Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10489


This item is only available as the following downloads:


Full Text
j -r-


Alflff O XI. MISERO 233.
Por tres eezes adan Untos 5|00
Por tres mezes vencidos 6J0
Porte ao correio por tres mezes. 9750
TERCA FEIR 11 DE 0DTUSBO DE 1864.
Por asno asaltado. .... 1M0OO
Porte ao correio por anno. 3|0u
INCARRJsGADOS b& BUJSMJItt^AO NO MOR
Parahyba, o Sr. Antonio Aleraudrino de Lima
Natal, Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr.A. de Lemos Braga; Cear. o Sr. J. Jos de
Oliweira; Maranhio, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa. *
INCARRKGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Faicao Das; Bahia, o
ir. Jos Mareras Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
tARtlii UO &9tAPKlA&
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Ifuarassn', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhons as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu" as quartas feiras.
Sennhera, Rio Formoso, Tamandar, una, Barrei-
nJosJ AtUa i>rota e W""Wh* "as quintas feiras.
lina de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
A EPHEMER1DES DO MEZ CE OJJTUBRO.
8 Quarto cresc. a 1 h., 17 m. e 30 s. da t.
15 La cheia as 4 h., 55 ni. e 38 s. da m.
22 Quarto ming. as 8 b., 59 m. e 48 s. da m.
30 La nova a 1 h., 8 ra. e 26 s. da t.
PRKAMAR DB HOJB.
Primeira as 11 horas 42 minutos da manhaa.
Segunda as 12 horas 6 minutos da tarde.
MuR^M iOj VA^ORiia cOSit-ROj.
jPJW 5% at Alagdas a 5 e K; par* o norte at
* ilfca "ei- de cada mez; para Fernando no
ca* tajaos mezes dejan, marg., maio, i'nl, set. enov
' PARTIDA DOS MNIBUS.
Parro Recife: do Apipncos s 6 Vi, T, 7 Vi, 8 e
8 Vi o* m.; de Oiinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboaa s 6 V dam.; do Caxang e Varzea s 7
da n-iaa Bemficas8 dam.
t Wfl.; pm APPUC0S s 3 Vfc i 4 Vi: 4 Vi,
' isf* '* e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
manha e 4 Vi da tarde; para Jiboatao s 4 da tar-
de ; pan Cachang e Vanea s 4 Vi da tarde; para
temflct as 4 da tarde.
AOILNClA POH (RilJNAgS OA CAPTIAL.
Tribunal doc:inmercio: segundas quitas.
Relami: tercas e sabbados s 10 oras.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphcs: ter;as sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas a* me
da.
Segunda vara do ci re: quartas o sabbados a i hora
da urde
das da r?M. na.
10. Segunda. S. Francisco de Borja.
M. Terca. S. N car i o b. m.; S. Sumatra.
12. Ojiarla. Ss. Cypriano e W.i indo bb. mm.
13. jiiuta. S. Eduardo re de Inglaterra.
14. Sexta, S. CalMIo p. m ; S Gandenrio b. m.
lo. Sabbado. S. Thereza de Jesns t. e.
s#. Domingo. Ss Mariiuiauo e Elysio irs. rom.
ASS1GNA-SB
no Recife, em a vraria da praga da Independen,.,,
na. o 8, Oes propristarios Manoel f-igoeirod*
FariafcrBho.
PAUTE QFFICIAi,
..
GOVEMO DA PIOUNCIA.
Expediente do di* 7 de outubro de 1864.
Ofllcio ao commandante das armas. Para que
se possa effectuar o pagamento que soliciton o de-
legado do termo da Ex em ofllcio de 27 de julho
ultimo, e sobre que informou a thesnuraria de fa-
zenda em data de honteni, >ob n. 573, faz-se preci-
so que V. S. me informe se ] se actia recolhido ao
2 batalhao de infantaria qne pertenee o soldado
desertor Jos Francisco dos Santos que eslava re-
cluso na cadeia daquelle termo.
tiue
der
Antonio Fernandes de Cistro.Passe portara
conredendo a licenga pedida.
Antonio Loiz de Oliueira Azevedo & CPasse
portara concedendo a i i cenca pedida.
Andr Avelina de Barros Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Henrique Jos Vieira da Silva.Passe portara
concedendo a liceoga pedida.
Jos Nunes Correia.Informe o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Jerunyma Theolnia de Freitas Torres.Infor-
me o Sr. desembargador provedor da Santa Casa
de Misericordia.
Jos Feliciano Machado.Passe. portara conce-
dendo a licenca pedida. ,.. '
Alfares Manoel Soares de Albergara.Passe
portara concedendo
Dto ao roesmo.-Expega V. S. suas ordens para ^?fi"J!22 "cena requerida, equanto
le as II horas do da da amanhaa ao Dr. chefe a uHiroa parte indefendo por ser contra a le.
Je polica se aprsente impreterivelmente urna es
colla de 15 pracas commandadas por un inferior
aflm de conduzir 6 criminosos al o termo do Bni-;
que, providenciando para que a mesma escolta al-1
ll esteja disposico do respectivo juiz de direito
at o encerramento da sessao do jury.-Fizeram-
se as necessarias communicacoas.
Dito ao Dr. chefo de polica. Declarndome o
coronel cummandante das armas em ofllcio de hon-
tem, sob n. 1,748, haver providenciado no sentido
de evitar as inconvenientes do que trata o admi-
nistrador da casa de deteocao a respeto da guar-
da daquelle estabelecimento na representacao que
veio annexo ao oulcio de V. S. n. 1,201 d 27 do
juez Ando : assim o communico V. S. para o fa-
zer constar ao predito administrador.
Dito ao Inspector da thesouraria de fazenda.
Inteirado do contedo do seu ofllcio de 4 do cor-
rente, sob n. 570, tenho a dizer em resposta que
mande V. S. indemnisar o arsenal de mannha da
quantia de 258879 r$., constante de seu citado
ofllcio, depois que o thesoure nacional autorisar o
supprimento de crdito neressaro para esse fim.
Dito ao meMao.Transmiti V. S. os inclusos
documentos que me remetteu o commandante su-
perior da comarca do Recife com ofllcio de hon-
tem, sob n. 121, aflm de que nao bateado incon-
veniente mande pagar nao s os vencimentos rela-
tivos ao mez de setembro uliirao, dos officiaes de
Ia linha, tambores, cornetas e clarins empreados
nos corpus da guarda nacional deste municipio,
mas tambem a importancia doaluguel de 3 mezes
vencidos em setembro deste anno da casa que ser-
ve de secretaria daquelle commando suiierior.
Dito ao mesmo.Constando de sua informaran
de hontem, sob n. 574, dada com referencia a da
contadura dessa thesouraria, que nao ha crdito
para o pagamento dos vencimentos do juiz muni-
cipal do tprmo do Buique, bacliarel Antonio Fer-
nandes Trigo de Loureiro a contar de 12 ate o tP
timo de maio prximo lindo, autoriso V. S. a man-
dar eftVctuar esse pagamento sob minha"Hponsa-
btidade, nos termos do decreto n. 2,88i do 1 de
fevereiro de 1862, como pede o mencionado baclia-
rel no incluso requerimento.
Dito ao mesmo Transmiti V. S. para os de-
vidos effeitos, o incluso attestado em duplcala, em
vista do qna tem o soldado da sec^ao urbana do
corpo de polica Manuel Bezerra de Vasroncello*.
de perceber a gratificado que Irte compete como
aprehensor do soldado do 4 batalhao de artilhara
a p urbano Antonio Joaquim Francisco de Sant'
Anna, que se achava desertado.Communicou-se
Manoel Jos da
de polica.
Luz.Informe e Sr. Dr. chefe
tOVUH\0 DO BHP4DO DE
im2h.vimk1 < o.
SEIHVAaM
outubro de ISfri.
Expediente do dia 3.
Ofllcio ao vigario da cidade de Macei.Chegou
ao meu conhecimenlo por intermedio do Rvd. vi-
gario da vara da comarca da Imperatriz dessa pro-
tincia, Joo Soares de Albuquerque, urna queixa
coaita oRvl. Alexaodre Jos Grangeiro, dada
pela propria parte que se diz offendida ; e junta-
mente urna petic.no do mesmo Rvd. Grangeiro ins-
truida com varios documentos em sua defeza, e
entre elles a desistencia do referido queixoso feta
perante a subdelegada, como ver V. Rvma. dos
papis inclusos. Sendo pois necessano proceder
em negocios dessa ordem com a possivel cautela,
circumspeccao e prudencia ; porque, se do meu
dever nao faltar com a justiga a ninguem, nao
deixar impunes os crimes que por acaso coinmet-
terem os sacerdotes, igualmente o protgeles
contra perseguices injustas, de que mutas vezes
sao viefimas, como mostra a exi^riencia diaria,
nao consentindo que'sejam sacrificados vingan^as
particulares de quem quer que seja, e convindo
por conseguinte averiguar a aulenticidade e expon-
tancidade dessa desb-tencia, aflm de que se possa
obrar ulteriormente como fr de juslica: autoriso
V. Rvma. em cujo zelo, prudencia e imparcia-
lidad e confio, para conhecer dessa pendencia,
mandando com a possivel brevidade notificar o
supramencionado queixoso, para em um termo ra-
soavel que Ihe aprazar, vir perante V. Rvma. ou
proseguir na sua queixa, ou ratificar a desistencia
que fez perante a autoridade policial, na intelligen-
ca de que, na primeira hypothose poder V.
Rvma. proceder nos termos d direito formacao
da culpa ; e na segunda, tomar por termo a de-
sistencia, e me a .remetiera immediatamente.
4
Ofllcio ao vigario collado da cidade da Impera-
iriz.Na mesma occasio em que receoi o seu of-
llcio de 17 do prximo passado, no qual me com-
niunica o fallecim-nto du Rvd. vinario de Porto
Alegre Ao Francisco dos Snr.tos Mcnteiro, e in-
dica o Rvd. t:osme Joaquim do Alraeida Magalhes,
do bispado do Cear, para eu o nomear paroeho
encominendado da referida freguezia, se Julgar
conveniente, recebi tambem urna carta de pessoa
do-me que na ra das Cinco-Pontas ha um arraa-
zem de molliados que tem por; emblema um rea-
bulo em ponto grande, no qual se v pintado o
propheta Daniel, dirtj-se V. Rvma. ao dono desse
estabelecjment, e faca-lhe ver a rapropriedade,
e mesmo a inconveniencia de se exporas-im como
para annuncio, umdos prophetas mais venerandos
do amigo Testamento, exhorte-o a que quanto an-
tes, retire das vistas do publico esse emblema da
antiga le, embora eu esleja convencido de que
nao foi este rotulo all collocado por menospwco
nem por motejo quer ao propheta quer religio.
Aguardo a resposta de V. Rvma. que espero seja
sem demora.
EDITAL.
O Dr. Joaquim Francisco de Fana, conego honora-
rio da capella impenal, lente jubilado de theolo-
ga, deo da santa igreja cathedral de Ulinda, e
vigario capitular da dlocese de Pernambnco, se-
do vacante, etc. -
Por especial mandado de Sua Magestade Impe-
rial, communicado pelo imperial aviso de 14 de
marco de 1829, expedido pela secretaria de estado
dos negocios da justica : ponho presente edital as seguintes freguezias, vagas deste
bispado, a saber : A de S. Caetano da Raposa, a
de S. Jos de Ingazeiras, a de Nossa Senhora das
Montanhas da villa de Cimbres nesta provincia, a
de S. Jos de Piranhas, a de S. Miguel da Bahia
da Traigao, a de Nossa Seohora da Coneeicao da
villa do Conde, na provincia da Parahyba, a de
Nossa Senhora da Coneeicao de Maco, a de S. Joo
Baptsta do Apo i Serra Negra, na provincia do Rio Grande do Nor-
te, a de Piassabugu, a de Nossa Senhora do O' de
Trap, a de Santa Auna de Ypanema, na provin-
cia de Alagdas, a de Nossa Senhora da Penha do
Burity e de Santa Anna da Catinga dos Alegres na
1 provincia de Minas-Geraes, e S. Joo de Porto Ale-
gre do Rio Grande do Norte.
Todo o Rvd. sacerdote on clrigo, que queira fa-
zer opposigo s igrejas cima referidas, apresente-
se com seus papis promptos e correles na forma
do estylo, para ser admitlido, fazendo termo de op-
posigo dentro do prazo de 60 dias, findos os quaes
se proceder ao concurso, no qual respondero os
reverendos opposiiores a nove casos de moral e
cooscienca, e faro urna exposicao ou homila do
evangelho, que eu assignar, para propOr a Sua Ma-
gestade o Imperador os que forem julgados mais
dignos na forma dos sagrados caones e concilio
tndentino.
Dado em Oiinda, sob o meu signal e o sello ca-
pitular, aos 8 de outubro de 1864.
E eu o padre Joaquim da Assump$3o, escrivo
da cmara ecclesiastica o subscrev. Deao, Dr.
Joaauim Francisco de Faria.
Edital pelo qual manda S. Exc. o Sr. Dr. vigario
capitular por a concurso as igrejas vagas deste bis-
pado, em conformidad..' das ordens imperiaes.
Para V. Exc. Rvma. assignar.
! Reg, Roxendo Jos Moreira, Antonio Joaqoim de
Souza, Belmiro Baptsta de Souza.
Movimento da casa do detencao do da 8
de outubro de 1064 :
Existlara....... 363 presos.
Intrarara......
Saniram.
4
9
358
Man*.....
A saber r
Nacionaes..... 286
Estrangeiros... 3
Mulheres...... 13
Estrangeira___ 1
Escravos...... 41
Escravas...... 4
*358 '
Alimentados custa dos cofres provinciaes 152 {
Movinaento da enfermara do dia 9 de outubro
de 1864.
Teve baixa :
Jos Caetano dos Santos, bronchlte.
Movimento da casa de detencao do dia 9 de
ou'.ubro de 1864.
Existiam....... 358 presos.
Entraram...... 5 >
Sahiratn....... 10
A saber
Elistem....... 354
Nacionaes..... 283
Mulheres...... 8
12
1
40
4 >
Mulheres..
Estrangeiros...
E Escravos ......
Escravas......
355
ao commandante das armas. i Que se diz procurador da igreja, sollicitand ins
Dito ao engenheiro fiscal da ponte de ferro do feotemente essa nomeacao eui favor do Rvd. Ama-
Recife.Para solucao da duvida proposta por Vmc. ir Brasil.
em seu ofllcio de 5 do corrente, convin que me in-
forme se a diftVrenca que se nota para menos na
espessura das chapas de ferro, que devem formar
as grandes columnas da ponte do Recife, pode di-
minuirs condices de seguranca, solidez e dura-
cao que deve ter a mesma ponte.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
Vmc. ferropcar nesse arsenal os sentenciados mi-
litares Joao Jos Pram-iseo, Manoel Paulo Peixoto
e Joaquim Ferrara Paes dos Reis, que para esse
fim nenio mandados apresenlar npssa repartigo
Alimentados a custa dos cofres provinciaes 149
Movimento da enfermara do da 9 de outu-
| bro de 064 :
Teve baixa para a enfermara :
Maria Lucinda da Coneeicao parto.
PERNAIYIRUCO,
Infenndo o contexto dessa carta a existencia de
duas parcialidades, cada urna das quaes pretende
obtero triumpho para o seu candidato ; lastiman-
do que os deis dessa parochia, esquecdos um ins-
tante dos seus deveres de christos, queiram tomar
partido na e>colha do seu pastor, confundido desta
arte um negocio espiritual do tamanha importan-
cia, no qual s Ihes.cumpre obedecer, como a
nomeagao dos parochos, coni uma-eugjio popu-
lar ; querendo evitar rivalidades, e as funestas
consecuencias que dellas quasi sempre resultam
por parte do coronel commandante das armas. em prejuizo das consciencias, o mesmo do socego
Communicou-se ao commandante das armas. Publico, tenho resolv Jo nao nomear por ora ne-
Dito ao conse'ho administrativo Recommendo nhurn dos pretendentes, i para que n.o solTra a
o conselho administrativo, que compre |>ara for- ,
necmento do almoxarifado do arsenal de guerra,
os objectos mencionados no pulido que aqu ajun-
to.Communicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito cmara municipal de Santo Anta.Res-!
pondeudo ao ofllcio de 27 de setembro ultimo, em j
que a cmara municipal de Santo Anto me cem-
munica oo ter apparecid > licitante algum arre-
mataco dos impotos mencionados na tabella an-
admiiiistrago do paslo espiritual", autoriso V.
Rvma. na qualidade de procho mais visinho, para
paroebiar a mencionada freguezia, em quanto uiio
for por mim convenientemente provida, o que V.
Rvma. commiinicar aos oteivssados.
Dito ao padre Cosme Joaquim de Almeida
Magalhes.Pelos ponderosos motivos, que Ihe se-
rio communicados pelo Rvd. parodio da cidade
da Imperatriz, Anlonio de Souza Martins, nao
por ora conveniente que seja V.'Rvma. nomeado
parodio encoinmendado da freRueza de Porto Ale-
nexaao citado ofllcio, tenho a dizer-lhe qui mande
por novamente em pragaos referidos Inioostoscom
o abate da 4" parlo. : K1"1"- F,ca ** respondido o seu offlco de 21 do
Dito cmara municipal do Bonito. Approvo' prximo passado.
as arrematagoes dos impostos de que trata o ffl- J,,t0 ao Joaquim AlexandreJNunes Capsula.
ci que me.dingio a cmara municipal do Bonito, Pl'Ios ponderosos motivos, que Ihe sero presentes
em 22 de setembro ultimo, pela quantia neile in-
dicada, devendo a mesma cmara remetter-me co-
pias dos termos dos contratos das referidas arre-
matagoes.
Portara.O presidente da provincia, atienden-
do ao que requereram Antonio l.uiz de Oliveira
pelo Rvd. paroeho da cidade da Imperatriz.Antonio
de Souza Martins, nao julgo por ora conveniente
que s.ja nomeado paroeho encommendado da Ire-
gueza de Porto Alegre o Rvd. Amaro Theot Castor
Bra>il.
iiesta data providenciei acerca da administra-
Azevedo & C, resolve conce ler-lhes licenga para ?H0 do Pas, espiritual em dita freguezia, at que
mandarem ao presidio de Fernando o hiate naci- seJa Por >mim convenientemente prvida. Fi-
nal Doi Amigos, ficando, porm.obrigados a fazor cain aSilin respond las as suas cartas de 18 e
transportar gratuitamente ate tres passagens deslg- 23 do prximo passado.
nadas pelo governo, e bem assim os objectos e ge
eros do estado que nao excederem ao peso de
urna tonelada, o que ser verificado pelo director
do arsenal de guerra, outro sim ticar > igualmen-
te obrigados nao s a transportar no mesrn.0 hate,
para aquelle presidio, os demais empregados, pra-
cas, sentenciados militares e de justiga, mediante a
indemnisacao de cinformidad con a '.abolla de
27 de outubro do 1862, como bem a n-i consentir
qne para all se iraosportem sem permis-o do go-
verno, gneros e quaesquer outros objecto* per-
teocentes particulares, nao pidendoeffectuar o
desembarque do carregamento, que levar dito da-
te, sem que por parte do commandante do mesmo
Eresidi se proceda a exame, ali.u de verificar se
a agurdente ou ootra qualquer bebida alcoolica.
lutatis mutandis em favor de Henrique Jos
Vieira da Silva para levar w seu hiate Sergipano.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes a vapor mandem lar passagem para
a corte no vapor que se espera do norte, ao solda-
do voluntario do 1 batalhao de infantaria Francis-
co BarbosaPinheire.Communicou-se ao comman-
dante das armas.
Expediente de secretario do governo do dia 6
de outubro de 1861.
Ofllcio ao Exm. secretario do Imperial Instituto
Agrcola. S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda transmittir a V. Exc. para terem o conve-
- 6-
! Ofllcio ao Exm. Sr. presidente da provincia.
Tenbo a honra de aecusar recebido o ofllcio de V.
Exc. com data do Io do corrente communcando-
me que por decreto de 17 de setembro (Indo fra
apreseutado o padre Jos Gabriel Pinheiro na
igreja parochial de Nossa Senhora da Paz, da po-
voaco dos Afogados desta provincia.
Dito ao mesmo. Foi-rae transmitido pela secre-
taria dessa presidencia, e. por mim recebido com
especial agrado, o exemplar da falla com que Sua
Magestade o Imperador encerrou a segunda sesso
da dcima segunda legislatura da assembla geral
legislativa.
- 7-
Ofllcio ao padre Manoel Amancio das Dores
Chaves.Tendo-me participado o Rvd. vigario in-
terino de Macei, em data de 28 do prximo pas-
sado, acharem-se findos os livros de langamentos
daquella matriz, autoriso V. S. por esta vez para
abrir, numerar e rubricar os novos livros que Ihe
forem por elle apretinados, vist* como este Rvd.
paroeho, apezar de ser o vigario forneo da co-
: marca, o nao p le fazer, por pertencerem os livros
i propria matriz de quo paroeho encommen-
dado.
! Dito ao vigario encommendado de Macei.
Tendo eu estabelecido como regra invaravel que
os livros das matrizes jamis sejam rubricados pe-
lo proprio paroeho que nelles tem de escrever, e
mente destino os incluios exemplares de ns. 19 e ; sendo esta minha resolugo fundada em razoes de
20 do peridico Brasil, publicado nesta provincia
por Fraocisco Maria Duprat.
Despaches de dia 7 de enlubro de 1861.
Requerimento.
Antonio Symphronio Rodrigues Lima.Passe
portara concedendo a prorogago pedida.
Andr de Abreo Porto.Informe o Sr. inspector
da arsenal de marnha.
Alexandrno
intermedio do
blica.
primeira Intuigo, nao convm queeu faga excep-
ges nestes casos sempre odiosas. Assim pois,
nao obstante o cargo que V. Rvma. exerce de vi-
gario forneo dessa comarca, nao obstante a con-
fianca que os seus actos o a sua probidade rae ins-
pirara, tenho determinado autorisar ao Rvrao. Ma-
| noel Amancio das Dores chaves para abrir, nume-
rar e rubricar por esta vez os novos livros dessa
! matriz, ficando assim respondido o ofllcio fpor V.
Ayres da Paixao.Requeira por' Rvma.enviado com data de 28 do prximo passado.
director geral da instrnecao pu-1 ?"">..
Offlco ao vigario interino de S. Jos.Constan-
REVISTA DIARIA
No sabbado ultimo, deu a sociedade recreia-
tiva Corybantina a sua partida mensal, em que se
notava urna reunio escolhida de cavalleiros e de
senhoras a numero superior a cento e vinte, real-
gando assim aioda mais a funego, qur pelas
gragas que sao naturaes ao bello sexo, qur pelos
elegantes toilettes que as adorna vara.
O recreio correu em seu todo com a desejavel
regulandade, sendo o servigo bom e a msica ex-
cellente.
Dansou-so at depois de tres horas da madru-
gada.
Tendo sido mal informada a pessoa que nos
enviou as noticias de Oiinda, que hontem demos,
cumpre-nos rectillc.a-las com adeelarago deque,
apenas constou o roubo da casa da ra da Ladei-
ra da Bica do Varadouro ao digno Sr. Dr. delega-
do supplcnle em exercicio, deu elle todas as pro-
videncias e poz-se em campo.conseguindo apanhar
um bah com diversas pegas de roupa, urnas ar-
gas deouro e outros objectos; e ainda nao ces-
sou em suas pesquizas para descobrir o autor do
crime.
Amanhaa se extrahir Ia parte da Ia lote-
ra da matriz de Caruar, (IIIa) sendo omaior
premio 60005000.
Na tarde de hontem, pelas quatro horas, o
soldado do 9 batalhao de infantaria que eslava de
servigo de camarada ao capito Vasconcellos, ten-
tou suicdar-se descarregando tres golpes no pos*
cogn, com urna navalha ; sendo que nao Consta
qual o motivo que levou este infeliz a tentar contra
sua existencia.
Foi testemunha do facto urna praga s ordens
do quarlel general, e o infeliz depois de vestoriado
no hospital militar, ah flcou em iratamento dos
feriraentos que forara elassifleados graves pelos pe-
ritos.'
Repauticvo da polica.
(Extracto das partes dos dias 9 e 10 de outubro
de 1864.
Forara recolhidos casa de detengao no da 8
do corrente :
A' ordem do subdelegado do Recife, o marujo
inglez William Eastman, requisigo do cnsul
respectivo.
A' ordem do de S. Jos, Antonio, escravo de
Joanna Francisca de Medeiras, para correceo.
A' ordem do da Magdalena, Antonio dos Santos
o Silva, para averiRuages policiaes.
A' ordem do da Varzea, Manoel Raimundo dos
Passos, por crune de estupro.
9
A ordem do subdelegado do Recife, Felippe Fran-
cisco das Chagas, para corrego.
A' ordem do de S. Antonio o Portuguez Jos Ser-
gio Pereiro da Costa, por briga.
A' ordem do de S. Jos, Jos Soares, para ave-
riguages policiaes, o o Prussiano Henrique Feltes-
mam, por disturbios.
A' ordem do da Capnnga, Maria Joaquina da
Coneeicao, por insultos.
A' ordem do da Varzea, Maria Lucinda do Sa-
cramento, por estar indiciada em crime de infan-
ticidio.
O chefe da 2* secgao,
/. G. de desquita.
Passageiros do vapor nacional Cruzeiro do
Sul, saludo para os portos do sul :
Teoente Joo Paulo de Miranda, Dr. Joao dos
Santos Si I ve ira o 1 criado, Dr. Gustavo Balduino
de Moura Cmara 2 escravos e 1 escrava, J. G.
Grodair, tenente Luiz Jos Ferreira Jnior, solda-
dos Saturnino Nunes de Barros, Vicente Ferreira e
Francisco Barbosa Pinheiro, Braz Conde de Olivei-
ra, Lniz Lucas Correa, Jos Casado Lima Paran-
gola, 2 recrutas, Ignacio Jos Pesua Jnior, Ti-
burcio Alves de Carvalho, Antonio Bezerra Monte-
negro, um desertor, capito Raphael A. Fortunato,
major Jos Lopes da Silva, alferes Martins Vieira
dos Anjos, capilo Manoel Antonio de Moraes,
Francisco Duarte do Oliveira, imperial roarinheiro
Faustino Quirino de Freitas, padre Jos Pinto de
Almeida, Manoel Soares de Menezes, 1 escravo de
M. Espirito Santo, Manoel Fontan, Dr. Pedro Ca-
mello Pessoa e 1 criado, Jos Francisco da Silva,
Dr. Cato Guerreiro de Castro e 1 escravo, Herme-
negildo Jos Tavaros, Antonio Mximo da Cunta
f|
ll
i e
i
%
1 1 1 *" 1 I ll | -1 | Masculino. ** JO 1 2. > a
Ji J, Ji J sH"'"0- 2 va
1C 1 lili 1 ^faawwito. n en SB p > 2 E oe
i 1 P 1 1 1 . \ Feminino. 1
i I va i 1 Masculino. to 1 M en C3 > so
1 1 1 ft ^ Feminino. < o
1 1 - ^ Masculino. 1 tO 1 as
oe m | - 1 Feminino. 00 1 ' f 2 : 5 >
! i 1 i 81. i 1 1 8 Masculino, i o i
m 9 I 1 Feminino. i 1 l )
f
I
a.
t
l
3
i=
I
M I TOTAL.

ADVERTENCIA.
Na tetalidade dos doentes existem'139, sendo
80 bemeos e 39 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
Pelo Dr. Ramos s 6 1|2, o 3|i, 6 1(4, 6 i\i, 6
1|4, 6 1|4, 6 1|4.
Pelo Dr. Sarment s 7 3i4, 6 Ii2, 8, 8, 8 3|4,
8 I|4, 8 40.
Falleceram :
Joanna Maria Sabina ; apoplexia.
Honorato de Carvalho Paos |de Andrade,. ttano
traumtico.
Mana Tnereza de Jess ; anemia.
Leonizia, ascite.
Lourengo Jos Ribeiro : pbtysica pulmonar.
Obituario do cemitf.iuo publico no da 8 de
outubro de 1864.
Manoel, Pernambuco, 9 mezes, Boa-vista; denti-
go.
Joaquim Americo Alvino Bastos, Pernambuco, 36
annos, casado, Recife, ascite.
Marcos, liberto, Pernambuco, 15 annos, solteiro,
Recife, espasmo.
Mana Francisca Ribeiro Padilba, Pernambuco, 60
annos, viuva, shyrro no estomago.
Ignacia Maria da Ora, Pernambuco, 73 annos, viu-
va, S. Jos, diarrhea.
Rufina, Pernambuco, 10 mezes, S, Antonio, phty-
sica.
Joo Arcino Coelho, Parahyba, 2o annos, casado,
Boa-vista ; calculo venenal.
Manoel, Pernambuco, 6 mezes, S. Antonio, dentt-
go.
Louren o Jos Ribeiro, Pernambuco, 2o annos, sol-
teiro, Boa-vista, phtysica pulmonar.
9
Jos, Pernambuco, 3 mezes, Santo Antonio, convul-
soes.
Manoel Possidonio Guimares, Bahia, 23 annos,
solteiro, Boa-vista, tubrculos pulmonares.
Joo Antonio da Costa, Portugal, 90 annos, vuvo,
Boa-vista, velhice.
Joo, escravo, Pernambuco, 4 mezes, Boa-vista,
dentigo.
Maria Francisca da Conceigo, Pernambuco. 36 an-
nos, solteira, Santo Antonio, hepatite.
Maria, escrava, Pernambuco, 25 annos, solteira, S.
Antonio, asthma pulmonar.
Antonio, escravo, < frica, 43 annos. solteiro, Reci-
fe, tubrculos pulmonares.
Maria, escrava, Pernambuco, 50 annos,|solteira, Re-
cife, gastro intente.
Jos Aniceto Pereira, Pernambuco, 23 annos, sol-
teiro, Boa-vista, tubrculos pulmonares.
Manoel, escravo, Pernambuco, 11 mezes, S. Jos,
tninegite.
CIIROMCaJLDICIARIV
tribunal da relacao.
sessao em 8 de outubro.
PRESIDENCIA INTERINA DO EXM. SR. DESBMBARGADOR
SANTIAGO.
s 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, liourengo Santiago,
Almeida o Albuqaerque, hW% Doria, Motta, e Do--
mingues da Silva, faltando o Sr. desembargador
L'cha Cavalcanti, abrio-se a sesso.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
roa, compareceu.
Passado6 os feito6 e entregues oe distribuidos.
deram-se os segrales
JDLfi AMENTOS
Carta testemunliavel.
Aggravante, Cypriana Maria das Mercei; aggra
vada, a fazenda.
Relator o Sr. desembargador Lourengo Santiago.
Sorteados os Srs. desembargadores Almeida e
Albuquerque eAssis.
Deram provimento.
Appeltarao civel.
Ap|iellaotes, os berdeiros de Jaciutba Maria
de Abreu ; appellado, Jos Peres da Cruz.
Desprezaratn-se os embargos.
Appellaces crimes.
Appellante, o juizo; a'ppellado, Manoel do Nasci-
meuto de Siqueira Barbosa Cavalcauti.
A' novo jury.
Appellante, 'o juizo ; appellado, Pedro Francis-
co de Lima.
A' novo jury.
Hubeas-corpus.
Concedeu-se ordem de habe-as-oorpus a Domicio
Severino Gomes e Antonio Alves da Franga, para o
dia 11 do correte, s II horas da manha, ouvi-
das as autoridades respectivas.
DILIGENCIAS CRIMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justiga
As appellaces crimes.
Appellante, Francisco Ferreira de Souza ; appel-
lado, o juizo.
Appellante, Jos Bento Beltrao Velloso ; appella-
do, o juizo.
Appellante, o juizo ; appellado, Roque Bento da
Silva.
DILIGENCIAS OVIS.
Cora vista ao Dr. curador geral
A appeltarao civel.
Appellante, Jos Setneo de Franga ; appellado,
o curador geral da Granja.
Cora vista ao Extn. Sr. desembargador procura-
dor da cora
A appellacao civel.
Appellante, Jos Marcelino Alves da Fonseca ;
appellada, a fazenda.
designaqo de da.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
As appellaroes crimes.
Appellante, Manoel Gomes da Silva Jnior ; ap-
pellada, a justiga.
Appellante, o promotor ; appellado, Jos Gu-
Iherme da Silva.
Appellaces civeis.
Appellante, o padre Antonio Jos Pinto; appel-
do, o baro de Jaragu.
Appellante, Jos Antonio Gomes Guimares ; ap-
pellada, a fazenda.
Appellante, a lazenda ; appellada, D. Anna Hol-
lina Paes Brrelo.
Appellante, Jos da Costa Dourado ; appellado,
Antoilio Manoel de Campos.
passagens
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
desembargador Lourengo Santiago
As appellaces civeis.
Appellante, Jos Pereira de Araujo ; appellado,
Joo Manoel Pontual Jnior e outros.
Appellante, Fraucisco Santiago Ramos; appella-
do, Gabriel Autonio.
Appellact) crime.
Appellante, o juizo ;' appellado, Sebastao Jos
de Azevedo.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
As appellaces crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Vicente
Ferreira
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Lopes de
Araujo.
A appellacao civel.
Appellante, a cmara municipal; appellada, a
irmandade de S. Pedro.
Ao Sr. desembargador Doria
A appellacao civel.
Appellantes, Sautos &*Holini; appellado, Jos
Moreira Lopes.
DoSr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. deseinbar,'ador Assis
As appellaces crimes.
Appellante, ojuizo ; appellado, Jos Thom.
Appellante, o juizo ; appellado, Damio Louren-
go de Me.deiros.
appellante, o promotor ; appellado, Francisco
da Costa Oliveira.
As appellaces civeis.
Appellante, Antouio dos Santos Pinheiro ; ap-
pellado, Antonio Augusto Maciel.
Appellante, Joao Mara Paes Barreto ; appella-
do, Jos dos Santos Neves.
Appellante, D. Joanna Mara das Dores ; appel-
lado, Antonio Alves de Miranda Guimares.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Doria
As appellaces crimes.
Appellante, o juizo ;'appellado, Jos de Souza
Lima.
Appellante, o juizo ; appellado, Herculano de
Andrade Fortuna Pessoa.
As appellaces civeis.
Appellante, Tnsto Antunes de Alencar ; appel-
lada, a fazenda.
Appellante, Joo Carlos Barbalho da Cunha
Ucba ; appellado, Jos Gongalves de Azevedo.
Appellante, Jos Gomes dos Santos Pereira do
Bastos; appellado, Dr. Francisco Elias do Reg
Dautas.
Appellante, Vicente Antonio do Espirito Santo ;
appellado, Caetano Lenidas Gama.
Ao Sr. desembargador Motta
A appellacao nivel.
Appellante, Jos Luiz de Andrade Lima ; ap-
pellado, Luiz de Albuquerque Maranho.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. deseabar-
bargador Motta
As appellacogs dimes.
Appellante, Lourengo Jos de Araujo ; appellado,
Manoel da Cunha Ribeiro Lima.
Appellante, Manoel Vicente de Carvalho Caval-
canti; appellado, Antonio Jacinlho de Mudeiros.
As appellaroes civeis.
Appeliante, D. Isabel Maria das Chagas Guima-
res : appellada, D. Ritia de Cassia Pereira Vianna.
Appellantes, a parda Mana e seus fllhos ; appel-
lado, Benedicto Antonio do Espirito Santo.
Do Sr. desembargador Domragues da Silva ao Sr.
desembargador Caetano Santiago
A appellacao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Joao Gomes da
Silva.
A 1 hora da tarde, encerrou-se a sesso.
pelo Exm. Sr. desembargador presidente aberta a
sesso. Em seguida le-.-e e approva-se a acta da
anterior.
BXI'KDIBNTE.
Ofllcio do Exm. presidente da provincia, coa da-
ta de 29 de setembro prximo pretrito, maridando
informar a pretengo de Antonio Correa Mata, por-
i*o do tribunal, em que pede ao governo imperial,
que a gratilieago que Ihe havia sido euacedida aa
conformidad^ do art 44 do regulamenio n 738 4e
z3 du novembro de INtCte cunte desde o dte que
completara os dez airaos de servigo exigidos tm
dito artigo.-Mandou-se informar.
dem do secretario ao secretario do mrriMirao
tribunal do Maraobo, arompanhando a relacio
dos con merciantes all matriculados nos meses de
julho setembro do crrente anno. (Jue se aeca-
sasse a recepgao.
dem do couservador do rommercio da provia-
cia do Cear, entregando a carta de reg-tro do
hiate Videta, naufragado no porto de Mandah. e
que havia sido requintada pelo tribunal para ser
archivada.Que so aeeu>asse tambem a recepcao,
fazendo-se as annotages necessarias.
dem da junta de correctores da praga, jniHindo
a ctago dos preeos correnles relativamente a se-
mana tiuda.Que fosse archivada.
despachos.
Peligo de Francisca Antonio da Rosa, ndado
brasileiro, de 42 annos de idade, natural da fre-
guezia de Sanio Antonio de.-U cidade, e morador
na ra de S. Jos da mesma cidade, commerciante
por grosso, em gneros de oliva nacionaes e es-
irangeiros de cunta propria, sob a tirina social de
llosa \ Irnio, com armazem na travessa da roa
da Madre de Dos n. 21, pedindo matricula.Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
dem de Joaquim Mauricio Goncalves Rosa, ei-
dado brasileiro, natural da subredila cidade, de
40 airaos da idade, tambem commerciante por gros-
so em gneros de estiva nacionaes e e-trangeiros
sob a sobredita firma de Rusa & Irmo, pedindo ser
admitlido matricula.Vista ao Sr. desembarga-
dor fiscal.
dem de Justino Antonio Pinto e Jos Dias da
Cunha, pedindo se admittisse registro o distraclo
social que juntaran!, alim de produzir os devidos
effeitos.Registre-se e publique-se.
dem do correcetor Francisco de Miranda Laal
Seve, para que fosse registrado o conhecimeBio de
haver pago o imposto annno de sen onVm ; tendo
cumprido a formalidade exigida em despacho de
6 do corrente. Registre-e.
dem de Flix Sauvage & C, replicando ao des-
pacho de tribunal de 3 do mesmo mez em ojoe se
Ihes determinou cumprissem o que di>pe o art.
307 do Cdigo Commercial.Vista ao Sr. deeaav
bargador fiscal.
dem de Feliciano Jos Gomes, eidado brasilei-
ro, natural desta cidade do Recife, cun idade de
4K annos, estabelecido com arniazensde assorar na
ra do Appollo ns. 34 e 36, impetrando matricula
na cone-rmidade do art. 5o do Codigu Coramercia!.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
dem de Antonio Botelho Pinto de Mesqoita J-
nior, corrector geral da praga, pedindo 6 OMtes de
proriigaco da licenca que obiivera do tribunal pa-
ra tratar de sua sade fra da capital, visto conti-
nuar o seu sniTrimento pulmonar.Como reqwr,
procedendo-se na forma do eslylo.
Nada mais havendo a despachar, foi por S. Exc.
o Sr. desembargador presidente encerrada a sesso
s 11 horas.
SESSAO JUDICIABIA EM 10 DE OUTUBRO
DE 1864.
THllll\ll IM CON (HERCIO.
EXTRACTO DA ACTA DA SESSAO ADMINISTRA-
TIVA DE 10 DE OUTUBRO DE 1864.
presidencia do exm. sr. desembargador
anselmo francisco peretti.
s 10 horas da manha, aeharamse reunidos
os senhores deputados efectivos Lemas Rosa, Al-
coforado, e BOppiejDQ Basto, em vista do que foi
PRESIDENCIA DO EXM. Sil. DESEMBARGADuB
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Guimares.
As II fj horas da manha, o Exm. Sr presidente
abri a sesso estando reunidos us Srs. desembar-
gadores Reis e Silva, Silva Guimares, e Acrioli,
e os Srs. deputados liemos, Rosa, Candido Akufo-
rado, e supplentes Basto e Jos Jeronymo Mon-
te! re.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
O Sr. Jos Francisco de S.i Leto rommonica
nao poder comparecer para tomar parte no julga-
mento para que foi convidado, por achar->e incum-
modad}.
E' a segunda vez que o mesmo senhor nao aceita
o convite que Ihe dirige este tribunal : e o Exm.
Sr. presidente ordenou que se uftlciasse a outros
senhores supplentes.
Foi aproeolado ao Exm. Sr. presidente o onVki
e attestado de molestia que Ihe dirigi o esone
de appellacdes, aggravos e protestos de letra.-, Gui-
Iherniino de Albuquerque Martins Perena. E o
mesmo Exm. Sr. resolveu que o esenviu compa-
nheiro Jos Marianno de Albuquerque accumule as
fnncgoi-s de dito cargo em quanto durar es--e impe-
dimento.
O Exm. Sr. presidente apresentando era mesa a
petigo que Ihe dirigi Basilio Alves de Miranda
VarejSo, sobre embargos de declarago, pruferio o
segrate desjacho : Requeira ao Sr. desembarga-
dor juiz relator.
Assignou-se o aceordo proferido na ultima
sesso, entre partes :
Appi liante, Joainiira Mauricio Lins ; appellada,
D. Zeleriua Maria de Jess.
JL'LGAMENTOS.
Appellante, Francisco Santiago Ramos; appel-
lado, Joaquim Elviro Alves da Silva.
Adiado na sesso de 29 do mez prximo pret-
rito.
Foi confirmada a sentenga appellada.
Appellantes, embargamos terceiros D. Josepha
Justina de Jess Gongalves e outros; appellados,
Isaac Curio & C.
Adiado na sesso de 29 do mez passado.
Receberam-se os embargos.
Appellante, Jos Moreira da Silva ; appellados,
os herdeiros de Jos Antonio Lourengo.
Adiado na sesso de 29 do mez lindo.
Despezar tm-se os embargos.
Appellante, Boavcnlura da Rocha ; appellados.
a viuva Silva Antunes c\ Fihos.
Adiado na sesso de 29 do mea prximo pas-
sado.
Foi confirmada a sentenga appeilada.
Appellantes, Biancone Klee C; appellados, os-
curadores fiscaes da masa fallida de Carlos Jos
Astley de C, e Southall Mellors & C.
Adiado na sesso de 3 do corrente.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Miguel Jos Barbosa r.uimaies ; ap-
pellado, J. F. G. Kladt.
Adiado na sesso de 3 do corrente.
Receberam-se os embargos.
Appellantes, os curadores da fallea*ia da aa
Auioriin & Filbos ; appellados, Heviqoe Le boa
Hijo & C.
Adiado e julgamento requerimooto de nm dos
Srs. deputados.
O Sr. Jas Jeronymo Monteiro comparecen para
o julgamento dos embargos que peodem da appel-
lago entre partes : appellante Vicente Alvo
dudo, appellados Prente Vianna & C, nao
ram ditos embargos ser julgados porque nao .
pareceram os Srs. Antonio Loiz dos Santos, Fsa
cisco Accioli de Gouveia Lins e Jos Velloso Soa-
res, que foram para esse fim convidados.

.



Diario Je
MlMM ... Terca letra li e Ouiuhio t I i4.
PASSAGENS.
Appellante, Antonio Joaquim Salgado ; appella-
do, Jos Francisco Coelho da Silva Vieira.
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. desem-
bargador Silva Guimaraes.
Appellantes, Virgilio de Castro Oliveira e Joao
liara de Albuquerque Oliveira appellado, Joso
Alves da Silva Guimaraes.
Do Sr. -desembargador Sdv Guimaraes ao br.
lesetubardoK Acrioii.
DISTRIBUICOES. .
Appellante, o Dr. Prxedes Gomes de Souza n-
tanga ; appellado, Oc.taviano de ouia Franca.
Ao Sr. desemlwrgador Res e Silva
Aggravos ioterpostos do juie especial ao
commercio.
Aggravaate, D. Esmeralda Mara da Conceicao 5
aggravados, Schafheltlin & C.
O Eira. Sr. presidente negou provimento.
Aggravante, o bacharel Manoel do Reg Barros
je Souza Leao ; aggravado, o Dr. Joaquim Teixei-
ra Pcxoto de Abreu Lima, como cessionano de
Manoel Alves Guerra.
O Exm. Sr. presidente den provmento.
Nada mais podendo tralar-se, por estar a hora
adiantada, o Exm. Sr. presidente encerrou a ses-
sae s horas da tarde.
lesra resuosta como Ihe eonvrr, por or ella a fiel | ram os supplicantes Manoel Ignacio de Oliveira & Urna porcao de ferros de marrar algodao, valor
verdade ; e sou de V. S. amigo, venerador e criado Fino por son procurador bastante o saludador Do-
Jos Francisco do Soma Lima.
(Eslava reconhecida.j
Pastilhas vermfuga* de Kemp.
Creancas atormentadas por vermes podan ser
all viadas com urna so dsede pastilhas vermfu-
gas de Kemp que sao incitantes ein appareucia e
deliciosas de raais no seu gosto para seren regei-
ladas.
Estas pastilhas sao muito procuradas por quatro
motivos : ellas nao contm niineraes, nao precisan)
depois de purgante, effertuam o que se deseja sem
causar dor. As creancas esto promptas tomar
mais do que marra a receila.
Nenhuma mSi que ja as tenha experimentado
urna vez, quer outro vermfugo na sua cas.
A* venda por todos os primeros droguistas no
imperio, e em Pernambuco por Caors & Barbosa e
J. da G. Bravo & C.
tOBRESPONDENCIAS
COHHERGIO.
Alfandega
Rendimento do da 1 a 8........ 247:769*008
dem do dia 10................. 04.2S1A349
312:050*337
No Otario de Pernambuco de 13 de setembro
ultimo, eu pedi aos nieus amigos e ao publico em
feral, que suspendessern seu juizo a respeito da
pronuncia proferid., pelo juiz de direiio do Bonito,
o Dr. Julio Barbada de Vasconecllos, contra mim,
por actos de meu offlcio como juii municipal sup-
plente em exercicio, praticados ha oito annos.
Agora lisongeio-meoom o dar coma de mim,
azendo publico que a minha innocencia achoo
plena justica na egregia relayo do districto, cujo
venerando accordao vai abaixo transcripto.
E' certo, que meus immigos poderam por este j
meio privarme dos votos de meus concidados
para a minha reeleico de presdeme da cmara,
municipal e juiz de paz do primeiro districto da,
cid de de Garuar ; mas, no poderam, nem de'1
leve, e apezar de seus esforcos, offender-mo na
honra e dignidad*, que o que preeo mais que
todo, e o que ellbs Bao presaram ein ai.
Oiho, portanU, para elles com elevado de espi-
rito, para esqueee-los.
Quanto ao juiz de direito do Ronito, o Sr. Dr.
Julio, elle sabe meihor, que nioguem, qne se_ ti ve-
ra mais melindre e zelo de sua reputaco, nao te-
ria ido meu juiz.
Recife, 10 de outubro de 1864.
Joao Vieira Je Mella e Silva.
Illm. e Exm. Sr. presidente da relacao. O le-
neote-coronel Joo Vieira de Mello e Silva, precisa
a bem de seu direito que o escrivao aquem compe-
tir d por Curtidlo o venerando accordao da rela-
jan, que deu provimeolo ao recurso do supplican-
~te interposto da pronuncia proferida pelo Dr. juiz
juiz de direito do Bonito, contra o suppllcante, por
crime de respoiisabilidade.
Pede a V. Exc se digne mandar dar dita certi-
dao.-E R. H.
Como pede.Recife, 8 de outubro de 1864.
Santiago, presidente interino.
Antonio Ignacio de Torres Randeira, cavalleiro da
ordem de Chrisio, e escrivao de appellacoes e
aggravos do tribunal da relacao de Pernambu-
co, etc.
Certifico ser o accordao de que trata a peticao
retro, do theor seguinte :
Accordo.eni relacao etc. Que feito o sorteie
c relatorio do esiylo, dio provmento ao recurso
para reformar o despacho que pronunciou aos
recorremos lenenle-coronel Joao Vieira de Mello
6 Silva e Gregorio Francisco de Torres Vascon-
ceilos, como incur.-o nos arts. 129 ^ 2 e 8 do c-
digo criminal, por quanto v-se que sendo os mes-
mos processados como lendofeilo varios inventa-
rio* em diversos lugares em menos lempo de que
era possivrl, attentasas distancias das localidades :
hssim como por liaverem recebido cusas exce-
dentes aquellas que legalmeutc Ihes cowpetiam,
ossasarguicoes se aciiam destruidas pelas razoes
de folhasa folhas ; alin de que nem foramos re-
currentes alados para verem proceder-se aos
exames coustantes de folhas, nem se proceden, a
verificaran das cusas pelos nieios competentes,
para se conhecer se com effeito houve ou nao ex-
cesso era sua cobranza, como cumpria. Portanto,
dasdtrpnmrneirt'Tro-recurso, e reformando a pro-
nuncia absulvein aos recorre ules, e condemnam a
munieipali.iade as cusas. Recife, 8 de oulubro de
1864. Almeida Albuquerque. Molla. Domin-
gnes da Siiva. Presidio a s^ssao o Exm. Sr. con-
selheiro Souza -Almeida Ali.uquerque.
Nada mais se contraha ein diio accordao, aqu
copiado, que eu escrivao no principio declarado e
abaixo assignado, liz pastar por certido dos pro-
prios aulos, aos quaes me reparto. Vai a presente
sem cousa que ituvida faca, conferida e ruiicerla,
da subM-ripia e as>ignada, na lrma do estylo.
Cidade do Recife, capital da provincia de Per-
nambuco, aos i de ouiubro de 1864. Fiz e.-cre-
ver suliscrevi e >signei. Em f de verdade-
Antouio Ignacio du Torres Raudeira.
PBLIOACOES 1 PEDIDO.
tto vi nimio da alfandega
Volumes entrador com fazendas...
eoin gneros.
Volamos saludos
com
com
fazendas.
gneros.
234
349
247
277
383
521
Descarregam no dia il de outabro.
Barca nalezaKixion- inercadoras.
Barca mgleza John Gapindiversos geueros.
Brigue iuglezIngamnia--mprcadoras.
Bngue inglezQaen of Ihe Plym dem.
Escuna ngleza -Zampainercadoras.
Escuna americanaFannie Lincolon farinha de
trigo.
Brigue inglez/in/=baralho.
Rrue hainburguez Ingeborgmercadorias.
Brigue portueuezUmao diversos gneros.
Patacho austraco Cania farinha de trigo.
Iiupoila^o.
Brigue inglez Manj, entrado de Terra Nova,
consignado a J. Paier C.%manifestou o segulnte:
3,033 barricas bacalhao ; aos mesmos.
Vaiior nacional Cruzeiro do Sul, entrado do Pa-
ra e Maranhao, maufesiou o seguinte :
Do Para.
Mercadora estrangera.
140 barris manteiga, 2o caixas qaeijos flamen-
gos ; a ordem.
Mercadoria do Per.
1 fardo e 1 caixa com 899 chapeos do Cbile; a
ordem.
Mercadorias nacionae?.
98 rollos com 47 arrobas e 30 libras de salsa, 1
parte com couros de onca e chapeo do Chile ; a
ordem.
Do Maranhao.
Morradoria estrangera.
30 meios barris manleiga ; a Manoel Joaqun)
Ramos e Silva & Genro.
Mercadorias nacionaes.
14 barricas e 50 paneiros com 193 arrobas e 30
libras de tapioca, e 36 paneiros com 78 arrobas e
24 libras de gomma : a ordem,
Exporta5o.
Barca ingle/a Union, carregou para Philadel-
phia :
100 saceos com 513 arrobas e 22 libras de al-
godio.
Barca franreza Les amis SI. Jean de Luz, carre-
gou para o Havre :
1,160 saceos com 6,423 arrobas e 24 libras de
algodao, 238 Guaro* salgados com 7,363 libras,
1,494 ditos verdes com 73,706 libras.
flecetoedorla de renda* Interna
le Pernambuco.
geraes
Kendimento do dia
(dem do da 10....
1 a8
6:9314189
3:862*762
10:813*951
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 8......... 7:3*4*074
dem do dia 10................. 4:0755190
11.42933GI
MQYIMENTO W PORTO.
Navio sahtdo no dia 10.
ParahybaPatacho inglez Proponte/; capilo Bar-
nes, em lastro.
Observaeao
Nao houveram entradas.
fwmk
fffretida aomen amigo e eollrga, o Sr. AugusloC.
Yaz de Oliveira, e rrcilada por orrasiao doan-
nivcrsai io natalicio do sen presado irmao o
Illm. Sr. Justino Jos de Souza Cnqns.
EU 5 DE OUTLBI10 DE 1864.
Le firmameut esl plnin de la vaste ciarle;
Tout est joie, nnecence, es|Kiir, bnheur, bont.
Victo a Hugo.
Do dia o a-tro luzente,
Altivo rompendo o manto,
Que la no reo o occuilava,
Na trra com bnlho tanto
Resurnio, que o da de hoje
Mais que os outros teve encanto I
Mais li>uca, bella e faceira
S.- nio.-trnu a natureza ;
Na ha-te as florea se osteniaram
Em toda a sua beileza;
As aves cantarciii todas
Com mais graca e singeleza I
Aqu mesmo em cada rosto
Obervn, olho e diviso
Iinprimir-se de alegra
To prasenieiro .-orriso,
Que mlnh'alina embevecda
Sonha estar u'um paraso...
E qual disto o motivo ? I
que urna aurora esplendente
Veio abrir se h>je de novo
Ante o amigo que contenta
Recebe no da de annos
Votos de amisade ardenle.
Ante o amigo que da honra
S irilhado a> vas tem;
Que a cora de l.oin fillu)
Na sua fmnte sustem;
Que da virtude ^ typo,
E da bondade tambem.
Por teso os labios nao devo
Callados hoje deixar:
Venho alegre ne"te canto
Mai- urna fllor offerlar,
Emfora sem cor, nem vico,
Tantas mitras a invejar...
Hknwqij de Alencastro Atran.
Illm. Sr. Jos Francisco de Souza Lima, subdele-
gado de S. Jos.Peco a V. S. 'se digne rieclatar m-
trabalhei ou nao no prucestiu el-iloral, em favor do
partido progresista, dando licenca a u.-ar de sua
resposta como me aprouver.
e V. S. altado v. nerador, criado e amigo-Ma-
ximino da Silva Gusmo.
R^rife, 9 de oumbro de 1864.
Idm. Sr. Maximino da Silva Gasmao.Em res-
posta ,-ua carta, rumpre-me responder, que V. S.
nao > vot u i-ni nossa chapa que servio na uliinia
el bem muRo iralalimu em f*vor do patudo, a exire
mu tal que seu mano o fui busra-lo, por ordem da
renhora sua mi, e que Indo V. 8. ao chamad
della, tomn a enrorporar-se e tomn me.-ma at-
tiude nos irabaliins da inehRia elerao rom toda a I
d^ica^ti e influencia, de sua exponanla vontadr. Iperante
7 o quanto curopre responder, epde V. S, osarjachava eu escrivao adlante declarado,
EDIYAES.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em ciimpriinentu da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 8 do correte, manda faZer
publico, quo no dia 10 de nnvembro prximo vm-
douro, perante a junta da fazenda da mesina the-
souraria se ha de arrematar a goem por menos fi-
7.1-r o costeo da illuminarao publica da cidade do
Ro Formuso por tempo de tres annos, a contar do
Io de Janeiro de 1865 ao lm de dozembro de 1867,
avahado o costeio de cada lampeo em 291 ris
por dia.
As pe>soas que se propozerem a esta arramalacao
compaivc.-Hii na sala das se.-soes da niesma junta
no dia cima mencionado pelo meio dia, roinpelen-
teineuie haDihtadas, aonde encontrarao as condi-
voes da mesma arremaiacao.
E para constir se maidou publicar o presente
pelo jornal.
Secretara da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 10 de outubro do 1864.
O secrelario,
A. F. d'Annunciaco.
O Dr. Trstao de Alencar Araripe oflicial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
coinmercio desla cidade do Recife capital da pro-
vincia de Pernambuco e seu termo por S. M. I. o
Sr. I>. Pedro II a quem Deus guarde etc.
Faro saber aos que o presente edital virem e
delle noticia ti verem que por parte de Manuel Igna-
cio de Oliveira & Filho me fui dirigida a seguinte
peticao:
Illm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio.-Di-
zem os commerciantes Manoel Ignacio de Oliveira
& Filho, que sao credores de Francisco Mauricio
da Molla Ribeiro da quanlia de 664$iOO, principal
da inclusa letra vencida em 29 de novembro de
1839, alin dos juros convencionaes estipulados : e
porque o supplicado nao tem pago, e nem se sabe
agora o lugar de sua residencia e est a terminar
o termo para a prescri|ici>, querem os supjdican
les protestar mimo protestara nao prejudicar-lhes o
lapso de tempo decoirido e requerem V. S. que
m? digne mandar tomar por termo o seu prot.-to
para os supplicantes assignarem, e porque o sup
plicado intu lu-se para fra de-ta cidade, e nao se
sal aonde reside requerem os supplicantes A V. S.
que seja servido admilli-los a provar por testemu-
uha a ausencia e incerteza de domicilio do suppli-
cado para ser intimado o protesto por edito de 30
das affixado no lugar do costme, e assiin inter-
rumpida a prescripeo na conformdade do art 453
do 3 do cdigo couimerciai. Pedeni V. S. defe-
ninento.E receber merc\Camello.
E mais se uao contiuba e n> m algoma oulra
cousa mais se declarara e mostrara em tal peticao
aqu transcripta, na qual dei o despacho que do
itieor, forma, mudo e uianeira seyunt-:
Ju-idique aiuauliaa ao meio da. Recife, 26 de
.-etembro de ie'0'i.Alenrar Araripe.
E mais se nao continua em dilo despacho aqu
mu bem e belmente copiado e transcripto dos men
clonados a dos, dos quaes mui bem e tieimenle se
va e mostrara a de>ii ibuigo que do tbeor, for-
ma, mudo e maneira seguinte. A' Manoel Mara
de Oliveira.
E mais se nao continua nem alguma outrarcoosa
mais se declarara e mostrara em dna destribuicao
aqui mili bem e fielmente copiada e Irau-cripta
los mencionados autos, dos iiuaes mui bem e fi I-
inenie se va e mostrara o termo, e o referido esc i-
vao fez lavrar o termo de protesto do iheor, forma
H maneira seguinte :
Aos 26 de srtembro de 1864, na cidada do Recife,
mim, na sala das audiencias, onde me
comparece-
mingos Jos Marques, o disseran perante as tos-
temunhas infra assignadas, que redozian 4,protes-
to o cometido do sua peticao retro, a qual offere-
ciam, como parte deste, e de como vnn o disse-
rara e protestaram, lavre este termo, no qaal
depois de lido se firmaram com as ditas tesiemu-
nlias: eu, Manoel Mara Rodrigues do Nascimanto
escrivao a escrevi.JJominj/os Jos Marques.Joa-
quini de Albuquerque Mello.Alvaro Paulo No-
blato.
E mais se nao continua m dito protesto aqui
mui bem e fielmente copiado e transcripto dos pro-
lirios autos. K luido os supplicantes produzdo
>uas iestemuBhas que provarama ausencia do sup-
plicado em tagar nao sabido, sellados e preparados
os autos suhiram minha conclasao e nells dei a
sentenca do thuur, forma, modo e maneira se-
guinte :
Julgo provada a ausencia de Francisco Mauricio
da Mota Ribeiro, que se raostrou achar-se em lu-
gar incerto : pelo quo seja citado per editas de 30
das para o im requerido, pagas as rustas. Recife,
1 de outubro de 1864.-Trstao de Alencar Ara-
ripe.
E mais se nao continua em dita sentenca, em
cumpnmento da qual o reterdo escrivao, fez
passar o presente com o praso de trnta das, pelo
ijual chamo, intimo e hei por intimado o referido
supplicado de tudo quanto lira dito. 0 presente
sera publicado na forma do estylo.Recife, 4 de
oulubro de 1864.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento,
escrivao o subscrev.
Trstao de Alencar Araripe.
Por ordem da inspectora desta repartido se
faz publico que em 12 di oorrehte mez se ho de
arrematar em hasta publica ao meio dia, a porta
da mesma, livres de direitos, as mercadorias abai-
xo declaradas, j annunciadas em edital de 30
das, na forma do regulamento vigente.
Arma/.em n. 1.
Marca G. C. F.-Um embrulho amostras de fazen-
das, sem valor,
dem S. F. 6 CDous ditos ditos, sera valor,
dem T. T. CUro dito, jornaes de modas, sem
valor,
dem D. G. & C.-Uma caixa cora dous frascos,
sem valor,
dem S. F. & C.Um embrulho amostras de fazen-
das, sem valor,
dem S. travessao e triangulo. -Um dito dito, sem
valor,
dem B. & P.Um dito dito, sem valor,
dem S. L. T.Um dito com 10 pares de meias,
de ali>um valor1J000
dem N. M.Um dilo com meia libra de linhas de
algodao, valor1*000.
dem v & S.Um dito com urna flvdla para car-
ro, valor 500.
dem G. C. & C.-Uma caxa com 196 frascos de
xarope de naf, pesando em bruto 224 libras, li-
quido 135 libras, valor da libra 840- 1135400.
dem G. C. & C.Urna caixa com 86.libras ein bru-
to de iodoreto de potassa, em 40 frascos, peso
liquido 61 libras, valor da libra 35330-
204*350.
dem dem 52 libras de pastilhas de naf, valor
15000 525000.
dem dem.28 libras de jalapa, valor fla libra
640-17920.
dem idem.-88 libras de acido ctrico cristalisado,
valor da libra 500-445000.
dem idem.60 libras de magnesia alva, valor da
libra 400-245000.
dem dem.99 frascos com oleo de ligado de ba-
calhao, pesando bruto 150 libras, liquido 103
libras, valor da libra 150001035000.
!dem idem.Um frasco com essencia de rosa, pe-
sando 1 libra c 4 oitavas, valor da libra 405000
-415250.
Armazem n. 5.
dem Raymundo.Urna caixa, 2 pecas do flandres
em obra, pesando 3 libras, valor da libra 800
25400.
dem dem.4 frascos de medicamentos cora 8 li-
bras, valor da libra 15000 85000.
dem idem.Urna caixa eontendo 103 lencos de
algodao estampa los com 59 varas, (4) valor da
vara 333195765.
dem idem.II duzias dp petos para camisas de
algodo, a 35000-335008
dem idern. 70 lencos de barra de seda de algo-
dao posando 4 libras, valor da libra 65670
265680.
Um embrulho de cartas era manuscriplo e pe-
queos retratos, sem valor. a
dem J. C. R.Uih embrulho amostras, ,em va-
lor. ,
dem H. F.Um dilo jornaes, sem valor.i
dem L. W. CUm dito amostras de (azentas, sem
valor,
dem G. E. & C.-Um dito rotlos impressos, sera
valor,
dem S. B. & CUm dito amostras de cha, sem
valor.
dem E. LUrna caixa com sementes e urna lata
com biscoulo, ludo sem valor,
dem F. J. C. Urna lata com farinha, sem valor,
dem J. R. S.Urna dita com una peca de mada-
poln com 14 varas, (4) valor da vara 334 -
45676.
dem dem.Urna duza de lencos de camhraia de
linho com 2 varas, (4) valor da vara 25000-
45000.
dem ideal. Cinco cortes de cassa estampadas
com 16 vara, (4) valor da vara 500-85000.
dem dem. Urna duza de meias para menino,
valor-25000.
dem dem.Um chapeo de palha da Italia com
enfeites, j usado, valor 35000.
dem dem. Din mantelete de casemira para me-
nina35000.
dem dem.-Urna calsinha de cassa para menina
-25000.
I tem Kann.Um embrulho com 4 libras de alRO-
do, valor 50.125000.
dem dem.Um dilo amostras de fazenda=, sem
valor,
dem dem.Um dito cora 2 libras do algodao, va-
lor 50015000.
Um dito fanulia d'agna, sem valor.
Armazem n. 6.
dem J. L. J. B. B.Urna caixa com 2 latas de oleo
de aniz, pesando bruto 41 libras, liquido 39 li-
bras, valor da libra 65000-2345000.
dem P. M. & C. Um barril eooi moiho em con-
serva, pesando liquido 213 libras, valor da 'i-
bra 270-57*500.
dem J R. P. diamante.-Oto barris com salitre
puro, pesando bruto 8,0^4 libras, liquido 7,2-5"*
libras, valor da libra SjOpO 1:4515600
dem S. J.13 ditos de chmrurelo de calcio eryslal-
bsado, pesando bruto 6,734 libras, liquido 6,061
libras, valor da libra 334 1:0245374.
Armazem n. 8.
5*000.
Vam porcao de madeira estragada55000.
H porcao de zinco asado, 44 arrobas, a arroba
a U60-117#480.
Quarla gecio da alfandega de Pernambuco, 8
do outubro de 1864.
O escripturarie
Joaquim Albino 4e Gusmo.
DECLARARES.
Dar fim ao espectculo a graciosa scenacmi-
ca pelo Sr. Guimaraes
Eu nao me emporto com a
vida alheia.
Comecar s 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
De ordeni do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda de Pernambuco se faz publico a
quem interessar possa, que no dia 17 do correte
mez comecaro na icferida tuesouraria os naga-
Bumlos.da taludes do Montepo dos Servidores do
Estado, vencidas al o da 30 de setembro ultimo.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco em I0.de outubro de 1*61. -Manoel Jos Pin-
to, servando de ofScial-maior.
Du novo sao convidados os irmos da irman-
dade da Senhora Sat'Anna, eneja na igreja da
Santa Cruz, para coraparecorem domingo 16 do
correte mez, as 9 horas da manha, para tratar-
se da eleco que tem de reger o auno de 1864
1865.l-'ranc.etiiio Eleuterio Ferreira Chaves.
Juizo des fetos da lazeuda
aacittnal.
Na quinta-fera 13 do corrente, na sala das au-
diencias, pelas 10 horas da manha, perante o Dr.
juiz dos leitos da fazenda, se vender em praca
publica urna casa de taipa cuberta de lelha, sita no
Barro, era chaos foreiros, avahada por 1205000,
pertencenle Francisco de Barros Reg, e peoho-
rada para pagamento da fazenda nacional.
Recife 8 de outubro de 1864.
O solicitador,
F. X. P. de Rrto.
0 coosolho administrativo para fornecimenlo
do arsenal de guerra tem de comprar os objectos
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaeo rosttMr* vapor.
Parahyba, Natal, lacio, Araeaty Ceari e
Acaracu'.
O vapor Persinunga, comman-
dante Ralis, se 11 ira para os por-
to- cima no da 22 do corrente s
5 horas da tarde. Recebcr carga
'al o da 21. Encuminendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete al o da da sabida <
3 horas da tarde : cscrip orio no Forte do Mallos
n. 1.
Para a Baha pretende sabir em poucos das
o veleiro patacho 1). Luiz, capito Jos Teixeira
de Azevedo, por ter parle da carga tratada : para
o resto da carga que Ihe falta tratase com os con-
signatarios Palmeira & Beltrao, largo do Corpo
Santo n. 4, primeiro andar.
segrales
Para o forte do Buraco
Baodeira grande imperial de ti lele...
Fortaleza do Brum
Chapeos..........................
Esleirs............................
Mantas de lia...................
Quem quizer.vender taes objectos aprsente suas
propostas em carta fechada na secretara do cen-
selho administrativo, s 10 horas do da 12 do cr-
reme.
Sala das sessoes do consslho administrativo pa-
ra fornecimenlo do arsenal de guerra, 6 de outu-
bro de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto.
coronel-presdeBte.
Sebastiao Antonio do Reg Barros,
vopal secretario interino.
Pelo juizo de orphos se ha de arrematar pe-
las 11 horas da manha do dia 14 do corrente, me-
lade do sobrade de dous andares e soto n 64, sito
na ra da Cruz, freguezia de S. Frei Pedro Gon-
calves, faz quina para o berro da Lama, ser viudo
de base para a arrematacao a quantia de 4:5005
em que fui e.-sa melado avaliada, pertencenle aos
bens do casal dos finados Luiz Pedro das Neves e
.-ua mullier, e que val praca requeriroento do
inventarame Antonio Francisco das Neves ; o es-
crplo se acha em mo do porteirodo juizo.
O corpo de polica compra 300 covados de
panno azul e 1,650 varas de brra para fardamen-
10 : quem tiver e quizer fornecer, aprsente as
amostras e suas proposlas em carta fechada, na
secretaria do dilo corpo, as 11 horas do dia 12 do
corrente.O lente secretario,
Luiz Jeronymo Ignacio des Santos.
No dia 12 do crrenle, depois da audiencia
do Illm, Sr. Dr. juiz municipal da 2' vara, tem de
ir em praca para ser arrematado um pequeo s-
to em soto foreiru, cora duas peqnenas ra*as de
laipa, com alguns arvoredos de fructo, tendo cada;
casa urna porta e urna janella para o lado do sal,'
urna sala e um quarto, e coznha fra : dito sitio
no lugar do Peres da freguezia das A fugados, e I
avallado por 4005, penhurado a Manoel Guucaives
Teil.'s, por execuco de Maria Francisca Olympia 1
Baplista, escrivao Baptista.
Pela delegada de polica da cidade do Rio:
Formoso, se faz publico, achar-se recolhido ao de- j
psito geral da mesma cidade, um cavallo rodado]
pedrez, grande, gordo e novo, que foi aprehendido
como fuado no da 17 do iwi de setembro do
corrente anno de 1864, a Marcoluo de tal. Quem
se julgarcom direjto ao mesmo cavallo, compareea
na mesma delegara corapetentcinenie habilitado
para o receber depois de satisfeitas as despezas do
mesmo deposito.
Delegara de polica na cidade do Rio Formoso,
8 de outubro de 1864. Santiago.
Juizo dos fros da la/t'ii'aiiaiuonil.
Na qmnia-feira 13 do rorrenle, na ra do Tra-
piche n. 7, se vender perante o juiz dos fetos da
fazenda em praca publica uns caixoes para depo-
sito de assucar, c differenles preparas para escrip-
ttiro, avahados por 305, o penhorados para paga-
mento da fazenda nacional.
Recife, 10 de oulubro de 1864.O soliclador
F X. P. de Brto.
Juizo dos !citos da fazenda nacini.
Na quinta-feira 13 do corrente, na sala das au-
diencias, perante
COMPANHIA BASILEIUA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sul espera-
do at o da 14 do corrate o va-
por Paran, commandante o ca-
pito de fragata Santa Barbara, o
qual depois da demora do coslu-
me seguir para os porto.- do norte.
Desde j recebem-se passageirps e engaja-se a
j carga que o vapor poder conduzir, a qual deven
1 ser embarcada no da de sua chegtda, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
onio Luiz de Oliveira Azevedo 1 C___________
GOJfPAJTHIA B&ASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o dia 17 do corrente o va-
por Oijapock, commandante An-
tonio Marcelino de Puntes Ribci
ro, o qual depois da demora do
costurae seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada: encom
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C._________
dem M. G. S. S Um embrulho com 4 libras de
liuhu de algod, valor ua libra 15000-45000.
dem S. marca. Um feixe de luuro com 30 libras,
valor da libra 80-25400.
dem B. R B. Um sacco com sement de trigo,
sem valor,
dem H c T Um casco de barril vasio, valor
15000.
dem I. Urna caxa de castaohas podres, sera va-
lor.
dem dem.Urna canasira vasa, sem valor,
dem G.Umacanasiia vasa, sem valor,
dem S. mana.-45 saceos pequeuos, caslanhas
podres, sem valor.
Armazem n. 10.
dem J. F. C.Urna caxa espingarda? de um cano
para caca, valor de urna 35000-485000.
dem B. diamante Urna dita rom urna pera de
ac i>ara torueiro, valor 35000.
dem 8. marca.Quatro fardos com cem saceos de
estoupa embreado*, (tesando 1,150 libras, valor
da libra 340-3915000.
nbjectos diversos.
Duas endeiras de bracos de junco urna 25500
-55000..
Tres lachas de ferro cuarto para enpenhn, pesando
2,953 libras, valor da libra 50-1475650.
Urna 1 oda de madeira para crnica em mao estado
-15000.
Una ba-e de ferro para balanra e 10 barras de
ferro- 255U)o.
Um sino grande de bronze radiado pesando 5 ar-
robas e 16 libras, valor da arroba 105000
555000.
46 lampede* de 3 faces, um 160-75360.
Um dito grand- da antiga iPuminaco15000.
Pina uiaijinna de ferro para descansar algodao,
valor-105000.
Urna mesa em mo estado- 25000.
Cinco iiiujifies Com cabo de cuuru em mo estado -
35000.
Quatro eaderas de amarello em mo estado, urna
500-25000. .
DAS
LEllaAO
OE
Urna caxa terrea.
Quarta-feira iilo corrente s II boro.
na ra du Vigario n. 10.
OLYMPIO
em seu armazem sito na ra do Vicario n. 10,
vender em leilo urna rasa terrea de pettra e rali
situada na ra de S. Miguel nos A ipados a. **'
com 2 salas, 2 quarto*, cosinha fra, quintal graa-
de morado cora porta cacimba pagando de lro
25020 annuaes.____________________________
DR
Urna annuco para taberna
ou deposito.
Quarta-fnira 12 do corraiie > II \tonsem
punto, na ra du Vigario o. &.
OI/IHPIO
vender em lela 1 pulilic > uma armario ,
para taberna ou de|>osiio, com medidas', peso,
tancas e mais utenrilios.
LEora
Qnai ta-fera 1 i do corrente, araa
/.em da ra da Oadeia 53
DE
Um piano forle de Jacaranda e urna mobilia de di-
lo, gosto moderno, um guarda roopa de mogao
e urna banca de advogado.
jEUZEBIO
vender era leili os objectos cima por cooto e
ordem de quem perteucer.
LBIIi.%d
MESSAGERIES
IMPERIALES
Al o dia 14
do corrente mez
espera-se da Eu-
ropa o vapor
francez Bearn,
que depois da
demora do cos-
tume seguir pa-
ra a Babia e Rio
de Janeiro.
Para frete*, enndiegoes e passagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. 9._________________
Araeaty.
O hiato Santa Rita sahe para o Araeaty : a tra-
tar com Tasso Irmos.
Baha.
O hiato TJvh limaos satie para a Bahi : a tra-
tar com Tasso Irmos.
DE
167 meios desoa
Qnarta-fcira 12 do corrate.
O agente Pe>tana vender por coala e risco de
quem pertenrer 167 meios de sola coa avaria
sendo 111 marca PPL* lado pegado e S raar-
ca as quais m acham no armazem do Sr. Avila
no Forle do MiU>,onde lera lanar o leilfc qoar-
la-feira 12 do crrente |>elas 10 hora a fca.
htira semanal
DE
Moliilias, traste* avalsos, ens.ae e
outros art'^os.
Quinta-feira lodo comiU- s II ln>ras.
.V. 10Ra do Vigario -.V. 10
OLIMPIO
em seu armazem site roa do Vigario n. 10. ven-
der em leilo diversos trastes avalsos e mobilia
diversos rdogos, duzias de eaderas branca*, ofc
jectos de prata e ouro, e outros muitos artigo* e
eslaro patentes ao ename do* rontpradorm ao dia
cima, no armazem da ra do Vigario n. 10.
LEILOES.
LEILIO
DE
Urna casa terrea em
chaos p'oprios
IIOJK
Tcrca-frira 11 do crranle s 11
horas da manliaa n armazem
da ruatlu \ii po i. 10
OLYMPIO
autorizado por ama pessoa de criterio vender em
leilo publico urna casa terrea edilicada em chaos
pnpri is, suada na ra da matriz da Boa-V>ia
o Drjuiz dos fetos da fazenda, n. 36 (lado da sombra) a qual tem do frente 32
pelas 10 horas da m>nha, se vender o em praca 'palmos, de fundo 70 palmos. 2 grandes salas, 4
publica dver.-os objectos de mudezas, avahados quartos, coinha fra, quintal murado e cacimba
por 155 e penhorados a Francisco de Sales e Sil- propria ; tendo 2 portas e 1 [anella do frente e 2
va para pagamento da fazenda nacional. grandes claros aonde se pode abrir algumas ja-
Recife, 10 do outubro de 1804.-O solicitador, radias. Os pretendentes poden) examinara re
P. X. P. de Brto ferida casa e para qualquer informadlo enlen
Crrelo geral.
Pela administrago do correio desta cidade se
faz publico quo em vitude da convenco postal,
celebrada pelos governos brasilero e francez, sero
expedidas malas para a Europa no dia 15 do cor-
rente pelo vapor inglez Magdalena. As cartas se-
ro recebidas al 3 horas antes da que for marca-
da para a sahida do vapor, e os jornaes at 4 ho-
ras antes.
Administracao do correio de Pernambuco 10 de
oulubro de 1864.-0 administrador,
Domingos do Passos Miranda.
Correio.
Pela administradlo do crreo desta cidade sa
faz publico que as cartas abaixo declaradas deixa-
ram de seguir o seu destino por se acharen) com
>ellos servidos.
Antonio Jos Gomes Pereira Bastos.
Joo da Silva Dnarte.
Joo Maria de Moraes Jnior.
Francisco Antouio Mendos de Oliveira Jnior.
COKH'IO G RAL.
Helara das curia srjturas existentes
na administrara d> etrfri de.Ui
LEILO
DE
wsm
I. iO-Ruado HpiW a 10
s II horas.
OLYMPIO
competentemente autonsalo fara leilo > um si-
tio na estrada do Bo>arinho, com grande casa.
tendo a mesma 3 sala>, 4 quarto*. 2 ota, eo-i
nha, terrado,esiribana, carimba comba a#aa t
beber e oraros mullos commodo*, ten lo o sil
300 ps de larangeiras, mango>ira*, ro-pieim-. f
tirandes baixas para capim, I meia agua iu ex
tierna do sitio inie serve de a;ougue e rende 75
Densaes. Os pretendentes poil.mi de*de ja dirv
gir-se ao referido agente 01 y ni pie ein sea arma
zem ra do Vicario n. II).
LEILO
OE
Urna asa em Nazareth
O agente Almeida fara leilo requer monto de
, adminisiradur da massa fallida de Antonio Fran-
1 iisco de S.uza Mts.ilhies Jnior, e por mandado
do Illm. Sr. Dr. juiz especial do coinmercio, de
uma ca-.i de laipa siu na ra do Senhor B un Je-
ss na cidade de i>aarelh, pertencenle a mesuu
massa.
Uuiuia-feira U do corrate
em o armazem da ra da Cadeia do Recife n. 48,
as II horas.
dam-.-o com o referido agente Olympio em seu ar-
mazem ra do Vigario o. 10.
DE
Um escravo id arfe 19 annos,
cnsinkeirn, copeiro e-com ou-
tros habilidades.
Cordelro wiiuoos
far leilo por conta de uma pessoa que se retira
para fra da cidade do escravo cima dito : quar-
ta-feira 12 do corrente, s II horas, no armazem
da ra da Cadeia do Recife n. 48.
Ksera vos,
DE
movis c outros muitos
artigns.1
Quarta-feira 12 de corrente s II horas.
No armazem da na na Cadeia do Iteclfe n. 48.
Cordero ShmVs far leilo de uma escrava de
CI'Me par s Sftllllores abal\0 de- dale de 30 40 anuos, sabenlo.osinhar e lavar
DE
Escravode amhus ossrxox com
hobdiiades e, sem ellos
Sexta-feira II do corrente s II boas da
maolma no atina/.om da ra do Vi-
gario n. 10.
aninrisadu por aluuns seus amigos tendera em
leilo publico diversos escravos de ambo* o sexos
os quaes estao palflMM no da do leilo no ar-
mazem da ra do Vinario n. iO.
LEILO
clarados
Andr Manoel de Arroda.
Alvaro Caminha Tavares da Silva.
Antonio de Moura Rotun.
Fabio iVunes Leal.
Francisco Ignacio Pinto.
Francisco de Mello Barreto.
O. Henriquea Margarida do Nascimento.
Joaquim Antouio Curneiro.
Joaquim Felippe da Costa.
Jos J'>aqmm da Silva Re s.
Manoel Pinheiro de Miranda Ozono.
Manoel Varella do Nascimento Jnior.
Satyro Raymundo dos Santos.
THE-ITHO
DE
e com nutras habilidades, e de diversos movis,
crystaes, joa* de ouro e de prata c outros muitos
artigos de gosto__________
Aoscauitalisl s<1a praca e da interinr
LSILAO
PREDIOS
4 sobrado de 4 andares e sotan sito na ra da
Cruz n. 53, uma das principaes ras de coinmer-
cio no bairro do Recife, o qual se ada as melho-
: res condieces, bem rom-trado e conservado.
I sitio com rna j-asa de campo de um andar,
salas estucadas, erando cocheira, nsirbana para
4 eavallos e ptima sema la, no lugar da Torre a
nwirem du C-pibaribe, o qual b*m porcao de la-
ranueiras e outro* arvoredos, cuja estrada pela
Pasagem da Magdalena onde se vai a carro.
1 casa terrea com solio na ra das Cinco Pon
tas n. 71, quintal, cacimba e poriao, prxima a
eslacSo da entrada de ferro (terreno proprio.)
O agente Almeida auiorisado pelo procurador
dos Srs. Pinto f Irmo, far leilo dos predio. ci-
ma, os pretndeme* podem obter qualqunr infor-
maao do mesmo agente ou na rua da Cadeia do
R^cif- n. 64, HKleudo ser previamente exaraina-
I do< ditos predio*.
Quarta-feira do corrate.
O leilo tora luar na rua da Cadeia do Recife
S. IS&BEL
EMPREZA
GERUAXO i i 0IVBR4.
7" rerit- d- assiualiir-^
QUARTA-FEIRA 12 DE OUTUBRO DE 1864.
Reprrsentar-se-han muiro applaudido drama era
5 actos e 7 qnadnw, original francez :
O CORREIO DE LTlO
ou
ODDflPCQQn rQIIDnir n. 64, primeiro andar, erriptorlo de Guilberme
rnUuLvOU LtOUllyUL da Silva Guimaraes, ao meio dia dodia cima.
DE
Um elegante sobrado de andares e soto
edificado em clios proprios em uma
rua de negocie na freguesa de Santo An-
tonio.
Sabba'o 13 do corrente s 11 liaras.
N. 10Una do VinarioN. 10
oi-iino
competentemente autoi'isado tara leilo > oa so-
brado de i andares e soio edificado em rhos
proprios situado na rua Din-ila n. u, rom frente
para a ruada Penha, o qual rende 1:3001 an-
nuaes. Ser elTectuado o leilo pelo referido agen-
te Olvrapio em sen armazem rua do Vinario n. 10.
importante leilo
i DI
5 sofs de amarello, 8 consolos com lampos do
pedra, t ditos de Jacaranda, 30 radeiras 4o ja-
caranda, 4 eaderas de bracos, 4 ditas emf 184 masan e-m palnMM. 44 bancos rom pailu-
nhas e divi-oe de ferro, 84 ditos sem ene>r>to,8
estantes para msica, 4 randas e-trado<, 8 ea-
deras de couro, 8 m^sas grandes rom gavetas,
2 escadas. 3 lustros 19 arandelas e mam*, ro-
po-tenos, paleras, col mimas, as Iho 4a piaia,
dito do palco c im niacbini-mo, lastidorr. i*a-
nos, vistas gabineies. pannos de boera, ropao
o outros muitos oiij-ctus de senario.
Segunda-feira 17 de aaliara.
No llieatro d'Apollo.
O agente Piulo antorsado pata proprirtark
da casa denominada Theairn d'AMlo, M kilo
de to-los os objecl.H acuna indica los OMSjajajj
ao mes>nn theatro. as 10 horas do dia cima
no reft riJo Iheatro
?VISOS DIVEHSS.
Precisa-so de um homem para dis-
tribuidor deste Diario du Manjumbo
Afipucos: na praca da Independencia os.
6ea___________________
Precisa-se de uma pessoa para cobra-
dor deste Diario, que d fiador na -
vraria ua. 6 e 8 da praca da Independen-
cia.
Preci-a-se de um prvt ctcinheiro e fi
caplivo : na praca de Pedro II n. 86.



Diario c Peramhne* reren fefra 11 de Outiibrr 4t 1MM.
Instituto Archeologico e Geo-jj
graphicoPernambucano.
llavera sesso ordinaria quinta-feira, 13
do corrente, as 11 lioras da maohaa.
OllDUW l0 Di.4.
Votaces adiadas;
Pareceres e mais trabalhos de commis-
ses.
Secretaria do Instituto 11) de oulubro
de 1861.
i. Soares d'Azevedo,
______ Secretario perpetuo.
vos 6:Oou$oqo.
Corre amanha.
Quarta-feira 12 do corrente mez, se ex-
trahir a primeira parte da primeira lotera
(IIIa) a beneficio da nutriz de Caruar,
no consistorio da igreja de Nossa Senliora
do Rosario da (reguezu de Santo Antonio.
Os bilbetes, meios e quarios acbam-se
Tenda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000^000 at 12$0O0
serao pagos urna hora depois da extracco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinie depois da distribuicao das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza;
SALSA IMKHIMll ni: aVl>i.
Thanscueykmos aqu .,6,
PKIMEIRA E ANTIGA CASA FELIZ.
PORTUGAL.
Morara
PORTO.
Roa das Flores, ns. 1 c 3 (juuio igreja da serktrt.)
PLANO
CHANDE LOTEII1 DE IIESrAMIA.
CUJA EXTRACgAO TERA' LUGAR NO DIA 23 DE DEZEMRRO DE 1864.
D-se para residir em nra sitio perlo Justa cia*
V, ni a menor paga, a orna nessoa de ponen fa-
milia,'e que d'conhecimento de sua boa conduc-
a, com acondigo de iralar dos arvoredos que
exisrem no m?smo silio, concertar as cerras do
mesmo, e dando conta de todos os ohjeelos que Ihe
furein entregues ao enlrar para o mesmo sitio,
quando queira o seu proprietario, podendo fazer a
plantagao que Ihe convier e desfrocla-la durante o
tempu que no mesmo sitio estiver por consenli-
mento do sea proprietario, eu possoa por elle au-
i lorisada, nao podVndo qnaodo sahir do mesmo si-
j tio por soa vontade ou despedido por sen proprie-
tao ou por sua autorisago, pedir o menor paga-
| ment por qualquer plantacao que rieiiar, ou por ,
! qualquer trabalho que o teuha felto, ou mesmo:
I como paga de ter estado no mesmo sitio : quem
| pois assim o queira, dirija-se ao sobrado da ra de
S. Francisco n. 10, com documento, provando a
! sua boa conducta.
S. B. A casa se acha em reo estado.
Mitones sobre Porliig.il'
0 iMlxo assignado, auforisado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
feclivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma vis-
ta, e a praso ; podendn, os que lomarem
saque? a praso.ceceberetn avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaqtiim da Costa Maia.
// tel de Fi
ranea
Prancisro Auoaio Km, es-aensionisu de pia-
lura histrica do overa atperial, em Koma. le*
a honra de declarar ao respeitav.l pnbliro desta ri-
dad>, que se diside a h-r-nonar aod.-srnho b\-t<>-
rico em collegios, e tambem em casas parSrnlares.
e que para e*>e lim poder ser procurado das 10"
huras da manbi.i as 2 da tarde
Alugam-se o i- e .1 andar da cas* da raa
da Cadeia n. i.
MIMMJ
DE *
PREMIOS
alguns
dos muitos altesiados que temos
recebtdo das virtudes da salsa
parrilha do I)r. Ayer.
Rheumatlsmo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ottro Prelo.
< SoiTri rheumatismopormui-
tas vezes, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e ames de concluir o primevo fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Kriipces, borbulhas, pnsiulas,
ulceras, e todas as molestias
da pelle.
DO SB. JOO PAl'LA DE ABBBO E SOVZA.
Ra de S. Pedro.-Rio de Janeiro.
Solida mais de dous annos de urna
erupcao syphiliiica em todo o corpo, mos-
trndole sempre com mais violencia na ca-
ra, provei muitos medicamentos c cnsultei
mttiios mdicos, e eslava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
(lo Dr. Ayer: comecei a fazer uso dVlla 6
bos primeiros dias a entpro aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desaparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, fhofes-
SOR DE MEDICINA V CIIUUJIA, SlilDELEGADO
KM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS-
tbicto Habana.
Cei tilico que be usado la Zarza parril-
la del Dr. Ayer, y rom depurativo he ob-
tenido de ella los' mas felices resultados en
los casos de ulcera crnica, como asi mismo
ensayado las Pildoras catrticas del mismo
autur y las considero como um purgante,
cuya accin ademas de ser 6egura, lia sido
mv eficaz en el tratamento de las enfermi-
dades (pie eisigeti el uso de los purgantes,
v no vacilo en recomendar estas preparacio-
nes. Y para los fines que puedan convenir
doy la presente en Regla 7 de Setiembre
de 18.
Dob. Jos Y. Heureba.
Escrfula.
ATIESTA! DO Il-I.M. Sil. FRANCISCO FeRBAZ
dos Santos.Ouro l'rto.
Me acbo lia quasi dous annos affectado
de escrfulas, e tendo solt ido tanto que al-
gumas vezes quasi que diego a desanimar
da vida e maldizer da minba infeliz serte;
tenbo sido tratado por muitos mdicos d'es-
ta cidade, e nenhum pode vencer a tenaci-
dade de minha molestia, eslava sem espe-
rancas de recobrar a mmlia saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da Saha par-
rilha do Dr. Ayer. Completante boje
trinta e sele dias que comecei com este
santc remedio, e tantas melhoras tenho
sentido que tenbo convieco de em breve
recobrar a minba saude, perdida lia lanto
tempo
Nvphilis e molestias mercuriaes.
Do Ii.lm. Sb. Db. Jackson.
Medico mnito eonhrcido as provincias do
sul do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados ; o melbor alteran-
te que conheco.
L,encorrha e Odres brancas.
Temos cartas em que nos contam casos
inveleraXlos que foram radicalmente curados
om uni ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
O espaco nao nos permilte transcrever
todos os aitestados que possuimos das vir-
tudes d'este extra to coinposto de Salsa
parrilha do Dr Ayer. Hasta declarar ao
publico que tem sido empregado ha mais
de viute annos pela profissao medica tanto
das Americas como da Europa, sem nunca
desmentir a sua alta replselo.
1 de .....................................
1 de .....................................
1 de .....................................
i de 20.000 pesos fortes.....................
8 de tO.OOO ditos...........................
15 de 5.000 ditos............................
30 de 2.000 ditos...........................
106 de 1.000 ditos...........................
2.100 de 500 ditos...........................
99 aproximacoes de 400 pesos cada urna, para
os 99 nmeros restantes da centena que oble
nha o premio de 300.000...................
ditas de 300 ditos para os 99 nmeros res-
Untes da centena que oatenha o premio
d 100.000...............................
ditas de 200 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que oblenha o premio
de 50.000................................
2.999 reintegros de 100 pesos para os 2.999 nmeros
cuja terrainacao seja igual do que oblenha o
premio de 300.000
99
99
.5'60 premios em 3O.000
Bilhetes inteiros.
Meios bilhetes ..
PESOS FORTES
300:000
400:000
50:000
40:00
80:000
75.000
60:000
106:000
1.050:000
39:600
29:760
19:800
299:900
MOEDA PORTCGl'EZA
ou Bs. 270:0005000
90 0005000
45:000,8008
36:0904000
72:0005000
67:5005000
54:0005000
95:4005000
945:0005000
35:6405000
0 alenle de leoes Olimpio oo
lom gerencia nem resp"USibtiiil de al-
pina Honrmazem da ra da tadeia 48,taberna.
do Recife n, 48.
O hachare!
Alupa-se mu sitio no lugar dos rtennditi .
5, defroole da igrea, cono grande rasa r eehm:
a tratar na ra da tadeia n. 4. armazf m._________
Elleu Skeltou, subdito aglez e sua **: t-
hm menores vao Europa.
Precisa-sede um caeiro. pnfevMt nln
llegados di- pouco : a tratar H ra da Ruda n
< rcHic.
Sorvete de reme ho|e ao meio dia :
Trapicho n. 18.
ni roa dr>
Francisco Ausnsto da Costa
Prclsa-se de nma ama para lodo o
a tratar na ra de H irlas u. 128, sobrado.
ADYMADO
Ra do Imperador numero (>9.
ESTABELECIMENTO
0 agente Olympio uiudou
seu armazem de ieiles pa- wmmm WWm *MNI
ra ra do Vigarion. 10, das ilbas ^ 08 de*?r^;0?nfL da b^, ro-
,; aoude pretende continuar a BSitBSttpaaSS^SrS
26.7305000
17:8205000
269:91050000
fazer suas feiras semanaes
e espera ter amesma con-
! currencia de seus committeu-
tes e amigos, nao tendo
responsabilidade alguma no
armazem da ra da Cadeia
do Recife n. 48.
bhetes................. IoToe oToTtjooioob^^ fua do Vigario n 10.
senhora, 3 volumes em brochara a 25 :
na ns. 6 e 8 da praQa da lndependoncia.
PRECOS EM MOEOA FORTE.
a 1085000 || Quintos de bilhetes.......
545000
Decimos................ a
215600
105800
JOS IGNACIO FERREIRA RORIZ,
COM LOJA DE CAMBIO E BILHETES DE LOTERAS.
Afianrado no governo civil de Porto, em conformidade do dital
de&dejunho de 1860.
Satisfaz com proraptido todas as eneommendas que lie sejam feilas, mesmo em
grande quantidade e pelos precos cima indicados, vindo acompanhadas do seu importe; e
no (iin da exiracro remette a lista dos premios. J
Para informacoes, e pedidos no escriptorlo da ra da Cruz, n. 19.
j~ ww woo -\it O!
Gabinete Portuguez de Lei- Ai Boa taberna.
Aluga-se por preco commodo a casa o. 149 na
tura. rua Imperial corn armajao para taberna, tendn
r, a j.'hi c. __iHmi a nnncoihn cotiimodos para se morar com familia : a tratar na
\!.?^!^^^J!S^^J!!L^^ mesma. Abi se vende um terreno prompto para
se edificar.
- Precisa.-sc de dous homens que enlendam do
servido de copeiro : na rua da Aurora n. 3i.
Ainda est para alugar-se o sobrado amarel-
lo da Ponte de Uchoa : a tratar no largo do Pa-
ra izo n. 16.
IlilIMIill
Coiupanhia fldelldade de |
seguros uiarltimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBCCO
Antonio Luiz de Oliveira Airvedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fideda-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n .1.
Vendo no Diaria 'Ir Pernambitcn le 5 fe eorrcfl
te n. 228 um nos bateo .issinnadus por parlas le
diversas pessoas a favor dos Srs. Rahelio rasro.
em cujo documento vem |hi-io ib>-i wmt *m al
timo liiiiar, sem ({06 en o liv>-~ lo pouco aulori.-ado ninguein para fje |.>. i _
na livra- so-aie em declarar ao r-'sp.ii iv-l puMico qoe a
signatura que all se enronlra .te mea noiae (ai
sa. Reeifc 10 de outubro de 186V.
Antonio M.-reira Porto
deliberativo o mesmo conselho convocado para
s-reunir em sessao ordinaria ter?a-feira II do
corrente, as 6 lioras da tarde, na sala das respec-
tivas sessoes.
Secretaria do conselheiro deliberativo do Gabi-
nete Porluguez de Lei tura em Pcrnambuco aos 7
de outubro de 1864.
A. A. dos Santos Porto
Io secretario.
Na padaria do Torre prer,isa-se de um amas-
sador que saiba ler e escrever para tomar conta
de urna freguezia. _______________________
Claudio Dubeux, proprietario das linhas de
mnibus, faz sriente ao publico que de hoje em
disnte, mas somente aos sabbados, havero dous
mnibus para o Caehang, os quaes sahiro do Re-
Roga se .'nrarecidainonte ao lllm. Sr. Dr. A. cife as 4 e S horas da tarde ; e na segunda-feira
B. S., presentemente morador na villa do Pilar da voltario do Cachang para o Recife as 7 1|2 e 8
Parahiba do Nore, o especial favor de mandar horas da manhaa.________________________________
quanto antes salisfazer na cidade de Soasada mes- {t,-a rua at Cadeia do Recife n 55, primeiro
ma provincia pessoa a quem S. S. nao ignora, a anri-ar, tem urna caria para o Sr. Antonio Manoel
importancia de 1655 proveniente de um eavaln de q-j (;1)neeicao.
sella que S. S. cemprou para sua viagem, do con-
trario passar pelo dissabor de ver su nome pu-
blicado por extenso neste jornal, e as particulari-
dades que acompanharain este negocio._______
Antonio Xobre de Almeida estando proceden-
do a inventario dos poneos bens que flearam por
fall'Tiinento de *eu liltio Antonio Nobre de Almei-
ila Jnior, sua mulher e Phos, pelo juizo munici-
pal da i* vara, esenvao Molta, avisa a todas as
pessoas que se juigarem crednras dos inesmos fal-
lecidos que apresentem suas contas no praso de
oito dis tara serem attendida* em dito inventa-
rio. Recife 5 de outubro de 1864._________
^Precisa-se de um caixeiro que tenha prattea
de taberna, de idade 14 16 annos, que d fiador
sua conducta : na rua do Rangel n. 1.___________
l'recisa-se de urna mulher para coziuhar em
acsa de homem solteiro, que nao seja moca : a tra-
tar no hilhir dos reos.
[ DENTISTA DE PARS
49Raa Nata 49
Fredenco Gantier, cirurgiao dentista,
faz todas as opera^es de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
Bdidas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
______ mmm-mwmm-mmmm-mmm
rti lita lall % 1 m Itll/I A \lll I a rua da Roda n. 6 continuase a mandar
I li PKHXfl 1RI I i/1'III comidas para fra, aceita-se toda encommenda, e
1J1 U aul ",,il IV11 incumbe-se de ludo por prejo razoavel com aceio
A reuniSo faoliar do corrente mez ter e promiitidao.____________________________
lugar na noile do dia 19.
Club l'ernambueano, 10 de
18Gi. O emprezario,
P. J. Lavme.
Prerisa-se de urna casa com proooreoes de-
Ollluliro de cenes para habilaQ.o de pequea familia ; prefe-
re-se no hairro da Boa-Vista oa immediagoes; nao
se duvida pagar bem : a tratar na rua do Viga-
Para a cura radical de escrfulas e affeccocs
escrofulos, sypliilis e molestias syphi-
liticas, ultras, feridas, chajras,
erupees cutneas e todo e
qualquer incommodo que
provra d'um estado
impuro de sangue,
TOMKM A
ftALSA P1IIRII.II K AVE.
A' venda na rua ireita, ns. I2,2(i e 76;
rua da Quitanda n. 51 ; prara
tuteo, n. 30 e Hospicio, n.
principaes pharmacias c drogaras do tm-
qerio.
Vende-se em Pcrnambuco:
na pharmacia fraaceza de
P. NIAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
c:?4Miiost-
MES
agente de leiloes, declara que desde o dia 26 de sc-
lembro prximo passado tem alugado o armazem
da rua da Cadeia do Recife n. 48 para fazer al-
guns leiloes aonde pretende promover a venda de
quaesquer effeilos observando fielmente as ins-
truccoes que Ihe forem transmitidas, e espera ter
a mesma concurrencia dos seus committentds e
amigos. Outro sim julga nada devera esta pra^a,
e pede s pessoas que Ihe deram objectos para
vender neste armazem ou fra delle, bajam de vir
receber suas importancias._______________________
cks\ ni mmn
AOS 6:000.000
Bilhetes garantidos
i' raa do Crespo a. 23 e casas do eostume
O abaixo assignado vendeu nos seas muito feli
Rl\ no nrav
DOR X 22
Granile armazem de Untas.
Tem a venda :
1 Productos chimicos medicinaes os
mais importantes em medicina.
2. Productos chimicos e utensis
para photographia e outras industrias.
3. Todas as materias e ntensis
empregada na pintnra a oleo e a col-
la para pintores, tintureiros, enver-
nisadores, douradares e vidraceiros.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
te conhecida por seraema ; sendo esta muito inan-
ia e grande, e tem nm dos dedos alguma cousa
torio em consequeneia de o ter deslocado: qnem a
i tiver pegado far o favor de entrega-la no referido
i silio que se recompensar o trabalho, bera como
| quem der urna noticia certa.
| Preci*a-se fallar com o Sr. capitao Estevo
Jos Paes Barreto, na rua da Imperatriz n. 40.
Desanpareceu no dia 6 do corrente, do sitio
zes" bilhetes garantidos da lotera que se acabou rua do Mundego n. 24, urna .-irigait.i, vulgarmen-
de exlrahir a beneficio do Gymnasio Pernambu-
cano, os seifulntes premios:
N. 1713 d us quarios cora 10:0004000
N. 1670 meio bilhete com 2:0005000
N. 307 dous quarios com 2:0005000
N. 3315 nm inteiro com 5O05H00
N. 2013 dous quartos com 5005000
E outras umitas de 2005, 1005, 405 2>>5-
Os posMdore podem vir receber sera os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna rua (\o Cres-
po n. 23.
Actiam-se venda os da pnmeira parte da
primeira lotera a beneficio da matriz de Ciruar,
que se extrahir no dia 12 de outubro.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 7500C
Me.os......... 35-500
Quartos........ *90
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 65o00
Meios......... US
Quartos......, **m
Uanorl Marttns Ftuzu
Aluga-se a casa n. 40 da
ras : na rua da Aurora n. 36.
rua das Trinchei-
O advog*"te Miguel Je de Almeida
1'ernauibuco participa a quem convier,
que por convite dos Srs. Drs. Aleofora
_ dos, mudou a sua banca do advogado da *-
Si rua do Imperador para a do Crespo n. 4,
ttg escriptorio dos mesmos Drs. onde pode flj
5 ser procurado das 9 Ja manhaa as 3 da j
SI tarde. V
fialflBBIHSSi flBoBM saaflS flfc Jnl 3a
^ Perdeu-se um lenco de labyriiith de palmas,
com bico, desde a ruado Queiuiado at a do Livra-
inenlo : quem o tiver achado, quereudo restilui-lo,
pode entregado na rua do Queimado o. II, ou na
' rua Direita n. 82, seguado audar. ___
Empieza dos trilho ui-baaos -'o Becife
Api puros movida vapor.
Tendo chegado da Europa as informacoes e dse-
nhos que os concessionarios do privilegio manda-
ram vir pelo enjienheiro que tem de execular a
obra, os concessionarios abaixn assignado< resolve-
rn) formar nma companhia com o capital de ...
300:0005000_em arcoes de 505000, com as eendi-
coes que serio apresentadas aos que qulzerem to-
mar aecoes.
As pessoas que quizerem ser accionistas desta
importante empreza, podem dirigir-e qualquer
dos abaixo assignados, ou aos correctores Vascon-
celos, Mamede, Guimaraes, Gatis, Doubourcq, Ma-
cedo, Seve,etc.
Bnro do Livramrnto.
Jos Bernardo G. Atcoforado.
A. Luiz dos Santos.
Os abaizo assignados havendo contratado com o
governo provincial a collocacao de tnlh.>s urbanos
da cidade do Recife at Apipucos, e leudo obtido
as informacoes que vram indispensaveis para a
execucio da empieza, leem resolvido formar urna
companhia anonyma ^ara a sua realisacao, e com
as seguintes bases :
Artigo l. O capital da companhia ser detre-
zentos mos de ris, divididos em aceites de 505,
realisaveis em prestares, sendo 25 |>or cento logo
que estiver formad a companhia, e o restante nos
prazos indicados pelos eroprezarios, preceuendo
aviso de 30 dias.
Poddra, porm, este capital ser elevado ris
400:0005*100, se para o futuro quizer a companhia
fazer prolongamento ou ramal.
Arl. 2." Os empresarios se ohrignm a far.rr as
ulir.< que forem precisas para a collocacao dos tri-
Ibosjlnclasive as desapropriagoes, ponte de ferro,
quem de ser collocada no rio Capibaribe, duas
awaMJBM taca recolhimento do trem rodaute, e dos
objectos da companhia, que t^erao com a simplici-
dado possivel, tendo-se somente em vista as ac-
r.ammodacoes e segaranca, sendo urna no ban ra de
Santo Antonio, e oulra as proxunidailes da ezlre-
midade da linha ; a fornecer 10 carros para pas-
sageiros e 2 para carga, e 3 locomotivas, e tudo isto
nos prazos estipulado* no contrato.
Art. 3." Concluidas as obras serao os trilhos com
os objectos cima indicados entregues companhia,
que desde logo entrar na posse e admini>tracao
da empreza, e gozar dos privilegios, isencoes e
vantagens que foram concedidas aos empresarios,
salvas as disposicoes aqui declarada, sem que de
parte parte possa dar-se reclamagan, ou possam
os emprezarios exigir mais do que a referida quan
lia de [meatos contos.
Art. 4." Os emprezarios se obrigam solidaria-
mente ao cumprimenlo do que tica declarado, do
que se lavrara auto aulhentico.
Art. 5." Pela assignatura se obrigam os accionis-
tas ao que Uca declarado e ao pagamento das pres-
taedes nos lempos que forem declarados. Noca,
porm, de nao pagamento de qualquer das presta-
res em dito lempo, perder o accionista o direilo
das prestaeoes ou entradas que houver felto, e
quando nao realise a primeira, poder ser coagido
judicialmente ao pagamento da totalidade da
aceao. .
Art. C. Nao ser permittida a transferencia de
arcos, ou dos recibos provisorios, antes d esta-
rem integralmente pagas, salva a responsabilidade
do accionista, ou consentimento dos emprezarios^
Arl. 7. Logo que estiverem tomada* as argoes
sero os estatutos submettidos approvacao dos
accionistas para que seja logo encorporada a com-
paihia, sem que todava por esle facto tenha ella
qualquer ingerencia na factura das obras, chamada
e recebimeuto das prestacoes.
Art. 8." Aos empresarios se reserva o direito de
receber da thesouraria provincial a quantia de de-
zoito contos1 de ris, que lites tem de er paga em
quatro preslagoes, para indemnisacao do adianta-
inento que leem de fazer liara desapropriagoes, se-
gundo o que est estipulado no contrato.
Art. 9. Os emprezarios tomam por sua conla e
risco cem contos de ris em aegdes, ser um
delle? director nato em quanto forem accionistas,
e tero pissagem gratuita em qualquer dos carros
da companhia.
Art. 10. Pica entendido que as despens at ago-
ra fetas, e as que se houverem de tazer para en-
corporago da companhia, registros, etc., serao por
coiiU dos emprezarios, por modo que a companhia
entre no gozo e posse da empreza para ser explo-
rada por sua conta e vantagem, mediante o capital
declarado.
Art. II. Nao se faz o calculo dos lucros prova-
veis e das vantagens da companhia, porque esta
apreriago est ao alcance de todos, e nao dese-
jam os emprezarios fazer nutrir esperanga* que
parecam exageradas, posto que effectivamente o
nao sejam.
barao do Ltrranvnto.
Jos Bernardo Galeno Atcoforado.
Antonio Luiz d s Santos. ^^^^^
O Rozeneo Alves da Si va querr rr a fsla
typographia a negocio de seu inleresse.
No encenho Ootaheira, junt-i uovoar* de
' Santo Amaro de JaboaUio, pracbana d* un feiiar
de campo, que tenha pouca f^inilia : a Miar ao
dito ensenlm em qualquer dia, ou na roa da ln,
. ptTiitiiz n. 22, segundo andar, aaa domingos.
E. Itoltoii. subdito inglez. retirase para a la-
glaierra.
--"->--''......]- J g ii Pritiaai
ca, retira-se para fra da provincia.
Tem de ir em praga, linda a audieaeia aV
juiz do paz do prin.oiro di>uii-ki da lfc>a-VMa,
quarta-feira 12 do corrente. 1 mesa rvdoada. I
marquesa. 6 cadeiras, 1 mesa pequea 11 caixisna
todo i>enborado a Jorge Brini.
Quem precisar de urna :.ma para rozmaar a
- Alugam-se ditas casas terreas pequeas para : engominar para ca>a de pouca familia, dinja-w
passar a fUa. ou mesmo por anno, na Torre : a '
fallar no n.esmo lugar, na padaria.
V.\IO BEXEFICEXTK IOSCO-
HI SIlOS KifI PERX.VM-
BUCO l
COM O CARCTER DE MONTE PO.
Por ordem do Sr. presidente convido a lodos os.
WJ^^<^"a^M|~l^fS; oaroapratt m obras velhas pagando-
rente mez, as 10 horas do da, para se l.izer a eiei m r,\,,r, An
gn, pois o tempo ja esta pas>ado ; os socios que
C0HP1AS.
Compra-se ouro e prata em obras vilhac
daga-se bem: na loja de bilnnes dapragaaaaai
pendencia n. 22. _____' ________________
en'ecivamente
velhas pagando-
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourrres
CtlHPRV-SE
estiverem nos arligos 10 f e art. 74 | Me nao
se aebarem nesta sessao marcada para pagaren)
seus dbitos sero eliminados. Por ordem do Sr.
presidente fcram eliminados os dou< socios, o 2, cma negra de bonita figura, que saiba lavar, es-
secretario Antonio Fern-ira Luna e Jos Martins g.nnmar e coser bem, e cuja idade nao exceda O
de Almeida por eslaiem comprendidos nos S 2o o annos, agradando paga-se liem a tratar mn <*-
e 4 e o art. 7*. criptorio de Manoel lunario de Oliveira & rilaa*-
Sal das sessoes da sociedale l'niao Beneficeute largo do Corpo Santo n. 1S._
dos Cocheiros 7 de outubro de 18li'i.
Venceslao de Castro Maduretra.
1 secretario.
Na ruado Pagandes n. 11 lavaje e epgon-
ma-se com perfeigao e |ior prego commodo.
Precisa-se de urna preta que salda cwzinhar
e lavar: na rita do Queimado n. 16, loja._________
__Precisa-se de una ama de lene : na rua do
Livramento n. 20, segundo andar.____________
Xoeoes
DE
Partidas dobradas
ron
M Fonseca de tiedriro^
Acha-se venda n principaes livrarias desta
cidade, pelo pre. o do 55 o exemplar, cartonado.
' II Hookcy e sua s-nnora, subditos inglezes.
reliram-se para aEuropa. _______ _
Jos Moreira,
para Portugal.
subdito portuguez, retirase
Na rua da Coneekae u. 47, (irecisa-se de
urna ama para pequena familia.___________
Alaga se oprim-iro andar do sobrado n. G
da rua do" Costa n i Forte do Millos, tem bous com-
modos e bastan^ fresco, a chave esta no segundo
andar e o prego 185 mensaus : a tratar na rua
do Imperador*n. 0;_____________________________
Par passar a lesta.
Aluca-se a casa na povoago do Minteiro rua do
Xist'i, caiada e pintada, com commodos para gran-
de familia : quem a quizer dirija se a rua do
Crespo loja de Andrade & Reg.______________
Antonia Jacinlha de Jess, Portugueza, reti-
ra-se para a ilha de S. Miguel. ___________
Agem ia de passainrte.
Claudino A Reg Luna, despachante de passa-
porte, tira-os para dentro e fra do imperio
commodo prego e presteza
47, pi imeiro audar._______
na rua da Praia n.
Precisa-se de nma ama para todo o servign de
urna casa de pouca familia : na loja da rua Nova
numero 11. .____________________
Queruhino Bandiro e Pedro Janote, subditos
italianos, retiram-se para fra da provincia,____
Antonia Jacitha de Jess, Portugueza, reti-
ra-se para a ilha de S. MigueL__________________
Olferecese urna ama com bom leite, muito
boa para criar meninos : nos Barros Batxos nu-
mero 2.
COHPRA SE
C' bre reino por raaior pre;o do que em oo-
tra qualquer p.irte : no armazem la l>l-
amaralla bo oftaoda secretaria de polkia.
Na praca da Independencia, loja de oarrrai
n. 33, comprm-se obras de ouro, prata e pedraa
preciosa, assim como se faz qualquer obra de ea>
commenda, e todo e qualquer concert.
Comprase urna barraca nova e una salva a
prata, sera feiti) : no hoiel Italiano, roa d > Tra-
piche. _________^^^^
Cbapra-se diarios 140 r-;. a libra ;
a arrobe : na rua da Senzala Velba n. M.
i m
YEitDlS.
Ao publico.
ATTENQAO.
Precisa-se de tres contos de ris a juros de 2 por
Desappareceu no sabbado 7 do corrente, pelas
oito horas da noile, um moleque por nome Luiz,'cento ao mez, garantinlose esta importancia com
__Na lvraria n 6 e 8 da praca da Inde- com os .-ignaes seguintes: enasto, levou ve.-tido seis cootoa de ris em 4 aseratw e mai* am iwa
.~.A*1 ;<.io ,.mo carta dp imnurtanria falCa nranra, camina dealgodao branco, nova, alio, parte em um sitio as proximidades desta ct taite,
da Constl- pendencia existe macara ae importancia cl>bem pre,'a ^^ lenl nma pequea cea- com a cond.gao de tlcarem todos estes bens ven-
40. E as 1 para o Sr. Antonio Fernanrles ,orrenor. trjl ^ baixo de nm olh0) p^j,,, p^hoia, costoma didos, se no da do vencimento da respeetiva let-
_ Alnca-se urna casa em Beben be : a iralar andar sempre sem chapeo na cabega, tem-se infor- tra. que ser passada com o prazo do seis me-
com JIM Reco na roa do Trapiche n. 34. magoVs que anda aqui na cidade; portante, roga-se zes, nao fr paga : quem quizer este >*P*JM
-------'---------'*?--------------------- *> a.. r555. as autoridades pohriaes e eatdtes de campo que o tnta vantagem, pode se dirigir a rua oo
- Precisa se de nma ama : na rua ao uataei Drendam e |eTem.0 rua estrella do Rosaiio a. 23, mento n. 38, queahi se dir quem o faz.
reiro, sobrado n. 12. no hotequim d'^guia-d'ouro, que ser recumpen- -----------------------------------------------------
sadu geaerosamenta ____ fJ/'S/JCfllia
Alaga-so o silio qae fui do Uado Domingos
A. Gomes Gaaaraea, aa Caldaireira, confronte ao
do Sr. Dr. Jos Bernardo Galvao Alcuforado .a
tratar com T. de Aquina Foaseca Jnior, roa do
Vigario o. 23, primeiro andar.
Livra-
ArTENQ&O.
Precisa-sa da am rapaz para caixeiro de ta-
berna, de 10 12 annos, qur tenha ou nao pratt-1
ea : na rua Direita n. 72.______________________ I
Na rua do Cri spo ni 19. primeiro andar, pre- Aluga-se a casa terrea n."*? rua do Mondego,
cisa-sc de urna ama de lene, sendo de boa qualida- mm tres quarios e duas salas, canna no (puntal
de e novo.__________________ Para esKbJ ; e permirtindo-se fazer o despejo no
'Preciia-se de ama-ana de leite moga c sa- quintal da olarla, junto dita casa podes*> tam-
dia oa rua estreita do Rosario o. 32, primeiro bam lomar banhos salgados: a tratar na dita roa,
andar. I otaran. 13.
Passamento de festa e ba-
ldos salgados.
Aluga-e um solirado, altos e baixos, en) Olinda,
lra passamentosde festas, M>StsalMa.S\laSalra
da Misericordia, na es((uina da rua do Bommn,
amito fresco e com muito boa vista para o mar,
lodo foilo de novo, com testantes commo.los para
familia, com duas cozinhas, no an lar terreo o no
locim sabida para a rua do Bomllra : Qjgsmo
pretender, d.rija-te rua de Santa Thereza a. 30,
ou falle ao Sr. AuTonio Ramos.______________
0 thesoureiro da contraria acadmica
de Nossa Senhora do Bom Conselho. embo-
ra tenha pago iiontualmente tolas as des-
peas cor ella fertas durante o auno de 1863
1864, por isso eftnsidere qw eita nada
deve a quem traer q e seja, todava tendo
de prestar b evvmenle suas eoota a nova
mesa administrativa da mesma co.,rrana,
e .lesejando que nao se possam op,.0r com
f.indainHnt dnvidas futuras, convida a qual-
quer individuo que por ventor* ama se
juiar credr, para que se sirva de compa-
recer at o lia 14 do corrente. a ma da
Aurora n. 2ti, cum a soa conta reguhr,
corto de que sendo reconhecida a proce-
dencia da despeza ser immediatamente sa-
tisferta. Recife, O de outubro de 18iH,
V*nuV se caixoes um preeriss
para nalia eiros e f-mi eiros a ISliO
ada un; nesta typog apain.
A Imanak de lemhraiicas
LUSO BB1SILEIB0
pah i su:;
POR i ISTil.124
Acaban) de cheirar csles la la. wsSaSafsi al-
manats e vndese na livraria econnmira ao a
do arco de Santo Antonio. vcnde-e tamliem rol-
lecgoes completas dos mesmos aliuanaks en 15
volumes.
Li' ro '/o pona
OLivro do Povo, obra ornada com estamoa.
ronlendo a vida de Nosso Senh-T J>"o- l*.hn-i .
muitos artigo* uleis. E-te livro das familias, rr-
comraenladoe apiirovadop^lo< F.xm*. Sr< D. Linz.
bispo do Maranhao, e I), afasarl, ayaStomi a Sa-
hia ; vende-se a 15 carlon.vlo : na livr*ria a> Jas
Nogueira de Souza, rua do Crespo n. 2.
pIT
Vende-se nm piano em muilo bom estado por
preco commodo : na rua da Cruz n. 12, segundo
andar_____________________________________
Tiinhos com. radas, natr-nlr.
Moinhn* grandes com rSM, palentes, e aftaaga
do* pelo fabricante para m-ier cafe, e jSSjSMa pa-
ra relinacao uor serem de especial quahdade e ilr
iodos os iamanhos : vendem-se unicamenle no drao-
sito da rua da Cadeia Ha de ferraren* a. A.
d Bastos.__________________.____________________
Oh! qae prrhlneh;i !
Chitas fraacews escuras a 300 rs a rova*. _
loja de Pinto A Flores na roa da Ca leu do Recife
n. 47, esquina que volta para a *fc Ir de Peo*.
Potassa da Rassla.
da mais superior desembarrada tK>ntem :
se no escriptorio de Mancl Ignacio de oliveira &
Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
O Dr. SantosSilveira, nao potando despedir-se
pesMnlmenta de todas as pessoas que Itottp
saram favores, o faz por este ama, pedmdo ao
mesmo lempo que disponbam do seu limitado
presumo na corte, para onde se dirige.
Prerisa-se de um amassador para padaria : a
tratar na rua estreita do Rosario n. 2 A.
Um moco ha KW caogadv a el provincia,
com pralica de esrripta, por partidas simples ou
dobradas, des.jase arraojar de caixeiro em urna
Basa ommereial, para o que pode ser procurado
no escriptorio do Dr. Thont Madeira, rua do Im-
perador a. 77.________________________
"^"iTe. Skelton e sna Tamilia, subditos ingle
zes, rellram-se para a Karopa.
V emit.
Vende-se a taberna da raa da Imperathz- a. ~.
tendo armago e i>oiicos penen* ;
para princioiante
e.-la. propna
e. par.v ipial pier notorio : '
caas tm commodos e o lugar I dos mdaore* : a
tratar ua mesma.___________________________
"Veodc-se nma .aberna na "'.apunga Xoa
propria. aara qaalquep principiante SBBSI a -
tender, pode dirigir-sj a mesma, qae arhara eaaa
.juera imtar : tem aasssajSl para familia, a
esquiaa da rua das ternaiabocana*.____________
Vende-se un lahcnta na roa D*r-tt
Aligados com aooros fiwto*. boa i-ara (joem qw-
iaa principiar, a tem muito* wasSBSSl para m-
naa : quera a quiaercomprar. dirqa-M masa
rua. padaria 0, que tta da coaaaraSar sa
far todo o neaecnv_______________________
- Vende-*e a bem eaaneciih toja de fazeada>
da rua do t>*s|o, perteacaoie Jos Mar-aa a
Santos Agujar : a tratar aa roa aa Cadeia d Bt--
cife n. 4.
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Jnbnsloo hfcr *
C, rua do Yijrario, n. 3. um bello sor
ment de relogios de ouro pateism
glez, de ora dos mais afamados &***'*'
de Userpeelj e tambem un wwdadc oe
'iqoniosttrancelins para os mesmoslt
MUTILADO


Diarto c rer Bambuco Terca felra ti le Outubro de 184.
LOJA 110 LiEIJA FLOR.
VNDESE
Vende-se na prac independencia n. 39, loja
n6nt? ^gnrt0. dS Santos Por,' l*,ta.5^im*QMtaSiTr76C
normaras de goslos mais moderaos que tem '
vindo ate agora para se liotar em tmulos e cata-
cumbas no cemiterio publico no da de finados,
com as escripc5t-s seguintes: mea esposo, minha
esposa, mea pai, minha mai, ucu fimo, minha fi-
ina, saudades sempre vivas, amisade, urna lagri-
ma ; desta qualidade nunca vieram para serem
vendidas nesla provincia.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.alcaU3e d0, ",p,Preoda ff*: no
Brecas de choro. arma/em da bola amarella no o.tao da se-
Lindas nonecas de choro que chamam papai c ereUrla a Pollcia- ___________________
mami, de diversos lamanhos : s as lujas dobei- Extraordinaria liquidaco de hiendas para a festa
h tn u- a
liJli&IssJl
tz J-== ^ t- cu seo a
t, 0.*i.-
c So
o
GRAGEASdeCUBEBINA
comCOPABAdeLABLONYE
Estes cmenos que tem por base (i prin-
cipio activo da primeira cubeba juuio com
a iup'i/ii/ba pura, nao nausen n estomaga.
El es fazem parar immediatamente as mais
rebeldes gonorrb*s, mesmo as que res sti-
ram a cubeba o a cupahyba isoladamente.
Deposito geral em Pernambiu ra da
Cruz d. SKI em casa de Caros & Barboza.
Machinas de vapor e pa-
ra descoronar algodao.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Eodas d'agua, dentadas, e
de carroca com mangas e
eixos de patente.
Ra do Brum u. 38, fmdi-
Cao do Bowman.
?Sf >
:y!
I^gtjag
m
Attencao
-fe-PErOUCME.
Acalia de receler pelo uliimo vapor
um grande sorlimento de molduras para
retrato* pelo rliminuto prego de 300 rs.
li. ra <>va n. 21
Luvas de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores para homens
e senhoras : as lujas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
I'ivellas para cintos.
Lindas fivellas douradas enm lindas pedras para
cintos : as loias do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Capellas para noivas.
Lindas capellas para noivas 2,8500 cada urna :
as loias do beija-flor. ra do Queimado ns. 63 e
e69.
Estojos para barba.
Vende-se estofos com espelho para barba 15300
e 2000 cada um : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios para meninas.
Recebeu-se novo sortimemo de balaios, com
forma de varios passaros, pel barato prego de___
15000 at 4 cada um : as lojas do beija-flor, ra
do'Qui-iinado ns. 63 e 69.
Filas finas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
n. 63 e 69.
Extractos em caixinbas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabio em caixinhas.
Finos sab5es em caixinhas com varios retratos :
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 b 69.
Tiras bordadas.
Vendem-sc tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-fler, ra do Queimado ns.
63 o 69.
, | Jfljjos de domin.
Vedem-se jogos de domin 15200 e 15300:
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63
e 69.
lia liados bordados
Vendem-se babados bordados de varias largaras
e varios presos : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Aliafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Adcrcfos pelos.
Tendo-se recebido aderecos pretos de novo ges-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
ra do Qneimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senboras.
Lindas grvalas para senhora 800 rs. e 15000
15200 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Espelhos de moldara.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
las : as lojas do beija-flor, ra do Queimado n?.
63e69.
\ollas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 15000 cada urna : as
,l?s do beija-flor, ra du Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sdpa
Vendem-se colheres de metal-principe para sopa
25000 rada urna : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vende seliia para bordar, a memor que se pode
encontrar, tanto na qualidade. como as cores,
65400 a libra : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sorlimento de miudczas boas, e mais baratas do
que em oulra qnalqoer parle.
Albuns superiores para re-
tratos.
A Aguia Harnea sempre disposta bom servir
agradar a sua boa freguezia, niandou vir e acaba
de receber um bello sortimento de albuns de supe-
rior cncadernacAo e apurado gosto, com especiali
por baralissimo preco, tanto para o mato como
para a piara, na loja bem conhecid do Arara,
na da Imptralriz n. 50 de Loureaeo P. H. Gui-
maries.
Ae baraleiro da Arara a \ iOO.
Vende-se cortes de chitas com 10 covados a
25400, ditas franceza a 35200, ditos de cassa a
25, dita de lpicos a 25400, 35 e 45 o corle, para
aparar dinheiro : na ra da Imperatrit n. 36, loja
da Arara.
Corles de la a Maria Pia a 8, e 180.
Vende-se cortes de la rom barra, os propia-
mente a Mara Pia a 85, e 165 : na roa da Impe-
triz, loja da Arara n. 56.
A Arara vende alpaca para vestidos de senhora a
3G0 rs.
Vende-se alpacas de lindas cores lisas para ves-
tidos de senhora a 360 e 400 rs. o envido, lian- sea canto, iflm deUBUMiar ao rwpeltavi piibli"
nhas para vestidos de senhora a 140, 320 400, 500 co o grande sorlimento de galanterias do melhor
: na ra da Imperatriz n. 56, loja da j gosU) framente para qualquer mimo, que ac
La de ebegar neste ultimo paquete, assiin como
muitos ontros objectos que recebe por diversos na
A lien cao
A
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
Arara.
Las litas de cores a 600 rs.
Vendem-se lazinhas lisas de cores, a saber
vios, tanto de sua conta como de consignacao que
roxa, encarnada, rr de lirio, cor de caf e cor de | est resolvido a vender por precos muito baratos
cinza, para capas e vestidos de senhora a 600 rs. o para vender muito e ganhar pouco, e dar extraco
covado, ditas de flores a 240, o20,400,500 e 560 rs.:
na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arar.
Colchas da Arara de 2A a -ir).
Vende-se colchas de chita para cama a 35, ditas
de damasco a 45, ditas para cobertas a 320, 360
e 41'0 rs. : na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende cortes de calcas a 1 600.
Vende-se cortes de calca de brim a 15600 e 25,
ditos de casemira a 35, 45300, e 55: na ra da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Roupa feila da Arara
Vende-se palitots de casemira decores a 55, 65.
85 105 e 125, ditos de panno preto a 85,105000,
125 e 145, ditos de alpaka a 35 e 45, ditos de
brim de cores a 25500,35 e 35500, ditos de brim
branco a 35 6 55, calcas, coletes brancos, seroolas
francezas a 15600 e 25, ditas a 15280, camisas
francezas a 15, ditas de linho mglezas, pregas lar-
gas, a 35 : na ra da Imperalriz n. 56, loja da
Arara.
A economa, a saber: colarinhos econmicos a 600
ris.
Vende-se colarinOos econmicos a 600 rs. a du-
zia, meias cruaspara hnmem a 200, 240,360 e 500
rs o par, dilas para senhora a 320, 400 e 500 rs.,
o grande deposito que tem, que espera merecer a
proteceo do respeilavel publico empregando para
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLHADOS
LIANCA
DE
Paulo Ferreira da Silva & Com panhia
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
5 a tO por cento menos mlrec que sepuaau p.to w ira
qrier parle.
Gneros especialmente escomidos por um dos socios que na Kuropa se acfca
para esse fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que compraren neste estabeleci-
mento.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de sen ja muito acreditado
armazem.
AO
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos v.mlo t m annun-
isso todas e as melhores diligencias para que fl- cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abstivemos, e de que tamben
quera satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, ra do estamos certos nenhuma atleaciio ji merecem do publico. O nosso fim. pois. i >impl.s
respo n. menle fozer ?ef que Q verda,|ero e principal interesse de todos est na taU-lla dos pn
Ricos porta-joias.
Cofre de muito gosto por 165000
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por 185000
Lindas jardineiras. 105000
Ricos cofres com camapheu. 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas. 105000
Lindo balo com calungas dentro, tam-
ben] para joias. 165000
Tambalicr para ditas. 95000
Cestinhas ditas. 65000
Cosmorama ditas. 65000
t'rnazinhas. 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta boquetes de diversos gostos e pre-
cos ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
IlitOS MlllliS
com bolcinhas ao lado, a 105. 125 e 155, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 25300, 35, 35300
Ricas fivellas avalsas para sinto, o melhor que se
ai
>-
pre-
cos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attenco.
Viiiho verde.
Cbegou o muito desejado vinlio do Cartaxo vende-se nicamente note armazem
a 6oo rs. a garrofa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
lencos brancos com barra a 200 rs. cada um, ditos pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 o par;
finos a 320, ditos de linho a 500, 600 rs. cada um,
s na loja da Arara, ra da Imperatriz n. 56.
Ao baratelro.
No armazem da Arara vende-se cassas a 240,
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes ou ceslinbas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca
bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
280 e 320 o covado, chitas finas a 240, 280, 400 e | po-sivel a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
500 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 56.
As percalas da Arara a 560 rs.
Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas francezas finas a 320, 360,500, 400
e 500 o covado, alpaca para vestidos du senhora
a 400 rs. e covado, fustao branco a 500 rs. ocova-
da ; na ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende mnsselina branca a 100 rs.
Vende-se musselina branca, fina, a 400 e 500 rs
o covado. pecas de cambraias finas, lisas, a 35,
| 45, 55, 65 e 75, mnsselina cambraia da India 85,
e 105 a peca, para vestidos : na ra da Impera-
triz n. 56.
A Arara vende tiras bordadas para enfeilar vesti-
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sorlimento, lano
para alizar como para atar cabello, os mais lidos
que se pode desejar, assim cuino de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga comen-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Penles
tambemchegaram os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 25,
35 c 55; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Leqnes.
Riquissimos leques de mad eperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
145; s no Vigilante, ra do Crespo
dos brancos.
Vende-se tiras bordadas de todas as larguras a <*e '^5 e
15, 15200 e 15400 a peca, entremeios finos a 15 a n. 7.
pega : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara. Mais leques
Madapolo da Arara a 4$. com pequeo defeito, leques de sndalo rom pe-
Vende-se pecas de madapoiao enfesiado com do- queno defeito por barato preco de 85 e 105, chi-
ze jardas a 45,' dito de 24 ditas n. 30 a 65, n. 230 nnes muilu homtos tambem, pelo barato prego de
a 05500 E 75 e 85 n. 5 + 85500 e 95. n. 5 a 105, 4|5 e 5> b,ntarall..s muilo bonitos, tambem por ba-
n. F F a 115 ZZZ, a 125 a peca, peca de algudo ral l'reS de 4# e 3*> le(lui's de charo tambem
a 55, dilo carne de vacca a 65500, dito domestico l,or 45. tudo isto para acabar, perdendo-se lal-
a 75, dito sicupira a 8f, dilo pao ferro a 95 a pe- vez 80 Por cenli s0 no Vigilante, ra do Crespo
iz, luja n. 56. \ ; n- 7.
ga : na ra da Imperatriz,
Bramante de linho de 10 palmos a 2\>> !'.
Vende-se bramante de linho de 10 palios
Pulseiras.
Lindas pulseiras de i nulas c de missanga, cores
dade os de capa de marliin cum lavores, outros 25500 a vara, brim liso a 500,560e 640rs. a"|ara: muil lindas dH muil "t0 a '* e W"*.
Vende se urna taberna no Forte do Mallos,
bastante afregnezada, lano para o malo con'o para
a i'-rra : a tratar no largo da ribeira de S. Jos
numero 23.
Venle-se a casa ierren da ra do Prosresso
n. 21 (Do CamianoNovo) tem um poriSu ao lado
que d entrada para o qumial, no qual existe cin-
co pequeas mei aguas, rende linio 1805, e ven-
de-se barato por seu pruprietario ler de relirar-se
para pira da provincia : a tratar na ra do Quei-
mado n 77.______________________________
Ventese
tres partes do sobrado de dous andares da ra do
Padre Flonano n. 21 : a tratar nu primeiro aRdar
do mesmo, das 6 horas da inanbaa s 6 da tarde.
Cal de Lisboa.
Ha para vender mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris :
!<> armazem de Manoel Teixeira Bastos, ra do
Trapiche n. 13, por prego razoavel.
Msico ou discpulo.
Vende-se um figle de d quasi novo, instrumen-
u excelleiite \ na ra do Principe n. 32, se dir
qip'in vude.
FABRICADAS NO POKTO
Kua Dlrella numero 41.
Escravas.
Vendem-se duas escrawis enjillas, bonitas figu-
ras, e de idade de 15 20 annos: a tratar na ra
4v Queimado n. 47, loja de Pedro Tinoco.
Vaccas
Na Piranga, defronte do sitio do Sr. Millet, ven-
flramo tres vareas, um garrote e dous bezerros,
euj beierros km de raga tourina, sendo um ma-
ebu e uuiro femea.
al do Assi.
Vende-se a ordo do patacho Valent : a tratar
no largo <'" Corpo Santo n. 6, segundo andar.
''ara desear earaigod*.
Na padaria da ra Direita n 84, vende-se nm
relente motor para cavallo, que se pode appli
car com grande vaDtagem para machinas de des-
cantear aleudan, para fariuha de mandioca, on
qualquer outro mister, tendo a vautagem de ser o
fuaic simples possivel.
na ra da Imperatriz n. 56.
Panno de linho da Arara.
Vende-se pegas de panno de linho para lepges
e toalhas com 13 1/2 varas por 85500 ; ditas rom
27 varas a 165300 e 185 a pega ; na ra da Im-
peratriz n. 56,
A Arara vende chailes a 1600 e :i-j.
Vende-se chales de merino a 15600, 45500, 65,
75 e 85 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Pechlncha.
Lencos de seda a 1 > e S00.
Vende-se lengos de seda para mo, a 800 e 15,
tarlalana para vestidos, de tudas as cores a 800 rs.
a vara, fil liso ordinario a 320 rs. a vara, dilo fi-
no a 800 a dita : na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Fazendas especiaes para senhoras, a saber :
Vende-se golinhas para senhoras a 240, 320, 400
e 500 rs., camisinhas para ditas a 15,25, 35 e 45, rre<11o n 7
ra da
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar manguitos por ser muito rommodo e muilo
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do yres-
po n. 7.
Canelas.
Riquissimas caetas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baralissimo prego de
15500 e 25-
Sapalinhos e meias de seda.
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
lejiados, assim como meiasziuhas de seda, gorrazi-
nhas e touquinnas para as crianciuhas se baptiza-
ren! ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, a.-sim como cruzinhas avulsas
e voltinhas. pelo barato prego de 15 e 15200, s
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
gravatinhas para ditas a 15 e 15300 : na
Imperatriz n. 56..
Soutembarque da Arara a 8)5 e 10t.
Vende-se snntembarques de cores para senhoras
a 85, 105 e 125, ditos de grosdenaple pretos finos
a 2o5,255 e 305, capas pretas para dilas a 205,
255 e 305 : s na loja e armazem da Arara, ra
da Imperatriz n. 56.
TAZZMOXS Eva*TAS
Passe Fabuco n. \\.
Admiren 1! I
X) dono do antigo esiabeiecimento do Passeio Pu-
\iii--o n. 11, participa ao publico que tendo de mu-
dar om brevjdade a sua loja para outra localida-
liaratu prego.
r qaeiioar!
Vendem se chitas largas pelo barato preco de
mi 18*. 320. 30, 310, 400 e 440 rs., dilas Mdaal-
U* iOO. 220. 240 e 260, dilas percalas a 500 rs.,
dii e-iaiu/iadas a 440 rs., ditas para coherta a
320. di(a Jarga a 500 rs. : s no Passeio Publico
n. II. para se acabar.
Haloes de reos.
Wndem te naifes a 25500, 35, 35300 e 45000,
brim branco de linho a 15 a vara, dito pardo de
1 j-1 r.i a 720, f^nga amareiia para caiga a 500 rs. o
covado : s no Passeio Publico n. 11.
E' qiiemai- barate.
Ricos corles de vestidos de cambraia a 45, ga-
zupta para caiga a 720, raadapolSo fino com 20
guarneridos de tartaruga com trancas de prala,
uniros marchetados de madreperola Com trangas
de prala uourada, outros de velludo etc. etc. Para
quem tem gosto e dinheiro, um lbum assim per-
feito sem duvida o mais apropriado para Mito
se depositar os retratos de charos pas, bons pa-
reles e amigos. Em quanto, porm, esses albuns
se lornam noiaveis por sua perfeigo e bom gosto,
outros recebidos na mesan occasio, se tornam re-
commendados pela commodidade de pregos vista
da boa obra. Assim pois o prelendenle ser ser-
vido conforme o dinheiro que quizer dipr para
esse Um, achando sorlimento para 24. 50, 60 e 80
retratos: na ra do Queimado, loja d'Aguia Rran-
ca n. 8.
larteiras e bolsas para
viagem.
Na loja d'Aguia Branca, ra do Queimado n. 8,
vendem-se carieiras com correias para traze-las a
tiracolo, e bolsas de tapete, tudo para viagens.
Perfumaras inglezas.
A Aguia Branca, conheceiida a bem merecida
estima que os apreciadores do bom dao s perfu-
maras inglezas, por isso mandou vir o esplendido
.-ortimenlo que acaba de receber, e os acieditados
nomes dos b-jn conhecidos fabricantes J. Gosnell
nhecer-se a superioridade deltas. Consiste esse
bello e variado sorlimento em pequeas quantida-
des de diTerentes e agradaveis extractos de pri-
meira qualidado em frascos de diversos tamanhos
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que
vem em urna catteira de tres, com os quaes por
sua elegancia e boodade se faz um bello presente ;
assim como outros frascos cum finas essencias ron-
centradas, outros com excellentes leos para ca-
bellos, e outros finalmente com agua de Lavaader
sublimada ; e bem assim finos sbemeles em paco-
tes e caixinhas com tres, bonitas e delicadas al-
mofadinh&s com pastilhas em p, as quaes deitan-
do-se nos guarda-vestidos, cummodas, etc., nem s
deixam tuda a roupa cheirosa, romo afugentam
baratas, tragas, etc., etr. Em quanto, porm, a
commodidade dos pregos j nao entra em duvida.
nma vez que o pretendente romparega munido de
dinheiro e disposto a fazer gasto na loja d\Aguia
Branca, ra do Queimado n. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excedentes brinquedos para enancas: vendem-
se a 500 rs. cada urna : na ra do Queimado, loja
d'Aguia Branca n. 8.
F>pelhos C3m molduras pretas
e do un 1 das
A Aguia Brancp, na rna do Oueimado n. 8, re-
rebeu um bom sortimento de espelhos de difieren-
tes tamanhos cora molduras pretas e douradas, e
os est vendendo por pregos com mudos.
Papel ingtezm
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. S, re-
eebeu um novo sortimento de papel inglez liso e
paulado, almago, de peso, e pequeo, viudo deste
taiubem com benas douradas.
Enfeites invisiveis
A Aguia Branca, a rna do Queimado n. 8, rece-
ben bov<* enfeiies invisiveis, ns quaes pela finara
do tecido e bom gosto tem merecido tanta estima
rVeparos para flores.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
ceben novos prepares para llores, ndo papel de ae restituir aos cabellos o principio corante que"eT a 25 e a 15, assim"como outros objecios que'nao e
cores para rosas, dito verde para foiha*, folhas de |es tem perdido. D'uma salubridade incontesta- possivel por hoje annunciar, e vista dos fregu-
panno e velludo, caizas de trigo, ditas de uvas vel, a Agua Florida entretem a limpeza da cabeca zes se far todo neoeio; na loja do Gallo Vigilante,
brancas e rotas, e como sempre continuara a ser deslroe as caspas e impede os cabellos de cahir ra do Crespo n. 7.
vendidos por pregos rommodos.
Sa hija de fazenttas ba-
ratssimus de Duarte
Horges da Silva, ra
da imperatriz n. 20.
Vende-seo seguiole:
PEQAS de panno de linho com 25 varas a 85,
um p iuco estreno, mas excellente para toalhas.
DITO de dito adamascado com 8 palmos do lar-
gara para toalhas de mesa de jamar a 25400 a
vara.
CASEMIRAS de duas larguras e de urna s cor
muito boas para roupa de meninos e soutembar-
ques a 35 o covado.
To.alhaS alcochoadas muito boas para enchu-
gar o rosto a 65 a duzia ou 500 rs. cada urna.
CAMBRAIA branca fina om saipicos miudinbos
a 640 rs, a vara, melado do valor.
OLA DOS de bonitos e elegantes desenhos para
cubrir mesas a 15 o covado, para acabar.
LAZINHAS de padroes novos e muito agrada-
veis tanto ua boa qualidade como no prego de 320
rs. o covado, e finalmente o respeilavel publico
achara constantemente nesta dita luja um bello e
variado sortimento de fazendas finas e grossas a
pregos muito razuaveis, pois esl resolvido ganhtv
pouco, com tanlo que venda muito, nao menciono
mais fazendas no presente annunrio porque impor-
tara isso n'utna despeza extraordinaria- ruja des-
peza reverter sempre era beneficio dos comprado-
res, pedlndo ao publico que nao deixe de ler lodos
es das este dito presente annuncio, pois haver
mudanga nos artigas cima ditos, isto a propor-
go que se forem acabando.
Agua Florida.
Para restabelecer e conservar a cor natural
dos cabellos.
A agua florida nao ama tintura, facto essen-
oal a contestar, a raesraa agua dando a rdr prim- tlnctivos e ofiererimento
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25. 25500 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeiies para senhora.
Riquissimos enfeites com lago e sem lago e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Tranceln.
Lindos trancelins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15300, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos entremeios.
Riquissimos babaoinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15300, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas largaras
e quahdades, por pregos que admirara aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pone vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25; s no Vigilante, ra do Crespo
i). 7.
Filas de la.
Fitas de la de todas as quahdades. proprias pa-
ra debrura de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ruado Crespon. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos ruin moldura douraJafe
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim romo com
cftlumoas de differentes lamanhos a 25,35,45, 55
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqui
tem apparecido; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz, I
cousa de muito goslo a 15500 e 25, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasas rom (lis-
as sinhasinhas dos me-
dio rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a i,2oo e l.Soo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2co rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de I '/ libra a l.loo rs.
Arroz do Maranbao e da India o melhor que
ha nesta genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo .s. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e io,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e Iimpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a lio rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas quahdades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,ooo e i.ioo rs. a
lata e Co rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 3(3o rs.
Batatas em gigos de 36 libras a I.ooo rs.
Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigo, I.8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,Too rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a 2,Too rs.
a libra.
dem hysson o melhor que ha oeste genero
a 2,oon, 2,4ooe 2,6oo.rs.-a libra.
dem prelo homeoptico a 2,ooi) rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a C,ooo rs. a
duzia, eoGo rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanbol e suisso a l ,000,
1,200 e l.ino rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e outros da Pabia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
deliciase suspirosa 1,600,2,000, 3,ooo
e 4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 7o rs. o frasco.
dem francezas suri idas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a oo rs.
Cognac francez e inglez a 1,000 rs. a garra-
fa, e 10,000 rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a loo rs. a libra.
libra.
Lentilhas muito novas excellemV legua* pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidade*
de 7oo a 9oo rs a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flr a 800 e
l.ooo rs. a libra, desnecessario ais
elogios neste genero, que s se> pode te-
ndear com a vista,
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
se far abatment.
Marnielada do primeiro fabricante (! Lisboa
a 600 rs. a libra, h3 latas de I, I lie
2 libras.
Massa de tomate em latas de I e 2 libras a
600 rs. a libra.
Macano. taiharim ealetria a 4oo rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a loo rs. o
frasco,
dem inglc7.t em p a 64o rs. o frasco
Molho inglez em garralinhas com rolhas da
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muilo novas a 16o rs a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez veidadeiro,
garantindo-se a qualidade a "00 rs. a libra.
Passas novas de ramada a 4oo rs. 1 libra e
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinba, pevide e rodinba
ele. a 3.000 rs. a caira, ea56ors. a libra.
Peixe em latas hermetii nmt'nte fe. badas das
seguintes quali lades: save, conma-goras
cavallinhas, e pescada a 1,000 a lata.
Palitos para denles lidiados a lio rs. o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, 2.l>>.-.
a gnus.
Painco muilo novo 12o rs. a libra e 3,000 a
arroba.
Queijos riamerigos, do ultimo vapor, a 2,500
1 rs.
dem prato muito fresco a 800 rs. a iibra e
sendo enteiro a 72o rs.
Sal refinado em potesde vidro a 3o rs cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o n. a libra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 2io 1 32o rs. libra.
ljolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
l,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
rs.
Vassonras do Porto com arcos de f.-rro a 32o
rs. cada urna.
Cravo da India a 600 rs. a libra. Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
Canella a 9oo rs. a libra. | cada tima.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo 5,ooo Velas de espermaeete superiores a 56o rs.
e 5,5oo rs. a du/.ia, e Soo rs cada um. a libra.
Caf do Bio superior a 28o e 3oo rs. a libra, dem de carnauba refinada e de composic5o
e 7,5oo a 8,800 rs. a arroba. a 36o rs. a libra, e de lo,5oo a 11,000 rs.
Doce de goiabt superiorem latas a 2,ooo rs. a arroba.
Ervilhas porluguezas em latas chegadas ul- Vino em pipa, Porto, Lisboa e Figueia
timamente a 64o rs. a lata. das marcas menos condecidas a 4oo rs.
dem ceceas a 16o rs. a libra. a garrafa e a 2,800 rs. a ranada.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra. dem Figueira especialmente escolhido neste
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a lugar a 600 rs. a garrafa, e i,5oo rs. a
libra. j
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs, >
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainha Claudia e gima a 7oo rs. alala. .
Graixa nova a loo rs a lata e l.loo rs. a Ide,n desImmbnneo uva puraa 56or$.a
d i garrafa, e a 4,5oo rs. a caada.
Gomma muito alva e nova a 16o rs. a libra. Idcm Porl fiD0 em *" a 56o rs. a garrafa.
iJenebra de
frascos a 5
caada.
dem Lisboa em ancoras com 0 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco sea
composico a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo
rs a caada.
to alva e nova a 16o rs. a libra. r,u',,u" cu' wa tfU" ia- e-'"--
Hollanda em frasqneiras com 12 Ide,m engarrafados generosos Ugninas do
5,8oo rs. e 560 rs. o frasco JV DJ (dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,800
rs. com o garrafo.
dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra-
Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
Genuino, Particular a 9oo e 1.2oo rs. a gar-
arafa, e a 10,000 rs. a caixa com urna du-
zia.
com rolha de vidro qualidade superior a
l.ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a 1,000 rs. o
frasco e 11,00o afia*queira de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
1,80o rs. a garrafa.
fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
dem Msete! a 1,000 rs. a garrafa,
dem Bordeaux das acreditadas marcas Si.
Julien, St. Esteph, cbateau la Rose, cbatau
Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. e
56o rs. a garrafa.
tiva ao cabello. Cmposta de plantas exticas e Ihores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
de substancias inoTensivas, ella lem a propriedade ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
Ceblas a 1| o cento
As melhnres qne tem vindo a este mercado:
vende-se na ra /la Madre de Deas as. S e 9.
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetaes exticas, elle
constite jioderosametite, rom a Agua Florida, a
forca, a hell za e a mnservaco dos cabellos.
Era Pars, casa de Qiiislaur n. 12, ra de Ricbe-
lien, e 21, boulevard M<>ntmartre.
Todos os frascos, nao tendo
Superior cal de Lisboa.
Vende-se nm sohradinho sito n* ra da
vai a- a 95, assjm como tfulras fazendas que s Praia de Santa Hila n. 56: a tratar na ra d-T ,Hor- timbre prateado da casa, sao reputados falsos,
vbia ; tambem se dio amostras, rjeiando peohor. tas o, 92, com o corrector ivascimento, l Deposito, ra do Imperador, pbarmacia n. 38.
Sende-se snperi ir cal de Lisboa a mais nova nne
ha no mTcado tanto em porco como a retalho,
por barato preco aancando-se aos compradores a
I superior qualidade : a tratar as sexuinles ras
ntacto e claro, o Crespo n. 7, Impera-Inr n. 28, Forte do Mallo
' mazem fio Sr. Villa defronte do trapiche do
godio.
iEHVEJA EH BARU1JL
a SOO rs. o copo
tueijo de .ulnas chegado no vapor
dem prato mnlto fresco
Idena stiisso superior
dem londrlno superior.
57 Ra do Imperador 57 ^L^


Diarlo de Peruambmo Terca felra 11 de Outubro de 184.
RA ]IO QUIIHIAllO IV. 45.
Passand o becco da Congregarlo segunda casa.
rft || m
NOFIDADE
Grande liquidatfLo.
Roa da Imperatriz n. o.
Laja de fazendas do Pavao de Gama & Silva.
Aclia-se este estabelecimento completamente
sonido de fazendas inglezas, francezas, allemaas e
suissas, proprias tanto fiara a praca como para o
matlo, prometiendo vender-so mais barato do que
em outra qualquer parte principalmente sendo cm
porcao, e de todas is (Meadas dao-se as amostras,
deixando ficar penlior, ou mandam-se levar em
casa pelos caixeirosdaloja do Pavo.
As chitas do Pavao.
Yeodem-se chitas inulezas claras e escoras pelo
barato prego de 240, 260 e 280 rs. o covado, timas
i seguras ; ditas frauccias de cures seguras a 320,
134tt, 360, 400, 440, 480 e 500 n. o covado, fazenda
| muito superior c bonitos padrocs : so na loja do
. Pavao.
As lanhas da expsito do Pavao.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
?outembarques por serem lisas e de cores rauito
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 43 um armazem de molhados denominado Clarim Conimer-
cial, onde o respeilavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melbores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes serSo vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencioncda ; garante-se obom
peso e boa quadade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a -220
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 3000 Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. i dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2>800 Figos de comadre e do Douro em caixinlias
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
15200 e 10600, e em frascos grandes a
2 5O.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 102O-), 10100, 10600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpiste a 163 rs. a libra e a 45600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a6i0 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030" rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a Uta.
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinba e a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 40') rs.
Cha hyssm, huchin e perola a 10600, 20,
205UO, 20800 e 3W00 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerve.a preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 300 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inslez fino a 901 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 72" rs.
dem, s de azeitonas, a 730 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e especi tmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200 mi, 20200, 20500, 20SO, 30000 e
30300 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinlios francezes muito novos e
^ bem muito enfeitados a 700 e 600 rs.
Chonricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cada um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e. novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 600 f
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D Pedro, D. Luiz I Mara Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto', Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem b raneo de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Iiordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
dem Morgauxe Chateaulumini de 185 i, a 10
a garrafa.
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
l200rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alem dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao de outros que deixamos
de mencionar, e que ludo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto era porces como
retalho-
Qttem comprar de 1000000 para cima te-
r o abale de 5 por cerdo.
de oilo libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Faritiha do Maranhao a 160 rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. ? libra. *
Genebra de Hollanda verdadeira marca YD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 50300
e 70500 cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, qualidade especial em garrafas muito
grandes, a 10800 a garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nheiro.
Mantciga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem francez. muito nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de lmales em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores consenei-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinha e aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixe em lulas preparado pela primeira arte
de cozinha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maco,
dem de denles a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas concitados a 900 rs. a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixao a 640 rs.
Palitos do g;iz a 20200 a groza.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
O
OPHETA
AO KESPISITAVISI. PUSSLIC'O.
RA DAS CINCO POMAS N. 86
Esquina da nova travessa de H. tioo.
Desejando o proprtsrio do grande inmta do Prophcis Ir to-
gas ao seu genio empreuendedor, commercial e especulativo, resolveti ceder a inspiracaV
que o assallou, quaiido as horas caladas da noile o seu solicito espirito se aguata n'un
, turbilho de ideas, tendentes todas bem seivir e agradar aos gtnero*os haLilactes
dchcadas 560e300rs.; ditas lisas com um lustre | esta bella provincia, de abrir mais osle grande etabelcclmcBl de m\o$
SK^^ quasi que especialmente desuados s pw que MM na t
bar : na loja c armazem de' Gama S Silva, rua da 8W*a de S. Jos, e aquelles senhores que transitara pela vi;. fmea. para .pirm imperamz n. 60. | dade sao sem conta o numero das vantagens que se Hks offerece, nao >j a m n la.,o a
Os vestidos do Pavo. modicidade dos fretes, como da facilidade e brevidade da condueco dos ol.jectus et *
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido prados
fcsJtssssstSasust& *dr~*^"tt*veuda,Jc52*2?ssetb(mor
com listas de seda e tambem com barras e enfei- palavras simples e bem intencionadas dos velhos palmichas desses lempos idos, si o S-
tes para o corpo, por prego mais barato do que em nhor Deus dos exercitos nao o quizer contrariar,
outra qualquer parte, ese quizerem una prova O Propheta nao querendo restringir-se a forma ordinal ia di- negociar rffolve,
si-Sim^,e*G.rsaiv tahmbcm'dep?isdeEf-mr-(,e"fve,:,le' vr,,,eos inm
Os Testidos Mara Pia. S o Pavao (80000). nheiro correnle ; mas tambem de por em pratica a troca delta pnrouims da pradMdn
Vendem-se os mais lindos vestidos Mara Pia do Paiz ou P01' escravos. bois, tavallos, etc. Assim, poi, lique t.a nlellig.M>ria de loo.
de laazinha transparente com listas, e paiminhas que O PBOPBETA recbela como moeda de qualquer dos senhores agricultores, ;s.um.
de seda pelo barato preco de 8 cada corte : s algodao, agurdenle, milho, feijao, cavalles, escravos, etc., etc. e I lies dar o menno vafi*
ma&as?ivaPaV rUa Imperatriz '60'de Ga" em gneros, escolliidos a contento.
As cassas do Pavao a 210 280 300 320 e Quando a importancia dos gneros apaados for BOMrdofM a dos otijectos ra-
36q rs'# cbidos por troca, o t- ropheta nSo demorar a differcuca que deve dar em dinhe'ro.
" S oPavo vende as flnissi'mas cascas persianas L'm estabelecimento que com tantos sacrificios e despeas acaba do ?er aberto
imitacao de la, com cores flxas, 360 rs. o co- deve inspirar a todos a certeza de que se vender muito barato com o fin de se adqn
vado ; ditas franrezas muito finas 240, 280, 300 rir crdito e freguezia.
i re n covado, i?lo para acabar : ra da
A amia verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80,
H'O e 120 rs. a libra, e a arroba a M800,
205UO e 2800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
e 320 rs. o covado, isto
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madapoles do Pavo
Vende-se peca de madapoln infestado com 12
jardas cada peca pelo barato preco de i3, 4o00 e
'>5 cada peca, fazenda muito superior : s o Pa-
vao ra da Imperatriz n. 30, notando que a peca
leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao Ameixas francezas a 10200, 1400 c 1A600
isto previne o Pa-

.% 2 OOW
Na ra do Queimado 11/40, letreiro verde.
Superiores e bem armados bales pelo diminuto preco de 25, advenindo
este "5 eco por tor-so comprado urna grande poreao e qnerer-se acabar
em-se
M4CHIN4S EPTENTE
de trabalhar mo para
desearo^ar algodo
FKUHICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAV
Estas machinas
podemdescarocar
haver duvids nem engaos
vao.de Gama & Silva.
Bramante de llnho do Pavo
28, JMOO, 2^oo.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por preco muito comino-
do, por ter do acabar a factura, a vara por
25200, 2^400, e 25600 ; s o Pavo : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de linho du Pavo.
Vende-se pimno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para Ipnces e toalhas de mao pelo
baratissimo preco de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
godozinho com oito palmos de largura proprio
para lences, pelo baratissimo preco de 15 a vara,
assim como tem o melhor alpodozinho tanlo em
largura como em corpo, propric para lences, ca-
misas de escravos, etc., etc., prego muito conimo-
do .-i vista da fazenda; s o Pavao : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Algodoziuho com toque de avaria a -1,000 ris
e 4,800
Vende-se peca de
queno toque de avaria:
tado, pelo barato prego de 45 e 45300 a | cea ; s
o Pavao : ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os guardanapos econmicos do Pavo c s do
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
apos econmicos e todo linho, tanlo i^ra as casas
de -aniilia como para hoteis, bolequins, etc. etc.,
em latas, frascos e lindas caichinhas muito
proprias para memosear alg em,
Amendoas confeitadas cm fia-eos de vidro
a 10 o frasco.
Alpiste a 160 rs. a libra e a 4>o00 a arroba.
Azeite duce francez a 900 rs. a garrafa.
Azeite de Lisboa a 640 rs. a garrafa e 480
a caada.
Azeite doce em boics com 9 garrafas a 5 com o boiao.
botija.
dem em botija a Vq e 400 rs. a
Graixa em lat sa I 200 a duzia.
Limonadas de diversas Crudas a I000 a
frasco.
Licores inglezes e francezes a I 000,15500
e S0 a garra'a.
Lingoas americanas a 800 rs. cada uan.
Lingmcas pruniptas cm latas 1 IfiB O a Isla.
Manteiga ingleza 1 este genere o que lia de
melhor a 800 rs. a librae un bail a 00
rs.
dem mais baixa a 640e 720 rs a libra.
Manteiga (raneen a 320 rs. a libra, era barril
a 6 40 rs a libra em rttalho.
Masea da tomates a 640 rs. *. I.bia.
! Marmelada muilo nova a 640 rs. a til ra
Azeitonas por todo o preco. j Mullios inglezes a 400 e 640 rs. a gnatela.
Biscoitos inglezes de diversas marcas a 1300 Voslarda preparada a 400 e 640 is. o tana,
a lata. Massas para aupa macarrao, taih; i im e afctria
Bolachinhas de soda, oval e lunch a 2000 a 400 rs. a libra.
a lata com 5 libras, dem finas cm caixinhas a 3#l 00 a taii: na.
Bolachinhas americanas em barricas 26 Manasquino de Zara verdaomo a !5<0c
libras a 2(H>. frasco. r
Banha de porco da melhor qualidade a COj dem mais baixo a 800rs. e'lOOO o fras.;o.
algodozinho por ter ump- fS- a libra. | Milho un sacras, omiMi 35(0.
a, mas que esta em bom es- Batatas em gigos o caixas por todo o preco. Prezunto inglez [ara r-ambre indo M ildmc
vapor a 8(0 rs. a
Caf moido a 10 00 ou r'OO a arn ha.
Caf superior a 7i00, 80O e 8500 a
arroba.
Cha nesio genero temos o que ha de melho-
assim como tambem temos baixo pelos pre-
cos seguintes: i4'0, 1*0, 1800.
2400. 260O. 2800 e ?0l 0 o fino.
dem mais ant go
libra,
a 640 rs. a labra,
dem do I'orlo a 640 rs. c sendo nteiro
>< O rs. a libra.
Passas i ovas a 400 rs. a libra.
Polvo a It'O rs a libia.
Painco a 160 is. a libra.
pe naratissimo prego de 35 a duzia, isio s na charutos de todas as melhores e peores mar- Pomada a 240 rs. a duzia
loi(i do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama
"va.
soiitcmbarqiies do Pavo a
O el#.
endem-se os mais linos soutemharques que
tefin vindo ao mercado, sendo de caxemira de co-
res pelo diminutissimo preco de 125 cada um, di-
tos de musambique pelo diminuto prego de !>5, *6
na loja do Pavo, mas que se nao engauem : ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoalhado do Pavo.
a i.'lir:.
la a, latcl,
cor
Vende-se panno de linho adamascado proprio
para toalhas de mesa, pelo diminu preco de 25300
rs. a vara, guardanapos de linho a 35 a nuzia.
cas do mercado a 80i>, 1000,1600, 2,!Pimenla do icino a .120 rs.
2800,3000, 4d00,5000, fi500e(i Peixe em latas a tcO a
o cento. vina, pargo c outros
Chonricas as mais novas do mercado a 12 Papel de peso aS^OOT a rema
o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a Mein idem muito lino a 1/fOO
ellas que pechincha. dem mai/im a 4^6" O,
Chocolate magniico a 1000 e l200 a libra. [dem almaso a 3 jCerveja mirca a mais acreditada que tem tem para embn moa 1200 a roma.
j vindo a 5o0 rs. a gnala, emeia garrafas Paliios para denles man s n 2 maeinhos
WOO.
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
robas de algodo
limpo.
DE
\OVOS E sr(H EI3IIO- GEMEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
ao KU1 MOV G<>
UHIsna casa jaato a ponte da Boa vista.
DUAS PALAVRAS.
Cesse tudo quanto a antiga musa canta
Que outro valor mais alto se alevanta.<
acabando certas qualidades de fazenda.
Pegas de litas elsticas com 10 varas a..
Oitas de tranca branca lisa com 10 varas.
Ditas de tranca preta lisa a............
Realejos para meninos, pechincha a...
Rodinhas com superiores alinetes a.....
Acha-se a disposico do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci- Caixas com superiores aguihas e limpas a
ment de molhados, talvez o primeiro e nico hoje existente em sua especialidade, por- Sabonetesde famiiia.muitoflnos a80e..
que o maior capricho de maos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabe.eci- ^^SS.TtSSSSfu^i
ment modelo i>romoverain a escolna dos mais superiores gneros do nosso mercado, jqq; 120 e.......;.................
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a dinheiro a vista Ditas 'de bico largo grosso a............
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como v3o ser pelas pessoas que se Potes de superior tiuta tem mais de meia
dignarern de honrar-nos com a sua freguezia alentamos a doce, Pf*^e ^ar > dB'jZ^'^i:
todos, nao so pelo empresto das manetras condescendentes e delicadas de que somos ca- Frascos de o)eo de macaf mul0 fjn0 a .
pazes. como pela praiica da promessa que fazemos de vender polos precos quasi do pri- Ditos de oleo de babosa superior a 240,
meiro custo o nosso magnifico sortimento. .^^' "^ e.........................
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as D'jos^decheiros muito superiores emqua-
diversas classesda nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acbarao Ditos de agua'd'coionia muito boa[-.".'.'.
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc. Ditosde dita dita grande a..........'..'.'
etc etc, e aquelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces- Sabnnetes de todo o preco 60,160,200,
sario, prom-itemos-lties servi-los de gneros novos e sadios, escolliidos ao seu contento. n^?.gy.- :_,-.:\.-^r.'i::......
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do S?Xas de p PPara l&Sr $& muito
homem rico. < finda-............................ 100
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com- Ditos de banha transparente a.......... 600
prar para seu gasto, ou para negociar, voltaro satisfeitas, nao s pela boa qualidade dos %"es diP hgas muito finas para senbora a soo
objectos, como'pela Brlefidade dos procos, e bom acondiciona ment. fST^^^SXS^
O futuro nos justificar. rantida a.......................... 15000
Massos com 2o envelopes grandes azula-
do a..............................
Varas de fita preta com clcheles a.....
Frascos de macaca perola muito superior
Caixas com pennas grandes a.........
Grosas de bot5es para caiga preta, miudos
qualquer especie j toalhas de noa 55 cada duzia, na loja do Pavo,
de algodao sem rua da imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
28" rayao (a 850).
duas pessoas para; Quem tem ba loes por tal preco I
o trahalho; pode Vendem-se os baloes americanos muilo superio-
descarocar una res Cuni a c 2a arcos pelo baralissimo preco de
arroba *de algo- i 2i&500 e45, di los de 23, 30 c33 arcos com titas,
do em caroco nicito bem armados e tambem lem cores escuras
em 40 minutos, 1*' baralo prego de 35300 cada um : s na loja
ou 18 arrobas !do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
por dia ou o ar- i Silva.
0 'nao vende para lulo.
Vende-se superior selim da China, fazenda toda
de la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletots, caigas, ele,
pelo baralissimo prego de 25, 252' 0, 25300 e 35 o
covado, cassas pretas lisas, cimas prelas largas e
eslreilas, manguitos, rolarmhos, punhos, e enfeiies,
tudo preto proprio para lulo fechado, e muitos ou-
tros artigos que se vendem por pregos mais em
conta do que em outra qualquer parte por estar
Rua do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo-1 liquidando ; s na loja do Pavo rua da Impera-
se Digodinho, venhaui ver a pechincha que se est t,iz n- 6> de Gama & Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavo pelo
barato prego de 600 rs. o covado ; ditas de listi-
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 500 rs. o covado ; garanlem-se
as cores por serem do melhor fabricante que aa
tem em Paris : isto na loja do Pavo rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 904OO e
8JJNOO o corte.
Vendem-se cortes de chita com dez covados
25400, ditos a* 25800, com 12 covados; sao chitas
por 320 rs. branca e prela.
Conservas inglezas aSOvrs. o frasco fazenda
chique,
dem francezas aiffl rs. o frasco.
Cevadinha de Franca a 240 rs. a !ir.
Champagne da melhor marca que iqui tem
vindo a 20fj c 24# o gigo.
a RO, 12o c 1.(0 rs. o maco.
Palitos do gaz a ?00Oa gro/.i.
Queijos flamergosdo ultimo vapor a 2,$OG.
dem itndrino a 9t O rs. a libra.
dem prato a 040 s. a litra.
Rap Neurona IjCOO a lil.rr.
Sag e M'vadinha a 240 e 280 rs. :> lil ra,
. Saundcrs Brothers & C.
.\'. 11, praca do Corpo Santo
HECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RiVAL SEM SEGUNDO.
Cognak inglez e francez a 800 rs. e 10000 a Sardinhas de Nantes a OO, 500 c 3I5U rs. a
lata.
Sabo massa a 120, 180, 200 e 240 rs
ibia, e em eaixrjes por menos.

320
400
800
400
800
CAVACO NECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las.
Existindo neste vasto e flor^scente imperio um grande partido poltico com a SiiiatoBe^io^lSiSa^^wa!1!
denominaco de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente, Carriteis de reiroz de todas as cores e
canaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos, tem mela. oiIa'a "1?jen-oz a.....
Ria-se quera quizer, porque nos tambem nos riremos- mas nao se zanguen
ninguem.
0 nome urna voz com que se dio a conhecer as cousas. E esta a mais
breve, clara e sincera explicaco que, peloroethodo repentino, podemos dar.
Mas a quem n5o seguir o partido desse systema diremos mais:
N3o oriun lo do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento. Foi a
mnitas c*m>na< de leguas que apanhamos a nossa Liga.
loo
100
200
200
100
200
200
60
Empreza de iUumina$lo
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.).
i devem ser leitas no armazem da rua do Imperador
I n. 41. Os machimsias mandados para attender a
Na soherba e opulenta Inglaterra nouve um re que instituio a mu honroza or-. estas,jpresentaro um livro que os reclamante.-
dem da Llca O acaso nos fez deparar com a narraeao desse acontecimento, que tan- deverao assignar logo depois de prompto o servigo
to sorpre endeu a corle desse monarcha. Agradou-nos esU historia e goslando sum- ffSSi osXmoTsenlioTeS iSStoSZ
mmente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col- Se",^ senhores sido dev.damente
locando-o no oitSo do nosso estabelecimento, temos assim feto dist.ngui-lo dos outros Yende.sc a armaQ-0 do deposit0 da rna Nova
que S6 assignalaram com mitras e coras- I n. 58 por prego commedo : os pretendentes diri-
Hoaail fo|( nal y-pcose. jam-se ao mesrao, que acharo com quem tratar.
tas seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, otO rs. o covado : na loja do
Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Si|va.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos e golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de 15 e 15280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
com golinha a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de Mi muito bem bordadas 25 cada
urna, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente gravata de seda, fazenda
fina, pelo barato prego de 35, e militas nutras
bordadas que se vendem por pregos muito em
conta : s na loja do Pavao rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As roupas do Pavo
Vende-se panno preto flno muito superior pelo
barato prego de 25. 25500, 35, 35500 e 45, dito
mmlo fino 55 e 65 o covado, casimira preta de
urna s largura e muilo fina a 15800, 25 e 8*800
e 35 o covado, cortes de casimira de cores a 55,
o5o00e 65, casimiras entestadas de urna s cor
proprias para caigas, paletots. coletes, capas e para
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Amendoas confeitadas.
No estabelecimento da rna do Rawwl n. 43.
CAL DB LISBOa
Vende-se cal de Lisboa a mais superior, que ha
no mercada, sendo brris de 4 arrobas e 4 arrobas
1|2 : na rua da Moeda n. 2, confronte ao trapiche
do Cunha; e para informag5es no niesmo tra-
piche.
garrafa.
"(bolas por todo preco.
Copos lapidados que sempre se vemieram
se vendem em muitts parles a H5 e 10$, Sal refinado a 0i>0 rs. o vazo (pote de vidro.)
vendemos a Si 0 e 6$00i' a duzia. i Touciiho de Lisboa, de Santos e aaeriCHN
Copos para vinho a 3>()0" a duzia. a 100, 2'i0 e 'Ai i rs. a libia c em amia
Doces de calda vindos de Lisboa Reste ultimo' a S, 7, c 9#00O.
vapora 0 0 rs. a lata das melhores fuc- Tijolos para limpar facas a IGOrs caita nm.
tas da Europa. j Vinho do Porto em ancoras com 70 garrafas
dem da goiaba e da casca o melhor que a 30,->00O.
possivel por diversos precos, e conforme Vinhos de Lisboa e Fifiueira qualMad mag-
o tamanho dos cales.
Ervilhas em latas a 040 rs. a lata.
dem seccas a 200 rs a libra.
Espermarele americano a i200 a libra.
niticas a 3,5000, 35 0 e Jflfli-0 a caada.
Vinho do Porio em pipa a 5 e (.) Vinho brancode Lisboa e Porto em ano 135,
barris e pipas a 4000e 50OO a cacada.
dem francez a 560 rs. o masso com 6 velas. Vinagre de Lisboa a 1^600 e 2i?t00 a cana-
Figos de comadre em caixinhas muito lindas
a 800 rs a caixa.
rnriuha de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Farini.a do Maranhao a 24 1 rs. a libra.
Fumo do Para a 158''O a lata grande.
Fumo americano a 1$400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros a 200
rs. o maco.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a 30500
Genebra de laranja 1$ o frasco,
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.
da.
Vinagre em garrafoes por 1 dCOO com o gar-
rafao.
Vinagre em ancoras para 1,5600 com a ancora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 rs. cada ma.
Vinho deHordeaux neste genero temos grande
porcao e das qualidades melbores que lem
vindo ao nosso mercado fm garrafas, em
ancoras, em bairiscquartolas oquzl ven-
demos por procos muito baixos.
9w
O BALIZA
DECLARACAO.
0 BALIZA declara pelo prezente qn
dcixa de publicar os [Tecos pelos quaos v
de as suas mercadorias por motivos que
respeitavel publico pouco intereca. Serve
provisoriamente de baze os precos do Pro
gtheta.
ORDE9I IIO DIA.
O BALIZA concede plena liberdade aos
seas amovis colle/as Clarins, Uni5e$. mitra-
dos e croados, para que pi-ssam sallar, her-
rar e tudo mais quanto lhes aprorrver, at
a sua segunda ordem.


MUTILADO


?

' -

(k\m)e m\im m moliivos
Largo da
'Santa Cruz
u.84.
Esquina
da ra do'
Sebon.84.
kWDM BKILH INTE
Francisco Jos Fcrnandes Pires, prprietario do armazem de molhados denominado
Aurora lii Ihanic, ao largo da Santa Cruz n. 81, esquina da roa do Sebo, fai sciente ao
reapeHave iiublico desta cidade e do interior, que no sen importante estabe lecimente
vender senipre geueros novos e do primeira qualidade, o veuder a todos pelo mesnio
treno.
O completo .-oriimento de todos os gneros Gnos e grossos qac costumam ter ontros
tabelecimeolos desla ord'-m se eneontrarao sempre no armazem da Aurora Brilhante
e semre om grande escala vontade dos senhores compradores.
O proprietano do armazern Aurora Bnltiante pede a todas os senbores e senhoras
que nado tiv.-rem de mandar suas relacoes a este estabelecimento por seus criados
i'j.i em caria fechada ou com grande recoinmeortacao a este armazem, certos de que
serao lio bem servidos como se viessem pessoalmeote.
Amm
A Aurora Brilhante. troca qualquer una .genero que por acaso nao agrade, e recebe
as libras estorliaas a *00u, sendo por compra : a tabella de seus gneros sera mudada
tifcias as, semanas.
AineaJoa* din fritadas a libra a 800.
Manteiga ingleza flor a 800, 960 e 1*120.
|>i:a inuisaoaixo a 640 e 720 rs.
Dita francesa nova libra 6W) c em barril a
Clutcotate sanie inuito novo a 1*200 a libra
Ui perola o melhor que ha ( redondo) a
l:bra a 3*00 e 2*800.
Dito ilito uiais abano a 2*500 e 2*800.
Uno mtim muilo fino a 2*800 e 3*.
Dito hyssosuperior a 2*600 e 2*800.
PUo !ui.s. abaixo a 2* i- *3O0.
Oitu proto muito lino a 2*500.
Duo eai massos a 2*.
Dita d >- Uto em latas de 4, 2 e i libra a
1*VJ0.
Caf di; Moca superior arroba 9*500 e libra
30a t 280 rs.
Dito do Rw o do Cear arroba 8*500 e libra
32 rt.
Dito aiaii-abaixo arroba 8* e libra 260 rs.
Barricas com bolachinha ingleza nova a
3*
Latas com bolchinba de soda de 5 libras a
tim.
Ditas com ditas sortrdas de 2 libras a 15100
Fraseo* com ameixas francezas a 1*600,
2*a00 e 3*.
Latas com ditas a 1*400,2*200 e 4$.
Diias com figos de comadre a 1*500.
Ciixinhas co n ditos muito novos.
Prosuuto de Lamego muilo novo a libra 5 0
rs. iuteiro e a retalho 606 rs.
Gi j incas e paios novos a libra 600 rs.
Ditas enn ervilhas francezas e portuguezas
a8J0rs.
Ditas com massa de tomate novo libra 560
rs. eoin narril a 500 rs.
Ditas com ostras a 720 rs.
Bita* com marmerada dos melhores autores
de Lisboa a libra-640 e 720.
Potes rom musturla franceza preparada a
libra 4R rs,.
Dita dita ingleza a 800 t*.
Queijos novos do-vapor a 2*200 e 2*800.
I-, i de pralo enplicado a 1*.
Carne e linguioa do sertao.
Duzia de grasa faUs grandes a 1*.
Caitas com S" massos do velas de sperma-
ceie a 56 rs. a libra
Ditas maiere6 a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas cora uma arroba de velas do Araca-
ty 10*500 e libra 400 rs.
Ditas de cemposicao arroba 10* e libra 360
ris.
Saceos grandes rom farinha de Goianna raai-
to boa a !>**00-.
Ditos com.imIIw muro com 24 cuias a 3*500.
Dito com farello de Lisboa a 3*300 e 120
a libras
Dito com arroz de casca a SsOOO.
Duia de garrafas de cerveja branca e preta
a 5*300 e em barricas a 5*000.
Arroz do Maranhao em saceos arroba 2*600
2*400 e libra 100 e 80 rs.
Dito da ludia e Java arroba 3* e libra 120.
Araruta verdadeira arroba 8* e libra 320
rs., mataran.
Gomraa do Aracaly para engommar arroba
5* e libra 160 rs.
Farioha do Maranhao nova libra 320 rs.
Ervilhas sercas multo novas libra 200 rs.
Sag e sevadmha a 240 rs.
Sevada arroba 3*200 e libra 120 rs.
Grasa de boio 97 a 280 rs.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanhor verdadeiro a 400 rs. a libra.
Baiaios do Porto de diversos tamanhos de 320
a 2*.
Capachos para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de brce arro- a 4*500 e libra 160 rs.
Paineo arroba 5*500 e libra 200 rs.
Milho alpista arroba 4*800 e libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 1*500 e garrafa
200, 240 e- 20 rs.
Massos de patitas de tientes com 20 raassi-
nhos a 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 4*500.
|Dito gravo liso o melhor que ha a 4*500.
Dita suiss'o a 800 rs. Dito de peso o pautado a 2r500 e 2*800.
Dito de manteiga do Serid a 800 rs. Garrames com 25 e 15 garrafas de verda-
Caixas com passas novas de 1 arroba 7*, deira genebra de Hollanda por 8*500 e
m a 3*500 e quarto 2* e libra 480 rs. 6*000 rs.
Azeite> de eoo garrafa 560 rs. e carrapato
360 e caada 2*360.
Caixes cora doae- de goiaba a 640, 800 e
Toucinlio do Lisboa arroba 9*300 e libra
320 rs.
Dito de Sanios arroba 64 e libra 280 rs.
Molhos com grandes ceblas a 1*600.
Cento de dita sulla a 1*600.
Mauncos de amos a 12o rs.
Curdas de pastar e de andaime.
Favas da ilh* do S. Miguel arroba 3*200 e
libra 120 rs.
Copos lapidados para agua e vinho a 3*o00,
5*800,6*e 7*.
Ditos lisos para varios precos.
Calis, lapidados grandes e pequeos duzia
3, 4 e 5* ; o 400 e 500 rs. cada nm.
Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
ara a 400 rs.
Estrelinha e pevide libra 640 rs.
Xarope de fruclas aacionaes a garrafa 600
ris.
Marrasquinhp de Zara da melhor qualidade
a garrafa 1*200 e 800 rs.
Esleirs de tranca, cento a 20* e 240 cada
uma.
Queijos do qalha novos, arroba 16* e libra
a 560.
Duzia de campanua superior a 20*, e 2* a
garrafa.
Gar raides vazios a 1*600.
Massa branca para sopa a 320 rs.
Frascos cora azeitooas en coocervas a 800
rK
Duxii de cartas finas para jogar a 3*.
Sabo hespanhol verdadeiro libra 400.
Saceos cora feijao mulatinho novo a 10*.
Latas com favas J preparadas a 800 rs.
Sevadinha para sopa a 240 rs.
Garrafas com muscatel e setubal a 800 rs.
Saa novo a 400 r.
Hreu arroba 8*500 e libra 320 rs.
Latas enm 27 garrafas de gaz a 11*, a gar-
rafa 300 rs.
Miarlo 4e Per
\ ...
ft-ne Terca fe** II te Ouinbro de lltu
NEM COROAS NEM MITRAS

I)
GltV%3E
DE
NOVA EXPOSIQO DE GNEROS
NO
ARM1ZE9I
PRINCIPAL
DE
tVllh % W^B^a
RA DO IMPEBADOR W. 40 9 UA IIO CRESrO IV. O
Jualo ao sobrad em que ra e Sr. Oftaroe, Esquina que volta para a ra da Imperada
Unirte Almelda A C, reeeberam de ana propria encommen- E provavel que nao seja bem aceita a verdade, quando a boa f de todos aod
da o mals lindo c variado sortimento de molhados, proprlos .illudtda por esta epidemia de nauzeaiicns annuncios de cornetas, tambores, coras. mi-
da presente estacao. iUas'etc" ^ue lodo dia encLem as Pa8inas deste i01- X
Manteiga ingleza | Maeas brancas ALEHTA
da safra nova vinosTno ultimo vapor a 1 ,ooo I para sopa a melhor que se pode desejar, Os annunc.antes n3o tem em v.sta sanio garant.rem ao rcspeitaxel publko a
nilK&illrr macarrio, talharim caleiria a400rs.a sua palavra de honra, vendando com o.lucro suficiente para suas subsistencias i nao par-
Manelga franceza libra e 45oOO a caixa. assentarem fortunas a torca da regra de liga como outros annunciantes deste genero
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril VhlO PARA. YO HO$
a 5 ) rs. I Figuera j a A e outras muitas marcas acre- j, m Nojirmazen^principal vende-se a todos pelos precos marcados na seguinle la-
1 ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2^800 a caada.
dem de Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
Amnd iaWTT
Noze< libra 160 o arroba 5*,
Charutos finos de Sima?, c dos melhores fa-
bricantes da Batata de 2* 8* caixas de
109 e 90:
Groas de miHohaa de palitos de gaz a 2*200
e 20i) rs. a duzia.
Barra com azeitonas novas a 1*200 e 2*(
barra grandes.
Vas-oaras do Porto piassava muito seguras a
400 rs.
Azeile doce francez dos melhores fabrican-
tes, caixa 105 e a garrafa 1*.
Caixas com vinho IJordouax branco e tinto.
Vinho do Porto fino em barris de o que ra-
ra< v.fs appareco por 80* e cm caada
a 55500 e carrafa a 800 rs.
Dito de Figueira puro caada 4* e 45500 e
carrafa a 480 c 560 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 35500 e
45 e a garrafa a 440 c 480 rs.
Cognac verdadeiro a garrafa 15 e 15280.
Vinlu muscatel duzia 10* o garrafa 15,
Vtaho branco de muito boa qualidade cana-
da 4-5 o garrafa 480 rs.
DI lo Setl fino caada 7*500 e garrafa a
Dito Madcira saeta agarrafa 1*600 e 25.
Dito em cafxas de ama duzia do Porto dos
inellutres autores a 125, 14* e 16*
Garrafas com licor fino fraucez a 1*, 15200
e 15600.
Dita* cora vinho de caj moilo claro a 15-
Ditas com rael de abelha puro a I*.
Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 1*.
Dito de ma garrafa a 560 rs.
Dito de laranja verdadeira a 15200.
P.^es com mostarda preparada a 320e 400 rs.
Caivas com 2 arrobas de batatas a 2*500.
Vinho branco de Lisboa iroprio para missa
a 45800 a caada e 640 rs. a garrafa.
Espirito de vinho a 400 rs. a garrafa.
Dnas redes mnilo bem feitas para dormir
viada* de Sobral a 30* cada uma.
13 ontros mullos gneros de primeira qualidade que ni o
possivel menciona-los.
A satisfacao da Aurora Brilhante vender muito, embora barato, mas DINHEIRO,
abatendo cinco por cento a quem comprar de 100*000 para cima.
0 NOVOJESTINO
MAZH CONSERVATIVO
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
cora bolachinhas de soda de todas1 as qua-
Itdades a i,y.m.
Chocolates
de todas as qoalidades a 1*000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambera
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2<$6oo.
4|nei|os
chegados no ultimo vapor a 25600 cada um.,'
Un el Jo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais aovas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixjnhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 15200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qtialquer nao pode vender por menos de
3> a 20600.
dem perola
especial qualidade a 2#700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarelias
aletri
iat;
para sopa, macarrao, talharim
480rs. alibra.
COW.4C
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1.- oo
rs. a garrafa e de outras muitas qvalita-
desa l,ooo e 8on rs. a garrafa. '
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs.
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de bo lea
de excellenle qualidade f 2^200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulhode l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Gorinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. alibra
Vinagre
PRR em ancore tas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada uma.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e PainQO
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 4*400 a arroba.
cantes da cidade do Porto a l e 102OO
a garrafa e de 105 a 125 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso drFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos euzes,
lagrimas do Douro e outros muitot.
Latas
com 16 libras de baha a 45000.
Bolachinha ingleza
a 1 $800 a barrica da mesraa que
vendem a 25000 e 25400.
Nozes
as mais novas'do mercado a 120c* A bra.
Cervejas
dos melhores fahricantesje de todas as mat
cas de 45500 a 65500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranh5o a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
de 1.a e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 855f
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafes
com 4 l'i garrafas com vinagre a 15000 tan
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de ll#08C
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 55800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a Ooo
rs. cada uma.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
com uma duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de esperraacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba era caixas de arroba a 9,3oo b
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas oras
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muilo novas
em quartos e inteiros a 25 o quarto e 65500
a caixa e400rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da rase a da goiaba
a 600 e 15 o caixSe.
bella, mas nao se vende por todo o pre?o fazendo-se peso de arroba hespanhala. gu,
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquelle que n3o seja do agrado de
comprador.
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lentilhas muito notas excaliente legume pa-
64o rs. a libra. ra sopa a 2oo rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra. Licores francezes de todas as qualidades da
dem de casca mole a 32o rs. a libra. 7oo e 9oo rs. a garrafa.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Manteiga ingleza perfectamente flor a 8oo rs.
estampas, a 1,2oo e 1,5oo rs.
dem era frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 */ libra a l.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
a libra, desnessesarie mais elogios oes-
te genero que s se pode verificar con a
vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
ou meios a 5oo rs.
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, e Marmellada do 1." fabricante de Lisboa a6oo
de 2,5oo a 2,8oo a arroba, rs. a libra, ha latas de 1, i% 2 libras.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e Maca de tmate em latas de uma e duas fi-
4,8oo rs. a caada. bras, a 6oo rs. a libra,
dem francez e de Lisboa refinado em gar- dem para sopa estrellinha, pevide, radnmv
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muilo nova e limpa a 32o rs. a
libia.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
etc. a 3..'oo rs. a caixa e 56o rs. a libra.
Macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a loo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolba da
vidro a 64o rs. cada uma.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato Marraschino verdadeiro de Zara a 1 ooo ra.
Antonio de diversas qualidades, em latas agarrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
de6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
lata, e 64o rs. a libra. | Ostras preparadas em latas a Too rs. a bu.
dem ingleza era latas de 2 e de 4 libras Prezunto para fiambre inglez verdadeiro. ga-
das melhores marcas a 1,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Hanha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Btalas em caixas de 2 e de 1 arrobas a
l.loo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
rantindo-se a qualidade, a Too rs a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, a
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
rz, cavallinha e pescada a l.ooo rs. la-
ta.
23-Largo do Tferco-23.
Joanuim Siraao dos Santo?, dono deste bem sortido armaiem de molhados denominado Con
servativd do largo do Terco n. 23 cientfica ao respeitavel publico e a todos em geral que mandem
oa-'venham a este estabelecimento para melhor se sertificarem da diminuicao de precos que obtem
aesn, o que nao obteria se compraren em outro qualquer, pelo que se r.-spousalelisa a servir qual-
quer comprador oom-a maior presteza e Melidade, sem que naja a menor alteracao. Todo o compra-
dor que comprar de 100* para cima ter o descomo de S a 10 por cento pelo seu prompto pagamento.
' Attencftft
Batatas mmis novas a 40 rs. a libra e !#O0 a ar- '
cof*a.l_
Toucinho do Lisboa a 200rs. a libra e 8*300 a ar-
roba.
Caf de primeira e segunda sorte a 240,260, 280 e
300 rs. a libra.
Arror do Mraritio e Java a 100, 70 e 80rs. a li-
bra e 2,1200 a arroba.
Wiosphros do gaz a 2* a groza c 180 rs. o mago.
P.i-s.is de camaila a 320 rs. a libra, e em caixa a
fJPNfc
i( iai'liinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
Slie amarelto massa a 160,200 e 240 rs. a libra.
VelasrteearniHba Aracaty eomposicSo a 360 e 400
r*. a lihra.
A marta* raneeta om i e meia libras a 1*.
lasa d tomate da melhor qualidade a 600 rs. a
libra.
M.-.rmellada dos melhores fabricanlcs a o0 rs. a
libra.
OTwrica as mais novas a 360 rs. a libra, e era
turril por 12*.
th hvssim miudiolio e perola a 2*,000 2*500 e
2*800.
Miiho alpista e patnro muito novo a 160 rs. a libra.
Biscoits e bolachas de soda a 1*300 e 25
Araruta das melhores marcas a 1*, 2*, 3*, 4*, e
4*50 iks.
Charutos em sacos contendo 50 por 640 rs. o cento
Azeite doce (Ib Lisboa lino a 640 rs. a garrafa.
Dito de arrpate a 280 rs. a garrafe, e 2*000 a
arroba.
Vinho t Figueira e Lisboa das rneihores marcas a
320. 400, ROO, 560, 640 e 800 rs. a garrafa, este
ultimo to Porto proprio para os doentes por
ser purificado e recoromendado para este fim.
Queijns do Itimo vapor a 2* 1*700.
Manteiga ingleza flor a 1* a libra, e a 950 rs. om
barril.
Id<-m menos superior de 720 a 800 rs. a libra.
Idam raoc*za do ultimo navio a 560 rs. a libra,
em barril se fara abatimento.
Gomma da mais alva a 160 rs. a libra e a 4*500 a
arroba.
Alm estes gneros ba outros muitos que enfadont seria menciona-los.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
liniao e Commercio roa do Qneimarfo n. 7
0 Verdadeiro Principal roa do lmperdor n. 40
FIIUCTAS
MUA. PBBAi E UVAS
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro PrincipalRa do Queimado n. 7, ynio e^Coramercio.
BREU
Breu verdadeiro americano, tanto em barricas
como a retalho, vende-se na ra da Cadeia do Re-
cife, loja de ferragens n. 56 A, de Bastos.
Knvatir-s calcadas de ac
Chegaram as desejadas eoxadas raleadas de ac,
asquaes vende-seo mais barata possivel : na ra
da Cadeia do Recite, luja de frrragcns de Bastes.
Fio de algo o da Babia ame-
ricano.
Vende-se tanto em porcao corno a retalho, estas
bem eonhecidas qualidades de o por barato prece:
na ra da Cadeia do Recite, loja de terragens de
Bastos.
Telhados de ferro galvanisvdo.
Folhas de ferro galvanisado para tediado per
commodo prego e de muila utilidad* para roberas
de casas, vende-se na ra da Cadeia do Recife n.
56 A, loja de ferragens de Bastos.
Vaquetas Inglezaa para cobertas
de carro.
Estas bem eonhecidas vaquetas, vende-se unira-
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor mpnte na '0aDda rua da Cadi* Recife> luJa de
deaux, differentes quaHdades, mais barato que em ferragens de Bastos,
qualquer parte : no artnatem de E. A. Burle & j Padnrlai e reonacao.
Cl, rua da Cruz n. 48. I Chegaram as bem eonhecidas peneiras de ara-
--------- y --------------rx-------3 me e de lato proprias para padaria o refinacao, de
Na rua da Cadeia, armazem n. o3, vende-se fod, os tamanhos e grossuras : na rua da Cadeia
o seguate : 4 gaardas-roupa d* raz de amarelle, do Recife, loja de fe rageus de Ba>tos.
ATTE^CAO.
rhegaem a farioha Uvada.
A Iwrdo do hiate nacional Deus Irmaos ancora-
do defronte do trapiche barao do Livramento, ven-
de-se esta snperior frinha lavada anda nao vista
neste mercado pelo barato preco de 3* o alqueirt
ou 6* o sarco sendo este proco granel, e tambem
na rua da Madre de ueos ns. 5 e 9.
Vinho Mude ira fino.
Vende-se na rua de Apollo n. 4, primeiro an-
dar, em barris de oitavo, chegado boje.
Rea da Seaxalla RM n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLov
Moor libra a 120 ra.
M
\T
cadeiras de cereja, berijos de aa, 1 banca de ad- Vendem-se saceos com gomma muito alva,
vogado, t mebtlia de Jacaranda, nova, etc; : ven- propria para engommar e fazer bolinhos: na rua
de-se muito barato e a dinheiro. 1 do Queimado loja n. 44.
rs. o gigo, i,8oo rs. a garrafa, e Ooo rs. palitos para (lentes lichadas a 1 o rs. o ma-
as meias garrafas. i qo de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo rs.
bra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a lit>ra.
dem hysson o mellir.r que ha neste genero
a 2,oo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a i,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopalhico 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
l.ooo, l,2ooe 1.400 rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia
do de Simas e outros da Bahia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo e
4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de uma s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a l.ooors. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.8oo,
5,ooo e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,ooo a 8.5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 6oo rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a "oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada uma.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada uma.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a I,ooo rs. o fras-
co, e H,ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser relente bebida Suissa a
l,8oors. agarrafa.
a groza.
Paineo muito novo a 16o rs. a libra, e 4,5oo
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra, a
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado era potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Nantes a 6oe rs.
a meia lata, e ioo rs o quarlo.
Sap muito novo e alvo a 2lo rs. a libra.
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loors. alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oors. a libra.
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa a Figueira das
marcas menos eonhecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira expecialmetjte escolhido neste
lugar'a 6oors. agarrafa, e 4.3oo acanada.
dem Lavrad.o, Colares muito fresco sen
composico a Soors agarrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a garrafa,
e a 4,ooo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garra-
fa.
dem engarrafados- generosos, Lagrimas do
Douro, Duqoe do Porto, D. Luiz I. D. Pe-
dro V, Nctar, velho secco, Malwzia, a
genuino partictlar de 9ooal,?oe rs. a gar-
rafa e a 10,000 rs. a caixa com uma duzia.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas Si.
Julien St. Esteph, chieau la Ro/e,chatau
Margoux e outros a 6,ooo rs, a caixa e 54o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2,ooo
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e l.iaa
rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a I .ooo ra.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a Sto
rs. cada uma.
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba retinada e de romposieSa
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e 1 l,ooo ra. a
arroba.
*
Custodio, Carvalho & Companhia.
HIJA DO QUEUIAIIO 9
Toalhas para mesa,
Toalhas de lioho adamascadas para mesa a 4*000.
Cortea de ISa
Para vestido com 15 covados a 8*500.
Co netas.
Cobertas de chita chineza a *20O
Balees
Para senhoras e meninas.
Uadapolo
Trancado, superior fajenda a 500 rs. a vara.
La para vestido a 320 rs. o covado.
Fil de linho liso e bordado.
Fino panno de linho para lenres a 800 rs. a vara.
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
uma duzia : em casa de Johnslon Pater & C, rua
do Agario n. 3.
Cal de Lisboa
na ruda Afn
chepada pelo Jfetro da Gloria :
n. 28, junto ao iheatro^_______
SAL
No escrlDiorio de B. R. Raballo, roa 4a Cadeia
n. 55, vende-se sal alada a bordo do navio.
MUTILADO



*

DUrU 4c
... Wcraa #clra 11 de Oiituhr I
AO PUBLICO
attenco
Os preeos da seguate
tabella para todos, i>o-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
<-oiu os portadores.
CANTIL
Sem o menor constraa-
glmeoto se entregara o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM
RA DA C ABEIA 1IO RECIFE W. 53.
(Loga passjndo o arco da Cune?icio)
Grande redneeio de precos, equivalente a dea por cento menos do que nutro qualquer
annunclante.
Collegas.N5o posso por mais tempo sustentar o preco da manleiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de outros
uiuitos objectos, etc., dando com isto ocasi5o a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manleiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo prego que en vendo 111 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receloso em adoptar q mesmo
systhema que vira encontrar, de so se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta gi ande reducto de presos, como veris |
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Unio Meicantil nao^
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l.Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduegao a que,
esto obrigados, encarando todos os dias de seus fregue/.es reclamado de pregos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
tao smente obter a concorrencia de seus freguezes.
< r* *eJB e tonos. ..... Acaba e Senhores e Senboras o aceio que presidio, aosarranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplido eentei- de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteegao e preferencia na compra
dos gneros que prec-isarem, e quando n5o pogam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, pois
sero to bem servidos como seviessem pessoalmente, bavendo para com estes toda recommendagu, afim de que nao vio em ouira parte.
^AllTE MEIDA?
No armazem de lazemlas ba-
ratas de Santos Coelho,
Ra daQamridt 19.
Vende-seo seguinte :
Allrnro !!
Ricos laazinhas, fazenda a melh. r qu<> te vis-
do ao mercado, tanto em gosti. um., ,;n niaMt-
de. pek- baralissimo preco e iGO rs .,
Ditas miuilinhas earmi-zins, propr-. ; r, tria-
dos de meninas e ramisinhas a 6io n v;#
Cortes de laa com 13 mvadas, \ > i> barati trer
de 64.
dibertas de chita da India a ttt 11 '.V
Lencrs de panno de linho a 2A r tVHI.
Pecas de cambraia de forro ri t I i r M a
3JSOO.
Toalhas ticochoadas proprias para n \ :} a
du/ia.
Rices cortes do laa com barra a M. na r a
Hf,
Pegas de planillas de algodaa rom (0 ara*,
proprias para saia a i.
Algodao entestado com 7 i\i palmos tt largara
a ti loo rs. a tara.
Esleir da India, propria para ferr ii '*% m
4, 5, e 6 palmos de largura, por u iu> BM| >
, que em outa qualqner parte.
Neste rstabeleri ment tambem se ermr.rraTa
I nm grande sortinvnto de roapas (filas, t p,t tem-
i dida.
Um Descabrincnto uujuuuw!
O hado Sticntifita uiaiimaiarnla ajj .
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolbida a 8oe rs. a libra, em barril se'
faz abatimento.
dem franeeza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
Mera perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melbor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathicoporserde superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1 ,Coo, 1 ,80o e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito regu ar, igual
ao que se vende emoutra parte por 2,4oo
e 2,6oo rs.
Lingmcas, chourigas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5.5oa rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chourigas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo e 600 rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos ebegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a i,600 e 1,800 rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latasj pre-
paradas a Ci rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa, a 600 rs. a libra.
Pre/.unlo do reino vindos de casa particular
a 0G0 rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inile/as para fiambre chegado nesle
vapor 72o rs a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duza,
Chocolate francez, suisso c hespanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espennaccte em caixinhas contando 6 libras
por 4,0'to rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel. corvina, gors. pesca-
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,<>oo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arro do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paingo e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 000
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e lalherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
i'eitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45>,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho bfanco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 68n rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhorcs marcas, que
vem ao mercado como sejam Lacrimas do
Do uro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. ea9oo e 1,00o a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 6io rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,.!ioo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlaias
de 3 libras por 1,800 rs.
Ameixas fi ancezas em latas de 1 e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas eslampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, el,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,no a duzia- .
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozas muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franeeza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e 11,000 a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em irasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
jCervja branca e preta das marcas mais a-
crediUdas que vem ao mercado a 5,ooo e
I 5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
da, salmao, ostras e chernee, vezugo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
atas grandes a 800 e l,oon rs. cada ama. I cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeanx das marcas mais acredita-
das q ic tem viudo ao nosso mercado a
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este prego.
Genehra de II-llanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a l.ooors. o frasco, e
litnoo rs. a duzia.
dem de Holianda em botijas grandes a too
libra.
Bolachinha de soda em latas cora diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a ino rs. a
libra e 6,ono rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs a libra e
1,80o rs. a caixa com 8 libras.
Aroendoas de casca mole a 32o rs a libra
Bolachinhasd'agua em sal da faVrica do Reato
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinba de Franga muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conhecidas Do
nosso mercado a 2,ooo, 2,5ro, 3,ooo,
3.500 c 3,8fio a 'iaixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
I,oso rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 1
granut) e vanado sorttmento
apressa-se o proprietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral'a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos pregos, afiangando todo e qualquer genero vendido ueste bem conhecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 1,000
rs, a libra e 800 rs. sendo em barril,
dem franeeza a Ooors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a fibra, e de 8 libras I
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,Too,
Licores francezes e perttiguezes das segura-
tes marcas reme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-,
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim, \
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, orieB panenta a l.ooo
rs. a duzia 1,000 rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino ebegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos gnegados no ultimo vapor a 2,606 rs
dem prato m melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo intairo.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
,marcas : Osborne, Craknd, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
s a l,3ooe l,4oors.
o americano em chapa a l,6oors, a
ibsa.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
caixa e 60 rs. a libra*
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
na
Ju Ffhd
.libj
a 800
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo F8.
dem menos superior a S,4oo e de 8 libras
para cima a 2.3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,800 rs. a lata
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2.800 rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
bras por 2,ooo; ditoemcaix3esa6oors. dem inglezas em barricas amis novado
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a I
64o rs. a garrafa
Pablos do gaz a 2,2no rs. a graza.
Toucinhe de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,Roo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,i oo. rs
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
FUNGI LOW-OMOOLE
Kua da Sentalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
nm completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas .par
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston & C.
ra da Senzalla Nova n. 42.
Vh do l'orto siperior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
cer Antonio Luiz de Oliveira Azevedod C, no seo
escriptorio ra da Cruz n. 1.
Tabrica Conceigao da
Baha.
Amlrade k Reg, receben constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aieodao empluma etc., etc.,
m pelo prec.0 mais razoavel.
mmwmm wm mmmm
lia 4a SenzaHa n. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston A C,
Chocolate porttiguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oo rs. a resma.
Potes com sal retinado a 48o rs. cada um.
em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
ARMAZEM
FRONTEIRO
DE
AJLiVES COUTIIfHO & BRAWDiO
21Largo do Tergu21
Ao publico.
Chourica muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a i,00o rs. a libra;
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4.600 rs. a arroba ; arroz do Maranh2o e da
India de 80 a loo rs. a fibra, e em a arruba de 2.6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a 1,000 rs. a garrafa e em porgao, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a' 4.800 rs. ; banha de porco a 4uo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e 1,2o >rs. a arroba; cha perola, hysson, miudinho a l,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a fibra ; charuto* des melhores fabricantes da Babia de 2,ooo e 4,000 r$- ;
cerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo rs,; cognac inglez superior a l,ooo r*. a
garrafa ; eaf le |.\ 2.a e 3.a qualidade de 8,5oo, 9.noo e 9,800 rs. a arroba ; cevadi-
nha a 100 rs. a libra ; ervilhas portuguezas em latas de 1'/lDra a '"O rs- spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,000 rs ; genebra de laranja a 1,00o rs. o frasco; idem de Holianda
a 61o rs., e ioo rs. a botija; graixa em latas a l.ioo rs. a duzia; manteiga ingleza per-
fcita flor 800 rs a libra; idem franeeza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maga
de tomate a 600 rs. a libra; iiwrmdada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra ; ale-
oaro patente inglez.
A ientrao
ra da Cruz
cada um ; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas d Nanies de 4oo a 4o rs. a lata ; sa-
bio massa muito siifieri r a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa muito alvo a 3oo rs. a li-
bra ; vinho do Porto velho engarrafado a l,5oo rs ; idem em barril a 800 n*. a garrafa,
,.^S2rS^DlnK mato rH.rgan"V,-se"differenga eem caada a 5 000 rs.; i .en, da Lisboa muito supertor a
AmeidJjKbS 4 rs a ------------3.6<>o rs. a caada; idem do Etrilo a 36o e 320 rs a garrafa eem caada a 2,5o;
idem Bordeanx a 56o rs. a garrafa; idem braaende Lisboa, procrio para missa a Sao rs.
a garrafa; vinagre de Lisboa muiw superior a 2oo rs a garrafa, e l.ioo rs. a caada ;
Vende-se poUM em barns "w" Pre5 goda, cevjida, alfasema, gaz e tildo de limpar facas a 1 lo rs. Presuntos de Lamego a 5oo
.Sa^fA&PaSZ P ea.l.sa.irrboutrosmuitosgeneres quedesnecessario meuciona-los.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21p2 libras.
Foijao verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
iSozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 600 rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l.ooors. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
Idem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vmho Lavradio sem a mais pequea
composicio a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a fibra.
Ricas caixas com Hgos a 1,000 rs. cada ama.
Ricos livros coai figos 1,000 rs.
pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a fibra, e 2,5eo a arroba.
Garrames eom 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 V* ditas de venagre a 1,000 rs. o
garrafa.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com a ancoreta
dem em pipa puro sem o hatisme a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8eo rs.
a caixa e 7oo rs. a ganafa.
2,000 rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao debico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 800
rs. a libra.
Chourigas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 850O cada urna.
Massas para sopa macarrao, talharim aletria
a i00 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oq rs. a caixa
e 800 rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
carrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a 1,5oo,
2,ooo, 2.5oo, 3,ooo e 4,000 rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven-
dem a 2,000 e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura lingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a fibra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.000 rs.
Idemalmago pautadoelisoa3.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,oo rs.
a resma.
dem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 *J% fibra a
l,2ooe8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova
2oo rs.
A Composicio Vnafahmfc*
Peitoral de Kemp.
Por espac.0 de muito lempo ae ka mm*
tensamente cm Tampico para cur J.;
tsica plmomah,
CaTARBHO, ACTUA,
BROICHnt, T088E COINUL^
CRUPO O GABiOTILH.
Inflammacoes da Garganta* do Peftd,
e isto eom um resoltado to ftlu e i
ramente assombroa o pao on iMdeira Ana
aore que chama o Amacauvo, e qr-1 a
se encentra no Mxico.
AComposic&o Anacabulta Peito-
ral de Kemp nm Xctrope Jttcii, af-
ramente d Arente na sita eoroposie/o Ji
todos os mais Peitoraes e Expectorantes mm
nufacturados de froctos astringentes, n*r*m
e raizes, 4c, o mesmo nao oontem ner-fc?
Acids fnmiw on ontro* innesqner po-
dientes venenosos.
Todas as molestias c affcec.00* 1L1 gar^>r.a
c dos puhuoes desappareccm como jr ..m
mgico encanto, mediante a aoc/ia d.te ~ja>
comparavcl e rresiativel reioetlvo.
A venda as boticas de Caors ra da Cruz, e Jlo da C. Rravo C, ma
da Madre de Dos.

s
a
OD (i
.2.S
O Ti

'. 3-2. -
OSc*
(C
1 o
1
kl
^1
_ ?-~^ QJ ? (O -t <
o." 2 = 2 = ^ E"-. '- o .
S3bSV^18,9>8^I'S
n
o
Jifa
-1 <^ .. re
rs o a
Q a 13
~ CJ
ai ~*

9
B>
V CD


a
3
o_
s
o.
s
s
r > a.
o
r
u
-i
1
"3
a
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira tpialid do 9
105 a lata : nos armazens da ra do fn>
a I perador o. 16 e ra do Trapiche Novo a.%
PT SS4
Molhos inglezes a 800 e 1,000 rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs.
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rs a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas moito novas a l.ooo rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hodonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a gnu vio rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs o mac dios a 12a rs. a aiasso.
Ceminhos muito novos a 32o rs. akbrae
10,1100 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a fibra.
Milho alpista a 14o rs. a fibra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a fibra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a l.ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e 1,000 rs. o
Enfeites para cabera..
Chpgaram os lindos enrtlt* de atof para
nhoras, >ea<1n muito simples ede ramio gwta; J
no Vigilaote, roa do Crespo a. 7.
Balaios para meninas
Lindos ba'aios de varias fO trazi-ri-m no braco : s se earonlra na leja io
ja-Flor, roa do Ou''imailo n. 3 e 19.
Extratos e sato em cai-
xinhas
Lindas caixinhas eom nm rartao rom a bmiMa
imperial, e dentro de rada caixa nm (raaro u *
bao o mais fino que passivel: na loja o bVsjk-
Ftor rna do Queimado n. 83 e !.
ESCBAV05 mCIDOS.
FoflO na tarde do da M de johV >. >. a
eseraTO |ardo, d nome llarr. s. 4*rmhfi ait
do hiate Santa Anna, vl4o d Ararat}, wnM
de idade 28 armo? pnoro mai. i>d mraea, eo tf:
naes seointes : altura regular, rrm do rrpi
MM barba, rabello crrjio, b-Mi n*m
ralea de algodnsinho de nsradn anl rmv
peo de iiha, lendo |pado n>i*t. mm trutiu
rom mais roupa.e rendido de un.a rfa rrri bas;
qnem appreender querr lev-l i na VadVv
de Den n. .38, on rna do Bram H, aja mtb
recuni|enjado.
Fuga.
Desampararen h tres das da nm
ralrit d 35 primeiro andar, oa mol
fl- fraane Firmino, qne. levon jaquela e rale *
"^5 os seBiwites sianaes : rr nao miut
caixao. raxlrix o 35 primeiro andar, nm motea* *
O proprietario do grande armazem Uni5o e Commercio declara aos seos fregu. ^rS,i^iS%ifiaI-**^5r ^aW^inia pr^*,
zes e amives e publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos astipoJou e b^xigas brm vsivp* no rwi, oaie uaV
os mesmos pree nos seauintas lugares: #
Uniao e Oommercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
. r r m
msrrm
b-m S
a#
nota em nm- de urna dan MM nma nraim
coi.fta-sp que o dito moteajM etlryt **'"w
ridade.ou que liv w toraado a airada ("mA
Qntfin o apiirehender e levar a referida eaaa xt^
recompensado.
r
MUTILADO



Olrf 4e lert)iitJiie*) Ter?a felra Hit Ounbre 4e !*.
-i-;----------:-l__-
LITTERTDRA.
AS BELLEZAS DA HISTORIA.
Al'FKIC. AO CONJUCAL.
te preso, e remedido para Roma, carregado de fer; isto representeva os objectes por caracteres de.*e-
ros juntamente com sua mulher, que langando-so' nhados, como os hierogli piucos egypcos em vez
aos ps do imperador, e apresenundo-lhc os dousde ser phonica, isto composta de signaes corresa
tenros meninos, proeurou por meio de lagrimas e pondentes aus sons da lingua fallada.
supplicas movlo arompaixo.
Vespasiano, o imperador, nao podia deixar de
Os caracteres primitivos, em numero de 214-
eram figuras grosseiras que representavam imper
rejos, sustentadas pelos agncultires, que se quoti-
zam para estipendiarem os mestres.
E' rarissuno encontrar um Ghloei que soja com-
pletamente analphabeto. Os operarios, os campo-
nios, sabem, pelo menos, o necessano, para faze-
rem por si mesmos a sua correspondencia, para
decifrarem os editaos e proclamacoesgovernameu-
Hentimentos.
Oatodwvsnraxerea uno eurtreecm a vida liu- i chorai' em 5o tocaBle ocrasiao; oomtudo condem- fritamente objeclos materaes. A escripia edeogra-
raaoa noulium ha mals diiaa da attoncao de urna nou"3> a scu inarldo. e ordenou que immediata-' phca.cujoemprego pelus povos meio-selvaticos.se *, e para tomarem nota dos seus negocios dia-
*-* tnanto f.tcfuwt a*Antai -__i___ i___li_. h'kllMA.t* A~..~ -- A~. .i:m..:i ./. /nn.j. vina
cie4ufa racional doquo acuelles que derivam da
porta do Marrare, acercando-se dos passeianteS
pra os s audar.
CAos ps de V. txc, Sra. D. Luiza: quando
regressou V. Exc. de...
O menino.Maman, maman, porqne que o Sr.
G. a trata agora deExc. -e em... Ihe diziameu
anjo T
O marido.ii esta manija diz tolices!
t< prendado do amor conjugal.
Q lando doui espritus sao assim ligados pelos
1;
da
mente fossem executados ambos.
Tarit. Iist. i. i e 07 Plul. Amat.
Cyro, rei da Persia, tiuha feito prisioneiro o jo-
ao rnesmo lempo sua
explica fcilmente, deve ser do diffieil uso quando ros,
seapplique para expressar ideas abstractas. Sou-
beram os Clnns modiflear engenhosamente os seus
caracteres deinodo a torna-Ios snsceptiveis do sa-
1C0|. a seu tur- von principe d'Amenra, e ao rnesmo lempo sua 'caracteres do modo a torna-Ios snsceptiveis do sa- pulo de Confucius, que resume em 178 versos to-
oo recebe e coninionica nm transporte, que in-', bella e nrescente pnnceza, rom quem tinha ulti- tisfazerem a necessidade da sua crescente civilisa- das as scienciasc lodos os conliecimentos adqui-
concebivel para iodos, excepto para aquellos, que mmente casado, e por quem ustava loucamente, gao; a colera era designada por um corado sobre- ndo-
es'.ao nessasiuiagao: da mi resulta essa sofeeltads sq^ionado. Quando ambos compareccram perante pujado por um lago, signal de escravido ; a ami- Esta pequea encyclopedia, convenientemente
de um no!)ro corelo pela reciproca felicidade : tribunal, Cyro perguntou ao principe, o que elle sade por duas perolas exactamente semelhantes; a explicada e desenvolvida pelo professor, o suffl-
essa lerna synipatnia que mitiga ai aflliccoes; e es- daria para ser reinlegrado em seu reino *
O ensino as escolas primarias tem por base o i E' tida como certa, entre os amadores da biblio-
San-to-King, livro sagrado attnbuido a um disci- graphia, a noticia de que nos alicerecs de um edi-
ficio, recenlemente derrocada em Gataoia, fra
adiada a parte dos Animes de Tcito que contiuha
o rciicado de Caligula, e que por espago de tantos
seculos permaneu oceulta.
se (water participado, que eleva a prosporidade e
alegra reciproca.
U.:ia boa mulher torna ligt ros os cuidados do
inundo, o coinmuuica maior dogura a seus praze
Elle respondeu com um ar de radi.Tereoga.
Que sua cor6a e liberdade pouco valiam para
historia por um braco, sustendo o symbolo da equi- cieD,e Para dar as cranlas chinezas o gosto pelas
dade. I cousas positivas, e p-las em estado de adquiri-
Tornando-se em breve insufftefentes estas enge- r're,n nslruccao mais seria Existem tambem as
elle; porm so Cyro quizesse restabeleccr sua nhosas figuras combinaram-nas at ao infinito e grandes cidades collegios onde os filhos dos letra-
jamada princezacm sua primitiva dgnidade e bens'alraram-as multiplicando-as, de srtc que ne- dos e dos mndanos recebpm educagao completa.
res: olla o inclnor compauheiro do homem na : hereditarios, elle regosijar-sehia infinitamente, e; cessaria toda a sciencia de um velho lettrado para Tal entre outros, o collegio imperial de Pekn.
nrosMridadc e seu nico amigo na adversidade PaBaria de boa vontade com sua propria vida essa t distinguir os desenhos da escripia primitiva no Os cidadaos do celeste imperio gozan a mais
o mais cuidadoso dador de sua saiide, e o mais
t.ndadosj cleimeiro em suas molestias : um lid
COQMHmM na miseria, um consolador na afllicgo,
o .ni prudeute administrador de todos os negocios
HCSliCOS.
Uoni natural, c tenipcranicnto brando vos darfio
cja coinpaiiheii o convenieule para vida; virtude e
ii r.eiiMi um agradavel amigo; e amor e cons-
compra.
Quando todos os prisioneiros foram postos em li-
berdade, impossivcl exprimir-se como ficaram en-
cantados do seu real bemfeitor; uns celebraram
seus dotes marciaes, outros applaudiram suas vir-
tudes sociaes, oiitros foram prdigos de louvor, e
destizeram-se em agradecimenlos.
E vos, disse o principe, dirigindo-se a sua
meio do caracteres actuaes que sao mais de eompleta liberdade da imprensa, mas (loando su-
400,000.
0.* Diminuir quanto =?ia posslvel es pontos de
contacto da pessoa com o chao e com as paredes ;
preservativo mais seguro deilar-se numa ma-
ca suspensa com tordas de seda no meio de ao
quarto espsgoso.
L>se n'um peridico americano :
No partido Cnmanavsjfua deixou de existir ama
seohora na edade de 110 anuos. Chama-se D. Ua-
delaria Ahreu, e deixou urna sucress.:io de 6(iO in-
dividuos, quasi lodos actualmente vivos.
J est decidid) que alo o flm deste anno se po-
blicara a primeira parte da Vida de Julio Cei que est escrevendo o imperador Xapolfo.
Tfiicionava o imperador publicar juntas as duas
partes de que ha de constar dita obra ; mas, em
vista de re Ikera, delenniuou d.ir iiiiinediatamente a luz a pri-
meira, e mais tarde a segunda.
O prego de cada urna das partes andar por seis
ou oilo francos.
Oxal que os amantes da littenitura latina se
dem pressa em publicar um documento lio im-
portune como curioso.
L-se n'um jornal an"rtcano que um tal Farini: traEnSLdrevriR- de 0,Teira 3an,os MU P0" *"
rival do celebre Blondn, concebra o projecto di
atrtiressar as cataratas do Nigara em urnas andas
de ago e sobre urna corda bamba.
Esta viagem to perigosa devia elT^ctuar-se no
i. Leu urna boa espora ou um bom esposo.
U.na mulher casada s devora procurar at.rahir pa" elle> d,sse. a Pr,DCe"- R*> tendestes 1
os olhares do seu marido. Em que enla0 eslava fixa a nossa a,,eDao- '
Aquelle, que se entrega a prazeres, que denega N'a1mHe car0 'ceroso homem, que declaroo,
a sua mulher, procede como um homem, que or-1que. resf,ar,a mnha Uberdade a custa de sua Pr-
donasse a sua mulher, que se oppozesse a iuuuigo
a quem ja elle se tem rendido.
Exemplos:
i./.i j Sabino, tendo captado a benevolencia dos
C.ulezos, z-se proclamar imperador de Roma,
(.: i',11 sendo derrotado, fugiu para urna sua quin-
t-Ve incendiou-a, alim de espaldar o boato, que el-
le tinha perecido. Este expediente correspondeu
a seu designio, porque acreditou-se, que elle se ha-
yll dispostJ a urna morte voluntaria. Porm, no
;a'reanlo, oceultou-so com seus tjesouros (pois
qne elle eslava immensamente rico/ em urna ca-
Vara, que havia mandado abrir em um lugar so-
t.ario, e que ora nicamente conhecido por dous
Gile podia fcilmente retirar-se para Germaniaf
pOTm nao podia resolver-se a abandonar sua mu-
Assim se formou a escripia moderna, escripia quenas imprensas portateis existem em rasas de
figurada que nao corresponde lingua fallada, particulares, que usam e abusam dellas. Nao ha
excepgao nica enlre os povos civilisados. Com- em todo o mundo outro paiz em que as paredes
prehender-se-ha, pois, fcilmente como que saber estejam constantemente cobertas de maior numero
ler o escrever a lingua chi, cjnstitue urna scien. de caazos e annuncios de toda a espeeie.
cia que demanda aturados estudos tanto para os -----
mulher, o que pensaes de Cyro ? Eu nao atlendi naturaes do paiz como para os eslrangeiros; alm Segundo dados estatisticos apresentados pelo Ti
de tudo varia at as suas formas grammaticaes -, mes> e confirmados por oulras folhas. como sendo
distinguem se nella 3 especies de estylo : o estylo os mais authenlicos, as torgas federaes dos Esta-
antigo ou sublime empregado nos velhos llvros ca- dos-Unidos esli divididas assim :
nonicos, o estylo acadmico adoptado para os do- Exercito de btaut...............
cumeutos ollleiaes e Iliterarios e o estylo vulgar. uaraigo de Washington..........
Do os Quina grande aprego escripia perfeila. No Maryland e Delaware.........
admirare! simpllcidade e delicadeza de pensamen-1 Um calygrapho, ou segundo aexpressao delles um Exercito delluaier. .^.......... ..
to se encerram na resposta da joven princeza que pinrel elegante digno de admiragao. O capito 'e<,e ohenandoab e na Virgi-
1 Bouvier e um dos interpretes da legagao de Fran-:
ca foram visitar Tchong-louen um des altos func-1
cionarios de Pekin. Seu filho mandarim de boto'
azul, rapaz de 22 annos j pae de urna crianga, isto
, de um filho porque as Diras nao se contam
achava-se presente na sala da recepgo.
jeitos a todos os prejuizos. Grande riumero de pe- dia 16 d'agosto; mas, mostrando Farini desejos
pria vida.
Que idea de castidade I e ao rnesmo tempo, que
nao tinha odos seno para seu marido
Ilueph. de Cyro Inst. 1 I. 3.
(Continuar-se-ha.)
EM POICO DE TUDO.
Do jornal Tour do Monde transcrevemos o se-
guinte :
Manda o livro dos ritos que a educagao de urna
creaoga rica comece no proprio mstanfe do seu
nascimento, e, s tolera as amas, impoBdo s
maes grandes precaogoes na escolha dellas. A
! creanga desmamada apenas pode levar a mao
i bocea. Aos seis annos ensinam-lho os elementos
f*r, a quem amava apaixonadamente. Sabino de je arithmetira e de geographia ; aos sele separam-
cja morte ninguem duvidava, nao desenganou por | na de sua me e 'irmaese nao i be permrttem que
tffm lempo sua mulher, que solemnisou as exe-. coma em companhia dellas; aos oito ensinam lhe
;.. ias com grande pompa, lamentou-o com muitas
-runas; o atlnal nao podendo por mais lempo
suppertar a perda do scu marido, a quem votava a
t:iis sincera affeigao, resolveu nao sobreviver a
(Ve, e comecou a abster-se de todo alimento. Eta
colicia aasaatafl Sabino, o portante, por intermedio
Ce Marcial, um dos libertos, communicou a ella,
Qqe ainda eslava vivo, e a informou do lugar, em
{peeslava oceulto; desojando, que ella dlsfargasse
&a alegra, alo que o segredo podesse ser vulgari-
zado.
-"Cmpanaouviu a noticia com indisivel prazer, e
C^Seatanlo negocios no campo partiu para onde
iftw* seu marido. A caverna, para ella, ento
era^roferivel aum palacio, porque smente a Ii
Ota Miz. Ella toi frequeotemente velo, e algumas
v-'C- acliou meios do cora elle estar semanas in-
itlras sem causar suspeitas. Teve dous filhos nas-
Cijos e educados na caverna.
f!m Roma ella contnaou a lamenta-lo como mor-
\i\ eiodo oceultou com exemplar fidelidade; achou
f. ii) contrario meio de leva-lo a ridade, nao sei,
(">n)0<**notfvo, e d'ali vottar para caverna, to
. ^..irf'Hlamentc disfargado, que nao foi conhecido
i $;jr pessa algwria.
Porm, depois que assim passounove annos, foi
aBnal descobeito por algumas pessoas, que cuida-
flo^smente espreitavam sua mulher, em virtude de
aua frequente ausencia do casa, e acompauharam,
sem ella perreber, a caverna. Foi immediatamen-
as regrasde civilidade; no anno seguinte fazem-
n'aestndaro kalendario astrolgico ; aos dez man-
dam-na para as escolas publicas, onde aprendem
a ler, escrever e contar; desde os 13 at os l re-
Tehong-louen, querendo dar ama idea do prece-
ce merecimento de seu filho s suas visitas, nian-
dou buscar um grande cartao noqualo mancebo
tragara, com admiraveis contornos, a palavra lon-
gevidade, e apresentou este trabalho com tanta al-
tivez como se tratara de al testar ama aegao de es- as cosas do Pacifico.........
plendor ou urna obra luterana. Ha carlees deste! No territorio indio, Minnessota
Na guaruigo do forte Monroe, Nor-
fuik, Yoikstow..................
Ko exercito de Snennann..........
Nu Keutuky e Teunenssee.........
as guarnigosdeVicksbourg,Meni-
pbis Fort Audsoa..............
No Missouri e Arkansas.......___
No exe roto do general Banks.....
Na Coroliaa do norte...........
Na Carolina do sul................
Em Florida e Mobile..............
120,000
4O.0U0
30,000
20,000
20,000
20,000
120,000
50,000
k noten das flores.
( William CuUen Bryant.
Sao ('llegados os lempos dolorosos.
Do anno os tristes das enluctados ,
A quadra dos tuf es estrepitosos.
De seceos bosques e despidos prados.
de fater um ensaio antes do mencionado dia, diri-
giese no dia 8 e subi corda. J se achava em
metade do trajelo, quando urna das andas se que- Na pobre encosta do fragoso oilsiro
brou e Farini cahiu torrente. Por fortuna o des- j As seseas folhas, de que o chao sp. este,
gragado funmbulo foi ter Itha Robinson.c Rugem do gamo no passar ligeiro.
genero modelos de escripia, e que se penduram
as salas das grandes casas como se faz na Euro-
pa aos desenhos de academia.
' nwito extraordinario o aspecto da escripia
chim. Os caracteres sao collocados superiormen-
te un aos outros em liuhas vertieaes, e seguem
da direita para a esquerda ; numa palavra a este
as diflerentes pequeas guarmges
ao norte......................
Total....
Numero de homas chamadas depois
de fetas ludas as dedueges.....
Numero dos que nao desapparecido
desde que comegou a guerra....
40,000
40,000
20,000
15,000
20,000
10,000
20,000
20,000
50,000
660,000
1,910,961
cebe lieges de msica, entoando versculos mo-! respeito, eomo a multo* outros, proeedem os Cnms
raes que substituem os nossos caatieos ; aos qain- de modo- absolutamente inverso ao nosso. A po- desde que comegon a guerra.... 1,250,961
ze applicam-na aos exercicios corporaes, ao aso sigao na qual sao collocados os caracteres no Um -----------
das armas e equitago ; e finalmente aos vinte todo muito importante ; por exempto o nomo do Convm advertir que as cifras antariores s
annos. so a julgam digna, recebe o barrete viril e imperador dve-se escrever com duas letras mais sao comprehendidos os soldado brancos, por nao
deixa de andar vestido de algodao para se vestir altes do que as oulras a- falla deste preceito um saber-se ainda ao cero quanto*negros ha de seda e usar de pellos. E' esta tarcbem a idade [ crime de lesa-magestede. Toda a gente sabe o Pana-
do casamento. que tinta da China ; com esta substancia, dis-
Os professores chins sao lettrados deslocados'8|vda ea aKua-e Cm P^1' I08 Chineies-
que nao consepuirara nunca chegar a desempe-
nhar cargos civis. Fazem com que os seus discpu-
los cantem as licoes em voz alta; e de certo tem-
po para c parece terem comprehendido- a impor-
tancia do ensino mulno.
E' com os proprios rabinos e disciplinas que
rastigam os recalcitrantes, descarregando-lhes
grandes ch coladas tanto as maos como as cos-
tas ; applicam-lhes tambem castigos moraos, taes
como um rotulo pendente do pescogo pelo qual sao
tragam os caracteres da sua escripta, conservando
L-se na Rivolucao de Selembroo que segu :
Um sabio quiz casap-se, e, para isso, tevo de su-
a mao perpendicular em vez de horiwBtal sobre jeilar-se ao exame de doulrina christa.
denunciados ao desprezo-publicocomopreguigosos.
As creaHgas mais pobres sao recebidas- gratis as- 0 seu dialecto particular
escolas.
o cartao.
A lingua-fallada mu;to menos cLfficil : com-
pe-se de menosylabos coja reunio variada at a
infinito, esprime todas as ideas. A estes monosy-
labos devem-se juntar os accentos que do ce .
toada, e erpressao differenie s raizes. ,
A Ikigua do sul bastante diereaie da do or-i
te. para que os indgenas possam entender-se sen*,
auxilio do pincel. Alm disto, cada.provincia tem
A importancia que os Chins ligam escripta,
Ha rauitos deuses? pergnntou-lhe o cora
da freguez:a ao que o contraheate respondeu :
Sete.
Quaos sao ?
Padre, Filho e Espirito Sanio, tres; tres-pes-
soas distinetas, 6 ; um s Deus verdadeiro, sate.
Est approvado; pode ea$ar-se ; raa3 nio
com a noWa que escolbeu.
Pois com qual, Sr-. padre?
Com a burra de Balaam.
muito eusfo pode galgar urna pequea eminencia
que fiea perto da ilha de Lunn, junta ribeira
americana da catarata.
Segundo dizem os que presenciaram o acontec-
ment, Farini pareca estar *>erdo n'uiin perna ;
pois que o virara arrastar-se pela areia, e sentar-se
n'um tronco de urna arvore bera daquella ilha
deserta.
E" critica, diz o referido peridico americano, a
situagao do pobre funmbulo, porque se se conse-
guu fazer chegar at elle alguns refrescos, os es-
forgos feitos para salvar foram todos baldados.

Um pintor paizagista que, do segundo andar de
urna casa em Fontainebloau, estava admirando a
lindissima perspectiva que se apreseniava seus
olhos, perdeu o equilibrio e cahiu ra.
Acudiu a familia .da casa, que o suppunha j
morto ; mas qua! foi o seu espanto ao ve-lo levan-
tar-so sem ajuda de ninguem I a pancada que deu
no chao produziu-lhe, todava, um effeto estranho
no cerebro. Quz chamar por um amigo seu, mas,
por mais que fizesse, nao pode recordar-se de cu
nome : o merino embarago encontrou dianie de
outras psssoas. At se havia esquecido de como
elle proprio se ehamava; e aotou-se cam extrema
admiragao que havia egualmente perdido a lem-
branga de todos os substantives. Quando hoje, es-
tando a fallar, estaca ante a falta de qualquer sub
jlantivo, para e tem de empregar urna parphrase-
Pronuncia separadamente as- letras, compondo os
nomes de sua mulher e filh-a ; mas c-lhe impossi.
vel reuni-las, e formar com ellas urna palavra.
rto o primeiro caso desta natureza que a
sciencia registra- em seus annaes.
*
Devem evitar-se as correntes do ar durante a
trovoada : a direcgo do raio e quasi sempre a
mesma que a dachuva e do vento e citam-se exem-
plos de pessoa ferdas pelo raio ao abrir da ja-
nella.
Durante a trevoada tocar os sinos mu'rto pe-
rigoso para quem o faz.
Frankhn resume do modo seguinte todas as-pre-
caucoes que se devem tomar.
i. Nao estar ao p da chamin pois a erruge
que as forra possue com os reetaes a propriedade
de atrahir o raio.
2.? Pela mesa razao conven pr-se lnnge dos
metaos, dos vidros, dos doorados dos sinos e das
suas cordas, e aflastar de si todos os objecos me-
latieos.
3. E' necesario estar tonge das luzes, dos ador-
Apezar das difficuldades que aprosentam a es-
cripta e a.leitura dos-caracteres ohtneies, sega
leitura, a grammatica e ao conhecimento profundo ramete-a. China o paiz, em todo o mundo, onde
da lingua, provm da dilliculdade dt lia. ] se arha mais dillumda a instruego primaria.
a escripia antiga dos Chins era dographiaa-1 Acham-se escolas at nos mais nenuenos loga-
Imagine-se o passcio publico do Roci. nos de metal, das arvores e de lodo o objeelo ele-
Pela ra principal vae o Sr. A., dando o brago a | vado.
sua esposa, e levndomela mao o menino mais ve- 4i"-E' conveoienle interpor entre a pessoa e o
Ibo : depois o cavalheiro G, aquelle esvelto manee- chao um corpo mu condooor como o orystal ou
bo que todos os das, pela 1 hora da tarde, ali est a seda.
FOLHETIM
4> ESQUELETO
POR
CHILLO CASTELLO RUANCO.
Nao chores. Tens no mundo um amigo, Mr- ram...... acceito a- com a condigao de o ver casli.
garida I gado r
A Franceza levantou a face brhante do lagrimas i Nieolu riu-se, e-sahiu do- quarto. atirando cem p0nuve|. Nicolu tinha a lingua presaconsintam
Susteve-se, esperando qualijuer resposta. As des
gragadas, nestes lances, usam urna lgica irres-
e escarate febril. Fixou a visla immovel n'um as melenas lustrosas de suor para a nuca
ponto da parede fronteira, e permanoceu silenciosa I Seguiu-o, nstenles depofc?, Margarida, e disse-lhe
Gemem do vento no soprar agreste.
Os rouxines, e passarinhos varios
Fugiram todos, e na selva umbra,
Chamando pelos corvos solitarios,
Um passaro se escuta em todo o dia.
Ai 1 e onde eslao as bel las flores,
T i vicosas ha poueo e tao toocaas,
Que, na grata esiago propria d'amores,
Se auiavain ipiaes ternissunas irmas ?
Na tumba I E,-tao na tumba emmudecidas,
Sem aroma, sem vida e sem amores;
Em p, em triste p j convertidas,
Dormein somno eterno as pobres Dores t
Do triste leito seu no chao sombro
Em vo as chuvas cahem repetidas,
Que as eduvas de novembro agreste l fri
Nao fazem reviver as rosas querida.
A anmona, a violeta j soffreraro,
Desde muito, o fatal, ultimo corte.
Das sargas t as flores perecern),
A ortiga uo calor achou a morte.
Ficaram girases de ao p do rio,
Q ,e as aguas oeijarn do caudal sonoro,
E, qual a reeord.uj.io do queute esto ;
As duradoiras maigandas d'ouro
Mas eis que o trio invern trra desee,
Qual praga que cutre uos surgisso impa,
De geto o valle u os montes embranquece-
Da trra adeus oh flores, e alegra I
S l de longe em longo ha doces horas,
Em que o sol uos sorri formuso e temo,
E as abelhas acordam zumbidoraj
Nos seus tristes cubculos d'iuvurno.
Enlo se ouveui canir urna por urna
As uozes, desprendidas da rainagein,
E o lago, j de.-eito o vu d'espuma,
Balanga as mausat aguas contra a margen.
Em vo perm, em vo do sul a brisa
Se cansa por colher doces olores ;
Em va o lerua e queixusa st deslua,
Morreram... j nao nrilham lindas flores.
Ai como Isto acorda-me a memoria
D'uutra rosa, que boje inerte p I
'aquella, cuja vida transitoria
Passou ao lado meu, foi miaba s I
Morreu, finou-se a rosa na floresta,
!, ao lauga-ia na cova hmida e fra,
Eu lhe disse a chorar : Surte funeste I
Era lao linda, c-s viveu um da
Mas nao foi, assim mesmo, te terrivel
Qual a minha ; pois vivo imnterso esn dr.
Sor que bavias, mulber bella oseosivel,
Ter a curia existencia d'uma flor t
Continuagao.
III
leprovo a sua viuda aqu 1 disse Nicolu,
empegando o t-ous do despeito ou da ceremonia,
gue nesle dialogo em francez, era de parte a parle,
01"
Jsei, respondeu Margarida. Reprova que
tf! viesse. Reprovada e maldita sou eu de toda a
*nte. Como todas as almas me fugiam, vim acoi-
<..: -iue na sua. Agora vejo que esteu afolaba no
r-.undo. Se eu quzer amigas, hei de ir procura-
f ultima escalcira da degradacao.
' Que desatiuo I exclamou o morgado. Falta-
ram-lhe meios com que viver honestamente?
Honestamente viva eu era rasa de meu ma-
TiV, Sr.'Ni-oIau deMesquital O senhor pregou-
mea desmorlisago e agora esta-me doutrinando a
r'i -ticsiidade i Que escarneo! O seu dnheiro nao
ple reabilitar a mulher que a sua perversa ndole
atiysmou I O senhor faz mulneres perdidas, nao re-
i honestas I
Pois bem I
Pois bem o qu I
Fagaoi|uequizer.
Harganda liou-o arquejante de colera, e levou
con Impetuoso phrenesi as mos aos olhos,murrau-
rndt>estas palavras, que elle nio ouvlu:
Gerardo e infame I
Is'icolu erguera-se, e sahira a saleta contigua,
afpiraudo baustos de ar, e baforando ruidosamente
as aspiraces fumegantes. A Franceza atirara-se
ao leito, atogada de solugos, e clamando:
Estas viugado, Ernesto, estas viogado meu
tcti-liz marido I
Hiwlu ouvira isto, e estorcia com desespero os
dedos de ambas as mos inclavinhadas sobre o
yeito.
Eucostou-se ao batate da porte do quarto, e con
leiii^lou-a. Teve do. Lembrou-se do que tora
aquella mulber em casa de seu marido. O conlen-
t nenio, a estima publica, os regalos, o respeito de
amigos, a consideracao de mulneres honestes, o
aeanliaineiito cora que a tratavam as deshonestas,
0 orgulho e paxo do esposo. Lembron-lhe tudof
vn1o-a assim solngante, a confessar a sua culpa,
e a sentir na conscienria o travor do calix expia-
ioio. i*, por sobre todo isto o lembrar-se Nicolu
la sua deshonra delle! aquellas lagrimas a cahi-
ir^m-lheno coracol eo terrivel irremediavel da
te faca de tres victimas, que elle fizera, conten-
to se pela mais atormentada das tres I....
A'ercou-se de Margarida, e disse-lhe com bran-
flura:
largo es pago.
O morgado, observando-a assim, fez um tregeito
de impaciencia. Era o fastio a lutar com a comise-
ragao, e a domina la.
A sombra de Beatriz passou entre ambos. Segui-
ram-n'a os olhos d'alma de Nicolu. Os da face fi-
caram postos em Margarida; mas somonte viam
a figurapor dous dedos de sua prima Beatriz.
Exprsssao compadecida nao vingava nenhuma com
que applacasse o rritamente de Margarida. Assim
que no animo lhe punga a-commiseragao, ah es-
tevam os dous dedos de Beatriz intalarem-lhe na
lingua o termo brando, a candado mesmo da men-
tira.
A Franceza, sobreexcitada pelo silencio signioa-
tivo do morgado da Pahneira, disse com energa e
sem lagrimas :
Eu, senhor, nao vm queixar-me da sua in-
gratido Bem sabe que o deixei apertar-ma cinco
annos a corda na garganta, sem soltar um gemido.
A sua considerago por mim morreu, quando a
serenamente:
Venho responder a a sen riso.
Deixe-rae I bradou. o morgado.
Deixo, tornou ella. E*ii o senhor vre de
mim ; a Providencia -que o nao deixar.... Vr-
noshemos I
E sahiu da saleta, desceu ao pateo da estalagem,
nclla o estorvo, a miseria repulsiva, as lagrimas e ordenou aoarrieira.que tirasse o cavallo da^es-
aecusadoras. Duas ideas se travaram a reielles tribaria. Entretanto, pagou as despezas da hospe-
no animo do morgado : romper violenta e defiuiti- dagem, e sentou-se n'um banco de pedra, com os
ramate com a Franceza, ou engana-la com blan- bragos cruzados sobre o seio, e a face pendida sobre
dicias e promessas. Veoceu o mais vil dos expe- clles.
dientes. Nicolu de Mesquila descea pouco depois, e re-1 sociedade me desconsiderou. O senhor, desde o
O mximo sacrificio que Nicolu podia fazer a conheceu um criado de Beatriz, que sahia apres-1 momeoto em que deixou de ver no meu lado o esti-
sua paixo pela prima, era compor o gesto de can- sado do pateo. Sobresalteu-se, cuidando que era mu|0 do seu ciume, naosoube que fazer aos louros
nhos; modelar a voz pelo tom vehemente do cora- espionado, e sorprendido era flagrante de mentira gao ingrato, mas arrependido; repetir as phrases e perfidia. Passou por diante de Mirgarida, como mulher disputada pelo amor dello ; escondida s
que seis annos se nao repeliram aos ouvidos da se nao a visse, e sahiu ra, procurando o criado, pedradas do mundo, perdi o valor quemedavaos
Franceza. I Neste intuito, ajoelhando diante de Margarida, cavalgava. Quedou-se a contempla-la e.-tupidamen. du,0rosas eram as suas, Sr. Nicolu. E nao me
irrompeu n'uma lamuria destoada da acceniuagao te> nu'" "*e"P" P de brutiflcacao. queixel, nem isto queixar-me. Da vilania que
da verd.de, um declamar de autor pessimo, urna Mararida *oa rti,'te fra el es,alJand ^'- ,e dou por afJrouteda.
cousa que, na conscienca probamente do deca- co'e aa a,,ca da v*igdw- "*" ella saludo da | DeiI0U.me n0 Porto com vil astucia, e nem por
mador, dev.a de estar envilecendo 1 v,ila> 1uan1do N,colau ,frou fora 'ava"' e ^.u di0n.dade propria suslentou a mascara. Era a vida
a redea solta no segmmento de Margarida. Nao do sua raio uue repel|ia a |nulner perdida da ho.
saberia dizer elle que intento o impulsava. Chegou nesta casa de palmeira morreu sua ma9) e 0 se.
Margarida foi cruel I Kiu-se
castigou-o atroz-
)sto, quanto elle o es- de paf com ^ eolheu as bridas de impete), ^
lava no seu Intimo senso.
Nicolu de Mesquite ergueu-se de salto e sent u
ao correr dos bragos um pruridonervoso.umas fer-
vuras de sangue, que lhe recurvavam os dedos,
era a convulsiva ancia de esganar a mulher que o
comprehendera e escarneca.
Que infame riso esse ? exclamou o mor-
gado cavameote, crispando rcuas dos olhos e
beicos.
o riso da dgnidade I respondeu a France-
za, sem se desmentir na postura.
guntou :
Onde vaes, desgragada ?
A sorte I respondeu a Franceza.
Para e reflexiona, Margarida 1..
A Franceza parou.sorru sardnicamente,e disse:!
B^m I aqui estuu Que quer de mim l
nitor, aturdido pela dr da orphandade, nait pode
dispor da cabega para me dar parte do seu luto...
Nao admiti i emoquos sobre objectos to se-
rios interrompeu iracondo o morgado.
O senhor nao pode considerar-se um objecto
serio! aecudio de prompto a Franceza. Ridicula
A pergunta conturbou o morgado. Bruxuleava a sua aleivosia, Sr. Nicolu I Ridiculo, se nao quer
urna loz.nha de piedade ainda naquelle animo af- *" oiKa infarae' seu st do vote dias s
dicto. Era verdadeira afflicgo a delle 1 A pergun- minhas cartas I Ridiculo csso falso pundonor
ta demandava urna s resposta digna e consolati- com que vem em defeza da honostidade dos seus
va. Essa nem j insidiosamente poda elle da-la. A 'res' Ridiculo o seu amor das quarente aanos
A dgnidade de madama Froraenl I redarguiu Sbranceira de Margarida rebata algum expedien- candida sobrtnha de Chaves, que...
elle espirrando um frouxo de riso sareastico. te compasivo. Se ella chorasse, gaoharia lempo-1 Nicolu cresceu sobre os estribos, levou a mo
Condemna-se, insultendo-me homem sem al- rarament uns exteriores de estima, o supremo direila teste escaldante, e batorou fumaradas de
ma I replicou Margarida. Madama Froment era sacrinc|0 praticavel pelo homem, que faz obdecer rancor. Abrasava-o dentro o sarcasmo do amor dos
urna digna esposa al ae dia em que seu marido de|cajeia ast' 5 sacrificio de que vivera re- quarenta annos. Tortura mais lacrante nem a in-
signadas, seno felizes, muitas mulheres, as vir- quisigo poderte invente-la para uso do muflieres
tuosas principalmente. jinexoraveis como Margarida I Teve-lhe raedo ella,
Nao deu tempo as reflexSes delle nem s nossas quando o viu assim ruto e vulranico a chammejar
a repetida pergnnta da Franceza : pelos olhos, inteiricado sobre o sellim, pavoroso, e
Qoe quer de mim ? ainda ridiculo, no rigor da palavra, e no entender
Que domine esse feroz orgulho, que a perde I da Franceza.
Bella res|K)sta, Sr. Nicolu I replicou Marga-1 O desfecho deste retengo devia ser tambem irri-
rida, sacudindo as redeas com o tremor nervoso sorio. Nicolu de Mesquite recahiu de golpe sobre
da mao. Deixar meu marido foi urna virtude do o sellim, retorcen de violento empucho o pescogo
corage, como o cavalheiro lhe ehamava; a vir- do cavallo, deu-lhe do esporas com phrenesi, e des-
toosa nao se perdeu emito ; perde-se agora porque pediu n urna corrida desapoderada por aquella
Que es
foi deshonrado por quera elle recebera em sua
casa.
Quem a ouvisse cuidara que en me serv do
punhal de Tarquinio 1
Foi mais cyoico e viliao, e covarde, Sr. Nico-
lu I As sjjs armas foram mais perfid s.
acreca nao se matou I ..
bramiu ella furiosa, nao se mata, per
que necessario que o senhor veja como eu me
debato e ageniso no lodagal em que me deixa. lia
ro mai
iu I As sffs
Masiur
Nao Pb
zeppa, arrebalado pelo corcel creado na vertiginosa
phantasia de Byron.
E Margarida Froment ria-se, emiiuanto o pas^
.nado arrieiro cxelainava :
O cavallo endoudeceu I Vae-sc esbarrar oom
dez- milieiros de diabos l
A Franceza sorriu ainda, e disse serenamente :.
Vamos para, o Porto.
Nicolu havia transmontado o horisonte, fechado
por urna gandra. Nem urna sovoz vollra o rosto.
Espicagava-o um demonio zomboieiro, casr.ilhando
as palavras:Ridiculo o sen amor dos- q\iarenta
annos...
Quem dissa a Margarida qne Nicolu amava a
sohrinha de Chaves 1 Os romancistas desconside-
rados ou dslrahi.los faltara com a cor'.ezia devida
aos leilores, descuidando se em responderem a es
tes reparos, justos, cora que a criticaamoravelmen-
te nos d o seu beiisco.
A Franceza, quando ia caminho. do Vidugo, per-
noilou em Villa-Real. Ao raiar da mauha, ca
valgou, e torada villa, n'uma chande monte, cha-
mada o Areabuzaio parou a examioar um mu
retabulo, era que ura pincel de 1811 contava a
pastendade o caso triste da espingardeaineuto de
ura soldado desertor, cinco minutos antes de che-
gar do Lisboa o pae do pa lcente com o perdo
da junta governativa. Esto infausto successo con-
tou-lh'o, era fronte do paidel, um mancebo, que
desde a hospedara a seguir, sobre o seu irre-
quieto cavallo. Nao ousaria elle introraetter-so a
dar oxplicages, se a Franceza, por gesto oonvi-
dativo, o nao anmasse a sair-se d'aquelle spasmo
raudo, que as mulheres formosas incutemnos pro-
vincianos, gente, pelo coramura, eomtemplativa
at ao xtasis.
CmeluiJa a historia do painel o mogo alinhou o
cavallo com o de Margarida, quanto a estrada o
pormitlia, e toi dizendo quom era e para onde
jornadeava Modestamente omittiu na noticia da
sua pessoa, que era um lidalgo do Valle d'Aguiar,
senhor do solar e casteilo d'aquelle nome, descen-
dente por varona de Duarte de Abasida, o cele-
brado alferes la bandelra, que, a defendo-la eom
mos o denles, perder os dentes e as maos na
batalha do Toro, em 1476. Fallou, porm, no seu
casteilo, que a Franceza traduzm c/d/e campestre cousa de nenhuma importancia ar-
cheologica. Ricardo d'Almeida Ignorara a lingua
franceza, eque vinha a ser urna falta para dar d
sen cabello solarengo urna cabal Idea.
Mamarlda perguoton-lhe se eonhecia Nicolu de
Mosquita.
E meu prximo prente; respondeu Ricar-
do d'Almeida, e de prompto conjecturon acertada-
mente quem era a sua corapanheira de jornada,
por ter ouvido dizer qua o Vidago tinha vivido
no Porto com urna estrangeira.
Tem-o visto T pergunlou ella.
vemos de expiar ambos, ouviu Sr. Mesquite? la-
vemos de nos espedagar um ao outro I Eu accei- orgulhosa at ferocidade.., isso?
to a vida com os horrores todo, que me espe- carneo; r. Mesquite!..
Ha tres semanas.
Margarida mordeu o labio inferior.
V. Exc.couiiece meu.primo .' pergunton Ki-
cardo i or Uolicadesa.
Alguuia cousa, respondeu ella, abstraiia-
mente, e disse logo com. vivacidade :
Elleuste em Vidago ?
Quaudo eu sa3i de luitiha casa, ha <|jatfo
dias, Uve noticia de que elle esteva ea Chaves.
Chaves louge 1
Nove leguas, mnha seohora.
Que faz ella em Chaves '
Namora um* sobrinha, com qoem proravil-
menl'j vae casar. i
Margarida litou nos olhos o interlocutor, e
disse :
Osonhor sabe quera sou, e graceja comigo.
Descomi que V. Exc urna sooaura que
veio da emigragao acouioaoJiuado Nicolao de
Mesquite; porm, de neuhura modo ousaria gra-
cejar coui urna seuuora, quo me pareca infeliz na
sua sorte.
Margarida, por espago de urna legua, nao pao-
fenu palavra. Ricardo liana menos espirito que
o necessano para diveru-U na sua luadvers.
Assomaraiu ao alto da serra Uo Mezio, d oado sa
avista va a iiia nica espiaiuada do ralla d'Aguiar,
e o castalio dos Almeidas, aagrejando sobre um
morro de rochas na quebrada das monteabas do
Alrao.
O meu casteilo alm, disse Ricardo apos-
tando.
E urna iortalesa feudal ? pergnatoa Marga-
rida.
O lidalgo deu a data da fundaco do casteiky a
conloa a fagauha de Duarte d'Almeida, con mam
inventiva do qua ella anda cantada em reno ao
Romanceiro portuguez do Sr. Ignacio Pizarra de
Maraes Sarment. A Francem parete escute-la
A meio do valle, Ricardo pergnatoa 4
quera ser acorapanhada.
Separa-se aqu ?
A minha estrada este da esquerda.
Pois adeus, cavalheiro I
Se V. Exc, por distraego, quizar a'i
vez honrar aquelle casteilo-----
Milito agradecida.....As molaeres, faa-
das com o mea infortunio, nunca pssj distra-
hir os olhos do ponto negro da sua desgrasa. A-
deus.
Margarida, l ao longe, oloen terceira resao
ongo do caminho, qne deiira, a na immovel o
fldalgo castellao no local onde sa desped am.
Nao invelheci ainda I dissa alte asir si.
Foi-lhe immensa consolacao esto dasabafe dt
voidade I
Visiteio-o quando lhe morreu a mae....
chan do Valle d'Aguiar fra, e tao cozido s crinas | Pois a mae de Nicoln morreu ? I acendiu
do fumegante alaiao, que dava uns longe do Ma- Margarida cora alvoroco,
fConiittfr-af-aaj
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DB P. FILHO
ILEGVELl
MOTILADO /


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E49FSCCMH_0NKH97 INGEST_TIME 2013-08-28T00:22:58Z PACKAGE AA00011611_10489
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES