Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10498


This item is only available as the following downloads:


Full Text

\
AMO XI. ffDMEBO 242.
Por tres Mezes adiaotados SJU
Por tn mezes vencidos 6&UU
Perte ao correio por tres mezes. 750
SEXTA FEIRA 21 DE 0TD8R0 DS18 4.
Por asno abantad*.....i9$00O
Porte ao correio por un anuo. 38000
ENCARRfcGADOS ua bUbsUi-gAO NO NCHUE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva; Aracaty.o
8r. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Ohveira; Maranbao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Das; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martms j Gasparino.
ka&bA wO> KsWtiAd.
Ounda, Caoo e tscaua toaos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Paranyba as segundas e
seitas-feiras.
Santo Amo, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinno e Garanhuns as tergas feiras.
Pao d'Aiho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazetra, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Ouncury e Exu as quartas feiras.
Serinhaem, RioFormoso, Tamandar, Una, Barret-
ros.Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Una de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao V dia.
EPHEMERIDES D0 MEZ DE OTUBHO.
8 Quarto cresc. a i h., 17 m. e 30 s. da t.
15 La cnea as 4 h., 55 m. e 38 s. da ni.
22 Quarto ming. as 8 b., 59 m. e 48 s. da m.
30 La nova a 1 h., 8 m. e 26 s. da t.
PRKAMAR DB BOJB.
Primeira as 7 oras e 42 minutos da manha.
Segunda as 8 horas 6 miamos da tarda
MJUIti* I Os V^.ORua iOSJRO>.
Para o sul at Aiagoas a 6 e 26;,.,.-o aorte at
Granja a 7 e *2 de cada me?; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan. marg.,maio. jal. sel. e nov.
partida do> omNBus.
Para o Recife: do Apipucos as 6/, 7, 7 /,, 8 e
| V da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato s 6 / da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemflca s8.dam.
Do Recife: para o Apipucos as 3 yfc 4,4 A, Vi,
o, 8 % 5 Vi e 6 da Urde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboato s 4 da
Urde; para Cachang e Varzea s 4 V da tarde;
1 para Bemflca s 4 da tarde.
aU.ING DOS RBUNaSS Da CaPTaL
Tribuna, do commercio: segundas quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas as 10 horas.
| Juno do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do cival : tercas sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas a sabbados a 1 hora
da tarde
DlS DA *PJI N*.
17. Segunda. S. Florentino b.; S. Mariano m.
18 Terca. S. Locas evangelista;!}. Trifona m.
19. Qnarta. S. Pedro da Aliada f. p. do imp
20. (jarata. S. Joao Canea; S. Crapaalj m.
11. Sella. S. rsula ; sua* rnnip. vv. mm.
IX. Sabbado. S. Ladislao f.; 8. Herarlio m.
-i. Domingo. S. Joao de Capturad f.
MMHaVaV
no Recife, cm a livraria da praca da Independen
cians. fia 8, dos propietarios Macoal FiKueiroa
de Faria & rtlbo. *^
parte mm,
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 18 de oulobro de 1861.
Olflcio ao Exm. presidente do supremo tribunal
de justiga.Cmmunco V. Exc, em additamen-
to ao meu offiVio do 20 de setembro prximo lin-
do, que pelo Exm. presidente da provincia da Pa-
ranyba me foi declarado em data de 23 daquelle
mez, que remetiera ao juiz de direilo Victorino do
Reg Tuscano Brrelo a portarla que veio junta ao
offlcio de V. Exc. de 10 do mesmo mez.
Dito ao Exm. presidente da provincia do Piauhy.
Acenso recebido com o offlcio de V. Exc. de 24
de setembro ultimo, 2 exemiiiares do relatorio que
V. Exc. apresentou assembla legislativa densa
provincia na occasiao da abertura de sua sessao
ordinaria do corrente anno.
Ditoao coronel commanlante das armas.Haja
V. S. de dar as convenientes providencias para que
regressem ao Cear, na primeira opportunidade,
como solicitou o respectivo Exm. presidente em of-
flcio de 13 do corrente, as pragas d > corpo de
guarnigo daquella provincia, constantes da guia
junta, que vieram a esta, escoltando 2 criminosos.
Dito ao mesmo. Participando-me o Exm presi-
dente do Cear, em offlcio de 13 do corrente, que
ainda se acha doente o alferes do 9 balalho de
infantaria Albino Jos de Parias actualmente andi-
do ao corno da guarnigo daquella provincia, o
qual j solicitou do sroveriio imperial prorogago da
licenga que est fruindo ; asslm o fago constar
V. S. pata seu conheeimento.
Dito ao mesmo.A' vista do que V. S. ponderou
em seu offlcio de hontem n. 1821, oautoriso a con-
tratar ns dous facultativos civis, que diz seren na-
cessanos para o servigo medico da guarnigo, de-
vendo incluir-se nos respectivos termos a codi-
cio de serem elles obrigados a acompanhar os ha-
lalhoes 2 e 7o de infamara seus destinos, se pa-
ra isso forem designados.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Expega V. S. suas ordens repartigao competente
para a arrecadago dos direitos, sello e emolu-
mentos, constantes das notas da directora geral da
secretaria de estado dos negocios da ju-tica, juntas
por copla, e que tem de pagar os majores anidan-
tes de ordens do commando superior da guarda
nacional da comarca da Boa-Vista, Francisco Ma-
noel Gomes e Andr Nnnes Braulio Cominuui-
cou-se ao respectivo commandante superior.
Dito ao mesmo.Em defer ment ao requer-
meato incluso do tenente Manoel Erasmo de Car-
val ho tfnura, autonso a V. S. a mandar adiantar-
Ihe a importancia de tres mezes de sold para llie
ser descontado do mesmo sold, na forma do art.
23 da le n. 514 de 28 de outubro de I8i8
Dito ao mesmo. Informe V. S. com a que Ihe
occorrer acerca do incluso pedido do director da
colonia militar de Punenteiras.
Dito ao Inspector da thesouraria provincial.
Em vista o competente certiticado, mande V. S.
pagar ao arrematante dos reparos do emharrea-
mento da estrada do sul entre os marcos de 5
8 mil bragas a importancia da primeira prestagao
que tem direito, por haver exacntadn o primmro
tergo das obras do seo contrato, de conformidad"
com o respetivo orgunenlo, segundoconsta de of-
flcio do chele interino da repartigao das obras pu-
blicas, datado de hoje e sob n. 290- Cnminuni-
cou-se ao engenheiro ehefe da repartigao das obras
publicas.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Remella V. S. para esta capital, na primeira on-
porlunidade, disposico do jniz municipal da l'
vara, como este, solicitou em olli-io de lioniem, os
sentenciados de justica Candido Becerra de Sales
e Jos Vicente Ferreira, est.^ das Alag is i aquello
desta provincia. Communcou-se ao jui munici-
pal da i* vara.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de asareth.Nao se tendo podi-lo cumnrir o
aviso circular do miosieria da |justigade 23 de Ja-
neiro ultin \ por falta do mappa dos corpo e com-
panhias avusas do servigo activo e de reserva da
guarda nacional sob o commando superior do V.
S., e do mappa do armamento e Corrame por el-
las distribuidos, exig dos por circulares de 14 de
margo, 20 de maio, 11 de junho a 17 de ago-io des-
te anno, compre que V. S. remella quanto antes
os referidos mappas, afim de torem o conveniente
destino. -Iguaes aos commandante* superiores da
guarda nacional do Limoeiro, Garanliuus, Flores,
Brejo, Cabo, Bio-Formoso e Cabrob.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal da Boa-Vista. Convem que V. S. complete o
mappa doscorpos c conipanliias avusas do servigo
activo e de reserva da guarda nacional sob seu
commando superior, que veio junto ao seu offlcio
de 15 de maio desie anno, para enmprimento de
aviso circular de 25 de Janeiro ultimo.
Dito ao director do arsenal de guerra. Em de-
ferimento ao requerimeoio de Cnmelina Mana dos
Prareres, sobre que versa a sua informagao n. 63
de 17 do corrente, recommendo Vine, que nao
mande efTectoar a matricula do menor, lilho da
supplicante, Antonio Alves V'ieira, na comianhu
de aprendizes des>e arsenal: Aran lo sem elTeito
na parte relativa ao referido menor, o offlcio
que dirig a essa directora, em 13 de juuho
ultimo.
Dito ao mesmo.Recommendo Vmc. que man-
de fazer com toda a brevidadc enano solicitou o
commandante das armas, em offlcio de hontem,
O fornecimento ao 2. b^talho de infantaria de ar-
tigo* de fardamento relativas ao 1. e 2. qnartol
di anno corrent-, e comprehendulos no pedido
geral, bem como de equipamento que faltar para o
Completo do respective pedido. Communicou-se
ao commandante das arma-.
Ditoao juiz de direilo de Flores.Procure Vmc.
contratar com quem meihores vantagens olTere-
cer, e medanle as necessarias camellas a cons-
truego de um agude no termo de Flores, remet-
iendo me o orgamento e condigoes do contrato
para ser deflainvamente apjirovado.
Uito ao commandante do brigue barca llamara-
c. No i. vapor da compauhia de paquetes que
passar para o norte, remeta Vmc. para a eaoilai
da provincia do Coar, di>posigo do respectivo
Exm. presid-nte, o imperial marinheiro Joao Bay-
mundo do Nascimento, do que trata o seu offlcio
n. 51 de 9 de setembro ultimo, alim de poder ave-
riguarse, se elle desertor do carpo de guarnigao
d'aquella provincia, como declarou o commandan-
te das armas.Fizeram-se as necessarias coramu-
nicagoes.
Dito ao capitn da guarda nacional Jacintho B>r-
ges Lcha. Sendo Vmc. urna das testemunhas
que tem de depr no conselho de invesiigaco
instaarado ao alferes do 7." balalha de infamara
Jesiuno Diocleciano d Souza Bruno, cnnvm que
comparega com urgencia no quarlel do com-
mando das armas, afim de presiar o seu depoi-
mento.
Iguaes ao juiz de paz de Nazareth Bernardina
Pereira de Lira, e Dr. Jos Miria Canlo>e.
Communicou-se ao coronel commandante das
armas.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
ao qae r^qaereu o commandante superior da guar-
nacional da enmarca de Garanhuns coronel Jos
de Garvalho^raujo Cavalcante, resolve concoder-
Ihe um anno de licenga, para tratar de seus nego-
cios particulares.
Dita.O Sr. gerente da eompanhia Pernambu-
cana, mande dar transpone at o Cear no vapor
que tem de seguir para o norte, no da 22 do cor-
rente, em lugar de r, destinado passageiro de
estado ao Dr. Antonio Henrique de Miranda.
Despachos do dia 18 de oulabro de lSGi.
Requerimenton.
Administradores da massa fallida de Joaquim
Lucio Monteiro da Franca.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Antonio Soares de Carvalho.Informe o Sr. ca-
p tao do porto.
Francisca Emiliana de Lima. Informe o Sr.
desembargador provedor da Santa Casa da Mise-
ricordia.
Capito Francisco Borges Leal e outro. Infor-
me o Sr. Dr. chefe de polica.
D. Guilhermina Bazilissa de Oliveira e Silva.
Informe o Sr. inspector" da thesouraria provin-
cial.
Manoel Pinte Baha.Interponha os recursos le-
gaes.
Mana Manoela do Nascimento.Concedo o prazo
de nula dias.
Umbelina Mara dos Prazeres. Expedio-se or-
dem no sentido em que requer.
ovi:ii*o do i*trino de
PER.V4SBUCO.
Slinh V\i;.\Th
outubro de LSGi.
Expediente do dia 17.
Offlcio ao Exm. Sr. presidente da provincia.Ac-
cuso recebido offlcio de V. Exc, datado de 11 do
corrente acompanhando o parecer e orgamento por
copia dados pelo 2 tenente do corpo de engenhei
res Jo- Tiburcio Pereira de Magalhes acerca da
obra feta no raio do pocilio do seminario episco-
pal desia cidade. Cordialmente agradego a V.
Exc. estes ducumeniosofflciaes,osquaes vou trans-
mittir as governo de sua magestado imperial como
rae con piv.
Dito ao Rvm. chantre reitor do seminario epis-
copal.Tendo V. S. em offlcio de 28 do. prximo
passado declarado ser conveniente, que eu levasse
ao conliecimenlo do Exm. Sr. presidente na provin-
cia adiarse completa a obra do seminarlo no raio
do puente, (para a qual dera o governo de Sua Ib'
g>-stade Imperial a quantia de doze cootos de ris),
afim de que S. Exc. se dignasse mandar examinar
dita ubra por pessoas habilitadas, para nepuis ser
levado o same e avaliaco ao conhecimei ito do go-
verno imperial, assim o fiz, dirgindo-me ao Exm.
Sr. presidente em data de 30 do prximo passado.
Agora pois passo s raaos de V. S. o parecer e or-
gaiiieiilo (por copia) dados pelos Sr. Jos Tiburcio
Pereira de Magalhes, 2o tenente d corpo de enge-
nneiros encarregado pela presidencia de proceder
ao competente exaue.
L luvanJo-me no parecer do engenheiro que re-
couhece a solidez e perfeicao da obra, e m avalia-
go que elle da a qual excede de muito quantia
consignada pelo governo imperial, cabe-meireiterar
a V. S. ramear sinceros agradecimento* pelo zelo
o economa com que se houve no desemuenlio da
odra que Ihe foi confiada pelo Exm. prelado falle-
cido
Nesta data transmiti ao governo de S. jl. Impe
rial, como do meu dever, o parecer e orgamento
ledenles ue-ma obra.
Dio au juiz de direilo da comarca de Garanhuns.
A'Tiiso. recebido o offlci de V. S. datado de 26
do prximo passado, aceitando a nomeago que
livea honra de fazer na pessoa de V. S. para pro-
tector especia! do recolliiienlo de Papacassa.
Em nome pois das innocentes orphaas ej demais
recolhidas daquelle esiabelecimento agradego V.
S. o relevante servigo que Ibes presta a ellas e a
sociedade, velando, qual pai sullicito, pelo bem es-
tar de-sas joveus, e pela prosperidade dorecollii-
mento.
Reconheco a justa observacao que V. Sf me faz
de que, assisiindo militas leguas distante de B >m
Conselho. nao Ihe tacil prestar-so inmediata
i i
sa Senhora da Paz na povoagao dos Afogados, au- Iransparece dos Segredos fAma como a luz atra-
tonso v. Kvma. como um dos parochos visinhos, vez docrvstal e a actriz revelando-se poetisa, crea
para reger a mencionada freguezia, em quanto nao para si urna immortalidade, que se nao apaga aps
for convenientemente prvida por mira Ijmpresso, como essas oniras que despert na
uno ao vigirio interino de S. Jos.Estou de tftduccao das paixoes, na Ideahsaco do pensa-
posse do seu offlcio de 17 do corrente, em respos- manto do poeta, quando cmplice da gloria deste,
la ao que Ihe dirig em data de 8 do mesmo. Foi- conquista para si um fiorao da cora de trumpho,
me grato saber de V. Rvma. que nenhuma oppo- que Ihe colloca na fronte laureada,
sigao apreseniara o proprietario do armazem intitu-
lado o Propheta em fazer retirar o retabillo em que
se achava pintada a efligie do propheta Daniel. Po-
A voz de um anjo sao as primicias de um talento
vigoroso, e revelam mais que urna aspiragao vida
das leltras, mais que um primeiro dadilhar das
aa v. Kvma. asseverar ao proprietrio desse arma- cordas da lyra, mais que um preludio de futura
zem que nunca me persuad que aquella imagem i harmona, era que se pode adevinhar, mas nao re-
ali fosse col locada por menos prego religiao nem conhecer ainda o cantor.
Com efleito, a produegao do Sr. Dr. Pompilio de-
nuncia vivaz a vocagao publica, que o anima?0 re-
sume s por si toda a poderosa indiviluahdade de
sua inspiracao fecunda e de urna organisagao pre-
todos os elemen-
ao propheta ; e isto mesmo dec'larei V. Rvma.
em meu citado offlcio.
Agradega-lhe poisdaminha parte adocilidade cora
que se presura, aceder como verdadeiro christo, a
meu pedido, e diga-lhe que pode conservar adeno- (destinada,^ue tem a seu servigo
minacao que deu aoseu armazem, com a qual nada; tos de um estro rdeme e idealisado pela Imagina-
tenho, com tanto que se nao possa induzr allusao cao Iluminada da intelhgencia.
aljama religiosa de qualquer emblema que haja de
exprse ao publico.
Remetto a certido de bito de Pedro Jes de
Barros, a qual veio dentro do seu offlcio, provavel-
raente por engao.
Dito ao vigario encommendado d'Anadia.Pelo
seu offlcio de 7 do corrente, tico sciente de haver
V. Rvma., no da 2 do mesmo, entrado no exerci-
Co de vigario encommeudado da freguezia d'Ana- j
dia, para a qual foi nomeado por proviso de 10 do dual, peregrina, nossa tao somnte; pois acabamos
prximo passado. de receber a segrate poesa da Sra. D. J. Adelia
Dito ao vigario da Escada.Bemetto V. Bvma. de F. E' urna senhora que pensa comnosco, a
ja numerados e rubricados, os dous livros que me sensibilidade renVtindo-se sobre si mesma.
forara entregues com o seu offlcio de 30 do prximo A0 autor da voz de um anjo.
passado, os quaes tem de servir nessa freguezia Poeta! onde j viste amor tao puro,
para langaraento de baptisados e bitos. E onde mais infeliz 1
-_ 19 Que Abeilard, Saint-Preux mais desgracados
Ullicio ao Rvm mestre-escola da cathedral de J disseram com dr seus duros fados,
Olinda.Tenho prsenle a informagao que em offl- Qual teu Bardo nos diz ?
co datado de hoje deu V. S. ao requerimento do
Rvm. conego Oliveira; e cabe-me responder-lhe' Onde um Jayme infeliz trilhando o vicio,
que o assumpto em questao, interessando a todos Com mais anca e mais dr buseava indicio
os Rvms. capitulares, interessando mesrao fabri- Da perdida Guiomar,
Joanna Maria da Conceigao, Pernambuco, 60 aunos,
solteira, Afogados; estupor.
CaMMUUAUOS.
gao illuminada da intelbgen
E' um volume digno de se ler.
Especie de romance, historia urna chronica de
infortunios que lancearn almas sensiveis; e a
sua descnpgao de urna elevagao de pensamentos
e de urna poesia mui salientes. Parece que o poe-
ta viveu a vida dos seus personagens, porque cho-
ra, soffre e ama com elles n'uma intimidade em
que nao fcil a descriminago.
E nislo nao improvisamos urna oplnio indivi-
Que teu monge no trilho da virtude
Celina a procurar ?
ca da calhedral, s poderia ser tratado em pleno
cabido, e nao perante seis capitulares presididos
por V. S. E ainda assim, bastava pela mesma ra-
zan um voto conlra, para De poder proceder o J sentiste?, poela, em tua vida
que V. S. propz, porque, conforme o direito, o que I Tao fortes emogoes ?
a todos interessa, por todos deve ser resollido. j Ou ters qual teu Bardo a alma descrida,
A Interpretago que V. S. da ao ultimo do. Apezar da esperanga que respiram
estatuto 10 nao pode proceder, porque ahi se falla Tuas bellas cangoes.
do hebdomadario; e nenhura capitular pode cha-
mar-se hebdomadario sera haver comegado a sua' Ah I nao cantes assim : se teu contento
semana : aquelle que encommendasse a oulrera a; Mover nos coragoes om soffrimento
sa futura semana, nao se poderia dizer hebdoma-1 De que podes sorrir,
dario, e por tanto nao estara compreendido no Deixa esse gost* cruel a oulrs poetas
citado. O hebdomadario, embaragado por motivo i Que nao saben senlir.....
urgente, pode encommendar a outrem a sua sema- Em presenga de um semelhante speemen para
na, quer ella esteja no principio, no meio, ou mes
moquasi no tim.
O caso por V. S. referido, que nessa calhedral I os bancos escolares,
teve lugar ha annos, posto que tanbem nlo seja! Ciutiuuaram hontem
consBiaoeo com os estatuios, cumiado 6 mu
difiereote do case ora vertente. E" um capital
que faz a semana inteira por outro, afim de q
este faga a delle, quando Ihe chegar a sua vez,
estiver ausente. Se fosse no meu lempo, de
nao eons&ntiria nesse abuso; porm o que *
se quer commetter ainda peior, e, como mu
bem disse o Rvrn. conego Oliveira, nao tera exem-; composigao do Sr. Jo
po nessa calhedral.
Nao rae estrauho o que V. S. pondera de que i nos quaes o maravilnoso se slenla em tuda a
ha inmio annos praxe corrente na calhedral, que opulencia do engenho que o creou, por meio d
outrem possa fazer a semana em lugar daquelle transmitagoes e sorprezas de grandiosos eh*Hiios. mamfesUr era"umjautar seus principios polticos, honrado ci.iado'.Tii''
que esta oceupado ou dispensado da residencia Traduz este drama, que oceupa todo o pessoal da, achaiido-se presentes innmeras pessoas. e fez do Ine o nome 'd *
por qualquer motivo (porm nao em lugar companhia por sua extensiio de personagens,
desejar que o poela se no retraa canindo na vida
pralica, cujas portas se Ihe abrem, agora que deixa
. OS t rabal lv>s ele i to raes
' dV*i freguezia presididos pelo Sr. Juaquiai Antonio
I Caroeiro, cojos Incommodo cessou.
Por Incommodo do mesario Sr. Antonio Augusto
da Fonseca entrou a fazer parle da mesa o Sr. Dr.
Godoy.
Sobe ama nia scena no Santa Isabel o bel-
lissimo drama sarro Os martijres da Germama,
<(' Human
Ribeiro, ede reduzr escravidao pessoa livre. que
foi descoberio por esse seu Juiz iniiingo. pro veio de
um facto, que ainda est dependeute dos ihboiiaes
do paiz; entretanto o mesmo juiz, sem aguardar o
(nal resultado das inesinos tribunaes instaura con-
tra Joaquim Ribeiro esse processo I
O 4 crime. linalmeute, de que elle aecosado,
segundo diz o correspondente, a qoera nos dirigi-
mos, o de negar-se Juaquim Kibeiro a fazer o ia-
veulario de sua tinada n,u:iier Runa lemrati.i.
Adiase asaa crime classiludu no cdigo do Sr.
Barbosa Lima, que em sen furor entendeu qw p.jr
todos os modos devia perseguir ao honrado Joa-
ncto commandante superior Joa-, qnim Ribeiro, que em todos os manea f* respeita-
bilva, que ha lempos se acha a t do, sendo neceMaria a presenga do Sr Barbea Li-
^St^rHSf^. dc.cuu.Pe,ri; 'a. para serem seos en mes de-cobertos ; felizmen-
te, porm, declarados, como tensa, asnea horriveis
criines, se reconhece com evidencia, que s por
perversidade poda esse juiz considerar criminosos
esses factos, e por elle in-Unrar pr>cessos contra
o prestante coinmaudante superior Joaquim Ribei-
ro da Silva, o que elle fez smente por *e haver
Havendo publicado o Diario de 12 do corrente
urna correspondencia, em que traz diversos factos,
que muilo desconceituam o hachare! Joaquim Bar-
bosa Lima, juiz municipal da comarca de Sobral,
em vez de urna defesa, que destruisse esses factos,
publica o Dtario de lo do corrente urna catiiina-
ria contra o distincto
quim Ribeiro da
bracos com urna g
go aiuda se nao considera livre, e que, apesar dis-
to nao foi poupado, assacandu-se-lhe calumniosa-
mente enmes, sem que nunca os cominettesso,
como o pdem afflrmar a provincia inteira e seus
proprios adversarios politices, que nunca tiveram
a coragem que apresentou o autor dessa publica-
gao 'nado que Joaquim Bibeiro da Silva era um cousiitudu nimigo delle, c pelarircumstanria de
fagauhudo, que por vergonha do no-so paiz havia appn.ximar a eleigo, e querer ellr inutilisar a essa
gallado a patente de coramaudanle superior da verdadera e real influencia, sem se imp..rtar rom
guarda nacional, para com o prestigio da posigao seus graves padeciim-ntos, iiuh muilo se auicrava-
por-se aeoberto da severa puuigao, que seus cri- rain com semelhante perseguigao.
"'!?^eiainam. Sabemos que os dous pniu.iros rrimes, de que
Lnlreoshorriveiscnmesdequeeaccusadoesse traamos, e de que se inslaumu atwaS rahiram
cidadao, (jue por mais de um .titulo credor da es- por acto do propno jniz municipal, e espera se que
tuna e cousideragao publica, apreseula o autor oulrojianto succedaaosoutros, porque seos Majalaa
dessa correspondencia o de estelionato a fazenda amigos, e directores entendem que so por ku.nra
provincial o de resistencia ordens legaes, o de poda esse juiz considerados criminosos ; e safce-
ter reduzdo a escravidao pessoa livre, o o de ne- mosqueo r. abela de polica, qu..nio sdirigi a
gar-se a fazer o inventario de sua; finada raulher, Sobral, lizera acabar esses processos creado anta
sendo esta fallecida ha b mezes ; accrescentaudo exaltada inufinacau desse juiz, ajaa todo se Man-
que nao falla era outro enrae, por que talvez o veo tou, por ja haver conseguido seu principal lira o de
no favor da pres-i aff.siar da eleigo a esse digno cidad, e a seas
| coucunhados involvidos no pro<-esso de esteiltonai.
que
.pie
---- i|...b< i i/l i v> j^i ni -mu iis unan a Cli "5
seja-nos licito dizer a esse extremoso amigo, que processos, porque nao levou avante su*, perver-
euii ausencia daquelle juiz uffereceu ao publico essa dde ? Estamos canvencidos que, e a r. chefe de
defesa de que uos oceup irnos, que sena ella mu- pohcia reconhecesse que Joaquim RilHHro era res-
to proveitosa, se tralasse de destruir os deshonro- potisavel por esses actos repuUdos criminosos, a
sos lacios publicados conlra seu amigo, que por cujea processos se in-tauraram. por caaaa ni. r.*-
sem duvida se nao deeude com accu>agoe> feuas correra, para que esse juiz os lizese oesapparecer
a um terceiro, aiuda sendo verdadeiras, quanto a nao querer passar por protector daan criminoso lio
mais que sao ellas falsas, coiuw demonstraremos pengososociedade ; sea-simfezoDr.chffedeBvl'-
n nao fosse smente destruir, como cia, porque remaneca que nao erara criminosos os
do passado tenha feito incorrer
cripgo.
Examinemos esses factos, vejamos o que tem fe- Se o Sr. Barbosa Luna eslava convencido (o i
to era Sobral o jira municipal Barbosa Lima a so-! negamos) que erara criminosos es>es factos,,
raelhante respeilo ; ames, porm, que o fagamos, atinbio a Joaquim Bibeiro, se instaur. contra
f.icli)s,que referinkis.c porqo^ na <|u esse jmz mu-
nicipal, perseguindo por ineios torpes, e infames a
um cidadao pacitico, que ajeara foi proeesa rante toda a sua vida, sede-acre-liuv.i o mais po*i-
v. I.assira como ao governo e a s.-us amigos. Em vez
........^,KU, umwiuraiiucuuuu niunu uiiisu inaiiiiaiue superior, apres'-nt.iiido.o com>> um gl
nada dirumos de Sr. Barbosa Lima, com cujo pro- de criminoso, e processaudo-o (tos fct-is. que
cediuienlo passado e presento nos nao oceupamos, hamos de expor, couseguio um eneilo coor:
adiuiuisliagao do referido recollmneuto ; e para
e^se un ja me entendi cora o Rvra. projeito do
hospicio de .Nossa Senhora da Peuha.o qu^l ja en-
vin para aquellas lugares ura missionario, e se
encarrega de fornecer o esiabelecimenioi do que
for neCessano.
Aproveito a occasiao 'para manifestar a V. S os
meas particulares agradecimeutos, e renovar os
proiestos de e-tuna e ami-ade.
\iil* ao vigario encoinmendado do Taquara.
Acabo ile receber um offlcio do Io secretario da
assembla legislativa provincial da Parahyba, >'0
qual por deiiiierago da mesma assembla, sollici-
la O meu juizo cerca de um projecto de lei resti-
luiido a sededessa freguezia povoagao de Taqua-
ra, d'oude fra transferida na sessSo do ianno pr-
ximo fia sado para a de Pitunb, como ver o Rvm.
dos documentos juntos, os quaes deve reunviar-me.
Para poder formar sobre a conveniencia ou des-
conveniencia dessa medida um juiz o conscieucio-
so e seguro, que me habilite a pre>lar-li>es ou nao
a nilnba annueneia, compre que V. Rvma. me in-
forme cora urgencia acerca das referidas igrejas,
qual deltas se aproxima mais do centro da fregue-
zia, qual a populago das duas povoagoes de Pitun-
b e Taquara.
Lenibro V. Rvma. que na informagao que tem
de dar-me, deve nicamente ler em vistas a com-
inodidade e bera espiritual dos Seis, ea decencia
do culto publico ; nico Din legitimo, em face dos
sagrados caones, na creago e divisoi das paro-
chias e da transferencias das raathzes d uraa igre-
jas paraoulras; prescindiudo absolutamente de
quaesquer pretengoes ou cousideragdes estranhas
a esse tim.
Dito ao vinario encommpndado de Nova Cruz.
Acabo ile receber o seu offlcio de 11 do crrente,
pelo qual V. Rvma. me diz que jutga do seu dever
communicar-me (|uh, do da o do corrente era d-
ame, ii ix.i vaga a freguezia de Nossa Seuhora da
Conceigao de Nova Cruz, cujo lugar V. Rvma. oc-
eupa como vigario encomn nd^do, afim de trans-
ferirse para a d>* Nossa Senhora da Boa-Viagem
da povoagao de Alagoa Grande, na qual por decre-
to de 3 de selembro prximo passado foi V. Rvma.
apresentado.
Sendo para estranhar que V. Rvma. ignore, que
um sacerdote encarregado de reger urna freguezia,
nao a pode abandouar sem anterior permisso do
ordinario da diucese ; e que alm disso um sacer- I
dote, embora apresentado pelo governo para una
parochia, jamis pie ir tomar cunta d--lla sem
que haja i-lf-iluado a sua collaciio, ou pelo menos I
sem que eja por mira competentemente autorisa-!
do, eu Ihe prohibo que exerga qualquer acto de ju-
risdigao parochial na freguezia de Nossa Senhora
da Boa-Viagera da Alagoa Grande, e Ihe ordeno
qu sem per a de lempo volle para a freguezia de
Nossa Senhora da Conceigao de Nova Cruz, a qual
continuar a reger, at queeu Ihe conceda a com-
petente exonerago.
-Dia 18- !
Offlcio ao vigario de Papari.Tendo-me sido re-
querida por parte do Rvm. Jos Gabriel Pinheire,
vigario collada da freguexia de Ares, a competente
licenga para vir a esta cidade assigaar termo de
desistencia da dita reguegia, e coltar-se uadeNos-
- w_- r......- Pr sua extensao de personagens, a
do convalescente, como V. S. diz, porque este Mea perseguig.io e o enrarnieamento com que eram
esperado como uso); e creio que nenhuma oppo- tratados os enriamos na era do paganismo; bem
sigao appareceria se o Rvm. capitular auseule como a resignagao e a coragem, com que estes
estivesse dispensado da residencia. escoravam o martyrio o quanto aprovldencia os
Por tanto, sendo a hypothese apresentada contra- protega, livraod i os n is horas do snffrimento.
ria letlra do estatutos, nao tendo havido cabido A empreza tem envidado ludo para que suba este
regular e era ao menos unanimidade de votos drama scena, tal como foi representado em Lis-
sobre aqmllo que a todos interessava; nao poden- boa, e nenhuma dspota se tem poupado. O sce-
do nos prejudicar de modo algum a fabrica da ca- nano todo novo, e devido ao pincel do Sr. Veneri,
ihedral, convm que V. S. cumpra os estatutos cujo genio creador se ostenta brillantemente
como at agora se tem observado, na intelligencia nessas vistas que acaba de execular.
de que nao pode um capitular que esta de estatuto Desejamos bom resulla lo empieza,
encommendaraoutrera a sua semana; enem pode Chamamos a atiengao do Sr. subdelegado
o Rvm. conego apuntador conceder estatutos a um do Recife, para um carroeeiro, que sempre se acha
capitular, com a promessa de que, quando pelo na ra da Madre de Deus a proferir paiavras obs-
giro chegar a sua semana, outrem a far, como no cenas em anas vozes, com offensa da moralidade
caso de que agora se trata. publica e das familias honestas, que ali residem.
Espero pois que V. S. d immediatameote exe-' Uraa semelhante tolerancia insuportavel, e
cugo aos estatuios dacathelral, pondo eesde j pode at provocar algum inconveniencia de que
semana vaga, e considerando-a como tal desde o seja victima o referido carroeeiro.
seu principio. Amanh.a se exlralur a 4a parte da 3' lotera
Dito commissao encarregada das obras da nova da Santa Casa da Misericordia (11 za) sendo o mano
matriz de S. Jos.Receb o offlcio datado de ho- premio 10:0005000.
je; no qual Vv. Ss me parlicipam achar-se I Fundeou hontem no lamaro o vapor de
prompta a cruz de ferro, que tem de servir de re-guerra americano Irogtmis, que anda crusando.
mate ao frontispicio da nova matriz de S. Jos, e j vindo de Fernando de Noronha. Salvou a trra e
me signilicain o desejo que taem de que eu a v foi correspondido pela fortaleza do Brum.
esperamos, os factos de que victima o digno el-
dado Joaquim Bibeiro, e quizessemos imitar ao
amigo do referido juiz municipal, que em vez de
oefende-lo como Ihe cumpria, s liatn de depri-
mir da honra e reputago alheia, o iue jamis
conseguir, muilo teamos de di*-r daquelle juiz de desprestigiar o Sr. Barbosa Luna ao'digno roaa-
municipal oosSo interno outro muilo diverso ; mandante superior, apresentando-o cora., um gran-
aea-
. .onirario,
e so uelle fallaremos, quando traUrmos dos factos porque seus proprios amigos estigmatsaram seus
que tera elle praticadu em relaco ao honrado e actos por extravagantes, e s tllhos de urna caneca
disiiucto ciiiiuaudaule superior Joaquim Ribeiro, esquenuda.
.ue s.mranceiru zumbar oeto calumniosas accu- A intluencu real do honrado Joana.m Ririro
sagoes, embora tenna corao seu juiz ura noHkffin j-mais sera destruida, e auniquillada por am jaiz,
despenado que se tem considerado se i liga.lal mi- que nao Um c.ascienda de seus actos--
migo; elle mesmo desmentir compleamente Joaquim Bibeiro da Silva galg.^T a paleo* >
seu amigo, que sem couscieucia escreveu serae-'commandante sujienor iM.r fetos mimos D.,bre.>
maules laisidades o calumnias, e reconhecera con- que prati.-.m, e pelos maniaoaan aarvanaaanaln
seguiiiiemente sua precipilaco em aecu-ar a um prestado provincia do Oar* e a d.. Piauhy onde
. cidadao pacitico, que tem vivido de fazer bem a sua como seu salvador deixou gratas recor.to.-oes f jym.
i em 3 actos, mas divididos estes em 5 quadros, patr.a e a seu se.nelhaule. sulte o autor dessa caminara os docu^n.os ex.s-
Quaudo clie^'ou a Sobral o Sr. Barbosa Lima re- lentos as secretarias da .sudo ahi vera, amona
vestido do cargo de juiz municipal, apressou-se em tem sido os importantes servigo. prestados por e>se
tornara recoinmriidavel, e
servidor do efa lo. Cns.ii:*
timbre em turuar-se exaltado em seu partido, es- tambera os fados s;-.ccedidos em is:is ou 1839, na
quecendo-se que all exerce importantes unegoes cidade da ParnaMoa, e aabera ajavrM aavomoa**-
de juiz : e querendo desii.iguir-se na el.-icao ijue dado, deixan lo sua cas e familia. .e dirigir
se approxiuiava, desejando que seu> amigos ooti-
vessem um liiumpho, posto iju.^ fosse este bnpos-
stvel, se se dsse urna veidadeira liberdade de vo-
to, entendeu que devia desprestigiar o prestante
commandante superior, exerceudu c.-ntra elle urna
ridicula vinganca: tudo Ihe era licito; uo re-
cuou ante as dilueuldadesque tuni.i a superar, nao de direilo.lo Sobral, rnpumlaalo a Sr. des
se importando com as disposices da le, urna v.-z gador Ayres do Nasruneiito, .|ue nao su*,
que coiiseguisse seu lim, e di-puz-se a tudo quanto seus propri Is adversarlos noliliros. ^ iodos
benzer solemnemente no domingo prximo, (23 do
crrente,) para que nessa mesrao dia seja ella col-
locada no lugar que Ihe compete.
Nao posso deixar de louvar o zelo e actividade
com que a ilustro commissao prosegue as obras
da nova matriz: e eu faltara ao mais sagrado de-
ver da gratido e do reconhecimento se, accedendo
aos votos que Vv. Ss. fazem para que seja designa-
do o da 23 do corrente, para a inaugurago da
cruz d frontispicio, me recusasse a completar
igualmente os desejos que manifestam de que seja
eu prefiri que va benzer a nova cruz da matriz
de S. Jos.
No domingo pois designado, 23 do corrente,
comparecere na igreja de Nossa Senhora do Ter-
go, pelas 4 horas da tarde, para benzer a nova
cruz e acompanha-la al o lugar de sua inaugu-
raco.
____PERNAMBUCO,
REVISTA DIARIA.
Fomos obsequiados com o presente de dous vo-
luntes de poesas, cujo mrito nos irapde o dever
de recnmmenda los publica leitora ; pois sao
moldadas essas duas produeges de sorte a crear
urna reputago seus inspirados autores.
Expressaudo-nos nesta forma synthetica, nella
abrangemos o merecimento dos Segredos Alma, da
Sra. D. Eugenia Infante da ('amara, e da Voz de
um anjo, do Sr. Dr. Pompilio Cavalcanti de Mello,
que oa acaba o seu tirocinio na Faculdade de Di-
reito desla cidade.
Nao pretendemos nestas Imhas fazer urna ana-
lyse, nem demorar-nos em urna critica detida sobre
taes produeges ; pois com isto se nao compadece
esta parte do Diario ; mas larca, que delxemos
transpirar algumas das sensagoes, que experimen-
tamos leitura d. Has.
Os Segredos a"Alina um livro delicado e senti-
do, ondeos pensamentos sao mais do qne as ento-
gues de cada momento ; onde o carcter distinrlivo
urna suavidade leminil, que prende e revela a
sha origina; onde finalmente o talento da autora
manifesta-se por urna lyra opulenta Je harmonas,
que modula todas as uhVxoes possiveis alma
samsivel.
A vocacao potica da Sra. D. Eugenia Cmara
REPAHTigAO DA POLICA.
Extrado das partes do dia 20 ac outubro
de 1861.
lile veio a cali ca, e Ine .Miara.n seus directore .
e era eousequeiea manden aotidcar a Jjaquira Ri-
beiro, a quera verbaiuieuio ja Uuha concedido o
praso de dous mezes, para em 21 horas dar bous
a inventario por fallecimeuto de sua presada mu-
wr ; assim como para tambera em 2. horas des-
erever os heos de urna sejuella deixada por seu
fallecido SOgru o coronel lliogo Gomes Prenle ; e
apressadamenle aquelle lugar, acconuiietiido pel.ri
rebeltes em graodisimu aamarvw, a ao anoHata
cora lodo o llenlo, salvando a seus habiLuites da
morte e do roobo; peto asna aui mereri laaaena
condecorado. Consulte a I.hI. o- pre-identes que
ti'in appirecido na provincia do Cara, ** junes
leenib;r-
eilo a
Iioiitiios. e Iim|i>s nniso-
n >s Ihe iluao que es-e servidor do .-lado BM ci-
dadao prestante, que couimettea ctino em sua vi-
da, e que su rao nome so ll>e foi dado peh Sr.
Barbosa Lima, iiifeluiiiciiie juiz muniripal .lo ><)-
bral, que jamis eouseaura abalar sen credn...
reimlago, e tirar-lhe a legitima influencia, que all
exerce.
Anda diz o autor da ralilinaria que o Sr. Itarbo-
couio em tao curto espago de lempo nao era abso-l sa Lima varejou as casas dos f.ii-anliuds de So-
lutamente uossivel que fov>em descriptos os const- bral as vesperas da eleicaocirrancm Ihes a- ma-
deraveis bens que possae Joaquim Ribeiro, que niedea e armas, com qne proiimdiaai oaaaaneaanMat
tem fazendas aui lugares distantes do Sobral; alffl oiiiumpho, que obleve o partido liberal: nma
de que era lempo invernoso, e porlanlo dilCll se; falsidade que ossom encuifradas annas, e muui
nao impossivel fazer-se urna exacta de-ci ipcao d
seus gados e aiiimaes, pedio um p
esse juiz, para que podesse satisfawr o prceito
da le, o que Ihe foi negado ; e sera que fosse ac
casada em audiencia essa citaeo, o sem esperar
a intimac, que devia ser feu ao- herdeiro>, man-
a descripgo de ees as ca^as, que foram ranjida aaas Sr. Bar-
raso razoavel a liosa Lima, cujo tim nao foi outro sena desmrali-
Foram recolhidos casa de detengao no da 19! dou o referido juiz proceder a sequestro em iodos
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Da-
mio, escravo de Joao Vieira Fialho, vindo do
Rio Formoso, por estar pronunciado em crime de
morte.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Manoel
Pereira da Paixao, por embriaguez.
A' ordem do da Roa-vista, Raymundo Antonio
do Espirito Santo, como cumplice em ernne de
roobo.
A' ordem do da Capunga, Antonio Maria Pe-
reira da Fonseca, para correego.
O chefe da 2a secgo,
J. G. de Mesquita.
Movimento da casa de detengao do da 10 de
outubro de 1861.
Existiara....... 3ol presos.
i
>
Existem....... 331 >
A saber :
Nacionaes ----- 283
Estrangeiros... 12
Mulheres...... 7
Estrangeiras... 3

Escravas...... 4 t
351
Alimentados a casta dos cofres provinciaes 141
Movimenlo da enfermara no da 20 de outubro
de 1864.
Teve baixa :
Severino Veloso; bronchile.
Teve alta :
Leoncio Bezerra Cavalcante
Obituario do ckmiti-sio publico no da 20 de
outubro de 18864.
Coleta, escrava, frica, 40 annos, solteira, Boa-
Vista ; phtysica pulmonar.
Florencio, Pernambuco, 8 annos, Boa-Vista ; tu-
brculos pulmonar.
Maria Jos do Rosario, Pernambuco, 81 annos, sol-
teira, S. Jos; congesio cerebral.
Jos Joaquim de Oliveira, Pernambuco, 49 annos,
solleiro, Boa-Vista; ataque apopltico.
sir o partido conservador daquella cidade, (piando
varejn essas casas, porque elle >ahia que ningu^m
pretenda alterar a ord m puidn-a. e pleitear c>m
armas a eieigo ; se mes fo-s-- ,.ennitii.lo volar. apresentariam todos desarmado. ; e se esse sagra-
do direilo liles fosse negado, como f.i, eslava loma-
da a resoiuco de retirares se toios dessa targa.
como lizeraui; portanto. inexacto oque ss*ae*iaaa o
aut.r dacaiiliinria. deque foramenr-ntrad-i-anana
os bens de Joaquim Ribeiro, que uJendido em seu
direito e convicto de haver o juiz transgredido a
le, deu conlra elle urna queixa peraule o juiz de
direilo daquel a comarca, com cujo procndiinenlo
licou o mencionado Bubosa Luna desesperado, e :, e muniges as casas Tirajaiiai pe.. Sr. Barbosa Li-
ma, que al ni.lo se eelebrisou, pon pie em S>.6ral
em ve-peras de eleices, nunca se dea varejo em
quae-quer casas.
Cuna pubhcacaodesta limito ohrigar a sea Bt-
signaute
3.
Recife, 19 de outubro de 1861.
perdeu de todo a cabeca, por que entenda que
todos os seus actos, arada mesin illegaes, deviam
ser respeilados, e considerou coin.o graude rasadla
a apresenUgao'dessa queixa ; eeiifao, esqiecen-
do-se que era juiz, tomou o papel de um vingativo
que procura por todos os ineios perseguir o seu
uiiinigo, e em semelhaiiie "desespero onchergou uo
facto da sequella o crime de estelliuiialo, em con-
sequencia de terem os interessados, lodos maiores,
feito eutre si una partilha amigavel, e isto na 16
auno
Iher
e que nao satisfeZ o sello da herauga ; es.-a falta,
pela qual s p.i na ser respousavol esa tnuih-r,
quando purveulura se dsse respousabilidade, foi
considerada crime de estelltouatu por aquello juiz
inimigo, que tratou logo de prueessar uo so ao
mesmo Joai|uim Ribeiro, como a seus concuiihados
teienle-Corouel Fi anca e Ruliuo Pontos, as .-endu-
ras destes e a referida herdeira da lerna,; este
um dos hornveis cri mes, de que e aecusad o dis
tinctu Joaquim Ribeiro, e de que se ihe instauren
ura processo ; se se nao d crassa ignorancia da
parte desse jui- em considerar cnuw de estellio-
nalu esse ficto, forga confessar que s o despei-
to e o desespero presidirn! o seu acto; e-tava re-
servada ao Sr Barbosa Lima essa rande deseo-
berta I
Qhanto ao 2o hnrrivel erimev o de resistencia a
ordens legaes, de que acensado o pacifico Joa-
quim Ribeiro, proveio de haver osla mandado |>ren-
der a ura guarda nacional, qne faltn a urna re-
vista, segundo a cominunicago que Ihe foi tita,
sahendo-se depois que esse guarda tmba levado
um cfJlcio de um inspector do quarleira; e sendo
considerado es?e acto do commandante superior
Joaquim Ribeiro i'.legal por seu uimtgo o juiz mu-
ncipa' Barbosa Lima, o proeessua por crime de
resistencia a ordens legaes tambera eslava reser-
vada o esse juiz essa desnoherta, que at agora era
desconhecida! I
O 3o hormel ctimt-. que se attribue a Joaquim
Quando um governo persiste frente dea nero-
s, figurando como herdeinTda trga una mu- C0 pblicos, dejKiis de haver completamente atoe-
que uo tem parentesco com Joaquim Ribeiro, lia,,u *P">(1: optoJto, e\i-te aaoajaa a apiareo-
cia de giiverno com a rca chia envina nao mnaas funesta qne a das ava-
gas, porque de um lado rebnxa e lium.lha no ron-
ceito publico a nogo social da atitornlade, e na-
fro e-teniisa a aeco collectiva do paw, representa-
da na inicial!va -.ilutar da a lmini-:r O governo a vida, a arfan Iran-fuodida ifra-
tidianamenie na anatoanate. Para -r go.ern> e
necessario viver, mas vi ver na alta espera drw
principios, regulando as suas r^ieraedes p.-la< a-
piragoes legitimas da mesma soetiade. Os e*eer
nos violentos sao de cuna duraeo ; e drpe* de
abdicarem iiioraUneote o poder, a nfhaearia, a au-
t.ii .la.le ili.ui'>- das mull.liV-s. proruram wTa-ur a
hora do seu ioevitavel p;is,am. nlo, ain>elUr da *em-
tenga com embarga, e diia._-.Vs. leaiar a pi-d..^-
dos ui7.es, a commiseragao de seus aia'^fai, o -aa-
linentalismo de seusaccusad<>res, e> a genero>ida-
de de seus concidados.
A agona dos go-ernos nm espaetaenlo ao mes-
rao lempo doloroso e fune-tn ans inieres-es na>-io-
naes. Ao poder que se tornou invaii-l, su. enla
ura poder novo, qne triqu- os ileseaganxs do p.s-
sado pelas esperanzas do ara futuro repara.lur.
Nao com as lolhas, .|ue s-cets o>\ aaton, >e des-
prenaem da ramada, c revaluteam a vento al ir
cahir ao lunge n'ura reco-to agreste e gn-rado,
que se bao d- toucar as a. v res na primavera despunta. Nao com. a esterilidaile qne se reno*a
e jierpetua o yelo da rreaci. Nao cmi in-
vlidos de Waterloo, que se nao de eeifar os luiros
MUTILADO
1



Diario 4e PTBSonro ... ici i
da Crimea. Nao com o haixel roto o vazado na les a maoter a egoranga e ordem ptiWfca, esto
praia por incapaz, que aventurosos argonautas lio iqra da faculdadudas mesas, qua todava as pode-
de tentar, entre os hymnos da esperanza e da ale- rao requesitar Ja autoridade competente,
gria, os caminhos de urna ora expedido. Bssa mesa roconbece a aecessidade da presenta
O governo actual est velho, decrepto, incuravcl, de torca para saa garaotia, e apenas Insiste em
desesperadamente condemoado. E'a velhiee pro- que seja ella de tropa de linha e nao de polica,
coco, verade, a velhiee dos excessos, a ve- De novo pondero a m-sa que sendo-lhe permittido
Ihice da nativa debilidad, e a frouxido combina- smente solicitar da autoridade as medidas preci-
da com o aboso das Torcas naturaos Antecipou
por seas delirios as phases naluraes de sua evolu-
cao, e de sua queda.
Fraco por nascimento, deramlhe aromos de
fortaleza e heroicidade os triumphos vrgonhoaos
de 9 de agosto, dia legendario da sua eterna igno-
minia. Vcstindose das armas de Acnllles, cahio
poucos passos adiante. Quiz imitar tro berco as fa-
chas de Hercules, e infermou kisanavelmente
nestes arranques de gvmnastica.
Sim, o governo aclual c mtina a arrastar a en-
Est infermo morlal-
sas para que no sejam perturbados os seas traba
Ihos, exorbitante de suas attribuigdVs o preten-
der que se nao cmprega meios se nao os que por ella forem indicados.
Tendo resolvido que contine a assistir ao pro-
cesso eleltoral o Dr chete de polica, em quero de-
clarou essa mesa depositar confianca e cuja dis-
posi^ao se acha a torga, alim de tambem prestar a
mesma mesa a seguranca de que precisar para o
3 caixas sanguesogas ; a SI. J. R. e Silva 4
Giraros.
1 caixa vestidos de seda f a A. Lote do Santos.
1 caixa perfumaras ; a Uuncker & Barroso.
1 caixa modas ; a B. Millochau.
5 caixas dinheiro ; ao Banco do Brasil.
i pacote livros ; a Buarquede Macdo.
1 dito amostras: a B. F. de Souza.
le o presenta edii.il coa o prazo de 30 das, pelo
Sial se chama e.cita o referido Manoel Soares de
oura, para que dentro dos 30 dias coropareca por
I si, ou por sea bastante procura lor, para se proce-
-der aos termos da conciliacao na forma da pulirlo,
qualquer outra pessoa para que lhe faga sabe-
dor desta mesma ciiacao, afim de que elle nao i-
Todo o scenario novo, pintado pelo distincto
scenographo o Sr. Veneri; consta do segainte :
1.* acto. Lugar monunhoso e selvagem bosque
de cedros, grutas que em lempo se transformara
2. acto. Rica e sumptuoaa habitago de Afra.
3." acto.Sitio orino.O templo de Proserpina
em ruinas formando a entrada das Catacumbas,
field.
i caixa candes de visita aChapelin.
1 dita nifcdicomentos: a Caors 4 Barbosa.
i dita amostras; ao Dr. Casa Nova.
2 caixas chapeos de palha e Dores artiflciaes
Christiani freres.
que indefezo. O porteiro deste juizo publicar este que em tempo, pea tran>tormaco deia ver o
*u.. ;~ fh.il.!. r n ^. "*" M"' lc"u uesie juno uuoucara esie que em
W barns manteiga ; a CnrMovao G. Brecken- nos lagares mais publico deste districto, e o affl- interior.
xara passando certidao em forma, 4. acto.O magnifico templo de Jpiter, com
Dada e passada neste 1 disiricto da freguezia todos os seus accessorios ; esta decoracao digna
do sjaotissimo Sacramento do bairro do Santo An- de especial raencao pelo costo e riqueza com que
tomo da cidade do Recifo de Pernambuco, aos 14 est feta.
dias do mez de ontubro de 1864
| Eu Joaquim da Silva Rejo, escrivao que o es-
crevi.Antonio Bernardo Quinteiro.Subsorevo e
fermidade de sua origem. Esta imeniiu "''_"": i
mente; mas mesmo no leito eslribucha. IMKH3 tratialhos da eleicao.
Deus guarde a Vmcs. D. de Souza Leao.-Srs.
1 caixa mercearia ; a E. A. Burle & C.
Kvreexerccio i^^^^SS^aST^ I t!ES3 "natos da af23& SttS *~=S '^^ ="
oeiiDerar.senaorecommeodar a mesa, que, cun- *
indo o dever que lhe impoe a lei, prosiga nos
um enfermo pacifico ; lera accossos epilepthieos de
metter medo. Sahindo do estado de furia, recahe
em profunda lethargia, e nella se conserva em
qnanto se nao trata de urna eleicao. Em esta pa-
lavra lhe perrniindo ao ouvido, o pobre enfermo
arregaca o cortinado da morte, e, com os olhos
ainda eropapurados de um somno interraeiado de
pesadellos, manda tocar chamada dp campo, con-
voca o ronselho dos 10, ou talvez dos 2, e ei-lo a
derramar o sanio por suas fileiras vareadas e al-
quebradas pelo desadimo ; os inspectores clgem
suas fachas, grossos destacamentos sao requisita-
dos, as matrlzes sao postas em assedio por urna
selva de bayonetas, e o suborno e a violencia cam-
peam nos arraes de Antoco moribundo I
Qne repugnante duello I
De om lado o poverno, de outro lado o povo !
De nm lado o direilo da torga, de ontro lado a far-
ra do direilo!
HM este o progresso que se nos promettia ?
Hypocritas 1 Impostores 1
O sonhador acordado.
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores.Ancioso tenho esperado que o
fcacharel Silvino Cav.ilcanti de Albuquerque se
digne dar a rszo da demissao de mea pai, o Sr.
major Salvador HVnriquo de Albuquerque, nao s
porque me consta ter >ido a isso ini|K;llido aquell-:
bacharel por um motivo menos honroso repota-
f:ao de meu pai, como tambem porque existindo, do
imga dat, relajos estreitas de amizade entre
nossas familias, tem causado admirado um acto
to precipitado quao inesperado e como quer que
talve se descnlpe o predito bacharel da falta de
exigencia de nossa parte ; vou por este meio pro-
Toca-lo solemnemente, e do alto da Imprensa, a que
se justifique se nao por amor de autoridade hones-
ta e justiceira ao menos como hornea honrado que
deve respeitar areputa;oalheia,garantindo a sua,
para qae nao queira flear ex posto ao desprezo pu-
blico como ingrato e desconhecedor dos actos que
pratica.
Com os documentos, que no sen conceitoado jor-
^nal de 19 do correte fizeram Vv. Ss. o favor de
inserir, j vio o publico como sempre foi o procedi-
cnento de meu pai apreciado pelos Ilustres direc-
tores que presidiram aquella reparticiio em diver-
sas datas, inclusive um do referido bacharel, quan-
do leve de ir tomar assento assembla geral em
deiembro do anuo prximo passado.
Ate essa data era meu pai bom empregado e foi
conservado; hoje, porm, depois de um celebre
conselho convocado por aqoelle bacharel para um
6m que mais tarde ser exposto ao publico, 6 elle
por sua proposta deniitiido.
Suspenda o publico seu juizo acerca deste fado
at que satisfar o bacharel Silvino minha exigeu-
eia, e tambem eu possa adquirir um documento
que tende a, evidentemente, demonstrar a injustica
de tal demissao, puis estou no firme proposito, e em-
penho minha paiavrade honra, oe patentear a inno-
cencia da victima sacrificada e a hediondez do sa-
crificador.
Quero convencer ao Sr. Silvino qae elle nao pode
e jamis portera manchar a repatacao de um tio-
mem que, ferdo no que neste mundo mais prza,
se levantar puro e com semblante altivo, lhe dir
vnguei-me I
Desculpem, Srs. redactores, se por acaso bo cor-
rer da penna me cscapou aljium termo irreverente,
filho somonte do justo sentiiiiento de que estou pos-
snido.
Recife, IQdeoutubro de 1864.
Amaro Joaquim Fonceca de Albuquerque.
Directora geral da im>truccao publica de Per-
nambuco, !> de uiiluliro de 1864.lltm. Sr. De-
volvo a V. S. seu oVio datado (le 14 do correnle,
por nao estar em termos de ser acceito por eslai
ilirectori?.
Deus guarde V. S.
O director peral,
Silvino Cavalranti de Albuquerque.
Illra. Sr. delegado litterane de Santo Antonio.
presidente e membros da mesa parochial dafregue-
zia de Santo Antonio dista cidade.
4.* seccao.Palacio do governo de Pernamba-
co em 19 de oulubro de 1864.
Tendo em vista a intormacao que o Dr. chefe de
polica ministrou sobre a re'presentagao nesta data
recebi da mesa parochial de Santo Antonio desta,
cidade, contino na conviego de que nao sao
procedentes as ponderagoes que faz a mesma, nao
no intuito de ser sub.-tituida a torga que esl pos-
tada dianle da matriz.
A attiibuigao que tem o presidente da mesa pa-
rochial para regular a polica da assembla paro-
chial, em vinude do disposto no artigo 47 g 1 da
le de 1!) de agosto de 1846, nao se estende alera
do recinto da igreja, onde, se procede a eleigao,
somo claramente se v da disposigj do citado ar-
tigo.
Portanto todas as demais providencias, tenden-
tes a mantee a tegaraaga e otom publica, esto
fra da faculdade das mesas, qu-i todava as po-
dero requisitar da autoridade competente,
Essa mesa reronhece a necessidade da presen-
ga da torga para sua garanta, e epenas inciste
em que seja ella de tropa de linha a uao de po-
lica.
De novo pondero mesa, que sendo-lhe permit-
tido smenle solicitar da autoridade as medidas
precisas para que nao sejam perturbados os seus
irabalhos, exhurbitante de suas attnbuigoes o
pretender que se n;lo empreguem para islo outros
meios se nao os que por olla torera indicados.
Tenho resolvido que contine a assistir ao pro-
cesso eleitoral o Dr. chefe de polica, |em quem
declarou essa mesa depositar confianga em cuja
disposigao se acha a torga, alim do tambera pres-
tar mesma mesa a seguranga de que precisar
para o livre exercicio de suas fancg5es, nada ha
mais que deliberar, senao recommendar mesa
que cumprindo o dever que lhe impoe a lei, pro-
siga dos irahaili is da eleigo.
Deus guarde Vmcs.D. de'.Souza Leao.
Sr. presidente e membros da mesa parochial
da fregutzia de Santo Antonio desta cidade.
DECUMgOES.
Recife, 17 de outuhro de 1864.Illra. Sr.-De-
volvo V. S. o meu oflirio de 14 do correte data-
do, porque enlendn que est em temos de ser ac-
ceito por essa directora ; com o que tenho respon-
dido ao seu oflicio de lo do corrente datado, e hoje
receido.
Detis guardp V. S.
O bacharel Am'iro Joaquim F. tle Albuquerque.
lllm. Sr. director da Instrnecao publica.
Srs. redactores.Chegaudo-me ao conhecimen-
to, que no Conitttucwnal l'ernambucano de 6 de
setiinbro ultimo, na partenoticias diversaspu-
Llicaudo-se um artigo, que diz respeito ao vigari.i
d'r-ia freguezia, nelle tambem se iiieBcioua o meu
uome, liguranUu-se-me como autor do urna multe
na Barra do Jardim em 1847, cumpre-me contes-
tando dizer.
E' verdade que houve essa roorte, na qual ne-
nhuma parte Uve, como all publico, e spido pe-
las pcssas mus gradas do lugar; nao obstante,
porm, por intrigas fui envolvido nesse pr>lce^o,
crime, de que me livrei em julho de 1857, e foi mi-
nha ful ha ceida publicada nos joruaes d'essa ca-
pital; e alada o anuo passado, solfreudo cu urna
aecusage das pes.-oas, que me sao desaffectas, por
occasio de minha nomeaeao para subdelegado d
priineiro iiistriclo de Flies, foi prsenle aoSr. Dr.
chefe de polica folha corrida; devem estar pois
Lini certos os meus gratuitos inimigvs de que uu
e\i>t': tal crime; sendo que somente por maledi-
cencia procuran) desacreditar-me stm receiarem
um desraentido, pois que a verdade sempre trium-
phara da calumnia
No niesuio communicado denuncando-se ao Sr.
Dr. chefe de polica, que Manoel Joaquim d'Aquino
Mello, cruninuso passeia impune neste termo e que
se deve enca regar a oulro e nao a mim a sua cap-
tura ; preciso que saiba (se que se unge nao
saber) o senhor noticiador, que Manoel Joaquim de
Aquino Mello criminoso igualmente com outros
desde 18S0 e elle, e seus coreos sempre aqui esti-
veratn de .publico em intimas relagoes com as au-
toridades policiaes, e smente depuis que entrei no
exercicio de subdelegado que elle e os mais tem
audado toragidos; saiba mais o senhor ndiciadur,
que alguns criminosos, o desertores aqui tem -ido
presos per mim, e que nao pactuo e nem dou asy-
lo a reos de polica ; e provoco a qiiem quer (|ue
seja que aprsenle provas de omisso uo cumpri-
nieuto dos meus deveres, como esnpregado pu-
Jjlico.
Don o mais solemne despreso a ludo quanto os
meus gratuitos e calumniadores inuuigos de mira
queiraui dizer.
Rugo-lhes, senhores redactores, a insergSo destas
liuhas.
Flores, 2a de setembru de 1864.
Jziduio Jos da Silva Mascarenhas.
PUBLICARES A PEDIDO.
Palacio do fanrao d Pernambuco, em 19 de
ontubro de 1864.
T*-iiiio em vista a informago que o Dr. chefe de
po'cia ministrou, sobre a repres^ntacao que nesta
data rec'bi da mesa parochial de Santo Antonio
desta cidade. euulino na conviego de que nao
sao proc denles as ponderagdes que faz mesma
me>a, no intento de ser substituida a torga que es-
t postada adiante da matriz.
A atir'buicl i qae tem o presidente da mesa para
regular a policia da a>sembla parochial, em virtu-
de do dispusto no ai t. 47 1 da lei de 19 de agosto
d>* 1846, n5o se estende alm do recinto da igreja,
onde se procede a eleign, como claramente se v
da di-poM'go do citado artigo.
Portanto, ludas as dentis providencias tenden-
Illm. e Exm. Sr.Foi presente mesa parochial
da freguezia de Santo Antonio o ofDc.o de V. Exc.
datado em 19 do corrente, recebido hoje s 11 ho-
ras, era resposta saa ultima representacao da-
quella data, insislindo na substitoigao da torga de
policia que actualmenle se acha de guarda na" ma-
triz por outra de primeira linha, peas razoes que
tanto nVsta como na primeira representagao toram
expendidas.
A torga policial, qne aqui se acha, nao est, co-
mo refere o officio de V. Exc, collocada adiante da
matriz, e sim dentrb do seu recinto, o d'aqui que
partem os receios de coaegao da mesa parochial de
que ella nesta attltude possa intervir nos actos de
suas attribuigoes to proeesso eleitoral.
Exm. Sr. A mesa parochial da freguezia de San-
to Antonio, reconhecendo a dignidade do posto em
que se acha collocada, nao desconhece e nem quer
acceder da esphera de suas attnbuigoes. Ella co-
ndece que estas se estendem, no posto que agora
nos oceupa, manter a polica dentro do recinto
da matriz, e nem ella a quer estender alm d'estes
limites. E' que ella suppoe e mesmo recea nao os
poder exercer livremenie em presenea da torga do
corpo de policia no reetnto da igreja* que quando
mesmo nao intervenha em seus acios, pode causar
a afugeuiagao dos votantes mais timoratos, ou de
una das parcialidades polticas em vantagem de
outra.
A mesa, pois, v qae houve um engao na re-
daceao <> supracitado offlcio de V. Exc, conside-
rando a torga policial em lugar diverso d'aqneile
em que se acha collocada desde a noite do dia 17,
fe que muito lem actuado no animo da mesa paro-
chial para esta poder proseguir em seus trabalhos.
Servindo-se, pois, V. Exc azer rectificar aquelle
engao, fazendo retirar a referida torca do recinto
da matriz, onde teuha ella de exercer a polica ex-
lerna, e jamis possa a mesa receiar a sua inter-
veugao em seus actos, a mesma proseguir em
seus trabalhos. Todava, a mesa parochial requi-
sita V. Exc. nma providencia, que alias lhe pa-
rece as>s prudente e rasoavel, consistindo esta i
em lhe serem apresentadas doze pragas de qual-'
quer dos carpos de linha di>posigao do Sr. Dr.
chefe de policia de accordo com o presidente da
mesa para a manutengo da policia interna, que
lhe cumpre sustentar.
Nao se eutenda, Exm. Sr. presidente, que esta
providencia teuha o alcance de querer a mesa ele-
var um dos curpos da torga publica em meuoscabo
de outro; ao contrario, sera ella um meio assas
prudente de remover inlerprctagoes equivocas que
se possam ter dado queslao actual.
A mesa aguardando a respoMa de V. Exc, re-
solveu adiar os seus trabalhos por screm j 4 e
meia horas da tarde para recoinega-los amanha
s 9 huras da mauba.
Deus guarde V. Exclllm. e Exm. Sr. Dr.
Domingos de Suuza, presidente da provincia.
Mesa parochial de Santo Antonio, 20 de oulu-
bro de 1864 (as 5 bofas da tarde).
Juiz de paz.
Joaquim Antonio Carneiro.
Os msanos.
Jos Leandro de Godoy V,
Jos Francisco Carneiro.
Joaquim S. P. de S. Cavalcanti.
Francisco da Silva llego.
An?cahuita peit Urna simples tosse pode cnegar a ser mortal se-
nao se ataihar a leuipo, poiui evitar-se-ha com-
pletamente o pango fazendo-se uso immediato da
ANACAHUITA PEITOIIAI, DE KEMP, a qiial mediaule a
sua benell a influencia faz ceder rpidamente a ir-
ritago dos pulmes e garganta, e restabeleeer sua
aegao vigorosa, regular e saudavel.
Os que dizeiu que a aslhma incuravel muito
se engaa.
Esta tonificante compo-igao vegetal sabjuga essa
affltcliva molestia anda mesmo quando debaixo
das formas-as mais obstinadas e aggravantes.
As anginas nunca termmaro em brunchilesa
tosse em phty.Mea nem a rouquidao em aslhma,
se desde logo de seu principio torem alalhados com
este balsamo vegetal sua sisado e sedativo, seus be-
ni-licos effeitos sao promptamenle notados as en-
fermidades dos pulmoes, dos vasos bronchios e de
pleura.
Pde-se achar venda em todas as boticas e to-
jas de drogas.
Ucdos de seda ; a Flix Sauvage 4 C.
20 rollos tullas de chumbo, 4 larris vinho ordi-
nario, 1 caixa ferro em obra, 3 caixas louga ; a F. j
Dubarry.
1 caixa objectos de cirurgia, 2 ditas tenidos de
ia e algodao, 10 caixas coBeiges, pentes, chapeos i -* .
e mercearia, 4 ditas amostras ; a Ilenrique A Aze-1 ",DnBa"' O COtnmCI'CIO.
vedo. I Pela secretaria do tribunal do commercio de
2 caixas typos, 4 ditas peras seccas; a Isidoro Pernambuco se faz publico que nesta data foi ad-
iNetto 4 C, mettido matricula dos commerciantes o Sr. Feli-
2 caixas estofos de algodao, mercearia, etc.; ao ciano Jos Gomes, cidado brasileiro, de 48 annos
Sezat. de idade, residente e estabelecdo nesta cidade
2 ditas ditos de dito, vasos e quadros para al- com armazem de assucar na ra de Apollo ns. 34
tar ; a Ount. e 36, que vende om grosso, nao s nesta provincia
1 caixa livros: a Ignacio Francisco dos Santos, como as outras do imperio e paizes eslrangeiros,
12 barris vinho, 18 ca xas tecidos de algodao, de propna e alheia coma.
5. acto. Carcere ; em tempo transformado para
scena final.Vista de gloria, preparada para todo
o theatro, e que deve produzr maraviihoso effeito.
O machini.-mo encarregado a um artista hbil,
pede asseverar-se que correr a contento.
A msica, do Sr. Colas liho, foi escripia expres-
samenle por esle arlista, com o goslo que lodos
lhe reconhecem.
O vestuario novo e ao gosto da poca.
Comcgara s 8 horas.
AO PlBLIi 0.
SEGUNDA COMPANHIA
DE
vender em leilao os objectos cima por
ordem de quem pertencer.
ctmu e
LEILiO
DI
Movis, marhinn para easlira, jaias le
o uro, re Ionios e oilrs i|a
arl ins.
Hoje as II horas.
Cnrdeiro Simfies far leilao em rontinoacao e
todos oe objectos existentes no armazem roa da
Cadea de Recife n. 48. sem limites ao correr da
mariello alim de fechar conlas de vendas._______
DE
2 excellentes predios.
A diuheire ou parte a praza.
Antomo Bolelho Pinto de M. quita
fara leilao por nter venci do ages-
te Olivera, de seus ptimos predios
acabados em 1861, rom solidez e a
mederna, sitos na rna do .\|..||.j m.
34 e 36, tendo amboso2 palmos de frente livre de
CURIOSOS GTMNASH00S SSSV&Vt&XSXZi
de 13a, rendas, artgos de moda, confeigao etc.;
Joo Keller 4 C.
1 caixa arligos de modas ; a J. J. da Costa
Maia.
2 ditas sanguisugas ; a J. A. P. Serodio.
1 pacote impressos ; ao consulado portuguez.
4 caixas vestidos e tecidos de seda, ditos de laa
e seda, calgado ; a Carneiro 4 Nogueira.
8 caixas queijos ; a Duarte 4 C.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
Bambuco 20 de outuhro de 1864.
Julio Guiraaies,
OUlcial-maior.
CoRselho de compras navaes.
O conselho promove no oa 22 do corrente mez
i vista de propostas receidas at s 11 horas da
| manba a compra dos seguimos objectos do mate-
rial da armada :
2 caixos 1 pacote calcado, confeg5es e amos- joOarroellas, 8,'fJOO azulejos, 12 handeiras nado-
tras ; a D. P. Wiid & C.
1 caixa quinquilbaria ; a Delouche.
2 barns vinho nulo ; a Eugenio Mauricio.
1 caixa livros ; a J. N. de Suuza.
1 dita amostras : a J. A. M, D.
23 sestos e o caixas champanhe e sardinhas ;
a Joo da Suva Faria.
19 caixas tecidos dela, vestidos de seda, quin-
quillera, mercearia, contoigSes, perfumara, chi-
tas, livros de lerabrangas, amostras, etc.; a Lin-
den W'ild 4 C.
3 caixas fazendas; chapeos, perfumario, confei-
gOes etc. ; a Luiz A. Siqueira.
4 ditas conservas ; a L. Puech.
2 caixos bijouteria e relogios ; a Lehmann
freres.
i caixa comer para meninos ; a L. de M. &
Ferreira.
1 caixa dnheiro; a L. Matis.
1 dita livros e pertenecs ; a Miguel Jos Alves.
3 caixas chapeos, mercearia ; a Mouleiro Lopes,
&C.
3 ditas roupa, mercearia e amostras; a Mello
Lobo 4 C.
3 barris vinho e 1 caixa amostras ; a Meuron
4C.
2 caixas confelges e fazendas ; a Monhard
4C.
1 caixa livros; a Manoel Ribeiro de. Carvalho.
45 aixas quinquillera ; a N. O. Beber 4 C.
30 caixas queijos, 1 dita artgos de moda, 1 dita
alhuns, 1 dila couro envernizado ; ordem.
1 dila pentes, I dita ulensis para cabelleireiro, 2
ditas perfumara, 5 ditas pelles de marroquim, 1
dila ariigos de moda ; a Parento Vianna 4 C.
2 caixas tecidos de algodao, 1 dila bijouteria ; a
Rabe Schmeitau 4 C
2 caixas tecido de algodao, 1 dita, amostras ; a
Schafleitlin & C.
1 pacote e>covas ; a Sarment..
85 caixas queijos ; a Tasso 4 Irmaos.
6 caixas confeigoes, mercearias e tecidos; a Th
Dnmmaycr.
1 caixa dinheiro, 5 ditas licores, 2 ditas confei-
g5es ; a Tisset freres.
22 caixas queijos: a Vicente F.
Pido.
0 caixas vinho, ameixas, conservas e agua mi-
neral ; a Vignes.
1 caixa objectos de modas e perfumaras ;
viuva Lecomie.
6 caixas vestido', papel, mercearia, fazendas de
algodao, etc.; a Yaz 4 Leal.
nacs de 2 pannos, 50 chapeos de oleado, 445 cova
'\ dos de damasco de seda verde, 50 esguinchos, 6
escrivaninhas de metal, 3 arrobas de fio de algo-
dao, 1,000 torneas de rede, 20 lanternas de patente,
6 livros mappas de 50 tolhas, 20 arrobas de mia-
Ihar branco, 100 pegas de merino, 1,000 libras de
pregos de zinco, 60 raspas de ferro, 30 meins de
sola da trra, 200 lijlos inglezes e 40 duzias de
la bas de amarello ou viohatico, patnmuju' ou ara-
riba, de 5 polegadas de grossura e nao menos de
35 ps de comprmeme
Tambem o conselho promove no referido dia,
bera como em qualquer outro de suas sessoes,
avista igualmente de propostas, a compra de ma-
deras de construeco para um transporte de
guerra.
Sao sujeitos os que venderem estos objectos
multa de 10 por cento se na as entregarem de
prompto, e de 20 por cento caso sejam de m qua-
lidade, ou nao os tornecerem.
Sala do conselho de compras navaes, 17 de on-
tabro de 1864.
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Secretario.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguintes:
Para o arsenal de guerra.
20 arrobas de cabo de linho para drica de 1
1/4 de polegadas de circunferencia.
25 duzias de taboas de pinho americano.
10 milheiros de pregos batus pequeos.
10 ditos de ripaes da trra.
5 dito caixaes.
5 caixas com folha de flandres de 27 sobre 18
1/2 pollegadas, ou 23 sobre 14 ditas.
Para o 7 bata I bao de infamara.
10 pares de mala de taraanho regular.
Quem quizer vender taes ariigos aprsente suas
propostas em caria fechada na secretaria do conse-
lho administrativo s 10 horas da manha do da 24
do correnle.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
da Costa & fornecimento do arsenal de guerra, 19 de oulubro
de 1864.
Antenio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Antonio ao Reg Barros.
Vogal ecretario interino.
A subdelegada da Capnnga entregar a quem
se Julgar com direito um ca vallo pedrez, apprehen
'9 caixas chapeos para homens, calgado, modas, $do a tres ladrSes, cuja prova for apresenlada le
tecidos de seda, de laa e algodao, ditos de linho.e gilmente,
algodao, e mercearia ; a Ferreira& Araujo, Francisco Antonio da Silva Cavalcanti.
Recebedoria Je rendas Internas
seraes de Pernambuco.
Rendimento do da 1 a 19........ 29:4225791
dem do da 20................. 2:826419
32:249210

Consulado provincial.
Rendimentodo dia i a 19......... 30.5575876
dem do dia 20................. 1:9635993
32:5215869
BBITAES.
COMMEBGIO.
Cotaces offlciaes.
PliCi OO RECIFE
20 DE Ol'TL'BRO DE 1864
Algodao 1 sorte205000 por arroba.
2' sorte 1850U0 idem.
Cambio sobre Londres-90 d/v. 27 3(8 e 27 i|4 d.
por 15000-
Dito sobre Paris90 d|v. 346 rs. por franco.
Frete de algodao para Liverpool 3(4 d. e 5O|0
por libra.
Dubourcq Jnior, presideute.
Sui maraes, secretario.
Importacao.
Vapor francez Bearn, entrado de Bordeaux, ma-
nifestou o segrate :
4 caixas mercearia
4C.
12 caixas sardinhas; a A. Almeda Gomes.
4 caixos napcl ; a Macdo.
1 dila tecidos elsticos ; a A. J. Farias
6 aixas tecidos de laa,, chapeos, tecidos de li-
nho e amostras ; a Augusto C. de Abreu,
Conselho admiii'slralivo.
O conselho administrativo para fornecimento
arsenal de guerra precisa comprar o seguiute :
Para o arsenal de guerra.
ila de laa para silbas, pajas........... 20
Sola branca garroieada, meios.......... 100
Quem quizer vender taes artigos aprsente suas
propostas em carta fechada na secretara do conse-
lho administrativo, s 10 horas da manhaa do da
21 do corrente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 14 de outubro
de 1804.
Antonio Pedro de S Barreto,
coronel-presidente.
Sebastiao Antonio do Reg Barros,
vogal secretario interino.
Navio entrado no dia 20. 1;0IT610.
Ilha de Fernando 3 dias, vapor americano de: Pela adminslracao do correio se faz publico que
guerra Iroguois, commandante Rogers. i as cartas abaixo mencionadas deixaram de seguir
JVfino sabido no mesmo dia. seus destinos por se acharem na mala com sellos
Parahyha Briguc inglez Mar y, caplo G. De-' servidos.
bris* em lastro. Bernardo Joaquim Pinto (Baha).
mmtmmmammtmtmmm wmmmm^mu^mmmmm I ^W1"0 de Leliis Fonseca Jnior (Bahia).
Demetrio Jos Teixeira (Babia).
Meuron & C. (Baha).
Jos de Barros Accioly (Marei).
Rodrigo Theodoru de Froilas (Ro de Janeiro).
Pela inspectora da alfandega se faz publico Sebasiio Guimaraes Pinto Bandeira (Bahia).
que no dia 21 do correnle mez ao mel dia, porta Valeriano Tiburcio da Silva (Babia),
desta repartigao, serao arrematados em lasla pu-
blica os objeetos abaixo mencionados, que deixa-
ram de ser arrematados em praga nos dias 12, 13
e 14 do corrente, sendo a ariematago livre de di-
reitos.
Urna fivela de metal branco para carro,
valor........... 200
Urna roda de madeira para rarroga, valor 500
Machina de ferro sem aisler, valor do
ferro..........15000
f neo moiloes em mo estado, valor 1550o
Ferros para marcar algodao .... 15U00
Treze barris de chlorurelo crystalisado
de calcio, libra 6,061, valor da libra
100 rs., total........6065000
Quarta secgo da alfandega 18 de outubro de
1864.-0 escripturario,
Joo Albino de Gusmo.
O major Antonio Bernardo Quinteiro, cavalheiro
da
anno do 1. districto da freguezia de Santo An- sacro em 3 actos e 5 quadros :
tunio da cidade do Recito de Pernambuco, em
virtude da lei etc., etc.
Fago saber aos que o presente edilal virem, que
por parle de Antonio do Reg Medeiros me fui fila
a pelicao seguiute :
Diz Antonio do Reg Medeiros, que lhe sendo
Mauoel Soares de Moura devedur de ama letra ven-
cida da quantia de 2355040 res de principal, e
mais dos juros na mesma estipulados, quer fazer
citar para conciliatuiiamente lhe payara referida
quantia e juro, e por que o supplicado esteja au-en-
te e em lugar nao sabido, requer a V. S. o ad-
PERNAMBTJCANOS.
RIA DO PRINCIPE Y18.
GRANDE ESPECTCULO
EH 4 ACTOS.
Sabbado, 22 do corrente.
Maraviihoso trabalho no trapezio;
Volteios na corda bamba ;
Deslocagao pelo menino borracha ;
Os dous irmaos Rolands;
Saltos moraos no trampolim ;
Grupos de equilibrio;
Kscadas perigosas;
O homem de bronze ;
O menino cobra.
O espectculo comegar s 8 horas.
Os burieles acham-se teoda no escriptorio do
theatro
Sodronio Sabino Monteiro de Carvalho,
Director.
AIS0S MARTIMOS.
COMPANHIA BRASHEIKA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte espera-
do at o da i de novembro o va-
por Paran, commandante o ca-
pitao de fragata Santa Barbara, o
'qual depois da demora do costu-
me seguir para os porlos do sol.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : ageneia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
onio Luiz de Oiiveira Azevedo & C.
COMPANHIA BRASLLEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o dia 30 do corrente um dos
vapores da corapannia o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para es portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
ftavegaco wsfaw vapor.
Parabjba, Natal, Maco, Aracaty Cear e
taran?.
O vapor Persinunga, comman-
dante Hatis, seguir! para os por-
tos cima no da 22 do corrente s
5 horas da tarde, lieccber carga
al o dia 21. Eneoinmendas, pas-
sageiros o dinheiro a frete al o da da sahida <
3 horas da tarde : escripiorio no Forte do Mattos
n. 1.
jgundo andar do de n. 36 tem smente 120 palmo
(de comprimento com um terraco, os ariuazeas
I lem 340 palmus de comprimento cada um, i.ndo
! ambos tambem frente para a ra do Caes il'Apol-
I lo e o de n. 36 tambem para a travessa do amigo
I porto das Canoas, estes predios toram editic*d,s
pelo aclual propietario e com ptimos alicer. > a
superiores madeiras.
Sabbado 22 do corrente
ao meio dia em ponto nos indicados predios ao
armazem do predio n. 36.
IiEIJLAO
Sabbado 22 de oulubro, s 11 har,
roa da Cadea armazem H3
|(E" positivamente sem limite.)
Dtfi
Urna propriedade, chao proprio, sita na cidade do
Cabo quasi junio as ofnYinas da estrada de fer-
ro cora pirulo ao lado, sendo na frente terrea e
para iraz assobradada, assoalhada, apr.Mel
banho perto, com muitas vantaceos que os pre-
tendentes desde j podero examinar, s *-mi
sero com vista salisfeitos para na real idade
fazer boa acquiseao.
Pelo agente Enzebl*
se vender aquella casa definitivamente pelo maier
prego que se achar, advertindo em tempo qne o
terreno lateral onde tem o porto, toreiro.
LEIIiAO
Tres
E
casas frreas
Sen limite.
O agente Almeida competentemente autorisado,
fara leilao de tres rasas terreas, urna na roa do
Rosario n. 13. com 2 salas, 3 quarlos.rosinba tora,
quinial e cacimba, a qual offerece muilo boas pro-
porgues para urna taberna.
Urna dita na ra dos Prazeres n. 3, rom 2 sa-
las, 2 quarlos, cosnha tora, quintal c cacimba.
Urna dila na ra do Cotovello n. 37, con S sa-
tas, 2 quartos, cosinha tora, quintal e cacimba,
todas na freguezia da Doa-Visla.
Segunda-feira 24 do correnle
pona dos Srs. Palmeira & Delirio no largo do
Corpo Santo, ao meio dia.
hipa
i fi-
&H&A<&
DE
1 casa lenca nova e 2 casas
e alicerm para edifirarao.
de
veirodcpeixcoa rna Imperial
limo a ponte dos Afolados.
(Tudoen um h lote.)
Chaos fon:iio3.
Terca-fira ZS do corrale
gil becas no armazem da ra O
rio n. 10.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
Mavegaeo costeira a vapor.
Taman ar.llana Grande, Podo de Pedras,
Camaragibe e Macei.
O vapor Mamanguape, comman-
dante Moura, seguir para os
^ portos cima radicados no dia 25
do corrente s o horas da tarde.
Raeeber carita al o dia 21. En-
commeudas, passageiros e diuheiro a frete al o
dia da sahida s 2 horas da tarde : escriptorio
no Forte do Mallos n. 1.
Aracatv.
O hiate Santa Rita sahe para o Aracaiy : a tra-
tar cora Tasso Irmaos.
prt-
Vig-
autorsado por nina pessoa de sua amisade vende-
r em leilao urna casa terrea em chaos toreiros
com 2 janellas e 2 portas de frente. 2 salas. 4
quarlos, 2 janellas no oito que olha para a estra-
da de ferro, 1 viverra de peiie, 2 nialni de ui-
pa que rendem IOj;X) meiisaes. sendo tudo islo
collocado em um terreno cora 190 palmos de fren-
te c fundo at baxa mar.
AVISOS DIYEBS3S.
M,
Babia.
O hiate Dous muios sahe para a liahi : a tra-
tar com Tasso Irmaos.
Para a Babia pretende sahir era poucos das-
o veleiro patacho D. Luiz, capitao Jos Teixeira
de Azevedo, por ter parle da carga tratada : para
o resto da carga que lhe falta tratase com os con-
signatarios Palmeira & Bellrao, largo do Corpo
Santo n. 4, prlmeiro audar.
Eio de Janeiro.
0 brigue Beluario segu imprelerivelmente no
dia 23 do corrente, recebe carga e escravos a fro-
te : trata-se cera os consignatarios Marques, Bar-
ros St C, largo do Corpo Sauto n. 6.
Aos l:OtMi$ouii.
Corre amanha.
Sabbado 22 do correnle mez, se exfrahi-
I r a quarta parte da terceira lotera (112*)
| a beneficio da Sania Casa da .Misit< arda,
no consistorio da igreja de Nossa Setihor
do Rosario da freguezia de Sanl Antunio
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000-5000 at 20JOOO
sero pagos urna hora depois da extracfo
at s 4 horas da larde, e os outros do dia
8eguinte depois da distribuico das listas.
Servindo de tbesonreim,
Jos Rodrigues de Souza.
EMPEEZA
GERMANO & COIMBRA.
9a recita da assigiiatura
SABBADO- 22 DE OUTUBRO DE 18G4.
Subir scena com todo o apparato exigido
mpenal ordem da Rosa, e juiz de paz do 4 pelo autor, o Sr. Jos Romano, o magnifico drama
OS
MARTTOS
Constancio,
dente.
PERSONAGENS.
cesar do occi-
Porto.
mata justificar o deduzido, afim de que julgada por Scipio, patricio romano e
sentenca se passe edita I para a citacao da coucila-
{3o do supplc.ido com o prazo da le.
Pede a V. S. Sr. juiz de paz de Santo Antonio
lhe deflra e receber merc.Hennque da Silva.
Na qual peticao dei o despacho seguinte :
Como requerPrimein.dislrictii da fregnpzia de
Santo Antonio,' 14 de outubro de 1864. Quinteiro.
Em virlude do qual despacho se proredeu a in-
quiricao de teslemunhas que depozeram sob o ju-
ramento dos Santos Evangelhos a respeito da au-
sencia e incerteza do lugar da residencia de Manoel
Soares de Moura ; e sendo tudo auloado e prepa-
rado me vi,'rain os autos concluios, e por mim li-
dos, nelles profer a sentenca seguinte:
Visto provar-se pelo depouuento das teslemu-
nhas, que o supplicado Manuel Soares de Moura
acha-se ausente em lugar incerto, hei por justifica-
da a sua ausencia ; o escrivao i>ase carta de edi-
senador...... Coimbra.
Orosio, chefe dos cbrisiaos,
octogenario ..... Germano.
Gabriel, filho de Orosio Lisboa.
Dco,rande sacerdote de
Jpiter...... Pinto.
Lucifer....... Borges.
Piulo, centnrid romano Guimaraes.
Polion, guarda dos carceres. Santa Rosa.
Isaac, judeu, escravo de Afra. Teixeira.
O archaujo._.....D. Antonia Reg.
D. Antomna.
D. Camilla.!
D. Mana da Silva.
D. Maria Poules.
D. Francisca Balbina
N.N.
Afra, corlezaa romana.
Manha, virgera christaa.
A f.......
Eumeina, escrava de Afra
Digna, dita.....
Euprpia, dita.
Senadores, Helores, sacerdotes, sacrificadores.
o escrivao pa*se carta
\ Alves Hamburger tos com o prazo de 30 dias, e pague o justificante auruspices, virgen*, cntnrioes, decenarios) solda-
as cusan duS) povo romano, povo christao.
Primeiro districto da freguezia de Sanio Antonio, A secao passa-se na cidade de Augusto fhoje
14 de outubro de 1864. -Antonio Bernardo Quin- Aug.-bourg) no anno de 303 da ora christaa, sendo
te""0- imiieradores, Maximiano Hercules, no Oriente, e
Nada mais se contlnha era dita sentenca dada Deocleciano, no Occidente ; e cesares, no Oriento
nos autos, por hem da qual se passou ao justifican- Galeno, e Constancio, no Occidente,
LEUDES.
^'
Scxta-feira2l de outu'ro, s M ho-
ras, ra da Cadea n. 33
DE
Um terreno chao proprio na rna do Destino fre-
guezia da Boa-Vista com 234 palmos de frenle
divide de um lado com o muro do hospital mi-
litar, boa localidade, por quanto todo o material
vem de muito perto por ser prximo o porto do
Hospicio.
Pelo agente Euzeblo
se vender pelo maior prego dinheiro vista.
LEILAO
DB
331 meios de sola.
HOJE.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer 331 meios de sola marca F : sex-
la-feira 21 do corrente pelas 10 horas da manha,
no armazem da Companhia Pernambueana.
LE11.40
hoje:
Sexta-faira 21 do corrente, ra da Cadeia
n. o, armazem.
DE
lima excelleDte mobilia de Jacaranda a Lniz XV,
com tampos de podra mannore nova, urna outra
de amarello tambem nova, nqnissimos guardas
roupas de raz de amarello, outra dila de mog-
no, um lindo paliteiro de arate, nm adereep de
ouru, capachos de raz de espartos, olea lo para
carro e encerado para cubrir ine.-as, berfos de
faia, cadeira- de cerej.i etc.
EUZEBIO
Vendc-se na praca da Independencia d. 39, toja
do Amonio Augusto dos Sanios Porto, rapVllas
nortuarias de gustos mais moderno.'qne ten
vndo al agora para se tonar em tmulos e cata-
cumbas no cemierio publico no dia He finad.*,
com as escnp^oi-s seguintes: nieu esposo, minha'
esposa, meu pai, minha mi, wn filho, minha 8-
Iha, saudades sempre vivas, amisade, urna lagri-
ma ; desta quahdade nunca vieratn para seren
vendidas nesla provincia.
AO PUBLICO
Francisco Jos do Rotarlo Barroso, antigo relo-
joeiro, nesta cidade, conlinna a exercer a arte de
sua profisso na ra Bella n. .'!, amigo logar de
seu domicilio : asseverando quelles queohoiiram
c;>m sua Ireawsia que serao servidos com promp-
tidao no desempenho de ma arte.
Ue>ejo-se fallar ao Sr. fenenle Jus
Antonio de Albuquerque, a negocio de seu
inleresse : na livraria n, fl c 8 da- praca da
Independencia.
O Sr. Osear I)estibearj\ que leve loja
de calcado na na da Imperatriz n. 5, quei-
ra dirijiir-se a liviana n. G e 8 da praca da
Independencia.
D"C'ra(
Declaro aos leitore* do Diario Pemnmbuco,
que o Sr. Jos Pires Ferreira, acerca de quera
este Diario deu a noiiria de ter sido arcominetti-
do de um grave enommodo no da 14 do rorreo-
te, foi recebido em minha casa, onde minha fami-
lia prestou-se da mdhor boa vonude durante o
tempo do seu encommodo, e nao em casa de e-
ludatiles com) criadamente noliciou o Diaria boje.
Recito, 20 de outubro de 1864.
_____Manoel da Cosa Honorato.
Precisase de dous amassalores de macera
e nm tornciro : na roa larga do Rosarlo a. 16.
MUTILADO
*


Diarto de temmhmt* &* felra Si 4e Oufebr* de 1M4.
CAS4 D4 nmmk
AOS I0:0(M).000
Bllhees garantidos
A' ra do Cresp a. 23 e casas do costme
O abano assignado vendeu nos seas muito feli-
SOCIEDADE
MARTIMA
Por ordera do Sr. presidente sao convidados pe-'
la tereeira m todos es senhores socios para a as-
_ sembla geral na da 21 do crreme, as 6 1|2 no-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acaban rasda tarde, no salo de suas ses*oes, para ser em-
de extrahir a benelicio da matriz de Caruar, o Pssada a nova directora ; e pede-se aos mesmos'
seguintes premios: senhores nao faltem, pois que dessa maneira a so-!
ITVIAO RFivi iririnvrT?'. ESTRADA DE FERRO DO RECITE AO S. FRANCISCO
JN1AI mtt JVl Tabella que ten. de regular a* tora. < partida d^ tren* de pawagelrtiYo V de ovembr. de
J86, at aegnndo aviso.
ESTAQUES
N. 174 tres quartos eom 6:0004000
N. 1572 om inteir com 60OAO00
E outras muitas de 2004, 1005, 404 e 124.
Os possuidore podem tir reeeber sem os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se renda os da quarla parte da ter-
eeira lotera a beneficio da Santa Casa da Miseri-
cordia, que se extrahir no dia 22 de outubro.
Ppeco*
Bilhetes inteiros..... 124000
Me,os......... ejnoo
Quartos........ 3J00Q
Para as pessoas que compraren!
de 1004 para cima.
'heles........ HjoOO
?10s......... 5*500
tart<....... 23750
--------_________Mano*l Martina Fiuza
Cayapa lugar na rua d- Crespo.
rni, ''~'a"s a principiar em 1 de Janeiro prximo
lumro o s(.ra(io de ,res andares da rua do Crespo
,' i '!"er'pretender, dirija-se ao esiabelecimen-
w>na lija a.mosmo sobrado, ou uo do n. 13 da
niesiua rua.
ritma, 18 de outubro de 1861.
Balthazar Jos d osReis.
__^________________Io secretario.
Offerece-se um rapaz'de" 18 annos para cai-
xeiro de qualquer casa de negocio, e d fiador
sua conducta : quem o quizer,
Cotevello n. 43.
dirija-se rua do
ciedade nao poder proseguir nos seus trabalhos,
lembrando-se ainda aos socios que nao se tem
posto quites, o art. 12 8 3 dos estatutos r- n .
SecrVna da Soci^d* niao BeScente Ma- Segados" iPK^
Boa Viagem .
Prazeres .
llha.....
Cabo.....
Ipojuca. .
Olinda.....
Timb Ass .
n O pharmaceutico Antonio Luiz da Costa, do J?scada -. .
Rio de Janeiro, deseja saber noticias te seus Albos *r?,ras
Luiz e Carlos, para ministrar-Ibes recursos pecu A"P?BU.....
nlarios e scientiflca-los da sua boa successao dos ?'b<,ra0.
oncorn modos porque u-rn passado : na rua do ""a .
Queimado n. 52, se informar. Cuyambuca .
- Bodolpho Joo rala de Aimeida mudou sua Una^rhMadsi '
residencia para a rua das Triucbeins n. 36. !
-- Aluga-se a laja e o andar terreo na rua da
Palma ns. 66 e 68 : a tratar na rua do Imperador
numero 9.
rtiEi\s rAHA o IM 1 ni o 11
s rf tra-
halho
MANHAA
H M.
8 _
8 6
S 18
8 24
8 50
9 10
9 24
9 39
9 54
10 10
10 38
10 56
11 15
11 3*
11 58
12 19
12 46
TAKUK
II
4
4
4
4
S
5
M.
10
16
28
34
*>
25
Domingos e
:ih gitntoa
HANH.VA
ll
7
7
7
7
at
8
8
9
9
9
10
10
10
II
II
!
12
M.
rrecisa-s de urna ama de leile que seja cui-
aadosa < tenha-nuito e boro leite : tratase e pa-
ga-se_bera : na_Ua do Brum n. 84.__________
~ Alupa-se ua casa em Behenbe : a tratar
com J. I. 1. Rege na rua do Trapiche n. 34.
Precisa se deuma ama para cozinhar e en-
gommar para duas^ssoas : na rua do Imperairiz
numero 46. F
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obns de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como i faz qualquer obra de en-
commenda. e todo e qu.lquer concert.
-- O secretario da irmandade de N. S.
Terco convida a lodosos irrrrlos para reu-
niao de mesa geral d>mingo 23 pelas t ^
horas, vtsto nao ter ti I* lugar no dia !6,
para se elegerem os novos funecionarios
que tem de reger a irnaadade no auno de
1365.
Na livraria da praca da Independencia
n. 0 e 8, precisa-se fallar ao Sr. capito De-
lo^nles que se retire Jesta provincia.
De bordo do patacho brasilernT/Waropa-M
Itagio o escravo-mina, /oao, de 50 annos de idade,
pouco mus ou menos, estaiura regular, e cor pre-
ta : ju ya-se que nao lera fgido para fra da ci-
dade porque nao eostumado a fugir : quem ti
ver noticias dalla e o levar ao escriptorio da rua
da Cruz n. 3, ser gratificado._________
Oabaixo assi>nado deseja commiinicar a al-
guin membro da familia do antisto finado capitao-
mr Grigorio Jos da Sil va Coulinho sobre nego-
cios interessantes ao< que Qguram cuino herdoiros
da casa do inesmo capilao ; a qualquer delles a
quem chegara noticia, pode dirlgir-se an armazem
do sal, na Roa-Vista, at amanha as 9 hura< do
da, que as 4 da tarde do mesmo dia tem de reti-
%?1&. B*-V,s,a. arraaz-m do sal. 20 d outubro
de IWfc -Manuel Fe-mandes Pim-nta.
Du engeoho Cuaceiyn, reguezii do Bonito,
rugirn d-.us Mtnvoa : Luiz, idade 20 auno-, al-
to, secco, olhos pequeos, bo xa biruda, peraw fi-
nas, levou calf.i de algodo e camisa fina ; Velo
rio, idade 35 annos, olhos abotuados, bem barba-
do, corpo ordinario, canella fina, analhetadu dos
pes, vexado no folrgo quando trabuca : quem
levar os ditos cscravos ao dito engenho o entregir
ao proprietario, abaixe assigoado, ser bem grati-
ficado. Manoe^Antom'o Al ves da Silva.
Pede-se ao'SrTj. V. V, chefe da estaeao
de hrexeiras. o favor de mandar pagar o seu de-
bito ronlmlik! j. m*i do m auu Carmo n. 9. '
O secretario da irmandade de N". S. do Terco
convida a todos os seus charos irmaos para se reu-
nirem era nossa igreja no domingo 23, pelas 8 ho-
ras da manhaa, para a irmandade encorporada as-
sistira beneao da Cruz que tem de ser collocada
no frontispicio da nova malriz de S. Jos, e etn se-
guida ser conduzida em procissao para seu respec-
tivo lugar.
Quem annunniu precisar de 1:0004 a juros
mensaes de 504, dirija-se a esta typographia que
encontrar urna carta com as iniciaos R. R. R. in-
dicando quem faz esse negocio.
Precisa-se da quantia'de8004 a premio de %
0|0 ao mez por sei mezes, com hypotheca na qoar-
ta parte de um sobrado de dous andares que vale
6:0004 : quem quizer fazer este negocio annuncie
ou dirija-se a rua do Padre Flonano no sobrado n.
21, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama escrava que saiba
cozinhar e engomraar, para casa de pouca familia:
na rua do Queiraado n. 44, primeiro andar.
30
36
49
5S
20
43
57
12
27
44
2
30
49
12
32
53
20
TAKUK
II.
M
25
30
42
48
1
30
ESTACOES
Una (partida)......
Agua Preta.......
Cuyambuca.......
GatmHeira........
ftibeirao.........
Aripib..........
Frexeiras........
Escada..........
Tiraba Ass......
Olinda..........
Ipojuca..........
Cabo...........
Ilha...........
Prazeres..........
Boa Viagem ......
Afogados ........
Cinco Ponas (chegada)
THENM DU IMII'.IIMI
\ Imanak de timbran cas
LUSO BR1SILEIB0
PARA I8C3
Olas tv, ira_
balho.
MANHAA
TAIIHK
II.
M. 1 II.
30
46
12
20
33
46
I
i
i
1
i
2
3
3
4
4
i
i
o
5
5
SI
l
M
10
36
58
19
39
58
16
47
15
30
48
4
30
38
51
l)lilllliK"S
1II111 Man tu*
"ANIIAA
II.
.,
M.
14
38
46
59
10'
TAIIIiR
M.
20
43
7
25
48
/
25
56
9
24
39
57
13
40
48
POR < %STII.HO
Acabam dn rheirar estes ja lio roaheMo-
manaks e vende-*- na livraria rrwniii
do arco de Santo Antonio, venfe-se 1
lecrOes completas dos mismos
volumes.
al-
pe
almanaks a |5
10
H. tutin, superinteiidenle interino.
Jos Antonio Moreira Das, convida aos
seus amigos e aos do fallecido seu amigo
Guilhermino de Albuquerque Martins Pe-
reira para assistirem a urna missa qne man-
da celebrar na matriz da Boa-Vista, sexta-
feira 21 do corrente pelas 7 horas da manhaa
pelo eterno repouso d'alma daquelle finado,
e desde j sejeonfessa grato por esta prova
de amisade e reliy i ao.
A viuva, os pai>, us inuaos e os cunbaUus
do finado Guilhermino de Albuquerque Mar-
tins Pereira vem apreseniar seus sinceros
protestos de reconhecimento e gralido aos
senhores que se dignaran de assistir na ca-
pella do cemileno as oracoes que alii se re-
sarara por alma daquelle finado, e, certos
de que nada leem arrefecido seus senllmen
tos de carittade, rogarolhes queiram com-
parecer na igreja matriz da Boa-Vista s 7
horas da manhaa de 21 do corrente para ou-
vlrem as missas eom que tem de ser memo-
rado o stimo dia, aps do fallec ment do
seu presado prente.
iiim iiiimnn 1 ni
HUITA ATr-ENC!-iO
Aviso aos senhores e seohoras
Aviso aos senhores o senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras.
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
De caixinhas e qnadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
Caixinhas a 14500
Caixinhas a 14500
Caixinhas a 14500
Caixinhas a 14500
Caixinhas a 14500
Caixinhas de 54 por 44
Caixinhas pe 54 por 44
Caixinhas de 54 por 44
Caixinhas de 55 por 44
Caixinhas de 54 por 44
Receberam-se 10 mil caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Receberam-se 10 rail caixas
Receberam se )0 rail caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Cartoes de visita
freza des trilios urbanos lo Recief
4pijuros movida vapor.
Tendo chegado da Europa asinformacoes e dse-
nhos que os concessionarios do privilegio manda-
ram vir pelo engenheiro qoe tem de execuar a
obra, os concessionarios abatan assignartos resorre-
n^?irinar uma corapaubJa com o capital de ...
3eO:OD04000_em arcoes de 504000, com as cendi-
fpes que sero apresentadas aos que quizerem to-
mar aeces.
Casa de campo.
Aluga-se urna grande casa na Capunga eom
frente |iara onoCapibarib e eommodos para dtias
familias, muito fresca : a tratar com o nHMMar
Manoel Luiz da Veiga, ou na rua da Imperatrz n.
1, cora o Dr. Nunes de Oliveira.
GAZ GAZ GAZ
Ve/ide-segaz de primeira quaAde a
i03 a lata : nos armazens da rua do lao-
perador p. t6 a roa do Trapiche Nofo a. 8.
Macliiua.s de vapore pa-
ra descarocar algodao.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentadas, e
"j de carrosa cora mangas e
eixos de-patente.
KuadoBrumn. 38, fund-
Cao do Bowman.
Precisa-se
Verdes n. 92.
de nina ama : na rua das Aguas
Balaios para meninas
Alga-sc urna casa em Beberhe
comJ. I. M. Reg, na rua do Trapiche n. 34.
____ Lindos "}*" de vanos gestos para menina*
a tratar a5'*" no ''raC e e enronlr.i na loja do Om-
Preeisa-se alugar urna ama que saiba cozi-
nhar, ou um enzinbeiro ainda mesmo hvre : aa
praca da Boa-Vista n. 26.
ja-Flor, rua do Uneimado 63 e 6!.
txtratos e sabo em
xinhas
ear-
Precisa-se de um menino para caixeirode' Lindas caninhas cora um rarto rom a faniiJ
i taberna, de idade de 11 13 annos, qur seja por- imperial, e dentro de cada raix* nm rra r.i
As pessoas que quizerem ser accionistas desta I tuguez ou nacional
Quem precisar de um moco para caixeiro
com pratira de e dohradns, dando flanea a sua conduela, dirija-se ao
pateo de S. Pedro, sobrado n. 6. segundo andar.
Precisa-se de uma eserava ou
alugar : na rua do Hospicio n. 62.
Companhia da estrada de ferro
do Recite ao *. Fraaeisco.
AVISO.
Pela superintendencia desta companhia se faz
publico i|iie se acha justo com Joao Chrysostomo
de Oliveira Pelagio a venda do terreno roargem
80 rio Serinhaem denominado Areial da Cachoeira, Cartoes de-visita
hoje Porto das Jangadas, o qual principia a mar- Cw-Bes de visita
gem do rio Serinhaem, e limita-sn rom n irrn.v Can da vUia
* oouianmn, senao este terreno de quinhentos Cartoes de visita
ps de extensao, a contar da margem do mesmo A 104 a duzia
ro SerinhaVm c cem ps de largura a contar dos A 104 a duzia
limites da companhia. A 104 a duzia
Se alsuem se julgar com direito a qualquer re- A 105 a duzia
clamac.o dever apresenia-la no esenptario da A 104 a duzia
villa do Cabo ou publica la por este jornal dentro A galera est renovada
do praso de 5 das desla data; lindo o qual nao A garra est renovada
ser admittida.
Pernambuco, 19 de oulubro de 1864.
Precisa-se de uma ama que saiba cozinhar e
engommar, para casa de pouca familia : na rua da
Roda n.Jll___________________________
Cartas do sul para os Srs:
Dr. Francisco Justiniano Cesar Jacobina.
Dr. Cicero Alvares dos Santos.
Francisco Jos da Costa : no Forte do Mallos nu-
mero 1.
Companhia fldelidade de
seguros martimos e ter-
restres estabeiecida ao
Rio de laoeiro.
AORNTES KM PBPNAMBCCO
Antonio Liriz de Oliveira \mcdo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n .1.
importante empreza, podem dirign-se qualquer
dos abaixo assignados, ou aos correctores Vascen-
cellos, Mamede, Guimaraes, Gatis, Doubourcq, Ma-
cedo, Seve, ele.
Baro do Livranwnto.
Jos Bernardo G. Aleo forado.
A. Luiz don Sanios.
Os abaixo assignados havendo contratado com o
governo provincial a collocacao de trilh >s urbanos
da cidade do Recife at Apipucos, e tendo obtido
as informales que eram indispensaveis para a
execugo da empieza, teem resolvido formar uma
companhia anonyma f-ara a sua realisaco. e com
as seguintes bases :
Artigo 1. O capital da companhia ser de tre-
zentos conlos de res, divididos em aegoes de 504,
realisaveis em prestacoes, sendo 25 por cento logo
que cstiyer formada a companhia, e o restante nos
prazos indicados pelos emprezarios, precedendo
aviso de 30 das.
^*J porm, este capital ser elevado ris
400:0004(100, se para o futuro quizer a companhia
fazer prolonga ment ou ramal.
Art. 2. Os emprezarios se obrigam a fazer as
obras que forem precisas para a collocacao dos tri-
Ihos, inclusive as desapropriagoes, ponte de ferro,
que tem de ser colfocada ao rio Capibaribe, duas
otacoes para recolhimento do trem rodante, e dos
objfctos da cempanhia, que .sero com a simplici-
dade possivel, tendo-s someBte cm vista as ac-1
cemraodagoes e seguran^, sendo urna no baii ro do!
Santo Antonio, e outra as proximidades da extre-
os pietendentes dirijam-se bao o mais lino que passivel: na luja do Beiia-
rua de Juo Fernandes Vieira n. 64, Soledade. I Plorj-ua do 0neimado n. 63 c 63.
Precisa-se de um trabalhador : na padaria
da rua Uireila n. 24.
Empreza de illuminafao
, Todas as venda de apparelhcs e reclamara**
, (por escripto dando o nome, morada, data, etc.L
deven ser leifaM no armazem da rua do Imperador
i n. 4. Os macb>r>tsias mandailos para artendar a
, estn, apreseataro om livru que os rn-hminha
devero assignar logo depois de prorap o serato
I reclamadlo; isto para que a empreza hijee scieak
; de haverem os mesmos senhores sido d 'vidameato
attendidos.
Hilb a MB """
vendem-se na rua da Madre de Dos ns. 5 0.
saccos grandes com milbonovo.
Na Soledade, junto ao sitio dos k-es, wfi-
| se um cavallo de silla muito novo e de muito ka-
I nila_P'->l'p. bastante gordo, cura bous andares.
Vendem-se dous nsaes de viados muilo
i sos e bonitos : a traUr na rua da Gloria n. 75.
Vencle-se uma mulatinlia de 13 para 14 a-
ios. de bonita figura, muito propria para mucaaa-
a Iratar no pateo do Trro n. 2, sobrado.
ba
os dias, das 6 horas em
is as-
no bem condecido caf dos Arco*.
.-I Ibims.
J. Falque previne os seus numerosos freguezea
que elle acaba dereceher pelo ultimo vapor fraa-
crz um es|>len tratos, de diversas quaudartes e rosIos, sendo para
20 aie 200 retratos e de 24 604 gradualmente.
Albuns pequeos proprios para meuinos de i|
nos prazns estiimlados no contrato.
Art. 3." Conc(uidas as obras aerad m trilhoscom O -r. Jos Antonio Floresta iaslos estudau-
os objeclos cima indicados entregues companhia, le da faculdade de direito tem uma carta de im- 36 reir 'inh'os e de'ljt a 14600
que desde logo entrar na posse e administrado portancia viuda da Bahia na rua do Crespo n 23. j Albuns para desenlio de diversos lmannos e
da empreza, gozara dos privilegios, isenefies e Mn-i+n n+tnixiSA gostos de 54 304.
vantagens qne foram concedidas aos emprezarios, | lillllltl ILluIll^clO. Livros de missa, de tartaruga, madreperola
salvas as disposicoes aqu declaradas sem que de O abaixo assignado, cerno basUnte procurador \ martina, por pregas raanaveis.
irte a parte posa darse reclama?. 0u ponan do tnu av partrmho Amonio Manoel Hiheiro, faz : Rila Ir Crespo 4
is exigir maisdoque a referida quan- setenta ao Sr. Jos M^rcolino da CopU, pn.fessor i
escravo para
Aluga-se uma ama para casa de familia, sen-
do cozinh ira e engommidetra : na rua Augusta,
loja da esquina n. 33.
Aluga-se una ama qne saiba bem cozinhar e
de boa conducta, preferindo-se escrava : na rua
estreita do Rosario n. 32, primeiro andar.
Aluga-se
uma boa casa para qualquer negoeio, com notad
para morada independente, sita na praca da Roa-
Vista n. 18 : a tratar no fim da rua estrena do
Rosario ae voltar para o pateo do Carmo n. 47.
Arrenrta-se, por festa ou annos o sobradinho
om frente da matriz do Poco, com eommodos para
pequea familia, mas com boa vista e muito fres-
co, d'onde se v todo o fotejo que se costuma fa-
zer na resta da Se nhora da Saude, perto do banho:
trata-se na travesea dos Remedios, no sitio que tem
duas macaineiras no portan.
Precisa-se fallar ao correspondente do Sr.
Augusto Dias Martins, negociante do Aracaty, a ne-
gocio de interesse do mesmo senhor; e para isso
pede-se-lhe que se sirva de annunciar o lugar de
sua residencia.
Aluga-se uma prela para o servico externo
de uma casa : na rua dos Coelhos n. 9.
Aluga-se o sobrado de um andar e soiao da
rua de Aguas-Verdes n. 27 : a Iratar na padaria
da rua Direita n. 84
A galera est renovada
A galera est renovada
A galera esta renovada
Com ricos cortinados
Com ricos cortinados
Com ricos cortinados
Cora ricos cortinados
Cora ricos coriinados
e tapetes
e tapetes
e tapetes
e tapetes
e tapetes
- O abaixo assignado compran por conta e
pedido do Sr. Francisco Goncalvcs Meirelles da
Therezina, no Piatihy, t bilhetes ns. 2.219 e 2,274
da 4' parte da 3* lotera concedida em beneQci da
Santa Casa da Misericordia, os quaes ficam em
poder do annunciante.
Recife, 19 de oulubro de 1864. &> lindas e variadas vistas de fundo
_________Manoel Pinhciro de Miranda Ozono. ^om lindas e variadas vistas de fundo
- Predat d nen ama eserava. oafm SJ'ittt ar,?dfs SfiSfSftPf
para casa de pouca familia : na rua de S. Francis- r "1f e vap!*M v!tas ?e >8
co casa n. 56 riduus com llQ(Jas e variadas vistas de funde
-----sr*-r--------;---------------------_____ : asa americana
- t'recisa-se de uma ama de boa conducta para!
Wlfrr'r.itt
e trezentos conlos.
t. 4 o Os emprezarios se obrigam solidara-
te ao eamprimento do que tica declarado, do
se btvrar auto aothentico.
rt. 5. Pola assignatura se obrigam os accionis-
tas-ao que Boa declarado e ao pasamento das pres-
taeaes nos lempos qne forem declarados. No case,
_-_^^-l--_ygyrtyiy.*' ES* qe ^ presente ann.mcio nao se delibere aV-
S_T^!L;^ "'' KE_2? aW(__- **to g", o inesmo abaixo assignado protesta usar dos
fiuan lo nao real? ^SOL*! a "^ -- "** a lei f"",,a "a ro,,ran de aluis *
ES&SmiSritJSSZZ T**?,*?iT*1? ^"evendo o Sr. Josc Marcelino len.brar-se o
juuiri.umente ao pagamento da totalidade da
accan.
rt. 6.
publico de, primeiras letras da pavoafa de Nossa I
Sen hora do O'de Gelatina, e residente neta pra-!
ca, que mande-lhe pagar, ou a seu mano Loaren-
o de Albuquerque Mello, prensarlo nesta praca
na rua da Lapa, a qnaniia de 4164000, que Ihe li-
eou a de ver, de quatro annos e quatro mezes de
aluguel da casa em que morn e tem aula, e sendo
Bole'ms
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A^ rua do Imperador n. 38
A' roa do Imperador n. 38
A. W. Oshorne.
Morvcte.
Na rua larga do Rosario n. 37, primeiro andar,
vende-se todas as noites sorvete muito bem feito e
otn copos grandes a 240 rs. I!...
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C
Ag'nte* do Banco I nio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para'as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Frederic S. Ballin & C.
Joao Gane & Filho.
Francisco Rahoba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito comtnercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Amarantes. Angra Tereeira Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez. Castello Branco. Guimaraes.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Hatos. Covilhia. Lamego.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. __._.-
Braganca. Evora. Moncao.
Faro. Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
meis. Porto-alegre. Setubal.
l'enafiel. Thomar. Vianna do Cas-
Tavira. Villa Nova do tetlo.
Villa do Conde. Portiroao. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
8. Antonio. Faial. S. Miguel.
No IIIKBIO.
Bahia. Maranuao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma praxe ou vista.podcndo logo
os saques i prazo seren descontados no mesmo
Banco a razio de 4 por cento ao anno : a tratar
na raa da Cruz n. 1.
U Dr. Francisco i'ires Hacbadoi
Portella
MEDICO OPERADOR
HELA
Faculdade de iMrls
Pode ser procurado rua Nova n.
44, segundo andar.
o servico interno de casa de pequea familia :
rua dos Guararapes em Fra de Portas n. 30
sobrado.
Meuron & C. declarara que, a carta que se
acha metida no correio por estar sellada com sellos
servidos, como consta dn annuncio daquella re-
partirn puhlicaoo no Daro de 19 do corrente,
nao escripia por ditos Meuron & C.
Precisa-se de 5004 a juros sobre hypothera
de uma escrava : quem pretender dirija-se rua A' rua do Inneradnr n lA
do Rangel loja n. 46, que ,e dir quem quer. J- ua 2 jggg % g
Precisa-se de uma ama para todo o servico : A' rua do Imperador n. 38
na_rua de Bertas n. 128, sobrada_______ A" rua do Imperador n. 38
Aluga-se uma casa com 3 quartos, quintal e .' rua j," Imperador n. 38
cano de esgoto, sita na rua do Mondejo n. 17. iun- .. rua 9 mPerad,J'" n. 38
toaolarian. 13. onde se traa; dando-se licenca A. ru* f aperador n. 38
para fazer-se o despejo no quintal da dita olaria, rua Uo aperador n. 38
onde ha banho salgado. i
Em Sant'Anna aluga-se uma casa muito fres-
ca, concertada de novo : a tratar com o solicitador
Manoel Lniz da Veiga, na rua da Gloria n. 94.
Precisase para urna casa esl7ageirTde~m
criado de idade, de boa couducta, e qne emenda
bem de tratar cavallos e preparar os mesmos cm
carro, e se ti ver estado em coeheira" ainda mnlhor :
a tratar na rua da Cadeia do Recife, loja n. 40.
Aluga-se o quarto andar da casa sita roa
Nova n. 21: a tratar na mesma roa n. 8, loja do
cha.__________________________
Na rua da Cadeia do Recife n. El primeiro ~. af,m uizer dar a quantia de 1:0004, pa-
andar, tem ama carta para o Sr. Antonio Manoel 8ando-se todos os mezes 509 pelos jures, e pel
da Com-cicaq ________ empo que se convencionar, annunrie.
Criado.
Na roa Nova n. 61, precisa-se de um criado. ;
Na rua da matriz da B faz-se comidas jiara fra, com asseio e promptidao,'
lava se e engomma-se com perfeieo e brevidade,
tudo por precos comm-idos : tambem se dir quera
d dinheiro a juros em pequeas quantias sobre
penhores de ouro e prata^________________
Precisa-se de uma preta que saiba cozinhar e
a var : na rua do Qneimado n. 16, loja.
ADnotacesthcorxs e pr ilicus ao ce
ligo criminal, pelo Dr, Tliouiuz Al-
ves Jnior-.
Chegon do Rio de Janeiro o 1" volume desta im-
porta ute obra, e est venda na livraria uuiver-
"L, rua do Imperador n. 54. _______^^
Precisa-se de ora caixeiro que tenha pratica
de taberna e qne dflidora sua conducta, para
tomar conta por balando, na rua Direita dos Afoga-
dos n. 36 : a tratar na mesma. Prefere-se
seja portuguez.
0 abaixo assignado faz sciente ao respeiia-
vel publico em geral qne nao 6 casado com a Sra.
Emilia Rosa de Carvalho, e que tudo quanto a
mesma senhora possue direito algum tem o abaixo
asMgnado porque ella trabalha independente, sob
Franrisce Pires.
Nao ser permiltida a transferencia de
MfSes, ou dos recibos provisorios, antes de esia-
rem iiitecralmente pagas, salva a responsabilidade |
do accionista, ou consentimenlo dos emprezarios.
Art. 7." Logo que estiverem lomadas as ac^oes
serao os estfalos submettidos a|iprovaeo dos
accionistas para que seja logo encorporada a com-
panhia, sem que todava por esto facto tenha ella
qualquer ingerencia na factura das obras, chamada
e recebimento das prestacoes.
Art. 8. Aos emprezarios so reserva o direito de
reeeber da tbesourarla provincial a quantia de de-
zoito conlos de ris, que llies tem de ser paga em
quatro prestacoes, para indeinnisacao do adianta-
que pralirou nesta povoacao antes de oceultamente
retirar-se. Nossa Senhora do O' de Goiauua, 9 de
agosto de 1864.
Jos da Costa Ribeiro Cont.
Albino Bautista da Rocha, Por-
tuguez. relojoeiro e dourador na
praca da Independencia n. 12, faz
qualquer concert de relogios por
precos mais baratos do que outro
qualquer e responsabilisa-se pelo
.-eu trabalho
Vende-se a eoJIeccao dos Metas do governo
contendo o expedieufe di.-ino de todos *s raiuisie-
rios, desde que comecmi at qoe emana sua pa
blicaeo (agosto de I85) agobio de 1862) E' de
reconhecida importancia e UUlidade tanto para as
reparlijes publieas como pan as classes de ad-
vocados, magistrados e funecionarios que tiiham
de recorrer legi-laco do paiz, uo qual deixaru
de apparecer decisoes ime s nos mesmos bolelins
se encontrara : na livraria de Nogueira e Soma
junto ao arco de Sent Antonio.
Vende-se fomma de ararutiT muito nova a
alva a 100 rs. a libra, e em sacro a 34 a arroba :
I na rua das Cruzes n. 24, esquina da travessa d
Ouvidur.
Vende-se una crioulinlia com 12 anuos de
idade : na rua da Conceieao n. 4.
Ceblas a 1$ o cento
AVISO
Acha-se na rua do Pilar n. 115 uma carta vinda
da Europa, de muita circumstancia, para o Sr.
memo que teem de fazer para desapropriasoes, se- Jo Francisco dos Santos; quereudo dirigir-se
mesma casa, que ser entregue.
gundo o que est estipulado no contrato.
; Art. 9. Os emprezarios tomam por sua conta e
i risco cem conlos do ris em accoes, ser um
! delles director nato em quanto forem accionistas,
1 e lero passagein gratuita era qualquer dos carros
da companhia.
Art. 10. Fica entendido que as despezas at ago-
ra feitas, e as que se houverem de fazer para en-
eorporacao da companhia, registros, etc., sero por
conta dos emprezarios, por modo que a companhia
entre no gozo e posse da empreza para ser explo-
rada por sua conta e vantagem, mediante o capital
declarado.
As melhores que tem vindo a este
vende-se na rua da Madre de Dos ns.
Precisa-se de dous bomens que entendam do
servico de copeiro : na roa da Aurora n. 32.
CQMPBAS.
Compra-se ouro e prata em obras velha
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da Inde
pendencia n. 22.
Compra-se efectivamente
Art. II. Nao se faz o calculo dos lucros prova- oan e Pra,a m obras velhas pagando-se bem :
veis e das vantagens da companhia, porque esta na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
apreciaco est ao alcance de todos, e nao dese-
jam os emprezarios fazer nutrir esperanzas que
parecam exageradas, posto que efteclivainente o
nao sejam.
Barao do Livram'nlo.
Jos Bernardo Galvao Alcoforudo.
___________Antonio Luiz d-s Santos.
Preeisa-se de uma ama para eozmhar e com-
prar : aa rua das Cruzes n. 9. segundo andar.
COMPRA-SE
uma negra de bonita gura, que saiba lavar, en-
gommar e coser bem, e cuja idade nao exceda a
25 annos, agradando paga-se bem : a tratar no es-
criptorio de Manoel Ignacio de
largo do Corpo Santo n. 19.
Oliveira & Fllbo,
Ainda est para alugar-se a boa casa
terrea n. 39 rua da Unio.
Comprase uma bomba para cacimba : quem
a tiver, dirija-se rua da Madre de Dos n. 14.
Compram-se jornaes a 44 a arroba para em-
I brulbo de cigarros : na rua larga do Rosario ns.
: 17 e 19, confronte ao quartel.
que
PHABOL DO COMMERCIO
MODERNO ARMAZEM DE MOLHADOS.
73-Rua do Rangel73
Castw Lima.
Acha-se aberto concurrencia do publico desta
heroica provincia um espacoso armazem de rao-
Inados, sob a denomnagc dePharol do Cora-
mercio.-Pbarol, esta palavra, segundo alguns ety-
mologistas, vem do cltico phoven, navegar, e se-
gundo outros, de Phares, nome da ilha, na qual
ni construido o mais notavel pbarol da antigui
dade.
O pharol um signal nocturno destinado a ad-
vertir ao navegante a approximacao do porto. Se
pois o pharol afasta os nautas dos escolhos e os
conduz a porto seguro, este estabelecimento pode-
r advertir os tacuros das garras dos abulres qoe
com pomposas taboletas esto ah aberto a qoer canlo.
O que os proprietarios do Pharol desejam Indi-
car a todas as pessoas que os honrar com suas vi-
sites a este estabelecimento, que em nenbuma
outra qualquer parlo encontrarlo melhores e to
baratos gneros tendentes a mol hades.
Cheguem, pois, os freguezes, ao pharol, que a
radiante luz da verdade os esclarecer.
- Precisa-se de urna preta escrava de boa con-
:ommar, paga-se
do Queimado n.
Precisa-se de nma casa com pronorcSes de-!
cenes para habilaco de pequea familia ; prefe-
re-se no bairro da Boa-Vista ou immediacoes ; nao
se duvila pagar bem : a tratar na roa do Viga-
rio n. 9, primeiro andar.
VENDAS.
DENTISTA DE PARS
19Raa Nora-19
Fredeneo Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operac.es de sua arte, e col-
loca denles artificiaes, tudo com superio-
ridade e perfeieo, qne as pessoas enten-
didas Ihe reconheeem.
Tem agua e pos denuncio.
Vende-se caixoes vazios pro ni os
para iialinieicos e fu nuciros a 1$760
cada om; nesta typographia.
ATTENGAO.
mercado:
_e9._
Vende-se sebo do Porto em caixas de urna
arroba, a preco barato : na rua de Apollo n. 20.
Vinhu Madeira fino.
Vende-se na rua de Apollo n. 4, primeiro aa-
dar, em barris de oilavo, chegado hoje.
Vende-se
a bordo do palhabote Arroto Mallo, fondeado no lu-
gar da earne-secea, linguas -m salmora, muito
superiores em barriolios rom a porco que os
compradores quizurem, e preco razoavel.
Estilo acabar.
Chapeas de palhinba da Escossia a 14 : na loja
de Pinto & Flores, na rua da Cadeia n. 47, esqui-
na que votta para a Madre de Dos.
Enfeites para cabera.
Chegaram os lindos enfeites de cabera para se-
nhoras, sendo muito simples e de muito gosto : s
no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Potassa da Rnssla,
da mais superior desembarcada honlem : vnde-
se no escriptorio de Manoel Ignagio de Oliveira &
Filho, largo do Corpo Sanio n. I. _______
Vende-se ou aluga-sc una easa na povoacao
da Vanea, cora duas salas, quatro quartos, gabine-
te, estribara para 2 cavallos, e (Vente para o rs-
cente, perto do ameno Capibaribe; os pretendenles
dinjam-se ana de Hortas n. 24 primeiro andar.
Vende-se uma crioulinia com 12 annos de
idade : na r ja da Cunceic/io n. 4.
mmwmmmvwm
gS vende-se um cameiro grande e mauu
H propr para sella ou earrinho de meni-
I no: na rua Direita o. 68, loja de funi-
leiro.
Vende-se uma boa taberia muito afreguezada
tanto para a trra como para o mato, e cora eom-
modos para morada de familia : quera pretender
dirija-se a rua Imperial n. 193, que achara com
quem tratar.
16, leja.
C'reme.
Soreete de reme hoje ao moio da
i Trapiche n. 18.
Preoisa-se de
um menino para criado, qoe
seja livre ou escravo : a tratar na rua do Palacio
na roa do do Bispo, quarta casa a esquerda, vultando a rua
i dos Pires.
Attene&o.
Apresenta-se ao reepeitavel publico e aos amigos
da boa pitada, o excellente rap denominado Ro-
lao Imperial do Rrazit em Pernambuco o qual len-
do sido examinado p0r urna romraisso dedeos ha-
bis rhimiens, nomeados pelo Ilhn Sr. Dr. inspect'H-
da sande publica para esse flu, foi jultrado rapaz
de ser onVrecido ao respeilavel publico, expondn-se
a venda ; pelo que acha-se este bom rap nas qua-
tro freguetias da cidade, na do Recife rua da Ca-
da n 33, Santo Antonio raa de Queimado n. 43 e
larga dn Resano n. 38, Roa Vi-ta rua da Impera-
trz n. 53 e em S. Jos no deposito geral rie-ie ge-
nero, rea das Cioco-Pontas n. 140, pelos seguintes
precos: de 1 a libras, 14280 a libra, 10 libras
14200 cada uma, 10 libras a 1-5100 cada orna e 51
libras por 504000.
Joao do Atnaral Raposo.
[Sbeii'daili' licricaliva' iviiantinaH
De ordera do Sr. presidente sao roga- M
dos todos os Srs. socio reunirem-se em
assemblea geral na casa da sociedade no
domingo 23 do corrente, s 11 horas da
manhaa, alim de proceder-se a elei^ao e
pos-e da futura direceo.
Recife, 20 de outubro de 1864.
Aruaral, 2 secretario.
Vende-se a roea^ao da casa da roa da Sole-
dade n. 44, com 6 quartos, 2 salas, cozinha fra e
bom quintal: a tratar na rua da Imperatrz n. 6
txcellenteuva che*ada no ultimo
apr
Vende-se na roa do Imperador n. 14, esquina da
travessa do Ouvidor a 800 rs. a libra.
Na rua dV Vicario n. 33, ha para
vender duas machinas de destilar agur-
dente pelo SYSteraa dic Derosne, que dwti-
lair> cada uma, urna pipa por da: vendera-
se l)aratissimtsp;u-a liquidar.> de cuntas a
tratar com JiMino da Sil\i Boa-Vista.
Vende-se um sitio em Remtica margem da
Capibaribe, com casa para granda familia, arvores
de fructo, e algn terieno para plan'ac'.o : qnera
o pretender dirije-se travessa da Madre de Deo*
numero 7.__________________________________
Vendesuma escrava de 23 aneas, basunle
entendida em todo o servico de una casa, priaci-
palmente en. eoiiommar, cozinhar e coser: na rua
da ImperaUiz n 3o, primeiro andar.
4TTENC0.
Vende-se pela quantia de 4:S004 as tres quarta*
partes de om sobrado ae dous andares, sito na roa
lo Padre Ftoriaoo n. 21, edilb-ado em chaos pro-
prios, e bem conservado : a Iratar no primeiro an-
dar do mesmo sobrado a qualquer hora do da.
- Vende-se um cofre : na rua do Livramcnla
o. 22, lereeiro andar. -.


-
Diarto 4c
e Sexta felra ti4e Outubro de is4.
'
PILI I.AS VUCBTAES
DO
DR. AYER.
iNao ha necessidade mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
?de um purgante que soja ao
'mesmo lempo innocente, eficaz
e digno de toda a confianca.
As pi lulas que ora offerece-
mos ao publico prometan e.4as
condiges; pois pdem ser lo-
madas pelas pessoas mais fracas
sem perico algum, mo leudo era
sua eomposicao mercurio nem
ouiro ingrediente nocivo son-
do, mas sendo composto de a-
gentes vegelaes mu i fortes, sao bastante
eficientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pitillas exploram e puriGcam toda
a extenso do canal alimenticio, e do vigor
a todas as partes do organismo, corrigindo
sua aceito viciada e fazendo recuperar sua
vitalidade
Una remedio inestimavel contra dr de
cabera nervosa, enxaqueca, priso do te-
ir, hemorrhoidas, molestias do figado, fe-
bre gastro-hepatica, e todas as molestias
biliosas que leem sua origem no entorpeci-
mento do figado que causa a escassez da
bilis na inflainmacae d'este orgo que pre-
das derramamento da bilis no estomago ou
em um desarranjo geral dos orgos diges-
tivos.
A ictericia
produzida pela absorpco da bilis no
sangue, dando pello e aos ollios urna cor
amarel enta ; nao smente dolorosa por
si, porm conduz aos mais serios soflrime-n
tos.
Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas to-
das as manhaas, isto bastante para mover
o ventre smente at que se recupere a ac-
eito sa do sy^tema.
Mal do finado, febre gastro-hepatica,
dinrrhea biliosa, indigtslo, a nevralgia
ou tic douleureux, sao todas molestias que
tem seu comeen n'uin desarraigo da bilis.
A observaco dos ductos da bilis faz esta
volver ao sangue, com que circula d pois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e proJuz urna serie innu-
meravel e males
Todos estos incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direcces minuciosas acompanbam cada
frasco. ^
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
i. Ra Dlreita 15
RIO DE I 1^1 IKO
Salsa parrilha de Ayer
Vende-se em Pernamhuco:
na pharmacia franceza de
P. MAURER & C.
M7A NOVA N. 18.
Extrae) diuaria liquidarn de farondas para a fcsla
por baralissiuu prt(0, lauto para o nato uno
para a prara, na luja brm coulwcida 4o Arara,
roa da impertir n. SO deLourtnco P.M. Gui-
luarrs.
Ao baraleiro da Arara a I<5100.
Vende-se corles de cimas com 10 covados a
-2iW, ditas fraiM .7.a a :\M), ditos de casia a
2#, dita de saliueos a 2400, 3 e 'i> o corle, para
apurar diuheiFO : ia ra da Imperatriz n. 36, luja
da Arara.
Cortes de lia a Uaria Fia a 8>, e \H.
Vende-se cortes de la rom barra, os propria-
nienle a Mana Pa a 8, e 16|: na ra da lnipe-
Iriz, hija da Araran. 56.
A Arara vende alpaca para vestidos de senhora a
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para v|s-
tidos de senhora a 360 e 400 rs. o envado, laazi-
niias para vestidos e 600 rs. : na roa da Imperatriz d. 56, loja da
Arara. m^m.
Las litas de cores a 600 rs.
Veadem-se lazinhas lisas de cores, a saber:
rnxa, encarnada, rr de lirio, cor de caf e cor de
cinza, para capas e vestidos de senhora a 600 rs. o
rondo, dilas de flores a 240, ;20,400,500 e 560 rs.:
na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Colchas da Arara de 2 a i,->.
Vende-se colchas de chita para cama a i, ditas
de damasco a 4, ditas para cuberas a 320, 360
e 400 rs. : na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende cortes de calcas a -1/fOO.
Vende-se corles de calca de brini a l 600 e 25,
ditos de casemira a 3, 4500, e 5& : na ra da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Roupa frita da Arara
Vende-se pahlots de casemira de cures a 55, 65.
82 105 e 125, ditos de panno preto a 85,105000,
125 e 145, ditos de alpaka a 35 e 45, ditos de
brun de cores a 25500,35 e 35500, ditos de brim
branco a 35 e 55. calcas, coletes trancos, seroulas
l'rancczas a 15600 e 25, ditas a 15280, camisas
francesas a 15, ditas de linho ingleza?, pregas lar-
gas, a 35 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A economa, a saber : colarinbos econmicos a 600
ris.
Vende-se eolarinOos econmicos a 600 rs. a du-
zia, meias cruaspara homem a 200, 240,360 e 500
rs o par. ditas para senhora a 320, 400 e 500 rs.,
lencos bramos com barra a 200 rs. cada um, ditos
tinos a 320, ditos de linho a 5(0, 600 rs. cada um,
so na loja da Arara, ra da Imperatriz n. 56.
Ao baratelro.
No armazem da Arara vende-se cassas a 240,
280 e 320 o covado, chitas finas a 240, 280, 400 e,
500 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 56.
As percalas da Arara a 560 rs.
Vcnde-se percalas finas para vestido? a 560 e
600 rs.; chitas Irancezas finas a 320, 360,500, 400
e 500 o covado, alpaca para vestidos de senhora
a 400 rs. e covado, fustao branco a 500 rs. ocova-
da ; na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende musselina branca a 400 rs.
Vende-se musselina branca, lina, a 400 e 500 rs
o covado. pegas de cambraias finas, lisas, a 35,
45- 55, 65 e 75, musselina cambraia da India 85,
e 105 a pega, para vestidos : na ra da Impera-
triz 11. 56.
A Arara vende tiras bordadas para enfeitar vesti-
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas de todas as larguras a
1-3. 15200 e 15400 a peca, entremeins finos a 15 a
pega : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Madapoln da Arara a i.-5-
Vende-se pecas de inadapolao entestado com do-
ze jardas a 45," dito de 24 dilas n. 30 a 65, n. 230'
a 65500 E 75 e 85 ti. 5 + 85500 e 95. n. 5 a 105,
n. I' F 115 ZZZ, a 125 a pega, pega de algodo
a o&, dito carue de vacca a 65500, dito domestico
a 75, dito slcupira a 5, dito pao ferro a 95 a pe-1
ga : na ra da Imneratriz, loja n. 56.
Bramante de linbo de 10 palmos a 2$>' 0.
Vi nde-se bramante de linho de 10 palmos a
25500 a vara, brun liso a 500,560 o 640 rs. a vara:
na ra da Imperatriz n. 56.
Panno de linho da Arara.
Vende-se pegas de panno de linho para lences
e tualhas com 13 1/2 varas por 85500 ; ditas com
27 varas a 165500 e 185 a peca ; na na da Im-
peratriz n. 56.
A Arara vende cbailes a i 600 c 3(5.
Vcnde-se chales de merino a 15600. 45500, 65,
75 e 85 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Fazendas especiaes para senhoras, a saber :
Vende-se golinhas para senhoras a 240. 320, 400
e 500 rs., camisinhas para dilas a 15,25, 35 8 45,
gravatinhas para ditas a 15 e 15300 : na ra da
Imperatriz n. 56..
Pechlncha.
Lencos de seda a Id e 800.
Vcnde-se lengos de seda para mao, a 800 e 15,
tarlaUna para vestidos, de todas as cores a 800 rs
a vara, IH liso ordinario a 320 rs. a vara, dito fi-
no a 800 a dila : na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Soolembarque da Arara a 80 e 10.-5.
Vende-se soutembarques de cores para spnhoras
a 85. 105 e 125, ditos de grosdenaple pretos finos
a 205,255 e 305, capas preas para dilas a 205,
255 e 305 : s na loja c armazem da Arara,
da Imperatriz n. 56.
iiorgi
GRANULOS e XAROPE
D'HYDROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
Resulta pelas experiencias feitas as Indias e em
FraDca pelos mais afamados mdicos que as GRANU-
LAS e O X4ROPE de IIYDROCOTYI.A A I tica de
1. ; rl.VK sao o ptimo remedio contra todas as espe-
cies de iMi'iia.Vs ou mkrpf.i' ouiras molestias da
pelle, at as mais inveteradas, assiai como a lepra
4U MORPHEA. a SIPHII.IS. as MOI.ESTI tS ESCRO-
FULOSAS, os Riii i'M* riKMos chronicos. ele.
Deposito geral cm Part, em casa de focrmer
X.ABI.HXYE. ra Bourbon-Villeneuve, 19.
Deposito geral em Periiauiiuc ra da
Cruz d. t em casa de Caros de Barboza.
JVa "ja de fazendas ba-
ratsimas de uarte
es da Silva, ra
da Imperatriz n. 2<>
Unde-seo seguidle:
PEQAS de panno ile lindo com 25 varas a 85.
u-" piuco estreito, mas expeliente para tualhas.
DITO de dito adamascado com K palmos do lar-
gura para toalbas de mesa de jantar a 25400 a
vara.
CASEMIRAS de duas larguras e de una s cor
inuito boas para roupa de meninos e soutembar-
jues a 35 o eovado.
TOALHAS airochoadas mnito boas para enchu-
gar o rosto a 65 a duzia ou 500 rs. rada urna.
CAMBRAIA branca fina om saipicos mitidinhos
a 640 rs. a vara. meUule. do valor.
OLIAOS de bonitos e elegantes desenhos para
cobrir mesas a 15 o covado, para acabar.
LAAZIMIAS de partroes novos e muito agrada-
veis tanto na tioa ijualidade como no prego de 320
rs. o covado, f finalo+enle o respeitavel puhiino
achara ninstantemente resta dita bija um bello e
variado sortimento de foendas finas e grossas a
precos inui.i razoaveis, pois est resolvido ganhar
punco, com tanto que venda minio, nao menciono
iiiats fazendas n presenteannuncio porque impor-
tara issn n'nnia despeza extraordinaria rnja des-
p:-za reverter sempre em beneficio dos comprado-
res, pedindo ao publico que nao de i xe de Ifr Vitm
s dias este dito presente annnncio, pois haver
mudanga nos artigns cima ditos, isto a propor
{o que se forem acabando.
LOJA 110 BEIJAFLOK.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
Honecas de choro.
Lindas bonecas de choro que chamam papai e
mami, de diversos lamanhos : s as tojas do bei-
ja-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lusas de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores para homens
e senhoras : as lujas do bei ja-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
fuellas para cintos.
Lindas Qvellas douradas coro lindas pedras para
cintos : as tojas do beiia-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Capellas para noivas.
Lindas capellas para noivas 25500 cada urna :
as lojas do beiia-flor, ra do Queimado ns. 63 e
e69.
Estojos para barba.
Vende-se estofos com espelho para barba 15500
e 25000 cada um : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Italaios para meninas.
Receben-se novo sortimento de balaios, com
forma de varios passaros, pelo barato prego de....
15000 at 45 cada um : as lojas do beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas finas para einlos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
n. 3 e 69.
Extractos em eahinbas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: as lujas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Saho em eaiiinbas.
Finos saboes em caixinhas com vanos retratos :
as lojas do beija-flor,ra do Queimado ns. 63 e.69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63e69.
Jogos de domin.
Vendem-se jogos de domin 15200 e 15300:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63
e 69.
Babados bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e varios pregos : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vpndem-se abafadores de redo de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Adcreeos pretos.
Tendo-se recebido aderegos pretos de novo ges-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senhoras.
Lindas grvalas para senhora 800 rs. e 15000
15200 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Espelhos de moldura.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
las : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63e69.
Vollas de aljofares.
Lindas vollinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 15000 cada urna : as
las do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sopa.
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
a 25000 cada urna : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende se laa para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
65400 a libra : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
i as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
{que em outra qualquer parte.
Albims superiores para re-
tratos.
A Agnia baanca sempio ..-^.-in im orVre
agradar a sua boa freguezia, mandou vir estaba
de receber um bello sortimento de albuns de snoe-
rior encadernago e apurado gosto, com espee '
dade os de capa de marlim com lavores, ouifos
guarnecidos de tartaruga com trangas de praja,
outros marchelados de madreperola coiu trangas
de prata oourada, outros de velludo etc. etc. Para
quem tem gosto e dinheiro, um lbum assim per-
feito sem duvida o mais apropriado para ttelle
se depositar os retratos de charos pais, bons pa-
reutps e amigos. Em quanto, porm, esses albuns
se tornam notaveis por sua perfeigo e bom gosto,
outros recebidos na mesma occasio, se tornam re-
commendados pela commodidado de pregos vista
da boa obra. Assim pois o pretndeme ser ser-
vido conforme o dinheiro que quizer dispr para
esse lim, achando sortimento para 24, 50, 60 e 80
retratos: na ra do Queimado, loja d'Aguia Bran-
ca n. 8.
Carteiras e bolsas para
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
RIVAL SEM SEGUNDO
PMMCIM
Ra da Madre de Deas n. 9.
A 1*000.
Saceos grandes com farinha de mandioca pele
barato prego cima mencionado.
Ra do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudezas
de Jos de Azeve.oo Maia & ('.., est continuando a
vendt-r muiu barato, poi> seo genio dar a fazen-
da por lodo pi eco a vi-la dos cobres.
i aitas de aitiuetes fraucezes da melhor qualidade
a 80 rs.
Grasa* de pennas de ac inglezas da melhor qua-
lidade a 640 rs.
Caixas de colclietes fraucezes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Grasas de botes de madreperola muito finos a560
e 640 ris.
(Jarretis com 4 a 5 oitavas de retroz preto fino a
640 rs.
Reuma* de papel de peso liso muito superior a
25000.
Grvalas da liga e de outras nimias qualidades a
500 rs.
' aniveles para penna com 3 folhas fazenda boa a
800 rs.
Duzia de botoes branco para casaveques de senho-
ra a 100 rs.
Pegas de fila de cs estreitas cora 9 varas garan-
tidas a 320 rs.
O Expositor P.irluguez para os meninos a prender
a ler a 800 rs.
Os segredos da natureza para os meninos a pren-
der a ler a 15000.
Camillas da doutiroa christa, finas e superiores a
320 rs.
Pentes finos de marfim a 15000, 15200 e 15500.
Pares de luvas de seda para homens e senhoras a
500 rs.
GoUinhas para senhora o melhor que ha a 320 e
500 rs.
Frascos com superiores banhas a 240, 320, 500 e
15000.
Livros que serve paraassentar roupa, pelo diminu-
to prego de 160 rs.
Capachos redondos muito finos a 500 rs.
Lordo branco para esparlilhes muito superior, a
vara a 20 rs.
Carntis coro 150 jardas de linha branca a 60
ris.
Candes com 200 jardas de linha branca garanti-
d- s a 60 r>
Grasas de pennas de ago superiores a 500 rs.
Varas de franja branca e de cores larga para toa-
lbas a 160 r.s
Pares de botoes de punho, oh que pechincba a
120 rs.
Tmleiros de vidre com tinta a 160 rs.
Ditos de narro com superior tinta a 100 rs.
Grasas de botes de tunca prateados muito finos a
160 rs.
Tesouras para costura superior qualidade a 500
Esc.va- para limpar denles, superiores a 200 rs.
Caixas oin superiores phosphoros de seguranga a
IfiOrs.
maqem.
Na loja d'Aguia Branca, ra do Queimado n. 8,
vendem-se carteiras curo correias para iraze-lasa
rua I tiracolo, e bolsas de. tapete, ludo para viagens.
Perfumaras inglezas.
A Aguia Branca, conhecendo a bem merecida
estima que os apreciailoies do bom dao s perfu-
maras inglezas, por isso mandou vir o esplendido
sortimento que acaba de receber, e os acreditados
nomes dos bem condecidos fabricantes J. Gosnell
& C, Napoleo Price Si C. sao bastantes para co-
nhecer-se a superioridade dellas. Consiste esse
bello e variado sortimento em pequeas quantida-
des de differentes e agradaveis extractos de pri-
meira qualidade em frascos do diversos tamanhos
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que
vem em urna carleira de tres, com os quaes por
sua elegancia e boodade se faz um bello presente ;
assim como outros frascos com finas essencias con-
centradas, outros com excellentes leos para ca-
bellos, e outros finalmente com agua de Lavander
sublimada ; p bem assim finos sabonetes-em paco-
tes e caixinhas com tres, bonitas e delicadas al-
mofadinhas com pastilhas em p, as quaes deitan-
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s
deixam toda a roupa cheirosa, como afugeniam
baratas, tragas, etc., etc. Em quanto, porm, a
rommodidade dos pregos j nao entra em duvida.
urna vez que o pretndeme comparega manido de
dinheiro e disposto a fazer gasto na loja d'Aguia
Branca, rua do Queimado n. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excpllentes brinquedos para enancas: vendem-
se a 500 rs. cada urna : na rua do Queimado, loja
d'Aguia Branca n. 8.
Fspelhos Cdm molduras gretas
e do unidas
A Agnia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
eebeu um bom sortimento de espelhos de differen-
tes tamanhos com molduras pretas e douradas, e
os est vendendo por pregos commodos.
Papel wglezm
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
cebeu um novo sortimento de papel inglez liso e
pautado, almago, de peso, e peqneno, vinde deste
tambera ciun beiras douradas.
Enfeites invisiveis
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, rece-
ben novos enfulles invisiveis, os quaes pela finura
do tecidn e bom gosto tero merecido unta estima
Treparos para flores.
A Agnia Branca, na rua dn Queimado n. 8, re-
ceben novos preparas para flores, sendo papel de
cores para rosas, dito verde para folhas, folhas de
panno p velludo, caixas de trigo, dilas de uvas
brancas e rxas, e como sempre continuara a ser
vendidos por pregos commodos.
m.
LIAIXC
DE
Vuiihoscom ruda, palcotts.
Moinhos grandes com rodas, patentes, e afianga-
Caixas com 100 etfvelopes o melhor que ha a 640 dos pelo fabricante para mopr caf, e proprios pa-
ris, ni refinacao por sercm de especial qualidade e de
Caixas rom JO quadeCQOS de papel amizadp, mmto iodos os Tamanhos : vendem-se nicamente nodepo-
tino a ttit> rs. sita da rua da Cadeia, loja de ferragens n. 56 A,
Cuadernos da papel pequeo muito fino a SO rs. de Bastos.
Altencao
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto, alim de anounciar ao respeitavel publi-
co o grande sortimento de galanteras do melhor
gosto propiamente para qualquer mimo, que aca-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objertos que recebe por diversos na-
vios, taoto de sua ronta como de consignago que
est resolvido a vender por pregos muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extragio
| o grande deposito que tem, que espera merecer a
' proteego do respeitavel publico empregando para
isso todas e ai melhores diligencias para que (i-
quetn satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, rua do
Crespn. 7.
Ricos porla-joias.
, Cofre de multo gosto por 165000
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por 185000
! Lindas jardineiras. 105000
Biros cofres com camapheu. 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas. 105000
Lindo balao com calungas dentro, tam-
bem para joias. 165000
Tambalier para ditas. 95000.
Cestinhas ditas. 65000
Cosmoraraa ditas. 65000
Urnazinhas. 65000
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Bicos porta bouquetes de diversos gostos e pro-
cos ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos sinlos
com bolcinhas aolado, a 105,125 e 155, ditos sem
bolga porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
45000.
Bicas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 o par;
s no Vigilante, rua du Crespo n. 7.
Cabazes ou cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meuinas trazerem no brago, o mais rica
po-sivel a 25500, 35500, 45, 55, 75, e 105; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Penles.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arrepagar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga com en-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, rua
do Crespo n. 7.
liis leques
com pequeo defeito, leque.- de sndalo com pe-
queo defeito por barato prego de 85 e 105, chi-
nezes muito bonitos lambem, pelo barato piego de
45 e 5, bentarallos muito bonitos, tambero por ba-
rato prego de 45 e 55, leques de charo tambera
por 45. tudo isto para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cento; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para segurar manguitos.
lambem chegaram as liguiuhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto prceisam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do Qres-
po n. 7.
Pentes
lambem chegaram os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa Uua, qu. vondo por as,
35 e 55; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Leques.
Blquissimos leques de madreperola tanto para
senhoras como para meuinas, pelo barato prego
de 125 e 145; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de tontas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Caetas.
Biquissimas canelas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baralissimo prego de
15500 e 25.
Sapatinhos e meias de seda.
Biqnissimos sapatinhos dp seda e de merino en-
feilados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
ulias e louquinhas para as cnanciuhas se baptiza-
ren] ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas vollinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, a>sim como cruzinhas avulsas
e vollinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as
cruzes avus asa 400 rs.; s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Sallabas*
Biquissimas golinhas e manguitos, omclhor gos-
to possivel, a 25. 25500 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo 11. 7.
Enfeites para senhora.
Biquosissim enfeites com lago e sem lago e de
outrosgmuitos gosios a 15, 15500 e 35 so no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Traneelins.
Lindos traneelins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos ntremelos.
Riquissimos babadinhos pntreroeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que admiram aos com-
pradores, havendo filas largas proprias para cin-
leiros que se pone vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura douradaje
sem ella de 85, 105, 125 p 145, assim romo com j
cIhtrinas de differentes lamanhos a 25, 35,45, 55
e 65; s no -Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqui
tem apparecido; s ne Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroi.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de mullo gosto a 15500 e 25, assim romo
pacotcs s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento dp extractos e banhas, poma-
das, assim como .le lindos copos ou vasos com dis-
tinrtivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados antnresde Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos dchanha japoneza
a 25 e a 15, assim como outros objpcios qup noe
possivel por rmje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
57 RUA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
& a tO por cento meaos odrec que sepaaan po n ira jaif-
qner parle.
Gneros especialmente escomidos por um dos socios que na Europa se*cha
para esse. lim.
grande a vantagem para todas as pessoas que compraren! neste cstpcleci-
mento.
Os propietarios garanlem todos os gneros sabidos de seu j muito areditado
armazem.
AO PUBLICO*
N5o nos servimos de exordios como constantemente estamos vend ern annon-
cios deste genero, pois sao palavtiados de que sempre nosabstivemos, e dique tambern
estamos certos nenbuma attenejio j merecem do publico. 0 nossn fim, ps, simples-
mente fazer ver que o verdaileiro e principal intensse de todos est na bella dos pre-
sos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos loda a attenfo.
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Carlaxo vende-se unicamciie neste armazem
a 600 rs. a garrafa e 3o.ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Lentilbas muito novas rxcellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores franeczes di todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs agarrafa:
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinbas com lindas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a i ,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 7 libra a i.loo rs.
Arroz do Marant 3o e da India o melhor que
ba nesta genero de 80 a loo rs. a libra,
e de 2,oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a canaria.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e 10,000
rs. a duzia.
Ufazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Vlpista limpo a i 4o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolaclnnlias de Lisboa da fabrica do Beato
Amonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe i,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza. em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a i ,3oo c 2,2oo rs. a
lata.
3anha de poren refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 3o rs.
Batatas em gigos de 36 libras a l,ooo rs.
Champagne das melhores marcas a 0,000
rs. o gigo, 1,80o rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Coa uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a2,7oors.
a libra.
dem hysson o mellior que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2.6oo rs. a libra.
dem preto homeoptico a 2,oo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, eo6o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a 1,00o,
l,2oo e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da l-ahia como
Manteiga ingleza pereitamente flor a 800 e
l/ioo rs. a libr.', desnecessario mais
elogios neste gemro, que se pode ve-
rificar com a visU.
dem franceza a utc rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Lisboa
a 600 rs. a libra, na latas de 1, I 1.2 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. a libra.
Macan o. ta harim ealctria a 4oo rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco.
dem ingle'/a em p a 64o rs. o frasco
Moiho inglez em garratinhas com rolhas da
vidro a 64o rs. cada una.
Marrasquinho venladeiro de Zara a 1,000 rs.
a gariaf, e lo,ooo rs. a duzia.
N07.es muito novas a 16o rs a libra.
Ostras preparadas ero latas a 7oo-rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez venladeiro,
garaiitindo-se a qualidade a Too rs. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a liLia e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide e rodinba
ele. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o rs. a libra.
Peixe em latas hermticamente feeradas das
seguii tes qualidades: save, conina.goras
cavallinhas. e pescada a l.ooo a lata.
Pablos para denles lidiados a 14o rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
dem no gas 2w ta. a duzia, c 2,loors.
a groza.
Painco muito novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ultimo vapor, a 2,5oo
rs.
dem prato muito fresco a 800 rs. a ibra e
sendo enteiro a 7o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 000 rs. cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
>iiviiii 1 11 11 1*^ *i 11 i\n
sejam regala, trovad,.re,, pntam. Toucinlio de Lisboa a 24o e 32o rs. libra,
delici e suspirosa l,600, 2,000, 3,ooo:Tjj()|n ^ |impar facasa |5ors cadaum
Vinagre de Lislia a 2oo rs. a garrafa e
1,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
rs.
SUSp!
e 4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e mglez a 1,00o rs. a garra- do porlo com arcos de ferr0 m
fa, e 10,000 rs. a duzia. l *ao .
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra. ^ caaa umJ'
Cravo da India a 600 rs. a libra. llbem de escovas para lavar casa a 36o rs.
Canellaa 9oo rs. a libra. I cada tima.
Copos finos para agua e vinho a 4,800 0,000 Velas de e&permacete superiores a 56o rs.
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um. a libra.
Caf do Bio superior a 28o e 3oo rs. a libra, dem de carnauba refinada e de composir
e 7,5oo a 8,5wi rs. a arroba.
Doce de goiabf. superiorem latas a 2.000 rs.
Ervilhas portuguesas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha
libra.
de araruta verdadeira a 320 rs. a
a 36o rs. a libra, e de lo,5oo a ll.ooors.
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figneira
das marcas menos ronhecidas a 4oo rs.
a garrafa e a 2,800 rs. a ranada.
i dem Figneira especialmente escolhido oeste
lugar a 600 rs. a garrafa,
caada.
e 4,6oo rs. a
ATOWGAO
Salitre refinado, superior qualidade. vinho Bor
deaux, diffprentes qualidades, mais barato que pm
rlquer parte : no armaiem de E. A. Burle &
roa da Cruz o. 48.
Figos err. caixinhas bem enfeitadas a 9oo ,dem Lisboa era anCoras com 9 caadas mar-
rs. cada una. ... ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
Pavas portuguesas em latas chegadas ulti- Wein ,ra,n0 Clllaies niuil0 freSco sem
mmente a 640 rs, composicii.. a 6oo rs. a garrafa, e 4,5uo
Frutas dem em calda, pera, pecego, alper- J fanva(ja 8
se, rainha Claudia e guija a 7oo rs. a lata w fJ Ls|)0a ,)ranc0 a 56o rs. a
Grana nova a loo rs. a lata e l.Ioo rs. a garpafa e ^ rs a ^
_ uzia- .,, ... dem Porlo fino em pipa a 56o rs. a garrafa.
Gomma muito a va e nov l6o n. a hora. IJem rrafai|os ^nero** Lagrimas do
Genebra de Hollanda ^imi 12 n fi p gj D
frascos a Uhei 560 rs o frasco pedro' J. ^*o
dem em boinas 4oo r j cada urna. Genuino, Particular a 9ooe l,2oors.agar-
Idem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo arjf rg ( caM com uma Ju.
rs. com ogarrafao. -
dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.'
dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra-
com rolha de vidro qualidade superior a fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
l.ooo rs. a garrafa. dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o dem Bordeaux das acreditadas marcas Si.
frasco e II,000 afra^queira de 12 francos. Julien, St.Esteph,chaleao la Rose.chalan
Kirsch Wasser exceliente bebida suissa a Margos e outros a 6,3oo rs. a caixx e
1.800 rs. a garrafa. i i^o rs. a garrafa.
( EIU E.I 4 BM II Vimifi
a se 00 rs. o copo
Qneljo de .Ulnas chegado no vapor
dem prato multe fresco
dem snlsso superior
dem londrlno superior.
57 Rua do Imperador 57




Diarlo de Pernambueo Sexta feira SI de Ouiubro de 18114.
KIM
COMME
mmm
Rll 1IO QLIHLlf AUO W. 45.
Passand o becco da Congregacao segunda casa.
ria ?/irifii i)? KDUAIDD:
NOriDADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commer-
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sorlimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes serSo vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencioncda; garante-se obom
peso e boa quaiidado dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 o Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra.
Grande liquida$o.
Ra da Imperatrlz n. o.
Loja de focadas do Pavo de Gama & Silva.
Acha-se esta estabelecimento completamente
sonido do fazendas inglezas, francezas, allemaas e
suissas, proprias lano para a prja como para o
matlo, promettendo vender-sc niais baiato do que
em oulra qualquer parle principalmente sendo em
porfi, e de todas as blendas dao-se as amostras'
deixando licar penhor, ou maudara-se levar em
casa pelos caixeirosda loja do Pavao.
As cliilas do Pavo.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato prego de 240. 260 e 280 rs. o covado, tintas
seguras ; 4ilas franerzas de cures seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 300 rs. o covado, fazenda
muito superior c bonitos padrous : s na loja do
Pavo.
As laazinhas da e\posi(5o do Pavo.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
i tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
i soulembafques por serem lisas e de cores muito
1 delicadas a o60e5O0rs. ; ditas lisas com um lustre
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda 500 rs. o covado, s para aca-
bar : na loja e armazem de Gama <& Silva, ra da
imperatriz n. 60.
Os vestidos do Pavo.
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido
lO rs* a libra, e 1*800, 2*000 e 36000
a anoba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
16200 e10600, o em frascos grandes a
2.5'M).
dem em caixtnhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no Interior das caixas
a 1*200,1*100, l*60Ue2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 4*600 a arroba.
A'.eite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Aramia verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Aveliaas muito grandes e novas a 180 rs. a
fibra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1*30' rs.
Belachinhas de soda, latas grandes, a 2*rs.
a Uta.
idem inglezas muito novas a 3*000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco relinada a 440 rs. a libra e
em barril a 40o rs.
Cb hyssin, huchin e perola a 1*600, 2*,
2*300, 25800 e 3*100 a libra,
dem preto muito superior a 2*>00 a libra.
Cerve.a preta e hranca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 5*800 a duzia.
Cognac inslez fino a 90 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72" rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes ra Bahia
e especi dmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 15800,
2*0 t, 2*200, 2*500, 2*800, 3*000 e
36500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 8550' a 8*800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos rancezes muito novos e
bera muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra,
Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 6i0 rs. i dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2*800 Figos de comadre e do Douro em caixinbas
dem prato. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
dem londrino chegado no ultimo vapor a 1*800, 5*500 e 280 rs. a libra.
900 rs. a libra. Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs. dem de trigo a 120 rs. ? libra.
de la, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas
Cevadinha de Franca muito superior a 220 barras d cor, corpinho e collete separado; ditos
cada um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 610 i
libra.
Eigos em caixinbas ermeticamente lacradas
a 1*600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam: Velno de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D Pedro, D. Luiz I Maria Pa,
Bocauro Chamisso e outros a 800, 900 e
l*0U0a garrafa, c ero caixa com urna du-
zia a 9*000 e 4<0OOO.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 3*. 3*500
e 4*a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 7*000 a 7*50U rs.
a duzia.
dem Morgauxe Ghateaulumini de 183 i, a 1*
a irarrafa.
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
I200rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 1*800 rs.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 6*200 a frasqueira.
dem em garrafes de 3 e 5 galcs a 5*500
e 7*500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 1*100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial em garrafas muito
grandes, a 1*800 a garrafa.
com listas de seda'e tambem com barras e enful-
les para o corpo, por preco mais barato do que em
: outra qualquer parle, o se quizerem urna prova
do que se diz, mandem ver leja e armazem do
Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama 6 Silva.
Os vestidos Maria Pia. S o Pavo (8*000).
Vendem-se os mais lindos vestidos Maria Pia
de lazinha transparente com listas, e palminhas
de seda pelo barato preco de 85 cada corte : s
na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
As cassas 'do Pavo a 240, 280, 300, 320 e
360 rs.
S o Pavo vende as finissimas cassas persianas
imitaco de la, com cores fixas, 360 rs. o co-
vado ; ditas francezas muito linas 240, 280. 300
o 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madapoles do Pavo
Vend-se peca de madapolao infestado com 12
O PROPHETA
AO RESPEITAVEL PUBLICO.
RA DAS CINCO POMAS N. 86
Esquina da nova travessa de %. foo
Wf0f
Desejando o propietario do grande armazem do Propheia d?r tai-
gas aoseu genio emprehendedor, commeicial e especulativo, resolveu ceder ainspiracSo
que o assallou, quando as horas caladas da noile o seu solicito espirito se agilava n'um
turbilhlio de ideas, tendentes todas bem seivir e agradar aos generosos habitante
desta bella provincia, de abrir mais este grande rMuhelerlmrnf o de nt-vos
escomidos gneros, quasi que especialmente destinados s penen quen-Oiam na fre-
guesa de S. Jos, e aquelles senhoies que Iransitam pela va terree, para qutrn em ver-
dade sao sem ci.nta o numero das vantagens que te Ibes uflerece, nao > ciui irlatae a
modicidade dos fieles, como da facilidade e brevidade da conduccao dos ubjettos com
Prads .
O sonho do Propliea sera urna verdade pratica lao acierta c abracada cerno as
palavras simples e bem intencionadas dos velhos patriai chas desses lempos idos, si o Se-
nhor Deus dos exercilos nao o quizer contrariar.
O Propheta nao querendo resti ingir-se a forma ordinaria de negociar resorvro
tambem, depois de profunda meditarlo, de nao vender smente os m^us gei;ews a d-
nheiro correte ; mas tambem de por em pratica troca delles poroulros da prmtamjh
do paiz ou por eseravns, bois. cavallos, etc. Assim, pois, fique na inlelligencia tie lodos,
que o proi'Heta receben como moeda de qualquer dos senhoies ipricrniunt, ;s.irsr,
algodo, agurdeme, milho, feijao, cavallos, esnaios, etc., etc. e Ibes dar o mesmo valor
em gneros, escolhidos a contento.
Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos oljerlos re-
cebidos por troca, o rropheta nao demorar a difirala que deve dar em trem ro.
Um estabelecimento que com tantos sacrificios e desprzas acaba de er atarlo
deve inspirar a lodos a certeza de que se vender muito baralo com o tim de *e ad'jni-
rir crdito e freguezia.
dem em arralas mais pequeas a 800 rs. ^LJ^^^*ffc
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de vo ra da Imieratnz n. 50, notando que a peca
vidro, a 1*000, S a garrafa vale O di- leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamenle flor, desem-' -^*a SJ-
haver duvidas nem engaos : isto previne o Pa-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem francez muito nova a G40 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maga de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Mai melada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas linas para sopa: cstrellinha, pevide,
rodinha e^aletria a 600 rs. a libra e a 4*
a caixmha'com 12 libras.
! Nozes muito novas a f60 rs. a libra.
Peixe em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 1 a lata,
Paliins de dentes a 160 rs. o maco,
Alrn dos gneros cima mencionados te- dem de dentes a 120 rs.
mos grande porco de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudosei vendido por Amendnas concitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
retalho- 2$ e em caix3 a 6i0 rs- mtl^M
Quem comprar de I00>000 para cima te- Palitos do gaz a 2*200 a groza.
r o abate de 5 por cento. Passas muito novas a 480 rs. a libra.
9
MACHINAS IIEPiTENTE
i -o mhalhar i mao para
descarocar algodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAI
GRANDE E SUMPTOSO ESTABELECIMENTO
DE
\OVOS F FNrOFlflOS CEXEROS
TANTO EM GHOSSO COMO A RETALHO
O -Rll H HOVA 60
Ultima casa junto a ponte da Boa Vista.
DUAS PALAVRAS.
Cese ludo quanto a antipa inu;a canta
Que outro valor mais alto se alevanta.
Estas machinas
podemdescarocar
qualquer especie
de alitodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o trahalho; pode
descampar urna
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrubas
por dia ou o ar-
robas de algodo
limpo.
Bramante de llnho do Pavo
20, 04OO, 20AOO.
Vndese o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por preco muito commo-
do, por er de acabar a factura, a vara por
2300, 2,5400, e 26O0 ; s o Pavao : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de linho d Pavao.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences e loalhas de mi pelo
baratissimo preco de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
godozinho com oito palmos de largura proprio
para lences, pelo baratissimo prego de I a vara,
assim como tem o melhor algodozinho tanto em
largura como era corpo, proprio para lences, ca-
misas de escravos, etc., etc., prego muito conimo-
do A vista da fazenda; s o Pavo : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Algodozinho com toque de arara a i,000 res
e -i.SOO
Vende-se pega de algodozinho por ter um pe-
queo toque de avaria, mas que esta em bom es-
tado, pelo barato preco de \> e 45500 a | ega ; s
o Pavo : ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os guardanapos ecorwmicos do Pavo c s do
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
apos econmicos e todo linho, lano para as casas
de familia como para hoteis, botequins, etc. ele,
pelo baratissimo prego de 3 a duzia, isto s na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Os soiitcmbarqucs do Pavo
el8.
an.ii^ r-r* miia iiniK rgitamliArmipc nne
n vindo ao mercado, sendo de caxemlra de c-
pelo diminuls9 tjde inusiirnbique pelo diminuto prego de !'5, s
loja do Pavao, mas que se. nao raganem : ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoalhado do Pavo.
Vende-se panno de linho adamascado proprio
para toalhas de mesa, pelo diminuto prego de 25300
rs'. a vara, guardanapus de linho a 55 a nuzia,
toalhas de moa 55 cada duzia, na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
i:' s o Pavo (a 8500).
Quem tem bales por tal preco !
Vendem-se os bales americanos muito superio-
res com 20 c 2o arcos pelo baralissimo prego de
25500 e 45, ditos de 25, 30 e 35 arcos com fitas,
niuito bem armados e tambem tem cores escuras
pelo baralo prego de 35500 cada um : s na loja
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silna.
0 'avo vende para lulo.
Vende-se suporior setim da China, fazenda toda
de lia sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletots, caigas, etc.,
dem em botija a 3'0e 400 rs. a bofija.
Graixa em lat sa I 200 a duzia.
Limonadas de diversas fruclas a I 000 o
frasco.
Licores inglezes e francezesa !H)00, lJ;>CO
e 2# a garrafa,
em latas, frasese lindas caiebinhas muito Lingoas americanas a 800 rs. ram un.a.
Linguicaspromptas em latas a J2'0 a lata,
Manteiga ingleza i.esle geneiu o i|te M do
melbor a SuO rs. a libra e em bar i il a 100
rs.
A aruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranbo, Java e do Penedo a 80,
H'O e 120 rs. a libra, e a arroba a l 5800,
2r55O e 2800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixas francezas a 10200, 1,5400 e 10600
proprias para memosear algi.em,
Amendoas confeitadas em francos de vidro
a lJ o frasco.
Alpiste a 16ii rs. a libra e a ii500 a arroba.
Azeite doce francez a 90n rs. a garrafa. dem mais baixa a 610 e 720 rs a libra.
Azeite de Lisboa a 640 rs. a garrafa e 40800 Manteiga frnceza a 520 rs. a libra, m bainl
a caada. | a6 40rs a libra riRlm
Azeite doce emboioes com 9 garrafas a 50300 ;Massa fie tmales a 640 rs. libra.
com o boiao.
Azeitonas por todo o preco
Marmelada muito nova a 640 rs. a libra.
Muidos inglezes a 400 e 640 rs. a ginatii La.
!*'Asfim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarugam 18 arrobas de algodo I ,i baratissimoi prego' dr25,''^,'25o0e"e'35
Adia-se a disposieo do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci- "J^JJJ,^________-_ ....,- 'ovado, cassas pras lisas,cimas pretos largase
ment de molhailos, talvez n primeiro e nico Imje existente em sua especialidade, por-
capricho de mos dadas com mais apurad" goslo de abrir um estabeleci-
que o raamr r-------------------
meato modelo promovern a esculla dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que pir serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas eomo vao ser pelas pessoas que se
dignaren! de honrar-nos com a sua (regaezia. alentamos a doce esperanca todos, nao s< pelo emprego las rnaneiras condescendentes e delicadas de qus somos ca-
pazes. como pela praiica da pmmessa que fazemos de vender polos pre.os quasi do pri-
meiro eustoonosso magnifico soriimenlo.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharo
em nosso armazem os memores e mais esq-iisitos vinhos, licores, chamiagne queijo, etc.
etc ele, aquellos que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
sario, proioeitemos-lnes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
------ iiutdo, iriTt^ao }' r\ao u-.i^. Lunas piviain iaif.00 \j
nos tem para vender um bellissimo va- estrellas, manguitos, colarinhos,pnnhos, o enfeiles,
ide f.zer mover seis destas machinas lut|0 ,,rel0 prpri0 para luto fechado, e muitos ou-
por que |i
meneion.idas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem zem de algodao, no largo da ponte nova n. 7.
Saunders Brulhers & i'..
X. II, prava do Corpo Santo
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do yueinido us. 49 e 55 luja do Bxnleiro
cuiih' cido j orno tal, est dispondo da fazenda
por tolo o prego para apurar dinheiro, quem qui-
zer veuha ver e traga o cobre, e vera
...v ^. ilVI ui.Nu *\% *. n Lip,i buuiu,-. itid o seguinle
O real do pobre ser recebido cora to boa vontade, como a moeda ae ouro ao Baralhos de eanas para voitarete muito
homem co.
AS pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nao s pela boa qualidade dos
ubjectos, eomo pela fideii-lade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
linas a........................... 20fl
Miadas de. linha froxa para bordar a.... 20
Pares de sapatos du tranga de todos os
tamanhos e Gno6 a.................. 15-JO0
Massos de superior grampos para cabellos 30
Duzias de palitos de gaz superiores a. .. 200
Libras de ara preta muito superior A 100
Frascos de superior macag oleo a .... 100
Ditos de dito perola a............... 200
Ditos de agua de colonia superior, garan-
tida.............................
Ditos de banha muito fina 4............
Ditos de cheiros muito finos para o prego
a ris.
CAVACO NECESSARIO
Devenios ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que Dls >oleo Lab8^a m"".linof.a 32 ^
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e flor'scente imperio ura grande partido poltico com a
denominneo de Usa. parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fa/.er zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue SaEw^feMMqwtta^aM-i.
ninguem. 160, e............................
0 nome urna voz com que se do a conhecer as cousas. E esta amis Novenos Je nnha com 400 jardas a....
breve, clara e sincera explicaco que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido Jesse systema diremos mais :
Nao oriunlo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
militas centena* de leguas que apandamos a nosa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que institu' a mu honroza or-
dem da Uea. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acnntecimenln, que tan-
to sorpre endeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e gestando sum-
mamente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oit5o do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-lc dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
llonni sol qal mal y-peose.
400
tO
600
400
80
60
30
240
200
400
40
15000

BALDES DE ARCOS
A 2#0O.
Na ra do Queimacte u. 40, letreiro verde.
Superiores e bem armados baldes pelo diminuto prego d- 25, adverando que vendem-se
prego por t#r-se comprado um gran je porgo e qnerer-se acabar.
por
Carnleis de linha de cores com 200 jar-
das a.............................
Novellos de linha de gaz de todas as co-
res a.............................
Pegas de filas elsticas com 10 varas pa-
ra vestidos a.....................
Frascos de superiores cheiros, ppquenns, a
Pares de ligas muito superiores e bonitas
a ris...........................
Varas de bieos francezes, superiores a...
! Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
trnloa.................... ..... 15000
Pegas de tranga preta liza muito fina a.. 60
Caixas com 4 papis de agulhas Victoria a 200
Varas de fita preta com cnlxetes a...... 40
Libras de laa surtida d todas as cores a 65300
ftinecos de choro muilo bonitos a...... 100
Caixas de nhroia* d** massa muito novas a 40
Varas de franja branca e de cores para
toalhas a.......................... 80
Frascosd oleo Philncome snpenor a... 600
Dilos com snpprior tinta a 320 e........ oOO
Caixas de linha de gaz enm 50 novellos a 800
Enfiaiorps para esparlilho a........... 60
Duzias de bolSes encarnados para vest'
Josa.......... ................... 2Q0
tros arligos que se venden por pregos mais em
cunta do que em outra qualquer parle por estar
liquidando : s na loja do Pavao i ra da Impera-
triz n. 60, deJGama & Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavao pelo
barato prego de 600 rs. o covado ; ditas de listi-
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 500 rs. o covado ; garaniem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Pars : isto na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo a s fiOO e
908OO o corte
Vendem-se cortes de chita com dez covados
25400, ditos 25800, com 12 covados; sao cliilas
inglezas, mas padroes bonitos e tintas seguras ;
assim tem as melhores chitas francezas e de tin-
tas seguras por precos com modos, a saber : 320,
340; 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camsinhas com manguitos e golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de 15 e 15280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos I
com golinha a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
H 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 25 cada
urna, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente grvala de seda, fazenda
lina, pelo barato prego de 35. e muitas nutras
bordadas que se vendem por pregos muito em
cunta : s na loja do Pavao ra da Imperatrfz
n. 60, de Gama & Silva.
As ronpas do Pavo
Vende-se panno prpto fino muito superior pelo
barato preco de 25, 25500, 35, 35500 e 45, dito
muilo Hno 55 e 65 o covado, ca>imira preta de
urna s largura e muilo fina a 15800, 25 e 25500
e 35 o covado, corles de casimira de cores a 55,
55500 e 65, casimiras entestadas de urna s cor
proprias para caigas, paletots. coletos, capas e para
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva. _______
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C, ra
do Ajg*fjg n- 3-
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris :
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, ra do
Trapiche n. 13, por prego razoavel.
Biscuitos inglezes de diversas marcas a I 300 Mnsurda pi eparada a *00 eMQ i
a l;iia.
Bolachinhas de soda, oval e lunch a 2S000
a lata com 5 libras,
Bolachinhas americanas em barricas 26
libras a 2000.
Banha de porco da melhor qualidade a ICO
rs. a libra.
Batatas em gigos e caixas por todo o preco.
Caf moido a iP 00 ou t000 a arr. ha.
Caf superior a 7;>50O, 8#00i e 8500 a
arroba.
Cha nesio genero temos o que b de melho-
assim como lambem temos bateo pelos pre-
cos seguintcs: 104 0, l^tJOf, I 800,
26400. 20n. 26800 e :<60< 0 o tino.
Charutos de todas as melhores e peores mar-
cas do mercado a 80", i 6000,10600, 26,
20800,36000, 46('00,56000, 5->5OOee0
o cento.
Chouricas as mais novas do mercado a 126
O Uai'Ill CUIll 1 ai tul v, -iOO .o. ^. u, .
ellas qoe pechincha.
Chocolate magnifico a I 000 c 16200 a libra.
Cerneja marca a mais acreditada que tem
vindo a 8l0 rs. a gari ala, c mcia garrafas
por 320 rs. branca e preta
Conservas inglezas a80rs. o frasco fazenda
chique,
dem francezas a 5<"0 rs. o frasco.
I Cevadinha de Franca a 240 rs. a libra.
Champagne da mellior marca que qui tern^
vindo a 206 e 246 o gigo.
Cognak inglez e francez a 800 rs. e 10600 a
garrafa.
febolas por Indo preco.
Copos lapidados que sempre se venderam e
se vendem em muitas parles a 86 e 106,
vendemos a 5631 O e 6000o a duzia.
Copos para vinho a 30OO>a a duzia.
Doces de calda vindos deL'sboa neste ultimo
vapor a G 0 rs. a laia das melhoi es b ne-
tas da Europa.
dem da goiaba e da casca o melhor que
possivel por diversos precos, e conforme
otamanho dos ca xocs.
Ervilhas em latas a 640 rs. a lata,
dem -ecias a 200 rs a libra.
Espermacete americano a 16200 a libra,
dem francez a 560 rs. u masso com 6 velas.
Figos de comadre em caixinbas muito lindas
a 800 rs a caixa.
farinha de Irigo a 120 e 140 rs a libra.
Farinha do Maranhao a 24" rs. a libra.
Fumo do Para a I68! 0 a lata prande.
Fumo americano a 16400 a libra.
Pumo em macinhos para sigarros a 200
rs. o maco.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a 36500
Genebra de laranja 16 o frasco,
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.
s. o frasco.
Massas para 9| a macar rao, lalhuim t aU ti ia
a 400 rs. a libra.
dem finas em caixinbas a 30(00 a cafeMft
Marrasquino de Zara vertlaoeiro a I6E 0 o
frasco.
dem mais baixo a 800 rs. e i600.0 < fias*o.
ilbo em saccasiom SOcwwa 3r.'0.
Pivzunioingle/ \ara hambre wde u tlin.o
vapor a 800 rs. a libra.
dem mais ant go a 640 rs. a libra.
dem do Porto a 640 rs. c sendo inltiro a
5' O rs. a libra.
Passas i ovas a 400 rs. a libr3.
Polvo a UO rs. a libia.
Painco a 160 rs. a libra.
Pomada a 240 rs. a duzia.
Pimenia rio reino a 320 rs. a bbra.
Peixe em latas a 000 a la a, >avel, di-
vina, parr/o e outros
Papel de peso a 2600" a resma
I.!>.... 1,1. ... Mratev >.,. > >d>vu >* Of.
dem maitini a 465 O.
dem almajo a :i6>(io, 30300 c hifW.
I'iem para embn Iho a 10200 rrffBrWT^v
Palitos para denles macs com 2i matiiiLos
a 80, 12o e 2(0 rs. o maco.
Paliins do gaz a 20000 a gnra.
Queijos (lamer gos do uiiium vapor a 2C00,
dem londrino a !> O rs. a libra.
Mem prato a 640 s. a libra.
Bap Neurona 16(00 a libra.
fSag e sevadinha a 2i0e 280 r^. a libra,
Sardinhas de Nantes a 640, 560 e 360 rs. s
lata.
Sabio mam a 120, 180, 200 e 240 rs a
libia, e em caiioes fi Sal refinado a 600 rs. a vazo (polt de viiTrr.)
Toucinho de Lisboa, de Santos e aou-rior.o
a 160, ~'0 e 32> rs. a libra c em arruta
a 5,7, e 90000.
Tijolos par limpar facasa 160r cadl i m.
Vinho do Poiloem ancoras com 70 ganaras
a 30600o.
Vinhos de Lisboa eFip.ueira qualidadesTPsjt-
nificas a 30000, 365< 0 e 46 a 0 a ormtdft.
Vinho do Porto em pipa a 5 e 6600 a ranada.
Vinho branco de L>>bae Porto em ann ra?,
barris e pipas a 4000e 56000 a canaria.
Vinagre de Lisboa a 10600 e 26000 a caa-
da.
Vinagre em garrafes por 10000 com o gar-
rafo.
Vinagre em ancoras para 16600 com a ancr ra
de 9 caadas.
Vassotiras americanas a 640 rs. rada raa.
Vinho deHordeaux ne>te genero tMBWMWmrrj
porciioedasqualidades melhores qr.e tem
vinuo ao nosso mercado un garrafcs, t-m
ancoras, em bairise (pianolas oqrul ven-
demos pur procos muito Mmm,
O BALIZA
DECLARACA.
O BALIZA declara pelo prezenlt que
deixa de publicar os precos pelos quaes ven-
de as suas mercaderas por motivos qne ao
respeitavel publico pouco interesa. Servo $g-
provisoriamente de baze os precos do Fr
pheta.
OROKTf DO DA.
0 BALIZA concede plena liberdade aos
seas anmeeis collejas Clarns. l'nies. mitra-
dos e croados, para que pssain sallar, bar-
rar e tudo mais quanto Ihes amjrmmjr, at
a sua segunda ordem.



Diarlo e re
* next lelra 91 eO
l4.
GlUfliE ARMAZEfl BE PLH UlthS
Largo da
Santa Cruz
i.84.
#v.05.
Esquina
da rna do'
Sebon.84.
AURORA BRILHINTE
Francisco Jos Fernundes Pires proprietario do armazem de molhados denominado
Aurora Bullante, ao> largo da Sania Cruz n. 84, esquina da roa do Sebo, fez sciente ao
remieitavel publico desta cidade do interior, que no seu importante estabeleci mente
v.eudera sempre gneros novos e do priraeira qualidade, e vender a todos pelo mesmo
0 completo sortimento de todos os gneros finos e grossos q*ie eosturaam ter outros
stUwleflunoDtos desta ordem se encontrarao sempre no armazem da Aurora Brilhante
e sempre em grande escala vontade dos senhores compradores.
O proprietario do-armazem Aurora Brilhante pede a lodos os senhores e senhoras
que quaudo tiverem de mandar suas relages a este estabelecinwnto por seus criados
seja em carta fechada oo com grande recomraendacao a este armazem, certos de qne
serao la* bera servidos como se viessem pessoalraente.
Js,H
A Aurora Brilhante troca qualquer um genero qne por acaso nao agrade, e recebe
s libras esterlinas a 9*000, sendo por compra-: a tabella de seos gneros ser mudada
todas as semapas.
Amendoas concitadas a libra a 800. Carne e lingm'ca do sertao.
Mauteiga iogleza flor a 800, 960 e 1*120.
Dita mais abarco a 610 e 720 rs.
Dita franeeza nova Hora CiO e em barril a
860 e 600 rs.
Chocolate sam muito novo a 1*200 a libra.
Cha perol* o melhor que ha ( redondo) a
libra a 33200 e 23800.
Dito dito iu;ns abaiau a 24500 e 2*800.
Dito uxim muito lin a 2*800 e 3*.
Di lo hvssoo superior a 2*000 e 25800.
Dilo mus abaixoa 23 23500.
Dito preto muito fino a 23500.
Dito em massos a 23-
Dito do Rio' em latas de 4, 3 e i libra a
1JK09.
Caf de Mica superir arroba 93500 e libra
38 e 280 rs.
Dito ili Rio e do Cear arroba 85300 e libra
320 rs.
Dito mais abaiio arroba 83 e libra 2(50 rs.
Barricas com bolachinha ingleza nova a
33- -
Latas com bolachinha de soda de 5 libras a
23308.
Ditas com dilassortida6.de 2 libras a 13100
Fraseos com auieias rancezas a 13600,
23308 e 33,
Laias Malditas a 13100,23200 o 4$.
Dilas com ligia de comadre a 13500.
Ciixinlias cndilos muito novos.
Presunto de Laraego muito novo a libra o 0
rs. intuiro e arelalho 600 rs.
Cliouricas e paios novos a libra 600 rs.
Ditas C"im ervilhas rancezas e portuguezas
aOOrs.
Ditas com massa de tomate novo libra 560
rs. e em narril a 500 rs.
Ditas coi ostras a 720 rs.
Ditas com marmelada dos melhores autores
de Lisboa a libra 610 e 720.
Potes com mustur Ja frauceza preparada a
lihra 4X0 rs,
Dita dita ingleza a 800 e I*.
Qu-ijos novos do vapor a 23200 e 23800.
Ditos de i-raio enplicado a 13-
Dito suisso a 800 rs.
Dito de mauteiga do Serid a 800 rs.
Caixas ruin passas oras de i arroba 73,
ui i.i 33500 o quarto 23 e libra 480 rs.
Amcndoas cora casca a libra 210 rs. e arro-
ba 63-
Nozos libra 160 e arroba 53,
Charutos finos de Simas, e dos melhores fa-
brieantes da Babia de 23 83 caixas de
100 e 50.
Grozas dejCyxjnha^ de calilos dn as? a 25200
w
Barris com azeitonas novas a 13200 e 23
i barris grandes.
Vassouras do Porlo piassava muito seguras a
400 rs.
Azeilo doce francez dos melhores fabrican-
tes, caixa 103 e a garrafa 13.
Caixas com vmlio Bordona branco e linto.
i Vinliodo Porto lino em barris de 5o que ra-
ras vzi's ap'pareco por 803 e em caada
a 53300 e garrafa a 800 rs.
Dito de Figneira puro caada 43 e 43500 e
garrafa a 480 e 560 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 33500 e
43 e a garrafa a 410 e 480 rs.
Cognac verdadeiro a garrafa 13 e 13280.
Vinbj innseatel duzia 103 e garrafa 13,
Vinho branco de muilo boa qualidade cana-
da 13 e garrafa 480 rs.
Dito Xerez tino caada 73300 c garrafa a
13200.
Dito Madelra secea agarrafa 13600 e 23.
Dito em caixas de urna duzia do Porto dos
melhores autores a 123, 143 e 163.
Garrafas com licor fiuo francez a 13, 13200
e 13600.
Ditas com vinho de caj muito claro a 13.
Ditas rom mel de abelha puro a 1-3.
Frascos com geaebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 15-
Dito de urna garrafa a 560 rs.
Dito de laranja verdadeira a 13200.
P.ites com mostarda preparada a 320 e 400 rs.
Caivas com 2 arrobas de batatas a 23500.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa
a 43800 a caada e 640 rs. a garrafa.
Espirita de vinho a 400 rs. a garrafa.
Bas redes muito bem feilas para dormir
rindas de Sobral a 303 cada urna.
Duzia de graxa latas grandes a 13.
Caixas com 25 masso* de velas de sperma-
cete a 560 rs. s libra.
Ditas aaiores a 600. 610 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ty 103500 e libra 400 rs.
Ditas de cemposigo arroba 105 e libra 360
ris.
Saceos grandes com farioha de Goianna mui-
to boa a 53300.
Ditos com milho novo com 21 cuias a 33500.
Dito com farelio de Lisboa a 53500 e 120
a libras
Dito com arroz de casca a SOOO.
Duzia de garrafas de cerveja branca e preta
a 53500 e em barricas a 53000.
Arroz doMaranho era saceos arroba 25600
23100 e libra 100 e 80 rs.
Dito da India e Java arroba 33 e libra 120.
Araruta verdadeira arroba 85 e libra 320
rs., mataraoa.
Gomma do Aracaty para engommar arroba
55 e libra 160 rs.
Farioha do Maranho nova libra 320 rs.
Erviihas seccas muito novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 33200 e libra 120 rs.
Graxa de boio 97 a 280 rs.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanhol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Baiaios do Porto de diversos taraanhos de 320
a, 33.
Capachos para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de bico arro' a 43300 e libra 160 rs.
Painco arroba 53500 e libra 200rs.
Milito alpi.-ia arroba 43800 e libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 6i0 rs.
Vinagre de Lisboa caada 15300 e garrafa
200, 210 o 320 rs.
Massos de palitos de denles com 20 massi-
nhos a 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 50 e 120 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 43500.
Dito greve liso o melhor que ha a 45500.
Dito de peso e pautado a 2j00 e 25800.
Garrafoes com 25 e 15 garrafas de verda-
dera genebra de Hollaoda por 85500 e
63000 rs.
Azeite de coco garrafa 560 rs. e carrapato
300 e caada 25560.
Caixoes cora doce de goiaba a 640, 800 c
15.
Toucinho de Lisboa arroba 95300 e libra
320 rs.
lo de Sanios araBfca 65 i. 'hr A"---
mos com grandes cenlas a 15600.
Genio de cha solta a 15600.
Mauncos de albos a 120 rs.
Gordas de pastar e de andaime.
Pavas da illia de S. Miguel arroba 33200 o
libra 120 rs.
Copos lapidados para agua e vinho a 35500,
55800, 63 e 75.
Duos lisos para varios procos.
Calix lapidados grandes e pequeos duzia
3, 4 e 55 ; e 400 e 500 rs. cada um.
Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
tra a 400 rs.
Estrelinha e pevide libra 610 rs.
Xarope de fruclas nacionaes a garrafa 600
ris.
Marrasquinhp de Zara da melhor qualidade
agarrafa I200 e 800 rs.
Esleirs de tranca, cento a 203 e 240 cada
urna.
Queijos de qulba novos, arroba 165 e libra
a 560.
Duzia de charapanha superior a 205, e 25 a
garrafa.
Garrafoes vazios a 15600.
Massa branca para sopa a 320 rs.
Frascos com azeitonas em concervas a 800
ris.
Duzia de cartas finas para jogar a 35.
Sabo hespanhol verdadeiro libra 400.
Saceos com feijao mulatinho novo a 105.
Latas com favas j preparadas a 800 rs.
Sevadinha para sopa a 240 rs.
Garrafas com moscatel e setubal a 800 rs.
Sag novo a 400 rs.
Itreu arroba 85500 e libra 320 rs.
Latas com 27 garrafas de gaz a 115, a gar-
rafa 500 rs.
E outros mullos gneros de prinielra qualidade que nao
posslvel menciona los.
A satisfacao da Aurora Brilhante vender muito, embora barato, mas DINHEIRO
abatendo cinco por cento a quem comprar de 1005000 para cima.
0 NOVO DESTINO
ZH clSERVATI
23-Largo do Terco~23.
Joaquim Simo dos Sanios, dono deste bem sortido armazem de melhados denominado Con
servalivo do larg" do Terco n. 23 scientifica ao respeitavel publico e a todos em geral que raandem
-ou venham a este estabelecimento para melhor se sertilicarem da diminuicao de precos que obiera
n"s!e, o que nao obtero se comprarem em ouiro qualquer, pelo que se responsabelisa a servir qual-
qaer comprador coma maior presteza e fldelidade, sem que haja a menor alteraco. Todo o compra-
dor que comprar de 1005 para cima ter o descont de 5 a 10 por cento pelo sea prompto pagamento.
0
NEM COROAS NEM MITRAS
E
NOVA EXPOSICSO DE GNEROS
NO
GRAlfDE
ARMAZEIfl
DE
5
NA
RITA DO IMPERADOR \. 10
Junio ao snbi'Hdo em que mora o Sr. Os borne,
Miarte Almelda tfc c, reeeberam de sua proprla encommen-
ARMAZEM
da o' mais lindo c variado
da presente estacan.
Manteiga ingleza
da safra nova vinda no ultimo vapor a l,ooo
rs. a libra e em bail a 800 rs.
nantelga franeeza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a560rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2/HOO, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidade? **"
PRINCIPAL
DE
\. 9 RA DO RESI0 IV. O
Esquina qne volta para a rna da Imperador
E provavel que nao seja bem aceita a verdade, quando a boa f de todos anda
sortimento de molhados, proprloa Iludida por "esta epidemia de na'uzeaticos annuncios de cornetas, "tanborV
i tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal. *' '
n-
es a
Ma^as brancas
para sopa a melhor que so pode desejar,
macarrao, talharim ealeiria a 400 rs. a
libra c 4;?t500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de I O a Hf a caixa, asmar-
cas s5o asseguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
t&aw. Latas
Chocolates com ,0 libras d0 banlla a *woo.
de todas as qualidades a gm a libra. Bolachinha igleza
PreSUntOS inrlPZfiS a 1 r5800 a barrica damesmaque
dos -LXi'Sl vendem a 2Te mM-
temos relhos para 500 rs. JXOZeS
Queijos flamengos as mais novasAmercad0 a i20pf M bra-
chegados neste ultimo vapor a 206oo. I OeiTejaS
Queijos [dos melhores fabricantesje de todas as mai
chegados no ultimo vapor a 2,5600 cada um.
Queijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de exceliante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e l#2QO.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
35 a 2#600.
dem perola
especial qualidade a 2#700 rs. a libra.
dem hvsson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2J600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480rs. alibra.
(OC\4t
o muito afamado cognac Pal Brandy a i,8/o
re 9 r.'iri'of., A An r...tmm. Mulfroo
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botiea
| de excellente qualidade a 2#200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra
e 4,5(400 a arroba.
ALEUTA
Os anunciantes nao tem em vista sen3o garantirem ao respeitavel nobikn .
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias bSZ
assentarem fortunas a forca da regra de liga como outros annonriantes deste aum
PARA TOMOS
No armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na setrtimti ta-
bella, mas nao se vende por todo o preco fazendo-se pe, de arroba he'n"?,b
te-s as iiialiftarlp n* tronar immUiu. >~a~. -~-h- Fwiora, garat>
KJa-
rs. -a
cas de 4^500 a 6^500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 1.5300.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2$500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.a sorte do Rio de Janeiro a B8f
e 8^800 a arroba, e 280 a 300 rs. a lV
Ciarrafes
com 4 '/a garrafas cora vinagre a 1^000 ea
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, ede 110OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5,5800 coa
12 frascos.
6ENEAKA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
flnoo j^ iu>i<>3 as ijUciuucies, u 10,000 a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro presunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa o 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito aovas
em quartos e inteiros a 20 o quarto c 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frntas\em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
con?pra^rUaldadeSdOSgener03trOCan,10"Se ttKto aqU*"e qm n3 doagrilod
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lentilhas muito novas excellente letrnm,
64o rs. a libra. ra sopa a 2oo rs. a libra. ge
dem de casca dura a 24o rs. a hbra. Licores francezes de todas as osammsa d
dem de casca mole a 32o rs. a libra. 7oo e 9oo rs. a garrafa qaatfa,leb de
ancezas em caixinhas com lindas Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
a libra, desnessesario mais elogios nes
tejenero que s se pode verificar coa a
vista,
dem franeeza
ou meios a
estampas, a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem era frascos grandes a 2,5oo rs.
dem era latas de 1 */s libra a l.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
&as^.?^*',^,a,p,^^s***iM
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e 10,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. alibra,e4,4oors. a
arroba.
pa-
rs.
a 56o rs. a libra, e em barril
kio rs.
cante de Lisboa a 600
rs. a hbra, ha latas del, i /, e j libras.
Maca de tomate em latas de urna e duasT-
bras, a 600 rs. a libra,
dem para sopa estrellinha, pevide, rodiaba
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 56o rs. a libra!
Macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. 1 IU
bra.
Mostarda franeeza preparada a 4oo rs. o fras-
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco
Molho inglez era garrafiohas com rolba o>
vidro a 64o rs. cada urna.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato Marraschino verdadeiro dTzara a I nnn ,
Antonio de diversas qualidades, em latas -------*-
de 6 e de 3 libras a 3,ooo
lata, e 64o rs. a libra,
lem ingleza em latas de 2 .
das melhores mareas a 1,3oo e 2,2oo rs.
a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
e l,5oo rs. a Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
! Ostras preparadas em latas a 7oo rs a bu
ingleza em latas de 2 ede 4 libras Prezunto para fiambre inglez\**L
) e 2,2oo rs. I rantindo-se a qualidade, a 7oo rs. a libra.
d \ a c- iPassas novas de carnada a 4oo rs. a libra, a
Banba de porco refinada a 4oo rs. a libra c 6,5oo rs. a caixa
em barril a 36o rs. Peixe em latas hermticamente fechadas das
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a seguintes qualidades, sabel cnina S
l.loo rs. a arroba. raz, cavallinha e pescada a ,00o Tt
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo; ta. W
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. Palitos para dentes fichadas a 14o rs nm>
as meias garrafas. | co de 20 macinhos. M
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo re
a groza.
a 600 e 10 o caixe.
kmJZiSSZ: f?S dK^rande armfzem Verdadeiro Principal declarara aos seus
nES L g e a pub,IC0 ?? genl' c'ue Para facilitar a coramodidade de todos es-
tipularan os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unio e Commercio rna do Qneimado n. 7
Verdadeiro Principal rna do Imperador n. 40
Fttl'CTAS
nh^^A u- ma^aa, peras e uvas
iP&tSnx'ms,scguintes iugares -Rua d ,mPeradr -
w, veraaaetro Prtncipal-Rua do Queimado n. 7, Unio e Commercio.
%
Attencao.
I. mas as mais novas a 40 rs. a libra e 1 200 a ar-
roba.
loucinho de Lisboa a 280 rs. a libra e 85500 a ar-
roba.
Caf do primeira e stgunda sorte a 240,260. 280 e
300 rs. a libra.
Arroz do Maranho c Java a 100, 70 e 80 rs. a li-
bra e 25200 a arroba.
Phosuhro* do gaz a 25 a groza c 180 rs. o majo.
Pascas de carnada a 320 rs. a libra, e em carta a
65309.
Bilacliinhas inglezasnoras a 240 rs. a Hbra.
S&bao amarello massa a 160,200 e 240 rs. a libra.
Vulasde carnauba Aracaty composc5o a 360 e 400
r>\ a libra.
Ameixas ranceza cora 1 o meia libras a 15.
Ifnssi de tomate da melhor qualidade a 000 rs. a
libra.
M innellada dos melhores fabricantes a 640 rs. a
Uom
Ghouricas as mais novas a 560 r?. a libra, e em
barril par 123.
miudinho e perola a 25,000 25500 e
Cha hvsson
25800.
Mi 1 lio alpista e painco muito novo a 160 rs. a libra.
Biscoitos e bolachas de soda a l5300 e 25
Araruta das melhores marcas a 15, 25, 35, 45, e
4j:;00 acaixa.
Charutos em magos contendo 50 por 640 rs. o cento
Azeite doce de Lisboa tino a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 280 rs. a garrafa, e 2000 a
arroba.
Vinho de Figueira e Lisboa das meihores marcas a
320, 400, 500, 560, 640 e 800 rs. a garrafa, este
ultimo lo Porlo proprio para os doentes por
ser purificado e reroramendado para este fim.
Queijos do ultimo vapor a 25 e 15700.
Manteiga ingleza flor a 15 a libra, e a 950 rs. era
barril.
dem meno superior de 720 a 800 rs. a libra.
Moni franeeza do ultimo navio a 560 rs. a libra
era barril se far abatimento.
Gomma da ma alva a 160 rs. a libra e 4 45500 a
arroba.
GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
FOTDI^AO DE SIMOS
* DE
VILCA, HIAO I C.
RUA DO IMUM ar. 40
Chamamos a atten^ao de todas as irmanda- I
des e coafrarias para o que abaixo publicamos. 1
O amor que votamos arto que professamos e o deseio .le temos de concorrer
asso fraeo contingente, para a vr rhwrarem nnlinJz an UXlSuXM5
m
bra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a linra.
dem hysson o melhor cpie ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio era latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopathico 2,000 rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a Cooors. a da-
da, c oou rs. a garrala.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
i.ooo, l,2ooe l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia
do de Simas e ouiros da Bahia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo e
4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franeeza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos Anos para agua o vinho a 4.8oo,
5,ooo e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra
e 8,ooo a 8.5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 6oo rs. o caixao.
Erviihas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loors. alala, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafao.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o fras-
co, e H,ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
l,8oors. a garrafa..
Painco muito novo a 16o rs. a libra, e 4Joo
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor,
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra, o
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Sardfnhafl do Lisboa o do Nantfc a 6oo rs.
a meia lata, e loo rs o quarlb
Sag muito novo e alvo a 24o fs. a libra
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra
Sevada a loors. alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oors a libra
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada oml
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Fimieira das
marcas menos condecidas a 4oo rs a mu.
rafa, ea 2,8oo rs. a caada g
dem F.gueiraexpecialmeiite escomido ocsto
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4.5oo acanad?
dem Lavradio, Colares muito fresco m
composicao a Goors agarrafa, e 4,5oo n a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a carrafa
e a 4,5oo a caada. '
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garra-
Uu
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
Douro, Duque do Porlo. D. Luii I, D. Pe-
dro V, Nctar, ralbo secco, Maltazia, o
genuino particular de 9ooal,Soo rs. a gar-
rafa e a 10,000 rs. a caixa com urna dozia.
dem Madeira legilimo a l,2oo rs. a parrala
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas Si
Juhen St. Esteph, chteau la Ro/e.cbatati
Margoux e outros a 6,000 rs, a caixa e 50o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2,ooo
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e 1,4oo
rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafes a l.ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna,
dem de escovas para lavar casa a
cada urna.
16o re.
Vellas de espermacete superiores a 56o re.
a hbra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de composicao
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e 1 l.ooo re. a
arroba.
chinas
com o
Alm desies gneros lia outros muitos que enfadonho seria raeodooa-los.
nosso meo contingente, para a vr rhegaremYosso" wi\l~icto'toftS"w nTra
desejar, nos impel a mandar Europa nm dos nossos socios, atSX* SrtleSS
mente estudar a melhor maneira de bem fundir os sinos particular
Grandes forara as difflculdades que tiveraog a superar, afm de pdermos eonsesir o .
nosso desidertum ; porem gracas aosesorcos e bous offlcios de um DdSID imito o nos 9
so soco nde ser adm.tt.do em urna das melhores fabricas de Lisboa S M
Muito lucramos e muito tem a lucrar o pnblico, por qne sera receio desermoscon- *'-* ~
testados. podemos afflrrnar, qne os sinos fabricados em nosso oslabeletmcoto im nada fe
se parecem com eises almofanzes de mao gosio qne por ah se fazem
Estamos hahiliudos a fuivlir sinos de Mt 0s tamanhos desde 16 libras al 100 ar
robas, com emblemas, ornatos, etc., conforme a voniade oa gosto do comprador mar.
dando em su fabneo todas as rrjrras d i arte. Pedimo,, portanto, em
tantos sacrificios fl despezas a proteejao do publico.
recompensa de
Villana, Irmfio 4 C.
I
e prensas para algodo.
Chegaram agora da America as verdadeiras ma-
chinas de diversos tamanhos para descarocar al-
godao e prensas do melhor svslema para enfardar
o mesmo : a ver e tratar na traressa do Carioca
n. 2
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova roe
ha no mercado tanlo em porcao como a reuibo, h m-~L .' .fazcnda a melhor que tem yt
por barato prego afiancando-se aos compradores a ^ nin1 ,' em ..niAmr m>, e, pelo baranssirao orecodo .M
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Roa doQiifimddo n. 19,
Vende-se o segalnie:
Attencao II
superior qualidade : a iratar as seguintes roas
Crespo n. 7, Imperado.* n. 8, Forte do Matto
mazem do Sr. Villa defronte do trapicho do
godao.
em qnalida-
o rovada
Chitas da Liga.
faenda inteiramente nova a 400 rs. o eovado
na loja de Pinto & Flores, na rua da Cadeia do
Kecife n. 47, esquina que volta para a Madre de
Dos.
Para casamento.
Gresdenaple lavrado branco, faxenda superior
a 23400 o eovado : oa toja de Pinto & Flores, n
rna da Cadeia n. 47, esquina qne volta para a'Ma-
dre de Dos.
UiUs miudinhas earmezins, proi.ris sb-
dos de meninas e camisinhas a 640 ocovo.
lurtes de laa com 15 covados, pelo barato preto
Coberus de chita da India a 2S00 e3X
Lences de panno de lioho a H e 2*500
34200aS de ca,nbraia de o"'0 coa8 tato
Toalhas alcochoadas proprias para mios a
ouza.
oa da Senzalla Aova a. 41
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
torro coado libra a 110 re., idem de Lo*
loor libra a 120 rs.
a
eortes de laa com barra Marta Pfa *
algodio com 10 vara,
de largura
Ricos
18*.
Pecas de platilhas de
proprias para s.iia a 4*.
A'godao enfestado com 7 li? palmos
a 1*100 rs. a vara.
Estpira da India, propria para forro de sala de
4,5, e 6 palmos de largura, por menos arreo do
que em onta qualquer parte. --
Neste estabelecimento tamben) aa eoconrar
om graede sortimento de roapas feiUs, e por me-
II FGVE
_L


nUrio 4e
Sexta felra 1 afe Ontnbro it I 9 .
AO PUBLICO
Sem o menor eonstrau-
gimeato se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENOtO
preeos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
AHMAZEM U
RA Wl CABE! A IIO RECIFE W. 53.
(Logo passjudo o arce da Conceifio)
Grande redneco de preeos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunciante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem a6Sm o de oulros
amitos objectos, etc., dando com isto ocasi3o a todas as espeluncas acabar^m porbom preco a manteiga de tempero, e grilarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo!!! Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vina encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta giande reducc3o de preeos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a n3o ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reducto a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamapao de preces, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento, para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
tao smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptido e entei-
reza eom que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certas de que sem duvida me darao a proteccSo e preferencia na compra
dos gneros que preoisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
6erao tao bem servidos como seviessem pessoalmente, haveudo para com estes toda recommeudaco, afim de que nao voem outra parte.
abati-
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escoltiida a 800 rs. a libra, em barril se
faz abalimento.
Wem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600 rs.
a libra.
dem pe rea o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
oeste geoero 2,600 rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,too rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo e 600 rs. a libra.
Queijos llamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra ente i-
ro se faz abalimento.
dem praio muito fresco a 8o rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
frese e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e lavas porluguezas em latasj pre-
paradas a 6io rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Pregunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e 1 Boa rs. inteiro.
dem inglesas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo o 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espennacete em caixinhas contendo 6 libras
por i.ooo rs., trarante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel. corvina, gors. pesca-
rs. e em barricas de 4 duzias se faz
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caba.
dem e laiherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarraTar em ancore-
tas com 9 caadas por 4S,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo euuo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,000 e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 000 rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de \ duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Dnuro, Duque do Porto, DuqueGeniiino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 6o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconserveirode Lis-
boa a 64o rs.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deverses
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, el,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolda do mesmo a 000 rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda fraijceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna lintnr.i. ficto pssea-
nal a contestar, a merma a .-na dando a rr priou-
tlva ao cabello. Cmprela de plantas i-v ti.*a
de substancias inofensivas, ella t<-m a propnedsdfe
de restituir aos cabellos o principio corante qo>- el-
les tem perdido. Duina saluhridule inrooiMla-
vel, a Agua Florida entretem a limpeza da r*\*r%
destroe as caspas e impede i. cabelles de rrffle
Oleo de Florida
Composto de substancias vegeta*! ex. ticas efe
I conslitue poderosamente, com a Agua FU.ri !a, a
I torca, a bell za e a conservacao dos rabsUas.
Lm Parts, casa de Quislau'r n. II ra dr P,'.itm-
ieo, e 21, boulevard Montmarlrc.
Todos os frascos, nao lendo iotseta arfare*
! timbre praleado da casa, sao reputados Hkb,
Deposito, ra do Imperador, pliarmacia n. 33.
Vm Dcscohriiiiclo Espantoso
O Mundo St'itntifiro HoaDiiuaurntr o span
ir *;-.. -r
cana e leceier doua proprta enamuueija um gruuoe e vanado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, pnr isso apressa-se o proprietario em
offerecer aes seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos preeos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a l.ooo
rs, a libra e 800 rs. sendo em barril.
dem franceza a 6oors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,600.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras jara
cima a 2,7oo,
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-'.
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-:
ja, canella, cravo, rlela plmenta a ,ooo!
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-;
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
desejar a 2,6oo e d 8 libras para cima
a 2,."oo rs.
dem menos superior a 2,4 00 e de 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2.800 rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,800 rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
da, salmio, ostras e chernee, vezugo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna. cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- libra,
das q-ie tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa,garante-! qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro, Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. i para mimo a 64o rs.
Cenebra de II "llanda a 56o rs. o frasco, e
Passas muito novas de carnada a 4no rs. a
5,7oo rs a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
Il,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a loo
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 1,000 rs. e 11,000 a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o maco.
Sal refinado em 'rasco de vidro com rol ha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a lihra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiaedas
miic o<>r..liiaita marca* cnnhi'Cila iwi
nosso mercado a 2,ooo, 2,5< 3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. agarrafa. Balachinha-de Craknel em
Doce da casca da goiaba em latas de 4 1-1 brut0 a |j000 re.
bras por 2,ooo; dito em caixoes a 600 rs. dem inglezas em barricas
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra c 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banda de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem pralo es melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oors. agarrafa.
Biscoites em latas de 2 libras das seguintes
marcas: Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine eoutras mul-
tas a 1,3e l,4oors.
Fumo ameriaano em chana a 1,60o rs. a
imra. '
Araruta delodas as qualidades.
Batatas novis em cahas de 2 arrobas a 3 a
caixa e w rs. a libra*
latas de 5 libras
a mais nova do
mercado a 3,5oo rs, a barrica c 24o rs. a
libra.
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de i
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
ErviUias francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre higlezes a 7oo e 800
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. la 8$500 cada urna. |
Massas para sopa macarrao, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 800 rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por abi se ven-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf do prorooirn quolidado O 6.3oo O 0,000
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.

iVioial le ki'ui:
Por ospa<;o de milito lempo se ha nzali' -r-
tinsaiiionto em TaiupK'O >aru a ruta ic
TSICA pulmome,
CATARRHO, AS7BMA,
BRONCHTTE, T0SS2 CSIfnUa,
CHUPO O GAP0i7I.P9, o
Inflammaijoes da Garganta e do Peif.,
e isto eom um resultado t~>o felii e VOTdaM--
muaenU hmAMD o |>o ou modera rinnu.
nrvorc que chamio Anacaih'ita, e so MMSODtm no Mxico.
A Compos9o Aaacahjila Peito-
ral de Kemp 6 una Xurop ddiei m, \uu\-
nunonte di&rente na ?u ccmpo*'ao de
todos C'S mais PteriMia c Expectonuitaa <<*
iufacturailos do fruotoa aatagentea, mmmi
ej-aizes. ..., o mesmo n:io < >n.m oenbo i
Aridv J'ritsfUo o\\ outro* qoaoequer in;rw
dientes venenosos.
Todas as molestias e afleeaea da !anian{!'
e, dos pnhnes deppsfecwi como |K>r un
mgico encanto, mediante a &' io des
iiijiaiavel e rreMrtivrl remedio.
A venda as boticas de Caors & Barboza
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo A C, ma
da Madre de Dos.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugiona tarde do dia i6 de julho p. p. u
escravo pardo, de nome Marcos, de^niharraif
do hiate Simta Atina, vindo do Araeatj, irndr
de idade 28 annos pouco mais ou in< nos, c os s,^
naes seguintes : altura n-pular, seero do tana
puui-a ama, rabello crespo, levoo cnn.La
calQa de algodao^inho de rimado azul ecLa-
Idem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-1 p de palha, tendo levado eomaijm mna rnnl
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
mollios com cento e tantas por 1,2oo rs.
Mane excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
DA
FUNGI LQW-AOKOOa.E
Ra da Senulla aera n. 42.
Neste estabelecimento contina a baver
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar rospa: em casa de S. P. Jonnston t C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Vinho do Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
eer Antonio Luiz de Olivara Azevedo & C, no seu
esmuturio ra da Cruz n. 1.
. mmmmwmwm
Fabrica Concei$o da j
BaMa.
Andrade Je Reg, recebem constante- |
mente a tem venda no seu armazem n. f
34 da roa do Imperador, algodao d'arjael-
la fabriea, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodio empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
ARMAZEltl
Ra da Senzalla o. 42.
FRONTEIRO
DE
AIi\EH COUTialIO e BRAWDO
21 Largo do Terco21
Ao publico.
. Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a 1,000 rs. a libra;
ameixas dem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do MaranhSo e da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2.6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a l,ooo rs. a garrafa e em porcSo, menos; dem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs.; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e l,2o>> rs. a arroba ; cha perola, hysson, miudinho a l,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra ; charutos des melhores fabricantes da Baha de 2,ooo e 4,ooo rs. ;
cerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo rs.; cognac inglez superior a l.ooo rs. a
garrafa ; caf de 1.a, 2.* e 3.a qualidade de 8,5oo, 9.ooo e 9,5oo rs. a arroba ; cevadi-
nha a oo rs. a libra ; ervilhas portuguezas em latas de 1 */i libra a 7oo rs. ; spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a G.ooors ; genebra de laranja a l,ooo rs. o frasco; idem de Hollanda
a 64o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia; manteiga ingleza per-
feita flor a 8oo rs. a libra ; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maga
libra; ale-
cada fras-
6o rs. ; po-
Vende se em rasa de S P John'ston & C de ton,ate a 6o re- a libra marmalada dos melhores fabricantes a 64o rs. a li
lins c silba inglezes, 'candiein.s e castl' tria, talharim e macarra a 4oo rs. marrasquino de Zara verdadeiro a 1 ,ooo rs
9C hmn,M.tne i,L<' \ka\PiM. fio de vela. j nozes mu.to novas a 2oo rs. a libra ; passas a 4no rs. a libra ; pa.nco a I6(
sel lins
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chiclas para carros e montara
carros de um e dous mallo
uro pa en e inglez.--------_-------------------| ca A ICtVQO I**50 massa muito superi- r a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa rmnto alvo a 3oo rs. a li-
Tende-se barris com alcatrao, na ra da Cruz >"j vinlro do Porto velho engarrafado a l,5oo rs; idem em barril a 8oo rs. a garrafa,
n. 23, primeiroandar, escriptorio de Antonio de sendo por^ao fa/.-se differenca eem caada a o.ooore.; piem de Lisboa muito superior a
Ahneida Gomes.
P0T4SS4
Vende-se potassa em barris a
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriptbn:
de Antoniode Almeida Gomes.
4oo rs. a garrafa e 2,8oo rs. a caada ; idem da Figueira J. A. A. a 5oo rs. a garrafa e
Mn rs. a caada; dem do Estreito a 36o e 320 rs. a garrafa e em caada a 2,56o;
idem Bordeaux a 56o rs. a garrafa ; idem branco de Lishoa, proprio para missa a 5oo rs.
a garrafa; vinagre de Lisboa muito superior a 2oo rs. a garrafa, e I,loo rs. a caada ;
ada erftor o^8 cevada, alfasema, gaz e tijolo de limpar facas a 4 4o rs. Presuntos de Lamego a 5oo
ea.l.s a.ir rb oulros muitos gneros quedesnecessario menciona-los.

Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes com sal retinado a 48o rs. cada um.
Bicos frasco^ eom frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
com mais rotipa, e rendido de urna das v,n:l >
quem o aepreender oupira leva-to a rus da BMre
de Deus d. 38, ou ra do Urum n. '', iji.-.- -i*
recompensado.
Escravo fugitio
Fugio no dia 7 do corren te o pivt Amancio, de *
estatura regular, as duas panas srqopadas, fa!ra'
de denles, representa ter de idade ti a ." annos: .
quem o pesar leve o ra do Trapiche, Rvtal da
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar- Kuri)a> ''"e icr reromPensado_
1U0S
roba e 26o rs. a ibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India coraprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
de
graliuc rao.
resma,
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
dem embrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/ ''ra a
1,2oo e 800 rs. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja eoutros muitos a 12o rs. a
lata de 21 2 libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,000
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 600 rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e nutras muitas Molhos ingieZes a 800 e 1,000 rs. o frasco,
marcas, em ca.xa de urna duzia a lo.ooo e CravQ a Jg rs |ibrJ
1,000 rs. agarrara. CervejaTenente verdadeira a 7,ooo rs.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra- dazjae 600 rs. a garrafa.
fa e 4,ooo a caada. iem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors. e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
a caada. Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das vndas do Porto a 32o rs.
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
e 5oo rs, a garrafa. 800 rs. o cento.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs. Gen(*ra de Ho',onda em *** a 6'000
a garrafa e 3,ooo rs. a caHada. _.e 56 ,.? tr- .
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea ,dem em ^'J38 a 4o rs-
composicao a 660 a garrafa e 4,000 rs. a iem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
caada. Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
Farinha de matarana a 240 rs. a libra. ^^
Bicas caixas com figos al, 000 rs. cada urna. Wem de defltes Ixa(}os em macos gran(ies
Bicos liaros com figos 1,00o rs. com 2o rs 0 maCinhos a 12o rs. o masso.
Pomada a 200 rs a duz.a sevada muito no- CGmnhos muito novos a32ors. a libra e
va a 80 rs. a libra, e 2 5oo a arroba. { a arroba>
Garrames com 4 /, garrafas de vinho supe- Sagu muit0 novo a 24o rs> a |ibra.
rior a 2,5oo rs. com o garrafao. Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra,
dem com 4 V dtas de venagre al,000 rs.o Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
garrafao. arroba.
Vinagre PBR em ancoretas de 9 caadas a Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
15,ooo rs. com a ancoreta Peixes em latas a l.ooo rs. a lata j prompto
dem em pipa puro sem o batismo a 2oo rs. a comer-se.
a garrafa e l,4oo rs. a caada. Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor- grandes a 4,ooe rs.
deaux fazenda muito especial a 6,8eo rs. Doce da casca da goiaba a 600 e i,000 rs. o
a caixa e 7oo rs. a garrafa. I caix2o.
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregue
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos espulou
os mesmos preeos nos seguintes lugares:
Unito e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
roba, e 36o rs. a libra,
dem de sebo muito dura fingindo esparmace- a quem capturar o escravo panto de nome Lfr
te 36o rs a libra Derat"' fopido <'m 16 de outuhro com Dio, de es-
,, '___,'.((. .in>_ m I tatura regular porm largo dos hombros, miir
dem de esparmacete a 50o.rs.a libra, e em de q >n ,#, Oor alaranjadn .rosto oval o-m nr-
caixaa 52o rs. com 25 libras. cas de espiabas ebeiips,falla pooraegros-o.cor
Papel o melhor que se pode desejar para os pequeo sntaqtwde gaguez, hltam-ltes i*4w os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-1 da fri'"1'' .e a ca,H'C:i 9J8Bha s"',> "'" 'a'
.7K^ j F esta com os cabellos principiando a erestir i
ma, ja se vendeu por /.ooo rs. |0g0 acima da lHSla na rab,,ta Ul|ia (.r.lIriz Vi i,,^
Idemalmacopautadoehsoa3,ooors. aresma. rurtrj na orcasio da fgida uma esp.nR.-.r.ta iu-
Idem de peso pautada e liso a2,5oors. a quena de dous canos, um patatal preto .> lr*.
tres ditas de brim de cores, camisas tina- t< i- >
urna tiotoes de coral nos punhos e um de prdra
branca Pingindo brilhante na abertura, uma esroa
de facto, um chapeo de sol de seda um par de botinas, um paletot de hrim dcbrii.''')
de fita branca e um chapeo de palha de Mamiha,
alm da roupa delle. Este escravo vi i i do Rj..,!
Janeiro em 14 do correte, onde se aabava saai a
nome de Marcolinn, muito fujao e co do foge iniiiular-se livre, perten-'eu ao MqarJuiS
Francisco do Hego Maia de Apiparla, e hojo a)
Svmphronin Olympio de Queiroga morador ra
Vel ha n. 3-1______________________________
Attencao a pega.
Fugio a escrava crioula Joaquina, cor fo
la, alta, magra, ps grandes e apalhetadi>s-
tem alguns cabellos brancos que os pinta^
inculca-se forra, muito falladcira e se >u>
geita alujada em casas paj lirulares \>-in
engommur durante o tempo de fgida qua
nao a primeira vez que a faz, disfta\a H
de diversos modos, as vezes de timo o
saia preta e outras de vestido e bati, ea-
contrada constantemente ja no hairro d>
Becife, S. Jos e Boa-Vista, e ltimamente
fui vista pas>ar pela ra Augusta e sup-
pe-se que est murando em algum cast-liro
l>or detraz desta ra : roga-se as auinrid.i-
des policiaes dos bairros do Becife, S. J<>s
e Boa-Vista ou outra qualquer pama ipia
a encontrar apprehendam e apreseiitem .,>>
sen senhor visconde de Voa-vi^a em seu
palacete ra da Aurora.________________
Uamiana criedla, cor fula, alia, secca. .-n a
cara descarnada, vicio de lomar tabaco, anda do
vestido de algodao de listra e de chita encarnad
cabocla, chal' de ganga encarnada d- pahans ai*"
relias, fallaiMe, reprsenla ter m.-nns de 'V'"^
nos, quando a sua idade de 36, fugio p- **
do cjrrente mez : roga-se, portauto, as olorida-
des policiaes e capitaes de campo que y^!!. ST
dam e facam conduzir seu senhor.*'1, '"^'"
Madre de eos, no sitio denomin^. ,^"'no.
na vlla, e ser entregue ao ca|>|Lf l"''""^'10 *
Reg Maciel, que serao genero/1enl'' recompen-
sadas ; e na pra?a de Pernar*000 ao~ :'rs- J':i"
Ihaes da Silva lrmaos. _________
~Pngo d enjrenhM ri no d.a 9 do rorr-n
com dlreccao a esta v^ "Orte PTnoito.i aaaeite
noite o escravo Caen. >", de idade .W ann.^ .
penco mais ou raef*, nao obstante ja ter ainos
cabellos hranM-, tiouca ou nenhnma barba, ven-
tas granaVs e frebiudas, etaiura mediana, per-
as Anas, p.yapalheUdos, andar corcovado, rotr*.
bem cicatfpadas de rhicotp, minio lartino v-
Ihaco : itilica-sc a quem o agarrar e leva-lo *
mesraff ngenho on entrepa-lo "* |Tca na rao
Xm6 de Santa Rita n. 7, aos Srs. Siqueira & Saoms.
/


s
niir! 4e rer**mhnf Sexta letra ti 'rOntal
LITTER ATURA.
0 QUE VAE PELO IflUNOQ
Acerca da transferencia, da magem de Nos-
sa Ssn'iora das U >ns para Muribeca, remetiramos
missionario a segui-lo ao palanque, onde subu,
e pronuncioa ara discurso lucido e mals que bri-
Ihaoie, donde deduziu o flm e a importancia da
missSo que Deas colhenfira.e que elle, com obedi-
encia a Deas, e tomando por modelo om grande
mestre, Pauloo apostlo das gentes, vinha -des-
empenhar naquellas paragens. E desie modo ter-
o,.ruinie deste lagar :
' No dia S do coi rente, das oito para as nove m,nou a maior funegao religiosa a que Muribeca
Horas d.i raanhaa partiu de Olinda para Muribeca l?m nssislo, com qae deti testemunho das cren-
o Rvd. Conegu Joo Cliryso-iomo de Paiva Torres, ?ils que o animam, e que, gravada na memoria de
a-logo uu dia seguate dea principio funegoes todos, ori de immensos e benficos resultados
do seu apostlico ministerio. Para as Keracoes futuras sem fallar dos que vae
o. Apexar de diversos translornos occasionalos actualmente produzir.
pela icassez da mar, e oulras circuinslancias, a Ao muilo diario vicario dessa freguezia deve
Qae naVjieraitUram se erfetuasse o embarque com e,la a felicidade deque est gosando e gnsar com
8 soleoinidade, que projectavam os encarregados fructodas presentes mssoes, nao s porque foi
do transporte do diyno missionario, todava sua delle que partiu a iniciativa dessa grande idea,
partida fui esplendida e turante.
a As caneas do porto que se embandeiraram ;
os curiosos que afluiam para gosarem de um es-
t ecl icu'u, seniio nevo, pouco ciiimum, os amigos
o Rvd. ronego, que concorreram a obsequia-Io, o
concurse iiumeoso do senhoras de todas as eondi-
(Ses, mas todas egualinenle iranias das Dores, que
como porque seus esforgos se deve ter o objec-
to della assumido lio grandes c magnificas pro-
porgues.
Mallos e repetidos louvores, pois, Ihe sejam
dados, assim romo todos quantos nao concorrido
a coadjuva-lo em to nobre e santo empenbo.
t Eis os quarletos recitados e offerecidos San
sz haviam reunido para acompanhar a [magem de tissima Mae das Dores, na sua chegada esta po-
Boa devofio, e que, como de costume, devia seguir voago :
COSa o Ilustre missionario, e finalmente a impor-
tancia o considerago que todos sem excepgao pa-
r ciara ligar a esse acto, tudo isso servia para
ic-m.nunicar-lhe proporgoes magnificas.
c Navegara em frente a galeota da presidencia,
ConJuzndo urna arca, em que ia guardada a Ima-
f/m de que fallamos, acompanhada de duas lan-
cha-, e mallas canoas, que Ihe formaran) alas, e
iam topetadas de gente.
* Ao estampido do fogo, que subia aos ares, res-
t; mdiam as harmonas de urna encllente msica,
qae acompaobara o cortejo.
c Depois do descerem assim o Deberibe, subi-
i\tu do mesan modo o Cajiibaribe ; c, obrigados
b desembarcar antes da ponte dos Afogados por
tat de mar, seguiram a p at a povoagao do
tjesuio nome.
c Alii foi a arca sagrada depositada na egreja
matriz, onde a e.-porava o respectivo vigario, que.
alen de outros obsequios, que prestou aos fregue-
sas dj Muribeca, que eslacionaram em sua casa
por alg unas horas, fez reuuir na occasiao da par-
f.'..b, orna msica militar, e precedido della, e
aeompaabado de martas pessoas do lugar, quiz ar-
i ir/s a honra de conduzir exclusivamente com
BCU i freguezes a arca referida at certa distancia,
(.ai lo voltou com a msica, continuando o povo a
disputar aquella honra at os limites da freguezia.
c O-gados ah, lizeram entrega da sobredita
Se um anjo do Eterno, bailado do cu,
Na trra, submisso. vos veiu saudar,
Que devo, Senhora, que posso fazer,
Eu, vil creatura, p'ra aqui ves honrar ?
De rosas podra capcllas tecer-vos,
Mas vejo, Seuhora, que as flores fenecem,
E que nessa fronte refujge urna c'ra.
Que estrellas a mil, brilhantes guarnecem.
Lembrei-me, Senhora, compr-vos um ramo
De lirios tambem ; mas isso o que ?
Que valem os lirios, as rosas que valera,
Ao lado da Virgem, da flor de Jess 1
Bem pouco valera aqui levantar-vos
Um hymoo que o peito podesse offereeer ;
Bem pouco; que em meio de coros anglicas
A voz de um mortal se iria perder.
Assim, se nao valem os ramos e c'ras,
Se um hymno nao sei, nem posso cantar-vos;
Ao menos, Senhora, o manto estendei-tne,
Tornae casto o seio que venho offertar-vos.
E dae-me que humilde, dobrado o joelho,
Ao p de vossa arca me venha prostar ;
Eu sei que com ella, na vida e na morte
- Das aguas do crime me hei de salvar.
UM POLCO DE TUDO.
Sobre o Evangelho de S. Locas, cap. XVIII
arci aos parochianos de Muribeca, que concluiram Meu I)euS) # prOpic0 a mim peccador, escreve a
?, viagein no meio de caticos sagrados, e possui-, Cruz segUjnie
* Alui de muitos arcos que
fazera, depois qaerem ser ouvidos no meio de
suas snpplicas fras e sem forcas.
Nos devemos inclinar o nosso espirito reverente
e chelo de submisso para que as nossas vozes se
jam altendidas, e nunca considerarmo-nos isento-
de culpas, mostrando que obedecemos a lei, e pre-
enchemos cabalmente os seus mandamentos.
Procedendo dessa forma nos constituimos orgu-
Ihosos, e parece que desejamos tocar as perfdcoe-
infinitas: fagamos as nossas orages, pediodo sera-
prea Deas que nos anime e nos faca irilhar no ea-
minho da santidade, porque a todos os instantes
commettemos as maiores falta?, qne por niio as
consderarmos, persuadimo-nos que sao meritorias
e dignas de serem imitadas.
Imitemos ao Publirano, que reconhecendo-se cri-
minoso, batia nos peitos dizendo : Meu Deus, s
propicio a mimpeccador. Em urna oragao tao sim-
ples esse homem tocou o coraco de sen Deus, por-
que fallava-lhe com a linguagem da verdade e da
conlricgao, e por isso alcangou o que recommenda
o Evangelho aquello que se humilha ser exal-
tado.
O Fariseo menoscabando do pobre que orava, e
procurando mostrar as suas virtudes, ergueu-se
em sua soberba e perdeu tudo quanto havia reu-
nido.
Nao no exterior que devemos crer as virtu-
des, mas sim na simplicidade do espirito.
Nao fagamos juizos temerarios de ninguem, mas
sim respetemos a todos, porque smeote Deus
quem sabe de nossos coracoes.
*
UM PAE FALLANDO A SE FtLHO.
Oovi, Olho, os avisos de vosso pae, e sega-os de
sorte que sejais salvo i porque Deus honrou ao pae
nos hlhos.
O que ama a Deus, alcangar pela suas ora-
ges o perdo de seus peccados, e se abster de
tornar a cahir nelles, e ser attendido na oragao de
iodos os das.
E assim como obra o que ajunta um thesouro,
assim tambem se porta o que honra a sua mae. O
que honra a seu pae, achara a sua alegra nos seus
lillios, e ser attendido no dia de sua oragao ; vi-
vera urna vida maisdilatada ; e oque Ihe obedece
dar refrigerio sua mae.
Honra teu pae em aegoes, e em palavras, e em
e eu
* PROPAGANDA protestante nao nem legitima llainha nrgulhosa d'altivo semblante
nem lgica. Nao cortes teu vo, caminha e vers ;
Quando a egreja catholica, por meio de sens Que a luz do infinito, que vs radiante
bispos e padre.*, assignala aos christos a propa- Era breves momentos rendida acharas.
sranda protestante como urna aggressao injusta e ------
diosa, comegam logo os jornaes herticos, e com A .Vagao publica oque segu :
files o orgao do racionalismo e da revolugao, a Vae ser levantada emTroye urna estatua em hon-
queixar-se deste procedimento, aceusnnrfo a egreja ra do papa Urbano IV, nascido naquella cidade.
de ter dous pesos e duas medida*, e de prohibir Un subscripcao que brevemente ser aberta
tyrannicamente aosoulroso que ella nao cessa de fornerer para a sua despeza.
praiicr desde a sua origem. Jarquis Pautaleao, IHho de um remendao, nas-
Estas reenminagoes mereccm urna respo-ta, a ceu eHectivamente em Troyes.
qual inui fcil e simples. Pelos seus merecimeotos alcangou ser arcedia-
Todas as seilas protestantes reconliccem que o g0 de Laon, depois patriarcha de Jerusalem.
hpmem pode salvarse na egreja catholica. A egre- Levando os negocios da Palestina a Viterbo, no
A catholica, pelo contrario, ha sempre altamente momento em que se cuidava de eleger um suc-
professado ser ella a nica religiao verdadeira, e cessor ao papa Alexandro VI, Pautaleao foi esco-
que necessario pertencer-lhe para ser filho de lhido, e tumou o nome de Urbano IV.
Deus. i. Innocenrio IV, o penltimo pontifica, oferereu o p0r semana_
Os protestantes, pois, estao em contradiegao com reino de aples, primeiro a Luiz IX, rei de Fran-
os seus mesmos principios quando buscara arran- ga, que o recusou, depois a Henrique III de In- Lemosna Esperanza qae breveawole se erisV
car as almas a egreja catholica : a egreja catholica glaterra, que o acceitou para seu filho, ao que foi cara a tras|ajaca avi nttlm de BjIhk> mh
achar-se-hia tambem em contradiegao com os seus, obrigado a renunciar de|mis de muitos esforgos centro dos clau.-tros da ratbedral de Vieb.
se nao empregasse todo o seu poder e todo o seu para se apoderar delle. Urbano IV offereceu en-
zelo em reconduzir a Jess Consto todos aqueller. to a rora napolitana a Carlos d'Anjou, irmao de Hendeu o imposto sobre os e em F
a quemerros funestos separaram do sen rebanho. Luiz IX, que a acceitou por seu turno. ;5,4CI:16 francos, sendo tama
instrumento de um genero asss sil.
todo o caso compleuraenu aovo, awai
orgao chamado aeropkom, do qoai o apar*
(ue o ar.
Parece qne nada ha mais agotar o qae er
tumo escapa r-se ao mesmo tenpo qae o seas das
numero-as chaves adoptadas a nit mm w> ea-
nudos.
O atrophon que de origeo aoericaaa. Ini
nc-te momento as delicias dos haltataM de *-
xellas.
Ase?nra-se qae Verdi j pesoa otili*ar a inr*
e sonora voz do novo Instruaeato para as tr-
operas.
Dizem alguns jornaes qne no Meaieo i
Cardona araba de se desrobrir om aovo fitea
ouro, cujo rendimento se avalu em iOh bmI
4-
Quando a egreja caiholica so esforga por escla- j Urbano nao viu effectuar-se estes acontecimen-
recer qnalquer protestante erecondnzi-lo verda- tos; morreu a 20 de outubro de 1863, sendo papa
deira fe, deixa-lhe todas as verdades que elle ja pouco mais de tres annos.
em \.*m Mi
possue, e Ihe fornece todas as que Ihe faltam. E
um pobre homem meio vestido que ella acaba de
vestir : o pouco que este j tem, junio ao que ella
Ihe d, forma o christao completo.
O contrario acontece quando a propaganda tra-
balha por seduzir ocatholico ; ella nao faz outra
Foi elle que instituiu a fesfa religiosa do Santsi-
mo Sacramento.
Deixou um grande numero de carias, das quaes
muitas se achara impressas.
*
O castigo do agoite chamado gato como nos pro-
coihsasenao tirar-lhe urna parte de suas crengas, dga^e em Inglaterra a tal ponto, que no anno pas-
sem Ihe dar nada em compensagao. DehH-o meio sado aque||ej ,,ue 0 soffreram sobem a 580.
n, como esses desgrasados caminnaotee a quem
os salteadores despojara de seus vestidos e capotes j n0 da {g 0 crreme havia de verHcar-se era
debaixo do especioso pretexto de os alliviar destas r,,,,^ a beatillcagao da veneravei Margarida Ala
superfluidades ncommodas, e sem ao menos Ihes coque de uago franceza.
dexarem alguns andrajos para os preservarem do *
fr0> Diz um jornal que em Paris morrera nao ha
, milito um avaro que vrvra o mais miseravelmeote
Alem de que, e cousa confesada pelos protes-
tantes, que relativamente verdades religiosas.
caes.
Lemos na Cstaa
Militas conver>0>s lem tido lugar era Ti
era Trieste entre os votaoiarios alistados nra
tarrico do imperio mexicano
el les nao tem nada a dar aos calhoicos, que estes
ltimos niio possuamj ; e anda outrosmi decla-
toda a sorte de paciencia, para que venha sobre t ram a bengao langada por elle, e permaneca com tigo
at o ti ni.
que se pode imaginar, era tamanho o seu afn de
nao gastar que paseara fome, susieutando-se ape-
nas de fructas passadas, e de alguno bocado de
pao que mol tiara, este homem nunca se quiz casar
para nao sustentar a mulner ; em casa para eco-
nomisar luz unha feito ura buraco na parede que
dava para casa de um vizinlio, para se utilizar da
luz que elle aeendia, a su mobiha compuuha-se
chrstianismo, foram tomados da egresa catholica
Chicamos Luthero, esse antate patriarcha da re-
forma, dar o seu parecer sobreest ponto. Zwin-
A bengao do pae fortificaas casas dos fllhos : e glkv, na conferencia de Marburgo objectava-lhe ^ UII1(4 cadt
a maidigao da mae as drstroe pelos alicerees. qiw presenga real de Nosso Senhor no Saotissi- i E .,ava lliscripl em diver3as socedades de be-
Filho, ampara a velhice de teu pae, e nao Ihe rao Sacramento era um dogma do papismo. j Befil.enca> e vsnJia os SOCGorros que de||a3-re-
des prazeres em sua vida : e se Ihe forem faltando
as forcas, supporta-o, e nao o desprezes per pode-
res mais do qne elle, porque a caridade que tu ti-
veres usado com teu pae, nao ficar posta em es-
Subiram dous homens, irmaos meus, ao templo ------ -
pelo caminho se .' K quechnento.
, a fazer oragao : um rariseo e outro Publieano. O fv- .___- ,..
ttnhaM levantado em s.gnal de horaenagem ao en- par|g^ ^ bm p Uva ,a no seu ial(mf d9S. i Qa mfame e o que desampara a sen pae ; e
wado do Senhor, e a sagrada Imagen), que o pre- ja forma :
ceda, muitos outros se haviam erguido na povoa-1 Gragas te d0U( meu Dens, porque nao sou como
C,F:0 d-i Muribeca, sendo que a tudo sobresahia in
mostr.
Bm frente dessa illuminago erguia-se um pa-
vjifi i com 21 palmos de altura, e desoito palmos I
(.{ quadro, tambem illuminado, e ornado cora gos-
quo amaldigoado de Oeus o- que exaspera a sua
mae.
Fho^ leva as toas obras com mansidao, e con-
ciliar-te-has nao s cora a estima, senao tambem
com o amor do homens.
os mais homens, que sao aos ladroes, uns Lnjus-
GOmparareimeote urna brlhanle illuminago, le- t05) uns aaunerS) ^0 tambem este Publieano.
vanUda em frente da egreja. e no ci.no da qual I Jejuo duas yezes pof semana pago q ^.^ de
resplandeca Imagen da Senhora das Dores, pin- tudo Q que tenhQ Pub|can0) peIo con!rarj0)
lada em tela transparente ^or mao de um insigne | pos(0 | de |ong(lj n-0 ousava nem am(Ja |evaMar
| os olhos ao cu ; mas batia nos peitos dizendo :
Meu Deas, s propicio a mim peccador.
Eis dous coraeoes diamelralmente oppostos v 001
I enrollo em urna retinada soberba, o outro revestido
No cruzeiro da egreja, qae eslava decentemen-:de ,oda a """"'dade ; eis o orgulho deprimodo a
Ce Jecorada, erguia-se ara rico estrado com dous virlu,je e luereudo elovar-se, para ser coroado na
u-raus, entre quatro columnas, que sustenlavam PreSBDCa daquelle que tudo v e sabe.
ima cpula primorosamente irahalhada, ondeo; Aprendamos a ser subinissos para nao cahirmos
C-^ro bnlliava por entre a alvura de exquisitos reo- no desagrado do Senhor, porque o seu olhar pe-
fiad' is, e oo meio de delicadas fl >res. -ie esuaao; netranie e governa os nossos coragoes.
-tT?. destinado a receber a arca, que vinha em pro- j Devemos orar sempre para que o fogo da fe nao
l-so ', se extinga, e todas as vezes que o fhermos nao nos veredas corrompidas.
e Ao chegar aquella na egreja do Rosario, foi tornemos altanados, mas sim humildeo para que E ana farao eltes quando o Senhor
*,\ oiaudade do SS. Sacramento, seguida da irmanda- Para bem longe sejam langadas as vdas que
Ce do Livramento, e muitas senhoras que ahi a: mu.ta gente nutre a raspeUu dos favores que Deus
esneravam, fechando-se o prestito com a msica 1eonceUB a uus ~ e porque nao os recebe egual-
irrchl da me.-ma freguezia, qne foi sempre l0- mente consp.ram-se e dijera :
cando at a matriz, onde afinal foi a arca deposi- ~ Eu trabalho, nao forto, nao defraudo os bens
Cada no lugar qne Ihe era destinado. alheios, e porque razio nao heide participar da hum.lha o teu coragao e soffre : inclina o teu en-
< Isio feito, veiu protar-se ante a mesma arca
cma menina de oito annos de edade, que rectou
e poesa abaixo transcruda e era seguida veiu
gabslitui-la um parochiano que, com permi
respectivo parodio, prle iu um discurso, que nao
publicamos por niio caber as proporgoes da pre-1
aente noticia.
< Concluido isto, foi c povo convidado pelo Rvd.
Quanto maior fores, humilha-te em todas as cou-
sas, e acharas graga diante de Deas. Teme ao Se-
nhor para que ala aliase santifique em sua pre'
senga : porque pio e misericordioso, e elle per-
dar- os peccados nos dias de tprbulagao.
A&docorago do mao, c dos labios corrompi-
dos, e das maos qne obram mal, e do peccador
que asda sobre a trra por dous oaminhos.
Aedus dissolutos de coragae, que nao se (iam
de Deus ; e que per isso nao sero delle prote-
gidos.
xaram os caminhos rectos e se enrfiviaram petas
O qne teme ao Senhor, nao ser Incrdulo
sua palavra, o que o ama conservar o seu ca-
minho.
Aceita de Jwamente tudo quanto te tenho dito,
t Pois ento, Ihe diz Luthero. negao tambem to- cejj,a
da a Biblia ; porquanto i do papa qne a recaemos.
Nos, ainda que protestantes, somos obrigados a ^' miseravel adoeceu nao querendo nem e-
confessar, que no papismo ha verdades de Iva- **V nem recolherse ao hospital asseverando que
gao, srm, todas as verdades da salvagao, e que a dieta era o uuico remedio, e morreu.
debe qae as recebemos, porque no papismo que
encontramos a verdadeira Esc.riptum Santa, o ver-
dadeiro baplismo, o verdadeiro sacramento do altar,
as verdadeiras chaves para remissao dos peccados,
a verdadeira pregarn, o verdadeiro cathecismo, os
verdadeirs artigas de fe. Accrescento, outrosit, ^Ym*BHmiaaV, curiosa de ass.stir chegada
que e no papismo que est o verdadeiro chrstia-
nismo.
E' pois forgoso concluir da afilrmagao que con-
fessa ser a egreja catholica o verdadeiro christia-
Entre a palha daenulierga encoutraram-lhe va-
rios ttulos de renda, muiias aeges de caminhos de
ferro, e 28:000 franeos em ouro.

O Timrs aununciaiue na tarde de 6 as imroe-
diagoes do banco de Inglaterra estavara oceupadas
Numo, que as seitas protestantes o nao possuem,
porque a egreja affirma oque as mesmas seitas ne-
gara ; e de mais a mais, concluir egHalmente, e
isto salta aos olhos, que a-propaganda catholica
para a egreja um direito c um dever, era. quanto .*>"* P*ra f forltS Q0 banC
de um longo c.oiiiboyo de wagons do camuho de
ferro do sudoeste, carregados de caicas com mui-
tas toneladas de ouro e prata, em inoedas e barras.
Este thesouro tiuha desembarcado em Southamp-
ton, do paquete que trouxe a mala do Mxico.
A sua iupurtaucia era tal, quequasi toda tar-
de foi einpregada na descarga a trasladagao das
A somtna
qu a dos protestantes, e
justiga.
um absurdo e- urna in-
E' do Sr. Senna Jnior esta poesia
| mesma graga que outros, sem nada fazerem, ob- vide e recebe as palavras de entendimento, o nao
tem ? Nao obstante o meu zelo, a rectido dos te apresses no tempo da escuridade.
meus negocios, a observancia de todos os precei- A- vsla g^ conselhos. o que respondern os \
Nsodo; los mratS e sociaei' cada vei "Iais we veJ0 iufe' directores das sociedades bblicas, que aqni andam
-!liz e perseguido
mercndoos seus livrinhos? E' fra de davida,
E' um engao muito manifest da parte daquel- que moitO se incommodarao, porque tiveram a ha-
les que assim pensara, porque consideram-soexac- bili lade de deste-rarem o grande livro do Eccle-
los no cuniprimeulo de seus deveres, e afinal nada siastico.
(X Tobas Barretto de Menezes.j
i llainha orgulhosa d'altivo semblante
iNao cortes teu v6o, caminha e vers ;
Que a luz do infinito que vs adianto
Em poucos momentos rendida toras.
Prosegue altaneira com pussos seguros
Que o mundo bem pouco p'ra teu carsiohar
Nao vs aJiante que a luz do futuro
La surge brillante, qual sol sobre o mar ?
Altiva e briosa, nao deseas d'altura
Que a sorte fadante com firme candi :
S forte, s firme, que o genio perder
Em hora que a morte Ihe ceife o bordSo.
Avanteno voo, que a aguia altaneira
Nao cabe em (adelas de frages a neis,
Avante no triln* que vsles certeira
Que os anjos t'csperam com verdes -latiris.
FOLHETIM
O ESQUELETO
CIMILLO CASIbLLO HUNCO.
E quando volta Chaves ?
Niio sel, primo.
Nao sabe ?! Agora vejo que
aproveitou o ensejo para chorar as suas saudades
na presmea do marido, que se deseittranhou era
a faganha consolagoes distractiva, que nao fosse ella per?ar
complicada de incidentes e estranhas castialida- por demasa de sensihilidade. A sorte de tantos
des I... Pois bem, im-u amigo n permitta-me fal- maridos espertes 1 Faz pena ver a desptica ing-
lar-lhe com sisndesa.. .A melancola do sen ar rencia que tem a comedia nos lances mais graves I
Continuacao.
X .
A' hora da ceia, faltou Itaphael Gargo.
Niculao soube que ene estar no seu quaito, e
pedia de-eblpa oe nao comparecer mesa. Foi
ello bosca-lo, e encontrou-o iinmalando o tato.
I-so que presea de ei troixar, primo Ra-
fpbaell disse o moigado. eixe isso que tem teni-
fio. Nos s varaos amauha por tarde.
Mas eu vou partir esla noote, primo Mes-
^ui'.a.
Cumo assira ? Venha contai -nes essa aventu-
ra a mesa, que est Beatriz e-pera. Temos em-
|i i'-'..i amorosa! nao pode deixar de ser...
Travou-lhe do brago, e levou-o, exclamando, ao
entrar na casa da ceia :
Fui encontra-lo a dobrar a roupa, e saberlo
que se dospede meia noute I
Beatriz encaruu-o com afTectnnta melancola,
Vartinho Xavier filou a lilha. Raphael nao pz
Otos em nenhnm.
C morgado proseguiu em tom de galhofa :
E' negocio de damas I Alguma victima sau-
flosa que do tato d paroximos, chama o seu al-
tjoz qu-'rdu para perdoar-lhe I
. Confrangia-se o animo de Martinho. O sorriso
o^tiiriz era um partr-se-lhe a alma, forgada a
ftngSfM oalranoi sabida do irimo, e arrependi-
tfa de Ve ter aconsulhadn a ausencia.
crdito, minhas senhoras e senhores,
C->rnou o
faz-me desconfiar da importancia do passo Refle-
xione, primo.- Se nm presagio que o quebranta,
escuf>-o. Se o pundonor o no impeli, fique.
Distinga entre dever e dever. Olhe que nos po-
mos na balanca das obrijagoes. mnitis vezes, a
A humanidade a chorar, e ura histrio a cohrir a
toada do choro com o tilintar do barrote I E' tris-
te, mas necessario isto ao regiment da sociedade.
Saturara para Chaves no dia seguinte.
Beatriz ia triste, e recnlhida. As caricias do
nnssa deshonra. Nem empre as mnlheres devem espo-o enfastiavara-n'a O pae, nada blandicioso,
ohrirar-nos a tudo, que urna errada consciencia aiia-lhe mal com o seu olhar, e dizia-lhe pari-
os aonselha... dade u,nas phrases amphibologicas de que ella fi-
Martinho Xavier morria de abafos, se nao escla- cava sentida, sem ousar pedir escfcirecimentos.
As palavras que mais a pungiram c intitmdaram
foram estas:
Ai de ti, se tea marido se m? qneixa da tna
masse:
Que discurso tamanho para tao pequeo as
sumpto I Ora, primo Mosquita, nao pregues aos
peixes. Deixa-o ir para onde elle quizer I
Pois eu de certo o deixo ir para onde elle
friesa I Ters em mim nm verdugo, e nao um pae.
A ame.iga logrou menos do que devera esperar-
quzer; mas o admoe-la-lo como amigo e prente se. Beatriz desconfiava que o pae Ihe surprehen-
entendo eu que ura dever to meu como teu, pri- desse o coragao n'algum descuidoo olhar ou geste
elevase a 7,434:112 dollars.
Os jornaes de Alegra do noticiada condemaa-
gao a dous annos de priso de um rabe, culpado
de ter morto, n'um momento ae coiera, sua mu-
Hier, que mais forte do que elle, o- maltratava.
A circumslancia mais curiosa que a muiher
liaba 17 annus e o marido 14, e erara casados-ha
tres anuos 1
No dia 30 de julho o papa depois de dar urna
audiencia ao commendador Lista, o quiz ouvir
leeotar aleun trechos de msica.
O piano loi collocado na sala do ttrono, e apenas
o grande artista preludiou urna das suas composi-
goes, reinou o mais profundo silencio, de;>ois de
cada trecho Po IX deu o signal dos applausos, e
depois coinpriineiilou affectuosainente o eOHWK'O-
daior, queso racumioeoda tanto pela elevacao do.-
seus senliiiieulos christos, como pelas maravilhas
do seu taleuto musical.
a
Diz um jornal que era Paris vae-se ouvir um
Continuamos doSanintaa segorrte fraatenagS :
ftom dito. E' assim reputado qnano se diz aaa
cousa que todos sabem, mas por orna anaeiraacr.
e sagaz.
_ IV un homem.Individuo que nao pean, aaa #a .
niio faz se nao o qoe juina teva afraar as f\ i
com qne vive : sua alma (rara e awwo) rreet* to-
das as impressdes e nao conserva alaasn; pasaia
interessar-se em tudo e estinar todas ae sassoaa
ciim quein falla, no que colhe proveito,asraae seo
nao estimam, ao men>K fingem rstima-i.
Bondade.Uissoloro de um espirito OOM. ioig
nlicanle, e de um carcter frar fr.auj nwi'a
tinndade por outras palavrassais um oesri. ua
imbcil.
tonecos.Figuras pequeas qaeservearaataaa-
parago a nutras maiores.
Boiihomia.Qualidade qne expe ao rielrofe, o
s vezes ao despreo.
Bouifrate.bnagemde muitas nxarae .
mas animadas, que se vera obrar na nriroii
descubrir a causa que Ibes d moviiptoa).
Bonito.O que meos regalar talver oaas
agradavel que o bello.
Bonet.Signal de liirdade, que s races se Br-
oa no de terror e despotismo.
Bordio.Di ver timen to da infanciaraatioeana
para a edade maduraapoie para a velokea
defensiva contra a calumnia
Boticario. Oiarlalao que manipula
nao ei inheee, para (aze-las entrar em i
conhece menos.
Ilrazo A-n-c dos nobre.
Breviario. Livro que os ercle sempre comsigo, mas que madam de mulo bna
vontade por Machiavel quando sao akiaiMros.
por um piinhal quando sao facciosos.
Brochura.Bailara ligeira de qae se
faegoes para fazer reconheciroeaios ao i
migo.-Fruncirs armas de ora aeread 15
oioso.
Brochuras.Prndncgoes preeipiuaas, at
seus autores tem quisi sempre a d>graga de -
breviverpequeos ineios eropregaus por aajsj
des potencias.
Budjet.Registro por partidas doarVui ceata
que as nagoes principam a lomarlaeratsaaoo
da prosperidade ou miseria paMra.
Bula.Horado de pergaminbo rereMia de osa
sello de chumbo, e que muita ases ao rala
peso delle.
Caballa. Peqneno meio de rbegar a asasas
grandes que se tem aperfricoado nos osso* dha*.
1 i|iio nao u d. |ir.i3,|-i oem p*la potttr^a. BMt
peln talento.
Caga. Kecreio da hom -m de*fotoso 1
ra matar n tempn matanilo animaes.
Cadaeea.Allritnito de Mercurio abr 1 i
das corles aos que se querem enfeitar rom Hh.
Caf.Club dn novelli'iroArca de Xaoades*
vera militas e-pecies de animaes juafc. oastase
falla sem nada mv1 ai, onde -e disrale sea entender o que. onde se poltica sem ter a 1
idea do governo, onde se (!iz nial
se calumnia urna aver-o. c d'ontle se saa* :ika
do tanto como quando se eatroo.
Caio.Composigao quo tem a prepridsdi de
tomar as vpiha< um pouco mais feias, e as aovas
anoea rstsmo tumitas.
Caixa.Homem que noo tem preeiso de espiri-
te no civilidade para agradar.
Cixeiro. Mnehina ntm o mr->mo m 11 niwalu
d-'sde o t de janeiro ale-31 de aaaaaaaa
Calar(se), l'm homem de jnim calase c m
loueos, como um rico Terusa a esoMta aas 1
eantes.
Quizera dstancear-se de Chaves, sabir a urna va-
em longa, distrarur-se, esqaecer-se ; mas nao po-
dra. Estava ali preso pela crreme d um grande
amor a sua prima. Era o primereo, o odien, porque
nao amara outra, desde qae nos labios della, ainda
solleira, depozera, como n'um altar, as primicias
do seu coragao. Sem os estorvos, p le ser que nu-
tra muiher o roubasso s frouws glorias de una
fcil proeza: mas, deoois do avntante castigo do
to, e da vergonha com que sahiu de Palmeira,
quera elle superar as dtf-uldades para sentir-
remunerado do seu vilipendio. Era isto, a ura lem-
po, galardo ao amor e galardo vinganca. Eram
os vinte e dous annos, e a m ndole, acerada pe-
la educagao que tivera, le da natureza bruta.
Nao sei tambem se eram o Lovelace, e o Saint-
Preux, e o D. Joo Tenorio. Era tudo, inclnino
gredarera os passos do margado. Esjiicagava o ze.
lo da velha covjliieira de Beatriz para a nao larg.n
de vista, quando o marido sahisse a fiscalisar o
graneeio das quintas.
Por este tempo deu Beatriz um menino aos jari-
nhos dolidos de seu pae. Em honra do menina, vol-
vidos qmnze dias enrheram-se as salas de mnlhe-
res, de msica, de poetas, de Doces, de alegra es-
pontanea o de alegra ceremoniosa. Esta seronda
era coadjtmda pelararrafeirs.
A commissao de prenles. eiKarrcffadi"* dos con-
vite, inenirara as senhoras Almeidas do rastell"
de Aginar. Com muito a<*rl(Wn foram fe liteira as
velhinhas, amnlgadas por grandes desgoslos. Nico-
ln, quan lo as viu, leve arrepios de- espinha dor-
sal. Interrogon a commissao, a qual respondeu que
os Almeidas do valle de Auuiar eram os mais pre-
mu Xavier. As nossas edades, e sobretudo a 1111-
nha experiencia...
Pois sim, de accordoreplicn o pae de Bea-
triz amaciando a voz, receoso de denunciar a cau-
sa da sua coleratarto de adraoesta-lo esiou eu, e
estao todas as nessoas de bem...E' malhar em
a Raphael; porra, qnando assim f >sse, as provas
contra a sua honestidade eram nenhuma, e ella
fcilmente se defendera das suspeilas calumnio-
sas.
Era de ver que a retirada de Raphael havia de
ser descontada na affeigao ae marido. A esposa
criminosa, ou propensa ao crime, cosluma dar,
pelo menos, ao marido um millesimo do amor que
ferro fro. Deica-lo, deixa-lo, que o mundo ha de
ensina-lo. Quando chegar aos meas annos, elle JogWH^ "amante, "So, todava, o aaMtaM
chorara os que desbaraten na libertinagera. f()g uei uullhao dirainulissiino do marido Ihe
Corren breve e triste a ce-a Ao leva0,jrem-se M ,sU) Umbem ,risl a,rM ,
da mesa, Raphael despediu-se de Beatriz, sem atre-
ver-so a olha-la em rosto, pnrqae o pae, boira da Nicohu attribuia as securas e enojos de sua mu
filha, nao o desfitava a elle. Beatriz artcalou urnas Iher aos mysterios phenomenos da geragao. Tam-
palavras banaes, seccas e tao contrafeitas, que por bem elle tiuha accessos biliosos de irapacien'-la, ir-
si mesma., casta de muita arte, a denunciarara rilados pelos caprichos de Beatriz; mas soffreava-
a nm marido precalado. Do lio Martinho nao p- se alTastando-se. Queixar-se que nao. Purm,
lo, qne seria e resp^itavel a raa-1 de despedir-se, que a disfarce, sahira da sala. Ni- Martinho Xavier, lendo-lhe no rosto alquebrado o
iliael! I-;- a primeira vez que o! colu seguiu-o ao quarto, offereceu-lhe dinheiro desgosto da ma vida intima da casa, abslinha-se de
nesta mistura o ser elle homem. feito scmelhanga ciaros prenles de ambas as familias. Bospedaram-
e imagera... Fra coma blasphomial se estas senhoras em casa de Mariinho Xavier,
, qne aeinte as levou para obstar a que palavrec*-
mpeoboa-se Raphael, mediante os serv.gos de ^ m ^^ ^ ^^ ^^ de Mar,ariJa
algum amigo de Chaves, em fazer entrenara B-a- ?m^M e ^^ fc ^.^
rriz urna carta explicativa da sua rpida sabida de
Palmeira, e degredo que se elle tmuozera na triste Isto, pornv nao tirou que a dama, assira que e-
soledade de Fayoes. Urna dama das mais acredita- teve a sos com ella e o cipello adjunte, Ihes dsse
das de Chaves foi a portadora da carta.
Ento smenle coraprehende Beatriz o valor das
ameacas do seu pae, e o gume do pongo em qne
joa do nosso
rejo quebrado owres e cabisbaixo! Enln, pri-1 se o necessitava, e conseguiu arran ar-lhe um interrogado, e rtizla fllha:
ano, se a joruad.v^|0nga, cumpre comer. Cora-! imaginoso segredo da sua aventura. Pelos modos, Tu n5o me attendeste : mas afinal ser tarde
fjin a um talo, e "*Psjmq" a oulro. D. Joo Ma-! urna menina de Bisto, nao podendo occullar dos quando cahires em ti. J te disse que, em te fal-
ranha e o amado de Claiw c-imiam s horas, e o' paes o testemunho de sua desgragada paixe, fngi- tando a estima do marido, nao contes com a estima
fiyron reina ptimamente^ d,a ou na n0ute em ra de casa, e invoc iva o pae do fllhinho que Ihe do pae, Beatriz I...
qae urna das suas nuriyres\af0gou no ranal de estremeca no seio. Mentir como o diabo, Unha
Ven-aa!...Eotao, Beatriz, naoW serves d na- dito Rajihael pela bocea de Voltaire.
da TI Primo Xavier, ordena (V cjiba queco- A'meia nonte sahiu o pae do menino, que es-
fna...C'>ra que entao, meia nou\ primo Gar- treraecia no seio da tao cuitada de Basto, e Nico-
foT
E' verdade... responden Ranhae^*ectan.
(Jo Com violente artificio o sen Datara) algr
ln, em termos palheticos, foi contar a Beatriz a
Que quer isso dizer, meu pae I... atalhou el-
la.Tantas ameagas, tantas ameacas!... Que cri-
raes tenho eu ?
As mais criminosas ntengoes .. Silencio I
silencio!... ouviste,Beatriz? Muito julzo para re-
revelagao do primo. A senhora flpgiu compade- mediaro mal feito... Se assira nao fr...
cer-se das calamidades da menina do Qlhioho, e Raphael Garco eslava, na sna, casa de Fayoes,
azo expanso das lastimas.
Disse D. Baneba que o sobrinho estava em Lis-
boa, desbaratando os bens e que os livres todos
estava sua honestidade, e tal vez sua vida, se mao linnil vendido, e j havia antecipado rendas de tres
do marido passasso a carta escripta a Raphael. i annos.
Nicolu ganhon cora este descohrimenlo tor um| Ajuntnu D. Sima que ama s esneranga tinham
lado, e perdeu pelo outro. Os ganhns erara os ex- de o rpsgatarem da escravido do demonio, desfi-
teriores affectuosos com que a muiher o ndemni- garando na Franceza, e vinha a ser o patrocinio
sava dos desdens passados. As pardas foram res- de um santo, prente da familia, que Unha sido
tabelecer-se a correspondencia epistolar entre Bea- percador cerno Ricardo, e depois tornaba sobre s.
trz c o primo. e acallara a vida santamente : o qual santo era S.
A illutre alcofa deta correspondencia andavq Gil de Santarem.
espiada por Martinho Xavier, conta de ser irmaa Que S. Gil de Santarem era prenle das senho-
de um particular amigo e conlubernal parsita de ras O. Sancha e Btmba nao ha duvida nenhuma, e
Raphael. Desta esponagem, confiada aia de B-a- vae demonstrar se para confoso dos praguentos.
trz, velha de rija tempera de virtude, resultoii ser Estamos em lempo do senhor rei D. AffoUiO Hen-
a correctora cupidinaria avisada para niio voltar a riques, que santa gloria haja.
casa de Nicolu de Mosquita, sob pena de ser pu- Depois da milagrosa victoria de Ounque, os ba-
blicada como negociadora de amores adnlieros. O roes da comitiva do rei conquistador recolheram a
aviso foi dado face a lace por Martinho Xavier, que suas torras, ganhadas a montante, e Deus *abe co- choi avara lagrimas como puoh<, gaaado cbm-
tnha brutalidades de fidalgo montezinho. mo. U bravo nco-homem de Galliza, Fernn Mar- nlw Xavier saiu do salo do baile a procura*
O que elle nao poda era continuar a corrnpgao lio* de Almeida, despediu-se com nm aperto de triz, que tambem chorar rom as vi.
dos criados. Beatriz continuou a receber cartas do guante dos seus primos e amigos Lnirengo Wgas l'mapaixa explora vetos de
primo; e Nicolu a experimentar as caricias de sua e Martim Moniz, e foi-se a matar corgas e ursos onecidos. Chorava. porque amara, a 1
senhora.
Decorreram nns seis mezes de vigilancia aasMoa
do fidalgo. Rondava as portas do genro at alta
noute. Assalariara olheiros eoj Fayoes para Nm se-
junto a ruta de Vonzelta. Vr< f>ria oeasHIo r-
dir no solar de sua muiher, e deiaoa as soas ier-
ras caigo de irmos. Deste aaBjajadj nasrn* D.
Tanja Kil, a qualrasuaem tIM rom D. RoPar*
de Valla lares, do ronelho de et-rei D. Sairho I.
-en mordomo-mr e alcuKte-mor de eaWta da
Uoimbra. Estos sao os beinavratoradig esas de
Gil Rodrigues, conhecido e venerado do teitor po
por S. Gil do SanLirem, a qoal o divino I" nnn
lenoiniuou o Fausto porluguez.
Nada menos que e-ie santo. inqnerttoiUTal p-
rente das senhoras Almeida-, estava, eaM^aaaade
coi arrancar o sou consanguioeo do bracos hSOV
oros da Franceza. No eotanlo, algaae anezes ha-
viam passado, depois do voto das seaboras a e>i
to fre Gil, sem que o energumeso vottaaee. 1
prido o seu ldano.
Si-m embarco, ellas esperavaat, e
esperas o santo feiliceir', amigo partuario do de saraso
que esles mlagres nos tempos aaaajajaj ha-a* a
faz-l.is algumas letras vencer aa man de asa
usurario. A onzena teai convertid mais perdota
ros do que a vida nvriftr-a de S. Gil.
O certo e naturalis-iino era qae Ricardo de Al-
meida linha oshanjado metade Vw sea* kartr**,
e perto iria naque I le desperdicio. fe iam 111
em Lisboa a lauta vida do Porto, e redebrava de
extremos rom Margarida a rada rsojasimiui aae
Ihe vara va ao coragao o trete decaan, o* ra-
aos lisboetas erara mais arrojadas e aetiileii |
mais ociosos e perlinazes qne o de Porto. R car-
do va isio pelos seis nios de ajajaaj dnrond^eu,
e de sao joizo para entender q/an o fcil para ana
nao seria extremamente diancil para o restaakt da
humanidade.
Este receto era injurioso a Margarida llemni
era sinceramente ; mas o nao menor eatigo das
mu'hrres na con-th.-o da Fraaceza a iaspirarem
su-peitas avliadoras quelles mesaass aae a es-
irriiirrrin, e uulunsarem o gaiaobHu 1
que iiieraim-nle as deseja.
Seja como fr, as senhoras D. Sanes
as suas lapadas de valle de Aguia r. da senrtor I
Fatigado de matar e comor ursos, ciiidou em ca-
sar-s com a filha de D. Payo Meado Gil, senhor ____^____-___^__^^^^^
das trras de Cavallaria, termo da cidade de Ylioa, PER.NAMBUCO.-TYP. DE M F. DB F. rTLHO
rrealraoor-sf^a.)


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYI1E36VD_BL5IGP INGEST_TIME 2013-08-28T00:22:12Z PACKAGE AA00011611_10498
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES