Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10508


This item is only available as the following downloads:


Full Text
#
m .
limo II. ..RSERO 252.
Por tret mtien adan lados 5fO00
Por \m mezes vencidos '. 6JJUUU
Porhrao correio por tres mezes. 57&0
.....
t. .. ..... W-.
'-.' 'npf
-
QUINTA FEIRA 3 DE HOYEMBRO BE 18S4.
P#r asno adan tad.....49J00O
Porte ao correio por um anno. 3$00
ENCARRS6ADOS A &UUt;i-C>0 ISO NORiE
Parahyba, o Sr.. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, a Sr. Antonio'Marues da Silva; Aracaty.o
Sr. A. de Lema* Braga; Cear, o Sr.. J. Jos de
Oliveira; Marai)hao,o Sr. Joaquim .{lasques Ro-
dngaes; Para, os Sra^ Manoel pinheiro cv C.'i A-
mazonas, o Sr. Jeronymo di Costa^ ( ...
NCARRKGADOS DA SUBSCRPgAO'.^ SL.
au.', o Sr. Ciautiino Faico Dias; Baha, o
rr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
ren Martics & Gasparino.
PABSIDA DOs KaKETAS.
Oiinda, Cabo e fiscada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Aitinbo e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Aiho, Nazareih, Limoeiro, Brejo, Pesgueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Taearai.Cabrob,
Boa Vista, Ouricury.e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, Rio Formoso, Taraandar,;Una, Barrei-
'- reviaua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
riba e-Fer^nando todas as vezes que para ali sahir
navio. **',.
i Todos os estafetas "panern ao Vi da.
EPHEMERIDES DG MEZ DE NOVEMBRO.
6 Quarto cresc. as 9 h., 33 m. e 2 s. da t.
13 La chela as 3 h., 13 m. e 36. s. da t
21 Quarto ming. as 4 h.t56 m. e 36 s. da m.
1 La nova a*s 4 ti., 57 m. e 26 s. da m.
PRBAMAR DB HOJB.
Primeira as 6 horas 54 minuto da m*wh?n
Segunda as 7 hora*.* 48 minutos da uro
___________i_______^_________________________..
ifKTJJA LOd VaK>R cOSKIROj.
Parao ni at Aiagas a 5 e 26; oka o norte at
a Granja 7 e t de cada me?; para Fernando nos
dias 14 los mezes dejan. marc.m.iio. jal. set. e nov.
PARTIDA DOS 'OMNiBUS.
Parad Recife: do Apipucos s 6 '/*, 7, 7 Vi, 8 e
8 Vi da.; de Oiinda s 8 da re. e 6 da tarde; de
Jaboatittas 6 Vi da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Reeife: para o Apipucos s 3 V. 4. Vfc V,
8> 5 Vi. I Va e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
miah $ 4 Vi da tarde; para Jahoato s 4 da
tarde; para Cachang e Varzea s 4 Vi da tarde;
- Marica s 4 da tarde.
AUb.ENC A DOS RIBUNA33 DA CAPr?AL
Tribunal docommercio: segundas quintas.
Reiaeo : tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quietes s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS DA MAXA.
31. Segunda. S. Quinlino m.: S. Lurilla v. n>.
1. Terya. t Pesia de indos M Sanios.
2. Quarla. Da de finados. S. Tobas m.
3. Quinta. S. Malaqnias b.; S. Ilerberlo m.
4. Si'Xla. S. Carlos Borrumeu are. de Mi lio.
o. Sabbado. Ss. Zaeharias e Isabel.
6. Domingo. S. Severo b. m. ; S. Albico.
AMIGNA-SB
no Recife, em a livraria da praca da Independen
ca ns. 6 e 8, dos proprieterio Maaoei FigMiroa
de Faria k Filho.
parte gfficial
toms m proyocia.
Expediente do dia 29 de outubre de IS i.
Oficio ao Exm. viscondo da ,Bpa-Vista, com-,
mandante superior da guarda nacional do Recife.
-Intorme V. Exc. sobre o que pede no incluso
requerimeato o alferes aggregado ao batalho n.
16 da guarda nacional do Pao d'Aiho, Manoel Fer-
reira dos Santos.
Dito ao mesmo.Sirva-se ,V. Exc. de informar
acerca do que pede
guarda nacional o pri
ria deste municipio, Joo
Dito ao coronel comuiandante das armas.Em
para o presidio de Fernando, no vapor que em
de partir para all no dia 4 de novembro vindouro,
a Emilia Candida de Lacerda.
Bita.O Sr. gerente da rompanhia Pernambu-
cana, mande por a disposico do juiz municipal
do lerino da Capella, na provincia de Sergipe, ha-
chare I Francisco Jqs Mar Un s l'euua Jnior, 3
passafengTl "r e 3 de proa, em lugares destina-
dos a passageiros de estado, no vapor que tem de
seguir at o porto do Aracaj, no dia 5 de novem-
bro prximo vindouro.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes vapor, mandem dar transporte para
a Babia por conta do ministerio da guerra, no va-
Generosa Tho-
do 2. bata-
r da Silva, bem
como a 2 filhas menores. Comwunicou-se ao co-
ronel commandanle das armas.
rw-se ,v. kxc. ae inrorraar "a,,,a i"ur touia miuisieno oa ue
'no incluso reqoerrmenlo o : Pr Q se espera do norte, a D. Ge
imeiro batathao Uc artilha- mazia da >ilva, casada com o alferes i
ao B'ptlsu. :^f l,,So de infanria Joaquinj Aonn d
defe-imento a reqertmento-qne aqu ajufito-do
soldado do stgdndo balelfo de infjiatara Valerio ------
Manoel dos PrazecestUHbriso V_S. a'mandar dar-; Despachos do dia 29 de ontnbra de 186 i.
liie baixa, aceitando em sen lugar parajinalisar o] Requerimetitos.
tempo complementar de serv(cd; o paisano Jote Padre Benlo Pereira do Reg.A thesonraria de
Ignacio da Silva Mou, gue-ira n(s condjedes do' fazenda esta autorlsada a adiantar ao sopplicanle
r'-i;nlamento de 29 de seternbro de i8o9, segundo; um mez de sold.
se v da sua infermacao.n. 1934 desla data. Garles Eduardo Redel. oqueiitf ao Exm.
Dito e inspeet* rt thesourana de fazenda.' presidente ta provincia de Maraoso.
risados para applicar o presente decreto s diffe-
rentes pracas do imperio.
Carlos '.arneiro de Campos, do meu conselho,
senador do imperio, ministro e secretario de estado
dos negocios da fazenda e presidente do tribunal
do thesouro nacional, asslm o ten ha entendido e
faca executar. I
Palacio do Rio de Janeiro, 21 de oulubro de
1864, 43 da independencia e do imperio.Com a
rubrica de S. M. o Imperador.CarM Canoro
de Campos.
Amanhaa se extrahir 2 parta da 3* lote- j
ria do thcatro de Santa Isabel (114*), sendo o maior
premio 6:000,8.
Deixou hornera de seguir o vapor Paran
para os portos de sul, para faze-ln boje, visto ter de
levar a seu bordo o 2." batalbao de inbnlaria.
No sabbado prximo val pela ultima vez
! scena o pomposo e muito applaudldo drama sacro
: os martyres da Gtrnumia, no qual nao tem poupa-
i do a empreza esforcos nemdespeza- para o appara-
1 to scenico nao ser someoos ao requerido pelo dra-
ma, e os actores a inteligencia e vida no desen-
volvimeoto dos papis, iraduzindo assim a concep-
I (ao do autor em sua verdadeira pureza.
Sendo essa, pois, a derradeira represenlacao,
aquellas pesseas que anda nao virara esto bello
?3 H C 1 v
f l a
ca t : = -i
B 3 *! 3
': ; _
: Jj

*
.' : *
i** i
i*-
: ,: :
>
o
c
>.
O premotor puplico da comarca de Goiaona baeha- Cosme Feliz Correa de Mello.-*Iolbrjne oSr. drama, devem aproveitar oensejo para por. ai mes-
rel Jos Antonio Correa da Silvaj^articipou-me desembargador proveder da Santa Casada Mise- mos formarem um juizo dessa produc{ao primo-
que em 15 do.'cerreote enirou mufozo ,da licenca ricordia. J 3 .' rosa, do trabalhoda compaphia eda belleza do ma-
chinismo, trindade esta que- encontra e arrebata
pelo seomento do belfo, que desperta em todos
que a apreciara.
Den o ecreio Minervense a soa partida no
dia 31 do pastado, correado a mesraa folgada.
Daofou-se at as tres horas pouco mais oa me-
nos.
Hoje realisa-ae o concert em beneficio do
hbil flautista belga, Reichert.no >anra Isabel, com
o programma n'outta parle transcripto. O reco-
nhecido mrito deste artista e a perfeicao com que
toca esse instrumento", sao garantes do agradavel
sero.que devem passar aquellas que a elle assis-
tirem. .
O criminoso Franeisco Correa de Atahyde Sl-
queira, ha pouco remettido d'aqui para Flores, lo
grou evadirse da respectivacadeia, em cuja sata
Rvre seachava a ordem do Dr. juiz municipal.
Cr se estar homisiado no terato de Plane, pro-
vincia da Parahiba.
Evadiram-se igualmente do poder da forja que
os conduzia para o mesmo lugar os criminosos F-
lix de Souza Firmo de Veras e Porfirio Jos Fer-
reira, no lugar Santa Rosa de Lima.
A forca acha-se presa a ordem do commanJante
dar armas para-a competente invesligacao.
Passageiros do vapor brasileire Paran, sa-
bido para os portos do norte:
D. Guillermina Anglica da Costa, padre Igna-
cio Ibiapino da Silva Lobrol, Joo Neponoceno
Borge, Jucundo Borges da Fonceca, Antonio de
Mello Rogers, Candido O. de Oliveira Mello, Ri-
cardo Hdghes e sua senhora, Dr. Francisco de Pau-
la e Silva Primo, com 1 escravo, Manoel Bernardo
de Moraes, Manoel Jos da Cuaha, Ernesto A. de
Vaertc8os Chawj9, 1 eScravo ifa Teodorto P. da
para sea cnhecimenlo.^i^
Dito ao meMiio.ftcmmendo ,V S,,^ue,
considerando justificadas as faifas que deu o pro-
motor publico da comarca' a& Ouncury bacharel
Angelo Caetano de Souza Couss'ira, deixando de
exercef as funegoes do sed erapregoLa^contar de
2o at 30 de selembro ultimo, maod||^iagar-lhe
integralmente os seus venciioealos, relativos quel-
ie mez, como pede no incluso requerimento.
Diloao mesmo.Parttcrpando-m o inspector do
arsenal de marinba-em offlcib de;.24 do' eerrente,
que, por achar-s doenfe 0 professr ejtrimeiras
leltras do mesmo arsenal Catulino Gonealv'e.-. Les-
sa, nomera o agente comp/adof Oedeao Farjz de
Lacerda para servir interinamente o lugar de pro-
fessr ; assim o faro constar A. V. S. para seu co-
nhecimento.
Dito ao mesmo.Remello inclusos os' recfoeri-
mentos dos caplaes do segundo batalho de ifan-
taria Jos Hermenegildo Leal Ferreira, e do dci-
mo terceiro da mesma arma Augusto Leal Ferrei-
ra, alim de que V. S. mande abonar em os devidos
tempos as prestacoes que elles pretended! consig-
nar de seus sidos nesta provincia, urna vez que
essas prestares nao excedam dos limites da circu-
lar do ministerio da guerra de 25 de abril de
1863.Expedio-se ordem aos agentes da Compa-
nhia Brasileira de paquetes a vapor, para mandar
dar passagem para a corte ao capito Augusto
Leal Ferreira e sua mulher, e communieou-se ao
coronel commandanle rias armas.
Dito ao mesmo.Avista dos inclusos reqneri-
^emo^jttr^tfai-caiuni^ps alferes do segundo
batalho de infantera J iai]W" J"><; >ves de xs, e do decima do m.smaflL1 v'ccnto Ferreira'
ae Loreu, nimoo v. o. oHhi em os aevinos
tempos as prestaQoes que elles prelendem consig-
PERNAMRUCO.
nar de seus sidos nesta previncia.Communicou-
se ao coronel commandanle das armas.
Dito ao mesmo.O juiz de direito da comarca
da Boa-Vista, partlcipou-me em omcio de*26 do
mez passado, que, por ter adoecido o bacflarel An-
celo Caetano de Souza Cousseiro, nomeou a Ma-
noel J.Bezerra de Caivalho para ezercer uterina-
mente alli o cargo de promotor publico ; o que
communicu V. S. para seu conbecimento.
Dito ao inspector da ihesouraria provincial.
Tomando em consideracao o que expoe a profes-
sora de instruccio elementar da cidade de Nata-
reth Maria Benedicta da Molla Silveira, no inclu-
so requerimento documentado, reroinmendo V. tor sido mandado para a provmcte
S. que de conformidade com o disposto noart. 3. pelo governo imperial a disposico
da lei n. 5'.>8de 13 de maio Ultime, mande pagar a
supplicaote a gratificacao que Ihe fui concedida
mais de 15 annos do exercicio no seu magls-
Francisio.Beringuer Cesar de Meezes.Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Juvencio remporal.Informe o Sr. director gev
ral da instroco publica.
Joao Francisco Paes Brrelo.Requeira ao Sr.
lospector da thesouraria de fazenda
. Jos Firmitio Ribeiro.Iodefendo.
Padre Juvneio Verissimo dos AojosAsslgnado,
volte querenoo.
Joao Nunes Sorrea Informe o Sr. administra-
dor do correio.
Matbias.-Moforme o &r> Dr. chefe'de polica.
Maria Joaquina do Nascimento. Informe o Sr.
tenente-coronel recrutador.
Mathtlde Francisca das Chagas. Infrmelo Sr.
Dr. chefe de policia
Manoel Gomes da Silva Jnior.Pode seguir.
Valentim Jos Bezerra.Pode seguir.
C0MMAND8 DAS ARMAS.
Quartel a*o rom man do das armas de Pernaraboeo,
na cidade do Recife, 1 de novembro de 1SG i.
ORDEM DO DA N. 9.
O coronel commandanle das armas, determina
que nesia data sejam desligados do batalho 9o de
infantera a que se acham addido, os Srs. capito
do 13o Augusto Leal Ferrejra, alferes Boa.venlura
Leitao de Almeida, e Vicente Ferreira de Lorna,
este do 10* e aquelle do 1 todos da mesma arma,
s quaes seguem no vapor Paran seus desti-
nos. Determina outro su-n, que fique addido ao
referido 9 batalho o Sr. alferes do 2o Jos Lucas
Soa res UapoM d* auura^jue, por molestia coin-
nrovida^ nm >^yftft^B.% A*'''ia [Miiar o seu corno para a corte.
Assinado.Joaqmm Jos Goncalves Fontes.
Conforme. -Jos Francisco de Moraes e Vascon-
cellos, capito ajudante d'ordens encarregado do
detallie interinamente.
REVISTA MARA.
por__
terio, a contar de 14 de junho de 1862, em que
completou aquel'e lempo, e nesle sentido deve ex-
pedir os suas ordens para o respectivo pagamento,
fazendo processar a quanlia que pertencer aos
exerricios j encerrados, afim de ser paga quando
a assembla legislativa provincial marcar o neces-
sario crdito.
Dito ao commandanle do presidio jde Fernando
Na primeira opportuuidade remella V. >. para este
capital o menor Jos, irmao da infeliz Maria
Luist da Conceieao, alim de ministrar em presen-
ca do juiz municipal da primeira vara desla cida-
de, inforroacoos acerca do brbaro assassinalo
Foi dispensado da directora das obras publicas
o Sr. Dr. Francisco Raphael de Mello llego, visto
do Amazonas
da respectiva
presidencia.
A noticia que demos acerca do Monte Po
Acadmico carece da seguinte rectificacao :
Essa in-tiluiyo nao foi restaurada de commum
com os annos superiores da Faculdade ; mas sim-
plesmeale pelos primeir'annistas. O que deu-se
com relaco aos annos superiores, foi serem pagas
duas matriculas a alumnos delles pelo Monte Pi.
Pelo ministerio da fazenda foi publicado o
decreto seguinte em data de 21 do passado :
Indultando os contraventores do art. 1 10 da lei
n. 1,083 de 22 de agosto de 1860, e remittindo
as rivalidaces e multas do regulamento do sello
de 26 de dezembro de 1860.
Considerando que as circumstancias das casas
bancanas fallidas nesta corle, que emittiram ille-
ex U 1 1 1 1 Masculino, i ** o 1 > z
sPJ i k* 1 te*1 o 1 1 Feminino. 81 ] o 9 H
i * 1 ^ 1 Masculino. "1 1 u 1 H V H S ? '83 i
# i 1 Feminino.
? - J. Masculino. 1 M T n i E9
m i i 1 . 1 Feminino. 1 ' > < O V.
* *4 i i 1 Masculino. 1 00 1
^1 A 1 1 Feminino.
s. I i 1 1 00 Masculino. > I
A I I Feminino. 1 I 5 1 ) ->
i
I
m. 1 TOTAL.
I
vt I
=
o
dous ofUcios datados de boje, do esenvao interino
de appellaedes, aggravos e protestos de letras, pe-
dindo n'nm que se Ihe forneca urna relagao dos au-
tos que o fallecido escrivao, a quem substitue, sub-
mettera final concluso, nao s da presidencia,
mas tambem da dossenhores juizes relatores por
embargos aos venerandos accordaos : e n*outro
pedfndo que seja conferenciado o sobredito inven-
tario com o livro da distribuico dos feitos aos *s-
crlvSes, afim de que se conheca se ha oa nao ex-
travos.
Assignou-se o accordo proferido na ultima
sesso, entre parles :
Appellante, Antonio Jos de Azevedo ; appella-
do, Joo Henrique Denker.
JULGAMENTOS.
Appellante, Jos Soares Leite da Costa; appel-
lado, Antonio Ferreira da Silva Maia.
Adiado na sessao anterior.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellaoies, Tasso limaos ; appellados. Ma-
noel Jos Salgado outo c Francisco Luiz Sal-
gado.
Adiado na ultima sesso.
Confirmada a seiitenea.
Appellante, Dr. Francisco de Paula Baptisu; ap-
pellada, D. Anna Mana das Dures.
Reformada a senlenea.
Appellante, Jos Tbomaz da Silva Jnior; ap-
pellado, Antouio Carlos Leite.
(infirmada a sentenga. <
Appellante, Manoel dos Santos Oliveira Goo^al-
ves ; appellado, Felippe Nery.
Confirmada a senlenea.
Appellaole, a fazenda; appellados, a viavae Blhos
de Luiz Gomes Ferreira.
Desprezaram-sf os embargos.
Appellanle, o juizo ; ap|x-llada, Luiza Tbomazi*
Correia.
Confirmada a sentenca.
Appellanle, a fazenda ; appellada, D. Anna De!-
fina l'aes Brrelo.
Confirmada a seolenca.
nsniafao de da.
dii para julgaineuto dos segaint*?
Foi confirmada a sentenca appellada com o voto Claudino Pacifico
Assignou-se
feitos :
Ap/iellaroes dimes.
Appellante. o promotor ; appellado.
Antonio
te
ao
, perpetrado pelo sen leu ciado Manoel j galment* ttulos ao portador, nao comprehendidos
Antonio Carneiro. Communicou-se ao juiz muni-; na excepgo do arl. Io g 10 da lei n. 1,083 de 22
Dito ao commandanle do corpo de policia.Pode to da mulla do qiiadruplo do valor, porquanto, se
V S mandar alisiar no corpo sob seu commando, i Ihes fosse imposta, vina a absorver toda a impor-
visto une foi considerado apio para isso, em ins- tancia das massas fallidas, e por outro lado obn-
' Silva,' garia os porladores, alm da perda dos lilulos, ao
pagamento de outro quadruplo com gravissimo
prejuiz) de todos os interesses comprometlidos as
referidas casas bancarias e do commercio em
geral.
Viste a minha imperial resolucao de 5 do cor-
peccad de sade o pai de que trata o seu offiVio desta d?
de que trata o sen omeio oesia data n. 479.
Dito ao mesmo.Visto que sao de mo compor-
tamento como V. S. declarou em seu ofilcio n. 474
de 26 do corrente, os soldados do corpo sob seu
commando Guilb-'rme Joaquim Jos de Sania An-,
ria Joanuim Pereira do Nascimento, Jos Joaquim rente proferida sobre consulta das secgoes de fa-
dos Santos, Antonio Candido de Assis, Francisco zendaejustiga do consejtto de estado^ ^___^ ^
de Barros Luna-e o corneta Franeisco Xavier da
Sil-va ntende V. S. dar-lhes baixa, fazendo apre-
senta'r desses individuos ao commandanle das ar-
mas os que esliverem as circumstancias de serem
recrutados.Communicou-se ao coronel comman-
dante das armas.
Dito ao director das obras militares. hxij V. 5.
do 2. lente de engenbeiros Jos Tiburcio Perei-
de Magalhe?, e me envi com brevidade, urna
E usando do poder moderador, nos termos do
arl. 101, 9o da conslituico do imperio.
Hei por bem decretar o segrale :
Arl. 1. Ficam indultados os contraventores do
art. 1 110 da lei n. 1,083 de 22 de agosto de 1860
na parte em que prohibe a emisso de ttulos ao
portador, ou com o nome desie om branco, sem au-
torisacao do poder legislativo.
Paragrapho nico. A disposico deste artigo re-
fere-se, quanto as casas bancarias fallidas nesta
que allude'o relatorio que V. S. me corte no mez prximo passado, s contravencoes
tran m ttio com o seu ofilcio n. 68 de 20 de junho at a data da cessacao de seus W**"
niVimr. rada Pela autoridade judicial, e quanto a outro in-
Dito ao conselho administrativo.- Recommendo dividuos, sociedades B corpora5oes as que t.verem
ao conselho administrativo, que compre para for- tido lugar ate o da 14 do Jj
ecimento do almoxarifado do presidio de Fernn- Art. 2.- Os ttulos ao portador apprehend.do, em
do, os objectos mencionados no incluso pedido, me- consequencia das contravencoes ae que trata o
nos os 200 covados de tapete nelle indicado.-Fize- artigo precedente serao re^W^_0qae_08 W
ram-se as necessarias commnnicacSes. rem apresentado as autoridades judiciarias ou aa
Diio ao gerente da companhia Pernambucana.- minisl.ativas, assim policiaes como nscaes nci acto
Ao offleio que Vmc me dirigi em 20 do corrente, da apprehensao, pondo-se 9ff^J^S^X:
respondo derlarando-lhe qe fica concedido o dos os processos que se flzeram a respeiw oe taes
prazo improrogavel de 60 das para dntro delle contravengoes, qualquer que seja o esiaoo em que
apresentar o 2. maquinista do vapor Persinunga, se achera.
Charles Hall a caria de sua profisso. Commum- Art. 3. E1 concedido o prasoi de o das, con a-
con-se ao capltao do porto. dos da publicagao do presento decreto, para sella-
Porlaria.-O presidente da provincia, conflr- rem-se, independente de rivalidacaoe multa, quaes-
mando-se com a proposte do Dr. chefe de policia, quer ttulos e papis que em coniraveDjjao as leis.
n. 1330 do 28 corrente, resolve considerar vasos e regulamentos sobre o sello, nao nverem sino su-
os lugares de 1." 3." e 4. snpplenles do sundele- jeitos a esta formalidade.
SjaiVtts i es-
Goroes, Dr. Antonio
suni|H;ao, ai^i
cravo, Dr. Vicente Ferreira
Vicente do Nascimento Feitosa Filho, Joaquim Lo
pes Lobo, Francisco Xavier dos Res Lisboa, A-
dnano dos Santos Pereira, com 1 esurava, Ada-
masior Raymundo da Silva.
Repartiqao da polica.
Extracto das partes dos dias 1 e 2 de novembro
de 1864.
Foram recolhidos casa de detencao no da 31
de oulubro:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de policia, Ter-
tuliano Antonio Francisco, para ser piocessado por
crime de furto de cavados; e Domingos escravo de
Joaquim Dias Fernandes, a requerimento deste.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Guilherme
da Costa, por estar sendo processado por crime de
roubo.
A" ordem do subdelegado do Recife, Joo Fran-
cisco das Chagas, Manoel Francisco Gomes, por
bnga; os belgas Alberto, Pedro, e o hollandez
Joo, para correccao; e Antonio, escravo de Fran-
cisco Jos da Cosa, requerimento deste.
A' ordem do de S. Jos, Benlo Jos da llosa,
Thomaz, escravo de Joo Jos Jacintho de Medei-
ros, Joo, escravo do baro do Livramento, por
disturbios; e Lourenco Jos Barbosa, para corree-
cao.
A' ordem do da Boa-Vista, Jos, escravo de Fran-
cisco Joo Carneiro da Cimba, por fgido.
A' ordem do da Capunga, Ivo Correia, para cor-
reccao.
Io de novembro.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Tra-
jano Jos Nogueira, vindo do Cear, como crimi-
noso de morle; e Felippe, escravo de Manoel An-
tonio, sem dcclaraeo do motivo.
A' ordem do subdelegado do Recife, o inglez
William Eatban, por embriaguez.
A' ordem do de S. Jos, Manoel Rodrigues -er-
pa, para correcto; Rosa Maria Joaquina, por bri-
ba; e Miguel, escravo de Jos Vellozo da Silveira,
para avenguaces.
A' ordem do da Capunga, Antonio Henrique de
Luceoa, para correccao.
A disposico do depositario geral, Galdino, es-
cravo de Manoel Jos Freir de Almeida, afim de
ser alli conservado.
O chefe da 2" seccao,
/. G. de Mesquita.
Movimento da casa de detencao do dia 31
de outubro de 1864 :
Existiam....... 358 presos.
Entraran)...... 16
Sahiram....... 13
ADVERCENCIA.
Na totalidad.1 dos doentes cxistem 141, sendo
82 homenae 59 raulhercs.
Foram asiladas as enfermaras estes dias :
Pelo Dr, O l|2. ?
Pelo Dr. Sarment s 8, 8 1[2, II, 8 1[2, 6, 8 3|4,
Fallecern! :
Olina Joanaa Pereira, infeceo purulenta.
Joaquim Canuto, aneurisma da aorte.
CHROMCAJUDIGIAUIA
TRIHI.WVI, 10 COIHIIIERCIO.
AttA DA SESSO ADMINISTRA-
WJ DE 27 DE OUTUBRO DE 1864.
IDRJtCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
%JSKLM0 FRANCISCO PERETTI.
horas da inanhaa, estando reunidos os Srs. I
rs .ITIIIU.-, iiu^a, o. niwiui.u 'V V2JpTJ^TTi1
Basto, e presente o Sr. desembargador fiscal, o
Exm. Sr. presidente declarou aberta a sessao ao
loque da campainha.
Lida, foi approvada a acia da antecedente.
Nao houve expediente.
DESPACHOS.
No requerimento de Antonio de Almeida Gomes,
pedindo permisse para copiar no livro que ora
aprsente para ser rubricado, a sua corresponden-
cia do meiado de fevereiro deste anno em diante,
quando se finalisou o livro que havia sido rubrica-
do em 18 de dezembro de 1862 :Nao tem lugar.
No de Caminha A Irmao, como liquidantes da
extracta firma de Caminha & Filhos, pedindo cer-
tidao do theor da sentenca que concedeu a reha-
bilitaco impetrada pelos mesmos :Como reque-
rem.
No de Franklin Jos de Andrado Poggi, pedin-
do que seja registrada a procuraco que aprsenla
do coramendador Joo Jos Innocneio Poggi e Jos
Luiz Innocneio Poggi e Jos Paulo da Fonseca :
Registre-se.
No de Jos Camello de Mello e Vasconcellos c
Paulino Fernandes da Costa, peJindo que seja re-
gistrado o seu contrato social, visto pelo Sr. des-
embargador fiscal :Begistre-se.
No de Manoel Ribeiro de Carvalho, cidadao por-
tuguez, natural da illia de S. Miguel, de 36 annos
de idade, pedindo ser admittido matricula ; visto
pelo Sr. desembargador fiscal :Matricule-se.
No do bacharel Antonio de Carvalho Raposo, pe-
dindo que seja registrado o contrato de sociedade
que aprsenla, visto igualmente pelo Sr. desembar-
gador fiscal :Satisfaga o parecer fiscal.
Foram distribuidos qualro livros Diarios para ser
rubricados pelos genitores depulados, sendo um da
casa commereial de Barbosa & Primo, outro da de
Augusto C. do Abreu, outro da de Antonio Alberto
de Souza Aguiar e oulro de Antonio Domingues de
Almeida Porgas.
Nada mais houve, e foi encerrada a sesso s
114 horas do dia.
do Exm. Sr. presidente.
Appellantes, Tasso Irmao; appellados, Manoel
Jos Salgado Couto o Francisco Luiz Salgado.
Adiado na precedente sesso
Foi confirmada a senlenea appellada com o voto
do Exm. Sr. presidente.
Appellantes, os curadores fiscaes da massa falli-
da da viuva Amorim & Filhos e Thomaz de Faria;
appellado, Antonio Bodrgues Fernandes Vieira.
Adiado o julgamento requerimento de um Sr.
deputado.
Appellantes, os curadores fiscaes da massa falli-
da de Seve Filhos & C.; appellado. Bernuard
Spiro.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Francisco Antonio de Brito ; appel-
lado, David William Bowman.
Desprezaram-se os embargos.
Appellantes, Guimares & Oliveira : appellados,
0 presidente e directores da caixa filial do Banco
do Brasil nesta cidade.
Foram desprezados os embargos com o voto do
Exm. Sr. presidente.
Appellante, BentoJosjla Coste ; appellado, Joao
Frederico de Abreu Reg
Desprezaram-se os embargos.
Appellantes, Novaes & Lima ; appellado, Fran-
cisco Soares Reluniba.
Adiado o julgamento requerimento de um dos
Srs. deputados.
Appellanle, Manoel Goncalves da Silva ; appel-
lados, os curadores fiscaes da fallencia de Amorim,
Fragoso, Santos & C.
Adiado o julgamento requerimento de urn dos
' Srs. deputados.
Appellante, Joaquim Juvneio da Silva; appella-
1 dos, os curadores fiscaes da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & C.
Adiado o julgamento requerimento de um dos
Srs. deputados.
ftBvm fr- Umm rrwttm an Hffpt, fr.,
appellado, Jos Thom.
appellado, Antonio Jo-:
gado da freguezia de Muribeca, o 1." e 4." por te-
rem deixado de prestar juramento, e 3. por ter o
bacharel Francisco do Reg Barros de Lacerda,
mudado de domicilio; e por esses lugares, assim
como para o de 2." que ora fiea vago noma :
1. o 2. supplente capito Augusto de S e Albu-
querque.
2. Herculano Antonio de Moraes e Silva.
3." Andr de S e Albnquerque.
4." Jos Rodrigues da Silva Lima Jnior.Com-
municou-se ao Dr. chefe de polica.
Dte.O Sr. gerente da companhia Pernambu^
cana, mande dar urna passagem de estado a r
!. O favor deste artigo refere-se s contra-
vencoes que tiverem tido lugar at a date da pu-
blicacao deste decrete.
| 2 Exceptan) se das disposicoes do mesmo
artigo os titulse papis sem data, os quaes,quan-
do aprenentedos ao sello, sero rivalidados na for-
ma do art. 53 do regulamento n. 2,713 de 26 de
dezembro de 1860, e arl. 29 do decreto u. 3,179 de
13 de agosto de 1863.
Art. 4." As disposicSes dos arligos antecedentes
o comprehendem a decisoes passadas em julga-
do a respeito das referidas contraveucdes.
Art. 5." Os oresidente* de provincia ficam auto-
Existem....... 361
A saber
Nacionaes..... 285
Estrangeiros...
Mulheres......
Estrangeira....
Escravos ......
Escravas......
4
21
1
45
5
361
Alimentados custe dos cofres provinciaes 142
Movimento da casa de detenejio do da Io de
novembro de 1864.
Existiam....... 361 presos.
Entraram...... 8
Sahiram....... 4 >
Existera....... 365
A saber
Nacionaes.....
Mulheres......
Estrangeiros...
Eslrangeiras...
Escravos......
Escravas......
284
5
23
1
47
5
365
Alimentados a custe dos cofres provinciaes 138
Movimento da enfermara no dia 1 de novembro
de 1864.
Teve baixa.
Luiz escravo, sentenciado.
Teve alta.
Joo, escravo de Francisco da Rocha.
SESSO JUDICIARIA EM 27 DE OUTUBRO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Guimares.
As 11 j horas dantanha, o Exm. Sr. presidente
abri a sesso estando reunidos os Srs. desembar-
gadores liis e Silva, Silva Guimares, Assis Rocha
e Accioli e os Srs. deputados Lentos, Rosa, Candido
Alcoforado, e supplente Basto.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
Foi apresentada ao Exm. Sr. presidente a res-
posta dos escrives de protestos de letras, em cum-
prmento da portara que Ihes foi dirigida a 24 do
corrente mez : eS. Exc. na presente data expedio
outra portara nos segrales termos :
i Ordeno que o escrivao effectivo e o interino de
protestos facam o que asseveram em sua resposta
de 24 do corrente ter-se feito at o presente per-
manecende sempre um dos escrives no cartorio
at o por do sol : devendo os protestos, emquanto
o contrario nao for determinado, serem escriptos
pelos retendos escrives, saber, por um em urna
semana e pelo outro na seguinte, de modo que
sendo igual a parte de emolumentos, que toca a
cada um, igual seja tambem o servico de cada
um; certo de que se assim nao acontecer manda-
rei proceder a destrbuigao.
Apresentada ao Exm. Sr. presidente a peticao de
Manoel Jos de Sant'Anna Aranjo, concorrenle ao
lugar de escrivao de appellacoes, aggravos o pro-
testos de letras, instruida com 14 documentos para
que S. Exc. se digne informar ao governo de Sua
Magestade Imperial sobre suas habilitacSes ao dito
lugar, teve o seguinte despacho :
Guarde-se para ir com as ioformacoes que
forem dadas a respeito dos outros concorrentcs.
Sendo presente ao Exm. Sr. presidente o_ofilcio
de 26 do corrente dos escrives de appellacoes, ag-
gravos e protestos de letras, acompanhado do in-
ventario dos autos, livros e mais papis do carto-
torlo do fallecido escrlve Guilhermmo de Albu-
Martins Pereira : S. Exc. mandou ar-
v [.. t..'.u...... w iVHUal o a re
signagao de um dos senhores desembargadores
para vir substitui-lo na presidencia deste tribunal,
emquanto tiver lugar o julgamento do feilo entre
partes : Appellante, o Dr. Prxedes Gemes de Sou-
za Pianga ; appellado, Oetaviano de Souza Fran-
ca ; visto ser o mesmo Exm. Sr. presidente suspei-
to, e serem juizes em dito feito os senhoresdesem-
bargadores Res e Silva e Silva Guimares, aos
quaes competa assumir o referido cargo.
PASSAGENS.
Appellantes, o presidente e directores da Caixa
Filial do Banco do Brasil nesta cidade ; appella-
dos, o curador da massa fallida de Manoel Alves
Guerra e tambem este.
Appellante, Vicente Alves Machado ; appellados,
Prente Vianna & C.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembardor Accioli.
Appellantes, Sampaio Silva & C. ; appellado, An-
tonio dcAzevedo Castro.
Appellantes, o Dr. Felippe Nery Collaco & C.;
appellado, Geraldo Henriques de Mira.
Appellante, Joaquim Jos dos Sanios Andrade ;
appellado, Antonio da Silva Pontee Guimares.
Appellante, Joaquim Francisco Du^rtc, como in-
ventariante dos bens de seu finado filho Maximia-
no Francisco Rigueira Duarie ; appellados, Manoe
Joaquim do llego e Albuquerque e Joaquim Pedro
do Reg Barreto.
Appellante, Ignacio Barroso de Mello ; appella-
do, Antonio de Azevedo Villarouco.
Do Sr. desembargador Aceioli ao Sr. desembar-
gador Beis e Silva.
DISTHIIIIICOES.
Appellanle, Ignacio Pereira do Valle ; appella-
do?, os curadores fiscaes da fallencia de Amorim,
Fragoso, Santos & C.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares.
Appellanle, Joaquim Goncalves Ferreira ; appel-
lado, Pedro Cavalcanti de Albuquerque Ucha.
Ao Sr. desembargador Aceioli.
Appellantes, os administradores da fallencia de
Siqueira 4 Pereira : appellados, os administrado-
res da fallencia de Guimares & Irmao.
Ao Sr. desembargador Reis e Silva
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
ente encerrou a sesso 1 X nora terde.
Appellante, o promotor ; appellado, Jos Rodri-
gues Correia.
Appellanle, Jo.- Flix Rodrigues ; appellado, o
juizo.
Appellanle, o juizo ; appellado, Jos Marun
Viauna.
Appellante, Luiz Manoel Flor ; appellada, a
juslica.
Appellanle, e juizo ; appellado, Jos M-r> da
Silva.
Appellante, o juizo; appellado, Ignacio Mo
reir.
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Jos de
Moura.
Appellante, o juizo
appellante, o promotor
de Souza.
As appellares citis.
Appellante, Domingos Jos Das de Oliveira ; ap-
pellada, a cmara municipal.
Appellante, Jet Ribeiro Lima ; appellad*, Ma-
noel Soares do Nascimento.
Appellanle, Luiz Antonio Aunes Jacome; appel-
lado, Francisco de Salles Cardoso Lima.
Appellante, D. Anna Ignacia de Araujo ; appella-
do, Mauoel Francisco Tourinho.
Appellanle, Jos Pereira de Araujo : appellado.
Joo Mauoel Pontual Jnior e outros.
Appellanle, a fazenda ; appellado, Pedro Ale-
xandrino de Barros Cavalcanii.
A revista civel.
Recorrentes, Jos Ferreira Pires e outros ; re-
corrido, o administrador das rendas de Cabo-
Fro.
Recrreme, Jos Pitia Maciel ; recorridos, Ale-
xandre Jos Dias e outros.
DILIGENCIAS CRIMES.
Cora viste ao Sr. desembargador promotor da
justica
A appellaco crime.
querque
chivar.
TRIBUNAL DA RJEIiACAO.
SESSO EM 29 DE OUTUBRO.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
s 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Santiago, Gitirana, Lourenco San-
tiago, Almeida e Albuquerque, Assis, Doria, Molla,
Ucha Cavalcanti, e Domingues da Silva, abrio-se a
sesso.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
ra, compareceu.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JULGAMENTOS
Aggravos de peticao.
Aggravanfe, Jos Ribeiro Bastos; aggravado, o
juizo.
Relator o Sr. desembargador Santiago.
Sorteados o? senhores desembargadores Dona,
e Ucha Cavalcanti.
Negou-se provimento.
Appellacoes civeis.
Appellante, Adriano Xavier Pereira deBnto;
appellada, a fazenda.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, a fazenda ; appellado, Pedro Ale-
xandrino de Barros Cavalcanti de Albuquerque e
ootros.
Confirmada a sentenca.
Appellanle, a fazenda appellado, Antonio Joa-
quim de Oliveira Baduem.
Confirmada a sentenca.
Appellantes, Carlos Jos Aslley A C.; appellada,
a fazenda nacional.
Confirmada a sentenca.
Appellante, Lourenco Jos das Neves; appella-
do, Jos da Rocha Paranhos.
Mandouse pagar o sello devido.
Appellante, Manoel Pairo do NMelmcu'.a s ap-
PASSAGENS
O Sr. desembargador Caetano Santiago passou
ao Sr. desembargador Gitirana
As appellares crimes.
Appellanle, o juizo ; appellada, Paulina Um-
ger.
Appellanle, Antonio Barbosa do Reg, por seu
curador ; appellada, a ju.-liea.
Appellante, o juizo ; appellados, Bazilio Alves
Correia e outros.
Appellanle, Alexaudre Pereira de Souza Tava-
res; appellada. ajustica.
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
desembargador Lourenco Santiago
,1 appeaaw a une.
Appellante, o promotor ; appellido, Manoel J
de Souza.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago *> >r
desembargador Almeida e Albuquerque
A aiielariu crime.
Appellanle, o juizo apellado. Mana Luiza da
Conceieao.
As appellarts CtVtU.
Appellante, Thomaz Machado de Aquino : ap-
pellados, Epiphanio t Casaca.
Appellante, Firinino Theotonio da Cmara San-
tiago ; appellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
Aj appellacoes civeis.
Appellanle, a fazenda; appellado, Ignacio Luiz
de Brilo Taborda.
Appellante, Joo do llego Barros Arci..h : appel-
lado, Benlo Jos Ramos de Oliveira.
Appellanle, Gaudenno Goncalves Chaves ; ap-
pellado, Martinho Gomes da Silveira.
Appellante, a cmara municipal ; appellada. a
innandade de S. Pedro.
A appellui'iio crime.
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Cari-
de Souza.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Doria
A appellaalo mine.
Appellante, Placido, escravo ; appellada, a ju>-
liga.
A appellaco civel.
Appellante, Jos Joaquim da Rocha Faria* ; ap-
pellado, Frederico Augusto Velloso da Silveira
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desemttar-
bargador Molla
As appellaces crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos de Souza
Lima.
Appellante, o juizo ; appellada, Josepha Maria
da Trindade.
Appellante, Francisco Ferreira de Souza; appel-
lado, o juizo.
As appellacoes civeis.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Vaz Te-
norio de Albuquerque.
Appellante, Joo Paes Brrelo de Lacerda ; ap-
pellado, Manoel Ignacio de Albuquerque Mara-
nho.
Appellante, Joao Maria Paes Barreto appella-
do, Jos dos Sanios Neves.
Appellanle, Luiz de Albuquerque Marannao :
appellados, Joo Francisco de Oliveira e ouirus.
Appellante, Tnsto Aniupes de Alencar ; appel-
lada, a zaenda.
Appellanle, Vicente Antonio do Espirito Santo
appellado, Caetano Lenidas Gama.
Appellantes, Santos & Rolim ; appellado, Jos
Moreira Lopes.
Appellante, Antonio Gomes de Albuquerque ;
appellado, Guilherme Augusto de Miranda.
Ao Sr. desembargador Ucha Cavalcanti
Foram tambem presentes ao mesmo Exm. Sr.'pellado, Antonio Moroira dos Res.
A appellaco civel.
Appellante, Jos Gomes dos Santos Pereira de
Bastos; appellado, Dr. Francisco Elias do Reg
Dantas.
Do Sr. desembargador Motte ao Sr. desembar-
gador Ijcha Cavalcanti
A appellacoes civeis.
Appellante, Francisco Barbosa de Mello ; appel-
lado, Antonio Lourenco de Souza.
Appellante, Jos Lopes Barrsiros ; appeilaw,
Beruardino Lopes de Oliveira Franco.
MELHOR EXEMPLR ENCONTRADO
ILEGVEL


u
Diarlo de PerMMkaeo 0n!n LifTEMIft!
Discurso do
Brrelo Hlh.
! calado, como quem prorurava recordar-se, e, afi-
nal, disse com um sorriso muito significativo :
Sern duvida gostar mais de um pantoun,
Sr Jos Pullo "0 C*0 uma cancao indiana, por exeraplo, a que conhe-
: cida pelo nome de Sullana do Sol.
C)
Sjm ; essa, disse a mura.
Coobece-a, miss ?
Nao ; mas como de Sultana, deve haver...
um Sulio. Preflro sso ao seu astrnomo do
Cabo.
O cantor comecou por um desses preludios, que
annuncian as plangentes melopeas de todos os po-
vos orientaes ; entre ellos, sempre a suave me-
laucolia queacompanha os doces bOObot ou xtasis
do amor. O sol, que infunde tanto ardor as pai-
xdes, inspira apenas uma terna e calma meloda
aos artistas que as exprimen!. No norte, o amor
prefere sempre o barulho.
Essa harmona melanclica est em perfeito ac-
cordo com as noutes estrelladas, e as silenciosas
horas dos ocanos do sal.' A radiante immensidade
da naiureza inspira ao homem tranquillas confiden-
>r ees lo, um da grandioso, mcus senhores, Icias: "e oao se anima a fallar alto diante dessa
o dia de boje, dia em que o meslre e o discpulo' imponente e universal calma do mar e do cea.
lom de apartarem-se por algum lempo, e quem sabe J Uessa vez preludio do pantoun agradou muito
so dilles, algum para sempre ? e quando os cora-,ao auditoro, e todos os olhos se fitarara no joven
cdes se acliam ligados pelo lago estreno da amisa- cantor.
Novo Alfides a clava sopesando.
As llydras, as Chymeras
Cahiam aos ps exanges i
A sulrim enrugada, a vil mentira,
E t, lisonja astuta !
A. v. S.
Loke, Montesqmeo, Rousseau, VoUaire,
Virgilio, Pope, Homero,
Cambes, o padre Horacio
Reparten! os seus das venturosos
Co'a candida amisade.
J. 1!. de Anubada i: Silva.
S nhoreslNo mcio dcstemarulho de deas que
se embalen!, no mio destes estrepitosos applausos
que ouro: una cousa mais alta do que tudo islo me
ordena, e eaobedeeo; obedezo a vos do dever; e
pondo de parle a minba fraqueza, eu vos fallo em
r. I ipo ao dia de hoje.
de, osse balsamo harmooisador dos corages huma-
nos : bem costosa esta separagao, porque ella
(ende a quebrar as mais fortes cadeias da paz, e
dsenraisar do corago do meslre e do discpulo
esse senlimento harmonloso da humaoidade.
Oh doce paz, sagra da libcrdade,
l'nicos bens dos sabios I
Os dolos da trra
IS'o vos conhecem: vos dorms tranquillos
No seio da amisade.
Da cadeira de mestre que foi oceupada no prin-
cipio do anno por um distincto athleta da scien-
cia, (I) recebemos os maiores protestos de amisade
e Ilustradas explicares sobre a sciencia, fazen-
do-nos conhecer a sua origem e o seu fim: porm
chegou o lempo em que era preciso nos separar
deste pai espiritual, e recebermos outro; e os co-
raeoes que se achavam ligados pslo senlimento da
svmpathia, era necessario ceder ao cumpriment do
dever : o mestre ceda ao dever que o mandava
rclirar-sc, o discpulo ceda ao dever que e man-
dava Gcar, e no meio destes embates de dores e
saudades; vimos succeder na cadeira o distincto e
sympatbico lente cathedralico, (2) a quem tributa-
mos respeito e gratido; e nao obstante os estre-
mecimentos das saudades, que comprimiam os
nossos corages, pela retirada da uelie; nos per-
cebemos apparecer em nossos coraces um novo
senlimento de amisade : E como n.o devia ser
assimf se aquelle nos tinha prendido os coraeoes
por suas maneiras delicadas, por seus conhecimen-
los, por sua illtistrago: este nos vamos seguir o
mesmo caminho, ueste nos encontramos as mesmas
demonstracoes de amisade, e as mesmas Ilustra-
das explicarles; e no meio de tudo isto chega o
da em que o mestre, e o discpulo devem reti-
rarse^ meslre para descancar das lidas o Mi"
gas, e ver os seu filhos espirituaes colher os lou-
ros. que para seus perceptores sao outros tantos
tropbeus: O discpulo para colher os fructos de
suas locubracoes, e conduzidos ao lar paterno; a
osse lar que conso'a e suavisa as nossas dores, e
quo bem se pode dizer, que to lio de Arsadne.
que. pelos desertos da vida, se estende em busca de
nossa felcidade.
E, todos esles embales que expirimentamos neste
anuo succedem-se nos outros -, e ao liudar-se a
nossa jornada eu vejo que quasi sempre nao rece-
bemos a justa paga de uossas locubracoes: Mas
que importa ? que importa que aqui, e ali, nao so
aprecie a intelligenca? que importa que hajam
homens que so vivan para o dinheiro? que hajam
honieos que s vivam engolphados nos grandes sa-
ldes onde s brilha o ouro, o diamante, o topa-
sio ? que hajam horaens que apreciam aos ricos
anda que o ferrete da ignorancia esteja estampado
em sua fronte? c dgam que a instrucgo e a in-
teligencia de nada valem se vemos hoje retumbar
cin todo o mundo, um cntico de admirago e lou-
vores aos grandes oradores Vieira, Cicero e Oe-
moslhones.aos poetasCamoes,Virgilio e Lamartine;
aos plulosophos Plato, Fenelon e Bossuel, e outros
muilos. como um desmentido solemne a essas
assercoes, pagando ao mrito o tributo mere-
cido I
Nada importa para quem quer procurar o seu
fin. que a virlude, porque o caminho da virlude
6 o da sciencia, e o da sciencia, o da religio; e
estas ires palavras formam um s todo harmnico
que a perfetcSo; e conduz o homem ao seu des-
tino que i unirse uta da ao seu Creador; e nao
importa, repito, que o caminho que trilhamos seja
escabroso porque assim como o piloto amestrado
guia a nu no mar tempestuoso, assim tambem os
nossos distinctos lentes quaes outros palinuros, nos
guiaram nesse caminho : e nessa hora em que
somos condemnados a separar-nos, uma s palavra
ple euto exprimir a consolacao da saudade, que
existo lauto no discpulo como no meslre, e esta
palavra umadeus.E ento direi como um
escriptor esta e s esta doce no momento apai-
xonadoda hora da partidaadeus o grito d'alma
que na hora da despedida, pode s encerrar a
cxpresso de saudade e solTrimento; ea nica
que noste momento pode exprimir o que existe em
nossos coraeoes :adeus, meus Ilustres collegas,
conservai em vossos coraeoes a palavra llberdade
como precioso penhor da nossa perfeico, e direi
com o Rvid. J. Barbosa Cordeiro :
t Da liberdade o norte mostrarei.
A despeito de ludo quanto vo,
Ou com olla vencer como Aristides
< Ou com ella morrer como Clao.
pirata de Madagascar, congralular-se por ter fei-
to uma cousa til Franca, e sonhra um risonho
futuro de repongo e de delicias com a bella Iran
deza. Depois, um acaso veio mostrar-lhe um h-
roe maior que Nelson, esse admiravel Mungo-
mar, nos bellos paizes, com nm fiuctuante gyneceu,
para comprehender os neffaveis xtasis, as intimas
alegras de artista, quando, ao erguer-se o sol, v-
se erguer-se tambem, como seu digno cortejo, um
enxame de mocas que vera saborear a perfumada
Park, que trabalhava para uma obra sohrehuma- brisa da manhaa, e acompanhar com seos sorrisos
na, til a todo o mundo, e elle envergonhava-se' as pequeas vagas do mar. E'nm espectculo ca-
de si mesmo, e da sua fcil victoria. Quera tam- paz de fazer com que se renuncie s gaolas nume-
bre Dervienx em comprar armamento para os Sa-
kalavas. Poderia empregar melhor esse dinheiro ?
Muito bem, dissse Christiano Ah a es-
quecendo uma particularidade insignificante.
Qual ?
E Miss Liza ?
Boa pergunla I caso com ella assim que che-
garmos. Estamos em muito boa inlelligencia.
Em fazer uso de moilos instrumentos.
Em qoe se parece ama tocha com um funileiro?
Em deitar pingos.
Em que se paiecc nma penna com o banco de
Portugal ?
Em dar saluda a muitas lettras.
bem explorar um continente, descolorir um mundo radas das cidades.e ao despertar as frias alcovas,' Asthon diSBO-roe que Mungo-Park casado e lera
Eolio I Nao me responde T
Sim, sim, disseTonin, como quem acorda so-
passando por eulre povos sehagens, e animaes fe-
roces, e j renunciava ao amor, Iranquillidade
do lar domestico, e ao; sonhos da vida de familia.
Miss Liza deixava de existir. l'fanava-se da sua
viril resolucao. Euto, no silencio da nouie, ao
brando claro das estrellas, e em um mar cheio
de perfumes, erguia-se uma voz : uma amorosa
meloda espalhava pelo ar a sua penetrante volup-1 breSaad..V Sim, respondo.
tuosidade, e elle lancava ainda os olhos para essa __q qUe ?
moca que nunca mais tornara a ver; esquecia
tudo, excepto o dolo esquecdo, e era se quer
tratava de desculpar a si mesmo tao criminosa fra-
queza, sempre satisfeilo com a ultima resolucao;
e quando aps o somno dessa noute gozar de um
dia tranquillo, nao conservar da vespera senao a
recordaco do seu amor.
quer-se gozar em todas as auroras da vida, os ma-'[ tres filhos. As Iuglezas nao vivem seno das emo-
tinaes xtasis do Mediterrneo e do Ocano. goes de seus maridos, para ellas, issoo quecons-
Estamos fazendo dez milhas I exclamava o Ma* a fel'ridadc.
capillo com ar triumpbante ; j vio um navio tao iVlsl0> navio chegava Santa-Mara. Mis
bom veleiro como o meu Albatros, Sr.Trafalgar ?... Liza nao tornara apparecer no tombadilho.
nascer e o mesmo da to
uma chamada Cassereo
VIII
O HOMEM PROPCE...
O capito Titjen pretenda fazer-se de vela de-
pois de uma pequea demora em Madagascar ; po-
rm os armadores de Santa Mara, corresponden-
tes da ageucia de Copenhague, detiveram u Alba-
tros qulnze dias, porque esperavam de Surate ccr-
A SULTANA DO SOL.
Da-Nalha conhecer queres,
Ouve o que a lenda contou ;
Para mira-la, em caminho,
O sol, um dia, parou.
A linda moca dormia...
Acordou pos o arrebol,
E vimos na sua fronte
Um beijo da cor do sol.
as doces paragens
Onde cresceo palmeiro,
O rei dos Maldivas
Amou-a primeiro.
Tao bella como Dai-Natba
Nunca Dous assim formou,
Deu aos cus seus rubros raios,
Seus ps corea empreslou.
Ver convem os seus encantos,
Dos olhos um paraizo ;
Se chora, correm-nos [iranios,
Seu sorrir gra sorriso.
Sob a cup'la d'ouro
Do astro fecunde,
O rei de Mysora
Amou-a segundo.
Quando as estrella) se affrouxam
as collinas de Mysora,
Quando o cantar da avezinha
O palmeiro diz aurora,
Eu digo s altas florestas
O primo canto de amor,
E, de nonte, o derradeiro,
Quando a onda nao tem cor.
Os dous, no seu throno,
Esqucceram-a, sim,
E eu, sem cora,
Adoro-a sem fim.
Comecou a soprar uma pequea brisa ; o mar
agilou-se roda do navio, ouvin-se o sussurro das
flmulas edos pavilhes no tope dos maslros.
Temos vento I grilou o capitao, e omarinhei-
ro do leme correu para o sea posto.
Essa boa noticia nao perturbou o auditorio dos
mogos, na meditacao em que os fizra cahir a can-
Vil
A ESTAgAO DE MADAGASCAR.
A's seis horas, o sol ergueu-se das ondas, e o
seu primeiro raio horizontal veio despertar brus-
camente Tonin.
O joven marinheiro eslava habituado a esse r-
deme beijo de amigo, que tbe interrorapla o som-
no sempre mesma hora, exacto como um chro-
nometro de Cox, de despertador.
Deu os seus primeiros pensamentos Deus e ao
ocano; resou, olhando para o cu ; e sorriu,
olhando para o mar.
O mar mudara de toilette, trajava o seu vestido
de saphiras com franjas de alva escuma : caotava
roda do navio o seu mais alegre canuco, como
uma amiga caprichosa, que quer fazer esquecer
algum erro.
No tombadilho, estavam o immediato e alguns
marinhelros, que cuidavam das manobras. O ca-
pillo dormia, depois de ter passado a noute em
claro, trabalhando. Um nico passageiro, o jo-
ven Albertus, encostado amurada, ouvia o can-
tico do mar, no circnlar theatro do infinito.
Como os passaros, os marinheiros de Toulon en-
lendem que sao obrigados a cantar assim que acor-
dam : a oracao matutina as arvores e as ver-
gas dos navios.
Tonin cantarolava o famoso romance da Aurora
de Gulistau ou o Hulla de Samarcande. Albertus,
despertando da sua meditacao, voltou-se, e aper-
toa ambas as maos do cantor.
Passaste bem a noute ? pergunlou Tonin.
I'erfei lamente, meu amigo, disse Albertus :
nao dorm.
Entao o que fizeste ?
Eslive ouvindo o concert do ocano. Isto
que artista 1 o Rheno e o Danubio nunca rae to-
nara ensinado o que aprend com este meslre.
Que admiravel symphonia I Era Deus que regia a
orchestra; que mestre de capella I nem um erro
de contrapouto, de harmona, ou de rhythmo!
nem uma successo immediata de duas oilavas ou
de duas quintas por movimento directo I
Oh I disse Tonin, estaes me fallando grego;
gosto muito de msica, mas, quando so traa des-
; sa embrulhada de palavras que eu nao entende,
desembarco, mi debarqui.
Respondo sua pergunta.
.ira, ou nao ?
Sim.
Ah Trafalgar, meu amigo, perdeu a busso- lw fazendas que vinham com destino a Sidney.
la, disse o capitao. A prssgeira lancou-lhe o ar- (Diziam elles que era uma excellente especulado.
peo. Vae navegando a todo o panno para o porto j Durante essa quiuzena, Tonin nao se pertenceu.
do casamento, e depois, adeus I ahi temos desar- De toda a parte, vinham convites ao joven vence-
mado e amarrado a.costa como um ponlo razo e dor do pirata Saka. A casa Palmer pagou-lhe as
invalido. O lobo marinho desee das vergas, trans- quatro mil piastras, e comprou por alio preco o
forraa-se era manso pombinho e poe-se a arralbar navio do pirata, para o masen nutico de Batavia.
em gma de um poleiro. En""e os banquetes e cagadas, Tonin apenas
Espere que eu mo case para euto cantar-me I "liava durante o dia alguns momentos para com-
essalamentacao, disse Tonin; uma mulher nunca binar o seu plano de campanha para o cabo de
ha de obstar a que eu compra o meu dever ; po- mbar e a sua allianca com os akalavas. Miss
rm hei de ter sempre muito prazer em contem-' Ma e sen irado nao vieram para trra por moti-
pla-la. O Sr. capitao da trra dos ursos brancos, vos de prudente economa, e Tonin nunca pode
tera gelo no coracao, e se o senhor fosse Santo An- fugir um instante dos seus novos amigos para ir
tonio, nao teria grande mrito em resistir ten- bordo, porm, eslava agora em vesperas de reu-
[ac50_ I nir Henrique aos seus tres camaradas, quando ti-
E como o capitao tocava em Telirada rindo, elle vesse de renunciar s festas para tratar de cousas
accrescentou : Leva sempre esta pelas ventas, men serias, da colonisacao africana e do seu casamento
occidental; para nao le metieres com o que nao quas' decidido, sem que Henrique o soubesse.
da tua conta. ^'m navio novo eslava a partir brevemente para
J os passageiros tratavam de vestirem-se e Marselha, e como o amor nao deve fazer esquecer
propararem-se para desembarcar. Tonin langou os a amizade, Tonin furtou-se por um quarto de hora
olhos para o seu vestuario de bordo, e nao o achou aos obsequios que lhe prodigalisavam, para escrc-
em muito bom estado. ver a sua priineira carta a Donnadieu ; meditou-a
Felizmente o joven namorado trazia uma gran- muito tempo, copiou-a e corrigiu-a tres vezes, pa-
de proviso do fuslo inglez, de i lacado da Hespa- ra nao ter que arrepender-se de alguma indscri-
co, e afinal ficou muito satisfeilo com a seguinte
redaccao :
(Continuar-se-ha.)
Sim, fiz mal, replicoH Albertus; julgue que
cao do joven allemao. Expirava a ultima nota da eslava
voluptuosa msica, e ainda a escutavam. O vento
so.
favoravel era agora considerado como um impor-
tuno que, quebrando a calma do mar tao manso
vinha misturar o seu profano murmurio com a me-
J-Ji: do mii.'i-
sou
,se-
Perdo, disse Trafalgar, desculpa-me
l da minha trra, e por isso franco como uiA;
quira... Pois bem 1 olha, approvo-ie, e digo-te ue
has de ser um grande msico I muito bello ^sto,
nao dormir para ouvtr o concert ue Deus. m
Os uiarinlieiros, que dormiam, acordaram sobre" Mas eu viajo para tomar licoes de mosmKno
saltados com as vozes do capito ; seus pesados conservatorio do sol, disse Albertus, foi uma idea
passos abalavam o convz, e o barulho das mano- que me oceorreu de repente. O meu paii est em
bras fazia-se ouvir de popa proa, da escada do fogo ; ha guerra em toda a parte, e eu disse com-
una e de ganga da India. Era Cdiz, Donnadieu
coraprara-lue roupa nova para vestir durante dez
annos.
Tratou pois de vestir-se como ura joven colono-
quando no domingo vae tazer uma conquista
missa e quando appareceu no convs com a sua
calca de lisias charivari, seu colele Barras, onde 0 e^preciso V7rasbr"consdbrado bom marido
OH POLCO DI TODO.
Do Boudor trenscrevemos o seguinlo :
fluctuavam os bofes de Carabraa, nao devia temer
a concurrencia do lilho de Palmer de Batavia.
Quando um navio est prestes a abordar uma
trra nova, a conversacao dos passageiros versa
naturalmente sobre o paiz que se avista no hori-
sonte. Nesse momento todjs rodea vara um Ame-
ricano, que fallava de Madagascar, onde eslava es-
tabelecido. Vendo approxiraar-se Tonin, o Ameri-
cano interrompea o seu discurso e disse :
Se eu tivesse a edade, a torga e a coragem
do Sr. Trafalgar aceitara o legado do seu compa-
triota Rougemont, e fundara uma nova Frnga em
Madagascar.
Nao conhego absolutamente nada dessa ter- i
ra : mas creic que Deus nao a fez sahir do seio
das ondas para deixar que eternamente a desfruc-
lem selvagens que adorara manitous.
Sim, proseguiu o Americano, essa ierra tem
um futuro ; Madigascar tera muilos lugares onde
nao ha febres. Eraquanto se espera que os arro-
zaes facara seccar os perniciosos pantanos, como *
Deu-se n'um jantar o seguinle dialogo entre va-
rias damas e um cavalheiro, que estimamos e res-
petamos.
Sr. F. sabe quem se vae casar 1 E' a Ilen-
nquetinha de tal com o bario de...
Ah I bem sei quem Vv Excs. ho de con
vir em que ella uma menina nao s de rauita
inlelligencia, como de espirito.
Ha sim, mas logo foi buscar para marido um
tolo.
N'isso minhas senhoras, que ella deu a
maior prova de um grande juizo.
A este dito succedeu uma gargalhada geral.

navio s varandas dos gageiros.
Um vento fresco comegava gyrar sob o toldo,
onde se achavam reunidos os passageiros, e convi-
dava-os a recolherem-se aos camarotes.
migo : guerreara agora para lerem paz d'aqui, a
cinco ou dez annos, pois eu vou comegar por onde
elles acabara ; vou fazer paz.
E' verdade I disse Tonin, e eu nunca atinei
com isso I Sim, justo, visto que se briga para
O capitao, cheio de prazer, esfregava as maos, e, j ler m deveria fazer.se a paz anles da guerra, e
chegando-se Trafalgar, disse : poupava-se assim o dinheiro que se tem gasto para
Ao amanhecer, andaremos quatorze milhas, comprar sangue, que ninguem bebe... Hei de ir
como o Brote ; conhego este vento. i converlendo.ine poUco pouco.
Diabos carreguera esse velho soprador do E eu tomei por mim mesmo a missa0 de
mar disse Tonin levantando-se ; nao podia espe- convertcr os povos. Quando todos cantarera era
rar que se erguesse o sol | harmona, em harmona todos vverao. A msica
Quando o sudoeste se ergue cora o sol, pro- ha de eivilisar todo o universo, excepto os msicos,
seguiu o capito, faz-lhe a sua continencia d'aln a Mas que importa I o beneficio geral fica feito; se
uma hora. Ignora isso, meu joven lobo ma- msicos disputara entre si, mas nao se batem.
Porm, tu hontem bateste-te muito bem, meu
allemaozinho, disse Tonin.
Sim, mas foi com piratas que nao erara mu-
no Cabo; temos bolacha, carne salgada e agua pa-1 scos, replicou Albertus rindo, meu proessor
ra tres mezes, e esse vento endefluxado vera ago- \ Gluck bateu-se com um ladro de estrada, no ca-
ra incomraodar-nos meltendo-se no meio, como a | minho de Leipsig.
quarta feira de cinzas, quando ninguem precisava Oh I o grande Glnck I disse Tonin, e elle
delle.. .Ora diga, miss Liza, nao tenho razao? entoou : Perd a minha Eurydice I.. e eu tam-
bem !... A proposito, miss Liza hoje acordou bem
tarde... Que tal achas esta ingleza, Albertus t
A fallar com franqueza, meu charo Trafal-
gar, Impuz-me o dever de nao commeller a menor
infidelidade aos meus nicos amores, a msica.
Pela santa cruz! disse o capitao, minha Depois que concluir a minha opera Adautastor,
profisso chegar ao ponto. Tocaremos em Mada- cuidarei entao em namoros.
gasear amanhaa noute. Nao estaes contente, Estimo bem, disse Tonin, tinha medo de ti;
Trafalgar? Tens de receber uma boa gratifleagao um rapaz |OUro, que canta bem e toca bandolim
e tens de vender o barco do pirata ; vaeslficar com raul0 perigoso como rival, especialmente abordo...
E' muito extenso o teu Andracastorl
E nao eslavamos jelizes como se fossemos
reis aqu ? disse Tonin. Refrescamos ha pouco
Sera duvida, respondeu a moga, tem multa
razo, e o capitao tambem n3o deixa de ter, a cal-
mara desesperava-o, quer chegar ao fim da via-'
gem.
TUDO SOBE V.l
Sobe a carne, bacalho, arroz, presunto,
Mais as casas, e sentido agora tomem ;
Na poltica sobe muito homem :
^be o queijo, a raanteiga, o sebo, o unto
Sobe o tolo, e ao co sobe o defunto ;
obe a palha que lords mil roncorrem ;
Sobe tudo, que todos muito romera ;
aconleceu na India, sob a administrago de lord
Cornwall.s, temos ji localidades marte, saudaveis ^ Q fJJ'6 & ^
as duas extremidades da lha, especialmente em
ooo narez. no cabo de mbar, em Nissi-hp.. n. S nao sobe ao poleiro um naraarista,
porto Louquez, e U para as bahas de Gobernare, Que a carne a tres vintens ponha no talho,
de ifonfy e de Narrenda. IE qae nosso pobre povo tenha em vista.
E a quem pertencem essas trras i pergun-! L tu isto, meu Severo de Carvalho,
tou Tonin.
Ao senhor, respondeu o Americano.
A mm? disse Tonin muito espantado.
Sem duvida, se quizer tomar conta dellas.
Mas, replicou Tonin, ura homem ssinho nao
faz a conquista de ura paiz.
Oh lera um auxilio muito poderoso.
Qual ?
A Providencia.
Sim, disse Tonin, cont muito com a Provi-
dencia, sou de Toulon ; mas, emfim, nao eslava
ssinho hontem quando tomei o pirata ; a Provi-
dencia envou-me bons e corajosos amigos.
Pois nao ha amanuense que resista
Comendo oujour le jour... assorda] d'alho I

EM COMO UM HOMEM DE OCULOS SE PARECE COM DM
MU DIO 1
Vamos provar at a evidencia em como o ho-
mem se partee com um predio.
Discpulos do curso superior de lettras, atten-
g !
Oh vos da philosophia transcendente, dignai-
vos de ser todos ouvidos I
Se isto nao nos encaminhar para a academia
real das sciencias, descremos da venerago pelo
Pois bem, disse o Americano, a Providencia talento neste paiz, em que ainda nenhum vulto
d-lhe milhares de amigos em Madagascar, sao os histrico... em sabedorla, nos provou que o ser
Sakalavas, inimigos dos Ovas e dedicidos amigos niuito aperfeicoado em relacao ao macaco, que
da Franca. Falta-lhes um chote e armamento : esta cousa a que se chamou homem. tem toda a
seja o -r. o chefe, as armas viro depois. relago externa e interna com um predio de casas /
Tonin entregou-se as suas reflexes: lerabrava-
se de Mungo-Park.
Eis ahi uma cousa que seria bem til
Franga, disse-lhe em voz baixa Christiano.
Sim, disse Tonin suspirando (i).
Sem duvida gosta de cagar? pergontou-lho
o Americano.
Sou de Toulon, respondeu Tonin.
Comecemos :
O homem un predio ?
E\
Predio grande ?
Nao, senhora ; predio perpeno.
Razo ?
E' claro. O homem um predio pequeo, de
uma frente com duas janellas de vidracas. A
T!t.lBVAI,;.lH.
VI
UM SERAO LUZ DAS ESTRELLAS.
(Continuaco.)
Albertus Somraer ia cantar a segunda copla
quando miss Liza o interrompeu dizendo :
Que edade tera, Sr. Sommer ?
Vinte e qualro annos, respondeu o mogo.
Pois a sua cangao tera otenta, replicou Liza :
nao sabe alguma outra mais moderna ? Olhe que
fez adormecer o Sr. Tonin Trafalgar.
Eu?! disse Tenin, estou ouvndo "cornos
olhos fechados e os ouvidos bem abertos. Contina,
Albertus.
Sr. Albertus, disse Liza, conhecer alguma
cousa que nao seja lo grande como o infinito ?
O compositor, Ingenuo como todos os msicos
allemes, olbou para a moca, esteve ura momento
(*) A' pedido dealgnos amigos e collegas, publi-
camos este nosso pequeo trabalho, que delxou de
ser lido no da do encerramento das aulas do colle-
;io das Artes, por ter aeixado de comparecer o
eole da cadeira de Rhetorica
(1) Refiro-me ao lente substituto o Dr. J.Graciano
de Aranio.
(2) O Dr. I. S. A. Carvalho.
as algbeiras bem cheias.. .0 meu imraediato fez-
me um aceno.. .Era quanto vou ter com elle, vo
descangar que hera precisam.
J desgo, respondeu miss Liza tremendo de
fri; a noute vae-se tornando muito fresca. At
amanhaa, meu intrpido salvador.
E estendeu a mo a Trafalgar, que lhe disse
com emog3o:
Esqueceu as ultimas palavras da cangao ?
Nao.
Repita-as.
Sao estas:
E eu, sera corda
Adoro-a, sera fim.
E, chamando por sea irmo, correa
do convs.
Tres actos.
Est rauito adiantado ?
Ainda nao escrevi nem uma nota, fsta nou-
te formei o plano da ouverlura; a narraeSo de As-
thon exaltou-me a imaginago.
Sim, disse Tonin ; comprehendo, uma bel-
la ouverlura melhor do que a da Caravana de Mr.
Grtry. Os leoes, o vento, as cobras, o sora das
cordas de rame, se consegues por era msica lu-
do isso, supplantas Gluck.
Vers, respondeu Asthon, que aproveito todos
os incidentes da minha viagem.
Ora dize, com sincerdade, pde-se por ven-
tura escrever a msica classica, sem ter ouvido tu

Nao era preciso dzer mais,na sua qualdade de frente a cara< as J'nellas os olhos, as vidragas
Provengal, que nascem cagadores em um paiz onde os oculos. Tem serventa para escada social.
nao ha caga. O htmem predio tem casas ; basta olhar-lhe pa-
- Pois bem, proseguiu o Americano, temos em!ra fac,a Tl'm taboas de sa,vac3 em seus
Madagascar soberbas florestas, onde nunca appa- negocios, e pregos.. .de cabera.
receram cobras nem animaes ferozes, e que esto! As Pcrna< 'lo ,,omem 5ao os Prumo' do ed,fl?,10
cheias de toda a qualdade de caga e de codor- cor',oreo- 0s *" sa0 os ahcerces- 0seue1ul1'
zines.
A estas palavras, o cacador de Toulon estreme-
ceu de alegra. Em outubro, as codornizes offere-
cem trinta manhaas de ineffa vl contentamento a cin-
coenta rail cagadores de Marselha o de Toulon.
E essas codornizes perguntou Tonin, appa-
recera ahi de passagera, como as Sableftes e em
Saint ManOrier ?
! brio o seguro.
Sea cara do homem a frente ou o sen fron
tespicio, claro que as costas sao o lado do sa
guao.
O homem tem interior, assim como o predio
tem interior. A entrada principal a bocea, as
portas os ouvidos, a campainha a Ungua.
O corredor que vai dar a casa de jantar a
"" ITr"v .... ., I auella, as ventas sao os ventiladores, a dispensa
Nao, nunca atravessam o canal de Mozamb-1" '
a Borraja.
Tem o homem cousas commodas e tem cadeiras.
Tonin recebeu as boas noutes de todos os sens'do em lodos os ,9ns> mais forte e
amigos, e, assim que se v.u ssinho no tombadi-,mais completo de todos os msicos, o universo ?
lho, estendeu se na esleir onde esfivera miss Li- Um grilo .inexperado, partindo das vergas, veio
za, fez mentalmonte a sua orago da noute, e, em-' interromper a conversa, e fez com que todos cor-
balado pelo mar, sua querida ama, adormeceu co- ressem para o tombadilho. Era o grito que faz
mo uma crianga, ou como Mungo-Park, esse he- sempre estremecer de prazer a marinhagem, e nao
roe de quem elle tinha lauta inveja. contm mais do que uma palavra Terra I
As emocoes de todas as especies, qne experi-! Miss Liza foi a priineira que appareceu, e em
mentara nesse dia, abateram as forgas desse ro- um desalinho que a circunstancia tornava descul-
busto marinheiro: no momento em que ia fazer pavel. Seus lindos cabellos cahiam em anneis so-
exame de consciencia, o somno venceu o pensa- bre os hombros mis, e o chale da India, em que se
ment e fez com que ficasse esse trabalho addiado envolver pressa, estava provisoriamente seguro
para o dia seguinte. Essa ardente natureza do s pelas raaos.
snl, obedecer a todas as impressdes do momento Olhou para o ponto escuro que atlrahia todos os
tomando deliberagoes as mais contradictorias, e olhos para o horisonte, e desceu Foi uma des-
aquillo que por ultimo adoptava parecia-lhe sem-. lumbrante apparcao. Touin poz as maos e tomou
pre o melhor. Victorioso no sau ataque contra o' a atlitude de adoracao. E' preciso ler viajado por
que ; nao sahem de Madagascar.
Est decidido, disse Tonin, aceito o legado de
Rongemont.
Sr. Trafalgar, disse o Americano, estimo ter
feito com que tomasse essa resolugo, e espero
que v hospedar-se era minha casa em Santa Ma-
ra. Ser-me-ha dfflcil mostrar lhe o meu reconhe-
cimento pelo immenso servir que nos prestou
hontem ; mas invidarei todos os meus esforgos pa-
ra tornar-llie agradavel a residencia naquclla tr-
ra e para proporcionar-Ibes os meios de sabir-se
bem da sua expedigo. .
Tonin aceitou ; apenando a mo do Americano,
e chamando parte Christiano, disse-lhe : ____
Espero que ni nos separemos. Ests con vi-
dado por mira.
E' predio o homem por ter varios andares.
A cabega do homem, finalmente, o telhado,
, porque tem lelha.
Neguem isto, se podem.
PERCUNTAS INNOCENTES.
Quaes sao as cartas que nos podem causar ava-
1 ra, quando estamos jogando ?
Os dous de ouro, porque sao.. .bisouros.
Qual a maior prova da inconstancia da la ?
Estar sempre a mudar de quarto.
Qual o hornera que pode ser fllho de uma
vacca ?
O neto dos touros.
Em que se parece o governo com as egrejas.
Pois sim, disse Chrisliano ; ests ento bem Era ter sgaos e apagadores.
decidido a ficar era Madagascar ? Era que se parece um amor perfeito com nro
Mais que decidido. Quero ser o Mungo-Park caderno de papel almaco ?
desta trra. Emprego os nove mil francos do po-l Em ter cinco folhas.
~~~~~~~~~^~~~~~~**- Porque se parecem as senhoras todas cora os
(i) Foi o intrpido Fortunato Albrand, irmao do taboiliaes ?
conselheiro municipal de Marselha. qne, em 1817, p ntpressp ,t dar ik
quiz continuar a obra de Rougemont em Madagas-
car ; suecumbio de urna molestia quando os seus Em Irabalhos lam ser coreados de ura feliz resallado, cegos da casa pia ?
O jornal Charantelnferieure conla assim oa
factos :
O mesmo dia vu
morrer duas mulheres
outra Delaunay.
Nanea se derara relagocs mais extraordinaria-
mente s.ineliiuntis entre dous seres perteurente*
familias differenlcs.
Todos os actos serios da vida das daas mulberes
se reahsaram no mesmo dia.
Receberam a priineira coramunhao na mesma
occasio ; mais tarde ca,arara no mesmo dia; fo-
ram raes uo raesino dia, leudo cada una urna li-
bia. Tambera no mesura dia e quasi a mesma ho-
ra ficaram viuvas, e no dia 11 de agosto ullimo
cxhalaram ambas o ultimo >nspro.
Na manhaa segrate duas sepulturas recebiara
ao mesmo lempo os seus despojas morais.

Ocngenheiro fraocez Mr. Behic, reuni uma com
niisso especial para submelter ao seo exame ama
invengo que tem por fim atlennuar os perfos dos
desencamnamenos, e os rorapimentos dos eixw
na marcha dos trens.
A priineira idea d'esla invengo, rujo menor
mrito a siraplicidade, devida a um corami->sa-
rio de fiscalisago administrativa, empregado na u-
nha d'Orleans.
?
Os mappas do imposto sobre os caes moMram,
diz o Jornal do larri que ha era Franga 1,860:113
desles animaes.
Contam-se 493:322 caes de caga e de laxo per-
lenrenles a priineira calhegoria, e 1,364:791 ces
de guarda perlencentes segunda calhegoria.
O producto total da laxa moniou em 1863 a
5,461:116 francos ( 983:000*880 reis ) sendo.....
3,436:165 francos para a primeira calhegoria e
2,004:921 para a segunda.
Do Jornal d Commercio de Lisboa trauscreve
nos o seguinte :
ROMA.
Houve ltimamente all dous consistorios, o pri-
meiro no dia 21, e o segundo no da 23 de setea-
bro. Estes consistorios, um publico e outro secre-
to, tiveram rins diversos ; conferia-se ura barrete
de cardeal, publicavara-se mais dous ou tres ear-
deaes, e afinal nomearam-se alguns bispos.
A' proposito destes consistorios, daremos a res-
peito destas assemblas algumas Informacoes.
Ha tres especies de consistorios : primeiro pu-
blico ; segundo meio publico ; terceiro secreto.
Seja qual for a natureza do consistorio, na ves-
pera do dia em que elle se deve reunir, ara prela-
do mestre de ceremonias apreseota-se solemne-
mente ao santo padre, a quem pergunta em laiim
se o consistorio le nitas el tonga vita, beatissima pater, eras erit con-
sislorium ?
O papa responde : Erit consislorium. E indi-
ca a hora.
Os corrorts dingem-se logo casa de cada um
cardeal, ainda mesmo que tenha sido prevenido
por escripto, e depois de diversas sandagoe- do es-
tylo, repetem o aonuncio sacramental : Cras erit
consstorium, com a indicagao da hora.
Na manhaa seguinte, alguns instantes antes da
hora indicada, as equipagens des cardeae< apresen-
tara-se debaixo da columnata de S. Pedro, ou no
largo de S. Dmaso.
Se o consistorio secreto, rennem-se na sala
chamada do consistorio, prximo da antecmara
secreta, nos aposentos pontificios.
Quando o papa chega, tudo se levanta. O pri-
meiro cardeal dicono avanca e coiioea a estola no
pescogo do santo padre. De principio nao ha de-
gredo ; com os cardeaes apparecem uos tnnta pre-
lados, auditores e clrigos, nacionaes de Franca.
Hespanha e Austria.
Se aquellesclerigos lem alguma communirarao
a fazer em nome dos seus respectivos paiz, sao
autorisados a apresentar-se. Bem entendido tndo.
se sabe antecipadamenle.
< Depois desles preliminares concluido-, un
mestre de ceremonias grita era voz alta : Extra
omnes '.
0 papa e os cardeaes ficam s. A porta ficha-
se cautelosamente. Qualquer cardeal que se d
mora j nao admittido. Cilara-se alguns car-
deaes, que chegam constantemente quando se pro-
fessa o Extra omnes.
i Na occasio da sabida, anles do Ectra-Omnes.
o guarda-roupa do papa entrega ao santo padre
um papel magnifico, ornado de fitas ; e a allococo
que sempre se le. As neraeace dos bispos e car-
deaes sao antecipadamenie impressas. A todo isto
se chama folhas coasstoriaes. Depois da leilura de
cada uma das pecas, o papa di/.: Quid cM< ti-
detur 1 que vos parece ?
t Os cardeae>, que esto ao facto de tud>> pela>
folhas comisionan, levantara-se, tirara o seu bar-
rete e todos junios dizein : Pinrel. Nunca houve a
menor discusso. As discussoes tem lugar, em
reunies particulares, as quaes se chama a mino-
ra dos cardeaes.
U consistorio meio publico difiere do consisto-
rio secreto, por isso que sao all admittidx os bis-
pos para um motivo determinado, e conservam-se
cem os cardeaes depois do Extra omnes, para re-
ceberem as commnnicages, e para dizerem tam-
bem J'lacet.
Por occasio da reuoio dos bispos, em 2*62,
houve consistorios meio-publicos de cardeaes c bis'
pos. N'estes consistorios sao guarniente ailmitii-
dos os auditores da rota, os protonoUrios apostli-
cos, e os auditores de todas as calbegorias, ele. 11
papa esta revestido com a capa pontificia e a mura
na cabega.
t O consistorio publico nma especie de cere-
monia de enreja. E' annuociado aos cardeaej por
meio de mensagens pontificias, que dizem : Smt
et Joiet ii y aura consistore dans la salle enle.
c E' efectivamente na sala ducal, prximo
capella Sixtina, e s galeras de Raphaei, qne se
verifica o consistorio publico. O papa condolido
para a cadeira gestatoria, lendo a tiara na caber
Todos vestem em grande gala.
Cada ura dos cardeaes deve chegar com dua-
carroagens, e tres, se principe romano, asndo-
se tode quanto ha de mais vistoso e brillante na<
libres. Mostra-se obediencia, enrrando-se janto ao
papa, etc. O consistorio pnblico nm negocio de
apparato. Ali do-se barretes cardeaes, eaaoai.
sam-sc e beatificam-se santos.
Foi a um desses consistorios qne, no aaoo pas-
sado, assisliu o re Francisco de aples, qnaodo
sua mae Chrislina de Saboya foi beatificada.
< Concluida a ceremonia, Po IX voltou-se para
elle, e disse-lhe, com voz commovida, mas com
semblante risonho : Vossa me est no cu!
No consistorio pnblico nao ha naturalmente o
Extra omnes : nisso qne se distingue esseocial-
mente do consistorio raeio-pnblico, anda qoe tam-
bem seja solemne, mas, onde, n'ona cero om-
sio, se conservam sos os cardeaes e os bispos.
com alguns prelados determinados, sahindo lodos
os demais assistentes.
V
1 PEUNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & FILHO.


Diario de *ecaaatfeaft Quinta letra a de X.reuibro e 1S4.
de especial menguo pelo gosto e riqueza com que
est eila.
5. acto.Carcere, em tempo transformado para
seena final. Vista de gloria preparada para todo
o theatro, que deve produiir msravilhoso effeito.
O machinisnio encarregado a um artista hbil,
pode asseverar-se que correr a contento.
A msica do Sr. Colas Filno, foi escripia expres-
sanente por este artista com o goslo que todos Ihe
reconfeecem.
O- vestuario novo e ao go.sto da poca.
Comecar s S horas.
A?S0S MiBITIMOS.
n\
Atten$\o.
Precisa-se de 8003, pagando-so o juros de i 0|ff
SpHla-rVira do novpmlire ti hn- ao meti dando-se por garanta hvpotliec.t qtiar-
ras,a na di _deia n o., no ar-
omen) de agente Eiuebio.
DK
Dar easa terrea n. 102 na raa das Cinco Pon-
| tas, enao proprio, rende 185 por nrcr, 2 salas; 2
qurtos, eosioha fra, cacimba s e quintal mu-
radoi Ser vendida tambero- pelo raaior prego.
(loapauliia Pci-uainl.uc.tna de navega-
cao coste'ra a vapi>r.
Ilha de FeHjndo de Noronha.
No dia. 4 de
J* .^-f* novembro ao
meio dia segu
um dos vapores
Escravos, movis, miudezas e outio
iuuitos rticos.
Sexta-feira 4 do correnle.
CORDE1RO SIMfJES fr leilo do diversos tras-
tes usados crysiaes e ontros moitos artigos, miu-
deas, relogios de ouro e prata.
N* mesma occasio vender urna preta cosi-
sageirosodinhei
ro a frete at o dia da sabida As 11 horas da ma-
utm : criptorio rn Forte do Mattos n. 1._____
COMPAiNHIA PERNAMBUCANA
DE
Savegac* costeara a vapor.
Parahyba, N'.iial, Maco, Aracaiy, Cear,
Acaracu' e Granja.
.No dia 7 de nuvombro segu pa-
ra os portos cima Indicados o
vapor Jaguaribe, commandante Lo-
"bato, s STioras da tarde. Itecebe
_ carga somente at o dia S; encom-
tnendas, passagotros a dinheiro a frote al s 3
horas do dia. da sabida: oscriptorio no Forte do
Mattos numero 1.
C0\HANH1A PERNAMBl'GANA
DE
Savegaco ensteir* a vapor.
Tanianilar, Barra Grande, Porto de Pedias,
fkmaragihe, M-cei, Pcnedo e
Aracaj.
No dia 5 de novembro segu pa-
ra os portos cima indicados o va-
|ior Purahyba, commandanli' Mar-
_tiis, as S horas da urde. Hecebe
_ 'carga smente at o dia 4; enrom-
mendas, passa;,'eros o nheiro a frete al s 3 ho-
ras da tarde do dia da sahida: oscriptorio ni Forte
Para o Rio de S. Fraucisco.
Pretende seguir al o dia 10do currante a escu-
na nacional Carlota, com a carga que tiver :
quein nella quuer carrejar ou ir de paasagem
trata-se com o< sem consignatarios Antonio Luiz
de Olivara Atevedo & C, no seu oscriptorio ra
da Cruz n. 1._____________________________
Bahia.
O hiate Dous Inruios sabe para a Bahi : a tra-
tar com Tasso Irinaos.
Para Lisboa.
Sahir com brevidade o patacho portugnez Va-
na da Glorui recebe carga frete e passapeirus:
traia-se com o seu consignatario E. It. Babeilo, ra
laCadcia n. 53, escritorio.
rrn0^reioio^'nhe!raeumPretocom habilidades proprio para
LLILAO
M
Caixas com pnssas.
Seila-feira 4 do crrente
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quera pertencer caixas comexcellentes passas da
carnadas em lotes a vontade dos compradores :
sexta-feira 4 d> correnle pelas 10 horas da ma-
nilas no armazcm do Anne9.
LElLO
Sftxla-ffira 4 do corrento.
O agente .Jos Maria Pestaa far leilo por
conta e risco de quem pertencer, sexta-fint 4 do
correntia porta do Aones defronte da alfandega
de 25 barricas com cerveja de meias garrafas pre-
ta e brancada marca tenente, era um ou mais jo-
tes a vontade dos compradores.
quem quizer fazer este negocio, dirjale a na do
Padre Floriaoo, sobrado o. 21, primeiro andhr.
SAHIO A LUZ
ida k.v uva.vniA. do Sr.
starita no Rosario s.
mocees
E.BOT A VKNDA KA UVRARIA DO Sr. GkRALDO
MA BSTnKlTA DO Ros Aillo N. 12 AS
K
PARTIDAS D0BRADAS
Oflfreridas
*" Asoeiace Commercial Be-
ucieente
iRHiiftfGO,
pon
M. Fonseea de Medeiros.
n
AVISOS DIVERSOS.
Deseja-se alugar um cabnolet para duas pes-
soas, por un ou dous mezes, com cavallo e ar-
reios; adeixar carta com as iniciaes Z Z, com
o prego e condicoes, nalivraria ns. 6 e 8 da praga
da Independencia.
)
i
PARA
ara
E espera la do llio le Janeiro em pouc.or-dias a
c*lra Sumidlo, c depois- d pour.a demora, nesle
liorH sejniir para o Para, para onde recebe carga
a dretecoiBinodo : quemquer carregar, pode en-
tender-se com os con-ijtnatarios Palmeira & Bel-
!rao, largo do Corpo Santo i. 4. primeiro andar.
.SIMES.
de fa* en fias avar-iada*
SIOJE
O asenta Pinto tara leilo par conta e risco de
quena pertencar de Aferentes faxendas inglezas,
como sejam : maiapoles, algodaosinhos o chista
avariadas, a bordo do vapor inglez Gladiator, tois
s 10 horas do dia cima dito, em seu oscriptorio
nar da Cruz n. 38. ________^^^
Feira semanal
Quem quizar comprar duas canoas de carra
gar lijlos, levando cada urna 1,200 tijplos, dirja-
se tratar na ra do Brum n. 0.
Typographia Libernl
Os senhorea que forem c.redorfwda irpegrapma
Liberal queiram anresentar seus ttulos, de H
quer especie, ao Sr. Leodegano Antonio de Olvel-
ra, na mesma typographia, ra ds Flores n. 3.
Precisa-se de um moleqoe de 12 M atinas
para andar com una enanca : nx ra da Floren
tina n. 18.
nuil mm mm mmmm
M laslao de io^lez e feneteea. gg
m Joaquim Pedro da Rocha Pereira, con- agt "S. 43 lina do Itaogel B. 43
I tina a leccionar inglez e franrer, e ser Ig O proprietario deste novo eslabelecimeulo parti-
I offerece aos estudantes que- quizerenr se ajar cpa ao respeitavel puhllro que tem para vender
habilitar para os etames desses prepara- a t um completo sortimento de bolhiho, xaropes de i
torios, podendo ser procurado na ra Di- I f diversas fruclas, cayil de flor, pastilhas de orle-'
| reita n. 9J, primeire andar. f iaa-pimenta, ditas de limao, ditas de canella, altien-
doas confeitadas, confeitos, recebe tuda e qualquer
encommemla, doces (Tonek como sejam presuntos,
peises, alettiia, u outraa multas- mais. qualidadcs,
e enreitam-se handejas ; fornec.e-se venda a osera-
vas afflanfadas por seus senhores; compram-se|
garrafas vasias, prefenndo-so de cognac, por mais
dinheiraw
Atuga-so o 2 andar do sobrado a. 33, sito naj
ma da Guia, por preco commodo : a tratar na ra
-n ragHriHi aan uu u. v. da Cadeja ^ g u dfi ferraglls.
Club Pornambucano, 31 de outubro de-----------------------:'----A-r\
ofi Aiga^se um pardo oopeiro, boleeiro, cozi-!
ao**________________________________.. nheiro, <., e de muito boa conducta : na ra Ve-;
O abaixo assignado precisa saber aonde mo- Iba n. 93, ou na ra du Imperador n. 71; e bem
raoSr. Domingos Jos Marttns natural do Porto assim as mesmas casas Unben se aluga urna
Conselho de Boucas frcguezia de Santa Crur do. prcta para cozinhar o fazer o mais servido de casa
Bispe, roga a- pessoa que dalln souber annunciar menos engoramar.
per esta l'olha que Ihe ser paga adespeza do an-
Nesta typograprri* se precisa fallar ao Sr. Je-
nzino Machado Braga que morou na ra Augnsta.
A reunio ftwailar do mez de novembro
ter lugar na noite do dia 9.
nuncio e Ihe lioar muito obrigado, pois quem Ihe
deseja fallar um seu sobrinuo que chegou- pr-
ximo nesta provincia.
Domingos da Sil Ramalbo.
AMA
Precisa-se de urna ama para cosinhar e com-
prar em casa de homem riteiro, preferesc es-
crava : na ra do Quoimado n. 32, loja._____
Na ra dos Pires n. 4- tem nma cscrava pa-
ra se alugar, a qual faz todo o servico de urna casa
de familia.________________________ _
Existem por alngar duas casas na ilha de j
Bonifica, lendo rommodus para familia, banbo na
purta, etc. : a tratar na ra larga do Rosario nu-
mero 36.
Sao convidados pelo presente os devotos
da excelsa Senhora Sanl'Aana que se ve-
nera na matriz de Santo Antonio, assim co-
ma os amigle pareles do fallecido irmao
juiz da mesma devocao, Joo Tiburcio Va-
leriano Lobato, para ouvtrem as missas que
por alma do mesmo fallecido manda rezar a
mesa regedora da mesma devocao, no dia
sabbado 5 do corrate, pelas 6 1|2 horas da
manha na mesma matriz c a mesma mesa
desde ja se julga grata.
5$
G:OSv)00.
m RA IMPERIAL #93
Isaac Esnt\j
Fabrica do rap imperial.
Precisa-so de um pequeo para caixeiro de
taberna, dos chegados ha pouco : no largo da Ri-
betea n. 23. ^_____ ?___________
Quem tiver para alugar una casa de dous
andares as ras do Imperador, Crespo, Cruzes,
. Queimado, larga do Rosario, pateo do Uvranienlo,
; dito do Carino, e ra Nova, queira ter a bondade
preferir alugn-la ao esrmao Silva Rege, que tem ;
muila precisan; se porm a pessoa ijue tiver ai
dita casa quizer fazer urna treca com o subrado
Isaac Esnaty tem asatisfftcao do participar ao n. 93 da ra Velha.de um andar e solo, *jn
respeitavel publico que se acha estabelecido na ra. astante grande, tambein se fra : a tratar rom o
Imperial n. 193 com fabrica de rap denominado mesmo escrivo na casa da ra Velha, ou na roa
RAPE' IMPERIAL, cojo rap fabricado igual ao I do Imperador n. 71.
rap do Lisboa, e muito melhor por ser mais toni-1 -------------------------------------------------------
co e muito mais agradavel e convencido o fabri- r\ \\TP'r8'^k c\
cante da siipt-riondado do sen rap, pela experien- i Bu. \}'f j J'^N i
cia de triuta annos que tem deste genero, o demais ; 1A \S -i ^*J -* U
Caetano Moreira!
os
Corre ainanha.
Sexta-feira 4 de novembro do corrente
anno, se extrahir a segunda parta da ter- afl!?ff *a > i
. i... /ii,.i ?__,. \ j ,i, .,__I O fabricante rranquea as amostras (gratis) do
cetra lotera (i 1 ia) a bsnelicto do theatro i seu rap lanl0 na famira ,.mno ,amt)(>m l|mis ,,,|l0.
de Santa Isabel, no consistorio da igreja i sitos raadaCrnz n. 31 loja do Sr. Raptoel rna
de Nossa Senhora ,do Rosario da freguezi?. Direian. uaberna.
de Santo Antonio Brevemente apresemar a venda publica outro
S bllhetes. meios e quartOS acnaiu-se a da- 'pVa'"'renio^^nid^am^em'r'Tap'princeza,
yenda na respectiva thesouraria ra do rap grosso c meio-grosso, tudo a precj mmu.
Crespo n. 15.
o cerlilicado juBto para mais seguranca dos com-! tj?> i\ gr rdoiot'ir
pradores o fabricante Dea responsavel pelo bom ,, *y ; J
resultado do seu rap,.garantndo ao mesara lempo Fontes ftieint eritrojar-me o meu relogio
o dinheiro do comprador qDe por accaso nao gos-
lar (o que positivamente nao de esperar) c sendo
este [>r a libra porm como o principal desejo do fabrican-
te de ganhar crdito em todo o imperio e tam-
bein para chamar atlen^o dos amantes da boa pi-
tada como tatnbem dos exportadores deste genero
tanto para o mato como para mitras provincias, li-
mita ramate o prego reduzid de mil res por li-
bra a retalho e em porcito de 10 libras a 900 lis
e em porco de 50 lihras a 830 ris e em porgan
de 100 libras a 800 ris e em porgo do 1O0 libras
com o descont de cinco por cento ou a tres mezes
do prazo tirina garantida assim o fabricante espera
a concurrencia dos senhores compradores em re
muneracao da boa pilada examinada, approvada e
Os premios de 6:000,5000 at IOjJOOO
serlo pagos urna hora depois da extraeco
at s 4 boras da tarde, e os outros no dia
segninte depois da distribuico das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
DK
Trastes,tyalgado e outros mu-
tos artiqos
Quinta-feira 3 do corrente.
t\T. 10-.Cnna/.cni da rodo Vigario-X. \ 0
-far sua feira mensal de diversos trastes novos e
usados, urna porgo de calgado fabricado nesle
paiz, e outros muitos artigos que serao vendidos
,ao correr do martello. _______ ________
LG1LAO
DK
MOJE.
de ouro para algibeira que recebeu para
limpa-lo a mais de um anno.
Marcelino Jos Lopes
abaixo asignados partecipam aos sens
amigos que, a partir de outubro prximo, transie-
ren! sen armazcm o escrptorlo nara o n. 22 bis,
iw Paradis Poissouniexe. Earis 24 de setembo der
18i.- Piafo flirts._______________________
Joaquim da Silva Boa-Vista faz scienle ao |
rcspcitavui pnblico e principalmente ao corno do
commerrio qm miidou sua loja do Passeio Publico
para a ra do Crespo n. 10.
Ahjga-se um sitio em l'arnaincrim com boa
rasa e nniitos alvorodos do truto, todo cercado j
no l'asseio loja n. 7.
Roga s- ao Sr. cadete M. N. S que quei-
zer e favor de ir em uina taberna indemnisar
oriancia de uns vales, cujos esto firmados
S.
i
V
Joao Joaquim de Figueirdo e Basiliano
de Magalbaes Castro, convidam a todas
aquellas pessoas que se dignam hnralos
com sua amisade assistirem a missa do
stimo dia, que pelo descanco eterno de sua
mni presada esposa e ma Maria Benedicta
MagalliesdeFigueiredo, tem de ser celebra-
da ua capella do cemiterio publico s 6 ho-
ras da mauhaa do dia sexta-feira 4 do cr-
rante.
Ouinta-feira 3 do corrente, s i 1 horas, uo
armazcm da roa do Vigario n. 10.
OLYJHPIO
vender em leilo publico diversos escravos de
ambos os sexos, sendo por esle Diario especifica-
do na vespera do leilao as idades e habilidades dos
mesmos escravos._____________
m mmmm
O leilo para sexta-feira 5 be novem-
bro, as 11 horas, a ra da Ca-
dea o. 53.
E' um bom patrimonio.
DE
17 casas, ch5o proprio, pequeas para pobreza,
n* ra do Palacio Episcopal, com S2 palmos de
cente e cerca de 300 ditos de fundo, a casa que
est edificada na ra tem 12 janellas e porta, sala,
alcova e gabinete e mais arranjos, porto de um
todo, que d entrada a 16 casas mais pequeas
que tem nada nma, sala, alcova e mais um qoar-
inho, nc centro grande cacimba com boa agua e
no fundo alm de um ierren tem privada, esta
propriedade rende mais de -1005 por mez, ser
vendida pelo maior prego que se acnar naquelle
4ia; os prelendentes podero examinar desde j,
me devem observar que farao bom emprego a
sea-dinheiro, que tira um juro superior a um por
--unto ao mez em predio acabado pnueo tempo,
bom negocio 111
Precisa-se de nma senhora que saiba coser
em machina, dando-se meio fetio as obras que se
lzer : a tratar na ra dos Martyrios n. 12.
Aluga-se um sitio era Parnameirim com boa
casa e mtutos arvoredos de frncto, todo cercado :
no l'asseio. loja n. 7.______________________
Prerrsa-se de urna ama, forra, para comprar
e cosinhar : no pateo de S. Pedro n. 3.________
Pergunta-se se pode ser empregado publica
sendo filno de ventre cativo._________________
CASA i)A FOKTIM.
AOS 6:000.000
Bilhetes garantidos
A' ra do Crespe n. 23 e casas do costnme
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se aeabou
de extrahir a beneficio da matriz de Flores, os
seguintes premios:
N. 27o um meio cora 6.0005000
N. 750 ura meio cora i:4000000
N. 1179 dous quartos com 500,5000
E outras muitas de 200$, 1005, 404 e 124.
Os possuidores podem vir receber sera os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da segunda parte da
terceira lotera a beneficio do theatro de Santa
Isabel, que se extrahir no dia 4 de novembro.
Presos.
Bilhetes inteiros..... 7*000
Meios......... 3AS00
Quartos........ lW*>
Para as pessoas que cotnptarem
de 1000 para cima.
Bilhetes........ e*^
Meios.....- ffJS'
Quartos....... ^.*700
MaMoe.1 Martin* Futta
mais rednzidos para mais animar os senhores ex-
portadores deste genero.
N. B. Nos dias de sabbado a fabrica nao se
abre.
CF.IVNFICADO.
Certifico que snbmettendo a exame a amostra
do rap denominado Imperial, que apresentou a
esta reparligo o r. Isaac E'naty, fabricante resi-
dente na raa Imperial, casa n. 103, declarou o pe-
rito nomeado para esse lim, o Sr. Pedro afanrer,
que nao havia inconveniente algum em ser oxpes-
to venda, aliento a que nenhum penneio nociso
comprometa a saude.
Inspectora da sade publica, aos 5 de, outubro
de 1864.
Dr. Ignacio Firmo Xavier,
Inspector da sade publica.
Trapiche da Gamboa
Alfandegado por carta imperial de 2fi
de mareo de \ 863.
Este Tantigo e importante esttbelecimenlo, ura
dos mais bem montados dasta corte, com vastissi-
mas casias para arrecadagao de asMttares e ou-
tros gneros nacionaes ou estraogeiros todas cor-
tadas por trilhos de ferro assoalhadas e forradas
de madelra com cuinchas em tudas ellas para ar-
rumacao e safamento de gneros, com urna ponte
sobre o mar, de 600 palmos de exlensio, com p-
timos guindastes, um pessoal muito pratico neste
servigo, propoe-se a armazenar assucar em caixas,
feixes ou barrica* pelo tempo de seis reates por
40 rs. em.arroba e em saceos 30 rs. ; as madeiras
de qualquer qualidadeque forem nelle depositadas
pagarao pelos primeiros seis meze* o mesino que
actualmente pagam per tres mezes nos demais tra-
piches e dos semestres qui se seguirem tero um
abalimento de 20 por cento ; recebe por preeos
muito mdicos qualquer mercadoria comprehendi-
da na stima tabella do regulameoto das alfan-
degas.
A venda dos gneros nelle depositado, faz-se
rom as mesmas vautagens que offerocem os mais
trapiches porque as enndiges para q.ual<|uer parte
da cidade sao pelo mesrao prego.
Rio de Janeiro, l" de outuoro de 18(ii.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C
Agente* do Banco Unio do Porto.
Competentemente autorisados sacara por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Ha sessa"^esa*siel(fnie*?io tlia 4 ao
presente mez s boras da larde, para a
qual sfiu convidados todos os seus mem-
Dros._________________________
M o legue.
Alaga-se um molemie de 16 18 annos de ida-
de : na ra do Queimado n. 23. sobrade._______
^"joaipTirnTS-jitza de Oliveira ( pobrejlas gaio-
las) manda dizer urna rnissa pela intencao de to-
dos os iiemfeitores que favorecen! com a sna esmola
no hospital dos desvalidos, o vera agradecer o bom :
traiameniu a que se prestaran! a fazer a sua irma
Barbara J.iaqiiun de Je-us ja fallecida.________
Precisa-se de um caixeiro que entenda de ta-
berna : apparega na ra Direita, casa n. 6_____
O abaixo assignado tendo arrematado os ira-
postos da cmara municipal da cidade de Olinda,
da afericao dos pases o medidas, de mscales e bo-
eeteiras, e de 500 rs. por enteca de gado vaceum,
por tempo do um anno, a contar do Io de outubro
de 186i ao ultimo de setembro de 1865, faz scien-
M s pi'foas sujeitas ao pagamento de ditos impos- ;
tas, que podero dirigir-se a ra do Cabral da dita
cidade. casa n. 4, das horas da manilla as 3 da j
tarde dos dias uteis, pira serum afendos seus pe-1
sos e medidas, e salisfazerem ditos impostos. Ohn-
da 17 de ou'.uhro de 1864. Joao Cavalcanti Pessoa
de Alb'.ruierqne.
Precisase de urna ama para
de urna rasa de pjuca familia
mado n. 29, sobrado.
o servigo interno
na ra do Quei-
Atiga-se uina casa em Bebcribe : a tratar I
com J. I. M. Reg, na ra do Trapiche n. 34. I
~ Aluga-se um sobrade de dous andares e so-
lao no caes do Hamos com grandes coinmodos, j
proprio para um collegio ou para duas grandes la-1
milias : a tratar com Jos Hygino deMiranda.__ ;
Aluga-se urna ama quosaiia bem cozinhar o
de boa conducta, preferindo-s escrava : na ra
eslreita do Rosario n. 32, primeiro andar.______
11 Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e podras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo o qualquer concert.______
~ PrecisTse alugar um escravo para comprar
e fazer outros servigos de casa de pouca familia :
na travesea da Madre de Deus, armazem de Barros
& Silva._______________________________________
Robin Joo Beliiario, vai para Macei.
Mantimentos do brigue
Emilie
exla-fetca 4 de novembro 11 horas da
manha na porta da alfandega.
OLYMPIO
fir leUe por ordom do Sr. S. H. Nass, capitao
ttotirigue noruegaense Rmilie, conderanado legal-
uiente neste porto, dos mantlmenlos do dito brigue.
O abaixo assignado em virtude do amuocio
do superintendvnt Iswtrada de ftrro protesta
contra qmiquer venda taita de trras de Garaelei-
ra, por qnatito alem de ser necessario proceder-se
a medigao dos terrenos vendidos, accresce mais
que x maior parte das vendas feitas esto' mHh*,
como se provara em tempo.
Jos Pedro Velloso da Silveira.
Pars > Frederic S. Ballin & C
Haraburgo > Joo Gabe & Filho.
Barcellona > Francisco Raboba & Ballista.
Madrid > Jaime Meric.
Cdiz- Crdito commereial.
Sevilha Gonzalo Segoria.
Valencia > M. Perera Y. Hijos.
EM PoflTLUA..
Amarantes. Angra Terceira.
Arcos da Val de Camiuha.
Vez.
Avetro.
Barcellos.
Basto,
Beja.
Braga.
Braganga.
Faro.
f3liveira d"Aze-
meis.
Penafiei.
Tavir*
Villa do Conde.
Castello Branco.
Chaves.
Coirabra.
Govilhaa.
Slvas.
Extremos.
Evora.
Faffe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thoraar.
Villa Nova.
Portimo.
do
FEITOR.
Precisa-se de um feitor portuguez e que entenda
bem de horticultura : a tratar no largo do Hospi-
cio, casa em qne morou o desembargador D. Fraur
cisco.
Precisa-se de urna ama :
Verdes n. 92.
na ra das Aguas
Figuewa.
Guarda.
Gui maraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
Mongo.
Moncorva.
ftegoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
i. Migoei.
I DENTISTA DE PARS
19Ra- 8kw*-13
Frderieo Gautmr, cirurgio dentista, S
faz todas a&operaces de sua arle, coi- M
loca denles artificiaes, ludo com superio- S
ridade e pertfeicao, que as pessoas enteu- 1
ddas lbe reconhecern.
Tem agua e pos denuncio.
-mu
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No'lMKRU).
Bahia. Maranbaa.
Rio de Janeiro. Para.
Qoalfluer somma prazo on vista,podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razo de 4 por cento ao anno
na ma da Cruz n. 1.
. sorvew todo os das, das 6 horas em
dianh!, advertiodo que o maisasseiado e bem fei-
i to possivel : no,bem conhecido caf dos Arco.__
tasa para alugar na ra dCrespa.
Cas-1 Aluga-se a principiar em 1 de Janeiro prximo
I futuro o sobrado de tres andares da ra do Crespo
n. 9 : quem pretender*dirija-se ao estabelecimen-
io rfa |..j amanmn sobrado-, oh uo de n. *3 da
mesma raa.
! OSE Jos Antonio Floresta Bastos esuidan-
te da faculdade de direito tem urna carta de im-
portancia vinda da Bahia na ra do Crespo n 23.
Precisa-se de ua ama que cozinhe e en-
a tratar gomme, para duas pessoas : na ra da Penba n.
123, primeiro andar.
INJECTION BROU
XAROPE
DE CASCAS de LARANJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
MaatAeasTico a* bscola lersaioa si um
Este xaropa, rsgularisando as funegoes do estomago e intestinos, destroe _
mdisposicoes preleiformea, faz abonar as molestias de qae sis indicios preearso-
res. Medios o doeutes tem reconbecido que reslabelece as radipiaiei, fcasss
desapparocor os pesos de estomago, que calma u enxaqneeas, espasmos, e eaimbrao,
que sao resultado de digestdes penosas. Seu gotto agnwlavel e a facilidade com qse
se suporta, o tem feito adoptar como especifico afallivel das doengas ntrvosmt,
gattritit., gastralgias, clicas de estomaga e d* entranha*, palpaedcs, dores i
corafo, vmitos nervosos; sua aeco sobre as funecoes assimiladorss tal, sjoe so
mdicos mais Ilustres o tem adoptado por rescipiente real dos dous primeiro
agentes therapenticos: o Todiirelo de Polassa c o Prote-hdureto de ferro, tendo
observado que dcbaixo de sua inflaencia, o primeiro perde so aceto irritante, e e
segundo seu effeito adstringentc. *
XAROPE FERRUGINOSO
XAROPE DEPURATIVO
De cascas de laranjas amargas com l-
dureto de potasas.
O adureto da potust, idminittrtdo m
solacio ou debaixo da forma solida, causa ao
doentc uraa grande repugnancia, ou determina
accRfonto* que for i:irdioo fficai.
Unida |irHi M.Xtrope de caicii de laran-
jas, elle aao causa nem gastralgias, nem per-
lurhario do *4tomago e intestinos, gratas a
cats saltas arda, os trattmentos depuratiroj
sao continuados sem interrnpcao, naa affec-
f>s ettrofulotat, tulercutotat, cancrelas
nnt tccvndariai e terciario, nttm rnma-
thistnaei, aas quacs elle o mais seguro espe-
cifico. A dose est, eiiuida de tal naueira
que o medico pode varial-a a aaa vontade :
0 frasco: 4 fr. 50 c.
De cascas de laranjas amargas cea
proto-ioureto do ferr.
A aiMciacio da sal ferr se Xarsp* de cat-
eas da laranjas taate man racional faaat*
que este xarope, empregado s, para suma-
lar o apetite, activa a sccrccio do sueco ga-
tn.-o, e por tim regolarisa as fucrf, abdo-
ininaes, neutralia us mies efTritos dosferra-
Huosos o des itdureto laeaa da eabeea, pri-
sao de Teatre, dores pigasirieas) en nula
5ue facilita ana absorptao. DissolTids a*
arope, elle se tena e te sur-porta facilatente,
por achar-ae no estado pura ateta asaiaailavel;
e assim pode coatiauar-s* a cura da pallidei,
corrimenlos braaaos, aacraia, alfecrore
fulosas e rackitismo:
0 fraseo: fr. 50c
OLEO DB TELA
Jurcza ios cabellos r
pera ram*ttiar a
saseeaake,a \i!ro. 2 fr.
* Os Xaropes de J.-P. LAROZE esto sempre em frascos especiaea
(nunca em meias garrafas nem em irascos redondos). Expedices: em casa
J.-P. LAROZE, ru dos Liona-Saint-Pat, 2. Paria.
Hita du liii|)''iiiini' m. .( Lrrniia > "
PERFUMARA medica hygienica
De J.-P. LAROZE, qumico, pharmaecutico de la Escola especial de Pars.
Estes producios sao o resultado da aplicatio Jas leis da hy-iene i perfiiBuria, que s erga
tornase pharmacia da belleza, rncui-rt'gada d pru\er hygiciie da prlle, dos cabellos, dos deatrs,
orgios tio imporlanlcs; enlio evita e destroo as causas MI duendas que saa irman mais velha.
i pliarmacia propriamente chamada, leu: que curar.
ELIXIR BesIfTIFRIGlO para curar imdaleraento afl
dores ou raivae do denles; o vidro 1 fr. 25
1>0S DENTITRICIOS COR DE ROSA com base de
Magnesia para branquear e coi.servar os domes;
a viiro...........t fr. a
OPIATO DENT-miGIO para ferlilicar as geniiiras
e avilar as nrvralgias dentarias o poto 1 fe. 50
VRATTVO dentario para tratar os dnts
cariadas antes do churabantento, e evitar os al>-
cesses e dores; o vidro com o instrumento a fr.
AOUA LEOCODERMIHA, para conrvjr a frescura
e as funccOes da pelle; o vidro S fr.
ESPIRITO DE AIZ RECTIFICADO, corapltmcnlo
io aeeioda boceadaspois de comer; o vidro t fr. 25
8ABO LBMTrtT* HEDiamAL, de violla, amendoa
amarga, bouquet, o p4o.......2 fr.
afjsjafj DE SASAO LENITIVO MEDICINAL de
gomas ie ovos, para evitar as fondas, frieiras a
aoeRcas de pelle, d<> vilela, do bouquet, o po 2 fr.
CHIME DE SABAO LENITIVO MEDICINAL em
pos. Bita especial para a barba, o aceio das
araneras e das crian tas, viiro.....2 fr.
VINAGRE DE TOILETTE SOPE
suavidade a sua act-io raflraaeanU
ISOVt pela saa
o vidro. ft*.
COLD GREAM SUPERIOR para coaaofrar a palU
clara, frvsca, t diaphana. e avilar o* m^o* <-t(r\u-\
do usa das alfas, o pote......1 fr 5#
AGDA DE COLOGRA SUPERIOR, mm M san
mbar; permanencia de seu (.eifeme o las Lascar
para o locador, banhos g-iacs e lo.aas, o ii.lro I ir.
pastilhas oriertais do Pr. I'ju OaaBsaSa
para tirar o cheiro do libaeo e pira niodiriear es
ballilos (artes; t fr. a cana.
asga de rLOaas db alpazebsa. < bascado para tirar as comicheas, f.-ruinar # re-
frescar ceos ergios, a viiro.....1 fr. 2
espirito de hostil supautrisro. Elle
aperleicoamemo indispensavel Jo aceio Sa bixea
depois de comer, o vidro......I fr. 25
POMMADA CAESEIVrADORA .1* quiaiaa pura
para fortificar os cabellos, os cub.il-aar e evitar
o encanecimeolo prensaiuro, o pote. 3 fr.
AGUA lustral para, conservar o embolloxar os
cabellos, e fortificar suas raiies, o vidro. 3 fr.
Dpositosent cada cidade, em caza dos pliarmaeeulicoa, aerfamislas. eahelleireiros, argacMitas
modas o de fazendas. Varejo: Puaiuiacia Lxrozs, ru Neuve-des-Hetits-Champ, iS.
Eipadioei em caza de J.-P. Laaozi, rae des Lioas-Saint-Paul, n*t, em Paria.
30
30
.*! H
-n W
=o W
SSfl
O
= 3 S se
E-v os &2 5
ilisrig
S o co O.J5 S
osIIijjs-i
s^|h!I[1
5_" 2.a S5-
0S?Has.sr
_ = s
? sss-s3ei
2??SBaSe
m
o
Vndese na ra do Imperador botica ranceza n. 38.
OTV
ELECTRO
MAGNTICA
Approteda por varias Aeedemiet e alies
summidades medicas.
O queocessiona en (ral as moleslU abslxe)
designadas a est*%nBt)*o do sansjtte em certas
partes do corpo, a qualproduiida pelos resfrit-
mrntos e mullas oniras cautas,entio eclaiie-ss
os flAcamafmos, Goto, Parajfsns, rWjBH
do* memers, Cowtiffiei, tt?l>*nUU *
Par nchmm, Dr ,VcrM.
O um da escora XBBV*\m*i%lM0MX
TICA tasa suaeesso ccrlo para a eur* de todas
estas moiestios, sem rccoPrePseaMnbaina oulra
BMdlcacie). Rila tasa otsw sorsna nui aaBe^vt
e .rodux, a vonlode de quem d'ella usa, sean mais
te e felise resohaJos. Se OMpaas asepsa
daauaolealiasaoima. Pa#ei nviisirrforwacoesaaai-
satl -te-se a oolicia que crasiljanlia oiltl K~"
SRPOSITO CUSUI,
' Preciea-so de ttiiit asa rana prasjprfSef d--
cenes para habil.'ir'io d' peftiana (xnnlia ; pr>*fe
rc-e no bairro da (loa-Vista tul inuncdiar. s ; ni
s duvida pagar Ucin .1 traiar na ra Jo Viga-
rio n. 9, primeiro andar.___________________
Preeisa-se alugar urna eserara riue saila es>-
zinhar, ngominar a vuider na ra, s*ndo de l>oa
conducta, pagase ben. : na rna das Cruzes n. 16,
primeiro andar.
mt
11
Prcii>a-s>; de um anias>a.lor uae eo-
tunda do trauco : na usataria da ra Keal
n. 25.
MI
m
Atten
osa
Boulfort dn Prime Ene**, 1*. pris.
Vende-se na ra do Imperador botic*
ranceza n. 38._________________,
AUiloo Baptista da ocha, l'wui-
uei, rclojrtro- dourador na
practa da Indspeodcncia n. \% tu.
qualquer concert de pelogios e
do.iradu por preeos roais baratos
do que ouiro qualquer e resporisa-
'bilisa-st lelo sen trabalha.
Il(,'iLO.
Manooi Valentiin dos Santos, maiural dos Indios
' da Escada, transferido para o lincho do Mata, pa-
l ra all ser abdicado rom os Indio, esla sendo obs-
' tado por algtima forma- Acora riinito de proposi-
to apparece Antonio Jos, conhecido por mau-uas.
diicudo que comprou a* trras do Kiarho do Mato
a um homem desla capital, e quer assim desarran-
! jw a todo os India<. A referidas ierras Mtssjs
foram nacionaes, o como apiiarerer dono a ellas?
una, perfidia e uoi capricho ountra os indios pa-
ra nao eMcular-8 o aviso do Sr. ministro, qtao
manda, has-er all a noa aidet*. e por iss o an-
: nuncianta pede ao Kxm. Sr. preMdenix da "'"
cia providencia* para nao surem desiirrancliailus-
: A4ogani-se duaB oasa* no Monleiro narua do
Xisto : a tratar na-rna do Cmspo it tt-
^l^taiiieito do gallo.
caitio loz o testamento do gallo, obra pmpria
para recreio. iuleiramept* dilfc-fetitB do peojiwo*
que eiistia, imflressao limpa, bom papel, e rn
braehura : aclia-se x renda na ra do Imperador
n. 15, defronte da S. r'ranr.isco.
Precisa-se de um menino para caixeiro de
urna loja de raleado : na ra de Livramouto n. 5.
Precisa-se alugar um escravo para faaer o
ssrvico interno e externo de nma casa estraircei-
ra : qpem quiwr dirija-so a rna do Passeio Publi-
ca tv 17.
Precisase de ttiti pequen* de ti l*ann"s ^r
idade, que torma pratica de taberna ; narua do
Palacio do Hispo n. 40.____________________
Precisase de urna ama para cozinhar em ca-
sa do pouca familia : oa raa do imperador u. 15.
* *
\


-
"~
*

Diario e rcruMbut (tilinta felra 8 de Xvembro *e i84.
COMPENDIO DOLOROSO
que conlem o oQcio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devocjio; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penna do imperial hospicio dos reveren-
dos padres misslonarios apostlicos capu- j
chinhos italianos de Pernambuco, approva-l
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devocao do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia
isiaiiiiiiii
Companhia Udelidade de jg
seguros martimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PBPNAMBUCO
Antonio Luii de Olueira Aifvedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fdelida-
de, tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no sea escriptorio ra da
Cruz n .1.
Est justo e contratado o terreno denomina-
do Torres da freguezia da Varzea com Arcenio
Antonio da Cunha Miranda, se alguem se jnlgar
com direito reclame nestes tres das por este Diario.
A pessoa que do camarote n. 19 do paquete
Paran, trouxe rima cliapeleira de couro com
chapeo de pello dentro, lende-se era cima da mes-
ma Antonio Jos de Freitas, querendo-o entregar
pode mandar ao hotel italiano, que se pagar as
despezas que flzer com a remessa.____________
Precisa-se de um carroceiro na padaria da ra
Imperial : a tralar na ra estreita do Rosario nu-
mero^________________________________
Roga-se aos credores da massa fallida de
vi uva Amorim Filho de apresentarem dentro do
praso deoito dias osseus ttulos alim de serem ve
riflcados, no escriptorio de Augusto Frederico de
Oliveira, administrador da mesma massa; praca
do Corpo Sanio n. 17.____________________
m no nimiv
DOR N. 22
Grande armazem de Untas.
Tera a venda :
i Productos chimicos medicinaes os
mais importantes em medicina.
2. Productos chimicos e utensis
para photographia eoutras industrias.
3. Todas as materias e utensis
empregada na pintura a oleo e a col-
la para pintores, tinturaros, enver-
nisadores, douradores e vidraceiros.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
LIVRARIA ECONMICA.
RA DO CRESPO N. 2.
DEFRONTE DO ARCO DE SANTO ANTONIO.
Obras ultimHmeute receidas.
Jurisprudencia.
Consultor forense por Carlos Antonio Cer-
deiro, 4 volumes............305000
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2o
3o
COM8ELHO
DE
de olhos;
de peito :
dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rio examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d sj
6 as lOdamanha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
c3o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Deixai que os Hunos da civilisacao vos pregnem
economapara os ps 11 Esta parle do corpo
humano por certo aquella que, neste clima, ne
cessita de maior ajasalho: pela humidade nos ps
se introduz a grand maioria das molestias, e com
estas a perda da saude e da vida I! t Fra com as
. botinas e sapaios velhos ; reforma-Ios
45-Rua Direita-45
Borzeguins francezes para homem
Ditos inglezes dem a 85, 1> e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapatoes esmaga cobra
Ditos de Nantes de duas solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de borracha para senhoras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete para homens e se-
nhoras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
riLII.A VEGETA*:*
DO
DR. AYER.
N3o ha necessidade mais ge-
ral em todos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
mesmo lempo innocente, elficaz
e digno de toda a conflanca.
As pilulas que ora olTerece-
mos ao publico preencliem estas
condices pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais iracas
sem perigo alguno, nao tendo em
sua composicao mercurio nem
ontro ingrediente nocivo sau-
de, mas. sendo composto de a-
gentes vegctaes mui fortes, sao bastante
efficientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas exploram e purificam toda
a extensao do canal alimenticio, e do vigor
a todas as partes do organismo, corrigindo
sua aecao viciada e fzendo recuperar sua
vitalidade.
Um remedio inestimavel contra dr de
cabera nervosa, enxaqueca, priso do ven-
lie, hemorrhoidas, molestias do figado, fe-
bre gastro-hepatica, e todas as molestias
biliosas que teem sua origem no enlorpeci-
mento do figado que causa a escassez da
bilis na nflammaco d'este orgao que pro-
do? H'rvesi'fiso fythN%r\tfg!w&ytfb8!
tivos.
A Ictericia
produzida pela absorpcao da bilis no
sangue, dando ft pelle e aos olhos urna cor
amarellenta ; nao smente dolorosa por
si, porm conduz aos mais serios soffrime-n
tos.
Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas to-
das as manlas, isto bastante para mover
o venlre smente at que se recupere a ac-
eito saa do syslema.
Mal do figado, febre gastro-hepatica,
diarrhea biliosa, indigesto, a nevralgia
ou tic doulcureux, sao todas molestias que
tem seu comeco n'um desarranjo da bilis.
A obsenaco dos ductos da bilis faz esta
volver ao sangue, com que circula d-pois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel de males.
Todos estes incomrnodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direccoes minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, ra Nova n. 48.
AGENCIA CENTRAL
15 Rna Dlreita I.
RIO IIEtl WllllO-
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P.MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
ir
3-RLA BSTRIITA DO ROSARIO--*1
Franeisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificaos tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
Tambem se vende cada volume separado
Manual dos juizes de direito, ou altribui-
coes e de veres destas autoridades .
Pnmeiras linhas sobre o processo crimi
nal por J. B. da Cunha, 2 volumes 145000
Nova guia dos juizes raunicipaes e or-
phaos por J. fe. P. de Vasconcellos 85000
Novo advogado do povo ou arte de reque-
rer em juiza............. 45000
Roteiro dos col lectores, nova edicao muito
augmentada............ 65000
Novissimo manual dos tabelliaes ou col-
lecgao dos actos, attribuiges e deveres
destes funecionarios.......... 65000
O advogado commercial ou arle de reque-
rer no juizo commercial....... 45000
ndice alphabetico de materias, as quaes
tem applicagao legislagao patria pro-
mulgada at o anno de 1857, coordena-
do pelo desembargador Joo Joaqum
da Silva................125000
Alem destas receberam-se mais obras de sura-
mo interesse, para os senhores juizes, advogados
solicitadores, etc., etc.
Piiblicaco Iliteraria.
Sahio luz o opsculo intitulado
A LIBEROADE
NO
Precisa-se de urna pessoa para dirigir um
sitio fra da provincia, preferindo-se estrangeiro :
quera sejulgar nestas condices, dirjase a ra do
Crespo n. II, loja, que achara com quera tratar.
55OOO i Precisa-se de urna ama
85000
55000
65000
45800
15400
15000
LOJA IIOBEIJA FLOR.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
zinhe :
andar.
que engomme e co-
na ra das Larangeiras n. o, primeiro
POR
Alfonso de Albuquerque Mello
Convidam-se os assignantes a mandarem receber
seus exemplares na praga da Independencia ns. 6
c 8, que serao entregues vista dos recibos das as-
signaturas ; ahi tambem estao expostos venda a
350OO cada um. Sao sob os seguintes ttulos as
materias de que se oceupa:
Introduccao. Nocaoda liberdade.O Brasil co-
lonia. Revolucao de 1817A IndependenciaA
constitulnteAconstiluicaoA revolucao de 1824.
O Dr. Cicero Alvares dos Santos nao tendo
podido pela rapidez de sua viagem despedirse de
todas aquellas pessoas que se dignarais honra-lo
com sua amizade, fa-lo pelo presente annuncio,
offerecendo-lhes o seu limitado presUmo no Rio de
Janeiro, para onde se dirige.________________
No trapiche da companhia, praca do Corpo
Santo n. 19, precisa-se alagar dous escravos que
sejam mocos, possanles e fiis, e conforme o ajus-
te, podero dormir em casa da pessoa que os pre-
tende.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da Inde
pendencia n. 22.
J
Compra-se effectivamente
onro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
COMPRA-SE
urna negra de bonita figura, que saiba lavar, en-
gommar e coser bem, e cuja idade nao exceda a
25 annos, agradando paga-se bem : a tratar no es-
criptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho,
largo do Corpo Santo n. 19.
Compram-so dous escravos que sejam bons
carreiros : na ra do Trapiche n. 13._________
Na fabrica de charutos, esquina da ra de
Hortas n. 1, compra se papel de Jornaes, ou limpo
que sirva para embrulho de cigarros a. 140 rs. a
libra. _____________________^_
Compra-se um oudous bos mansos para car
roca : na ra das Trincheiras n. 48.
Extraordinaria liquidarao de fazendas para a Test
por baralissimo prego, tanto para o mato como
para 1 praca, na loja bem eonhecida do Arara,
ra da Imperatriz n. 50 de Lourcneo P. H. Gui-
mares.
Ao barateiro da Arara a 1> 100.
Vende-se cortes de chitas com iO covados a
25400, ditas franceza a 35200, dilos de cassa a
25, dita de salpicos a 25400, 35 e 45 o corte, para
apurar dinheiro : na ra da Imperatriz n. .'ti, loja
da Arara.
Cortes de la a Hara Pa a S.\ e 18,-5.
Vende-se cortes de lia rom barra, os propia-
mente a Mara Pia a 85, e 165 : na ra da Irope-
triz, loja da Arara n. 56.
25000 A Arara rende alpaca para vestidos de senhora a
55000 i 360 rs.
550OOI Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
45000 tidos de senhora a 360 e 400 rs. o covado, lazi-
nhas para vestidos de senhora a 240, 320,400, 500
e 600 rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
I Las litas de cores a 600 rs.
Vendem-se lazinhas lisas de cores, a saber:
roxa, encarnada, cor de lirio, cor de caf e cor de
cinza, para capas e vestidos de senhora a 600 rs. o
covado, dilas de flores a 240, o20,400,500 e 560 rs.:
na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Colchas da Arara de 2,-> a 'o.
Vende-se colchas de chita para cama a 25, ditas
de damasco a 45, ditas para cobertas a 320, 360
e 400 rs. : na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende corles de calcas a 1.S600.
Vende-se cortes de calca de brim a I56OO e 25,
ditos de casemira a 35, '45500, e 55 : na ra da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Ronpa frita da Arara
Vende-se palilots de casemira de cores a 55, 65,
85 105 e 125, ditos de panno (.reto a 85, IO50OO,
' 125 e 145, ditos de alpaka a 35 e 45, ditos de
MSTILHt!1
5ESTIVAS
DE PEPSINA!
DErWASMAN

15000
15000
500
15600
Donecas de choro.
Lindas bonecas de choro que cbamam papai e
mami, de diversos tamanhos : s as lojas do bet-
ja-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
I.uvas de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores para bomens
e senhoras : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Fivellas para cintos.
Lindas fivellas douradas com lindas pedras para : brim de cores a 25500^35 e 35500, ds de brim |
cintos: as lojas do beija-flor, ra do Queimado 1 branco a 35 e 55, calcas, coletes brancos, seroulas
ns. 63 e 69. francezas a 15600 e 25, ditas a 15280, camisas
Capellas para Boiras. francezas a 15, dilas de linho inglezas, pregas lar-
Lindas capellas para noivas a 25500 cada urna: >s, a 35 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e Arara.
e 69. i A economa, a saber: eolarinhos econmicos a 600
Estojos para barba. res.
Vende-se estofos com espelho para barba 15500 Vende-se colarinOos econmicos a 600 rs. a du-
e 25000 cada um : as lojas do beija-flor, ra do zia, meias cruas para homem a 200, 240,360 e 500
Queimado ns. 63 e 69. rs o par, ditas para senhora a 320, 400 e 500 rs.,
Balaios para meninas. .lencos bramos com barra a 200 rs. cada um, ditos
Rccebeu-se novo sorlimento de balaios, com Unos a 320, ditos de linho a 500, 600 rs. cada um,
forma de vanos passaros, pelo barato prego de.... s na loja da Arara, ra da Imperatriz n. 56.
15000 at 45 cada um : as lojas do beija-flor, roa Ao baraleiro.
do Queimado ns. 63 e 69. No-armazem da Arara vende-se cassas a 240,
Filas linas para cinlos. i 280 e 320 o covado, chitas Anas a 240, 280, 400 e
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para 500 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 56.
Dlarrhraa r a raaatt-
par* araa'axla'aa
prlaa clnbararora
i-frrlnaoaa da* aj
llir.ilO'4,
As patkta digestir* aun a pepsina de Was-
tnan, emprogao se com successo ha ja algn*
annos pelas celebridades medicaes de Parig,
Londres, Vienna, etc., em todas as incommodi-
dades cm as quaes a digeMo rfifficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel : cis o melhor
remedio para curl as
GaatraJRlaa.
Blapraalaa.
Embararaa swlrlcoa.
A gaalrltr.
Aa afTrrrea trianl-
raa Em todas as molestias empregao-sc a minde as
aguas alcalinas, espc< ialmente a agua de Yichy,
e igualmente aspastilhas de Yicliy. Esse meio s
eflicaz quando se trate de dM>epVias de corta da-
racSo. mas o prolongado uso mis aguas e pastkas
de Yichy, tem grandes inconveniente, por quanto
os alcalinos empobrecem o sangue e isso de tal
mneini que llics arrebalho a parte viviticanlr,
nutritiva e reparairiz. Com a pepsina, a contrario,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transfornia-se ao mesmo lempo que se eflecina a
transformavao dos alimentos assimilhando-sc
como clles e ajudo labcm como ellos a nutricio
gcral. Sua accao vivifica o sangue e os rgos
ele tal sorte que, ath as pessoas que sem soffrer as
affeccSes gstricas cima mencionadas sao nica-
mente Iracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, e necessitao subsiancial alimento para for-
tificar se, achn no cniprego das pasliihas pep-
sina de W'asman, um poderoso meio para a isso
cliegnr.
A viso importante. 0 successo das pastilhas
pepsina de Wasman diu causa a se fazercm fal-
sincac5ca c imilaccs d'csse producto que oa
mulos se querem desfazer. Pois por falta d'nma
boa preparacao a pepsina que n'clla entra, jax
alterada. Seremos ao abrigo d'este inconveniente,
exigendo os compradores que ti pastilhas tenho
as iniciaes B. P. e saio da pharmacia Chevrier.
Depsito gcral em Paris, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes estrangeiro*.
* S 2.53 a
-o2.ns-o-^ g m
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
.n 63 e 69.
Extractos em caiiinhas.
Finos extractos em caixinbas com o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabo em eaixinhas.
Finos saboes em eaixinhas com varios retratos :
as lojas do beija-flor,ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63 e 69.
Jogos de domin.
Vendem-se jogos de domin 15200 e 15300:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63
do
e 69
Compra-se na ra do Imperador n. 15, umo ..... _...
A expulsao ouabdicaco. A regencia livre. O ou duas prensas de copiar cartas, ainda que este- Baados bordados
pariido regressista.Ameaja dos corcundas e que- jam era mo uso, com tanto que tenharo perfeito a Vendem-se babados bordados de varias larguras
da dos livres. A regencia corcunda.Causa dos parafuso. e varos pregos : as lojas do beija-flor, ra do
males da regencia livre.-Regencia corcunda e
maioridade.Principios do reinado de D. Pedro.
Revolta de Minas e S. Paulo.Dominio da Praia
Luzia.O dominio
Ourellos.
Compram-se ourellos de panno, qualquer por-
beral nao nquielava os cor- ca : na ra de Apollo n. 20.__________.
cundas.Feitos do dominlojiberal.A praia_eChi- Compra-se o Diario de Pernambuco de 5 de Queimado ns. 63 e 69.
Adcreeos pro tos.
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, ra do
chorrosenatoria.A revolta e a revolucao de agosto e o de 20 de setembro do correte anno ;
1848 A constituinte.A conslituinte.Derrota bem como os n?. 2, 6 e 9 do Constitucional Per-
da revolucao. Negociaeao de Honorio com os libe- nambucano tambem deste anno : na ra do Quei-
raes : traidores.Venda da bandeira da cons- mado n. 29, sobrado.
tituinte.- O partido liberal durante osquatorze an-; __ -r-r___,. -; ...--
nos do chamado ostracismo.-Os corcundas e es Compra-se cobre velho : na ra da Alande-
liberaes durante os quatorze annos.Captiveiro re- ga *0'na n. 1.________________________i
signado e voluntario dos liberaes durante os qua- Compra-se urna mobilia de amarello e*-ima
torze anuos.0 povo corcunda, ou os vermelhos e cama frange;a : no largo da Penha n. 14, Vt de
os sabios.A siluacao propriamente poltica.Ins- louga se dir quem compra. lan-
Mfe-'efii Inrregeiicta livre, e'o'que actualmente
temos em lugar delles.Os representantes da na-|
ao e das provincias.Situacao administrativa.
uos
*-s, .-.ala an-
na ra da Imperalriz n. 8, terceiro andar.
I
Comprase a obra intitulada Eneida Brasi-
lera por Manoel Odorico Meadas : na ra Nova
de -aula Rila n. 13, armazem de madeira.
VENDAS.
.4 lOuns.
que sao nella os I'orluguezes. Como o gover-
no tdirigado a corromper o paiz e a fazer-lhe
sempre maior mal.Como se multiplica e se paga'
a clientella do governo para sustentar-se o impe-
rio corcunda.O procnsul.O procnsul da co-1
marca.-Dos cargos, dos crimes e da punicjio.A
justicia.Juizes municipaes.Juizes de direito.
Tribunaes.Os das Relaces.Tribunaes do Com-
mercio.Supremo Tribunal de Justica.O jury.
Os advogados.Conclusao. Garanlia dos direhos. J. Falque previne os seus numerosos freguezes
Amoral publica.Dos crimes.As eleicoes. j que elle acaba de receber pelo ulumo vapor fran-
Corollario da obra saquarema.-O que a pa-,cez um esplendido sorlimento de albuns para re-
tria. Situado para com o exterior. Situado tratos, de diversas qualidades e gostos, sendo para
financeira.As fiuancas do estado.A miseria. 20 at 200 retratos e de 25 605 gradualmente.
Perigo e salvamento dos corenndas.A liga. j Albuns pequeos proprios para meninos de 12
Como se cougregam os elementos para ella.Con- 36 reir inhos e de 15 15600.
sideracoes retrospectivas. A comtiluinte. Prepa- Albuns para desenlio de diversos tamanhos e
ros antecedentes. -Conciliacao e opposigao parla- gostos de 55 305.
mentar.Monta a liga.O que sao os liberaes na Livros de missa, de tartaruga, madreperola e
liga.Que bem farao os liberaes ao paiz.O pro- marflm, por precos razoaveis.
gresso.Seus feitos.O que o progresso e que ^. aiia do Crespo 4
far.Como se deve viver nesta trra echegada -------------.-------------;-----------5---------------
ao progresso.Porque o progresso svemeora-j ---\ emit se eaixes >azios bTonrios
pletar nossas desgranas e sem mais remedio.-Se'n 1 !..: flin:i:PAa ft
ha salvacao para nos qual seria o meio e bem fa- Pdrd MUuieilOS e lUnilClPOS a
cil. Resumo.-A's cinco provincias pernambuca-, fMt UUH ; fiSla typOSrapha,
as. Histrico e poltica corcunda.Deque pro-
Tendo-se recebido aderecos pretos de novo ges-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Gravatas para senhoras.
Lindas gravatas para senhora 800 rs. e 15000
15200 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Espelhos de moldura.
las : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63 e 69.
Voltas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 15000 cada urna : as
las do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sopa.
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
25000 cada urna : as lojas do beija-flor, ra o
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende se laa para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
65400 a libra : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sorlimento de miudezas boas, e mais baratas do
que em outra qualquer parte. ______
1$760
vm a miseria.-Como se corrompe na eleco."-A, T. Vende-M1 urna escrava crioula de 30
restncao da liberdade apar do progresso da mimo- d
ralidade. Corollario.
nos : a tratar na ra da Santa
mero 1.
annos
de 8 e 11 an-
Cruz taberna nu-
nova um.
R. 10 ROA DO f|fi*rO R. 10.
Joaquim da Silva Boa-vista mudou o seu esta-
belecimento de fazendas para a ra do Crespo
I n. 10, est resolvido a vender por barato prego
I afim de adquirir freguezia.
Chitas baratas.
Vende-se chitas percalas a 500 rs., ditas fran-
cezas linas a 480 rs, ditas a 440 rs., ditas do ditas
260, 280, 320, 340 e 360 rs..,
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Ra doQueimddo n. 19,
Vende-se o seguinte:
Attencao 11
Ricas lazinhas, fazenda a melhor que tem vin
do ao mercado, tanto em gosto como em qualida-
de, pelo baralissimo preco de 560 rs. o covado.
Dilas miudinhas carmezins, proprias para vesti-
dos de meninas e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de la com 15 covados, pelo barato prec*
de 65.
Cobertas de chita da India a 25500 e 35.
Lences de panno de linho a 25 e 25500.
Pecas de cambraia de forro com 8 Ii2 varas i
35200.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a 55 >
duzia.
Ricos cortes de la com barra Mara Pia a
185.
Pecas de platilhas de algodo com 10 varas,
proprias para saia a 45.
Algodo enfestado com 7 1|2 palmos de largura
a 15100 rs. a vara.
Estelra da India, propria para forro de sala de
As percalas da Arara a 560 rs.
Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas Irancezas finas a 320, 360,500, 400
e 500 o covado, alpaca para vestidos de senhora
a 400 rs. o covado, fuslo branco a 500 rs. o cova-
da ; na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende musseliua branca a 100 rs.
Vende-se musselina branca, lina, a 400 e 500 rs
o covado, pegas de cambraias finas, lisas, a 35, '
45, 55, 65 e 75, musselina cambraia da India 85,
e 105 a pega, para vestidos : na ra da Impera-
triz u. 56.
A Arara vende tiras bordadas para enfeitar vesti-
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas de todas as larguras a;
15, 15200 e 15400 a pega, entremeios finos a 15 a
pega : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.,
Madapolo da Arara a ?5-
Vende-se pecas de madapolo enfestado com do-
ze jardas a 45," dito dp 24 ditas n. 30 a ^i>, n. 250
IG5500 E 75 e 85 n. 5 + 85500 e 95. n. 5 a 105,;
n. P F a 115 ZZZ, a 125 a pega, pega de algodo I
a 55, diio carne de vacca a 6500, dito domestico j
a 75, dito slcupira a 85, dito pao ferro a 95 a pe- j
ga : na ra da Imperatriz, loja n. 56.
Bramante de linho de 10 palmos a 2^!>O0.
Vende-se bramante de linho de 10 palmos a
25500a vara, brim liso a 500,560c 640rs. avara:
na ra da Imperatriz n. 56.
Panno de linho da Arara.
Vende-se pegas de panno de linho para lenges
e toalhas com 13 i/2 varas por 85500 ; dilas com
27 varas a 165500 e 185 a peca ; na ra da Im-
peratriz n. 56,
..._ _*....
Lengos de seda a 1* e 800.
Vende-se lengos de seda para mo, a 800 e 15,1
tarlatana para vestido*, de lodas as cures a 800 rs.:
a vara, fil liso ordinario a 320 rs. a vara, dito li-
no a 800 a dita : na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
A Arara vende chailes a 1600 e 3)5.
Vende-se chales de merino a 15600. 45500, 65, |
75 e 85 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Fazendas especiaos para senhoras, a saber :
Vende-se golinhas para senhoras a 240, 320, 400
e 500 rs., camisinhas para ditas a 15,25, 35 e 45,
gravatinhas para dilas a 15 e 15500 : na ra da
Imperatriz n. 56..
Smi[embarque da Arara a Sj r 1 0-v
Vende-se soutembarques de cores para senhoras
a 85, 103 e 123, ditos de grosdenaple pretos finos
a^205,255 e 305, capas prelas para dilas a 205,
255 e 305 : s na loja e armazem da Arara, ra
da Imperatriz n. 56.
E.f- s v
B 5' 5 n O.
|Srf HEiR-ti
S-rEl-S
3 5!S
o
1
i
I
i*
rs
3
o
o
o
n
o
3
-r
-,

EL
O
-1

a -
_L n
? a T
o
a.
i
5
-3

n
2
B
O.
v
p
=-
o-
-1
n
o
-1
CN
s
p -1 a.
o 5 o

n
5 2
s
|B||
3'fi.
Sgo.?
lili
-1?
2g<5f
O. J *
a m 2 r t a
S? El "2?
CO
- > -
3 m
- a
o
I
c
2
P
! lis

r* 2- >
:*-
[i
ti
GRANULOS, e XAROPI
ASITICA*
de J. LEPINE
Resulta pelas experiencias feilas as Indias e em
Franca pelos mais afamados mdicos que as .R.t.vt-
LAS e o \ mioi-k de HVnnOCOTYLA .MTICA il*
J. ;.i'i\"K sao o ptimo remedio contra todas as espe-
cies de imi'k;i.\h ou HERPES e outras molestias da
pelle, al as mais inveteradas, assiin como a irmt
u MimpiiE \. 1 sipiiii.is. as moi.estmk rsr.ao-
FULO.SAS, os BJICDMATaatam chroni-o. etc.
Deposito geral em Paris, em casa de t olrvii.r
LABELONYE. ra liourbon-Villeneure, i9.
Deposito geral eiu i'eniaiiiiiuo roa da
Crnz n. 22 em casa de Caros A Barhoza.
O abaixo assiynado comprou por conla e a
pedido do Sr. Francisco Gongalves Melrelles, da
Therezina do Piauhy, os bilhetes ns. 569 e 3105 da
2* parte da 3" lotera, em beneficio do thealro de
Santa Isabel, es quaes ticam em poder do annun-
ciante.Manoel Pinheiro de Miranda Ozorio.
Consultorio medico-chirargico na ra larga do Ro-
sario n. 20.
O Dr. loao Ferreira da Silva regressando sua i
casa, contina em o exercicio de sua profissao,
nao s na parte medica como tambem na chirur-
giea;_____________________________ j
Fugio no dia li de ontubro do correute, de
Alaga Grande, do sitio denominado Moces, o es-
cravo Manoel, de idade 22 annos, com os signaes
seguintes : altura regular, rosto coroprido, nariz
afilado, cabellos carapinhos, olhos pretos e regula-
res, no canto do olbo esquerdo tem urna marca de
ferida, e cima do mesmo tem una baixinha, que
parece ter sido urna cicatriz, orelhas pequeas e
j L g 1 "* *" ** w v*i'Oiv lisia uu uuomi.-w. 3 in
S? !f!i^!J!S^^&l^?teB?^^iPt!.^i aI 9 banlo, tambem se dao as amostras no caso de nao apparecer comprador, lambera se
chacote qoem o gaMe e a^euM Ta dei"Ddo Penhor-______________________ i *** referido" sitio. Urna das vantagens que
zenda de SSSflRVmVSV& t\ = Vendem-se dous casaes de viado e muito bo-! SJ^ S^jLffi?-. SS
pina Grande, que ser bm recompensado de 505 ni,os e mansos D8r ,erem criados em casa. an-: ??,^,nc ?'*?%,m^J,qaeA ;,a ,rat^r m o mesmo
do urna para parir : na rna da Gloria n. 75 aba,xo a>sienad. ra do Imperador n. 12. Jos
-----------------------------------------ni Mariano de Albnquerque.
a 260, 280, 320, 340 e 360 rs.., ditas estreitas a
200, 220, 240 e 260, s se vende por esle preco 4, 5, e 6 palmos de largura, por menos prepo de
na ra do Creste n. 10, loja do Boa-vista. que em outa qualquer parte.
0 lloa-visla vende Neste estabelecimento tambem se encontrar
brim pardo com lisia a 720 rs. a vara, dito a 800 Jg grande sormento de roupas feitas, e por me-
rs., dito branco de linho a 15000, dito a 15200, dida- _________________________________
gravatas de seda de goslo a 15000, e um comple- i O abaixo assignado vende o sitio que tem no
to ortmenlo de castores e brim a 480 rs. oco-1 lugar da Torre por commodo preco, o qual offe-
vado, s na ra do Crespo, loja do Boa-vista, rece commodidade para se morar e passar a festa,e
no cas
I aluga o referido
Vendem-se dous casaes de viado e muito bo-!,em ,er nanno
a 4005, conforme a distancia.
Sivirino Ferreira Marinho.
Os Srs. Anionio Manoel de Souza e Eduardo
Augusto da Silva tcem cartas na ra da Cruz n.
23, primeiro andar, escriptorio do Antonio de AI-
meida Gomes.____________________________
Domingos Jos Martins faz sciente sea so-
hrinho Domneos da Silva Ramalho, que mora na
Passagem da Magdalena junto ao sobrado grande.
Roga-se a pessoa que tiren da mao do Sr.
Candido Lopes da Silva Moraes carteiro do Reci-
fe, duas cartas de Manoel de Almeida Bastos tenha
a bondade entregar ao mesmo Bastos, visto dizer
ao carteiro que o conhecia.
Na roa estreita do llegar. 34
Advogado Alfonso de Albu-
querque Mello,
Um homem solleiro, de eecupacao decente,
precisa encontrar em casa de algoma senhora ido-
sa e sem familia ou de homem solleiro, um com-
modo de quarto e comida, pagando o que se con-
venc*onar : quem estiver nestas circumstanclas,
annuncie por este jornal, ou deixe carta fechada
no respectivo escriptorio com as iniciaes A. B. C.
A ttengao.
Vende-se nm excellente cabriolet quasi novo,
por prego commodo, com cavallo ou sera elle : a
tratar na rna da Imperatriz n. 20.
pode ser procurado a qualquer bora
jeiras, porm, na villa do Cabo.
as sextas-
Eserara fogida
Fugio em 28 de outubro a escrava parda d no-
me Militara, de idade de 18 annos, olhos piscos, e
de estatura propria da idade, levando vestido de
chita cora listras encarnadas ; julga-se andar nos
suburbios da cidade, immediacoes do Campo Ver-
de, Soledade. Hospicio, etc. : roga-se s autorida-
des policiaes ou capitaes de campo a sna appre-
hensao, mandando lova-la a seu senhor na ra do
Cabuga n. 7, loja de ioias, o qual gratificar o tra-
balho.
Gal de Lisboa em pedia
desembarcada honiem de bordo da barca Bebe-
douro : vende-se por todo o prego no escriptorio
de Manoel Ignacio d'Oliveira & Filho, largo do Cor-
Vende-se a taberna na rna Imperial j BftlC Sapt0 19-___________________________
propria para um rapaz que queira principar neg:! Vende-se a casa terrea n. 13 da ra do Ro-
cio : a tratar na mesma taberna. _____ sario da Boa-Vista, boa para qualquer estabelecl-
- Vende-se urna escrava crioula, fula, grvida mmo: na rua do Queimado n. 35 Ibe dirlo quem
de 4 mezes, propria para casa de familia por
algumas habilidades, bonita figura : a tratar
rua Direita n. 106.
ter
na
ATTENQAO.
Vende e nma padaria sita na rua Direita n. 44,
Precisa-se da urna ama para tralar de urna
easa de pouca familia; na rua da Cadeia n. 8.
Na rua do Sacramento da Boa-Vista, casa n.
28, segundo andar, vendo-se bom doce de caj sec-
co e de calda, e de outras qualidades que se qui-
zer comprar, por arroba e por libra ; assim como
se preparam encommendas de qualquer qualidade
que se queira, e preparam-se ricas bandejas do do-
freguezia dos Afogados, a qual est bem afregue- ees e de bolos superiores, com fructas e figuras, b
zada, tanto em pao e bolacha como em raassas do- contento.
ees : quem a pretender dirija-se mesma que
achara com quem tratar, e se vender por preco
commodo, o mais nossivel, visto seu propietario
nao poder continuar por molestia.
tfirBHQAO
Vende-se a taberna da rua do Padre Ploriano n.
8, por se nao querer dous esiabelecimentos da
Vende-se urna excellente padaria sila na rua
do Varadouro, em Olinda, com todos os seus per-
ienceS,aqnalseachatrabalhando,e o motivo daj^^^r|rr.B- eMUL
venda e por seu dono nao entender do fabrico :______________________________________
quem a pretender, dirija-se mesma, tratar com Vende-se urna reflnaco com lodos os seus
seu propietario, oa no Recife, no pateo do Carino pertences, em bora estado, na rua Imperial n. 201:
Damero o.
a tratar na mesma.
RIVAL SEM SEGUNDO
Rua do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia & C, est continuando a
vender muito barato, pois seu genio dar a fazen-
da por lodo prego a vista dos cobres.
Cartas de allinetes francezes da melhor qualidade
a 80 rs.
Grosas de pennas de ac inglezas da melhor qua-
lidade a 640 rs.
Caixas de colchetes francezes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Grosas de botoes de madreperola muito finos a 560
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oiiavas de retroz preto fino a
640 rs.
Resmas de papel de peso liso moito superior a
25000.
Gravatas da liga e de outras muitas qualidades a
500 rs.
Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de botoes branco para casaveques de senho-
ra a 100 rs.
Pecas de fila de cs estreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Camillas da doutrina ebristaa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes finos de marfim a 15000, 15200 e 15500.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
500 rs.
Gollinhas para senhora o melhor que lia a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
15000.
Livros que serve para assenlar roupa, pelo diminu-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordao branco para espartilh^s muito superior, a
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Cartoes com 200 jardas de linha branca garanti-
das a 60 rs.
Grosas de pennas de ac superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
lhas a 160 rs.
Pares de botoes de punho, oh que pechincba a
120 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rf.
Grosas de botoes de louga prateado muito finos a
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a 500
ris.
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de seguranga a
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a 640
ris.
Caixas com 20 quadernos de papel amizade, muito
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito fino a 20 rs,
Rua da Madre de Dos n. 9.
A 4000.
Saceos grandes ruin familia de mandioca pelo
baralo preco cima mencionado.
Biblia da Iulancia.
pelo ahbadepa>cal, da dicesi- de Hth
Obra interessanlissima para leitura as escolas
primarias.
Comega da creac.o do hornera e conclue na vo-
cagao de S. Paulo.
E' escripia com a maior emsifia e clareza, e a
traduegao de una penna amestrada.
Vem prehencher urna laeuna muito sensirel as
escolas, para as quaes nao baria um livro, como o
de que se trata.
A impressao limpa e correcta, e adoptada ao
destino do livro.
Vende-se na typographia da rua d< Imperador
n. 15, defronte de S. Francisco, a 15 cada exem-
plar encadernado.
n < c so > > c a
2} 5. 8 ? "
3 C
g M
ce
rt> -
2 =r_
312 ai
r"t ^ *^ <*i
S Vi M ._
i b n m .
II?
-; C O 05
o. 3 5' r O = as
c n
ce ,
a H
v, Ot)
o
00 a> =>
-
t
s.

-5
3
'
5
tB o 5 a.3
S 8 h 5 >' [
B^?
o _
-i =
s

ce
o a a g
es ocrj M
O B -5
w a ^
3a
C^S
- 2 3al^.
C. ST *> w CJ m-m*
o 2 ffi = 3 2
* 5 s1 ?; a = I
a. os O -i q J 2^B
'flir0
1*1
ce n
~ co
-? o
9
Sil
o =a.
t" o O
os
o.
I
3
o
yi
CO
B o
oq as r.
~ "2 g
a:
. -t vi ft.
os o
-1
3
as
, -J
3
g
5
i
Testamento da gallinha.
Sahio luz o (estamento da gallinha, obra iniei-
ramente nova e em verso, impressa em mui bom
papel, ntida impres na rua do Imperador n. 15 defronte de S. Tras-
cisco.
bjecto> typographicos.
Existe na rua de Imperador n. 15 defronte Vi s.
Francisco um grande sorlimento de tynos de dih>-
rentes pontos, armagoes de rollas, emblemas, mto-
vas, enitradagoes de metal, linhas de dinVrentes
pontos, interlinhas sortidas, tinta tanto para ma-
china, como para obras finas, papel de impressao,
alroasso, pintado, etc., etc.
.
J
I
IILEGVEL



Diario de Permambuce Quinta felra 3 de Xovembro de 18(14.
Grande liquidagao.
Huu da Imperatriz n. o.
Loja de fazendas da Pavo de (ana k Silva.
^"^^ jf ifc -w mmmm --"^i mm *f~~^* -"" imr Acha-se este estabelecimento completamente
deixaudo Uear penlior, ou mandam-se levar em
casa pelos caixeiros da loja do Pavo.
As chitas do Pavo.
Vendem-se chitas oglezas claras e escuras pelo
bara(o prego de 240, 260 e 280 rs. o covado, tintas
seguras; ditas francezas de cures seguras a 320,
348,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
moito superior e bonitos padroes : so na loja do
Pavo.
As lazinhas da eiposico do Pavo.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
lera vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarques por serem lisas e de cores muilo
delicadas 560e500rs.; ditas lisas com ora lustre
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda 500 rs. o covado, s para aca-
bar : na loja e armazem de Gama Imperatriz n. 60.
Os vestidos do Pavo.
Veudera-se os mais modernos cortes de vestido
Ar*!? ^?Dh3o'.I^La-eav.a-?60? 8-0.e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220 barras derr^corplnho0 e" cXte'XSrad, ditos
ra ido m i:mi A^O ]tf. 4*.
Passand o becco da Congregacao segunda casa.
NOV1DABE
Rocha A C. acabara de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commer-
'em ao nosso mercado o
ioncda; garante-se obom
: "*-a"aiu uoaun ud iua uo yut'iuiauo n. ia um armazem ue uiuiuauus ucu
cial, ondeo respeilavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado o
quaes serio vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo menci
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
100 rs. a libra, e 1^800, 25600 e 3000
a arroba. '" !i
Araeixas francezas em latas e em frascos a
1(5200 e 10600, e em frascos grandes a
2j500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 1(5200,1^400, 1(5600 e 2.
Araendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 45600 a arroba.
Azeite doce francez ranito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1530 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 25 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 35000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 15600, 25,
25300, 25800 e 39000 a libra,
dem preto muito superior a 25000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 55800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 15800,
250 >0, 25200, 25500, 25S00, 35000 e
35500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs: a libra e 85500 a 85800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chourigas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
Painco a 200 rs. a libra. i rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. I dem secas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 25800, Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo
900 rs. a libra.
vapor a
em frascos de vidro a 600 rs.
Sal refinado
cadajum.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 60 O
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamenle lacradas
a 15600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejara : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e
15000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 95000 e 105000.
dem em pipa, Porto, Lisboa o Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 35, 35500
e 45 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 75000 a 75500 rs.
com listas de seda e tambem com barras e enfei-
tes para o corpo, por prego mais barato do que em
outra qualquer parte, e se quizerem urna prova
do que se diz, mandem ver loja e armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Os vestidos Hara Pia. S o Pavo (85000).
de oito libras e canastrinhas de i arroba a Vendem-se os mais lindos vestidos Maria Pia
15800, 55500 e 280 rs. a libra. ||e ,azinna transparente com listas, e palminbas
Fa-inh rln Maranhan a Ifift r a libra ?eda pel barat0 PreS de cada corte : s
, i a. tnna ao Mdrannao a b rs. a libra. na ,oja do Pavo a rua da Injperalriz n 60 de Ga.
dem de trigo a 120 rs. a libra. ma & Silva.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD As cassas do Pavo a 210, 280, 300, 320 e
a 560 rs. o frasco e 65200 a frasqueira. | 360 rs.
dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 55500 S o Pavo vende as finissimas cassas persianas
e 75500 cada um com o garrafao. i ,iBiu5*> de,laa> com cdr.es xas- 3.gP c
Graixa a 100 rs. a lata e i5100 a duzia. : v-; dlUs francezas mu,t0 fiDas a 240' 280' 30
vado ; ditas francezas muito linas'
e 320 rs. o covado, isto para acabar
Licores multo unos a 700 rs. a garrafa. Imperatriz, loja de Gama & Silva.
rua da
dem, quaiidade especial em garrafas muito
grandes, a 15800 a garrafa.
Os madapoles do Pavo
Vende-se peca de madapolo infestado com 12
isto previne o Pa-
a
a duzia. Macas linas para sopa: estrellinha, pevide,
dem Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 15 rodinha a aletria a 600 rs. a libra e a 45
a garrafa. a caixinha com 12 libras,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa. Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e.Peixe em latas preparado pela primeira arte
15200 rs. a caada. de cozinha a 15 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 15800 rs. Paliios de dentes a 160 rs. o maco.
Alm dos gneros cima mencionados te-dem de dentes a 120 rs.
mos grande porco de outros que deixamos j dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porces como i Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
retalho- 25 e em caixao a 640 rs.
Qtiem comprar de 100,-jOOO para cima te- Palitos do gaz a 25200 a groza.
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.\rdai\cada PeSa pejp barato prego de 45, 43500 e
Mam n. ,f m. Ur, a _u .. j 5 caaa peca, fazenda muito superior : so o Pa-
dem em garrafa forma de pera e roldas de Vo i rua daimperatriz n. so, notando que a peca
vidro, a 15000, SO a garrafa vale O di- leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60i rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
r o abate de 5 por cento.
JPassas muito novas a 480 rs. a libra.
c
GRANDE E SUMPTOSO ESTABELECIMENTO
.iu DEPATENTE
irauaiuar a uiao para
descaro^ar algodo
FAHIUCADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
DE
\OVOS E ESCOIiHIDOS GE3EROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
60 -Hi HOVA OO
Ultima casa junto a ponte da isoa vista.
DUAS PALAVRAS.
Estas machinas
podem descarogar
qualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabadlo; pode
descarogar urna
arroba de algo-
dao em carolo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Ccsse tudo quanto a antiga musa cania Assim romo roa",.niIias para 5erem movidas por
. Que outro valor mais alto se alevanta.. animaes, que descarocam 18 arrobas de algodao
Acha-se a disposico do resDeitavel publico este grande e magnifico estabeleci- limpo, por dia.
ment de molhados, talvez o primeiro e nico baje existente em sua especialidade, por- JrnsTA?B%nJmier uni b,elliss,mo,v'1-
-,i i j i .il- .li- porque pode fazer mover seis destas machinas
que o mainr capricho de maos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci- mencionadas; para o que convidase aosSrs.
ment modelo promoveram a escolha dos mais superiores gneros do nosso mercado, agricultores a'viren) ver e examina-lo, no arma-
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se i
dignaren) de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar ai
todos, nao s pelo emprego das maneirns condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pialica da promessa que fazeraos de vender polos pre;os quasi do pri-
meiro custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nnsso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharo
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces- conhecido j como tal, est dispodo da fazenda
sario, promettemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.: flM^L0,,^,650.^ apu,rar dinheiro> laem. r i > t. i-i .- u l i ii i zer venha ver e traga o cobre, e vera o seiruinte
O real do pobre sera recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do uaraihos de cartas para volureta muito '
homem rico. j flnasa............................ 208
As pessoas que nos fizerera a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com- j Miadas de linha frota para bordar a 20
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos {a3maneh0tpa,ruoda tran5a de ,od03 os
30
200
100
100
200
300
400
640
600
400
80
60
30
240
200
Saunders Brothers & G.
M. II, pra^a do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Rua do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateiro
objectos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO NECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Esistindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a
denominado de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ningnem.
O neme urna voz com que se d3o a conhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicacao que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais:
No oriunio do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um re que instituio a mu honroza or-
dera da Liga. O acaso nos fez deparar com a narracao desse acontecimento, que tan-
to sorpreheodeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-
mamente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oito do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
Honnl sol qni mal y-pense.
Piano
I Anda est para ser vendido o sillo da Ira-1
vessa dos Remedios, na freguezia dos Afogados n.
21, no estado em que se acha : quem o pretender, Vende-so nm piano de mesa em perfeito estado
entenda-sfi cora o seu propietario Caetano Pinto e boas vozes : na rua da Cadeia do Recife n. 45,
de Veras, na roa de S. Francisco, sobrado n. 10, esquina da rua da Madre de Dos,
como quem vai para a rua Bella.______________|______________________________________
Vende-se um comometro martimo inglez do) Cahrinlpt
melhor fabricante Charly Frodshan, aflancando o i U(" *wt
seu regulamenlo, por diminuto prego : a tratar Vende-se um cabriolet americano em muito bom
na rua Nova a. ti, loja de Francisco Jos Ger- estado de uso, sem arreios ; qa cocheira da rua
mano. do Imperador n. 43.
Massos de superior grampos para cabellos
Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
Libras de ara preta muilo superior a...
Frascos de superior macaca oleo a___
Dilos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa milito finos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida..............................
Ditos de banha muito fina a............
Ditos de cbeiros muito nos para o preco
a res.............................
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................
Novellos de linha com 400 jardas a......
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pecas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris.............................
Varas de bioos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melbor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
ludo a............................ 1000
haver duvidas era engaos
vao, de Gama & Silva.
Bramante de llnho do Pavo
->tt. Meo. ftioo.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por preco muilo commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
25200, 2500, e 260O s o Pavao : rua da
Imperatriz n. GO de Gama & Silva.
Panno de linho d Pavo.
Vende-se p;nno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences e loalhas de niao pelo
baratissimo prego de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
godaozinho com oito palmos de largura proprio
para lences, pelo baratissimo prego de 15 a vara,
assim como lem o melhor algodozinho tanto em
largura como em corpo, proprio para lences, ca-
misas de escravos, etc., etc., prego muito commo-
do< vista da fazenda; s o Pavo : rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Algodozinho com toque de avaria a -1,000 ris
e 4,800
Vende-se pega de algodozinho por ter um pe-
queo loque de avaria, mas que esta em bom es-
tado, pelo barato prego de 45 e 45500 a pega ; s
o Pavo : rua da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os gu arda apos econmicos do Pavo e s do
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
apos econmicos e todo linho, tajilo para as casas
de familia como para hoteis, bolequins, etc. etc.,
pelo baratissimo prego de 35 a duzia, isto s na
lo do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama
ilva.
soutenibarques do Pavo
endem-se os mais linos soutembarques que
teem viudo ao mercado, sendo de raxemira do co-
res pelo diminutissimo prego de 125 cada um, di-
tos de musambique pelo diminuto prego de 95, s
na loja do Pavo, mas que se nao enganem : rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoalhado do Pavo.
Vende-se panno de linho adamascado proprio
para toalhas de mesa, pelo diminuto prego de 25500
rs. a vara, guardanapos de linho a 55 a duzia,
toalhas de moa 55 cada duzia, 11a loja do Pavo,
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
i:\so o Pavo (a *#OO).
Quem tem baloes por tal preco li
Vendem-se os baloes americanos muilo superio-
res com 20 e 25 arcos pelo baratissimo prego de
25300 e45, ditos de 25, 30 e 35 arcos com fitas,
muilo bem armados e tambem tem cores escuras
pelo barato prego de 35>O0 cada um : s na loja
do Pavao, rua da Impcrlriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 avo vende para luto.
Vende-se superior selim da China, fazenda toda
de lia sem lustre tcndo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletots, caigas, etc.,
pelo baratissimo prego de 25, 25200, 25500 e 35 o
covado, cassas pretas lisas, chitas pretas largas e
estreitas, manguitos, colannhos, punhos, e enfeiles,
tudo preto proprio para luto fechado, e muitos ou-
tros artigos que se vendem por pregos mais em
coala do que em oulra qualquer parte por estar
liquidando ; .- na loja do Pavo rua da Impera-
triz n. 00, (lulliama & Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavo pelo
barato prego de 600 rs. o covado ; ditas de listi-
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 500 rs. o covado ; garantem-se
as cores por serem do melhor fabrcame que as
tem em Pars : isto na loja do Pavo rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 9#400 e
SOO o corte.
Vendem-se cortes de chita com dez covados
25400, ditos 25800, com 12 covados; sao chitas
inglezas, mas padroes
assim tem as melhores chitas francezas e de tin
las seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 50 rs. o covado : na loja do
Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama A
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos e golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de 15 e 15280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
cora goli*lia a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
fil 240 rs. cada golinba bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 25 cada
na
e bem bordados vetuiarii ir m-
tlo Vvrimatl* n. H
RECEBU :
Bonitas caixinhas de madeira t**#raiMda*, rn
linas perfuma ra.
Outras de paprllo de diveraia i.n. i 4aai
1 mente bonita>, lanibcm ruin | rrfinraria-
Lindas cestinbas de vidro rmn dita*.
Caixinhas imitando larlarnga 111 dil..-
Dilas rom 6 e 12 fra.-qiiir.r.n-; de f 1 r
Objectos para baptiwdc*.
A A(.uia Branca, na rua do (Jiu id a ba de recebtr os secuinirs ul 1.1 io> ...a ui lisa
dos :
Bonitos
braia.
Dilos e modernos ekafizinhos t ictia t un..
bordadas e enfeitadas.
Sapatinhos de setim amerito nulo tu iu
dados.
Meias de seda e fio de Escoci.i, brancas 1 ma-
tadas.
Toucas e sapatinhos di-la, obras nrmrc km
fe i las.
Bonitas caima ha*
com msica e sem ella para t Mura, e
o 111 ras com wraujus para barba.
A Aguia Branca receta* tull mal ,
sortimento de bonitas raixuihas c 1 m nu.-ia r
ella para eoctora, e ontras eom ea arranje* nrrrs-
sarios para barba ; a^siin, p< is. quem roii>jarrfr
165000 com dinheiro est habilitado a eseapra-los h r tn
go rmnmodo : na tua do Queimado. .'na d; Anja
185000 Branca n. 8.
iojooo Pinos e aromticos ,os rfi
ano
165000 Em DOnilos vasos de pedra. porctllana door-ida,
95000 v'dro e madeira, estes rom o rompetmte rir.r,
5000 fcm elle' em ,a,as de I0"1* Je P>p<"c, rin'1'
65000 ,>lle de superior quaiidade e agradavei> cteivaf,
65000 Eni(Iuau'o ao prego, nao se assuste o ren 1 im'.. t.
comparega com dinhriro e sera r.m ser;do ra
luja da Aguia Branca, ruado Queimado n h, rntie
tambem si: vendem *eparadartu-nie (> uncir
Itencao
O Vi .. '
deixare"an,e esta alerta, nao lhe era permiltidn
passar desapercebido sem que nao dsse o
u canto, afim deannunciar ao respeitavel publi-
co o grande sortimento de galanteras do melhor
gosto propriamente para qualquer mimo, que aca-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua ronta romo de consignago que
est resolvido a vender por pregos muito baralus
para vender muito e ganhar pouco, e dar extrago
o grande deposito que tem, que espera merecer a
protecgo do respeilavel publico empregando para
Isso todas c as melhores diligencias para que fl-
quem satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, rua do
Crespn. 7.
Ricos porta-joias.
Cofre de muilo goslo por
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Bicos cofres com camapheu.
Lindas caixinhas com pedras brancas.
Lindo balo com calungas dentro, tam-
bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
Crnazinhas.
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos
gos; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos sin tos
com bolcnhas aolado, a 105, 125 e 155, ditos sem
bolga porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
45000.
Bicas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se Gomo nao privativo a Agma Branra >.,n 1 rr,
pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 o par;, eMa vendendo muilo BMM e bonios relrgm
s no Vigilante, rua do Crespo n. 7. | mesa e paree>, por pregos eewMae, pea MN n r.
Cabazes ou cfslinbas. Ivm a ,do? apn.vriiarem a eerafie a rteri m-
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-1se d/Sfe ol,|fe, ***** necessario mi raa t k*
bazes para meninas irazerem no brago, o mais rica p""em servaJJ rara os relojonro< o ci-nrcrto p 1
possivel a 255OO, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no a|eumdia ualquer delles venha a prerisar [ 1
e pre-
A AGUIA BRANCA
vendendo relogioft
que isso nao rhega para o bico da Aguia Kraira,
da rua do Queimado a. 8.
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos '
que se pode desejar, assim como de arregagar ca- em COpOS, lulas e SOBpcir'lili; S ff
nello, tanto de borracha como delartaruga com en-
feiles e sem elle para menina; s no Vigilante, rua
do Crespo n. 7.
Mais lequcs
com pequeo defeito, leques de sndalo rom pe-
queo defeito por barato prego do 85 e 105, chi-
nezes muito bonitos tambera, pelo barato prego de
45 e 5, beDtarallos muilo bonitos, tambem por ba-
rato prego de 45 e 55, leques de ehariio lambem
por 45, tudo isto para acabar, perdendo-se lal-
vez 80 por cento; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7. SUm*
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as seohoras tanto precisara para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muilo
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do jres-
po n. 7.
Lci|uca.
Blquissimos leques de madreperola tanto para 1
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 125 e 145; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Pentes
tambem chegaram os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa lina, que se vende por 25,
35 e 55; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas canelas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo prego de
15500 e 25.
Sapatinhos e meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e touquinhas para as cnancinhas se bapliza-
rem; s no Vigilante, na do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas vollinhas de perolas falsas cora cruzinhas
fingindo brilhantes, a.-sim como cruzinhas avulsas
e vollinhas, pulo barato prego de 15 e 15200, as
cruzes avuls asa 400 rs.; s uo Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeiles para sciihura.
Riquosissim enleites rom lago e sem lago e de
outrosjmuitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins de cabello para relogie ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, dilos de
retroz a 200 rs.
Rabadinhos entremrios.
Riquissimos babadinhos eDtremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinbas pro-
prias para enfeiles; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Filas.
Graude sortimento de filas de diversas larguras
bonitos e tintas seguras ; e qualidades, por pregos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de la de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espetaos.
Riquissimos espelhos com moldura dourada[e
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim romo com
, celumnas de diferentes tamanhes a 25,35,45, 55
urna, manguitos que servem para calcinha de me- e 65; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
ninas a 640 rs. cada par, camisa com manguitos e | inifos brM Hrjs
golas com a competente gravata de seda, fazenda
lian has finas
Mira
opaca.
A Aguia Branra sempre rnidadr.'a -m lea r
vir a sua boa freguezia, mandn w o i;.ta te
rerebtr na melhor orrasiao os ilesejadi > refoa
as procuradas latas com banhas tiras aeaea n i o
urnas bonitas s> ujeirinhas de vidio < para n m
alegres insrripriVs. as quaes diztm ibmtVk :
peito as senhoras. e rom tal actftoqw ritrnr.i
que as vir delxar de comprar esSe t* enfadar
de ler a insrripgo quelo mereriil..n;. ele II
e quem quizer ser bem tereMe itifir-*!
do Queimado, loja da Aguia Branra n. I
BOAECAK
que andam, que ckoram,
que failam, ele.
A Agnia Branra, na rua do Quimaf r .1.
mada jelo apreen que a sua loa ir.j. ..
Hor 1 n.-... i. ..... uoTiltlt.^ $1.0uf>i 11 >. 1 .i
dereceber um extraordinario frtil 1 > v
i tas bineras. que andam ijue failam. >;i> rrn m
le outras nmitas de 4nm*s quIMaeVr < i: .
sarinas. soldados, aliradores. ele. 1. ri
vestidas: assim, jois, a Agria Branra r-|-
conrurreneia dr-s apreciadores 4o q< n> ren
qoe aebaro preces razoveis >eta : -'i
mente servidos un-a vez que rompare*. 1. n.i 1
de dinheiro.
Qmtmvftm
A Agnia Branca, na rua do (.11. ;n :>:, n i". te-
de caixinhas neressarias para n ura
lem bubas de diversas qualidades. r.tr'i r<
o outros arranjos precisos. a>simroa o anx n; d-
bordados ou marra, ele, eladiL- a pirres nm
modos.
BAHUS DE TARTARIT-
GA PARACOSTl RA.
A Aguia Branca na rua do Qieimadi : H ..n
de bonitos bahns cobertos de tartaruga e de it< r
sos lamanhos, mu proprios para costuras e
para fingir cabello
A Aguia Branca, na rua do Queiiuac'o n. 9. re-
ceben essa excedente Untura para cal.
effeito rpido e proveitoso, vindo ella mnni''.i .'.
esrlarerimenlos em portnpoez. donde i|uatqur
pessoa pode bem conherer o modo d* appfcrar.
Com o ehromorome que aera |.iraiinrir vi ,
tambem hjdrorallitr.china, agua para lingir ral I
los, coloricomo para lustrar os dios, einvlro-
mantina para limpar as unhas, e callicon.| b.'a
pomada de que se pode usar M m recei. de 1 ir. a-
der ao cabello preparado. Os pretndete ai da
rao prego raznavel.
fina, pelo barato prego de 35, e muitas outras
bordadas que se vendem por pregos muito em
conla : s na loja do Pavao rua da Imperatriz
n. 60, de Gama 4 Silva.
As ronpas do Pavo
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
Machina de vapore pa-
ra descarocar algodSo.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batid", coa-
do 6 de cobre.
Rodas d'agun, dentadas, e
de carroca com manga* e
eixos de patente.
RuadoBrumn. 38, fund-
Cao do Bowman.
400
40
15000
Pegas de tranga preta liza muito fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de lita preta cora colxetes a......
Libras de la sortida de todas as cores a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de obreias de massa muito novas a
Varas de franja branca e de cores para
toalhas a..........................
Frascos de oleo Philocome superior a...
Ditos com superior tinta a 3S0 e.........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espartilho a...........
Duzias de botes encarnados para vesti-
dos I..,,,.,,,, ,,.................
60
200
40
65500
160
40
600
500
800
60
900
bafa'edDCr'ecodaenM E^F&S&S glq nHo V> a 15500 e J*assim como
muito fino a 55 e 65 o covado, casimira preta de Viiantp na do fresno n 7
urna s largura e muilo fina a 15800, U e 25300 Vlg'lante.rua ao Lspo n. /.
e 35 o covado, cortes de casimira de cores a 55,1 .. rerrannrias.
55500 e 65, casimiras entestadas de urna s cor | Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
proprias para calcas, paletots. coletes, capas e para;das- assim como lindos C0P0S on vasos em dis_
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja | tinctivos e oflerecimentos as siohasmhas dos me-
do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama 4 ilhores e ma,s afamados autores de Pars e Inglater-
I ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a 25 e a 15, assim como outros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Silva.
Vende-se superior vinho do Porto ern caixas de
urna duzia : era casa de Johnslon Pater & C, rua
do-Aigario n. 3.
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che- gJ EPS S3eS : "*
gada ao mercado, em bem acondicionados barris :, uuararaPes 2ts-________________________
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, rna do Na travessa dos Expostos n. 18, vende-se
Trapiche n. (3, por preco razoavel. ama onga de quaiidade especial.
Vendem-se dous excedentes terrenos promp
los para se edificar com 64 palmos de frente am
bos, e 300 de fundo, junto a fabrica do Bowman-
na rua do llrum. ateraados at a linba do caes,
rua dos
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova tac
ha no mercado lano em porgan como a ret I <\
por barato prego afiangaado-se aos CMMpniefva a
superior quaiidade : a tratar as seguate* rc.".-
Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forie do Malte ar-
mazem do Sr. Villa defronte do trapiche < ai
godo._________________________________
IvrliiMS e prensas para jila,dao.
Chegaram agora da America as verdadeira^ ma-
chinas de diversos lamanhos para tMMMW al-
godo e prensas do melhor systema para enfardar
o mesmo : a ver e tratar na travessa do ...: m ra
n. 2.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qnalidrrie a
lo a lata : nos armazens da rua do Im-
perador n. 16 e rua do Trapiche Novo n. f.
Baldo.
Vende-se am balcao de loaro e lampo de a-
relio, milito boro, por commodo prego, aim roiro
um fiteiro envidracado e dous ditos man f e-it:.--
nos, tres caixes para amostras de caf, arroz, *tr ,
etc. : na roa da Cadeia do Recife n. 50.

MUTILADO


otarlo e Pemataet Quinfa felfa 3 de \ovcmbro r tiEl

-Largoda Santa
Francisco Jos Feroandes Pires, tem a honra de avisar a sqa- numerosa ffeguezia
e coi especialidade aos moradores do bairro da Boa-Vista e sena- arretaldes, que fez
uuva reforma em seu asseiado estabelecimento de molhados denominado Aurora Brilhan-
te, ao largo da Santa Cruz e com esta reforma sapno de novo o seu armazem de bous
.-.i'id-, s 11 lo muitos delles mandadas vir de sna propria conta, para melhor servir
aquellos que se dignarem comprar ou mandar comprar om seu estabelecimento.
No armazem da Aurora Brilhante encontrara sempre o respeitavel publico um
lindo e novo sortimento dos melhores gneros que tem vinda ao nosso mercado, e sem-
pre jior precos muito razoaveis, como s vdaseguinte tabella qu ser mudada se-
manalmente.
A Aurora Brilhante recebe as libras sterlinas par 9& sendo para compra, o faz
par cenlo de aaalinaoule a quena comprar de 100$ para. cima.
Presuntos de fiambre muit novo, a libra a
800 rs.
Pilos para panella, a 560 rs.
Sueijos londrinos muito superiores, a libra
a 13000.
Dilei do reino rindo neste vapor a 2>60O.
Ditos do vapor passado a 3J c 2'i00.
Queijos de qualha novos, a libra a 560.
Frascos grandes com aiw-ixas a 35000,
Latas com 1|2 libras a 15200
Hilas com 3 e 6 libras a M5O0 e 4.
Chocolate francezmuito superior, a libra a
15120
tCh fino de primeira qualidade, a libra a
25700.
Dito uxim a 25700,
_^ Dito hysson a 25700 e 25800.
*$$} Dito perola a 25800.
1 Blio um camuas de i e 2 libras a 2#G0O.
Bilo preto a 1$ e 25500.
Manteiga ingleza flor a 15200.
Sita mais abaixo a 600 rs.
13iia em barril propria para negocio, a libra
a 600 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Latas rom 2 libras de banba refinada, a libra
a i*0 rS.
Manteiga franceza nova, a libraa 640.
Dita em barris e meios ditos, a libra a 600.
Toucinho de Lisboa a 93500 a arroba o a 320
rs. a libra.
Lata- com boladiinha de soda de 5 libras a
26000.
Ditas com biscoitos e bolachinhas sortidas
a 15300.
Ditas inglezas novas, a libra a 2i0 rs.
Arroz lo Maranhao, a arroba a 25400 e a li-
bra a 80 e 100 rs.
Dito da India a arroba 25800 o a libraa 100
e 120 rs.
Caf mimo superior de primeira qualidade
fi|3 a 530!i. US e 95300 a arroba.
H Dit-i em libra a 280, 320 e 360 rs
'i& Violtos encaita de II garrafas, o melhor
4 possiv.-l a 185 e. 205
jSR Dit i mais baixo a 105, 125 e 145-
ni Dito Figueira, o mais superior pos caada a 45300 e a garrafa a 640 rs.
fDito mais baixo a 45 a ranada e a 560 rs. a
garrafa.
#Dito de Lisb ia. boa marra, a 400 o 500 rs.
J a garrafa.
,j;j Hito Brdeos a 640 rs. a garrafa.
>i Dito em caixp. das melhoros marcas, a 75 o
-S& 8-3000.
(ii) Serveja, marca tenetrte, em botijas a 7 e 85
'! ^J Dita de VilTerentos marcas a 300 r?. a gkrr-
>.: fa e 35803 a dunia.
v Genebra de laranja verdadeira a 15 e 15200
i''O o frasco.
MDita ri
g" pennenos a 40 rs.
' Dita verdadeira de llollanda, a botija a 480
l\{ Licores finos de varias qualidades a 800, 15
yg* e 13300.
''-. Caixas de vinho musr-atel a 105, e a garrafa
a 15000.
Ditas cora azeito refinado a 105 e a garrafa
a 15000.
Conservas inglezas e francezas de pepinos,
soblas, azeitonas o mixide a 600, 700 e
8 10 r>. o frasco grande.
Caixas rom francos de mostarda franceza a
45 a dnzia, e 360 rs. o frasco,
E
IIollauda cm fraseos grandes a 15 e

2j>
Charutos Gaos do autor Jos Furtads de Ci-
mas, ha por muitos precos.
Ditos de outros autorss a 15500. 25 e 23500.
Oigos de batatas novas com i arroba a 15-
Passas novas, a libra a30 rs.
Figos novos a 320 rs.
Latas do ervilhase favas portuguezas j pre-
paradas a 720 rs.
Ditas rom ostras, excellente petiseo,a 640 rs.
Latas dopeixe ensopado em posta?, de umitas
qualidades, a 1:3.
Potes de vidro com sal refinado a 500 e 640
ris.
Marrasquino da melhor qualidode, a 83 e
125 a duzia.
Garrafas do dito a 80o O 15200.
Atnendoas confitadas a libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
Nozes, a libra 160 rs.
anteo, aloisia, a arroba48e libra a 160 rs.
Grao de biro, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Vinho de caj preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garrafa a 15000,15200 e
16600.
Champagne boa a duzia 20.5/ a garrafa a 25
Garrafes com genebra hammirgueza a 65.
Vinho branco Xorez a garrafa a 15.
Dito Joo de Brito, puro, a garrafa a 640 rs.
Dito adoeica lo a 560 rs.
Dito do Porto, fino, a garrafa a 800 e 16
Xarope de grozeia e outras frurlas a 640 rs.
Massas- para sopa, amarella, a libra a 480 rs.
Dita branra a 320 rs.
Dita esirelinha, pevide e rodinhas a 640 rs.
Caixinlia com 8 libras de dita a 3550O.
sebolas solas grandes, o cent o a 13.
Ditas grandes era resleas a 15280.
Dalias de cartas francezas linas a 25300, 33
e 36300.
Duzias de latas de graxa nova a 900 rs.
Bonhoes de dita a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do sertao a libra a 320 rs
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes com Tarjaba a 35-
Ditos com imllio o 35300.
Ervilhas seccas a libra a 160 rs.
Lenlilhas para sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha deFranca a libra 200 rs,
Sag a libra a 40O rs.
Ararula verdadeira a libra 480 rs.
Gomma de imgommar a arroba a 45 e cm
libra a 160 rs.
Sabao ospanhol a libra a 400 rs.
Latas com o verdadeiro gaz liquido com 27
garrafaa a 125-
Orillara-, i mu ilu-j ufOOl.'.
Saceos glandes c'om feijao mulaliaho com 24
cuias por 95.
Copos e calis lapidados para vinho e agua.
Latas muito bem enfeitadas com figos novos
a 25, 23300 o 36.
Assucar refiuado com ovos muito alvo a ar-
roba a 63300 e a libra a 200 rs.
Papel patalo liso de peso branco e azul, a
resma a 25300 e 43300.
Vinho Madeira-secco, a 15600.
Centode esleirs de iranc* a 205-
ftarris com azeilonas novas a 15280.
Duas bataneas grandes de Bomao com os
pesos de 21 arrobas, e alguns bracos pe-
queo- do mesan autor.
Urna grande quantidadede caixoes vastas de
lodos os tamanhos do 120 a 500 cada um.
1?
SUITOS OUTROS GNEROS QUE TORNARA ENFADONHO MENCINALOS.
TUDO DE PRIMEIRA QUALIDADE.

^Sfi^cfiM
nem goroas nem mitras

NOVA EXP8SP0 BE GNEROS
NO
ARNiXM
GIMIDE
DE
PRINCIPAL
K
lili DO IUPIKAllOlt K. 40
Janto ao sobrado em que mora e Sr. 0< borne,
Duarte Almelda Se C, receberam de sua propria eneommen-
da mala lindo e variado sortimento de molhados, proprios
da preseaic estaeo
Manteiga ingleza. Ma^as brancas
da safra nova vinda no altimo vapor a l ,000 para sopa a melhor que se pode desejar,
%\Wfe % %^%e
M. 9 RIJA IIO (KKNPO ^. 9
Esquina que volta para a raa da lmiervdar
provavel que nao seja bem aceita a verlade, quando a boa f de todos anda
; Iludida por esla epidemia de aauzealicos annuncios de cornetas, tambores, coras, mi-
! tras, etc., que todo a da. enebem as paginas deste jornal.
ALiim
rs. a libra e em barril, a. 800 rs.
Manteiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a560rs.
mendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos da vidro com 3 libras liquido a
25400, mnito propios para mimo.
Oartdes
coa bolos franco/es a 500 rs. cada nm.
Latas
com bolachinhas do soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Okocx)lates
de todas as qualidades a 13000 a libra.
Presuntas inglezas
dos melhores fabricantes a 800 rs., tarabem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste uUimo vapor a- 2460o.
QelJos
chegados no ultimo vapor a 23600 cada um.
(ucijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excdante maree a 8OO1 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a relalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se podo esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 13200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
33 a 23600.
dem perola
especial qualidade a 23700 rs. a libra -
dem hvsson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 23600.
Massas amarellas
talharim o aletrto a
64o rs. a libra.
Iem de casca dura a 24o rs.
a 32o rs.
RA DO QUEIMADO NUMERO 11
bija de fazendas d" Augusto FredeHco dos Santos Porto
Ch cgaram esto estabelecimento ricas colchas de seda para camas de riivos.
Mori'antique e sedas adamascadas para vestidos de noivas.
Eofeites do cares e capailas brancas.
Superiores eortes deorgandys gostos os mais modernos.
Bonitos, corles do chaly com barras compridas a 208.
Cortes de laa de barras de IOS a 1*5.
Esleirs superiores para sala com 4, 5 e-6 palmos de largura.
Casimiras de cores para capas do senhors, e roupas da hornero.
Cortes de superiores casimiras para costumes completos.
Grosdenaple branco,azul, cor de rosa, preto, cr de caf ele.
Chapeos de palha de Italia para senhors.
Pannos fins e superiores casimiras pretas.
Finissimas percalas, cambraias de cor, ditas brancas.
Tapets grande para sof, bales de arcos brancos c. de cores.
Malas para viagem, superior silislrina prela, bnmbasina preta.
Cantao, merino de cordao, princezas, lencos de cambraia. de linho, silesias, brelanbas e on-
iras muitas fazendas que se vendetn por com modos precos.
para sopa, macarrao,
480rs. alibra.
COGV4C 1
o muito ;i 1.1 ii.i r 1 cognacrue niamir"i>
rs. a xarrafn e de outras muitas qualfaa-
desa l.ooo e 800 rs. a garrafa.
coio*
lapidados para agua a 4,5oo o 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 000 rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e do outras muitas qua-
lidades de 2,2oo. a4,5ooa resma do me-
lhor.
Papel de botica
I de excellente qualidade a 23200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de 1,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corintkias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 10,000 rs. |
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista e Pain^o
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 45400 a arroba.
CEBLAS
SORTIMENTO PARA A FUSTA
VATIVO
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs.
libra e 43500 a caixa.
Yinko
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a. garrafa.
Iilei de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2^800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado das melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 13 1'320O dem de ca:
a garrafa e de 103 a-123 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Gbamisso AFilho,
F. & M., Nactar ou vinho dos Beozes,
lagrimas do Douro e outros muitoi.
Latas
com 10 libras de banda a 4-500,).
Bolachinha ingleza
a 13800 a barrica damesmaque
renden a 23000 e 23400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r*- .d bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mal
cas de 43500 a r..'00 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto. Res e outros em
meias caixinhas a 13300.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 23500 a 33000 a ar-
roba desses que vendem por 33400.
CAF
de l.1 e 2.' sorte do Rio de Janeiro a 835*
e 83800 a arroba, e 280 a 300 rs. a Ubi
Ciarrafdes
com 4 '/i garrafas com vinagre a IG00<#fl
o garrafSo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 13000 o frasco, e de 11300C
a caixa.
DEM
|em frasqueiras de liollanda a 53800 co
12 frascos.
GENERA
de liollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada tima.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha,
i.ir.niiK*
finos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a Goo rs. a
libra.
Pregunto
i o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
! a libra.
ARROZ
! Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
Os anntrftiantes nao tem em vista seno garantirem ao respeitavel publica a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias e n.lo para
assentarem fortunas a forca da regra de liga como outros annunciantes deste genero
par tobos
No armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na seguinte ta-
bella, mas nSo se vende por todo o pre?o fa/.endo-se peso de arroba hespanhola, "aran-
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquello que n3o seja do agratlo do
comprador.
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lenlilhas muito novas excellente legume pi-
Rtnra a ihra T3 sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidade* d
7oo e 9oo rs. a parrafa.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Manteiga ingleza perfeitamente flor a>8oo rs
estampas, a l,2oo e l,5oo rs. a libra, desnessesario mais elogia ue*-
Idem etn frascos de vidro a l,2oo rs. te genero que s se pode verificar com a
dem em frascos grandes a 2,5oo rs. vista.
dem em latas de 1 !/t libra a l1,loo rs. dem franceza a 56o rs. a libra, o em barril
Arroz do Maranhao e da India o melhor que ou meios a 5oo rs.
ha neste genero de 80 a loo rs, a libra, e | Marmellada do 1." fabricante de Lisboa 6oo
a libra,
a libra.
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e 10,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libia.
Azeitonas muito novas a 2.000 rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
deO e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra.
dem.ingleza em latas de
das melhores marcas a
a lata.
Banha de porco refinada a
em barril a 36o rs.
Btalas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
l.loo rs. a arroba.
rs. a libra, ha latas de 1, iyt e 2 libras.
Maca de twmale em latas de urna e duas li-
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide. rodinha,
etc. a 3,{kw rs. a caixa e 56o rs. a Ijfcri!
Macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolha de
vidro a 81o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a 1,000 re.
a garrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
2 e de 4 libras Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantindo-se a qualidade, a "00 rs. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo r. a libra, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas daf
seguintes qualidades, sabel. corvina, ko-
rz, cavallinha e pescada a l.ooo rs. a la-
ta.
a 14o rs. o ma-
l,3oo e 2,2oo rs.
4oo rs. a libra e
Champagne das melhores marcas a 2o.000
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. Palitos para dentes fichadas
as meias garrafas. co de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2.I00 rs.
bra. a groza.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs. Painro muito novo a 16o rs. a libra, e i.5oo
i de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e etn caixa ter abatimento.
VELAS
j de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 3io rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 53 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas milito novas
em quartos e inteiros a 23 o quarto e 63500
a caixa e400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Fruas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 1| o caixe.
GOMMA MUITO NOVA
23-Largo do Terco-23.
Joaqun) Simio dos Santos, dono deste armazem de rnalbados avisa aos amigos do bom e lia-
rato que se venliam sortir do bous gneros este estabelecimeot* que nao se arrependerao, .e I he
far a differenca de 10-a SO-por cento,. pelo seu prompto pagamento ; e por Isso se faz annuncio de
alguos gneros, que tndt sempre este estabelecimento um grande e vantajoso sortimento de nido
quanto pertenceoie a- es estabelecimento.
Sentido! Van ftritor com o fitrsirviriro !!
e sorte
a 600 e 640 ris li-
Monteiga ingleza de
a libra.
dem fianceza em barril
bra.
Toucinho de Lisboa a 300rs. a libra e 8*800 a ar-
roba.
Batatas em caixas e gigoe i#WO e t#000 a ar-
roba.
Oaf de primeira e segtmO* swte a 250', ttfl *3O0
rs. a libra.
Arroz da India, Maraoha* e Java a-100 e 80 rs. a
libra.
Pliosphros do gar a 2* a grou e 180 rs. o majo.
Passas novas a 480-ra. Kra.
Velas.de carnauba Aracaty nomposicao a iOO a 440
rs. a libra.
Massas para sopa a 489 o 440'rs. a libra.
Marmelda dos melliares fabricantes de Li>boa de
1 a i libras a 640 1*. a iWra.
CI..1 hyssoa e uieliwr desie geaero a WOU li>
bra.
dem perola miadioho a ifioOO, 2*000 e .1,5000 a
libra.
Banha ingleza alva e superior a 480 rs. a Ubn.
a 800, 900 e 15 Queijos mais novo? dt mercado a 2fto00 e 25800.
Ser veja da* mu ho res marras, tanto branca como
preta a .'O0 rs. a garrafa 1; a duzia a 5*800.
Sabio amarell massa a 180,200 e 240 rs. a libra.
Charutos da Babia des melhores fabricante? de
1*200, 2*000, 2*0O e- 3*< a caixa.
Mimo alpista. a paioco a 160 140 rs. a libra.
Vinho de Ftgfunie verdademr 800 rs. a garrafa.
Iflem d Lisboa das melhores marcas a 408 a alia,
dem oV Port em barril superior pinga a 640 rs.
dem branco proprlo para mssa a 900 rs. a dita,
dem dPorto engarrafado a 800 e r*, tomando
mais de urna caada de qualquer nmdesres ter
granee- abatimento.
Conservas Inglezas e portuguezas a 600 e 610 rs.
BitooiM taaJueha* de soda a 1*400 h 2*.
Vfaset e tomate *606rs. a Hbra.
GtmstJKidfrOla-Kji em fraseo o botijas ede la-
ranja rfe4Wa'fi 1*200.
'Umarvgti n< mai* oras a 9*0 n.. a libra.
Latas com 1 e meia libra de amenas a 15100.
Azeite doce dr- Lisboa a 440 r?. a garrafa e 35o
. galio.
muito novas a {000 o cento na rita (lo Qaei-| em paneiros de i e 2 arrollas a 35500 a ar-
mado n. 7, ra do Imperador n. 40 e lar-, rohaeUOrs. a libra aa ra do Uoei-
go do Garmo n^ 9 mado n. 7, ruado Imperador n. 40 e largo
GRAO DE BICO do Carmo ... 9
muito novo a 3*400 a arroba e 140 rs. a li-: BOLACHINHAS
bra na ra doQueimrdo n. 7, ra do- em latas de deferentes qualidades a lf?20O
Imperador n. 40 e largo do Carmo n. 9. a. lata
QUEIJO SUISS0 QUEIJOS FLAMENCOS
nroito fresco a 800 rs. a libra na ra do chegados neste ultimo vapor a 25800 na ra
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40 e do Queimado n. 7, ra do Imperador n.
largo Jo Carmo n. 9 40 e largo do Carmo n. 9.
Os propietarios do grande armazem o Verdadero Principal declaran aos seus
fregttezes erigos e ao publico em geral, que para facilitar a comraodidade de todos es-
ttpnlaram os raesmos precos nos seguintes lugares:
Fnio e toniinercio ra do Queimado n. 7
0 Verdadeiro Prinripal ra do Imperador d. 40
FKUCTAS
. MA^AA, peras e uvas
cagadas neste nltimo vapor, vende-se nos seguintes tugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro Principal-Rua do Queimado n. 7, Unio e Commorei.
Agua Florida.
Par rest*ftelecer e conservar a cor atoca!
dos cabellos.
A apn florida n5o 6 ama tintara, fcto essen-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao- cabello. Composta de plantas exticas e
desubstancias inoffensivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante qne el-
les tem perdido. D'uma salobridade incontesta-
vel, a Agua Florida entreten a limpeza da eabeca
destroe as caspas e impede os cabellos de cabir
Oleo de Florida
Composto da substancias vegetaes exticas, eJIe
constite poderosamente, com a Agua- Florida, a
forca, mhallen a a conservac_o dos cabellos.
Em Paria, casa de Quislaur n. 12; ra de Riche-
lien, a tb, baulevard' Montmartre.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, o
timbra prateado da casa, sao repulados falsos.
Deposito, roa do Imperador, pharmacia n. 38.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gostoa para meninas
tnaxerem na braco : s se encontra na loia-db Bei-
ia-Flor, ra de (Jueimado rr. 63 e 69.
Extratos e saMo em eai-
xinlias
Luidas caiiintias conr: um cartaoeoav a famHIa
imperial, e deotro-de cada caixa tmr frasco oa sa*
bao o. mais 8ao que passivel: na foja do Bea-
Florrua doQueinado m 63 e 69.
a libra,
dem liysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2.600 rs. a libra,
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopathico 2,000 rs. a libra.
Go',,oj,i mc moliariro-: moa>oc A i'-,oou re r lili-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e bespanhol a
l,ooo, l,2ooe 1.4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia-
do de Simas e outros da Bahia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a -i,60o, 2,000,3,ooo e
4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 7oo rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l.ooo rs. a garra-
fa, e 10,000 rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a Goo rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,ooo e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Cafe do Rio superior 28o e 3oo rs. a
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a
e 8,000 a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 10o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de liollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafes de 6 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem dem de 3 caadas a 7,2oo rs. cadaum.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, c H,ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch. Waaser excellente bebida Suissa a
l,8oors. a garrafa.
a garrafa.
libra,
libra.
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes (je vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Rardinhaa I.UIm.n > Ho Vmtps a t\na r.
a meia lata, e len, o qtnrlu.
Sag muito novo c alvo a 24o rs. a libra.
Sardinba de Franca a 18o rs. a Ki>ra.
Sevadaa 100 rs. alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e Itere, a libra.
Tijolns para limpar facas a 19o rs. cada um.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos condecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira expecialmente escolhi.!.. bjhi
lugar a 600rs. agarrafa,*' |.5oo acarada
dem Lavrad.o, Colares muito btwto ea
composicaoa Ooors agarrafa, e l,5oo re. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 0 ranada* mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 50o rs.
e a 4,5oo a caada.
dem Porto ino em pipa a 56o rs. a garra-
la*
dem engarrafados generosos. Lagrimando
Douro, Duque do Porto, 0. Ltii/1.1). Pe-
dro V, Nctar, vell.o secco, Malv-zia, o
genuino particular de >ooal,?oo rs. a gar-
rafa e a 10,000 rs. a caixa com urna dmia.
dem Madeira legitimo a 1.2no rs. a garrafa,
ea t.ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a 1000 rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas S.
Julien St. Esteph, rkteati la Ho?p.rha!a
Margoux e outros a 6,000 rs, a caixa r 56o
rs. a garrafa.
Vermoutb a melhor bebida estomacal a 2,000
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e l,4oo
rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a 1.000 rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 3o
rs. cada urna,
dem de escoras para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
Mfcm de carnauba refinada e de inmposirJo
a 36o rs. a fahra, e lo,5oo t 1 ,k> rs. a
arroba.

3 roa
Cat (h Lisboa
aa- ra do Vigarwn^lQ, primeiro andar.
Ttffioyrnfthiu, Lvherai
Vende-se a typograplna db Liberal': a tratar
oom o Rr. Prancisco de Paula e Silva Los, na ty-
pographia Universal, ou com o Sr. Leodegario An-
tonio de Olivaira oa roa das Flores n. 3.
MIDANCA-
A mutto acreditada! fabrica de lreres, de-Saare* d rmao, madou-se para
das Cruzes n. 36, end foi o armazem Progressista.
Neste estabetecimente aprompta-se com aceio e brevinde qualquer encommenda
tanto para dentro da provincia coma-para fora dela-
Bncontraro os freguezes todas as qualidades dte bebidas espiritnosw fabruada
com todas as- regras-dfarte,- nao se usando de preprenles- venenosas para po*r reoiftr
barato. Vende-se em' porres e a> rela*o, lano engorratadas como a medida.
Licores de todas as qualidades ordinarios e finos.
Genebra em botija.
Dita de laranja que vende-se tambem por medida-.
Agoa-ardente de todas as qualidades.
Espirito de vinho (alcool) de 37*
orcliata.
CAPILE
De superior qualidade e de diversas fructas. assim como o da muit apreriaral
Queijos de Minas.
Vende-se na ra Hova n. 6f, defronte da Illma.
raruara municipal.
Bixas hamburgnezas.
Vende-se na roa Nova n. 61.
Ka roa da Cadcia do Hecife
(Jarne. do sertao.
.4*.
Chegoo aos grandes amataos da Aurora Or-
lhante ao largo da Sania Cruz a verdadeira
a miadas do Serld.



Diario de 1*0mtmm Quinta felra 3 de Vovrmhro de 18*4.
/
G PUiLHQ
Sem o menor consiran-
glmcnto se entregara o
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENg&Q
Os arecos da soguete
tabella para todos, o-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de con tas
com es portadores.
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
ANC

DE
R i M CA1IEIA 1IO REIFE X. 53.
(Lega passanrfo o arco da Coneeieie)
Grande reducco de procos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualqner
anminlante.
Collegas.N3o posso por mais terapo snstentar o prero da manteiga ingleza a I.ooors. a libra, bem assim o de outros
mitos objectos, te, dando cora islo ocasiao a todas as espeluncas acabarem por bem prego a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo prego que eu \entlo! 11 Ora, eu oflentlido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systheroa que vim encontrar, des se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reduegao de pregos, como varis
pela seguinte tabella, pois cerno sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de melnados Uni5o Mercantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de l,4ee a l.Coo rs. a libra. Hoje perem, resentidos da reduego a que
esto obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamac,ao de preges, e qualidades, vingam-se de um e outro potadores
m;> informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
to smente ebter a concurrencia de seus fregueses.
Para bem de todos.
Senhores e SenhorasD aeeio qne presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptido e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesme, certes de que sem duvida rae darSo a protecgo e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando n5o pogam vir podero mandar seu> portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tilo bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para cem estes toda recommeBdacao, afim de que nao vao em oulra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
escolhida a 8oa rs. a libra, em barril e ment.
faz abalimento. Caf do Itio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
dem franceza a mais nova que tem vindo ao | e 8,5o rs. a arroba.
mercado a 56o rs. a libra, e era barril eu dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
me ios a uo rs. a libra, e 9,coo rs. a arroba.
Cha hysson de superior qualidade a'2;6oo rs. | dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo
rs. a imra. e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do MaranhSo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooe rs. a arroba.
rs. a libra, e 2,2oo es.
a libra,
dem parala o mais superior do mercadea
2,8oo rs.
dem liuxim o melhor que se pode desojar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto horaeopathico.porserde superior I
qualidade a .ooo rs. a libra. dem de Java a 8o
dem hysson, huxim e perola mais proprio a arroba.
para negocio o l,6oo, i,8oo e 2,ooo rs. a Paingo e lpisla a 14o rs. a libra, e 4,3oo
libra, garante-se ser muito regular, igual rs. a arroba.
ao que se vende emoutra parte per 2,4oo ,Massa de tomate em latas de i e 2 libras a
e2,too rs. j 6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
Linguigas, chourigas e paios em.latas de .8. rs. a libra.
libras, ermeticamente lacradas a o,5oe rs. jAletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
garante-se serom superiores aos que vem; bra, e 9,ooo rs. a caixa.
em barris. dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
Chourigas e paos em barris de meia e urna! estas massas tornam-se recomendaveis as
arroba a 8,ooo rs. e l,5'oo e too rs. a libra, i pessoas doentes por serem propriamente
Queijos flamengos muito frescos chegados* feitas paraesse lim.
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor, Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
passado a l,Goo e I,8oo.rs. j 25 libras a 52o rs.
dem londrinos os mais superiores que tem Yinho do Porto muito
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas ja pre-
paradas a 6io rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisbda a 6oo rs. a libra.
Prezunlo to roino niuiloa Ou casa particular
a 5(>o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para lambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 0,000 e a,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9eo
I.ooo e I,2oo rs. a libra.
Espormaccte em caixinhas contendo f> libras
por i.ooo rs., garanle-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tnmbem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras echernee, vezugo em
latas grandes a 8oo e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-
fino excel lente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e ooo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o is. a garrafa.
vinno ao Porto a memores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetora em caixa de 1 duzia de O.ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e I,ooo a garrafa.
"Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 04o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas porluguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconserveirode Lis-
boa a 64o rs.
as mais novas do mer-
e 24o rs. a
Bolachinhas nglezas
cado a 2,8oo rs. a barrica,
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a i,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro I Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualqner nao pode vender por este prego. | para mimo a 6lo rs.
Genebra de Ilollanda a 56o rs. .o frasco, ePassas muito novas de carnada a 4oo rs. a
5,7oo rs. a frasqueira. libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras,
dem de laranja verdadeira de Aliona era Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a I.ooo rs. o frasco, e I,8oo rs. a caixa com 8 libras.
4 I ,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'a<;ua em sal da fabrica do Beato
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a "2,500; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de I e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
lmannos com bonitas eslampas na caixa
exteriora I,2oo,'l,5oo, e i,8oors.
Azeite doce refinado 'enanl ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa con 2 arrobas.
Conservas nglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a-duzia.
Vassouras de escova.para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
re ha do mesmo a 6oo rs.
Mostarda ingleza dos melhorcs fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza era potes.j preparada
a loo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino verdadeirode Zara em garrafas
grandes a I,ooors. e U,ooo a duzia.
Palitos para dentes a 14o e 46o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e prela das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca.umilo nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nnii mercado a 2,ooo. 2.i>oo. 3.ooo.
3,ioo 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a:
l.oio rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
bras por 2,ooo; dito em caixes a 6oo rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra. I /
Velas de cathauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a fibra e lo,ooo rs. a arroba. |
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa |
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra.
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucnhe de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
mol nos com cento e tantas porl,2oors.
Mane excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Paulo Ferrelra da Silva & Companhia
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
& a i por eento menos odreeo que sepuaau pao iuo tra qual-
quer parte.
-
Gneros especialmente escolhidos por um dos socios que na Europa se acaa
para esse_ fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabeleci-
mento.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
AO PUBLICO*
N5o nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annun-
cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambem
estamos certos nenhuma attengo ja merecem do publico. O nosso fim, pois, simples-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos pre-
gos que passamosa mencionar,'e'para a qual pedimos toda a atlengo.
iaho verde.
Chegou o muito desejado vinho .do Carlaxo vende-se nicamente neste armazem
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
AffENCIi.
DA
FNDICO NEW-M001.
Ra da Senialla nova a. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiai
uoendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o*
tamanhos para ditos._____________
Arados americanos e machinas para
lavar rowpa: em casa de S. P. Johnston & C,
rna da Senzalla Nova n. 42._______________
ttuperfor viulM) Collares.
N.i ru.i i]-) Vinari) n. II, esoriptorio de Manoel
Joaquim Ramos e Silva & Genros, tem para van-
er superior vinho Collares era ancorelas.
Fabrica Ooncei$to da i
Baha,
Andrade 4 Rcga, xecebem constante- ^
mente e tem venda no seu armazem n. :Jl
34 da ruado Imperador, aigodao d'aqael-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodo empluma etc., etc.,
pelo preco mais razcavel.
s>
asm wmmmmmmm
Ra 4la Seizalla a. 42.
Vende-se, em casa drS. P. Johnston C,
sellins e siles inglezes, candien-os o cast-
eaes bronaeados, lonas mglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montana, arreios para
carros de um o dous cavallos, e relogios de
oaro patente inglez. _

GRANDE FABRICA DE CALDEIflARIA -;
FfJIVIAO DE SIMO^
* DE
VILLACA, IRllO I C.
rija no IRUM ir- 40
Chamamos a attenoo de todas as irmanda-
des e confrarias para o que ahaixo publicamos.
O amor que volamos arte que profesamos e o desejo que temos de concerrer com
nosso fraco contiageite, para a ver rhegar em no^o paz ao grao de perfeigao que para
desejar, nos impellio a mandar Europa um dos nossos sooies, aftm de particular-
mente estudar a melhor maneira do bem fundir os sintra.
Grandes'foram as difteuldades qne tivemos a superar, afim de podermos conseguir o
nouo de.Mieraium ; porm grayas aos esforgos e bons oflkios de um nosso amigo, o nos-
so socio pode ser admittido em urna das melhores fabricas de Lisboa.
Muito lucramos e muito tem a lucrar o publico, por que sem receio desermoscen- e'~:
testados podemos afDrmar, que os sinos fabricados em nosso estabelecimento ea nada
se parecem com esses almofarizes de mo gosto que por ah se fazem.
K-umos habilitadas a fundir sinos de todoss tamanhos desde 16 libras at 1fO ar-
robas, com embtemas, ornatos, etc., conforme a voptade >ob gosto do comprador, guar-
dando em seu fabrica todas as regras da arte. Pedimos, portante, em recompensa de
tantos sacrificios e despezas a proteccao do publico.
Tillaba, Irmao & C.
nnm
Vende-se notassa em barris a commdo prnce o
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseripJori:
de Antonio de Almeida Gomes.
fciwllenle hva rhfzadn o tjIItbio
rapor
Vende-se na roa do Imperadora!. 1%, esquina da
wavessa do Ouvldor a 800 rs. a libra.
Roa da Senzalla Nova a. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas do
ferro coado libra a 110 rs., idem de Low
Moor libra -a 120 rs,___________________
Moinhoscom radas, patentes.
Moinhos grandes eom Todas, patentes, e afianza-
dos pelo fabricante para moer caf, e proprios pa-
ra refinacao por serem de especial qualidade e de
todos os lmannos: vendem-se nicamente no depo-
sito da ra da Cadeia, lo]a de ferragens n. 56 A,
de Bastos.________________________^^^^
Hlsconlos.
Vnde-se em ras* d Sothall Mellor & C, rna
Trapopiche n. 38.
1 Cintos largos.
A Agnia Branca constante as novidades de mo
das, foi qtrem primelramente expoz venda esses
bonitos e moderno- cintos largos e tem continuado
a recabe-los, como agora mesmo acontece por esse
ultimo vapor, cujo bello sortimento se faz notavet
pelas dilTerentes qualidades, e variedade de.gostos,
os fuaes tem geralmeine agradado: cmrtparpfam,
pois, os apreciadores do bom, munidos de dinliciro,
que serao satisfactoriamente servidos : na ra do
Queimado, loja d'Aguia Branca n. 8.
Vende-se um preto de 35 annos, pedretro, e
sem achaques, e nm moleqoe de 14 annos-de ida
de, muito linda ficura : a tratar e ver no ptReo do
Terco n. 9, sobrado.
Amendoas confeitadas do diversas cores a
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 44ots. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a 1,2oo e A, 5oo rs.
dem em frascos de vidro a 4,3oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de i la libra a l.foorg.
Arroz do-Maranho e da India o melhor qne
ha neste genero de #o a loo rs. a libra,
ede.Soo a 2;8oors.Jtarroba.
Azeite doce de.Lisboa.aftoo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
ra fias brancas a 9oo rs. a garrafa, e 4 o;ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 3So rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,oo r.:a aneo-
re ta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da 'fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades-em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe i,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de2e4 libras das
melhores marcas a i,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 4oors. a libra e
em barrita 36o rs.
Batatas em gigos de 36 libras a l.ooo rs.'
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas. -
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
ra.
perola qualidade especial a 2,7oo rs.
libra.
nyssun o mojar que ua ueste genero
2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra.
dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a'
duzia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a l.ooo, i
-I,2oo e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da Rahia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
deliciase suspirosa I,6oo,2,ooo, 3,ooo'
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas nglezas a 75o rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a i,ooors. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a Ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo5,ooo
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas porluguezas em latas chegadas ul-1
tintamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 46o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo
rs. cada orna.
Favas portugnezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 ts.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rain ha Claudia e pinja a 7eo rs. a lata.
Graixanova a loo rs. a lata e l.loo rs. a
duzia.
Gomma,muito arva e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. 560 rs. o frasco
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrames de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada nm.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro qualidade superior a
4,000 rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o
frasco e 41,ooo a frasqueira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente Dr a 8oo e
4,ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Lisboa
a6oo rs. a libra, ha latas de I, 4 4/2 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. atlibra.
Macarrao, talharim ealetria a 4oo ts. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco.
dem ingleza em p a 64o ts. o frasco.
Molho inglez em garra ti n has com rolbas do
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
agarrafa, e lo,ooo Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em ratas a 7oors. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a 7oo rs. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide erodinha
etc. a 3,5oors.a caixa, ea56ors. a libra.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguirttes qualidades: savel, corvina, goras
cavallinhas, e pescada a l,ooo a lata.
Palitos para dentes fichados a 14o rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2,4oors.
a groza.
Paingo muito novo tQo ro* a libra o Otooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ultimo vapor, a 2,5oo
rs.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra e
sendo enteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a I8o rs. a libra.
Sevada a 4oo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 45o rs. cadaum.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
l,4oo rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a 4 .ooo
rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada tima.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra,
dem de carnauba refinada e de composigSo
a 36o rs. a libra, e de 4o,5oo a 41,ooors.
a arroba.
Vinho em prpa, Porto, Lisboa e Figueira
das marcas menos cenhecidas a 4oo rs.
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada,
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
oomposicao a 6oo rs. a garrafa, e 4,5oo
rs. a caada.
dem de Lisboa branco uva pura a 56o rs. a
garrafa, e a 4..*ioo rs. a caada,
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garrafa.
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
'Genuino, Particular a 9oo e 4,2oo rs. a gar-
arafa, e a lo.ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
dem Madeira legitimo a 1,2oo rs. a garra-
fa, e a 42,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a 4,ooo rs. a garrafa.
dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
Julien, St. Esteph, chateau la Rose, chatau
Margoux e outros a ;6,5oo rs. a caixa. e
56o rs. a garrafa.
CERVEJA 11 BAKBIL
a aoo rs. o copo
tueijo de Minan etaegado na Tapar
Ideal prato remito fresea
Ideat l*so superior
Ideal landrlaa superior.
57 Ra do Imperador 57

\
l.v.vntixtii
LOJA DE IMIDrZtS FIV4S
16Ra do (iucimadili
En re (es de cabera.
Rf|Ussimos enfeiles de Hap lo f n n a
peosinho turrn, a !>.
Ditos com enfeitfs de cascarrill-z. 'r ,
de seda, a J.
Ditos com bonitos tacos, a iiifu ', -ir
Ditos de tranca e froros sem lar. t&Mi
15000 reto.
Fhrlas c rinti.-.
Riquissimas flvelas rom Hiriabaa ,*<
a ICCimi e :':}
Riiiuissimos cintos de galo door;.il>
de ouiras cores com rniuissimas ivtiu i
a ama.
Dito ditos snn borlas, a l>CO c S
Fitas e casrarrilhas.
Riqaissimas flus de grodenatlos fatviaa, I
iias cores e padroes de noatro rir- A ,r- .
I*o00e2*.
Dilo ditos de grodenapies de todas j
com dous, dous e mfio. quatro e rii^c. d -. .
500, CO. JJ280 e t600.
Ditos de gorgorito para cintos. .1 \i
Pecas de Ota estrella de toda .v rln
ris.
Ditas de fita de linho para deLrum^|,t.'~ ,:
ris.
Dila de fita elstica, a M e rti r^:
Dita de fila de laa de todas asrr r<-. n W"
Dila de cascarrilha de seda de lo larguras, a U, l600 e IA800.
Dila de tranca lisa prela e brar.rr., a M
Dita de tranca branca Usa de vinte nnu ara>.
a :t20 ris:
Fitas para enriar rspartllho. a fio e i*t nm
Varas-de aspas para halao, a M rci-.
Yol tas de coral de ra pequenus c nr
dej, a o00c2.
Voltas pretas Marta Pia pequen a' twm
grandes, a 800, i280 e U80O.
Pnlseiras da contas atoes e bram-as. a MO r.--
Ditas de aljofares de cores grandes, a I*.
I.uvas frescas de Jouven branca-, de
apota.
Ditas nao frescas brancas, a t
l! ecas de panno, a ICO ris.
Ditas que choran, a ICO, VOO, (40 ii>*)
Pecas com der Taras de bicos pretos, a lMI v
2000.
Varas de.labyrintho francs, a 100. <40 SI. lv>
408 ris.
Duzias de bonitos botoes de vidro. a :i2u ida
Escovas para dentes, a i60, .120 e *n
Ditas para limpar nnhas e ouro. a MO re"
Dilas para cabello e roupa, a 6iO. M' t ',',
Oculos dearmaco, a 640, 1? e lf5'
Toucas o sapalinhos de laa, a COO a \$.
Toacas de blcnde de seda enfeiladas a l*i
Sapatinhos bordados de merino e sein. a IjM o
U e 2*500.
Caixas de penas de lan^a e caligrapliira-, a ftn
et.
Caixas de papel pequeo paulad, a fitO 1 ~'"
ris.
Caixas cem cem envelopes com cola. .1 MO re
Pentes de regaco domados a Isabel a l,
Ditos de borracha muito fina, a SO e 1-3
Ditos de concha dourados para atar ralDo
25,
Ditos dourados rom as marrafas, a M t M
Garrafinhas e frasquinhos de Siraelo*, a tf
200, 320 e i.
Saboneles de bola grande, a 320.' 4Cn ri-
Frascos de vinagre aromtico de Venn-. a IJ
Frascolde Inico oriental de Kemrs. a MT*
Riquissimos cabazes de vidro com ernisaiia4
tSfV.
Legtimos frascos de sndalo, a t-5. 1,
Frascos grandes com banha taacna, .
ris.
Caixinhas com extractos, a 15. IPOO
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
As curas milnproeas de
ESCRFULAS.
i IIAt^AS \\TIttAS,
L'NFERMIADES SYPHILITICAS,
Erysipelas. Rhoumatiama
Nevralgias, Escorbuto,
etc., etc., etc..
que tem grangeado e dado > alto ir
nomo
Salsaparrilha de Brstol
por todas partes do universo, sao 1*
smente devidas
nica Legitima e Original
SALSAPARRILHA DE BRISTOL
PREPARADA EXC-I.I-SIVAMF.STB POR
LA MI .IX & KENP Di: \0V A TORK.
Mediante a receilado Di: C. C. Brintvi
A venda as hoticas de Caors i Bar ri-
ma da Cruz, e Jo da C. Bravo IC., n
da Madre de Deosr\
Vinh0 verde
em barris de & para particulares e em ;
muito superior
ESCRITOS FGIDOS.
Fugio na tarde de dia t de jolh* p.
escravo pardo, de nome Marcos, desemtar
do hiate Santa Anna, vindo do Arara'y. |
de idade 88 annes pog mais ou mi n'. e M
naes seguintes : aliura refutar, secco do n*\
pouca barba, cabello crespo, levau carca 1
caiga de algodaosfnho de risrade 1211I H
peo de palha, lendo levado comsigo una fi
com mais roupa, e rendido de urna das *WNfci
quem o appreender oeira leva-lo a roa da Ifcdn
de Deus n. 38, u rna do Brum n. 55. qn r
recempensado.
Pede-se a polica
a apprehensao de escravo Chrispiniano, de titd
25 annos, estatura refutar e barbado. Consta -en
dar nesta cidade, e a poaeo tempe andava veu-
dendo sorvete, com ntna serveteira dentro de a 1
Caixa de madeira. Quew o pegar ieve-o MR I
LivrameMo n. 19
Acha-se fgido o esenvo Thom, rom *
signaes seguintes: cabra, roto e pello mnito m.
bertos de cbenos, alto, ?Oro, falta de atgnm den-
les na frente, e tem em ama das mos o dlo re-
legar cortado pela juna e em unir o dedo mim
mo tambem com nm aterJSo : quem o apretK^'er
e levar ra da Iraparatrix n. 35, primeiro andar,
ser recompensado.
\
MUTILADO
.


8
Diario ie Fernaaanmeo ... Quinta felra 3 ie *ove rubro ie nei.
Estado da caita.
Em ouro amoedado.....
Km nula- do Ihesouro nuiores
de 103000. .......
Em ditas MMm d lo* .
Boi mitas da raixa lili.il do Ban-
co do Brasil......
Km notas do Noro
Banco de Per-
namburn sendo
263 de 2003 82:6003
d- 1003 31:7003
de 503 13:3503
384:023,3520
1:9003000
5:3683000
141:5303000
317
267
En i rata e cobre.
97:6503000
6:4633982
RiS. 636:9353502
DemonsIragSo da emissao rTeetiva.
3548 no(aa do valot
445'.
290
2005000
1OO3W0O
50SO00
709:6003000
445:9OOS000
114:5003000
R* 1,270:0003000
Do Sr. deswnhargndor Uchda Cstalcantf a* Sr.
desembargador boniingu.es da Silva
A* uppellucoet crimet.
Appellante, Antonio Garlos Pessoa ; appellada,
a justiga.
Appellante, o promotor ; appellado, Joo Fer-
reira de Lacerda Jnior.
Aj tippellacoes civeis.
Appellante, I). Joanna Maria das Dores; appel-
lado, Jos Hygino de Souia IVixe.
Appellanie, Joaquim Coelho Cintra ; appellados,
Figueiredo A Irmao.
Appellanie, Antonio Alve* Vianna ; appellados,
Geo. Kenworth Appellaute, Jos Ignacio de Brito; appellada, D.
Joanna Evangelista de Mello.
Do Sr. desembargador Dominguos daSikaao Sr.
desembargador Caetano Santiago
A appellitrao civel.
Appellante, a viuva de Joo Vieira da Cunha ;
appellada, a fazenda.
As 2 horas da tarde encerrou-se a sosso.
Sania Casa da Misericordia do
Recife.
EXPEDIRME DO DA 16 DK JULHO DE 1864.
Offlcio ao Exm. presidente da provincia.Pas-
sando as mos de V. Exc. o incluso requerimento
de Sebastio Jos da Silva Braga, sobre o qual V.
Exc. houve por bein mandar ouvir-mo, tonho a
Informar, que a junta administrativa desta Sania
Casa de Misericordia do Recife, annuu ao arrenda-
ment do sobrado de uin andar sito na ma da Lapa
n. 8, que pretende fazer o mesmo suplicante, por
mais seis annos, obrigando-se elle pelas eondigoes
constantes da informago do mordomo enearrega-
do do.- predios, (pie tenlio a honra de offerecer por
copia, consideraban de V. Exc. quem Dous
guarde.
Dto ao f>r. Jos Soares de Azevedo. Passo as | a expresso de benenierenca, e aquello,
roaos de V. S. o nflese mappa dos alumnos da
aula de primeira's U-tlras do collegio de orphaos no j porventura hilo manifesla allamente
trimestre vencido de abril jurrho prximo pre- i Devem estar muito
terito. os tactos negros horriveis que se succederam r
18 nesta provincia por occasiao das ultimas eleices; I apparecer
Dito ao director do collegio dos orphaos. -Deven- lodos anda se lembram d que as autoridades po- s s,
do ter lugar amanha ua eapclla do hospital Pedro Untas desceram e desceram lano do grao, em que
II, a fasta de S. Vicente de Paula, assim o eominu- so aeham collocadas em nossa hierarohia poltica,
nieo V. S. pora qnetniprelerivelmente pelas 10 que nivelaram-se aos 'apangas, aos homens do ba-
horas da mauhaa do masan da ali euinpareca coin carearle, do punhal e c.cele.
os educandos, que fazem parte da msica" lese A um desses agentes na autoridade policial mou
collegio, fllim de que aeompanhados pelo seu res- filho Captnlino Bandeira de Mello Cesar Loureiro,
O guarda livros,
Francisco Joaquim Pereira Pinto.
ehisedeck Gordo nrmando-se de orna arMca torta
inopinadamente alirando urna sipoada edbrenneu
mano Genuino, e uesta occasiao outro iraio mea
mais mocoAmerica Ihe atirou urna pancada cora
urna bcngallinhade canoa que trazia.
O Sr. vigano entendeu que tinha urna California
a explorar, e mais por dar gusta aos nossos ioimi-
gos, e mesmo satisfaier sua paixo, assentou que
devia dar grave vulto a urna questao de rapares,
W*Humero desos individuos, um dos quaes
Fernanao de Noronha, conslou-ma al que nao se
chava qnahficedo, ao passo que os do lado opposto
deviam existir em numero de sessenta pessoas, nao
po-tondo eu saber se todas se achavam ou nao qua-
lificadas.
Fazendo ver ao juiz de paz a desproporgo da-
qoelle numero, disse-me elle que toda sua gente se
, havia ausentad, porque Ihe constara desde a vea-
que fui inmediatamente applacada, sera que os of- pera qoe eu ali iria para faz-la wcrutar I Como
tendidos soifressem graves fenmetos. se fosse teso possivel n'uma tal occasiao e n'uraa
Meletnsedeck Gordo, que elle figura qoasi morto, localidade que ainda se achava no oso dos 30dias
e nao sei o que mais, apenas aprsenla dtias peque- de indulto, em virtude das ultimas eleicSes a qne '.
as assaduras no couro da cabaca, as o Sr. viga- ali se proceden, e como se fosse crive alguem
no que quer fazer nin painel mais horrivel do que a necesaiade da minha ida para aquello fim.
o do lo do mundo, disse ogo que seu aillhado f- Rmela coartada, e Ieei-a4 conta do meu hu-
ra gravemente fendo, que sotTreo doas furiosas mor em que se achava aquello hornera,
pancadas falla era cceles, ele. Tenhe -em -pirara, pahrms. posto*X. Exc o
fio que tara vrjr os devotos na igreja armados resultado da commissao que me levou a Vinhaes.
ae cceles r Deus guarde V. Exclllm. e Exm. Sr. des-
be o -r. vigano quizesse ser imparcial, dina embargador Miguel Joaquim Ayres do Nasrimcnto,
que na igreja todos estavam mermes, que seu so- vice-presidente da provincia.-S^basio Jos da
brinho tinha urna chbala com a qual deu e apa- Silva Braga, chefe de polica interino.
ithAll o nilA Cmanla man irmnn Am^winn *i..\... .--.^n r _. *
i Prazo curto 190 3/4 dem.
Sobra Lisboa. 3 m. 9. 45 3/4 schillings banco
por 13000.
Descont 5 3/4 e 6 1/4 por canto.
Quando o navio do estado cnvolto no furaco po-
lilioo, arneaca sossobrar, ao passo que o piloto c
marinheiros banqueteam se em um festim de orgia
e de sangue ; na poca, em que obrar de confor-
midade com a lei um crirne, um acto que tende
ao cumprimenM da lei, por quem quer que seia Jir Rorn'
prat,eado.naoasa,isfacao de wm^AjM {to^el^to^to^^
aqueiie, em cujo. sr_ vgario, isso seria nada, mas isso que em ou-
fo. fe.to, falta aumdever sagrado,se trem 6seria Dadai na ptssoa do su afllbado, que
X R.ra'ia10-1 com elle mora, um sacrilegio,
mona de todos | j,foced!k 0 &r vjgarj0 ^ qujzer e ^ ,ne pa.
recer, porm fique cerlo de que a verdade hi de
nhou, e que somonte meu irmao Americo tinha urna
bengalinha lina, e eu um chapeo de sol do qual rne
nao serv, porque quasi sempre estivo fra do re-
cinto da igreja, onde nao pude penetrar por causa
das mulheres que me nao coosenliram o ingresso.
O corpo de delicio, que procedeu a autoridade,
dbeni a eonhecer a exageracaodo ptocedimento
do Sr. vigario ; porquanto. segundo o laudo dos
peritos, nao podia correr dessas duas formidaveis
cacetadas urna pinga de sangue 1 I
O quo nao obstou para o Sr. vigario considerar
o templo violado : de modo que era Trindade se
toca.
Se o negocio se passasso de modo que as duas
sipoadas, que em meus manos deu o Sr. Melchise-
ii j fossem retribuidas com ou'tras
(Do Pubhcador.)
Sls de Bristol.
As enfermidades esternss produzem muitas ve-
zes resultados terriveis, e se a massa viciosa do
sangue o qual a causa das mesmas, nao se pu-
riflea do sen veneno mediante o uso da salsapar-
rilha de Bristol (o absterslto -mais padaroso de
quantos se conhecem) os doentes nao s busca-
riam alivio em vao, mas slm tamhem transmil-
tiriam suas enfermidades a seus ios coma urna
heranca maldita. As paMoas de ambos os sexos
aoharo <>m iodos os periodos da vida, quo este
admiravel e encomparavel remedio'vegetal cura
d'uma maneira rpida e radicalmente as chagas,
erupcoes,oleoras, inflammacdes glandulares,rheu-
matlsmo e todas as mais molestias anlogas, in-
cluindo as affeccoes merciinaos que disuguram
eu contrahem as fecoes.
Aciar-se-ia a venda em todos os estabeleclmen-
tos pharmaceuticos do Brasil e era Peroambueo
por Bravo 3i C, e aors 4 Barboia.
MBTIMElITe DO MITO.
Con/inurtco das entradas no dia l*.
Rio do Janeiro13 das, sumaca hespaoholaflu-
la, de 294 toneladas, capitio Francisco Bertrn,
equipagem Ai, carga'vlnho; a Amorlm Irmao.
Boston69 das, barca americana Malina, de 679
toneladas, capitSo -Denhan, equipagem 22, carga
madeira ao mesmo capilo.
Yeio refrescar e seguio.para Buenos-Ayres.
Navios entrados no dia t.
Penedo7 dias, hiate hrasileiro Amelia, de 52 lo-
i eladas, capilo Antonio Jos U. Pinheiro, equi-
pagem 6, carga pedra de amolar e oulros gene-
ros ; ao mesmo capitao.
Pisaguay69 dias, barca ingleza Arcequipa, de
489 toneladas, oapilo George Whuler, equipa-
gem 16, carga lia e outros gneros ; ao mesmo
capitio.
Veto refrescar e seguio para Londres.
Novias sahidos no mesmo dia.
ParahybaBrigue iuglez Titania, capilo I. Tho-
inaz, en lastro. i
Rio de JaneiroBrigue brasileiro Beltzario, capi-
tao Manoel Marciana Fereira, carga differentes
gneros.
Observando.
Suspendeu do laraaro para Parahyba o brigue
ingloz Marzuka, capitao D. Hell, cora o mesmo las-
Iro que trouxe de Santos.
dem para Baha, galera ingleza Thtmhrli. capi-
lo A. Russell, com o mesmo lastro que trouxe de
S. Viceute.
MMEECIO.
pectivo prolessor execolem
artstica, que Ihos t'jca.
24
Dito ao Exm. presdeme da provincia. Constan-
do a jimia administrativa da Santa Casa de Mise-
ricordia dn Itecife, que os africanos livres de no-
nes Pedro e Theo oro, que se ausentaram do ser-
vico do hospital Pedro II existem na casa de deten-
$o, resolveu em sesiad de Itontem, que eu na
qualidado de seu orgo solicitasse de V. Exc. a
naqtiella festa a parte sendo ento commandanie do destacamento em
Bom-Jardim, impedio que empregasse essas terri-
veis armas contra seus inermes e pacillcos adver-
sarios polticos, que jnlgando ainda ser cidados,
procuravam exereer um dos mais importantes di-
reitos, que nos sao outorgados pelo nosso liberal e
sabio cdigo poltico ; obrigou ao delegado do ter-
mo de Limoeiro a parar, mo grado seu, diante do
t'rapio para contemplar e nao violentar, as anze
horas da noite, com suas mos tisnadas pela cor-
entrega dos mencionados africanos. Cumprindo a' rupeo poltica, o deposito sagrado dos votos de
deliberaco da junta rogo V Exc digne-se de I seus concidados; obston de algumasorleque-elle
expedir s convenientes ordens no sentido de ser | execntasse sens damnados intentos, pondo era pra-
effectuad.i a predita entrega. tica o proposito deliberado de violar a urna con-
Bilo ao mesmo.Tvnho a satisfaco de commu-! fiada a guarda de meu filho
nicar a V. Exc. que effecloou-se, no'dia 20 do cor- Procedendo assim, meu fllho tinha por certo
rente, a transferencia dos alienados para o respec- obrado fle accordo com a lei. Mas onde a lei t Ha Cncor[iM
! quasi dous nnnos o abuso da autoridade, desnatu- c "' Sf
rada pela podrido
Se o Sr. vigario, vendo urna vozera dentro de
sua igreja, para ella eulrasse, inquirisse do fado,;
dsse conselhos acertados, reurehendesse a quem
mereca, recommendasse o sonrimenla e o perdo:
nenhuma desordem se4eha dado.
O Sr. vigario subira altura desua missio
evanglica e obteria um grande iriumpho, porque
teria conseguido que se respeasse o templo do
Senhor.
Mas o Sr. vigario (apezar de Ihe dizer eu que I
nao sabia que barnlhe era aquello) scuidoude;
puohar a toda a uressa sua atilhada e sua prima, I
justamente a motora de tudo, e disse l comsigo
briguem seu goslo I
Dees qoe nao dorme castigou o indiferentismo rento ao armo at o praso de qottro mezes, n a dez
do seu levita, fazeado recahir a briga na pessoa
de sua familia I I
Anda vollarei sobre esta materia ; se a isso fr
eu Toreado, mostrarei como o *r. vigario, no iotui-
to -de bem servir a urna fac^o poltica, procura
dar vulto a esta questao, augmentando-Hw a gra-
vidade ; ento provarei, talvez, que j so machi-
nava insultar a minha familia ; quo o plano eslava
tivo hospicio oni Olinda, com a melhor ordem pos
sivel, e sem o menor ttesgosto ; cabendo-me accres-
sentar que sao digno de louvor o olllcial quecom-
mandnu a escolta que acompanlion aos referidos
alienados, pelo seu lelo, actividad', e prudencia, e
as pracas qte eompdeeram a mesma escolta pela
sobordinacfio cjue apresentaram.
de seus orgos, evadio-ihe o
imperio e ronbou-lhe o diadema !...............'
Em urna tal ordem de cousas o acto de meu II-'
Iho nao podia deixar de ser julgado um crime e
como cousequencia deste as portas de urna priso
fecharam-so sobre elle por espacp de 13 dias, sera
Goianninha do Ro-Grande do Norte, 5 de out -
bro de 1864.
Benjamn Constant Simmuttt.
(Do Progressista do Natal.)
Dito ao nesio. Accu.-o o recebimenlo do offl- j que ao menos fosse submetlido a conselho dein-!
elo que \". S. me dirigi com data de 15 do corren-. vestigacao I......
te, commmiicaiido-me ter naiiuella data assumido O lllm. e Exm. Sr. commandante das armas logo
o exercicio do cargo de chefe de polica desta pro- -que tnmon po-se de seu importante carero, sendo
?iilcia, e em respostH cabe me sciontiliear V. E\c. | informado deste escndalo, alias commum nesla
qne a junta administrativa da Sania Gasa de Mise-; poca, deu todas as providencias que o caso exi-
cordia do Recife a quem foi presente o citado offl- gia, e bontera fez com que triumphassea justica,
io de V. S., resolveu em ses.sao de hontem, que 'abrindo as portas da prisfto a meu filho e ordenan-
eu na qualidade de sen orgo assegurasse V. S do que fosse trancada a nota de sua phatttasiada
que pode contar com ella, nao s para o publico culpa.
servicp como tambera para o perticular de V. j Honra, pois, a esse distincto militar, a quera meu
S. Cumprindo a deliberaco da referida junta levo reconhecimento ser eterno e profundo.
o occorrido ao conheeimete de V. S, para que sir- Kecfe, 29 de oulubro de 1864.
va-se de aceitar os nossos sinceros offerecimen- ,^> ma'orBernardo Luiz Ferreira Cesar Loureiro.
tos. ________
Dito ao conego Marcellino Antonio Dornellas.- :rt m ..,,. nnn,^tn ,i_____
Nao devendo ficar em esquecimento os serviros ,** ^r* *e'iue- HanilMR e sna
por v. Rvma. prestados Sama Casa de Misericor-! nia_fi;estade o ref 'Leopoldo da
dia do Recife, pela sua valiosa coadjnvaio ao mo-'
PBLIOigOES i PEDIDO.
Nao vos atropelles, charos Renanistas, tradu-
i\ em epigrammns e sarcasmos, o vosso furor
contra quem nao segu o grandiloquo Renn.
Conliuuai com as vossas espirituosas tiradas, que
em temoo opporluno lereis o justo premio dos tos-
sos trabalbos.
0 cosmopolita.
NOVO BWCO
n
PERI%AHfBlJ0
EM 2DE?OVEMBRO DE 1864.
O banco descoma na presente semana a nove per
*or cento att o fle seis mezes, faz erapresthnos
sobre ttulos coairaerciaes, e saca sobre a praca
a Baha.
Alfaadega
Rendimento do di i ...........
32:9563974
Xi a vi meato da al laudes a
95
Consalado provincial.
dormo encarregado da obra do hospicio dos aliena-
dos oessa cidade, resolveu a junta administrativa
da mesma Santa Casa em wssie de hontem, que
eu na qualidade de seu orgo scientilicasse V.
Rvma. o quinto se acba ella peuhorada^mr occa-
*' 'fin. !'*"* 4 V. Hvi

(ir arenar 5* TO?01 Mrlll'cro^"
- para que se digne
agradec melos.
Dito aa inspector da the go ;'i V. S. que digne-se de expedir as necessarias
ordetts no sentido de ser paga por essa thesouraria
ao eommendador Jos Pires Ferreira, thesouroiro
desta Sania Casa de Misericordia d>> Recife, a im-
portancia do subsidio dos vinhos, arrecadada no
periodo decorrido de Janeiro junho do correte
anno.
Dito ao Dr. Hermogenes Scrates Tavares de
Vascmicellos.Tendo sido V. S. unanimimente
approvado pela junta administrativa em sessao de
hontem para irmao desta Sania Casa, assim o com-
mnnieo V. S. para sua setenen, e para que se
/ digne de responder-me, se qor ou nao fazer pane
desta irmandade, e no caso ifflrmativo declarar-me
qual a sua i,lado, naturalidade, oslado e filinco,
alim de que eu possa haver o respectivo termo,
depi is de saliafeitas as exigencias contidas nocom-
prnmisso em vigor, constante do exemplar, que
Incluso remello V. S. quem Deus guarde.
Diio soperiora do collegio das orphSas. De
conformidade com a deliberaco da junta adminis-
trativa da Santa Casa de Misericordia do Recife,
tomada em sessao de hontem, e em cumprimento
da< ordens do Exm. Sr. presidente da provincia,
sirva-se V. S. de receber nesse collegio as menores
constantes da inclusa relaco assignada pelo escri-
vo da mesma Saola Casa; devend" porm V. S.
antes da admisso das predilas menores exigir
Blgica.
Hoje deve ser apreciado pelo Ilustrado publico
d'esta cidatte o subMme flantista o Sr. Reichert.
Nao a primeira vez que o publico passa por de-
cepcoes, por aae sempre se engrandece o artista
lrar as suas liabililagoes, o d'ahi re-
-ifait ~ ii |.........." I'" *
w
Maraah3o.
Secretaria de polica do Maranho, 8 de setembro Rendimetododia2
de 1861.
lllm. o Exti. Sr.Em cumprimento,das ordens Hamburgo, 5 de oulubro de 861.
de V. Exc, conslanles do offlcio de 7 do correte,
segui hontem, acompanhado do amanuense da se-
cretaria desta repartigo, Ignacio Tofentfno Pra-
zo para a freguezia de Vinhaes, aonde chegando
as oito horas da manha, dirigi-me 'immedulamen-
le casa do Portnguez Joo Antonio Cor a do
Fras, aonde se achava o 1 juiz de paz JosiLndi-
do Lelo, o qual, pela sua extrema fraqueza'e pt-
eim
eseS annuncios pnm|ioso< e que nada do em re-
sultado.
O Sr. Reichert nao est n'este caso: podemos
asseverar ao respeiiavel publico d'esla capiial que
o Sr. Reicherl um ariis a de subido mrito, ese-
CUtor mimoso e delicado e de urna agilidade at
agora nao vista aqui : o Sr. Reichert nao um to
cador de quatro pedaoinhos de msica trabalhados
dia e noite, e que fra d'isso nada mais sabe : o
Reichert um msico de grande talento e de co-
nhecMentos profundos de sua arte : suas compo-
sigSes tornam-se notafeis pelo genero mteiramente
novo o especial ; alm de que sao caraclerisados
por um goslo quo as torna sublimes, sendo para
sentir que a mor parle dYllassejain de diliculdade
tal que s podem ser exemtadas pelo Sr. Reichert,
ou ouiro flautista de forca igual a d'elle, o que
nao lia de ser muito fcil encontrar.
Varias pessoas d'esla cidade tem jouvido a exe
cu^o mimosa e ao mesmo lempo viva do Sr. Rei-
chert, e una s nao tem deixado de ficar verda-
deramente pasmada de tamanha celebridade.
Estamos certos que aquellos que liverem de
apreciar esse novo genio musical, se convencerao
que ainda que quizesseraos nao podamos exagerar
seu merecimento.
Recife, 3 de novembro de 1864.
l*-tf-'vrT^ila*i-' f "'..... -" *-'-*-j e JVU
grave estado de s'de ; o que todava, segundo el-
le alTlancou-me, nao obstava a ir .presidir os tra-
.balhos eleitoraes, interrompidos hontem por oc-
casiao de se proceder a formaco da respectiva
mesa.
Fi/.-lhe ver o fim da minha commissao que era
empregar todos os meos particulares, meu alcan-
ce, para que elle, na organisaco da rae-a, bnm-
prisse com a lei, salisfazendo s ordens de V. Exc.
ex turadas em offlcios de 6 e 7 do enrenle; e que >
assim abnsse mo de querer constituir, como ten-
tou na vespera, urna mesa parochial a seu talante,
pre:erindo os legtimos membros deilaque se acha-
vam presentes, e reclamavam pela satisfaco dos
seus direitos: ao que aberlamente declarou-me
ipie de modo algum annuria a dar execuco or-
dem de S. Exc, por Ihe parecer Ilegal, e mesmo
porque quera urna mesa mteiramente sua, e que
de fado j a tinha!I
Baldadas todas as minhas Instancias ante urna
obslinaco que nao classilicarei, ompreguei a in-
fluencia de dous correligionarios desse homem, os
Srs. Jos Cesar Machado e Rodolto de S Corroa,
que tinham vindoda capital eque ali osencontrei,
atim de ver se o resolva a proceder regularmente,
coutrihuindo assim para esse estado moralisador
das nossas eleices de que esta capital nos tem l-
timamente dado ptimos exemplos. Tudo, porm,
foi intil, e ento s dez horas e meia segal com
o Io juiz de paz para a matriz.
Alienas oceupou este o topo da mesa, declarou
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife, precisa contratar 23 ser-
| ventes livres ou escravos para o servigo dos es-
tabelecimentos pios a seu cargo, sendo 13 para o
hospital Pedro t, 8 do sexo mascolino e 5 do fe-
menino ; dous para o hospital dos Lazaros ; tres
| para o hospicio de alienados, dous do sexo mas-
colino e urna flofeminino; dous para cada um
' dos collegios de orphaos e urna para a casa dos
xpostos.
As pessoas qoe estiverem nestas chromstan-
clas, ou que tenham escravos que os querara aln-
lar rompareeam rom suas propostas na sala das
sesi-Ses da mesma junta nj da 3 do prximo fu-
turo mez de novembro.
Secretaria Recife, 31 de oatubro do 1864.
O escrivo
F. A. Cavalcanie Cousseiro.
Secretaria da tanta Casa da Misericordia de
Recife.
A Tllma.jnnta administrativa da SaBlaCasade
Misericordia do Recife, manda fazer publico para
cenbecimenlo dos interessados que, a deslribuico
dos srs. mordomos que tem de servir no prximo
futuro mez de novembro foi feta r"la maneira se-
guinte :
Dr. Antonio Mara de Faria Neves para o hos-
pital Pedrs II; teuente-coronel Antouio Carlos de
Pinho Borges para o collegio dos orphaos e casa
dos expostos; continuando o -r. Antonio Jos
Gomes do Correio no hospital dos Lazaros, colle-
gio das orphas e hospicio de alienados.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recile 31 de oulubro de 1864.
O escrivo
F. A. Cavalcanie Coussoiro.
0 lllm. Sr. inspector da thesooraria provin
cial, m camprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 8 do cerrento, manda fazer
publico, que no da 10 de nevembro prximo vin
542^022 i douro, perante a junta da/fazenda da mesma ihe
I souraria se ha de arrematar a quem por menos fi
zer o cosleio da llluminayao publica da cidade do
RELATORK) COMMERCIAL. I io Formoso por tempc/deires annos, a contar do
Tambem na auiazena passada as iransacc.Vs' d Janeiro de 186K o fim de dezembro de ist.7,
nao foram de importancia, limitando-so ellas sim-! avahado o costera de cada lampeao em 291 res
plesm>mie ao sopprimento da precisao correte. Pr dia.
Caf. -Conlinuando o mercado muito tranquillo, As posnas que se propozereru a esta arramatacao
nao temos de notar alteraco nosprecos, e as co- compareeam na sala das =*ssoes da mesma junta
taces *o as mesmas no da cima mencionado pelo meio da, compelen-
luJui^::..?:: *i^^
como impode ainda qualquer iransaeco de maior' E para constar se mandou publicar o [iresente
vulto. pelo jornal.
Voiumes enlradoe coui faaendas...
com gneros...
VoluntessahMoe cora faxandan...
am gneros.
324
371
346
796
1,012
Desearregam no dia 3 de noveubro.
Barca francesaSanto Anire mercadorias.
Galera francezaSo//ermo-dem.
Brigue IuglezHunf/metlebacalba.
Escuna hanovorunaFredn-iclim ercadonas.
Brigue iogleeMiltcentsbacaRto.
Escuna htoanatnia'Yirg do mon Serrat^vlnhos.
-uraaca neapaalwUPaulaiuem.
Ilecebedorla de rendas interna.
geraea de Pernambaco.
Rendimento do da i............ 1 r072|036
nuo e diurno da trra ; descripeo da esliera
celeste medida do lempo verdadeiro, medio e
sideral latitudes e longitudes terretes.
Quaru : trabalhos de plantas perfis kmrta-
dinaas e transversaes ; dezenhos de cons.
Os examas para o lugar de pralicantes cowta-
rao de duas parte :
1.' Lragua nacional, abrangendo a escripia. 1.1
lura e analyse grammatical.
i.' Dezenho linear e de aquarella, aruhn Mira
em todas as soas operaces, e ayananiia lint ,r.
Os mames para o lugar de e?creveol, ron-u-
ro da leiiura e escripia, analjse graniasanrai.
arilhemeiica em todas as sane operaces.
Serio exammadorea ao anocurso do* rradur-
tores. O chefe da reparticao das obras pabiira*
dous enganheiros nomeados palo presideMe da
provincia.
No concurso dos praticantes e e.-rreveote pa-
ri examinadores pessoas ver.-adas nasaiairriis
d respectivo programa.
Depoisde concluidos os exames e feita a ata i-
fcago dos candidatos, segundo as babiliiagor, o
engenheiro em chefe, far urna exposigo a pre-
sidente da provincia, emiliindo o sru juizo-obre
o merecimento individual dos mesmos raadidaics.
ajuntando quaesquer consideragoes qoe drvam
influir em favor da idoneidade de rada nr
coneorrentes.
Est conforme.
O secretario nterin.
Manoel Loureneo de Maltes.
Pela snbdelegacia do Peres fjj ipi rchmdMr
um cavallo rugo, conjnnciamente oladro. qne aV
clarou o haver furtado as campias da estrila
nova do Cachang : imem for seu dono, c,ipare
ga, que provando Ihe *ra entregue.
Ojubde legada,
Alexandrino Marlins (orrea Barr Subdelegara da fregariia im Afspadaa.
Acha-se depositado um cavallo pedrez e mleiro,
o qual foi apprehendido por julgar-se furudo:
quera direito tiver ao mesmo, provando. Iba ara
entregue.O subdelegado,
Manoel )o da Silva Grillo.
Pela adminisfraco do correio desta ridide
so faz publico que boje (3) as 2 beras da larde.
fechar-se-hao as malas que o vapor Paran te*
de conduitt com destino aos portos Jo sol. lis
jornaes sero recebidos at ao meio dia, e as car-
tas admettidas seguro at 1 hora da tarde.
Arromatacn.
No dia 3 do correte, dopms da audieneu da
juiz de paz do 2o districio da Baa-visu, ana de
ser arrematodo o saguiote urna armag* de ta-
berna e balro, um brago de batanea d. Roaaao Ji
C.; bens estes qoe foram peahoradoa par exeru-
co que move Antoni Ignacio aVanao contra Xa-
noel Francisco de Paula.
(iuesiUdaile Pariaa!
Par ordem a leilo no da 3 do crreme a taberna da rea do
Rangel a, 21, partencente ao epo" do fallecido
subdito portoguez Agostinho da Silva Torres
Crrelo.
Pela administrago do correio de*ta cidade >e
faz publico, qne, hoje, 1 do correnle, s 3 hora
da larde em ponto, fechar-se-ho as malas aja* o
paquete nrasilerro de vapor Paran tem d* roa-
duzir para os portos do sol. Os jornaes sern re-
cebidos at urna hora, e asearlas admitudas a
segnro al a-s "2 horas.
Crrelo ge ral.
Relagao das cartas seguras viadas do norte
pelo vapor Paran para os senbores alano de-
clarados :
Dr. Antonio Jaosen de Mallos Per-ira. Ceri-
liauo Rodrigues dos Passa*, Francisco Ignacio
Pintq, Joaquim Solero de Oveira Lins. Jo Hen-
rque Cordeiro de Castro, Jos Rodrigar* le Sur
Leopoldo Cezar de Berrido, Dr. Loorenco Jos
de Figueiredo, Marganda Maria do Sarranvnir,
Rocha, Vicente Machado Freir IVreira da Silva.
TIIE4TK0
Na noite da dia 3 do crreme deu-se nesta villa
um fado que com quanto serio nao tem a gravida-
das pessoas que as acompanliarem a apresenlago I de que Ihe quer dar o Sr. vigario Manoel Ferreira que se achiva bastante incommodado, e que ia de-
da certido passada pelo mencionado esenvao, da [ Borges. i pressa casa, e voltaria breve : paseados uns vin-
qual consta que lica assignado o tormo de respon-! Pazia-se o mez doloroso, e minba mullier na te minutos, regressou, e oceupou a cadeira, sem
sahilidade alim de ser cumprida a disposigo do qualidado de zi ladora da irmandade da ^antissima | mostrar dispo.-igoes de proceder ao menos a le-
3- do art. 66 da lei provincial n. 596 de 13 de I Zahora das Dores concoma com os enfeites do i tura dos offlcios de V. Exc, como afinal J m'o ha-
tnaio d-j torrente auno. I sen altar, junto ao qual se postava o Sr. vigario, I va promettido de o fazer ; e ao pedir-lhe que pro-
Leocadia e J>a,quina, filhas de Umbelina Joaquina! quando se cantava o bemdito da enhora, que era cederse aquella leiiura, declarou-me que por es-
da Cosa e Mello. i lirado por urna sua prima conhecida por Con
Maria, filha de Antonia Maria Machado Freir. ceigo.
qnecimenlo havia deixado os offlcios em'casa, e
mesmo por aehar-se accommettido de novas cama
Francisca, filha de Anna Francisca Paes Barreto.! Nesse dia (o tnico) o Sr. vigario, logo que tirou ras de sangue, pedia licenga para voltar casa, e
NOVO BANCO RE PERNAMBUCO.
Balancclc do Novo Banco de Pernambuco em 31
oulubro de LSOJ.
ACTIVO-
Apoliccs da divida publica........
Esiraila de ferro de Pedro 11......
Es'rals de ferro da Baha........
o Senhor Deus, retrou-se para sna casa, e quando
! comegou o bemdito minha mulher tambem acom-
. panhon com sna voz a *ra. Conceigo, que leve a
708:6723481
144:0005000
131 74*306
delicadeza de manda-la calar
Concluido o acto religiosa minha mulher Ihe
pfrgunton a cansa por que a mandou calar em
publico, -e quando esperava receber urna resposta
delicada com a qnal se saiisfizesse, quando a ra.
Conceigo arrebatadamente ihe diz qne a mandou
Deposito......... 72:0005000 calar porque tinha para isso direito, eassim o faria
Joias depnsiladas...... 5:73I|M8 todas as vezes que ella lirasse o bemdito.
Titulos depositados......
Lelras depositadas......
Letras caucionadas.....
Le ras descontadas.....
Letras receber......
I.oirs protestadas .....
R>niH-a< ......
Banco da Rabia N/C ....
Jos Amonio de Figueiredc J-
nior de Rio de Janeiro.
Aluguel Oe casa......
Fornecimento.......
Premios de saques e remessas
Despezas geraes.......
Caixa..........................
de o esperar por mais
marchando de um
Nos ltimos quiue das venderara-se de 3 6
mil saccas de caf do Rio e Sanios a6V e 7 V,
sehiings.
Em setembro receberam-se 23,380 saccas de ca-
f do Brasil.
O prego do caf regular ordinario do Rio de
7 '/i e 7 'A sch.
Importage geral de caf de 1 de Janeiro
ao lim de setembro.
186068}4, milhoes de libras.
186177 i
186266
1863-71>i
1864S2X
Era ser em lins da setembro :
1860 8 milhoes de libras.
1861-18
1862-12X
186318X
1864 7X
Assucar O mercado contina mullo tranquillo, i
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de outubro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annuuciago.
Inspeceao do arsenal de nia-
rlnha.
De ordom do lllm. Sr. inspector fago publico que
este arsenal contrata bons carapinas para o seu
servigo e das obras do Porto.
s
EMPIEZA
(..W \ C0I1RRV
-rrft-e, tic u >ctnnr* r>f 1HM.
Epectaculo em beneficio
flaulista deS. M. o re dos
de M. A. I'.e.rri. n.
Retiras, dividido *
quatro partes e com a eoadhrrano dramtica. v
Primeini parte.
l. Primeiro arlo das-ecmdmy's da Jfcr-
dadepela companhia.
IoVariagoes brilhanle-: sobre urna aria avV
ma, compostas por Tb. Boetal a aMMtataj pr
M. A. Reichert, acompanhado ao piano palo dis-
tincto pianista o Sr. Innocencio Smoltz.
Se^uiidi parte.
1/Segundo aclo do drama.
.*Phanlasia sobre urna aria lyruliana, roa-
IspecgrdorTenalde'marinliade Pernambu- gfe.1'..*?* ^ '
co, 31 de outubro de 1864. COm ^"iwnhamenlo do Sr. Smoltz.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Conselho de compras navaes.
Promove o conselho no dia 5 de novembro pro-
e os pregos devem de novo ser notados 8 schlliinp' ximamenle vindouro a compra dos segantes ob
mais baixos, de maneira que a reduego havida at
fim de setembro chega a 1 marco banco e 8 schil-
lings.
Venderam-se nicamente 300 saceos, e 560 sac-
eos de assucar mascavo do Maranho.
lraportago geral de assucar at fins de
setembro.
186037 milhoes de libras.
186151
1862-47W .
1863-60
1864-38
Em ser em fins de setembro :
186012 railhoos de libras.
186115
1862- 8
186315 >
1864 9
Tabaco.As qualidades finas de tabaco brasilei-
ro sao bastante procuradas, ao mesmo lempo que
SrfJOOftNQ
1:0005000
4:897*710
636:9354502
3,992:349$4iU
FASSIVO.
Capital..........2,000:000*000
Emcircnla-
Emisso{ io..... 1,172:350*
(Em caixa.. 97:650*
----------'------1,270:000*100
Depsitos da direccao .... 72:000*000
C'iiMix urwwiesaiiiajAda.......... 251:134*857
Fundo de reserva......
Ttulos em caucan.....
Knowles & PeeVw, ( o LewavOi.)
Banco da Bahia S/C ....
Saques........................
Massas fallidas a cargo do Banco.
Dividendos........
Juros.............................
Uescn-otoe........................
que tivessem paciencia
algum tempo.
Ergue-se urna segunda vez,
modo, que demonstrava no meio das dores que as inferiores mer'ecem pouca attenga
sem duvida Ihe accoramettia a molestia, o enorme Venderam-se desse tabaco 600 balas e restam
sacrificio que expunha seus dias para salisfazer em ser 5,000.
aos planos dos amigos quem serve. Couros.Os eouros pesados achamse procura-
Durante esta segunda audiencia, o 2 jmz de paz, dos; de salgados o mercado flca bem sonido.
Francisco Joao da Costo e a quasi totalidade dos, Venderara-se 28 rail do Rio do Sul, e 292 da Ba-
cidados presentes, fazeodo-me ver que j eram li ia.
onze horas e mela: e que o Io juiz de paz so acha- Em ser cerca de 17 mil coures de Brasil.
/2:0.s/i Eu estova junto a porto principal da matriz, e va realmente doento, pretenderam dar comego aos Jacaranda.O Jacaranda fino muito procura-
ib:0!(o*4.IO,conheci que minha mulher faliava, mas nao pude trabalhos sob a presidencia daquelle 2 juiz. Op- do, e paga-se de 20 a25 marcos banco as 100 li-
14:8.10*000 saber com quem, o porque motivo, e era mesmo puz-me essa idea e esperei que o juiz de paz bras.
*:*w:229*:2 era possivel entre o sussurro onvir tudo quanto se regressasse. Passados mais de viole mraulos re- ] Em leilao venderam-se 190 mil libras do do Rio
>*" ^! d'.a' ,- gressou elle ainda mais abatido do mal, cam o ex-' 8% marcos, lermo medio, e 16 mil ditas da Ba-
~T. i- Marcnei para urna das portos lateraes, junto a cessoaque se eniregava; e sentado no topo da hia a 7 marcos.
a i >!!!*. I"*1 m,nh* n,ulner stova, nao sendo possivel meu mesa, declarou-rae que tinha perdido -os offlcios de As vendas particulares foram de 70 mil libras do
201:013*890! ingresse na igreja porque esta estova lilteralmente. V. Exc. 11 da Baha,
m ooiq cha' ,. Em face de to revollante procediraento, passei Em ser 1,300,000 libras.
ifln-fnV Nesse interim cnegou a porta onde eu estova o a declararlhe, que tendo sido baldados todos os Caca >.- O da Babia sera novidade e o do Para
; ptrjjuntou o que significava meios suasorios para resolv-lo a cumprir a h-i, eu venderam-se 600 volumes, apenas chegados a 6 3/i
nao podia com a minha presonga olllcial, saoccio- schillings.
Navios ehvgados do Brasil.
aquel le fallado, ceu Ihe respond que nao sabia.
O ^r. vigario procurou someme tirar urna sua nar tarnanho escndalo e desobediencia as ordens
afiltrana, e a >ra. Conceigo qno tinha provocado o da primeira autoridade da provincia, e passava a!
barulho reilrou-se immediatamente. levar tudo ao conhecimenlo de V. Exc, e iocon-
! Cessando a vazeria, e encontrando-me cam mi- tinente retrei-me para a casa aonde me achava
nha mulher perguntei-lhe o que havia, e comando-; abolelado.
me ella a historia, eu disse que a Sra. Conceigo I Apenas sahi da igreja ouvi grandes vozerias,
pela sua grossena digna se fazia de que ella a re em consequencia do que, ao voltar para ali en-
pelisse ; dispondo-rae para voltar para minha casa, conlrei-me no respectivo adro, com o juiz de
1 eis quando de repente apparece o Sr. Melchisederk i paz, que declarou-me achar-se cada vez ma is en
Gordo, afilhado do Sr. vigario, tendo mo urna commodado; eque tinha consciencia de haverpra-
chbala, e em tom todo amcagador grita que se a
Conceigo apanhasse, eu mioha familia tambem
aparcaramos, e a proporgo que isto dizia se
aproximava para mim : e meu mano Genuino que
113.447*600 presente estova se Ihe antepoz com o intuito de
94:512*984 prevenir arguma desordera, mas o >r. Melchisa-
13*270 deck Gordo desfeixou-lhe com toda a forga a chi-
13l:07!'.Vi !'> bata que a seu turno passeu para o poder de aieu
2:800*000 rnvhado Landeline, o qnal Ihe den immediatamen-
1:9U6*058 te sobre a cabega urna sipoada.
8:754*000 Meu irmao Antonio Tbemstocles Simonetls que
31*172 estava Tora do exerciro da subdelegada, por
... 46:577^843 achar-se doenle, appareceunesla occasiao, separou
, --------------- e conduzio Melchisedeck Gordo para a sachristia,
fiis. 3,992:349*419 restabelcendo de promplo a ordem ; porm Mel-
ticado mal, porm, que a isso era obrigrdo por cir-
cunstancias particulares.
Ao embarcar, ao meio dia, para esta capital, tive
communicagao do 2 juiz de paz, que por imped-1
ment do 1* havia tomado conta da presidencia da
neta parochial.* que os trabalhos da eleico cor-'
riam sem maior novidade.
De Santos James Hall, Etoile du Nord.
Da Baha Kale olms, Eluabeth.
D Rio de Janeiro Jane CargM.
De Maranho Harte JLouue.
Do Para Holstem.
Do Rio Grande do Sul FWoca, Isabel, Hillichi-
na Reina.
Parti nicamente.
Ventas para Pernambuco e Cear.
Nanos (retados para o Brasil.
Para Pernambuco Freiheit e Jacobut.
Para a Bahia Gesine.
Para Maranho Harte.
Para Santos Scften.
Para o Ro Grande do Snl Lornz, Waalwyk,
Delphim
ectos do material da armada
12 bandeiras nacionaes de 2 pannos, 145 nova-
dos de damasco verde de seda, 6 pegas de cabo de
linho de 1 polngada, 6 ditas de dito de 1 4f4 dita,
50 esgunchos, 6 escrivaninhas de metal, 3 arro-
bas de no de algodo, 6 livros mappas de 50 fo-
leta, 20 arrobas de malhar blanco, 100 pegas de
merlim, 1,000 libras de progos de zinco, 60 raspas
de ferro, 200 lijlos inglezes, 40 duzias de taboas
de amarello ou vinhatico, potomuj ou ararib de
5 poiegadas de grossura e nao menos de 35 ps de
comprlmento.
Promove o conselho a compra a vista de propos-
tas receidas no referido da at as H horas da
manha, e obrlgados os vendedores dos objectos
multa de 10 0|0 caso nao os entregoem de promp-
fo, bem como de 200|0 pela falla do sopprimenlo,
ou forem elles de m qualidade.
Sala do conselho de compras navaes 31 do ou-
tubro de 1864.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Repartigo das obras publicas.
De ordem do Sr. engenheiro chefe interino da
repartigo das obras publicas, se faz publico que
o concurso para o prehenchiniento das vagas de i
Terceira parte.
l.-Terceiro acto do drama.
2 "Introduego e vamedes brilnaniw sobre o
Carnaval de Vrneza. rompustas e ejecutadas por
M. Iteichert, com arompanhamenlo de piano.
Quarta parte.
1.*intimo aclo do drama.
-A Faceira polka de concert, composta e
executada pelo beneficiado, acompanhada peto Sr.
Smoltz. *^
Principiar s 8 horas.
O resto dos bilhetes acha-se a venda aa ma da
Aurora n. 44, Io andar.
____
Recita extraordinaria.
SABBAO, S DE NOVEMBRO DE 1864
l'EI.A I I.TIMA VEZ.
US
MRTIRES
PERSONAGENS.
Constancio, cesar do Occi-
dente ......
conductor ter lugar no dia 28 da novembro, s
10 horas da manha nesta secretaria, e o de pra- Scipio. patricio romano e
licantes e escrevenles no dia 29 do mesmo, senador
mez.
Os coneorrentes serSo argidos as materias
constantes do programma abaixo transcripto, ap-
provado pelo Exm. presidente da provincia.
Os requerimientos para inscripgao dos candida-
tos devero ser apresentados at o dia 25, e podc-
ro ser instruidos com quaesquer documentos, ou
Orosio, chefe dos christos,
octogenario.....
Gabriel, filho de Orosio. .
Dcio, grande sacerdote
Jupier.....
Lucifer......
Pluto, centuriao romano.
de
titulo scientitico que abonem a capacidade dos Polion, guarda dos carceres
mesmos candidatos. Isaac, judeu, escravo do Afra
Repartigo das obras publicas 26 de outubro de O archanjo.....
1864. \ Afra, corteza romana .
O secretario interino i Marlha, virgem christa. .
Manoel Lourengo de Mattos. A f.......
Progamma do concurso para conductores, prati- Enmenia, escrava de Afra
MftfM e escreventcs da reparticao das obras pn- Digna, dita.....
blicas. i Euprpia, dito.....
Os exames dos coneorrentes aos lugares de con-
ductor da repartigo das obras publicas sero an-
nunciados pelas folbas diarias, com antecedencia
de 30 dias.'
Os referidos exames conslarao de 4 parles:
1.' Elementos de mathematicas.
2.a Topographia e prati -a dos instrumentos.
3.a Elementos de astronoma.
4.a Dezenho linear e de aquarella.
A primeira parte abrange : toda a arithmetica;
algebra at equagdes do 2 grao, a urna s in-
cgnita ; geometra elementar, at avaliago dos
Luiz Demetria.
Combra.
Hermano.
Lisboa.
Pinto.
Borges.
Coima raes.
Sania Rosa.
Teixeira.
I). Antonia Reg
D. Antooina.
D. Camilla.
D. Mana da Silva.
D. Maria Ponte*.
D. Francisca Balbt na
N. N.
Senadores, litores, sacerdotes, sarrflradws.
aoruspices, virgens, centaroes, decenarios, solda-
dos, povo romano, povo chrMad.
A aeco passa-se na cidade de Angosto (boje
Aogs- ourgj, no anno de 303 da era cbrisla, sen-
do imperadores : Maximiano Hercules, no Oriente.
e Deocleciano, no Occidente, e cesares, no Oriente,
Galeno, e Constancio, no Occidente.
Todo o scenario novo e pintado pelo distincto
scenographo o Sr. Venen, e consta do seguate :
1.* acto. Lugar montanhoso e selvagem, bos-
que de cedros, grutas, que em lempo se iraasajr-
Devo, ao concluir, referir V. Exc. que,quanda' Para o Rio da Janeiro Schevan, Omoard, Ann vommes, com applicagao a cobago dos atierros e o
cheguei a igreja cora o 1 juiz de paz, este e ao & Ltzzy. Bruno & Marte, Esther & Sopan. eseavagSes; trgnomelria rectelinea. 2. acto Rica e suraptuosa habitaco de Afra.
chefe do partido contrario, ped que, para evitar; (.arabios. Segunda: levantamento de plantas; nivela-' 3." aclo. -Sitio ermo e agreste. Q templo Y
desorden*., e mesmo, para peder methor informar Sobre Londres, 3 m. d. 13 marcos 15 sch. ban- monto ; uso e discripgo dos diversos instrumen- Proserpina em ruinas formando a entrada daa ea-
a \. Exc. fizessem separar para cada um dos lados i co por S. tos, toes corto niveis, bossula, graphometro, plan- Incumbas, qoe em tempo, pela transformagao deixa
da igreja os seuseompartidarios respectivos: o que Prazo curto 13 marcos 4 Vi sch. dem. chota, thermometro, barmetro "e redagao de rea- ver o interior.
assim se fez e ento vi que os do lado esquerdo I Sobre Pars, 3 m. d. 193 3/4 francos por 100, torios, ou exposigo dos trabalhos execuiados. I 4.' aclo.O magnifico templo de Jpiter rom
da igreja, os amigos do Ia juiz de paz, eram ape-1 marcos banco. I Terceira : systema planetario ; movimento an- todos os seus accessorios, esta decorago digan
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO MUTILADOJlLEGVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQSWJX3IG_JMYAY9 INGEST_TIME 2013-08-27T21:53:21Z PACKAGE AA00011611_10508
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES