Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10497


This item is only available as the following downloads:


Full Text

u.

i
ARIO L. flOMEBO 241.
Pr tres nezes adiaatados 5SOUU
Por tres mezes vencidos 6JUU
Porte ao correio por tres mezes. 1750
QUINTA FERA 20 PE 0DTDBR0 DE KM.
Por afoo adiaittado.....19$00O
Port ao correio por un amo. 3}000
ENCARRfiGADOS i>A sUBai-R-gAO NO NORE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, a Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty.o
8r. A. de Lemos Braga; Gear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
SNCARR8GADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
AlagSas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Bahia, o
IT. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
I-aKIIA uUa KalA-KlAa.
Oiinda, Cabo e Escaua toaos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Carnar,
Al timo e Garant uns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacarat.Cabrob,
Boa Vista, Onricury e Exn' as quartas feiras.
Sennhem, RioFormoso, Tamandare, l'na, Barrei-
ros.Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
EPHEMERIDES DO HEZ BE OUTLBRO.
8 Quarto cresc. a 1 h., 17 m. e 30 s. da t.
15 La cheia as 4 h., 55 m. e 38 s. da m.
22 Quarto ming. as 8 h., 59 m. e 48 s. da m.
30 La nova a 1 h., 8 m. e 20 s. da t.
PREAMAR DB BOJB.
Primeira as G horas e 54 minutos da manha.
Segunda as 7 horas 18 minutos da larde.
tr*AlH*A LOt VAiORb tOSTEIRO
Para o sal at Aiagas a 6 e 25; pr o nornrat
a Granja 7 e t de cada mej; para Ferdando nos
dias 14dos mezes dejan. marc.,maio. jal. set. e nov.
PARTIDA DOS OMNJHJ.
Para o Recife: do Apipucos as 6 /t, 7, 7 V, 8 e
8 Vi da m.; de Oiinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Janoalo as 6 Vi da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos s 3 Vi, 4,4 /, 4 V,
ft V* 6 Vi e 6 da Urde; para Oiinda s 7 da
mathia e 4 Vi da tarde; para Jaboato s 4 da
tarde; para Cachang e Vanea s 4 Vi da tarde;
Pra Bemflc s 4 da tarde.
AD.ENCa. D08 TBJBUNA23 DA CAPITAL
Tribuna^ docommercio: segundas quintas.
Relagao: tergas e sabfcados s 10 horas.
Fazenda: quinta; s 10 horas.
Juizo C.j commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira tara do civel : tercas sextas ao meio
da.
Segunda vara docivel: cuartas sabbados a 1 hora
da tarde
Di* 8 DA 2M.-.NA.
17. Segunda. S. Florentino l>.: S. Mariano m
18. Terga. S. bacn evang lita; S. Tntoata m.
10. Ojua'rta. S. l'.-.iro de Alendara f p. o ano.
-O. (Jiunia. S. Jou Caaria; S. i.rapaz*) m.
21. St-xt.i. :. Drsalaa taa* canea, vt. mm.
2i. Saldado. S. Ladislao f.. S. Herartio ai.
2.1. Domingo. S. Joao de CafMMH f.
assgn*-sb
no Recife, em a livrana da priga da ladaeeaden
ca ns. 6 e 8, dos proprietarios Maaool Furoea-oa
de Faria Fimo.
}
PARTE 0FFKIAL
hinisterio da i azi:vi V.
Decreto n. 3,312 de 2't de setembro de 18b i.
Designa a ordem que deve seguir-so na extraccao
das loteras da corte, depois de extrahida a 35*
designada na distribuigo que acompanhou o de-
creto n. 3,203 de 21 de dezembro de 1863.
Tendo o poder legislativo, pelo decreto n. 1,226
de 22 de agosto deste anno, permittido a extraego
de urna lotera por mez em lugar das quatro an-
nuaes que antes foram concedidas ao monte-pio
dos sorvidores do estado por decreto n. 233 de 17
de novembro de 1841, e importando esta nova c >n-
cessaj urna aileraco na distribuido das lotera^
que devem extrahir-se ni corrente anno, em vir-
tule do decreto n 3,203 de 24 de dezembro de
1863, hei par bem que, depois de extrahida a 35'
lotera, se observe a ordem marcada na tabella que
com este baixa, em resultado da modificago ope-
rada pela necessidade de execular-se o referido
decreto n. 1,226 de t de agosto deste anno.
Carlos Carneiro de Campos, do meu conselho,
senador do imperio, ministro e secretario de estido
dos negocios da fazenda e interino dos de estran-
geiros, e presidente do tribunal do thesnuro nacio-
nal, assim o tenha entendido e faga executar
Palacio do Rio de Janeiro, em 24 de setembro
de 1864, quadragesimoterceiro da independencia e
do imperio.
Com a rubrica de S. M. o Imperador. Carlos
Carneiro de Campos.
'Jabella demonstrativa da ordem que deve seguirse
na extraccao das loteras da corte, depois de ex-
trahida a 35* designada na distribuicao que
acompanhou o decreto n. 3,203 de 24 de dezembro
de 1863.
36."A 1* a favor do monte-pio dos servidores
do estado. Decreto n. 1.226 de 22 de agosto de
1864.
37.aA 16" a favor do conservatorio de msica
desta corle.Decreto de 27 de novembro de 1841.
38.aA 6a para patrimonio do hospicio de Pe-
dro II. Decreto n. 875 de 10 de setembro de
1856.
39."A 2* para as obras da igreja de Nossa Se-
nhora da Conceicao da cidade de Aracaj, em
Sergipc. Decreto n. 993 de 22 de setembro de
1858.
40.*A 2a a favor do monte-pio dos servidores
do estado. Decreto n. 1,226 de 22 de agosto de
1864.
41.aA 59a para as obras da casa de correego.
Decreto de 29 de outubro de 1835.
42.*A 33a a favor da academia de msica e
opera nacional. Decreto n. 879 de 15 de setem-
bro de 1858.
43.aA 3a a favor do monte-pio dos servidores
do estado. Decreto n. 1,226 de 22 de agosto de
1864. *
44'AB para as obras da matriz da Roa-Vista,
na cidade lRif> ""^ "" Decreto n.
908 de 12 I*"
45.a A w ohospitaLda
Santa Casa da Misericordia desta corte. Decreto
n. 1,009 de 25 de setembro de 1838.
46.aA 34a a favor da ac lemia de msica o
opera nacional.Decreto n. 979 da 15 de setembro
de 1858.
47.aA 42* para o melhoramento do estado sa-
nitario. Decreto de 14 de setembro de 18"i0.
43.aA 83', cujo beneficio deve ser repartido
pela Santa Casa da Misericordia, expostos, recolhi-
mento das rnalas, collegio de Pedro II e semina-
rio de. S. Jos.Decreio de 23 de maio de 1821.
49.aA 35'a favor daacalemia de msica e
opera nacional. Decreto o. 979 de 15 de setem-
bro de 1858.
50.aA '' para o patrimonio do hospicio de Pe-
dro II. Decreto n. 87o de 10 de setembro de
1856.
51.aA 36a a favor da academia de msica e
opera nacional.Decreto n. 979 de 15 de setembro
de 1858.
52.aA 43" para o melhoramento do estado sa-
nitario.Decreto de 14 de setembro de 1850.
53.aA Ia para fundacao de urna casa de cari-
dade, na villa do Curvello, em Minas. Decreto n.
954 de 7 de julho de 1858.
54.aA 1* a favor da Assoeago Typographica
Fluminense. Decreto n. 908 de 12 de agosto de
1857.
58*A 1* para as obras do hospital da Miseri-
cordia de Jacarehy, na provincia de S. Paulo.
Decreto n. 1,015 de 6 de julho de 1859.
56.aA 2' para o hospittl de caridade da cidade
de Macei.Decreto n. 986 de 22 de setembro de
1818.
57.*A Ia, nica, para concluso da reja de
S. Francisco da cidade de Ptangui, em Minas.
Decreto n. 95i de 7 de julho de 18.8.
53.aA 2a para as obras das igrejas matrizes da
villa de Oliveira e freguezia do Pass Totopo, em
Minas. Decreto n. I,03i de 30 de agosto de
1859.
59.aA 1* para a panchia das Seto Laga-,
era Minas. Decreto n. 95a de 7 de julho de
1858.
6J"A 8a para patrimonio do hospicio d* Pe-
dro U. Decreto numero 875 de 10 de setembro de
1856.
Rio de Janeiro, em 24 de setembro de 1864.
Carlos Carneiro de Campos.
to ultimo n. lu1.', aiim de que, naohavendo Incon-
veniente, mande pagar Aquilino Pereira Simas
ou a Dttisda por elle autorisada a qnantia de.....
11^450 rs. em que importou o aluguel vencido
desde 4 de dezembro at o prlmeiro de marco des-
te anno. da casa que n'aquelle districto servio de
quartel ao respectivo destacamento.
Dito ao mesmo.Remeti V. S. para os con-
venientes exaaus a inclusa copia da acta do con-
selho admlnisirativo ao arsenal de guerra, datada
de 10 do corrente.
Dito ao mesmo.Communico V. S. que em
officio de 15 do corrente, participou-me o inspector
do arsenal de marinha ter entrado em exercicio no
dia antecedente o capito teoente da armada 5a-
mstiano Caetano dos Santos, que foi nomeado aju-
dante da inspecgo do mesmo arseual, por aviso de
22 de setembro ultimo.
Dito ao mesmo.A vista da nota junta por co-
pia mande V. S. arrecadar a importancia dos di-
reitos e emolumentos que tem de pagar o padre
i rau inilhno Cabral lavares de Vasconcellos para
obtenga*! do titulo de conego de meia prebenda da
caihedral de Olioda. Commumcou-se ao agra-
ciado.
Dito ao mesmo.Mande V. S recolher ao cofre
dessa reparligao a quantia de 16000 que existe
em poder do director da colonia militar de Pimen-
teiras, proveniente dd sepulturas concedidas no
respectivo cemiterio para intiuinago, durante o
trimestre de julho setembro do anno correte.
Coinmuuicou-se ao predito director.
Dito ao mesmo.Mande V.:. ajustar contas at
o m do mez, bem como passar guia de soccorri-
mento do alferes do segundo batalno de infanti-
na Joaquim Americo da Silva que, na forma das
ordeas imperiaes tem de seguir para Babia no
prlmeiro vapor que passar do norte.
Dito aoiuspector dathesourana provincial.To-
mando em consideraco o que V. S. expz em sua
informarlo de l de corrente, sob n. 444, dada
acerca do reijuertinento de Prxedes da Silva Gus-
mao, o autoriso a conceder a quem dedireito com-
petir nos termos de sua citada infonnago, e de
conformidade com o artigo 46 da le do orgamento
vigente um abate animal da terca parle no valor
porque foi arremattado o impo.-to de 2500 sobre
cabega de gado va mm consumido as comarcas
da Boa-Vista, Cabrob e Tacarat, por haver a as-
sembla legislativa provincial sentado do paga-
mento desse imposto o gado morto para consumo
particular, devendo portn esse abate effectuar-se
em prestagoes trimeasaes ou quaudo tiverem de
ser pagas as letras provenientes de tal imposto.
Dito ao mesmo. Recommendo V. S. que em
vista das tres inclusas coma-, e nao haveudo in-
conveniente mande pagar a Antonio Domingues de
Aiuicida Pocas, conforme solicitou o cnefe de po-
lica em olflcio de 14 do corrente, sob n. 1278, a
quantia de 63000 despendida com o sustento dos
presos pobres da cadeia do termo de Nazareth, du-
rante os mezes de julho setembro deste anno.
Dito ao cominaii'ianie do presidio de Fernando.
Faga V. S. regressar esta capital na primeira
opportunidade o sentenciado militar Luiz Antonio
Xavier M.uiui
-T-
aprendizes desse arsenal quando houverem vagas da toda a prudencia e cirrumspecgao, muito cima
os menores Pedro Alexandrino, fllho de Eugenia das que Balbina das Virgens, e Andr, orphio, que se- tara notar, que, merecendoo mesmo chi-fe a con-
acha em companhlade Pedro Mar mes de Athayde,
devendo ser satisfeitas para esse m a disposiges
do regalameoto de 3 de Janeiro de 1842.
Dito ao mesmo.Fago apresenlar Vmc. os me-
nores Flix e Eugenio Francisco do Espirito Santo
para serera admiltidos na companhia de aprend-
zes desse arsenal, ha vendo vairas, devend i para isso
ser satisfeitas as disposicoes do regulamento de 3
de Janeiro de 1842.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa-
quetes vapor. Podem Vmcs. fazer seguir para
os portes do sul o vapor Oyapock amanha a hora
indicada em seu officio de boje.
Portara.Para vogal docoQselho de julgamento
a que vai s-r submettido o soldado da 1* compa-
nhia da secgao volante do cofpo de oplicia Camillo
Joo Manoel do Nacimento, noraeio o teneote Tho-
maz Rodrigues Pereira em substituigao do alferes
Manoel Soares de Albergara que obteve liceoga
para tratar de sua sade.Fizeram-se as necessa-
rlas communicagoes.
Dita.O presidente da prouncia, attendendo ao
que requereu o promotor publico da comarcado
Goyanna, bacharel Jos- Antonio Correa da Silva,
resolve conceder-Ihe 15 dias de licenga com venci-
lanca dos que fazeni'STeferida reclamat.'ao possa
*>a forga, collocada sob s ordens delle, inspirar-
mes qualquer appreheBsin.
Igualmente declaro Vmc. que neste sentido
aespondi sem perda de tempe a referida reclama-
do ; e louvo-lhe o empenho qoe manifest pelo
umprimenlo dos deveres do cargo, que oceupa,
esperando que Vmc. concorra por todos os meios,
Jrtitn d que seja mantida a iivre manifestago do
foto de todos os cidadaos, e a traaquillidade pu-
blica.
Dos guarde Vmc Domingos de Souza
Leao.Sr. juiz de paz presidente da mesa paro-
chial da freguezia de Santo Antonio desta ci-
dade.
4.* Secgao.Palacio do goveroo de Pernambuco
18 de outubro de 1864
Teoho presente o officio que Vmcs me dirigi-
rn! Bosta data, commubicando-me haver a mesa
resolvdo interromper os seus trabalhos, at que
roltatse a forga de liona, que hontein maudei
substituir por pracas do corpo de polica.
lnteirado dos motivos, pelos quaes tomou a
mesa semelhante deliberago, cabe-me dzer-lho,
ue nenhum fundamente plausivel ha, para que
mentos, na forma da lei para tratar de sua sade fossem intorrompidos os trabalhos eleitoraes, por
nesta capital. isso que a forga de polica, por sua obediencia e
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira tosciplina, saber cumprir as ordens, que Ihe fo-
de paquetes mandem dar transporte para a Baha, rem transmettidas pelo Dr. c.hefe de polica, em
por conta do ministerio da guerra, no prlmeiro va- quera a mesa deposita teda confianga, o que, como
por que passar do norte, ao offlcial e pragas de pret vmcs. o declaram no officio que respondo, tem
mencionados na relagao junta. sido encansavel em manter a ordem e garantir a
Dita. -Os Srs. agentes da companhia Brasileira regularidade dos trabalhos da eleigao.
de pa metes mandem dar transporte al provin- Assim, pois, no empenho em que estou de pre-
.na da Bahia, no vapor Oyapock, em lugares de r Venir a repetigao de conflictos, iguaes ao que hon
destinados a pa<-sageiros de estado; Ex na. baro
neza da Victoria e a urna sua filha.
Dtta.O presidente da provincia, attendendo
que nao se acha completamente organisado o bata-
Iho n. 18 de infantaria da guarda nacional do mu-
nicipio de Nazareth, e de conformidade com o dis-
posto nos avisos de 4 de Janeiro de 1850 e 15 de
tem aiii teve lugar, e competindo-me a escolha
dos meios que forera mais convenientes a manter
a seguranga individual e a paz publica, no que es-
pero ser auxiliado por todos os bons cidadaos,
declaro Vmcs. que deve a mesa continuar no
processo da eleigao, sem apprehensdes acerca da
forga policial, a" qual s mover-se-ha, quando de-
fevereiro de 186C, resolve promover offlciaes do terminar o Dr. chefe de polica, a quem recom-
referido batalho os cidadaos segrales : mendo coatinue a assistir aos trabalhos da mesma
1* companhia. mesa.
Alferes o alferes secretario aggregadoAntonio Dos guarde Vmcs Domingos de Souza
Claudino Alves Gomes, por ter o alferes Antonio Lo. Srs. Francisco da Silva Reg, Joaquim
Bezerra da Cunha obtido passagem para o Li- Salvador de Siqueira Cavalcante, Antonio Augusto
moeiro. Ja Fonseca, e Jos Francisco Carneiro, merabros
2* companhia.
ctiado, que se acha desemharagado, co-
mo declaron-me o coramaudanlSHlas ar% em of-
ticio n. 1084 de 15 do crreme. Communieou-se
ao coronel coininandame das armas.
Dito ao director das obras militares. -Para cum-
pri,nenio do disposto no aviso da reparligao da
guerra de 4 do correte, aprsente V. S. cora bre-
vi Jade o orgamento das despezas a fazer com os
concertos e reparos de pintura e caiago uecessa-
rias ao quartel da companhia de cavallara.
Dito ao commandaoie do eorbo de pohcia.Re-
metto V. S. por copia, para ter a devida execu-
go, o decreto de 21 de setembro ultimo, perdoan-
du o crime de primeira e segunda deserg3o sim-
ples as pragas do corpo sob seu corara indo.
Dito ao engenheiro chefe da reparligao das obras
publicas. -RespoudenJo ao officio que Vmc. me
dirigi em 13 do corrente, sob n. 282, tenho a di-
zcr que, vista da necessi lade que ha de preve-
nir se os dainos que podero soffrer diversos
proprietarios da cidade de Goianna, se nao se
construir em frente de suas casas, sitas entre as
perliz 5 bis e 12 muralhas que amparein o res-
pectivo terreno no lugar das excavagoes leitas pa-
ra execugao da estrada denominada Bujary,
approvo a factura da obra que se refere o seu
citado otllcio, e consta do orgamento a elle aonexo,
o qual deve Vmc. contratar quanto antes cora
o empreiteiro da mesma estrada, se nao julgar
mais conveniente que seja po.-ta em arreraalac.io,
remetteudo neste caso as respectivas clau>ulas
para com o orgamento, seren enviadas thesuura-
ria provincial.
Outrosim, nao sendo cabivel alterar-se as condi-
goe.s do primitivo contrato, por ser indispen>avel o
accordo de ambas as parles contratantes para a
resciso ou alteragao dos contratos synallagmati-
cos, nao se pode obligar o empreiteiro a deixar de
langar sobre a estrada a canuda de area, determi-
nada no orgamento; assim como Ihe nao Iivre
exiimr-se desse servico, sem descont do seu valor
orgado, a pretexto de* ser elle dispensavel.
Dito ao mesmo.Cerlo do coniedo de sua in-
formaco de 13 do corrente sob n. 281, dada acer-
ca do "requerimento era que Escolstica Rutina da
Silva Barbosa e unirs, pedem urna iodemnisagao
pelas excavagoes e estragos f-iios em um terreno
a ellas perteucentes para o atierro da estrada de-
nominada Bujary, na cidade de Goianna, tenho a
dizer que nao havendo a clausula 6" do contrato
celebrado cora o empreiteiro daquella estrada, de-
I clarado expressamente que a despeza com as des-
appropriages, recahiria sobre o cofre provincial,
i perraittindo que o empreiteiro tirasse trra d'onde
fiVKR,lO Di PROVINCIA mais Ihe couviesse ; e sendo preceito da lei n. 129
ov'cn.'v va riviiiwu. M agei|lts fc governo de,gnarie 0 lugar
Eipedieote do dia 17 de outubro de 1861. donde devessem sor extrahidos os matereaes
Officio ao coronel commandante das armas.P- necessarios para as estradas sob sua inspec-
de V. S. nomear como propoz em seu officio nume- gao, e obvio que se.nelhante concessao presappSe
ro 1813 desta data, para vogaes do conselho de que as despezas de de,appropriagao correm por
uerra a que tem de responder o coronel do corpo couta do empreiteiro, em quem foi subrogado o di-
do e.-tdo maior de segunda classe Antonio Gomes reito que a lei confenoaos agentes pblicos, dedu-
Leal, os coronis Manoel Ignacio Bricio, Antonio zinio-se assim a obngagao correspondente ao mes-
Pedro de S Barreto e o capitao de mar e guerra
Tenente o aljeres da mesma Manoel Joaquim
Bandeira de Mello, por ter Martiuho da Silva
Costa transferido o seu domicilie para a comarca
do Bonito.
Alferes o guarda Francisco Baldomiro de Albo-
querque Marauhao.
3a companhia.
Alferes o guarda Joao Cavalcante Barreto Chaves.
4a companhia.
Tenente o guarda Francisco de Albaqaerque Mt-
ranhio, ficando privado do posto o tenente Hen-
rique Lins Pereira de Lira, por nao ter solicita-
do patente no prazo legal.
5* companhia.
Alferes o guurda Marcelino Cesar de Oliveira Cam-
pello, em lugar de Jss Feliciano de Oilveira,
que transfeno a sua residencia para c municipio
do Goyanna.
6a compaia.
Tenente o guarda Pedro da Cunha Cavalcante de
Albuquerque, ficando privado deste posto Antonio
Dias Borha, por nao ter solicitado patente no
prazo legal.
7" companhia.
Alferes o guarda Jos Aotonio de Arroda.
Communicou-se ao respectivo commandante su-
perior.
Expediente do secretario do ijoverno do dia 47 de
outubro de 1861.
,.- Fonseca, e
da mesa parochial da freguezia desta cidade.
PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA.
ontem teve comeen na cmara mnnicipal des-
udado a apurago dos votos para vereadores da
ma no futuro rjtiatriennio, devendo hoje termi-
tedo o processo.
Continuam interrompidos os trabalhos eleito-
lesta fregnezia, cuja mesa acha-se actnalmen-
sidida pelo Sr. capilao Jos Ltuz Pereira, por
nodo do Sr. Joaquim Anto do arneiro.
A mesa hootem era officio presidencia, fronde-
rou de novo a inconveniencia da permanencia da
tropa de polica, conclumdo por pedir a sua subs-
tituigao : visto que a polica da assembla paro-
chial sendo da sua competencia, segundo o g Io do
art. 47 da lei regularaentar, entenda ella nao ro-
der regular a mesma polica, era manter a liber-
dade do voto cora a presenca da referida forga.
Fazemnos a seguinte communicagao :
De 18 para 19 do corrente foram perseguidos
pela polica da Capunga tres ladrSes com quatro
ca val los furtados, dos quaes s se pule apprehen-
der um, em consequen.;ia de se aclurembem mon-
tados os larapios; com tudosempre m eseguimen-
tar-se por ellas a noite vista do mu estado do
calgawento. Nao aponamos algumas dellas por
que sabemos que aquelles a quem compele dar as
devidas providencias naos e achara privados de
vista.
Iguaes providencias devera ser dadas a respeto
das jurubebas, raatapasto e oras qualilades de
ervas que fazera alas em alguraas ras, beccos e
pateos ; por quanto sanenle serven) de deposito
de tudo quanto immundicia.
A polica vai-se tornando mais activa no cum-
primenlo de seus deveres. Ao lllra. Sr. subdele-
gado devida e.-ta actividade, vjsto nao poupar-se
todas as vezes que se torna necessaria a sua pre-
senca, com aquella promptdao que requer o seu
cargo.
A sociedade Hi'crcio Familial Oiindense, tem de
I dar a sua pariida, sabbodo 22 dio corrente.
Depois d'amanhaa se exlrahir a 4a part-
I da 'i' lotera da Santa Casa de Misericordia (112a).
| sendo o maior premio I0:000J000>
No da 30 de setembro prximo passado, s
cinco horas da larde, reunidas as irrnaas dan
Dores no corpo da igreja do recolhimento da villa
de Iguarassu sob a presidencia do Rvmd. Florencio
Xavier Dias de Albuquerque, elegerara as empre-
gadas que tem de cooperar para o festejo do Mez
Doloroso em 1865, sendo escolhidas as seguintes
senhoras :
Juizas, as Exmas. senhoras :
D. Mara, liiha do Exra. Sr. barao de Vera-Cruz,
D. ol indi na. filha da Exma. senhora D. Mara das
.Neves Carneiro da i.unlta, D. Mara, uiulher do
lllm. Sr. Jos Jnuario Honrado, D. Baziliaoa, mu-
Iher do lllm. Sr. Roberto Gomes de Fraga.
Escrivas, as Exmas. senhoras :
D. Maria, Hia de advogado Joo Francisco do
Amaral, D. Mara, filha do lllra. Sr. Joaquim Fran-
cisco de Mello Cali, D. Rosa, mulher do tenent*
Antonio Gomes Ferreira.
Padre Florencio Xavier Dias do Albuquerque,
Director.
D. Mara Americana Bezerra do Amaral,
Directora.
D. Rita de Cassia Souza Leao,
Zeladora.
D. Lucinda lavare- de Souza.
Procuradora.
Amanha, no Seminario de Oiinda, depois
de urna mis-a cantada s 6 hora da manha, le-
vantare a baudeira de N\ Senhora da Graga. pa-
droeira d'aquelle cstabelecimento, principiando
nesse mesmo da a tarde (5 horas) as novenas.
Na Testa, que tem lugar no da 30, e que
serve naquelle seminario de termo aos trabalhos
do anno lectivo, ora ao Ecangelho o reverendo
Sebastin Fabio de Oliveira Lima, e no Te Deum,
o reverendo Valeriano de AUeluia Corris
Para pregar oas ditas novenas foram designa-
dos pelo respectivo reltor, na ordem, que se se-
gu, s Srs. seminaristas :
2 mezes. Renfe : c.-
11-raaabtar. 7*
Pago Pa-
Rerile
Serafina, Pernambuco.
vulsoes.
Ignacio Jos da Silva Pmt annos, viuvo, S. Jos ; diarrhea.
Kodolpho. Peraarabuco, 5 anuo-,
nella ; maligna.
19
Bento, eseravo, Pernamlnteo, 2o anno,
afogado.
Jesuma, Permanbuco, 4 mezes. Sanio Aat>MNo
varila.
Serrina Maria de Jesns. P>>rnarnbn<*o, W aaaos.
viuva. Santo Antonio ; intente aguda.
Jos Autonio de Azevedo. P.>rimzal. XI annos, sot-
teiro, Santo Antonio ; febre intcrmitrntr.
Joaquim Jos da Motta, Portugal. 25 asnos, joHei-
ro, S. Jos ; inOammago ao estomago.
C0MM1VIC1DOS.
Officio ao coronel commandante das armas.De to delles, foi a mesma polica atravesando a Pas-
ordeni de S. Exc. o Sr. presidente da provincia, .agem da Magdalena, as povoagSes dos Remedios,
ctnmunico V. S. que autonsou-se o director do Barro e Afogados ; sendo de notar que a polica
arsenal de guerra a mandar satisfazer com urgen- daquella localiJade se prestaran) com aquella
ca os pedidos do commandante do 7o batalho de promptdao possivel, menos um tal Antonio, in>pec-
Infantaria que allude o officio de V. S. n. 1814 tor dos Afogados, que disse que s se prestaran
desta data.
Despachos do dia 17 de outubro de 1861.
Requerimento*.
Alferes Clemente Francisco Tavares. De-se a
eertdo pedida.
Eugenia Balbina das Virgens.Aprsente o seu
filho ao Sr. director do arsenal de guerra, quando
por este fr exigido.
Escolstica Rufina da Silva Barbosa e oulras.
Entendam-se as suoplicautes cora o Sr. engenheiro
director da repartigo das obras publicas.
Jos Francisco de Souza.A' vista da informa
gao nao pode ter lugar o que requer
cante.
Joao Jos de Carvalho Moraes. Informe o Sr. inham.
isto se tivesse orlem do seu subdelegado. Talvez
quede semelhante recusa, no que houve alguma
. demora, fosse a causa de licar frustrada urna im-
portante deligenca de lauto incommodos e fa-
digas.
Communicam-nos o seguinte facto:
t Jos Pires da Fonseca, estudante da Faculdade
de Direito, ao sabir das aulas de volta para casa,
sexta-feira 14 do correte, comegou a sentir-se in-
commodado de dores de cabega, nauseas, suores
fros, oppresso forte do pelo, e fraqueza as per-
nas. Esses incommodos foram augmentando rapi-
o suppli- damente, a ponto de nao Ihe permillirem andar
| sem o apoo dos companheiros, que com elle vi-
No Ihe sendo possivel tomar a caa, foi reco-
Ihido casa de outros estudantes na ra da lm-
peratrz. as dores de cabeca e do peito eram to
violentas, que tomaran a falla, e o estudante se
estorcia horrivelmente na cama, de modo a formar
de vez era quando, com os ps e cabega, um arco
pelas costas.
i Era to terrveis circunstancias oi consultado
que, mandando applicar dous
mais tarde, apezar de doenle,
que dsse ser mu singular, como
cheios de admirago, vraos no
il se expede ordem para conceder a quem de I lira de duas non as, extractos os soltrimentos, e o
direito competir, um abate da terga parte, no va-1 estudante julgar-se capaz de ir a pe para sualeasa,
lor por que foi arrematado o imposto de que se como o fez, passadas quatro horas depois da retira-
da do medico, sem embargo da determinagao em
contrario. Mas antes de chegar casa, foi pessoal-
inspector da thesonraria de fazenda.
Padre Juvcm-io Verissirao dos Aojos. Prove o
supplicante que nao exerceu o magisterio em o an-
no passado.
Mana Claudina da Concegao. Prove a suppli-
cante ser a sua filha orpha.
Maria do Rosario Pinheiro.Para ser deferida a
supplicante convem que aprsente oulro alteslado
1." vlexandre Jos Rogerio Jnior.
2. Manoel Antonio da Silva Lessa.
3. Luiz Prudente de Barros.
4." Antonio Ayresde Mello Jnior.
5. Malillas Ayres Delgado.
6. Constantino Aureliano Gomes de Mallos.
7. lacradlo Francisco de Oliveira.
8. Francisco Antonio de Souza Aratijo.
9." Anm'o de Torres Bandeira.
O agente Olyrapio, em seu arroazem silo
ra do Vigaro n. 10, faz hoje leilo de mobilias
completas, raudos trastes avulsos, escravos de
arabos os sexos e um sitio no Rozariulio.
O agente Siuies faz hoje leilo de urna ta-
berna no pateo do Tergo, com um magnifico sor-
timeulo de molhados de primeira qualidade.
Repaiiti;.\o da polica.
Extracto das parles do da 19 de outubro
de 1864.
Foram recolliidos casa de detenco no da 18
do corrente :
A' ordem do lllm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noel Jos Francisco, Joo Cancio, Joo Antonio de
Vasconcellos, viudos de Oiinda, para recrutas.
A' ordem do subdelegado do Recife, Ignacio Joa-
quim, para correego.
A' ordem do de Santo Antonio, Luiz, africano
Iivre, e Vicente, eseravo do Dr. Bolvar TeiXeira
Bastos, por desiurbios.
A' ordem do de S. Jos, Rasa Maria da Conce-
gao, e Benedito d'Azevedo das Chagas, arabos sem
decaracn do motivo.
A' ordem do da Capunga. Francisco Pereira do
Valle, por insultos, e Sebastin Bezerra de Man-
danga, para averiguaedes policiaes; e Antonio,
eseravo de Jos Martins Barbla, requisigao
deste.
A' ordem do da Varzea, Arcelrao Antonio dos
Am>s, liara correego.
O chefe da 2* secgao,
J. G. de esquita.
Mov ment da casa de detenco no dia 18 de
outubro de 1864.
Existiam..... 351 presos.
Entrarara..... 12
Sahram...... 12
Se o systema representativo livesse por coad^o
essencial a currnpcgo, e o despreio k
elementares da moral, e do decoro.
certamente nenhum hornera de boa f, e de sr
patriotismo, que nao prelkisse qualqnrr oolra for-
ma de governo. A liberdade ni > seria oree -u*
cente para resgatar a dignidade humana, meaos-
cabada, e offendida, e a servido antiga nao mb
muito para lastimar em comparar) de ora n*fi-
men social bas>ado no egosmo, no interesse aute-
rial, e na immuralidade c vinca.
O que seria para des-jar nos pana represea-
tativos, pondera umescriptor moderno, era a eas-
lengo completa de todos os meios de sclucao.
Os gi vernos deveriam manter-se no peder, asa-
cando conquistar a popularidade verdadeira, e o
apoio dos horneas serios p-la exrelk-nria de saas
praticac_, pela desengo de seos procedinvato. pHa
genero>idade de sua abnegago, e pelo poiaVr, toan-
do antes como um encarno unrosi romo urna estril satisfaga* das vaidaoVs prssoaes
de alguns individuos, que esludam com aan es-
mero a gymnaslica da compostura, dos btrnaa-
cros, do que o cdigo sagrado dos deveres, e das
leis I
Os governos deviam, na phrase pitoresea, e ori-
ginal do padre Antonio Vieira, acreitar a *r>9,
<|ue pesam sobre o hombro era lugar das que ad-r-
nam a cabega, e estarem sempre Jisuo*.'*, ale* a
I resignar com honra as saas magi^trataras, do qne
comprar a sua conservago cora o saenfirio da aro-
I pria dignidade, e, o que anda pei<-r, rom raaai-
festa quebra, e ofTensa do decoro publico.
O governo dos humen* nao c um idyllio de Taao-
{cryto, nem urna paisagein de Watieao. .** na
I sempre cos cr de rosa, longes illurainados, arvo-
res frondosas, horisontes lucidos, innorenria, >iia-
plesa, engenuidade, e candara pastoril. Os honvo-
gnvern%ra-se igual mnlt pelas leas, e peta aat-
xoes. I).dii vera a dillculdade oV. sea refiatrn, e
a necessidade de substituir algaraas vea o* expe-
dientes de occasio praxes francas de gorerae
Os governos precisam d.- parcial*, mas nlo fa
demonstrado qu* precisen) de icarios OV fowr-
nos necesMl.iin de amigos s, mas nao e*u
provado que preoiscm de mercenarios a-lul lores.
Os governos, eomo lodos t> >re> animado*, _are-
cisam de ar. e vida, mas nao e-t demonstrado que
preclsem de cnrnmettpr desatino-, e e-ran.lal.rs
para poderem viver. Os enveros precisam d> col-
laboradores, mas nao est pmvado que prreiseai
pagar era seu lugar a cumenos poltico* com os
dntieiros, e ufficios da nago.
Erradiss mo -y-teina I Deploravel regneira E
nao alleniam os governos, que vivero, ou an>s r-
getara raiseravelmente no mel da eorraania. que
os Walpnles j hoje nao g sam do privilegio da
longevdade potinca, i que, a med la que as tran-
saceSes indecorosas, e as eaadaaani (enras repre-
hensveis parece prnlongarem a ines.piinha ext-
ienda de (acs governo-, a propria niejiriaa Ibes e
veneno, e o que esperam Ihe* anime as forra*, es
esta debilitando, e apresando vivamente aprecoce
decreplude?
Pois que autoridade pidem ter os governo*. qoe
| se iilentilicam cora as escorias sanar, r parin-i-
para de lodosos seu* vicios, e araloeoe. impuras I
Que prestigio nodem ter os governo- quando a -na
fnnego se reduz a presidir a hasta publica das op\-
nies, e das consciencias ?
Que considerago podem tor n* enverno*. qn
nao sali.-feilos de perturbar a marcha n-gular 4a
sociedade civil, sempam o* punhaes nn em das fa-
uiilias, dividindo pelo mpetu da ambicio o naa a
natureza sabiamente uni ? Que ltalos de bene-
merenea podera merecer os governos, que ra-traia
as paginas Ha con>litnigo, que d-sp >puUrsam i
coroa, que violam a urna elednral, e eompellem a
popnlago a bla-phemar emura a tyrania do |*-r
em mu rgimen de liberdade ? Que amor omino
podem merecer os governos, que era vez de guar-
dar o soldado para defenih-r a dignidade aaciunal,
to profundamente ferida, empregam no ao penr
dos offlciosem violentar o voto popular?
Maldigo doco sobre os governos que assita pro-
351
A saber :
Naclonaes..... 385
Estrangeiros... 12 i
Mullieres..... 6
Estraogeira.... 3
Escravos...... 41
Escravas...... 4 351 t
traa.
Hermenelgido Antonio Rarbosa de A Impida, fican-
do certo de que nesta data se fazem as necessarias
coramuncagoes a estes ofDciaes. Fizeram-se as
necessarias communiearoes.
Dito ao mesmo. Informe V. S. acerca do que
pede Joaquim Martinho da Cruz Crrela no reque-
rimento que aqu ajumo com o officio do presiden-
te do conselho administrativo desta data
Dita ao mesmo.-Remedo por copia V S. pa-
ra ter execugao na parte que Ihe toca dous avisos
datados de 24 de setembro ultimo, nos quaes o
Exra. Sr. ministro da guerra recommen la a fiel
observancia d i regulamento de 28 de abril do an-
no prximo passado, na parte relativa as escolas
regimentaes.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Pela verba soccorros pblicos mande V. S. abo-
nar a Candido Jos Serpa a quantia de 2005000,
mo direito.
Interpretagao diversa sera repugnante com os
priiicpios de direito, e autorisana o absurdo de
ser iniringda a le que teve em vista acautellar os
interesses dos cofres provnciaes.
Nortea termos faga Vmc. saber ao empreiteiro e
s peticionaras a resolugo da presidencia, para
que resolvam cutre si segundo seus proprios ratc-
resses. .
Dito ao mesmo. Recommendo a vmc. que
mande examinar o estado da cadeia da cidade de
Nazareth, e me informe a vista delle, se convm
repralo u construir alguma de novo.
Dito ao mesmoEracuraprimento do disposto
na le provincial n. 588 de 9 de maio deste auno,
mande Vmc, orear com urgencia a despeza a fa-
zer-se cora a parte da estrada do norte, a comegar
do Ra r lu at a ponte do Bujary.
Dito ao Dr. Juiz eapeciel do commercio.-Envie-
Pedro Marques d'Alhayde. Aprsenle o menor.------------ ........
ao Sr. director da arsenal de guerra, quando por mente render ao hornera que o havia salvado tona
este fr exigido. a gralido de que e capaz urna alma reconhecida
______ aos beneficios que recebe.
4*Seccao.-SecretariadogovemodePernambu- Partos desia ordeni fazem calar o espiritos
co 18 de outubro de 1854.lllm-. Srs.,S. Exc. oSr. i mais exigentes acerca da procuidade da horneo-
presidente d provincia, em resposta ao officio que palhia ; e glorificara a soliciliide e ptr>eveiranga,
Vv. Ss. Ibes dirigiram nesta data, manda deca-1 com que o ncansavel Sr. Dr. Sabino promo\t o
rar-lhes que, nao julgando plausiveis as descon- desenvolvimento da sciencia que profesa,
(langas manifestadas pela mesa parochial desta | Honra, pois ao apostlo da homcopalhia era
freguezia contra a forga de polica que ah se acha, j Pernambuco, e a todos os que, como el o, sabem
e que pertencendo-lhe a escolha dos meios para I cumprir sua alta missao. A huraamaaae agraue-
garantir a tranqmlldade e paz publica, nao jul- cida Ihes rendera as devidas homenagens.
gou conveniente annuir a pretengo d'aquella mesa
parochial, contra a qual reclamam Vv. Ss.
Deus guarde Vv. Ss. lllm.0' Srs. Drs. Maxl-
miano Lopes Marhadn, Jorge Dornllas Ribero
Pessoa, Caetano Silverto da Silva, Marcelino dos
Santos Pinheiro e Caetano Pinto de Veras.
O secretario,
Dr. Francisco de Paula Sales.
4.* Secgao.Palacio do governo de Pernambu-
co 18 de outubro de 1864.
Era resposta ao officio que Vmc nesta data di-
rigio-rae, cabe me dizer-lhe que, sendo eu o res-
ponsavel pelo emprego dos meios, tendentes a ga
a ordem e tranquillidade
ranlir a ordem e tranquillidade publica, e o enm-
com reravinoracao do* servgs por elle prestados rae Vmc. com "urgencia, afira de ser transmidida primento da lei, nao assinli a reclamago que me
aos indigentes arcommellidos da varila no muni- ao Exm. Sr. ministro da justiga urna relagao no- lizeram os membros da mesa parochial desta fre-
r'u.io de Oiinda. como se v do incluso requerimen- minal das queliras havidas nesta provincia desde o guezia, no sentido de nao ser conservada a forga
to documentado anno dt 1831. com s declaragSes constantes do. publica, a actualmente postada nessa matriz, prra-
Dito ao mesmo Transmuto V. S. coberto aviso de 4 do corrente, de que incluso Ihe remedo cipalmente nao me tendo parecido plausiveis de
com urna cjia da informago ministrada pelo snb- copia. nenhum modo, os fundamentos da dita reclamago,
delegado do primeiro districto de Tejueupapo, ter- Dito ao director do arsenal de guerra.-Avista por quanto alem de nao ter neohum motivo para
mo de Geianna, a conta em dunlicata que me re- de sua Informago n. 64 de 14 do corrente, auto- recelar desregrarnentos dessa forga, acha-se el a
meiteu o chefe de policia cora officio de 34 de agos- riso Vmc. a mandar admdtir pa companhia d sob as ordens do r. chefe de polica, magistrado
Alimentados a custa dos cofres provnciaes. 131
Moviraento da enfermara no dia 18 de outubro
de 1864.
Teve baxa :
Manoel Gomes de Mattos, ferimenlo.
Moviraento da casa de detenco do dia 17 de
outubro de 1864.
Existiam....... 355 presos.
Entraram...... 10
Sahram....... 14
cedein
O sonhador acordado.
Existem....... 351
A saber
Acha-se entro nos de passagem para Eurooa,
o celebre artista Pietro Ferranti, que tantas noutes
de praser e fanatismo causou na corte deste impe-
rio. Sensivel nos se'a era extremo, permanecesse
era esta cidade por alguns dias to insigne cantor,
sem qne ao menos urna vez nos concedesse a satis-
fago de ouvi-lo. Consta-nos que pedido, dar
um concert no salo do theatro de Santa Isabel,
com a coadjuvagao das excedentsimas senhoras
e senhores dilettanti, e desde ja desejaraos a reali-
saligo de to acertada quo feliz lembranga.
O Sr. Ferranti den no Rio de Janeiro alguns
concertos, e nelles reconheceu se-lhe sempre acer-
tado dedo para a combinagao dos pedagos que
compunham o programma. Assim nao duvidamos
futurisar que como os Fluminenses, gosaremos al-
gumas horas de verdadeiro prazer, asseverando
mui cordialmente ao Sr. Ferrami, que os Pernara-
bucanos Ihe man.festaro, aprego e consideraco
idntica, a que aquelles Ihe dedicaram.
De Oiinda nos remettem o segrate :
Algumas ras desla cidade existem era um es-
tado tal, que se toroa. dificil e at pengoso transi-
Nacionaes...
Mullieres-----
Estrangeiros.
E-trangeira .
Escravos
Escravas.
287
5
13 >
2
40
4
331
Alimentados a custa dos cofres provnciaes loi
Tiveram baixa :
Manoel Jos do Nasciraento.
Jos Ignacio dos Santos.
Obituario do cemitkrio publico ko da 18 de
outubro de 18864.
Gregoria, liberta, frica, 60 annos solleiro, S.
Jos; prolipso do ulero.
Balbina, Pernambuco, 5 mezes, Roa-vista ; con-
vul-es.
Germana Mara da Con.eeigao, Pernambuco, 75
annos, solteira, S. Jos ; apoplexia fulminante,
Augusto, Pernambuco, 2 mezes, S Jos; ma-
rasmo.
Antonio loallolno, frica, 55 annos, casado,
Sa Jos ; conjeslo cerebral.
CORRESPONDENCIAS
Srs, redactores.Victima de um ealnmaia atraz
que o demonio da ma soprou aos ou>nJo* vi-
gario do Bonito, o Itvd. Joaquim da Cunha Carai-
canle, nao devo deixar em rata ns seus eaVito*; e
por isso procuro o sen Diario para a matacanes
manifestago como ura protesto e rectaaneao ae
providencia.
Socerdote francez, ha 12 annos qne exergo o
meu ministerio nesta provincia e naquella Ala-
goas, e lisongo-me de t-la feilo sempre de #>
formidade com as leis ecclesiasiicas. .No eaueua-
to, solicitando em das de novago da proviso de confes*or. f-ii-mw ella de-
negada, pois se me inculpara perante o Exm. Sr.
vigano capitular de haver cora urna s lieaaea fei-
to dous casamentes I
Victima innocente, e forte em minhaeonsci*aria.
rogo a autoridade superior qne f >ra o ralnmnU-
dor irazer sua presenga todos os arto* oa a*en-
tes dos casamento, que relehre no r*na-.-o *e 15
mezes, eon que estive na rapellama de Capoe*-**,
alim de verificar a improcedencia da lacoipa-
go.
Depois desse processo, que sera a miaba Mira
dofeza cem a victoria d verdade, rirn eatao de-
clarar o motivo diablico, que inspiron to nrgra
calumnia ao Rvd. vigaro Joaquim da Cunha Caval-
cante.
Recife, 18 de outubro de 1864.
Padre Francisco Bettt.
PBLIGICOES 1 PEDIDO.
lllm. eExm. Sr. En resposta aooeto de IS
do crrente, a mesa parochial v. ra respednsam in-
te ponderar V. Exc. que sao muiio grave* e e-
pun__
ros os fuudainenlos que a levarara a ini*rro.a-
per os seus (rabalhos pe neoduma MM fip
Ihe ios,lra a forga policial, a Mal no da 17 a
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
MUTILADO


-
Diarlo 4e peraafcne Quinta feira O Je Otttnbro 4e t !.
meia norte velo substituir a forra de linha, que
guardava a urna.
Eim Sr., nao sao vaos os receles da mesa paro-
dual, ivlaudos em seu offlcio de 17 do frrente
dirigido a V. Exc.
Alteada V. Exc que essa a segunda eleiijao
eleico j vai ensanguentada como prinieira ;
attcuda V. Exc. que os autores desses feriin-nto-
nao tem sido presos e nem processadcs ; aitenda
V. Eic. que um nemem do partido progressisia
ousou no (lia 17 a tarde arrancar bayom-ta de
oiit soldado de Imha rom toda a publicidad!*, den-
tro da Igreja, e nao consta (jue sse homem tosse
preso nem prooessadn, apezar de acbarem-se dentro
delegado, o varios d'entre eHes justamente no lu-
gar donde. s levantou o grande sus.-urro e paro.
lho, que custou a torca de Nnha e ao proprio 5>r.
I>r. chefedo polica arjnmnodar; attenda V. hxc-
que noto 17 pela noite grupos de desordeiros.
bem confaecidos da polica, corrern! por duas ve-
tes com faccas nas alraz do ex cadete Calumba
no pateo do Carmo, e no pateo da matriz; atienda
V. Exc que esse mesmo grupo desordeiro, no meio
de a infernal alarido e foras a tropa de linha
ousou apedrejar essa mesma torca que guardava a
-orna, s nove horas da noite, devendo-se a ener-
ga dssa tropa de linha e integridade do sph dig-
no commandaute o uo ler sido a una violada ;
atienda finalmente V. Exc. que esses gritos dos
desordeiros, que apedrejaram a tropa de linha e
tw Ihe davam fras, agora devem estar ainda
tnais oasados por vere.ni desairada essa tropa, que
e portara eom toda a energa, sendo substituida
pela Tora de polica, que ellos rertamavam I
Em' (aer de taes occurrencias que derramaram
o alarma por toda a cidado na noiie de 17 do cor-
rente, romo pode a me*a parnchial continuar nos
seus trabalhos rom assa torga policial, que nenhu-
ma renflanca Ihe inspira por stas razSes, e |M>r
outras relatadas em nosse offlcio de 18 do cor-
rente ?
Nao V. Exe., sim o juiz de paz auxiliado pe-
la mesa a nica autoridade compleme para re-
gular a polica da assembla |iarochal em face
do Io do art. 47 da le eleiloral, e a mesa emen-
de que nao pode regular a polica e manter a de-
vida I neniarte aos cTdadaos votantes pacifico*
o essa torga policial que nenhuma confianca
Ihe inspira. Permita, pois, V. Exc. qo* Ihe pon-
deremos que nao sao legaes os fundamentos de
resposta constante do offlcio de V. Exc. datado da
faolltem.
Por unto Exm. Sr. a mesa parorhal insiste em
nao continuar nos sen* trabalhos em quanlo per-
manecer semelhante torca na igreja, em face das
correncias havidas ; cabe-uos por fim observar
V. Exc. que nao pedimos a volia da mesma
guarda que aqu >e achou nos dias 16 e 17, segun-
de V. Etc. diz em seu oficio de hontem ; pedimos
aiin a substituirlo da torga policial por qualquer
otra de linha conforme V. Exc ver de Baste
ffiVio, umbttm de houtem, se o qulzer ler com a
devHa altencao.
Mesa parochial de Santo Antonio, 19 de ootu-
nro de 18t>i (10 3/1 hor Jos l.uiz Per tira,
Juiz de paz presidente da mesa parochial.
Antonio Augusto da Fonseca.
Joaouim S. P. de S. Cavalcanti.
Jos Francisco Carnriro.
Francisco da Silva Reg.
4* secgio.Palacio dogoverno de Pernamburo
em 19 de oulnbro de 1864. Mandando infor-
mar ao Dr. cliefe de polica, que tem assistido aos
trabalhos da eleicao desta fregueza, o offlcio que
esta dala dirig -me es>a mesa parochial, res-
fionderei a mesma mesa logo que me seja miuistra-
da a intormaco daguelie magistrado.
Dos guaide Vim-s.Domingos de Souza Lro
Srs presidente e membros da mesa parochial
da fregueza de Sanio Antonio do .Recito.
film. Sr. Pnlieiro.Meu amigo.Acho-iue per-
plexo em descubrir expre.-.-es com quo possa
agradecer V. S. a honra com que se dignou tra-
tar de minha humilde pessa em seu tnilagrosissi-
wo artigo.
Era preciso que eu me esquecesse de V. S. para
deixar de agradecer vivameute o affecto que Ihe
nieieco!
O carcter de prelazia, que V. S. assumio, para
respnnder aos meus jiarabeiis, unas vezes me tor-
na desvanecido, outras envergonhado, e o nico
ovio que a mruha coufuso pode escobrir para
agradivimento, foi cnrommeuda lo a lieus que
pae de intinU miseneoidia I
Sci, (como V. S. pode saiier) que das obras, e
au Jas palavfas que na.-ce. a gloria, e por e>sa
razo que milito e milito n eesita(iios do valor,
prnoencia e profundissdBO talento de V. S., a quein
O Eleruo quiz fazer singular, uo menos para nos-
$5-W)'ad'e, qri para llVfracu do> socios do a-
binci.- Portuguez, cutre os qoae> sera a peonada
V. S. ioveja.i.i, re&Mnuien |ada e venerada!
E'timei a innata beragnidade com que me hon-
rou; mas anda mais e.-inno o pleno conhecimento
que da V. S. de se adiar empenhadu em fazer
runde o qoe em si c lo pequeoo I Crea que son
franco em dizor-lhe, que aluda assiin V. S. vae
pcif'itameule, pois unviudu lr as .-uas majistraes
con>Jderago s de h>ije, alligurou->e-ine f-lu rasgar
a^ cortinas de Plato, para impavi io confundir a
impieiiade, e cumluzr a verdade at os pontos
n>ais recnditos e inace.-.vivvis do inlimtu I
Sintu que o Sr. E. Refean, forte pelo piadoso re-
medio dos sanios couseliios de V. S., uo venha
tamtiein agradecer os vaiilajusssioios servigos que
V. S. Ihe faz; ma como a penosa distancia o em-
Jbaraga, estol) persuadido que a minha pruna fara
o ullti'ii da sna lingua, e o mea cu ago o exerci-
eio do> seu> oih'S I...
C iilicco qiiauto difficultoso enlagar a alegra
dr, poim torga mudar de assumptu, parauf-
ci i cci-llu; urna irisli.'-siuia Dolkia I Espero que V.
S. pmruiara uas maravilnas da >ua capaculadu, o
rcn.cdio que ensiua a estukn, para dimiiiuir a dr
que Meessariaiullle llie de\o piuouzir 1
Mili fliiiigu. A obra du Sr. llenan ; morreu I...
pudru-si'\... extingui ,-e I... srin um respon-
so!... st-m urna v.z qoe Ihe di>sesse, Amen 1...
Como despojos, licam as impoitantes uieuionas
que V. S. esrreveu e continuara a escrever para
llliiimi ag'j do seclo I
Cnsulee nii-iram g" Teulio f que a milita
omina de pie.iado que Ihe noto, desculpar o reo
que acaba de roubar a gloria aos seos luminoso*
m-ripio*, e se por ventura rhoiar por lo infeliz
mici-wmi, espero que sejam as lagrimas mais de
uveja, que de compaixo, leuibrando-.se de que
emqoanio existi aqoclla obra no Gabinete, seno
opria Meadas para subir ao co, tambetu as nao
fa para descer ao inferno I
Nao ooslanle saber que a e-pinto de V. S. tem o
iiie-mo reiiimlio, que ao adunrava na langa de
A'iolir-, rogo-ihe anda, que se nao entregue a sen-
liinentox que Ihe pnsain abalar o intrllerto, pMs
deve coiv.fl' er-se de que nao est concluida asua
is>ii.
Combada y. S. a exiincta obra do Renn, (as-
rim o poieoio> dizei) soinente porque se ochava
em purtuyuez, mas le-ta correr com a sua ira para
YuMiUie e OuUut de que nos fullou, e Veja V. S. se
pode extf.hir iao s, que possaiu mover os anl-
M>o> e inSfiiar i-wni'iiixo para os notos reos, que
fe algum appla(-o ineiecein, talvez, pr t-rem
ido ufitkudwJos pelas directoras transadas do Ga-
binete I
Pego a V. S. mil desculpas, e espero se nioes-
ouec de niiui com os seus jiidicinsns preceito,
o/undo nao .eja por uierecinieiiin meu, ao rneno-
pela grandeza da piu-oa de V. S. I
Ueos guarde a V. S. por muilosannos para gloria
das B"sas leltras I
Sou re>pi ilador e criado
Ordrage.
18 de outubro de 1864.
pifaI Portnguez de lcnefl
ceoela em Peroambiieo.
A juma adoiim.sirativa do hospital P ring lez de
fien.'Ucencia, julga do sen drver rommunicar ao-
StMitiores inembros da juma tran
*enh>re> soi'iosdo meMPu hospital o conieudo do
aviso, que baixou jiela secretaria de estallidos ne
gitfios do reino, erii 5 de eie obro prximo findo,
pelo qul sna mae>lade fed lcirna houve |>or bein
man lar hmtar s serviros prestados aos Bossos
compatriotas desvalidos da fortuna.
Itei ife, |9 de, ouiubro de I86V.
Jeaqum Ferreiru Memles Guimuraes.
Secreai lo
Ministerio do reina.hirugo perald admi-
n.strago rtvil.Sendo presenm a sua nnge-ta-
de el i ei o offlcio dirigido a o (invern pea junta
administran do h -spilal Portintnei He Beunti-
cenca, instituido na cidado de Pernambuco (tn-
Coasnlatlo provlaelal.
Rendimentododiala 18......... W:988*W7
ldemdodiai9................. 560|67
30.55^874
MOVIMENTO BO PORTO.
perlo da Brasil) acompanhando aim exampiar
impreuso do relatorio de sua gerencia no anno
prximo findo, bem como os raappas estatisticos,
nosoiogico e necrolgico, des doentes tratados
< naqnelle hospital : ha por bem o mesmo augusto
senhor mandar significar ao respectivo provedor
que muite agiadavel Ihe foi a recepgo dos men-
t clonados documentos, pelos quaes se evidencia a
i perfeitaregularidade deservi^ose boaa iminisira-
gao de um estabelecimento tao importante pelns
seus elevados (bis humanitarios ; e outro sim ; Navios sahidos no Aia 19.
ordena sua n.agesiade, que sejam louvados, em Assu' Patacho nacional Relmpago, cipito Luiz
c seu real nome, iio so os membros da junta ad- Antonio Rodrigues, em lastro,
ministrativa, a rujo patritico zelo e esmerada BahaBngue hamhurquez /n;e6or/.capitao flun-
dewadt, carga parte da que trouxe de Antu-
erpia.
B o de Janeiro pela BahaEscuna hollandeza Cn-
sul Wuotlied, capitn F. Baikker, em lastro..
Ohservaco.
Demetrio Jos Teixeira (Baha).
Mearen & C. (Babia).
Jos de Barros Accioly (Macei).
Rodrigo Theodoro de Freitas (Rio de Janeiro).
Sebasno Gnimaraes Pinto Bandeira (Babia).
Valeriano Tlburclo da Silva (Bahia).
Na audiencia do Dr. juiz municipal da 1* va-
ra do dia 21 do crrente mes tem de ir praga
por venda o escravnbo Ismael por execugao en-
caminhada contra I). Francisca Candida de Miran-
da, pelo cartorio do escrivo Saraiva.
Araealj.
0 biale Santa ita sahe para o Araeaty : a tra-
tar com Tasso Irmaos. ____________
Bahia.
0 hiate Dous Irmaos sahe para a Bahi : a tra-
tar com Tasso Irmaos.
dedicagao se deve em grande parte o estado de
prosperidade do hospital, mas tambem aos socios
de.sta instituigo de carldade, cojos valisos au-
xlios concorrem efVazmente para minorar os
padecimentos de seu.s compatriotas enfermos e
desvalidos da fortuna
Oqoe, pela secretaria de estado dos negocios
do reino, se communica ao referido provedor;
para sua satisfagan e da sociedade que v.repre-
senta.
Pago em 5 de setembro de 1864.Duque de
Loul. >
Est conforme.Recife, 19 de nntubro de 1%4.
Joaqmm Ferreira tiendes Guimares.
Secretario
Informam-nos que na ra Direta ha urna
casa de negocio que tem um deposito de plvora
para vender a matulos ; e como anda estejam na
memoria de todos as tristes scenas de vespera de
S. Joao, oo largo do Terco, rogamos polica e ao
Sr. fiscal d* Suito Antonio enrgicas providencias
para que cessem os terrores da visinhanga.
Me c tlioL'iio S'Rhor Santt Anta para
0 auno de 1865, pela irmaudade do
Saulasimo S -cr meta tu
Juizes por eleigo.
Todos os senhores de engenho da fregueza.
Juizas por eleigao.
As Exmas. Sra. dos mesmos senhores de enge-
nho.
Jaizes por devocao.
Todos os negociantes da fregueza.
Juizas |or devogo.
As Exmas. Sras. dos mesmos negociantes.
Escrives por eleigo.
Todos os lavradores e agricultores da fregueza.
Escrivas por eleigo.
As Exmas. Sras. dos l.vradores e agricultores.
Bardemos.
Os empregados pblicos da fregueza.
Mordomas.
As Exmas. Sras. dos mesmos empreados.
Noiteiros.
1" noite o reverendo vigario da fregueza e mais
padres.
2' dita todos os artistas da mesma fregueza.
: dita todos os negociantes de gado.
4* dita as Exmas. Sras. solteras.
5' dita todos M senhores solteiros.
6* dita todos os mascateiros.
7* dita todos os almoercves.
8* dita todos os negociantes de carne secca.
9 dita pela irmandade.
Procuradores.
Todos os irmaos da irmandade.
Ordena tereelra do Carmo.
No dia 16 do corrente, na maior regularidade
possivel se procedeu nesta veneravel ordem a elei-
go do prior e mesa n-gedora, para o futuro anno
administrativo de 1864 a 186o, de conformidade
com o novo estatuto; Meando a mesa assim com-
posta :
Prior.
O ex-sub prior Jos Joaqun) de Urna Bairo.
Comrnssaro.
O actual Fr. Joaquim de Santa Mara Cunha.
Sub-pnor.
O ex-defioidor Jos Joaquim da Silva.
Procurador gttral.
O prior actual Pedro Alexandriuo Rodrigues Lins.
Secretario.
O ex-deaidor Jeroayino Emiliano de Miranda
Castro.
Thesoureiro.
O cx-definidor Manoel RibeiroFernandes.
Vigario do culto.
O ex-defmidor Manoel Nasciim-nto dos Santos.
Mestre de novigos.
O definidor Manuel Jos de Oliveira Barbosa.
Visitadores.
i" o ex-defindor Jos Rodrigues Ferreira.
2o O ex-dellnidor Jos dos Santos Lages.
Definidores.
1 Antonio Machado Pereira Vianna.
2 capll&o Trajan Alipi > de Carvalho MendODQa.
3 Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.
4" Francisco Lopes da Silva.
o Alexandte Jos da Silva.
6o Joao Baptsta Rodrigues de Souza.
7o Manoel Jo- da Costa Reg.
8" Manuel Ferreira de Sonsa Barbosa.
9 Maicolino dos Santos Piuheiro.
10 Jo- Antonio Moreira Das
11 Joaquim Francisco dos Santos Maia.
12 Jos Francisco Brando.
Priora.
A carssima innaa D. Matiuldes Libania Monteiro
Pirett.
Sub-priora.
A cars.-ima irma D. Auuuuciada Camilla Alves
da Silva.
Mestre de novgas
A carissima rma exmestra D. Mara das Neves
de Miranda Oliveira.
Salsa (I*1 Ki-islol,
A sALSAPAiiitit.it\ db Biiistol.Poucos remedios
ha que tenham produzido tantos beneficios no
mundo como este.
E' a nica preparago que ataca invariavelmen-
te no saugue a origetu das eiifertmdades alcerusas
e eruiitiveis, exlinguiudo ao mesmo lempo a causa
e o efleito.
Podemos pos confiadamente afiangar que com
sua purpicadora inlluencta, a coirupgo Se trans-
firma em incorruiitilnlidaiie.
As chapas escrofulosas e todas as molestias ex-
ternas glandulares, e cutneas communs aos
paizes trpico cedem promptamente a sua pode-
rosa agencia.
Seus effeilos curativos as affecgSes do fi-
g'do, e no rheumatismo nao o menos sorpren-
dentes.
Acha-se venda as boticas de Caors & Barbosa
e de J da C. Bravo a C.
Nao houveram entradas.
BDIT1ES.
Faculdade de Dlreito.
De ordem do Exm. Sr. director se faz publico
que, em sesso da coagregacao de 15 do corrente,
foram julgadas nao arxmadas as fallas dos segua-
les estudantes.
PRIMBIRO ANNO.
2* radeira.
Vicente Ferreira Gomes, duas era setembro. "
Simplicio Coelbo de Beseude Fitho, duas em ou-
tubro.
Antonio Paulino Cavalcanti de Albuquerqoe.
nma em setembro e quatro em outubro.
Prxedes Teodulo da Silva, duas em setembro.
Jos Jorge de Siqueira Filho, duas em outubro.
Marcoliuo Piulo Cabial, tres em outubro. -
Vicente Tavares Rodrigues Lima, una sabbati-
na em setembro. mmmfivmma,
Jos Joaquim Alves de Albuquerque, urna em Constancio, cesar do occi-
setembro. L d"t- -,.: Por,<>-
tbrceiho anno. Seip.ao. patricio romano e
s
TI1E4TR0
DE
EMPREZA
GEIMAM) & COniRHA.
9* reciti d ;iss!nitura
SABBADO- 22 DE OUTUBRO DE 1864.
Subir sceoa com todo o apparato exigido
pelo autor, o 5r. Jos Romano, o magnifico drama
sacro em 3 actos e 5 quadros :
01
MARTYRES
DA
Para a Baha |iretende sahir em poocos dias
o veleiro patacho D. Lutz, capito Jos Teixeira
de Azevedo, por ter parte da carsra tratada : para
o resto da carga que me fala trnta-se com os con-
signatarios Palmeira & Beltrio, largo do Corpo
Sanio n. 4, primero andar.____________________
Rio de Janeiro.
O brigue Behzario segu impreterivelmente. no
dia 23 do corrente, recebe carga e escravos a fro-
te : trata-se cem os consignatarios Marques, Bar-
ros & C, largo do Corpo Saoto n. 6.
LEIlitO
Tres
DB
LEILES.
2" cadeira.
Alfredo da Cunha Martins, urna sabbatina em
outubro.
Agostinho do Carvalho Dias Lima, urna sabba-
tina em outubro.
Jos Ignacio de Albuquerque Xavier, urna sabba-
tina em outubro.
Segismundo Antonio Gongalves, urna sabbatina
em outubro.
Lecuo Alfredo da Silva, urna sabbatina em ou-
tubro.
Antonio de Almeda Oliveira, urna sabbatina em
outubro.
Antonio Venancio Cavalcanti de Albuquerque.
tres faltas em seteuiaro.
Por esta occasio igua'mente se faz pub coque
o pagamento das matrculas de encerrantes*" s
pode ser effectuado at o dia segunda feira 24 do
corrente.
Secretara da Faculdade de Direito do Recite,
19 de outubro de 1864.
O secretario,
Joc' Honorio Bezerra de Menezts.
Pela inspectoiia da alfaudega se faz publico
que no da 21 do crrente mez ao mel dia, porta
tiesta repartcao, serio arrematados era hasta-po-
blica os oi'je.ios abaixn mencionados, que deixa-
ram de ser arrematados em praga nos dias 12,13
e 14 do corrente, sendo a arrematago lvre de di-
reitos.
Uina (i vela de metal branco para carro,
valor........... 200
Urna roda de madeira para earroga, valer 500
Machina de torro sem avistar, valor do
ferro..........10J0
' inco moitoes em mo estado, valor 150"
Ferros para marcar algodo .... 1,>U00
Treze barris de chlorureto crystalisado
de calcio, libra 6,061, valor da libra
100 rs., total.......606000
Quai la secgo da alfaudega 18 de outubro Je
1864.-0 escriplurario,
Joo Albino de Gusmo.
DECLARARES.
GOMMEBGIO.
Cotaees ofOciiies.
PRAf.l OO RECIFE
15TDE OUTUBhO Dh 1864
Assuear masca vado purgaOo2.5oti por arroba.
Dito mascavaoo de Macei 2J250 por arroba pos-
to a buido.
Cambio sobre Londres-90 d/v. 27 l|4 d. por i
ubourcq Jnior, presidente.
sJuimares, secretario.
Alfaadega
Rendimento do dia 1 a 18........ 608:02o&838
4em de dia 19................. 5i.497482
Borges.
Gnimaraes.
Santa Rosa.
Teixeira.
D. Antonia Reg.
D. Antunina.
D. Camilla.l
D. Mana da Silva.
0. Mara Pontes.
D. Francisca Balbina
Consellio de compras navaes.
O conselho promove no na 22 do crreme rrez
vista de pro|K>slas recebidas at s 11 huras da
manha a compra dos seguimos objectos do mate-
rial da aunada :
200 arrodas, 8,000 arulejos, 12 handeras ji
naos de 2 panno, 50 chai eos de oleado, 14o
do* de damasco de seda verde 50 espnnc
escrivaiiinhas de metal, 3 arrobas de tio d
da i, 1,000 torneas de r> de, 20 lanteroas de
6 livros mappas de f>0 folhas, 20 ariolia.. Te Hua-
illar bran-o, |0 pegas de merlmi, 1,000 libras tte
pregue de zinco, 60 raspas de f^rro, 50 niei-s de
sola da trra, 200 lijlos uglezes e 40 duzias de
taimas deamarertoou vinhaiico, patumuju' uu ara-
riba, de o polegadas de grossura e nao meos d
33 ps de comprimento
Tambem o conseilm promove no referido da,
bem como em qualquer ouiro de suas sessoes,
avista igualmente de propo^tas, a compra de ma-
deiras de con.strucgo para um transporte de
guerra.
Sao sujetos os que venderem estes ohjeclos
multa de 10 por cento se n* as enlregarem de
liroinpto, e de 20 por cento caso sejam de m qua-
lidade, oii nao os fernecerem.
Sala do conselho de compras navaes, 17 de ou-'
labra de 1864.
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Secretario.
Cons-lho aitiiiiist.-itivo.
O conielho aiiinims'.i ativo para tornecmento do
arsenal do guerra tem de comprar os objectosj
seguiutes:
Para o arsenal de guerra.
20 arrobas de cabo de liabu para drica de i
1/4 de polegadas de circumferencia.
2j duzias de tabo 10 inillieiros de pregos hatus pequeos.
10 ditos de ripaes da trra.
5 dito caixaes.
5 rata com tolha de (landres de 27 sobre 18|
1/2 pullegadas. i ni 23 Sobre 14 ditas.
ParaoT* hatalnSo de inf.ntaria.
10 paic- de mala de Uimanlio regular.
Quem quizer vender taes artigas aprsente suas
propostas em carta fBcnada na secretaria do conse-
lho administrativo as 10 horas da manha do dia 24
du crrente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
ormci ment do arsenal de guerra, 19 de outubru
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Sebastian Anlohia o Reg Barros.
Vogal secretario interino.
Conselho ulmin st-atho.
O conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra precisa comprar o segointe
Para n arsenal de guerra.
Fita de 15 para silhas, pe as........... 20
Sota branca garroteada, nietos..
senador......Coimbra.
Orosio, chefe dos enrulaos,
orbigenaiio.....Germano.
Gabriel, fnho de Orosio Lisboa.
Dcio, grande sacerdote d
Jpiter .... Pinto.
Lucifer.......
Pluto, centuriao romano *
Polion, guarda do*eaiceres.
Isaae, judeu, e.scravo de Afra.
O archa lijo......
Afra, cortezaa romana. .
Marina, virgem christa. .
A f........
Eumeina, escrava de Afra .
Digna, dita......
Euprpia, dita. N. N.
Senadores, lctores, sacerdotes, sacrilTcadores.
auruspices, virgen, centurioes, decenarios, solda-
dos, povo romano, boto cluisto.
A cgao |>assa-se na ciliado de Aogusto fhoje
Augsbourg) no anno de 3b3 da era christa, sendo
imperadores, Maximiano Hercules, no Oriente, e
Deocleciano, no Occidente ; e i esares, no Oriente,
Galeno, e Cn-tamio, no Occidente,
Todo o minarte novo, pintado pelo distincto
scenographo o Sr. Veneri; consta do seguinte :
1. aeto. Lugar mnntanhoso e selvagem bosque
de cedros, grutas que em lempo se transtormam.
2acto. Rica esumptnosa habitage de Afra.
3." acto.Sitio rmo.-O templo de Proserpina
em ruinas formando a entrada das Calacun bas.
que em lempo, pela transtormago deixa ver o
interior.
4h acto.O magnifico templo de Jpiter, com
todos os seus accessorios ; esta decorago digna
de esiiecial mengo pelo gosto e riqueza com que
esta toita.
5. acto. Carcere ; em tempo transformado para
siena l'raal.Visla de glora, preparada para todo
o theatro, e que deve produzr maravlhoso efleito.
O inachinismo encarregado a um artista hbil,
pode asseverar-se que correr a contento.
A msica, do Sr. Colas ti ho, foi escripia expres-
samente por este artista, com o gosto que todos
Ihe recouhecem.
O vestuario novo e ao gosto da poca.
Comegara s 8 horas.
AO P1BLI 0.
SEGUNDA COMPANHIA
DE
CURIOSOS GYMNASTICOS
PEKNAHBOANOS.
RUI DO PRIM'.IPE N. 18.
GR.1XDE ENPKtTAClXO
i;ni actos.
S.ilharfo, 22 do trrenle.
Maravlhoso (ranalho no irapetlo;
Volteos na corda bamba ;
Deslocago pelo menino borracha ;
Os dous irmaos Rolands;
Saltos mortaes no Irampolim ;
Grupos de equilibrio;
scartas perigosas ;
Oh'mem de bronze;
O menino cobra.
O espectculo comegara 8 horas.
Os blhetes acham-se enda no escriptoro do
theatro
Sodronio Sabino Monteiro de Carvalho.
ntreetnr.
Feira semanal
DE
Nohilias cnmpletas, escravos de ambos
os sexos com habilidade e sem ellas,
crystaes e ootros rticos de gosto.
IIOJE.
s il horas, no armazem da ra do Viga-
rio n. 10
>IYJHPIO
vender em leilo umamobilia de Jacaranda com
tampns de pedra marmore constando a mesma d
18 caderas de gnarnigo, 2 de brago, 1 sof, 2
consolos com pidra marmore el mesa com dio,
camas francezas de amarello, 1 mobilia de ama-
relio completa, lavatorios com pedra marmore, ca-
detras brancas avulsas, mesinhas para junto de
cama, camas de ferro, mesa para jantar, escravos
de ambos os sexos com habilidades e sem ellas, 1
grande sitio no liosarinlio com grande casa de vi-
venda, venezianas e ontros muttos arligos que se
tornam enfadonho mencionar, tora lugar o leilao
na rna do Vigario n. 10.
JLEILAO
DB
111% TABERNA
N. ai -Pateo do Terco-N. 21
Alves Conttnho & Brando faro leilo cm con-
senso dos seus credores e por inlervengo do agen-
te Cordeiro Simes, dos gneros, armago e uten-
nlios da taberna cima dita, em um ou mais totes
a vontade dos compradores, a qual se acha com
sortimeuto sufflciente para duas tabernas e com
gneros novos comprados bem pouco tempo, por
isso espera-s nma luzida concurrencia, cuje ba-
lango est em poder do retori lo agente para oexa-
inc dos pretendentes.
sioji:
s 10 horas em ponto na mesma taberna.
casas terreas.
Sem limite.
0 agente Almeida competentemente antorisado,
fara leilo de tres rasas terreas, urna na roa do
Rosario n. 13, com 2 salas, 3 quarlos, rosinba fura,
quintal e cacimba, a qual oftortce muito bas pro-
porgoes para urna taberna.
Lma diu na rna dos Praieres n. 3, rom t sa-
las, 2 quartos, cosioha tora, quintal e cacimba.
Urna dita na rna do Cotovello n. 37, cu 2 sa-
tas, 2 quarlos, cosinha tora, quintal e cacimba,
todas na fregueza da Boa-Vista.
Segunda-feira li do r*rrfile
a porta dos Srs. Palmeira & Beltrao no br| do
Corpo Santo, ao meio dia.
AVISOS DIVERSOS.
Attenclo.
0 abaixo assignado roga a tod w os can-
didatos e candidaias, que foram examina-
dos na directora da insti uccao |>ublka, do-
rante todo o lempo que o riesmo wcup.*u
o lugar de secietario, que declarem fran-
caineiite e por amor da verdade, se recebe-
ram nelle copia de ponios para os re eri-
dos exames, por obsequio on por algum
outro interesse.
Salvador Hetirique le Arntiqnergue.
MJs,
os IO:lio<'$oiw.
Corre depols ilamaihia.
Sabbado ti do corrente mez. se exirahi-
r a qtiarla parte da terreira lolena (I lf)
a beneficio da Santa Casa da MiserkarfJn,
no consislorio da igreja de Nossa Senlu-ra
do Rosario da fregu-/:* de Sant.. Amonio.
Os bilhetes, meios e quartos acbam-a i
renda na respectiva tbesouraria ra do
Crespn. 48.
Os premios de 10:000^000 at 20*000
sero pagos urna hora depois da extraceao
at s 4 horas da tarde, e os outros ao dia
segointe depois da distribuirlo das listas.
Servindo de thesoureiro.
Jos Rodrigoes de Sosia.
AVISOS MA&ITIM0S.
COMPANHIA BRASLEIBA
PE
PAQUETES A VAPOIl
Dos |>ortos do norte espera-
do at o da 2 de novemhro o va-
por Paran, commaudante o ca-
pitn de trgala Santa laibara. i
qual depois da demora do Costu-
me seguir para os purto- do sul.
Desde j recebem-se passagetros e enfraja-se a
carga que o vapor t>oder condnzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada, encommen
las e diuheiro a frete at o dia da sabida as i ho-
ras : agencia, ra d Cruz h. 1, escriptorio de An
onio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA BftASLIRA
DB
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o dia do corrente um dos
va'wres da rompanhia o qnal de-
pois da demora do costume se-
guir para es portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
100' carga que o vapor poder conduzr, a qnal dever
Quem quizer vender taes arligos aprsente su^s embarcada no da de sua chegada: encom
pr..,H^tas em carta fecha-la na secretaria do conse^niendas e dmbeiro a frete at o da da sahida s 2
lho administrativo, s 10 horas da maoha do din f horas, agencia rila ^a Cruz n. i, e_scriptorio de
6o9.52
Hovlmento da alfaodeiea
361
58
320^
Volames entrados com fazendas...
eom gneros.
Volames sabidos
t
com
com
fazendas...
gneros...
------419
203
40o
608
Descarregam no dia 20 de outubro.
Barca nglezaSernphinagaz e ferro.
Escuna ingleza -Zampa diversos gneros.
Hiato portuguezPensinenlo dem.
Patacho hespanholVicente, -vinho.
Brigue portuguez Lua II baldeacao de sal.
Barca inaieza Vision rarvln.
Recebedorla de rendas lof ernas
geraes de Pernambiioe.
Rendimento do da 1 a 18........ 26:2626i7
dem do da 19................. 3:t60J14t
29:42279l
-
21 do corrente.
Sala das sessoes do conreino administrativo t>ara
forneciinento do arsenal de guerra, 14 de outubro
de 18i.
Antonio Pedro de S Barreto,
coronel-presidente.
Sebasttao A-Ionio do Reg Barros,
vogal secretario interino.
CORREIO GtRSL.
Rftlat 4a* e*iia- MMiPag cxistenlps
a t',niiui*tiai:a.i ti cornin de>Ui
ci luir, pim a sen lio re > abtiixo de-
clarad s
Francisco de Mello Birreto.
Henriqueta Mama'ida di Nascimento (Afogados).
Joa-niim r'olppe da Co-ta.
Jos Joa finm di Silva Bei.
Maximiano Francisco Pereira da Silva.
Tenente Pedro Bez-rra Cavalcanti Maciel.
Correio.
Pela ailministracSu do correio se faz publico que
as carias abaixn mencionadas detaaram de seguir
sen" destinos por se acharein na mala com sellos
servidos.
Bernardo Joaquim Pinto (Baha).
Caimito de Lellis Foneca Jnior (Babia).
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
C
v\
Sexta-fHra 21 de outubro, s M ho-
ras, na da i adeia n. 53
DS
Um terreno chiio proprio na rna do Destino fre-
gueza da Boa-Vista com 234 palmos de frente
divide de um lado com o muro do hospital mi-
litar, boa localklade, por quanto todo o material
vem de muito pertu por ser prximo o porto do
Hospicio.
Pelo agente Uuzeblo
se venler pelo maior preco dinheiro vista.
LEILAO
Sexta-.fara 21 do corrente, ra da Cadeia
* n. 58, armazem.
DE
lima exeeente mobilia de Jacaranda a Luiz XV,
com tainpos de parir marmore nova, urna outra
de amarello tambem nova, riqnissirnns guardas
ronpas do raz de amarello, outra dita de inog-
ik>, um lindo fialiteiro de i>rata. um adereco de
ouro, capachos de raz de espartos, olalo para
carro e encerado para cubrir mesas, bercos de
faia, cadeiras de cereja etc.
EiLZElIIt
vender em leilao os objectos cima por conta e
ordem de quem pertencer.
Vndese na praga da Independencia a. 39 loia-
de Antonio Angosto dos Santos Porto, capHIas
n ortuarias de gostos mais moderna, qnc tena
vindo at agora para se botar em tumuto e ru-
cumbas no cemiterk publico no dia de finad.*,
com as e>cripcoes seguinte: mea espos, minha
esposa, mea pai, minha mai, neu Albo, minha II-
Iha, saudade sempre vivas, amisade, urna lagri-
ma ; desta qualidade nunca vieran para serena
vendijas ne AO PIBLICO
rrancice Jos do Rosario Barro, ann-n refcv-
joeirn, nesta cdade, continua a earcer a arle de
sua pmfisso na ra Bell n. 3. ango llorar d*
seu domicilio : asseverandn quelle une honram
eom sua frepnezia que serao servidus com prutap-
i do no desompenho dn sua arle.
LKILAO
mii
COMPANHIA PERNAMBUCA.N\
DE
Kavenacao tlri vanor.
Parahjba, Natal, Haco, Araeaty Cear
J Caraca'.
C vapor Persinunga, comman-
dante Bats, semur para os por-
tos cima nn da 22 do crrente -
5 horas da Unto. Ib-cebera carga
'at o dia 21. Eucoimnendas, pa>-
sageiros e dinheiro a frete at o da da sahida i*
3 horas da tarde : escrip orto no Forte do Mattos
n. JL________________^________
COMPANHIA PEItNAMBUCANA
DR
VaTegaeSo eostelrn a vapor.
Taman ar.Barra Grande, Porto de Pedras,
Camaragibe e Macei.
O vapor Mnmanguape, romman- antorisado por urna pessoa de sua amisade vende-
dante Moora, seguir para ns f em leilo nma ca pHTMl cima indicados no di 25 eom 2 janellas e 2 portas de frente. 2 sala. I
d" corrente S horas da tarde., piano-, 2 janellas no ni tan qin olha para a ei'ra
DE
831 meios de sof.
Sexta-feira 21 do corrente.
O agente Pestaa vender por cunta e risco de
quem perlencer 331 meios de sola marra F : se-
ta-feira 21 do corrente pelas 10 horas da manliaa,
no armazem da Companhia Pernamburaoa.
"2 excellentes predi s
A dinheiro ai parle a prazo.
Antonio Botelho Pinto de Mesquila
fara leilao por intervenco do agen-
te Oliveira, de seus ptimos predios
acabados etn I8rtt, com solidez e a
moderna, sitos na ra do Atollo ns.
34 e 36, tendo ambo> 52 palmos de frente hvre de
parede-,os alt- s do de n. 34 eo primeiro andar do
de n. 36 tem 21.1 palmos, de comprimenio, o se-
sundo andar do de n. 36 tem smente 120 palmos
de comprimento com um terrayo, os armazens
tem 340 palmos de comprimento cada um, tcodo
ambos tambem frente para a ra do Caes d'Apol-
lo e o de n. 36 tambem para a travessa do amigo
porto das Canoas, estes predios foram edificadus
pelo actual proprietario e Com ptimos alicerces e
superiores madeiras.
Sabbado 22 do corrente
ao meio dia em ponto nos indicados predios no
armazem do predio n. 36.
LttILAO
Sbbado 22 de outuliro, as 11 horas,
ra da Cade a armazriB 53
.(E' positivamente sem limite.)
n
Urna proprledade, chao proprio, sita na cdade do
Cabo qua-i junio as officinas da estrada de tor-
ro com portan ao lado, sendo na frente terrea e
para iraz assobradada, assnalhada, aiirastvel
baiilio perlo. com imitas vantaizens que os pre-
tendentes desde j tiodero examinar, s assim
sero com i vista salisfeitos para na realidade
fazer ho arqoisico.
Pelo agente Knzeblo
se vender* aquella casa definitivamente pelo maior
preco que se, achar, advertindo _em tempo qne o
terreno lateral ondp tem o portan, toreiro.
DB
\ rasa terrea Bova e 2 casas de laipa
eatiren-es p^ra ediiraco, e 1 vi-
vcirodepeixc na roa Imperial pr-
ximo a punte dos Uoitadus.
(Tudo em um s lote.)
Cnios foreirog.
Ten;a-fi-ira ''6 do correte
s 11 horas no armazem da ra do Viga-
rio n. 10.
r
seus amigos e aos do falleci4o Gllilhermno de Albliqueiqne Malln He-
n-i i a para assislirem a un-a missa ipx man-
da celebrar na matriz da Boa-Vista, seita-
fi ira 21 do torrente pelas 7 horas da manh.ia
pelo eterno re^iuso d'alma daquelle finido,
c desde j se contossa grato por esta prora
de amisade e relwi.io. "
vuia. o.-- p..i-, us nina.r* e o- cunli. do finado Cuillierimno de Albui|uerqne Mar-
tins IVreira vem apreseniar wrm sincm
protoato do reroubecimeiito e gratido a.*
senhores quo se oiynaram de assi>nr na ra-
pella do crinitorio as oraces que .-.lli se r
aran por auna daqtiill liuado, e, rerto
deque nada leem ai referido seus seniimen
los de caridade, roitain Ibes queirain runi-
parecer na igreja matriz da Boa-Vista as 7
horas da manbaa de 21 do correte para oo
viren a> mi.-sas com anr t-m dr **r mm>o-
rado o stimo dia. ap6* do l'.en metilo t
seu presado prente.
MM Joaquim Pinto Martn^e -ll^ fanitia
pmipier da mais viva sandade muilo agra-
ilecem a coofraria de S. iswf i'h e mtk
|.essoas a mesma reunida o obsequio qoe
Ihe Ozeram un da 16 do corrente, de acmn-
pauhar ao ceinilerio us restos mon,i.'. 4a
sua sempre temblada querida e tilha Leo-
cadia da Concen.ao Pinto Martin-.
Bcrelier carga al o dia 24. En
commeudas. pasageir< e dinheiro a frete al o
dia da sabida s 2 hora da Urde : escriptorio
ou Ferio do Mallo o. 1.
da de ferro, I viveiro de peine, 2 ca*inhas de tai
pa que reiiitom MVOO mensaes, sendo ludo lito
collocailo em nm rr,.,io com 150 palmos de fren-
H e fundo at baixa mar.
Manoel Francisco Cocino, filhos e or,
agradecen mu rordialmeiite a t.-da* as
pe.-si'as que se dignaratu de assistir as exe-
quias que nn dia 13 do corrente. liverain
lugar na igreja de Sanl. Bita do ("au e
acumpanliaraiii ao cennterio desia ndaito,
os ie.-los moilaes de >na sempre chorada e>-
posa, mai e sogra I) P^nbna de Souza Coc-
ino, as>m cemo aos que as-i-bram a uus-a
do stimo dia.
l)esejii-se fallar ao Sr. fenente J<.'.
Antonio de Alhtiq*ier<]ue. a negocio de 9m
interesse : na livrat ia n, G c 8 da prara da
lodependanria.
Sr. (focar Destilicmix que leve hja
de c Irado na ma da hofirratr/ n. Si. finei-
ta diiigir-se a hvratla n. i e 8 da prara da
Indepenilencia.
Daiinana enema, cor fula, alia, secca. lea a
cara descarnada, vicio de tomar tabaco, an la vestido de alg ulo de bslra e de >-lnu encarnada
, -, ~ ......... ni,-i i
do r.jrrente mez : roga-se. poiU:iti>, -a
des policiaes e catdtaes de campo que a ap
dam e facam conduzr sen >cnhor n > I
Madre de Dos, no sitio dennii..|.> fi*
na vlla, e ser entregue ao capito Gcnvioano *>
D..., M..;..l .... .1:.._______ __ -.
ipt>Trto-0-
Brejo da
ncihu. MI
na vita, e ser entregue ao capitn Genvniano do
Reg Maciel, que sern generosamente reenmprn-
s.d.s ; e na prac,a de Pernambuco ao- Srs. Mafa-
lhaes da Silva lrmio. _____
t rirtdH.
Na rn* Nova n. 61. precisas.* de um chala
Na ra da mal i', da B >a-Viu, e**n m t%,
faz se comnias t.ara tora, com as-cio e crmaHidao,
lava se c engomma-se co-li pcrtoicw btwida-ie,
tudop >r preco- co na do* : u-simna- dir >$mm
da dinheiro a juros em |K)q*na. qaantia* subco
penhore< de ouro n prau>.
I'reci-a-^c de moa pfela e-i r-.Ta de D>)i nm-
dncta que saina roinhr e engomnwr. paca o
tumi aloguel agradando: na ra do Qn>imadn n.
16, toja^___________________________________
Preoisa se de uui nieiiuri para cria-hi,
scji lvre ou e-cravo : a tratar na rna do Pelara
di Bi-pi, qturia casa a esquerda, voltondo a rna
dos Pires.
\


MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO f-


Diarlo de rVr*ieW*6 tnlnta felra 40 4* Outflibro ale J64.
Tasa para alujar na rna d Crespo
Aluga-se a principiar em Io de Janeiro prximo
futuro o sobrado de (res andares da roa do Crespo
a. 9 : quera pretender, dirjase ao estabeleciincu-
lo da I ija do me sino sobrado, ou uo de n. 13 da
mesma ra. ^________._____
Attenclo.
Ainda existe M ru estreita do Rosario n. 31, e
na villa do Cabo, era rasa do Sr. advogado Jos
Paulo do Rgo Barreto, algn* escravos o escravas
de campo, cora habilidadeesum ella, lado por pre-
eo com modo.______________________________
~Z- Prucisa-se de orna ama de leite qoe jeja cui-
dadosa e lenha muilo e bnm leite : tratase e pa-
ga-se bem : na na do Brom n. 84.___________
Prerisa-se de dous amassaaores de masseira
que entendam pi-rfeilamente do fabrico de pao e
bolacha : na ra larga do Rosario n. 16, padaria.
~~ Aluga-se urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I M. Reg, na roa do Trapiche n. 34.
Precisase de urna ama para cozinhar e en
gommarpara duas pessoas : na ra do Imperado
numero 46.
Precisa-se alagar um sitio por anno, que le-
nha ca-a grande com commodos e em bom estado,
eominodos para eilor e escravos, e terrenos para
plantacao : a tratar na roa da rmperatrlz, loja nu-
mero 20.
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S. FRANCISCO.
Tabella que ten de refalar a hora* de partida dos tren de pasaagelros do i," de aovembro de
i86i. at segundo aviso.
ESTACOES
AM.I.
Precisa-se do urna ama que cozinhe bem c com-
pre, para ama familia de seis pessoas : a tratar na
ra de Norias, sobrado junto aos Maris rios, pri-
meiro andar.
cm u mmk.
AOS 10:000.000
llllhetes garantidos
i* rna do Crespo n. 23 e casas do rnstome
O abaixo assignado vendeu nos seos muito felt-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
deextrahira beneficio da matriz de Carnar, os
seguintes premios:
N. 174 tres quartos com 6:0005000
N. 1572 um inteir com 6005000
E mitras militas de 2005, 1005, 405 1*5-
O possuidnre.s poden vir receber sem os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna 4 ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se renda os da quarta parte da tor-
ceira lotera a beneficio da Santa Casa da Miseri-
cordia, que se extrahir no dia 22 de outubro.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios......... 65"00
Quartos........ 35000
Para as pessoas que couiprarem
de 1005 para cima.
BiRtles........ 115000
Meios........ 55<00
Quartos........ 25750
Manoel Martins Fiuza
Em Sanl'Anna aluga-se urna casa milito fres-
ca, concertada do novo : a tratar rom o solicitador
Manoel Lniz da Veiga, na na da Gloria n. 94.
Precisase para urna casa estrangeira de um
criado de idade, de boa con Inda, e qne entenda
bem de tratar cavallos e preparar os mesmos em
carro, e se liver estado em oochera ainJa in-lhor :
a tratar na roa da Cadeia do Recife, I ija n. 40.
No hotel italiano, roa do Trapiche n. 5, pre-
cisa-so de um copeiro, prefere-se escravo.______
~ Aliwra-se o quarto andar da casa sita roa
Nova n. 21: a tratar na mesma ra n. 8, loja do
cha._______________________________________
Na ra da Cautela do Recife n. 55, primeiro
andar, tem urna carta para e Sr. Antouio Manoel
da Conceieo.
Precisa-se de doos homens que emendara do
servico de copeiro : na ra da Aurora n. 32.
Precisa-sc de urna prela que saiba cozinhar o
avar : na ra do Quennado n. 16, loja.
FRGEZ TOE S. JOS.
A eommisso enrarregada da proNiptifiracan das
obras da igreja matriz de S. Jos do Reiife, faz
scienle lodos os fiis, que domingo 23 do corren-
te, pel$ 8 ,'j horas d* wanliaa proceder-se-ha a
beiicoda cruz que tem de ser enllocada no fron-
tispicio mi igreja. Esta solemnidade ter lugar na
igreja de Nossa Seohora do Tena que serve de
matriz, e em seguida ser conduzda a cruz em
procisso era direceo ao lugar onde tem de ser
arvorala.
Ruga a commissao as respeitiveis corporaces
religiosas desta cidade o especial obsequio de man-
dar repicar os sinos le suas igrejas essa hura, ao
sigual de algumas girndolas de fogo do ar, bom-
bas grande-, pelo que Ihes ser mudo grata.
O jmz da irmaii'la te de Sastissimo Sacramen-
to da freguezia de S. Jo- do Recife, convida
todos os setis charos irrnos, para domingo 23 do
corrente. s 8 horas da manhiu, reunirem-se na
igreja de Nossa Senhnra do Terco que serve de
matriz, afim de assistirem ao acto solemne da hen-
ea o da cruz do frontispicio da nova igreja matriz e
incorporados acompanharem a mesma, ao lugar
que tem de ser arvorada,____________________
Compinhla da estrada de ferro
do Blecifc ao S. Francisco.
AVISO.
Pela superintendencia desta enmpanhia se faz
pntdico que se acha justo com Joao Chrysnstomo
de Oliveira Pelagio a venda do terreno margen)
do rio Serinhaem denominado Areial da Cachocira,
hnje Porto das Jangadas, o qnal principia a mar-
gem do rio Serinhaem, e limita-se rom os terrenos
da companhia. sendo este terreno de quinhentos
ps de ex'ensao, a contar da margem lo mosmo
rio Serinhaem e cera ps de largura a contar dos
imites da companhia.
Se aloem se julgar com direito a qnalqner re -
clamado dever apresenta-la no esenptario da
villa do Cabo ou publica la por e-te jornal dentro
^lo praso de 5 das desta data; fmdo o qual nao
ser admittida.
Pernambuco, 19 de outubro de 1864.________
~" O ahaixo a-signado romprou por conta e
pedido do Sr. Francisco Goncalves M-irelles da
Therezina, no Piauhy, os bilhetes ns. 2.219 e 2,274
da 4* parte da 3* lotera concedida em beneficio da
Santa Casa da Misericordia, os quaes Acara em
poder do annunciante.
Recife, 19 de outubro de 1864.
Manoel Pinfuiro ie Miranda Ozono.
Precisa-fe de nmi ama escrava. ou forra
para casa de pouca familia : na roa de S. Francis-
cocasa n. 56
Precisa-se de urna ama de boa conducta para
o servico interno de casa de pequea familia:
ra dos Guararapes em Fra de Portas n. 30
sobrado.
MUTA ATIENDO
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores o senhoras
Aviso aos seuhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e seuhoras.
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
De camuas e quadros
De raixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
j De caixinhas e quadros
Caixinhas a I5S00
Caixinhas a 15500
Caixinhas a 15500
raixinhas a 15500
Caixinhas a 15500
Caixinhas de 55 por 45
Catxinhas pe 55 por -45
I Caixinhas de 55 por 45
i Caixinhas de 55 por 45
! Caixinhas de 55 por 4$
Receheratn-se 10 mil caicas
Rereberam-se 10 mil eaixas
Receberam-se 10 mil eaixas
Rere lie rara se 10 mil caitas
Receberam-se 10 mil eaixas
Cartoes de visita
Cartes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartdes de visita
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A galera esta renovada
A galera est renovada
A galera esta renovada
A galera est renovada
A galera esta renovada
Com ricos e-rimados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Cora ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos coronados e tapetes
Cora lindas e variadas vistas de f indo
Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lindase arladas vistas de fundo
Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lidas e variadas vistas de funde
i asa americana
Casa amencana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A' ra do Imperador n. 38
A' roa do Imperador n. 38
A' ra do imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' roa do Imperador n. 38
V ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador a. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A. W. Osborne.
Cinco Pontas (partida)
A fugados ....
I Roa Viagem .
Prazeres ....
Ilha.....
Cabo.....
Ipejuca. .
Olinda.....
Timb Ass .
Escada .....
Frexeiras ....
Aripib.....
Rihcirao ....
Gamelleira .
Cuyambnca .
Agua Preta .
Una (rhegada). .
llifc.MS CAMA O I.MEKIUII
las <* trn-
hulho
SIMIO
II
M.
8
8
8
8!
8

9:
i
10
10
u
11
11
12
12
6
18
24
50
10
24
39
54
10
38
56
15
3
58
19
46
TAKUE
II
.
10
16
n
34
*>
25
D iiu>ingua e
n_ Huiitos
IMIU
II
7
7
7
7
8
8
8
9
0
9
10
10
10
11
11
M
12
M.
II.
30
36
49
5o
20
43
57
12
27
44
12
30|
49
12
32
53
20
5
30
42
48
15
30
ESTACES
Una (partida)......
Agua Preta.......
Cuyamliuca.......
Gamcleira........
Ribeiro.........
Aripilra..........
Frexeiras........
Escada..........
Timb Assti......
Olinda ..........
Ipojuca..........
Cabo...........
Ilha...........
Prazeres.........
Boa Viagem......
Afogados .. ;.....
Cinco Pontas (chegada)
I MEAS DO IM I I5IOU
OtMN tTM-
halho
BASHAA
II.
M.
TAKHk
M
H.
30
46
12
20
31
46
10
36
58
n
39
5K
16
47
15
30
48
4
30
38
51
Domins-rs
din! linios
HANHAA
II.
M.
14
38
46
59
10
TAHUK
II
1
1

2
2
I
:t
:
4
1
i
i
B
8
9
6
M.
AVISO
Acha-se na roa do Pilara. 115 ama carta viada
Va T*****: fc mniu rirconumrte, rara Sr.
Jo< Francisco dos Saniw ; qoereodo dirigir-M
mesma ca^a, que ser entregoe.
TlNTRAIIli:
Tinge-se com perfei^o para qnaiqar
cor, e o mais barato possive!: > m ds
Rangel n. 3R. segundo aedar.
COMPftil.
Compra-sc ouro e prala rm otras
daga-se bem: na loja de Lilhites da prora tt
20
45
71
25
4s;
7 pendencia n. 22.
l'; (^ompta-se efectivamente
9 [ ouro e prata em obras velhas pagaado-se__
j4 na roa larga do Rosario n^2i, loja de oorivrs
39
57
13
40
48
1
10
Na praca da Independencia, loja de oemn
n. 33, compram-se obras de ooro, prata e perirao
preciosas, assim como se faz qual<7wr obra ie eo-
commenda, e todo e qualquer o
H. Austin, superintendente interino.
THE
INCORPORADA SOK A LE DE ASSOCIAI.01.S MI TI \ DE 1 Sfi2.
CEARA' (NORTH BRASIL) WATER COMPANY,
LltiiVE
Empieza des trillio* urbanos do Recief]
Apipuros movida vapor.
*!S!S%?!^ si 60,0UI, em6,"l)-i aeges He,U> st.iO cadauma.
ram vir pelo engenheiro que tem de e-xecntar a Depositando 10 s. por cada accao pedida e lib. st. 1 e 10 s. qnando forera distribuidas.
obra, os concessionarios abaixn assignatos resolve-' As seguintes chamadas nao excedero a lib. st. 2, cada urna, tiem poderaoser fetas com inter-
ram formar urna companhia com o capital de ... fvallo menor de tres mezes.
300:0005000 em arcoes de 505000, com as cendi- Juros de 6 % ao anno pagareis aos accionistas at a concluso da obra.
e5es que serio apresentadas aos que quizerem to- ------
_" a"8w. Directores.
As pessoas que quizerem ser accionistas desta WILLIAM FRAACIS DOBSON. Esq. Bearsted House, near Madstone, (presidente) director da compa-
CMPR\-SE
I ama negra de bonita figura, que iha lavar, eo-
. goiumar e co>er bem, e cuja idade nao exceda a
125 annos, agradando paya-se bem : a tratar n* e>-
j chptoro de Manoel Ignacio de (Kivra KUoo.
i largo do Corpa Santo n. 19.
Compra-se urna bomba para nriwfca : aaeo
I \2_'___ya'*c nw da J,",rr d' Des *^
i Compram-se jornaes a 4* a arroba tara tm-
I brulho de cierros : na ra lar^a do R.Mario a*.
17 e 19, confronte ao quartet.
YEIDAS.
importante empreza, poden dirigirle qualquer
dos abalxo assignados, ou aos correctores Vaseon?
cellos, Manede, uimaraes, Gatis, Douboorcq, Ma-
cedo, Seve, etc.
Bnro do Jvtamento.
Jos Bernardo G. Alcoforado.
A. Luiz dos. Sanios.
Os abaixo assignados havndo contratado com o
governo provincial a collocacao de tnlh >s urbanos
da cidade do Recife at Apiparos, e tendo oMide
as informacoes que erm indispeasaveis para a banqveiros
execu^o da empreza, teem resotvido formar urna I
companhia anonyma pan a sna realisaao, e cora! conRECTonKs
Vende se cai\es vaz'os iropriat
para hahn'eiros e f.initeiros a 1|7M
ailauui; ni>ta hpojtraplii-..
nliia das Docas e arnazens, de We-i London.
JOHN CLARK, Esq. 3, Dunster Court Miucing Lae.
JAMES DAWSO.N, E.>q. 2, Biliter Sjuare, London, director da companhia Metropolitana fle Se-
guros.
THOMASGEORGE FARDELL, Esq. 6, Montagu Place, Montagu Square.
WILLIAM JESSE, E-q. Maisonette. IngatesUme, Essex.
JOHN WTLLIAM STL'DART, Esq. V. cnsul de S. M. Brtarmica, no Cear.
AUGUSTUS WEHNEU, ?s.j Lime Strce, director do banco Euruueu: Limitado.
E.NGENHKtho ALFRED THOMaS COOK, E-q. 3, Bridge Street, Westminster.
ssLMciTADORES MESSRS. W. II. P. SHARP, 92 Gresbi*ii>e.
O BANCO, EUROPEU, LIMITADO, 83, Ein* William StreL E. C. e seus Fliaesno
Continente.
MESSRS A. & W RICARDO, 11 ngel Court Tnrogcoorton Street.
EscRiPTonio 3, DUNSTER COURT. Mincing Lae.
O porto e eidade do i >ara a sede do governo da rica provincia ou capitana do Cear gran-
de ao norte do Brasil, e e>t situada em lat. 3." 41' e W" S. e Long. 38 tV Oente de Grenw, o Cear j 'va, tudo bem, para ver a
realisaveis em prestacoes, sendo 2o por cento logo c rodeado por um terreno arenoso, e sem exagerar, na maior parte do anno o clima pode ser conside- ^ 0- casa terrea
que e>tiver formada a companhia, e o restante nos j rado secco. Sendo a capul de urna provincia flurescente o lugar de um comniercio que vai crescendo '---------------------^------
prazos indicados pelos emprezarios, precedende pidamente : e a resideucia de um crescido numero de pessoas abastadas, pelas quaes ha multo lempo ~ >cndemse dous casaes de viados mma
aviso de 30 das. sentida a falta de agua potavel. sos e bonitos : a tratar na roa da Mona a 75.
P.-dera, porm, este capital ser elevado a res I A capital e seu termo, contm mas de 30,000 habitantes, como consta dos ltimos relatnos | Vende-se urna mulatiulia d.- P pon J4 as-
nos, de bonita figura, reno propria para nmrin
ba : a tratar no pateo do Terco n. 2, sibrade.
as seguintes bases
Artigo 1. O capital da companhia ser de tre-
zentos contos de ris, divididos em arcoes de 505,
Na Sftledade, junto ao sitio do.
se um cavallo de sella omito novo e *- mmf
ma |ielle, bastante gordo, com bons aadare.
A'IICffl
A
Yende-se a loja de livros n. 6 da prafa da
dro II, rom peaeos fundo- e |ir i--o mano {
pria para qualquer prim-ipiante : a tratar
Nova n. 17, segundo andar.
Vende-se una mulata clara de
mais ou menos de 30 annos, cnsinha.
tratar na
400:000*1100, se para o futuro quizer a companhia fazer prolongamiento ou ramal.
Art. 2." Os emprezarios se obrigam a fazer as
obras que forera precisas para a collocacao dos tri-
Ihos, inclusive as desapropriacoes, ponte de ferro,
que tem de ser collorada no rio Capibaribe, dnas
e.tacoes para recolhimento do trem rodante, e dos
objeins da companhia, que >ero com a ^implici-
! dade po I cismmudaeSes seguranca, sendo nma no ban ro de
Santo Antonio, e ontra as proximida-tes da extre-
midade da linha -, a fornecer 10 carros para pas-
A agua c supprida pelas chuvas bem raras e pelas carimbas, cuja agua era consequencia de
drainagens liltrar5o do mar, etc., no verdadeiro entilo da palavra nao pidavel.
Em urna distancia rasoavel da cidade achamse ua propnedade do Sr. Jos Paulino Hoonhnltz
denominadaBem-firaum grande uuinero de olhos d'agua c diversas cacimbas as quaes durante o
tempo mais secco se tem conservado com agua.
A agua destas cacimbas reconueeida por todos ser a melhor; o nao obstante a distancia da
cidade, e grande despeza com o transporte, tem sido cousumida por aquellas pessoas que podem man-
da-la buscar.
Desejoso de remediar a ?rande falta d'agua de boa qualidade, o jroverno provincial concefleu
a Jos Paulino Honriholtz, nina concesso com pivvilegio excln-ivo por cinroenta annos para snpprir a
cidade rom agua -potxvel ao preco do 20 res por canecode tres e ow-iacaadas vendidos nos chafarizes,
sageiros e 2 para carga, e 3 locomotivas, e ludoi.lo e de 40 res conduznlns s casas, sendoesle preco o raesme que adoptado por outras companhias de
nos prazos estipulados no contrato.
Art. 3." Conrluidas as obras serao os trilhos com
os objeetos cima indicados entregues companhia,
que desde logo entrar na jmsse admini>lracao
i da empreza, e gozar dos privilegios, isences e
I vantagens que foraoi eooeedidas aos emprezarios,
! salvas as disposiefies aqu declaradas, sem que de
parte parte pos-a dar-se rcrlamaco, ou possam
i os emprezarios exigir mais do que a referida quan-
1 tia de intentos contos.
Art. 4." Os emprezarios se obrigam solidara-
agua no imperio do Brasil.
A Cear (North Brasil) Water Company, Limited nao ter competidores e o governo provin-
cial conceden mais o direito de supprr s repariigoes peblicas, quarteis, fabricas, e casas particulares,
etc., por meio de pemm d'agua.
Para levar a effeito esta concesso a Cear (North Brasil) Water Company, Limited, acaba de
ser definitivamente incorporada na praca de Londres.
O concessionario tem depositado em poder da companhia as necessanas transferencias do
previlegio, e mais documentos. Rendo:
O livre dominio do terreno que romprehende as cacimbas e olhos d'agua, e assim mais o que
fr necessaro para as obras u re.-ervatorios, galenas, etc.
A iudeuiuisacao para o cooressionario ser de 1,000 aecSes de lib. st. 10, cad nma, inteira-
mente ao cumprimento do que tica declarado, do.:mente pagas, percebendo juros durante a on-trucco, e dividendo jmri passu como as mais accoes
Francisco l'ircs Machad
Pnrtella
MEDICO OPERADOR
HELA
Faeuldade de l*arl
Pode ser procurado ra Nova n.
44, segundo andar.
s
Mearon & C d-Ha'-ain que a carta que se
acha metida no corre por estar sellada com sellos
servidos, como consta do an nuncio laquella re-
particao pnhlicaoo no Diaria de 19 do corrente,
nao escripia por ditos Meuron & C.__________
Ha para alngar-se no lugar da Torre
um sitio com casa bastante fresca, cora "sete
quartos, hanho porta, baixa d* capim e va-
rios arvoredos fructferos do paiz. s pelo
tempo da festa : quem o pretender dirija-se
ra da Santa Cruz n. 60.________________|
' Fngio do eneenh't Para no da 9 do Corrente
coro dircejao a esta praca, onde pernoitou aquella
note o escravo Caetano, cabra, de idade 30 annos,
penco mais ou menn, nao obstante j ter aleuns
c i bellos hrancos, pouca oa nenhuma barba, veo-
tas grandes a arrebitada*, estatura mediana, per-
na* finas, ps apalhetados, andar corcovado, costas
bem eicatrisalas de chicote, mnito ladino o ve-
haco : gra'iflca-se a quem o agarrar e lvalo ao
resmo en-nho ou entreca-lo ne*ta -pra^a na rna
Nova de Santa Rita n. 7, aos Srs. Sqneira & Santos.
~~ Precisa-sede 5005 a juros sobre nypothera
de nma escrava : quem ret-.nd r dinja-se ra
do Raagel loja n. 46, q o- se dir quera quer.
Precisa-se de nma amar para lodo e servico :
na rna de Hurtas n. 12^, spnrado.___________
Aluga-se ama casa om 3 quarto quintal c
eano de esgoU, sita na na do Mondego n. 17, jun-
to a otaria a. 13, ae se trata; dand >-sc liceoca
para faior-seo despejo ao quintal da dita otaria,
ende ha banbo salgado.
Quem quizer dar a quantia de 1:0005, pa-
gando-se todos os mezes 50j> pelos jures, e pel
empo que se convencionar, annunrie.________
Defrnnte do passadico do lado de Santo An-
tonio, continua-se a fornecer comedorias com mili-
ta limpeza, proinptido e prego comraodo ; o lugar
. de fcil conduego tanto para o Recife como para
Santo Antonio.
Precisa-se de nrn copeiro, preferindo-se es-
trangeiro : na ra das Larangeiras.
SOCIEDADE
NIAO BENEFICENTE
MARTIMA
Por ordem do Sr. presidente sao convidados pe-
la tereeira vez todos us senhores socios para a as-
amblea geral ne da 21 do corrente, as 6 1|2 ho-
ras da tarde, nosalode suas ses^es, para ser em-
possada a nova directora ; e pede-se aos mesmos
senhores nao faltem, pt>is qne dessa maneira a so-
ciedade nao poder proseguir nos seus trabalhos,
lembrando-se ainda aos socios que nao se tem
posto quites, o art. 12 3* dos estatutos.
Secretaria da Sociedadc L'niao Beneiccnte Ma-
rtima, 18 de oututiro de 1864.
Balthazar Jos d osReis.
Io secretario.
Offerece-se ura rapaz de 18 annos para cai-
xeiro de qaalqoer casa de negocio, e da fiador
*oa cHidiicla : quem o quizer, dirija-se roa do
Cotevello n. 43.
O pharmacentir.o Antonio Luiz da Cosa, do
Rio de Janeiro, deseja saber noticias de seas fllhos
Luiz e Carlos, para minlstrar-lhes recursos peen
nlarios e scientiira-los da sua boa successao dos
encoiiimodos porque tem passado : na ra do
Queimado n. 52, se informara._________________
Rodolpho joao Barata de Almeida mudon sua
residencia para a rna jas Trincheir is n 36.
Chaina-se a altengo da polica para o proce-
dimento de uns mocos que se diz-ra estudintes, e
moram era nina casa da ra da Sol lade. os quaes
qnasi qaotidaoamente provocara disturbio", cas-
soaudo grosseiramente com qaem p*ssa pela dita
ra em h iras em qua se achara elles alegres ; pre-
venrado assim mesma polica algum resultado
mo que dessas cassnadas possam ser a necessaria
consequenciaO "ffralido.
A subdelegada d Capuni entregara a quera
se Julgar cora direito um cav-tlM pedrez, apprehen-
dido a tres Jadrdes, cuja piova for apre^entada le-
galmente.
Francisco Antonio da Si'va Cavalcanti.
Aluga-se a loja e o anlaY terreo na ra da
Palma ns. 66 e 68 : a tratar na ra do Imperador
numere 9._________
Quem annunciou precisar do 1:0004 a juros
mensaes de 50, dirija-se a esta typuKraphia que
cintrar ama carta com as iniciaes R. R. R. in-
dicando quera faz esse negocio.
Prectsa-ne da quintia de 8005 a premio de 2
0|0ao mez por sei-, mezes cora hypotheca na qoar*
ta parte de ura sofcra lodo dous an-la^es que vale
6:0004 : quem quizer faeer esteneOo-io annuncte
ou dirija-se a rna do Paire Fionano no sobrado n.
21, primeiro andar.__________________________
Precisase lo una aaa escrav qua saiba
cozinhar o eogoramar, para casa de pouca familia:
na ra do Quomado n. 44, primeiro andar.
que se lavrar auto anlhcntico.
Art. 5. Pela assignatura se obrigam os acci
tas ao que Tica declarado e ao pagamento das pre
taces nos lempos que forem declarados. No ca
porm, rte nao pagamento de qoabpier das prest
1 toes em dito tempo, perder o accionista o direi
das prestacoes nu entradas que houver eito, e
quando nao realise a primeira, poder ser cnagidp
judicialmente ao pagamento da totalidade da
aeco.
Art. 6. Nao ser permittida a transferencia de
acedes, ou dos recibos provisorios, antes de esta-
rera integralmente pagas, salva a respon do accioni-ita, ou consentinientodos emprezarios.
Art. 7." Logo que estiverem lomada as accoes
sero os estatutos submettnlos aparo vacio dos
accionistas para que seja logo enrorporada a com-
panhia, sem que todava por este facto tenha ella
qualquer ingerencia na factura das obras, chamada
e recebimeiilo das prestacoes.
Art. 8." Aos emprezarios se reserva o direito de
receber da thesouraria provincial a quantia de de-
zoito contos de res, que Ibes tem de spr papa em
quatro prestacoes, para indemnisagao do adiam-
ntenlo que teem de fazer para desapropriacoes, se-
gundo o que e.-ta estipulado no contrato.
Art. 9. Os emprezarios tomam por sua conta e
risco cem contos de res em arenes, ser um
delles director nato em quanto forem accionistas,
e tero passagem gratuita em qualquer dos arras
da companhia. '
Art. 10. Fica entendido que as despezas at ago-
ra ferias, e as que se houverem de lazer para eo-
corporacao da companhia, registros, etc., sero por
conta dos emprezarios, por modo que a companhia
entre no gozo e posse da empreza para ser expo-
raoa por sua conta e vantagem, mediante o capital
declarado.
Art. II. Nao se faz o calculo dos lucros prora-
veis e das vantagens da companhia, porque esta
apreciajao est ao alcance de todos, e nao dese-
jam os emprezarios fazer nutrir esperanzas que
parecam exageradas, posto que efectivamente o
nao sejam.
llanto do Ltvramento.
Jos Bernardo Galvao Alcoforado.
Antonio Luiz U"i Santos.
pagas, porm nao podero ser transferidas ant>-s la concluso da obra.
O contrato para a comtmceao da obra j est eflectuado por nma qnantia fixada (da qual o
centratadorobrigou-se a receber lo % em aegoes da companhia) indurado todas as despiezas prelimi-
nares at a incorporA^o da companhia.
O engenheiro da cnuipanliia em seu regresse do Cear den sen parecer da maneira mais fa-
voravel a re.-peito da qnantldaile e qualidade d'agua, e do rendimento; e que na conslrucco da obra
uo hawra dtfficuldade alguma.
O contrato official entre o governo e o concessionario, e mais documentos para transferen-
cia, ert., legalNaJos pelo tabelliao publico, poderj ser examinados pelos accionistas no escriptono da
companhia.
Ser pago aos accioBstas o juro a razio de 6 % 'l0 ann. durante a construccao das
obras.
Para obter acr5es (das qnnc.s nina diminuta quantidadc est reservada para as pessoas qne
desejam arcoes no Brasil) os prelendentcs nesta provincia poderao entenderse com o Sr. George
Patchet, corrector geral, praca do Corpo Santo ou com o Sr. Johu J. Foster, engenheiro dos contratado-
res, ao hotel de Europa, roa do Trapiche n. 12. .
Precisa-se de urna ama para cozinhar e cora
prar : na ra das Crazes a. 9, segundo andar.
Companhia Bdeltdadc de
seguro martimos e ter-
restre estabeleclda no
Rio de Jauelro.
AGENTES EM PEPNAMBC0
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de nav4os, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
mmmmmmmmmmm
G
Haver srvete todos os dias, das 6 horas em
ola-te, advertindo que o mais asseiado e bem fei-
to possivel : no bem conhecido caf dos Arcos.
O *r. Jos Antonio Floresta Ba>tos esludan-
te da facublade de direito tem urna carta de im-
portancia viada da Baha na ra do Crespo n 23.
ATTEN&ftO.
Precsase saber se existe W*sta cidade ou em
alcum [ionio da provincia o Sr. Francisco Melchia-
des de Cerqueira, que foi commernante na praca
da Bahia, e se suppoe de presente nesta : quem
delle souber e quizer fazer o favor de dar noticias,
dirija-se ra larga do Ro-ario n. 26, segundo
andar, ou indique sua morada por este jornal, que.
pacando-se a de>peza da publicado se Iho procu-
rar e lcara agradecido.________
ATTMCJtO
Anda est para alugor-se
terrea n. 39 ra da l'niao.
a boa
Precsase de urna casa com pronorefies de-
centes para hatiitaco de pequea familia ; prefe-
re-se no barro da Boa-Vista ou immediacoes ; ao
se duvi-la pagar bem : a tratar na ra do Vita-
do n. 9, primeiro andar.
Roga-se a pessna que, "por engao levou
'do toilette da suciedade Corybanlin*, na ul-
em tima parlida, um soutambarqoe novo de
. grosdenaples prelo, bastante largo o com-
jprido, com bordados nos punlios, na orla
inferior e nos liombros. com gola e bolsos.
queira manda-Io levar ra das Cruzes n.
7, visto qufsnbe-se o nome da pessoa que
o levou eannunciar-se-lia se n3o entregar.
A ma
Precsase de urna ama para rozinhar e engom-
mar : na roa da Concordia n. 34, sobrado do ar-
mazera rio sol.______________________________
Precisa-se de um homem para plantar e dei-
tar sentido a um sitio: na ra Nova o. 49 se dir
quem ajusta.___________________
O abaixo assignado, commerciante desta pra-
ca, previne que ninguem faca transacco alguma
com tres letras na imiiortanc.u de 1:4934090 MO
Ihe foram aceitas por Ayres Jos Diniz em 12
de Jnlho deste anno, sendo urna da qnanlia de
4975870 e dnas da quantia de 4974860, com os
prasos de 6, 8 e 10 mezes, cujas letras se deseo-
caminharam, protestando contra quem uso dellas
fuer, e passn a prevenir ao aceitante para qne nao
as pague.Joao da Silva Faria._______________
Casa de campo.
Aluga-se urna grande casa na Capunga com
frente para o no Capiharibe e commodos para duas
familias, muito fresca : a tratar com o soliriudnr
Manoel Lniz da Veiga, ou na ra da Imperatnz o.
l.com o Dr. Nnnes de Oliveira.
Precsase
Verdes n. 92.

DENTISTA OE PAR!
19Ra Nova-19
Fredeneo Gantier, cirurgiao dentista,
faz todas as operaces de sna arte, e col-
loca dentes artificiaos, ludo com soperio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agna e pos dntflcio.
Atten#x
Apresenta-se ao respeilavel publico e aos amigos
da boa pitada, o escolente rap denominado fio-
15o Imperial do Brazl em Pernambocoi o qnal ten-
do sido examinado por nma cnmmissSo de dos ha-
bis ehimtco's, nomeados pelo film Sr.Dr. inspector
da sade publica para e de ser offerecido ao respeilavel publico, pdndo-se
a venda ; pelo qne acha-se este bom raji as qoa-
tro freguezias da rfdade, na do Recife rna da Ca-
de* n 53, Sanio AnWnio ra do Queimado n. 45 e
larga d<> Rosario n. 38, Boa Vita rna da Imwra-
trlz o. 53 e em S. Jos no deposito $eTi\ deste ge-
nero, ra das Cineo-Pontas n. 140, pelos seguintes
precos: de 1 a 5 libras, 15280 a Irbra, 10 libras
15200 cada nma, 20 libras 15100 cada nma e 51
libras por 505000.
Joo do Amaral Raposo.
Milita atteucao.
O abaixo assignado, cerno bastante procurador
de seu avd e padnnho Antonio Manoel Ribeiro, faz
dente ao Sr. Jos M-roolino da Costa, professor
publico de primeiras letras da povoacao de Nossa
Senhora do O' de Goianna, e residento ne U pra-
ca, que mande lhe pagar, ou a seu mano Lonren-
o de Albuquerque Mello, prensario neso praca
na roa da Lapa, a qnantia de 4165000, que lhe l-
eon a dever, de quatro annos e quatro mezes de
aluguel da casa em queinoruu e tora aula, e sendo
que pelo presente annnncio nao se delibere a pa-
gar, o mesino abaixo assignado proVsla usar dos
meii.s que a lei faculta na cohranca de alugueis de
ca>a, devendo o Sr. Josc Marcelino lembrar-se o
qne pratieoo nesta povoacao aMes le occultameole
ratirar-s*. Nossa Senhora do O' de Gounna, 9 de
agoste de 1864.
Jos da Costa Ribeiro Cooto.
Keleg s.
Quem tivere quizer vender om relegio de pa-
rade, antigo, ou mesmo 6 h machina, sendo bom,
dirija-se ao arco da Conceicao n. 2, no Recife, que
se dir iiuem quer._________
Albino Bapfisia da Rocha, Por-
tngnez. rdojoeiro e donrador na
praca da Independencia n. 12, faz
qualquer concert de relugios por
precos mais baratos do que outro
qualquer e responsabilisarse pelo
seu trabalho.
de urna ama : na ra das Aguas
Alga-se urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I. M. Reg, na roa do Trapiche n. 34.____
Precisa-se alugar urna ama que saiba eoz-
nhar, on um rozinhoiro ainda mesmo livre : na
praca da Boa-Vista o. 26._________________
Precisa-se de ura menina para caixeiro de
taberna, de idade de 11 13 annos, qur seja por-
tuguez ou nacional : os pretxtenles dirijam-se a
roa de Joao Pernandes Vieira "n. 64, Soledad.
Precisase de um trabalhador : na padaria
da roa Oireita n. 24._______________________
Prerlsa-se de uma ama que saiba cozinhar e
engommar, para casa de pouca familia : oa ra oa
Roda n. 42. ^^_____
Aluna-se um sitio e casa na roa imperial n
106: a tratar na ra Augusta o. 35, ou oa praia
de Santa Rita n. 43, serrara.
Cartas do snl para os Mrs:
Dr. Frani'i-c> Jusiiniano Cesar Jacobina.
Dr. Cicero Alvares dos Santos.
Francisco Jos da Costa : no Forte do MaOM no-
mero 1. ......._____________
Alug-se uma preta para ama de leite a fal-
lar com o escrivo Silva Reg na rna Velha o.
93 ou na rna lo Imperador o. 71: quem a pre-
tender dinja-se ao mesmo escrivo oas casas ci-
ma meucionadas.
Offerece-se para raixeiro de taberna um ra-
paz poringaea.o qanl tem milito pratlra, e tom
por bataneo, do qiw d fhdor a sua conducta 5 na
ra da Palma n. M, taberna,
PECHiNim
Ra da Vadre de Deas i. 9.
a i.moo.
Saceos grandes com familia de raaodioca pt
barato proco ariina mencionado.
A Ibuns.
1. Falque previne os eu< nnmero que elle araba de receber pelo ultimo vapor Iraa-
CeZ Um esplendido sorlimeillo de alouiis pira r
tratos, de diver.-as qualida tes e ko-Ios. sen lo para
20 at 200 retratos g de 25 a 605 grada I meo uv
Albuns pequeos proprnx para meninos dr H
36 retra inhos e de 15 15600.
Albuns para d.'-eolio de diversos uoMOt
gostos de 55 30.
Livros de missa, de tari ruga, readreperola
marllm, por prerrs razoaveis.
* Rna do Creapn 4
/Jo/e/'ns
Vende-se a eoNeegae dos ln>|.-iin do grernu
contendo o expediente diario le i-mJos s *n*t**e
rio<, desde que ponieran al que cess.ai oa pa
hlicacao (agosto de I839 aao-io de 18f,i ) E* do
reconhecida importancia e uliiida'te tanto ;- as
rcpariicoes publicas omm para as r\s vogados, magistrados e fnncrionarios qne tenhaa
de recorrer a legislacao do paiz, oo qoal deixaw
de apparecer deci6es que nos mesmos liU ;i
se encontrara : na liviana de Nogueira t Suma,
junto ao arco de Seulo Ant nio.
Vende-se gomma de arail i rnnifo imn 9
alva a 100 n. a libra, e em sacro a 35 a arr*ho :
na rna das Cruzes n. 14, esquina da _n n
Ouvidor.____________^___________________
Vende-se urna cnoulinha rom 12 anaus da
idade : na ra da Gmceirao n. 4.
Ceblas a l|o cento
As melhores que tem vindo a este mrrratto:
vende-se na roa da Madre le Dos os. 5 9.
- Vemle-se sebo do Porto em raixa* de gm
arroba, a preco barato : na roa de Anillo n. 20.
Vinlm Madrira fino
Vende-se na rna de Apollo n 4, primeiro an-
dar, em barris de oitavo, rbegado txtj.
Vende-se nm sitio as Arelas do dViar.
com casa de vi venda e rancho, por barato perrn :
a tratar no mesmo com Miguel de Mili da Sdvav
Paulo, oa na roa Direita n. 8. _________
Vende-ee
a bordo do palhahote Arroio Mallo, fnndeado no lo-
gar da carne-serpa, liognas rm saloidra. minio
superiores em barribohos rom a poftja.. foe
compradores quizerem, e preco razoavel.
Estao acabar.
Chaieos de palhinha da Erossia a 15 oa loja
de Pinto & Flores, na ra da Cadria o. 47, equi-
na que volta para a Madre de Heos.
Enfeites pira cabec*.
Chegaram os lindos enfeites de cabera para se-
nhoras, sendo mullo simples e da moilo g>tr> : ai>
no Vigilante, roa do Crespo o. 7._______________
~'Pota** da llussla.
da mais superior desembarrada ItoaMm : oeade-
se no escriptorio de Maoorl Ignacio de OMvrira h
Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
Vende-se ou aluga-se uma ra*aaa pv< ario
da Varna, com duas salas, quatro quartos, Bobear-
te, estrilara para 2 cavallos frmle par a n*-
cente, perto do ameno Opiharil-e; os pr tendeles
jinjam-se aua de Hurtas o. 24 primeiao. andar.
'__ Vende-se ama crioaliooa rom ti aooaa do
idade : ua ra da Conceicao n. 4. _____
fM ******* WM
Vende-se um rarneiro grande e ouow> s
_ proprio para sella ou rarrioho *
6i.
do n^-m-
loj_ da funi-
no : na ra Direita n.
* leiro.
mwmm mmm*m*i
-- Na ra J Nigan-i n. 3a, ba ana
ven.ler duas machinas le lestihr axiar-
lente pelo systema de lierosne, fie rWti-
lam cada uma, uma pipa por dia : vendmh
-e bai atissimas |ra la|iiila<;a.i de o>nt-* a
tratar com Jii-lino da Sirva Boa-Vnia.
Vende-se nm sitio em Romdca a awge d
Capiharitie, com ca-a pura g-anda tmha. rv,*e
de fructo, e a*um t r eno pm pnan^o : *~w
o pretender dirija-so a travessa da Baare or mtm
oumeru 7._________________
Vende-se Hma escrava d- tX tatm. o*ao
ntendid em to o serrieo de nata ea^ k-mk
nalinenlfl em engommar, rounaar coser oa n
Ja Imperalriz n. 33, primen aodar.
\
,

MUTILADO
1


' -

Diarto 4c Peraaaaauea Qulna felra tO de Outubro 4c 19*4.

S4LSA PHUUU DE AYEH. I TuANscREVEMes aqu algnnei Vende-segaz de primeira qualidade a
dos mudos aiteslados que temos 10$ a lata : nos armazens da ra do Im-
recebido das virtudes da salsa perador n. 16 m* Trapiche Novo n. 8
parrilha do Dr. Ayer. --------
tueumalismo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
t SolTri rheumatismopormm-
tas vezes, e vendo anminciado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar um frasco e fazeruso
d'ella ; e ames de cuncluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joellios; a parle do corpo que -es-
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noiles de somno.
rupcdes, borbnlhas, pstulas,
ulceras, e todas as molestias
da pello.
DO SI. JOO PAULA DE ABREU E SOUZA.
Ra de S. Pedro.Ro de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de urna
erupcao syplilitica em todo o corpo, nios-
trando-se sempre com mais violencia nada-
ra, prove muitos medicamentos e cnsultei
muitos mdicos, e eslava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella c
nos primeiros dias a erupcao aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, profes-
D'ODURETO DUPLO
de FERROe QUININA
LOJAWOKEIJAFLO.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
Os elementos que compoem esta preparaco, o
ferro, o iode e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparares ferruginosas. Basta attestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
que confirmro sua poderosa efficacidade as
seguintes affecces'.
Minina na ngur.
Fraque**..
Aiwnili..
Chlaraae 011 Ictericia.
.Mrmiliiio.
ASfvcctU'M do alero.
Supareasdea da re-
ara e dr-ordr na
uemlruaeio.
Affeero pulmonar e
Mhlale.
Moleatlaa dc.tiuaga
Gaatralglaa.
ConvalcHrrnca de loa*
(na molrila
Moleallaa raerofato*
aaa.
Papelra.
Obatruccao daa gln-
dula*
llamn- fro.
iiimorcH braneoa.
KarhltUmo.
Affeecoe cancerosa
e aywtalllllcaa.
Febrea l? -pholara.
Var laica, etc., etc.
lioneras de rlroro.
Lindas Lonetas de choro que chama m papa i e
mamai, de diversos tamanhos: s as tojas do bei-
ja-llr, ra do Queimado ns. 63 e 09.
Lavas de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores para homens
e senhoras : as lujas do beija flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Fivellas para cintos.
Lindas Ovellas douradas com lindas pedras para
cinlos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Capellas para noivas.
Lindas capellas para noivas 25500 cada nma:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e
, e 69.
Estojos para barba.
Vende-se estofos com espelho para barba 1,5500
e 25000 cada um : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Ilalaios para meninas. Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
Rccebeu-se novo sortimento de balaios, com deixar pass.r Jesapcrcebido sem que nao dsse o
forma de varios passaros, pelo barato preco de.... seu canl0> aflm ?e annunciar ao respeitavel publ-
15000 at || cada um : as lojas do beija-flor, ra co graDde-sorllinento de galanteras do melhor
do Queimado ns. 63 e 69. 80Sl propriamente para qualquer mimo, que aca-
Fim (ims nin rinae i de chefar neste ultimo paquete, assim como
; fi, 'i*," ?;*,?.'. muitos oulros objectos que recebe por diversos na-
nn.nc -i S FkmS. t. bn,,a &2 5!P ?, ^lo de sua conta como de consignado que ,
cntosrnas lojas do be.ja-flor, ra do Queimado est resolvido a vender por pregos muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extragao I
titract08 em camnnas. i o grande deposito que tem, que espera merecer a
as extractos em caixinhas com o retrato da {proteccao do respeitavel publico empregando para
imperial: as lojas do beija-flor, ra do isso todas e ac melhores diligencias para que ti-
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
LIANC
DE
Atemjo
lerda a aaprlltc, etc.
Veio se os bulletins de therapeutica medica
SOR DE MEDICINA Y CIRURJIA, SUBDELEGADO. e ^rjico de 30 de novembre 4 &60; o Ctela
EM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS- doshospitaesdeiAdejulho\^H,eU.,etc.
TRtCTO Habana.
Certifico que he usado la Zarza parril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
los casos de ulcera crnica, como asi mismo
ensayado las Pildoras catrticas del mismo
autor y las considero como um purgante,
cuya accin ademas de ser segura, lia sido
muy eficaz en el tratamento de las enfermi-
dades que exsigeu el uso de los purgantes,
y no vacilo en recomendar estas preparacio-
nes. Y para los fines que puedan convenir
doy la presente en Regla 7 de Setiembre
de 1860.
Dor. Jos V. Herrera.
Escrfula.
ATTESTADO DO ILI.M. Sil. FRANCISCO FERRAZ
dos Santos.Ouro Prto.
Me ado ha quasi dous annos affectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-
gumas vezes quasi que diego a desanimar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muitos mdicos d'es-
ta cidade, e
Alm das pulas de iodureto duplo de ferro e de
quinina de Rebion, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
ferro e de quiniua do mesmo author para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheio que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para-se evitaran falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmaciaRebillon,
4 42. ru du Bac, e em todas as boas pharmaciaa
de. Franca a dos paires estrangeiros, etc.
GRANULOS
Paulo Ferreira da Silva & Com panilla
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
5 a tO por cento menos odrec que sepuaan po m Ira qual-
quer parte.
Gneros especialmente escomidos por um dos socios que na Europa se acha
para esse fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabcleci-
mento.
Os propietarios garanlem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
n.
BISMTH
DE CHEVRIER
Os granulos au bismutk de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparaedes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de todos os paizes, para prevenir e
curar as
nenhum pode vencer a tenaci-1 mari-hcaa bronicas.
dade de minha molestia, eslava sem espe-
ranzas de recobrar a miuba saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da Salsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completam-se hoje
trinta e sete dias que comece; com esie
santo remedio, e
sentido que tenho convicro de em breve
recobrar a minha saude, perdida lia tanto
lempo.
Sypuilis e molestias mercuriaes.
Do Illm. Su. Dn. Jackson.
Medico muito conhecido as provincias do
sul do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados ; o melhor alteran-
te que conheco.
eiicorrha e flores brancas.
Temos carias em que nos conlam casos
inveterados que foram radicalmente curados j
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-'.
rilha.
O espaco nao nos permitte transcrever I
todos os atlestados que possuimos das vir-!
tudes d'este extra to composto de Salsa
parrilha do Dr Ayer. Hasta declarar ao
publico que tem sido empregado ha mais
de vinte anuos pela profissao medica tanto
das Americas como da Europa, sem nunca
desmentir a sua alta reputaco.
Man dlgeatoea.
Gaatrltea.
Gallralglaa, ele.
DysNenterlaa.
Dore d'ealdmago.
Dyapeaalas.
Os primeiros symptomas d'essas formidaveis
affecces se manifestc ordinariamente por diges-
tes laboriosas, azidumes, falta d'appetite, pesos
ant97'mpThorVr*tPnh'n' d'eslma9(> dcpos de cada comida, caimbras es-
1 tomacae*, c, multas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidao, traz ine-
vitavelmente, que seja:
Opai-made*.
Ddrea de cabeea.
irrlluco,- de bealga e
da matriz, ele.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao tomados a
lempo.
0 preco de cada frasco 6 de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
Moleallaa de ligado.
A leter'la.
Palpliarao de eoraeao
Ddrea no* rlna.
Para a cura radical de escrfulas e affecces
escrofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, feridas, chagas,
erupces cutneas e todo e
qualquer incommodo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMEM A
SALSA PARRILHA RE AYER.
A' venda na ra Direila, ns. 12, 26 e 76;
ra da Quitanda n. 5! ; praca da Consti-
tuuo, n. 30 e Hospicio, n. 40. E as
principaes pharmacias c drogaras do im-
qerio.
Vende-se em Pernambuco:
na pbarmacla franceza de
P. MAURER i C.
RA NOVA N. 18.
GRAGEAS
GLISECONTE
Approvadji pula AG.d mu ae Medicinado Pars.
Resulla pvlol dous relatnos, adoptados pela dita
Academia cm 1810 e em i vis, que as GRAGBA8 de
GLIS e CONT sao o mellior c mais crfieaz remedio
ferruginoso para curar a chlorosis (alias fluor-albo), os
fluxos brancos. a fraqueza de coinpleixo nos dous
sexos, c tambem para ajudar a menstruai;ao das mocas.
Estas Grageas nao sao vendidas senSo em caixinhas
ou vidros cobertos com rotulo e fechados com una tira
levando a firma do depositario geral : i.\iii:i.i\vk.,
pharmaceutico, ra Bourbon-Villeneute, 19. Pai is.
cea-Maarr a S mi **? a O O a -
__-i m
g'slli.ssfii.
-i
B3
X
c
c
o
s^b1SeSb8,,I1*2
0Mcc0a>- 3ft ?
2 -^ 2o o-cb'W,
t/5
re
ft&l
a>
o
?O S 3 3-
-* 3 2 t
2 9
S 2.S?
o
re
a. -j
_ 9
5 r
gl
o re
O
"2
re
O.
S
i
i-
en
3
L3 B3
s
el
o
s
09
a.
o
o
i!
cr
os
e
i
Deposito geral em Pernambuce ra da
Cruz n. 22 em casa de Caros & Barboza.
Machinas de vapor e pa-
ra descarocar algodlo.
Moendas e meias moendas.
familia
Queimado ns. G3 e 69.
Saho em cahinbas.
Finos sabSes em caixinhas com varios retratos:
as lojas do beijatlor.rua do Queimado ns. 63 e 60.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e taptn
das : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63 e 69.
Jogos de domin.
Vendem-se jogos de domin 1,8200 e 15300:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63-
e 69.
Uabados bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e varios precos : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, rna do
Queimado ns. 63 e 69.
Adcrecos pretos.
Tendo-se recebido aderegos pretos de novo ges-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senhoras.
Linda grvalas para senhora 800 rs. e 15000
15200 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Espelbos de moldura.
Vendem-se cspelhos de moldura preta para sa->
las : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63e69.
Voltas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 15000 cada urna : as
las do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sopa.
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
25000 cada urna : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende se laa para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
65400 a libra : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
que cm otitra qualquer parle.______________
Albuns superiores para re-
tratos.
A Aguia Baanca sempre disposta bem servir
agradar a sua boa freguezia, mandou vir e acaba
de receber um bello sortimento de albuns de supe-
rior encadernacao e apurado gosto, com especiali-
dade os de capa de marGm com lavores, outros
guarnecidos de tartaruga com trancas de prata,
outros marchetados de madreperola com trancas
de prata uourada, outros de velludo etc. etc. Para
quem tem gosto e dinheiro, um lbum assim per-
feito sem duvida o mais apropriado para Belle
se depositar os retratos de charos pas, bons p-
ranles e amigos. Em quanto, porm, esses albuns
se tornam notaveis por sua perfeicao e bom gosto,
oulros recebidos aa mesma occasio, se tornam re-
commendados pela commodidade de precos vista
da boa obra. Assim pois o pretndeme" ser ser-
vido conforme o dinheiro que quizer dispr para
esse tim, adiando sortimento para 24, 50, 60 e 80
retratos: na ra do Queimado, loja d'Aguia Bran-
ca n. 8.
Carteiras e bolsas para
165000
185000
105000
105000
105000
165000
95000
65000
65000
65000
quem satisfeit06; isto s no Gallo Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Ricos porla-juias.
Cofre de muito gosto por
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres com camapheu.
Lindas caixinhas com pedras brancas.
Lindo bailo com calungas dentro, tam-
bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
Urnazinhas.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-
sos ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sin tos
com bolcinhas ao lado, a 105, I 5 e 155, ditos *em
bolea porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
45000.
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 o par;
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
possivel a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
Vigilante, ra do Crespn. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga rumen-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Mais Ieqnes
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato preco de 85 e 105. chi-
nezes^muit bonitos tambem, pelo barato preco de
45 e 5, bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
rato preco de 45 e 55, leques de charo tambem
por 45, tudo isto para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cento; so no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muilu
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do ores-
po n. 7.
Penles
tambem chegaram os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa fina, nue se vende por 25,
35 e 55; s no Vigilante, rua^dn^Crespo n. 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola tanto para
-inoras como para meninas, pelo barato_preo
i
125
e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
viagem.
Na loja d'Aguia Branca, ra do Queimado n. 8,
vendem-se carteiras com crrelas para traze-las a
tiracolo, e bolsas de tapete, tudo para viagens.
Perfumaras inglezas.
A Aguia Branca, conhecendo a bem merecida
estima que os apreciadores do bom dao s perfu-
maras inglezas, por isso mandou vir o esplendido
sortimento que acaba de receber, e os acreditados
nomes dos bem conhecidos fabricantes J. Gosnell
Tnivac Aa famA ha+irln nnn | Si C, Napoleao Price & C. sao bastantes para co-
IdlAtlo Uu ICiIU UullUU. LUI~; nhecer-se a superioridade deltas. Consiste esse
fin A rio pnlvia i bello e variado sortimento em pequeas quantida-
lA/Die. | des de differentes e agradaveis extractos de pri-
! meira qualidade em frascos de diversos tamanhos
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que
vem em urna carteira de tres, com os quaes por
sua elegancia e bondade se faz um bello presente ;
assim como outros frascos com finas essencias con-
centradas, outros com excedentes leos para ca-
bellos, e outros finalmente com agua de LavaRder
sublimada ; e bem assim finos sabonetes em paco-
tes e caixinhas com tres, bonitas e delicadas al-
mofadinhas com pastilhas em p, as quaes deitan-
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s
deixam toda a roupa cheirosa, como afugentam
baratas, tracas, etc., etc. Em quanto, porm, a
Rodas (Tagua, dentadas, e
de carrosa cora mangas e
eixos de patente.
KuadoBrumn. 38, fundi-
gjto do Bowraan._________
Balaios para meninas
traSm nota?, ?j2lSXffS commodidade dos j j n
a_-Flor, ra do Queimado n. 63 e 69. I Jg^ Jjj/gAjm^mfj^
Extratos e sabio em eai-
xinhas
Lindas caixinhas com um carto com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco on sa-
bio o mais fino que passivel: na loja do Beija-
Flor ra do Queimado n. 63 e 69.
Empreza de illuminacao
g-az.
Todas as vendas de apnarelhos e reclamafoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser teitas no armazem da ra do Imperador
n. 41. Os machinisias mandados para attender a
estas, apresentaro um livro que os reclamantes
deverao assignar logo depois de prompto o servico
reclamado; isto para que a empreza fique sciente
de haverem os mesmos senhores sido devidamente
attendidos.
Agua florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
Branca, ra do Queimado n. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excedentes brinquedos para mancas: vendem-
se a 500 rs. cada urna : na ra do Queimado, loja
d'Aguia Branca n. 8.
Fspelhos edm molduras pretas
e douradas
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
cebeu um bom sortimento de espelhos de differen-
tes tamanhos com molduras pretas e douradas, e
os est vendendo por precos commodos.
Papel ifiglezw
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
ceben um novo sortimento de papel inglez liso e
pautado, almaro, de peso, e pequeo, vindo deste
tambem com beiras douradas.
Enfeites invisiveis
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
beu novos enfeites invisiveis, os quaes pela finura
A agua florida nao urna tintura, fcto essen- do tecido e bom gosto tem merecido tanta estima
A Imanak de lembrancas
LUSO BRASILEIRO
PABA I86S
fOR VI II IIO
Acaban de etiecar estes j to conhecidos al-
tnanak< e v^nde-se na livraria econmica ao p
do trro de Santo Antoaio, vende-se tambem col-
erciies completas dos mesmot alroanaks em 15
volumes.
cial a contestar, a mesma agua dando a cor primi-
tiva ao cabello. Cnmposta de plantas exticas e
de substancias inoffensivas, ella tem a propriedade
de restituir aos cabellos o principio corante que el-
Jes tem perdido. D'uma salubridade incontesta-
vel, a Agua Florida enlretem a limpeza da cabeea
destroe as caspas e impede r,s cabellos Oleo de Florida
Composto de sirbstancias vegetaes exticas, elle
conslrte poderosamente, com a Agua Florida, a
forga, a bell za e a eon}rvacao dos cabellos.
Em Pars, casa de Quwlaur n. 12, ra de Micho-
lien, e 21, boulevard MuBftnartre.
Preparos para flores.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
cebeu novos preparos para flores, sendo papel de
cores para rosas, dito verde para folhas, folhas de
panno e velludo, caixas de trigo, ditas de uvas
brancas e rxas, e como sempre continuam a ser
vendidos por pregos commodos.
Pulseiras.
r Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muilu lindas e de modo gosto a 15 e 15200.
Caetas.
Riquissimas caetas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baralissimo prego de
15500 e 25-
Sapalinhos e meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
lejiados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e louquinhas para as criancinhas se baptiza-
rem; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato preco de 15 e 15200, as
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Saltabas*
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Rlquosissim enleites com lago e sem lago e de
ootrosgmuitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins ae eabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinbos entrtmeios.
Riquissimos babadinhos enlremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascairilhas.
Grande sortimento de cascarrilha^ de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qnalidades, por pregos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pae vender a 300 rs. a vara, e pega |
de 9 varas a 25 : s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
AO PUBLICO,
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annun-
cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambera
estamos cerlos nenhuma atieucao j merecem do publico. O nosso fim, pois, simples-
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabella dos pre-
cos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a ltenlo.
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Cariaxo vende-se nicamente neste armazem
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e i,5oors.
dem em frascos de vidro a i,2oo rs.
dem em fiascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 % libra a l.loo rs.
Arroz do Marannao e da India o melhor que
ha nesta genero de 80 a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada,
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e 10,000
rs. a duzia.
Vlfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a i4o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachmhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe i,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra,
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a 1,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas cm gigos de 36 libras a 1,000 rs.
Champagne das melhores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, 1,80o rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra,
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra,
dem hysson o mellior que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,6oo rs. a libra,
dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e su isso a 1,000,
i,2oo e l,4(io rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
Lentilhas muito novas excellente lgame pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores franeczes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
i.ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista,
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
se far.i abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Lisboa
a 600 rs. a libra, I13 latas de I, I 1 2c
2 libras.
Massa de tomate em latas de I e 2 libras a
600 rs. a libra.
Macarro. talharim ealctria a 4oo rs. a libra,
dem branca a 32o a libra.
Moslarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco,
dem ingle7a em p a 64o rs. o frasco.
.Mullid inglez em garralinhas com rolhas di
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a 1,000 rs.
agarrafe, e 10,000 rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunlo para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a 7oors. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. 3 libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide e rodinha
etc. a 3,5oo rs. a caixa, e a 56o rs. a libra.
Pcixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades: savel, conina.goras
cavallinhas, c pescada a l,ooo a lata.
Palitos para denles lidiados a 14o rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2,100 rs.
a gmia. 1
PaiDco muito novo 12o rs. a libra et,ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do u.!limo vapor, a i "too
rs.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra e
sendo enteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. cada
11111.
Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
lado de Simas e outros da Pahia como s
sciam regala, trovadores, guanabaras,jeva?a.a 1 "'a o' O
deliciase suspirosa l,6oo, 2,ooo, 3,00 Joncioho;Lboa a 24o c 32o rs. libra.
e 4,ooo rs. a caixa. ffi0'0 Va 'lmPa.r facas a ,Jo rs-
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco. i Vina*re de L,s,,oa- a 2o rs- a 8arra3
francezas surtidas ou de urna s qua-
Idem
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4,800 0,000
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um.
Caf do Bio superior a 28o e 3oo rs. a libra,
e 7,5oo a 8,5o rs. a arroba.
Doce de goiab. superiorem latas a 2,000 rs.
Ervilhas porluguezas em latas chegadas l-
timamente a 64o rs- a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo
rs. cada urna.
s i Favas portuguezas em latas chegadas ulti-
Lisba a 2oo
1,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada tima.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra,
dem de carnauba refinada e de composicSo
a 36o rs. a libra, e de 10,000 a 11,00o rs.
a arroba.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figoeira
das marcas menos conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e a 2,8oo rs. a caada,
dem Figueira especialmente escolhido nesle
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muilo fresco sem
composico a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo
rs a caada.
mmente a 640 rs.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se
Gra
!ll73
Gomma 'muito al va e nova a 16o rs. a libra. ,cm Porl fiDf.enm f*3 a 56 \s- aPTT3^
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12 Ide engarrafado,, generosos Lagr.mas do
frascos a 5,8oo rs. e 560 Ys. o frasco J.ur0'v DuTte do Po.rl0' D- L \ D-
Idem em botijas a 4oo rs. cada urna. Pedro V' Neclar- vel,, sccco- MalTasw
se, rainha Claudia e gima a 7oo rs. alala. t, ', -'. ,,.. ,. ,.-
jixa nova a loo rs a lata e l,Ioo rs. a,Idem dofLl"b?co. a!*22 a 56ors-
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada.
Fitas de la de todas as qualidades, proprias pa- H onrrafps Ha Ifi r/arrafa'? a i 8nn
ra debrum de vestido a 700 rs. a pe?a; s no Vi-,ldem em garrames ae id garraias a *,000
gilante, ruado Crespo n. 7 JS. com o garrafao.
Ricos espelhos. dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
Hlqnissimos espelhos com moldura douraJa|e dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo al,2oors.
Genuino, Particular a 9oo e 1,2oo rs. a gar-
arafa, e a 10,000 rs. a caixa com urna du-
zia.
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim romo com
calhmnas de dille rentes tamanhos a 25, 35,45, 35
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
com rolha de vidro qualidade superior a
l,ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o
frasco e 11,00o afrasqueira de 12 frascos.
a garra-
Hoi 11 los com rudas, patentes.
Moinhos grandes com rodas, patentes, e afianza-
dos pelo fabricante para moer caf, e propnos pa-
ra refinaco por serem de especial qualidade e de
Todos os Irascos, nao len 1o intacto e claro, o todos os tamanhos: vendem-se nicamente no depc- deaux, differentes qualidades, mais barato que em
timbre prateado da casa, sao reputados falsos. i site da ra da Cadeia, loja de ferragens n, 56 A, qualquer parte: no armazem de E- A. Burle i
Peposilo, ra do Imperador, pharmacia n. 38. 1 de Bastos, C, ra da Cruz n. 48.
para enfeite de sala, sendo omelhorgosto que aqui Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
temapparecido; s ne Vigilante, ra do Crespoj l,8oo rs. a garrafa.
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de muito gosto a 15-r00 e 25. assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um -, s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banbas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tinctivos e ofierecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de hanha japoneza
a 25 e a 15, assim romo outros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Moscatel a l,ooo rs. a garrafa,
dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
Julien, St. Esteph, cbaieau la Rose, chalan
Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
56o rs. a garrafa.
m
'
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor
CERVEJA EM B1R1UL
a s 00 rs. o copo
Infijo de ninas chegado no vapor
dem prato mnito fresco
dem snisso superior
dem loodrlno superior.
57 Ra do Imperador
57
-


(


Diarlo de Pernambueo Quinta elra lO de Outnbro de 1 84.

CL.4RIM
COMME
IU V DO QUJGOf AllO tf. 45*
Passand o becco da Congrega$io segunda casa.
Til i\i"P lITf
NOV1DADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commer-
ciai, ondeo respeitavel publico encontrar sempre um completo sorliraento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes serao vendidos por precos uiuito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada; garante-se obom
peso e boa quaudade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60,
Grande liquidadlo.
Ra da liuperalrlz n. o.
Loja de fazcudas do l'avo de Gama & Silva.
Acha-se este eslabelecimento completamente
sonido de fazendas inglezas, francezas alleoiaas e
tufosas, proprias tanto para a praca como para o
raatto, promeitcndo venderle mais'baiaio do que
em outra qualquer parle principalmenie seudo em
porcao, e de todas as hiendas do-se as amostras'
deixando flear penhor, ou niaodarn-se levar em
casa pelos caixeirosda loja do Pavo.
As chitas ilu Pavo.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato prego de 240, 260 e 280 rs. o corado, timas
seguras ; dlias franerzas de cores seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padroes : so na loja do
Pavao.
As lazinhas da f vposiru do Pavo.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soulembarques por seren lisas e de cores muito
delicadas 560e500rs.; ditas lisas cor um lustre
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda 500 rs. o covado, s para aca-
bar : na toja e armazem de Gama Imperatru n. 60.
Os vestidos do Pavo.
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido
de la, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas
roz uo Marannao, india e Java a 60, 80 e. Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220 garras' de cor, corpinh ecdfote separado: ditos
100 rs. a libra e 10800, 20600 e 30000 Painco a 200 rs. a libra. I rs. a libra. com batas de seda e tambem com barras e enfei-
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600, e em frascos grandes a
2 kijO.
dem era caixinhas elegantemente enfeiladas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 106OOC2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a ICO rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a6l0 rs. a garrafa.
dem londrino chegado no ultimo vapor
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
lijlos de limpar facas a 140 rs.
Araruta verdadera dematarana a 320 rs. a Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Emilias portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
, tes para o corpo, por preco mais barato do que em
outra qualquer parte, e se quizerem urna prova
do que se diz, mandem ver leja e armazem do
Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos Hara Pia. S o Pavo (80000).
Vendem-se os mais lindos vestidos Mara Pia
I de lazutha transparente com listas, e palminhas
de sedando barato preco de 85 cada corte : s
na loja fft Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
280, 300, 320 e
libra.
Avellaas muite grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030' rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30OOOabarr-
quinba e a 200 rs. a libra.
Banlia de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hyss-m, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 39000 a libra,
dem prcto muito superior a 20000 a libra.
Cerve.a prela e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac indez fino a 90"1 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especi lmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200 10, 20200, 20500, 20800, 30000 e
0500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
artes de bolinhos francezes muito novos e
bem moito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra, ?
dem stearinas muito superiores a 600
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinbo do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocage Chamtsso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
a I imo, 50500 e 280 rs. a libra.
iFarinha do Maranhao a 160 rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. a libra.
' Genebra de Hollanda verdadeira marca YD As cassas do Pavo a 210,
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira. | 360 rs.
dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500 S o Pavo vende as nissimas cassas persianas
e 70500 cada um com o garralao. 'mitaf de, la>com cr.es xas. **? JL0
firaixa a 100 res """'o n^s a 240, 280, 300
uraixa a iou rs. a lata el 100 a duzia. e 320 rs. o covado, isto para acabar: ra da
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. ; Imperatriz, loja de Gama & Silva.
dem, qualidade especial em garrafas muito' Os madapoloes do Pavo
grandes, a 10800 a garrafa. | Vonde-se peca de madapolo infestado rom 12
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs. la,rdas,cada Peca Pe' bara.10 Pre de **> **502e
dem, em garrafa forma de pera erolhas de VfabSSSS!Sa' '
0 PROPHETA
AO REMPEITAVEIi PUBLICO.
RA DAS CINCO PONTAS N. 86
Esquina da nova travessa de H. foo.
s o Pa-
w que a peca
viuro, a 10000, SO a garrafa vale O di- leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
nheiro. haver duvidas nem engaos : isto previne o Pa-
Manteiga ingleza perfeitamenle flor, desem-1 0>de Gama' s*va-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates era barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa a 60" rs. a lata.
: Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
dem de Bordoaux, Medoce S. Juliena700 800rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 705O rs. dem regular a 500 rs.
a duzia. Macas finas para sopa: estrellinha, pevide,
IdemMorgauxe Chateaulumini de 1854, a 10 rodinha e.#aletria a 600 rs. a libra e a 40
a garrafa. a caixinha'com 12 libras,
dem muscalel a 800 rs. a garrafa. Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Peixe em latas preparado pela primeira arte
10200 rs. a caada. j de cozinha a 10 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs. j Palitos de dentes a 160 rs. o maco.
Alm dos geferos cima mencionados te-'dem de dentes a 120 rs.
mos grande porcao de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por | Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
retalho- 20 e em caixao a 640 rs. MlLaMfc
Quem comprai ie 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abate de 5 por cento. [Passas muito novas a 480 rs. a libra.
Bramante de linho do Pavo
2#, X lOO 206OO.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por prego muile commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
25200, 25400, e 25600 ; s o Pavao : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
I*i*iino de linho d Pavo.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences e toalhas de mo pelo
barassimo prego de 640, 720 e 800 rs. a vara, al
Descjando o proprietario do grande armazem do Propheta i r lar-
gas ao seu genio emprebendeilor, commercial e especulativo, resolveu ceder a inspiradlo
que o assaltou, quando as horas caladas da noite o seu solicito espirito se aguaba n'um
turbilhao de ideas, tendentes todas bem servir e agradar aos geneosos habitables
desta bella provincia, de abrir mais este grande estabeleclsncnto de novos e
escolhidos gneros, quasi que especialmente destinados s pessoas que moram na fre-
guezia de S. Jos, e aquelles senhoies que transitan pela va fenca, para quem im \er-
dade sao sem conla o numero das vantagens que se Ibes ofJerece, nao cciu i-Li.f.i. a
modicidade dos fretes, como da facilidade e brevidade da condueco dos objectos cem-
prados.
0 sonbo do Propheta ser urna verdade pratica tao acceita e abracada como as
palavras simples e bem intencionadas dos vellios patriarchas desses lempos idos, si o Se-
nhor Deus dos exercilos nao o quizer contrariar.
O Propheta nao querendo restringir-se a forma ordinaria de negociar resolven
tambem, depois de profunda meditado, de nao vender smente os seus gneros a di-
nbeiro corrente ; mas tambem de por em pratica troca delles por outros da prodocc5o
do paiz ou por escravos, bois. cavallos, etc. Assim, pois, lique na intelligencia de todos,
que o pbopheta receber como moeda de qualquer dos saibores agricultores, tomar,
algodo, agurdenle, milho, feijo, cavallos, escraios, etc., etc. e Ibes dar o mesmo valor
em gneros, escolhidos a contento.
Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objectos re-
cebidos por troca, o rroplicta nao demorar a dtffercuea que dore dar em dinhero.
Um eslabelecimento que com tantos sacrificios e despt?as acaba de ser obertf
deve inspirar a todos a certeza de que se vender muito barato com o fim de se adqui-
rir crdito e freguezia.
A aruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedoa80,
lt-0 e 120 rs. a libra, e a arroba a 10800,
205O e 20800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixas francezas a 10200, 10400 e 10600
em latas, frascos e lindas caiebinhas muito
proprias para memosear alguem,
Amendoas confeitadas em frascos de vidro
a 10 o frasco.
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40500 a arroba.
Azeite doce francez a 90o rs. a garrafa.
dem em botija a 300 e 400 rs. a botija.
Craixa em lat sa 10200 a duzia.
Limonadas de diversas (rucias a 10000 o
frasco.
Licores inglezes e francezes a 10000, 105CO
e 20 a garrafa.
Lingoas americanas a 800 rs. cada urna.
Linguicas promptas em latas a 10200 a lata.
Manteiga ingleza ueste genero o que l>a do
* melhor a 800 rs. a librae em barril a 700
i rs.
;dem mais baixa a640e 720 rs. a libra.
Azeite de Lisboa a 640 rs. a garrafa e 40800 Manteiga Graneen a 520 rs. a libra, cm batril
a caada. a 6 40 rs a libra em rttalbo.
Azeite doce emboies com 9 garrafas a 50500 Massa de tomates a 640 rs. libra.
com o boio. Marmelada muito nova a 640 rs. a libra.
Azeitonas por todo o preco. Molhos inglezes a 400 e 640 rs. a garrafal.
godaozoho com oito palmos de largura proprio Biscoitos inglezes de diversas marcas a 10300 Mostarda pieparada a 400 efi40rs. o frasco.
KSL'SSfi?0. S^'S^ lL' lata. Massas para sopa macarrao, talbar.m e aleti
a 400 rs. a libra,
dem finas em caixinhas a 30(00 a caixii ha.
Marrasquino de Zara vcrdadeiio a l5i0o
libras a 20000. frasco.
Banha de porco da melhor qualidade a 360; dem mais baixo a 800 rs. e 10000 o frasco.
assim como tem o melhor algodozinho tanto em ,
largura como em corpo, proprio para lenges, ca- Bolachinhas de soda, oval e luncb a 20000
misas de escravos, etc., etc., prego muito coinmo- a lata com 5 libras,
do visiada fazenda; s o Pavo : ra da Im- Bola.binhasamericanas em barricas
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Algodozinho com loque de avaria a -1,000 ris
e 4,800
26
Vende-se pega de algodozinho por ter um pc-
rs. a libra.
Milho em saccasiom 20cuiasa 306CO.
qoeno toque d avaria, mas que esta em bom es- Batatas em gigos o caixas por todo o preco. Prczunto inglez para fiambre viudo no ultimo
o de 4 e 45500 a i-ega -, s Caf moido a 100' 00 ou b"0OOO a arroba. I vapor a 800 rs. a libra.
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
MACHINAS DEPATENTE
de ti*abalhar mo para
desea roca r algodo
FAKniC.'.DAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAS
lado, pelo barato prego
o Pavao: ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Caf superior a 70500, 80001
' arroha
Os guardanapos econmicos do Pavao e s do nu. ,' ,. ,, |
Cha nesto genero temos o que ha de melho-
e 80500 a dem mais ant go a 640 rs. a libra.
| dem do Pono a 640 rs. e sendo inteiro a
5i-0 rs. a libra,
assim como tambem temos baixo pelos pre-1 Passas r ovas a 00 rs. a libra.
Cos seguintcs: i04' 0, 106O', 1800, Polvo a lt"0 rs. a libra.
20400, 20000, 20800 e 30010o fino. Painco a ICO rs. a libra.
a libra.
lata, savel, cor-
Estas machinas
podemdesc&rocar
.qoalqoer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabalho; pode
descansar urna
arroba de algo-
do em carero
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
SaHEders Brothers & C.
.V II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Uueiraado ns. 49 e oo loja do Barateiro
conhtcido j como tal, esl dispondo da fazenda
s e delicadas de que somos ca- ^"OTiSoKor**"'*1"
DE
NOVOS E ESCOIIIIDOS CiEXEROS
TAMO EM GROSSO COMO A RETALHO
fiO ftU* JIOVA Ctt
Ultima casa junto a ponte da Boa Vista.
DUAS PALAVRAS.
Cesse ludo quanto a artiga mu;a canta
t Que outro valor mais alto se alevanta.t
Acba-se a disposico do respeitavel publico este grande e magnifico eslabeleci-
mento de molhados, talvez o primeiro e nico boje existente em sua especialidade, por-
que o mainr capricho de maos dadas com mais apurado goslo de abrir um eslabeleci-
mento modelo promovern a escolba dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quantidade cpagos quasi lodosa dinheiro a vista
deu lugar a obtencao de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se
dignaren! de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanza de agradar a
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
napos econmicos e lodo linho, tanto para as casas
de familia como para notis, bolequins, etc. etc.,
PftHrR.,r5TrKeSi id 35 ? duziaf Js! r M Charutos de todas as melhores e peores mar-! Pomada a 240 rs. a duzia.
loja do Pavao a ra da Imperatr z n. 60, de Gama lf.,, tMn r, tor., QB > o.,,v
Silva cas do mercado a 80' >, lf>000,10600, 20, Pimenta do remo a 320 rs.
Os i*trinhar<|iics do Pavo 20800,30000, 40COO, 50000, 50500e60;Peixe em latas a 10OiO a
B e 19H. cento. vina, pai yo e outros.
ie os mais finos soulembarques que Chouricas as mais novas do mercado a 125; Papel ao mercado, sendo de caxemira de co- o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a j dem ideni milito lino a 40000 e :}0." 06
unulissimo prpgo de 125 cada um, di- eiias ue Derhincha Mi>m marfim '. Vi. n
tos de mlsamblque pelo diminuto preco de 9&, s r. ,|Ue L PS ,.nnn Ka!nn ... ra n arlim a '->'' -
na loja do Pavao, mas <|ue se nao enganem : ra Chocolate magnifico a lf>000 e 10200 a libra. [dem almasso a ^0(100, 30500 e 40GCO.
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. Ceneja marca a mais acreditada que (emL'em para embn-lhn a 10200 a resna.
Atoalhado do Pavo. vindo a 50 rs. a garrafa, e meia garrafas! Palitos para dentes macos com 2t naciniMM
panno de linho adamascado proprio por 320 rs. branca e preta. a 80, 120 e 200 rs o maro
^^^X't^Vl S Co-jrw inglezas a 800 rs. o frasco fazenda Pablos do ga* a ,0000 a groir'
Vende-se
toalhas de mo a 5$ cada duzia, na loja do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
ir so o Pavo (a 8500).
Quem tem bales por tal preco .
Vendem-se os baloes americanos mullo superio-1
chique,
dem francezas a 5f 0 rs. o frasco.
Cevadinha do. Franca a 240 rs. a libra.
Champagne da melhor marca que aqui tem
vindo a 200 e 240 o gigo.
2*008 e4* duos de 25, 30 e 3o arcos"com fitaV, Cofak fn8Iez e fraCCZ a 800 rs. e 1 CCO a
muito bem armados e tambem tem cores escuras garraia.
pelo barato prego de 35500 cada um : s na loja Ceblas por todo proco,
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Copos lapidados que spmpre se venderam e
se vendem em muilas parles a 80 elO0,
Silva.
2U8
20
pazes, como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos pre;os quasi do pri- Barahosdocartts^para votaret^muUo68
meiro custoonosso magnifico sortimento. finasa............................
Pesando muito em nnsso animos meios pecuniarios de que podem despor as pJrartfeJinl!a rxa,para brdara....
divei-sas classesda nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acbarao uunaotae iloos a.!"???..!.
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc. Massos de superior grampos'pitra cabelioa
te etc, e aquelles que nao podem dspor de grandes recursos, que s compram o neces- D.uzias de palitos de gaz superiores a.
-:~ ^....i,.. i,/. ^-..: ., a* ^~. _........ji_. -il:i-- Libras de ara prela muito superior '
sario, promettemos-lhes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento. ,
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do do de dito K a ^ *
hotnern co.
a...
Ditos de oleo de babosa muito finos a 320
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com- e...............................
Ditos de agua de colonia superior, garan-
30
200
100
100
200
as pessoas que nos nzerem a nonra ae entrar em nossa casa, quer seja para com- rs-e............................... 'OO
prar para seu gasto, ou para negociar, voltarao satisfeitas, n5o s pela boa qualidade dos Dl!(?de agua de colonia superior, garan-
objeetos cerno pela fidelidade dos precos, e bom acondicionamento. DiEe'bha*muito'itoaa.V.'..."..... S
O futuro nos justificara. nims d riurfm. m.o n.M ow
justificar. Ditos de cheiros muilo linos para o preco
---------- ': a ris.......................
CA VACO NECESSARIO ^ !oda! a.s.qa!,.idad?!.a60
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo aue ?0Te'l(?s ^e !nna cora 400 jardas a......
adoptamos. Ei-las. 4 Carnte.s de l.nl.a de cores com 200 jar-
Existindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a NoveUo*de inh' de gaz de todas"'as c-
denominac3o de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente, res a.............................
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos, Pe?as de fltas elsticas com 10 varas pa-
- Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas nlo se zangue Fra^o'sde^uo'eriVesVhVirosVpVquenora
ninguem. Pares de ligas muito superiores e bonitas
O nome e urna voz com que se do a conbecer as cousas, E esta a mais T a ris............................
breve, clara e sincera explicacao que, pelo methodo repentino, podemos dar. i Xa1?.!de bie.os fran.cezes, superiores a..
Mas a quem nao seguir o partido desse sijstema diremos mais:
Nao or uni do Brasil o imponente titulo do nosso eslabelecimento. Fo a
muitas centenas de leguas que apandamos a nossa Liga.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um rei que instituio a mu honroza or- vaixas/om 4 ,,apeis deasulhas Victoria a
dem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que tan- JSa ffidad.cortlxetes *''."-
to sorpreMendeu a corte desse mnnarcha. Agradou-nos esta historia e goslando sum- Booeeos de choro muo booiiMaVff!*
mmente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col- Caixas de obreias de m.issa muito novas a
locando-o no oito do nosso estabelecimento, temos assim feilo distingui-lo dos outros Vara^. de frania branca e de cores para.
- mu ii HKwn) >upei iies a...
Opiata para dentes da melhor que ha a..
Frascos de agua para dentes, superior a
tudo a............................
Pegas de tranca prela liza muito fina a..
que se assignalaram com mitras e coras.
iiouni soit-qni mal y-pense.
BALOES DE ARCOS
Na ra do Quefenad9
Superiores e bata armados balos pelo diminuto preco de 23, adverando qoe vendem-SC
este preco por ter-so comprado ama grande porcao e qaerer-se acabar.
ooo.
u. 40, letreiro verde.
toalhas a.
Frascos de oleo Philncome superior a...
Ditos com superior linta a 320 e.........
Caixas de linha de gaz com 50 novellos a
Enfiadores para espartilho a...........
Duzias de boioes encarnados para vesti-
dos a................
600
400
80
60
30
240
200
400
40
13000
13000
60
200
40
63500
160
40
80
600
500
800
60
200
0 Pavo vende para lulo. vendemos a 505. o e 00000 a da
Vende-se superior setim da China, fazenda toda fnnn de 15a sem lustre tendo 6 palmos de largura pro- n P i ? a. U/ia-
prio para vestidos, capas, paletots, alcas,etc. ^oces decada vindos deL'sboa neste ultimo
pelo barassimo preco de 23, 232i 0, 23500 e' 33 o' vapor a 0 rs. a lata das melhores fi uc-
covado, cassas pretas lisas, chitas preas largas e tas da Europa
estrenas, manguitos, colarinhos, punhos, e enfeiles, i.ipm ,1., n..L P .1. 0^cn n mM,nv nnn ,\
tudo preto proprio para luto fechado, e muitos ou-l uem 801dU'.L Ud casca melliOl que e
trosartgos que se vendem por precos mais em | possivel por diversos precos, e conforme
conta do que em outra qualquer parte por estar 1 Otamanho dos ca-xcs.
liquidando : s na loja do Pavo ra da Impera-; Ervilhas em latas a 640 rs. a lata7'
triz n. Jdelama J/lIva. ; ,dem seccas a 200 rg a )ibfa>
As n2. HE5.Tr!,"?S!Tnto > ,
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavao pelo |,cm Irancez a 500 rs. o masso com 6 velas,
barato preco de 600 rs. o covado; ditas de listi-; Figos de comadre em caixinhas muito lindas
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e i a 800 rs a caixa
roupoes de senhoras. meninos e meninas, pelo ba- |iarBlia dp Iran a 1190 p 14fi re a lihra
ratissimo preco de 500 rs. o covado ; garaniem-se f,a e '.' g U Gn}, 'S a lbra-
ascres por serem do meJhor fabricante que asfarinha do Maranhao a 24" rs. a libra,
tem em Pars : isto na loja do Pavo ra da Ira- Fumo do Para a 108^0 a lata prande.
peratriz n 60, de Gama & Silva. Fumo americano a 10400 a libra.
As ehltas do Pavao 2400 e Fumo em macinhos
8UNOO o corte. I rs. omaco.
Vendem-se cortes de chita com dez covados a parpin m M(.at a0 ar\ on nhmc a o t*iv\
20400, ditos 23800, com 12 covados; sao chitas l 'arei. e s,aras Pe, a ? llt)ras a 3*50
Dglezas, mas padroes bonitos e tintas seguras; Genebra de laranja 10 0 frasco,
assim lem as melhores chitas francezas e de tin-1 dem de Hollanda a 500 rs. o frasco,
tas seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado
Pavao ra da Imperalriz n. 60,
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos e golli
nhas bordadas, pelo barato prego de 13 e 13280
cada um,.manguitos s 500 rs. cada par, ditos
com golinha a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
ril 240 rs. cada golinha bordada, romeira de j
cassa o de fil muito bem bordadas 23 cada
para sigarros a
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20600.
dem londrino a 900 rs. a libia.
dem pialo a 6.40 rs. a libra.
Rape Mearon a 10000 a libra.
Sag e sevadinba a 240 e 280 is. a Ultra,
Sardinhas de Nantes a 040, 5G0 e 300 rs. a
lata.
Sabao massa a 120, |0, 200 e 240 rs. a
libra, e cm caixbes por menos.
Sal retinado a GOO rs. o vazo (pote de vidro.)
Tcucinbode Lisboa, de Santos e ameriiai o
a 1G0, 240 e 32u rs. a libra c em arrota
a 5, 7, e 90000.
Tijolos para limpar facas a 160rs. cada um.
Vlnho do Porto cm ancoras com 70 garrafas
a 300000.
Vinhos de Lisboa e Figueira qualidades mag-
nificas a 30000, 305( 0 e 40010 a caada.
Vinho do Porto em pipa a 5 c 60000 a ranada.
Vinho branco de Lisboa e Porto em ancoi as,
barris e pipas a 090 e 50000 a caada.
Vinagre de Lisboa a 10600 e 20000 a cana-
da.
Vinagre em garrafoes por 10000 com o gar-
ralao.
Vinagre em ancoras para 10GCO com a ancora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 rs. cada tma.
200 j Vinho deordeaux neste genero temos grande
porcao e das qualidades melhores que lea
vindo ao nosso mercado em garrafas, em
ancoras, em bar ris e qnarlolas o qai ven-
demos por procos muito baos.
na loja do
de Gama &
w
O BALIZA
4TTKMA0.
Vende-se pela qnantia de 4:5003 as tres quarlas
partes de um sobrado ae dous andares, sito na ra
1 do Padre Floriano n. 21, edificado em chaos pro-
por prios, e bem conservado : a tratar no primeiro an-
' dar do oiesrao sobrado a qualquer hora do dia,
urna, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente grvala de seda, fazenda
fina, pelo barato preco de 33, e muitas outras
bordadas que se vendem por precos muilo em
conla : s na loja do Pavao ra da Imperatrfz
n. 60, de Gama 4 Silva.
As reupas do Pavo
Vende-se panno preto fino muito superior pelo
barato preco de 23, 23500, 33, 33500 e 43, dito
muito fino 53 e 63 o covado, casimira preta de
urna s largura e muilo fina a 13800, 23 e 23500
e 33 o covado, cortes de casimira de cores a 53,
535OO e 63, casimiras entestadas de urna s cor
proprias para raleas, paletots. coletes, capas e para
roupas de meninos a 33500 o covado, isto na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva._________________________ ________
JdnnGBCM
Vende-o superior vinho do Porto em caixas de
urna dnzia : em casa de Johnsion Pater & C., ra
do A'Bar' D- 3-__________________________
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris:
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, roa do
Trapiche n. 13, por preco razoaveL
DECLARACAO.
O BALIZA declara pelo premale que
deixa de publicar os precos pelos quaes ven-
de as suas mercadorias por motivos qne ao
respeitavel publico pouco intereca. Serve
provisoriamente de baze os precos do Pro-
pheta.
ORDEJfl l>0 DI A
O BALIZA concede plena liberdade aos
seas amatis collegas Clarins, Unies. mitra-
dos e croados, para que possam saltar, her-
rar e tudo mais quanto Ihes aprouver, at
a sua segunda ordem.
w*




niara* e re
torneo tuloia felra O e Otitubro de ISC.
GKANvE ARMAZEM DE NOLHVDOS
Largo da
FSanta Cruz
a. 84.
Esquina
da ra do'
Sebon.84.
AURORA BHILHINTE
Francisco Jos Fernandos >Pires,proprtario do armazem de molhados denominado
durara-Itiitutate, o largoda Santa Cruz n. 84, esquina da ra do Sebo, faz scieate ao
ro*(ieiuvei publico tiesta .cidade ,e .do interior, que no jeu importante eslabelecimenle
vendar serapre gneros boyos e de primuir qualidade, e vender a todos pelo mesmo
pr!o.
O completo sortimento de todos os gneros tinos e grossos qae costumam ter outros
mbeleri mentas .desla ordm se encootrarao sempre no armazem da Aurora Brilhaute
e sembr em grande escala vontade dos senhores compradores.
O proiiriiiario fi armazena Aurora Unlhante pede a lodos os senbores e senhoras
flue guando tiverem de mandar mas relacOes a este estabelecimento por seus criados
S'-ja-'eiM canta fechatfa 011 com grande reeoramendaQao a este armazem, certos de que
serio (ao bem servidos como se viessem pcssoalmenie.
A Aurora'Brilhaute troca qualquer um genero que per acaso nao agrade, e recebe
-as libra* esterlinas a tOu, sendo por compra : a tabella de scus gneros sw mudada
liadas as semanas.
Aiaeadoas c.miniadas a Itbrn a 800. Carne e linguifa do sertao.
Manteiga ingleta flor a 800, 900 e 1*120.
bita mais adixo a 610 e fm rs.
Hila raneeza aova libra 640 o m barril a
Chocolate sam omite novo a -15200 a libra.
Cli perola o melhor que ba ( redondo) a
libra a 35*00 e 2*800.
Dito dito mais abauo a 2*300 e 2*800.
-Dito ma muito lino a 2*800 e 3*.
Dito hysson superior a -2*600 e 2*800.
Dito mais ab.iixo3. 25 e 2*500.
Dito preto muito lino a 2*300.
J)ilo.em uiassos a 2*.
Uno do lite cm Tatas de 4, 4 e 1 libra a
1*500.
\ Caf de M 10a superior arroba 8*900 e libra
300 e 280 rs.
Dito iU Rio o do Cear arroba 8*900 e libra
ni rs.
Dito ni abaixo arroba'8$ e-libra 260 rs.
Ilirri.-as 00111 bolachinha iogleza nova a
U-
.Latas com bolachinha de.soda de 5 libras a
*5300.
Ditas oi(.'ii ditas-sortiilas de 2 libras a l*'i00
l'raseas com amcuas francezas a 1*600,
2*800 c 3*.
Latas com ditas a 1*400,2*200 e 4j'.
Ditas com gos de comadre a 1*500.
Ciunilia. r. 1 n ditos minio no vos.
Presumo de Lamugo muito novo a libra 5 0
rs. inteiro e a rotalho 600 rs.
Ol 1 incas e paios novos a libra 600 rs.
Ocias cmi ervilhas francezas e portuguezas
a00rs.
Ditas com ioassa de tomate novo libra 560
rs. e-ein oarril a 500 rs.
Diia. com ostras a 720 rs.
Ditas oom mannelada dos melhores autores
de Lisboa a libra 640 e 720.
Potes com mustur Ja franceza preparada a
libra 480 rs,
Dita dita ingleza a 800 e f*.
Queijos novos do vapor a 2*200 e 2*800.
Uito> de prato enplicado a 13.
Dito suisso a 800 rs.
Dito de manteiga do5erid a 800 rs.
Caitas c ui 1.1 3*500 e quarto 2* e libra 480 rs.
Amendoas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 65.
rlazes libra 160 e arroba 53,
Duzia degraxa latas grandes a 1*.
Canas com 25 tnassos do velas de sperraa-
cete a 560 rs. a libra.
Ditas maiort* a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Cairas com urna arroba de velas do Araca-
ty 10*500 e libra 400 rs.
Ditas de composicao arroba 10* e libra 360
ris.
Saceos grandes com Carraa de Goianna mui-
to boa a 5*500.
Ditos com milho novo com 2'icuias a 3*500.
Dito com arello de Lisboa a 5*500 e 120
a libras
Dito con arroz de casca a 5s000.
Duzia de garrafas de cerveja branca e preta
a 5*500 e em barricas a 5*000.
Arroz do Maranho em saceos arroba 2*600
2*400 e libra 100 e 80 r*.
Dito da India o Java arroba 55 c libra 120.
Araruta verdadeira arroba 8* e libra 320
rs., matarana.
Gomma do Ararais para engommar arroba
5* c libra 160 rs.
Parinha do Maranho nova libra 320 rs.
Ervilhas seccas multo novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 240 rs.
Se.vada arroba 3*200 e libra 120 rs.
Graxa de boio 07 a 280 rs.
Sabio massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanbol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Btalos do Porto de diversos tamaitos de 320
a 2*.
Capachos para portas de varias cores a
700 e 800 rs.
Grao de bico arnr a 4*500 e libra 160 rs.
Painro arroba 5*500 e libra 200 rs.
Milh alpista arroba 4*800 e libra 160 rs.
Azrite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 1*500 e garrafa
200, 240 e 320 rs.
Hassos de palitos de denles com 20 massi-
nhos a 160 rs.
Tijolos de liinpar facas a 160 e 120 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 4*500.
Dito prev liso o melhor Dito de peso e pautado a 2 ?500 e 2*800.
Garrafoes com 25 e 15 garrafas de verda-
deira genebra de Hollanda por 8*500 c
6*000 rs.
Azeite de coco garrafa 560 rs. e carrapato
300 e caada 2*560.
Gaixoe.- com doce de guiaba a 640, 800 e
1*.
de Lisboa arroba 9*500 e libra
600,
Charutos unos du Simas, e dos melhores fa-
bricantes da Babia de 2* 8* camas dciToucioh
-iOOe-at- 320 rs.
Crozas de eamnbas de palitos do gaz a 2*200 Dito de Santos arroba 6* e libra 280 rs.
e 200 rs. a duzia. iMolhos com grandes ceblas a 1*600.
Cento de dna solta a 1*600.
Mauncos de albos a 120 rs.
Gordas de pastare de andaime.
Favas da ilha de S. Miguel arroba 3*200 e
libra 120 rs.
Copos lapidados para agua e vinho a 3*500,
5*800, 6* e 7*.
Ditos lisos para varios preco?.
Calix lapidados grandes e pequeos duzia
3, 4 e 5* ; 400 e 500 rs. cada um.
Massas para sopa macarro, talharim c alc-
tria a 400 rs.
Estrelinha e pevidc* libra 640 rs.
Xarope de fructas nacionaes a garrafa 600
ris.
Marrasquinhp de Zara da melhor qualidade
agarrafa 13200 e 800 rs.
Esteiras de tranca, cento a 20* e 240 cada
nma.
Queijos de qulha novos, arrobi 16* e libra
a 560.
Duzia de champanha superior a 20*, e 2* a
garrafa.
Garrafoes vazios a 1*600.
Massa branca para sopa a 320 rs.
Frascos com azeitonas em concervas a 800
ris.
Duzia de cartas finas para jogar a 3*.
Sabio hespanhol verdadeiro libra 400.
Saceos com feijao mulatinlio novo a 10*.
Latas com favas ja preparadas a 800 rs.
Sevadinha para sopa a 240 rs.
Garrafas com muscatel e setubai a 800 rs.
Sag novo a 400-rs.
Mreu arroba 85500 e libra 320 rs.
Latas com 27 garrafas de gaz a 11*, a gar-
rafa 500 rs.
Barra rom azeitonas novas a 1*200 e 2*
harria grandes.
Vas-oura do Porto piassava muito seguras a
400 rs.
Aioite doce francez dos melhores fabrican-
tes, cala 10* e a garrafa 1*.
Caixas com vinho BoiMouax branco e tinto.
Vinio do Porlo lino em barris de 5o que ra-
ras v^zhs appareco por 80* e em caada
a 5*500 e carrafa a 8Q0 rs.
Dito de FigOAira puro caada 4* c 4*500 c
garrafa a 480 e 560 rs.
DU 4* e a garrafa a 440 e 480 rs.
Cognac verdartriro a garrafa 1* e 1*280.
Viulu miiscalel duzia 10* e garrafa I*,
Vinho i.ranco de milito boa qualidade cana-
da 4* e garrafa 480 rs.
Dito Xere tino cauada 7*500 e garrafa a
1*200.
Dito Madeira secca a garrafa 1*600 e 2*.
Dito m caixas de urna duzia do Porto dos
melhores autores a 12*. 14* 16*.
Garrafas com licor lino francez a 1*, 1*200
c 1*600.
Ditas com vinho de caj morro claro a 1*.
Ditas com rael de abclhapuroa I*.
Frasco com genebra do Ikrtlanda de 2 gar-
rafas a 1*.
Dito de urna garrafa a 560 rs.
Dito de laranja verdadeira a 1*200.
Pte* cora musanla preparada a 320 c 400 rs.
Cav com 2 arrobas dr batatas a 2*500.
Ymiia branco de Lisboa prprio para missa
a 4*800 a caada e 640 rs. a garrafa.
Espirito de vinho a 400 rs. a garrafa.
Dua< redes muito bem feitas para dormir
viadas d Sobral a 30* cada urna.
u atrof inultos gneros de prlmelra qualidade que ni o
posslvel menclona-los.
A satisfacao da Aurora Brtlhante vender muito, embora barato, mas DINHEIRO,
atestando cinco por cento a quem comprar de 100*000 para cima.
0J0V0 BESTI
ARMAZEM CONSERVATIVO
23Largo do Terco-23.
loaquim Simio dos Santos, dono deste bem sortido armazem de molhados denominado Con
servaliv do larg do Terco n. 23 scientifica ao respeitavel publico e a todos em geral que mandem
u venwam a este estabelecimento para melhor se sertificarem da diminuieao i presos que obtem
n s'o,. o que nao obtero sa comprarera em outro qualquer, pelo que se responsahelisa a servir qual-
n\-r comprador com a inaior presteza e fideiidade, sem que haja a menor alteracio. Todo o compra-
dor que comprar do 100* para cima lera o descont de 5 a 10 por cento polo sea prompto pagamento.
Atten#lo.
Batatas as mais novas a 40 rs. a libra o 1*200 a ar-
roba.
Tounntw do Lisboa a 280 rs. a libra e 8*500 a ar-
roba.
Cafe de primeira e segunda sorte a 240,260, 280 e
300 rs. a libra.
Arroz do Htrauhao e Java a 100, 70 e 80 rs. a li-
bra e 2*200 a arroba
Piospliros do g.iz a 2* a groza c 180 rs. o maco.
Passas do carnada a 320 rs. a libra, e cm caixa a
fm
Bolachinhas inglezas novas a 240 rs. a Wbra.
Sabio amarello massa a 160,200 e 240 rs. a libra.
V.-las-i ecarnauba Aracaly composicao a 360 e 400
rs. i libra.
Amcixas franreza com i e meia libras a I*.
Kasaa do tomate da melhor qualidade a 600 rs. a
bbra.
Srmadada dos memoras faldeantes a 640 rs. a
fibra.
Caouricu as mais novas a 350 rs. a libra, e em
b iri-il por II*.
Cha hvsson mittdinbo e perola a *,000 2*500 e
2*800.
Miiho alpista e paireo muito novo a 160 rs. a libra.
Biscoitos e bolachas de soda a 1*300 e 2*
Araruta das melhores marcas a 1*, 2*, 3*, 4*, e
4*500 a caixa.
Charutos em macos contendo 50 por 640 rs. o cento
Azeite doce de Lisboa fino a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 280 rs. a garrafa, e 2*000 a
arroba.
Vinho de Figueira e Lisboa das meihores marcas a
320, 400, 500, 560, 640 o 800 rs. a garrafa, este
ultimo 10 Porto proprio para os doentes por
ser purificado e recommendado para este fim.
Queijos do ultimo vapor a 2* e 1*700.
Maoteiga iogleza flor a 1* a libra, e a 950 rs. em
barril.
Id^m menos superior de 720 a 800 r.. a libra.
Idom franceza do ultimo navio a 560 rs. a libra,
em barril se far abatimento. t
Gomma da mais al va a 160 rs. a libra e a 4*500 a
arroba.
"^ NEM COROAS NEM MITRAS
0 VERDADEIRO PRI1PAL
QRA1IIE
ARMAZEM
DE
RA DO LHPERADOR \. 40
Jauto ao sobrade em qae Hura e Sr. Osbsroe,
imarte Almefda *fc c, reeeberam de sna proprla euoommcn-
da o mala lindo e variado aorilmenle de ni o hados, proprio
da presente es taca o.
NOVA EXPOSIQAO DE GNEROS
NO
AlOItZi II
Manteiga ingleza
da safra novavinda do nliimo vapora i.ooo
rs. a libra e em twrrH a 800 rs.
Hantelsa franceza
da safra nova a 6w rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
fonfeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Amixas
em frascos de viro com 3 lrbnnvHqtiido a
:)40, muito propios ara miittts.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 4*:iOO.
Chocolates
de todas as qualidades a li$0O0 a libra.
Presuntos inglezes
dos memores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos.para 500 rs.
Queijos flameagos
chegados oeste ultimo vapor a |6oo.
Qnetjos
chegados no ultimo vapor a 2^600 cada um.
<|ueljo
londrmo o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retllro.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 7(10 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente donradas,
proprias para mimos a 900 e 1|J200.
Cli uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3 a 2600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
Wem hyittQQ
0 mais aromtico que tem vind ao uosso
mercado a 2^600.
Massas amarellas I
para sopa, macarro, talharim e etria a
480rs. alibra.
COGY.4C f
o muito afamado cognac Pal Brandy* I.800
rs. a garrafa e de outras albil* ualida-
desa ,ooo e 800 rs. a garrafa. /
ropo*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,000 rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
I de excellenle qualidade a 2i00 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulhode l,4ooa 2,2oo
rs. a resma.
Corintliias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
1,4oo rs. a libra
Vinagre
PHR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caisa
e l.ooo rs. o molbo.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 440 rs. a libra,
o 4#4O0 a arroba.
Macas brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4,?500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
lo>m de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2^800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 15 e 02OO
a garrafa o de 10$ a 125 a caixa, as mar-
cas sio as seguintes: Chamisso 4 Filho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 40 libras de banha a 45000.
Bolachinha ingleza
a 1 iJ800 a barrica da mesma que
venden a 2-5000 e 24400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* Jl bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes^ de todas as mai
cas de 4*500 a 65500 a duzia.
C.AWJT0S
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35O0 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
de 1.* e 2. sortc do Bio de Janeiro a 855f
libj
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a
Garrafoes
com 4 Vs arrafas com vinagre a 45000**
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 45000 o frasco, de 44500T
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 55800-con
42 frascos.
CENEftRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.000 a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ABR0Z
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatiiuenlo.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo b
caixa e 34o rs. a libra.
Btala nova*
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas milita oras
em quartos e inteiros a 25 o quarto e 65500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frats em rada
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Osee da casca da gotaba
a 600 e 15 o caixe.
Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularara os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unio e Commmio ra do Qneimarlo o. 7
6 Verdadeiro Principal rga do Imperador n. 40
PHICTA8
MACAA, PERAS E UVAS
chegadas neste ultimo vapor, yende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro PrincipalRa do Qaeimado n. 7, Uni5o e Commercio.
wsmmmssmssm a ge mmm^^
PRINCIPAL
DE
Y. O RIJA 1IO K1NI*0 N. %
Esquifa que volta para a roa da haaer4r
provavel que nao seja bem aceita a ver Jade, quando a boa t de todos anata
Iludida por esta epidemia de nauzcaticos annuncios de corneta, tambores, corda
tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal. '
ALEHTA
Os annnnciantes n5o tem em vista senlo garantirem ao respeitavel poblko a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias e vo Dar
assentarem fortunas a forca da regra de liga como outros annonriarrtes deste "enero "
PARA TOIIOS
No armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na seguir* ta-
bella, mas n5o se vende por lodo o preco fazendo-se peso de arroba hespanhola aras-
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquelle que n3o seja do agracfc 09
comprador.
Amendoas confeitadas do diversas coros a Lenlilhas muito novas excelleote legum* iw-
64o rs. a libra. I ra sopa a 2oo rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra. {Licores francezes de todas as qoalidade* d*
dem de casca mole a 32o rs. a libra. 7oo e 9oo rs. a garrafa.
Ameixas francezas em caixithas com lindas Manteiga ingleza perfeitamente flor aftas rs
estampas, a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 4 */ libra a 4,loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
a libra, desnessesarie mais elogios se*-
te genero que s se pode verificar otmm
vista,
dem franceza a 56o rs. a libra, e
ou meios a Soo r.<.
ba ueste genero de o a 4oo rs, a libra, e | Marmellada do I fabricante de Lisboa a 600
de 2,5eo a 2,8oo a arr(*a,
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa el 0,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libia.
Azeitonas muito novas a 2,000 rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. alibra, e4,4oors. a
arroba.
rs. a libra, ha latas de I, l'/t r 2 labras.
Maca de tomate em latas de urna e dsss li-
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide, ra
etc. a 3.5oo rs. a caixa e 56o ra. a
Macarro, talharim e aletria a tas rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o iras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o frases.
Molho inglez em garrafinhas com rolka da
vidro a 64o rs. cada urna.
a 4oo rs. a libra, a
Passas novas de carnada
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadassas
seguintes qualidades, sabel. enrvisa. s-
rz, cavallinha e pescada a 4,000 rs. i ta-
ta.

GRANDE FABRICA DE CALDEIRARIA
Alia destes gneros autro3 muitos que eofadonbo ser! tMoeioM-lDs.
FUIVDI^AO DE I \0*i
VILLANA, 1RMA0 l C.
HU1 Ui> BHUIf IX. 40
Chamamos a atten^o de todas as irmanda-
des e contrarias para o que abaixo publicamos.
O amor qua votarnos arte que professamos e o desejo :jue temos de aincorrer cora o
noM> fraco continente, para a vr rtiegar em nosso paiz'ao grao da perfrtira't qu 6 para
desejar, nos impcIHu a mandar Europa nm dos nossos sucios al'nu de particular-
raentH esludar a melhor maneira de bera fundir os sinos.
Grandes forara as difAnulilidfls que tivurnos a superar, afim de pdennos conseguir o
nesso desidertum ; porra gracas aos esforcos e bous offlcios de um nosso amigo, o nos-
so socio pode ser admittido em nma das melhores fabricas de Lisboa.
Muito lucramos o muito tem a lucrar o publico, por que sem receio de sermos con-
te.tado, polemis affirmar, ([ii. os se parecem com osses almwissi de rao go Estamos habilitados a fun-lir sinos de ti los os tamanbos dosde 16 libras at 100 ar-
robas, com emblemas, ornatos, etc., conforme a vontade ou gusto do conuirador, guar-
dando em seu fabrico todas as regrasdarte. Pedimo?, portante, em recompensa do
tantos sacrificios e despezas a proteccao do publico.
Villana, Irmo & C.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato Marraschino verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
Antonio de diversas qualidades, em latas a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia
de 6 e d 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a Nnzes muito novas a 46o rs. a libra.
lata, e 64o rs. a libra. | Ostras preparadas em latas a 7oo rs! a Ista.
dem ingleza em latas de 3 e de 4 libras Prezunto para fiambre inglez -Tiihdira.1
das melhores marcas a 4,3oo e 2,2oo rs. rantindo-se a qualidade, a 7oors a
a lata.
Banha de porco refinada a kan rs. a libra o
em barril a 36o rs.
Btalas em caixas de 2 c de 4 arrobas a
4,400 rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
rs. o gigo, 4,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. Palitos para denles fichadas a 44 rs. s su-
as meias garrafas. | co de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possirel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia. 2,4oa rs.
bra. 1 a groza.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs. Painco muito novo a 46o rs. a libra, e 4*s
a linra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,noo, 2,4oo e 2,6o rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a 4,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopathico 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
4,00o, 1,2oo e 4.4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia
do de Simas e oulros da Baha como se-
jara Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a 4,6oo, 2,ooo, 3,ooo e
4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 78o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a 4,000 rs. a garra-
fa, e 4o,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,000 e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear.1 a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,000 a 8.5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeiladas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loors. alala, 4,4oo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem dem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada nm.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a 4,000 rs. o fras-
co, e H.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellenle bebida Suissa a
l,8oors. a garrafa.
I Mu
rs. a arroba.
Queijos flamengo* do ultimo vapor.
dem prato muito fresco a 800 rs. a liara, a
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a Sso re. ca-
lla um.
Sardinhas de Lishoa e de.Nantes a60 rs.
a meia lata, e 4oo rs c quarto.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libr.
Sardinha de Franca a 18o rs. a Mbra.
Sevadaa loors.alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o c .loo rs. a libra
Tijolos para limpar facas a 45o rs. cada usa.
Vinho em pipa, Porlo, Lisboa e Figueira sss
marcas menos condecidas a Isa rs a lar-
rafa, ea 2,800 rs. a caada.
dem Figueira expecialmri te esrolbido aesta
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4.5n awnada.
dem Lavrad o, Colares muito fre>co .<*
composicao a 6oors agarrafa, e sjaa rs a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a Ha rs. a gvraU.
e a 4,5oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 36o rs. a garra-
fa.
dem engarrafados generoso, Lagrimas da
Douro, Duq-ie do Porto, I). Lu I, D. Ps-
dro V, Ne-tar, velho secco, .Malraz, a
genuino partict.lar de 9ooal,oors. a gar-
rafa e a o,ooo rs. a caixa com urna dozia.
dem Madeira legitimo a 4,2oo rs. a garrafa.
ea 42,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a 1000 rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marras St
Julien St. Esteph, cMeau la Rot, chata
Margoux e oulros a 6,000 rs, a caisa 56*
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2.00a
rs. a ganafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e 4,isa
rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooo rs,
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32s
rs. cada urna,
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vel las de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de composicas
a 36o rs. a libra, e 4o,5oo e 1 l,ooo rs. a
arroba.
e preasas para algd.ia.
thegaram agora da America as verdadeiras ma-
chinas de diversos tamanbos para descaroear al-
godio e prensas do melhor systema para enfardar
o mesmo : a ver e tratar na travessa do Carioca
a. i______________,____________________
Superior cal de Lisboa.
Sende-se snperi ir cal de Lisboa a mais nova one
ha no mercado tanto em porco como a retalho,
por barato prego afian;ando-se aos compradores a
superior qnalidade: a tratar as seguintes roas
Crespo n. 7, Impera ter n. J8, Forte do Matto
mazem do Sr. Villa defronte do trapicho do
godao.
Chitas da Liga.
Fazenda inteiramente nova a 400 rs. o rovado :
na ioja de Pinto & Flores, na ra da Cadeia do
Iti-cife n. 47, esquina que volta para a Madre de
Dos._____________________________
Para casamento.
Grosdenaple lavrado branco, faaenda superior,
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Raa doQaeimstn. 49,
Vrndc-se o seguate 1
AttencSo II
Ricas laazinbas, fazenda a melhor que tea lia-
do ao mercado, tanto em gostn romo em qnatUb-
de, pele baratissimo preco de 560 rs. a saSMfc
Uitas miudinias carmezins, |>ro|>rias para Tesa-
dos de meninas e ranusinhas a 640 orovaia.
Cortes de la com 15 ruvados, pelo barato preco
de 64.
Cuberas de chita da India a 25W e 3
lancees de panno de linbo a z e 24508.
Pecas de cambraia de .forro cota 8 Ifl nm i
a 25400 o covado : na Ioja de Pinto & Flores, na proprias para saia a ift,
rna da Cadeia n. 47, esquina que volta para a Ma-
dre de Dos.
a da S^azalla Kava a. 41.
Neste estabelecimento venden-sa: tachas d
ferro coado libra a 110 rs.. idomdeLoa
Moor libra a 120 rs.
Toalhas alcochoadas proprias para maas a SI a
du/ia.
Micos corles de la rom barra Maris Pfa a
184.
Peras de platilhas de algodio casi 101
A'(toda" entestado com 7 t|2 palmos e larfora
a 15100 rs. a vara.
Esteira da India, propria para forro de sala de
i, 5, e 6 palmos Se tarfmra, por menos preco de
qne pm onta rpialquer parte.
Neste estabelecimento tamben as aaesstrari
om grande sofu' ment de renpas fertas, tetras-
'tina.


Diaria e rcrmmmhwo* Qslata leira de Ouiubro e lt4.
AO PUBLICO
em o menor constraa-
gl meato se entregar* a
Importe do genero que
So agradar.
ATTENS&O
0a preeos da seguate
tabella para todo, po-
deado Mslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
eom os portadores.
ARMAZEM U10
KL1 M CAltElA 1IO RECIPE 3. 53.
(Logo pasando o arco da Concfiro)
Cirandc rednceSo de preeos, equivalente a dez por eento menos do que ontro qnalqner
aonunclante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
muitos objeetns, etc., dando com sto ocasio a tudas as espeluncas acabarem porbom preco a manteiga de tempero, e gritaren em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 1! I Ora, eu offendido com estas obscuridades e receloso em adoptar o mesmo
gysthema que vim encontrar, de s m vender com um por cento a carola, aaaM fa/.er esta giande reduegao de presos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Unifo Mei cantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de 1,4oe a l.Goo rs. a libra, Hoje porem, reseiitidos da reduegao a que
estao obrigados, encarando todos os dias de sena fregueses recIamacSo de pregos, e quadades, vingam-^e de um e outro portadores
nal informado deste novo estabelecimento. para Ibe vender goneros nao proprios de um estabelecimento dista ordem que o seu fin
tao smente obter a concurrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
reza com que sero tratados, convida a nina vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisarera, e quando no pocam vir poderlo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticns, pois
sero tao bem servidos como se viessem pessoalmente, bavendo para com ests toda recommendafao, afina de que nao v3o em ouira parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.000 rs. a arroba,
dem lavado deprimeira qualidade a 3oo rs
a tibra, e 9, dem do Gear de superior qualidade a 21o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a>
libra, c 3,eoo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paingo e alpiste a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de i e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talbarim a 4oo rs. a li-
bra, e O.ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doeutes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 5Go rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 48,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo .'ico rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vitilio branco de Lisboa de excellente quali-
dade a loo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a G8o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Dnum, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
1o.noo rs. ea 9oo e I,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
fiado ao mercado a 6io rs. a garrafa.
Sardinlias de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 5tio rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 04o rs.
da, salmiio, ostras e chemee, vezugo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 8ooe l,oon rs. cada nma. cado a 2,8oors. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordean.* das marcas mais acredita- libra.
das q le tem viudo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,000, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa. garante-' qualidades a I,3oo rs.
se ser de qualidade superior, quo outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por e Genebra de Holanda a 56o rs. o frasco, e Passas muito novas de
estoihida a 8oo rs. a libra, em barril se
fez abaiimento.
dem franceza a mais nova que tem viudo ao
mercado a alio rs. a libra, e em barril ou
me ios a boo rs.
Cn* hysson de superior qualidade a 2,6oe rs.
a libra.
dem pe ola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhnr que se pode desejar
neste genero 2, Mear preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
Mem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,60o, 1.8oo e 2,000 rs. a
fibra, garante-se ser muito regu ar, igual
ao que se vende emoulra parte por 2,4od
e2,6oo rs.
Lmg?s, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5.5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e 1,000 e 600 rs. a libra.
Oueijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. edo vapor
passado a 1,600 e l,8on rs.
fdetn londrmos os mais superiores qae tem
tindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abaiimento.
Mem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
lien do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a ellos
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas ja pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada impqn'al dos mais acreditados fa-
bricantes de tysboi a 600 rs. a libra.
Pre/.nnto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a lihra, e a 5oo rs. inteiro.
dem ingle/as para fiambre chegado neste
vapor 72o rs a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Chocolate francez, suisso e hespanol a 9oo
I.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacele em caixinhas contando 6 libras
por i.ooo rs., sarante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambemtem
de 12 por libra propria para carro
Peixe em posta sovel. corvina, gors. pesca
5,7oo rs a frasqupra
dem de laranja verdadeira de Aliona em
frascos grandes a I.ooo rs. o frasco, e
H.noo rs. a dmia.
carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs a libra e
1,80o rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs a libra
dem de Hollanda em botijas grandes a ioo Bolachinhas d'ajma em sal da fabrica do Beato
por 2,.!ioo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5w; ditas imperies em latas
de 3 libras por 1,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de I e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5on, el,8oors.
Azeitedoce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas-
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho ingles em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5no rs.
Mostarda inglesa dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente l'egume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 1,00o rs. e 11,00o a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Ceneja liranc: pret.i da* maivac mao o
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. alibra.
Sevadinba de Franca mallo nova a2oors.
Charutosdelodososfabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas contorcidas m-
nosso mercado a 2.000, 2,5< o, 3,000,
3,5oo e 3,8oo a ixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l.owo rs. a garrafa.
Doce da casta da goiaba em lalas de 4 l I
Ala foja de fazendas ba~
r ratissimas de Duarte
/Jorges da Silva, ra
da Imperatriz n. 2.
lende-se o sej;uinic:
PECAS de panno de linho eom 25 varan a 6
Din piuco estreito, mas excedente para t muas!
DITO de dito adamascado eum 8 palmos d.> l.
(tura p^ra loalbat- de mesa de janlar a 2VMt a
vara.
CASEMIRAS do duas larguras e de ama f efir
rhuitu hoas para roupa de meninos e soBtemaaf
ques a .15 o rovado.
TOALHAS alroehoadas muito boas para enoh
gar o rosto a i5 a duzia ou .' o rs. rada bus.
CAMBltAIA branca lina 0111 saipicus uiiuUiubfa
a 640 rs, a \ara, mttae do valor.
OLIADOS de LonHosV elegantes desenhps f;:r
cobrir mesas a i o eovado, para acabar.
I-AA/.IMIAS de padrdes novo e muio agradar
veis Unto na boa <|uaiidade como no picea de 53S,
rs. o eovado, e Analmente o respeiiavrl pi.l.r
achara ronsiantrmente nesia dita hija nm NMir.
variado sortimeuto de lazendai. itaab e ajuaras a
pr^os mnita raiuaveis, pois esl rcsolvido ^-..!/
|iouco, com lauto que venda muito, ro mmian
mais fazendas no presente annunciu aupqiM ini|-.|t.
taiia isso n'unia despeza extraordinaria cuja d8-
peza reverter sempreem benelicio .lus nii| rada-
res, pedindo ao publico que nao deixe de Ir 1 bidoa
es dias este dito presente annuncio, pois havfr&
mudanza nos artigo cima ditos, istoV, a pr..-r-
cao que se forem acatando.
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Johnston Paier &
C, ra do Vigario, n. 3. um bello soi tt-
mento de relosios de ouro patente ni-
Acaoa ue ie. e m* ^n.pi .a ehc.4uiutN.da um grano e vanado irtimento de um J maig aftmados fabricantia
de nioUiados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em 5 1 TerD00i e tambem nma variedad.- a
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e ZESESlrSm SiuSt
resumidos preeos, afiaocando todo e qualquer genero vendido neste bem conhectdo ar- qon">surancc"ns pa_ os mesmolt
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 1,000
rs, a libra e 800 rs. sendo era barril,
dem franceza a Goors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7eo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,800 rs. e de 8 libras para
cima a 2,7o,
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
Milho a 3ti0.
Licores francezes e portngiiezes das seguin-1 .vm^ S.11 de Deos Df- <%
, i 1 n saceos grandes com muno novo.
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-,
sa, absinto vespeiro, amor perfeitn, amen-
fina amarga, percicot. de Turin, Botefim,,
morangos, lhnao, caf, laranja, cidra, gin-,
ja, canelta, cravo, ortela pimenta a 1.000
rs. a duzia 1,000 rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-!
cado.
SALSAPAERILEi*
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a 2,5o rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bra para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, i, 0 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3.5oo e 4.800 rs. a tata
dem preto o melhor que se pode desejai
neste genero a 2.800 rs.
dem menos superior a esse que se vend-
por, 2 e 2.4oo, a 4,800 rs. a libra,
dem mais baixo bom para negoeio a l,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato ws melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a lihra ondo iuiuiro.
oaawaw tarca gato a i.7oo rs. a garrafa.
Biscoilos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknfl, Mixed, Victo-
ria, Hec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a l,3oo e l,4oo rs.
Fumo americano em chapa a 1 ;6oo rs, a
Aramia de todas as qualidades.
Uatata novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
caift e 60 rs. a libra*
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
DE BSISTOL
Xf
L-anw mlagriiMad de

bias por 2,ooo; ditoemcaixoesa6oors. dem inglezas em barricas amis novado
mercado a 3,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
cada um.
Farinha de araruta veidadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4.8oo a canada.
Banlia de porco refinada a 4oo rs. a libra,
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinhe de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,.Ion a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,"oo. rs
Cebollas soitas a l,4oo o cento ; ditas cm
mullios com cento etantas por l,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
DA
FUNGI LOW-AOMCGLE
Ra da Seuzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
nm completo sortimento de moeudas e uieai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar rowpa: em casa de S. P. Johnston 4 C
ra da Senzalla Nova n. 42.
Vniliu do Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
eer Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu
escriptorio ra da Cruz n. 1.
ARMAZEM
FROINTEIRO
DE
ALVES COUTOHO & BRAWDO
21 Largo do Terco21
I
*r*. ^r, ? ^Idaa 4.8oo rsf; banha de porco a 4io rs. a libra, eem barr
abnca Conceicilo da f
Babia.
Andrade k Reg, reiehem constante-
mente etem venda no seu armazein n.
34 da ra do Imperador, algod2o d'aq -.el-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar antodao em pluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
Ao publico.
Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a I.ooo rs. a libra;
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranhao e da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2.6oo e 3,ooo rs. ; azeile doce refinado
a i ,i 'Oo rs. a garrafa e em porcn, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4.8oo rs. ; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas limito
novas a 4o rs. a libra, e 1,2o >rs. a arroba ; cha perola, byxson, miudinho a l,8<>o, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra ; charutos des melhores fabricantes da Balda de 2,<>oo e 4,ooo rs- ;
cerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e ei va-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo is.; c-gnac intrlez superior a I.ooo rs. a
garrafa; eaf te 1.a, 2.a e 3.* qualidade de 8,5oo, 9.oooe9,5<>o rs. a arroba ; cevadi-
nha a joo rs. a libra ; ervilhas porluguezas em latas de 1 l/t lihra a 7oo rs. ; spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,ooors ; genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco ; idem le Hollanda
a 64o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a 1,ioo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
mita flor a 8oo rs a libra; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
de tomate a 6oo rs. a libra ; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra ; ale-
tria, talhanm e macarrSoa 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a l.ooo rs. cada fras-
co : nozes muit- novas a 2oo is. a libra ; passas a 4- o rs. a libra ; |>ainco a 16o rs.; pn-
mPMmm mtmwmmmm
Ba da SeozaHa n. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston A C,
eeMins e sillines inglezes, candieims e casti-
faes bronzea.los, lonas inglezas, lio de vela,
cakote Dar carros e mo-tai ia, arreios para mada a 4 rs- a duz,a P'^enta do remo a .I6u rs. ; papel almaco e de peso de diver-
earros de um e dous cavallos, e relogios de ws """-a; ilitos do gaz a 2,2oo rs. a gr..sa e 2o rs. a eatimha ditos de seguranca
wro natente inglez individual a 2o rs a ciixinha e 36o rs. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,ooo rs.
" i i-------------------^----------------- cada nm; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nanies de toa a 4o rs. a lata ; sa-
A iCH //'(!() ''5o raassa muito sujieri r a 2on rs. a libra; toncinho de Lisboa mmto lvo a 3on rs. a li-
teade.M barris com aicatro, na roa da Crnz br; v1m> dPftrto velho engarrfate l,5wrs; Um tm ton** too r. a garrafa,
B. 1% primeiro andar, escriptorio de
AhnciJa emes.
'
PT\SS\
Vdnde-se notassa em barr a
na rna da Crnz n. 23. primeiro
Aatoaio do Alneida Gome*.
Antonio de sendo porcao f*/-se differenca eem canada a 5,ono rs.; i tem de Lisbfia muito superior a
4'mi rs. a carrafa e 2.8oo rs. a ranada ; idem da Figueira J. A. A. a 5ik> rs. a garrafa e
, 3.6iu rs. a ranada ; idem do E'treito a 36o e 320 rs a garrafa e em caada a 2,56n;
i idem Bor loaux a rifio rs. a garrafa : idem branco de Lishoa, prm no para missa a 5oo rs.
a garrafa; vinagre de Lishoa moho superior a 2oors a garrafa, e 1,4oo rs. canada ;
NtaStfi* s0,la' C(,V!,la' aKasema, gaz e lijlo de I impar facas a 14o rs. Presuntos de Lamego a 5oo
Chocclate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21 oo rs. a resma,
j Pites com sal retinado a 48o rs. cada um.
Bicos frascos com fi utas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muilos a 12o rs. a
lata de 2 112 libras.
Foijo verde cm bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes mnilo novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
segumtes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V. nctar superior de
1S33, duque do Porto de 1H34, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e mitras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
l.ooo rs. a garrafa.
Idem-branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4.000 a canada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oo rs.
a canada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,Boo a canada
e 5oo rs, a garrafa.
tdem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3.ooo rs. a caada.
Especial vmho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a lihra.
Ricas caixas o-m ligos a l.ooo rs. cada urna.
Bicos livi os com figos 1 ,ooo rs.
piimada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va 180 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrames com 4 *ft garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem d>m 4 */ ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garrafao.
Vinagre PRR em ancorelas de 9 caadas a
15,000 rs. com a ancoreta
dem em pipa puro sem o hatismo a 2oo rs.
a garrafa e 1,4oo re. a canada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8eo re.
a caixa e 7oo rs. a ganafa.
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais.afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a t6o rs. a libra.
Gr3o debico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 8^500 cada urna, j
Massas para sopa macarrao, talbarim aletria
a 400^8. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa,
ideui francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a 1,5oo,
2,ooo, 2.5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,:
os mais baixos sao dos que por ah se ven !
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e ,ooo:
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.,
a arroba. j
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
Idem de sebo muito dura Htigindo esparmace-
le 3tio rs. a libra.
dem de esparraacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras. Fugio na tarde do da |6 dp jlllho p p ua
Papel o melhor que se pode desejar para os escravo pardo, de nome Mares, den D-Karrack
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-, do hiate San/u Amas, rindo doAraeart, tei.dt
. I lia i < I m t.. 9n 'iniii'- ik.ii,>!! matan nn *...... .
ma, ja se vendeu por 7.ooo rs.
Idem almaco pautado e liso a 3.ooors. a resma.
Idem de peso pautada e
resma.
Idem a zul de botica ou fugueteiro a
a resma.
UIiCElR A JB,
< IIA.\S A^TI*A
ESFERMIIIADES SPUILTiCAS,
Ery3pel.*s, Rheumatisi2!(
Nevralgias, Esaorbuto, ; .
ele., co., t'lr..
que tem granjeado e dado o :iltt> na
UOU1C :i
r
Salsaparrilia de Bristol
por todas partes do universo, ww XZA
smente devidue
nica Legitima
SALSPAHEILIIA m
Original
PKKPARADA -V'.'"!V>":vr;: ;
LAViHAN & KKir DE tOTA V Hi,
Mediante a resultado />/. (.'. <.'. ,' />/i
A venda as boticas de Caors & Barba-
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo C, tm
da Madre de Deos.
Vende-se a taberna quatro ponas ila na
Nova n. 48, com pouco fundos e bem atreirnezaila
ESCRAVOS FGIDOS.
iso a 2,5oo rs. a
2,oo n.
Idem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas Irancezas em lalas de i V* libra a
1,2oo e 8oo rs. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle 1 ,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mosiarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 6oo ra, a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6.000 rs. a duzia e 5oo rs a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molboe
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda era frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco.
Idem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groz e 2o rs. a
caixa.
dem de (lentes lixados em macos grandes
com 2o rs o marinos a 12o rs. o niasso.
Cominhos mnito novos a 32o rs. a libra e
I o.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixe em latas a 1 ,ooo rs. a lata ja prompto
a coiuer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo e l,ooo rs. o
caixSo.
dar,
ea. I.s a.ir rb outros muilos gneros quedesnecessario menciona-los.
O proprietario do grande armazem Uniao e Commercio declara aos sens fregu**
zet e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a coiuniodidade de todos estipulen
os mesmos preeos nos seguintes lugares:
Uniiio e Commeroio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
de idade 28 annos pouco mais ou im-iins, e os sig-
naes segointes : altura regular, sicih dorurpw
pouca barba; cabello crespo, iexno rtafi
caiga de alfrudaosinho de risraijn azul crha-
p de palha, tendo lerado amnt^(i una trnii-s
com mais roupa, e rendido de nma da> verilnaa
quem o appreender qmin tota-lo a i ua da Maiir
de Deus n. 38, ou ra do Brum n. o, qoeaen
recompensado.
seraro fgido
Fugio no dia 7 docorrente o preto Amancio, da
estatura regular, as duas paran arqueada*, filia
de denles, representa ter de idade 22 K annos:
quem o pegar lee o rna do Trapicbe, hotel da
Europa, que ser recompensado.
1U0S de gralific cao.
A qnein capturar o escravo pardo de nome Li-
beral", fuvido em lo de ontutiro comnte, Ar ev
tatura regular iiorm larvo dos hombros, manir
de 20 annos, cor alaranjada, rusto oval rea mar-
cas de esplnhas e benigas,falla pomo egros^o,con
pequeo Siitaquede gagliez, failam-lbes to'os os
denles da frente e a caneca que imha sido rapada
esta eom os cabellas principiando a cres>er i ni
logo cima da P-sta na cabeca urna cicatriz vt-lhaf
furton na orcasiao da fgida urna espingarda pe-
quea de dous canos, um paletni preio e car,
tres ditas de brim df core, eamisas Anas teaiki
urna botes de coral nos punhos e um de pedra
branca flogiNdo brilbaute na abeiiura, una ti****
de facto, um chapeo de sol de seda c6r de r./e.
um par de botinas,nm paletot do brim d'hrna o
de fila branca e nm chapeo de palha de Mamiha.
alm da roupa delle. Este esriavo vein do Rbute
Janeiro em 14 d'> corrente, onde se aclwva com
nome de Marcolino, muito fujo e ro^luina (pian-
do foge intitularle livic, pertenceu ao n-aj r J ."
Francisco do Reg Maia de Apipui-o". e boje a
Svinphronii Olytnpio de Queiroga morador ra
Velha n. 3S._____________________________
Attenclu a paga.
Fugio a escrava crioula Joaquina, cor fu
la. alta, magra, pos grandes e apalheiadi-s-
tem alguns cabellos bramo- que os pinta,,
inculca-se forra, muito falladeira e se su-
geita alnpada em casas |>artnilares p-ra
engommar durante o tempo de futida qne
nao a primeira vez que a fa/, disfarra-se
de diversos modos, as vetes de timan
saia pieta e outras de vestido e batan, e en-
contrada instantemente ja no bairrt t
Becife. S. Jos e Ba-Vista, e idiimameiito
fui vista pas-ar pela ra Augusta e siip-
poe-se que est morando em algum eaafcfi-
por detraz desla ra : roga-si; as auiorid:i
des polciaes dos bairros do Becife, S t)<
e Boa-Vista ou ouira qna qner pa*M que
a encontrar apprehendam e aprese ilein ao
sen senhor visconde de V-vista em lefa
palacete ra da Aurora.

.


6
niarU de r*rn*mkn+* Qnliita felra tO de Outtibro ir i S4.
LITTERTRA.
'
mais o socego naquelle recinto, a poato de poder
flndar-se o aclo do baptismo. Notamente se diri-
giu todo o prestito capella-mr, onde, depois de
receber a absolvico das heresias, como manda a
santa madre egreja, se sentn o neophito e todo o
. (Alexandre Damas faz aqu menelo das obras
qne a censara tem prohibido.)
Hoje irapede-se a representado dos Mohicanos
de Paris, que no sabbado iam subir scena.
Amanha provavel que se prohiba, debaixo de
0 UE VAEPELO MUNDO
Acerca da ultima convenio havida na matriz clero e irmandades emquanto o Rvm. coadjutor pa- qualquer pretexto, a representagao de Olympia de
do Corpo Santo, nos remetlem o segninte : dro Antonio Manoel da Assmngo.subrado ao pul- Cines e de Balsamo, que estou eserevendo.
No dia 2 do correnle, erando a matriz da fre- pito, recitou urna orago muito anloga ao acto. O I Queixo-me dos Mohicanos como me queixo dos
guezia do corpa Santo, esplndidamente ornada Sr. padre Antonio Manoel muito conhecido na car-! temis drama?. Farei comtudo urna observacao
f ara a festividad da Virgem do Rosario, enjo dia reir oratoria, cmpenhoo-ie em mostrar naquella j v- M- : durante os tres annos da reslaura-
cra aquelle; fetividade que ali se celebra sempre ooeasiio a sublimidade da nossa religio santa e osI Sao de Carlos X e os dezoito annos do reinado de
com toda a pompa, logo desde s 8 horas da ma- triumphos que ella vae amaneando, apezar dos ni-; Luiz Pppe, nunca se me prohibiu.nem suspen-
Bhaa eomecou a encher-se aegreja do grande con- migos que de cada canto Ihe surgem como que de deu uma un'ca peca, e accrescentarei, s para V.
curso de liis, que esperavam ancio.os por uma improviso paraalacarem muitas vezes nos proprios
curiosidade religiosa. Pelas nove e meia horas do lugares onde ella devia s encontrar defensores,
dia, achando-se reunido todo o clero daquella fre- ^ a ^^ f(). cm^Q q ^
Beata, e todas as irmandades da matriz, se dirig- ,audamus nolando.se em todo este lempo, e prin-
im todos de cruz aleada a porta da egreja, afim cDalmfinl(, _. 0P,,s5o pm ,,,, ._ viffarin
cipalmento na occasiao em que o Rvm. vigario
abencoou o povo com o Santissimo Sacramento, nm
recolhimenlo em todo o numeroso concurso de
fiis, um como que accrescimo de f, impossivel
de descrever-so.
t O que, porni, acabou de enlhusiasmar a todos
foi o icio tocante com que findou toda a ceremonia.
ra
(le receberem com toda a pompa o recem-conver-
li I). que, desengaado da falsidade da sua religio
o do erro cm que at entilo tinha vivido, s dese-
tava abjurar o protestantismo, e entrar para o gre-
mio da religiio catholica apostlica romana.
O Sr. Joo Henrique Low, joven de vinte e
Untos annos, desceu do carro com o seu Ilustre Encerrado j e Santsimo Sacramento no tabema-
padrlnho, o Sr. Jos Rodrigues de Andrade, neg- culo, e estando anda na capella-mr e nos seus
ciante desta praga, e se encaminhou para a egreja. lugares o clero e as irmandades, o Sr. Henrique
fiesta occasiao rompeu em hymnos festivos uma Low se dirigiu ao Rvm. vigario, que o receben
msica militar, que adrede se havia collocado na com os bracos abertos, e depois a todo o clero e
varanda de um dos sobrados contiguos ao templo! irmandades, abragando a cada um de per si, e sen-
repicaram os sinos, subiram ao ar numerosas gi- do por todos cordialmente abracado. Os demais
candlas, e o orgo daquella matriz, o primeiro fiis que se acbavam no templo, tamben) quizerara
Cesta provincia, fez resoar o templo com toda a ter sua parte nesta demonstrado de alegra, neste
torca das suas vozes. signal de allianga e amizade; e nao s o povo como
t O Illm. Sr. cx-provisor do bispado, conego muilas pessoas gradas que entre elle se achavam
Francisco Jos lavares da Gama, que to relevan- concorreram egualmente a felicitar e abracar o re-
t servigos tcm prestado egreja pernambucana, cem-convertido, o qual com o sorriso nos labios, a
qjerenJo dar um testomunho da satisfagan que Ihe todos abragava comoirmos, a todos acolhia como
causava to cnlhante triuinpho da nossa religio,! amigos, sein que em toda esta longa ceremonia ds-
dignou-se tomar o lugar de mestro de ceremonias se a menor demonstragao de aborrecimento ou en-
> acto, e ti *-ta qualidade conduzio o prestito para
a capella-mr, onde foi lida cm alta voz a petico
qud fizera o neophito ao Exm. Sr. vigario capitular,
sfim de que, como chefe da egreja pernambucana,
se dignasse admitti-lo a professar a religio ca
tholica, e receber o baptismo. Foi lido egualmente
o despacho em qoe S. Exc. Rvma. encarregava ao
Kvm. parocho daquella freguezia de presidir a to-
do o arto da abjuragao, e conferir-lhc o Sacramen-
. to do baptismo.
t Em seguida, ajoelhado o neophito junto do
Rvm. vigario, procedeu abjuragao da sua seita e
de todos os amigos erros, e leitura da proOsso
di f catholica de Pi IV, a qual elle fez com toda
, a pausa em voz alia ; e pondo a mo sobre um li-
vro dos Santos Evangelhos, declarou que nenhum
motivo o levava a abjurar a sua seita e a abragar
o ealholicismo, seno a convlcgo e a f viva em
que estava, de que a religio catholica romana a
religio nica verdadeira; e promettea e jurou
cumpnr e guardar tudo quanto manda a santa
im i Ir.- egreja catholica apostlica romana, qual
0 conservara fiel at morte. Seguiu-se o Psal-
0)0 Miserere, cntoado pelo clero e irmandades, eoo-
cJuindo-se tudo cora as oragoes que a egreja pres-
creve.
t Terminada esta ceremonia, tocou novamente
a orgo e a msica militar, cm quanto todo o pres-
tito segua vagaroso, por entre immenso concurso
de povo, at a porta do templo.
llegando ali o neophito, acompanhado sem-
pre do clero e das irmandades, procedeu-se ce-
remonia do baptismo dos adultos. Este acto, em si
extenso, foi por veres interrompido pela msica e
pela anciedade do povo, que a todo o cusi quera
presenciar todas as particularidades daquella ce-
remonia : porm quando o Rvm. vigario prooun-
cipu as patarras sacramentaes lancando sobre a
*ciSg)rwceiq-convertidjj aaguajaotade baptis-
rao, enlo de todas as tribunas, que estavam orna-
das de seoboras, choveram flores sem numero, e
ao mesmo lempo eslrondaram as girndolas, e a
orchesta, e o orgo, e os sinos, e as acclamages
do povo, a ponto de interromperem inteiramente
todo o acto. Debalde o venerando conego raestre
de ceremonias o Illm. Sr. Tavares da Gama, no seu
tele pela unidade das ceremonias da egreja, cla-
mava ao povo que deixasse proseguir o acto, e fa-
r.ia signal para que o Instrumental cessasse. A sua
\-oz, a sua palavra, alias sempre respeitada, na-
quelle momento nao poda ser atlendida, por que o
povo, e a msica e os sinos, como que possuidos
de oslranho enthusiasmo, s attendiam intensa
alegra que naquelle momento os dominava.
< O recein-converlido no ardor da sua f, havia
tomado para sua madrinha a Nossa Senhora do
Rosario, cuja festividade se celebrava naquelle dia;
c quiga esla pa inspiragao do neophito dava anda
rnaior realce a alegra do povo.
< Passado largo espago foi-se resiabeleccndo
M. que parece injusto fazer perder mais de meio
milhao a um s autor dramtico, qoando se esti-
mula e sustenta a tantos qae nao merecem este
nome.
Appello, pois, pela primeira vez, e provavelmen-
te pela ultima, para o principe ruja mo tive a hon-
ra de apenar em Arenemberg (Ham), e que tendo-
me encontrado como proselylo dedicado no caminho
do desterro e da priso, nunca me enconlrou no
caminho do imperio.
A. Duina.
Das mais recentes noticias de Shanghai consta
que foi reorganizado o corpo franco-chinez. Esta
medida eleva a 5,000 borneas o seu effectivo, que
se cempoe de Indgenas- instruidos, disciplinados e
armados franceza.
Este corpo comprehende iofantaria, cavallaria>
ama batera de artilheria de campanha, e ora pe-
queo parque de sitio. At agora fra encarrega-
o de operar no Tch-Tiang, provincia visinha de
Kiang-Nang, de Kiang-Sou, e de Foo-Ktaog, e ob-
te ve triumphos decisivos, apoderando-se suecessi-
vamente de Cbae-Shing, de Hang-Tcheon e de Ou-
Tchoo.cidades que offerciam ao inimigo importan-
tes vantagens.
Os revoltosos, expulsos do Teh-Kiang, fbram re-
pellidos at Kiang-Sou e de doze cidades fortes que
oceupavam ha tres annos, apenas boje estao depos-
se de Nankin, sua capital.
Infelizmente organisam-se outras gaerrilhas ao
norte de Hou-P e em alguns outros pontos da
fronteira do Thibet. Outros coros, que professam
a religio mahometana, esto em completo estado
de revolta ao norte Tchili, emquanto qae es Pai-
Lienn-Kiao possuem o sul da mesma provincia.
Nao teem estas guerrilhas a importancia de or-
ganisago dos Taepings; porm tendem a augmen-
Corpo Santo nada deixou a desejar a e"ste respeto. I *"* sio em fra bastante P"3 1earera as
povoagoes por onde passam e onde commetlem as
fado. Por certo que o Sr. Henrique Low, em toda
a sua vida, nao ha de ter outro da de tanta alegra
ede tanto enthusiasmo.
Se, pois, o Exm. Sr. vigario capitular deseja
que estes actos se fagam com a malor pompa e so-
lemnidade, como se desprende de toda a sua corres-
poadenciaofllcial que a elles se refere, pode S. Exc.
ufanar-se de que os seus desejos sao felizmente
cuinpridos, pois o acto da abjuragao e baptismo
que no dia 2 do corrente leve lugar na matriz do
Ao mesmojtempo se reailsar, na dita cidade am
congresso internacional de botnica.
M
Segundo diz a Correspondencia de Espaa de 18,
tinha chegado Madrid, de passagem para Lisboa,
a celebre cantora a Sra. Borghi Mamo.

Em Franga procede-se actualmente, construc-
g3o de um aqueducto que tem 140 kilmetros do
coraprimento para conduzir Paris as aguas de
Dbuya. Parece todava, que os 40,000 meiros c-
bicos do agua, que diariamente condazira capi-
tal este aqueducto, nao serao sufllcieutes para o
abastecmento e consumo.
Vo, pois, consiruir-se em pontos distiuctos da ci-
dade, tres pocos artezianos.

A langa de Carlos Magno que o papa effereceu ao
imperador Napoleo, loi mandadacollocar no mu-
sen dos soberanos, oo Louvre.
Parece que houve a idea de fazer della, uma ex-
posigo especial a favor dos pobres, mas afiaal uo
se levou a effeito este peosamento.

Por participago do, director interino do circulo
das alfandegas do Algarve consta que, oo da 2 do
corrente, oaufragara a 12 milhasao sal do cabo de
S. Vicente, districlo da alfandega de Lagos, por
effeito de agua aberta, a escuna franceza Henri
Alhenas, de 13o toneladas, capito Joo Baplista
Olive, procedente de Almena para Antuerpia, com
carregamento de mineral; tendo-se a mesma escu.
na submergido logo depois de abandonada pela
tripolagao, coraposta de seis homens, incluindo o
filho do dito capito, que todos se apresentaram ao
chefe do posto fiscal de Sagres, dependente da men-
cionada casa fiscal, lendo ali recebido os primeiros
soccorros, e pondo-se logo em marcha para a refe-
rida cidade, com as suas bagagens, que nicamente
salvaram.
O que se faz pablico, em conformidade do n.
1,594 do cdigo commercial, para conhecimento
dos interessados.
E' do Sr. Luiz Vieira Ferreira esta poesa :
VIRGEM BRAXCA.
Maria porque me foges,
Porque me foges, donzella ?
S. Exc. deve estar egualmente satisleito, pois nao
Im vendo memoria de uma s converso feita com
solemnidade neste bispado, agora, no curio espago
do seu governo, j tem havido tres conversdes de
protestantes, vai haver uma no presidio de Fernan-
do, e nos consta que aqui mesmo oo Recife se es-
tao preparando mais dous neophitos para abjura-
ren) a sua seita e receberera o baptismo. Na nos-
sa fraca opinio sao estes outeos tantos fructos do
impulso religioso que S. Exc. Rvma. tem dado aos
negocios da egreja pernambucana, e da sabedona,
energa e brandura com que at hoje tem dirigido
o rebanho que Ihe foi confiado. Um especta-
dor.
DH POICO DE TDO.
Alexandre Dumas, julgando-se ha alguns annos
victima de um ostracismo pessoal, e vendo que. a
censura prohiba a representagao dos Mohicanos,
escreveu a seguinte caria ao imperador, tendo em
resollado o que pretenda :
Senhor.
Em 1830 havia e anda hoje ha, tres homens
frente da litteratura franceza: Vctor Hugo, La-
martine e eu.
Victor Hugo est proscripto e Lamartine est ar-
ruinado.
Eu nao posso ser proscripto como Hugo, porque
nada lia na minha vida, nos meus escriotos, nem
as minhas palavras, que d motivo proscripgo;
mas posso ser arruinado cerno Lamartine, e effec
tivamente aspirase a isso.
Nao sei que malevolencia anima contra mim a
censura.
Escrevi e publiquei 1,200 volumes. Nao me
perteoce aprecia-los debaixo do ponto de vista lit-
erario. Traduziram-se em lodas as linguas e
teem do to longe quanto o vapor os teem podido
levar.
Ainda que seja o menos digno dos tres, esses
volumes leein-ine tornado o mais popular as cinco
partes do mundo; porque um um pensador, ou-
tro um sonhador e eu sou um vulgarisador.
Desses 1,200 volumes, nao ha um nico que nao
possa deixar-se ver ao mais republicano operario
do arrebalue de Santo Antonio, ou joven mais
pdica do bairro de S. Germano.
Pois bem, senhor; aos olhos da censura sou o
homem mais immoral que existe.
ym
FOLHETIM
O MSQ ELET4>
'W POR
CIMILLO CASI ELLO BRAMO.
Conlinuagao.
IX
O assustadigo amor de pae encarecer a doenga
e Beatriz. O perigo de vida fra uma ligeira he-
morrhagia nazal, que nao deu lempo a glorificarem-
se as sciencias medicas de mais um triumpho.
Observou o morgado um ar de resenluuenio as-
M'u no rosto da esposa como no de Marlinho Xa-
vier. cordealidade dos abragos respouderam-lhe
glacialmente, e s perguntas sobre a enfermidade
de Beatriz davara urnas resposlas irnicas e enfas-
tiadas.
Raphael Gargo, no bom intento de conciliar os
nimos, contou que fra quima de Murga procu-
rar o primo, e o eucontrara enfermo, com o med
co a cabeceira ; ajuntou que por pouco o nao ma-
tara com a noticia da perigosa enfermidade da pri-
ma Beatriz.
O mentiroso radiou uma luz nova nos olhos de
Mxrtinho Xavier, e entreabri nos labios de Bea-
triz um sorriso de indulto. Nicolu, assim que o
lango se Ihe agitou, apertou-lhe a mo e disse :
Gragas, meu bom amigo I
Mentir como diabo, diz Voltairerespon-
deu o de FayoesA verdade pode ser a dita dos
predestinados; porm us, mseros peccadores,
carecemos de mentir a torio e a direilo, primo Mes-
quita.
Sem deshonra propria, nem damno alheio, ac-
cresceutou o do Vidago.
Ali I V. Exc. quer moralisar-me ? O lobo
despe a pelle, e enverga asotaina ? Primo Nicolao,
qnem tem uma mulher como Beatriz...
Calle-se, que podem ouvir-nos...
ueixe estar que eu bei de castigar o Ri-
cardo.
Quem Ihe ha de empalmar a Franceza hei de
sor eu. Assim qae me constar que ella est no
Porto, vou l quero inscrever o nome de Marga-
rida Froment n'uma casa em branco, que deixei en-
tre a Aldonza Loarenzo do paodeiro, e uma priraei-
maiores violencias coutra os habitantes.
Le-se no Jornal do Havre :
Fazem-se grandes preparativos para a estago do
outomno em Compigue.
llavera cagada imperial, bailes, espectculos, etc.
Falla-se de duas comedias inditas que serao re-
presentadas par altos personagens e cujo autor
Mr. Merime.
Conta-se com o principe c princeza de Galles, e
lord Clarendon, na mesma poca.
Ser um pequeo congresso era qae a Inglater"
ra dominara, se, como ludo induz a crer lord
Cowley acompanhar o herdeiro do throno.
L-se no Jornal do Commercio, de Lisboa o se-
guinte :
Diz um jornal de Turin, que se descobriu ama
estatua Ue bonze dourado, cujas proporgoes devem
SCI ColloC!l0S,
Esta estatua foi encontrada, a 5 meu a.w.;-*
do solo, no paleo do palacio do principe Rio, na
praca de Biscuri, onde outr'ora era o theatro de
Pompeu, primeire theatro romano construido de
podra.
Eslelheatro podia receber 28,000 pessoaS e Pom-
peu accrescentou-lhe um prtico magnific'. susteo-
tado por iOO columnas do mais bello n armore,
para abrigar o povo das intemperies do teypo.
O palacio levantase no centro do lugar ndeera
o theatro. Foi ha pouco oceupado por um banqnei-
ro chamado Righetti, que o est restaurando e am-
pliando.
Nos trabalhos deexcavagaoaqne se proceden, foi
qae se descobriu um dedo de bronze dourado, que
se julgou, vista do seu tamauho, pertencer a uma
estatua, pelo menos da altura de 3m, 50.
A descoberta deste precioso fragmento fez com j
que se dsse uma airecgo mais regular e scienti-
fica aos trabalhos da excavago, e pouco depois foi
encontrad um admiravel brago de bronze dourado
ligado, ao que parece, a uma figura completa.
Antes de se proseguir as excavagoes, o local
onde se fazem foi convenientemente resguardado!
dos curiosos.

Em 1865 se ha de verificar na cidade de Amster-
dam, uma exposigo internacional de flores, sendo
distribuido um grande numero de medalhas de ou-
ro e prata.
A. G. Das.
Porque despreza a donzella
To cruenta, to vaidosa,
A paixo firme, medrosa,
Que alent no peito mtu?
Nao somos ambos creados
Ao calor do sol ardente,
E a estrella d'alva fulgente
Nao vemos no mesmo cea ?
Se aascea em bergo d'ouro,
Eavolta em fina cambraia,
Eu em erma, fria praia,
Tendo o cu por meu lengol;
Se ella vio a luz do dia
Disfargada em sala escura,
Eu da brisa na frescura,
Vi bem clara a luz do sol.
Se ella leve em roda ao leito
O leve, subtii perfume,
Que o incens posto ao lume
Costuma a exalar; tambem
No meu leito de verduras,
Eu, pobre filho do mato,
Gozei do perfume nato
as flores que a selva icm.
Se ella dormu embalada
Ao grato som do piano,
Eu dorm, se nao me engao,
Esrutando a sabia ;
Ella cresceu entre galas,
No reboligo da Testa,
Eu cread nesta floresta
To feliz qual fra l.
Se cresceu no eorpo esbelto,
Na belleza, na fr scura,
Da tina tez na brancura,
Na graga altiva que tem,
Eu cresa no bro e forra,
Na coragem, na destreza,
E aqui nesta deveza
Nao tenho inveja d'alguem.
Se outras donzellas Ihe invejam
Na face a cor da agucena,
De sua bocea pequea
A rubra cor do guar;
Eu tenho o rosto queimado
Pela luz do sol ardente,
Mas qualquer indio valente
Minha cor invejar.
Tiram cor do cu sereno
Seus olhos azues to bellos,
E seus formosos cabellas
ra trgica do theatro de Amarante. Orgam na mo-
rahdade.
Arrugou-se a fronte de Nicolu de Mesquita. Fe-
zara-lhe o ultrage : que elle vira naquelle mo-
mento Margarida Froraent, encostada ao brago de
seu marido, oito annos autes, reparlindo recursos
e consolagoes pelos operarios da sua fabrica de
1-eo, enfermos, e de mos postas a orarcm pelo
anjo da caridade.
Esbordava-lhe o coragao de lagrimas, quando se
arredou framente do sarcaslico mancebo. Foi in-
tennittencia momentnea.
Martinho Xavier abnu as suas salas, naquella
noute, sociedade claviense. Beatriz dansou com
muito queridos at aos trinta annos, e se presu- te assevero, que antes de emigrar, apenas tinha
mem encouragados e invulneraveis s injurias do galanteado uma tecedeira, a qual tecedeira galan-
tempo e s desgragas, que nao pouparam propria- leava ao mesmo tempo o meu padre eapello, e
mente os densos oly.npicos, e outros mais irapor- vota por fim a casar com o meu laeaio. Eu era
tantes deuses terrestres. isl0> 1uando tu c os outros "ypoentas-disse elle
CheBado o verao daquella anuo de 18it,o mor- somndo-me chamaveii o terror das familias,
gado da Palmeira foi passar a sasao estiva no seu Ps argumenta de mim para Raphael Gargo.
solar, convidando acompanha-lo algumas damas Que sabemos nos positivamente ? O que elle nos
e cavalheiros prenles, sem olvidar-se de Raphael conta, com a faluidade propria de sua edade
Gargo, por quem cobrara grande estima. Se al-
As
atoardas que correm, quem as verifica Os mari-
dos infelizes f Que delles?
Callam-se, responda Martinho Xavier.
Isso nao as nossas montanhas, primo. Os
maridos ultrajados, quando se callam, fazem fallar
a bocea das davinas.
A discripgao do pae de Beatriz rematava aqui o
dialogo. Nicolu permaneca alguns minutos pen-
sativo, e ia d'um relango insuspeito devassar o
coragao de sua mulher, e espiar os olhos do hospe-
de. Eucontrava-os sempre distrados um do ou-
tro, ou conversando as mais innocentes praticas,
na presenga de Marlinho.
N"um d'aquelles dias, ergueram-so alegres vozes
sbitamente na casa de Palmeira. Foi por que,
guma hora Ihe sombreou o espirito a lembranga
ingrata de que fra Raphael o despertador do cora-
gao de sua mulher, acudiam-lhe memoria as pa-
lavras ouvidas no hotel da Foz com referencia ao
seu marido, como ha vinte annos se faria na pro- puro e respeitoso amor que llie sagrara. As sus-
vmcia sem medo da irriso. Raphael dislinguiuse peitas fugiam logo envergonhadas, e a confianga
no solo inglez, e aprimemu-se n'uma gavota com restabelecia-se, cimentada as virtudes de Bea-
sua prima. A gentil senhora respirava a peito triz, e as mil diversas amorosas do morgado de
cheio o ar tepido e balsmico das salas. O setim da Fayoes.
cutis reslingiu-se-lhe. O marido parecia-lhe outro i Por outro prisma va as cousas Martinho Xavier,
homem e as flores das jarras figuravam-se-lhe as sen embargo do conceito que forraava da filha.
pnmeiras da sua nova primavera. Uava ares de Raphael que para elle signifleava o sopremo pa-
creanga ; e o marido consolava-se de v-la assim. tife das duas provincias do norte, jateo, a mea ver,
Seguiram-se outros bailes, e Nicolu de boa von- moderado, ltenlos os adulterios, sedueges e bar-
tade em .todos. Balbuciou Beatriz o desejo de resi- ganterias feraeas, que corriam por sua conta. As-; lindo o almoco, Nicolu de Mesquita, tartamudean-
do em Chaves. Em poucos dias, se passaram as sim, pois, era surgir, como por encanto, Martinho do de commovido, annunciou que sua esposa sen-
preciosas decoragoes do palacio ia Palmeira para Xavier beira da filha, logo que Raphael Gargo na os primeiros Indicios da maternidade. Foram
outro de Chaves. Marlinho Xavier estava em per- se avisinhava della sem testemunhas de acrisolada as senhoras deija-la nos bragos do pae, e os cava-
manentes aeges de gragas ao Senhor dos Milagros I probidade. Esle resguardo nao o revelava elle ao Iheiros brindaram clamorosamente o vigsimo
Via a filha feliz, e o genro transfigurado. genro; porm, visando ao scpo com a pontana
No viver intimo, a mudanga da ndole de Bea- n'outro alvo, desfazia as qualidades do sobrinho,
triz fra menos sensivel do que devera presumir- e centava os adulterios com taes visagens, que um
se. Aquelle temperamento, fra da qnentura dos marido cioso, na posigo de Nicolu, teria desde
saldes, esfriava. Recebia os affagos do marido, co- logo horror do seu proprio infortunio, enforcaria a
rao se elle meramente fosse o to Nicolu. Ella mulher.
mesraa nao sabia dar-se conta da atona da sua al- o morgado ouvia as tenebrosas historias, e di-
ma. Pareca Ihe que o tinha amado um anno an- zja :
tes, sem dar tent d'uns cabellos brancos, que Ihe Ha de ser a quarU parte do que diz o mun-
listravam o bigode, nem de calvice insipiente que do, primo Martinho. Nao sejamos vulgo. Eu,
afeiava um tanto a cabega. Calculava, computava antes de emigrar, gose fama de ter um harem na
os annos, e chegava exactissima dedurco d'uma minha quinta da Ribeira d'Ouro, e de ter obngado
cousa que a mortiflcava : e era qae o marido havia cinco paes de familia a inclausurarem as Olhas, e
de ser a causa funesta de niguas maridos aferro-
Iharem as esposas infidas na casa do Ferro (*).
Poi*, meu amigo, sob miuha palavra de cavalheiro
de ter cincoenta e doos annos quando ella tivesse
trinia. Nicolao era intuitivamente advertido destas
secretas medilages. Revelava-Ih'as a recio escla-
recida ; mas, assim mesmo, confiava bastante de si
para deixar-seavas .(*) O Perro era por aquellos lempos, no Porto,
um recolhimenlo, ou carcere. paradoiro das adul-
a sua mulher Erro palmar dos homens, que foram leras,
Imitara a flor do caja;
Eu, porm, nos meus cabellos
Vou bascar a noute escura,
E de meus olhos procura
A papilla o manija.
Como as della aqui na matta
Encontr feiges mimosas,
Pois donzellas to formosas
As maltas as tem tanbem;
Mas nao sei... a branca virgen)
Tem um qu na formosura,
Que das maltas na espessura
Outras donzellas nao tem I
Tem na voz tanta magia
A branca, loura donzella,
Que nao sei o que faz ella
Para dar-lhe tanto amor I
Minha irma canta com graga,
Com temo dom mavioso,
Mas o seu canto mimoso
Nao tem o mesmo langor I
Procurei por toda a taba
A donzella mais formosa,
Escutei-lhe a voz saudosa
Em uma eodeixa de amor,
Em uma queixa singella,
Como o doce murmurio.
Que as gramas faz o rio
Deslisaodo eotre o verdor.
Senti minha alma enlevar-se
Na sonora meloda,
Da queixa que me fazia
A india do seu amor ;
Mas ouvindo a branca virgem
Era maior meu enleio,
Como se a virge'em meu seio
Derramasse o seu langor.
Era um dia : o sol dourava
As verdes folhas do prado,
E das aves o trinado
Saudava a doce manha ;
Eu vira a ter na campia
Sahiodo da matta escura,
E perdeu-me a formosura
Da linda virgem christa.
Tinha o rosto prasentelro
Como sei tambem raostrar-me
s tapuyas, que de araar-rae
Trazem tanto garbo em si ;
Mas a virgem desdenhosa.
Dando um grito feiticeiro,
Como um veado ligeiro
Fugiu-me, mal eu vi.
E eusoberbo gwrreiro,
Que faz tremer o lymbira
Depois que a virgem rugir,
Nunca mais tive prazer !
Na taba nada me agrada,
S desejo ver a virgem
E n'uma louca vertigem
Quizera a seus ps morree
Mas a donzella despresa
To cruenta, lo vaidosa,
A paixo firme, medrosa,
Que alent no peito meu 1
Ella despresa o gaerreiro
Que nasceu na fria praia.
Perqu nao te ve era cambraia
Um bergo tal como o seu.
L-se na Pa^ao o que segu :
Diz um jornal que de Londres Ihe referem que
um estrangeiro de distincto talento acaba de des-
cubrir o modo de acoderar o movimento dos na-
vios a vapor em termos de dupliear e triplicar a
veiocidade da sua marena.
Parece que tedo o machinismo consiste n'um ap-
pareiho que se applica machina actual sem ne-
cessidade de fazer nella allerago nolavcl.
No theatro da cidade de Magdebourg (Prussia)
deu-se no 1 do correte uma grande catantrophe,
durante a representagao de uma pega intitulada
Roberto e Bertram.
A acgo do Io acto da pega passa-se n'um torreo
elevado na altura de um terceiro andar cima do
palco.
Em consequencia de um desarranjo, cuja causa
anda se ignora, desconjnntaramse alguns barro-
tes, e n'um momento toda a decorago scenica
desabou sobre a orchestra, arrastando na sua que-
da dous actores.
Independeniemente destes desgragados, que Pica-
ran) logo morios, foram gravemente feridas muitas
pessoas. Uma seohora teve um brago lateralmente
arrancado do corpo, e um dos espectadores o hom
bro completamente esmigalhado.
Um dos muscos deveu a sua salvaco ao acaso.
se, agachou-se debaixo da sua estante, sobre a i
poz o sea ophicleide. O instrumento foi esma
porm o msico nao soflrea nada.
O director do theatro foi obngado a pagar aos
feridos e s suas familias uma indenwisaco do
10,000 florins.
Ao enterro dos dous artistas assistia ama eon-
sideravel concarrem ia. Esle aconteriiaenio pro-
duzia na cidade a mais dolosa impresso.
Orgaaisou-se uma subscripgo em favor das vic-
timas.

Na cidade allema de Wurtzburgo celbrenle
um congresso catholico, a imitago do de Matines,
concorrendoa elle raudos catholicosallemaes ees-
traogeiros.
No da 11 teve lugar a primeira sessao, inaugu-
rando-a .Mr. bonze, deo da caibedral, cora un
discurso sobre a iudefeclibilidade da egreja e du-
rago das suas obras.
Coustituindo se a mesa por acclamago, foi no-
meado presidente houorario o secrelano que foi no
congresso de Matines, Mr. Ducpetiaux, qoe toman-
do posse do seu lugar, dirigiu algumas palavras
assembla, donado que os Belgas e os Allemes sao
de uma mesma raga.
Era seguida o presidente elleclivo, baro de Moy
de Sous (francez), propoz que se dirigisse um lele-
gramma ao cardeal Antonelh, rogando-lbe que le-
vasse ao coohe iraeoto dj Santo Padre o tira da
reunio, sgnificando-lhe a adneso e sympalhias
Jos catholicos allemes.
Sendo adoptada por unanim laJe esla proposta,
levantou-se a sessoo.
Esperava-se que no dia 12 seria muito mau nu-
merosa a reuma i.
Anuir se nao conbece o fim deste congresso ea-
Iholico, porm jutga-se qae ser idenco ao do con-
gresso de Malines.

Recebeu-se em Odessa uma circular do ministro
dos negocios estransgeiros do Egypto dirigida a
todos os cnsules estrangeiros para os informar de
que a altima innundago do Nillo destrata toda a
esperanga que havia na prxima rilfcclli do
milho.
O povo lera, pois, de esgotar a sua reserva de
trigo, e, como a colheita deste anno se aprsenla
com apparencias desfavoraveis, a exportacao do
trigo prohibida at nova ordem.

O jornal A Italia d noticia de uma importaate
descoberta que foi subraettida prefeitura de Ca-
neo.
E" um novo cauterio proprio para anniqnillar
immediatamente os effeitos dos virus raivom e
preservar a pessoa mordida por um cao daaaaada
por todas as coosequencias funestas a que eslava
exposta.
Este novo cauterio, penetrando em alguos se-
gundos em todas as anfractuosidades da moresa-
ra, destre todo o elemento de infecgo, e o ho-
mem menos instruido, e ata ama criaoca, o patea
empregar ; lo fcil a sua applicaco.
Um industrial de Londres eoocebeu o plano de
ama especulago singularmente extraordinaria.
Observou que nem to Jas as pessoas donato i do
peito podem ir para os climas qnenies, coa a
Madeira, Alger, aples, e Egypio, procurar o
reslabelecimento da sua sade, e imagiaoa esco-
Iner em Inglaterra um terreno abrigado e suaVi-
enteraente espagoso para cooter botis, asee, al-
deias, parques, jardins, igrejas, e envolva lodo
com uma grade envidragada, para que por mera do
systema dos calorferos, establecer ama primave-
ra eterna naquelle paiz de sade de estufa t
nanas se levantan
.\o momento em que a armago comegou a abalar- estado d ealholicismo em Inglaterra.
quinto seohor de Palmeira. Ao terceiro dia, ao
stimo, e ao dcimo quinto, depois da nova, cele-
braran) o jubilo com tres bailes, o tres jantares, e
tres ceias. Concorreram os poetas de Villa Real,
de Ciiaws, de toda a Ierra em que Deus plantara
um poeta, com a capacidade de fazer um soneto.
Beatriz era infantilmente amimada por seu ma-
rido, que chorava alvorogado pela deliciosa expec-
tago da paternidade I Audava elle a inventar-lhe
inceminoJos, para ler o goso de a desvelar cora
branduras e melindres, que excediam a seriedade
de um mando. Receava que a chilreada dos pas-
saros ihe lurvasso o sorano matutino, e maudava
noute e>pancar a passariuhada das copas dos cho-
ros. Cui.iou que o aroma das llores damuilicasse
geragSo, e mandou cavar os algreles e tabotei-
ros sobpostos as janellas do seu quarto. Compu-
tara cora eslas, outras creudices nao menos irri-
sorias.
Assim que ai ebuvas de outubro ameagaram
cuidou-se na mudanga para Chaves.
Marlinho Xavier contrastava a alegra de todos.
Denhava-se a olhos visto, e responda com eslra-
nho aspecto aos cuidados de Bealriz, e cora rauco-
roso gesto as delicadas atlengos de Raphael.
Fora o caso que elle, n'uma ante-manha, ouvi-
ra abrir subtilmente uma porta envidragada do
quarto de Raphael, e o vira passar ao jardim, e
sunnr-se entre uns macigos de murta, e voltar,
instantes depois, a fechar-sc no quarto. Isto preoc-
cupou-o em dolorosas conjecturas.
Assim que fui da claro, desceu Martinho Xavier
ao jardim, fez urnas voltas na visinhanga dos ma-
cigos, e embo.scou-so nelle, sem ser visto. Exa-
mmou os recamos, esquadrinhando algum vesti-
glo. Dous vasos de porcelana ladeavam a entrada
de urna gruta, cornada de maracujs e baunilhas.
Medtou, e desistiu de atinar com o intento de Ra-
phael. Sahiu, reflectiu aiuia, e relrocedeu. Le-
vanlou um dos vasos, e vio que a trra secca, re-
bordando-lne o fundo, ladieava que nao fra buli-
do. Examinou o outio, e descobriu claros indi-
cios de le sido deslocado; e, na Ierra era que el-
le assentava, o signal de ter ali estado um corpo
mais liso, pois que o restante da trra estava cres-
po das salieucias do vaso. Infera que estava ali
uma caria. Assun se explica a macerago do ros-
to do ndalgo, e a severidade com que trata a filha,
e repulso odenla com que afasia de si o sobrinho.
Quiuze dias se erguera de noute, esperando a al-
vorada, e uialogrando-selhe as vigilias.
Ao aaoulecer, porm, da vespera da mudanga
para Chaves, vlu elle sahir a filha apressada de
entre os macigos, e responder ao mando, que mava da uma janella. Ao mesmo tempo, desco-
briu a distancia, mal embrcohado n'um bosquete
de amoroiras, o morgado de Fayoes, olhando na
direego das murteras. Correu Marlinho Xavier,
encoberto pela ramagem a erguer o vaso suspeito.
Novas cprejas catholicas r/na
por toda a parte em Londres.
Uma egreja dedicada a Santa Maria dos Amos
foi construida em Cresrent Road Wonbing e ser
solemnemente aberta quinta fera prxima peto Dr.
Grant, hispo de Southwark.
A nova egreja de Nossa Senhora e de todos os
Sanios em Stourbridge ha de abrirse quarto feira
14 de setembro. llavera ali orna grande etissa
de pontifical e um sermo pregado pe Dr.
Amherst, bispo de Northampthon. a larde haver
bengo com um sermo do Dr. I'llalhorne, de Bir-
ininghani.
No mesmo dia a nova egreja raiholica de Marine
Town Sheerncss ser solemnemente iiumgwaa
pelo Dr. Iran, bispo de Soulhwark, e nesta occa-
siao havera um sermo do Dr. Manning, vigario de
Westminster.
O bispo catholico de Liverpool collocoa, no dia
29 de agosto, a primeira pedra de urna nova egre-
ja catholica perlo de l'restens, pronunciando per
esta occasiao um raui nolavcl discurso acerca de
instante suspenso, deixou-o baixar ; mas, ao tem-
po que o pousava, senta urna pressao de ferro aas
vertebras cervicaes, e bateu em cbeio rom o rosto
no gradeamento do caramanchel. Recoohecvu a
ino que o soperava, quando ouviu a paUvra:
Infame I
Meu lio! murmurou elle -por quem '....
A tua morte, villo -bradou suflucadu o pae
de Beatriza la morte, vilissirao lacaw, sena
um escaadalo, quando nao havia de arrancarle a
collada. Ouve-ine bem, canaiha! se esta nvol
nao le dcspedircs com qualquer pretexto, e o sel
de manha le vir nesta casa, maldito eu seja, se
le uo matar. Inteodeste-me bem, biltre?
Cumprirei a sua vonladeresponden U-
phaet.
A'raanha minha filha e mea genro vi pera
Chavestornou Marlinho Xavier. Se
quizer ser azorragado debaixo dos olhos
los meus criados, nao passe mais debaixo da*'.
janellas. Marlinho Xavier compre o qoe promvlle.
Saliiu o pae de Bealriz, e cncerroo-se ao sea
ijuarlo. Abriu a carta, leu-a, e desalogou-se n'aau
profuu l.i expirago de conlentamenlo.
Dizia assim a ca>ta :
s Mea pae desconfa. A tristesa delle nao pode
ser motivada por nutra cousa. O ar carrancudo
com que me falla mais uma prova. Reparo qoe
tamhem te encara com mus r.iho-. Sejamos eai-
dadosos, meu primo. Eu amo-te muito mas aie
to posso sacrificar mais do qae as miabas lafri
mas. Deus me livre que o lio N. susprile qoe ea
te amo. Se tu vez que ser mil conviven meaos
em minha casa, poupa-me a algum grande dbna*
br. Tem sempre comligo a ceriesa de qoe ea fes
quero muito, e que, se por emquanto nao posso
ser para (i mais que irma, pode ser qoe am dia
seja o mais que posso ser, e o que Deus nao qaix
que lo-crnos.. ./un esposa '. Quem sabe, awa
RI... Ha arotecMUi-ntus lo inesperados!.. .1
Eucontrou uma carta. O papel cahiu Ihe das mos ra-te que teuho dezoilo
convulsas. Quiz sahir; mas o tremor das pernas a',eus- ''ue ol1? "au ,nel4e,M
forgou-o a sentar-se no banco dec-rilga, que ador- Vou vr a,u|da 'var
* C- rq.iMVt.1
nava o interior do caramanchel. Cerrara-se a
noute. Ouviu fremir a folhagem porto. Era Ra-
phael Gargo, que saitava por entre uns buchos
defesos observago da casa. Ai-ercou-se o mogo
Era rasoavel
vier.
annos, e elle...i
uva hora;
carta.
0 couteuiamento da Marttaao Xa-
(C lestameme do vaso, levaritou-o, palpoa, esleve uiu PERNAMBUCO. -TYP. DE M. F. DB P. FILHO

.-
r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESCPNHIQO_RHG5OA INGEST_TIME 2013-08-27T21:34:11Z PACKAGE AA00011611_10497
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES