Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10513


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I

AMO XL HUMERO 257
*"
Por tres nezes adiautados 5&O00
Pop tres mezes vencidos 68(100
Porte ao correio por tres mezes. 5750
OARTA FSIRA 9 BE WOVEMBRO BS BS4.
Por aiao adiantado.....49$00O
Porte a correio por om anno. 3^000
ENCARREGADOS DA fcikLR^CAO NO NORiE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, e Sr. Antonio Marqnes da Silva; Aracaty.o
3r. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pmheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
NCARREGADOS DA S'JBSCRIPCAO NO SUL.
AJago^. o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
rr. Jos Martms Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
era Martias & Gasparino.
partida boa Ri-.u-siAd.
Oiinda, Cabo e Sscatia todos os dias.
Iguarassu*, Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bererros, Bonito, Caruar,
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa^ista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serinhafim, Rio Formoso, Tamandar, Una,Barrei-
iiJ0Sa A^a Preta e Piraenteiras as quintas feiras.
lina de temando todas as vezes que para ali sahir
Da VIO.
Todos os estafetas partem ao '/i dia.
EPHEMER1DES DO MEZ TE NOVEMBRO
6 Quarto cresc. as 9 b., 33 m. e 2 s. da t.
13 La cheia as 3 h., 13 m. e 36 s. da t.
21 Quarto ming. as 4 h., 56 m. e 56 s. da m.
20 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
REAMAR DS HOJB.
Primeira as 11 oras a 42 minutos da mana.
Segunda as 12 coras 6 minutos da Urde.
i<-A\.d,x iO Va OR;3 COSfWROrt.
rara o sul at Alagas a 5 e 25; psrs o aorte at
5i ??? a 7 e 22 de cada me?; para Fernaudo aos
ias ii dos mezes dejan. inarc.,maio. jul. set. e nov.
PARTIDA DOS 'OMN.BUS.
nn o Recife: do Apipucos as 6/,, 7, 7 /,, 8 e
Vi da m.; de Onda s 8 da e. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6/, da m.; do Caxang e Varzea as 7
da m.; de Demflea s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos s 3 %. 4,4 A, 4 Vi,
5, 7j, 6 V e 6 da tarde; para Oiinda s 7da
manhaa e 4 V da tarde; para Jaboatao s 4 da
tarde; para Cachang e Varzea s 4 Vi da tarde:
para Bemflca s 4 aa tarde.
.UO.-NC.;. DOS tRIBUJASa DA CAPilVJ.
Tribunal docommarcto: segundas e quintas.
Reiago: tarjas e sabhaaos s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
: Juizo do commercio: segundas s t horas.
Dito de orpaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vaa do civel : tergas sextas ao meio
dia.
Segunda vara docivel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
l-'-.S DA m NA.
7. Segunda. Ss. Florencio e Honorato I>,.
8. Torga. S. Nieuslrato ni.: S. r..irt.m.> m.
O. Quaria. Ss. IrcisMiio e Agnpin M
10. Quinia.IS. Andr.'Av.lino f.: S. T.lieno.
11. Sexta. S. Maritata b.; S. Vi rano h.
12. Sabludo. S. Mamullo p. m.; S. Liino b. m
13. Domingo. Ss Arcacli,., I'aiiiillo e Zvbina v.-
PARTE OFFIOIAL
GOYERX OA PRMMIA.
Expediente do dia o de novenibrode IS6i.
Offlcio ao Exm. visconde da Boa -Vista comman-
dante superior da guarda nacional do Recite.Ra-
ja V. Exc. de mandar jir disposigao do coronel
commandante das armas os corpos da guarda na-
cional desta capital, alim de marcharcm reunidos
aos de primeira linha, e sob a direcgo do oflicial
a quem por le competir o commando, para a fren-
te da igreja matriz dota freguezia, no dia 10 do
correte, s 9 horas da manhaa, a assistirem ao
Te-Deum Laudumus que a cmara municipal desta
cidade tem de mardar cantar ao Todo-Poderoso, em
aceo de gragas pelo fausto consorcio de S A. a
augusta princeza imperial com S. A. o conde
d'Eu.Offieiou-se neste sentido ao coronel com-
mandante das armas e communicou-se cmara
municipal desta cidade.
Dito ao coronel commandante das armas.Tendo
o governo imperial deixado de approvar, como se
v do aviso da repartgao da guerra de 17 de ou-
tubro ultimo, couslante da copia inclusa, o con-
trato celebrado pelo cirurgiao-mr do exercilo com
o pharmaceutico Manoel Francisco Boielho, para
ir servir em Tacaratd, baja V. S. de expedir as
suas ordens no sentido de ser o inesmo pharmaceu-
tico despedido do servigo.Communicou-se ao ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.-Autoriso V. S. a mandar forne-
cer ao corpo de guarnigo pela pharmacia do hos-
pital militar, como propoz em seu ffflcio n. 1966 de
2 do corrente, os medicamentos e mals objectos
mencionados na reiago por copia inclusa, em sa-
tisfago ao pedido de que trata o officio que devol-
vo firmado pelo commandante do mesmo batalho,
devendo terse em vista as disposicoes do aviso da
repartigSo da guerra de 17 de outubro ultimo.
Dito ao mesmo.Junto achara V. S. o passe
para transporte do 2 sargento Antonio Custodio
Jloreira na estrada de ferro, visto achar-se
doente.
Deste modo Cea satisfeito o que V. S. solicilou
em o seu officio n. 1977 de 4 do corrente.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Recommendo V. S. que, em vista dos inclusos
documentos, e nao havendo inconveniente, mande
pagar Balbino Bezerra Sobral na qualidade de
procurador do commandante do destacamento da
villa do Bonito a quaniia de 365140, proveniente
da dspeza feita com o fornecimento de luz para o
quartel do mesmo destacamento, contar de 27 de
Janeiro 31 de ontubro deste anno, como se v dos
preditos documentos.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.-Ao
cabo Joo de Hollanda Cavalcanti mande V. S. pa-
gar, conforme solicilou o rhefe de polica em officio
de 3 do corrente, sob n. 1351, e se nao houver in-
conveniente, a quantia de 1102400, despendida
durante os mezqs de juiho a setemhro deste anuo,
com o sustento dos presos pobres da cadeia do ter-
mo do Buique, como se v das tres inclusas comas
que vieram annexas ao precitado officio.Commu-
nicou-se ao l)r. chefe de polica.
Dito ao mesmo.De conformidade com o que so-
licilou o chefe do pqcia em officio de 3 do corren-
te, sob n. 1361, e nao havendo inconveniente, man-
de V. S. pagar Faustino de Souza Fcrraz, ou
pessoa por elle autorisada, a quantia de 563800.
despendida, como se v da inclusa conta, com o
sustento dos presos pobres da cadeia do termo de
Villa-Bella, durante o mez de agosto ultimo.Com-
municou-se ao Dr. chefe de polica.
Di lo ao mesmo.Constando de officio do chefe
interino da reparticao das obras publicas, daialo
de hontem e sob n.'3()9, que o empreiteiro da con-
servado do tereciro termo da estrada da Victoria
cumprio com as condicoes do seu contrato no mez
de outubro ultimo, lano as cinco mil bracas do
predito termo, romo na< quinhentase vinte inclui-
das naquella i onservacao por ordem desta presi-
dencia, recoinm.-ndo V. S. que em vista do com-
petente certificado, mande pagar ao referido em-
preiteiro a quantia de 1725950, a que tem elle di-
reito, segundo consta do citado officio.Commnni-
cou-se ao chefe uterino da reparticao das obras
publicas.
Dito ao mesmn.Em vista da inclusa relacao.
quo me fo remettida com cilicio do director peral
da instruccao publica, datado de hontem e sob n.
215, mande V. S., nao havendo inconveniente, en-
tregar ao re edor interino do gvmnasio provincial
a quantia de 5700O0, em que' importan) as men-
salidades relativas ao trimestre de outubro de-
zembro deste anno, dos alumnos internos e meio-
pensonstas gratuitos daqnelle estahelecimento.
Communicou-se ao director seral da instruccao pu-
blica. '
Dito ao mesmo.Em deferimento ao requer-
ment, sobre que versou a sua inforniacao de 23
de outubro ultimo, sob n. 402, recommendo V.
S-, quo, de conformidade corn a tabella n. 2, orga-
nisada para o expediente das aulas da provincia,
segundo indira o director peral da instrueefio pu-
bhca em seu parecer n. 211 de 31 do citado mez I
de outubro, mande pigar professora de instruc-
cao primaria de Gravat, Guilliermina Basilissa de
Oliveira e Silva, na razao de 15025 mensaes, o
Muantitativo a que tem direito para o expediente
de sua aula, que conta 13 alumnas.
Dito ao mesmo.Accuso recebido o officio de 3
do corrente, sob n. 470, em quo V. S. particpou
haver Pedro Jos Montenegro, dando por fiador
Joao Jos Rodrigues Lufler, arrematado por......
1:0765 annuaes, e por um anno e oito mezes,
contar do Io do corrente, o imposto 3e 25500 sobre
cabeca de gado vacenm consumido no municipio
de Iguarassu, e em resposta tenbo a dizer que ap-
provo essa arrematado.
Dito ao mesmo.Dodaro V. S. em aditamen-
to ao meu officio de hontem, mandando pagar a
Emilio Carlos Jordfw as quantias a que tiver di-
reito como arrematante dos reparos do agude e ca-
deia da vilia de Cimbres, que a cadeia de que se
trata da povoagao de Pesqueira e nao daquella
villa.
Dito ao desembargador presidente do tribunal do
commercio.Informe V. S. sobre o que pedem os
empregados desse tribunal no incluso requeri-
roeoto.
Dito ao director geral da instruccao publica.
Envie-me V. S. com o seu parecer o regulamento
interno da Escola Normal, cuja ap.provacao se tor-
na necessaria para andamento da mesma escola.
Dito ao commandante do corpo de polica.
Mande V. S. alistar no corpo, sob seu commando
0 paisano Marinho Villana de Oliveira, que foi jul-
gado apto para isso em inspergo de sade, seguu-
do consta do sea officio n. 487 de 4 do corrente.
Dito ao mesmo.Mande V. S. dar baixa do cor-
po sob sea commando ao soldado Leonardo Seve-
rio Bezerra, visto ser de mo comportamento co-
mo V. S. declarou em sou officio n. 490 desta
data.
Dito ao chefe interino da reparticao das obras
publicas.Respondendo ao officio que Vmc. me
dirigi hontem. sobn. 310, tenbo a dizer que man-
de rerolher ao cofre da thesouraria provincial, a
quantia de 315 que se acha em seu poder, prove-
niente da venda de um boi, que por inutili-
ado, nao podia continuar no servico da estrada do
sul.Officiou-se neste sentido a thesouraria pro-
vincial.
Dito ao director do arsenal de guerra.Forneca
Vmc. com urgencia ao commandante do 1* bata-
Ihao de infamara da guarda nacional deste muni-
cipio, como requesita o respectivo commandante
superior em ellicio de hontem, os utencihos men-
cionados na inclusa relacao, os quacs sio necessa-
rios for^a do mesmo batalho quo tem de aquar-
tel.'ar.Communicou-se ao respectivo comman-
dante superior.
Dito ao conselho. administrativo.Recommendo
ao conselho administrativo, que compre para for-
necimento do almoxarifada do arsenal de guerra,
os objectos mencionados no incluso pedido.Com-
inunicouse ao inspector da thesouraria do fa-
zenda.
Dito a cmara municipal da Escada.Ao officio
que me dirigi a cmara municipal da Escada em
13 de outubro ultimo, respondo declarando que
approvo a arrematadlo dos impostos de que trata
o termo de contrato que por copia acompanhou o
seu citado officio.
Dito ao Dr. juiz de direito da 2" vara desta ca-
pital.Em vista do que ponderou Vmc. em offlcio
desta dala, tenho a dizer-lhe que, convm preferir
os trabalhos da 6* sessao ordinaria do jury ao da
ASSIGNA-S8
no Recife, n a livraria da praca da Independ-
cellos, capitao ajudante
detalhe interinamente.
d'ordens encarregado do
PERNAMRUCO,
correicao.
Portara.O presidente
jury
da provincia attendendo
REVISTA DIARIA.
Est marcado o dia 7 de dezembro futuro para
ter lugar a eleicao de dous deputados commer-
ciaes que devem servir no quatriennio de 1865 a
1868.
A reuniao do collegio eleitoral na casa da as-
sociacao commercial.
Amanhaa funeciona em sessao ordinaria o
Instituto Archeologico e Gepgraphico Pernambu-
cano.
Ante-hontem foi de novo accommettido o Sr.
Dr. Jeronymo Vilella, do ataque de que j tem sido nanao' escravo de Rila de tal, por infracgode pos-
victima ; mas coosta que raelhorara de sorte que ,ura,s-
pela tarde daqnelle mesmo dia, pode vollar para A ordem do 'obdelegado do Recife, Antonio
esta cidade, da Capunga, onde soffrera o accom- ??S0 Arouclla- Pra correccao.
mettimento do mal. A ordem do de S. Jos, Joao dos Santos Viera e
Queixa-se um nosso assignante do proced- ,',uil' e^cravo de Joaquim Manoel de Castro San-
mento de urna estacao publica, que atropella as ios' anJD0S Pr disturbios e Manoel Domingu.es, por
partes nao s levando 20, 30 e 40 dias para infor- ,irt0 de cava"os.
Francisr-n Bb. pisamentos. pecliva planta, de accordo com a mesma, deram
' da W.v k* a llv* com Gertrudos Marla clles si parecer respeito da ulilidade da des-
; Antodto JnK ane0? r n-, |aPro|fa5a'.f>nioqaal,cenrorinando-searamar.i,
i dSKiTp118 ? J?mor C.m hla' ,anrdU na*it a -rio, o qnal d-'Pois de assigna-
' \ntomn Rr i / Fl-gue[ed Cailr' ubrancos- do> fss? ronetiido por copia ao Exm. presidente
na | da proviuuia.-Uetirando-se os referidos cngenhei-
Le-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Cesara de Mello, brancos.
Dr: Paaxedes Gomes de Souza Piianga cora Lilia
Coelho de erpa. brancos.
Launanb Jos de Medeiros com Anna Alexandri-
nadaConceicao. brancos.
Sebastiao Arcloli de -ant'Iago Ramos com Thero-
za de Jess Barros, brancos.
nEP\RTIQ.\0 da polica :
Extracto das parles do dia 8 ue novembro de
1864.
Foram recolhidos casa de detencao no dia 7
do corrente :
A' ordem do lllm. Sr. Dr. chefe de polica, Fer
mar os requerimentos, como anda deixando de
ao que requereu o professor publico de instruccao real'sar os pagamentos depois de corridos todos os
primaria da freguezia de Fazenda Grande Juven-1 trans'!eS sob pretexto de nohaver dinheiro, quan-
cio Temporal, resolve de conformidade com o art.
23 da lei n. 598 de 13 do maio do corrente anno,
remove-lo daquella cadeira. para a 2* da villa de
Cimbres, creada por portara de 9 de juiho ultimo.
Fizeram-se as necessarias communicagoes.
Dita.O presidente da provincia attendendo ao
que requereu o escrivao da collectoria de rendas
teraes do municipio da Victoria, Joaquim Gomes
Pessoa, resolve conceder-lbe oito dias de licenca
para vir a esta capital tratar de negocios urgentes
de sua familia.
Dita.O presidente da provincia conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica n. 1,372
de 4 deste mez, resolve considerar vago o lugar
de subdelegado do dislricto de Magdalena, 2o da
freguezia dos Afogados. e para o preencher noma
o aireres Antonio Jos Leopoldino Arantes.-Com-
municou-se ao Dr. chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica n. 1,370
de 4 do corrente, resolve exonerar a CUrndo Fer-
reira Catao e Vicente de Paula de Oliveira Villas-
Beas dos cargos de 2 e 3 supplentes do subdele-
gado do 1 districlo da freguezia da Boa-Vista des-
ta cidade, e para os substituir noma :
2. Bacnarel Francisco Ferreira Martns Ri-
beiro.
3." Capitao Joaquim Francisco Franco.Com-
municou-se ao Dr. chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia attendendo ao
que requereu Manoel Pereira Camello Pessoa, aju-
dante do porleiro do hospital militar desta provin-
cia, resolve conceder-lhe tres mezes de licenca
com os vencimentos, na forma da lei para tratar
de sna srrarte.
Dia. O presidente da provincia atteudendo
ao que requereu JooTiburco da Silva Guimaraes,
amanuense do hospital militar', e tendo em vista a
nformacao do coronel commandante das armas
datada de 27 de outubro ultimo, sob n. 1.913, re-
solve conceder llu ires mezes de licenca com ven-
cimenias na forma do aviso do ministerio da guer-
ra de 18 de Janeiro do corrente anno, para tratar
de sua sande onde Ihe convier.
Dita.OSr. gerente dacompanhia Pernambuca-
na mande dar transporte at o Cear no vapor que
para all tem de seguir no dia 22 do corrente em
lugar de r destinado a passageiro de estado a
Joaquim Pereira da Silva Guimaraes.
Dita.-O Sr. gerente da companha Pernambu-
cana mande dar transporte at o Cear no vapor
quo tem de seguir para all no da 22 do corrente
em lugar de r destinado a passageiros de esta-
do a Joao Franklin de Alencar Lima e sua irmaa.
Despachos do dia 3 de novembro de 186 i.
Hcquerimentos.
Anacilo Publio de Moraes Carvalho. A' vista
da nformacao do Sr. director da instruccao pubh-
io tem lugar o que requer o supplicante.
arda Eieoteria Franca. Informe o Sr. di-
do alias se sabe que o ha.
Nao est bem por certo semelhante proceder,
cuja pratica importa por tanto que nao continu.
Acaba de ser aberta e acha-se a concorren-
cia publica urna casa de banhos ra da i ruz n.
17 a qual est bem asseiada, tem a mesma 6 quar-
tos, tendo em cada um dalles um banheiro de pe-
dra marmore e os accessorios necessarios. Os pro-
pietarios sao brasileiros e naturaes desta provin-
cia Acha-se aberta todos os das das 6 da manhaa
as 9 da noite.
Resultado dos exames feitos no curso de pre-
paratorios annexo Faculdade de Direito no dia
5 do corrente :
Francez.
Plenamente..... 0
Simplesmcnte... 5
Beprovado...... 7
. i2
fizeram aclo na Faculdade de Direito do Re-
cife. no da 8 do corrente, os seguintes estudan-
tes :
O chefe da 2' seccao,
. J. G. de Alesquita.
Movimento da casa de detencao do
de novembro de 1864 :
Existia m....... 368 presos.
Entraram...... 6
Sahiram....... 20
oqss y r
Existem
354
Um offlcio do lixm.
coinmunicando constar
presidente da provincia,
do aviso do ministerio do
imperio de 18 do corrente, haver a cmara dos de-
putados approvadoas elcieoes primarias para a 12'
legislatura fetas as parochias de \ Frei Pedro
nella, Santo Amaro de Jaboatao, Munbeca e S
Lourenco da Mata, perlencentes ao primeiro di-
trelo eleitoral desta provincia.Que
as convenientes communicaces aos
das freguezias a que se refere o citado
Depois o Sr. Reg e Albuquerque pedo a pala-
vra, e propoe que se offlciasse ao Exm. presidente
da provincia, visto nao constar que f jssem tam-
bem approvadas as eleicoes que so procederam
as freguezias de S. J*, Afogados e Varzea,
consultando quaes os eleiloros que devem compor
as mesas parochiaes destas tres freguezias.Posta i
em discussao a proposta, foi approvada.
seja registrada a sua nomeacao de caixeiro d*
Francisco Joo de forros :iUybirv-M
No de Francisco Ferreira BalUr, Minio ser
admeilido a matricula, visto pelo Sr. desembarga-
dor li-eal :Mairicule-se.
-No ile llenrijue Bernardo de Oliveira, pedindo
ser admetiido a matricula, igualmente vilo pelo
&r. desembargad ir fiscal :Matrlcule-se.
io:i.iih:i;m \...
O Exm. Sr. presidente designio odia 7 de de-
zemhro proxnno futuro para a eleicao de dous d>-
putados, que devem servir no quatriennio de 1865
a 1868, em substituico dos Srs. J,o Ignacio de
Medeiros lleco e Joao Pinto de l.emn< devendo
sala da
em substituico dos Srs
s Reg e Jo.io Pinto de Le....
reuni.io do collegio eleitoral ter lugar na I
Associacao Commercial Beneficente, mediante pr-
le se fizessm Vs 3anaTV' da dirr,una "*" Assocacio,
s tritawA ,!,. de,,I? de I""een|,""la* formalidades preWip-
SL P ,aV dccrL,, n m d 3 ri'' tembr d 1850
I" lilil 10. V-uio m.iic h........ .;________j- ___ -
Nada mais houve,
11,' horas do da.
e foi encerrada a sessao as
SESSAO JCDICIARIA EM 7 DE NOVEMBRO
DE 1864.
PRESIDENTA DO EXM. Sil. DRSEMBAnr.ADOR
A. F. PERBTTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
Outro do juiz de direito da lavara, Dr. Joao Aa-1 jaivigl*?^.*!**- P"1*^
\ auno a sessao estando reunidos os Srs. desemhar-
gadores liis e Silva, Silva Guimar.es, e Acrioli, e
os Srs. depulados Lemos,
Nacionaes___ 284
3 >
Estrangeiros.. 13 i
Estrangeira... 1
Escravos..... . 30
Escravas..... 3 i
1 anno.
Moreira de Mendonca,
simples-
Dcrnaii
rector do arsenal de guerra.
Balbino Bezerra .-obral.Drija-se thesouraria
de fazenda.
Cosme Flix Correa de Mello.Passe portara
cencedendo licenca que pede com vencimen-
tos.
Guilliermina Bazilista d'Oliveira c Silva.Dirja-
se a thesouraria provincial.
Hmedino R. de Nogueira Lima. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Juvencio Temporal.Conceda-se a remoco pe-
dida. "
Joao de Araujo Cesar. Informe o .cr. director
da uslruccao publica.
Joaquim Aureliano de Castro. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Jos Marcellino da Costa.Informe o Sr. direc-
tor da instruccao publica.
Mana Joaquina da Conceicao. A' supplicante
ser opportunamento atteudida em vista da infor-
magao do desembargador provedor da Santa Casa
da misericordia.
Manoel freir Camello Pessoa.
concedendo licenca pedida com
na forma da lei.
-Passe portara
os venc mentos
Luz Antonio
mente.
Jos Pires da Fonseca, plenamente.
Americo Numeriano Pontes da Silveira, simples-
mente.
Jos anuario Pereira de Carvalho. plenamente.
2o anno.
Joao Maria Loureiro Tavares, plenamente.
Jos Antonio Gomes, idem.
Antonio Joaquim Ribas Jnior, simplesmentc.
Lino Cassiano de Lrma, plenamente.
3o anno
Antonio de Almeida Oliveira, plenamente.
Manoel Joaquim Ferreira Esteves Jnior, idem.
Leonardo Francisco de Almeida, idem.
Joao de Hollanda Cavalcante, simplesmente.
4o anno.
Antonio Jos Lopes Filho, plenamente.
Theophilo Pereira da Silva, idem.
Antonio Raymundo Tavares Belfort, idem.
Joaquim Pereira da Silva Guimaraes, idem.
Manoel Leite Cesar Loureiro, idem.
5o anno.
Felippe Franco de S, plenamente.
Francisco Ferreira Pacheco de Mello, idem.
Gonealo de Aginar Boto de Menezes, idem.
Lisia dos baptisados e casamentos havidos na fre-
guezia da Boa-Vista, no mez de outubro de
180i.
va-
convul-
Pergentino, branco, filho legitimo dePergentino de
Aquino Fonceca e Auna Pensilia da Fonceca.
Francisco, pardo, filho legitimo de Frauca Monlei-
ro e Marciana Maria da Conceigo.
Roberto, branco, lilho legitimo de Joo Lniz Perei-
ra Lima e rsula Cintra do Lima.
Affonco, pardo, filho natural de Luiza Maria da
rouceca.
Ernesto, filho legtimo dePergentino de Aquino
Fonceca e Anna Persilia de Brito Fonceca.
Maria, branca, lilha legitima de Antonio Jos R-
beiro de Moraes e Isabel Caelana da Pureza Ri-
beiro.
Mana, branca, filha legitima de Domingos Antonio
da >ilva Beiviz e Francisca da Silva Lima Bei-
viz.
Gertrudes, parda, filha legitima de Jacintho Eleo-
doro do Sacramento c Joaquina Maria da Con-
ceigo.
Joaqnim, pardo, filho legitimo dos paes supra.
Candido, pardo, lilho legitimo de Andr Francisco
dos Santos e Felippa Sant'Iago Nones.
Emilia, lilha legitima de Antonio Carlos de Lemos
Duarle e Anna Ludovica Moreira de Lemos.
Joaquim, branco, lilho legitimo de Joaquim Pires
Carneiro Mooteiro e HenriqueU.
Manoel, branco, lilho legitimo de Miguel Jos Bar-
bosa Guimaraes e Ruta Margarida dos Prazeres
Guimaraes.
354
Alimentados cusa dos cofres provinciaes 141.
Obituario do cemitkrio publico no da 6 de
novembro de 1804.
Joaquim Jos do -"anta Anna, Pernambuco, 40
annos, casado, Boa-vista ; ttano.
Anna da Paz Goncalves, Pernambuco, 30 annos,
solteira, Boa-vista ; phtysica pulmonar.
Jos Manoel dos -aotos Vital, Pernambuco, 55
annos, casado, Boa-vista ; congestao cerebral.
Manoel, Pernambuco, 20 mezes, S. Jos
rilas.
Luiza, Pernambuco, 18 mezes, S. Jos ;
(oes.
Felismina, Pernambuco, 2 mezes, Recife; con-
vulgoes.
Jos, Pernambuco, 7 mezes, Recife; convul-
to es. ]
JosLMa,-qaes Coutinho, Pernambuco, 38 annos,
ooHciM ii..-1-ife ; phiysica pulmonar.
MafTa Barolissa da Conceigo, Portugal, 50 an-
nos, solteira, S. Jos: phtysica pulmonar.
Geiliiniano, Pernambuco, 2 annos, S. Jos ; a-
nemia.
Antonio, escravo, Pernambuco, 5 annos, S. Jos;
congestao cerebral.
Joao, Pernambuco, 15 minutos, Boa-vista ; con-
tusoes.
Felismina Maria da Conceigo, Pernambuco, 28
annos, casada, Santo Antonio ; phtysica pulmo-
nar.
CMARA MIMIPAI,
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 26 DE
AGOSTO DE 1804. (*)
Presidencia do Sr. Barata de Almeida
Presentes os -rs. Gustavo do llego, Leal Se ve,
Mello c Gameiro, abre-se asessao e lida e appro-
vada a acia da antecedente.
O secretario quem a cmara incumbi em ses-
sao de 24 de examinar minuciosamente lodo o ar-
chivo, e. verificar quaes as rreguezias do municipio,
cuja divisao de di.-trieto de paz por ella fura feila,
dando conta da commssao, declara que tendo exa-
minado o inesmo archivo verificara que a cmara
hara feto desde 1844 para c as divisos dos dis-
tritos de todas as freguezias do seu municipio, al-
terando essas divisos quando o servico publico
municipal o exiga ; que depois dessas divisoes fez
em 1848 a aa freguezia da Varzea que fra restau-
rada em 1846: que em 1848 pela lei provincial n.
224 foram divididas em tres districtos de paz as
freguezias de Munbeca, S. Lourengo e Jaboatao, e
que a de n. 239 de 30 de maio de 1819 no art. 3,
aboli os districtos creados por aquella primeira
lei, depois do que s no corrente anno a assembla
fez divisao e suppresso de districtos as fregue-
zias do Recife do Santo Antonio e S. Louren-
co da Malta, perlencentes a este municipio.
A vista da exposicao apresenlada, o Sr. Barata de
Almeida, fez ver a cmara que tendo sido sempre
fetas pela mesma as divisoes dos districtos, eas
quaes tem sido mantidas pelo poder competente,
entenda que se ponderasse S. Exc. que a cma-
ra, sem que desrespete a sua ordem contida na
segunda parle do officio de 22 do corrente, fizera
a divisao da freguezia da "
da 7 lomo do Araujo Freilas Ilenriques, remetiendo
urna certido, onde se declara ter sido a cmara
condemnada ao pagamento de cusas na importan-
cia de 50350, e pede o pagamenlo da mesma
quantia ao quo tem direito.Mandou-se passar
mandado.
. Outro do juiz de paz da freguezia de S. Louren-
,< da Mata, communicando em re-posta ao offlcio
da cmara de 24 do corrente, que tendo procedido
a una conferencia na relacao dos votantes mora-
dores no territorio desligado da mesma freguezia,
reconheceu nao haver alteraco a fazer.Posto em
discussao, o Sr. Mello pede a palavra o requerque
se offlciasse ao Exm. visconde de Camaragibe. e
ao vigario respectivo ; pedindo ao primeiro, como
juiz de paz que prooedeu a qualilicagao, e ao se-
gundo como vigario que fornecessem cada um a
cmara urna relacao para que, combinada com a
existente nesla reparticao, possa-se satisfazer a re-
commendago do Exm. presidente da provincia,
contida na 2a parte do offlcio de 22 do corrente.
O Sr. Gustavo do llego pede a palavra, oppfle-se
ao que requer oSr. Mello, e declara que com mao-
ria de razao devia ser ouvido tambera o delegado e
subdelegado, pois que como encarregados da poli-
ca deviain conheeer bem quaes os votantes mora-
dores no torritorio desligado da freguezia de S.
Lourengo.
Os Srs. Reg e Albuquerque, Ilenriques da Sil-
va e Barata de Almeida, pronunciam-se a favor do
requerimento do Sr. Mello.
Nao havendo quem mais pedisse a palavra foi
posto a votos o re juerimeato do Sr. Mello, e ap-
provado.
O Sr. Barros Reg, nao volou bosta qneslas.
Outro do eogenheiro cordeador, informando een-i
tra a pretengao de Joaquim Francisco Collares, so-
bre o levaotamento de una impena no oito da
casa n. 45 da ra Bella, por nao ter a mesma as
dimenses das posturas.Indefirio-se.
Outro do mesmo. informando o requerimento no
qual J.iaqjim Antonio Rodrigues pede para que Ihe
seja concedido construir urna solea em sua casa
sila ra do Brum, n. 85, declara nada ter que op-
por.Concedeu se.
Outro do administrador do cemilerio publico,
communicando que j tenuo a confraria de Nossa
Senhora do Lvramento, bem como as irmandades
do Sr. Rom Jess da Va-Sacra, e das Dores, cata-
cumbas para inhum-r cadveres de prvulos, bou-
vesse o procurador de dar guias quando Ihe fos-
sem exigidas.Mandou-se expedir neste sentido
ordem ao procurador.
Outro do fiscal da freguezia de Santo Antonio,
communicando ter intimado ao capataz dos canee!-
ros da estacao da rui Nova para que lizessem de-
molir o telheiro ali existente, marcando-llie para
isso o prazo de 15 dias que se venceu boje.In-
ternas,
Foi approvado tira parecer da cornrnisso de edi-
flcagdes no sentido de ser alterada a planta da ci-
dade, siippijiiiindo-so a travessa que tem de ser
aberta junto ao sobrado n. 4 da na dos Marlyrios,
pertencente a vuva o herdeiros do finado Dr. Pe-
dro Ignacio da Cunta.
A' requerimento do Sr. llego Albuquerque foi
marcada seo para o dia 3 de setembio prximo
futuro.
Despacharam-se as peticSes de Antonio Botelho
Pinto de Mesquita, Candido Thomaz Pereira Dutra,
Francisco Antonio Correa Cardozo, Joaquim Fran-
cisco Collares, Jos Joaquim dos Sanio, Jos Gon-
galves Ferreira Costa, Jos Marianno de Albuquer-
que, Manoel Alves Ferreira, e levantou-se a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario a
subscrevi.B.irros llego, presidente.-llego Albu-
querque. Ilenriques da Silva. llego. Leal.
Seve.Mello.Gameiro.
COMMANDO DAS ARMAS.
Quariel do commaado das anuas de Pernambuco
na cidade do Recife, 8 de novembro de 186i
ORDEM DO DIA N. 12.
O coronel commandante das armas em cumppi-
mento as ordens da presidencia communieadas em
officio de 3 do corrente datado, determina que urna
brigada composta dos batalnes da guarda nacio-
nal deste municipio. I de artilharia, 1, 2o, e 3o de
infamara, e de um parque de arlilharia d 4 boc-
eas de fogo servidas pelas pragas do 4o batalho de
artilhena ap do excurciio e da companha de ar-
tifes desta guarnigo, forme em parada para as.-is-
tir o Te-Deum LaudamtU, que a 10 deste mez pelas
9 horas da manhaa, a cmara municipal desta ci-
dade manda cantar na igreja matriz de Santo An-
tonio em acgiio de gragas ao Todo Poderoso pelo
feliz consorcio de S. A. a augusta princeza impe-
rial com S. A. o r. conde d'Eu.
A brigada que ser commandada pelo o offlcal
da guarda nacional que por direito Ihe competir,
se reunir no largo Pedro 2o pelas 8 horas do in-
dicado dia, e d'aln passada revista do costume,
marchar a tomar posigo era frente da igreja
apoiando a sua a esquerda do edeflcio, e prolon-
gando a sua esquerda em direigao as ras do Ca-
bug c Crespo.
O Sr. commandante da brigada escolher os seos
empregados dentre os Srs. offlciaes dos corpos qub
arrumao.
A infamara Ir munida para dar as tres descar-
gas do estillo, e o parque para executar as salvas
de 21 tiros.
A fortaleza do Brum em segnida corresponder
a essa salva com igual numero de tiros.
Assigtiado.Joaqnim Jos Goncalres Fontes.
Conforme. -Jos Francisco de Moraes e Vascor\-
Varzea desde 1848, e
Illuminata, branca, filha legitima de Jos Lourengo f'ue c""10 esla fora,n feiIas outras em 1844 por en-
Meira de Vasconcellos, fallecido e Carolina Lms lenJe''-se 1"e sendo meramente municipal compe-
Meira de Vasconcellos. lia as cmaras, depois que pela lei provincial n.
Valfrido, brauco, lilho legitimo de Francisco Affon-'13i forara restablecidos os districtos de juizes de
00 Ferreira e Ermina Amado Ferreira. i Paz,-
Francisco, branco, lilho legitimo de Adolpho Curio oulras umitas consideragoes, e conclue de-
e .Cathariua Becci. clarando quo se dissesse a S. Exc. quo se nao obs-
Joao, pardo, lilho uaiural de Claudino Jos da Sil-: tantoas ponderarles fetas, fosse ordenada a sup-
va e Luiza Maria dos Prazeres. presso dos districtos da freguezia da Varzea, a c-
mara entende que deve tambera s -r nullificada a
divisao das demais freguezias.Assim se resolveu.
Candido Alcoforado
e supplenle Basto.
Lda, foi approvada a acta da sessao antece-
, dente.
OSr. deputa lo supplenle Antonio Jos de Cas-
tro communiea no seu offlcio de 5 deste mez, pela
sexta vez no presente anno, que nao pode compa-
recer neste tribunal para o julgamenlo para que
foi convidado, allegando desta v.-z ser suscito as
causa, em que Mr parte Vicente Alvos Machado.
O Sr. Jos B iptista da Fonseca Jnior, do sea
officio de 3 deste mez, pela segunda vez no presen-
te anno, participa tambem que nio pode aceitar o
convite que Ihe dirigi este tribunal para tornar
parte era um julgamenlo, allegando nao poder fuee-
conar como juiz em todas as causas de Vicente
Alves Machado.
O Sr. Joao Cardoso Ayres tendo sido convidado
para comparecer presente sessao para tomar
parte na decisan do feilo entre partes Appellante
Vicente Alves Muliado, appelladosPareute Vian-
na & C, ainda nao respondeu ao offlcio qoe para
esse lim se Ihe dirigi a 4 do corrente : e o Exro.
Sr. presidente ordenou que se convldasse outros
senhores supplentes.
Em eumprimento desta ordem dingiram-se ofi-
cios aos Srs. Antonio Luiz dos Santos, Jos Fran-
cisco de S Leitio e Jos Jeron>mo Monteiro.
E' a qiiarla vez no pre.-ente anno que o Sr. Joo
Cardoso Ayres nao acceita o convite deste tribunal
para tonar parte era seus trabalhos.
Foi lido peIjijEtm. Sr. presidente o officio datado
de hoje que liie dirigi o Sr. Innocencio Antones
oeFanas Torres', escrivao interino *r protestos,
icando que tendo occasio de escrever no
livro do registro de protestos do cartono a sen
cargo, encontrou a escripturago atrazada um auno
e cinco mezes; e, para que uo recaa sohre elle
alguma respon nhecimento de S. Exe.
A' vista de seminante irregularidade, verifica-
da pelo Exm. Sr. presidente que fez dito livro sa-
bir a sua presenga, dirigi o mesmo Exm. Sr. urna
portara ao escrivao efiVctivo Jom; Marianno de Al-
buquerque, ordeuaudo-ltie que MdMtan em coo-
lineote o livro do registro dos protestos de letras
a seu cargo.
Assignou-se o accordo proferido na ultima
sessao, na appellaco entre parles :
Appellante, Joaquim Francisco Duarle. como in-
ventarame dos bens de seu finado lilho Maximia-
iio Iraocisco Rigueua Duarle ; app.-llaloN Manoel
Joaquim do llego e Albuquerque e Joaquim Pedro
do llego Brrelo.
CURGMCA JUDIGI4KI4
Maria, preta, lilna legitima de Manoel Severino do
Nascunento e Rosa Maria da Penha.
Firmioa, branca, filha legitima de Francolino Eleu-
terio Ferreira Chaves e Maria Prisciila de Car-
yalho Chaves.
Joao, branco, lillio legitimo de Andr Rios c Jose-
pha Rosa do Espirito Santo.
Arthur, branco, lilho legtimo de Vicente Cardoso
Ayres e Candida Rosa de S Ayres.
Manoel, pardo, lilho legitimo de Jos Ferreira da
Cunha e Rozenda Maria da Conceigaoi
Antonio, branco, lilho legitimo de Joaquim Rabello
Bastos e Anna Rufina de Miranda.
Anna, branca, filha legtima de Joo Francisco dos
Santos e Anna Emilia de Souza.
Emilia, parda, lilha natural de Maria da Concei-
go.
Maria, branca, filha legitima de Francisco Antunes
Ferreira e Guilhermina Candida da Rosa Fer-
reira.
Luz, pardo, filho natural de Jacintha escrava.
Ermehuda, branca, filha natural de Antonia Fran-
cisca da Conceigo.
Bemvinda, parda, lilha natural de Quintina es-
crava.
Pedro, lilho natural de Alexandrina Maria da Con-
ceigo.
Jos, branco, filho legitimo de Manoel Alves de Me-
nezes e Constantina Maris do Menezes.
Gabriel, pardo, lilho legitimo de Sergio RoBniano
Gorgonio e Felioidade Perpetua Gorgonto.
Pedro, branca, filho legitimo de Augusto Pinto de
Lemos e Adelina Emilia de Lemos,
Despacharam-se as petigoes de Antonio Francis-
co de wt'Anna, Dmaso Antonio de Alcntara,
Francisco Jos Gongalves da Silva, Francisco Igna-
cio Tinoco de -"Cuza, Francisco de Barros Correa.
Jos Fernandes de Andrade, bacharel Jos Paulino
da Cmara, e levantou-se a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem, secretario
a subscrevi.Barros Reg presidente.Henriques
da Silva.Reg Maia. Reg e Albuquerque.
Leal Seve.Reg.Barata de Almeida.Mello.
Gameiro.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 31 DE
AGOSTO DE 1864
Presidencia do Sr. Barros Reg.
Presentes os -rs. Reg e Albuquerque, Ilenri-
ques da Silva, Gustavo do Reg, Leal Seve, Raraia
de Almeida, Reg Maia, Mello e Gameiro, abre-se
a sessao e lula e approvada a acia da antece-
dente.
Comparecem os dous engenheiros Dr. Gervasio
Rodrigues Campello e capitao Domingos Jos
Rodrigues, nomeados em sessao de 24 do crreme
para, era consequencia do disposto no art. o do
decreto n. 353 de 12 de junho de 1845. dar o seu
parecer sobre a conveniencia por ulilidade publica
da desapropriago da parte das casas sitas ra do
trapiche, lado do mar, perlencentes ao commeoda-
dor Joo Pinto de Lemos, e estando a vista a res-
(*) A sessao hontem publicada de 24 de agosto.
A redaecdo.
tui ii r.vi l n>o toimiiiHio
ACTA DA SESSAO ADMINISTRA-
TIVA DE 7 DE NOVEMBRO DE 1864.
PRESIDENCIA DO EX.M. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs
depulados Lemos, C. Alcoforado, e supplenle
Basto, o Exm. Sr. presidente declarou aberta a
sessao.
Lida, foi approvada a acta da antecedente.
EXPEDIENTE.
Foram Iidos dous odiaos do secretario do me-
ritissimo tribunal do commercio da capital do im-
perio, juntando as relagoes dos commerciantes que
se matricularam no mesmo tribunal no decurso
dos mezes de agosto e^setembro do corrente anno.
Accuse-se a recepgao e archive-se.
Foi presente a cotaco offlcal da unta dos cor-
retores relativa semana linda. Teve o compe-
tente destino.
Distribuiram-se aos senhores deputados, para
serein rubricados, o livro copiador da casa com-
mercial de Marques Barros & C. e o da de Carva-
lho & Bastos.
DESPACHOS.
No requerimento de Joo Licio Marques Jnior,
pedindo que se Ihe d por certido se Francisco
Joo do Barros ou nao coraraerciante matricula-
do :D-se-lhe
No de Luiz Ribeiro da Cunha, do Cear, por seu
procurador A. de Moura Rohm, pedindo que sejam
registradas as nomeagoes de seus caixeiros Manoel
Joaqnim Ferreira Jnior e Jos Doraingucs da Sil-
va :Regislre-se.
No de Fonseca Irmaos, do Cear, por seu procu-
rador A. de Moura Rolim, pedindo que seja regis-
trada a nomeago de sea caixeiro Silverio Martms
da Cunha Pinto :Registre-se.
No de Jos Lniz Duarle de Aievedo, Jos Rodri-
gues de Carvalho e Joaquim Ferreira Valente, pe-
dindo que seja registrado o seu contrato de socic-
dade em commaudia :Vista ao Sr. desembarga-
dor fiscal.
No de Joao Licio Marques Jnior, pedindo que
JUl.CAMKNTOS.
Appellantes, Guimaraes & Bastos appellados,
os curadores lista, s da massa fallida de Amonra,
Fragoso, Santos & c.
Adiado na sessao antecedente.
Foi confirmada a senteoca appellada.
Appellante, Ignacio Barroso de Mello ; appella-
do, Antonio de Azt-vedo Viliarooeo.
Adiado na precedente sessao
Reeeberam-se os embargos.
O escrivao de protestos o Sr. Jos Marianno de
Albuquerque, em eumprimento da porua que o
Exm. Sr. presidente dirigio-lne hoja a< II horas
da manhaa, exhibi neste momento o seu livro de
registro dos protestos : e sendo este examinado
pelo Exm Sr. presidente, arhou-o em dia, e ins-
cripto o ullimo registro a 29 de outubro prximo
passado.
Appellantes, o Dr. Felippe Nery Collago A C.;
appellado, Geraldo Ilenriques de Mira.
Adiado o julgamenlo a requerimento de um dos
Srs. deputados.
Appellante, Thomaz Teixeira Bastos ; appella-
dos, os administradores da massa fallida de Joa-
quim Jos Silveira.
Designado o dia de hoje.
Nao pode ser proposto por nao estar presente o >
Sr. depulado Rosa.
Appellantes, Sampao Silva 4 C. appellado.An-
tonio deAzevedo Castro.
Adiado o julgamenlo requerimento de um dos
Srs. deputados.
Appellantes, o Dr. Felippe Nery Collago di C ;
appellado, Geraldo Ilenriques de Mira.
Designado o dia de boje.
Nao pode ser proposto por nao estar presente o
Sr. deputado Rosa que juiz certo.
PASSAUENS.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amori.il, Fragoso. Santos i C ; appellado, Jos
Antonio dos Santos Fontes.
Appellantes, os administradores da fallencia de
Bastos ie Lemos ; appellado, Jesuino Machad-) Ma-
Iheiros Braga.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Res e Silva.
DISTRIBUIQOBS.
Appellante, Francisco Antonio de Brito ; appol-
lado, David William Bowman.
Appellante, Gaudencio Lopes de Araujo ; apael-
lado, Jesuino Domingues Carneiro.
Ao Sr. desembargador Reis e Silva
Appellantes, os administradores da massa fall t\
de Joaquim Francisco de Mello Santos appellado.
Augusto Frederico de Oliveira
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorm, Fragoso, Santos A C. ; appnUado o
conego Firmino de Mello Azdo.
Ao Sr. desembargador Silva GnimarV.v
Appellante, Francisco Antonio de iirito ; appel-
lado, David Wiiliam Bowm-an.
Ao Sr. desembargador Accioli.
Nada mais havendo a tratar,' o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sessao 1 hora da Urde.
mnKjVAli n\ BEL %c lo.
SESSAO EM 5 DE NOVEMBRO.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. COlfSBLHKIRO
. SOl'ZA.
As 10 horas da manhaa, presentes os senhores
desembargadores Santiago, Gitiraoa, Lourenco San-
\
MUTILADO



Diarlo > PerHiteaeo ... marta lelra O de Xovembro de 1 te4.

Sebastiao Jos
appellado, Jos Mery da
appellado, Jos Martins
Mara Luiza da
llago, Almeida e Albnquerque, Assis, Doria, Motu
Domingues da Silva, fallando o Sr.deserabarga-
dor Ucha Cavalcanti, abrio-se a sessao.
O Sr. desembargador Guerra, procarador da co-
roa, nao compareceu.
Passados os feilos entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JULGAMENTOS
Mecimos crtmes.
Recrreme, o juizo; recorrido, Joao Jos de
Araujo. .
Relator o Sr. desembargador Santiago.
Sorteados os senhores desembargadores Dona,
Assis e Domingues da Silva.
Improcedente.
Rororrente, o juizo ; recorrido, Jos Peres Cam-
pello de Almeida.
Relator o Sr. desembargador Domingues da
Silva.
Sorteados os senhores desembargadores itirana,
Dona e Motta.
Improcedente.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Manoel de Car-
valho Paes de Andrade.
Relator o Sr. desembargador Gitirana.
Saneados os Srs. desembargadores Lourenco
Santiago, Motta e Doria.
Improcedente.
Habeas-corpus.
Mandaram soltar por ordem de habeas-corpus a
Vicente Poncino Ferrcira.
Appellacoes crimes.
Appellante, o juizo; appellado, Antonio Peretra
Santiago.
Improcedente.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Vicente
Ferreira.
Perempta a acensara".
Appellante, o juizo ; appellado,
le Azevedo e outro.
Improcedente.
Appellante, w juizo
Silva.
A' novo jury.
Appellante, o juizo
Vianna.
A' novo jury.
Appellante,' Luiz Manoel Flor ; appeliada, a
justica.
Improcedente.
Appellante, o juizo ; appellado
Cenceico.
A' novo jury.
Appellaule, Jos Flix Rodrigue; appellade, o
juizo.
Improcedente.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Lopes de
Araujo.
Improcedente.
Appellante, Jos FranciscJ Pereira ; appella-
da, a Justina.
Reformada a sentenca para o grao medio.
Appellante, o juizo"; appellado, Manoel Carlos
de .ouza.
Improcedente.
Appellante, Manoel Severino dos Santos ; appel-
lada, a justica.
Improcedente.
Appellante, o juizo ; appellado, Daroiao Louren-
co de Medeiros.
iullo o processo.
Appellacoes civeis.
Appellante, Joo Maria Paes Rarrelo ; appella-
do, Jos dos Santos Neves.
Confirmada a sentenca.
Appellanle, Luiz Antonio Annes Jacome appel-
lado, Francisco de Salles Cardoso Lima.
Confirmada a sentenca em parte.
Conceaeu-se ordem de habeas-corpus a Tertulia-
no Antonio Francisco para o dia 12 do crrente,
as 11 doras do dia.
DILIGENCIAS CHIMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica
A appellacao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco de
Almeida Calado.
DESIGNADO DK DA.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
As appellacoes crimes.
Appellante, o juizo; 'appellado, Estevao Jos
Ferreira.
Appellante, o juizo j appellado, Antonio Jos
Leocadio.
Appellante, o promotor ; appellado, o escravo
Cosme.
Appellante, Antonio Justiniano Rarbosa de Lima;
appellado, o juizo.
, As appellqrru'ei-tizes.
Appellante,Vaeid; appellado,
de Rrito Taborda.
Appellante, a cmara municipal;
fimandade de S. Pedro.
Appellante, Jos Joaquim Goncalves Rastos; ap-
pellado, o tenenle-coronel Justino Pereira de Fa-
rias.
Appellante, Jos Maria da Silva Ferreira; ap-
pellado, Domingos Rernardino da Cunha.
Appellante, Antonio Alves Vianna ; appellado?,
eo. Kenwortb & C.
UIL1GENC1AS OVIS.
Com vista ao Exm. Sr. desembargador procura-
dor da cora
A appellacao civel.
Appellante, D. Joanna da Silva Medeiros; ap-
pellada, a fazenda.
Com vista ao Dr. curador geral
A appellacao civel.
Appellante, Mara Ignez da Silva ; appellada,
Tbereza Catliartna da Onceico.
IASSAGBNS
O Sr. desembargejor Caetano Santiago passou
ao Sr. desembargador Gitirana
As appellacoes crimes.
Appellante, o promotor ; appellado, Joo Fer-
reira de Lcenla Jnior.
Appellante, o juizo ; appellade, o escravo Luiz.
A appellacao civel.
Appellante, Jos Alves Rarbosa ; appellado, Pe-
dro Semeo da Silva.
Ao Sr. desembargador Almeida e Albuquerque
A appellacao civel.
Appellante, a viuva de Joao Vieira da Cunha ;
appellada, a fazenda.
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
desembargador Lourenco Santiago
A appellacao crime.
Appellanle, o juizo ; appellado, Antonio da Con-
eelcao.
A appellacoes civeis.
Appellante, Gaspar Cavalcanti de Albuquerque
Ucha ; appellado, Antonio, por seu curador.
Appellante, Antonio Joaquim de Vasconcellos
appellado, Osear Destibaux.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
Ai appellacoes crimes.
Appellante, Leoncio Pinto de Mello ; appellada,
a justica.
Appellante, Alexandre Pereira de Souza Tava-
res; appellada, a justica.
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Pita Ba-
callar e outro.
Appellante, o juizo ; appellado, Martinho Bar-
bosa de Mello.
As appellacoes civeis.
Appellante, o cnsul portuguez -, appellado, Ma-
noel Jos Leite.
Appellante, Joao Lopes Cavalcante ; appellado,
Jos Antonio de Mendonca.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellacao civel.
Appellante, Jos Marcelino Alves da Fonseca;
appellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Almeidae Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
As appellacoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Joao Lourenco
de Sauta Arma.
Appellante, D. Anna Francisca de Brito ; pppel-
lados, Zeferino Jos Coutinho e outro.
Appellante, o juizo; appellado, Jos Marques
de Lima.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Doria
A appellacao crime.
Appellante, o Juizo ; appellado, Tertuliano Na
zario da Rocha.
As appellacoes civeis.
Appellanle, Jone do Reg Barros Accioll; appel-
lado, BentoJos Ramos de Oliveira.
Appellante, Gaudencio Goncalves Chaves ; ap-
pellado, Martinho Gomes da Silveira.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
bargador Motu
A appellacao crine.
Appellante, Procopio Gomes Abbade; appella-
da, a justica.
A appellacao civel.
Appellante, bacharel Bernardo Duartc
appellado, Manoel Francisco Ribeiro.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Ucba Cavalcanti
As appellacoes crimes.
Appellante, Jos Gomes de Oliveira Jnior t ap-
pellada, a justica.
Appellanle, o juiro ; appellado, Roque Bent oda
da Silva.
A appellacao civel.
Appellante, Antonio Gomes de Albuquerque
appellado, Guilherme Augusto de Miranda.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao Sr.
desembargador Caetano Santiago
A appellacao civel.
Appellante, Joao Paes Brrelo de Lacerda ; ap-
pellado, Manoel Ignacio de Albuquerque Mara-
nho.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellacao civel.
Appellante, padre Jos Antonio dos Santos Les-
sa ; appellado, Jos Pinto de Magalhaes.
A' l) horas da tarde encerrou-se a sessao.
DnHn.' Hr0Aa L".U?lna-,50. publka dc">ade ^Idrama-oi Martijres da Germana, \u\gi
Brandao, RtoFormoso por lempo detrvs annos, a contar do satisfeito a espectat.v. publica, couhece
u_~. J.*T?'*?J*5 "5? **. em erro. visuTa concurrencia que cada
PUBLICARES A PEDIDO.
Ignacio Luiz
appellada, a
Devendo ter lugar no dia 10 do corrente o
Te-Deum e mais festejos que os Pernambucanos se
dignain fazer pelo feliz consorcio da nossa Prince-
za Imperial; pede-se ao Exm. Sr. presidente da
provincia se digne dar as providencias necessa-
rias afim de se fecharem as repartieses publicas
como aconteceu na capital do imperio.
Pillas Yegetaes assncaradas de
Kemp.
Entre as innumeraveis classes de plalas que
continuadamente se aununciam, as pilulas vegetaes
assucaradas de Kemp s que se pndem consi-
derar como o prototypo dos aperitivos caseiros,
completamente eflkazes e absolutamente inof-
fensivas. Na sna composicao nao entra nm
s nico alomo de nenhuma substancia mi-
neral. Constilue, pois, o nico remedio neces-
sario para os desarranjos do estomago, irregu-
laridade do ventre, constipacao habitual, affecgoes
beliosas, dyspepsia e todas as enfermidades dos
entestinos, predominantes nos climas calidos.
Tomadas tempo evitam infallivelmente os mor-
tferos flagellos epidmicos e cademicos das regioes
intestropicos. Sao as nicas pilulas que se vendem
em frasquinhos de crystal e a capa assucarada que
as cobre conserva suas virtudes e as torna mui
agradavels o paladar.
Acham-se em todas as boticas do mundo e em
Pernambuco as tojas de Bravo & C e de Caors &
Barbosa.
COMMERCIO.
Cotaces of Qclaes.
PRACA DO RECIFE
8 DE NOVEMBRO DE 1864
Cambio sobre Londres 90 d/v. 27 0|0 d. por
15000-
Dubourcq Jnior, presidente.
Guimares, secretario.
N0V0M0
DE
JPE It V-t 31 BUCO
EM 8 DE NOVEMBRO DE 186'*.
G banco descoma na presente semana a dez por
cento ao anno at o praso de quatro mezes, e a ooze
por cento at o de seis mezes, faz eraprestimos
sobre ttulos commcrciaes, e saca sobre a praca
da Baha.
Alfandega
Rendimentodo dia I a 7........ 164:3863033
dem do dia 8................. 27:2392U6
costeio de cada lampeo em 291 ris
julgando ter j
que eslava
que cada vez mais
se augmenta ; e v-se por isso obrigada, para con-
". i tentar os apreciadores de to magnifico e espen-
As posoas que se propozerem a esta arramatacao dido espectculo, a declarar que continua a fazer
comparecam na sala das sessoes da mesma junta subir scena, at que estejaro completamente sa-
nodia cima mencionado pelo meio dia, competen- tisfeitos, o excellente e moral drama em 3 actos e
avahado o
por dia.
temente haDilitadas, aonde encontrarn as coodi-
c5es da mesma arrematado.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de outubro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
DEGLAIA(0ES.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra precisa comprar oseguinte :
Para os educandos artfices na cidade de Ma-
nos.
1 ophecleid de d.
1 dito de sib.
I clavicor em mb.
1 dito de sib.
2 pistons em sib.
2 trompas a pistons.
2 Saxofern.
2 clarinelos em sib.
4 tringulos.
2 flautas em r, de cinco chaves.
6 pares de pelle para bombo.
Para o arsenal de guerra.
2 lenees de ferro de 1/8 de grossura.
2 ditos de dito de 1/2 dito de dito.
20 quintaes de (erro inglez em barra de 11/2
pollegada e 3/8 de grossura.
8 ditos de ferro redondo de 3/8 de grossura.
8 ditos dito de 1/2 pollegadas.
1 dito dito de 2/8.
5 arrobas pregos francezes de 2 pollogadas a 2
e meia.
As pessoas que quizerem vender taes artigos
apresentem suas propostas em carta fechada na
secretarla do conselho administrativo s
do dia 14 do crreme.
5 quadros
OS
MRTIRES
com todo o seu machinismo e accessorios.
Dar fim ao espectculo a nova e graciosa come-
dia em 1 acto
IIIIOER
BE
DOUS
MARIDOS.
Comee ara s 8horas.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHLA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sul esperado
at o da 14 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, commandan-
te Alcanforado, o qual depois
da demora do costume seguir
do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
10 horas ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
Sala das sessoee do conselho administrativo pa- ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
1 de guerra, 7 de no- tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
191:6255241
Huvlusciito da alfandega
Voluntes entrados com fazendas..
com gneros.
Volumes sabidos
com
eom
fazendas...
gneros...
34
763
103
37a
797
478
Dcscarregam no dia 9 de noveubro.
Brigue inglez- Harmslonmercaduras,
-umaea hespanholaPaulavinhos.
Barca ingleza- Ronald-mercadorias.
Barca inglezaAnncarvo de pedra.
Barca americanaJ/e/inutaboado.
Escuna hanoveriana- ioanne Frederickferro.
ImportacSo.
Patacho nacional Clises, entrado da Baha, con-
signado a Tasso limaos, manifestou :
2,100 alqueires farinha de mandioca ; aos mes-
mos.
Barca ingleza Ann, entrada de Cardi, consig-
nada a Wson A Hetle, manifestou :
27o toneladas de carvao ; aos mesmos.
Barca americana Malino, entrrda de Boston,
consignada a ordem, manifestou :
220,694 ps da taboado de pinho, 19,375 estacas
e 15,000 pegas de madeira, 14 caixas preparagoes
para matar bichos; a ordem.
Recebedoria de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 7........ 5:712,8486
dem do da 8................. 429*215
ra fornecimento do arsenal
vembro de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto.
Coronel presidente.
Sebastiao Jos B. Pyirho.
Vogal secretario.
Quarta-feira 9 do crreme, (inda a audiencia
do Illm. >r. Dr. juiz municipal da 2* vara, tem de
ser arrematado ara pequeo sitio no lugar do Bar-
ro, freguezia dos Afogados, com duas pequeas ca-
sas de taipa, arvoredos de fructo, tendo cada casa
porta e jauella, com a frente para o sol, 1 quarto e
cozinha fra, tudo avaliado em 400$, penhorado a
Manoel Goncalves Telles e sua mulher, por execu-
co de Maria Francisca Olympia Baptista.
Crrelo geral.
Pela administrarlo do correio desta cidade se
faz publico, que de cooformidade com o decreto n.
187 de 13 de maio de 1861 e respectivas instruc-
coes, teve hoje lugar o processo da abertura das
cartas atrasadas pertencentes ao mez de outubro
de 1863, condemnadas consumo pelo art. 138 do
regulamento dos crrelos de 21 de dezembro de
1844, assistindo a esse processo o negociante Ma-
turiuo Barroso de Mello. Desta abertura resultou
acharse ires cartas com documentes que ficara
descriptas era livro para este fim destinado ; sendo I rata-se com o seu consignatario E. R. Rabello, ra
urna de Florinda Rosa de Jess (de Portugal) para I da Cadeia n. 5o, escriptorio.
Antonio Monleiro da Cunha com urna certido de | Potq a Pm+n
Para o Rio de S. Fraucisco.
Pretende seguir at o dia 10 do corrente a escu-
na nacional Carloti, com a carga que tiver :
quem nella quizer carregar ou ir de passagem
trala-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
da Cruz n. 1. ______ ____________
PARA
o Para
E esperada do Rio de Janeiro em poneos dias a
galera Mindello, e depois de pouca demora neste
porto seguir para o Para, para onde recebe carga
a frete coinmodo : quera quizer carregar, pode ep-
tender-se com os consignatarios Palmeira & Bel-
trao, largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
Para Lisboa.
Sahir com brevidade o patacho portuguez ufa-
ra da Gloria recebe carga frete e passageiros:
O brigue portuguez Umao, sane com muita bre-
vidade por j ter a maior parte de seu carrega-
mento prompto, e para o resto que anda falta tra-
ta-se com o consignatario Jos Joaquim Lima Bai
rao, ra da Cruz n. 18.__________________
Para o Hio de Janeiro
idade, outra de Joaquim Pires da Mlva (de Carum
b) para Domingos Facundo do Castro Menezes
com urna certido, e outra finalmente de Joo Jos
Solsona (da Parahyba) para Antonio Ignacio Jor-
dao com urna procuracao. Por ultimo proceden-
se ao queima de todas as mais cartas, de que se
lavrou o respectivo termo, que o que se segu.
Correio de Pernambuco 5 de novembro de 1864.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda. E esperado em poucos dias o brigue nacional
Termo do consumo das cartas em ser pertencentes Almirante, o qual j tem parte de sua carga enga-
ao mez de outubro de 1863. Jada i Para resto que Ihe falta e escravos a fre-
Aos 5 dias do mez de novembro de 1864, na te> P3 s Quaes tem excellentes commodos, trata-
saia da administrado do correio de Pernambuco, se com os seus consignatarios Antonio Luiz de Gli-
achaodo-se presentes o Sr. administrador e the- veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
soureiro Domingos dos Passos Miranda e mais em-1 Cruz n. 1.___________________________________
pregados abaixo declarados, procedeu-se em vir-
tude do art. 138 do regulamento dos correios de
6:14i701
Consnlado provincial.
Rendimemododiala7......... 6:7074463
dem do dia 8................. 3:9954009
10:7034132
MOYIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 8.
Ass 5 dias, patacho nacional Relmpago, de
241 toneladas, capitd Luiz Antonio Rodrigues'
equipagera 10, carga sal ; a Araonm Irmo.
de guerra
Americo B.
Macei3 das, palhabote nacional
Cayru', commandante 1." tenente
Seliado.
Rio de Janeiro 20 das, lugar porluguez Julio,
de 374 toneladas, capito Francisco Antonio
Merielles, equipagem 13, carga farinha de man-
dioca e outros gneros; a Thomaz de Aquino
Fonseca Jnior.
Nao houveram sahidas.
21 de dezembro de 1844 o consumo de 2S3 cartas
e_I6 jornaes, sendo 69 selladas n 181 n I jornaes
nao sellados, na importancia de 274178, <%ie nesta
data tica descarregada ao mesmo Sr. administra- i
dor e thesoureiro, como consta da factura.
E para constar se lavrou este termo em que as-
signaram o referido Sr. administrador e thesourei-
ro e empregados abaixo declarados.
Eu Eduardo Finnino da Silva, ajudante contador
que o escrevi.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Os offlciaes papelistas,
Luiz de Franca de Oliveira Lima.
Ismael Amavel Gomes da Silva.
Vicente Ferreira da Porcfumcula.
O praticante,
Agnello H. Araujo Pernambuco.
O porteiro,
Manoel Marinho de Souza Pimentel.
Arsenal de marinha.
O arsenal de marinha contrata carapinas, ser-
ventes e remadores para o servigo das obra^ o do
arsenal.
Inspeceo do arsenal de ma nha de Pernambu-
co 7 de novembro de 1864.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra, precisa comprar os objectos
seguintes:
Para o presidio de Fernando.
1 lata, aguars.
i barril, alvaiade fino.
2 arrobas, colla da Babia.
1 barril, er.
1 dito, gsser.
1 dito, oleo de linhaca.
100 libras, pao de ouro.
24 piuceis linos sortidos.
12 ditos, ditos dito para traear frisos.
2 libras, pomas de Paris, ou pregos de rame
de urna pollegada.
Para o As su
segu com muita brevidade o hiate Dous limaos
a tratar com Tasso Irmaos.
COMPANHLA. BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado des portos do norte
at o ata 18 do corrente o vapor
Apa, commandante Carlos Anto-
nio Gomes, o qual depois da de-
mora do costume seguir para
portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
; carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio de Janeiro segu com muita bre-
vidade o palhabote brasileiro Artlittr, recebe car-
ga a frete : a tratar no escriptorio de Amonm Ir-
maos, ra da Cruz n. 3.
EDITAES.
A cmara municipal desta cidade, desojando
que o Te-Deum que se tem de cebrar era accao de
gracas pelos desposorios da augusta prlnceza im-
perial com sua alteza o conde d'Eu, seja solerani-
sado do modo o mais brilhante, e recelando que al- propostas em carta fechada na secretara do conse-
cumas lias npssnas i imam n minHm, nmniii.. .. : -n....... a_____,_- i. .
2 ditas, ditas de dito, ou ditos de dito de Vi
2 ditas, ditas de dito, ou ditos de dito de urna
pollegada.
4 praochoes de cedro.
1 arroba, secante.
10 duzias, taboas de louro.
2 arrobas, tinta verde em massa.
4 ditas, vellas de cera branca de Lisboa de mela
libra.
20 cadernos, papel de Hollanda pautado marca
pequea.
6 resmas, dito almaco greve.
12 ditas, dito dito pautado.
6 duzias, pennas lapis linas.
4 ditas, ditas ditas ditas de cores.
Panno de algodo do tecido na provincia propno
para ensacar _la, dous rollos grandes, ou quatro
pequeos.
24 caixas, pennas de ae.j das mais finas que
houver no mercado.
(Juem quizer vender estes artigos aprsente, suas
O brigue escuna Graciosa, vae seguir em poucos
dias ao Para, pode receber algumas miudezas :
consignatario Antonio de Almeida Gomes, na ra
da Cruz n. 23, primeiro andar.
LEILES.
LEILAO
ME
Quarta-feira 9 de novembro, s 11 ho-
ras, ra da Cadeia n. 53 armazem
DE
Urna casa terrea n. 19 A sita ra do Socego.chao
foreiro, edificada ha pouco tempo, tem 2 salas e
2 quarto-, cosinha fra, cacimba meeira e quin-
tal murado, rende 2404 por anno.
Pelo agente Euzebio se vender a casa terrea
como cima descripta pelo maior preco que se
acbar, s chaves se acham na casa junio n. 21.
De
LEILA
gumas das pessoas a quem se mandou convidar
nao tenham recebido as respectivas cartas por
qualquer motivo, declara pelo presente que sao
convidados para assistir ao mesmo Te-Ueum que
devela ter lugar s 11 horas da manhaa do dia
10 do corrente, na igreja matriz de Santo Antonio,
as primeiras autoridades da provincia, o Exm. Sr.
vigario capitular, e os clrigos de todas as ordens,
os titulares, os senadores, deputados geraes e pro-
vinciaes, o corpo consular, os magistrados o Exm.
director, e lentes da Faculdade de Direito e os das
aulas, de preparatorios, os chefes das repartigoes
publicas e seus empregados, os offlciaes da guarda
nacional e os de 1' linha, os negociantes matricu-
lado-/) corpo eleitoral dos municipio, e os cidados
condecorados de todas as ordens.
Pago da cmara municipal do Recife 8 de no-
vembro de 1864.
Luiz Francisco de Barros Reg, presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem, secretario*.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provn
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 8 do corrente, manda fazer
publico, que no dia 10 de novenibro prximo vin
douro, perante a junta da fazenda da mesma the
souraria se ha de arrematar a quem por menos fi
Iho s 10 horas da manhaa do da 9 do corrente
mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo, 3 de
novembro de 1864.
Anom'o Pedro de S Brrelo,.
Coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrh,
Vogal secretario.
TIIEATKO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA
GERMANO & GOIHBRA.
Recita e&traordina-la.
QUARTA-FEIRA, 9 DENOVEMBRO DE 1864.
Tendo querido a empreza retirar da scena o
SEItl Til HITE
Quarta-feira 9 do corrente s 10 horas
em ponto.
i
10 barricas com a verdadeira graia
em boies n. 97.
O agente Pinto far leilao por conta e risco de
quem pertencer de lO barricas com boies de
graxa n. 97, seudo o seu tamaoho em dupMeato
ao costume, no armazem de J. A. Moreira Dias,
ra da Cruz n. 26.
LEILAO !
DE
Urna taberna.
Rna da Senzala Aova n. 9.
BOJE.
Quarta-feira 9 do corrente s 10 Loras
em ponto.
CORDEIRO SIMO ES
far leilao requerimento de Joaquim Francisco
da Silva Jnior e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz
especial do commercio dos gneros, armaco e
utencilios da taberna cima referida, em um ou
mais lotes a vnntade dos pretendentes.
liencillos de hotel
Depois de effectuado o leilao da taberna cima
dita o mesmo agente tem de expdr era leilao os
utenciliofi do hotel rua da Cruz n. II, requeri-
mento do mesmo e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz
do commercio.
Trastes e outros artigos de casa
HOJE
Quarta-feira 9 do corrente s 11 horas.
Cordeiro SimSes far leilao de diversos movis,
crystaes, machinas para costura, secretarias paraj
Typoqraphia L iberal
Os senhores que forem rredores da tTpograpdia
Liberal queiram apreseniar seos (linios, t fnl-
quer especie, ao Sr. Leodegano Asiento *b Ot^ti-
ra, na mesma lypographia, ra das Flores i.
0 cirur#iao Leal raudou
a sua residencia da roa do
a ra das
escriptorio, quadros", espelhos, relogios, charutos. OlfilTTlfldrt nnrl
miudezas e outros muitos artigos de oslo como ;^^UaUU F<*
sej^auraa rica mesa redonda toda de pedra mar-, TUZeS SObradO II. 36, piT-
Ser effectuado no armazem ra da Cadeia do TYlPirn mili'ir
Recife n. 48. !"*cuu "LUldl,
DE
5(i0 caixa* com massas de Italia.
HOJE
E. A. Burle A C. faro leilao por conta c risco
de quem portencer e por intervenco do agente
Pestaa de 500 caixas inclusive 100 meias cora
massas sortidas raacarro, talharim e aletria mul-
to novas as quaessero vendidas em lotes a von-
tade dos compradores : quarta-feira 9 do corrente
pelas 10 horas da manhaa no armazem do Annes
defronte da alfandega.
LEILAO
Da
Casa de buhar da rna do imperador
junto a ordem terceira de S- Fran-
cisco.
O agente Almeida competentemente autorisado
levar a leilao a casa de bilhar do ra do Impera-
dor constando de 2 buhares ltimamente forrados
cora todos os seus pertences, bancas de pedra, um
rico flttjiro de amarello envidracado, e.-pellio, qua-
dros gamo, bancas e mais objectos constantes da
relago que se acha em poder do mesmo agentn,
bem como o titulo pelo qual o dono possuidor
de dito estabelecimento o qual se acha desembara-
do de fmpostos.
SeitafeiraU docorrenlcsll horas.
LEILAd~
DE
Movis como
sejam;
Urna mobilia de mogno a Luiz XIV com um so-
f, 1 mesa oval, 2 consolos com lampos de pedra,
2cadeiras de bracos, 2 ditas de bataneo e 18 de
guarnicao, 1 guarda vestido de mogno, toilet, 1
toucador de mogno, 2 commodas, 1 cania de mog-
no, 1 candelabro de crystal, 2 casticaes e mangas,
3 candieiros a gaz para cima de mesa, 1 cama
franceza, 1 guarda roupa, 4 mesas do amarello, 2
ditas de louro, 2 cabidos, bandeijas, candieiros e
muitos outros objectos pertencenies a urna casa de
familia.
Sexta-feira 11 do corrente-
Ra da Cadeia n. 36.
O agente Pinto far leilao por conta de urna pes-
soa que se retirou desta provincia de todos os mo-
vis cima descriptos, existentes no armazem da
rna da Cadeia n. 36.
Principiar as 10 horas.
LEILAO
DE
369 saceos de assucar
O agente Olympio vender em leilao no dia II
do corrente ao meio dia em ponto no armazem do
Illm. Sr. barao do Livramento no caes d'ApoIlo,
por ordem do Sr. capitao E. Becker, do navio
hamburguez Adelbert, com autorisacao do Illm.
Sr. inspector da alfandega e em presenta do Sr.
cnsul de Hamburg 369 saceos de assucar mas-
cavado, avadado d'agua salgada, na occasio
quando o dito navio encalhou na sua sahida deste
porto para o de Liverpool.
LEILAO
DE
996 saceos de algodo proprios para
asaltar.
(Variados.)
O agente Pinto far ieilae por conta o risco de
quem pertencer de 996 saceos, parto dos fardos
marea M. T. B. avariados a bordo do vapor inglez
Gladiator, s 11 horas do dia cima no armazem
da ra da Cadeia n. 36.
Urna mobilia de Jacaranda, 1 armnico, 1 relogio
de parede, urna machina para lavar roupa, 2 con-
solos com lampos de pedra e espelhos, ricos qua,
dros com finas gravuras (gosto inglez) candelabros-
1 silhao, 1 selim Inglez e 1 dito para corridas, can-
dieiros a gaz, 1 cama franceza de Jacaranda, ditas
de ferro, 1 excellente mesa para advogado, com-
modas, mesas, cadeiras, mochos, mesas com pe-
dra s, 2 pecas de esteiras para forro de sala, louc-a,
vidros e outros muitos objectos existentes no arma-
zem da ra da Cadeia n. 36.
Sexta-feira 11 de novembro as 10 ho-
ras em ponto.
O agente Pinto far leilao por conta de um es-
trangeiro que muda de residencia, de todos os ob-
jectos cima descriptos, no dia e hora cima dito,
no armazem do sobrado da ra da Cadaia n. 36.
AVISOS MYEBSOS.
Instituto Arclieologico e Geo-
graphico Pernambucano.
llavera sessao ordinaria quinta-feira, 10
do corrente, s 11 hora da manhaa.
ORDEM DO D1.4.
Votacoes adiadas;
Pareceres e trabalhos de commisses'
Secretaria do Instituto 8 de novombro
do 186i.
J. Soares d'Azevedo,
_____________Secretario perpetuo.
UA
Aos 10:000$OQU e 3:000s000.
Sabbado 12 do corrente mez, seextrahi-
r a primeira parte da primeira lotera
(115a) a beneGcio da matriz de Nossa Se.
nhora do Rosario de Goianna, no consistorio
da igreja de Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
renda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000^000 at 201000
serao pagos urna hora depois da extracto
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
8eguinte depois da distribuic5o das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Soaza.
por cima do
armazem Progressista, aon-
de o achanto como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pr&-
fissao, chamado por escripta
Club Pernambucano.
Acham-se abortos na quinta fe ira a noile
10 do corrente, os ales do club para as fa-
milias dos socios que quizerem assistir aos
festejos que terSo lugar noCampoifaiPrin-
cezas.
imli>i:\c-i.%
DE
Jos Frauchco Braalt
Sao convidado* lodos os senhores redo-
res da massa fallida d> Jf Francisco Bran-
dao, para comparecerem na sala das au-
diencias, s 11 horas da manha do dia '.i
do corrente, em que ter lugar a reaoto
para se tratar do project de concordata ou
d'i contrato do uuio. Os senltnres credo-
res que nao comparecen-m sero considera-
das como adherindo a qualquer concordata
quefor apresentada.
Recife, 8 de novembro de 1864.
_______Leopoldo Ferreira Martins Ribeiro.
Illm. Sr. Dr. rhefe de polica.O bartwrrt Tk>-
m Fernandes Madeira de Castro, advoca* dos
auditorios desta cidade. teodo sido eix-arrfffaofo
do palrocioio de diversas caosas crimes OMI
por parte de Manoel CartN I^ltao de Alboqoer-
que, em que o mesmo ora reo e ora lea de ser
autor, acootece que se indispoodo eom o *at>pli-
caute o bacharol Cuilherme Cordeiro CoeJbo CMra,
juiz municipal do termo de -rinhiea. no fiero
co actualmente da vara de direito da comarca do
Rio Formoso, onde taes qnesldes tem de ser enti-
ladas, a ponto de fazer provorac.oes publica* ao
supplicante, pelo receio que Ihe inspira a raa
preseoca nesses negocios, na qnalidade de advoca
do que sabe respeitar sua missao, por quanio, an-
te a luz do dia Ihe ser patente a maneira crimi-
nosa porqne elle se ha portado, protestando aquel
les que eram seus co-ros no mesmo crime, man-
dando corear engenhos para prender o constituin
te do supplicante. ao passo qne com elle de cubil-
en esteve em um bolel no povoado-i; imeleira, a
em outros lugares; priso illegalmenle ordesada
por Ihe ter sido concedida a nanea, forcaado por
tudo isto o supplicante a repelli-lo com energa em
urna das ras mais publicas desta nJarfe. lanrando
lh em rosto os seus crimes e o pr>wv.lun provado : e por tudo *to recejando o sopplir.ink
que actos altentatorios sua segoraora iodivutaa-
e outras picardas sejam postas em pratira I
referido juiz ou seus agentes, aflm de viajar-so
daquillo que justamente merecen, vem rnenerer e
V. S. se digne dar as providencias quejulgar acera
ladas, no sentido de que taes actos se nao pran
quem, ou pelos menos lha conceda iicenea para
andar armado, quando tenha de viajar por aqeOa
comarca, satisfazendo o supplicante us direifos que
por taes liecncas impe a le.
Nesles termos pedo a V. s. se digne defenr-lhe
em qualquer das hypotheses apresentada*.E. R.
M.O bacharel Thom Fernandes MaAeira de
Castro.
Nesta data se passam a dar as providencias ne-
cessarias no sentido do que reqaer o snpnfirante
Secretaria da polica de IVrn.unVuro, 7 de anvem-
bro de 1861Sitra Mornes.
Ao amanheeer do dia 0 .le outubro do cor.
rente anno de 1864, furtaram do cerrado do en
genho Aldea, da freguezia do Rio Formara nm
quarto de carga do mesmo engenh, o ana!
ruco ponibo, grande, rastrado, nao auto, km no
ollio esquerdo una belide, o po'ieo oa anda v.'
pelo dito olho, tem um callo velho no rpinnicji.
lugar em que teve urna Mina, levou o topete cor-
tado rente, carrega Laixo, e tem i iirapneo no
lado direito da anca o ferro do engenho em tettras
maiusculas como aqu se v ALOE A. Adver
tese que os cavallos assim ferrados, nao sao tro-
cados nem vendidos, e os que forem eneontrados
som ser servir do mesmo engeoho sao luna-
dos, c de vem ser apprehendidos ; portanlo ruga-
se s autoridades policiaes, c mesmo qoalqoer
pessoa do povo, que sendo encontrad.) cMm ca-
vallos sejam appn heudidos e remeltidos an adnu
nistrador daipiello engenho ou ao abaixo aman-
do propnetario do mesmo engenho. que rende na
cidade do Recife, ra do Hospicio n. 50. CidaaV
do Recife, 26 de outubro de I86VCieUno Jos
da Silva Santiago.
O abaixo assignado. faz ver ao respeta?''
publico, que no dia sexta-feira 5 do rorrea, -
II lloras da noile, a Sra. Raymnnda Pires de Mi-
rara, solTreu grande insulto, arcominem.lo por un.
visinho, junto sua residencia, na roa do Senhor
Bom Jess das G muas, na freguezia do Saatbsimc
sacramento do bairro de Santo Antonio do Rerife
sendo que o mencionado visinho depois de fcuer
grande sussnrro, buscn o inspector de qoarteir.
Angelo Vctor, e o trazeodo com sigo, baieram na
porta da sobredita casa da mencionada Raymnn-
da ; quando esta abri dita porta, entrramos da,
isto o visinho junto com o insperioc, dirn a
voz de priso, aquella a quem o visiaho romni t-
teu bastantes in.-ullos, romo provo rom c* mais
moraderes deste quarteiro e pessoas do publico
que no conflicto se achavam. O furioso insperior
puchou pelo braro aquella a quem linha dado *uz
de priso, e baM 'ando-a sobre a calcada, aeitea-
Ihe os ps, espaccando-a assim sem piedade,
do neste conflicto compareceu nm otfirial de
ga, que seu rogo, pedia moderar ; pora, nao
obstante c.-ie pedido, o insuporlavel inspector aan-
dou o dito a** oflirial calar-se, e prenden por
erdem do subdelegado, soltando dej.is hit soa de-
liberarlo, sera consenso da autoridade por quem
dera a voz, levando lo somente para ser enraven-
rada a infeliz Raymunda, pisada nao s do inspec-
tor como lamhem do dilo visinho Jos de lal, Por-
tuguez, padeiro. morador na casa n. 30 da roa que
cima flea dito.
Jos ilum do Monte.
{ E. Becker, capito do brigue escuna
hamburguez Adelbert, legalmenle con-
demnado neste porto, precisa fretar um
navio ou tomar lugar em alg m navio, para
levar parte do carregaraento do dito navio
Adelbert a saber carga de 669 saceos al-
godo e 189 couros seceos salgados deste
porto para o de Liverpool. Os pretenden-
es podem dirigir as suas proposlas em
carta fechada ao capito no consulado de
Hamburgo ra da Cruz n. 4, al o dia 11
do correnle ao meio dia.
Precisa-se de um ofllcial de baibeiro : na
ra da Cruz n. ol.
O que so disse em o Diario de 38 de
ultimo relativamente a qnestao dos pontos da i
trucc/io publica na parte, em qne trata das cade;
ras de Vicencia, Iiamarara e outras, nao se deve
entender rom a cadeira regida por mea mano o
professor Possidonjo da Rocha Pereira, qne M pm-
vido para Itamarac em 1830 e hahetrtad ea
1867 em virlude da lei de 14 de maio a> MSS ;
poca em que era secretario da iostraeco publi-
co o Dr. Francisco Pereira Freir. Recife 7 de
novembro de 1864.
Elias da R. Pereira
Pncin ce de urna preta, qne de manhaa
venda verduras, e de tarde bolinhos : na ra do
Cotovello n. 2o.
Alugam-se baratas urnas meias aguas na
entrada dos portos da travs das Barrara*
bairro da Boa-vista : a tratar na rna do Cotovel
lo n. 25.
Preci>a-so alugar
zinhar e engommar :
n. 41.
urna preta qne saina ca-
na roa da Pataca, taberna
Precisa-se de urna ama para rasa de priora
familia, prefere-se forra : na ra da Cruz do Re-
cife n. 9.
O abano assignado como tem de se retirar
para Eurapa a tratar de sua saiidc, vende n sea
deposilo no largo do Carmo n. 5 : a
mesmo.Jos Antunes de Azererto.
tratare
Festa
Alnjta se nm pequeo sido rismho ao de Sr
Joa.;.Alves Mchalo em Sea' Aan. 8.a pera de
banhn, c o lugar bas:anlemenle andavel ira-
ta-se na casa de banho da roa da Cruz a. 17
/
.


MUTILADO



Diario de fera\__fooeo Qaai-ta felra de \ovembro de im.
DE LICORES
A' ra das Cruzes n. 3G.
Sendo a primeira neste genero tanto pela variedade de suas produccoes como pela perfeigao !
do seu trabalho, os respectivos proprietarios reclamam a atlengao do publico pcdiado a sua protec-'
Cao. Encontrarlo os freguezes o seguinle :
Licores de todas a* qnalidades inferiores a 200 rs. a garrafa.
Ditos ditos finos a 40m rs. a garrafa.
Genebra de laranja a 8 a duzia.
Dita em botijas de superior qualidade a 200 rs. a botija.
Dita de canella a 500 rs. o fraseo.
Agoardente de todas as qualidades a 200 rs. a botija.
Alcool de 37 graos (espirito de vinho). Prego variavel.
Agradavel e burato
Agoa de colonia qoe se vende em porches a vontade do freguez.
Pos de arroz em caixinhas a 400 rs.
Pos dentifricios em caixinhas a 400 rs.
Balsamo para a conservacao das gengivas e para tirar o mo hlito da bocea a 8 JO rs. o frasco
Tonito para a conservacao dos cabellos e para a caspa a 800 rs. o frasco.
Pastilbas peitoraes a 15 a libra.
Destruico dos ratos.
Caixinhas com pos para o envenenamento do ratos o melhor qae se tem descob6rto, tanto
por ser de prornpto effeito como por nao precisar precaugo cora as pessoas de casa.
CftlN QVlQAQg Hff MERCADO. M
VIHHQS
Vinho tinto sem confeico
30,000 I: H AMCORETAS DE 8 CAADAS 30,000
nico deposito em emanibuco roa da Cadeia n. 1.
Esta nova qualidade de vinho recebida directamente de diversos lavradores de
Torres Novas (provincia da Estremadure) como attestam os bilhetes do caminho de fer-
ro que trazem os carros, provando sua origem e procedencia, recommenda-s a todas as
pessoas que queiram ter a certeza de beber vinho puro de uva como o que se bebe nes-
sas trras aonde nao panetrou ainda o espirito de falsilicacao. E' preciso que o publico
se convenga de que os vinhos que aqu se importam nao vindo directameate do lavrador
chegam pela niaior parle ou quasi tod-s sobrecarregados de preparos nocivos saude
causando bem graves transtornos no apparellio digestivo
O amioncia.ite offerece a anaiyse dos professionaes.sta nova qualidade de vinho tt"SfimtttttS**SR
que expoe a venda, e da um premio de \ :000| a quem descobnr no mesmo algum cor- t0 da laja do mesmo sobrado, ou uo de n. 13 da
po estranho a nalureza da uva de que feito. mesma ra.______________________________
N. B. Para evitar a falsificaciio, o annunciante declara que o nico proprietario Precisa-se alugar urna escrava que saiba co-
e importador deste vinho o qual vende somonte no seu armazem da ra da Cadeia do zinhar, engommar e vender na ra, s
Reoil'e n. i.
RA 110 IMPERA-
DOR N. 22
Grande armazem de Untas.
Tem a venda :
1 Productos chimicosmedicinaes os
mais importantes em medicina.
2. Productos chimicos e utensis
para photographia e outras industrias.
3. Todas as materias e ulensis
empregada na pintora a oleo e a col-
la-para pintores, tintareiros, euver-
nisaderes, douradores e vidraceiros.
Joo Pedro das Neves,
Gerente.
Aluga-se urna ama que saiba bem cozinhar e
de boa conducta, preferindo-se escrava : na ra
estreila do Rosario n. 32, primelro andar._______p
Na praga da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro. prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert._______
Precisa-se alugar um escravo para comprar
e fazer outros servicos de casa de pouca familia 3
na travessa da Madre de Deus, armazem de Barros
& Silva.
i
DENTISTA DE PARS
19Roa Nova -9
Frederco Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operagoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridade e perfeigao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos denuncio.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C
Agente* do Banco l'niao do Porto.
Competentemente autorisados sacam por
os paquetes sobre o mesmo Banco para o
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
todo
Porto s
Casa para alugar na ra do Crespo.
Aluga-se a principiar em Io de Janeiro prximo
Pars Frederic S. Ballin & C.
HajDburgo Joao Gabe fe Filho.
Barcellona Francisco Raboba Ballista.
Madrid Jaime Meric.
Cdiz Crdito commercial.
Sevilha Gonzalo Segoria.
Valencia M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez. Castello Branco. Guimarles.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilhaa. Lamego.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. Mongao.
Braganga. Evora.
Faro. Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
meis. Porto-alegre. Setubal.
Pena fiel. Thomar. Vianna do Cas-
Tavira. Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Portimo. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
No^impkrio.
Baha. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista,podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a rano de 4 por cento ao anno : a tratar
na rHa da Cruz n. 1.
0 subdito francez G. de Laillucar parle para
o Rio de Janeiro Precisa-se
le um forneiro boa : na padaria
em Santo Amaro, atraz da fundigao do Sr. Slarr.
A muito acreditada fabrica de licores, de Soarcs A IrmSo, inuJou-se para a ra
das Cruzes n. 36, onde foi o armazem Progressista.
Neste estabelecimento aprompta-se com aceio e brevidade qualquer enconaenda
tanto para dentro Ja provincia como para ion della-
EncontrarSo os freguezes todas as qnalidades de bebidas espirituosas fabricadas
com todas as regras d'arte; nao se usando de prepararles venenosas para poder vender
barato. Vende-se em porces e a retalho, tamo engarrafadas como a medida.
Licores de todas as qualidades ordinarios e fines.
Genebra em botija.
Dita de laranja que vende-se tambero por medida.
Agoa-ardente de todas as qualidades.
Espirito de vinho (alcool; de 37
CAPIL
De superior qualidade e de diversas finetas, assim como o da muilo apreciare!
orebata.
UPA FEITA
ABHAZEH
DE
.N
^
O abaixo assigeado leudo perdido urna letra
da quantia de l: 100-3 sacada pelo annunciante e
aceita por Benlo Jos Domingues, e garantida pela
firma social de Alfredo de Albuquerqne Martins
Pereira fi C., previno ao mesmo aceitante que a
nmguem pague seniio ao sacador Jos Teixeira da
Costa.
4D-
>d*
Companha fldclldade de
seguros martimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companha de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
Existe para alugar duas casas na ilha de
'Bemfica, com commodos para familia, banho na
porta : a tratar na rm larga do Rosario u. .'16.
OSr. Pompilio Cavaleanli de Mello, acad-
mico di o anuo, tenha a bondade de apparecer no
largo da matriz de Santo Antonio n. 2. ______
Precisase saber a residencia da Sra. viuva
de Francisco JosTavares, que ainda ha pouco mo-
rava na na do Cotovelln n. 16, aim de lhc ser en-
tregue urna encommenda._____________________
Aluga-se o silio que fui do tinado Domingos
A. Gomos Guimaraes, no Caldeireiro, confronte ao
do Sr. Dr. Jos Bernardo Gal vilo Alcoforado, com
ptima casa de vivnnda, cocheira, etc., etc. : a
tratar com T. de Aquino Fonseca Juuior, na ra
do Vigarie n 23, primeiro andar.
Ensiao de preparatorias.
O Dr. F. N. Collago, tendo de leccionar a seu fi-
lho em inglez e philosophia, admitte alumnos, que
pelo tempo das ferias queiram frecuentar urna ou
outra destas disciplinas, assim como arilnmetica e
geometra : os pretendentes dirijam se ra do
Imperador n. 89, primeiro andar.
Precisa-se alugar um escravo para o servigo
de um pequeo sitio; a tratar no mesmo, ra do
Trompe n. 2.
Aluga-se um mulato moco para todo servigo
de casa tanto interno como externo, muito Gel e
diligente, adverto-se que tambem serve para al-
gum estabelecimento.
Prec5a-se de um menino de 12 a 14 anuos,
que tenha pratica de taberna : na ra larga do
Rosario n. 3:'
m\ di miw
AOS 10:000.000
Bilhetes garantidos
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixo assignado vendeu nos seus muito Mi-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a oeuedoio do tbeatro de Santa Isa-
bel, os seguintes premios:
X. 1186 dous quartos com 6.0005090
N. 798 um meio com 1:4004000
E outras muitas de 2005, 1005, 405 2i>5 e 105-
Os possuidore podem vir receber sem os des.
nn.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
)0 n. 23.
Acham-se venda os da primeira parte da
orimeira lotera a beneficio da matriz de Goianna,
|ue se extrahir no da 12 de noverabro.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios......... 65000
Quartos........ 35000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115000
Meios......... 555O0
Quartos......, 25750
Manoel Martins Fiuza
conducta, paga-se bem
primeiro andar.
na ra das Cruzes n. 36,
3-RL'A ESTRSITA DO R0SARJ0--3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes arificiaes tanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparagoes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
Alexanlr.1 da C inlii Coelho Catando, mora-
dor na ra de Santa Thereza n. 18, offerece-se pa-
ra afinar e deiur cordas novas em piano por cora-
raodo oreco. _____________________________
__ Frecisa-se de umiama que cozalie e com-
pre, para urna casa de pouca familia : na ra de
Hortas n. 130.
esappareceu ha 5 das, do lugar do Forte
do Mattos, urna cabra (bicho) de signaes, mamas
pretas e braucas, cuja cabra anda d algum leite
por ter dous cabritos tambem desapparecidos, e
da mesma cor da catira, dos quaes um delles com
emires pequeos: portaoto roga-se a quera souber
dirigir-se ao referido lugar, ra da Boia n. 12,
primeiro andar, que ser generosamente recom-
pensado.
Aluga-se
ama casa na ra do Mondego n. 69, com bastantes
commodos : a tratar na ra da Cadeia n. 57.
__ Anin!' Joaquim de Mello, estabelecido na
ra Direila esta cidade n. 6. declara ao corpo de
commercio e a lodos em geral, que Jos da Costa
Carvalho Guimares deixou de ser seu caixeiro
gerente, e por isso jamis poder o mesmo contra-
tar cousa alguma em nomo do annunciante : e de-
clara igualmente que fica em subslituigo a aquel-
lo, o Sr. Joaquim Ferreira Coelho.
Joaquim de Souza de Oliveira faz sciente ao
respeitavel publico para que ninguem compre e
nem venda Anna Jacntha de Oliveira, a qual
nega seu proprio nome, e diz charaar-se Anna Joa-
quina do Sacramento, casada com o dito Oliveira
e se intitula viuvinha honrada d3 Allemo. '
__Precisa-se de urna mulher para fazer venda
de porta para Tora, ainda que seja livre ou escra-
va mas que seja fiel : a tratar com Domingos Ro-
drigues da Costa, ra da Conquista n. II.
15BlJ4iniALi95
Isaac Esnaty
Fabrica do rap imperial.
Isaac Esnaty tem a satisfa$ao de participar ao
respeitavel publico que se acha estabelecdo na ra
Imperial n. 193 com fabrica de rap denominado
RAPE' IMPERIAL, cujo rap fabricado igual ao
rap de Lisboa, c muito melhor por ser mais tni-
co e muito mais agradavel e convencido o fabri-
cante da superiondade do seu rap, pela experien-
cia de trinta annos que tem deste genero, e demais
o certificado junto para mais seguranca dos com-
pradores o fabricante fica responsavel pelo bom
resultado do seu rap, garantindo ao mesmo lempo
o dinbeiro do comprador que por accaso nao gos-
lar (o que positivamente nao de esperar) e seudo
este precioso rap digno do prego de tres mil ris
a libra porm como o principal desejo do fabrican-
te de ganhar crdito em lodo o imperio e tam-
bem para chamar alinelo dos amantes da boa pi-
tada como tambem dos exportadores deste genero
tanto para o mato como para outras provincias, li-
mita smente o prego reduzido de mil ris por li-
bra a retalho c em porcao de 10 libras a 900 ljs
e em porcao de 50 libras a 850 ris e em porcao
de 100 litjras a 800 ris e em porcao do 1000 libras
com o descont de cinco por cent ou a tres mezes
do prazo firma garantida assim o fabricante espora
a concurrencia dos senhores compradores em re-
muneracao da boa pitada examinada, approvada e
afliangada.
O fabricante franqneia as mosrra>Jgrntis) do
seu rap lanto na fatirica como tambem Ipos dep-
sitos roa da t.ruz n. 31 loja uo sr. Rapliaol ra
Direita n. 14 taberna.
Brev-mente apresentar a venda publica outro
rap fabricado igual ao que se fabrica nesta e ain-
da para melhor, como tambem : rap princeza,
rap grosso e meio-grosso, tudo a precos muito
mais reduzdos para mais animar os senhores ex-
portadores deste genero.
N. B. Nos dias de sabbado a fabrica nao se
abre.
CERTIFICADO.
Certifico que submettendo a exame a amostra
do rap denominado Imperial, que apresentou a
t esta reparticao o ->r. Isaac Esnaty, fabricante resi-
As pessoas q>ie mandaram concertar violoes I dente na ra Imperial, casa n. 193, declaran o pe-
na ra das Calcadas n. 33, queiram ir buscar no rito nomeado para esse fim, o Sr. Pedro Maurer,
prasodeoito dias, do contrario serao vendidos para que nao havia inconveniente algum em ser expos-
to venda, attento a que nenhum permeio nociso
comprometa a saude.
Iospecloria da sade publica, aos 5 de outubro
de 1864.
Dr. Ignacio Firmo Xavier,
Inspector da sade publica.
Trapiche da Gamboa
Ajandegado por carta imperial de 26
de marco de 1863.
Esle^antigo e importante estabelecimento, um
dos mais bem montados destarOrte, com vastsi-
mas caxias para arrecadagao de assucares e ou-
tros gneros nacionaes ou estrangeiros todas cor-
tadas por trilhos de ferro assoalhadas e forradas
de madeira com guinchas em todas ellas para ar-
rumago e safamento de gneros, com urna ponle
sobre o mar, de 600 palmos de extensao, com p-
timos guindastes, um pessoal muilo pratico neste
srvgo, propoe-se a armazeoar assucar em caixas,
feixes ou barricas pelo tempo de seis mezes por
40 rs. em arroba e em saceos 30 rs.; as madeiras
de qualquer qualidade que forem nelle depositadas
pagaro pelos primeiros seis mezes o mesmo que
actualmente pagam por tres mezes nos demais tra-
piches e dos semestres que se seguirem terao um
abatimente de 20 por cento ; recebe por pregos
muito mdicos qualquer mercadoria comprebendi-
da na stima tabella do regulamento das aifan-
degas.
A venda dos gneros nelle depositados, faz-se
com as mesmas vantagens que offerecem os mais
trapiches porque as condigoes para qualquer parte
da cidade sao pelo mesmo prego.
Rio de Janeiro, Io de outupro de 1864.________
1M 3)1) $9HmiSD
UETRSXKO VEJROE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feiu de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melbores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senboras,
.. homens e meninos,
em gerai, qn" deaTe" o da 9 de agosto prximo Mfi q9SKM e pann0 preto, 350 e 3000001Ditos de setim Pret0-
r^ruo^ *M00 Ditos ** **-
JaciBtho Cesar, que gvrava sob a firma de Cesar Si f Paletos dem e de cores, 2o#,
200, 15(51 e......10,5000
Ditos de casemira, 20(5, 15)5,
120, 105 e...... 70000
Antonio Joaquim de Carvalho Menezes avisa
ao respeitavel corpo do commercio e ao publico
/?~"-"fc?-\
TNSia
pagamento dos ditos concertos.
Urna boa casa terrea para familia
est por alugar-se i ra da l'niao n.
39 : quem pretender dirija-se ra
ida Aurora n. 10. Tambem alugam-
se as lejas n. 44, ra da Aurora.
Aluga-se urna casa terrea na ra Augusta n-
91, com 2 salas, 4 quartos, cozinha fura, quintal e
cacimba : a tratar na ra das Cinco Pontas n. 140,
ou no caes do Ramos n. 4.____________________
Offerece-se urna mulher para lavar e engom
mar com perfeigao : na ra do S. Francisco, ou-
tr'ora Mundo Novo n. 48.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e
fazer todo o servigo interno de casa de pouca fa-
milia : na ra da Concordia n. 38.
Aluga-se urna casa no Cachang, sita no lu-
gar do Sertaozinho, raargem do rio : a tratar na
ra da Cadeia Velha n. 27, loja._______________
Criado e ese ra o.
Na ra do Hospicio, sitio a. 8, casa terrea com
porta.i de madeira, precisa-se de um criado de bons
costumes: c tambem secompra um escravo de 12
annos para cima, que nao tenha vicios nem acha-
ques.
O dono da antiga fabrica de charutos e ci-
garros, sita na esquina da ra de Hortas n. 1, ten-
do feito reduego nos pregos de suas mercadorias,
convida aos seus freguezes a virem honrar seu es-
tabelecimento com devida protecgo de que carece
por se adiar com um variado sortimento de cigar-
ros e charutos Anos dos autores mais acreditados
da Baha, cachimbos, fumo para os ditos, fumo em
folba. fumo americano, dito dito em latas, e diver-
sos artigos para os fumantes, em quanto a quali-,
dade e prego garanie-se nao prejudicar os fre-
guezes.
Aluga-se um sobrado de um andar, altos e
baixos, para morada de urna familia, no bairro de
Santo Antonio: quem tlver annuncie.
COMPENDIO DOLOROSO
Dores; o raedo de resar e offerecer a ce-
r6a, um setenario e mais outros exercicios
Menezes, e tem admetiido dessa data em diante co- i
moseu socio a Belmiro Pessoa Esteves da Silva, |
ficando igualmente snjeito a todo o activo e passivo :
da dita padaria que gvrara sob a firma de Mene- ]
US & Silva.
Antonio Joaquim de Carvalho Menezes.
Quem precisar de urna ama com bom e abun-1 j
dante leite, dirjase a praga da Boa-Vista, bolica
numpro 6.__________________
Menezes iSi Silva declara ao corpo do com-
mercio e ao publico em geral, que eslao liquida-
das todas as transaegoes que haviam da exlincla
firma Cesar & Menezes._______________________
Precisa-se de um caixeiro al a idade de 14
annos, que d fiador a sua conducta : na ra do
Rangel n. 8, deposito. __________ '
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar,
para casa de homem solteiro : na ra Direita n.
78, re.fmacao.________________________________
Aluga-se urna casa assobradada, com a quar-
tos, 3 salas, quintal mnrade, sendo a primeira sala
forrada de papel, cacimba com agua de beber, na
ra do Progresso n. 14 : a fallar na na da Praia,
armazem de carne secca n. 34 juuto a ribeira do
peixe._____________________________________|
Se o MUtonei que faz o Sr. Arcenio Antonio
da Cunta Miranda sobre o sillo dos Torroes, na
fregnetla da Varzea, e se o que pertence a D.
Alexandrina Perpetua de Jess Maia. porque nao
consta que tenha outro la com esse nome, deca-
ra-se em tempo que ella nao autorisou a ninguem
para o vender.______________________________'
+ Ao publico.
phael Fernandos branles, morador na ra
ox n. 31. deca que por Iho no vonvir dei-
i ter em deposito o rap r.nnunciado pelo Sr.
Esnaty, e que entregou no dito senhor o ra-
posiiado sem que fizesse venda alguma, e que
por este licam completamente nullos os tres an-
nuncios eslampados neste Divio a tal respeilo.
Pelo presente se. convida aos ir raaos da Se-!
nhora Sant'Anna da irmandade erecta na igreja da
Santa Cruz, para que comparegam no dia 10 do
. corrente, as 7 horas da noite, no consistorio da
I mesma, aim de proceder-se a eleicao da nova me-
sa regedora, ficando os mesmos irmaos c rtos de
que se nao comparecer como tem acontecido
por varias vezes, a eleicao se far com o numero
dos rtaos pivsenfes.O secretario,
Francelino Eleuterio Ferreira Chaves.
Attencao
A abaixo assignada faz publico as autoridades
competentes que de tres castaas de taipa que
possuio o finado seu marido Jos Ferreira, na tra-
vessa do Frailas, a de n. 16 tem um p de coquei-
io no fundo e foi em praga por execugao da fazen-
da, e a* de n. 14 e 12 demolidas, existe o vo de
60 palmos, e que lhe pertencente a posse. fican-
do responsavel a fatenda da quantia de 265696 :
as-im qualquer pretndeme as mesmas ierras be-
neficiadas pelo dito seu marido Jos Ferreira, din-
jase tratar com a viuva, na ra do Amorim nu-
mero 13. _.,_
Ignacia Mana do Carrao^____
dfl ditos e seda branco,
60 e.......
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 00. 50 e
Colletes de fust3o e brim bran-
2)5509
Ditosde alpaca, 50,408 3,5500 co, 30500, 30 e
Ditos ditos pretos, 90, 70, Seroulas de brim de linho,
50, 40 e......30500 204ao e......25000
Ditos de brim e ganga de c- I Ditas de algodo, 10600 e. 10400
res, 40500, 40, 30500 e. 30000 Camisas de peitos de linho,
Ditos branco de linho, 60, 50 e 40000, 40, 30 e...... 20500
Ditos de merino preto de cor- Ditas de madapolo, 20500,
dao.100, 70 e..... 50OOO 20e........ 10600
Calcas de casemira preta, 120, ; Chapeos de massa, pretos fran-
100, 80 e...... 700001 cezes, 100, 90 e. 80508
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e. .
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e do
20000
70000 Ditos defltro, 50, 40,30500 e
; Ditos de sol, de seda, 120,
40000 110,70 6......60O
Collarinhos de linho fino, ulti-
40000! na moda duzia. .
i Sortimento completo de grava-
205001 tas.
20500 Toalhas para rosto, duzia, 110,
cores, 90 e 70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
\ Ditos de casemira preta, 50 e 40000 tos e de cores.....
Ditos de ditas de cores 50 Lences de bramante de linho.
| 40 e........ 30500 Cobertas de chita chineza.. .
^^ps__tf>.W^_*__S_P*'*K*'
60000
60000
40000
30000
20500
UN19.
10 LARGO DO TERCO 10
Esta nova padaria aborta ao publico (e perto da estacio do caminho d
ferro), acha-se montada com espaco mais que suficiente para poder fabricar com
limpeza -e aceio toda a qualidade c quantidade de bolacha, pao, bolachinhas. bis-
coitos e todas as macas que se desejar a procos mdicos e razoaveis.
O dono do estabelecimento nao poupar exmeos para bem servir ao publico
1 e aos seus amigos e freguezes, asseverando-lhe desde ja que so empregara faiinhas es-
colhidas e das melbores que vierem ao mercado, ou das que receba de conta propria. >
Ao publico em geral e aos seus amigos em particular pede que experimenten!,
para se convenceren) do que assevera em seu annuncio.
Joaquina Caetano de Carvalho.
PRIMEIRA E ANTIGA CASA FELIZ.
PORTUGAL.
PORTO.
Precisa-se de urna pessoa que se encarreue .
do servigo de urna cocheira ; a traiar na ra Bella |
numrroo.__________________________
De orden do director da sociedade theatral
Oliudense, convido a todos os mombros da mesma j
para urna sessao em assembla geral, as o horas
da tarde do dia 9 do correnie.
Olinda 7 de novembro de 1864.
Belarmino Pereira de Oliveira,
i' secretario.
No trapiche da companha, praga do Corpo
Santo n. 19, precisa-se alugar dous escravo* que
sejam mogos, possantes e fiis, e conforme o ajus-
te, podero dormir em casa da pessoa que os pre-
tende.
Precisa-se de ama ama para comprar, cosi-
nhar e engommar : na ra da Cadeia n. 19.
Precisa-se de um rapaz que tenha pratica de
taberna : na ra do socego taberna n, S6._______
De ordem do Sr. juiz, de novo sao convida-
dos os irmaos da irmandade das Almas, erecta na
igreja matriz de Santo Antonio do Recife, para que
comparegam no consistorio da mesma irmandade,
no dia 11 do corrente as 6 horas da tarde, aim de
se proceder a eleicao da nova mesa regedora.
Consistorio da irmandade das Almas, erecta na
na matriz de Santo Antonio, 9 de novembro de
1864.
O esc ri vo,
______________Joao Bahtista do Reg.
Precisa-se no hotel italiano a ra do Trapi-
che n. Si, de um criado ou criada, prefere-se es-
de piedade e devocao; ordenado pela ir- craro___
madade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Attentfo.
OfTereeese por venia urna padaria livre e de-
Penha do impenal hospicio dosreveren- sembaragada com todos os seas pertences, como
dos padres miSs5onariOS apostlicos Captl- telheiros, forno e mais utencilios, sita na ra do
Chinhos italianos de PernambuCO, a ppro va- Mondego n. 47, muito afreguezada, com grande
drinorS M I miP Dad- euarde: dado casa para familia, portao separado, perto de em.
aoporb. M. I., queutUS giwiuB, ud u grande quintal o todas as comraodidades
a luz por devocao do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messioa.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
*la praga da Independencia
precisas; vende-se com 2 escravos velaos ou sem
elles : a tratar na mesma.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
I camboa do Carn n. 8 : n ra Nova n. 47, luja'
Adnatracao.
Contina a estar fgida a escrava crioula, de
nome Joaquina, fula, alta, muito falladeira. e mui-
to conhecida nesta cidade e na villa do cabo, pelas
pessoas que frequenlam a casa de seu senhor.
Admira-se, como esta escrava vai constantemen-
te sambas; no saigadinbo, passeia por toda esta
cidade desfargada, j de timo saia a balo, (como
tem sido por vezes encontrada) sem que algoraa
autoridade policial, inspector de qaarteiro, ronda,
soldado de polica, ou capilo de campo, que cora
a leitura dos annuncio, qae constantemente sao
publicados neste jornal, nao a teoham capturado,
ou dado noticia ? Suspeila-se, e com fundamento
qae ella est em companha do criado Jacob, l
pela Capunga, titulo de forra ; peis este Jacob
qoando criado do Sr. P. Rafael de Mello Rege, na
ra da Aurora, a tinha seduzido para ir para sua
companha, e logo que deixoa de ser criado do
mesmo Sr. Mello Reg, desapparecea tambem a
escrava, qoe grande falla tem feito ao servigo da
casa de sua senhora.
Protesta-se desde j proceder judicialmente con
Ira quem a ti ver homisiada- Roga-se por tanto as
autoridades policiaes, capites de campo ou ouira
qualquer pessoa, que erapregaera es meios com-
petentes para dar noticia da referida escrava, on
mandar leva-la a casa de seu senhorPalacete da
ra da Aurora, do visconde da Boa-Vista.
Offerece-se urna ama para cosinh.tr e mais
algum servigo interno de alguma casa de familia :
quem qnizer dirija-se roa da Imperatriz n. 41,
se dir.
Desja-se fallar aoSr. Antonio da Silva Gu-
maraes, na travessa das Cruzes n. 14, a negocio
que nao ignora.__________________- '
Sitio.
Aluga-se um sitio na estrada do:
Monteiro, proprio para passar a festa
>u por anuo com urna excellente ca-
sa contendo duas salas, um gabine-
te, 5 quartos, cosinha fora, e.-inba-
ria, cocheira para carro, casa para fetor, dita pa-
ra escravos, cacimba d'agua doce, tanque para ba-!
nho, sendo todo murado, com coijueiros. jaqueiras
e mais de 150 ps de laranjas de diversas quali-
dades : os pretendentes acharo com quera tratar
na ra do Imperador n. 71, primeiro andar. j
Joaquim Das Pinheiro Larangeira e J >aquim
Antonio Larangeira fazera sciente ao respeitavel
publico e cora especialidade ao corpo de commer-
cio, que nesta data dissolveram amigavelmente a.
sociedade qae tnhara na taberna da ra do Rosa-
rio da Boa-Vista n. 2, que gyrava sob a razao so-
cial de Pinheiro & Larangeira, ficando o ex-socio
Joaquim Dias Pinheiro Larangeira na posse do
estabelecimento para o genr como seu proprio de
hoje em diante, e obrigado a liquidagao do activo
e passivo da extincta firma como nico responsa-
vel. Recife 5 de novembro de 1864.
Joaquim Dias Pinheiro Larangeira.
Joaquim Antonio Larangeira.
Aluga-se um andar terreo na ra da Palma'
n. 66, e outra casa terrea na ra do Caldeireiro
n. 37 ; a tratar na ra do Imperador n. 9._______
Aluga-se a casa terrea defronte da Igreja do
Manguinho n. 24 : a tratar na ra da Madre de
Dos n. 14.
Roa das Flores, ns. 1 e 3 (junio igreja da Misericordia.|
PLANO
CHINDE L0TER11 DE HESMMU.
CUJA EXTMCCO TERA' LUGAR NO DIA 23 DE DEZEMBRO DE 1864.
PREMIOS
4 de .................................. 300:000
i de ................................ 400:000
1 de .'.'.".................................. SO:000
2 de 20.000 pesos fortes..................... 40:000
8 de 10.000 ditos........................... 80:000
15 de 5.000 ditos............................ 75:000
30 de 1000 ditos........................... 60:000
106 de i.000 ditos........................... 106.000
HOOde 500ditos........................... 1.030:000
99 aproxmagSes de 400 pesos cada urna, para
es 99 nmeros restantes da centena que obte-
nha o premio de 300.000....................
99 ditas de 300 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que ebtenha o premio
de 100.000...............................
99 ditas de 200 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que obtenha o premio
de 50.000...............................
2.999 reintegros de 100 pesos para os 2.999 nmeros
caja terminago seja igual i do que obtenha o
premio de 300.000........................
(UMOprmkM em 30.000 bilhetes.................' 1250:000
PESOS FORTES
39:600
19:760
19:800
299:90
MOEDA POBTlCUEZA
OU ItS.
270:0004000
90.OO0JU00
4.':000008
36:09O_O00
72:0003000
67:5001000
.Vi-.OOOJO
9: 4004000
945:0004000
35:6404000
26.7304000
17:8204000
269:91040090
2.000:0004000
PRECOS EM MOEDA FORTE.
Bilhetes interros.......a 1084000 || Quintos de bilhetes....... a
Meios bilhetes.........a 544000 || Decimos................a
214600
104800
Casa de campo
No Monteiro a denominada Cana Fstula,
aluga-se para se passar a festa ou annual-
mente : trata-se na loja n, 8 da ra do Cres-
po esquina ila do Imperador______________
luga-se urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I. M. Reg, na ra do Trapiche n. 34.
JOS IGNACIO FERREIRa RORIZ,
COM LOJA DE CAMBIO E BILHETES DE I.OTERIAS.
Afanmdo no governo civil do Porto, em confvrmdae do edital
de 28 dejunho de 4860.
Satisfaz com promptidao todas as encommendas qae lbe sejam feitas, mesmo em
grande quantidade e pelos precos cima indicados, vindo acompanbadas do sea importe; e
ao fim da extraegao remelle a lista dos premios.
Para informacSes, e pedidos no escriptorie da ra da Cruz, n. 19.
MUTILADO


Diario e rtrmtmhue* ... Quai'a teira S ate .\ovetul>ro de i84.
A molestia u infec3o pecec
rali conbeckla pelo nomede lis-
crofula uta dos males mai-a
prevalecentes e universal que
lia em toda a extensa lista das
enfermidades de que soflresse
genero humano : disse um no-
bre escriptor da medicina que
mais de urna terca parte de
iadvbgdo Jos deGdoy Vasconeellos
pode ser procurado na na estrella do
Rosario n. 31, das 10 s 3 horas da tarde
dos das uteis.
PaSIASj
IDE PEPSINA!
CLUB PER\AnItUCA\0
todos aquea que morrem antes J^^J* de sembr
da velh.ee sao victimas, ou d.re Clubolernarabucan0^^J-
ta ou indirectamente da Kscrofu- lgg4
la :por
os-
-DE WASMAN
As pastilhas digestivas com a pepsina de ff
man, empregao se com successo ba j aleu'ns
annos pelas celebridades medicaes de Pars
Londres, Vienna, etc., em todas as incommodi-
dades em as quaes a digesto difficil, penosa
de OUtubro de ""perfecta ou mesmo impossivel: eis o melhor
remedio para curl as
[O Dr. Francisco Pires Machatl..gg
Portel la
MEDICO OPERADOR
PELA
Facnldade de Paris
[ Pode ser procurado ra Nova
44, segundo andar.
n*3
Gnutralglaa.
MiNpcpMlaa.
Emba uro gatrleoa.
A KiiNtrlte.
Aa affeeeea organl-
r do 'lmago.
Dlarrheaa e a comsII-
paeao produililan
peina clnbararora
mento.
n.
si nao e t3o des.
yicva, porm a principal causa de mui-
rs outras enfermidades que nao lite sao ge-
ralmente attribuidas.
E' urna causa directa da phyhisica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affecedes do cerebro: Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falla de appetite ; o semblante pal-
udo e s vezes incitado, s vezes de tima
alvura transparente e outras corado e a- Consultorio medico-chirurgico na ra lana de Ro-
marellcnto ao redor da bocea ; fraquea e sario n. 20
molleza nos msculos: disgestao fraca e' ODr. JoSo Ferreira da Silva regressando sua S^S^TJt^^St^S^^
appete irregular, falta de energa, venlre **a continua em o exercieio de sua proflsso, transformado dos^mS a^imiiS11"*
inchado c evacuado irregular,; quando 0 gif0 na Par,e med,ca com '^bem na durar-' mm*Ttt&E SS^SSSS
mal tem seu assento sobre os pulmoes, tima --------:-----------: .--------------------- KSt^S aca v>vlfica o sangue e os drgaos
rr axnlaria mnoino.oa nm rnHa iIao r,lhr,c Secretaria tlil SOCIf.dadft iMfMn %ta,*rle1"c.< alh Pessoas que $em sofTrer as
affecces gstricas cima mencionadas sao nica-
mente fracas ou d'um temperamento um nouco
Em todas as molestias empregao-sc a miude as
aguas alcalinas, especialmente a anua de Virhu
c igualmente-as pastilhas de Vicliy. Esse meio s
efficaz quando se trate de dispepsias de curta du-
racao, mas o prolongado uso das aguas e pastilhas
de Vtchy, tem grandes inconvenientes, por nuanto
os alcalinos empobrecen! o sangue e isso de tal
manan que Ibes arreblhSo a parte vivificante
nutritiva e reparatriz. Com a pepsina, a contrario'
COmo C auma si.htliWia (.: n..._ V""i
Grande liqnidaco de fazt-ndas de todas
as qualidades para se apurar dinbeijo, vende
se baratissimo na loja e arraaiem da Arar, ra
da linperitrii n.50, de Lourenco Pereira Mtn-
des Guimares.
AO BARATEIRO DA ARARA.
Vende-se cortes de chitas de cores fizas com 10
covados a 2*400 e 3*200, corles de cambraia de
salpicos a 2*500, 3*000 e 4*000 para acabar : na
ra da lmperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende eassas a 240 n.
A ende-se eassas para vestidos a 240, 320, 360,
e zw o covado, organdys de lindos costos para
vestidos a 320, 360 e 400 rs. o covado : na ra da
lmperatriz n. 56.
Corles de la a Mara Pia a 8& 120, flj. ei6.
\ ende-se corles de la com barra, os propia-
mente a Mara Pia a 8*, 12*, 14* e 16*000, ditos
A AGU
tem barra a 6*000 : na ra da lmperatriz, loja da
,?""' .de Mendes uimaraes. | ba de receber os s'eguintes objeetos MrabapUaa-
A Arara vende alpaca para vestidos de senhora a: dos:
rua do Ove imada n. 8
RECEBEU:
Bonitas caixinhas de madeira envernisadas, com
finas perfumaras.
Outras depapellaode diversos tamaitos e igual-
mente bonitas, tambem com perfumaras.
Lindas cestinhas de vidro com ditas.
Caixinhas imitando tariaruga com ditas.
IMas com 6 e 12 frasquinhos de iheiros.
Objeetos para baptisados.
A Aguia Branca, na ra do Queimado d. 8, ac-
laria da sociedade Recreativa S?2S
(or) llantina.
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgos digestivos, os olhosj
tornam-se avermelhados : o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca
tetras etc.
as pessoas de disposi^ao escrofulosa ap- der-s'e eleicao de 2 seeretariol "bem como'Tra" ^f imP<>rtante. 0 successo das pastilhas
parecem frequentemente erupcoes na pelle ,ai*-se da discussao dos estatutos que tem de reger a.PePslna Wasman diu causa a se fazerem fal-
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-,a mesma sociedade- i ^muiosse CJ?oT!^dles% produ?,? ^ os
dispostas s alfeJes dos pnlmL, do f,ga- _________ Faslino SSSSi S^SS^ ?>BUfB
ao, OS rmse dos orgaos digestivos e Ule- g I ede^i7^T7hrtilo ZZZ3Z----r----------- alterada. Seremos ao abrigo d'este inconvenientf
rinos. Portante, nao smente, aquellos!a Eur?pa7*** Sbd"e alleniao relirase Para !^^rPra^eas^S
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
tidos de senhora a 360 rs. o covado, lazi-
nhas para vestidos de senhora a 320, 360, 400 e
500 rs. : na ra da lmperatriz n. 56, loja da
Arara.
As colchas da Arara de 2$.
Vendem-se colchas de damasco para cama a 4J,
ditas de chita a 2*000 : na ra da lmperatriz nu-
mero 56.
A Arara vende corles de caicas a 1,5600.
Bonitos e bem bordados vestuarios de cam-
braia.
Ditos e modernos cbapozinhos de setim e toucas
bordadas e enfeiladas.
Sapatinbos de setim e merino muito bem bor-
dados.
Meias de seda e fio de Escocia, brancas
tadas.
e pin-
Toucas e sapatinbos de laa, obras muito bem
fetas.
Bonitas caixinhas
Vende-se cortes de caira de brim a 1*600 e 25,' mc: ___
ditos de casemira a 3*500 e 4*500: na ra da COm > $em I P8I*a C0Stra,.e
oulras cora xrraojns para barba.
A Aguia Branca recebeu novamenle um bello
sortimento de bonitas caixinhas com musir e sem
- -.....- ella Para costura, e outras com os arranjos neces-
tmnLa,r,a i 5? -a rs; covado : na rua da Mri0-*Pra lrba ; assim, pois, quem comparecer
lmperatriz n. 56, loja da Arara. com dinheiro esta habilitado a compra-Ios por pre-
a Arara Vfnde um romtilelo Hrtiaunla do mima C0 commodn : na rtia Aa nm-mutn ba a- i.i.
vende um completo sortimenlo de roupa co commodo : na rua do Queimado, loja da Aguia
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
teegao contra os seus estragos; todos a-
quelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) esto expostos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
A phthysica, ukeraces do figado, do es-
COMPBAS.
as iniciaos B. P. e saiao da pharmaciaChevrier
Depsitogeralcm Pars, pharmaciaChevrier
21, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
Ma,
Vendem-se roupas feltas a saber : calcas de
brim de cores a 2* e 2*500, dilas brancas de al-
godao a 2*, ditas de linho a 3*500 e 4*000, colle-
-nnros de brim a 1560 e 2*' dilos brancos
a 2*o00, de casemira a 3* e 4*, calcas de casemi-
Branca n. 8.
Finos e aromticos pos de
arroz
Em bonitos vasos de pedra, porcellana dourada,
vidro e madeira, estes com o competente pincel e
O Vigilante est alerta, nao Ihe era rennittidc
deixar pfeaW desaperc. bido sem que nao 5m o
seu canto, afim de annuuciar ao respeitavel publi-
co o grande sortimento de galanterias do melhor
gosto propnamente para qualqoer mimo qne cv
ba de cnegar neste ultimo paquete, aim como
muitos outros objeetos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua conla romo de ron>Bnaco ooe
esta resolvido a vender por precns mnito baralt
para vender muito ganhar iouco, e dar extrae s
o grande deposito que tem. que espera merererao
proleecao do respeitavel publico emprreando larr
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quem satisfeilos isto s no Gallo VigiUnte rua do
Crespn. 7.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da pracada Inde
pendencia n. 22.
Compra-se effectivamente
.., ...uvuie-numuiaiin:, e em toaas as boas ra a KS. r,x a 7xnnn *ELL.jl?-Z2r7 ^S!ST > com o competen e pince e
pb.nn.cia8 de Franga e dos pazes estrangefro. ^^SIS^U^lV. ffi T T' em %? e ?T! de "*5 ^ndo todo
S.^S_____e-B I M IUQW naletotKeiX,eSraa?'a l&J&JSl? ^JL^J 1h e ^radaveis cheiros,
g|13if&|||5
n ~ 5 a c.u a o
se dous escravos que sejam bns
na rua do Trapiche n. 13.
Compra-se na rua dolmpeador n. 15, urna
ou duas prensas de copiar cartas, ainda que este-
ouro e prata em obras velhas paeando-se bem :
lomago e dos rms : erupcoes e enfermtda- na roa larga do Rosario n. 24, loja de ourves
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipela ;! Compram-s
borbullias. pstulas nascidas, tumores, r/i- carreiros
cumacarbunculos, ulceras e chagas, rheu-
tnatisrno, dores nos ossns, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, flores bran- i{alraX0n,ao uso' coin lant0(lue lenhara prfeitoo
cas causada pela ulceraco interior, e en-'
fertilidades uterinas, hi/dropesia, indiges-
tao, enflaquec ment e debilidade gcral.
Aos pulmes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consitmpgao pulmonar :
as glanulas ella produz incliacoes e tornam-
se ulceras: nos org3os digestivos causa
desarranjos que produzem indigestio, dis-
pepsia, molestias do ligado e nos rins :
Ourellos.
Compram-se ourellos de panno, qualquer por-
cao : na rua de Apollo n. 20.
Compra-se cobre velho : na rua da Alfande-
ga Velha n. 1.
Compra-se garrafas e botijas vazias, na fabrica
de licores a rua das Cruzes n. 36.
Compra-?e para urna enc.mmenda urna ne"-
grinha e um mnleque de idade de 10 a 12 annos :
na pelle produz erupcoes e affeCCCS cuta- na rna da Cruz n. 1. escriptorio de Antonio Luiz'
rjooc I /\t* i i:. i i-i i i"i AtDvorln Ar P.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrilha de Ayer
e composta dos antidotes mais efflcazes que
a sciencia medica tem podido descobrir.
para esta m lestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado inconlestavelmente pelas
curas nolaveis e bem conhecidas que tem
feito de tumores, erupcd>s cutneas, erysi-
pelas, borbulhas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, r/ieuma, sama, parchas, hydrope-
sta, tossj^M uerculosos nos pulmes. Debilidade ge-
ral :Indigeslao, Syphilis constitucional e
molestias mercoriaes, molestias das mullie-
res,_ul<:eracoes do ulero, a nevralgia e con-
vulcoes epilpticas e em summa, toda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certidoes no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribtic gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtu les: poste que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilha,
composte de diversas plantas, algumas das
quaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PEITOIUL DE CEREJA DE AVER.
Cura promptamenle a asthma, bronchite,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e tedas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmoes podem ser curadas em pou-
co lempo pelo pe-toral de cereja do dr.
AVER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro rua Direita n 15.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
de Oliveira Azevedo & C.
Compra-se urna escrava que saiba engommar
e cozinhar : na rua do Crespo n. 18, segundo
andar.
frerrafas
Compram-se garrafas vazias: na rua da Cadeia
do Recite n. 53.
Compra-se urna bomba de aguar capim : na
rita Bella n. 5.
Compra-se ouro e prata, assim como concer-
taje toda qualidade de obras da mesma qual ida-
de com Dfomdao : na loja do pateo do Carmo n.
7, por preco commodo.
YENDAS.
!?S?ilKK!S!k.,.r?.,i'*e3*l!M- En.qnloaoprt(, A se UM comprador.
Miar; ^srta
glezas a 3*000 e oulras muitas roupas feltas que | i A f-TTI A PR A "VT A
se torna enfadonho mencionar, que vista do com-! a AUtlil Jjri/tlllLi/i.
prador ^se dir o preco, por isso roga-se aos com-1 VftlldfiTldo TPloTinS
praoores o favor de vir ver na bem condecida Iota P CUUCUUU club1U?-
da Arara, rua da lmperatriz n. 56, de Lourenco' U)moJ,ae privativo a Aguia Branca tambem
Pereira Mendes Guimares. esla venendo muilo bons e bonitos relogios para
A Arara vende as percalas a 00 e 560 rs ,!ieIa.e,paredP'por precs commodo?. P>r isso con-
Vende-se percalas de cores Las na?a vestidos 1 ldhS a!,rVeUarem a *o proverem-
1 a 500 e 560 r o covado P se desse objecl sem^re necessario em casa. Fica
: A Arara vendi. tirac aaaaa r : ., \ porem r?servad0 para os relojoeiros o concert que
a arara vende liras bordadas para enfeitar vesli- algum dia qualquer delles
dos brancos. j que isso nao rliega para
Vende-se tiras bordadas para enfeitar vestidos aa rua do Queiniado n
brancos a 1*200 e 1*400 a peca, musselina bran-
t.;ouo
18*000
10*000
IUJ00O
10*UOO
16*000
9*000
6*00
6*000
6*009
na rua dilui-
r tina a 400 e 500 rs o covado
peratriz n. 56, loja da Arara.
Ao barateiro da Arara a 2500.
Vende-se haloes americanos de 15. 20, 25 e30
arcos a 2*500, 3*. 3*500 e 4*000.
^"de-se golinhas para senhoras a 240, 320, 400
o 500 rs., camisinhaspara ditasa 1*, 2*, 3* e4*, receber na melhor" occa'siao "os"desejados"copos'e
na rua oa lmperatriz, armazem da Arara, n. 56. as procuradas latas com banbas finas, assim como
A Arara vende madapolao enfeslado a 4f5. I un,as bonitas soupeirinhas de vidro opaco com
Vende-se pegas de madapolao entestado rom do- 'alegres inscripcoes. as quaes dizem smente res-
uma
enfadar
toca
rua
Vende-so una escrava crioula, moca, com
Deposito geral em Pernambuco rua da
Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
pao ferro a 95 a peca : na rua da Imperatrzi loja
da Araran. 56.
Bramante de linho a 2,->ji 0 a vara.
Vende-se bramante de linho a 2*500 a vara, pan-
no de linho para lenges a 640 rs. a vara : na rua
da lmperatriz loja da Arara n. 56.
A Arara vende casemiras Anas a .'.-5.
LOJA DO IEIJA FLOI?
BOJVECAS
qaandam, que choram,
que fallam, etc.
A Aguia Branra, na rua do Queimado n. 8, ani-
mada pelo apreco que a sua boa irecuezia sabe
.^d^r,SS^i^ dar a essas bofas novedades, mandn vfr e acaba
de receber um traordiriano
a tratar
; 3*500, 6* e 7*000 e corle : na rua da lmperatriz,
[ loja da Arara n. 56.
A Arara recebeu um completo sorlimento de capas
habilidade, sem vicio, com tres filhos de idades de Klll do OllPimadn n \^ A AH e "'"embarques
5 a 9 annos, mais urna mucamha com habilidades, Mmm ^v vtfucimauv u5. Ut-Ut, que vende baratissimo, a saber : soulhembarquc
Bonecas de choro. de alpaca branca enfeitados muito de gosto a 12*,
Lindas bonecas de choro que chamam papai e dltos delaazinhas decores a 8*, 10* e 12*000,
mami, de diversos lamanhos: s as tojas do bei-'eaDas de gsdenaple preto a 20*, 25*, 30* e 35* me"te servidos urna vez que compaream munidos
ja-flr, rua do Queimado ns. 63 e 69. soutembarqnes pretos de grosdenaple a 20*, 25* de d'"beiro.
Luvas de pellica. 2 30*000 : s na loa e armazem da Arara, rua I M 1
Layas de pellica branca e de cores para homens da ,mPatriz. | I l .,
e senhoras : as lojas do beija-Dor, rua do Quei- Lasemtras para capas a 3 o covado.
mado ns. 63 e 69. |. Vendem-se casemiras lisas propras para capas
com 18 annos, urna dita rom 20 annos
na rua estreita do Bosano n. 31.
Vende se
urna taberna em um dos melhores lugares para
negocio : na rua Imperial n. 195.
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris:
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, rua do
Trapiche n. 13, por prego razoavel.
ATTENCAO.
Vendem-se madeiras de travejamento de diver-
sas dimencoes e de boas qualidades, por prego
commodo no caes de Capibanbe, em casa do Sr.
T. Roempck, a tratar com o filho do mesmo se-
nhor.
Fivellas para cintos.
de senhoras a 3* o covado". laznhas lisas para o ,,QA A?u.ia, Branca> na rua do Queimado n. 8, ven-
t;j c ii : ara cinios. mesmo fim a 600 rs nnwak. na rna i,0 de faixinlias necessarias para costura, as quaes Riquiss.mo-
l^S&TXS^ZTJtiSSJSL ^ Sl S-C0Vad0- "a-ua da Impera- tem nhas de djversas qiJa,idade?, re,roz, tesoura feiJos, assim como meia.,zinl
intos as lojas do be.ja-Dor, rua do Queimado yfndf ., .. fi.. e outros arranjos precisos, assim como amostras de nl.as e touqui---
Ricos porla-joias.
Cofre de muito gosto por
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres com camaphen.
Lindas caixinhas com pedras brancas.
Lindo bailo com calungas dentro, tam-
bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
L'rnazinhas.
S no Vigilante, rua do Crespo d. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-
fos; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos sinlos
com bolcinlias aolado, a 10, 12* e 13*, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 2*500, 3*, 3*500
4*000.
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor qne e
pode encontrar, a 1*500, 2*, 2*500 e 3* o par
so no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cabazes ou cestinhas.
Al que chegaram as desejadas cestinhas on ea-
elles venha a precisar, pois. baze? P?ra meninas trazen-m no braco, o mai* riea
ra o bico da Aguia Branca, P?s?;vel 2*500, 3*500, 4*. 5*, 7* e lo*; s
.8. 11 igilante, rua do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de amparar ea-
Dello, tanto de borracha como de tartaruga rom ea-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante rua
do Crespo n. 7.
Mais lepes
com pequeo defeilo, leqnes de sndalo rom pe-
queo defeito por barato prego de 8* e 10*. rbi-
nezes muito bonitos tambem, pelo barato preco de
4*e 5, bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
rato prego de 4* e 5*. leques de rharao lamben
por 4*. tudo isto para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cento; s no Vigilante, rua do Crespo
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindas e de muilo gosto a i* e 1*200.'
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto prensam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rna do -ires-
po n. 7. *
Leqnes.
Rlquissimos leques de madreperla tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato preco
de 12* e 14*; s no Vigilante, rua do Crespo
Penles
tambemchetaram os nquissimos pontes de cencha
de tartaruga e de massa tina, que se vende por 5*
3* e 5*; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Canelas.
Riqnissimas canelas de madreperola propras
paraqoalqner presente, pelo Larati~simo prero de
l*o00 e 2*. '
Sapalinhos e meias de seda.
Riqnissimos sapalinhos de seda ede merino en-
tianhas finas
em copos, latas e soupeirinhas de vidro
opaco.
A Aguia Branca sempre cuidadosa em bem ser-
vir a sua boa freguezia, mandou vir e acaba de
sortimento de boni-
tas bonecas, que andam que fallam, que choram,
e outras muitas de diversas qualidades cmo dan-
sarinas, soldados, atiradores, etc., e todas mui bem
vestidas; assim, pois, a Aguia Branra e>pera a
concurrencia dos apreciadores do qom, cert >s de
que acharao preges razoaveise serio satisfactoria-
uc uiuueiiu.
CiMtureiras
ns. 63 e 69.
Capellas para noivas.
Lindas capellas para noivas 2*500 cada urna:
as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e
e 69.
Estojos para barba.
A Arara vende lengos de seda a 1$ e 800.
Vende-se lengos de seda de urna s cor a 800
rs., ditos finos de cor a 1*, colarinhos baratos a
600 rs. a duzia : s na loja da Arara, rua da Im-
| peratriz n. 56.
Ao barateiro do bairro da Ba-Visla.
Vendem-se chitas escuras e claras de cores (xas
\i\H0 VEItlIG
Aluga-se a casa trrn>a n. 26 da rua do Forte
ou Bairros Baixos, de 16* mensaes : a tratar na
rua do Crespo n. 15, ou eslreita do Rosario n. 32.
Precisa-se alugar dous escravos, sendo um
para cozinhar e outro para criado ; na rua da Ma-
dre de Dos n. 36. primeiro andar.
Precisa se de urna ama para comprar e co-
zinhar para casa de rapaz solteiro : na roa do
Queimado n. 7.
Livro do Povo.
O livro do povo, obra ornada com estampas, con-
tendo a vida de IS'osso Senhor Jess Christo, e mu-
tos arligos uteis. Este livro das familias recom-
mendado e approvado pelos Exms. >rs. D. Luir
bispo do Maranho e D. Manoel arcebipo da Ba-
ha, venoe-se a 1*000 cartoriado, na livraria de
Jos Nogueira de Souza, rua do Crespo n. 2.
Vende-se urna casa de pasto na rua da~Lapa
n. 13, cora bastantes commodos para passageiros,
sendo repartida em duas casas : a tratar na Ri-
beira n. 23.
O bacharel
Francisco Angosto da Costa
ADV6GAD0
Rua do Imperador numero 69.
w
Quem tiver atgnma escrava para alogar afim
de cozinhar smente, ou cozinhar e engommar em
nma easa e familia, annuncie ou procure na rua
do Hospkio, sobrado n. 17.
sili para a'ogar.
Aluga-se a casa no lugar de Sant'Anna, com
commodos para grande familia, tendo a mesma si-
tio com arvoredos : na rua da Cruz n. 4.
Aluga-se um terceiro andar da casa n. 48
na rua do Trapiche : a tratar no armazem da
eiesma.
ESPANTOSA
peehincha.
Grvalas de seda preta a 660 rs., madapoloes fi-
nos com 24 jardas a pega por 7*800, com um pe-
queo defeito, tambem se vendem varas a 400 rs.,
chitas francezas escuras finas, cores fizas, a 320
o covado, d-se amostras com penlior, algodao lar-
go muito superior com 24 jardas por 6* apega
com um pequen defeito : na loja defronte da
guarda da alfandega, rua da Madre de Dos nu-
mero 16.
Antonio Joaqnira le Mello, antigo adve-gado
nesta cidade, e procurador fiscal aposentado da
thesenraria de fazenda, emprego que servio por
mais 4e 22 annos, contina a advogar em iodos os
ramos do civel e crime: na rua do Imperador
D. 14.
Precisase alagar nma escrava de meia ida-
de, ou um moleqjie para o servjgo de urna casa de
pequea familia : .na rua do Mondego n. 99 se di-
r quem precisa.
Balaios para meninas.
Recebeu-se novo sortimento de balaios, com
forma de vanos passaros, pelo barato prego de___
No armazem da Aurora Brilhanto ha o melhor *^ al 4^ cada um : Das loJas do beija-flor, rua
vinho verde que tem viddo ao mercado a 480 rs. a d0 Uueimad "* 63 e 69.
garrafa e a caada a 3*500, muito proprio para Filas finas para cintos,
a presente estago por ser menos carregado em es- Ricas Otas finas lavradas de bonitas cores para
pirito cintos: as lojas do beija-flor, rua do Queimado
.n 63 e 69.
Extractos em eaiiinhas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor. rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabio em caixinhas.
Finos saboes em caixinhas com varios'retratos:
as lojas do beija-flor,rua do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns.
63 c 69.
Jogos de domin
Vendem-se jogos de domin 1*200 e 1*300:
as lojas do beija-flor, rua do Queimado ns. 63
6 DJ.
Babados bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e vanos pregos : as lojas do beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Abaladores de rede.
Veodem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Adcreeos pretos.
Tendo-se recebido aderegos pretos de novo ges-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Graratas para senhoras.
.^das Bravatas para senhora 800 rs. e 1*000
1*200 : as lojas do beija-flor, rua do Queimado
' ns. 63 e 69.
Espelhos de moldura.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
As : J" loJas do beija-flor, rua do Queimado ns
63 e 69.
Voltas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 1*000 cada urna : as
las do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sopa.
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
2*000 cada urna : as lojas do beija-flor, rua j
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende se la para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
6*400 a libra : as lojas do beija-flor, rua do Quei-
, mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
que era oulra qualquer parte.
Vende-seestofoscom espelho para barba 1*5001, wPTSnJKSS^,. de Cr fi"S A Af0a Branca na ru
2*000 cada um : as lojas do beija-flor, ruido ^Km!; ?Vado' ch"a| ,raneezas finas a de bonitos babas cobertos
neimado ns. 63 e 69. Sf. .f:JSL^'-?-??,?d^_,,2ra,_^se?,*1Me amaiiho, mol propri
CIlROtIACOJflE.
e
Que
ram-se as qualidades e cores : e muitas outras7a-
zendas que se vende barato, isto smente visla I
dos freguezes. Assim ebeguem freeuezes, porque
s se vonde assim barato porque est a festa na'
porta, e a loja da Arara da rua da lmperatriz n.
56, pode bem servir aos freguezes do bom e ba-
rato.
touquinhas para as cnancinhas s b-ptiza-
rem; so no Vigilante, rua do Crespo n. 7
Volliahas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com rrazinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avnNas
e voltinhas, pelo barato prego de I* c 1*200 as
cruzes avuls a a 400 rs.; s no Vigilanle, roa do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riqusimas golinhas e manguitos, o melhor ros-
| to possivel, a 2*. 2*500 e 3*: s no Vigilante,
i rua do Crespo n. 7.
nava, ti vi ai r en he Un muim para nmm.
IJWU> lUUJIl LUULUU niquosfesim enle.tes com laco e sem lago e de
AAgAaBranra.' na rua d0 Queimado n. 8, re- \ outros^muitos goslos a 1*. I500 e 3* : s no Vi-
bordados ou marca, etc., e lados a pregos com
modos.
BAHDS DE TARTARU-
GA PARA COSTURA.
rua do Queimado n. 8, ven-
ios de tartaruga e de diver-
propnos para costuras e joias.
onrwwcooT fg boobo
2
~ ~j
O en
a
~ a t3
a 5-&S.M SfUs
= a b ag o a-Ji
A S -f. Of ~
3 3
co "-a
a 3 s e-e S
C os o
. 2 m
Cf
zj ^_ Se
a." a as'""
o o-o a
a> o-
x
n; ,
CB
C,
-.Sil?
o 3 a
cu
in
O
a o
as as o a
co
Cl
r* CO
ra
Vende-se a casa terrea n. 25, sita na rna de
Malinas Ferreira, na cidade de Olinda : qoem a
pretender dirija-se rua Augusta n. 59, que acha-
ra cora quem tratar.
r MASSA E XAROPE
SE
BERTHE
COM CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Defluxos, a Grippa e todas as lrritacSes
do peito.
AVISO
Falsificacoes reprehensiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da Afoso de Berth,
nos obrigo a recordar qne esses productos
to justamente
nomeados nao se
entregao seno em
boceas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqu indicada. rkarmacin>i'*r*ii*iurumx
ce g
o
I % 3 S
o as
co ra
lis. 3
CO 63 O S
.
2. ~ ce- a. o
C OS "I O m
s 3.
D.-1
BS
" a O
o ta.
W*9 -.
'-la 3
S a
fij fij fl>
#-
2
s
3
s
0,o o
O SJ Q
as
BS
as o.
o 67
"O CD
as "i
3s?
a
8
e
. cebeu essa excellente tintura para cabello, cujo' guante, rua do Crespo n 7
I elfrito rpido e proveitoso, vindo ella munida de i Tranceln^
! pWtTJWJW SE neS.o'ESnS tSVtSfZ t
Com o rhromocome que serve Para Ungir, veio 5S5 a 200 rs P S *^
que serve para
tambem hydrocallitr.china, agaa para tingir cabel-
los, coloricomo para lustrar os ditos, eonychro-
mantina para limpar as unhas, e callicomiphila,
lialadinhos entreneies.
Riquissimos babadinhos entreroeios rom liados
pomada de que se pode usar sem receio de offen- dfenh tes acha-1 p der ao cabello preparado,
rao prego razoavel.
Os pretendenU
8
a
a
9
g
5
c
f
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Rua doQueimddo n. 19,
Vende-se o seguate:
Attengo II
Ricas laznhas, fazenda a melhor que tem vin
rua do Crespo n. 7.
Cascarrilbas.
Grande sortimento de cascarrilbas de diversas-
larguras, assim como galo/.inho e trancinhas pro-
prias para enfeitts; s no Vigilante, rna do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimento de litas de diversas largaras
e qualidades, por pregos que admiran, aos roa%-
pradores, havendo fitas largas propras para rin-
- do ao mercado, tanto em gosto como em qualida- teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e n
'..?.e SHeS^P!?!?.!!?. S60rs-. covado. de 9 varas a 2*; s no Vigilante, rua do Crespo
VENBE-SB
<5t, ru Saint-Honor, NA pharmacia no
Luvoa, e em todas as pharmacias.
.
Bixas de Hmburgo
Veodem-se na rua .Vova n. 6.
um stereoscopo com cem vistas, sendo 37
de Paris, 3 de Saint Cloud, l de Fontenai-
bleau, 7 de Versailles, i da Hollanda, G de
Vianna d'Austria, 12 da Prussia, 2 de Wies-
baden, 1 de Hambottrg, 1 de Francfort so-
bre o Meno e 29 diversas, algumas d'aprs
la nature, por 250: na rua do Crespo n.
4, fabrica de chapeos de sol.
Ditas miudinhas cannezins, propras para vesti-
dos de meninas e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de laa com 13 covados, pelo barato prego
de 6*.
Cobertas de chita da India a 2*500 e 3*.
Lenges de panno de linho a 2* e 2*500.
Pegas de cambraia de forro com 8 Ii2 varas
3*200.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
\~1& a lata : nos armazens da rua do Im-
perador n. 16 e rua do Trapiche Novo n. 8.
Vendem-se dous excellentes terrenos promp-
tos para se edificar com 64 palmos de frente am-
bos e 300 do fundo, junto a fabrica do Bowman na
rua do Brum, aterrados at a linha do caes tendo
j parte do caes feito : a tratar na rua dos Gua-
rarapes n. 28,
n. 7.
Filas de la.
Fitas de la de todas as qualidade--, propras pa-
ra dehrum de vestido a 700 rs. a pega; s ao Vi-
I filante, rua do Crespo n. 7
(tiros espell.es.
Riquissimos espelhos com moldura dooradafe
Toalhas alcochoadas proprias para maos a 5* a sem J5"3 dc, 8*, 10*. 12* e 14*, assim romo com
duzia. columnas le difterentes lamanhos a 2*, .1*, 4*, 5*
Ricos cortes de laa com barra Maria Pia a |e 6*' so no V'P'ante, rua do Crespn. 7.
18*. Lindas jarres e fguras.
Pegas de planillas de algodao com 10 varas,. Riquissimos jarros e figuras de porcelana fiaa.
proprias para saia a 4*. ; para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
Algodao entestado com 7 1|2 palmos de largura tem apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
a 1*100 rs. a vara. n. 7.
Esleir da India, propria para forro de sala de Para ps de arrsz
4, 5, e 6 palmos de largara, por menos prego do ; Riquissimos vasos com boneela para pos de arroa,
que em outa qualquer parte. cousa de multo gosto a 1*500 e 2*, assim romo
Neste estabeleeimento tambem se encontrar pacotes s com os pos a 320 rs. cada um: so no
um grande sortimento de roupas feilas, e por me-; Vigilante, rua do Crepo n 7
dJd_______________________________ rihiiiiiii
Vndese urna excellente padaria sita na rua Grande sortimento de extractos e banhas,poma-
do Varadoaro, em Olinda, com todos os seus per- das, assim como de lindos copos 00 aos coa 4s-
lences, a qual se acha trabalhando, e o motivo da tinctivos e offerecimentos as siohasinhas dos ase-
venda por seu dono nao entender do fabrico: lhores e mais afamados autores de Paris elnelaler-
quem a pretender, dirija-se mesma. tratar com ra, assim como os grandes ropos de banha japoseza
seu propietario, ou no Recife, no pateo do Carmo a 2* e a 1*, assim como outros objeetos qne nao o
numero o. ] possivel por boje annonciar, e vista dos fregoe-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rna do Crespo n. 7.
]El>1(ga(0
Na fabrica de licores
Vende-se a taberna da rua do Padre Floriano n. I i -..- (iflS rrntM 1
5, por se nao querer dous estabelecimentos da .r^-S?.V^*^ -m.
mesma ordem : a tratar na mesma I Vende-se o manite O thesouro da bocea, pre-
------rr3-----------z-------------__________ paragao excellente para a conservacao dos feaies
Vende-se urna taberna em Olinda.sila na rua e tirar o mao hlito. Genebra decanella. makisai-
dos Quatro Cantos n. 4, em urna das melhores lo- mo recommendavel por ser estomacbica e
calidades, com poucos fundos: a tratar na mesma. ao jamar facilita a digesto.


-
Otarlo de Pernanibueo <|u.-iru feira O de Xoveinbro de 18tt 1.
RA 1IO QUEIMADO W. 43.
Passand o becco da Congregaeio segunda casa.
a waKvtaaPAWWBL pituijico*
RA DAS CINCO PONTAS N. 8G
Inquina da nova iavessa de H. loao.
NOV1DADE
i e,ra ?ocna c; acal)ara Je abrir na ra do Queimado n. 45 um arraazera de molliados denominado Clarim Coramer-
cial, ondeo respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes serao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada; garante-se obom
peso e boa quaudade dos gneros comprados neste armazem.
AT ?? ^!?nh3[0 ??* e Java a 6. 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra.
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas francezas era latas e era frascos a
10200 6 10600, e em frascos grandes a
2*500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estarabas no interior das caixas
a i0200,10400, 10600e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avell5as muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030' rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem nglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porco retinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha liysson, huchin e perola a 10600. 20,
20500, 20800 e 39000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Ceneja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 901 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
250 0, 20200, 20500, 20300, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Cbouricas e paios muito novos a 800 rs. a
libra.
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640 rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal-refinado em frascos de vidro a 600 rs
cadajum.
Sardinhas de Nautas a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 60 i
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Veltio de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa cora urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem bronco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordcaux, Medoc e S. Julien a 700'
Cevadinha de Franca muito superior a 220
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilh'as portuguezas a 640 rs. a lata.
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinbas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
I dem de trigo a 120 rs. a libra.
As eassas do Pavo a 210, 280, 300, 320 c
360 rs.
S o Pavo vende as finissimas eassas persianas
Imitacao de laa, com cores fixas, 360 rs. o co-
vado ; ditas francezas muito finas 240, 280, 300
e 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da
Geneora de Hollanda verdadeira marca VD. Imperatriz, ioja de Gama & Silva.
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira. t Os madapoles do Pavo
dem em garrafes de 3 e 5 galoes a 50500 Vende-se peca de madapolo infestado com 12
e 70500 cada um com O garrafao. jardas cada peca pelo barato prego de 4*, 45O0 e
Grana a tOO rs a lita p tAJfln rin,i, H cada PeCa. fazenda moito superior : so o Pa-
uiaixa a 1UU rs. a lata el 100 a duzia. vao a ra dalmperatriz n. 60, notando que a peca
Licores muito finos a /00 rs. a garrafa. leva urna etiqueta cora o Pavo pintado para nao
dem, qualidade especial em garrafas muito naver duvidas nem engaos : isto previne o Pa-
grandes, a 10800 a garrafa. ; vao, de Gama & Silva. ___
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. *m"^e ^njalio doJPavao a
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de ~~ 2"' *' r*S.V
v;Hm i AAA a .__r i. i- vende-se o melhor bramante de inho puro com
Mdro, a 10000, so a garrafa vale o di- dez palmos de largura por prego muilo commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
Grande liquidatfo.
Rna da Imperatriz n. GO.
Loja de fazendas do Pavo de (ama i Silva.
Acha-se este estabelecimento completamente
sonido de fazendas nglezas, francezas, alkmaas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mallo, prometiendo vender-se mais baiato do que
em outra qualquer parte principalmente sendo em
porcio, e de todas as fazendas do-se as amostras'
deixando Dcar penhor, ou mandam-se levar em
casa pelos caixeiros da loja do Pavo.
As cliitas do Pao.
Vendem-se chitas inslezas claras e escuras pelo
barato prego de iO, 2tOc 280 r>. o covado, tintas
seguras ; ditas franrt-zas de corea seguras a 320,
340,3G0, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padrocs : s na loja do
' i-. i ^ j n Desojando o propriclario do grande armazem do Pronheta d.-?r lar-
jssttLSrtt* SSL,*, e* skss sfr?1 y*"**.1**?! '<' "^^
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e [ soutembarques por serem lisas e de cores muito turbilho de ideas, Uhdentes todas a bem servir 6 agradar aos generosos habitaxtes
deiicadasa 560 e 500 rs. ;dnas lisas com um lustre desta bella provincia, de abrir mais osle grande estabeleclmenfo V novos e
^^^i^S::^%^\^^Sm^ W*s\m especialmente destinados as pe*** qm-moran no fre-
bar: na loja e armazem de Gama Silva, ra da 8uczia dc b- Jose' e aquelles senhores que transitara pela \ia lenca, para (,):. D;. n. ui-
Imperatnz n. 60. dade sao sem conla o numero das vantagens que se Ibes cfferece, niio si. a in reUgo a
Os vestidos do Pavo. modicidade dos fieles, como da facilidade c bruvidade da conducro dos objectos ecc-
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido prados
barras' d."55X ^coTeSrado"; dit"! SOr,ll( d ***?}"** "* "^ 5?! ^?1 C *** (m
com listas de seda e tambem com barras e enfei- palavras simples e bem intencionadas dos vcllios patnarchas desses lempos idos, si o Se-
les para o corpo, por prego mais barato do que em nhor Deus dos exercitos nao o quizer contrariar.
SatnLqual-er parlJe' e S 9ui,z?rem uma prova' O Propheta nao querendo restringir-se a forma ordinal ia de ftotm re KttlS&*ttlSE?m! tambem, depois de profunda medi.aeo, de nao vender sn.enlc os ,
nheiro.
Manteiga inglcza perfeitamenle flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 i rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
nheirocorrente ; mastambem dc por em pratica trocadelles percutios do paiz ou por escravos, bois, cavallos, etc. Assim, pois, fique na intellipenria de todo?,
que o proi'iikta recbela como moeda de qualquer dos senhores agricultores, issoear,
algodo, agurdente, milho, feijHo, cavallos, escravos, etc., etc. e Ibes dar o momo valor
em gneros, escolhidos a contento.
Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos oljeelos re-
cbidos por troca, o -ropheta nao demorar a difl'erenca que dte dar em dinhe>ro.
Um estabelecimento que com tantos sacrificios e desptzaa araba le er af ene
deve inspirar a lodos a certeza de que se vender muito barato com o lini de se adipii-
rir crdito e freguezia.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.; dem regular a 500 rs.
a duzia. Macas finas para sopa: estrellinha, pevide,
dem Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 10 rodinha e. alelria a 600 rs. a libra e a 40
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
a caixinha com 12 libras.
Nezes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Peixe em latas preparado pela primeira arte
102OOrs. a caada. de cozinha a 10 a lata.
Paliios de dentes a 160 rs. o maco,
dem de dentes a 120 rs.
Kirsk garrafas muito grandes a 108OOrs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porc-o de outros que deixamos I dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudoser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
retalho-
Quem comprar de 1000000 para cima le-
ra o abate de 5 por cenlo.
20 e em caixao a 640 rs.
Palitos do gaz a 20200 a groza.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
DE
*OVOS E ESCOLHIDOS GEXEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALIIO
60 RITA NOVA O
s I lima casa junto a ponte da Boa Vista.
DUAS PALAVRAS.
Cesse tudo quanto a antiga musa canta
< Que outro valor mais alto se alevanta.t
Acha-se a disposifo do respeitavel publico esle grande e magnifico estabeleci-
PMASDEPATENT
escarolar".,". ^ouao
FABRICADAS
Por Plaut Brothers & C.
OLDAM
Estas machinas
podem descarocar
gqualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabalho; pode
descansar urna
arroba de algo-
do em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou S ar-
robas de algodo
limpo.
2,5200, 25400, e 25000 s o Pavo : ra" da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de linlio do I'avo.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gara proprio para lences e toalhas de mo pelo
baratissimo preco de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
godozinho com oito palmos de largura proprio
para lences, pelo baratissimo prego de 15 a vara,
assim como tem o melhor algodozinho tanto em
largura como em corpo, proprio para lences, ca-
misas de escravos, etc., etc., prego muilo commo-
do vista da fazenda; s o Pavo : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os guardanapos econmicos do Pavo e s do
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda- \
apos econmicos e todo linho, tanto para as casas!
de familia como para hoteis, botequins, etc. etc.,' Bolachinhas americanas em barricas
pelo baratissimo prego de 3 a duzia, isto s na libras a 20000
k>jas doPavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama; Ban|,a de pom) da mc!hor quali(]ade a 3G0
Atoalhado do Pavo. i rs a libra:
Vende-se panno de linho adamascado proprio Batatas em gigOS e caixas por todo o preco.
para toalhas de mesa, pelo diminuto prego de 25500 Caf moido a 100-00 ou 80000 a arroba.
rs. a vara, guardanapos de linho a 55 a duzia. Caf superior a 70500, 80OO e 80500 a
toalhas de mao a 55 cada duzia, na loja do Pavao, I orrnha
ra da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranho, Java e do Penedo a 80,
100 e 120 rs. a libra, e a arroba a 10800,
20500 e 20800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixas francezas a 10200, 10400 e 10600
em latas, frascos e lindas caichinhasniuito
proprias para memosear alguem,
Amendoas confeitadas em fia.-eos de vidro
a 10 o frasco.
Alpiste a 160 rs. a libra c a 40500 a arroba.
Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa.
Azeite de Lisboa a iO rs. a garrafa e 40800
a caada.
Azeite doce em boies com 9 garridas a 30500
com o boio.
Azeitonas por todo o preco.
Biscoitos inglezes de diversas marcas a 10300
a lata.
Bolachinhas de soda, oval e lunch a 20000
a lata com 5 libras,
26
botija.
10000 o
JE' so o I'avo (a S#500).
Quem tem balees por tal prego J
Vendem-se os bales americanos muito superio-
res com 20 e 25 arcos pelo baratissimo prego de
Cha nesto genero temos o que b de melho-
assim como lamben) temos baixo pelos pro-
cos seguinles: 1041 0, 106CO, 10800,
20400, 20600, 20800 e 30OCO o fino.
25500 e 45, ditos de 25, 30 e 35 arcos com fitas, Charutos de todas as melhores e peores mar-
muito bem armados e tambem tem cores escuras
pelojrbarato prego de 35500 cada um : s na loja
do Mavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama A
Silv;
cas do mercado a 800, lOOO, 10600, 20,
uu'in *>tr>0,
'Or
v<>,-t
N
O r a>ao vende para luto. | Cbouricas
ide-se superior setim da China, faienda toa o barril
la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-; g]ias
as mais novas do mercado a 120
com 1 arroba e 480 rs. a libra, a
que pechincba.
pelo baratissimo prego _.
covado, eassas pretas lisas, chitas pretas largas e Cerveja marca a mais acreditada que tem
, estreitas, manguitos, colarmhos, punhos, e enfeiies, vindo a 500 rs. a garrafa, e meia garrafas
tudo preto proprio para lulo fechado, e muitos ou- Mr 9/a rs branca e nrela
-trosartigos que se vendem por procos mais era r *"' i onn1 ,
coma do que em outra qualquer pane por estar Conservas mglezas a 800 rs. o frasco fazenda
de
prio.para Ti^S'S^o Cbocoiaulmagm^ori0000 e 10200 a libra.
CAVACO NECESSARIO
' Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominaeSo de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Bia-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ninguem.
O neme uma voz com que se do a conhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicacao que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais :
Nao oriundo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa l-iga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
lem da Uga. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que taa-
tsorprehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-
tnamente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
loeando-o no oitao do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-lo dos outros
qua se assignalaram com mitras e coras.
Honnl solt <|nl mal y-pense.
Saiiiidci's Brothers k C.
M. II, praea do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodo
limpo, por dia.
ment de molbados, talvez o priraeiro e nico hoje existente em sua especialidade, por- 0s mesmos tem para vender um beltissimo va-
que o maior capricho de raaos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci- ESLE par Tque SrtSSXfS
moato modelo promoveram a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado, agricultores a viran ver e examma-io, no arma-
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinliciro a vista ,iem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
dignaren] de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos presos quasi do pri-
meiro custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os raeios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acbarSo
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc ete, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
sario, prorneitemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido eom to boa vontade, como a moeda de ouro do
homem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar era nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa qualidade dos
objectos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
liquidando ; s na loja do Pavao ra da Impera- chique.
iriz n. 00, de|Gama & Silva.
As percalas do Pavao.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer- rhammano iU mpllwir i
cado pelo ultimo vpor tem na loja do Pavao pelo I f ? KL ffiT
barato prego de 600 rs. o covado ; ditas de listi- L *inuo.a -u?> c 2*> O
dem francezas a 5C0 rs. o frasco.
Cevadinha de Franca a 240 rs. a libra.
marca que aqni tem
nhas_ muito miudinhas proprias para vestidos e Cognak inglez e Iranccz a 800 rs. e 10000 a
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-1 garrafa.
ratissimo prego de 500 rs. o covado ; garantem-se Ceblas or lodo ni'tYO
iranio nna ao I 1 -
Copos lapidados que sempre se venderam c
se vendem em muitas partes a 80 e 100,
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Paris : isto na loja do Pavo ra da Im
peratriz n. 00, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo S^OO e vendemos a 50500 e 60000 a duzia.
SSOO o corte. | Copos para vinho a 3000o a duzia.
a.Y^dfm"se. or,es do chila com dez covados Doces de calda vindos de Lisboa ueste ultimo
25100, ditos a 25800, com 12 covados; sao chitas vapor a G0 ,.<.. a ]a(a dag meUl0res fi uc.
200
20
| Anda est para ser vendido o sitio da ira-'
vessa dos Remedios, na freguezia dos Afogados n.
21, do estado emque se acha : quem o pretender,
enienda-M com o seu proprietano Caetano Pinto
de Veras, na roa de S. Francisco, sobrado n. 10,
como quera vai para a ra Bella.
Vende-se um comometro martimo inglez do
melhor fabricante Cbarly Frodshao, aBangando o,
sea regulamento, por diminuto prego : a tratar
na roa Nova O. 21, loja de Francisco Jos Ger-
mano.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
nma duzia : em casa de Johnston Pater & C., ra
do A'gario n. 3.
Queijos de Minas
Vende-se na ra >ypYa n. 61, defronte da
cmara municipal.
Illm."
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateiro
conhecido j como tal, est dispondo da fazenda
por todo o prego para apurar dinheiro, quem qui-
zer venba ver e traga o cobre, e veri o seguinte :
Raralbos de cartas para voltarete mnito
finas a.............................
Miadas de linha froxa para bordar a....
Pares de sapatos de tranga de todos os
lmannos e finos a...................
Massos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. ...
Libras de ara prela muito superior a...
Frascos de superior macara oleo a ....
Dilos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida..............................
Ditos de banha muito fina a............
Ditos de cheiros muito finos para o preco
a ris...........................v
Sabonetes de todas as qaalidades a 60 rs.
160, e............................
No vellos de linha com 400 jardas a......
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
N'ovellos de linha de gaz de todas as co-
res a .............................
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris..............................
Varas de bicos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para denles, superior a,
tudo a............................ 1,8,000
Pegas de tranga preta liza muito fina a.. 60
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a 200
Varas de fila preta com colxetes a...... 40
Libras de la sortida de todas as cores a 65500
Ronecos de choro muito bonitos a...... 160
Caixas de ohreias de ma ssamoto novas a 40
Varas de franja .branca e deires para
toalhas a......................... 80
Frascos de oleo Philocomescupenor a... 600
Ditos com superior tinta a320 e......... 500
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a 800
Enfiadores para espartilho a..,........ 60
Duzias de bolSes encarnados para vesti-
15500
30
200
100
100
200
500
400
640
600
400
80
60
30
240
200
400
40
15000
mglezas, mas padroes bonitos e tintas seguras;
assim tem as melhores chitas francezas e de tin-
tas seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos c golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de 15 e 15280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
com golinha a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 25 cada
uma, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, eamisa com manguitos e
golas com a competente gravata de seda, fazenda
fina, pelo barato prego de 35, e muitas outras
bordadas que se vendem por pregos mnito em
conta : s na loja do Pavao ra da Imperatriz
n, 60, de Gama & Silva.
As ronpas do Pavo
Vende-se panno preto fino muito superior pelo
barato prego de 25, 25500, 35, 35500 e 45, dito
muito tino 55 e 65 o covado, casimira preta de
uma s largura e muito fina a 15800, 25 e 25500
e 35 o covado, cortes de casimira de cores a 55,
55500 e 65, casimiras enfestadas de uma s cor
proprias para caigas, paletots, coleles, capas e para
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos do grande tom.
Vende o Pavo.
Vendem-se os mais ricos vestidos de merino com
barra Maria Pa, sendo das cores mais delicadas
que tem vindo ao mercado, pelo baratissimo prego
de 225 cada um, vindos cada um em .'eu cartao,
com o competente figurino : isto na rna da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos indianos.
Vende o Pavo a lOgOOO.Qg
Vendem-se os inais ricos vestidos indianos, com-1
prehendendo saia, soulambirque e collete, de fus- \
tao, sendo tudo bordado, e de differentes cores, e
os mais modernos que tem vindo ao mercado : na
loja de Gama & Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Vestidos Maria Pia
a 5000.
Vendem-se bonitos cortes de vestidos Mara
Pia com barra tendo bastante fazenda cada corte,
pelo baratissimo prego de 55 cada um : na ra da
Imperatriz n. 80, de Gama & Silva.
Farinha de mandioca
a bordo do patacho l'tysses, ancorado ao trapiche
liaran do Livramento no Forte do Mattos : a tratar
a bordo ou com Tasso Irmos.
dem em botija a :)10e 400 rs. a
Grai.xa em lat sa 10200 a duzia.
Limonadas de diversas trmtm a
frasco.
Licores inglezes e francozesa I400Q, 1(5500
e 20 a garrala.
Lingoas americanas a 800 rs. cada i.ma.
Linguiras promptas em latas a 102( O a lata.
Manteiga ingleza ueste genero o que ha
melhor a 800 rs. a libra e em barril a 700
rs.
dem maisbaixa a 640 e 720 rs. a libra.
Manteiga francesa a 520 rs. a libra, cm barr
a C40rs a libra em retailm.
Massa de tomates a 640 rs. ;. hLra.
Marmelada muito nova a 640 rs. a ilra.
Molhos inglezes a 400 e 640 rs. a i>arrafinba.
Moslarda preparada a 400 e f>4011. o raco.
Massas para sopa macarrao, lalbiiini t altlria
a 400 rs. a libra,
dem finas cm carimbas a 30CtH a i anisA
Marrasquino de Zara verdadiin a IJMAfl
frasco,
dem mais baixo a 800 rs. e IJ090 a frasco.
Milho em saccascom 20cuiasa 3JM01
Prezunloinglez jara fiambre \indo no ultimo
vapor a 8(0 rs. a libra,
dem mais ant go a 640 rs. a libra.
dem do Porto a 640 rs. e sendo inteiro a
5(0 rs. a libra.
Passas novas a 400 rs. a libra.
Polvo a ICO rs. a libra.
Painco a 160 rs. a libra.
Pomada a 240 rs. a duzia.
Pimeitta do reino a 320 rs. a libia.
0000, 50500 e6>|lftii.ve BrMH a *O-0 > 'ar.i- "'' *
vina, pargo e outros.
Papel de peso a 20000 a resma,
dem idrm muilo lino a 40000 i \ti>' 00.
dem maiim a 4.j3! 0
dem almasso a 30000, 3dJCC *";!'
I-Jem para embn.lho a 10200 a i. ,i.
Palitos para dentes maros com i matini
a 80, 120 ciLO rs. o maro.
Paliios do az a 3000a grwa.
Queijos flamengos do ultimo vapci a 2i0 .
dem londrino a !)(O rs. a libra.
dem prato a 040 rs. a libia.
Rap Mearon a 10000 a libra.
Sag e sevadinha a 240 280 i. libra,
Sardinhas de Nantcsa 640, 560 a 360 rs. a
lata.
Sabao massa a 120, 180, 200 e 240 rs. a
libra, e em caixes por menos.
Sal refinado a 600 rs. o razo (fot. de vidro.)
Touciiiho de Lisboa, de Santos e .imcricpr.o
a 160, 240 o 320 rs. a libra e em arrota
a 5, 7, e 90000.
Tijolos para limpar facas a 110rs. .adaiira.
Vinho do Porto em ancoras com 70 gnrjaa*
a 300000.
Vinhos de Lisboa c Figueira quaIi.Lil.sn:,.--
nificas a 3,5000, 30500 e 40000 a caada.
Vinho do Porto em pipa a 5 o 000 a ranada.
Vinho branco de Lisboa e Porto em aoras,
barris e pipas a 40000 c 50000 a caada.
tas da Europa,
dem da goiaba e da casca o melhor que e
possivel por diversos precos, c conforme
o tamanho dos caixoes.
Ervilhas em latas a 640 rs. a lata,
dem seccas a 200 rs. a libra.
Espermacete americano a 10200 a libra,
demfranceza360 rs.omassocom6 velas. Vinagre dc'Lisboa a I0COOc 20000a cana-"
Figos de comadre em caixinhas muito lindas
a 800 rs. a caixa.
Farinha de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
Fumo do Para a 10800 a lata grande.
Fumo americano a 10400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros a 200
rs. o maco.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a 30500
Genebra de laranja 10 o frasco.
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.
da.
Vinagre em garrafes por 10000 com o gar-
rafao.
Vinagre em ancoras para 106CO com a ancora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 rs. rada ima.
Vinho deltordcaux neste genero temos gr.indo
porcoedasquaUdades melhores que tem
vindo ao nosso mercado em garrafas, em
ancoras, em barris c (pianolas o nal ven-
demos por procos muito baixos.
O BALIZA I
Vende se caixes vazios proprios
para bahaleiros e funiieiros a 1$760
las uu uuiues encarnauus para W9P* ,. j __ _.,_ *.,_-__-!.;-
dos a,..,,.......................... jooleadama; nesla typograpbia.


DECLARACAO.
O BALIZA declara pelo prezente qi
deixa de publicar os precos pelos qoaes veo-
de as suas mercadorias por motivos qne ao
respeitavel publico pouco intereca. Serr
provisoriamente de baze os preros do Pro-
plieta.
<2
ORKM 10 DIA.
0 BALIZA concede plena liberdade aos
seus amaveis collegas Clarins, Unies, mitra-
dos e croados, para que pnssam saltar, her-
rar e tudo mais quanto lhes aprouver, at
a sua segunda ordem.
<#?
MELHOR EXMPLR ENCONTRADO
ULEGVEL


Diarlo de reriuihiev --- Quarta Iclra 9 e \ovrmbro de 1C*.
/
EFORMA.
AURORA BRILIhME.
N.84. Largo da Santa Cruz.N.84.
Francisca Jos Fernandos Pires, tem a honra do avisar i sqa numerosa freguezia
e cora espKCialidado aos moradores do bairro da Boa-Vista e seus arrenalde*, que fez
nova reforma ein seu asseiido estabelecimento de molhados denominado Aurora Brilhan-
te, ao largo da Santa Cruz, e eom esta reforma suprio de novo o seu armazem de bons
paneros, sendo muitos dolles mandados vir de sita propria coota, para melhor servir
fuelles ijuo se dignarem comprar ou mandar comprar en seu estabelecimento.
No armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respeilavel publico um
lindo e novo sorliracnto dos memores gneros que tem vindo ao nosso mercado, e sem-
pre por procos muito razoaveis, como se v da seguinte tabella que ser mudada se-
manalmente.
e faz
A Aurora Briliante recebe as libras sterlinas por 9, seada para compra,
por cento de abatimento a quem comprar de 1005 para cima.
Presuntos de fiambre muito novo, a libra a
801) rs.
Ditos para panelta, a 560 rs.
Qtif jos londrinos muito superiores, a libra
a 13DO0.
Bito do reino vindo leste vapor a 2J600.
Ditos do vapor passado a 5 < ti400.
Queijos de qualha nevo?, a libra a 560.
Fraseos grandes com amellas a 3,8.000,
Latas coral \\i libras a 1-5200
Ditas rom 3 e 6 libras a 23500 e 4-5.
Chocolate francezmuito superior, a libra a
15120
Cha litio de primeira qualidde, a libra a
25700.
Dito axial a 25700,
Dito hvsson a 23700 e 25809.
Dito prola a 25800.
Dito em ramullas de 1 e 2 libras a 25600.
Dito prelo a2Se25500.
Manteiga ingleza flor a 15200.
Dita inais abaixo a 800 rs.
Dita em barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Lula* eom 2 libras de banba refinada, a libra
a 400 rs.
Manteiga franceza nova, a libraa 640.
Dita em barra c meios ditos, a libra a 600.
Tuucinho de Lisboa a 95500 a arroba e a 320
rs. a libra.
Latas eom bolachinlia de soda de 5 libras a
25000.
Ditas eom bisceitos e bolachiulias sortidas
a 15500.
Ditas inglezas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranhao, a arroba a 25400 e a li-
bra a 80 e 100 rs.
Dito da India a arroba 25800 e a libraa 100
e 120 rs.
Caf muito superior de primeira qualidde
a 85500, 93 e 95500 a arroba.
!>'.- em libra a 280, 320 e 360 rs.
Vinhos em caita de 12 garrafas, o melhor
possivei a 185 e 205
Dito mais baixo a 105,125 e 145-
Dito Figueira. o mais superior possivel, a
caada a 45500 e a garrafa a 640 rs.
Dito mais baixo a 45 a caada e a 560 rs. a
garrafa.
Dito de Lisboa, boa marca, a 400 e 500 rs.
a carrafa.
Dito Brdeos a 640 rs. a garrafa.
Dito em caixa, das meihoros marcas, a 75 o
83000.
.200
i Sorreja, marca tenante, em botiias a 7 e 85 Latas eom
a duzia.
\ Da de difiranles marcas a 500 rs. a garra-
fa c 55800 a duzia.
Gew'bra de laranja lWfo<'*,,"" *
WttfdTHo'ii*Ah^ ,raCOS graQdes
i...ni. '"> a *>4U rs.
Uita verdadeira de llollanda, a botija a 480
Licores tinos de varias qualidades a 800. 13
e 13500.
Charutos finos do autor Jos Furtado de Ci-
mas, ha por muitos procos.
Ditos de outros autorss a 15500. 25 e25500.
Gigos de batatas novas eom 1 arroba a t5.
Passas novas, a libra a500 rs.
Figos novos a 320 rs.
Latas de ervilhas e lavas portuguezas ja pre-
paradas a 720 rs.
Ditas eom ostras, exeellente petisco.a 640 rs.
Latas depeixe ensopado em postas, demuitas
qualidades, a 15-
Potes de vidro eom sal refinado a 500 e 640
ris.
Marrasquino da melhor qualidode, a 85 e
125 a duzia.
Garrafas de dito a 80o c L3200.
Amendoas confitada a libra a 800 rs.
Dita eom casca a libra a 320 rs.
Nona, a libra 160 rs.
aiiieo, alpista, a arrobaije libra a 160 rs.
Grao de bico, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Yinho de caj proparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 15000,15200 e
15600.
Champagne boa a duzia 05.o a garrafa a 25
Garrafoes eom genebra hamDurgueza a 65.
Vioho branco Xerez a garrafa a 15-
Dito Joao de Brito, puro, a garrafa a 640 rs.
Dito adocicado a 560 rs.
Dito do Porto, fino, a garrafa a 800 e 15
Xarope de grozeis e outras fructas a 640 rs.
Massas para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dita estrelinha, pevide e rodinhas a 640 rs.
Caixioha eom 8 libras de dita a 35500.
Soblas soltas grandes, o cent > a 15-
Ditas grandes em restes* a 15280.
Duzias de cartas francezas finas a 25500, 35
e 35500.
Duzias de latas de graxa nova a 900 rs.
Bonhoes de dita a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do serto a libra a 320 rs.
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes eom farinha a 55-
Ditos eom railho o 35500.
Ervilhas seccas libra a 160 rs.
Lentilhas para sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha de Franca a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Araruta verdadeira a libra 480 rs.
Gomma do engommar a arroba a 43 e em
libra a 160 rs.
Sabio espanhol a libra a 400 rs.
-' i
s.
Caix;ts de vinho mascatel a 105, e a garrafa
a 13000.
Ditas cora azeite refinado a 105 e a garrafa
a 15000.
Conservas inglezas e francezas de pepinos,
sebilas, azeitonas e mixide a600, 700 e
800 rs. o frasco grande.
Caixascom frascos de mostarda franceza a
43 a duzia, O 360 rs. o fraseo,
E MUITOS OUTROS GNEROS QUE
. o verdaOctro gaz lumido eom 27
lian...... vk. _^
rftarrafas rom dito a i/OO rs.
Saceos grandes cora feijo muiatiuho coni i\
cuias por 93.
Copos e calix lapidados para vinho e agua.
Latas muito bem enfeitadas eom figos novos
a 23, 25500 e 33.
Assucar refinado eom ovos muito alvo a ar-
roba a 63500 e a libra a 200 rs.
Papel pautado liso de peso branco e azul, a
resma a 25500 e 45500.
Vinho Madeira-secco. a 15600.
Cento de esleirs de tranca a 205-
Barris eom azeitonas novas a 15280.
uas bataneas grandes de Bomao corn os
pesos de 21 arrobas, e alguns bracos pe-
queos do mosmo autor.
Urna grande quanlidadede caixoes vastos de
todos os tamaitos de 120 a 500 cada um.
TORNARA ENPADONHO MENCINALOS.
TUDO DE PRIMEIRA QUALIDDE.
SORTIMENTO PARA A FESTA
r 23-Largo do Terco23.
Joaquim Sima dos Sanios, dono
. desie armazem de molhados avisa aos amigos do boro, e ba-
firSre^dl1 32S?? V Pr ceat0> P^o seu prompto pagamento ; e por Isso se faz annncio de
- e vantajoso sortimenlo de todo
seu prompto pagamento
5uns gneros, que tendo sempre este estabelecimento um grande
qtouto 9 pertencente a este estabelecimento.
Sentido! Vou fallar eom o Conservativo !!
e 2" sorte a 800, 900 e 15
Manteiga ingleza de 1
a libra.
dem ftanceza em barril a COO e 640 ris a li-
bra.
Toucinao de Lisboa a 300 rs. a libra e 85800 a ar-
roba.
Batatas era caixas e gigos 15200 e 25000 a ar-
roba.
Caf de primeira e segunda sorle a 250, 280 e 300
rs. a libra.
Arroz da India, Maranhao c Java a 100 e 80 rs. a
libra.
hosptaros do gaz a 25 a groza e 180 rs.
Passas aovas a 480 rs. a libra.
Velaste earnaba Aracaty ooraposicao a 400 e 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 480 e 440 rs. a libra.
Marmellada dos melhores fabricantes de Lisboa de
1 a 2 libras a 640 rs. a libra.
Cfi.i hysson o melhor deste genero a 25800 a li-
bra.
dem perola mmdinho a 25500, 23000 e 35000 a
libra.
Hanha ingleza alva e soperior a 480 rs. a libra.
o niara.
Queijos mais novos do mercado a 25500 e 25800.
Serveja das melhores marcas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 55800.
Sabao amarello massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Bahia dos melhores fabricantes de
15200, 25000, 25300 e 35 a caixa.
Milho alpista e painco a 160 e 140 rs. a libra.
Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a dia.
dem do Porto em barril superior, pinga a 640 rs
dem branco proprio para missa a 500 rs. a dita
dem do Porto engarrafado a 800 e 15, tomando
mais de urna caada dequalquer umdestes ter
grande abatimento.
Conservas inglezas e portnguezas a 500 e 640 rs
Bsennos e bolachas.de soda a 15400 e 25.
Massa de tomate a 600 rs. a libra.
Genebra de Olaada era frascos e botijas e de la-
ranja de 480 a 640 e 15200.
'.houncas as mais novas a 560 rs. a libra.
Latas eom 1 e meia libra de ameixas a 15200. 1
Azeite doce de LUboa a 440 rs. a garrafa e 35 o
NEM COROAS NEM MITRAS

GM*lE
ARMAKEm
DE
RA DO IMPERADOR IV. 40
Jante ao sebrado em que mura o Sr. Otborae,
liarte AI incida tfc C, receberan de sua propria eneoniuien-
da o mais linde e variado sortimento de molhados, proprlos
da presente estaeSo.
Manteiga ingleza Ma$as brancas
da safra novavinda no ultimo vapor a 1,000; para sopa a melhor que se pode desejar,
rs. a libra e em barril a 800 rs.
Manteiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e era barril
a 560 rs.
- Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro cora 3 libras liquido a
2$400, muito propios para mimos,
Cartoes
eom bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
eom bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1,9300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1#000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2$6oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2#60O cada um.
Qneijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1J200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer n3o pode vender por menos de
3 a 2#600.
dem perola
especial qualidde a 2#700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2#600.
Massas amarellas
talharim e aletria a
qua
\
i -Unn
ia'*Ja-
para sopa, macarrao,
480rs. alibra.
C'OCVAC
u HHM Aumadn tapna rol<5 p-iiv -
rs. a Karrafa e de outras r*ui
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
CIPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 0,000 rs. a
duzia, e a 440 e 000 rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo.. a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellenle qualidde a 2)0200 a resma,
PAPEL
i azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra.
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a
e 40400 a arroba.
CEBLAS
motto novas a l;50O0 o cento na ra do Quei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-
go do Carmo n. 9
GRAO DE BICO
muito novo a 3,5100 a arroba e 140rs. a li-
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do-
Imperador n. 40 e largo do Carino n. 9.
QUEIJO SUISSO
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e
largo do Carmo n. 9
macar rao, talharim ealeiria
libra e 4#500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
26800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1 S> o 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso Filho,
F. a M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitoi.
Latas
eom 10 libras de banha a 40009.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica damesmaque
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* Ji bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mat
cas de 40500 a 60500 a duzia.
C-ARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra,
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
Acaba de receber de sua propria encommenda um grande e variado sortimenlo
de molhados todos primorosamente escolalos, por isso apressa-se o propietario mi
offerecer 30S seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros s
resumidos precos, a flaneando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
de 1.* e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafoes
eom 4 l'i garrafas eom vinagre a 10000 i
ogarrafilo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOC
a caixa. '-
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 con
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a hbra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a l,ooo
rs, a libra e 800 rs. sendo em barril,
dem franceza a ?6oors. a libra, e 56o rs.
sende em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a ,5oo rs.
dem menos superior a 2, loo e de 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
e da India 'dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 c 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior aesse que se vende
por, 2 e 2,loo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo intoiro.
Genebra marca gato a 1,700 rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ueoMa. mftevPw* 'QjImh1 Hj r*cMm z taina
libra,
finos (te'foflas a&qua&tados, a lo.QOO ^ciT.a
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu c outros muilos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo t>
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e intetros a 20 o quarto e 60500
a caixa elOOrs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da aojaba
a 600 e 10 o caixae.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba e 140 rs. a libra na ra do Qoei-
mado n. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
BOLACHINHAS
em latas de defferenles qualidades a 10200
a lata
QUEIJOS FLAMENGOS t.P"
chegados neste ultimo vapor a 20800 na ra
do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
40 e largo do Carmo n. 9.
tas a l,3oo e l,4oo rs.
Fumo americano em chapa a l,6oor?,
libra.
Araruta de todas as qualidades.
i Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 30 a
caixa e 60 rs. a libra-
Balacbinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellenle qnalidade a
21oors. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Bicos frascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
Licores francezes e portuguezes das segoio-
tesmarcas ceme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Tarn. Botdm.
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gis-
ja, canella, travo, rlela pimenta a l.ooo
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garaote-M
que os melhores que temos tido do mer-
cado.
Passas muito novas em quartos e inteiros a
2,000 rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra.
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes os
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes cpm sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a 1,60o rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a "00 e 800
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. a 80500 cada urna.
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 800 rs. a garrafa.
dem francez a 7,000 rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quanlidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a I.Soo,
2,000, 2.5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa.
na 1!* I -;-----~5n i\n< rmr> pm abl st VeO-
fWJ ...................... j..
dem a 2,000 e 2,5oo rs.
1 Caf de premeira qualidde a 8.3oo e %ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidde a 8.2oo rs. a ar-
roba e26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3.ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Para colletes.
Veodom-se abotoaduras douradas quo n5o des
t6&em a rr rom as effigics de .SS. MM. o Sr
I). Pedr If, D. Lulz I e Mara PIa( e eutras coni
as cro8 brasileira e portugueza: as ras larga
<10 Rolarlo n. 30, do Qneimada n. 46 loja de Gui-
manm & Bastos e da Cadeia do Recife n. 49.
PECHINCHA
Boa da Madre de Dos n. 9.
A I *OCH*.
Saceos grandes com farinha de maadioea pelo
baiaU prego cima mencionado.
?ede-se urna capa do case mira enramada
fin, propria para Irmao do Santissfmo Sacramen-
to a tratar na roa da Gloria n. 68.
Machinas de vapor e pa-
ra desoarocar algodao.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
de carrosa com mangas e
eixos de patente.
Ba do Brumn. 38, fundi-
llo do 33o wman.
i ,n7*rY-!"('m'a* ?,oai reloios P'ente inglezes : a
i iratar aa ra de Hortas n. 136. *>
ft*anP7 .?pnetari0S d*rande armazem Verdadeiro Principal declarara aos seus
tS Jrfm mm e a publ,C0 em geral' 1Qe Para Cuitar a commodidade de todos es-
tipularan os mesmos precos nos seguintes lugares:
Uaio e Commercio ra do Queimado 7
Verdadeiro Principal roa do Imperador p. 40
FltUCTAfS
-*-.... ,.. ma^aa, peras e uvas
Agua Florida.
Para
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gostos para meninas
trazerem no braco : so se encentra na loja do Bei-
ja-Flor, ra do Queimado n. 63 e 69.
Extratos e sabao em eai-
xinhas
Lindas caixinhas com um cartao com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco on sa-
bao o mais Gno que passivel: na loja do Beija-
Flor ra do Queimado n. 63 e 69.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova oue
ba no mercado tanto em porcao como a retalho,
por barato prego afianeando-se aos compradores a
; superior qualidde : a tratar as seguintes mas :
nao_ tendo Intacto e claro, o Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forte do Matto ar-
^ss^Ssasssitt. &"do Sr-Vl,la Wra,,e do ,rapihcaoai-
restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
ot,agn? flor,da nSo onia ntura, faeto essen-
cial a contestar, a mesma agua dando a rr nrirai-
Uva ao cabello. Composta de plantas exotKe
de substancias inoffensivas, ella tem a propriedte
fsTmUn^HCaber!,S Prneipi '"te^ul
~i SJmS&i D am* ?**!** incontesta-
vel, a Agua Florida enlretem a Hropeza da cabora
deotroe as caspas e impede os cabellos de cahi?
Oleo de Florida
J^P/>S, ?e SBBS,ancias vegetaes exticas, elle
ronstltue poderosamente, com a Agua Plorida a
a' i be" za e a conservado dos cabellos
Em Parts, casa de Qmslaur n. 18, ra de Riche-
' e' ? 2,> bonlevard Montmartre.
Todoa os frascos,
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21 [2 libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
l,ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
Vellas de carnauba do Aracatv a 9,^oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura ingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a bao rs. com libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almajo pautado e liso a 3,ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo re.
a resma.
dem embrulho de 1,2oo a 1,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 i libra a
1.2ooe8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
a <,ooo rs. a
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composic3o a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna.
Ricos livros cem figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libia, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 '/a garrafas de vinho supe-
rior a 2,ooo rs. com o garrafo.
dem com 4 */i ditas de venagre al.ooo rs.o
garrafo.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
dea fazenda muito especial a 6,8eo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
O proprietarto do grande armazem UniSo e Commercio declara aos seos freguo
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipaloo
os mesmos presos nos seguintes lugares: ^^
niflo e Commercio ra do Queimado n. 7.
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Molhos inglezes a 800 e 1,00o rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra^
Cerraja Tenente verdadeira
duziae 600 rs. a garrafa.
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e (.ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.'
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
viudas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo rs. o molboe
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo ri.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o re. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o 1.
Coiainhos muito novos a 32o rs. a hbra
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o re. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo re. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arrobo.
Peixes em latas a 1,00o rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisl>oa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooe re.
Doce da casca da goiaba a 600 o 1,00o rs. o
estado.

A
MELHOR EXMPLAR ENCONTRADO ILEGVEL


Diario fe Pemabiet Ovarla letra 8 4c Xovcmbro de iS4.
SO PUBLICO
Sem o menor constran-
gimcuto se entregar o
importe do genero que
Bao agradar.
ATTENCAO
Os precos da segnlnte
tabella para todos, po-
deudo asslm servil* de ba-
se para o ajuste de contas
con os portadores.
ARMAZEM
RUA A CAHEA llO RECIFE IX. 53.
(logo passando o arco da Concei(o)
.randc reduecao de precos, equivalente a dez por cento menos do qne outro qualqner
annnnciante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de outros
inultos objectos, etc., dando com isto ocasiao a todas as espeluncas acabarem porbom prego a manteiga de tempero, e gritarem em
alu voz, que podem vender pelo preco que eu vendo!! I Ura, eu oflendido com estas obscuridades e receioso m adoptar o mesmo
systhema que vira encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esla grande reducto de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados UniSo Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de 1,406 a l.Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduccao a que
estao olmgados, encarando todos os das de seus freguezes reclamado de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu Crn
to somente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
r
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida rae darao a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
sero tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao \5oem outra parte.
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
LIANC
L M
DE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
57
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8e rs. a libra, em barril se
faz abatiment.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
oeste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopatliico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,<5oo rs.
Linpuicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barrs.
Chouricas e paios em barris de mea e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo e Goo rs. a libra.
Queijos (lamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatiment.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
Mem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latas j pre-
paradas a 6io rs. y
Marmeiadau ^^.s acreditados fa-
bricantes de_ oo rs. a libra.
Prezunto do rqno vVdos de casa particular
a 5(io rs. a mira, e a 5oo rs. inteiro.
Mem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Cnpos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Chocu!;Ue francez, suisso e hespanol a 9oo
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espennacete em caixinhas contendo 6 libras
por i.ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 8oo e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat-'
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado deprimeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem dalndia muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse m.
Estearinas a 56o rs. a libra, e era caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em cai.va de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz L, Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
1 o,ooo rs. e a 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meiaslatas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo rditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, ei,8oors.
Azeile doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Melho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza era potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a 1 .ooo rs. o frasco, e
H.ooors. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e 11,ooo a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca maito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l,oo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixes a 6oo rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4.8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinhe de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,oeo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por l,2oo rs.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
57 RA DO IMPERADOR
Grandes reformas de peores
5 a i O por cento menos odrec que sepnaan pao ma Ira qual-
quer parte.
Gneros especialmente escolhidos por um dos socios que na Europa se acha
para esse, fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabeleci-
mento.
Os propietarios garantem todos os gneros sahidos de seu j muito acreditado
armazem.
AO PUBLICO.
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annuD-
cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambem
estamos certos nenhuma attencao j merecem do publico. O nosso fim, pois, simples-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos pre-
cos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attencao.
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Cartaxo vende-se nicamente n??te armazem
a 6oo rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
AGENCIA
DA
AGENCIA LOW-MOOl.
Ra da Senzalla Hova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
om completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
roa da Senzalla Nova n. 42._____________
Superior vinho Collares.
Na rua doVigario n. 11, escriptorio de Manoel
loaquim Ramos e Silva & Genros, tem para ven-
der superior vinho Collares em ancoretas
I TKi^Coce5oda
Babia.
Andrade A Reg, recebem constante- W
| ment e tem venda no sen armazem n. f
g 34 fia ruado Imperador, algodo d'aquel-
5 la fabrira, proprio para saceos de assa-
| car, embalar algodo empluma etc., etc.,
| pelo prego mais razoavel.
Rua da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston de C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montana, arreios para
earros de una e dous cavallos, e relogios de
oaro patente inglez.
GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
FOTDICAO DE SINOS
* DE
VILLACi IRMiO i C.
RUA OO BRUM H'. 4
Chamamos a atiendo de todas as irmanda- _
des e contrarias para o que abaixo publicamos. g
".SU O amor que volamos arte que professamos e o desejo que temos de concorrer com o
W3) nosso fraco contingente, para a ver chegar em nosso paiz ao grao de perfeigo que para
) desejar, nos impellio a mandar Europa nm dos nossos socios, afim de particular-
mente esludar a melhor maneira de bem fundir os sinos.
Grandes foram as difficuldades que tivemos a superar, afim de pdennos conseguir o
-, nosso desidertum ; porm gragas aos esforcos e bons oflicios de um nosso amigo, o nos-
*%& so socio pode ser admittido em urna das melhores fabricas de Lisboa.
5?? Muito lucramos e muito tem a lucrar o publico, por que sem receio desermoscon- s^g
wfb. testados, podemos afflrmar, que os sinos fabricados em nosso estabelecimento em nada f
se parecem com esses almofarizes de mo gosto que por ahi se fazem.
Estamos habilitados a fundir sinos de todos os tamanhos desde 16 libras at 100 ar-
robas, com emblemas, ornatos, etc., conforme a vontade ou gosto do comprador, guar-
dando em seu fabrico todas as regras da arte. Pedimos, portanto, em recompensa de
tantos sacrificios e despezas a proteccao do publico.
Villana, IrmSo & C.
w/?>

64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de ^idro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/ libra a l.loors.
Arroz do Maranb5o e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Amonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em gigos de 36 libras a l.ooo rs.
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e Ooo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra.
i dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a 1 ,ooo,
l,2oo e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da Baha como
sejam regaba, trovadores, guanabaras,
delicias e suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a Ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo 5,ooo
e o,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba superiorem latas a2,ooo rs.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs,
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e ginja a 7oo rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e l,loo rs. a
duzia.
Gomma muito al va e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqneiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
I'dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
l,ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o
frasco e 11,ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
P0T4SSA
Vende-se polassa em barris a comrnedo prego o
na rua da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriptori:
de Antonio de Almeida Gomes.
r ----MmaMwmMM
Cal de Lisboa.
Vndese na rua da Praia, no armazem de Jos
Joaquim da Cunha & C, n. 16.
Rua da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo*
Moor libra a 120 rs.__________________
11" i ii los com rodas, patentes.
Moinhos grandes com rodas, patentes, e afianca-
dos pelo fabricante para moer caf, e proprios pa-
ra refinacao por serem de especial qualidade e de
todos os tamanhos : vendem-se nicamente no depo-
sit da rua da Cadeia, loja de ferragens n. 56 A,
de Bastos.
Biscontos.
Vende-se em casa de Southall Mellor 4 C, rua
H^rspopiche n. 38.
Destrnko dos ratos
Vende-se tambem caixinhas com pos que 6 in-
fallivel para o envenenamento dos ratos, nao sendo
necessario precancao com as pessoas de casa.
Cal de Lisboa em pedia
desembarcada honlem de bordo da barca Bebe-
douro : vende-se por lodo o prego no escriptorio
de Manoel Ignacio d'Oliveira & Filho, largo do Cor-
po Santo n. 19.
Vende-se urna carroca bem construida e com
Souco uso, e nm boi do servijo da mesma : no
ago da Bola, junto a padarla do f-r. Jos Cecilio
Carneiro Monteiro, na travessa da rua dos Pires,
conhecjda por largo do Sebastiao.
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a Ooo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
l,ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista.
dem franceza a 56o rs. a Mbra, e em barril
se far abatiment.
Marmelada do primeiro fabricante de Lisboa
a 6oo rs. a libra, ha latas de 1, 1 1/2 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. a libra.
Macarro, talharim e aletria a 4co rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolhas da
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
a garrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a 7co rs. a libra.
Passas novas de carnada a 4oe rs. a libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide erodinha
etc. a 3,5oo rs. a caixa, e a56o rs. alibra.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades: savel, corvina, goras
cavallinhas, e pescada a l.ooo a lata.
Palitos para dentes lidiados a 14o rs. o ma-
go de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo rs.
a groza.
Painco muito novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
Queijos flaraengos, do ultimo vapor, a 2,5oo
rs.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra e
sendo enteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. alibra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
l,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada tima.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra,
dem de carnauba refinada e de composigo
a 36ors. alibra, e de lo,5oo a ll.ooors.
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
das marcas menos conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada,
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras cora 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
composc3o a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo
rs. a caada.
dem de Lisboa branco uva pura a 56o rs. a
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada,
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garrafa,
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
Genuino, Particular a 9oo e 1,2oo rs. a gar-
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra-
fa, e a 12,000 rs. a duzia-
dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
Julien, St. Esteph, chateau la Rose, chalan
Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
56e rs. a garrafa.
; RIVAL SEM SEGUNDO
Hua do Queimado ts. 49 e 5i>, loja de mu&^is
de Jos de Azevedo Maia & ('.., -.-u runiintuiufct i
vender muile barato, pois stu nenio i a hi>m-
da por todo preco a visia dos Mfem.
Cartas de allinetes francezes d:< nielber nriHMi
a 80 rs.
Grosas de pennas de ac inglezas da nuihor

lidade a 640 rs.
Caixas de clcheles francezes de superiores qp.:*i-
dadt-s a 40 rs.
Grosas de bolesde madrepcrola mnilo linos a.ri>
e 640 ris.
Carreteis com 4 a ;i oilavas de relrcz rrelo m\ I
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muilt. nmrfera
ft^OOO.
Grvalas da liga e de oulras murta* ia!i '-.
500 rs.
Caivetes para penna rom 3 fulhas fazend U- a
800 rs.
Duzia de botoes bianro para casaveques de sfB->
ra a 100 rs.
Petas de lila de cs eslreilas com O taras csrfti-
lidas a 320 rs.
O Expositor Porlugucz para os meninos a mM
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os MaiMi a tre-
er a ler a I 000.
Camillas da doulnna chrislfa, finas e upnitie.- 4
310 rs.
Penles finos de marfim a f000. 13200 e !$;flO
Pares de luvas de seda para homens e rotara.- ,i
500 rs.
Gollinhas para senhora o melhnr qw La a
500 rs.
Fraseos com superiores banhas a 2*0 3?fl, EOS .
t000.
Livros que serve para assenlar roup, pe* iir..i *
lo prego de 160 rs.
Capachos redondos mnilo finos a 500 rs.
Cordo raneo para esparlilhus muito orentr,
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha brau a a t
ris.
Cartoes com 200 jardas de linha bracea puttH
d' s a 60 rs.
Grosas de pennas de ac superiores a oo rs.
Varas de franja branca e de cures larga (rara h.v
!;as a 160 rs.
Pares" de botoes de punho, oh que peebinrha a
120 rs.
Tinleiros do V.'dro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro c.T superior linta a IW r>.
Grosas de botoes de CPCa prateados nimio h*cc u
160 rs.
Tesouras para costura supt jualidade a KM
ris.
Escovas para limpar denles, superior?< i ?00 rr.
Caixas com superiores pnospboros de segiirj'* a
160 rs.
Caixas com 100 envelopes o mdlior que la a CO
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amizude, rar::.
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito lino a SO r
i GRANDE GURA
PARA TONAS AS MOLESTIAS DO
JIIEIS DRUlifi
CERVEJA EM BARBIL
a SOO rs. o copo
tueijo de Minas chegado no vapor
dem prato mnilo fresco
dem suisso superior
dem londrlno superior.
57 Rua do Imperador 57
i
AS
Pilulas Ycgetaes Asshc aradas
De Kemp
Compostas dos dois novos resinoides chanto-
dos Fodophilina c Leptanprika, c iiiler
mente livres de Mercurio on outros IWM
nincracs ou metallicos, sao de grande gtfB>
dado nos paizes clidos cm cazos de
DISPEPSIA, EISCHAQECA,
Con.slpac;o ou Priz2o do VeitR,
PADECIMEKTOS DO FIGAM
AffecCjfjes Biliosas,
HEMORRHOIDAS. CLICA,
Ictericia,
FEBRE GASTRO-HEPATICA,
E oulras tnfrrmidndfi inlffai
Ellas vio rpidamente substituindo os anigo*
purgantes drsticos.
venda as boticas de Caors & Bartoza.
roa da Cruz, e Joo da C. Bravo C, n.
da Madre de Dos.
baomuit'> bonitos
Sao muito modernos
Sao muito baratas
O barateiro Joaquim Lu/, del
Santos, acaba de recetar uro es-
plendido sortimento de soiitmihar-
ques e capas ricamente enfesiM e
que vende muito barato : mandem
verExmas. Sras. para se convence-
ren! desta verdade, na rua do Cres-
po n. 1, junto ao arco.
m
Vinho verde
em barris de 5 para particulares c era pipas,
muito superior
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio da casa do abaixo assipnado c sru es
cravo pardo de neme Marcos, idade 32 anros. peu'
co mais ou menos, e com os ngnaes Mgnihlt:
altura regular, ternas compridas, ror escura, ca-
bellos annelados, olhos peijuenos, falla de d-nt*.
nariz chato, cosluma andar depressa. e remo quS
pulando, e anda se torna mal> condecido p diversas cicalri-es de gomma pelos peilos. coilas'
lade, e sobre.-aliindo sobre ludas per se tornal man
visircl, urna abaixo logo da garganta no m Jk
caixa do peito ; elle pinta e raia sofTrivelmenie, t
consta que elle tem trabalhado por este iflicio tm
diversas casas aqui no Hccife : i autoridades policiaes e aos capilar de campo (np^
o facaru apprehender e conduz-lo rasa de se^
senhor o major Antonio da Silva Gusmo, na roa
Imperial, que gratificar genero>amcnle.
"EstTfugido 20 dias
o mualo acabucolado de nome Marcelino, rsrrawt
do abaixo assignado. Esle mualo tem altura re-
gular, corpo reforcado, pes e mos grandes, ros
redondo, nariz chalo, cabello corrido, barba mtf-
to pouca, e anda descalco, consia andar pela* rnfs
desta cidade : quem o pegar c levar rua do lat-
perudor n 55 ou em linda rua de S. Rento em
frente da ladeira do Varadouro, ser recompensa-
do. Antonio Luiz dos Sanios.
Acha-se fgido desde o dia 1" do crrente
cabra Eugenio, de idade de iO ii BO annos poaeo
mais ou menos, com os sgnate i rgnihl-'s : carm
pintada de bexigas, urna falta de denle na irenie,
traja roupa branca deservido ecostnma andar com
urna gaita a locar, foi escravo do Sr. Peri mida
de Aquino Fonseca : roga-se as autoridades poli-
ciaes e eapJlSes de campo de o capturar levamo-a
ao hotel de Franca oude se pagara lodas as despe-
zas relativas.

i
i
MUTILADO


V,
8
Diarto de remtmhmf Qiiarfa felra e \orenibro ie 1
0 QUE VAEPELO MUNDO
Damos em seguida a couclusaoda le hypothe-
cari.i, ltimamente approvada na cmara geral e
sactionada pelo nus.-o governo :
Titulo VI.
Das cesses e suhrogarOes.
Arl. 13. O ces.-ionario do crdito hypotbecario
ou a pessoa validamente subrogada no dilo crdi-
to exoreera sobro o immovi-l os niesmos direitos
que eo.iipetem ao cedeuto ou subrogaute, e.tem o
direilo de fazer inscrever margem da inscrip-
to principal a cessao ou suurogacao.
As cesses s podem ser feitas por escriptura
publica ou por termo judicial.
i. Constituida a hypotlieca conforme o art. 4o
6* ou cedida conforme este artigo, podem sobre
Bila as sociedades, espcci.lment') autonsadas pelo
governo, emiitir, com o nome de letras hypotheca-
rias, ttulos do dividas trausmissiveis e pagareis
pelo modo que se determina nos paragraplvos se-
guintcs.
2. As letras liypothecarias sao nominativas ou
so portador.
8 3.* As letras nominativas sao transmissiveis
por endosso, cuio eUVilo ser smente o da ccsso
civil,
g 4. O valor das letras hypothecarias nuncaser
inferior a 11)0$.
% b.' O emprestimos hypothecarios nao podem
exceder nietade do valor dos imnioveis ruraes e
tres quartos dos inmoveis urbanos.
6. A emisso das letras hypothecarias nao
poder exceder importancia da divida ainda nao
amortisada, nem o decuplo do capital social reali-
zado.
7.' Os emprestimos hypothecarios saopagaveis
. por annuidades calculadas, de modo que a amorli-
sacao total se rcaiise cm dez annos pelo nieos e
em trinta no mximo.
$ 8. A annuidade comprenendo':
O juro esiipulado;
A quota da amortisagao;
A prcentagerv tt administragao.
8 9. Nos estatutos das sociedades, os quaes
*2Sl6 sujeitos a approvago do governo, se deter-
minara :
A circumscripgo territorial de cada socie-
daJe;
O modo da avaliago da propriedade;
A tarifa para o calculo da amortisagao e porcen-
tagom da administrado;
O modo e condicoes dos pagamentos anteci-
pados ;
O intervallo entre o pagamento das annuidades,
o o dos juros das letras hypothecarias;
A constituicao do fundo de reserva;
Os casos da dissolugo volnntaria da sociedade,
o a forma e condicoes da liquidaeao;
O modo da eraisso e da amortisagao das letras
hypothecarias;
O modo da annullaeao das letras remidas.
10. A falta de pagamento da annuidade auto-
cisa a sjciedade para exigir nao s esse pagamen-
to, mas tambem o de toda a divida ainda nao amor-
bisada.
11. Os emprestimos hypothecarios sao feitos
orn dinheiro ou em letras hypothecarias.
% 12. O capital das sociedades e as letras hypo-
Uiecirias ou a sua transferencia sao isentas de sello
proporcional.
A arrematarlo ou a adjudicagao dos immoveis
para pagamento da sociedade tambem isenta da
siza.
g 13. O portador da letra Iiypothecaria s tem
aegao coaira a sociedade.
g 14. As sociedades de que trata esta lei nao sao
cjeitas fallencia commercial.
Verificada a insolvabilidade a requerimento do
procurador fiscal do thesouro publico ou das the-
sourarias, aos quaes os credores devem participar
a falta de pagamento, o juiz do civel do domicilio,
procedendo as diligencias necessarias. decretar a
lijuidago forcada da sociedade.
Deste despacho haver aggravo de peticao.
Decretada a liquidaeao forcada ser o estabeleci
ment confiado a urna administrarlo provisoria,
composta de tres portadores de letras hypotheca-
rias, e de dous accionistas nomeados pelo juiz.
"g 15. O juiz convocar os portadores das letras
hypothecarias para no praso de lo dias nomearem
urna administrlo que tome conta do estabcleci-
mento para sua liquidaeao definitiva.
FOLHETIffl
O ESQUELETO
POR
CABILLO CASTELLO CHANCO.
16. Estas sociedades, alm da operagao funda-
mental dos emprestimos por longo praso, pagaveis
porannnidades, podem:
1 Fazer emprestimos sobre hypothecas e curto
praso com ou sem amortisagao.
2." Keceber depsitos em conta corrente de ca-
pitaes com ou sem juros, empregando estes capi-
laes por praso que nao exceda a 90 dlaa em em.
prestimos garantidos por letras hypothecarias e por
apolices da divida publica ou na compra e descon-
t de bilhetesdo thesouro.
Estes depsitos s podem ser retirados cora pr.
vio aviso de 60 dias, e nao excedero importan-
cia do capital realisado.
17. A letra hypothccaria prefer a qualquer
titulo de divida chirographaria ou privilegiada
18. O governo pelo ministerio da fazenda dar
1 regulamento especial para execucao desta parte da
presente le.
Titulo VIL
Das aeges hypolhecarias.
Art li. Aos credores de hypothecas conven-
cionaes, inscriptas e celebradas depois desta lei,
compete :
O sequestro do immovel como preparatorio na
acgo j
A conciliacao posterior do sequestro.
A accao de dez das, jujo processo e execucao
sero regulados pelo decreto n. 737 de 23 de no-
! vembro de 1850;
O foro civil.
1. Os immoveis hypethecados podem ser arre-
matados ou adjudicados, qualquer que seja o seu
valor e a importancia da divida.
2. Fica derogado o privilegio das fabricas de
assucar e mineragao, do qual trata a lei de 30 de
agosto de 1833.
3. Os bens especialmente hypothecados s po-
der?, ser executados pelos credores das hypothecas
geraes antoriores, depois de excutidos os outros
bens do devedor commum.
4 As custas judiciaes sero redazidas a dous
tercos das quantias fixadas no regulamento ac-
tual.
Titulo VIII.X
Disposigoes transitorias.
Art. 15. O governo determinar a forma e o
prazo dentro do qual, sob pena de nao valerem
contra terceiros, devem as partes ;
1." Inscrever e especialisar as hypothecas ge-
raes e sobre bens futuros ;
2. Inscrever as hypothecas privilegiadas con-
forme a legislacao actual, e celebradas antes an-
os desta lei, as quaes ficam em vigor at a sua so-
lucao.
Art. 16. Ficam
rio. >
Continuacao.
XX
O papel, que Beatriz representa va com as co-
mediantes cmaras, nao a justava ao seu carcter.
A sonhora, obngada a.valer-se das primas, e a
promover a irrisao do pae do seu filho, sentia-se
tiunillhada, e ridicula, em seu marido, rebaba-
do condigo dos Sganarellos e Dantins de Mo-
glire.
As senhoras Cmaras, al a hora em que Bea-
triz Ihes appareceu, exorando que a defendessem
d'alguraa suspeita do seu mando, consideravam-
na esposa immaculada, e abstinham-se de convei-
saroni licenciosamente diante della Beatriz, ao ar-
rancar de repente a mascara, nao senliu a dr do
impuctio ; mas depois, quanlo ouviu as chacotas
allusivas ao marido engaado, leve vergonha e
condoeu-se delle.
Fignrava para desoprimir-se as perfidias do es-
poro, a ida para Cintra com a franceza, o desape-
go d'aIma com que a tratava, e o ar ameacador
com que por mero orgulho Ihe prescrevia os deve
res. Isto poda muito com ella, mas nao a rehabi
litava aos olhos das senhoras, que, desde aquella
fcora, na ausencia do marido de urna, a fizeram
Confidente di passageas mais ou menos analogar,
e algumas pelores de devassido e escarneo ma-
rital.
Beatriz sahlu noute, anojada deltas e de si. O
marida nao eslava em casa, nem l tinha id" ave-
riguar dos criados. Os criados de Mesquita ven-
diam o seu silencio a Raphael Garcao, e lastimar-
edilam na hora era que se rompessem as ligagoes
(la Bdalga com o mais generoso dos raortaes
qoe elles haviam coohecido, relacionado com snas
ma.
Erreveu no mesmo ponto Beatriz ao primo, re-
latando o successo de Bemftea, salvos os relangos
Irrisorias. Raphael deu loavores a saa estrella, e
disse comslgo : E' necessario acabar com isto,
ntes que estalle borrasca I Nao despresemos este
aviso ti
Beatriz, porro, afervorava-se mais em temara
derogadas as leis em contra-
LM POICO DE TODO.
Do Boudoir ext'ahimos o seguinte :
Ainda assim nao me admiro destas deslocacoes
trivialissimas; noto-as to smente.
Eu tambem me emprego em fazer sommas as
obras publicas, quando me deviara mandar ocen-
par as miabas comedias.
Manoel Rousado tambem pertence procurado-
ra geral da cora, quando o paiz devra s pa-
gar-Ihe para parodiar todos os depulados
poetas.
Bulhao Pato do commercio das obras publicas,
quando devia ser nicamente do commercio do
Parnaso.
Palmeirim redactor de um boletim agrcola,
e nao sei que mais, quando devia ser smente es-
criptor.
O Sr. Cascaes do collcgio militar, e Andrade
Ferreira.... isto incrivel I... Andrade Ferrei-
rae... nao se riam.... socio da academia real
das scicncias e amanuense da reparticao de fazen-
da do distrido de Lisboa 11 I
Ha dous homens que, a meu ver, comprehende-
ram a sua missao na trra.
Ernesto Biester, que nunca quiz ser amanuense
e Eduardo Garrido, que'pediu a demisso do seu
emprego nos caminhos de ferro, para se levantar
urna hora da tarde e escrever chistssa e satyrica-
mi'nte.
Ha anda um terceiro de muito juizo.
Julio Cesar Machado, que nao vae a nenhum con-
curso para lugar'publico, nem se quer metter em...
poltica.

ABBUFOS DE NAMORADOS
Sao assim, se os tenho eu visto
Tanta vez as sones :
A dama... est recostada,
desde que presagiara algum desastre Lembrou-se
que Nicolu, com as provas da deslealdade della,
era homem talvez para mala la, ou repelli-la com
despreso. O pae. o severo Martinho Xavier, afor-
rolha-la-hla n'um convento, ou vngaria o marido,
n'um rapto de furioso odio. Beatriz precisava
contar com o refugio e amparo do homem amante,
corajoso, rico e alTrontador de todos os despeitos
sociaes por amor della. Faltavalhe o animo e im-
pudor, digarao-lo assim, para prevenir Raphael no
sentido dos seus presagios. O bizarro moco acudiu
as balbuciaces da prima, anhelando a hora em
que ella se despenhasse dos respeitos vaos do
mundo aos bracos defensores do esposo de sua
alma. Alentou-se o espirito da senhora. Achou-se
mais destemida, e mais segura na rampa da sua
perdifao.
Escreveu o morgado de Palmeira ao sogro e di-
zia-lho n'um post-scriptum : i Aqu v Raphael,
que chegou de Paris. Leva urna franceza. Doudo
at morte I
Martinho Xavier respondeu :
< No tocante a Raphael Garcao onso pedir tua
bondade que me nao falles mais. Eu fallel muilo a
respeito deste hemem. Hoje a ti peco, aos mais or-
deno que me nao fllem nelle.i
Martinho Xavier, velho amigo do governador
civil de Lisboa, sabia, mediante as facis pesqui-
zas policiaes, onde morava Raphael em Lisboa.
Concluiu muito mais alera do que a alcadda pol'-
cia devassou, e callou-se para nao ir elte hastear o
patbulo da deshonra da (i I ha.
Nicolu de Mesquita ponderou era nada a pala-
vra do sogro.
Revieram dias serenos, sereBos de sobejo para
a lelhargia de Raphael. Sensacio nova para elle
at saudades dos paes o inquielavam I Parecia-lhe
que na provincia havia de amar mais poeta, e mais
intensamente sua prima.
Este constrangimento adoentou o sem artificio.
Beatriz deu lento de sua tristeza, e consideroa-se
desamada. Chorou e fez-se aborrecida. A mulher,
as condQ5es de Beatriz, nada vence com lagri-
mas, e as vezes dissolve com ellas os filamentos
que a prendero estima que se desfaz. Raphael
qui'ixou-se araargaraeute da injustica e da ingra-
tido.
Avilias mal, disse elle, nm homem dos meus
annos, e com o meu temperamento, que est ha
sete mezes, privado da liberdade, e al de ar, no
centro de Lisboa, rodeado de prazeres, attrahldo
Mas olbando de revez
Para o mancebo, que, ao lado,
A scismar e contristado
Lhe contempla as sua* flores.
Silencio entre os dous profundos!...
Ello querdeixar o mundo ...
Ella quer morrer de amores!
Um suspiro a dama sola,
E o leque oscilla raivoso___
Elle entao.... limido e paludo
Implora-lhe muito amoroso
Que a mal q'renca linde all.
Ella, olhao... e sorri....
E elle animado, ento,
Toma-lhe o ramo que aspira :
Ella de novo suspira...-
Elle pede-lhe perdao.
Volla-lhe o rosto a donzella,
Ediz-lhe :Nao mais, senhor !
Foi dangar com Georgna.
E ouvi-lhe fallar de amor...
Nao fui, meu anjo ... perdao !
Solicitou-me o baro
Que fosse o seu vis-a-vis.
Tu da'ncavas com o conde,
Eu dansei (ninguem t'o esconde)
Eu dansei com ella ali.
Mas dtsse-lhe mil finezas....
Nao negu, que eu bem ouvl___
Tambem tu ouvjsle 0 GOEtle
Qu le fallava de si
' Pois bem... morreu este amor,
Nao mais me falle, senhor,
Nao se lembre mais de mim...
Esquejamos o passado
Foi isto um son lio dourado...
Acordei I vejo-me assim.
Assim como ? I Dize, flor___
Assim como ? I Pois nao vs
Que dansei sem ter vontade,
E me tens aqui aos ps ? I
Pois durante a contradanza
Fiz eu alguma mudanca ?
Si a fiz juro que nao sei.
Mas tu, meu anjo, bera viste
Que at dansei muito triste
E s no iim lhe fallei.
Ah falloulhe... entao confessa...
Valha-me Deus I meu amor...
Fallei-lhe.... querodizer...
Eu pedi-Ihe por favor.
Oh I como isto me atormenta !
Nao sejas mais ciuraenta,
Que me ralas, minha q'rida !
s s tu o meu enlevo,
Amar outra nem eu devo,
s tu s a minha vida I
E a dama sorriu contente,
E contente suspirn,
Oh I como alegre o mancebo
A sua maoaperlou I...
O processo de fallencia nao pode retroceder,
para proceder-se a nova instrueco e qualificacao
da quebra, mas como os crimes podem ser aecu-
sados emquanto nao prescrevem, na* obstante a
inefflcacia de aecusacoes anteriores, enteadoque a
justiga publica e as partes interessadas podem in-
tentar novo processo criminal contra o fallido.
Este novo processo deve correr no juizo com-
mum, e o crime deve ser qualificado como este-
lionato e nao como bancarota. Rio de Janeiro, 27
de Janeiro de 1864. Augusto Teixeira de Freitas.
Ao Io quesito emendo nao ha ver lugar no pro-
cesso de quebra julgada casual um novo processo
eexhibico do provas que poyam alterar a sen-
tenca, mormente quando esta foi sustentada pelo
tribunal superior.
A lei nao antorisasemelhanle innovacao.
Os avisos de 9 de fevereiro de 1858 e 28 de fe-
vereiro de 1839, de accordo com os arts. 144, 143
e 149 do cdigo do processo, e bem assim os arts.
270 e 288 do regulamento criminal do 31 de Janei-
ro de 1832, estabelerendo a doutrina : que se po-
de proceder de novo pelo crime (emquanto nao
prescreve) no caso de se nao descobrir no proces-
so o delnqueme, o mesmo quando nao adiada
prova bastante para a pronuncia do indigitado.nao
determinara com tudo que se altere a Ia sentenca
de nao pronuncia, porm sim que se proceda a
novo processo, sobre o qual entao recahe una no-
va sentenca. Estes artigos, porm, nao sao appli-
caveis a quebras, que se regem por leis espe-
ciaes.
Ao 2. quesito, comquanto porm se nao possa
alterar a senteuca i.* que qualificou a quebra, e
passou em julgado pela confirmado do superior
tribunal, parece-me comtudo que qualqner inte-
ressado pode accu?ar o .fallido por crime de es-
telionato, e o mesmo pode fazor o promotor ou
qualquer pessoa do povo nos termos do art. 74 e 1
combinado com o art. 100 do cdigo do proces-
so e com o art. 263 do cdigo penal. Rio de Ja-
neiro, 15 de margo de 1864.Conselbeiro A. Pan-
toja.
Concordo inteiramento com o parecer antece-
dente, que adopto em todas as suas partes. Rio
de J.ineiro, 16 de marco de 18Gi.Caetano Alberto
Soares.
Concordo com o douto parecer do consclhei-
ro Pantoja, tendo a reflectir : que nao me pa-
rece applicavel o principio de se renovar o pro-
cesso, emquanto o crime nao prescrever, s fal-
lencias.
Fallir nao crime, pode s-lo, mas a presump-
co sempre a favor do fallido. O erro da appli-
cacao do principio do processo criminal commum
inslrucco do processo da fallencia, consiste era
urna confuso de ideas, que imperdoavel ao es-
pirito do jurisconsulto. A regra do processs com-
mum parte de um fundamento certo emquanto
nao prescreve o crime.
Matar, ferir, furtar, roubar, etc., sao crimes;
a nao pronuncia refere-so ao nao conhecimento do
autor ou de seus cmplices, isto nao relaco
entre o mal e a gente; por esta causa o processo
pode ser renovado at prescrever o crime, mas
ha sembr um crime. Porm, fallir nao crime,
e se o juiz commercial reconheceu e foi sustenta-
do pela relacao que a fallencia. A era um facto e
nao um crime; como se poder em boa fe appli-
car a regra do processo criminal, que presuppoe
um crime existente, a fallencia do negociante jul-
gada um fac por dous juizos de l.'e 2.a instan-
cia ? Tenho muito que dizer, porm sou impedido
pela urgencia dos que pedem consulta. Rio de Ja-
neiro, 16 de margo de 1864.Dr. Antonio Ferreira
Vianna.
Concordo com a opiniao exarada no parecer
cima pelo Dr. Freitas. Rio de Janeiro, 17 de
margo de 1864.Joaquim Jos de Azevedo.
RESPOSTA.
O processo das fallencias incumbido ao juiz
commercial principalmente para os dous fins de
garantir aos credores o pagamento de seus crdi-
tos pela tirada dos bens da posse do fallido, e para
assegurar a este a protecgo e favores que a le-
gislago commercial presta ao commerciante de
boa f, que cessa seus pagamentos por accidentes
de casos fortuitos ou forga maior.
O conhecimento da parte criminal para punigo
do descuido, dolo ou fraude, smente cabe ao juiz
commercial per accidens, como meio de regular
os effeilos civis da pronuncia, e tanto que pelo
art. 820 do cdigo commercial o julgamento li-
na! do fallido no juizo criminal nao invalida a pro-
nuncia commercial, dada para regular os effei-
tos civis.
E' por isso que eu tenho seguido- a opinio
que o recurso ex-oflfcio da pronuncia commercial
devia passar para o tribunal do commercio, desde
que pelo decreto n. 1,597 do 1. de maio de 1855
foram os Irihunaes- do commercio erigidos em
2.* instancia para julgar as causas commerciaes,
incluidas as de fallencia ( art. 24 do citado de-
creto. )
Se o tribunal rJr> commercio a 2.a instancia
para todas as questSes commerciaes, incluida a fal-
lencia, a elle compete confirmar ou revogar a pro-
nuncia dada pelo juizo da 1." instancia commer-
cial, pronuncia que tem por fim regular os effeitos
civis da fallencia.
Confirmada ou revogada a pronuncia, se ella
foi qualificada casoal, nada lem que ver o juizo
criminal e se foi qualificada culposa, sao os pa-
| peis remettidos ao juizo criminal para a punigo
docrime descoberlo na fallencia, sem que o juizo
1 commercial tenha mais que haver-se com o resul-
tado do processo, lano que elle nao intlue nos ef
; feitos da fallencia.
Este processo da fallencia pois completamente
. distincto do procedmento criminal a que smente
serve de corpode delito; e era nenhum artigo do
; cdigo commereial ou do regulamento n. 738 de
125 de novembro de 1850 se encuntra disposigao
pela qual o juiz commercial seja autorisado para
novo procedmento criminal, salva a reabertura
da fallencia pnr nao cumprimento da concordata
(arts. 840 e 902 do cdigo.)
Qualificar de novo a fallencia para declarar
culposa ou fraudulenta a que fra qualificada
pelas diverses de que amante nenhum se ahstem.
Eu cuidei que eras assaz feliz !... atalhou
ella, aeecando as lagrimas ao incendio de sbito
rrependimento.
Feliz... de certo fui e sou ; mas custa-me
que t chores, quando eu me queixo que nao pos-
so com esta vida... Tens t forga de mover leu
marido a ir para a provincia ?
Eu nao tenho forga nenliuma primo...
Experimenta, Beatriz : diz-lhe que ests
doente : pode ser que elle te deixe ir para Pal-
meira. Se elle quizer ficar com franceza, que te
faz isso ?
A mim que me ha de fazer ?! Pois sim, eu
lhe pedirei que me deixe ir para Palmeira.... E
perdoa-me, disse ella internecedora, perdoa-me,
Raphael, que eu bem conhego que ests doente, e
aborrecido como eu de Lisboa. Quem me dra as
minhas arvores, e margem do meu Tamega !....
Amei-te com tanto coraco naquelles sitios I...
Tenho saudade da gruta em que eu ia buscar as
tuas carias e levar as minhas. Conhego todas as
plantas d'onde t colheste urna flor, que deixavas
cahir entre as murtas paraeu a murchar ao calor
do meio seio. Trmbem te lembras ?
De tudo, minha filha I disse Raphael com-
movido.De tudo me lembro em que os leus
olhos pousaram um instante. Voltaremos nos
aquello cu ?... Ver-nos-ha urna daquellas noutes I
estrelladas da nossa trra ?
Estavam mais lyricos que o sea costante. O
morgado de FaySes era alma pouco puchada fiei-
ra do idilio. As estrellas destraiam-n'o mediocre-
mente, e a la encommodava-o com demasas de
las, as suas escaramugas nocturnas pacifica ho-
nestidade dos infelizes, como o pharmaceutico, e o
coronel, e outros de lacrymavel memoria. Em-
quanto a Beatriz, at aquella hora, mingura-lhe j
tempo aos devaneios pelo azul dos cus da sua tr-
ra e canteiros do seu jardira. Nos romances, que j
lira, se alguns amantes se detinham em palestras'
concernentes a estrellas, e sombras de pltanos
admirava-se ella da impertinencia dos autores, que
to pouco, em certas conjunegoes, conheciam o co-
rago de duas pessoas apaixona las, ardentes, no-
vas, doudas, escondidas urna n'outra como dous
anjos, que nao entendem o mundo.
Desde este dia, ou noute, Beatriz flcou pensan-
do sempre em voltar aldeia. Tambera ella espe-
rava que o seu Raphael cenlaplicasse os carinos
alm. n'aquelles convdateos bosques, onde pare-
casual, me parece exceder jurisdiegao do juizo
commercial e contraria aos preceitos da legisla-
go, que, marcando o andamento dos processos
de fallencia, nao autorisa o juiz processante para
inutilisar a concordata ou contrato de unio,
o embaragar a liqudago da massa, em que
deve ter a principal influencia a vontade dos cre-
dores.
Argumcnta-se com as disposices dos arts. 141,
145, 149 e 329 do cdigo do processo criminal,
explicado pelo aviso de 9 de fevereiro de 1838,
e cora os arls. 276 e 280 do regulamento de 31 de
dezembro de 1842, c aviso n. 396 de 27 de dezem-
bro de 1855.
A questao, porm, nao propriamente criminal,
para que tenha applicago legislngo exclusiva-
mente criminal.
No processo crime ha um facto verificado cri-
minoso, fundado em corpo de delicio, que o quali-
fica tal; e procurando-so o autor pode este ser des-
I coberto, e deve ser punido emquanto o crime nao
i prescrever.
A fallencia smente qualificada casual, quan-
do o corpo de delicio nao denuncia existencia de
| crime, e pois nao ha criminoso ; e um novo corpo
; de delicio nao admissivel depois do processo
adiantado, e quando os interesses do commercio
soffrenam muito cora a incerteza em que assim fi-
cariam as lquidagoes de massas fallidas.
O resultado desta nova pratica, encelada de-
pois de 14 annos da execugao do cdigo commer-
cial, seria acabar com as concordatas, e recorrer
sempre ao contrato de unao para evitar os pre-
juizos de concordatas, entao revogaveis vontade
do juizo, quando segundo os principios de direi-
to commercial sao os credores os que tm nellas
' influencia.
Em materia de fallencias sement sao crimino-
:sos os actos que fraudulentamente reduzem o
activo do fallido, ou parecem calculados para o
reduzir em prejuizo dos credores, e por exemplo,
um furto que se descobrisse feito pelo fallido, mas
que augmentasse o seu activo, nao seria crime na
fallencia, porm teria de fazer o objecto de um
processo no foro criminal.
Assim, qualquer fraude que se venha a desco-
brir depois de qualificada casual a fallencia, esca-
pa aleada do juizo commercial, e nem por isso
fica impune o crime porque ba o meio de queixa
ou denuncia, conforme o crime.
Se, pois, o crime nao Oca impune, desapparece
a nica razo com que se poderia argumentar em
favor da innovago, cujo n enor inconveniente
embaragar a liqudago das massas fallidas e re-
duzir o numero das poucas aberturas de fallencia
a reqaerlments de credores, j desanimados de as
requererem pelas grandes despezas que acarretam
e interminaveis lquidagoes das massas.
E ainda estas despezas se viriam a augmentar
porque a aecusacao criminal do fallido cusa
das massas em contrario do que devera ser.
Concluo que minha opinio, que o juizo com-
mercial nao pode reformar a quilificagao da fal-
lencia depois da deciso do juizo superior confir-
matoria da nao existencia de crime, e pois nem
de criminosa Ro, 17 de margo de 1864. Ber-
nardo de Soaa Franco.
Concordo inteiramente com o luminoso parecer
supra. Rio, 17 de margo de 1864. O advogado,
Manoel J. Gonzaga.
O congresso Norte-Amerieano, resol veu reeusar
aos Estados declarados em formal insurreicao, o
direito de tomar parte na prxima cleigo do pre-
sidente.
Estes Estados, em numero de II, sao, a Virgi-
nia, o Tenessee, as duas Carolinas, o Mississipi, a
Luiziana, a Georgia;'" a Florida, o Alabama, o Ar-
kamas e o Tevas.
O futuro presidente ser- eleito pelos seguimos
Estados :
Main, 7 eleitores ; New-Hampshire 5 ; Massa-
chussets 12; Rhod-Island 4.; Cohneticut 0 ; Ver-
moni 5 ; New-York 33 ; New-Jerse.v 7 ; Pensyl-
vania S6 ; Delawre 3 Maryland 7 ; Virginia Oc-
cidental 5 ; Ohio 21 ; Indiana 13; Illinois 16 ; Mi-
chigan 8 ; Wiscosin 8 ; Minnesota 4 ; lowa 8 ;
Kentuky 11; Missoury 11; California 5; Ore-
gon 3.
Total 24 Estados comprehendendo 241 eleitores.
Maioria absuluta 121 vultos.
Tres lerritorios Nebraska, Nevada e Colorado
foram aulorisados a fazer a constituigao e podom
ser admittidos cleigo com 3 votos cada um.
No Commercial do Porto l-se o seguinte :
A commissao central, que na cidade de S. Pau-
lo promove o donativo de soccorros para os d(*.
lizes habitantes de Cobo Verde, tinha j, ifiintj
diz o Correio Paulistano, para remetter pelo k.
meiro vapor ao consol geral de Portugal a* t*
de Janeiro a quantia de 4:300OdO res, esprate*
ainda do interior da provincia o recebiaeato >
pequeas quantias, para depois dar publiridale
aos resultados dos seus trabalhos
O patriutsmo acrisolado dos portaguexes resi-
dentes no Brasil, rene cm um so doiu grasen
nobilissini'>s sentimentos'philaolropia eamor da
patria.

A septagenaria Miria Rita, moradora na ru do
Laranjal, vinha anle-hontem, s 9 horas e oaeiada
noute, pelo caes de Massarellos, quando, altana-
da com um furte trovo, que nesse momento re-
beotou, se approximou dabeira do caes e cania
ao rio.
O guarda fiscal, que ali eslava de ponto, oovin-
do os gritos da pobre vclha, correu a duaar o
remador Antonio Rocha, que imroediatamente -e
dirigiu ao sitio em que a infeliz cabira, ecaaaa
guiu salva-la, sendo por isso creJor de merecido
elogie,

Em ama barraca, que se acha na feira de 6.
Miguel, com um eyelorama, l-se o seguinte eu
rioso letreiro.
t Vende-se microscopio econmicos, de aova
invougao, com o auxilio dos quaes, se v."- no qoci-
jo bichos como, piolhos de gaiinlia, e no vinagre
bichos, semeUianles a etiguias, so v a poBja, a
mosca a formiga, o piolho, o tecido, do filo
muitos outros objeclos impercepiiveis a
vista pregos dos microscopios 500, 400, 300, 10
ris.
Isto textual.
Quem deixar de querer por to pouco nm n
laes maravilhosos microscopios ?

A imperatriz da Russia, filha do duque de
Darmsladt, alia e bella. Sendo ainda mu joven,
adquinu nolavel reputago, como dotada > grao-
des qualidades moraes. Essa reputar) tem aug-
mentado depois que chegou a ser imperatriz.
Conta-se della urna ancdota interessante.
Ao receber em S. Petersburgo a noticia da to-
mada de Sebastopol, Alexandre II to conjurando
ficou que encerrou-se em seo gabinete, dando or-
den para que se nao permitlisse a entrada a quem
quer que fosse.,
A imperatriz foi v-lo a despeito da ordeoa.
Que me queres ? disse Alexandre .
Vr-te ; responden a imperatriz.
Vens annunciar-me alguma nova desgraca '
repetk) vivamente a imperatriz.
Sim, disse a imperatriz com voz firme.
Qual ?
A minha desgraga e a de todo o imperio. O
imperador da Russia perdeu a cabera
Instantneamente tranquilizado por essa respes
ta ti) siogela quanlo profunda, Alexandre atiron-
se aos bracos de sua esposa e entroa a formar
planos de pacificaco que dtram em resultado
tratado de Paris.
ce que o corago se dilata, e enche do amor dos
mil amores que a naturesa espira.
Pediu ao marido que a levasse a Palmeira, se el-
lo quena passar o vero em Lisboa.
Nicolu respondeu que no podia ir, nem viver
sem ella.
E se te eu disser que me sinto deperecer, e
brevemente morrerel em Lisboa Yreplicou ella.
Nao morreras, menina. Pelo contrario, a
vida da aldeia ser-te-hia hoje um incessante faslio-
Como quizeres, primo...tomou Beatriz
com despeito.Ainda assim, has de consentir que
eu, se me senlir peior, escreva a meu pae, pedin-
do-lhe que me venha buscar. Tenho um lilho, e
quero viver para meu filho.
Pois vive em Lisboa, priminha, que estes ares
sao ptfrissimos, e a tua sade por emquanto p-
tima, se nao me engao.
Tu nunca te engaas, meu primoretor-
quiu, sorriudo amargamente;mas tambem nao
engaas ninguem.
Explica-le I
Mais tarde...
Por que nao ha de ser ] f I
Porque ainda se nao gastou a paciencia...
Nao me fagas m'ais perguntas, visto que eu tenho a
delicadesa de te nao responder. Se um dia me
queixar, nao ha de ser a ti.
Nicolu recolheu a clera e a tntcrrogago im-
prudente. Compreheudeu que Beatriz lhe conhe-
cia deslealdade; e, do aprumo glacial com que el-
la o invectivou, tambem inferiu que nao era
amado.
Besignou-se, e protestou acautelar-se, visto que
ainda era tempo. As cautelas consistirn) em son.
dar e precatar a fidelidade dos criados. la bem
n'aquelle rumo 1
Passados dias, vollou Beatriz a pedir-lhe que a
levasse para Palmeira. Nicolu respondeu :
Pode ser na semana que vem.
Kscreveu a um amigo de Chaves, pergunlando-
llie se Raphael Gargo tinha casado com a Angela i
de Santo Aleixo. Disseram-lhe que Angela havia,
casado, quatro mezes antes, com o morgado das I
Boticas, e que o morgado de FaySes ninguem sabia
delle, porque nao escrevia a ninguem. l
Ento que isto?perguntava Nicolu
sua raso esclarecida. O homem disse-me era'
Cintra que ia para casa, e ninguem sabe delle I...
Nao negou quo ia casar cora Angola, e Angela es-
lava casada I.. .Mas, se elle estivesse em Lisboa,
e Beatriz o soubesse, seria um contra senso querer
ella ir para a provincia! Isto nao falha aos dicta-
mes de urna raso saa I J sei o que : o doudo
escondeu-se por aqui, ou no Porto, ou na provin-
cia com a Franceza. E' o que Martinho Xavitr
sabe-o, e irado contra este escndalo, prohibe que
lhe fllem nelle. Minha mulher estranha a tudo
isto. Vejo-a doente, e recoio que ella se queixe
ao pae. -abe a minha vida mysteriosa, e, se eu
a contrario, capaz de me denundar. Martinho
Xavier vem a Lisboa, e toma conta da filha. Re-
mediemos as eventualidades. Vou para Palmeira
com minha mulher, c preparo residencia Fran-
ceza na minha quinta da Ribeira d'Oura. No in-
vern seguinte, deixo Beatriz em Chaves com o
pae, e volto a Lisboa com Margarida.
Beatriz recebeu a nova da partida. Avisou Ra-
phael, que antecedeu oita das a jornada, entran-
do outra vez em Hespanha. a mobilia da casa de
Andaluz foi vendida em globo, em nome do seu
criado. O desabalado moco cuidou que sahia de
Lisboa com um pulmSo desfeito, e o outro atacado
de tubrculos.
Entrou Raphael Gargao em Chaves, com dous
caixotes de nncommendas de Paris, mandadas
comprar no Chtado. Andou entregando os objec-
tos s primas, com as quaes fallava difflcilmente o
portuguez. As senhoras achavam-n'o assim mais
interessante. As donzellas g istavam de ser cha-
madas mamaslles e cheres cusines, pronuncia que
feria os ouvidus lusitanissimos das velhas. De
Chaves foi para FaySes, onde se espantou de nao
encontrar cincoenta e tantas cartas, que havia es-
cripto a seus paes, de differentes cidades do mun-
do. Os fainos choravara abragados nelle, como se
o filho, por milagre de Jess, quebrasse a campa.
Julgavam-n'o como morto, nao obstante Ricardo
de Almeida, compadecido aviles, ihes haver asso-
verado, de mez a raez, que Raphael viva. O mor-
gado queixou-se acremeale da Inconstancia da pri-
ma de Santo Aleixo, e protestou casar-se por vin-
dicta com a mais rica herdeira.
Passados dias. fot visitar Ricardo ao castello
d'Aguiar. Viu Laura, a poraba do cu, que depu- i
zera o ramo de oliveira no corago do amante de
Margarida. Inclinou-se com ingenuo respeito dian-
te da mulher, que orecebia com um sorriso dees-1
tima. Sabia ella quanto seu esposo devia a Ra-
phael Garcao, perdido no conceito publico, e ao
oiesqip tempo bajulado dos paes, querido das rau- i
N'uma cidade dos Estados-Uaidcs, foi prese e
processado um ladro.
Chegando ao jury, como nao aprasentasse de-
fensor, nomcarara-lhe um.
lVstiraram-se o reo e seu adrogado para urna
sala prxima para conferecciarem.
Passadas duas horas e nao havendo terminal)
a conferencia, mandou o presidente do tribunal
um continuo fazer saber aos dous, que j era tex-
po de voltarem.
O advogado eslava s, >
Caliega od tribuna da -a, difse f
t Senhores.O jury connou-ole a antsso Je
amparar ao aecusado. Eile coofesson-me sor o
proprio autor do roubo ; e nao encontrando va
meio de defende-lo, aconselhei-lhe que fugis*?,
saltando pela janella da sala, onde otno* eonac-
renciar. O meu conselhc foi executado ha seju-
ramente duas horas.
Cre) ter preenehldo quanto era prsv! a *-
sao de qu me incumbiste.
Dan-mes conta de urna coincidencia
acerca das observar>s meteoMog:
tem chegado tal gran de exartido,
as variantes devidas certas irregularidades, que
sao inovitavcis a naturaza huma a.
eneia atavel
ca, afrqnMs
. Fart*i
ilari'Jadrs. aja
Cuiram, portanto, 6m sohstitnir os nbariaHti
na maioria dos casos pela phoLgrapia e telegri-
pha elctrica.
Ihere;., e inwjado dos homens. Ricardo pintar*
lhe v.tutajosamente o carcter de liapnael. emit-
liudo o desdouro aos seus amores adlteros Lau
ra urna vez lhe revelara a esperanra de tt ama
de suas irmas casada com o morgado de Fayes.
K cardo singelamcnle lhe disse :
Nao penses em tal. K.ipbac! ha de morrer
solteiro, por que ha de morrer novo.
Re^osijou-se a dama braMleira de ver Rapftae!
com saudavel exterior, e uns vislumbres de esai-
rilo fatigado de correr mundo proenra das aven-
turas vas e estragadoras do corago. Julgava eM
que as leviandades do filalgo eram amar sem daa-
tino, gastar o sentimento em affertos inrraseqnen
tes, o com mulhores devastadas pelas paiioes ; bi-
sas paixes, que desluzem as illusoes candidas da
alma, como cores posligas corroen) a natural pur-
pura do rosto.
Largas horas praticaram os dous amigos em aas
seios na serra, por onde Raphael tragara saodud -
e renovara o sangue. Fallava de Beatriz rom sau-
dade, por que a distancia Ih a aureolara rom
resplandor de outros lempos. Revelara o- seos in-
tentos a Ricardo, que, sem fortalecer o urnrso
com axiomas, lhe pedia que rompesse ama aJIan-ja.
promettedora de cortar-se mais urde com man
doloroso golpe.
E cuidas tu que Beatriz nao morre, deixaa>
do-a agora eu ? dizia entre piedoso e fatuo o de
Fayes.
Cuido que nao morrena, primo RaphaaL Me-
recera a pena experimentares qoinze dias.
Fez-le brbaro a felicidad*, Ricardo f.. A*-
sim, qaeres tu que eu faca nma fra e setafaai
experiencia na vida da mulher que me ama, a aja
tem posto a risco a honra e a vida por amor a>
mim T
Nao, primo... O que eu quera era iadnrir
te a salvar-lhe a honra, que a vida nao lem mari-
do que Ih'a tire.
E, depois, i edarguiu Rapnaei, qaa ajawrias
lu fazer de mim ?
O mesmo que tu indirectamente tueste da
teu primo Ricardo.
Levar-me ao casamento ?
Levar-te honra, e a honra depois ojoe la ms
pirasse, meu amigo.
(Continuar-tt-h*.)
PERNAMBICO-TYP. DE M. P. DE P. PMO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EE5PTDLJK_Q0JEC0 INGEST_TIME 2013-08-27T23:10:20Z PACKAGE AA00011611_10513
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES