Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10501


This item is only available as the following downloads:


Full Text
!
kMO II. NUMERO 248.
Por tres ezes adiaotados 5|O00
Por tres mezes vencidos 6$UU0
Porte ao correio por tres mezes. 4750
TERCA FEIRA 25 BE ODfOBRO BE 1S4
Por amo adiaatado.....19$00O
Porte ae correio por nn anua 3$00'J
v>
ENCARREGADOS Da SUBSCRiPCAO NO NOR'iE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marones da Silva; Aracaty.o
r.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos^ de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SL
Alagas, o Sr. Claudino Faico Dias; Babia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
rlera Martins d Gasparino.
partida do jtfsias.
i Onda, Cabo e fiscaua todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-eiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho e Garanhuns as tergas feiras.
Pao d'Alho, Naxareth, Limoeiro, Brejo, Pasqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratd.Cabroc,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, Una.Barre-
ros,Agua Preu e Pimenteiras as quintas eiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi da.
EPHEMEBIDES DG MEZ IE OUTUBRO.
8 Quarto cresc. a 1 h., 17 m. e 30 s. da t.
15 La cheia as 4 h., S' m. e J8 s. da ni.
22 Quarto ming. as 8 h., 39 m. e 48 s. da m.
30 La nova a 1 h., 8 m. e 26 s. da t.
PRBAMAR DB BOJE.
Primeira as iO horas e 54 minutos da manhia.
Segunda as 11 toras 18 minutos da tarde.
-aRjIuj j.0b VAxORiii, tOSTIROa.
Para o sul at Alagas a 6 e 25; ,.- o uorte at
a Granja a 7 e x2 de cada me;; para Fernando nos
dias 14dosmetes dejan. rnare.,maio. jal. set. c nov.
PARTIDA DO OHNiBUS.
Par o Recife: do Apipucos as 6 V, 7, 7 y,, 8 e
8 /j da m.; de Onda s 8 da m. e 6 da larde; de
Jaboatao as 6 y, da m.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemflca s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos s 3 y, 4,4 >/4, 4/,,
B, K y_4, Vi 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manha e 4 /, da tarde; para Jaboatao s 4 da
tarde; para Gachang e Vanea s 4 V da tarde;
para tonifica s 4 da tarde.
AD.BNG. DOS TBIBClf ACS DA GaP'mL
Tribunal do commercio: segundas quistas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Paxenda: quinta s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas c sextas s 10 horas.
Primeira rara do civel : tercas sextas ao meio
dia.
Segunda \ara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
DfJtS i)A Rsl/.Jfiu
24. Segunda. S. Itapliael arrh.; S. Prcd,. a*.
25. Terga. Ss. Cnspim e Crispiniaa ir*, mo
26. Qana. Ss. Bvarklu Florn nnn.
27. Quinta. S. Kl.-si.5o imperadar l Btthpia
28. Sexta. Ss. Simio t Judas Thadea as
29. Sabliado. S. Eu-ehia ni.: a l>. IWimii.I.i
30. Domingo. S Serapio c ; S. Veterta m.
ASSIGX.A-SS
no Recife, m a livraria da praca da Independen
ca ns. 8 s 8, ios pionrietarios Manoat Figu-inn
PARTE OFf'IGIAL
(OVEREO DA PROVINCIA.
Eipedieole do dia 21 de outnbro de lsti.
Ollico ao coronel commandante das armas.
11 >iuet!o incluso o officio que acaba de dirigir-me
o capitn de mar e guerra Hermenegildo Antonio
Barbosa de Almeida para que V. S. informe sebre
o que elle pondera ; podendo V. S. providenciar
convenientemente sobre a escusa que elle solicita
para nao servir como vogal no conselho de guerra
a que tem de responder o coronel Antonio Gomes
Leal.
Antonio Maria Oconnell Jersey.Ao foreiro Joa-
quim Jos de Abreu Jnior c que compete solicitar
permisso para transferencia do terreno de que se
(rala.
Bacharel E tara eoncedendo a prorogago pedida.
Jesuino Deocleciano de Souza Bruno.Informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
PERNAMRUC,
REVISTA MAM.
Procedentes de Teneriffe e com destino ao Rio
da Prata, entraram nesle porto sabbado a tarde os
Dito ao mesmo.Convenho em que seja trans-1 vapores da mariha de guerra italiana Ercole e Ve-
ferido da companhia de artfices pira o 4o bata- '0C!. afim de tomarem carvo.
Ibo de artilharia a i> o soldado Francisco de Pau- \ O Ercole, que armado em brigue, contraan-
la Monteiro, quo assim o pedio no rei|iierimento dado pelo cavalbeiro Luigi Lampo; e o Veloce, que
sobre que V. S. nformou em ofUeio n. 1795 de 14 o m escuna, vem sob o commando do eapito
lenonle Cainy.
No mesmo dia chegou de Lisboa Gladiator,
vapor da linha de Liverpool, sendo portador de da-
tas que avancam tres dias s viudas pelo Beam: e
assun j do a cornposico definitiva do ministerio
do rorrete.
Dito ao Dr. chefe do polica.evolvo V S.
a coma da despeza feita com o sustento dos presos
pobres da cadeia de Agua Prela no trimestre de
julho a setembro prximo findo, que veio junta ao
seu officio o. 1259 de 11 deste mez, aflm de ser re-1 italiano, cujo pessoSl forma-se do general Della
formada de conformidade com a informarn do j Marmora, mini.-iro de estrangeiros e presidente do
inspector da thesouraria provincial n. 454, de 19 conselho, e interinamente da mariuha ; Lanza, mi-
do mesmo, junta por copia. I nistro do interior ; Jacini, miniftro das obras pu-
Dito ao inspector da thesouraria do fazenda. | blicas ; Petitti, ministro da guerra ; Selza, minis-
Em vista dos dous prets, juntos em duplcala, que | JfO da fazenda : Forelli, ministro do commercio ; e
N'atoli, ministro da instruegao publica.
/tlm disto, acceitando o novo gabinete a con-
veuco de Pars de lo de setembro 'ultimo
com a
m remelteu o juiz municipal e delegado do termo
de Caruaru' com officio de 16 do corrente, e no
havendo incenvenienlc, mande V. S. pagar ao Dr.
Jos Jos Anjos Vieira de Amorim a quaotia de... condigo da transferencia temporaria da capital do I
295640, em que importaram as etaiies fornecidas i reino para Florenca, doria reunir-se a 4,do corren-;
por aquelle juiz durante o mez de setembro ulti-1te parlamento para approvacao da convencae e
iiio tres pracas do 7o batalho de infaniaria, que decretacao da transferencia,
se achara doentes naquella cidade. Fizeram-se as; Coutia semelhante medida protestou & Austria,
neressarias communicagoes.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
pois entende ser contraria a convem;o franco-ita-
liano aos de Villa Franca e Zurich. comit na-
Accuso recebido o officio de liontem, sob n. 457 : conal romano, porm, em seu manifest declara
em que V. S. me participou haver Samuel llalli
day, dando por Madores os proprietarios Josn Pe-
reira da Cunha e Candido Alberto Sodr da Motta,
arrematado por um tnennio e por 1:6203000 an-
nuaos o disimo do gado vaceum da comarca do
Bonito, e em resposta tenho a dize. que approvo
essa arrematarn.
Dito ao mesm%Autoriso V. S. nos termos de
sua informadlo de hnntem, sob n. 456, a mandar
entregar mediante (anga idnea, ao vigario da fre-
guezia de Nazareth, padre Jeronymo los Pacheco
^de Albuquerqtie Maranho, ou a pessoa que para
i-so s<9 mostrar autorisada, o cont de ris, votado
pelo 7o do art 14 da lei do ornamento vigente,
para as obras da matriz daquella freguezia.Com-
municou-se ao predito vigario.
Dito ao director geral da instrucrao publica.
Respondendo ao officio de 20 do corrente, sob n.
201 em que V. S. eonsujta se em vista da dispo-
sicao il'i art 21 da lei n., fi'.'S de 13 de maio do
corrente anno, dee-se eiocir dos candidatos ao
magisterio primario hahrtiacoes as materias
designadas na 1" liarlo do art. 7 da le n. 569 de
14 de maio de 1855, ou as da 2a parte do mesmo
aniso, ou finalmente as do art 5 1 e 2 da ci-
tada lei n 598, bem remo se os professores habili-
tados as materias do Io grao, da le n. 369, p-
- dem ser obrigados a ensinar ou a prestar exarae
de habilitado para ensinar as materias designadas
no art. 47 da lei de 1855 ou as do art. 5 S? 1 e 2
da ile n. 598 deste anuo e no caso negativo se de-
verlo estes professores ter as vantaens pecunia-
rias marcadas para os que se habilitaran! ou se
habilitam as materias de qiulquer dos referidos
ser ella acceita pelo povo romano, que nesse acto
visa a aurora de urna prxima emancipadlo a seu
modo.
Cahio em poder dos imparcialislas a cidade de
Naukm, subindo a dez mil o numero dos rebella-
dos que morreram no combate c depois delle.
Etava ja declarado offirialmente o casamento do
pnueipe herdeiro da Russia com a princeza Dag-
mar, lilha de Cnnstiano, rei da Dinamarca.
O estado monetario dos mercados inglczes con-
tinuando em desanimo, communicava sua apathia
aos districtos manufacturemos; e d'ahi ha resulta-
do a baixa dos nossos gneros de exportafo, (can-
do o algodo da Baha e Alagas de 22 1|2 a 25
1|2 e o desia provincia o da Parahiba de 23 1|2 a
26 1|2 ; e o assucar a 18|9 ; de maneira que as
vendas eran raras, bem que nao sejam abundantes
OS dc'|) i.-liu.i.
A isto accresce terem fallido diversos commer-
ciantes, sendo na mor parte pertencentes classe
industrial.
Etn Liverpool havia noticias da America com
dala de 21 de setembro, lendo havido no dia ante-
rior em Nova-York um meeting extraordinario e
enthusiastico acerca da eleicao do general M'Clel-
lan: a quem no entretanto tinham resolvido os par-
tidarios da paz negar os seus suffragios para a pre-
sidencia ua repblica, em consecuencia da circular
do mesmo general nao Ihes entoar bem.
O ataque sobre a cidade de Moblle nao se linha
anda dado ; mas houve urna batalha no Shenan-
doch Wailey de grande importancia.
Na manha de 19 o general Shcridan cstacou o
exercito do general Eary, em Berrywille Pike atra-
artigos, ou se continuam a perceber as que ante- j vessando o Opequaa Creek ; e o combate durou to-
riormente percebiam; tenho a dizcr-lhe em res-! do o dia, sem vantagem, at que comeando os
posta as referidas consultas quo me conformo com I confederados a enfraquecerem ao cahir da noile,
o parecer do conselho director exarado no seu ci
tado officio.
Dito ao cominandante do corpo de polica.Em
vista da senteuca proferida pelo conselho de jura-
mento a que fui submeiiido o soldado Gamillo Joao
Mannel do Na-cimento, e do que dispoeo art. 163
do regulamento de 2 de dezembro de 1852, devol-
vo V. S. o respectivo processo alim
e a referida seutenca.
Dito ao director do arsenal de guerra.Re-pon-
do ao officio que Vmc. me dirigi sob n. 69, e data
de 20 do corrente, declarando Ihe que approvo
nao so a deliberarn que Vmc. pretende tomar,
remetiendo ao commandante do presidio de Fernan-
do, por conta do podido do respectivo almoxanfe
19 barris de plvora que exista no paiol do Brum,
com 14 arrobas e 27 libra*, mas lambem o con-
trato que Vmc. celebrou com o meslre do luate
Srrijipano, para conduccao desse combusiivel.
Fizeram-se as necessanas communicaco.!s.
Dito ao director da colonia militar de Pimentei-
ras. A' vista da informadlo do inspector da the-
souraria de fazenda, desla data, sob n. 611, auto-
riso Vmc. a comprar para o servico desta colonia,
os animaes e ferramenta mencionadas na inclusa
relacao naoexeeendoa respectiva despeza da quan-
tia le 7745200 rs. Commuoicou-se ao inspector
da thesouraria de fazenda.
Dito ao curador de africanos livres. Respon-
lento ao officio que me dirigi Vmc, em 18 do
vieram ao depois a fuirem completa desfeita.
Perdcram os confederados nesta aegao 3,000
morios, 2,000 feridos e mais que esto numero de
prisioneiros com incluso dos generaes Omhoden,
Gordnn, Ramesur, Itiiu les e W'arton ; e os federaos
200 humeas, entre mortos e feridos. Morreram
tambera os generaos Uplnn, Chapman e M'lntosh ;
de cumprir- e sanio ferelo o general Russeil.
De Brownavlle no Texas as noticias davam, que
o general mexicano Cortinas, sendo batido pelos
Francezes em Matamoros, passra o Rio Grande a
frente de 2,000 homens, e viera oceupar aquella
cidade em nome dogovernn federal, a quem offere-
cera os seus servicos, depois de haver expellido o
coronel confederado Enrde que all se achava.
O ouro licava a 223 7|8.
Arha-se entre us o dislincto Sr. capito-te-
nente Joo Soares Pinto, da armada nacional, vin-
do da corte para observar por nrdem imperial, o
eclipse que deve ter lugar domingo prximo, com
o fim de verifirar-se a longtude. B urna commis-
so importante, sob todos os pontos de vista, o
principalmente scientilco, e para a qual sao desig-
nados na Europa horneas de illustracao c condec*
montos profundos, da qual se sahir muito bem o
Sr. capilo-tenente Pinto, acerca do qual temos as
mais lisougeiras esperanzas. A' prnporcao que se
forem dando as experiencias, as iremos transmit-
tindo ao publico.
Em quanto se adiar entre nos, esse ofllcial se
incumbe do nosso observatorio astronmico, e far
de
orrente, tenho a dizer-lhe que d prompta execu-
eo ao decreto n. 3310 de 24 de setembro prximo car o balo no tnastaro da torre do arsenal de
lindo, sobre a emanclpaco dos africanos livres marinha todos os dias ao meio dia preciso,
requerendo em favor delles todas as providencias Remettem-nos as seguintes linhas, cuja ma-
da lei como determina o art. 9 do citado decreto, teria carecedora de urna providencia :
fazendo recolher ao arsenal de marinha os afrira- Secundo o que temos presenciado, de nosso de-
nos que se acharem serviro de particulares.Re- ver chamar a attencao do Sr. delegado, para um
grupo de meninos sem pas, ao que parece, que se
ajuntam em um terreno descoberto na ra Augus-
ta, a apedrejarem as pessoas que por al'.i passam,
a dizorein palavras obernas sem respeito as fami-
milias, e a chamarem finalmente as pretal vende-
deiras, a pretexto de comprarcm para Ihes furtar
as venda e derramar-Ins os taboleiros dispersn-
dole ento por momentos para mais larde reuni-
rera-se no mesmo lugar, theatro de suas prejudi-
ciaes e desregradas gentilezas. O subdelegado res-
pectivo sabedor de taes factos, e como nao te-
nha providenciado, rogamos ao Sr. delegado que
tome era consideradlo o nosso aviso.
No dia 23 de outubro peles 5 horas da tarde
metteu-se copia do predito decreto ao arsena
guerra e ao inspector do arsenal de m trinha.
Dto ao gerente da companhia Pernamburana.
Inleirado de quanto se contera em sen officio de
hontem, tenho a duer-lhe que deve Vmc providen-
ciar acerca da Ida do vapor ao presidio de Fernn-
d'-- de modo que esteja elle de foita no porto desta
ciSade, no dia 16 de novembro prximo viadouro,
erapregando Vmc. para sso as medidas que pro-
poe no citado officio, e communirando-me com an-
tecedencia o dia da partida do mesmo vapor para
expedid) das convenientes"ordens.
Portara. O Sr. gerente da companhia Pernam-
bncana, mande dar una passagem de r no vapor
Mnmnngnap l Macei, em lugar destinado pas- teve lugar a hendi da cruz' que havia de ser col-

sageiro de e-Udo a Candido Alves Machado.
Dila. O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana de navegacao cosleira, faga transportar para
a Parahyba, por contri do ministerio da guerra, no
1." vapor qne seguir para o norte, as pragas e
desertores do corpo de guarnico d'aquella provn-
", mencionados na relacao junta por copia.
Communicou-se ao commandante das armas.
locada no frontespicio da nova igreja matriz de
S. Jos.
A solemnMade leve principio na igreja do Ter-
co ; ahi o Exm: e Rvm. vigario capitular Dr. Joa-
qiiim Francisco de Faria, lendo por assistente o
Rvm. conego vigario de Santo ntonio Venancio
llenrique de Rezende, e coadjutor Joao Jos da
Costa Rlbeiro, procedeu respectiva bengo da
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernamhu- cruz, segundo o ritual, o qual se achava sobre um
cana, faca transportar ao presidio de Fernando, andor ricamente ornado. Fiada a ceremonia, seguio
p.ir conta do ministerio da guerra no 1." vapor que 0 prestito era direccao a nova matriz, composto das
para al i seguir, o sentenciado militar Luiz Antonia duas rmandades do Terco, e do Santissimo Sacra-
Xavier Machado, que Ihe ser apresentado por ment da matriz nova em crescido numero c ir-
p irte do coronel commandante das arma*.Com- rnos do clero da freguezia, carregando o andor da
municou-se ao coronel commandante das armas. cruz as duas referidas confranas, e acompanhan-
do todo o acto o mesmo Exm. vigario capitular ;
Despachos de dia 21 dr outubro de 1861.
Reqummentos.
Antonio Joaquim Pires. Passe portara eonce-
dendo a licen?* pedida.
Ahaixo assignados, consignatarios de gneros de
proluccao da provincia.Informe oSr. engenhei-
ro fiscal da estrada de ferro.
i e aps a msica dos menores do trem e urna nu-
vem de povo. Chegado matriz nova de S. Jos,
f5ra elevado o estandarte da Redpmpco. e logo
enllocado no frontespicio da referida matriz, no
meio do maior regosijo e contentamento do povo.
Nessa occasiao o Exm. capitular se encaminbara
capella-mr, e fra-llie apresentada a palhela com
pao de "ouro, aflm de elle ser o primoiroa colloca-
lo no sacrario, e em seguida proceden bengao
dos sinos, que logo depois tocaram em signal de
alegra, bem como o orgo, que pela vez prime/ra
fez ouvir seus harmoniosos sons, tangidos pelo
Rvd. padre Ernesto da Cunha. as gyrandolas que
subiam ao ar, o loque de sinos da nova matriz,
correspondidos pelos das mais igrejas da capital,
ludo anuunciava um iriumpbo assignalado da re-
dempcao de Jess Christo.
Teve lugar na igreja da ordem tercetra do
Carmo com a pompa devida a festa do Senhor dos
Pastos, pregando no Evangelho o padre Lino do
Monte Carmello Luna, e no TeDeum o Rvd. frei i
Joaquim do Espirito Santo.
Na igreja de S.Jos feslojou-se no raesmo
dia com a pompa correspondente aos esforcos da
respectiva irmandade, a Senhora do Bom Parlo, |
terminando esta rtligiosdade com um fogo ar-
tificial.
Domingo elegeu a sociedade recreativa Co-
rybantina os novos funeccionarios que tem de di-
rigl-la de 5 do novembro deste anno a 5 de no-.
vembro de 1865, tendo sido eleilos os Srs. :
Presidente, Dr. A. Witruvio Pinto Bandeira e i
A. de V.
Vice-presidente, Jos Clementino H. da Silva.
Primeiro secretrrio, Faustino Jos da Fonseca.
Seguudo dito, Jos Annes Vieira de Souza.
Thesoureiro, Francisco Marcelino do Amaral.
Procurador, Antonio Cyprano da Silva Fra-
gozo.
Para directores dos recreos, os Srs.:
Joo Carlos Lumachi.
Adoipho Liberato Pereira d'Oliveira.
Henriquc de C. Guiraares.
Jos Joaquim Ramos Ferreira.
Benedicto Marques Acauan.
Manuel Varella do Nascimeoto.
Jeronymo da Costa Lima.
J'.iviruano Fcniandes da Silva Maula.
AnlonioTeixeira Peixolo.
Antonio Rodrigues de Souza.
Francisco da Costa Ribeiro.
A direccao da sociedado no mez de maio, ani-
versario da sua installacao.
Os dous ltimos directores dos recreos porm'
deixaram de aceitar.
Teve lugar do dia 19 do correte no hospital Pe-
dro II a festa annual do seu padroeiro, S. Pedro de
Alcntara.
Como de coslume, houve missa cantada, offician-
do o padre Viullemir, servindo de meslre de cere-
monia o padremestre Fr. Gamillo, sendo a orches-
ira dos meninos do collcgio dos orphos, que des-
empenharam bem.
Houve sermao recitado pelo padre Luiz Calmon,
cujo assumpto foi todo doutrinal ao lim das institu-
g5es de caridade, sobresahindo nao s o encadea-
mento dos raciocinios, como a facilidade com que
o orador se exprima em portugus.
O eMaliiTerimciito o hospital, eslava romn
sempre, isto asseiado.
Assistiram a junta administrativa da Santa Casa
de Misericordia, varios couvidados de ambos os
sexos, e grande numero de doentes, cujas enfernu-
dades nao Ihes prohibiam a assisr ao acto.
At 6 horas da tarde oeslabelecimento foi visi-
tado por mollas pessoas.'
Temos differeutes queixas de particulares
acerca da pouca inteasidade do gaz em suas casas,
sendo to escassa a luz emiuida que multas vezes
Ihes preciso accenderera vellas : e accrescentain
essas pessoas que semelhante defeito nao pode pro-
vir da canalisacao, porque, comjnunicacao dellas,
lem a empresa inandadp pservar e fazer o que
possa ser necessaro, resultando no entretanto nao
melhorar a luz em sua intensidade.
Parece, portante, que a distribuidlo do gaz nao
feita na devida quanlidade ou proporgo ; e por
isso chamamos a attencao da empreza para seme-
lhante servico, alim de que nao eslejam soffrendo
os consumidores.
De Papacara temos carta do Sr. Thom Joa-
quim do Nascimento, na qual nos communira ter
deixado de t-hegar as suasinos os Diarios de sua
assigtiatura de 21 26 de setembro prximo pas-
E romo Ih'os remellemos com a pontualidade do
sado.
costume, cumpre-nos pedir ao digno Sr. adminis-
trador a devida providencia, para precaver futuras
repelicoes desse abuso.
Acha-se nomeado delegado Iliteraria desta
freguezia o Sr. Dr. Francisco de Carvalho Soares
Brando.
Em substituico ao Sr. major Salvador Hen-
riqne de Albuquerque, foi nomeado o Sr. Dr. Joo
Diniz Itibeiro ua Cunha membro substituto do con-
selho director da inslrueco publica.
Foi aposentado o alferes do corpo de polica
Joaquim Barbosa dos Res por portara de 22 do
corrente.
Foi nomeado o Sr. Amador de Araujo Pessoa
para o lugar vago de alferes do corpo de polica.
Em trras do engenho Jerusnlem, termo de
Serinhem, depois de urna lula, feriram-se mutua-
mente no dia 3 do rorrete Antonio Fragoso e Ber-
nardino de Sena do Nascimento ; mas sendo leves
os ferimentos, a polica nao teve que ver com os
hrigadores, que se satisfizeram com o resultado da
lua.
No dia 16 do corrente appareceu mora no
acude do eugenho Javunda, em Jaboatao, urna pre-
la es~rava de Antonio Ferreira, lavrador do mesmo
engenho ; a qual suppoe-se que tomando all ba-
nho, afogra-se; pois encontrou-se-lhe a roupa so-
bre urna arvore, que tica belra do agude.
Nao obstante, procedeu-se vistoria no cadver,
sem que se encontrasse contuso alguma, que re-
velasse outra causa sua morte.
Remeitem-nos as spguintes linhas :
i Sr. redactor da Revista. Sabemos que nao
deixa Vmc, sempre que se offerece occasiao, de dar
um brado de animadlo aos nossos patricios, cojo
talento faz-se delle merecedor. E' por isso, que
dirigimos nos Vmc, pedindo-lbeja insercao destas
linhas em sua Revista.
< Sabbado (ii) assistimos aos trabalhos da com-
panhia de curiosos gymnasticos. E' para sorpren-
der a habilidade e destreza com que esses Jovens
trahalham. Os exercicios no irapezio, os volteios
na corda bamba, as escadas perigosas jogos de
equilibrio admiraveis, as pravas de forca do homem
de bronze, tudo feito de um modo pasmoso para
jovens, que nao teem tido outro mestre senao o seu
talento e disposic5es naturaes; fixando particular-
mente a attencao o menino borracha, que rivalisa
(dizemo-lo sem exageracao) cem os que enlre nos
teem trabalhado neste genero.
t Lamentamos, que esses jovens nao podessem
obter, em conseqnencia dos seus exiguos recursos,
urna casa mais espagosa e em melhor local para as
! suas representagdes. Afim de que o consigam para
diante, invocamos a protecgo do nosso publico
| para elles, protecgo, que pnidigalisando aos artis-
ta* estrangeiros, nao deve negar, e nao negar, por
certo, aos naturaes. Coragem, pois, e esperanga,
jovens e talentosos artistas I Nao desanimis por
ser o vosso caminhar vagaroso I
t Basta por agora, que nao queremos abusar da
bondade do Sr. redactor, a quem nos confessames
obrigado. ./'
Concluio-se hontem a eleigo para julzes de
paz desta freguezia, seudo a seguinte. a votago
apurada :
Luiz Cesario ta Reg...................... 457 i Appellante, Manoel Lopes da Silva ; appellado,
Antonio Augusto da Fooeeca. ............ 351 Luiz Jos Pinto da Costa.
Manoel Camello Pessoa.................... 308 Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Severiano Jos de Moura.................... 297 Sr. deseiubargador tesis
Flix Franeisee-de Souza Magalhies......... 2871 As appellacdes crimes.
Sil veno Joaquim Martins dos Santos........ 249
Francisco de Paula e Silva............246
Dr. Antonio Epaminondas de Mello.......... 224
Jos Luiz Pereira ................. ....... 223
ADgelo Henriques da Sil va................. 104
J. F. Torres Gaiindo........................' 73
Antonio BernardoQuiateiro... ............. 62
Repaktiqao da polica.
Extracto das partes dos dias 23 e 24 de outubro
de 1864.
Foram recolhidos casa de detengo no da 22
do corrente :
A' ordem do subdelegado do Recife, Bernardino
de Vers, para correcgo ; e Maria, escrava de Do-
mingos Jos da Costa, requeriraento deste.
Da 23 -
A' ordem do subdelegado do Recife, Antonio
Luiz Dias, por disturbios
A' ordem do de S. Jos, Jos Luiz da Costa, por
briga.
A' ordem do da Boa-Vista, Candido Jos do Es-
pirito Santo, por erime de estupro.
A' ordem do da Magdalena, Olympio Ferreira
Magalhes, para remita.
I O chefe da 2* secgao,
J. G. de desquita.
Movimento da casa de detengo do da 22 de
outQbro de 1864.
Existiam....... 355 presos.
Entraram...... 2
Sahiram...... 7
appellado, Antonio Pereira
appel-
a-
Appellante, o juizo
Santiago.
Appellante, Manoel Severino dos Santos
lada, a jusliga.
Appellante, Jos Franciso Pereira ; appe
da, a justiga.
As appellaces civeis.
Appellante, Jos Pereira de Araujo : appellado,
Joo Manoel Puntual Jnior e outros.
Appellante, Jos Joaquim da Rocha Farias j ap-
pellado, Frederico Augusto Velloso da Silvcira.
Ao Sr. desembarpador Doria
A avpetlacao civel.
Appellante, I). Francisca das Chagas Bandeira
de Mello; appellado, Francisco Rodrigues dos
Santos.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Doria
As appellaces crimes.
o juizo : appcllada, Joscpha Maria
Appellante,
da Trindade.
Appellante.
Leocadio.
o juizo ; appellado, Antonio Jos
A saber
Existem....... 350
r :
Naeionaes..... 286
Mulheres......
Estrangeiros...
Estrangeiras...
Escravos......
Escravas......
4
13
3
39
5
Alimentados a custa dos
350
cofres provinciacs 140
CIIR0NIC4 JID1CIARW
TRinr.VlL DA RELACAO.
SESSAO EM 22 DE OUTUBRO.
PRkSIDKMCIA DO EXM. SR. CONSKLHEIKO
SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, Lourenco Santiago,
Almeida e Albiiquerque, Assis, Motta, Doria, Ucha
Cavalcanti, 1)..(Singues da Silva, filiando o Sr. des-
euibarxaUur j<6Wgo, aorio-se a sessio. -
V Sr. desoBbargador Gaerra, procurador da co-
rda, au ronjparereu.
Passados s feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os/seguintes
, JULGAMENTOS
Uecursos crimes.
Recorrente, Pedio Pereira da Silva Guimaraes ;
recorrido, a cmara' municipal.
Relator o Sr. decnibargador Almeida e Albu-
querqeT
Sorteados os Srs..desembargadores Domingues
da Silva; Gitirana e Motia.
Deram'provimento em parle.
Recorrente, a'caiaara municipal ; recorrido, Pe-
dro Pereira da Silva Gdimares.
Relator o Sr desembargador Assis.
Sorteados os Srs. desembargadores Domingues
da Silva, Ucha Cavalcanti c Doria.
Deram provimento.
Aggravos de petictio.
Asgravante, teuente-coronel Luiz de Albuqucr-
que Maranho ; aggravado, Dr. Jos Joaquim de
Moraes Sarment.
Relator o Sr. desembargador Motta.
Sorteados os senhores desembargadores Doria,
e Lourengo Santiago.
Deram provimento.
Appellaces crimes.
Appellante, o promotor ; appellado, Jos Gui-
Iherme da Silva.
A' novo jury.
Appellante, o promotor; appellado, Florentino,
escravo.
A' novo jury.
Appellacdes ciceis.
Appellante, D. Maria Felicia da Conceigao Leite ;
appellado, Manoel Fernandes da Silva.
Reformada a sentenga.
Appelhntes, a prela "Maria e >em filhos appel-
lado, Guilberme Augusto de Miranda.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Mathias Lopes da Costa Maia ; ap-
pellada, Maria de Jess Cordeiro.
Conliruiada a sentenga.
Appellante, Antonio \ iriato de Medeiros Jnior ;
appellada, D. Rosa Maria de Albuquerque.
Confirmada a sentenga.
Habe'as-corpus.
Negou-se ordem de habeas-corpus a Manoel Jos
de Sant'Anna Gob.
DESlfi.NAgAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
As appellacdes crimes.
Appellante, o juizo ; Appellado, Sebaslio Jos
de Azevedo e outro.
Appellanie.fnnocencio Francisco Ferreira de Sou-
za : appellada, a justiga.
Appellante, o juizo ; appellados, Jos Marcolno
de Mello.
Appellante, Antonio Gongalves da Silva e outros -.
appellado, Francisco Jos Fernandes.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Lopes de
Araujo.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Vicente
Ferreira.
As appellacdes civeis.
Appellante, Francisco Santiago Hamos ; appella-
do, Gabriel Antonio.
Appellante, Gaspar Cavalcanti de Albuquerque
Ucha ; appellado, Joae de S Albuquerque.
PASSAGBNS
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
desembargador Lourengo Santiago
As appellaces crimes.
Appellante, Jos Flix Rodrigues ; appellada, o
juizo.
Appellante, e juizo ; appellado, Jos Mery da
Silva.
Appellante, o promotor ; appellado. Antonio
Claudino Pacifico. ,._,.
Appellante, o promotor ; appellado, Joso Rodri-
gues Corma.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
As appellacdes crimes.
Luiz Manoel Flor ; appellada, a
As appellacdes civeis.
Appellantes, os herdeiros de Jos Francisco Be-
lra ; appellada, a fazenda.
Appellante, Lourengo Bezerra Cavalcanti do Al- I
buquerque ; appellado, Dr. Amaro Joaquim Fon-
seca de Albuquerque.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar- j
gador Ucha Cavalcanti
Ai appellacdes crimes.
Appellante. o promotor ; appellado, Manoel Ber- !
nardo da Guerra.
Appellante, o juizo : appellada, Severino Rodri-
gues.
A appellanio civel.
Appellante, a viuva de Joo Vieira da Cunha ;
appellada, a fazenda.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellarao civel.
Appellante, a fazenda;' appellado, Ignacio Luiz
de Brito Taborda.
Do Sr. desembargador Ucha Cavalcanti ao Sr.
desembargador Domingues da Silva
A appetlaco crime.
Appellante, o promotor ; appellado, Antonio Jos
de Souza.
DlSTIUUl'igOES.
O aggravo de peticao.
Ao Sr. desembaigador santiago
Aggravanfe, Jo* Ribeiro Bastos ; aggravado, o
juizo.
Ao Sr. desembargador Gitirana
Aggravanie, Belarmiuo de Souza Soares; ag-
i, gravado, o juizo. .
Ao sr. aeseniDargador Lourengo Santiago
Aggravanie, Domingos Jos Gomes de Macedo ;
aggravado, o juizo.
Ao Sr. desembargador Almeida e Albuquerque
Aggravanie, Beuto Jos Marques da Silva Acau
Jnior ; aggravado, o juizo.
Ao Sr. desembargador Ucha Cavalcanti
Aggravanie, Manoel Barbosa da Silva ; aggra-
vado, o juizo.
Ao Sr. desembargador Domingues da Silva
Aggravante. o cnsul portuguez : aggrava-
do, o juizo.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellacdu civel.
Appellante, a irmandade deNossa Senhora da
Soledade ; appellados, Jos Gongalves da Cruz o
outros.
A 2 horas da tarde, eucerrou-se a sesso.
Appellante,
justiga.
Appellante,
Vianna.
o juizo; appellado, Jos Martins
As appellacdes civeis.
GMMNIJABOS.
Appellantes, Francisco Pereira de Carvalho e
Nao em attencao ao que mas ao que pode !
parecer fra da provincia o bacharel Silvino autor
do communicado que hoje se publico i nesle Dia-
no com referencia a mira, que responderei para o
publico.
Na secretaria do governo existe apenas o officio
traicoeira e cobardemente feito, que nao affirraia o
que com a capa do consta, se ousou dizer. Este,
celebro officio tem de ser analysado aos olhos de
todos e ento vero a que fonte foi o Sr. Silvino
buscar agua para lavar a nndoa que no manto da
directora da instruegao langou tendo-o recebido
limpo do muito dign Dr. Portella !
O empegado publico que tem bro, se nao sus-
tenta polmicas explica seus actos perante o tribu-
nal da opinio publica, para que nao fique entre-
gue ao merecido descrdito.
O dever bae o mal entendido arbitrio e a ca-
prichosa vonlade.
Apanhe a luva e orgulbe-se da luta.
Se tivesse affirmado o que expoz presidencia
na proposta da tal demissao : curva-lo-hia e o ro-
lara ao p dos nossos Iribunaes de justiga.
Quando um hornera tesieinunliando grande e re-
petidos favores feitos a sua familia pagaos ten-
tando prejudicar a reputagao daquelle que as fez.
este homem mais do que ingrato miseravel.
Quando um homem pratica em sua carreira pu-
blica actos violentos, injustos e perversos, este ho-
mem nao serve para empreges pblicos.
Ao autor do communirado nao quero indicar so
as penas do de>preso ; pouco anda ...
Por mais que se procure nao se encherga, para
ser castigado, o impostor.
Recifei 22 de outubro de 1864.
Amaro Joaquim Fonseca de Albuquerque.
CORRESPONDENCIAS
Senhores reiactores.(*) Exonerado do cargo de
secretario da instruegao publica desta provincia, a
pedido do Sr. Silvino Cavalcante de Albuquerque.
na qnalldade de director-geral, como j fiz ver no
Diario n. 240 de 19 do crreme, era com efleitn
de suppr que um motivo fortissimo o exuberan-
temente pruvado actuasse no ananimo daquelle
senhor para dar semelhante passo, j pelas rela-
goes de amisade que de muitos annos entre ns
havia, e J porque a prudencia nestes casos assim
o dicta a todo o homem que se presa, e respeita os
principios de justiga, inormenTe quando se traa da
honra e da reputagao de um funcclonario pu-
blico.
Mas, quem nao se surprendera, sabendo que
o Sr. Silvino exigi a miaa demissao por mera
viuganga, ou, como dizem, por imposico de al-
guem, para arranjar a outrem t
Para entrarmos no desenvolvimenlo deste trgi-
co drama em que fui eu a victima sacrificada,
cumpre estampar aqui o officio que exigi a mi-
nha demissao.
Ei-lo:
N. 194 Directora geral da imtruccao publica,
II de outubro de 1864Wm. e Ex-n. Sr Chamo
a attencao de V. Sxc. para a seguinte exposi-
co:
outro
Barros.
appellada, a viuva de Antonio
do Reg () Por alDuenca do materia deixon de sahir
I hontem a presente correspondencia.
Antes de entra,- para fl rttft daisa repar-
ticdo, ouvi dizcc a mais de urna saasM de com.rUo
que d'aqui sithtam us pontos dssttnidus ao rrrmr
(fas candidatos no piofcsioiato til prmmd*. r '/
mediante vaiilaym pecuniarias eiam ellet ornea-
dos particularmente aot intei estadas pelo que luepi
que entrei para a repa, licito fiz MBfsr m secreta-
rio da mesma o majar Salvador Hismaw de Albu-
querque, contra quem eram -firrjirfar fsnYlfi ai -
guicdei que semellianles noticias me iftmmnimwwmt,
e que esperara que pelo ufa ( nuda lo qne elle em-
pregasse no desempenho de seus Arreces, t na guar-
da dos papis que Ihe eram eomfmm ummmmm
aquella motivos le censura a repartir*, infeliz-
mente orm acabo de entrar no conhenmenlo de
que us minhas rccoiiimtndacdes nao foram suffi-
cientes, por quanto honlem noiitr faram-me for-
necidos mr indos particulares os pm./os dos tre>
aunoi ltimos.
Se este fado nao prava ; n s prnartt
deixa no menos rer com toda a forra di larsksstt
que nao tem Itucido o necessaro cuidado na guarda
dos papis da repartalo.
Eutlt desagradareis orcorrencias foram muda
esle aiinodenunciadas pelo peridico -A Ordem -
publicado nesta cidade.
Neslas cirrnmstancias RNSf potaAt o refe-
rido secretario continuar a merecer a minha con-
fianra, vcuho solicitar de V. Exc. a sua desom
ruedo.
Outro sim, cumpre-me ponderar Y. Exc. que
os exornes de habilitaran ltimamente ftsmiss i
que pendan ta apreaaedo de V. Exc.. nao poiiem.
no meu entender, ter vaJimento nlguin, pela razao
de emanarem de urna fonte tuo impura, coma srja
a dnutijaaio dos respectivos pontos, e nesse ihIhHo
chamo a attencao de V. Ere. par* tile afim de sav
se digne de deliberar a respeito como Ihe pareen
mais coi veniente tu ser rico publico.
Pelo motivo exposto acabo demandar casta? M
exornes de capaadade para o magisterio do sexo
femimno, que deceriam ter lagar amanhaa 12
(fo corrente, ut que sejam coaftcekmaat RJMM
pontos.
Dais guarde V. Exc, illm. e Ecm. *r.Dr.
Domingos de Souza Ledo, presid ule piorin
cia.O director, Silvino Catakanlt de Mbuqner-
que.
Entremos por parles na analyse deste officio.
Diz o Sr. Silvino no principio dellu que, anlc-
de entrar para a repartise ja Ihe mn-iava a vul-
garisacSo dos pontos mediante vaniagens pecunia-
rias, e que logo' que assumio as funrge de di-
rector, fez-me ver que Ihe eram doa^radaveis taes
noticias, e que esperava que, |m*Io zelo, e cuidado
que eu empregasse no desempenho dos meus de-
veres, e na gu-.rda dos papis que me eram con-
fiadas cessassein aquelles motivos dr censura
repartirn; r. acresceoia que inb-liuiM-nta mmm
ren.iiimendagfx's nao tinham si ...ni.. ih.i mi ou diueceueme lorneridos, por M
particulares, os pontos dos tres annos uliiinos.
E' verdade que o Sr. Silvino, o anno pascado.
depois deja estar dingindo a rcparfrrao sasv-SM
uro dia ern sua casa, onde me araava, ataaa vuljta-
risagao de punios, mas taes foram as eoafcfcra|ili
que Ihe apresentei, que cssesenlinr nem de Ivte me
den a entender que acreditara ser en e assksf de
semelhante tralirancia ; e tanto julgoii. (rsssa M
at boje julgava,) que esses boatos t-rain infunda-
dos, e s Hlhos de desalleir.s de antea*le.
malogrados que nao empreu toda a sua arim
dade e energa na syndieanna oesse farto para
punir o empregado prevaricador, romo Ihe tum-
pria.
Por lano se eu mereca i demissao, o Sr. Silvi-
no tambera a merece, porque nao cumprio ceta i
seu dever o anno passado e alicstou a meu fas i
autes departir para o Rio de Janeiro.
OSr. Silvino, nem Daquelle lempo, e non ssmsm
boje est convencido de que en vend pontos, e nem
que seja capas de coraetier qualquer Irattraoria,
pois que perf.'lamente me ronhece, e sabe que
um homem na minha posigao, idade e cireaatflaa-
cias, com trinla e tres anuos de serviru publico
prestados ao seu paiz em diversos ramos, nao ia
sacrificar tudo isto ao mesqmnbo e rcdiruln jni.
resse que de semelhnnle prevariraco llie poda
resultar.
En mostrare! mais adianle quem foi, segn.I -
nformaroes que boje lenh.., o empregado que v, n-
deu pontos, e que o grande lino do Sr. -ilvino
nao pode descobrir, para langar->e aoje com toda
a gana, sobre mira e pedir minha dcinis-).
Vejamos o que contina a dizer o Sr. Silvino na
sua pega effieial.
Se este farto, diz elle, nio prava por si < pre-
varicacao, deixa ao menos ver rom toda a forra da
verdade que nao tem havido o nece>sano callado
na guarda dos papis di repartigo.
Ora, cumpre notar que o guarda dos papis da
repartigo e de lodos os movis e utenrihos dell.i
era o porteiro Antonio Juvino da F.m-era, que
abria e terhava a porta, e ruidava no ass.-io da
rasa; por isso que esse sTviro Ihe rompetia. cu
apenas tinha a pequea chave da gaveta da mesa
onde escr.-via e onde guard.iva os papis de isapar-
tancia; sendo que os pontos se acbavam traacadaM
em urna urna de tres cadeados, cujas chaves, ape-
nas urna eslava em meu pjder c as outras duas
em inflo do director.
Como responsabilisar-me pelos extravi-.s que
houvesse, de papis e objectos da reparii-o que
estavdin entregues e sob a guarda do empregado
competente ?
J se v pois que, se nao houve o necessaro cui-
dado na guarda des-es papis, o descuido parti
de outro empregado, que o Sr. director, inteirado
dessa falla, devia punir.
Devo aqu notar que algumas vezes me ele gnu
aos ouvidos que Antooio Jovino da Fonseca reve-
lava os segredos da reparligo, venda exemptar.-
de Iris Classicos, e finalmente que data os pantos
a alguns dos candidatos -, mas nao dando inleiro
crdito a estes boatos todava, eu os commumeava
aos directores cora quera servia ; e tive por *OM
de adraue-tar ao mesmo Antonio Jovino que Ira-
lava sempre de negar o< factos. Por diveras ofr
casi oes eu declare! aos Srs. directores que nao me
responsahilisavn pelos extravos que houwssero
na repartigo, por que para teto era m-ter que cu
decesse a xercer as funegoes de portHm rito con-
fiando a chave da secretaria a aquelle empregado,
o que nao era possivel.
Eis como corriam as colisas nao c antes, como
depois da gerencia do Sr. Silvino naqaella repirti-
go, onde sempre me portei com toda a dediragio
e ilianvdade.
Dolado, como sou, da maior boa f, eu nao CM-
tumo fazer mu juizo dos outros, sem que lenha
pravas moito evidentes ; sci a que o mundo, o
que sao os homens, e finalmente conhego estado
de corrupgo em que infelizmente so safen a nossa
sociedade. A ambigo de uns, a inveja de mnilos.
e as pretenges frustradas, sao quasi sempre a
causa de calumnias que de proposito se lovantam
contra os empregados com o fim de os langar fura
de seus lugares, pela avidez que ha entre nos por
empregos pblicos, quasi sempre por aquelles que
os nao sabem desemiienbar.
Vamos a conciuso do officio do Sr. Silvino. re*
lat vo a minha sol timad t demissao.
< Estos desagradaveis occorrencias. continua
dlzendo, foram anda este anno denunriadas pelo
peridico A Ordem publicado nesta cidade.

ILEGVEL



Diarle e Peraawfcneo ... Ter<;t felra 95 de Ontnbro de 1 ai.
Neslas circumstanctas, nao podendn o referido jo- I Cnsul J<> provincial.
crelario cominaar a merecer a minha ronflanra,! Rendimentodo lia 1 a i.........
vtlio totlicitar de V. Exc. a sua dosoueracjta j Ideui do dia
Relativamente a esta denuncia da Ordem, sei |
que Imuvi; syndieanria da autoridade competente ; j
que ella nao passou desapercibida; n 'I'"-' .....mu
nao era cnonnoso.descancava na minha conciencia;
eu esperava que o cidpado houvesse do apparecor,
* por mim nada tema. CA11!
Engae i-me aflnal, verdade, pois que bo,e sou |
victima innocente,sacrificada a vados, de uera n 8r. Silv.no qu.z M instrumento,
5:3704904
Hoje ao meio dia va i prac* de vend, na i
pona da casa da nn de Borlas n. 23| o espolio de
Cosma Mara das Virgen*.
39 1666<;0
M9YIMENT0 30 POBTO.
Navios nitrados no dia 24.
New-Ynrk, 50 dias, patacho inglez W. M Dodge,
de 154 tonelada*, capilao Peooy, equipagein 8,
carera 859 barricas com fannha'de tugo e outros
(teneros ; Henrv "talar & C
Terra Nova, 36 da, brigue ingle Dante*, de 176
toneladas, capitn Thomaz Gardmer, equipagem
12, carga 2.031 barricas com bacalho; .i Johns-
ton Paler A C.
Sanios, 22 dias, brigue ingles Maznrka, do 239 to-
neladas, cainiio David Hiil, equipagem 10, em
lastro ; a Johnston l'ater A C.
Navio suliiilo no mesmo din.
Rio-Grande do Sul, brigue brasilelro Princeza, ca
[lito Joaquim da Costa Cardse, carga sal.
ferentes lugares e penle muitas pessoas de con-1
ceito, que elle sabe perfeitamento que cu seffr urna
injustissima ilemisso, por que nao tive parla at-
gOtna nessa infame iialirauch de venda de pont-sqoe
qilem o r.
peo passo preripilado que deu. i
E orno nAo drei eu l-Mg*f2t &\
Silvino, depois de una expsito toda vaga e m
cer.a sem prova* robustas, sem me oiiv.r e con-
vencer-me de u.eus Crimea, faltas ou deleixos, sol-
linca da prewdenria a minha d.-n.tssao nao const-.
dorando qne o motivo por igoobil, e muanle, na-
via de prej i ufar a minha reputacao 1
E' roua que teo com effeilo admirado a lodos I
Relatare agora o que me consta depois da mi-
nia demis.-o.
O Rvm. Sr. padre mestre Vicente Ferreira de >\-
nucir Varejao, dizem que tem declarado ein ol-1
EfilTAES.
|tU'llii UC^r-U lllldlll';tiniimmni. -,-, L"- ^
si podesse prev.-r uneoSr. Dr. Silvino, fana rocalur
sobre mim a pena que o verdadero culpado mere- Deve
endo ser de grande regosijo para todos
da que eiita i Ihe teria revelado quem era o autor ^ Rrasleires a realisarao do consorcio de sua al-
dessa prevaricara) ; por quanto, s havia ass.-ve- [gza g augusta princoia imperial com sua alteza o
rado a aquello st-nhor que o factoera verdadeim, e0nde d'Eu, acamara municipal Je.-ta ridade pos-
por que ede ti ola prov.is verbaes e escripias, mas suida do mais ardenle desejo de comniemorar o
que pa a nao tirar o pao a nm empregado deixava a\ de. ij() fausto arontecmicuto, pede aos seus mu
de nomea-lo. Declarou mais o mesmo Rvd. Vare- nieipes que illuminem as frentes de suas Casas no
fio que, Antonio Jovino da Fouseca sertuzido pjr (|a ein que chegar a esta cidade semelhante noli-
algnns candidatos que hoje ja -ecupam cadeiras ca, e nos dous que se seguirem.
como professores, proeurava por todas as lojas de pap a3k caara municipal do Rerife em sesso
erragens desta ridade chaves que dessem na ga- dP i> de outubro de 1864.Luiz Francisco de
veta do director onde eslava ento o livro dos pon- Barros Reg, presidente.Francisco Canuto da
tos que tinham de servir nos prximos exames, e BAaviagem, secretario.
que nao adiando chave >pje dense na gaveta, man- Continan era praca parante a cmara mu-
dara raaer urna no arsenal de guerra p r um ^er- nicipal desta cidade nos dias 22, 24 e 26 do eo-
ralheiro orne veio tomar o molde da feixadura, e a renl", para serem arrematadas por quem mafor dia*t,e depois mesmo de termn aquelles senhores
have dei mil reis. Que tu- prego oferecer as segumles rendas munici-1 consentido que o beneficiado orgamsasse o sen
; programma e o publicaste, como o (ez sabfiado 22,
acontece que no mesmo sabbado tarde mandara
Babia.
O Ijiaie Dous Iudos salte para a Uahi
a ti a-
f lar com Tasso Irmaos.
TUEATKO
Para a Babia pretende sahir em poucos dias
veleiro patacho D. /.miz, eapito Jos Teixeira
I de Azevedo, por ter parle da carga tratada: para
| o resto da carga que Ihe fal a trata se. cora os con-
signatarios Palmeira S Beltrao, largo do Corpo
I Santo o. 4, prlmeiro andar.
LEILOES.
EMPREZA
GEMAMI & C0H1BRA,
lfrecit- d assignatnra
TERCA-FEIRA, 25 PE OUTUBRO DE 1864.
OS
MARTMS

DE
l4SIIi40
Em 27 rfo correle mez ao flieio dia
1 easa toreo nova e 2 casas de taipa em p9Dl(, Iia |M)1,., ,,;t A8SOCiaco
ealir.ert'fs pra cdinVca, e 1 vi- l oihicitjiI
>e.irode peixe na ra imperial pro-. s. M. .Nass, eapito do brigue norueguen-
ximoa ponte dos (focados se -lEmilie, com antorisaefo do Illm. Sr.
(Tildoem um so lote.) i inspector da alfandogae cm presenta doSr.
Chaos foreiros. gerente do consulado da Suecia e Noruega
SE ^>^C^fil5 ^ r^H/rfito Leal mndaa
freoic ao armazen, dos srs. paU a sua residencia da rua do
meira H-iiro. Queimado para a na dus
Quinta-feira 27 do crreme s II horas. I fjrTi7a cobnido n '^ nri-
CordoiroSunoes vender em loilo um escravo,lJ1 UeS feUUItlUU II. r>0, [>n-
de nacao com boniu tignra possante proprio para rnpii qualquer s, rviyo, I mulatiuhode 18 annos onVial mc11" U*I, pUI UIUl UO
armazem ^siss8.i?o.i(| aon-
de o achanto como sempre
prompto a qualquer Lora pa-
ra o exercicio de sua j>r-
fissao, chamado por escr ipa
de alfitete, bonita figura, proprio para boieeiio.
copelro, criado etc., etc., 1 mulata de 20 annos,
Icosinheira, Uvadeira.engommadeira e coMareira.
iia me-ma occasio vendara outros escravos
com habilidades e sem ellas.
A ri
Comecar 3 8 horas.
HOJE.
far leilo por inlervencao do agente lym-
s II horas no ainiazera da rua do Viga- pi, por cunta e risco do quem pertencer do
r0 n jo. ",t0 )r'ffue- ,a' 'l11,1' se acha fondeado oes-
' te porto aonde recontemente arribou na sua
viagetnde Biienos-Ayres para Dron heiin, e
' _foi legalmente, condenmado ; os pretenden-
0 beneficio do M. A. Rjichert, flautista de
S. M. o rei dos Belgas, ter lugar mpreterivel-
mente na noite de 3 de novembro, e nao na de 27 autorisado por urna pessoa de sua anisad* ,c..uc- _...- ,,.,mp
do corrente r em leilo urna casa terrea em chaos foreiros tes sao aimiuduos pt lo presente aotxame
_,_ com 2 janellas e 2 portas de frente, 2 salas, 4 previo do dito navio, assim como do mven-
0 artista Jos Coelho Barbosa avisa ao res- quarios 1 janellas no oitao que olha para a e.-tra- tario em poder do mencionado agente,
peitavel publico que o concert annnnciado para da de ferro, 1 viveiro de peixe, 2 rasnhas de tai-
q dia 25 nao pode ter lugar newe dia, e se acha pa que rendem 105300 mensaes, sendo tudo isto
transferido para o dia 31 do corrente pelas razfles collorado em um terreno com 150 palmos de fren-1
que passa a ex|iOr. le e fundo al baixa mar.
Depois de ja tuver combinado com os Srs. Corm------------------------------------------------------------ 0
bra a Germano, eraprexaros do itrairn de Santa | LEILAO 0 DarilS C01T1 V1H10 DrailCO,
^WaVS
DE
Isabel, para que tivesse tuar sen concert no
DE
qu^m se den por essa el
preco
do sabia, e muitas Otras particularidades, porque pa,.s
os int.iv-sa !o ontendopor esta firma a copia dos imposto de 80 rs. por carga de fari-
pontos lam contar Ihe tudo, c eonsulta-lo acerca da
explicacao dos inesmos ponto i 6 que alllrmava
com toda a forca que eu de nada sabia, tanto que,
esses mesmos candidatos Ihe diziam que Dos os
livrasse que o secretarlo soubes-e dessas cousas.
Declara inais o Sr. padre mestre Varejao, que
estes factos datara de muito te rapo, sendo senjpre o
nlia leguines.............
Mera de mscales e boceteiras.....
Alugnercs da casa da Soledade.....
Os que quizerem licitar sobre taes rendas deve-
rao apresentar se nos mencionados das, no pago
da mesma cmara, habilitados na forma da le.
Pago da cmara municipal do Recife, em sesso
aut-r delles o referido empregado Antonio Jovino de 19 de outubro de 186'*.
da Fonseca.
Que nao pretenda nunca uVtara-lo, mas que
hoje vend praticarfa a injosflca de minha deinis-
sio elle o falta, por amor de sua conscioncia. Que
Luiz Francisco de Barros Reg,
Presidente.
Franscisco Canuto da Bda-Viagem,
Secretario.
esse inoiv)foi i;i leviauo que tima das vezes, al.O ci.la4io Jajnim Antonio Carneiro, juiz de paz
2" votado, e presidente da mesa parochial da
fn-gU'V.ia do Saniissimo Sacramento do bairro de
Santo Antonio da cidade do Recife, ole.
Faco saber, que havendo-so flnalisa'lo o processo
da eieigie para juizes do paz desla freguezia que
bao de. servir no quatrionio de 185o 18t>8 salu-
ram eiejto* os eidadios segatates :
Luiz Cwario do Reg, com........... 457 rotos.
copiou aiguns pontos por sua propria letra, os
quaes elle, padre mestre Varejao, ji os nao linha
em s n nlr. Dor te los entregado a urna pessoa
que muito se empenhou por isto.
A visu ie s-oieiiiaiiies riivela^oes das quaes se
nao pode duvidar, veja o publico, a precipitado
do acto do Sr. Silvino.
Simo que csse senhor se collocjsse nesla posl-
cao ; esinlo anda mais, pelas relaeSes deamisade Antonio Augusto da Fone-ca, com..... 351
que entre nos haviam. Manoel Camello Pessoa, com......... 308
Declaro que nao me abalou a dcnsso que me Severiano Jos de Honra, cun....... 297
foi dada, pelo lado do prejuizo pecuniario, por que Sendo immediatos em votos o< seguimos :
hoje faz mais falta ao Sr. Silvino os duzentos mil, Flix Francisco de Souza Magalliaes,
reis mensaes que letn de director, de-que a mira j cora............................. 282
os cera, que pnr e*te meto me lirou, pelo que fago Silverio Joaijuim Maruns dos Santos
votos, para que nao seja deuiittido de director ge
ral
2:205410001 os emprezanos do theatro chamar o beneficiado o
loOaOOOi Ihe ditera que nao era possivei que-o sen concert
1455009 livesse lugar no dia 25 ; por quanto, tendo elles
de levar scena no dia 22 ( sabbado ) os Martyres
da Gerraania. nao poderiam desarmar o scenario
para, na terca feira 25 se achar em estado de pres-
tar-se ao com erto.
A' vista disM vera o beneficiado pedir urna des-
culpa ao respeitarel publico, fazando sentir que
isto mteiramente independente TO sua vonlade, e
pedindo ao mesmo lempoqne nao veja nesle acto
qualquer ennsa, que de algnm modo se possa tra-
duzir por desanimo de soa parle.
Espera, por tanto, o beneficiado que os seus
amigos e as mais pes-oas nue se dignaran de ac-
ceitar es seus bilbetes, nao deixarao de honra-lo
no dia 31 do corrento com suo presenca.
QUINTA-FEIRA 27.
6m earroca rom nm bonilo bul manso 5irconUe, r.'r ^JW" '**"* 3!^Pn!,,
" |./| ... restaa fara leilao de, 20 barns com superior vl-
llVf tu nlio branco de 5 em pipa, em um ou mais lotes a
Ter? -feira 25 do corrente, s 12 hr> ventada, quinta-feira, pelas 10 horas da mesma,
rS em fronte a porta da atfandega. na porta do Aunes, defronla da alfandega._______
Cordeir Sim'-s antorisado por urna pessoa de nw a [\
sua amisade, vender em leilo lima carrera e um : wL feEi JLJ.%ti#
bdi gordo com bonita figura, manso de carreja. I dr
l oa mohili de Jacaranda qnasi oova
por eon'a do urein tanie-
tnini-felr.n J de onf libro.
X rua da Cadca u. 33, armatem.
PELO AGENTE EUZEOIO
Se a vender em leilo, e mais urna outra de
amarello, nov.i, una jardmeira de mogno muito bo-
nita com tamp i de pedia, uardas-roupas, cadei-
ras de cereja, bergos de faia, capachos de rail de
espostos, encerados para cobrir mesa e dilo para
carro.
LEIUO
DO-
em
7ISS MARTIMOS.
Queoespitito desse Sr. vacillou, ^-se clara-
mente do sen olHcio cm que s affirma a falta de
cuidado da minha pata na guarda dos papis; mas
nao sendo en o porimro, nao poda ineorrer ne>sa
falta, que tanto a mira caba como ao Sr. Silvino,
por que desde que, ella existisse deyla aquelle
empregado ser despedido pelo director, o uo por
mira.
A minha demi>s.io porm, era necessaria para
salifazer o desejo da vingadca, e esta lendode .-er
exenida contra um empregado que servia a cinco
annos, com intoliigencia, zlo, probidade e honra,
suestadas por t..dos os seus chefes, era mister
cohonestar es>e acto.
Antes o Sr. Silvino, me tivesse dito que, nao
llic coiivindo mais que, en fosse o secretario da-
.|,.ii.. r.,...n;., r.,r.|..u ...,m a mmh-i_ nlilluzen-
cia e indepi'ii-ieucia do meo carcter nao me cur-
vara nunca as baforadas do sen desmedido urgu-
ilio edos st*u caprichos, tanto que na ultima ses-
so do coii.-ellio eu lia va volado contra ana opi-
nio ; do que den-e o passo imprudente que deo.
Eu me teria retirado em paz para a minha casa,
estara bvre dos dissabures |r que estou passan*
do e minha familia, e o Sr. Silvino n .
conceilt dos bouieiis honestos e sizndos.
com.
Francisco ile Paula e Silva, com......
Antonio Epamiuondas de Mello, com..
249
240
224
OOMFANHIA BtASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte espera-
do at o da 2 de novembro o va-
por Paran, eommandanto o ea-
pito de fragata Santa Barbara, o
O que, para constar, mandou a referido juiz me seguir para os pono- do sul.
n
O KftCR.tTO
HOJE
0 agente Pinto far leilo precedida a compe-
tente autnrisago de um moleqne crioulo por
me Benedicto, s 11 horas do dia cima dito
seu escrtptorio rua da Cruz n. 38.
UJfl ENCRATO
HOJE
Legal mente autorisado o agente Pestaa far
leilo de um esmvo negro de idade de 20 annos
pouco mais ou menos, bonita figura, proprio para
armazem de assuear e entende de boleeiro : ter-
gafeira 25 do corrente pelas 10 horas da ma
I'recisa-se de urna intu |iara aaanpanve
cozinhar homem M-ll'iru : na na JoQu r.. .-:-.
n. 32, loja. .
Robn Joo Beluario. va para Narew.
libri A IIHIItiVA
I hele* earanddaM
A' rua do Crrspv n. 23 r rasas de reet'
0 abaixo assignado vendeu nm sens mo;'
zes hilbeles giirantiilos il.t i->ir-na que se a>
de exirahir a t.eoelicio da lula ("asa da M
cordia, os eralMea pnHwta:
N. 1712 dous quarl-s rom lOMMkjaw
N. lilil dous quarlus rom 2 ihkivi .-,
.\. 723 dous quarlus rom 2:(i)tii O
N. 2101 meio bile-t.- roa mJMm
K nutras muitas de 200.$. 1003. ii)j r \t'>
Os possuidoie.- iKxIeui vir rnvbrr sea -
con.os das leis na Casa da Forlona roa do i .-
po n. 23.
Acham-se venda os da pri meira pan< i*
arinafra lotera a benelicio da matriz de K
que se extrahir no da 24 de uutubro.
Fregn.
Bilbetes olearos..... TJrtA,
Meios......... .T*.-,.
Quartos........ I^'.*i
Para as pessoas qnr eoniprarem
de 100A para cima.
Bilhetes........ ri4-V*'
Meios......... 3**W
Quartos...... \y.m
Manntl Martin* Tinta
Precisase de urna ama de
da : na rua de lionas n. 68.
leileque seja >a
qual defKHs da demora do costu- ahaa na porta do armazem dos Srs. Palmeira A
Beltrao.
fazer o presento no qual assign >u.
Rncfe, 24 de outubro do 1S64.
Eu, Joaquim da Silva Reg, escrivao que o es-
cregi.
O juiz de paz
Joaquim Antonio Carneiro.
miAim-
Subdeleyacia de pulicia da frequezia da Boa-Vista,
24 de oniubru de lStt
Existe nesta subdelegada, e sera entreguo
i <. ..i prow portoDOur Ido, nn i.rruniii rfo ou1-
ru com dous passadoros, um par de rozetas do
me.-mo metal e don e meio pares de sapatds de
setim, que forain aprehendidos a diversos indivi-
duos, como fnrlados.
Tambera exislem nesta sublelegacia dons ba-
b-, coulendo um varios objectos, ignoramlo-se o
que conten o nutro, visto estar fechado, cojos ba-
J luis forara entregues a esta subdelegara por Ma-
nuel Morena de Mello, (pie declarou ter deixado
Cois bem ja que assim nao o luz, eonyid so m) .iriliaz,.in rlo ^ a\,u,tr eaixe.ro o mesmo
Sr.Slly.no aex.b.r provas peante os tr.bunaes M(ll,.ir;, dt M(!||0> u, sertanejo que acom,.anl.ou
competentes, para convencerme dessa apregoada IiCimdido Uamos e que em dito armazem es-
prevalnacao, ou de outro qualquer ciiine pur iiiiin 1(V|1 ;irrail(.naJo
,. i Fin los os trinta dias contados da presente dala,
se rao reinetndosao iuiz coin.ielenle ostohjectos que
' acuna se menciona, para seren arrematados co-
Tenho convidado a tolos os candidatos e candi
datas que a foram examinados du.anie os cinco
anuos que Iu. e.-cretano para declararen!, se Ibes
forneci copia de pontos por amisade uu por inte-
resse, ou inesino se Ibes prestei, outros quaesqner
favores que por ventura podessem conipruinettera
niiiiha honra como empregado publico, e I em as-
sini se cobiei de emolumentos mais do queaquiHu
que a le me dava. De novo os convido, e me
acho prompto para responder pelos mena erimes
perauteos tnbunaes do paiz.
Basta, Srs. redactores por agora, esta j vai
lonjia.
Rogo Ihes quoiram publicar estas mal trocadas
linha-, em seu conceituado jornal, p lo quo Ibes
sera grato, o De VV. SS.
Assignante e abrigado criado
Salvador Hemique de Albuquerque.
Recife, 22 de ouiubro de 1864.
Hp^asqes pedido.
I'aslillins vcrmifiyas de krmp.
Todos os mdicos que especialmeide se leem
dedicado cura das molestias das enancas, asse-
veram que as pastilhas vermfugas de Kemp o
remedio o mais excellente e effleai que at boje
lem sido contiendo. Acham-se ellas exclusivamen-
te preparadas com as substancias vegetaesas mais
salutferas. 0 seu sabor delicioso, nao causara
nau-eas nem dores, etc., produsam seu efeiio
com|detamente sem qne seja preciso lugo inme-
diatamente usar de neiihuina especie de puiganies.
Tanto as ines, como os piopnos fibiubos nun-
ca desesperan, debas, perqu se as pnnieras teem
completa ronlianca as pastiihas, estes ltimos as
toman, como niaior prazr possivei. Iie.-deque es-
tas admiraveis |iastilhas foram descob. ras, todos
os de mais vermfugos asquerosos tt-en. sido quasi
inteiramente abandonados e de.-terrado. por todos.
As pastilba- veinnfugas de Kemp so achara linda-
meiiie aci'nniciot.aoas dentro de fi as)u.nhos de
c.ystal, nao s para para sua boa exporla^-ocomo
pasa sua conserva^o contra lodas as vici>siludes
dos temiios.
A' venda na loja de Bravo & C, e de Caors &
Barbosa.
mo neos de evento,
perlencer-lhe.
se antes algueui uao provar
COHMEBCIO.
.Ufa a lega
Rendimento do da 1 a 22........
dem do dia 24.................
792 8405.144
18.535827
811:3764171
novluiciitn da alfandesa
Voiames entrado* com fazendas...
com gneros...
Voluntes sabidos com fazendas...
com gneros...
134
219
------353
291
367
658
Descarrefam no dia O de outubro.
Vapor inglezGladiadormercadorias.
Brigue ingleziaaebacalhao.
Patacho inglezM. Doagtiwrsos gneros.
Hiale portuguez PmMtnentt -idera.
Heeehedoria de renda* lucernas
seraes de Pernaaihneo.
Rendimento do da 1 a 52........ 38:69357.10
fdem do da SI................. 3;670140
42:3635890
BiO 10 de dezerabro de 1863 foram remeltidos
por esta subdelegada ao Dr. juiz municipal da se-
gunda vara, como beus de evento, um relogio de
prata, um outro follado de onro com trai.ccl.m,
quo foi aprehendido a Jo Antonio dos Santos,
que o linha empenhado |.or 3S^40 ris em urna
taberna de Joao Manjues de Souza Coutiuho, tres
cavallos c duas eaogalnas : o que se declara para
srieiicia dos inteiessad./S.
Em 22 do concille foram recolhidos as diver-
sas ren asjgeraes 4465340 ris, liquido de 4485000
res, espolio do tinado Jos Joaqu.ni de Onveira
Ralo, que falleceu repeniinamenie na estrada do
Santo Amaro, licando nesta subdelegada una car-
tetra coulendo tres roas a du.s coutas tambem
pertencente ao mesmo Oliveira Ralo.
Den* it'Aqitino Fonseca.
Na audiencia do Dr. j.uz municipal da l4
vara do da 25 do crreme mez, tem de ir praca
por venda o escravioiio Ismael por execuco enea,
nimbada contra D Francisca (.andida de Miranda,
pelo Cartorio do e-crivo Saraiva.
O delegado do cirurgio mor do exercito
e.-t autorisado a contratar ilOOs facultativos civis
liaia supprir a falla de facultativos militares, bu
servido medico desla guarm;o, com lodos os onus
e vanlagens qne percebem os cirurmoes militares.
A tratar na praca da Boa Vista u. 21, das II as 2
horas da larde.
Secretaria do delegad" do cirnrgio mor do ex-
ercito em Pernambuco 21 de outubro de 1864.
Dr. Jos Sergio Ferreira
Delegado do cirurgio-mr do exercito
Arremata^.
No da 25 do corrente, linda a audiencia do Dr.
juiz municipal da pruneira vara se hade arrema-
tar urna mobilia de amarello, em u.uio bom esta-
do, penhorada a Prudeuciano d'Assumpco Fiyuei
redo Brito, por exerucao de Manoel Jos de Bastos
Mello.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arrematarlo do imposto de 25500 por cabe-
ca de gado vaceuin do municipio de boarass,
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder conduzir, a qual dever!
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frele al o dia da sabida as 2 lio-
ras: agencia, rua da Cruz n. 1, escriptorio de An-
onio Luiz de Oliveira Azevedo & C. '
C.Dinpaiiliii Pc'-iiainuncana le uavCga-
cao roste ra vopor.
liba de Fernanda de Noronha.
So dia 4 de
novembro ao
nieio da segu
Bjn dos vapores
d "ooipmihia pa-
ra .o presidio de
'craiando. En-
coiOniendas, pas-
sageiros e dinhei-
ro a frele at o dia da sabida As II horas da ma-
ul.aa : escriptorio no Forte do Mat'os n. I._______
~~ COMPNHIA PERNAMBUCANA
DK
Na'Ogiico ri-sleira a vapor.
Tamati'lar, Barra Grande, Porto dePedras, teiici'iioV e finalmente dividas na importancia de
Camaragilie, Ma.-.ei, Penedo e j 152*200 rs.
\rac-ij > Garntese a chave da referida taberna cujo
No dia 5 'de novembroSegue W modlco- '
para os portMadma indicados um IHJaf K.
dos vapores deesa companhia, as 5 s 10 horas em ponto ua mesma taberna.
horas da larde. Recebo carga I
somante aleo dia 4; encommen-',
das, passageiros e linbeiro a frele al s 3 horas '
la tarde do dia da sahida : e:criptorio no Forte do
Maltos n. I.
LEI'*AO
DE
Movis *> o w tros ar tig os
s II horas, no armazem da rua da Cruz
nomero 57.
OliVHIMO
vender em leilo diversos trastes novos e usados
sem mnima reserva de preco.
Leilo em conthaiacao
*
DA
Taberna r*opaifu'io rprco n, 21.
Alves Coutinho a Brarnlao fara leilo por in-
terven^-ao do agente Cordeiro Sn.Ses, dos gneros
anda existentes na taberna cima dita como seja,
(lipas cun vii.ho tinlo, barrisde dito bramo e to
to. Larris com manteiga ingle?a, presuntos, ca-
x oes, barricas c saceos vanes, armai o e mais
Feira semanal
DR
llnltilias complejas, trastes hmiIsos,
itU.sios e ohIi-os uiiiitis rticos.
Sexta-feira 28 do corrente s II horas.
oiiV.ni'io
em seu novo armazem sito rua do Yigario n.
ID, vender em leilo 2 mobilias completas deja-
caranda cora lampo de pedra marreore, 1 dita de
eereja, 1 dita de amarello, mesa elstica, lavato-
rios com pedra marmore, camas francezas, appa-
radores, relogios ds parede e alu'ibeira, duzias de
cadeiras brancas, 1 flama de bano com 5 chaves,
objectos de ouro, venezianas, camas de ferro, cha-
rutos de Havanae outros muitos ariigos.
Alsuiu.xs palavras s-'bre i"
rfaar de (rea* da entrada de
ferro.
Da tabella inserta nos Diario* de 20, 21. ii. -
ve que a hora de partida d> trests vai ser atorrada
do 1 de novembro, em diaale. Asim.o U--in.|
das ('.inco-Pontas parte a larde a> 5 h- ra-- r -"" i
utos, partir as 4 horas t 10 mislo. S> na.
houvesse outro irem de certo rasa alterar n (
lia convir aos inleresscs da c^npanhia. em v*H.
do estado acloal das cousas, alm ikt >\om raa-ana
seno irausionio a (rande parta dos pa>.s
que pela nainreza .te sens iralalbos Bao deven; sa-
hir do Recife antes das 5 horas a 6.
Pelo ipjc nos parece o nutro irem qce lem d-
chegar as 6 horas, pusio que na referida laMU na-
da se acha dito sobre tua parlnla, devera ahir
pooco depois das 6 horas. Conhuotos mono m>
Srs. supennlendeDte e nsral do noveroo qu-- !'i*"
saber ao conciliar.
Alguns passiigriros que no padem lakir to rrit
LIIlM)
DE
Escravos de amitos os sexos.
Srxta-feira 28 do coi rente
s 11 horas, no armazem da rua do Vigario
Damero 10.
oi.i virio
vender em leilo iin seu novo armazem ?. rua do1
i Vigario n. 10, diversos escravos de ambos es se- -
xos cora habilidades e sem ellas.
Aracatj.
O hiate Santa Rita sabe para o Araraty : a tra-
lar com Tasso Irmaos.
COMPANHIA FERNAMBUCANA i
DE
Wavega^o cotelra a vapor
Parahyba, Natal, Maceo, Aracaiy, Ccar,
Acaracu' e Granja.
No da 7 de novembro segu pa- \
ra os portes acuna Indicados um
nor'dt^
mente al o dia $-, encommendas, Cordeiro Smiles fara leilo de um cabnolet n-
passageiros e diiiheiro a frele at s 3 horas do tff de 2 rodas e 4 assenlos, um dilo com 4 rodas
dia da sahida. escriptorio no Forte do Mallos nu- e a_s",p."!,",s.' A
mero I.
IiElXAO
11 barris com toucinho.
HOJE.
0 agente Pestaa vender para fechar conlas II
barris com toucinho de Lisboa em nm ou mais
loles, hoje 25 do corrente, pelas 11 horas, no An-
nes.
LELO
DE
CABRIO! ETO
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o dia !10 do correnle um dos
vapores da companhia o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para es portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia rua da Cruz n. i, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Em frente porta do armazam rua da Cadeia
n. 48.
li;l\o
DK
MOVIS
No armazem roa da < a t-ia do Re-
cife n. 48.
Qnar la-fe ira 26 do correle s 11 horas,
Cordeiro Sin.des far leilo de urna mobilia de
amarello, um par de apparadores, urna commoda,
urna machina para costura, urna mesa grande de
faia, urna dita pequea, 12 cadeiras de faia, um
sof, 2 con.-olos, urna cama franceza de Jacaran-
da, 1 ilita de amarello, 1 dita de ceregeira, 1 bor-
n, 1 nanea para advogado, 1 cama franceza para
HOTTOMRY BOITO
Wanted on the ship and cargo f Ih- B'iiish Str.
Platypiis, captr. C. G. P. Blix, bout 2:IKX000
, more or lesa to pay for her expenses al th.s port, oteiro, 1 sanctuano, 1 qariinheiros, cofre' de
toi transrerida para o da J de novembro prximo! and enable the vessel to proceed en her voyage lo ferro,
vindouro. I Australia.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-1 Sealed lenders to be addressed to the captain at
buco 22 de outubro de 1864.O secretario,
A. F, o'Anmineiacao.
I'orreio geral
Pela administrado do corrcio desta cidade se
faz publico p.ra lins convenientes que cm virlude
do disposto no artigo 138 do regulameulo xeral dos
correios de 21 de dezembro de 1844, e art. 9 do
decreto n. 183 de 15 de maio de 1851, se procede-
r o consumo das cartas existentes na administra-
co iwrtencent s ao ra- z de outubro de 1803, no
dia 5 de novembro prximo, as 11 horas da ma-
nhaa, na port i do ine-in> correio, e a respectiva
lista se acha desde j exposta aos interessa-tos.
Adinini-rragao do cor.e.o de Pernambuco 24 de
oolubro de 1864. -O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Crrelo geral.
Pela admmistracao do correio desta cidaie se
faz publico que em virtude da convencu posial,
celebrada pelos governos brasileiro e francei, se>
rao expedidas malas para Europa no dia 30 do
corrente pelo vapor francez Bearn. As carus se-
ro receidas al 3 horas ante* da queior marca
the Bniish C nsulale, and lo be opened in Ihe pre-
sera-e ef H. R. U. Cnsul on Wednesday next 26
th Insi. at 1 P. M.
Recife 24 th. oelober 1864.
RISCO MARTIMO.
O vapor forte! l'tatypas, capillo C. G. F. Rlx,
precisa da quantia de 2:0003000 pouco mais ou
menos, sobre o casco e carga do.dito vapor para
as despezas contrahidas neste porto, de forma que
possa seguir a sua viagem a Australia.
Recebem-se propostas em carta fechada no con-
sulado brtlannico, dirigidas ao capitn, cujas serao
bertas na presenca do cnsul de S. M B. na quar-
la-feira prxima 26 do crreme, a 1 hora da tarde.
Recife, 24 de outubro de 18o4.
PARA
o l*ar
AVISOS jjWjgjjL
Instituto Areheoloco e Geo-
graphieo Peraambucano.
llavera sesso ordinaria quinta-feira, 27
do corrente, s II horas da manha.
ORDGH DODI.4.
Votacoes adiadas;
Pareceres e trabalhos de commissoes.
Secretaria do Instituto 24 de outubro
de I8i.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
Uis (i'.OUSOUO.
Sexta-feira 28 do corrente mez, ter lu-
gar a extraijo da primeira parte da pri-
meira lotera a hendido -la matriz de Fi-
res, no consistorio di greja de Nossa Se-
nlmra do Rosario da fregosla de Sant
Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos achain-se
venda na respectiva thesouraria rua de
Crespo d. 15.
Os premios de feOOOJOOO at 105000
serSo pagos orna hora depois da extracca
at s 4 horas da tarde, e os outros no di;
seguinte depois da distribuicao das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souz.
Para as partes ordinarias das loteras ap-
provado pelo Exm. Sr. presidente da
provincia,
3300 bilhetes a 65000............
Heueficio, selo e eommissao 24 0(0..
Fugio no da 13 do corrpnle do eng> nho l'a
beja de Negro, freguezia da F.-rada un ^-rr
cabra, de mme Pedro, estatura r-guiar. Hbe> Je
2o annos paaaa mais i>u ni>m. rara reib-nda,
barba, deders dos ps basianl-- tin -. Ifm urn
to na falla ou alguma rousa de g -gm-z, rtia -
rado e u-a quasi semi-re de al|-ar^afa<. aVeaai r>
misa e seroula ib- algolao da Rabia. rh.

--> i
Iha de carnauba. Juina-se ter seguido para i'a
ruarii donde viera para dilo engento arim.i. Ib
ga-se as autoridad poh'-iaes e ca|-iiaV e >^>a*e*
que oprendam e o levem on a>> engenh<> cima oa
nesia cidade a ruada Senzilla .Xi.va m. -W. que ae-
ra generosamente rec->nipen->ado.
J| u uio e virtude.
I Sessao hoje (t'i de onlubno as 6 b-nas jtf
i "' da larde.
^-x u t .. '
\jB H.. L..
i JSr .-vcrean-i inieno. .^
Para a [e>la
Aluga-se um sobrado no Varadouro d 01
[com c imm-idos htfttmte* pira ^-ran-lefamilia. -.-
| do perlo do embarque e do mnibus : a tr..-
padaria que fui do Soares no memo V i
on no Recife, no Badea do Carmo, taberna i 9t
Joaqnlm Manoel F--rreira tu Seana.
Offerere-se uot ama -le leifc- s.-iiTlii-
tratar na irav. ssa de S. Jos, casa n. 39.
4 a ll auno. *r.
ai lam Wr : a
da O.n'
Pn-Cisa-M -le um rapaz de
um liomem de 30 411 anno*. que
tratar das 3h-ras era diante na rua
n. 38.
S. M. Nass, capitn do brigne norneg,
Emite, artibado nesle pollo, na .na recente na
geni de Mueno-Ayre para Urontbeim, prn-i-1 fr
lar um navio para levar o rarr-fanienio d>> n-rii
rionado brigne desle porto pata llfonibenn i
reilnra : Os pretendentes pndaa dirier -iui
postas ao mencionado rapitan, no n-n-n'a b da
Snecia e Noruega, rna da Cruz n. 4. al o a 7
do correnle ao meio dia.
SOCIEDAD-:
Dramtica Minerva Pernam-
bucana.
De ordem do Illm. Sr. director da nriedade
dramtica Minerva Pernamburaaa, convido a i.*
os senh"res socios para quarla-frira, 26 di-r>-rr< n-
te, pelas 4 Imras da larde, romparererm a e.V
da sociedade, alim de en assemlda |-ral I al.-r-
se de negocios n-odentcs a mesma sor-eitae>.
Secretaria da sociedade dramtica Minerva Pe
mbucana 24 de outubro de 1864.
Epamnondas P. B. e A. d> Van>nvi;r
_____________________1* secretario nterin.-
- (ilTi-rece-se urna pardmha livre e MaMn
K-naujUMn\n ******* >*njn>irn em casa V ajuaiqihr
J l modista ou familia, dando algnm temiK) m I r n
LEILO
BC
Vi rifi-t da Ma (letra
Quarti-feira 26 do corrente.
O agente Pestaa vender por cunta de quem
Sprtencer 8 barris de 8o com excellente vinho da
fadeira proprio para rasas particulares : qnarta-
feira 26 do corrente pelas 10 horas da manha no
armazem do Aones,
Liquido.....
1 Premio de........ 6:0004000
1 Dito de.. l:4i'04000
1 Dito de.. ........ 3004000
i Dilo de.. ........ 2005000
S Ditos de 1004000 5005000
10 Ditos de 4040OO 40040OO
19 Ditos de 205OOO 3805000
52 Ditos de 104000 5205000
1010 Dilos de 650OO 6:0604000
1100 Premios
2400 Bra neos. .
13:9605000
-----------------15:9604000
3500 Bilhetes.
N. B. Os premi s maiores de 4004000 estao su
jeitos ao descont da le provincial, e os maiores
de 1:0004000 ao da lei ?eral.
Thesouraria das loteras 20 de outubro de 1864.
O thesoureirw interino,
Jos R-dnnes de -uza.
jetan para pr-ttear : quem precisar dirija- a ron
do Mondego n. 2, nu annnncie para ser piororado.
Precisa-se alujar urna escrava que ail* eo-
zinhar, engomraar u vender na rua, srndo de Ua
conduela, paga-se bem : na rua das lii/r- a. '
primeiro andar.
Precisa-*e de nm caneiro para armazem a>
sal : a iralar na rua Imn-nal n. 37.
A pesso< -pie ajuar 1.0005, daadadejarat.
mensaes 50a, declare a sua m rala.
- Precisa-se de un cocetro: na rna das l^raa
geiras n. 10. i-a-a de pasto.________
Precisa-se satier porque railorio ** eU pr-t
cedendo o inventario dos h-n do rasal do Sr. Ca.
sla.-vi Albert.) l'imenU, n qual foi seniiltaA e-n SS
de abril de 1863 ; ron-da do urrii itt Permmkm
co de 27 de ahril de 1*6.1.
Fugio no dia 22 de setombro nltimo do enge-
nho Sanios Mondes, na comarca de Nazarclh,
crinlo Antao, haixo, groso, hem poto, de olho-
grandes, com 23 annos de idade, o nal pertencen
LEILAO
M
tima Ubmiil UM llni dna- rnrrne-j ao casal do finail. Fortunato Philadelpho amello
UUld WtliM, um !, UOaCrrOCaS PwM,> morador que foi no engenho Alhuqnerque,
6 lima canoa na estrada dC LlIlZ dtf e foi arreotstado uelo annunciame em praea pu-
IlPffft 1ni S-iiIa ntMPA I Dnca drt lliz" ',0 orphos da comarca de Nata-
^ i !! ,- reth. Esse es.ravo pertenceu ou.r'oraaos Srs.
titiaita-ieira 6 ao meiO-dia. Gouva A Leile, Heurtal tes na ridade do Recife,
A requerimento de Furreira & Mirtins e por que o venderam ao dito Fortunato. Presume se ter
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com- sido He se-luzdo
. do com- sido ello dando por atenea ; e por Isso n an-
h esperado do Rio de Janeiro em poneos das a mercio epor ronta de quem pertencer trio a lei- nuncianie pr.desia proceder crmlnalmenie contra
da para a saluda do vapor, e os joi aaes at 4 ho- galera Mindello, e depois de penen demora nesle Io todos os gneros existentes na taberna eita n I quem > asylar e haver dias de serviQ-.. Quem ap-
ras antes. porto seguir para-o Para, para onde recebe carga, estrada de Luiz do Reg em Santo Amaro, em um prehender o referido escravo e anreseniar n<> en-
Adiiiiiiistracao do corren) de Pernamauco 24 de a frete nominodo : qartn quizer carre?ar, pode en-! oa mais lotes, um bol e doascarrocas: quarta fei- genh Sanios Monde* ao annunciame, oa na cida-
.tender-Be Cora os cansignatarios Palmeira A Bel-j ra 26 do corrente pelas 12 horas da manha na de do Recife ao* Srs. Manoel Ignac o de Oliveira di
Filho, que ser generosamente recompensado.
Domingu- los Passos Miranda. Irao, largo do Corpo Santn. 4, primeiro andar. mesma taberna.
Offereiv-se para "^ileiro de rasa parln- il r
um moco porluguez : a tratar natravexa J. itn-
vidor, cocheira.
- Francisc., Pereira Lbre queira ler a hon- *
de de virem S. Pedro a fallar e-m o metr^ enu-
Ihador da mesma igreja, Joao Alves Goajn fa-
ludo.
4 ma ile Inte
Na rna da Paz n. 33 pr^iaa-e de orna
paea-se
leite que seja sadia, e-airradando
Vrrme.
Sorvete de crema hoje ao mel ala
Trapiche n. 18.
Pieclsa-.se
la casa di
Crui n. 32.
de urna ama para o .err urna easa^de pouco familia; a tratar na roa da
Prerl*a-e de nm f-rneirn nrm
cado em seu offlcio : na padaria em Santo
ro, atrs da fundico do Sr. Surr



-



OHrlo de Permumba Tea-ca le** t& de Oulubro d 1**4.
Vende-se na pra^a da Independencia n. 39, loja
de Antonio Augusto dos Sanios Porto, capellas
uortjarias do gostos mais moderno, que tem
vindo ale agora tiara se notar em tuniulos e cate-
cumlias o oemiterio publico no dia de finados,
cun as cscnpco.-s seguintes: meu esposo, mioha
esposa, meu pi, mtaha mai, neu filho, minha fl-
Iha, saudades sempre vivas, amisade, una lagri-
ma ; dista qiialidada nunca vieran para serem
vendidas besta provincia.
Aluga-se o quarto andar da casa sita na
Nova n. 21: a tratar na mesma ra n. 8, toja do nolaveis feitas llltiliwmenle.
cha.
pilhus oAHMRmAs de AYiR ESTRADA DE FEKHO DO RECIFE AO S. FRANCISCO.
Estas ululas vcgeiaes sao a- Tabella que tem de regular as horas de partida dos trena de pasnagelros do 1, de uotewbro de
kstacoes
Attencao.
A presenta-se ao respeitavel publico e aos amigos'
da Ima pitada, oexreente ra|i denominado tfo-:
lia Imponal do Itratil em Portiamliuro oqital ten-
do sido examinado por urna commissao dedousha-
daptadas a todos os usos de um
purgante as familias, pois sao:
perfeilamente innocentes, eem
quanto mimares de pessoas con-
fessam con gratidSo que forana
curadas por ellas de molestias1
severas e perigosas ;nao ha I
um so caso em que haja su^pei- --------------
tas do mais leve resultado mju-'Cjnco pontas(trtWfl)
riOSO por eu USO. Alegado ... .
Publicamos aqu alguna flos Boa Vtegem -.
attestados que temos de curas Pwmws .
Illia
Cal .."...
Ijiejuca. .
Olinda.....
Timb Ass .
Escadft.....
Jni3 de F\ra, 17 fe fevereiro de < Tendo feito uso das plulas catharticas Ribeirad .' !
V- Gamelleira
J8jK at segando aviso.
TU AS rAMA O IMHoiii,
li'S (1v tlH-
hltlllO
Iaha
Um caso notavcl de
Attecfao ckrnica do
ligado.
Illm.
Sr
JJeisfWmico^ ^m-aaos pciu iilm fc priinspector de Ayer, que me fe? favor de dar um .
da saitde pQl.hra para esse tm, foi jugado capaz tendo lirado nm resultado nao MMt> Cuyambuca
deseroflVrecidoao respeitavel publico,expondo-se T0' ien, "r?ao um si>ltaa, nao espera- A ,,re|a
do ; padecendo ta mais de oo/.e anuos en- una taimada
femidades do figado e baco, cnai o Oso,*
a venda ; pelo que artis-*e t*W hora rap ais qfla
tro frenosla da ridade, na do Rente na da Ca-
de n 53, Santo Antonia na do Queimado n. 45 e
larga do Rosario n. 38, Boa-Vis* na d Impera-
triz n. 3:1 e em S. Jos no deposita geral de-de te-
aero, ra das Cinco-Ponas n. 140, pelos segrales
preces de. i a ft RNfes, 15280 a libra, 10 libras
tZi libras por 50*000.
______________ Jiiao do Amaral Raposo.
-- Afuga-se urna mn ,
na e cose : quera precisar d'dja-se a> sitio da fia
jiella na e-trada deJoao ite Barros.
8
8
9
9
9
10
10;
l?i
a
iti
12
TAllllB
M.
6
18
f*
SO
10
24
39
N
10
;t8
M
1
*f
m
1
46
II
11,
10
16
34
8
251
.lKs .
n santos
MANIIAA
II
7
7
71
7
8
8
8
9
9
9
10
io:
10
11
U
n
12
u.
no
"J6
9j
bo
20
43
57
12
2
44
i
49
II
s
5:1
JO.
I M,M'
II V
25
30
42
48
15
20
x
ESTAFES
das pilulas posso lite assegurar que estou! ..... '"
bom, pos tent desapparecido um grande; -^/aSKfSfi
engurgitamenlo que snlTiia, militas doresj'hviiS&j'&&
sobr a reg 3o do figado cosas, dores de |
cabeca, inchac5o do wnte", nao podendo
ditar-me seno do lado difefto, isso Bcj-
Cna (partida)........
Agtia !>reta. .;......
Cuyambuca. ...... .
laint'leira..........
Rilieirao...........
Aripib............
Fruxeiras ...<. .
Escada >.....^<.
Timb Ass........
Olind...........
ipojuca............
Cabo.............
ilba.............
Prazere...........
Boa Viagem........
A togados..........
'Cinco Pqplas(i-hcitada) .__.
/I. AMhh, superintendente
li'IVS DO IMIlllOII
Compram-fe jornaes a K& a arroba par em
l-rnlho de ciuarros : na roa larg o Roatr >-
17 e 19, confronte ao ijuaitel.
Comprase una Italauca prande rom peso
011 'cni elle: quem liver declare na ru do yn-:
mado n. 18 A.
Has t-illio
ATCHAA
TAUli
M.
7
II. M
1 10
1 36
1 58
2 19
2 39
2 58
1 10
3 i 47
30
40
12
20
3;
I
i
I
5;
5!
6
15
Si
48
4
.10
;8
51
iii.is aun**
s.\snu
11.
M.
14
38
46
59
10
TAiinf.
a
M.
20
45
7
IB
Compra.n-se dou< es i|u> s.'jitn Ims
i caneiros : M ra do Trapo lie. n. 13.
Comprase um Inicio de amarillo, > v4ai
; na na Imperial, padaria n. 51.
IIIIIS.
-- fCtit fai\acs vatlfn rt^-M
JIHM hahUIftirns o fu i fins H \%1M
MlMI; mUi lvpegrai-hi*. ^^^
lfttasa A Riui'iaT-
da mais superior de-embanada boniem : trde-
>e no Psi-riptorio de Manoel Icnario de OHftWi ft
I- i*0j targo de Corpo Samo n.' 19.
a e ba, nttH l.a-
25
66
9
24
39
57
13
40
48
1
10
-* Vert.-si' efl de l.i-b.ia noTj. .
ralo Ib qbe Pin ouira qualquer parte no largo >
I s^Pedro n. 17._____________
da Concordia n.
iiibrino.
73, v.nde-se nma
molla l>em Moja-
da a.'venara fm-
nio procurando poslpHo para ter soCego, ho-
(iiie coz 11 ia, envom- .. _, ,,, l,
r je me afhrj Inte d'esse padeetmemo ; como
PRIMEIRA E AMIGA CASA FELIZ.
por aqui anda as Dio baja, eu como tenho
- Ni uvrana da praca dal lpendentia fcst pMP''o que de casa, Ihe rogo man-
n. Se S, precisan filiar ao Sr. wpito Be!- dar-me alguns Mdros, e o costo elle Ihe sa*
lo. antea que se retire desta provincia. tisfar, assim tan como do champe de
- P-de-se ao Sr. J. V. V., chele da estacan Cere'a' *" tVe ^f^i6 exP''mentar J
dB l'r-x'iras, d Uvot de man-iai* pagar o sen de- *m ftia &&* i'o ei::iir.iiudo j mais flu um Mo, no largo do preta que com elle cttrei, fafo uso d'elle
:'riil" "? ________,________. ..... tja's tosses etH minba familia sempre ew, ,
.\a fu da (.adela do Recite 11. 55, primeiro bom resultado, e por tSSO qu^ peV prd |p
tem uma arta pw o Sr. Aoto.rio Manoel maTHlar |gt,ft8 fr-sqtffltos, e mesmo as pi^: jj"
' lulas pode moiWar # (km, ."porque Ntabd' fono uso d'elfas para uso d familia fc al*1'
gomas pessoas, todas" tecm tfaikf gtande
resultado; sou
De V^ ft/.Mtent abrigado,
POIW41.U,
IMIXITO.
I Na rn
j canoa nova, anda no estalein
I trada, de raiga de 1,000 lljnlos
! ?a, or../ircc' coiniodo.
Kilieitrs .1 Wairfn Pa,
ft Wja da Anrm-a, n4 fita f.tnN dn RosVIon 'w
refi'be'iJ rNl bmVffe* a Mara fia .bw tMH rtiift-r-'
flM qtt lVf rlfrglMb t|. mfrt-sdr* qn-m ffi
mandar buscar para amostra pVP thabdar ptra-
ilibuifts ft R?r'nf Irom P*""'' I ** rf""i" riwlwi iwmtn de arta
1 riK-a rnnilo Mam raoto para alizar r.-mrt fin l
CffW Mltibert pifa renasso ; rairlla* briba-
fiuas. tanto par* st>fihfr.1 romo p::
menina ; tuialniehte. fem grande sorliinenlo <",
miunezs : venuc-se ludo barato.
Riki das Flores, is.ieo (juut k igieja da MiseFicoria.)
da Com-eicad.
C'aHs l'i stil para os Hts:
Dr. Franci-co JnsVrrtiin, C^ltr' Jaclotrifta.
t)r. Cicero Alvares d is Santos*.
francisca Jo.- da Costa : no Forte do Mattos rtu-
mero I.
Procisn-gi] aluir um siH>i por auno que te-
ilia fSlsa grande cora commodbs e em bom estado,
etmmnflos part feifrtr e escrraviye, e teVrenos para
planbicSn : a tratar na ra da Imperaff, loja nu-
aiero *):
FhAiVtasGO FtnnRinA Paks.
fiRAMM LOTERI i HE
rl
CUJA EXTHACCA TEP.A" LUGAR NO f)i.\ 23 DE DZUMBRf) DE I86i.
- Preoisa-se
Verdes n. 92.
de nina ama : na ra dns Agua<
Alrtua-se una casa em Beberine : a tratar
<-o:n J. I. SI. RegOi na roa do Trapiche n. 34.
Precsa-se de dons homens que entendam do
; i .ici do copeiro : na rua da Aurora n. 32.
AfipluUliK
Na rua da Concordia n. 73 pode ser
o asphalflsia Martoo4 Kirmino Perreira, qne se en-
irrega destfl precioso como Mil ladrillto paraca-
-as de morada, armazens. lerragos, passeiw pobl*
-os e particulares, etc., etc. A pralica de alguns
annw no exefeiclo desta ernpreza, o eslndo a que
s tem appfteado,
levo fa or acre lit
Hhenmalismo e ataqotfs IemorrkoHas.
Ii.i.m Sn.
OurshPreUr, 30 de" mona de 864.
Posso certificar-lbe que as pilulas ca-;
tbarticas do Ur. Ayer sao excellAiites, pois
que soffreado eu drfs pelo corpoy e que
suppunba ser rlieumatismo, (molestia esta
que j liavia BOffrio ha aotiosl e soffrendo
tambem de ataques bemorrltoidaes, e de'
um ouvido, pois ipie al j potico ouvia, e
rocurado acompanbado de una dr no queixn, con-
sol tei a um dos nossos mdicos, e esle me
disse que devia fa/.er uso da salsa ; porm
lenilo eu o almanatk do mesmo dutor,
comprei em sua casa um vnbinlio das mes-
o o# mei de |ie pd d.^pr, mas paulas e por minba cotila principiei a
i habitado a bemVesemShar este 'i.'alX to 1-11% sem as linalisar aebu-me seta as
u;il e lao necessario nesta MU cidade, onde os dores pelo corpo ; e sem Sentir, sare do
estabelecimentos devein crrswvar1 a maior limpe- ouvido, e mesmo dos ataques bemorrboi-l
e asocio livres do cupim c ratos que causam lo- daes p,nlarito sao para mim as tats pilu-
las as melbores que tenho experimentado ;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo cerlo, veneraibir e obrig.ido,
0 brigadeiro
JOO RODBIGIKS FEO DK CaRVALIIO.
preMi''s
1 de .....................................
t de....................................;
i de.....................................
2 de 20.000' pesos fortes.....................
8 de 10.000 ditos........................
15 de 5.000 ubv...........................
30 de 2.000 drbis...........................
106 de 1.000 dHos...-........................
2.100 de 500 ditos...........................
99 apr%ime9es de 400 pesos cada urna, para
os 99 MffiWbS restnies da centena que ofite-
nha o premi.i de 300.000...................
diia de iOO ditos para os 99 nmeros res-
tantes da renieD* que oitonha o premio
de lOftOOQ...............................
ditas de 200 dtios para
latM da cemeira ue
de 50.000.,..............................
reintegros CHja termiflgnr srja igual' do quo abttMw o
premio de 300.000........................
99
99
2.999
os 99 numero < res-
oliletiba- o premio
5 560 premids em 30.000 bilhete
'ir I i ii I I H
PKSOS OR-MS
300:000
400:000
50:(aM)
MtdOO
80:000
75:tK0
60:000
06:001)
1.050:000
39:600
2K:7*
19:800
299':0f)0
2.#":000
ir ni um a
WtfM PotcrucrEZA
ou R4. 270:XXI3(M)0'
90 000*000
45r)00*00
;:090O(K)
72:OOOoOO
67:500,5000
54:(MK)SOOO
95:4005000
945:0005000
35:6405000
26.7303000
17:82053O0
269:91050000
2.05O:O0O5Ot "0
Emprrza des tiilho
ii A|ipuios io*id vapor;
Tendo chegado da Europa as infurmacoes c d>.s- j nniito
nhrjs que os concesionarios do privilegio manda-
rain vir pelo engenlieiro que tem de ixccntar a
obra,- os eonre*sonarios baito asignado< resolve-
ram formar uma companhia com o Capital de ...
300:0005000 em accoes de 505000, com as ccfidi-
eoes que sero aprsentelas aos que quizerem to-
mar arenes.
As pessoas que qoizerem ser accionfstss desta
importante empreza, podem dirigiT-se i qmlqoer
dos analto assipuavios, ott aos correctores Vascon-
celos, Mameile, Guimaffis, Oatis, Donbourcq, Ma-
cedo, Seve, etc.
BdfH *o l.iriamrnto.
Jos Brrnurd G Aleo forado.
A. I.uiz Oi Simios.
s abaiXo ssignadcis havdb contralado com o i
poverno provincial a coHoono de trilhos urbanos
da cidade do Kecifc atiV Apipucos, e tendo oblido
as tffofinaedes que eram indrspeirSHveis para a
execuco ra empieza, liietn resolvfdo formar uma
companbia anonyina j-ar. a sua realisagS, e eoni
as seguintes bases :
Artigo' l. O capital da companbia ser de Ire-
zentus conlos de reis, divididos em acedes de 505,
realisaveis em prestaron, sendo 25 |ior eelHO logo
Vlitiln.
Vehde-sc a imuto inaiisa viada por 105 : no ar
jrwzi m de sal da rua Imperial n 221.
LWTIO BIJATOrT
Rua do Queimado *. 03 ?> O*.
Ronceas Jr rhoro.
Lhidas 6oeCas \- choro que cliamam ia|n *
, manii, de diversos MmbIkw : s mi IoJm d-lf-
; ja-flor, rtia do (jiif iiiiado ns. 63 e 69.
Lirvas de arllica.
htir^s de prHira branra t de Tires paira H^m*-
e MaUteMI i as hijjr db berja-Rm*, rna do %ari-
mado ns. N e 9.
9n*h# pitt fitt.
Lindas livellas totfM** ic,m tffrdiH pedfsjll^a
rtUttl : m \op* fe tM}ti-fm, tnit dft QHe,a(lo
ti* m 89:
apilas para iMiki.
>tivcr formada a" cornpanbia, e o rstame nos \ foffii (Mitt^i* rtlvas ^W caifi
emprezarios precedendo, <*#-* rj1 S)i MpHKk, ra M#MM vr:
JWI
plazos indicados pelos emprezarios precedendo, d3"* rn7JS
aviso de 30 dias. '. 09.
Pnder, pnrm, este capital ser elevado ris RMaJR psra Sarta.
400:0005000, se para o fotOro rpiizvr a companbia i t(ffle-sf estofo com esjf-fi para barba I
fazer prolonga ment ou ramal. e JOTO ada offf: as lojas d beija-flor, mal
Arl. 2. Os emprezarios se brigam a fazer as Qm-imadn" s. 63 e 69.
obras que forem precisas para a collocacao dV* tri- \ Halaras para airBhm.
Ibos, inclusive as desapropriacoes, ponte .le ferro. RereMKse novo ^oriimcnlo de bahtos,
que tem de ser collocad* no rio Caiibarbe. duas ,rma ^ mKlJ1 ,, ^^ ,. ^.^
eslacoes para rerolhimento do tren, rodante, e, dos |^,>oo at 4#rarfa um : as fojas do bea-Ajf.tte
obji-cios da companbia, que >erao com a Miuplici- du Qiivimadti ns. i3 e 9.
dade |Ki cmmudaeo>,s'e ses'uranQa, sertdoiuna no bao rod
Santo Antonio, e'oura as projmiblades da extre-
midade da liaba ; a lorncrer 10 carros para pas-
sageiros e 2 pJlta" carga, i3 locomotivas, e lodoisfo
nos praz Arl. 8." Concluidas as obras seriio < trilitos com
-;mIi'iii.ivc!.s preplos.
Alug'a'se a casa terrea n. 26 da rua do Forte
ou lluro Baisos.de 163 mensaes : a tratar na
vaa do Crespo n f-j'.f" *>slr,',|,f? f!1' jj''ario n. 32.1
l'onieiri).
Precisa-se de um bom fbroeiro que entenda de
toassas a seja fiel : ni rua do MonJogo, padaria
u. 47. *
Precisa-se de'aun hornera para feitor e plan-
tar, e d'-itar sefitidn a um sitio : quem qoier ex-
ercer esse lagar, dando dador sua connuc.ta, p-,
.le iratar na rua Nova n. 49, que se dir quera
precisa.____________________________________
Bilhetes inteirds.
Meios bilhetes...
PffiCOS EM MOEDA FOHTE. ,
a I08OOO | Quintos de bilhetes....... a 2I56M)
a 545000 |' Decimos................ a 105800
os objecios cima imlicaiios entregues cnmpanlu.i,.
e admlnstracS! QdWWi ns. M 69.
Fuas (mas pira ritffas-.
RtNI flthS fMir< lavr.ifaS rV fifmftas r.Ves
cintos: as lujas do I cija-flor, rua do Que
n. (i.'i e 69.
Hrtrarrev m caixiislm*.
Finos e*trartbs cnl carxinbas Com o rctrao
familia Imperial : as lijas do luija-iW, rua
mam.
t
que desde logo entrara na posse
da empreza, e gozar dos |.rivileios, isenefics e ;
vanlag.ns que foram concedidas aos eniprc7ario-, |
tiasliite.
Ouro-Preto, 29 d<> marco de 1864.
Ueslo que tendo feito uso, aconseiUado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
fiquei perfeilamente bom de uma gastiite
Na manliaa do da 21 do eorr-nte furtaiam (,lje goffra e uue privava-me de andar aper-l
3:;sgffiSJiBTJLTSSii2t ^w********-. m
JOS IGNACIO FERBEiRA R0H1Z,
rJOK LCJA t>E CAMBIO t BlLHEpS DE LOTERAS.
AtiUntQQdo to govento civil do PortoMem CMtftth'iludfulo d ettiil
de 28 dejunho rfAfttiO.
Satisfaz coiii promplilo ludas as enconirkendas que lie sejitm feilas, mesmo em
grande no fim da exiraocao remelle a lista dos premios. -
Para informacoes, c pedidos no oscriptorio da Ku^fcCraz, n
amarello ciiendo denlrx duas jaquetas de panno
fino preto, urna dita de brim liso brauc, tres cal-
cas, um i de panno fino preto. uma de ca-emira es-
i,o a outra de bnm de linho de riscado, assim
e ni.] um chapeo novo de pello dentro de sua cai-
vi. e ama japona,como laintiem dais documento*,
um da compra de um b >i, e nutro de am carro de
i lueciio de gneros, cijos oiijectos pertencem
AlT.L'STO GOLLATINO DK MkI.1.0.
Falla de apcliie.
Oum-Prero, 24 de fecorctro de 1804.
Sendo eu afectado do fiado ha mtiilos
annos, c ltimamente soffri falta de apetite,
hoje dou (iracas a cus por acliar-me sao

do Dr. Ayer.
Antonio Bknto Vikiiia.
Consli|iarao, dores df caliera.
Gura-Preto, 28 de marco de ISfH.
Atiesto que achan.lo-me atacado de uma
forte constiparn que irouxe-me dores por
todo o Corpo e na cabeca, soffii
a i escravo Mano-I, li anaixo asignado : rogase, e erfetto com o uso das pilulas caliiarlicas
I is, policia o descobrira-nto ilesle furto, assun
como ? ratifica-se a quem der noticia delle, guar-
I linio--' segredo, pois que s se desoja descubrir
-is ladt'U's.
Flix Francisco deSouza Magalhaes-
~~~] lar, na roa da Cadeia n. 56, existe uma pardmha,
de nome Paulina dos Santo-., que por ella foi edu-
rada B se iicba sol) sua guarda e eomo quer que um
auadocio a pe.li-se em casamento e a mesma se-
nhiira Ih'a negas.-e por juiga-lo falto de qualida- mente por espaco de quatro das; entao
l.'s para csse lim, faz publico e: pedo poli.ia que um amigo acOllSellinu-me que tnmaSSC pi-
tme conhecimento deste individuo que pode eom- iulas alinrlicos ,i0 Dr. Ayer : com ellas fia
metter algum destalo, como acaba de informar a
uiesma sinlioia.________________________________
Guarda livros.
Offe-ece-se aos senboros commerriantes um guar-
a livros : encarn-ga-so de qualqnor escrij.ia, por
partidas simples ou dobrada-, rom perfeic.ao: tra-
tar na rua da Imperalriz f. 39 lerceiro andar, lo-
ios os dias ar as 10 horas da nianhaa._____
Precisa-se de um amassador que entendre
od o servico de padaria : na rua Direitau. 69.
Aluga-SH o sobrado de um andar e solao da
rua de Aguas-Verdes n. 27 : a tratar na padaria
:i.i rua Drreila n. 8t
10 LARGO DO TEKCO 10
quei sito e completamente restabellecido em
tres dias, de sorle que estot no ffirme pro-
posito de aconsemar o oso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affectadas de I
consiiiiac^-
A zondas.
fcla nova padaria aberta ao publico (e perlo da estaco do cnminlio de
i ferro), acha-se montada com espaco mais que snfficienie para po er iibricar coi
limpcza c acrlo teda a qr.altdade e quanliilade de bolacha,
coitos e todas as macas que se desejar a preces Hwdkea e tazoaveis.
O d.no do eslabeleciment nao poupar ex'OFne para bem servir ao publico
" !e aosseus amUos e ftvguezes, asseverando-llte desde-j que s em pregar arinhas es-
" colindas e da* mrihore que vierem ao mercado, ou das que receba de cont propria.
Ao publico em peral e aos MW amigos em paslcdbr pede que experimentem,
para se convencere do que aSse\era em seu atmuneio.
.loaquim Cae-tao le farvalh.
Companbia da estrada de ferro',
do lteeffe aO w. Praneico.
AVISO.
Pela superintendencia desta coriipafluia se faz
.... publico que se acha justo com Jlo Clirysostomo
irniacao ao estomago. i de Oliveira Pelagio a Wa% do terreno margem
Ouro-Preto, 29 de marco de 1861. fa r0 ^erinhem denominado Areraf da Cachoeira,
Atiesto e juro, se necessario fr, que. sof-! boje Ploren das Jangadas, o qnal principia a mar-
frentlo ba rauito tempo excessiva irritaco jjw n do rio ^rinhSw, |MlM cora osn-tr,
i ^,,. iLnU* i:K>si i,7Z> I da companhia. sendo esle terreno de quinnr
terrenos
Lniz da Cosa, do de estomago, pouco apetite e difficil ^es-1p^de^'x^or^"^^\iam'arRm*io*me"mr,
:;o de Janeiro, deseja saber noticias de seus flihos Ufo, d ella tenho experimentado sensiveis i rio Serinbaem o cem ps de largura contar dos
.uiz e Carlos/para ministrar-Ibes recursos peen melboras depois que tenho feito USO das p- limites da companhia.
otarios e se.ientitiea-los d* sua boa successao dos \nf calbarticas do Dr Aver.
Antonio Hermogenes Percira Rosa.
salvas as dispusieses auui declarada*, sem que de
parle parte possa darse rcclamacao. ou possam
os emprezarios exigir mais do ipie a referida .pian
la de trczeiitus rento-.
Art. 4. Os emprezarios se obrlgatrr solidaria-
mente ao cumpriinento do que tica declarado, do
que se taw.Md nuin aiunciuiiu.
Art. o. Pela assignainra se obrigam os accionis-
tas ao que Dea declarado e ao pagamento das pres-
lacdes nos lempos que forem declarados. Nncaso,
porm, de nao pagamento de qualquer das presta-
coes em dito lempo, perder o accionista o direito
das [ireslacoes ou entradas que iMiiver feito, e
qnan.lo nao realise a primeira, poder ser coagido
judicialmente ao pagamento da tolalidade da
accao.
Arl. 6. Nao ser permtttida a transferencia oe
accijes, ou dos recibos provisorios, antes de esla-
rem integralmente pagas, salva responsabilidad.'
do accionista, ou ronsentmento dos emprezarios.
Art. 7." Logo que esiiverem tomadas as accoes
sero os estatutos submettidos approvacao dos
acc'ofistas para que seja logo encorporada a com-
panhia, sem que todava por esle faeto tenha ella
qnalquer ingerencia na facturadas obras, chamada
e recebimeirlb das prestaedes.
Art. 8." Aos emprrz;fnos se reserva o direito de
recebar da teesoararia provincial a quantia de de-
pao, bolacbmhas, bis- aottaceoteadnreis, que Ibes lem lewfff"
ijuatro prestacoes, para indeninisaeao do ailianta-
nie.nto que tee'm de fazer para desapropriacoes, se-
gundo o i|uo est estipulado no contrato.
Art. 9." Os emprezarios lomara por sua conta e
risco cera con tos de ris era acedes, ser um
delles director nato em quanto forera accionistas,
e tero pissagem gratuita era qualquer dos carros
da coinpanbiav
Art. 10. Pie entendido que asdespezas al ago-
ra faites, e as que se lrtoverem de tazer para en-
_______: corporacao d* cnmpanbia. registros, etc., serao por
conta dos emprezarios, por modo que a companhia
entre no gozo e posso da empresa para ser explo-
rada por sua Conta e vantagem, mediante o capital
declarado.
Arl. II. Nao se faz o calculo dos lucros prova-
veis e das vantagens da companhia, porque esta
apreciaeo est ao alcance de lodos, e nSo dese-
jam os emprezarios fazer nutrir esperanzas qu.
parecajn exageradas, poslo que effeclivamente o
niio sejam.
Bwutt do IierMMifo.
Jos Bernardo Qafeao Atcoforado.
Antonio Imz DENTISTA DE PARS
19Rua Nova -19
Fredenco Gantier, e*urgi5o dentista,
faz todas as operacSes de sua arte, e col-
foca denles artificeos, ludo com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
dida? Ihe reconhecem.
Tem agua e pos denuncio.
"iicumniodos p *jueiraadu n. 5i,se roforniar. '.
Precisa-se de uma prea escrava de boa con-
fela que saiba co>mhar e engnmmar, pacra-se
Jumo afuguel agradando : na rua do Queimado n.
t, te|fc________________________________
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua
Imperial n. 112, tem 6 quarlos, 2 s.las, terraco,
- "zuiha I6ra, muil> fresco, e lera boa vista : a tra-
tar ua rua Direite n. 8.
Se alBuera se julgar con direilo a (fKtfrfurT re -
clamaeo dever Spresonta-la no escTtpturio da
villa do-Cabo ou publica la por este jornal dentro
do praso de 5 das desta dala; lindo o qnal nao
ser a.limitla.
Pernanibuco, 19 de outubro de 1864.
ram einpregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez nnos, que
soffria de vermes inffjstinaes, notatido-se
que os syinplomas que1 entao apresentava
- Nacasi.md existe soeaftdes dom doce que eram ,ie molestia bastante pengosa.
orameompraihisaodimahitoddado em dra casa R.v-(TVtkn Nonato S e Thiago nllarma-
,.ai a guardar, far o favor mandar entregar na rua KAVflNDO conato a. de iniA, ptidiiud
'-adean. il...... I ceutico. _________^
Precisase de. um amassador : na padaria do
V uadouro em Olinda. _____ I
Lombrigas.
Ouro-Preto, 8 de marco de 18C4.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), f0- *. prfesa-se rallar ao correspondente do Sr.
Da cidade de Tnerezina podem um pharma-
,-,mieo para darse Ihe sociedade em uma botica renga de AzevedO.
all estabeleCTda : qnerrr fUizer aceitar ess com '
misS*0) appafeca rta rifa do Quei mado' n. 33, leja
K-peranca, que se mostrar a carta de convite e se
'ombinar o resto. _______________
Nr.vralaj.
Uma carta do lllm. Sr. Francisco Alva-
- Precisase ahfjr'sr uma atffa
do Queimado n. 28.
de leifc : a ira-
Ha mais de sete anfs que' soffria dres
no hombro c as costas, lomei urna inni-
lle de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
Augusto Dias Martins, negociante do Araealy, a ne-
gocio do interesse do mesrno senbor; e para isso
pede-se-lhequese sirva de annunciar o lugar de
son residencia.
Na rua Imperial n. 1 precisa-se de duas pre-
(Sftf&fifo] ^3i{^ ^T^^S^ ,1S para venJ>'r miail"7as____________
gm vU/^'VSr \J c^ w ^^S i Precisa-se de uma casa cotn prooorcSes ie
Havor sorvee todos os dias, das 6 horas effl cenes para habitacSo de pequea familia ; orate-
d,"te, adver indo que o mais as'seiadb e bem fei- re-se no ba.rro da Boa-Vis aiMlig na.
lo possivH: no bein convido g dos Arcos__ ^^VS^Z^ ^ '
O -r. Jos Antonio Floresta Bastos estudan- JJ_______________________________
teda facuMade de direito lem uma caria de m- j _"naniiana crenla, cor fnla, alta, secca, ten a
porteada vinda da Baha na rua do Crespo t^23. cara deicacnada, virio de tomar tabaco, anda de
vestido de alfMdao de bstra e de chita encarnad^
Alaga-se uma casa em Beberrbe : a tratar
com J. 1 11. ftego, na rua do Trapiche n. 3%.
i as para lusar na rka i Crespo
Alnga-se. a principiar em i de Janeiro protimo
futuro o sobrado d* ires andares da rea do Crespo
n. 9 : quem pretender, drija-se ao estabelecimh-
lo da loja do mesmo sobrado, ea uo de n. 13 da
mesma roa.
Alof**e u.tia ama que saib fce'rtf cozinliar e
de" bea! eonduet', prefertnde-se escrava : na rtte
estreta do Rosario n. 3d, priraeiro andfcr.________
Precisa-se alugr omit ifria1 forra ou escrava
prd comprar e eaH-ttf : AS rej* da rda fvo'fe
ar na ru do Que.raaao,u -^ ^'^fcflo exprimen o que tenho sof-1"^ gL-a; o. .' ,o,. ,'",.",".....i8"
~. __*" *l!2Fl oSte^mSlaS So: ltimamente lomei as pilulas Ca-1 ?fa pra?a S independencia, loja do ourives!
nm Lisboa a negocio de sua l.milia (.onsiaqm UIJ"" -. .' n. 33. compram-se obras de ouro, prata e pedras
M-ta senhor teve ou esleto em um armazera de tharttcas do Dr. Ayer. S taz Olio das, t es osa ^58j_ cony) ^ f Zj-g obra^e eB.
annlia na rua de Sania Hita : pede-se ao dito se- ^ cmpletameiite restabelecido ; ha es ; conimenda, e todo e qualifuerr concert.
Tm*.Mm rnti ecmo ^T^mTrdf
bro nem as costas. |e fazer ontros tertieo de eau de pouca familia :
3SiwW34
roala a hin Odeddc segtiroi rtUflirnoH e ter-
restre estabeleclda no
lito de lauero.
Adarrss Un PBPNAMwrco
Antonio Luix de Oliveira Atetedo i. .,
compelentf.niwrte atltrJtisadosf peta rt'fee-
tcsrftr da companfrte de seinros Fidelidad
de, tomam seguros de navios, mercado-
iaS d predtos Uo s.u dsctlptoffo rifa di |
Cruz n .1.
Werrtsa-se de in Pertuguei novo : n pida
rt dn Samo Amaroj araz d fcindty*0 *"
rabuda, chai-' de ganga encarnada d* palmas ama-
relias, c fallante, n reprsenla ter meaos de 3S au-
nos, qnaudn sua idade de .3t, fugto no dia 9
do orrente mez : roza-sc, portauto, s autorida-
des poticiaes e capitaes de campo que a appmhen-
dam e facain conduzir seu senhor no Brej'o da
Madre d Dos, no sitio denominado Coelho, oh
na vlla, e ser entregue ao capilo Gemmiano do
Byt "Mnckd, que sero generosamente recompen-
sados ; e na praca de Pernambuco aos Srs. Maga-
lluios a Silva Irmaos.
...... "'
Satraii rtn crtiBhas.
Pillos anries em raiMiihas n m varios refr.'.li* :
iillS WJSs dO'beija-fl. r.rua dn QnrHMa ns. 6; e .
Tiras lir.nbilas.
Vendcin-se tiras I oreada^ iiansparent.-- c t] -
das : lias lojas du beija-llor, raa v 4)iicimadt> De.
C:> e 60.
Joaos d> domin;. ,.^__
\endcm-se jafn Uc iii.Riiiio a IW* e l*-iw;
nas lojas do bvija-Oor, ma do Qnemiado ns. *JI
e S9.
Uakados ItordadM
Vendem-so habados bordados de vanas l.rpnra.
e varios preces na lujas do l. ija-fkir, rna V
Oueimado us. li.'l o 69.
ibafailnres de rede.
Ve*dem-se a*af..dores de rede de arfas rtrw
800 rs. rada mu : nas lojas do beija fl r, rna d
Oueimrdo ns. (13 e 69.
Adrrrfos prctes.
Tendo-se rerebido a.lereco< pntM o> novr ~s-
to soixpostos a venia : nas lojas i l>i Ja WH,
rua do OlMiinado ns. 6:t e (>!>.
lravalas para srnheras.
I,.ml,vs grvalas para sciibora a 80H rs. e litao
13200 : nas lojas do bcija-flor, rua do ^minado
ns. 63 e 69,
Esprines de moldura.
Vendem-se esp.'llos de moldura prata para .-".-
las : nas lojas do beija-llor, rua do Queimado o
63 e 69.
Vellas de aljofare.
Lindas voltinhas de aljofare- M cruz Af ik>*i i-
nlias imitando brilhantes l00 rada un ..
las do beija-flor, rua do Oueniado ns. 63 e 69.
I'.ollirrrs para sopa
Vendem-se colberes de meial-principc para aif*
25000 cada uma : nas lojas do beija-tk.r. nial >
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende sel.ia para bordar, a melhor qnc n
: encontrar, tanto na qualidadc. con nas rres, a
6MO0 a libra : nas lojas do hoja-flor, rna d*> i>.-:-
mado ns. 63 e 69.
Nas im-smas lojas se encontrar .enmre grand*
oriimento de raiodeas boas, e mais baratas do
que .em outra qnalqaer parle.
V- n'e-se uma cabra b'clro, nova e bomte. e
dan lo n nito b..m leu.-, a qnal da I l|2 garrafa :
ua rna da fniperatrii n. 1*.
Vende-se nm excell.nte sitio rom Ima r:.-a
de viviiida, tendo cocheira. cstribaria, o,uar!o para
pretos, latrina, lanqti cacimba com I. -mi a. .'le,
com militas fructeiras, em chaos propriiis. oa Ca-
ranga Velha, casa que foi do Sr. Si badila fco
Gome- Pessoa : a tratar na nm do Imperador n.
i6. aniazem.__________________
Vende-se a taberna da rna da Senzalla awa
o. 2 rorsco no precisar tozer uma viagem : a
tratar na mesma.
Venle-se unta cas na e
perio do sobrado grande, tem
mili e pra negocio : a
lo (.' lovel o. 1.
Irada da ropunua.
couimnibi* par te-
tratar n Ba \':>la. r;
-
COMFBiSv
Yiuht vriilc dr> Bitto
Vende-se o legitimo vnh'verde : no
da rua do lo.p-'t ir n 1'. esquina da travesa
do Ouvidor a 500 rs. a garrafa.
Vende-se um convmeiro martimo ingl^ do
nvlhor fabricante Chaily Frxlshn. afTnncan.l" u
cu regulmerito, por diminuto pifo : a tratar
o ras Nova a. 21, teja de Francisco Jo*e Ger-
mano.
'Gommnui.
Precisas, de um rapaz de li 16 ann f a raixeiro de taberna, tendo pralica da mesma :
:i tratar nas Cinco Ponas n. 93.
cipaes boticas e dtogarias do Imperio
i de uma atmTque salbTcozinhar e Rio de Janeiro, rua Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
Estas oululas acham-se venda nas prin- na travessa da Madre de Deus, armazem de Barros
e no
niroraraar para casa de pouca familia : ua ru da
Un la n. ti___________________________
AlRam-so tres casas novas na r,at>uo?a, de
varios commodos, mito frescas, ptimas para pas-
-amentwde festa : a tratar no pateo da matriz de
Santo Antonio a. 8.
na pharmael i frauceza de
P. MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
& Silva-_
Arpcmataco
No dia 25 do enfrente, fiuda a audiencia do Dr.
juii municipal da primeira vara, se h;v d.- arrema-1
lar urna mobilia de amarello, em matte HMi este-
do. penhorada Prudenoiana de Assutnpco 9'f
gueiredo linio, por execuc-io de Mtoel Jos dd
Bastos Mello.
Saque* o*re Prtgal.
O abatxo assignado, autorisado pelo
Banco MercaMil Portnims*. e na ausenoi
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
feclivamente por todos os paquetes sobre
as orneas do Lisboa e Porto, e mais luga-
ivs do reine, por qualquer miman a vis-
ta, e praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.rec-herem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0)0 ao Urm: na
loja de enaltos da rua do Crespo n. 6, ou
na roa do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Mala.
- Cdrtpta-se miro e prate em otras vp|ha>
diga-si! bem: na loja d' bifhwes da praca'da indt
pendencia n, 23.............. ._ .
Compra-se effectivamente
onro e prata em obras velhas pagando-se bera :
na roa larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
COMPRA-SE
uma negra de bonita llgura, qne saiba lavar, en-
gnmmar e coser bem, e cuja idade nao exceda a
n annos, andando pagase bem : a tratar no es-
criptorio de Maooel Ignacio de Oliveira & Filho,
largo do Corpo Santo n. 19.
Compra-so urna bomba para cacimba : riuem
a liver, dirija-se rua da Madro da Dos n. li.
Vendem-se saceos cora nmefiar ganante i H
a arroba : a tratar no Mftefca Baro do Ijvra-
meiito.
Pechiflcha,
di >!<< te emmmr prtt* n
. OdOri
na rua do Queimado n. 13, |>ara acabar, gred"-
naple do cOrpafaveslit de s-nnora e meninas
a IJaOO o IWM ; rte roa do Qo^imade, ttfMnte
que vob para a Oaitri Mtfc'i
rratwixo assignado v-nde o sitio pie um e
lugar da torre por c.mimod.r preco. o auat Br-
receeommoddade aara se morare aasar a fr^a.e
no caso de mo apjtareeer comprador, Wmhem se
aluga o refrido sitio. U'na das vaniageos tem ter obanh a parla, e terporlo fraon> para
embiicqnoc desombarine ; Irater eom oaic-mo
ahaixo a-signado, rna do Imperador n. li. <*
Mariano de Aibuquerque.


\
Diaria 4c PcnuulMM Terca letra t. te Ouiubro te 184.
Hadapol:>s brales
Madapoiao muito finoe largo com 24 jardas por,
95, ditos a 84 por lerem um pequeo debito ; ve-
tg SSSZn SSRS^f Srda "a! A &* "aanca sempre disposta bem servir e
airanrt.'M 1U> "H" aa guama 3---------------------___________________de receber um bello soriimento de albuns de supe-
KOa (la SCllZalla iVova n. 42. rior encadernagao e apurado gosto, com espeeiali-
Nesteestabelecimentovendem-se:tachasde dade os-dec-apa dcn,arlim com lavores- ou,r08
ferro coado libra a
Moor libra a 120 rs.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
Albuns superiores para re-Exlfa*r4-*"*!,^BM,ti9*MeB,8Par,e81
e. Pr baralissinio prffo, lantn para malo como
tratOS. para a praea, na loja bfm eoiihechla do Arara,
na da Imptralriz n. 50 deLonrenco P.M. Gui-
maraes.
.lo barateiro da Arara a I #100.
Vndese cortes de chitas com 10 covados a
i con i trancas d nraij 2'5400 dl,as ttUUO* a 35200, ditos de cassa a
1 10 rs., dem de Loa tSSSSZS^JS{^J(tSSm !&&*" a W i'5 e 4* Cr,e; para
de prau acurada, outros de velludo etc. etc. Para "n" ln',era,r" n- loJa I
quem tem gosto o dinheiro, um lbum assim per- ... a i- u d- oh .,
feto sem duvida o mais apropriado para selle Cor,fs de laa a Haiia p,a 80. e 180.
se depositar os retratos de charos pais, bons pa- ende-se cortes de laa com barra, os propna-
mentea Mara Pa
Os elementos que compoem esta preparadlo, o
ferro, o iode e a quina, a colloco no primeiro
grao das preparaedes ferruginosas. Basta attestar
seus resultados obtidos pelos .Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prcticos maiscminenles,
que confirmrao sua poderosa efficacidade as
seguintes affecedes:
Mlagaa aa aaaaue.
Fragaria.
Alate.
ChUroMr aaictericia.
NrmiiiM.
tHrrrora Ho alera.
Suaareaaoea das re-
ara e deaardea na
umulruari).
Affrrra aalmanar e
aa tlale.
M.Ir.ta. V-lamar
Gastralgias.
Perda d'appetlte, ete.
Vejo se os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 4660; a Gazeta
dos hospitaes de 28 dejulhoiMO, etc., etc.
Alm das pilulas de ioduretq duplo de (erro e de
quinina de nebuln, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
ferro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gostao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. B6le xarope nao tem
como o xarope 'iodure de ferro, o inconveniente
de allerar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folhelo que se d de graca era casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para-se evitarem falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signaiura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
442, ru du Bac, e em todas as boas pbarmaciu
de Franca a dos pnizes estrangeiros, etc.
GRANULOS
BISMUTH
DE CHEVRIER
Chevrier bem
preparacocs de
Os grriulos au bismuth de
superiores a todas as outras
bismuth empregadas antes com o'maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir e
curar as
Dlai-raeaa ebronleaa. Ma dlgestea.
DyaaeBterlaa. Gaatrltea.
Ddrea d'eatdmago. Galtralglaa, ele.
Dyspeaalas.
Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
affecces se manifestao ordinariamente por diges-
toes laboriosas, azidumes, falla d'appetite, pesos
d'estdmago depois dc cada comida, caimbras es-
tomacae*, e, muilas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuido, traz ine-
vilavclmentc, que seja:
...i., da flgado

Palpita)-ao dc corar
Ddres non rlns.
Opprraaoea.
Irritaron- de brzlga e
da niatrla, ete.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao tomados a
lempo.
O preco dc cada frasco 6 de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
GRAGEASdeCUBEBINA
comCOPABAdeLABLONYE
Estes conferios que tem por base o prin-
cipio activo da primeva cubeba juulo com
a cupnhyba pura, nao nausen o estomaga.
Ellos lazem parar inmediatamente as mais
rebeldes gononli.is, mesmo as que res sti-
ram a cubeba o a capabyba isoladamente.
Deposito eral em Pernambucw ra da
Cruz n. 22 em rasa de Caros <$ Barhoza.
i .. nlos cu ni rudas, pat>ul>s.
Hoinhoa grandes com rodas, patentes, e alianga-
do< pelo fabricarte para moer caf, e proprios pa-
ra refinaeao por seren de especial qualidade e de
lodos os tamanhos: vendem-se nicamente no depo-
site da ra da Cadeia, loja de ferragens n. 56 A,
de Bastos.
Vende-se a meacHo da casa da ra da Sote-
dade n. 44, com 6 quartos, 2 salas, cozinha fra e
bom quintal : a traiar na ra da Imperatriz n. 6
Licelleuleuva (helada no uliiiuo
vaaar
Vende-te na ra do Imperador n. 44, esquina da
travessa do Ouvidor a 800 rs. a libra.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidsde a
10f$ a lata : dos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Milho a 33(K
vendem-sc na ra da Madre de Dos ns. o e 9,
saceos grandes com inilliooovo.
A Ibuns.
J. Falque previne ios seus numerosos fregueze.-
que elle acaba de recoher pelo ultimo vapor fran-
cez um esplendido smiimento de albuns para re.
tratos, de diversas qualidades e costos, sendo para
20 at 200 retratos e de Sf 605 gradualmente
Albuns pequeos proprios para meninos de 12
36 rrira inhos e de i a 15600.
Albuns liara desenlio de diversos tamanhos e
gestos de ."j'5 305.
Livros de missa, de tartaruga, madreperola e
marlim, por pregos razoaveis.
____4Rua do Crespa 4
Vende-se um sitio em liemfica margem do
Capibaribe, com casa para grandd familia, arvores
de (rucio, e algum terreno para plantacao : quem
o pretender dirija-se Iravessa da Madre de Dos
numero 7.
H<'(iiiias e prensas para alged.
(.hegaram agora da America as verdadeiras ma-
chinas de diversos tamanhos para descarocar al-
godo e prensas do melhor systerna para enfardar
o mesmo: a ver e traiar na travessa do Carioca
n._2___________________________________
_)erior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova oue
ha no mercado tanto em porcao como a retalho,
por barato prego aiancando-se aos compradores a
superior qualidade : a tratar as seguintes roas
Crespo n. 7, Imperador a. 28, Forte do Matto
mazeo tjo Sr. Villa defronle do trapiche do
godao,_________________________________
VendcsH a taberna de qaatro portas sita naj
ra Nova o. >* (om poucos fon ios e .bem afre
gUE2,
na ra da Impe-
remos e amigos. Em quanto, porni, esses albuns menIe a "ana Pia a 8J, e 465
se tornam notaveis por sua perfeigao e bom gosto, trir> ,0Ja da Araran. 50.
outros recebidos na mesma ocrasi.o, se tornam re- A Arara vende alpaca para vestidos de senbora a |
commendados pela commodidade de. precos vista 36U rs.
da boa obra. Assim pois o pretendente" ser ser-1 Vende-se alpacas de lindas cores Ir-as para ves-
vido conforme o dinheiro que quizer dispr para tidos de senhora a 360 e 400 rs. o covado lazi-
esse lim, achando sorlimento para 24, 50, 60 e 80 nhas para vestidos de senhora a 240, 320 400 500
: na ra do Queimado, loja d Aguia Bran- e 600 rs. : na ra da Imperatriz n. 56 lo/a da'
Ceavalcaceaca de lon-
aaaleailaa.
Maleatlaa eacrafula-
aaa.
Papelra.
Obatrurrao daa Ulan-
dula.
Humorr fro
lumorra brancoa.
narhlllamo.
Arfrcroo ranrcroaai
aypkllltleaa.
Febrea typhaldea.
Varlalea, etc., ete.
ca n. 8.
Carteiras t bolsas para
viayem.
Na loja d'Aguia Branca, ra do Queimado n. 8,
ve.ideni-.se carteiras com correias para traze-las a
tiracolo, e bolsas de tapete, tudo para viagens.
Perfumaras inglezas.
A Aguia Branca, conhecendo a bem merecida
estima que os apreciadores do bom dao as perfu-
maras inglezas, por isso mandou vir o esplendido
sortimento que acaba de receber, e os acreditados
pones dos bem conhecidos fabricantes J. Gosnell
& C, Napoleao Price & C sao bastantes para co-
nhecer-se a superioridade dellas. Consisle esse
bello e variado sortimento em pequeas quantida-
des de differentes e agradavcis extractos de pri-
meira qualidade em frascos do diversos tamanhos
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que
] vem em urna carteira de tres, com os quaes por
i sua elegancia e bondade se faz um bello presente ;
assim como muros frascos com finas essencias con-
centradas, outros com excel lentes leos para ca-
bellos, e outros finalmente com agua de I.avander
sublimada ; e bem assim finos sabonetes em paco-
tes e caixinhas com tres, bonitas e delicadas al-,
mofadinhas com paslilhas em p, as quaes deitan-
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s j
deixam toda a roupa cheirosa, como afugentam
baratas, tracas, etc., etc. Em quanto, porm, a
Alenlo
Arara.
! Laas lizas de cures a 606 rs.
Vendem-se laazinhas lisas de cores, a saber:
rexa, encarnada, cor de lirio, cor de caf e cor de .
cinza, para capas e vestidos de senhora a 600 rs. o deixar Passar desapercebido sem que nao dsse o
covado, ditas de flores a 240,320,400,500 e 560 rs.: seu cant0 am deannunciar ao respeitavel publi-
na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara. co o grande sormenlo de galanteras do melhor
Colchas da Arara de 2& a iS i ?osl2 ProPr,am,;nt* P" qualquer mimo que aca-
" paquete, assim como
diversos na-
O Vigilante est alerta, nao lhe era permittido
ba de chegar neste ultimo
l Lr,?../. .J,TP I! i T._* es,a resolvido a vender por precos mu.to baratos
A Arara vende cortes de calcas a 10600. I para vender muito e ganhar pouco, e dar extracao
Vende-se cortes de calca de brlm a 45600 e 25, o graude deposito que tem, que espera merecer a
ditos de casemira a 35, 45500, e 35: na ra da proteccao do respeitavel publico empregando para
Imperatriz n. 56, loja da Arara. # I isso todas easmelhores diligencias para que fi-
Itoupa feila da Arara I quem satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, ra do
Vende-se palitots de casemira de cores a 55, 65, > Crespo n. 7.
85 405 e 425, ditos de panno preto a 85,405000,; Ricos porta-joias.
425 e 445, ditos de alpaka a 35 e 45, ditos de; Cofre de muito gosto por 465000
bnm de cores a 255O0,35 e 35500, ditos de brim Ceztinhas transparentes forradas de ma-
branco a 35 e 55, calcas, coletes brancos, seronlas | dreperola por
francezas a 45600 e 25, ditas a 45280, camisas Lindas jardineiras.
franrezas a 45, ditas de Imito ingleza, pregas lar-jBicos cofres corn camapheu.
ESPLENDIDO AEMA2EM DE MOLDADOS
LIAJ\C
gas, a 35 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A economa, a saber : colarinhos econmicos a 600
ris.
Vende-se colarinOos econmicos a 600 rs. a du-
zia, meias cruas para homem a 200, 240,360 e 500
rs o par, ditas para senhora a 320, 400 e 500 rs.,
commodidade dos precos ja nao entra em duvida. trancos com barra a 200 rs. cada um, ditos
urna vez que o pretendente comparega munido de nnovs a 32o, ditos de linhoa 500, 600 rs.cada um,
dinheiro e dieposto a fazer gasto na loia d Aguia a na inia da Arara m a imnar,tr at
sposio a razer gas
i Branca, ra do Queimado n. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excellentes brioquedos para enancas : vendem-
sc a 500 rs. cada urna : na ra do Queimado, loja
d'Aguia Branca n. 8.
Fspelhos cdin molduras pretas
e do tiradas.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
ceben um bom sortimento de espelhos de differen-
s na loja da Arara, ra da Imperatriz n. 56.
Ao barateiro.
No armazem da Arara vende-se cassas a 240,
280 e 320 o covado, chitas finas a 240, 280, 400 e
500 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 56.
As percalas da Arara a 560 rs.
Vende-se percala"s finas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas irancezas finas a 320, 360,500, 400
e 500 o covado, alpaca para vestidos de senhora
a 400 rs. o covado, fustao braneo a 509 rs. ocova-
da ; na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende mussrlina branca a 100 rs.
Vende-se musselina branca, fina, a 400 e 500 rs
o covado, pegas de cambraias finas, lisas, a 35,
185000
405000
405000
405000
Lindas caixinhas com pedras brancas.
Lindo balo com calungas dentro, tam-
boril para joias. 465000
Tambalier para ditas. 95000
Cestinhas ditas. 65000
Cosmoraina ditas. 65000
Crnazinhas. 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-
cos ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolombas ao lado, a 105, 425 < 455,ditos sem
DE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
& a O por cento menos odree que sepaaau pao na Ira quer parte.
Gneros especialmente escolbidos por um dos socios que na batan >t acha
para esse fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que compraren) neste cstabeleci-
mento.
Os propietarios garantem todos os gneros saludos de seu j muito aon-ditado
armazem.
AO PUBLICO,
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annun-
cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambera
estamos certos nenhuma alinelo j merecem do publico. O nosso fim, pois. v simple-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na taMIa dos pre-
Cos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a aitenco.
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Cartaxo vende-se nicamente neste arma/- m
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com "o garrafas.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l.Soors.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
bolea porm do mesm gosto', a iffioo'ji, 35500' dem em latas de 1 '/ libra a 1.1 oo rs.
45000.
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 45500, 25, 25500 e 35 o par;
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes oo cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
po>sivel a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 405; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
\Pentes.
Arroz do Maranhao e da India o melhor que
ha nests genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas braticas a 9oo rs. a garrafa, e lo,ooo
rs. a duzia.
tes tamanhos com molduras pretas e douradas, e j50?* pegas de cambraias Imas, lisas a _d, < trrarte ortimentn lano> Alfazema muitO nova 6 limpa a 32o rs. a l-
os est vendpndo nnr nrpens commndns j 45, 55, 65 e 75, musselina cambraia da India 85, "*" ar">0 iem "J" gae sortimento, tanto f
os esia venuenao por precos commoaos. ia '___ TI.. __,:j__.._ __ T' nara alizar mma mn i ir nht n m mu nrtns na.
por precos
Papel inglez\
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
ceben um novo sortimeiito de papel inglez liso e
paulado, almacn, de peso, e pequeo, vindo deste
tambem com beiras douradas.
Enfeites invisiveis
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
beu novos enfeites invisiveis, os quaes pela finura
do tecido e bom gosto tem merecido tanta estima
Preparos para flores.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
cebeu novos preparos para flores, sendo papel de
cores para rosas, dito verde para folhas, folhas de
e 405 a peca, para
triz n. 56.
A
na ra ( mpera- para alizar C0ID0 para, atar cabello, os mais lindos
i que se pode desejar, as^sim como de arregacar ca- Azeitonas muito novas a
\
a 75, dito slcupira a 85, dito pao ferro a '.15 .1 pe-
ca : na ra da Imperatriz, loja n. 56.
Rramanle de linbo de 10 palmos a 2.->:' 0.
panno e velludo, caixas de trigo, ditas de uvasi Vende-se bramante de liobo de 10 palmos a
brancas c roas, e romo sempre conlinuam a ser! 255O a vara, brim liso a 500,560c 640rs. a vara:
vendidos por procos commodos.______________| na rua da imperatriz n. 56.
Panno de linbo da Arara. fi
Vende-se pecas de panno de linho para lences
e toalhas com 43 1/2 varas por 85500 ; ditas com
27 varas a 165500 e 485 a peca ; na rua ua Im-
| peratriz n. 56, \
A Arar* vende chai les a 1600 e 35
Vende-se chales de merino a 45600, 45500^65,
j "5 e 85 : na rua da Imperatriz n. 56, loja da
Arara. "i
Pechineha.
Lencos de seda al i e 800.
Vende-se lencos dc seda para miio, a 800 e'45,
tarlatana para vestidos, de todas as cores a 800 rs.
a vara, fil liso ordinario a 320 rs. a vara, dito 11-
vestidos .
, que se pode desejar, assim como de arregacar ca- Azeitonas muito novas a 2,000 rs. a anco-
Arara vende tiras hnrdadas nara enf.ilar tpui. uel,' lanl de borracha,como de tartaruga com en- r(,ia
arara enae utas ooroaaas para enfeitar vesli- felcs menina; s no vigilante,rua 4I .. ... ,
dos brancos. do Crespn. 7. TiDiidme,iud A|pista i,mp0 a (40 rs_ a |,iora) e 4^00 rs.
Vende-se tiras bordadas de todas as larguras a! jjas |ques a arroba.
45200 e 45400 a peca, ntremelos finos a 45 a com pequeo defeito, leques de sndalo com pe- Solachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
M ; j|A0,a ara' queno defeit(l por barat0 Pre5 de 85 e 405, chi- Antonio de diversas qualidades em latas
aaaapoiao aa Arara a 40. nezes muito bonitos tambem, pelo barato preco de HP fi P dp *4 lhra al nnn p 4 *(\n r* a
Vende-se pecas de madapolao entestado rom do- 45 e 5, beutarallos muito bonitos, tambem por ba- "e ,-' a J'000 e ,,oog rb'
ze jardas a 45, dito de 24 ditas n. 30 a 65, o. 250 ralo preco de 45 e 55, leques de charao tambem lala e bi0 rs- a llDra
a 65500 E 75 e 85 n. 5 + 85500 e 95. n. 5 a 405, por 45, tudo isto para acabar, perdendo-se tal- dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
n. P Pa 415 ZZZ, a 425 a peca peca de algodo vez 80 por cento; s no Vigilante, rua do Crespo melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
a 55, dito carne de vacca a 65500, dito domestico n. 7. ia,a
peca
LOJA lE HDDtZAS F1VAS
16Rua do Queimado16
Enfeilcs de rabeca.
Riquissimos enfeites dc cabera do fcilio de cha-
posinho turca, a 55.
Ditos com enfeites de cascarrilha, frocos e bicos
de seda, a 3.
i r*mi,om ,iPar* seflurarmaTil0S-, ... h Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
tambem chegaram as liguinhas eslreitinhas de .i, q
borracha que as senhoras tanto precisam para se- em Darr" a "O rs.
gurar manguitos por ser muito commodo e muito Batatas em giyos de 36 libras a 1,000 rs.
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do ores-, Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
P0 "1- rs. o gigO, 1,80o rs. a garrafa, e 9oo rs. i
Ll t_Ur.s. j no JTipi'lc C'Srr'f'lC
Riquissimos leques de madreperola tanto para n, *_n a n^ _. '
senhoras como para meninas, pelo barato preco .GhIxJ__,IB mell)0r POSSivel a 2,7oo rs. a
de 125 e 445; s no Vigilante, rua do Crespo libra.
n. 7. dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra,
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra,
dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Pentes
lambemchegaram os riquissimos pentes de concha
do tartaruga e de massafina, que se vende por 25,
35 e 55; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
muito lindas e de muito gosto a 45 e 45200.
Canelas.
Biquissimas caetas de madreperola proprias
Ditos com bonitos lacos, a 45280 e 15800 ris. j no a 800 a dita : na rua da Imperatriz n. 56, loja para qualquer presente, pelo baratissimo preco de
e frocos sem ac. a 800, 15 e
Dims de tranca
45600 ris.
Fivelas c cinlos.
Itiquissimas fivelas com pedrinhas para cinto,
a 15600 e 25.
Biquissimos cintos de galo dourado, prateado e
do. outras cores com nquissitnas fivelas e borlas,
a 35500.
Dito ditos sem borlas, a 45500 e 25-
Filas e cascan illias.
da Arara.
Fa/.i'inlas rspeciaes para senhoras, a saber :
Vende-se golinhas (tara senhoras a 240, 320, 400
e 500 rs., camisinhas para ditas a 15, 25, 35 e 45,
gravatinhas para ditas a 45 e 45500 : na rua da
Imperatriz n. 86..
Soutembarque da Arara a 8$ e 10.
Vende-se soutembarqnes dc cores para senhoras
a 85, 405 e 425, ditos de grosdenaple pretos finos
a 205,235 e 305, capas pretas para ditas
255 e 305 : s na loja e armazem da Arara,
56.
45500 e 25-
Sapalinhos e meias de seda.
Biquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e louquinhas para as cnanciohas se baptiza-
rea); s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingiudo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
duzia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e snisso a l.ooo,
l,2oo c l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Por-
tado de Simas c outros da Pabia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
delicias e suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75'o rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou dc urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores franeczes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamenle flor a 800 e
l,ooo rs. a libra, desnecessario m-iis
elogios neste genero, que s se pul ae-
rificar com a vista,
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Lisboa
a 600 rs. a libra, ha latas de I, I le
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 2 libras a
600 rs. a libra.
Macan Tu >. talharim ealetria a loo rs. a libra,
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a loo rs. o
frasco.
dem ingleza em p a 64 rs. o frasco
Molho inglez em Karralinlias com rolhas I
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinbo verdadeiro de Zara a 1,000 n.
a garraf, e 10,000 rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Ostras preparadas em latas a 7ec a lata,
Prezunto para fiambre inglez 111 <_*,
garantindo-se a qualidade a Too rs. a libn.
Passas novas de carnada a 4co rs. 1 libia e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrelladla, pe* de e rrdir ba
efe.a 3.5o(i rs.a caixa. e a Mera, antea.
Peixe om latas hermticamente feehadns seguirles quali Jados: savel, con ira. p< 1.
cavallinhas, e pescada a 1,000 a lala.
Palitos para denles lidiados a lio rs. o ma-
co de 2o rs. o macinluis.
dem do gz a 2oo rs. a dazia, e Mee n.
a groza.
PainCjO muito novo 12o rs.*a bbra c 3,ooo a
arroba.
Qucijos flamengos, do ultimo vapor, a 2.5oc
rs.
dem ptato muito fresco a 8i*. rs. a ibra e
sendo enteiro a 72o rs.
Sal refinado em potos de vidro a 5oo is cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toiiiiiibo do Lisboa a 2lo o 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada nm.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garra'a e
l,loo rs. a caada,
dem em garrales com 5 garrafas a 1.000
Biquissimas lilas de grosdeuaples lavradas, bo-,.
nilas cores e padres de quatro e cinco dedos, a da Imperatriz t
15500 e 25. I
Diio ditos de grodenaples de todas as cores j -
com dous. duus e meio. quatro e cinco dedos, a!
500, 640.45280 e 45600.
Diios de gorgurao para cintos, a 45-
Pecas de fita estrena de to las as cores, a 320. Rua do Queimado ns. 49 e 55, loja de miodezas
ris. i de Jos de Azevedo Maia & C, est continuando a
a 205, e voltinhas, pelo barato preco de 45 e 45200, es Cognac francez c ingle/, a Looors. a garra- rs"
a, rua cruzes avols asa 400 rs.-, s no Vigilante, ruado fa e |q 000 rs a duzia Vassouras do Porto
Crespo n. 7. I __: ___ ,'___ ', ,., r rada nma
RIVAL SEM SEGUNDO
Sup<
Ditas de fita de linho para debrum, a 160 e 320 vender muiu barato, pois seu genio dar a fazen-
ris. ; da por todo preco a vista dos cobres.
Dila de fita elstica, a 240 e 320 ris. 1 hartas de allinetes francezes da melhor qualidade
Dita de lila de la de todas as cores, a 800. a 80 rs.
Dila de cascarrilha de seda de todas as cores e Grosas de pennas de ac inglezas da melhor qua-
larguras, a 45, 45600 e 45800. j Ijdade a 640 rs.
Dila do nanga lisa prea e branca, a 80 ris. Caixas de colchetes francezes de superiores quali-
Dita de tranca branca lisa de vinte cinco varas,: dades a 40 rs.
a 320 ris. : Grosas de botes de madreperola muito finos a 560
Fitas para eniar espartllho, a 60 e 420 ris. e 040 ris.
Varas de aspas para balo, a 400 ris. Carreteis com 4 a 5 oitavas de relroz preto fino a
Voltas de coral de raiz pequeos e muito gran-' 640 rs.
des, a 500 e 25. Resmas de papel de peso liso muito superior a
Voltas pretas Mara Pa pequeas e muito! 25000.
grandes, a 800, 45280 e 4580O. Grvalas da liga e de outras muitas qualidades a
Pulseiras de contas azues e brancas, a 800 ris. 500 rs.
Ditas de aljofares de cores grandes, a 15. \ Caivetes para penna com 3 folhas fazenda boa a
Luvas frescas de Jouven brancas, de cores, a 800 rs.
25500. Duzia de hotoes branco para casaveques de senho-
Ditas nao frescas brancas, a 45- ra > 100 rs.
B nocas de panno, a 400 ris. Pecas de fila de cs estreitas cora 9 varas garan-
Ditas que choran, a 160, 400, 640 e 45280. tidas a 320 rs.
Pecas com dez varas de bicos pretos, a 45300 e O Expositor Portuguez para os meninos a prender
25000. a ler a 800 rs.
Varas de.labyrintho francez, a 400, 440, 200, 320 Os segredos da nalureza para os meninos a pren-
..e 400 ris. 1 der a ler a 45000.
Duzias d bonitos botoes de vidro, a 320 ris. Carnlhas da doulnna chhsla, finas e superiores a
Escoras nara dentes, a 460, 320 e 480 ris. 320 rs.
Ditas para limpar unhas e ouro, a 640 ris. Pentes finos de marlim a 45000, 45200 e 45500.
Ditas para cabello e roupa, a 640, 800 c 45. Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
OcoJos de armacao, a 640, 4;J e 45280. 500 rs. *
Toucas o sapatinhos de la, a 800 e 15. Gollmhas para senhora o melhor que ha a 320 e
Toucas de blonde de seda unfeitadas, a 45500 500 rs.
e 7,5. ; Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
Sapatinhos bordados de merino e setim, a 4JJ500: 45000.
25 e 25500. Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
Uixas de penas de langa e caligraphicas, a 608 to prego de 460 rs.
e Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Canas de papel pequeo pautado, a 640 e 720 Cordo branco para espartilhes muito superior, a
ris. 1 vara a 20 rs.
spo
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
10 possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante,
1111 do Crespo 11. 7.
Enfeites para senhora.
Riquosissim enfeites com lago e sem lago e de
outrostjmuitos gostos a 45, 45500 e 35 s no Vi-:
guante, rua do Crespo n. 7.
Trancelins.
com arcos de ferro a 32o
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra. Ibem dc cscovas para lavar casa a 36o rs.
Canella a !)oo rs. a libra. cada tuna.
Copos finos para agua e vinho a 4,800 5,ooo Velas de espermacete superiores a 56o rs.
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um. a libra.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra, dem de carnauba refinada e de composico
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba. I a 36ors. a libra, e de lo.uoo a 1 Looors.
Doce de goiabs superiorem latas a 2,ooo rs. a arroba.
Lindos trancelins ae eabello para relogie ou lu- Ervilhas porluguezas em latas ebegadas ul- Vinho em pipa, Porto, Lisboa
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de; timamente a 64o rs. a lata,
retroz a 200 rs. ,dem ^^y a lto rs. a |il)ra
BIBM Jt'iSS, con, tindos! -[*TSH *S V ""n
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
prego de 45200, 45500, 25 e 35; s no Vigilante, I libra.
Figueia
a loo rs.
rua do Crespo n. 7.
Cascarrilbas.
Grande sortimento de cascarrilhas
de
Figos em caixinhas
rs. cada urna.
bem enfeitadas a 9oo
larguras, assim como galozinho e wnC,n.r251 Fa^K!"f "rSV 'a'3S C,,6ga prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-' mmente a o<*u rs.
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de titas de diversas larguras
e qualidades, por precos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pono vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de lia.
Fitas de la de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s- no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Bicos fspelhos.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e ginja a Too rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e 1,100 rs. a
duzia.
Gomma muito al va e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco 1
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
idem em garrafes de 16 garrafas a 4,800
rs. com o garralUo."
das marcas menos conhecidas
a garrafa e a 2,800 rs. a caada,
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
romposico a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo
rs a caada.
dem de Lisboa branco uva pura a 56o rs. a
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garrafa.
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, vclho secco, Malvasio
Genuino, Particular a 9oo e 1,2oo rs. a gar-
arafa, e a 10,000 rs. a caixa com urna du-
zia.
Pdem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
Riquissimos espelhos com moldura douradaje dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a l,2oo rs. agarra-
sen! ella de 85,405,425 e 445, assim como com i com roina e vdro qualidade superior a fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
l.ooo rs. a garrafa. dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
frasco e 11,000 a frasqueira de 12 frascos. Julien, St. Esteph, cbaleau la Rose, chalan
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
l,8oo rs. a garrafa. i 56o rs. a garrafa.
columnas de diferentes tamanhos a 25, 35,45, 55
e 65 i s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina, I
para enfete de sala, sendo o melhor gosto queaqui
tem apparecido; s ne Vigilante, rua do Crespo
|n. 7.
Para pos de arroz.
Caixas cem cem envelopes com cola, a 640 ris.: Carritis com1 150 jardas de linha branca a 60 R'inissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
Pentes de regayo domados Isabel, a 25, 1 ris. ,cousa de muil ?os, a 1*500 e 25, assim romo
Ditos de borracha muito fina, a 800 e 45. I Cartoes com 200 jardas de linha branca garant-; Pac?,les s com os Ps a 32 cada um iso D0
Ditos de concha dourados para alar o cabello,' d< s a 60 rs. Vigilante, rua do Crespo n. 7.
a 25, Grosas de pennas de ago superiores a 500 rs. Perfnmirias.
Ditos dourados com as marrafas, a 25 e 45- Varas de franja branca e de cores larga para toa-1 Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
Garrafinhas e frasquiBhos de extractos, a 460 Ihas a 460 rs. das, a*sm como de lindos copos ou vasos rom dis-
200, 320 e 15- Pares de botes de punho. oh que pechincha a tinctivos e oflerecimentos as sinhasinhas dos me-
Sabonetes de bola grande, a 320e 400 ris. 420 rs. : Ihores e mais afamados autores de Paris e Inglaier-
Frascos de vinagre aromtico de Venus, a 45- Tinteiros de vidro com tinta a 460 rs. 1 ra, assim como os grandes copos debanba japoneza
FraseobJe (onico oriental de Kemrs, a 45500. Ditos de barro com superior tinta a 400 I. a 25 e a 45, assim como oulros objectos que nao e
Riquissimos cabazes de vidro com perfumarlas, Grosas de botoes de louga prateado muito Unos a possivel por baje annunciar, e vista dos fregue-
a 35- 460 rs. \ zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
Legtimos frascos de sndalo, a 4550.). Tesouras para costura superior qualidade a 500 rua do Crespo n. 7.
Frascos grandes com banha franceza, a 800, ris.
ris. Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Caiiinha'Icom extractos, a 45, 45500 e 35- 1 Caixas com superiores pbosphoros de seguranga a
----->------------------------------------------- 160 rs.
VPild.G"S6 i ^a'Ia* com *0o envelopes o melhor qne lia a 640
dnas grande* mucambas recolhjdas, de idade de Caixas eom 20 quadernos de papel amizade, muito
15 48 annos, com as prncipaes habilidades e fino a 600 rs. quaiquer pane: no a
melhor conduca : 11a travessa do Carmo n, I. Quadernos de papel pequeo mujlo fino a 20 rs. C., rua da Gru o. 48.
AinriBncia
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor
deaux, differentes qualidades, mais barato qne em
alquer parte : no armazem de E. A. Burle A
CERVEJA EM BA ItltlL
a SOO rs. o copo
luoijo de .Yllnas ehegado no vapor
dem prato mnite fresco
dem snisso superior
dem londrino superior.
57 Eua do Imperador 57
MUTLADOk
ILEGVEL


Diarlo de Pernambuc Terca felra 5 de Ouiubro de 184.
-t
MME
11 1IO QUEIMADO W. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
wmm
NOV1DADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Glarim Commer-
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melbores gneros que vern ao nosso mercado os
quaes serao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 610 rs. j dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 26800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 360O0
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
0200 e 10800, e em frascos grandes a
2>5U0.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10100, 10600 e 2.
Araendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 163 rs. a libra e a 40000 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra,
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030 > rs.
Bolacbinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinba e a 200 rs. a libra.
Banha de porco relinadaa 410 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
25500, 26'800 e 3&000 a libra,
dem preto muito superior a 26000 a libra.
Gerveja preta e branca, das melbores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inelez fino a 901 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melbores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
250 >, 20200, 20500, 20SOO, 30000 e
*05OO a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
> rs. a libra e 86500 a 80800 rs. a arroba.
Car toes de bolinlios francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cadaum.
Sardinbas de Naoles a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 600 r.
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Yinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz 1. Maria Pa,
Bocage Cbamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 96000 e 106000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem braco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
de oilo libras e canastrinbas de 1 arroba a
a 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafes de 3 e 5 gafos a 50500
e 70500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, quaiidade especial em garrafas muito
grandes, a 10800 a garrafa.-
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e roldas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamenle flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melbores conservei-
ros de Lisboa a 60 i rs. a lata.
: Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
Grande Uquidaciio.
Una da Imperatriz n. o.
Loja de fazendas do Pavo de Gama & Siha.
Acha-se este estabelccimenlo completamente
sonido de fazendas inglezas, francezas, allemaas e
suissas, proprias tanto para a (iraca como para o
mallo, promcltendo vendor-se mafe baialo do que
era outra qual(|uer pane principalmenie sendo em
porgao, e de todas as hzeodaa dao-se as amostras'
deixando licar penhor, ou mandam-sc levar em
casa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As editas do Pavao.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato preco de 240. 260 e 280 rs. o covado, tintas
seguras ; ditas francezas de cures seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 c 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padroes : s na loja do
Pavao.
As laazinhas da exposicio do Pavao.
Vendem-se laazinhas as mais modernas que
tem viudo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarques por seren lisas e de cores mnito
delicadas 560e500rs. ditas lisas com um luslre
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda 500 rs. o covado, s para aca-
bar : na loja e armazem de Gama .\ Silva, ra da
i Imperalriz n. 60.
Os vestidos do Pavao.
1 Vendem-se os mais modernos cortes de vestido
de la, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, corpinho e collete separado ; ditos
com listas de seda e tambem com barras e enfei-
les para o corpo, por preco mais barato do que em
outra qualquer parte, e se quizerem urna prova
do que se diz, mandem ver leja e armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Os vestidos Maria Pia. S o Pavao (80000).
Vendem-se os mais lindos vestidos Maria Pia
de lazinna transparente com listas, e palminhas
de seda pelo barato preco de 86 cada corte : s
na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
As eassas do Pavao a 210, 2S0, 300, 320 e
360 rs.
S o Pavo vende as finissimas eassas persianas
imitacao de la, com cores fizas, 360 rs. o co-
, vado ; ditas francezas muito finas 240, 280, 300
e 320 rs. o covado, isto para acabar: ra da
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madapoloes do Pavo
i Vende-sc peca de madapoln infestado com 12
jardas cada peca pelo barato preco de 40, 46500 e
50 cada peca, fazenda muito superior : s o Pa-
vo ra da Imperatriz n. 50, notando que a peca
leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
haver duvidas nem engaos : isto previne o Pa-
i vo, de Gama & Silva.
Bramante de linho do Pavo
20, 0 400. 2eoo.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por preco muite commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
25200, 20400, c 20600 ; s o Pavao : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
0 PROPHETA
AO RESPEITAVEIj PUBLICO.
RA DAS CINCO POMAS N. 86
Ksqulna da nova ravessa de H. loo.
tt;
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700 800 rs.
e 800 rs. a garrafa, e 70000 a 705O rs. dem regular a 500 rs.
a duzia. Majas linas para sopa: estrellinba, pevide,
dem Morgauxe Chateauluminide 1854, a 10 rodioha e aletria a 600 rs. a libra c a 40
a caixinha com 12 libras.
Nozcs muito novas a 160 rs. a libra.
Peixc em latas preparado pela primeira .irte
de cozinha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maco.
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa
l200rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te- dem de dentes a 120 rs.
mos grande porco de outros que deixamos; dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudoser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas o carnadas, tanto em porgues como Doce de goiaba em latas o melhor possivela
retalho- ^6 e em caixiin a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abate de 5 por canto. jPassas muito novas a 480 rs. a libra.
gura proprio para lences e toalhas de mo pelo c('m Diao.
baratissimo preco de 640, 720 e 800 rs. a vara, al- .Vzeitonas por todo o prego.
godozinho com oilo palmos de largura proprio Riscoitos inglezes de diversas marcas a 16300
para lences, pelo baratissimo preco de 16 a vara, ~ ,
assim como tem o melhor algodozinho tanto cm .' t ,_ ,_. .,>> aennn
largura como em corpo, proprio para lences, ca- Bolaehinhas de soda, oval e lunch a 0000
misas de escravos, etc., etc., preco mullo commo- a lata com 5 libras,
do vista da fazenda; s o Pavo : ra da Im- Bolaehinhas americanas em barricas 26
peratriz n. 60, de Gama & Silva. ,lbras 2firm
Algodozinho com loque de arana a -1,000 res ^^ ^ pom) da mMr quaUdade a
a
Desejando o proprietario do grande armazem do Propheta dar I -
gasaoseu genio emprebendedor, commercial c especulativo, resolten ceder ;i in>pti
que o assaltou, quando as horas caladas da noite o seu solicito espirito e aplata a'i :u
turbilhao de ideas, tendentes todas bem seivir e agradar aos generosos ha&ilaii'.t i
desta bella provincia, de abrir mais este grande etttabeleelnienfo de ro-u > *
escolhidos gneros, quasi que especialmente destinados s pessoas que recr-ni
gueiia de S. Jos, c aquelles senhoics que Iransitam pela vja ft-nea, pn |M -a. \t-r-
dade sao sem conta o numero das vai.tagens que se Ibes offeiece, bao s rtiiu nhtft j
modicidade dos fretes, como da facilidade e brevidade da condueco dos tljeitos m-
prados.
O sonbo do Propheta ser urna verdade pratica to acceita e abracada roar- r$
palavras simples e bem intencionadas dos velhos patriarchas desses lempos idos, si < Se-
nhor Deus dos exercilos nao o quizer contrariar.
O Propheta nao querendo restringir-sc a forma ordinaria de negociar resol' i i
tambem, depois de profunda meditacao, de nao vender sniente os cus genero a d.-
nbeiro corrente ; mas tambem de por em pratica troca delles por outros da praHcSt
do paiz ou por escravos, bois. cavados, etc. Assim, pois, lique na intelliginria de ti -,
que o prophkta receber como moeda de qualquer dos sen dores agricu.t. tes. >ssu.. r.
algodo, agurdenle, milho, feijao, cavalles, escravos, etc., etc. e llu-sdar o nu^nio va!r
cm gneros, escolhidos a contento.
Quando a importancia dos gneros apartados lor menor do que a dos objectos ie-
cebidos por troca, o r-ropheta nito demorar a dilTercnca que deve dar em dinh
Um estabelecimento que com lautos sacrificios e despcfM acaba de ser al i o
deve inspirar a lodos a certeza de que se vender muito barato com o tim de se adqui-
rir crdito e freguezia.
A-aruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80,
ICO e 120 rs. a libra, e a arroba a 10800,
20500 e 20800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixas francezas a 10200, 10400 e 10600
em latas, frascos e lindas caiebinhas muito
proprias para memosear alguem,
Amendoas confeitadas em frascos de vidro
a 10 o frasco.
Alpiste a 160 rs. a libra c a 40500 a arroba.
Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa.
Azeite de Lisboa a 640 rs. a garrafa e 40800
a caada.
e 4,800
Vendc-se peca de algodozinho por ter um pe-
queo toque de avaria, mas que esta em bom es-
tado, pelo barato preco de 45 e 45600 a peca ; s
360
MACHINAS DEPATENT
de
GRANDE E SUMPTOSO ESTABELECIMENTO
DK
NOTOS E ESCOLHIDOS GNEROS
TANTO EM GROSSO COMO k BETALHO
eo KUJL nova oo
iIIlima casa junio a ponte da Boa Vista.
r
DUAS PALAVRAS.
Cesse ludo quanto a anlipa mu-a canta
Que outro valor mais alto se alevanta.
Acha-se a disposicao do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci-
mento de molhados, talvez o primeiro e nico hoje existente em sua especialidade, por-
que o maior capricho de maos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci-
mento modelo promoveram a escolna dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por seretn comprados em grande quantidade c pagos qnasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtencao de vantagens, que repartidas como vito ser pelas pessoas que se
dignarem de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todos, nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazas, como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos pre;os quasi do pri-
meiro custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharo
era nosso armazem os melbores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
ele etc, e aquelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
saro, prom-jitemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
homem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, vollarao satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos
objectos, como pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO ECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e (brscente imperio um grande partido poltico com a
denominaco de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ningnem.
O neme urna voz com que se do a conhecer as cousas. E esta a mais
breve, clara e sincera explicaco que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem n5o seguir o partido desse systema diremos mais:
Nao oriunlo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
muitas centenas de leguas que apandamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or-
dem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narragao desse acontecimenlo, que tan-
to sorprededeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-
mamente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenliar, e col-
locando-o no oitao do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
Monni aoit qni mal y-pense.________
BALDES DE AHCOS
A 2#00.
Na ra do Queimada n. 40, letreiro verde.
Superiore e bem armados baldes pelo diminuto preco de 20, advertindo que venijem-se por
este pre?o por ter-sfl comprado urna grande porc^O e querer-se acabar.
trabalbar & mo para
descaroear algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
0LDA1
Estas machinas
podem desearocar
ijualijuer especie
de alpodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode
descansar urna
arroba de algo-
do em caroco
era 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia.
Os mesmos lem para vender um beilissimo va-
por que |idc fazer mover seis deslas machinas
mencionadas ; para o que convidase aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova*n. 47.
Saondcrs Brolhers & C.
x. II, praea do Corpo Santo
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado ns. 49 e 55 loja do Baraleiro
condecido j como tal, est dispondo da fazenda
por todo o prego para apurar dinheiro, quem qui-
zer venha ver e traga o cobre, e ver o seguinte :
Baralhos de cartas para voltareto muilo
finasa............................ 206
Miadas de linha froxa para bordar a.... 20
Pares de sapatos de tranca de todos os
tamaitos e finos a................... i&'iOO
o Pavao :
Silva.
Os gu arda na pos
i ra da Imperatriz n. COdeGamaA Caf superior a
arroba.
rs. a libra.
Batatas em gigos e caixas por todo o preco.
Caf moido a 10$'00 ou 8>000 a arroba.
7f)o00, 800u e 8500 a
do Pavo c s do
econmicos
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
apos econmicos e todo linho, tanto para as casas
de familia como para hoteis, boiequins, etc. etc.,
pelo baratissimo prego de 3 a duzia, isto s na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. CO, de Gama
& Silva. I
Os soutcnibarqties do Pavao a
9 el90-
Vendem-se os mais linos soutembarques que
teem .vindo ao mercado, sendo de raxnmira de co-
res pelo diminutissimo preco de 125 cada um, di-
tos de inusambigue pelo diminuto prego de '.'-5, s
na loja do Pavo, mas que se nao engauem : ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoalhado do Pavo.
Cha ncsio genero temos o que h de melho-
I assim como tambem temos baixo pelos prc-
eos seguintcs: i"0, iflCG1, i #800.
26400, 2.G00, 26800 e 30G0 o tino.
Charutos de todas as melbores e peores mar-
' cas do mercado a 800,1-3000, 1*600, 25,
1 2800,3*000, 46000,5600O, 56800e 66
, ocento.
Chouricas as mais novas do mercado a 126
o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a
ellas que pecbincha.
Chocolate magnifico a 16000 c 16200 a libra.
Gerveja marca a mais acreditada que tem
vindo a 500 rs. a garrafa, c meia garrafas
por 320 rs. branca e preta.
Massos do superior grampos para cabellos
Duzias de.palitos de gaz superiores a. ..
Libras de ara preta muito superior a ..
Frascos de superior macaca oleo a ....
Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa muilo linos a 320
rs. e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida....................... :......
Ditos de banha muito lina a............
Ditos de cheiros muito linos para o prego
a ris.............................
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................
Novellos de linha com 400 jardas a......
Carriteis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pegas de litas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.......................
Frascos de suneriorescheiros,pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris............................
Varas de bicos francezes, superiores a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
todo a............................ 15000
Pegas de tranca preta liza muito fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fila preta com colxetes a......
Libras de la sortida de todas as cores a
Bonecos de choro muito bonitos a......
Caixas de ohreias de massa muito novas a
Varas de franja branca e de cores para
toalhas a..........................
Frascos do oleo Pliilocome superior a...
Dilos com superior tinta a 320 e.........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espariilho a...........
Duzias de boloes encarnados para vesti-
dos a .-'. '.......... '"
30
200
100
100
200
500
400
640
600
400
80
60
30
240
200
400
40
1^000
60
200
40
63500
1G0
40
80
600
500
800
60
200
Vende-se panno de linho adamascado proprio
para toalhas de mesa, pelo diminuto prego de 2^500 Conservas inglezas aSOOrs. o frasco fazenda
rs. a vara, guardanapos de linho a 56 a nnzia,; ri.mip
toalhas de mo a 5 cada duzia, na loja do Pavo, ., j ,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. dem francezas a 5(0 rs. o frasco.
13' s o Pavo (a 8#500). Gevadinha do Fr.wa a L2i0 rs. a libra.
Quem tem bales por tal prego : Champagne da melhor marca que ;qui tem
Vendem-se os bales americanos muilo superio- i vindo a 20r> C 246 O gigO.
"gg" *ep ai0SaJ,ei ,r",S8ino P"tt*,Cognak inglez efrancez a 800 rs. c 16C00a
26500 e4, ditos de 25, 30 e 35 arcos com fitas, | parrqfa
muilo bem armados e tambem tem cores escuras garran.
pelo barato prego de 35500 cada um : s na loja \ Ceblas por lodo prego.
do Pavo, ra da imperatriz n. 60, de Gama & j Copos lapidados que sempre se venderam e
Sl'va- se vendem em muitas parles a 86 cl06.
vendemos a 565( 0 e 6#0G0 a duzia.
Copos para vinbo a 3600' a duzia.
ioaP^ s&tM'&wke; po^ d ja ** "* re t
lo baratissimo prego de 2, 262i 0, 26500 e 35 o | vapor a 0.0 rs. a lata das melbores fi uc-
0 ^avo vende para lulo.
Vende-se superior selim da China, fazenda toda
de la sem '
pri
pelo
covado, eassas preas lisas, chitas pretas largas e i tas da Europa.
estreitas, manguitos, colannhos, punhos, e otifeites, I i,jem da goiaba e da casca o melhor que
ludo preto proprio para luto fechado, e muitos ou-j nn,oVPi nnr diversos r.rerns e conforme
iros artigos que se vendem por pregos mais em | pOSSive por muidos precos, t, cuuiuiiitc
conta do que em outra qualquer parte por estar | O tamanho (los catxoes.
liquidando ; s na loja do Pavo ra da Impera- Ervilhas em latas a 640 rs. a lata,
triz n. 60, de[Gama & Silva. dem seccas a 200 rs a libra.
As percalas do Pavao. i Espermacete americano a 16200 a libra.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-!,,' f .. n f;fi0 .... n massn r,m a VP|ac
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavo pelo | \^.em "anceza obO is. o masso com veas,
barato prego de 600 rs. o covado; ditas de listi- Figos de comadre em caixinhas muilo lindas
nhas muilo miudinhas proprias para vestidos e j a 800 rs a caixa.
roupoes de senhoras, meninos c meninas, pelo ba- j.arjn|ia e \r]a0 a 120 e 140 rs a libra.
Sr^^IXnKnFari^ do Maranhao a 24.. rs. a libra.
rali
as cores por serem do
tem em Pars : isto na loja do Pavo ra da Im
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo SgJOO e
208OO o corte.
Vendem-se cortes de chila com dez corados
25400, ditos 25800, com 12 covados; sao chitas
inglezas, mas padroes bonitos e tintas- seguras ;
assim tem as melhores chitas francezas e de un-
tas seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavo ra da Imperatrizi n. 60, de Gama &
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos e golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de 16 e 16280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
co golinha a 800 rs., golinhas 400 c 480 rs., de
fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa a de fil muito bem bordadas 26 cada
urna, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente grvala de seda, fazenda
fina, pelo barato prego de 35, e muitas outras
bordadas que se vendem uor pregos mu'lo em
conta : s na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As rrnipas do Pavo
Vende-se panno preto fino muilo superior pelo
barato prego de 26, 25500, 36, 35500 e 46, dito
muilo fino 55 e 65 o covado, casimira preta de
urna s largura e muito fina a 15800, 25 e 25500
e 35 o covado, corles de casimira de cores a 55,
55500 e 65, casimiras entestadas de urna s cor
proprias para caigas, paletots. coletes, capas e para
roupas de meninos a 35500 o covado, is'.e na loja
do Pavo rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.__________________________________
Vende-se superior vlnho do Pono em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C, ra
do Aigario n. 3.
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris :
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, ra do
Trapiche n. 13, por preco raz>avel.
Fumo do Para a 16800 a lata prande.
Fumo americano a 16400 a libra.
Fumo em macinhos para sganos a 200
rs. o mago.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a 36500
Genebra de laranja 16 o frasco,
dem de Hollanda a 500 rs. o fraseo.
dem em botija a MOe 400. rs. a bolip.
Graixa em lat sa 16200 a duzia.
Limonadas de diversas fructas a 16000 ^
frasco.
Licores inglezes e francezes a I600, Ij&O
e 26 a garrafa.
Lingoas americanas a 800rs. cad?. urr.a.
Linguieas promptas em latas a 162(0 a Lia.
Manteiga ingleza neste genero o que >'a
melhor a 800 rs. a Jibrae em barril a 7tO
rs.
dem mais baixa a 640 e 720 rs. a libra.
Manteiga franceza a 520 rs. a libra, em banil
a G 40 rs a libra tm rttalbo.
Massa de tomates a G40 rs. a libra.
Marmelada muito nova a G40 rs. a lit O.
Molhos inglezes a 400 e G4U rs. a garrat.iil a.
Mostarda preparada a 400 e G401 s. o fr 11
Massas para sopa macar rao, tallui un e tk ti .*
a 400 rs. a libra.
dem finas em caixinhas a 36CO0 a elixir I.
Marrasquino de Zara ventadeiro a l#5t)C o
frasco,
dem mais baixo a 800rs. e 16000 o b;.-^o.
Milho em saccasiom Mfii a 9JM&
Presunto inglez para fiambre vindo no utiino
vapor a 800 rs. a libra,
dem mais ant go a G40 rs. a libia,
dem do Porto a G40 rs. e sendo inteiro a
5t>0 rs. a libra.
Passas r.ovas a 400 rs. a libra.
PWo a If'O rs. a libra.
Paingo a 1GO rs. a libra.
Pomada a 240 rs. a duzia
Pimenta do reino a 320 rs. a Hwa.
Peixe cm latas a 160.0 a Uta, aavet, cor
vina, pargo e outros.
Papel de peso a 26000 a resma,
dem dem muito lino a MOOO .1.'G.
dem mailiin a 5?>;"' O,
dem almas?o a ;i6(>00, 36500 e 4f>f00.
dem para embrulho a 1|S00 a n rea.
Paliios para denles magos cem 2 ma< ini.$
a 80, I2u e 2(0 rs. > mago.
Palitos do gaz a 26000a gic/o.
Queijos flamengos do ultimo vapor s 2
dem londrino a 1MO rs. a fibra,
dem pialo a 040 rs a fita.
Hap Mearon a 16000 a libra.
Sag e sevadinha a 240 e 280 rs. .i lil ra,
Sardinbas de Nantesa G40, 500 t Zi'Ai i.s. a
lata.
Sabao massa a 120, 180, 200 e 240 rs a
libia, e cm caixes por menos.
Sal refinado a GOO rs. o \azo t| ole lidtfc.)
Toucudio de Lisboa, de Santos e aaeti
a 100, 240 e 32o rs. a libra e em arrol-a
a 5, 7, e 96000.
Tijolos para limpar facas a IGOrs. rada um.
Vlnho do Porto em ancoras com 70 garrafas
a 306000.
Vinhos de Lisboa e Figueira qualidadt.-n.. r-
nificas a 36000, 365(0 e 46000 a caada.
Vinbo do Porto em pipa a 5 e 66O0 a rarta Vinbo branco de Lisboa c Porto em anc r; ,
barris e pipas a 46000 e 56000 a car
Vinagre de Lisboa a 16G00 e 26000 a
da.
Vinagre em garrafes por I60OO com agar-
rado.
Vinagre em ancoras para 16000 am\| aneara
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 rs. i oda i i
Vinho deftordeaux neale genero temos ?r
porgaoe das qualidades melLwes tjoe i.m
vindo ao nosso mercado em garrafas. (
ancoras, em barriscguarilas demos por progos muito tata.

BALIZA
DECLARACAO.
O BALIZA declara pelo prezente que
deixa de publicar os pregos pelos qnaes ven-
de as suas mei cadorias por motivos qne ao
respeitavel publico pouco interera.
provisoriamente de baze os precos do
pheta.
*
4
a
Serve /^&
rro-
ORlIKIfl no DIA.
'- '
DO
O BALIZA-concede plena liberdade aos
sens amovis colicas Glarins, Unies. mitra- ^.r*-
dos e croados, para que pnssam saltar, ber- $j~
rar e ludo mais quanto Ihes aprouver, al
a sua segunda ordem.


N

Otarte e reraaaafeaee ... Ter^a lelra 5 de Outnbro ie tsaa.
0 NOVO DESTINO
l?M CONSERVATIVO
23Largo do Terco23.
Joaquina Sirao dus Sanios, dono deste bem sortido armazem de melhados denominado Con
jorvalivo do larg" do Terco a. 23 scientiflca ao respeitavel publico c a todos em (eral quu mandem
o venan a este establec ment para ovlhor se serticarein da diminuicao de precos que obtem
oeste, o que nao obturan >e comprare! em omro qualquer, pelo que se responsabelisa a servir quai-
Haia" comprada? Con a inawr presteza e lidelidade, sem<|ue haja a menor alleracao. Todo o compra-
a >: que comprar de 100$ para tima ter o descont de 5 a 10 por renta pelo seu prompto pagamento.
Atten$lo.
Batatas a> mais novas a 40 rs. autora e iiiO a ar-
riba.
1 .i'iiiki Je Lisboa a 280ts. a Iftra e'8,500 a ar-
i '! r. ie prime-ira e segtmua sturle u M0, MI), 180 e
: 11 rs. a libia.
i -. J.) M iranbo e lava a 10Q, 70 e 80 rs. a li-
bra e 2)d a arroba
PuospfefW du gar. .a 24 a aroza e 180 rs. mago.
P ssas de carnada a 320 rs. a libra, e em caixa a
GUD.
a tirabas inglezas aovas a 240 rs. a libra.
.-: o marelld mama a 460, IOS e 210 rs. a Hhra.
w i e carnauba Aracaty coinposiciio a 360 e 400
rs. i iiWa. ,
.\ u tas hanreza* cora 1 e meia libras a 14.'
s. -s.i de'tomate da melhor qualidade a 609 rs. a
lirt.
V irraeiada dos mentores fabricantes a 646 rs. a
ulna.
Cnoucas as mais novas a 560 rs. a.libra, e em
barril por 125.
Atm dostes (reseros ha outros
NEM COROAS NEM MITRAS
o
PRINCIPAL
NOVA EXPOSIQftO DE GNEROS
NO
ARMAZEJII
<~lt%\l>F
ARMAKEM
DE
Cha hysson xuiudiiUio e perola a 24,000 24300 e
25800.
Millio alpista e painco muito novo a 160 rs. a libra.
Biseoitos e bolachas 'de soda a 15300 e 25
Araruu das multares marcas a 15, 25, 35, 45, e
44501) a caixa.
Charutos em macos contendo 50 por 640 rs. o cento
Azeite doce de Msboa fino a 640 rs. a garrafa.
Dito de car-ranato a 80 rs. a garrafa, e 35000 a
arroba.
Viuho de Figueira-csnoa das meinores marcas a1 a
320, 400, 500, 560, 640 e 800 rs. a garrafa, este|da safra Wva a 6" rS. libra, e em barril
ultimo >lo Porto pronrio para os doentes por A 560 rs. I
RA MO IHPERADOR \. 10
JbbU s>bra4 en que ra o Sr. 0teree,
Uarte Aliuelda fc c., reeefecrana de sna propria encommen-
da o mais lindo e variado aortlmente de molhados, proprlos
da p re nenie estaco.
Manteiga iagleza Ma^ts brancas
da safra nova vinda no ultimo vapora 1, ooo; para sopa a melhor que se pode desejar.
rs. a libraera barril a #00 rs. j macarrao, ta""
Manteiga franeeza libra e 4500 a cana.
Vinho
PRINCIPAL
ser puritkaila e reeommendado para osle tim.
Quaijos du ultimo vapor a 25 e 15700.
Manteiga ingleza llur a l> a libra, e a 950 rs. ero
barril.
Idm menos suprior de 720 a 800 rs. a libra.
KUni ftauceza do ultimo navio a 560 rs. a libra,
em barril se fura abatimento.
Gomma da mais aira a 160 rs. a libra e a 4530G a
arroba,
muilos que enfadonho seria raenciona-los.
1 f]^^% ^**>f\

&
to
m
i
K.-84 Largo da Santa Cruz. N. 84.
v3
A,
Francisco Jos.Peroandes Pires, tem a honra de avisar a sqa numerosa freguezia
o con especralntade aos moradores do bairro da Boa-Vista e seus arrebaldes, que f.'z
nova ivlorma em seu asseiado esiabelecimento de molhados denominado Aurora Brilhan-
to, a^^arfo da: Santa > Cruz, a eom esta reforma supno de novo o scu armaron do Iban
I. -neros., S'iad muHos deU-s mandados vir de sua propria cunta, para melhor servir
aquellas gue > dijfnareni comprar ou mandar eamprar em seu B&tabelecimeilto.
No armazemida Aurora Britliantc. encontrara sempre o respeitavel publico urn
>findo c novo'fionbnenlo dos melliores gneros que tem vindo ao nosso mercado, e em-
pro por (recos mito-razoavois, como se ve da seguinte tabella que ser mudada sc-
iiianalmotite.
faz
A Auroia'JlrilIrante recebe as libras sterlinas por 95, sendo para compra, e
|iflr renh Presuntos de fiawbce milita novo, a libra a
800 rs.
hilos para -p.inMa, a-560 rs.
-' Quijos l'UiilruusjBuitO:Super)ros, a libra
a i ( XX).
Hilos do reino vindo neste vapor a 25G00.
Ditos do vapor passado a 25 e 25400.
Quegu de quaUm ovas, a libra a 560.
I-Vascos grandes com animas a 35000,
Lates com l|,W*ras aAIBQD
!):a-i com 3 e 6 UUsas a 25500 e 45.
Cliatniate fraiicezmuito superior, a libra
Cha fino de primetra qualidide, a libra
25700.
I:lo uxima 25700,
D lo bvss.'ii a 25700 e 2300.
)t perola a 25800.
I) io en caixinhas de I e 2 libras a 25600.
A
i
-
ri|
|
l>Uo Molo a 2 1-25500.
Manteiga ingieea B.ir a 15200.
I):la mais abaiso a 800 rs.
Ouaein banrl propria para negocio, a libra
a 60U rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Latas com 2 libras de bauha relinada, a libra
a 400 rs.
Matib-iga francaza noa, a libras 640.
Dit.....i birris e inekis diios, a libra a 600.
J Toueuhu de Lisboa a 953U0 a arroba e a 320
I rs. a libra.
Lates com Lehchinlia de soda de o libras a
> i;ooo.
)i;s nnm bJscdMm c tolacliiiihas sortidas
a 15500.
Ditas inglttzas novas, a libra a 240 rs.
.: A. i .., do Maranho, a arroba a 25400 e a li
bra a 80 e 100 rs.
. Dio da Indi* a arroba.2*a i a 120 rs.
i gCufp rnuim superior de. primeira qualidade
i a 85500, <5e 85-W0 a arn-.ba.
? Bit i om libra a- J, :tiO e 30 rs
Vinius pin cais;a de 12 garrafas, o roelbor
jKNttivel a l5 < 205
' Dito mais bai\o a 'B5, 125 g 145.
trtu Pijuetra. o tnais suiierior pnsvel,
ranada a 45-109 e a ganafa a 640 rs.
J Dito mais haixo a> 45 a caada e a 560 rs. a
garrafa.
Dita de Lisboa, boa marca, a 400 o 500 rs.
1 a garrafa.
Dte tordos a GiO rs. a garrafa.
Hitn em caixi,. 85000.
Serfeja, mai C teneute, em botijas a 7 e 85
a Ouzia.
Dita de difi^rentcs/marcasa 500 rs. a garra-
fa e t(5800 a duzia.
Gcncbra do Upaa^a verdadeira a 15 e 15200
? o frasco.
') ""* ^'' '"",1,u'a om frascos grandes a 15 e
jg pejuienos a 40 rs.
pj3 Dita verdadeira; 4e Hallando, a botija a 480
; Vv Licores fio-is de varias qualidades a 800, 15
TT .etfSOO.
Cixas de vinho-ni-iscatel a 105, *' a garrafa
a-15000.
Pitar, com azeite refinado a 105 e a garrafa
a 15000.
Conservas inglezase franee/.as de pepinos;
s-'h'-ilas. -./eitunas e iniiide a600, 700
'JO rs. o frasco,frand
Caixiscom francos de
fi

Charutos finos du autor los Frutado de Ci-
mas, ha por mui'is presos.
Ditos de ontros BtMarss 15500. 25 25560.
(Jigos de batatas novas com 1 arroba a 15.
Amas novas, a libra a 880 rs.
Figos nevos a ;t2 r.s.
Latas de errimase favas porluguezas j i>re-
paradas a 720 rs.
Ditas rom ostras, excellenie petisco.a 640rs.
Latas de pean ensogado m postas, da muitas
qualidades. a 15-
Potes de vidro cum sal refiaado a 500 e 640
ris.
Marrasquino dr< melhor qualidode, a 85 e
125 ; duzia.
Garrafas de dte a SOq o I52 Amendoasconf<-itadaa libra a 800 rs.
Dita com casca a libra a 320 rs.
.N'ozes, a libra lOlirs.
an-co, al|ii4a, a arroba4Se libra a 160 rs.
Grao de bien, a arroba 45 c libra a 160 rs.
Viiilio de caj preparado em Sobral a 800 a
Carrafa.
Cogn.ic superior a garrafa a I5:i00, I500 e
15600.
Champagne boa a duzia 205.ea garrafa a 25
Gar'ratdescom genebra hamnorgneza a 05.
Vinho bramo Xerez.a garrafa a 15.
Dito Joao de Britu, puro, a garrafa a 040 rs.
Dito adocii-a lo a 560 rs.
Dito do Porto, lino, a garrafa a 800 c 15
Xarope de grozeis e outras fraelas n 640 rs.
Massas para sopa, amafella, a libra a 480 rs.
Dita branca a "ao rs.
Dita estrelinlw, pevide e rodinius a 640 rs.
r.aixinlia cen 8 libras de djta a 35500.
arbolas solt.is grandes, o c-nt-i a 15.
Ditas grandes em restoas a 15280.
Duzias de carias francesas finas a SflouO, :5
e355O0.
Duzias de latas de grasa nova a 900 rs.
B-nbi'S de lira a 280 r<.
Marmelada nova a 600 o 720 rs.
Carne do sertao a libra a 320 rs
Lhuuricas a libra a 640 rs.
Saceos grandes com farinha a 55.
Ditos com mi Hijo 355OO.
Emilias seccas Hhra a 160 rs.
Lcntilhas para sopa a libra a 200 rs.
Sevadinha du Franca a libra 200 rs,
Sag a libra a 400 rs.
Araruta verdadeira a libra 480 rs.
Gomma de engommar a arroba a 45 e em
libra a 160 rs.
Saho espanhol a Httra a 400 re.
Latas com e verdadeira gaz liquido com 27
garrafaa a 125.
Garrafas eom dito a 500 rs.
Saceos grandes com feijo raulaliuho com 24
cuiaspor 95-
Copos e calix lapidados para vinho o agua.
Latas muilo bem nnf itadas com tigos novos
alf, 25500 e 35.
Assucar refinado emo *os mnito alvo a ar-
roba a 65500 e a libra a 200 rs.
Papel pauta lo liso de peso branco e azul, a
resma a 25500 e 45300.
Vinho Madeira-secco, a 15608.
Cento de esleirs de tranca a 205-
Barriscom az-itonas novas a 15280.
Duas balance sjiaudes de Roioo com os
peso de 2lanl)as, e aJfeuus. bracos pe-
e inixiae mm, iW e peso*de Sambas, e aJguu^
rande. quenos du wsajo autor.
demostaeda franeeza arUma grande- ifuantiOade de caixo
rs. o fsasw^ tqrfc.s os taah de 120 a 501
hZ a duzia, e 300
E MIJITOS OITROS GNEROS QUE TORNARA ENFADONHO
TCDO DE PRIMEIRA QIALIDADE.
vas ios de
00 cada um.
MENCINALOS.
DE
DE
J. VIGNES.
X. 55. RA DO IHPERADOR f. 55.
0 ptftnoe desta antiga fabrica sao hoje assnz conhecidos para uue seja necessario insistir sobra-a
s .3 saperrondade, yantapens e garantas que offererem aos compradores, qualidades estas inconteeta-
v -i?ae elle tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca odo-
f-aado om ticlado e machinismo- que oltedecem todas as vontedes e caprichos das pianistas' sem-
nunca ralbar, por 9erem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tssimoi para o clima doste paiz ; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e par teto muito aerada-
veis, aos ouvkio6 dos apreciadores. ^
fazem-so conforme as encommeadai taato nesU fahriea como nado Sr. Blondaft de Pars ocio
c 4; eponrh;nte de J. Vignes, em cuja cafita! foram sempre premiados era todas a exposteOes.
\ inesmo estabelecimento se ada sempre um explendido e vanado sormento do msicas dot
iiidhores autores da Europa, assim eorao harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendido por
preces conunodos e raacavefs.
Amendoas
tofeitadas deiliadi8imas cores S00 rs. a
Hbra.
Auieixas
em frascos de -vidro rom -8 libras liquido a
2#400, morto propios para romos.
Oartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachihas de soda de todas as iiua-
-lidados a i ->;i()0.
Chocolates
de todas as qualidades a lOO0 a libra.
Fresuutos inglezes
d06 melliores fabricantes a'800i temos TelhQ6.para soe-rs.
ueijos flameros [as mais DOVasp merrcad0 a ,Mf'Al bra-
chegados ueste ultimo vapor a 26oo. jWW^Jflfi
Queijos dos melhores fabricantes^ de todas as mai
chegados do ultimo vapor a 209 cada na. cas de 4(5500 a G|00 a duxia.
C.AHUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis c outros eui
raeias caixinhas a 1^500.
Arroz
do MaranhSo a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 80500 a 3:>0O0 a ar-
roba desses que vendem por-3liOO.
CAF
de I.1 c 2.a sorte do Kio de Janeiro a 8>Sf
e 8(5800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
(Sarr afees
com 4 / carrafas com vinagre a i ^000 jm
o garra fo.
GENEBRA DE LARAXJA
verdadeira a I000 o frasee, e de iitfOOC
a caixa.
DEM
em frasqueras de Hollanda a $800 can
12 frascos.
GENEHA
de Hollanda verdadeira em frnsqucira a Goo
rs. cada tima.
PALITOS
?sji.s verdadeiros palitos do gaz a 2.2oo i groza
e2o rs. cea caixinha.
LKXIHES
Aos de todas as qualidades, a lo.ooi. a caixa
Ncom urna duzia e a !,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fubricantes de Lisboa, como se-'
DE
X. O RIJA 1IO RSI0 X. O
Esqu que volta para a rila do Itnpe atr
provavel que n3o seja bem aceita a ver-iade, quando a boa f de totk^ ao{a
Iludida por esta epidemia de nauzeaiicos annuncios de cmelas, tambores, cora mi-
tras, etc., que lodo o da anchen as paginas deste jornal.
ALiEMTA
Os annunciantes n5o tem em vista senlo garantir ao respeitavel publii
macarrSo, talharim ealeiria a 400 rs. a sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias e nc Ir
assentarem fortunas a forga da regra de liga como otttros annunciantes deste Mam
para ronos
No armazem principal vonde-se a todos pelos precos marcados na seaiunte \
bella, -mas n5o se vende por todo o preeo fazendo-se peso de arroba besnanhola u -
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aqnelle que n5o seja do a*'ib,'!',
comprador.
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lenlilhas muito novas excellenie Jeffum*.
64o rs. a libra. -------
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
luVffi de Lisboa
e de ou-as marcas a 400 rs. a garrafa, e
2A800 a caada.
Ideua do Porto
generosos engarrafado ds taelhor.es fabri-
cantes da cidade do Porto a 13 e 15200
a garrafa o de 10J a 123 a caixa, as mar-
cas sao asseguinles: Coamisso -Filho,
F. d- 3I Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 10 libras -de barha a 43000.
Bolachiuha kgleza
a i-3800 a barrica da mesma que
vendem a MOHO* 2*400.
r*..
.\
ra sopa a 2oo rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra. Licores francezes de todas as aualidad.-
dem de casca mul a 32o' rs. a libra. 7oo e 9oo rs. a garrafa
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Manteiga ingleza perfeilamente flor aUr r
eslampas, a l,2oo e l,5oo rs. a libra, desnessesario mais elr-giLT^:
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs. te genero qne so se pode verificar .x-T-
Idem em frascos grandes a 2,5oo rs. vista,
dem em latas de 1 */* libra a i.ioo rs. dem franeeza a 56o rs. a libra.
Arroz do Marariho e da India o melhor qne: ou jneios a 5oo rs.
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, e Mar-mellada do !." fabricante de I isb.w a -
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
ea bat i
luelj
londrino o mais fresco que so ,pde esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro c i 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode espetar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e l$20Q.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
U a 23600.
Idean perola
especial qualidade a 23700 rs. a libra
dem hjsson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 23000.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480 rs. a libra.
COJTSAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1.8oo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO*
lapidados para agua n 4.5oo e 5,ooo rs. a
duzia, c a 440 e 5oo rs. cada nm.
4,8oo rs. a carrada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9uo r6. a garrafa e lo.ooo
rs. a duzia.
Alfazeraa muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolacbinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra.
dem
rs. a libra, ha latas de I, |/ e 2 libras
Maca de tmate em latas de orna e dw li
bras, a 6oo rs. a libra,
dem para sopa estrellinha, pevide, rodiidia,
etc. a 3,000 rs. a caixa e 56o rs. a libra
Macarrao, talharim e aletria a 4oo rs a li-
bra.
Mostarda franeeza preparada a 4oo rs. o ta-
co.
dem ingloza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafwhas com rlha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a l,ooo
a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
rs.
Nozes muito novas a 16o n. a libra.
Ostras preparadas em latas a Too rs. a U1.
ingleza em latas de 2 c de I libras Presunto para fiambre inglez verdadeira ra-
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. '> rantindo-se a qualidade, a 7f.ors a libra
lata- Passas novas de carnada a 4oo rs. a uta e
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e 6,5oo rs. a caixa.
em barril a 36o rs. Peixe em latas hermticamente fechadas.I
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a; seguintes qoalidades, sabel corvina m-
l.loo rs. a arroba rz, cavallinha e pescada a l,ooo rs.' la-
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo ta.
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e Ooo rs. Palitos para dentes fichadas a leo a o ata.
as mcias garrafas. co de 20 macinhos.
Cbi uxrm o melhor possivela 2,7oors. a li- dem do gaz a 2oors. a duzia. e Moa r.
bra. a groza.
dem perola qualidade especial a 2.7oo rs. Painco muito novo a 16o rs. a libra, e 1..-Vk>
rs. a arroba.
jam Abren e outros muitos a Ooo rs. a
libra.
Frmito
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
AfiROZ
MaranhSo, Java c India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 8,Boo rs. a arroba.
VELAS
de espermaeete de diversas marcas a 500 rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caaos de arroba a !),3oo b
caixa e 34o rs. a libra.
Btalas ooras
em cabs de 2 arrobas a 53 a caixa e 60 r.
a libra.
Paisas amito notas
em quartos e inteiros a 25 o quarto e 63500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
Prntas en calda
thegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dse da casca da geiaba
a 600 e 13 o caixe.
pap a.
atan, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
Ihor.
Papel de botica
Ido excellenie qualidade a 23200 a resma,
PAPI21,
azul c pardo para embrulho de I,4o0 a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podira a 8oo rs. a libra.
Fumo-
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. a libra
Vinagre
PRR em ancorlas de 9 caadas a lo.ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1 ,ooo rs. o molbo.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 43400 a arroba.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro 'principal declaram aos seus
rreguezes e amigos e ao publico em geral, que para acuitar a enmmodidade de todos es-
ttpuiaram os mesraos precos nos seguintes lugares:
liiiiao e Commercio roa do Qneiraarto n. 7
0 Verdadeira Principal ma do Imperador n. 40
. u. MA^AA, nius E UVAS
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do imperador n.
40, Verdadeiro Principa!-Ra do Queimado n. 7, Uniao e Commercio.
jg GRANDE FABRICi DE CALDEIRARIA
H \lili Ao BE MHOS
mt4(4, twio ic.
Rll DO BRUtl ^. 40
GhamaoMm atten^lo de todas as irmanda- -
des e confraras para o que abaixo publicamos.
0ner qc wa k arte que p>xjfesanos e o e^\o m tomos de -Jlll.....Illiay, tara.a, vr rft^w-em nossopa/z Bro2 tSShZ!
ffi 2f ,m'-^,a "andar Kuro,.a M dos ossos socios, "afimS Srtcua?
mentft estndar a raeHvir maneira de bem fundir os inos particular
.^y^? **** as -1'^uld.i.Ies que tibios a superar. 3Bm de podamos conseguir o
nosso dMideratom ; pore.n grabas aosc-srorcos e bons offlc.os de um nosso amigo, o no*,
so soco pode ser admktido em urna das m.lhores fabricas de Lisboa.
Mwto lucraran* fimait,, tem a lli.-r.ir o publico, por que sem receto de sermos con-
tentado*, podemos attlrmar, yte os sinos fabricad, em nosso estabelecimento em ad
so parecen eom esse* almoforues de mo gosUi qtio por ahi se rawm.
Estamo* habilUados a dwdir. sinua oV Mus os tamaitos desde 16 libras at 100 ar-
rohas.com emblemas ornatos, etc., oonfora a vomade ou osto do comprador cuar-
Undo era su fabrico t.3da* as re^as di arte. Pedimoi, porS, en recompensa
tantos sacrificios e despeas a prolccpao do publico. ""i"* ae
Villnca, Irmao A C.
a hnra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2.4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopalhieo 2,ono rs. a libra.
Gerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a du-
zia, e 50o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
1 ,ooo, 1,2oo e 1,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Finta
do de Simas e outros da Babia como se-
jam Regala, Trovadores Gnanabaras. De-
licias o Suspiros, a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo e
i 4,ooo rs. a caixa.
| Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franeeza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho eerva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a Ooo rs. a libra.
Canella a I,ooo rs. a libra.
Copos Anos para agua e vinho a 4.8oo,
5,ooo e 5,5oo rs. a duzia. c 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
c 8.5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,000 a 8..loo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas porluguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l.loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,80o rs., e 660 rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal retinado em potes de vidro a Son r.s. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Naniesa Oo-- r^.
a meia lata, e 4oo rs o quartr!
San muito novo e alvo a 24o rs. a liLr.i
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevadaa loors. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e Soors. a 1,\m
Tijolos para limpar facas a 15o rs. oda uro.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Fi^urirr
manas menos condecidas a 4oo ra ;. ipr-
rafa. ea 2,800 rs. a caada,
dem F.gueira expecialmer te aajcaNkkio 1
lugar a Goors. agarrafa, e 4.5o.. aeat
dem Lavrado. Colares muito fren-o icai
compostc5oa6oors agarrafa,e l,5oo i- a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 eaaarin ar-
ca especial a 22,000 rs. a aaeera.
dem branco uva pura a 56o rs. a gar-^f*
e a 4,.1oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a farra-
lela
dem engarrafados generosos, LaaaaBu Douro, Duque do Porro, D. Lui I, D. Pe-
dro V, Rentar, vell.o secco. Nairazia,
genuino particular de 9ooal,ro rs a pr-
rafa e a 10,000 rs. a caixa com urna utv.,
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a gariafc
ea l.ooo rs. a duzia.
dem Muscalel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas Si.
Julien St. Esteph, chieati la Ro/e.chsfati
Mafgoux e outros a 6,000 rs, a caixa r Mi
rs. a garrafa.
VeThrolrth melhor bebida estomacal a 2.r rs. a garrafa.
Vragre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e I, |aj
rs. a caada.
Vasseuras do Porto com arcos de ferro a a
rs. cada urna.
dem de escr-vas pafa lavar casa a 36o rs.
cada uma.
dem em garrames de 16 garrafas a 4,8oo! Jrtc!meni garrafes com 5 garrafas a l.ooo rs.
rs. com o garrafo.
dem dem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de Iaranja verdadeira a l,ooo rs. o fras-
co, e ll.ooo a fiasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser escllente bebida Sdissa a
l,8oors. a garrafa.
Vellas de espermaceie superiores a 56c rs.
a libia, e sendo ea caixa a Ma rs.
dem rfe carn.iufia re/mada e de crmpo a 36o rs. a libra, e lo,5oo e 11,000 rs. a
arroba.
SP 2 ? < P 9 fe- > O S6 &'I 2
si
o5"
3
5 an -
a
Si3 n =

3S
s. a, s sx 5 q
S .3 g Tg3/
V vt .
>. f 9
n S
11*511 Mu
=n
a*
a aq 9 ^-s t 9 3 I
O ~ i* 3 O B fi O 3. ir-

mi
na
1!
I?
sr
9
a
9
aaa
9
S
i
s
: No armazem de fazendas ba-
ratas de SBtos Coelho,
Hu doQurimddo n. 19,
\en<\c se asezaltr
Attencio II
Ricas iaazl'QHas, fazeada a menor que le ra-
*>> mercan uMft'em (hMo rWM m Oatm.-
M, pelo bartUisiimo pVecjo de 580 rs. (b*fto.
Uitas mia.finbas caritM-aig*, aropriae .ara ***
dos tfe meninas e ramisinha a 6M) o revade.
(^irfeBde 13a com s coVadts, pet Sarafo p<*n,
Caerlas de chita a bnlta a ifW 3*
Lenges de panno de linho a e HU.
I^cas de cambraia de forro com 8 l|l varas a
Toalhas alcoehoadas araprias para nlx>< i|i
safa.
Ricos cortes de la cora barra i Marh Ha a
18#.
Pecas de planillas de algolo eou Ufara;.
proprias para rtia a H.
Algodan entestado com 7 trl palmos de rarjrrt
a 14100 rs. a vara.
Esteira da India, propria para forro de sala d*
4, 5, e 6 palmos > larjtora, por aenes aTeco dt
1 que em otrra qoakjner parte.
I Iferte estabelecimento (ambem se encontrara
1 am grande sorlimento de rwpas fertas, e per fte-
dida.
MUTILADO




Diarlo 4*
hmmm ~ Tere* lelra
%*^Mtteaw
e *a
m PUBLICO
Neni o eaor eonstran-
glmento se eutregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATTENClO
Os precos da segnlnte
tabella para todos, po-
dendo asslin servir de ba-
se para o ajuste de contas |
ron os portadores.
RA J>A CJUMBUk KECIFE W. 53.
i,Logo pas-sanio o arco da Conerieo)
Grande reducco de precos, equivalente a dez por cento menos annunciante.
Collegas.N5o posso por mais tempo sustentar o proco da mahteiga ingleza a l.ooors. a fibra, bem assim o de outros
inultos objectos, ele, dando rom isio ocasiao a todas as espeluncas aeabaivm por bom preco a manteiga de tempero, e gritaran em
alta voz, (jue podem vender pelo preco que en vendo!! I Ora, eu oiTendido com estas obscuiidades e receioso em adoptar o mesmi
systhema que vim encontrar, de s se vender com un por cento a carola, resolv a/er esta giande redcelo de precos, como yero?
pela seguinte tabella, pois como sabis cu pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de infusados Unilo Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oo a l.Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reducco a que
esto obligados, encarando todos os (Jias de mj freguezes reclamagao de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta erdem que 0 seu fim
to smente obler a concorrencia de seus freguezes.
I*ara bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptido e entei-
rwa com que sero tratados, convida a uma vizita ao mesmo, eertos de que sem duvida me darao a prolecgao e preferencia na compra
dos gneros que prev-isarem, e quaado nao pocain vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratias, pois
serio to bero servidos como sertesaent pes*oalmerite, bavendo para com estes toda recommendacao,afimde que nao vo em outra parte.
rs. e em barricasde 4 duzias se faz abati- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
Manteiga- ingleza (safra nova) especialmente
escoibida a 8o rs. a libra, em barril se
fas abamento.
dem franceza a mais nova que tem vndo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
tastos a 5oo rs.
Oa byssou de superior qualidade a 2,6oo rs.
u libra.
Ido.m penda o mai6 superior do mercado a,
2,8oe rs.
dem lmxim.o melhor que se pode desejar
oeste genero 2,Heo rs.
dem preto bomeopalbico porser de superior
qualidade a 2;ooo rs. a libra.
dem hysso, huxira c peroia mais proprio
para negocio o l,6oo, *,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se-ser muvto regu ar, igual
ao que se vende emoulra parte por 2,4oo
e 2,doo rs.
l.sngii'cas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermetiearante lacradas a i.ooo rs.
garante-s serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios. em barris de meia e uma
arroba a 8,ooo rs. e I ,ooo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos ebegados
neste ultimo vapor a ,2oo rs. e do vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores qne tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entet-
ro se faz aBaiimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
I lem do- AFentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabera.
Ei vilhas e lavas porluguezas em latasj pre-
paradas a Gio rs.
aila impe'ial dos mais acreditados fa-
ites de. Lisbon a 6oo rs. a libra,
do reino vindos. de casa particular
a 5(>o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem iiikde/.as para fiambre chegado neste
vapor 72o rs a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo o 5,5oo a
duzia,
rjiocuiate francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 't.ono rs., crarante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro
Peixe em p"sta sovel. corvina, gors. pesca-;
da, sa Imito, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 8oo e l.ooo rs. cavila uma. I
Vinho Bordean* das marcas mais acredita-:
das q te tem vindo ao nosso mercado a
d,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garnte-
se ser de qualida le superior, que outro
qtialquer nao pode vender por este preco. |
Genebra de 11 'llanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Aliona em
bascos grandes a 1 .ooo rs. o frasco, e
11 ,oeo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado de primuir qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,<>oo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a.
arroba.
Arro/. do Maranbilo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito airo egraudo a loo ra. a.
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs-. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpiste a 14o rs. a libra, c 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de f e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e D,ooo rs. a caixa.
dem e lallierim branco a 32o rs. a libra,
estas niassas tornam-se recomendareis as
pessoas doeutes por serem propriarnente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
las com 9 caadas por 45,000 rs.
(laniu.i:
Marmlad
bricajnb
Prcv. tinto
por 2,.joo ; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,3oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinbas de deversos
tamanlios com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, t,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 83o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com uma duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,000 a.
caixa com 2 arrobas
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro cor:
rolba do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingle/.a dos melhores fabricantes
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a i ,poo rs. e H ,ooo a duzia-
Palitos para denles a l4oe Iliors. o mago.
Sal refinado em 'rasco de vidre com rolba do
mesmo a too rs.
I*Aneados* confertadas de 8oors. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a I,ooo
rs, a libra e 8oo rs. sendo em barril.
I* dem fftnewa a 6oors. a libra, 56rs.
sendo em barril.
<.b uxim a 2,7eo rs. a libra, e de a libras
para cima a 2,6oo.
dem peroia a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a'2,7tf>o,
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,< Ceneja branca e preta das marcas mais a-
4oo e3(io rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ouo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e Seo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de I duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho ilo Porto das melhores marcas, que
v-em ao mercado como sejam Lajzrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuinn,
D. LuJz L, Madeira secca, Malvazio lino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9.ooo a
io,ooo rs. ea9ooe I,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinlias de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada uma.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconserveiro de Lis-
boa a Rio rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caka com 2K libras.
Figos de comadre a 24o rs a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
j Amendoas de casca mole a 32o rs a libra,
loo' Bolachinhas d'aeua em sal da fabrica do Reato
A Imanak de lembraneas
LUSO BRASILE1R0
rttl I8C5
pon c t i ii.no
Araban) iIh 'hfsrar rsl-5 |.i lio M8t*<
manxks e vende-s* n* lraria mmm n
do arroSt Sanio Antunio, vi-n-lr->

IsraSm rompletas dos
rol u mes.
m**ino .'.ltt..-.i a! i
*
PKCHlNC
Ra da *adre df iMi
A JjIfOOO.
Sarro f^n barato prec.. >V/pa monriAnadn.
a bordo do palhab.lt! .*-. 7/(/, ftiil~ii'
gar da carn-->"r<'a, Impuis .rt. nimw
superiores em barrilinhos rom Mf* 'i *
compradores qoizerem, e pn-eo rau>i-V
Eufeites para cabwi
Cheuaram os lindo* en/fH*.* d mbmm i:..j
ohoras, .*end muilo siBiplrs ede ihiIu
no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
ESCRAVO
.\a ra do Imperador n 6-", pr .> i
para veoder om bm BfS* deubdV i "
Um
i
Aa e leceiei de sna pn de molhados todos primorosamente escolbidos, por isso apressa-se o proprietario em
"florecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
confeito e especiee
expellir o Vermes
Licores francezes e portngnezes das seguin-
tes marcas creme de viofetas, gerofles, ro-
sa, absino vespeiro, amor perfeito, amen-
dna amarga, pereicot. de Tarn, Boten*m,
morangos, limao, caf-, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a 1 .ooo
rs. a dnzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
qne os melhores que temos tido no mer-
eado. i
Paslslias VermH
DE KBMP.
dem hyssen o mais superior que1 se pdei Passas mnito novas em quartos e inteiros a
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo &
5,5oo a duzia e Wo rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.r
Charutos de todos os fabricantes da Bahiae
mais acreditadas marc.is cmhicidn
nosso mercado a 2.ooo, 2,5 3,5oo e 3.8oo a oaixa de loo cliaruios
Cognac inglez das melhores marets
I,oso rs. a garrafa.
Doce da casca da guiaba em latas de 4
bras por 2,ooo;
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por hfcra a
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco retinada a 4oo rs. a libra (
e 36o rs. em barril.
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cisia
a-',ioo rs.
dem menos- superior a i,4oo ede 9 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3o6j de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 81ibras
cada uma a 2, 3, 3.fino e 4,800 rs. a lata
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2.8oo rs.
dem menos superior a esse que se vendei
por, 2 e 2,4oo, a 4,800 rs. a libra,
dem mais baixobom para negocio a 1,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l.Sooi
rs. a libra.
Vjueijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados-no ultimo vapor a 2,600 rs
dem prato s melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oors. agarrafa.
Biscoiles em latas de 2 libras das seguintes
marcas : sborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, fec-oic, Fance, Macbiue e outras mul-
tas a l,3oo e l,4oo rs.
Fumo americano em chapa a i ,60o rs, a
libra.
Aiaruta de todas as qualidades.
2,ooo> rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
re. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilbas secas muito novas a 1.6o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilbas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal retinado a 48o rs.
Fumo efe cBapa americano a 1,6oo rs. a libra
fzenda especial.
Presunto fiara tiambre inglezes a 7oo e 800
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. I a 85500 cada uma.
Massas para sopa macarro. talhanm aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 800 rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a.
carrafa.
Charutos em grande quautidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a i ,5oo,
2,ooo, 2.5oo, 3,ooo e 4.000 rs. a caixa,
os mais baixos so dos que por ahi se ven
dem a 2,000 e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo c 9,oooi~5"
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra,
dem de segunda qnalidadea 8,2oo rs. a ar-
Os uiiunAS s pedant grtf.-r.. m
ellas sjk de ehuir, nl>"r mt : >' .-
%eie. A oh'giuH;i;v, a sqgs'''''' '
cao-, o iimffensivo das
Pastilhas Verraftigas c I'cr.)
a p\r n.\ m
fomposi^a* exclKsivawent. \: 1 '
sao estas-]K)8 ns snas swlboreii
completas de toda* ns recofnnx <
que se pOfSB fazor c ';iiii justa v:<
collocu DS categora d'un 1 favorito t'i
versal.
A superioridad*.1 Un
Pastilhas de Kemp
sobre todas as pr*para<;t>e- il.
para o niesnio lim derklo A nn.i
ple6 coiupoeieio o sen SHI ayi^drv
vel e rapidez e infallibiiidadr' >
qne alcanca a destrnieio t LOMBRIGAS.
venda uas boticas de Caan '
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo d "... >
da Madre de Dos.
ESCRITOS FUKEi
XJXJ,
\-l
Batahis nvas em caixas de 2 arrobas a 3 a r0Da e 2(j0 rs a iibra.
caixa e (io rs. a libra- ,,.,' Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
, Balachinha de Craknel em latas de o libras
bruto a 4,000 rs.
dito em caixes a 600 rs. \em jngie/.as ein barricas' a mais nova do
mercado a 3,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portnguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
2100 rs. a resma,
Potes com sal retinado a 48o rs. cada um.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grasa.
Toucinhe de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,Roo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs
Cehollas soltas a I,4oo o cento ; ditas em
mol ios com cento e tantas porl,2oors.
Malte encllente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
Da
FUNGI LOW-iGMGOLE
ti o a da Seuulla iioth n. 2.
Neste estabelecimento contina a haver
mil completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
lmannos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em easa de S. P. Johnston & C.
roa da Senzalla Nova n. *2.
Para
V'inbo do Porto superior
dm caitas de uma e duas duzias : tem para ven-
eer Amonio Luiz de Oliveira Azevedu & C, no seo
:'s/ ipturi ra da Cruz n. 1.
1 Fabrica Conceiclo da g
Bahia, s
Andrade & Reg, recehem constante- S
meute etera veudano seu armatem- n. 'jw
34 da ra do Imperador, algodu d'aqael- &|!
la fabrica, proprio para saceos de assu- ^B
car, embalar aiirodao em pluma etc., etc., gK
jMjt pelo preco mais razoavel. M|
wmvmmm mm wmmm
Kua da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston & C^
aellins e silhes inglezes, candieims e casti- .
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, .Lmpreza &Q lllUITllliaQaO
chicotes para carros e montara, arreios para mty
carros de um e doHs cavallos, e relofios de! o"^* M
miro naiHifl inelez ***>" nas de apparethos e rectamafie?
5!---------------------------------- : (pnr escrifrto dando o nonip, morada, data, ele.),
df vem %n teitas 00 armaiem da roa ik> Im|rador
n. 41. Os machimstas mandados para atiender a
Crot estas, apresentaro um livro que os reclamante
Na foja de faz-enras ba-
ratsimas de Duarte
Horges da Silva, ra
da Imperatriz n. o
Vende-seo sejsainle:
PEQAS de panno de linho com 25 varas a 8,
ni p me estreito, mas eWHtwHB para loalhas.
DITO de dito adamascado com 8 palmos de lar-
gara para toaltaas de mesa de jautar a 5-iO0 a
vara.
CASEM1RAS de duas larguras e de uma s cor
muito boas para roupa de meninos e soa*embar-
qnw a 34 o covado.
TOALHAS airoc.hoad;i> muito boas para euebn-
gar o rosto a G a duzia ou 5d0 rs. cada urna.
CAMBRAIA bnnea fina om sainicos miudinhos
a 640 rs. a vara. metade do valor.
OLfADOS de bonitos e elegantes desenhos para
robrir mesas a 15 o novado, para acabar.
LAAZIiNHAS de pan i oes novos e muito agrada-
veis Unto na boa qualidade como no preco de 320
rs. o covado, e finalmente o respeitavet publico
achura coosia(empnte nesa dia k>ja nm ^erlo e
variado sortimento de blendas linas e jirossas a
precos muito razoavei.% pois est rosolvido ganhar
pouco, com tanlo que venda muito, nao menciono
mais azenttasno presente annanrio porque impor-
tarla iffo n'oma despera exiraordioaria cuja des- imperial, e denlro de cada caixa um frasco ou sa-
peza reverter sempre em beneticio dos comprado-' bao o mais fino qno passivef: na toja do Beija
Agua Florida.
restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna timara, facto esen-
cial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. 6* de obstancias raofft-nsivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante qae el-
les tem perdido. D'uma salubridade inconleta-
vel, a Agua Florida entretem a hmpeza da cabeca
deslroe as caspas e impede os cabellos de cabir
Oleo de Florida
Composto de sub.-iancias vegeiaes exticas, elle
constite poderosamente, com a Agua Florida, a
for^a, a M za e a cunse.rvaeao dos .cabellos.
Em Pars, casa de Qmslaur n. 12, ra de Riche-
lieu, e 21, boulevard Montmartre.
Todos os frascos, nao tendn intacto e claro, o
timbre prateado da casa, silo reputados falsos.
Deposito, ra do Imperador, pharmaria n. 38.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios go trazerem n*> braco : s se encentra na luja do Bei-
S-Flor, ra do (Jueiiiiado n. 63 e 69. ttl
xtratos e sat&o em eai-
xinhas
Lindas caixinhas com um carto com a familia
res, pedindo ao publico que nao deixe de 1er todos
s dias este dilo presente annuncio, pois haver
mudanca no- artrgos cima ditos, isto a propor-
Co que se forem acabaado.
A tea Ira q
Vende- se barris cora alratro, na roa da
n. 23, primeiro andar, escriptorio de Antonio de devmo assignar logo depois de prompto o servteo
Almcida Gomes.
reclamado; islo para flne a empreza fiqne cenle
de haverem os mesmos senliores sido devidamente
altendidos.______________________________
Vende-se gomraa de araruta muito nova e
Vende-se potassa em barris a commodo prego o alva a 100 rs. a libra, e em sarco a 35 a arroba :
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriptori: na ra das Cruzes n. 24, esquina da travessa do
de Antonio de Alraeida Gomes. Ouvldor.
P0TSS4
Flor ra do Queimado n. 63 n l
Machinas de vapor epa-
ra descarocar algodfto.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido,. coa-
do e de cobre.
Rodas d'ajsua, dentadas, e
de carrosa com mangas e
eixos de patente.
Ra do Brum n. 38, fimdi-
$io do Bowman.
Dicos frascos com fintas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de i,4oo a
3,ooo o fiasco.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muilos a 12o rs. a
lata de 2 \\i libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas coneitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D Pedro V. nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de ama duzia a lo,ooo e
l.ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a cnida.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
, marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas poaco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
eompoeicSo a 560 a garrafa e 4,ooo re. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a 4,ooo rs. cada uma.
Ricos litros com figos i,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5eo a arroba.
Garrafoes com 4 '/a garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 l% ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garraf5o.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com a apcoreta
dem em pipa puro sem o batisme a 2oo rs.
a garrafa e 1,40o rs. a caada.
Caas cora f duzia d garrafas de vinhs Bor-
deaux fazenda mnito especial a 6,8eo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
a arroba.
dem da ludia muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar- r'e^," ensado.
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo mudo dura ringindo esparmace-
te 3fio rs. a libra,
dem de esparmacete a 5fio rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,000 rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
Idemalmaco pautadoelisoa3.ooors. aresma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,00 rs.
a resma.
dem embrulho de 1,2oo a 1,4oo rs. a resma.
Fngi.1 na larde d dra Id dr jofft f. ;.
escravo panto, rfe imuiip Marr. *. ,
dohiale Sttntn Anmi. vimlo fMnWf, :.
de idade 2* anuos pouro mais ou Wt I
naos si-uniles : altura regular.
pouca bai Pa, cabello rres>o, It v. r
calca de a'pi'ilao.-nil'o ile ri-> : '
peo de palba. leudo Irvado nSHrisi
com mais roupa, a rendido dr un .1 ila> vm I
ipiem o ai'preender queir kM h 1
rna ih> Brum r. 5!t. :
libra a
Ameixas francezas em latas de 1
1,2oo e 800 rs. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs*.
Conservas inglezas a 80O' rs. o frasco.
Mostarda preparada era potes muito nova a
200 rs.
Molhos inglezes a 800 e 1,00o rs. o frasco.
Cravo a 8o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rs a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro mido e>ia* iuiu, anda r.-
HUS it uraliic ras.
A quein capturar o escravo pardo ilr '
berat fuyi-io m 16 de ootnt>ri> Mi '
latura rrgular porm largo di li 1. a
de 20 anu, cor alaranjada. roslo ov.-.l "i m
cas de espinlias e hexigas, fall.i p u......
pequeiio siilaque de gagiuz, fal.'>
denles da frente e a eabefa ^w. hMSa
est com os cabellos principiando a >. ,
logo cima da t.-sia na OSffi "'na < 1 1 1
furtou na occa*io da fugiila nina > -
, quena de dons ranos, um pak-M pw r '
' trrs litas de brim d- cores. ram I 1
uma botoes de coral nos punU Mi r 1
I branca lioeindo brilhanlo na aberiui. .un 1
I de facto, um chapeo de o| de .-la i r '
nm par de botinas, nm MiNM de fcrta I '
de lita branca e um chap de
alm da roupa delle. E-te MM i
Janeiro em 14 S conrnie, onde M
nome de Marcolinu, muilufujo e
do foge inlilnlar-se livre, pertemen a m*f
i Franci>co do Reg Maia dW Apiniro-. r feafi a
' Symphronio Olyinpio de Qaeiruga Boradw a 1
Velha n. 35._____________________________
i:cra tagM.
I Fugio da rui Anror.. a. i, umi(ii>ltq* ri-n-
, lo por n"ine Albino, de idade 'it 17 ann. fri
seguintes signaes : olhus granrfe. autora r-
ter, ISRM gro'sos, rab-ri gramle, rt*m rii.
ps regulares, bem lall .ul OHMl vi*". I* *
caiga le casimira e.-cuva. d** qaz Iriiik*-^ t *m
dous remend* de ontra fazenda no a, j
ta de brim de quailros. anda *m; eiajJit,
visto pela* banda das Cine* Puoias ?nttde ? 4*.-
con -nt
OU tres moleipies: peile-*e as aut>r.'l
a captura do dito moleqoe, ^ne se re.-mrer.-ar^
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o-molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqaeiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafesde 14 garrafas a 5,2oo rs. inrulca-se forra, f>mno bdadeir e
geita aliii/ada em cas* pamniLim
Attenclo a paira.
Fugio a escrava ctobt Joaquina. fVr ir-
la, alta, magra, \m grandes e apaM:-i^-
tem algnns cabellos branros i\w iw p"rn ,.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos mnito novos a32ors. a libra e
10,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 180 rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 8,4oo a arroba.
Peixes em latas a l.ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. eBiato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 800 e l,ooo rs. o
caix5o. 1
O proprietario do grande armazem nio e Commercio declara aos seus fregn6
zea e amigos o ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos eslipulou
oa mesmos presos nos seguintes lugares:
Uniiio e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n 40.
engommar llorante o tempo d- fn*ifrT .; *
nao 6 a primara vez rsie a Ja?. 4Mbri ;-e
de drverms modo, as veies de lm.9 *
! saia pieta e ontras .le vesliilo I halS. er-
contrada mmraslrmenle ja no has r '
Recife. S. Jos e B.a-Vi*i. e nliim r i
foi vista pascar pe rss Asjrnsta s si -
poe-se que est* srirandnesi aigiim i BiftfS
por detrae desta roa : rof-se as aaMIda
den policiaes e Boa-Vista mt mitra qwqoer ne-am fjre
a encontrar apprebendam e aprese* lm <
sen senhor visconde s oa-vtsta t rtu
palacete rea da Aorwa._______________
Pnglo do eneenh' Par* Re da 9 *errr
mm direreao a ata pra^a, am aeraeia s. *+
noilA o oeravo Caetano, eako.de ida.hr tmm -
penco mais ou meo, nao oManie ja ler ;'
cabellos hranco*. punca na aenfionu bwl .
tas grande* e arrebitada, e*tohira *>>. r '
na* flna. p* apalhetadw, anVrcorrertm, r bem cicatrizada de rhime, bhiio bfw e
Ihaco : g' aiiflca >e a que o agarnr e lra I a-
mesnw engenho nn entrera fc ee*ta |.rra ra rV:3
Ifon de Saeta Ritas. 7,aw io. Siqseira for.lt.
MUT


8
Diarto # r*rmwz*me9 Ter^a felra *5 de Ontabro ** f4
LITTERATRA.
THilMLUAIl.
I ilfli
VI
L'M SBItAO \ LU| das estrellas.
(Cunliuuaeo.)
Se a fome (e que fome I ) nao bradasse as
<.'. i: uhas desses monslros esfaimados, teriam ellos
l alo era retirada, lugo que ouviram as primeiras
i. las da nossa aeria msica, os primeiros mo-.j.
i cutos 'ji no>sos replis ; mas o cheiro da carni-
za, e o voluptuoso prazer que os esperava nesse
1- '', quaudo sentssem a carne palpitante mor-
i r-Jhes entre os denles, delinha imperiosa^""',
SSOS Tautalos do deserto, na visinha^a dl5,*an-
(,. i:a orgia, e o inexoravel atmeJ^ue^Ts domi-
r .a lutava com os lerrores^vosg^o,,, 0 ns.
t: t< de conservagao^ff50 ou.:anc|0 avanzar, e
r adeudo aora^ lempo resolver-se a aban-
donar a Pre^^rravam de um lado para outro,
Q*^em todos os sentidos, saltando em tur-
'fes, e inventavam una nova linguagem leoni-
oatroadora. para communicarem-se os seos
pensamentns que Ihes suggeria esse phenomeno
',:si-ouliecido dos seus instinctos e das suas tradi-
(~ ;. Era um concert horrivel, que nos atordoa"
Vt OS ouvidos, um drama infernal, que pareca i
fvmpanhado pelos orgos de dez egrejas. Cousa '
i rvel! o excesso do medo operou em nos urna
i \->. Una idea de nobre orgulho nos reslituiu
0 Sangue fri ; sentiamo-nos soberbos por ver que
1 is nos eseelhxa para assistir a um espectculo'
laudo com todos os monstros do deserto frica-!
io! .
Asthon suspendeti a >ua narraco, elhou para as
estrellas, recolheu-se por um instante, e depois
cn.nuou :
i Nunca me pareceu mais longa urna noutu do
trpico; cada instante volvamos os olhos para
c tioiisonte da aurora, a ver se despontava o pri-
D) i ro raio do sol, nosso libertador : pois esse as-
tro, quando se ergue, obriga a fugircra os animaes
fer ;.os e parece que Ihes lembra o pacto que fize-
i i com Adao, quando o primeiro homem Ihes
isse : t A noule i vossa, o dia met.
a Mungo, Park, aborrecido por estar assim per-
Cuido um lempo to precioso, pegou nos seus ins-
' frumentos de astronoma para fazer algumas ob-
sevaedes. O sibilar do vento, os agudos sons das
f -rpas, os terriveis rugidos dos leoes, davam lu-
gar a que o nosso chefe travasse comigo um pe
(,; no dialogo, e foi entao que elle me pareceu su-
cEst urna noute admiravel, disse-me elle ,
.x!)) do ver a immersao do primeiro satellite do
1 (' .:icta Jpiter.
c Escrevere isso amanhaa real sociedado de
.ondres, se os leoes o permlttirem, respondi eu.
c Enlo elle abriu a sua escrevanlnha, e pz-se
a fazer clculos do logarithmos com perfeita cal-
i.. i. Achei esse espectculo anda mais bello do
<,!> o dos leoes: era a victoria moral do herosmo
.obro a maior Corza bruta que tem existido.
fA>thon. disse-me elle, os sabios enganam-sej
{rindo afflrmam que o Nilo e o Niger sAo o mes- j
' no. O Nilo nasce as montanbas chamadas da I
l.ui, isso para o futuro ha de demonstrarle clara- i
mente, e o N'iger comeca o seu curso em Sankari,
a i trra de Wassela, no 11." gru de latilude nor-
te, e 5.* gru de longitude do nosso observatorio
Ci Grcenwich.
cMungo Park, tornei eu, tu fazes honra ao
homem : que pena ser eu o nico a contemplarte
r.esle momento l
c Elle mostrou-se espantado do meu enthusias-
i.:j, e, por certo, nao ha va a menor alectacao,
nem oraulho nesse espanto.
;-Meu JJeus!- proseguiu elle, esses felpudos
tratantes nao acabam o motim ; nao querem avan-
r nem recuar, e nao me deixam dormir. O que
t. de fazer? 6 preciso oceupar-me em alguma
cusa.
a E lovantou-se, accrescentando :
Vejamos se anda estaoem grande numero e
so nao lia desertores no feroz exerco.
c Polo contrario, havia novos soldados: e de
vi amos contar cora esse reforco de auxiliares, nes-
f
viagem de Mango-Park pelo nome de zona dos
Leoes. Esses aDimaes como que vivem constitui-
dos, desde lempos immemoriaes, em urna repbli-
ca federativa, qne, pelas solld5es de Doulinks0.
bou, de Glosserra, de Serracorro, se ester.deu at
o grande deserto de ledurmh e de I -amarJ^s-
sm dispostos, esses povoados lec,jno.ywitem pres-
tar-se mutuo soccorro em Su toferigo de desa-
propnagao, que a sua-fniejinta previra, e que
pela pnmeira *Jfnaa margens do Niger
depois daj^anj^e Ad5o
* X!^n'c'e?-' 0n,'e o ar to puro, o si-
*' profundo, lie rpida a repercassao de
tquer rumor, ouvia-se o estrepito do nesso con-
cert leonino vinte leguas em redor, e os confede-
rados acudiram de toda a parte. Mas, como os
primeiro?. estacavam todos sorprendidos em pre-
senta dos nossos espantalhos, e o nico auxilio,
que prestavam, era o augmento dos rugidos; s
vezes, novos sons vnham inopinadamente quebrar
a monotona do concert; era urna formdavel
combinacao de qneixas, que partiam de um pensa-
mento commum ; estavam furiosos contra si mes-
mos ; exprobravam-se invencivel cobarda : nao
se julgavam mais dignos da realeza do deserto, e
deploravam a sua decadencia, em um fnebre co-
ro de lamentacoes. Assim choravam e lastima-
vam-se os heroicos romanos, ra?a tambem muito
nervosa, quando Pyrrho, na hatalha de Heraclea,
Ihes veio annuncar um perigo que desconheciam,
urna cavallaria de elephantes. Os hroes torna-
ram-se poltroes, e, para salvar a sua honra, inven-
taran) a denominago de terror pnico ; atlribai-
ram a sua iucrivel pusilanimidade ao pobre do
deus Pan, e dest'arte se rehabilitaran! a seus pro-
prios olhos.
Soprou, de repente, urna forte rajada de ven-
to, como ultima expressao da tempestade ; as cor-
das de rame vibrarara as suas notas as mais es-
tridentes ; as garras do vento arrancaram os pos-
tes, carregaram com as nossas barracas, varreraro
os nossos falsos reptis, e nos fizemos fogo com to-
das as carabinas para juntar um novo echo a esse
horrivel motim composto de todas as vozes deso-
ladoras. Os ledes pularam, como se a trra Ihes
quemas=e as patas; as maes derara o sigoal da
prudencia, e fugiram, arrastando comsgo os fl-
Ihos, um ultimo grito unisono de furiosos ivos
troou em toda a liona inimiga; de improviso, o
exercito desappareceu, e anda por muito tempo
ouvimos os gritos de medo e de desespero, que se
iam extingutndo gradualmente no horisonte do de-
serto.
Agora, disse Mungo-Park com a maior cal-
ma, j podemos dormir para esperar que ama-
nheca.
E estendeu-se na ara, fechoa os olhos, e
adormeceu como urna erianca. Ninguem se ani-
mou a seguir o seu exemplo, e, tanto por medo
como por dedicado, at amanhecer o dia estive-
mos de guarda ao seu somno. >
Acabou-se ? perguntou miss Liza.
Sim, miss, disse Asthon, e podemos fazer
como Mungo-Park, porque tambem tivemos de lu-
tar com leoes durante o dia, e bem precisamos de
repouso.
Dormir f disse Liza com enfado. Oh I nao
eu anda suto arrepios de medo ; teria muito
mus sonhos. Devemos flcar acordados at ama-
nhecer. Que diz, Sr. Trafalgar ? Est ahi to
quieto que parece urna estatua.
Ainda estou ouvindo, disse Toniu.
E esl triste ?
Sim, miss Liza, estou com inveja.
De quem ?
De Mungo-Park. Aquillo que homem I
Nelson nao Ihe chpga aos calcanhares. Foi quem
fez urna cousa til Inglaterra e a todo o mun-
do I.. .Occorre-me urna idea...
Vejamos qual a idea, disseram diversas
vozes.
Escutem, proseguiu Tonm ; Christiano, As-
thon, Henrique, Sommer, nao acham que seria
glorioso fazer alsuma cousa em beneficio de todo
o mundo, no paz novo e desconhecido para onde
vamos ?
Por certo, disseram quatro vozes cheias de
enthusiasmo.
FOLHETIM
O ESQUELETO
POR
CABILLO CASTELLO BRANCO.
Continuaco.
XII "
Este enorme escndalo estrondeou tres semanas,
C raiu voragem silenciosa dos factos consumma
dos. Corridos tres mezes,a fugidica eslava em Lisboa |
c ni a mae ; e Raphael Garco, de volt de Hespa-
oha, entrara as escondidas em Fayoes, e lia ro-
mances no seu gabinete. O coronel, corrido do
veame, pedir transferencia para o Alem-Tejo.
Raphael liaba pae e mae, que ocessanlemenlo
t-reciara ao Eterno o cahx de suas dores era des-
coutos do peccado da nu educaco, qne haviamda-
tj ao lilho. A rae, temerosa do juramento que o
gi-aeral lizera de malar Garco com a espada do
Bussaco, alternava com o marido sentinella ao ti-
T.io para elle no sair de casa. O velhaco, assim
que as alalaias, por noute velha, descuravain a so-
fcrerolda, e resomnavam, sallara da janella s es-
paduas do creado confidente, e ia refrigerar a ca-
fe'jea, exercitar a forca musculosa, o beber as sor-
vos os perfumes da manhaa.
Assim devia presumir-se at madrugada de
un dia em que elle voltou com as costas crivadas
de chumbo, e urna orelha farpada. Exlrairam-lhe
as balinhas, e cicatrsaram-lhe a orelha. Passa-
dos das eutrou n'um recolhimeuto de Villa Real
nina tilha d'um boticario de Fayoes, e entao se
aventou que Raphael Gargo topara no pharma-
Ceulico a forma do seu p, como ledizem.
Martinho Xavor foi Palmeira contar este es-
cndalo snpp.lementar. Nicolau riu-se, disse :
Ha doudos que se fazera perdoar e estimar I
As tolices de Raphael teem graga I
E preciso ouvir-te, para se crer que fallas de
Rphael com to absurda sympathia censurou
M.trtiuho. E jamis ajuotou a rneia voz, na pre-
enca de tua mulher. Isso desautorsa a gravida-
Valha-te Deus, Martinho I redargulu o mor-
jado. Tu veos a ser muito rabugento, homem I
Pareces um anciao com o barbacudo aprumo d'um
patriarcha I E's inexoravel com o- mocos, e prin-
cipalmente com leu sobrinho I Quantas capas df i-
laste tu ficar por maos impdicas, ha vinte annos,
quando te eu conheci o primeiro casquilho de Cha-
ves e sea termo f
Nao pratiquei desaforos 1 atalhon Marti-
nho.
Gracas loa boa iodoie, e ao captiveiro do
coraco em qne le leve seis annos a mlnba bella
prima com quem casaste. E' preciso perdoar aos
rapazes, que nao podem reconstruir o seu tempe-
ramento, nem remediar aos vinte e tres annos os
vicios da educaco. Raphael nao dKpresivel,
qnanto se te afigura ; digno de d. Vem a pa-
gar o qne eu nao se bem se culpa d'elle. O*
doudos da hitla de Raphael tem sempre o man ses-
tro de encontrarem doudos da mesraa natnresa.
Compre ponderar esta notavel attonnantn, primo
Xavier. O mundo nao faz d'isto cabedal, nm des-
coma. Se Raphael attentasse em mulheres mori-
eeradas, nao descobria a esposa do coronel, nem a
filha do boticario.
Foram seduzidas I bradou Martinho.
Pois isso claro I Toda a mulher precisa
qne a seduzam ; e, se a nao seduzem, trata ella de
seduzir-se a si mesma.
Re&ra geral, portanto I
Regra geral para as mulheres desviadas do
caminho da honra.
E entendes que Raphael to smente pode
perder as desviadas I
Cuido que sim.
E as honradas 5o invnlneravpis T
C'imo o calcanhar no here de Homero.
Ests gracejando.... Chega-me aqui o ou-
vido.
Nicolau inclinou-lhe a orelha, e Martinho se-
gredou :
A Margarida Froment eslava desviada do ca-
minho da honra quando a perdeste ?
Nicolau retraiu de salto a cabera, e nao res-
pon leu.
Reatriz fez-se de mil cores, suspeitando lenca-
mente urna revelacao horrivel.
Cessou a polmica.
Eslavam no mez de jnnho.
Reatriz lemhrou um passeio feira annual de
Santo Antonio Villa Real. Martinho Xavier acom-
panhou-os.
Nicolau e a mulher compravam objectos de ouro
n'uma barraca. Raphael Garco passava, viu-os,
e parou. Casualmente voltou a face Reatriz, e ex-
pedu um grito. Vira-o, e tremer no braco do
marido. O morgado olhou em roda de si, e per-
guntara :
Que foi ?
Pisaram-me... disse B atriz.
Canalha t bradou rancorosaraente o morga-
do no rosto das pessoas mais chegadas ao balco
doourives.
Passaram outras barracas.
Espera I disse com alvoroco Nicolao. Queres
tu ver o primo Raphael ? I
Onde ? perguntou ella serenamente.
Alm aquello sujeito de jaqneta de alama-
res, e botas Frederico.
Parece-me que .
Tu s Ing's( tfl?$e Tonio, to, Dinamar juez,
to, Allemaf;, e eu^a Frencez; o passo que as
nossa; nacoes-sto em guerra, querem que viva-
Sos en>pz, nos quatro ?
Queremos, responderam as mesraas vozes.
Querem imitar Mungo-Park, que se bate com
as feras e dexa viver os homens?..... Querem ;
pois bem, meus amigos. Nao nos separemos mais ;
tenho feito o meu plano. Verlo, quando fdr
lempo.
Miss Liza esta va arrependida de ter cedido a urna
cunosidade pueril, quando pediu a historia de leoes;
o bello marinheiro francez pareca nao se importar
mais com ella, nao pensava senio em Mungo-Park
e seus olhos vagando pelo espaco como que procu-
ravam una outra frica no continente da Aus-
tralia.
Nesse momento, os marnheiros, por ordem do
capilo, eslendiam esleirs no convs, em baixo de
um grande toldo. Os camarotes eram inhabitaveis
por causa do calor. A noule nao eslava fra, e
convidava ao somno em toda a extenso do
convez.
Sim, disse Liza, nao nos separaremos mais,
como disse o Sr. Trafalgar, e passaremos a noute
aqu; mas esperaremos o dia para dormir, por
causa dos leoes.... o Sr. Albertus Sommer nos
cantar oque quizer a msica e o canto
deleitam-me, a bordo de um navio, em urna noute
dos trpicos.
E, cobrindo-se com urna capa, estendeu-se em
una esleir, fazendo travesseiro de um rolo de ve-
las bastante duro.
Miss Liza, disse Albertus, o que quer que eu
cante ?
O que quizor, j disse; o assumpto -me in-
difireme.
Entao, vou cantar um hymno, composto por
mim em honra do nosso astrnomo Marcos Wall,
que esl estabelecido no observatorio do Cabo
da Boa Esperanca, onde Ihe apertei a mo ha pou-
cos dias.
Nao Ihe ped conversa, pedi-lhe que cantasse
disse miss Liza.
A joven irlandeza recuperava o carcter vivo e
jovial das suas compatriotas, e seu irmo Henrique
readqurindo o vigor e energa sebre o cu do tro-
pico, readquirira tambem, cerno em breve se ver,
a natural alegra dos futios da verde Erin. Foi urna
dupla transformacao.
.' um prazer obedecer-lhe, disse Alberto.
Pegou entao no instrumento e levou muito tempo
a afina-lo.
Felizmente nao ba leoes por aqui porto, ob-
servoif Heui ique.
Albertus todo absorto, na sua oceupaco, nao
ouvio essa observaco, e, depois de um longo pre-
ludio, hbilmente arraojado, comecou. Eis aqui a
tradueco:
A IIARCUS WALL.
Quando a noute nao tem nuvens,
Teu grande orgulho se offende
Se, para o cu, que de estrellas,
Zimborlo immenso se estende.
Tem prazer, modesto astrlogo,
Que ten peitoDens-comprehender
Nao te distingue o infinito,
Mas t ovess bemdito.
{Conlinuar-se-ha.)
DI POLCO DE Tl'D.
L-se na Estrella do Norte, o que segae :
A ESPADA DE PAO.
Frederico.'rei da Frussia, que foi to grande por
seu genio militar, quanto o foi pouco por suas vir-
tudes, linha o bom costume de querer conhecer
por si mesmo quantas cousas poda; aconteca por
tanto ir mulas vezes dsfareado aos logares pbli-
cos mais frequentados, e mesmo s tabernas, para
ver o que dziam delle e de seu goveroo. N'uma
destas excurses viu casualmente no fundo de
urna taberna um soldado que jogava con um ve-
Iho negociante judeu; devia s-lo, ao menos assim
pareca pela tonga barba, barrete de exlranha
forma e, sobre tudo, pelos olhinhos amarellos que
brilhavam debaixo de largas lunetas.
Frederico conheceu em breve que o pobre solda-
do poucos jogos tinha de ganho eontra um to
emivel adversario. Com effeito elle perdeu n'um
anee d'olhos o dinheiro, a bol^a, a carleira, o len-
co mesmo, em fim, tudo o poda perder; e ia j
evantar-se trlstonho com nm cantarada que o
acompaohava, quando o velho juden o agarrnu
pelo braco, dizendo-lhe.
Tendes era casa una espada de escolente
lago; se quizerdes, eu vo-la jogo contra tudo o que
p erdestes.
A' esta proposla, Frederico, que' tudo escutava e
via, franziu a sobrancelha; mas elle a franziu
muito mais ainda quando viu o soldado, depois de
um momento de hesitaco, acceitar a offerta do
negocame.
Mas se perderes, desgranado, Ihe disse o ca-
raarada, te expors urna terrivel antelo I Como
faras a revista que o rei de ve passar dentro de tres
das?
tssa boa I disse elle; ninguem ha de sa-
be-lo; se eu perder a lamina da minha espada,
acommodarei urna outra-de-po ao cabo, ninguem
conhecera atravez da bamba, e o propno rei se
deixar lograr.
O rei nada disse, mas sorriu-se; fomou nota em
silencio do regiment, do batalho, do numero da
matricula do soldado, e observou-o por muito
lempo para bem imprimir na memoria suas
I feices.
Nem de proposito, o desgranado perdeu esta
; partida como tinha perdido todas as outras. Tirou
' pois a lamina de sua espada, deu-a suspirando ao
. velho judeu, disse-lhe que Iria resgatala tanto que
tivesse dinheiro, e partiu jurando que nunca mais
em quanto titease havia de jogar.
No dia seguinte demanhaa, grande rumor ha no
|regiment; revista aonunciada para o fim da se-
mana ia ter lugar no mesmo dia, por ordem do
rei. Felizmente o nosso soldado j tinha na tarde
antecedente adaptado em sua espada a famosa la-
mina de pao. Ao meio dia todo mundo est arma,
do; o nosso jogador se pz prudentemente na ulti-
ma ileira. Frederico chega; mostra um ar des-
contente, ralba e pune todos.
O uniforme deste regiment deploravel,
exclama elle; preciso que eu d um exemplo
errivel.
Entao manda sabir das fileiras um soldado, cujo
uniforme nao eslava perfeitamente em regra, e
laucando como por acaso os olhos sobre o pobre
jogador, accena-lhe com a mo, dizeudo-lhe :
Approxima-te.
Elle sae das fileiras sem saber para que Ihe
quer o re.
Teu camarada corametteu urna falta, prose-
gue Frederico; convm que isto se acabe; quero
dar nelle um exemplo : desembainha tua espada e
corta-lhc j e j a cabeca.
Formae urna idea da estupefaccao e do espanto
do desgranado soldado esta ordem inespera-
da : puxar uraa espada de pao diante do rei e do
regiment? Elle nao poder resistir vergo-
nha I Empallidece, sua, sente-se perdido!
Pensaes nisto, senhor ? exclama elle balbu-
ciando I Ordenarme que corte a cabeca meu
camarada por to pouca cousa I Vossa magestade
esti gracejando.
Nao, nao estou gracejando, responde o re1
com urna voz que affecta tornar-so terrivel, e a
prova que se nao executares j a mlnha ordem,
t mesmo tomars o lugar do teu camarada. Quan-
do eu mando, quero ser obedecido immediata-
mente.
O pobre Jogador, vendo frustrada sua ultima
esperanca, julga chegada sua ultima hora; pensa
em lancar-se de jolhos e confessar ao rei sua fal-
la implorando-lhe ao mesmo tempo o perdo,
() nilo de repente Ihesobrevem urna inspirado do
cu, levanta os bracos e exclama :
;Meu Deus I vedes que o rei me ordena, por
jSo lVe falta, tirar a vida meu pobre camarada,
sob pena de eu mesmo ser degollado se nao exe-
cutar suas ordens; nao permittaes que eu seja o
instrumento de semelhante delicio: e para que
nao possa elle effectuar-se, eu vos supplico, meu
Deus, que transformis neste mesmo Instante a
minha espada n'uma espada do pao t
Entao desembainha a espada, e mostrando-a ao
rei, exclama:
Vede, senbor! o mt smo cu se oppoe exe-
cuco de vossas ordens I elle attendeu minha sup-
plica, e mudon a lamina da minha espada em nma
lamina de pao I
Frederico nao pode suster o riso, e perdoou ao
soldado pela sua presenta de espirito. O nosso
homem ficou pois tranquillisado, mas fez muttas
juras que pela segunda vez nao cahira mais
n'outra, e jamis em sua vida havia de jogar.
Urna moral bem longa haveria a deduzir-se
d'aqui: isto a paxo do jogo, como todas as
outras, fatal, e nos leva mutas vezes deshon-
ra; porque um soldado que joga e perde tambem
sua honra, ainda mesmo que sua falta ficasse igno-
rada e impune: pois acontece com o jogo o mesmo
que cora a bebida :depois de comec/irmos a nos
entregar estas paixoes terriveis, difflcil resistir
a seus funestos progressos I

herosmo de um menino
Eis um facto sublime acontecido durante urna
das recentes perseguicoes que os pagaos fizeram os
enlistaos soffrer na Conchinchina:
Os mandarras acabavam de largar fogo na cda'
de chrislaa de Agoc-duong: seus soldados em nu-
mero de cinco mil se preciptavam nesta cidade
abrazada; o povo, mulheres e meninos persegui-
dos pelo incendio e pelo ferro, fugiam de todas as
partes lancando gritos lamentaveis; muitos destes
desgranados peroceram queimados, mortos ou
afogados.
Alm dos que assim morreram, quatrocentos
chrislaos foram presos, d'entre os quaes muitos
foram inmediatamente degollados, outros reserva-
dos para o supplicio e martyrio.
Entre estes ltimos se achava um pequeo me-
nino, cujo pae acabava de ser degollado, Nunca
os ira ilarins r.pesar de tantas anteabas e supplicas,
poderam decid i-lo a calcar a cruz aos ps.
Eu perd meu pae deste mundo, Ihes diza
elle, nao tenho mais seno Jess, o senhor do cu,
para proteger-me, e vos queris que o abandone I
Eu nao temo a morte : malae-me, estou afilelo
em ir para onde est o meu Senhor Jesns.
Nao te queremos matar, responderam os jui-
zes, te daremos smente uns acoutes at que tu
andes por citno da cruz.
Pois bem I t'erime quanlo vos agradar ;
quando estiverdes fatigados, seris bem obrigades
a decancar ; enlo eu recobrarei minhas torgas.
E o menino emfim foi morto.
Qne bella Itcao d este joven martyr tantos
chnstos tibios e (reos, que estao com todo o vigor
da edade e da juventude II...

T11E.ME.NH0S TOBOS DE DEUS.
Balthazar, o impo, achaudo-se em um lauto fes-
tim no meio de suas concubinas, proferiu as mais
i horriveis blasphemias rotura o Omnipetente, ac-
| bando por profanar os vasos sagrados do templo,
e considerando esse dia de to horrivel alternado
como o mais feliz de sua vida !
Mas, l traca na parede a mao terrivel de Deus,
a sentenca fatal, que o deve confundir, e traca nos
segulntes termos : Mane, Thecet, Phares, contei,
passei, divid : CauU teus dias, e cheio seu al-
gansmo : pesei a< mas accoes, e ellas te condem-
nam; divid teu reino, e entrego-o teus inimigos.
narcha, que se effectuou na mesraa noute do at-
tentado : Ralthazar expira, mas expira reprobo co-
mo vivera.

RF.GRESSO DEl'S
Um grande principe, achando-se gravemente en-
I fermo, comecou a desconfiar da Divina Providen-
cia. Depois de al-; urnas exhortafoes dirigidas pe-
lo sacerdote que o assistia, exclamou :
Nao, jamis conseguire salvar-me, sou con-
demnado.
I
Enlo o ministro de Jess fez todo o possivel pa-
; ra tranquilliza-lo. Empregou exhortacoes, lagri-
! mas e supplicas ; mas nada pode acalmar o espl-
j rito desse principe assustado. Emfim, Deus que
| quera salvar-llie a alma, verteu nos labios de seu
ministro estas consoladoras palavras de David :
Domine, propitiaberis peccato meo, multum est
enim.
Principe, disse o padre ao moribundo, escuta
o propheta penitente, tu s peccador qual elle foi,
dlze pois agora sinceramente como elle disse outr'
Vamos l.
k se o pae est por ahi ?
Que importa ?
I! in sabes que nos faz um sermo.
Ouviremos o sermo com devola paciencia.
Vamos ouvir este sublime doudo... Elle olha para
nos ... reconhece-nos....
E chamou-o com um aceno.
Raphael avisinliou-se : faltava-ihe ar, como se
o coragao, dilatado pelos arquejos, Ihe tomasse todo
peito.
Venha c, D. Joao, venha c I disse com
alegre sombra Nicolauque feito de si, homem
perdido ?
Raphael corlejou grave e ceremoniosamente a pri-
ma ; ahracou o morgado. e respondeu solemne :
Homem perdido, o nome que justamente me
frisa. Perdido como todos os homens que atiraram
o coraco s sarcas da desesperanza. m
Que estylo I atalhou Nicolau, e que meren-
corio gesto voss est fazendo Tire l essa mas-
cara dos quarenta annos, e seja rapaz emquanto
seu to Martinho n3o apparece por ahi.
Est c meu to ?
Esta, respondeu Reatriz, levantando do chao
os olhos em que Raphael viu um vidrado de la-
grimas.
O primo Raphael que faz aqui ? perguntou o
morgado.
Nem eu sei, sinceramente Ih'o digo.
Sei cu, e bom... que o boticario de FaySes
o nao saiba...
O mogo nao abriu leve sorriso : abaixou os olhos,
e muruiurou :
Seja generoso, primo Nicolau. Eu nao espe-
rava da sua mo a esponja do fel. Crea que tenho
sido muito desgranado, e perdoe-me nao ter podido
ser feliz.
Apertou a mao da prima, abracou ligeramente
o morgado, e afasiou-se velozmente.
Nicolau quedou-se immovel e silencioso.
Dahi a segundos, disse Daatriz :
Creio que teu primo sinceramente desgra-
nado I
Parece... Como est magro e paludo I
E talvez nao tenha um amigo I um ami-
go sujeero, que o defenda de novos precipicios ?
Quem me dera poder vellar o destino deste rapaz I
Pobre moco I... murmurou Reatriz, embe-
bendo as lagrimas nu lenco.
Nao te fflijas assim, menina. Se eu nao Ihe
nao fallar, hei de escrever-lhe. Est em excellente
edade para rehaver os crditos perdidos; e depois,
rico; a riqueza meta rehabilitacao, quando nao
rehabllitacJo, inteira e mais mrtade.
Caminhaodo, encontraran) Martinho Xavier, que
crescia para elles cum a vista derramada, e ama-
relio.
Que tens ? perguntou Nicolau.
Nada... responden Xavier, ferindo a filha
com repetidos olhares penetrativos.
Que tens, homem ? viste o monstro ?
Que monstro ?
O Raphael, o Tigre, o baseliscoco ? pergun-
tou o morgado, sorrindo.
Vi... e tu tambem ?
Esteve ainda agora comnosco. Eu quera que
tu o ouvisses...
Para que ?
Est revirado. Falla como um S. Joo, que
vem do deserto ao povoado pregar o agite pemten-
tiam !
Confessou os desvarios que o infelictaram, e fu-
giu de nos sem nos dar tempo a consota-lo.
Faltava-lhe a bypocresia I atalhou Martinho.
Cerrou a meda agora, nao tem duvida. O fecho
da abobada a hypocnsia !
Que inexoravel e cru homem tu s, primo !
Sou, sou flagello inquebrantavel de infames
bradou Martinho com espanto dos transentes.
Esl bom... disse brandamente Beatriz. Nao
queslionem... Meu pae, perdoe a quern infeliz,
e despreze-o. Vamos embora daqni... As minhas
compras esto feitas. Vamos para Palmeira, Ni-
colau.
Pois nao has de ir noute ao theatro, filha ?
Nao... se rae amas, partamos j.
Emquanto Beatriz se vesta de amasona para ca-
valgar, Nicolau disse ao sogro :
Sintn, meu primo o amigo, sinto amargamen-
te a necessidade de te dizer que me fazes soffrer
mais do que pode a minha paeiencia por causa de
teusohrinho. Para raim e para tua filha extrema
a satisfago e honra que nos das com a tua convi-
vencia ; mas tambem certo que nos amarguras
com a excessiva ratervenco de tua vontade em
nossas accoes e amizade. Eu comprehendo bem
que aborrecas teu sobrinho; porm, confesso-me
insuBlcieiite para avahar o direito com que tens
embarazado que eu o receba em minha casa, e Ihe
prove que o eslimo por gratido parentesco. Pe-
co-te encarecidamente que absolvas e^tas reflexoes,
e por tua parte modifiques esse irrefiVetido zelo de
minha casa, onde eu nao receio que entreo ho-
mens de costumes sollos, porque sei eu castiga-los,
quando elles se esquecerera do que devem sua
dignidade e minha.
Martinho Xavier lancara-se sobre urna cadeira,
e esrondera o rosto entre as mos, soltando estas
gementas palavras :
mm Meu Deus, meu Deus I
Que tens tu ? perguntou" Nicoln commo-
vido,
ora
Senhor, tu doer-te-has de mim, porque
meus peccados sao grandes, e eis o motivo que te
decidir a perdoarm'os. >
Ao ouvir estas palavras, o principe, como se vol-
vesse de um lethargo. paron um instante, e depois
exhalando do intimo do peito um profundissimo
suspiro, exclamou :
Ah meu padre, essas palavras foram por
certo pronunciadas para mim Sim, meus Dos.
tu condoer-te-has de mim, pois meus peccados sao
graves, e eis urna cousa de ti bem digna porque
tanto maiores forera elles, mais faro sobresahir
tua divina misericurda, admirar tua omnipotencia
e triumphar tua graja.
Entao confiado na bondade divina, e conflicto
de suas culpas, recebe os sacramentos com gran-
des seotmentos do piedade, e oftVrece alegre o sa-
crificio de sua vida empunhando urna bella i ma-
go m do Senhor Crucificado.

SENTIMENTOS DK I'ENITI SCIA.
Encontrn S. Vicente Parrar, durante o curso
de suas missoes apostlicas, um grande peccador
que vivera engolfado, al enlo, em lodas as or-
les de crimes, desordens e excessos.
Compadecido o santo de fia deploravel estado,
exhortou-o urna e muitas vezes, que rnidasse na
salvaran de sua alma, e volvesse Dos. Para
esse fim instruiu o e empregou todo o cuidado a
ronverie-Io.
A divina graca bafejou-lhe tanto zelo, que o pec-
cador apresenlou-se ao santo tribunal da peniten-
cia ; e compunsiu-se tan sinceramente le haver
commettido taes colpas, que recebendo a absotvi-
cao, expirou instantneamente aos p* do santo,
que de sua parte desfazia-se em lagrimas visla
de to verdadeira e edificante converso.
A Tribuna de Bnenos-Ayres d a seguinte noti-
cia, que revela a importancia commercial daqoel-
la praca :
Actualmente acham-se fondeados no nosso por-
tos seguintes navios de longo curso :
Inglezes......... 18
Americanos..... 8
Francezes^....... 11
Hespanhoes...... 16
Italianos,......... 10
Dinamarquezes... 6
Hannoveriaoo... 9
Hamburguezes... 4
Brasileiros....... 3
liremeu.-es........ 5
Prussiano......... 1
Hollaodez........ 8
Suecos.......... i
Norueguenses I
Oldemburguezes.. 1
Mecklemburguez. 1
Argentinos....... 4
Total..... 110
Os de cabotagem sbem 600.
Um amigo que tivemos o infortunio de perder
entra va na convalesceoca de urna doenca aguda :
Eis a sentenca fulminada contra esse impio mo-re>tend0 al8um ""J* ro*ava ao med,co P1 lhe
Beatriz entrou na sala, e viu o pae enchungando
as lagrimas, e o marido inclinado face delle.
Que. e ? disse ella agitada.
Nao sei...
Vao, e adeus I murmurou martinho, erguen-
do-se cora energa.
Reas era Villa-Real ?
fita : tenho ahi uns cavallos em ajuste. S
poderi ir amanhaa eu depois.
Queres quo esperemos, Beatriz ? perguntou
Nicolao.
Esperemos... respondeu ella desopprimida
da abafaco do susto.
Nao, que eu vou direito a Chaves, contrariou
Martinho Xavier.
E quando vollas Palmeira ?
Quando poder.
Sahiu adianto delles, aportando convulsivamente
a mo da tillia, quando se ella inclidou a beijara
delle.
E' myslerioso teu pae I... ponderou Nicc lu.
Puis que te disse ?
Ouviu-me urnas observacoes duras de se oo-
vlrem, e cborou, como viste... E, nao pode dei-
xar de ser o quo eu ja suppuz... Teu pae ludi-
brio de alguma intriga a teu respeito.
Intriga?
Sim... Levaram-no a urna terrivel suspei-
ta... de t e Raphael. Faz mal em se nao declarar.
A injuria reflecte-se em mim. Eu quera mostrar-
Ihe a elle, ainda mais que ao mundo, a tua inno-
cencia.
Pois alguem me considera culpada ? atalhou
extremamente resentida Beatriz.
Nao digo tanto; mas susceptivel da culpa.....
Quem ?......Eu mereco isto 1.....Pois tu po-
des presumir ....
Se eu podesse presumir, nao t'o diria, minha
querida prima. Esperava .. Faciltava-te as oc-
casioes e, quando t'o dissesse, a tua bocea nao
podena defender-se. Comprehendeste-me bem
O ar com que me estas fallando, Nicoln...
E' a primeira vez que reparas neste ar. Deus
permittira que seja a ultiuia.
Desconlias da miuba lealdade, Nicolau ?
J respond, Beatriz. Nao desconfo. A tua
agona de morte cumecaria desde a desconfianza.
Reposlos na bonanco.-a vida de Palmeira, ataram
o fio quebrado das serenas alegras, que irradia-
vam volla do berco da crianeinha. Bonanzosa
vida, escrevi eu, purque os exteriores condiziam
com a pali vra ; todava no recesso d'alraa de Bea-
triz eslava n spide roedor, que Ihe torvav os so-
nhos de infernaes alegras, ou hrridas visualida-
des. Abra os olhos inolhados de culposas lagri-
mas, e seccava a ao hafejo do filhloho. Seguiam-1
se no dia as ntermittencias da noute. Urna hora
relampagueava-lhe a esperanza urna luz vividl*st-
permittisse comer alguma consa.
Pois sim, disse o doutor, pode comezar a lo-
mar alguma comida ligeira.
Mudo obrigado, estou to raco f...
Bem sei, mas olbe nao faza alguma asnetra .
nao coma seno alguma cousa leve, muito ligeira.
V descansado.
O enfermo, tomando letra a prcscr>co do
asedico, comeu logo naquelle da urna I Ir, por
ser animal iigeiro, e com a ligeireza se fcS para o
outro mundo.
Resulta do ultimo reeenceament feito na Rus-
sia (18581859) que o numero total dos servo dos
dous sexos era de 2:1,069,631; os propnetarios rtn-
deiros possuiam 22,28V877 e os outros fazia par-
le de bens pertencentes ao estado.
A populazo lis-re e escrava do imperio NBM
era de 67,031,166 habitantes ; portanto os servos
eslavam na proporzo de 30 por cento, os livres e
libertos, na proporeao de 63 por cento.
ma, ao claro da qual dmsava a irnagern de Ra-
phael. Outra hora, senta atravez do seio urna vi-
brarao glacial, como se a larga lamina de um ferro
lhe abriste bullioes de sangue : u'esta tafia iufaa-
da era a imagem do marido que lhe avullava des-
composta pela verligem do odio. Refugiava-sc
ainda sob a tgide do anjo, a crianeinha que incli-
nava o rosto a face del a, e balbueiava a primeira
syllaba das suas reminiscencias do cu.
Martinho Xavier l eslava em Chaves. Decor-
reratn dous mezes, e elle nao vullou Palmeira-
Foram visita-lo,e levar-lhe o neto e alilrudo. Acha-
ram-no quebrantado com o peso de mais dez an-
nos. Encaueceram-lhe os cabellos, arrugaram-se-
Ihe as faces, amortizou-se a luz dos olhos, arados
pela bafagem ardenle, que nao tinha respiradero.
Para elle a perdieo da filha era urna anathema
ndeclinavel. Entrou-se do c< nvenrimento de ser
ella o instrumento providencial do castigo de Ai-
cnlu de Mesquita A deshonra de Ernesto Pro
ment havfa de ser vngada. A sua amada Beatriz'
a innocente das perversidades do marido, obede-
ca ao sobrehumano impulso da indefectivel jusli-
i.m. Minguava-lhe iliustrarao para combaier 0
prejuizo. Accusava de inju.-la a Providencia quan-
do lhe genuflectia, e sub-punha a cabeza de sua fi-
lha a urna absurda fulminazo.
' A' forza de apprehender n'islo, desc7denou-se-
lhe a intellgencia por uns paradoxos rb fatalismo,
que implicavam a religiosidade do sea raracter.
Encarava de filo na filha e chorava. ArTagava
neto e perguntava-lhe :
Entendes tu a minha dr, anje do cu 1
Descahia um severo olhar sobre Nicolau, e di-
zia-lhe :
Nao devias casar nunea, sem saldar contas
com a Providencia
O marido de Beatriz snspeitou da serirdarle in-
lellectual do sogro. Era para isso. Quiz arran-
ca-lo da solido do seu quarl, e traz-lo para Pal-
meira. Fui invencivel a resistencia moda do pre-
coce velho, que apenas contava quarenta e <>ito an-
nos. Quiz Beatriz ficar em Chaves, e o pao rtjri-
tou o alviire, como desoecessario sua vida oo i
sua morte.
Voltaram Palmeira.
Parece que Ihes soavam n'alma de ambos as me-
donhas alvoradas de um dia de infinita calamida-
de. O cu era o mesmo, a crianeinha brinrava
entre elles com as flores invernizas ; ao passo que
os paes, sem se revelaren, olhavam sobre o meni-
no com os olhos lagrimosos.
Por que chufamos nos ? perguntav Ni-
colau.
fTon/iirtMr-w-ao.)
PERNAMBUCO. -TYP. de M. F. de P. & FILHO.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5MXF9GVT_9V986F INGEST_TIME 2013-08-28T03:41:13Z PACKAGE AA00011611_10501
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES