Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10499


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO II. HOMERO 243.
Por ires Mezes ad i otados 58O00
Pop tres mezes vencidos 60
Porte ao correio por tres mezes. 750
ENCARREGADOS 1>A JUBaUPQAO NO NORiE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, a Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty.o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.; A-
mazonos, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRPCAO NO SL
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Das; Bahia, o
rr. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
xicra Martins A Gasparino.
partida do esTai-tas.
Oiinda, Cabo e Escada todos os das.
Iguarassu', Goyannae Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Carnar,
Aitinho e Garanbuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Naxareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ooricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, RioFormoso, Tamandar, l'na, Barra-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Iiha de Fernando todas as vezes que para ali sanir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE ODTBRO.
8 Quarto cresc. a i h., 17 m. e 30 s. da t
1 5 La cheia as 4 h., 55 m. e 38 s. da ni.
22 Quarto ming. as 8 b., 59 m. e 48 s. da ni.
30 La nova a 1 h., 8 ni. e 26 s. da t.
PRBAMAR DB HOJE.
Primeira as 8 horas e 30 minutos da manba.
Segunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
SABBADO 22 DE 0DTUBR9 DE 1834.
Por asno adiaatado.....19)000
Porte ao coerci por am aooo. 3$900
rtR.it;>. Os VA.ORa LOStkiROj.
Para o sul at Aiagoas a 5 e 25; ,>r-' o norte at
a Granja a 7 e 22 de cada me;; para Fernando nos
dias 14dosmezes dejan. niarc.,maio.jul. set. e nov.
PaRIIUA- DOa OMNJJUS.
Para o Recife: do Apipucos as 6/,, 7, 7 >/,, 8 e
8 Vj a, m.; de O'.iuda s 8 da in. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 Vi da m.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos s 3 V, 4,4 V. 4 Vi,
5. 8'/,, 5 i/ e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
manha e 4 Vt da tarde; para Jaboatao s 4 da
tarde para Cachang e Varzea s 4 Vt da tarde;
para Bemfica s 4 da tarde.
aUD:ENC a DOS TRIBNAES DA CP?AL
Tribunal do commercio: segund&s 9 quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 16 horas.
Fazenda: quintas s 10 oras.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tarjas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
DAS DA SSMNA.
17. Segunda. S. Florentino b.: S. Muriato m.
18. Terca. S. Lucas evangelista; S. Trifona m.
19. Quarta. S. Pedro da Alcntara f. p. do imp
20. Quinta. S. Joo Cauri; S. Crapazio m.
21. Sexta. S. rsula e >uas romp. vv. mm.
22. Sabbado. S. Ladislao f.: S. Ileraclio m.
23. Domingo. S. Joo de Capislraoo f.
ASdi.NA-S8
no Recife, em a livraria da praca da IsiencalsB-
ca ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroi
de Faria k Pilno.
'?--

/
OWMO Di PROVINCIA.
Contiuuaeo do expediente do dia 18 de oniubro de
1801.
(inicio ao commandante superior de Oiinda e
Iguarassu.Inteirado pelo seu officio de lo de se-
tembro ultimo, nomeado o major Joo Baptista da
Silva Manguinho, para substituir interinamente o
chefe de estado maior da guarda nacional sob sea
ominando superior, que se acha doente, exijo que
informe se nao eslu em exercicio os tenentes-co-
roneis commandantes dos batalhos do infamarla
-do municipio de Iguarassu, os mais anligos aos
quaes competa a substituico do referido chefe do
estado maior, na forma do disposto no art. 7 do
decreto n. 1,354 de 6 de abril de 1854-
-Ll9
Officio ao Dr. chefe de polica. gara ler lugar
o pa^otento i|ue V. S. solicitou em officio de 13
de maioiillimo, das despezas feitas durante o rnez
Ao abril antecedente, cora o (ratamente das [iracas
de 1* lintia, que estiveram doente na cdade da
Victoria, mister, como declarou o inspector da
thesouearia de fazenda em oflicio de hnntem, que o
pharmaceutico Manoel Joaquim das Trevas Mari-
nho, aprsente em duplcala a conla que aqui ajun-
to, o que V. S. Ihe far constar.
Dito ao inspector da thesourara de fazenda.
Anmiindo ao que solicitou o juiz municipal do ter-
mo de Barreiros era officio de 13 de agosto do an-
uo prximo passado, e tendo era vista/) que a este
respeito inforraou o commandante superior da co-
marca de Palmares, em 19 de outubro do mesmo
anno, recommendo V. S. que mande precessar,
para ser pago a Joaquim Eiviro Alves da Silva,
quando houver crdito, a divida na importancia de
1755770 rs., pertencenle ao exercicio j encerrado
de 1862 1863, proveniente dos vencimentos dos
guardas naciouaes all destacados durante o mez
de marco, como se v do pret junto em duplcala,
que deixou de ser pago pelo collector daquella co-
marca.
Dito ao mesmo. Ao 2o cirurgio do corpo de
sade do exercito, Dr. Joaquim da Silva Gusmo,
que na forma das ordens imperaes vai servir na
colonia militar de Pimenteiras, mande V. S. abo-
nar o quantitativo a que tiver direito para condu-
mio de sua bagagem da estaco de Una da estrada
do ferro, para onde elle tem de seguir, com sua fa-
milia compota de mulher e um lilho menor, at a
mesma colonia.Communcou-se ao commandante
tas armas.
Dito ao inspector da thesourara provincial.
A' vista da inclusa conta em duplcala, e nao ha-
vendo inconveniente, mande V. S. pagar a Joaquim
Jos de Santa Anna, ou pessoa por elle autoriza-
da, conforme solicitou o chefe de polica em officio
de hontem, son n. 1,287, a quantia de 16JOO0 rs.,
proveniente 20 de seternbri ultimo, da loja que no districlo de
Jaboatao, servia de quanel ao de>tacamenlo do cor-
no de polica all existente. Communicou-se ao
chefe de polica.
Dito ao mesmo.Devolvo V. S ja reformado,
de conformdade com a sua informacao de 8 de
abril ultimo, sob n. 128, o pret a que ella se refe-
re, na importancia de 333600 rs., proveniente de
diarias abonadas a sote presos de justiea, que vie-
ram do termo de Flores, e constam do menciona-
do pret, afirn de, nos termos do meu officio de 19
de marco, inundar pagar essa quantia Manoel
Ribeiro de Carvalho.
Dito ao commandante superior de Oiinda.Para
lomar era consideracao o pedido feito pelo com-
mandante da scelo do batalhao de reserva do
municipio de Oiinda, e junto a seu officio de 5 de
agosto ultimo, convem que V. S. aprsente um or-
namento das despezas a fazer-se com a acquisico
dos ob-ejos mencionados no mesmo pedido. Mu-
tallo mutandis ao commandante superior de Santo
Anlo.
Dito ao director das obras militares. Recom-
mendo V. S. que mande com urgencia, concertar
o armario que contera o archivo do hospital mili-
tar, bem como azeras s ib-divisoes que forem ne-
cessarias ao referido armario, como solicitou o
commandante das armas em officio de hontem,
sob n. 1,825. Communicou-se ao commandante
das armas.
Dito ao chefo interino da reparticao das obras
publicas. Respondendo ao seu officio de 8 do cor-
route, sob n. 277, tenlio a dizer que, em vista da
informacao do inspector da thesourara provincial
datada de hontoui, e sob. n. 4'2, pode Vine, man-
dar concluir a obra encampada do 3o lancodos re-
paros do empedrameoio da estrada de Pao d'Alho,
entre os marcos de 7 e 10 mil bracas, de que era
arrematante Antonio Malaquias de Macedo Lima,
devendo a despeza a fazer-se para esse fim, ser le-
vada a Consignarn do 1" do art. 14 da le do or-
namento vigente.Communicou-se ao inspector da
ihesourana provincial.
Dito ao mesmo. Inteirade de quanto Vmc. mo
communicou em seu officio de hoje, sob n. 291, le-
nho a dizer em resposta, que pode mandar lavrar
na secretara dessa reparticao um termo pelo qual
Ludgero Teixeira Lopes, se obrigue a reparar
sua custa o damno causado na estrada de Oiinda,
por nma valla que mandou construir sobre o ta-
lude da mesma estrada, certo de que nesta data
expeco ordem para que se sobre-esteja era qual-
quer procedmento judicaro que por esse fado
se houver de intentar contra acuelle proprietario.
Communicou-se ao procurador fiscal da thesou-
rara provincial.
Dito ao couseim administrativo. Recommendo
ao consellio administrativo que compre, com toda
a brevidade, os objecto* mencionados nos inclusos
pedidos de ns 93 97, os quaes sao necessaros ao
almoxarifado do arsenal de guerra, segundo decla-
rou-me o respectivo director em officio n. 66 de 18
do correte.Communicou-se thesourara de fa-
zenda.
Dito ao thesoureiro das loteras. Approvando
nesta dala o plano, que Vine anresentrn-me com
o seu officio de hoje, pira a extraeco da< partes
das loteras desta provincia, a-sun Ih'o cimmunico
para seu reeonhecunent, re netlendolhe copia do
referido plano. Tran-miltioso copia do predlio
plano thesourara provicial.
Dito ao gerenta da companha Pernambncana.
Pode Vmc. fazer seguir para os porto* -los seus
destinos os vapores Persimnija e Mnminguape,
nos dias e horas indicados em seu officio de 19 do
correntc.
Portara. Para o conselho de jnlgamento a que
vai ser submcitido o soldado da 31 companlua da
seccao volante do corpo de polica, Sevcrino Perei-
ra de Souza, pela fuga de um recruta menor :
Presidente,
O Sr. capitao Jos Pereira Teixeira.
Auditor,
O Sr. Dr. pro notor publico deste termo Jos Pau-
lino da Cmara.
Vogaes
Os Srs. :
Capito Francisco Antonio de S Barreto,
Tenante Jos Cuneguodi'S da Silva,
Teuente-quartei mestre Luiz de Franca e Mello J-
nior,
Tenente cirnrgio-mr Dr. Jos Joaquim de Souza,
Alferes Joaquim Barbosa dos Reis.
Communicou-se ao chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia resol ve nomear
o secretario da reparlico da instrueco publica,
bichare! Joo Diniz Ribeiro da Cunha, para o car-
go de membro substituto do conseino director da
mesma instruegao, Meando exonerado daquelle
cargo, por assim o haver pedido, Salvador Henri-
que de Albuquerque Communicou-se ao director
geral da instrueco publica.
Dita.O presidente da provincia, tendo em con-
siderago a proposta do director geral da instrue-
co publica, datada de 18 do corrente, sob n. 200,
resolve nomear o bacharel Francisco de Carvalhe
Soares Brandao delegado Iliterario da Treguezia
de Santo Antonio desta cdade, Picando exonerado
desse cargo o bacharel Amaro Joaquim Fonceca
de Albuquerque. Commuoicou-sc ao preJito di-
rector.
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a pcqposta apresentada pelo commandante
da seccao de reserva n. 1 da guarda nacional do
municipio de Oiinda, sobre que informen o respec-
tivo commandante superior em officio de 15 de se-
terabro n. 10, resolve promover alferes da 21
companhia da mesma secgo, na forma do art. 48
da lei n. 602. de 18 de setembro de 1850. o guar-
da Francisco Seraphieo Gomes do Reg. Commu-
nicou-se ao commandante superior de Oiinda e
Iguarassu.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Bellarmino Alves Arocha resolve
conceder-lhe lioenca para poder rcmetter para o
presidia do Fernando, no luate nacional Sergip'ino,
os gneros constantes da relaco junta assignada
pelo secretario do governo, nao pudendo pois ef-
fectuar o desembarque dos ditos gneros, sem que
por parle do commandante do mesmo presidio se
proceda exame, adra de verificar-se se ha agur-
dente ou outra qualquer bebida espirituosa.
Dita. O Sr. gerente da companlua Pernambu-
cana mande dar transporte al o Cear, no vapor
que ha de seguir para o norte no dia 22 do cor-
rente, em lugar de r destinado passageiros de
estado, Jos Bernardino da Silveira Torrc3 Por-
tugal.
Expediente do secretario do governo.
Officio ao commandante das armas. O Exm.
Sr. presidente da provincia manda declarar V.
S. que, por despacho desta data, autorisou o direc-
tor do arsenal de guerra a satisfazer o pedido de
caixoes para o 2o batalhao de infamara, e que al-
lude ao officio de V. S. n. 1819, de 7 do corrente.
Dito ao procurador fiscal da thesourara de fa-
zenda. De conformdade com as ordens de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia passo s maos
de V. S., em satisfaco a exigencia couda em seu
officio de 14 do corrente. a inclusa copia do reque-
rmenlo em que o baro do Livaameut^ reclama
acerca da conta, tambera por copia inclusa, da
despeza feita com a barca de excavacao durante o
lempo em que etteve trabalhando no lugar marca-
do para a ponte do ferro do Recife.
Dito ao alferes Francisco Cunes Gnimares. -
De ordem de S. Exc, o Sr. presidente da provin-
cia, transmuto Vmc. a sua guia de passagem do
batal-io n. 9 de infamara do municipio de Igua
rass, para a guarda nacional da pravincia do
Rio rande do Norte, ende tem Vmc. xado a sua
residencia.
COMMANDO DAS ARMAS.
De ordem de S. Exe. o Sr. coronel commandan-
te das armas, em vrtude da autorisaco da presi-
dencia conferida em officio de 20 deste mez, con-
trata-s um capello para o presidio de Fernando
de Noronha.
Os reverendos sacerdotes quo se quizerem pres-
tar a este servco, mostrndose competentemente
habilitados para o desempenhar, hajam de compa-
recer no quartel do mesmo commando, das 9 s
12 horas dos das otis.
Quartel do commando das armas de Pernambu-
co, 21 de outubro de 186.
O tenente coronel secretario.Francisco Camel-
la Pessa de Lcenla.
Quartel do comraaado das armas de Pernamliuco,
na cidade do Recife, 21 de oniubro de 1S)i.
ORDEM DO DIA N. 6.
Observando o coronel commandante das armas,
que maltas pravas dos dilerentes destacamentos
fra desta capital, se apreseniam n'ella sem esta-
rem em completa ordem de marcha, como quando
sahem, o que em prejuzo do servco, e da disci-
plina, tem por conveniente recoinmendar cm rati-
ficaco ao quo j existia, aos Srs. ofllciae* e infe-
riores commandante sdos referidos destacamentos,
que nao deixem sahir de suas paradas nenhuma
praca senao no estado de poder transpdr-se para
qualquer parle sem dependencia de voltar para ver
o que Ihe pertencer.
Os Srs. commandantes de corpas e companhias
soladas daro para o quartel do commando das ar-
mas ['arte do que cm contrario fr praticado para
em lempo se providenciar.
Assignado.Joaquim Jos Goncalves Funtes.
Conforme Jos Francisco de Moran e Vascon,
cellos, capito ajudante d'ordens encarregado do
detalhe interinamente.
Amanhaa celebra-se na igreja de S. Jos a leja-seperdura; e em lugar de Em hora- lea-
festvidade da Virgem do Bom-Parto, haveodo seEmbora.
vesoeras, festa e Te-Deum.
Consta-nos que a respectiva irmandade se ha
manifestamenta esforzado para o verdadeiro bri-
Ihantismo desse acto.
Terca-feira 25 do corrente, lera lugar no
theatro de Santa Isabel, um concert dado pelo
nosso patricio Jos Coelho Barbosa.
A varedade do espectculo que nos olerece
Reparticxo da polica.
Extracto das partes do da 21 de outubro (
F>ram recolbidos casa de detencao no da 20
doWbrrenle :
ordem do Illra. Sr. Dr. chefe de polica, Joo
Mataoel Frazo Marcelino Bezerra Torres, e Jos
Fa&eira Soares, como criminosos, vindos do termo
Ti
3
u
V.
.
B
3
M
*
\ 3
I 3
: i
s
l
I
I
I
S
Masculino.
J5_L =
iP-
Feminino.
s
>
S
y.
fe
15
Masculino.
V%
i
3> g
9
Feminino.
Masculino.
00
Feminino.
m
>
Masculino.
Feminino.
s
'ti ci
.f.
Masculino.
i
oe
2
Feminino.
PERNAMRUCO.
n'essa noute o nosso habilssirao patricio, nos pro-; de Villa Bella, e Manoel Joaquim uezerra, para re-
melle boas horas de distraeco. cruta.
O gosto e o talento do artista c seus companhe-! A* ordem do subdelegado da Boa-Vista, Luz
ros nos garantem o bom resultado do ensaio. | Soares da Silva, e Damio de Santa Anna, o 1."
Bepois d"amanha (24) tem lugar, no salo | pa/Vcorrecco e o uliimo por ferimentos leves.
do Sania Isabel, o concert do destnelo artista of df ordem do da Capunga, Jos Alexandro da
Sr. Petro Ferranti, com o concurso de di ver-, Costa, e Beuto Rodrigues da Silva, por brga.
sos diletantes de nossa sociedade, de arabos os o chefe da 2* seccao.
sexos. J. G. de Mesqiuta.
Consta-nos que nada se lera poupado para que 5^~5
seja urna noute de verdadeiro goso musical. No j a.i 1
da do concert ser publicado o programma. O
resto dos blhetes acha-se venda no hotel da
Europa e no theatro em man do bilhetciro.
Hornera seguio para a povoago de Pedras -le !
Fogo o Rvmd. prefeito do hospicio da Penha, Fr. |
Seraphira de Catania, concluir factura da!
igreja que all levantou, ou ao menos a continuar,
nos seus trabalhos durante o prsenle vero. Da ]
infatigabilidade desse Rvd. missionario muito tem
a esperar a concluso d'aquelle temido.
Hoje corre no lugar do costume a 4.* parte |
da 3.a lotera, a hendido da Santa Casa da Mise-
ricordia.
A companhia Pernarabucana, expede para o I
presidio de Fernando de Noronha no da 4 de no-
vembro prximo, um de seus vapores.
Essa viagem que devia ser feita no da 14 do
mesmo mez, antecipada por ordem superior. |
Segu hoje para os portos do norte, at o
Acarac o vapor Persinunga da mesma com- ,
panhia.
De Garanhuns nos escrevem em 29 do pas-
sado :
Por falta de lempo, tenho deixado de dar-
llie noticia de um baile que aqui houve no dia 21
do corrente, olferecido ao Dr. juiz de direito da j
comarca, Carlos de Cerqueira Pinto, por alguna
amigos e apreciadores das suas excollentes quali-
dades.
O bello edificio em que teve lugar semelhan-
te baile, e que pertence ao negociante Manoel Jos
Mendes Bastos, a profuso de luzes e iguarias, uraa
msica de pancadaha, e mas que tudo a coucur- |
rencia de convidados em numero superior qua-
renta senhoras e cem Cavalleiros, foram os elemen
tos constitutivos do seu brilhantismo, bem difflceis!
de encontrar-se neste sorto ; mas que servrao;
para demonstrar o grao de civilisacao a que j che-
gamos.
s 9 horas da noite do referido dia, urna com-
misso composla do Kvin. vigario Nomaiio de S.
Joo Gualberto, Dr. Jos da Costa Dourado, tenen-
te Antonio Baptista de Mello Peixoto, capito Anto-
nio Vctor Correia e professor Miguel Archanjo de
Mendooca, receben aquella Ilustre magistrado a I 7
sua Kxma. familia que foram ntroduzidos no res-
pectivo salo ao som de msica e gyrandolas de'
foguetes. Ento, o professor Mendonca profero o
seguinte discurso :
Iilm. Sr. Dr. juiz de direito da comarca.Ad-1
ministrar imparcialmente justica, urna das mais
nnl)res funecues exercdas pelo horaem, con*ttui-
do em sociedade : porque da fiel observancia da
lei que depende o engrandecimeuto, a moralida-
de, a razao de ser dos estados. Na verdade, sem
magistrados ntegros caducaran) as nossu institui-
goes, e a corru|ieo apossando-se de lodos e de tu-
do, nos levara mais intima abjecoo. Nunca
Alhenas floresceu tanto, como no lempo de Soln,
este grande espirito que reformou os seus abusos
pelo estricto cumprimento do les que elle proprio
eslabeleceu. Roma, a antiga soberana do mundo,
no zenith da sua gloria, liberlando-se da tyrannia
dos Tarquinios, vio, por amor da juMca," Bruto,
este estoico de costamos austeros, condemnar
morle dous fillios, os quaes tiuliam delinquido,
conspirando de parceria com os nirnigos da pa- :
Ira.
Se, pois, os juzes recto?, aquclles que bem \
sabem apreciar e conhecer a alta misso de que !
se achara revestidos, sao o principal elemento de
ordem, os garantes dos nossos direitos que com-
prehendem a nossa liberdade, honra, vida e pro-
priedade, nao nos podiam ser indiferentes as qua-
ldades que ornara a pessoa de V. S. que, eslranho
ao mesquiuho espirito de partido, e superior a
quaesquer consideraces, tem sido nesta comarca,
como em oulros lugares, um magistrado jusliceiro
e humano, combinando, sempre que Ihe possivel,'
o desagravo da sociedade olfendida com o amor do i
prximo. Porianlo, dgnese V. S. de aceitar esta
pequea demonstraco do nosso reconheciment,
nao pelo pouco que ella em s vale, mas pela con- j
sideraco que eu e todos aquelles a quem nesta oc-
casio represento, em vrtude da honrosa escolha
que de mira fizeram e que mudo me desvanece, i
Ihe damos, pois que importa ella a confissao publi-'
ca e solemne do quanto nos penhora a rectido, a
Ihaueza e outros muitos excellcule attributos de
I TOTAt..
o I
ADVERCEN'CIA.
a tolalidade dos doentes existen) 135, sendo
homens e 57 mulheres.
. Foram visitadas as enfermaras estes dias :
Pelo Dr. Ramos s 6 1|2, 7, 0 Ii2, ii2, b 3[4,
6 11 i.
Pelo Dr. Sarment s 7 l|2, 8 li2, 7 3i4,8,8,
7 l|2.
Fallecern)/.
Joao Antonio da Costa, velhice.
Lourenca Mara da uonceico, cancro no tero.
Felppa Thararez dos Santos, phtysira pulmonar.
Manuel Francisco da Paixu, entente chronica.
Movirnento da casado deteuco dodia 20 de
outubro de 1864.
Existiam..... . 351 presos.
Enlr-iram..... 8 1
Sahirani...... 1 1
. 358
saber :
Naciouaes.... . 290 >
Estrangeiros.. /
Mulheres..... 12 1
Estrangeiras.. 3 1
Escravos..... . 42
Escravas..... 4
358
Alimentados a custa dos cofres provinciaes 142
Movimento da enfermara no dia 21 do outubro
de 1864.
Teve baixa :
Jos Francisco de Lima: glndulas.
UIHOM JUD1GIARIA
TltlIU/VlL IA BELAlO.
SESSAO EM 18 DE OUTUBRO.
PIIKSIOKNCIA DO EXM. SR. CONSELIIEIRO
SOUZA.
s 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, Lourenco Santiago,
Almeida e Albuquerque, Assis, Motta, Doria, Ucha
Cavalcanti, Domingues da Silva, e Guerra, procu-
REVISTA DIARIA.
i Amanhaa pelas i horas da tarde ter lugar a
inauguraco da cruz do frontespico da nova ma-
triz de S. Jos.
Preceder respectiva collocacao a bencam da
mesma cruz pelo Exm. vigario capitular na igreja
do Terco, dondi em seguida ser processionalmen-
te conduzida ao novo templo.
Esta cruz de ferro, e tem de servir de rema-
te ao frotespcio do mesma templo, em cujas obras
lera proseguido com zelo e adivdade notaveis a
coinmisso enearregada por S. Exc.
Consta-nos que ha para mais de sessenla
contos de res por pagar de fornecimento ao con-
selho administrativo do arsenal de guerra, no es-
paco decorrido de abril at o presente, sem que
no entreunto se tenha pelos canaes competentes
mandado satisfazer aos respectivos foroecedores,
com quem se trata, pagar recepsao dos ob-
itcto5
Ora, a continuar semelhante estado, melhor se-
ra que se acabassa logo com o conselho adminis-
trativo ; pois tal abuso tende a inhabihta-Io no
prosegiiimento dos Tras da sua creacao.
A fazenda que exige nos seus recobimentos o
cumprimento dos contratos, retrahe-se e delonga
assim o pagameuto da suas compras, mfringiudo a
condicao do contratado; e ao passo que arranca
multa e premio por qualquer demora, ao passo que
armi-se de raandadode penhora executiya cobran-
do crescidas cusas, mesmo quando seja o paga-
mento feito incontinente, ei-la ah nao obstante
desenvolvendo um tal proceder para com os ior-
necedores que, sem ess-s privilegios, solTrem de-
longas immensas em seus receb mritos, sendo
somente pagos quando lembra-se o Sr. ministro de
marcar crdito para isto, e da expedir o compe-
tente aviso para a respectiva thesourara.
1 Isto tudo ser, menos goveroar cora justhja.
que sao dotados V S. e sua Kxma. familia, a quem, ^ da wda, fliodo'o SrrdeseVbTrgador'si-
aproveitando-nos da opportunidade, felicitamos pela liUf0 abrio.se SfiSs5o
sua boa vindade S. Beuto para esta villa.
O Dr. Cerqueira responda desta mancira :
< O apreco, com que tendes acolhido os meus
actospaula los, em minha consciencia, pelos sen-
tmenlos do decoro o do amor ustica;c a con-
gratulado com que me honraes, sao o mas nobro,
elevado e lsongeiro galardo, que euquo nao
ambiciono o fastigio das grandezas e das honras,
que muitos oulros laneam a mira como o seu pri-
moroso alvopoderia obter na sede de miuha co-
marca.
Era verdade, senhores, comprehendendo os
meus deveres, desejo corresponde-I os; senlindo '
profundamente que a nsufficiencia de minhas lu-'
zes nao permita attingi-los era sua verdadeira al-
tura. Esta falta, purera, tanto menos sensivel ,
quanto reconheco o carcter e boa ndole da maior
parte dos meus comrcaos, cuja moralidade tem
sido o mais poderaso auxiliar admnistraco da
justga confiada aos meus desvelos. |
Aceitando e agradecendo-vos cordialmente o
baile que me olTereceis, em demonstraco de re-
gosijo pelo meu regresso da villa de S. Rento, cu
experimento a mais doce emocao pelos senlimen-
tos de benevolencia, de estima e consideracao, com
que distingus a minha humilde pessoa. Eslessen-:
timemos servem de incentivo para que eudespi- j
do de paxoesprosiga no caminho da itnparciali-1
dade, da honra e da ustica. >
< Era summa, houve cha, s 11 horas da noite,
com diversas bandejas de bolinhos; urna mesa
bem provida de assados e doces, na qual se pro-
nunciaran) alguns discursos, pela madrugada ;
dansou-se at s 6 horas da manha do da seguin-
te, o as nossas sertanejas, entre as quaes havia
muitas ramhasera um congresso dellas,gar-
bosas e cheias de encantos, fenram mais de um
coracao, e por sua vez provaram que at as pe-
nhas nasce a por.
-Napoesa dehontemintitolada-A Intelligencia
saturam os seguintes equvocos: Em lugar de
Danos spguroslea-sc passo seguro; em lugar :
Je fadanti-leta-se-fadante; etn lugar de perder |
liago, abrio-se a sesso.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JULGAMENTOS
Agoraros de petufio.
Aggravanle, Arislidcs Duarte Carneiro da Cunha
Gama ; aggravado, o juizo.
Relator o Sr desembargador Assis.
Sorteados os senhores desembargadores Gitirana,
e Domingues da Silva.
Negaran) provimento.
Aggravanle, Symphrono Olympio de Queioga ;
aggravado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Doria.
Sorteados os Srs. desemhariradores Almeida e
Albuquerque e Ucha Cavalcanle.
Derain provimento.
Appeltaves crimes.
njppeUante, o promotor; appellado, Francisco
da Co.-la Limen a.
A' novo jurv.
Appellanle, o juizo ; appellado, Joo Ignacio
de Medeiros.
Nullo o proresso.
Appellanle, o juizo ; appellado, Francisco Jos
da Silva.
A' novo jury.
AppellacSes citis.
Appellanle, Jos da Costa Dourado ; appellado,
Antonio Manoel de Campos.
Confirmada a sentenca.
Appellanle, Joo Antonio Gomes Guimares ; ap-
pellada, a fazenda.
Reformada a sentenca.
Appellanle, Joaquim Jos de Mello; appellado,
Flix Pereira de Souza.
Desprezaram-se os embargos.
Appellantes, os administradores da massa de
Manoel dos Santos Pinto ; appellado, Manoel Jos
de Carvalho.
Desprezaram-se os embargos.
AppelUnlen, a parda Mana e seus futios \ appel-
lada, Joao Antonio do Espirito Santo,
Reformada a sentenca.
Appellanle, o regente da capella dos Prazere:;
appellado, o solicitador de residuos.
Decidio-se quem deve pagar as castas.
No conflicto de jurisdieeo entre os juizes muni-
cipaes de Tacarat e Villa Bella, confirmaran) a
deciso do Exm. pre.sidente da provincia.
Habeas-corpus.
Negou-se ordem de habeas-corpus a Constantino
Nunes Pires, e concedeu-se a Francisco Jos Go-
mes da Silva para o dia 22 do corrente, s 10 ho-
ras da manha.
DSStQNiOO DE DIA. ,
Assignou-se dia para julgamento dos seguinte.-
fetos :
A appellarao crime.
Appellanle, o juizo ; appellado, Joao Gomes di-
Silva.
> A appellacao ckel.
Appellaule, Adriano Xavier Pereira dcBrto;
appellada, a fazenda.
DILIENCIAS CHIMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor d
justiea
A appellacao crime.
Appellanle, o promotor ; appellado, Jos Mar-
DILIGENCIAS C1VEIS.
fem vista ao Exm. Sr. desembargador procura-
dar da cora
.4 appellacao civel.
Appellanle. a fazenda ; appellado, Ignacio Luz
de Brto Taborda.
PASSAGENS
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
desembargador Lourenco Santiago
As appeUaces civeis.
Appellantes, Francisco Pereira de Carvaiho o
nutro ; appellada, a viuva de Amonio do Reg
Barros.
Appellante, Manoel Lopes da Silva ; appellado,
Luiz Jos Pinto da Costa.
As appellagoes crimes.
Appellante, o juizo; appellado, Jos Martins
Vianna.
Appellante, Luiz Manoel Flor ; appellada, a
j ustica.
Appellante, Francisco Barbosa de Mello ; appel-
lado, Antonio Lourenco de Souza.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
As appellac-es crimes.
Appellante, Antonio Goncalves da Silva ; appel-
lado, Francisco Jos Keruandes.
Appellante, o juizo ; appellados, Jos Marcolno
de Mello.
As appellucoes citis.
Appellante, Jos Joaquim da Rocha Farias ; ap-
pellado, Frederico Augusto Velloso da Silveira.
Appellante, Jos Joaquim Goncalves Bastos; ap-
pellado, o tenenle-coronel Jusliuo Pereira de Fa-
rias.
Appellanle, Joae do Reg Barros Accoli; appel-
lado, lenlo Jos Ramos de Oliveira.
Ao Sr. deserauargador-MuUa___________
A appellaciio civel.
Appellante, a fazenda; appellado, Ignacio Luiz
de Brto Taborda.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
As appellucoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Vicente
Ferreira.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Lopes de
Araujo.
As appeUaces civeis.
Appellante. Joao Salvador da Cruz ; appellado'
Domingos Ferreira da Costa Romeu.
Appellante, Lourenco Bezerra Cavalcanti de Al-
buquerque ; appellado, Dr. Amaro Joaquim Fon-
seca lie Albuquerque.
Appellante, Francisco Santiago Ramos; appella-
do, Gabriel Antonio.
O Sr. desembargador Assis passou aoSr. desem-
bargador Doria
A appellacao civel.
Appellanle, Silvestre Domingues da Silva Pmcn-
teira ; appellado, Jos Joaquim de Almeida Leite
Sampaio.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Ucha Cavalcanti
As appellares crimes.
Appellante, o promotor ; appellado, Claudino Jo-
s rt Souza.
Appellante, o juizo ; appellado, .los Henriqoe
da Silva.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellacao civel.
Appellantes, os herdeiruS de Jos Francisco Be-
lm ; appellada, a fazenda.
msrniiuigEs.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellacao citel.
Appellanle, Juvenrio Soares Villela ; appellado,
Francisco de Ifollanda Cavalcante.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago.
Appellacao civel.
Appellante, a fazenda ; appellada, Joaquina Vi-
cencia da Silva Couto.
Ao Sr. desembargador Almeida e Albuquerque
A appellacao civel.
Appellante, Manoel Vicente de Lima ; appella-
do, Alexandrc de Souza Rolim.
llecurso crime.
Recurrente, a cmara municipal ; recorrido, Pe-
dro Pereira da Silva Guimares.
Ao Sr. desembargador Assis
O recurso crime.
Recurrente, a cmara municipal ; recorrido, Pe-
dro Pereira da Silva Guimares.
A 2 horas da tarde, encerrou-se a sesso.
SESSAO JUDICIARIA EM 20 DE OCfOBO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADO!)
A. F. PIRETTI.
Secretario, Julio Guimares.
As 11,' horas da manha, o Exm. Sr. presiden!-
abri a sesso estando reunidos os Srs. desembar-
gadores Reis e Silva, c Silva Guimares, c
os Srs. depulados Lemos, Rosa, Caodido Ateofo-
rado, e supplente Basto.
Lida, foi approvada a acta da sesso anlece-
lente, com a seguinte declararn :
Nesta mesma dala, 17 do correte mez, o Exm.
;r. presidente, em vrtude da liceoca concedida
do meritissimo tribunal do commercio admim--
rativo aoofficiai escriturario de sua eereuru
inuoct-ocio Anlunes de Farias Torres, e das attri-
micSes que Ihe sao conferidas pelos decretos a.
'ti7 de 30 de agosto de 1851 c 1 de jnlho de IKM).
' aviso do ministerio da jusiica de 22 de juaho de
185 >, nomeou dito empregado interinamente para
axercer o lu?ar deescrlvo de appellardVs, affrra-
vos e protestos de letras, qne vagou pelo falleri-
mento do respectivo serveniuario Uuilhermioo de
Albuquerque Martin* Pereira. E, para preeochi-
meiiio de dita vaga se affixaram os editaos do e-
tylo e publicaram-se pela imprensa.
O Sr desembargador Accoli participa, em dala
do hoje. nao Ihe ser possivel comparecer presen-
te sesso por achar-sa eneommodado.
JIXGAMENTOS.
Appellanle, appellado Joo Antonio Goncal-
ves ; appellantes appellados os administradores da
massa fallida de Antonio Carneiro Pinto.
Adiado na ultima ses.-o.
F01 reformada a sentenca appellada.
Appellante, Antonio Joaquim Salgado : appella-
do, Jos Francisco Coelho da Silva Tieira.
Adiado na precedente sesso
Foi conlirmada a sentenca appelbda.
O Sr. deputado que havia requerido o adiaaea-
to na sesso anterior do feito entre partes : Appet-
lanle, Antonio Jos de Azevedo ; appellado. Joo
Henrique Denker, apresentou-o ; c o Bm. Sr. pre-
sidente decidi que continuava adiado por nao es-
tar presente o Sr. desembargador Accioti.
designa;o de da.
Appellante, Jos Soares Leile da Costa ; appel-
lado, Antonio Ferreira da Silva Maia.
Prraciro dia til.
Aggravos interpostos do jnize especial do
commercio.
Aggravanle, embargante 3 Ellas Baptista da Sil-
va ; aggravado, exequente Jos Pereira Basln ;
execulado*, Polycarpo Jos Layne e Fraoeisco An-
tonio de Oliveira.
O Exm. Sr. presidente jarou suspeicao na prc
cedenle sesso
O Sr. desembargador Reis e Silva negoa provi-
mento.
Aggravanle, o Dr. Antonio Vicente j Jtasci
ment Fe.tosa ; aggravado, Joo BaplisU Fragoso
por seu enrador. nn* fc ~-^
O Exm. Sr. presidente jg*,, p.-jirmento.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a sesso 1 hora da tarde.
COMMNICIDOS.
THIHl'AL DO CO U viEllt I.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRA-
TIVA DE 20 DE OUTUBRO DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PBRETTI.
s 10 horas, reunidos os Srs. deputados Lemos,
Alcoforado e supplente Basto, o Exm. Sr. presi-
dente declarou aberta a sesso ao loque da cam-
PaLida', foi approvada a acta da antecedente.
Nao houve expediente.
DESPACHOS.
No requerimento de Joo Camello de Mello e
Vasconceilos e Paulino Fernandes da Costa, pedin-
do qne se faca registrar o seu contrato de socieda-
de em D0DM colleclivo, que apreseniam .Vista ao
Sr. desembargador fiscal.
No de Manoel Ribeiro de Carvalho, cidadao por-
tuguez, de 36 annos de idade, residente e estabe-
lecdo nesta cidade cora loja de fazendas, por gros-
so e a reaiho, pedndo ser adtnittido a matricula :
O mesmo despacho.
No de Manoel Pereira de Araujo Vianna, pedn-
do que sejam registradas as duas procurares que
apre.senta. de seu constiluinte Joaquim Jos Rodri-
gues da Cunha :Registrein-se
Nada mais houve para despacho, c foi encerra-
da a sesso s ll> horas do dia.
Nao em attenco ao que mas ao que pode pa-
recer fura da provincia o autor do comrauoicado.
que hoje se publcou neste Uiarto cora referencia
miuha pessoa, devo duas palavras ao publica.
A fonlo de todas as iiifjrmacoes officiaes, pin
que diz respeito admnistraco da provienia, a
secretaria do governo.
-\-0 empregado publico nao pode capricho de ra
da um e-tar sustentando polmicas na imprensa.
nem explicando actos praticados no exercicio de
seu cargo, os. quaes j foram aprerado> pela aulo-
rdade superior. Polera faz>'-lo meu proprio
arbitrio, mas nao quero. Nao rom tola pe*-
soa que eu discuto.
S me curvo ao chamameuto a autora de qnem
tem autordade moral.
Desejo que se prove, ou antes exijo com a maior
allive e solemnidade que o aator do communirado.
ou quem quer que seja, que me tenha ma vontade.
onvenca ao publico que eu sou um ingrato, e que
a gcslo da reparlico da instrucv'o publica.
>u em qualquer posico olliciil, em que eu it-nlia
!>tado. me deslise um pice da senda do meu de-
er.
Ao autor do commuaica lo nao quero indicar
peuas da revelia, porque ellas o achariain insen-
sivel. Por mais que se desea, nem sempre se pu-
le alcancar com o latego o calumniador.
Recife, 21 de o;tlubn de 1864.
Silnino Catalcanti de Allniqueriue.
PUBLICARES A PEDIDO.
Illui. Mr. Joaquim Gerardo de
Bastos.
Respetavel senhor.Quem vive opprimido n m
falla seno de queixas, nem sent maior prazer d >
que quando desafoga as suas penas !
Sei que nao sao das menores m magoas por que
est passando V. S-, vendo porta do armazem em
que exeree as suas mais altas funrces, o typ-
grapho que Ihe desarranja um artig, o editor pie
nao d espago grato, e sobre ludo esM vil pMe
da repblica luterana, que sallando sobre a altiva
pessoa de V. S. pretendefazer de seus valioso-
escriptos, o mesmissimo uso que tizera S. Jrony-
mo das satyras de Persio, laucando-as ao tof por
sua notavel obscuridade !
Em tudo isso respeitablissimo senhor, n- vejo
mais que desatncales a dt-scortezias ao genio por-
tentoso de V. S, que em quinto a miro dever. ser
StmpN acatado, acolhido e apealado como faeno
inextiuguivd do amor da retalie eda er-lem 1
Desculpe V. S. se Ihe Bao fallo em mmmm,
|ior.|ue depois da apparfa da le das rolkas. a>
c.iusas mortaes anda qua seiam por veze* chama-
das nao responden), e sendo provocadas nao se re-
sen,t'n, ,. ^ V B
pena, mas lei I Contra a le sabe V. >. que
lodo o irabalho estril, baldado, improfieno !
Entretanto conlente-se V. S. com a philosophia
do mundo raras veies iiiju-la. pois tem a delicade-
za de tornar um enla eslimntel cm objeelo digno
de publico sentimeulo, o que nao pouco para a
pessoa de V. S. 1
Ja que chegnei a este ponto esperoqueV p
sua innata benignidade me d entrada a alguma;
consideraces sugueri-las pela rcenle leusa ao*
seus memoraves escriptos I ^^.
Sim, respetavel senhor. Smto que1 para raats
car, (ou como melhor entender,) ^SSi
1 volvis* V. S. as suas pandes, jabeodo que in



Diarlo c Persaabnea ... abitado tt *e Ontnbro de lt4.
la tem urna applicarao diversa quplla que !ne
tem ila>io, o que sendo contrario ao butnrnso, cau-
sa riso Siniu ver u modo cuino V. S alropella a
tlhica c a /091ra para cavar consecuencias que na-
da provam Sntu filialmente, (sem rehuso o di)to,)
que os numerosissimos amigos de V. S. o llzessem
subir alea altura en que seaeha o Gabinete Portu-
guez de Lritura, para admirarem de longe a pe-
quenhez de sua estatura 1
fi muito, senhor, inesmo un golpe para pros-
Irar o animo do houiem mais;Constanta I Porm
sinla V. S. tudas cssas ingraliddes, como se devem
sentir as adversidades do mundo I
Nao pense V. S. que eu teiiho em vista analy-
sar os seus escripias, ou repetir as suas palavras,
isso fatigara o mea espirito e causara enjos a"
proprio estomagiB de V. S. I
Sha, niru recommendavel amigo, liei de acom-
panbar V. S, mas, para o consolar, para nos-
trar-lhe os accidentes que a. cada momento se. offe-
rcci'in na vida, e para os quaes nao ha outro anti-
doloque nao seja a paciencia I
Uex'ulpe V. S. se affectando parecer-me Cri-
sippo, que morrea de riso, por ver um jumento a
comer Osos em um prato, nao dr pessoa de V.
S. c aos frucios de sua intelligenria, aquella tinis-
sima interprrtaco que exige a paranoia I
Sei que V S. lem luzes capazes de autorisar um
futuro ifcionario da nossa lingua I Luzes, que
nao se vem raiar emannos provectos I Luzes em-
lim, que por fortes e hhlhantes nos ubrigarao pre-
veniente a fazer uso de oculos para melhor poder
mus examinar a pessoa de V. S. I
Mas anda por esse motivo, isto pelo brilho
das suas luzes que eu o dcsejoaconselhar para que
ose 4it mais prudencia, que o nico balsamo que
a medicina chnsta pode applicar suas fondas !
Em Bina de suas pastadas publiracoes quexa-
va-se V. S. por nao ler em seu favor urna posicio
bruan, para ajudar a sua razo ; mas ahi, pro-
\ou smenle V. S. que ella realmente peque-
Bina I
Sel. (como V. S.) que afortuna tem muito po-
der, que tem invejosos mesmo, e quo no meio das
contrariedades oeste mundo, so ella tem firmeza 1
D'ahi, pois, desconfo que V. S. tirasse a conse-
quencia de rorrr para as gazetas, o que louva-
vel em pessoas d stinctas como V. S, que tem ta-
lento e maduro ingenho, pois a conservar se V.
S. n'um campo, por exemplo,coberto de folhas, to-
dos ignoraran! o seu nome, e (icaria V. S. por
simples descuido expusto a ser pisado aos ps !...
No mais segu V. S. muitissimo bem, considere
profundamente que ha de comsgo mesmo louvar a
hora que Ihe soggerio lao luminosa idea !
Censole-se V. S. cum esta demonslraco de inte-
resse que tomo pela sua causa, e convenca-se d
que os seus mulos, cnnhecendo-lhe o genio, mais
se esforcarn por afligir o seu animo, que para vi-
tuperar a verdade, o estilo, a eloquencia e a pro-
fundidade dos seus maravilhnsos captulos Se
elles fossem como a clava de Hercules, argumento
de valor a que V. S. se podesse arrimar, nanitas
victima-- tinham a lamentar os socios do Gabinete
Portuguez t
Drsctilpe V. S. os deffeitos de minha orthogra-
phia, pois que nao estou habituado a profissao de
secretario, que dignamente oceupa, nao obstante
ser essr lugar um simples degro sobre o qual pas-
sam os que shem cima de V. S. !
Arceite. e-les pirdosos remedios para suavisar
as suas maguas, e anda mais para fortalecer o
seu espirito inquieto pelos sonhos de sua prxima
apotheose! Per esta e por outras mollas circunstan-
cias que a modestia me diz que cale, prospere
Dos a veneravel e ligitima pessoa de V. S. por
dilatados anuos.
Sou respeitador e criado
Ordragt.
Recife, 21 de outubro de 1864.
Eleiriu das juizas, escrhas, e mor domas que bao
de festejar a Gloriosa Vrgem da Estada 00
auno dv I Mii.
Juizas por eleico.
As Exmas. senhoras :
D. Mana de Souza Lelo.
D. Augelita Hgannos de Souza Leo.
Juna por devocao.
A Exma. senhora D. Anna Joaquina de Britu
Silva.
Juiza perpetua.
A Exma. senhora L). Olimpia Lins Guimaraes.
Juiza protectora.
A Exma senhora L>. Bermina Adelaide Campo?.
Beinfeituras.
A Exmas. senhora*
U. Alexani.'.uaJU imparo.
D. Mana dos Prazeres Jorge~"RegO:----------*-*
E-cnv.a por elcigaa
A Exma. senhora I>. Antonia Amafiada Gunha
lluarque.
Escrivaa por devoc/10.
A Exma senhora D. Maria Francisca das Chagas
Beltrao.
Mordomas.
As Exmas. sonhora :
D. Anna Candida Bandcira Magalhacs.
D. Virgina Aurelia de Mello Almeida.
D. Senhorioba Emilia Jorga,
D. Annuiniada Emilia Jorge.
D. Anua Carneiro da li cha.
D. llmbelina Gandida Alcanforado.
1). Mar a Galdida Bandeira Magalhaes.
D. Eugenia Leopoldina Hoscoso.
D. nihelina Amalia ularmarque.
D. Mana Zet ria Dcnit.
D. Mana Flores Dinii
D. Anua Zefcrina miz.
D. Umbelma Leunca Oeniz.
D. Amelia Carolina Lopes de Sena.
D. Maria de Castro Almeida.
D. Mana Joaquina Pessoa Saboia.
O conego vigarlo
Venancio Henrique de fczende.
Eleicao dos jui/es. escrives e mordomos que bao
de festejar Gloriosa Vrgem da Escada no
auno de 1865.
Juiz por eleicao.
O Illm. Sr. Dr. Bernardo Pereira do Garmo.
Juiz por deviicao.
O Illm. Sr. negociante Joio Ferreira Ramos.
Juiz perpetuo.
O Illm. Sr. Dr. Alejandre Pereira do Carmo.
Juiz proteclor.
O Illm. Sr Jos Antonio de Souza.
E-cnvao por eleicao.
O Illm. Sr. Rufino Luiz do Reg Rraga.
E-crives por devocao.
Os Illms. Srs :
Dr. Eugenio Adriano Pereira da Cimba Mello.
Dr. Henriqu do Reg Barros.
Bemfeitores.
Os Illms. Srs. :
Dr. Francelino Bernardo Quinteiro.
Tencnte Manoel Amonio Viegas Jnior.
Joaqun Pinto de Barros.
Procuradores poreleic.o.
Os Illms Srs. :
Auspicio Antonio de Abreu Guimaraes.
Jos Miguel de Lira.
Jos dos Sanios Moreira.
Procurador por devocao.
O Illm. Sr. Joio eoclecio da Silva Paulo.
Mordumos.
Os Illms. Srs.:
Tenente coronel S-basliao Lodcs Guimaraes.
Capitn Raymundo M Silva Maia.
A n tomo Joaqnim de Va-concellos.
Capillo Manuel PrnHro de Castro Aojo.
Maj-r Antonio HeiTiques de Miranda.
Tenente-coronel Manoel Francisco Camello Pes-
soa di Lcenla.
Tenente Manuel Jaquim Machado.
Alfares Jonquim Velloso da Silveira.
Tenente Leopoldo Rorg-s Galvaj Ucttda,
J'is Loi>e ila Silva Guimaraes.
Manuel juncal "es Pereira.
Major Antonio Bernardo Quinteiro.
Alfares Jos FraU' iscn Bmndao.
Diimirgo- Nones Ferreira.
C una M gue. Reinaldo Quinteiro.
Joao Hefa>eiielgbl Manoel d Costa P- reir.
Maj..r Apolnnio Peres Campello Jacome da Gama.
Joaqun, d. Almeida Piulo.
Procurador geral.
Jos Firmino de Oliveira Regle.
O perfume de lieaaitopherle 01-
tidrnal.
KXTR AHIDO DA OAZBTA MENSAL DAS MODAS..
E\\>\<- por cern urna qualidade altamente sa-
nitaria, suave o d> l'itavel na deliciosa fragrancia
desta agna pepolar que de tio grande ornamento
serve a o toucador.
Elli como por encanto ns faz lombrar o dulcis-
simo iii.reosj flor lo di veri, 0.1 imitacao d.
um favorito ton do msica anuyo, o qual por ven-
tara tus fin recordar aquellas scenasj passadas,
durante as quaes ouvimo-lo pela vez primeira.
E' espintuaimente delicado como o aroma da
gcnuiia agua de Colonia, e cmn ludo o seu perfu-
me mais profundo e duradouro, e a suave fra-
grancia nunca muda nemnfraquece, como acon-
tece com os mais perfumes extrahidos e compos-
tos de leos volatis.
As senhoras as quaes geralmefite sofFrem de do-
res nervosas da cabt-ea Ihe dao a preferencia a to-
da o qualquer urna oulra applcacao local, coma
um excellcnle meio dealliviar as dores; eemqua-
lidade de um perfume para o qbartode um doente
elle por sein duvid eminentemente refrigerante
e ngradavel.
Referimo-nos lao sement quanto agua florida
de Murray & Lanmnn.
Quaiilo as imtaces sao ellas despreziveis c nao
merecen a mais leve nnmeao.
Acha-se venda em todas as lujas de perfu-
maras.
COMMEBGIO.
forca do qual f.ira a Metraa Delicio destribuida ao
escriyao deste juizo Manoel Maria Rodrigues do
i iNa-ciinunlo.
E temi o supplicante produzido suas testemu-
nhas que justificarain a ausencia do supplicado era I
I lugar na sabido, sellados e preparados os autos,'
tts ?egn,: rclus3e nelles dei a somen?a, curiosos gimnsticos
Hei por justificada a ausencia do reo Antonio
Rao, o qual mando seja cita Jo .por editos de 30 dias
I para o flm requerido a fl. 2. Recife, 14 de outu-
bro de I8i. Tristo de Alencar Araripe.
E mais se nao continua em dita senlenca aqui
transcripta, em cumprimenlo da .nal o referido
escrivao faz passar o presente com o prazode30
das, pela qual chamo, cito e hei por citado o men- ..oaJ!!'!!'.'!."!?
clonado supplicado para que dentro do indieado ^^l^i""3'1!0
1 prazo rompareca neslo juizo, sob pena de re-
veba.
E para que chegue ao conhecirnnto de todos
mandei passar edilaes que sern publicados pela
imprensa e afflxadonns lugares do coslume.
Recife, 18 de outubro de 186i,quadragesimoler-
ceiro da independencia e do imperio do Brasil.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es-!
crivo o subscrevi.
40 PlBLIO.
SEGUNDA COMPANHIA
PERNAMBCANOS.
RA DO PRINCIPE N. 18.
lliMM B9PIM litii.
i vil 4 UTO.
Salili.nio, 22 do corrate.
Cotaces ofOciaes.
PRAti 0 RECIFE
21 DE OUTUBRO DE 186i.
Cambios sobre Londres !! d[v. 27 li2 d. por
15000.
Frete tonelada.
Frete du algodo para Liverpool 3(4 e 5 0j0
por libra.
Duhourcq Jnior, presidente.
Guimaraes, secretario.
Alfaadega
Rendimento do dia 1 a 30........ 703:4985797
dem do diaai................. 38:!5IJ742
7U:fi50539
Hoviinento da alfaodega
Volamos entrados com fazendas...
com gneros... 137
------137
Volumessabidos com fazendas... 272
cora gneros... 1.348
------ 1,620
Descarregam no dia 22 de outubro.
Hiate portuguezPnuamaUo -diversos gneros.
Patacho hespanhol-Vicente -vinho.
RecebedorSa le rendas Internan
geraes de Peroambuco.
Rendimento do dia 1 a 20........ 32:2495210
dem do da 21................. 3:3145576
Tristo de Alencar Araripe.
MiEAES.
1
Volteios na corda bamba ;
Deslocacilo pelo menino borracha ;
Os dous irmaos Rulands;
Saltos mortaes no trampolim ;
Gropos de equilibrio;
Escadas perigosas;
O homem de bronze ;
O menino cobra.
O espectculo comecar as 8 horas.
Os bilhetes achara-se 6Dda no escriptorio do
theatro
Sodronio Sabino Monteiro de Carvalho,
Director.
AN4\UU
l)niiiij, 23 do correte.
Na audiencia do Dr. juiz municipal da 1"!
vara do da 25 do corrente mez, ten de ir praca f Hecltu e\tr ioi-.lln rl 1 llvre da
por venda o cscravmho Ismael por execucSo eaea- -M*ec"a "^af^^a' "VrC **
minhada contra I) Francisca Candida de Miranda assigoatni).
OS
HiRTYKES
pelo Garloriu do escrivao Saraiva. ', Represenlar-se-ha pela segunda vez o magnifico
-O delegado do cirurgiao mor do exercito aPPara,0S0 drama em 3 actos e 5 qaadros:
est autorsado a contratar dous facultativos civs
para supprir a falta do facultativos militares, no
servico medico desta guarnicao, eom todos os onus
e vantageqs que percebem os ciruriioes miliures.
Secretaria do delegado do ciru.gio-mr do ex-
ercito eu Peroambuco 21 de outuhro de 1864.
r. Jos Sergio Ferreira,
Delegado do cirurgiao-mr do exercito
ConsHIie ailiniuislralivo. ;
u con.elho administrativo para fornecmento do eadeiras pdem desde j procura-Ios na mao do
arsenal de guerra tera de comprar os objectos bilheteiro ; assm como est venda o pequeo
seguintes: resio de bilhetes quo existe por vender.
Para o arsenal do guerra. Comecar s 8 horas.
20 arrobas de cabo de liifho para drica de 11 ------------
1/4 de polegadas de circuniferencia.
25 duzias de tabeas de pnho americano.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o dia 30 do corrente um dos
Taparte da conapanhia o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para es [Mirtos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. I, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C._________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Kaveitaco rosleira vapor.
Parahjba, Natal, Maco, Araealj Ceari e
Acaracif.
0 vapor Persinunga, comman-
dante Ratis, seguir para os por-
tos ariiBa no dia 22 do corrente -
1 horas da tarde. Receber carga
al o dia 21. Encommendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at o da da sabida a*
3 horas da larde : escriptorio no Forte do Mallos
n. 1. _________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\'aveg:tco coseira a vapor.
Taman ar. Barra Grande, Porto de Pedras,
Camaragibe e Macei.
O vapor Mamanguape, com man-
dante Honra, Majotri para os
portos cima indicados no dia 25
do corrente s 5 horas da tarde.
Receber carga at o dia 24. En-
[commeudas, passageiros e dinheiro a frete at o
: dia da sahida s 2 horas da tarde : escriptorio
no Forte do Mattos n. 1.
Aracatv.
O hiate Santa Rita sahe para o Aracaty : a tra-
tar com Tasso Irmos.
Baha.
O hiate Dous rmaot sahe para a Rahi : a tra-
tar cora Tasso Irmnos.
pequeos.
TBRC4-FEIRI, i'i DE OliTlBR.
CONCERT
35:3635786
Consulado provlaela!.
Rendiraentodo dia 1 a 20......... 32:5215869
dem do dia 21................. 8405950 de 1861.
10 millieiros de pregos balus
10 ditos de. ripaes da ierra,
o dito caixaes.
5 ralxas com folha* de fl.mdres de 27 sobre 18
1/2 pollegadas, 00 23 sobre 14 ditas.
Para o 7o batalho de infantaria.
10 pares de mala de tamanho regular.
Quera quizer vender taes artgos aprsente suas: PPllIlflPa T>}irtft
propostas em carta fechada na secretaria do conse- T^ ".
Iho administrativo s 10 horas da manha do dia 24! ug0 Su?-* orche*,ra ungida peloSr. Francisco
do corrente. Lihanto Colas tiver executado urna de suas esco-
Sala das sessoes do conselho administrativo nara' ,hi.dal over!,uras. representar-se-ha o primeiro
forneciraenio do arsenal de guerra, 19 de outubro acloda exce,leDte comedia em 3 actos :
JOSCOE'HOBAPOSA
iiioc;bcahwi.
33.3625819
MOVIMENTQ 0 PQBTO.
Navio entrado vo dia 20.
Ararac 15 dias, hiate nacional Sobralense, de
97 toneladas, capito Antonio Gines Pereira,
equipagem 8, carga sal ; a C. C. da C. Moreira
cv Irnio.
ObtervaeSo.
Nao houveram sahidas.
Antonio Pedro de S Barreta,
Coronel presidente.
Sebasttao Antonio o liego Barros.
Vogal secretario interino.
Coaselho de compras navaes.
O
MEDICO A PAO.
Secunda parte.
1-"Aria final da opera Lucia de Lamf.rmoor de
O conseibo promove no nia 22 do corrente mez G. Donlzelti, cantada por Jos Coelho Barbosa.
2." Grande phantasia sobre motivos
EDITAES.
. da opera
Somnambi-la, de V. BoIIib, executadana flautpelo
Sr. Francisco Libanio Colas.
3.aPhantasia da opera EnNAM, de G. Verdi,
execuUda no clarineto pelo Sr. Antonio Martins
Vianna.
Terceira parte.
Segundo acto da comedia.
Devendo ser de grande regosijo para todos
os llrasileires a realisacao do consorcio de sua al-
teza a augusta priuceza imperial cum sua alteza o
conde d'Eu, a cmara municipal desta cidade pus-
suida do mais ardente desejo de commemorar o
dia de to fausto acontecimento, pede aos seus mu-
nicipes qne illnminem as frentes de suas casas no
da em que chegar a esta cidade semelhante noti-
cia, e nos dous que se seguirem.
Paco da cmara municipal do Recife em sesso
de 19 a uuiul.ro de 1864.Luiz Francisco de
narros Reg, presidente.Francisco Canuto da
Ravjagem, secretario.
0 Dr. Trisio de Alinear Araripe, oilicial da im-
perial erdein da Rosa e juiz especial do commer-
cio desta cidade du Recife de Peinambucoo seu
termo, por Sua Magostado Imperial, que Deus
guarde, ele.
Paco sber aos que o presente edita! viren e
delle noticia tiverem qne por prle de Manoel Car-
pnteiro da Silva, Carpinteiro & C. e Joo Antonio
Carpinteiro da Silva, me fui dirigida a segrale pe-
cao :
Illm Sr. Dr. juiz dorommerrio. Manoel Car-
pinteiro da Silva, Carpinteiro & C. e Joao Antonio
Carpinteiro da Silva, querein fa/.er citar a Antonio
Rao para na primeira audiencia deste juizo fallar
aos termos de nina accao ordinaria, em a qual Ibes
peden a qnantia de 2:7925713, proveniente de
causas que nos arligos da accao que protestan offe-
recer na respectiva audiencia, melhor expressar,
Brando logo clado para todos slennos da causa
at final senlenca, pena de revelia ; e porque o
supplicado se ausentasse de.-ta cidade, e se nao
saiba o lugar reno aonde esleja, requerem a V. S.
os admita a justificar a ausencia, e sendo qoantu
baste o julgue pnr senlenca, mandando passar car-
ta edital por 30 das, para ser por ella citado o
supplicado para a mesma accao ; nomeando-lhe
V. S. curaHor in liiem.
Pede a V. S. deferimento.E. R. M.-O advoga-
do, linio Macedo.
E mais se nao conlinba em dita pelieio, na qual
del o seguinte despacho :
Justifiquem no dia 12 do corrente mez, 11
horas oa manha. Recife, 10 de outubro de 1864.
Alencar Araripe.
E leudo sido a referida peiicao distribuida ao es-
crivao abaixo declarado, foram depois prodnzidas
provas lesteoionhaes que eOectivamente lustiflra-
ram a ausencia do supplicado : e sendo sellados e
preparados os autos, vieran miaba conclusao e
nelles dei a sentenca que segu :
Hei por justificada a agencia de Antonio Bao a
quem mando que se cite por editos de 30 das para
o fim requerido a fl. 2. Re.-ife, 14 de oulubro de
1864.Tn.-tao de Alencar Araripe.
Nada mais se conlinba em tal sentenca aqu
transcripta, em virtude da qual o respectivo escri-
vao fez passar o presente, pelo theor da qual cito e
hei pnr citado o predilo supplicado, para que cum-
pan-ca neste juizo para oppor a accao ordinaria de
que trata a peticao soppra, e defeza ijue Ihe assis-
tir, sob pena de revelia.
E para que o presente chegue ao conhecimentn
de todos, ser publicado pela imprensa e alxado
ua forma da le i.
Odade do Recife, 18 de outuhro de 1864.
Eu Manoel Maria Rodrigues d oNascimento, es-
crivao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao do Alencar Araripe, oficial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco c seu termo, por Sua
Mageslade Imperial e Constitucional o Sr. D.
Pedro II. a quem Deus guarde, etc.
Fago saber aos que o presme edital viren e
delle noticia tverem, que pnr parte de Manoel Car-
pinteiro da Silva, quer fazer ruar a Antonio Bao,
para na primeira audiencia deste juizo ver a>signr
os 10 das da le as nove letras escriptura juntas
na importancia todas de 10:6175742 rs., cinco das
quaes anda se devem vencer, bem como a e>r.rip-
tuia, e bem assim os respectivos juros, oppondo no
decendio os embargos que tver, pena de revelia.
E porque o supplicado se tenha ausentado desia
cidade, seai que se saiba o lugar onde esteja, re-
quer a V. S. se digne admiiti-lo a justifica a au
sencia, e, sendo quanto basteo julgue p.,r senlenca,
mandando passar carta edital por 30 dias, alim de
ser poi ella ctiado o sup licado para a accao, no-
meando V. S curador in litera.
Pede a V. S deferimento.E. R. M.Advocado,
Brito Macedo.
E mais se nao continha em lila petico aqui
moi lom e fielmente copalae transcripta, na qual
dei o d-spacho do iheor seguinte :
Justifique no dia 12 do corrente me, s U ho-
las da manhaa. Recife, 10 de outubro de 1864. -
Al-ncar Araripe.
E mais se nao continha em dito despacho, por I
vista de propostas recebidas at s 11 horas da
manha a compra dos seguintes objectos do mate-
rial da armada :
200armellas, 8,000 azulejos, 12 bandeiras narlo-
naes de 2 pannos, 50 chapeos de oleado, 145 cova-
dos de damasco de seda verde. 50 esgunchos, 6
eserivaninhas de metal, 3 arrobas de fio de algo-
dan, 1,000 femeas de rede, 20 lanteinas de patente,
6 livrus mappas de 50 folhas, 20 arrobas de mia-
Ihar branen, 100 liegas de merlim, 1,000 libras de
presos de tinco, 60 raspas de ferro, 50 mei-s de
; sola da ierra, 200 lijlos inglezes e 40 duzias de ( in -i i't-1 rviTfa
tamas de amarollo ou vinhatico, patumuju' eu ara- j Velltal la pul IC
riba, de 5 polegadas de grossura e nao menos de; Meco all'altau di venere, cavatina de te-
33 ps de compri ment. or da opera Norma, cantada por Jos Coelho
Tambera o conselho promove no referido dia, Barbosa.
! bem como em qualquer outro de suas sessoes, 5"Grande phantasia por L. Couinx, sobre mo-
vista igualmente do propostas, a compra de ma- "vos da opera Norma, de V. Bellini. executada na
d.iras de conslrucgao para um transporto de lauta pelo Sr. Salu.-tiano Libanio Tenorio.
guerra. \ \
Sao sujeilos os que venderem estes ohjrcJolBl'
I multa de 10 por cento se na-> as enlregarer!; de
I promplo, e de 20 por cento caso sejam
Inlado, ou nao os fornecerem.
Sala do conselho de compras navaes,
tubro de 1864.
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Secretario.
Para a Babia pretende sabir em poucos dias
o veleiro patacho D. Luiz, capito Jos Texeira
de Azevedo, por ler parte da carga tratada : para
o resto da carga que ihe fal:a trala-se com os con-
signatarios Palmeira & Beltrao, largo do Corpo
Santo n. 4, primeiro andar.
LEILES.
mregarer.- de
n de m qua-
s, 17 de Su-
TIIEATi
DE
Quinta parte.
Terceiro acto da comedia.
Sexta e ultima parte.
6.aTe ma ciiiato L'o.Non mo, cavatina de tenor
da opera Poi.iiito, cantada por Jos Coelho Bar-
bosa.
7.aCavatina concertante execulada na trompa
pelo Sr. Paulino Candido Santiago.
8.aGrande variaco para clarineto sobre o
thema da aria final da opera Lucia de Lamehmooii, ; se vender aquella usa definitivamente pelo maior
execulada pelo Sr. Francellno Libanio Tenorio. prego que se adiar, advertindo em lempo que
------ ; terreno lateral onde tem o porto, fnreiro.
O Sr. Hermogenes Norberto de Gusmao, mestre
da msica do 2 batalho de infantaria da guarda
VIMa%%
DE
2 excellentes predios
A diulieiro ou parte a prazo.
Antonio Botelho Pinto de Mesquita
far leilao por intervenyao do agen-
te Oliveira, de seus ptimos predios
acabados em 1861, com solidez e a
moderna, sitos na ra do Apollo ns.
34 e 36, tendo ambos 52 palmos de frente livre de
paredes,os altes do de n. 34 e o primeiro andar do
de n. 36 lem 215 palmos de comprimenlo, o se-
gundo andar do de n. 36 lem smente 120 palmos
: de coraprimento com um lerraeo, os armazens
i tem 340 palmos de comprimenlo cada um, tendo
: ambos tambera frente para a ra do Caes d'Apol-
lo e de n. 36 tambora para a travessa do amigo
I porto das Canoas, estes predios foram edificados
pelo actual proprietario e com ptimos alicerces e
superiores madeiras.
MOJE.
ao meio dia em ponto nos indicados predios no
armazem do predio n. 36.
IiEIIaAO
IHMK
Sabbado 22 de outuhro, s 11 h'r;is,
roa da fadea arnuufiu n. I>3
|('E' positivamente sem limite.)
DK
Oma propriedade, chao proprio, sita na cidade do
Cabo quasi junto as oulcinas da estrada de fer-
ro cora porto ao lado, sendo na frente terrea e
para traz assobradada, assoalhada, aprasivel
lianho perto, cum militas vantageiis que OS pre-
tendentes desde j poderlo examinar, so assim
sero com vista satisfeitos para na realidade
fazer boa aequi-icjio.
Pelo agente Eiizebfo
\08 fi:0Ui'$O(Mi.
Sexta-feira 8 do corrente mez, ter lu-
gar a extravio la primeira parte da pri-
meira lotera a beneticio Ja mairu de Flo-
res, no consistnrio da grvjn de Nossa Se-
nhora do Kosario da freguezia de Santo
Antonio.
Os bilhetes, meios e qoartos arhann-se
renda na respectiva thesooraria ra do
Crespo n. 18.
Os premios de ti:00OOOO at I 000
serio pagos urna hora depois da extractar
at s 4 horas da tarde, e os ontros no lia
seguinte depois da distribuirn das listas.
Servindu de tbesoareiro,
Jos Rodrigues de Souza.
PI, %%
Para as parles ord narias das loteras ap-
provado pelo Exm. Sr. presidente da
provincia,
3500 Mneles a 65000............ 21 :U 05O0O
Beueficio, selo e coramisso 24 0|0.. 5:04i4H0O
/ Liquido..... 15:9605nn
Premio de........
Dito de___.......
Ditu de.
1003000
4i>.5ooo
2u0iHHi
104000
6:0005000
l:lionno
5005000
2OO50OO
5014000
1005000
3805000
5H5000
65000 6:0605000
---------itetmtm
Dilo de..
Di las de
10 Ditos de
19 Ditos de
52 Ditos de
1010 Ditos de
1100 Prpmios
2400 Urancos.
3500 Bilhetes.
N. B. Os premies maiores de 4005000 eslo n-
jeitos ao descomo da le provincial, e os mMrr>
de 1:0005000 ao da le geral.
Thesouraria das loteras 20 de ootnhro de 1864.
O Ihesoiirer alenao,
_______________ Jos Rodrigues de .Souza.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ma do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem tysissrwSojj aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer Lora pa-
ra o exercicio de sua pre-
fissao, chamado por escripta.
Ha para alugar-se no lugar la Torre
um sitio cora casa bastante fresca, com .sete
quartos, banho porta, baixa de capn e va-
rios arvoredos fructferos do paiz. mj felo
tempo da festa : quem o pretender dirija-st*
ama da Santa Cru/n. 60.
EMPREZA
GERMANO & COIMBRA,
9a recita d assijsiiatura
nacional, tocar com sua banda de msica, por es-
pecial obsequio, das 7 s 8 horas da noite.
N. B. Os bilhetes pdem ser procurados segun.
^ da-feira, no escriptorio do theatro.
JLEIliAO
)
SABBADO- 22 DE OUTUBRO DE 1864.*
Subir scena com lodo o apparato exigido
pelo aulor, o Sr. Jos Romano, o magnifico drama
sacro em 3 actos e 5 qaadros : ,
OS
?IS0S M1&ITIM0S.
Tres
0E
Germano.
Lisboa. f
Pinto.
Boraaa.
Guimaraes.
Santa Rosa.
Teixeira.
D. Antonia Reg.
D. Antomna. f
D. Camilla.|
D. Mana da Silva.
D. Maria Pontes.
D. Francisca Balbina
N. N.
PERSONAGENS.
Constancio, cesar do occi-
dente.......Porto.
Sequilo, patricio romano e
senador......Coimbra.
Orosio, chele dos christaos,
octogenario.....
Gabriel, lilho de Orosio .
Deci". grande sacerdote de
Jpiter......
Lucifer.......
Plato, centurio romano .
Polion, guarda dos carceres.
Isaac, judeu,cscravo de Afra.
0 arebanjo......
Afra, rorteza romana .
Harina, virgem chrisla. .
A f........
Enmenia, escrava de Afra .
Digna, dita......
Euprpia, dita.....
Senadores, lictores, sacerdotes, sacrifleaoores.
auruspices, virgens, centurioes, decenarios, solda-
dos, povo romano, novo chtisiao.
A sccao passa-se na cidade de Angosto (boje
Augsbourg) no anno de 303 da era chri-iaa,sendo
imperadores, Maximiano Hercules, no Oriente, e
Deocleciano, no Occidente ; e re>ares, no Oriente,
Galeno, e Con-taneio, no Occidente,
Todo o scenario novo, pintado pelo distincto
scenogratiho o Sr. Veneri; consta do seguinte :
1." acto. Lugar munlanhoso e selvajrem bosque
de cedros, grutas que em tempo se trausformam.
2"acto. Rica e sumpluo>a habitagao de Afra.
3." acto.Sitio rmo.O templo de Proserpina
em ruinas formando a entrada das Caiacnu bas,
que em tempo, pela transformacao deixa ver o
interior.
4." acto.O magnifico templo de Jpiter, com
lodos os seus accessorios ; esta decoraco 'digna
de especial menean pelo goslo e riqueza com que
est teita.
S. acto. Carcere ; em tempo transformado para
scena final.Vista d glora, preparada para todo
o theatro, e que deve produzr maravilhosoeffeito.
O machinismo enrarregado a um artista, hbil
pode asseverar-se que rorrera a contento.
A msica, do Sr. Colas li ho, fui escripta exprs-
smente por este artista, com o gosto que todos
Ihe reconhecem.
O vestuario novo e ao gosto da poca.
Comecar s 8 horas.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos nortos do norte espera-
do at o da i de Dovemhro u va-
por Paran, commandante o ca-
pito de fragata Sama Barbara, o
qual depois da demora do costu-
me seguir para os porto- do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever!
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de Au- \ casa terrea nova e2 casas de taM
onio Luiz de Oliveira Azevedo & C. i;.. a-h
e alicerr.es inri ertifiracao, e 1 vi-
casas /eneas.
Sem limites.
0 agente Almeida competentemente autorisado,
fara leilao de tres casas terreas, urna na ra do
Rosario n. 13, com 2 salas, 3 qoartos, rosinha fora,
quintal e cacimba, a qual offerece muito boaspro-
porcoes para urna taberna.
Urna rliia na ra dos Prazeres n. 3, com 2 sa-
las, 2 quartos, eosinha fura, quintal e cacimba.
Urna dita na ra do Colovello n. 37, com 2 sa-
tas, 2 quartos, eosinha fora, quintal e cacimba,
lodas na fregmzia da Boa-Vista.
SesuiHa-frira 24 do corrente
porta dos Srs. Palmeira & Beltrao no largo do
Corpo Santo, ao meio dia.
Companhia Pe nambucana le navega-
veirodepeixe na roa imperial pr-
ximo a ponte dos Afogados
(Tudoem um so lote.)
Chaos foreiros.
Terca-feira 2o do corrente
ra do Vig-
cao roste ra a vapor.
liba de Fernando de .Nonuilia.
No dia 4 de
n o v e m b r o ao
meio da segu
um dos vapores I s 11 horas no armazem da
da companhia pa-j -0 n ,ft
ra o presidio de1 ,u-
Fernando. En-
commendas, pas-
ro a frefe at o dia da sahida As H horas da ma- antorisart'! Por uma pessoa de sua amisade vende-
uha: escriptorio no Forte do lattos n. 1 ra ea2leilao uma rasa ,errea prn chaos turrito^
-------rnnnkKiur~nv>nirk\Mrrmr>-------- : com 2 janellas e portas de frente. 2 salas, 4
COMPANHIA PLRNAMBUl.ANA quartos, 2 janellas no oitao que nlha para a otra
dk da de ferro, 1 viveiro de peixe, 2 casinhas de tai
NatfSaCaO rOStein a VaBOr pa ,,l,e Tenem I0*500 mensae?, sendo tudo isto
T,in,iii, R,rM cmn^A d j n l coHofa4o bb tnwiot fM palmos 6ofreo-
Tamamlare, Barra Grande, P..rto de Pedras, te e fundo at baixa mar.
Camaragibe, Macei, Penedo e
Vende-se na praca da Independencia n. 39, lojp
de Antonio Augusto dos Santos Porto, capellar
n ortuarias de gustos mais moderno-:,' qne i m
vindo al agora para se dtar-m turnlos e cata-
cumbas no cemiterio publico no dia de finad.*,
com as escnpcSes seguintes meu esposo, ninha
esposa, men pai, minha mi, Tien filho, mini fi-
Iha, saudades semjire vias, amis.i*?, nma lagri-
ma ; desta qtialidade nunca viera/n para serrai
vendidas nesta provinria.
A(inHK6
Francisco Jos do Rosario Barroso, antig relo-
joeiro, nesta cidade, continua a exerrer a arte .le
sua profissao na ra Bella n. 3, aino lojrar nV
seu domicilio : asseverando aquelles que o h.,nrarK
com sua freguezia que sero servidos coro prootp
tido no desempeiibu de ma arte.
I)eseja-se fallar ao" 8r. Imm/t Jal
Antonio de AJbuqiierque. a orgoeio do ata
interesse: na tivraria n. 0 e 8 da prarada
Independencia.
0 Sr. Osear Doatibema m lem !..ja
de calcado na rita ila Impeatri/. n. 5, quei-
ra dii igir-se a livraria n. fi e 8 da praca d.i
Independencia.
Precisase de dous amissalores de macei
e un funieiro : na ra larga do Rosario n. 16.
Precisa-se de nina ama de lV-TcTiilm*la para
o servico nlerno de casa de pe.pi.na familia : a
na dos Guararapes em Fra de Portas n. 30
sobrado.
- Aluga-se una ca-a com 3 quartos. quintal e
cano de esguto, sita na ra do Mundego n. 1", jun-
to aolana n. 13. onde se trata; dando-se licenra
para fazer-se o despejo no quintal da dita otaria,
on.le ha l>anhu saldado.
Em Sant'Aona aluga-se uma casa muio Irev
ca, concertada de novo : a tratar rom o solinudur
Manoel Lniz da Vciga, na na da Gloria n. !>4.
Aburase o quarlo a miar da rasa *ifa i roa
Nova n. 21 : a tratar na mesma ra n. 8, loja do
cha.
Na ra da Gadeia do Recife n. 55, primeiro
andar, tem uma carta para o Sr. Antonio
da Uoneeieo.
i .riailu.
Na ra Nova n. 61, precisa-te de um criado.
Aracaj-
Nodia 5 de
LEILAO
o da 5 de novembro segu DE
dos\^'r^rtSrl,n^D,'irKdos U,S U"1 carroca rom um bonito k-i
dos vapores dessa companhia, as 5 T ,,
horas da larde. Recebe carca Tcr "'e,ra ** corrente, as I(
segu
' manso
iuy amia -, uu iamiciiic, o 10 Il0~
. smente at o dia 4; emonimen- ras em fronte a porta da alfandega.
das, passageiros e linheiro a frete at s 3 horas CorVim Simoes autorisado por uma pessoa de
gM* op d'a da sahida : e:criptono no Forte do sua arnisade, vender em leilao uma carrosa e um
boi gordo com bonita figura, manso de carroca.
Mattos n. 1.
COMPANHIA PEBNAMBUCANA
DE
IVavegato costeira a vapor
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear,
Acaracu' e Granja.
No da 7 de novembro segu pa-
ra os portos acuna indicados um
dos vapores dessa romnanha, s 5
horas da tarde. Recebe carga so-
'mente at o dia ; encommendas,
passageiros e dinheiro a frete al s 3 horas do
da da sabida: escriptorio no Forte do Mattos nu-
mero 1.
Eio de Janeiro.
O brigue Beltzario segu mpreterivelmente no
dia 23 do correte, recebe carga e esc.ravos a fro-
te : trata-se cem os consignatarios Marques, Bar-
ros & C, largo do Corno Santo n. 6.
LEILAO
DE
IIM ESCRITO
Ter^a-felra tft de ontnbro.
O ag^nt Pinto far leilao precedida a compe-
tente aotorisajao de um moleqne crioulo por no-
me Benedicto, s 11 horas do dia cima dito em
seu escriptorio ra da Cruz n. 38.
AVISOS DIYEBSOS.
Precisa-se alugar um sitio por anno que te-
nha casa grande rom commodos e em horn estado,
cummodos para fetor e escravos. e trrenos para
plantacao : a tratar na ra da Imperatriz, loja nu-
mero 20. r '
Na na da matriz da Bna-YMa, casa n. 24.
fazse comidas para fra, com assem e promptido'
lava se e engomma se com perfeieu e l.rend ido.
tudo por preeoM comm >dos : lambein se dir qneni
pa dinheiro a juros em pequeas quanlias sobre
peuhores de ouro e prata.
Aluga-se a loja e o andar terreo na roa da
Palma ns. 66 e 68 : a tratar na ra do Imperador
numero 9.
Quem aununciou precisar de 1 lOOOiff-jora*
mensaes de ."iu, dirija-se a rla typovraphia eja*
onconlrar urna carta com as umiaes R. R. IL ra-
dicando quem faz esse negocio.
Precisa-se da quantialle 8004 a premio de t
0|0ao mez por HNk mam, com hypuUVea na qaxr-
ta parte de um sobrado de dous andares que valV
6:0005 : quem quizer fazer etr negocio anmincir
ou dirijae a rus do Padre Flonano no .-obrad" a.
21, primeiro andar.
Quem quizer dar a quaolia de FOOjTpav
gando-se tolos os mezes 50 pelos juros, e peto
einjio que se convencionar, annunne.
Attenco.
Apresenta-se ao respeitavel publico e aos amigo
da boa pitada, oexcelleute rac denominado Ro-
lan Imperial do Brazil em Pernambuco oqnai lev-
do sido examinado por uma crmimissao de bis chimicns, nom-adus felo Illm Sr. Dr. inspector
da sade publica para es-e lim, foi julgado rapaz
de ser offererido ao respeitavel piililicn. expond.ne
a venda ; pelo que acha-se e.-te hom rapaas loa-
tro freguezias da cidade, na d > Bertfe raa Ja Ca-
da n 53. Sanio Antonio roa do Queimado a. 45c
larga do Rosario n. 38. Boa Vi-la roa 4a Impera-
triz n. 53 e em S. Jos no deposito feral dote ge-
nero, ra das ijn'i-l'oot.is n. 140, pelos simales
procos: de 1 a 5 libras 14280 a libra, 10 libras
I200 cada uma, 20 libras a 14100 cada orna e H
libras por 50H00.
_________________Joao do Amaral Rapom '
Aiuga-se urna evxravj qne cozinna, engota-
ma e cuse quem precisar d rija-se ao sitio da ea-
pella na estrada de Joao de Barros.

MOTILADO


OUrlo de fcrnaKbne* abitado t* de uiubrt, i*4.
PADARIA NIO.
10 LARGO DO TERCO 10
Esta nova padaria aberta ao publico (e perlo da estacao do caminho de
ftjtro), acha-se montada cora espaco mais que sufficiente para po ter fabricar rom r
Ilmpe e eel toda a qualidade e quantidade de bolada, pao, bolachinhas, bis- obra,Z XSB^JBJ^i^
co.tos e todas as magas que se desejar a precos mdicos e razoaveis. jram formar un SQBtSASu
o <.no do estabelecimeutu n5o poupar exforpis para bem servir ao Dublico 3?0:00c'*000.p Mffca d 30*000, com s
Tabella que
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S. FRATVrKrn
e leo. de re8lar as hora, de pnrtuidifirenB S^^gSSSWS1^
---------- _____1881, at segnndo aviso. c ,
iTf nitro e
BSTAGES
v u.-iiu uu nwmnuMM nao poupara exiorc^s para rem servir ao publico zr"vv,vuuz.-
c jos seos amt*>a e freguea, asseverando-lhe desde j que so empregar farinhas e$-\^SSf*
colindas e das mo horas que vierem ao mrcalo, ou das que receba de conta propria. I Aspessoas
tiupieza das trhitv uibnuas
ipipgros onda vapor.
Tendo chegado da Europa I tofoffnacocs e dse-
nlios que os roncesMonarios de privilegio manda-1
rsm vir pelo engerineiro que tem de execuiar a
resolve--------------------,_____
de
as cr.ndi- unco Ponas (partida)
TftBM i-ama o iMil.ion
Djis rts* trn-
IhIIi:
mamiaa I taii
H
apresnaladas aos que qulzerem to- Afugados
Ikia Vi'ace
,-------------------..,. propria. As pessoas qae riuizeretn ser accionista desta Pwwres
ao puniico em geral e aos seus amigos em particular pede que experimenten),! importante empreza, podem dirigir-* qualquer gta .
dos abano asignados, on aos correctores Vasco W* -
cel o, Uaniede, Guiroaraes, Galis, Doubourcq, Ma- Moca.
cedo, Se ve, etc. 01 inda.
iagetn
pira so convenceren! do que assevera em seu annuncio.
loaqvalaa metano de < jrvalho
FHEGlIEZIA DE S. JOS. I
A eommissSo encarregada da promptiflracao das
obras da igreja matriz de S. Jos do Re-.ife, faz
sciente a todos o fiis, que domingo 23 do corren-
te, pelas 4 horas d i tarde proceder-?e-ha a hen-
ean da cruz que tfm de ser enllocada no frontis-;
pifio da igreja. Esta solemnidade lera lugar na I
igreja de Nossa Senhora do Trro que serve de
nutriz, e em seguida ser condnrida cru? tm .
Rflga a eommissan as respeitiveis corporacoes
CASA DA FORTUNA
AOS 10:000.000
Hllhetes garantidos
A' roa do Crespo o. 23 e casas de eostane
O abano assignado vended nos seus muito feli-
religiosas desia cidade o especial obsequio de man
dar repicar os sinos 'le suas grejas essa hora, ao
signai de algumas girndolas de f.igo do ar, bom-
bas grandes, pelo que Ibes ser muito rala.
1 seguirte* premios:
N. 174 tres quartos com 6:0005000
N. 157 um inteir com 6005000
E nutras moflas de 200-5, 1005, 40J e 125.
con.os das leis na Gasa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da quarla parte da ter-
Bnro do Livramento. Timb Ass .
Jos Bernardo G. Meo forado. [Estada .
A. Luiz dos Santos. Frexeiras .
Os abaixo assignados havendo contratado com o Aripib. .
governo provincial a collocacao de trilh.* urbanos RJMirio .
da cidade do Hecife at Apipucos, e tendo obtido Gamelleira
as ntbrmaees que erara indispensaveis para a Gnyantbura .
execucao da empieza, teem resolvido formar urna Agua Prera .
companhia anonyma para a sua realisacao, e com Una f.-llegada)
as seguiotes bases :
Artigo I. O capital da companhia ser de tre-
Matos cornos de ris, divididos em acedes de 805,
reahsavcis em prestaeoes, sendo 25 por cento logo
que e.-tiver formada a companhia, e o restante nos
prazos indicados pelos emprezarios, preeedendo
aviso de 30 dias.
5*I*> Porm, este capital ser elevado ris
8
8
8
8!
8:
9'
9,
;
lo
io;
to:
11
ti!
12'
2
M.
6
18
24
O
10
2i
39
54
10
:
56
15
;h
58
19
46
II 1 .
4
{
4!
8
S
10
16
28
34
S
25
1 ft:into
MAMIAA
II
/
7
7
7
8
8
8
9
!
8
10
11
l
12
.vi.
30
36
49
55
20
43
57
12
27
44
12
30
49
12
32
5'
TAHIIK
II
M
25
30
42
4
15
30
estacOes
THKKn ut l.M khium
ti:illin
>HMH\
II 1 II
TARIIR
M
l'na (partida)......
Agua Preta.......
r.iiyamhuca.......
Gameli-ira........
Ribeirao.........
Aripib..........
frexeiras........
Escada ..........
Timli Assd ......
Olinda .. ......
Ipojuca..........
Gabo...........
flha ..........
Prazeres.........
Moa Viagem ......
A togados ........
Cinco Ponas(checadni
""
:h
IB
li
20
33
46
V) jiz da irmanda l:> de Sa-ti>siin<> Sacramen-
to da t(-('friifzia de R. Jo- do Hecife, convida
iodos oWus charos irmaos, para domingo 23 do ceira lotera a beneficio da Sania Gasa da Miseri-
corrente, xas 4 horas da larde, reunirem-se na cordia, que se extrahir no da 22 de outubro.
igreja de Nossa Senhora do Terco que servo de Precos.
matriz, afim de assistirem ao acto solemne, da bea- j **" -
eao da cruz do frontispicio da nova igreja matriz e
incorporados acompanharem a mesma, ao lugar I
que teni de ser arvorada.
Os possuidores podem vir receber sem os des- 400:0005000, se para o futuro quizer a companhia
;res-1HKr pr<'longamento on ramal.
a ta-
- Preeisa-se alosar urna ama de leite :
tar na ra de Queimado n. 28.
Proeisa-se fallar com o Sr. Reroardino Anto-
nio Lisboa a nesocio de sua familia ; consta que
este *e!)lir leve ou esteva em um armazern de
fannha na ra de Santa Rita : pede-se ao dito se-
nhor ou a queindelte d.-r noticias, deapparecer na
ra larga do Rosario n. 34.
Precisas > de u-n rapaz d-i t 16 anno* pa-
ra eaixeiro de taberna, tendo pralica da mesma :
a tratar n as Cinco Puntas n. 93.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios......... 65i KK)
Quartos........ 35000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115000
Meios......... 55500
Quartos........ 25750
_____ Manoel Martins Fiuxa
Art. 2. Os emprezanos se obrigam a fazer as
obras que forem precisas para a collocacao des tri-
Ihos, inclusive as desapropriacoes, ponte de ferro,
que tem de ser enllocada no rio Capibaribe, duas
estayoes para recolhimento do trem rodante, a dos
objectos da companhia, que serao com a simplici-
dade possivel, tendo-se somente em vista as ac-
cftmmodacoes e seguranca, sendo urna no ban r. de
Santo Antonio, e outra as proximidades da exlre-
BUdade da linha ; a fornecer 10 carros para pas-
sageiros e 2 para carga, e 3 locomotivas, e tudoisto
j nos prazos estipulados no contrato.
Art. 3. Concluidas as obras serao es trilhoscom
j os objectos cima indicados entregues companhia,
1 que desde logo entrar na posse e admioistracao
da empreza, e gozar dos privilegios, isences e
vantagens que foram concedidas aos emprez'arios.
salvas as diposicoes aqui declaradas sem que de
parte a parte possa darse reclamacao, ou possam
os emprezarios exigir mais do que a referida quan
ta de trezentos contos.
Art. 4.- Os emprezarios se obrigam solidaria-
mente ao cumprimento do que lira declarado, do
que se lavrar auto aulhentico.
Art. 5." Pela assignatura se obrigam os accionis-
tas ao que Oca declarado e ao pagamento das pros-
tacoes nos lempos que forem declarados. No case,
porm, de nao pagamento de qualquer das presta-
Mes em dito lempo, perder o accioni.-ta o direito
das prestacoes ou entradas que houver feito, e
r-i%-i ^vT -irj:i-------- !>na.n(, na" reallse primeira, poder ser coagido
Calxelro. Lm^5*" Independencia, loja de ounves judicialmente ao pagamento da tolalidade da
Nos armazens da Aurora Rrilhaate no largo da; n- 33, cornpram-se obras de ouro, prata e pedras aeco. wwnwne oa
An. 6. Nao ser permitiida a transferencia de
Precis.-t-st de urna ama qu saiha eozinhar e
engommar para casa de pjuciEmilia : oarua da
Roda n. 41
Precisa-seda ama escrava para comprar e
cozinhar homem solteiro : na ra do Qoeimado
n. 32, loja.
Precisa-sa de um amassador que entend do
Casa paraaltijrar na ra dCrespo.
Aluga-se a principiar em Io de Janeiro prximo
futuro o sobrado de ires andares da ra do Crespo
n. 9 : quem pretender, dirija-se ao estabelecimen-
lo da loja do mesmo sobrado, ou 110 de n. 13 da
mesma ra.
Precsa-se de urna ama de leite que seja cui-
dadosa e tenha muito e bom leite : tratase e pa-
ga-se_bem : na ra do Rruin n. 84.__________
Aluga-se urna casa em Reher be : a tratar
com J. I M. Reg, na roa do Trapiche n. 34.
Precisa se de urna ama para cozinhar eTn-
gommar para duas pessoas : na ra do Imperatriz
numero 46.
Sania Gru, precisarse de um eaixeiro com pralica I preciosas, assim como se faz qualquer obra de
de taberna.
Preeisa-su alagar uma ama forra ou escrava
para comprar e cozinhar : na loja da ra Nova
numero u.
commenda. e todo e. qualquer concert.
en-
Alaga-se o primelro andar do sobrado da roa
imperial n. 112, tem 6 quartos, 2 salas, terrac-.,
coxlnha fra, muito fresco, e tem boa vista : a tra-
tar na ra Direila 11. 6.
Na easa onde etite SOcaixoes com doce que
foram comprados a um matulo e dado em dita casa
para guardar, far o favor mandar eulregar na ra
da Gsdoia n. 17.
O secretario da irmandade de N. S. r/"l
ferco convida a todos os rotos para reu-1 a
acc.oes, ou dos recibos provisorios, antes de esta-
rem integralmente pagas, salva a respon 1 accionista, ou consentimento dos emprezarios. .
Art. 7. Logo que estiverem lomada as arenes
Dllo de mesa geral domingo 3 pelas II serao os estatutos submetlidoa ai.provacao dos
horas, visto nao ter ti lo lugar no dia IG, aBrioniatas pata qae seta logo encorporada a com-
para se elegerem os novas funecionarios pan!,,a>sem lue ** Pr este relo tenha ella
aadadfl no annn Ho \7BSg^**&*<** cl,a'"a"a
jue Um de reger a irraaadade no anno de
1805.
e recebiment das presiacSes.
Precisase de uma ama para casa de familia:
na 1111 torga do Rosario n. 37.
l'rocisa-se i|.- u-n amansador : na padaria do
Varadouro em Olinda.
Art. 8. Aos emprezarios se reserva o direito do
Na vraria da rca da lo Ipnendpncia r*?bet rta 'hesourarla provincial a quantia de de-
n.6e8, precisa ;^ -.- de ser paSa em
lo, antes que se retire tiesta provincia.
Avise,
O Sr. relojoeiro Caelauo M ireira Pontea queira
entregar-me o meu rel..gio de ouro para ajgibeira,
q;io entregue|-lhe para lnnpa lo ha mais de um
:vuw. Marceno Jos .opes.
Da cidade deVTnerezina peoVm um phanna-
ceuiico para dar se:lh so iedade em uma botica
alli estabelecida : quem quizer aceitar es>a com
missao, ap|iareca na ra do Queimado n. 33, loja
"-ii'raiiei. que se mostrar a carta de convite e se
,,)ii;binar o reslo.
prestacoes, para indeinnisaeao do'adianta-
I meato que teem de fazer |iara desapropriacoes, sc-
-^r ; gundo o i|uc est estipulado no contrato.
. Art. 9. Os emprezarios tomam por sua conta e
r,!:i contos de ris em acco, ser um
nato em quanlo forem accionistas,
e terao pissafem gratuita em qualquer dos carros
Piiblleapo Iliteraria.
Sabio luz o opsculo intitulado
A LIBERDADK
NO
roa
Affonso de Albuqutrqne Mello
Gonvidam-se os assignantes a mamtarem receber
cus exemplares na prar^a da Independencia ns. 6
S, pie serao entregues vista dos recibos das as-
.'ii ituras alii lambem eslo exposios venda a
liS^W cada am. Sao sob os seguintes ttulos as
:interias de pje se ancana :
liitroducco.oeieila liberdade. O Rrasil eo-
ionia.Rcvoiuc.li de 1817A IndependenciaA
eonstitntnteAconstilaicioA revolugao de 1824.
A expnlsao ou abdieaco. A regencia livre. O
partido regressista. Ameaea dos corcundas e que-
da dos livres. A regencia corcunda. Causa dos
males da regencia livre. Regencia corcunda e
maioridade. -Principios do reinado de f>. Pedro.
Revolta- de Mina< e S. Paulo.Dominio da Praia
Ciizia. O dominio liberal nao inqiuetava os cor-
undas.Keitos do dominio liberal. -A praiaeChi-
.-horrosenatoria.A revolta e a revolucao de
i848 A constituinte. -A consiiiuinte.-Derrota
da revolucao. Negoeiaeae de Honorio com os libe-
racs :traidores.-Venda da liandeira da cons-
ituinte. O partido liberal durante osquatorze an-
uos do chamado ostracismo. Os corcundas e os
libones durante osqintorzeannos.Gapliveiro re-
signado e voluntario dos liberaes durante os qna-
torze anuos. -O povo corcunda, ou os vermelnos e
'- sihios. -A situaQao propriamente poltica. -Ins-
ituicoiis livres, e direilos polticos que ti vemos
M o lm da regencia livre, e o que actualmente
temos em lugar del les. -0> represi-ntanies da a-
cao e das provincias. Situacao administraliva.
0 que sao nella os Portognezes. Como o gover-
no c nbrigado a corromper o paz e a fazerlhe
fsempre maior mal.Como se multiplica e se paga
1 clientella do governo para sustenlar-se o impe-
li eorcunda.O procnsul.-O pr.-consol da co-
mari. -Dos cargos, tos crimes e da punico.A
justica.-Jub.es municipaes.Juizes de direito.
'fribunaes. Os das Relages.Tribunaes do Com-
mercio. Supremo Tribunal de Justica.O jurv.
Os advogados.Cnm-iuso. Garanta dos direito.
A moral publica. Dos crimes.As eleieoes.
Gnroliario da obra saquareraa. O que a pa-
tria. Stnaco para com o exterior. Sitttaco
inanceira. As Maneas do estado. -A miseria -
tVrigo e salvamento dos corcundas.-A liga.
Gomo se congregara os elementos para ella.-Gon-
.-ili-racdes retrospectivas. A constituinte. Prepa-
ro antecedentes. -Conciliario e opposice parla-
mentarMonta a la. O que sao os Maraes na
liga.Que bem farao os liberaes ao paiz.O pro-
gresso.Seus feitos.O que r- o progresso e que
.ira.Como se deve vi ver nesla trra erhegada
^0 progresso.Porque o prngresso s vem com-
pletar nos-as desgracas e sem mais remedio.Se
ta salvadlo para ns'qual seria o meio e bem f-
cil. -Resumo. -A's cinco provincias pernambuca-
as. Ilstoi ico e poltica corcunda. De que pro-
vin a miseria. Como se corrompe na eleicao.A
restriego da llherdade apar do progresso daimmo
r-ilidade.-Gorollario.
Pede-se ao Sr. J. V. I). V.
de Frexeiras, o favor de mandar pagar
CannoT"1" ** ""^ ^ """ aUn',, D larg0"d0 K direc.o'r
O secretario da irmandade de N. S. do Tertjb da companhia
convida a todo os seus charos irmaos para se reu- i Ai 1. lo. Pira entendido que as deiw>7as at aco-
nirem era nossa igreja no domingo 23. pelas 4 ho- J ra fetas, e a me se houverem de Jar.,., para ;
ras da tarde, para a irmandade encorporada as-1 orporaco da cnm|.ai.bia, registros, ata- serao por
siltr a bencao da-Cruz que tem de ser coilocada, conta dos emprezarios, por modo que a companhia
no frontispicio da nova matriz de S. Jos, e em se-: entre 110 gozo o posse da empreza para ser expo-
suida ser conduzida em procisso |ra seu respec-
tivo lagar.
Quem precisar de utn moco para eaixeiro
com pralica de ecripta por partida simples ou
lobradas, danto Sanea a sua conducta, dirija-se ao
pateo de S. Pedro, sobrado n. 6, segando andar.
Precisa-se de tuna escrava ou escravo para
alagar: na roa do ti ispco n. 62.
Aluga-se urna ama para casa de familia, sen
do cozinIHra e eogomandefra : na ra Aagusta,
loja da esquina n. 33.
Aluga-se uma ama que aaiba bem cozinlnr e
de boa conducta, preforiiido-se escrava : na ra
estreita do Rosario n. 32, primeiro andar.
Alu^a-se
uma boa casa para qualquer negocio, com solio i
para morada independente, sita na praea da Boa-1
Vista a. 18 : a tratar no fim da ra estreita do i
Rosario ao voltar para o pateo do Carmo n. 47.
Arrendase por f.-sta 011 annos oYoiiradinho
em freute da matriz do p.ico, com commodos para
oeqnena familia, mas com boa vista e muito fres-;
co, d'onde se v todo o fe-tejo que se costnma fa-
zer na feta da Senhora da Saude, peno dobanho:
trata-se na travessa do R-medios, no sitio que tem
duas maca-iras no porio.
Precisa-se, failar ao correspondente do Sr.
Augusto Dias Martins, negociante do Araratv, a ne-
gocio de iuteresse do mesmo senhor; o para isso
pede-se-lhe .pie se sirva de annunciar o lugar de
sua residencia.
Aluga-se uma preta oara o servc.o externo
de uma casa : na ra dos Coelho n. 9.
Aluga-se o sobrado do um an lar solo~da
ra de Aguas-Verdes n. 27 : a tratar na padaria
da ra Direita n. 84________
Crvele.
Na ra larga do Rosario n. 37, primeiro andar,
vende-se todas as noes sorvete muito bem feito e
om copos grandes a 240 rs. II...
Antonio Luiz de Olivcira Aze-
vedo A C
4gente> do Banco Iniuo do rVtt,
Oimpetentemente autorisados sac.am por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as segni ntes agencias.
Londres sobre Ranh of lindan
raoa por sua conta e vantagem, medante o capital
declarado.
Art. 11. Nao se faz o calculo dos lucros prora*',
veis e das vantagens da companhia, porque esta !
apreciacao est ao alcance de todos, e nao dse-
jam os emprezarios fazer nutrir esperanzas que ]
parecam exageradas, posto que effeclivatiienle o
nao sejam.
BivSo do Lirramrnlo.
Josa Brrnardo alvao Akofomdo.
Antonio Luiz d-s Santos.
Pars
Hamburgo
Barceliona
Madrid
Cdiz
Sevilba
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Hareellos.
iastos.
Beja.
Rraga.
Brag.-.Qca.
Faro.
Oliveira d'Aze-
meis.
Penatlel.
Tavira.
Villa do Conde.
Frederic S Ballin & C
Joo Gabe A Filho.
Francisco Rahoba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e todas as molestias
provenieutes deila
todas as molestias da
pelle
eberv.sipellas, tumores, ulceras,
sarnas,
n,i-cilla-, rnijiinqpii-,
REUMATISMO
SYPII1XIS
em todas as sua formas, a-siin como iodo
o mal que prevn) do uso exceasivo do
MER.URIO
tJlceravo do ligado
e em sarama todos os males que tem sua
origem na
. IMPUREZA DO SANGUE
um alterantf poderoso para a
RE.\ 'VACAO DO SANGUE
e para dar nova l'o>ca e vigor ao corpo j
enflaquecido pela doeoea.
Vende-se na ra Direita ns. 12 e 76 e
Hospicio n 40.
Vende-se em Perriarabuco:
na pharmacla franceza de
P. MAURER i C.
RA NOVA N. 18.
Angra Terceira.
Caminha.
Casiello Branco.
Chaves.
('."imtira.
Covilnaa.
El vas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa xNova
Portmo.
do
INJECCAO imow.
Remedio inl'allivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na 00-
Cica franceza, rna da Crnz n. 22, pre
Figueira.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
La mego.
Leiria.
Moucao.
Moncorva.
Regoa.
Settibal.
V'anna do
tf lio.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Paial.
Nojmperio.
Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qnalquer somma praze ou vista.podendo logo
os saques prao serem descontados no mesmo
Banco a razao de 4 por cento ao anno
na ma da Cruz n. 1.
Compaohla da estrada de ferro
do Reclfe ao *. Franelseo.
AVISO.
Pela superintendencia desta companhia se faz
potinco une se acha justo com Mn Chiy.o>tomo !
de Oliveira IVJagio a venda do terreno marmm
ao rio Sermhaem denominado Areial da Cachoeira
boje Porto ilas Jangadas, o qoal princiida a mar-
gem do rio Sermhaem, e limlta-se com os terrenos
da companhia. sendo este terreno de quinhentos:
ps de exiensao, a contar da margem do mesmo
mSerinnaem t cem ps de largura a contar dos
1 lirmtes da companhia.
Se alguem se julgar com direito a qoalqaer re -'
clama^ao devera a|iresenla-la no escriptario da
villa do Cabo ou publica la por este jornal dentro
do praso de S das desta data; ndo o qual nao-:
sera admittida.
Pernambuco, 19 de outubro de 186i.
Offerece-se um rapaz de |8 annos (>ara caj-
xeire de qnalqiwr casa de negocio, e d fiador ,
sua conducta : quem o quizer, dirija-se rna do
Cotorelto n. 43.
O pliarmaceiilico Antonio Luiz da Cosa, do
Rio de Janeiro, deseja saber notH-i.w de seus Hlhos '
I
I
I
i
2
]
3
1
4
\
4
4
S
s
:
>
- II.-**. a
;i
10
:
;h
19
39
SH
16
i7
18
Mi
4K
'1
311
m
.11
INJECTION BROU
PERFUMARA medica hygTica
i J.-P. LAROZE, qumico, pharmaceutico de la Escola especial de Pars.
1 ,ESt" !ff2? yV-P""" da "Plicaio das leis da hygieae ptrfaluria, que se ertue t
tornase pharmacia da belleza encangada de prever i hygiene da pelle, dos cabellos, dos denles
rgios 1.0 importantes; Mito ev.ta c destroe as causas las doenVas que sua irmn mais lha
harmacia propriamente chamada, tem que curar.
timnilCIO para curar imediatcmentc as
re ou rairas de dejiiea; o vidro 1 fr. J5
Os DENTirRicio COR De rosa cora base de
Mgsa, para branquear o conservar os denles;
0 vfo...........t fr.
OPIATO DEHTirRIOIO para foniftear a. gingivas
evitar as nerralgias dentarlas ; o pote I ir 50
CURATIVO DENTARIO para tralar os denles
cariados antes do chumbamento, e evilar os ab-
eessos e dores; o vidro com o inslrumento Ii fr.
AOUA LEUCODERMINA, para conservar a frescura
aa fancoSes da pelle ; o vidro 3 fr.
ESPIRITO DE AME RBCTiriCADO. complemenu
do aceto da bocea despois de comer; o vidro 1 fr. 25
SARAO l*TrvojfflDiamAMevolcta,amendoa
amarga, bouquet, pAo....... 2 fr.
REME DE SAEO LEHITITO MEDICINAL de
gemas de ovos, para evilar as fendas, frieiraa <
doencas de pelle. de violeta, de bouquet; o po 2 fr.
RMRn DE EABAO LMITRVO MEDICINAL em
pts. Ella especial para a barba, o acelo das
sentara* e das enancas, o vidro.....2 fr,
AOUA LUSTRA!, para conservar e embelltzar os
cabellos, e forticar soas raices, o vJdro. J fr.
OLEO de avela PERFUMADO para remediar a
dureza dos cabellos e a sua atona, o vidro. 2 fr.
VINAGRE DE TOILETTE SUPERIOR pela sua
suavidade e sua mil rofrcsr.inle, o vidro. 1 fr.
COLD crxam superior para waMmr a pelle
clara, fresca, ediaphana, e evitar os rao-. clfritns
do uso das ceras, o pote......1 fr 58
AGUA BE COLOONA SUPERIOR, rom U sem
mbar; permanencia de seu perfumeo faz buscar
para o locador, banhos geraes e locaes, o vidro I fr.
PASTURAS ORIBNTAES do br. Paul Ciernen!,
Eara tirar ebeiro do tabaco e para modificar es
allitos fortes; 1 e 2 fr. a caiza.
AOUA DB FLORES DE ALrAZEMA, cosmtico
buscado para tirar as cooiicboes* fortilliar e re-
frescar canos orgos, e vidro.....1 fr. 25
ESPIRITO DB BORTELAN SUPERF1WO. Elle 0
aperfoicoamenlo indispensavel do aceio da bocea
depois de comer, o vidro......1 fr. 35
POKMADA OOBSBRVADORA de quinina pura
para fortificar os cabellos, os embellezar e evitar
o encanecimemo prematuro, o pote.. S tr.
D modas e de fazendas. Vsrejo: Psareacia Larozk, ru Neure-dcs-Hetils-CUamp, 26.
Eipsdieoss: en caza de J.-. Laroze, me des Lions-Saint-Paul, n'2, em Paris.
uaaasM
XAROPE ^
DE CASCAS de LARANJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Churuco,
rBAfcUACEBTICO DA ESCOLA SUPERIOR DE PARS.
aJy.yyr* Kgalarisando as func?5es do estomago c intestinos, destroe essa.
res C?r fHS^ fSZ ab?n3-r.aS ro0l'-slias *' res Mdicos c doetiies lem rcconbocido que resiabelece as nditrotes breado
deapparecer> pesos de estomago, que calma as enxaqnecas, espasmo ;?caA ra?
Miff;?^ r "" como esl,(,cinco "fallive d.s doenfas nervosa*,
gastritis, gastralgias, clicas de estomago e de entranhas, palphucOes, dores d
que sao resaltado de digestes penosas. Scu gosto gradav
se soporta, o tem foito adoptar como especifico iiifallivf
Tornrt^\9naStr,alms' C0licas de Mom<*9' e de entnnha.,
2 ^ **" i C sfre as func5es assimflad'ora tal, ue
Ztfos'nai ,ll,slrcs m adopiada por rewipiente real dos dons primd,
agentes therapcwicos: o odureto de Potassa c oProto-lodureto de [erro Yendo
observado que dcba.xo de soa influencia, o primeiro perde sua aeco irritante e o
segundo scu efleito adstringente. H irnwnie, e o
XAROPE FERRUGINOSO
XAROPE DEPURATIVO
Da cascas de laranjas amargas com U-
dttreto da potassa.
O iodureto do polassa, administrado em
SOIttcso ou debaixo da forma solida, causa ao
ocnie urna grandi- repognancia, on determina
aoefdentcs que o forcio i renunciar a esta
medicina efficaz.
L'nido |.nr*ni so Xarope de esseas de taran-
tas, elle nao causa ncm gastralgias, ncm per-
lurbacao do esiomago c intestinos, c graca a
-ste salvaguarda, os trstamentos depurativos
sao continuados sem nterrupcSo, as affec-
C8es ttcrnfulosas, tuberculosas, cancerosas
nat secundarias e terciarias, cimo reiimc-
tnismaes, as quaes elle 6 o mais seguro espe-
cifico. A dose esli definida de tal msncirs
qae o medico pode varial-a a sua vontade
0 frasco: 4 fr. 50 o.
De cascas da laranjas amargas com
proto-iodurtto de ferro.
A associacin do sal ferro an Xarope de cas-
cas de laranjas c lauto mais racional quanlo
que esle jarope, empregado s, para estimu-
lar o apetite, arliva a secresto do sueco g-
strico, e por fim rcgularisa as funeces abdo-
minal, neutraliza os mios effeitos dos ferru-
ginosos e dos ioduretos (pc?o de caneca, pri-
sto de ventre. dores epigstricas) em quanlo
que facilita sua absorpeao. Dissolvide no
Xarope, elle se toma e se supports fcilmente,
por achar-se no estado puro mais assimilavel,
c assim pode continuar-se a cura da pallidez,
corrimemos brancos, anemia, ffiseeSe escro-
fulosas c racuitismo:
0 fraseo 4 fr. 50 c.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE est5o sempre em frascos especiaes
tnuncaem nietas garraias nem em frascos redondos). ExpsdicSes: em c
J.-P. LAROZE, ru des Lions-Saint-Paul, 2, Paria.
Ilua casa

4 I *
ftp.
V
N;lnsfs|ii: stiif'ti
b|iis:|b-
I TO m C
m M
5 W
2 *ls' >M>S "
3SS.3*

sfi:?-i?i
D
I
5S
* o 3 o
* 1 a
nn\
Ste
mhti
Vende-se na ra do Imperador botica franceza n. 38.
0.0 a.,
lii!
2;?3;"
s-e
3"?

g.
PI5
O
11
3
S3;
-
ifllll
Alutrain-si tres rasas novas na Capunga, de
litis
paleo
1 SF---------------- ---... .w SPVBBSW> lilil'.'
.or. e Cari.*, par* luiaisirartti* rewirso-i pvrn
marios escientifica-los da sita boa successao d-;-.
na ra do
- Prensarse de uma preta escrava d.- boa cu
| Br. Francivo Pites Sachadgg
Ptrtel!a
MKDfCO OPETtADOB
rinu
B-Mculilido de larl
I Podo ser procurado ra flfova
44. seniistlo. antlaf.
Precisa-se de urna, rasa com proporcoes de-
11 on- centes para habifacao re pennem familia ; prefe-
J.^?T,'-TSi?2t3*S**am.*1!' art*'n4S aieo da matriz de bom alagad agradando : na rna lo Qnetmado n. se duvida pagar bem : a tratar na ra do Viga-
,6> ,9Ja- I rio n. 9, primeiro andar.
Sanio Antonio n. 8.
t. Austin. su| ltS>t
14
n
46
n
10
I
t
2
i
i
:t
:t
3
'
i
i
I
~t
I
I
2..
i.
7
2.-.
W

K
St
9
%
3
.-.-
P
40
4
I
10
* DENTISTA DE PARS
* 1Roa tai -19
Fredeneo Gautier, eirnrtriao dentiata,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca denles arliliciaes, tildo com superio-
ridade e perfeico, qne as pessoas enten-
didas Ihe reoonhecem.
Tem afroa e pos dentificio.
Prenisa-se de um menino para priado, que
se.JA livre ou escravo : a tratar na ra do Palacio
d > Bi dos Pires.
C;tsa de (.iipo.
Ansga-se urna rtrindu rana a Ganajap f.-.
frente |WaonoCafMla*rihe e aeMeaasVa par dua>
familias, muito fresca : a iratar cmn e mMMh
Manuel Lnii da Vrtga, ou na rna da imperatri): n.
t, c.im ii llr. Nones le Onvrira.
- Prei-isa-se de
Verdes n. ll.
Ainii
urna ama : iu ra das Asma-
a-se tima casa em ftelieribc : tratar
j com J. I. M. Reg, na roa do TrasdHss n. .14.
C'artasi | u| par n wr*>:
Dr. Kraitci-c.i Justini.m Cesar Jacobina.
I)r. Cicero Alvares dos Sanios.
Francisco Jos da Cola : no Forte do Matlc nu-
mero i.
ram mmmm m mmmmm
W toiupaohia fldelldade S
seguro marltimoM e ler-
restvett OMtabeleelda ao
g Rio de effaaelr.
AC.KKTKS KM t'EP>AMPIro
Antonio Lniz de Olireira Azeved & C,
competentemente anlorisados |ic.a direr-
toria da companhia de secaros FssMts>
de, tomam segaros de savia... BjanatV
ras e predio.-- no seu cscrlpturio ra da
llavera sorvete todos os das, das t boom *m
jdianle, adverlndo pie n mais awainda 11> m M-
to possivel : no bem conlu-ciilo rafi- ,\n< Ama.
O -r. los Antonio P1nre>i > li.i.-'^ !'i te da aeiildadc ile iliri-itii tem uam rarla I- isa-
porlancia vinda da B:t 11 i a na rna do Cfitsfa n Jl.
Milita atteiicao.
O abaixo assignado, remo basUos> pru.-nrasssr
de seu avfl a padnnnti Amonio HamH niheirn, faa
sciente ao Sr. Jos M .rculiiio da GaMa, snftM
iuiMco de prime-iras btras da |KjviMra .le .\s
Senhora dO'de Qoianna, e rr-idetite nr i: pra-
ea. que mande-lhe pagar, on a rea man* Laaao-
cu d Aihnsjnerque M-lio. nmatia lu-ta praca
na ra da Lapa, a quantia nV ItCfVJt OH Irte- -
cnii a divi-r, deqoairo aanoae qnairn im-z.s a%
altiffucl dacasa i'iii qne morn ten anta. >end
qne i'do |>ri'seiitn iiinunrin nio Vtibrte a ia-
gar, o mesmo abaixo asfignaito pr- t.-t.i nr itos
moios que a le facnltana culmn^a d.- alrun-is d^
casa, di-vendo o Sr. loec Marn-Ui tsmarar
que praiiroo uexta povaa^so ant.-siii-ii.'.uiuiiifnte
retir*r-se. Ni>sa Senhora do o' de Goi .mu. '.i j*
a.to de 1864
________________J-W' da C.n~t\ UitM-iro I"..into.
Albino Bai-lbla da Ruraa, r-
lognez, relojiu-iro e sssswaVsr na
praea 'la lntw*i*Mcana n. la, r
<|tia;.|iier eonretln dn m(.i.-k iir
rpcos mais baratos rf sjav norr
qualquer e rcs|ionsal'ili.-a-se Beta
sea irabalho
mmm mmm mmmmz
Nnni-iliif Herrriilita- r\< ;i lin.-iq|
De ordem do Sr. presidente s-.t n./i-
dos lodos o< Srs. socio? a reunir n I
assi'iniiira ,-ral na easa )rinkiHb- n>i al
domingo i'-\ do eorrente, a- ii har* da f
manhaa, alim de nroeeeVr.se a rletra i c j
pos-e da futura dtreec'i,
RecilV, 20 de ootubro de ISiii
Amara!, 2- .-rentan.'. -O*
i iiaBsi mmm mmmwm
Wlatl
Acha-se amado Pilar n. Il.'i ma caria viadi
milita rircamstanria, para a Sr.
da Europa, d
Jos Francisco dos Santos ; querrndu dinar--'.'
mesma rasa, qm- ser entregne.
- Precisa-se de dou,- homens que mimdiBi do
servico de copeiro ; na ra da Aurora n..;.'.
Ajuiolaces tlieoH-as r pr Miras na~t9
digo miuiia', pelo llr, fBM A-
ves Jnior.
CbOfOO do Rio de Janeiro o Io vulu-ne .!.v-t ia>
portinte obra, ee i, ra do Imperador n. H.
Precisa-se de mn raxetrn .pn- oatu ir ;.
de taberna e que de fndor a sni isisxliw 11, par
tomar conta por bolineo, na roa Dire i do- .Ufa-
dos n. 36: a tratar na mesma. Prclcn-si: ajae
>eja portaguez.
- O abaixo assignado f.iz. si-ient.- no r. -r--it-
vel publico em geral qne nao cacado com i .Sra.
Emilia Rosa de Carvallm, e. que tul i quanto a
mesma senhora possne direito algnm tem a asi*ta
assifrnadoporqoeella irabama inilepen-ien;-. -.i
sua direeean, na casa de pasto na ra di V.tut u
11, ou em outro qualquer lugar aonde aBa faijaaT
conveniente para seu aaawiln.
Francisco Pir>>.
PHAROL DO COMERCIO
MODERNO ARMAZEM DB MOI.HADOS.
73 -Hilado HMhJfel73
Castro Lima
Acha-se anerte a concurrencia do poMita tiesta
heroica provincia um espaonso ..riniz.in dV m..-
Ihados, fot a denominacri'c dePhand do Gsns-
mercio. Pharol, esta patarra, segundo .-.L-nn. cft, -
niologistas, vero do cvllico phoren. navegar, e -e-
ttundo outro-, de Phares. iiome da Ira, na y: -I
foi construido o mais notavel pban.l da anMrai-
dade.
O pharol nm signai noetnrno de-tinado a ad-
vertir ao navegante a approxlmacao do fmlo. ti
pois o pharol affasta os nau'as d>is e>roihn> m
enniluz a puf (o seguro, este estabelerimento |mde-
ra advertir os loe i ulna Has irarras d*s almirez .nse
c im pnmposas taboletas esta ahi abertos a qual-
quer canto.
Oque os proprielaros do Pharol desejam indi-
car todas as pnwonn que os \v nr.ir rom soa- vi-
sita a este estalieleriidcnto, qne em WHtHtHk
ira qualquer parle eaconliaran rosassONI v i..-.
baratos gneros tetnleiiles a motilados.
Cheguem, poi*. o* iregttezes. au tharul. Mi a
radiante lux da verdade os srtareeera.
Precisase de nma ama para roz.liar v rnrn-
nrar : na ru t das Cruzes n. 9, sincnado andar.
Precisa-ie de ama ama escrava que saii a
eozahar e eiiKummar, para casa de ponca familia:
na rna do Queimado n. 44. |>rime O J* batalllo de itifantai la n-nde un tiot d^
carroea e duas carneas usadas, sendo orna rom
Pipa.
Preci>a-sde um Poriiiiiez novo : ni pul a
na em Santo Amaro, atra da fandic*- d> Se
Starr.

------------- |i v------------------vi------- -- -^ -------
MUTILADO



Diarlo 4c reruaaafcue Sabbado e Outubro de 184.
COMPRAS.
Compra-se onro c prata cm obras velhas
daga-se bem: Mioja de bilhetes dapracadaInde
pendencia n. 22.
Compra-se effecti va mente
ouro eprata ein obras velhas pagndose bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
COMPRA-SE
ama negra de bonita ligura, que saiba lavar, eo-
gommar e coser bem, e coja idade nao exceda a
25 annos, agradando paga-se bem : a tratar no es-
critorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho,
largo_do Corpo Santon^l9._______________
Compra-se ama bomba para cacimba : quem
a tiver, dirija-sc ra da Madre de Dos n. 11.
Compram-se jornaes a 43 a arroba para em-
brulbo de cigarros : na ra larga do Rosario ns.
17 e 19, confronte ao quartel.
VENDAS.
Vndese caixoes vaziosproprins
para halinleiros c funiciros a 1$76U
cada uiu; uesla typographia.
ATTENQaO.
Vende-se una boa taberna muito afreguezada
tanto para a trra como para o mato, e com rom-
modos para morada de familia : quem pretender
dirjase a ra Imperial n. 195, que achara com
quem tratar.___________________________
Vende-se a meacao da casa da ra da Sole-
dade n. 44, com 6 quartos, 2 salas, cozinha (ora e
bom quintal : a tratar na ra da Imperatriz n. 6
txcelleute uva che&ada ne ultimo
vapor
Vende-se na ra do Imperador n. 14, esquina da
travessa do Ouvldor a 800 rs. a libra.__________
A Imanak de lemhrancas
LUSO BRASILEIRO
P.4K.4 180
POR < MKT Ifl.HO.
Acabam de ('besar estes j to conhecidos al-
manaks e vende-se na livraria econmica ao p
do arco de Sauto Antonio, vende-se tambem col-
leccoes completas dos mesmos almanaks em lo
volumes.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de priraeira qualidade a
10)5 a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Machinas de vapor e pa-
ra descaro$tr algodo.
Moendas e raeias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
de carrosa cora mangas e
eixos de patente.
RuadoBrumn. 38, fundi-
cao do Bowman.
Tltio a 3a00.
vendem-se na ra da Madre do Dos ns. 5 e 9,
saceos grandes com milhonovo.
A Ibuns.
i. Falque previne os seos numeroso* frrguezes
que ello acaba de receber pelo ulumo vapor fran-
ci am -esplendido sorlimento de albuns para re-
tratos, de diversas qualidades e gostos, sendo para
20 al 200 retratos e de 25 a GO-5 gradualmente.
Albuns peifoeooa proprios cara meninos de 12
3(5 reir inhos P de 15 15000.
Albuns i>ara de-enho de diversos tamaitos e
gostos de 55 305.
Livros de rnissa, de tartaruga, madreperola e
marfim, por preces raznaveis.
______-4 Riia lo Crespo 4-
Vende-se
a bordo do palhabote Arroto Mallo, fundeado no lu-
gar da rarne-secca, linguas em salmora, muito
superiores cm banilmhos com a poreo que os
compradores quizerem, e preeo razoavel.
Enfeites para cabeca.
Chegaram os lindos enfeites de cabeca para se-
nhoras, sendo muito simples e de muito goslo : s
no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Potnssa da lliissla,
da mais superior desembarcad* hontem : vende-
se no escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira &
Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
Vendc-se ou aluga-sc una casa na povoacao
da Varzea, com duas salas, qualro quartos, gabine-
te, estribarla para 2 cavallos, < frente para o as-
cente, perto do ameno Capinaribe; os preiendentes
dirijam-se aua de Moras n. 24 primeiro audar.
Na ra d< Vigario n. 33, ha para
vemler duas machinas de destilar agur-
dente pelo systema de Derosne, que desli-
lam cada urna, urna pipa por dia: vendem-
se baratsimas para liquidacio de contas a
tratar com Justino da Silva Boa-Vista.
Vende-se tim sitio ein Rcmllca margem do
Capibaribe, com ca-a para granda familia, arvores
de fructo, e algum terreno para plaalo : quem
o pretender dirjase travessa da Madre de Dos
numero 7.______________________________
Vendc-se una escrava de 23 annos, bastante
entendida em todo o servico de urna casa, princi-
palmente em engommar, coziuhar e coser : na ra
da Imperatriz n. 33, primeiro andar.
Vende-se pela quantia de 4:5005 as tres quartas
partes de um sobrado ae dous andares, sito na ra
do Padre Floriano n. 21, edificado em chaos pro-
prios, e bem conservado : a tratar no primeiro an-
dar do mesmo sobrado a qualquer hora do dia.
M i lunas e prensas para algodo.
Chegaram agora da America asverdadeiras ma-
chinas de diversos tamanhos para descarocar al-
godo e prensas do inelhor systema para enfardar
o mesrao: a ver e tralar na travessa do Carioca
ihj____________________________________
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova oue
ba no mercado tanto em porcao como a retalho,
por barato prego aiancando-se a os compradores a
superior qualidade : a tratar as seguintes ras
Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forte do Matto
mazem do Sr. Villa defronte do trapiche do
godao.__________________________________i
Raa da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabeleciment vendem-se: tachas de
(erro coado libra a 110 rs., idemde Lon
Moor libra a 420 rs.
Vende-se a taberna de quatro portas sita na
ra Nova n. 48, com poucos fundos e bem afre-
gnezada.
ESCRAVO. |
Na ra de Imperador n 65, primeiro andar, ha
para vender um bim moleqne de idade d; 9 annos.
Mapolees baratos.
Madapolao milite fino e largo com 24 jardas por
95, ditos a 85 por teram um pequeo defeito ; ve-
nham ver estaadmiravH pechincha, na loja da ra
da Madre de Dos n, 1C, defronte da guarda da
alfandega.
Extraordinaria liquidaco de fazendas para a frsta
por baraiissimu preco, tanto para o mato como
para a praca, na loja bem conhecida do Arara,
ra da Imperatriz n. 50 de Lonrenco P. H. (ui-
maraes.
Ao baraleiro da Arara a 1) 100.
Vndese cortes de chitas com 10 covados a
25400, ditas fraoceza a 35200, ditos de cassa a
25, dita de saipicos a 25400, 35 e 45 o corle, para
apurar dioheiro : na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cortes de la a Mara Pia a Ss>, e 18#.
Vende-se corles de la com barra, os propia-
mente a Mara Pia a 85, e 165 : na ra da lmpe-
triz, loja da Arara n. 56.
A Arara vende alpaca para vestidos de senhora a
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
tidos de senhora a 360 e 400 rs. o covado, laazi-
nbas para vestidos de senhora a 240, 320,400, 500
e 600 rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Las litas de cores a 600 rs.
Vendem-se lazinhas lisas de cores, a saber:
roxa, encarnada, cor de lirio, cor de caf e cor de
cinza, para capas e vestidos de senhora a 600 rs. o
covado, ditas de flores a 240,320,400,500 e 560 rs.:
na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Colchas da Arara de 2:> a >.
Vende-se colchas de chita para cama a 25, ditas
de damasco a 45, ditas para cobertas a 320, 360
e 400 rs. : na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende cortes de calcas a l600.
Vende-se cortes de calca de brim a 15600 e 25,
ditos de casemira a 35, 45500, e 55: na raa da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Ronpa feita da Arara
Vende-se palitols de casemira decores a55, 65,
85 105 e 125, ditos de panno preto a 85,105000,
125 e 145, ditos de alpaka a 35 e 45. ditos de
brim de cores a 25500,35 e 35500, ditos de brim
branco a 35 e 55. calcas, coleles brancos, seroulas
francezas a 15600 e 25, ditas a 15280, camisas
francezas a 15, ditas de linho inglezas, pregas lar-
gas, a 35 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A economa, a saber: colarinhos econmicos a 600
res.
Vende-se colarinOos econmicos a 600 rs. a du-
zia, meias cruaspara homem a 200, 240,360 e. 500
rs o par, ditas para senhora a 320, 400 e 500 rs.,
lencos brancos com barra a 200 rs. cada um, ditos
linos a 320, ditos de linho a 500, 600 rs. cada um,
s na loja da Arara, ra da Imperatriz n. 56.
Ao baratelro.
No armazem da Arara vende-se cassas a 240,
280 e 320 o covado, chitas finas a 240, 280, 400 e
500 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 56.
As percalas da Arara a 560 rs.
Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas Irancezas finas a 320, 360,500, 400
e 500 o covado, alpaca para vestidos de senhora
a 400 rs. a covado, fusiiio branco a 500 rs. ocova-
da ; na ra da Imperatriz d. 56.
A Arara vende musselina branca a 400 rs.
Vende-se musselina branca, fina, a 400 e 500 rs
o covado, pegas de cambraias finas, lisas, a 35,
45, 55, 05 e 75, musselina cambraia da India 85,
e 105 a peca, para vestidos : na ra da Impera-
triz 11. 56.
A Arara vende tiras bordadas para en fe i lar vesti-
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas de todas as larguras a
15, 15200 e 15400 a pega, entremeios finos a 15 a
i pega : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Madapolao da Arara a -15-
Vende-se pecas de madapolao enfeslado com do-
ze jardas a 45," dito de 24 ditas n. 30 a 65, n. 230
a 65500 E 75 e 85 n. 5 -i- 85500 e 95, n. 5 a 105,
n. P F a 115 2.7.7., a 125 a peca, pega de algodo
a 55, dito carne de vacca a C55O0, dito domestico
a 75, dito slcupira a 85, dito pao ferro a 95 a pe-
ga : na ra da Imperatriz, loja n. 56.
Bramante de linbo de 10 palmos a 2,-55''0.
Wnde-se bramante de linho de 10 palmos a
250a vara, brim liso a 500,560e 640 rs. avara:
na ra da Imperatriz n. 56.
Pauno de linho da Arara.
Vende-se pegas de panno de linho para lences
e toalhas com 13 1/2 varas por 85500 ; ditas com
27 varas a 165500 e 185 a peca ; na ra da Im-
peratriz n. 56,
A Arara vende challes a 1600 e 3$.
Vende-se chales de merino a 15600. 45500, 65,
75 e 85 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Fazendas especiaes para senhoras, a saber :
Vende-se golinhas para senhoras a 240, 320, 400
e 500 rs., camisinhas para ditas a 15,25, 35 e 45,
gravalinlias para ditas a 15 c 15500 : na ra da
Imperatriz n. 56..
Pechincha.
Lengos de seda a Id e 800.
Vende-se lencos de seda para mao, a 800 e'15,
lar lata na para vestidos, de todas as cores a 800 rs.
a vara, fil liso ordinario a 320 rs. a vara, dito fi-1
no a 800 a dia : na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Soutembarque da Arara a 8$ e I03.
Vende-se soutembarques de cores para senhoras
a 85. 105 e 125, ditos de grosdenaple pretos finos
a 205,255 e 305, capas pretas para ditas a 205,
255 e 305 : s na loja e armazem da Arara, ra
da Imperatriz n. 56.
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudezas
de Jos de Azuvedo Maia & C, est continuando a
vender muiu, barato, poi* seu genio dar a fazen-
da por todo prego a vista dos cobres.
Cartas de altiuetes francezes da melhor qualidade
a 80 rs.
Grosas de peonas de ago inglezas da melhor qua-
lidade a 640 rs.
Caixas de eolchetes francezes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Grosas de botes de madreperola muito finos a 560
e 640 ris.
Carreteis com 4 a 5 oitavas de relroz preto fino a
640 rs.
Resmas de papel de peso liso muito superior a
25OOO.
Grvalas da liga e de outras inultas qualidades a
500 rs.
aniveles para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de botoes branco para casavequos de senho-
ra a 100 rs.
Pegas de fita de cs cstreitas com 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor Portuguez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Cartilhas da doulnua christa, linas e superiores a
320 rs.
Pentes finos de marfim a 15000, 15200 e 15500.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
500 rs.
Gollinhas para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 300 e
15000.
Livros que serve para assentar roupa, pelo diminu-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Cordao branco para esparlilhes muito superior, a
vara a 20 rs.
Carritis com 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Candes com 200 jardas de linha branca garanti-
da s a 60 rs
Grosas d<> pennas de ago superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
lhas a 160. rs.
Pares de botoes de punho, oh que pechincha a
120 rs.
Tinteiros de vidre com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes de louga prateado> muito finos a
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a 500
ris.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Caixas com superiores phosphoros de seguranga a
160 rs.
Caixas com 100 envelopes o melhor que ha a 640
ris.
Caixas com 20 quadernos e papel amizade, moito
fino a 600 rs.
Quadernos de papel pequeo muito lino a20r..
LOJA 110 BEIJAFLOK.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
lioneras de choro.
Lindas nonecas de choro que chamam papai e
mami, de diversos tamanhos: s as lojas do bei-
ja-flr, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lavas de pellica.
Luvas de pellica brama e de cores para homens
e senhoras : as lojas do beija-Dor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.'
Indias para cintos.
Lindas fivellas douradas com lindas pedras para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Capellas para noivas.
Lindas capellas para noivas 25500 cada urna:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e
e69.
Eslojos para barba.
Vende-se estofos com espelho para barba 15500
e 25OOO cada um : as lojas do beija-flor, roa do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios para meninas.
Recebeu-se novo sorlimento de balaios, com
forma de vanos passaros, pelo barato prego de...-
15000 at 45 cada um : as lojas do beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas finas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
n. 63 e 69.
Extractos em caixinhas.
Finos extractos era caixinhas com o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabo ero caixinhas.
Finos sahes em caixinhas com varios retratos:
as lojas do beija-flor,ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63 e 69.
Jogos de domin.
Vendem-se jogos de domin 15200 e 15300:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado\ns. 63
e 69.
Oabados bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e varios pregos : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Abaladores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Adcrecos pretos.
Tend-se recebido aderegos pretos de novo ges-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senhoras.
Lindas grvalas para senhora 800 rs. e 15000
15200 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Espelhos de moldura.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
las : as lojas do beija-flor, ra do Quermado ns.
63 e 69.
Vellas de aljofares.
Lindas vollinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilbantes 15000 cada urna : as
las do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sopa-
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
250OO cada urna : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende se la para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
65400 a libra : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sorlimento de miudezas boas, e mais baratas do
que em outra qualquer parte.
Albuns superiores para re-
tratos.
A Aguia Baanca sempre disposla bem\ servir
agradar a sua boa freguezia, mandou virJe acaba
de receber um bello sorlimento de albuns Be supe-
rior cneadernagao e apurado"gostv, com e&e.ciali-
dade os de capa de marfim com lavores. outros
guarnecidos de tartaruga rom trangas deiprata,
outros marchetados de madreperola com Tangas
de prata oourada, outros de velludo etc. etc.J Para
quem tem gosto e dioheiro, um lbum assim per-
feito sem duvida o mais apropriado para Helle
se depositar os retratos de charos pais, bons pa-
reutes e amigos. Em quanto, porm, esses albuns
se tornam notaveis por sua pcrfeigo e bom gosto,
outros recebidos na mesma occasio, se tornam re-
commendados pela commodidade de precos vista
da boa obra. Assim pois o pretndeme ser ser-
vido conforme o dioheiro que qnizer dispr para
esse llm, achando sorlimento para 24, 50, 60 e 80
retratos : na ra do Queimado, loja d'Aguia Rran-
ca n. 8.
Carteiras e bolsas para
viagem.
Na loja d'Aguia Branca, ra do Queimado n. 8,
vendem-se carteiras com correias para traze-las a
liracolo, e bolsas de tapete, ludo para viagens.
Perfumaras inglezas.
A Aguia Branca, conhecendo a bem merecida
estima que os apreciadores do bom dos perfu-
maras inglezas, por isso mandou vir o esplendido
sorlimento que acaba de receber, e os acreditados
nomes dos bem conhecidos fabricantes J. Gosnell
& C, Napoleo Pnce & C. sao bastantes para co-
nhecer-se a superioridade dellas. Consiste esse
bello e variado sorlimenloem pequeas quantida-
des de difireme* e agradavcis extractos de pri-
meira qualidade em frascos de diversos tamanhos
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que
vem em una carteira de tres, com os quaes por
sua elegancia e boodade se faz um bello presente ;
assim como outros frascos com finas essencias con-
centradas, outros com excellentes leos para ca-
bellos, e oulros finalmente com agua de Lavander
sublimada ; e bem assim finos sabonetes em paro-
tes e caixinhas com tres, bonitas e delicadas al-
mofadinhas com pastilhas em p, as quaes deitan-
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s
deixam toda a roupa cheirosa, como afugentam
baratas, tracas, etc., etc. Em quanto. porm, a
commodidade dos pregos j nao entra em duvida.
urna vez que o pretndeme comparega munido de
dinheiro e disposto a fazer gasto na loja d'Aguia
Branca, ra do Queimado n. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excellentes brinquedos para criangas : vendem-
se a 500 rs. cada urna : na ruado Queimado, loja
d'Aguia Branca n. 8.
Espelhos cdin molduras pretas
e douradas
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
ceben um bom sorlimento de espelhos de differen-
tes tamanhos com molduras prelas e douradas, e
os est vendendo por pregos commodos.
Papel inglezm
A Aguia Branca, na ra do Queimade n. 8, re-
ceheu um novo sortimento de papel inglez liso e
paulado, almago, de peso, e pequeo, vindo deste
tambem com beiras douradas.
Enfeites invisiveis
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
beu novos enfeites invisiveis, os quaes pela finura
do tecido e bom gosto tem merecido tanta estima
Preparos para flores.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
ceben novos preparos para flores, sendo papel de
cores para rosas, dito verde para folhas, folhas de
panno e velludo, caixas de trigo, ditas de uvas
brancas e rxas, e como sempre continuam a ser
vendidos por precos commodos.
Muiihoscom rodas, pateles.
Moinhos grandes com rodas, patentes, o afanga-
dos pelo fabricante para moer caf, e propnos pa-
ra refinado por serem de especial qualidade e de
lodos os tamanhos: vendem-se nicamente no depo-
site da ra da Cadeia, loja de ferragens n. 56 A,
de Bastos.
A t lenca o
S
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto, alim de annunciar ao respeitavel publi-
co o grande sortimento de galanteras do melhor
gosto propriamente para qualquer mimo, que aca-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objeclos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua conta como de consignago que
est resolvido a vender por pregos muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extrago
I o grande deposito que tem, que espera merecer a
: proteeco do respeitavel publico empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que li-
I quem satisfeitos; isto s 110 Gallo Vigilante, ra do
j Crespo n. 7.
Ricos porla-joias.
I Cofre de muito goslo por 165000
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por 185000
! Lindas jardineiras. 105000
Ricos cofres com camapheu. 101000
Lindas caixinhas com pedras brancas. 105000
Lindo balo com calungas dentro, tam-
bem para joias. 165000
Tambalier para ditas. 95000
Cestinhas dilas. 65000
Cosmorama ditas. 65000
Urnazinhas. 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-
cos; s uo Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas aolado, a 105, 125 c 155, ditos 'orn
bolea porm do mesmo goslo, a 25500, 35, 35500
45000.
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 15500, 25, 25500 c 35 o par;
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabaies on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no brago, o mais rica
po-si ve 1 a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que so pode desejar, assim como de arregagar ca-
oello, tanto de borracha como de tartaruga com en-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, ra
do Crespo n. 17.
Mais leqnes
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato prego de 85 e 105, chi-
nezes muito bonitos tambem, pelo barato prego de
45 e 5, bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
rato prego de 45 e 55, leques de charao tambem
por 45. tudo isto para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cento; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo c muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do ares-
po n. 7.
Pentes
tambem chegaram os nquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 25,
35 e 55; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Leques.
Rlquissimos leques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 125 e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missan^a, cores
muilo lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Canelas.
Riquissimas canelas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baralissimo prego de
15500 e 25-
Sapalinhos t meias de seda.
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
feiados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
uhas e louquinhas para as cnanciuhas se baptiza-
ren ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avnlsas
e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeiles para senhora.
Riquosissim enfeites com lago e sem lago e de
outrosjmuitos goslos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins oe cabello para relogio ou tu-
nelas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
relroz a 200 rs.
Babadinhos entremeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
deseohos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro
crias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de. todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ruado Crespon. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura douradafe
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim como com
columnas de differentes tamanhos a 25,35,45, 55
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lidos jarros t figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido; s ne Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonpcla para pos de arroz,
cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sorlimento de extractos e banhas, poma-
das, a^sira como de lindos copos ou vasos com dis-
linctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos debanha japoneza
a 25 e a 15, assim como outros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos frpgue-
zes se far todo neooio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle A
C., ra da Cruz n. 48.
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
LIANCA
DE
j Paulo Ferreira da Silva & Companhia
1 57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
5 a tO por cento menos odrec que sepaaau po mj Ira qual-
quer parte.
Gneros especialmente escomidos por um dos socios que na Europa se acha
para esse fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste eslabcleri-
mento.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
AO PUBLICO*
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annnn-
cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstiveinos, e de que tambem
estamos ce ros nenhuma attencao j merecem do publico. O nossofim, pois. simples-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos pre-
gos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a altenco.
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Carlaxo vendc-se nicamente ne>te armazem
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinbas com lindas
estampas a l,2oo e l.ooo rs.
dem em frascos de vidro a i,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/ libra a 1,1 oo rs.
Arroz do Maranbo e da India o melhor que
ha nesta genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeile doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas era gigos de 36 libras a l.ooo rs.
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, 1,8oo rs. a garrafa, e 9oo rS.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra.
dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e5"6o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a I ,ooo,
l,2oo e l,4oo rs. a I i lira.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da Pabia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
delicias e suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l.ooors. a garra-
fa, e Io,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo5,ooo
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um.
Caf do Bio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,ooo rs.
Ervilhas porluguezas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo
Fin's rtiS pm latas eWarlaa nlt-l ca csPecial a 2' ancnra-
ZJSS?Sor. legadas ultt Idem Lavradio> (:o|arcs mui|0 fn>jC0 fem
vSS m pera, pecego, alper-j ^Sd? ^ ^ gamfa' ^
se, rainha Claudia eginja a 7eo rs..&la. M d ^ ,)ranco g
Grata nova a loo rs. a lata e l.ioo rs. a. ^^ a ^ rg g ^
Gomma muito alva e nova a 16o rs. a libra. I J Por' 5? pip* a 56 S fft
Genebra de Ilollanda em frasqueiras com 12 "*gy"?J^vRETS^.TiT u
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco JfrA% *g" ? p' ****! P'
dem em bol jas a 4oo rs. cada urna. Pedro I'JJfiS ? T ?!S
dem em garafoes de 16 garrafas a 4,8oo' Genn.no, Parl.cular a 9ooe 1.2oo rs. a gar-
n. com o garrafao. arafa' e a ,0'0 rs a ca,xa com uma **
Ulem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um. zia-
dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a caua-
com rolha de vidro qualidade superior a fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
l,ooo rs. a garrafa. dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o dem Bordcaux das acreditadas marcas St.
frasco e 11 ,ooo a frasqueta de 12 frascos, j Julien, St. Esteph, cbaleau la Bose, chatau
Kirsch Wasser excellenle bebida suissa a Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
l,8oo rs. a garrafa. j 56o rs. a garrafa.
CERVEJA EJH BARUlaL
a ?SOO rs. o copo
Queljo de Ulnas chegado no vapor
dem prato multo freseo
dem suisso superior
dem londrlno superior.
57 Ra do Imperador 57
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs. a garrafa:
Mantenga ingleza perfeitamente flor a 800 e
l,ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que l se pode ae-
rificar com a vista,
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de LfcM
a 600 rs. a libra, ba latas de I. I I 2 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 2 libras a
600 rs. a libra.
Macarro. talharim ealetria a 4oo rs. a libra,
dem branca a 32o a libra.
Moslarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco,
dem ingle-/a em p a 64o rs. o frasco
Molho inglez em garrafinhas com roldas d>
vidro a 64o rs. cada uma.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a 1,0*0 rs.
a garrafa, e 10,000 rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Ostras preparadas em laias a 7eo rs. a lata.
Presunto para fiambre inglez \eidadeirr.
garanlindo-se a qualidade a 7oors. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. 1 liLia e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinba, pevide e rodinha
etc. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o r. a libra.
Peixe em latas hermeticamenie fechadas i'.-
seguintes quali Jades: savel, con ira. goras
cavallinhas, e pescada a l,ooo a lata.
Palitos para denles lidiados a 14o rs. o ma-
CO de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2,1o.. r>.
a groza.
Painoo muilo novo 12o rs. s libra e 3,ooo a
arroba. /
Queijos flamengos, do ultimo vapor, .1 2,."mo
rs.
dem prato muilo fresco a 800 rs. a 'ibra e
sendo enteiro a 7o rs.
Sal refinado em ptesele vidro a "00 rs raila
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. ;i libra.
Toucinbo de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
l,4oo rs. a caada.
Idemem garrafes com 5 garrafas a l.ooo
rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada uma.
Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada uma.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra,
dem de carnauba refinada e de composico
a 36o rs. a libra, e de lo,5oo a ll.ooors.
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figoeia
das marcas menos conhecidas a lat rs.
a garrafa e a 2,8oo rs. a ranada,
dem Figueira especialmente escoltado nesie
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
canada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
j
L\

.
ffitlLAD


Diario de Perntmbuc Sabbado de Oulubro de I8e_.
COMME
RA DO CJEOIAIIO W. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
wmm
Grande liquidado.
Ra da Inipcratrlz n. O.
Loja de fazendas do Pavao de Gama k Silva.
Acha-se esta' qslabelecimento completamente
sonido de fazendas inglezas, francezas, allemaas e
suissas, proprias tanto pan a prsca como para o
mallo, promi'itendo vender-se mais haiaio do <|ue
em outra qualquer parte principalmente sendo em
porcao, e de todas as fazendas dao-se as amostrad
deixaodo flcar penlior, ou mandam-se levar em
casa pelos caixeirosda loja do Pavao.
As chitas do Pavo.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato preco de 240, 260 e 280 rs. o covado, tintas
seguras ; ditas francczas do cores seguras a 320,
340, 360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muilo superior e bonitos padroes : s na loja do
Pavao.
As lazinhas da exposirao do Pavo.
Vendem-se laazinbas as mais modernas que
tera vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarques por serem lisas e de cures muilo
delicadas 560e500rs.; ditas lisas com nm lustre
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
, ., i___ r^mroor quadrinhos de seda 500 rs. o covado, sopara ac-
Pereira Rocha A C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 ura armazem de molnados denominado Lianm Lommei- bar. na ,oja e armazem de tama ^ Silva) rua aa
rial onde o respeitavel publico encontrar serapre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercadoios imperara n. 60.
quaes serio vendidos por precos muito resumidos como o respe.tavel publico ver pela tabella aba.xo menc.oncda; garante-se obom | 53?lSi de vestido
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem. de ,aa> que vieram pelo 0|timo vapor) com riCas
Franca muito superior a 220 barras de cor, corpinho e collete separado ; ditos
rs. a libra.
NOV1DADE
nim
ahilai.Ui
de IMM |
M- mu, IfUXs flVIBHI p*-*'
Arroz do Maranho, India e Jar, a 60, 80 e | Peras secw muito.novas a 600 rs. a libra. Cevadinba de Franca muito superior a 220 ^^t'SS^lm
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 360O0
Painco a 200 rs. a libra.
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
15200 e 1(5600, e em frascos grandes a
2>500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 1 200,1,5400, 10600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Acanita verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030" rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barr-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
cm barril a 400 rs.
Cha hyssm, huchin e perola a 1;$600, 20,
25500, 26800 e 38000 a libra,
dem preto muito superior a 241000 a libra.
Cerve.a preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac insrtez fino a 901 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72" rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e espeeitmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200 m, 20200, 20500, 20SOO, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos franeczes muito novos e
bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
muito novo a 640 rs i Mem seccas mml novas a 2u0 r8, a '
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
Hnm nratn de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
! dem de trigo a 120 rs. a libra.
' Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem cm garrafoes de 3 e 5 galoes a 50500
e 70500 cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
16000 S a carrafa vale 0 di- leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
" Un,..,- A.....Jo -.~ ann-innc ieln nri'Vine O Pa-
6
nheir *"~ ^aver duvidas nem enf>anos
Manteiga'inglezaperfeitamente flor, desem- amante de'llnho
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
dem londrino chegado no ultimo vapor a j 10800, 50500 e 5
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cadaum.
Sardinhas de Naatea a 300 rs.
Sag muilo alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 60 O i
libra.
Eigos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
Bajan: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Juhen a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.,
a duzia. .
dem Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 10
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa
KirekgamfaasSto grandes a 108OOrs. Palitos de denles a 160 rs. o maco.
Alm dos gneros cima mencionados te-, dem de denles a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que ludo ser vendido por, Amendoas confe.tados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porcoes como Doce de go.aba_emlates cmelhoresjjfU
|.et'alh0 20 e em caixao a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te-;Palitos doi gaz a^OO^groza.^
r o abate de 5 por cento
tes para o corpo, por prego mais barato do que em
outra qualquer parte, e se quizerem una prora
do que se diz, mandem ver a leja e armazem do
Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Os vestidos Maria Pia. S o Pavo (80000).
Vendem-se os mais lindos vestidos Maria Pia
de lazinha transparente com listas, e palminhas
de seda pelo barato preco de %& cada corte : s
na loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
As eassas do Pavo a 240, 280, 300, 320 e
360 rs.
S o Pavo vende as finissimas eassas persianas
Imitacao de la, com cores (has, 360 rs. o co-
vado ; ditas francezas muito unas 240, 280, 300
e 320 rs. o covado, islo para acabar: rua da
Imperatriz, loja de Gama Silva
dem, quaiidade especial em garrafas muito Os madapoloes do Pavao
m-nHoB a lASOOi mrrafa I Vende-se peca de madapolao infestado rom 12
grandes, a igfW aJPfrara. jardas cada pelo barat0 prec0 de 44, 45500 e
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. cada _enda muil0 superi0r: so o Pa-
Idem, em garrafa forma de pera e rolhas de vao rua da imperatriz 0. 50, notando que a pega
isto previne o Pa-
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maga de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conserva-
ros de Lisboa a 60 i rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinha e aletria a,600 rs. a libra e a 40
a caixinha'com 12 libras.
i Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
e Peixe em latas preparado pela primeira arte
decozinha a 10 a lata.
I Passas muilo novas a 480 rs. a libra.
II4CII
de trabalhar mao para
descaroca' algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDI
0 PROPHET
AO RBHIPBITAVlSIi-PUBIilCO.
RUA DAS CINCO POMAS N. 86
esquina da nova travessa de S. loo.
Deseiando o propietario do grande armazem do Prophtla dar br-
eas ao seu genio emprebendedor, commercial e especulativo, resolveu ceder a impingo
oue o assaltou, quando as horas caladas da noite o seu solicito espirito se agriara
turbilbo de ideas, tendentes todas bem smir e agradar aos emroat* hab
desta bella provincia, de abrir mais este grande estabelecf menlo N n<
escolhido gneros, quasi que especialmente destinados as pessoas quo rccram na u. -
cuezia de S. Jos, e aquelles senhores que Iransitam pela va fenea, pm qiuu .n_v..-
dade sao sem conta o numero das vantagens que se Ibes offerece, nao >o a m Nk{j
modicidade dos fretes, como da facilidade e brevidade da conduceo dos i.ltjCitos >
*Jr O sonho do Propbeia ser urna verdade pratica 13o acceita e alirr.-.ada Mi l s
palavras simples c bem intencionadas dos velhos palriarchas desses lempos idos, si
nhor Deus dos exercilos nao o qoiaer contrariar.
O Prophela nao querendo restringir-se a forma ordinaria de neir. ciar rffh< a
tambem depois de profunda meditagao, de nao vender smente os km *ami a i -
nheiro corrente ; mas tambem de por em pratica troca delles porontroa da prodws a
do paizou por escravos, bois. cavados, etc. Assim, pois, Oque na intelligenria de i<... -.
OueopBOPHETA receber como moeda de qualquer dos senhores agricultores, isscear,
algodo, agurdenle, milho, feijo, cavados, escravos, etc., etc. e lliesdara o MM HM
em gneros, escolhidos a contento. -
Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objecin re-
cebidos por troca, o rropheAa nao demorar a differcuca que deve dar em dmi i
Um estabelecimento que com tantos sacrificios e desptzas acaba de ser alerto
deve inspirar a todos a certeza de que se vender muilo barato com o lint de se adqui-
rir crdito e freguezia.
A-aruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranho, Java e do Pnedo a 80,
100 e 120 rs. a libra, e a arroba a 1800,
2)5500 e 2800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixas francezas a I 200, i 400 e I 600
em latas, frascos e lindas caichinhas muito
proprias para memosear alguem,
Amendoas confeitadas era frascos de vidro
a 1)5 o frasco.
Alpiste a 160 rs. a libra ea 4o00 a arroba.
Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa.
Azeite de Lisboa 3 040 rs. a garrafa e 4800
a caada.
Azeile doce em boies com 9 garrafas a 5
com o boio.
do Pavo
20, 9JMOO. 2$0.
Vende-se o melhor bramante de linho poro com
dez palmos de largura por preco muilo commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
2,5200, 25400, e 25600 ; s o Pavao : a rua da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de linho do Pavao.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences e toalhas de mao pelo
baratissimo preco de64, 720 e 800 rs. a vara, al- Azeitonas por lodo 0 pie.,0
godozinho com oito palmos de largura propno Biscoitos inglezes de diversas marcas a 1> para lences, pelo baratissimo preco de l a vara, a jaja
assim como tem o melhor algodozinho tanto ero fl j c luncb a ^qqq
largura como em corpo, propr.o para lences, ca- "0'a"1"""* ub ,,,"'!
misas de escravos, etc., etc., pre^o muito commo- a laia com o nuus,
do i vista da fazenda; s o Pavo : rua da im- Bolachinhas americanas em horneas zo
peratrizn. 60, de Gama & Silva. | libras a 200<1.
Algodozinho com loque de avaria a 1,000 res Banha de p0rc0 a me|n0r quaiidade a 3G0
e 4,800 rg a libra.
Vende-se pega de algodozinho por ter um pe- j { j 0 preco#
queno toque de avaria, mas que esta em bom es- IMiaiaseni bife osib tar i i ^
lado, pel barato preco de 45 e 4500 a peja ; so Cafe moldo a 10 001 00 8g000 aijrroDa.
ro Pavao : rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Caf superior a 7^-jOO, 800l' e 8!>50 a
Silva- n* a.1 arroba.
Os guardanapos econmicos do Pavao e sO do ^ Qes[Q gener0 lemos 0 que hi de melho-
PaTS, ^ *...* assim como tambem temos baixo pelos pre-
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda- samrintes- lUflO, 160(', 1:>800
apos econmicos e todo linho. tanto para as casas QOS ISBgOJ Mes,. *jj*V> ^
de familia como para botis, botequins, etc. etc.,; 2400, 2G00. 2800 e dWU O 11110.
pelo baratissimo prego de 35 a duzia, isto s na charutos de todas as melhores e peores mar-
foja do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama m (Jo mcivat|0 a 800, 1000, 1600, 2\
^IVSoutembarqeS do Pavo a; 2800,3000, 4^000,500O, 5500e6
Vendem-se os mais"5 "Soutembarques queCl.SSas "fj^^J^,^
eem vindo ao mercado, sendo de raxemlra de co- o barril com 1 anoba e
a libra.
ma, mal, ca
GRANDE E SMPTOSO ESTABELECIMENTO
DE
tfOVOS E ESCOIIIIOOS CEMEIIOS
TANTO EM GROSSO COMO A M3TALHO
60 -KUl hova ao
Ultima casa junto a ponte da Boa Vista.
DUAS PALAVRAS.
Cesse tudo quanto a antiga musa canta
t Que outro valor mais alto se alevanta.t
Acha-se a disposigo do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci- "gyj*^
menlo de molhados, talvez o primeiro e nico hoje existente em sua especiauaaae, por- por que |lde fazer mover seis deslas maChnas
me n mainr canricho de irnos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabelcci- mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
Saundcrs Brolheis & C.
IV. II, praca do Corpo ianto
Estas machina*
podemdescarocar
qualquer especie
de algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o uabalho; pode
descapocar urna
arroba de algo-
do em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou S ar-
robas de algodo
limpo.
6200 a libra,
que tem
garrafas
Veude-se panno de linho adamascado proprio por 320 rs. branca e preta.
para toalhas de mesa, pelo diminuto preco de 253()0 Conservas inglezas a 80U rs. o frasco fazenda
rs. a vara, guardanapus de hubo a 35 a mizia,; ch(|Ue
toalhas de mao a 55 cada duzia, na loja do Pavao, | ,. f
rua da Imperatriz n. 60, de (lama & Silva. | Wem ll ancezas a o( u i s. o ira^o.
K' so o Pavo (a 2#5ll). i Cevadinba de Franca a 240 rs. a libra.
Quem tem baloes por tal preco I i Champagne da melhor marca que ;qiu tem
Vendem-se os baloes americanos muilo superio-; vindo a 20 C 24 0 gigo.
res com 20 e 23 arcos pelo baratissimo prego de Cognak inglez c francez a 800 rs. e 1 H 00 a
25500 e45, ditos de 23, 30 e35 arcos com fitas,. arrafa
muito bem armados c tambem tem cores escuras; J> ,
pelo barato preco de 35500 cada um : so na loja Ceblas por lodo pi e. o.
do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Copos lapidados que sempre sevcndeamc
Silva.
0 *;avao vende para luto.
I? Assim romo machinas para serem movidas por
animaes, que descarogain 18 arrobas de algodo
oue por serem comprados em grande quantidade
deu logar a obtengo de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
ditrnarem de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
todo* nao s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca-
pazes. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos pre;os quasi do pri-
meiro custo o nosso magnifico sortimento. ... ju-*,
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem aespor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharao
era nosso armazem os melhores e mais esquisilos vinhos, licores, champagne queijo, ele.
HECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Rua do Queimado ns. 49 e 55 loja do Barateiro
conhecido ja como tal, est dispondo da fazenda
quem qui-
seguint* :
"se vedern em" muitas parles a 8$ ell
vendemos a 505C e 6000 a duzia.
Vende-se suierior setim da'Cluna, fazenda toaa I Copos para vinho a 3:>00i> a dll/ia.
homem rico.
pobre ser recebido com tao boa voniaue, como a mueua ue uuiu uu uaraihos ae cartas para votaron muito
* finas a............................
As pessoas que nos fizerera a honra de entrar em nossa casa quer seja para com- l^^Jtataftju guggMg.
prar para seu gasto, ou para negociar, voltaro satisfeitas, n3o so pela boa quaiidade dos ,amanhoS e finos a...................
objectos, como pela ftdelidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO NECESSARIO
Devenios ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Massos de superior grampos para cabellos
. Duzias de palitos de gaz superiores a. ..
i Libras de ara preta muito superior a...
j Frascos de superior macaca oleo a
i Ditos de dito perola a..................
Ditos de oleo de babosa muilo finos a 320
. rs. e...............................
! Ditos de agua de colonia superior, garan-
TxTstindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a; tida.............................
denoto de liga, parecer o titulo ,1o nosso armazem um gracejo ^^m^O^X'jSSSSS&^i'mm
caoaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos, j a rs
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ningn ^ ^ ^^ ^^^ ^ ^^ ^ue sg d_o a conhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicaco que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais :
Nao oriunlo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. ro a
muitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituto a mu honroza or-
dem da U?a. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que tan-
to sorpre'.endeu a corle desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gostando sum-
mamente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenliar, e col-
locando-o no oito do nosso estabelecimento, temos assim feito distingni-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
Uonnl soit qni mal y-pense
A 2O00.
Na rua do Queimado u. 40, letreiro verde.
Superiores e bam armados balSes pelo diminuto preco de 2*5, advertindo que vendem-se por
este preco por ter-se comprado urna grande por?ao e querer-se acabar.
Sabonetes de todas as qualidades a 60 rs.
160, e............................
Nvellos de linha com 400 jardas a......
Carriteis de linha de cores eona 200 jar-
das a.............................
Nvellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pegas de fitas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a......................
Frascos de superiores cheiros, pequeos, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris............................
Varas de lucos francezes, superiores a. ..
Opiata para denles da melhor que ha a..
Frascos de agua para denles, superior a
tudo a............................
Pecas de tranca preta fiza muito fina a..
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a
Varas de fila preta com colxetes a......
Libras de laa sortida de todas as cores a
Bonecos de choro muilo bonitos a......
Caixas. de brelas de massa muito novas a
Varas de franja branca e de cores para
toalhas a..........................
Frascos de oleo Philncome superior a..
Ditos com superior tinta a 320 e.........
Caixas de linha de gaz com 30 nvellos a
Enfiadores para espartilho a..........
Duzias de botSes encarnados para, vesti-
dos a.............................
200
20
1*300
30
200
100
100
200
500
400
40
600
400
80
60
30'
240
200
400
40
1.S000
1S000
60
200
40
65S00
160
40
80
600
500
800
60
200
de laa sem lustre tendo 6 palmos de largura pro- j, de cMi vn(jos e Lisboa ueste ultimo
Jsa^ttttttSh] ^r a ,ata d,s me,,,orcs nuc-
covado, eassas pretas lisas, chitas preas largas e! tas da Europa.
estreitas, manguitos, rolannhos,pnnhos, e enfeiles, \^cm Ja goiaba C da casca O melhor que e
tudo preto proprio para luto fechado, e inultos ou- D0SSVel por diversos precos, C conforme
tros artigos que se venden por precos mais em, .' cihT)J
conta do que cm outra qualquer parle por eslar O lamanno uos taiMic..
liquidando ; s na loja do Pavao rua da Impera-. Ervilhas em latas a 040 rs. a lata.
triz n. 60, dejama & Silva. Idemseccas a 200 rs. a libra.
As percalas do Pavo. i Espermacete americano a I 00 a libra.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer- Mem francez a ^q rs> 0 maSSO com 6 velas.
SSSrtJi1 600s,e o SSL tmSt -ist! Figos de comadre em caixinhas muito lindas
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e a 800 rs. a caixa.
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo b*-1 farinha de trigo a 120 e 140 rs a libra,
ratissimo prego de 500 rs. o covado ; garantem-se Farinha 0 Maranho a 24" rs. a libra,
as cores por serem -
tem em Paris : isto
peratriz n. 60, de Gama & _.
As chitas do Pavo 3-IOO e Fumo em macinbos para sigarros a 200
3^800 o corte. rs. o maco.
Vendem-se cortes de chita com dez covados parei0 em sacas de 80 a 90 libras a 3->o00
25400, ditos 25800, com 12 covados; sao dulas j j j f MC0
inglezas, mas padroes bonitos e tintas seguras; J ue "^d ?.'' f
assim tem as melhores chitas francczas e de un-1 dem de Hollanda a oUU r. o irasco,
tas seguras por precos commodos, a saber : 320, j
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
ooo rs. o nao >j^*7 Farinha do Maranho a 24" rs. a nor
r^lJBBtiRSriSltaMdO Para a l^POa lata.rande.
Jama & Silva. Fumo americano a 1(5400 a libra.
Pavao
Silva.
a rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos e golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de l e 1,5280'
cada um, manguitos s 500 rs. rada par, ditos
com goliuha a 800 rs., golinhas a 400 e 480 rs., de
fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas a H cada i
urna, manguitos que servem para calcinha do me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente gravata de seda, fazenda
fina, pelo barato prego de 35, e muitas outras
bordadas que se vendem por pregos muito em
conta : s na loja do Pavao rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As roapas do Pavao
Vende-se panno preto fino muito superior pelo
barato preco do 25, 25500, 35, 3550 e 45, dito
muito fino 55 e 65 o covado, M!iiniirIa.nrPa,;;d^
urna s largura e muito lina a 15800, 25 e MU
e 35 o covado, cortes de casimira de cores a 55,
55500 e 65, casimiras entestadas de urna so cor
proprias para calcas, paletots. coletes, capas e para
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavao rua da Imperatriz D. 60, de Gama &
Silva.
&
Venda-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnslon Pater & C, rua
do A'gario ^-_________________________
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris:
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, rua do
Trapiche n. 13, por prego razoavel.
dem em botija a 360e 4U0 rs. a botija.
Graixa em lat.sa 1)5200 a duzia.
Limonadas de diversas fru tas a 1000 o
frasco.
Licores inglezes e francezes a lui0, I&X.0
e 2$ a garrafa.
Lingoas americanas a 800rs. cada urna.
Linguicas promplas cm latas a 1 fffO a !ata.
Manteiga ingleza neste genero o que l.a C.t
melhor a 800 rs. a librae em barril a 7(0
rs.-
dem mais baixa a640 c 720 rs. a libra.
Manteiga franceza a 520 rs. a libia, em L-rril
a 40 rs a libra cm rtlalho.
Massa de tomates a 040 rs. a libia.
Marmelada muito nova a 040 rs. a iilra.
Mollios inglezes a 400 e 040 rs. a ganati I >
Moslarda preparada a 400 e i.io n. 0 f: '
Massas para sopa macarrao, taibiiim a aMI
a 400 rs. a libra,
dem finas em caixinhas a 3>fcu a caixiiba.
Marrasquino de Zara verdadeire a l^-11
frasco,
dem mais baixo a 800 rs. e lC0o ors..
Milho em saccasiom SOcasa :^;>C0.
Prczunlo inglez para fiambre viudo no nltiBU
vapor a 800 rs. a libra,
dem mais antgo a 040 rs. a libia,
dem do Porto a GiO rs. e sendo inteiro a
500 rs. a libra.
Passas r.ovas a 400 rs. a libra.
Polvo a l0 rs. a libra.
Paingo a 160 rs. a libra.
Pomada a 240 rs. a duzia.
Pincola do reino a 320 rs.
Peixe em latas a 1/Kh.O a
vina, pargo e outros.
Papel de peso a 2-5000 a resma.
dem dem muilo fino a 4>0CU > : I
dem mailim a l6< 0.
dem almasso a 35000, 35G0 e 4
dem para enibridlio a lt5200 a tea
Paulos para denles mm;* n -' nr;
a 80,12o e OO rs. o Majo.
Palitos do gaa a !#000a groaa.
Queijos flamengos do Dlt_M rapi r -
dem londrino a '.(O rs. a libra,
dem pialo a 646 rs. a Kfcn.
Rap Mearon a 1 >0()0 a fibra.
Sag e sevadinba a 240e 280 is..;
Sardinhas de Nantesa 640, MO e M r_ v
lata.
Sabio massa a 120, 180, 200 e 240 r a
libra, e cm caixoes por Mam.
Sal refinado a 600 rs. 0 vazo i| ole A
Toucinhode Lisboa, de Santos e aa
a 160, 240 e 320 rs. a libra e em ai.
a 5, 7. c 95000.
Tijolos para limpar facas a 160 rs
Vinho do Porto em ancoras com 70garrafca
a 30000.
Vinhos de Lisboa eFigoeira qualidades i
nificas a 3.-500O, 365(0 e 46000 a ca. 'a
Vinho do Porlo em pipa a B 8 6:>000 a Otada.
Vinho branco de Lisboa e Porlu em a_n ra,
barris c. pipas a -46000 e 55000 a ra;:
Vinagre de Lisboa a 15600 e 26000 a
da.
Vinagre em garrafes por I #008 com a
rafo.
Vinagre em ancoras para 16600 com a ai
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 rs. cada i
Vinho dHordeaux ueste genero lerr.< 11
porcao e das qualidades mejores qi i
vindo ao nosso mercado em pNM,
ancoras, em batriscquar'u hs oq:.:.; a;
demos por procos muito banflh
mu l
?pisS>sl
y -v- V
BALIZA
DECLARACAO.
O BALIZA declara pelo prezente |M
deixa de publicar os precos pelos quaes ven- ^
de as suas merendonas por motivos qne ao
respeitavel publico pouco intereca. Serve r
provisoriamente de baze os precos do Pro-
ptela.
i
ORDEItl DO m\.
O BALIZA concede plena liberdade aos
seus amatis collegas Clarins, nics. mitra-
dos e croados, para que possam saltar, ber- ,
rar e tudo mais quanto lhes aprouver, ale
a sua segunda ordem. ^_S-
_!
MUTILADO


\
oferte e PeriaaftiM ... afonde tt de Otitiibro de 1C.
GMVDE ABMAZEM DE MllLllUOS
Largo da
'Saate Cruz
n.84.
Esquina
da ra do'
Sebo n.84.!
0
NEM COROAS NEM MITRAS
E
AlIROH A BI! H OTE
o napra rn granueescala a vontade dos senhores compradores.
aue aaan'i m 2 armazr Aurora Bnlhanle pede a lodus os senuores e senhoras
Mh Efl^ESL* maHdar suas re,*5ea a es,e estabeteciMento por seas criados
8kS50!T*,!r* *'v*> a este armazem, certos de qne
sera uo dchi servidos como se viessom pessoalmenie.
NOVA EXPOSItfO DE GNEROS
NO
ARMAZC9I
DE
RITA IMPERADOR ff. 40
JunU wHNfc em qoe mra o Sr. Oi-bnrie,
PRINCIPAL
DE
IrWlfc % 'Wim.
tf. 9 ra lio fu:sio V o
as U^U^iBr,,axv0,CaJ,U.alqaer um geQero ff .Pr acai0 nao a'ade- e recel)e
ST '" a 9*60, sendo ^r cornea : a tabella de seos gneros ser mudada
Amendoas cuntidas a libra a 00. Carne e linguica do sertao.
Manteiga ingiera flor a 80(1, 960 e 14120.
si"' Dita mais abaixo a 610 e 720 rs.
Uiu franco aova libra 640 e em barril a
360 600 rs.
Cluaolate sam muilo novo a IJOO a libra,
cha perola o melhor que ha ( redondo) a
libra a 33200 e 2800.
Dito dito mais abano a 24500 e 2800.
Olio uxHi inuito liuu a 2*800 e 3
pilo bysson superior a 23600 e 23800.
Do nata ababo a 24 n 25300.
Jilo pruio muito lu a 2*300.
Uuo n:n m lisos a 24,
Dito do io cm latas de 4, 2 e I libra a
13-iO.
Gaf i; Moca superior arroba 94300 e libra
300 e 280 rs.
Dito da lio u do Coar arroba 85300 c libra
320 rs.
Dito mais ahaim arroba 84 o libra 260 rs.
Barricas com bulachinha inflen nova a
Duzia de graxa latas grandes a 14.
Caixas com 23 raassos de velas de snerma-
cele a 360 rs. a libra.
Ditas atores a 600, 640 e 720 rs. a libra
Ma$as brancas
rs. a libra e era barril a8oo rsr" "l^'Pa"^?.-a ^or ^ne se pode desejar,
Maatefga franceza
da safra nova a 6o rs. alibra, e em barril
nu-
Esqui'.a que vtlta para a ra de lanera tur'
. prf4Lsj.:",< '&*^ *ssc&.77zsz ** pr astas astsTEs -
ManteigTingleza I Majas brancas S*^*^^-^*-.^ **
a 560 rs.
confeitadas de
libra.
fj Latas com boUcbmba de soda de 3 libras a
cif S?8* Cl),n '"'as sortidas de i libras a 15400
<^5 Frascos om amortas franeezas a
f 84800 e 34.
%vn Lala* c0:n dlUS a ,,54U0,2500 e 4S-
8 Wlaa com fg..s de comadre a 15300.
v Camuas co n ditos muito nuvus.
-Q Presunto de Lamege muito- nova a liura 3 0
i rs. inleiro e a realbo 600 rs.
Ghouncas e paros novos a libra 600 rs.
Ditas c un ervilhas francezas e portuguezas
a 800 rs.
Bitas com massa de tomate novo libra 560
rs. a en Barrita 500 rs.
Ditas cun ostras a 720 rs.
Ditas com marmolilla dos methores autores
dLisboa a libra 640 e 720.
Potes cora inusluria franeeza preparada a
libra 4HO rs,
Run dita inglesa a 800 c 13.
Queijos novos do vapor a 25200 e 23800.
Dito de prato enplicad* a 14.
Dito suisso a BOO.rs.
s
(
(./) iMio suisso a oo.rs.
t! Dito de maoteiga da Si Vi Caitas con passas novas de i an
(i?) m la .'l5.*Uc i|u:irto 2
.") Amendoas com oasea a li
S39 ba 65.
. ;o Xm* libra 160 e arroba 33.
f' o Cbarotos tinos (iL- Simas, c dos
' f bricanies da Baha de 23
8
103 30. i#iP.usde
;/\ r .zas de c.iintobas de patitos do gaz a 2*200
^-y e 200 rs. a duzia.
(p Barril com azeilonas novas
Caixas com urna arroba de velando Araca-
ty 104300 e libra 400 r?.
Ditas de composigo arroba 104 o libra 360
ras.
Saceos grandes rom fariuba de Goianna mu-
to boa a 34300.
Ditos eom milho novo com 24 cuias a 35300.
Dito com farello de Lisboa a 3J0M e 120
a libras
Dito com arroz de casca a SjOOO.
Duna de garrafas de cerveja branca e preta
a o4300 e em barricas a 55000.
Arrnz do Jlaranho em saceos arroba 24600
25400 e libra 100 e 80 rs.
Dito da India e Java arroba 35 e libra 120.
Araruta verdadi-ira arroba 8* libra 320
rs., matarana.
Gomma do Aracaty para engoramar arroba
o3 e libra 160 rs.
Farinha do Maranhao nova libra 320 rs.
Ervilhas seceas multo novas libra 200 rs.
14600,|.Mg e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 33200 e libra 120 rs.
Graxa de boiao 97 a 280 rs.
Satio massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanbol wrdadeiro a 400 rs. a libra.
Batatos do Porto de diversos lmannos de 320
a 23
Capachos para portas de varias cores a 600.
700 e 800 rs.
Grao de luco arre-a 44500 e libra 160 rs.
Painco arroba 35500 c libra 200 rs.
Mi I no alpista arroba 43800 e libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
\inagrede Lisboa caada 13300 e garrafa
Iftgsos de palitos de denles com 20 massi-
nhos a 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 45500.
Dito grave liso o melhor aue ha a 44300.
Dito de peso e pautado a 2j50 e, 24800.
Garrafes com IB e 15 garrafas de verda-
naSa* &Kr':m'brade ,,ullaui,a |,or ***<
Azeile de cico garrafa 560 rs. e carrapato
300 e caada 23360.
Caixoes com doce de goiaba a 640, 800 c
melhores fa- 13.
a
r*K r barris srandes.
C- p V'as.juras do Porto piasava inuilo seguras a
3 t 400 rv. i- -
fUfe Azoito "toce francez dos melhores fabrican-
*%P e<' caixa D5 e a garrafa 5.
f'') '''u*a-'i Cl" Vl|iho Itoriouax branco e tinto.
M&2 Vinliodo l'orloSuo cm barris de5* que ra-
Sp ras t.-Z'-s appareco por 803 e em caada
.rL a 5.3300 e "arrala a 800 rs.
cafil "ilu li0 P'.aneira puro caada 45 e 4*500 e
C^ garrafa a 480e 560 rs.
!?L Dito de Lisboa de boas marcas a 35500 e
}AF\ 45 e a carrafa a 440 e 480 rs.
qflp Cognae verdadeim a garrafa 15 e 15280.
1: Vintu mscale! duzia 105 e garrafa 1*,
SS Vmho branco tto mtiitoboa quaHdade cana-
i da 43 s garrafa 480 rs.
Dho Serez lino eauada 73300 e garrafa a
13200.
Dito Madeira secca agarrafa 13600 e 25.
Dito em caixas de urna duzia do Porto dos
melhores autores a 125, 143 e 163.
Garrafas com ILf flno fraucez a 15, 15200
e 15600.
Ditas com vinho de caj muito claro a 15-
Ditas com inel de. ahelha puro a 15.
Frascos cora gonebra de lloltauda de 2 gar-
rafas a 1-5.
Dito de urna garrafa a 560 rs.
Dito de larauja verdadeira a 15200.
1I0 Lisboa arroba 9530o e libra
Toucinho
320 rs.
Dito do Santos arroba 05 e libra 280 rs.
Molhos com gran les ceblas a 13600.
13200 e 2*i(Vnio de una sola a 1*600.
Matracos de albos a 12<> rs.
Cadas de pastar e de amtaime.
Favas da ilha de S. Miguel arroba 3*200 e
libra 120 rs.
Copos lapidados para agua e vinho a 3*300,
33800, 63 e 7*. '
Ditos lisos para varios precos.
Calis lapidados grandes e pequeos duzia
3, 4 e 35 ; e 400 e 300 rs. cada um.
Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
tria a 400 rs.
Estrellaba e pvide libra 640 rs.
Xarope de fruclas nacionaes a garrafa 600
ris.
Marrasquinhp de Zara da melhor qualdade
agarrafa 15200e 800 rs.
Esleirs de [rauca, cento a 20* e 210 cada
urna.
Queijos do, qualha novos, arrobi
a 560.
Duzia de champanha superior a 205, o 25 a
garrafa.
Garrafes vazios a i GOO.
Massa branca para sopa a 320 rs.
Frascos com azeitonas eai concervas a 800
ris.
Duzia de cartas finas para jogar a 3*
Sabao hespanbol verdadeiro libra 400.
Saceos com feijao mulatinho novo a 103.
Latas com favas j pre[iaradas a 800 rs.
Amendoa
indissimas cores a 800 rs. a j
Amoixis
em^rS0Smd,f-,Vdr,i Cm 3Ib,aS ,lM0 ^
24-400, muito propios para mimos.
CartSes
com bolos francezes a 300 rs. cada um.
Latas
coro bolaebinhas de soda de todas as dua-
lidades a 14360. '
Chocolates
de lodasasqualidadesa 14000 a libra.
Presuntos mgiezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tamben
temos relttos para 500 rs.
Queijos flaraengos
chegados ueste ultimo vapor a 2A600
Queijos
chegados no ultimo vapor a 25600 cada um
. tleieijo
londnno o mais fresco que se pode esperar
e do excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs
o frasco.
Figos
em libras e calinitas ricamente dotiradas
proprias para mimos a 900 e tfoo!
Ck uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
jffTELS0 Podeven,JerPor menos de
Iden perola
especial qualidade a 24700 rs. a libra
Idera hysson
o mais aromtico que tem viudo ao nosso
mercado a 25600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480rs. alibra.
CMVAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1.8o
4??500 a caixa.
Vinho
I Figoeira J A A e nutras mudas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a
24800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado das melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a l& e 1,5200
a garrafa e de 103 a 125 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. ii M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 45000.
Bolachinha ingleza
a 15800 a barrica damesmaque
veadem a 25000 e 25400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120^ d bra.
Cervejas
dos melhores.fabricantesle de todas as mai
cas de 45500 a 65500 a duzia.-
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendera por 35400.
CAF
de 1.a e 2. sorte do Rio de Janeiro a 855f
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafdes
com 5 'i garrafas com vinagre a 15000 ua
o garra fo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de HJOtt
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 55800 coa
12 frascos.
GENEKRA
de Hollanda verdadeira em asqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo agroza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
, a lo,000 a caixa
sentare* fortunas a forca ,1a regra de liga como O^MarCS?*
PAR TOBIO
diversas cores
400 rs. a garrafa, e comprador.
I Amendoas confeitadas de
64o rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 3o rs. a libra.
No_armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados
>e peso
aquclle que nao seja do agrado do
MI. mas nao^ vend por &'o pr^o SSZZttXSSllZa** a-
e-se as quahdades dos gneros trocando-se lodo SriS'I* *
a Lentilhas muito novas excellenu- logume m-
I ra sopa a 2oo rs. a libra ,HueP--
"JJl Jj"" Je todas as qualidade, de
Ameixas francezas em caixinhal com'lindas Maotefea icc' LSSZL*
m t estampas, a 1,2oo a 1,5oo 1 s. Ttn fS Z mcnl flor *
a nora, e deMie^esano mais elogios rs-
tegnen) que s se pode 17.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em Larra
ou meios a 5oo rs. U,rr-
Marmellaila do |. fabricante de Lisboa a aw
rs. a
tVkl hlMdel.iVaeaiJhra,,
em latas de uina e duasli-
a 600 rs. a libra. "
em para sopa estrellinha, pevide, rodnt,
etc. a d.ooo rs. a caixa e 56o r E
Macarrao, talharim e aletria 7l ?
dem em frascos de vidrn a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 /i libra a l.loo rs.
Arroz do Maranhao e da India o melhor que
ha neste genero de 80 a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2.800 a arroba,
Azeitedoce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e: Maca de tomate'
*,8oo rs. a caada. |)ras
dem francez e de Lisboa refinado cm gar- l(
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa el 0,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
Azeitonas mnito novas a 2.000 rs, a anco- *??* ^"^ Preparada a 4ors' **
dem ingle cm telas de i e de 4 libras &.E "LS "f 7<" <"'
^memores mareas a ,,, %i Champagne das melhores marcas a 2o.ooo' [a ha 6 **"* a 1'0o rs- h-
rs. o g.go, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. Palitos para denles lichadas a l-
as meias garrafas. rn .a ma, "tIiai
Ch^uxim o melhor possire. a 2,7oo rs. a li- dem ZZ? '
a groza.
muito novo a 16o rs. alibra e
rs. a arroba.
bra.
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-,''finos de todas as qualidades
desa l.ooo e 800 rs._a garrafa. i com tima duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
rf
m
e selubal a 800 rs.
r> Jl-'^com BM(4ar4 preparada a 320 e 400 rs. Sevadinha para OM a 240 rs
MKf wMS eom 2 aerabas de batatas a 23300. Garrafas com muscaU-
J"> Vioho branco de lisbna proprio liara missa Sag novo a 400 rs
Cfe) *.4*w? ?*nfo p 640 rs. a ganafa. Rreu arroba 85o00 e libra 320 rs
t *( Bsairtte de vuilio a 400 rs. a garrafa.
Duas redes muito bem feitas para dormir
viadas de Sobral a 305 cada urna.
Latas com 27 garrafas de gaz a 114 a gar-
rafa 500 rs.

H outros bih?ios gneros de prlmelra qnalldde que na
posshel meuclooa-los.
A salisfacao da Aurora Brllhante vender muito. embora barato, roas D1NHEIRO O
abatendo cinco por cento a imam eomnrar de 100*000 iur> r,m-> es
(OP!
lapidados para agua a 4.000 e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
I almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do rae-
1 I or.
Papel de botica
de expeliente qualidade a 25200 a resma,
PAPEL
:azul e pardo para embrulhode l,4ooa 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
165 e libra fSj Passs corinthias muito novas proprias para I
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l.ioors. alibra
Vinagre
PRRom aneoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Panino
o mais novo do mercado a 1 io rs. a
e 45400 a arroba.
(los-melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu c outros muitos a 600 rs. a
} libra.
Pregunto
o verdadeiro presento de Lameco a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,000, a 3,200 rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
libra c em caixa tora abatiinento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 3io rs. a libra.
Hlalas novas
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas mitito novas
em quartos e inteiros a 25 o quarto e 65500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e t40rs. o pao.
Frutas cm calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
0
NOVO
1
DESTINO
23Largo do Terco23.
Con
roba.
T>ur.nho do Lisboa a Mfecs. a libra e 85500 a ar-
roba.
Gaf de primnira e segunda sorte a 240,260, 280 e
300 rs. a libra.
Arroz do M.ranho c Java a 100-, 70e 80rs. a li-
bra o 25200 a arroba
P osphros do gaz a 25 a groza o 180 rs. o maco.
Passas de carnada a 320 rs. a libra, e em caixa a
(9509.
Bola.Tlanhas inglezas novas a 240 rs. a bra.
babio amarello ma^sa a 160,200 e 240 rs. a libra.
4 rlasd e. carnauba AractUy coiniK*cao a 360 e 400
rs. a libra.
Ameas tranceza eom i e meia labras a 15.
Mvsa de tomate da melhpr oualidade a 60f rs a
tata.
Usrmellada dos
libra.
Chourieas as mai navas a 360 r
barril w 125.
scrvatioTurll^lW^'0^ tULt?* Lem sortidc, armazem de molhados denominado .
i vaiivo no larg" do Tergo n. 13 srteulitica ao respeitavel pab co e a lodos em ceral nne mindlm
01 venbain a este es.abelecmento para mWhor se sert.licarem da Z3*&E!L3*"*
tsja, a qoe nao obtera-.so compraren em ou.ro sjdqoer, pelo que se respoubel a a SSl
. .r comprador ^m* presteza-c lidelidade, sera que baja a menor alteraSc" Tod um
oor que comprar do 1005 para ma tera o descont de o a 10 por cento pelo seU' i^mpto amento
Atteaefto.
Dtalas as mais novas a 40rs. a Hbra e 13200 a ar- Cha bysson miudinbo e perola a 25,000 25500 e
30OO.
Miibo alpista e painco muito novo a 160 rs. a libra.
Bjpcoitos e bolachas de soda a 15300 e 25
Araruta das melhores marcas a 15, 25, 33 45, e
i5.*)00acaixa.
Charutos em macos eontendo 50 por 640 rs. o cento
Azeite doce de Lisboa iuu a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 280 rs. a garrafa, e 23000 a
arroba.
V4!S ftJte,r2 e,J:b0f, meihores marcas a
320, 400, 500. 560, 640 o 800 rs. a garrafa, est.
ultimo e 'o Porto proprio para os doentes por
ser purificado o reeomraendado para este tm
Queijos do ultimo vapor a 25 o 15700.
Manleiga ingleza Oor a tai 4 ufara, e a 950 rs. em
barril.
rd~i menos superior do 720 a 800 rs. a libra
Ido (taBceza do uKimo navio a. 500 rs. a libra
em barril se fara abatiinento.
menores fabricantes a 840 rs. a
a libra, e om
Gomma da mais alva a 160 rs. a libra e a 43500 a
arroba. ^^
wn dests genero? haoun-os muitos que enfadonbc seria moflciraa-tos.
li0ra' 1 Dsee da casca da qoiaba
'a60ael5oca#xae.
llniao e Gommercio ra do Queimafi n 7
e Vernaifeiro Principal rw do Inuiendor n. 40
chegadas neste ultimo vapoTMd^""^ E VWAM
GR4NDE FABBIU DE CALDEIBARIA
fumdi^ao be smm
DE
VIL! 4(14, IRY1A0 I C.
UA ]>4 BHUlf ]. 40
Chamamos a atten^o de todas as irmanda-
des e confranas para o que abaixo publicamos.
S desejar. nos 523SaVSB3ariISSfiE11^^**&** repara
Grandes furara as d.fficuldades me UaST^,
m
! dem perola qualidade especial a 2,7oo rs. Painco
a hora,
dem hysson o melbor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra,
dem preto homeopathico 2,ono rs. a libra.
Ceneja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
: Chocolate francez, suisso e liespanhol a
I 1,00o, 1,2oo e 1.4oo rs. a libra.
I Charutos do afamado fabricante Jos Furia
do de Simas e outros da labia como se-
jam Regaba, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2.000,3,ooo e
4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
: dem francoza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a Seo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
^ ra, e 10,000 rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800
5.000 e o,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra
e 8,5(10 a 9,oo rs. a arroba,
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra
e 8,000 a 8.9Mb rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o cai.xao.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata,
dem seceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,800 rs., e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,800
rs. com o garrafao.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolda de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem delaranja verdadeira a 1,000 rs. o fras-
co e 11,000 a ftasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
l,8oors. a garrafa.
o n, o ma-
a 2oo rs. a duzia, e 2.1oo r.
Queijos lamengos do ultimo vai,or
dem prato muito fresco a 800 ra a 1-brj
sendo inteiro a 72o rs. "*
Sal refinado em potes de 'vidro a 5oo rs ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de .\ai,le> Co n
amcia lata, e ioors o rimrfo..
Saru muito novo e alvo a 24o rs Ti Im ,
Sardinha de Franca a 18o a |2a
Sevadaa loors.alihra. K '
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oors. a Istan
Tyolospara limpar facas a 15o rs. cada wm.
ss rr;jr-
a ganaj.
(rarra-
\.nho empipa, Porto, Lisboa eFiK
marcas menos conocidas a ioo rs ?
rafa1. ea 2,800 rs. a caada *"'
dem t.gueiraeipecialm^i te es.olhid nesb.
lugar a Joors. agarrafa.e 4.io,?ae,%
cnmLaVra-d\ Co,ares hTS
^osifaoaSoors agarrafa,ei,v,;;"
dem Lisboa cm acoras com 9 canad.s
ca especial a 22,o rs. a ancor"
dem branco uva pura a 56o rs
e a 4,000 a caada,
dem Porto fino em pipa a 56o ra. a
Id*
dem engarrafados generosos, LMtJna de
dro V, Nctar, velho secco. IMnzia o
genuino part.ci.lar d,- 9o..al,^ rs 1 ,?r.
Ideo V'TrS- 3 ^ c<,m *S
dem Madeira leg,t,m0 a l.oo rs. a garrafa
ea 12,ooo rs. a duzid. bnu.
dem Muscatel a looo rs. a ganafa
dem Borrleaux dos acreditadas marca, St
uhenSt. Es.eph.ch^ulalUve.chafaB
Vermouth a melhor bebida e^tomacai a 2 000
rs. a ganafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e 1 4oo
rs. a caada.
dem em garrafes com 5 garrafas a I .oor. r
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 9*
rs. cada urna,
dem de escovas para lavar casa
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a .-Gors
a libra, e sendo em caixa a 52o rs
dem de carnauba reinada e de roaposiele
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e I l.ooo ri. a
arroba.
a 36o rs.
SP? S W Wi?feSasm^-iss
^ 3
VI
iJ
ilfilisl
2 w-o"S S a.*
III
. ara M
5 tu w
i" a. 2 S
M Ct> n. Q.
C6
O
'=.- co w
CE"
3
i
*3
es
9
u 2!!enlrmos wper- 3rn te Podermos cnseguir o
nosso desidertum
socio 1
Multo
3 S. 1 8 a a. S* &9 S u*
Ifi-ifl^flf' 23g.*T
*i;m IJi-
60 o" 3 S
i
^xrj~^igs& k^^Ss -'cor,
ro^!^*^^^ S % libras M ,00 r-
dalo em seu |B '^3 rra?dtarte SSh^ ?S *" Mm^^, gaar-
tantos sacrificioeedespezas a proteego do pubico ;' ^rl:,m' em *** de
Ki/toft Irmio A C.
s & s
=> a! ~- oq =
aacB ? 0"0^0
Ifi ^,
o
o 07"
_ N
3 3"
S 3-
5^

I
i No armazem de izendas ba-
ratas de Santos Corifeo,
Ra doQuRJmdde n. 19,
VeHde-*eo*eSninite:
AUenrao I,'
*,^a^iaZTh*:' fazeDda a melb<"- Que lea. v-.
do ao morcado, tanto em m cot. m T*l-
de pelo MM. pr^o de 560 .SSfc
Dius miudinhas carmezio, proprias para ves-
dos de menina, a ramuinhas a 640 oroVate
de I U C0'n 15 CVados' **h baral8 l"P
CoberUs de chita da India a 23500 e.T*
w Lencoes de panno de lioho a 2* e .'^0.
K ~* j jJjT5 de cafflbraia de forro cora & l|S vara.-
_- Toalhas alcoeboadas proprias para raaos a JA &
* iittC0S "0rteS d l5a cwn barra Maha Pto *
Pei.-as de planillas de algodao kho M vara.
proprias para sia a if.
Algodao entestado com 7 t|2 palmos de lardan
a 14100 rs. a vara.
Estelra da India, propria para forro de sala d*
4, 3, e 6 palmos de largura, por menos preco v
que era outa <|iiak|tt<'r parte.
Neste esiabeleriineoto tambera se eneoalrai*.
ora grande sortiroeolo de roapa feitas, e por me-
dida.
9
e
se


)
Diario e r**m*mhnr ... abbado I de Oulubro de l*4.
I
ao PUBLICO
Sem o menor constran*
glmeato se entregara
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENCAO
O* nreeos da seguintc
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajnste de eontas
com os portadores.
res e Senhoras o aceio que presidie, nos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo aprompdo e entei-
rao tratados, convida a urna mita ao mesmo, cortos de que sem duvida medaro a proteceo e preferencia na compr;
RIJA HA CAfiElA DO RE.CIFE W. 53.
(Logo passndo o arco da Coneeicie)
Cirande rediicco de preeos, equivalente a dez por eento menos do que outro qualquer
anmtnelante.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o prece da manteiga ingleza a 4,ooors. a libra, bem assim o de outros
muiios objecios etc., dando com isto ocasiao a todas as espeluncas acabarem por bom proco a manleiga de tempero, e gritarem em
ana voz, que poden vender pelo preco que eu vendo! I! Ora, eu ofendido com estas obscuridades e receloso em adoptar o mesmo
aystaenw que vim encontrar, des se vender com um por cenlo a carola, resolv fazer esta grande reduceno de oreos, como veris
pea segunde tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazn de molhados Uniao Mercantil nSo
&e sania de outro preco de manteiga mgleza a nao ser o de 4,4oe a 4,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reducejo a que
estao ongados, encarando todos os das de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mai informado deste novo estabelecimento. para llie vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
tao somente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores
reza com que serio M iuvjd
dos gneros que precisaren!, e quando nao pocara vir poderlo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, pois
serao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommeudaelo.aBmdeque nao vaoemoulra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escothida a 8oa rs. a libra, era barril se
faz abalimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
IJein huxim o raelhor que se pode desajar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopatliicoporserde superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o i,600, 4,80o e 2,ooe rs. a
libra, garante eo ser rnuito regu ar, igual
ao que se vende emoutra parte per 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguieas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garaute-se serem superiores aos que vem
em barris.
(Chouricas e paios em barris de raeia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo e 600 rs. a libra.
Queijos flamehgos muito frescos chgados
nesto ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a I,Roo e 1,800 rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
Mein do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a el les
antes que se acabem.
Ervilhas e favasporluguezas em latasj pre-
paradas a 6 W rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 re* a libra.
Prezunlo ilo remo vindos de casa particular
a 060 re. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inle/.as para fiambre chegado neste
vapor 7o rs a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
1,000 e l,2oo rs. a libra.
Espormaceteem caixinhas contendo Rubras
por l.bno rs., garante-s serem transpa-
rente e de superior qualMa de 12 por libra propria para carro.
Peixe em pista sovel, corvina, gors. pesca-

fXMNCil

Rua da adre de Dees n. 9.
A 41*000.
Saceos grandes cotn farinha de mandioca t***
barato preco arima mencionad.
m
%&*
Vende-se Din rarneiro grande e r. .u>>
proprio para sella ou rarrinh 1 de uu:.
no: na ra Direia u. OS, luja uv fiini. Jh
leiro.
Vende-se um cofre : na rua Jj .i- :..
n. i'l teieeiro andar.
O Perfimie da Mota.
rs. e em barricasde 4 duzias se faz abat-r
ment.
Caf do Rio a 2fio e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.000 rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9, dem do Cear de superior qualidade a 2lo
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Pataco e alpiste a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate era latas del e! libras a
Roo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,000 rs. a caixa.
dem e lalherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 cariadas por 45,ooo rs.
Antonio de Lisboa em latas com R libras
por 2,.'oo; ditas doce-em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 emeia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanlios com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, 4,5oo, e-l,8oors.
Azeite doce retinad! Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 800 rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,000 a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o irasco e
8.000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozas muito novas a Ifio rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melbores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
AGUA FLORIDA
De Murray Acaba ue utcubei e m propina eiia.miuei.ua um ^ramie u variado sortimento
de inclinados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
otTerecer aes seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, aancando todo e qualquer genero vendido nesto bem cormecido ar-
mazem.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 4,ooors. e II,000 a duzia-
Palitos para dentes a l4oe 46o rs. o mago.
Sal refinado em irasco de vidre cora rolha do
mesmo a 5oo rs.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 4,ooo
rs, a libra e 800 rs. sendo era barril,
dem franceza a .fioora, % libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cha nxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras,
para cima a 2,600
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras paja
cima a2,7oo,
Licores frapcezes e portnguezes das seguin-'
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-1
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Doteflm,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, ortel pimema a 1.000
rs. a duzia 1,000 rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tidonomer-,
cado.
dem hysson o mais superior que se podo Passas muito novas em quartos e inteiros a
desejar a 2,600 e. de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada uma a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a late
dem preto o melbor que se pode desejar
neste genero a 2,8o rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,000 e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho 3o Porto das melhores marca?, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Do uro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fedoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e 1,000a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhasde Nantesem quartos e raeias latas
a 36o e 5(!o rs. cada ama.
Sardinhas portuguezas era latas grandes
preparadas pelo melhorconserveirode Lis-
boa a Rio rs.
da, salmao, ostras echernee, vezngo em; Bolachtahas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 800 e l.oon rs. ca'Ia urna. cado a 2,800 rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Rordeaux das marcas mais acredita- libra,
das R,ooo, 7,000 e 8,000 rs. a caixa, garante- j qualidades al,3oo rs.
s<; ser de qualidade superior, que outro. Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. | para raimo a Rio rs.
Genebra de Holanda a 56o rs. o frasco, e. Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
o,7oo rs a frasqueira. libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras,
dem de laranja verdadeira de Altona em Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
4l,ooors. a duzia.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinlia de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahia e das
mais acreditadas marcas eunhocidas no
nosso mercado a 2.000, 2,5oo, 3,000,
3,5oo e 3,8oo a .aixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,0*0 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 1-
Idem miudinho proprio para negocio a 4,5oo
rs. a libra.
Uueijos do reino chgados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chgados no ultimo vapor a 2,600 rs
dem prato s melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oors. agarrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
mareas : Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-
ria, Vec-nic, Fance, Machine eoutras mui-
tayb i>3oo e 1,400 rs.
Fumamericano em chapa a 4,6oors, a
Ararnta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
caixa e 60 rs. a libra-
,Balachinha deCraknelem latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
Este raro quao delicado perfilmr- >
qnasi. que inextingnivel e to ehein ifil
mimosa fragrancia c frescurn com .
delicado cheiro dna propriat vatdan 1-
tcs flores. Durante o mezts c:il..i-
tos do Tero o sen uzo torna-se inine"!-
tementc aprazivel c desejavel em eav
Bequciicia da influencia refriginmfc t>
suave qno ell produs obre .1 pdnu
em quanto que uzada 110 bauliu c!I
imparte o corpo lnguido e can.;;.'
uma certa elasticidade de vigor e tor0,
EUa imparte, transparencia a J\^'--\
e retnove pannos, tardas c lcrio>jas <7
sobre apelle.
O TOMO ORIENTAL DE KEHP
PARA 08 CABELLOS,
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeladasdos mais afamados fabricantes de
Lisbotva R4o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao deJco muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a.64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a 1,60o rs. a libra,
fazenda especial.
Presunto para Hambre inglezes a 7oo e 800
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a R4o a libra.
Caixas de traque n. I a 8#>00 cada uma. |
Massas para sopa macarrao, talharim aletria Tn* da Cruz, e Jo3o da C. Bravo & C, m>
a 4oo rs. a libra. da Madre de Dos.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 800 rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
..i
uma preparaco admira ve 1 para
par, atbrmoeear, conservar e reetal>c!o
cer oe cabellos.
A venda as boticas de Caors Barboz*
dem de HoHanda em botijas grandes a too
1,80o rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mide a 32o rs a libra.
Bolachtahasd'agua em sal da fabrica do Beato
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de fi e 42 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a Rio rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs
Cebollas soltas a l.ioo o eento ; ditas em
mol ios com cento e tantas porl,2oors.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
DA
FUNGI LOW-lO WOOE.E
Rui da Senzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro balido e coado, de todos 01
lmannos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar rowpa: em casa de S. P. Johnston & C.
rua da Senzalla Nova n. 42.
Vinho rte Porto superior
dm caixas de uma e duas duzias : tem para ven-
cer Antonio Luiz de Oliveira Azevedu & C, no seo
escriptorio roa da Cruz n. I.
Fabrica Concei<$o da 1
Bahia. I
Andrade Reg, recenem constante- S
mente e tem venda no seu armazrm n. 3J|$
34 da rua do Imperador, algodo d'a<|L-.el- ffi
la fabrica, proprio para saceos de assu-
Na tuja de fazendas ba-
ratissimas de uarle
Borges da Silva, rua
da Imperatrz n. ti
Vende-se o seguiule:
PEQAS de panno de linho com 25 varas a 85,
U'n piuro estreito, mas excellente para toalhas.
DITO de dito adamascado com 8 palmos do lar-
gura para toalhas de mesa de jamar a 2,5ioo a
vara.
CASEMIRAS de duas larguras e de uma so cor
muito boas para roupa de meninos e soutembar-
ques a 3.5 o covado.
TOALHAS alcofboadas muito boas para enchu-
gar o rosto a 6 a duzia ou 500 rs. cada uma.
CAMBRAIA bnnra fina om salpicos miudinhos
a 640 rs. a vara. metade do valor.
OLA DOS dff bonitas e elegantes desennos para |
cubrir mesas a l o covado, para acabar.
I.AAZIXIIAS de padroes novo.- e muito agrada
pelo preco mais razoavel.
m
m car, emltatar aieodao empluma etc..etc., Puc0> rom ,ant0 1e venda mui,?> no me.n,iono
x nulo mrmea mais razoavel. r mais fazpndas nu presente annunrio porque impor-
taria sso n'nma despeza extraordinaria roja des-
peza reverter semt>re em benerkio dos comprado-
res, pedindo ao publico que nao deixe de ler indos
tilia da s6DZal>a A. 42, os dias este dilo presente annancio, pois haver
Vende-se, em casa de S. P Johnston & C, mudanca no< artigos arima ditos, isto a propor-
sellins e sitaoes inglezes, candieiros e casti- gao que se rbrem acabando.________________
caes bronzeados, lonas inglezas, rio de vela, Eipreza de illumiliaCflO
chicles para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavados, e relogios de: 'ilZ.
ouro patente inglez. i Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
i (por escripto dando o nome, morada, data, etc.).
devera ser teitas no armazem da rua do Imperador
' n. 41. Os machioistas mandados para attenrier a
Vende- se barris com alcatro, na rua da Crox estas, apresentarao um livro que os reclamante.^
"',_- P/'meiro andar, cscriptorio de ABlonio de deverlo assignar logo depois de prometo o servic.
Balidos para meninas
Lindos balaios de vark* go^tos para meninas
veis Unto na boa qualidade como no preco de 35(0 trazerem no braco : s se encontra na loia do Bei-
rs.o covado, e finalmente o^ respeitavel pnbriao ja-Flor, rua do Uoeimado n. 63 e 69.
Extratos e sabao em eai-
xinhas
Lindas caixinhas com nm rartao com a familia
imperial, e rtentro de cada caixa nm frasco ou sa-
bao o mais fino qe passivel na loja do Beiia-
Fli.r rna <\t. Oi.^imad n. fi.1 p 69
achara ronsianlemente nesta dila luja nm bello e
variado sortimento de fazendas finas e grossas a
precos mnito razoaveis, pois esl resolyido gannar
A tea ira o
bras por 2,ooo; dilo em caixes a 6oo rs. Idem _gieas em barricas amis novado
mercado a 3,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial cpie se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 44o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
2loors. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Bicos frascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de 4,4oo a
3,ooo o frasco.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 42o rs. a
lata de 2 I [2 libras.
Foij3p verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes muito novas a 420 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas al6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duaue, genuino, velbo
seceo especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V. nctar superior de
4833, duque do Porto de 4834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
mareas, em caixa de uma duzia a 4o,ooo e
4,000 rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinba de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a 4,ooo rs. cada uma.
Ricos livros com figos 4,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafes com 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 '/j ditas de venagre a4,ooo rs.o
garrafo.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
45,000 rs.com aancoreta
dem empipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e 4,4oo rs. a caada.
Caixas cora 4 ouzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,Seo rs.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao c un.a tintura, facto essen-
eial a contestar, a mesan agua dando a rr primi-
tiva ao cabello. C.mpusta de plantas exticas e
de substancias inr.ffriisivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante qur el-
les tem perdido. D'uma salubridade incontesta-
vel, a Agua Florida eniretem a lunpeza da cabeca
delroe as caspas e impede os cabellos de cahir
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
consuie, poderosamente, com a Apua Florida, a
torca, a bell za e a ronservacao dos cabellos.
Em Faris, casa de Qnialaur n. 12, rua de Ricbe-
lieu, e 21, boulevard M.-ntmartre.
Todos os frascos, nao tendo intacto e claro, o
timbre prateado da casa, sao reputados falsos.
Deposite, rua do Imperador, pharmacia n. 38.
ESCBAYOS F6ID0S.
Fngiona tarde do da 16 de jnlho p. p. i.r,
Charutos em grande quanlidade e de todos os eseravo pardo, de nome Marcos, mti.....*
fabricantes mais a creditados a 4,5oo, J? *"* Anna< v'urt0 *****, *
2 ooo 2 Knn 1 nmi i> i nnn rs a caira ** SK aaMM man n.ais M KMt,. -
z,ooo, 2 doo, .ooo e 4,ooo rs. a caixa, aPS segumtes a|,lira rcU|iir, ,.,., ,,,.
os mais baixos sao dos que por ah se ven-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a libra.
Arroz do Maranhao a 42ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem ila India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
naes seguintes
pi.uca barba, cabello crespo, levmi rami?. >
calca de algodosinho de riscad.. pznL_tij.
peo de pal ha, tendo levado romnp. la r,-(r\
coro mais roupa, e rendido de uma da ven,',
quera o appreender quein leva-lo na d;; V.-t'ri
de Deus n. 38, ou rua do Brum n. 5!, qne .* r
recompensado.
E sera o fu y
ido
Fngio no dia 7 do correte o pr^t. Amancio. At
estatura regular, as duas pernas uumiaiUu, f...
de denles, representa ler de idade B25ai
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra. 13,uem iM'!!ar l,ve rua do Trapiche, h
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura Qngindo esparmace-
te 3tio rs. a libra.
Europa, que ser recompensado.
100$ de iraiilii- i;'i.
A qnem capturar o escravo pardo de non' 11-
berat./. fuai.io em 16 de oulubro corr ote, i -
talara regular porm laryo dos h-unlm, n
de 20 anuos, cor alaran-jada. nto oval rom v *-
cas de espinria* e iMjxiga.*, falla pmi. o ers "
pequeo sulaque de gaguez, falt.irn-ll, |
dem de esparmacete a 060 rs. a libra, e em denles da frente e a cabeca mi imba m.i.. rapwM
caixa a uzo rs. com 25 libras. i psta com os cahell.is principiando a ereM i m
Papel o melhor que se pode desejar para os J.atima da ^* na beca uma rica*b i
Srs pmnrpoi.los nnbluvM a i noo rs a res- ifurlou Ia 0,,Ci,,i,;i0 da fuR"la p"fr*i i -
srs. empregauos puuiitos a o.ooo rs. ares- !(|Uena rte dous canos, um palet..t pre'n i
ma, ja se vendeu por 7.000 rs. | tres ditas de brim de cores, camis-s fi!,,-
dem almaco pautado e liso a 3,000 rs. a resma.; uma hotes de coral nos pimiios e um o..- y .
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a: %*"* "*> hriihante m ai.ortura.uma i m .,
r de fado, um chapeo de sol
rc&ixid.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
de
XARPE
deLABELONYE
Almeida Gomes.
EDi|>regau com intariMcl successo i-sde 30 anuos
pelos Mdicos de todos os paizes contra as molestias
orgnicas ou nao orgaaicas do coracao, as diversas hj-
dropisias e a niaior parle das molestias do peiio e dos
bronchios (pneumona*, catarrhns pulmonares asthmas,
n/Tammacoe nervosas do* bronckiot, catarrlieiras, tte..j
0 xah..pe de 1.abklowe nio se vendesenio em
P0T4SS4
Reclamado; isto para que ,tempre fique sciente fSZZ^^'***^"**
de haverem os mesmos senhores sido devidamente
attendidos.
Vende-se potassa em barr a commedo preco o
na rua da Cruz n. 53, primeiro andar, eseriplon:
de Antonio de Almeida Gomes.
Em paiiis. ruu Bourbon v lllenruvr, 11
dem cmbrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 4 '/> l'bnt a
4,2oo e 800 rs. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle 4,000 rs. tambem temos em
frascos para 4,4oo rs.
Conservas inglezas.a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 800 e 4,000 rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,Soo
e 6,noo rs. a duzia e Soo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muilo novas a 4,ooo rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
40,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 48o rs. a libra.
Milho alpista a 44o rs. a libra e 4,Soo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a 4,00o rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e 4,000 rs. o
caix5o.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
O proprietario do grande armazem Uniao e Commercio declara aos seus fregue
zes e amigos e ae publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
U6pono eral em Pernambnc roa da M mesmos precos nos seguintes lugares:
.iv7.%^.^ Uniao e Commercio rua do Quemado n. 7.
nau;uadascruMSn.24, esquina da travs H^J^j^^^^f | O Verdadeiro Principal rua do Imperador n. 40.
seda -ir .l-
um par de bolinas, nm paletot de hrim Mmwntt
de lita branca e um chap de palba da .U.ui'ii.
alm da roupa delle. Este esrravo rio Janeiro em ti d. i trrenle, onde se achavacon r
nome de Marcolino, mnito fujao e eartHM .|
do foge inlitular-se livre, pertenceu ao maj r J i i
Francisco do Reg Maia de Apipu.os, e bejt a
Symphronio Olympio de Quein.ca morador ;i i :i
Velha n. 35._________________
Atteu^ilo a paga,
Fugio a escrava crioula Joaquina, cor fj
la, alta, magra, ps grandes e apalheiait..*-
tem alguns cabellos bramos que os pinta,.
inculca-se forra, muito falladeira e se *n-
geita alugada em casas particulares p ra
engommar durante o tempo de fgida .,i c
nao a primeira vez que a fin, difana ti
de diversos modos, as vezes de timfm e
saia preta e outras de vestido e bala.), "i-
contrada ronslantementc ja no baino
Recife, S. Jos e B<.a-Vista, e iillimur, i
foi vista pas>ar pela roa Augusta ; 5np-
pflflhM que esta morando em algum i-isel n
por delraz desta rua : roga-se as anlonda
des fioliciaes dos bairros do Hecife. S. Josfc
e Boa-Vista ou oulra qoa'quer pessoa qm
a encontrar apprehendam e apresclcm ai
sen senhor visconde de Voa-visla em si n
palacete rua da Aurora-. ________
Fngio ou eneentw Para no da 9 do rnrr*Rt
com direecSo a esta prara, onde pernoiiou a.pi. 1
noile o escravo Caetano, cabra, de idade .10 arn".,
penco mais ou menos, no obstante j ler aJgnir*
cabellos tiranos, pouca ou nenhuma barba, v,. -
tas grandes e arrebiadas, estatura mediana, p> r-
nas linas, ps apalhetadus, andar corcovado, MMtn
bem cicatrisadas de chicote, muito ladino e ve-
Ihaco : gi aiifira-.-e a a>>eai o agarrar e leva-lo ao
mesmo engenho nu eairem-lo nesta prara na i i
Nova de Santa ntan. 7,aos Srs. Siquejra & Sanl >s.
De bordo do patacho brasileim lirlimpin
rugi o escravo-mina. loao. de 50 annos de Hart.,
pouco mais ou menos, estatura regular, e cor pre-
ta : ju ga-se que nao lera fgido para fra da ri-
dade porque ao eostumado a fugir : qurm 'i
ver noticias d^llp e o levr ao escriplorio di roa
da Cruz n 3. ser gratificado.___________
Do engenho Cuncaicao, freguezia d Booit.,
fugiram d..us escravos : Lui, idade 50 anm-f, al
to, secco, olhos pequea, horca hiruda, pernas t-
nas, levou calca de algndo e camina Ana ; V*'
rio, idade 35 annos, olho* ahornados, bem bar i
do.'cnrpu ordinario, canella fina, analheiad *
pe, vexado no fuligo quando irahora : ijii -o-
levar os ditos escravos ao dito engenho e en'rr.- i
ao proprietario, abatx* aasignado, era bem grafi
fleado.Manuel Antonio Alvea da Silva.
MUTILADO


I '
8
Dlarl* de Pernawtaie* abbado tt r Oucnbro de 1S4.
LITT1R ATURA.
0 QUE VAE PELO MUNDO
Eis a circular dirigida pelo presidente do con-
s:'.h de ministro da Hespanha Gonzlez Bravo, s
a tri lado administrativas, sobre a poltica do ga-
binete :
Sub-seereiaria.L* reparlici) circular -
E -.alo |:.-ia conflanea de aua magestade aocargo
iral dizor Y. S. o convenate para que conheca
bem c taca conhecer aos seus subordinados a aig-
uiBcaeo e o; intuitos do governo de que faco
parte.
A rainlia, usando da prerogativa quo, segun-
do a constituiyao, Ihe compete, incumbiu a forma-
dlo do actual ministerio ao Sr. duque de Valencia,
cobre cuja eminente importancia e declarada re
prasentacao poltica nada preciso dizer. Era natu-
i .'. e legitimo que o ministerio de cuja composicao
ella fra encarregado, corresponde.-se do rnodo
riis comprehcnsivel a conhecida sisnificaejio do
iluetre personagem que Ihe bavia de presidir. Os
ii .mes dos actuaos conselheiros da corda dizem
quanto basta para testemunhar al que ponto esse
cor improprios das altas e rigorosas obrigacesim-
| Mas pela governacao do eslado.
a O actual ministerio constituiu-se, como lica
dUo, em virtude do livre uso da prerogativa consti-
tucional do monarcha.
c O sen proposito guardar e fazer que se guar-
i'cm escrupulosamente a conslituicao poltica e as
1-isda monarchia, entendendo-as e applcando-as'
ooi eq'ulaliva c prudente rircumspeccao, e despn-1
voJveade-as convenientemente segundo o espirito
'4ibanl da poca em que vivemos, sem olvidar as
li s da experiencia, era ignorar o valor das
circamsiancias que se dao.
e O estado em Hespanha urna monarchia
constitucional; do monarrhirns p eonsttnrionaes
so ufmam o se tem sempre ufanado os memhros do
actaal ministerio; a sua intencao governar, sujei-
taaflose de bom grado s regras sabidasdas insti'
tuleoes representativas.
Para que estes proceitos sejam legtimamente
aplicados absolutamente indispensavel que aau-
leridade do governo e dos seas agentes attinja toda
plenitude, toda a importancia moral que por c-
es i|is concedida.
* O actual ministerio entende que cada una ins-
" Centro dos seus respectivos limites, por isso quer
^ae a accao de que depositario se desenvolva
eoerglca e desenibaracadamente ao impulso da sua
voatade c na oxieoso do seu direito, sem atacar
tea ainda levemente o movimento logitimo dasou-
ttii nstituicoes, que com sinceridade respeita,
mas sem renunciar por isso mesmo no mnimo
ponto ao uso de nenhuma das attribuicoes que Ihe
sao proprias.
< A reflexo e a prudencia as resolucoes nao
exenten), antes exigem, a execuco rigorosa do re-
SOlvido.
< O vigor o o decoro da autoridade legitima sao .
a garana mais solida das franquas publica*. Quan"
do se discute a legilimidade da autoridade, est-o
cniperigo a liberdade,esl-oa ordem ; a anarchia ;
CD'.o inevitavel.
a Uto, reduzido em breves termos, quer dizer
que. O gqverno actual nao vem ao poder para satis-
iiter as exigencias exageradas de nenhum partido,
era contentando os aranosos, ora humilhando-se
anta ellas com pueril temor.
a Paraos actuaes ministros,dentro da ordem le-
gr.l, nao ha sectarios d'este on d'aquelle principio !
0(t systoma ; s ha cidados hespanhes dignos de
respeito emquanto obrem nos limittes da lei, pnni-
vois sem excepcao, contemolacoes, nm hesitantes
d-; especio alguma, inundo a transeridam. A ele-
vacio ao poder dos actuaes conselheiros darainha.
nao portanto a victoria de urna handeira, nem o
monopolio das posicoes e favores offleaes em he.
oeScio ott em damno de alenem ; simplesmente
um facto poltico que a conscienca do monarcha
ontendeu dover realsar, facto que nao deve prever-
Ce r se pondo as suis conseqnencias em contradic-
to com o espirito e com a vontade de que nasceu-
A rainha de Hespanha 6 rainha de todos os hespa-
Obes quer semore, nunca deixou de querer, que
O se i governo olhe para t 'do< os seus subdito^
com perfeita egualdade ; os actuaos ministros es-
tilo resolvidosa por em execuco este just>, nobre
O raagnauirao proposito da nossa soberana.
e Greio, Sr. governador, que estas declaracoes
fcastaro para que V. S. forme um juizo das ideas
sobre que se firma a poltica que se propoe a se-
guir, quanto administraco interna, o governo de
sua magestade.
A contituicao, a lei e o direito antes de tudo>
forte com o d reilo e com a le, a autoridade deve
estabelecer-se sem ostentaco, mas com firme von-
tade. sera condescendencias honrosas, mas com
equitativo espirito, na alta posse do poder, da dig-
nidade e do prestigio ; sem o que, se nao compre-
tiende a sua existencia.
Sempre que V. S. se mantenha n'estes limites,
nao receie obrar com resolucao ; o governo saber
apoiar e premiar os seus esforcos; se, ao contrario,
llvesse o desgosN de o Tcr afastar-se d'estes prin-
cipios, nao hesitara um momento em Ihe exigir a
responsablidade em que incorresse.
t Deus guarde V. S. muitos annos. Madrid, 19
e setembro de 1864.Gonzlez Bravo Sr. go-
vernador civil do districto (provincia) de...
*
Pelo ministerio da marinha foi publicado o
pgulnte quadro dos offlciaes da armada :
Vice-almiranles.
t Baro de Tamandar.

Chefes de esquadra.
1 Guilherroe Parker.
2 Conselheiro Joaquim Jos Ignacio.
3 Diego Ignacio Tavares.
4 Couselheiro Joaquim Raymundo de Lamare.
Chefes de diviso.
t Chefe de esquadra graduado Joao Maria Wan-
denkolk.
8 Antonio Leocadio do Couto.
3 Francisco Manoel Barroso da Silva.
4 Jesuino i.aniego Costa.
9 CoQ-ellieiro Joaquim Manoel de Oliveira Fi-
gueiredo.
6 Felippe Jos Ferreira.
7 Conselheiro Raphael Mendes do Moraes e
Valle.
6 Francisco Pereira Pinto.
Capiies de mar e guerra.
i Cbefe de diviso graduado Jos Maria Fer-
reira.
1 Dito Francisco da Silva Lobio.
I Pedro da Cunta.
4 Manoel Francisco da Costa Pereira.
5 Antonio Flix Correa de Mello.
6 Francisco Xavier de Alcntara.
7 Elisiario Antonio dos Santos.
8 Gervasio Mancebo.
9 Augusto Wencesln da Silva Lisboa.
10 Guilherme Carlos Lassance Cunha.
11 Benjamn Carneiro de Campos.
12 Jos Mara Rodrigues.
13 Francisco Cordero Torres e Alvina.
14 Jos Segundino Gomensoro.
lo Fernando Lzaro de Lima.
10 Hermenegildo Antonio Barbosa de Almeida.
Capites de fragata.
1 Vctor de Santiago Subr.
2 Rodrigo Jos Ferreira.
3 Jos Eduardo Wandenkolk.
4 Jos Antonio Correa.
5 Joilo Baptista de Uliveira Guimares.
G Jos Maria Galhardo.
7 Candido Jos Ferreira.
8 Francisco CandiJo de Castro Mepezes.
9 Jos Antonio de Siqueira.
10 Jo.o Gomes de Aguiar.
11 Victorio Jos Barbosa da Lomba.
12 Jos Manoel Picaneo da Costa.
13 Manoel Joaquim Correa dos Santos.
14 Manoel l.uiz Pereira da Cunha.
13 Antonio Lopes de Mesquita.
16 Joao Carlos Tavares.
17 Pedro Autonio Luiz Ferreira.
18 Jos Pereira Ptnto.
19 Antonio Alfonso Lima.
20 Guilherme Auguro de Freitas.
21 Rodrigo Antonio de Lamare.
22 Marcos Jos Evangelista.
23 Joao Paulo da Costa Netto.
21 Joaquim Rodrigues da Costa.
i'< Tliomaz da Cunha Va-concellos.
26 Joao Manoel de Moraes e Valle.
27 Antonio Jos Pereira Leal.
28 Antonio Ernesto Lassance e Cunha.
29 Theotonio Raymundo de Brito.
30 Antonio rtlves dos Santos.
Capitcs tenantes.
i Francisco Joaquim de Siqueira.
2 Xuno Alves Pereira de Mello Cardoso.
3 Luiz da Cunha Moreira.
4 Jos Antonio de Faria.
5 Antonio Claudio Sido.
6 Jos da Costa Azevedo.
7 Delfim Carlos de Carvalho.
8 Miguel Jos de Mello.
9 Francisco Jos de Oliveira.
10 Antonio Joaquim Curvello d'Avila.
11 Dr. Joaquim Alexandre Manso Sayao.
12 Ludgero de Salles e Oliveira.
13 Manoel Benicio Furtado de Mendonca.
14 Genuino Augusto de Barros Trrelo,
lo Cypriano de Azevedo Thompson.
16 Manoel Maria Lobo Botelho.
17 Jos Duarte da Ponte Ribeiro.
18 Francisco Duarte da Costa Vidal.
19 Joaquim Francisco Chaves.
20 Alexandre Jos de Araujo.
21 Jos Gregorio Alfonso Lima.
22 Ignacio Accioli de Vasconcelos.
23 Silvino Jos de Carvalho Rocha.
24 Antonio Carlos Rodrigues da Silva.
2o Pedro Thom de Castro e Araujo.
25 Bonifacio Joaquim de Sant'Anna.
27 Joaquim Guilherme de Mello Carro.
28 Felicio de S e Brito.
29 J.iao Pedro de Carvalho Raposo.
30 Candido Benicio da Silva
31 Sabino Eloy Pessoa.
32 Ricardo da Silva Neves.
33 Pedro Leitao da Cunha.
34 Carlos Augusto Victoria.
3o Bacharel Giacorao Raja Gabaglia.
36 Henriqne Antonio Baptisla.
37 Luiz Maria Piquet.
38 MamedeSimSes da Silva.
39 Antonio Mariano de Azevedo.
40 Jos Carneiro de Amorm Bezerra.
41 Eoas Justo de Barros Torrco.
42 Jos Lopes de S.
43 Candido Custodio de Lemos.
44 Manoel Antonio Vital de Oliveira.
45 Basilio Antonio de Siqueira Barbedo.
46 Antonio Manoel Fernandes.
47 Jeronymo Pereira de Lima Campos.
48 Jos Henriques da Silva Fres.
49 Jos Avelino da Silva Jacques.
50 Joao Carlos de Souza Jacques.
51 Jos Nolasco de Fontoura Pereira da Cunha.
52 Joao Soares Pinto.
53 Francisco Leopoldo Cabral do Canto e leive.
54 Francisco Freir de Borja Salema Garcao.
35 Joaquim Leal Ferreira.
56 Eugenio Pedro da Rocha Pitta Garcao.
57 Antonio Coelho Fragoso.
58 Aurelio Garcindo Fernandes de S.
59 Antonio Luiz da Silva Souto.
60 Salustiano Caetano dos Santos.
Primeiros tenentes.
1 Bacharel Manuel Fraucisco Corroa Leal.
2 Manoel Joaquim de Castro e Costa.
3 Jos da Cunha Moreira.
4 Pedro Hyppolito Duarte.
3 Joaquim Jos Pinto.
6 Justino Jos de Macedo Coimbra.
7 Manoel Rodrigues de Almeida.
8 Luiz da Costa Fernandes.
9 Balduino Jos Ferreira de Aguiar.
10 Bacharel Liurenc.e Eloy Pessoa de Barros.
11 Antonio Ximenes de Araujo Pitada.
12 Ignacio Joaquim da Fonceca.
13 Manoel Ernesto de Soaza Franga.
14 Antonio Benedicto Orozimbo Xavier de Aze-
vedo.
15 Pedro Cordeiro de Araujo Feio.
16 Joaquim Nolasco da Fontoura Pereira da
Cunha.
17 Antonio Luiz Teixeira.
18 Eusebio Jos Antones.
19 Jos Francisco Pinto.
20 Dr. Brasilm da Silva Baratna.
21 Joao Moreira da Costa Lima.
22 Francisco Antonio Salom Pereira.
23 Augusto Mximo Bapti.ita.
24 Jos Maximiano de Mello e Alvim.
25 Felippe Orlando Short.
26 Elisiario Jos Barbosa.
27 Pedro Ferreira de Oliveira.
28 Francisco Jos Coelho Netto.
29 Desiderio Celestino de Ca>tro Jnior.
30 Thomaz Pedro Bittencourt Colrim.
31 Jos Manoel de Araujo Cavaleanti de Albu-
querque Lins.
32 Carlos Braconnot.
33 Ernesto Ignacio Cardim.
34 Carlos Ramel.
3o Alvaro Augusto de Carvalho.
36 Guilherme Jos Pereira dos Santos.
37 Pedro David Dnrochrr.
38 Antonio da Silva Teixeira de Freitas.
39 Manoel Martins de Araujo Castro.
40 Jo- Maria do Nascimento Jnior.
41 Rufino Luiz Tavares.
42 Collatino Marques de Soaza.
43 Ricardo Greenhalgh.
44 Joao Evangelista Cordeiro de Araujo Lima.
45 Joo Mendes Salgado.
46 Americo Brasilio Silvado.
47 Antonio Joaquim Moreira Marques.
48 Henrque Francisco Martins.
49 Jacintho Furtauo de Mendonca Paes Leme.
50 Joao Gomes de Faria.
51 /ose Candido Duarte.
52 Fortunato Foster Vidal.
53 Agnello de Faria Pinto Mangabeira.
H Manoel Carneiro da Rocha.
55 Joao Baptsta de Oliveira Montaury.
36 Joaquim Rodrigues de Souza Aranha.
57 Joaquim Maria Nogueira.
58 Helvecio de Souza Pimentel.
59 Bernardino Jos de Queiroz.
60 Antonio Carlos de Mariz e Barros.
61 Francisco Romano Stepple da Silva.
62 Augusto Netto de Mendonga.
63 Manoel de Moura Cirne.
64 Jos Hyppolito de Menezes.
65 Fernando Dias de Mendonca Paes Leme.
66 Joaquim Francisco de Abreu.
67 Jos Bernardino de Queiroz.
68 Jeronymo Francisco Goncalves.
69 Francisco de Paula Fragoso.
7<> Braz Jos dos Res.
71 Gamillo de Leus h Silva. '
72 Jos Antonio da Silva Maia.
73 Jayme Gomes de Argollo Ferrao.
74 Joao Antonio Alves Nogueira.
75 Antonio Luiz Hoonhoitz.
76 Joao Goncalves Duarte.
77 Clemente de Cerqueira Lima.
78 Francisco Antonio de Vassimon.
79 Pedro Jos Alves.
80 Lucio Joaquim de Oliveira.
81 Francisco Jorge da Silva Araujo.
82 Emilio Augusto de Mello e Alvim.
83 Augusto Cesar Pires de Miranda.
84 Jos Luiz Teixeira
85 Manoel Lopes da Cruz.
86 Francisco Forjaz de Lacerda.
87 Joaquim Cardoso Pereira de Mello.
88 Jacintho Fernandes Pinheiro.
89 Eduardo Waodenkolk.
90 Manoel Lopes de Santa Rosa.
91 Pedro Lopes da Conceicao.
92 Joaquim Candido dos Reis.
93 Jos Severo Moreira Ros.
94 Augusto Jos de Souza Soares de Andrea.
95 Felippe Firmino Rodrigues Chaves.
96 Oyinpo Jos Chavantes.
97 Manoel Soares Pinto.
98 Manoel Ricardo da Cnnha Couto.
99 Francisco S. eridio Rodrigues Vaz.
100 Loureneo Luiz Pereira de Souza Jnior.
101 Joao Henriques de Carvalho e Mello.
102 Tancredo Jos da Silva Quintanilha.
103 Antonio Ferreira de Oliveira.
104 Antonio Joaquim de Mello Tamborn!.
105 Francisco Goulart Rolira.
106 Jos Marques Guimares.
107 Jos Ignacio da Silveira.
108 Joao Joaquim Rodrigues Pinto.
109 Jos Carlos Palraeira.
110 Augusto Leopoldo de Noronha Torrezao.
111 Joaqtnm Villela de Barros.
112 Arnaldo Leopoldo deMurinelly.
113 Henrique Francisco Caldas.
114 Joao Jos Lisboa.
115 Antonio da Costa e Oliveira.
116 Francisco Jos de Freitas.
117 Custodio Jos de Mello.
118 AntonJo Pompeu de Albujuerqae Cavaleanti
119 Fraucisco de Salles Werneck Ribeiro A.
120 Eduardo Augusto de Oliveira.
121 Eduardo Faio Pereira Franco.
122 Annibal Jos Ramos.
123 Juo Bernardino Moreira de Araujo.
124 Joaquim Augusto da Costa Sampaio.
125 Manoel de Araujo Cortez.
126 Jorge Saturnino de Menezes.
127 Manoel Joaquim da osla Jnior.
128 Domingos Jos de Azevedo.
129 Manoel Marques Mancebo.
130 Fernando Xavier de Castro.
131 Pedro Antuuio do Monte Bastos.
132 Frederico Guilherme de Lorena.
133 Jos Antonio de Alvarim Costa.
134 Joaquim Xavier de Oliveira Pimentel.
135 Henrique Messeder da Rocha Freir.
136 Antonio Manoel Perdigo Fernandes.
137 Carlos Frederico de Noronha.
138 Constancio Gracindo de Souza Brito.
139 Carlos Balihazar da Silveira.
140 Arthur Silveira da Motta.
141 Pedro Benjamn de Cerqueira Lima.
142 Octaviano Antonio Vital de Oliveira.
143 Carlos da Silveira Bastos Varella.
144 Theotonio Coelho de Cerqueira Carvalho.
145 Autouio Calmon du Piu o Almeida.
146 Joaquim Concalves Martins.
147 Adriano Manoel Fernandes.
148 Francisco de Paula Telles de Menezes.
149 Antonio Seriano Nunes.
150 Luiz Barbalho Muniz Fiuza.
151 Eduardo Frederico Meunier Goncalves.
152 Pedro Pinto da Veiga.
153 Estanislao Preswodowski.
154 Jos Pinto Ja Luz.
155 Miguel Joaquim PedernBl'a.
160.
Segundos tmentes.
1 Hipolyto de Simas Bittencourt.
2 Dmaso Pinto de Araujo Correa.
3 Tell Jos Ferro.
4 Manoel de Souza Gomes Jnior.
5 Miguel Antonio Pestaa.
6 Jo Luiz Pereira de Souza.
7 Jos Antonio Lopes.
8 Jos Lamego Cosa.
9 Jo.- Gomes dos Santos.
10 Gaspar da Silva Rodrigues. ,
11 Francisco Jeronymo Goncalves.
12 Napoleao Jaosen Muller.
13 Felinto Perry.
14 Pedro Nolasco PerWra da Cunha.
15 Jos Antonio Correa de Mello.
16 Manoel Loureneo de Castro Rocha.
17 Manoel Augusto de Ca-tro Menezes.
18 Jos Ignacio Borges Hachado.
19 Augusto Cesar da Silva.
20 Domingos Moreira da Silva.
21 Manoel Terencio Correa da Silveira.
nos; e duas longas trancs de cabellos louros, co-
mo o ouro, que cahiam sobre suas espaduas negli-
gentemente. A brisa da noute, depois de ter atra-
vessado as vastas maltas -de ploheiros selvagens,
que coroam as cumiadas de Alleghami, enchia osa-
lo de ennebriantes aromas...
Em volta do retrato do imperador est escripto
a f, do principe imperial a espkranca e da Ipem-
ratriz Eugenia a caridadk.
Refere nm jornal o seguinte :
Os fogos de artificio foram conhecidos na mais
De repente oujo perlo de mim um soluco: le- remota antguidade, sem fallar dos chins que nel
vantei-me e vi, pela janella aberta, um perfil inde-'les sao insignes e que ellos altnbuem a invengo
240.
EN PObCO DE TODO.
Da Via Parisiense tradunraos o seguinte :
O PIANO DE MISS KAT8.
(Recordarors da America.)
Urna tarde eu estava s junto a miss Kate; em-
quanto seus dedos percorriam as teclas do piano,
eu contemplava voluptuosamente esta altiva e gra-
ciosa creatura de grandes olhos zoes, vivos e ter-
ciso, occullo pela sombra, entre as roseiras e noguei-
ras bravas.
Que isso, Kalo ? pcrguntei-lhe.
- Nada, respondeu-rae com sua voz argentina,
continuando a valsa que executava
duvida a louca de Betsy.
O que que a faz chorar ?
Ignoro-o. Os negros sao como os meninos,
riem e choram sem motivo.
Nao sei porque razo esse gemido penalisou-me.
No dia seguinte, emquanto sellavam nossos
cavados, sentei-me ao piano e deixava os dedos
correr o teclado ao accaso, quando, erguendo a ca-
becadescobrlnoespelhourna figura hirtade dr.
Era Betsy ; por sobre suas faces de bronze corran)
dous ros de lagrimas, com suas mos comprima
o arquejante peto e de sua garganta sahiam gemi-
dos prolongados.
Que tens, Betsy 1 disse-lhe.
Oh I nada, senhor, contnuae a fazer fallar o
meu pequeo Bob; ainda ha pouco elle ra, e ago-
ra chora, continuaos.
Que dizes ? perguntei-lhe, suppondo-a louca ;
quem esse Bob ?
Bob, disse ella, e seu rosto Irradiou-se, meu
querido filho.
EntaoT
Elle tinha dez annos, senhor ; era grande,
robusto para a sua edade ; seus finos cabellos en-
rosca va-se como a laa dos cordeiros do Kentucky;
seu rosto era brimante como o cume das monta-
nhas azues ao declinar da tarde ; seus olhos eram
mais vivos c mais negros do que os do nosso no-
vilho. Era bello e bom, e todos aqui amavam-o.
Miss Kate tambem o estimava, por terem sido ama-
mentados juntos ; quantas vezes, abracados como
rmos, vi os adormecer em meus bracos! Quem
nao amara ao meu pequeo Bob! seu riso era do-
ce e temo, quando voltava do campo pela manhaa
carregado com um lindo ramo de flores, que elle
mesmo colhia, para a sua miss Kate 1 O senhor
amava-o tambem; deixava-o montar nos potros,
era bello ver como elle procurava, agarrando-se
s crinas com suas pequeninas raaos, dirigidos nos
campos...
Pelos discursos inherentes desta mulher, suppuz
tivesse seu filho morrido, e disse-lhe :
Vamos, tninha pobre Betsy, consolae-vos, a
morte nada poupa...
Nao, senhor, interrompeu-me ella, meu pe-
queo Bob niio morreu.
Porque entao que choraes T
Quando miss Kate cresceu, meu senhor re-
solven que ella aprendesse a tocar piano, como o
fariam as meninas dos arredores. Elle tio bom
pael Parti para urna tiagem e voltou com um ho-
mem que levou o meu pequeo Bob. Meu senhor
vendera-o para comprar um piano. Cada vez que
ouco tocar este instrumento, approximo-me e escu-
lo ; impellida por urna forca oceulta, porque pare-
ce-me ouvr a voz do meu pequeo Bob. Se o pia-
no est alegre, julgo-tne feliz porque, estou corta,
meu filho vive contente crie canta; ao contrario,
se o piano est triste, sinto agudas unhas despeda-
garem-me o pedo, porque prova isso que meu filho
soffre e chora. Eis porque eu choro e rio, quando
ouco o piano de miss Kate.
L-se na Gazeta de Portugal:
Um curide certa freguezia do Minho gozavada
fama de generoso amphilro, e as vizinhancas to-
dos ambiciopavam ser convidados para os seus jan-
tares.
Um lavrador dos sitios tinha urna gallinha j ve-
lha. e lembroii-se de a offrrecer ao bom do cura,
para ver se assim era convidado a um dos oppa-
ros banquetes do seu parodio.
Efectivamente o bom do sacerdote, penhorado
com a lembranca do seu parochiano, convidou-o
para jantar.
O lavrador nao se tornou rogado, e apresentou-
se desla forma :
Sou, disse para dar-se a conhecer, quem Ihe
trouxc mitro dia a gallinha. Era boa ?
Excellente, respondeu o cura. Chegou em
boa occasio, pois vamos para a mesa.
Olio dias depois apresentava-se outro individuo
em casa do sacerdote.
Sou, disse o novo visitante, viziuho da pessoa
que o presenteou com urna gallinha.
Moho bem, respondeu o cura, alegrme de
o conhecer. Vamos tomar alguma cousa.
No dia seguinte bateram porta do presbytero.
Era outro amigo de comer a barba longa.
O parodio pergnntou-lhe o que quera.
Dizer V. Rvma. que eu sou vizinho do vi-
znho daquelle sujelto que fez presente de urna
gallinha V. Rvma.
Seja muito bem vindo I replcou o cura. Quer
tomar alguma cousa?
O hnmem nao fez ceremonia, e sentou-se me-
sa, onde se via urna grande tigella com sopa de
agua qumte. Fcilmente podem fazer idea os nos-
sos leitores da cara com que (Icaria o convidado-
Meu amigo, disse-lhe o cura, tal vez ache in-
spida e pouco substancial a minha sopa; porm
nao se admire, feta com o caldo do caldo da gal-
linha que o vizinho do seu vizinho me trouxe ha
das.
MM
Um poeta procurava afflicto alguma consoante
para fructo.
Era caso importante, porque se tratava de can-
tar as glorias de um banquete a que o pobre vate
devia assistir, e que tencionava agradecer com um
Commetti esta obra, havendo por industria e
muito segredo papel e tinta, e eserevrado as mais
das vezes sem mais luz que a que entrava por gre-
tas da pona, ou por agulheiros e buracos das pare-
des. Furtava, para islo o lempo por me ais vana
os mais, apparelhos necessarios, seno s o qoe de
graca a luz divina a meus inferiores e ergos oHhm
dava, sem eu Ih'o merecer.
Os Trabalhjs de Jess foram impressoa; a l-
Pr-
aoseu imperador Suin-Gn-Tihin, o qual tendo
observado os effeitos da clectricidade e a queda
do ralo, quiz imitar estes phenomenos, diremos, a le em 1602, por Pedro Croesbecck; ejftm i*,
festa chineza das lanternas perde-se na escurida- por Vicente Alvares,
nada, sem de dos lempos. A Impressao f.-z-se depois da morte do autor,
E' um racto histrico, que os pairiarchas faziam succe(],ja aos 17 de abril de 1582, em qoairo an-
os seus sacrificios no ineio de fogos, com o flm de nos e captiveiro.
imitar os que no Sinay cercarara Moiss. ___
Osgregos que seguiam as mesmas tradicoes, Piram-se qualro edi^oes. boje raras, e a pri-
posto que alteradas pelo poluheismo, adornavam rae,ra ranssima.
com innumeraveis iuzes as fachadas dos seus tem- O que singular, referir Jorge Cardoso, t/m
pos e as suas columnatas, durante as festas de Fr. Thom de Jess compuzera no captiveira orna
Vulcano, de Minerva e Prometheu. | comedia do grande Santo Agosimho. a qual s re-
presentara em Marrocos (naturalmente em Me-
Tambem durante as festas de Bacho faziam-so
illumnacoes geraes, tendo-se por mais honrada a
casa melhor Iluminada, permanecendo o dono
sentado aporta para offerecer vinho aos que pas-
savam.
Em Roma o imperador Adriano n'uma destas
illuminacoes collocandoso nomeio da praca quei-
mou todos os crditos, que tinha sobre diversas
provincias romanas.
Com o tempo, os fogos artificiaes foram-se aper-
feicoando al ao poni, que chegou boje.
E do Sr. Luiz Vieira Ferreira esta poesa :
MARA.
Ai 1 Maria, que mudanza
Tu fizeste da creanca
Que ha bem pouco carreguel!
Eras alegre, Iravssa,
E que ficasses depressa
Tao triste assira, nao pensei !
Nesse tompo tu brincavas
Comigo, nao te importavas
De bel jar o rosto mpu ;
Mas hoje Maria, vejo
Suhir-te s faces o pejo,
Se contemplo o rosto ten.
Se te fallo, se te chamo ;
J nao vens ao meu reclamo,
Com aquella mesma alegra ;
O teu olhar nao me fita,
E o teu seio palpita
Se me respondes, Mara !
Vem, Maria, vem, formosa,
Eu vou dar-te a mais vieosa.
Mais bella flor dojardim ;
D-me o braco sem receio,
E esse arfar de teu seio
Pode ser se acabe assim.
Vou mostrar-te a linda rasa,
Que retraa a cor formosa
Que tomas junto de mim ;
Vou dar-te branca azucena,
Oue te retrata serena,
Nesse teu scismar sera flm.
Vou levar-te junto ao mato
Por onde passa o regato
Em branco letto a correr,
E tu veras a ingarana
Onde cosluma a cigana
A' noutinha a se esconder.
quasi noute. Maria,
E nesta hora do dia
Canta sempre o sabia ;
Vamos euvr seu gorgeio, f
E pode ser que teu seio
Nao se agite tanto l.
A sururin costuma
Dar as horas urna a urna,
N'um assobio tremido;
Vamos onvi-la, Maria,
bello, tem meloda
O seu canto interrumpido.
L tu vers a palmeira,
Ao lado da jussareira.
Embaladas no aquilao,
E como a massaranduba
Apenas sacde a juba,
Altiva como o lefio.
Vem ouvr as arapongas,
Em notas agudas, longas,
Na desna mala cantar ;
Como possante ferreiro
Na sua forja altaneiro
Sobre a bigornia a malhar.
Vem, Maria, a natureza
Vao mostrar-te a singeleza,
De sua inmensa harmona,
E n'esses grande* prodigios -
Tu acharas os vestigios
Do que tu sentes, Mara.
Tu sabers a mudanza
Que fizeste da creanca.
Dos tempos que j l vo ;
Sabers o que te agita,
E teu seio assim palpita,
Quando toco em tua mo.
Mas vence, Mara, o medo,
E me d o leu segredo.
Que causa tanto langor ;
Baixa os olhos sobre o seio,
E dize, apesar do enleio,
Que me das o teu -amor.
Do Crrelo Mercantil transcrevemos o seguinte :
O Rvd. ti. U. Lanton, do culto protestante, est
traduzindo para inzlez a classica obra de Fr. Tho-
m de Jess: Os trnbalhos de Jess.
Esta obra ja conta cinco versees : nma em ita-
liano, outra em hespanhol, Mitra em francez e ou-
improviso. | tra em latim e afflrmam-nos que ha tambera urna
Emflm, desesperando da ardua empreza, sabio tradurrao ngleza.
par a ra e ia como doudo atropellando quanlos
passavam.
O reverendo Lanlon julga que a versao ingleza
nao bem correcta, e por isso emprehendeu urna
Ao atravessar o largo da Esperan;, esbarrou outra.
cora um Gallego, e tal foi a furca do choque, que o | Reside este sacerdote na ilha da Madeira ha mui-
pacifico filho de Compostolla nao pode deixar de ,os annos. e d'zem-nos que tem bastante conheci-
exclamar : I mflnt0 da lingua portugueza.
Forte bruto I 0s Trabathos de Jess sao nma obra mystica. Fr
- Eaconiraste-o 1 gritou o poeta chcio de ju- Thom escreveu-a durante o seu captiveiro, depois
bilo.
E nao se tinha engaado.

Segundo se l em um jornal francez, ha em Vi-
da batalha de Alcacerquibir, onde foi ferida, andan-
do a acudir aos feridos na balalha.
Dedicou o famoso agostiniano a sua obra chrs-
tianis.-iina e atlribuladissima nacao portugueza.
Como a nacao andava attribulada com o desasir
quioez, onde estava captivo),com liceoca do xa-
rife.
Fr. Thom de Jess tido na coma de um dos
escriptores mais puritanos, que se avanuja en ai-
guns pontos a Fr. Luiz de Souza e ao padre
nio Vieira.
Poucos lem os Trabalho* de Jess, obra myslica
e contemplativa, na qual o autor descreve. explica
e commenta as tribulaces de Jess Cbiisto, na
sua vida epaixo. Comtudo, obra para ser Ma,
como estudo de boa linguagem.
Para es myslcos tem sumrao apreco, e eoae saa
leitura se consolaram das aventurosas profoaees
da Vida de Jess de M. Renn.
cby perlo da fonte de Santa Rosala urna barraca de frica, e Invasao e usurpacao estrangeira, Fr.
onde se vendem quinquilleras. Thom de Jess offerecia-lhe as Tnbulacoes de Je-
A vida de Fr. Thom de Jess correspondes a
sua escripia. Foi humilde e soRredor. Abracad
na mais pura f, regeitou o resgate, e quiz 1
oecer captivo para consolar e animar os seos
panbeiros de infortunio.
Era urna dessas almas candidas e ingenuas, vo-
ladas ao sacrificio e ao marlyrio, sem apparalo nem
osientaco, e s cora a mira no servico de Deas e
na salvaco eterna.
A A'iftw escreve o que segoe:
A fragata El Diado, que acaba de eatrar 00
porto de Touloo. traz a bordo urna bella coMeeco
de feras, que o re de Sio manda como prsenle a
imperador Napoleao.
Conla-se entre ellas ura enorme urso de Tihem.
um veado de Pico, um mono de Cambodge, nm gi-
gantesco tigre real de Malaca, dez pornbos octavis
pela sua fecuodidade, nm pavo de vistosa o va-
riada pluinagcn, urna serpente negra dagna,
cuja mordedura fulmname con urna a poete
xia, um faisao moglico e vario louros siamozes
que servem naquelle paiz como de cavallos do caf-
re ira.

Falla-se muito actualmente em Ioglaterra de
urna inveuco extraordinaria.
Um tal Mr. Szerlemy, tinha inventado na eooro
artificial conhecido debaixo do nome de Pan Ma, e
que se fabrica boje em grande quantidade para
difierentes usos, incluso o raleado, mas Mr. Szor
lemy vae mais adianto com o seu invento, e koje
pretende fazer couracas de navios e pecas de arti-
Ihena com papel.
Mr. Szerlemy toma o papel e o mol ha a'urna so-
luco, da qual s elle cunhece o seeredo, em se-
guida poe urnas folhas sobre as outras al con-'
guir a espessura desejada. A soluc une indo em
urna massaperfei la meu le homognea, qoe endure
ce rpidamente com o contactlo ar.
Eusaos comparativos de tiro' a bala rasa, fze-
ram-se sobre sie cartao sobro o ferro e madeira,
e tem sido favoraveis ao primeiro.
O poder de resistencia de urna polegada de car
to egual 10 polegadas de qualquer das ootras
materias, o seu peso multo menor, nao pede
apodrecer, absolutamente incombuslivel e impre-
meavel.
Mr. Szermely construe pelo mesmo proeessoen-
rolando o papel ao redor de um cylin Iro ranJioes
ligeros de montanha. que tem sustentado perfeita-
menle as experiencias do f go.
sel
Conforme o ultimo censo, a capital da Turqua
conta approximadamente 107.500 habitantes, dos
quaes san mu-ulmanos 480,000, americanos nrp.
doxos 250,000, armeninos unidos 30.00, gregv-
220,000, judeus 55,000, e de outras seitas us rel-
iantes.
Nestas cifras est romprehendida a goarai-
cao.
*
Acaba de se fazer urna descoberta muito curiosa
e debaixo do ponto de vista scientinco, de iaanMaso
alcance.
OsSrs. engenheiros de minas, Costa e Tnomaz
Ribeiro, encontraran) n'uma formaran de gres, ao
valle de Muge, affluente do Tejo, nada menos de
dezesseis esqueletos fosseis antidiluviano, com-
pletos e o mais perfeito possivel.
Os dous enpenheiros esli atisfciiissimos com
tao importante descoberta, e imagiaar-se-ha fcil-
mente o valor desles vestigios antidiluvianos da
r?ca humana, sahendo-se que o onico esqu^let
fossil que al agora se lem encontrado, o esqorl>-io
humano incruslrado da Guadelupe, est longe de
ser to completo como estes, e notando-so ene ai-
gumas particularidades que nelles esli lean fe-
tinctas, podero elucidar a ciencia em algnm 11
questes difliceis e melindrosas, como por exem-
plo, a da origem e transformacao da nossa rara.

O primeiro ministro demitiido e desanthnrado em
Madagascar, chama-se Rainivohoinahilrimoorj e o
ministro que o substiluiuchama-seRaimlaiasivony;
parece-nos que ningnem duvidar ene ai dons
grandes nomes.

Para que se possa formar idea das grandes, om-
inas que as ilhas Chinchas produzem 30 governo
peruviano, basta considerar, que desde I84U a 39 o
guano della lirado importou em 144 miUtoes de
pesos.
Nao pols, de admirar a importancia ene se d
a posse de um to reodoso territorio.

A povoaco de Schiuibach onde a mperatrii den
Francezes habita agora urna aldea, a 3 leguen a
uordoesle de Ma vence ; a sua populaec do %jl$*
2,000 almas, lem aguas que lea muMa repu-
taco.
Em S. Petersburgo, o capital da Rtssia.
de acontecer urna catastrophe lerrivH.
Abaten de re|*nte a egreja da Tr
que se achava adiantada bstanle
cao.
Durante a hora do jantar dos operario, rabia
por trra um dos pilares da granito maa snstmlum
a cpula, irazendo comsgo abaixo nana parta da
Esta barraca tem por titulo aux trois vertus tho' Para a consolr e Para ler f e esperanca na abDada, e fazendo algnmas pooeas vlcti
lgale.
As tres virtudes estiio representadas do seguinte
modo : em tres medalhas acham-se enllocados os
retratos do imperador, da imperatriz e do principe
real,
redempvao. Ao ,.,trun,|0 do desabaaaenie corree ao templo
A caria dedicatoria datada do captiveiro aos 8 um povoleu inmenso-, e neste cmenos honvo nm
de novembro de 1381. novo desmoronaraetito, que fez immensas vtetjena
Eis aqui como o bom frade conta as artes que
empregou para escrever a sua obra :
entre morios e ferido.
PERAMBUCO.-TYP. IK M. P. W P. 4 FUHO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUEH58IHD_ZO8JD8 INGEST_TIME 2013-08-28T01:24:39Z PACKAGE AA00011611_10499
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES