Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10491


This item is only available as the following downloads:


Full Text
s
m 11. JOMERO 235.
Por tres ezes adiaitUdos 5&O00
Por Ircs mezes vencidos 6JU00
Porte ao correio por tres mezes. 3750
V
ODtTA FEIR 13 DE ODTDBBO DE 1S64.
Por aiio aiaaUdo. .... 19SMOG
Porte ao cosreio por nn anuo 3$00u
s*a*-
INCARMtGADOS iA jUBjU-CaO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Ale*andrino de Lima?
Natal, Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8r.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivaira, Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
NCARRKGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
rr. Jos Hartins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-1
riera Martins & Gasparino.
xaRmjA ijOh oIaSaS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Igoarassn', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruarn',
Altinoo e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serinbaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros. Agua Preta a Piuenteiras as quintas feiras.
Una de Fernando todas as vezes que para aii sabir
navio.
| Todos os estafetas partom ao >/i da.
., EPHEMERIDES DO MEZ LE OUTUBRO.
8 Quarto cresc. a 1 h., 17 m. e 30 s. da t.
15 La cheia as 4 h., 55 m. e 38 s. da m.
22 Quarto ming. as 8 n., 59 m. e 48 s. da m.
30 La nova a 1 h., 8 m. e 26 s. da t.
PREAMAR DI BOJS.
Primeira as 1 horas 18 minutos da tarde.
Segunda as 1 horas 42 minutos da manhaa.
. -Ri'DJlijOi V.T..OR..- i.OS-hJ'.O
Par* o stu t Alajioas a C e 2f; p*r$ o orte at
a Granja 7 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos metes dejan, marg., maio, jui, set. enov.
PARTIDA DOS OMNlBUS.
Para o Reeifc: do Apipucos s 6 >/, 7 7 Vi 8 e
8 Vi da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6/ danu; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 Vi, 4, lU,V*,
5, 5 Vj 6 Vi e 0 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 A da tarde; para Jaboatao as 4 da tar
de; para Cae:
Bemfica s 4
AUDIENCIA DO* TR'BUNASS DA GaPIAL.
Tribuna! doeommercio: serondas quintas.
Re,acao: tercas e sabiados s 1G horas.
Pazenda: quintas s 10 horas.
Juiao do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civei: tarcas sextas ao meio
ia>
MAS DA KM ANA.
10. Segunda. S. Francisco de Borja.
11. Terga. S. Nicario b. m.; S. S.nialra.
12. Quarta. Ss. Cyjiriauo e Walfrido hto. mm.
13. Quima. S. Eduardo rei de Inglaterra,
|14. Sexta. S. Caliitu p. m.; S (iaudencio b. m.
lo. Sabbado. S. Tnereza de Jesos t. c.
16. Domingo. Ss Martiniano e Elvsio irs. aa.
AS81GNA-SB
no Recife,
. .leciie, em a lirraria da erica da '<>"-
a e Varzea s 4 Vid*urde, para1Seunda vara do C17el: Mrtas -atados a 1 hora ns. 6 e 8, dos procrieurios Manoel Fun eETE
^J ib tarde Faria i Filno.
PERNAMRUCO.
PARTE QFFICIAL
GOYERM DA PROYOCIA.
Expediente do da 10 de oulubro de 1864.
Oflleio ao desembargador provedor da cora.
Queira V. S. intenior o seu parecer sobre as pos-
turas, juntas ao offlcio incluso de 27 lo mez lindo,
da cmara municipal da villa de Tacirato.
Dito ao Sr. Francisco Xavier da Costa Aguir An-
drade.-Remello V. S. para os fins convenientes,
o olfleio em original que em data de 8 do corrente
me dirigi e commissao encarregada do ajuste das
contas da estrada do ferro desta provincia, e bem
assnn o balanco da reedita e despeza la mesma es-
trada, do nicz de setembro prximo (iodo compe-
tentemente examinada e liquidada.
Dito ao director das obras militares.Em solu- 5!lt0s de accordo com a actual direccao do Club, e
cao ao su offlcio do 1 do corrente, sob o. 159, te- i do maneira que todas as divisoes da casa quera
nho a'iiizer-lhe que no contrato que V. S. houver Propriadas aos nos recreativos da sociedade, e
de celebrar com a Companhia do Beberibe, para o corn todas as commoiidades de gosto c ventilagao.
REVISTA D1AJUA.
Tivemos occasio de observar a reforma e os
reparos feitos no edificio incendiado na ra do Tra-
piche, onda funecionou o Club Commercial, e pa-
ra onde teaciona transportar-se esla sociedade, lo-
go que se arhnn completamente concluidas as di-
tas obras, concluso esta que se au far demorar,
visto que os trabalhos proseguem com toda a pres-
teza, afirn de que, no dia 22 do prximo mez de
novembro, possa o mesmo Club Commercial cele-
brar condignamente o s-u terceiro anniversario
de installacao, commemorativo tambem do desem-
barque nesta cidaae de Suas Magestades Impe-
riaes.
Os reparos e concerlos no dito edificio tem sido
abastecimenlo d'agua potavel fortaleza do Brura,
deve ser calculado em 50 o numero de baldes pre-
cisos para o consumo diarlo da referida fortaleza,
segundo propoe o coronel commaadante das ar-
mas em offlcio de 8 desle mez, sob n. 1,755.Com-
municouse a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Recommendo V. S, que man-
A sociedade alugou mais a sala de traz, do pre-
dio contiguo, afim do alli mandar collocar os buha-
res que ella mandou vir da Europa, e que devem
chegar brevemente. Esta sala esta quasi conclui-
da e muito espacosa e elefante.
A sociedade do Club Commercial, que passou
por urna terriuel transigo, quando as chammas
de fazer com urgencia, no hospital militar, o con- devoraran ha perto de doas annos. o edificio em
certo de que necessitauma pequea escada que d
subida para as enfermaras, como solicitou o coro-
nel commandaote das armas em offlcio de 8 do
corrente, sb o. 1,762.Fizeram-se as necessarias
comm inicacoes.
Dito ao chefe interino da repartijao das obras
publicas.Com o seu offlcio de 7 do correte, sob
n. 276, recebi, e dei sciencia thesourana provin-
cial, urna copia do contrato que Vmc. celebrou
com Jos Augusto de Araujo, para execucao dos
reparos urgentes de que precisa a cadeia da villa
de Serinhera. O que Ihe declaro em resposta ao
citado offlcio. Transmittio-se por copia thesou-
raria provincial o termo do preJito contrato.
Dito ao conselho de compras navaes. Promova
o conselho de compras navaes, a acquisicao dos
ariigos do material da armada constante do seu
offioi de 7 do torrente, visto que sao elles preci-
sos para suppriraento do alraoxarifado de ma-
rrana.
Dito ao mesmo. -Approvo os contratos que, se-
gundo o termo junto por copia ao seu offlcio de
8 do corrente, celebrou o conselho de compras
naos com diversas pessoas. para o fornecimento de
vanos objertos de material da armada, de que tra-
ta o citado offlcio. Comrauuicou-sc thesouraria
de fazenda.
Dito ao empreileiro da estrada do norte, Dr. Jos
Mamede Alves Ferreira.Respoadendo aos seus
cilicios de 22 de agosto e 7 do corrente, teuho a
dizer, que em vista da informacao ministrada pelo
chefrt interino da reparticao das obras publicas, no
dia 7, e sob n. 27i, pode Vmc. fazer na obra da
ponte ile Tracunhaem a alteracao, indicada no 1
de seus citados oflkio?, assentando as travs de
ferro da predita ponte sobre * loniitudinaes, e nao por bat\o, o suspensas poi
meio de grampos como se acha projectado no de-
senlio j approvado.Commuoicou-se ao predito
chefe.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
ao que requereu Francisco de Paula Tiburcio Fer
reir, resolve conceder-lhe prrmissao para ir ao
presidio de Fernando no hiate nacional Seryipano,
levando comsigo os gneros constantes da relacfw
inclusa assignada pelo secretario do governo, nao
podendo desembarcar os ditos gneros sem que
por parte do commandanle do mesmo presidio se
proceda a exame, afim de se verificar se agur-
denle ou oulra qualquer bebida alcoolca.
Despachos dn dia 10 de oulubro de 1S61.
Requermentos.
Antonio Martins de Seabra Lemos.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Joaquim Jos Coimbra de Andrade Jnior.In-
forme o Sr. c.oiiimaodaute superior da guarda na-
cional do Cabo.
Jos Domingues da Gisia.Exponlia o que pre-
tend por meio de petico.
Joo Deodato Bowman.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Leoncio Bezerra Cavalcanti de Albnquerque.
Exponha o que pretende por meio de petic.o.
Manoel Jos de Campos Barbosa. Informe o Sr.
director geral da iustruccao publica.
Rosalina Caroliua de Alexandna.Pode seguir.
que funecionava, agora, com a mudanca que pro-
jecta e que reahsar, da casa em que se acha pa-
ra a que se est preparando, deve sentir um gran-
de impulso de incremento e progresso, o que nos
smcerameote desojamos, visto que a nossa popula-
gao muito precisa de pontos de reuniao e recreio
e pode comportar mais associacoes idnticas alm
das que temos.
O lesenvolvimento das relacoes sociaes, a inti-
midade entre as familias, e a manifestarlo mutua
das ideas entre os homens congrganos em associa- j0j0 Ferreira deCarvahocom Olympia Carolina
Amelia, branca, de idade 8 mezes, lillia
dos pais supra.
Jos, branco, nascido em 30 de oulubro do anno
passado, lilho legitimo de Francisco de Mello Bra-
ga e Isabel Mana da Conceico.
Antont branco, nascido em 28 deste anno, filho le-
gitimo-de Joao Francisco da Costa Fialho eFran-
celina Damasia do Reg Fialho
Anna, branca, do idade 2 mezes, filha legitima do
capilao Pedro Affnfo Ferreira e Virginia Zenan-
des Ferreira.
Luiz, branco, nascido em 3 de setembro desle an-
no, filho legitimo de Antonio Luiz do Amaral e
Luiza Erraioa do Couto Silva.
Manoel, crioulo, de idade de 3 mezes, filho natural
de Catharina, escrava.
Esmeralda, branca, nascida em 5 de junho do an-
no passado, filho legitima de Silvio Antonio Pin-
to e Carolina Rosa Pinto.
Arthur, branco, nascido 22 de agosto do anno
passido, filho legitimo de Joo Rodolpho Vellozo
do Azevedo e Joaquina Vellozo do Azevedo.
Ignez, branca, nascida em 11 de marco deste anno,
filha legitima de Antonio de Queiroz Ferreira e
Joanna Maria da Conceico Ferreira.
Joo, branco, de idade, 3 mezes, filho legitimo de
Jenomo Augusto Theotooio Peixoto e Guilhermi-
na de Miranda Henriques Peixoto.
Idelfonso, branco, nascido em 6 de agosto deste an-
no, filho legitimo de Joo Bernardo da Silva Re-
g e Eugenia Marcionilla do Reg Monteiro.
Cesario, preto, de idade 6 mezes, filho natural de
Emilia Mara do Espirito Sanio.
Mara, parda, de idade 7 mezes, filha natural de
Maria da Conceic.
Casamentes :
Rufino Antonio de Mello com Mara Agostinha Leo-
nel, brancos.
Joaquim da Silva Reg com Francisca Senhorinha
da Costa Pinto, brancos.
Joo Godofredo Pinto com Candida Augusta de
Men lonc i Pinto, brancos.

,' r
, e wns dlzer que tenho pralira-
eduzido escravido pessoas li-
nea me tivesseis processado por
dOVERXO l>0 III*Prl0 DE
PERXA.1IBICO.
SEUE VA'ASTfi
ED1TAL.
O Dr. Joaquim Francisco de Fana, conego honora-
rio da capella imperial, lente jubilado de theolo-
gia, den da santa igreja cathedral de Ulinda, e
vigario capitular da diocese de Pernambuco, se-
de vacante, etc.
Por especial mandado de Sna Magestade Impe-
rial, communica-lo pelo imperial aviso de 14 de
marco de 1829, expedido pela secretaria de estado
ces Ilustradas e diversas, sao o ibais poderoso in-
centivo para a civilisacao dos povos, tornando as*
sim mais dcil e mais intima a sociabihdade en-
tre si.
Com as excavacoes feitas as nossas ras pa-
ra o assentamento dos canos de esgoto, tem havido
alguma improvidencia em deixar abertos de noile
grandes fossos, que podem causar serias desgranas
aos transentes, o que se poderia evitar mandando
collocar paos airavessados que erabaracassem a
passagem por esses lugares.
Aproximase a safra doassucar nesta provin-
cia, e em breve comegar a entrada deste genero
em nossa praca. Bora ser que o Sr. fiscal do Re-
cife lomenesde j as necessarias providencias, pa-
ra evitar que os negros, qne conduzem cabeca
os saceos com assucar, nao transiten pelos pas-
seios, como coslumam faz-lo, com grave encom-
modo para as pessoas que gyram as ras daquel-
le bairro, o mais frequentado e de mais movimento
commercial.
No engenho Limao, do Sr. Joao Baptista Paes
Brrelo, foi decapitada a preta Rosa por seu mari-
do Ricardo, ambos escravos, em consequencia de
ciumes do mesmo marido, o qual atirou-se ao rio
Senohiem, quando era perseguido, e af-gou-se.
Na sesso do tribunal do jury de Villa-Bella,
que durou de 8 & 10 de juuho ultimo, foram julga-
dos 3 processos com 5 reos, sendo 4 de homicidios
e 1 de estupro. Foram condemnados 1 agoites,
1 morte, 2 gales e 1 prisao simples.
Hoje ha sessao do Instituto Archeologico e
Geographico Pernambucano.
8abbado 13 do corrente leve lugar a festa de
Santa Tnereza de Jess na igreja da ordem 3a do
Carato, sendo os oradores da festa o Rvd. Dr. Arau-
jo, e do Tc-Dcum o Rvd. Fr. Espirito Santo. Das
primeiras vesperas at o por d sol do dito dia,
os liis acharo a igreja aberta respectiva visita,
afim de ganhar a indulgencia plenaria, concedida
pelo papa Pi VI por breve de 12 de junho de
1787, devendo para isso confessar-se e commun-
gar.
llontem das 11 horas para o meio dia pas-
sou, na altura desle porto, obra de ninas cinco le-
gua-, dous vapores belice que navegavam do sul
para o norte,
Por intervengao da subdelegara da Capunga
effectuou-se no dia 10 do correte mez, na reja
de S. Jos do Manguinlio, o casamento de Mathens
Vctor Mages Lima cem Theodora Amalia de Al-
meida Leite, olTendida por Lima, cujo consorcio
realisou-se pelos meios brandos c da persuazao
que euipregra a mesma subdelegara, e porque
tambem a isto se reuni a bemfeitora mao do Exm.
Sr. reverendo vigario capitular desta diocese, des-
tratado o nico embarago que havia da falla de
certdSes das idades, que para semelhante fim na-
da mais foi necessario seno um offlcio da subde-
legada, cuja resposta resultou o despacho favora-
vel em urna pelico assignada por Lima e Theo-
dora.
Lisia dos baplisados e casamentos havidos na
freguezia da Boa-Vista, no mez de setembro de
1864.
Sergio, pardo, de idade 16 mezes, filho natural de
Alexandnna Maria do Espirito Santo.
Cordolina, parda, nascidj em abril do anno passa-
do, filha nalural de Ludovina, escrava.
Augusto, branco, nascido em 3 de agosto deste an-
no, filho legitima de Argemiro Eugenio Peixoto
de Albuquerque e Antonia Augusta de Albuquer-
que.
Ermillo, branco, de idade 7 mezes, filho legitimo
de Numeriansda Motta Silveira e Cordolina Ma-
ra Augusta de Oliveira.
de Mendonga Pinto, brancos..
Manoel Joaquim de Jess com Lourenga Francisca
de Mello, pardos.
Bellarmino Augusto de Freitas Bahiense com Maria
Angela da Annunciago, pardos.
Cantillo Rodrigues com Rufina Antunes Ferreira da
Silva, brancos.
Candido Jos de Oliveira com Francolina Rodri-
gues Mariz.
Repartiqao da polica.
(Extracto das partes do dia 12 de outubro
de 1864.
Foram recolhidos casa de detengao no da 11
do corrente :
A' ordem do subdelegado do Recife, o Portuguez
Jos Dias Lesin, por insultos.
A' ordem do de S. Jos, Pedro Romao, Joao Ce-
sario da Silva Pinto, Ceciliano Francisco Mathias,
para averiguagdes policiaes ; Pedro da Costa, para
averiguagoes em crime inafiangavel.
A' ordem do daGapunga, A tal iba Cesar do Es-
pirito Santo, para correceo.
O chefe da 2* secgao,
J. G. de Mesqmta.
Movimento da casa de detengao do da 11 de
oulubro de 1864.
Exisliam...... 337 presos. 6 14 >
Existem....... A saber : Nacionaes..... Muflieres...... 349 289 4 .
Estrangeiros... E^trangeira ... Escravos...... Escravas...... 14 > 1 38 3
349
Alimentados a custa dos cofres provincaes 143
Grande, vinda Assu' :
Domingos Heoriques deOlivera, Vicente Ferrei-
ra da Cosa Jnior, Manoel Ferreira Porlo e Jos
Mariiniano do Rosario Padilha.
OOMMUNICADOS.
de S. Jos de P,ranhas, a de S. Miguel da Babia ^SSS^S^W^S^ '
da Traiga,, a de os ^J Sjj?? m^f!STS de'jSSfdeste anno, fl-
villa do Conde na provincia da Parahvba, a de Venceslao Garca Chaves e Anna
Nossa Senhora da Conccigao de Macao, a de S. Joao. A ....
Baptista do Wr.*""*^^* Mri$E%^T* agos.o do anno
Serr. Negra, na provincia do Rio Grande do Mor-, fi|h |.-i,m. a,. nr Luiz liodriirues
te, a de Piassabugu, a de No Traip, a de Santa Anna de Yp.nema, na provin- LJKU.Aded* J m^-, e meio V ha
ca de Alagas, a de Nossa S.mhora da Penha do s
Burity e de Santa Anna da fot inga, dos Alegres na
provincia de Minas-Geraes, e S. Joo de Porto Ale-
gre do Rio Grande do Norte.
Todo o Rvd. sacerdote ou clrigo, que queira fa-
zer opposigo s igrejas cima referidas, apresentc-
Maria, parda, de idade 2 mezes e meio, filha legi-
tima de Manoel dos Santos Mello e Delfina Maria
de And ade.
Ascendino; branco, de idade 15 dias, filho natural
de Melquades Pessoa Mendos e Anna Mara da
Conceico.
se din seus papis promptos e correntes na forma Adolpho, branco, nacido em 26 de agosto de 1861,
do estvlo, para ser admillido. fazendo termo de op- filho legitimo de Jernimo Joaquim Fiuza de Ol-
posica'o dentro do prazo de 60 dias, findos os quaes veira e Francisca Joaquina de Oliveira.
se proceder ao concurso, no qual respondero os Adelaide, branca, cascida em 4 de setembro do an-
reverendos opnositores a nove casos demrale no passado, filha de Jernimo Joaquim Fiuza de
conciencia e faro urna exposico ou homila do Oliveira e Francisca Joaquina de Oliveira.
evangelho, que eu assignar, para propr a Sua Ma- Francisco, pardo, de idade lo mezes, filho legitimo
gesude o Imperador os que forem julgados mais
Estive at hoje vacillante sobre, se devia ou nao
responder ao aranzel publicado no Jornal do Recife
do Io do corrente, assignado pelo bacharel Jos Ro-
berto de Moraes e Silva, por me dizerem todos os
meus amigos, que nao descesse de minha dlgnidade,
e desprezasse to estupida verrina. E, forga
dizer, o nome desse bacharel, e o que elle vale no
conceflo publico, lendo aberrado de sua nalural
vocago e se formado em direito; mas, por Um, e
ceuenio forga do destino, sendo restituido sovla
para que nasceu; o seu carcter, que conheco
perfeitamente por certas particularidades que nao
posso e nem devo declinar, pediam que ou nao dsse
uvidos a um lal sujeito.
Ficana elle, porm, convencido do meu desprezo?
Era esta a minha inquietagao ; e sendo certo que
o orgulho se apodera com niuita facilidade de um
espirito rombo, tornando-o ceg e incapaz de
conipreheoder o que quer as vezes exprimir a abs-
tengao e o silencio, ja nao achava conveniente o
desprezo que me acooselhavam. Nesta duvida, em
que por alguns dias estive labutando, e de que o
bacharel Jos Roberto pode regozijar-se, em quanto
me oceupava de sua pessoa para decidirme a res-
peito dola, entre o desprezo, e a sua inrapacidade
de o comprehender, assaltou-me urna idea :esse
Jos Roberto que teve o arrojo de por aqui em pe-
rigo a minha existencia, na prxima eleigo : que
conservado na subdelegacia despidi de ludo,
sendo meu inimigo implacavel e perseguidor en-
carnicado e furioso de todos os meus amigos ; e
que se langa a insullar-rae no jornal, por eu dizer
a verdade na e crtia do seu procedimenlo na elei-
go, esse sujeito mandado.
Resolvi-me entio dar-lhe as honras de urna
resposta, para acabar-lhe" o orgulho o Infamia do
seu aranzel e mostrar que quem Ih'o escreveu ou
o quiz comprometter, ou empregou esforgo dema-
siado para fazer urna cousa que parecesse, ao pin-
tar, um fructo da sua inteligencia.
Do propno aranzel coniece-se que o meu bacha-
rel nao fez mais que data-lo e prestar-Ihe a assig-
natura, empregaBdo ntsso talvez a mesma attengo
material de como tomarla a qualquer p a medida
do comprimento o altura deum calgado. Datando
desta povoago aqaella boa pega para fingir ser
obra de sua lavra, escripia de seu propno punho,
l esto, no quarto paragrapho, estas palavras
legitima cial, alma des
1 do homicidios e
vres, sem que
esses factos ?
Quem rae enaltece e sabe de minha ndole, como
elle sabe e pd* fblgar com Uso; quem me conhe-
ce e sabe que teuho oltenta e tantos escravos em
ininlia fazenda, nao acreditar jamis que eu seja
o hornera dos crines que esse insensato me irroga
as suas inLimas allusoes.
Tome elle a responsabilidad.) disso, e eu quero
arrostrar a pro va que elle trouxer aos iribunaes,
com tanlo que teoha o goslo de imprimir-lhe na
fronte o estygma legal do calumniador.
Disse elleambem que fui que dei causa s des-
gragas da eleicao, concitando o povoe levando para
a igreja o Sr. Dr. Joo Hyrcano, estranho fregu-s-
zia, para excitar o< brios d >s meus amigos. Ora
eu que convidei aos meus parochianos
cerera o seu direito de volantes
acompauhado daquelle d
que um mogo pacifico e bem morigerado nao po-
da levar a inlencao de promover as desordens e
conflictos que se deram para as quaes nao era o
mesmo Sr. Dr. Joo Hyrcano o melhor companhei-
ro. Porlanto, se fui com elle, este facto prova em
meu favor, e mostra que o que eu quera era man-
ter os direitos dos meus amigos soraeote pelas ar-
mas da discusso, e com a lei. Mas o Sr. Jos Ro-
berto fez-se acompanhar de capangas, de malfeito-
res que mandou vir da Escada, da Varzea e outros
lugares, aos quaes armou de punhaes e de cceles,
pondo-.se frente delles com es seus inspectores de
quarteiro, distinguidos todos por um lago verde e
amarello, que elle tambem trazia ao peilo, e man-
dou esta gente romper o conflicto de qne proveio o
sangue derramado na igreja, e que suecederam j
os e-panca mentos que se fizeram em pessoas do
meu lado. Nao tire, pois, de si essa gloria, que
toda Ihe compele. Registre, porm, o publico a
coiifisso que elle faz de que nao eslava em exerri-
cio do cargo de subdelegado, pois deixou-o em quan-
to esteve de lago, e frente de seus sicarios, ani-
roando-os, e dirigiodo as mashorcas.
Nao pode haver maior cynismo, na verdade,
como o delle dizer que nao estava na polica quan-
do soube do espancamento doSr. Esrovar, mas logo
que assu mo a subdelegacia soube que as contusSes
feitas neste haviam sido leves, e assim nao tendo
os ofTensores sido presos em flagrante, nao Ihe ca-
ba proceder a respeito ex-officio.
Eslou certo que se fosse o bacharel o proprio
autor de sua publicago nao dira isso, que orna
visivel coartada. Por conta alliea tudo se ensaca
e atocha, seja lcomo for, para aviar urna defeza :
pe-se na bocea de um subdelegado, a quem se
aecusa como cmplice em um cruel espancamento,
esta formal resposta : soube que as contusoes nao
eram graves I
Nao eram graves porque foi o mesmo Sr. Jos
Roberto quem as mandou fazer, ou nella consen-
tio, pois que o faccnora de nome Joao Grande, au-
tor do espancamento, sahio do grupo em que elle
estava e^iirigio-.-o para o Sr. Escovar, aflra de rea-
damnado intento.
rn graves, como tambem nao foram para
Roberto os ferimenlos que solTreram o
Z Con cal ves da Luz e i.era I do Antonio
pie, sao passados mais de trila e cinco
dias, e nao tu acha atada restabelecido.
E saiba o publico que foi assim que corren a
eleigo desta freguezia e que se obteve o triumpho
sobre a miuha derrota.
Anda a noite do da 7 dava-se no lugar Arelas
um ferimento grave pralicado por Muniz de tal em
um pobre hornera, que foi rccolhido ao hospital e
consta-me ler fallecido, e preso Muniz em flagran-
te foi logo solt, porque nesse da dava o Sr. Jos
Roberto jubileu aos assassinos de que tioha neces-
sfdade
Ainda hoje aquel le Joao Grande de que j fallei
passeia impune 8 armado nesta povoago, Insul-
tando a quem quer e Ihe parece. Estamos as-
sim.
Nao posso cxgotar os fados que poderia enume-
rar, e quero por termo aqui a esta resposta. Devo
entretanto dizer ao Sr. Jos Roberto que de outra
vez que provocar-me apresentar-lhe-hei o retrato
moral de um perverso que muita gente nao confie-
ce, de um n.o filho, de um rinao desnaturado,
diante do qual ha de morder-se de raiva e quem o
vir horrorisar-se ao espectculo de urna alma tau
negra I
Afogado=, II de outubro de 1864.
Manoel Joaquim do llego e Albutuerque.
AfLHMlega
Rendimento do dia la 11.......
dem do dia 12................
375:5024759
43:049649
418:552,1408
Movimento da alfandega
Volumes entrados com fazendas.
t cora gneros.
Voiuroes sahidos
com
com
fazendas..
gneros..
60
94
340
387
134
727
Descarregam no da 13 de outubro.
Hrlguc hamburguez Ingeborgmercadorias.
Brgue inglezfii.viraniaferro e pedra.
Barca inglezaStella bacatho.
Barca ingleza John Geipin diversos gneros.
estiva.
SEtS! fui T .rea "ia,e P^tuguoz -P,HSa,,fo gneros de
lames, e que rui a igrija B ez-Aar=bacalho.
outor, que todos sabe.n ^ inBleza_Kls4_mercadorias.
Escuna inglezaZampa mercadorias.
ilecefoedorla de rendas internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 11........ U:327732
dem do da 12................. 648*577
Segundo o que assim se continua em tal dwpa
clio, por forga do qual e respectivo esrnvo Ma-
noel de for va I ho Paes de Andrade, que eaatMav-
creveu e fez passar o presente, pelo qual e sea
theor chamo, cito e hei por citados a lodos os en-
dores mcertos do dilo execulado Amonio da Silva
Gnsmo Jnior, para que dentro do prazo de dez
das comparegam ante esle juizo. allegando pro-
vando o que for a bem de seus direitos e justa-a, e
sob pena de revelia.
E para que chegue ao conhecimenio de lodos
maodui fazer o presente ediul com o prazo de dez
das, que ser allixado nos luga/es do i n iluaw. e
publicado pela imprensa.
Dado e passado oeste cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 8 de outubro de 1864.
Eu Manoel de Carvalho i'aes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Tritta de Alencar Arari/e.
mumm.
Consulado provincial.
Rendimentododiala 11.........
dem do dia 12.................
17:7701931
3:2482%
11:037*8
Usar o
Nao
0 Sr. Jo3
alferes l.i
de Mello."
MOVIMENTO 90 POBTO.
Navios saludos no dia 12.
Assu' pelo Riio Grande do Norte Lancha nacio-
nal Flor do Rio Grande, capito Vicente Jos da
Costa, carga dilfereotes gneros
Cear Escuna venesuelense Erut, capito J. Wet-
te carga parte da que trouxe de Hamburgo.
Havre pelo Cear Barca franceza Havre, capito
Marttacaux, carga parle da que trouxo do Ha-
vre.
Observago,
Nao houveram entradas.
Passageiros da lancha nacional Flor do Rio
EDITAES.
Maria
dignos na forma dos sagrados caones e concilio
tndentino.
Dado em Olinda, sob o meu signal e o sello ca-
pitular, aos 8 do outubro de 1864.
E eu o padre Joaquim da Assumpgao, esenvao
da cmara ecrlesiasiica o snbscrevi. DeSo, Dr.
Jnnmiim Francisco de Faria.
Ediial pelo qual manda S. Exc. o Sr. Dr. vigario
de Manoel Francisco dos Anjos e Josepha
da Conceigao.
Paulino, crioulo, de dade 5 mezes, filho natural de
Rosa da Costa.
Anna, branca, nascida no ultimo de julho do cor-
rente anno, fiha legitima de Jos Egidio Ferrei-
ra e Glicoria gueda Machado.
Manoel, branco, santos leos, nascida em 9 de agos-
to de 1851, filho legitimo dos pais supra.
caoitular por a concurso as igrejas vagas deste bis- Rodolpho, branco. nascido em 28 de agosto de 1861,
pado, em conformidade das ordeni imperiaes, I fllho legitimo de Antonio da Motta e Silva e Ida-
Para V. Exc. Rvma. assignar. I lina Theodora da Mota e Silva.
PUBLICARES A PEDIDO.
A Commissao do partido liberal da freguezia do
Sanio Antonio desta cidade roga a seus compa-
rochianos que se dignen comparecer eleicao a
que se vai proceder no dia 16 do corrente, hon-
rando com seus votos os cdados seguintes :
Capilao Luiz Cesario do Rogo.
Capito Antonio Augu>to da Fonceca.
Tenenle-coronel Manoel Camello Pessoa.
Capito Flix Fraucisco de Souza Magalhes.
Aproxmando-se o dia 16 do corrente para as
eleigoes de juizes de paz para a freguezia de San-
to Antonio, e como volante imparcial, lembro aos
meus concidados os Domes dos Srs. :
Capito Luiz Cesario do Reg.
Empregado publico Manoel da Silva Ferreira.
Dr. Angelo Hennques da Silva.
Dr. Jos da Cunta Teixeira.
Um votante.
Salsa do Hrislol.
A salsaparrilha de Brlstol. Trinta annos de
triumpbantes resultados bao dado a este antispti-
co vegetal urna reputagao incommensuravelmente
superior a todas quantas se couhecem para a cura
de eserophulas e de todas as mais classes de enfer-
midades ulcerosas e ernptveis.
Os mdicos os mais eminentes, os periodistas e
os escriptores de medicina sao eutras tantas leste-
raunhas da sua eflicacia quasi maravilhosa. Tem
salvado e contina a salvar as vidas e os membros
de milhares de pessoas.
Nunca foi administrada em vo, ainda mesmo
nos casos os mais terriveis e obstinados. E' o ni-
co remedio para as eserophulas, erysipehjs, herpes,
ctnMB as pernas, abces3os, tumores, molestias
syphililicas e mrreunaes, assim como toda a casia
de molestias da pelle.
Em quanto existem tres iratagSes e falsificagoes
m ".'HI desta medicina portanto preciso evitar engao
nitwtHMmmu $2$%nconSecvhHiuM procurando a original e verdadeira nas_ Iotas de
cidade e mais adiante ainda : como hoje sa- Caors & Barbosa e de Joao da Conceigao Bravo
bido nesta cidade por onde se v que o meu ba- *
charel assigneu de cruz o que Ihe deram. Se nao
estivesse de anle-mo convencido disto talvez pen-
sasse que sonhava nao acreditando que esta povoa-
go ja estivesse elevada cathegoria de cidade.
Vamos ao que essencial. Estar o bacharel
Jos Roberto convencido de ter eu os crimes que Cotac5es OUciaes*
me assacon em sen libello famoso? Se est, porque n if*t fifi IIIV f' I V V,
nao me tem processado? Era do seu dever faze-lo, *r*m.V-' **"_ **TZT
e hoje principalmente, quando diz ao publico que 12 >>E OUTUBRO l>b looi
son um grande criminoso. Se o nao fizer, como AlgodJo 1 sorte- 235200 por arroba,
nao o tara feito, posso ou nao chmalo de covarde [ Duhourcq Jnior, presidente.
e infame calumniador! Pois tu s auloridae poli-1 Guimares, secretario.
O XIIto. Sr. inspector da thesourarara provin-
cial de Pernambuco, em cumprimeoto da ordem
do Exm. Sr. presidente da provincia de 30 de se-
tembro prximo lindo, manda fazer publico que
no dia 13 do corrente, perante a junta da fazenda
da mesma thesouraria, so ha de arrematar,
quem mais der, o imposlo de 25500 rs. do gado
vaceum consumido no municipio de Iguarassu',
avallado novamente em 1:0755 por anno.
A arrematago ser feita por tempo de 2 annos e
8 mezes a contar do I. de novembro de 1864 a 30
de junho de 1867.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
gao, comparegam na sala das sessoes da referida
junte, no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 1 de oulubro de 1864.O secretario, A. F.4
d'Annuncagao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cnmprimeiito da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 30 de setembro prximo
find, manda fazer publico, que no da 13 do cor-
rente, perante a juntada fazenda da mesma the-
sourarfa, se ha de arrematar quem mais der, o
imposto do dizimo do gado vaceum consumido na
comarca do Bonito, avahado novamente em 1:6005
por anno.
A arrematago sera feita por tempo de 3 annos
a contar do 1 de jullio de 1864 a 30 de junho do
1867.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
gao, comparegam na sala das sessdes da referida
juma, no da acuna mencionado pelo meio dia,
competentemente habilitadas.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 1 de outubro de 1864.O secretario, A. F.
d'Aonuneiaco.
O Illm. Sr. inspeclor da thesouraria provin-
cial, em cuinpriinento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de;8 do corrente, manda fazer
publico, que no dia 10 de novembro prximo vin
douro, peraute a junla da fazenda da mesma the-
souraria se ha de arrematar a quem por menos fi-
zer o costeio da illuminaco publica da cidade do! Jos
De ordem do Illm. Sr. inspector da lbeoa-
raria de fazenda desia provincia se faz publico aa-
I ra conhecimento dos mleressados. que o triboaal
do ihesouro em as ordens n. 9,82 e 113 de 7
ii.twt.awM i 18 de junho de 13 de agosto do correte anno, aa-
tonsou o pagamento de dividas de exercicios la-
dos, cujos credo; us sao os seguintes :
Antonio Francisco Dias.
Antonio Francisco Segundo.
Antonio Joaquim de Freias
Antonio Jos do Espirito Sanio.
Antonio Jo^ Machado.
Antonio de Hollanda Cavalcanti de Albnqaerqtw.
Abrahao Mjreira Barbosa.
Antonio Jos Dias Martins.
Antonio Caetano da Costa Monteiro.
Antonio Vieira de Mello.
Antonio Thomaz Alves da Silva.
Antonio Rodrigues de Oliveira.
Antonio Francisco Honorato.
Antonio Honorato de Freitas.
Antonia Caetana da Silva.
Antonio Vital de Oliveira.
Aureliano Augusto de Oliveira.
Antonio Cabral de Mello Leoncio.
Bernardo da Rocha lia-tos.
Ilellarmtao Bezerra da Silva.
liartholomeu de Lima.
Bernardinn Jos de Lima.
torios de Moraes Camiso.
Corio>ano de fostr e Silva.
Cesario Emilio de Figueiredo.
Candido Francisco.
Carlos Jos de Souza.
Claudio Antonio de Carvalbo.
Cassano Espiridio Pires.
Companhia Peniambucana.
Dmaso de Assumpgao Pires.
Domingos Maria da Conceigao.
Domingos Pereira da Silva.
Eugenio Jos da Silva. -
Francisco Jos da Rosa.
Francisco Caldas Lins.
Francisco Americo Pereira do Lago.
Flix Correia de Araujo.
Flix Jos da Cmara Pimenlel.
Francisco Antonio da Silveira Cavalcanti de AMo-
querque.
Francisco Pereira da Veiga.
Francisca Thereza Franca de Abren.
Francisco de Oliveira e Silva.
Francisco Joaquim Pereira Lobo.
Francisco Antonio de Souza.
Francisco Teixeira de Sa.
Francisco Xavier Carmiro Lins.
Francisco Domingues da Silva.
tialdino de Lima.
(juillierme Jos.
Gregorio Cardoso Pereira.
Hisbello Florentino Correia de Mello.
Hermenegildo Alves ('andido.
Hermenegildo Alves de Aranjo.
Ilila'io Manoel de Sania Anna.
Joo Ferreira da Silva.
Jos Mara do Nascimenlo.
Jos Pedro Correia.
Joo Perreira da Rocha.
Joao Francisco Segundo.
Joo Jos de Souza.
Joaquim Jos da Costa.
Jos Caetano Feilosa.
Jos das Chagas Acciole.
Jos da Fonseca.
Jos Francisco Alves Lima.
Jos Francisco de Souza.
Jos Jeronymo da Conceico.
Jos Joaquim Capistrano.
Jos Joaquim de Mendonga e Mello.
Jos Lzaro deCarvalho.
Jos Pereira Santiago.
Jos Joaquim da Rocha.
Manoel.
Joaquim Francisco de Farias.
Jos Antonio Coellio Ramalho.
Joo Jos Terceiro.
Joo Quintiuo de Menezes Galhardo.
Rio Formoso por tempo detres annos, a contar do
Io de Janeiro de 1865 ao lim de dezembro de 1867,
avahado o costeio de cada lampeo em 291 ris
por dia.
As pessoas que se propozerem a esta arramatagao Jos da Hora.
comparegam na sala das sesses da mesma junta Joan Carlos Pareara Ibiapina.
no dia cima mencionado pelo meio dia. compelen-, Joo Flix da Costa,
teraeote haDilitadas, aonde encontrarn as condi- i Joo Jos do Andrade.
goes da mesma arrematago. Jse Figueira do Nascimcnto.
E para constar se mandou publicar o presente! Joaquina Francisca de paula.
C0MME1GI0.
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de outubro de 1864.
O secretario,
- A. F. d'Aonunciago.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe offlcial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
commercio desta cidade do liecife capital ta pro-
vincia de Pernambuco e seu termo por S. M. I. o
Sr. Pedro II i quem Deus guarde etc.
Fago saber aos que o presente ediial vircra e
delle noticia tivert m, que por juizo e cartorio do
escrivo que este i ubscreveu, corre urna execugo
de senlenga entre partes como exequente Antonio
de Fana Biaudo Cordeiro, e como execulado An-
tonio da Silva Gusmao Jnior, e proseguindo, dita
execucao os seus lermos, procedeu-se peuhora em
rendinientos das casas pertencentes ao dito ejecu-
tado, depois do que o mesmo exequente me dirigi
a petigo do theor seguinte:
Illm. Sr. Dr. jiz do commercio.-Diz Antonio
de Faria Brando Cordeiro, que teodo envernado
penhora por estejiizaem rendimento das casas de
Antonio da Silva da quantia de rento o tantos mil res,, e mais as
cusas que acrescerem, e como se ache recolhido
ao deposito publico quantia sufflciente para paga-
ment do supphcante, vem requerer V. S. se dig-
ne, mandar que o escrivo Paes de Andrade, pas-
sando editaes de dez dias aos credores incertos do
dito Gusmao Jnior, lindos os quaes, sejam comi-
dos os autos, dando o escrivo mandado de levn-
tamelo da referida quantia. Nesies termos pede
V. S. deferiincoto. Espera receuer merr. -O
solicitador, Francisco Emigdio de Luna Freir.
Segulndo a que assim se continha em dita peti-
ejo na qual dei o despacho do theor seguinte :
Sim-Recife, 3 de outubro de 1864.Alencar
Araripe.
Joaquim Pinto de Campos.
Julio Barbosa de Vasconcelos.
Joaquim Firmino Pereira Jorge.
Joaquim Jos de Almeida.
Joo i'ardo-i da Silva.
Joaquim redro do Reg Barros.
Joaquim Jos de Farias Neves.
Jos Martins.
Jos Aniceto Pereira
Joo Cabral de Amula.
Jos Cui>ertino Guimares.
Justino Gregorio da Fonseca.
Jaemne Gerardo Mara Lumacai.
Luiz Vicente Vi.rana.
Lino Gomes da Silva.
Licraio Porcinio Nestron o Andrade.
Lonrengo B zerra Cavalrante.
Luza Mara do Sacramento fviuva de Manoel Al-
ves d'Araujo.)
Manoel Ferreira Primelro.
Maximmiano da Conceico.
Manoel Francisco de Souza.
Manoel Izidro do Nascimenlo.
Manoel Francisco Lopes.
Manoel da Hora.
Manoel Joaquim de Santa Anna.
Manoel Vaz.
Mariano Ramos de Mendonga.
Manoel Francisco Segundo.
Manoel Theodoro Pereira Lias.
Maria Francisca do Reg (herdeiros de Xaaoe
Pereira dos Santos.
Padre Manoel Simplicio do Sacramento.
Manoel Flix de Souza.
Manoel Augusto Raltilno Ramos.
Manoel Jos da Silva Leite.
Manuel Uezerra (soldado.)
Manoel Vicente.
Manoel Flix Cypriano,


?
-
-
i
Piarlo de Perwiihaeo ... Quinta reir tS ie Outubro de lSi.
Manoel da Silva.
Miguel Jos dos Anjos.
Mathias Leite Turros.
Manoel Francisco Botelho.
Manoel da Cosa Rbeiro.
Mara l'rmina Pessoa de Albnquerque.
Manoel luaquim de Souza Yiegas.
Norat 4 Irmo.
Pedro Alejandrino.
Pedro Jos Montenegro.
Pedro de Sorna.
Pedro Mendes da Silva.
Pedro Joaquim Correa.
Roque Francisco.
Silverio da Costa Borges.
Sebastiao Antonio do Reg Cavalcanie.
Senhorinha Xavier dos Reis.
Simplicio Francellioo Das.
Secundino Avres Velloso de Mello.
Thomaz Alvos de Magalhaes.
Tiago Olympio de Paula Moreira.
Vicente Isidoro do Rosario.
Vicente Jos dos Santos.
Victorino Pinto da Silva.
Vicente Ferreira Lopes (sargento.)
Vctor Jos.
Secretaria da thesouraria de azenda de Fernam-
buco, 5 de oulubro de 1864.
Servindo de offleial maior.
Manoel hs Pinto.
Hoje, linda a audiencia do Illm. Sr. juiz de
pai do*' districto da Boa-vista, vai a arrematagao
os seguintes objectos : 2 banquinhas, 1 dita maior,
1 marqueza, S cadeiras, i cama ( madeira ama-
rello);-por execucao de Bomiogos Jos da Uinha
Lages, contra Pulicarpo da Costa Paiva.
D ordem do Illm. Sr. inspector Ai thesoura-
ria de fazenda de Pernambuco se faz publico a
mez oomecaro na lefenda thesouraria os paga-
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o dia 17 do torrente e va-
por Oyapock, eommandante An-
tonio Marcelino de Pontes Ribei-
ro, o qual depois da demora do
costume seguir para os portos do sal.
Desde j recebem-se passageiros e engaia-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devora
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2
horas, agencia ra da Crux n. i, escriptorio de
Antonio Laiz de Ollveira Azevedo & C.
COMA* III V
DAS
MESSAGERIES
IMPERIALES
At o dia 14
do corrente mez
esperase da Eu
ropa o vapor
francez Bearn,
que depois da
demora do eos
turne caraira pa
ra a Bahia e Rio
de Janeiro.
Para fretes, condiccoes e passagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. 9.
Araeatv.
O hiate Santa Rila sabe para o Aracaiy :
tar cora Tasso Irmos.
a tra-
llihia.
O hiate Dous Innaos sabe para a Bahi
melos das pensSes do Monte Pi dos Servidores do tar com Tasso Innaos.
Estado, vencidas at o dia 30 de setembro^ultimo.
a Ira-
A polaca hespanhola Venturita, de primeira
~-~, ......._-.----------_ -- pprnam. puitti/a Htuuuia rciuurua, ue pnmeira
Secretaria da thesouraria de faiend dWM classe, recebe frete parle da carga que Ihe falta
ion nm 1(1 a nnlllhrn . lM%. AUQOei JOSt I l- __- D....!-__. .....---------- __ *________ ,.
para Barcelona : a tratar com o capitao na ra do
Trapiche n. 14, armazem.
Para a Bahia pretende sahir em poneos dias
o veleiro patacho D. Luiz, capitao Jos Teixeira
de Azevedo, por ter parte da carga tratada : para
o resto da carga que Ihe falla tratase com os con-
signatarios Palmeira Santo n. 4, primeiroandar.
LEILuES.
tuco em 10 de outubrode l&64.-Manoel
to, servindo de offlcial-maior.
Juizo tos feiloa da fazenua
natinnal.
Na qalnta-feira, 13 do corrente, na sala das au-
diencias, pelas 10 horas da manhaa, perante o ur.
juit dos leitos da fazenda, se vender em praga
Snblica urna casa de taipa coberta de tena, na no
arro, em chaos foreiros, avahada por 120uw,
perteucente Francisco de Barros Reg, e penho-
rada para pagamento da fazenda nacional.
Recite 8 de outubro de 1864.
O solicitador,
F. X. P. de Brito.
Pela delegacia de polica da cidade do Rio
Formoso, se faz publico, achar-se recolhidoao de- i
psito geral da mesma cidade, um cavallo rodado
peurez, grande, gordo e novo, que foi aprehendido
como furtado no dia 17 do-mez de setembro do
corrente anno de 1864, a Marcolino de tal. Quem
se julgar com direito ao mesmo cavallo, compareca
na mesma delegacia competentemente habilitado
para o recebor depois de satisfoitas as despezas do
mesmo deposito.
Delegacia de polica na cidade do Rio Formoso,
8 de outubro de 1864.Santiago.
Juizo dos ffi os da fazenSananional.
Na quinta-feira 13 do corrento, na ra do Tra-
piche n. 7, se vender perante o juiz dos feitos da
fazenda em praca publica uns caixoes para depo-
sito de assucar, e differentes preparos para escrip-
torio, avahados por 30*J, e penhorados para paga-
mento da fazenda nacional.
Recife, 10 de oulubro de 1864.O solicitador A .
f. x. p. de Briio. aO barns com manleiga ingleza.
Juizo dos feitos da fazenda nacional. HOJE
Na qunta-feira 13 do corrente, na sala das au- Manoel Joaquim Ramos e Silva & genros farao
diencias, perante o Dr. juiz dos feitos da fazenda, leilao p>r conta e risco de quem pertencer e por
pelas 10 horas da manhaa, se venderlo em praca intervengao do geme Pestaa de 30 barril com
publica diversos objectos de miudezas, avahados manteca ingleza de superior qualidade fdesembar-
por i36 e penhorados a Franciseo de Sales e Sil-1 cados do ultimo vapor : quinta-foira 13 do cor-
LE LO
DE
Urna casa em Nazareth
O agente Almeida fara leilao requerimonto do
administrador da massa fallida de Antonio Fran-
cisco de Souza Magalhaes Juoior, e por mandado
do Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, de
una casa de taipa sita na ra do Senhor Bom Je-
ss na cidade de nazareth, pertencente a mesma
massa.
HOJE.
em o armazem da ra da Cadeia do Recife
s 11 horas.
n. 48,
LEiliO
LEILAO
Sexta-feira 14 do corrate, so arma-
zem da roa da Cadeia 53
DE
por
Urna escolenle moblia de Jacaranda, nova, com
tampos de pedra ultimo gosto, omra de amarello
tambem nova, guarda roupas elegantes de raiz ITlftirO HTlifal*
de amarello, duzias de cadeiras de cereja, bercos "*VXiV/ tm.u.ai.j
de faia etc.
EUZEIIIO
far leilao dos objectos cima ditos, por conta e
ordem de quem pertencer.
LEILAO
Um elegante sobrado de 2 andares e sotao' fiSSO, Chamado por eSCrta.
edificado em chaos proprios em urna
tt-sua resiuoncia aa ra ao A reuni5o famIar do coneaUi mez ter.
Uueimado para a ra das lu8ar na note do dia 19.
PrmrrAa onUJn OG ; Club Pemambucano, 10 de outubro de
sobrado m b, pn- mi. o emporio,
Cima dO ____ ___P^.Layme..
armazem Progressista, aon-
de o aeharo como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pre-
Querubino Bandiro e Pedro Janotu, subditos
italianos, retiram-se para fra da provincia,
Um moco ha pouco chegado a esta provincia,
com pratica de escripta, por partidas simples ou
dobradas, deseja-se arranjar de caixeiro em urna
casa comraercial, para o que pode ser procurado
no escriptorio do Dr. Thom Madeira, ra do Im-
perador n. 77.
Xocc*
t DE
Partidas dobradas
roa
M Fonseca de Vcdeiror
Acha-se venda, na prBeipaw livraria* esu
cidade, pelo prevo de J* o esemiUr ca
MMMMMm
O bacharrl
Fra ucisco Antasta da CaMa
Aluga-sc o sitio que foi do finado Domingos
, A. Gomes Guimaraes, no Caldeireiro, confronte ao
- Aluga-se a casa n. 40 da ra das Trinchei- do Sr. Dr. Jos Bernardo Galvao Alcoforado : a
roa de negocio na freguesa de Santo An- ras na ra da Aurora n. 36.________________ tratar cora T. de Aquino Fonseca Jnior,
10. Ainua.o nmi oes 7^ uk_.i. a Tj Vigario n. 23, primeiro andar.
Sabbado 15 do corrente, s 11 horas
N. 10Ra do VigarioN. 10
OITMPIO
competentemente autorisado far leilao de um so
hrado de 2 andares e sntao edificado em chaos
proprios situado na ra Direita n. 9, com frente
para a ra da Penha, o qual rende 1:3005 an-
nuaes. Ser effeetnado o leilao pelo referido agen-
te Olympio em seu armazem ra do Vigario n. 10.
LEILAO
N. KMtuado iigari~.V~10
Sabbado 15 do corrente.
s II horas.
ovm nrio
competentemente autorisado far reila de um si-
tio na estrada do Bosarinho, com grande casa,
tendo a mesma 3 salas, 4 quartos, 2 sotos, cosi-
nha, terraco, estribara, cacimba com boa agua de
beber eooiros mullos commodos, ten lo o sitio
300 ps de larangeiras, mangueiras, coqueiros, 2
grandes baixas para capim, 1 meia agua na ex-
trema do sitioqueserve de a<:ougue e rende 7i
mensaes. Os pretendentes po'dem desde j diri-
gir-se ao referido agente Olympio era seu arma-
zem ra do Vigario n. 10.
ta-
Aluga-se urna casa em Bebenbe -
com J. I. M. Reg, na ra do Trapiche n. 34.
l'recisa-se do umafama deleite moca esa
da : na ra estrella do Rosario n. 32, primeiro
andar.
Na ra da Cooeeici n. 47, precisa-se de
urna ama para pequea familia.
Para
testa.
passar a
Aluga-se a casa na povoacao do Monteiro ra do
Xisto, caiada e pintada, com commodos para gran-
de familia : quero a quizer dirija-se a ra do
Crespo loja de Andrade & Reg.
agencia de passapnrte.
Claudino do Reg Lima, despachante de pasa-
porte, tira-os para dentro e fra do imperio por
commodo prego e presteza : na ra da Praia n.
47, primeiro andar.________
E. Bolln, subdito inglez, relira-se para a ln-
glaierra.
DE
va para pa|ameuto da fazenda nacional.
Recife, 10 de outubro de 1864.-0 solicitador,
F. X. P. de Brito.
O conselbo adminislrativo para fornecimento
do arsenal de guerra precisa comprar o seguinte :
Plvora rossa para arlilharia, arrobas...... 30
Quem quizer vender lal artigo aprsente suas
propostas em caria fechada na secretaria doconse-
Iho administrativo, s 10 horas da manhaa do da
14 do corrente.
Sala das BessSes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 7 de outubro
ue 1804.
Antonio Pedro de S Brrelo,
coronel-presidente.
Sebastiao Antonio do Reyo Bairos,
vogal secretario interino.
O leilao annunciado para hoje a porta da al-
fandega, contina amaoba 13 do corrente ao meio
dia. O escriturario,
Joaquim Albino de Gusm.o.
O corpo de noticia compra 3'0 covados de
panno azul para fardamento : quem tiver e quizer
fornec^r, aiiresente amostra e sua proposta em
carta focha la, na secretaria do dilo corpo, as 11
horas do dia l.j do corrate. -O tenentrf-secrelario
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos.
THEAThO
DE
&
rente pelas 10 horas da manhaa no armazem do
Annes. Na mesma oceasio odilo agente em se-
guida vender barris com tpuciuho de Lisboa.
LJBILtO
36 saceos
DE
cora ffijo
}%j
fradinlio.
O agente Pestaa vender por coma e risco de
quem pertencer 36 saceos com feijao fradinho
muilo novo desembarcado esta semana, em lotes
a vontade dos compradores: hoje pelas 10 horas
da manhaa no armazem do Annes.
DE
Qneijos flamengos
iioji:
O agente Pestaa vender por conta o, risco de
quem pertencer 2o caixas com quijos mennos,
hoje pelas 10 1|2 lioras da manhaa no armazem
do Annes.
4 ca vallas e generes da pintara e
berna na Casa Forte.
Sabbado 15 de outubro
O agente Pinto far leilao por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio de 4 ca val los
e gneros existentes na padaria e taberna no lu-
gar da Casa Forte, pertencentes a Antonio Bao; e
a esle penhorados por execuco de Hvpolito Mar-
tos Gomes de Pinho.
O leilao ser efectuado s lh hora do- dia su-
pra dito na referida taberna na Casa Forte, os
f.relendentes podero desde j se cntenderem com
o mesmo aeeuie.
importante leilao
5 sofs de amarello, 8 consolos com tampos de
pedra, 2 ditos de Jacaranda, 30 cadeiras de ja-
caranda, 4 cadeiras de bracos, 4 ditas estufadas,
84 moxos com palhinha, 24 bancos com palhi-
nhas e divisoes de ferro, 24 ditos sem encost, 8
estantes para msica, 4 grandes estrados, 8 ca-
deiras de couro, 2 mesas grandes com gavetas,
2 escadas, 3 lustros. 19 arandelas e mangas, re-
posteiros, galeras, columnas, assoalho da platea,
dito do palco com machinismo, bastidores, pan-
nos, vistas, gabinetes, pannos de bocea, roupas
e outros muitos objectos de senario.
Si'iuiiih-lvira 17 le oulubro.
No theatro d'Apollo.
O agente Pinto autorisado pelos propietarios
da casa denominada Theatro d'Apollo, far leilao
de todos os objectos cima indicados pertencentes
ao mesmo iheatro. s 10 horas do dia cima dito,
no referido theatro
Caroline Dugdaie, subdita de S. M. Britanni-
ca, relira-se para fra da provincia._________
CAS4 DA FOKIM.
AOS 10:000.000
Bllhetes garaulldos
A' roa do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixo asslgnado vendeu nos seus nimio feli-
zes biihetes garantidos da lotera que se acabou
de extrartfr a beneficio da matriz de Caruar, es
seguintes premios:
N. 174 tres quartos com 6:0005000
N. 1372 um nter com 600*000
E outras multas de 2005, 1005, 405 e 125.
Os possuidores podem vir receber sem os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da quarta parte da ter-
ceira lotera a beneficio da Santa Casa da Miseri-
cordia, que se extrahrr no dia 22 de outubro.
Presos.
Biihetes inteiros..... 12500G
Meios.......... 65000
Quartos........ 35000
. Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Biihetes........ 115000
Meios......... 55800
Quartos......, 25750
Manoel Martins Fiuza
Escravo fgido do Cabo para
esta capital.
Em ierras do engenho Pitimb ha um sitio cha-
mado Pitimbu de baixo, d'onde fugio no dia 22 do
mez de agosto passado um mole |ue de nome Jos,
de idade de 13 para 14 ;nnos, cor fula, den-
tes perfeitos, cara redonda, cabera grande e
meia chala, e no meio da cabeca nma peladu-
ra do tamaoho de urna mu. da de cinco ris, tem
%tt^bW
EMPREZA
(iEKMvMI & COHIBRA.
8a recil- d" assigaatara
BSABBADO- 15 DE OUTUBRO DE 1864.
Represeniar-se-hao muilo magnifico drama
i actos e 7 qnadros, original francez :
O CORREIO DE LYAO
tetra semanal
DE
Mobilias, trastea avulsos, crystaes e
outros i t g's.
Quinta-feira 13 do corrente s M horas.
N. 10Ra do Vigario-N. 10
OLYMPIO
em seu armazem sito a ra do Vigario n. 10, ven-
der em leilao diversos trastes avulsos, 1 mobilia,
diversos relugios, duzias de cadeiras brancas, ob-
jectos de prata e ouroe outros nimios artigos que
estarao patentes ao Pame dos compradores no dia
tm i cima, no armazem da ra do Vigario n. 10.
ou
0 PROCESSO LESURQUES
O enthusiasmo que geralmenle tem causado o
presente drama, faz com que a empreza o repita
anda e.la vez, que talvez seja a ultima.
Terminar o espectculo com a nova comedia
em 1 acto :
FIEL \\ INFHIE IDADE
PERSONAGENS.
Heitor Duriveau .... Lisboa.
Luiza, sua mulher ... D. Camilla.
Joo, criado do Heitor. A Teixeira.
Georgina, criada \ D. Maria Pontes.
A accao passa-se em Pars ha terca-feira de en-
trado.
Comegar s 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
DE
Kavegaco rustrir vaoor.
Parahyba, Natal, Mario, Aracaly Ceari e
Acaraco'.
C vapor Persinunga, comman-
dante Ratis, seguir para os por-
otos cima no dia 22 do corrente s
jo horas da larde. Receber carga
_ "at o dia 21. Encommendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at o da da sabida <
3 horas da larde : escrip orio no Forte do Mallos
n. 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do su I espera-
do at o da 14 do corn>ntc o va-
por Paran, commandante o ca-
Ipio de fragata Santa Barbara, o
_ 'qual depois da demora do cost-
me seguir para os puno- do norte.
Desde j reeebem-se passageiros e engaja-se a
carga qoe o vapor poder conduzir, a qual dever
er embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
onio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
JLESLLAO
Db
Escravosde amitos ossrxns com
habilidades c sem ellas.
Sexta-feira 14 do corrente s 11 horas da
manhaa no annazem da ra do Vi-
gario n. 10.
DE 1
L'ma mobilia de jacaranii com um sof,: 1 mesa
oval, 2 consolos com tampos de pedna,' 2 cadei-
ras de bracos, 2 ditas do balMCO e 12 ditas de
guarnicao.l mobilia de amarello com 1 sof,
1 mesa redonda, 2 consolos, 2 cadeiras de
eos, 12 ditas de guarnicao, 1 candelabro, 2 nares
de jarros dourados, 4 quadros, 1 espetbo, 1 t-
pele, 1 caita de msica, 1 nxcelleate mesa para
advogadn, 1 cama franceza de Jacaranda, 1 cun
moda de mogno 1 lavatorio com pedra e espe-
Ibo, 1 sof e 6 cadeiras de amarello, 1 mesa de
jamar, 1 banca com gaveta, 1 dila de cosinha, 1
cama de ferro e 2 venezianas.
Soiiiiinh-fi'iiM 17 de outubro
O agente Pinto far leilao por conta de una
pessoa que se relira desla provincia de todos os
movis cima mencinalos existentes no salo do
theatro d'Apollo, aonile havera leilao de lodos os
pertences do mesmo theatro.
PrineipiarA as 10 horas.
em um dos ps um ded 1 junio ao mnimo pe-
gado ao outro do meio para traz, sendo as pon-
las abenas, sabio com um chapeo de pello de
copa baixinna por ter sid-i aparado, camisa escu-
ra de ca>ineta, calca branca de ilamburgo, le-
vando em sua companhia, por sedueco, um me-
nino forro de nome Manoel, pardo claro, menor
que o moleque, filho de Manoel A Ivs, morador
vizinho ao mesmo sitio Pitimb de bamo. Roga-
se s autoridades e mais pessoas que o virem, ou
liverem noticia delle, de mandaren] prndelo e
enirega-loao negocianle desla cidade que pagara
as despesa< fetas para o dito fim, em casa dos
Srs. Dammayer & Carneiro na ruada Cruz n. 68.
Acha-tu fagido h:i sel semanas o crenlo
de nome Tiberio, e que" alguns p^r abreviatura
ochamam Bello, cujo crioulo tem os signaes se
bra- guintes : meio fula, baixo e gros.-o, muilo moro,
faliam dous denles na frente, tem um lalho do
lado esquerdo do nariz, ja esleve alugado na boti-
ca da praca da Una-Vista dos Srs. Burges A Soa
res, milito fallante, cozinha e engomma : portan-
to roga-se s autoridades pociaes e capilaes d
campo a captura do dilo moleque, e leva-lo ra
do Imperador n. 73, terceiro andar, onde se paga
ra generosamente.
ADVOCADO
Ra do Imperador numero
mmm
NaBt-C'lalr
ra do das ilhas ou os desterrados na ilba 4a Barra, rr
________manee digno de ser lido pelas senhoras par se
Roga se encarecidamente ao Illm. Sr. Dr. A. Ianes nleressanles postes em eierneao por oan
presentemente morador na villa do Pilar da sfmnora. 3 volomes em brochara ai): m litr-
ompanhia Udclc
segnros maridiao e ter-
restres esiabeleclda
to de Janeiro.
AOEXTES EM PEPNAHBITJ)
Anlnnio Luiz de Oliieira Aieveta 4 C,
compelentemciite anlorisados pela dir-
toria da com|anhia de seguros Fidelrda-
de, tomam seguros de navios, nierrado-
rias e predios no sen escriptorio na da
Cruz n .1.
lances interessanles
B. S., presentemente morador na villa do Pilar da sfmhora. 3 volomes em brochara a _,
Parahiba do None, o especial favor de mandar r,a ns- e a da praca da Independencia,
quanto antes salisfazer na cidade de Souza da mes-
ma provincia pessoa a quem S. S. nao ignora, a
importancia de 1655 proveniente de um cavallo de
sella que S. S. comprou para sua viagem, do con-
trario passar pelo dissabor de ver seu nome pu-
blicado por extenso neste jornal, e as paricularl-
dades que acompanharam este negocio.
No engenho Goiabeira, junio povoacao de
Santo Amaro de Jaboatao, precisa-se de um feilor
decampo, que tenha.pouca familia: a fallar no
dito engenho em qualquer dia, ou na ra da Im-
peralriz n. 22, segundo andar, aes domingos.
OpretO Rulino, escravo de D. Theedora Ma-
ria da Conceicao, deixon de servir a Jos de Mo-
raes Gomes Ferreira desde o da i o de setembro
prximo passado.____________________Antonio Luiz de Oliveira Aze-
O abaixo assignado, proprieiario e morador vrtlti A C
na villa do Bonito, faz scienle ao respeitavel publi-.
co que todos os seus bens seacbam livrcs e desem-1 Au'lile- do BailCO Caaa 9 Parla.
Competentemente aulorisado* saram por loc
os ((aqueles sobre o mesmo Banco para o Porte l
Arrenda-se o engenho Cachoeira d'Antas,' LisImmi, e para as seguintes agencias.
baracados de hypoibeca.
Amonio Jos Balelho.
freguezia d'Agua Prela, peno da esuco de Una 1 Londres
meia legoa, boas trras de produeco, me de an- Paris
maes e d de agua porque esi bem principiado, ilamburgo
roda levada, cavoco e o mais ; quem pretender, Barcellona
dirija-se ao engenho Catuama, a tralar com Joa- Madrid
quim Justino de Almeida ; tambem arrenda-se o Cdiz
engenho Caluama, termo do Bonito, dista da eslacao Sevilha
urna legoa, me de animaes: quem pretender di- Valencia
rija-se ao mesmo Joaquim Justino de Almeida.
- O subdito francez A. B- Blandin vai s~pre- ^"5^'
rindas do norle do imperio.
e Val de
Vez.
Na ra da Palma o. 41, taberna, desejase Aveiro.
fallar com o Sr. Francisco Pereira Res, a falla! liareellus.
de comparecimeuto do mesmo obrigar ao anuun-1 Rastos.
ciante a declarar o negocio.
sobre Banh of hondn.
Frederic S. Ballin J, i,.
Joo Gane A FiIIk.
Francisco Rahoba A BarSa
Jaime Meric
Crdito commercial.
Gonzalo Secoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Poanr.AL.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello liranco.
(Chaves.
Precisa-se de um caixeiro no bilhar dos Ar"
eos : prefere-se brasileiro.
llavera sorvete todos os dias, das 6 horas em
diante, advertindo que o mais asseiado e bem fei-
to possivel : no bem conhecido caf dos Arcos.
K'i()ium;i(lo
Engomma-se e tambem se lava por
modo : na ra dos Pires n. 47.
Coimbra.
Cnviliia.
Elvas.
Extremos.
laa.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
T homar.
Villa Nova
Portimo.
Firueira.
Guarda.
Guiourae?.
Lagos.
Lagos.
Lameg.
Leiria.
Moneao.
Monrorra.
rtegoa.
Selubal.
V iaoaa io Lav
tello.
Villa iteal.
Madeira.
S. M'.gueh
Beja.
Braga.
Bragauca.
Faro.
Oliveira d'Aze-
meis.
Penaliel.
Tavra. Villa Nova do
Villa do Conde.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
NojiMPcmo.
Bahia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vUta.pod'iad*tep*
os saques prazo serem descontados ao awnaK
Banco a razo de 4 por cenlo ao anno : a tralar
na ra da Cruz n. 1.
O abaixo assicnado previne ao Sr incoare-
; ro das loteras do Rio de Janeiro o Sr. SaW
O abaixo assignado regosijando-se muilo de ver Ferreira da Triga, que se por ventura -ahir n
o augmento da ediflcacao do bairro de S. Jos, e ; pr mi no quarlo n. oiill da I.V 107 lotera o\i
lendo ainda una porcao de terrenos, parte aterra-, servatorio de msica, nao pague sem que o abis*
dos e parte beneficiados, e nao o- podendo edifi- assignado seja ouvido, pois esse di<> ipuno es
preco com-
Precisa-se de urna ama forra ou captiva, que
saiba engommar e cosinhar para duas pessoas :
no becodas Barreiras n. 14.
AVISO
car tolos, e nem deseja privar a todos aquel les
cidadaos do bom gosto, o edificadores, tem resol-
vido dispor da parte dos terrenos que lbe sobra-
ram d sua edifieacao, e por precos que muilo bao
de desafiar os pretendentes, que "se podero diri-
gir ra Larga do Rosario n.|16, que acharao com
quem iratar.
Manoel Antonio de Josos.
firmado no rerw pela Sra D. Anglica Maria Lil
como socia, ra da Sant.1C.r11z n..".
Antonio Manuel de S^nza.
em
autorisado por alguns seus amigos vender
leilao publico diverso escravos de ambos os sexos
os quaes estarao patentes no dia do leilao no ar-
mazem da ra do Vigario n. iO.
No dia sexta-feira 14 do corrente, as 11 ho-
ras, se vender em leilao publico, no armazem do
agente Eusebio, duas casas terreas de ns. 262 e
264 sitas na ra Imperial, do lado da sombra,
tem 2 portas, 2 salas e 2 quartos, alem de um ter-
reno fra cada urna casa, e tambem rende 105
por mez, em chao proprio, e serao entregues pelo
maior preco, para pagamento de hypotheca : sao
convidados os pretendentes ao previo exaroe.
LEILAO
^
DE
Madapnles nvn>indos.
Sexla-feira 14 do corrente.
Theodore Chrisliansen far leilao por conta e
risco de quom pertencer e por intervencan do
agente Pestaa de diversos fardos com madapol6>
avariados etc.: quarta-feira 14 do crreme s 12
horas em ponto no seu armazem ra do Trapiche
n. 16.
LEILAO
DE
Movis e outros artigos
Sexta-feira U do corrente s II hora
Noarm2eni ra d rancia do e-
cife ti. 48.
erj'D-giRO- SIMfJS
far leilao de diversos movis e outros artieos por
cunta e risco de quem pertencer ao correr do
martello, aOm de fechar diversas contas de venda.
DE
Eslabelerimcnh de caf e bilhar da
ra !Vova 11 67, cm seus perlences-
Qnaria-feira 19 de outubro.
O agente Pinto far leilao precedida a compe-
tente autorisaco do estabeleeimento de caf e
bilhar da ra Nova n. 67. o qual se torna recom-
raendado por ser mu frequentado e acreditado na
venda de biihetes de lotera- ; s 11 horas da da
cima dito no referido estabelecimsnto.
Contina a estar fgida desde o dia 18 de u-
Iho do corrente anno a prela e.-crava de nome Ma-
ria do Rosario, com os signaes seguintes : altura
regular, cheia do corpo, falta de um dedo na mo
esquerda, nadegas empinadas, algnmas marcas as
coMas, de cicatrizas, que parece ter sido de chic-
le, anda desembaracada e falla um pouco desean-
cada, levou vestido de chita, saia prela e panno
da Costa, de snppr que csteja oceulta, e intitu-
lada de forra ; portanto protesla-se desde ja eontra
quem a tenha oeculia, proeessar e fazer pagar os
dias de servicos durante o lempo da ausencia :
roga-se s aulordades policiaes, tanto da praca
como do malo, e aos capitaes de campo a sua ap-
prehenso, e levem-na praia do Caldeireiro n.
24, ou travessa do mesmo n. 92, que serao gra-
tificados.
PHAROL DO COMMERCIO
MODERNO ARMAZEM DE MOLHADOS.
73Itua do Rangcl73
Castro u Ama
Acha-se aborto concurrencia do publico desla
heroica provincia um espacoso armazem de mo-
tilados, sob a denotninaeac dePlural do Com-
mercio.Pharol, esta patarra, secundo algoos ety-
raoiogistas, vem do cltico plioven, navegar, e se-
gundo outros, de Phares, nome da illia, na qual
foi construido o mais notavel pharol da anligui
dade.
O pharol um signal nocturno de-tinado a ad-
vertir ao navegante a apprnximacao do porto. Se
pois o pharol affasta os uautas dos escolhos e os
condnz a porto seguro, este estaheb-cimenlo pode-:
ra advenir os ine utos das jarras dos abulres que'
com pomposas taboletas eslo ah abeilos a qual-
quer canto.
Oque os prnprielarios do Pharol desejam indi-
car todas as pessoas que os honrar com suas vi-
sitas a este estabeleeimento, que em nenhuma
ulra qualquer parle encontrarao melbores e to
baratos gneros tendentes a molhados.
Cheguem, pois, os freguezes, ao pharol, que a
radiante luz da verdade os esclarecer.
i
i
Si
O Dr. Canilin-j Franri>co de Lima San-
ios, contina a residir na ra do Impe-
rador 11. 17,2 andar, onde ptnle ser pro-
curado a ijualquer Imra do dia o da ao*l
(tara o exercicio de sua protksio de mr-
dico ; sendo qae os chamados, depois de
meio dia at i horas da larde. 6>*em ser
deixados por ocnpto. o referido Dr. '
nao abandonante nunca o estado das
molestia* do interior, prosejrne, con p
maior atrinco, no das mais difttreis e deli-
>M cadas operacem. como sejam dos ergos
^ ourinarios,dosolhos, partes, etc.
tei^ mmmm wgm*m
O secretario da irmandaite de II. S. da Terrp
convida a lodos os irmfws para so ri-uoirem m
mesa peral no domingo 16 do crrenle, pelas II
horas da manhaa, para aa ele/crem os novo* fone-
conario-! que tnn de reger a irmandade no (maro
auno de lH6.*i.
Na ra do Trapicli. n. 14. armazem. prenda
le um caixeiro dea ltimos chegados.
Alugam-se o 2o
da Cadeia n. 4.
e IIo andares da casa da ra
AVISOS DIVERSOS.
Instituto Arclieologico e Geo-
graphico Pemambucano.
Haver sessao ordinaria quinta-feira, 13
do corrente, s 11 horas da manhaa.
ORDEM DO DA.
Votaces adiadas;
Pareceres e mais trabalhos de commis-
ses.
Secretaria do Instituto 10 de outubro
de 1864.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
Aos 10:0008000.
Sabbado 22 do corrente mez, se extrahi-
r a quarta parte da terceira lotera (112a)
a beneficio da Santa Casa da Misericordia,
no consistorio da igreja de Nossa Senliora
do Rosario da freguezia de Sant Antonio.
Os biihetes, meios e quartos acham-se
renda na respectiva thesouraria ra do
Crespo d. 15.
Os premios de 10:000,5000 at 200000
serlo pagos urna hora depois da extraccat
at s 4 horas da tarde, e os outros no di
seguinte depois da distribuico das listas.
Servindo de thesoureiro,
______________Jos Rodrigues de Souza.
Na livraria n. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia existe urna carta de importancia
para o Sr. Antonio Fermndes Corredor.
Precisa-se de urna ama escrava ou forra pa-
ra casa de pouca familia : na ra de S. Francisco
casa n. 56.
iOS'-OO tic li'jililii-rao.
Hoje as 7 horas da manhaa fugio do trem da es-
tradade ferro, na oceasio de partir das Tinco Pon-
las, o mnlato de nome Francisco, de idade de 24
annos, pouco mais ou menos, cabellos corridos e
grandes, estatura baixa, com falla de denles na
frente, bem nutrido, levava calca de algodo azul
j usada e camisa branca : rogase, portanto, aos
capites de campo e s autoridades pociaes, caso
o encontrem, o queinm capturare levaron ao seu
senhor, no engenho Ma sarigana do Cabo, Paulino
Pires Falca 1, 0.1 n 1 Mondejo n 99, em casa de
Theodoro Jost, aonie se achwa o mesmo escravo
servindo. Protestare proceder criminalmente con-
tra quem o tiver oecolio, e dase alem da gratifica
cao cima mencionada os objeetis que lem o mes-
mo escravo em seu poder pessoa que o levar em
alguma das partes cima ditas.
O abaixo assignado previne pelo presente ao
publico que perdeu o meio bilhete que mandou vir
do Rio, da quarta lotera 0. 4078, que j correu na
corte, devendo vir notiea da extraccao della pelo
primeiro vapor, e assim tambem previne ao Illm.
Sr. thesonreiro da mesma lotera para que nao
pague o referido bilhete caso saia premiado.
_________Jos Marianan de Alhunuerqne.
Crrelo de Cupido.
O administrador desse correio faz publico para
nleiro conhecimento dos namorados sem sorte,
que as horas de sua partida da praga da Indepen-
dencia para a ra das Agnas-Verdes sao as se-
guinles, quo quando est s sem seu patro :
6 da manhaa, 3 da tarde o 9 da manhaa.
O casul
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar denles artillciaes tanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de sens donos, tem pos
e outras preparaces as mais acreditadas
para conservarn da bocea.
Precisa-se de orna ama para cozinhar e lavar :
na ra Nova n. lo, primeiro andar.
O Sr. Alejandrino Ayresda Paix.o fieregoer
morador na povoacao da Boa-Viagem, qoeira iri-
u'ir-.-' cidade doltiinda, negocio qoe nao m-
8'
ora.
Joo da Silv* Bonifacio, subdito
relira-se para o Rio de Janeiro.
portuguez,
Os credores da massa fallida de Jos Mar-
ques dos Santo- Aguiar & C. queiram apresentar
seus ttulos na ra da Cadeia n. 4, para se dar
cumpriniento respectiva concordata.
Os credores da sobredita massa, assim como os
da liqoi.iaco de Jos Goncalves Malveira, queiram
igualmente mandar solver seus dbitos na sobre-
dita casa da ra da Cadeia n. 4, onde encontrarao
os respectivos ttulos.
Precisa-se de
pouca familia :
canto da d-> Imperador.
Criado.
um criado de meia idade para
tratar na ra do Crespo n. 8,
Precisa-se de urna ama para cozinhar o en-
gommar, para casa de pouca familia : na ra de
Apollo n. 39, primeiro andar.
Aluga-se um sitio no lugar dos Remedios n.
5, defronte da igreja, com grande casa e cochoira:
a iratar na ra da Cadeia n. 4, armazem.
Elleu Skeltou. subdito nglez e suas res fi-
Ihas menores vao Europa.
Precisa-se de um caixeiro, prefere-se destes
chegados da pouco : a tratar na ra da Roda n.
48, taberna.
Precisa-se de um feitor que seja bom jardi
nero : a Iratar com Augusto Frederieo de Olivei-
ra, no seu sitio em Ponle de Ucha, ou em seu es-
criptorio, praca do Corpo Sanio n. 17.
Alugam-se baratas urnas meiaguas na en-
trada dos portoes (travessa das Barreira*) bairro
da Boa-Vista : a tralar na ra d-> Coto vello 11. 23.
Nos abaixo assignados declaramos que tendo
dissolvido amigavelmente a sociedade que tinha-
mos na ofOcina de fenviro, sita na ra do Brum i
n. 58, sobre a lirma de Brandan & Monteiro, fican-'
do cargo do socio Joaquim da Costa Brandao lo-
do o activo e passivo da mesma sociedade, e Bento
Monteiro Figueira desonerado de toda a responsa-
bilidade e pago de todas as suas contas. Recife 11
de outubro de 1864.
Joaquim da Cosa Brandao.
____________Bento Montein Figueira.
Precisa-se alocar ''ous pretal para carregar
pao e fazer servicode casa : na padaria em Santo
Amaro, atraz da fundicao do Sr. Starr.
Arrenda-se urna casa terrea com sitio, sita
na ra das Barreiras n. 1, tem commodos para
grande familia, o sitio bem plantado de arvoredos,
tanque coberto para banho, b imba de Japy, es-
tribara etc., e muit'i peno da praga, proprio para! n
quem de*eja estar em sitio perto da praga no tem- i 1ieUS' Coroa_aos a,'lns e amor de Det, 0T8-
po calmoso, qualquer estrangeiro eu nacional que Ces e peticoes, hymnoao Espirito Santo, CO-
tenha gosio e pretenda : a tratar na mesma casa: roa do Senhor, aviso nualauer a'lM de-
| cima com seu proletario. vota; decanos da vida humana, hmmo
de Santo Amhrozio Nossa ScDhora. jaearis-
torias ao Santissimo Sacramento, exercicio da
via-sacra, commemoragao Nossa Sentara
do Carmo e ao SS. Sacramento, direnori
para a oracao mental, dividido (ios das da
semana, obsequio ao coraco de Jess, sao-
danms devotas s chasis de Christo, ora-
ces Nnssa Senhora, S Jos, ao aojo da
guarda, Deus em obsequio i qualquer saav-
to e para a noute, c responso pelas ateas
do purgatorio.
" riNTURAMA.
Tinge-se com perfecSo para
cor, e o mais barato possivel:
Rangel n. 3#. segundo andar.
Livro de oragdes.
Vende-se 160 reis, na livraria ns. 8 e 8
da praca da Independencia, um livrinhn coo-
tendo o seguinte : louvor ao santo Dt>me de
b,
alX
^
Precisa-se de urna ama para lodo o serrina de
urna casa de pouca familia : na loja da ra Nova
numero 11.
Offerece-se urna ama com bom lete, muilo
boa para criar meninos : nos Barros Baixos nu-
mero 11.
1 Precisa-se de urna ama para cozinhar e en-
gommar : na ruada Praia n. 2.
Antonia Jaeinlha de Jess, Portugueza "FelT-
ra-se para a ilha de S. Miguel. '
Alngam-se duas casas margem do Capiba-
nbe, no lugar da Torre, sendo inteiramente fres-
cas, e com famosa agua para beber-se : a iratar
na roa da Roda n. 18.
qualquer
na ruad*

1


Diarlo de lera4a" ninfa felra f 3 t Oatnhro e 1*64.
PIULAS CATBARTICAS DI AYER.
Estas pilulas yegelaes sao a-
da piadas a todos os usos de um
^purgante as familias, pois sao
'perfeitamente innocentes, e em
quanto milhares de pessoas con-
fessam com gralido que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um so caso em que baja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu algnns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
Affecfo chronira do ligado.
Il.l.M. Si;.
Juiz de Fura, il de fevereiro de 1864.1
Tendo feito uso das pilulas catbarticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo lirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-,
femidades do ligado e baco, coaa o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou!
bom, pois lento desapparecido um grande;
ogorgitaraento que soffria, muitas dores
obre a regio do ligado e costas, dores de |
cabera,. inchaco do ventre, nao podendo
deilar-me seuo do lado direito, isso mes-
mo procurando posico para ter socego, lio-
|a me acho livre d'esse padecimento ; como'
por aqu anda as nao haja, cu como tenho,
este proprio que de casa, lhe rogo man-'
dar-me alguns vidros, e o custo elle lhe sa- j
lisiar, assim bem como do charope de,
mereja, que tive occasio de experimentar;
m um ataque de guellas que teve tima
preta que com elle curei, faro uso d'elles
cas tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns fnisquinlms, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, "porque tcnho
felo uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, todas teem tirado grande
resultado; sou
De V. s. altento ebrigado,
Fhancisco Femucira Paes.
PRIMEIRA E ANTIGA CASA FELIZ.
PORTUGAL.
Morada
PORTO.
DENTISTA DE PARS
Rna das Fiares, ns. 4 e 3 (jnnto igreja da Misericordia.)
PLANO
(MIRE LOTEII1 BE HESMBA.
CUJA EXTRACCAO TERA' LUGAR NO DA 23 DE DEZEMRRO DE 1864.
D-se para residir en nm silio perto Jssta cida-
de, sem a menor paga, a nma pessoa de pouca fa-
milia, e que d conhecimenlo de sua boa conduc-
ta, com acondieo de iraiar dos arvoredos que
existero do mesmo silio,. concertar as cerras do
mesmo, e dando conta de todo? os objectos que lhe
ibrcm entregues ao entrar para o mesmo sitio,
quando queira o seu propietario, podendo fazer a
planiacau que lhe convier e desfroctada durante o
tempo que no mesmo sitio estiver por consenti-
mento ao seu proprietario, ou pessoa por elle au-_____
5hi2JSfid0 1,UaDdH0- ,Sah'r d meS'n ?'' i ra da Roda n. continoa-se a mandar
^J*'!SJg^?.g*y*^.-'? !*2S"'comidas para fra, aceita-se toda encommen.la, e
rKirss^dSx fnrr-loe,udopor preo mmmA cm:,ceio
qualquer trahalho que o tenha feito, ou mesmo t,"""l"u,l'_____________,
como paga de ter esiaao no mesmo sitio : quem Precisase de urna casa
a
19Roa Nom-
Frederico Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacoes de sua arle, e eol-
loca dentcs artiliciaes, tudo com snperro-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconherem.
Tein agua e pos dentincio.
\A Imana k de lemb raneas
LUSO BRASILEIBO
nv,\ !8
pon i t< i ii.ho
' Acaban de chesar estes ja lao coakecidos al-
ma naks e rndese na livraria crwMMra ao p
do arco de Sanio Antonio, vrnde-se tambw ec*-
lercoes completas dos mesmo* almuaa tm 15
vol ti mes.____________________________________
Li> ro to ovo
' O Limo do Poto, obra ornada rom estampa*,
eonlendo a vida de .Nosso S:ahr Jes~ ChrWo, e
minios artigos otis. K-ie livro das familia*, re-
____________ :eotnmendadoe approvado pelos Exrat. Srs.D. Laiz,
proporcoes de- bispo do Maranhao, e D. Manoel, arcebsp 4a Ba-
cora proporcoes ae- wspo ao Maranhao, e
pois assim o queira, drija-se ao sobrado da ra de rentes para habitaco de. pequea familia ; preo- hia ; vend-se a 14 carbonado : na livraria de lote
S. Francisco n. 10. com documento, provando a re-se no bairro da Boa-Vista ou imraediacoes; nao Nogncira de Souza, ra do Crespo n. 2.
sua boa conducta.
N. B. A casa se acha em mo estado.
Precisa-se de um amassador para padaria
tratar na ra estreita do Rosario n. 2 A.
PREMIOS
1 de .....................................
1 de .....................................
1 de .....................................
2 de 20.000 pesos fortes.....................
8 de 10.000 ditos...........................
15 de 5.000 ditos............................
30 de 2.000 ditos...........................
106 de 1.000 ditos...........................
2.100 de 500 ditos...........................
99 aproximacoes de 400 pesos cada urna, para
os 99 nmeros resumes da centena que oble-
nha o premio de 300.000...........-.......
99 ditas de 300 ditos para os 99 nmeros res-
- untes da cenleoa que oJtenha o premio
de 100.000...............................
99 ditas de 200 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que obtenha o premio
de 50.000................................
2.999 reintegros de 100 pesos para os 2.999 nmeros
cuja terminacho seja igual do que obtenha o
premio de 300.000........................
5.560 premios em 30.000 bilhetes.
PESOS FORTES 300:000 MoKDA PORTLGl'F.ZA
ou Rs. 270:0005000
400:000 90.0005000
50:000 45:000^008
40:00i) 36:090A00
80:000 72:0005000
75:000 67:5004000
60:000 54:0005000
106:000 95:4004060
1.050:000 945:0004080
39:600
29:780
19:800
299:900
2.*5H:080
35:6405090
26.7305000
17:8205000
269:91050000
2.050:0005000
HlieiiDUtisfliG e ataqnes hemorrlinidaes.
illm. Sn.
Ouro-Preto, 30 de marco de i86 i.
Posso certificar-lhe ue as pilulas ca-
trticas do r. Ayer io cxcellentes, pois
que solrendo en dr/s pelo corpo, o que
suppunha ser rheunjatismo, (molestia esta
vjae j liavia solTridp/ha annos) e solTrendo
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois me at j pouco ouvia, e
acompanliado de urna dr no queixo, con-
sultei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo cu o almanack do mesmo doutor,
comprei em sua casa um vidrinho d3s mes-
mas pilulas e por minha conia principiei a
ioma-las, e sem as Onalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrlioi-
lai's: portanto sao para miin as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado ;
sto em abono da verclade. Sou
De Y. S.
Amigo cetlo, venerador e abrigado,
O hrigadeiro
JoAo RODBIOOES Feu de Cara aliio.
PREQOS EM MOEDA FORTE.
Bilhetes inteiros.......a 1084000 II Quintos de bilhetes....... a 214600
Meios bilhetes.........a 545000 |] Decimos................a 104800
JOS IGNACIO FERREIRA RORIZ,
COM LOJA E CAMBIO E BILHETES DE LOTERAS.
ARanrado no governo civil do Porto, em conformidade do edita!
de & de junto de 1860.
Satisfaz com promptido todas as encommendas que lie sejam feitas, mesmo em
grande quantidade e pelos precos cima indicados, viudo acompanhadas do seu importe; e
no im da extraeco remette a lista dos premios.
Para informaciies, e pedidos no escriptorio da ra da Cruz, n. 19.
(iaslr'ite.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1804.
Attesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
efiquei perfeitameiite bom de urna gastrite
que solTria e que privava-me de andar aper-
lado, boje felizmente nada sinto.
Augusto Gollatino de Mello.
CEARA' (NORTH BRASIL) WATER COMPANY,
LlmTJCD
INCORPORADA SOB A LE DE ASSOCIACES ML'TIA DE 1862.
CAPITAL Lb. tt. O.OOO. I-MI At iJ>V.% DE U. *l. 10
cada mi.
Depositando 10 s. por cada aeco pedida e lib. st. 1 e 10 s. quando forem distribuidas.
As seguinles chamadas nao excedero a lib. st. 2, cada urna, nean poderaoser feitas com nter-
vallo menor de tres mezes.
Juros de 6 % ao anno pagaveis os accionistas at a conclusao da obra.
Directores.
W1LLIAM FRAiSCIS DOBSON.- Esq. Bearsted Borne, near Madstone, (presidente) director da compa-
nhta dasDocas c anuazens. de We.-i London.
JOHN CLARK, Esq. 3, Dunster Court Mincing Lae. I
JAMES DAWSON, Esq. 2, Biliter Square, London, director da cornpanhia Metropolitana de Se-
guros.
THOMASGEORGE FARDELL, Esq. 6, Montagu Place, Montagu Square.
i W1LL1AM JESSE, Esq. Maisonelte. logatestone, Essex.
I JOHN W11.lia M STUDAHT, Esq. V. con.-ul de S. M. Britannica, no Cear
AL'GL'STUS WEHNEB, i*s.|. Lime Stree, director do banco Europeu
Falta de apetite.
Ouro-Preto, 2 de feccreiro de 1864.
Sendo cu affectado do flgado lia muitos
annos, e ltimamente soffri falta de apetite,
hoje dou gracas a Deus por acliar-mo sao
a perfeito com o uso das pilulas catbarlicas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento VffiraA.
Limitado.
EN6KNHDB0
S0LI.1C1TAD0HES
UANUUE1ROS
COnilECTORES
ESCUIPTORIO
ALPRED TIIOMAS COOK, Esq. 3, Bridge Street, Wetmiuster.
MESSRS. W. H. P. SHARP, 92 Gresham House.
O BANCO, ECKOPEl", LIMITADO, 83, King William
Continente.
MESSRS A. & W RICARDO, 11 ngel Court Throgmorton Street.
3, DUNSTER COURT, Mincing Lae.
Street. E. C. e seus Filiaes no
Csnstipaco, dores de cabca.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
Attesto que achando-me atacado de tima
forte constipacao que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabera, soffri borrisvl-
meate por espaco de quatro das; eolio
um amigo aconselbou-me que tomasse pi-
lulas atharticos do Dr. Ayer : com ellas fia
auei se e com[)letamenle restabellecido em
ires dias, de sorte que estou no ffirme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affectadas de
onsiipaees.
AoosTiNHO Jos da Silva, negociante de fa-
zendas. _____________
Irritaran do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
rendo harmuito tempo excessiva irritaco
le estomago, pouco apetite e difilcil dijjes-
io, d*ctl tenho experimentado sensiveis
flehora*Alepois que tenlio feito uso das pi-
lulas cathartteas do Dr Ayer.
Antonio Hermogenes Pereira Rosa.
Lombrgas.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catbarticas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez atinos, que
-jffria de vermes intestinaes, notando-se
que os symptomas que entilo apresentava
aram de molestia bastante perigosa.
avmndo Nonato S. de Thiago, pharma-
ceulico. ___________
Nevralgia.
Uraa carta do Illm. Sr. Francisco Alva-
feuga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
w bombro e as costas, lomei urna nfint-
Or, angustia, tormento sao palavras fer-
ies, porm no exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as piulas ca-
ikarticas do Dr. Ayer. S faz oito das, e es-
:teu completamente restablecido ; ha tres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
%ro nem as costas.
Estas pululas acham-se venda as pnn-
-ipae boticas e drogaras do Imperio
8io de Janeiro, ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
a pharmacia fraaceza de
P. MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
O porto e cidade do Cear a sede do governo da rica provincia ou capitana do Leara gran-
de ao Borle do Brasil, e est situada em lat. 3. 41' e 10" S. e Long. 38 i> Oeste de Grenw, o C^ara
c rodeado por um terreno arenoso, e sem exagerar, na maior parte do anno o clima pude ser conside-
rado secco. Sendo a capital de una provincia Oores.ente 6 o lugar de umcommereio que vai crescendo
rpidamente ; e a residencia de umcrescido numero de pessoas abastadas, pelas quaes ha moflo tempo
c sentida a falta de agua potavel. ,. ...
A capital e seu termo, contm mais de 30,000 habitantes, como consta dos ltimos relatnos
do governo provincial. ,
A agua supprida pelas chuvas bem raras, e pelas cacimbas, cuja agua em consequeucia de
drainagens, ltracao do mar, etc., no verdadeiro sentido da palavra nao e potavel.
Em urna di.-lancia rasoavelda cidade acham-se na propriedadu do Sr. Jos Paulino Hoonholti
denominadaBem-lka-um grande numero de olhos d'agua e diversas cacimbas as quaes duraute o
tempo uiais secco se tem conservado com agua. .
A agua destas cacimbas reconhecida por todos ser a raelbor; e nao obstante a distancia da
cidade, e grande despeza cora o transporte, tem sido consumida por aquellas pessoas que podem man-
IU Deseioso de remediar a grande falta d'agua de boa qualidade, o governo provincial concedeu
nuc Hnnnhnitz. urna conoesso com orevilegio exclusivo por cincoenU annos para suppnr a
meiacaadas vendidos nos chafamos,
adoptado por outras corapanhias de
a Jos" Paulino Hoonholtz, urna concessao com pre
cidade com agua potavel ao preco de 20 rcis pr caneco de tres e
e do 40 ris conduzhles s casas, sendo este preco o mesmo que
agua ao imperio do Brasil.
A Cear (North B.-.
cial concedeu mais o direito de supprir s reparlicoes publicas, quarteis, labncas, e casas particulares,
etc., por meio de penna d'agua.
Para levar a effeiio esta concessao a Cear (North Brasil) Water Company, Limited, acaba de
se duvida pagar bem : a
rio n. 9, primeiro andar.
tratar na roa do Yiga-
pa no
Na roa da Cadeia do Recife n. 35, primeiro ^ ende-sc um piano em milito bom eslado- por
andar, tem urna carta para o Sr. Antonio Manoel preco commodo : na ra da Cruz n. 12,
da Conreicao. ______ I andar.______
Precisase de urna mulher para cozintoar em
acsa de homem solteiro, que nao seja moca : a tra-
tar no bilhar dos arco.
ser definitivamente incorporada na praca de Londres.
O concessionario tem deposUailo em poder da companhia as necessanas transferencias do
orevilegio, e mais documentos, sendo:
O livre dominio do terreno que comprehende as cacimbas e olhos d agua, e assim mais o que
fr necessario para as obras dos resrvatenos, galeras, etc. I
A inderanisaco para o concessionario ser de 1,000 accoes de lib. st. 10, cada urna, inteira-
mcnte pagas, percebendojurosduraote a construccao, e dividendo pan passu como as mais accoes
pagas, porm nao podero ser transferidas antes da conclusao da obra.
O contratwpara a construeco da obra ja esta effectuado por nma q. anua fixada (da qual o
centratadorobrigou-se i receber /, emaegoes da companhia) indurado todas as despezas prelimi-
nares at a incorporaco da companbia. ,
O engenheiro da companhia em seu regresso do Cear deu seu parecer da manara mais fa-
voravel a repello da quantidade e qualidade d'agua, e do rendimento; e que na construeco da obra
^'"'oSSSeSeo governo e o concessionario, e mais documentos para transieren.
ote, ect., legahsados pelo tabeilio publico, podero ser examinados pelos accionistas no escriptorio da ,
companhia.^ ^ ^ accionistas o joro a razio de 6 /, ao anno, durante a construeco das
obras.
Para obter accoes (das quaes urna diminuta quantidade esl reservada para as pessoas que
deseiam accoes no Brasil) os pretendentes nesta provincia poderao entender-se com o Sr. George
Patchet, corrector geral, praca do Corpo Santo ou com o Sr. John J. Foster, engenheiro dos contratado-
res, ao 'hotel de Europa, ra do Trapiche n. 12.
Empreza rius trilitos urbanos lo Recife
Apiparos oio\ida i vapor.
Tendo chegado da Europa asinformagoes e dese-
nhos que os concessionarios do privilegio manda-
ram vir pelo engenheiro que tem de executar a
obra, os concessionarios abaixo assignarios resolve-
rn) formar nma companhia rom o capital de ...
300:000,5000 em accoes de 505000, com as cendi-
coes que sero apresentadas aos que quizerem to-
mar accSes.
As pessoas que quizerem ser accionistas desta
importante empreza, podem dirigir-se qualquer
des abaixo assignados, ou aos correctores Vascon-
celos, Mamede, Guimaraes.'Gatis, Doubonrcq, Ma-
cedo, Seve, etc.
Barao do Ltvrantento.
Jos Bernardo G. Atcoforado.
A. Lniz dos Santos.
Os abaixo assignados bavendo contratado rom o
governo provincial a collocaco de trilhos urbanos
da cidade do Recite at Apipucos, e tendo obttdo
as informagoes que eram iudispensaveis para a
eiecuco da empreza, (eem resolvido formar urna
companhia anonytna tiara a sua realisaco, e com
as seguintes bases :
Artigo 1. O capital da companhia ser de tre-
zentos contos de.ris, divididos em acedes de 505,
realisaveis era prestacoes, sendo 25 por cento logo
que estiver formada a" companhia, e o restante nos
prazos indicados pelos emprezarios, precedendo
aviso de 30 dias.
Poder, porm, este capital ser elevado ris
400:000000, se para o futuro quizer a companhia
fazer proloogamento ou ramal.
Art. 2f Os emprezarios se obrigam a fazer as
obras que forem precisas para a collocaco dos tri-
Ihos, inclusive as desapropriaeoes, ponte de ferro,
que tem de ser collocada no rio Capibaribe, duas
estacoes para recolhrmento do trem rodante, e dos
objectos da companhia, que sero com a simplici-
dade possivel, tendo-se somonte em vista as ac-
cemmodacoes e seguranca, sendo urna bo ban ro de
Santo Antonio, e outra as proximidades da extre-
midade da linha ; a fornecer 10 carros para pas-
sageiros e 2 para carga, e3 locomotivas, e ludoisto
nos prazes estipulados no contrato.
Art. 3." Concluidas as obras serao os trilhos com
os objectos cima indicados entregues companhia,
que desde logo entrar na posse e admraislracao
da empreza, e gozar dos (privilegios, isencoes e.
vantagens que foram concedidas aos emprezarios,
salvas as disposicoes aqu declaradas, sem que de
parte parte possa dar-se reclamacao, ou possam
os emprezarios exigir mais do que a referida quan-
tia de trezentos cantos.
Art. 4.a Os emprezarios se obrigam solidaria-
mente ao cumprimento do que tica declarado, do
que se lavrar auto autbenlico.
Art. 5. Pela assignatura se obrigam os accionis-
tas ao ue (ka declarado e ao pagamento das pres-
tacoes ios lempos que forem declarados. No case,
porotada nao pagamento de qualquer das presta-
coes Ml dito lempo, perder o acciouisla o direito
das paKlacoes ou entradas que houver feito, e
quandS nao reahse a primeira, poder ser coagido
judicialmente ao pagamento da tolalidade. da
acrao\
Art. 6." Nao ser permittida a transferencia de
accoes, ou dos recibos provisorios, antes de esta-
rci integralmente pagas, salva a resnonsabilidade
do accionista, ou consentimento dos emprezarios.
Art. 7." Logo que estiverera tomada as accoes
sero os estatutos submeltidos approvaeao dos
accionistas para que seja logo encorporada a com-
pa'ihia, sem que todava por este fado lenha ella
qualquer ingerencia na factura das obras, chamada
e recebimento das prestacoes.
Art. 8. Aos emprezarios se reserva o direito de
receber da thesourana provincial a quantia do de-
zoito cuntos de ris, que Ibes tem de ser papa em
quatro prestacoes, para indemnisacao do adianta-
mento que teem de fazer para desapropriaeoes, se-
gundo o ijuo esl estipulado no contrato.
Art. 9. Os emprezarios tomara por sua conta e
risco cera contos de ris em acedes, sei um
delles director nato em quanto forem accionistas,
e terao passagem gratuita em qualquer dos carros
da companhia.
Art. 10. Pica entendido que as despezas at ago-
ra feitas, e as que se houverem de tazer para eu-
corporaco da companhia, registros, etc., sero por
conta dos emprezarios, por modo que a companhia
entre no gozo e posso da empreza para ser explo-
rada por sua conta e vantagem, mediante o capital
declarado.
Art. 11. Nao se faz o calculo dos lucros prova-
veis e das vantagens da companhia, porque esta
apreciaco est ao alcance de todos, e nao dese-
jam os emprezarios fazer nutrir esperanzas que
parecam exageradas, posto que effeclivameute o
nao sejam.
BarSo do Ltvramrnto.
Jos Bernardo Galvao Alcoforudo.
Antonio Luiz dos Santos.
O dvogdde Miguel Jos d Almeida
Pernambuco participa a quem convier,
.que por convite dos Srs. Drs. Alcofora-
dos, mudou a sua banca de advogado da
ra do Imperador para a do Crespo n. 4,
escriptorio dos-mesmos Drs. onde pode
ser procurado das 9 d,\ manh.ii s 3 da
tarde.
tc tra A
ATTENGO.
Aluga-se a casa terrea n."17 ra do Mondego,
com tres quartos o duas salas, canno no quintal
para esgoto ; e perrniltindo-se fazer o despejo no
oh que peefclaeha !
Chitas francezas escuras a 300 rs. o corado :
toja de Pinto & Plores na rna da Cadeia do Recife
n. 47, esquina que vuita para a Madre de Dos.
Potassa da llsitsla.
da mais snperior desembarrada bontem
se bo escriptorio de Manoel lnnacio.de 014'
Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
Venda.
Vende-se a taberna da roa da imaenrtriz n. 70.
tendo s armario e nouros gneros; esu prove
para principiante e para qualquer n*foeio; a
caas tem commodos e o lugar dos melhores : a>
tratar ua mesma.
Vende-se urna taberna na llapanga Nova
propria para qualquer principiante : quem a fn-
tender, pode dirigir-se a mesma. que achara com
quiotafda olaria, junto dita casa, podendo tam-1 bam tomar bauhos salgados : a tratar na dita ra, esquinada ra daa Pernambucanas.____________
olaria n. 13. Vende-se i betn conhecula luja m fazendas
da ra do Crespo, pertrnceoie a Jos Marques do
Sanio Agu.ir : a tratar na ra ua Cadeia do Re-
cife n. 4.
Precisa-se de dous hmeos que entendam do
ser vico de copeiro : na ra da Aurora n. 32.
Ainda est para alugar-se o sobrado amarel-
lo da Ponte de. Uchoa : a tratar no largo do Pa-
raizo n. 16.
Precisa-se de una ama de leiie : na ra do
Livramento n. 20, segundo andar. _____
O Uiesoureiro da contraria acadmica
de Nossa Senhora do Bom Consellw, emlio-
ra tenha pago pontualmeote todas* as des-
pezas por ella feilas durante o anno de I8G3
1864, por isso considere que ella nada
deve a quem quer que seja, todava tendo
de prestar bi evementc snas contas nova
mesa administrativa da mesma contraria,
e desejando que nao se possam oppr com
fundamento llovidas futuras, convida a qual-
quer individuo que por ventura ainda se
julgar credr, para que se sirva de compa-
recer at o dia 14 do corrente. a ruada
Aurora n. 20, com a sua conta regular,
corto de que sendo reconhecida a proce-
dencia da despeza ser immediatamente sa-
tisfeita. Recife, iudeoutubro de 1864.
De novo sao convidados os irmos da irman-
dade da Senhora Sani'Anna, erada na igreja da
Santa Cruz, para comparecerem domingo 16 do
corrente aten, as 9 horas da manhia, para tratar-
se da eleicao que tem de reger o anno do 1864
1865.Francolino Eleuterio Perreira Chaves.
Precisa-se de um copeiro, preferindo-se es-
trangeiro : a tralar na ra das Larangeiras n. 10.
Attencio
A. i. di ioi tm:
Acaba de receber pelo ultimo vapor
un grande sortimento de molduras para
retratos pelo diminuto preco de. SO rs. t j
6, ra Nova n. 22
Vendo no Diario de Pernambuco de o do corren-
te n. 228 um us abaixo assignados por partes de
diversas pessoas a favor dos Si s. Rabello & Rranco,
em cujo documento vem posto meu nome em ul-
timo lugar,*em que en o tivesse assignado, nem
tao pouco autor isado oiuguern para fazc-lo, apres-
so-me etn declarar ao resrieitavel publico que a as-
signatura que alli se encontra -le meu nome c fal
sa. Recife 10 de oulubro do 1864.
Antonio Moreira Porto.
H le de Franca
Francisco Antonio Nerv, ex-pensionista de pin-
tura histrica do governo imperial, em Roma, tem
a honra de declarar ao resucitare! publico desta ci-
dade. que se dispoe a Kccionar aodesenho hist-
rico em collegios, e tambem em casas particulares,
e que para esse lim poder ser procurado das 10
horas da manha s t da tarde.
COMPRAS.
Compra-so ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja du bilhetes da praca da lnde
pendencia n. 22. ___________________
Compra-se effectivamente
ouro e prata era obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja do ourives
Aviso,
A abaixo assignada declara ao respeitavel
bliro que tendo urna casa sita na ra de
Rita n. 47, ningttem faca contrato cora o
Jorge de Lima.
Caetana Coelho.
pu-
Santa
Sr.
Ainda est para alugar-se a boa casa
terrea n. 39 ra da Uniao.
Para passar a festa. Passamento de festa e ba-
Alnga-se urna casa no Mooteiro, com commodos TlbOS SaladOS.
nara familia, ao p do Sr. Jos Rodrigues do Passo, 11I1VQ xu0uuvra.
2m quTo inquilino precise gastar cousa alguma : Aluga-se um sobrado altos e ba.xos, em Olinda
i botica da ra do Cabug n. 11._____________ para passamentos de festas, no principio da ladeira
,----------------gTvIih t0rmndnrahn da Misericordia, na esquma da ra do Bombn,
Roubaram no engenho velho, termo do Lao,
muito fresco e com muito boa vista para o mar, i
ossigoaes egnintes: um.castanho "Jao, f^ familia, com dnas cozinhas, no andar terreo o no f
queno, bom andador de baixo __^_~_?*_2 solao, todo muito bem pintado, com qoiBlal e por-
tendosignal branco no corpo ; ou ro tamhem cas- ^ com sahdJ a pHa do ^^^ .
tanho, pequeo, bom andador _%A_a^ pretender, d.rija-se ra de SantaThereza n.-50,
sgnala cora mal de belttsdoJ^gtto da cabe- p s./Antonio ^ _______________
ra p nutro tambem castanho amareno, granae, ._ .----- .r------r
andador baiao castrado, e muilo passarinheiro : Precisa-se alugar urna preta que seja boa en-
quem aprehende-los, poder leva-Ios ao engenho gommadeira e
Velho do Cabo, onde ser gratificado generosa- 41, taberna.
Aluga-se uraa escrava para todo servico de
casa e tambem faz as compras : na ra do |a>
perador n. 50, tereciro andar.
Offerece-se urna pessoa com habilitacoes ne-
cessarias para administrar um eugenho por ter es-
tado 18 anuos em servieos desta ordem, d se fia-
dor idneo conducta : a tratar na ra do Impe-
rador, armazem n. 411_______________________
Monte Pi' Popular Pemarahm-ano.
De ordem da directora convido aos senhores so-
cios que se achara em dia comparecerem no do-
mingo 16 do corrente, na sala das sessfies, as 10
horas da manhaa, alim de reunirem a assembla
geral para se proceder a eleico do novo conselho
de dirigir os trabalhos no exercicio de
646o.
Secretaria do Monte Pi Popular Pernambucano
11 de outubro de 1864.
Rernardo Falco de Souza
l secretario.
Na~p'raca da Independencia, loja de onrives
o. 33, comprara-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
coinmemla, e todo e qualquer concert._______
Comprase diarios a 140 rs. a libra e 4480
a arrobe : na ra da Senzala Velha n. 50.
Compra-se um boi a urna carroca com a
competente pitia para eonduco d'agua : a tratar
na cidade nova de Santo Amaro com o Sr. Antonio
Jos Gomes do Correio.
cpr\-se
urna negra de bonita figura, que saiba lavar, en-
gommar e coser bem, e cuja idade nao exceda a
25 annos, agradando paga-se bem : a tratar no es
rriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho,
largo do Corpo Santo n. 19.
C011PR4 SE
cobre velho por maior preco do que em ou-
tra qualquer parte : no armazem da bola
ama re Ua no ottao da secretaria de polica.
-Tcompra-se urna barraca nova e urna salva de
prata, sem felti > no hotel Italiano, ra do Tra-
piche._________ .___________.__________
Compra-se urna carroca para boi, usada :
na ra nova de Santa Rita, n. 19, nbeira do peixe.
Vende-se a casa terrea n. 23 da ra da I
ranea, construida moderna, rom tres janelli
frente e porlo ao lado, quintal todo murado*-
cimba propria : quem a pretender dirija-se
ca da Roa-Vista n. 4.
Vende-ie urna muala de 20 annos de
sendo perleta engommadeira, co-tureira e
bem, com urna cria de 4 annos. muito linda
ra das Larangeiras n. 18, segundo andar.
"Vndese sebo do Porto em raiza* de
arroba, a proco barato : na ra de Apollo n. I
Vendem-se taboas que servirn em r,
ou depsitos de armazem de assucar. e algnns
chames, por preco barato : na ra de Apollo
mero 20.______'__________________________
Vende-se um carro de paM em
bom estado e com commodos suuVientes
quatro pessoas por preco muilo em conu a
tar na Capunga sitio de Paulo Jom- (jomes.
Veude-se um sitio bjh Arelas do i,ii|
com casa de vivenda e rancho, por barato preco" :
a tratar no mesmo com Miguel de Mattos da Silva
Paulo, ou ua ra Direita n. 8.
VENDAS.
__Vndese caixoesvaz'osproonos
para nahn'eiros e fnnileiros a I$760
rada un; nesla typostraphia.________
Enfeites para cabera.
Chegaram os lindos enfeites de caneca para se-
nhoras, sendo muilo simples ede muito gosto : s
no Vigilante, ra do Crespo n. 7.___________
Machimis de vapor opa-
adescarooar algodlo.
Bloendas e neias moeudas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Rodas d'agua, dentudas e>
de carroca com mangas e
eixos de patente.
Ra doBrumn. 38, fundi-
cao do Bowman.___________
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do (jueimado n. 49, e.-la vendemto muito
boas fazendas 0 muito baratas, quem q07 r poder-
vir ver ou maudar para experimeniar, aim cerno
sejam :
Gollinhas muito linas para senhora a Mt rs.
Ditas e puuhos de futlo muito In.nilas a 040.
Cartas de aifinete de cabeca chala de Mus o* la-
manhos a 80 rs.
Resmas de papel de tieso muito In-m a 2.
Capachos redondos a compridos a oOO rs.
Caixas com superiores obrcias de colla e de massa
a 40 rs.
Cordo branco gross que tem muita applicafao a.
vara a 20 rs.
fiabas de carriteis garanle-se 1) jardas aun
Cartoes de liaba Pedro V com 200 jardas a 40 r*.
Grosas Ue peonas de ac muilo finas 5O rs.
Varas de franja de la para vestido a 40 rs.
Ditas de franja branca larga para toallas a ICO ra-
pares do botdes de punho a 120,320 e 500 rs.
Tinteiros de vklre com tinta a IfiOrs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 n.
Grosas de botoes de louca praleado a 160 e a a-
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80. 200, tf>0 e 500 rs.
Escovas para limpar denles, superiores a X r.
Libra de la para bordar da melbor qualidade a
6*500.
Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
Caixas e pacotes de papel amizade superior al
ris.
Caixas com 100 envelopes muito Unos a m rs.
Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriteis de linha Alexandre com 200 jardas
10O rs.
narilliw para volurete a 240e mais linos a Basa
Meiadasde linha frouxa para bordar a 20 rs. ^^
Pares de sapates de tranca de lodos os liamabo*
Grosas de botoes de madreperola mnito fiaoa a5*>
ris.
Carlas e caixas de clchelos de superiores qoan-
dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Grosas de palitos de gaz a 2200.
Libras de areia preU da melbor qnalidada a 1
ris.
Caixas redondas para rap e tem mnito boato* ea
lungas a 100 rs.___________________________
Balaios para meninas
mente.
e no
Atten$o.
0 abaixo assignado participa ao respeitavel pu-
blico, e a qaem mais possa interessar, que o seu
enteado e genro, Jos Pereira Bastos nao mais
seu procurador, por lhe haver cessado os poderes
que lhe havla conferido n'uma procnracSo bastan-
te, constitaindo ao mesmo lempo procurador bas-
tante para tratar de todos os seus negocios, ao seu
sobrinho e genroSebastio Alvos da Silva, pelo que
nao se responsabilisa por nenhum negocio ou trato
Agua-Preta, engenho S. Joao do Poco, i* de c
,ubrode,864-Sebasti5odaC..nhaAccoliLins.
Os administradores da massa fallida do Sr.
_^_Tr^!T_T__."_ JoaquirnJosSUveira. tendo de proceder o di-i-
cozmheira: ua ra da Palma.n. dend0 d3 _nlwiro entente em caixa, precisara
que os respectivos credores apresentem seus ttu-
los para que sejam considerados e verificados, na
rna do Trapiche n. 34, das 10 horas da manhaa as
2 da tarde ; e nao sendo possivel que se espero ib-,
definidamente pela apresentacao desses ttulos,
aquel 'os quo se nao prestaren! a este convite den-
tro do praso de 10 dias, a ccnlar desla data, nao
sero coraprehendidos no dividendo. Recife 8 de;
outubro de 1864.
ou-
H. E. Skelton e sua familia, subditos ingle-
zes, retlrara-se para a Europa.
Ao publico.
ATTENQAO.
Precisa-se de tres contos de ris a juros de 2 por
cento ao mez, garanlindo-se esta importancia com
seis contos do ris em 4 escravos o mal urna boa
Mimo a 36500.
> endem-se na ra da Madre de Dos ns. 5 e 9,
saceos grandes com milho novo. _____________
Yihos imiis e baratos.
Da Figueira a 34200 a caada, o 440 rs. a gar-
rafa de Lisboa a 24600 a caada e 360 rs. a gar-
rafa : no armazem da Estrila, largo do Paraizo
numero 14. ... .__________
tra, que sera passaua cora o prazo
zes, nao fr paga : quem quizer este negocio de
tanta vantagem, pode se dirigir ra do Livra-
mento n. 38, que ahi so dir quem o faz.
- lferece-se para caixeir* de tanerna um ra-
tera multa prailca e toma
fiador a sua conducta : na
taberna. __________________
Precisase de um i pessoa entendida no tra-
fico de padaria, na ra do Rangel n. 7, e bem as-
sim de um menino de 14 annos.
Caballo.
Vende-se um cavado bom andador de baixo
meio: narrua Nova n. 15, primeiro andar.
T_rveiv*se alco-d ou espirito de agurdenle \
na ra nova de Santa Rita, n. 19, nbeira do neiie.
Vende-se urna carroca com um exccllenle
boi novo e eordo, tudo por commodo preco: na a ;____ _y_iArir------
rua do Destino n. 18, ma terrea ao no da taberna (no armazem de H^J"*
do Sr. Lima.
Lindos balaios de varios goMos para
trazerem no braco : s se encontra na loja do _aji-
ja-Flor, ra do 0-e'm-do n. 63 e 0.
Extratos e sabno em eai-
xinhas
Lindas caix-thas com um cartio com a batil-v
imperial, e dentro de cada caixa nm frasco sa-
ho o mais fino que pasme!: na loja do Beifa-
Flor ra do.Queimado n. 63. e 69.
saX
No e^criDlorio de E. R. Rabello, roa da Cadeia
n 53, vende-se.sal ainda a borlo do navio.
GAZ GA2 GAZ __
Vende-se ga_ de primeira qoalid do
105 a lata : nos armaiens da rna do b-
perador o. 16 e rna do Trapk-ie No^o
al"de~i-la>Mir
Ha pira vender a mais nova, e !,im_*__J*r
gada ao mercado, em bem acondicwaaaoa aarr^
..no armazem de Manoel Teixeira m
hraptcke n. 13, por preco raoatcL
-


Diarlo e rerwmftnc* ulula telra 13 le Ouiubro 4c i .
r
M PUBLICO
Sen o menor constran-
gimento se entregar o
Importe do genero qne
nao agradar.
ATTENQftO
Os preces da seguate
tabella c para todos, pu-
dendo asslin servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
RIJA DA ARE2IA DO UEilFE I. 53.
(Logo passindo o arco da Coneeicao)
Grande reduceo de preeos, equivalente a dez por rento menos o qne ontro qtialquer
annunciante.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, tem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com isto oca'sio a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritaren em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 111 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reducto de precos, como veris
pela segrate tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oo a l,6oo rs. a libra. Hoje~porem, resentidos da reduccao a que
estao obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabeleeimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabeleeimento desta ordem que o seu fim
tao smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senbores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabeleeimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me dao a proteceo e preferencia na compra
dos gneros que preoisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, pois
sero tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao v3o em ouira parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricas de
escolhida a 8oo rs. a libra, em barril se ment.
faz abalimento. Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
dem franceza a mais nova que tem vindo ao e 8,5oo rs. a arroba.
VNDESE
alcalrao do gaz pelo preco da fabrica: m>
armazem da bola amarella no oito da se-
cretarla da polica.
SALSAPRRILHA
BE B&ISTOL.
As ennn milagmoai le
< t<* t .txTic.ts,
EKFERMDADES RHHW .
Erysipelas, Rhev-matismo.
Nevralgias, Escorbuto,
Vi*'..
elr..
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,Goo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preio homeopathicoporserde superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem bysson, huxim e pcrola mais proprio
fiara negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
ibra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em ouira parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5.5oo rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e !,5oo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste uliimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
. EnjJJias^tava&porluguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Pregunto ilo reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem injle/.as para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapi lados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Chocolate francez, snisso e hespanol a Ooo
l.ooo o l,2oo rs. a libra.
Espcrmacele em caixinhas contendo 6 libras
por 4,ooo rs.,garanle-se serem transpa-
rente edesuperior qualidade, lambemtera
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em psta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 8oo e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeara das marcas mais acredita-
das q e tem viudo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-
duzias se faz abati-
Idem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior' qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Pataco ealpisla a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Alelria, macarro e lalbarim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e lallierim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, Cerveja "branca epreta das marcas mais a-
4oo eooo rs. a garrafa, emeanada a 2,ooo, creditadas que vem ao mercado a5,ooo e
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,6oo; ditas doce em latas com o mes-
- mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por I,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
roldado mesmo a 5oors.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e 11,ooo a duzia-
Palitos para denles a I4oe 16o rs. o maco.
Sal refinado em irasco de vidro com rolda do
mesmo a 5oo rs.
Acaba de iecei.er de sua prupria encommenaa um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, aflamando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-:
mazem.
<|I1C tl.Mll
noiiic :i
rangeado dado > airo
re
Salsaparrilha de Eristol
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a l,ooo
rs, a libra e 8oo rs. sendo em barril.
(dem franceza a ;6oors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a" libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
Licores fraocezes e portuguezes das seguin-'
tes marcas ceme de violetas, gerofles, ro- i
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,'
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gui-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a l.oool
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se;
qne os melhores que temos tido no mer-
cado.
por todas partes do mmer>...
tmente devida
><> i~-
Tnica Legitima c Original
SALSAPAREILHA DE BEBTOL
I'KKHAIUDA EXCII -IVAMKVTK
ro::
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
3,ooo e 3,8oo rs.
Vindo branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em cariada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vindo brafleo para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz L, Madeira secca, Malvazio fino,
Feloria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
1 o,ooo rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardindas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhns inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolacdinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de Ilollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a I .ooo rs. o frasco, e
1 l,ooo rs. a duzia.
dem de Ilollanda em botijas grandes a 4oo
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolacdinhasd'agua em sal da fa!rica do Beato
5,5oo a
duzia e 48o rs. a garrafa..
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinlia de Franca muito nova ao*rs.
Charutosdetodososfabricantesda Bal aedas
mais acreditadas marcas cwiheciMs no
nosso mercado a 2,oon, 2,5< o, ^,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaha em latas de 4 li-j
bras por 2,ooo;
cada um.
Farinda de araruta verdadeira a 32o rs. a
lidra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banda de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinha de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
desejar a 2,6oo e de 8 libras para "cima
a ,500 rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2.8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,400, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
(jueijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem pralo es melhores e mais frescos do
mercado a 8oo rs. a libra sendo intuiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras" das seguintes
marcas : Osborne, Craknrl, Mixed, Victo-
ria, Hec-nic, Fance, Machineeoutras mul-
tas a l,3oo e l,4oo rs.
Fumo americano em chapa a 1,6oo rs, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
caixa e 6o rs. a libra-
Balachinha de Craknel era latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
AGENCIA
DA
FUNGI LOW-AOMOOE.E
Ra da Senzalla ora n. 42.
Neste estabeleeimento contina a haver
um completo sortimento de nioendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos ot
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston & C,
rna da Senzalla Nova n. 42.
liuho lo Porto superior
dm caitas de urna e duas duzias : tem para ven-
eer Antonio Lat de Oliveira Azevedo & C, no seu
escriptorio ra da Cruz n. 1.
mrnmmm mmmmwm
M Fabrica Concei$o da |
Bahia.
gg Andrade k Reg, recebem constante- I
fW mente e tem venda no seu armazem n. ig
3& 34 da ruado Imperador, alftodao d'aquel- ?M
q la fabrica, propriu para saceos de assu- *^
I car, embalar awodo em pluma etc., etc., |fe
MK pelo prego mais razoavel.
AIMIA/EM
FRONTEIRO
DE
Ra da Senzalla n. 42.
Vende-se, em. casa de S. P. Johnston & C,
sellins e sildoes itiglezes, candieiros e cacti-
caes brorizea.los, lonas inglezas, fio de vela,
AI/VES COUTINHO 21Largo do Tergo21
Ao publico.
Chouricas muito novas a64o rs. a libra ; chocolate francez al,ooo rs. a libra;
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranhao e da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2.6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a 1 ,ooo rs. a garrafa e em porcao, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs. ; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e l,2o>rs. a arroba ; cd perola, hysson, miudinho a l,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra ; charutos des melhores fabricantes da Bahia de 2,ooo e 4,ooo rs- ;
cerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo rs.; cognac inglez superior a l,ooo rs. a
garrafa ; caf de 1.a, 2.a e 3.a qualidade de 8,5oo, 9.oooe9,5oo rs. a arroba ; cevadi-
nha a ioo rs. a libra ; ervilhas portuguezas em latas de 1 !/s libra a 7oo rs. ; spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e m a arroba a 6,ooors ; genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco; idem de Ilollanda
a 64o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feita flor a 8oo rs. a libra; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; ma.-a
de tomate a 6oo rs. a libra ; marmdlada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra ; ale-
tra, taliarim e macarr5oa 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a l.ooors. cada fras-
co ; nozes muito novas a 2oo rs. a libra ; passas a 4oo rs. a libra ; patac" a 16o rs. ; po-
ditoemcaixesa6oors. ldem ingIe,as em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se4
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
2Ioors. a resma.
| Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
i Bicos frascos com frutas francezas em calda
a meldor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
Frutas em calda edegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21|2 libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
1 ,ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 8oo;
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.' >
Grao debico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a I,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 8#500 cada urna, i
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa. i
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
parrafa. -
Charutos era grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a 1,5oo,
2,ooo, 2.5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e O.ooo (
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra,
dem de sebo muito dura fingindo esparraace-
te 36o rs. a libra,
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Sfs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res- i
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
Ideraalmaco pauladoelsoa3.ooors. a resma. |
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
LIYSIAFI &. ttlf H Mfj lOBk.
Mediante a reaeitado />,: C.C. BriU
venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo C, roa
da Madre de Dos.
co 3- a
B K
J.

C 3 O '
si-*
_ m O C a> ~
STo-3 5' r"3S3
5 =5 2.s-2 I 3? ^S ~
<& "o
C ai u^
O. -5
0 c-05
co O
CO _
S ~>
O

es
~ _
o
I-5.
09
<
3 S 8
o. o
co 3
2 S
2 3
Hg a:
I i
W
CC = (5
"= 5
I' 3
2.
S'
5" r I
v. 2 is.
s._.s-.?!
I
9
El*?
19
39 J
a.

S?5 8 -.
o a,
co a
2*1 I
as CA
? E-S
ro a; o
'/.
as as fj
65 C
-1
l
3 -9
as -i
\
9
9,

'ara ilestar-ewa^sd.
Na padana da rna DMM n 84, NBMa um
; excellente motor para riwfc, qn^

car eom gramte vaniap.m m mhUmi fr n-
carogar algodin, para farinha de niandn-n^ rm
quadjuer outro misl.T, len.Jo a natopa de Mi o
maii. .mplc poMivel.
r----------^-v-ml
DIGESTIVAS
DEPEPSIWI
IPASTILHASI
DE WASMAN
dem a zul de botica ou fugueteiro a
a resma.
2,oo rs.
eaes Dronzea.ios, tonas inglezas, ao ae veta, v" ,"' -- -; -. r^(. *m> u. mu < v*,uV> a ou is. ; po-
chicotespara carros e montara, arreios para mada a 24 rs- a duzia; P"enta do reino a 36o rs. ; papel almaco e de peso de diver-
carros de um e ouro patente inglez. i "idividual a 2o rs. a ciixmha e 36o rs. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,ooo re.
-------------------------------------------------- [cada um; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de .Nantes de 4oo a 64o rs. a lata ; sa-
A IClltVO. i Mo massa muito wperi r a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa muito alvo a 3oo rs. a li-
Vende se barris^om alcatrao. na ra da Crnz Dra vinne do Pnrt0 velho engarrafado a 1,5oo rs.; idem em barril a 8oo rs. a garrafa,
n. 23, primeiroandaf, scriptorio de Antonio de sendo poreao fa/.-se differenca eem caada a 5,noo rs.; iifem de Lisboa muito superior a
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a canada.
Especial vtaho Lavradio sem a mais pequea
enmposicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de malarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com ligos a l.ooo rs. cada urna.
Seos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrames com 4 '/a garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
Idem com 4 '/ ditas de venagre a 1 .ooo rs. o
arralan.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
Idem em pipa puro sem o hatismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caifas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8eo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
dem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/ libra a
l,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Kiarrbra r
raras pt.
ra rlalM>rarra
ii.. ale-
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 6oo rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a I,ooo rs. o molho e
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafesde 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados era macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs*-* masso.
Cominhos muito novos a 32o rs a libra e
lo.ooo a arroba. /
Sag muito novo a 24o rs. a rara.
Cevadinha de Franca a 18or a libra.
Milho alpista a 14o rs. "a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixcs em latas a l.ooo rs. a lata j^rompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo e l.ooo rs. o
caixao.
As iHiUUI.audiqcstitas etm a pepsina ilt Wan-
NUHt, empregSO M rom MicresM) lia j a!j;un
annos pelas celebridades medicacs de Riris,
Londres, Viotaa, etc., cni todas as iiK-omniodi-
dades em as qnaes a deslao i i'illiril, prnosa,
aiperfecta ou mesmo impossivel: e o melhor
rcim'dio para cural as
i:nnlral|tlfl.
niMpr|ialaa.
I lulmt *cn KitHlrlrnx
A ^IKll ili-
Ah MTrcrra nr^anl-
rna do ralmax.
Em todas as molestias enipreeao-se a miado vi
a^uas alcalinas, especialmente uiun de l"/*-*y,
e igualmente as paiihu de Vichy^ Ksse mrio *
cflicaz quando se trate de disi>opsias de curta du-
racao. mas o prolongado uso das aguas r paftilhm
de Viclty, tem grandes inconvenientes, por qnanto
os alcalinos empobrecem o sangne e isso de tal
maneira que Ihes arrelulhao a parte vmticaale.
nutritiva c reparan i/.. Com a pepsina, a contrario,
como ella cuma substancia orgnica, albuminosa,
translbrma-se ao mesmo tom|>o qne se eie.iui a
transformacao dos alimentos assimilhando-se
como elles c ajudo tabem como elles a nutrico
gcral. Sua accao vivitica o sanguc c os rgaos
de tal sorte que, atb as pessoas que sem soffrer as
alTcccoes gstricas cima mencionadas sao nica-
mente iracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, c necesMt.io substancial alimento para Ibr-
titicar se, acho no empreo das pastiiluu i pep-
sina de Wasman, um poderoso meio para a isa
cliegnr.
Aviso importante. 0 snecesso das pastilhas
pepsina de Wusman din causa a ae fazemn fal-
Dcaedea c imitacoes d'ese producto que os
mulos se querem desfazer. Pois por falla doma
boa preparado n pepsina que n'ela entra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'estc inconveniente,
exigendo os compradores qne as pastilhas lenhSo
asiniciaesB. P. esaio da pharmariaCherriar.
Dcpsitogeralem Pars, pharmacia Chvrrimr,
24, Faubourg-Aiontmarlre, eem todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
r
Almeida Gomes.
POTnSSA
, idem da Figueira J. A. A. a 5oo rs. a garrafa e
a 36o e 320 rs. a garrafa e em caada a 2,56o
4oo rs. a garrafa e 2.8oo rs. a caada
3.6oo rs. a caada; idem do I-Mreito
idem Bnr.ieaui a 56o rs. a garrafa; idem branco de Lisboa, proprio para missa a Seo rs'
Vendr potassa em barris a comido prefo o a frrafa 5 vinagre de Lisboa mt.jto superior a 2oo rs. a garrafa, e l,4oo rs. a caada ;'
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eaeriptori: 180da> eevada, alfasema, gaz e tijoto de hmpar facas a 14o rs. Presuntos de Lamego a 5oo
de Antonio de Airaeida Gomes, 1 ea.LjB a.ir rb outros mujtos gneros quedesnecessario menciona-los.
f O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregne
zea e amigos e ?o publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unilo e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
"?<
im
MASSA E XAROPE
B E R T H
COM CODKIMA
Preconizados por lodos os mdicos contra
as De/laxos, a Gripp* t todas as Irriune*
do yeito.
AVISO
Falsihcacoes repr.hensiveis excitadas peto
successos do Xurvpe e da Mana de Brrtki-,
"nos obrigio a recordar que esses productos
i.io judamente
nomeados nao se
enti'.i'.io sen.vi' ni
bocetas c em Iras-
cos rom a assigna-
tura aqui indicada. J*"-',(aiyaf*.
1-il. ru Saint-HoKor, jia charmacia
li vise, e em todas as pliannarias.
nn
Deposito geral em Peruambnr* rna da
Cruz n. 22 em casa de Caros Baitoaa.



Diarlo de Pernambuco Quinta elra 13 de Oulubro de A8Q4.

RA 1IO QIJI2II?IA1>0 IX. 45.
Passaiid o becco. da Congregado segunda casa.
Wl*
NOV1DADE
Grande liquida#io.
Rua da Imperatriz u. O.
Loja de telendas do Pavo de (iania & Silva. .
Acha-se este estabelecimento completamente
sortido de fazendas inglezas, france/as, allemaas e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mallo, prometiendo vender-so niais baiatodoque
em outra qualquer parle principalmente sendo em
porcao, e de todas as fazendas dao-se as amostras,
deUando car penhor, ou mandam-se levar em
casa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As chitas do Pavo.
Vendem-se chitas ingieras claras c escuras pelo
barato prego de 240, 260 e 280 rs. o covado, tintas
seguras; dilas francesas do cores seguras a :*0,
-sj ^a ? .a *,? acabam de?brir na ruj do Queimado n. 45 um armazcm de molhados denominado Clarim Commer-
ciai, onde o respeitavel publico encontrara sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes serao vendidos por preces muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencioneda ; garante-se obom
peso e boa quaudade dos gneros comprados neste armazem.
Ar5X 0 S?8!' !\e ^"% JUS iPras seccas muit0 novas a 6^ rs. a libra. Cevadinha de Franca milito superior a 220
1U0 rs. a libra, e 1,5800, 20COO e 3#000 Painco a 200 rs. a libra. i rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilhas portuguezas a 040 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. I dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2*800\ Figos do comadre e do Douro em caixinhas
dem prato. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
dem londrino chegado no ultimo vapor a IjJSOO, 5#500 e 280 rs. a libra.
marcas a
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
ItfQO e 10000, e em frascos grandes a
2>5l)0.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a IftSO, 11400, 106OOe2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Arpista a 163 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
fibra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas
1530" rs.
Bolachinhas de soda, latasgrandes, a 20 rs.
a lita,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhaea2O0rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hyssro, huebin e perola a 10600, 20,
255t, 2800 e 35000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerve a preta e branca, dss melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 508OD a duzia.
Cognac inclez fino a 98 > rs. a garrafa.
Conservas a 70 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72' rs.
dem, s de acetonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especi dente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200 ><), 20200, 20500, 20800, 30000 e
ySfO a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a lrbrae805:Va 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
bem omito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.
cadaum.
Sardinhas de ames a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 4-40 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 60 O r
libra.
Eigos em caixinhas emticamente lacradr.s
a I600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
lia neste.peero e de varias marcas, como
sejam: Veltio de 1815, Duque do Porto,
Madcira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocajye Cbamisso e outros a 800, 000 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 9&000 e 100000.
dem em pipa. Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 c 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
! dem de trigo a 120 rs. a libra.
! Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqneira.
dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500
e 70500 ada um eom o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial em garrafas muito
grandr-s, a 10800 a garrafa.
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
.Marmelada imperial dos melhores conservei-
res de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700 800 rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 7O0O a 70500 rs. dem regular a 500 rs.
a duzia. I Macas finas para sopa: estrellioha, pevide,
rodinha e. aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinha com 12 libras.
Nezes muito novas a 160 Peixe em latas preparado pela primoin arte
de cozinha a 10 a lata,
Palos de denles a 160 rs. o maro.
dem de denles a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
340,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado. fazenda
muito superior e bonitos padrees : s na loja do
Pavo.
As iaaziiihas da e\posiro do Pavao.
Vcndem-se ISazinhas as mais modernas que
toffl viudo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarques por seren lisas e de cores muito
AO RBSSPEITAVEIj pubuc*.
RUA DAS CINCO POMAS N. 88
Esquina da nova travs de tfoo.
wwt i
Desejando o jiroprietario do grande arnazfn do Propnela Ur lar-
gas aoseu genio emprehendedor, comniercial c especulativo, reserves cr i<; sj rselo
que o assallou, quando as horas caladas da noiie o seu solicito espirita M agiiava n um
,turbilhao de ideas, tendentes todas bem servir e agradar aos generosos Militarles
delicadas 560eaOOrs.; ditas lisas com um lustre: de^ta bella provincia, de abrir mais esle grande estabeleelssemto da n-\w e
qiSVelc^ **"* (luasi ,?ue especialmente destinados as pessoas p. tora na fre-
bar : da loja e armazem de Gama Imperatnz d. 60. i dade sao sem corita o numero das vaiitagens que se Ibes offerc-ce, nao l eoaa relatan a
Os vestidos do Pavo. | modicidade dos fieles, como da facilidade e brevidade da condueco ios obje los cim-
Vendei-se os mais modernos cortes de vestido prados.
0 sonho do Proplieta ser urna verdade pratica tio acceda e abrumada comn as
palavras simples ebem intencionadas dos velhos patriarchas dSM8 ICBBfm id, si a Se-
uhor Deus dos exercilos nao o quizer contrariar.
0 Propiieta nao querendo restringir-se a forma ordinaria de arg car rtiatitl
tambem, depois de profunda medilacSo, de uo vender smenle os seus n ve ros a di-
nbeiro con ente ; mas tambem de por em pratica troca delles por outros da pn doccao
Ven^m-soosrotHDioVvesiidoT MariaPia do paizou por escravs, boi^ cavallos, etc. Assim, pois, fique na ioielligenua .! todos,
de lazinha transparente com lisias, e paiminhas que O PBOPHETA recbela COBIO moeda de qualquer dos senlinres agricu'ies. ; ssm :ir
de seda pelo barato preco de 80 cada corte :s algodo, agurdenle, milho, feijao, cavallos, esclavos, etc., et.. o Ih.'sdara o mesmo olor
matta lmpera,r,z 60>deGa" em gneros, escolhidos a contento.
As cassas do Pavo a 210, 280, 300. 320 e Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objertos re-
3gQ rs# cbidos por troca, o t -ropheta nao demorar a dilVen-nra que deve dar .-m dmliero.
S o Pavo vende as finissiinas cassas persianas t'm estabelecimento que com tantos sacrificios e despezM acaba de ?er abirto
imitaco de la, com cores fixas, 360 rs. o co- deve inspirar a lodos a certeza de que se vender muito barato com o im de se adunt-
vado ^ ditas francezas muito finas 240, 280, 300 rjr crdito e frcguezia.
I re a covado, isto para acabar : rua da
A-aruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80,
ICO e 120 rs. a libra, e a arroba a lr>800,
2^500 e 2*800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
de laa, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, corpinho c collete separado ; ditos
com listas de seda e tambem com barras e enfei-
tes fiara o corpo, por prego mais barato do que em
outra qualquer parte, e se quizerem una prova
do que se diz, mandem ver leja e armazem do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Os vestidos i Hara Pia. S o Pavo (8*000).
e320rs. o
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madapoloes do Pavo
Vende-se peca de madapolo infestado com 12
jardas cada peca pelo baralo prego de 4, 4,8500 e
o cada peca, fazenda muito sujierior : s o Pa-
Idem MorgauxeChateaulumini de 18o i, a 141
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a gwrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrofa e!
16200rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 1*800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao de outros que dolamos
a
so
vao a rua da Imperatriz n. 50, notando que a peca
leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao Ameixas francezas a 1*200, 1*400 e 1*600
nem en' em latas, frascos e lindas caicl.inhasmuito
proprias para memosear alguem,
Amendoas confeitadas em fra>C0S de vidro
a 1 o frasco.
Alpiste a 1G0 rs. a libra e a 4*500 a arroba.
Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa.
Azeile de Lisboa a 040 rs. a garrafa e 4*800
a caada.
Azeite doce em boies com 9 garrafas a 5*500
com o boiao.
Azeitonas por todo o pceo
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porgues como
retalho-
Qiiem comprar de 100*000 para cima le-
ra o abate de 5 por canto.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possi.el a
2* e em oafSo a 040 rs.
Palitos do gaz a 2*200 a groza.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
illACIIiNASBEPTENTE
de trabalbar a tao para
descarocar algodo
vao, de Gama & Silva.
Bramante de llnho do Pavo
t- 400, 200.
Vende-se o melhor bramante de linho paro com
dez palmos de largura por prego muito commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
2^200, 2i00, e 25600 ; s o Pavo : rua da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de linlio do Pavo.
Vende-so psnno de linho com i palmos de lar-
gura proprio para lences e toalhas de mao pelo
baraiissimo prego de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
godozioho com oilo palmos de largura proprio
para lenges, pelo baratissimo prego de 15 a vara,
assim como tem o melhor algodozinho tanto em
largura como em corpo, proprio para lences, ca-
misas de escravs, etc., etc., prego muito conimo-
do vista da fazenda; s o Pavo : rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Algodozinho -eom loque de avaria a 5,000 ris
e -.Mo
Vende-se peca de algodozinho por ter um pe-
queo toque d avaria, mas que esta em bom es-
lado, pelo barato prego de 45 e 45500 a pega ; s
o Pavo : rua da Imperatriz n. 60 de Gama &
Si"
dem em botija a :K0e 400 rs. a botija.
Graixa em lat s a l*2(JO a duzia.
Limonadas de diversas inicias a l,&000 o
frasco.
Licores inglezes e francezes a 1^000, 15C0
e 2* a garrafa.
Lingoas americanas a 800 rs. Linguigas promplas em latas a 1*200 a lila.
Manteiga ingleza oesta genero o que ha de
melhorya8u0 rs. a libra e em barril a 700
rs.
dem piis baixa a040e 720 rs. a libra.
Mantoga francesa a 520 rs. a libia, em barril
a 0 40 rs a libra un rtialho.
Massa de tomates a 040 rs. Mira.
Marmelada muito nova a640 rs. a t.t...
I Mullios inglozes a 400 c 040 rs. a garraliil .
Biscoitos inglezes de diversas marcas a 1 *300 Musanla preparada a 400 e 040 rs. o rasi o.
a laia. IMassasparaaopa macar rao, lalharim e ahina
Bolachinhas do soda, oval e lunch a 2*000 j a 400 rs. a libra.
a lata com 5 libras, dem finas em caixinhas a .'!.>< no a cauii ha.
Bolachinhas americanas em barricas 20 Marrasquino de Zara rerdadeiro a 1."mUo
libras a 2*00<. I frasco.
Banha'de porco da melhor qualidade a 300 dem mais Laixo a800rs. c I 000 o frese.
rs. a libra. 'Milho un saccaatom SOevMa :>*:>(0
Batatas em gigos e caixas por todo o preco. i Prezonlo ingle/, [ara hambre \iinlo no utlinio
Caf moido a 10*i 00 ou 8*000 a arroba. vapor a 800 rs. a libra.
Caf superior a 7*500, 8*0Oi e 8*500 a dem mais ango a 040 rs. a libra.
dem do Porto a 040 rs. e sendo inteiro a
5(0 rs. a libra.
Passas .ovas a 400 rs. a
Os guardanapoe econmicos do Pavo e s do ~,^r ?' ., "
p__g. Cha neslo genero temos o que ha de melho-
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda- assim como lamban temos baixo pelos pre-
pos econmicos e todo linho, tanto para as casas '."OS SCguintCS : i*4< 0, 1*6U', 1*800, Polvo a It'.O rs. a libia-.
familia como para notis, botequins, etc. etc., 2*400. 2*000, 2*800 e 3*0C0 O fino. PaillCO a IGO r^ a libra
lo barai.ss.mo prego de 35 a duzia, isto s na charutos de todas as melhores e peores mar- Pomada a 240 re. a duzia
libra.
Na rua do Queimado n.?40, letreiro verde.
Superiores e bem armados bales pelo diminuto prego de 25, advertindo que vendem-se por
aste "gego por ter-s comprado urna grande porcao e querer-se acabar.
FABRICADAS
Por Plaut Brothers & 0.
OLDl
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
0E
Estas machinac
podem descarocar
sendo bstanle
duaspessoaspara
o irabaiho; pode
descaregar urna
arroba de algo-
do em carogo
era 40 minutos,
ou J8 arrobas
por dia ou o ar-
robas de algodo
limpo.
| do Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Gama
do Pavao
cas do mercado a 80', 1*000.1*000, 2*,! Pimenia do reino a 320 rs. a Id
2*800,3*000, 4*000,5*000, 5*500e6*jPeixe em latas a l*OiO a l.ra,
o cenlo. f vina, pargo e outros.
Choiincas
houricas as mais novas do mercado a 12* Papel de peso a 2*000 a resma
o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a dem dem muito lino a 4*000 ,
ellas que pechmcha. dem marlini a i*5- 0
i Chocolate magnifico a 1*000 e 1*200 a libra. I
Ceryeja marca a mais acreditada
Tindo a 300 rs. a garrafa, e mcia garrafas
por :J20 rs. branca e preta.
MOTOS I ESCOLHIDOS CiEMEROS
TANTO EM GROSSO COMO A BETALHO
O WUA HOVACO
Ultitua casa junto a ponte da Boa Vista.
Saaiideps Bpolhers k .
V. II, praca do Corpo Santo
RECIPE.
Os aicos agentes neste paiz.
B VAL SEM SEGUNDO.
Silva.
s soutembarques
B el9g-
Vendem-se os mais linos soutembarques que
teem vindo ao mercado, sendo de caxemira de co-
res pelo diminulissicio prego de J25 cada um, di-
tos de musambique pelo diminuto prego de !5, s
na loja do-Pavao, mas que se noenganem : rua
da imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoalbado do f*avo.
Vende-se panno de linho adamascado proprio'
para toalhas de mesa, pelo diminuto prego de 2*3001 Conservas" Inclezas n frnc-n
-. ,rs. a vara, guardanapos de linho a SS a nuzia, S ,Dg*. tlbUt'ls- Oltasto la/eml.i
551lteltasdc moa 55ca,la duzia, na loja do Pavo! L cll|lle-
ftr-f?r r,n rua da ImPeratriz n- 6.de ,;ama Silva. dem francezas a 500 rs. o frasco.
12' s o Pavo (a #.) Cevadinha de Franca a O rs. a libra.
Quem tem balos por tal prego Champagne da melhor marca
Vendem-se os baldes americanos multo superio- i vindo a 20* e 24* o cio.
' aralissimo prego de i fj0
3o arcos com fitas, -
muito bem armailos e tambem tem cores escuras garrala.
pelo baralo prego de 3^300 cada um : s na loja! Oebolas por lodo proco,
do Pavao, rua da Imperatriz n. G0, de Cama & Copos lapidados que sempre se venderam e
A H\ha VPMd* mri lulo se v,en,Jem em m,,ilas Partes a ** e ,0^
U -u>a >enue nara lino. vendemos a 5*510 e 0*00o a duzia.
"\ende-se superior setim da China, fazenda toda r(mn, -i^J\ -Kia., ,,.,:'
de la sem lustre tercio 6 palmos de largura pro- n p0S j,3,a "m? a t?'00" a duz,a-
prio para vestidos, capas, paletois, calcas, etc.,: "Oces de calda vindos de Lisboa neste ultimo
pelo baratissimo prego do 25, 2*2i O, 25300 e 35 o vapora 0 0 rs. a lata das melhores fi ue-
covado, cassas prelas lisas, chitas pretu largas e, tas da Europa
?.s^L,ap^^lanPui.,o^f0,a.^,Dh?^pnh',5 enfei.es, Idem da (jKl-c da casca 0 mclhor
ra.
jivei, cor-
:.*-00
que
res com 20 o 23 arcos peta \>.
dem almasso a 3*000, 3*500 e l*COC
que tem;dem para embrulo a 1*200 a rosi.
Palitos para denles ioai,i s con 2' Barboa
a 80,120 e 2C0 rs. o maro.
Palos do gaz a 2*000 a groza.
Qoeijos flamengos do ultino v|, 2*600.
dem londrino a !)i 0 r. a libra.
dem piato a OO is. a libra.
iqui tem'Rap Meurona l*C00 a libn
|Sa 2<,500 e 45, d.ios de 25, 30 e 3o reos com BiaV, I w! .Dg,eZ e fraDCCZ a 800 e 'AC( a Sa!,li,,l,as (,e tantea a OiO, 560 e o ,
DUAS PALAVRAS.
Cesse tudo manto a antiga musa canta
Que outro valor mais alio se alevanta.t
Rua do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo-
s Bigodinho, venham ver a pechincha que se est
acabando certas quaJidades de fazenda.
Pegas de fitas elsticas com 10 varas a.. 210
Ditas de tranga branca lisa com 10 varas. 100
Ditas de tranga preta lisa a............ $0
Realejos para meninos, pechincha a... 120
Acha-se a disposicao do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci- w.'ioa^peX^Wi.iii; 20
meato de molhados, talvez o primeiro e nico boje existente em sua especialidade, por- Sabonetes de familia, muito finos a 80 e.. 160
que o maior capricho de maos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabelecU Pares (le sapatos deaa para criangas a!! 400
ment modelo proraoveram a escolna dos mais superiores gneros do nosso mercado, WaI HObabado do. l>or'o muito bom a
que p ir serem comprados em grande quantidade e pagos qnasi todos a dinheiro a vista Ditas de bico arco g'ros'so a............
leu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como vao ser pelas pessoas que se Potes de superior tinta tem'mVisdemeVa
diguarem de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a garrafa a..........................
todos, nao s pelo empresto das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca- aixas m perfumaras muito bonitas a.
patos, como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos preSos quasi do pri- VSr*Pi*iS&S!^m
flieiro custo o nosso magnifico sortimento. 320, 400 e.........T.."......7.7.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as Dit?s dt cheiros muito superiores er qua-
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos as abastecidos da" fortuna que acharao D !"la?e 3
em nosso armazem os melhores e mais esqoisilos vinhos, licores, champagne queijo, etc. Ditos de du"adita ande a.U" ba *"*"
etc etc, e aquelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram oneces- Sabonetes de todo o preg 60, i 200
sario, promutteroos-lnes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento. 32 "
160
100
320
500
100
500
320
400
800
tudo preto proprio para lulo fechado, c muitos ou-
iros artigos que se vendem por pregos mais em
conta do qua em oulra qual(|uer parte por estar
liquidando ; s na loja do Pavo rua da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavo pelo
barato prego de 000 rs. o covado ; ditas de listi-
nhas muito miudiohas proprias para vestidos e
roupSes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 500 rs. o covado ; garantem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Par : isio na ioja do Pavo rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 2 lOO e
SOO o corte.
Vendem-se cortos de chita rom dez covados
25400, ditos 2*800, com 12 covados; sao chitas
inglezas, mas padroe6 bonitos e tintas seguras;
assim tem as melhores chitas francezas e de un-
tas seguras por prpeos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
possivel por diversos precos, e
o tamaito dos caxes.
Ervilhas em latas *a 040 rs. a lata.
dem seccas a 200 rs a libra.
Espennacete americano a 1*200 a libra.
que e
conforme
ala.
Sabio massa a 120, 180, u e 246 rs a
libra, e em caxes por meaos.
Sal refinado a 000 rs. o vazo (pote de vidro.)
Toucinhode Lisboa, de Santos e amarte o
a 100, 240 e 32u rs. a libra e em arroba
a 5, 7, e 9*000.
Tijolos para limpar facas a 100 ra. cada im.
Vinho do Porto em ancoras com 70 carrafas
a 30*000.
Vinhos de Lisboa e Figueira nulidad*) mag-
nificas a 3*000, 3*u( 0 e 4*600 a caada.
Vinho do Porto em pipa a 5 e 6*000 a rasad*
Vinho branco de "
Lisboa e Porto em am < ras,
barris e pipas a 4*000 e 5*000 a caada,
i rancez a 500 rs. o masso com 0 velas. Vinagre de Lisboa a 1*000 e 2*000 a cana-
da.
Figos de comadre em caixinhas muilo lindas!
a 800 rs a caixa.
rancha de Irigo i 420 e 140 rs a libra.
Farinha do Maranhao a 24' rs. a libra.
Fumo do Para a 1*800 a lata grande.
Fumo americano a 1*400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros a 200
rs. o maco.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a 3*500
Genebra de laranja 1* o frasco,
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.
omogar-
Vinagre em garrafoes por 10060
ralao.
Vinagre em ancoi as par a 1 >0< o m a ancora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a *'40 ra. cotia mas,
Vinho deBordeaoi neste genero temos grande
porcao e das qiialidadcs mal ores que Mal
vindo ao nosso mercado em arralas, em
ancoras, em barriseqeartolas oqualven*
demos por procos muito baos.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manpuitos e eolli
400; nhas hordadas, pelo barato prego de 15 e 1280
homem rico.
O real do pobre ser recebido com tao boa vor.tade, como a moeda de ouro do rascos.de superior banha a 320 e.. .'.'.'.*. 800 cada "". manguitos s i soo rs." cada par, ditos
r;co r t'ias de po para limpar dentes muito ?m ?*!ha a 800 rs., g
fino a-
100
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-' Ditos de banha' transparente ........'.'. 600
prar para seu ga^to, ou para negociar, voltarao satisfeitas, nio s pela boa qualidade
objoctos, como pela fideiidade dos precos, e bom acondioionamento.
0 fuluro nos justificar.
tem meia oitava de retroz a...
Varas de bicos de differentes larguras a
dos de l'fas muito linas para senhora a
Sabonetes inglezes da melhor qualidade a
Frascos de agua dentrifice superior ca-
ramida a..........................
Massos com 25 envelopes grandes azula-
LA. V ALO J\ LLLSSAK10 Varas de fita'pr'e'ta'com coic'h'eVes'a'.'.'.'
Devemos ao respeitavel publico algunas palavras relativas ao pomposo titulo que Frascos de macaca perola muito superior
adoptamos. Ei-las. Caixas com peonas grandes a.........
Existindo neste vasto e florescente imperio um grande partido poltico com a SKd?SStffiJSLpSt,B,ud08
denominacao de Lisa, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente, Carriteisde retroVBe todas m Sw
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos,
Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas n3o se zangue
ninguem.
O nome urna voz com que se dao a conhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicarlo que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido Jesse systema diremos mais :
N5o orinn lo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
militas centenas de leguas que apanhamos a noa Liga.
Na soberna e opulenta Inglaterra houve um re que instituir a mu honroza or-
dem da Liga. O acaso nos fez deparar com a narrado desse aconteciinento, que tan-
to sorpre'^eiideu a corle desse monarcha. Afjradou-nos esta historia e gostando sum-
m uante do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando-o no oitao do nosso estabelecimento, temos assim feito distingui-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
lloonl aoH qnl mal y-pense.
800
320
15000
100
100
200
200
100
200
200
60
Empreza de illuminafao
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser (eitas no armazem da rua do Imperador
d. 41. 0< maclumstas mandados para attander a
estas, apresentaro nm livro qoe os reclamantes
deverao assignar logo depois de prompto o servigo
reclamado; isio para que a empreza fique sciente
de havprem os mesmos senhores sido devidamente
attendidos.
Vende -se utia taberna cita na rua da Sen-
jalU Nova n. 2 : tratar na me-ma.
., golinhas 400 e 480 rs., de
filo a 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 25 cada
urna, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente grvala de seda, fazenda
fina, peto baralo prego de 35, e militas outras
bordada* que se vendem por pregos muito em
coma : s na loja do Pavao rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As rnupas do Pavo
Vende-se panno preto fino muito superior peto
barato prego de 25, 25300, 35, 35300 e 45, dito
muilo fino 55 e 65 o covado, casimira preta de
urna s largura e muito fina a 15800, 25 e 25500
e 35 o covado, cortos de casimira de cores a 65.
35300 e 65, casimiras entestadas de urna so cor
proprias para caigas, palelots. coletos, capas e para
roupas de meninos a 35300 o covado, isto na luja
do Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
CAL W LISB04
Vende-se cal de Lisboa a mais superior que ha
no mercad., sendo barris de 4 arrobas e 4 arrobas
||I : na rua da Moeda n. 2, onfronte ao trapiche
do Cunha ; e para informagoes no mesmo tra-
piche.
O BAUZA
Vende se urna taberna no Ferie de Mallos,
bastante afrpfn^xtrij, tanto para o malo como para
a trra : a tratar no largo da ribeira do S. Jos
numero 23.
fH3M

DECLARACA.
O BALIZA declara pelo prezenu
deixa de publicar os pregos pelos quaes
de as suas mercadorias por motivos qne ao
respeitavel publico pouco atenea. Serv
provisoriamente de baze os precos do Pro-
plieta.

t>RElI DO DIA.
O BALIZA concede plena lbenla ie aos
seas amaveis collejas Clarins, Unies. mura-
dos e croados, para que pnssam sallar, bor-
rar e tudo mais quanto lites aprouvor. aaj
a sua segunda ordem.
MUTILADO


>
/
litarlo 4 Pfrahae 4|ulnta lelra 13 de Outubro r 14.
W<
6H.4NDE ABHAZEH DE
Largo da
^Santa Cruz
i ii.84.
NEM COROAS NEM MITRAS

Esquina
da ra do'
Sebon.84.
UR0B4 BRILHANTE
Praneisco Jos Fcrnandes Pires, proprietario do armazem de molhados denominado
Angora BMIhsnte, ao largo da Santa Cruz n. 81, esquina da rna do Sebo, faz scionte ao
rt>i>wiavel publico desta cidade e do interior, que no seu importante estabelecimento
vender sempre gneros novos e de primeira qualidade, e vender a todos pelo mesmo
pteo.
O com|ileto aortimento de todos os gneros finos e grossos qae costumam ter outros
estabelecimentos desta ordem se encontrarao sempre ;no armazem da Aurora rilhante
e sempre om grande escala vontade dos senhores compradores.
O proprietario do armazem Aurora Crilhante pede a todas os senhores e senhoras
quc.quando tiverera de mandar saas relacoes a este estabelecimento por seus criados
seja em carta fechada oa com grande recommendacao a este armazem, certos de qae
seraa tao bera servidos como se viessem pessoalmente.
"A Aurora Briltiaoie troca qualquer um genero que por acaso nao agrade, e recebe
as-libras esterlinas a 9#000, sendo por compra : a tabella de seas gneros ser mudada
l wlai as semanas.
Amendoas costaladas a libra a 808.
Manteiga ingleza flor a 800, 960 e i120.
Di'a mais a ..o a (i'iO e 720 rs.
I)ili fi'iijoeza nova libra CAO e em barril a
i 660 e 600 rs.
Gaieotalo saat muito nove a 1,5-00 a libra.
Cha perola o melhor que .ha ( redondo) a
libra a 35200 e 2,5800.
Do di te naais abano a 2*500 e 25600.
f, I) ; > uKim muito fino a 25600 e 35-
S Dil1y3soa superior a 25600 e 25800.
> Dito maisabsiso a 25 e 25300.
Dii prolo muito fino a 25500.
Dito em niassos a --5.
Dte da l\io cm latas de i, Sel libra a
US$0.
Caf dii'Meca superior arroba 95500 e libra
300 e 280.rs.
Dittda Hiu-o do Coar arroba 85300 e libra
320 rs.
Dita mais abaixo arroba 85 libra 260 rs.
. Barricas com bolacbinha ingleza aova a
Latas oom bolachinha de soda de 5 libras a
5300.
Ditas com ditas sortidas de 2 libras a 15'i00
fraseos com amainas francezas a 15600,
' 35*00 0.35-
Latas com ditas a 15100,25200 e 4$.
Ditas com figos do comadre a 15300.
Cainnhas comditos muito novos.
Presunto de Lamego muito novo a libra 3 u
rs. inteiro c a retalho 600 rs.
Cho tricas e paios uovos a libra 600 rs.
Ditas c a 800 rs.
Ditas com massa de tomate novo libra 560
rs. eemjarril a 600 rs.
Ditas cen ostras a 720 rs.
"Ditas com marmelada dos melhores autores
de Lisboa a irbra 640e 7-0.
Potes com mus-turJa fraaceza preparada a
libra 40 es,
Dita dita ingleza a 800 e 15-
Queijos novos do vapor a -5200 e 25800.
Dites de prato enplicado a 15-
tff. Dita suiiso a; 800 rs.
r Jir D;to de manleiga do Serid a 800 rs.
Sar cm emmbmui iUvaiTdd i arroba 75,
m ia 35500 c quarto 25 c libra 480 rs.
Amendoas com ca-;ca a libra 240 rs. e arro-
ba 65-
\ Nozes libra 160 e arrota 35,
GWt Charutos finos de Simas, e dos melhores fa
de 25
caxas de
M>
brisantes da Baha
100 e60.
'Grotas de caixinhas de palitos do gaz a 25200
e 200 rs. a duzia.
Barris com azeitonas novas a 15200 e 25
barril grandes.
Vassoarasdo Porto piassava muito seguras a
608 rs.
'Azeilo doce francei dos melhores fabrican-
es caixa 105 e a garrafa 15-
Caixas com vinho Bordouax branco e tinto.
Vinhodo l'orlufino cm barris de 8o que ra-
ras vezes apparece por 805 c em caada
a 85500 e carrafa a 800 rs.
Dito de Kigueira puro caada 45 c 45500 e
garrafa a 480 e 560 rs.
Dito de Msboa de boas marcas a 35500 c
45 c a garrafa a 440 e 480 rs.
Cognac verdadero a garrafa 15 e 15280.
Viulw moscatel duzia 105 e garrafa 15,
I 'Vin'.M branco de muito-boa qaalldade cana-
X da 4Se garrafa 480 rs.
Diitf-Kercz Rao caada 7*300 e garrafa a
15200.
Dito-Madeira secca agarrafa 15600 e 25-
Dito em caixas de urna dazia do Porto dos
melhores autores a 125, 145 o 165-
S5S Garrafas com licor fino francez a 15, 15200
c 15000.
Ditas rom vinho de caj muito claro a 15-
Ditas com mel de abelhapuroa 15.
Frascos com gonebra de Hollanda de 2 gar-
rufas a 15-
Dio de urna garrafa a 560 rs.
Dinde larania verdadeira a 15200.
Pules com mostarda preparada a 320 e 400 rs.
Caivas com 2 arrobas de batatas a 25300.
l^Viah braneo de Lisboa proprio para missa
a 45800 a caada e 640 rs. a garrafa.
Espirito de vinho a 400 rs. a garrafa.
'Duas-refles muito bem feitas para dormir
viadas.de Sobral a 305 cada urna.
Carne e linguica do sertao.
Duzia de grana latas grandes a 15-
Ca xas com 23 massos de velas de sperma-
cele a 560 rs. a libra.
Ditas miares a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araea-
ty 105500 e libra 400 rs.
Ditas de composigao arroba 105 e libra 360
ris.
Saceos grandes com farinha de Goianna mui-
to boa a 55500.
Ditos com milho novo com 24 cuias a 35500.
Dito com farello de Lisboa a 55500 e 120
a libras
Dito com arroz de casca a 5*000.
Duzia ae garrafas de cerraja branca e preta
a 55500 e em barricas a 55000.
Arroz doMaranho em saceos arroba 25000
25400 e libra 100 e 80 rs.
Dito da India e Java arroba 35 c libra 120.
Araruta verdadeira arroba 85 e libra 320
rs., mala rana.
Gomma do Aracatv para engommar arroba
55 e libra 160 rs.
Farinha do Maranho nova libra 320 rs.
Ervilhas seccas multo novas libra 200 rs.
Sag e sevadmha a 240 rs.
Sevada arroba 35200 e libra 120 rs.
Graxa de boio 97 a 280 rs.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanhol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto de diversos tamanhos de 320
a 25-
Capachos para portas de varias cores a 000,
700 e 800 rs.
Grao de bico arroba 45500 e libra 160 rs.
Pataco arroba 55500 e libra 200 rs.
Milho alpista arroba 45800 e libra 160 rs.
Azeile doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 15500 e garrafa
200, 240 c 320 rs.
Massos de palitos de denles com 20 massi-
nhos a 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 45500.
Dito greve liso o melhor que ha a 45300.
Dito de peso c pautado a 2&500 e 25800.
Garrafes com 25 e 15 garrafas de verda-
deira genebra de Hollanda por 85500 e
05000 rs. *
Azeile de coco garrafa 560 rs. e carrapato
300 e cauada 25360.
Caixoes com doce de goiaba a 640, 800 e
15-
Toucioho de Lisboa arroba 95500 e libra
320 rs.
Dito de Sanios arroba 65 e libra 280 rs.
Molhos com grandes ceblas a 15000.
Centp de dita snlta a 15600.
Matracos de amos a 120 rs.
Gordas de pastar e de andaime.
Favas da ilha do S. Miguel arroba 35200 e
libra 120 rs.
Copos lapidados para agua e vinho a 35500,
55800, 65 e 75-
Ditos lisos para varios precos.
Calix lapidados grandes e pequeos duzia
3, 4 e 55 ; e 400 e 500 r>. cada um.
Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
trU a 400 rs.
Estrelinha e pevide libra 640 rs.
Xarope de frucias uacionaes a garrafa 600
ris.
Marrasquinhp de Zara da melhor qualidade
a garrafa 15200 e 800 rs.
Esleirs de tranca, centoa 205 e 240 cada
uma.
Queijos de qulha novos. arroba 165 e libra
a 560.
Duzia de chatnpanha superior a 205, e 25 a
garrafa.
Garrafes vatios a 15600.
Massa branca para sopa a 320 rs.
Frascos com azeitonas em concervas a 800
ris.
Duzia de cartas finas para jogar a 35-
Sabo hespanhol verdadeiro libra 400.
Saceos com feijaomulatinho novo a 105-
Latas com favas j preparadas a 800 rs.
Sevadinha para sopa a 240 rs.
Garrafas com muscatel e setubal a 800 rs.
Sag novo a 400 rs.
Breu arroba 85300 e libra 320 rs.
Latas com 27 garrafas de gaz a 115, a gar-
rafa 500 rs.
E ontro inultos gneros de primeira qualidade que nao
posslvel menclona-log.
A satisfacao da Aurora Brllhante vender muito, emboca barato, mas DINHEIRO,
1 abatendo cinco por cento a quem comprar de 1005000 para cima.
PRINCIPAL
GRAWDE AR11AZEM
RIJA DO IMPERADOR *. 1
Junto ae sobrado em que, mura e Sr. 0>beroe,
iiuarte Almelda de C, reeeberam de sna proprla encommen-
da o mais lindo e variado sortlmento de molhados, proprio
da presente estaeo.
Manteiga ingleza
da safra nova inda no ultimo vapor a i ,000
NOVA EXPOSICSO DE GNEROS
NO
ARMAZEUI
rs. a libra eem barril a 800 rs.
Sfantelga franeeza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindsimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2)5400, muito propos para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1)4:100.
Chocolates
de todas as qualidades a 1,-5000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2>oo. -
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
tueljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente donradas,
proprias para mimos a 900 e 1)5200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3:> a 2*600.
dem perola
especial qualidade a 2#700 rs. a libra.
ItliMU hvssoii
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2#600. *
Massas amarelias P
para sopa, macarrao, talharim e aletr a
480rs. alibra. t
o muito afamado cognac Pal Brandy a i," 00
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
j de excellenle qualidade a 2)5200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Oorinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim
Ma^as brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
0 NOVO DESTINO
mim CONSERVATIVO
23Largo do Terco23.
'toaquim Simio dos Santos, dono deste bem sonido armazem de molhados denominado Con
servativo do larg-i do Terco n. IA scientiflca ao respeilavel publico e a todos em geral que mandem
oj veaham a este estabelecimento para melhor se sert.Ocarem da d.minuieao depresos qwi obtem
n.:sie, oque nao obtero le coraprarem em ouiro qualquer, pelo que se responsabel.sa a servir qual-
qiu-r comprador com a maior presteza e lidelidade, sem que baja a menor alleracao. Todo o compra-
dor .qui comprar de 100* para cima ter o descont de 5 a 10 por cento pelo seu prorapto pagamento.
Attentfo.
Hatatas as mais novas a 40 rs. a libra e 14200 a ar-
roba.
Toucmho de Lisboa a 280 rs. a libra e 85500 a ar-
roba.
Caf de primeira e segunda sorte a 240,260. 280 e
300 rs. a libra.
Arroz do Mrtuliao c Java a 100, 70 e 80 rs. a li-
l,r.i c22-)-j a arroba.
Piiosphros do g a 28 a gron e 180 rs. o mago.
Passas de carnada a 320 rs. a libra, e em caixa a
cpw.
B-lacliinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
Sbao amarillo massa a 160,200 e 210 rs. a libra.
Vchsd ecarnauba'Aracaty composieao a 360 o 400
rs. a fibra.
Ameixas franceza com 1 c meia libras a I*.
:i issa de Uiinate da melhor qualidad-3 a 600 rs. a
libra.
Cha bvsson miudiobo e perola a 24,000 25500 e
25800.
Milho alpista c painco muito novojL60 rs. a libra.
Biscoitos e bolachas de soda a 15300 e 25
Araruta das melhores marcas a 15, 25, 35> 4 e
45500 atcaixa.
Charutos em magos contendo 60 por 640 rs. o cenlo
Azeite doce de Lisboa fino a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 280 rs. a garrafa, e 25000 a
arroba.
Vinho. de Figueira e Lisboa das meihores marcas a
320, 400,800. 560, 640 e 80 rs. a garrafa, este
. ultimo 'lo Porto proprio para os doentes por
ser purificado e recommendado para este fim.
Queijos da ultimo vapor a 25 e 15700.
Manteiga ingleza flor a 15 a libra, e a 930 rs. em
barril.
i Idem-menos superior de 780 a 800 rs. a libra.
Miada dos me.l.or, fabricante, a640 r.aj.dom nceza ^ult^na^o a 560r, a libra,
as mais novas a 560 rs. a libra, eem | Gomma da mais al va a-160 rs. a libra e a 45300 a
t 1 a.
Otiouricis
' arroba.
barr por 125 "' ^0,,a
rfPmdeste; geaeros ha outros muitos que onfadonho seria menciona-los.
a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada uma.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1,000 rs. o molho.
Alpista e Paingo
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 4(J400 a arroba.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan! os mesmos precos nos seguintes lugares:
Iniiio e (lommercio roa do Queima 'o n. 7
0 Verdadeiro Principal rna do Imperador n. 40
FRUCTAS
MAAA, PERAS E UVAS
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro PrincipalRa do Queimado n. 7, Unio e Commercio.
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2.5800 a caada.
Idean do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da ctdade do Porto a 1# o 14200
a garrafa e de 103 a 120 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banba a 4000.
Bolachinha ingleza
a l #800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 2-MOO.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r ^1 bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a 0500 a duzia.
C-ARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 8#800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafes
com 4 l'i garrafas com vinagre a 10OOOis
o garrafio.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110OOO
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada uma.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
com uma duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a Goo re. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libia e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 5Gu rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 3io rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 00 rs.
a libra.
Passas niiiilo novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa, e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
Frats em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Race da casca da goiaba
600 e 10 ocaixe.
PRINCIPAL
DE
IV. 9 RIJA 1IO CRESPO IV. O
Esqnina que veita para a rna de Imperador
provavel que nao seja bem aceita a verJade, quando a boa fe de todos aoda
Iludida por esta epidemia de nauzeaticos annuncios de cornetas, tambores, cora?, mi-
tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal.
ALERTA
Os annunciantes nao tem em vista seno garantirem ao respeta\e publico a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias eno par-
assentaretn fortunas a forga da regra de liga como outros annunciantes deste genero
PARA TOOS
No armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na seguate la-
bella, mas n5o se vende por todo o prego fazendo-se peso de arroba hespanbola, garao-
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquello que n5o seja do agrado do
comprador.
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lentilhas muito novas excellenle Icgune pa-
ra sopa a 2oo rs. alibra.
Licores francezes de todas as qualidades d
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo rs
64o rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
estampas, a l,2oo e 1.5oo rs.
dem era frascos de vidro a 1.2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/j libra a l,loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
a libra, desnessesarie mais elogios ues-
te genero que s se pode verificar eem a
vista.
dem franeeza a 56o rs. a libra, e em barril
ou meios a 5oo rs.
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, e Marmellada do I fabricante de Lisboa a 6oo
de 2,5oo a 2,8oo a arroba, rs. a libra, ha latas de 1, 1 "/4 e 2 libras.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e Maca de tomate em latas de uma e doas fi-
4,8oo rs. a caada.
bras, a 6oo rs. a libra.
Vinho Madeira fino.
Vende-se na ra de Apollo n. 4, primiro an-
dar, em barris de oitavo, chegado hoje.
Kna da Sen zalla Nova n. 42. ~
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLo*
Moor libra a 120 rs.______________^^
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
Sualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
., ra da Cruz n. 48. ________
^a ra da Cadeia, armazem n. 53, vndese
o seguinto : 4 guardas-roupa de raz de amarelle,
novos, i mobilia de dito tambem nova, 2 duzias de
cadeiras de cereja, bercos de faia, I banca de ad-
vocado, 1 mebilia de Jacaranda, nova, etc. : ven-
de-se muito barato e a dinheiro.______________
Vende-se a casa terrea da ra do Progresso
n. 21 (no Gaminho Novo) envum poitao ao lado
que d entrada para o quintal, uo qual existe cin-
co pequeas mei aguas, rende ludo 480& e ven-
de-se barato por seu proprietario ter de retirar-se
para fra da provincia : a tratar na ra do Quei-
mado n 77.______________________________
Fumo do Para
Chegou ra Nova n. 61, defronte dalllma. c-
mara municipal : vende-se por preco baratsimo
BREU
Breu verdadeiro americano, tanto em barricas
como a retalho, vende-se na ra da Cadeia do Re-
cife, loja de ferragens n. 56 A, de Bastos.
tnvailas calcadas de ac
Chegaram as desejadas enxadas calcadas de ac,
as quaes vende-se o mais barato possivel : na ra
da Cadeia do Recife, luja de ft-rragens de Bastos.
Fio de algo So da Baha e ame-
ricano.
Vende-se tanto em porco como a retalho, estas
bem conhecidas qualidades de lio por barato preco:
na ra da Cadeia do Recife, loja de ferragens de
Bastos.
Telhiidos de ferro galvaaisvdo.
Folhas de ferro galvanisado para lelhudo por
commodo preco e de multa uilidade para roberas
de casas, vende-se na rna da Cadeia do Recife n.
1 56 A, loja de ferragens de Bastos.
I Vaque!as ioglezas para roberas
le carro.
Estas bem conhecidas vaquetas, vende-se nica-
mente na loja da ra da Cadeia do Recife, loja de
ferragens de Bastos.
Padarla e refinaeo.
Chegaram as bera conhecidas penetras de ra-
me e de lao proprias para padaria c refinaeo, de
todos os tamanhos e grossuras : na ra da Cadeia
I do Recife, luja de ferrageus de Bastos.
Ven'lem-se saceos com gomma muito alva,
propria para engommar e fazer bolmhos: na ra
do Queimado loja n. 14.
It-
Idem francez e de Lisboa refinado em gar- dem para sopa estrellinha, pevide, rodante,
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. alibra,e 4,4oo rs. a
arroba.
etc. a3,5oo rs. a caixa e 56o rs. a
Macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a
bra.
Mostarda franeeza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o Irasco.
Molho inglez era garranhas com rolla de
vidro a 64o rs. cada uma.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato Marraschino verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
Antonio de diversas qualidades, em latas a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
lata, e 64o rs. a libra. Ostras preparadas em latas a Too rs. a lata.
dem ingleza em latas de 2 c de 4 libras, Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, na-
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. I rantindo-se a qualidade, a 7oors a libra,
a lata. Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
Banba de porco refinada a 4oo rs. a libra e 6,5oo rs. a caixa.
em barril a 36o rs. j Peixe em latas hermticamente fechadas das
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a i seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
1,1 oo rs. a arroba. \ rz, cavallinba e pescada a l.ooo rs. la-
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo \ ta.
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. Palitos para dentes fichadas a Ut rs. o as-
as meias garrafas. j co de 20 macinlios.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia. e 2.1oo rs.
bra. i a groza.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs. Painco muito novo a 16o rs. a libra, e .Soo
a libra.
dem liysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopathico 2,ooo rs. a libra.
Cervqa das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
l.ooo, l,2oo e l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furta
do de Simas e outros da Bahia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2.ooo, 3,ooo e
4,noo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franeeza surtidas ou de uma s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e 1 o,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo r.s. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.8oo,
5,ooo e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e Soojrs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Ce;u a26o, 28o fe300 rs. a libra,
e 8,ooo a 8.5oo rs. a airona.
Doce de goiaba a 6oo rs. o cau36.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a i6o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada uma.
Graixa nova a loors. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada uma.
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafao.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, e H.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellenle bebida Suissa a
l,8oors. a garrafa.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Ra doQneimddo n. 19.
Vende-se osegulnte:
Attencao I!
Ricas laazinhas, fazenda a melhor que tem vin-
do ao mercado, tanto em gosto como em qualida-
de, pelo baratissimo prego de 560 rs. o covado.
Ditas miudinhas carmezins, proprias para vesti-
dos de meninas e catmsiuhas a 640 o covado.
Cortes de laa com lo covados, pelo barata preco
de 65-
Cuberas de chita da India a -4&00 e 3J.
Lences de panno de linho a ti e _<&50O.
Peca's de cambraia de forro com 8 ti. varas a
.1,5200.
Toalhas alcochoadas proprias para maos a 54 I
do.it.
Ricos cortes de la com barra Maria Pia a
algodao com 10 varas,
1|- palmos de largura
Pecas de platilhas de
proprias para saia a 4.
Algodao enfestado com 7
a i 100 rs. a vara.
Estelra da India, propria para forro de sala dt
4, 5, e 6 palmos de largura, por menos piejo do
que em outa qualquer parte.
Neste estabelecimento tambem se encontrar
um grande sortimento de roupas feitas, e por me-
dida.
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo r>. ra-
da um. i
Sardinhas de Lisboa e de Nantes a 6oo rs.
a meia lata, e los rs o quarto.
Sag muito novo o alvo a 24o rs. a libra.
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loors. alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oo i s. a libra.
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cad.i una.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira expecialmei,te escolhido oeste
lugar a 6oo rs. a garrafa, e 4.5oo a caada.
dem Lavradio, Colares muito fresco sea
composicoa Ooors agarrafa, e 4.5wo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 cana las mar-
ca especial a22,ooo rs. a anconi.
dem branco uva pura a 56o rs. a gan_&,
ea 4,5oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o r>. a garra-
fa.
dem engarrafados generoso, Lagrima; do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I. D. Pe-
dro V, Nctar, vclho secco, Matozia,
genuioo partictlar de 9ooaI,oe rs. a gar-
rafa e a 10.000 rs. a caixa com uma duzia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garrafa.
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marca Si.
Julien St. Esteph, chieau la I'.n/>.rbalan
Margoux c outros a 6,ooo n, a caixa r 24o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2.ooo
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e I,_m
rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a l.ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada uma.
dem de escovas para lavar casa a 96o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de romposi^io
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e ll,ooors.a
arroba.
FA ZENDAS B ABATAS
Passrio Piklic* u. 11.
Admirem ? f f
O dono do amigo esialHecimfDiodo Piase fm-
blico n. II, pariicipa ao pnhiico que t-ndo as-
dar cora brevidade a sua loja para caira loeaJMo-
de, est resol vido a veuder todas as bzeata par
barato preco.
E' qieimr!
Vendem-se chitas larga. pelo barato fr"-
260, 280, 320, 360, 380, 400 e 4*0 rs- dita omi-
tas a 200, 220, 240 e 2C0, ditas percalas a 200 rs.
ditas estampadas a 440 rs.. dita^ para fenla*
320, dita larga a 300 rs. : s no Passeto
n. II, para se acabar.
Miksde.irros.
Vendem se baloes a 2*500, 3J, 3*WQ e
brim branco de linho a 1* a vara, dito pa
listra a 720, ganga amareiia para Ira a WOr?.
covado : s no Paaaaia Pobtico ol.
E' f|tieimar bsralt.
Ricos cortes de vestidos de cambraia a VL pa-
tnela para caira a 720, madapoto fia coaa _V
varas a 9, assiin romo outras fauodM ^a- 9 a>
vista ; tambem Vende-.-e uma taberna na roa Dire0
Afogados com pourns fando, boa para qoca
zer principiar, o tem mixto* eommota pwi
milia : qmm a qnizer comprar. dirlja-M i
ra, padaria o. 66, que vista do
far todo e neocio.


Diario 4e
hutm nlnta i>lra 18 Je Ontiibro 4e t S04.

i
Extraordinaria )quidaC de fazendas para a fesU
par baralissim prrco, taiio pa o malo rama
para a prap, na loja bem contienda do Arara,
raa 4a Imptralriz n. 50 de Lourencu P.M. Gui-
ares.
Ao baraieiro da Arara a 1 JiOO.
Vndese corles de chitas com 10cavados a
2*400, ditas franreza a 3,5200, ditos de cassa a
2*, dita de salpicos a 2*400, 35 e 4* o corte, para
apurar dinheiro : na ra da Imperalriz n. 56, loja
da Arara.
Cortes de lia a Mara Pia a 8f>, e 18,5.
' Vende-se cortes de la com barra, os propia-
mente a Mara Pia a 83, e 16* : na ra da Impe-
triz, loja da Arara n. 56.
A Arara vcade alpaca para vestidos de senhora a
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
tidos de senhora a 360 e 400 rs. o covado, lazi-
nbas para vestidos de senhora a 240, 320,400, 500
e 600 rs. : na ra da Imr.eratriz n. 56, loja da
Arara.
; Lias lizas de cores a 600 rs.
Veadem-se lazinhas lisas de cores, a saber:
roxa, encarnada, cOr de lirio, cor de caf e cor de
cinza, para capas e vestidos de senhora a 600 rs. o
covado, ditas de flores a 240, o20,400,500 e 560 rs.:
na ra da linperatriz n. 56, loja da Arara.
Colchas da Arara de 2-> a i >.
Vende-se colchas de chita pura cama a 2*, ditas
de damasco a 4*, ditas para cobertas a 320, 360
e 400 rs.: na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende corles de calcas a -16*600.
Vende-se cortes de caifa de brim a 1*600 e 2*,
ditos de casemira a 3*, 4*500, e 5*: na ra da
Imperalriz n. 56, loja da Arara.
Koupa feita da Arara
Vende-se palitots de casemira de cores a 5*, 6*,
8* 10* e 12*, ditos de panno preto a 8*, 105000,
12* e 14*, ditos de alpaka a 3* e 4*, ditos de
brim de cores a 2*500,3* e 3*500, ditos de brim
brancoa 3* e 5*, calcas, colptes brancos, seroolas
francezas a 1*600 e 2*, ditas a 1*280, camisas
francezas a I*, ditas de linho inglezas, pregas lar-
gas, a 3* : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A economa, a .saber: colariibos econmicos a 600
ris.
Vende-se colarinOos econmicos a 600 rs. a du-
lia, meiascruispara homem a 200, 240,360e 500
rs o par, ditas para senhora a 320, 400 e 500 rs.,
lencos brancos com barra a 200 rs. cada um, ditos
Unos a 320, ditos de Trabo a 500, 600 rs. cada um,
s na-loja da Arara, ra da Imperatriz n. 56.
Ao !>: ra el ro.
No armazero da Arara vende-se cassas a 240,
280 e 320 o covado, chitas finas a 240, 280, 400 e
300 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 56.
Asperalas da Arara a SCO rs.
Vende-se. percalas finas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas (raocezas Tinas a 320, 360,500, 400
e 300 o covado, alpaca para vestidos de senhora
a 400 rs. e covado; fustao branco a 500 rs. ocova-
da ; na ra da Imperatriz n. .'(V.
A Arara> vende mussetiua branca a 00 rs.
Vende-se musselraa branca, fina, a 400 e 500 rs
o covado, pecas de cambraias finas, lisas, a 3*,
4*. o*, 6* e 7*, musselina cambraia da India 8*,
e 10* a pec,a, para vestidos : na ra da Impera-
triz n. 56.
A Arara vende tiras bordadas para enfear vesti-
dos brancos. *,
Vende-se tiras bordadas de todas as larguras a
I*, 1*200 e 1*400 a peca, enlremeios finos a 1* a
peca : na ra da Imperalriz n. 56, loja da Arara.
Madapoln da Arara a !.
Vende-se pecas de madapoln enfestado com do-
ze jardas a 13.' dito de 24 ditas n. 30 a 6*, n. 250
a 6*500 E 7* e 8* n. 5 + 8*500 e 9*. n. 5 a 10*,
n. P F a 11* ZZZ, a 12* a peca, peca de algodo
a 5*, dito carne de vacca a 6*500, dito domestico
a 7*, dito sicupira a 8*, dito pao ferro a 9* a pe-
ca : na ra da Imperatriz, loja n. 56.
Bramante de linho de 10 palmos a 2 >;>' 0.
Vende-se bramante de linho de 10 palmos a
2*000 a vara, brim liso a 500,560e 640 rs. a vara-
na ra da Imperatriz n. 56.
Panno de linho da Arara.
Vende-se pecas de panno de linho para lences
toalhas com 13 1/2 varas por 8*500 ; ditas com
27 varas a 16*500 e 18* a peca ; na ra da Im-
peratriz n. 56,
A Arara vende cbailes a 1 ,$ Vende-se chales de mprin a 1*600. 4*500,6*,
7* e 8* : na ra da Imperalriz n. 56, loja da
Arara.
Pateadas especiaes para senhoras, a saber :
Vende-se golinhas para senhoras a 240, 320, 4UO
e 500 rs., eatnisiohas para ditas a I*, 2*, 3* e 4*,
gravatinhas para ditas a i* c 1*500 : na ra da
Imperatriz n. 56..
Per-hincha.
Lencos de seda aloe 800.
Vende-se lenco de seda iaa mo, a 8C0 e'l*,
tarlatana para vestidos, de li das as cores a 800 rs.
a vara, fif liso ordinario a 320 rs. a vara, dito fi-
no a 800 a dita : na ra da Imperatriz n-. 56, loja
da Arara.
Sonteubarque da Arara a 8 e 10$.
Vende-se sontembarques de cores para senhoras
a 8*, 10* e 12*, ditos de grosdenaple pretos finos
a 20*, 25* e 30*, capas pretas para ditas a 20*,
25* e 30* : s na 4oja e armazem da Arara, rna
da Imperatriz n. 56.
Pentti
lmbemehegaram os nquissimos paes de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 2*,
3* e 5*; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Leques.
Riqusimos leques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 12* e 14*; s no Vigilante, ra do Crespo P13"?3'. d diversos Umanhos: so as lojasdobei-
n 1A-Illir 1*114 fin tnalmiAn ne *> ,, Q
en cito
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto, afim de annunciar ao respeitavel publi-
co o grande sortimento de galanteras do melhor
gosto propriamente para qualquer mimo, que aca-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua conta como de consignacao que
est resolvldo a vender por precos muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extracao
o grande deposito que tem, que espera merecer a
proteceo do respeitavel publico empregando para
isso todas easmelhores diligencias para que fi-
quetn satisfeitos; islo s no Gallo Vigilante, ra do
Crespn. 7.
Ricos porla-joias.
Cofre de multo gosto por 16*000
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperolapor 18*000
Lindas jardineiras. 10*000
Ricos cofres com camapheu. 10*000
Lindas caixinhas com pedras brancas. 10*000
Lindo balo com calungas dentro, tam-
bem para jejas. 16*000
Tambalier para ditas. 9*000
Cestinhas ditas. 6*000
Cosmorama ditas. 6*000
mazinnas. 6*000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre->
eos; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado, a 10*, 12* e 15*, ditos sem
holc;a porm do mesmo gosto, a 2*500, 3*, 3*500
n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 1* e 1*200.
Canelas.
Riqoissimas canelas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de
1*500 e 2*.
Sapatinhos e meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e touquinhas para as cnancinhas se baptiza-
rera; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Veltinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avnlsas
e voltinhas, pelo barato preco de 1* e 1*200, as
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Golinbas.
Rquissiraas golinhas e manguito?, o melhor gos-
to possivel, a 2*, 2*500 e 3*; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
En le i les para senhora.
Riquissimos enfeites com laco e sem lago e de
outros muitos gostos a 1*, 1*500 e 3*: s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins ae eabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo preco de 1*500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos enlremeios.
Riquissimos babadinhos enlremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 1*200, 1*500, 2* e 3*; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinbas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
. Filas.
Grande sortimento de filas de, diversas larguras
e qualidades, por precos que admiram aes com-
pradores, havendo Otas largas proprias para cin-
(eiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 2*; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Filas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrnm de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espejhos.
Riquissimos espelhos eom moldura doura Ja|e i
sem ella de 8*, 10*, 12* e 14*, assim como eom!
LOJA 1)0 bUIAFLOU.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
Bonecas de chora.
Lindas bonecas de choro que cbamam papai t
lamai, de diversos tamanhos : s na- '
ja-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lavas de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores para homens
e senhoras : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Fivellas para cintos.
Lindas fivellas douradas com lindas pedras para
cintos : as lojas do beija-flor, roa do Queimado
ns. 63 e 69.
Capellas para nonas.
Lindas capellas para noivas 2*500 cada urna:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e
& 69.
Estojes para barba.
SSSSH estofoscm espelho para barba 1*500
e 2*000 cada um : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios para meninas.
Rccebeu-se novo sonimento de balaios, com
jSS de.vanos Passaros, pelo barato preco de....
4*000 ate 4* cada um : as lojas do beija-flor, na
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas finas para cintos.
Ricas filas finas lavradas de bonitas cores para
coS : ?s ,0Jas d0 beiJa-0or, ra do Queimado
n. 03 e 69-.
Albims superiores para re- Da loja de fazendas bu-
tratos.
A Aguia Baanca sempre disposta bem servir
agradar a sua boa fregoezia, mandou vir e acaba i
de receber um bello sortimento de albuns de supe-
rior encadernaco e apurado gosto, com especiali-
dade os de capa de marflm com lavores, outros
guarnecidos de tartaruga com trancas de prata,
outros marchetados de madreperola com trancas
de prata oourada, outros de velludo etc. etc. Para
quem tem gosto e dinheiro, um lbum assim per-
reito sem duvida o mais apropriado para Bello
se depositar os retratos de charos pas, bons pa- i ara Para toalnas de mesa
reutese amigos. Em quanto, porm, esses albuns i yirr3;aBWBke A ,
se tornam nota-veis por sua perfeicao e bom gosto lasb,miim& de duas largara? e ne una *v c%
outros receidos na mesma occsiao, *c tornam re- mu', b?a-s para roupa e men,aos '- **
commendados pela commodidado de' precos vista
da boa obra. Assim pois o pretndeme* ser ser-
vido conforme o dinheiro que quizer dispr para
esse m, achando sortimento para 24, 50, 60 o 80
retratos: na ra do Queimado, loja d'Aguia Bran-
ca n. 8.
ratissimus de Duarte
Borges da Silva, ra
da Imperatriz n. io.
Unde-set segiiite:
PECAS de panno de linho rom 25 tan< a aiL
um p>nc eslreito, mas rzerijtm*pira u-iftm
DITO de dito adamascado com % palmo V hr-
*t jaatar a t*WO a
Eifraetes em caiiinbis.
Finos estractos em caisinhas com o retrato da
iamiiia imperial: as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabio em caixinbas.
Finos gafases em caixinbas com varios retratos:
as lojas do beija-flor,ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
S8 : *as loas do beiJa-flr, ra do Queimado ns.
oJ e 69.
Jogos de domin.
Vendem-se jogos de domin 1*200 e 1*300:
D!69 S d be'Ja"flor' rua do Queimado ns. 63
Babadas bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e vanos pregos : as lojas do beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vi ndem-se abafadores de rede de varias cores
! 800 rs. cada um : as lojas do beija flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Adereces pretos.
Tendo-se recebide aderecos pretos de novo gos-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senhoras.
Carteiras e bolsas para
viagem.
Na loja d'Aguia Branca, roa do Queimado n. 8,
vendem-se carleiras com eorreas para traze-las a
tiracolo, e bolsas de tapete, ludo para viagen?.
Perfumaras inglezas.
A Aguia Branca, conhecende a bem merecida
estima que os apreciadores do bom do s perfu-
maras inglezas, por isso mandou vir o esplendido
sortimento que acaba de receber, e os acreditados
nomes dos bem conheeidos fabricantes J. Gosnell
& C, Napoleo Price & C. sao bastantes para co-
nhecer-so a superioridade deilas. Consisle esse
bello e variado sortimento em pequeas quaatida-
des de difireme* e agradaveis extractos de pri-
meira quahdade em frascos do diversos tamanhos
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que
vem em una carteira de tres, com os quaes por
'I ues a :I* o covado.
TOALHAS alcocboadas mullo boa-- para ir.;..
gar o rosto a 6* a duzia ou 560 rs. raafta un.
CAMBRAIA bran-a lina c Hit saipicOT ninr Sig>
a 640 rs, a vara,u melada do valor.
OUAOOS de bonitos e elegaaies desraJxs [ana
col rir ni.-,i< a 1* o otado, para araar.
i.AA/.l.MIAS de padrors nevos e aui.o ajrs.Rf-
veis tanto na boa qualidade rosto ao pn ro de "
rs. o covado, e finalmente o re*siuvtl ag'
achara constantemente ne>ia diu Im um t<
variado sortimento de fazendas iius e ^-a j
precos muilo raaaavafc, po ei rnolvol >a: *m
pouco, com tanto que venda mu:le. a* rr.r. I m>
mais fazendas no presente aaouo.io aerear in ni
(aria isso n'uma despeza eiravnliaaria rcj> !-
peza reverter semrre em bearoVio dos n .^rriV
res, pedindo ao publico .|ii> nao oViie t >r %*>tm
es das este dilo prsenle aoauncio sois ftsnt*
mudanca nos artigos cima dilos, i>to ', apr^au*
Cao que se forem acabando.
'-xm
Agua Florida.
Para restabelecer e rnnsmar a :'< i I I
dos cabellos.
A agua florida nao urna tintura, Lrtn *.
sua elegancia e bondade se faz um bello prsenle ; eial a contesur, a mesma a*ua dando a rr r\mm
assim como outros frascos com finas essencias con- tiva ao cabello. Cumposta de plaas n.a>- 3 *
centradas, outros com excellentes leos para ca- de substancias inoftVn>va., ella irm i
bellos, e outros finalmente com agua de Lavander de restituir aos cabellos o principio coran >jtr f-
sublimada ; ebem assim finos sabenetesem paco- les tem perdido. Dnma .-tiubridad* incor:. to-
tes e caninhas com tres, bonitas e delicadas al- vel, a Agaa Florida eniMem a l.:i>p*aa da rar.-c
mofadiDhas com pastilhas em p, as quaes deitan- deslroe as caspas e wipeV aedks ile r-ul*
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s Oleo de Florida
deixam toda a roupa cheirosa, como afugenlaa Composto de substancias vetetara x..t r. i lia
baratas tracas, etc., etc. Em quanto, porm, a constite poderosamenle, ron a Aem n'r^i
commodidade dos precos ja nao entra em duvida. *
urna vez que o pretndeme compareca munido de
dinheiro e disposto a fazer gasto na loja d'Aguia
Branca, rua do Queimado n. 8.
Liados jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
ns. 63 e 69.
Espelhos de moldara.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
tem apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
meas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se cousa de multo gosto a 1*500 e 2*, assim como
pode encontrar, a 1*500, 2*, 2*500 e 3* o par; pacotes s com os pos a 320 rs. cada um: s no
so no Vigilante, rua do Crespo n. 7. Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cabazes on cestinhas. Perfumaras.
Ate que chegaram as desejadas cestinhas ou ca- Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
* e 10*; s no tinctivos e oflerecimentos as siohasinhas dos me-
Ihores c mais afamados autores de Faris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos debanha japoneza
a 2* e a 1*, assim como outros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
EKi&!Sfi*i!Ha iiTrVSBSSSSVSaS.
forca, a bell za e a conservaran *w ral
Em Pars, casa de (Jmslaor o. li, raa X*m
lien, e 21, boolevard M. nimartr.
Todos os frascos, nio icndo intacto t r!Sr* o)
timbre prateado da casa, rita r-poiados-fN.
Deposit. rna do loinerador. pharwacia a. ^f
ni ne Lisboa
^^ltnc!eLl'^d0^a[LCanniSLv!Dd?m- chegadapelo Manada Ciara: aa raa d* X;m
n. 28, junto ao tbeatro.
Balas grandes e caretas de
borracha.
na ruado Queimado, loja
po-sivel a 2*300, 3*500, 4*, 5*, 7
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim cumo de arregaear ca-
ndi, tanto de borracha como de tartaruga cm en-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante,rua
do Crespo n. 7.
Mais Icqacs
com pequeo deleito, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato preco de 8* e 10*, chi-
neaos muito bonitos tambem, pelo barato preco de
4*co, bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
rato preco de 4* e 5*, leques de charo tambem
por 4*. ludo islo para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cento; sd no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Psra segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
1)01 racha quo 03 ?euliuia> lauu |in v .-,.m .,.,,. c-
gurar manguitos por ser muito commodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do ores-
po n. 7.
Vende-se na praca u.i imit-ppndencia n. 39, loja
de Antonio Augusto dos Santos Porto, capellas
normaras de gostos mais moderno-:, que tem
vindo at agora para se botar em tmulos e cata-
cumbas no cemiterio publico no dia de finados,
com as esenpeo'-s scpnintps: meu espn
..,,..., met pal, turnu ...si, ..-.. uiii--.
lha, saudades sempre vivas, amisade, una
ma ; desta qualidade nunca vieram para
vendidas nesta provincia.
nunh.-l fi-
lagn-
serem
63 e 69.
Voltas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedrl-
nhas imitando brilhantes 1*000 cada urna : as
las do beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres.para sopa.
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
25000 cada urna : as lojas do beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende se laa para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como as cores, I
65400 a libra : as lojas do beija-flor, rua do Quei-
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
que em outra qualquer parte.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova oue
ha no mercado tanto em porco como a retalho,
por barato preco afiancando-se'aos compradores a
superior qualidade : a tratar as seguinles ras
Crespo n. 7, Imperador n. 28, Fone do Matto
mazem do Sr. Villa defronte do trapiche do
ao.
Ceblas a 1$ o cento
[a. .....n,,>r.,c i)" tem vindo a este mercado :
iae-se na rua da Madre de Dos as. <.'.
!Sal do assib.
Vende-se a bordo do patacho Valente : a tratar
no largo do Crpo Santo n. 6, segundo andar.
se a 500 rs. cada urna
d'Agnia Branca n. 8.
Espelhos com molduras pretas
e douradas.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
ceben um bom sortimento de espelhos de difieren-
tes tamanhos com molduras pretas e douradas, e
os est vendeado por precos commodos.
Papel inglezm
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
cebeu um novo sortimento de papel inglez liso e
pautado, almaco, de peso, e pequeo, vindo deste
tambem com beiras douradas.
Enfeites invisiveis
hon ienlncar,C3 'a ?0 Queima(l0 n", 8'/ece" Desappareeeo no abbadu 7
anU,Snhte '? ?Ve,S'nSqU,aes pela fin.ura oito horas da noite, um aMtafM por aaaw U.a,
do tecido e bom gosto tem merecido tanta estima Com os .-ignaes quintes H-rioul,.. levoo rtS
1 renaros nara flores. Irala branr. *> ^ r '<> *>. ***
a ,.;n. L i n n cor bem preta, booilote, e tem urna ajajaja nr*.
nnIL^ranCa' na rDa Que,madJ 8- W Por baixo de um olho, muito pJSS^mSm
222? "'T prepa?.s para "ores, sendo papel de anoar semprB 9(,m ,.hapo fab^.a, x^fr ,,tt-
cores para rosas, dito verde para folhas, folhas de maf5ps ane andJI aqu naPidade. pltiDt., r,ta..,
panno e velludo, caixas de trigo, ditas de uvas' autoridades policiaes o capities d> reov"
is e roxas, e como sempre continuara a ser prendara e levemo rna estrella do Rom. I i%
escritos ,
Fugio na tarde do dia 16 de jumo p. p. n
escravo pardo, de noroe Marco, doarataarradf
do hiale Santa Anua, vindo do Aracaty, Irada
de idade 28 annos pouco mais ou mcaa, o* ->a>
naes seguintes : allnra refalar, scero m rara.
pouca barita, cabello crespa, levoa raa*-a
calca de algodosinho de n-i-ado aza* cha-
peo de palha, leudo le fado comsigo asalrcnu
com mais ronpa, e rendido de orna das vmla.s -
quem o appreender qoeira leva-lo roa da aVdrt
de Deus n. 38, on rua do Rrnm n. 35, ajaa *"i
recompensado.
vendidos por procos commodos.
kTtmtSS
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Palor r ..
' A*0"'*f "_____________________________
oiiiioscom rodas,pateilfs.
Moinhos graodes com rodas, patentes, e aflaaca-
dos pelo /.i 1t.-.iue para moer caf, e proprios pa-
ra rerinacao por seren de especial qualidade e de
todos os tamanhos : vendem-se nicamente no depo-
site da rua da Cadeia, loja de ferragens n. -36 A,
de Bastos.
no hotequim d'Agnia-d'onro,
sado generosamente.
que sera ataja
Fu.d.*
Desapparecen desde omei pascado, a c;r;
creoula Joaquina, cor preta, alia, magra, aa ra-i-
cYie^.'cosln'm: nd-tr de timao on enarca i i...a,
inculca-se de forra, e pur este modo alofta-se r< *
ama em casas particulares para engoritiiur; i. sido encontrada a noute na rua do llospi-1> o
l'niao. c iilliinamenlc consta que est servin *a)
como ama, em urna casa no li.iirrj do ataraV:
quem ap|irchende-la ou do vieeafl da Boa-Vista, rna da Aurora sera ^t-
nerosamente recompensado.
i:
LISTA GERAL.
1,1
i
DOS PREMIOS DA 1. PARTE DA 1. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 537 DE 21 DE JNIIO DE 1862, A BENEFICIO DA MATRIZ DE C.vRAR, EXTRAHIDA EM 12 DE OUTBRO DE 1864.
>'S. PREMS. NS. PREMS. .NS. PUEMS. NS. PREMS. NS.-PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. .NS. PREMS. NS. PREMS NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS NS. PREMS.iNS. PREMS NS. PREMS NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. INS. PHEMS.
3 12,3 159 65 331 65 474 65 630 05 805 65 991 205 1153 65 1325 6$ 1524 61 1741 6 1914 20,! >2078 65 2264 6, i 2432 6 , 2G0o 6 (2780 65 2961 6J 3166 65 3M 125
: 65 62 35 77 33 6 92 65 54 26 26 42 23 6,5 81 66 - 35 6 81 125 6o 67 53 65
6 64 40 125 84 - 38 13 96 56 30 29 44 33 83 69 36 10 84 6j i 68 69 aa. 54
7 __ 68 41 65 85 39 - 25 07 60 31 30 48 38 84 124 i 70 40 13 124 87 ;o 71 aa. Vi __
8 __ 68 __ 42 405 86 43 27 98 61 32 31 52 40J 39 86 6 71 42 li 6| 91 81 40j 65 79 6\ __
9 --- 70 43 65 88 49 28 1004 63 35 3o 125 60 b 43 90 72 43 18 93 . 88 84 ._ 67
10 __ 71 200A 44 1005 90 51 32 7 65 61 38 65 62 46 94 73 _ 48 20 - 95 _ 94 87 _ 69 125
\K __ 7 i 6:0005 45 65 9o 56 34 __ 15 67 62 41 125 64 47 98 75 81 24 96 ... 3004 89 ._ 70 5
17 __ 82 65 48 125 97 57 37 _ 16 72 66 43 65 67 48 - 2103 76 55 34 97 __ 9 _ 91 __ 72
20 _ 88 49 65 99 64 39 _ 24 __ 80 71 45 70 49 9 78 60 38 2804 15 92 _ a 205
21 ^_ 92 51 500 125 65 43 - 27 81 72 58 73 125 50 205 11 84 63 45 9 16 _ 94 74 65
23 __ 93 52 20 1 125 66 1:4005 49 32 82 73 61 76 65 51 65 15 86 67 - 46 10 21 _ 3200 86 405
26 _ 97 205 53 65 2 65 67 65 52 _ 33 m^ 84 85 65 78 55 20 87 __ 68 48 11 23 __ 3 __ 8 65
28 _ 99 65 54 13 68 54 ... 34 _ 89 91 72 6005 80 125 60 21 88 _ 69 55 13 24 _ 7 __ 90
30 , 203 55 _ 15 69 55 36 _ 91 93 76 65 82 205 61 24 93 205 70 56 . t 14 26 125 10 __ 3M0
32 8 56 . 19 _ 70 62 _ 39 . 96 98 205 77 84 65 62 30 96 65 71 58 W\ 27 65 13 __ 1 g
34 ^^ 9 60 __ 24 .^ 73 65 40 _ 97 405 1400 65 80 85 67 34 - 98 73 61 6* Q 29 15
35 13 61 __ 25 __ 78 66 125 47 125 1207 5 2 81 125 87 68 35 99 74 62 26 35 __ 18 7
36 _ 20 64 26 BJBB* 80 67 125 49 65 12 6 83 65 94 81 37 2302 _ 75 63 SO 41 ^_ 22 8
45 12 29 125 72 __ 31 __ 82 69 65 55 14 - 7 85 95 82 38 5 77 67 38 43 _ 24 125 9
i9 af 30 125 74 __ 42 __ 83 70 57 __ 17 10 86 205 96 90 39 6 80 70 39 47 25 65 13
S9 12i3 32 65 76 45 _ 85 73 58 __ 19 - 11 205 92 65 97 93 42 7 _ 82 72 45 50 _ 26 14
64 # 42 205 82 47 --- 94 75 59 _ 21 14 65 96 1800 - 95 46 8 _ 84 73 48 60 30 205 15 _
68 50 6* 84 49 _ 96 77 61 _ 22 19 1601 2 2000 __ 50 13 86 78 " 52 62 34 65 19
70 51 2005 90 53 . 98 81 66 __ 23 125 21 13 11 | 51 15 89 81 125 54 67 36 20 12*
75 _ 52 6# 91 59 __ 700 _ 82 67 25 125 22 23 12 125 3 55 16 _ 90 82 125 56 68 _ 42 26 #
80 \n 54 97 60 _ 4 83 68 __ 26 65 23 24 13 205 7 56 17 98 85 65 58 ^^ 69 __ 43 27
82 6$ 57 405 99 61 --- 5 87 69 _ 29 26 125 25 22 65 8 64 20 _ 99 88 ~~ 59 , 76 aaaa 45 28 ^m
83 60 65 404 64 __ 16 90 205 70 31 1005 32 65 31 25 - 10 65 22 __ 2503 90 ^~ 63 79 205 48 30 ^_
88 _ 62 6 65 aa 18 92 65 71 32 65 35 38 27 11 _ 68 25 _ 4 91 mmm 69 Ha 80 65 49 33 ^
9t 64 8 66 205 19 95 72 36 36 40 30 13 _ 80 35 M 9 93 -~ 74 BBJ 84 51 35 HHB
95 65 9 72 '5 20 97 74 46 42 205 47 31 14 1005 84 36 _ 10 96 ^ 76 ^^ 85 __ 52 37 ^.
99 68 11 74 24 98 75 47 47 65 53 32 16 65 86 38 ^_ 16 2701 86 , 90 53 38 ^P
100 _ 71 15 81 25 904 78 50 50 59 34 17 87 44 mm 19 4 87 _ 92 __ 59 39 ^m
1 72 19 83 _ 26 5 85 M 51 60 35 - 25 ^^ 89 125 48 __ 20 9 89 __ 3100 __ 68 45 _
4 74 125 24 84 __ ' 27 21 86 61 55 61 43 " 29 94 65 49 ^_ 22 10 125 91 2 ^_ 72 46
5 . 75 65 26 85 _ 2S 8 __ 80 31 86 39 - v _ 31 89 70 8 64 __ 46 33 i. 97 61 _ 29 16 95 _. 5 __ 82 48
10 89 39 88 41 36 97 77 60 65 _ 49 40 125 2218 __ 62 i, 37 19 99 jaaa 11 88 51 _
11 92 41 90 _ 45 42 98 78 61 68 _ 53 r 42 65 19 _ 66 __ 39 23 2901 --- 13 90 55 ---
19 --- 93 42 91 __ 46 46 1101 80 1005 62 73 125 56 ' 44 21 ^H 72 ^^ 40 , 27 i 2 [4 21 91 59
23 205 94 44 97 __ 47 47 8 125 82 65 63 86 65 57 - 46 _ 26 __ 73 __ 46 29 12 22 94 60
26 125 96 45 98 __ 51 205 50 13 125 84 04 405 95 405 i)9 47 27 Wm 75 .. 47 38 14 ^ 25 97 62 _
27 65 301 1005 50 99 56 H 53 14 65 85 72 65 96 65 63 53 _ 28 __ 81 _ 56 42 19 _ 28 3301 64
29 2 65 53 600 ... 57 57 _ 17 88 - w 1702 b'/ 54 32 ^ 88 ^_ 61 44 21 _ 30 3 66 ---
33 ^_ 7 56 1 20* 58 _ 58 20 91 125 83 4 75 57 _ 37 --- 91 ... 63 1005 50 24 31 21 67 _
34 ..aja 8 57 7 65 62 62 21 % 205 85 10 ... 85 58 ^_ 38 - 98 _ 66 125 52 28 405 34 22 60 _
38 a] 9 - 58 125 10 68 64 30 97 65 9 15 _ 87 60 aaaa 39 m 2404 72 65 53 34 65 36 29 77 __
39 17 62 65 13 71 _ 65 32 98 1503 16 aajta 90 63 aaaa 41 M 8 75 55 405 35 - 39 30 78 _
40 _' 19 64 18 89 _ 69 36 1301 5 125 23 H 95 64 _ 43 9 77 56 65 53 405 42 125 33 205 79 _
43 mm 22 66 19 91 72 37 10 205 6 65 24 a. 97 66 J 47 12 79 59 205 54 65 44 65 40 65 88
46 --- 23 67 21 93 73 41 17 65 13 29 1902 67 arfa 54 14 86 66 65 57 46 43 90
49 _ 24 69 24 95 _ 76 aa 45 125 18 125 19 36 _ 3 70 _ 56 16 89 71 58 48 46 94
53 __ 28 __ 71 25 97 _ 77 --- 48 65 20 65 22 125 38 aataa 9 _ 74 205 57 20 9ff 76 59 50 47 97 ---
57 _ 30 m_ 73 _ 28 98 2005 82 M_ 49 22 L 23 65 39 i 10 _ 75 6 58 22 2601 125 78 61 125 53 48 _ 99
0 escr vao, Jos Pe dro das JNwe s. Pern.l yp. de M. i \ de Faria < i Ftlho- 18C 14.



Diaria *e remanOMe* Quinta felra 18 Ontnbro ie f Sft4.
^-wg.-,.--,
L1TTER ATORA.
Sobre os hapjftJM da raocidaile. (*)
CAUTA A UM AMIGO.
I
'K outro (raros) poetas portaguezes e brasileiros?
Valha-vos Deus !
Mas .. deixemos os alexaadrinos e vamos con-
tinuar.
Tenho. como todos, predilecco pelos poetas que
apresentam creagao qur na forma de versejar,
qur no pensamento : e como nao ser assim, se a
Yauo:, a pMc trar um pouro. E', s vezes, tao novidade hoje urna cousa rarissima ? Ao Sr. Pin-
necesaria urna palestra, como um sueculetitojan- t0 nr,0 poi)erao nogar urna tal ou qual originalida-
4ar a um glotao que jejuou. do. Dir-me-hao porm que ^Adelaide. do modo
! ts de le lembrar que me disseste. por occasio pirque foi esbocada pelo Sr. Pinto, se nao irmaa,
6i c.-tar prestes a sahir luz o novo livro de pelo menos prima da encantadora Paquita do Sr.
poesas do S. Antonio de Souia Pinto, livro iuti- Bulliao Pato; que ambos os poemetos (so me l-
lulado Rjrpejos da Mocidade, que eu escre- cito aesiro nomear). O Ladrao e Aielaide, ressen-
%ifc;j um juio critico respeito d'essa publica- tem-se da leilura de D. Jayme; o que finalmente a
C5o. Lumbias-tc do que le respond f Respond poesia dedicada ao talentoso poeta A. A. Soares do
que sim. Uro juizo critico I Eu? Eslava, nao Passos, urna imtago da poesia do mesmo Soares
su:, com o juizo oudc, quando tal promessaiz! de Passos A' Camoes: mas, perguniareinao con-
Agora, acredita que bem arrepeudido estou de te sentem que dos bons modelos copiemos as formas ?
haver dito lats palavras, sem que pritneiro reflec- Alm disso eslou muilo cerlo que as poesas do
S$e uo peso do trabalno, que ia cinprohcuder I Sr- Pinl, e o"""e oulros O Genio c o pobre, e a Es-
Bem airependido estou I Mas em llm o que est 9ece-me, encontrar-se-ha alguma creagao.
eo, este foito; e como sei que s de boa avenga, E Pr fallar em Soares de Passos- nem sabes |
.-orne a dizer o que pens, e do melhor modo quan,as wordas&'s saudosas me traz este nomel
ue o poder fazer, isto 6, ebSao imparcialmente.
O Sr. A. de Souza Pinto poeta.
t-i, liouve, e ha de haver homens, infelizmente,
que, apenas aos que tem adquerido um certo ca-
. fcedal de conheeiraentos, daro nome do poetas.
Peii.su do outro modo; e penso-o porque tenho
visto que todos mais ou menos tem sua poesia,
c iue tolos mais ou menos cantam : jnlgo at que
O tlrar-se a poesa ao hornera seria tirar-lhe tudo.
Mas... poder-mu-ho dizer, que outra a questo,
que aqu smente da poesa dos versos se tra-
a. S isso comprehendo eu perfeitamente, gra-
bas a Deus o que nao comprehendo que
sejam poetas todos os que versejam, e alguns
?ane versejam... benza-os Deus! Para te ex-
plicar melhor o meu pensamento, dir-te-hei que
s cscrevinhadores de versos de todos os sexos
O quefat o romance.
Perguotaes-me, minha seohora, si a velha lia que
vos cria nao segu uro. prejuizo e ideas de outro
terapo vos prohibindo ler romances. Confessaes
que duus ou tres lvros deste genero vos nao cni-
do as m.ios, em urna palavra que tendes provado
la) chegou a noticia da morie do grande lyrico por-
taeose (o de margo de 1860) nesse mesmo da Jos I
Joaquim Candido de Macedo Jnior,o poeta de
quinze annosexpirava! Dir-se-hia que o paquete
conduzra o ultimo suspiro de um para uni-lo ao
do oulro e confundirem-se ambos I O Sr. Pinto of-
feriou bem o seu volume : que importa que o Sr
Soares de Passos j nao exista ?
Nao morre o canto onde vibra a lyra,
Nao morre o nome onde vive a gloria !
(Mendes LealGarre e Camoes.)
II
Vamos ao reverso da medalha.
O livro do Sr. Pinto.tem defeitos. E quem que
os nao temos taes defeitos? Errarehumanum
est.
Em geral o Sr. Pinto metrifica bem. Tem bor-
?? cJides dmdo-os cu em tres grandes c asses, a .- .,._____, .
. does... eanda perguoto: qual o poeta que mais
ou menos os nao tem ? iu, que tambem recebes os
afagos das musas, sabes que a falta de urna svllaba
%,\.cr : poetas, virsejadores, e arranhadores. Poe-
4a i a juolle que escreve inspirado e at certo pon-
to iiielhodicamenle; versejadur o quo faz milha- .
, para completar um verso.as vezes,da tratos imaei-
-es de versos bem cadenciados porem que, anda vV. ... .. ,. >""""<
. nacao, e o remedio.... o remedio e prender um i
?em espremidilos, nao deiiam sueco de quahdade inlrnJ,ir m .- v i,
v u a in'roduzrum tao, agarrar um so e encaixarumt.
e'ruma; anaullador o que arranha um Ivra de n. i_j*m,/ hrmo
., ,. U bo) does ( chrisma feta mu competenlemenie
ii i i f. 'i se urna, ou ae mil cordas, e todos os das
limse* o respe.tavel com horripilantes canti- Pel mmorlal padre Jos Agostinho de Macedo
i.riinsea o respciiai'ct com nurripiianies caim- j ,""" """""......" --------
lenas. Quercs ver d^essa gente? abre qualquer a*Cmsura &* Luztadas) os bordoes, digo, sao
peridico, cada um desses poetastros (como al- necessanos. D isto nao se dever de forma alguma
concluir que desculpo o Sr. Pinto; pelo contrario
animo-me a censura-lo, porque incontestavel
que abusou. E nao quero aqui entrar na aprecia-
cao dos pr'a, pr'os, fTicidaie e esp'ranca, ellypti-
cos de que a escola muderna reprova o demasia-
%nns os chamara) uro moas porturtens, e o ni-
co prest rao que lem o de estragar oucas.
e>ta chrisma vou adlantc.
' Ao Sr. Pinto classifico-o eu entre os poetas.
Q'ieres urna prova ? V esta deseripgao tirada do emprego, e que bastantes vezes, aquel le que
lr os 'Harpejos
de urna do suas mais lindas poesas, Adelaide :
i Edadt: vnte annos, tez morena
f Mas de leve rosada; labios grossos
i Em bocea regular e (ormosissima.
c De perolas os dentes; grandes olhos
Da cor de seu cabello, que era negro
c E lustroso azeviche, As sobrancelhas.
t Arqueadas um tanto; mulla graca
F, elegancia no porte : eis o retrato
c Sfais fiel de Adelaide : creiam todos.
E em seguida :
t Sou lospelto em alturas, mas nao gosto
< De mulher muito alta, que pareca
< Provocar o giganie da escriptura.
t Adelaide era haixa,um predicado
Q_ue p'ra mim vale muito, f o digo.
< Sem ser urna belleza-egual a essas
Por vates tantas vezes celebrada
c Podia-se dizermulher formosa.
L .> Ul IHU.A U I'VUIU iiUiiii,u ...... ...
ao fonaososestes versos... oiio te parece?
Kao posso tmbem dexardetranscreveraquies-
i: poesa que acho linda :
A' SOLIDAO.
Eu amo a solido, amo estes bosques,
t Onde a grandeza do Scnbor se estampa'
A humilde paradla, que se abraca
c Ao grosso tronco do carvalho annoso;
< A innocente aveMuha, que pipita
c l .; sobre a relva, que inalisa o campo !
c Sao puros cantos, harmonas santas,
< Que, aos ps de Deus, a natureza enva.
c O murmurio das agua?, que deslisam
-. Como los de prala entie a verdura ;
t A linda borboleta, que doudeja
c De flor em flor, o perfumado nctar
4 Em perfumosos clices libando ;
Sao outras tantas preces, que da trra
t Ao ctu se elevam entre coros de anjos 1
t Eu amo a solido, amo estes bosques,
t Onde a grandeza do Senhorse estampa I
c Yaeodia morrendo... oh vm,oh! Julia,
Porest'S sitios solitarios, ermos,
Comigo divagar; assislir vamos
i Ao espeetac'lo magestoso e bello
t Da natureza n'hora do crepsculo!
< Como um monarcha, que do Himno desee
Para no leito repousar de purpura,
Assim a augusta fronte o sol reclina
c De immoiiM) ocano as cerleas aguas/
O merencoro astro, a meiga la,
o L desponta formosa entre saphiras t
t Da montanha d'alm tamos, oh I Julia,
t Do mundo do Creador erguer um canto I
Tirando saphiras nada mais acho para no-
tar n'esta produceo, que, inconteslavelmenle re-
vela muito gosto. Mimosas tambem sao as poesas
iLliiuladas Julia e Supphca.
O Sr. Pinto nativo em seus versos, v :
t Os ledos dias de outr'ora
t Por teu amor os perdi,
i Os tristes que passo agora,
Esses... vieram de ti. >
Quercs dous bellissimos versos? Estes, na poe-
sa O Ladro :
* Que bellissimo quadro I um quadro sublime!
t A innocencia eo amor abracando-se aocrime!
E preciso que notes que sao dous versos ale-
*4iidrinos, c os nicos encontrados em todo o vo-
lume do Sr. Pinto I Dou versos alejandrinos to
-6 uiMif em um volume exclamaro alpuns. E
calilo 1 A-ham pouco ? Pois eu, por mim, acho
muilo, porque muito livro se tem publicado algu-
tv* que ero sombra delles trazem I Fez muilo o
Sr. Pinto j e se fizesse um pouco mais haviam de
Un- ir as caaos, haviam de pragueijar, e at ex-
rommongar por que... porque elles naoque-
cem vorsos franceies! E' boa! Se os nao
qti"rei>' os alexandrinos por serem fran-
E quero dar que vos, que tanto deprims os versos
di- treza syllabas, escrevesseis com a Iingna dos
arrose Vieiras, que mal vos viria delles T Por-
*'ciitura nao tem o Sr. Antonio Feliciano de Casli-
Ihu o introductor dos alexandrinos entre nos, co-
lindo um resultado oais que satisfactorio? e o Sr.
Thomaz Ribeiro, o amenissimo cantor de U.Jaymel
( 1 Esle artigo nao foi ha mais lempo publicado
i'or afflucocia de materias.
| a vida de familia ao amor de vosso marido e de
' vossos Olhos, a nma existencia calma, ignorada,
nanseabunaa I Fra I senhorita.
Corno a senhora vossa tia pois urna prudente
e discreta pessoa como tem razao e como sou al-
tivo e feliz de ser de sua opiniao, e de ter urna or-
o pomo prohibido, e p.ra bnm dispdr-me sem du- casao de por publicamente venda um pouco de
vida, coi-romper-OM e forcar-me aconselhar-vos o antidoto contra os venenos que tenho vendido a uns
que desejaes, lisongcaes-medizendo que dous desses viole annos !
romanees erara des.e vosso criado. E ess(Jj p (br(JS maQo?) ^ ^ ^^ ^^
\ou responler-vos, m.nha seuhor.la. m (|UecrrS riJicu|i,. ca|ijnain a WJo fa_
Dizer-vos que nao leaes romances, eu que tenho, luro w aos roDdeilinariam ,
pelo menos, publicado quinze ou vnte, sera Il-
gico, ou mais humilde do que costumo ser, seria fi' em rela5o aos mo5os sobreludo, que a leitu-
confessarque tenho conscencia de haver feto urna ra dus roraaQCCS ser'a perniciosa, porque eis o que
macco, e mus lvros, que leuho aberto urna os romneosnos dizem : -o d.nheiro nao deve
loja de venenos, encerrados em frasqu.nhos orna- 0,:cu,'ar seaiia a '|Uarla ou 1ui,a ordem nos 'a"
dos com todos os atavos que preciso imaginar. leres*es da Vl(la : a 6lor,a eas honras, a estima e
Creio porm que po temos nao encadear-nos. a consideracao, sao para o hornera devotado a um
Ou eu me eugano ou tendes, tomado defenitiva- Paiz' Para ll0raera ncorruptivel, firme em suas
meute vosso pariido sobre a questo que queris crenras> inabalavel em suas conviertes ; para o
bem submelter sminhas luzes. Posso poisdar-vos hornera de estado que, sem hesitar, sacrifica, pelo
conelhos severos que quizer : nao haja modo que elle er sera verdide, nao sdignidades,como
que os sigaes.O moralista anhar com isto: po- lugares e a fortuna; para o magistrado que s obe-
de tomar ares austeros que deslumbre aos loucos, dece a ,ei> Para soldado que s busca seus pos-
o romaucista nada perder com isso. tos sobre o campo de batalha, combatendo o inrai-
Pois bem I senhorita, sou do parecer de vossa B- Se fazeis ceJer vossas conviegoes vossos in-
tia ; nao ha necessidade de ler romances. teresses, se trahis vossos juramentos, se trafleaes
Smente muito provavel que a senhora vossa com vossa consciencia, seris deshonrado, despre-
lia e eu, nao demos as mesmas razes justificativas sad '
dessa iolerdicgo. o romance ajumar : pela bravura, pelo
E' por causa da moralidade extrema dos romn- herosmo, pelo descnvolvimento, pelo genio on o
ces.eintoforinalopposicaocomaimruoralidadeda talent-, pelo desinteresse e a nobreza do coracao,
sabedona humana, que vos acouselho -de nao ler que se merece e conquista o amor das mulheres.
romances. e depois, urna vez na vida, o pobre louco quizera
Urna mulher dizia-me um da, vendo em minha applicar essas pomposas theoras. V lo-heis, so-
casa algumas eslatuasinhas de Pradier, e alguns htario, passeiar nos lugares mais ermos, com ves-
e.sbogos dos dous Johanoot, .tres amigos que tes surradas e sapatos rotos, ve-lo-heis sem posigo,
perd: sem cousierago, apooiado pelos mais prudentes
t Fazeis mal em acostumar vossas vistas com como um cachopo uos mares do paiz do T-no ;
esse encanto e elegancia dessas formas, com a dis- ve-lo-hes despresado pelas mogas, desdeuhado pelos
tingo e candura desses rostos. Gastaes vosso es- homens.apootadocomo um original, um selvagem,
pirito e logo exigiris na vida real, em pobres um cabwclo ve-lo-heis objecto da indifferenga, e
mulheres, perfeiges que nao esto na natu- d desprezo, pobre, tmido, nao ousando fallar em
reza. > um salo, posto na extrema da mesa em um jan-
E' precisamente essa a razao pela qual vos acn- tr' se |ue della na0 fi,ze,n sahir a pretext0 de
IDO deixe.s de ier romances. Os romances vos |baver ,reZK pe(ssoas sen,adas' ser apenas servido
diroque soamor merecedor do amor; que o P"
ou outra vez se entrega a ardente hespanhola, ati-
rando ao amas ondas de fumo os caprichos e os
sonhos voluptuosos da sua phantasia !
Fumar, gostar de fumar, saber fumar : que tres
mundos I
Ellas sahoream o papellito lentamente, suave-
mente, em extasi,em delicias, n'um sonhar acordado
digno do oriente, sem grandes aspiraces que suf-
fuquem os bronchios, n'um goso inteiligente e ln-
guido, divina combinagao do prazer do tabaco e
do prazer da ociosidade I
Entre cigarrilha e cigarrillia ha um intervallo,
destinado pausa, medlaco, ao seismal" atien-
to, a saborear o gosto que o cigarro delxou na boc-
ea e o resto de ideas que elle deixou no espirito !
te chegam as mais famosas, as mais apregoadas
formosuras, veem menos para ver que. para serem
vistas.
Olhae I
As tentadoras, as prestigiosas, as explenddas I
Os antijfos disseram que Venus era loira, mas que
importa ? Tolas essas adoraveis morena*, <|i- Jo
passando meias deitadas nos seus raleehes, 5o os-
tras taas venus que valem bem a loira do ami-
gos, que s existe em pjtaH nos musen-, o que
pouco recreativo fra d'ahi f
V le a figura magestosa e esbelta dessa rondes
sa! Que frescura suave, que prfle de leile, que ca-
bellos que parecem um toucado de peonas de cor-^
vo! Que gesto ardente, que nao sei que de primi-
Tirem a tudo isto a mant.lha, e mais vale sup- ,v0 e original, que surriso d'Eva nos
pr.inlr de urna vez a cigarrilha e o leque dias do mundo, parecendo ditosa como ella por n-
Sempre que vi em Pars, nos restaurants ou nos ver) e,deverei dize-lo?-por pecear
cafs dos Campos Elyseos, urna franceza equivoca E ^e,,, ,;ssa pal|iJa mar c o|haf
com o seu chapeu de fetio de louca e o esguio abandonado e vago todava tao pndrame que
mantelete permiltir-se o c/iic de fumar um cigarro, |he atraiga os pensamenios anles della qoerer
acompanhadodo infallivel petite verre, tive um sen-1 transmilti los 1 O surriso, como o raio de Pr.-met-
lmento do indignago e de asco; o cigarro intor- teu, voa-lhe rpidamente dos labios aos olh.^, e
nava-se, rasgava-se. apagava-se, e a fumista nem anima-lhe a physionomia m.-ridional e graciosa f'
sabia embrulha-lo, nem ageita-lo aos beigos, nem j Quem teria coragem, quem nao enloii pMB-
coino nos dizeraos, puckalo; nao sabia fumar, era-: ra a/fieo carainho, se lenlasse o estudo aulo-
fim, era urna vergonha, era um espectculo hedion- miro/da formosura de todas aquellas molheres que
amor que vos deve conduzr ao casamento, que
Atravessa a vida com suas virludes de oulro
com ura pouco mais de cuidado
d.i Mocidade encontrar.
Em algumas poesas do Sr. Pinto se encontram
tambem falta de pensamento, epithetos mal appli-
cados e repeliges que nenhuma belleza encerram.
Sirvam de exemplo estas estrophes da poesia in-
tituladal'ma noute :
Que noute, meu Deus, que noute'.
t Que noute, tao bella e pura 1
c Bate a la sobre a trra
To cheia de formosura 1
i Esta nouf toda encantos,
< E' uina noute de amor.
t E' urna noute que inspira
Os cantos do trovador!
Disse-te cima que em geral o Sr. Pinto metrifl-
cava bem ; mistar confessar, porm, que na sua
linda poesia Saudade' ha alguns versos frouxes,
e alguns mesmo speros.
T"iia hrisas de um esto ameno
ue suave perfume impregnadas....
Impregnadas lem quatro syllabas e nao cinco; a
dizerem-ine que o Sr. Pinto escrevera esta palavra
daudo-lhe quairo syllabas, eu notarei que entoo
verso licar defeituosissimo por ter de apparecer
um pessimo hiato.
Aqu me lens submisso.
Este verso escriplo como rcuondilha maor est
visivelmente com falta de urna syllaba: submisso
tem tres e nao quatro syllabas como escreveu o Sr.
Pinto.
E... enfadar-se-ha o Sr. Piuto com estas obser-
vages que fago, dize-me f Eu por mim creio que
nao. E se se enkdasse faria nial a si, e a mim :
a si, porque mostrara nao gostar que as verdades
se ihe itUnomoio, anda pelo modo porque as digo
eu; a mira, porque nao cumpriria cora a promes-
sa que liz no principio d'esia ca la, isto dizer o
que senta, fallando cha e imparcialmente. Alguns
dos defeitos, que te citei, devem com forte razao
ser desculpados, que eu, e t, o inutos sabemos
que o Sr. Pinto se formou a si proprio, e que nao
tem cerlos conhecimenlos proprios para a boa di-
recgo da ferlil iutelligencia, que Deus Ihe deu.
O assumpto principal do livro do Sr. Pinto o
amoresse iihtuorredouro manancial onde vae to-
da a mocidade potica haurir; mas nao poucas
poesas tem elle em que oao vibrada essa corda
j to vibrada.
Nao quero concluir sem te mostrar um soneto
ao Sr. Pinto o.Terecido, e que feito por ura acad-
mico, que perfeilamente conheces.
Ei-lo:
t Acceita amigo Pinto, este aleijado
t Soneto, que le ufl'rego. Est mal feilo...
Mas que queres se nunca teve geito
c Para poeta, u Candido Machado ?
t Era vo chamei meu estro, mas... coitado!
ntou logo : t Nao quero, nao me ageito
A fazer versos maus, e estar sugeito
t A ser pelos poetas escotado I
Alm d'isto, t sabes que mana,
Que cou.-a essencal para o poeta
c Vlver clioramingando noute e da.
t Mas eu nao choro, e se o dsser peta,
Pois nao passo urna hora sem que ria
t Fazendo para o mundo urna careta.
Vae longa esta palestra, e vem a proposito pr-
Ihe o ponto final. Antes disso porm, tenho a dar-
te de mim urna satisfago, e ura parecer final ao
Sr. Pinio.
O parecer este :
O Sr. Pinto poeta, o seu volume urna flor pre-
ciosa ; faiu-lhe anda algum estudo : elle que eslu-
de, que joven, e dar flores mais preciosas anda
que Ihe formai ao um da urna cora que nada in-
vejar s de muitos.
A saii>fgo que de mim tenho a dar, esta:
Se viste que me animei a muito por fazer esta es-
pecie de critica, se s vezes failei, soben mente,
cuino ura Iliterato consuuimado, faze de conta que
nada d'isso se passou, porque bem sabes que eu me
metti em caigas pardas, e que n5o estou apto para
criticar. Se erre, como presumo, com o corago
as palmas das mos convenho de meus erros.
Adeus.
Teu amigo,
i. A. d'Al me ida Cunlia.
Reclfe, 6 de junho de 1864.
eutregar-vos a um hornera que nao amaes, porque L tempo, como um homem que quizesso comprar al-
rico, um acto ignobi, etc. etc. T, t, tal Nao guma cousa com vaHs e aegoes assignadas por
tardareis em conhecer na vida o pouco valor de Lau. Atravessar a vida como um rei de theatro
semelhanles. Tereis um velho decrepito e doente, com sua cora de papel dourado e seu manto de
mas celibiario e rico, cercado de attencens, cuida- algodao, ting'do de purpura. No mercado toma-
dos e obsequios das mais austeras mes de familia, lo-ho por um mendigo, talvez por um ldro, oas
de blandicias dos mogos raais grjinalmente bel- ras dar-lhe-hao assovios f Ah I sun a senhora
los; e se succeder que este velho faga sua esculla vossa tia lera razao nao leiaes romances,
de urna dessas candidas virgens, v la-heis feliz e 0u se 0 raa, esla feil0> se ja os lendes ,ld0j bus.
altiva dessa escolha, consentir com transporte em cae 0 raio de |uz que dl>ve vo! Hvrar de vossas
dar sua pessoa e vida a esse cachelico pretndeme quimeras -de vosso cavallinho, como S. Paulo foi
que suspira mais por causa de urna asthma, quede derrubado do que montava, e buscae como elle,
seu amor. Sua me, mulher de feroz vrtude, achar em lempa este salutar e brutal raio.
affecta urna extrema modestia fallando desse pro- Affonso Karr.
ecto de unio s pessoas suas conhecidas: sobre
que preciso dar maoeiras humildes a felicidade e
fazer-se perdoar por suas amigas, pelo meos fa- UM POLCO DE Tl'DO.
zeodo-lhes crer que nao gosa c*mo ellas gosa- em madrid.
rara. Ver-se-ha felicitar a me e a filha a propo-; Sob esto titulo tem o espirituoso folhetinista da
sito desta monstruosa uniao e as compaoheras Revoturo de Setembro, Julio Cesar Machado, es-
desta a eoegrecerao com seus rseos labios e mor- crlpto urna serie de. ioteressantes artigos, discrc-
dela-hao com seus dentes alvos; procuraram pro- vendo cousas e oso* da capital de Hespanha, e
var que nao digna da felicidade que Ihe succede, entre elles nao nos soffre a paciencia que deixemos
e que ella que falla tinha mais direilos a isso, que de transcrever para este Diario o segunte, que
s por urna estupida cegueira podem haver sido com to poticas cores descreve a decantada belle-
za e sedueges das provocadoras hespanholas.
Vamos hoje ao Prado I
desconhecidos.
Ella nao das mais nellas
diz urna miran-
do-se ao espelho, sob pretexto de por em ordem is
cabellos que esto direitos. .
* Nao e esbelta aira ouira arqueando um tal
estreito e dolorosamente e Que p I exclamar u'n tedia pono
mostra o seu posto n corare duro, ao qual e
applica a tortura dos borseguns.
*
noute com
Um proverbio diz. Quem nao viu Sevilha niie
viu maravilha ; outro poderia dizer de Madrid :
Quem nao viu o Prado nao tem passe ido I
E' ao cair da tarde, ao despedir do sol,
rna e potica em que j se pressente a
ua luautamM, us seus fegreuo, ^ #
seu raysterioso coquetisino, que o estrangeiro indo
t Aonde linha os olhos o senhor.......I di: a esse sitio encantado pode fazer idea da physio-
outra I nomia da populago de Madrid I
. E os ouvidos? porque ella nao tem espirito Parece que o Prado foi n'outro tempo um par-
a|g"m- que dispo>to sem graga nem symetria, at que por
E as mais dizem a suas filhas, o a senhora vossa influencia da conde d'Aranda se renovou tao fei-
ladir-vos-ha lalvez tambera:-VJe como a menl- ^,,,0 |U?ar; que Ja havia sjdo eslemooiu de mil
la'...... feliz I E' Iluda, adqueno prendas, aventuras amorosas e polticas, duellos e assass-
ouvo os conselhos de sua familia, e fez um bello naluS. tornou-se o terreno plano, abriram-lhe ras
casamento I regulares, levantaram oilo funtos monuraentaes, e
Bello casamento I exclamara o immoral ro- transforiuaram-o deste forma n'um lindissimo pas-
maiicisla : associar a belleza feialdade, a moci- S(|0i
dade enferraidade! entregar urna moga a ura Ni5o se forma fac|mento da da quanlidade de
homem, sera que ella seja conduz.da a es,e sacr.li- lrcns que na em Madri(J nem d(. |ufo fl sumptuosa
co por s mesma, por dous transportes, pela seduc- riqaeza qUe os distingue,
tora uiiragem do amur I urna vergonha, c urna
profuuda perversida le I impel-la a vender-se, O conde d'Ohdos maravilhava-se a cada instante
uina infamia oh! vossa tia te n razao de sobra quando passeavamos no Prado, da belleza dos ca-
quando nao quer que leaes romances! | va"os e da eiagancia das carroagens; eu exlasia-
i va-me de preferencia pela formo.-nra das seoritas
Os romances vos diro tambem : Urna moga o tinha pena de nao me darem occasio a exta-
depositara da felicidade de um homem nones- sar-rae tambem da sua elegancia, se em vez da
lo.E' necessaro que ella velte sobre si com um mama deploravel de se vestrem a franceza hou-
cuidado escrupuloso, que sat o amor. Preciso < que ella se Ihe aprsenle pura donairosa maotilha.
de coracao e de espirito. E' preciso que ella guar-: Mas,, nao querem !
de este desconfenlo urna filelidade absoluta, A franceza preoecupa-as. E o seu sonho,o seu
que ella se conserve pura para elle. ideal; a franceza !
E o romancista vos pintar tima candida e mo" i\o somos nos apenas os portuguezes, que nos
desta moga tmida, temeiMtt, corando, elle vo-la enlevamus pelo prestigio de tudo que vem de
mostrar simplesmente vestida de urna tunca Ranea ; Paris tainb-in a palavra mgica para os
branca, nao pedimloao ornato sanio frescura, e vos madrileuos, gente esseuciairaente dada a moda ;
dar d.'sejos de parecor-vos com essa joven, por as elegantes hespanholas que po liara inspirar pelo
que, traidor! vo< far crer qui as necessaro ser para merecer n amor de um homem preferem coquetear, conversar, vestirem-se ma-
hone.-toc depois no mundo vos vereN as mogas nena parisiense, e, mais.bonitas sempre que as
fallarem alto, aperlar por vezes as maos desenlu- franeezas, eam sempre todava menos elegantes
radas dos mogos de seu conheeimento. dar assalto que ellas !
s ricas fazendas, aos magnficos estofos e se entre-1 De que Ihe servem os soberbos cabellos negros,
gama, sob os olhos, e por tanto com consentimen- as abundantes e formosas (rangas to cantadas, se
to dos paes, dansas de urna incrivel inconve- escoadem tudo isso debano de urna capa de pa-
niencia. peio ?
E se vos vests simplesmente, se vos acreoitaes palljdas e seiuntlira, vis5c morcBas
ornadas com um vest.d de organd, branco, e al- Vocanles, audaciosas e orientaes figuras, heronas
gumas flores, se vos nao prestaes a essas farr. lian- e,eroas d,.s,e theatro ardente e da ardente poesa
dados, a esse. contactos, a esees apotos admuti- ^n |lUeratura e de dos note na dansa dos Raides, como as de Mabte '.:.., ,,,.. ...i ,
7L~T ,. i j cr"ne ne^ar ao 0Val precioso dessa fronte, ao
e Chatean Rou^e se fallaes branda e modesta- ... _______. _
... .. eolio airo>o e audaz, que Deus vos reservou. a
mente seris con! terana estpida, ma ' preciosa mantilha que dous pregos de ouro pren-
miseravelmente de>e.ulieria e tristemente abando- ..______x j-___^-... _
. oem ao no dos cabellos, e que fluc ua sobre o ros-
nada a ura canto, em urna cadeira, para figurar no ,. c,.hra .. h ,mhric ,.' "
, te, sobre os hombros, sobre o corno todo, sem me
fundo do quairo cun as veihas de tonca Bem v- '
-7a. esconder os encantos !
des, senhorita, que vossa ta tem razao, eque a ei" ,u. a j
. A inantilhae mais do que o attrhuto da hesna-
lura dos romances vos perd.-na. .. ",",,,,u," Ud "cf*
nnoia, e o seu condao, o seu seiiredo, a graga,
Egualmente o romancisia vos fara crer que de- a arte, aseducgo. a elegancia, a vida; Deus
veis exigir do homem que amantes probUade, bra- formou a mulher, a mantilha complelou-a :' desta
vura, altivez de carcter, desinterese, independen-i harrannia oasceu a hespanhola !
ca de opiniao, superiondade de intelligencia, Pois E que de cousas a mantilha exige, que nao vo
bem isso vos levara a namorar-vos de algum mi- i bem sem ella !
seravel ninguem, incapaz de dar-vos no mondo um O leque, o leque imprudente, pertinaz, tentador;
estado que possa dar pezar a outras mulheres ; is- o leque quo acea, (alia, promette, recosa e es-
to algum hornera de talento ou espirito, algum conde, o leque que diz ludo, e por traz do qual
pobre diabo grande artista, um offiVjal bravo e po- tudo se diz, uo pode ser eloquent.i, nao sabe ser
bre, um hornera poltico, honesto e d*snteressado, expressivo, uo vive, nao attrahe, nao senao
de um advogado eloquente, mas consciencioso, | quando sombra da manlilha se agila e devaneia!
sem duvida todos em sonhos vos ron Inziriam a
urna obscura aba-langa, ou antes bem estar, a urna
E a cigarrilha t
Aquelle pequemuo rollo de papel ou de palha
inspida felicidade domestica, que vos cooderanaria de milno chelo de tabaco, a que s tardes de urna

do e estupido, o pobre papellito pareca querer fu-
gir d'al e voar para as trras de Hespanha aos
brandos dedos de alguma verdadeira fumista!
D'anles, no Prado, parece que andava urna allu-
viao de gaiatos com cordoes de estopa accesos, a
correrem e a gritaren :
La candela, seoritas!
La candela, caballeros! La candela!
Hoje, anda por l correm os mesmos gaiatos.
roas vendem caixas de phosphoros. Para fazer idea
do que se fuma em Madrid, basta acompanhar com
a vista por alguns instantes qualquer desses vende-
Ihoes de arillos ; elles nao do dous passos sera
que os chame um comprador.
As earruagens cruzam-se a cada momento : os
cavalleiros passam a trote na ra que Ihes reser-
vada, coinpriroentendo direita e esquerda as
senboras que passeiam reclinadas nos seus cale-
ches; pareceram-me eu> geral fracos cavalleiros
os hespanhes, e poucos fadados para montar com
elegancia; os cavalleiros erara s vezes bellos ho-
raens, os cavallos erara animaes lindissimo?, mas
tao depressa partiam os cavallos com os cavallei-
ros surprehendia-se uina pessoa a dizer comgeio a
phrase dos francezes : C'est ca el puis ce nest pas
fa!
A anmago enorme, o numero dos trens nao
tem conta, as raarquezas, as condessas, as fidalgas
mais formosas de Hespanha passeamna ultima par-
te do Prado perto da chamada fonte castelhana ;
o rendez-vous da tarde o aqui me leem da moda,
o paraizo das mulheres bonitas, e at que ponto
bonitas, piedoso Deus!
A primera fonte que se encentra neste passeio
maravilhoso a fonte da alcachofa, era frente da
porta da Atocha; urna columna sustendo urna al-
cachofa, e um tritio mais urna nereiade augmen-
taudo as armas de Madrid ; o Prado visto d'ahi
de um aspecto pbanlastico; nuveus de carruagens>
nuvens de cavalleiros, nuvens de gente a p em
todas as direeges 1
Tudo ali galantera, bora lora, aristocracia e
graga; de repente, ao vollar a cabega, avista-se a
serra de Guadarrama, e apparecem com ella o de-
serto, os salteadores, as mortes, o orsonte trgico;
foge-se com o olhar, para as seductoras visoes de
trangas negras e olhos de chamma, que vo pas-
sando; aqu a alegra, alm o medo ; as delicias e
o enleio aqui, mais longe o terror; o amer do Pra-
do, as serras a morte.
Que scena original a desse encantador pas-
seio -..
Segundo a opiniao dos guias os verdadeiros pas-
seanles, os que procurm o Prado por gosto e para
exercicio, que querem ir devagar, sem risco de se-
rem pisados, parando onde Ihe approuver, loman-
do urna pitada (tomar un polvo) e seguirem depois
mui descangados da sua vida, sao fiis parte do
passeio que se estando da egreja porta d'Atocha,
e os provincianos e os estrangeiros preferem a par-
te que se encoste ao jardira botannico, por terem
de um lado a agradavul vista do jardim, e do ou-
tro o espectculo animado dos trens e dos caval-
leiros.
A elegancia e a aristocracia escolhem a Fuente
castellana, tambem chamada Delicias de Isabel II,
e que pode ser considerada como a prolongago do
Prado; ahi que reinam as intrigas amorosas, a
confuso, a balburdia, as cortezas para um lado e
outro, o surriso que nao diz nada, o olhar que diz
quasi tudo, a attitude que diz o resto, as meias pa-
lavras aoouvide rpidamente adradas de trom para
trem, a variedade de typos, varedade da forraosu
ra, variedade da moda, physionomias difTerentes,
trages diversissimos, o ruido infernal das earrua-
gens e dos cavallos, a poeira, os gritos dos peque-
nos que vendem agua e flores, toda a elegancia em-
fim de urna capital!
Um da, um dos maiores talentos da Hespanha
moderna, o Larra, olhando por toda aquella gente
leve a visao da morte do um povo; acompanhando
os alegres madrileos pela cidade toda e explicando
de urna (orina meia irnica, ineia lgubre quanto
ia encontrando.
O palacio real parecia-lhe o esqueleto dos secu-
los ou o tmulo dos uniros esqueletos, e lia-lhe na
lachada.
Aqui jaz a realeza. Nasceu no terapo de Isa-
bel a catholica e raorreu de um golpe de ar na
Granja.
Mais adiante.
Aqui jaz a inquisigo, filha da f c do fanatismo;
moireu de velhice.
A dous passos de urna priso.
Aqu descanca a lberdade de iroprensa.
E dous redactores de oao sei que jornal serviam
de figuras lacrymatorias n'aquelia grande urna fu-
nrea.
Ha dous mezes, em Lisboa, Romera apresen-
tou-me urna noute no passeio publico ao flho
de Larra que veiu passar alguns das- a Portu-
gal ; ao apenar a roo d'esse mogo, que me dizem
ter tambem muito merecimento, lembrei-me do
pae, escriptor hespanhol meu predilecto, nico fo-
lhetinista que lem tido a Hespaoha, e tive urna
unpresso de saudade como se o bouvera conhe-
cido.
O' Larra I a ti como a Lopes de Mendonga a idea
poltica suffocou o sentir potico, que era ludo em
ambos!
Como podesse esquivar-le, Larra, no centro do
tmulo elegante de Madrid, a que o teu espirito in-
quieto, em vez de se alinbular com as quesioes do
goveruo, se deixasse altrahir para a natureza, para
a ordem, para a harmona, pelas hnhas serenas e
regulares de bello, visiveis no semblante das las
adoraveis compatriotas ? Pois a formosura nao lera
o poder de affaster das polmicas, e adormecer no
fundo dos animas as paixoes partidarias, lobas fu-
riosas que to fcil seria acalmar no amor ?!
Olhae I
O prado estaa ;ua melhor hora | a cada instan-
passam a cada instante em bandos as ras do
Prado?
Vae urna pessoa rolando a imagnago nos an-
nes dos seus cabellos, repousando a vi-ta na al-
vura das frontes, assustando-se debaixo do fulgor
dos seus bellos olhos, suspendeodo a alegra aquel-
las boceas que surrem, correnJo um olhar d'e-
bridade pelos rostos, pelos coles divioos, pelos lon-
gos dedos daquellas mos brancas e teos, al ir
acabar com a vNa, com a alma, que nao nos fi-
cara olhos nem torga para ver mais na vida, oa-
quelles ps pequeos que escapam ao olhar meiti-
dos em sapatinhos flexiveis e sedactores, qoe prc-
vocam, que entontecem, que dao verligens a quem
os v!...
O que eu nao sei anda se os hespanhes repa-
raram j quanto as hespanholas sao bonitas!
Ha occasies em que me persuado que esta
urna novidade que poderia dar-se-lhes, porque me
'.em parecido que a sua atiengao anda um pouco
affastada deste ponto. A verdade qoe elles nao
teem culpa de nao andarem sempre doidos e per-
didamente rumorados,assim como nos a nao te-
mos de nos nao batermos em duello todos os dias,
e quebrarmos a cara uns aos outros a toda a hora,
para disputarmos as formosas, que, por isso mes-
mo que era Portugal sao poucas, deviam ser ori-
gem de grande desordem... por todos quererem es-
sas para si!
Pedemnosja publicagao da segunte poesia :
e esta ?!
Oh meu Deus esta meoina
Faz-me perder a razao ;
Ja feriu meu corago,
Anda nao est salisfeita !
Diz q'amor ella est afleita,
E q'eu a pega a seus paes;
Pois nao pode soffrer mais
Esta vida de solleira !
Que nao pretende ser freir,
Nem tambem ficar p'ra tia;
Que eu sou todo sympathia,
E por isso quer casar!
Se nao hade entysicar,
E morrer na flor da edade
Oh! cruel falahdade!
Por causa minha... E esta !...
Sobre o padre Secchi o Sr. Julio de Castllho diz o
segunte, fallando de meteorologa no Diario Ofi-
ciala. 113:
No observatorio de liorna^ o erudito padre Sec
chi, physico mu disiiucio, contina a irabalbar e a
registrar.
E' j bem conhecido pelos seos escriptos, pelos
seus trbateos scieutilicos e pelo constante anaco
coro que procura generalisar a sceocia e as suas
observacoes, correspondeodo-se cora todos os mais
directores dos observatorios europeus.
Depdis falla de urna chuva de area linissima
que por elle observada, foi julgada provir do de-
serio de Saraha.
At aqui vae a cousa bem, apezar do homem ser
padre. Mas oque fara a muita genle ier arrepios
de phrenesi, saber que o tal padre Jesuta.
Fra, diro logo... Nao reata ao Brasil... se
nao taremos c a monarclua universal, o phanatis-
mo retmgado e nao sei o que mais.
Isto faz rir de veras...
Durante o seu episcopado, diz o Trato Ckronich,
tratando do bispo de Limerick (Irlanda) o Dr!
Kyan, que morreu em seu palacio 6 de junno
com 80 aanos de edade e H de seu episcopa.to, que
fez elle maravilhas pela egreja na dioce-e do Li-
merick.
Em cada freguezia elle contrato urna eareja no-
va; introduzu as ordens Hederapioristas, Jesutas,
Irmos Cnstos, Irada* de Merca, as freirs do
Bom Pastor, e as Companheiras Fiis de Jess.
A sua ultima obra a grande calhedral oode
jalea seus honrados despojos.
Na Cruz l-se o segunte:
Por decreto de 22 de marro ultimo o sommo
pontfice dignou-se approvar a congregagodo Ora-
torio fundada em Franga pelo cura de S. Boque o
padre Graty.
Esta instituigao a mesma que em 1611 fi fon-
dada em Paris pelo cardeal Berulle, intimo amito
de S. Vicente de Paula, e dispersa em 1792 por >e
recusar a prestar juramonto constituicao civil do
clero.

O cardeal Pitra puhlicou em Boma o primeiro
volume da sua obra monumental : Jtiri rrcte*MS-
tici grcecorum historia et monumento j*m P IX
Pont.
O padre Gury esta em Roma trabalhando em
urna nova edigo do seu Compendio de Moral.
O ahbado Goyhenet deu ao preto o seu Curso
elementar de dueito cannico, em fraoces, Rvma 1
vol. de oOO pag.

Vctor Hugo, o imroortai autor dos Miserateit,
nao esla actualmente em Gueroesey.
Viaja pela Allemauha com o flm de resiabeleeer
sua sadde, ha lempos a esla parte um unto dote
riorada.

Um Francez, dedicado ao aperfeigoamento e pro-
gresso da industn,descobnu ltimamente um pro-
cesso fcil e importantissiino para o fabrico ia pa-
pel, o qual pode elaborar-se com substancias qoe
nunca tiveram semelhaote applicaean.
O inventor consegniu por esle mete tivt papel
com madeira de carvalho e nogueira, com os resi-
llaos de magaas, pera: e albricoqoes, cseas de roc-
ino e melancia, ele.
Calculase que esta descoberta pode prodozir a
baixa de 60 por cento no prego actual do papel.
PEP.NAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE P. I FILHO

.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EE26T34NJ_5N0J1V INGEST_TIME 2013-08-28T01:49:08Z PACKAGE AA00011611_10491
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES