voltou
para sua posigo do pastor em que morreu mise-
ravelmente.
E Ben-Adab, meu charo leilor, sabis onde
est?
Bem perto de vos tal vez; em vossa casa ; mais
do que isso, no vosso quarto e mais do que isso
ainda, na vossa pello.
Sim ; na vossa pelle. Porque esta historia a
vossa, a nossa, a de todos.
Corremos sempre atraz da felicidade, e imagi-
nando-a sempre na posico elevada de um gru
cima da nossa. Quando temos chegado estas
posigo, olhamos logo para o numero de cima e
procuramos sempre sem nunca aciiar.
Se somos un pequeo operario queremos, para
ser feliz, tornar-nos um operario celebre ; se so-
Martnho Xavier desandou o cavallo, e parliu
vagarosamente. Careca do Torgas, para accelerar
a carreira.
Raphael desmontou, ergueu pelos hombros o
l com o parentesco, infame villo I as vergonhl)sas dt)|jcjas da ^^ ^ ac||aste
mais digua quando era mais perdida. Vae cum-
; prir a tua expiago, c nao veuhas ser testimunlia
.. que te da miniia. ei-te essa desgragada, que ahi esta,
-L5,aafTron.anao fere mraha mae, Sr. Xa-estremecercomo pae...Tu, filho de urna irma cuidando que a guardaras no santuario de um
i o de Fayoes erguido nos es- de minba mulher ...Maldito sejas I...Deus nao amo^ digno. Nao pudeste, porque vinhas docri-
quer que eu possa castigar-te.. .Divina Provideo-. me srdido, havias de voltar ao mesmo abysmo, e
ca, eu vos entrego este criminoso !.. .Castigae-oarrasta-la comtigo I Vo-so ambos da min'lia pre-
senga, e despedacem-se I
Nicolao eslava corrido na presenga das pessoas
que o acoinpanharam ao quarto. Retrocedeu taci-
turno, pergunlaudo aos mdicos, so seu sogro es-
lava doudo. Os mdicos, suspeitosos da justa sup-
erado, quiz acosta-lo riba da estrada; mas o posigo do morgado, entraram ao quarto a exami-
corpo inerte resvalava com a cabega pendida, e os j nar-llie os olhos e os movimentos. Martinho com-
bracos desarticulados. O colete e camisa fumega- prehendeu-os, e disse plcidamente :
vam ainda queimados pelas huchas dos bacamar- i
tes. O morgado tirn as mos ensanguentadas; e( ~" Eu na0 estou doudo> meus am'gos. Escu-
desistiu de esperar signal de vida. ,sam de examinar-me. Se vem lagrimas, sao de
Voltou a Fayoes a chamar criados com urna ma- desra?a. e nao de demencia. Pego-lhes o favor
ca de carrejar. Transportou-o a casa, e nao dei- de me deixan-'m repousar.. .E, se ahi est alguma
xou que fosse avisada a justiga. Amortalhou-o e senhora, queirara podir-lhe que venha transportar
depos.tou-o na capella do palacete. Foi suffragado d'ahi essa crealara-
com a decencia das pessoas de sua familia, e dis-, E apontou para Beatriz, que desfallecer,
lindamente sepultado ao p do jazigo dos Cogomi-: Levada nos bragos de duas damas, a filha de
nhos Gargoes. Martinho Xavier cobrou o alent, e expediu, com
Quinze das depois deste successo, Martinho Xa- vibiantes gritos, repetidos golphos de sangue. O
vier enfermou gravemente, e prohibi que Beatriz marido sentou-se ao lado do leito onde a depuze-
fosse avisada. Sem embargo, chegou a Palmeira ram, e encarou-a com feroz catadura. E, que das
a nova da perigosa doenga do fidalgo. Nicolao de palavras de Martinho se convencer que a filha fo-
Mesquita, sopesando o despeno, foi com a esposa ra aecusar a ligagao cora Margarida Froraent. Co-
e o filho a Chaves. mo os deixassem breve tempo sosinhos, o marido
Era irrecusavel o accesso ao quarto do enfermo, acurvou-se ao ouvido da esposa, e disse-lhe :
Sentou-se com transporte de ira o velho, quando Que esperavas lucrar fu com a denuncia,
viu a Glha. Conlemplou-a cora os olhos arralados, desgragada 1 \
e acevados as rbitas azues. Aponiou-a com o Qual denuncia, miseraverr-perguntou ejla
brago tremente, e murmurou : erguendo-se de salto.
O crime I.. .a lividez patibular do crirae!... Falla baixo I o responde (que lucraste ?...
A maceragao da consciencia no rosto que foi to Sae dos meus olhos, que te delesto l-excla-
vida humana ;
que acha no amor de Dens essa paz de confU
que excede todo o seniimenlo que sabe qne a vi-
da deste mundo nao deve durar muilo lempo, e
que s suas miserias, solfridas christamente, soe-
cedero maravillosas alegras, que nada poder
perturbar. E, finalmente, s ser foliz aqueile qne
for um cluislao.
Oxal que nos sejamos, todos deste numero, cha-
ros Icitores, e possamos aproveitar da pequea his-
toria do califa, do pastor c da felicidade.
Ha lempos o jornal Tribuna, de New-York. aew
nunciou que os fabncanljs de buhares l\i.-tay -
Collender, i'stabelecdos n'aqoella ridade. oflere-
ciam o premio de 50 mil francos ao Inventor d*
urna substancia que subslitusse o marfim no fa-
brico das bolas de bilhar, imiamlo perfeiUnvnte
o marfim. As novas bolas sao de fcil fabriro, tea
dureza, elasticidade e peso egnal s de marfim.
Dous celebres mestres de bilhar, os Sr*. Grang
(de Leao) e Rarlhlcmy ( de Par*), jnlgaram que
nao Ihes faltava nenhuma qualidade esseocial para
poderem substituir s de marfim.
Esta imitago do marfim com to feliz exilo i
composia de ura mixto de massa de papel, de sul-
fato de baryta e de gelatina, e o prego do jogo de
tres bolas ser de 2'i francos na imitago do mar-
fim, distando as do marfim 60 france*.
O marlira tambera foi empregado na photogra-
phia para as chapas, mas, como o seu prego i mui-
to elevado, subslituiram-no pela seguinte composi-
go. Faz se um mixto de sulfato de baryta em p
e de gelatina ou albmina, e d-se a e*a massa a
forma de chapa por meio da presso e-sas cha-
pas, depois de estarem seccas a pulidas, substi-
tuera perfeitamente as de marfim.
ivi
K' sabido que certas plantas servem de relogio.
indicando as horas pelos seus muviraeui> physw-
logicos.
0 marechal Vailant acaba de escrever urna en-
riosa memoria, indicando como os barmetros po-
den, substituir os relogios, principalmente as re-
goes ntertropicaes.

Era IS il causa va sorpreza. quando se va urna
cadeira ou urna mesa feita da massa de papal.
Agora j se pode fazer urna casa completa e segu-
ra de papel, e j se trabalha para at forrar navios
com elle.
1 m jornal autorisado diz-nos a esse respeito o
seguinte :
t O Sr. Szerlemy molha o papel em urna di-'so-
lugo, de que inventor, e cojo segredo nao di'ul-
gou, e junta as folhas urnas s outras ate obter a
espessura desejada. A dis papel e forma se assim urna massa perfeitamente
homognea e que endurece com nraita rapidez en
estando ao ar.
Fizeram-se ensaios comparativos de tire baila
de artilhara sobre o carto. sobre ferro e sotre
madeira, e n'esses ensaios ficon demonstrado que o
carlo preparado por Szerlemy era superior ao fer-
r e madeira. Urna polegda do carto oflereee
a bala tama resistencia como 10 polegadas da um*
Ihor madeira de carvalho. O papel tem sobre o
ferro e a madeira a vantagem de nao apodreeer ;
imcombustivel e impermeavel; o seu peso esfe-
cifico um pouco menor do que o do carvalho.
"zermelv tambem fabrica pelo mesmo meio, e
enrolando o papel em volta de um cvlindro at a
espessura conveniente, pegas de artilhna de n
lanha que podem com as de ferro.

Urna descoberla therapeutica que se deve popu-
lar i -ar *' a applicago do acido pheoico para curar
por meio de caulerisagao fcil e pouco dolorosa os
effeitos das mordeduras de qualquer animal vene-
noso ou das materias ptridas que se podem ino-
cular no corno humano pelos ferimentos que i ve-
zes resultara das operacoes anatmica*.
Os progressos da chimica mostraram qoe o re-
medio mais infallivcl contra essas inociiUges, que
tanjas vetes causara a morte, o acido plicnteo.
Km Franca j se coinpreheRdeu a nere>stdade
de generalisar o acido phenico, vendeml--s em
elegante estojos de marroquim encarnado peque-
nos vidriabas contendo o acido, e com urna rolha
do vidro adequada para servir caulerisagao e pa-
ra estender o acido.

Ao mesmo tei>po as senhora* pretenden) substi-
tuir os homens as observagoes meteorolgicas.
Madama Camarina Srarpellini mandn urna me-
moria a Academia das Sciencias de .'iris, cooten-
do alguns dos seus esindos feitos no observatorio
do Capitolio relativamente s estrellas.
Por mais que os sabios mpugnem o* meios boje
usados para observar os phenomenos meteorologi
eos, parece-nos que nao lorio alma de combatex
que_Ufna mulher estnde as estrellas.
Nao ha para lauta poesa o perigo que ameaoon,
na fbula o astrlogo de Lafontaine.
urna
de Raphael conturbaram-no. j eos, acudiu aos brados roucos de Martinho, e viu
A deshonra de mioha filha!...balbuciou sua mulherajoelbada aos ps do leito, e lavada
elle. E as lagrimas romperam-lhe em torrentes, em lagrimas.
e a pistola cahiu-lhe da m9.A minha amada fi- j Assim quo o entrevio no reposteiro, o velho car-
Iha.. .prostituida.. .por um sobrinho de seu pae... regeu a fioole, e bradou :
pelo companheiro da sua infancia, que eu tinha l Quem te chamou aqui, devsse? Vae pera
convulso do riso
tu ira ram senhoras
a rodearem o lilo de Beatriz. Encararam nella
com assombro, sem ousarem interroga la.
Meu pae ?perguntou ella.
Est socegado.
Morrer?! -tomou Beatriz moito commo-
vida.
Talvez nao : os doutores dizem qne a moles-
tia moral; mas a causa toda a gente a ignora.
Sabe-se que sahiu noute, ha quinze das ; volou
do madrugada; fechou-se no quarto; e adoeeeu,
como se v.
Urna das melhores amigas de Beatriz incl.oou-
se-lhe ao ouvido, e, podindo venia as outras. per-
guntou-lhe :
Tu sabes da morte do criado de teu primo
Raphael ?
N'o-respondeu^lealriz agitada.
Pois mataram-no na mesma nonte em qo
teu pai sahiu ; meus irmos dizem que a doen-
ga do to Martiuhj est ligada a esto ac-aieci-
mento.
A senhora concenlrou-se, e nao responden nai
esclareceu a tal respeito cousa nenhuma.
Reinou de novo um silencio de psames mor-
tuarios no quarto ; porra, na saleta prxima, al-
guns cavalheiros onversavam cora Nicolu.
Dizia um delles.
Este auno lera sido frtil era casamento*. A
melhores hordeiras forara empalmadas; mas o
melhor dote, que veio para estos sitios, entre Cha-
ves e Villa Real fot o de Ricardo de Almeida. Cena
contos em moeda I
Hevellava outro :
Cera contos de ris a cada filha, sendo tres
as que tem o tal rcago de Mirandella, negreiro,
segundo dizem. Sabern vosss que urna das Olhas
vae casar... com quem imaginara ?
Isso sabido, aecudiu outro. Casa coa o
Raphael argo...
Um estridente grito de Beuriz agiiou de en-
contro porta do quarto os cavalheiros. Nieotao
entrou cora elles, e viu sua mulner debatendo-ss
phrenetcameute nos bragos do duas senhoras. Et-
guia-se ella a prumo coniorcendo-se e nieircaa-
do-se em aflictivas ancas. Depois, ao reeair qne*
brada de torgas nos bragos amparadores, boicava
sangue, recurvava as uthas sobre o piio, como
se quizesse arrancar um cauterio do coragao.
Umas pessoa comprehendia cabalmente aquella
agona, Era e marido.
(Conf innar-jr-hn)
/


PERNAMBLCO.-TYP. DE M. F. DE F. k FU O


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHZX4JGKN_LYS7RP INGEST_TIME 2013-08-28T00:03:32Z PACKAGE AA00011611_10514
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES