Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10502


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO XL. HOMERO 246
Por tres nezes adiantados 5JOUU
Par trw ueies vencidos 6J
Porte ao correio por tres mezes. 9750
ENCARREGADOS La bUBacRii-LAO NO NORiE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, Sr. Antonio Mames da Silva; Aracaty.o
Rr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marque^ Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr..Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUMCRPCAO NO SL.
Alagas, o Sr. Claudino FaMo Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
fiera Martins & Gasparino.
(taRI A ua Koi.^ftiA.
Onda, Cano e Escada todos os dias.
Ignarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bererros, Bonito, Caruar,
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Aiho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Hesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Caorob,
Boa Vista, Ouricury e Exu as quartas feiras.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros,Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
I!ha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao V di*.
EPHEMERIDES DO HEZ IE OTUBRO.
8 Quarto cresc. a 1 h., 17 m. e 30 s. da t.
15 La cheia as 4 h., 53 m. e 8 s. da m.
22 Quarto ming. as 8 h., 59 m. e 48 6. da m.
30 La nova a 1 h., 8 m. e 26 s. da t.
PRBAMAR DB BOJE.
Primeira as 11 boras 42 minutos da manbia.
Segunda as 12 boras 6 minutos da urde.
OARTA FEIRA 26 DE OTUBRO DE 18 4.
Por amo adantado.....i9|000
Porte ao correio por oh asno 3g000
tjuSLio* tO> VajORs '-OSilRO.;.
l o sul at Aiagas a 5 e 25; .;..-o norte at
***nJa a 7 e ti de cada me:; para Fernando nos
das. 14 dos mezes dejan. marc.,mao. jul. set. e nov.
partida do mnibus.
o ** Recife: d0 Apipucos as 6 Vx, 7, 7 >/,, 8 e
8 V* da m.; de Onda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 >/z da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recie: para o Apipucos as 3 /j. 4,4 /<, 4 Vi,
o, o >/j, 5 '/i e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da
tarie; para Cachang e Vanea s 4 /t da tarde;
para Bemfica s 4 da tarde.
A.UD.BNC DOS TRIBNAgS DA CAPrAL
Tribunal do conimercio: segundas quintas.
Relaco: tercas e -abbados s 10 horas.
Fazenda: quima- as 10 horas.
Juno do commercio: segundas s 11 horas.
Dito da orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do ci vei: tarcas Mitas ao meio
da.
Segunda vara do civel: (juanas sabbados a 1 hora
da tarde
UiS DA SIMONA.
24. Segunda. S. Raphael arrh.; S. Prodo a*.
25. Terca. S. Crispim e Cris|iiniano ir*, mm.
26. Qaria. Ss. Kvaris.io e Florio ron.
la 0"lnta. S. Elesbo imperador da Elhiopia.
28. Sexta. Ss. Simio e Judas Thadeo app.
2!. Sabbado. S. Eu-ehia ni.; a b. Remvinda.
30. Domingo. S Serapio c.; S. Vetorie n.
ASSIGNA-SB
no Recie, em a livraria da praca 4a Indepeoden-
cia ns. 8, dos proprietarios Manoel Proeiroa.
d Faria k Filho. *
PARTE uFFICIAL
G0VER>0 OA PROVINCIA.
Expediente do dia 22 de oulobro de 186-1.
ORicio ao coronel commandante das armas.
P lo V. S. mandar dar baixa ao cadete de 4 ba-
talhao de anilharia p, Trsto Franklin de Alen-
car, que assim o pede no reqtienmento incluso,
acceitando em seu lugar para finalisar o lempo
complementar de servico o paisano Antonio Luiz
de Mattos, que esti as condi;es do regulamento
de 28 de setembro de 1859, segundo V. S. declaro
em'sua nformaclo, n. 1,853, de 21 do crreme.
Dito ao mesmo.Informe V. S. sobre o que so-
licita o director do arsenal de guerra no incluso
ofll-io.
Dito ao mesmo.Expeca V. S suas ordens para
que as pracas do corpo de guarnicao do Cear, que
tem de regressar hoje para aquella provincia, vo
receber na reparlicao da polica aous criminosos
que o respectivo chefe tem de rernetter para alli
no vapor Persmunga. Lommunicou-se ao Dr. che-
fe de polica.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Recommendo V. S. que em vista da conta junta
em duplcala, que me remetteu o presidente do
conselho administrativo cora offlcio de hontem, sob
n. 73, e nao navendo inconveniente, mande pagar
Manoel Figueirda de Faria & Filho a quantia de...
13:15530, proveniente de annuncios, mandados pu-
blicar pr aquelle conselho no Diarto de Pernam-
baco, durante os mezes de julho setembro deste
anuo.Communicou-se ao presidente do conselho
administrativo.
Dito ao mesmo.A' vista de sua infrmelo n.
612 desla data, autorisn V. S. a mandar adiantarao
director da colonia militar de Pimenteiras, como
elle requisitou em ofhVio n. 15 de 18 deste mez, a
quantia de 2:100000, para occorrer ao pagamen-
tos das pracas deparadas na mesma colonia, at o
lim de dezembro prximo viudouro.Communicou-
se ao director da colonia.
Dito ao inspector da thesouraria provincial
Auloriso V. S., em vista de sua nformaclo de hon-
tem, sob n. 458, mandar pagar ao conductor da
repartigao das obras publicas, Flix Ramos Lieu-
tier, conforme solicltou o respectivo chefe interino,
em oflicio n. 262, de 28 de setembro ultimo, a
quantia de 494000, pelo mesmo conductor despen-
dida com a conducgo de instrumentos, na viagem
que fez villa de Pesqueira, para examinar o es-
tado da respectiva cadea, devendo e.-sa despeza ser
levada verba eventuaes volada pelo artigo
43 da lei do orcamento vigente.Communicou->e
ao engenheiro chefe interino da repartlco das
obras publicas.
Dito ao mesmo.Recommendo V. S. que man-
de por em hasta publica a obra da concluslo da
casa da cmara e cadeia da villa do Bonito, servin-
do de base a essa arremataco as clausulas e orca-
mento juntos por copia, na importancia de.......
8:3094000, que nesta data approvei e para esse ("un
vieram annexos ao ujfflcin que hontem me dirigi o
chefe interino <1a reparlicao das obras publicas, sob
n. 295. Communicou-se ao engenheiro chefe inte-
rino da reparlicao das obras publicas.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Em
resposta ao seu offlcio n. 765 de 21 do correte, te-
nho a declarar-lhe que deve V. S mandar fazer
com brevidade, os pequeos concertos qte forem
necessarios balicira da capitana do porto, aum
de que possa ella ir servindo at se construir urna
nova para substitu la.
Dito ao engenheiro chefe da reparlicao das obras
publicas. Fica approvado o contrato que Vine,
segundo o termo por copia annexo ao seu offlcio
n. 294 de 21 do corrente, celebrou com Bernardino
de Sena Henriques para executar a pintura e cala-
dora de que necessita o quartel do corpo de poli-
ca, pela quantia de 400$.Communicou-se the-
souraria provincial.
Dito ao empreiteiro Dr. Jos Mamede Alves Fer-
reira. Hespondendo ao ufficio que Vmc. me di-
rigi em 8 do corrente, tenho a dizer, que em vi.-ta
da nformaclo ministrada a esse resuelto pelo che-
fe inlerino da reparlicao das obras publicas em 20
deste mez, sob n. 293, s depois de determinada a
dir> celo, que deve lomar a estrada, do seu contra-
to, com o previo estudo da liuha, partir do perfil
77 da |>lanta, que acompannou ao seu citado offlcio,
at o lio B e d'ahi em diante, se poder conhecer
a conveniencia do plano da projectada ponte sobre
aquelle rio, visto que a linha, i or Vmc. indicada,
pode nao coincidir com a que se vai e udar, e se-
ren assim diversas as condlcoes do terreno para a
eollocaclo de tal ponte.
Entretanto contine Vmc. na execnclo dos tra- j
halhos da estrada at o perfil 77, cima indicado,
aguardando a resolucio que a presidencia houver
de lomar, logo que fodem os Irabali.os, que se
vao proceder. Communicou-se ao engenheiro
chefe da reparlicao das obras publicas remetiendo- j
se rpia deste offlcio.
Dito ao conselho administrativo.Remello ao|
conselho administrativo, para os ins convenientes,
a inclusa copia do termo de exame a que se pro-
cedeu nos medicamentos e mais objectos que o bo-
ticano Joaquim Maninho da Cruz Correa contratou
vender para a pharmacia do hospital militar.
Dito cmara municipal de Olinda.Em vi.-ta
do que ponderou-me o desembargador pruvedor da i
Sania Casa de Misericordia, em .tala de 26 de se-'
tembro ultimo, e da nfonpaco ministrada pela
cmara municipaKde ,0'.fnda em 20 do corrente,
recomiendo me na cmara que mande passar
gratuitamente / guias de enterramentos todas as
vezes que os cadveres forem de enfermos do hos-
pital de Misencurdia dessa cidade.Communicou-,
se ao desembargador provedor da Santa Casa de
Misericordia.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Ficam expedidas as convenientes orden, para se-
rein embarcados com a necessaria antecedencia j
no vapor que Vmc., segundo o seu offlcio de hon-'
tem, pretende mandar ao presidio de Fernando, no
dia 4 de novembro prximo vindouro, os offinaes,
pracas, sentenciados e objectos que as repartirles
publicas t'iwem de rernetter para o mesmo presi-
dio. Expediram-se as necessanas orden?.
Portara. -O presidente da provincia, tendo em
vista oque pnnderou o com mandan te. snpenor da
guarda nacional dos municipios do Rio Formoso e
Serinhem, em offlcio de 21 de setembro ultimo,
resolve privar do>po*tos deofflciaes do batalhao n.
42 de infantaria do segundo dos ditos municipios
por pstarem romprehendidos as disposcoes do
art. 65 da lei n. 602 de 19 de setembro de 1850, os
cidados seguintes :
1* companhia.
Alferes Joao Caroeiro Lins Barradas ; mudou-se
para fra da comarca sem hcenca.
3* companhia.
Tenente Alvaro Barhalho Cavalcante IVha ; nao
-oiici!ou a respectiva patete no praso da lei. !
Alferes Manoel Cavalcante de S Albuquerque ;
mudou-se para fra da comarca sem (cenca.
4* companhia.
Capillo Sebastilo de Reg Brrelo; mudou-se para
fra da comarca sem hcenca.
.5* companhia.
Tenente Pedro Cavalcante de Albuquerque Uchoa;
nao solicitou palate no praso da lei.
Alferes Thom Joaquim de Oliveira ; mudou para
fra da comarca sem licenca
Communicou-se ao respectivo commandante su-
perior
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta apresentada pelo tcnente-coro-
nel commaodanle do bitalho n. 42 de infantaria
da guarda nacional do municipio de Serinhem e
sobre que infor uou o respectivo coimnandaote su-
perior em offlcio de 3 do corrente, resolve promo-
ver offlciaes do mesmo batalhao, na forma do art.
48 da lei n. 602 de 19 de setembro de 1850, os ci-
dados abaixo declarados :
Eslado-maior.
Tenente quartel-mestre o alferes porta-bandeira
Manuel Joaquim dos Santos.
Tenente cirurgio o guarda Antonio Vieira de
Barros.
Alferes porta-bandeira o guarda Jos Manoel de
Souza.
i' companhia.
Alferes o guarda Joo Bautista Accioli Lins.
2* cumpauhia.
Tenente o alferes da mesma companhia Domingos
Tbeodoru Rigueira Pinto de Souza.
Alferes o guarda Francisco Cavalcante Accioli
Lins.
Dito o guarda Paulino Manoel de Souza Oli-
veira.
3' companhia.
Aleres o guarda Francisco Pacifico de Assis
Lobo.
4a companhia.
CapitSo o tenente da 1* Jos Wenceslao AiTonso
lligueira Pereira de Bastos.
Alferes o sargento Manoel Vicente Vieira.
5* companhia.
Tenente o alferes da 2* Emilio de Mendonca Vas-
concellos.
Alferes o guarda Marcelino Jos Ribeiro.
6a companhia.
Alferes o guarda Manoel da Rocha Cavalcante
Lins.
Communicou-se ao respectivo commandante su-
perior.
Dita.O presidente da provincia, resolve promo-
ver ao posto de alferes da 2* companhia do corpo
de polica o 1* sargento da 2* dita da sec$o urba-
na do mesmo corpo Amador de Araujo Pereira.-
Fizeram-se as necessarias ceminunicacfes.
Dita.O pre-idente da provincia, attendenda ao
que requereu o bacharel EMevo Benedicto Franca
resolve prorogar por tres mezes o praso que Ihe
fui concedido para apresentar a sua carta de juiz
municipal e de orpbus do termo de Villa Bella.
Dita. O presidente da provincia, tendo em vista
o que informaran) o commandante do corpo de po-
lica em offleio i). 4io de 17 do mez lindo, e o ins-
pector da thesouraria provincial em offlcio n. 455
de 20 do corrente, sobre o requerimento do alferes
do corpo de polica Joaquim Barbosa dos Res, que
em inspeccao de sade fui julgado inhabilitado para
continuar a servir, resolve aposenta-lo com os ven*
cimento.- proporconaes que Ihe competirem pelo
lempo de servico que ha prestado oe referido cor-
po, nos termos do art. 2 da lei provincial n. 276
de 7 de abril de 1851, combinado com o art. 3" da
lei n. Vif> de 26 de maio de 1858.Fizeram-se as
necessarias communicacoes.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana, mande dar transporte at Mar.ei, no vapor
Mumangunpe em lugar de r destinado a passagei-
ro de estado ao capito da guarda nacional Jos de
Souza Mureira.
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica desta da-
ta, resolve iiomear o 6 supplente ocapnoJos
Thomaz Goncalves do Rosario para o cargo de sub-
delegado do (Astricto de Santo Anto, Io da fregue-
za do mesmo nome.Communicou-se ao Dr. chefe
de polica.
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica, desla da-
ta, resolve nome;.r o capito Galdiuo Pereira de
Moraes para o cargo de delegado de polica do
termo de Flores.Communicuu-se ao Dr. chefe de
polica.
Expediente do secretario do governo.
Oflicio ao capito de mar eguerra Hermenegildo
Antonio Barbosa de Almeida.O Exm. Sr. presi
deule da provincia, manda communicar V. S em
resposta ao seu oflicio n. 764 de 20 do crreme,
que segundo partecipouo commandanie das armas
em offlcio de hontem, fui V. S. dispensado de ser-
vir como vogal uo conselho de guerra a que tem
de responder o coronel Antonio Gomes Leal.
Despachos do dia 22 de oulubro de 1S64.
Requerimento^.
Antonia Malaquias de Macedo Lima.D-se.
Antonio Aprigio da Cunta Maciel.Passe porta-
ra prorogando, mas sem vencimentos, por tres
mezes a licenca concedida ao .implicante.
Caetano de Oliveira Mello.Passe portara con-
cedendo a licenca que requer o supplicante.
Joo Antonio dos Santos. Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Alferes Joaquim Barbosa dos Reis.Passe por-
tara aposentando o supplicante de conformidade
com a le.
Maria da ConceiQo e Oliveira.Informe o Sr.
desembargador pruvedor da Santa Casa da Miseri-
cordia.
Manoel Jos de Mendonca.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Manoel Antonio da Porciunc.ula e outro.A .vis-
ta da informaco do Sr. inspector da thesouraria
de fazenda, nao pode ler lugar o que requer os
spplicanies, que poderlo recorrer ao governo im-
perial.
PERNAMRUCO.
R8VISTA DIAUA.
Acha-se aberta a inser ncao para os exames
de preparatorios da Faculdade de Diretto.
Estamos informados de que o concurso para
o preenchimento dos lugares de conductores da re-
parlicao das obras publicas, est fixadn para o da
28 de novembro, e o de p rali can tes e esc re ven tes
para o da 29.
O programma das materias o seguinte :
t Programma do concurso para conductores, pra-
ticantes e escreventes da reparliQo das otras
publicas.
Os exames dos concurrentes aos logares de
conductor da reparlicao das obras publicas, serlo
annunciados pelas folhas diarias com antecedencia
de 30 dias.
Os referidos exames constarlo de quatro par-
tes :
> 1.' Elementos de mathematicas.
t 2.* Topographia e pr tica dos instrumentos.
' 3.* Elementos de astronoma.
f 4.a Desenlio linear e de aquarella.
t A primeira parte ahrange : toda a aremelhi-
ca, algebra at equacoes do segundo grao, a urna
s incgnita, geometra elementar al a avaliacao'
dos voluntes, com applicaQo a cubacao dos atierros
e escavaces, trignometria rectelina.'
Segunda : levantamemo de plantas; nivela- .
meatos, uso e descripclo dos diversos instrumentos,'
taes como nevis, bussola. graphnmetro, plancheta,
thermometro, barmetro, redaccao de relatnos, ou
exposco dos trabalhos que forem executados.
< Terceira : systema planetario, movimento an-
nuo e diurno da trra, discripjo da e>phera celes-
te, medida de tempo verdadeiro, medio i sederal,
latitudes e longitudes terrestes.
Quarta : trabalhos de plantas, perfiz longitu-
dinaes e transversaes, desenhos de construccao.
Os exames para os lugares de praticantes cons-
tarlo de duas partes :
i Primeira : lingua nacional, abrangendo a es-
cripta, le i ara e analyse grammatcal.
Segunda : desenho linear e de aquarella,
anthmeiica em todas as suas operacoes e geome-
tra linear.
_ Os exames para o logar de escreventes cons-
tarlo de leitura e escripia, analyse grammatcal,
arithmeijca em todas s suas operacoes.
t Serlo examinadores no exame de conductores,
o chefe da reparlicao das obras publicas, e dous
engeuheiros nomeados pelo presidente da provin-
cia.
_ t No concurso para praticantes e escreventes se-
rlo examinadores pessoas versadas as materias
do respeclivo programma.
Depois de concluidos os exames, e feita a clas-
sificaeao dos candidatos, segundo as habillaces,
o engenheiro em chefe tara urna exposiclo ao pre-
sidente da provincia, emittindo o seu juizo sobre o
merecimento individual dos mesmos candidatos,
ajutando quaesquer consideracoes que devam in-
fluir em favor da Idoneidade de cada um dos con-
currentes. >
Damos em seguida os trabalhos preliminares
da observadlo astronmica do eclipse de 30 do
corrente:
PABA O ECLIPSA DO SOL DE 30 DE OTUBRO
DE 1864, NO OBSERVATORIO DO ARSENAL.
SJM .. 3-
CJCC0C!*-lO<
O03caeo93ooooi ui) u'a'a ii a a'u u
3
s
3

o o.
3
O
J c en .-4 :n
O co t* y u -i ^>Vi
-- y 14 c -j -4 i* x
U 14 li 14 rl 14 H II l Ni
'*" o>*.toiojeooo
J" 30 o jst t < 5f tD o
*-!-"*-e o> cx>
11
'i
- e>
a. ~
c
oooo.oso9e *
00. .-.^.
4 -- i; ^i x \3 i
_ u= zr> 14 -s v m 3 5o .
ti^too.eiiso'iej
3.ST
>
O o ISeI
Ia* x^
91 i^ i" y SS SS 9 i" S en en en ot v: en en 5e ci M S og.S
(4 14 l 14 14 14 14 14 IJ 14 oo -j _~j a, en en et en ^ . s tfi V 3 3
--i4s-iri40 ce o Cltt^OlOW-JOM-J
^-1 ^-1 "-I --1 -I -1 -I -1
I >
encocaenoiooenoej
^- -: 14 ,4 -- ,4 ^: ^: c -l
O ^- jaip. ai I
ene uukox- I
~: 14 '- O >4 Z.: CT Z^ C^ 14
lK"^CO-JC-*iaO.^-JCJ
if>--ine.-:n) *-
c-. -_ x -.- -1.-- 14 -^ .
oob'o'obb'o'a
c
i
o
a
I =
y.
o
ai
>
O
>
Jec49e 3-
COSUOMOtU-UO
aoxioosoccsoasaiaoao *
rfs-*-i*.i^*.*J-CjeJi4-"4-
jM_eo oo u eo eo i i i j w
UUUU' eo ic o"io"io
vi p
< 3 O
Si S
2 3
>4 14 14 14 14 14 14 14 14 14
GC ^I -J ^J ^4 ^4 ^, ^4 ^| ,
eme-ioi*. en
^J oooci-scj
* en en Sjtvt
C^ .14 14 O- !-I.C*-MtO
be c: ce j'ce
i
S
(!)
3 C

- 14 14 14 ,J (4 14 l( MP .
~j ce
S-CTCI4I4 1--U:
_ U jP M V p >! ^> fi
M'bo Ve "s incoeso
lin
e>~ienen*"coijcocoi
! I |-
?4>l414j4l4l4t4l4l4 14
--1^1 ^.1^1 -1^1 ^1*1 ^1^1
t; ^ ^ ^ ^ 14 14 14 14 14
ti ^- w c -^ x x; cr.
eoienuteniu
j-i i**j iJ._^i i cr. ^i 14
cooo -le** ij'coboV**
CO ^1 14 -Z. I C-. 14 ^- 14
B
C
V
8
OS
i 2
3 tt
r1
O
C"
oooooo *
14 14 14 14 14 14^^^ ,
toiyoi*ii*>coc;iw
O 14 C. -.! ^ i; C '1 -
2 K
2 S
14 f
_ a. "
2. 8
m
a. 11
: : : ; # f Vi %
... \ i - a S" 3
. . g S ?
. : : : ; t* t O (A a o. 3 1
. . o> s
Dos elementos qne mostram as dnas tabellas de-
duzi com sufflcente approximacao as horas dos
dous rontactos exteriores do eclipse do sn| no dia
cima indicado, nicos qne podem ser observados
nesta localldade onde o eclipse parcial. O pri-
meiro contacto exterior ou o principio do eclipse
deve ter lugar aos 47 minutos depois do meio dia,
e o ultimo contacto exieriorouo fim do eclipse deve
ser s 3h 24-
A maior phase do eclipse ou o seu mximo deve
ter logar s 2ti 06-
Nesse momento se achara eclipsada a '/a do dis-
co do sol, donde se conclue que o eclipse apresen-
tara aqu apenas a grandeza de quatro dgitos ou
V12 do dimetro do astro eclipsado, que nesse dia
-321 to-,6.
Os elementos de que fazem menejio as tabellas
foram calculados pelas formulas indicadas no ap-
pendice da navegaclo do Nathamel Bowdich, ser-
vindo-me das ephemendes do correte anuo publi-
cadas pelo observatorio de Gw. A posicao treoera-
phca do observatorio do arsenal, cora a qual entrei
no calculo dos elementos foi:
Latitude-8 03" 40" sul, longitude-34 52' 10"
oe>te de Gw.
A observaclo do eclipse do sol de 30 de oulubro
tem por lim a verificarlo da longitude do observa-
torio da arsenal de marinha, a qual aprsenla di-
vergencias nos resultados que tem sido obtidos por
diferentes observadores.
A coramisso que foi nomeada para demarcar
os lmeles do Imperio com a repblica do Per
achou que a longitude do observatorio 34 46'
57",6; sendo a que estava inscripta no obsrvalo
rio 34 32' iu". A longitude que deu a com-
mssao foi demonstrada em urna memoria scienti-
fica offerecida pelo Sr. capito leneute Jos da
Costa Azevedo, ao Sr. capto de mar e guerra
Hermenegildo Antonio Barbosa de Almeida, em
20 de margo de 1862.
A longlude que deu para o observatorio o Sr.
Dr. Emmanuel Liis distincto astrnomo do obser-.
vatorio de Pars e que esteve em commisso nesta
proviuci em 1860 34 45' 22",8; resultado
de suas observaces e depois de ter tido o enfa-
donho irabalho de rorrigir as taboas da la, que
se achavain inexactas conforme revelou a obser-
vaclo do eclipse total do sol em 7 de setembro de
1858 feita em Paranagu pela commisslo presidi-
da pelo Exm. Sr. conselheiro Candido Baptista de
Oliveira.
Finalmente, a longitude achada por S. Exc. o
Sr. conselheiro chefe de esquadra Joaquim Jos
Ignacio -34 54'.
Esta longitude o resultado das observaces
feita per S. Exc. quando commandou o brigue
C''miaen.
A observaclo pois do prximo eclipse de 30 de
outuhro dar muita luz sobre esta questo, impor-
tante sem duvida, qur se encare pelo lado geogra-
phico, qur |>elo que ioteres>a hydrographia.
Arsenal de marinha de Pernambuco, 25 de ou-
lubro de 186 i.
Joao Soares Pinto.
Capito lenle.
A cmara municipal desta cidade convida
aos respectivos moradores illuminarem suas ba-
bitacoes no da e nos dous subsecuentes ao em que
chegar a noticia do consorcio de sua alteza impe-
rial a Sr.* D. Isabel, como um testemunbo de rego-
sijo por to fausto motivo.
Parlo/que interessa directamente a toda a familia
brasileira, es habitantes desla cidade nao deixaro
de eorri-spon er a esse appello da sua municipali-
dade, Jor que elle traduz os sentimentos que os
aoimfm.
Umanhaa reune-se o Instituto Archeologico e
Gcogrwphico Peinambucano em sessao ordinaria.
Depois d'amanhla se extrahir a primeira
parte da primeira lotera, da matriz de Flores (113*)
sendo o maior premio 6:000000.
Movimento da casa de delencao do da 24 de
outuhro de 1864.
Exisliam....... 350 presos.
Knt rara ni...... 6 >
Sahirain ..... 7
Existem....... 349
A saber :
Nacionaes..... 884
Muflieres...... 15
Eslrangeiros... 4
Eslrangeiras... 3
Escravos...... 39
Escravas...... 4
349
Alimentados a custa dos cofres provinciaes 136
Movimento da enfermara no da 25 de oulubro
de 1864.
Te ve baixa :
Antonio Lopes de Azevedo, syphilis.
Teve alta :
Jos Ignacio dos Santos.
Passageiros de vapor Mamanguape, sahido
para os porlos do sul :
Capillo Jos de Souza Moreira, Candido Alves
Machado, Francisco de Souza Machado, Antonio da
Rocha Accioly Lins, Antonio Francisco de Carva-
Iho, Fortnalo da Rocha Silva, Jlo Diogo de Mello,
Jlo Belisario Rolim, Julio dos Santos Pereira, sua
senhora e 1 criada, Flix Pereira de Souza, Aristeo
Saraiva de Carvalho Neyva, Manoel Jos de Faria.
Passageiros da barca brasilera Bebedouro,
entrado de Lisboa :
Jlo Diogo de Mello e sua familia, Maria Luiza
Pamplona.
Obituario do cbmitrrio publico no da 23 dk
outubiio de 18864.
Francelino, Pernambuco, 5 mezes, Sao Jos, desin-
teria.
24
Maria da Purificacao Francisca de Paula, Pernam-
buco, 23 annos, soulteira, Slo Jos, palpitadlo do
coracao.
Clementino Ferreira de Carvalho, Portugal, 28 an-
nos, solteiro, Boa-Vista, luberculo pulmonar.
Prvulo encontrado na porta da igreja da Penha, 2
dias, Sao Jos.
Manoel, Pernambuco, 21 mezes, Becife, eonvulsSes.
Fabo, Pernambuco, 7 mezes, Boa-Visla, urna en-
cephalle.
Jos Carneiro, frica, 85 annos, solleiro, Boa-Vista,
hydrpesia.
Braz, escravo, Pernambuco, 24 annos, solteiro, Boa-
Visia, anemia.
Pedro, Pernambuco, 4 annos, Slo Jos, varila.
Vicencia, escrava, 2 annos, Santo Amonio, Asihma.
Maria da Paz Almeida, Pernambuco, 48 annos, viu-
va, Slo Jas, paralysia.
TBIBIWL BO CO TI JIEIU IO.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRA-
TIVA DE 24 DE OTUBRO DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERBTTI.
s 10 horas da manhla, estando reunidos os Srs.
depulados Lemos, Rosa, C. Alcoforadn e supplente
Basio, e presente o Sr. desembargador riscal, o
Exm. Sr. presidente declarou aberta a sesslo ao
toque da campainha.
Lida, foi approvada a acta da antecedente.
EXPEDIENTE.
Fei presente a cotaclo offlcal da junta dos cor-
retores, relativa semana Anda, a qual se maudou
dar o competente destino.
DESPACHOS.
No requerimento de Innocencio Antunes de Fa-
rias Torres, offWal escripturario da secretaria, pe-
dindo qne o offlcial-maior da mesma atteste sob a
t do seu emprego, se o mesmo Innocencio tendo
dado urna s falta no corrente anno, fra esta abo-
nada ; e se, enmparerendo diariamente secreta-
ria al o dia 17 desle mez, o fizera de forma que
rauito antes de comecar o expediente nella se
achava, e da mesma se nao retirava sem que esti-
vesse lindo dito expediente :Como pede.
N'outro de mesmo, servindo merinamente de
escrlvo de appellaces, aggravos e protestos de
letras, pedindo que o tribunal atteste qual a manei-
ra porque desempenhou o seu emprego, e o cargo
de escrivlo nos processos administrativos de mo-
ratoria e rehabililaeio d.- fallido, intentados peran-
te o mesmo tribunal :Tem desempenhado satis-
factoriamente.
N'outro do mesmo, pedindo que se Ihe certifique
se foi elle o empregado que funecionou como escri-
vo no primeiro processo de rehal.ililaeo interna-
da perante o mesmo tribunal:Como requer.
No de Antonio de Souza Pavolide, j iuformado
pelo Sr desembargador fiscal, pedindo ser admilti-
do matricula :Matriclese.
No de Jos Lopes Davim e Antonio Bezerra Ca-
valcante, pedindo que seja registrado o seu contra-
to social, visto pelo Sr. desembargador flseal :
Resistre-se.
Deliberou o tribunal que se mencionem as ac-
tas os livros Diario e Copiador que forem distri-
buidos as sesses respectivas ; e que se publique
urna relaco daquelles que tem sido distribuidos,
contar do i de junho prximo passado, com de-
claradlo dos nomes das pessoas a quem perten-
cem.
Foram distribuidos dous livros para serem ru-
bricados pelos senhores depulados, sendo um para
Diario da casa commeriil de Antonio de Almeida
Gomes, e outro para copiador da casa coramercial
de Bento de Fre tas Cumiarlas.
Nada mais houve.
SESSAO JUDICIARIA EM 24 DE OTUBRO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As I!'j horas damanha, o Exm. Sr. presidente
abri a sesslo estando reunidos os Srs. desembar-
gados Reis e Silva, Silva Guimaraes, e Accioli e
os Srs. depulados Lemos, Rosa, Candido Alcofo-
rado, e supplente Basto.
Lida, foi approvada a acta da sesslo antece-
dente.
Assignou-se o accordlo proferido na ultima
sessao, enlre partes :
Appellante, appellado Jlo Antonio Goncal-
ves ; appellantes appellados os administradores da
massa fallida de Antonio Carneiro Pinto.
O Exm. Sr. presidente por portara de hoje or-
denou que o escrivlo effectivo de appellaces e ag-
gravos e o interino, inlormem com urgencia se j
esta Ando o inventario que mandnu proceder, dos
feitos que existiam no cartono, qne foi do falleci-
do serventuano Guilhermno de Albuquerque Mar-
tins Pereira, enviando o prmeiro urna copla desse
inv. otario, se j esliver Ando, sendo essa copia as-
signada por ambos, e declarando ambos no caso
de nlo estar Ando o inventario em queslao, qual c
molivo de assirn acontecer, urna vez que nio de-
vem ser numerosos ns feitos daquelle cartorio, e
nao ha difflculdade alguma em classilica-los, sendo
esta elassieaco apenas feita pelos annes.
O mesmo Exm. Sr. nesla mesma data dirigi
urna outra portara aos supraditos escrives de ap-
pellaces, aggravos e protestos de letras, exgndo
que Ihe declarem se se ronservam nos seus cari-
nos at s 6 horas da larde, islo lodo o lempo
em que podem ser feitos os protestos vista do
artigo 381 do rrgulamenlo n 737 com referencia
ao artigo 407 do cdigo commercial.
JULGAMENTOS.
Appellante, Antonio Jos de Azevedo ; appella-
do, Joao Henrique Denker.
Adiado na ses>o de 17 do corrente.
Desprezarani-se os embargos.
Appellante, Jos Soares Leite da Costa; appel-
lado, Antonio Ferreira da Silva Maa.
Adiado o julgamenlo requerimento de um dos
Srs. depulados.
Appellantes, Taso Irmaos ; appellados, Ma-
noel Jos Salgado Couto e Francisco Luiz Sal-
gado.
Adiado o julgamento requerimento de um dos
Srs. depulados.
Appellantes, Tasso Irmao; appellados, Fran-
cisco Luiz Salgado e outro.
Adiado o julgamento requerimento de um dos
Srs. depulados.
PASSAGENS.
Appellantes, Guimaraes & Bastos ; appellados,
os curadores lisca.s da massa fallida de Amorim,
Fragoso, Sanios & C.
Appellante. Joaquim Juvencio da Silva; appella-
dos, os curadores liscaes da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & i'.,
Appellante, Francisco Gomes de Oliveira ; ap-
pellados, os administradores da massa fallida de
Seve, Pililos & C.
Appellanles, os curadores flseaes da massa falli-
da da viuva Amorim & Filhos e Thomaz de Faria
appellado, Antonio Rodrigues Fernandes Vieira.
Appnllanles, Guimaraes & Oliveira : appellados,
o presidente e directores da caxa filial do Banco
do Brasil nesta cidade.
Appellante, Francisco Antonio de Brito ; appel-
lado, David William Bowman.
Appellantes, Santos Caminha tarios da massa de Caminha Francisco da Rocha Passos Lins-
Appellante, Jos Joaquim da Silva Gomes ; ap-
pellado, Jos Das da Silva.
Appellantes, o presidente e directores da calxa
filial do Banco do Brasil; appellados, Manoel Jos
de S Araujo e os curadores de sua fallencia.
Appellante, Antonio Joaquim de Mello; appella-
dt s, Manoel Joaquim Baplisla e D. Joauna Maria
das Dores.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr'
desembardor Accioli.
Appellante, Manoel Goncalves da Silva ; appel-
lados, os curadores flseaes da fallencia de Amorim
Fragoso Santos & C.
Appellantes, Novaos & Lima ; appellado, Fran-
cisco Soares Retumba.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Reis e Silva.
Appellante, enlo Jos da Costa ; appellado, Joo
Frederico de Abreu Reg
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. desem-
bargador Silva Guimaraes.
DISTMBCigES.
Appellante, Thomaz Teixeira Bastos ; appella-
dos, os administradores da massa fallida de Joa-
quim Jos Silveira.
Appellantes, os administradores da fallencia de
Ha-tos & Lemos ; appellado, Jesuino Machado Ma-
Iheiros Braga.
Appellante, Bernardino Jos de Carvalho; ap-
pellados. Seixas & Azevedo.
Ao Sr. desembargador Accioli.
Appellante Jos Duarte das Neves ; appellado,
Jos Baptista da Fonseca Jnior.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Bastos & Lemos; appellados. Coimbra & Ri-
vault.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santo & C.; appellado, Dr.
Gabriel Soares Raposo da Cmara.
Ao Sr. desembargador Reis e Silva
Appellaates, os curadores flseaes da [alle:u Amo'im, Fragoso, Santos A C. appellados, Luiz
Jo- Rodrigues de Souza e Rodrigues & Ribeiro.
Appellante, Vicente Alves Machado ; appvUados.
Prente Vianna C.
AoSr. desembargador Silva Guimaraes.
Sendo presente ao Exm. Sr. presidente a infor-
maco dos e-crivaes de appellaces, airgravos e
protestos de letras, dada em virlude da porua de
hoje, mencionada no principio de>ia acia, ordenou
o mesmo Exm. Sr. que nlo procedendo os motivos
allegados pelos dilos escrives, procedes-em erfes,
quanio antes, ao inventario de que trata a portara
de 17 do corrente.
Nada mais havemlo a tratar, o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a esso a 1 4 horada tarde.
COMMiVICADOS.
O ex-secretario da reparlicao da nslrorclo pu-
blica, o Sr. major Salvador Henrique de Albuquer-
que, looge de se defender, aecusa se na correspon-
dencia publicada ho e. Assim.
De.KConhe.ee o dever, que Ihe corra no exerctck
daquelle cargo, de ter em boa ordem, e guarda to-
do o servico da reparlicao, que eslava inunediala-
mente ronliado aos >eus cuidados, lanca aquelle
dever a conta do porleiro, a quem compete smea-
te pro ver ao asseio dos movis e utencilios, abrir
e fechar a sala da secretaria.
Confessa que Ihe conslava que o porleiro reved-
lava os segredos da repartirn, dava os pontos a
aLuus candidatos, e venda exempiares do Iris
classico, e nunca me deu disto a mais ligeira noti-
cia, como Ihe cumpria.
Contradiz-se aitribuindo-me leveza no pedido de
sua exoneradlo, quando se arhavam em meo po-
der as provas malvriaes da divulgaco do- poolos,
provas, que se harmonisavain com ns avisto, que
eu ha va receblo, e julga que eusou digiKr de (te-
missao, por nao ter mais temi solicitado a sea
respeito aquella providencia, quando certo, oue
ao tempo, a que se refere, apenas tinha eu avisos
sem provas.
Attribue vinganca o acto que praliquei. e nao
se anima a especificar a nalureza ou motivo dessa
vinganca.
Levanta a sospeila de que alguem me impez o
pedido de sua exoneraco para arranjo de outro
em seu lugar, e nlo se atreve e nunca se atrever
I a declarar o nome da pessoa que me fez essa im-
| posicao, e o daquella, a quem se linha em visU
proteger.
| Julga-se virlima do bom desempenho de seusde-
veres as deliberaQes tomadas na ultima sessao
; do conselho director, a que assistio, e das n-rtas
escripias pelo seu proprio punho se v que o sea
vol nlo divergi urna s vez do meu. i Documen-
to abaixo iraiiM-ripto.i
Finalmente parece querer Armar a sua justinca-
cao no silencio dos candidatos ao proessoraio,
quando certo que a declaradlo em sentido con-
trario ao Sr. ex secretario impruria a cooosso
de um crime, e que essa conrissao tornara passi-
j veis das penas do cdigo criminal os Inividnos
. que lal flzessem.
1 Na meu inlento aggravar a sorle do Sr. major
Salvador, e ainda meuos defenderme. A minha
inlencao. solicitando a sua demissao, esl clara-
mente rerellada no oflicio, que dirig ao Exm. Sr.
presidente, e que o Sr. major publicou hojea ella
me aleono.
O juizo do Sr. major nao pode abalar o conceilo,
; em que son lido vista do meu procedimeoto nos
cargos ptiblcos, que lenho exercido.
Quando fossein estreitas as relarnes entre mim e
0 Sr. major Salvador, o que nlo' muito exacto,
ainda assim, lod is sabem que as affeiyoVs |>e-oaes
por mais profundas, que possam ser, jamis me
demoveriam do cum|inmenlo exactissiuio ao mea
dever.
Para mim a individoalidade psuco vale em pre-
senta do interesse grande da sociedadr, o qual
nao deixarei nunca correr os azares da sorle, en
quanto me for dado defende-lo.
Quanto ao commiinicado publicado hoje por um
individuo, cujo nome, para nlo desgostar o publi-
co, di ixo de exarar aqu, nada tenho que dizer.
Por esse individuo eu nlo t*nho nem ndi. neiu
desprezn, nem asee : ainas nutro a seu re-peito
esse sentiuiento de desgosio, que nao se explica,
masque nasce vista de um ser de forma ha-
mana, de quem nao se pode fazer a conveniente
classiAca^lo moral.
O co que ladra ao relento da noite, e os vermes
que se revolvem hediondamente no escuro das seo-
tinas causam tanto abalo a face placida da la, e
as noven- brancas do cu, quanto a mim a alga-
ra va, que faz objecto do referido commumeado.
Recite, 25 de oulubro de 1864.
Sitvino Caralcanti de Albuquerqne
DOCUMENTO.
i Em cumprimento da portara do Sr. director
geral da instru-cao publica de hoje datada, rerti-
; fleo que pelo ex-secretario major Salvador llenri-
, que de Albuquerque me foi entregue urna nota por
I elle e-cripta, dos trabalhos da ses-o n. 110 de 7
de oulubro corrente, declarando nlo te-la anda
1 lavrado, mas serem os apontamenlos, aqutdles do
| que se traiou nessa sessao. E segundo essa nota
! foi presidida essa sessao pelo Sr. direcior geral,
presente- os Srs. regedor interino do gymnasio,
Dr. Soares de Azevedo e Torres Randeira ; tro-
fe.-.-ores Castro Nones, e Albuquerque ; que lida e
! approvada a acta anterior, foi tido uro requeri-
mento lo professor publico Jos francisco de Sou-
za, pedindo ser jubilad na forma da le: noenea-
| dos os Srs. Soares de Azevedo e Torres Bandeira
! para a respeito danm parecer : que, igualmente
| foi lido outro do professor de Bom Jardim Torqna-
| to Laureuiiuo Ferreira de Mello, pedindo remoclo
i para Nos.-a Senhora do O' de Ipojuca, dmidiodo o
I conselho sem discrepancia de v<-to, que o petirio-
! naro juntasse mais dous allestadus mdicos e in-
foruiacao do delegado I literario respectivo : dehbe-
' raodo a proposito deste requerimento que as pro-
vas do 2* quesito da deliberacao tomada em sessao
de 20 de julho desie anno, deviam i-on-l ir, quando
possivel, do juizo de ir's facultativos, a m das jq.
(oroiacoes das autoridades do lugar e do delegado
luterano respetivo. O Sr. director noinnxi aos
Srs. Torres Bandeira, Soares de Azevedo e Dr.
Aprigio |>ara darem parecer sobre o regiment io-
terno da escola Normal desta provincia, e em se-
guida o mesmo Sr. director conolioo ao conselho
relativamente a intelligencia do art. 21 da lei pro-
vincial o. 598 do corrente anno em relaco as ha-
billaces que se deve exigir dos candidatos ao
profe.-sorato, decidindo o conselho deverem veitar
as habillaces as materias indicadas no art. 5*
102 da citada lei n. 598, declarando a nv-.-roa
nota ter o Dr. Torres Bandeira votado contra e-ta
deliberadlo |Hir parecer-lhc resultar delle perma-
nencia de di-tiocclo de graos. E lendo sido a ac-
ta lavrada conforme esses apontameutos ou ras-
cunho foi approvada sem reclamacan, na sessao do
conselho n. 111, que teve lugar a 22 do corrente.
E' o que certifico vista da mesma nota, e por ser
verdade, dou fe.
a Secretaria da insirucQao publica de Pernambu-
co, 23 de oulubro de 1864.O secretario. /*>
Diniz Ribeiro da Cunha. >
MUTILADO


Diario de reroaabueo Qnarta felra *6 de Outubro de i94.
correspondencias
Srs. redactores.Podendo alguem entender que
a mim so refere o Irerho da correspondencia do
Sr. major Salvador Uenriquc de Albuquerque. sa-
luda nu numero de buje do seu estimave^ Diario,
que diz : t ou, como dizem, por imposicio de al-
guem, para arranjar outrem, julgo deveraz-r
as segulutes dccla.acoes :que por mun nao rol
tolintado o emprege de secretario da instruccao
publica desta provincia, provindo esta nomeacao
da espontanea vontade e propnstad.i digno director
geral.o Sr. Dr.S.lvino Cavaicaut., Pe'V:?,;,r'',"
que i'tn mim deposita, que minio me honra e peio
gttQi!SCpor"am"nSo crcio houvesse imposico al-
uma, niuguera melhor que o mes.no Sr._uu.jor
Salvador, por experweeta. t
esse lugar ambicionaveK
honraste urna imposico. .
Une esse srranjo outrem nao se pode a
mi ni referir por estar, como ainda esloo, Horneado
para o caigo de juiz municipal da capital do Para,
cojo caigo ja nao fui exercer por nao ter recebl-
do ainda at esta data a communieacio offleal da
nomeacao, como preciso, e como provo com cer-
lidoes da adminUracodo forren e secretaria
do governo.
Que ainda quando tal se nao desse, nao costu-
mo
os ca.P
dados por espontanea nomeagao, buscando eu,ser
vindo-o- Belmente, c rresponder a conliatica que
ni mim de|iositam os que me iiomeam.
Greio que o Sr. major Salvador nao se referi a
mim nesse trecho, neui er nesse dizem, que para
saber, nao ser
rem tal que meteca as
vel amigo, que V. S. cscreva, e escreva ffluito,
para continuar a recommendar-se posterldade !
Su pensar d'outro mdu dar a euleuder que se
nao quer anroveitar do que sabe, o que ha de ser
muito seosivel para aquelles que Iho balem palmas
e 0 admiram de longe I
Conheco perfeilameute que as palavras com que
V. S. dlscoire sao para mim deseonhecidas, en-
tendo mesmo que sao naturaes do seu intelleclo,
que me parece empenhado ein collecionar adjec-
tivos taes, que appheados a sua interessantissiina
iudividualilade, dariam em resultado oque V. S.
realmente e pode ebegar a ser I
Disse mais V. S., que eu pretenda divertir o pu-
blico I E.t V. S. perfeitamenle euganado I Con-
testo por negaco e protesto para o inesmo pu-
toi transferida para o da 3 de novembro proxirae
vind'iuro.
Secretaria da Ibesouraria provincial de Pernam-
buco 22 de outubro de 1864.-0 secretario,
A. F, ( Annuui iacio.
Tribunal dn omneme.
Pi'Ia secretarla do tribunal do comrnercio de
Pernambuco se faz publico, de confu midade com
a deliberarlo do mesmo tribunal de 26 do corren-
te, a rclacao abaixo inscripta dos livros diarios e
copiadores, que tem sido rubricados desde o 1* de
juuho do presenta anno at 10 do andante raer.
Diarios.
De Tasso Irmaos.
De Autouio d'Oliveira Azevedo.
De Juaqunn Pereira Arantes.
COMPANHIA BRASUEIRA
DE
PAQUETES A VAPOH
Dos portos do norte espera-
do at o da 2 de novembro o va-
por Paran, commandante o ca-
pitao de fragata Sania Barbara, o
'qual depois da demora do cost-
me seguir para os porto- do sal.
Desde j recebem-se passageiros e eagaja-se a
carga que o vapor poder coodnzir, a qual devera
ser embarcada no da de sua chegada, encomme n-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
onio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
ra 26 do correnle
inesma taberna.
pelas 12 boras da manba na
I I BB %U
DE
Vinho da Madeira
1YIS0S DIVERSOS.
qualqu
Se\r. S. julga que un jovialidades em minha
carta, que llie sao applicaveis, aproveite-as e re-
gale-se com ellas, pois nao vejo msso razo,;s para
rebellar-se contra um ami^o. So o faz, V. S. o
primeiro a provar altamente, que eu nao sou esse
truo de qno falla, palavrinba essa quelhedevo
leu trono !'* imi,gma5 aba' pnfund do i De JoT ..ornes Villar.
Ainda ass.m perdn V. S. as oflensas que me' Dt ** Antonio Bast0-
fez e podera continuar a fazer, pelo grande gosto
De Henry Forster & C.
De Miguel Jos Barbosa Guimares.
Do agento de leiloOlympio Ferreira da Silva.
Do inesmo.
De Almeida Ribeiro & C.
De Antonio Bao.
De Joaquim Luiz Vieira.
De Jos Jacome Tasso.
uc .iiiiuo h-""-" "' -"' -.- sm o ponera continuar a lazer, urna granue gosio >...,, M- t,,nin.
pedir lugares por outrem exerc.dos, sendo que mandando-me un novo parto do *eu ft J^JSSSf/p
nome anda que um pouco alterado I I D w Antonio Basto
Entretanto respeitabil.ssi.no senhor, saiba que D A d Vasconcellos.
o cuiiselho, a directora, c a saciedade inteira do D s him i.qiriDrl0
Gabinete Portuguez de Leitura, eslao superiores i J s^vro Serano. da Silva
a todas cssas calumnias e invectivas que V. 3. tem I 5
que nao coutmue a ter curso, taco a prsenle, cuja Maulado, porque sero sempre reputadas como
publicacao, Srs. redactores, muito obrigara ao e fogS Ula,^ quej se a|gum damn0 ||0 le|n causar,
Vmcs. amigo e assignanle obngado,
J. Diniz Ribeiro da Cunha.
Recife, 25 de outubro de 1864.
e a
PUBLICARES 1 PEDIDO.
De Jos Joaquim dos Santos.
De Cunba frinos & C.
i De Sauuders Brottiers & C.
espritus femims come o de V. S.,; e nao aau p' '" Copiadores
%E? qai'"! esta r"ervad0 eruwe T De Joo Carlos Bastos d'Oliveira.
cia^-ao do prostrainento em que se achaval E u.. ,, x. r
pois nao precisa estafarse V. S. que sao muito
curtas as suas azas para iolenlar u.n voo to
alto I
Desculpe, respeitavol senhor, se a< luiuhas pa-
V.S.
lavras o inquielam, mas so assim releve
.llaranlio. dizer-lhe, que, as leis polticas aconselbam despi-
Offlcio ao 1' juiz de paz da fregutzia de S. Joo que, as catholicas, paciencia, e eu que sou ebris-
llapti?ia de Vinbaes. Declarando o aviso do mi- to recomroendo aes que padecer, como V. S., que
nisteno dos negocios de imperio de 13 de agosto se colloquem em qualro ps, e consulten) os ar-
nltinio iiiie nao >o inhibidos de votar e ser vota- canos da ierra, que a que mellior os pode favo-
des para membros da junta qualificadra os eseri- recer com substancias pi oprias a faze-Ios eslima-
ves dos kiies de paz, como d.spoe o art. 3 do
decreto n. 2,621, de 22 de agosto fle 1860, e por
outro lado, nao sendo chamados para formaren, as
juntas, no ca>o da le, os oito cidados immediatos
ao presidente, na qualidade propriamenle de ju.zes
de paz, mas como cidados uotave* pela distinc-
^o, que mereeeram de seus coraparochianos, o
que j foi declarado nos avisos de 13 de Janeiro e
11 de juulio uliimo, nao devia ser excluido, como
foi, da convocacao feita para formar a turma que
represeausse o eleitores, o inmediato em votos
Luiz Antonio da Silva Coulinbo, que aceitara ocar-
go'de rscrivo ; assim o conununico a Vmc. para
seu cuDhecimeuto, e afim de que seja elle adinitti-
o a tomar parte amanha na elei^ao da mesa pa-
roch.al, uo caso de .jue abi se aprsente.
E por esta occasio chamo a attencao de Vmc.
para o despacho dcsta pre.-ideucia de 11 de agos-
10 Ditimo, proferido em um requeiiineiitodo 2
juiz de paz Francisco Joo da Co.-ta, que deva lain- j
bem ser adinillid' a votar na elenjao da niea;j
como para o sorleio, que ullimainente procedeu !
acamara municipal, eui alguns dos cidados,que
tinbam egual
veis pelo presumo, e utilissimos para a creaoao
Em minha primeira carta disse V. S. que o ha-
via de acompanhar, agora digo-lhe que o hei de
agarrar (nao pelas orelh.s,) mas pela uto e coo-
duzi-lo para o caminho da vergonha, que o que
falta a tuda a gente que pensa como V. S. I
Nao pesso levantar a luva que V. S. suberana-
mente me atira, porque em primeiro lugar sou
vilo, em segundo sou padre, e temo sacrllicar os
respt-itos da minha cora aos caprichos desalma-
dos de V. S.
Rogo a Deus que inspire V. S. novos raios
d'eloquencia, e guarde a sua dignissima pessoa
por dilatados annos t
Sou respeitador e criado.
Ordiage.
Recife, 24 de outubro de 1864.
De Mello Lobo & C.
De Amonio Luiz d'Oliveira Azevedo.
De Jos Joaquim da Costa Mala.
D.- Antonio Valentim da Silva Barroca.
De Cunha Irmaos & C.
Da Bento de Freitas Guimares.
De Ferreira Guimares \ C.
De Campiano & Cordeiro.
De Joaquim Pereira Arantes.
De Feliciano Jos Gomes.
De Manoel Alves Ferreira.
De Antonio Bao.
De Marculino Jo Gonfalves Fonte.
De Jos Antonio Basto.
De Antonio Jo.- Maia Jnior.
De Jos dos Santos Ramos d'Oliveira.
De Ramos d'Oliveira C
Dl Augusto FredYico d'Oliveira.
De Joaquim de Lima B.tirao.
De Jos Antonio Basto.
De Jos Joaq'iim dos Santos.
Secretaria, 25 de outubro de 1864.
O offlcial maior,
Julio Guimares.
COMME&GIO.
Air.indega
numero de votos, na hypotbeseto | Kendimen[0 do dia 1 a 24........ 811:3764171
dem do dia 23................. 48.512^077
que tenha sido por ventura convocado mdevida
mente algum a quem a soite pozesse, fra do nu-
mero porquanto, para que a mesa seja legalmen-
te constituida, cumpre que as turmas, qae devein
elege-la, tejan representadas pelos cidados que a I
mesma lei tem designado.
Por iiiiimo, observo-lhe que, em vista dos vicios
qae se deram ua organisago da junta quahca-!
d-ira do crrente anuo, segundo ja esta preid^- j
cia o resolveu, c araba do conliriualo o governo
imperial, de ve na eleigo, que amanha se tem
de proceder, servir a qualificaco de votantes do
anno pas>ado.
O que ludo Vmc. cumprira sob sua responsabi-
lidade.
Ao Dr. chefe de polica interino. Em vista da
relutancia do Io juiz de paz da freguezia de Vi-1
nhaes em cingir-se s disiio>ioes da lei e deci-'
soes Uu governo na or|jauia(;ao da m.-.-a parochiaL |
non occasio das elei^oes municipae, como V. &
ver jior copia, cotivindo evitar serios conflicius, (jue
sao por isso de receiar-.-e, julgo prudente S. |iara all so dirija, e faca ver ao juiz de paz que
a sua oostmacao em cuuipr.r a lei dar lugar a '
ser respousalulisado, visto que as irregularidades
que as eleieoes uecessariameiile tiara o seuproce-
dimeulo, s devem ser atlrilmidas a elle, quede;
proposito pretende assim nullilica-las.
O Um desta presidencia, procedendo por e->t-!.
modo, .po as eieicSes sejam feitas legal mente.
No caso de que continu o 1'juiz de paz em sua \
reluciancia, relire-se ento, daudo-me poresciipto
conta de sua commissao.
Naquella freguezia eslao algumas pravas com-
Eiand idas por um offlcial de polica, aiim de ga-
rantir a ordem e seguranca individual. V. S. llie
fara as devidas ncoinuieuda^oes nesse sentido,
quando se tenha de retirar.
(Do Publicado):)
Pilulas vesciaes assucaradas
de Meuip.
Qualquer una p*soa que se sinta atacada da
bilis, etc., que faga uso dostas aduuraveis pilulas
por este meto tem lomado a melhor das precaucoes
contra todas as molestias epidmicas. Urna s
dse pode salvar urna pessoa da febre amarella,
do cholera ou das (ubres intermitientes beltosas.
Produzem um efletto verdadeiranunte maravi-
Jheso em todos os desarraigos do ligado e do
ven l re.
Ellas se compoem exclusivamente de substan-
cias wg-taes e ser urna medicina fortilicauleque
nunca deliil.la, pode.n por isso ser administradas
coma mesma seguanla lano s enancas as raais
tenras como aos ho.neus mais robustos. Sao as
nicas pilulas desla nalureza que >e aeham acon-
dicionadas em frasquinhos de crjrstal e sao ioapre-
ciaveis comw o meihur dos rememos, para as pes
soas de ambos os sexos, seja qual for a sua idade.
Enconlrar-se-hao em todas as lujas do liegas e
as boticas de Bravo & C. e de Caors & Barbosa.
Illni. Sr. Joaquim Gerardo de
Bu tos.
Resr eitavel Senhor. O elogio que V. S. foi spr-
viiin iiiinlar-uie, to delicado que nao s par. ce
digno da miniufura do autor, mas de outro elo-
gio ainda maior, para coroar os mereeimenlos da
sua obra I
Sim eloquentissimo Sen' or. To finos sao os
conceitos, as palavras to puras, tal a magostado
das expresses com que V. S. piutou o seu |ro
prio tspirito, que me vejo obrigado a pedir-lhe
para que nao deixe V. S. seccar a tinta na peona,
e continu a dar luzes e fazer-se recommwidado
do publico, que brevemente Ihe ha de levautar um
obelisco, aonde possam os viodouros admirar as
suas glorias I
Com milita propriedade ao assumpto, disse o
nos.-o Jos Agosiinbo de Macedo que, nems
sabeduria se levantavam monumentos, mas ram-
beiu ;i parvnice I E' por esta eireuWtanria que
firme no meu posto de ln>nra, me atrevo anda a
\vc obsequ.a-lo com algumas Cun.siderar;des dig-
nas de >ua res|>eitavei pessoa, mas se V. S. enfeu-
de que lia demasiada franqueza de minna parte,
castigue-me sempre com os raios furibundos de
sua estupenda phantasia, e nunca cum aprivaco
de sua lgica, que seria para mim a pena mais do-
lorusa da vida 1
No entanto agradeco profundamente a V. S.
eesas expressoes que mi dignoa dirigir-me, por-iue
(..m ellas den V. mais um signal de que ser
sempre necessaiio-qne nos prevalgamos dos ocu-
tae para melhor o podermos mchergar I Por mi-
tro lado occegou-me V. S. o animo, do preciso
cuidado em que estava, per ignorar o effeilo que
lhe devm i.iiciuzir a remessa duleissima de mi-
nhas eonsolacow I
Ao i.uidico m nsaio, que o soi de todas as nes-
gas ac\'5es, disse V. S que eu desejava faze-lo
cahtr estujikmrnte I Crea res|ieilavel, senhor,
qae nunca vi as.-cr cao to estpida I V. S. men-
tio lviommt' rnmn faria nm garoto lanzando
mo de ama pedra, lancou mo V. S. do orna ca-
limn. > pai a s mu ftlfastar do todo do seu louva-
vri costuras I O que en desejo, meurecommemla-
flovimenCo da alfamdesa
Volames entrados com fazendas..
com gneros..
Volumes sabidos
com
com
azendas...
gneros...
Descarregam no dia 26 de outubro.
Vapor inglezGladiadormercadorias.
Brigue inglezTitania bacalho.
Patacho inglezII'. C. Oo/(/larioha de trigo.
Brigue inglezDante bacalho.
Hiate portuguezPensimento diversos gneros.
Barca nacionalliebidnura idem.
Barca ineiezaKion- pedra de calcamento.
necebedoria de rendas liscroa
de Pcrnambnco.
geraes
Itendimento do da i a i.
dem do da 25..........
Consulado provincial.
Rendimentodo dia 1 a 24......... SSMe'i-SftiO
Idero do dia 25................. 4:9495726
Pela mesma secretaria se faz publico, que nesta
data forara amittidos matricula os commer-
ciantes os Srs Francisco Antonio da Rosa e Joa-
quim Mauricio Goocalves Rosa, cidados bras.lei-
ros, domiciliados e e>Ub lecidos nesta cidade, com
casa de commercie em gneros de e-tiva nacienaes
e estrangejros, em grosso, de conta propria.
Secretaria, 13 de outubrn de 1864.
O offlcial-mainr,
Juho Guimares.
Corris geral
Pela adminbtraco do correio desla cidade se
859 8884248^ faz publico para fins convenientes que em virlude
'^===== \ do disposto no artigo 138 do regulameoto geral dos
i correios de 21 de dezeinbro de 1844, e art. 9 do
i decreto n. 183 de 15 de mato de 1831, se procede-
I ra o consumo das cartas existentes na adminislra-
go pertencenles ao mea de oulnbro de 1863, no
dia 5 de novembro prximo, as 11 horas da ma-
nha, na porta do mesmo correio, e a respectiva
lista se acha desde ja exposta aos interessados.
Adminisiraco do correio de Pernambuco 24 de
outubro de 1864. O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Crrelo geral.
Pela administraco do correio desta cidade se
faz publico que em virlude da convene postal,
celebrada pelos governos brasileiro e fraf)cez, se-
rio expedidas malas para Europa no dja 30 do
correnle polo vapor Araen (um As artas sp-
ro receidas al 3 horas antes da que for -terca-
da |iara a sabida do vapor, e os joinaes ati4 bo-
ras anle.s. j
Administracao do correio de Pernamauco'24 de
outnbro de 18640 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Hggggg '"'-H- !!!' !-
424
250
144
617
674
761
Conipanhia Pei-uambucana de uu\i'ii-t-
co r.osle ra vapor.
Illia de Fernando de Noronha.
No dia 4 de
O* novembro ao
meio da segu
um dos vapores
da companlua pa-
ra o presidio de
Fernando. En-
commendas, pas-
sageiros e diohei-
frete at o dia da sahida s 11 horas da ma-
uha: escriptorio ao Forte do Mattos n. 1._______
COMPANHIA PERNMBUCANA
M
Navegaco cusieira a vapor.
Taniandar, Barra Grande, Porto de Pedras,
Camaragilie, Macei, Penedo c
Aracaj.
No dia 3 de novembro segu
para os portos cima indicados um
'j^s^dos vapores dessa companhia, as 5
ro a
IIOJE
O agente Pestaa veudera por conta de quem
pertencer 8 barris de 8 rom excellente vinho da
Madeira proprio para casas particulares : quarta
feira 26 do correte pelas 10 boras da manba uo
armazem do Aunes.
Em fenlo ao armazem dos
uicira k H.-ldo.
..- tv"BB2
Quinta-feira 27 do correnle s
CordoiroSimes vender em leilo
de naco com bonita figura possante
qualquer servido, 1 mulatiuho de 18 annos ofllcia
de alfaiate, bonita figura, proario para boleeiro,
copeiro, criado etc., etc., 1 mulata de 20 annos,
cosinheira, lavadeira.engommadeira e costureira.
.\a mesma occasio vender oulros escravos
com habilidades e sem ellas.
il horas,
um escravo
proprio para
horas da tarde. Recebo carga
'.rnenle at o dia 4; encommen-
das, passageiros e linheiro a frete ate s 3 horas
da tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
COMPANHIA PERNMBUCANA
DE
lavegaeo costelra a vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear,
Acaracu' e Granja.
Ne dia 7 de novembro segu pa-
ra os portos aeima Indicados um
dos vapores dessa companhia, s 3
horas da tarde. Recebe carga se-
ment at o dia S-, eneommendas,
passageiros e dinheiro a frete at s 3 horas do
dia da saluda: escriptorto no Forte do Maltos nu-
mero 1.
COMPANHIA BRASLLEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o dia 30 do corrente um dos
vapores da companhia o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para es portos do norte.
Desde ja recebera-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser enmarcada no dia de sua chegada: encom
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo cV C.
ILKIJLAO
Era 27 do correnle mez ao meio dia
em ponto na po-la da Associaco
Commercial
S. M. Nass, capitao do brigue norueguen-
se Emilien, com autorisaco do Illiu. Sr.
inspector da alfandega e em presenca do Sr.
gerente do consulado da Suecia e Noruega,
far leilao por intervencao do agente Olym-
pio, por conta e risco de quem periencer do
\ dito brigue. tal qual se acha Tundeado nes-
te porto aonde recentemente arribou na sua
viagemde Buenos-A) res para Dron heim, e
foi legalmente i-ondemnado ; os pretenden-
tes s3o convidados pelo presente ao exame
previo do dito navio, assim como do inven-
tario em poder do mencionado agente.
J ^k
Mil
42:3634809
898J54I
43:2)3240
44:116*326
THEATfcO
DE
MOTOgjtTO ^0 POBTQ.
Natos entrados no dia 25.
Lisboa35 dias, bar-a brasileira Hebedouro, de
432 toneladas, capillo Christovao Francisco Go-
mes, equipagem 16, carga vinho, bo.alas e ou-
tros gneros ; aAmoriin Irmao.
Terra Nova34 dias, brigue inglez Tifinifi.de 219
toneladas, capitn Tnomaz, equipagem 13, car- i
ga 2,240 barricas com bacalho ; a Juhoslo Pa-,
ter & C. |
Terra Nova33 dias. brigue inglez Millicent, de
219 toneladas, capitao John Greir, equipagem
12, carga 2,900 barricas com bacalho; a Sauu-
ders Brothers \ C.
Alario sabido no mesmo da.
Portes do sulvapor brasilciro Mamanguape, com
mandante Manoel II. dos Santos Moma.
EMPREZA
GERMANO & toniHia
11a recit d- issiiualura
Ql'INTA-FEIRA, 27 DE OUTRRO DE
os
1864.
BOTTOMRY ROND
Wanted on lhe ship and cargo of me Brilish Str.
Platupus, capir. C. G. P. Blix, about 2:0005000
more or less to pay for her expenses at this port,
and enable the vessel to proceed en her voyage to
Australia.
Sealed tenders to be addressed to the captain at
the Britlsh Onsulate, and to be opened in the pre-
sence of H. B. U. Cansoi on Wedncsday next 26
th. Inst. ai 1 P. M.
Recife 24 th. october 1864.
RISCO MARTIMO..
O vapor inglez Platypns, capifo C. G. F. Blix,
precisa da quantia de 2:000*000 pouco mais ou
menos, sobre o eavro e carga do dito vapor para
as despezas contrahidas nesie porto, de forma que
possa seguir a sualviagem a Australia.
Recebem-se propostas em carta fechada no con-
sulado britannico, dirigidas ao capitn, cujas sero
abertas na presennt do cnsul de S. M B. na qtiar-
ta-feira prxima 2q do corrente, 1 hora da larde.
Recife, 24 de outQbrn de 184.
Instituto Archeologito e Geo-
graphico Pernambucaiio.
llavera sessao ordinaria quinta-lhr. -'
do corrente, s II horas da manha.
RDEM DO ni A.
Votacoes adiadas;
Pareceres e Iraballios de lommise^.
Secretaria do Instituto 24 de oolnbr*-
de 1864.
J. Soarf d'Azeved..
Secretario pcrjeiuo.
Tendo o directorio do partido iberai
la provincia de mandar eeieOnr, oinc' d*
Cortme, a 2 de novembro prximo luturo
um memento solemne em siiffraji do w
nunca asss chorado correlinioiKirio o --
sembargador J. Rema Machado das ma*
victimas da revoluto de 1848.9.- ordem do
maslo directorio convido lodos os liberar-
que prestam homena^em memoria d'aq.iei
le Ilustre |h-i nainhucann e de seus rom.i-
nheiros de mart>rio a comparecerem anub-
le acto que deven ter lugar no convente n>
S. Frai.cisco desla cidade
Recife 25 de outubro 1- IWi4.
O Io secretar.
A. J. da C sta Rit>ei.*o.
Mnoa
DE
20 barris com vinho branco,
QUINTA-FEIRA 27.
Por conta e risco de quem pertencer, o agente
Pestaa far leilie de 20 barris com superior vi-
nho branco de o em pipa, em om ou mais lotes a
vontade, quinta-feira, pelas 10 horas da mesma,
na porta do Aunes, defroute da alfandega.
LEILiA
DB
lina moliilia de Jacaranda qnasi uova
por coti'a do arrematante.
Qnlnta-felra 3 de outubro.
A ra da Cadeia n. 53, annazem.
PELO AGENTE EUZEBIO
Se a vender em leilo, e mais urna outra de
amarello, nova, urna jardineira de mogno muito bo-
nita com tampo de pedra, guardas-roupas, cadei-
ras de cereja, bercos de faia, capachos deraiz de
esposias, encerados paracobrir mesa e dito para
carro.
Aos 6:(KH$0U<>
Corredepoi tlautaaba.
SextH-feira 28 do crrenle me/.. Iith lu-
gar a extravio da primeira parte- da pn-
tueira lotera a benelicio da matriz de I
res, no consistorio da igreja de Xossa Se-
nhora do Rosario da freguezu de aiur.
Antonio.
Os bilhetes, meios e qaartos aeham-s .
renda na respectiva thesourarta ra -
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000^000 at (t^OOC
sero pagos ama hora depois da extraer,.*
at s 4 horas da tarde, e os oulros no dia
seguinte depois da distnbu,o das listas.
Serviiido de tbesoureiro,
Jos Rodrigues de Sor. .
H4RTYRKS
PERSONAGENS.
cesar do Occi-
IDIT1ES.
Porto.
Coimbra.
Germano.
Lisboa.
Borges.
Guimares.
Santa Rosa.
Teixeira.
D. Antonia Reg.
D. Antoniua.
D. Camilla.
D. Mana da Silva.
D. Mara Pontes.
D. Francisca Balbina
N.N.
Devendo ser de grande regosijo para todos
os Brasileires a realisacao do consorcio de sua al-
teza a ,'iiiL'usta princesa imperial com sua alteza u
conde d'Eu, a cmara municipal desta cidade pos-
suida d<> mais ardente desejo de commemorar o
dia de to fausto acontecimento, pede aos seus niu-
nicipes que illuminem as frentes de suas casas no
diaem que chegar a esia cidade semelhante noti-
cia, e nos dous que se seguirem.
Paco da cmara municipal do Recife em sessao
de 19 de oulubro de 1864.Luiz Francisco de
Barros Reg, presidente.Francisco Canuto da
BOaviageiii, secretario.
Continnam em prega perante a cmara mu-
nicipal desta cidade nos dias 22, 24 e 26 do c-
rente, para seren arrematadas por quem maior
i-reco offerecer as seguiules rendas munici-
paes :
Imposto de 80 rs. por carga de fari-
nhae legumee................. i:203*000
dem de mscales e boceleiras..... 150*000
Alugueres da casa da Soledade..... 145*009
Os que quizerem licitar sobie taes rendas deve-
rao apresentar se nos mencionados dias, no paco SCPnog,apho o Sr. Veneri, e consta do seguinte
da mesma cmara, habilitados na forma da lei.
Pago da cmara niuoici al do Recife, em sessao
de 19 de outubro de 1864.
Luiz Francisco de Barros Reg,
Presidente.
Franscisco Canuto da Ba-Viagem,
Secretario.
Perante cmara municipal desla cidade esta-
rao novamente em praca no dia 3 de novembro
vjndouro para serem arrematados por quem mais
offerecer por lempo de um anno, os imponan se-
guintes : dizimo de rapim de planta avahado por
1:001*600 : gado sumo avahado por 7*000; ga-
do ovelhum avallado por 2*048. O pretendeutes
ppdem totopai erer ii" mencionado dia com seus
fiadores habilitados na forma da lei.
Paco da cmara municipal de Olinda, 20 de ou-
tubro de 1864.
Constancio,
dente.......
Scipiao, patricio romano e
senador ......
Orosio, chefe dos christaos,
octogenario.....
Gabriel, ilho de Orosio. .
Dcio, grande sacerdote de
Jpiter......Pinto.
Lucifer. ......
Pluto, centuriao romano. .
Polion. guarda dos carceres
Isaac, jadeo, escrava do Afra
O archa njo.....
Afra, cortezaa romana .
Martha, virgem christa. .
A f.......
Enmenia, escrava de Afra .
Digna, dita.....
Enprpia, dita.....
Senadores, litores, sacerdotes, sacrificadores,
auruspires, virgens, centuries, decenarios, solda-
dos, povo romano, povo christo.
A accao i>assa-se na cidade de Augusto (hoje
Aiigs1 ourgj, no auno de 303 da era christa, sen-
do imperadores : Maximiano Hercules, no Oriente,
e Dpocleciano, no Occidente, e cesares, no Oriente,
Galeno, e Constancio, no Occidente.
Todo o scenario novo e pintado pelo distinelo
ChristovSo Pereira Pinto,
pro-t.resldente.
Marcolino Das de Araujo.
secretario.
1. acto. Lugar montanhoso e selvagem, bos-
que de cedros, grutas, que em lempo se transfor-
maran.
2. acto Rica e sumptuosa habitaciio de Afra.
3." acto. Sitio ermo e agreste. O templo de
Proserpina em ruinas formando a entrada das ca-
tacumbas, que em tempo, pela tran.-formacao deixa
ver o interior.
4. acto. O magnifico templo de Jpiter com
todos os seus accesorios, esta decorac.au digna
de especial mencao pelo gosto e riqueza com que
est, feita.
8. acio.-Carcere, em tempo transformado para
srena linal.--Vista de gloria preparada para lodo
olhealro, que deve preduzr maravilloso effetto.
O machinisme encarregado a um artista hbil,
pode asseverar-se ,ue correr a contento.
A msica do Sr. Colas Filho, foi escripia exprs-
smenle por este artista com o gusto que todos lhe
recooheeem.
O vestuario c novo e ao gosto da poca.
Comecar s 8 horas.
E esperado do Rio Je Janeiro em poucos das a
calera Mindello, e deptiis de pouca demora neste
porto seguir para o P.^r, para onde-recebe carta
a frete commodo : quem qui/.er carregar, pode en-
tender-se com os couMgnatarios Palmeira A Bel-
lio, largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
S. MTass, rapilo do brigue norueguene
Emif, arribado neste porto, na sua recente ia-
gem de luenos-Ayres para Drontheim, precisa fre-
tar um navio para levar o carregamento do men-
cionado brigue desle porto para Drunlheim em di-
reitura : Os pretendenles podem dirigir suas pro-
postas ao mencionado capillo, no consulado da
Suecia e Noruega, ra da Cruz n. 4, al o dia 27
do correte ao meio dia.
Baha.
O hiate Dous Iudos sahe para a Bahi : a tra-
tar rom Tasso Irmaos.
Para a Ilahia pretende sabir em poucos dias
o veleiro patacho D. Luiz, capitao Jos Teixeira
de Azevedo, por ter parte da carga tratada : para
o resto da carga que lhe fal a irata-se com os con-
signatarios Palmeira & Beltro, largo do Corpo
Santo n. 4, primeiro andar.
wm&_
LEIL6ES.
LEILO
DB
CABIIIOIJETS
HOJE.
Quarta-fcira 26docorrcntcs 12boras
Cordeiro SimSes far leilo de nm cabriole! in-
glez de 2 rodas e 4 assentos, um dito com 4 rodas
e 4 asseiitus. .
Em frente porta do armazam ra da Cadeia
n. 48.
LEILO
DE
4 pipas rom vinho Cata'fn,
Quinta-feira 27 do corrente,
0 agente Pestaa por conta e risco de quem
pertencer vender em leilo 1 pipas com vinho
Cataln em un ou mais lotes : quinta-feira 27 do
corrente pelas 10 1|2 horas da manha no arma-
zem do Annes defroute da alfandega.
u
s
9 barris e nma parlla com vinho
Bwdc-iux.
Ouinta-feira 11 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer 9 barris e 1 quartola com vinho
Bo'di-anx em um nu mais lotes a vontade : quin-
tafeira 27 do correte pelas II horas da manba
no armazem do Annes defronte da alfandega.
Feira semanal
DE
Mohilias completas, trastes atulsos,
relogios e oul'-os muilos rticos.
Sexla-feira 28 do corrente s 11 horas.
OLYIUPIO
em seu novo armazem sito a ra do Vigario n.
10, vender em leilo 2 mobilias completas de ja-
caranda com tampo de pedra marmore, 1 dita de
cereja, 1 dita de amarello, me>a elstica, lavato-
rios com pedra marmore. camas francezas, appa-
radores, relogios &< narede e alg.beira, duzias de
cadeiras brancas, 1 flauta de bano com 5 chaves,
objectosde ouro, venezianas, camas de ferro, cha-
rutos de Havanae oulros muilos arligos.
L AO
LEILO
No
DECLARiCOES.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematcao do imposto de 2*500 por calm-
ea de gado vaceum do municipio de Iguarass,
DE
MOVIS
armazem roa da t'.ancia do He-
rir n. 48.
IIOJE
Quarta-fcira 26 do correle s 11 boras,
Cordeiro Simees far leilo de urna mobilia de
amarello, um par de apparadorps, urna commoda,
urna machina para costura, urna mesa grande de
faia, urna dita pequea, 12 cadeiras de faia, um
sof, 2 consolos, urna cama fraoceza de jacaran- i
da. 1 dita de amarello, 1 dita de ceregeira, 1 ber-!
eo, 1 banca para advogado, 1 rama franceza para
solteiro, 1 sancluano, 2 quartinheiros, 1 cofre de
ferro.
DE
Escravos de timbos os sexos.
Sexla-feira 28 do corrente
s 11 horas, no armazem da tita do Vigario
numero 10.
OLYJIB'IO
vender em leilo cm seu novo armazem a ra do
Vigario n. 10, diversos escravos de ambos es se-
xos com habilidades e sem ellas.
Sfxla-feira 28 de outubro, s II ho-
ras, roa da Cudria armazem n. 1)3
E' um bom patrimonio.
DR
Urna casa na frente da ra do Palacio do Bis-
po com 2 janellas e urna porta, sala, 2 quartos e
gabinete, com porto ao lado entrada para um
grande terreno em que se aeham edificadas 16
ineia-aguas ou esoohas para a pobreza, que ren-
dem mais de 80* por mea. acabadas pouco tem-
po, alem de um terreno no fundo com privada, e
grande, cacimba, chao proprio, boa acquisicao :
sao Cuuvidadns os pretendentes ao previo exame.
Pelo agente Euzeblo
se vender em leilo pelo maior preco os predios
cima.
avisos martimos.
Aracatj.
O hiate Santa Rita sahe para o Aracaty
tar cora Tasso Irmaos.
a ira-
LKILAO
DE
Urna taberna, nm bni, duas car rocas
e urna canoa na estrada de Luiz do
ResoemSsntoAmxro.
Quarta-feita w ao meio-rtia.
A requerimento de Ferreira & Martins e por
despacho do lllm. Sr. Dr. juiz especial do rom
memo e por conta de quem pertencer i rao a lei-
lo todos os gneros existentes na taberna sita na
estrada de Luiz do Reg em Santo Amaro, em um
ou mais lotes, um boi e duascarrocas: quarta-fei-
DE
6 arreios novos proprios pata cabriolets
e carros americanos, e 1 chicote proprio
para governar 4 oavallos.
egiiuda-feira 31 de outubro.
O ag-nte Pinto fir leilo por conta e risco de
quem perieocer de 6 arreios inglezes e novos, pro-
prios para cabriolet e carros americanos, s 10
horas do dia cima dito no primeiro andar do so-
brado da ra da Cruz n. 38.
mu i)4 ruMbu
aos (>:oo.ooo
Bllbetes garaoildos
A' raa do Cresa* 23 e casas dt ceabiar
O abano assignado venden nos sens muito leu
zes bilhetes garantidos da lotera qae se acato-
de extrahir a benelicio da Santa Casa da Wrtrr.-
cordia, os se>;uintes premios:
i\. 1712 doo quartos cora 10 000*000
N. 1046 dou qoartos com 1000*000
N. 723 dous quartos com 2:U0UJ0i O
N. 101 meio bilbete com .WOJflOO
E outras muitas de 200*. 100*. 10* e 12*.
Os possnidures podera vir reerber sem ** de>-
con.os das leis na Casa da Fortuna a ra lo Cr -t
po n. 23.
Acham-se venda os da primeira partp efe
primeira lotera a beneficio da matriz de Flerr*
que se extrahir no dia 28 de oulubro.
Precoe.
Bilhetes inteiros..... 7*000
Meios......... 3*500
Quartos........ !*.
Para as pessoas que comprare
de 100* para cima.
Bilhetes........ 6*50t
Meios......... 3*r>t
Quartos......, 1*70;
___________________Manoel Martin/ Fi*z>i
O escrivo da irmandade S Sann*-irm) I ir
cramento da freguezia de Santo Antonio, h "t-
dea da mesa regrdora, convida Indos irmim
para comparecerem quinta-feira 27 do correa* m
4 horas da tarde na ipreja do Espinto Sanio afir
de acout|ianliandoao Kvd. |iarin'ho e ciar a*-
lirem ao arta da recouciiiacio d ix'eja Matriz
Recife 2o de outubro de 1864.
___________ Luiz i>sario do Reg".
SaHIO a luz
E EST a VENDA NA LIVRARIA DO Sr. IiKRA'i-
RIA KSTREITA DO ROSARIO N. 12 M
DE
PARTIDAS DOBRADAS
Olicrfcidas
A' Associaco Cooifleerclal Br-
ucicenle
M
PERM4H13UC0.
1'oR
M. Foiisecii de Medrn*.
Olferece-se para ser raixpiro de tahrraa
rapaz portuguez com platicada mesma riin.-. ;
balando qualquer negocio de molhado : tpiem p-->
cisar anuuncie por e>te Diario \>r* .-ei procurido
I'recisaise de urna ama para coManar : wm
ra do llancel n. 60, prifi'iw andar.
lllm. Sr, Ordrafv. Vi a caria.-, qm V $
dirigi aos Srs. Pinbriro e Geraldo PiiIm, e p**-
tei do ler e aprecie! o grande talento que V. S. leu.
(.ara o ridiculo, por isx lembro a V. S. je fcr
urna viagem as cavernas d,- An-toteles qwprwvV
velmenle Picar V. S maniaco e na sua vjlia arfa
ra n n lugar vago nCMHMMl dramtica
Sou de V. S. admirador
Cosmopolita.
<-lBl\ETE
FOKTUCUbZ HE LMIlKi H Pin
WURlitlO
De ordem do illm. Sr. presidente do consr;
deliberativo, convoco os membros do meu cu-
seibo para se reunirem em sessao, na sala di
respectivas sessoes, sexti-f.ira 28do corremv. ai
6 horas da tarde, afim de conliuuar os Irabai
adiad >s m sessao ordinaria A* 11 do corrent- i
Secretaria do cnselho deliberativo o
Portuguez de Leitura em IVrnambueo 25 de
tubro de 1864.
A. A. dos Saofcr, porto
I. secretano.
LElLnO
DB
Fazendas ataviadas
Q abaixo assignado cmni-rou puf ronu a
pedido do Sr. Francisco Goocalves SlVirell^s. da
Therezina do Piauhy, os b.li..-los n*. 815 e J6
da I* parte da 1* lotera concedida a favor da >
triz de Flores, os ciaute.Manoel l'inhe.ro de Miranda Omno.
Precisa-se de urna ama de leile qae nao i -pkv
filho : na ra da Penlia n. 23.
Prccisa-se de urna ama para casa de pora
familia, que saiba cosinhar e eacomaur : na raa
da Penha n. 23.
- James Mitchmoor,
para o Maranho.
Genrte Jouny.
para o Maranho.
subdo Inglez, retira-**
subdito americano, re*ra-*r
Arrendaraento
De urna casa terrea na pmra 4 Si
com 3 salas e cosinha tora, e muito i
os banhos do mar e pas*awnb> de fe>ta :
do quairo faces do atorro d Varadouro joato
ponte achara rom que tratar.
Aluga-se a casa no Moniriro a heira 4 ne>,
tendo bastantes com mudo para arinda hmiia
tendo a casa dous corredores qoialal raorad
qnem a
esnnda-felra SI de on( liro ,
O agente Pinto vender em leilo por conta de 'm"v? = 1"i. pretender, falle no
.piem pertencer alguns madapnloes e *ir nhes com toque de avaria, as 11 horas do dia aci-1 A toja de violas, gniiarraa e
ma dito em seu eseriptorio ra da Cruz n. 38, do l.iviam-nto n. 14 A, mudoo se
primeiro andar.
WftvdBl
lores fna
para a fabrica das mesmas na roa da Roda a.

.




Diaria de FeMafi1>aM ; 4i"ra ftlra te de Oiitnhro > f *4.
Vende-se na praca- da Independencia n. 39, loja
.ortuarias de gusto mais moderno, que tem
rindo at agora para su botar em tmulos e cata-
cumbas no cemiterio publico no da de Dnados,
cota as cseripgvs seguiates: meu esposo, minha
esposa, meu pai, minha mi, neu fimo, minha fl-
!ha, saudades sempre vivas, amisade, nma lagri-
ma ; desta qualidade nunca rieram para serem
vendidas nesta provincia.
luga-se o quarto andar da casa sita ra
Nova n. 21: a tratar na mesraa ra n. 8. loja do
SALSA PARRILHI DE AYER.
Transcrevemos aqui alguns
dos umitas alteslados que temos
reccbtdo das virtudes da salsa
parrilhado'Dr. Ayer.
Rheuiuatlsnao.
DE JOO JOS-DOS SANTOS.
Ouro Pelo.
Soffri rheumatismopormui-
tas vezes, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e aires de concluir o primeiro fras-
AttellCiO. acne'-me forte e sem sentir a mais leve
Apresenia-se ao respoitavel publico e aos amigos d6r nos JoeN'OS ; a parte do corpo que 66-
4i iioa puada, o xceiiente rap denominado tR0- tava affectada d'esse terrivel eucommodo
'fio Impacial do Brazil em Pernambuco o qnal ten- j que roubou-me tantas ooites de somno.
do sido examinado por urna rommissao de dous ha-! KrilDCOes hnrhnlhiv nnsnlfls
seis chimicos, Romeados pelo Illm. Sf.Or. inspector 32-2r DorD,nas' n"n;fS'
da sada publica para baje fim, foi julgado capaz "ceras, e te-das as molestias
de ser olerecido ao respeitavel publico, expondo-se da pelle.
.a venda ; pelo que acha-se este bora rap as qua-1 do sr. JOO PAULA DE ABHEU E SOUZA.
uu fn-gueiias da cidade, na do Recife ra da Ca- Rua de S# pedro. RO de Janeiro.
iia n. a.l, Santo Antonio rua do Queimado n. 4o e cir i j j .
larga do Rosario n. 38, Boa-Vista ra da Impera-1 SoTna a mais de dous annos de uma
riz n. 53 o em S. Jos no deposito geral deste ge- erupfao syphililica em todo O corpo, mos-
oere, rua das Cinco-Pontas n. 140, pelos seguinies traado-se sempre com mais violencia na ca-
fX: Io SKJ 1*wa?11brV libraiK? > provei muitos medicamentos e consultei
i^pom'ooo *W cada "* a 5i I miiios mdicos, e eslava quasi desanimado
____________Joao do Ama ral Raposo. I quando vi os annancios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a
dias
PEIMEIEA E ANTIGA CASA FELIZ.
POBTIWAL.
I'ORTO.
Ra das Flam, b. 4 e 3 (jauto igreja da Misericordia.)
i ufrite* a aria Pa.
A loja da Aurora, na rua larga do Rosario a. M.
, reecbeu ricos enfilo a Hara Pa dos man i
! nos que tem chegado a esto merend; q
i mandar buscar para amostra podo
i com penhor ; assim como receben pettte* de tarta
, ruga muiln boa, lauto para atizare***) para te-
dios e umi.em ,.ara rfSM : capellas tranca -
minio mas, lanc par i aantaaS como para
menina finalmente u-m grn miudfzas : vende-se Indo barate.
liada.
Vmde-sea atarlo Mi viada por 104: Mar
mazt m do al da rua Imperial u ti!.
.\m
mm\
atWLOrtIII.IIEIllSI'AMU.
CUJA EXTRACTO TEIU' LUGAR NO DA 23 DE DEZEMRRO DE 1861.
Pede-so ao Sr. J. V. D. v., chefe da esiacao: ur; Ayer comecei a fazer uso d'ella e
Ji Frexeiras. o favor de mandar pagar o sen de- BOS primeiros dias a erupeo aggravou-se,
hito contrado j mais de um anno, no largo do porm antes de acabar O segundo frasco ti-
nha o mal desapparecitlo completamente de
Recife n. 55, primeiro t0(}0 0 corpo.
el \ Doctor Don Jos Valdes Herrera, profes-
SOR DE MEDICINA Y CIRURJIA, SUBDELEGADO
Carino n. 9.
Na rua da Cadeia do
^ndar, tem urna carta para o Sr.
da Coneeieao.
Precisa-so
Verdes n. 92.
do urna ama : na rua das Aguas
EM AMBAS AS FACULTADES DEI. SESTO DIS-
tricto Habana.
Certifico que he usado l Zarza parril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo be ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
los casos de ulcera crnica, como asi mismo
ensayado las Pildoras catrticas del mismo
autor y las considero como um purgante,
cuya accin ademas de ser segura, ha sido
Alrtga-s urna casa em Beberihe : a tratar
iom J. 1. M. Rogo, na rua do Trapiche n. 31.
Precisarse de dous homens qne entendara do
ervico de copeiro : na rua da Aurora n. 3J.
AsphaUo.
S rua da Concordia n. 7:1 pode ser procurado
O asphalMsta Uanoel Firmino Ferreira, que se en-
earregdeste precioso como til ladrillio para ca-1
vas de morada, armazens, terracos, passcios publ-1 muy e6caz en el Iratamento de las enfermi-
zos e particulares, etc., etc. A pratica de alguns I dados que exsigeu el uso de los purgantes,
mmm no exercido dest* empreza, o estndo a que y n0 vacilo en recomendar estas preparacio-
ie tem applicado. e os meios de qae pode dispr, i np, Y nira b ium h imiMm cnnvnir
deve fver aero litar ao respeitavel publico qne es- I?es-, Para m H .l)"e?an, C(?n>eO"
ti iiat.ilitido a bem desempenhar este trabalho tao [ O&J la presente en Regla a 7 de Setiembre
jtil e tao necessario nesla bella cidade, onde os de 1860.
ostabeleeimentos devem cinservar a naior limpe- j rj0R j0SK y. Herrera.
za asseto livres do cupim e ralos que causara in- ____!_-
jalculaveis prejuut. nstroiuij.
----------.-,--------------------;------ ,,,. i--------- n ATTESTADO DO llA.M. Sf. I RANCISCO FEIIRAZ
Ala;ae a casa terrea n. zb da rua do Forte
u Barros Baixos, de 165 monsaes
rua do Crespo u 15, on estrella do
: a tralar na i
Rosario n. 31
PREMIOS reSOS FORTES 300:000 MOFD.V POHTI'fil'EZA
1 de ..................................... ou Rs. 270:0005000
1 do........................'............. 400:000 90.000*000
30:000 40:000 45:000*008 36:090*000

8 de 10.000 ditos........................... 80:000 72:0005000
15 de 5.000 ditos........................... 75:000 67:500*000
30 de 2 000 ditos........................... G0:000 54:000*000
106 de 1.000 dilos........................... i 01: 000 1.050:000 95-400*000
943:000*000
99 aproximares de 400 pesos cada urna, para
os 99 nmeros restantes da centena que oble-
39:600 33:6405000
99 ditas de 300 dilos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que oatenha o premio
29:780 26.730*000
99 ditas de 200 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que oblenba o premio
de 50.000................................ 19:800 17:820*000
2.999 reintegros de 100 pesos para os 2.999 nmeros
cuja terminaran seja igual do que oblenha o
premio de 300.000........................ 299:980 269:910*0080
5.560 premios em 30.000 bilhetes................. 2.75":000 2.050:0005000
Eniprea dos trilh*, urbanos da Recief
A piamos monda vapor.
Tendo chegado da Europa as ioformaciDes b dese-
rvios que os cooeessiooarios do privilegio manda-
ram vir pelo engenheiro que tem de execnlar a
obra, os concessiodario abaixo assignados rcsolve-
ram formar urna companhia com o capital de
360:000*000 em aee>s de 505000, cora as cend-
goes que serao apresenttdas aos que qulzerem to-
mar aegoes.
As pessoas que quizerem ser accionistas desia
importante empreza, podem dirigir-se qualquer
dos abaixo assignados, ou aos correctores Vasron-
cellos, MatncJe, Uuimaraes, Calis, Donbourcq, Ma-
cedo, Se ve-, ele.
Bario to Licramento.
Jos? Bernardo G. Akoforado.
A. Luiz dos Santos.
O abaixo assignados havendo contratado com o
governo provincial a coilocaeao de trilitos urbanos
da cidade do Recife al Apipucos, e lendo oblido
as infbruiacijes que eram indispensaveis para a
execuco da empieza, teein resolvido formar nma
companhia ann y na ar a sua realisagao, e com
as segrales bases :
Arligo I. O capital da companhia ser do tre-
zentos conlos de ris, ilivididos em acfes de 50*.
realisaveis era prestagoes, sendo 25 por cento logo
que estiyer formada a companhia, e o restante nos
prazos indicados pelos einprezarios precedeiid".
aviso de 30 dias.
Poder*, porm, este capital ser elevado ris' ESCRAYu.
400:000*000, se para o futuro quizor a companhia .Va rua do Imperador n S5. prinviro andar. i
fazer prolongamento cu ramal. i para vender um bom m> i* idada d i 9 cu.
Art. 2." Os einprezarios se obrigam a fazer as-----------------------------------------
obras que forem precisas para a col locaco dus tri- i illi l)|| lili IBA I? I II I*
Ihos, inclusive as desapropriaoes, ponte de ferro. |j"It \t\f lllylfl V I Lili?}.
que tem de ser collocada no rio Capibaribe, -
Rua da ^adif de Deas b. 9.
A I/dOOO
Saceos grandes com faiinha de uundioca r !>
baram preto cima mencioMaito.
Imanai dv. embrancax
LUSO BRASILERO
pakI i8:;
POK < AWT1I.HO
Acaban de cheear esles ja i.io raakeciitos al-
man.-iks e vende se na livrari.i en umim v p
do arco de Sanio Amonio, vmdf ->e tamboril rnt-
lergSi'i cnm(detas dos mesaras aluiaaaks ca 15
volme?.
Bilhetes inteiros___
Meios bilhetes.....
PRECOS EM MOEOA FORTE.
a 108*000 || Quintos de bilhetes....... a 21*1.00
a 34*000 || Decimos................a 10*800
dos Santos.Onro l'rto.
Me ado lia quasi dous annos affectado
de escrfulas, e tendo soli ido tanto que al-
Precisa-se de um bom forneiro qne entenda de' Rumas vezes quasi que diego a desanimar i
assas o seja fiel : ni rua do Mondego, padaria [ da vida e maldizer da minha infeliz serte;
_______________________tenho sido tratado por muitos mdicos d'es-
ta cidade, e nenhura pode vencer a tenaci-
dade de minha molestia, estava sem espe-
ranzas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da Salsa par-
rilla do Dr. Ayer. Completam-se boje
trila e sete dias que comecei com este'
sanie remedio, e
sentido que tenho
JOS IGNACIO FERREIRA RORIZ,
COM LOJA DE CAMBIO E BILHETES DE LOTERAS.
Affiancdo no governo civil do Porto, em conformidade do edita!
de 28 dejunlu) de 1860.
Satisfaz com promptidao (odas as eneomraendas que he. sejam feilas, mesmo em
grande quanlidade e pelos precos cima indicados, vindo aeoinpanhadas do sen im(Krle; e
no fim da exiraccao remette a lisia dos premios.
Para informaedes, e pedidos no escriptorlo da rua da Cruz, n. 19.
10 LARGO DO TERCO 10
Esta
ferro), acha-se
tantas melhoras tenho limpcza e a celo toda a qnalidadc e quanlidade de bolacha, pao, bolachinhas, bis- olto conlos de ris, que Ibes tem d ser pasa em
convicio de em breve jcoilos e todas as macas que se desejar a precos mdicos e razoaveis. va padaria abevla ao publico (e perlo da eslacrio do caminho de
montada com esparo mais ijue sufficicnie para pocer fabricar com
B. 47.
Precisa-se de um hornera para feitor e plan-
dar, e deitar sentido a nm sitio : quera qmzerex-
rcif niao lagar, dando fiador sua conducta, po-
de Iratar na rua Sov n. 49, que sa dir quera
precisa.
Na nuohaa do dia 21 do corrente furtarain
'e um ijuarto qne vai para o quintal do sobrado
Jo larxo do Paraizo n. 26, nina caita grande de
imardlo contendo dentr (las jaquetas de panno
flnopito, urna dita de brim liso bratfco, tres cal- ,
-as, urna de panno lino preto. nma de ca^emira es- recobrara minha saude, pt-rdida lia Unto
un, e a outra de bnm de lindo de riscado, assim! lempo. le aos seus amtifos e freguezes, assevcrando-lhe desde ja que so emprear familias es-
uomo um ehapo novo de pello dentro de sua cai- Syphills e molestias mercnrlaes.' colindas e das melhores que vierem ao mercado, ou das ipie receba de conta proprta.
sa. e urna japona,como tambera dous documentos n0 Ili.m. Si. Db. Jackso.n. Ao publico em geral e aos SCUS 5
SLtSSVtZ,%S*SttTa M""***" cofr'10 <>* Provincias do'imz se convenceren, do que assevera em
io escravW/anoel, di afiaixo as-ignado : rogase,; suido Brasil. \
icis, polica o descobrimento deste furto, assim < Tenho receilado a Salta parrilha do *
-eomograUflqa-seaqaem der noticia deile, guar-lor. \,,er nos ,.asos mas inveterados de
Mo, pois que so se deseja descubrir S//p/jl7(s C0H,.(/MC(0a e sernpre com os
Flix FiJncisco dcSouza Mapaihaes- mais felizes resultados ; o.melhor alteran-
liXTs1Tse_TiJ_iIrr'roeiro bem desemhara- te 'I,,e conheco.
duas
eslacoes para recolhimento do trem rodante, e dos
objectos da companhia, que serao com a simplici-
dade possivel, tendo-se somente em vista as ac-
cemmoda^oes e seguranca, sendo urna no bau ro de
Sanio Antonio, e outra as proximidades da extre-
mldade da linha ; a fornecer 10 carros para pas-
sageiros e 2 para carga, o.'I locomotivas, e ludoisto
nos prazos estipulados no contrato.
Art. 3. Concluidas as obras serao os tnlhoscom
os objectos cima indicados entregues companhia.
que desde logo entrar na posse e admintncio
da empreza, e gozar dos privilegios, senc.5es e
vantagens que foram concedidas aos einprezarios,
salvas as disposi^oes aqui declaradas, sera que de
parte parte pos>a darse reclamacao, su possam
os empreurios exigir mais do que a referida quan-
tia de trezentos contos.
Art. 4. Os emprezarios se obrigam solidaria-
mente ao cumprimento do que Oca declarado, do
tque se lavrar auto aulhentico.
Art. 5. Pela assignatnra se obrigam os accionis-
: tas ao que fica declarado o ao pagamento das pres-
r^c tardes nos lempos que forem declarados. No caso,
porm, de nao pagamento de qoalqoer das presta-
;oes em dito lempo, perder o ac.cinni.-ta o direito
as prestagocs uu entraas que hnuver feito, e
quando nao realise a primeira, poder ser coagido
judicialmente ao pagamento da totalidade da
accao.
Art. 6. Nao ser pul millida a tran>ferencia de
! accoes, ou dos recibos provisorios, antes de esta-
I rein integralmente pagas, salva a responsaiMdade
do accionista, on cuiisenlinientodos einprezarios.
Art. 7. Logo (|uu esiivereiu lomada as accoes
serao os estatutos >ubmettidos aaprovacao dos
accionistas para que seja logo encorporada a com-
pa'ibia, sen que todava por e*le fado tenba ella
qualipier ingerencia ua factura das obras, chamada
e recebimentd das prestacoes.
Art. 8. Aos einprezarios se reserva o direito de
receber da thesourana provincial a quautia de de-
0 dono do estabelecimetilo nao
os ladrfies.
L.eueorrha e flores brancas.
Temos cartas em que nos contam casos
um f'Toeiro bem desembara-
,n! em sen offlcio : na padaria em Santo Araa-
o, a tras da fundico do Sr. Stair.____________'
Precisa-se de um copetro: na rua das Laran- inveterados que foram radicalmente curados
iras n. io, casa de pasto.________________ com um ou j0uS fraseos d'esta Salsa par-
Precisa-se de nma ama de leit? que seja sa- rilha.
dia : na rua de Horias n. 68._______________ q espaco nao nos permitle transcrever
osr. Foitunato Joo Pires que j morou na todos os ailestados que possuimos das vir-
assagem da Slagdabraa, tem urna caria na rua da L ,oinooslo de Sa.sa
Aluga-se urna ama que saiba bem cozinhar o
de boa conduela, preferindo-se escrava : ua rua
estreita do Rosario n. Si, piiineiro andar.
(uiperatriz n. f(i. padaria.
tudes d'este extra to composto de Salsa
- parrilha do Dr Ayer, liasta declarar ao
i'ieei>a-se alngar um preto para todo o ser l ,i i i.
9ied de padaria : quera o quizer alngar, dirija-se Publ,co 1ue ten sido empregado ha mais
i rua Imperial n. 31. ________________
Urna possoaeom pratica de commercio e com
ifipecialidade d>' ferragens, olTereco para e.>.ta pro-
vincia ou fra delta o seu prestimo, dando fiador
a sua conducta : quera pretender dirija carta fe-
chada nesta typographia com
de vinte annos pela profissao medica tanto
das Americas como da Europa, sem nunca
desmentir a sua alia repuiacao.
Na pra$a da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro, praia o podras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer coucer'.o.
- Precisase alugar um escravo para comprar
e. fazer outros servicos de casa de pouca familia :
na travessa da Madre de Deus, armazem de Barros
tS Silva. e>
AlmiuiiiH palavras S'.ibre a uin-
danra de trens da estrada de
ferro.
Da tabella inserta nos Diarios de 20, SI, 22, se
ve, que a hora de. partida dos tiens vai ser alterada
do Io de novernbro, em dianie. Assim. o Irem que
das Cinco-I'ontas parle a tarde as o' bors e 30 ni-
nutos, partir as 4 horas e 10 minuto-. Se niio
. ment que tcem de fazer para desapiupriacoes, se-
.oiipara extoin.s para l.em serw^ ao publico gundo > ljae rM.t V:U,,llado no 3^ s
Arl. 9." Os empre;uios tomara por sua conta e
risco cem contos de ris era ace5es, ser um
delles director nato em quaoto forem accionistas,
o tero passagem gratuita em qualquer dos carros I
da compauhia.
Arl. 10. Fica rnlen-liilo que as Immm ut upo
ra follas, e as que se houveccm de lazer para en-
corporaco da companhia, registros, ole., serao por
conta dos emprezarios, por modo que a companhia
entre do gozo e posse da empreza para ser expo-.
rada por sua cunta e vantagem, mediante o capital
declarado.
Art. II. Nao se faz o calculo dos lucros prova-
veis a das vantagens da companhia, porque e.-ta I
apreciaejio est ao alcance de Iodos, e nao dese-
jain os emprezarios fazer nutrir
parecam exageradas, posto qua efectivamente o
nao sejam.
Bunio rfo Urramtnto.
Jos Bernardo Galtao Alcoforado.
Antonio Luiz ds Santos.
igos em particular pede que experimenten),
i anniiiRo.
in!m t'aettano de Carvaltao.
m
i
19 Kua NaulS
Fredeneo 'autier, cirurgiSo dentista,
faz todas as opora^oes do sua arte, c col-
denles artiliciaes, tudo com superio-
loc
ridade c perfeico. que. as pessoas enten-
didas lhe recouitecem.
Tem agua e pos dentincio.
Rua do Queinmdo ns. (>3p G>.
Bouecas de ckert.
Lindas nonecas de choro que clonam papu e
luami, de diversos Uiiuubos : ai mu lufus d-j Le
ja-fir, rua do Queimado ns. 0:i e 09
Lavas de pellira.
Lavas de pellica (nanea e de wm para Im m.n-
e sen lluras : as lujas do beija-llr. rua do {hjn-
inailo us. 63 e 69.
r'i>rlias para ciale.
Lindas fivelbs dour,td:'< con, linr?:.-. ;icr^- pf+
cintos : as lojas do beija-flor. r*a il<> hin a*
ns. 6:t e 69.
Gamellas para aeivss.
Lindas capellas pan iieivas a 230fl ca,i. h
as lojas do beija-llor, tua J Qtmmatt r.*Jtt r
e 69.
Eslujos \nn barba.
Vende-?.' e.slofos com wprifea para luilut jI
e 2,6000 caila um : as toja* n l^ija-aW, w:
(jueimado ns. 63 e 69.
ilalaius pira mrainas.
ltecebeu-.-i' nova -ui lmenlo ,:r. I,..aio-,
forma de varius pascan -. pelo barato p**fa Jr.
IfidOO at4i5 cada um : na.- loja* do b> ija tt-rj
do Queimado ns. 63 c 69.
rilas tinas fiara rinlts.
Ricas fita.- finas tarradas de boinia* rtH
cintos: as lojas do ij:i fl-r. un duQu<
n. 63 e 69.
Cifrarles riu r;*i*.ii;!irs.
Finos extractos em raixinbas rom o n trato fla
familia Imperial: na- lojas do beija-flor. rea o
Queimado ns. 13 e M.
Sabio cm eaiiibhas.
Finos saboes em caixmhas com varios rrtatMa i
as n;ja> (lo beija ilor,roa do Qutiniailu x-. 63 e .
Tiras liurdaJas.
V'endeiu-M Oras liordadas lranspareMe> e upa-
das : nas lojas do beija-fW, rua d<- Ifnrimidr --
63 e 09.
Jugos de dnwia.
Vendem-.-e jogos de domino a 1*2 e li-a;
nas lojas do beiju-flor, rua do Queimado as. tS
,e 6?.
Haliadus bardadas
Veodom 6 buljhdoii l.ordmio. t> >n4> uifaiaa
; e varios precos : nas lojas do beija-flor, rm to
Queimado ns. 63 e 69.
1 linfa dores dr redf.
Vendem-se abaf.idores de rede de varos rres #
800 rs. cada um : nas lojas de ("ija llar, rea da>
Queimado us. 03 ( 69.
\d. reru pretas.
Tendo-se recebido aderecos pretos de bov ges-
to sao i xposlos venda : "nas lojas do beja-Hor,
a
m

EBS*
ir ^&
llavera sorveie todos os dias, das 6 horas em
danto, adverando que o mais asseiado e bem fei-
to possivel : ni bem conhecido caf dos Arcos.
COMPRAS.
Compra
daga-se bem:
pendencia
se curo e praia em obras velhas
na luja do bilhetes da pracada Inde
enttffiTinjft
%. 43 Rila do Rastel X. 43
O proprieiario deste uovo esiabelecimeuto parti-
cipa ao respeitavel publico que tem para vender
am completo sortim-nlo de bolinhos, xaropes de
diversas fructas, cagil de flor, pastilhas de orle-'
jaa-piment-i. ditas de limao, litas de canella, amen-
loas confeitadas, conidios, recebe toda e qualquer
3Qcommenda, doces d'ovos, como sejam presuntos,
-peixes, alelria, e outras mtntas mais quahdades,
-i enfeilam-sc bandejas : foroece-se venda a escra-
vas affiau^adas por seus senhores ; comprara-se
garrafas vasias, preferndo-se de cognac, por mais
dioheiro.
Precisase de um cosinheiro na villa do Cx;
jo fprefere-se estrangeiro; : a tralar na rua do
raspo n. 4, loja.
Compra-se effectivamente
rata em obras velhas pagando-se bem
arga do Rosario n. 24, loja de ourives.
qualquer incommodo que htr do Recife andes das 8 horas a.
nmvAm rlnm ftfltorln! Pel (ue "os >'arece oulro Ireni 'l"e lem **
pi-uvLiu u uiu esuiuu cnegar as horas< poslo (|Ut na referi,|a tabelU na-
mpnro de sangue,:da se acha dito sobre sua partida, devora sabir!
Ti i.mkm A I pouco depois das 6 horas. Confiamos muito nos
ftlAISA PARRILHA DE AVER. Srs- superinlendente e bscal do governo que ludo
ATTENCO.
A' venda na rua ireila, ns. 12,26 e 76;
rua da Quilanda n. 51 ; pra^a da Consti-
tuico, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pliarmacias c drogaras do ims
qerio.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia fraaeeza de
P. MAURER i C.
RUA NOVA N. 18.
saberao conciliar.
Alguns passagriros
que nito podem sahir tao cedo.
Robn Joao Beluario, vai para Macelo.
'ara a
fes la
S0CIED.\1)K
Vende-se a taberna da rua da Imperatriz n. 34, T. .
mu das melhores da rua, a qual vende um dia- DraUl&tlCa MlerVl rQTMSm
rio certo, e tmn commodi>s iadependentes para fa- ,
railia ua mesma se troca un oratorio cora quatro DUCtlll.
raagens : os pretendenles l acharao cora quera I Be ordem do lllm Sf director da ,ocie&e
raiar._____________________ dramtica Minerva Pernambucana,convido a todos
Vende-se urna mulatinha de 13 14 annos, os senheres socios para quarta-feira, 26 do corren-
-S rutar no pateo do Terco n. 3, sobrado._________ oa sociedade, afim de era assembla geral tratar-
- Ainda esta para ser vendido o sillo da tra- negocios tendentes mesma sociedade.
iresea dos Remedios, na freguezia dos Afogados n. i Secretaria da sociedade dramtica Minerva Per-
21. no estado emque se acha : quera o pretender, r
Aluga-se um sobrado no Varadouro de Olinda,
cora commodos bstanles para grande familia, sen-
do perto do embarque e do mnibus : a tralar na
padaria que foi do Soares no merme Varadouro,
ou no Recite, no pateo do Carmo, taberna do Sr.
Joaquim Manoel Ferreira de Seuia.
Offerece-se nma ama de lee sem flhos : a
tratar na travessa de S. Jos, casa n. 39.
Precisa-se de um rapaz de 14? 16 annos, ou
um hornera de 30 40 annos, que saibam ler ; a
tratar das 3 liaras um diante na rua da Concordia
n. 38.
:ut nlase com o seu proprietano Cansino Pinto
Je Veras, na rua do S. Francisco, sobrado n. 10,
como quera vai p ra a rua IMIa.
No paleo de S. Cedro n. 2, primeiro andar,
vendera-se gravan unas d seda do cores de 85 a
Juzia, por 55 : em casa deM. A. C. Ferreira.
Epaminondas P. B. e A. de Vasconcelos.
! secretario interino.
Oflereee-se urna pardioha livre e solteira pa-
ra trabalhar de costureira em casa de qualquer
modista on familia, dande algum tempo se for pre-
ciso para praticar : quero precisar dirija-se rua
do Mondego n. 2, ou annuacie para ser procurado.
Precisa-se alugar urna escrava que saiba co-
Cubriolet
Vende-se um cabriolet americano em muito bom zinhar, engurruar e vender na rua, s_endo de boa
-udo de uso, sem_arreios : na coeneira da rua conducta, paga-se bem
Ja imperador o. 43.
na rua das Cruzes n. 36,
Pal ha de carnauba.
Vende-se no trapiche bare do Livramento : a
iratar no largo do Corpo Santo n. 6, segundo
Andar.
A rmago
Vende-se a armaco e ntenei1i,s da taberna do
palco do Tergo n. 81, em local vautajoso, a qual
riem soto que serr para moradia, garante-se as
chaces cujo alugnel mdico : a tratar com o
-.lenle Cordetro Simdes rua da Caneia do Recife
sjft ___________________
Vende-se um casal de burros muito gordos
* mansos chegados hontem de Lisboa no barco
aii-beitnuro : na rua da Crusn. I, eserquorio de
Amonio Luiz de Oliveira Azevedo A C.
primeiro andar.
Precisa-se de um caixeiro para
sal : a iratar na rua Imperial n. 37.
armazem do
A nessoa que qner 1:
dando de juros
Alnga-ss ama exceHente casa para passar a
7.isla no Caehang, defroate da padaria qoc foi do
?r. Serra : i tratar casa Jos P. ao mesmo bagar,
. riuni'li I'aperatriz, taberna n. 42.
tacanas 50a, derlare a sua mora I Precisa-se saber porque cartorio se est pro-
cedendo u inventario dos bens do casal do Sr. Cas-
siano Alberto Pimenta, o qnal foi sepultado em 25
de abril de 1863 ; consta do Diarii de Pernambu-
i c'toVdeibri *eJ863._______________
Francisco Pereira Lebre queira ter a bonda-
de de vir em S. Pedro a fallar com o mestre enta-
ihador da mesma igreja, Joao Alves Gomes Vel-
ludo.________
* mu de leite
Na rua da Cruz n.35 precisase de urna ama de
leite que seja sadia, e agradando paga-se bem-
Precisa-se de urna ama
urna casa de pouco familia; a
Cruz o. 32.
i
Guarda livros.
Offerece-se aos senhoros commercianles um guar-
da livros : encarrega-se de qualquer escripia, aor
partidas simples ou dobradas, cora perfeico: a tra-
tar na rua da Imperatriz n. 39 terceirb andar, lo-
dos os dias at as 10 horas da manha.____
Precisa-se de um amassador que entenda de
todo o servico de padaria : na rua Direita n. 69.
Aluga-se o sobrado de ura andar o solao da
rua de Aguas-Verdes n. 27 : a iratar na padaria
da rua Direita n. 84
O pharmaceutico Antonio Luiz da Costa, de
Rio de Janeiro, deseja saber noticias de seus timos
Luiz e Carlos, para minlstrar-lhes recursos pecu
niarios e srientifira-Ios da sua boa succes&ao 4os
encommodos porque tem passado : na rua do
Queimado n. 52, se informar._______________ I
Precisa-se de urna preta escrava de boa con-'
ducta que saiba connhar e engommar, paga-se:
bom aluguel agradando : na rua do Queimado n.'
MP;__________________________;
Precisase fallar com o Sr. Bernardino Anto-
nio Lisboa a negocio de sua familia ; consta que ,
este senhor tere ou esteve em nm armazem do
farraha na roa de Santa Rita : pede-se ao dito se-
nhor on a quem delle der noticias, de appartcer na
rua larga do Rosario n. 34.
Em companhia da Sra. D. Isabel Ferreira Bal-
tar, na rua da Cadeia if. 56, exisie urna pantmha.
de norae Paulina dos Santos, que por ella foi edu-
cada e se acha sob sua guarda e como quer qm> nm
capadbcio a pedtesc em casamento e a mesma "se-
oliera Ih'a negasse por julga-lo falto de qulida-
W, resltem estabeleclda ao
JH Illo de f anelro.
|a AGENTES EM PKPKAMHWCO
w Anlonio Luiz de Oliveira Azevedo A C,
S competentemente autorisaJos pela direc-
toria da companhia de segaros Fidelida- g
jjjjfi de, tomara seguros de aavios, mercado- jj
H rias e predios no seu escriptorio rua da ffl
Cruz n .1. SI
aii3i m^:*:*4 Mmm MmmMm
Na rua Imperial n. 1 precisa-se de duas pre-
sts para vender uiiudezas. ____________^___
Prerisa-se de nina casa com pronorees de-
centes para habitara de pequea familia ; prefe-
re-se no bairro da Boa-Vista ou mmediaees ; nao
se duvida pagar bem : a tralar na rua do Viga-
rio n. 9, primeiro andar.___________________
Damlana crieula, cor fnla, alta, secca, tere a
cara descarnada, vicio de tomar tabaco, anda de.
vestido de algodao de listra e de chita encarnada
cabocia. chale de ganga encarnada de palmas ama-
relias, fallante, e representa ler menos de 34 an-
uos, quando a sua idade de 36, rapio no dia 9
do cjrrente mez : ruga-se, portauto, s autorida-
des policiaes c capitaes de campo que a apprehen-
dam e facam conduzir seu senhor no Brejo da -
Madre de Dos, no sitio denominado Coelho. ou raaailu, RMW lya^raBHia,
na vlla. e ser entregue ao capito Geminiano do
Reg Maciel, que sern generosamente recompen-
sadas ; e. na praga de Pernambuco ao- Srs. Maga-
Ihes da Silva Irmaos.
' nma negra de. bonita lignra, que saiba i^var, en-
gommar e cosvr bem, e cuja idade nao exceda a
! 25 annos, agradando paga-se bem : a tralar no es-
criptorio .le Manoel Ignacio de Oliveira & Filho,
| largo do Corpo Sanio n. 19.
Compra-se una bomba para cacimba : quem
i a tiver, dirija-se rua da Madre de Dos n. 14.
Compram-se jornaas a 'i3 a arroba para em-
' bruiho da cigarros : na rua larga do Rosario ns-
17 e 19, confronte, ao quartel.
Compram-se dous eseravos que sejam bous
carreiros : na rua do Trapiche n. 13.
Compra-se um baleio de araaretlo, de volta
na rua Imperial, padaria n. 51._______________
Na rua da Madre de Dos n. 16, compra-se
nm escravo at a idade de 10 annos, que seja ro-
busto.
esperanzas que rua do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para sraasras.
Lindas grvalas para senhora 800 rs. e I
15:200 : nas lojas do beiia-Bor, rua do Qoei
ns. 63 e 69.
Espf Ihos de msMara.
Vendem-se espedios de moldura preta para sa-
las : nas lujas do beija-ilor. roa do Queimado as.
63 e 69.
Voltas de aljnfarrs.
Lindas voliinhas de aljofaras rom rra de pedri-
nhas imitando brlbaMan a looo rada nmi: aas
i l?s do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Colhrrrs para spa
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
25000 cada urna : nas lujas d beija-lor, nial >
Queimado ns. 63 e 69.
I.a para bardar.
Vende sela para bordar, a melhor qa se -de.
! encontrar, tanto na pialidade, como nas ro
65400 a libra : nas lojas do beija-flor, roa d Qoei-
mado ns. 63 e 69.
Nas mesmas lojas se encontrar sempre grande
; sorlimento de miudezas toas, e rrais baritas >
que em outia qualquer parle.
Vende as urna cabra bialw, aaaa e bnnia. r
dando muito bom leite. 1 qual da I 1)2 prrafo :
na rua da Imperatriz 11. 1*.
VENDAS.
Vende-se caixoes vazios pronrios
para halinieiros e funeiros a 1$760
Prwisa-se fallar ao correspondente do Sr.
Augusto Dias Martins, negociante do Aracaty, a ne-
gocio de interesse do mesmo senhor; e para isso
pedese-lheque se sirva de
sua residencia.
Potasaa da lliivsiu.
da mais superior desembarcada hontem : vende-
se no escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira A
Filho, largo do Corpo Santo n. 19. ^^^^^
Muita attentfo.
.1 ioja de miudezas da rua da Imperatriz n. 78
' '"B31* e I vende-se mnito superior linhas de novelo branca
Na
Aluga-se urna casa em Rehenbe
com J. I. M. Reg, na rua do Trapiche n. 34.
< asa para alngar na rm (iresan.
Aluga-se a principiar em 1" de Janeiro prximo
futuro o sobrado de tres andares da rua do Crespo
n. 9 : qaem pretender, dirija-se ao estabeleeimen-
lo da I -ja do mesmo sobrado, ou uo de n. 13 da
mesma rna.___________________________
precisarse de um menino para urna taberna
na Estrada Nova : a tratar na rua do Cotovello n.
i, tatierna.
de n. 16, a 80 ris. e pelo derainuto prego de 2,400
a tratar | a libra de igual sorthnento.
i4' t*>ia d furto.
Na esquina da roa da Madre de Dos ha nm
completa ortimeolo de fazendas, caicados e roupas
feitas, por grecos muito baratos.
inho verde
em barris de B" para particulares e
Vende-se um excellenle sitio rasa boa
le vivenda, tendo coebeira, estribara, qaart par
pretos, latrina. tanque, carimba rom b mha. ele.,
com multas amlniai. em chaos proprin. na-
piiiiiia Velha, casa que foi do Sr. Sebast Jiis
Gome- Pessoa : a tratar na roa do Inspiradla a.
46. armazem.
Vende-se a taberna da rua da Sesxalb N.vj
n. 2 por seu dono precisar fazer ama viagem : a
Iratar na mesma.___________________
Vende-se urna c.va na estrada da Carban/a.
perto do sobrado grande, tosa cimiuihkIo* aara fa-
milia e para negocio : a tratar na B->a-Vista. n:a
do Cotovello n. J.________________________
Vlaiho verde de Maam.
Vende-se o legitimo vinho veril
da rua do imperador n. 14. esqmaa
do Ouvidor a 500 rs. a garrafa.
Veiide->e um (omomelrn nurit> inglez do
melhor fabricante Qiarly Fnnlakaa. -3bncaa4n
seu regnlamento, por diminuto p*ee> : a traur
na rua Nova u. 21, loja de Franci-ra J. fet-
mano.
ao ar
da travs-.
Goinnima.
Vendem-se saceos nm ui>erior foomut H
a arroba : a tratar no iraptcbe Bario do Livra-
mento.
Pechmcha.
chap* de eaaassr mrel* a
.ti Oi'flris
: na rua do Queimado 11. 43. para acabar. gro*d<>
na pie de cor para resudo de s-nhora e nvaina-
I a l.'iOO e 45280 5 ua r:n do Qoeiosarie, eaai
: que volta para a Congregaran,_____________
muito snpertor
Col de Lisboa
na roa do Vigario n. 19, primeiro andar.
fi
30H de gralileaeo.
A quem capturar o escravo crloulo de nome Ba-
zillo, rugi em 24 de otttubro corrente, de idade 28
snnos, estatura regular, cor fula, tem urna herrn-, laaiai,nos norpreco coinmodo : na rui
gaflo queixo, tem (alta de denles, pes apalhetados, R ,,34.
em pipas, Oaoaixo a*signails vewse o *m* ip
lugar da Torre por commodo preuw. o aal aaV-
- eco coomodidade para se morar anisar a tostar
no caso de nao apparecer comprador, laasaesa **
auiga o referido silw. l'iaa das naturas, que
tem e. ler o banho a p->rta, e ler porto franco para
embarque e desembarque ; a tratar curo m*-av
aliaixn aigDado, roa do Imperador a. It. Jo->
Vende-so espanadaras de tolas as qualidades e Mariano de Aranquergue.
da Senza-
pisa nas pomas dos ps por causa de ler calos nos
Vende-se urna escrava de 23 annos, baslan-
desnaxae^eil far nuhlieo c rede noliria aue calcanhares. levon veyudo calja de brlm branco, vende-
recode I tESSSSSi! de's^ mu v que So cora- camisa de algodao branco, chapeo do Chile usado, te * tratar iu raa da | metter algum desacato, como acaba de formar a. e usa de.alpargaus : quem o pegar levo a rua D.. | dnatsaesan em oagommar,, wsMiar coser na
mesma senhora.
reita n. 30.
smdaofe
farae
a. 6
rua da taaperairiz n. 35, primeiro andar.
Vende-se a mearlo da c.
dade n. 44, com 6 qaanos, 2 1
bom quintal: a tralar na raa da
Vndese eal de Lisboa aow e toa, mais na
rato do qne em outra analqner parte : no larga m
S. Pedro n. 17.
MUTILADO


Diario *e reraamlmeo Qaarta lelr de Outubro 4c 1S4.
;
SMapoles baratos.
Madapolao mullo fino e largo com 2i ardas por
95, dilos a 5 por terem um pequeo defeito ; ve-
nham ver estaadmiravel pechincha, na loja da ra
da Madre de Dos o. 16, defronte da guarda da
alfandega. _________________ ____
l lhlliq JlinpHorPS IMirn TP-' Sit"orinr lquidac de faldas para a (esta
AIDUnb SUpeilUietj par IC baralissimo prrco, tallo para o sato com
tratos.
A Aguia Baanca seropre disposta bem servir e
agradar a sua boa freguezia, mandou vir e acaba
de receber um bello sortimento de albuns de supe-
rior encadernaeao e apurado gosto, cora especiali
para a praca, na loja bem conhecida d Arara,
ra da Imperanu o. SO de Luurel(o P. M. 6ui-
mares.
Ao barateiro da Arara a li00.
Vndese cortes de chitas com 10 covados a
tina da Senzalla \ova n. 42.
Cortes de la a Haria Pa a
1 quera tem gosto e dinheiro, um lbum assim per-
, feito sera duvida o raais apropriado para elle
e!8,J.
DE WASMAN
As pastilhas digestivas com a pepsina de Was-
man, cmpregao se com successo h j alguna
annos pelas celebridades medicaes de Paris,
Londres, Vienna, etc., em todas as incommodi-
dades em as qnacs a digeslo Vdifficil, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivel: eis o melhor
remedio para curl as
GaatralaJaa.
Dlaprpataa.
Emba-ara* u.trlro.
A "rlc.
Aa affrerea orcilnl-
Dlarrhran e a ranatl-
pnrno prariuxlrtaa
prlni rluhorarora
d rfr rttioaaa (loa all-
nir lilon
Em todas as molestias empregao-sc a miude as
aguas alcalinas, cspcrialnrente a agua de Vichy,
c igualmente as pastilhas de Vichy. Essc meio sd
efficaz quando se trate de dispepsias de curta du-
racio, mas o prolongado uso das aguas e pastilhas
de Vichy, tcm grandes inconvenientes, por quanto
os alcalinos empobrecem o sangue e isso de tal
maneira que lhcs arreblhio a parte vivificante,
nutritiva e reparatriz. Com a pepsina, a contrario,
como ella urna substancia orgnica, albuminosa,
transforma-sc ao mesmo lempo que se effeciua a
transformacao dos alimentos assimilhando-sc
como riles c ajudo tabcm como ellcs a nutrico
peral. Sua an.-;o vivifica o sangue c os rgaos
2c tal sorte que, alh as pessoas que sem soffrer as
afleceocs gstricas cima mencionadas sao nica-
mente iracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, o necessito substancial alimento para for-
tificar se, acliio no emprego das pastilhas pep-
sina de Wutman, um poderoso meio para a isso
cliegar.
Aviso importante. O successo das pastilhas
pepsina de Wasnum diu causa a se fazerem fal-
silicacocs e imitacoes d"esse producto que os
mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
boa prcparaeao a pepsina que n'clla entra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'eslc inconveniente,
exigendo os compradores que as pastilhas tenho
as inicia.-s B. P. c saiao da |ihannaciaChevrier.
Depsitogeralem Paris, pharmacia CheVrier,
21, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes eslrangeiros.
m
se depositar os retralos de haros pas,' bons pa- m Vende-se cortes de la com barra, os propria-
reutes e amigos. Em quanto, porm, esses albuns mfDle ? Mana P'a % *6 na rua ItnPe"
se tornam notaveis por sua perfeicao e bom gosto, lr"> ,0J* aa Arara n- 5o-
outros recebidos na mesma occasio, se tornam re- Arara vende alpaca para vesUdos de senhora a.
commendados pela commodidade de procos vista 3G0 rs.
da boa obra. Assim pois o pretndeme ser ser- Vende-se alpacas de lindas cores 1 i as para yjs-
vido conforme o dinheiro que quizer dispr para tidos de senbora a 360 e 400 rs. o covado, lazi-!
esse ttm, achando sortiraeuto para 54, 50, 60 e 80 nhas para vestidos de senhora a 240, 32o, 400,500
retratos: na rua do Queimado, loja d'Aguia Bran- e 600 rs. : na rua da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
t Las litas de cores a 600 rs.
Vendem-se lazinhas lisas de cores, a saber:
M
2.8 3 *
. O
i -l l- -r. en 3
5 (t a. 2 3 5'
B*3a>*"|ttrBs
3 -g 3 g 3 S"5'-5'3
2.3Sg =
CA
o ra
?5 5r?" c
a
a-
*>
i
3
i
v
O
tr
I
o
s
Jai
3
o
o.
ta
Ul
3*
i
TS
D"
U
3
r-
O
0
O
s
3
o
-i
a
a.
o

-
s
D.
til
3
3"
B
V
"i
o
O
-i
O

ca n. 8.
Carteiras e bolsas para
viagem.
Na loja d'Aguia Branca, roa do Qneimado n. 8,
vendem-se carteiras com crrelas para traze-las a
tiracolo, e bolsas de tapete, ludo para viagens.
Perfumaras inglezas.
A Aguia Branca, conhecendo a bem merecida
estima que os apreciadores do bom dio s perfu-
maras inglezas, por isso mandou vir o esplendido
sorti ment que acaba de receber, e os acreditados
nomes dos bem conhecidos fabricantes J. Gosnell
& C, Napoleo Price & C. sao bastantes para co-
nhecer-se a superioridade dellas. Consisle esse
bello e variado surtimentoem pequeas qnantida-
des de differente* e agradaveis extractos de pri-
meira quahdade em frascos do diversos tamanhos
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que
vem em urna carteira de tres, com os quaes por
sua elegancia e bondade se faz um bello presente ;
assim como outros frascos com finas essencias con-
centradas, outros com excellentes leos para ca-
bellos, e outros finalmente com agua de Lavander
sublimada ; e bem assim finos sabonetes em paco-
tes e cailindas com tres, bonitas e delicadas al-
mofadinhas com pastilhas em p, as quaes deitan-
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem so
deixam toda a roupa cheirosa, como afugentam
baratas, trabas, etc., etc. Em quanto, porm, a
commodidade dos precos j nao entra em duvida.
urna vez que o pretndeme compareca munido de
dinheiro e disposto a fazer gasto na loja d'Aguia
Branca, rua do Queimado n. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excellentes brinquedos para crianzas : vendem-
se a 500 rs. cada urna : na rua do Queimado, loja
d'Aguia Branca n. 8.
Fspelhos com molduras pretas
e douradas
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
oebeu um bom sortimento de espelhosde differen-
tes tamanhos com molduras pretas e douradas, e
os est vendendo por presos commodos.
Papel ifiglezm
A Aguia Branca, na ma do Queimade n. 8, re-
cebeu um novo sortimento de papel inglez liso e
pautado, almaco, de peso, e pequeo, vindo deste
lambem com beiras douradas.
Eufeites invisiveis
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, rece-
heu novos enfeites invisiveis, os quaes pela finura
do tecidn e bnm posto tem merecido tanta estima
Preparos para flores.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
cebcu novos preparas para flores, sendo papel de
cores para rosas, dito verde para folhas, folhas de
panno e velludo, caixas de trigo, ditas de uvas
A Hendi
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
LIAJ\C%
DE
roxa, encarnada, cor de l.r.o cor de caf e cor de d r des,perceb,do sem que Dio dsse
cinza, para carpas e vestidos de senhora a 600 r. o spn *_ ._. nnllnRar aa resneitavel nubli-
0 Vigilante est alerta, nao lhe era permittido
xar passar desapercebido sem que nao dsse c
. su canto, afim de annunciar ao respeilavel publi
covado d.1 de flores a 240, o20,400.500 e 5W.:, de sorlimemo de ea|anterias do melhor
na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara. ; gosloepropran)t,nte para qualquer mimo que aca-
Ulcbas da Arara de .<> a 4tf. | ba de Cnegar Deste ultimo paquete, assim como
Vende-se colchas de chita para cama a 25, ditas mutos outros objectos que recebe por diversos na-
de damasco a 44, ditas para coberUs a 320, 360 V10u como de consignadlo que
e 4t0 rs.: na rua da Imperatriz n. 56. | esia resolvido a vender por presos muito baratos
A Arara vende cortes de calcas a 1 ,S000. i para vender muito e ganhar pouco, e dar extraco
Vende-se cortes de calca de brim a 1A600 e 25, o grande deposito que tem, que espera merecer a
ditos de casemira a 3, '45500, e 55 : na rua da proteceo do respeitavel publico empregando para
Imperatriz n. 56, loja da Arara. I isso todas e as melhorcs diligencias para que fi-
Koupa feita da Arara I quem salisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, rua do
Vende-se palitots de casemira de cores a 55 65,: ^resP n- 7-
85 105 e 125, ditos de panno preto a 85,105000, i Ricos porta-jotas.
125 e 145, ditos de alpaka a 35 e 45, ditos de Cofre de muito gosto por
brim de cores a 25500,35 e 35500, ditos de brim i Cestinhas transparentes forradas de ma-
branco a 35 e 55. calcas, coletes brancos, seronlas dreperola por
francezas a 15600 e 25, ditas a I528U, camisas' Lindas jardineiras.
francezas a 15, ditas di- linho inglezas, pregas lar-1 Bicos cofres com camapheu.
gas, a 35 : na rua da Imperatriz n. 56, loja. da Lindas caixinhas com pedras brancas.
Arara. i Lindo balo coro calungas dentro, tam-
A economa, a saber: colarinhos econmicos a 600 i bem para joias.
rejs Tambalier para ditas.
Vende-se colarinOos econmicos a MO k. adu-! gSSSSmS'Sks.
zia, meias cruaspara homem a 200, 240,360 e 500 ,Trn.n,.a<
rs o par, ditas para senhora a 320, 400 e 500 rs %n?^gilanlf. roa do crespo n. 7.
len5os brancos com barra a 200 rs cada um, ditos, R bou,Iue,es de diversos gostos e pre
Unos a 320, ditos de l.nbo a 500, 600 rs. cada um,: ^ J g Vigi|aD'.e) rua do Crepo S. 7.
Ricos sinlus
165000
185000
105000
105000
105000
165000
95000
65000
65000
65000
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
57 RUA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
iJ Ira qn.il-
MASSA E XAROpT
COM CODEINA
Preccni/.ados por lodos os mdicos contra
as Defluxos, a Grippa c todas as Irritacoes
do petlo.
AVISO
Falsilicacoes reprchonsiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da lassu de tierllu\
nos obrigao a recordar que esses productos
to justamenle
Horneados nao se
enir-gao senoem
boectas e em fras-
eos com a assigna-
lura aqui indicada. j-"".''<"" **
tal, ru Saiitt-llonor, NA pharmacia no
I.UVHB, c em todas as pharmacias.
Deposito geral em PemainDnc rua da
Cruz d. 22 em casa de Caros cV Barboza.
H.illllOSCOIII mdas, pairles.
Muinhos grandes com rodas, patentes, e afianza-
dos pelo fabricante para moer caf, e proprios pa-
ra refinacn por seren de especial qualidade e de
todos os tamanhos : vendem-se nicamente no depo-
site da rua da Cadeia, loja de ferragens n. 56 A,
de Bastos.
s na loja da Arara, rua da Imperatriz n. 56.
Ao barateiro.
No armazem da Arara vende-se cassas a 240,
com bolcinhas ao lado, a 105. 125 e 155, ditos sem
& a O por cento menos odrecO qne sepnaan po
quer parle.
Gneros especialmente escolhidos por um dos socios que na Europa se acha
para esse lim.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabcleci-
mento.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
AO PUBLICO,
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annnn-
cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que lambem
estaraos certos nenhuma atieuco j merecem do publico. 0 nosso lim. pois, i simpl.s-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos pre-
sos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attenco.
Viiilio verde.
Cbegou o muito desejado vinbo do Carlaxo vende-se nicamente neste armazem
a 6oo rs. a garrafa e 3o.ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
04o rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e i,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
iu c i lias au lauu, a iu, i c iiii" ,, __ ...._. j_ / i;l.. ... __
bolea porm do mesmo goste, a 25500, 35,35500 dem em latas de 1 / Hw a i.ioo re.
Arroz do MarantiSo e da India o melhor que
280 e 320 o covado, chitas finas a 240, 280, 400 e ImfoA
500 rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 56. ***s fiveas avulfas para sint0i 0 melhor que se
As percalas da Arara a 5C0 rs. de MC0Blrar a f^oo, 25, 25500 e 35 o par; d 2 5o 2 8oo rs a ar,.oba.
Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e 0 n0 vigilante, rua do Crespo n. 7. i e.ae *'000 .a f'. ul 'Al -. t ,rr*f
600 fs.; chitas iramezas finas a 320,360,500,400 b Clbaws on Cf8,jnnag Azeite doce de Lisboa a Ooo rs. a garrafa, e
e 500 o covado alpaca para vestidos de senhora I A| chegaram as deSejadas cestinhas ou ca- 4,8oo rs. a caada,
a 400 rs. e covado, fustao branco a 500 rs. ocova-, baMg mt^jl)as ,razerem no braco 0 mais rica dem francez e de Lisboa refinado em gar-
da ; na rua da Imperatriz n. 56. I ve, 25{K) 3i500j ki ^ 75 e 105; s no
A Arara vende mitsselina branca a 400 rs. vigilante, rua do Crespo n. 7.
Vende-se musselina branca, fina, a 400 e 500 rs Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que so pode desejar, assim como de arrega^ar ca-
Dello, tanto de borracha como de tartaruga com en-
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores franeczes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
l.ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que so W p'de ae-
rificar com a vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
o covado, pecas de eamhraias finas, lisas 35,:
45. 55, 65 e 75, musselina cambraia da India 85,
e 105 a peca, para vestidos : na rua da Irapera-
triz'n. 56.
brancas e rxas, e como sempre continuam a ser 125500 a vara, brim liso a 500,560 e 640 rs. a vara
vendidos por precos commodos.____________
A Arara vende liras bordadas para enfeilar vesli- feles'e sem e|ie para menina; s no Vigilante, rua
dos brancos. do Crespo n. 7.
Vende-se tiras bordadas de todas as larguras a Mais leques
15, 15200 e 154OO a pega, ntremelos finos a 15 a com pequeo defeito, leques de sndalo rom pe-
pega : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara. qUcno defeito por barato prego de 85 e 105, chi-
Madapolo da Arara a -. nezes muito bonitos lambem, pelo barato prego de
Vende-se pecas de madapolao entestado com do- 45 e 5, bentarallos muito bonitos, tambera por ba-
ze jardas a 45," dito de 24 ditas n. 30 a 65, n. So'O ralo prego de 45 e 55, leques de charo lambem
a 65500 E 75 e 85 n. 5 + 85500 e 95. n. 5 a 105, por 45. ludo isto para acabar, perdendo-se tal-
n. P F a 115 ZZZ, a 125 a peca, pega de algalio vez 80 por cenlo; s no Vigilante, rua do Lrespo
a 55, dito carne de vacca a 65500, dita domestico n. 7.
a 75, dito slcupira a 85, dito pao ferro a 95 a pe- Para segurar manguitos,
ca : na rua da Imi-eratriz, luja n. 56. Tambera chegaram as liguinhas estreitinhas de
Bramante de linho de 10 palmos a 2A8('0. borracha que as senhoras tanto precisam. para se-
Vende-se bramante de linhn de 10 palmos a mirar manviiims nnr er muito commodo t
LOJA lE MKiDrZlS FlUS
16Rua do Queimado10
Enfciles de cabrea.
Riquissimos enfeites de cabega do fcitio de cha-
posinho turca, a o&.
Ditos com enfeites de cascarrilha, frocos e bicos
de seda, a 35
Ditos rom bonitos lagos, a 15280 e 15800 res.
Ditos de tranca e frocos sem lago, a 800, 15 e
15600 ris.
Fivelas e cintos.
i gurar manguitos por ser mtaito commodo e
: barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do ores-
na rua da Imperatriz n. 06. po n. 7.
Panno de linho da Arara. p Leques.
Vende-se pegas de panno de linho para leng Riquissimos leques de madreperola tanto para
e toalhas com 1:1 1/2 varas por 85500 ; dilas coiX senhoras como para meninas, pelo barato prego
27 varas a 165800 e 185 a peca; na rua da Jijj' do 125 e 14* s no Vigilante, rua do Crespo
peratnz n. 56, ,'p- 7.
A Arara vende chailes a 16600 e 35. I) Pentes
Vender chales de merino a 15600, 45500, 65, lambemchegaram os riquissimos pentes de concha
75 e 85 : na rua da Imperatriz n. 56, loja da de tartaruga c de massa fina, que se vende por 25,
Arara. 35 e 55; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
se far abatimento.
bl"a^ie"eS0ie a Coo rs. a libra, lia latas de 1, 1 l
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. a libra.
Macan o. talbarim ealetria a 4oo rs. a libra,
dem branca a 32o a librar;
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco,
dem ingiera em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolhas da
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinlio verdadeiro de Zara a 1,000 rs.
a ganafa, e 10,000 rs. a duzia.
Nozes muito novas a I60 rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a "00 rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez venladeiro,
garantindo-se a qualidade a Too rs. a libra.
Passas novas de carnada a ioo rs. t Ml.ia e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa eslrellinha, pevide e ridinba
etc. a 3",Soors. a caixa, ea56ors. a libra.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
segundes qualidades: savel, con ira. goras
cavallinhas, e pescada a l.ooo a lata.
Palitos para tientes fichados a 14o rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e lo.ooo
rs. a duzia.
\lfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,loo rs.
a arroba.
Bolacliinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em gigos de 36 libras a 1,000 rs.
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, 1,80o rs. a garrafa, e 9oo rs. i
as meias garrafas.
Cb uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a(
libra.
duzia e 2.Iim. n.
Pechincha.
Lencos de seda al e 800.
Vende-se lencos de seda para mao, a 800 e 15,
tarlalana para vestidos, de todas as cores a 800 rs.
a vara, fil liso ordinario a 320 rs. a vara, dito fi-
no a 800 a dita : na rua da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Fazeudas tspeciaes para senhoras, a saber :
nde-se giilinhas para senhoras a 240, 320, 400
Pulseiras.
Lindas pulseiras de tontas e de missanca, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Caetas.
Riquissimas caetas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baralissimo prego de
15500 e 25.
Sapatinhos e meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
FYCcIIcnicina clic^atla no ultimo
*apr
Vende-se na rua do Imperador n. 14, esquina da
travessa do Ouvidor a 800 rs. a libra.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
iO a lata : nos armazens da rua do Im-
perador n. 16 e rua do Trapiche Novo n. 8.
A Ibuns.
J. Falque previne os seus numerosos freguezes
que elle acaba de receber pelo ultimo vapor fran-
cez um esplendido sortimento de*albuns para re-
tratos, de diversas qualidades e gostos, sendo para
20 al 200 retratos e de 25 a 605 gradualmente.
Albuns peiiuenos propnos para meninos de 12
36 reir inhos e de 15 a 15600.
Albuns para desenho de diversos tamanhos e
gostos de 55 305.
Livros de missa, de. tartaruga, madreperola e
marfim, por pregns razoaveis.
4 llua do Crespo 4
Vende-se um sitio em Bemfica margem do
Capibaribe, rom ca>a para granda familia, arvores
de frueto, e algom terreno para planiagao : que.m
o pretender dirija-se travessa da Madre de Dos
numero 7. ____
II rhias e prensas para aladao.
begarara agora da America as verdadeiras ma-
cbinas de diversos tamanhos para descarogar al-
godo e prensas do melhor systema para enfardar
o mesmo: a ver e tratar na travessa do Carioca
nj________________
Superior cal de Lisboa.
JSende-se superior cal de Lisboa a mais nova oue
ha no mercado tanto em porcao como a retalho,
por barato prego afiangando-se aos compradores a
superior mialidde': a tratar as seg inte ras
Crespo n. 7, Imperalor o. 28, Forte do Mallo
mazem do Sr. Villa defroote o trapicho do
jjodao.
tunas e cinios. Venae-se gminnas para sennoras a *w, .v, *uu ".'"?".......--,-~ -zzrr- -.- mm- _-,.,:
mper Soutembarque da Arara a 8A e 10^. JSlfci r m
Vende-se soutembarques de cores para senhoras' lindas volt.nhas de parolas falsas com cruz.nhas
a 85, 105 e 125, ditos de
a 205,255 e 305, capas preta
255 e 305 : s na loja e armazem da Arara, rua
da Imperatriz n. 56.
a 15600 e 35.
Riquissimos cintos de galo dourado. prateado e
de ouiras cores com riquissimas fivelas e borlas,
a 35500.
Dito ditos sem borlas, a 15500 e 25.
Fitas e cascarrilhas.
Riquissimas titas de gro>denaples lavradas, bo-
nitas cores e padres de qualro e cinco dedos, a
15500 e 25.
Dito ditos de grodenaples de todas as cores
com dnns, dous e meio. qualro e ciuco dedos, a
500, 640.15280 e 15600.
Dilos de gorgurao para cintos, a 15-
Pegas de tita estrena de tolas as cores, a 320.
ris.
RIVAL SEM SEGUNDO
itua do Queimado ns. 49 e 55, loja de miude:
Jos de Azevedo Maia 6c fi, est continuandi
.,.. de flta de linho para debrura, a 160 e 3201 Jjr -~^^>** dar **
Dila de fita elstica, a 240 e 320 ris. I Cw%de alueles fraDcezes da melhor 9*
De^rri^d%?SrS le ac inglezas da melhor qua-
larguras, a 15, 15600 e 15800.
Dila fle tranca lisa preta e branca, a 80 ris.
Dita de tranga branca lisa de viole ciuco varas,
a 320 ris.
Fitas para enfiar esparllllio. a 60 e 120 ris.
Varas de aspas para balo, a 100 ris.
Voltas de coral de raiz pequeos o muito gran-
des, a 500 e 25-
lidade a 640 rs.
Caixas de clcheles francezes de superiores qaa-
dades a 40 rs.
Grosas de boles de madreperola muito finos a 560
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oitavas de retroZ preto fino a
640 rs.
! Resmas de papel de peso liso muito superior a
a de cores para senhoras UBOas voitinnas ae peruias laisas com crunuuas
grosdenaple pretos finos Bngindo brilhantes, assim como ruzinhas. aviilsas
.rpias nara dilas a 205 e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as
!E!!J*K% cruzesavuls asa400rs.i s no Vigilante, ruado
, Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquosissim enleites com lago e sem lago e
ootros.muitos gostos a 15, 15500 e 35 s no
guante, rua do Crespo n. 7.
Traneelins.
Lindos traneelins ae
netas, pelo baratissimo prego
retroz a 200 rs.
Babadinhos ntremelos.
Riqnissimos babadinhos enlremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 5500, 25 e 3#; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinbas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de litas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
leiros que se pede vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de lia.
Fitas de la de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
liicos tspelhos.
Riquissimos espelhos cum moldura douraJale
sem ella de 85, 105, 125 e i^i, ln eomo com
columnas de differentes tamanhos a 25,35,45, 55
e 65; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido; s ne Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Haixaseeracemenvelopes com co.a, a640 ri, | Carritis cora ,50 jardas de linha branca a 601 J^ISf^S^.^SK
Pentes de regago dourados I>abei, a 25,
Ditos de borracha muito tina, "a 800 e 15-
Ditos de concha dourados para alar o cabello,
dem do gz a loo rs. a
a gruza. t
Painco mudo novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ultimo vapor, a 2.."ioo
rs.
dem prato muilo fresco a 800 rs. a iibra e
sendo enteiro a 72o rs.
Vullas pretas a Mara Pia pequeas
grandes, a 800, 15280 e 158i>0.
Pulseiras de cuntas azues e brancas, a 800 ris.
Ditas de aljofares de cores grandes, a 15*
Luvas frescas de Jouyen brancas, de cores, a
25500.
Dilas nao frescas brancas, a 15-
e muito: 25000.
Grvalas da liga e de outras multas qualidades a
500 rs.
Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de botes branco para casaveques de senho-
ra a 100 rs.
Pegas de fita de cs estrellas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
B neeaa de panno, a 160 ris.
Ditas que choram, a 160, 400, 640 e 5280.
Pecas com dez varas de bicos pretos, a 15500 e O EipoMior Portuguoz para os meninos a prender
2500a
Varas de labyrintho francez, a 100, 140, 200, 320
e 400 ris.
Duzias de bonitos boles de vidro, a 320 ris.
Escovas para lentes, a 160, 320 e 480 ris.
Ditas para limpar unhas e ouro, a 640 ris.
Ditas para cabello e roupa, a 640, 800 e 13.
Oculos de armago, a 610, lj e 15280.
Toucas o sapatinhos de la, a 800 e 15- ___I
Toncas de blondo de seda enlejiadas, a 15->00
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
(lamidas da douinna christa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes finos de marfim a 15000, 15200 e 15500.
Pares de luvas de seda para homens o senhoras a
500 rs.
Gollmhas para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
e 25. 1 Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
Sapatinhos bordados de merino e setim, a 1500 15000.
25 e 25500. Livros que serve para assentar roupa, pelo dimmu-
Caixas de penas de langa e caligraphicas, a 608' to prego de 160 rs.
1 Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Caixas de panel pequeo pautado, a 640 e 720'. Cordao branco para espartilhas muito superior, a
rjf. vara a 20 rs.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra,
dem preto homeoptico a 2,0oo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a 1,000,! ^^^^ u>s j, vi(lr0 a :;0 rs ,.3,,a
l,2oo e l,4oo rs. a libra. __
Charutos do afamado fabricante Jos Fur- Sevadin,ia fIc Frail,a a 18o rs. a libra.
tado de Simas e outros da Pabia como Seva(|a a ,()ft ,.s a libra
sejam regaba, trovadores, guanabaras Toucinho de LislKia a 24o e 32o rs. libra.
delicias e suspirosa l,(>oo, 2,ooo, 3,000 -^ pa|.a ,mpar facasa i5ors ,,1lla lim.
e 4,ooo rs. a caixa^ vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
Conservas inglezas a /5o rs. o frasco. ^ rs a canada
dem francezas surtidas ou de urna s qua- m arraf0es com 3 rafas a -0flO
lidade cada frasco a 000 rs. u fS b
Cognac francez e inglez a 1,000 rs. a garra- ,7 do Porlo com arcosde ferro a 32o
fa, e 10,000 rs. a duzia. j .
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra. rs- cad UIUd-
Cravo da India a 600 rs. a libra. Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
Canella a Ooo rs. a libra. i cada urna.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo 5,ooo Velas de espermacete superiores a 56o rs.
e 5,8oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um. a libra.
d.e Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra, dem de carnauba refinada e de composicSo
Vl' e 7,5oo a 8,500 rs. a arroba. 1 a 36ors. a libra, e de lo,5oo a 1 l,onora.
Doce de goiabt superinrem latas, a 2,ooo rs. a arroba,
cabeoo para relogie ou lu- Ervilhas portuguezas em latas chegadas ul- Vinho em pipa,
prego de 15500, dilos de limamente a 64o rs. a lata. das marcas ri
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo
rs. cada urna.
Porto, Lisboa e Figueira
1 menos mohecidas a 4oo rs.
a garrafa e a 2,800 rs. a caada.
dem Figueira especialmente escolhido nesie
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
i caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
ris.
a 320 rs. cada um ; s no
a 25,
Ditos dourados com as marrafas, a 25 e 45-
Garrafinhas e frasquiBhos de extractos, a 160
200, 320 e 15
Sabonetes de bola grande, a 320 e 400 ris.
Frascos de vinagre aromtico de Venus, a 15-
Frasco[de tnico oriental de Kem^s, a 15500.
Cartes com 200 jardas de linha branca garanti- SKtTwAf"
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
Grosas de pennas de ago superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
lhas a 160 rs.
Pares de botes de ponho, oh que pechincha a
120 rs.
Tinteiros de vidre com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 n.
1 J.l-l iliui iwini.i/ l'ii'.ooo a.\. >(-.-, a tpuvvi ------------------ ~
Ri.|Uis?imos cabazes de vidro com perfumaras, Grosas de botes de louga prateado muito nnos a
a 35-
Legtimos frascos de sndalo, a 1550.).
Frascos graodes com banha franceza, a 800,
ris.
Caixinhaslcom extractos, a 15, li5500 e 35-
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a 500
ris.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de seguranga a
160 rs.
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a 640
ris.
Vende-se
dnas grandes mucambas reeolhidas, de idade.de Caixas com 20 qmderops de papel amizade, moito
15 a 18 annos, cem as principaes habilidades e fino a 600 rs.
melhor eondpcla : ca travessa doCarmo n. L, Quaderuos de papel pequeo muito fino a 20 rs.
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
linctivos e offerecimentos as sinbasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a 25 e a 15, assim como outros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e a vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Airi
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor
deaux, dilTerentes qualidades, mais barato que em
ualquer parte : no armaiera de E, A- Burle Si
., roa da Cruz n. 48,
Favas portuguezas em latas chegadas ulti- Um L^vra()io> Co|aies muil0 fresr0 fem
mmente a 640 rs, ooroposico a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo
Frutas dem em calda, pera, pecego, alper- r cana(ja
se, rainha Claudia e ginja a 7oo rs. a lata. w ffl de \-^ hranco uva 5^ a
Gra.xa nova a loo rs. a lata e l,ioo rs. a garrafa; e 45oo fS a canada>
n duzia- lft ... dem Porlo fino em pipa a 860 rs. a garrafa.
Gomma mudo a va e nova a 16o rs. a libra. w engarrafados generosos Lagrimas do
GenebradeHollandaemrrasque.rascoml2 Douro Duqne do Porto, D. Luiz I, I).
frascos a 5,8oo rs e 560 rs. o frasco pe(Jr0 y Neclar> vel||0 secc0f Ma,Tasi(>
dem em botijas a loo rs. cada urna. Genuino, Particular a 9oo e 1,2oo r. a gar-
Idem em garrafes de 16 garrafas a 4,800 arafa e a lo 000 rs a aix3 m oina dD.
rs. com o garrafo. a
I'dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um. '
dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra-
com rolha de vidro qualidade superior a fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
1 000 rs a garrafa. dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
frasco e II OOO a fraqueira de 12 frascos. Juen, St. Esteph, chaleau la Rose, chalau
Kirsch Wassr excellente bebida suissa a Margoiu e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
1.800 rs. a garrafa. I 56o >a garraa-
CEIi%K.I % E.U UAItltlli
a 55 OO rs. o copo
lueijo de .loas chegado no vapor
dem prato mnlto fresco
dem suisso superior
dem londrlao superior.
57 Rua do Imperador 57


DUrlo de Peruambuco Quarta fclra de Outubro de 18414.
COMME
Grande liquidacao.
Rua da Itnperatrlz n. O.
Luja de fajeadas do Pavao de (ama & Silva.
Acha-se este estabelecimento completamente
sorlido de fazendas inglezas, francezas, allenias e
suissas, proprias lano para a praga como para o
mallo, proimitciido venderle mais baialo do ijue
em outra quahiuer parle principalmente sendo ero
porco, e de todas as (alendas do-se as amostras'
limando car peohor, ou mandam-se levar em
casa pelos caixeirosda toja do Pavo.
As chitas do Pavo.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato prego de 240, 260 o 280 rs. o covado, timas
seguras; ditas franerzas de cores seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muilo superior e benitos padrocs : s na loja do
Pavo.
As lazinhas da eiposico do Pavo.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarques por serem lisas e de cores mnilo
delicadas 560e500rs. ; ditas lisas com um lustre
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
Pereira Rocha 4 C. acabam de abrir na rua do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commer- ?"*dri^^^s!^i?.^r/:5^d.0'o?..Fa[a.?c?
cial, onde orespeilavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionfda; garante-se obom
peso o boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
RUA JIO QUEOIAUO \. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
mmm
NOV1DADE
baV : na loja e armazem de Gama & Silva, rua da
Imperatriz n. 60.
Os vestidos do Pavo.
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido
de la
AT? ?? Maranhao, India e Java a 60, 80 e; Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220 barras dee6r7corpin%o e'cXte^rad"; ditos
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000 Painco a 200rs. a libra,
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600, e em frascos grandes a
2 ?500.
dem em caixinaas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 102OD, 10400, 106OOe2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelllas muite grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030' rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a bairi-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra -e
em barril a 400 rs.
Cha hyssm, huchin e perola a 10600, 20,
25500, 25800 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerve.a preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac infflez fino a 90 > rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72' rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especi tmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
250 o, 20200, 20500, 20.SOO, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs: a libra e 85500 a 85800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevad a 80 rs. a fibra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. | dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
dem londrino chegado no ultimo vapor a 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
900 rs. a libra. Farinha do Maranhao a 100 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs dem de trigo a 120 rs. a libra.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e ovo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de I impar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem slearinas muito superiores a 60O i
libra.
Eigos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Yinho do Port engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Veltio de 1815, Duque do Porto,
Madeira, O Pedro, D. Luiz I Mara Pa,
Bocaire Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a du*i.
dem Morgaux e Chateaulumini de 1854, a !#
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs.
I200rs. a caada.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
com listas de seda e tambem com barras e enfei
tes para o corno, por prego mais barato do que em
outra quaiquer parte, e se quizerem urna prova
do que se diz, mandem ver loja e armazem do
Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos Mara Pa. S o Pavo (80000).
Vndem-se os mais lindos vestidos Maria Pia
de lazinha transparente com listas, e palminhas
de seda pelo barato preco de 85 cada corte : s
na loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
As cassas do Pavo a 240, 280, 300, 320 e
360 rs.
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qaalidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas linas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinha e. aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinba com 12 libras.
Nezes muito novas a 160 rs. a libra,
a garrafa e Peixe em latas preparado pela primeira arte
de coznha a 15 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs. Palitos de dentes a 160 rs. o maco.
Alm dos gneros cima mencionados te- dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas-e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o melhor possivela
retalho- 25 e em caixao a 640 rs.
Quem comprar de 1005000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abate de 5 por-cont. Passas muito novas a 480 rs. a libra.
dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 50500 S o Pavo vende as finissimas cassas persianas
p 7/1X00 rada nm r/vm n oarrafan imitaco de la, com cores (xas, 360 rs. o co-
Graixa alOO rs a late ell 00 a duzia %< branca a lUUrs. a lata eidlOO a duzia. e320rs. o covado, sto para acabar : rua da
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. Imperatriz, loja de Gama & Silva.
dem, quaiidade especial em garrafas muito Os madapoloes do Pavo
grandes, a 10800 a garrafa. Vende-se peca de madapolo infestado com 12
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. a;das.cada P6?8 ^ bara.10 Preco de ** '*802e
ij.m ._, ,,_..* #__. a*\ ii j 5* cada peca, fazenda muito superior : so o Pa-
Iden, em garrafa forma de pera e roldas de vo ru dYimpminz 50, notando que a peca
vidro, a 10000, SO a garrafa vale O di- leva urna etiqueta rom o Pavo pintado para nao
nheiro. haver duvidas era engaos : isto previne o Pa-
Manteiga ingleza perfeitamenle flor, desem- Ia0'de Gama Bramante de liiiho do Pavo
2*f- -SOO. 206OO.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por prego muilo commo-
do, por ter de a<-abar a factura, a vara por
25200, 25400, e 2,5600 ; s o Pavo : rua da
Imperatriz n. 00 de Gama & Silva.
Panno de linlio Pavo.
0 PROPHETA
AO ItESI'JElTAYElj PUBLICO.
RUA DAS CINCO POMAS N. 86
esquina da nova travessa de H. loo.
Desejando o proprietario do grande armazem do Propuefa dar lar-
gas aoseu genio emprebendedor, commeicial e especulativo, resolwu ceder a inspirar,*,
que o assallou, quando as horas raladas da noite o stu solicito espirito se agilava r.'i.tn
turbilbao de ideas, tendentes todas bem sei vir e agradar aus mjMM habitantes
desta bella provincia, de abrir mais este grande etabeleeimcnl de utos t
escolhidos gneros, quasi que especialmente destinados s pessoas que a oran na fre-
guesa de S. Jos, e aquelles senhqies que transitam pela va fenea, para qutn en w-
dade sao sem conta o numero das vntagens que se Ibes oflerece, nao m r< in relajan a
modicidade dos fretes, como da facilidude e brevidade da condurco dos objeclm cn-
prados.
O sonho do Prophctfa ser urna verdade pratica to acceita e abracada romo as
palavras simples e bem intencionadas dos velhos patriarchas desses lempos idos, si o Se-
nhor Deus dos exercilos nao o quizer contrariar.
O Prophela nao querendo resti ingir-se a forma ordinaria de negociar resobro
tambem, depois de profunda meditacHo, de nao vender snienie os sus gneros a d.-
nheiro correte ; mastamhem de por em pratica troca delles por outros da preduoW
do paiz ou por escravos, bois. cavallos, etc. Assim, pois, lique na inteltigenria de \tHs.
que o propiieta receber como moeda de quaiquer dos sonhores agcHlorct, ttm r
algodo, agurdenle, milito, feijo, cavalles, esclavos, etc., etc. e Ibes dar o niesmo valor
em gneros, escolhidos a contento.
Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objer t< >> re-
cebidos por troca, o t- ropbeta n3o demorar a diflercnca que deve dar em dinhe ro.
Um estabelecimento que com lautos sacrificios e despezas acaba de ?er aberto
deve inspirar a todos a cerleza de que se vender muito barato com o lim de se adqui-
rir credilo e freguezia.
.V aruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80,
Il'O e 120 rs. a libra, e a arroba a !800,
205UO e 2800.
Amendoas 280 rs. a libra.
Ameixas francezas a t 1200, 10400 e f#600
dem em botija a 3'>0 e 400 rs. a botija
Graixaem lat sa 10200 a duzia.
Limonadas de diversas fructas a !OO i.
frasco.
Licores inglezes e francezes a lOOO, I|50
e 20 a garrafa.
em latas, frascos e lindas caiebinbas muito! Lingoas americanas a 800 rs. cada urna.
proprias para memosear alguem,
Amendoas confeitadas em frascos de vidro
a 10 o frasco.
Alpiste a ICO rs. a libra e a 40500 a arroba.
Azeite doce francez a 90o rs. a garrafa.
Azeite de Lisboa a 040 rs. a garrafa e 40800
a caada.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar- Azeite docecmboicscom 9 garrafas a 50500
gura propno para lences e toalhas de mo pelo com 0 botao.
baratissimo prego de 640, 720 e 800 rs. a vara, al- Azeitonas por todo 0 preco.
godozinho com oito palmos de largura proprio Bisctiitos inclezes de diversas marcas a 10300
para lencoes, pelo baratissimo preco de 1-3 a vara, i .
assim como tem o melhor algodaozinho tanto em : ,
largura como em corpo, proprir para lentes, ca- Bolachinhas de soda, oval e lunch a 20000
misas deescravos, ele, etc., prec muito coinmo- a lata com o libras,
do A visu da fazenda; s o Pavo : rua da im- Bolachinhas americanas em borricas 26
peratnz n. 60, de Gama & Silva. 2500i>
Algodaozinho com toque de avaria a 4,000 ris D ', i ^iu i i opa
a e j roo Banha de porco da melhor quaiidade a 360
Vende-se peca de algodaozinho por ter um pe-' rs" a "ura*
queno toque de avaria, mas que esta em bom es- Batatas em gigos e caixas por todo o preco.
lado, pelo barato preco de 4 e 4^300 a pega ; s Caf moido a 100' 00 OU ^0000 a arroba.
: rua da Imperatriz n. 00 de Gama & Caf superior a 70500, 8000' e 80500 a
arroba.
l
MACHINAS DEPATENTB
Silva.
Os gua
de trabalhar mo para
de&carocar algodo
FABRICADAS
Por Plmt Brothers & Q.
OLDAM
!
Cha nesto genero temos o que b de melho-
assim como lambem temos baixo pelos pre-
cos seguintes: i04'O, 40ril(', 10800.
20400. 20601. 20800 e 30010 o fino.
Charutos de lodas as melhores e peores mar-
cas do mercado a 80<, 10000. 10600, 20,
20800,30000, 40100,50000, 50500 e 60
o cento.
GRANDE E SMPTOSO ESTABELECIMENTO
DE
MOVOS E ESCOLHIDOS GEXEKOS
TAMO EM GROSSO COMO A RETALHO
60 RUIl MOVA Otl
Ultima casa junto a ponte da Boa Vista.
DUAS PALAVRAS.
Estas machinas
podemdescarocar
t;ual-|iier especie
!e algodao sem
estragar o lio,
sendo bstanle
duaspessoaspara
o IraUalho; pode
depcarocar urna
arroba de algo-
do em caroco
era 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
c Ccsse tudo quanto a antiga mu-a canta
c Que outra valor mais alto se alevanta.t
Acha-se a disposiQio do resDeitavel publico este grande e magnifico estabeleci- 'n>po, por dia.
ment de molhados, talvez n primeiro e nico hoje existente em sua especialidade, por- 0s ,nesmos Iem Para vender um bellissimo va-
que o maior capricho de maos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci- SUEJff"; S TmL BS>S%
ment modelo cromoveram a esculla dos mais superiores gneros do nosso mercado, agricultores a virem ver e examinado, no arma-
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi lodos a din/ieiro a vista zem de algodao, no largo da ponte nova n. 47.
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vo ser pelas pessoas que se
dignaron de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
paces, como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos presos quasi do pri-
meiro listo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharo
em nosso armazem os melhores e mais exquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e aquelles que nao podem disportle grandes recursos, que s compram oneces- conhecido ja como tai, est disponte da fazenda
sario, promeitemos-lnes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento. ,'or.!0'lu p,re20,para aPurar dniifiro, quem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e vera o seguinte :
Assim como madrinas para serem movidas por
animaes, que descarofam 18 arrobas de algodao
Saonders Brothers k C.
\. II, praca do Corpo Santo
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Kua do U.ueiroado ns. 49 e 55 loja do Ba'raleiro
econmicos do Pavo e s do
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
apos econmicos e todo linho, tanto para as casas
de familia como para holeis, botequins, etc. etc.,
pelo baratissimo prego de 3 a duzia, isto s na
ija do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
s soutembarques do Pavo
Vendem-se os mais finos soutembarques que Chouricas as mais novas do mercado a 120
teem vindo ao mercado, sendo de raiemira de co- o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a
LS Ad,i[nin.utissimo1 W d'- ,2 ,'ada m dl; ellas que pechincha.
tos de mu^ambiiiue pelo diminuto proco de 95, so ru~ i .I~~i- tnnn tann 11.
na loja do Pavo, mas que se nao eaganem : rua Chocolate magnilico a 10000 e 1 >200 a libra.
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. Ceneja marca a mais acreditada que tem
Atoa Miado do Pavo. vindo a 500 rs. a garrafa, emeia garrafas
Vende-se panno de linho adamascado proprio por 320 rs. branca e preta
PsaraaloaJl,ra,sde me5a* Pelodi"'inu'oprego de 23500 Conservas inglezas a 800 rs. o frasco fazenda
rs. a vara, guardanapos de linho a 55 a nuza,
toalhas de mo a 55 cada duzia, na loja do Pavo,' C||"]ue.
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. dem francezas a 5( 0 rs. o frasco.
12' so o Pavo (a 8OO). I Cevadinha de Franca a 240 rs. a libra.
Quem tem bales por tal preco I Champagne da mellmr marca que iqui tem
Vendem-se os baloes americanos muito superio-j vindo a 20 e 24i o gigo
lxKmmJxCI'tearrV '"l^'f1"10 EJC* Cognak inglezefrancez aHOOrs. e LSCOOa
25-JO e 45, ditos de 25, 30 e Jo arcos com fitas,
muilo bem armados e tambem tera cores escuras garraia.
pelo barato prego de .15500 cada um : s na loja Telas por lodo preco.
do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Copos lapidados que sempre se venderam e
se venden) em muitas parles a 8 e 100,
Silva.
0 pave vende para luto.
vendemos a
50* Oe 600011
1 a 3000 a
a duzia.
O real do pobre ser recehido com to boa vontade, como a moeda de ouro do naraihos de cartas para voiiareu
homem rico> fioasa............................
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com- Miadas de nha froxa para bordar a___
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos Pares de saPat objectos como pela llielidade dos precos. e bom acondicionamento. HHSSK grampos paVa'cabe'iio's *m
O futuro nos justificara. j Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
--------- j Libras de ara preta muito superior a ..
CAVACO NECESSARIO |8EalfJffi!**t::::
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que DllS de oleo de babosa miullinos a 32
adoptamos. Ei-las. ... ... j Ditos de agua' de 'colonia sp'erior, gran-
Existindo neste vasto, e lorsscente imperio um grande partido poltico com ai tida...................... .......
denominacao de Liga, parecer o titulo de nosso armazem um gracejo inconveniente, Djtos de banha muito fina a...........'.
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos, IDitos de cneiros m"i'o finos para o prego
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riretnos mas n5o se zangue, sabonetes de odas as'q'uidads' "
ningnem. j 160, e............................*
oe
20
30
200
100
100
200
H-Y5SPe?meisu.per?r HPlim da. Ch,nH' awDda toda Copos para vinho a 3000. a duzia.
de laa sem lustre leudo 6 palmos de largora pro- r i 11 j \ t 1 i.-
prio para vestidos, capas, paletots, caigas, etc., iDoccs de calda vmdns de Lisboa neste ultimo
pelo baratissimo prego de 25, 22('0, 25500 e 3 o |
covado, cassas pretas lisas, chiias pretas largas e
estrellas, manguitos, colannhos, pnnhos, 0. enfeiles,
tudo preto proprio para lulo fechado, e muitos ou-
tros ariigos que se veodem por pregos mais em
conta do que em outra qualqner parle por estar
liquidando ; s na loja do Pavo rua da Impera-
triz n. 60, de|Gama c Silva.
As percalas do Pavo.
vapora 0 0 rs. a lata das melhores fiuc-
tas da Europa,
dem da goiaba e da casca o melhor que e
possivel por diversos precos, e conforme
o tamanho dos caixes.
Ervilhas em latas a 640 rs. a lata,
dem seccas a 200 rs a libra.
i Espermarete americano a 10200 a libra-
As mais lindas percalas que tem vmdo ao mer-.j' r ..,, 1
cado pelo ultimo vapor Iem na loja do Pavo pelo ,dem ""ancez a ofiO rs. O masso com b velas.
Figos de comadre em caixinhas muito lindas
a 800 rs a caixa.
farinha de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Maranhao a 24 rs. a libra.
108i'Oa lataprande.
para sigarros a 200
30500
O neme urna voz com que se do a conhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicaclo que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais :
Nao oriunlo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apandamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
den da Liga. 0 acaso nos fez deparar com a narracao desse acontecimento, que tan-
to sorpre'endeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-
mamente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oitao do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
Mona! aoit qni mal y-peose. _________________________
BALOES DE AHCOS
A 2 >O0O.
Na rua do Queimado ri. 40, letreiro verde.
Superiores e berri armados baldes pelo diminuto prego de 25, advertjndo que vead.em.-se por
este preyD por ter-w comprado urna grande porgio. e querer-se acabar,
Novellos de linha com 400 jardas a...
Carnteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a .............................
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a......'...............
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a rcis............................
Varas de bicos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a...........................
Pegas de tranca preta liza muito fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Vnrasde fila preta com colxetes a......
Libras de la sortida de lodas as cores a
Bunecos de choro muito bonitos a......
Caixas de ohreias de massa muito novas a
Varas de franja branca e de cores para
toalhas a...........................
Frascos de oleo Philocome superior a...
Ditos cora superior tinta a 320 e........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espartilho a...........
Duzias de boldes encarnados para vesti-
dos a.............,,,,,,...,,.....
500
400
640
600
400
80
60
30
240
200
400
40
15000
15000
60
200
40
65500
160
40
80
600
500
800
60
oo
barato prego de 600 rs. o covado ; ditas de isli-
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 500 rs. o covado ; garantem-se; p
as cores por serem do melhor fabricante que as1**moa U0
tem em Pars : isto na loja do Pavo rua da Ira-1 Fumo do Para a
peratriz n. 60, de Gama & Silva. Fumo americano a 1400 a libra.
As chitas do Pavo 04OO e Fumo em macinhos
SSOO o corte. rs. o maco.
Vendem-se corles de chita com dez covados Farpln pm sane i\a ftfi -i on llhrac i
25400, ditos 25800, com 12 covados; sao chitas *are,. em, S.af as de ,7 a f90 llbras a
inglezas, mas padroes bonitos e tintas seguras ; j Genebra de laranja 10 0 frasco,
assim tem as melhores chitas francezas e de tin-1 dem de Hollanda a 500 rs. o fiasco,
las seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos e golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de 15 e 15280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
com poliuria a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de;
fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 25 cada
orna, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e |
golas com a competente gravata de seda, fazenda
fina, pelo barato prego de 35, e muitas outras
bordadas que se vendem por pregos muilo era
conla : s na loja do Pavao rna da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As roupas do Pavo
Vende-se panno preto fino muito superior pelo
barato prego de 25, 25500, 35, 35500 e 45, dito
muito fino 55 e 65 o revado, casimira preta de
urna s largura e mnito fina a 15800, 25 e 25500
e 35 o covado, cortes de casimira de cores a 55,
55500 e 65, casimiras enfestadas de urna s cor
proprias para caigas, paletots. coleles, capas e para
roupas de meninos a 355X10 o covado, isto na loja
do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Linguigas promptas em latas a \6iii) a lata
Manteiga ingleza ueste genero o qoe ha d*
melhor a 800 rs. a librae em barril a 70t>
rs.
dem mais baixa a iOe 720 rs. a ubra.
Manteiga francesa a 520 rs. a libia, em barril
a 6 40 rs a libra i m rtlalho.
Massa de tomates a G40 rs. i libra.
Marmelada muito nova a 040 rs. a lilra.
Mullios inglezes a 400 e 640 n. a gmarirLa.
Mostarda preparada a 400 e MO i s. o frasro.
Massas para sopa macar rao, la i lu un e aklria
a 400 rs. a libra,
dem finas em caixinhas a 3|fr60 a caisir ha.
Marrasquino de Zara verdadmu a 1a) o
frasco,
dem mais baixo a 800 rs. e ltioo o fias. o.
Milho em sacras i om Ocuiasa :in'>(0.
Pivzutilo ingle/, jara hambre vindo no i.Mi (
vapor a 800 rs. a libra,
dem mais ant go a 040 rs. a Ufen.
dem do Porto a 040 re. e sendo inteiro a
i O rs. a libra.
Passas i ovas a 400 rs. a libra,
l'lvo a HO rs a libra.
Painco a 160 rs. a libra.
Pomada a 240 rs. a duzia
Pimenla do reino a 320 rs. a libra.
Peixe em latas a tfSOi a la a. savel, cw
vina, pargo e outros
Papel de peso a 2j$(,00 a roma,
dem idem muito fino a 4<>oco e itfO.
dem mar lim a 4r>.v 0,
dem lnin.-Mi a 35i00, 35500 e 4.>fOO.
I'ieni para enibn Iho a l^nn i ttm*.
Paulos para denles macos ci ni i macinhos
a 80, 12o e 260 rs. o man..
Palitos do gaz a 2#000a grata.
Queijos llamer-gos do ultimo vapor a 2/560C.
dem londrino a 9t O rs. a libra.
dem prato a 640 $. a libra.
Itap Mearon i \M00 a libra.
Sag e sevadinba a 240 e 280 rs. a libra.
Saidinhas de Nantes a 640, 5t!0 i 30o rs. i
lata.
Saho massa a 120, 180, 200 e 240 rs a
libra, e em caixes por mern>.
Sal refinado a 600 rs. o \azo (poi- i!e vi>!ro. \
Toucinho de Lisboa, de Santos ( WM
a 160, 240 e 32 rs. a libra e m arn :
a 5, 7, e 90000.
Tijolos para limpar facas a 160 rs ca!;i uav
Vlnho do Porto em ancoras com 70 garrafas
a 300000.
Vinhos de Lisboa e Figueira (piali nificas a 30000. 30 O e 4r>(K o a ranada.
Vinho do Porto em pipa a 5 e 6ooo a ra> ada.
Vinho branco de Lisboa e Porln em anri ra.-.
barra e pipas a 40000 e 5Ono a carada.
Vinagre de Lisboa a 10600 e 20oOO a -na-
da.
Vinagre em garrafoes por I0TOO toangar-
rafao.
Vinagre em ancoras para 10600 com a ancora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a K40 rs. cada i rr
Vinho deHordeaux neste genero temos grande
porco e das q na I idades mclhiies ipie irB
vindo ao nosso mercado em garrafa.*, e*
ancoras, em bai ris e (pianolas oqoal ven-
demos por procos muito baixos.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna dnzia : em casa de Johnslon Pater & C., rua
do A'gario n. 3. ____________________
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris:
no armazem de Manoel Teiieir Pastos, roa do
Trapiche n. 13, por prego razoavel.
BALIZA
DECLARACAO.
4
O BALIZA declara pelo prezente que
deixa de publicar os precos pelos quaes ven-
de as suas mercaduras por motivos que ao
respeitavel publico pouco intereca. Serve
provisoriamente de baze os precos do Pra-
pheta.
ORDEI DO DIA.
O BALIZA concede plena liberdade aos
seus amaveis collejas Clarins, Unioes. mitra-
dos e croados, para que possam sallar, her-
rar e tudo mais quanto Ibes aprouver. at
a sua segunda ordem.
l__


Ulaurl* c PerMfcie marta elra 4c Outubr de Ifi4
0 NOVO DESTINO
PZH CONSERVATIVO
23largo do Terco23.
Joaqulm Siuio dos Santos, dono deste bein sortido armazera de moldados denominado Con
sfirvalivo do larg.i do Terco n. i'S scientiflca ao respeitavel publico e a todos em geral qae manJem
ou venbam a esta estaueleeimento para melhor se sertiflcarem da diminuido de precos que oblem
n s!e, o que nao obtnro e compraren) en ouiro qualquer, pelo que se resuonsabelisa a servir qual-
quer comprador eom a mawr presteza o tidelidade, sem que haja a menor alteraeao. Todo o compra-
dor que comprar de 1001 para cima ter o descont de 5 a 10 por rento polo scu prompto pagamento.
Attenc&o. -
atalas as uiai uovas a 40 rs. a libra e 1*200 a ar-1 Cha hysson uiiudiubo e perola a 21,000 2*500 e
roba. 2*800.
V ,'icinho de Lisboa a- 280 rs. a libra e 8*500 a ar-' Milho alpista e paineo muito nove a 1G0 rs. a libra.
roba. I Biscoitos e holaehas de soda a 1*300 e 2*
Caf de primeira e segunda sorte a 240,260, 280 e i Aramia das meUtores marcas a 1*, 2*, 3*, 4*, e
MI rs. a libra. 4*500 a caixa.
Arroz do Haranhis e Java a 100, 70 e 80 rs. a li- Charutos em macos contendo 60 por 640 rs. o cento
l ra e 2*200 a arroba
P.iosphros do gaz a 2* a groza e 180 rs. o maco.
Passas de cama ia u 320 rs. a libra, e em caixa a
ti*J00.
R-.lwlilntias rigieras, novas a 240 rs. a libra.
fiaban amarello massa a 160,200 e 240 rs. a libra.
V-las! e carnauba Aracaty compesicao a 360 e 400!
Azeite doce de Lisboa Ano a 640 rs. a garrafa.
Dito de .-arrpalo a 280 rs. a garrafa, e 2*000 a
arroba.
Vmlio de Figueira e Lisboa das meihores marcas a
320, 400, 500, 560, 610 e 800 rs. a garrafa, este
ultimo ilo Porto proprio para os doentes por
ser purificado e recommendado para este lim.
NEM COROAS NEM MITRAS
i
1,
1
GR AH fifi ARMAZEM
DE
MEA
rs. a libra. Queijos do ultimo vapor a 2* e 1*700.
Arni'ixs francezas com 1 e meia libras a I*. ; Manleiga ingleza flor a 1* a libra, e a 950 rs. em
Massa de tomate da methor qualtdade a 600 rs. a barril.
libra.
Manoeliada ios mulhores fabricantes a 640 rs. a
libra,
ftboarjeas as mais novas a 560 rs. a libia, e em
barril por 12*.
Mera menos superior de 720 a 800 rs. a libra.
Mam franceza do ultimo navio a 560 rs. a libra,
em barril se fra abatimento.
Gomma da mais aira a 160 rs. a libra e a 4*500 a
arroba.
Alm destes gneros ha outros muitos que enfadonho seria menciona-los.

ie&L
Mk REFORMt.
f p#;E AURORA ItlilLli ^TE.
w
W N. 84. Largo da Santa Cruz. N. 84.
V7f> Francisco Jos Fernandes Pires, tem a honra de avisar a sqa numerosa freguezia
?J** ti .om especialidade aos moradores do bairro da Boa-Vista e seus arrebaldes, que fez
& niva i\ (..i na em seu asseiado estabelecimento de moldados denominado Aurora BrHban-
te, ao largo*da Santa Cruz, c com isla reforma supno de novo o seu armazem do b.ms
gneros, si-hdo mutos dell.w mandados vir de sua propria coala, para melhor servir
qunlles que No armazem da Aurora Brilhante encontrara seropre o respeitavel publico um
Rodo e aovo sortimento dos meihores gneros que tem rindo ao nosso mercado, e sem-
pre por proco? muito razoaveis, como se v da segunte latieMa que ser mudada se-
ma nalmontc.
faz
A Aurora Brilbaulc recebe as libras stcrlinas por 9*, sendo para compra, e
l>or cento de abatimento a quem comprar de 100* para cima.
novo, a libra a
superiores, a libra
m
-'
I
&
' V' Presuntos de fiambre muito
^ 8(H rs.
Ljjfc Uus para panella, a 560 rs.
,-' Qnauos loruirinus muito superi
J& a luuU.
RS) Ditos do reino viudo oeste vapor a 25600.
[' DilOS do vapor passado a 2* e 2*400.
ML Queijos de qualba novos a libra a 560.
,.;' Frascos grandes atoi amritas a 31000,
W .alas com i\i libras a 1*200
Hilas com e 6 Iteras a 2-5500e 4*.
Chocolate fraucezuiuilo superior, a libra a
iip 1*120
_, Cha lino de piimeua qualidi.de, a libra a
$? 5700.
Dito uxim a 2*700,'
Hilo hvss.m a 2*700 e 2*800.
Dito perula i. 2*800.
Dito em caixinhas de 1 c 2 libras a 2*G00.
)lu prelo a 2$ u 2*500.
Hanteiga ingieza flor a 1*200.
Dita mais abnxo a 800 rs.
lina em barril propria para negocio, a libra
a 00 rs.
(ii '-"a l)ara tempera a 400 rs.
Latas rom 2 libras de banha retinada, a libra
a 400 rs.
Manti iga franceza nova, a libraa 640.
'i Dita ciu barra e meios ditos, a libra a 000.
j Tuuciuho de Lisboa a 95300 a arroba e a 320
r.s. a libra.
y Latns com bolarhinha de soda de 5 libras a
2*000.
jw itas com biscoitos e bolachinhas sortidas
a 1*500.
5$ Ditas inglesas novas, a libra a 240 rs.
Arroz do Maranbao, a arroba a 2*400 e a li
>J bra a 80 e 100 rs.
Dito da India a arroba 2*300 e a libraa 100
e 120 rs.
Caf muito superior de primeira qualidade
8*800, 9* e 9*500 a arroba.
Mte em libra a 280, .120 e 360 rs
Vinhos em caixa de 12 garrafas, o melhor
.possivel a 18* e 20*
Rito niais haixo a 10*, 12* a 14*.
IMto Figueira. o-mais superior pos*ivel, a
.* caada a 4*aC e a garrafa a 640 rs.
> ?! Dito mais baiso a 4* a eanada e a 560 rs. a
rj garrafa.
Dito de Lisboa, boa marca, a 400 e 500 rs.
a garrafa.
Dte Brdeos a G40 rs. a garrafa.
Bilo 8*000.
Serveja, maten ente, em botijas a 7 e 8*
a tfnzia.
5} Dita de dITrente^ marcas a 500 rs. a narra-
W fa e 5*800 a duzia.
^ Gcnebra de laranja verdadeira a 1* e 1*200
> o frasco.
5? Dita de liollanda em frascos grandes a 1* e
t pepuenos a 40 rs.
b Dita verdadeira deHollanda, a botija a 480
A1 Licores finos de varias qualidades a 800, i*
r e 1*300
\j Ciias de vinhomuscatel a 10*, e a garrafa
E$ a 1*000.
Ditas com azeite refinado a 10* e a garrafa
a 1*000.
Conservas inglezase francezas de pepinos,
soblas, azeitonas e miiide a 600, 700 e
Caix.is com frascos de mostarda franceza a
4* a duza, e 360 rs. o frasco,
Charutos linos do autor Jos Portado de Ci-
mas, ha por muitos precos.
Ditos de outros aulorss a 1*500. 2* e 2*500.
Gigos de batatas novas com i arroba a 1*.
Passas novas, a libra a500 rs.
Figos novos a 320 rs.
Latas de ervilhase favas porblguwas j pre-
parada.- a 72U r.
Ditas eom ostras, excellenlc petisc.o.a 040 rs.
Latas deneiseensopado ftffl postas, de muitas
qualidades, a I .
Potes de vidro eom sal retinado a 500 e 040
rol?.
Marrasquino da mcllior qualidode, a 83 e
(2* ;. iluta.
Garrafas de dito a Oq e 1*200.
Amendoas c infoitadas a libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
Nozes, a libra 100 rs.
au.co, alpista, a arroba 45 e libra a 160 rs.
Grao do bico, a arroba 4-5 8 libra a 160 rs.
Vinbo de caja preparado em Sobral a 800 a
garrafa.
Cognac superior a garran a 13000, 1*200 e
1*600.
Champagne boa a duzia 20*.e a garrafa a 23
Garrames com renebra hamburguesa a C*.
Vinbo branco Xerez agarrafa a'13.
Dit Joio de Brilo, puro, a garrafa a640 rs.
liitoadocioalo a 560 rs.
Dito do Porto, fino, a garrafa a 800 e 1*
Xarope de grozeis e outras fructas a 640 rs.
Maesas para sopa, amaretta, a libra a 480 rs.
Dita brama a '20 rs.
Dila estrellaba, psvide e rodiuhas a 640 rs.
Cainha com 8 libras de dita a 3*500.
Sebolas solas grandes, o Cento a 1*.
Ditas graudes em resteas a 1*280.
Duzias de cartas francezas finas a 23500. 3*
e 3*500.
Duzias de latas de grasa nova a 900 ti.
Biinhoes de dila a 280 rs.
Marmelada nova a 600 e 720 rs.
Carne do seriao a liiira a 320 rs
Chouricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes com familia a 5*.
Ditos com milho o 3*500.
Ervilhas seccas libra a 160 rs.
Lentilhas para sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha Mi-Franca a libra 200 rs.
Sag a libra a 400 rs.
Araruta verdadeira a libra 480 rs.
Gomma d>- engommar a arroba a i* e em
libra a 160 rs.
Sabao espanbol a libra a 400 rs.
Latas com o verdadeiro gaz liquido con 27
garrafaa a 12*.
Garrafas com dito aSOOrs.
Saceos grandes com feijao mulatinho eom 24
cuias por 9*.
Copos e calix lapidados para vinho e agua.
Latas muito bem enditadas com figos novos
a 2*, 2*500 e 3*.
Assucar rolinado com ovos muito alvo a ar-
roba a 6*500 e a libra a 200 rs.
Papel pautado liso de peso branco e azul, a
resma a 2*500 e 4*500.
Vinho Madeira-secco, a 1*600.
Cento de espiras de tranca a 20*.
Barris com azeitonas novas a 1*280.
Duas balanzas grandes do Bomao com os
pesos de 21 arrobas, e alguna bracos pe-
queos do mesmo autor.
Urna grande quaalidade de caixdos vasios de
todos os tamanbos de 120 a 500 cada um.
E MUITOS OUTROS GNEROS QUE TORNARA EWADOXHO MENCINALOS.
TODO DE PRIMEIRA QUAUDADE.
Custodio, Carvalho & Compaiihia.
*9 RA DO Toalhas pnra mesa,
Toalbas dellaho adamascadas-para mesa a 4*000.
Cortes ale Ba
Para vestido com locovados a 5*500.
0MMM.
Caberlas de nbila cbineza a 2*200.
Balee*
Para senhoris e inenina.-.
nad:t|uli
Trancado, superior fazenda a 500 rs. a vara.
Laa para vestido a 320 rs. o aovad-).
Fil de linho lito e bordado.
{'toe panno de iobo.para ko?#i a S0>) r?. a vara.
IU1 DO IMPERADOR %. 40
Junte ao sebrat em qae mora e fjr. U?borne,
uarte Almeida A C reeeberam de sua propria encommen-
da o mais liado c variado sortimente de molhados, proprios
da presente estae&o.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra nova viada no ultimo vapor a +,000 i para sopa_ a melhor que se pode desejar,
rs. a libra eem barril a 800 rs.
Mantelga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
oonfeiladas de lindissirhas cores a M00 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2??400, muito propios para mimos.
Cart5es
com bolos franceses a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1 ->:joo.
Chocolates
de todas as qualidades a i00Q a libra.
Presuntos inglezes
dos meihores fabricantes a 800 rs., tambera
temos velbos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2*6oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2;J600 cada um.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas ingleza*
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e l^OO.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3/ a 2000.
dem perola
especial qualidade a 2*700 rs. a libra
dem hyssou
0 mais aromtico que lera viudo ao nosso
mercado a 2*000.
Massas amarellas
talJiaiim e alotria
NOVA EXPOSigO DE GNEROS
NO
ARMAZEC
PRINCIPAL
DE
\. 9 RA 1IO CRESPO X. O
Esquifa que Yolta para a roa de Impeadnr
provavel que nao seja bem aceita a verlade, quando a boa f de todo? anda
Iludida por esta epidemia de nauzeaticos annuncios de cornetas, tambores, coras, mi-
tras, etc., que todo o da elidiera as paginas deste jornal.
AliEMTA
Os annunciantes nao tem em vista senao garantirem ao respeitavel publico a
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias e nao para
libra e 4*500 a caixa. assentarera fortunas a torca da regra de liga como outros afiinnciantes dpste genero
Vinho PARA TOIIOS
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-1 No armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na seguate ta-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem t!c Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2*800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos meihores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1* e 1*200
a garrafa e de 10* a 12* a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso 4 Filho,
F. M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muito*.
Latas
com 10 libras de banlia a 4*000.
Bolachinha ingleza
a 1*800 a barrica da mesma que
vendem a 2*000 e 2*400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120** .*( bra.
Cervejas
[ dos meihores fabricantes^ de todas as mai
cas de 4*500 a tt*500 a duzia.
C-AKUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outros ero
meias caixinhas a 1*500.
Arroz
do Maranbao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2*500 a 3*000 a ar-
roba desses que vendem por 3*400.
CAF
de 1.a e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 8*5
libr
bella, mas nao se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba despatillla, l
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquello que n5o soja do agrado do
comprador.
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lentilhas muito novas excellenlc leguinc m
ra sopa a 2oo rs. alibra.
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
eslampas, a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/i libra a l.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
ha neste genero de 80 a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2,000 rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
Licores franceses de todas as qualidades de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Mnteiga ingleza perfeitamente flor a 800 rs
a libra, desnessesario mais elogios net
te genero que s se pode verificar cora a
vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em Larril
ou meios a 5oo rs.
Marmelladado l.4 fabricante de Lisboa a 600
rs. a libra, ha latas de 1, |/j e 2 |t,ras.
Ma?a de tmate em latas de urna e duas li-
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinba, pevide, rodinha,
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 56o r.s. a libra!
Macarrao, talharim e aletria a too rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinbas com ralba de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a 1,000 rs.
a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a Obra.
Ostras preparadas em latas a Too rs. a lata.
COPOW
lapidarlos para agua a 4,5oo e 5,000 rs. a
duzia, o a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
ahnaco, grave, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo. a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botlea
de escolenlo qualidade a 2*200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulhode l,4oo a 2,2o
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
e 8*800 a arroba, e 280 a 300 rs. a
Ciar raides
com 4 '/i garrafas com vinagre a 1*000 tea
ogarrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 1*000 o fiasco, e de 11*000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5*800 co
12 frascos.
GENE IRA
; de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600 | m,, ^ (
rs. cada urna,
para sopa, macarrSo, talharim e aletrta|a| PALITOS
480 rs. a libra. ^[ os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
(0(,;\M '. e2o rs. cada caixinha.
o muito afamado cognac Pal Brandy a I.800J LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-lfinos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa. com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos meihores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranh5o, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 5* a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito oras
em quartos e inleiros a 2* o quarto e 6*500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Fruta em calda
Alniaf'i a P.iinon chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
e 4*400 a arroba. 'a 600 e 1* o caixae.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan! os raesmos precos nos seguintes lugares:
tuio e Gommercio ra do Qaeiwado n. 7
0 Verdadeiro Priaeipal m do Imperador n. 40
lata, e 040 rs. a libra. iwopvnnai em utas a /oo rs ;
dem ingleza em latas de 2 c de 4 libras Prezunto para fiambre inglez vertladVin-i! ca-
das meihores marcas a f,3oo e 2:2oo rs. rantindo-se a qualidade, a 76ors a libra.
aJata- Passas novas de carnada a 4oo re. a libra, e
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e 6,800 rs. a caixa.
em barril a 36o rs. Peixe em latas hermticamente (echadasda
Batatas em caixas de 2 e de \ arrobas a! seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
l.loo rs. a arroba. rz, cavallinha e pescada a .ooo re. i la-
Champagne das meihores marcas a 2o.000 ta.
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. Palitos para denles fichadas a 1 io rs o ma-
as meias garrafas. \ co de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo rs
bra. a groza.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs. Paineo muito novo a 16o rs. a libra, o t.5oo
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
a e Paineo
o mais novo do mercado a i 40 rs. 1 li&ra, I
FHUCTAS
1HAAA, peras e uvas
chegadas neste ultimo vapor, veBde-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n
40, Verdadeiro PrincipalRa do Qoeimado n. 7, Unfo e Commercio.
GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
FUm>IC?AO DE N.1AON
* DE
VILL4C4, IRMiO H.
nn no bruj & 40
Chamamos a atten$to de todas as irmanda-
des e confrarias para o que abaixo publicamos.
Oaoser que votamos arte que profesamos c o desejo \m temos de concorrer com o
nosso frac continente, para a ver ohagar em nosso psiz ao rao de perfeigio une 6 para
desejar, nos unix-llio a mandar Europa nm do nossos socios, aflra de particntar-
rarate taludar a melhor maneira de ben fundir os ataos.
Grandes foram as difBculdades que tirmu.ts a superar, aftm de podermos conseguir o
nosso desidertum ; porn grabas aos esforcos e bons nfRcms do um nosso amigo, o nos-
so socio pdde ser admHtido em urna das mi*lhores fabricas de Lisboa.
MiHo lucramos e tto tem a lucrar o publico, por que sem recelo de serros con-
testaeta, podemos attlrmar, que os sinos fabricados em nosso estabelecimento em nada
se parecen com ases alm-jfarues de mi gosio que por alii se Cuera.
Estamos habilitados a fundir sinos 4a todos os tamaito* desde 16 libras nt 100 ar-
robas, com emblemas, ornatos, etc., conforme a vontade on (rosto do comprador, gnar-
, 4**lfi seu fabrico tudas as reptas d 1 arte. Pedimos portanto, em recompensa da
tamos sacrificios e de ip#M< a proteccao do publico.
Villarn, Irmao 4 C.
libra.
o melhor que ha nesle genero
a 2,ooo, 2,4oo c 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l.loo
rs. a libra.
dem preto homcopathico 2,000 rs. a libra.
Cerveja das melbores marcas a G,ooo rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, sttisso e hespanhol a
l,ooo, l,2ooe l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia
do de Simas e outros da Babia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,000, {,000 e
4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 78o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a foo rs.
Cognac inglez e francez a 1,000 rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1,000 rs. a libra.
Copos Anos para agua e vinho a 4.800,
5,000 e 5,5oo rs. a duza. e 000 rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,Sbo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o c 3oo rs. a libra,
e 8,000 a 8.800 rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l.loo rs. a
duzia. **
Genebta de Hollanda era frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem era garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafao.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
W^ty&'^MjMW^L^->***' co, e ll.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
9S@W^S0S^^| Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
1.8oors. a garrafa.

a 3- s es o

c/
u
I
-4
-n rr'*: S" o o a o
o a. a ^.j= <^
2 s'o -
s ~ c
(A v,
3S^
Ba
o>
1
8,ia>:iJrlltBr[i
lili f
3* SE
lili
O03
a, Si. V
~ 03
9
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
dem pialo muito fresco a 801. rs. a libra, 0
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um. i
Sardinhas de Lisboa e de NaiK a 6oe rs.
a meia lata, e 4oo rs o quarto.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sardinba de Franca a 18o rs. a libra.
Sevadaa loen, a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 8001*3. a libra.
Tijolospara (impar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa, Por lo, Lisboa e Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo ra. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira especialmente escolhul,. neste
lugar a 600 rs. agarrafa, e 4.5oo a caada
dem Lavradio, Colares muito fresco .em
composico a toors agarrafa, c 4,800 r. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas nar-
ca especial a22,ooo rs. a anconi.
dem branco uva pura a 060 rs. a garrafa,
o a 4,5oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs a carra*
fa.
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luir I. D. Pe-
dro V, Nctar, vell.o secco. Mataaia, o
genuino particular de 9oo al,2oo rs. a gar-
rafa e a to/>eo rs. a caixa com tima duzia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garrafa.
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas Si.
JuHen St. Esteph, chteau la Ro/e, chatas
Margoux e outros a 6,000 rs, a caixa e S
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2.oo
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e \, ioo
rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a l.ooo rs.
Vasseuras do Porto com arcos de ferro a 32
rs. cada urna,
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 56o ra.
a libra, e .sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de compo>c5
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e 1 l.oeo rs. a
arroba.
No armazem de&zcndas hit-
ratas de Santos (Joelho,
Roa doQueimdda n. 19,
Vende-se o sega luir :
At.'encao II
o
09
3.
1

Ricas laazinhas, fazenda a melhor que leu. v,n-
5 ^JBt I de as mercado, tanto em posio come em quaiida-
Sl/^a de, pelo baralissimo preco de 260 ra. o covado.
j Ditas mindinbas carmeztns, proprias pnra vesU.
dos de meninas e camisinlias a 640 o revado.
CortMde 15a com 18 corados, pelo barato orto
' de 64.
Cuberas de chita da India a 21500 <. 31.
Leles de panno de linho a 21 e 21o00.
Pecas de cambraia de forro com 8 (|i varas
131200.
I Toalhas alcoehoadas proprias para raaos a ,'! a
dmia.
i Ricos cortes de la com barra Maria Pa
185.
Pecas de planillas de algodwo om 10 vara^
( proprias para Ma a 41. *
J 1 Algodao eofestado coti"7 1|2 palmos do hrcun
m\ a WtOO rs. a vara.
j Esleir da India, propria para forro de sala do
^j 4,5, e 6 palmos 4e larpira, por menos preco do
^ que em cuta qualquer parte.
Neste estabelecimeMo tambem te encontrar
1 nm grande sortlmento de rouras fcitas, e por r-
'dida. *


Diarlo le PtJHtaMatMe* ttiai-tfa 'era t t Outnbro de f M4.
>
AO PUBLICO
8em o menor constran-
gitaeuto se entregar o
Importe do genero qne
nao agradar.
'%&-.
m
*

htteiiqio
Os nreeos da segulnte
tabella c para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de con tus
cem os portadores.
#*
RCA DA DA1I1SIA 11
;E M. 8.
'I.oyo passindo o ano da Conreico)
Grande redueco de procos, equivalente a dcz por cento menos ao qne outro qualqner
annnnclante.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de oulros
muitos objeclos, etc., dando com isto ocasiao a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritaren) em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 111 Ora, eu olfendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com un por cento a carola, resolv fax.er esta giaride reducto de precos, como veris
pela seguidle tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Meicantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
esto obligados; encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de ora e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento tala orden que o seu nm
t5o smente obler a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, c mais que ludo apromptidao e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que prec-isarem, e quando nao pocam vir poderlo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
6ero to bem servidos eomo se viessem pessoalmente, hateado para com estes toda recommendaco, aflm de que nao vo em ontra parte.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
Enfeites para cabeca.
Cliegaram os lindos enfeites de cabera I ara ?e-
nhoras, seodu muilo simples cde muitc-Eosio : 5
no V igilante, ra do Crespo n. 7.
A GBAHDE CURA ~~
PARA TODAS AS MOLESTIAS 110
i O FIKADO E ti Wmi
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escoltada a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha bysson de superior qualidade a 2,6oe rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem tauxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico porser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,000, l,8oo e 2,ooq rs. a
tibra, garante-se ser muito regu'ar, igual
ao qne se vende emoutra parte por 2,4oo
e2,too rs.
Lingmcas, chouricas e paios era latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5.5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Cbouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a !,<5oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores qae tem
?indo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
I lera do Alentejo o que se pode desejar de
freses e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acaben.
Erviihas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a 6io rs.
Marraelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Pre/.nnto do reino vindos de casa particular
melo.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.800
e 8.000 rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco ealpista a I4o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 000
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,000 rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse tim.
Estearinas a 060 rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
las com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinbo de pipa Porto, Frgueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emcanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo o 000 rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 08o rs. a garrafa.
Vinho do Purto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Dnoro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. e a 9oo e 1,000 a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconserveirode Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
[ cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualqner nao pode vender por este prego. | para mimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e Passas muito novas de carnada a loo rs. a
5,7oo rs a frasqueira. libra e 6,ono rs. a caixa com2S libras,
dem de laranja verdadeira de Aliona em{ Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a l.ooo rs. o frasco, e! 1,800 rs. a caixa com 8 libras.
if.ooo rs. a duzia. j Amendoas de casca mole a 32o rs a libra,
dem de Hollanda em botijas grandes a loo Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
a 56o rs. a libra, c a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para liambre cliegado neste
vapor 72o rs. a libra.?
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Cboculate francez, suisso e hespanol a 9oo
I.ooo e I,oo rs. a libra.
Esprmacele em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rent e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propiia para carro.
Peixe em posta sovel. corvina, gors. pesca-
da, salmo. ostras echernee, vezngo em
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
iI.k qne tem vindo ao nosso mercado a
6.000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas en latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas eslampas na caixa
exteriora l,2oo, 1,5oo, e 1,80ors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,000 a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8.000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolda do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e M.ooo a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. 0. mago-
Sal refinado em frasco de vidro com rol ha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franga muito nova a2oors.
Charntosdetodososfabricantes da Bahiaedas
mais acreditadas marcas conhcidas no
nosso marcado a 2,ooo, 2,5(0, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 \\-\
bras por 2,000; ditoemcaixoesaGoors.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 1o,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a" garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas fruas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grasa.
Toncinhe de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,30o a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AcaOa e iwwfatt de sua prupria eiiooiniuetiaa um granoe e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escomidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer 3es seas freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos pregos, aancando todo e qualquer genero vendido neste bem conbecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra. I Licores francezes e portugnezes das seguin-
Manteigainglezaperfeitamenteflor, a l.ooo
rs, a libra e 800 rs. sendo em barril,
dem franceza a :6oors. a libra, e 56o rs.!
sendo em barril.
Gb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
pan cima a 2,600.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicoL de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, pin-
ja, canda, cravo, onela pimenia a .ooo
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2.8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,800 rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l.ooo
rs. a libra.
AS
Plalas Vegetar* AsMiramoa*
De Kcmp
Compostas dos dois novos resinoides cluni*-
dos Podophilina c Leptandrina. c intcir
mente livres de Mercurio ou outros VMM
mincraes ou inctallicos, sao de gmuoe iiti!-
dade nos paizes clidos cm cazos de
DISPEPSIA, EHCHAQECA,
Constipacao ou Priz3o do Ventre,
PADECIMENTOS DO FIGADO,
Aflecr5es Biliosas,
HEMOREHOIDAS, CLICA,
Ictericia,
FEBBE GASTRO-HEPATICA,
E outras pnfermidadr ini^uv
Ellas vao rpidamente snbstituindo os aut^os
purgantes drsticos.
venda as boticas de Caors Barboza,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo d C, roa
da Madre de Dos.
AGENCIA
DA
FUNGI LOW-AOMOOO
Ra da Senialla nota n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston d C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Vinho do Porto superior
dm caixa de urna e duas duzias : tem para ven-
eer Antonio Luiz de Oliveira Azevedo& C, no seu
esi riptorio ra da Cruz n. 1.
m
Fabrica Conceicao da ;
Baha.
Andrade A Reg, recebera constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 a ruado Imperador, algodao d'aqael-
la fabrica, proprio para saceos de assn- .
car, embalar aigodao em pluma etc., etc., J\
pelo preco mais razoaveL
Na foja de fazendas Oa-
ratissimus de Duarte
Borges da Silva, ra
da Imperatriz n. 20
Vende-seo seguinte:
PECAS de panno de linho com 25 varas a 8,
um piuco estreito, mas excellentefara toalhas. j
DITO de dito adamascado com 8 palmos de lar-!
gara para toalhas de mesa de jautar a 2400 a
vara.
CASEMIRAS de duas larguras e de urna s cor
muito boas para roupa de meninos e soutembar-
ques a 34 o covado.
TOALHAS airochoadas muito boas para enchu-
gar o rosto* a 64 duzia ou 500 rs. cada urna.
CAMBRAIA branca fina om saipicos miudinhos
a 640 rs, a vara, metade do valor.
OLIADOS de bonitos e elegantes desenhos para
cobrir mesas a i& o covado, para acabar.
LAAZINHAS de padres novos e muito agrada-
veis tanto na boa qualidade como no preco de 320
rs. o covado, e finalmente o respeilavel publico
achara constantemente nesta dita luja um bello e i
variado sortimento de fazendas finas e grossas a
precos mnita razoaveis, pois esl resolyido ganbar
pouco, com tanto que venda muito, nao menciono
mais fazendas no presente annuncio porque impor-
tara isso n'uma despeza extraordinaria cuja des-
pera reverter sempre em benpflcio dos comprado-
res, pedindo ao publico que nao deixe de ler todos
es dias este dito presente annuncio, pois baver ,
mudanca nos artigos cima ditos, isto a propor- j
cao que se forem acabanio.
Ra da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
eellins e silbdes inglezes, candieiros e casti-
caes brozeados, lonas inglezas, fio de vela, ElBDreza de lllummaQaO
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de &<*Z.
ouro patente inglez.
A Icatrao
Vende-se barris com alcatrao, na ra da Cruz
n. S3, priroiro andar, escriptorio de Antonio de
AlmeiJa Gomes.
POTASSA
Vende-se potassa om barris a commedo prego o
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseripton:
de Antonio de Almeida Gomes.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacSes
(por esrripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser leitas no armazem da rna do Imperador
i d. 41. Os machioistas mandados para auender a
islas, apresentaro um livro que os reclamantes
deverao assignar logo depois de prompto o servlco
; reclamado; isto para qoe a empreza fique .cente
de haverem os mesmos senhores sido devidamente
attendidos.
Na ra Concordia n. 73, vende-se urna
canoa nova, ainda no estaleiro, muito bem rons-
, truida, de carga de 1,000 Itjlos de alvenaria gros-
sa, por prego commodo.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna tintura, facto essen-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. C>imposta de plantas exticas e
de substancias inoQVnsivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
les tem perdido. D'uma salubridade incontesta-
vel, a Agua Florida enlretem a limpeza da cabeca
deslroe as caspas e impede os cabellos de cabir
Oleo de Florida
Composte de substancias vegetaes exticas, elle
constite poderosamente, com a Agua Florida, a
torca, a bell za e a conservacao dos cabellos.
Em Pars, casa de Qinslaiir n. 12, ra de Ricbe-
lieu, e 21, boulevard Montmartre.
Todos os frascos, nao lendo intacto e claro, o
ti ni iir.- prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposito, ra do Imperador, pharmacia n. 38.
Balaios para meninas
Lindos balaios d varios gostos para meninas
trazerem no braco : s se encontra na toja do Bei-
ia-Flor, ra do Queimado n. 63 e 69. a
Extratos e sabilo em eai-
xinbas
Lindas caixinhas com um cartao com a familia
imperial, e dentro de cada caixa om frasco on sa-
bao o mais fino qne passivel: na loja do Beija-
Flor ra do Queimado n. 63 e 69.
Machinas de vapor e pa-
ra descargar algodao.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'a#ua, dentadas, e
de carrosa com mangas e
eixos de patente.
RuadoBrumn. 38, fundi-
do do Bowman.
dem miudinho proprio para negocio a l,Soo
rs. a libra.
neijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato s melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a l,3oo e l.ioo rs.
o americano em chapa a 1,60o rs, a
ibra.
ai uta de todas as qualidades.
tatas novas em caixas de 2 arrobas a '.i> a
caixa e 60 rs. a libra*
Balachinha de Craknel em latas de '> libras
bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
. mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Bicos frascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o fi asco.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros rauilos a 12o rs. a
lata de 21|2 libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 600 rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l.ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vmho Lavradio sem-a mais pequea
composic3o a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
^caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a 1,000 rs. cada ama.
Ricos livros com figos l.ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5eo a arroba.
Garrafoes com 4 '/* garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 '/ ditas de venagre a 1,00o rs. o
garrafao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e 1,4oo rs. a caada.
Cacas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,800 rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
MarineJadas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Erviihas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Erviihas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal retinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 800
rs. a libra.
Cliouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 8j$500 cada urna.
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a 4(ni rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 800 rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo r*. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 3Co rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautadoe liso a 3,ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
(dem embrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 V 1Dra a
l,2ooe8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a 1,000 rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs.. a libra e
lo,ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milbo alpista a 14o rs. a fibra e 4,5oo rs. a
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a l,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l,ooo rs. o
caix3o.
ESCRITOS FGIDOS.
Fugio na tarde do dia 16 de jnlho p. p. ora
escravo pardo, de Dome Marcos, desembartade
do hiate Sania Anua, vindo do Aracaty, tend
de idade 28 annos pouco mais ou iihiios. eos >p
naes seguintes : altura regular, Mero dtforp
pouca barha, cabello crespo, tovoa rMfM t
calca de algodosinho de risrado azul ecb>
peo de palha, leudo levado romsigo cota u uxx
com mais roupa, e rendido de nma Cas rtrrit ';
quem o appreender queir leva-lo a raa >1 Matfn
de Dos n. 38, ou rna do Brum n. 88, fOPMfi
recompensado._____________________
1S de {ralific- dio.
A quem capturar o escravo pardo de noine l.i
berato, fgido era IG de outubro eoro ut>\ e rtv
tatura regular paren largo dos bambros, i>wir
de 20 annos, cor alaranjarta. rosto oval rom m r-
cas de espinhas e bexigas, falla pouro r gro-o i.. .i
pequeo sulaque de gaguez, bltam-lhes ,- os us
dentes da frente e a cabeca que liaba sido rapa&i
esl com os cabellos principiando a eriwtr i n>
logo cima da testa na cabeca nma rkatrii v<
furtou na occasiao da fgida una Fsu*Dg*rd ; -
quena de dou-; canos, um paleto! pre'o c. >. *,
tres ditas de brim de cores, cami-;.- hw M
nma botoes d" coral nos punbo> om de i .
branca lingindo brilbante na berton.oma c-
de fado, um cbapo de sol de seda rfii
um par de botinas, um paletot de brim dfhrna '.n
de lila branca e nm chapeo de palha "
alm da roupa delle. Hete escravo fi;' d i Rbi
Janeiro em I i do correle, onde se aetiava ron i
noine de Marcolino, mnilo fujao e tonta,.....
do foge intitnlar-se livre. periesrea M MQ r ..
Francisco do Reg Maia o> Afipoi o-, uj.- a
Symplironio Olympio de Queiropa morador a roa
Vellia n. ')">.___________________________________
l-:scr.to fugido.
Fugio da rna da Aurora n. \. nm molevjw rri i-
lo por BOOM Albino, de idade de 17 ann-. em r
seguintes signaes : olhos griadea, estatnra ; pil-
lar, beieos gro-sos, cabeca grand", eabrH i
ps regulares, bem fallante e mii'to viro,
cal^a de casimira e-cura de tro di ;:. r
dous reraeodos de ootra fazenda no a [:>, ja|i
ta de brim de quadivs, anda senij rhaneo. Icm- e
visto pelas banda das Cinco-Ponas hoode ira A i-
mido estas noites, anda sempre r-in iio
ou tres moleipies: pede-se as aut.Ci-:: u- << I
a captura do dito moleque, que se rocunNWOfi!
O proprietario do grande armazem Uni5o e Commercio declara aos seos fregue
ze8 e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os mesmos precos nos seguintes lugares: ^
Uniao e Commercio na do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Attenoo a para.
Fugio a escrava crimila Joaqnina, t l'i
la, alta, magra, ps grandes e apalhota
,tem alguns cabellosbrancos ijno. ha pini.,.
I inculca-se forra, muito ralladura t M mi-
geita alujada em casas partfcnkiea | ;
engommar durante o tempo de ftjfl pn
i nao a primeira vez que a fa/. lisfor< :.-.-<
i de diversos mudes, as vezes d* lin"i
I saia preta e outras de vestido e baSo, i n-
'contrada consiantemente ja no barra :
Recite, S. Jiis e Boa-Vista, e ultiinain-1;
fui vista pasar pela ra Augusta e np-
pe-se que aaM morando em algum < as-h t>
'por delraz desta ra : roga-se asantoriih
des policiaes daa bairros do Recife, S. Joac
!e Boa-Vista ou outra qua'quer pesaot que
a encontrar appreliendam e apresenlein ao
seu senhor visconde de Voa-vista en sea
palacete ra da Aurora. _
~Fupio di> engenho Para no da 9 do rnrr
com direcejio a esta praca. onde anMtoa teje>
I noileo escravo Caetano, cabra, de ida le HO a: r
| penco mais ou menos, nao obstante j ter ale'in*
cabellos brancos, pouca ou nenhuma harto, ven-
tas grandes e arrebiiartas, estatura mediana, pei-
nas linas, ps apalhetados, andar coreove >'
bem cicatrisadas de chicote, muilo ladino e .
Ihaco : graiifica-.-e a quem o agarrar e leva-lo ..
mpsmo engenho oo entrgalo nesta praca na ru?
Nova de Sania Rila n. 7, aos Srs. Siqueira A Sant -
Fugio no dia 22 de setembro OhtaM 1 i
nho Santos Mendes, na comarca de atofMh, n
crioulo Antao, baixo, grosso, bem preto, de eBOM
grandes,com 22aunos de idade, o final prvtri r>
ao casal do finado Fortunato Philadeli>ho L'mm i i
Pessoa, morador que foi m engenho AIbuqiKi
e rol arrematado pelo annuncianle em fira^i u-
hlica do juizo de orphos da comarca de ,\az .-
reih. Esse fticravo pertenceu ouir'ora ana Sr .
Gouva 4 I.ete, negocia'tes na cidade do Re. it
que o veniieram ao dito Fortunato. Presume se v r
sido elle seduzdo por alguem ; e por bao
nunciante protesta proceder criminalmente ro- ir
quem o asylar e haver das de servir,.. Qm ni M
prehender o referido escravo e apresenlar m ta>
genho Sanies Mundes ao annuncianie, en na rt.l.i
de do Recife aos Srs. Manoel Igiue o de Olo- ira i
Filho, quesera generosamente reeompen-a.lo.
_ Fugio no da 13 do crreme do eneeah* fa-
beca de Negro, freguezia da Escada um earrawe
cabra, de nome Pedro, estatnra regular, idade dr
23 annos pouco mais oo menos, cara redonda, srr'
barba, dedos dos ps batanle Unos, tem nm daf i
to na falla oo alguna cousa de gagoez, est d- -r <
rado e usa quasi sempre de alpargatas. I.evnn ca-
misa e seroula de algodao da Babia, chapeo de i a
Iha de carnauba. Julsa-se ter aafloaan r.i-
roar donde viera fara dito engenho cima. R
ga-se as autoridades policiaes e capitaes de esrrr '
que oprendam e o levem on ao engenho xrint.i oy
nesta cidade ruada Senzalla Nova n. W. qne ?-
r generosamente recompeoeae.
I
Q5


6
Mari* e PmiBitM Qnaria lelra 4r Outal.ro de 1 ..
LITTER ATORA.
UM POICO DI TDDO.
Q lauto urna rtiulher cusa ao marido.
Damos este artigo traduzido da Novelle Oabylon'u
de Cugenc Pelletan, que, assim denominando Pa-
ris, critica e julya os costumes, vicios e progres-
so.- da eivilisago daquella grande capital.
Queris saDcr quaulo urna mulner do grade
loni cusa ao marido?
V ',i, por um instante, nlroduzir-vos no iuterior
de urna casa.
U:n hornera de boa familia despesou-se ultima-
mente com urna donzella tambem de boa familia,
mas na praga de Paris. Foi um casamento egual
in virtudo da harmona preestabelleeida indubila-
velnicntc entre o nascimeoto e fortuna.
Tinba o mando o titulo de marquez, e creio que
lu.ii o mereca. Possuia urnas trras hvpotheea-
J is, na Clialosse, e um castello destelhado, que
animalmente entelliava. Servir no segundo dos
hassaros al, inclusive, o posto decapita; mas,
licuando aos 10 auuos de edade, se demittira para
ir cultivar o seu marquezado. Cagador intrpido,
a'.irador excullenle, aiuda era melhor conviva e
hotuetu sempro franco.
A rapariga descenda de um moleiro de Seinc e
Mi:lie, que livera a scienea infusa da familia e,
ao dizer de uus. ajumara tres, e uo couceilo de
OttlfWquairo iiuilies. Ella educou-se uo cou-
venlo do Sagrado Curasao, em couipauliia da iu-
fuicia titular do bairro de S. Germano. Apren-
d u a oaobV, tocar piano, fazer mesuras e abai-
xar as palpebras.
O pae, eulevado em to perfeita filha, a dotara
cm proporcao do seu entbusiasmo. Casaudo-a,
eucoracou-a com 30,000 libras de renda; a motada
solire o gaz, ontra metade sobre os mnibus de
Pars. Mas, como pae cuidadoso do guarda-roupa
do sua lidia, estipulan que a futura perceberia ca-
da auno, dos bens dotaes, urna somma de 20,000
francos para as suas pequeas despezas de elegan-
cia chamadasos alune tes.
O mando cumpriu litleralmente essj encargo, e"
uo priiueiro da do seguuJo trimestre, pagava re-
ligiosamente o quartel veuiido dos alliiieles. Por
sua paite a marqueta gastava couscieuciusamenle
com o ardor de pensiouista emancipada, que sent
abrasar-lbu as mos uiu bilhete do bauco, at que
possa queima-lo em alguma extravagancia
De manha, na hora do almogo, ella fazia a pri-
meira apparigo, trajaodo vestido de cachemira
das ludias brauco, bordado coin flores azues, for-
rado de setim, o iigeiraiuente aberto ua frente, de
maueira que deixasse eutrever urnas auagoas de
valenciana com fofos de rendasurna bagatella de
2,1)00 francos, segundo os entendidos.
Como achaes esse roupo ? perguntou ao ma~
rido.
O marquez lancou para o lado da senhora ape-
nas urna olhadella.
Perfeito, respondeu sem delicadeza.
ti, como o aguilhoava a fome, atacou a crosta de
un pastel.
Pois eu o vest para ti, replicou a donzella,
escollando esse / excepcionalporque urna mu-
Iher bem educada deve dizer vos a seu marido
com um d'aquelles longos olhares, que promeltem
a cternidade.
Decididamente mlnha mulher me ama, pen-
sou comsigo o marquez.
A' urna hora da tarde a marqueza reapparecia
uo horizonte com mudanza de decorago.
Desta vez ella trazia um toilette- de bosque, isto
, para ir ao bosque de Boulogue : um vestido de
velludo escuro, capa do mesmo, ambos guarneci-
dos de cauda de martha zibelioa; vestido e guar-
oigao avahadas, pelo menos, na somma de 4,000
Traucos.
A priraeira cousa que fez foi ofTerecer a testa ao
mando; depois, apuiando-lhe no peilo os dou>
bracos, e mirando-o de alto baixo, em urna es-
pecie de xtasis:
Vos esquecestes ainda de fazer-me um cum-
pi imento, disse-lhe em um tom de cariciosa cen-
sura.
Cumprimento porque, senhoraT
Ella recuou vivamente um passo, e, levantando
com as maos o vestido modo de dansarina :
Mas disso, disse-lhe. Que ingrato que sois!
foi ainda em tua inlcoco. Emfim, como achaes
essa metamorphose ?
Deliciosa, replicara o marid <.
E accrescenlava mentalmente:
Estou rrendo que de minuto minuto niinha
mulher redobra de ternura.
Aproximava-se a hora dejaotar; mas antes a
senhora passava por terceira mndanea e Irajava
vestido, bordado em baixo com raminhos de loios
e papoulas entrelazadas em missinhos de espigas,
com lagos de filas azues to abundantes e to so
oras, que se Ihes ouvia o rutre-ruge no aposento
vizinho.
Esta ultima fantasa liaba distado apenas um
bilhete.
O marido julgou opportuno tirar urna desforra,
e sem esperar nova provocago a um cumpri-
mento.
Divina I exclamou de improviso sua mu-
lher, vendo-a sob essa terceira forma entrar na
sala de janlar.
O que que dizes, meu amigo ? responde
ella com ares de amuada. E' um vestido defei-
tuoso, ou antes um vestido detestavel, horrivel no
corte, horrendo na cor; essa mistura de azul e
verde se parece com um fogo de artificio : s na
vidraca da loja pode bem ser que, anida faga al-
guma vista; mas em mim faz-me um anno mais
velha. Estou devoras envergonbada de vo-lo apre-
sentar.
Hasta a intengiio.
Nunca senhor; releva que Ihe corresponda
o faci. Hei de amanhaa recambiar este mulam-
bo minha costureira ; que faga delle o que
quizer.
Jaotou de mu humor ; retirou-se no momento
da sobre mesa, foi entao vestir um vestido de bai-
le para ir a urna reumao dansanie no ministerio
de estado: vestido de fil branco, coberto com
urna renda de ouro, que deixava resallar por cada
malha um frco de Monde, reraataJo por urna es-
trella de ouro na extremidade, vestido fantstico,
recamado de blonde,mais urna divida de 4,000
francos augmentada conta da costureira.
Ah! nao ba duvida, foi com qoatro omitie-
res por dia que me casei, pensava melanclica-
mente o marido, acompanhando a mulher ao Cor-
roussel.
Pagou sempre regularmente o segundo, o ter-
ceiro e o ultimo termo das despezas secretas da
mulher; vae seno quando, no fim do anno, a
costureira aprsenla ao marquez urna nota supple-
menlar de 60,000 francos de despezas imprevistas
do toilette. O marido comega por por a costureira
porta; mas, refiectindo, torna a chama-la, paga
dcilmente a conta ; accrescenta. porm, laia de
apostilla, que a ultima divida deste genero que
piga : urna verba da conta principalmente den-
Ihe calarnos; via figurar ahi um chapuzinho de
sol no valor de 300 francos, como se fosse nunca
possivel existir, luz do dia, um chapuzinho de
semelhante cusi.
Consumado assim o sacrificio, o marquez, sem
escndalo e recriminaees, de boa amizade, pelo
contrario, mas com firmeza, pediu sna mulher
que houvesse de encerrar d'ora avante as suas
elegancias nos limites dos seos crditos. Ella es-
cutou-o tranquillamente, olhou-o com pasmo : de-
pois, como se fra impedida sbitamente por urna
mola intorior, langou os bragos ao pescogo do ma-
rido, e, envolvendo-o em sua ternura, apenando o
era um abrago de paixao. suspirava, solugava,
chorava e supplicava perdo.
ro s para te agradar, dizia; foi na embria-
guez e porcasquilharia de amor que fu tal leucu-
ra ; a ultima, eu o jaro por tua honra sobre
este altar sagrado, accrescentou pondo-lhe a mao
sobre o coragao.
Um raio tardio da la de mel, refulga anda
por sobre o semblante lacrimoso dessa Magdale-
na do toilette ; ludo Ucou perdoado, tudo esqueci-
do, e o tratado de paz foi sellado por urna troca de
asignaturas sobre os labios da mulher e sobre as
faces do marido.
No entretanto a Sra. marqueza brilhava sem-
pre, cada vez mais e sempre transfigurada a vista,
de urna a outra hora do dia. No lim do anno, po-
rm, a costureira, implacavel como a marcha do
destino, tnrnou apresentar ao marido nova con-
ta de 100,000 francos, na qual havia incluido, em
verdade, diversos adiantamentos para acqnisigo
de um cofre de joias e decorago de um movel de
salao.
U ultimo quartel da la de mel de todo se es-
vaecera no cu conjugal. O marquez abertamen-
le recuseu reconhecer esse fornecimento illegal,
FOLHETIM
O ESQUELETO
POR
CIMILLO CASTELLO BRANCO.
Continuaco.
XIII
Cbegou ao Vidago a noticia do apalavrado casa-
nieulo de Raphael Gargao com a morgada de San-
to Aleixo, bella e rica, de primeira estirpe trans-
montana, e costumes irreprehensiveis.
Aqui tens Beatriz, disse Nicolao, como teu
pae se illudiu com o descrdito de Raphael. Quan-
do as cem trombetas atroam a provincia a divul-
gar escndalos, ofivreee-se ao generalsimo da des-
uiorallsagao um casamento de primeira urdem.
E'verdade... admira... ella bonita, ga-
guejou Beatriz, humedecendo os labios calcinados
do fogo da alma.
Sera elle to desastrado queregeite a propos-
ta T K' de esperar que nao. Aqueles ares de re-
forma, que Ihe vimos, nao podem ser hypocrisia,
corno leu pae diz. Hypocrisia comnosco porque e
para qne? I
Sim... para qne !...
Vou escrever-lhe a felictalo, e a instiga-lo
a casar-se...
Nao fagas isso, atalhon Beatriz. Sabes to se
ellos terao felizes f Deixa-os l. Se elle um dia se
arrepender, escusa de lembrar-se qoe o aconse-
jaste.
Pamas com acert; mas sempre quero saber
delle mesmo. se c rerto o projecto.
Ito l...
Vejo te indinada a julgar de teu primo des-
favoravelmente, Beatriz I
Nao... eu... o que entendo que... a mu-
lher casada com o primo Raphael, nao ha de ser
feliz, porque... muito cedo para achar prazer
vida tranquilla, que tem sido o qu- tu sabes em
to pituco lempo... E pode sor que me engae...
Oxal ..
Esereveu Nicolao ao morgado de Payes. Ao
outro dia, mostrou a resposta a Beatriz, excla-
mando :
0 rapaz passou de urna demencia vulgar a
exquesita I Ha seis mezes era om libertino. Agora
nao te abe o qne V l a resposta de Raphael.
f.eo Beatriz :
Meu privado amigo e excelleolissimo primo.
feili sem sua aut saglo, s occmtas. A costo
reir citou o marido recalcitrante perante o tri-
bunal de primeira instancia. Ojuiz, para bom ex-
emplodespresoulhe a aego.
Desde este golpe de estado domestico, a senhora
marquez.! vive arrufada com o marido ; nao chora,
nem grita nunca. Guarda smente um silencio
feroz ; cobria o rosio com umi mascara de mar-
more. Quando o marido falla, ella parece nao
ouvj-lo ; quando a interroga, responda sim ou nao
ndiTerentemente; usa e abusa di i loqueada teni-
vel dos nionosyllabos: quando quer leva-la passeio.
tem enxaqueca ; quando quer partir para o cam-
po, tem gastralgia ; est a morrer, roga que adei-
xe morrer em paz ; einfim quando o mando ao
jantar come de qualquer prato, ella d visos da
nao toca-lo.
utras vezes em face desta mulher muda, ou,
para bem dizer, desta sombra de mulher, branca,
msensivel, desta estatua petrificada de despeito
o marido, ardendo de impaciencia, bate cora o pu-
nho sobre a mesa e vocifera em um accesso de
delirio :
Mas, por quem, senhora, dizei-me alguma
injuria ; chamae-me um monstro, disparae-me um
tiro de pistola, fazei-me seja l o que for, um ges-
to, um movimento, que me prove que lenho diante
de mim um ente vivo e nao um fantasma I
A mulher ergue lnguidamente a cabeca e sorri
amargamente a essa interpellago e depeis de um
momento de silencio:
Estou massada diz.
O que queris para vos distrahirdes!
Fazer urna viagem que me divina.
Pois bem 1 parlamos : procuraremos diver-
tir-vos, s cuidaremos do vosso divertimento.
Agora prefiro antes flear, responde com gesto
de adormecida.
A marqueza conhece cabalmente o poder da re-
sistencia passiva que nao quer mudar de tatica.
Contina a morrer, fica no leito parte da semana,
ahi mesmo recebe as visitas, descoberta at cin-
tura para mostrar a essas inimigas intimas, que
se chamara conheetmentos, a camisa bordada, a
camisola bordada, a fronha bordada, a colcha bor-
dada, o lenco com o braso da cora de marque-
za, tudo bordado.
Depois, iuesperadameote, sob pretexto de que
o medico Ihe recommendara exercicios, ella sae
de seu palacete durante parte do dia.
Ora, em orna tarde quando se recolhia, com a
face radiosa, ao seu quarto de dormir, langou ao
espelh > um olhar triumphante e tirou precipita-
damente a capa, como que procurasse arejar o
peito :
Emfim, disse, paguei a conta da costu-
reira.
O que quena dizer com isso f n soobe nunca
ninguem: boquejou-se, porm, durante aquellos
lempos era um golpe de espada, que o marido re-
cebeu no bosque de Meudon. Desde esse dia elle
volveu ao curso de sua vida agrcola na trra da
Chalosse. Eu li cm vosso jornal que elle ganhou
o premio do boi durham.
Um anno depois a marqueza assistia ao sermo
do padre Bambalol contra a desenvoltura do ro-
lelte. O pregador interpellou com voz de trovo a
parte criminosa do auditorio :
E por quem, pois, diz elle, vos vos abando-
naes ao delirio dos pannos f Por um homem que
vos trata por tu, vos maltrata e vos abandona.
Como que esse padre sabe disso ? dizia
a marqueza depois do sermo ; eu nunca fallei
com elle.
A poesia do bMequim arrasta-nos polygarrf
Foi Michelet o primeiro que o disse, e Ihe res,
tuo a sua palavra.
Era mister muita roragem para poder vir dized
a um lempo aparvalhado pelo cachimbo e copo que.)
pode fumar, pode beber, mas que elle nao vive,'-
ou se vive ao acaso, porque das duas partes in-
dispensaveis da humanidade, o homem e a mu-
lher, a segunda perdeu em caminho. i
A mulherno deixa por isso de ter existencia; Bao
deixa tambera de oceupar o seu lugar sobre a ral-
eada, e nem anda deixa de ter augmentado de vo-
lume ; esforga-se, porm, debalde em fazer vio-
lencia vista com a exagerago de sua circum
fereneia : o homem s v nella urna variedade
do cigarro e urna distrago de passagem.
Um andaluz, que tinha suas razos de queixa do
bello sexo, atrevia-se a dizer assim :
Se as mulberes espirrassem todas as vezes
Agradego os sinceros emhoras que se digna en-
viar-me; sentindo que se baldassem os seus bons
deseios em quanto ao meu casamento. As raas da
minha doudire nao vo to longe. Todo e tolo tem
as suas demarcagoes.
E' certo que pessoas da familia de Santo Alei-
xo, propozt ram a meu pae o enlace a que V. Exc.
allude. Meu pae consultou-me, e eu rejeitei. Co-
mo, porm, a rejeigo divulgada seria olTensva ao
orgulho dos visigodos de Santo Aleixo, resolveu a
prudencia que se deixasse.correr o boato da mi-
nha annuencia, at esquecer a proposta. Esta
que verdade.
t Dir-lhe-hei agora porque nao caso, porque
nao amo, nem casarei, porque nao hei de amar
nunca. Se me pergunta em que lamagaes dexei
ficar o coragao, abaixo a cabeg, e pego licenga pa-
ra Ihe dizer qne ainda nao prostitu o amor. En-
trei nos lamagaes, Isso verdade ; sahi sujo como
era forgoso sahir, e mais nada. Em quanto ao co-
ragao, sonhel urna vez que ouvira nma mullierdi-
zer-me : guarda m'o para m*o restituires no cu.
Fo isto nm sonrio: porm eu guardo o meo amor
para os amores do cu. 0 que a felicidade seno
sonho TI
f Meu presado primo, a minha mocidade ac-
bou ; foi tempestuosa, mas corta.
t Adeus. Peco a minha Exma. prima a graga de
recebe? os meus respeitos, e a V. Exc, a sincera e
profunda conviego de urna ioalteravel amisade,
etc.
Que te parece o espirtoalismo do rapaz ?
perguntou Nicolu esposa que disfargava o tre-
mor das maos.
Que siogularidade t tartamndeou Beatriz.
Estou em crer que Ihe extrahiram o sangue
man que elle tinha com os graos de chumbo das
costas I tornou Nicolu sorrindo. Hei de mandar
esta carta a teu pao. .
Para que? I iuterrompeu ella com ancia. Tu
j sabes quo meu pae Ihe chamou impostor...
Por >-.o mesmo: quero couvene-lo.
Vaes inquieta-lo, primo... Que nos importa
a nos o jo izo que forma o pae? Raphael nao soli-
cita a amisade delle... para que has de tu solici-
ta-la?!
Teas razo, menina. Farlo de disputagoes es-
tou eu.
Fcilmente salta ao espino do leitor a repug-
nancia de Beatriz. Bem lembrada eslava ella da
carta sorprendida pelo pae. As ultimas linhas de
Raphael eram a resposta. Ifartinho Xavier, se as
iue eiiganaiii um humera, a nica conversago com
ellas serla : Dominvs tecum.
Coota o Smaphore de Marselha que um maoce-
bo de l anuos, natural de Tonloo, Mauricio R...
se dirigir no da 3 de agosto ra de S. Basilio a
casa de urna senhora de boa reputagao.
Demorara-se conversando com ella por mais de
urna hora.
De repente ouvram-se dnus tiros na sala.
Acudi a familia e encontrou dous cadavares.
Mauricio R... dra um tiro queima roopa no
ouvido da senhora, e logo depois disparara outro
tiro no seu proprio coragao.
Em um bilhete qoe trazia na algibeira indicava
Mauricio o seu nefando designio a um amigo.
Ainda um mysterio verdadeiro o motivo de
procedlmento to criminoso.
Do fgaro traduzimos o seguinte :
CIIOS DA BIBLIOTHECA.
Este estabelecimento um viveiro de bons ditos,
e simplicidades admiraveis, como se evidencia do
que segu :
Um leitor.Quero o cardeal Richelieu.
O empregado.Sua historia ou seu testamento ?
O leitor.Ah I oo sei.
0 empregado.H* ser sua historia.
O leitor. depois d'uma pausa.Sim.
O empregado.Mas, de que autor ?
0 leitor, atrapalhado.Nao sel.
O empregado.Sabis ao menos qual o formato ?
O leitor.O formato I
0 empregado.Sita !
O leitor, resolutamente.O formato do tempo de
seu reinado.
Morreu ha anaos, em New-York, Mr. Fleming,
negociante que legou urna fortuna de 200,000
dollars.
E*ta somma devia ser repartida egualmente pe-
los seus dous nicos herdeiros, um filho e urna
filha.
O filho de Fleming, no intuito de desfractar elle
s todaa somma, conseguio qne os mdicos dessem
ua irma por douda, e metteu-a em um hospital
de alienados.
Imaginem-se as torturas que deve ter soffrldo
Miss Fleming e as diligencias que empregaria para
se livrar de tao triste priso.
Como estivesse um dia quasi a ponto de. Iludir
a vigilancia dos seus guardas, e fosse descoberta a
sua tentativa de fuga, a infeliz Fleming foi trans-
ferida para outro hospital, onde jazeti por mais de
cinco annos no meio de doudos furiosos.
Nao desistiu a.supnosta louca de procurar a sna
liherdade. Conseguin eserever e fazer chetrar s
mos de Tarrone, amigo de seu pae, nm I.ilheie,
em que pedir sua proteccSo contra quem a ha-
via reduzdo a semelhante estado.
Koi prompto Tarrone em acudir prisioneira, e
conseguin que um notavel advogado se encarre-
easse da causa de Fleming com a promessa de Ihe
serem dados 1,000 dollars.
A mulher tao desalmadamenta sequestrada
sociedade foi restituida ao uso dos seus direitos.
Fez um convenio com seu irmo, e ainda obteve
urna somma avullada.
Ha em toda esta historia, alias notavel e verda-
deira, um nico ponto que nos sorprende : miss
Fleming nao quer pagar ao seu salvador os 1,000
dollars promettidos, e o pleito levantado por ta|
motivo foi que descobriu tudo quanto deixamos
narrado.
Do lmtamarre traduzimos o seguinte :
QUESTO E RESPOSTA TOLA.
Porque razo se leva o estandarte para a
guerra ?
esse, saltara do leito, e correra enfurecido ao Vi-
dago, para esconjurara procella sobrancera.
Nicolu, como quem se diverte, replicn em
tonga carta, recheiada de jocosidades, acerca do
sonho e da reserva do coragao para as nupcias ce-
lestaes. Gracejava a respeito do cu e de muilas
outras iguragoes que os padres e os amantes in-
ventara no intuito de irem apanhando o melhor qne
podem as bellas cousas da trra. A eserever, Ni-
colu de Mesquiti remogava aos espirites dos vln-
te annos, com seus laivos de faceca um tanto cy-
nica.
Leu esta carta a Beatriz, c viu que Ihe desagra-
dava.
Em parte nao a entendo, disse ella; bem sa-
bes que eu sel quas nada, e tu empregas ah pala-
vras que eu nao conhego; mas parece-me qne tn
nao sentes o que dizes, quando fazes zomharia do
cu e dos padres para escarnecer a tal mulher do
sonho...
Pois de certo, Beatriz, redarguiu o marido in-
genuamente, eu escrevo isto como brincadera de
nenhura peso no animo de Raphael. A minha idea
o passatempo de urna correspondencia que deve
ser preciosa por parte de um rapaz de espirito
perdido as supremas regoes do bello.
Entao sim... comprehendo agora que...
Se ella continnasse era voz alta a idea, liria :
que este um meio honesto de eu ter semanalmente
urna curta indirecta de Raphael.
Assim foi.
Ao fim de dous mezes, Nicolu de Mesquita pos-
soia um inieressante epistolario que o recreava in-
finitamente. A remontada poesa de Rapha-I deno-
tava um espirito egualmente apaixonado qoe opu-
lento dos atavos de um selecto romancista. A eru-
digo tambem Ihe nao era esquiva: marchelava as
suas cartas de sentengas, haurirhs de prosadores e
lyricos que melhor trataram os theoremas do espi-
rltnalismo.
Beatriz eslava comente. A oceultas do marido,
relia, decfrava e lllucidava as phrases obscuras.
-obejava-ihe agudeza de coragao para advinharat
s citac/es francezas.
Isto durou assim n'esteremangoso rontentamen-
to conjugal, ate que Martinho Xavier inesperada-
mente appareceu em Palmeira.
Antes de ver a lilha, e sem consentir que o la-'
calo recolhesse os cavallos, chamou o genro ao
bosque do jardlm, e disse-lhe.
Tens tido urna correspondencia de dous ma-
tes com Raphael.
Tenho.
Com que fim ?
Nenhum fira, um divertimento... cousa de
nenhnma siguificagao.
Pego-te que rae mostres as cartas de Ra-
phael.
tmmediatamenle : sobe, que a leitura de-
morada.
Nao subo : espero aqui.
Os cavallos ficam no pateo ? I
Ficam : nao me demoro.
E nao vens ver tua filha ?
Ainda nao ; traz-me as cartas.
Beatriz tremeu e descorou, quando viu Nicolu
tirar da papeleara o masso das cartas.
Que ? >l perguntou ella agitada.
Que ha Ije ser ?... a demencia de teu pae...
Quer ver as cartas.
Disseste-lt^e...
Nao, nao Iba disse cousa nenhuma ; foi elle
que m'as pediu .. Afiliges-te, filha?.... Isto dis-
para em nada, Beatriz I
Assim que a marido sahiu, tomou o filho nos
bragos, e correu os salseus da casa, sem atinar
com algum intento:
Martinho Xavier leu vagarosamente as cartas,
pedindo a traduego dos dizeres era franecz.
Acabada a leitura exclamou.
Este hornera ura infame I
Porque ?
Porque estas cartas sao urna clada tua
honra e minha, e a houra de miuba lilha.
Explica-te, primo Xavier I aecudiu com ar-
rebatameoto Nicolu.
Expliquei-me de mais ao marido de minha
filha.
Agora... agora, Nicolu de Mesquita, lavei as
mos 1 Arranquei da coascieucia o ultimo espi-
nho. Fiz o que pude, disse o que poda dizer. Faz
o que a tua dignidade te ordenar.
la relirar-se ; mas o marido de Beatriz, suste-
re-o, exclamando :
Has de repeiir-me essas palavras na presen-
ta de minha mulher.
Nao nao I -exclamou o velho movido a lagri-
mas.Nao I que mata-la-ia se ella ousasse inju-
riar esta dignidade de pae que a defende Tua
mulher est sera macula na face, Nicolu, pelos
ossos de meu pae t'p juro Mas perante mim, se
ella ousar mentir-te, o brago de pae vingar a tua
honra.
Sahu inpetuosamente, e saltou celia com e vi-
gor, phrenetico dos vinte annos,
Porque elle nao pode ir por si s.

PBNSAMENTOS d'M CACAD0R LOGRADO.
Apanham-se as andorinhas com espelhos, e
as camelias com armarios de espelhos.
Vale mais voltar logrado do que partir em
jejum.
O cagador deve partir cobigoso do caga ; mas
seu embornal nao deve voltar com essa avidez.
Um bom e prudente cagador deve ter sem-
pre dous polvarinhos : um para a sede e outro
para a plvora.
Esta manha na ra de Cambes succedeu urna
iamentavel desgraca.
Em consequencia do forte temporal que tem fe-
to ha dous dias, desabou a parede de urnas obras,
cahindo obre urna pequea casa contigua, onde
morava urna pobre viuva com urna filha menor.
A infeliz me ficnu logo morta, e a filhinha em
lamentavol estado e com as pernas quebradas!
Sirva ao menos esta desgraga para se prevenir
outros desastres que se possam dar em idnticas
circunstancias.
Fallecen em Inglaterra lord Henrique Vane, se-
gundo duque de Cleveland, general e par de Ingla-
terra.
Tinha nascido em Londres em 1788, e contava
por isso 76 annos de edade.
Pertencia antiga familia de Vane, que era 1699
foi elevada ao panato hereditario.
Com o nome de conde de Darlington, que era o
seu segundo titulo nobiliario, estudou na Universi-
dade de Oxford, enirou no servigo militar e fez a
campanha da Pennsula.
Em 1831 foi promovido a major general.
Sendo eleito deputado era 1812, foi reeleito no
espago de 30 annos consecutivos por difTerentes
burgos.
Em 1842 tomou na cmara alta o lugar de seu
pae, ao qual Gulherme IV tinha conferido o titulo
de duque de Cleveland.
Foi sempre contado entre os mais firmes defen-
sores dos previlegios da aristocracia e da egreja.
Em 1842 receben as insigoias da ordem da Jar-
reteira.
Como nao tinha Sirios, oseo herdeiro seu irmo
mais novo, lord Powlett.
O Sr. Legoyt, chefe da repartigo de estatistiea.
junto do ministerio das obras publicas, commerclo
e agricultura de Franga, leu na sesso de 10 de
maio ultimo da academia de medicina de Paris, um
importante trabalho sobre o suicidio na Europa,
cujas conclusoes sao as seguintes :
! Augmento de suicidio.Na Baviera, Dina-
marca, Franga, Hannover. Mecklemhurgo, Prassia,
Saxonia e Suecia, o suic'dio caminha com mais ra-
pidez do que a populaco e mortalidade geral.
2." Importancia numrica do suicidio.Impera
o suicidio nos estados alleraes do norte e em va-
rias partes da Dinamarca ; mu distantes desta es-
to relativamente ao suicidio, a Sicilia e a Norue-
ga, se bem que pertengam a mesma raga. Ingla
ierra, apezar da situagao oppo>ta, acha-se em po
sigo contraria, cora relago frequencia de suici-
dio. A morte voluntaria nao faz tambem grande
numero de victimas na Blgica, Austria e Hespa-
nha, tres paizes catholicos. Franga oeeupa urna
posigo intermedia; e roltoear-se-hia a par das tres
ultimas nagoes se nao fossera os frequentes suici-
dios de Paris, que formara a olliraa parle no total
de suicidios da Franga.
3." Suicidios femininos.Era geral contam-se
O morgado estacou. Atormeotava-o ura dilem-
ina cruelissimo : era sua mulher criminosa, ou seu
sogro meniecaplo ?
Subi ao quarto de Beatriz: encontrou-a com o
filho no eolio, e o rosto purpureado da escande-
cencia das lagrimas mal enchutas. Coutemplou-a
silencioso, e ella nao pode supportar os coriseos
dos ollios delle.
Que segredo da tua deshonra tem teu pae,
Beatriz ? perguntou elle cora lerrivel placidez.
Da minha desnonra ?... nenhum I Euuuu-
ca tralu os raeus de veres
.Nao s.iienle a deshonestidade a quebra
dos deveres Perguuto eu que ha eulre li e Ra-
phael Gargao?
Nada, absolutamente nada existe. Morto ve-
ja eu ueste nstame o lilliiuho em meus bragos, se
eu ti milito I
Nicolu recordou mentalmente as palavras de
Mamullo Xavier : Tua mulher est sem macula na
face ; pelos ossos de meu pae te juro, llefrigerou-
se-llie o saugUe. O juramento da esposa, BUDfe a
vida Ullio, poda muiio com elle. Saiipi a passo
leuto do quarlo ; fecnou-sc uo seu gabinete, e re-
passou delidaineute as cartas de Raphael Gargo.
juiga-lo-eis desencavernado de aulro de Tropho-
mus, quando sahiu do quario. Era urna amargu-
ra de seiubUule em que fcil se prev que nunca
mais se na de abrir ura riso. Nicolu vira ludo,
adviuliaia tudo, a um claro do inferuo, a tam-
bera vira a essa luz o vutio de Ernesto Frouieut.
Porm, o que elle vira e adiviubara era pouuu
para coiisiuei ar-so to puuido quaulo olleusor.
Via o iuuci Um dO>siuo ; m.is via-o a alto, dua
uiuilier era auiaja ; mas o amador esper-va gaiai -
uoar-so uo ceu. lio, se uao cou>ola, oileude uie-
iaudiiieuie. uui mando. Era aluda incerlu que
ella o araasse ; era aiuda perdoavel que ella o U-
vesse amado oiu solleira ; sena at possivel equasi
esculpavel que ella Ihe proiuellesse esposa-lo ua
beinaveuiuraiiga. Mediiou estas e ouiras cousas
entr- as arvures, e voitou ao gabinete a reler as
cartas. Recordou os relangos em que sua mulher
lizera especial reparo, quaudo elle as lia. Notou,
combiiiuu, iuferiu, e coufortou-se cora as noventa
e nove probabilidades da pureza da sua esposa,
salvando o espirito d'esta concluso purificante.
Voitou ao quarlo de Beatriz, e disse-lhe com
braudurai mas tur vado o aspeito :
Mataste a minha Micidade, e a tua, D'ora
avante seremos dous dosgragados que se contem-
29 ou 30 mulheres suicidas por 100 do seio i
culino.
4. Por edade.Os suicidios creseetn regular-
mente com a edade, pelo menos qoasi al aos 60 e
70 annos.
8. Por mezes.Os suicidios reglstram-se menos
em Janeiro ; porm mais em julho.
6." Causas.a fra as enfermidades mentaes e
soffrlmenios physicos que afTectara quajl do mesmo
modo os dous sexos, as mulheres cedem com mais
facilidade s influencias moraes, em qoailo que os
homens se mpressionam com mais particular! I.:
das affecces materiaes. A embriaguez e a devas-
sido s em pequea qoantidade tiguram entre as
causas indirectas dos suicidios femininos.
7. Suicidios por estudo civil.Nos paizes en
que se tem feito esta invesligago (Dinamarca. Sa-
xonia e Hespanha; os casados cedem meno- a esta
funesta influencia e os viuvos mais. Ha, rom
certas propnrgoes, urna rlasse que subministra
ainda mais suicidios a dos divorciados.
8." Suicidios segundo os culto*.Na Prassia
provou-se, no espago de dous annos, qoe os pro -
testantes subministraram 153 suicidios por um mi'
Iho de individuos, e os israelitas 51 e os catholi'
eos apenas 47.
9.* Cidades e campos.Os suicidios sao mais
frequentes as capitaes do que no resto do paiz.
Resumindo: o resoltado mais caiarterisiieo
desta invesligago o o accrescimo geral e rpido
do soicidio. O aotor examina se esle augmento
nao deve atlribuir-se liberdade illimitada, a sup-
presso completa de parochias, ao culto mais oa
menos exclusivo, ao bem-cstar material, a aspira-
cao, s riquezas, s excitagoes de ambigo. s erlses
polticas e especulage.
Transcrevemos o seguinte :
Nao foram os lornaesEtat generanxLettres
mes commetlants, e Patrite Francais os nicos
que se publicarara em 1789. Contam-se alera des-
tes, o Mercure de trance, que se publicara eraa-
nalmente; o Moniteur Universei, que sahiu pela
priraeira vez em 24 de novembro de. 1789, e qoe
se publicava todos os das; o Journal de Pars.
egualmente diario; a Ckroniqne. de Paris, diario;
Republicam, publicado em 1791 posieriormeate i
fgida do re, mas antes do dia 14 de seterabro. e
cujo norae s por si bastante significativo; o Ami
du Peuple, de Mar.it, comegado era seterabro de
1789, que era 2o de fevereiro de 1791 se achara
no numero Esestslc38 .eo os mais coohecidos,
porque desde o primeiro de maio d-; 1789 at o pri-
meiro de maio de 1793, podem contar-se uas mil'
e de noioriedade histrica que o grande movi-
mento da imprensa teve lugar mormente em 1789
e 1790.
De 1785 em diante citarara se com mais espe-
cialidade : Ua correspondnnce, folha bisemanal ;
o Journal getseral del'Europe, em 1785 ; o Hertwlt
de la Nation, a Sentinelle du Peuple, em 17**, e
muitos outros, cujasc.lie.egoV, oa estatistiea* e
encontrara na bibholhera imperial.
Por aquella poca appareciara em Inglaterra
o Mormng Post, creado em 1772 : o Mormng Ue-
raid, em 1781 ; o Tymes, em 1778 ; o Bri^toi
Journal, em 1735 ; o Kentish Gatette, em 1717 ;
o Ghucester Journal, em 1722; o Netc-Castle, em
1711; o Nrthnmpton Mercury em 1720 : o Sa-
lisburfi Jcnmal, em 1720; o Phrttingkam Journal,
em 1720; o Worcester Journal, em 1790 ; o Cate-
donian Mercury, em 1660 ; o Edimburgh, em 1790
etc. etc..
Na primeira Carta do conde de Mirabeau a*
seus constitutntes, depara-se com u passagem se-
guinte : '
* Vinte e cinco mil vezes reclamara a liberdadV
da imprensa ; a nagao e o rer pedera a urna roz o
concurso de todas as illnstragoes. Mas ah F/ de-
pois de nos haver seduzldo com urna tolerancia
i I Insoria f prfida, nm .imposto magisterio popular
ousa descaradamente por om sello sobre obre os
nossos pensamentos, pririleziar e trafico da meo-
tira, e tratar como ohjecto de contrabando a iodfc-
pensavel exportago da verdade.*
Referindo-nos poca em qoe foram publicadas
estas linhas, temos fundamento para sustentar tpe
a libertina de imprensa qie cessou de existir de
direito, seno de facto, estava comprehendida nos
primeiroe dos que se chamam commummeat*
principios de 1789.
pimmmammmmmmmmmBMmmmpj
plam. Vives, por que a la honestidade ainda nao
est morta. Foi a alma que peccou ; conven qoe
a alma soffra. Quando os corpos eslo mancha-
dos entao honra espedaea-los. fe.' occasio de te
coatar que ha cento e tantos annos, houre n'esta
casa urna adultera. Deitou-se una noute tranquil-
lamente ao lado do mando, e fui ao outro du tira-
da do le i to para ser amortalbada. As crazas d'el-
la eslo ah na capella no jazigo da esquerda. Nao
se recolheu ainda aquella sepultura nenhum cada-
ver. Eu quizera que nao fosses tu a companneira
dos ossos da nica adultera d'esta familia em qui-
nhentos aunos sabidos.
Mas eu astea innocente, meu Deas -excla-
mou Beatriz, tirando pelas madeixas com tresra-
nada angustia.
Bem sei, dise soturnamente o marido.
Pois, se sabes, porque me insultas 7
Eu couversei comtigo, Beatriz : os laraios
que insultan). Meu lerceiro av nao me coasta qoe
insultasse a minha terceira ar, que est ali do ja-
zigo do lado esquerdo.
Pois bem I... mata-me e mata-me j que eu
do fundo da minha alma te abomino, e perdo.
Esta enanca te ainaldigoar em meu nome.
Era sublime o exaspero de Beatriz, com o filho
nos bragos, controcendo-se em altos gritos.
Nicolu tirou-lhe. a crianga, aperton-a ao seio,
beijou-a, larou-a de lagrimas eexclamou :
Tu nao rae amaldigoars, meu lilao I... Por-
que tu s meu filho, s, sinlo-te entranhado em meu
coragao I...
D'ahi horas, o morgado ordenara aos seus cria-
dos que preparassem as liteiras para jornada
longa.
Dous dias depois, os fidalgns de Palmeira saki-
ram caminho du Lisboa. E Raphael Gargo rara-
bia da mu de urna mulher em traja de mendiga
estas linhas :
Vamos para Lisboa. Mea pae dennnciou tu -
do. Sou urna martyr. Nao me esquejas, anjo da
minna vida. Eu perdoei-te, e amo-te mais rae
nunca. Maldito seja este homem, que me ameaga
com a morte !... No cea, no eu, nos veremos,
meu R. Adeus. Sei que nao torno a verte.
Raphael Gargo, terceira leitura diste entre
si :
Vers I
{Conlinuar-se-ha.)
l'ERNAMBUCO. -TYP. de M. F. de F. 4 FILHO
t
;
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOL218VOW_XM7Z7H INGEST_TIME 2013-08-28T01:57:55Z PACKAGE AA00011611_10502
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES