Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10490


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AlO U iTDMERO 234.
Por tres Mezes ad'iaiLados 5gO00
Pop tres nezes vencidos 6JUU0
Porte ao correio por tres mezes. 4750
-
.
ORTA FEIRA 12 DE 0DTDBR0 DE 1864.
Por asno adiantadt.....i9$G0O
Porte ao correio por U ibho 3J')0O
waiMHMtfi
ENGARMGADO 1>a aUB&UUtCAO iSO NORfB
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima''
Natal, c Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8r.A. de Lemos Braga; Gear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro &*; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO NO SUL.
AlagOas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PaRILA l)0i BTAf9RA&
Olinda, Cabo o Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Aitinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
lina de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao Va dia.
,. EPHEMER1DES DO HEZ CE OUTUBRO.
8 Quarto cresc. a 1 n., 17 m. e 30 s. da t.
13 La cheia as 4 h., .'io m. e 38 s. da ni.
22 Quarto ming. as 8 h., 59 ra. e 48 s. da m.
30 La nova a 1 h., 8 m. e 26 s. da t.
PRXAMAR Dg BOJB.
Primeira as 0 horas 30 minutos da tarde.
Segunda as 0 horas 84 minutos da macha a.
i.JblA DOb Va.:0R:j cOS.JIO.>.
Para o sul at Aiagas a 6 e 25; p-.r* o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
olas 14 dos meros dejan, maro., maioju!, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos s 6 Vi. 7, 7 / 8 e
8 V da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6'/ da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bcmtica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 Vi. 4, 4 '/*. 4 l/i,
5, 8 'A 5 Vs e 6 ia tarde; para Olinda s 7 da
manha e 4/da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachacg e Varzea s 4 '/ da tarde; para.
Bemnca s 4 da tarde.
AUDIENCIA 00 iRJfUNAKS DA CAPTaL.
Tnbonal lo comraercio: segundas quintas.
Relaco: tercas e sablados s 10 horas.
Fazenda: quinta^ as 10 Doras.
Juizo do coniiaaroio: segundas s 11 horas.
Dito de crphacs: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civtl: tercas sextas ao
dia.
Segunda vara do cive!: quartas a tablados a 1 hora
da tarde
> HA M HA.
10. Segunda. S. Francisco di* Dorjn.
11. Terca. S. Nieacio b. n.. s. Samaira.
12. QuarU. Ss. Cypriano Waifnrto Mi. mm.
rio b. m.
U. Quinta. S. Eduardo re de Inglaterra
14. Sexta. S. Calflto p. m.;S CanoVneio
1. Sabliado. S. Tnereza de Jess v. e.
16. Duaiingo. Si Martiniano e Elysio irs. no
ASS1GNA-8E
no-Recite, em a lrraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprieiarios Manoel Figueiroa At
Faria k Filho.
PARTE
COmW DA PROVINCIA.
Conlinuacao do expediente do dia 7 de outubro
de 1881.
Portara.O presidente da provincia, atlendendo
ao que requereu Jos Feliriano Machado, resolve
conceder-lhe permisso para ir ao presidio de Fer-
nando, no hiate nacional Dous Amigos, levando
coinsigo os gneros constantes da retacan inclusa,
assignada pelo secretario do governo, nao podendo,
porm, desembarcar os ditos gneros, sern que |>or
parle do commandante do mesmo presidio se pro-
ceda exame, alim de se verificar ge ha agurden-
te on outra qualquer bebida alcoolica. Mutalis
muiaodis em favor de Antonio Fernandes de
Castro.
Dia 8 -
Oflcio ao commandante das armas.Sirva-se V. | consciencia, e farao
S. de informar acerca do que pede no incluso re
queriineato, o soldado reformado de artfices, Mi-
guel Luiz da Purifieaco.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Autoriso V. S., em vista de sua inforraacao de 6 do
correte, sob n. 57o, a mandar pagar ao 2o tenente
reformado Jos (tabello Padilha, sob minha respon-
de S. Jos de Ingazeras, a de Nossa Senhora das
Montanhas da villa de Cimbres nesla provincia, a
de S. Jos de Piranhas, a de S. Miguel da Babia
da Traici, a de Sean Senhora da Conceicao da
villa do Cumie, na provincia da Parahyba, a de
Nossa Seniora da Concoicao de Maco, a de S. Joo
Baptista do Apo Serra Negra, na provincia do Rio Grande do Nor-
te, a de PiassabuQU, a de Nossa Senhora do O' de
Traipii, a de Santa Anna de Ypanema, na provin-
cia de Alagas, a de Nossa Senhora da Penha do
Burily e de Santa Anna da Catinga dos Alegres na
provincia de Minas-Geraes, e S. Juo de Porto Ale-
gre to Rio Grande do Norte.
Todo o Rvd. sacerdote ou clrigo, que queira fa-
zer opposicao s igrejas cima referidas, apresente-
se coni seus papis promplos e correles na forma
do estyl, para ser admittido, fazendo termo de op-
|. isicao dentro do prazo de 60 dias, findos os quaes
se proceder ao concurso, no qual respondero os
re\-erendos oppositores a nove casos de moral e
urna exposieo ou homila do
evangelho, que eu assignar, para propr a Sua Ma
gestade o Imperador os que forem julgados mais
dignos na forma dos sagrados caones e concilio
tridenlino.
Dado em Olinda, sob o meu signal e o sello ca-
pitular, aos 8 de outubro de 1864.
E eu o padre Joaquim da Assumpgao, escrivao
PERNAMRUCO.
sablidade, nos termos do decreto n. 2,884, do 1J' da cmara ecclesiasiica o subscrevi. Deao, Dr.
de fevereiro de 1862, a quantla de 305000, que se | Joaouim Francisco de Faria.
lhe esta dever, da gralifioaco addiciooal e etape Edital pelo qual manda S. Etc. o Sr. Dr. vigario
vencidas no mez de juoho ultimo, como ajudanie capitular por a concurso as igrejas vagasdeste bis-
do presidio de Fernando, segundo consta do in pado. em conformidade das ordens imperiaes.
(luso requerimeuto, e por nao haver crdito para, Para V. Exc. Rvma. assignar.
tal pagamento. ;......, ........,
Dito ao mesmo.Transmuto V. S. para os fins.
convenientes, as inclusas copias das actas do con- j
selho administrativo para fornecunento do arsenal i
de guerra, datadas de 28 de setembro lindo e 3 do |
corrente.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. |
Mande V. S. por em hasta publica, nos termos da i
lei, a illumnacao da cidade do Rio Formoso. para'
a qual fot consignada a verba do art. 23 da lei do
ornamento vigente.
Dito ao mesmo.Devolvendo a inclusa contaeni
duplicata, na importancia de 66,5000, despendida
com o sustento dos presos pobres da cadeia de Flo-
res, durante o mez de julho ultimo, recommendo a
V. S. que, de conformidade com a sua ioformacao
de hontem, sob n. 440, mande levar essa quanlia
em conta dos 200$000, que por intermedio do the-
soureiro da repartioao da polica foram adiantados
por essa repartieao'e para o mesmo fim ao delega-
do daquelle termo, capillo Aurelio Joaquim Pinto,
segundo consta de olicio do chefe de polica, n.
1,166. de 20 de setembro ultimo, e sobre que versa
a sua citada ioformacao.
Dito ao procurador fiscal da thesouraria provin-
cial.Transmiti por copia Vine, para seu co-
nhecimento, e alim de que proceda a esse respeito
como for de lei, o oflcio do 1 do corrente, sob n.
265, em que o chefe interino da reparlico das
obras publicas participa que um individuo de no-
me Ludgero Teixeira Lopes, proprietario de nra
sitio nos Arrombados, cujo terreno chega estrada
de Olinda, acaba de fazer urna grande votta no pro-
longamento da mesma estrada, destrumdo assim
os respectivos taludes.Communicou-se ao predito
engenheiro chefe.
Dito ao director interino do arsenal de guerra.
Mande Vmc. admittir na companhia de aprendizes
desse arsenal, logo que bouver vaga, o menor Ba-
silio Manoel de Alleluia, que com este lhe ser
;i presentado.
Dilo cmara municipal de Flores.Acensando
recebida com ofDcio que me dirigi a cmara mu-
nicipal de Flores em i i de setembro ultimo, a co-
pia da acta da apuracao la eleicao de vereadore* e i
juizes de paz dos di.-trietos dessa freguezia e a que j
ltimamente ah se procedeu, recommendo mes-
ma cmara que me remeta lambem a copia da acia
da organisaco da mesa parochial da mesma
eleicao.
Dito aojniz municipal de Goyanna. Os menores
Flix e Jos, apresentados com o seu oflcio do 3
REVISTA DIARIA.
No dia 7 do corrente te ve lugar nesla cidade
' urna operacao cirurgica de grande importancia,
! sendo o operador o Sr. Dr. Carolino Francisco de
I Lima Santos, cuja habilitado scientilico-profissio-
nal assaz conhecida entre nos; e para que me-
lhorseja ella apreciada, faremos o respectivo his-
trico com todas as suas circunstancias, e com to-
dos os seus incidentes.
O Sr. Joo Arsinio Coelho, pertencente urna
familia dslincla e abastada do centro da Parahyba,
donde era lilho, com a idade de 26 annos, soffrera
na infancia retencoes de ourinas, e na puericia
incommodos de urethra ; os quaes tendo desappa-
recdo, atravessou elle toda a adolescencia na me-
Ihor sadde al aos 25 annos, a ponto de, ter-se ca-
sado uns desoito mezes esta parte. Mas vai por
obra de i I mezes, que entrn a soffrer gravemente,
maoifestaodo-se todos os symptomas da existeocia
do pedra ou calculo na bexif?a ; e no entretanto s
ha dous mezes queso rosolveu a vir a esta cidade
para medicar-se ; o- que eflectuou procurando o
Sr. Dr. Carolino, qoe, depoisdas suas observa^des,
reconheceu existir effectivamente na bexiga urna
grande pedra.
Nesla situagao, entendeu o mesmo doutor sor de
necessidade urgente aoperac,ao da taina bilateral,
e esta foi praticada no dia 27 do passadu com as-
sistencia dos Srs. l)rs. Seve e Carnero Monteiro.
Todava nao deu a mesma os resultados espera-
dos, viste nao ter o operador podido abarcar com
os instrumentos a pedra, e nem quebra-la, em
consequencia do seu volume extraordinario e da
sua adherencia bexiga, alm de urna hemorrha-
gia que sobreveio a poni de interromper o traba*
lio operatorio : o que den lugar urna outra jun-
ta cornos Srs. Drs. Silva Ramos e Maduro, em que
I fui assentado dever-sc fazer a extraceao da pedra
pelo ventre.
Livre das consequencia? dessa primeira opera-
cao, foi o doente submettdo a da talha hypogastri-
ca, resolvda naquclla segunda junta, sendo para
isto devidamente chioroformisado.
A primeira incisao, antes que interesasse os te-
cidos mais importantes e fosse dividida a bexig3, o
Sr. Dr. Carolino tendo procurado reconhecer a
deste mez, deixaram por falta de idade, de ser ad- grandeza da pedra e a sua adherencia pelo lado
miuidos na conipanhia de aprendizes marinheiros I anterior, e conhecidas ambas estas circunstancias.
c foram entregues suas foi de aviso, com concordancia daquelles seus col-
legas, que devia-se abandonar a operaban por sua
DUtilidade e morle certa do operado ; e demons-
d'.> arsenal de marinba,
mais.
Porlanto, convem que Vmc. nao remelta menor
algum sem previo aviso e depois de averiguar se ha irado isio em outra conferencia havida s 3 horas
vaga e que est as condicoes de ser alli rece-
ido.
Portara.O presidente da provincia, atlendendo
ao que requereu Antonio Symphronio Rodrigues
Lima, guarda da casa de detenco. resolve proro- i ellesno hava remedio,
gsr-lhe por 3 mezes alicengacom vencimeotos que A este desengao, porm, to fatal para
obteve para tratar de sua sade.
Dila.O presidente da provincia, atlendendo ao
que requereu Manoel Soares de Albergara, alferes
da tarde deste mesmo dia, com assrstenna mais
dos Srs. Drs. E concordaran) todos que continuasse o doente a vi-
ver com os seus incommodos, urna vez que para
o con-
demnado pela srencia, um seu extremoso ir-
mao e mais alguns amigos nao se quizeram su-
jeitar; e na procura de outros recursos para o al-
do corpo de polica desta cidade, resolve conceder- j lirio de seus males, como achassem opinioes de
lhe 3 mezes de licenra com veocimentos para tra-'"
tar de sua sade.
Despachos do dia 8 de tatabro de 186 i.
frqnerimentos.
Alferes Antonio Muniz lavares.Passe portara
coneedendo a lieenca pedida.
Abaixo assignados propretarios c moradores no-
povoado do Campo-grande da freguezia da Boa-
Visla desta cidade.A" vista da informago do en-
genheiro chele merino da repartieo das obras
publicas, nao tem lugar o que reqerem os pro-
pretarios.
Candido Jos de Oliveira.A' vista da informa-
cao nao tem lugar o que requer o supplicante.
Francisco de Paula Tibtircio Ferrtira.Passe
portara coneedendo a licenga pedida.
Ignacio Jos Quirino.J seexpedo ordem para
o supplicante ser posto em liberdade.
Padre Juvencio Virissimo dos Anjos.Informe o
Sr. director gcral da in*lrucco publica.
Joaquim de Gusmo Coelho".Passe portara con-
eedendo a lieenca pedida.
aproveitar-lhe a operaciio da talha hypogastrica,
sem se irnportarem com o resultado da ultima
conferencia, e nem attenderem opposicao que
anda fez oSr. Dr. Carolino, bascado na faialdade
do prognoslico, pediram-lheque a pralicasse, leva-
dos dos sentimentos de anisado, que nutram para
com o doente, a quem queriam ver livre do aCQicli-
vo mal que o opprimia.
Foi, perianto, deliberada a operacjio, depois de
urna outra conferencia medica ; porque entre taes
escolhos, entre ima morte certissima e outra qua-
si infallivel, o medico pode seguir a escolha da
familia ou a vontade do doente, sem opprossao de
sua conscieuca.
A nova operacao, pois; effectuou se no dia 7,
como j dexamos dilo, sendo o trabalho della de
' urna difuVuldade e importancia grandiosas, qncr
j pela vastaapercao por causa da grandeza da pedra,
quer pela sua adherencia toda a face interna da
bexiga; mas foi tudo realsado com pericia e feli-
cidade, sendo extrahida urna pedra com as di un n-
soes de urna laranja grande e com o peso de urna
libra, a qual por certo nao teria sahido, se diversas
Do Bonito nos escrevem em 2 do correte :
< Pela exooeracao que pedio o actual delegado
de polica deste termo, major Alexandro de Barros
Albuquerque, foi por portara de 24 dopassado,no-
meado e Dr. Jos Baptista Gi ti rana, para dito cargo
Esle senhor natural desta villa, e casado com
quem tambem aqu nasceu. Mostra interessar-se
Selo melhoramento de sua trra natal, e se quizer,
em pode levar a effeto sua generosa intenco ;!
o que acreditamos que far, pelo que vai prati-
cando.
t O nosso amigo Dr. juiz de direlo acba-sc an-
da em Caruar, em razao de, por muto que fa-
zer, haver prorogado a correieao daquelle termo I
at 8 do corrente.
i Foi recolhdo cadeia, pelo actual delegado
Dr Gitirana.umdiscipulo de Hfirmann-esca/nocur.
de primeira classe, que teve a habilidade de remo- \
ver de um sitio, para o delle, alguns objectos, que
foram apprehendidos em casa do supractado, pa-
gando-se pelo tour d adresse, o ingresso franco no
palacio do Sr. Severiano.
Por ordem do delegado de polica deste ter-
mo, o Dr. Gitirana, seguio o subdelegado com 10
pragas para o lugar denominadoPrata, desta ]
freguezia, para o fim de capturar Fiancisco Clau-
dio Cavalcanti, pronunciado no a-t. 20o do cdigo
criminal. A pozar da camella que tiveram durante
o trajerto, e outras precaugoes que se costumam |
tomar, nao lograram captura-lo, trazendo, porm,
preso um filho do dito Francisco Claudino, por [
constar-nos ter-se apresentado oppondo-se a que
se procedesse a busca em casa do referido Claudi-
no. Melhor informados, soubemos que o menciona-
do filho do Claudino, nao seoppozera s diligencias
da parte do subdelegado, e tambem que antes de
abrir as portas, um dos soldados da patrulha fer-
ra com 3 Tacadas a um cao que se achava preso ;
ora, se isto exacto, torna-se merecedor de severo
castigo o autor daquelle aclo de crueldade, que
cumpre ser pela autoridade syndicado, alim de
que se fagam as diligencias com aquelle acato que
a le recominenda, e nao se reproduzam mais essas
scenas deploraves, que quasi sempre acompanham
as prisoes e diligencias fetas nos centros. Adeus.
Au revoir Tom Bourdett.
Damos em seguida os nomes das pessoas
eleitas para festejarem a Nossa Senhora do Rosa-
rio no anno de 186o, na igreja de S. Sabasllo de
Olinda :
Juiz por cleigao, o Rvm. conego Jos Joaquim
Camello de Andrado.
Juiz por devogo, o Sr. Antonio de Moracs Sar-
ment.
Juiza por eleigo, a Exraa. Sra. D. Theodora
Francisca da Silva.
Juiza por devogao, a Exma. Sra. D. Mara Joa-
quina Vieira.
Escrivao por eleicao, o Sr. Joilo Nunos Vieira.
Escrivao por devogao, o Sr. Umbelino Antonio
Maciel Monteiro.
Procurador geral, o Sr. Jos Joaquim Fernandes.
Mordomos, os Srs. seminaristas : Valeriano de
Alleluia Corroa, Floriano de Queiroz Coutinho,
Vicente Forreira Luslosa Lima, Joo Evangelista
dos Santos Lima, Manoel Fernandes Lustosa Lima,
Fredenco Augusto Raposo da Cmara, Tertuliano
Jos dos Santos Patury, Ivo Jos Pereira da Costa.
Jovino da Costa Machado, Virissimo da Silva Pt-
nheiro, Maximino Leopoldino Buarque de Gusmo
Lima e o Sr. Manoel Silvno de Barros Falco.
Amanhaa funeciona o Instituto Archeologico
e Geograplnco Pernambucano em sessao ordinaria.
Hoje faz o agente Almeda um explendido lei-
lo de bellos edificios nesta cidade e em seus ar-
rabaldes. E' occasiao dos dinheirosos fazerem im-
portantes aequisicSeS bum prego, devendo por
isso coucorrer ao escriptorio ra da Cadeia do
Recife, n. 64, pnmeiro andar, ao meio dia.
O agente Simos faz hoje leilo de movis,
escravos e outros artigos de gosto, na ra da Ca-
deia n. 48.
Hoje se extrahir a l parte da 2a lotera da
matriz de Caruar (Ill1), sendo e mator premio
6:0003-
Reparticao da polica.
(Extracto das partes do dia il de outubro
de 1864.
Foram recolhidos casa de detengo no da 10
do corrente :
A' ordem do Dr. delegado da capital, Antonio,
escravo de Manoel Pereira do Canto, por infraegao
do regula ment da estrada de ferro.
A' ordem do subdelegado do Recife, o portuguez
Theodoro Francisco Gabriel e o inglez M. Olinm
Cleolygner, por briga ; e Silvestre, escravo de Joa-
quim Pinto Lapa, requermento deste.
A' ordem do de Santo Autonio, Felisbeita Mana
da Concego para correego.
A' ordem do de S. Jos, Galdino Eugenio de
Franga, para averiguagoes polciaes ; Antonio, Ma-
noel e Cypnano, escravos, o primeiro de Jos Ca-
valcanti, o segundo do Dr. Godoy, e o ultimo de
Joaquim Silverio de Souza, todos por jogos prohi-
bidos.
A' ordem do da Capunga, Francisco do Reg Pi-
res, por insultos.
O chefe da 2a secgo,
J. G. de Mesnuita.
Movimento da casa de detengo do dia 10 de
outubro de 1864.
Existiam....... 355 presos.
Entraram...... 10
Sahiram....... 8
Joanna Emilia de Brito.-Informe o Sr. director mamadas nao tivessem sido quebradas pelo instru-
mento durante a operagao, pois nao bastava a gran-
de abertura feita no ventre e na bexiga ; o qoe
fez diminuir o peso da mesma pedra, que se cle-
gcral da instruegao publica.
Jos da Costa Barros.Enlregue-se.
Manoel Pedro de Albuquerque Lima.Informe
o Sr. capitao-tenente coinmandanle do brigne-barca
Itamarac.
Joaquim Io. africano livre.A pelico de que
trata o supplicante, teve despacho em" 28 de no-
vembro do anno prximo passado.
Marques Barros thesouraria provincial, com a qual rne conformo,
nao tem lugar o que reqerem os suppiicantes.
4.4>\ lll\0 DO BIMP4DO DE
PjEKVtnm (o.
seuii VA;*vrii
EDITAL.
O Dr. Joaquim Francisco de Faria, conego honora-
rio da capella impenal, lente jubilado de theolo-
gia, deo da santa igreja cathedral de olinda. e
vigario capitular da diocese de Pernambuco. se-
de vacante, etc.
Por especial mandado- de Sua Magestade Impe-
rial, communicado pelo imperial aviso de 14 de
marco de 1829, expedido pela secretaria de estado
dos negocios da jusliga : ponho em concurso pelo
presente edital as seguintes freguezias, vagas deste
bispado, a saber: A de S. Caelano d:i Rapo?a, a
variasemduvidaa libra e meia, se de taes frag-
mentos se nao perdesse urna grande parte, que
um criado ioadvertidameote langou fra.
As circunstancias do volume do calculo vesical,
e da adherencia delle com toda a face interna da
bexiga, causariam por certo a morte do operado
no acto da operagao, se esta estivesse commett'da
maos menos habis. E assim, depds dessa Iota,
em que muilo gaohou a sciencia, foi elle conduzi-
do para o seu leito no gozo de suas faculdades e
sem apparente alteracn, tanto que pedio a pedra
para ver, e ao ser satisfeito deu um suspiro de
consolago, e recommendou em seguida que a
guardassem que a quena levar a sen pai, quando
convallecesse. Mas, diversamente eslava oscripto
nos arcanos da Providencia, pois veio a suecumbir
no dia seguinte, realisando assim os vaticinios dos
facultativos, que tinham a sua morte por infallivel
em face dos symptomas que sobreviriara, e effec-
tivamente nao falharam.
O infeliz deixa urna esposa e urna filhinha de
uns seis mezes de idade, podendo tal vez ter pon-
pado viuvezanona e orphandade a outra, se
com lempo houvesse cuidado de si; pois, em taes
molestias toda a demora prejudicial, dioiiauiado
as probabilidades protaveis.
A saber
Existem....... 357
Nacionaes.
Mulheres..
Estrangeiros|...
E Escravos.
Escravas.
281
14
5
1
42
4
357
Alimentados a cusa dos cofres provinciaes 144
CHR0NICAJIDICIAR1A
TRIBUNAL DA HFXVtlO.
SESSAO EM ii:.DE OUTUBRO.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSBLHEIRO
SOUZA.
s 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, Lourenco Santiago,
Almeida e Albuquerque, Assis, Doria, Molla, e Do-
mmgues da Silva, faltando o Sr. desembargador
Ucha Cavalcanti, abrio-se a sessao.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
ra, comparecen.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JULGAMENTOS
Aggravo de instrumento.
Aggravante, Patricio Jos da Costa Lima; ag-
gravado, Dr. Sebasllo Antonio Accioli Lins.
Relator o Sr. desembargador Santiago.
Sorteados os Srs. desembargadores Domingues
da Silva e Assis.
Deram provimento.
Appetlacoes civeis.
Appellanle, Jos Fructuoso Dias ; appellado, Fe-
lippe da Costa Souto.
Annuliou-se da senienca em dame.
Appellanle, Vicente Ferreirada Costa Miranda ;
appellado, Hermenegildo Eduardo do Reg Mon-
teiro.
Ntillo o processo por incompetencia do juizo.
Appelta Appellante, o promotor : appellado, Jos Rodri-
gues Pereira e outros.
A' novo jury.
Appellante, Jos Silvestre de Mendonga ; appel-
lado, Bruno Antonio dos Reis.
Procedenla a appellagao.
Appellante, o juizo; appellados, Jos Mulato da
Silva e outro.
A' novo jury.
Appellanle, o juizo ; appellado, Jos Pedro de
Santa Auna.
A' novo jury.
Appellantes, Manoel Tavares do Nascimento ;
appellado, o juizo.
Perempta a aecusagao.
Habeas-corpus.
Concederam soltura por habeas-corpus a Dioni-
zio Severino Gomes, e negaram a Antonio Alves de
Franga.
DESIGNACAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
As appellaces civeis.
Appellantes, a preta Mana e seus filhos ; appel-
lado, Benedicto Antonio do Espirito Santo.
Appellante, a fazenda; appellados, a viuvae filhos
de Luiz Gomes Ferrol ra.
As appellaces crimes.
Appellante, Jos Francisco de Arruda ; appella-
do, Manoel Ferreira da Silva.
Appellantes, Alexandre Ferreira Gomes e outro ;
appellados, Francisco Manoel Fernandes Moura e
outro.
DILIGENCIAS CIVEIS.
Com vista ao Dr. curador geral
A appellai;ao civel.
Appellantes, Jos Lopes Barreira e sua mulher ;
appellado, Bernardino Lopes de Oliveira.
PASSACEXS
O Sr. desembargador Caetano Santiago passou
ao Sr. desembargador Gitirana
As appellaces crimes.
Appellante, Antonio Gongalves da Silva ; appel-
lado, Francisco Jos de Moura.
Appellanle, Manoel Gomes Jnior ; appellada, a
justiga.
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
desembargador Lourenco Santiago
A appellarao civel.
Appellante, Jos Joaquim Gongalves Bastos; ap-
pellado, o tencnie-coronel Justino Pereira de Pa-
rtas.
A appellacdo crime.
pellante, Januano Francisco Ferreira; appel-
o juizo.
Sr. desembargador Almeida e Albuquerque
A appellagao che!.
illante, Lourengo Bozerra Cavalcanti de Al-
terque ; appellado, Dr. Amaro Joaquim Fon-
. de Albuquerque.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida c Albuquerque
A appellarao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Sebastiao Jos
de Azevedo.
As appellaces civeis.
Appellante, Jos Pereira de Araujo appellado,
Joo Manoel Ponlual Jnior e outros.
Appellante, Francisco Santiago Ramos; appella-
do, Gabriel Antonio.
DoSr. desembargador Almeida c Albuquerque ao
Sr. desembargador" Doria
A appellarao ciccl.
Appellante, Felino Freir de, Andrade : appella-
do, oo Velho de Mondonga Furtado.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellarao civel.
Appellante, Silvestre Domingues da Silva Pimcn-
ta ; appellado, Jos Joaquim de Almeida Leite
Sampaio.
O Sr. desembargador Assis passou aoSr. desem-
bargador Doria
As appellaces crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Tnome.
Appellante, o juizo ; appellado, Damiao Louren-
go de Medeiros.
A appellarao civel.
Appellante, Jos Bento de Oliveira ; appellado,
Jos Joaquim de Oliveira Pinheiro.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
bargador Mulla
A appellacao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Herculano de
Andrade Fortuna Pessoa.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarr
gador Uchoa Cavalcanti
As appellaces crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Joaquim Correa
Lima.
Appellante, Flix Jos de Souza ; appellada, a
justiga.
As appellares civeis.
Appellante, Jos Luiz de Andrade Lima ; ap-
pellado, Luiz de Albuquerque Maranho.
Appellante, D. Isabel Maria das Chagas Guima-
raes: appellada, D. Ritta deCassia Pis>oa \ianna
Ao Sr. desembargador santiago
A appellacao crime.
Appellante, e juizo ; appellado, Jos Mery da
Silva.
distmbi;iq5es.
As appellaroes crimes.
Ao Sr. desembargador".aetano Santiago
Appellante, o juizo ; appellado. o escravo Luiz.
Ao Sr. desembargador Gitirana
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Jos de
Souza.
Ao Sr. desembargador Lourengo Santiago
Appellante, o juizo ; appellado, Martinho Bar-
bosa.
Ao Sr. desembargador Almeida e Albuquerque
Appellante, o promotor ; appellado, Jos Mar-
ques de Lima.
Ao Sr. desembargador Assis
Appellante, o promotor ; appellado, Tertuliano
Nazario da Rocha.
Ao Sr. desembargador Doria
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Custodio
de Souza Trindade.
As appellaces civeis.
Appellante, D. Maria Cordeiro ; appellado, Pauli-
no Jos de Souza.
Ao Sr. desembargador Motta
Appellante, Jos Vicente de Almeida \ alenga ;
appellado, Bento Jos de Araujo Oliveira.
Ao Sr. desembargador Ucha Cavalcanti
Appellante, o baro de Guararapes ; appellado,
Jos Francisco de Farias Salles.
Ao Sr. desembargador Domingues da Sil va
Appellante, Jacintho Affooso Botelho ; appellado,
Manoel Elias de Moura.
A 2 horas da tarde, encerrou-se a sessao.
que se vai proceder do dia 16 do corrente, hon-:
rando com seus votos es cidaAos seguintes :
Capao Luiz Cosario do Rogo.
Capitao Antonio Augu.*lo daFonceca.
Teiienle-coronel Manoal Camello Pessoa.
Capiao Flix Francisco de Souza Magalhies.
A commissio do partido liberal da freguezia do
Santo Antonio desta cidade roga a seus compa-
lochianos que se dignem comparecer eleieoo a
Para S. Exc. o Sr. ministro da juslira ver.
Consiando-me, que alguns desalfectos do hacha-
re! Joaquim Barboza Lima, actual juiz municipal
no Sobral, provincia do Cear, procurara deprimir
o seu carcter probidoso, apresso-me em pedir ao
respeilavel publico, que suspenda seu juizo para
julgar o referido bacliarel depois da exibico das
provas. por onde se ha de patentoar a infamia com
que o chamam caloteiro. Seus detractores
podem por exemplo dizer : que ello conirahira nes-
ta cidade dividas que nao po lia pagar ; que tendo
de retirar-se para o Cear, procurou apasiguar
seus impertinentes credores, pissando letras com
pequeos prazos; que alienado por esses mesraos
credores embarcou por cautela para o Cear a
escrava que possu a, pondo-a a salvo da gana dos
taes credores; que ao mesmo lempo vender o que
restan de seu coilegio, embolgou os cobres e par-'
to, deixando os tarugos mamados : isto sim, \
podem dizer, porque esta provado com os docu-'
montos abaixo transcriptos, mas sao espertezas que
se jusiificain perfeilamente ; esse bacharel tinha
necessidade de urna boa mobilia, e da escrava, in-
do habitar em una cidade onde nao era conhecido,
precisava densas garantas para ir Turando aqu e
acola forgadopela mesqniahez de seu ordenado;
por conseguinte seus credores nao toem razo, e
especialmente atlendendo (pie elle foi imparcia '
nao fez distinceo de classe, licou devendo a nego-
ciantes, alfaiates. earoeceiros e al a seu proprio
criado ; assim, que o seu procedimento seja o de
um caloteiro--- o que com todas as forgas
nega
0 enterra buchos.
Illm. Sr. Dr. juiz municipal. Diz Jos Gomes
Loureiro por seu bastante procurador, que tend
conliauo ao bacharel Joaquim Barboza Lima diver-
sos gneros, para consumo de seu collego sito na
ra da Aurora, na importancia de 3405000 rs., de
que lhe passou um Oca de 14" pago no ultimo de novembro prximo passado,e as
quatro letras juntas de oOf5uO rs. cada urna, a
vencer de duus em dous mezes de dita dala em
iante ; occorre que o supplirado deixou de pagar
o mesmo Rea no seu vencimento, e tendo resolvido
acabar com seu estabelecimento para relirar-se
para a cidade de Sobral, tem procurado o continua
procurar alena-lo, tendo ja vendido alguns movis,
e porque nao olferece garanta ulijuma ao seu de-
bito, requer o supplicante V. S., que se digne
mandar passar mandado de embargo contra o sup-
plicado, para torera embargados tantos buos quau-
to si'jam bastantes para seguranga e garanda da
referida quanlia, depositaudo-ie os mesmos na
forma da lei, e protesta o supplicante justificar pos-
teriormente os quesitos legaes dentro do triduo, o
juntar a respectiva conciliagao para a qual j o li-
zera citar, assim como propor-lbe a aego compe-
tente dentro do termo legal, para haver o pagamen-
to integral de referida quanlia, caso o supplicado
nao pague amigavelmente a importancia d> tica
vencido, e nao preste garanta a contento impor-
tancia das quairo letras a vencer. O supplicante
jura ser vordade o que allega..
Pede V. S. que se digne deferir-lbe.E R. He.
Por procuraeo. Manoel Gome< Luorero.
Destribuida, justifique. Recife, 4 de dezembro do-
1863.lavares de Vasconcellos.
Illm. Sr. Dr. juiz municipal. -O supplicante, res-
peitosamenle vein ponderar V. S.. que a justifica-
gao previa a providencia requerida, conforme V.
S. ordena por seu respeilavel despacho torna iin-
proficua a deligencia, e acarrla grave prejuizo ao
supplicante, porque com a demora tem lempo de
retirar-seo supplicado, dispondo dos poucos bens
que ainda lhe restam, visto como tem propalado
relirar-se no dia segunda-feira 7 do correnle, e
deste modo s resta ao supplicante o da nico
para tratar de todas as diligencias necessarias a
garantir seu debito, e por isso espera o suplican-
te que V. S. atlendendo estas razos se digne con-
Crder-lhe o mandado requerido, com o protejo de
justificar o supplicanlbos quesitos legaes posterior-
mente em forma da lei.
E R. Me. Por procuraeo, Manoel Gomes Lou-
reiro.
Destribuida. jurando, passe mandado. Recife, o
de dezembro de 1863.Tavares de Vasconcellos.
.Mandado de embargo.
O Dr. Bermogenes Scrates Tavares de Vascon-
cellos, juiz municipal da Ia vara, nesta cidade do
Recife e seu termo, por S. M. o Imperador a
quem Dous guarde etc.
Mando aos olflciaes de justiga, que requer-
mento de Jos Gomes Loureiro, por seu bastante pro-
curador procedam a embargo nos bens do bacharel
Joaquim Barboza Lima, quantos bastem tiara paga-
mento da quanlia de 3405000 rs. e cusas que se
lizeram e deposilem em forma da lei. Cumpram.
O presente se passou em virlude da petigo e des-
pacho, que lica em poder do escrivao que esle es-
creveu.
Roe.ife, o de dezembro de 1863. Eu, Joaquim
Jos Pereira dos Sanios, escrivao o escrevi.Tava-
res de Vasconcellos.
Termo de embargo.
Aos 14 dias do mez de dezembro de 1863, sendo
nesta cidade do Recife, no lugar da ra da Auro-
ra, no sobrado de numero 50, onde existe o colle-
go Bom Conseiho, propriedado do hachare' Joa-
quim Barboza Lima, onde foi vindo oofhcialdo
juizo, comigo abaixo assignado adianto nomeado, e
ah dito oIBcial procedeu a embargo para seguran-
ga deste mandado, nos bens que encontrouem di-
ta casa, os quaes pertenciam ao mesmo bacharel,a
saber : um piano honsontal de Jacaranda em per-
feito estado, faltando apenas algumas cordas, e
mais duas mesas grandes de pinho com seu com-
petente oleado por cima, 2 globos de estudo de geo-
metra, 1 jarra grande de barro branco e 2 mesas
pequeas com gavetas de madora de amareljo
usadas, cujos bens se achavam eui dita casa, nao
obstante se apresentar Antonio Augusto Ferreira
Lima, allegando ser actualmente dono dos ditos oh-
jectos, por compra que Ir/era aquelle bacharel da
propriedade e seus utensilios, e nao sendo de nossa
competencia a apreciaco des>a reclamacao, consi-
deramos os ditos bens por embargados, e logo dito
oflcal depositou ditos bens embargados em mao e
poder do referido Antonio Auguslo Ferreira Lima,
que lcou por tal forma constituido liol depo>itano,
e para cooslar maodou dito ofcial fazer esle ter-
mo, em que nelle se assignou com o depositario.
Eu, Albino de Jess Baodeira, official de justiga
o escrevi. Aotooio Augusto Ferreira Lima.
Agostlnho Jos dos Prazeres, oflcal do juizo.
loquneo de tesiemunhas do embargante Jos
Gomes Loureiro.
Assentada. -Aos lo do dezembro de 1863, nesla
cidade do Recife, em casa do inorada do Dr. Her-
mogenes Scrates Tavares de Vasconcellos, juiz
municipal da primeira vara, onde eu esenvo me
achava, por elle dito juiz foram juramentadas as
testemunhas que se sequero, pelo procurador do
embrgame, nqueridas e perguntadas. Eu, Joa-
quim Jos Perein dos Santos., escrivao o escrevi
Manoel Alves da Cosa, branco. solleiro. mora-
dor nesta cidade, idade de trila e nove anno. vi-
vo de negocio, le-temunha jurada aos Sanios E*aa-
gelhos, prometlou dizer a vordade, do costse Ba-
ila ; sendo perfumado pelo cometido da peficc
justlieativa que lhe foi lida :
Dsse que sabe por ver. que o embargado bacha-
rel Joaqumi Barboza Lima comprava geotrat a
crdito na taberna do embargante, para con*tuno
de seu collegio, denominado Bom Consetho. e i-lo
por meio de buhles que mandava ao embarrante
para com quem so debitou na quanlia de :',\nptmf
e que em dias de novembro prximo paa4 o
embargado chamado em sua casa raixeiro da
mesma taberna, que iranio do embargante para
levar es seus blhetes, e rereber delle embarga-
do o importe dos mesmos que eslava devendo, e
indo dito caixeiro a casa do embargado, quando
sahio mostrou a elle tesiemunha um lk-a da qoan-
tia do 1405000 rs., e quairo letras deSOfOU rs.
cada urna, que o embargado lhe nansan a vencer-
le era diversos prazos, era trocados blhetes ao-
ligos. e que nt-nhum dinheiro lhe hav.a dado.
Dsse mais elle lestemunha, que. n embargado lo
go depois que assignara taes letras procoroo ven-
der o collegio para so retirar para a provinria do
Ceara e esperava um hoinem da Baha al o fim d
novembro para lhe comprar por 3:01*4000 rs., o
que ello tesleniunha sabe por ouvr dizer ao cria-
do do embargado, e que nao tendo chegado esse
hornera, tralou o embargado de ir vendendo diver-
sos objectos do collegij, muitos dos quaes foram
vistos sabir para fra por elle tesleniunha, e que
anda nos das o e 6 do corrente mez de dezemhro
aiuda o embargado procurava comprador ao colle-
gio, nao tendo conseguido vende-I, entregara a
um seu cunliado. o einbarrou-se no dia 7 do cor-
route mez para o Ceara com toda a sua familia
sem pagar ao embargante, lendu no dia domingo
anterior embarcado sua bagagem.que foi tirada do
collegio embarcada era um bote na rampa dos In-
glezes defroole do mesmo cellegio.
Disse mais elle lestemunha, que nao lhe consta
que- o embargado postan bens de raz nesta cida-
de nem em outra parle, e que ouvjo dizer de ura
criado do collegio que o embargado linha manan-
do para o Ceara ramios dias antes de sua retirada
urna nica escrava que possina, e que embarrara
licando a dever nao s ao embargante, como n di-
versos, e al aos proprios sons criados, e mais nao
disse, e lido sou juramento assignou com o juiz o
procurador do embargante.
Eu Joaquim Jos Pereira dos Santos escrivao o
escrevi.Tavares de Vasroncello-.Manoel Alves
da Costa.Manoel Gomas Loureiro.
Antonio Jos Gomes, branco, solleiro, idade d
viute o iros annos, morador nesta cidade, vive de
negocio, testomunha jurada aos Santos Evangemoc,
proim lien dizer a verdade.do coMume nada, sendo
pergunlado pelo conlodo da pelico justificativa
que Iho loi li la :
Disse que sabe por ver que o embargado dn-
vedor ao embargante da quanlia de 34OJO0O rs.
proveniente de gneros que a muilo lempo com-
prara na taberna do embargante para consumo do
collegio Bom Conselho, do quai pronrielario o
mesmo embargado, de cuja quanlia lhe passou um
Oca, e quatro letras, e se retirou para o Ceara no
dia 7 do corrente sera pagar dilo lica nem letras, e
tambem licou a dever a diversos, e al aos seus
proprios criados.
Disse mais elle testemunha. que o embargad-)
vender antes de sua retirada diversos movis do
collegio e embarcara utros, inclusive urna escra-
va que possuia, e que ainda na ves|'ra de sua sa-
bida procurava comprador > collegio com os mo-
vis nelle existentes, mas ano nao tendo enectua-
do essa venda o entregara ao seu cimbado, que era
vire-direelor do mesmo collegio,
Disse mais elle testeiminha.qtie nunca ouvira di-
zer, que o embargado possuisse ben~ de raz nesta
ciliado on em mitra qualquer parte, e nem lhe cons-
ta que os tenha, e mais ne disse, e uns o seq ju-
ramento assignou com o juiz o procurador do em-
bargante.
Eu Joaquim Jos Pereira dos Sanios, esctMn o
escrevi.Tavares de Vasconcellos.Anin Jote
Gomes.Manoel Gomes Loureiro.
Domingos Alves da Costa, branco, -.dteiro, mo-
rador nesla cidade. idade quarenta annos. vive de
negocio, lestemonha jurada aos Santos Evangethos,
promelleu dizer a verdade. do ros turne nada, sea-
do pergunlado pelo coiileudo da pelico do embar-
gante que lhe foi lida :
Disse que sabe por ver QJM o embargalo pro-
prietario o director do collegio Bom f.on ra da Aurora, devedor ao embargante de um
lica e quatro letras nnimporianca ludode :4o-S0Ui>
rs.. proveniente de gneros de orna Inferna ijae a
moito lempo lhe fornecera para consumo do mes-
mo collegio, e que se retirara rom sua familiades-
ta cidade para a provincia da Ceara no dia 7 do
corrente, licando a dever nao s ao embargante
como a diversas pessoas inclusive a seus criados,
e que pola mesma razo do ver. sabe elle teslemo-
nha que o embargado antes de se retirar embar-
cara diversos movis de dilo collegio, e venden
outros, ouvio dizer aos criados da casa, que elle
embarcou tambem atea de sua sahida urna uwea
escrava <|uo linha para o mesmo lugar para onde
pretenda ir.
Duse mais ello testemunha, que o embargado
pretenda vender o collegio cora lodos seu> olenri-
lios a um doutor qoe esperava rbegar da Baha no
tim de novembro prximo passado pela quanlia de
3:0005000, mas que nao tendo chegado esse bn-
mem, como elle esperava. procurou vende-I a ou-
tro antes de sua sabida para o Ceara, perem nao
tendo achado comprador o entregara a seu runfia-
do que era vice-dlrecior do mesmo para o vender
ou administrar o que lambem foi revelado a elle
testemunha por dous i nados do mesmo collegio,
e que nao consta a elle lestemunha que o embar-
gado posstia bens de raiz nesla cidade nem fra
dola, e mais nao disse. e lido o seu juramento as-
signou com o juiz e procurador do embrgame.
Eu Joaquim Jos Pereira dos Santos, escrivio
escrevi.Tavares do Vasconcellos.Domingos Al-
vos da Costa.Manoel Gomes Loureiro.
| Por embargos de tereciros, senhor e possuior,
i diz Antonio Augusto Ferreira Lima, contra Jos
(jomes Loureiro, por esta ou melhor forma de di-
relo. E sendo necessario provara que a reqoeri-
j ment do embargado se procedeu o arresto era al-
guns bens pertoncentes ao embargante em suppo-
i sico de periencerem taes bens que sao os cons-
' lanos do termo de embargo a folha- e folhas, ao
i bacharel Joquim Barboza Lima ; porm provara
que taes bens sao propriedades do embargante e
1 nao do arrestado como se v dos documentos sob
i numero um e dous.
Menina tormos nrotnra que os presentes embar-
gos dovem ser recebidos, alim de que sendo devi-
L damente provados julgue-se improcedente o arres-
to de folhas, sendo o embargado eondemnado as
custas,e mais pronunciaco de direito. Fama pu-
blica.Pede recebimento e cumprido de jnslica,
protestos necessarios e custas.O advogadoTei-
xcira.
Pilula- vegetaesmMueararaa*
Keaup.
Enlre as innnmeraveis classes de piluln que
continuadamente se annunciam. as inmml refriara



Mirto 4c perabno Qnarta fclra 1 4e Onlubro t !_.
hmettau & C. me fui fea* a
..,.,..__- A* K,m_ %b oM sa ucdem conside-! cal, cm cumprimento da ordcm do Exm. Sr. pre- por parte de Rabe Sel
^^^ir.ft,w 12f,^ "1. \ s dente da provincia de 8 do corren, manda bter patinao tgriam^
olo Pereira da Silva para amigavel-
arcomo o prototypo dos aditivos caseiros, rom-; oenie ?" To de nowmbro proimo"v" blzera RabeSchmellvu & C. .que qaerem
pletamenle eficaz"s o absolutamente
Na sna composiqao no entra un so nico tomo
de nenhuma substancia mineral. Consume pois
o nnico remedio necessario para os desarranjos do;
estomago, irregularidade do venlre, constipacao ha-
bitual, aftecedes biliosas, dyspepsia e todas as en-
fermidades dos intestiuos, predominaDtes nos cli-
mas calidos.
Tomadas tempo evitam infallivelmente os mor-
tferos flagellos epidmicos e endmicos das re-
gioes ntertropicaes. Sao as nicas pillas que se
vendern em frasquinhos decry>tal e a cap* wsuca-
rada-que as cobre conserva suas virtudes e as tor-
na mu agradaveis ao paladar. Acham-se a venda
m todas as boticas do mundo e em Pernamboco
lias lojas de Bravo & Ce de Caors & Barbosa.
ToMMERClO.
inuflansivas publico, que -
douro, perante a anta da fazenda da mesma the- notillcar aServ
souraria se ha de arrematar a quem por menos fi- mente e por meio de conchacao, pagar aos sup-
ier o costeio da illuminaco publica da cidade do plieantes a nuanda de I.HOf seus juros, rnipor-
Rio Formoso por lempo de tres annos, a contar do tancia de 3 letras mercantis vencidas e garantidas
1 de Janeiro de 1865 ao fim de deiembro de 1867,. por h\potlieca e que o supplicado nao tem pago .
avahado o costeio de cada lampeo em 291 ris requerem por isso a V. b. se digne manoa-io not-
,,or dia. ficar para o tim exposto, pena de reveba, e porque
As pe>soas que se propozerem a este arramataeao o supplicado esteja ausente desta cidade e se nao
compar.-cam na sala das sessoes da mesma junta saina o lugar certo dt
no dia cima mencionado pelo meio dia, competen- supplicanles a V. S.
temente habilitadas, aonde encootraro as condi-
eoes da mesma arremataco.
E para constar se raandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
0E
idade
19 anuos.
Joo Maria de Maraes Jnior.
Francisco Antonio Mondes de Olivelra Jnior.
Crrelo geral.
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico qae era virtudo da convencao postal, Uttl CSCYVO
celebrada pelos governos brasileiro e rancez, sero;
expedidas malas para a Europa no dia 15 do cor-\
rente pelo vapor ingles Magdalena. As cartas se-
rio recebidas at 3 horas antes da que for marca-:
da p j ra a sabida do vapor, e os jornaes al 4 lio-1
ras antes. far leilo por conta de ama pessoa que se retira
Administracao do correio de Pernambuco 10 de para fora a cidade do escravo cima dito : quar-
para que os admita a justili- outubro de 1864.O administrador, ia-feira 12 do crrente, s 11 horas, no armazem
car a ausencia do supplicado, aura do que Julgada Domingos dos Passos Miranda. a ra da Cadeia do Recife n. 48.
ella por seniencasejanotificadopor carta edital deste nnnnrin O nal
CUHRtl G RAL.
OIM JIPO
competentemente autorisado fara Icllo de um so-
brado de 2 andares e soto edilkado em chaos
proprios situado na ra Direila n. 9, rom frente
para a ra da Penha, o qnal rende 1:3(10$ ao-
nuaes. Ser effecluado o leilo pelo referido agen-
. ____,.,>,. nuaes. sera ettectuauo o leuao pero
COSintieiri), COpeil O eCOm OU' | te oiympio em yo armazem rna do Vigario 7 10.
tras habilidades.
Cortlclro Slmes
Cotaees offtclaes.
FBAC4 O RECIFE
11 E OUTUBRO DE 1864
Cambios sobre Londres 90 d/v. 27 S|8 d. por
13000.
Descontos9 0| aoanno.
ubourcq Jnior, presidente.
Suimares, secretario.
NOVO BANCO
DE
PERNAMBUCO
EM DE .OUTUBRO DE 186*.
O banco descoma na presente semana a nove por
oento ao anno at o praso de quatro metes, c a dez
por oento at o de seis mezes, faz emprestimos
sobre ttulos commerciaes,
Janeiro e Babia.
buco, 10 de outubro do 1864.
O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Por ordem da inspectora desta reparticao se
faz pnbjico que em 12 d crreme mez se bao de
arrematar em hasta publica ao meio dia, porta
juizo para a dita concihaco, pena de revelia, pas-
ftMdJffinr.ffiE^pS^ Relacao Has cartas segaras cusientes
Luiz Francisco do Mello Tavares.
Na qual pelico dei o despacho seguinte
Como tequer. Primeiro districto da freguezia de
Santo Antouio, 16 de setembro de 1864.Quin-
teiro.
Em virtude do qual despacho se procedeu a in-
da mesma, livres de direitos, as mercaderas abai-1 quirico de testemunhas, que depozeram seb o ju-
faz
e saca sobre
o Rio de
Alfaudega
Rendimento do da 1 a 10........ HSSm
dem do dia 11................. 63:4a2402
375:o02759
Sfovlntcnto da alfaodesa
Volames entrados com fazendas...
* i com gneros...
Volumes sabidos
c t
com fazendas.. -
com gneros...
247
423
------67o
349
916
Descarregam no dia 12 de outubro.
Brigue hamburguez Ingeborginercadonas.
Brigue iulez liigaraniamercadonas.
Brigue inglcz ,Wn/=bacalho. .
Escuna americanaFannie Lincolon farinna oe
trigo e tabeado
Patacho austraco Carita mercadonas.
Barca ingleza John Gmpindiversos gneros.
Brigue norueguense-fc'mrtie-baldeado de couros
e ossos.
Barca inglezaSrWw-bacalhao.
Patacho inglez Hurriit Mena.
lmportafo.
Escuna ingleza Zompa, entrada de Liverpool,
consignada a J llyder & C manifestou o segrate:
20 caixas vinho, 50 barricas barnlha ; a Kotlie
& Bidoulac. .,__
10 toneladas carvao de podra; a E. Wakelsam.
li faidos e 28 caixas tecido de algodao; a Mills
Latham & C.
2 ditos fio ; a Wilson & Hette.
17 ditos e6 raixas tecido de linbo, de algodao e
sacco de palha para assucar; a Adamson Huwie
2 barricas f^rragens ; a Vaz S Leal.
2 caixas dobradicas e I'erragens, 2 ditas e. o Tar-
dos tecido de algodaa e mato, dilo de linho e nafta
de alsodao ; a IzMoro Netto A C.
3 gicos e I barrica lonca, 1 cana effeitos parti-
culares ; a A. M. Machado.
1 caixa effeitos particulares; a James Marsden.
6 caixas tecido de algiui ? a ordem.
10 ditas lencos de ditot a Paln Nash & L.
10 ditas pin"sphoros ^Tasso lrmaos. ,
- -3- mimMum jamaum?**- ^ *
42 fardos e 1 caixa tecido de. linho e lencos de
algodao, etc., o fard* saceos de linho c |iallta ; V
caixas folhas de llandres, :00 ditas sabao; a J. Pa-
9 caixas e 6 fanios tecido de algodao; a J. A. de
brim de linho ; a Guillier
Araujo.
3 caixas miudezas e
me da Silva G. ....__
3 caixas biscoutos, 4 ditas tecido de algodao e
brim de linho, 1 dita erragens ; a L. A. Siqneira.
12 lardos iwidp de algodao, l embrulho roupa :
a Braga Son Si '' j
11 caixas a 5i barricas anchada?, dobradicas,
parafusos. form .-alvanisado e ferragens, 30 caixas
folhade flandres, 1 fardo fi.', 10 barucas salitre ; a
S. P. Juhn>tun & C. .,
7 caixas e 2 fardos tecido de algodao a Larva-
lho & Nogueira. ,
9 fardos tecido de algodao ; a Ferreira & Araujo.
25 caixas bi-coutos, 50 ditas conservas ; a Pal-
meira & Bellrao. ,
1 caixa e 1 barrica ferragens ; a Brander a
25 caixas e 25 fardos tecido de algodao, de laa,
e estopa ; a Ferreira & Matheu*.
1 rata tecido de algodao; a A. C de Abren.
2 caixas coi dw de algodao e coifas de laa: a
Mello Lobo & C. '
1 caixa lil de algodao, 1 dita tecido elstico ; a
Alve> Hambugrer & C.
1 caixa fllele, 2 ditas folhas de cobre, 1 dita ca-
darr.. d^ algodao, 2.barncas cnleleria \ a Prente
Vianna C. .-
2 caixas tecido de linho, toalhas de algodao,
nieias e lencos de cambraia 5 a J. Krller & C.
26 gigo* e 12 barricas lonca, 2 caixas chales de
algiMlao, 100 dda< eax 5 a Saunders Brothers d (
36 caixas e 109 fardos tecidos de algodao e
laa, 2 caixas obj.clos de e*eriptorio ; a James Hy-
62o barricas barrilha, 2 ditas tinta, 1 dita obras
demadeira, 6 caixas tecido de algodao; a Th. J. t-
fcrifiSt -
36 caixas bisconlos, 14 ditas tecido de algodao e
Itnba f dito : a S-uthall M- Uors 4C. I
Patacho mglez Uarrict, entrado de Teira Nova,
consignado a J. Pat^r & C, manifesu-u o segrate:
2,040 barricas haealhao; aos mesinos.
Barca ingleza Stella, enliadade Terra Nova con- J
signada a Saunders Brothers & C. manifestou o
seguinte :
1,230 barricas bacalho; aos mesmos.
i,O0O ditas dito ; a E Feuton.
Reeeoedorla de reodas Interna!
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia i a 10........ 10:5!H!
dem do da 1 i................. 51378l
11:327*732
Consulado provincial. I
Rendimentodo dia 1 a 10......... II WU7M
dem do dia 11................. o:9&4&511
17:779^234
MQYIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 11.
Lisboa 37 das, hiate portuguez l'msamento, de
130 toneladas, capitn Antouio Inopes Franco,
equipagem 8, carga varios gei,eros ; Bailar &
Oliveira.
Terra Nova30 das, barca ingleza Ste.lla, do 213
tonelada, capito P. M. Henrie, equipag.-m 11,
carga 2330 han cas com bacalho ; a Saunders
Bromee- & C,
Ilha da Auini>o 8 dla, barca imileza Osbert,
de 365 tunela las, ca|Htao A. E. D. Morris, equi-
gem 15, mi lastro ; a Rothe Bidoulac.
Navios sahidiis no mesmo din.
Rio-Grande do SulIbiyn- nacional Mondego, ca-
pito Antonio Pereira Marnns, carga sal.
Observaqao.
Snapendeu do lamaro para Sast Hirbowr a bar-
ca americana Pacrfic, capilo Goslin, com a mes-
ma carga que trouxe da poca.
EDIT1ES
O lita. Sr. inspector da thesouraria provin-
xo declaradas, ja annunciadas em edital de 30
' dias, na forma do regulamento vigente.
Armazem n. 1.
Marca G. C. F.-Um embrulho amostras de fazen-
das, sem valor,
dem S. F. 61 CDons ditos ditos, sem valor,
dem T. T. Cm dito, jornaes de modas, sem
valor,
dem D. G. & C.-Uma caixa com dous frascos,
sem valor,
dem S. F. & CUm embrulho amostras de fazen-
das, sem valor,
dem S. travessao e triangulo.-Um dito dito, sem
valor,
dem B. & P.Un dito dito, sem valor,
dem S. L. T.Um dito com 10 pares de meias,
de algum valor1*000.
dem N. M.Um dito com meia libra de linhas de
algodao, valor1*000.
dem a. & SUin dito com urna fivdla para car-
ro, valor 500.
dem G. C. & C.-Uma caixa com 196 frascos de
xarope de naf, pesando em bruto 224 libras, li-
quido 135 libras, valor da libra 840-113*400.
dem G. 0. & CUrna caixa com 86 libras em bro-
to de iodoreto de potassa, em 40 frascos, peso
liquido 61 libras, valor da libra 3*350
204*350.
dem idem 52 libras de pastilhas de naf, valor
1*000 52*000.
dem dem.28 libras de jalapa, valor da libra
64017*920.
dem idem.-88 libras de acido ctrico cristalisado,
1,265 valor da libra 500-44*000.
dem idem.60 libras de magnesia alva, valor da
libra 400-24*000.
dem dem.99 frascos com oleo de ligado de ba-
calho, pesando bruto 150 libras, liquido 105
libras,'valor da libra 1*000105*000.
!dem idem.Um frasco com essencia de rosa, pe-
sando 1 libra e 4 oiUvas, valor da libra 40*000
41*250.
Armazem n. 5.
dem Ravmundo.Urna caixa, 2 pecas de flandres
em obra, pesando 3 libras, valor da libra 800
2*400.
dem dem.4 frascos de medicamentos cora li-
bras, valor da libra 1*000 8*000.
dem dem.Urna caixa conlendo 105 lencos de
algodao estampados com 59 varas, (4) valor da
vara 33519*763.
dem idem.II duzias de petos para camisas de
algodao, a 3*00033*000.
dem idem. 70 lencos de barra de seda de algo-
dao pesando 4 libras, valor da libra 6*670
26*680.
Um embrulho de cartas em manuscripto e pe-
queos retratos, sem valor,
dem J. C. R.-Um embrulho amostra?, sem va-
lor,
dem H. F.Um dito jornaes, sem valor,
dem L. W. C.Um dilo amostras ae fazendas, sem
valor,
dem G. E. & C-Um dito rotlos impressos, sem
valor,
dem S. B. & C.Um dito amostras de cha, sem
valor.
dem E. L Urna caixa com semenles e urna lata
cora Disalo, tudo sem valor,
dem F. J. C- Urna lata com forana, sem valor,
dem J. R. S.Urna dita com urna pega do mada
polio com 14 varas, (4) valor da vara 334 -
4*676.
dem dem.Urna dnzia de lencos de cambraia de
linho com 2 varas, (4) valor da vara 2*000-
41000.
dem idem.Cinco cortes de cassa estampadas
com 16 varas, (4) valor da vara 5008*000.
dem idem. Urna duzia de meias para menino,
valor-2*000.
dem dem.Um chapeo de palha da Italia com
enfeiles, j osado, valor 3*000.
dem dem.Um mantelete de casemira para me-
nina5*000.
dem dem.Urna calsinha do cassa para menina
-2*000. ,
dem Kaun.Um embrulho com 1 libras de algo-
da.., valor 5i>o2*000.
dem dem.Um dito amostras de fazendas, sem
valor,
dem Idem.Um dito com 2 libras de algodao, va-
lor 5001*000.
Um dito familia d'agua, sem valor.
Armazem n. 6.
dem J. L. J. B. B. Urna caixa com 2 latas de oleo
de aniz, pesando bruto 41 libras liquido 39 li-
bras, valor da libra 6*000-234*000.
dem P. M. & C. Um barril com moiho em con-
serva, pesando liquido 213 libras, valor da 'i-
bra 270-57*500.
dem J. R. P. diamante.-Oito barris com salitre
puro, pesando bruto 8,0'4 libras, liquido 7,25
libras, valor da libia 2*0.0 1:451*600
dem S. J.13 ditos de chu.rureio de calcio cryslal-
hsado, pesando bruto 6,734 libras, liquido 6,061
libras, valor da libra 334 1:024*374.
Armazem n. 8.
rin dem M. G. S. S -Um embrulho com 4 libras de
linho de algodao, valor na libra 1*000-4000.
dem S. marca. Um feixede luuro com 30 libras,
valor da libra 80-24400.
dem B. R. B. Um sacco com sement de trigo,
sem valor,
dem H. o> TUm casco de barril vasio, valor
1*000.
dem I. Urna caixa de castanhas podres, sem va-
lor,
dem demUrna canastra vasia, sem valor,
dem G.Urna canastra vasia, sem valor.
marra.-4o saceos-pequeos, castanhas
podres, sem valor.
Armazem n. 10.
dem J. K. C-Uma caixa espingarda* de om cano
para caca, valor de urna 3*00048*000.
dem B. diamante Urna dita cora urna pega de
ac para turneiro, valor 3*000.
idem S. marca.Quatm fardos com cem saceos de
estoiipa embreados, iiesando 1,150 libras, valor
da libra 340-391*000.
(ibje.ctos diversos.
Duas cadeiras de bracos de junco nma 2*500
5*000.
Tres lachas de ferro cuado para engenho, pesando
2,953 libras, valor da libra 50-147*650.
Urna nula de madeira para carroca em mao estado
1*000.
Una ba.-e de ferro para balanca e 10 barras de
ferro 23*00'1.
Um sino giaude de bronze rachado pesando 5 ar-
robas e 16 libras, valor da arroba 10*000
55*000.
46 lampees de 3 faces, um 160-7*360.
Um dito grande da antiga illuminaco1*000.
Urna maquina de ferro para descarocar algodao,
valor-lt*000.
Urna mesa em rao estado- 2*000.
Cinco un.itde.s cora cabo de couro em mo estado -
3*000.
Quairo cadeiras de amarello em mo estado, urna
500-2*000.
Urna porcu de ferros de marcar algodao, valor
5*000.
Urna porcao de madeira estragada5*000.
Urna porcao de ziivo usado, 44 arrobas, a arroba
a 2*670-117*480.
Quaria seccao da alfandega de Pernambuco, 8
de outubro do 1864.
O escripturario
Joaqun Albino de Gusmao.
O Major Antonio Bernardo yuiuteim, cavaiheiro!
da imperial urdmn ta Ro*a, e juiz de paz do 4
aun 1 do Ia dislnnlo da fieguezia do Santissim >
Sacramento do bairro de Santo Antonio da cida-
de dn Ittcle da Pernambuco, era virtude da
I le, etc.
ramento dos Sanios Evangelhos a respeto da au
sencia e incerteza do lugar da residencia de Serv-
le Pereira da Silva ; e ?endo tudo autoado e pre-
parado, me vieram os autos conclusos, e por mim
lidos, nelles profer a seulenca do theor seguinte :
Visio provar-se pelo depoimento das testemu-
nhas, que o supplicado Servlo Pereira da Silva
acha-se ausente eiu lugar ineerto, hei por justifica-
da a sua ausencia 5 o esenvao passe carta de edb,.;. aprth n v.S(.m
tos com o prazo de 30 das, epaguen os justifican- ^."^'^.^^f ;^scc~ JUI
na aominislracn d<> comi desta
cidde para essenhores ahaixo de- Escravos,
clarados.
Andr Manoel de Arruda.
Alvaro Caminha Tavares da Silva.
Antonio de Moura Rolim.
Fabio Nunes Leal.
Francisco Ignacio Pinto.
Francisco de Mello Brrelo.
D. Henriqueta Margarida do Nascimento.
Joaquim Antonio Carneiro.
Joaquim Felippe da Costa.
Jos Joaquim da Silva Res.
,Manoel Pinheiro de Miranda Ozono.
DE
movis c outros muilos
artigo.
Quarta-feira 12 de correte s 11 horas.
No armazem da ra na Cadeia do Recife n. iS.
Cordeiro Simoes far leilao de urna escrava de
idade de 30 40 annos, sabendo cosinhar e lavar
e com outras habilidades, e de diversos movis,
crystaes, joias de ouro e de prata e outros rauitos
artigos de gosto.________________________
les as cusas.
Primeiro districto da freguezia de Santo Anto-
nio, 28 de setembro de i8bl.Antonio Bernardo
Quinteiro.
Nada mais se, conlinha era dita sentenca dada
nos autos, por bem da qual se passou aos juan-
eantes o presente edital com o prazo de 30 das,
pelo qual so chama e cita o referido Sewolo Pe-
reira da Silva para que dentro dos 30 das compa-
reca por si, ou por seu bastante procurador, para'
se proceder aos termos de couciliacao na forma da
petico, e qualquer outra pessoa para que faca sa-
bedor desta mesma ciayao, alim de que elle nao
fique indefeso.
O porteiro deste juizo publicara este nos lugares
mais pblicos deste districto e o afiliara passando
coitido em forma. ,_____'_
Dada e pastada neste primeiro districto da fre-
Satyro Raymundo dos Santos.
THEATKO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA
GERMANO & COIMBRA.
7* recita d* assteoltira
illVO
DE
Urna casa terrea.
1IO JE.
Quarta-feira 12 do correte as II
na ra do Vigario n. 10.
OLYMPIO
em seu armazem sito na ra da Vigario n.
vender em leilao urna casa terrea de pedra e
situada na ra de S. Miguel nos Afogados n.
com 2 salas, 2 quartos, cosinha fora, quintal gran
de murado com porto c cacimba pagando de foro
2*020 annuaes. _________
Importante leilo
DE
5 sofs de amarello, 8 consolos com lampos de
pedra, 2 ditos de Jacaranda, 30 cadeiras de ja-
caranda, 4 cadeiras de bracos, 4 dilas estufadas,
84 moxos com palhinha, 24 bancos com palhi-
nhas e divisoes de ferro, 24 ditos sVm encoclo,
estantes para inusica, 4 grandes estrados, 8 ca-
deiras de couro, 2 me>a-grandes com gavetas,
2 escadas, 3 lustros. 19 arandelas e mangas, re-
posteiros, galeras, columnas, assoalho da platea,
dito do palco com machiuismo, bastidores, pan-
nos, vistas, gabinetes, pannos de bocea, roupas
e outros muilos objeclos de senario.
Segunda-IV.ira 17 de oulubro.
No llieatro (["Apollo.
O agente Pinto autorisado pelo* proprietaro-
da casa denominada Theatro Apollo, far leilo
do todos os objeclos cima indicados perlencenle<
ao mesmo theatro. s 10 horas do dia cima dito,
no reft rilo theatro.
horas,
10,
cal,
22,
QUARTA-FEIRA 12 DE OUTUBRO DE 1864.
guz"i"d Santissimo Sacramento do bairrode San- Representar-se-hao muito applaudido drama em
i Antonio da cidade do Recife de Pernambuco, 28
de setembro de 1864. _
E eu Joaquim da Silva Reg, esenvao que o es-
crevi. .
Antonio Bernardo Quinteiro.
subscrevo c assigno. Em f de verdad, o escri-1
vao, Joaquim da Silva Reg.
5 actos e 7 quadros, original francei:
O CORREIO DE LYlO
ou
DEGLAUCOES.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda de Pernambuco se faz publico a
quem nteressar possa, que no dia 17 do corrente
mez comecarao na lefenda thesouraria os paga-
mentos das pensoes do Monte Po dos Servidores do i
Estado, vencidas at o dia 30 de setembro ultimo.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-;
buco em 10 de oulubro de lo64.-Manoel Jos Pin-
to, servindo de official-maior.
Juizo dos fetos da fazenda
natioual.
Na quinla-feira 13 do corrente, na sala das au-
diencias, pelas 10 horas da manha, perante o Dr.
jDiz dos leitos da fazenda, se vender em praga
publica urna casa de taipa coberta de telha, Mta no
Barro, era chaos foreiros, avahada por 120*000,
perlenrente Francisco de Barros Reg, e penho- sagtiros e
rada para pagamento da fazenda nacional.
Recife 8 de outubro de 1864.
O solicitador,
F. X. P. de Urito.
0 PROCESSO LESURQUE
Dar lira ao espectculo a graciosa scena -comi-
1 ca pelo Sr. Guimaraes
Eu nao me emporio com a
vida alheia.
Comecar s 8 horas.
LEILaO
1I04E.
Qnai la-feira 12 do corrente, no arma-
zem da ra da Cadeia n 53
DE
Um piano forte de Jacaranda c urna mobilia de di-
to, gosto moderno, um guarda roupa de mogno
o ama banca de advogado.
jEUZEIBltl
vender em leilao os objectos cima por conla c
ordem de ijuem pertencer. __________________
AVISOS DIVERSOS.
Instituto Arckcolo&ico e Geo-
graphico Pernambucano.
Haver sesso ordinaria i|tiinla-fcira. 13
do corrente, s 41 horas da maulia.
ORDK!! DODl.t.
Votnces adiadas ;
Pareceres e mais trabalhos do conunis-
8068.
Secretaria do Instituto 10 de <>ulubro
de 1864.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
DE
Urna
taberna
COMPANHIA l'EHNAMBUCANA
DE
Xavesaro rustrir vapor.
Parabyba, Natal, Macae, Aracaty Cear
e
Aciracu'.
O vapor Persinunga, comman-
dante Ratis, seguir para os por-
tos cima no dia 22 do corrente s
5 horas da tarde. Receber carga
_ 'al o dia 21. Encommendas, pas-
dinheiroa frete at o da da sahida s
3 horas da tarde : escriporio no Forte do Mallos
D. i.
arma gao para
ou deposito.
Quarta-foira 12 do correnie s H horas em
ponto, na ra do Vigario n. 8.
OliYiVIPIO
vender em leilao publico urna armaciio propria
para taberna ou deposito, cora medidas, pesos, ba-
lancas e mais utencihos.______________________
LEIL.%0
DE
167 meias desoa
Na livraria n. 0 e 8 da prara da Inde-
pendencia existe urna carta de importancia
[iara o Sr. Antonio Fernandes Corredor.
E. Bolln, subdito inglez,
glaierra. ______________
relira-so para a la
Caroline Uugdale. subdita de S. M. Brilaom
ca, retira-se para fra da provincia. __________
Para a Babia pretende sahir em poneos dias
o veleiro patacho 1). Luiz, capitao Jos Teixeira
- O conseibo administrativo para fbroecimeoto ^^X^li'narta'alaria tratada-para
do arsenal de guerra tem de comprar os objeclos *ggi" tW&TSiSi "con-
Seguales in,ia u-.imnir X, H..|ii-:1ii larcrA ilo Corno
egumtcs : | sgnaIarios Paune.ra & Bellrao, largo do Corpo
Bandeira granK imJeS de S........... 1 i Santo n. i, primeiro andar.
Fortaleza do Brum
Chapeos...................................\ 3
Esteiras................................... 3
Mantas do laa........................... 3
Quem quizer vender las objectos aprsente -as
propostas em carta fechada ua secutara do n-i
selho administrativo, s 10 horas do dia 12 do .M-
reute.
Sala das sessoes do conselho administrativo pa-
ra fornecimento do arsenal de guerra, 6 de outu-
bro de 1864.
Antonio Pedro de Sd Barreto.
coronel-presidente.
Sebastiao Antonio do Reg Barros,
vogal secretario interino.
Pelo juizo de orphos se ha de arrematar pe-
las 11 horas da manhaadortia 14 do correte, rae-
tde do sobrado de dous ailares e soto n 64, silo
na ra da Cruz, freguezia de S. Frei Pedro Gon-;
galves, faz quina para o becco da Lama, servindo
le base para a arrematarn a quaulia de 4:5005
em que fui essa metade avallada, pertcncenn- aos
bens do casal dos finados Luiz Pedro das Nevos o
-ua ninilier, e que val praca reqnrrimenlo do
inventbante Antonio Francisco das Nevos ; o es-
cripto se acha em mao do porteiro do juizo.
O corpo de polica compra 300 covados de
panno azul o 1,650 varas de brim para>fardamen-
lo : quera tiver e quizer fornecer, aprsenle as
amostras e suas propostas era carta fechada, na
secreaiia d dito corpa as 11 horas do dia 12 do
corrente.O lente secretario,
Luiz Jeronymo Ignacio dos Snntos.
No dia 12 ilo crrente, ile|>ois da audiencia
do lllm, Sr. Dr. juiz municipal da 2* vara, tem de
ir em praca para ser arrematado um pequeo si-
tio era sol foreiro, com duas peqnenas casas do
laipa, com alguns arvoredos de frurto, lendo cada
casa una porta e urna janella para o lado do sul,
urna sala e um quarto, e Cnzinha fra : dito sitio
no lugar do Peres da freguezia dos Afogados, e
avahado por 4003, penhurado a Manoel Goncalves
TVlles, por execuco de Maria Francisca Olympia
Baplista. esenvao Baptista.
Pela d.-legaria de polica da cidade do Rio
Formoso, se faz publico, ai-har-se recolhido ao de-
posito geral da mesma cidado, um cavallo rodado
pedrez. grande, gordo e novo, que fui aprehendido 0 Janeiro.
como fuado no da 17 do mez de setembro do i para fretes, condiccoes e passagens trata-se na
corrente anno de 1864, a Mareolino de tal. Quem agencia ra do Trapiche n. 9._________________
COMPANHIA BJJ3JXEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul espera-
do at o da 14 do corrento o va-
por Paran, commandante o ca-
"pitao de fragata Santa Barbara, o
Pqual depois da demora do costa-
! me seguir para os porto- do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
' carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
: das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
i ras: agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio do An-
; onio Luiz de Oliveira Azevedo Si C____________
COMFAXHIA BR ASILE IRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos porlos do norte espera-
do at o dia 17 do corrente o va-
por Ogapock, commandante An-
tonio Marcelino de Ponteo Hibei-
ro, o qual depois da demora do
costume seguir para os portos do sul.
Desde j recebera-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C._________
COMPAWHIA
no je
0 agente Pestaa vender por conta e risco de
quera pertencer 167 meios de sola com avaria
sendo 111 marca PPL* tudo pegado o 56 mar-
ca as qnaes s>* acham no armazem do Sr. Avila
no Forte do MUto, onde lera losar o leilo quar-
ta-feira 12 do corrente pelas 10 horas da manha.
Petra semanal
DE
Mohilias, traste* avulsns, crys.acs e
utros arfeos.
Quinta-feira i& do corrente s II horas.
N. lo-rtwi OLIMPIO
em seu armazem sito a ra do Vigario n. 10, ven-
der em leilo diversos trastes avulsos e mobilia,
diversos rWogios, duzias de cadeiras brancas, ob-
jectos de prata e ouro, e outros muilos artigos que
eslarao patentes ao exame dos compradores no dia
cima, no armazem da ra do Vigario n. 10.
LftJ9,.tO
DAS
MESSAGERIES
. tO-Uua s II hoias.
OIYUPIO.
competentemente autonsattu lar leilo de um si-
lio na estrada do lto>arinhn, com grande casa,
lendo a mesma 3 , 4 quartos, 2 snlos, cosi-
nha, terrayo,estribara, cacimba com b"a agua V
bi-ber e outros muitos comniodo*, ten lo o sili"
300 ps de laraugeiras, mangu-iras, coi|ueiros, 2
grandes lianas para capim, 1 meia agua na ex-
trema do sino qii serve de a mi-nsaes. Os prelendentes podi-m desde j diri-
gir-seao refTido agente Olympio cm seu arma-
zem rna do Vigario n. 10. ___________
Aos I:0Of>$OUU.
Sahbado22 do corrente mez, se extrahi-
r a quarta parte da teiveira lotena (112*)
a beneficio da Santa Casada Misiricardia,
no consistorio da igreja de Nossa Senlmra
do Rosario da freguezia de Sant- Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acbam-s
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de lOiOOOjOOO at 0*000
serSo pagos urna hora depois da eitracc3o
at s 4 horas da tarde, e os oulros do dia
seguate depois da distribuico das listas.
Servindo de tbesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
GUAU rdlTUNl
AOS fi:(K)().()00
llllhetes sarantld*
i' rna do Crespo n. 23 e casas eestaaH
0 abano ;issignado vendeu nos seos muito feb-
zcs bilhetes garantidos da lotera que se ac.boc
de extrahir a beneficio do (yinua-io P.'rnambu
cano, os soL'iiintes premios:
N. 1713 d ns ipiartus com IO:O0OJOOO
N. 1670 meio bilhete com f^MfMf
N. 307 dous quartos com 2:OiiuiiOO
N. 3315 inn iirtciio com .tUOMOO
N. 2013 dous quartos com .'001O00
E outras mallas de. 2008, lim-5, 405 e 24.
Os possuidure podein vir i eerber aaai m des-
con.os das lela na Casa da Fortuna ra do l.res-
po n. 23.
Acham-se venda os da primeira parte da
primeira lotera a beneficio da matriz de Cavoovi
que se exlrahir no dia 12 de outubro.
Presos.
Bilhetes inteiros..... 7J00G
Meios......... .VHI
Quartos........ I*!W0
Para as pessoas que compraren]
de 100JI para cima.
Bilhetes........ 6450
Meios......... 3*250
Quartos......, H9H
Manod MarUm Fiuza
Aluga-se a -asa n. iO da ra das Trinrhei-
ras : na ra da Aurora n. 36.
IMPERIALES
At o dia 14
do corrente mez
esperase da Eu-
ropa o vapor flma cm em \azareth
le leite mora < a
Rosario n. 32, primer
LEILAO
DE
fiancez Bear a,
que depois da
demora do cos-
tume seguir pa-
ra a Baha e Rio
se jnlgarcom direito ao mesmo cavallo, comprela
na mesma delegada competentemente habilitado
para o receber depois de satisfeitas as despezas do
mesmo deposito.
Delegara de polica na cidade do Rio Formoso,
8 de outuhro de 1864.Santiago.
Juizo dos IVios da fa/entananional.
Na quinia-feira 13 do correnie, na ra do Tra-
piche n. 7, se vender parante o juiz dos feitoft da
fazenda em praca publica uns caixoes para depo-
sito de assucar, e differentes pri-|iaros para escrip-
torio, avahados por 305, e penhorados para paga-
mento da fazenda nacional.
Recife, 10 de outunio de 1864.O solicitador
F X. P. de Brito.
Juizo dos li'itns da fazenda nacional.
Aracaty.
O hiate Santa Rita sahe para o Aracaty : a tra-
tar comTassoInnos^_______________________
It.ha.
O hiate Dous lrmaos sahe para a Bahi : a tra-
tar com Tasso Irmos.
O agente Almeida fara leilo requerimonto do
administrador da n&axsa fallida de Antonio Pran
cisco de S-uza MgalhVs Junior, o por mandadu
do lllm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, de
una ca.-a de taipa sita na ra do SenUor Bum Je-
su* na cidade do iNazareth, pertencente a mesma
massa.
Quinia-fe em o armazem da ra da Cadeia do Recife n. 48,
s 11 horas.
LtlU
Aluga-se nma casa em Iteherihe : a tratar
com J. I M. Betro, na rna do Trapiche n. 34.
Precisa-se de um rapaz para caixeirn de la-
tu-rna, de 10 12 anno*. qur tenha ou nio prati-
ca : na ra Direita n. 72. _
- Prccisa-se dn urna ama
lia : na ra estrella do
andar.
II tiookey e sua si-niiora, Mibdilos ingb : ,
retiram-se para a Europa.___________________
JosMoreira, subdito portuguez, retirase
para Portugal.
Na ra da Concei*-Se n. 47, precisa-so di-
urna ama para pequea familia.
Alosa se o prim iro andar do obrado n. >
da ra do Cusa no Porte do Malte, tem bous com-
i.....los e bastante friso, a chave ota no segando
andar e o preeo 185 mensaes a tratar na rna
do Imperador n. li. ^__________________
Para
tiesta.
LEILGES.
Attenetio
DE
30 lia-iis ntm manleita ingleza.
Quinta-feira 13 flo corrente.
Manoel Joaquim Ramos eSilva & ginros farao
leilo ii ir Ola e rjsco de quem pertencer e por
intorvenco do aueijte Pe*lana de 30 barra com
manteca ingleza de superior qualidado (desembar-
cados do ultimo vapor : quinta-feira 13 do cor-
rente pelas 10 Horas da manha no armazem do
Annes. Na me>ma nreasio o dito agente era
Na quinta-feira 13 do corren^ wi sala das au- AeS Capitalista da praca e do interior S jgggjS de Lisboa.
diencias, perante o Dr. juiz dos feitos da fazenda,
pelas 10 horas da m nlia, se n_dwo em praca
publica diversos bjeetos de miudezas, avahados
por 155 e penhorados a Francisco de Sales e Sil-
va para pagamento da fazenda nacional.
Recife, 10 de outubro de 1864. O solicitador,
F. X. P. de Brito
O conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra preci>a comprar o seguinte :
Plvora grossa para artilharia, arrobas...... 30
Quem quizer vender tal artigo aprsente suas
LEILAO
M
LEILAO
D_
P fi f] JTh ff^^Escravosdeatnhosossixnscom
L hnbk'adese sem dios.
s 11 boras da
i sobrado de 4 andares e soto sito na ra da
Cruz n. 53, urna das pnncipaes rca< de commer-
cio no bairro do Recife,o qnal se acha as melho-
rescondiccoes, bem construido e conservado.
1 sitio com rica .casa de campo de um andar,
proponas em carta fechada na secretaria do conse- smo co'" _" __" ue SS
KXSuSLamn s 10 horas da manha do da salas estucadas, erando cocheira, estribara p
Sexta-feira I i do corrente
manha no annazem da ra
gario n. 10.
do Vi-
lho administrativo,
ii do corrente.
Sala das sessoes do conselho administrativo tiara
fornei imuuto do arsenal de guerra, 7 de outubro
de 1884.
.4nfonio Pedro de S Barreto,
coronel-presidente.
Sebastiao Antonia do Reg Barros,
vogal secretario interino.
Correio.
Pela administracao do correio desta cidade sa
faz puotieo que as cartas abaixo declaradas deixa-
rara de s^gnir o sea destino por se tetaran com
sellos servido*.
Antonio Jos Gomes Pereira Bastos.
Fago saber aos que o presente edital viris, que. Joo da Silva Duart.
4 cavallos e ptima seuzala, no lugar da Trre a
margem do Capibaribe, o qual tora porcao de la-
ranneiras e outros arvoredos, cuja estrada pela
Pa-sagem da Magdalena onde se vai a carro.
t casa terrea com soto na rna das Cinco Pon
tas n. 71, quintal, cacimba e porto, prxima a
estaco da estrada de ferro (terreno propno.)
O agento Almeida autorisado pelo procurador
dos Srs. Pinto >v Irmo, far leilao dos predio.- ri-
ma, os pretendemos pudem oblar qualqtii-r infor-
maco do mesmo agente ou na ra da Cadeia do
rWife n. 64, pudendo ser previamente examina-
dos ditos predios.
* or~a__r _ra
O leilao ter lugar na ra da Cadeia dn Recife
n. 64, primeiro andar, escriptorio de Guilherme
da Silva Guimaraes, ao meio dia do dia cima.
autorisado por aluuns seus amigos vender em
leilo publico diversos escravos de ambos os sexos
os quaes e>taro patentes no da do leilo no ar-
mazem da ra do Vinario n. iO^________________
LEILAO
de
Um elegante sobrado de 2 andares e
edificado em chaos proprios pm
soto
urna
passar a
Aluga-se a casa na povoacao do Monteiro rna do
Jisto, caiada e pintada, com' roinmodos para gran-
de familia : quem a qniz.T dirija-se a roa do
Crespo leja de Andrade & IV'go.________________
Antonia Jacintha de Jess, Portogoeza, reti-
ra-se para a ilha de S. Miguel.
Afearla de passaprte.
Claudino do Reg Lima, despachan! do pasa-
porte, tira-os para dentro e fra do imperio por
eommod" preco e presteza : na ra da Praia a.
47, piimeiro andar.
\.^%<
1
Prccisa-se de tima ama para todo o servteo de
urna casa de pouca familia : na toja da roa Nova
numero 11.____________________________
i Ufen-ce se urna ama com bnm leite. mnito
boa para criar roeniuos : nos Barros llanos nu-
mero II.
s
m
8
Saques obre l*orlM|al.
O abaixo assignado, autori>ado |>Ho
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por lodos os paquete? sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e oais Inga-
res do reino, por qualquer M>mrna vfc-
ta, e a praso ; podendo, os que lonurem
saques a praso.reeeherem visu, no mr-
m i Banco, descontando 4 OjO ao anno: na
toja de chapos da roa do Crespo n. 6. oo
na ra do Imperador n. 63, senvina na-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
O Sr. Osear Destilieaix qne l^-e loia
decalcado na rna da Imperotri/ n.52,quei-
rua de negocio na fre;ue/.ia de Santo An- ra dirijir-se a livraria n. 6 e 8 da pra$a
Ionio.
Sabbaii I." docrtirentc. s 11 horas
N. 10-Rua do VigarioN. 10
da Independencia.
Preeisa->e de urna ama para
gommar : na ra da Praia n.
-



Diario de J>eraftJ*s Qnarta felra It Outnhr 4e 1 c4.
Partidas dobradas
POR
M Fonseca de Wedeiros
Acha-se venda ns principaes livrarias desta
cMade, pelo preyo de 81 o cxomplar, carroado.
A molestia ou infecto pecec
liar conhecida pelo nomo de Es-
tcrofala um dos males mai-a
'prevalecentes e universal que
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soflresse
genero humano : disse um no-1
Ere escriptor da medicina que;
mais de tima terca parte de!
todos aquellos que morrem antes
da velhice so victimas, ou direc-j
ta ou indirectamente da Escrfu-
la : por si nao tao des.
tuctiva, porm a principal causa de mu- j
ras (Mitras enfermidades que nao lhe sao ge-
ralmente attribuidas.
E' urna causa directa da phyhisica pul- \
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affecedes do cerebro: Entre os seus
numerosos symptonias acham-se os seguin-
tes : falta de appetite ; o semblante fal-
lido e s vezes incitado, s vezes de urna
alvura ti amprenle e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea ; fraquea e j
molleza nos msenlas: disgesto fraca e
appetite irregular, falta de energa, vcnlre j
incitado e cvncuaco irregular; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmoes, urna!
cor azulada mostra-se em roda dos olbos ;'
quando ataca os relos digestivos, osollios
tornam-se avermelliados :o hlito ftido,
o lingua carregada, dores de cabera, ton-
tetras etc.
as pessoas de disposicao escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s affecedes dns pulmes, do liga-
do, dos rins e dos orgrs digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquellos
que padecem das formas ttlcerosas c tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
teccao contra os seus estragos ; todos a-
quelles em cujo rangua existe o virus laten-
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri-
ditario) estao expostns tambera a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao:
A phthysica, ulceracdes do figado, do es-
tomago e dos rins : erupces e enfermida-
des eruptiva da cutis ; rosa ou erysipela;
borbulltas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos, ulceras e chagas, rheu-
matisrno, dores nos ossos, as costas c na
cabeca, debilidades fmininas, flores bran-
cas causada pela ulceraeo interior, e en-
fermidades uterinas, hidropesa, indiges-
tlo, enfraquecimenlo e ikbilidade geral.
Aos pulmoes a escrfula produ/. tubrcu-
los e finalmente consumpcao pulmonar :
ras glanulas ella produz nchacoes e tornam-
se ulceras: bos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupces e affeccoes cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sanguc.
\ salsa parrilha de Ayer
composta dos antdotos mais efficazes que
a sciencia medica tem podido descubrir,
para esta m lestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdadeiramente extraordi-
narias 6 provado incontestavelmente pelas
curas notaveis o bem conhecidas que tem
feilO de tumores, erttprd'-s cutneas, erisi-
pelas, barbullas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parebas, hydrope-
sia, toase quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes. DebilMade ge-
ral : Iudigeslao, Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, moleslias das mulhc-
res, ulceraces do ulero, a nevralgia e con-
vuigoes epilpticas c em summa, toda serie
de enfermedades que nasrem da impureza
do sangue. Vede as certides no Alina-
oaek e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtu les: posto que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilha, 6
composto de diversas plantas, algumas das
qoaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PEITOIUL DE CEREJA DE AVER.
Cura promptamenle a asthma, bronebite,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmoes pdem ser curadas em pou-
co lempo pelo peroral de cereja do dr.
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na pbarmacia franceza de
P. MAURER i C.
RA NOVA N. 48.
>%>tf"^>2
PMMEIRA E ANTIGA CASA FELIZ.
POIITI'CUI,
POHT4.
nal
I DENTISTA DE PARS
19Roa na-U
I Frederieo Gautier, cirurgiao dentista,
I faz todas as operacoes de sua arte, e eol-
f loca denles artificiaos, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconnecem.
Tem agua e pos dentilcio.
Morada
, Tl!\f,E\'IIBlim*.
rrelJb.-. noregnf. Bf.-. rhrwmt.-.
Ba-se para residir em um srlio perlo desta cida-
de, sem a menor paga, a rima Deseca de pouca la- t'renh. noregnf. .
mllia, e que d eonheciinenlo de sua boa conduc- 'rw'rzb. nbxr. nf.
ta, com a condicao de tratar dos artoredos que "'"Sr. -. rs*.-. cbaRh.
existem no mesmo sitio, concertar as cerras do W'"' 6'"^-' fi"--
Qr.-. bigbucb
ehrtmf.
nbeaf.-.
l'rtven.
Cbe.\ beqrw.-. qb
a..
qn.
Roa das Flores, ns. 1 e 3 (joiito igreja da Misericordia.)
PLA\0
GRAM L0TEI111 DE IIESPAMU.
CUJA EXTRACgAO TERA' LUGAR NO DA 23 DE DEZEMBRO DE I8G4.
mesmo, e dando conla de tudos os objerfus que llie
forein entregues ao enirar para o mesmo sitio,
quandoqueira o seu propietario, podendo faxer a
plantario que lhe convier o desfructa-la durante o
tempo que no mesmo sino estiver por consent-_____________
ment do sen preprielario, ou pessoa por elle au- Precisase de u
- fta ra da Roda n. 6 continua-so a mandar !?""?*"a"' ,,"and?.Jsahir do mesmo s*- trangeiro : a tratar na rTda
comidas para fra, acaiu-se toda encommend, e por saa ronlade ou -sDeilido ;ior seu proprie-_______________________
incumbe-so de tudo por preco razoavel com aceio ou por su.a aoto",Ci P*'dir o menor paga- '
e promutidao. menlu P01* PP plantaeao que deixar, ou por
----------------;---- qualquer trabalho que o tenha feito, oo mesmo
i proDoryoes de- como paga de ter eslaao no mesmo sitio : quem
pois assim o queira, dirija-se ao sobrado da ra de
S. Francisco n. 10, cora documento, provando a
sua boa conducta.
N. B. A casa se aclia cm mo estado.
Trareninr.'. r.ra,-.
Vessnb.-. rrprrgaerfc.-.
Barba-azul.-.
l-aranfnras a. H.
Precisa-se de una casa
cenes para habilacao de pequea familia ;* prefe-
. re-se no bairro da Boa-Vista ou immediacoHS ; nao
se duvida pagar bem : a tratar na ra do Viga-
, rio n. 9, primeiro andar.
conpiis.
PREMIOS
1 de.....................................
i de .....................................
i de .....................................
2 de 20.000 pesos fortes.....................
8 de 10.000 ditos...........................
15 de 5.000 ditos............................
30 de 2 000 ditos...........................
106 de 1 000 ditos...........................
2.100 de 500 ditos...........................
99 aproximagoes de 400 pesos cada urna, para
os 99 nmeros restantes da centena que obte-
nha o premici de 300.000...................
99 ditas de 300 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que ootenha o premio
de 100.000...............................
99 ditas de 200 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que obtunha o premio
de 50.000..........................'.....
2.999 reintegros de 100 pesos para os 2.999 nmeros
cuja lerminacao seja igual do que obtena o
premio de 300.000........................
5.560 premios em 30.000 bilhetes.................
19:800
299:960
._:------1.
2.z5":060
PESOS FORTES MOEDA POMTGl'EZA
300:000 ou Rs. 270:000*000
400:000 90.0005000
50:000 45:0005008
40:000 36:0905000
80:000 72:0005000
73:000 67:5005000
60:000 54:0005000
106:000 95:400500
1.050:000 945:0005000
39:600 35:6405008
29:780 26.7305000
Na ra da Cadeia do Recife u. 55, primeiro
i andar, tem urna carta para o Sr. Antonio Manoel
da (Jonceicao.
Precisa-se de urna mulher para cozinhar em
acsa de homem solteiro, que nao seja moga : a tra-
tar no billiar dos arcos.
Precisa-se de um amassador para padaria
tralar na ra estreita do Rosario n. 2 A.
17:8205000
269:91050000
2.050:0005000
Bilhetes inteiros___
Meios bilhetes.....,
PREGOR EM HOEDA FORTE.
a 1085000 || Quintos de bilhetes..
a 545000 || Decimos...........'
Rl'UlO IXPER4 I
1)0 \. l
Grande armazem de Unas -;>
Tem a venda : ffli
1 Productos chimiros medicinaes os jf
mais importantes em medicina. /^
2. Prodoctos chimicos e utensis wff
para phoiographia e outras industrias, l.
3. Todas as materias c utensis cf,
empregada na pintnra a oleo o a col-
la para pintores, tintureiros, enver-
nisadores, douradores e vidracciros.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Precisa-se fallar com o Sr. capilao Estevo
Jos Paes Brrelo, na ra da Imperalriz n. 40.
ompra-se ooto e praia rm obras ...
dasa-.M' bem: na lija de biltiefe.- 1a prac?. a luda
| pendencia n. 22.
Compra-e eteewsmsjtM
ouro e prala em obras Tenas |ii|M naT"a jarga do Rosario n. 4, toja de oarirr
Na praca da iniHpmlfcte,"5! de oohm
n. J!, compram-se obras i* ouro, prala e Mrim
preciosas, assim como se faz qnalqu-T obra ir wm-
commenda. e indo e qualqner onceno.
Compra-.*- diarios a 149 r. a lii.r.i \-j\m
bllipieza UOS tHUlOS IllbaOOS 'lo ReCife a arrobe : na ra da Sgnala Wiha ii. 50_____
Apiparos nioiida i >i|ior. 9".',,ra"se ura boi uma ""!
Tendo Cegado da Europa as informa^ e dse- S?SS54fti BSKSSK "
pipa
va de
Jos Gomes do Correto.
COJIPRV-SE
nhos que os roncessiooarios do privilegio inand i
ram vir pelo enjienheiro que tem de execular a
obra, os concosiunarios abaixo assignailos resolve-
ram formar uma companliia rom o capital de ...
300:0005000 em aroo.-s de 505000, com as ccndi-
Qoes que serlo apreseuladas aos que quir.erem lo- uma nP?ra de lK>niia para, qu.- alba lavar, ca-
mar accoes. gommar e coer bt'in, e cuja idade n.io etreria j,
As pessoas que quizerem ser accionistas desta 25 anii's, agradando paga-s bem : a tralar w re-
importante empreza, podem dirigir-sp qualquer criptorio de Manoel l^naeiu de Oiiveira PMfe,
| dos abaixo assignados, ou aos correctores Vascoi- largo do Corpo Santo n. Ift.
| cellos, Mamede, Guimaraes, Galis, oubuurcq, Ha- tAlllilUTw-------------"
UMlrKi SI
cedo, Seve, etc.
215600
105800
JOS IGNACIO FERREIRA RORIZ,
COM LOJA DE CAMBIO E BILHETES DE LOTERAS.
Affiancado no governo civil do Porto, em conformidade do tdital
de 28 de junto) de 1860.
Satisfaz com promptido todas as encommendas que he sejam feitas, mesmo em
grande quantidade e pelos precos cima indicados, vindo acompanhadas do seu importe; e
uo lira da extraccao remette a lista dos premios.
Para informacoes, e pedidos no escriptorio da ra da Cruz, n. 19.
iGCKSSln. CSSlv gS^x CSSn 2SsLi Gifv-*s3ci.f5WGSlr
Passamento de festa e ba-
nhos salgados.
Aluga-se um sobrado, altos e baixos, em Olinda,
Attencao.
O abaixo assignado participa ao respeitavcl pu-
blico, e a quem mais possa interessar, que o seu
enteado e genro, Jos Pereira Bastos nao mais
para passamentosdo festas, no principio da ladeir I seu procurador, |wr Ine haver cessado os poden-s
da Misericordia, na esquina da ra do Bomfim, j que lhe havia conferido n'uma procuraran bastan-
muito fresco e com muito boa vista para o mar, i te, constituindo ao mesmo tempo procurador bas-
todo feito de novo, com bastantes coramodos para tante para tratar de lodos os seus negocios, ao seu
familia, com duas coziuhas, no andar terreo e no sobrinho e genro Sebastio Al ves da Silva, pelo que
soto, todo muito bem pintado, com quintal e por-1 nao se responsabilisa j>or nenhum negocio ou trato
tao com sabida para a ra do Bomfim : quem o que aquello seu ex-procurador tenha elfectuado.
liiiro do Lia-amento.
lSX^^f0^8- 2 2lh010'- p2" '" i" m-
Os abaixo asignados havendo contratado com o; W quaiqiiir parte : no armazn la bola
governo provincial a collocacao de trlhjs urbanos amare I la B0 uitao dj seCTCtari i tl- poli, ij
da cidade do Rec.fe at Apipucos, e lendo obtido Comprare nma barraca n..ra e urna 3SS
as informacoes que eran, indispensaveis para {M.iHBUlia -ubMltafaL ^T^JT
execugao da empreza. teeo resolvido formar uma J"^' Se'H r"" D0 h"-' lM'in"- ru Tr"
Oadvogado Miguel Jus de Alineida
Pernambuco participa a quem convier,
que por convite dos Srs. Drs. Alcofora-
dos, mudou a sua banca do advogado da
ra do Imperador para a do Crespo n. 4,
escriptorio dos mesmos Drs. onde pode
ser procurado das 9 da maunaa s 3 da
tarde.
YENDAS.
ATTENCAO.
Aluga-se a casa terrea n. 17 ra do Mondego,
com tres quartos e duas salas, canno no quintal
para esgoto ; o permiltindo-se fizer o despejo no
quintal da otaria, junto dita casa, podendo tam-
bara tomar banhos salgados : a tratar na dita ra,
olana n. 13.
Precisa-so de dous homens que enlendam do
servico de copeiro : na ra da Aurora n. 32.
Anda est para alugar-se o sobrado amanil-
lo da Ponte de Uehoa : a tratar no largo do Pa-
ra izo n. 16.
companhia anonyma para a sua rnUsaeio, e com
[ I as seguintes bases :
, Artigo I. O capital da companhia ser de tre-
[ I zentos contos de ris, divididos em accoes de 505,
realisaveis em prestacoes, sendo 25 por cento logo
I que e>tiver formada a' companhia, e o restante nos
prazos indicados pelos emprezarios, precedendo _.,,
aviso de 30 dias. pin ilfcl>l|ftt f mMMi
4oSK:tvaS^ ff JKSSSia! ^""i. p^1!!^:^^
fa^VP?ofeT;t0zar,orsTelobrigam a fazer J 1. li f/f? embrOllC*
obras que forem precisas para a colUicacao dos tri-
Ihos, inclusive as desapropriacoes, |K>nte de ferro,
que tem de ser col locada no rio Capibaribe, duas
estacoes para recolhimento do trem rodante, e dos
objectos da companhia, que sero com a smplci-
dade possivel, tendo-se sement em vista as ac-.
cemmodacoes e seguranza, sondo uma no bau ro de, "lanak* J vende-se na iivrana -onorolra
Santo Antonio, e outra as proximidades da extre- do afr0 (lc SBfl, Antonio, vende-se tamben
mdade da liona ; a fornerer 10 carros para pas-! ^des completas dos mesmos alman.tJu
sageiros e 2 para carga, e 3 locomotivas, e tudoisto vo'mes.________________
pretender, dirija-se ra de Santa Thereza n. 50,
ou falle ao Sr. Antonio Ramos.
Um moco ha pouco chegado a esta provincia,
Agua-Preta, engenbo S. Joao do Poco, Io de ou-
tubro de 1864.
Sebastio da Cunha Aceioli Lins.
com pratica de escripia, por partidas simples ouj Precisa-se de um caixulro no bilbar dos Ar
dobradas, desejase arranjar de caixeiro em uma eos : pr-fere-se brasileiro.__________
casa lommercial, para o que pode ser procurado'
no escriptorio do Dr. Thom Madeira, ra do Im-
perador n. 77.
H. E. SkeltOD e sin familia, subditos ingle-
zes, retlram-se para a Europa.
Havera Brrate lodos os dias, das 6 horas em
diante, advertindo que o mais aseeiado e bem fei-
to possivel : no bem contiendo caf dos Arcos.
Roanamn nu engbouo Velbo, termo do Cal>o,
na noile de 8 para 9 do crreme, tres cavados com
os sijnaes seguintes : um castanho andrino, pe-j
Precisa-se de tres contos d ris a juros de 2 por j queno, bom andador de batae a meio, castrado, n
cento ao mez, garantndo se esla importancia com | tendo signal (raneo no rorpo : outro tambem cas-
seis contos de ris em 4 escravos e mais uma boa tanho, pequeo, bora andador baixo, castrado, as-
parte em um sitio as proximidades desta cidade, I sgnala com mal de beslas do lado direilo da cabo-
rom a rondieo de carem lodos estes bens ven- i ?a ; e outro tambem castanho amarello, grande,
didos, se no dia do vencimento da respectiva let- andador baixo, castrado, e muito passarinbeiro
Ao publico.
ATTENQAO.
Precisa-se de una prea que saina cozmliar
e lavar: na ra do Qurimado n. 16, loja.
Precisa-se de uma ama de leite
Livramento n. 20, segundo andar.
na ruado
Aluga-se o sitio que foi do finado Domingos
A. Gomes Guimaraes, no Caldeireiro, confronte ao
do Sr. Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado : a
tratar com T. de Aquino Fonseca Jnior, ra do
Vigaro n. 23, primeiro andar.
coici:iitosK-
MES
agente de leiloes, declara que desde o dia 26 de se-
tembro prximo passado tem alugado o.armazem
da ra da Cadeia do Recife n. 48 para fazer al-
guna leudes, aonde pretende promover a venda de
quaesquer effeito^, observando belmente as ins-
irueges que lhe forem transmitidas, e espera ter
a nvsma concurrencia dos seus commitientes e
amigos. Outro sim julga nada devera esta pra^a,
e pede s pessoas que lhe deram objectos para
vender oeste armazem ou fra delle, hajam de vlr
recebersuas importancias.
CilBPEn^lnliUCAMi
A reunio familiar do corren'e mez ter
Jugar na noite do dia 19.
Cluh Pernambacano, 10 de outubro de
l80i. o empresario,
P. J. Layme._____
Queruhino Bandiro e fedro Janote, subditos
italianos, retiram-se para fra da provincia,
Antonia" Jaciotha de~Jesos, Portugueza, ret
ra-sc para a ilha de S. Miguel.
tra, que ser passada com o prazo de seis me-
zes, nao fflr paga : quem quizer este negocio de
tanta vantagem, pode se dirigir ra do Livra-
mento n. 38, que ahi se dir quem o faz.
Roga se encarecidamente ao Illm. Sr. Dr. A.
B. S., presentemente morador na villa do Pilar da
Paraniba do None, o especial favor de mandar
quanto antes satisfazer na cidade de Souza da mes-
ma provincia pessoa a quem S. S. nao ignora, a
importancia de 1655 proveniente de um cavullo de
sella que S. S. comprou para sua viagem, do con-
trario passar pelo dissabor de ver seu nomo pu-
blicado por extenso neste jornal, e as particulari-
dades que acumpanharam este negocio.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de taberna, de idade 14 16 annos, que d ador
sua conducta : na ra do Rangel n. 1.
Preclsa-se de uma ama para todo o servico :
a tratar na ra de II ras n. 128, sobrado.
O Rozeneo Alves da Suva queira vir a esta
typographia a negorio de seu interesse.
No encenbo Goiabeira, junto pos-oaco de
Santo Amaro de Jaboalo, precisa-se de um feitor
de campo, que tenha pouca familia : a fallar no
dito engenho em qualquer dia, ou na ra da Ira-
peratriz n. 22, segundo andar, aes domingos.
Tem de ir em praca, (inda a audiencia do
juiz de paz do primeiro districto da Boa-Vista,
quarta-feira 12 do corrente, 1 mesa redonda, 1
marqueza, 6 cadeiras, 1 mesa |iequena e 1 caixnha,
tudo penhorado a Jorge Braem.
Dever de gralido
Comprindo o rigoroso dever que me impoe a lei
da gratido, venho agradecer sincera e cordialmen-
te a todos os meus amigos e mais pessoas que pra-
ticaram eomigo o acto piedoso de acompanharem
no dia 8 do corrente ao cemiterio desta cidade os
restos mortaes do ir.eu prezado irmo Joo Alcino
Coelho. Outro sim, nao possj deixar desde j dr
manifestar o meu profundo reconhecimento para
com varias peonas desta cidade, as quaes, bem
que me nao conhecessem, ne.m ao meu fallecido
irmao, tomaram, todava, ura grande interesse du-
rante os seu< sotlrimento", vinlo a'guos ve-lo pes-
soalmente e outros enviaud i portadores informa-
rem-se do seu estado.
Antonio Jos Coelho.
quem aprehnde-los, poder leva-Ios ao engenhe
Velbo do Cabo, onde ser gratificado generosa-
mente. ________
Para pasear a festa.
Aluga-se uma casa no Monte.iro, com commodos
para familia, ao p doSr. Jo- Rodrigues do Passo,
sem que o inquilino precise gastar cousa alguma :
na botica da ra do Cabug n. II.
E ^ominado
Engomma-se e tambem se lava por preco cora-
modo : na ra dos Pires n. 47._________
Precisa-se de uma ama forra ou captiva, que
saiba engominar e cosniar para duas pessoas :
no beco das Barreiras o. 14.
i
0 Ihosotreko da contraria acadmica
de Nossa Senliora do Bom Conselho, enilio-
ra tenha jiago pontualmente todas as des-
bezas por ella feilas duranti o anuo de I8CK
1861, epor isso considere que ella nada
deve a ijueinqucr i| ie seja, todava tendo
de prestar brevemente suas contas nova
esa administrativa da mesma contraria,
desojando que nao se possam oppr com
mdamento dnvidas finuras, convida a qual-
qaer individuo que por ventura anda se
julgar credr, para que se sirva de compa-
recer al o dia 14 do corrente. a ruada
Autora n. com a sua conta repulir,
corto de que sendo reconhecida a proce-
dencia da despeza ser immediatamente sa-
tisfeita. Recife, 0 deoulubro de 1864.
Vende se caives .iz;oh rtariM
a 1$7M
LUSO BR1SILEIR0
tai; i itfs
POR < IM II.IMfc
Acabara de i-hegar estes ja ifu> mli^iji^
1
O preto Rufino, escravo de Thee lora Ma-
ra da Conceicao, dcixou de servir a Jj- de Mo-
raes Gomes Ferreira desde o da 15 de setembro
prximo oassadn.
O abaixo assignado, propiietario e morador
na villa do Bonito, faz scienle ao re-peitavel publi-
co que lodosos seus bensseacham iivres e desem-
barazados de hypotheca.
Antonio Jos Bitelhn.
Precisa-se de uoi forueiro e um amassador
que saiham bem desempenhar os seus lugares :
na ra larga do Rosario n. 16. padaria.
Arrenda se o engenho Cachoeira d'Antas,
fregnezia d'Agua Preta, perlo da estacao de Una
meia legos, boas Ierras de prailucgao, me de ani-
maes e da de agua porque esl bem principiado,
roda levada, ravoco e o mais; quem pretender,
dirija-se ao engenho Cituama, a tratar com Joa-
quim Justino de Almeida ; tambem arrenda-se o
engenho Catuama, tertho do Bonito, dista da estacao
uraa legoi, me deanimaes: quem pretender di-
rija-se ao raesmo Joaquim Justino de Almeida.
Ptfcea 2m0.
vendem-se na roa da Madre de Dos ns. 5 e 9,
saceos grandes com milhonnvo.______________
O subdito francoz A. B- Blandin vai s pro-
vincias do norte do Imperio.
Na ra da Palma u. 41, laiiiirn, deseja se
fallar com o Sr. Francisco Pereira Res, a falla
de camparecimento do mesmo obrigar ao anuun-
ciante a declarar o negocio.
O abaixo assignado regosijando-se muito de ver
o augmento da odilicacao do bairro de S. Jos, c
tendo ainda uma porciiu de terrenos, parte aterra-
dos e parle beneficiados, e nao o- podendo edifi-
car todos, e nem deseja privar a todos aquel les
cidados do bom gosto, e edificadores, lera resol-
vido dispor da parta dos terrenos que lhe sobra-
rain d sua editicacao, e por precos que muito bao
de desafiar os pretendentes, que "se podero diri-
gir ra Larga do Rosario n.jl6, queacharao cora
quem tratar.
_____________Manoel Antonio de Jess.
Pngida
Desappareceu desde o mez passado, a escrava
creoula Joaquina, cor preta, alta, magra, pea gran-
des c apalhetados, com algumas pintas brancas na
cabeca, cosMma andar de timao ou chales noute,
De novo sao convidados os irmaos da irman-
dade da Senhora Sant'Anna, erada na igreja da
Santa Cruz, para comparecerem domingo 16 do
crrente mez, as 9 horas da manha, para tratar-
se da eleiro que tem de reger o auno de 1804
1865.Francolino Kleuterio Ferreira Chaves.
Precisa-se do um preto cozinheirq e que seja
capiivo : na (iraca de Pedro II n. 26.
.1 IfJ
(l
Vendo no Diario i\t Pernambuco de 5 do correo-
te n. 228 ura nos abaixo assignados por partes de
diversas pessoas a favor dos Sis. Rabello & Branco,
cm cujo documento vem po*lo meu nome em ul-
timo lugar, sera que en o livesse assignado. nem
tao poucoautorisado ninguetn para fazc-lo, apres-
so-mc em declarar ao respeitavcl publico que a as-
signatura que alli se encentra de meu nome fal-
sa. Recife 10 do outubro de 1864.
Antonio Moreira Porto.
H tel de Franca
Francisco Antonio Nery, ex-pensionista de pin-
tura histrica do governo imperial, cm Roma, tem
a honra de declarar aorespeitavel publico desta ci-
dade, que se dispoe a leccionar ao desenlio hist-
rico era collegios, e tambem em casas particulares,
e que para eas lim poder ser procurado das 10
horas da manhaa s 2 da tarde
Alugam-se o 2o e 3o andares da casa da ra
inculca-se de forra, e por este modo aluga-se come da Cadeia n. 4
ama em casas particulares para engommar ; tem ,, '----------------------,,..
sido encontrada a noute na rna do Hospicio e i.. Aluga-se um sitio no lugar do Remedio n.
L'oio, e ltimamente consta ana est servindo ', defroole da tenga, cora grande casa e cocheira:
casa no bairro do Recife : a lralar na rua da Ladcia n- 4- armazem.
como ama, era uma
quem apprehende-la ou der noticia no palacete
do visconde da Boa-Vista, rna da Aurora ser ge-
nerosamente recompensado.
PHAROL DO COMMcRCIO
MODERNO ARMAZEM DE MOLHADOS.
73 -Ra do Rangel73
Castro Lima
Acha-se aberto concurrencia do publico desta
heroica provincia um espacoso armazem de no-
Miados, sob a denominacac doPharol do Com-
raercio. Pharol, esta palavra, secundo alguns ety-
raologistas, vera do cltico phoven, navegar, c se-
cundo outros, de Phares, nome da ilha, na qual
foi construido o mais notavel pharol da antigui
dade.
O pharol um signal nocturno de-tinado a ad-
venir ao navegante a approxlmacao di porto,
pois o pharol affasta os nautas dos escolhos
Elleu Skeltou, subdito inglez e suas tres fi-
ihas menores vao Europa.
Precisa-se de um caixeiro, prefere-se destes
ebegados de pouco : a tratar na ra da Roda n.
48, taberna.
Precisa-se de um feitor que seja bom jirdi
neiro : a tratar com Augusto Frederieo de Olivei-
nos prazos estipulados no contrato. .... .i..
Art. 3. Concluidas as obras seraoos trilhos com I ***' "" ""' "
os objectos cima indicados eatregues eompanbia, O Livro do Povo, obra ornada mn el
que desde logo entrar na posse e admini>lraco contendo a vida de Nosso Senhor Je da empreza, e gozar dos privilegios, isences e muitos artigos nteis. E-te livro das faimha*. N>
vantagens que foram coucedidas aos emprezarios, commendadoe approvado pelo* Eim*. Sr-. D. Lat^
salvas as disposicoes aqui declaradas, sem que de'. bispo do Maranhao, e i). Manoel. arrei**p da le-
parte parte possa dar-se reclamadlo, ou possam '. j* ; vende-se a 14 cartonado: na livraria de Jos
os emprezarios exigir mais do que a referida quan Nogoeira de Scuza, rna do Cfspo n. 1_______
lia de trezentos conto<. ___ r^^--------------*
Art. 4." Os emprezarios se obrigam solidara- M.%If
mente ao cumprimenlo do que tica declarado, do Vende-se um piano em muito hoin e-tarfo mr
que se lavrara aoto aullieiitico preco commodo : na ra da Cruz. n. 12, ;i
Art. o.- Pela assignatura se obrigam os accionis- und"ar.
tas ao que tica declarado e ao pagamento das pres- ----------------
tacocs nos lempos que forem declarados. No caso, n "I Ulitis COill r'das, palrnUs.
porm, de nfio pagamento de qualqner das presta- Moinhos grandes com rodas patenten e atara-
cues em dito tempo, perder o accionista o direilo dos peto fabricante para moer caf r i'.roprw* pY
das prestacoes ou entradas que Iv-uver feito, e ra relinacao por serem de especial qn.ilnla.1r r tto
quando nao realise a primeira. poder ser coagido iodos os tamanhos : vendem-se uniramente o**,.-
judK-ialmente ao pagamento da totalidadc da site da ra da Cadeia loja de ferrageas n. 5t A,
HCCclO.
Art. 6. Nao ser permittida a transferencia de
ac^Oi-s, ou dos recibos provisorios, antes de esta-
rein integralmente pagas, salva a respotHabilidade
do accionista, ou conscnlimenlo dos emprezarios.
Art. 7. Logo que tsliverem tomadas as accoes. n. 47, esquina que volla_para a Wmtn de Peo?
sero os estatnios suhmellidos approvacao dos f
accionistas para que seja logo enrorporada "a com-, ,ia _.:.
panhia, sera que todava por este tacto tenha ella'
de Bastos.
Oh f que pechlaeha f
Chitas franeezas escoras a 300 rs. o eo*a>>: aa
loja de Pinto 4 Flores na ra da-Cadeia dr, Recito
Petassa da RiiMtia.
superior desembarrada laMM 7>-
iHi.vira i.
Venda.
->
Art. 8." Aos emprezarios se reserva o direito de
reeeber da thesourana provincia! a quantia de de-
zoito contos de ris, que Ibes tem de ser papa em
quatro prestacoes para indeinnisacn do adiam-
ntenlo que teem de fazer para desapropriacoes, se-
gundo o que est estipulado no contrato.
Art. 9. Os emprezarios tomam por sua conta e
risco cem contos de ris em accoes, ser um
delles director nato em quanlo forem accionistas,
e terao p issagem gratuita em qualquer dos carros
da companhia.
Art. 10. Fica entendido que asdespezas at ago-
ra feitas, e as que se houverem de tazer para en-
corporaco da companhia, registros, etc., serio por
conta dos emprezarios, por modo que a companhia
entre no gozo e posse da empreza para ser explo-
rada por sua conta e vantagem, mediante o capital
declarado.
Art. 11. Nao se faz o calculo dos lucros prova-
veis e das vanlagens da companhia, porque esta
apreciaco est ao alcance de todos, e nao dese-
jam os emprezarios fazer nutrir esperanzas que
parecam exageradas, posto que cllectvamenle o
nao sejam.
Bardo do Livramrnto.
Jos Bernardo Calido Alcoforado.
Antonio Luiz d-s Santos.
-------------------^
Vende-se a taberna da ru da Itoperatriz a. 70.
tendo s armaco e powoa itener.nj,; e>ta [.ropria
para principiante e para quarfer n-p rto: i
caas tem commodas e o lugar <-m> icelb^r.-j : a
tratar na mesma. *^
Vende-se nma. lahann a i-ti-unga B
(iropria para qnalquer principiante : qu-m a pre-
tender, pode dirigir-.-e a mesma. que achara rom
quem tratar : ton commodos para familia, e a
esquinada ra das IVrnamhuranas.
Vende-se uma taberna na ra Direita do
Afogados com poucos fondos, boa rara quera q-.ii-
zer principiar, e tem minios eaMMMM para fa-
milia : quem a quizer comprar, dinja-sr mrsma
ra. padaria n. (id, que vista do comprador s*
far todo o negocio.
Vende-se a bem conhecida l>j* de f arcad i
da ra do Crespo, pertcncente Jos Marques 4os
Santos Aginar : a tratar ua ra da Cadeia do Re-
cife n. 4.
Aviso,
A abaixo ass?nada declara ao respeilavel pu-
blico que tend) uma casa sita na ra de Santa
Rita n. 47, niuguera faca contrato cora o Sr.
Jorge de Lima.
Caetana Coelho.
Ainda est para alugar-se a boa casa
terrea n. 39 ra da Unio. I
Aluga-se uma escrava para todo servico de
casa e tambem faz as compras : na ra do Im-
perador n. 50, terceiro andar.________________
Offerece-se uma prtt com hahilitaces ne-
Voceas
Na Piranga, defronle do sitio do Sr. Miltoi. m-
dem-se tres vareas, um garrote e tm aexerros.
cojos bezerros ifta de rafa tourina, sendo nm ma-
cho e outro femea.
'aradesear rartjjSS.
Na padaria da ra DireOa n 84, vende-ee na
excellenle motor para cavallo, que M pude apali-
car com grande vantagem para marhinas de drs-
car.icar algodo, para tarinha de maadmea, en
qualquer outro mister, lendo a vantagem de ser o
mais simples possivel.
Vndese urna taberna no Forte S Mal,
bastante afreguezada, tanto i.ara o mato romo para
a trra : a tralar no largo da ribeira de S. Jm
numero 23v
Vende-se a casa terrea da ra do PMRNBM
n. 21 (no Caminho Novo) tem um porta ao lado
ra, no seu sillo em Ponte de Ucha, ou em seu es- rador, armazem n. 46.
criptorio, praca do Corpo Sanio n. 17.
Alugam-se baratas urnas mei-aguas na en-
trada do portes (travessa das Barreira) bairro
da Boa-Vista : a tratar na ru dj Cotovello n. 25.
Nos abaixo assiunados declaramos que tendo
dissolvido amigavelmente a sociedade que tinha-
mos na offlciaa d ferreiro, sita na ra do Brum
n. 58, sobre a firma de Brando do cargo do socio Joaquim da Costa Braodo lo-
e i do o activo e passivo da mesma sociedade, e Bento
e os! "onteiro Figueira desonerado de toda a responsa-
2ff*jsasasa!aaB5tsKssi!S?5Was5a*^
rende lid.. jNt>>. e rea-
tado 18 buhos em servidos desta ordem, d se fia-
dor doeo conducta : a tratar na ra do linpe
coadtu a porto seguro, esle estabelecimento pode- i 5dldo e pago de todas as suas contas. Recife ti
-, mAmmmUm^m .... a-------------a., .ul i de outubro de 1864.
r advertir os inc-utos das garras dos abutres qoe
com pomposas taboletas eslo ahi abertos a qual-
quer canto.
Oque os proprietarios do Pharol desejam indi-
car todas as pessoas que os honrar com saas vi-
sitas a este e3labelecimen(o, que em nenhuma
outra qualquer parlo encontraro melhores o tao
baratos gneros tendentes a molhados.
Cheguem, pois, os freguezes, ao pharol, que a
radiante luz da verdade os esclarecer.
No dia sexta-feira 14 do corrente, as II ho-
ras, se vender em leitao publico, no armazem do: na ra dasBarreiras n. 1, tem commodos para
agente Ensebio, duas rasas terreas de ns. 262 e j grande familia, o sitio nem plantado de arvoredos,
264 sitas na ra Imperial, do lado da sombra, tanque coberto para baabe, bomba da Jany, es-
tem 2 portas. 2 salas c 2 quartos, alera de um tr- Iribaria etc., e mml > perlo da (iraca, proprio para
reno fra cada uma casa, e tambem reu le I0 quem deseja estar em sitio pert da pra^a no tera-
por mez, em chao propno, e sero entregues polo | po calmoso, qualquer cstrangero ou nacional que
maior proco, para pagamento de hypotheca :. sao .tenha gosto epretenda : a tratar na mesma casa
convidados os prctendentes ao previo exaras. I cima com seu pr jprietaro.
Monte. Fio Popular PernanH'iirano.
De ordem di directora convido aos senhores so-
cios que se acliam era dia comparecerem uo do-
mingo 16 do corrente, na sala das se-.- -s, as 10
horas da iiiaoha, alus de reumrem a assembla
geral para se proceder a eleicao do novo conselho
que lera de dirigir os trabalhos no exercicio de
64 65.
Secretaria do Monle Pi Popular Pernambucano
11 de outubro de 1864.
Bernardo Falcao de Souza
1 secretario._________
Os administradores da tnassa fallida do Sr.
Joaquim Jos Sitveira. tendo de proceder o divi-
dendo do diubeiro existente etn caixa, precisara
que os respectivos credores apresentem seos tltu-
_ Precisa-se alusar dous pretos para carregar |0s para que Rejan considerados e verificados, ua
pao e fazer servico de casa : na padaria em Santo r(ia do Trapiche n. 34, das 10 horas da manha s
Amaro, atraz da fundlcao do Sr. Slarr._________ 2 da tarde ; e nao sendo possivel que se espere, n-
Precisa-se alugar urna pVeU que seja boa en-i definidamente pela apresentacao desses titulas,
gommadeira e cozmhera : na ra da Palma n. aquelles que se nao prestaren a este convite den-
41, taberna. !lro & Praso de 10 dias, a ccotar desta data, nao
-1_______' ---------------------------------------: sero comprehendidos no dividendo. Recife 8 de
Arrenda-se uma casa terrea com sino, sila ontuhro de 1864.
Joaquim da Costa Brandao.
Benlo Montein Figueira.
- Offerere-se para caixeiro de taberna um ra-
paz portugnez, o qual tem multa pratica e loma
por balanei, do que d fiador a sua conducta : na
rna da Palma n. 41. taberna.
Precisase de umi pessoa entendida no tra-
fico de padaria, na ra do Rangel n. 7, e bem as
sim de um menino de 14 anuos.
co pequeas raei aguas,
de-se barato por seu proprietarlo Irr de rctirar-sr
para fra da provincia : a lralar na roa da Qaei-
raado ti 77^_____________________________
Vende-se a rasa terrea 23 da rna da E-pe-
ranca. construida moderna, com trrs janHlas d
frente e porto ao lado, quinial todo morado, ca-
rimba pmpria : quem a pretender dirija-se pra-
ca da Boa-Vista n. 4.__________________
Vndese o na laneras cita na ruada Se-
zalla Nova n. 2 : tratar na nx-sma.___________
Vende-se uma muala de 20 annos de idadV.
sondo perleila engommaikira. costarvira e eczinV.i
bem, com uma cria de 4 amos, muito linda : aa
ra das Larangeiras n. 18, segundo andas.
Vende-se sebo da Vvrto em raisis de mna
arroba, a preco barato : na rna de Atmla m. tO.
Ven lem-se tabeas que serriram em raixe>
ou depsitos de armazem de assncar, a tem** rn-
cham*. por preco barato : na rna de Apullo m
mero 20._______________________________
Vene-so mil cano de pa>i'.> rn mmli'
Iwii estado e com coiumoilos s.lielentes para
qualro tiessoas por preco muito i^n onta a la
tar na Cantinea sitio de Pan lo JflS Gomrs._____
- Vende-se, un
iuo S Arema Rta>.
rom ca a tratar no mesmo rom Mignrl de Matlo> da Silva
Paul'v, on na rna Oireita n. 8. _________
r unte do Para
- i Chegou rna Nova n. 61, defrunle da Illma. r > -
'mar municipal : vendo-so por proco barali-sinu



1

Diario de reraamtmeo guara letra 18 de Outubro e 184.
COWSELHO
DE
Deixai qneos Hunos d.i civiiisa^ao vos. prcguem
economapara os ps 11 Esta parle do corpo
humano porcerto aquella que, neste clima, ne-
cessita de maiur agasalho: pela liumidade iius pe
se introduz a granda maioria das molestias, e com
estas a perda da saude e da vida I! I Fra com as
bolinas e sapatos velhos ; reforma-Ios a
45-Rua Direita-45
Borzeguins francczes para homom 54000
Ditos inglezes dem a 75 e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapatoes esmaga cobra
Ditos de Nantes de duas solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de borracha para senhoras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete para homens e
nhoras a 800 e i000
Sapatos de lustre para senhora a IJOOO
Ditos para casa 500
Chinelas rasas do Porto 1#600
5000
aoo
ooo
54000
35000
LOJA 1)0 BEIJA FLOR.
Rua do Queimado ns. 63 % 69.
Uonecas de choro.
Lindas Lonetas de choro que chamam papai e
mami, de diversos lmannos: s as lujas dubei-
ja-llr, ra do Queimado ns. 03 o C9.
Luvas de pellica.
Lavas de pellica branca e de cores para homens
e senhoras : as lujas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 09.
Fuellas para cintos.
Lindas flvellas douradas com lindas pedras para
cintos : as lojas do beija-flor. ra do Queimado
ns. G3 e 69.
Capillas para noivas.
Lindas capellas para noivas 2^300 cada urna :
45000 nas loJas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e
1 400 I e 69-
1,^000 j Estojos para barba.
Vende-se estofas com espelbo para barba 14500
e 24000 cada um : nas lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios para meninas.
Recebeu-se novo sortimenio de balaios, com
forma de varios pasparas, pelo barato preco de
15000 ate i cada um : nas lujas do beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas Anas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cures para
' cintos : nas lujas do beija-flor, ra do Queimado
. l n. 63 e 69.
Vende-se na praca Independencia n. 39 bja Extractos m camnlias.
cumbas no cemiterio publico no da de finados,: Uueimad0 s- ew.
com as esenpeoes seguintes: meu esposo, minha 1 sanao em camuas.
esposa, meu pai, minha mal, neu fllho, minha fi-! "BM saboes em caixmhas com vanos retratos:
Iha, saudades sempre vivas, amisade, urna lagn- nas lojas dobeijatlor.rua do Queimadu ns. 63e 69.
VNDESE
alcalrQ do gaz pelo prego da fabrica :
arma/em da bola amarella no oilao da
erelarla da polica. ______________
no
se-
se-
ma ; desta qualidade nunca
vendidas tiesta provincia.
vieram para serem
B[digestivas^
iill
DE^^Vy^SMAN
As pastiihas digestivas com a pepsina de Wat-
man, empregiio se com successo ha ja alguna
annos pelas celebridades medicaes de Pars,
Londres, Vienna, etc., em todas as incommod-
datles em as quaes a digestao diflicl-, penosa,
imperfecta ou mesmo impossivcl: eis o melhor
remedio para curl as
GMttotftlM-
I)i|X-|ir>ll>n.
EuibararoN a.tilios
A lrlli'.
Au mttertae* orAnl-
rn 1I0 rnldniKO.
Em todas as molestias empregao-se a miudc as
as alcalinas, especialmente a agua de Vichy,
Dlnrrhcas c a oihH-
purlio iiruilny illa
licliii elHliorafcg
dcferluognM do nll-
uicntOM.
Extraordinaria liquidaco de tazmas para a fcsla
por baralissimo prreo, tanto para o malo como
para a praca, na loja brm conhecida do Arara,
roa da Imptratriz n. 50 de Lourenro P. H. Gui-
mares.
Ao baraleiro da Arara a 4<$i00.
Vende-se cortes de chitas com 10 corados a
25100, ditas franceza a 34200, ditos de cassa a
24, dita de salpicos a 24400, 34 e 44 o corte, para
apurar dinheiro : na ra da loiperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cortes de la a Mara Pia a 86, e 180.
Vende-se corles de laa com barra, os propria-
mente a Mara Pia a 84, e 164 : na ra da Impe-
triz, loja da Arara n. 56.
A Arara vende alpaca para vestidos de senbora a
360 rs.
Vende-se alpacas de lindas coces lisas para ves-
tidos de senhora a 360 e 400 rs. o cuvado, laazi-
nhas para vestidos de senhora a 240, 320 400, 500
e 600 rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Las lizas de cAres a 600 rs.
Vendem-se laazinnas lisas de cores, a saber:
rosa, encarnada, rr de lirio, c6r de caf e 1 r de
cinza, para capas e vestidos de senhora a 600 rs. o
covado, ditas de flores a 240, 20,400,500 c 560rs.:
na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Colchas da Arara de l& a \
Vende-se colchas de chita para cama a 24, ditas
de damasco a 44, ditas para coberlas a 320, 360
na ra da Imperatriz n. 56.
aguas
e igualmente as paslilhas de Vichy. Esse meio s
efucaz quando se trate de dispepsias de curta du-
raco. mas o prolongado uso das aguas e paslilhas
de Vichy, tcm grandes inconvenientes, por quanlo
os alcalinos empobrecem o sanguc e isso de tal
maneira que lhes arrcblhao a parle vivificante,
nutritiva c reparatriz. Com a pepsina, a contrario,
como ella una substancia orgnica, albuminosa,
transforma-sc ao inesmo lempo que se cflectua a
transformaco dos alimentos assimilhando-se
como elles c ajudo lahcm como ellcs a nutricao
geral. Sua accao vivifica o sangue c os rg.ios
de lal sorle que, alh as pessoas que sem soffrer as
alTcccoes gstricas cima mencionadas sao nica-
mente fracas ou d'um temperamento um pouco
dbil, c necessitao substancial alimento para for-
tificar se, achao no em prego das pastiihas pep-
sina de Wasman, um poderoso meio para a isso
cliegar.
Aviso importante. 0 successo das pastiihas
pepsina de Wasman diu causa a se fazerem fal-
silica<,cs c imitaces d'essc producto que os
mulos se querem desfazer. Pois por falta d'uma
boa preparacSo a pepsina que n'ella entra, jaz
alterada. Seremos ao abrigo d'cstc nconvemcnlc,
exigendo os compradores que as paslilhas lenhao
as iniciaes B. P. e saio da pharmaeiaChevrier.
Ilepsitogcralein l'ajj^ bitfriiaeki-GheVrier,
"21, Fauhourg-Montmartre, e em todas as boas
jiliarmacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
GRANULOS e XAROPI
D'HYDROCOTYLE ASITICA
de J.LEPINE
f\
Resulta pelas experiencias fcilas nas Indias e em
Franca pelos niais afamados mdicos que as GRANU-
LAS e o \ viKiri. de iivnRocoTYLA asitica de
. J. riM. sao o ptimo remedio contra todas as espe-
cies de imi'igi N> 011 HF.ltl'ES c outras molestias da
pplle, at as mais inveteradas, assi.n como a LEPRA
ou mu: 111 \ a sirmi.is. ns molestias i -um
it i.a-\s. os Rin OH A riscos chronicos. etc.
Deposito geral em Purl, em rasa de FOURNIER 8
LABLONVE, rua loitrlon-Vitlencuve, 19.
Deposito eral em Pernambucw rua da
Cruz n. 22 ern casa de Caros & Rarhn?a.
- Miicliiiiiis de vapor e pa-
la descarocar algodrto.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido,
doe de cobre,
Rodas d'atfua, dentadas,
de carrosa com mangas e
eixos de patente.
Rua do Brum n. 38, fundi-
Oaodo Bowman.^
RIVAL SEM SEGUNDA
Rua do Queimado n. W, esta vendeudo muiu
boas fazendas e muito baratas, quem quizerpodera
vir ver ou mandar para experimentar, assim como
sejam :
Gollmtias muito linas para senhora a 500 rs.
Ditas e punhos de fustao muito bonitas a 640.
Cartas de allinete de cabeca chata de lodos os ta-
maitos a 80 rs.
BiTiMHl de papel de peso muito bom a -'.
Capachos redondos e cumpridos a 500 rs.
Canas com superiores obrejas de colla e de massa
a 40 rs.
tordo branco grosss que tem muita applicacao a
vara a 20 rs.
Linhas de carriteis garante-se i50 jardas a 40 rs
Cartes de linha Pedro V com 200 jardas a 40 rs
Grnsas de pennas de ajo muito finas a 500 rs.
Varas de irania de laa para vestido a 40 rs,
Ditas de franja branca larga para tualhas a 160 rs.
Pares de botes de punto a 120,320 e 500 rs.
TWemis ile vidro com tinta a 16u rs.
Ditos,de barro com superior tinta a 100 rs.
Grasas' de bntoes de louga prateados a 160 e a du-
zia 20 rs.
Tesouras para costura a 80. 200, 400 e 500 rs.
Kseovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Libra la para bordar da melhor qualidade a
64300.
Caisas de phosphoros de segnranca a 160.
Canas e pacato de papel amizade superior a 600
ris.
Cateas eom 100 envelopes moito finos a 800 rs.
ynad.Tiios do papel pvqnenn azulado a 20 rs.
Carrlipls de linha Alexandre com 200 jardas a
100 rs.
Baralhns para vnltarctea 240e mais tinosa 300rs.
Meiadasde linha frouxa i-ara bordar a 20 rs.
<* Pares de sapatos de tranca de todos os lmannos
a 14500.
Gro** de botSes de madreperola muito finos a 560
ris.
Canas ocaixas de rolchetes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Mas>s de grampns superiores e limpos a 30 rs.
Gnnaa de palitos de gaz a 24200.
Libras de areia preta da melhor qualidade a la1
ris. ,
Caixas redondas para rap e tem muito bonitos c>
lungas a 100 rs.
Tiras bordadas.
Vendem-se liras bordadas transparentes e tapa-
das : nas lojas do beija-flor, rua do Queimado ns.
63 e 69.
Jogos de domin.
Vendem-se jogos de domin 15200 e 14300:
nas lojas do beija-flor, rua do Queimado ns. 63
c 69.
Hallados bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e varios precos : nas lojas do beija-flor, rua do
i Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
j 800 rs. cada um : nas lojas do beija flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Adcrccos pi dos.
Tendo-se recebido aderecos pretos de novo g9s-
j to sao expostos venda : nas lojas do beja-flor,
rua do Queimado ns. 03 e 69.
Grvalas para senhoras.
i Lindas grvalas para senhora 800 rs. e 14000
15200 : nas lojas do beija-flor, rua do Queimado
! ns. 63 e 69.
Espelbos de moldura.
Vendem-se espelhos de moldura prcla para sa-
las : nas lujas do beija-flor, rua do Queimado ns.
' 63 e 69.
Inlias de aljofares.
Lindas vollinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhanles 15000 cada urna : nas
l?s do beija-flor, rua du Queimado ns. 63 e 69.
Colberes para sepa
Vendem-se colheres de melal-prinripe para sopa
25000 cada urna : nas lojas do beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende se laa para bordar, a melhor que se pode
encontrar, tanto na qualidade, como nas cores,
65400 a libra : nas lojas do beija-flor, rua do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Nas mesmas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
que em outra qnalquer parle.
Albuns superiores para re-
tratos.
A Apuia faanca sempre disposla bem servir
agradar a sua boa freguezia, maudou vir e acaba
de receber um bello sortimento de albuns de supe-
' rior eneadernacao e apurado posto, com especiall-
dade os lo capa de marQm com lavores, outros
guarnecidos de tartaruga eom trancas de praia,
outros marchelados du madreperola cum trancas
de prata uourada, outros de velludo etc. etc. Para
quem tem posto o dinheiro, um lbum assim per-
feito sem duvida o mais apiopriado para Helle
se depositar os retratos de charos pas, bons pa-
reutese amigos. Em quanlo, porm, esses albuns
: se lornam nutaveis por sua perfeicAo e bom gosto,
. ouiros recebidos na mesma occasio, se lornam re-
; eommendados pela commodidade de precos vi.-ta
da boa obra. Assim pois o pretendenle pera ser-
1 vido conforme o dinheiro que qnizer dispdr para
esse llm, adiando sortimento para 24, 50, 60 e 80
retratos : ua rua do Queimado, loja d'Aguia Bran-
ca n. 8.
tarteiras bolsas para
viaqem.
Na loja d'Agnia Branca, rua do Queimado n. 8,
vendem-se carteiras cum correias para traze-las a
tiracolo, e bolsas d tapete, ludo para viagens.
Perfumaras inglezas.
A Aguia Branca, conhecendo a bem merecida
estima que os apreciadores do bom dao s perfu-
C0a~, marta inglezas, por isso mandou vir o esplendido
sortimento que acaba de reponer, e os acreditados
nomesdosb-m conheeidos fabricantes J. Gosnell
& C, Napuleio Pricp & C. sao bastantes para co-
nhecer-se a superioridade dellas. Consiste esse
bello e variado surtimento em pequeas quantida-
des de differentes e agradavets extractos de pri-
meira qualidade em frascos do diversos tamanhos
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que
vem em una carteira de tres, com os quaes por
sua elegancia e bunriade se faz um bello presente ;
assim como outros frascos com finas essencias con-
centradas, outros com exeellentes leos para ca-
bellos, e outros finalmente com agua de Laiauder
sublimada ; e bem assim finos sabeneles em paco-
tes e camuas com tres, bonitas e delicadas al-
mofadinhas com paslilhas em |i, as quaes dcitan-
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s
deixam toda a roupa cheirosa, pomo afugentam
baratas, trabas, etc., etc. Em quanto, porm, a
commodidade dos precos j nao entra em duvida.
urna vez que o pretndeme rompareca munido de
dinheiro e di-po-to a fazer gasto na loja d'Aguia
Id anea, rua do Queimado n. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Exeellentes brinqijedos para enancas : vendem-
se a 500 rs. cada urna : na rua do Queimado, loja
d'Aguia Branca n. 8.
Fspelhos Cdm molduras pretas
e do ara das
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
ceben um bom sortimento de espelhos de difieren-
tes tamanhos com molduras pretas e douradas, e
os est vendendo por precos commodos.
Papel ingle*.
A Agnia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
ceheu um novo sortimento de papel inglez liso e
paulado, almaco, de peso, e pequeo, vindo deste
lambemcom heira* douradas.
Enfeitesinvisiveis
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, rece-
heii novo enfeites invisiveis, os quaes pela finura
do tecidn e bom gosto tem merecido tanta estima
Preparos para flores.
A Agnia Branca, na rua d" Queimado n. 8, re-
ceben novos preparos para flores, sendo papel de
Cures |iara rosas, dito verde para folhas, folhas de
panno e velludo, caixas de trigo, ditas de uvas
brancas e rxas, e como sempre continan) a ser
vendidos por precos commodos.
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
.3>
Af\TC
i.
DE
A t tendi
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto, afim de annunciar ao respeitavel publi-
co o grande sortimento de galanteras do melhor
gosto propriamente para qualquer mimo, que aca-
ba de chegar nesle ultimo paquete, assim como
muitos outros objeclos que recebe por diversos na-
vios, lano de sua conta como de consignacao que
est resolvldo a vender por precos muito baratos
Paulo Ferreira da Silva & Compan/iia
57 RUA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
5 a 10 por cento menos odreeO que sepnaan po uij Ira jNal-
qner parle.
Gneros especialmente escomidos por um dos socios que na tur<>pa se acba
para esse flm.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabeleci-
mento.
Os propietarios garanten todos os gneros saludos do seu j muito acreditado
armazem.
AO PUBliICO*
Nao nos servimos de exordios
para vender muito e ganhar pouco, e dar extracao
o craudc deposito que tem, que espera merecer a
protejo do respeitavel publico empregando para' ^ao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo .-m annnn-
isso touas e as meihores diligencias para que fi- cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tambem
quem satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, rua do estamos certos nenhuma atienco j merecem do publico. Onossnfim, pois, simples-
Crespon. /.
Ricos porta-juias.
Cofre de muito gosto por
e M'O rs.
A Arara vende cortes de calcas a 1 600.
Vende-se cortes de calca de brim a l*)ttB$*itobu transparentes forradas de ma-
ditos de casemira a 3& '45500, e 55 : na rua da drenerota por
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Konpa feita da Arara
Vende-se palitots de casemira decores a 55, 65,
85 105 e 125, ditos de panno prelo a 85, 105010,
125 e 145, ditos de alpaka a 35 e 45, ditos de
brim de cores a 25500,35 e 35500, ditos de brim
branco a 35 e 55i calcas, coletes brancos, seroulas
francezas a 15600 e 25, ditas a 15280, camisas
francezas a 15, ditas de hnho ingle?as, pregas lar-
gas, a 35 : na rua da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A economa, a saber: colarinbos eeonemicos a 600
ris.
Vende-se colarinOos econmicos a 600 rs. a dn-
zia, meias ciuaspara humen a 200. 240,360 e 500
rs o par, ditas para senhora a 320, 400 e 500 rs.,
Lindas jardineiras.
Bicos cofres com camapheu.
Lindas eaixinhas com pedras brancas.
Lindo balao com calungas dentro, tam-
bem para joias. 165000
Tambalier para dilas. 95000
Cestinhas ditas. C5000
Cosmoratna ditas. 65000
rnazinhas. 65000
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-
cos ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos sin (os
com bolcinhas ao lado, a 105, 125 e 155, ditos sem
bolea purm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
45000.
Bicas fivellas avulsaspara sinto, o melhor que se
o par;
mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na talwlla dos pre-
165000 0S 1"e Passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a altenco.
Vinho verde.
185000
105000
105000
IO50OO
Cbegou o muito desejado vinho do Carlaxo vende-se nicamente nesle armazem
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Amendoas confeitadas do diversas cores a
64o rs. a libra.
lencos brancos com barra a 200 rs. cada um, ditos pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35
tlno's a 320, ditos de hnho a 500, 600 rs. carta um,' s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
s na loja da Arara, rua da Imperatriz n. 56. Cabazes ou ceslinbas.
AO baraleiro. > At quechegaram as desejadas cestinhas ou ca-
No armazem da Arara vende-se castas a 240, bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
280 e 320 o covado, chitas finas a 240, 280, 400 e | po-sivel a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
500 rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 56. | Vigilante, rua do Crespo n. 7.
As percalas da Arara a 560 rs.
Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas liancezas finas a 320, 360,500, 400
e 500 o covado, alpaca para vestidos de senhora
a 400 rs. o covado, fustao branro a 500 rs. ocova
da ; na rua da Imperatriz n. 56.
A Atara vcHdc musselina branca a 400 rs.
Vende-se musselina branca, lina, a 400 e 500 rs
o covado, pecas de cambraias finas, lisas, a 35,
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregagar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga comen-
feites c sem elle para menina; s no Vigilante, rua
do Crespo n. 7.
Penles
tambem chegaram os nquissimos pentes de concha
1 45, 55, 65 e 75, musselina rambraia da India 85, de tartaruga e de massa fina, que se vende por 25,
e 105 a pega, para vestidos : na rua da Impera- 35 e 55; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
triz 11. 56. Leques.
A Arara vende tiras bordadas para enfeilar vesli-! Btquissimos leques de madreperola tanto para
dos brancos. senhoras como para meninas, pelo barato prego
Vende-se tiras bordadas de todas as larguras a de 125 e 145; s no Vigilante, rua do Crespo
15, 15200 e 15400 a peca, ntremelos finos a 15 a n. 7.
pega : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara. Mais leques
Madapoln da Arara a ii5. com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
a pe-
L i
vez 80 por cento; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
a 75, dilo slcupira a *5, dito pao ferro a
ca : na rua da Imperairiz, loja n. 56.
Bramante de linho de 10 palmos a 3S'0. I Pulseiras.
Vende-sc brami.tede li.bn de 10 palmos w Undas pulseiras de conlas e de missanca, cores
25500 a vara, brim liso a 500,560 e 640 rs. a var; n'' ''ndas 1fiidp n,u" osto a '* e l*200-
na rua da Imperatriz n. 56. 1 t l'ara segurar manguitos.
Panno de liuo da Arara. V Tambem chegaram as liguiuhas estreitinhas de
Vende-se pecas de pimo de linho para |eneesWr-ha me as senboras tanto pr-cisam para se-
e toalhas com 13 1/2 varas por 85500 ; dilas eom furar manguitos por ser mu.lo commodo e muito
27 varas a 165500 e 185 a peca ; na rua da Im- baraio a 320 o par; so no Vigilante, rua do -jres-
peratnz n. 56, pon. 7.
A Arara vende cbailes a 15600 c 35 Canelas
Vende-se chales de merino a 15600. 45500, 65,' Biqolsslmas canelas de madreperola proprias
75lMTmrua da Imperatriz n. 56, loja da paraq..al.,ner presente, pelo baralissimo prego de
I50OU e i$t.
Sapalinbos e meias de seda.
Riqusimos sapalinbos de seda e de merino cn-
feilados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi
nhas e lotiquinhas para as crianciuhas se baptiza
Arara.
Peehineha.
Lencos de seda a lo e 800.
Vende-se lencos de sfitia psia mi, a 800 e 15,
tarlainna para vestidos, de Masas cores a 800rs.
a vara, fil liso ordinario a 320 rs. a vara, dilo fi-
no a 800 a dila : na rua da Im| eratriz n. 56, loja
da Arara.
Fazendas especiaes para senhoras, a saber :
Vende-se golinhas para senboras a 240. 320, 400
500 rs., eamisinba- para dias a 15,25, 35 e 45,
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em eaixinhas com lindas
estampas a l,2oo e i.oo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 l'* libra a 1,100 rs.
Arroz do Maranhao e da India o melhor que
ha nesta genero de 80 a loo rs. a libia,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e 10,000
rs. a duzia.
Vlfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito nova a 2,000 rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,loo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata e 6io rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
meihores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banba de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em gigos de 36 libras a l,ooo rs.
Champagne d;is meihores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, 1,80o rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a 2, "00 rs.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2.6oo rs. a libra.
dem prelo homeoptico a 2,000 rs. a libra.
e ._>'
gravatinhas para ditas a 15 e 15500 : na rua da
Imperatriz n. 56..
Soutembarqtte da Arara a 8)5 e 100.
Vende-se soiitembarques de coi es para sen
a 85. 105 e 125, ditos de grosdenaple pretos finos
a 205,255 e 305, capas preas para ditas a 205,
255 e 305 : s na loja e armazem da Arara, rua
da Imperatriz n. 56.
i\aiaja de fazeti'tas ba-
ratissimus de Duartc
forges da Silva, rua
da I tripera tris n. 20
Vende-se o seuiwie:
PECAS de panno de hnho com 25 varas a 85,
! um p 'neo estreito, mas expeliente para toalhas.
DITO de dito adamascado com 8 palmos de lar-
gura para toalhas de mesa de janlar a 25400 a
vara. ,
CASEM1RAS de duas larguras e de urna so cor
muito boas para roupa de meninos e soutembar-
ques a 35 o covado.
TOALHAS aleochoadas muito boas para enchu-
gar o rosto a 65 duzia ou 500 rs. caita urna.
CAMBRAIA branca fina cim saipicos miudiuhos
a 640 rs, a vara. mjetade do valor.
OLA DOS de bonitos e elegantes desenhos para
cobrir mesas a 15 o covado, para acabar.
LAAZINHAS de padres novos e muito agrada-
veis tamo na boa qualidade como no prego de 320
rs. o covado, e finalmente o respeitavel publico
achara constantemente nesta dita loja um helio e
variado sortimento d-fazendas linas e nmssas a
pregos muito razoaveis, pois est resolvidn ganhar
pouco, eom tanto que venda muito, nao menciono
mais fazendas n<> presente annuncio parque impor-
tara isso n'uma despeza extraordinaria cuja des-
peza reverter sempre em beneficio dos comprado-
res, pedindo ao publico que nao deixe de ler todos
es dias este dilo presente annuncio, pois haver
mudanga nos arligos cima ditos, isto a propor-
go que se forem acabando.
rem; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas vollinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e vollinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as
eruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
i,,e to possivel, a 25. 25500 c35;s no Vigilante,
oras ,, tln f_~.__ ,, 7
Agua Florida.
rua do Crespo 11. 7.
Enlejes para senbora.
Biquissimos en (cites com lago e sem lago e de
outros muitos gosto a 15M5500 e 35 : s no Vi-
gilante, rua do Crespo r7.
Tramjlins.
Lindos trancelins oe cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baralissimo prego de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos ntremelos.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
leiros que se poe vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as quahdadps, propras pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura douraJa|e
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim romo com
ruin ninas de differentes tamanbos a 25,35,45, 'i5
e 65; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lidos jarros e figuras.
Biquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqui
tem apparecido; s ne Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Biquissimos vasos com honeela para pos de arroz,
cousa de muito posto a 15500 e 25. assim como
paples s eom os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
Ceblas a U o cento
A? mrftffon que l^m vindo a este mercado
vende-fe na rua da Madre de Dos os. 5 e 9.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao urna tintura, facto essen- das, a-sim como de lindos copos ou vasos pon dis-
Pial a pontestar, a mesma agua dando a cor prinn- tinetivos e nffereeimentos as sinhasinhas dos me-
tiva ao cabello. Compost de plantas exticas e Ihores e mais afamados autores de Faris elnplaier-
de substancias noffiMN vas, ella tem a propriedade ra, assim como os grandes copos de nanita japoneza
de restituir aos cabellos o principio corante qu. el- a 25 e a 15, assim como outros ohjectos que nao e
les tem perdido. D'uma salubridad* inconlesia- possivel i*r boje annunciar, e vista dos fregu-
vel, a Agua Florida t-ntrete a limitis da rabeen zes se farlodo nupocio; na loja do Gallo Vigilante,
deslroe as caspas e impede i cabellos de cahir na do Crespo n. 7.
Oleo de Florida
* l JO ASMI.
Vende-se a horda d patacho Valfnte : a Iralar
no largo do Corpo Sacio n. 6, segundo andar.
Cnmpnsto de substancias vegete** exticas, elle
conslile poderosamente, com a Ajua Florida, a
forn, a bell za a ponservacao dos cabellos.
E lien. e 21, boulevard Montmartre.
Todos os fraspjis, nao tend) intaeto p elaro, o
timbre praleado da pasa, sao reputados falsos.
1 Deposito, roa 4o Imperador, pharmacia n. 38.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se snperi ir cal de Lisboa a mais nova "ue
ha no merrado tanlo pm porgao como a retalho,
por barato prego afiangando-se aos compradores a
sniierior qualidade : a tratar nas sepuinies ras
Cr**spo n. 7, Impera lor n. 28, Forie do Matto
mazem do Sr, Villa defronte do trapicho do
godo.
Cerveja das meihores marcas a b\,ooo rs. a
duzia, e56o rs. agarrafa.
Chocolate francez, hespanhol es.iisso a 1,000, ^emom potes de vidro a
l,2oo e I,4(io rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da l'ahia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
deliciase suspirosa l,Coo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco,
dem francezas surtidas ou de urna s jua-
lidade cada frasco a ooo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
Lentilhas muito novas excedente legme pa-
ra sopa a 2uo rs. a libra.
Licores franeczes de todas as qualidades
de Too a 9oo rs a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
i,ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista,
dem franceza a -iOo rs. a libra, e em barril
se .it' abatimento.
Marniclada do jirimeiro fabricante de Lisboa
a Coo rs. a libra, ha latas de I, I I 2 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 i 2 libras 3
600 rs. a libra.
Macan o. taiharim ealetria a 4oo rs. a libra,
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o
frasco,
dem ingleza em p a 04o rs. o frasco
Molho inglez em garrainhas com rolhas da
vidro a 04o rs. cada urna.
Marrasquinbo verdadeiro de Zara a 1,000 rs.
agarrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 10o rs a libra.
Ostras preparadas em latas a "00 rs. a lata.
Prezunto para hambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a "00 rs. a libra.
Passas novas de carnada a loo rs. i libra e
0,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide e rodinha
etc. a 3,foors.a caixa, e a50o rs. a libra.
Peixe etn latas hermticamente fechadas das
segundes qualilades: save, corvina, goras
cavallinhas, e pescada a 1,0n a lata.
Palitos para denles lidiados a 14o rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2,loors.
a -'i'nza.
Painiai muito novo |2o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
Queijos Damengos, do ultimo vapor, a ,:"kjo
rs.
dem pialo muito fresco a 800 rs. a libra e
sendo enleiro a 7io rs.
mi r> oda
um.
Sevadinha de Fiama a 18o rs. a libra.
Sevada 3 loo rs. a libra.
Tottcinho de Lisboa a 24o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
l,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Ibem de eseovas
cada tima.
para lavar casa 1 30o rs.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo 5,ooo Velas de espermaecte superiores a 50o rs.
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um.' a libra.
Gaf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra, dem de carnauba refinada e de composi*;o
e 7,5oo a 8,5<>o rs. a arroba. a 36ors. a libra, e de lo,5oo a ll.ooors.
Doce de goiab superiorem latas a 2,ooo rs. a arroba.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas ul- Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
limamenle a G4o rs. a lata. das marcas menos conhecidas a 4oo rs.
dem ceceas a 10o rs. a libra. a garrafa e a 2,800 rs. a caada.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra. dem Figueira especialmente escolhido nesle
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a; lugar a Ooo rs. a garrafa, e 4,5oo rs. a
libra.
Figos em eaixinhas bem enfeiladas a Ooo
rs. cada urna.
caada.
dem Lisboa em ancoras com !) caadas mar-
sera
4,5oo
dem de Lisboa branco uva pura a 50o rs. a
garrafa, c a 4,5oo rs. a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garrafa.
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, I). Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, ve I fio sea, Malvasio
Genuino, Particular a Ooo e 1,2oo rs. a gar-
arafa, e a 10,000 rs. a caixa com orna du-
zia.
is. cauayiiw. ca cs.,eca| a 22,000 rs. a ancora.
Favas pofuiguezas em latas chegadas olti- Mem i%.mil0j (;o|arcs muil0 tnsc0
mmente a b4U rs, composicao a 600 rs. a garrafa,
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-: J ^^
se, rainha Claudia e ginja a Too rs. a lata.
Graixa nova a loo rs. a lata e 1,100 rs. a
duzia.
Gomma muito alva e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqtieiras com 12
frascos a 0,800 rs. e 560 rs. o frasco
dem em botijas a 4oo rs. cada orna. j
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo;
rs. com o garrafao.
dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um. '<
dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a 1,200 rs. a garra-
com rolha de vidro qualidade superior a fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
1 000 rs a garrafa. dem Moscatel a 1,000 rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a l,ono rs. o dem Bordeaux das acreditadas mareas St.
frasco e II,000 a fraquera de 12 frascos. Julien, St. Esteph, chateau la Rose, chatau
Kirsch Wassr excedente bebida suissa a Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
l,8oo rs. a garrafa. I 36o rs. a garrafa.
CERNEJA EJI BARltlIi
a SOO rs. o copo
4|ucijo de nina* chegado no vapor
dem prato malte fresco
dem snlsso snperior
dem londrlno superior.
57 Rua do Imperador 57


Diarlo de Pernambnco Quarta elra lt de Ouiabro de iHtt4.
CL
MM
aoau
III \ llO QU120IADO X. 15.
Passand o becco da Congregarlo segunda
NOVWADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazera de molhados denominado Clanm Commer-
.. ---------- -/., o T.Accn mercado o&
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos raelhores gneros que vem ao nosso mercado o
quaes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencinela; garante-se opom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra.
100 rs. a libra, e 15800, 20000 e 3#0Q0 Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640 rs.
Grande liquidacao.
Una da Imperatriz n. O.
Loja de faieudas do l'avo de Gama & Silva.
Acha-se este estabelecimento completamente
sortido de fazeodas inglezas, francezas, allemaas e
suissas, proprias lano para a praca como para o
matto, prometiendo vender-se mafs barat do <|ue
em oulra qualquer parlo pnncipalmenlc sendo em
porgo, e de todas as fazendas dao-se as amostras,
deixando car penlior, ou mandam-se levar em
casa pelos caixeirosda loja do Pavao.
As chitas do Pavo.
Veudem-se chitas inplezas claras e escuras pelo
barato preco de 240, 260 e 280 rs. o covado, timas
seguras -, ditas francesas de cores seguras a 320,
34t, 360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padres : s na loja do
Pavo.
As lazinhas da exposiro do Pavao.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e : 4U<^
soutembarques por seren lisas e de cores muito lurDiinao oe ureas,
delicadas* 560eoOOrs.; ditas lisas com nm lustre ^ desta bella provincia
que parece seda
quadhnhos de seda
bar na loja o armazem
0 PROPHETA
AO RESPEITAVEL
'KIX0<
a anoba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
15200 e 15600, e em frascos grandes a
2.5D0.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas dem prato.
Cevadinba de Franca muito superior a 220
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilbas portuguezas a 640 rs. a lata.
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
RA DASl CINCO POMAS N. 8*
i: Desejando o proprietarno do grande armazem do Prophela tor tar-
eas ao seu "enio emprehendedorl commcrcial c especulativo, resolveu ceder a inspirc,a
oue o assallou, quando as borai caladas da noile o seu solicito espirito se agitara n'un
tendentes tollas bem seivir e agradar aos generosos li.it,dantes
de abrir mais este grande ektabeleelMCBl* de rovos e
n.i i. ni na fre-
na em \tr~
niara a
imperatnz n. so. ^^ ^ ^^ 2^A fretes, BM T faeiliSde Kvklad"da contacto dos enjertos um-
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido prados. ,. ,_ -* --.. ^
de la, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas q soni10 do Proplieta sera urna ventado prattea USO acceila abracada como w
barras de cor, corpinho e eolb-te separado ; ditos Miavp.s aimnlM e bem intencionadas dos vellios patriarchas desses lempos idos, si o 8e-
com listas de seda e tambem com barras e eufei- i.w'<"jj0 ___:__ .,,,..,,.;,,.
K)rs.: ditas lisas comnm lustre'desta bella provincia, oeauu mo 0f.- .- -
640 rs. o covado, ditas com I escolhidos gneros, quasi que especialmente desuados as pessoas que moral
a 500 rs. o covado, s para ac-| j g Jos e aqUeIles senliores que Iransitam pela va fenea, para quen
mazem de Gama & Silva, ra da fe ^ ^m ^^ Q numer0 das vanlageiis que se Ibes offerece, nao com i
Queijosflamengos do ultimo vapor a 2;?800 Figos de comadre e do Douro en|Wnbaf
ifinm rain de oito librase canastrinhas de 1 arroba a
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200, iiOj. 15600 c 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 45600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 900 rs. a garrafa,
dem de Lisboa aOiO rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelinas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscmitos inglezes de diversas marcas a
1530 ts.
fiolachinhas de soda, latas grandes, a 25 rs.
a lita.
dem inglezas muito novas a 35000 a barri-
quirihae a 200 rs. a libra.,
Banha de porco refinada a 410 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hyssm, huebin e perola a 15600, 25,
25500, 25800 e 3OO0 a libra,
dem preto muito superior a 25000 a libra.
Cerve a preta e branca, das raelhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 55800 a duzia.
Cognac inriez fino a 98 > rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72" rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e especidmento da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 15800,
2->0 mi, 25200, 25500, 25S00, 35OG0 e
**5500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 8550" a 85800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
dem londrino chegado no ultimo vapor
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
,cada um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinbo de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 6u0 r.
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a ||600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Maria Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 c
15000 a garrafa, e ero caixa com urna du-
zia a 95000 c 105000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 500 rs. a garrafa e 35, 35500
e 45 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 75000 a 755O0 rs.
a duzia.
dem Morgauxe Chateaulumini de 1851, a 15
a garrafa.
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
16200rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 15SO0rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixamos
15800, 55500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 65200 a frasqueira.
dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 55500
c 75500 cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 15100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, quaiidade especial em garrafas muito
grandes, a 15800 a garrafa.
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rollias de
vidro, a 15000, s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
com listas de seda e tambem com barras e entei- r- i ..,- ,-,,. A nn7Pr cnntraiiar
Sffi^&V"^* ** TmS&I^SmS^ a f,a ordinaria *. *
do que se diz, manden, ver leja e armazem do tami,eirj depois de profunda meditadlo, de nao vender smente os ^ii gtotrm a ai-
mas tambem de por em ortica troca delles por outros da prodncp-
tambem, depois
nheiro correte
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
OsvesdosllariaPia. S o Parto (8J0O0). ^^^(^Tmb, cairate^ Ote/Amib, pois, fique na ini.lliei.cia'de todos,
Msxzssnzss ea ssaa quep0 ** ***** -** **** -:-;- zzzs
de seda pelo barato preco de 8& cada corte : s algodo, agurdenle, nulbo, ft'ijo, cavalles, escravos, ele, etc. e lindara o mesmo %mr
na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Ga- em qer,ei0s, escolhidos a contento.
maSJWa. Quando a importancia dos gneros apartados for menor du que a dos ol-jertos re-
As caajM do Pavao a 240, b, w, jzu e cej)(jos p0r tr()Caj 0 IO|>hcta nao demorar a dilleivnca que deve dar em dml.e ro.
360 rs. Om estabelecimentoqoe com tantos sacrificios e despezas acaba de >*r at-erto
S o Pavao vende as finissimas cassas persianas a_ ._.......Anr, nM,2.. a, n .. vender muito barato com o fim de se adfBV
m cslabelt'cimento que
5o o ravao venae as nnissimas cascas |iciianaa __ ,,, ,i. mio Sl, v
mitaciio de la, com cores finas, 360 rs. o co- deve inspirar a todos a coi leza de que se \
vado ; ditas rancezas muito lluas 240, 280, 300 rjr crdito C freguezia.
S^&SklSFSiZ*" "rUa ^ A.aruta verdadeira a 320 rs. a libra. I dem em botija a :*<0 e .00 rs. a bot.p.
Os madapoloes do Pavao Arroz do .Maranhao, Java e do Penedo a 80, Graixa em lat s a l2UO a duna.
Vende-se peca de madapoln infestado com 12 ic0el20rs. a libra, e a arroba a 15800, Limonadas de diversas Iructas a \fiUW 0
jardas cada peca pelo barato preco de 4, 4^500 e ar|U| aaon
U cada pega, fazenda muito superior : s o Pa- 25oW) MfWW .
vo ra da Imperatriz n. 50, notando ojie a peca Amendoas a 280 rs. a iim a.
leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao Ameixas francezas a ti)200, l#4WI C I;>0UU
haver duvidas nem engaos: isto previne o Pa- Cm latas, frascos e lindas caichinhas muito
vo, de Gama & Silva.
Bramante de llnlio do Pavao
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
proprias para memosear alguem,
Amendoas confeitadas em fra^cos de vidro
a 15 o frasco.
ea 45300 a arroba.
de mencionar, e que tudoser vendido por! Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
pecas c ,-amadas, tanto em poreoes como Uoce de goiaba em latas o melhor possivcl a
rcla|no_ 25 e cm caixo a'610 rs.
Quem comprar de lOOOOO para cima te-1 Palitos do gaz a 25200 a groza.
r o abate de 5 por cerdo. J Passas muito novas a 480 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem cm lata a 640 rs. '^Vn^ 'L X m
Marmelada imperial dos melhores conserve!- Pan" a Bf d* J dp .
i.i;.i,An,n,n- ,1,1, Vende-se p>nno de linho com 4 palmos de lar-
ros de Lisboa a 60 i rs. a lata. propno para lonces e toaihas de mao pelo
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a baralissimo prego de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
800 rs. godozmho com oito palmos de largura propno
dem regular a 500 rs. Para enges, pelo baratis.-imo pregoi^tfe l#* vara
Macas linas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinha e aleiria a 600 rs. a libra e a 45
a caixmha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixe em latas preparado pela primeira arte
de co/.inha a 15 a lata,
Pal i ios de dentes a 160 rs. o maco.
dem de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
dez palmos de largura por prego muito commo- Alpiste a 160 rs. a libra
do, por ter de ai-abar a factura, a vara por! Azeite doce francez a 90o rs. a garrala.
2,5200, 25400, e 2*600 ; s o Pavo : a ra da A,eilc de Lisboa a 640 rs. a garrafa e 45800
frasco.
Licores inglezes e francezes a lf>C0O, lf|5C0
c 25 a garrafa.
Lingoas americanas a 800 re. cada urna.
Linguiras promplas em latas a IH O a lata.
Manteiga ingleza ueste geneio o que ha do
melhor a 800 rs. a libra e cm barril a 700
rs.
Na
fc#OOOl!
ra do Queimado n/40, letreiro verde.
BUGUIN4S DEPATENTE
de rabalhsr mo para
descaroipai' aSgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
0LDA1
esto
Superiores e bem armados bales pelo diminuto prego de 25,
eco pur ter-se comprado urna grande porgan o quercr-se acal.
advertiado
ar.
gue vendem-se por
CSi'^S
t*f%
Estas machinas
~& \ ,4^ .V^itJifeie^. rif)demdescarogar
Ss"j| >vV'-d3K' qualquer especie
1 M m^ ml x^ jl m
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
\OVOS E ESCOMI1DOS CEMEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
O KUH NOVA O
Ultima casa junto a ponte da Boa lista.
DUAS PALAVRAS.
assim como tem o melhor alpudoiinho tanto em
largura como em corpo, proprfc" para lences, ca-
misa> de cscravos, etc., etc., prego muito commo-
do \ vista da fazenda; s o Pavo : ra da Im-
peratriz n. C0, de Gama & Silva.
Algodoziuho cem loque de atarla a i,000 res
e 4,800
Vende-se pega de algodozinho por tor um pe-
queo toque de avaha, mas que esta em bom es-
lado, pelo barato prego de 45 e 45500 a | ega ; so
o Pavo : ra da Imperatriz n. 00 de Gama* ,(]aft superior a /?>oOt',
Silva. I arroba.
Os guardanapos econmicos do Pavao c so ao
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
napos econmicos e lodo linho, tamo para as cusas
de familia como para lu.ieis, botequins, etc. etc., I
pelo baratissimo prego de 3 a
loja do Pavo ra da imperatriz n. bO, de Gama
cv Silva. ,
Os>outcmbarqiies do Pavao a
i e e is#.
Vadem-se os mais Anos soutereliarques que
tcenwiido ao mercado, sendo de raxemira de c-
reselo diminutissimo prego de 125 cada um, di-
tos A maftamblque pelo dnninulo prego de 95, >
na 'ja do Pavao, mas que se nao enganem : ra
__ ____._ nn j .-_____ c. 0:1..-
dem mais baixa a 640 e 720 rs a libra.
Manteiga fraiueza a ?i20 rs. a libra, em barril
a C40rs a libra m raibo.
Azeite doce emboies com 9 garrafas a 553001 Massa de b.mates a 640 rs. a libra
com o boio Marmelada muilo nova a640 rs. a lirr...
Azeitonas por todo o preeo. Molbos inglezes a 400 e 640 rs. a !
Biscoitos inglezes de diversas marcas a \ r>300 Moslarda preparada a 4(0 e .40 r. o fi asm
a ia|a b Massas para sopa macairan, lalhimi alema
Bolacliinias de soda, oval c lunch a 2&000 a 400 rs. a libra
- lata com 8 libras, I Wcm finas em cafx.i.bas a 3f 00 a cni.ha.
26 Marrasquino de ?ara v.-rdau-.'iio a t5<0 0
frasco.
Bolaibinbasamericanas em barricas
Banbaadea porco da melhor quaiidade a 360', dem mais baixo a 800 rs. e IJOOO fraaco.
rs a iibYa Milbo em sacras.om 20cui;.sa ..y.AO.
Batatas em ggos e caixas por todo o pWCOu Pr^zunto ingle/. | ara l-ambre vindo nu ultimo
Caf moido a tC* 00 ou t>,5000 a arroba. vapor a 800 rs. a libra.
8(J0O" e 8<)500 a, dem mais ant go a 040 rs. a libra
dem do Porlo a 610 rs. e si-iuId inleiro a
Gb nesto genero temos o qoe ba de melbo-1 5< 0 rs. a libra,
assim como tambem temos baixo pelos pro-[Passas tovas a i00 rs. a Hora
ros seguidles: i|tA loU.(-, i800, P6ko iljri a l.bta.
2400. #60H. 2^800 e 30l 0 o fino. | Pa.nco a Ib O rs a libra
duzia, isip s na charutos de todas as melbores e peores mar- Pomada a 240 is. adra
cas do mercado a 80", WO, !*n0, U,' Pimnia do remo a 320 rs. a iil>i
2(5800,3^000, 45000,35000, 8i500e6l Peixe om latas a t^OiO a la a, u
dem i'Unmnito lino a WOi o
dem marfim a 155' O,
3*fl0
vel, ca;
occnt vina, parpo e culi es
Chourigas as mais novas do mercado a 125 Papel de peso a2-M'0" a rema
o barril com 1 arroba c 480 rs. a libra, a
ellas que perbincha.
Chocolate magnifico a 11000 e 1/5200 a libra. dem almajo a :->i <*(>, !.><' P e -.->'( 0
Cerveja m>rca a mais acreditada que tem Mcm para erohn Ihp a MSO a i-sma.
viudo a 3oO rs. a garjafa, eirre4a-gaTTaTTalTt( s p.ii.i (rutes man s c< n -2' nian.h(>3
por 320 rs. branca e preta. | a 80. 12" e ( rs. u nafO.
Conservas ir.giezas a 80o rs. o frasco fazenda Palitos do gaz a fOOP a gio .
chiqje. Queijos flamei g"s do nitin.n vap
Morn francezas a 5(0 rs. o frasco. Mem londrino a !>< 0 rs. a libra
Cevadinba de Franca a 240 rs. a libra. 'Mem praio a 610 rs. a libra
l Champagne da melhor marea que tqoi tem Rap Neurona 15(00 a bu >
vindo a 20,5 c 245 o gigo. Sag e sevadinl.a a 240 e 28
a ifem.
da Imperatriz n. 60, le Gama & Silva.
Atoalhado lo Pavo.
Vende-se panno de linho adamascado proprio
para toaihas de mesa, pulo diminuto prego re 35600
rs. a vara, guardanapos de linho a 55 a nuzia.
toaihas de mo a 55 cada duzia, na loja do Pavo,
de algodao sem rua : imperatriz o. 60, de Gama & Silva,
estragar o fio,. K so 0javo (a 3jj5U):
dun'pessSspaanrae! "tembaloes por lat piCO I
n irabalhA r'fle Vendem-se os baloes aifericanos minio superio-.
derrocar urna ^ res com i rtS arcos pelo baralissimo prego de Cognak iliglez e francez a SO" rs. e lCCO a Sardinhas de Nantesa 6'.0, 560 e MMJ lt. a
arroba de algo-, 25300 e 45, ditos de 25, 30 e 3o arcos com fitas,! Karrafa lata.
por lodo preco. Sabio massa a 120, 180, 20" e 240 rs. a
Cupos lapidados que sempre se vendern, e libia, o em c.n.vies | cr me:io.
se vendem em muilas parles a 85 e 105, Sal refinado a 600 rs. o vazo (polo de MU )
vendemos a 50 0 e 0500" a duzia.
Copos para vinho a 3500 a duzia.
de^carocar uraa ;|rs in iU ^ ^ as i"!1" ". v uqkiiom iii
arroba de algo- i 25300 p 45, ditos de 25, 30 e 35 arcos com fitas,! arrafa
dao em carogo nmito bem armados e lanibcm tem cores escuras
>m 40 mininos pelo barato prego de 35500 cada um : so na loja euoia.s pr
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodo
limpo.
Cesse ludo quanto a antiga BtOM canta
Que outro valor mais alto se alevanta.i
Saunders Brothers & G.
TV. 11, pra^a do Corpo (lauto
RECIFE.
Os nnicos agentes neste paiz._____________
i RiM SEM SEGUNDO.
Rua do Queimado n. 49 loja de mmdezas de Jo-
s Uigodiniio, venham ver a pechinrha^ue se est
acabando certas qualidades de fazenda.
Pegas de utas elsticas com 10 varas a. -
Ditas de tranga branca IWa com 10 varas.
Ditas de (ranga preta lisa a............
Realejos para meninos, pechinclia i...
Rodinhas com superiores alfineles a.....
Acba-s a disposico do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci- Caixas com superiores aguihas e limnas &
manto de
nue O manir capricho de maos dadas com mais a|urau memo mdelo ..romoveram a escuna dos mais superiores gneros do nosso mercado, 10o, i20e.
icna-st uispwaivau e pvUtentp pm sna esnecialidade. DOr- Sabonetesde familia, muito finos a8e..
e molhados, takez o prtmeiro e nico boje ex cente era sua ebpcud uu 1' Pares de sa [os delaa a cnancas,..
ai-ir caiiricho de maos dadas com mais apurado gosto de abnr um cMaoeieci- Varas dc ,jabado d0 VoTiQ muit(J bom ,
, ..v.delo (.romoveram a escolna dos mais superiores gneros do nosso mercado, 100,120e.........................
nue rr serem comprados em grande quantidade e pagos qnasi todos a mmro a vista pitas do bico largocroseo a............
p gal"IbbtnSo de vantagens, que repartidas como vo ser pelas pessoas que se l^f*g ^m mais de mu
em de honrar-nos com a sua fregue/.ia. alentamos a doce esperanca de agrada a ^^ com perfuinarjas muo bonitas a.
s pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca- Frascos de oleo de macag muito fino a .
i. pela pratiea da promessa que fazemos de vender polos preos quasi do pri- Ditos de oleo de babosa superior a 240,
deu In
diguarein
todos, nao
pa'.es, -com
ca
320, 400 e.................
240
100
60
120
20
200
160
400
160
100
3-20
500
100
500
320
400
leiro custo o nosso magnifico sortimento.. ^nnnUrin, mfl nfi({lm flMnnP as Ditos de cheiros multo superiores em qua-
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem aespoi at, |dade a......... e...........
diversas lasses da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que aeliarao d,1os de agua eCoouia muio boa a....
em nosso armazem os melhores emais esquisitos V.nhos, licores, champagne quena, etc. utosdeiitaditagrande *- m
e 2c, e aquellos que nao podem lispor de grandes ^^fSJ1!^J^ T.. ?. .^T. '. l 4O0
superior banha a 320 e....... 800
p para limpar dentes muito
finoa-........................... 100
Ditos de banha transparente a.......... 600
Pares de ligas muito finas para senhora a 300
Sabonetes inglezs da melhor quaiidade a 320
Frascos de agua dentritic: superior ga-
rantida a.......................... 14000
Massos com 2o envelopes grandes azula-
do a..............................
Varas de fita preta com clcheles a
sari.., prom%.ternos-lnes servi-los de gneros novos e sodios escolhidos ao seu contento. f--
O real do pobre ser recebido com to boa vontade, como a moeda de ouro do Ca^xas de p
h0IMBIMpesGas que nos fizerem a boma de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu ga4o, ou para negociar, voltarao sat.sfeitas, nao so pela boa quaiidade dos
objectos, eo.no pela fidelMade dos precos. e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
prego
do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 'a\o veode para luto.
Vende-se superior selim da China, fazenda toda
de la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro- q r 0 ca]da V|n(ns de L>9j.0a Reste ultimo
prio para vestidos, capas, paletots, caigas, etc.,
pelo baratissimo prego de 25, 252' 0, 25300 e 35 o |
covado, cassas pretas lisas, chitas prelas largas e
Touciiiho de Lisboa, de Sanios e americano
a 160. 240 e 32u rs. a libra c un arroba
a 5. 7, e 9/1000.
v"'.1* ". xmi?v' -' ^ .!..,"--70;i on nrunnnon titulo .um Frascos de macaca perola mnito superior
Devemos ao respeitavel publico algunas palavrae, relativas ao pomposo ti.uio que^ ^.^ enm ^^granei a
CAVACO NECESSARIO
/emos ao res
3 P Fvistindo neste vasto e floifscente imperio nm grande partido poltico com a Litiras de memento da roopa"de lavar a.,
denominaco de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo uir^veniente,jCaj^tro, *Jjjg* cores e
capaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos, I Varas de MfW dfi differpntfi5 ,ar!?nras a
[Grasas de botoes para calca preta, miudos
tia-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos mas Dio se zangue
ningiiem^ _^ ^ ^ em ^ ge ^ a cnnhecer as cousas. esta a mais
breve, clara e sincera explicacSo qoe, pelo metbndo rqnaitiiioLPpjgp? dar-
100
100
200
200
100
200
200
60
Foi a
Empreza de illuminacfio
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamagoes
(por cscripto dando o nome, morada, data, etc.).
devem ser eitas no armazem da rua do Imperador
n. 41. 0< macnimstas mandados para attender a
estas, apresentaro nm livro qoe os reclamante>
deverao assignar logo depois de prompto o servigo
'""' "......'-IT". *,^1"*Z Z"~tLJt om. reclamado: isto para qne a empreza fique scienle
Ayradou-nos esta historia e gustando si im- de navPrern os mesin0M3 senhoror si(Jo de^amenu
attendidos.
Vende-se a armag3o do deposito da rua Nova
n. i8 por prego commodo : os pretendentes diri-
jam-se ao mesmo, que acharo com quem tra(ar.
Mas a (jiiem nao seguir o partido ./me sysiema diremos mais:
Nao oriundo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento.
mnitas centena* de leguas qae apanhamos a nns*a l>Iea.
S Sirte e optent M*B houve um re. que instituir, a mu. mnroza or-
dpm da Lla. O acaso nos fez deparar com a narraco desse acnntecimentn, que tan-
iZr^luL^tTLem^JcUB. A.radou-nos esta historia ifiN^M
mim,nte do trage do cavalleiru da jarreleira. para N*2^QJfi^
locando-o no oitlo do nosso estabelecimento, temos assim folio dtst.ngui-lo dos out.os
que se sVigoalaram com mitras e coras.
HoddI solt qnl nal y-pense.
estreitas, manguitos, colarmhos, punhos, e enfeilcs,
ludo preto proprio para luto fechado, e muitos ou-
tros artigos que se vendem por pregos mais em
conla do que em outra qualquer parte por estar
liquidando ; s na loja do Pavao rua da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
. As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavao pelo
barato prego de 609 rs. o covado ; ditas de listi-
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
roupocs de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 500 rs. o covado ; garantem-se
as cores por "serem do melhor fabricante que as
tem em Paris : isio na loja do Pavo rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama Silva.
As etaUas do Pavo <400 e
SOO oeorte
Vendem-se cortes de chita com dez covados
254OO, ditos 25800, com 12 covados; sao chitas
inglezas, mas padrSes bonitos e tintas seguras;
assim tem as melhores chitas franceza6 e de un-
tas seguras por precos commodoe, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos c golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de 15 8 15280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
com golinha a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 25 cada
urna, manguitos que servem para calcinita de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente grvala de seda, fazenda
fina, pelo barato preco de 35, e militas nutras
bordadas que se vendem por precos muito em
conta : s na loja do Pavo rua da Impcratrfz
n. 60, de Gama & Silva.
As roupas do Pavo
Vende-se panno pret lino muito superior pelo
barato prego de 25, 25300, 35, 35300 e 45, dito
muito lino 55 e 65 o covado, ca>imira preta jle
urna s largura e muito fina a 15800, 25 e 25500
e 35 o covado, cortes de casimira de cores a 65,
55500 e 65, casimiras entestadas de urna s cor
proprias para caigas, paletots. coletos, capas e para
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Amendoas confeitadas.
No estabelecimento da rua do Rangel n. 43.
C\L m LISB04
Vende-se cal de Lisboa a mais superior que ha
no marcada, sendo hrri* de 4 arrobas e 4 arrobas
li2 : na rua da Moeda n. 2, confronte ao trapiche
do Coaba; e para informales no mesmo tra-
piche.
vapora G 0 rs. a lata das melhores fiuc- Tijolos para limpar facas a U-.Ors rada uro.
tas da Europa. I Vinho do porto fin ancoras com 70 garrafas
dem da goiaba c da casca o melhor que e a 300000.
possivel por diversos precos, e conforme Vinhos de Lisboa ePigneira o tamaito dos cales.
Ervilbas em latas a G40rs. a lata,
dem seccas a 200 rs a libra.
Espermacete americano a t #00 a libra,
dem francez a 500 rs. o masso com 0 velas.
Figos de comadre em caixinhas muito lindas
a 800 rs a caixa.
cariaba de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Farinha do Maranhao a 24" rs. a libra.
Fumo do Para a 158"'0 a lata grande.
Fumo americano a 1-S400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros
rs. o maco.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a
Genebra de laranja Ifi o frasco.
dem de Hollanda a oOO rs. o frasco.
nificas a 3#O0O. 36 0 e 4 h O a caiw.la.
Vinho do Porto cm pipa a 5 e 0,jOOO a a'-ada,
Vinho branco de Lisboa e Por lo em an--' ras,
barris a pipas a 46000 e 540H a carada.
Vinagre de Lisboa a 10600 e 2o00 a cara-
da.
Vinagre em garrafoes por l.>000 rom o gar-
rafao.
Vinagre om ancoras para I 60 com a ancn
de 0 caadas.
Vassouras americanas afill i-. eatJi ?ma.
Vinho deliordeaux neste genero U-u.is gramla
porcSoe das qualidades pieil ihs me fin
vnooao nosso mercado cm isrfMMy era
ancora?, em bairise ipiart'l.'S orpiatven
demos por [reos muito tobos.
a 200
30500
BAUZA
DECLARACA.
O BALIZA declara pelo prczenlc SJH
deixa de publicar os pregos pelos quaes ven- de as suas mercadorias por motivos qne ao y--*
respeitavel publico pouco interesa. Serva <^f^
provisoriamente de Laze os presos do Pr g*
phtt*. <^
O BALIZA concede plena liberdade aos
seus amaveis rolle/as Clarins, Unioes. mitra-
dos e croados, para qoe posura saltar, bar-
rar e tudo mais quanto Ibes apronver, al
a sua segunda nrdem.



Miarlo r rtranatttnen -- j|narta Islr 11 tfc Outubro e 1IS4.

6U4NDB
Largo da
'Santa Gruz
n.84.
DE MOLIIIDOS
Esquina
da ra do
Sebo n.84.
AURORA BUILHANTE
Francisco Jos Fcrnandes Pires, proprietario do armazem de molhados denominado
Aurora B(ilhante, ao largo da Santa Cruz n. 84, esquina da roa do Sebo, faz saente an
respeitavel publico desta cidade e do interior, que no mu importante estabelecimento
vender sempre geueros novos e do primeira qualidade, c vender a todos pelo mesmo
preco.
O completo sortimento de lodos os gneros finos e grosses que costuinam ter outros
esubtlerimentos desta ordena se eneootrarao sempre oo armazem da Aurora Brilhante
e semire em grande escala vontade dos senhores compradores.
O proprietario do armazem Aurora Brilhante pede a todas os senhores e senhoras
que quando liverem do mandar suas relacSes este estabelecimento por seus criados
eja em carta fechada ou com grande recommenda$o a este armazem, certos de que
soro (ao beiu servidos como so viessera pessoalraente.
^H
A Aurora BrilhaMe troca qualquer um genero que por acaso nao agrade, e recebe
as libras esterlinas a 'JWOU, sendo por compra : a tabella de seus gneros ser mudada
to uis as semanas.
Amendoas confitadas a libra a 800.
Manteiga ingleza flor :, 800, mo e 15120.
Dita mais abaixo a 640 e 720 rs.
Pita franceza nova libra &40 e em barril a
5G0 e 003 rs.
Chocolate sant muito novo a 15200 a libra.
Cha perol o methor que ha ( redondo) a
libra a 35200 e 2800.
Dito dito inais abaixu a 25500 e 25800.
ftito a\i;n muito lino a 2ASOO e 35
Di (o livssoa Ktiperior a 600 e. 25800.
Dito mais abaixo a 2 e 25300.
Dito pretil muito lino a 25300.
Do em massos a 25-
Dito do Rio em latas de 4, el libra a
i5->09.
Caf de Moca superior uroba 95300 e libra
300 e 280 rs.
Dito do Rio o do Cear arroba 85300 e libra
320 rs.
Dito tnats abaixo arroba. 85 e libra 260 rs.
Barricas com bolachinha ingleza nova a
35.
Latas com bolachinha le soda de 5 libras a
25300.
Ditas cum ditas sortidas de 2 libras a 15400.
Frascos com ameisas francezas a 15600,
25803 o 35-
Latas com ditas a 15400,25200 e 4g.
Ditas cora llgos de comadre a 15300.
Cxixmhas com ditos muito novos.
Presunto de Lamego. muito novo a libra 5 0
rs. iuteiro e a retalho 606 rs.
Chouneas e palos uovos a libra 600 rs.
iti* em ervilhas francezas e portuguezas
a 800 rs.
Ditas cora raassa de tomate novo libra 560
rs. e era oarril a 800 rs.
Ditas com ostras a 720 rs.
Ditas cora m-armelada dos melhores autores
deLisboa a libra 640 o 720.
Potes con musiurJa franceza preparada a
libra 480 rs,
Dita dita ingleza a 800 e 15
Qw'ijos ovos do-vapor a 25200 e 25800.
Ditos de prato enplicado a 15
Diio suiss a 800 rs.
Di lo de manteiga do Serid a 800 rs.
tai xas com passas novas de 1 arroba 75,
DV-ia 35500 e quarto 25 e libra 480 rs.
Amendoas con casca a libra 240 rs. e arro-
ba G5.
Nozes lilira ICO e arroba 55:
Charutos tinos de Simas, e dos melhores fa-
hrictnies da Uauia de 25 85 canas de
, 100 e 80.
ftozas de caixinhas de palitos do gaz a 25200
e ii? r- a duzia.
Barris r^m azeitonas novas a 15200 e 25
barris gandes.
Vassouras d>fertOpss
400 rs.
Azeite itoic francez dos melhores fabrican-
te-, cala 105 e a garrafa 15.
Calzas com vinlio Koroouax branco e linio.
Vinl.o do Porto fino em barris de' que ra-
ras reos apparece por 805 e em caada
a 55300 c garrafa a 800 rs.
Dilo de Figueira puro caada 45 8 45500 e
garrafa a 480 c 560 rs.
Dilo de liisboa de boas marcas a 35500 e
4o e a garrafa a 440 e 480 rs.
Cognac verdadeiro a garrafa 15 o 15280.
Vinhj moscatel duzia 105 e garrafa 15,
Vinho nranco de mallo boa qualidade cana-
da 'i3 e garrafa 480 rs.
Dito Xeroz liuo caada 75300 e garrafa a
152'.)').
Dito Madeira secea agarrafa 15600 e 25-
Dito era caixas de urna duzia do Porto dos
nielh'ires autores a 125, 145 e 165.
Gnalas com licor fino francez a 15, 15200
e 15600.
Ditas rom vlnho de caj muito claro a 15-
Dila< com mel de abclha puro a 15
Frascos com geoebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 15-
Dilo de urna garrafa a 560 rs.
Din da laranja verdadeira a 15200.
P.des rom mostarda preparada a 320c 400 rs.
Caivas com 2 arrobas de batatas a 25500.
Vinho branco de Ushna proprio para missa
a 45800 a caada e 640 rs. a ganafa.
Espirito de vinho a 400 rs. a garrafa,
as redes milito bem feitas para dormir
viadas de Sobral a 305 cada urna.
ssava muio seguras a
Carne e linguica do sertao.
Dutja de graxa tatas grandes a 15-
Caixas com 23 massos de velas de sperma-
cete a 560 es. a libra.
Ditas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Arara-
ty 185500 e libra 40 rs.
Ditas de composico arroba 105 e libra 360
ris.
Saceos grandes rom farinha de Goianna mui-
to boa a 55500.
Ditos com milito novo com 24 cuias a 35500.
Dito com farelio de Lisboa a 35500 e 120
a libras
Dito com arroz de casca a ojOOO.
Duzia de garrafas de cerveja branca e preta
a 55500 e em barricas a 55000.
Arroz do Maranho em saceos arroba 25600
25400 e Irbra 100 e 80 rs.
Dito da India e Java arroba 35 8 libra 120.
Araruta erdadeira arroba 85 libra 320
rs-, matarana.
Gomma do Aracalv para engommar arroba
55 e libra 160 rs!
Farinha do Maranho nova libra 320 rs.
Ervilhas seecas muito novas libra 200 rs.
Sag e sevadmha a 240 rs.
Sevada arroba 35200 e libra 120 rs.
Graxa de boio 97 a 280 rs.
Sabao massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanhot verdadeiro a 400 rs. a libra.
Bal a ios do Porto de diversos tamanhos de 320
a 25.
Capachos para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de bico arro-a 45300 e libra 160 rs.
Painco arroba 54300 e libra 200 rs.
Milho alpista arrobi 45890 e libra 160 rs.
Azeile dore de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 15500 e garrafa
200, 240 e 320 rs.
Massos de palitos de denles com 20 massi-
nhos a 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 45300.
Dilo greve liso o melhor que ha a 45500.
Dito de poso e pautado a 2500 e 25800.
Garrafoes com 25 e 15 garrafas de verda-
deira ginebra de Hollanda por 85500 c
6-5000 rs.
Azeile de cece garrafa 560 rs. e carrapato
300 e caada 25560.
Caixoes com doce de goiaba a 640, 800 c
15.
Toticinho do Lisboa arroba 95300 e libra
320 rs;
Dilo de Santos arroba 65 e libra 280 rs.
Molhos com grandes ceblas a 15600.
Canto de dita sola a 15600.
Mauncos de alhos a 12(1 rs.
Cordal de pastar e de andaime.
RffW^a Hto fl> S. Miguel arroba 35200 e
libra 120 rs.
Copos lapidados para agua e ribo a 35500,
00, 65 e 75.
Ditos lisos para varios prego?.
Calix lapidados grandes e pequeos duzia
3, 4 e 55 ; c 400 e 500 rs. cada um.
Massa! para sopa macarr.io, talharim e ale-
tria a 400 rs.
Estrelinha e pevide libra 640 rs.
Xaropc de fruelai nacionaes a garrafa 600
ris.
Marrasquinhp de Zara da melhor qualidade
a garrafa 15200 e 800 rs.
Esleirs de-tranca, ci-nto a 205 e 240 cada
urna.
Queijos de qufta novos, arroba 165 e libra
a 560.
Duzia de cliampanha superior a 205, e 25 a
garrafa.
Garrafoes vazios a 15600.
Massa branca para sopa a 320 rs.
Frascos cora azeitouas era concervas a 800
ris.
Duzia de carias finas para jogar a 35-
Sabito hespanhol verdadeiro libra 400.
Saceos com feijao mulatinho novo a 105-
Latas com favas j preparadas a 800 rs.
Sevadinha para sosa a 240 rs.
Garrafas com muscatel e selubal a 800 rs.
Sag novo a 400 rs.
Brea arroba 85300 e libra 320 rs.
Laias com 27 garrafas de gaz a 115, a gar-
rafa 500 rs.
13 otitro mullos gneros de primeira qualidade que ni o
posslvel meuelona-los.
A satisfaciio da Aurora Brilhante vender muito, embora barato, mas DINHERO,
ablenlo cinco por cento a quem comprar de 1005000 para cima._
q 389 n?s?
0 NOVO DESTINO
23Largo do Tereo~23.
NEM COROAS NEM MITRAS

GRAIDE ARMAZEM
DE
CONSERVATIVO
Joaquim Simo dos Santos, dono desle bem sortido armazem de molhados denominado Con
semtvo do targ do Terco n. 23 scienlifica ao respeitavel publico e a todos em geral que mandem
o.rvenham a esle estabelecimento para melhor se sertiflcarem da diminuirlo da precos que obtem
ii'S'c, o que Dio obtero se comprarem em omro qualquer, pelo que se responsabelisa a servir qual-
quer comprador com a mnior presteza e fidedade, sem que haja a menor alterafao. Todo o compra-
dor m comprar de 1005 para cima ter o descont de 5 a 10 por eenlc pelo seu prompto pagamento.
Atten$io.
Htalas as mais novas a 40 rs. a libra e 15200 a ar- Cha hysson miudinho e perola a 25,000 25500 e
roba.
Tacinho de Lisboa a 280 rs. a libra e 85500 a ar-
roba.
Caf de primeira o segunda sorte a 240,269. 280 e
300 rs. a libra.
Arre* do Maranho e Java a 100, 70 o 80 rs. a li-
bra e 25200 a arroba
P^osphros do giz a 25 a groz o 180 rs. o maco.
Passas da carnada a 320 rs. a libra, e em en i xa a
C5500.
K.!actuabas inglezas novas a 240 rs. a libra.
Sbao amarello massa a 160,200 e 240 rs. a libra.
\ 'lasd ecarnauba Aracaty composico a 360 e 400
reta libra.
Am'eixas francezas cm c meia libras a 15-
Massa de tomate ta melhor qualidado a 600 rs. a j barril,
[bra. I Id-m menos superior de 720 a 800 rs. a libra.
Marmeltada dos melhores fabricantes a 6*0 rs. a Idom franecza do ultimo navio a 560 rs. a libra,
jidra. 1 em barril se far.i abatimento.
Crlouncas as mala novas 360 rs. a'libra, e em Gomma da mais alva a 160 rs. a libra e a 45500 a
barril por 125 arroba.
Alm dcstes gneros ba outros mu tos que enfadonho ser meuciona-los.
lili DO IMPERADOR JS. Mi
Junto ae sobrad em qne mora Sr. >bei'oe,
Duarle Almeida A C, receber&m de sna proprla encomnen-
da o mais lindo e rarlado sortimento de molhados, proprio*
da presente estacSo.
Ma^as brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4$00 a caixa.
Vinko
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
lilcr.i de Lisboa
NOVA EXPOSIQaO DE GNEROS
NO
ARMAZEM
Manteiga ingleza
da safra novavinda no ultimo vapor a l.ooo
rs. a libra eem barril a 800 rs. -
Haateiga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a S60 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 8o rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras Hijuido a
2#400, muito propios para mimos,
CartOes ,
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a l:t00.
Chocolates
de todas as qualidades a 1#000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velbos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados ueste ultimo vapor a 26oo.
Queijos
ebegados no ultimo vapor a 2$600 cada um.
Qneljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e t5200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
35 a 2,5600.
dem perola
especial qualidade a 2700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem viudo ao nosso
mercado a 2#600.
9 Massas amarellas
para "sopa, macarrao, talharim e alotria a
480rs. alibra.
tOGVAC V
o muito afamado cognac Pal Brandy a f ,80o
rs. a garrafa e de outras muitas q- liida-
desa l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO* i
lapidados para agua a 4,5oo e 5,oco rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo. a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellenle qualidade a 20200 3 resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de 1,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
1,400rs. alibra
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a IS,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1,00o rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 4^400 a arroba.
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2^800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do l'orto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Cnamisso 4 Filho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muito?.
Latas
com 10 libras de banda a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica damesraaque
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120c*" u bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do MaranhSo a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de l.1 e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafoes
com 4 */i Garrafas com vinagre a 10OOOia
o garra fo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, ede 114060
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
Anos de todas as qualidades, a io.ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu. e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro presunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo b
caixa e 3io rs. a libra.
Ilatatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas miiilo novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dscp da rasca da goiaba
a 600 e 10 ocaixSe.
PRINCIPAL
ar. 9 ra no crespo jv. 9
Esquina que rolla para a roa do Imperador
provavel que nao soja bem aceita a verdade, quando a boa f de todos aod
Iludida por esta epidemia de nauzeaticos annuncios de cornetas, tambores, coras.
tras, etc., que todo o dia enebem as paginas deste jornal.
A ME UTA
Os annunciantes n3o tem era vista sen5o garantirem ao respeiuuel publico a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias eaao pm.
assentarem fortunas a torca da regra de liga como outros annunciantes deste genero
PARA TOIIOS
No armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na seguinle ta-
bella, mas n5o se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba hespanhola, jraraa-
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquelle que nao seja do agrado de-
comprador.
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lentilbas muito novas excellenle legume ps-
64o rs. a libra. | ra sopa a 2oo rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra. ; Licores francezes de todas as qualidades ,\e
dem de casca mole a 32o rs. a libra. 7oo e 9oo rs. a garrafa.
Ameixas francezas era eaixinhas com lindas Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 rs
estampas, a l,2oo c l,5oo rs. a libra, desnessesarie mais elogios nfr-
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaran aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
l'nio e Commercio ra do Qucima^o n. 7
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador o. 40
FRUCTAS
A; i A. PERAS E UVAS
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro PrincipalRa do Queimado n. 7, Uniao e Commercio.
Miho alpista e paiaco muito novo a 160 rs. a libra.
Biscoitos e bolachas de soda a J300 e 25
Aramia das melhores marcas a 1$, 2, 3$, 4J, e
4*500 a.caixa.
Charutos era macos contendo 50 por 640 rs. o ceuto
Azeite doce de Lisboa (loo a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 280 rs. a garrafa, c 2000 a
arroba.
Vioho do Figueira e Lisboa das meihores marcas a
3SO, 400, t>00, 560, 640 e 800 rs. a garrafa, este
ultimo >!o Porto proprio para os doeotes por
ser purificado e recommendadn para esle fim.
Queijos do uloio vapor a 25 e 15700.
Manleiga ingleza flor a 15 a libra, e a 950 rs. era
iiyt
Chepem a farinha lavada.
A bordo do hiato nacional Dous Irmaos ancora-
do defronte do trapiche baro do Livramento, ven-
de-se esta suporior farinha lavada ainrta nao vista
neste mercado pelo barato preco de 35 o alqoeire
ou 65 o samo sendo este preco granel, e tambem
na roa da Madre de ueos ns. 5 e 9.___________
Vinho Madeira fino.
Veode-se na ra de Apollo o. 4, primeiro au-
dar, em barris de oitavo, chegado boje.
Koa da Senzalla Nova n. A7~
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLov
Moor libra a 120 rs.
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
Sualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
., ra da Cruz n. 48.
Ka raa da Cadeia, armazem n. 96, vende-se
o seguinte : 4 guardas-roupa de raiz de amarello,
novos, 1 mobilia de dito tambem nova, 2 durias de
cadeiras de rereja, bercos do faia, I banca de ad-
vogado, 1 mebilia de Jacaranda* nova, etc ven-
de-se muito barato e a diubeiro.
BREU
Breu verdadeiro americano, tanto em barricas
1 como a retalho, vende-se na ra da Cadeia do Re-
cite, loja de erragens n. 56 A, de Bastos.
Eniadas calcadas de aeo
Chpgaram as desejadas enxadas calcadas de ac,
as quaes vende-se o mais baralo possivel : na ra
da Cadeia do Recite, luja de ferragens de Bastos.
Fio de ale o o la Habla e ame-
ricano.
Vende-se tanto em porcao como a retalho, estas
bem conhecidas qualidades de lio por barato preco:
i na roa da Cadeia do Rccife, loja de ferragens de
i Bastos.
Telhados de ferro galvaBisvdo.
Fulhas de ferro galvanisado para telhado por
commodo preco e de muila utilidade para roberas
! de casas, vende-se na ra da Cadeia do Recife n.
i 56 A, loja de ferragens de Bastos.
I Vaquetas inglezas para cobertas
de carro.
Estas bem conhecidas vaquetas, vende-se nica-
mente na loja da ra da Cadeia do Recife, luja de
ferragens de Bastos.
Padarla e reflnaeo.
i Chegaram as bem conhecidas peneiras de ara-
rae e de latao proprias para padaria o refinacao, de
todos os lmannos e prossuras : na ra da Cadeia
do Recile, luja de ferrageus de Ba>los.
Vendem-se saceos com gomma muito alva,
propra para engommar e fazer boltnhos : na roa
I do Queimado loja n. 14.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs. n te genero que s se pode verificar en
dem em frascos grandes a 2,5oo rs. v. vista.
dem em latas de 1 '/i libra a l.loo rs. dem franceza a 56o rs. a libra, e en barr'
Arroz do Maranho e da India o melhor que j ou meios a ioo rs.
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, e Marmellada do 1. fabricante de Lisboa a 60^
de 2,5oo a 2,8oo a arroba, 1 rs. a libra, ha latas de 1, IV* el |jbra>
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e Maca de tmate em latas de urna e dvas I
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libia.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. alibra,e 4,loo rs. a
arroba.
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide. rodinlia.
etc. a 3,5oo rs. a caixa c 56o rs. a t.
Macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a fi-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinbas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Rolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato Marraschino verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
Antonio de diversas qualidades, em latas a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
lata, e Ci rs. a libra. Ostras preparadas em latas a "00 rs. a lata.
dem ingleza em latas de 2 e de I libras Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
das melhores marcas a 1,3oo e 2,2oo rs. j rantindo-se a qualidade, a 7oo rs a libra.
a lata. Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e. 6,5oo rs. a caixa.
em barril a 36o rs. Peixe em latas hermticamente fechadas dac
Batatas em caixas de 2 e de. 4 arrobas a seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
1.100 rs. a arroba. rz, cavallinha e pescada a l.ooo rs.'i la-
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo ta.
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. Palitos para dentes fichadas a 14o rs. o ma-
as meias garrafas. | co de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia. e 2.1o rs.
bra. a groza.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs. Painco muito novo a IGo rs. a libra, e i,3oo
a linra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopalhico 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
1,000, l,2ooe 1.4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia -
do de Simas e outros da Baha como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,000,3,ooo e
4,noo re. a caixa.
Conservas \nglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho eerva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella ;i 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a i.800,
5,000 e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,000 a 8.5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seecas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loors. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oo rs., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafao.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, e H.ooo a ftasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser exeellente bebida Suissa a
l,8oors. a garrafa.
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor,
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Xante* a Coo r*.
a meia lata, e 4oo rs o quarto.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loors. alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e Soors. a libra.
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada un.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,800 rs- a caada.
dem Figueira expecialmetle escolhido oeste
lugar a 600rs. agarrafa, e 4.5oo aeanada.
dem Lavrad o, Colares muito fresco sem
composico a 6oors. agarrafa, e 4,5oo 1$. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a garrafa.
ea 4,5oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garra-
fa.
dem engarrafados generoso?, Lagrimas do
Douro, Duque do Porio, D. Luiz I. D. Pe-
dro V, Nctar, velho secco, Malvazla, e
genuino partictlar de 9ooal,?oers. a gar-
rafa e a 10,000 rs. a caixa com urna duzia.
dem Madeira legitimo a 1.2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas S.
Julien St. Esteph, clneau la ho/e, chalar.
Margoux e outros a 6,000 rs, a caixa a 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2.000
rs. a ganafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e 1,4eo
rs. caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada.e de contpo3ico
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e H,ooo rs. a
arroba.
Custodio, Carvalho & Companhia.
29 UVA I MI QUE OA IIO
Toalhas |)ra mesa,
Toalhas de linho adamascadas para mesa a 44000.
Cortes de la
Para vesliJo com IScovadas a 55500.
Ce betas.
Cobertas de chita chineza a 25200.
Baloes
Para senhoras e meninas.
Madapolio
Trancado, superior fazenda a 500 rs. a vara.
Laa para vestido a 320 rs. o covado.
Fil de linho liso e bordado.
Fino panno de linho para lences a 800 r?. a vara.
OTTOG
Vende-se superior vlnho do Porto em caixas de
urna dnzia : em casa de Johnsten Pater & C. ra
do A'gario n- 3.
Cal rie Lisboa
chegada pelo Mara da Gloria : u raa de
n. 28, junto ao iheatro.
SAL
No cscr i nidrio de E. R. Rabel lo. roa da Cad&'a
n. 55, vende-se sal aimla a bordo lo navio.
r
MIITII ADO


Dlarl* de Fraahe Quarta felra II de Oiitnbro t I i4.
;
AO PUBLICO
Sem o menor congtran-
tJlmento se entregar o
importe do genero qne
nao agradar.
ARMAZEM U
RITA DA ADEIA 1IO RECIFE W.
(Logo passtnde o arco da Cooeeieo)
Cirande reduceo de preeos,
ATTENCAO
Os preces da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslin servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
3
9
equivalente a dez por cento menos do qne outro qualqncr
annunciante.
Collegas.NSo posso por mais lempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
ntuitos objectos, etc., dando com isto ocasiao a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gntarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo!! 1 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
como veris
nao
que
esto obligados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingara-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimenlo. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
t3o smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aeeio que presidia, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptidao e entei-
m
sefo
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolbida a 8oo rs. a libra, em barril se
faz abalimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a ooo rs. .
Ch-bysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,Goo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regu'ar, igual
ao que se vende em nutra parte por 2,4oo
" e2,0oo rs.
Lingwcas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a a.ooe rs.
"arante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e I,5oo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a I,6oo e I,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a Glors.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa ,60o rs. a libra.
Pre/.unto do reino rodos de casa particular
a UGo rs. a libra, e a Boa rs. inteiro.
dem ingle/as para fiambre ebegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a o.ooo e 5,500 a
duzia,
Choeulatc francez, suisso e hespanol a Ooo
I ,ooo e 1,2oo rs. a libra.
Esperinacete em caixinhas contendo G libras
por 4,ooo rs., erarante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peiie em posta sovel, corvina, gors. pesca-
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
menlo.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranbio a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2.2oo rs.
a arroba.
Painco ealpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a Soo
rs, a libra. ,
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
l'eitas para esse lira.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por 1,Soo rs.
Ameixas francezas em latas de I e meia libra
por 1,Soo; ditas em caixinhas de deversos
taramos com bonitas estampas na caixa
exteriora I,Soo, i,Soo, e r$oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,uno a duzia.
Vassouras de cscova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Mlho inglez em garrafa de vidro com
rolba do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza era potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l,ooors. e II,ooo a duzia-
Palitos para denles a I loe 16o rs. o mago.
Sal refinado em'rasco de vidro comrolha do
mesmo a 5oo rs.
No arniazem de azendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Ra doQueiuddo *. If,
Vende-se o seguate:
Altrncao II
Ricas lazinhas, azcuda a melar r nite (> vi
do ao mercado, lano em go*io rom mr f rtid*-
iie. pelo baratissinio preco de 360 rv o revaM
Ditas miudinbas earmezins, |.rr.t.rts> pan teta-
dos de meninas e cami.-iiih.is a (i.o roraaO
Cortes de La com lo eovados, i b lana trf
de 65.
Colierlas de chita da India a 2-5* O e."y.
l.enccs de panno de linho .i i r 4A.MJ0.
Peras de cambraia de forro rwn N lit ppii
3*100.
Toalhae aicochoadas aroprias para ato* a *3 *
dn/.ia.
Ricos cartes de Lia f un barra Mara V* a
18*.
Pecas de platilhas a algod.io com 10 vara*.
propria* para sala a 'i5.
Mgodao entestado com 7 \\i pahi.a do tnrjat
a 1*100 rs. a vara.
Esteira da India, propria para fc.rr de --al* **
i, ", e 6 palmos de largura, por Mam pr{0 i
que em outa qualqut-r parle.
Neste estabelecimento tamben) se enrorrari
um grande sortimento de roapas leu.-.- ..r a*
dida.
: _A GRAHDE CURA "~
PARA TODAS AS MOLESTIAS 00
Acai.a e lecei-ei o sua urupna eiicuiimienaa um granue e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolbidos, por isso apressa-se o proprietark) em
offerecer 3es seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, aQancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra, j Licores francezes e pertuguezes das seguin-
Manteiga ingleza perfeitemente flor, a l,ooo tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
rs, a libra e 800 rs. sendo em barril.
dem franceza a ,6oors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cha oxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-;
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim, r
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a l.ooo
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
AS
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
j___:__. n a.. .1. *> !!! *;mm O 000 rS O ,ll|,','*ri ^ '* r.'>'~ 9 mis o \ni\
rs. a libra.
desejar a -2,600 e de 8 libras para cima
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,'Cerveja branca e preta das marcas mais a-
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e Soo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de i duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo,ooo rs. ea9oo e 1,000 a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantescm quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
da salmao, ostras e chernee, vezugo em Bolachintws inglezas as mais novas do mer-
lat'as grandes a 800 e l,ooo rs. cada nma. j cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeanx das marcas mais acredita-1 libra
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachmha de soda em latas com diversas
6000 7,ooo c 8,000 rs. a caixa, garante-1 qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
lualquer nao pode vender por este preco. I para mimo a 64o rs.
- Passas muito novas de carnada a
creditadas que vem ao mercado a 0,000 e
0,000 a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinba de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conheeidas n<>
nosso mercado a 2,ooo, 2,5i>o, 3,ooo,
3,ooo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,000 rs. a garrafa.
Doce da casca da gnjaba em latas JjJ|jH
bras por 2,ooo;
cada um.
Farinha de araruta veidadeira a 32o rs. a
libra. ...
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
a,ooo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio era latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2.800 rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino ebegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato os melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo intoiro.
Genebra marca gato a 1.700 rs. agarrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknt-1, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine eoutras mui-
tasa l,3ooe l,4o\rs.
Fuml americano em chap
li
AiariS
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
caixa e 60 rs. a libra*
Balachinba de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
) em chapa a- l,6oo rs,
de todas as qualidades.
2,000 rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo j
a
ditoemcai.\5esa6oors. dem inglezas em barricas amis novado
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes com sal retinado a 48o rs. cada um.
Cap.>de' SmS frutas muito frescas a Bieos frascos com frutas francezas em calda
64o rs a garrafa. ** se I)de des,Jar de \M a
Geebr de Hullanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs a frasqueta.
dem de laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
1 l,ooors. a duzia.
4no rs. a
libra e 6,ono rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
1,80o rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs a libra
dem' de Hollanda em botijas grandes a 4oo B.ilacbinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grasa.
Toncinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs
Cebollas snitas a l,4oo o cento ; ditas em
molbos com cento e tantas por l,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
DA
FUNGI LOW-OMOOE.E
Ra da Sen zalla nova a. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
lmannos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston A C.
roa da Senzalla Nova n. 42.
Vinho do Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seo
escriptorio roa da Cruz n. 1.
Fabrica Conceicio da
Bahia.
ARMAZG
AndTade A Reg, recebem constante- 3
mente e tem venda no seu armazem n.
3 i da roa do Imperador, algodo d'aquel- y
la fabrica, proprio para saceos de assu- g
car, embalar aigodao em pluma etc., etc., jf*
pelo preco mais razoavel. aa|
~mmwmmM
Roa da Senzalia n. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston & C,
seilio e silb5es inglezes, candieiros c casti-
FRONTEIRO
DE
21Largo do Terco21
Ao publico.
Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a libra;
ameixas idem ; alpiste a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranhao e da
India de 8o a loo re. a libra, e em a anata de 2,6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a l , da a 4,8oo rs. ; banha de poico a 4>o rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
'novas a 4o rs. a libra, e 1,2o >rs. a amiba ; cha perola, hysson, miudinho a 1,800, 2,4oo
'e 2,5oo rs. a libra; charutos des meilmies fabricantes da Babia de 2,ooo e 4,ooo rs.;
cerveja branca e preta a Soo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5no a Ooo is.; cognac inglez superior a l.ooo rs. a
garrafa ; caf da 1.a, 2.a e 3.* qualidade de s.oon, y.ooo e y,5o rs. a arrooa ; cevadi-
nba a oo rs. a libra ; ervlhas portuguezas em latas de i 7 libra a 7" rs< > spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a amiba a 6,ooo rs ; genebra de laranja a I,ooo rs. o frasco ; idem de Hollanda
a 6io rs., e ioo rs. a botija; graixa em latas a l.ioo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feita flor a 8oo rs a libra ; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maga
1 de tomate a 6oo rs. a libra; marradlada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra ; ale-
tria, taihanm e macarrSoa 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a l.ooo rs. cada fras-
co ; nozes muitM novas a no is. a libra ; passas a 4< o rs. a libra ; painco a 16o rs. ; pn-
caes bronzeados, lonas mgiezas, no ue vea, mjda a 4q ^ a uza; pimenta do reino a 36o rs. : papel almaco e de peso de diver-
chicotes para earros e metera, arreos para gas m)rcJ)S. *lllos do gaz a 2,200 rs. a grsa e 2o rs. a caixinha; ditos de seguranza
carros de um e dona cavallos, e relogios de 1^(^,1 a 20 rs. a ciixinha e 36o rs. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,000 rs.
ooro patente inglez.
cada um; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nantes de 4oo 64o rs. a lata ; sa-
bio massa muito mieri- r a 2oo rs. a libra; toncinho de Lisboa muito alVo a 3oo rs. a li-
bra ; vintw'd Porto velhn engarrafado a l6ee rs; idem em barril a 800 rs. a garrafa,
AI caira o
Vende-se barris cora alratrSo. iaTiH. < &* n"j0 ',5 fcV differenca'eem caada a 5,ooo rs.; i-iem de Lisboa muito superior a
bbms V4oo rs- a rarrafa e Une rs. a ranada ; idem da Figueira J; A. A. a no rs. a garrafa e
------" 3.6ho rs. a caada; idem do Etrito a 36o e 3*0' rs a garrafa e era caada a 2,56o;
idem Borieaus a 56o rs. a garrafa; idem hraiwn de Lisboa, prnorio para missa a Soo rs.
a garrafa; vinagre de Lisboa muito-suierior a inora a garrafa, e i, loara, a caada ;
Vende-se potassa em barris a commado preco o ^a epvada^alfaflenia, ,gaz e tiiolo de hmpar facas a \ lo rs. Presuntos de Lamego a 500
3,000 o frasco.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a I2o rs. a
lata de 2 i [2 libras.
FoijSo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 600 rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e nutras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l,ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oo rs.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e Soo rs, a garrafa.
Idem de marcas pouco conheeidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vmho Lavradio sem a mais pequea
coroposic5o a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs.. a libra.
Ricas caixas wm figos a l,ooo rs. cada urna.
Ricos rivros com figos l.ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5eo a arroba.
Garrames com 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafSo.
dem com 4 /a ditas de venagre a l,ooo rs. o
garraf5o.
Vinagre PBJlemancoretes de 9 caadas a
. 1 S,ooo rs. com a anenrete
Idem em pipa puro sem o hatisrao a 2oo rs.
a garrafa e l.4oo rs. a caada.
Caixas com 4 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8o rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
n. 23. priraeiro andar, escri
Almeida Gomes.
PT SSA
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Gr5o de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a i ,60o rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 800
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 8#500 cada urna.
Massas para sopa macarrSo, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8;5oo rs. a caixa
e 800 rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditedos a 1,5oo,
2,ooo, 2.5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por abi se ven-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3no e 9,ooo
rs. a arroba e28o a 22o rs. a libra
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a:
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-,
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fmgindo esparmace-
te 3rio rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, ja se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautado e liso a 3,ooo rs. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
reama.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
I resma.
dem cmbrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/* lbra a
l,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 800 e 4,000 rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e Soo n a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a 1,000 rs. o molho=8
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqoeiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafdes.de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes xados em macos grandes
com 2o rs o macinbos a 12o rs. o masso.
Ceminhos muito novos a 32o re. a libra e
10,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a l*ra.
Milho alpiste a 14o rs. a libra e tata rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a bra e 5,4eo a arroba.
Peixes em latas a l,ooo rs. a late j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l.eoe re. o
eaixo.
Plalas Yfgetaes AflNMfll
De Kcmp
Compostas dos dois noios reainoid'es <:&*
dos PODOPHILISA C LaPTANDRIH., C intT-
mento livres de Mercurio on oulros f
mineraes ou nietallicos, sao lo gratule u'Ua-
dade nos paizes clidos em eos te
DYSPEPSIA, ENCHAQUECA.
l'oihtipacao ou Prizito do Vento?,
PADECIMENT08 EO FICiMt
Affecc,5es Biliosas,
HEMORMDAS, COLIO,
Ictericia,
FIBRE GASTRO-HEPATICi,
E entras rnftimidaitttaittta,
llas vao rpidamente >ilistitiin purgantes dratieo.
venda as nouea* ra da Cruz, e Joo da C. Bravo L C, rea
da Madre de Dos.

( ff b C 5 03 S"'i a x
oa
as 3
9 S.S
O. yi '/>
5"2.St =. as -
5> s. ~ 3 J- 8
a. 3
5 M S s
*- rr> S CD
as

C _; O
Z-
- re "9 m f?8 S"_ a.^Lat tf
O. ^03nv----3S_- a
,5 u 2.B E^-3 -1 7. cl z- ?
2 o 2 E. ET ^ -- 9 Z Z 2 >&i

9}

%3
o .
-1 3 ,
^5 3
!
O O 3
O os
en CD ^
a s S o as
osa
tO 09 O S
" -1
z>
as ^ ^^


Ja
aa
va

a.
B

M
.
a;
p0_
os s,
C-----O
3 ~
If
s
s
-.
M
te
D
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira pafi de ai.
105 a late : nos armazens da roa do fot
perador n. 16 e ra do Trapu-ri Vnvn o. r*t
ratera rara*-
ii:uii s Enfeites pam c;
Cht>garam os lindos enfeites n>
nhoras, .-en<1o muito simples ile
no Vigilante, ra do Owae n. 7.
Balaios para meninas
Lindos bnlaios de varios 90-U t>ar m#f>i
trazi-rcm no braco : f se enrooira na loja 4 BaV
ja-Flor, ra do (Juu-imailu n. 63 e 69.
Extratos e sabao
em
eair
xinhas
Lindas caixinhas com um car to rom a BkBI
imperial, e dentro de rada caixa om llnwra oa r%-
liao o mais fino que passivel: na loja do m ija-
Flor ra do Quemad n. 63 e 69.___________
Cal de Uibon.
Ha para veniler a mais nova, e oiiimameirta iHa>
pada ao mercado, em nemacoiidiii"r.aiV>s barr*:
no armatem de Manuel Teixeira Raslos, rea 9a
Trapiche n. 13, por preco razoavel.
Vemle-se
tres partes do sobrado de dons andares da rea
Padre Flonano a. SI: a tratar no primfim ai
do mesmo, das 6 horas da manha s 6 da
ESCRAVOS F6IDCS.
na rna da Cruz n. 23. priraeiro- aodar, eaeripton
do:Antonio de Almeida Gomes.
ea.l^a.irrtdttOi muitos gneros quedesnecessark) menciona-loa.
O BreprSettrio do grande armazem nio e Commercio declara ao sen* fregu
zea e amigas ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todo e&pulou
os mesnaos pre?os dos seguintes lugares: #
TlniHo e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Kiigi.i na tarde do dia 16 de jnlho p. p. na
escravo iurdo, de nomo Mam*, nrn l-arra*
do hiate Suma Atina, vindo do Araraiy, k>a4
de idade 2R annos pouro mais eo mn-n, na a>
naes seguintes : llura regular, ferro do nxp*,
puura barba, cabello crespo, li-.iu raa-isa
caica de alg"dsiimo de ris>do ai! erha-
pi> de palha, t-ndo levado enmsipo ama in ni
rom mais rmipa, e rendido de una da venlaaa;
3uem o ai-preender queir;. Iev-I. a rus da aladra
e Deus n. 38, ou ra do Brum n. 55, qariere.
recompensado.
Desappareceu no sabbado 7 do rorretii^ |
oito hwa da noile, am molefl.ne |>or noa^ I
cum os Mimas* s quintes : rrioofet, levno
ralea branca,cami-a dealgodao branro, no, afPM,
er bem preta, bonitote. e tem nma i*i|nriia efsp
tris por baln di> um olho, muito i'a^'tmta, ei'Haaap
amlar sempre em rlianeo na rafceca. Inn-* W*
macoes que anda ai|iii na cidade; priaat", n<*-<*
as autoridades pnln-iaes e cai-ites de ramiio %"fij
prendam e levem-n rna ireHa do R>aiii> *^
n rmK*!irimd*gwa-d'ooro, qno sur reup"
sado geerosameDt.


Mari* e Penav^M ... (marta Ir Ir a 1 4c IMHtir.ro J i 044.
''. ra -
LITTSRATDRA.
"Ministro de anta Isabel.
0 HAMA 0 CORRER) DE LYO
ou
0 proccsso Lesurques.
No Kabbaeu o Iheatro de Sauta Isabel abri as
soas |iortas ao pulilii'O para a reprcseulaco do
drama O comi tic l,uo ou o processo Lesurques
original franoez.
Iilbo de una escola conciliadora rene esse
drama o que havia de melhur Da mitiga, e o qoe
Taima cusaiava para a moderna.
L "Cripta tora o foso de utn eseriplor taleuloso
retu de Lyo loruplela o que se i'de desojar na
Sufwdade.
O escriptor, o dramaturgo, o Iliterato, admiram o
C4>'lo, o Densamente e a moral, as familias um
ejemplo U\ da- tempestades sociaes. e o magis-
trado, o jurisconsulto una qucslo a resolver, urna
lico para as suas senlencas.
Antis de enlrarmos na apreeaco do trabalho
crlMicu soja-nos permiltido cuinp'nmentar o tra-
ductor desla importante peca, que proporcionando
a sociedade um rxemplo do como ellacaminha, en-
ripiecou nossas liilhioihecas com um documento
CU seu tlenlo, l'arabens ao Sr. Germano F. de
Oiveua pelo seu trabalho, pelasua traduccao.
Autor, e arlo*, aulor por que o traductor participa
da gloria e do trrtialho do autor, o Sr. Germano
Comprendeu e execitlou as suas partes como as
creara : caracteres JilTerentes Lesurques e ubosc
f iram as o.-taiuas, por assim dizer, que o Sr. Ger-
mano deu vida e animaeao. O honrado [surques
e o acelerado Dubosc, estes homens, a quem o des-
tino dera urna fatal semelhanga de figura foram as
<:nagens euc.ii nadas pelo ai'lur que as represen-
laiv : a mudanza de costumes dos personagens
f.cima fariaui sem duvida obstculo a oulro que
ro tora o Sr. Germauo A respeilo do seu traba-
lito no t. quadro em que traa de persuadir seu
(Mi ja* elle innocente, no 5 em que represen-
tiU'lo Vutmsc, sob" varauda que oltia para o jar-
dn) Cun o auxilio de urna corda, c raspa o nico
dosumeiito que restava para provar a innocencia
de Lnurques, no 0." em que pede as tesieniunhas
que fallem a verJade, confessem sua innocencia,
do V Analmente em que agradece Dubenton o
ter-lhe proporcionad!' os meios da salvacao, o que
uau conviulia a sua honra, nada poderemos dizer
SO nio qne o Sr. Germano um artista rei.
Ifonymo Lesurques, o honrado pai de un hon-
rado Bino.
A xerucao, que o Sr. Cnimbra costuma dar aos
fi*l>els que llie sao confiados, dispensa-nos de dizer-
rios que elevou a do velho Lesurques a altura da
e.-pcflaliva publica, e iiuaglnaco do autor.
.'ilhou no 4." quadro quaudo exproba ao Ulho o
seu snpposto crime.
A parle de Dubenton juiz de instruc.ao eoube ao
Sr. liscoa. Este actor que gosadas s'ympathias do
ptWUrfl pelo seu trabalho, em galans cmicos, cu-
iliecia-so que eslava deslocado ; mas para um ar-
tista, como parece ser o Sr. Lisboa, aquelle papel
djevtair-lbe milito bem, pois que Ihe nao falta nem
figura nem voz ; com um pouco mais de estudo, e
apnlicacaii ieri,i aleancado um triumpho.
t)s 8rs. Cumiarnos e Pinto (Corrais e Chou-
Surdj agradaram muito, principalmente o ultimo.
1 Sr. Pinto vai gatihando partido, e o publico tican-
O Sr. Teixeira foi bem.
O Sr. Borges esforgon-se para dar coma de si,
C nao desagradou.
Os di-mais foram soffrlvelmente.
A' Sra. Marquclou coiibe o papel de Joanna. So-
cno* francos aquellos que nos conhecem de perto
sabej) o juizo que semiire fizemos desta actriz;
este judo agora .se robusleceu mais pelo seu tra-
lialoo nn drama o Coi reto de Li/ao. Parabens a
Sra. i*. Marqu-lou.parabenspela animaeao que deu
ao drama, parabeni sobre tudu pelo sen trabalho
ti1 S* quadro quando lenta apoderar-so de Dubosc
C por rale apanlialada I
ulia Lesurques e a filba do honrado e infeliz
Lesurques Moca e bella as* vesperas do, seu
Consorcio com Didier v seu pal preso por ladran
O assassino i A .Sra. D Camilla desempenhou
s|e papel, com naluralidade e conseguio agradar
feralmente.
O processo Lesurques, esta pega vergonhosa da
fepufllioa franceza est muito no dominio dos ho-
nn-ns de i-otieetmeolos ou dados a leitura, mudos
jurisconsultos citara este facto, e alguns expositores
d<" direilo o apresentam para corroborar as suas
i l-is; portauto quelles queestiidam o direito, ou
i o est-idaram e mesiim o publico emgeral nos
aronselliamos este drama.
/.' empreza Germano A Coimbra agradecemos
* represeotacio do drama o torrcio de Lyao ou o
procesw Lesurques.
ftecife, 9 de oulubro de 1864.
AFPEIGAO PATERNAL.
SBNTMEirrOS.
Assim como as magoas, que os paes soffrem por
causa dos Minos, apressam a Telhice daquelles e
Ihes diminuem os anno, assim tambem os confor-
to? que Ibes dio os fllhos, sao balsamo para qnaes-
quer oulros desgostos e enfraquecem as injurias
01 POLCO 01 TODO.
A digressao qoe ltimamente fez pela Hespanha
o inesgotavel folhetioista Julio Cesar Machado, tem
sido copioso assumpto para urna longa e interes-
sante serie de artigos publicados na Revoluqao de
m da, muitos fidalgos rsameos e muita ra-
paiiada, amantes de balitar e de se diverlirem, vie'
ram a urna festa. Para ali brinearam e se entre,
teram todo o dia, a saltar, e a trepar s varas, cm
todo o desembaraco ; noute, foi um hornera fallar
com o administrador, e este, que de ordinario an-
Setembro.
Temo-I'os lido com goslo, e com sofreguMao, no. 'dava de ma catadura e ar grave de quem cose o
lempo. Os paes reproduzem a vida em seus | lando o espirito de observaco o de critica do seu caso corasigo, animou-se como se vissa passarioho
I, e os negocios destes afTectam-lhes autor. | DuVl)- dwoeo de quatro paira a escada, levou eomsl.
Entre as descripgoes dos lugares e costumes do K u,"a cllusma de marojos que tinham vindo um
do
tanto, que elles santera lodos os solTrimentos da-
quelles, e participan de todas os seus gosos, como P"vo lie pessoalnimie conhecera, refere nos Cesar pr um a sua sala 'errea, e parta de noute fichada
Machado o encontr que teve com um cavallelro
plido, de physionomia intelligente e artstica, urna
das primeiras illustracoes da Hespanha, e um dos
mais espontneos e verdadeiros talentos mnsicaes
do nosso lempo Barbieri o famoso Barbieri
se fossera considerados as proprias pessoas de seus
tilhos-
Por mais eicessivo que seja o amor dos paes aos
limos, estes ain-la acham mais vivos signaes de
ternura no seio das mies. Nao ha lacos na natu-
reza, que se possam comparar quelles, que unem
urna affecluosa me seus filhos, quando elles re-
retribuem sua ternura com obediencia e amor.
Exemplos.
Soln, perguntando a Thales, philosopho mile-
siano, a razo porque, atienta a feliz situaco dos
seus negocios, nao tinha elle nem mnlher nem fi-! segundo, a saber :
Ihos, Thales nao responden na occasio. Poucos! mu v,nanca vasconqa.
das depois apresentou um estrangeiro, convenien A noute viera sem la. As estrellas
Porm Thales, nterpondo-se
ssim fallou-lhe : c Sao estes,
lemente preparado, que disse ter chegado dez
das de Athenas. Soln inmediatamente pergun.
tou-lhe o que d'ali havia de novo : c nada sei de
extraordinario, replieou elle, excepto que toda a ci-
datle celebra o uueral de um moco, lilho de nm
cidado o mais eminente por suas* virtudes, e que,
parece, aodava em viagero. Infeliz hornera ? re-
turquiu Soln ; nao ouvistes o seu nome ?
Eu ottvi, replieou o estrangeiro, porm esque-
ci-me; lerabro-me somente que elle era particu-
larmente notavel por sua sabedoria, virtudes e jus-
tia. Era Soln ? disse o philosopho. Era
responden o estrangeiro.
A isio o legislador comecou a agitar a cabeja, a
chorar, e a manifestar todos os symptomas da mais
profunda tristeza,
com uro sorriso,
Soln, os motivos que rae fazem temer o casa-
mento e os Oraos, visto como ellos sao capazes de
mover um homem to verdaderamente sabio como
vos; uo vos inquietis comtndo, porque ludo isto
urna Qccao. Nesta occasiSo, on na occasio da
perda real de um filho ausente, dizendo-se Soln,
que elle np deveria chorar, visto como chorando
nada remediaria, elle respondeu com tanta huma-
nidade quanto bom senso : i E por esta mesma
razao eu choro.
Historia universal.
Cornelia, a Ilustre mae dos Gracchos, depols da
morto do seu marido, que Ihe dexou doze Albos
applicou-se ao cuidado de sua familia com urna sa-
bedoria e prudencia, que Ihe grangearara a eslima
uuiversal. Somente tres dos seus fllhos chegaram
edade madura; urna lllha Serapronia, que casou
cora o segundo Scipiao Africano ; e dous fllhos Ti-
berio e Caio, aos quaes educou com tanto esmero,
que, comquantd frese geralmente reconhecido, que
elles haviam nascido cora os mais fehzes genios e
disposicoes, julgou-se todava que elles mais de-
viam educacao do que a nalureza.
A resposta que Cornelia deu a urna senhora
com elles, depois de fecharas portas ttacidade com
medo de algom traidor que Ihe levasse a palma.
Cbegados ao castalio oude era a festa, eueoulra-
ram a punte levadica deitada abaixo ea porta falsa
aberla, tanta era a contianca e nenhuma suspeita
autor do Jugar con fuego e de tantas composicoes Idos va:iCuu'"u-S e entraram de ctelos e chugos na
admiraveis de inspiracao e de graca. |sala *Tauu""- Ani oram raortos seta mogos que se
No wagn era que elles ambos travaram, Macha-:namm "utrincheirado atraz das mesas e queriam
do e Barbieri, urna animada conversaciio, refere o Jogar a **' i mas a* laucas compridas e do pon-
primeiro n'um seu folhetim urna historia sanguino- ,a a8uda Uzeramos calar depressa. Os outros, h-
lenla acontecida oulr'ora na Biscaia, contada pelo vendo fechado as portas de dentro cuidaram poder
; defender-se e lerem leu para fugir, mas a maruja
;de Bayona abriu-lhe os milos machado. Em
brilhavam meia hora euchliUse a casa de cadveres ; algn?,
ali marca- cridos por udraz' tiahara sa"''do pelas janellas e
como faiscas. Urna arvore aqu, outra _
vara uma sombra indecisa como a de urna penda foram acnados de manha, de caneca espedagada
no fundo de um lago. Nao se via de todos os la- nos foSOS- Ficaran v'vos cinco homens, fldalgos,
dos senao formas fluctuantes e phantasticas, enri- todos' iue o administrador poz de parte esmo pre!
so chaos de appargoes nocturnas... C10sa mercado'-'a i Barbieri nao apenas um melodista, um pne- portas de Ba>'ona e ordenando ao povo que viesse,
ta : proporcao que nos aproximavamos do paiz inan(lou aeila'- fogo ao castello. Foi uma vista lio.
basco, vasconco, biscainho ou como haja de cha- da' ,,or I08 ',as,e[lu levou a arder desde a meia
mar-se-lhe, inspirava-se-lhe o espirito de recorda- n0ttte au- de manliaa' a cada parede ou torriaosito
coes, de lendas, de phantasias e de casos, e princ- que de-sabava. Povo muito contente soltava um
piava a contar-nos ludo que Ihe lembrava d'aquella 8rande Brit0- As labaredas paravam s vezes, re-
trra e d'aquella gente. \ comeCavam logo, ondeavam com o vento, espre-
Uma das historias era horrivel, mas tilo verda- uigavam-se, lomavam forca e cncham os ares...
deiramenle caracterstica d'esse curioso povo, que Assim que o castalio1 ardeu, o administrador dis-
seria imperdoavel eu nao a contar aqu. Ctiamem- se aos c'nco lilalgos/iue quera tratar com elles
Ihe melodrama da edade media, mas a edade meda j muit0 a puridade c que seriam elles proprios os
talvez a consderasse como simples pastoral. Nao Juizes de con, a mar encaia aI a Ponte depois
estremecam ainda, escutem.
O Puyano era ura valentao que foi administrador
em Bayona ; homem do mar grosseiro e rosoluto,
que tinha mais geilo para dar cabo de um homem
do que para levar a rao ao gorro. Batilhra ri-
,amente contra os norman tos, e de nina occasio
enforcra setenta as vergas, costas com costas com
uos poucos de caes. Os Francezes viram uma bru-
xa com elle por mais de uma vez, e a gente de
Bayona festejou-o com tal arruldo de trompas, cor-
nelins e tambores, qoe nem se ouviriam trovoes se
os Uvera havido durante essa occorrencia.
Deu-se o caso de nao quererem os vasconcos pa-
gar o imposto de uma bebida que se fazia em
Bayona e que vendiam na sua trra, especie de
cerveja a que chamavam cidra. O Puyano ordo-
nou que mais nenhum comrnerciante d'essa gero-
piga Ih'a (ornasse a dar, sob pena de se Ihe cortar
a .nao. Um pobre diabo cahiu em transgredir a
ordem, e resultou-lhe ficar maneta, e percorrer a
fe-I s prender aos arcos, espera da mar, e afflan-
cando-lhes que estavam em excellente silla para
ver tudo. O pevo estava na ponte e na praia, e
olhava para a corrente a inchar a inchar.
A pouco e pouco a onda snbiu-llies ao peito, de-
pois ao pescoco, e estiravam a cabeca para traz
para terem a bocea em mais altura.. .0 povo far-
tava-se de rir, gritando-lhe que era a occasio de
beber e de aproveitar para o resto de seus das.
Em seguida eutrou a agua pola bocea e pelo nariz
dos tres que estavam mais embaixo; fez-lhes a
goella um gorgolejo coma quando se enche uma
garrata, e o povo applaudiu duendo que os beber-
roes eram d forca I J nao restavam seno dous,
que erara de Urtubia, ligados ao arco grande, pae
e lilho, o filho mais em baixo. Quando o pae vu
o fillio suffocar-se, estenJeu os bracos com lana
forca que uma corda quebrou. Os que estavam de
cima a ver o caso, medida que os olhos do rapaz
se reviravara, as veas se Ihe tornavam azues e
pares na casa da cmara, demonstrou-lhes que os
vasconcos erara traidores, rebeldes ao senhoriado
de Bayona, e que nao convinha que conservassem
campantana, era relaco aos seus fllhos muito no- as liberdades que se Ihes havia concedido; que o
tavel, e contm grande instrueco para as senho-
ras e me?.
tssa senhora, que era mni rica, e anda mais
amiga da pompa e apparato, depois de ter mostra-
do em uma visita, que fez Cornelia, seus dia-
mantes, perolas, e as mais ricas joias, com ardor
pedu Cornelia para mostrar-lhe as suas joias
tambem.
Cornelia hbilmente desviou para outro assnmp-
o a conversacio, aflm de esperar a volta dos seus
fllhos, que haviam ido para as escolas publicas.
Quando elles voitaram e entraram na sala de sua
me, esta disse senhora campaniana, apontando
para elles : sao essas as minhas joias, e os ni-
cos ornatos que admiro. E ornatos taes eram a
forca e apoio da sociedade. e um lustre mais des-
'umbrante para o bello do que todas as joias do
oriente.
(Continuar-seha.)
senhoriado de Bayona, por sua soberana no mar,
poda Tazer pagar imposto em todos os lugares onde
o mar chegasse, e que os vasconcos deveriara pa-
gar para passarera a ponte em Villa Franca. Pa-
receu muito sabia esta resoluco, e o Puayno an.
nuncou a porlagem aos vasconcos, que largaram a
rir, e a dizer qne nao serviam para manijos com
menos veigonha que os caes, como se sujeitavara a
ser os do administrador. Depois, vieram en Mea,
destrogaram os da ponte e deixaram tres porfior-
tos.
O Puyano nao disse nada, por que era hormim de
poucas fallas ; mas tangen os dantas, e olhonk to
horrivelmente em redor que nnguem ousou inTor-
mar-se do que elle, intentava, nem anima-lo, nem
soltar palavra. Durante um pouco de lempo os de
Bayona e os vasconcos bateram-se de vez em quan-
do, e em se fallando disso ao administrador elle
volta va cosas.
cidade n'essa tigura, para bem dos outros.
Era seguida, o Puyano l.avendo reunido os cera Sr0Sbab aa *0sla' e a Saa Ihe pululava em roda,
motejavam-lhe escmeos e tratando-o de creanca
diziam-lhe que nao raaraasse tanto. O pac, ao ou-
vir Uso, gritou como ura lobo e cuspiu para o ar
contra elles, ehamando-lhes carrascos e covardes.
Esics, offendidos, principiaram a atirar-lhe pedras,
de maneira que a cabera alvejante licou vermelha,
e vasaram-lhe o olho direilo,desgraca que nao
foi de malor, por que d'ali a um instante a agua
tapou-lhe ambos I
Quando vasou a mar, o administrador ordenon
que se deixassem (car ali os cinco cadveres pen-
dentes, com teslemunho aos vasconens de que a
agua de Bayona vinha al ponte, e que deviam
a portagem. Depois, foi para sua casa entre ac-
clamaeoes do povo, que nao caba em si de alegra
por ter um to bom administrador, homem to en-
tendido, justiceiro, prompto para emprezas de coa-
ceito, e dando a cada um o que Ihe devido.
Postara sessenta homens, ao partir, entrada
da ponte, na torre da portagem, ordenando-lhes
que tvesem camella, e advertin vasconcos haviam tratar de se tingaron (punta
antes. Mas elles dlsseram comsigo que ainda ti-
FOLHETIM
O fiaSQUELET
tor
CHILLO CASTELLO BRINCO.
Conlinuaco.
IV
toargarula, na volta de Villa Pouca, reparn no
oslello, e pensou no descendente dos ricos-ho-
niens de Aguiar, dizendo em sua consciencia :
i Ama lo-hia eu, se podesse... O eoraeio da uiu-
f'ier nao se engaa... Aquelle moco amara-me
ttniem...
isla a crer o soliloquio I
Ainla nao lia meia hora que ella vio, innovela-
sc para sampre, e j lo ced.i se preoecupa do af-
fa-lo inspirado a um estranho, que hontem vira.'
One coraco e juizo tem esta creatura ? E' um
cracao .e juizo exticos : cousas de Franca ; que
cm Pe tuga!terra onde mais sinceramente e ajui-
tidamente se ama c morre d'amornenhuma se-
clior, om caso semelhante, faria monlogos da-
guelles.
' Ao mesino lempo, Ricardo de Almeida, empina-
de sobre uma piaba de rochas, contiguas ao cas-
Ho, a pona va um oculo estrada que descia de
Villa Pouca, c monologava tambera : E' ella... e
mn sosinha..
0 cavallo eslava sellado, ao sop dos rochedos.
fticai do desceu do miradouro, cavalgou, e foi sair
ao camindo ua encruziidada onde se despedir. A
( ancea recouhecera-o a galopar na clareira de
uma agr. L?ez-se um brlhanle dia no seu espi-
rito ? la alegre como bem pode ser nao fossef
aluda que arrancasse o homem amado s presas
da menina de Chaves. A alvorada d'um amor
novo uma aurora de junho perfumada de flores,
gorgi-ada de passariohos, e sonora de murmurios
to coracao inuoitecido, e regelado pela borrasca de
ana patato infeliz. Era uma alegra que a vin-
gva 4 Na iufancia do seu amor de donzella, ne-
nhuma hora sentir de to excitante e alvorocada
f. Iicilad" I
.fticardo apeiou, atiron as redeas mo do la-
Calo, e adianlou-se ao encontr da franceza, dizen-
d com a voz trmula do sobresalto interior :
fv tarde para V. Exc. ir pernoitar Villa
Real. No espago de tres grandes leguas nao en-
centra pausada. Venbo offerecer-lhe a minha ca-
SA, finio leudo minhas tas para a reeeberem.
Aceito muito agradecidarespondeu Marga-
rtfl, ralendendo o brago mo convulsa do fi
d1g*. Ainda mesmo que sobejassem hospedaras
fia estrada, eu aceitarla a sua hospedagem, Sr. Ri
rdo.
4> mancebo cavalgoa, e den o passo a Margari-
* ti o c-troito camioho que levava ao Pontido.
f m ambos concentrados; ella, no enlevo da
consideragao que recebia : elle, no seu amor. De-
venios cuidar assim da franceza ; porque nao ha
contntame-oto comparavel ao da mnlher desesti-
mada da sociedade, qaaodo se Ihe depara prova de
respeilo, urbanidade sem msela de amor aviltan
te. Pareca-lhe dama que estava no tempo em
que a respetavam, e talvez a amavam os amigos
de sua familia, sem excluso dos amigos de seu
marido, facto que nos escandalisa muito a nos, e
medianamente agastara a esposa de Ernesto Por-
menl.
Em quanlo ao enlevo amoroso de Ricardo de
Almeida, havemos de inferi-lo naturalmente de um
Esta interrogaeo abona a sagacidade de D. Si-
moa ; a innocencia nao direi, com medo de errar
As Sanchas e Simoas dos sollares provincianos,
por via de regra, tinham tempo para tudo : tem-
po para Deu, e tempo para os primos. Cada uma
tinha o sen frade que a absolva, e Ihe dava noti-
cia de todas as devoodes com indnlgencia prea-
ra. A blanca de S. Miguel estava sempre no
ouro fio com estas damas, que morlitlcavam Deus
e o demonio ao mesmo lempo. A Deus, sophs-
raavam as velleidades com as indulgencias do Es-
pirito Santo; ao demonio faziara ligas por sobre as
espaduas anchas dos frades respectivos. Se as
successo, que prende com esta historia. Fra o donas do castello de Aguiar linham sidod'esta laia,
caso que elle, por veredas transversaes, no da
anterior, chigra, primeiroque Margarida, a Villa
Pouca. Alojara-se na nica estalagem da trra, e
no quarlo immediato ao que devia oceupara fran-
ceza. Ouvira-a fallar d'um portador que fosse de
nolc Chaves. Desvcllara a noute, espiando a
resposta. Dra tent da edegada de seu primo
Nicolau. Ouvira o dialogo na alcovae na saleta.
At os solucos da franceza ouvira, quande o mar-
gado, fra do quarlo, expeda uns sons roucos da
colera que oafogava. Assim que Margarida des-
ceu ao pateo, Ricardo saira pelo quinlalejo da es-
talagem, e fra montar o cavallo, que tinha acau-
telado de suspeitas era outra casa. Desgarrando
da estrada, voltou ao Pontilo, e subiu crista das
fragas com o oculo, tremendo que a reconciliago
se flzesse enlre Nicolau e Margarida. Ora ist, se
nao era amor, eamor antiga coevo talvez do cas-
tello senhorial do rico homem, nao sei dar-lhe no-
me, a nao querer o leitor qne islo fossera ciladas
do demonio, em couformidade com as inlerpreta-
goes de santos e doutissimos sujeitos. Quer anjo,
quer demonio que Ihe instllasse no peito o nctar
ou a pegonha, o exacto que Ricardo de Almeida
apresentou a suas venerandas tas D. Margarida
Fromeot, sem dizer quera era, donde vinha, e para
onde ia. Ca?o nico no sollar dos Almeidas I
Perguntava D. Sima ao sobrinho, era quanlo D.
Sancha entretinha a hospeda suspeita :
Mas onde conheceste, menino, esta dama 1
Como veiu ella parar aqu l d'esses mundos de
Christo ?
Sei qne um anjo : vria do cu respon
deu Ricardo.
Do cu ti.. V l bem, menino Olha qoe
teu tio av\ o Sr. hispo de Coimbra, dizia qne as
mulheres assim galantes eram mensageiras do ini-
migo
Ora, minha lia...-volva o mogo afagan-
do-a. Receba sem escrpulos a pobre senhora,
qne tio galante como desgranada.
Enlo que tem ella, menino ? instava D.
Sima com malicia. |
A sua alma pura, minha ta, nao pode com
nao sei; asseveraram-me, porm, que ellas furam
enterradas de palmito e coras de rosas brancas,
islo diz muito em crdito d'aquellas senhoras, Em
quanto a cheiro de santidado, as oprnioes na fre
guezta divergem.
Como quer qne fosse, D. Sima, naquella noute
inventou tima eaxaqueca, e rccolheu-se sua al-
cova. D. Sancha saiu da sala para r ver a mana,
e voltou sala com outra cara. O certo que a
franceza achou-so sosinha ceia cora Ricardo,
que eslava odiando as velhas.
Margarida, sem presumir de aguda, entendeu
tudo, e condoeu-se de mal abafado sofTrimenlo de
Ricardo.
Nao se affja por amor de mim disse ella.
Eu aceito o menospreco de suas tas, sem azeda.
me. Com que ttulos se apresenta estima de
KS
beicos, deu vislumbres de incertesa era quanto
primada das mesmas virtudes.
O IMalgo ergueu-se de golpe, e langeu uma
campainha.
Enlrou sala um escudeiro.
A criada da sala? perguntou Ricardo.
Est no quarlo das fi'dalgas.
Que venha aqu.
Eutrou a criada.
Conduza esta seodora ao seu aposento, disse
Ricardo, e conservo-se no quarlo prximo, esperan-
do as ordena que a Sra. D. Margarida Ido der.
Has as lidalgas................ balbuciou
a aia.
Ordenei I atalhou o mogo, e, voltando-se a
M rgarida, disse : Quando V. Exc. qui/.er reco-
Ider-se.....
lre ja; mas dispenso os servigos da sua
criada, observou a franceza.
Ao romper da manhaa, Margarida estava prepa-
rada, como se-recolhera akva. Pareca ter
chorado, e velado o restante da r.oute. A' mesma
hora, Ricardo, mandava preparar os cavallus; e
eufardava a sua bagagem. Quando sentio movi-
raenlo no quarlo da franceza, esperou-a na ante
cmara, e disse-lhe :
Resolv ir ver o Porto. Se V. Exc. me con-
sent, irei em sua companhia.
Que mais posso eu desejar ? disse Margari-
da. Mas..... Eu vim trazer a desordem a esta
casa... Que pesar meu Deus I
Veiu apenas trazer uma noute de amargura
duas senhoras desconheridas nma mnlher qne
viaja sosinha I?... Muito sentida vou, se asdeli- a ura homem. 1e a preza dr eras, minha senfao-
cair no
ra. De resto, eu vejo melhor o mundo depois que
V. Exc. aqui entrou. '."
As velhas tinhara sido avisadas dos preparativos
do sobriuho. Ergueram-se espavoridas e tresnou-
tadas a procuraren! Ricardo.
Pediram-lhe contas da sua inesperada resolugo,
cadas attencoes do cavalpero o flzeram
desagrado de suas tias I...
Eu son independente, minha senhora, respon-
deu Ricardo. Minhas lias, nesta casa, tem um pe-
queo patrimonio, e o direito de se retirarem com
elle. A minha emancipago comega boje.
Por Deus I atalhou Margarida, simulando e elle respnndeu-lhes com uma mesura de cabega,
pesar. Nao d desgostos as pobres senhoras I Olha e passou, D. Sancha exclamou, e D. Sima quiz ir
que ellas nao fizerara mais do que fariara quaes- sa,a dos relra'os acensar a degeneracao do ne-
quer outras. Eu conheco ora pouco a vida de w- Gs retratos leara medo, se as vissom com os
provincia em Franga, e creio que em Portugal Jossinnos cr de Ci enriados pelas mangas, e as
idntico o modo de sentir. Recebem se sempre slr'Kas' do cabeMo estupentadas. D'ahi pouco,
desconfiadamente as forasteiras, que se nao recom- viram a estropeada dos cavallos no paleo, e o
mendam logo com appelhdos geraldicos, nem de- ru-Sido do a,leroso Poao rodando nos gonzos. Fo-
nunciam pela libr de seus criados procedencia ram janella, e viram a franceza de par cora o
illustre. Arabos peccamos por leviandade, Mr. Ri- sobrinho, e uma carga de bats no seguimento da
cardo d'Almeida: V. Exc. errou em convidar a escandalosa cavalgada. Desmaiaram-se reciproca-
mulher que nao pode explicar honestamente a sua raenle nos bracos uma da a,ra> e assim estiveram
vida, o eu peque! em acceitar o convite, como se a at horas de almogo, depois do qual madaram cha-
consciencia de maior dlgnidade me habilitasse a Bar os parentes circuralusos as prximas seis
relarionar-me com duas damas da alta nobreza e, a leguas.
Lembroo D. Sancha, que o primo Nicolau de
Mesqoita, como homem que tinha visto muito mun-
meu ver, das primeiras virtudes.
A essencial feigao da ndole de Margarida Fro-
prehender o mal que^flzeram a esta senhora. No I ment era a irona; porm, a compostura de roste do, seria o mais hbil para convencer Ricardo a
entanto, eu responder! s perguntas de V. Exc com que desfecbava os remoques, nao Ih'a deixava fugir dos bracos da aventureira franceza, com
assim que ella sar ao seu destino. entre-ver fcilmente. Ricardo, pelo menos, recebeu quem se fra por essas Ierras fra. Foi chamado o
Mas.. .redarga a velha o mal qoe Ihe como ingenua a phrase laudatoria as virtudes de capelln para notar e escrever a carta, o assignala
flzeram has de remedia-lo tu ?... suas tas; e, sorrindo com um tregeito especial de em nome das senhoras. que qo sabiam escre-
nham por menos uma nonte para estar a roniade,
e deram-se com ancia mas foi a beber vinho.
Pelo meio da noute, qne estava escurissfraa,
chegaram cerra de duzentos vascongos : linham
man lado andarilhos logo de manhaa acordar mais
de vinte aldetas, dando Ihes noticia do incendio e
das afogagos; haviam era seguida os mais mogos,
com alguns homens experionles, marchado por ca-
minhos desencontrados, desfalcos para nao faze-
rem ruido, com grande quantidade de ctelos e
escadas de cardas, e tinham resvalado cautelosos
como raposas at se eneostarem torre, do lado
em que ella mergulha dimita al ao leto do no
nao hava guarda n'aquelle sitio, e o fragor da
agua impedia que se ouvisse qualquer rumor, se
por acaso o flzossem.
Trepou um delles a uma das setteras, depois
encostando uma vara at a uma das janellas da
torre, entrn, e prendeu duas estafas ; os outros
foram subindo por sua vez, at se acharem dentro
cincoenta ; c iam chegando outros, trepando pelas
escadas, e saltando pela janella, sem fazerem bu-
lla...
Estavam n'um pequeo reducto, donde avista*
vam na sala grande do primeiro andar, seis de-
grus por baixo delles, os de Bayona que eram s
tres n'aquelle lugar, dons a dormirem, e o ootro
que accordra nesse instante esfregando os olhos
e do costas voltadas para a porta do reduelo.
O que primeiro trepara fez sgnal aos dous quo
o haviam seguido logo depois, e saltaram do um
s pulo c lo certeiros que seus tres ctelos entra-
ran! de vez na garganta dos de Bayona, que fal-
tando-lhes as pernas cahiram no chao sem dar um
grito...
Depois, os outros vascongos entraram, e puze-
ram-se beira da escada que ia para a sala de
baixo, onde estavam os ioimigos, uns a dormirem
amalgamados ao p da brazeira, outros a parola-
ren! e a beberem...
Um destes, sentrado os cabellos molhados, er-
gueu a cabeca, viu tos vermelhos a correrem por
enlre as vigas do tocto, e poz-se a rir, motejando
de que os de cima por j nao poderem segurar os
copos estivessem a entornar o vindo.
Todava, disse ura delles, esto vindo a modo
quo esta morno !
Morno, sim I Dizes bem, est quente, este
vinho!
Molharam o dedo e depois a lingua, e conhece-
rara que era sangue.
E' sangue Irmos, sangue !
Travaram logo de chugos e correram escada.
Os vascongos, que haviam esperado por nao esta-
rem ainda em sufficiente numero, quzeram recu-
perar o tempo e atiraram-se; mas os primeiros
senliram logo a ponta dos chuco* e foram ao ar,
ao passo quo os de Bayona estreitando-se e poodo
diante de si como uma floresta de langas, princi-
piaram a subir.
Ento, tres vascongos aeixaramse escorregar
como lagartos pela parede cobrindo-se com os ca-
dveres, e mettendo-se entre as pernas gordas da
marujada principiaram a trabalhar com os cte-
los, do maneira que os de Bayona estando aperla-
dos na escada e embarcados com os homens e
com os chugos que cadiam atravesados, nao pu-
derara avangar. Uns piucos de vascongos salta,
ram de repente mais de vinte ps, espreitando a
occasio, at ao meio da sala, onde nao davia chu-
gos, e principiaram a toda a pressa a cortar goe-
las, e, pondo-se de joelhos, a abrirem barr jas,
que era um desengao; linham mo leve, mala-
vam a despedir, e poucos dos seus morriam por-
que vinham de camisas de couro, e os cabos dos
ctelos tinham cordas para nao Ibes escorregarem.
Acresco que os outros vascoagos que estavam em
cima, e que eram j a esse tempj mais de cem,
atlraram-se como cabritos at ao fun da escada,
em quanlo iam chegando outros de instante a ins-
tante, e por todos os lad3s da casa, homem contra
homem, travaram-se de lula.
Conta-se que um dos mais valentes morrera de
singular desabre; cortara a cabega a um dos de
Bayona, mas aproximou de mal* a sua, e o esgui-
cdo das duas veas grossas do pescogo saltou-lhe
cara de sbito cera tal torga que Ihe tapou os
ver. O egresso franciscano fez uma expo*igo
pavorosa do escndalo, citando, com referencia
franceza, todo o mal que Santo Agostinho e S. Joo
Chrysostomo haviam dito das mulheres.
Este periodo notavel:
olhos; raetteram-lhe por esse ensejo nma adnga
as costellas, e o homem cuspiu sangue e morreo
Os de Bayona, qne eram em menor numero e
menos ageis, nao poderam agnenur-se, e ao cabo
de meia hora j nao havia mais do que duie, ao
fundo, ao p d'um celeiro: os aseoocos para des-
pacharem mais depressa pegaram dos chusos e
principiaram a furar os homens, at qne elles re-
cuaram e cahiram no celeiro. Nessa weasiao.
apagando-se as luzes os vascongos para nao k fe-
rirem uns aos oulros formaram nma liaba d cha.
efe, eromporam s cgas no celeiro por mais
d'um quarto de dora, para lerem maior certeza de
que nenhum dos de Bayona flcasse eoas fus; de
maneira que, quando tudo se aquietan, a
acendendo os archoles, olharam, viram o
semelhante a uma salsicheira, com os coros cor-
tados por mais de vinte sitios, c os memhros mis-
turados uns com outros, sem fallar senao sai
fazer d'ali uma salgadeira '.
E os vascongos apesar de nao haver otan a
quem malar, rangiam os denles, exasperados an-
da ; alguns, feridos e com os beigos braacos, na
sentiam ainda as chagas, fleavam romo patadas
ao ultimo que haviam morto, e saltavam sem qne-
rerem; outros riam. com aquelle riso fixo dos
doudos, rugindo as vezes; e ia na raa nan tal
cheiro de sangue, que, ao velos rambalear por
aquelle feitio, dir-so-iam ebrios.
Quando foi sol nado, foram-se aos cadveres
dos affogados, tiraram os dos arco, deitarasn a
corrente d'agua os corpos dos de Bayona, e dissa-
ram que essa carga de carne mora era a porta-
gem qne pagavam os vascongos. O sangne qoa-
Ihado das feridas espalhou-se na agna, e dbsa
que foi uma vista admiravel, porque com o sangue
qne correu fieou o rio vermelho como o cenas
Oriente I
Eram o.; netos destes homens, qne eu ia ver na
Biscaia.
L-se na Estrella do Xorte o seguinte :
O PEHEGRI"<0.
Em um magnfico castello, do qnal ha nanitas
annos n5o resta sequer uma pedra que possa at-
testar a sua existencia, vivera oulr'ora nm seahor
rico e poderosa. Consagrava nma parte de sea
fortuna para augmentar o esplendor do sen viver,
pouco bem fazia aos pobres que lhc eslendiam a
mo.
Ura dia bateu-lhe porta um peregrino, misara-
velmente vestido, e pediu hospitalidade por nma s
noute. O senhor repelliu-o grosseiraroeota, dizen-
do-lhe:
O meu castello nao uma estalagem.
O peregrino redarguiu :
Dae-me licenga que eu vos faga orna nica
pergunta, c eu contiouare meu camioho.
Com essa condigo, diz o sennor, podis ia-
terrogar-me, e eu comprometto-me a responrJer-
vos.
Tenha a bondade de me dizer, replicn o
peregrino, quem habitou este palacio ana de
vos ?
Meu pae.
E quem o ocenpava antes de vosso pae *
Meu avd.
E quem o occopars depois de vos 1
Hade ser meu filho, se Deus o permittir.
Ora pois, observoo o peregrino, uma vez qne
cada um habita este castello s por nm certo ten-
po, e que um cede sempre o logar a outro, vos sois
todos realmente passagelro, e esta casa nao se-
no nma hospedara. Por isso gastae menos di-
nheiro em ornar a vossa habitagc com magnifi-
cencia e tornae-vos caritativo para com os estra-
gados. Tratas nesta habitagao; onde apenas esta
reis um otante, de arranjar nma habiiacao eterna
nos cus.
Esta palavras flzeram Al impressao no escrito
do castellao que o decidiram a dar hospitalidade
ao peregrino, enchendo o de beneficios, e o torna-
rain caritativo com os pobres, qne d'ah em dlaale
acharam nelle um decidido protector.
Dae sempre um generoso soccorro aos infeli-
zes, abri-lhe as portas de vossa anas, ainda qoe se-
ja uma choupana^ e a paz e a Telieidade reinara
Delta sempre. >

a Aqui tendes, caro sobrinho, o desdonro que a
vontade do Senhor nos reservava nossa velhi-
t ce. Uma forasteira, vinda de Franca, por nsii-
gaco de Saianaz, rouba-nos a menina dos olhos,
o nosso Ricardo, que to humilde nos tinha sido
al agora, e to bem comportado, que nao cons-
ta em todas estas freguezias, que perder fllha de caseiro. Suppe a gente, que elle
arranjou esta tentago l por Villa-Real, onde
o estar quatro das. Mas clama jusiga ao cu vir
elle com ella para esta casa, onde nao ha memo-
ria de entrar mulher desconhecida I Chama-se
> ella Margarida, e pelo donaire e modos bem se
v que mulher afleita a correr o mundo. Nun-
ca vimos creatura cora tanto palavriado. Aqu
f ninguem nos pode valer como o nosso parea-
t te Nicolau. Lembrae-vos, que sois do mesmo
t Sangue do nosso Ricardo; pois que vossa bisav
i era irma do bisav do nosso sobriuho. Elle
dizia que vt> sois um hornera de grande inlendi-
ment e sabedoria, porque lendes experiencia
< do mundo. Se eslimaes esta familia, que tambem
< a vossa, fazei-nos o favor de ir Villa-Real, ou
onde elle estiver com a tal aventureira, e desper-
f suadi-o do peccado e da loucura. Lembrae-lhe
a honra da sua linhagem, e trazei-o para sua
casa antes que a franceza Ihe derranque a airas,
etc. Este o periodo em que Sancha e Ma-
falda choraram torrencialmente, e o egresso
tambem.
Parti um criado com a carta para o Vidago, eu
para onde Nicolau de Mosquita estivesse. Do Vida-
go passou a Chaves, a procura lo em casa de Mar-
tinho Xavier. Foi entregue a carta ao morgado
de Palmeira, a tempo que elle estava amollentando
os asperrimos ciumes de Beatriz, informada do
encontr em Villa Pouca, pelo espio que manda-
ra. Nicolau tinha inventado nao sabemos que ro-
mances conta 4a mulher, que o arlado de Beatriz
afflrmra ser linda como as estrellas e mocetona
de uma vez, modo seu de exprimir a mxima per-
ectibilidade da belleza mulbeni. A prima rcpellia
desabridamente as humillimas explicagoes, que
reviam absurdeza, e deficiencia do estudo pre-
vio. Chegou, porm, a carta, com a indicaco de
onde vinha.
Que me quero estas sersmas do Pontido ?
disse Nicolau.
Leu, e no decurso das duas primeiras paginas
fradescas, resadas era voz alta, Inlerrorapeu-se,
exclamando :
Qne vem a ser islo T !
Relanceen os olhos sobro a terceira pagina, e vio
as palavras franceza e Nm^ana. Mudou de cor,
e leu d'ah em diante mentalmente Beatriz des-
conflou, e foi, irreflectidamente, cora liherdade de
nova, e indelicadesa de menina, .oe naoganhou no
collegio premios de civilidade, eopreilar o dizer
da carta. Nicolau furtouse curiosidade e aog-
racntou a suspeita. A menina saiu da sala coa
arrebatamento, e foi dizer ao pae :
J oo quero casar com o tio Nicolao. (Ja
era tio I...)
Porque, menina !
Porque sira... E' um infiel!
Ora, creanca !.., Sainamos isso por raiudos.
Beatriz conten o encontr com-a mulher em Villa
Pouca, e o recebimento da carta, que elle esconde-
r depois de ter lido uma porgo d'elia a dizer mal
das mulheres.
Martinho Xavier riu-se dos amuos da menina.
e foi entender-se com o primo.
Nicolau, depois de se licar pasmado uns tres mi-
nulos no periodo que trasladamos, quiz dispor as
suas ideas, em ordem a conjeeturar o abstrnso es-
lace de Margarida com Ricardo de Almeida, duas
pessoas, que nunca se linham visto. Este reparo
denota que Nicolau nao conseguir coordinar as
suas ideas. Pois as duas pe.-e.-as nao se eaviass.
ter visto ao menos quando uma era roubada peta
outra ?
Responda elle a esta pergunta do siso-commau,
quando Martinho Xavier enlrou, dizendo :
Que vem ser isla, primo Mesqoiln ? A Bea-
triz est zangada. Que Ihe fizesle ? qne amatar
essa com quem estiveste em Villa Pooea ? E essa
carta, em que se diz mal das mulheres, qne un a
ser? A pequea foi dizer-me que aao qvet casar
comtigo I
Nicolau reflectiu, e achou ura miracnloso expe-
diente de justilicago. Den a carta a ler ao prisa.
dizendo :
Eu duvidei contar a tna fllha nasa historia de
honestidade muito equivoca. Ah veras, qoe me
chamara as lias Almeidas para redoxir o inhonae
a deixar uma mulher que o perde. Esta anta*
a mesma que veiu Villa Pouca para capilar ase-
nta estima, c movor-me a induzir meu pristo Ri-
cardo a casar com ella. Aqui teos, pomo Xavier,
como eu vejo enredado n'uma teia, qu nw faz raal-
quisto de tua tilda. So queres explica-ta ate qne
islo. Eu nao sei faze-lo sem cuidar qne aura-
jo o seu pudor.
Martinho expediuuma sincera fargalbada, e ex-
clamou :
D-mo a carta, que eu vou pacificar a peer
menina I
D'ahi a pouco Beatriz ostrn muito agraciada
presonga de Nicolau, e disse, toda aibgw :
O primo perdoa-me, pois nao perdn T
E, por amor do seu cume, cada vez a adoro
mais, Beatriz Irespondeu o morgade lernaaasata.
(Coii/ PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. D8 F. FltoH




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXJTC29CO_D4LW6N INGEST_TIME 2013-08-28T02:56:05Z PACKAGE AA00011611_10490
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES