Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10509


This item is only available as the following downloads:


Full Text
LMQ XI. fflEBO 253
Per tres sezes adiantados 58O00
Por tres mezes vencidos 6J000
Porte ao correio por tres mezes. 5750
SEXTA FEIRA 4 DE R0YEMBR0 DE 1834.
nuriM
Por auno adiantado.....19 $000
Porte ao correio por um aono. 3$00G
ENCAKRKGADOS DA SUBSCRfO NO NOR1E
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, e Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty.o
Sr.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos'de
Ouveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro A C; A-
tnazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
NCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Faicao Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Jageiro, os Srs. Pe-
riera Martins 6 Gasparino.
PARTIDA DOS R9TAPBTA&
Ounda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu' Goyanna e Parahyba as segundas e
sexlas-eiras.
Santo Anto Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Aitinno e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d Alho, Nazareth, Limoeiro, Breio, Pescrueira,
ngazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratii.Cabrob
aerinhaem, Rio Formoso, Tamandar, na,Barrei-
iiKrH lua Preta e Pimenteiras nas quintas feiras.
una de temando todas as-vezes que para ali sahir
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
EPHEMERIDES DO MEZ EE NOVEMBRO
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t.
13 La cheia as 3 h., 13 m. e 36 s. da t
21 Quarto ming. as 4 h., 56 m. e 56 s. da m.
29 La nova as 4 h., 57 m. e 26 s. da m.
PRKAMAR DE HOJS.
Primeira as 7 horas e 42 minutos da manha.
Segunda as 8 horas 6 minutos da tarde.
PARTIDA LOS VAiORS COST3IR03.
Para o sul at Alagas a o" e 25; or-r* o r.orte at
a Granja 7 e 22 de cada mei; para Fernando nos
dias 14 dos mezes de jan. marg., maio. jal. set. e nov.
PARTIDA DOS OMNiBUS.
Para o Recife: do Apipucos s 6 /*, 7, 7 Vi, 8 e
Vi da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato s 6 >/i da m.; do Caxang e Vanea s 7
a m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos s 3 Vi, 4,4 % 4 Vi,
o, S Vj, 5 Vi e 6 da Urde; para Olinda s 7 da
manha e 4 Vi a tarde; para Jaboato s 4 da
tarde; para Cachang e Varzea s 4 >/. da tarde;
para "emfica s 4 da tarde.
AUDiSNC A DOS TRIBUNA!^ DA CAP.7AL
Tribunal oconamercio: segundas quintas.
Relago: tercas e sabbadcs s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juiw do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas s sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
GOYERN0 DA PROVINCIA.
Expediente da dia 31 de outubre de 1861.
(inicio aa Exm. consclheiro presidente do su-
premo tribunal do jusliga.Transmiti V. Exc. a
inclusa resposta qno deu o juiz de direito Manoel
Clementino Carneiro da Cunha, portara que velo
junta ao offlcio de V. Exc. de 28 do mez passado.
Coramunicou-se ao Dr. juiz de direito.
Dito ao inspector da ihesouraria de fazenda.
Attendendo as razges apresentadas por Licinio
Persino Nostron de Andrade, no requerimento so-
bre que versou sua informaco de 27 do corrente,
sob n. 625, e tendo em vista" o parecer dado a esse
respeilo pelo juiz de direilo da comarca de Flores,
-em data de 6 de agosto ultimo, recommendo V.
S. que mande abonar ao supplicantealmdaquan-
tia de 1205 que llie foi arbilrada por meu ante-
cessor, como remuneraciia dos servidos que pres-
in aos desvalidos accoinmettidos do cholera-mor-
bus naquella comarca, mais 80 para completar a
de 2005, em que o mencionado juiz de direilo
avaha esse servico, podendo processar-se essa di-
vida para ser paga quaodohou ver rdito, no caso
de pertencer a exercicio j encerrado.
Dito ao mesmo.Devolvo inclusos com o offlcio
os documentos das despezas a que allude a infor-
mado dessa inspectora n. 469 de 26 de agosto
prximo passado, feitas pelo alferes Pedro de A.
TiberioCapistrano.comosdestacamentosdasvillasde
Cabrob e Ouricury, nos mezes de fevereiroaabnl
deste anno, para que V. S mande levar em conta
ao referido alferes, a quantia de 1:030,5280 rs.
que est no caso de ser-lhe creditada, segunde o
parecer da contadona dessa repartigao de 24 do
citado mez de agosto, indicando V. S. a providen-
cia a dar-se, afim de ser tambem creditada a
quantta de 2335333 rs., que deve ser levada a
verbagratificacos diversas etc.em que nao ha
crdito.
Quanto, porm, despeza de 9225 rs. de lu-
zes, deve ser creditada tambem em vista do que
resolv por offleos de 4, 12 e 26 deste mez, acerca
de outras em idnticas circunstancias.
Dito ao mesmo.-Communico V. S. que o ba-
charel Jos Joaquim de Souto Lima, renunciando o
resto da licenca que obteve, reassumio no primei-
to do corronte o exercicio do cargo de promotor
publico da comarca do Limoeiro.
Dito ao mesmo.Em 25 deste mez o juiz de di-
recto da comarca de Goianna, nomeou o bacharel
Joo Floripes Dias Barreio, para exercer interina-
mente all o cargo de promotor publico, por ter o
cfTectivo, bacharel Jos Antonio Correa da Silva
entrado na mesma data, no gozo da cenga que
obteve : o quo communico V. para seu couheci-
mento.
Dito ao mesmo.Em vista das tres inclusas
comas em duplcala, e
approvada a compra dos 50 meios de sola, eflec-
!u* com io=u Antonio de Carvallio a prego de
JrSOO cada um. Communicou-se ao inspector da
thesouraria de fazenda-
Dito cmara municipal do Bom Conselho. -
Respondendo ao offlcio que me dirigi a cmara
municipal do Bom-Conselho, em 15 do corrente,
lenho a dizer que approvo a arremataco dos im-
postos mencionados no termo de contrato, que por
copia veio annexo ao citado offlcio.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa-
quetes a vapor. Podem Vmcs fazer seguir para
os portos do norle o vapor Apa amanha a hora in-
dicada em seu offlcio de hoje.
Dih DA FDLLX.
31. Segunda. S. Quintino m_. & Untan v. m
1. Torea. r,j. I'oia !.- Mato) 1- Sanio-,
i. Quarta. Dia de Basaos. & faltas m.
i. Quinta. S. Malaqnias b.: S. llera fto n
\. Sexta. S. Carlos KMrr.im.-ii are. >. Saldado. Ss. Za. barias | lauto*.
6. Domingo. S. Severo b. 111. >. Atine ..
ASSIGNA-S1
no Recife, am a ii/raria da paja, da rispen*
ca ns. 6 a 8, los proprieunos Manos; Fot
d Fana & Filho. -euj*
eos Srs. deputados L-emos; Rosa, e supplente Basto,
ida, foi approvada a acia dasesso antece-
Fizeram acto na Faculdade de Direito do Recife
no dia 3 do corrente os seguinles.estudantes:
Io aao.'
Antonio Angusto de Araujo Lima, plenamente.
Jos Anlonie Ernesto Par-Ass, idem.
Antonio Antero Alves Monteiro, idem.
Pedro Baptista de Moraes Reg, idem.
2o anno.
Jos Hygino Duarte Pereira, plenamente.
Adolpho Generino Rodrigues dos Anjos, idem.
Joao Paulo Gomes de Mallos, idem
Arnobio Jos Pereira de Albuquerque, idem.
3 anno.
Joaquim Alves da Silva, simplesmenle.
Pona n i V ... ., i ,ud4u"u Aives oa Miva, simplesmenle.
dnTtTlP 2* Prov,ncia> ?t,en?.en- Joaquim Pontes de Miranda, plenamente.
AlevTnZ h il ereU?u major d0 corpo,de pol,c,a Jos Gomes da F'0U, dem.
deHhP^di, i ,S Albu1ueriue, resolve conce- Manoel do Nascimento Teixeira, simplesmenle.
aer-ine 20 das de licenca com vencimenlos na fr- 4 anno *
con =f. a'rnmm^3!;, H Sa:l ^T -.c?mmun'-, Manoel Jos Monteiro, plenamente.
n?ia nrfrnaD,Hd0 corpo de pol,r.,a- Antni0 da Si|va Antunes, idem.
... 7J ?res,den,te da provincia resol ve desig- Francisco de Assis Pereira Rocha idem
Zk3!tSBS d?Hbatalh0 S9 Sf*Baptisla de BJSSfoSSWRSk
Garnh,mf 11, f" ,Di"D^ da,Cmarca de Francisco Theoton.o de Carvalho, dem,
arannuos, Lourengo Justioiano Guedes Alcofora- g anno '
ra^fn"!0^"?,^510 de maior d0 referid0 Guilherme Amazonas de S, plenamenle.
talluo, de couformidade com o d.sposto no art. 73 Francisco Xavier de Sa dem
do decreto n. 722, de 25 de outbro de 1850.- Pedro Jansen erreira 'idem
t,ommuD1cou.se ao respectivo commandante supe- j Hoje se extrahir 2* parte da 3* lotera do
nita n nrOC ian,n a, .. 'tneatro de Santa Isabel (114a), sendo o maior pre-
Jita.u presidente da provincia, attendendo ao mo 6:0005
- nao havendo inconveniente.
v. o. (ig-di kub emprezarios oa companhia
de illuminacao publica desta capital, a quantia de
262^800 rs., em que importou o gaz consumido
nos mezes de julho a setembro deste anno, com
a illuminacao do palacio da presidencia.
Dito ao mesmo.Attendendo ao que ponderou-
me o commandante superior da guarda nacional
da comarca de Cabrob, em offlcio de 3 do cor-
rente, recommendo V. S que mande entregar ao
chefe do respectivo estado-maior Alexandre Magno
de Alencar Peixoto que se acha competentemente
autorizado pelo referido commandante superior,
para recebe-la, a quantia de 3035 que por offlcio
de 2 de agosto ultimo, mandei forneccr-lhe para
compra de livros e objectos de expediente neces-
que requereu o juiz municipal de orphos do ter-
mo de lguarass, bacharel Joao Carlos Augusto
cavalcanti \ellez, resolve conceder-lhe um mez de
licenga cora vencraentos, na forma da lei, para
tratar de sua sade.
Dita.o Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar transporte at a Parahyba no va-
por que tem de seguir para all no dia 7 de novem-
bro ymdouro, em lugares de r destinados pas-
sageiros de estado, ao juiz de direito Dr. Victorino
Toscano do Reg Brrelo e a 3 III hos menores.
Dila.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes a vapor mandem dar transporta at o
Marauhao no vapor Apa em lugar de proa desti-
nado a passageiros de estado a Manoel Jos da
Canoa.
Expediente do secretario do goreruo do dia 31 de
oulubro de 186-1.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
.E.xc\ .Sr- presidente da provincia manda trans-
mittir V. S. as duas inclusas ordens do thesouro
nacional, datadas de 20 e 21 deste mez, e sob ns.
lo3 e 155.
Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda transmittir V. S. a inclusa ordem
do thesouro nacional sob n. 154.
Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda transmittir a V. S. a inclusa ordem
do thesouro nacional sob n. 136 A.
Despachos do dia 31 de ontnbro de 1881.
/imana francolna (ios Res Campello.Informe
o Sr. director da nstrucejio publica.
Antonio Aprigio da Cunha Maciel.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Antonio, Africano livre.-O juiz de orphos desta
cidade j tem ordem para dar carta de emancipa-
gao aos Africanos livres existentes nesta pro-
vincia.
Fieldem Brothers.Dinja-se thesouraria de
fazenda.
Joaquim Aureliano de Castro.Satisfaga a exi-
gencia constar.te do parecer fiscal.
Joo Xavier do llego Barros.Assignado volte
querendo
Leopoldo Ferreira Martins Ribeiro.-Remedido
Repartido da polica.
Extracto das partes do dia 3 de novembro de
Foram recolhidos casa de detengao no da 2
de novembro:
^0 Sr. deputado Candido Alcoforado participou
na poder comparecer presente sesso.
Assignou-se o accordo proferido na ultima
sessao, na appellagao entre partes :
Appellante, Jos Soares Leite da Costa ; appel-
itOo, Antonio Ferreira da Silva Maia.
, JULGAMENTOS.
. Appellantes, Novaes & Lima ; appellado, Fran-
cisco Soares Retumba.
Adiado na ultima sessao. .
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Manoel Gongalves da Silva ; appel-
dos, os curadores Oscaes da fallencia de Amorim,
ragoso, Santos & C. 1
Adiado na sesso anterior.
Foi confirmada a sentenga appellada.
Appellantes, os curadores liscaes da massa fall:
oa da viuva Amorim & Filhos e Thomaz de Faria ;
appellado, Antonio Hodrigues Fernandes Vieira.
Adiado na precedente sesso
Desprezaram-se os embargos.
-appellante, Joaquim Juvencio da Silva; appella-
dos, os curadores liscaes da massa fallida de Amo-;
nm. I-ragoso, Santos & C.
Adiado na sesso antecedente.
Foi reformada a sentenga appellada.
Appellaule, Joaquim Jos dos Santos Andrade ;
appellado, Antonio da Silva Pontes Guimares.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Joaquim Francisco Duarte, como in-
ventarame dos bens de seu finado filho Maximia-
o francisco Rigueira Duarie; appellados, Manoe

A ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-1 ^^^R^Ttoa^aoTjoS^w
noel e Leonor, escravos, esta de Mara das Virgens! doReg0 Barreto A'UU(|ueniue e Joailuim "<"
roTmelL1^DriAUBUSt0.de SouzaLe5' primei" Adiad0 Jumento requerimento de um dos
ro sem declaragao do motivo e o ultimo a disposi- Srs. depulados
5avdnrHLde>Ifd,0daC,TUL r ,' U,apellantes, Virgilio de Castro Olveira e Joao
A ordem do delegado, Aona Gongalves, por n- Maria de Albuquerque Oliveira ; appellado, Jos
q*os
Fajci
llia
IrtT*
tumpid uu mo e oojecios ae expediente neces- ujwmu rnicua .tiaruns mneiro.-itemcttiuo
sarios nos corpos de estado maior da mesma guar-aoSr-insPuc,or da nacional.-Communico-sc ao commandante su- maPdar passar o titulo que requer o supplirante.
nerinr rio onarria n^i-innal Aa r^hr/.hA Licinio Pnrsinn XfKir.m g Andrade.__Diriia-se
peror do guarda nacional de Cabrob.
Dita ao mesmo.Remeti incluso o requerimen-
to do ca//ilao do segundo batalho de infantaria
Manoel da Cunha Wanderley Lins, afim de que
V. S. mande abonar em s devidos tempos, a
quantia mensal que ello pretende consignar de seu
sold a Manoel Bastos de Oliveira Braga nesta pro-
vincia, urna vez que essa cons:gnagao nao exceda
da que permiltida por aviso de 21 de margo de
1843.Communicou-se ao
drs armas.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Recommendo V. S. que, de conrormidade com o
final de sua informagao de hoje. sob n. 466, niau-
de pagar ao empreiteirodo agude da villa d Cim-
bres, ou pessna por elle auiorisada a quantia a
que elle tiver\direilo em vista do competente cer-
tificado.Communicou-se ao enpenlieiro chefe in-
terino da repartigao das obras publicas.
Dito ao commandante superior da guarda naclo-
Licinio Porsino Nostron
thesouraria de fazenda.
Luiza Galdina Jacqnes de Oliveira.Requeira
ao Sr. commandante das armas.
Manoel Cyriaco da Cunha Peres.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Torquato Laurenlino Ferreira de Mello.-Em
vjsta da informagao da directora geral da nstrnc-
go publica, exhiba o supplicante aitestado medico
coronel commandante de flne lraIa despacho de 11 do corrente.
PERNAMRUCO.
fraego do regulamento da estrada de ferro.
A' ordem do subdelegado do Recife, Maria Joa-
quina do Nascimento, por insultos.
A' ordem do de Santo Antonio. Maria, escrava
de Francisco Velloso, por embriaguez.
A ordem do de S. Jos, Flix Gomes de Lima,
para correego.
O chefe da 2" scelo,
/. G. de Mesquta.
Passageiros do vapor nacional Paran, salu-
do para o Ro de Janeiro o portos intermedios :
francisco Antonio Nery, Felisberto Gomes A. Fer-
rao, Dr. Luiz Vieira de Rezende e Silva, Jos Pe-
dro de Paiva Baracho e 1 escravo, Manoel de O.
dos Santos Lopes Cavalcant, Jacintho Francisco de
Oliveira, Luiz Prudente de Barros, Francisco Isi-
dorio Baptista, Das Lima e 1 escravo, Frederico de
Araujo e 1 criado, Jos Vctor de Souza Leite, Jos
Clemente de Souto, Antonio Vieira Carneiro da Ro-
cha, Francisco Domingaes da Silva, Dr. Augaste
Aires Goarant, Antooio nrrer Alvares; Arisri-
des A. Milln, alferes Vicente Ferreira de l-pren
"T**Jt"*"|"''''h* Kiifueiras ( Atncano Iivre )
cabo d*_esoiiadra Faustino Jos da Rocha Lima,
Dr. Domingos Antonio Alves Ribeiro e 3 irmaos, 2
criados e 2 escravos, Deocleciano da Rocha Vian-
na e 1 criado, Jos de Barro* Duarte, Joanna Ma-
ria, capito Augusto Leal Ferreira, Francisco Ma-
noel da Costa Nunes, Domingos Jos de Souza Pei-
xoito, Boa ven ura Berges Pamplona Jnior e sua
senhora, engenheiro Joaquim Pires Carneiro Mon-
leiro, Jos Candido Marinho de S, alferes Boa-
ventura I.eiio de Almeida, sua senhora el filha,
Basilio Leao Saraiva Dr. Cicero A. dos Santos, Car-
los Cyrillo de Castro Jnior, capitao-lencnte Joao
Soares Pinto, Pedro P. de Barros Bezerra, Joaquim7
Pontes Miranda, Joaquim Facundo de Castro Dely
gadeThereza Maria de Jess, SebastiSo dos -an-\da de Amorim ,~Fra"o=o Santos*
tos, Francisca de Salles, Joo X. R. de Barros, Dr./Antonio Ferreira da Silva Maia
Arnobio Pereira de Albuquerque, Mana Palmira *" c- A
da Gloria Carvalho e 1 filha, 300 pragas do 2." ba-
talho de fozileiros, 13 recrutas do exercilo, 1 co-
ronel, 19 offlciaes, 4 cadetes, 25 mulheres, 19 fi-
lhos pertencenles as mesmas pragas, 5 escravos a
entregar.
Alves da Silva Guimares.
. Receberam-se os embargos.
Appellantes, Santos Caminha & Irmos, liquida-
tirios da massa de Caminha & Flhos ; appellado,
~~1ciseo da Rocha Passos Lins-
Jiado o julgamento requerimento de um dos
deputados.
Aopellantfl, Jos Joaquim da Silva Gomes; ap-
pellado, Jos" Das da Silva.
Adiado o julgamento requerimento de um dos
Srs. deputados.
O Sr. deserabargador Res e Silva apresentou
para se assgnar dia e foi assignado o de hoje para
Julgamento dos embargos jque pendem da appella-
gao entre partes :
Appellante, Ignacio Barroso do Mello ; appella-
do, Antonio de Azeyedi) Villarouco.
'' Wo pode ser tpropusio por nao estar presentoo
deputa PASSAGEHS.
"Appellanh?, o Dr. M< Pedro Maduro da Fonse-
5 ; aouellada. ri M.in iiuaiu.cro. .v0v*,. .
Appellante, (Jndido Moreira da Costa o outros;
appellados Antonio Guedes Gondim e os herdeiros
90 finado Joao Francisco Fernandos e o Dr. cura-
dor geral dos orphos.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
deserabardor Accioli.
Appellante, Jos Duarte das N'eves ; appellado,
Jos Baptisla da Fonseca Jnior.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Bastos & Lemos ; appellados, Coimbra & lli-
vaull.
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. desem-
bargador Silva Guimares.
DISTIUI1I igdEs.
AppeNanlcs, os curadores fiscaes da massa (alli-
C.; appellado,
REVISTA DUR1A.
Esto de mez os seguintes mordomos da San-
' ta Casa de Misericordia.
Dr. Antonio Maria de Faria Xcves, no hospital
nal do Cabo. Receb o seu offlcio de 12 do cor-' Pedro II.
rente, e sciente de haver V. S. assumido o exerci-! Antonio Jos Gomes do Correio, no hospital dos
ci de seu posto, tenho a recommcndar-lhe que d I Lazaros, collegio das orphaas e hospicio de alie-
as providencias necessarias no sentido de serem I nados.
satifetas as exigencias constantes das circulares Autonio Carlos de Pinho Borges, no collegio dos
de 17 e 20 desle mez. orphos e casa dos expostos.
Dito ao director das obras militares. Remello I Continuam as excursSes dos larapios pela
incluso por copla o officio de 29 do correle em Magdalena, onde nao ha nada que esteja cobr
ana n pfimmandanlo llac armoa rmiroconfi caIipa a lnc cpiic oinnnoc
porta
pmVMWfMi 'i' ui.11,1, ,iiiui m- ijm; V. ."*. Ul! >|ua?i ua nnuiiii^uu uu 01. d|llldu JWU mdTlattO Q
com urgencias as providencias necessarias, no sen- Albuquerque, um seu cavallo de cabriole!; a qual
tido de cessar semelhantc falla. '*' -*'
fue o commandante das armas rcufesenta sobre a dos seus ataques.
falta d'agua potavel, que vai apparecendo no de- No comego desta semana foi furlado
psito do arsenal de- guerra, afim de que V. s. d : quasi da babitacao do Sr. capito Jos Mari
com urgencias as providencias necessarias. no sen- Albuquerque. um seu cavallo de cabriolet; 1
foi alinal no dia seguinte apprehendida conjunta
mente com o ladro pelo subdelagado do Peres.
O sitio do Sr. Pereira da Cunha tem ultimamcn
te sido invadido por larapios que, falla de outra
Dito ao commandante do corpo de polica.Em
vista do que dispoe o art. 163 do regulamento de 2
de dezembro de 1853, devolvo V. S. o processo 1 ^ uu iuuiw yj miainu ijui
do conselho de julgamento, que foi submettldo o eousa, carregam-lhe os jarros de flores que Ihe or-
soldado Severino Pereira de Souza, afim de cun- ama frente da residencia ; de sorte que presen-
prir-se a sentenga nelle proferida pelo sobredito ^ lemenle v-se o mesmo senhor forgado a ler vigas
conselho. para receber scmelhantes visitas como Ihes convm
Dito ae capito do corpo de estado maior de j tendo dado urna orrida em um desses sucios
classe Francisco Raphael de Mello Reg. Deter-
minando o Exm. Sr. ministro da guerra, era aviso
de 8 do carrete, a expedigao das convenientes or-
que foi presentido, mas logrou fugir, precipitn-
dole do muro a baixo, segundo o que nos dizem.
Parece, portanto, que aquella localdade se acha
- e""
ae o ui> tniiciiir, a c.\i dens, para que Vine, siga sem demora para a pro-! ao abandono da polica, ou que ella a existir nao
vincia do Amazonas, disposgo do respectivo dispoe da energa e recursos precisos para garan-
presidente, para ser euipregado como convier, te-' ta da vida e propriedade dos cidados. Mas tal
nho nesta data exonerado Vmc. do lugar de en-' estado nao deve permanecer, e ao Sr. Dr. chefe de
jjenheiro e chefe da repartigao das obras publicas,! polica cumpre providenciar para que elle cesse
afim de poder seguir seu destino, de conformidade de urna vez, poupando assim que se reproduzam
com o precitado aviso; ficando Vmc. certo de que' to a miudo os actos aggressivos da propriedade
a agencia da companhia Brasileira de paquetes \ alheia ; visto que tamanha a audacia dos ladroes,
vapor tem ordem para dar-lhe passagem at o j que da porta do proprio Sr. subdelegado j furta-
Par.Fez-se o ne^essario expediente a este res- ram um cavallo de pessoa, que entrara para fallar-
lhe, conforme no-lo informam.
Do balango procedido no ultimo do mez pas-
sado na thesouerria provincial resultou a existen-
cia dos seguintes saldos nas diversas caixas :
1864 e 1865moeda crreme..... 39:4175245
Depsitos.
Moeda correnle.................. 10:7305963
Letras.......................... 366,6865761
Acgoes........................ 33:8115800
Calgamentomeeda corrente...... 2:1985270
Apolicesmoeda corrente......... 7345399
Como haviamo-lo annunciado, leve effeenva-
raente lugar no dia 31 do prximo passado o con-
cert dado pelo nosso patricio o >r. Jos Colho
Barbosa ; o qual correspondeu a expectativa pu-
blica, dando urna bella copia de seu talento arts-
tico.
Igualmente se revellaram bellamente os seus com-
panheiros Salustiano Libanio Tenorio, Antonio Mar-
tins vianna, Paulino Candido de Sanl'Iago e Fran*
peito.
Dito ao mesmo.Em additamento ao meu offlcio
d,esla data, tenho a dzer-lhe que deve Vmc. pas-
sar ao engenheiro Leal a direcgo dessa repartigao'
" proporcionando-lhe todos os esclarecimentos relati-
vos mesma repartigao.
Dito ao curador dos Africanos livres. Respon-
dendo ao seu offlcio datado de 28 do corrente, te-
nho a declarar-lhe que, sendo da obrigago do
juiz de orphos mandar lavrar as cartas de eraan-
cipago, que, de conformidade com o decreto n.
3310 de 24 de setembro ultimo, se devem dar aos
Africanos livres existentes nesta provincia, ao mes-
mo juiz corre o dever de supprir, pelo modo que
lhe parecer mais praticavel, as faltas de declara-
Q5es de que Vmc. faz mengo em seu citado offl-
cio, comanlo que nao fique paralvsada a execugo
do referido decreto.
Dito ao conselho de compras navaes.Respondo
ao offlcio que rae dirigi o couselho de compras na-1 mis r iauua, rauuuu u
wes em 27 do corrente, declarando-Ihe que fica I cilioo Libanio Tenorio
CHR0MC4 JUD1CRM
TlIII VAL 0 COHMfillCIO.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRA-
TIVA DE 31 DE OLTBUO DE 1804.
PRESIDENCIA DO EXM. SU. DESEMDAnGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manha, estando reunidos os' se- :
nhores deputados Lemos, e Rosa, e supplente
Basto, e presento o Sr. desembargador fiscal, o
Exm. Sr. presdeme declarou abena a sessao.
Lida, foi approvada a acta da anlecedenle.
EXPEDIENTE.
Foi lido um offlcio do Sr. depulado C. Alcoforado
participando nao poder comparecer sesso de ho-
je :Inteirado.
Foi presente a cotago offlcial dos pregos corren- '
tes da praca durante a semana finda, remettida
pela junta dos corretores.Te ve o competente des- 1
lino.
DESPACHOS.
No requerimento de Antonio Gomes de Miranda
Leal, cidado Brasileiro, de 32 annos de idad'-, na-
tural desia cidade e nella estabelecido com escrip-
lorio de commusoes, pedindo ser admitlido ma-
tricula :Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Jos Gomes Leal, cidado Brasileiro, de
35 annos de idade, natural desta cidade e nella es-
tabelecido com escriptorio de commissoes, pedindo
ser admiltido matricula:O mesmo despacho.
No de Santos Caminha & Irmo, liquidantes da
extincta firma de Caminha & Filhos, pedindo que ,
se Ihes d por ceriido vista do registro do con- '
trato de sua sociedade, quaes os individuos que a :
compem e o fim principal da mesraa sociedade ::
Como pedem.
No de Henrique Bernardes de Oliveira, Brasilei-
ro adoptivo, natural da cidade do Porto em Porlu-!
gal, de 45 annos de idade, residente e estabelecido
nesta cidade com casa do commercio de gneros
nacionaes e estrangeiros, por grosso, de conla pro-
pna e commissoes, pedindo ser admiltido matri-
cula :Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Francisco Ferreira Bailar, Brasileiro adop-
tivo, natural da cidade do Porto em Portugal, de
46 annos de idade, residente e estabelecido nesta
cidade, commercanle em gneros do paz e estran-
geiros, por grosso, de conta propria e commissoes,
pedindo ser admiltido matrcula :Visla ao Sr.
desembargador fiscal. I
No de Albino Jos da Silva, pedindo que seja
registrada a escriptura de arrendamento que apre-1
senta:Registre-se.
Foram distribuidos aos senhores deputados, para
serem rubricados, os livros Diario e Copiador da
casa coramercial de Duarte Carvalho & C.
Nada mais houve, e foi encerrada
11,4 horas do dia.
SESSAO JDICIARIA EM 31 DE OUTUBRO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Guimares.
As H,1., horas da manha, o Exm
abri a sesso estando reunidos os
Ao Sr. desembargador Silva Guimarei.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C. ; appellado, Jos
Antonio dos Santos Fontes.
Ao Sr. desembargador Accoli.
Aggravos inlerpostos do juizo especial do
commercio.
Aggravante, exeqnente Pedro Alexandrino da
Cosa Machado ; aggravado, embrgame terceiro
Joaquim Manoel do llego Barreto; executados, Joa-
uim Vctor Pereira Falco e sua mulher.
O Exm. Sr. presidente deu pro vi ment.
Aggravantes, D. Anna David Marlins Novaes e
Joao Antonio Martins Novaes; aggravados, os ere-
dores da massa fallida do Francisco Gomes Cas-
tellao.
O Exm. Sr. presidente deu provimento.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso l'/i hora da tarde.
Cantara Municipal do Recife.
Sfatadouro publico da cidade do Ilccifc.
Mataram-se para o consumo desta cidade no
mez de oulubro do correte anuo 2,813 rezes, a
saber:
Libanio Candido Bibeiro & C........ 796
Virgilio Horacio de Frcilas..... 393
Joo Chrisoslomo de Albuquerque. 258
Wenceslao Machado Freir Pereira
da Silva........... 232
Bellarmino Alves de Arocha .... 194
Manoel de Souza Ta vares........... 186
Francisco Candido da Paz..... 181
Bellarmino Constantino Costa Medeiros 155
Manoel Francisco de Souza Lima 133
Manoel Paulo de Albuquerque ... 117
Ernesto Celestino de Mendonga. ... 72
Geminiano Jos de Albuquerque 68
Manoel de Souza Menezes...... 46
2,831
Cmara municipal do Becife, 3 de novembro de
1864.
O procurador,
Jorge Vctor Ferreira Lopes.
PBL1SAC0ES A HMjjO.
Anacahnita peitoral de Kemp.
A academia medica de Berln, teve perfeitamen-
te razo em seu judicioso julgamento em pronun-
ciar o sueco da balsmica anacahuita mexicana
como um especifico positivo e infallivel para to-
das as irritagoes ou ioflammagoes da garganta e
dos vasos bronchios.
Nao ha nenhum caso de rouquido. tosse, catar-
ro, escoriarao da garganta ou irritago dos bron-
chios, que possa resistir s suas admiraveis qua-
lidades ante-irritantes.
Ella restitue a voz quando perdida ou enfra-
a sesso s | quecida, produzido pelas affecgdesou sensacoes de
aspereza no palato ; faz cessar a espectoragao san-
gunea e impede a accumulago de mucosidades
nos orgaos da resprago que partera dos pulmoes.
Inteiramente dilfer'ente na sua composigo de
I todos os mais peitoraes manufacturadas de fructas
adstringentes, cascas e raizes, etc.; o mesmo nao
i contm era sua composico nenhura acido prussi-
1. Sr.presidente co onoulros quaesqaer ingredientes venenosos.
Srs. desembar- j Acha-se venda nas lejas de Caors & Barbosa e
gadores Res e Silva, Silva Guimares, e Accioll, J. da C. Bravo C.
I' LIRIO
desfolhado campa do nieu
presado amigo JoSo TI bu r-
clo Valeriano Lobato.
A morte todos cefa... Chama o pobre,
O opulento dos palacios rouba., arranca,
E os humilham em funda campa escura !
G. E. de Brito.
J deixou de existir Joao Tiburcio Vale-
riano Lobato ?... Fatalidade !... Inda hon-
tem irradiava louganias, e boje?... paludo
cadver dado aos vermes?... que quadro
mais edificante, que painel mais lgubre...
que espectculo mais atterrador... que sce-
na mais compngeme ?...
Voou da Ierra aos cos com tanta pressu-
rosidade, qual o boto da flor que pelo rgi-
do sol do esli perde o vigo e tornase myr-
rado... qual a ave que nao podera alraves-
sar o horisonte; o qual no ar se di'persa o
fumo I E foi assim poi que se evaporou in-
da no verdor da juvento.de, acuella preciosa
existencia que a abrindo um esplendido por-
vir !...
Na vigorosa idade de 19 annos inda nao
completos, veio a infida parca e sobre o seu
crneo desfechou lhe o golpe; arrancando-o
dos bracos de seus carinhosos amigos aos 29
do outubro pelas 3 horas da tarde.
Occupava a cadeira de juiz e ihesoureiro
na irmandade da Senhora Sant'Anna, erecta
na igreja, matriz de Santo Antonio, onde o
zlo e a intelligencia sobresahiam incompa-
ravelmente: cargos esles que Ihes foram con-
fiados ha dous annos.
Pouco viveu: porm qu'importa, se no
curto espago de sua existencia soube mani-
festar ao mundo to elevadas virtudes, que
se tornavam invejaves pela Christanda-
de?...
Nascido de paes probos: Joo Tiburcio
Valeriano Lobato, era um espclho que relle-
na a honra, e se afugentava das vaidades
terrestres; e foi por isso que o Supremo Re-
demptor temendo que a malicia mundana o
pervertesse, apressou-se abrigar offio Pa rai-
zo Celeste est'alma onde entre risos e gozos
confunde a meloda dos anjos com a sua ca-
nora voz.
J-'otfto folia [ir..(uvrt:t ar ataaimtio por ja-
ira madrugada, e Deus este ser cima de lu-
do que existente, ta deu.
E o que nos resta ?... pranto, dr e tud'o:
ah sim : mmortal recordagao, que nao po-
dera mo do lempo riscar-nos da imagina-
gao ; ella acompanhar-nos-ha l o momento
em que despidos de atentos de vida corramos
que fsle a pagar nas concavidades da loara
o trbulo que por Deus fura decretado a hu-
manidade. Ja que leu corpo foi alimentar
cruentos vermes; j que tua alma pura buv
;cou azilar-sc nos regagos aa eternidade; fi-
que hoje anle nos memoria estampada...
E assim se completa o nada humano !...
futjit resliit umbra (fugio bem como a som-
bra.)
Aps Ilimitados padeclmentos; aps de
esgotarem-se os recursos mediciaaes, nada
valen; ludo tombou o cahio na campa; e
agora chegue a taga no coraco dos paes.
dos prenles, e dos amigos, derrame suas
derradeiras gotlas de f.
A trra te seja leve.
J que a ella nao pezaste.
*
Discurso proferido peloDr. lo-
s Antonio de kVigueiredo, Juu-
to ao tmulo do desembarga-
dor Joaquina Xunes Hachado.
Senhores.O que queremos junto ao tmulo de
um finado, ueste da, em que a igrejacommemora
todos os finado, dirigindo, em seu beneficio, preces
ao Altissimo ?! Porque distinguimos, entre os ha-
bitantes do sepulchro, nessa vasta repblica dos
morios, onde reina a maior igualdade, um nomo,
que o objecto deste numeroso concurso, e de suas
vivas saudades e profundos alToctos?! Por ventura
a eslreiteza de urna sepultura, o pequeo volume
de um punhado de p, a exigua dimens.o de urna
lonsa morluaria nao nos dizem assaz que s.io riu
e inuteis todas essas disnccoes de sepulchro a
sepulchro, de p ap, de linadoa finado?!
Nao; senhores, nao sao inuteis essas disnccoes,
nunca foi, nao e nem ser jamis vao o motive,
que convoca ao p dos despojos mortaes de um
Pernambucino Ilustro edo saudosa memoria tan-
tos comprovincianos nossos.
Porque se por um um lado, entre os morios, rei-
na a maior igualdade;; se o ministro do Deus Vivo
tem o rigoroso dever de orar do mesmo molo,
quer junto ao tmulo singlo do mais humilde e
obscuro cidado, quer junto ao soberbo moimen-
to dos que foram poderosos na Ierra ; por oulro
lado o patriotismo, que tambera urna rehgio,
nos irapoem o dever de jamis confundamos a me-
moria do cidado, que se distingui, na sociedade,
por suas virtudes cvicas, por seu acendrado pa-
triotismo, com a do egosta, que viveu urna vida
intil, obscura, e deslembrada.
E' por isso, senhores, que vndes hoje pagar o
annuo tributo de vossas preces, de vosso reconh.--
cimentoa um Ilustre finado, ao benemrito desem-
bargador Joaquim Nunes Machado.
Se a caridade a primeira, a mais bella, a mais
fecunda dasvirtuJeschristas; porque faz com que,
lodos os homens se amem como irmos; porque
congrega a humanidade inteira em um mesmo sen-
timento, em um mesmo pensamenio, em um mes-
mo futuro. Tambem, senhores, o patriolismo a
primeira, a raais bella, a mais generosa das virtu-
des cvicas; porque eslabelece urna solldarledade
conscienciosa entre todos os cidados deum mes-
rao paz, quer era relago a seus mutuos interesses,
quer em relago a sua mulua protecgo ; porquo
em seus impulsos desinteressados e sublimes leva
o herosmo ao sacrificio dos mais charos bens, ao
despreso da propria vida, quando se trata de de-
fender as liberdades patrias, ou de salvar o es-
tado.
Certamente, urna grande vrtude o patriotismo!
virtude fecunda, motor poderoso, principio vita,
das nacoes, sem o qual ainda.nas maiores naciona-
lidades, tudo se enerva.tudo delinha, morre e so de-
corapSo. E, senhores, o desembargador Joaquim
Nunes Machado provou, durante a sua vida, que
possuira, em supremo grao, essa virtudeo patrio-
tismo t
E pois nao nos acharaos congregados aqu em


face dos despojos moriae* < alponi ego.-ia. > a.
gara ser degeaenda, cojo cora^iu re*siui., Miara
tiouvesse palpitado pela amisade p-U liberjj.!''
pela palria, por essas elevadas p.,fie*t por ,.,,.,,
grandes idea- e sentiniento-. que *nn.*rrai o
ijinem. o r,iznn a -u.i memoria ch.ir i
Ihesobremem; nao uo-aclumosem (remo Ant^
tos mortaes de algias dtssts, que. quutJo vi**
sement soaberan aninhar. em sea pvito ** w-
gestf.es do amor proprio. i 1 raid. le. ri orgasfeu
de algn* desses feliz*; ,Jo mundo, os .nae. n*
sados da foi luna, embora sem inerilo. *-m i*?a-
sera prestun >, sera serviros, apena- > le.Dl.rad..>
pela muliiplicidade das salishrOes ubudas d*.
!'ostn,L., alranradas. a cu dos seu< concidad(ies. do rpou*> da paz n nurali-
dade do paz; nu nos achanto* era frene d luninl
de algua desses puliticus de pro>*a. li >*-
dantes nesia ierra, to vido* .lo salar pabliro 1
das posiges offlciae*. rujo zelo f dedicar pato
ultimoparlido aquemserviram s pida vel com o zelo e dedicaci'w, que T.Kavaoi ao ulum..
partido a quera Iraliirain, passaodo cma arua* s
bagag.-m para o campo adverso.
Nao, senhores. achamo-nos em pre-eoea d-
tos moraos de um Pernambucano iilu*irr, < .iu,
se ennobreceu peta l-allade oa armsaaV. pe.--
legridade na oagistratara, pela lirrn.; de r w.
ter, pelo aferr ao* principios, t por sua Baara
desmenlida dedicai;o a cau*a daliberdade, qur .>
impreusa,.|ui'rnalribuiia. L- [ r ri iiii 1 iltli
prestimoso. e bem lateaetoaas sats egreyi Per
nambucano. o qual, em da de grand: uNWtaa -
de grande* calamidades para esla proviacia. e
pois de haver empregado os maiores eforros parj
conjura-las, se vio forgado por motivos, na lado
nos sabemos, a langar-se era am abv*n*> do .piaJ
entendeu, nao poda sahir sem de-hnra, 1I1 iati
nando seus companheiros na desgraga!
Senhores, nao quero de*periar pa*sadjaj oatoa.
felizmeule para nos ja esquendo* ; neia Lio puacu
santificar a revolugo de 188. As reTolu.-.*-.. en
meu humilde pensar, sao castigo-; de |)iu^. ,jn-
sabe punir os mos governos e os povos impruilea
tes e rebeldes. A ln>ioria ah esla para apreciar
lulgar esses fados anormaes, e dar razio a fiein
a ti ver. Pertengo ao numero asa que peasaai pe
a resistencia um faci, e nao um direilo, e oac o
mais efllcaz remedio contra ou gnverao* opareuo-
res nao consiste em por armas oa* roaos f
raidos; porque o lempo combate pelas victians da
inju>liga ; porque as violencias e as ii
sao as primeiras ero clamar contra seos
porque Deus nao quer que os maos prosaer se foriifiquem, mas sim que vivan seare *
c soli!
Longe de mira, senhores, e longe do pana fc*e-
ral de Pernambuco, a idea, a preteng de reviva-
os erros do pas*ado, como, raiuamio*amea*, se
no* arguio anda o aooo pa*sad>i; kmge de m-> o>
erros de urna poca de triste* recordaed en jar
os excessos de uro partido eram coairarial>M por
ouiros excessos, em que uina reaeco rofTeMwntn
a ootra rearcao.
N;<> nos adiamos aqu, seohores. ponno o des-
embargador Joaquim Nunes Machad.j morreo com
as armas na mo no meio de urna lula fnfn f Mi
por ijue elle fui um do* chefes da revotm-a de W
mas sim porque o desembargador Nunes'SI*cliaJ.>.
cuja morlu ainda hoje primeamos, era um d.^ vul
lo* proeminentes do parliJo liberal, e um lo- BSB1
mu* distinclos chefes.
E, senhores ser uro crime venerarm-w a ne-
moiia daquelle. cuja vi la inleira foi ama lata to>
cessanle edesiateressada peh can-i da lit^rdatl.-.
eujo coraco polsoo sempra aarasnto a>. mais poro
amor da patria ? I
B'-in ?ei, senhores. que no- 1 mp que 1
e um objerto de zoml.an.i. para atajis, "asase
de liberal; bem sn ae tajaa satoasaa om
cerio siigon de que j 1 atajan se aavasnatosaa
a se leen, cono um otan sagosoaas sana
turane 1- lerrestres ; bem sei que o arair ti pa
tria,actualmente, aao pasta as ana irabe
passado, cuja lenbraaca, da 1 ato, sal satoa-
qoecendo 1 papado ; b.-m sal aja o natosto pu-
l.ljco, quasi exiiiicio eoire aos, a a,. .
io com raros iaterrall >s, n rn.iueira .1
chaniuia uioi il.unda. que projecla, a casto, c
ioeertos, antes de extingu.--,1 is Isas
Isso nao obslanle. no me env. rg nh I
beral u de c.ncorrer com voseo par 1 pairar o nea
tributo de afleecao e de vivas rindidLi pur ,1
m-m cujas qaali lades ravalleiros i-, ruj 1
cvicas, anda hoje me inspirara o me-mo r-speif-
e admirago que me inspirararn na mmha juven
lude.
Senh ires, nao desanimemos pata 1 ato do para-
do liberal, pela causa di lihrl.de -.\ h.
nao pode raorrer; porque o< deveres. m .lireiiossto
honiem s aral.ariam se acabaste a humamiarfe
A liberdade a mais alta expressao da smral s
da juslicaA liberdade .' a orlem io-livijoal.
era si intiuilamenle respeilavel em
meios de aegao e de defeza.A lilierdad.: I a a.--
cao i'olleeiiva da sociedad.; com SsBS a* suas ju-
tas relagoes, con-liliilivas da ordem natalL
Se pois nao podan perecer i>or que sao aaluraes
c eternos o dever, o direito, a ordem ioiii'iduai. e
a ordem social, como poder 1 paran a liberaaV,
que a propria personalidad^ hu.naaa, con na
independencia, cora sua dignidad.', sen a sal
nao existiran) era dever, nem direito, era arana
Individual, nem ordem social?!
Na vida normal de um pan livre, os deslio. -
desse paiz, ora, sao eosAsnos as psatasa Masad,
ora, ao partido eoetsarsalar. Qkia ura deste* par-
tidos correspon ta a urna gran I- Beeaaaatoll
cial, e, segundo as drcnnilanriaj en w se arfce
a sociedad.-, ora procuia ella a satoaeai ase bra-
cos do partido liberal, ora nos brag'o* do partido
conservador.
A opinio publica, a sociedade ora soiiria o
apoio de um dalles partidos, ora o apoio de ootoa.
Se o paiz v abaladas as suas insiituigdas poflfe-
cas e sociaes, se teme innovagoe* perijrWas e ex
temporneas, o partido con-.rva.lor vira en dafe-
za das nstitaicoes snaass I is asri um garant a
da permanencia fassas msiiitngoes, do reslabele-
cimcnlo da ordem social.
Se nao penga a ordem, se o paiz nao oaattaie is-
so solTrre, nao pelo temor de ver arrancadas su 1-
instiluigocs, nao pelo receto de i non vagues pertaa*
sas, mas sim pelo mperro de hornea* que j na. -1
tisfazem os justos reclamos da sociedade. obstaaeto
ao memoramento do paiz, a marcha 1 manan da
civilisagt. eoto a opima > pubica rrfugia-e a.
seio do partido liberal, eapartase do* aonens nao
j nao corresponden) a* necesidades da sociedad'
A sociedade pois, senhores, flucta de am nveV
pacifico e regular, ora para o partid 1 liberal, era
para o partido conservador, segundo deseja airj 1;
rir bens que lhe faltara, ou teme perder os ajnv ji
tem, comprometiendo as instituiges a cuja sonbn
os frue.
Se nobre a misso do partido conservador, ui>
menos nobre a do partido liberal. Eare sanase
partidos, porm, fluctuare os ambiciosos, adejan as
borbuletase zangues polticos, Bngsaas sarstr ara a
ordem, ora a liberdade, quando verdadeiraneato
s servem aos seas interesses pessoaes, traawao
ambos os partidos, em detrimento da sociedade e
da decencia poltica, coja falta senpre inmoral.
Nao receieis pela son fulura do partido liberal:
prximo ou remolo o futuro lhe perleacer se a




Diario Je PeruabaM H*xt* felra 4 de Miembro 4c t4.
sabedoria, o a moderaeo forern insoparaveis da!
sua marcha.
>ira, senhores, persevera!, o cobrai animo ; por-1
ejue se paixes ruius vos nao dominarem, se oppo-!
sicoes imprudentes, falsas, e criminosas nao man
eharem a direceo da partido liberal pernambuca-1
no, se o ospirito de justica o guiar de modo tal,'
que o conserve sempre justo o benvolo para com
os seus alversarios polticos do partido conserva-
dor, cuja missae nao menos justa e nem menos
nobre que a sua, se, em ama palavra o partido li-
beral de Pcrnambuco nao quizer ter a louca pre-
tendo de se erguer, como arbitro exclusivo dos
destinos da provincia, podis licar cerlo que a opi-
nio publica oslara comvosco, e que nada se oppo-
r a quo esse partido to numeroso, e composto de
tantos caracteres Ilustres, nao represente o papel
benfico que a sua moderaeo Iho indica, diffin-
diudo sobre os cidados esobre toda a provincia,
os thesouros de sua lorca, de sua intclligencia, de
sua morahdade : e ent.o o desenvolvimenlo indi-
dual, oadanlamenloda provincia, a forra, a rique-
za publica sero os inalliveis resultados de sua be-
nrica influencia.
cnheres, amai a patria, a vossa provincia na-
tal, sede justos para com vessos adversarios poli-
tico*, e inspirai-vos nesse tmulo cujas frias cin-
zas anda lem bastante calor para aquecer e con-
servar o vosso patriotismo.
Tenbo concluido.
llecife, 2 de novembro de 1864.
r. Jos Antonio de Figueiredo.
COMMERCIO.
Cotaee ofQelaes.
PRAC/l DO RECIFE
3 DE NOVEMBRO DE 1864
Algodao Io sorte !!' por arroba.
Dito sorte170C0 por arroba
Cambio sobre Londres-90 d/v. 27 3|8 e 27 1|2 d.
por 1*000-
Cambio sobre Pars 90 drv. 344 e 345 rs. por
franco.
Dulxjurcq Jnior, presidente,
uimares, secr etario.
t!f:iudcga
Rendiment do da 2...........
dem do du ................
32:956*974
36:489*310
69:446*284
ttttvlmcao da alfandega
293
364
103
1,139
Volames entrados com fazendas..
> com gneros...
Volames sabidos com
a com
fazendas..
gneros..
637
----- 1,242
Descarregam no da 4 de noveubro.
Calera francezaSolferinomercadorias.
Barca francezaSanio Andr cemento
Barca ingleza Rounld mercadorias.
Brigue inglezRunymede bacallao.
Escuna hanoveriana-Joawne Fredenckdiversos
gneros.
Escuna hespanhola Virg do tnen Serratvlnhos.
Sumaca hespanholaPaulaidem.
Impnrtaco.
Vapor inglez Onnda, entraJo de Soulhampton,
aniestoq o seguinte:
89 barris manteiga e 79 caixas queijos ; a Tasso
Irmao.
13 barricas prego e ferragens, 1 embrulho
amostras ; a Prenle Vianna.
1 caixa telescopios, 15 caixas fazenda de algodao,
calcado, e ferragens, 1 volume amostras ; a Th.
Chnstiansen.
22 caixas e 3 fardos, fazendas de algodao, dita
de laia, dita de la, dita mixta, sacco de tapete,
peitos de lindo e melas de algodao, 2 embrulhos
amostras ; a A. C. Abreu.
1 volume amostras; a J Ryder.
2 ditos ditas, 110 caixas el fardo, fazenda de
algodao e metas de dito; a Ferreira t Malheus.
9 caixas fazendas de algodao e meias de dito, 2
embrulhos amostras; a Isidoro Neto a C.
i volume amostras ; a Th. Jefleries.
2 caixa* queijos, 1 volume amostras; a Shouthall
Mcll >rs & C.
30 fardos e 6 caixas madapolao e fazendas de
algodao, 2 embrulhos amostras ; a Mills Laiham
& i;.
30 baifia manleiga, 4 caixas fazendas de algo-
dao, mixtas, de seda e modas; 1 embrulho amos-
tras : a E. A. Burle & C
30 barris manteiga, 2 embrulhos amostras; a
Saumlers Brothers & C.
23 caixa-; e 7 fardos fazenda de algodao, de la,
de seda, mixtas, chapos, 2 embrulhos amostras :
a J. A. de Araujo.
47 caixas e 12 fardos fazendas de algodao, mada-
polao, camisas, mcia?, 2 embrulhos amostras; a
D. P. Wild.
7 caixas e 1 fardo, fazenda* de algodao e de laa,
chapeos de sol etc., 1 embrulho amostras ; a Lin-
den Will & C.
1 caixa peridicos ; a A. ftf. C. Soares.
1 dita ubras de prala; a A. L. de Oliveira Aze-
verio & C.
1 caixa doces : a J. Fernandes Lima.
1 ilita macas: a Olegario A Forreira.
0 caixas fructas verdes, doces e eijoes ; a Mar-
ques Barros.
4 caixas figos ; a C J. A. Guimaraes.
193 caixiuhas passas ; a Ttiomaz d'Aquino Fon-
seca.
1 caixa livros : a J. Geraido de Bastos.
1 dita ditos ; a J. Jos de Campos.
2 caixas cha ; a Wulow Raymond 2 ditas calcados e perfumara ; a L. A. de Si-
sjoeira.
1 lina bichas ; a Falque.
1 caixa chapas de ferro, 1 volume ac ;a W.
Spencer.
2 embrulho amostras; a Phipps Brothers & C.
2 caixas e 1 barrica ferragens e cafetera, 1 em-
brulho amostras ; a S. P. Johnston & C.
13 caixas fazenda de algodao, de seda, carnizas,
fazenda mixta, chapeos de sol, vestidos e artigo*
para metas, 1 embrulho amostras ; a Joo Kuller
&C.
1 caixa amostras; a F. P. Needham.
2 caixas miudezas e culeleria ; a Alves Ham-
burger iv C.
1 caixa artisos para dentistas ; a J. Pater
&C.
1 tardo e 1 volume amostras ; a A. V. da Silva
Barroca.
I caixa papis; a Maia & Espirito Santo.
1 caixa diversos ohjectos; a L. do Moraes Go-
mes Ferreira.
1 caixa ohjectos de escriptorio; a D. A. A.
Elandy.
1 embrulho papel ; a London & B. Bank.
1 caixa amostras ; a Schaphisllin <& C.
26 caixas e 8 fardos fazenda de algodao, de laa,
mixta, madapolao, chapos de sol de alpaca, fitas,
etc.; a Ferreira & Araofc).
1 caixa entelen* ; a Manoel & C.
6 caixas queijos ; a Duarte & C.
1 caixa dinheiro e amostras ; a Charles Lielere.
3 caixas chapeos, fazendas c artigas decunfcita-
ria; a Montciro Lopes & C.
5 barris manteiga, 8 ditos cerveja, i caixa quei-
jos ; a Denk'T & Barrozo.
33 caixas queijos; a N. O. B. A C
5 ditas ditos ; a Palmeira 2 ditas ditos, 2 barris presuntos; a M. Jos Gon-
ealves da Fonte.
22caixas queijos;a N. Ferreira da Costa & Fi-
laos.
49 caixas fazenda de algodao a Adamson Ho-
wic 4 C.
30 caixas queijos, 20 ditas vinho, 1 dita charu-
tos, 6d.tas e 4 fardos fazenda de algodao, 1 dita
gementes, i dita doces, 1 dita calcado, 1 embru-
lho livros. 1 volume publicares ; a ordem.
20 caixas queijos ; a J. M. da Ho-a.
3 fardos papel; ao proprietario do Jornal do Re-
rife.
2 caixas machinas c 1 selira ; a Amorim Ir-
mos.
2 caixas peales e caixiobas de papelo ; a P-
rente Vianna A C.
2 caixas fazendas de algodao e de seda ; a Car-
ne i ro & Kogueira.
5 caixas folhas de chumbo ; a I Ernaty.
I caixa elsticos e seda ; a Manoel J. de Oli-
veira 6c Filhos.
5 caixas e 1 fardo fazenda de algodao, de linh y
miudezas, medas, 1 embrulho amostras ; a Vaz &'
Leal
23 caixas e 1 fardo fazenda de algodao, mixla,
de la, de seda, chapeos, confeitaria, pentes, ca-
misas, objeetos para ehapelleiro, etc.; a Hertrique
& Azevedo.
Briguo inglez Runnymede, entrado de Terra
Nova, consigoado a Eduardo Fenton, manifestou o
seguidle : i
1,060 barricas bacalho; aos mesmos.
Escuna hannoveriana Johan Frederich, entrada
de Londres, consignada a ltoth & Bidoulac, ma-
fastou o seguinte :
10 barricas cerveja ; a Joaquim F. da Silva J-
nior.
23 barricas tinta era garrafinhas a Izidoro Nel-
to & C.
1 caixa miudezas de algodao, i barrica louca :
a H. Forster C.
2 caixas tapetes : a Carneiro & Noguera.
100 saceos arroz ; a Jos Marcelino da Rosa.
1 caixa chaiios de sol, 6 barricas pos pretos, 20
caixas conservas, 5 barritas tinta, 20 barriquuihas
azarcao, 5 ditas secante, 5 caixas gamma lacea ; a
Deucker & Barroso.
30 saceos pimenla, 12 caixas cha; a Mills La-
tham & C.
50 barricas cerveja, 200 barras do ferro; a
Patn Nash.
6 barricas estanbo em barra ; a Prente Vian-
na & C.
2 caixas lijlos, 5 caixas conservas e molhos, 20
ditas agurdenle, 1 dita oleo de ricino em garra-
fas, 9 ditas carbonato.*, mustarda, saes e outras
drogas medicinaes, 5 ditas bilters, 1 barrica louca,
13 barris vinho braaco, 1 dito dito tinto, 219 caixas
i cha. 13 ditas materiaes para chapeos de sol; a or-
dem de diversos.
1 barrica vinho Cherex ; a C. Nappell.
100 bariilinhos plvora, 50 barris salitre ; a
Saunders Brothers & C.
30 barris salitre, 50 barricas chumbo de muni-
cao, 135 tundos de cobre ; a BranderaBrandii.
16 barris oleo ; a J. M. da Cruz Correia.
500 barrilinhos plvora ; a S. P. Johnston A C.
5U0 barrluihos plvora; a Adamsou llowie Si C.
43 toneladas e 9 quintaes carvao de pedra, 31
ditas e 1 dito granito, 100 barricas cimento, 25
barricas cerveja ; a itoihe 4 Bidoulac.
6 caixas folhas de cobre, 70 fruidos de dito. 25
caixas folhas de Flandre, 1 dita cha, 1 dita car-
ros para creanca e iwrlt-nces, 1 dita moiahos pa-
ra milho ; a Jos A M. Das.
10 caixas linha de a'godo, 40 rolos esteiras, 1
caixa ferragens ; a Linden Wild & C.
Escuna nacional Carlota, entrada da Baha,
consignada a Antonio Luiz de Oliveira Azovedo,
manifeston :
2 canas fazendas, chapos o gravatas ; a A. C
de Abreu.
25 caixas papel ; a E. A. Burle & C,
i pipa lirio florentino, 9 ditas fumo Virginia ; a
Meuron & C.
1 caixa lentos de chita ; a Joao Kellr & C.
1 dita fazendas ; a Monhard A- C
12 caixas cha ; a Tasso Irmiio.
59 rana-ira* aillos, 16 caixotes tapioca ; a Jos
Vicente de Lima.
3 fardos fumo ; a E. de Araujo F. Jacobina.
1,000 quartiobas e 100 garrafas; a Antonio da
Cruz Baptista
1 caixo com 5,6u0 charutos; a Schafbietlui
& C.
1 caixo' com 5,600 charutos ; a Jos Leopoldo
Bourgard.
1 dito com 2,000 charutos ; a Guilherme da
Silva G limares.
1 caixote cora 5,000 charutos f ao Dr. chefe de
polica.
3 caixoes 23,650 charutos; a Ferreira & Mar-
ti ns.
1 caixa casimiras, 1 dita chapos de pello de
coelho, 80 barris cerveja, 2 caixas fazendas, 82
barris vinho, 2 caixoes musselinas, 30 barricas '
sebo coado, 1 dita raapadeira, 50 ditas e 50 sac-
eos assucar, 51 ditos familia de mandioca, 9 di-:
tos com 34 arrobas de caf, 3 barris azeite de I
peixe, 3,150 pelbs de cabra, 55 caixoes e 445
caixiuhas com 6l0,55'0charutos ; aordrin de di-!
versos.
60 barricas cervpja, 2 caixas vinho vermoutn, j
20 ditas licor francs, 10 ditas cognac, 20 fardos
fuint*, 50 saceos caf, 23 caixoes e 1,100 caixi-1
nhas com 303,150 charutos ; a Palmeira & Bel-
lro.
Iiiate nacional Amelia, entrado de Penedo, ron-
signado a Antonio Jos Rodrigues l'inheiro, uiaui-
festou :
50 saceos milho ; a C. C da Costa Morcira
& Irmao.
3 ditos dito ; ao desembargador Firmino Anto-
nio da Cosa,
1 pedra de filtrar, 4 saceos farelo, 4 ditos mi-
lho, 4 ditos arroz rom casca, 159 couros salgades,
277 meios de sola, 8 alqueitts de fejo; a or-
dem.
50 saceos fejao ; ao commandante damesm?.
De Villa-Nova.
300 pedras de amolar, 23 rebollos, 1 m de pe-
dra grande, 200 pessas de luuija vldrada; a ar-
den).
Sumaca bespaahola l'aula, entrada do Rio de i
Janeiro, consignada a Amarini limaos, manilos-!
lou :
320 pipas, 100 larris de 5, 100 ditos de 10,
15 ditos de 4o, vinhos, 6 caixas com 72 duzias dej
abano?, e 75 duzias de vassouras; a ordem.
Vapor nacional 'Paran, entrado dos porlos do
norte, mauifestou :
Do Para.
Gneros estraogeires.
30 caixas banhade porco, 120 barris manteiga,
1 caixa bezerros Untos, i caixa botoes de algo-
dao a ordem.
Mercaeoria nacional.
46 rolos salsa, i barril oleo de cupahiba, 1
sacco pexery, 12 latas azeite de pataua, 70 rolos
salsa;a ordem.
Pelas mutuas frouteiras aos rios importado do
Per :
2 caixas e 10 fardos chapeos do Chyli ; a or-
dem.
De Maranhao.
25 paneiros de tapioca encapados ; a Ferreira
& Martins.
120 ditos dita, 100 saceos arroz; a ordem.
Patacho nacional tnico, entrado da Baha,i
consignado a Maia & Espirito Santo, manifestwu : i
9,276 arrobas He charque, 60 barricas sebo coa-
do, 150 arrollas de grasa em bexigas, 50 dilas
de sebo em rama, 12 lages c 8 barris com 1,400
lainhaa ; a ordem.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA dos pnego DOS (ENEROS siueitos a direito de
E-XPORTACAO. SEMANA DE 31 DE OUTUBRO A 5
DO MEZ DK NOVEMBRO DE 1864.
Unidades. Valores.
dem em calda...... ,
Espanadores grandes nm
dem pequeos....... >
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional...... arroba
Farinha do de mandioca. .
dem de araruta..... arroba
Feijaa de qualquer qudlidade.
Frechaes........ nm
arroba
urna
arroba
>
cento

um
caada
240
SIMO
3*000
5*000
5*000
800
4*009
1*000
120
Fumo em tolha, bom
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom. .
dem ordinario ou restolho
Galliahas......
Gomma.......
Ipecacuanha (rais). .
Lenha om achas ....
Toros........
Linhas e esteios.....
Mel ou melaco.....
Milho..........arroba
Papagaios........um
Pao Brasil........quintal
dem de jangada. um
Pedras de amolar.....urna
dem de filtrar......
dem de rebolo......
Piassava.........molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos........cento 3*500
Pranchdes de araarello de dous
costados........um 20*600
dem de louro....... 10*000
Rap..........libra 1*000
Sabo.......... > 120
Sal......t alqueire 400
Salsa parriiha.......arroba 23*000
Sebo era rama....... >
dem em velas.......
Sola em vaqueta......urna
Taboas de amarello.....duzia
Idera diversas.
Tapiocas. .
Tatajuba. .
Travs .
L'nhas de boi.......Cento
Vassouras de piassava.
Ditas de timb .
Dilas de carnauba .
Vinagre......
Alfandcga de Pe mam buco, 29 de m vembro de
1864.
(Assgnados):
O 1." conferente, Manoel Caldas Barreto.
O 2. confereale, Jos* Tkomaz dt Campos Qua-
resma.
Approvo. Alfandega de Pcrnambuco,
outubro de 1864..4. Eulalto.
Conforme. O 3. escripturano, Joao dos Santos
Porto.
Recebedorla de renda** internas
geraes de Pcrnambuco.
Rendimento do dia t............ 1:072*036
dem total................. 9144108
800 cantes suasietiomunhas quedeposeram ronvenien-
4*000 fomenta acerca da ausencia do supplicado Antonio
2*000 Bao, o respectivo escrivo fazendo sellar e preparar
os autos me os fez conclusos, nos quaes dei e pro-
13*000 feri a sentenca da forma e theor seguinte :
1*600 ; Jalgo procedente a justificacao, e assim seja o
alqueire 2*000: upplicado citado para o lim requerido.
4*0001 Recife, 29 de outubro da 1864.Trislo de Alen-
1*800 car Aranpe.
5*000 Segundo o que assim se contioha em dita senten-
14*060 ca, depois da qual o respectivo eserlvao Manoel do
8*000 Carvalho Paes de Andrade, que este subscreveu e
8*000 fez passar o presente, pelo qual e sea theor, cha-
5*000 mo, cito e hei por citado ao mencionado justificado
609 Au ionio Bao, para que dentro do praso de 30 dia,
2*500 compareja ante este juio, allegando e provando,
25*000 tudu qaanto for bem de seu direito e Justina, sob
2*000 pena de se proceder a sua revelia.
11*000 Por tanto toda e irualquer pessoa, prente, amig
8*000 ou conhecido, poder-lhe ha fazer sciente de todo o
expendido.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer o presente edital que ser afllxado
no lugar do costuro* a publicado pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cdade do Recife capital
da provincia de Pernambuco, aos 3 de novembro
de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Trislo de Atentar Araripe.
DECLARARES.

arroba
quintal
urna
caada
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico, para
5*000 cunhecimento dos interessados, que o tribunal do
7*000; Ihesouro em ordem n. 156 de 21 de outubro ulli-
2"-00 ni0> autorisou opagameoto de dividas de exercicios
140*009, ('"idos, cojos credores sao os segtitules:
80*000 i Joaquim Jos de Sant'Anna.
2*8001 Manoel Ignacio dos Santos.
2*000 Sebastin Baptista Teixeira.
6*000
200
10*000
8J1000
6*000
500
1:986*144
consnlado provincial
Rendimento do dia 2
dem do dia 3
2:361*433
MOYIMENTO DO PORTO.
iVatuo entrado no dia 2.
Bahia15 das, patachu brasileiro Eurtco, de 162
to ciadas, capitao M. M da Costa Amaro, aqu
gem 12, carga 9,000 arrobas de carne ; a Maia
& Espirito -anio.
nata saludo na mesmo dio.
Rio de Janeiro e portos intermedios vapor nacio-
nal Paran, commandante o capitao de fragata
Santa Baibara.
EDITAES.
Joo Soares da Foaseca Velloso.
Secretara da thesouraru de fazenda de Pernam-
buco, em 3 de novembro de 1864.
Servindo de offlcial maior,
Manoel Jos Pinto.
InspeccAo do araeial de marinha.
Faz-se publico qne a eommissao de peritos
examinando boje, na forma disposta no regula-
mento annexo ao decreto n. 1,324 de 5 de feverei-
ro de 1854, o vapor Mamanguape, da companhia
Pemambueana de navegacao costeira, achou que
a a n5 P"*** e"* B!IYe8ar sem prirneiro fazerem-se Da
machina os eoncertns que rne sao necessarios.
Inspeeco do arsenal de marinha de Pernambu-
co, 3 de novembro de 1864.
O inspector,
R. A. Barbosa de Almetda.
Facnldade de direito.
De ordem do Exm. Sr. director, faco publico o
aviso abaixo transcripto:
4* seccao. Rio de Janeiro. Ministerio dos
negocios do imperio, em 13 de setembro de
1864.Il[m e Exm. Sr.-Communico V. Exc,
em solucao ao seuofflciode 12do mez passado, que
a disposico do decreto do poder legislativo n. 1,216
de 4 de jalho ultimo, elevando quatro annos o
praso de dous para a validade dos exames prepa-
ratorios, extensiva tambera todos aqoelles
exames que tinham sido feitos ha mas de dous
annos, e que por isso dovem estes ser considerados
validos, rom tanto que estejam comprehendidos
dentro do referido praso de quatro annos. Deus
guarde V. Exc. Jos Liberato Barrono.Sr. di-
rector da Faculdade de Direito do Recife.
Secretaria da Faculdade de Direito, 3 de novem-
bro de 18o4.
O secretario,
Jos Honorio B. de Menezes.
Conselhu "ministr tivo.
0 censelho administrativo pafa fornecimento do
arsenal de guerra, precisa comprar os objeetos
seguales:
Para e presidio de Fernando.
1 lata, aguars.
1 barril, alvaiade fino.
2 arrobas, colla da Bahia.
1 barril, er.
1 dito, gsser.
i dito, oleo de Imhaca.
100 libras, pao de oura.
24 i'incris tinos sonidos.
12 ditos, ditos dito para tracar frisos.
lluras, pona de Pars, ou prejos doime
542*012
1:819*413
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, oOlcial da im-
perial ordem da llo-a e juiz de direito especial
do commercio desta cdade do Recife de Pernal
buco, por S. M. Imperial e Constitucional o i
U- Pedro II. a uuem Deus guarde, etc. .
Fago saber aos que o presente euuai virem*
delle uoticia tiverem, que cor parte de Hypp-dit^- de urna pollegada.
Martins Gomes de Pinho me foi dirigida a pelic- i 2 ditas, ditas de dito, ou ditos de dito de Vt
do theor seguinte : 2 ditas, ditas de dito, ou ditos de dito de nma
Illm. *r.Diz Hyppolito Martins Gomes de Pinho, I .pollegada.
que achando-se ausente em lugar lisio sabido o seu | 4 pranchoes de cedro.
devedor Atilcoio Bao, contra quem move execucae
que corre pelo cartorio do escrivo Manoel Mana,
o quer faser citar para o seguimenio da penhora
que se fez em seus bens, e porque se ignore o lu-
gar, em que se acha, podiendo neste ca-o ser cha-
mado por editos, requer o supphcanle V. S. que
justificada a ausencia do supplicado se digne de
mandar cita-lo por editaes, assim pede ao Illa). Sr.
r. juiz de direito especial do commercio Ihe de-
lira.E. R. M.O advogado, Francisco Augusto
da Costa.
K mais se nao continha e nem alguma outra
1 arroba, secante.
10 duzias, taboas de louro.
2 arrobas, tinta verde em massa.
4 dilas, vellas de cera branca de Lisboa de mela
libra.
20 cadernos, papel de Hollanda pautado marca
pequea.
6 resmas, dito almaco greve.
12 dilas, dito dito pautado.
6 duzias, peonas lapis linas.
4 dilas, ditas ditas ditas de cores.
Panno de algodao do tecido na provincia proprio
para ensacar la, dous rollos grandes, ou quatro
cousa mais se declarava e mostrava ein dita peti
cao, aqu mu bem e fielmente copiada, na qual dei pequeos.
o ineii despacho do theor, forma, modo e maneira 24 caixas, pennas de ac das mais finas que
seguinte : houver no mercado.
Mm, juslificando amaahaa ao meto dia. Recife, Quem quizer vender estes artigos aprsente suas
11 de outubro de J864.Aleucar Araripe. propostas em carta fechada na secretaria do conse-
E mais se nao contralla em dito nieu despacho Iho s 10 horas da manha do da 9 do correnle
aqu inui bem hVInieute copiado. E leudo o sup- mez.
pilcante pruduzido suas te.-teinunhas, sellados e Sala das ses=5es do couselho administrativo, 3 de
preparados os autos subiram a minha conclusa.), e novembro de 1864.
nelles dei e profer a minha sentenca do iheor, lor-
ina, modo e maneira seguinte :
Hei por juMiticada a ausencia de Antonio Bao,
que ser citado por edilos de 30 das, para o lim
requerido a folhas 2.
Recife, 15 de outubro de 1864.Tristo de Alen-
car Araripe.
Anfonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Stbastiao Jos Basilio Pyrrh,
Vogal secretario.
Pela capitana do porto se declara que, o
vapor Mamanguape da companhia Pernambuca.
nao pode seguir vjagem, sem que sejam fetos os
E mais se nao continha e nem alguma outra consenos necessarios na machina do referido va-
eento
caada
arroba
caada
Mercadorias.
Abanos.........
Agurdente de cana.....
dem rcstilada ou do reino .
dem caxaca........
dem sembr.......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente....., .
Algodao em caroco.....
dem em rama ou em laa. .
Arroz com casca......
dem descascado ou pilado .
Assucar mascavado.....
dem branco........
dem refinado.......
Azeite de amendoiot ou mende-
bim.........
dem de coco.......
dein de mamona..... >
Batatas alimenticias.....arroba
Bolacha ordinaria, propria para
embarque.......
(dem fina.........
Caf bom........
dem esoolha ou restolho ...
dem torrado.......libra
Caibros.........om
Cal....."......arroba
dem branca.....
Carne secca (xarque) .... >
Carneiros........um
Carvo vegetal...... arroba
Cavernas de sicupira .... urna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas .... i
Cha...........
Charutos........cento
Cevados (norcos)......um
Cocos (seceos).......cento
Colla.........libra
Cauros de boi, salgados ... c
Idera idem seceos espichados. >
dem dem verdes.....
dem dem cabra cortidos. um
Idem idem de onca.....
Doces seceos.......libra
dem em gcla ou massa.
1*500
800
800
400
800
900
4*750
19*000
1*500
2*800
1*900
4*200:
5*120:
2*000
1*600
800
1*200,
3*000'
7*000
8*000
7*000
440
360,
280!
500
3*200
45000
1*000
8*000.
230
300,
1*300
2*500
15*000
4*000'
600
165
240
100
350
10*000
1*000
320.
cousa mais se declarara e nioslrava em dita minha
sentenca aqu mu bem fielmente copiada. Em
virtude da minha sentenca o escrivo desle juizo
Manoel Maria Rodrigues do Ntscimento fez pausar
o presente edital, pelo qual chamo, cito e hei por
citado o referido supplicado, para que compareca
neste juizo dentro do indicado prazo, afim de alle-
gar o que for de direito.
E para que cheque ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e afflxado nos lugares do costume.
Recife, 18 de outubro de 1864 Eu Manuel Ma-
por, como declan.u a cummisso de peritos do
arsenal de mariuha.
Capitana do porto de Pernambuco, 3 de novem-
bro de 1864.
O secrelario.
Dedo de Aiutno Fonseca.
Conseibo de compras aues.
Promove o conselhu no da 5 de novembro pr-
ximamente vindouro a compra dos seguintes ob-
jeetos do material da armada :
60 toneladas de carvo de ferreiro, 12 bandeiras
naciunaes de 2 pannos, 145 covados de damasco
na Rodrigues do Nascmenp. escrivo o subscrevi. verd fa ^ 6 fle ^ d h de ,
nT, t ,- a TT,,a,> d AeU''ar ArV^i a. I**' 6 'lilas le dito de 1 1,4 dita, 50 esgunch-s,
O Dr. Tristao de Alencar Araripe offlcial da 6 escrivaninhas de metal. 3 arrobas de no de algo-
imperial ordem da Rosa e ton de direito espe- di |lvroS de ^ fo|||a iQ arroha/de
nal do commercio denla cdade do Recife de Inaihar branco, 100 pegas de meriirn, 1.000libras
Pcrnanibuco, e seu IWMW& M Imperial e d de rj go raspas de ferro, 200 lijlos
constitu lonal o Sr. D. Pedro II, a quem Deus ing,,IOS> 40 du;ias de toboJ,sde amare|'|o m vha.
guarde, etc. iic,^ pnumnjjl ou ararib de 5 poegadas dogros-
Fago saber aos que o presente edital virem e $ura e nao menos.de 35 ps de comprimnnio.
delle noticia tiverem, que Tasso & Irmos por seu Promove o conselho a compra a vista de propos-
adyogado me dirigi a petieao do theor se- tas recebidas no referido dia at as II horas da
guinte: manha, e obrigados os vendedores dos ohjectos
illm. Sr. Dr. jaiz do commercio.-Tasso JIrmSos mulla de 10 0|0 caso nao os entreguen) de promp-
querem fazer citar a Antonio Bao, para na piiniei- f0, bem como de20 0|0 pela fal.ado suppi ineuio.
ra audiencia desle jnizo fallar ao* termos de uina ou forera ellos de m qualidade.
aeco ordinaria em a qual Ihes pedem o paga-i ento Sal do cmselho de eompras navaes 31 de on-
da quaniia di 307*500, proveniente de farinha de tubro de 1864.
trigo que Ihes coinpruu, para suprimenlo de sua
padaria com a coudiyo de pagar a dinheiro avista,
o que confotmo o uzo da praca importa 30 dias, e
que nao lem pago, e b>-m assim os juros leuaes da
mora, licando logo citado para todos os lermos da
causa, al final sentenca pena de rev a, sendo
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
i i-i lt ti na I in o m me icio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico, que nesta data fui
condemnado no principal, juros e nas cusas. Tendo injl'lo n'l'vro da matricula dos commorciantes
porm o supplicado abandonado o seu esubeleci- Sr Manoel Ribeiro de Carvalho, cldad3o porta-
n.ei.to e se ausentado para lugar ignorado, n-que- ?up1, "** n,,s'a ''^ade com loja de fazen
rem os supplicantes V S. digne-se admitii-los a da-nor po-soe a rebino,
justificar a ausencia do supplicado, sendo quanto I Secretaria do tribunal do commercio de Per-
baste se julgue por sentenca, mandando passar ara,'uco de ou,uur **-, .
Jallo Guimaraes,
carta edital por 30 das para por ella ser o mesm>>
citado para os termos da a curador em litem.
Pedem V. S. di feri ment. Ksperam receber
merc.Advogado Britio Macdo.
Segundo o que assim se continha emdita petijao,
na qual dei o despacho do theor seguinte:
Justifique no dia 24 do correte mez, depois da
audiencia.
Recife, 21 de outubro de 1864.-Alencar Ara-
ripe.
S'gundo o que assim se continha em dito despa-
0 (liria I-maior.
Inspeeco do arsenal de ma-
rinha.
De ordem do Illm. Sr. inspector faco publico oe
este arsenal contrata bons carapinas para o sen
servigu e das obras do Porto.
Inspeeco do arsenal de marinha de Pernambu-
co, 31 de outubro de 1864.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Sa Miado 5 to correnle mez, fin la a a odien
casas de taipa, arvoredos de Iruclo, tendo cada
casa porta e janefla, com a frente para o sol, um
quarto, cozmha fra, ludo avahado em 400*. pe-
nhorado a Manoel Goncalves Telles e sua raulher,
por execueo de Maria Francisca Olympia Bap-
tista.
ArremalftCAo de bens do evento.
No dia 5 do correnle, rinda a audiencia do Dr.
Jniz municipal e provedor dos reziduo*. arrema-
lam-se dous cavallos appreheodidos como bens de
evento.
Nao havendo qnem reclame um cordo de ouro
apprehendido pelo subdelegado de Santo Antonio,
findos os tres dias da lei ser arrematado.
Pela subdelegada do Peres foi apprehendido
um cavado ruco, conjanclamente o ladro, qne dc-
clarou o haver furtado nas campias da estrada
nova do Cachanga : quem for son dono, ompare-
5a, que provando Ihe ser entregue.
O subdelegado,
Alexanirino Martina Correia Barros.
Tonsulado de Portugal
Por ordem do consulado de Portugal tem de ir
a leilao no dia 5 do correte a taberna da ra do
Rangel n. 22, pertencente ao espolio do fallecido
subdito portuguez Agoslinho da Silva Torres
Arre.matacft.
No da 7 do correte mez, depois da audiencia
do juiz de paz do 2* districto da Boa-Vista, tem de
ser arrematado o seguinte: urna armaco com hal-
co e urna baataea de Romo A C, avahadas em
53*, por execu{aoque move Antonio Ignacio Bran-
do contra Manoel Francisco de Paula, cojos bens
j foram annunciados, e transferida a arremataco
publica para o dia cima.
De ordera do Dr. juiz de direito da 1* vara
criminal Joao Antonio de Araujo Freitas Henriqus
faco publico que tendo cessado os motivos de sua
suspeico nas causas commerciaes, em que e foi
partea caixa filial do banco d-# Brasil nesta cda-
de, esi marcado o dia de sabbado de cada urna
semana para as respectivas audiencias, is 11 ho-
ras, e quando for impedido ter lugar a audiencia
no dia segrale.
O escrivo,
Manoel Maria R. do N.
Para Lisboa.
Sahir con krevidade o patache portogorx Ma-
rta da Gloria recebe carpa frete e pa traia-se com o seo consignatario E. R. Rabello, roa
daCadeia n. 55, escriptorio.
O
PAR
I*ar
E esperada do Rio de Janeiro era poucos dias a
galera Mindello, e depois de Bftaea demora oeste
porto searuir para o Para, para onde reren* carga
a frete coinroodo : sjBan sjoies* carrejar. pod> rm-
lender-se com ns consignatarios Palmeira A BH-
Iro, largo do Corno Sanio n. 4, 1 rimeiro andar.
Para o Porto.
Obrigne portuguez L'mo, saherom moita hre-
viilade por ja ler a maior parte de seu rarrrffa-
mento prompto, e para o resta que ainda falta tri
la-e com o consignatario Jos Joaquim Lima Bai-
ro, ra da Cruz n. 18.
LEUDES.
TIIEATHO
EMPREZA
GERMANO & COIHBRA.
Recita extraordina'la.
SABBADO, 3 DE NOVEMBRO DE 1864.
PE.A fl.TIMA VKZ.
OS
HtlITlIlES
w
PERSONAGENS.
Constancio, cesar do Occi-
dente .......
Scipio, patricio romano e
senador ......
Orosio, chefe dos christos,
octogenario.....
Gabriel, filho de Orosio. .
Dcio, grande sacerdote de
Jpiter......
Lucifer.......
Pluto, centuriao romano. .
Polion, guarda dos carceres
Isaac, judeu, escravo do Afra
O archanjo.....
Afra, cortesa romana .
Martha, virgem christa. .
A f.......
Enmenia, escrava de Afra .
Digna, dita.....
Euprpia, dita.....
Senadores, lilores, sacerdotes,
rfui us|it><.., .oneus, cenuii:-.. o.
Luiz Demetrio.
Coimbra.
Germano.
Lisboa.
Pinto.
Borges._
Guimaraes.
Santa Rosa.
Teixeira.
D. Antonia Reg.
D. Antonina.
D. Camilla,
D. Mana da Silva.
D. Maria Ponles.
D. Francisca Balbina
N. N.
sacrificaderos
.uan !.. raUa
dos, povo romano, pora chri-to.
A aeco passa-se na cida le. de Augusto (hojp.
AnfS'onrg), no auno de 303 da era christa, sen-
do imperadores : Maxiniiano Hercules, no Oriente,
e Dpocleciano, no Occidente, e cesares, no Oriente,
Galeno, e Constancio, no Occidente.
Todo o scenario novo e pintado pelo dislincto
scenographo o Sr. Veneri, e consta do seguinte :
1." acto. Lugar montanhoso e selvagem, bos-
que de cedros, grutas, que em lempo *e transfor-
marlo.
2. acto Rica e sumptuosa habitacn de Afra.
3." acto.-Sitio ermo e agreste. 0 templo de
Proserpina em ruinas formando a entrada das ca-
tacumbas, que em lempo, pela iraiisfurmaco deixa
ver o interior.
4." acto.O magnifico templo de Jupitcr com
todos os seus arcessorios, esta decoracao 6 digna
de especial mencao pelo gosto e riqueza com que
est feita.
5." acto.Carcere, em tempo transformado para
scena final.Vista de gloria preparada para todo
o Ihealro, que deve produzir maravilhosoeffeito.
O machinismo enrarregado a um artista hbil,
pode asseverar-se que correr a contento.
A msica do Sr. Cotas. Filho, foi escripia exprs-
smente por este artista com o gosto que todos Ihe
reconhec.em.
O vestuario novo e ao gosto da poca.
Comegara s 8 horas.
FOI TKiWElUn
0 leilao para seita-feira ,j| de iof -
bro, as 11 horas, a na da Ca -
dcia u. SS.
E' um bom pairimonio.
DE
17 casas, chao proprio, pequeas para pobreza,
na ra do Palacio Episcopal, com 42 palmos de
frente e eerca de 300 ditos de fondo, a rara qae
esta edificada na ra tem 12 janellas e porta, sala,
alcova e gatdneie e mais arranjos, portao Ve om
lado, que da entrada a 16 casas mais |impn a
que tem cada urna, sala, alrova e mais nm t|oar-
tinho, nc centro grande cacimba com boa apna r
no fundo alero de um terreno tem privada, mu
propriedade rende mais de 100* por mn, era
vendida pelo maior preco qoe se arriar naqui-De
dia; os pretndeme? podero examinar desile ja,
qne devem observar que farao bom emprego a
seu dinheiro, que lira um juro superior a um por
rento ao mez em predio acabado pooco tema*
bom negocio! 11
LEILAO
D*
Mantimentos do brigae
ErniHe
Scxtn-feira i de novembro is 11 horas da
manha na porta da alfandega.
OLYMPIO
far leilae por ordom do Sr. S. M. Jlass, eaprd
do brigue norueguense Emilie, condemnado legal-
mente ueste pono, dos mantimentos do dito brigoe.
HOslE.
Seita-frira 3 de novembro, sil lo-
ras, raa G'drian o3,auar-
mazrm do geme fciuebio.
DK
Urna casa terrea n. 102 na roa das Cinco Pos-
tas, chao propnn, rende 1G5 por mez, 2 salas, 2
qoartos, rosinnt fra, cacimba si e quintal mo-
rado. Ser veudida lambem pelo maior preco.
Lscravos, niou'is, uiiudcz -s e outio>
ni u i los ariiuos.
HOJE
v .wui.r.mo oi.%njr.o iai irlMuuu j-.. tmmm
tes usado>, ci ysiaes e oulros monos artigos, snia-
dezas, it loitios de ouro e prala.
Na iiiesina oecasio vender urna preU com-
nlii ira e um prelo din habilidades pruprio para
qoalqaer servico e mitra eseraras de amiMs os
sexos cun hauhdade o sem ella.
LfcILtO
os
Caixas com passas.
lu
O agente Pestaa vender por ennta e risco de
quem perteucer caixas com excedentes passa* de
caiiiatias em lotes a voritade dos compradores :
sexta-fe ira 4 do correnle pelas 10 horas da ma-
n,a., no armasen do Annes.
LEILAO
A7IS0S MARTIMOS.
Companhia Pctnambiicana rie navega-
cao roste ra o vapor.
Ilha de Fernando de Noronha.
iNo dia 4 de
novembro ao
meio da segu
um dos vapores
da companhia pa-
ra o presidio tle
Fernando. En
comniendas, pas-
sageirose dinhei-
ro a frete at o dia da sabida s 11 horas da ma-
nha : escriptorio no Forte do Mallos n. 1._____
COMPANHIA PERNAMBUCAA
DE
Kavegaftti costeira a vapor
Parahyba, Natal, Maco, Aracaiy, Cear,
Acaracu' e Granja.
No dia 7 de novembro segne pa-
ra os portos acuna indicados o
vapor Jaguanbe, commandante Lo-
bato, s 5 horas da larde. Recebe
_ 'carga anuente al odia S; pocos
mendas, passageiros e dinheiro a frete al s 3
horas do dia da sahida: escriptorio no Forte do
Mallos numero 1.
"COMPANIJA PERNAMBUCAA-
DE
Navpjr,acao n-siera a vapor.
Tamati'lar, Barra Grande, Porto de Pedras,
Camaragihc, Mairei, Penedo e
Aracaj.
No dia 5 de novembro segu pa-
ra os portos cima indicados 6 va-
por Parahybn, commandante Mar-
lins, as 5 horas da larde. Recebe
carga smenle al o da 4; eneom-
mendas, passageiros e linheiroa freie. at as 3 ho-
ras da tarde do dia da saluda: e.-rriplorio no Forte
lo Mallos n. I.
IIO JE.
O agente Jos Mara Pestaa rara leilao por
coma e risco de quem pertencer, sextt-feira 4 do
correte a porta do Annes deironte da alf.ind- ga
de t barricas com cerveja de SSsdnt garrafas pre-
ta e branca da marca lastraos, em um ou mais lo-
tes a vontade dos compradores.
JLUIldAO
M
Urna tatieina na roa da Scnzala \ova
numero 9.
Sabbado 5 do correnle s 10 horas.
CO RiltO- SIMOES
far Ifilo a requerimento de Joaqnirn Francisco
da Silva Jnior e mandado do Illm. Sr. Dr. jniz
especial do comnieicio, dos genero, armaco e
utenriiios da taberna artos referida, em nm oa
mais lotes a voniad dos pretendentes.
Utrncilios de huid.
Depois de i lie, loa lo o leilao da taberna cima
dito o mesmo agento tem de espor em Hlao os
utencilins do hotel ra da Cruz n. II, reoneri-
menlo do mesmo e mandado do Kxm. Sr. Dr. jai;
especial d i commercio.
. miz
LLILO
DR
cho, por furya do qual fura feia a destribuicao do cia do'lllm. r. Dr. juiz municipal da 4* vara, tem
escrivo desle met juizo Manoel de Carvalho Paes de ser arrematado um pequeo sitio no luitar do
de Andrade, depois do que produziudo os supon- Barro, freguezia dos Afogados, com duas pe^ueuas
Para o Rio de S. Fraucisco.
Pretende sejruir al o Hia 10 to crrente a escu-
na nacional Carlota, com a carga que liver :
inern nnlla quizer earregar ou ir de passageni
trata e com os seus consignatarios Antonio Luiz
l Olivdra Azevedo & C, no seu escriptorio ra
da Cruz n. 1.
Bahia.
O hiate Dout Irmoos sane para a Bahi
lar com Tasso irmos.
Fa 2 endas a variadas
Srgu"d;-feii'a 7 to novembro
O senle Pinto far leilao por conu e risco de
quem pertencer de diuVreules fazendas iugl^zao
c mo sej..in : inauaiioloes, algodi-zionn cbila
a varia das a bordo do vapor inglez Gladiutor, blo
as 10 h ras do da supradito no armaxcm da roa
daCadeia n. 36.
DK
6 barris com vioi'O brane* e 3 caixa
com ci-'gnar.
Segumla-feira 7 de novembro.
O agente Pinto f, ra leilao \ pert-ncer de 6 barris com vinho Mrcalo, sendo 4
barris de II pa'des rada um e i de ti dito e
mais 3 caixas com nma duzia de garrabs cada
urna de cognac, s II horas do dia cima dita
na da Cadea armazem n. 36, aonde ha ver Irilao
de fazendas avanadas.
a tra-
avisos Dirasos.
Di'-eji-s- alnirar om cahriolel para duas pn-
soas, por iim ou dons mezes, com eavallo o ar-
reios ; a deixar carta rom as iniciae Z Z, rwns
o prec e condicoes, na livraria ns. 6 e 8 da praca
da Independencia.
i
ILEGVELi
r
MUTILADO l


Diario de TraaabBw -- Hexin felra de \orriHbro de 19_.
Aos 1O:0O$OQ0 e 3:000*0(10.
Sabbado 2 do corrente mez, se extrabi-
r a primeira parte da primeira lotera
(115*) a beneficio da matriz de Nossa Se.
nhora do Rosario de Goianna, no consistorio
da igreja de Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se a
renda na respectiva thesouraria roa do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000(JOOO at 2O0O3O
genio pagos urna hora depoi da tracto
at s 4 horas da tarde, e os oatros no da
eguinte depois da distribuido das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigaes de Souza
PLANO
Para as partes
A molestia ou infeccSo pecec
rali conhecida pelo nome de ft-I
COMPENDIO DOLOROSO
crofula um'dos males mai-.' *m conlem officio de Nossa Sciri.ora das
prevalecentes e universal que
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffresse
genero humano : disse um no-
bre escriptor da medicina que
V mais de nma terrea parte de
todos aquelles que morrem antes I
da velhice sao victimas, ou direc-'
ta ou indirectamente da Escrofu- j
la :por si nao to des-
"uctiva, porm a principal causa de mui-
ras outras enfermidades que nao lhe sao ge- da praca da Independencia
ramente attribuidas.
E' urna causa directa da phyhisiea pul-!
monar, das molestias do figado, do estoma-'
go e affecedes do cerebro: Entre os seus
numerosos syraptoaias acham-se os seguin-i
tes : falta de appetite ; o semblante pal-'
lido e s vetes inchado, s vez es de urna''
alvura transparente e outras corado
Dores; o modo de rosar e offerecer a co-
ra, um setenario e mais otros exercicios
de piedade e devoco; ordenad pela ir- j
mandade dos servos da mesma Senhora,'
que se acha erecta naegreja de N. S. da PA PTIHA TWIPP iniC
Penha do imnetial hosoicie dosreveren- VLX11u*\P IWDnUAa
SiHIO A LUZ
IBA NA U VIA ni A DO Si
STREITA liO ROSARIO K.
E ESTA A TENSA NA UVBAMA DO
RA ESTREITA I>0 ROSARIO N. 12 AS
BR
'enha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres missWwarios apostlicos capn-
chinhos itatimosdefernambuco, approva*
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devo^So do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
Onerecidas
.*' Assoclaco Conunereial Be-
nefleeate
I Coasnllorio Hffe-elinirgifl ai rm hrga io Re-'
sari d. 20.
i. Gualdo k\ ODr. loan Fer reir da Silea regressando su
ra.<
nao
gira.
Os Srs. Anionio Manoel de Souza e Kduarlo
Augusto da Silva teem cartas na ra da Cruz
23, primeiro andar, escrptorio de Antonio d
meida Gomes.
DR
RNAMffGQ,
POR
M. Fonseca de Medeiros.
Eosiao de luglez e f rancez.
Joaquim Pedro da Rocha Pereira, con-
tina a leerionar inglez c francez, e s
ofTerccc aos esludantes que qui/.erem se
habilitar para os exames desses prepara-
torios, podendo ser procurado na ra Di-
reila n. 93, primeiro andar.
Approvado pe* Eib. Sr. presidente
330C bilhetes a 10.301!)............33:0003000
Ben.uV.io, sello e commissao 24 |0.. 7:9.05900
i Pr< mi de........ 10:000*000
1 Dito do.......... 3:000*000
25:080*000
800*000
400*000
7 Ditos de 100*000 700*000
15 Ditos de 40*000 60'1*000
34 Ditos de 20*000 680*000
890 Ditos de 10*000 8:90O*OO0
-------------25:080*000
9."0 Premio?.
2350 Braceos.
Nesta lypographia se precisa fallar ao Sr. Je-
e a-
marellenlo ao redor da bocea ; fraqueza e!
molleza nos msculos: disgesto fraca e
appetite irregular, falta de energa, ventre i oz,no Mactiad Braga quo marou na ra Augusta
tnchado e evacuaco irregular; quandoo'ill ||1) DOTI) Y 1 IJlIf 4 \!l_
mal tem seu assento sobre os pulmoes, urna | LLl O I DR 1/1 Milu/l I"
cor azulada mostra-se em roda dos olhos ; A reunio familiar do mez de novembro
??nam fCa S T? d'geSt,AVf S0l?,0S tr **" na n0ite d0 dil 9- IUJa daAE;Por2prea?no 5S: a raS SSa
lornara-se avermelhados :-o hlito feudo, \ club Pernambucano, 3'1 de outubro de' Cadea do Recife n. 44, toja de ferragens.
a lingua carregada, dores de cabeca, ton- 1864.
le ras etc.
as pessoas de disposigao escrofulosa ap-
CONFUTARA
\. 43Itu do Kaogel \. 43
O [irn|>ri"iario deste novo estahelecimeuto parti-
cipa ao respeitavel publico que tem para vender
um completo sortiinento de holinlios, xaropes de
diversas frucias, cail de flor, pastilhas de orle-
laa-pimenta, ditas de limo, ditas de canella, amen-
doasconfi'iladas, confi'itos, recebe toda e quatquer
encommeoda, doces d'ovos, como sfjan presunios,
peixes, aletria, e nutras muilas mais qualidades,
e eofeilam-se l>andejas : fornece-se venda a esrra-
vas amaneadas por seus senhores; compram-se
garrafas vasias, prefenndo-se de cognac, por mais
dnneiro.
cora-
parecem frequentemente erupces na pelle ^ em casa de hnmem sollero> pr,.fore.je es.
3300 ilhetes.
i. R. Os premios najares de 4003000 ejto su-
geitos mdewaoto da le provincial, e os maiores
de 1:000*0,)0 ao da lei geral.
Tnesoucariadas oterias 3 denovannro de 1864.
O ihesoureiro interino,
Jos Rodrigues de -ouza.
AMA
Precisa-se de nma ama para Cosinhar
prar em casa de hnmem solteiro, pnfe
da cabeca e OUtras partes do COrpo, sao pre- crava : na ra do Queimado n. 32, toja.
dispostas s affecedes dos pulmSes, do fija- TTj
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-;Il|^
rios. Portanto, nao smente, aquelles '
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitara de pro-
teccao contra os seus estragos; todos a-
quelles em cujo sanguc existe o virus laten-
m^JSSS^ (6. ^ ?2l be[" re>PeitaTCl I"** 1 -Mabeecido na rna
ditriO) estao exposlos tambem a SOffrer das Imperial n. 193 coti fabrica de rap denominado
enfermidades que elle causa, que sao : RAPE' IMPERIAL, cojo rap fabricado igual ao
A phlhysica, ulceracdes do figado, do es- i rap de Lisboa, e muito melhor por ser mais loni-
tomago e dos rins: erupces e enfermida-\e*}* n,a.is JE?*!!61 e "*ncd0 J*"'
" I I Cante da siiu.-.rinriluil iln n rmnA nal* 0Tunru.11.
Na ra dos Pires n. 54 tem urna escrava pa
ra se alugar, a qual faz todo o servico de urna casa
de familia.
RUA IMPERIAL 193
Isaac Esnuty
Fabrica do rap imperial.
Isaac Esnaty tem a salisfafao do participar ao
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
TTlpirO nndfir l\nv Pima ft(\ cas causada pela Uleeraco interior, e en- este'precioso rap digno do preco de tres' mil ris Silos
axzciiv/ (uwuu, yyji uum ^^ fermidades uterinas, hi/dropesia, indiges- a ll.bra P01"1'"' c" armazem Progressista, w^m^sspimm debilidad* gem. ^jrZ^1^::^^^7-^
I cante da superiondade do seu rap, pela ezpericn-
deseniptwas da cutis ; rosa ou erystpela ; j Pia de ,rinta annos que tem deste genero, e femis
borbullias. pstulas nascidas, tumores, rh-, o certificado junto para mais segu-anca dos cobj- =
cumacarbunculos, ulceras e chagas, rheu- Prai|,,res o fabricante Boa responsav.-l pelo bom
mtimo, dores nos ossos, as costase nfl ^ullad^ seu rap garantindo ao mesmotempo
,.;>,. .t.i;j i e a i. dmheiro do comprador que por accaso Dio gos-
cabera, debilidades femtninas, flores bran- tar (o que |)0sltlvamente nao de esperar) o sendo
Quem tiver para alugar una casa de dons
andares as ras do Imperador, Crespo, Cruzes,
. Queimado, larga do Rosario, pateo do Livramvnio,
dito do tormo, e ra Nova, queira ter a bondade
preferiraluga-la ao escrivo Silva llego, que tem
muita precisan; se porm pBBSoa que tiver a
dita casa quizer fazer urna treca com o sobtado
n. 93 da ra Vellia, de um andar e sotao, i|U9
bstanle grande, tambem se fra : a tratar com e
mesmo escrivo na casa da ra Velba, ou na ra
do Imperador n. 71.
Joaquim da Silva Buft-Vista fiz sciente ao
respeitavel publico e principalmente ao corpo do
commercio que mudou sua luja do Passeio Publico
para a ra do Crespo n. 10.
Aluga-se um itio em Parnainerim com boa
casa e muitos alvoredos de fruto, todo cercado;
no Passeio loja n. 7.
~COCILI \ V AO'.
Ha sesso desta sociedade no dia 4 do
presento mez s 6 boras da tarde, para a
qual sao convidados todos os seus mem-
Bom remita!!!
Jos Marreiro dus Anjoei, parti, morn,
asa, conlina em o ejercicio de sua profissao, solteiro. pouco amigo do Irabalif irtsnlta-
laosna parle medica como lamben na chirur- te 0 provocador, BU u* Sirfc.' abarrad
furtarnto canas eroei na prupnedad.- alheia.
"tu S q'": s?I,e ',escar g*'l**. m t Al; das Ai i-as freguer dos Aopailm: uma-m
ao respectivo Sr. ibtlelega.lo a l.fvlad*
- Dorinugos Jos Martins faz denle s so- ,'rt sindicar desse individao e lar as pnm-
hrinho Domingos da Silva Raraalho, que mora na dencias qu etlt-nder justas, pulenlo S S
Passagem da Magdalena junto ao sobrado grande.; infoiniar-sr alt- do sen cidk-ga do Ptrw
Tin boinem solteiro, de (ceupaclo decente, lilil. Sr. Alexandririo
Est indo 20d&""
o mualo arabocolado df nome Marcelino, ecrar#
do abaixo assignado. K-te mualo irm aliara re-
gular, ror|w r<-forcad, p5em>* grandes, mi
redondo, nariz chato, cabell > rorrido, Larba Mi-
to poma, e anda doralco, ruartaamr (!.* rtu*
desta cidade : quem o Mjir e levar a ra 4 Im-
perador n 53 ou em OtfaNh rna de S. B-iu mm
frenle da ladeir- do Var.dooro, >r rtctmftw*-
do.Aulunio Lu/ duv SmNH
Qnem precisar de nma criada BMinfaa
para o servico de casa de familia, (menos ro-infcar)
procure na ra do Anoll. n. i primetr* and.r.
ieordem do IiIhi. Sr. |TcMi!ente do aK
rativo da BBcMai draaulira |>riirn-
|arThalia Pernamburana. convido a btd.M suriw
instaladores para reomao da )-
iiiingo ti de novcinl.ro, horas da maxlaa -m
casa do censor da inesiua suri>dede.
Primeira *ecc-io da -e-rrUru da MtiniatV dra-
mtica pariic-ular Tnalia PwrnaiMiMieawi. 3 >
noverabre du iStii. *
IJnM l Bnrrr.i,
_________________________l*_etrretorw.
Precisase W um 3ral d^ runM>irv. etettm
paga gonerosamente. mt* lion>.-n de r n4M>
ment tira bom mOlUdo: n\ na da Croi n. 39
precisa encontrar em casa de algtma senhora ido-
sa e sem familia ou de homem solteiro, um com-
modo de quarlo e comida, pagando o que se con-
venconar : quem estiver tiestas circumstaiicias,
annuncie por este jornal, ou deixe carta feehnda
no respectivo escritorio com as iniciaes A. C.
m\ no IMPERA
DOll N. 22
Grande armazem de (iotas
Tem a venda :
1 Productos chimico medicinacs os
mais importantes em medicina.
2. Productos chimicos e utensis
para photographia e outras industrias.
3. Todas as materias o utensis rft
empregada na pinlnra a oleo e a col- 91
la para pintores, tintureiros, enver- "I?
nisadores, douradores e vidraceiros.
Joao Pedro das Nevos,
Crente.
M
Csj2 administrativo
Precisa-se de una pessea para dirigir um |0ja da bandeira
sitio fora da provincia, preferindo-se e*lraiigein>:
quem sejulgar nestas condicSes, dirija se a roa do
Crespo n. U, loja, que aeliafa com quem tratar.
Souza de Oliveira (<> pobre das gaio-
izer ama missa pela inlencao de to-
i : mm |iam i ii,tiii,ti .Mu-rir.ii uu> mames ua ...
lo (\ afithfirA >Amn PTnn-r'A'i puimoes a CSCromla prodUZ tUDercu- tada como tambem dos exportadores deste genero,d,)!i os l'f-mfeilores que favorecen) coma suaesmola
\X\j V UvyUUlOV V^UIIIV; OilipiO los e filialmente consitmpcao pulmonar: tanto para o mato como para outras provincias, li-' no hospital dos desvalidos, e vem agradecer o bom
mn cmoni ... .h...:j.. *. _:i _*:. .__ .j_ iralami'nlo a (|tie se prestaran) a fazer a sua irma
Barbara Joaquina de Jess ja fallecida.
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripta
em
S.io convidados pelo presente os devotos
da excelsa Smhora *anl'Anna que se ve-
nera na matriz de Sanio Antonio, assim co-
mo os amigoie parantes do fallecido irmao
joiz da mesma devocJo, Joao Tiburcio Va-
l-nano Lobato, pira onvirern as missas que
por alma do menino fallecido manda rezar a
mesa regedora da mesma devoco, no dia
^libado a *> coeMata, palas 6 1|2 noraa da
uianhaa na me desde j se julga grata.
porcao
com o descont de cinco por cenlo ou a tres mezes
do prazo lirma garantida assim o fabricante espera
a concurrencia dos senhores compradores em re
miineraciio da boa pitada examinada, approvada e
afliancad*.
O fabricante franqueia as amostras (gratis) do
seu rap lauto na latinea como tambem Jnos dep-
sitos roa da Cruz n. 31 loja do Sr. Raphaol ra
Direila n. li taberna.
Brevemente apresentar a venda publica outro
rap fabricado igual ao que se fabrica nesta e an-
da para melhor, como tambem : rap princeza,
rap grosso c meio-grosso, ludo a precos muiiu
mais reduzdos para mais animar os senhores ex-
portadores deste genero.
N. H. Nos das de sabbado a fabrica nao se
abre. r
Joao Joaquim de Figueirlo e Basiliano
de Magalliaes Casiro, convidam a todas
aquellas pessoas que se dignam honra-Ios
co n sua .'inusado a a stimo dia, que pelo descanco eterno de sua
mui presada espo Magalhes de Figaeifedo, tem de ser celebra-
da ua capella do cemiterio publico s t> ho-
ras da maaha do da sexta-feira 4 do cr-
ranle.
flii li b^b^im
Alu.'a-se um sitio em i'.irnaineirim com boa
asa e minios irroredos dj frncto, todo cercado :
no Passcio, loja n. 7._________________________
mk m fOBTtM
AOS 6:000.000
Bilhetes garauiIIo
i' ra do Crespo n. 23 e casas do costme
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilheles garantidos da lotera que se acaban
de extrahir a beneficio da matrjz de Flores, os
seguintes premios:
N. 375 um meio com 6.0003000
N. 750 un uv-io com 1:4004000
N. 1179 dous quartos cora 5005000
E outras muitas de 3005, 1005, 40J o I 3.
Os possuidore podem vir receber sem os des-
on.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po o. 23.
Acham-se venda os di segn la parte da
<*rceira lotera a benelicio do iheatro de Santa
tsaoel, que te extrahir ao dia 4 de novembro.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 73000
Meios......... 33500
Cuartos........ 13900
Para as pessoas que compraren)
de 1003 para cima.
Bilhetes........ 63500
Meios......... 33*50
Qnartos......, 15700
Manfi'l Martins Finzn
Precisa-se
Verdes n. 92.
de urna ama : na ra das Aguas
Precisa-se de urna ama, forra, para comprar
eosiobar : no pateo de S. Pedro n. 3.
TypiHjmfthia Liberal
O* senhores que forem credores da typographia
Libiral queirara apresentar seus ttulos, de qual
quer especie, ao Sr. Leodegano Antonio de Olivef-
a na mesma typozraphia, ni das Plores n. 3.
""_ RAga-te a pessn que tiran da mao do Sr.
Candido Lopes da Silva Moraes rarleiro do Reci-
c, dna artas de Manoel de Almeida Bastos tenha
a bondade entregar ao mesmo Bastos, visto dizer
ao earfelro que o emihecia.
Missas.
Pelo presente convido a foflos os S-s.
Vn. 8aeerlites a virem celebrar missas
felas almas do purgatorio na matriz de S.
Fre Pe corrente enm a esmota de 25. Consistorio
da irmandade das Almas, 3 de outubro de
1864. O escrivo,
Jos Joaquim Lopes de Almeja,
Pfecisa-se de um ama para lodo o servico
de casa de familia, prefere-so escrava : a tratar
uarua de Santa Tberexa n. 14.
Domjugus dos Pas.-us Miranda e Meuolau
do* Santos da Fon-eca Lins, por si e sua fa-
milia cordealmente agradi-cem a todas as
pessoas que se dignaram assistir as ultimas
exequias por alma de sua querida lilla e
esposa D. Adelaide de Miranda da Fonseca
Lins, e Ihes ruga de assLstirein a urna u issa
que por sua alma se tem de celebrar no ce-
miterio publico no da 8 do corrente pelas
7 hora' da maohaa.
CEUTIKICAO.
Certifico que submetiemto a exame a am
do rap denominado Imperial, que apresen
esta repailicao o -r Isaac Esnaty. fabrican!;
dente na rna Imperial, casa n. 193. oVelariW
rito ii>.tu. ,-,,, |.itra riMi lim, O Sr. IVdl'O Mai
que nao liavia inconveniente algiiui em ser e
to venda, aliento a que nenhum permeio nofeiso
comprom-lia a saude.
Inspecloria da sade publica, aos 5 de ouldbro
de 1861.
Dr. Ignacio Firmo Xavier,
Inspector da sade publica*.
Trapiche da Gam(x\i
Alandegatlo por ca>ta imperial de 2i
de marco de \ 803.
Este 'antgo e Importante estabelerimento, um
dos mais bem montados desta corte, com ra.'lissi-
mas caxias para arrecadacao de assurares e ou-
tros gneros naclonaes ou estrangeros todas cor-
tadas por trilhos de ferro assoalliadas e forradas
de madeira com cuinchas cm ludas ellas para ar-
ruma;:io e safamento de gneros, com urna ponte
sobre o mar, de 600 palmos de extenso, com p-
timos guindastes, um pessoal muito pratico ueste
sernta pro|ioe-se a armazenar assuear em caitas,
fexe ju barrieas pelo lampo de seis mezes por
40 rs. em arroba e em saceos 30 rs.; as madeira
de qualquer qoaiidadeqne forem nelte depositad is
pagarao pelos primeiros seis mezes o mesmo que
aclualmenle pagam por tres mezes nos demais tra-
piches e dos semestres que se seguirem lerao um
abalmento de 20 por cenlo ; recr-be por preeos
muito mdicos qualquer mercadoria comprehend-
da na stima tabella do regulameulo das alfan-
degas.
A venda dos gneros nelle depositados, faz-ra
com as mesmas vantagens que offereiem os mais
trapiches porque as condicSes para qualquer parle
da cidade sao pelo mesmo prego.
Bio de Janeiro, l"de ouiupru de 1804.
Attencfio.
Preclsa-se do 8003, pagando-M o juros de 2 0|0
ao mes, dando-se por garanlia hvpolheca na quar-
ta parte de um sobrado avahado em 6:0003000 :
qnem anisar fazer este negocio, dirija-se a ra do
Padre Floriano, sobrado n. 21, primeiro andar.
C-irreceiro
Precisa-se de um carroreiro na padaria da ra
Imperial : a tratar na ra esireita do Rosario nu-
mero 5.
as Blandas ella produz inchaces e tornam- ?,M somen,e o preco redundo de mil ris por
se ulceras- mu1 ArnSnct ilitmfttivnn ramaa 'bra a relalll e em PrCo de 10 libras a 900 tis
to i igesti\os causa, e em r,orCiio de 50 ljbras a830ris eemporcaoi
OesarranjoS que produzem mdigestao, dis- de 10 libras a 800 ris e em porcao de lOOO libras
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupces c afFecroes cut-
neas.
Toilos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa pnrrilha de Ayer
composta dos antdotos mais efficazes que
a sciencia medica tem podido descubrir,
para esta m lestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
conten vit ludes verdaderamente extraordi-
narias provado incontestavelmenle pelas
curas nolaveis e bem conheeidas que tem
feilo de tumores, eruppies cutneas, ery.ti-
! pelas, borbulhas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parchas, hydrope-
sia. tassp rimando causada por daponjtoa tu-
berculosos nos pulmoes. Debili-lade go-
ral: Indigeslao, Sypliilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, tilceraces do ulero, a nevralgia e con-
vulcSes epilpticas e em summa, toda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certidoes no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distriliue gratuitamente nos lugares onde
se venden) os remedios.
Este remedio o fruclo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtu les: posto que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilha,
composlo de diversas plantas, algumas das
qjaes sao supet iores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PEITR.U DE CEIIEJ.4 DE AYER.
Cura promptamenle a asthma, bronchile,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysca primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmoes pdem ser curadas em pou-
co lempo pelo peitoral de cerfja do dr.
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambueo:
na pharmacla franceza de
P. MAURER i C.
RUA NOVA N. 48.
- Precisa-se de um caixeiro que enlenda de ta-
berna : appareca na ra Direila, casa n. 6.
Precisa-se de una ama para o servico Interno
de urna cn-a de p .m-a familia : na ra do Qnei-
mado n. 29, sobrado.
Altiga-se ama nasa em Iteburihe : a tratar
com J. I. M. Reg, na ra do Trapiche o. .'ti.
A luga-se una ama que Mina bem coziuliar e
de boa conduela, preferindo-se escrava : na ra
estrella do Rosario n. .'t, primeiro andar.
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-'se dbras de ouro, prala e podras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e lodo e. qualquer concert.
Precisa-se alogar um eseravo para comprar
e fazer ouiros servieos do casa de pouca familia :
na iravessa da Madre de Deus. armazem de Barros
& Silva.
m
m
m
\9Una Nova-it
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operafoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, ludo com superio-
ridade c perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tcni agua e pos dentBcio.
nag
i-m
Precisa-se de urna ama que engomme e co-
Inhe : na ra das Larangeiras n. 5,
andar.
O Dr. Cicero Alvares dos Santos nao tendo
podido pela rapidez de soa liagem despedir-se de
lodas aquellas pessoas que se dignaram honra-lo
com sua amizade, fa-lo pelo prsenle anniincio,
offerecendo-lhes o tea bmitada presumo no Rio de
Janeiro, para onde se dirige.
No trapiche da companhia, praca do Corpo
Santo n. 19, prensa-se alugar dous esrravos que
sejam mocos, possanies e fiis, e conforme o ajus-
te, podero dormir em casa da pessoa que os pre-
tende.
Alnga-se a casa terrea 11. 26 da rna do Forte
OU BiiriHS flaxos, de 163 mensaes : a tratar na
rna do Crespo n. 15, 011 estreita do Itesario n. 32.
Itaphael F.rnan !< AhfaMsn, mvralor aa
ra da Cruz 11. 31, tem a >aii>facao de participar
ao rospeiuvel publico, qiie iem no sen wtiMwl
ment, u deposlle d^ rape uni'nal i fabrica
primeiro |Mac E>uaiz da ra Imparta! o. Il:i. e .pul vea-
de garantido pelo arana de 15 a b!>ra. c -m p-irrio
de 10 libras a 900 r. e i-m ain.-tra ti ba ama-
da para os freguize.- qu quixerew *ir ver
mmmmmmmmmmmi
'al0 Ur. Franciscu i'trrs lacbanN
Pnrlella
MKDico mmumM
mr rana
g Farnldadr de Parln
I Pode ser procurado ;i ra .\na a.
ii, segiindi. .uwlar.
ttUNGkn.
COMPHAS.
Precisa-se de um senhor sacerdote quo se quei-
ra prestar a ser capello de nina igreja aqui na
capital, mediante um contrato vsautajoso : qualquer
que se queira prestar, dirija-se ra das Cruzes
n. 39, primeiro andar.
Aluga-se urna ama para coziuliar e engom-
mar : na Iravessa de S. Jos, casa n.
Precisa-se alugar um moleque de 10 a l.*i an-
nos : quem quizer alugar, dirija-se ra de llor-
tas n 106.
Compra-se ouro r tala em obras daga->e bem: na luja dr bferlcs da pr^ada
pendencia a. "it.
I__
Compra-se vBextmMmM
ouro c prata <'ra obras vnflna i>aiiaiMo-rm
na rna larga do Rosario n. ti, loja de xorivp^.
CHPRA-SE
A M A
urna negra d.- bonila liiiura, que saiba lavar, <*.
gommar e cor bem, e caja id.i> ai taaNrafi
23 annos, agradando paga-ea l-in : a mtar rMn-
rriplorio ;li- Mano. I Ignacio de Oliveira Jt "inna
largo do Corpa Sanio a. 19.
Compram-se deu> ferraras s^jam !ma
carreiros : na ra do Trapera* a. i:i.
Precisa-?e do urna ama que saina cagommar:
na ruado Trapiche,sobrado n. .'16.
Hilario Urbano da Silva, solicitador de cau-
sas com provisto, propoe-se a fazer cobrancas,
tanto nesta cidade orno para outro qualquer lu-
gar, amigavel 011 judicial, offerece-se a quem d.-lle jn ,.m ,ao u.t Cn|l) lantl)
precisar para tal mi-ler, de o procurar na ra do parafuso.
Aragao n. 28, da^ G as 9 h.> as da manilla e das 3
< 6 da tarde, ou c.>mmunqu>*m ao Sr. Joaquim
Rodrigos Tarares d^ Mello, de. quem tambem se
tem encarregado de cobrancas.
Comprase na rna do Impetador a. 1^. nara
ou duas prensas d- copiar canas, anda qn- ^1*-
Onrrllos.
Compram-se ottrellos ,!. ;iinn.i, qoaiqqi-r aor-
cao : na roa de AputWi 11. 10.
Precisa-se de 4 8:0 0-000 a juros, dando-
Aiflielos ; a tratar na roa do Ar.i'-o n 2S, das 6
s 9 horas da manhaa, e das 3 s 6 da tarde.
A mesa regedora dos SS. Chrispim e l'hris
pniano. erecta no convento do Carino desta cida-
de, convida aos seus irmos para comparecerem
no da 6 do correte mez. s 9 horas da manhaa,
para elegerem a n va mesa que tem de fnnecionar
para o ann de 18 1 1865.0 secretario,
Goilhermino Solelino do Carino.
- Compra-se cobre veil.,. : na na da A1 ton-
ga Varna n. l.
IJunipra-M! una inoliib.i dr amsnHBI an
cama franceza : n.. larpo da ivnba n. li, laji da
- loiifa se dir qnem tnmpca.
llavera sorveic todos os das, das 6 lloras em
diento, advertndo que o mais a-s.-ado e bem fei-
lo possivel : no bem eonberido caf dos Arcos.
'asa para alagar na ra d > Gresvo.
Aluga-se a principiar em Io de Janeiro prximo
futuro o sobrado de Ires andares da ni\ do Crespo
n. 9 : quem pretender, dirija-se ao esiabeleclmen-
lo da loja do mesmo sobrado, ou 110 de n. 13 da
mesma roa.
Precla-se d- urna ama que rozinbe o en-
.mine, para ditas pessoas : na ra da Penba n.
23, primeiro andar.
/
iviso.
Cninpra-se una r. muida de B 12 ao-
uos : na ra da Imperatriz n. l.-n-nro andar.
Cumpra-se a ubra inmutada Kuei.la ifra-i-
leira por Manoel Odor.-o M ndkM : na roa 'lova
de__ania R|ia_n._l3, armaran e raarafem
Compra-segar:.ifiN botija vazia<7aaTibrira
de licores ra da- Cniz.< n. 31
Contina a estar fgido, por ter cometldo um
crime, o meu eseravo Simao, com os signis a-
baixo declarados ; por is-o rogo as autoridades
policiaes, e mais pessoas, e empregados as rs- do Q'ivera Az< v.-.l. \ C
lacoes da estrada de fprro e barcas d vigas, de-
miidarcm aprehende-lo. Simao, preto bangonUa,
com 38 annos de idade, estatura regular, em
briaga-se, cisudo. de poucas fallas, feroes feias,
i.arece maluco, tem conbeclmento de pretos da
Cosa, usa de um nalaio enflado no braco, vislido
com caiga azul com remend, camisa de madapo-,
lo e chapeo de palba, lalve mude de roupa, foi
- Compra-se para "o.a HR&anaanmta
grinhae nm mul.pie d idaeV de 10 a 12 ann na na da Crn>. n. I. rij.t .no de Antmi Ia\z
Compram s- diario* remua a i a arroba
' I para embrulbo no palee da l'enha n. n.
V 1 D > S.
Vendft se raixrs >/.>* nrppira*
* IS7R0
protesto proceder contra quem o liver ial|a nm nP}>|j, I\ iioi ;i lilli;'.
0 nn Itirr'ii* .1-1 Tiim ^
eseravo do engenho d'Agpa de U-uarassii, do li- lipifA* P f,,, mmm
nado Uenrique Poppe Cirao, boje do Sr. Dr. Fran- Pir.l ill llx I !
Precisa-se alugar una escrava que saiba co-
ziuliar, engommar e vender na ra, s.'iido de boa
conducta, paga-sc bem : na ra das Cruzes n. 36,
primeiro andar.
Alugam-e duas casas no Monteiro na ra de
Xsto : a tratar ua rna do Crespo n. 20 I!.
cisco Joao .
aullado, pois consta andar no lugar da Torre. \
Oueui o pegar podera leva-lo a miiiha olaria n. ; Vende orna e*rrara mmila *> m ai
13 na ra dS Mondego, freguezia da Boa-visia da de Idade com duas libra de idaoV d K r II
cidade do Recife, que pagaiei trabalho e despe-1 "os | tratar na ra da Sania Crnx ubcraa
sas.
Esmolas.
Segunda^feira 7 do corrente depo s de
celebrado o oflicio das almas se distribuiro
esmolas aos pobres que sssislirem o mesmo
officio na matriz de S. Frei Pedro Goncal-
ves do Recife, de conformidade com o
compromisso. Consistorio das Almas do
Recife, 3 de outubro de 1864.
0 e*ci ivao,
Jos Joaquim Lopes de Almeida.
Precisa se de um caixeiro de 12 a 14 anuos | te pago,
para taberna : a*roa-da FtorenUaa n. 32.
Fugio da m cravo pardo de nome Marcos, idade 32 annos, pou-
co mais ou menos, e com os signaos seguintes :
altura regular, parara compridas, cer escura, ca-
bellos aun -I.idos, ulnas p-qu-nos falta de dentes,
nariz club), costuma andar depressa, e como qoe
pillando, e anda se loma mais conheeido por ler
diversas cicatri es de gomma pnlos peitos, costas'
lado, e sobresahndo sobre todas por se tornal mais
visivel, urna abaixo logo da gargauta no vo da
caixa do peito ; elle pinta o caa soffrivelmnte, o
con-ta que elle tem trabalhado por este ofTicio em
diversas casas aqui no Recife : portanto roga-se s
autoridades policraes e aos captaes de campo que
o facam apprehender e conduzi-lo casa de seu [
senhor o major Amonio da silva Gusmo, na ra j
Imperial, que uratilicar generosamente.________j
Fugio do engeuno CaHngiO (da Luz) a erara-,
va preta Martinha, de idade 2t mines, secca do;
c >rpo, de cor fula, e com o roslo marcado de be-;
xigas, de bocea pequea e estatura regular : quem
a negar leve ao dito engenho, ou aos Srs. Castro A
Macedo, na roa a Rosario que ser generosamen-
Testamento do gallo.
-ahio luz o testamento do pallo, obra propria
para recreio, iuleiraineiite difidente, de pequeo
ipie exi-lia, impressao hmpa, bom papel, e em
brocho ra : acha-se venda na ra do Imperador
n. lii. d. fronte de S Francisco.
Precisa-so de um pequeo de 12 a 14 annos de
idade. que tenha prabea de taberna ; uarua do
Palacio do Hispo n. 40. _____________^____
Precisa-se de urna ama para cozinbar em ca-
sa de ponca familia : na ra do Imperador n. 18
Albino Septana da Itorha, Porto
guez, relojoeiro e donradnr na
praca da Independencia n. 12, faz
qualquer concert de relogios e
doorado por preeos mais baratos
do que outro qualquer e responsa-
bilisa.se pelo seu trahalh*.
Precisa-se de um menino para caixeiro de
urna loja de calcado na ra de Livramento n. 5.
Couipanhia fldelidade de
seguros martimos e ter-
restres estabeteclda no
Rio de Janeiro.
AfiNTFS KM P8PNAMBUC0
Anlonie Luit de Oliveira Aicvedo k C,
competentetnento autorisados pela direc-
tora da coinpanhia de seguros Pidelda-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escrptorio ra da
Cruz n .1.
I). -?
1
lo
No da 31 de outubro furtaram da casa n. 51 da
ra do Imperador om bahde couro preto, de. tres
palmos de romprimenln, pouco mais ou menos,
com pilas brancas, (echadura e mais duas argolas
presas por um caneada de rosca, e continua o se-
gunde :
I cal^a de panno azul fino.
1 jaqueta de dito dito.
1 collete de velludo preto.
2 camisas de raadapnlao lino.
3 ditas de algoriao brim-o, tendo todas cinco o
.1 nome -Joaquimmarcado com tinta.
I chapeo de palhinha escura.
305 em notas, sendo urna de 103 da caixa filial,
e o resto em olas neraes de 5JL e outras miude-
US : roga-se aos senhores agentes policiaes a dcs-
coberta e apprehenao do rat.mclro e dos objecios
supra indicados, promeltendo-se mesmo una gra-
tilicaclo a quem neste enlido poder dizer alguma
cousa, para o (|uo se dirigir ra da Cruz n. 23,
primeiro andar.
mero 1.
Vendcm-se doos rasara de viado t mai* be-
nitos e mansos per Ifinm criad..* ra caa. r do urna para parir : na ra da Gloria a. 75.
Vende-se a taberna na ra lu>rnal n I t.
i propria para um rapaz ara queira prinr.par nra
' ci : a iratar na mrsroa lalwrn^_______________
BaleSo.
Vende-se um balean de Inoro e lampo de awia-
reli 1, muito bom, pur rmunaVi prcro, as.-im ..no
um fleiro enviir;ii;.nlo e dous ditos 11014 pase-
nos, tres caixes para amostras d* raf-, arroz, etc..
etc. : na ra da Cadeia do Recite n. 50.
H 1:1 mmWw ito moxff'.v"
tjtzooc xhio.
Manteiga ingleza flor a H*H e HHO r.. fran -za a
6i0, cha miudu aromatice a W* a 2*a. n
primeira sorle 280, arroz alvo a grau aletria e 1.1JI.11 un a 400 rs., .-Iiurinas a -it'i. -;u-
do Arac.il> a 400 e 360 rs., I..las rom ervit* a
700 rs., batatas a 40 is. a libra, ditas rm ajee a
15 rs., banha de porro a 50, alpiu a pa o. a
140, gomma muito alva a lO. vinh da Figura a
440 a garrafa > caada a 35200. dito dr I. -! a a
360 e 25600 a caada, atrita duea a 6flO a garrafa.
_____________--------------- I de canapalo a 280, ttmapra (orle a B9 rs.. ch a
Tendo-se dev.dvi.lo^ liara o armazem n. W 44Q. ()|l|ro. mu,l(K, maerra por nu-mu* ea iue
em outra qualquer parte, no annazrm da K-irrtla.
largo do Paraizo n. I i. ____ _________
da ra do Trapiche, dos Srs. Southall Mellor & C,
em ttns do mez de setembro ultimo peio mesmo
portad-T qne ennduzia 29 pecas de chita de cor,
estreitas, do Ifilo que llzeram aquelles senhores,
e constando nao ter sido delles entregue, mga-se
quem os tiver receido haja de dedar para ser
procurado.
M
rsaotareceu d eran de sen seirher, no da
29 de outubro, a escrava Theresa, com os signaes
! segahUrs: de oaco Aneico, alia, c^rpo regolar,
rosto compriio e com Ulhos, falta dedootes, jdade
de 50 aun o, pouco mais ou menos, levna panno
prew curto e vertid de ric.a+ rw- eem listfi-
nhas amarellas, e cami de algodao : qiietn a pe-
*H3R"3a^KiiKK3R8 WtMJ&MiX '^r lev*rua do S,l n. II, que ser recorapen-
0 Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cu-
t :-nhr Miranda tem seu eecrii>torto de ad-
ffi vogado na ra do Imperador n. 4*, pri-
*-** meiro andar.
Creme
Sorvete de creme naja ao meia da : n* rux do
Trapiche n. 18. _______________
A pessoa quo quer dar l:0fJ0i, dando-selhe
505 mwurai pelos juros, pode procurar nesta ty-
pographia urna carta com as iniciaos N. N. N.
Bst juslo e contratado o terreno denomina-
do Torros da fregoezia da Varzea com Arcenio
Antonio da C111M1 Miranda, se alguem se ulgar
comdireito reelame uestes tres dias por este fliario.
~^- A pessoa que do camarote- n. 19 do paquete
I'iinin, trouxe nma ehapeleira de couro com
chajio de pello dentro, lendo-se em cima da mes-
ma Antonio Jo< de Frettas, (juerendo-o entregar
polo mandar ao Batel italiano, quo so pagar as
Uespezas que lizer com a remessa.
^ Roga-se aoaiiradrara da rasara., fallida de
viuva Amnrim & Filh do at>resiitarem dentro do
i
Ama ou enera va
Precisase de urna ama fjrra mi escrava qne praso de oito dias os aera mulos albo de aerara ve-
saibabemcjtmharefater mais algum seavigo: rificados, no escrptorio de Auguslo rrederieode
paga-se bem : a tratar na ra da Imperatrii a. Oliwira, admni>trador da mesma rmssa; pra^a
segando andar. do Corpo Santo n. 17.
10 advngarlo Jo de Godoy Vascanrellos
pode ser procurado na na estrella do
m Itosaro n. 34. das 10 s 3 horas da larde
SBt dos dias olis. ^
m-mmmm-mm-mmmmmwm
Caixeiiu
Precisa-sede nm caitrirode 14 a Ifiannos quo
tenha pralica do taberna : a trilar na rna do Haa-
gel o. 10.___________________ -
Precisa se de um menino de 10 a 11 annos
para cariro de taberna, prefere-se que raja |wr-
luguez, dando fiador a sua conducta : quem pre-
tender dirjase a ra de S. Jos do Maoguinho ta-
berna___________.
Sr. Bottini tem nina carta inda da
Europa : tvi ra do Trapiche Novo n. 12.
Na ra So Trapiche o. ti, precisa-se de um
criado para cosiuha. |
Vende-se una barcaca dr 40 45 riixas.
bem construida e muito boa dr vrlla : qurm noi-
ler comprar, dirija-se a rna do Trapiche a. 2S.
kya. _______
N Iravessa dos exiosio- a. It
0115a de qualidade especial.
Vende-se um ^eran tafia* com ** w*n-
ces, cm bom uso : alrai da malnz da B>>a Vum
! n. 8.
Para eollotes.
Vendem-se ahotnadura* do:ir_>la.- que ni 1m-
I merreein a rr rom as -rtigies de S>. MM. t M.
. D. Pedro II, D. I.uiz I e Mara fia r eaira- cera
i as cor s bra>ib-ira e porlugurza: as ras t.r._
i do Rosarlo n. 30, do Q oima.l 1 n. 46 lj> Ir JI-
' niaro- 1 Ra>tos r da Cadna d<> Krrtlu u. 49.
Vend'-s- urna tumita esrrav cri>Ktl 1 iU-
de 2_ auno-, |wuco mais ou e-aos.a qual _t>r e-
ser, engommar e lax.-r o mais servir,. iaterr~> .1*
urna casa: a tratar ua villa do Catw rum frdra
Fernandes da Silva. ______
Ctiampamlir.
Vende-se vinho champauh- Je nriweir dade chegado agora : em rasa da Hothe *
lac, ra do Trapiche 0. 11.
-
. t




.
Diarla de Pe
aeo Sexta elra 4 e \ovembio de 18*4.
DE
(ti
Extraordinaria liquidado de fazondas para a fest
por baratissimo preco, tanlo para o malo como
para a praca, na loja btm ronberida do Arara,
ra da Imperatriz u. 50 de Lourenro P. H. Gui-
mares.
Ao barateiro da Arara a 1 Vndese cortes de chitas com 10 covados a
ditos de cassa a
Deixai que os Hunos da civihsagao vos preguem
economiapara os pos 11 Esta parte do corpo
humano por certo aquella que, neste clima, ne
cessita de maior agasalho: pela humidade us pos 25400, ditas franeeza a 35200, .
se introduz a grande maioria das molestias, e com 2,5, dita de lpicos a 25400, 35 e 45 o corte, para
tas a perda da saudee da vida I I Fra con. as apurar diobeiro : na ra da Imperatriz n. 5G, loja
botinas e sapalos velos ; reforma-Ios da Arara.
45-Rua Direit45 Cor,s de l5a a Maria Pia a 8<>' 18<*-
Borzegutns francezes para hornera ann! Venderse cortes de lia com barra,
Ditos inglezes dem a 85, 75 e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapates esmaga cobra
Ditos de Nantes de duas solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de borracha para senboras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete para homens e se-
nboras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
PASTILHAS J
IGESTIVAslIflSBffl
DE WASMAN
As pastilhas digestivas com a pepsina de Was-
man, cmprego se com succcsso h j alguns
annos pelas celebridades mcdicaes de Pars,
Londres, Vicnna, etc., em todas as incommodi-
dades em as quacs a digestao difficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melbor
remedio para curl as
Dlarrheas e m ronstl-
pnro prodnxlitas
IifIiin rlitbornrra
drfeetuoaM do* all-
nn'tilim.
Goatralglaa.
Plnprpalaa.
Embararoa Kiiatrlco*.
A kh(i1Ic.
Al HfftT rn- lll'UlitlI-
< da ratdnia|fO.
Em todas as molestias empregao-se a miude as
aguas alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
e igualmente as pastilhas de Vichy. Esse meio s<$
efticaz qnando se trate de dispepsias de curta du-
racao, mas o prolongado uso das aguas e pastilhas
de Vichy, tcm grandes inconvenientes, por quanto
os alcalinos empobrecen! o sangue e isso de tal
maneira que lhcs arrcblho a parte vivificante,
nutritiva c reparatriz. Com a pepsina, a contrario,
como ella 6 una substancia orgAnica, albuminosa,
transforma-sc ao mesmo lempo que se cffeclua a
transformaciio dos alimentos assimlhando-se
como elles e ajudo lahcm como cllcs a nulrico
Seral. Sua aceito vivifica o sangue e os rgaos
e talsorteque, tlb as pessoas que sem soflrer as
affcccocs gstricas cima mencionadas sao nica-
mente Iracas ou d'uin temperamento um pouco
dbil, e necessitao subslancial alimento para for-
tificar se, achao no empri-go das pastiilias pep-
sina de Wasman, um poderoso meio para a isso
ebegar.
Aviso importante. 0 successo das pastilhas
pepsina de Wasman diu causa a se fazercm fal-
silicacocs c imitacoes d'esse producto que os
mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
boa preparaco a pepsina que n'ella entra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'cste inconveniente,
oxignelo os compradores que as postilaos Uranio
asiniciacsB. P. c saino da pharmaciaChevrier.
Depsitogeralem Paris, pharmaciaChevrier,
21, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
> Sao.
3 o

-1 n .2
a, n
60-2 w Su n o
I|Balfr&S
3S"32
5 3
O tfl
p.->p
a
V. c
w
o
i
T3
-1
fi
-
O
-I

c
re
n
O.
s>
3"

c
o
a
3
w ="

-3
3 2
&
i i
3
O.
c
o"
cuuc-ao iui es uc laa cun nana, OS propria-
(Safi,! mente a Maria Pia a 85, e 165 : na ra da Impe-
45800 IriZ' l('Ja da Araran- 5t>.
250a) A *rara TeBde alpaca para vestidos de senhora a
55000 360 rs.
55000 Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
45000 tidos de senhora a 360 e 400 rs. o covado, laazi-
15400 nhas para vestidos de senhora a 240, 320,400, 300
15000 e 600 rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
15000 1 Las lizas de cores a 600 re.
k!v Vendem-se lazinhas lisas de cores, a saber:
tena roxa> enca>*nada, cr de lirio, cor de caf e cor de |
" cinza, para capas e vestidos de senhora a 600 rs. o
covado, ditas de flores a 240,320,400,500 c 560 rs.: I
na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Colchas da Arara de 2o a 4|$.
Vende-se colchas de chita para cama a 25, ditas
de damasco a 45, ditas para cobertas a 320, 360 j
e 400 rs. : na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende corles de caifas a -l.sOOO.
1 Vende-se cortes de calca de brim a 15600 e 25,
ditos de casemira a 35, 45500, e 55 : na ra da
I Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Roupa feila da Arara
Vende-se palitots de casemira de cores a 55 65,
85 105 e 125, ditos de panno preto a 85,10500O,
125 e 145, ditos de alpaka a 35 c 45, ditos de
brim de cores a 25500,35 e 35500, ditos de brim
brancoa 35 e 55, calcas, coletes brancos, seroulas
francezas a 15600 e 25, ditas a 15280, camisas
francezas a 15. ditas de linbo inglezas, pregas lar-
gas, a 35 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A economia, a saber : colarinhos econmicos a 600
ris.
Vende-se colarinOos econmicos a 600 rs. a du-
zia, meias cruaspara homem a 200, 240,360 e 500
rs o par, ditas para senhora a 320, 400 e 500 rs.,
lencos brancos com barra a 200 rs. cada um, ditos
tinos a 320, ditos de linho a 500, 600 rs. cada um,
I s na loja da Arara, ra da Imperatriz 1. 56.
Ao barateiro.
No armazem da Arara vende-se cassas a 240,1
280 e 320 o covado, chitas finas a 240, 280, 400 e
500 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 56.
As percalas da Arara a 560 rs.
Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas Irancezas finas a 320, 360,500, 400
e 500 o covado, alpaca para vestidos de senhora
a 400 rs. o covado, fustao branco a 500 rs. ocova-
da ; na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende musselina branca a iOO rs.
Vende-se musselina branca, fina, a 400 e 500 rs
o covado, pecas de cambraias finas, lisas, a 35,!
45, 55, 65 e 75, musselina cambraia da India 85,
e 105 a peca, para vestidos : na ra da Impera-
triz 11. 56.
A Arara vende tiras bordadas para enfeilar vesti-
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas de todas as larguras a
15, 15200 e 154OO a peca, ntremelos finos a 15 a
peca : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Uadapolo da Arara a i.
Vende-se pecas de madapolo enfesiado com do-
ze jardas a 45J dito de 24 ditas n. 30 a 65, n. 250
a 65500 E 75 e 85 n. 5 + 85500 e 95, n. 5 a 105,
n. P F a 115 /'// a 125 a peca, peca de algodo
a 55, dito carne de vacca a 65500, dito domestico
a 75, dito slcupira a 85, dito pao ferro a 95 a pe-
ca : na ra da Imperatriz, loja n. 56.
Bramante de linho de, 10 palmos a 2-\>< 0.
Vende-se bramante de linho de 10 palmos a
255OO a vara, brim liso a 500,560 c 640 rs. a vara:
na ra da Imperatriz n. 56.
Panno de linho da Arara.
Vende-se pecas de panno de linho para lences
e toallias com 13 1/2 varas por 85500.; ditas com
27 varas a 165500 e 185 a peca : na ra da Im-
peratriz n. 56,
Pechincha.
Lencos de seda ala e 800.
Vende-se lencos de seda para mao, a 800 e I,
tarlalana para vestidos, de todas as cures a 800 rs.
a vara, fil liso ordinario a 320 rs. a vara, dito fi-
no a 800 a dita : na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
A Arara vende rhailes a 1(5600 e 3)5.
Vende-se chales de merino a 15600. 45500, 65,
75 e 85 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Fazendas especiaos para senhoras, a saber :
Vende-se golinhas para senhoras a 240, 320, 400
e 500 rs., camisinhas para ditas a 15,25, 35 e 45,
gravatinhas para ditas a 15 e 15500 : na ra da
Imperatriz n. 56..
Soutembarque da Arara a Sf5 c 10:5.
Vende-se soutembarques de cores para senhoras
a 85, 105 e 125, ditos de grosdenaple pretos finos
a 205,255 e 305, capas pretas para ditas a 205,
255 e 305 : s na loja e armazem da Arara, ra
da Imperatriz n. 56.
ra do Uueimado n. 8
RECEBEU:
Bonitas camnhas de madeira envernisadas, com
finas perfumaras.
Otaras de papello de diversos tamanhos e igual-
mente bonitas, tambera com perfumaras.
Lindas cestinhas de vidro com ditas.
Caixinbas imitando tartaruga com ditas.
Ditas com 6e 12 frasquinhos de cheiros.
Objectos para baptisados.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, aca-
ba de receber os seguintes objectos para baptisa-
dos :
Bonitos e Lera bordados vestuarios de cam-
braia.
Ditos e modernos chapozinhos de setim e toucas
bordadas e enfeitadas.
Sapatinhos de setim e merino muito Lera bor-
dados.
Meias de seda e fio de Escocia, brancas e pin-
tadas.
Toucas e sapatinhos de laa, obras muito Lem
feitas.
Bonitas caixinhas
coid niusicn e sem ella para costura, e
ou I ras com rraujos para barba.
A Aguia Branca recebeu novamente um bello
sortimento de bonitas caixinhas com musir e sem
ella para costura, e mitras com os arranjos neces-
sarios para barba ; assim, pois, quem comparecer
com dinheiro est habilitado a compra-Ios por pre-
go commodo : na ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Finos e aromticos pos de
arroz
Em bonitos vasos de pedra, porcellana dourada,
vidro e madeira, estes com o compleme pincel e
sem elle, em latas de potes de papellao, sendo todo
elle de superior qualidade e agradaveis cheiros,
Emquanto ao preco, nao se assuste o comprador,
compareca com dinheiro e ser bem servido na
loja da Aguia Branca, ra do Queimado n. 8, ende
tambem se vendem separadamente os pinceis.
A AGUIA BRANCA
venciendo relogios.
Como nao privativo a Aguia Branca tambem
est vendendo muito bons e bonitos relogios para
mesa e parede, por precos commodes, por isso cen^
vm a todos aproveitarem a occasiao e proverem-
se desse objecto sempre necessario em casa. Fica
porm reservado para os relojoeiros o concert que
algum dia qualquer delles venha a precisar, pois
que isso nao chega para o bico da Aguia Branca,
da ra do Queimado n. 8.
ttencao
6
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permiltido [
deixar passar desapercibido sem que nao dsse o
ttfa canto, alirn de annunciar ao respeitavel publi-;
co o grande sortimento de galanteras do melhor
gosto propriamente para qualquer mimo, que ara-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanlo de sua conta como de consignacao que
est resolvido a vender por precos muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extraco:
o grande deposito que tem, que espera merecer a
proteceo do respeitavel publico empregando para i
isso todas e as melhores diligencias para que fi-'
quem satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Ricos porla-joias.
Cofre de muito gosto por
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperla por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres com camapheu.
Lindas caixinhas com pedras brancas.
Lindo balo com calungas dentro, tam-
bem para joias.
ITambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
(Jmazinhas.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pro-
cos ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7
Ricos sin tos
165000
PtteiiU^cVO
/---- ^^L-^ S" ^v
DTJAETE ALMEIMV
1850001 Acaba de receber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento
niw *e molha(los todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o propietario em
105000 offerecer 3GS seus freguezes e ao publico em geral a scguinle tabella dos seus gneros e
i resumidos precos, a Raneando todo e qualquer genero vendido neste bem conbecido ar-
GRAGEAS
GELISE CONT
Approvad pU Ac-td--mi4 ae Medicina d. Paris.
Resulta pelos dous relulurios, adoptados pula dita
Academia em 1840 e cm i s:,s. que as unAtiiv.AS de
GI.IS e CONT sao o mcllior e mais efficaz remedio
ferruginoso para curara chlorosis (alias fluor-albo), os
fluxos brancos. a fraqueza de coinplcixao nos dous
sexos, e tambem para ajudar a menstrua^o das moras.
Estas Grageas nao sao vendidas senao em caixinhas
ou vidros cobcitos com rotulo e fechados com una tira,
levando a firma do depositario peral : i.abei.omye,
pbarmaceutico, ra Bmirbon-Villeneure, 19. Parit.
Deposito geral em Pernambuce ra da
Cruz p. 22 em casa de Caros & Barboza.
t VALW
IV. .0 HIA DO ClB-tO M, 10.
Joaquim da Silva Boa-vista mudou o seu esta-
belecimento de fazendas para a ra do Crespo
n. 10, est revolvido a vender por barato preco
afim de adquirir freguezia.
Chitas baratas.
Vende-se chitas percalas a 500 rs., dilas fran-
cezas finas a 480 rs, ditas a 440 r>., ditas de dilas
a 260, 280, 320, 340 e 360 rs.., dilas estretas a
200, 220, 240 e 260, s se vende por este preco
na ra do ('.reste n. 10, loja do Boa-vista.
0 Boa-vista vende
brim pardo com lista a 720 rs. a vara, dito a 800
rs., dito branco de linho a 15000, dito a 15200,
grvalas de seda de,gosto a 15000, e um comple-
to sortimento de castores e brim a 480 rs. o co-
vado, s na ra tjo Crespo, loja do Boa-vista,
quem vende barato, tambem se dao as amostras
deixando penhor.
ATTENQftO.
Vende se urna padaria sita na ra Direita n. 14,
freguezia dos Afogados, a qual est bem afregue-
zada, lauto em pao e bolacha como em massas do-
ces : quem a pretender dirija-se mesma que
achara com quem tratar, e se vender por prego
commodo, o mais possivel, visto seu proprietario
nao poder continuar por molestia.
Vende-se urna excellente padaria sita na ra
do Varadouro, em Olinda, com todos os seus per-
tenec, a qual se acha trabalhando, e o motivo da
venda por seu dono nao entender do fabrico :
quem a pretender, dirija-se mesma. tratar com
6eu proprietario, ou no Recife, no pateo do Carmo
numero 5._______________________________
Carne d serlo.
Chegou aos grandes armazens da Aurora Bri
lhante ao largo da Santa Cruz a verdadeira carne
e miados do Serld. __________
Venderse ama escrava crioula, fula, grvida
de 4 mezes, propria para casa de familia por ter
algumas habilidades bonita Agora : a tratar na
anj Djrea n. 106.
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 e 5o, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia & C, est coniinuando a
vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
da por lodo prego a vista dos robres.
Cartas de alfinetes francezes da melhor qualidade
a 80 rs.
Grosas de pennas de ac inglezas da melbor qua-
I lidade a 640 rs.
Caixas de colchetes francezes de superiores quali-
dades a 40 rs.
1 Grosas de botes de madreperola muito finos a 560
i e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 otavas de relroz preto fino a
640 rs.
: Resmas de papel de peso liso muito superior a
I B.25O0O.
: Ciravatas da liga e de outras muitas qualidades a
500 rs.
| Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
1 Duzia de boloes branco para casaveques de senho-
i ra a 100 rs.
Pecas de fila de cs eslreitas com 9 varas garan-
j tidas a 320 rs.
! O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
; Os segredos da natureza para os meninos a pren-
i der a ler a 15000.
Cartilhas da doulnna christaa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes finos de mar fin a 15000, 15200 e 15500.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
500 rs.
i Gollinhas para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
| Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
15000.
Lvros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
to preco de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordao branco para espartilhes muito superior, a
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Cartoes com 200 jardas de linha branca garant-
d< s a 60 rs.
Grosas de pennas de ago superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
Ihas a 160 rs.
Pares de botes de punho. oh que pechincha a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botes de louca prateado muito finos a
160 rs.
Tesouras para costara superior qualidade a 500
ris.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de seguranca a
160 rs.
Caixas com 100 envelopes o melhor qoe ha a 640
ris.
Caixas com 20 qaadernos de papel amizade, amiito
fino a 600 rs.
Quaderoot de papel pequeo muito fino a 30 rs.
Banhas finas
em copos, latas e soupeirinhas de vidro
opaco.
A Aguia Branca sempre cuidadosa em bem ser-
vir a sua boa freguezia, mandou vir e acaba de
receber na melhor occasiao os desejados copos e
as procuradas latas com banhas finas, assim como
urnas bonitas soupeirinhas de vidro opaco com
alegres nscripges. as quaes dizera smenle res-
peito as senhoras, e com tal acert que nenhuma
que as vir delxar de comprar e nao se enfadar
de ler a inscripgo que lao merecidamente Ihe toca
e quem quizer ser bem servido dirigir-se a ra
do Queimado, loja da Aguia Branca n. 8.
BOJIECAS
que anclam, que choram,
que fallam, etc.
A Aguia Branca, na rna do Queimado n. 8, ani-
mada pelo apreco que a sua boa ireguezia sabe
dar a essas boas "navidades, mandou vir e acaba
de receber um extraordinario sortimento de boni-
tas lioneras, que andam que fallara, que choram,
e outras muilas de diversas qualidades como dan-
sarinas, soldados, aliradores, ele, e todas mui bem
vesnoas; assim, pois, a Aguia Branca espera a
concurrencia dos apreciadores do qm, certjsde
que acharao preges razeaveis e serao satisfactoria-
mente servidos urna vez que compaream munidos
de dinheiro.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, ven-
de caixinhas necessarias para costura, as quacs
tem linhas de diversas qualidades, retroz, tesoura
e uniros arranjos precisos, assim como amostras de
bordados ou marca, ele, e lados a pregos com
modos.
BAHS DE TARTARU-
GA PARA COSTURA.
A Aguia Branca na ra do Queimado n. 8, ven-
de bonitos babas cobertos de tartaruga e de diver-
sos tamanhos, mu propnos para costuras e joias.
CHROilAiOlVIE
para Ungir cabello
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-,
cebeu essa excellente tintura para cabello, cujo
effeito rpido e proveitoso, vindo ella munida de
esclarecimenlos em portuguez, d'onde qualquer
pessoa pode bem conhecer o modo de applicar.
Com o chromocome que serve para tingir, veio
tambem hydrocallitr.china, agua para tingir cabel-
los, coloriromo para lustrar os ditos, eonyrhro-
mantina para limpar as unhas, e callicomiphila,
pomada de que se pode usar sem receio de offen-
' der ao cabello preparado. Os pretendentes acha-
rao prego razoavel._______________________
Machinas de vapor epa-
: ra descaro#tr algodlo.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
de carrosa com mangas e
eixos de patente.
EuadoBrumn. 38, fundi-
C?lo do Bowman._________
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova oue
i ha no mercado taulo em porgan como a retalho,
, por barato prego afiangando-se aos compradores a
i superior qualidade : a tratar as seguintes mas :
j Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forte do Hatto ar-
I roazem do Sr. Villa defronte do trapiche do al-
godo.
Mohnas e prensas para algodo.
Chegaram agora da America asverdadeiras ma-
chinas de diversos tamanhos para descarogar al-
godo e prensas do melhor systema para enfardar
o mesmo: a ver e tratar na travessa do Carioca
mjf;___________________________________
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de prime ir a qualidade a
10 a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. i 6 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Na ra do Sacramento da Boa-Vista, casa n.
28, segundo andar, vende-se bnm doce de caj ser-
co e de calda, e de outras qualidades que se qui-
zer comprar, por arroba e por libra ; assim como
se preparam encommendas de qualquer qualidade.
que se qaera, e preparam-se ricas bandejas de do-
ces e de bolos superiores, com frtelas o figuras, z
contento.
com bolcinhas ao lado, a 105, 125 e 155, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500 dem perola a 2,8oo rs.
45000. cima a 2,7oo,
165000: mazem.
95000 Amendoas confeitadas de 8go rs. a libra.
rjfooo' Mante'8a ingleza perfeitameate flor, a 1 ,ooo
65000 i rs> a '*ora e 8 rs< sendo em barril.
fdem franeeza a 6oors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cb nxim a 2,Too rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
e de 8 libras para
Licores francezes e pertuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Boterim,
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gio-
ja, canella, cravo, ortel pimenla a f.ooo
rs. a duzia i,ooo rs. a garrafa, garante-se
qoe os melhores que temos tido no mer-
cado.
Ricas fivellas avulsas para simo, o melhor que se dem hysson o mais superior que se pde!Passas muito novas em quartos e inteiros a
ria oncnnlrar 3 IXKlMl 9M 9Mtftk a 'X n rxrtr I sr -. r ^ ... r. ~ ^ _.
pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 o par; i (Wpiar (tl fip o ihraa u%n cima
Uno Vigilante, ra do Crespo n. 7. aeseJar a *>b0 e (le lluras para cima
Cabazes on cestinhas. a 2,5oo rs.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-i dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
bazes para meninas trazerem no brago, o mais rica' para cima a 2,300 rs.
possivel a 25500,35500,45,55,75 e 105; s no idem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
\igilante, ra do Crespo. 11. 7. br. ^ ^ a ^^
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto: IdeH\ do Rio ejn latas de 2 4 6 e 8 libras
para alizar como para atar cabello, os mais lindos j cada urna a 2, S, 3,500 e 4,8oo rs. a lata,
que se pode desejar, assim como de arregagar ca- i dem preto o melhor que se pode desejar
bello, tanto de borracha como de tartaruga com en-' neste genero a 2 8oo rs
feitese sem elle para menina; s no Vigilante, ra ldeaim*nos superor a e'sse
do Crespo n. 7.
Mais loques
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato prego de 85 e 105, chi-
nezes muito bonitos tambem, pelo barato prego de
45 e 5, bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
rato prego de 45 e 55, leques de charo tambem
por 45, tudo isto para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cenlo; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7. ;..,
Pnlseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambera chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do cres-
po D. 7.
Leqnes.
flquissimos leques de madreperola tanto para Fumo americano
senioras como para meninas, pelo barato prego
de. 8 e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
Pentes
que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a I,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo^vapor a 2,6oo rs
dem prato s melhores e mais frescos do
mercado a 8oo rs. a libra sendo intoiro.
Genebra marca gato a i.7oo rs. a garrafa.
der.
"A
larabemchegaram os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa Ana, que se vende por 25,
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a I,3ooe l,4oors.
em chapa a I ,Goo rs, a
libra.
| Aramia de todas as qualidades.
; Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
caixa e 6o rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
! bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
35 o 55; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas canelas de madreperola proprias
para#qualquer presente, pelo baralissimo prego de
15500 e 25-
Sapatinhos e meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-, Chocolate portuguez o mais especial que se
I feilados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-1 pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. O
I nhas e touquinhas para as cnancinhas se baptiza- no
! rem; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7. papel 'de botica de excellente qnalidade a
Vol,inhas- I 21onrs a resma
Lindas voltinhas de perolas falsas comcruzinhas! fiyju "> ,' e j ,0 ,
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas, Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as Bicos frascos com ftulas francezas em calda
cruzes avala asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do j a melhor que se pode desriar de i,4oo a
Crespn. 7. 3,000 O frasco.
Golinhas.
Riquissimas golinhase manguitos, omellio- gos-; prutas em cai,]a chegadas ltimamente, pera,
W&ATT0 .ante' pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
Enfeiles para senhora. ., lata de 2112 libras.
Riquosissira enfeites com lago e sem lago e de Foijo verde em bages em latas a Gio rs. a
outrosjmuitos gostos a 15, 15500 e 35: s no Vi- ] lata,
guante, ra do Crespo n. 7. Nozes muto novas a 120 rs. a libra, e 4,000
, -a TranceJ'!1Is- rs. a arroba.
Lindos trancehns ae cabello para relogm on lu- cnnfpitadas a Rnn rs a lihra
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de Amendoas conteitaaas a 000 rs. a tiDra.
retroz a 200 rs. | dem de casca mole a 32o rs.
Rabadinhos ntremelos.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l,ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oo rs.
a caada.
dem em pipa Portc~~Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a casada,
sem ella de 85,105, 125 e 145, assim romo com Especial vmho Lavradio sem a mais pequea
celumnas de differentes tamanhos a 25,35,45, 551 composico a 560 a garrafa e 4,000 rs. a
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7. caada.
Lindos jarros e figuras. Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina, R fi e.A. ,,_.
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqui ^]as c,aixas com ? a.I'000 rS<
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo BtcOS hvros com Hgos 1,000 rs.
n. 7.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que admirara aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pae vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de 13a de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riqnissimos espelhos com moldura douradaje
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada nriito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5eo a arroba.
Garrafes com 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 '/ ditas de venagre al,ooors.o
garrafo.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de multo gosto a 15500 e 25, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma- rJ?""'anT -,_____-. j o aadas a
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-. Vinagre PBR em ancoretas de 9 caadas a
tinctivos e ofTcrecimentos as sinhasinhas dos me-. 15,000 rs. com a ancoreta
Ihores e mais afamados autores de Pars e Inglaler-' dem em pipa puro sem O batisme a 200 rs.
ra, assim como os grandes copos debanha japoneza
a 25 e a 15, assim como outros objectos qoe nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos frpgue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Vendem-se dous excedentes terrenos promp
tos para se edificar com 64 palmos de frente am
bos, e 300 de fundo, junto a fabrica do Bowman-
na ra do Bram, ateraados at a linha do caes,
tendo j parte do caes feto : a tratar na ra dos
Guararapes n. 28.________________________
Na travessa dos Expnstos
urna 009a de qualidade especial.
n. 18, vende-se
2,000 rs. o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a Too e 800
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 85500 cada urna.
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e8oo rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quanlidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a 1,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo re. a caixa,
os mais baixos sao dos que por alii se ven-
dem a 2,000 e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8^2o rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do MaranbSo a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2.)oo rs. a
arroha, e loo rs. a libra.
dem mais haixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a ),5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e era
caixa a 52o rs. com 5 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almacopautadoe liso a 3,ooo rs. a resma.
dem de peso pautada e liso a2,5oors. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,r o rs.
a resma.
demcmbrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de I V* 'mra a
l,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., so o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 800 e 1,000 rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molhoe
800 rs. o cento.
Genebra de Flollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o nasso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho al [lista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba-
Peixes em latas a 1,000 rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooe rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l,ooo rs. o
caixao.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
dean! fazenda muito especial a 6,8o rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipuloa
os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unifto e Commercio ra do Queimado n. 7.
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
-
d
IvlU TIL ADO
l
I



\
t'

Diario de Peruambuco Sexta feira 4 de Xoverabro de 184.
RA 1IO QUI2IJJIADO S. 45.
Passand o becco da Congregaco segunda casa.
NO VII) ABE
Grande liquidacao.
Ra da Imperatriz u. GO.
Loja de fazeodas do Pavo de Gama & Silva.
Acha-se este estabelecimento complelamenle
sonido de fazeodas inglezas, francezas, allemaas e
suissas, proprias tanto para a praga como para o
matto, proractteudo vender-se niais barato do que
em oulra qualquer parle principalmente sendo em
porcao, e de todas as fazeodas dao-se as amostras'
deixando car penior, ou mandam-se levar em
casa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As chitas do Pavo.
Vendem-se chitas inglezas claras e escoras pelo
barato prego de 240, 260 c 280 rs. o covado, tintas
seguras; ditas francezas de cores seguras a 320,
346,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padrocs : s na loja do
Pavao.
As lazinhas da eiposirao do Pavao.
Vendem-se Bailabas as mais modernas que
PHETA
AO RESPEITAVEIj FOlIiiro.
RA DAS CINCO POMAS N. Sfi
Esquina da nova iravessa de *. Joo.
tt;
Desejando o propietario do grande armazem do Pro|theia dar lar-
gas aoseu genio emprehendedor, commercial e especulativo, resobren ceer a u.spiracSo
tem Viudo ao 'mercado, propias para"vestidos"^' Que assaltou, quattdo as horas caladas da noite o seu solicito espirito se afilara n'um
soutembarques por seren lisas e de cores muito j turbilhao de ideas, tendentes todas bem servir e agradar SOS genensos LahilatltS
del'cadaa^^ bella provincia,, de abrir mais este grande estabelecfmtBto donos
Ama do .Maranhao, India e Java a 60, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinba de Franca muito superior a 220 m J^S!SStSStmS- ditos' sonho do "Peta ser urna verdade pratica to acceita e abracada como as
Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra. com listas de seda e tambem com barras e'enfei- palavras simples e bem intencionadas dos vellios patriarchas desses lempos idos, >i o fe-
Polvo secco muito novo a 400 rs a libra Cevada a 80 rs. a libra. tes Para 9 corpo, por prego mais barato do que em nhor Deus dos exercitos nao o quizer contrariar.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e, Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata. I SMfST nS** fSTSSIt
muito novo a 640 rs. I dem seccas multo novas a 200 rs. a libra. Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas Os vestidos i Maria Pia. S o Pavo (80000).
dem prato. de oilo libras e canastrinhas de I arroba a' Vendem-se os mais lindos vestidos Maria Pia
dem londrino chegado no ultimo vapor a: I 800, 50500 e 280 rs. a libra. i ^e 15a,zinha transparente cora listas, e paiminhas
^ 900 rs. a libra. i Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra. ??.dJT^arato_i*re?.de Lff* Sft :~s
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs. dem de trigo a 120 rs. a libra.
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
15200 e 1(5(600, e em frascos grandes a
2*500.
dem em caixinhas elegantemente enfeiladas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,1,5(400, 10600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e3000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerraja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 300 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 901 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Coste a 10800,
200 )0, 23200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
cada^um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 60 0
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e ero caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs. j
a garrafa.
: na loja do Pat3o ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
| ma & Silva.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD As eassas do Pavo a 240, 280, 300, 320 e
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira. I 360 rs.
dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 50500 S o Pavo vende as finissimas eassas persianas
e 70500 cada um com O garrafao. a *J"a5? dISa. cm cores flxas, 360 rs. o co-
firaivT a <00 r< a lata o A%tCti a !: vado ; dltas francezas muito finas 240, 280, 300
.raixa a 1(? r|* a "31*100 a du?ia- e 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. imperatriz, loja de Gama & Silva.
dem, qualidade especial em garrafas muito] Os madapoles do Pavo
grandes, a 10800 a garrafa. Vende-se peca de madapolo infestado com 12
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. i*ras.cada Pec* pelo barato preco de 4*, 4*500 e
dem pm frarrafi forma \p nAra o rnll. ,\a 9 cada peca-fazenda muito superior : s o Pa-
luem, em garrata rorma de pea e ro has de vo ra da Imperatriz n. 60, notando que a peca
vtaro, a 10OUO, SO a garrafa vale 0 di- leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
nheiro. : haver duvidas era engaos : isto previne o Pa-
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
- Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700! 800 rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs. dem regular a 500 rs.
a duzia. Magas finas para sopa: estrellinha, pevide.
IdemMorgauxeChateauluminide 1854, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
rodinha c. aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinhacom 12 libras.
Nezes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200" rs. a garrafa e Peixe em latas preparado pela primeira arte
I02OOrs. a caada. de cozinha a 10 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs. I Palitos de dentes a 160 rs. o maco.
Alera dos gneros cima mencionados te-'dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que dcixamos j dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudoser vendido por j Amendoas confeilados a 900 rs. a libra.
pecas e carnadas, tanto em porgues como Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
retalho- 20 e em caixao a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abate de 5 por cento. jPassas muito novas a 480 rs. a libra.
vo, de Gama & Silva.
Bramante de linho do Pavao
2, %#400. 2ttOO.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por preco muito commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
2,5200, 25400, e 2,8600 s o Pavo : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de linho do Pavao.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences e toalhas de mo pelo
baratissimo prego de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
godozinhp com oito palmos de largura proprio
para lences, pelo baratissimo prego de 15 a vara,
assim como tem o melhor algodozinho tanto em
largura como em corpo, proprio para lences, ca-
misas de escravos, etc., etc., prego muito commo-
do vista da fazenda; s o Pavo : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
O Propheta nao querendo restringir-se a forma ordinaria de negociar rtMlm
tambem, depois de profunda meditago, de nao vender smente os seus genera a di-
nbeiro corrente ; mas tambem de por em pratica troca delles por outros da prodaoft
do paizou por escravos, bois. cavados, etc. Assim, pois, fique na intelligcmia de ti St,
que o propheta receber como moeda de qualquer dos seuhores agricultores, twMB
algodo, agurdenle, milho, feijao, cavalles, escravos, etc., etc. e ibeswko im'.-nio *alor
em gneros, escolhidos a contento.
Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objeclos re-
cebidos por troca, o Propheta nao demorar a differenca que deve dar cm dirdieiro.
Um eslabelecimento que com lanos sacrificios e despezas acaba de rr aterU
deve inspirar a todos a certeza de que se vender muilo barato com o lim de s- au-mi-
rir crdito e freguezia.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80,
100 e 120 rs. a libra, e a arroba a 10800,
20500 e 20800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixas francezas a 10200, 10400 e 10600
dem cm botija a 360 e 400 rs. a botija.
Graixa em lat.sa 13200 a duzia.
Limonadas de diversas froctas a 10OOC o
frasco.
Licores inglezes e francezes a 10000, 10500
e 20 a garrafa.
em latas, frasese lindas caichinhasmuito Lingoasamericanas a 800rs. cada urna.
propriaspara memosear alguem,
Amendoas confeiladas em frascos de vidro
a 10 o frasco.
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40OO a arroba.
Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa.
Linguigas promptas em latas a 1 i>H O a lata.
Manteiga ingleza neste genen. o que a de
melhor a 800 rs. a librae em bar il i 700
rs.
dem mais baxaa040e 720 rs. a hl.ra.
Azeite de Lisboa a 640 rs. a garrafa e 408001 Manteiga franceza a 520 rs. a libra, em barril
a caada. a6 40rs a libra em retalho.
Azeite doce emboioes com 9 garrafas a 50500 Massade tomates a 640 rs. Ultra.
com o boio.
Azeitonas por todo o preco.
Marmelada muito nova a 640 rs. a litra.
Molhos inglezes a 400 e 640 rs. a garrafi na.
Biscoitos inglezes de diversas marcas a 10300, Mostarda preparada a 400 c 8401 s. bfrasco.
a lata.
Bolachinhas de soda, oval c lunch a 20000
a lata com 5 libras,
Bolachinhas americanas em barricas
libras a 20000.
Massas para sopa macarro, talhaiini aletria
a 400 rs. a libra,
dem finas em caixinhas a 3COO a cai ha.
26 Marrasquino de Zara verdadein. a 1*5*O o
I frasco.
Algodozinho com toque de avaria a 4,000 rcis D ,,d
P4 80q Banha de porco da melhor qualidade a 360 dem mais baixo a 800 rs. e lt00 ofruca.
Vende-se pega de algodozinho por terum pe- rs- a lirar 'Milll eni SaCCWCMI 20COS a 305CO
queno toque de avaria, mas que esta em bom es- Batatas em gigos e caixas por todo O prefO. Prezunto ingle/, para fiambre \ indo DO blumc
lado, pelo barato prego de tf e 4o00 a pega s Caf moido a 1O0<'OO ou 86000 a arroba. vapor a 800 rs. a libra.
ra da Imperatriz n. 60 de Gama A Cafe superior a 7500, 80000 e 80500 a dem mais ant go a 640 rs. a libra.
arroba. dem do Porto a 610 rs. c sendo ibleirc a
do Pavo e s do',
MACHINAS DEPATENTE
de
frabalbar mo para
descarocar algodo
t \1UI< M,A,.
GRANDE E SUMPTOSO ESTABELECIMENTO
DE
MOTOS ESCOLHIDOS EIEKOS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
60 MJl MOV GO
Uma casa junto a ponte da Boa Vista.
DAS PALAVRAS.
t Cesse tndo quanlo a amiga mu-a cania
t Que outro valor mais alto se alevanta.
Acha-se a disposieo do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci-
mento de naolhados, talvez o priraeiro e nico boje existente em sua especialidade, por-
que o maior capricho de mos dadas com mais apurado goslo de abrir um eslabeleci-
mento modelo promoveram a escolba dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por seren comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vilo ser pelas pessoas que se
dignarein de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanga de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pralica da proraessa que fazemos de vender polos presos quasi do pri-
meko custo o noso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharao
em nosso armazem os melhores e mais esquisilos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
Por Plant Brothers & 0.
0LDAS1
o Pavao
Silva.
Os guardanapes econmicos
PaTi0 i Cha nesto genero temos o que ha de melho- uOO rs. a libra.
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda- assim como lambem temos baixo pelos pre-; Passas tovas a 40O rs. a libra.
apos econmicos e todo linho, tanto para as casas COS seguinles : 104iO, 10600, 10800, Polvo a K'O rs. a libra,
de familia como para hoteis, bolequins, etc. etc.,; 20400, 20600, 20800 e 30000 o fino. I Painco a 160 rs. a libra.
.p01a0dboarpSTrpuaeSa tf49hS &Z 2S t t0(,a.s TSafSU ^ffi mi p0ffiad,a a, 24 a^"zia-
& Silva. cas do mercado a 800,1,>000, I<)600, 2(5, Pimenla do reino a 320 rs. a libra.
Os soutembarques do Pavo 20800,3^000, 40000,50000,5i;>:iOOe60 Peixe em latas a 10010 a Lata, uvel, .:or
Oel<0. I o cento. j vina, pargo e outros.
Vendem-s^ os mais finos soutembarques que Chouricas as mais novas do mercado a 120 Papel de peso a 20000 a resma.
iOO rj. a Mu a, a
[com vindo Ib Bioraailo, coodo do MiKomira do ou- o 2,aliil com i or \tlj
res pelo dim/nutissimo irogo fle 12,3 cada um, di-, eiias nue nechincha
tos de musanhique pelo diminuto prego de 9, s rh"lu,Tl 'rTjwiaa na loja do Pavao, mas que se nao enganem :Tra Chocolate magnifico a 10000 e 10200 a libra.
Mcui dem muilo fino a .JOOO o .'^"'00.
dem marlim a iS5*'0,
dem almasso a ^0000, 30500 o 404 fJD.
Estas machinas
podem descarocar
qualquer especie
de al^odao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoas para
o trabamo; pode
descaroear una
arroba de algo-
do em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou o ar-
robas de algodo
limpo.
Assim como machinas para seren movidas por
animaes, que desearogam 18 arrobas de algodo
limpo, por dia.
Os mesmos tem para vender um bellissimo -va-
por que pude fazer mover seis dcetas machinas
mencionadas ; para o que eonvioa-se aos Sre.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 47.
Sumiders Brolherg & G.
IV. II, praea do Corno Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateiro
ele ete, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram oneces- conhecido j como tal, est dispondo da fazenda
gario, prometleraos-lnes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.' por looh P/ego para apurar dinheiro, quem qui-
0 real do pobre ser recebido com to boa vontade, como a moeda de ouro do Zl^TLlS^^S^J^JtlT^ :
bomem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltaro satisfeitas, nao s pela boa qualidade dos
objeclos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO NECESSARO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e lorescente imperio um grande parlido poltico com a
denominaco de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ninguem.
O neme urna voz com que se dao a conhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicado que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem n3o seguir o partido desse systema diremos mais :
N3o oriundo do Brasil o imponente titulo do nosso eslabelecimento. Fo a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
lem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narracao desse acontecimento, que tan-
fesorprehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e goslando sum-
inaraenle do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oitao do nosso estabelecimento, temos assim feilo distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
Honnl soit <|I mal y-pense._______________________________
Baralhos de cartas para voltarete muito
finas a............................
Miadas de linha froxa para bordar a___
Pares de sapatos de tran$a de todos os
tamanhos e finos a................... 10500
206
o
I Ainda est para ser vendido o sitio da tra-
vessa dos Remedios, na freguezia dos Afngados n.
21, no estado em que se acha : quem o pretender,
entenda-se com o seu proprietano Caetano Pinto
de Veras, na ra de S. Francisco, sobrado n. 10,
como quem vai para a ra Bella.______________
Vende-se um comometro martimo inglez do
melhor fabricante Charly Prodshan, afflancando o ',
sen regnlamento, por diminuto p-efo : a tratar
na ra Nova u. SI, loja de Francisco Jos Ger-
mano.
Cabriolet
Vende-se um cabriolet americano em muito bom
estado de nso, sem arreios : na cocheira da roa
do Imperador n. 43.
A ten^o.
Vende-se um excellente cabriolet quasi novo,
por prego commodo, com cavallo ou sera elle : a
tratar na roa da Imperatriz n. ao.
Massos de superior grampos para cabellos
Dazias de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de rea preta muito superior a...
Frascos de superior macaca oleo a___
Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa muilo finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida..............................
Ditos de banha muito tina a............
Ditos de ebeiros muito fios para o preco
a ris.............................
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................
Novellos de linha com 400 jardas a......
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris.............................
Varas de bicos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
todo a............................ 1,51000
30
200
100
100
200
500
400
640
600
400
80
60
30
240
200
400
40
10000
j da Imperatriz n. 60, de'Gama & Silva. Cerveja marca a mais acreditada que tem dem para embrolbo a IJSOO a reaioa.
j Atoalhado do Pavo. vindo a 500 rs. a garrafa, emeia garrafas (Palitos para denles maros com 21 wrmlroi
Vende-se panno de linho adamascado proprio por 320 rs. branca e preta. a 80, 120 e 200 rs. o maco
rfttSttt*i5!7til 5KS "P vas hl8'ezas :800 rs' o frSC0 fazenda Palitos do gaz a 20000 a groaa.
toalhas de maoa 50 cada duzia, na loja do Pavao, c'"que. (JueiJOS flamePgOS do ultimo vapor a 206OC
ra da imperatriz n. 60, de Gama & Silva. dem francezas a 500 rs. o fraseo. dem londrino a 0C0 rs. a libra.
12' s o Pavo (a 2$500). Cevadinba de Franca a 240 rs. a libra. I dem prato a OO rs. a libra.
Quem tem bales por tal preco !| Champagne da melhor marca que aqui tem Rap Mearon a 10000 a libra.
Vendem-se os baloes americanos muito superio-1 vindo a 200 c 240 o gigo. I Sag e sevadinba a 240 e 2S0 i s. a libra
Som. "SU imSSt'JStSl Cenak fine'ez e ^necz a 80O rs. e 10000 a 5 ardinhas de Nantes a 040. 300 300 f a
muito bem armados e tambem tem cores escuras garrala.
pelo barato preco de 30500 cada um : s na loja Ceblas por lodo preco.
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Copos lapidados que sempre se venderam e
'Va' a i>aiA ...J nM ini se venJem em m,li,as Parles a 8> e ,0;^, Sal refinado a G00 rs. vazo (pote de vidro.)
,.. aia0 ia* R? H l0- i vendemos a 5&M0 e 60000 a duzia. I Toucinho de Lisboa, de Santos e americano
Vende-se superior setim da China, fazenda toda[rVuinA nara vinhn a IVinii a .lnvia o ten ain^Zl r. ^TV^T
de laasem lustre tendo 6 palmos d largura pro-1 J-POS para vinho a 30000 a duzia. | a 100, 240 c 320 rs. a libra e em arroba
prio para vestidos, capas, paietots,-caigas, etc., Doces de calda vindos de L'sboa ueste ultimo a 5, 7, e 90000.
pelo baratissimo preco de 20, 20200,20508 e 30 o i vapor a OiO rs. a lata das melhores fi uc- Tijolos para limpar facas a 100 rs rada um
covado, eassas pretas lisas, chitas pretas largas e tas da Europa. I \lnho do Porto em ancoras com 70 tarraaaa
estrenas, manguitos,colannhos,punhos, e enfeites, Idem d 0a fi i .f mpiilf. m]P ;. -lOOnri d",-0,JS "-UUI ""
ludo preto proprio para luto fechado, e muitos ou- i uem .a buua e (ia casca uM-inoi que t a dO,->000.
trosartigos que se vendem por presos mais em j possivel por diversos precos, e conforme \ inhos de Lisboa c Fifjucira quali.ad.s ug.
conta do que em outra qualquer parte por estar j O tamanho dos caixoes.
liquidando ; na loja do Pavao ra da Impera- Ervilhas em latas a 640 rs. a lata.
triz n. 60, deJGama & Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor ten na loja do Pavo pelo
lata.
Sabio massa a 120, 180, 200 e 2*0 rs. a
libra, c em caixes por menos.
barato prego de 600 rs. o covado ; ditas de listi-
nhae muito niiudiohas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 500 rs. o covado : garantem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Pars : isto na loja do Pavao ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama Silva.
As chitas do Pavo 2$ IOO e
208OO o corte.
dem seccas a 200 rs a libra.
Espermacete americano a 10200 a libra,
dem francez a >60 rs. o masso com 6 velas.
Figos de comadre em caixinhas muito lindas
a 800 rs. a caixa.
Farinha de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
Fumo do Para a 10800 a lata grande.
Fumo americano a 10400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros a 200
Pegas de tranga preta liza muito fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fila preta com colxetes a......
Libras de la sortida de todas as cores a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de obreias de massa muito novas a
Varas de franja branca e de cores para
toalhas a..........................
Frascos de oleo Philocome superior a...
Ditos com superior tinta a 320 e.........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espartilho a...........
Duzias de boldes encarnados para vesti-
dos a.............................
60
200
40
60500
160
40
600
500
800
60
200
rs. o maco.
Vendem-se cortes de chita com dez covados a Farpln Pm ame Ao fifia on llhrac a
20400, ditos 80800, com 12 covados; sao chitas ^ ;arel, e sacas ?e J a ? llbras a
inglezas, mas padres bonitos e tintas seguras ; i Genebra de laranja 10 O frasco,
assim tem as melhores chitas francezas e de tin-1 dem de Hollanda a 500 rs. O frasco,
tas seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas cora manguitos e golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de 10 e 10280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
com goliiiha a 800 rs.,'golinlias 400 c 480 rs., de
fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 20 cada
urna, manguitos que servem para calcinha de rae-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente gravata do seda, fazenda
fina, pelo barato prego de 30, e muitas outras
bordadas que se vendem por precos muito em
conta : s na loja do Pavo ra da Imperatrfz
n. 60, de Gama & Silva.
As roupas do Pavo
Vende-se panno preto fino muito superior pelo
barato prego de 20, 20500, 30, 30500 e 40, dito I
muito fino 50 e 60 o covado, casimira preta de'
urna s largura e muito fina a 10800, 20 e 20500
e 30 o covado, cortes de casimira de cores a 50,
50500 e 60, casimiras enfesladas de urna s cor!
proprias para caigas, paletots, coletes, capas e para
roupas de meninos a 30500 o covado, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
30500
nificas a 30000, 30500 e 40000 a canaoa.
Vinho do Porlo em pipa a 5 e 8#l '00 a ranada.
Vinho branco de Lisboa e Porto em ancuas,
barris e pipas a 40000 e 50000 a caada.
Vinagre de Lisboa a 10600 e 2U00 a calla-
da.
Vinagre cm garrafoes por 10(00 om o gar-
ralao.
Vinagre em ancoras para 10600 com a ao ora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 rs. cada i bu
Vinho de Bordeaux nesie genero temo- gi
porcao e das qualidades mllanos que i.rn
vindo ao nosso mercado em parrafcf. ero
ancoras, em barris eqoartoias oquJvep-
demos por procos muito baixoa.
trmKkt
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C, ra
do A'gario n. 3._________^___________
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris :
no armaiem de Manoel Teixeira Bastos, ra do
Trapiche n. 13, por prego razoaveL
BALIZA
DECLARACA.
y:-
O BALIZA declara pelo prezente que "^^
deixa de publicar os precos pelos quaes ven-
de as suas mercadorias por motivos qnc ao
respeitavel publico pouco intereca. Serve
provisoriamente de baze os precos do Pro-
pheta.
ORDEHf 1IO DIA
0 BALIZA concede plena liberdade aos
seus amaveis collegas Clarins, Unies, mitra-
dos e croados, para que possam saltar, her-
rar e tudo mais quanto Ihes aprouver, at
a sua segunda ordem.





:
Diarlo de Peraaabsea ... Sella felra 4 4e Xovrmbro tfe 1 G4.
AT-! QOQ JX&
NOVA HEP0RM4.
AUR0H4 BR11MTE.
>f N. 84.Largo da Santa Cruz. N. 84.
Francisco Jos Fernandas Pires, tem a honra de avisar a sqa nnmerosa freguezla
e con* --, nova n-funua em seu asseiado eslabeleciment de molhudos denominado Aurora Brilhan-
te, ao largo da Santa Cruz, e eom esta reforma snpno de novo o son armarem de bons
sanaras, S'-ndo muitos dallas mandadas vir de sua propria tonta, para melbor servir
aquolleu que se dignaren) comprar ou mandar comprar era seu estaMecimento.
Na armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respeitavel pablico um
linio e novo sortimento dos melhores gneros que tom vindo ao nosso mercado, e sem-
pre por primos muito razoaveis, como se vcdaseguinlo tabella que ser mudada se-
niauairaonte.
A Aurora Brilhante recebe as libras sterlinas por 9j>, sendo para compra, e
per cont de a alimente a quem comprar de 1005 para cima.
faz
libra
i
I

novo, a libra a Charutos Qoos do autor ios Furtado de Ci-
mas, ha por muilos presos.
Ditos de outros aulorss a 1^500.2 J e 2$500.
Cijos de batatas novas rom i arroba a !.
Passas novas, a libra a 500 rs.
Figos rovos a 320 rs.
Latas do ervilhase favas porluguezas j pre-
paradas a750 rs.
Ditas rom ostras, encllente petisce.a 640 rs.
Latas de peixe ensopado em posta-, de mu tas
qualidades, a 1-3.
Potes de vidro com sal rellaado a 500 e 610
ris.
Marrasquino da melhor qualidode, a 8 e
12-3 a duzia.
Garrafas de dito a 80o 13200.
Amendoas concitadas a libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
Noies, a libra 160 rs.
aico, al pista, a arroba 13 e libra a 160 rs.
Grao de bir-o, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Vinho de caj preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 15000,15200 e
15600.
Champagne boa a dnzla 205,e a garrafa a 25
Garrafos com genebra hamnurgueza a 65-
Vinho branco Xerez a garrafa a 15-
Dito Joao de Brito, puro, a garrafa a 640 rs.
ilitoadoeieato a iG0 rs.
Dito do Porto, fino, a garrafa a 800 e 15
Xarope de gratis e mitras fruclas a 640 rs.
Massas liara sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branca a 320 rs.
Dita estrellaba, pevidc e rodinhas a 640 rs.
Caixinha com 8 libras de dita a 35500.
Seclas solas grandes, o cen a 15.
Ditas grandes em resteas a 15280.
Duzia- de cartas francezas tinas a 25500, 35
e 35300.
Dtizias de latas de graxa nova a 900 rs.
Bunhs de dita a 280 r*.
Marmelada nova a 00 e 720 rs.
Carne do serlao a lilira a 320 rs
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes com farinha a 55-
Ditos com indino 35500.
Ervilhas seccas libra a 160 rs.
Lentilliaspara sopa a libra a 200 rs.
Sevadiuha de Franca a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Aramia verdadeira a libra 480 rs.
Gomma de engomraar a arroba a 45 e em
ibra a 160 rs.
Sabao espanhol a libra a 400 rs.
Latas com o verdadeiro gaz liquido eom 27
garrafaa a 125-
Garrafas com dito aSOOrs.
Saceos grandes com (eijao mulatinho com 24
cuias por 95-
copos u cana lapdanos para vnmo c agua.
Latas muito bom enditadas com tigos novos
a 23, 2-5500 o 33-
Assucar refinado com ovos nanita alvo a ar-
roba a 63500 e a libra a 200 rs.
Papel patalo liso d> peso branco e azul, a
resma a 23500 e 43500.
Vinho Madeira-secco, a 13600.
>ntod esteirasde tranca a 203-
Uarriscom azeitoaas novas a 15280.
Duas bataneas grandes de Homao com os
pesos de 21 arrobas, e alguns bracos pe-
queos do rflesfflo autor.
Urna grande quantidade de caixoes vasios de
todos os tamaitos de 120 a 500 cada um.
OUTROS GNEROS QUE TORNARA EN'FADONHO MENCINALOS.
TUDO DE PR1ME1RA QUAUDADB.
Presuntos de Hambre omite
S00 rs.
Bitos para panella, a 560 rs.
^neijos londrnos muito superiores, a
a 15000.
Ditos do reino vindo oeste vapor a 25600.
Ditas do vapor passado a 25 e 25400.
Queijos de qualha novos, a libra a 560.
Frascos grandes eom amatas a 35000,
Utas com 1 [2 libras a 15200
Ditas com 3 e 6 libras a 25500 e 45.
Chocolate fraucezmuito superior, a libra
15120
Cha lino de primo-ira qualidde, a libra
25700.
Dito uxim a 25700,
Dito hysson a 25700 e 23800.
Sito prou a 25800.
R i em caixiobas de 1 e 2 libras a 25600.
Dito preto a2e25500.
Manleiga ingleza (Kjr a 15200.
Dita mais abaixo a 800 rs.
Dita em barril propria para negecio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Latas com 2 libras do banba refinada, a libra
a 400 rs.
Manleiga franeeza nova, a libraa 640.
Dita em Larris e nieios ditos, a libra a 600.
Toucinho de Lisboa a 95500 a arroba e a 320
rs. a ibra.
Latas cum bolachiuha de soda de 5 libras a
23000.
Ditas com biscoitos c bolachiuhas sortidas
a 13500.
Ditas inglesas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranho, a arroba a 25400 e a li
bra a 80 e 100 rs.
Dito da India a arroba 25800 e a libraa 100
e 120 rs.
Caf muito superior de primeira qualidde
a 85500, 95 e 95500 a arroba.
Dito em libra a 280, 320 e 360 rs
Viobos em calza de 43 garrafas, o melhor
possivi-i a 185 c 205
Dito mais baixoa i05, 125 e 145-
Dito l-'igii-ira. o mais superior posqvel, a
canada a 43'iOO o a garrafa a 640 rs.
Dito mais baixo a 45 a canada e a 560 rs. a
garrafa.
Dito do Lisboa, boa marca, a 400 o 500 rs.
a carrafa.
!):U Bordos a 040 rs. a garrafa.
Din i-oi raiza* das melhores marcas, a 75 o
83000.
Sonroja, marca tsente, em botijas a 7 e 85
a duzia.
Dita de diferentes marcas a 500 rs. a garra-
fa c 55800 a duzia.
Genebra de laranja verdadeira a 15 e 15200
o frasco.
Dita de Hollanda em frascos grandes a 15 e
popuenos a t>40 rs.
Dita verdadeira do Hollanda, a botija a 480
Licores Unos de varias qualidades a 800, 15
e 15500.
Caixas do vinho mscate! a 105, e a garrafa
a 15000.
Dilis eom azeite refinado a 103 e a garrafa
a 15'WO.
Conservas ingirase francezas de pepinos,
selas, azeitoaas e raixide a 600, 700 e
800 rs. o frasco grande.
Caixas eom frascos do roostarda franeeza a
45 a duzia, o 360 rs. orasco,
B MU1TOS
Custodio, Carvalko & Companhia.
S? KUA DO QUEIiVAAEM
Toalhaspara mesa,
Toalhas delinho adamascadas para mesa a 45000.
Cortes de lia
Para vestido com IScovadoi a 55500.
Cacetas.
Cuberas de caita chineza a 95200.
Baldes
Para senhoras e meninas.
MadapolSo
Trancado, superior fazenda a 500 rs. a vara.
Lia para Vestido a 320 rs. o rovado.
Fil de linhe Uso e bordado.
Fino panno de linbo para lenecs a 800 rs. a vara.
s*
SORTIMENTO PARA A FESTA
If
1 i l a 1
VATIVO
23-Largo do Terco-23.
Joaqnim Simio dos Santos, dono deste armazem de molhados avisa aos amigos do bom e ba-
i.;.' i que so veoham sortir dos bons gneros este estabelecimento que nao se arrependerao, se lhe
Pira a lifferenca de 10 a 20 por cento, pelo seu prompto pagamento ; e por isso se faz annncio de
alguns gneros, que tendo sempre este estabeleeiraento .um grande e vantajoso sortimento de todo
qtfaato portencente a este estabelecimento.
Sentido I Von fallar com o fienservaii o !!
Manleiga ingleza de e 8* sorte a 800, 900 e 15
a libra.
dem franeeza em barril a 600 e 640 ris a li-
bra.
Toucinho de Lisboa a 300rs. a libra e 85800 a ar-
roba.
Batatas era caixas e gigos 15200 e 25000 a ar-
roba.
Caf de primeira e segunda sorte a 250, 280 e 300
rs. a libra.
Arroz da India, Maranho c Java a 100 e 80 rs. a
rii/ra.
Piscaros do g*z a 25 a groza e 180 rs. o maco.
Fanas novas a 480 rs. a Hbra.
Velas de carnauba Ar-acaty eoreaosi^ao a 400 e 440
rs.*iit>ra.
Massas para sopa a 4*0 440 rs a libra.
Marine la la dos mnllioras (alicantes do Lisboa de
1 a 2 libras a 640 ti. a abra.
Ei hysson o melhor deste genero a 25800 a li-
bra.
1 ;>m -erla miudiho a 25500, 25000 e 35000 a
Iftr*.
l^n! ingleza alva e saperior a 480 rs. a hbra.
QQeijos mais novos do mercado a 5500 e 25800.
Serveja das melhores marcas, tanto branca como
preta a 500 rs. a garrafa e a duzia a 55800.
Sabo amare!lo massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Babia dos melhores fabricantes de
15200, 25000, 25500 e 35 o>ixa.
Miibo alpista e paiuco a 160e 140 rs. a libra.
[Vinho de Figueira verdadeiro a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa das melhores marcas a 400 a dia.
dem do Porto em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco propriu para mis>a a 500 rs. a dita.
Iiiwn do Furto engarrafado a 808 e 15, tomando
rauis oV una canada dequakmer um destes lera
grande abatimento.
Conservas inglesas e portagueza* a 500 e 640 rs.
Biscoitos e bolachas de soda a 15400 e 25.
Massa do tomate a 600Vs. a libra.
Gi-n-hradeOlaida em (raucos botijas e de la-
ranja de 480 a 640 c 15200.
''h>uricas as mi i s novas a 560 rs. a libra.
Latas oov 1 o meia libra de ameixas a 15200.
Aserte iaei do Lisboa a 440 rs. a garrafa e 35 o
gala*.
NEM CORO AS NEM MITRAS

NOVA EXPBSigftO DE GNEROS
NO
GRANDE ARMAZEM
RITA DO IMPERADOR Re lO
Junto ae s-bratlo em qne mura o Sr. Osboroe,
miarte Altuelda tk c, receberam de sua propria enroniaieu-
da o mais linda e variado sortimento de molhados, proprlos
da pi-escote estaeo.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra nova vinda no ultimo vapor a l ,ooo; para sopa a melhor que se pode desejar,
ARMAZEM
PRINCIPAL
DB
^^W %S %W^
rs. a libra e em barril a 8oo rs.
Mantelga franeeza
da safra aova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Araendoas .
eonfeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
240, muito propios para mimos.
Cart5es
eom bolos fxancezes a 500 rs. nda un.
Latas
com bolachiuhas de soda de todas as qua-
lidades a 1->:100.
Chocolates
,' de todas as qualidades a 1)500 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados ueste ultimo vapor a 6on.
Qaeijos
chegados no ultimo vapor a 20300 cada um.
Queijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinlias ricamente (Honradas,
proprias para mimos a 900 e 1#200.
Cha uxim
| o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por ajenos de
U a 600.
dem perol
especial qualidde a 2#700 rs. a libra
Iilcm hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2,3600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talbarin e aletria a
480rs. alibra. .
COGVAC \
o muito afamado cognac Pal Brarwy a l,8oo
rs. a Krrafa e de outras mu i as qualida-
des a l,ooo c floo rs. a farrmta.
COBOS >
i lapidados para agua a 4,5oo e, '5,000 rs. a
S. O RA 1IO LRESP# IV. 9
Esquina que volla para a ru da laaeraar
E provavel que nao seja bem aceita a verJade, quando a boa f de tod* anda
! Iludida por esta epidemia de nauzeaticos annuncios de cmelas, tambores, cortas, su-
tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal.
ALERTA
Os annunciantes- nao tem em vista senao garantirem ao respeitavtl poblics i
sua pnlavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias e n. pra
assenlarem fortunas a forra da regra de liga como outros annunriantes deste "en*rn
PARA TOIIO
No armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na seguinte ta-
bella, mas nao se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba hespanbola. yaraa
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquelle que n3o seja do 'grada da
comprador.
Amendoas eonfeitadas de diversas cores a Lentilhas muito novas excelleole legume aa-
64o rs. a libra. ra sopa a 2oo rs. a libra.
[ dem tle casca dura a 24o rs. a libra. Licores francezes de todas as quabdade at
cantes da cidade do Porto a i& e 1*52001 idem de casca mole a 3o rs. a libra. Too e 9oo rs. a garrafa.
a garrafa e de 105 a 12-5 a caixa, as mar- Ameixas francezas em caixinhas com liadas Manteiga ingleza perfeitamente flor a &* rs
macarrSo, talbarim e aleiria a 400 rs. a
libra e 45oOO a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2800 a canada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
du/.ia, e a 440 e Soo rs. cada um.
PAPE I,
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo. a 4,5oo a resma do me-
I Ihor. i
Papel de botica
! de excellente qualidde a 200 a resma,
PAPEL
I azul e pardo para embrulho de 1, loo a 2,2oo'
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fume
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
o l.ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 110 rs. a libra,
e 4|J400 a arroba.
CEBLAS
muito novas a 1500o o cento na ra do Quei-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar- j
go do Carmo n. 9
GRAO DE BIGO
muito novo a 30400 a arroba e 140 rs. a li-1
cas sso asseguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou rinlio dos Beuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40003.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica damesma atw
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* M bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
C-ARUTOS
Gharutos Thom Pinto,. Res o outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de l.1 e 2/ sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libv
Ciarrafcs
com 4 '/a carrafas com vinagre a 10000***
ogarrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de U0OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 30800 cose
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira cm frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
Anos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
cora urna duzia e 3 l.ooo n garrafa.
Marnielada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muilos a Ooo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
I Maranho, Java e India, a loe rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
estampas, a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos.grandes a 2,Soo rs.
dem em latas de 1'/libra a l.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor qoe,
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a canada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2.ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. alibra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinbas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra.
a libra, desnessesariu mais elogios
te genero que s se pode verificar coa a
vista.
dem franeeza a 56o rs. a libra, e
ou meios a 5oo rs.
UmJ
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
l.loo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
rs. ogigo, l,8oo rs. a
as meias garrafas.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo v,
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa c 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e400rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas cm calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da guiaba
a 600 e 10 ocaixe.
GOMMA MUITO NOVA
em paneiros de 1 e 2 arrobas a 30500 a ar-
roba e 110 rs. a libra na ra do Qoei-
mado n. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
do Carmo n. 9
Bi'LACHINHAS
bra na ra do Queimrdo n. 7, ra do- em latas de defferentes qualidades a 10200
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9.1 a lata
QUEIJO SUISSO QUEIJOS FLAMENGOS
muito fresco a 800 rs. a libra na ra do dtegado* neste ultimo vapor a 20800 na roa
Oueimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e do Qucimido n. 7, na do Imperador n.
largo do Carmo n. 9 i 40 c largo do Carmo n. 9.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidado de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
Iniao e Commcrcio roa do Queimado n. 7
0 Verdadeiro Principal na do Imperador n. 40
F1IUCTA8
MAC A A, PERAS E UVAS
chegadas neste ultimo vapor, rende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro Principal-Ra do Queimado n. 7, Uniao e Commercio.
Agua Florida.
A agua florida nao urna Ilutar
Balaios para meninas
Lindos balaios do varus pontos para meninas
tracn-f m no braco : se enrontra na toja do Bel>
ja-Flor, ra do Oueimado n. 63 e 69.
xinhas
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
cial a contestar, a mesma agua dando'a cor prim-1 J-lXWoTJS Q Sa iO 6B* BUf
tiva ao cabello. Composta de plantas exutiras e
de substancias inofensivas, ella tem a propnedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-1 Liadas cantata com om cartSo rom m ftimffla
les tem perdido. D'uma salubridade incontesla-: imperial, e denlro de cada eaiwi um fraseo on sa-
vcl, a Agua Florida entreten) a limpeza da cabera bao 0 mis mw que passtvet: tm toja 4o H> ija-
deslroe as caspas e impede os cabellos de cabir, Flor ra do Queimado n. 63 e 69.
Oleo de Florida |--------------., .jrr]-----'-------------'
Composto de substancias vegetaes matiras, elte '"* "* LUfOOft
BMstilaa poderosamente, com a Agaa Florida, a aa roa do Viyano n. li, primerro andat.
forca, be4^ a cenMeracao dos rabettos. v....----- .-*,_ r.-i _
m Paria, casa de Qiuslaur n. li, roa de Ricbe-1 VHl JM1MI Llhfiml
lien, e 4|, bonlevard Mnlniartre. Rndese a typoirraphia do tehtml : a tratar
Todos os frascos, nilo lend Intacto e claro, o com o Sr. Francisco de Paula e Silva Lins, na Ly-
timhre prateado da casa, sao repnlados falsos. I pographia Tniversal, ou cora o Sr. Lendegarto An-
Deposito, roa do Imperador, pturmact* b. 3. ton de Olircira na ra das Floree o. J.
Marmellada do 1/ fabricante de Lisboa a (feo
rs. a libra, ba latas de 1, I',, f 2 i^,,
Mafa de tomate em latas de orna e duas li-
bras, a 600 rs. a libra,
dem para sopa estrellinha, pevide. rodtaaa,
etc. a .3,000 rs. a caixa e 56o rs. a libra.
Macarrao, talbarim e aletria a 4o r*. a \\.
bra.
Mostarda franeeza preparada a 4oc t. o fras-
co,
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinbas rom rollu de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a 1,000 rs.
a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a bf.ra.
Ostras preparadas em latas a 7t. rs. a la'a.
Prezunto para fiambre inglez veidadrir. ga-
rantindo-se a qualidde. a 7.irs a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a lilra, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente ferlkaIaaav
seguintes qualidades. sabel. ronir .1. ge-
rz, cavallinha e pescada a U100 rs. i te-
ta.
garrafa, e Ooo rs. Palitos para denles fichadas I i., r*. o ma-
co de 20 macinhos.
Chi uxim o melbor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia. e 2.f m u.
bra. a groza.
dem perola qualidde especial a 2,7oo rs. Painco muito novo a I6ors. a libra, e .3o
a 11 tira,
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra,
dem preto homeopa!hico2,ooo rs. a libra.
Ceneja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, euieso o hespanhol a
1,00o, 1,2oo e 1,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia
do de Simas e oulros da Bahia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo e
4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75'o rs. o frasco,
dem franeeza surtidas ou de urna s quali-
dde de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a 600 rs. a libra.
Canclla a 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,000 e 5,5oo rs. a duza, e Soo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear a 26o, 28o e Soo rs. a libra,
e 8,000 a 8.5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas porluguezas em latas, chegadas l-
timamente a Too rs. a lata,
dem seccas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l.loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a loo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidde superior
a 1 ,ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, e H.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser exceflente bebida Suissa a
l,8oors. a garrafa.
par'a-
rs. a arroba.
Queijos flamengos do nllimo vapor.
dem prato muito fresco a Soo rs. 1 i 1. e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 3oo n. ra-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Nanles a laa r.
a meia ata, e 4oo rs o quarto.
Sa muito n*vo > alvo a Mo rs.
Sardinlia de Franca a 18o rs. a iibra.
Sevadaa 100 rs. alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e Soors. a |,i.ra.
Tijolos para limpar facas a 15o rs. caata um.
Vinho em pipa, Poito, Lisboa 1 Hf in das
marcas menos conhecidss a too rs. a gar-
rafa, ca 2,800 rs. a canada.
dem Figueira expecialmetir pscol!;
lugar a 600rs. agarrafa.e i .V*. j
dem Lavrado, Colares muito fre>., MB
composicoa6oors agarrafa, e t,5m rs. a
canada.
dem Lisboa em ancoras com 9 anata rrar-
ca especial a22,ooo rs. a aacora.
dem branco uva pura a 56o rs. a jarrafr.
e a 4,5oo a canada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a
fa.
dem engarrafados generosos. Lagrimas do
Douro, nque do Porto, 0. Lu? I, I. Vi-
uro V, Nctar, vell.o secco, hluita, o
genuino partici.lar de 9ooaf .<*on r;. 1 gar-
rafa e a 10,000 rs. a caixa com urna duzia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas wmm tk
Julien St. Esteph, ch'eau la Ro/e.rb?faa
Margoux e oulros a 6,000 rs, a caa r 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2.000
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa ? 1,4c#
rs. a canada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32a
rs. cada urna,
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermaceie superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o r>.
dem de carnauba refinada e de romprsicia
a 36o rs. a libra, e io,Hoo e H.ooo rs. a
arroba.
MDANCA
A muito acreditada fabrica de licores, de Soares fclrmo, muJou-sepira t roa
das Cru/.es n. 36, onde fbi o armazem Progressista.
Nesle estabelecimento aprompta-se com aceio e brevidade qualquer encuromend*
tanto para dentro da provincia come para fora dvlla-
Enconlrario os freguezes todas as qualidades de bebidas espirituosas tabrkadaa
com todas as regras darte; nao se usando de preparacoes venenosas para poder nata
barato. Vende-se em porces e a retalho, tanto engarrafadas como a medida.
Licores de todas as qualidades ordinarios e fines.
Genebra em botija.
Dita de laranja que vende-se tambem por medida.
Agoa-ardente de todas as qualidades.
Espirito de vinho (alcool) de 37
CAPIL
De superior qualidde e de diversas fructas.-assim como o da nato aprecia**
orchata.
Queijos de Minas. A T1P1S )t9 Vende-se na ra Nova B. 1, defronte da filma. &* M ILj 4 KJSJ \L>
cmara municipal. ^^
w Bixas hamburguezas. a, JPTJfgSKS SSSSSSTi
Tta4-M na roa Nova a. t. raesma ordom : a tratar aa


B tarto de
re ... sexta felra 4 de Kovembro de t 4.
M
SO PUBLICO
Sena o menor < oosli an
gtmente se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.

sam
" 'S
ew preces da seguate
tabella para iodos, po-
denilo assim servir de ba-
se para o ajuste de conias
eoiu os portadores.
RA DA CAIUHA IIO RECIFE M. 53.
(Ugo passando o arco da Coneeifo)
Grande redueco de precos, equivalente a dez por cento menos do que ontro qnalqner
annanetante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
wuitos objectos, etc., dando com isto ocaslo a todas as espeluncas acabarpm por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo!! I Ora, eu ofendido com estas obscuridades e receloso cm adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender coto um pnr cento a carola, resolv fazer esla grande redueco de precos, como veris
pela segninte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do tnonioravel armazem de molhados Unio Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nlio ser o de l,4oe a 1,600 rs. a libra. Hnje porem, resentidos da redueco a que
estro obrigados, encarando todos os das de seus freguezes recIamac2o de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu nm
tio smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senbores e Senhoras o aceio que presidia, aos arranjos deste novo estabelecimento, e tois que tudo apromptido e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certas de que sem duvida me daro a proteceo e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderlo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tito bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendafao, aflm de que nao vao em outra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente, rs. e em barricasde 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 1
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
LIANC
V-
i i
PEtHlMIl

DE
Ra da na (I re A 40OOO.
Sarros grandes rom brinda de mandioca \<-'. I barato preco cima mencionad .
Biblia da Infancia.
escolbida a 800 rs. a libra, em barril ment.
hz batimento. Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
dem franceza a mais nova quo tem viudo ao! e 8,5oo rs. a arroba.
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
me ios a 5oo rs. I a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
Gb hyssondo superior qualidade a 2,C>oo rs. dem do Cear de superior qualidade a 2io
a libra.
Idetn perda o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que a pode desejar
ucte genero 2,600 re.
dem preto homeopatliico porser de superior
qualidade a 2,000 rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
e 28o rs. a libra, e 7,800 a 8,000 rs. a
arroba. v
Arroz, do MaranbSo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba. !
dem dalndia muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem1' de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba,
para negocio o 1,600, 1,800 e 2,000 rs. a Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
libra, garante-se ser muito regu'ar, igual i rs. a arroba,
ao que se vende em outra parte por 2,4oo Massa do tomate em latas de 1 e 2 libras a
e 2,6oo rs.
Unguicas, cheuricas e paos em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a .'..'ioe rs.
garante-se serem superiores aos que vera
em barris.
Gb.ourie.as e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e IJSoO e 600 rs. a libra, i
Queijos flamengos muito frescos chegados!
oeste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a I,Roo e l,8oo rs.
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talbarim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, c em caixa com
25 libras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que tem Vinho do Porto muito
vimlo ao mercado a 800 rs.
a libra entei-
ro se faz abaiimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acaben.
Ervithas e favas porluguezas em latas j pre-
,.iradas auwiia.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo*rs. a libra.
Presunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglesas para Hambre chegado nesle
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Cboculate francez, suisso e hespanol a 9oo
1,000 e 1,200 rs. a libra.
Espennacete em cnixinhas contendo 6 libras
por i.O'io rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 jwr libra propria para carro.
Peixe em pista sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras echernee, vezugo em
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vimlo ao nosso mercado a
6,000, 7,000 e 8,000 rs. a caixa, garante-
fino excellente qua-
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 800 rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras re escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha o mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos mclhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e H,ooo a duzia.
140 6 16o rs. o maco
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
& a lo por rento menos odrec que sepuaaii pao m ira qnal-
qner parle.
Gneros especialmente escolhidos por ura dos socios que na Europa se acba
para esse fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabeleci-
mento.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
i*TUS
eilura lias rc1
AO PUBLICO,
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annuo-
clos deste genero, pois so palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambem
estamos certos nenhuma atiendo j merecem do publico. O nosso fim, pois, simples-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos pre-
cos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attencfio.
Vinho verde.
Chegou e muito desejado vinho do Car laxo vende-se nicamente neste armazem
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Lentilha muito novas excellente legume pa-
Palitos para denles a
lidade proprio para engarrafar em ancore- sal refinado em'rasco de vid re com rolha do
tas com 9 caadas por 45,ooo rs. mesmo a 5oo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,; Cerveja branca e preta das marcas mais a-
4oo eooo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo, j creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das mehores mareas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. ea9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhasde Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, qu outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer n3o pode vender por este preco. | para mimo a 64o rs.
Genebra de Bollanda a 56o rs. o frasco, e Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
5,7oo rs. a frasqueira. libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
dem de laranja verdadeira de Altona em, Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a 1 .ooo rs. o frasco, e 1,8oo rs. a caixa com 8 libras.
U,ooors. a duzia. j Amendoas de casca mole a 32o rs a libra,
dem de Ilollanda em botijas grandes a 4oo Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
5,5oo a duzia e 4t4o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
"- f ,.,.. .i. i... i.. .. i-.i..m.-:.i,i.--: .I-i Rahiao Dteis acreditadas marcas conhccidas no
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a I,ico rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 / libra a 1,1 oo re.
Arroz de MaranbSo e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5o a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada,
dem francez e de Lisboa refinado em gar*
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e 4o,ooo
rs. a daxia.
Alfezema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas!
de 6 e de 3 libras, a 3,ooo e l,5oo rs. a i
lata e 64o rs. a libra,
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
mehores marcas a 1,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas cm gigos de 36 libras a l.ooo rs.
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim jo melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra, bi
ibr
peloatibad?Fatal, da auno
Obra interesanli5sima para
primarias.
Conieca da crpacao cacao de S. Paulo.
E' escripia com a maior ron-irao e darrzr, l
traduc^'o de urna fn-rina anii--iiaila.
Vem prehfnclur urna lacuua BMMa iMi I i M
escolas, para as joacs nao liavia um \m r tu <
de que se lrata.
A impresso limpa e correcta, t adaplaifa i >
destino do livro.
Vtnde-se na typographia da ra di ,'ir.p.!' r
n. 15, defroDte de S. Francisco, a l ratfa rUO>
piar encadenado.
C/3Op->-r;-;C-^-.
fC3-ocoo- ar"s c c oj

m
O U> Jg. & "
w p, m B ^ ^ g
I S"2_.5"o Sor, g.-w
(Jl o

r. a
u as
* =. 5
C r:
3 o
H
-I
"Hn*
2 2 jef
O 0=
a, t='
o o o;
o 03
en o>
as
- ?-= g-S 3 -
3 e u o
se-i b u> o.s -
1/5 S. o 2 o> &&:&
_- r> O" 9 "5 _
O os r.
i.iSg'e-S8
o 5" = =;
2 O
c
e
m%
W
'-
?r^
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa;
Manteiga ingleza perteitamente flor a 8oo e
i,ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Lisboa
a6oo rs. a libra, ha latas de 1, 1 i/3
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras
6oo rs. a libra.
Macarrao, talharim ealetria a 4o rs. a bra.
dem branca .a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco.
dem ingiera em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em ga na lindas com rol has da
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a i,ooo rs.
a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs- a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a 7oo rs. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide erodinha
etc. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o rs. a libra.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades: savel, corvina,goras
cavallinhas, e pescada a l,ooo a lata.
Palitos para denles lidiados a 14o rs. o ma-
co de 2o rs. o macinltos.
a 2oo rs. a duzia, e 2,loors.
~
lil
O ES Q.
I u O
cu
a.
S
|
o.
c/.
2-
(0
i

1
c
c-
c
o

0f
5
9%
Testamento da pallinl?.
Sahin ,-i luz o lesiamento da palliaM,' > '-
ramente nova e em verso, imprt;> tu n ni r m
papel, ntida impres>ao, a 160 ts. rada j.- n \ \.i :
na ra do Imperador n. ib tefrMM i S naav
cisco.
Objecto* typograpl iros.
Existe na roa d Imperador n. 15 dffrrne <'r %.
Franciseo um grande sorlimenlo de i\m t> I
rentes pontos, armacces de rollas. M>Mri '-. '-
vas, euprada^des de metal, linhas ile ill!'n i '-
pontos, inlerlinhas sortidas, linfa latilc |:iu-
china, romo para obras fiuas, papel de imi h--<.
almasso, piolado, elr., ele.
Cal de Lisboa em podra
desembarrada bonlem de bordo da liatra /'.i*-
rfouro : vende-se por todo o pree> no frn|
de Manoel Ignacio d'CMiveira & Filho, largo do O r
po Samo n. 19.
. m_____ dem do gz
a gniza.
mercado a 2,ooo, 2,50o, 3,ooo, [de"ra'ir;iSb o melhor nue ba neste genero!PaiaDCrauil0 novo i2 rS' a libra e3'000 a
CeJnT fe 'T&STES a! [A^^t^ [ hbra. lo-Uos flamengos, dou.timo vapor, a 2,5oo
l,ooo rs. a garr Cerveja das mehores marcas a 6,ooo rs. a I Me-prat0 mui|0 fresco a 8oo rs. a ,ibra e
esuisso ai,ooo, sendo enteiro a 72o rs.
I,uu ^" O------------ VjCI VCJd Udl llicniui ra mal va
Doce da casca da goiaha em latas de 4 li- duzia, eB6o rs. a garrafa
bras por 2,ooo; ditoemcaixesa6oors. chocolate francez, hespanhol
Um Descobriiienlo Espauloso!
O Mundo leientifit BMUiraiBentr o a>pwa
por
cada um.
Farinha de araruta
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
verdadeira a 32o rs. a
libra a
l,2oo-e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da Babia como
sejam regaba, trovadores, guanabaras,
delicias e suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,000. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
mol I ios com cento e tantas porl,2oors.
Matie excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
libra- dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canellaa 9oo rs.-a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra.
I Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cadaum.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
l,4oo rs. a caada.
Idemem garraes com 5 garrafas a l.ooo
rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Copos tinos para agua e vinho a 4,8oo 5,ooo Velas de espermacete superiores a 56o rs.
m
m

.sy
AGENCIA LOW-MOOa.
lsua da Sentaba nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a hayer
cm completo sortimento de moendas e meiai
meendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos. ______
Arados americanos e machinas para
lavar rompa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
ra da Senzalla Nova n. 42.______________
ttupcrlor vinho Collares.
Na ra do Vicario n. 11, eseriptorio de Manoel
Joaqnlni Ramos e Silva & Genros, tem para ven-
der superior vinho Collares em ancoretas.
Fabrica Conceitfio da
Baha.
Andrade t Reg, rerebera constante- ^
mente e tem venda no sen armazem n. ?
34 a ra do Imperador, algodao d'aqsel-
la fabrira, proprio para saceos de assa-
car, embalar aiodo em ploma etc., etc.,
pelo preco mais ratoavel.
^ mm
Ra da SeezaHa o. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston & C,
msffl
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti- '..?. jaes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, gna amalla Nva B. 42.
chicotes para carros e montara, arreios para Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
carros de um e dous cavallos, e relogios de terr0 eoado libra a J10 rs#) im de Lo
.3
7i
m
GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
WJlriilCLO DE sinos
ni?
tos
VILiA(4, IRMlO 4 C.
RUJl O KKUM *. 40
Chamamos a attenQao de todas as irmanda- ^
des e contrarias para o que abaixo publicamos.


m
O amor que votamos arte que professamos e o desejo "jne temos de con^orrer com o jf.^
y$- nosso fraeo conting'-nle, pari a ver desejar, nos impello a msndar Europa nm dos nossos socios, alim de particular- 3g
mnie studar a melhor maheira de liem fundir os sinos. Wm
Grandes f.iram as difflru dades que tivenios a superar, aftm de podermos conseguir o 5S
?S*jeZ nesso desidertum ; porm grabas aos esforco e hons ifficins de um nosso amigo, o eos- <
ffi3 so socio pode ser admitlido em urna das mHhores fabricas de Listioa. vS
559 Muito lucramos e muito tem a luerar o publico, pur que sem receio desermoscon- gS
HX testado, podemos afflrmar, que os sinos fabricados em nosso estabelecimento em nada WVS
&& se parecem com es*es almfarizes de mo gosioque por ah se fazem.
E robas com emblemas, ornatos, etc., conforme a matada ou gusto do comprador, guar- '..
dando em seu fabrico todas as n-gras d i arte. Pedimos, porianto, em recompensa de
tantos sacrieios e despezas a proteccao do publico. _
Ytllaqa, Irmao i C.
e SfSoo rs. a duzia, e ooo rs cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiabt superiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas porluguezas em latas chegadas ul-
timamenle a 64o rs. a lata,
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e ginja a 7oo rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e l.loo rs. a
duzia.
Gemina muito alva e nova a I6o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
l.ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o
frasco e 14,ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
&
euro patente mglez.
P0T4SS4
Vende-se potassa em barris a commedo preee o
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseripton:
de Antonio de Almeida Gomes.
Ixcellenieova chegada no ultimo
Moor libra a 120ra.___________________
Hoiiihosfom rodas, patentas.
Moinhos grandes com rodas, paleules, e afianza-
dos pelo fabricante para moer caf, e proprios ca-
ra refinacao por s-erem de especial qualidade e de
lodos os tamanhos: vendem-se nicamente no depo-
sito da na da Cadeia, luja de ferragens n. 56 A,
i de Bastos.
vapor iilscouos.
Ven'le-se na rna do Imperador n. 14, esquina da Vende-se em casa de Southalt Mellor & C,
iravessa do Ouvlder a 800 rs. a libra. HrapPlche n- 38-
rna
Cintos largos.
A Acuia Kr.mca constante as novidades de mo
das, fui quem prinvrrameule expz vnda esses
bonitos o moderno- ciatos largos e tem continuado
a receba-los, como agora inesmo acontece pur esse
ultimo vapor, rujn bello sortimento se faz notavet
pelas di Arenles qualidades, e variedade de go.-tos,
os quaes tem geralmente agradado: comparecara,
pois, os apreciadores do bom, munidos de dinheiro,
que serao satisfaitoriamente servidos : na ra do
Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.
*inho verde
em harrl* de 5* para particulares e em pipas,
muito superior -
a libra,
dem de carnauba refinada e de composicSo
a 36o rs. a libra, e de lo,5oo a H.ooors.
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figneira
das marcas menos conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada,
dem Figueira especialmente escolhido nesle
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
coroposico a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo
rs a caada.
dem de Lisboa branco uva pura a 56o rs. a
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada,
dem Porlo fino em pipa a 56o rs. a garrafa.
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
Genuino, Particular a 9oo e l,2oo rs.a gar-
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
dem Madeira legitimo a 1,2oo rs. a garra-
fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a 1 ,ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas Si.
Julien, St. Estepb, cbateau la Rose, chalan
Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
56o rs. a garrafa.
A fomposicao Anacahuite
IVitoral de kciup.
Por espaco de muito tempo M ha uzaJo
tensamente em Tampico para a eura de
TSICA pulmonar,
CATARREO, ASTHMA,
BKONCHITE, TOSSE COHVOISA,
CRPO OU GARROTUHO.e
Inflamma9oes da Garganta e do Peitq,
c isto com um resultado to feliz vinladci-
ramento M8ombroso o pao ou madeira .l'uor
arvore que chamao Akacauvita, e se encontra no Mxico.
A Composico Anacahnita Peito-
ral d Kemp e' um Xaropt ietiekto, n?i-
ramentc differente na soa comr>o6<-.io todos os mais Pcitoracs c Expectorantes nt-
nufacturaclos de fructos astringente.-, it.wbk
e raizes, Acido Prussico ou outros quacMjuer injra-
dientca venenosos.
Todas as molestia* e affecees da pargaai
e dos pulmocs desapparccein como por um
mgico encanto, mediante a acc.o deste m
onmparavel e irreaiativel remedio.
A venda as boticas de Caors 4 Barboz*
roa da Cruz, e Jlo da C. Bravo A C,
CERVEJA EM BARUIIi
a *00 rs. o copo
lucjo de Minan chegado vapor
dem prato multo fresco
dem suisso superior
dem loadrlno superior.
57 Ra do Imperador 57
a\

ESCBAYOS FGIDOS.
Acha-se fgido o e?cravo Th signaes segnintes: cabra, rwtn e pfilo n.ni!
bertos de cabritos, alio, s^co, falta tfe ;<^\ n- m
les na frente, e lem em una das iiii s o tfta r#-
legar corlado pela junla e em oinra o Mb no-
nio tambem com um aleijo : quem o ;>| refc a-Vr
e levar ra da Imparatrix n. 35, primeuo an*>r,
ser recompensado. ___________________
Esrrava fiigiila
Fnjrio em 28 de onlubro a eserava parda de a-
me Mdiana, e idade de 18 anno-. olbo> pton i,
de estatura propria ria irtade, Icvari'io v>>i:d.i >
chita com listras encarnadas ; j'ilna aid; r i
suburbios da cnlade, (mmediaciV-s de, Solndade. Hospicio, etc. : roga-e i* aoiorM-
des piilteiaes ou capilaes de cam|H> a sna a. <-
ben.-, mandando lova-la a seu s. nhor na ni Al
Cabug n. 7, loja de jotas, o qual gratificara o Ira-
balho. ____________^_^________________
Fugio no da 14 de ontuhro do orn-ate, *
Alaga Grande, do sitio denominad.. Mor-*.
cravo Manoel, de idade 2 annos, cimi iw -ik*-
segiiintes : altura regular, ru.*to c|>rido. nana
adiado, cabellos carapinhos, olhos nrHm r regola-
res, no canto do olho esqnerdo tem urna marra <
ferida, earlma do mesmo tem nma baixiMia. ^"
parece ter sido urna cicatriz, oielha* nHif#n> r
um Unto acabaadas, p-rnas fnwas p bem fri-
tos, as costas no fim do tombo W-m marra* 4e
i muito : waem o p'-par, leve a sen ser**, ra -
zenda de Tastimba Nova, termo da Tilia de CM
pina Grande, que ser bem rerompensaco V US
i 4004, conforme a distancia.
Sivirino Ferreira Mannlw.
.
^
I


8
Diarto Je PeankaN ... sexta fr Ira A e Novembro 4e 1IC4
L1TTERATDRA.
1A1AL(,AH.
VI
Til SEBA0 & UH DAS ESTRELLAS.
(Continuago.)
Mea charo amigo.Conlio esta caria ao cor-
reta da Providencia ; espero que ella te chcgar s
otaos em Toulon ou ein Brest.
emogo ; i primeira vista, jalguei qae ella soffria
alguma grave enfermidade.
Isso ha de vr breve, disse a moga suspiran-
do... Eoto... vae dexar-nos, Sr. Trafalgar?
Eu,deixa-la! disse Tonin. Poderei deixar o
mar que adoro e o amigo que mais estimo ; mas
a senhora, nuuca I
Henrique alTastra-se um pouco para dar lugar a
que conversassem era mais liberdade. Na sua qua-
lidade de irmao e de chefe de familia, Henrique
MmMrluntes'mi^Sn'f-tl5 a,ormeDtara-rae a razer Jaler> ainda sena um neo quraho I Os bellos movis que elle pagou, o fato bordado
Entretanto, tenho a fazer-te urna censura. Nao tens
de mim a menor queixa, segundo creio, e roubas-
me quatro ou cinco passageiros.
?Jlle.^,^hi!al.T!ld0ie dias 1Qe Sote vejo.'miliaesperavam ser preferidos ter a raelhor par-l osa criada sua casta, tudo o intimida a tal pon-
te, senao a totalidade. Era interessante ver o dis- to, que antes quereria ser cortado em postas, do
velo dos primos e primas de mademoasella de Pe-1 que aceitar urna cadeira.
nhoel ; nao havia ternas demonstrares, hypocre-
O PBOttRESSoJj
O progrtsso caminha velozmente :
Mas o mais singular que o mesmo perfeito se Ja nSo temos velho limPeao
E' da Sra. D. Henriquela Amelia de lfiajn
Costa esta poesa ; a qual l-se ao Bowltir :
Eu, disse Tonin, com aTectada calma, n5o Ihe sias de que nao fosse objecto. Ella corresponda P
roubo ninguem, capitao. Quem Ihe coStoU essas a estes obsequios com maneiras encantadora' at "*"" m^ir """- lmn ,ambem> "* ^^ Wm9'
historias?
por urna distraego menos explicavel, que a sua PS,t 1 mesmo poder-se-hiasupporque eslava illudida com ,.ria,H,
i owie n mi ,,!,. ;________;____._...... ... ,. UlUI lUddl,
- Em primeiro Iuear -' ..; m 'essas amizades n'eresseiras, tanto pareca que ella 2 YJ '* T E conseuiale am ro*
t__ no primero lugar, responden o capillo, fo. as 1 elle e, no segundo grao, o ele.to de Dos. rrmm que den as mi, ^ ^
i icaras satisfello quando soubores que estou illudiase quanto aos verdadeiros sentimentos de teu am'go Chrisiiano que, pelo que me disse,-!
1 Madagascar, onde too fazer urna cousa til Liza ; toma va por amizade o que era amor, e igno- desembarca para acompanhar-tc Mavotta, ao ca-;
auna. Ja era tempo. rava que ura prximo casamento eslava tratado bo de mbar, ao fundo das Indias, queseieu...
em
Franca
Nuncaouviste fallar do celebre Mungo-Park. cnlre elles.
Em Franca nada se sabe dos pazes estrangeros.
'Esse Fngler alravessou todo o interior da frica
para matar lede?, edeixar homens em lugar dellus.
En ron atravessar Madagascar para fazer seccar
os pantanos o plantar arroz nos lugares ende elles
listen.. Vou alliar-me com os Sakalavas, amigos
ia Franca, e fundar eslabelecimenlos em Mayotte,
no Cabo de mbar, e em Noss-B. Que dizes do
meu piano ? nao 6 tiio bello ?
As riagens fizeram de mim um novo homem ;
eslou em soffrlvel intelligencia com os Inglezes ;
as iouginquas viagens nos fazem conhecer que
estpido o odio enire as nages ; mas contino a
ser declarado inimigo dos Srs, Pitl, de Cobourg.
, .< Mungo-Park casado ; casou com afilha mais
velha de .Mr. AnJerson, de Selkirk, e depos deca-
sado parta para a descoberta do Niger. Devemos
imitar os grandes homens em todos os seus actos.
P01 tanto, casme antes de comecar a nioha expe-
digo coloaisadora. ftespozo urna Irlandeza que
deixou a sua Ierra em companhia de um irmao.
Os Irlandeses emigram com muita facilidade ; fa-
*cm esoarneo delles na Inglaterra. Sao os Marti-
gae> d'ahi.
Di noticias minhas e participa o meu casa-
mento a reinond de la Cadiere e a Olivier de
Banssset, e acredita que serei sempreTeu com-
panheiroe amigoTonin.
P. S.Quando me escreveres, dirige as tuas
c.irlas para Santa Mara de Madagascar, era casa
de Mr. I.ewis Siorger.
Nessa mesma tarde, partiu a carta, e Tonin nao
eabia em si de contente vendo afastar-se o navio
qae finalmente levava noticias suas ao seu compa-
jihciro da Bucentauro.
Urna lo ve pancada, que sentiu no hombro, f-lo
rollar o rosto, estendendo ambas as maos aoirmao
de Miss Liza.
At que a final vieste trra I disse Tonin.
Qui" idea essa de fazeres economas ? Somos ri-
cos ; o que meu teu... Mas pareces triste...
Como vae a querida mana ?...
E' ella a causa de minha tristeza, disse Hen-
rique.
E que tem essa bella menina ?
Oh negocio antigo, respondeu Henrique...
O navio ia chegando ao porto... Estavamos nos
oossos camarotes, minha irmaa eeu, e vieram di-
er-nos que tu fizeste com Mr. Slegger um plano
para colonisar Madagascar... E' verdade ?
Sim, Henrique, um magnifico projecto So-
mos cinco socios... Lembra-te da allianca que fi-
cemos no oulro da... Pertences associacao as-
sim como Asthon, Albertus e Clirstiano. Est
tudo prompto. Temos dinheiro, temos armas e te-
mos amigos.
Estamos rodeados de curiosos, disse Henri-
que... Querestuvir um instante bordo com-
go?...
Com muito gosto... Apertarei a mao de mss
t-tta. Xa Vii'dftdu. Mi! eomprthando..._______,
las de comprehender, disse Henrique inter-
romnondo-o. _
F-] eaminhon adianto, em dlreccao ao lugar onde
o Albatros eslava ancorado.
O tombadilho do navio eslava quasi deserto ; o
goardio dorma ao p do mastro grande, e sob o
toldo da lona que protega do ardor do sol, estava
urna moga que pareca dormir sobre um colxao
irazltJo dos camarotes para ali.
Ao ouvir rumor de passos, ella voltou a cabeca>
e apoiando-se sobre o cotovello esquerdo cumpri-
mentou Tonin, e cora um aceno pediu-lhc que se
senlasse.
Miaba irmaa nao esta doente, disse Henri-
que, mas como leva toda a noute passciando no
conrs, v-.-e obligada a dormir de da.
Q Oh I tu me tranquilizas disse Tonin com
Entilo, Sr. Trafalgar,. proseguiu Liza, que
feito do bello enthusiasrao com que acolheu o pro-
jecto de Mr. Slegger, o Americano ? Renuncou
conquista de Madagascar?
sim, miss, e isso foi bem fcil, pois nunca
pensel em tal conquista; mas quero fazer ueste
paiz alguma cousa til Franga, e hei de realisar;
seu irmao mesmo, e os nossos companheiros de
viagem me ajudarao, e...
Meu irmao, disse Liza inlerrompendo-o brus-
camente, nada pode fazer pelo senhor em Mada-
gascar. Obteve concessao de ierras em Sydney,
gragas aos fovores do commandante da fragata
Orion, que estaciona nesta costa de Hollanda. Meu
irmao, que recuperou todas as suas forgas, quer
colonisar um deserto, em proveilo dos Iriandezes
emigrantes, e centava com o senhor e com os ou-
iros amigos; bem ve que nao pude trabalhar em
Madagascar em proveilo da Fransa.
Que quer dizer com isso? perguntou Tonin
com voz trmula; perco a cabesa; tenho raedo de
compreheod-la... Seu irmao est resolvido a par-
tir amanha ?
Sera duvida ; o capito fixou a partida para
amanha.
E a senhora vae com elle, miss Liza?
Por forja. Meu irmao toda a minha fami-
lia ; e tem todos os poderes sobre mim. Nao posso
separar-me delle. As lagrimas da pobre moga cor-,
riam-lhe pelas faces.
Mas isto o diabo que se mette sempre com
a minha vida I exclamou Tonin levando as mos a
cabega; a infelicidade esmaga-me. Leva corasigo
aminn'almal... E nao me da neuhuraa esperan-
Sa?----- diga nenhuma? L'm sagrado dever
prende-me aqu, ao menos por um anuo... Proraet-
te conservar-me o seu amor... Depois que eu ti-
ver cumprido a minha missao, irei procura-la em
-ydney; acliarei ainda miss Liza?
(Continuarse-ha.)
UM POLCO DE TUDO.
nao Sr. Chnstiano I
que
(Conlinuar-se-ha.)
O testamento de mademeasella de
Penhoel.
Do Defensor do lraballio extrahimos o segrate
trecho de Edmont Abool:
Um caminln de ferro, aoode rao
Homens, burros e caes, ludo conl-nU.
Arranjaram fmmotm miaron -
E" esta urna medida nada mi,
Que melhor que fazer taalos|6 Mademoasella de Penhoel era urna velha don
ella rica, boa e espirituosa. A riqueza procura a FraDkliirs agulhelas de corone,; "^ae"^
quera a possue uraa existenca fcil e agradavel ; p0) ou ao falo bordado de um pr feito.
a bondade e o me hor garante para atrawssar a n, j iw.
vida fl imnh m n a* "*' a Os paes sao da mesma opiniao, os Unos nao fa-
v.da e ganhar o ceu o esp.nlo torna as virtudes zera resistencia alguma
Sao do Sr. Roussado estes extractos :
Na politica e no amor ha cordas bambas e tra-
pezios em que urna pessoa se pode distinguir.
Pretender subir aos altos cargos da repblica
Rpimi na nianin J^T^' .~, a l)rinclPando Pr amanuense de secretaria, e ten
turo que sonha para seu ilho. I n,. ..... fua, umoem na,
Amar ao coragao da donzella, passando-lhe pela g "" "** De certo nao encontrareis duas, que prefiram a \ ra as Ave-Mara, esperando-a a porta do Loreto e!
humilde gloria de Parmentier, de Jacquart ou de ] perseguindoa com o binculo em S. Carlos ve
"nel, mitra de bis- Iho e sera resultado.
Queris subir na escola social 1
Agarrae-vos a um jornal poltico que o primei-
todos os corasoes naci-'
mais amareis, um raio que brilha c esclarece I naes baiera""uisoo"era 7a7o7d7"ps^manTri7 i F lripeZl' ,,T balaa' e alirae com cor^
Portento, a nossa idosa herona era bem dotada. < nao foi em lempo algura a libr do progresso' 11UIDa Sv1? d defulado- Esta senil donzella assistia em Quimper-Corentin, Os operarios do progresso, gente agaloada sao : I J! P' Sle e podeis ir de nariZtS ao
ou para methor dizer, ah reinava. riaba tanto Os agricultores, grandes o pequeos, desde o
poder na sua c.dade natal, quanto a rainha Poma- mais rico creador da Norraaud.a, at ao ultimo
ru na sua ilha ; a sua casa era um palacio, o seu trabalhador de charra
salao urna sala de audiencia, e a sua grande pol- Os artistas, grandes e pequeos, desde IM. de
tona de carvalho, esculpida, ura tdrouo que ne- Lesseps, que abre o isthmo de Suez at ae ultimo
nhuma revolu$ao poda derribar. O que ella ap- vallador ;
provava, era por todos approvado; o que condetn-
mas recomesae o exemeio, lixae bem os
tropezios, calculae bera o sallo, e em pouco lempo
voareis de trapezio em trapezio, alcaogando os ap-
plausos das turbas admiradas.
Queireis conquistar o coragao da mulher que j
L-se no Daily Nem :
Esta manha, as 7 horas menos un qaarto. non-
ve em Londres urna espantosa explosao, que Vr-
ramou o terror as cercanus de Low-Woo*-nVlTe-
dere.
As duas fabricas de plvora p^rl-nceni** a JIM.
Hall e ilho foram pelos ares, sepuitiado mm*M
victimas debaixo das suas ruinas, em quaaio qn
o horrivel abalo produzido por anH raiatronte
destruiu as propriedades visinhas n'uin raio de 7
mimas.
Era Plumtead e cm Woolwuh, as vidracas e
Os artistas de todos os gneros, desdo M. de La-
ara, era condemuado sera appello nem aggravo, martinee M. Ingres at aos pintores de taboletas.
mas os seus julgamentos quasi nunca erara seve- e canconeiros de taberna ;
ros ; ella acalmara os resentmentos, reconciliava' .
os inimigos, casava as raparigas, e dava s pessoas! ? ^oleiSorei e sabl0S de W*> as calhegorias,
mogas sabios conselhos cora tanta delicadeza ebom desde Frauclsco Arago ate ao mestre-escola Tal-
deia
mutas lojasabriram-se comestampido^aao innMl-
!le!fi:!!!l?.u.?.!!?.r_u'na.jura de a,nor e ale *>^ >**>*!. e nJmZ
por umaescri|itura ante-nupcial ?
rain em monto arremessadas a nu.
scenas impossire
juiz nao der por provado o crime de fogo posto.

PERGU.VTAS I.NNOCR.NTES.
Qual a maior de todas as mesas ?
A mesa do orsamento.
Escute... disse a moga, cumpre-me hoje di-
zer-lhetudo.... Meu irmao e eu, dovemos tudo a
Mr. Simn Parker, commandante da Orion... Sua
fragata escoltou-nosa; a cidado do Cabe... Quan-
do o tempo estava calmo, elle vinha visitar-me a
bordo... e...
E ama-a ? disse Tonin com um tremor ner-
voso.
Eu nunca o amei, respondeu Liza ; nunca,
acredite, mas elle deve ir ter comnosco em Sydney,
e... se me pedir em casamento a meu irmao...
se meu irmao ordenar...
perguntou Tonin.
FOLHETIM
POR
CABILLO CiSTELLO BRINCO.
Continuacao.
XVII
A's dez horas da noute deste da, Hicardo d'AI-
truti ao quurt, no hotel de Italia, tartamudeando
tiff gante urnas parases sem tino, cortadas por so-
|.K-"S.
Atinm-si- aiis bragns do primo com deslenlo
nutheril, i'liuroo mais copiosamente do que a
ra-a.i ru.c.i d is senhoras viris concede que chor^
*i:n li 11;-m.
C-<-n ..-[iKVKis intercadencias de anciado silen
fl i^contou Iticardo o violento dialogo com Marga*
rida.\ o morg lo de Fayoes escutou-o com o des-
rter ipie ineutetn as debilidades docoragao alheio
aos homens de rija tempera, e disse :
Eu repito as palavras de Margarida : agora
dignidade, Ricardo. Sae de Lisboa. Nao le acn-
selho que busques diversoes ao espirito no grande
mundo, nem aqu nem n'outra parle. Os homens
da tua convivencia devem ser-te odiosos em Lis-
boa : os infames foram elles; mas o ridiculo s
tu. Fra de Lisboa tambera te aconselho que de-
sistas de distraesoes, que as nao encontrars. as
salas ha alegra, o raais aliado golpe que te pode
atirar a indifferenga. Vae para a tua aldeia, con-
centra-te, padece, esquece-a (orea de ninguem
te suscitar reminiscencias dclla. Isto duro de
ouvir-se
A senhora consentir ?
Nao, mas obedego.
Pertencer a ouirol exclamou Tonin; oh I
nunca I nunca! Paciencia! o diabo pode mais do
que o santo meu padroeiro. Parto tambem ; Ma-
dagascar que se colonise j.or si s... Ah meu
Beus! j nao me lembrava... e a minha caria que
l foi para Toulon I... Liza, as taas lacrimas es-
o*Mnooor5&o... r*ao nos 50parou os mais,
Liza. Os meus amigos bao de acompanhar-rae pa-
ra Sydney, assim mim mo acompaohariaoi ao
norte de Madagascar. Miss Liza, casada com ou-
tro I Deus nao ha de querer que eu morra ama-
nha de desespero. Creou-me forte e intrpido pa-
ra que eu viva; deu-me o amor para que eu a
ame ; creou-a para ser minha esposa, e nao pode
ser seno minha, est escripto l em cima.
A expresso da physionomia, o fogo dos olhos, a
aniraacao do gesto que acompanhavam estas pala-
vras transportavam de prazer a moga, e faziam
com que nao se podesse duvidar de que ellas eram
sinceras. Miss Liza sornu por entre as lagrimas, e
estendeu-lhe a mo.
Nesse momento, o captao Tajen subia a tom-
badilho com Chrstiano. Foi preciso pressa com-
pr a physionomia para nao deixar suspeitar nada.
Eolio, Trafalgar, disse ao capitao, em Santa
humor, que ellas ouviam-n'os sempre e seguiara-
n'os s vezes I i mannhe"'os mercantes e de guerra, desde o
; constructor ate ao grumete ;
A sua habitaso era apparatosa. Mademoasella _
de Penhoel apparecia no meo das suas vastas e 3.niefoc'anles. "esde M. de Rothschild, que ven.
esplend.das salas como uraa grande Qdalga do se- J ".boe8 a sallao dos ,urcos' al ao droguista
culo passado. Ella possuia essa poltica delicada, d":qtri S SU'falS ""Ud para m' Qual a Palavra mais engrasada
cuja tradiego perde-sc todos os dias ; nao arro- S
gava a si nenhum direilo, excepto o de fazer bem;' A admnistragao, a diplomacia, o exercito, a ar-
acetava as homenagens com dignidade e nao as mada, a magistratura, o foro, o clero, sao institui-
reclamava. Tinha sido adrairavelmente forraosa, S5(S IuuiI enrosas e muito utes, mas creadas
e o tempo passra por sobre a sua cabega sem des- com UQ'C0 fim de conservar o mundo tai qual
truir a suave e pura harmona das suas feigoes- e"e esIa;
Os seus olhos pretos, vivos e penetrantes, ainda eusino> a agricultura, a industria, o coramer-
eram bellos. Usava de cabellos apolvilhados, e cio as artes e as sciencias tem por lim torna-lo
veslia-se sempre de ricos e oscuros estofos; o seu melhor do que elle est.
vestuario uem era da moda, nem de uo antigo ; Eis o que era preciso fazer acreditar a toda a
nao se podia dizer a que. poca pertencla ; assen- Fransa.
tava-lhe, e em todas as suas cousas havia harrao-; Wa America, e mesmo na Inglaterra, apenas urna
na ; pareca que ella tinha sido criada cora os crianga apparece no mundo, pergunta-se.
seus compridos vestidos de seda e as suas vaporo- Que far ella ?
sas colfas brancas. Eis um retrato bem circums- >-a Franga, diz se.
tanciado, e ainda assim o leltor nao pode fazer: Que ser ella ?
urna idea justa do extraordinario encanto que ra- [ Quaes os galoes a que destina o senhor seu U-
dava ao redor desta incomparavel donzejla ve- lho ?
Iha.
Quando alguem via-a, a si proprio perguntava u deseJava Que elle trajasse come todo o
porque ella nao se casara, porque os homens do mundo i QUt uao governasse em ninguem, mas
seu tempo nao tiuhara-n'a furtado ? Deviam ter 1ue n'"gi-eni tivesse o direito de Ihe dar ordens
havido torneios, cujo premio fosse a sua mo. E' .ue Tabalhasse obscuramente, segunda a sua in-
verdade que setenta annos antes, mademoasella de Jelligencia, para felicidade sua e de seus seme-
Penhoel, que enlao se chamava a bella Joanna, te- naules-
ria podido escolner era toda a Bretanha e marido j QQe me diz ? essa a fortuna que Ihe de-
que Ihe agradasse ; porm ella nao escolhra nin-' seja !
gera, e a sua indifferenga por todos era ura se-! Devemos monarchia de Luiz XIV, e de Luiz
gredo que Acara entre si e Deus. UnLdos seus pa-: XV o estarraos tan ridiculos. Em 1761 a Franca
rentes tinlia sido criado com ella ra pobre e! era a prosperidade de um hornera mediocre e cor-
,,h.-n, BU- -^... "h.----, ,,,. w----, .. aMOi a|lcnj ,
A noura consista em se aproximar do rei, em
L'utae-lhe as portas da habitagao com agua-raz,
deitae-lhe fogo a casa, e aproveitandovos da demo-........_ a eram'se
ra dos soccorros, sub ao quarto Jella, dizei-lhe- ; Viara-se no meio das ras pessoa* >**M*
salco-a por [que a amo- segurae-a nos bragos, e violentamente, carabalear um **ond>>'e rah.r *--
descei da janella cora o delicioso salvado I pos. outras, que estavam de.tada, vira
Afiango-vos o bom resultado deste plano, si o'
um niifia
DOssuia
da :
- Amo-vos, Joanna, e s posso ofrecer-vos o servi-lo, em merecer os eos tarores. enTobtr del"
mea amor, porem parto e voltare cotlrto de glo- ie um pouco de poder o dinheiro
ria e digno de vos. *. D'essa poca que data o prestigio dos funecio-
Elle partiu e nao voltou, esta gloria que jurara narios.
conquistar, pagou-a com a vida. Mademoasella de \ Em 1861 a Franga nao pertence a ninguem.
Penhoel nao chorou, orou. Nenhuma qeixa sahiu j A honra consiste em ser livre, e era praticar o
dos seus labios, mas fez voto de conservar a me-
bem.
Mas esta verdade ainda nao entrou no espirito
de todos.
iiiora.daqiielle que tanto amara I
t-ila viu cahir em volta de si os seus parentes,
amigos e companheiras ; nao tinha mais contem- povo pasma em frente dos bons empregos, e
poraneos e permaneca s, em p, no meio de tu. dos eraPollad0:> tutanientos ; esquece a todo o mo-
mulos e lembrangas. O seu talhe nao se curvava,' m,eDto que ,udo a1ui" vem d'elle. o volta para
o seu andar continuava a ser elegante e firme, o [ n' ,
seu espirito claro e activo : ella nio envelhecia, .f! fraQCez asse'"elha-se ao escultor da an-
avancava com um passo seguro e a cabega levan- .CJE I? T*? T** Ca"0 *""
tada para a elernidade. : 'T de Je",0S om frenle da SUA ProPria *>-
Possuia numerosos herdeiros, e a sua heranga, 01liai 'avrador quando entra as salas do seu
dividida entre todos aquelles que tinhara dreitos perfeito.
Desgragas (Dez gracas).
E a mais avisada ?
Destino. (Des tinos).
Em que se parece um actor com am pyri-
lampo ?
Em brilliar s de noute.
Porque se parece urna pega de artilharia com
ura caturra ?
Porque auda para traz quando se dispara. (Quan-
do se diz : para.)
Em que se parecem as minhas apaixonadas com
os aguadeiros ?
Em se ideulilicarem com os suspiros.
Em que se parece o telegrapho elctrico com um
moribundo ?
Em filar por um fio.
Em que se parece um sapato cora ura asno ?
Em ter orelhas compridas.
E cora urna rfftfca ?
Em ter alma.
E com um ferreire f
Em ter pregos.
E com as alfandegas ?
Em ter tachas.
E com um ricago !
Em ter cabedal.
E com urna casa ?
Em ter forro.
Porque se parece um coelho com um flautista
desconliado ?
tviuuu iciu peno e tora.
Quando que se pode dizer que um ministro nao
tem juizo i
Quando falla em particular no seu gabinete, por
que nunca la est continuo (com tino) algum.
Quando que um lente da L'niversidade de Coim-
bra passa diploma desfavoravel a um bom estu-
danle ?
Quando diz : Este senhor tomou capello. (T -
mou c pello).
Qual a senhora que ollerece raais vantagens
aos seus pretndeme ?
A Sra. Felizmina por ser feliz mina.
Qual a cousa que iufuude respeito e temor a
toda a gente e de que os reinos nao tem medo ne-
nhum ?
Do c&o da roca.
Qual a mae que tem sempre comsigo urna ti-
lda, mas nunca sua i
A mae dagua, que est sempre fresca.
Para recuperares o grande patrimonio sacrificado. I pedes para o primeiro a trastejar ricamente os. no, ou faganha de estrondo. Crepita
l^**r*^.*' .totanmaondolgaarm,, Accrescentou que a extrangeira era pello furaegan.e uraas lavaredas de araor incendiaJ s^-nT, Cah.jma.rn>
Franceza, segundo ouvira dizer, e se chamava ri a s"-a prima. A cabega alcoolisada chamme-
jou. Sobresaltou-o urna vertigem.
no seu mais lucido intervallo, maldigo a hora em
que me intrometti as cousas da tua vida.
Ricardo pareca attende-lo, com urna fixidez de
olhar espavorido : provavel que o nao ouvisse.
Neste cmenos, entrou no quarto o criado de Ra-
phael, alvorogadamente.
Que teus ? .'perguntou o amo.
Acaba de entrar na hospedara o Sr. Nico-
lao.
Raphael ergueu-se, relanceando a vista s pis-
tolas.
Entrou com elle urna senhora.
Ergue-se Ricardo de salto, exclamando :
E' ella I... Margarida I
Ka estava no quarto do porteirocontinuou
o criadoquando elles saltaram de urna lage. Pou-
cos mioutos antes, iraham chegado uns gallegos
carregados de malas, e disseram que as mandava
um senhor, que s quatro horas tinha fallado com
Margarida, porque elle mesmo espreitra e ouvira Jou- aonresaitou-o urna vertigem. A sege estava
o Sr. morgado de Palmeira, chama-la assim. I as ordens. Mandou que a levasse um raio porta
Ricardo escutavao cora o ar estpido de nm do noteldeItalia. Chamou o criado,
surdo-mudo. | Era meia noute. Perguntou-lhe se Nicolao ain-
Fecha as minhas malas, ordenou Raphael. da estava. Disse o criado que elle dra ordem ao
Queres tu, Ricardo 7 Vamos para tua casa. Vou bolieiro para chegar urna hora. Raphael man-
ser teu hospede Tens tu Champagne, ou absyn-' dou picar para o largo do Corpo-Saoto. Apeou.
tho, ou a demencia engarrafada em casa ? Vamo-, Entrou no pateo do hotel francez. Subiu ao ter-
nos embriagar, e depois reflectremos. Se entra-1ceiro andar. Abriu a porta da sala era Beatriz
mos com a rasao neste labyrintho, estamos perdi-
dos. Valeu?
Vamos, disse Ricardo.
Conduz as bagagens ao largo de Andaluz
tornou Raphael ao creado. Os gallegos que te
guiem. Paga a conta do hotel, e voltar depos a
saber com disfarce, se o Sr. Mesquita se demorn,
ou pernoutou aqu.
Sahram cautelosamente, e mandaram parar a
morgado com os criados.
o dono da hospedara. Eu escondi-me assim que sege perto da casa de Ricardo. Informou-se o
o conhect, e det tino de que a mulher, que entrou
cora elle, fallava estrangeiro.
Ricardo fez ura salto arrebatado porta. Ra-
phael reteve-o, exclamando:
Alto ahi, raeutecapto I Que vaes fazer?
Apuiihala-los.
E' justo; mas manda saber primeiro o nume-
ro do quarto em que os has de matarreplicou o
de Fayoes cora agastada irona.Se nao tivesse
compaixo de ti, desprezava-te, Ricardo
queesperava e suppunha seu marido. Raphael
entrou, sem dar tempo a que o vissem os criados-
Era a primeira vez que ali entrara. Beatriz ca-
hia-lhe convulsa de medo nos bragos e elle abra-
sa va-Ihe a cutis lvida com os labios, que reviam
lume.
escurecer, fechara os seus bahus, e mandara en-
trega-Ios a gallegos. A's nove horas e meia para-
ra uma carroagem particular com libr defronte
do palacete, e o guarda-porlao vira, clardade
das lanternas, que estava dentro um homem em-
bugad'i, fumando. Margarida sahiu, sem dar pa-
| lavra aos creados, e saltou ao estribo.
Depois, ouviram-n'a dar um ai j dentro, quando
I se fechara a portnhola da carruagem que despeda
b, voltando ao creado, mandou-o observar que a desfilada
podesse. .
Vimnt c,h ,mhnc ,,,. Quem da aqu ordens, son eu I disse jovial-
- Varaos sabir ambos daqu.,toraou elle ao menle Raphael. Sor escudero, mande por a ceia,
primo, que archejava prostrado no soph. D'aqui se ba cea nesta casa. Os melhores vinhos I ordem
mas quera te prometter outras consola- a pouco, o Mesquita sabe que estou em Lisboa, se ao escanso !
gdes, engana-te, primo. Dignidade, sobretudo. Eu | o nao sabe j. Pobre Beatriz I Calcula a rainha, Sentaram-se meia. Ricardo emborcava
amara Beatriz com a pa.xao de homem da minha afflicsao, Ricardo I Trata-se ndole, que seis mezes se esconde a devorar-se na rida d'aquelle anjo. ..e, todava, olha se me vs tantes.
duvida, e a purificar-se para merece-la. Ao flm mudar de cor I Que miseraveis somos de altrahir- Raphael coraia proporgao do liquido Ricardo
de seis mezes, Beatriz desenganou-me. Invoqaei o mos o raio da desgraga, e choramos como mulhe- difflcilmente degluta, e cada bocado Ihe anceava
meu dever; e, antes de trila das, eitava distra- res, assim que ouvimos o trovao! Ergue-te d'ahi, intallado. A reveses, aguavam-se-lhe os olhos. O
hido, nao te direi honestamente, mas estava cura- cousa, que pareces homem. Ves comigo para de Fayoes, exclamava:
do da tonda, que ja nao poda sangrar, sera des- 0ulro hotel ? I Execraso e bebedeira estupida nuelle que
douro da raraha consc.encia. Todos temos a nos- Ire, puder ZZZu* que nao seja vinho |
na dignidade e consc.enc.a. Nota la, primo Ricar- E brevemente remos para a provincia, que I Antes de Anda a ceia, Ricardo perder as cores
do, que a nossa provincia esta recamada de boni- Beatriz nao se demora em Lisboa, ou fechada robras da violencia, e desfallecer prostrado em
as mulheres, portoguezas de lei, materia excel- em algum convento. i serena embriaguez. Gargo e dous criados trans-
lente com o espirite necessano. Lembro-te o qae pOUCo depos, roltoa o creado, informando que | portaram-no ao leito.
'!r.^rSf. a qTO. ^ "! S Nic0lau ,omra segund0 andar d0 nolel> e A enAriaguez do hospede era de outra esoecie
desgraga de nao ter nenhuma, e a tua mhab.lidade os creado3 andavam mudar bagagem d08 hos. | caftCa de a8r ^J J ~J ^rrameespdeeCsaet;
Nicolu nao pode demorar-se, primo !.....
tu perdes-me; eu morro s mos delle I raurmu-
rou abafada a Beatriz.
Nicolu vem uraa hora.
Margarida Fromcnt, ao Porque o sabes 1 onde est elle ?
Com Margarida, no hotel em que eu mo-
ra va.
Com a Franceza I... exclamou ella espavo-
rida.
Sim I... com a Franceza, que ha duas horas
tirou de casa de Ricardo... Abengoadocrirae, que
me restitue a tua alma inteira I Era o destino I...
Eras minha, anjo d minha infancia 1 As penas de
infinito inferno para a minha alma, se eu deixar
de amar-te neste mundo e no outro... Olha como
bella a nossa vida I... Oh I tu nao endoudeces de
prazer, Beatriz ?...
O' Raphael!... tu atterras-me !... claraou
ella, affogando-lhe no peto as altas aspiragSes, que
sainara gementes.
Decorridos cincoenta e oito minutos, Raphael
entrara na sege, a tempo que a carruagem de Ni-
colu de Mesquita parava porta do hotel.
O marido de Beatriz entrou cora alegre sombra
na sala, e esposa, que nao ousava cncara-lo
disse :
Ests zangada, (liba ? tens razao ; demorei-
me com os primos Albuquerques, forgado por
etiquetas aborrecidas... Porque te nao deitaste
prminha ?
Nao era meu costume...
Pois, sira, mas d'hora em (liante, quando eu
me demorar alm das onze horas, deita-te, sera
susto da minha demora. Alguns amigos consegui-
ram de mim que eu os coadjuvasse n'umas conspi-
ragoes polticas contra o conde deThomar. E' for-
goso contribuir para a salvagao da patria, quando
menos lempo nos resta para virar nella. Os annos
trazem com sigo o amor da patria, por este motivo
pode ser que eu me delenha por fra, extraordina-
riamente ; c desgosta-rae muito se me esperares,
porque nao estou por l descangado. Fazes-me
isso, sim, prima ?
Pois sim... deilar-me-hei.
Bonita 1 o menino como tem passado a
noute ?
Bem. E tu que fizeste ? Leste ?
Li.
Costas das Meditaces de Lamartine ? disse
elle, tomando o livro de sobre a alraoada do ca-
nap.
Muito... Sao tristes..., respondeu ella.
Qual te falla raais ao coragao ?
A tristeza.
= Bera sei... acuda elle, recitaodo de cor
ao-sn re-
pentinamente langadas fra do leito.
No principio toda a gente jolgav r im
mor de trra, porm logo se espalhoa o boato de
que acabava de ter lugar nma terrirel eipio^o no
arsenal, onde trabalhavam mais de 4:0) pes-
soas.
Foi impossivel ter mo gente que ali estnra em
pregada, qnando sentiram o abalo, e todos e pre-
cipitaran) fra do edificio.
Felizmente, chegaram mensageiros nmimlini
da parte de MM. Hall e lhos que nao era no arse-
nal nem nos paies de plvora do gorerno, em
Plumstead-Marches, que a expioso tere logar.
Fortes destacamentos do posto de polica, d*!ar-
senal e da polica da cidade foram immediaunwn-
te enviados para o theatro da caustrophe.
Quando chegaram a casa de MM. Haii e inos.e
depois dos primeiros soccorros, veriticaram que l'J
pessoas tinham sido moras e feridas.
As perdas desta expioso, romprehendendn a
demoligo completa das fabricas d> plvora, com
as fabricas e edificios adjacentes. nio montara a
menos de 200:000 libras sierlinas
Calcula-se em cerca de 30:000 barrs a plvora
que fez expioso.
O rumo levou mais de meia hora a dissipar-se.
O dique do Tamisa rompeu-se e kzem-se enr-
gicos esforgos para o reparar antes na mar* alta.
Se se nao pudor reparar a tempo, o rio transborda
ra em Erith e as aldeias prximas.
O abalo sentiu-se muito sensivelmente en toda
a capital e arrabaldes.
As portas das janellas de muitas lojas em Lowers-
treet, Islngton. foram arrancadas dos gomo e
quebradas as vidragas.
O primeiro pensamento que se apresentoo ao es-
pirito do maior numero i que acabara e ter la-
gar um tremor de trra.
Todos saltaram pela cama fra, correado a li
para saberem o que era.
O Journal di! Toulouse escreve o segniate :
Ura incidente extraordinario r ir.- jumttm
a paruaa ao irem das tres horas e quirenta nal
utos. 4
Quatro individuos que se conservaran) constan-
temente juntos, e a parte dos oairos viaiames
tornaram-se logo objecto da attenco geraL Re-'
conheceu-se que eram os executores de alta ju-
tiga.
A' curiosidade succeden logo um morirjvnto e
repulsan e horror, quando no sobretodo pardaren-
to de um dos quatro se d.scobriram signaes san-
guinolentos do terrivel oflicio que pela auoh.i.i
exercera.
Em consequencia de distrargo oa nerlig.>nrn
imperdoavel, a parle inferior do sobretodo imlii
manchas de sangue ainda vermelho, qae nao po-
da ser senao do sappliciado l.atour.
A direcgo das vistas da multdo denoorioa e
que era objecto da expresso de horror dos nrcnav
stantes, e o sobretudo aenapavaaM na aula do
negligente e sinistro personagem.
Latour, no momento de sahir da soa celto,
disse :
Eu nao amo nem respeito seno o rarr-isro.
Se vou para o inferno, o diabo lera mais medo *
mim que eu delle.
E" possivel que eu esteja em
teus bragos, meu amor I... Que alegra e que De meJurs pllusans le flambeau se consume,
medo eu senti I... Foge, qae nao r ser este o tsile,nt Par degrs au soufjledu malheur.
primeiro e ultimo instante da minha feicidade !..
Foge, Raphael I... Ougo chorar o mea fllhioho...
isto agouro... a crianga chama-me... o anjo
que me est aecusando...
A eloquencia persuasira de Raphael contra as
apprehensoes de Beatriz, era de todo o ponto nulla,'
em quanto expresso, mas de seas labios mudos
resaltavam scintillas, que offascaram os olhos de
Beatriz. Fechou-os ella para nao ver o incendio ;
mas o mixto de lacerante pegonha e prazer verti-
ginoso que Ihe escaldou as veas, s haveraos de
compara-lo infernal deleitago da primeira mu-
Ou, s'il jette par fois une faible lueur
Cest quand ton souvenir dans mon sein se rallume.
Mas, proseguiu o morgado, o que nao ha no
ten coragao o souvenir do poeta de Elvira
Ha...
Qual ? !
A recordago do anjo da minha mocidade
Teu primo ? atalhou irado o marido.
Nao... o anjo da minha innocencia.
Nicolu sorriu-se, compondo o desmancho do
rosto, e disse com raaviosidade :
Quera ver-te feliz, prima I
Feliz como tu *
Esta pergunta deu-lhe nma pancada na alma. \
reflexo combaten o preconceito, e responden
Sim, feliz como en, qne te adoro, e te per-
do as magoas todas com que por vezes pertorbas
a immensa felicidade de te haver merend...
Sao quasi duas horas, ohservou Beatriz, de-
pois de mais longa expanso de termos affertuoses
do marido.
Queres dormir, prima ?
Se eu podesse... doc-me lanto a cabega!
Pois sim, vae, meu amor ; ou espertei roa o
muito caf que beb, e aproveito a vigilia para ir
escrevt-r aos feilores. Estou resolvido a demorar-
rao-nos era Lisboa. Vou alugar am paurele onde
o encontrar. Aqui estamos incommodados com a
pequea casa, e a bulla da ra. 8aaM de Ccar
em Lisboa alguns mezes f
E'-me indifferento.
Dzem que teremos bello theatro lyneo. To-
marei um camarote de assignatnra. As primas
Cmaras e as primas Mesquitas iro eomtifr., quan-
do os embaragos da poltica me nao deixarem .
Diz-me c, prima... Tu desejarias ser rHeoa-
dessa do Vidago ? OITerece-se-me excedente orea-
so, assim que o ministerio cahir. V li .joeres *
O qae tu qaizeres, primo... o qne en afn
muito queria era dormir... Sioto-me to destal-
lecida I..
Pois vai, filha, vai mas ama-me rnuno,** ?
Vem dar-rae um beijo... e al amanha.
Nicolao abancou a escrever aos fetore*. J&s-
aqui o specimen de uma das canas aos feilores :
t Ainda me sinto estremecer debaixo da elec-
tricidade dos teas olhos... Abro ao acaso as Ja>-
ditaces de Lamartine, e leio no casto d'amok.
Laissemoi respirer sur ees Ierres rermnUn
c Ce soufte par fum .' Qa*a1 je fait *_
c Parle-moi'... que ta roix me Imukt t
< Chaqu parole sur tu boucAe
Est un echo mlodieux .'..
Esta carta comega lyrica de maia para am fci-
tor I
Era provavelmente para Margarida Fromeat
(Continuar se-hm)
*
PERNAMBl'CO.TYP. DE M. F. DE F. UM)


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEW5GL7LO_QW5RMU INGEST_TIME 2013-08-27T23:31:04Z PACKAGE AA00011611_10509
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES