Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10488


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I
I
iM O IL. JtOjjM) 232.
Por tre aezes adiantados figOUO
Por tres aezes veoeidos 6J00
Porte ao comi por tres mezes. 0750

.<*- kstsvi > :

SEGUNDA FEIRA 10 DE 0PTPBR0 021864.
Per asno adiaitad*.....19|00O
Porte ao correia por nm auno 3$(J())
JCAltREGADOS bA &LJpgJiO NO NORTE
Parahjba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima!
Natal, Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olveira; Maranhao, o Sr. Joaqun Marones Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C-; A-
aiazonas, o Sr. Jeroymo da"Costa.
1NCAWWGADOS DA SBSCRIP(;aO NO SUL.
Alacoas, o Sr. Claudino Faiclo Dias; Babia, o
tr. Jo" Martina Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martina & Qasparino.
EPHEMERIDE3 DG MEZ DE OUTUBRO,
8 Qnarto cresc. a 1 h., i" m. e 30 s. da l
la La cheia as 4 h., 63 m. e 8 s. da ni.
22 Quarto ming. as 8 h., 39 m. e 48 s. da m.I
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Lunoeiro, Brejo, Pesqueira, ,v-------------; u" ""J* !
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tatarata', Cabrobo, 30 Lua nova a 1 h., 8 m. e 2G s. da t.
Boa Vista, Ouricury e Eiu' as quartas feiras. I
Sennhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-I pbkamar na nnn
ros, Agua Preta e Pioienteiras as quintas feiras. r "*" "" m/m
Una de Fernando todas as vezes que para ali sahirl
navio. I Primeira as 1 i horas 42 minutos da manbia.
Todos os estafetas partem ao Vi da.
I Segunda as 12 oras 6 minutos da tarde.
. JLfcfatuOa VArOfiHa uOS^.ROj.
Para o sul at Alagas a 5 e 25; par* o >'.orte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, mar, maio, jul, set. emv.
PARTIDA DO OMN.BU.
Para o Recife: do Apipueos s 6 V, 7, ^ Vi, 8 e
8 Vi da m.; de Olinda s 8 da ra. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 Vi da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 '/i, 4, 4/, 4 Vi,
o, 5 /i, 6 Vi e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da]
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-l
de; para Cachang e Vanea s 4 Vi da tarde; para
Bemfica s 4 da tarde.
AUliN'iJA bO ilLx>NAj8 l)A Cil,>:\<..
Tribunal do commercio: segundas quintal.
Relago: tercas e saboaaos s 10 Horas.
Fazenda: quinta; s 10 oras.
Juixo do commercio: segundas as il horas.
[Dito de orpaos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde

5! Xa-
10. Segunda. S francisco de Borja.
11. Torca. S. Niearin h. m.: S. Smiatra.
12. Quarfa. S. Cypri.il> e \V- fruto bi. nm.
13. Quima. S. Et'uardo re de Inglaterra,
14. Sexta. S. Calillo p. m S Caivleacio m.
13. Sabbado. S. Thereza fl> JtlOJ i.t.
jIG. Domingo. Ss JLartiuiano e Piula irs. mrn
nmmum
no Rectfe; m a iivrana da praca .-ta InoV^r.dear'a
ns. 6 8, dos proprietanos Manoel Fmmroi &.
Faria & Fimo. **
Joao Francisco de Souza.Prove o que allega.
Jos Luiz de Barros. Informe o Sr. coraman-
dante superior da guarda nacional do municipio do
Rio Formoso.
Maria Cleobullna de afelio Lira.-Iaforme o Sr.
director geral da instrucgo publica.
Virgilio Vieira da Co>ta Piolo. Iaforme o Sr
director geral da iostruccao publica.
DIARIO DE PER 1AMRUC0
O vapor Cruzeiro do Sul, chegado dos portos do
norte do imperio, foi portador de carias e jornaes,
do Para at 30 do passado, do Maranhao at 3, do
Ceara at 3, do Rio-Grande at 6 da Parahvbaal 7
do corrente.
Amazonas e Para.A segrate minuciosa caria
de nosso correspondente narra quanto occorreu
nestas duas provincias :
t Aqu chegou o vapor Cruzeiro do Sul, com a
reguiaridade das suas viagens, sendo portador da
noticia do novo ministerio.
Com quauto o do senador Zacharias agradasse
gente da actual siluacao progresista, e se baja re-
lirado dos negocios pblicos com a dignidade dos
estylos parlamentares, gragas ao catonismo do no-
bre ministro do imperio, que moslrou ser paulista
e nao degenerar da illustre stirpe de que descende,
O actual gabinete foi bem recebido nesla provincia, rene o Araguaya.
nao > por seren dous de seus membros mu co-1 Para as pesabas entendidas na materia, a ntm
PARTE 6FFICIAL
GOVSRJIO BA FftOVMllA.
Expediente do dia 6 de onlnbru de 18G-L
Oflkm ao commandanie das armas. Pendendo
de solucao do governo imperial, cuja delibera^ao
submelti com o raeu officio n. 934, de 9 de setum-
bro ultimo, a ezecugo da caiadura, pintura e ou-
tros reparos, de que precisa o quarteb da compa-
nina de cavallana a que se ref.-re o offleio de V.
S. dehontem datado, sob n 1733, visto haver in-
formado o inspector da thesouraria nao ter sido
consignado crdito para asdespezas,obras do mi-
nisterio da guerra, no correte exercciio, nada se
pode por ora resolver no sentido de seren laes me-
Ihoramentos levados a effeito : o que delaro V.
S. em respostaao seu citado officio.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar acer-
ca do que pede no incluso requerimento Maria
Morencia do Rosario.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Para ser paga quando houver crdito, e nao se
dando inconveniente transmuto V. S. a conta
junta em duplcala na importancia de 23600 res,
que se est a dever a Jos Pereira de Alcntara do
0' pelo servico que fez no telhado do hospital mi-
litar, segundo consta de offlcio do director das
obras militares datado de hontem e sob n. 101.-
Communicou-se ao director das obias militares.
Dito ao iospector da thesouraria provincial.
Transmuto V. S. as 3 inclusas comas afim de
que, nao havendo inconveniente mande pagar a
Sympliclo Jos de Mello conforme solicilou o rhefe
de polica em offlcio de honlem. sob n. 1234. a
quantia de 1475200 res, despendida com o sus-
tento dos presos pobres da cadeia do Brejo, duran-
te os mezes de junbo agosto deste ann'o, como se
v das preditas contas. Communicuu-se ao Dr.
chufe de polica.
Dito ao director das obras militares.Recom-
mendo V. S., que mande fazer quanto antes os
concerlos necessarios em om dos xadrez do quar-
tel do 7. batalho de infamara as quacs constam
do offleio unto por copia que me dirigi o coronel
commandanie das armas, em 4 do crreme, sob n.
1733. -Fizeram-se as necessanas communicacoes.
Dito ao mesmo.D V. S. es necessarias ordens
para que sejam levados a effeito os concerlos dos
Lieos da illuminacao gaz do quartel do 4. bata-
lho de arlilharia a p conforme recommendei era
meu tifficio de 6 de selembro prximo lindo.
Dito ao commandanie do corpo de polica. Pelo
offlcm de V. S. n. 443 desta data, fiquei inteirado
de ter o soldado do corpo sob sea commando Fran-
cisco Gomes de Mendonca, concluido o seu eogaja-
meuto e contrahido novo-
Dfto ao eogenheiro chele interino da repanicao
das obras publicas.Inteirado do contedo de sua
informacao de 4 do crreme, sob n. 270, dada acer-
ca do abaixo assignado em que diversos propieta-
rios do lugar fiarro-VermelhonacidadedeGmanna
reclamam contra a direccao qne se vai dar a estra-
da em ceustruccao denominada -Bujarytenho a
dizer que approvo a alteracao por Vmc. indicada
em sua citada informacao, dan.lo-se mesma estra-
da nm desvio entre os perfis 12 e 18, e neste sen- Psente cmara, e sobre este ponto, eicep^ao de
tid.i pode dar suas ordens ao respectivo empreitei- u.us ,res ou (1"""0 camaristas que sempre salnram!
essarii alteracao. eleitus nesta capital, pouea divergencia alinal bou- da
calhes na sua viagem redonda, mas estes de pon
eos das de demora, e a prova que tendo corrido
que so poderia safar-se em outubro, ei-la que str
ge um mez autes, apesar dos vaticinios.
O commercio tem estado bastante an
quema imporlago, quer na exporlaco, tanto que
nao faltam navios no ancoradouro; a noticia plo-
*. Lno?.sas obsfrv:iofis estamos boje na latilu-1 Deu entrada por franqua, em nossa aibodega.
de 7-39 S longitiide 31-04 Oeste. e cous gno-se a casa dos Srs. Henry Forstes VC
rUH gUem 0b,IVei es,a nolieia' caP|t5 Har- i De cartas de Ingazeira consta, que a eleicao
im, 'f afs,'Ja I o seu contedo seja traosmittido ao all correr como as de mais localidades a non-
mano idoyds, em Londres,..... todojuizde paz abandonar a presidencia da me-
Nao duvdamos que esle pequeo nutico na-
r .-"" vegoe mui,as milhas de terreno sem iuterrupcao.
oTa dinSSll fT ?Sa banCa/'a d ^""' 28 de J,,nh0 de l86i- VpI"o SSK moderada
SnlSLKL^fSJ22 Se ,?*ar a efTe" a SUa ''" Joa flttm. caPi,a" ^ Oriente, .
ZlS%X!Z!^~,3m "? ^J10 panit' 5 /<''!/-F'a"'-ra afosado no rio Parnahvba o
SaranfMt,L 11**T" *5?* ""^ Prmacenlico italiano Lu.z Marchiand.
para o kio nao sejam em grande escala, com todo ,\o dia 1 do pausado comecou a eleicao cara
apodera haver enlaces com casas da Europa eo flrftwea, quetem evoS W^mSo?
sulqueulvez ma.s tarde cheguera a affectar esta ^iSS?do^mn^?e!SSif aaber-
(Yv.iw r.4L a, 0.1 a a jj tura da respectiva assembla, cando assim orga-
O vapor Cruzen o do Sul por ordera da preMflb- nsada a mesa: presidente Dr H Pamplona vi-
^gggjfegMfg.^* ?* ito vigario Correa de Carvalho,Tsecre.'ario
acerca SS t 2- ChegadaS ""w^0 Dr" Felix de *"* e |r-*to Jio Br Sid-
avlS?? ^,Ca,Ch0e'T Para a 5lldade da No dia 19 d0 P^'do chegou o vapor Camo-
552E2P eiI^an"nS e Ara?u*y. aBm de .com- c" ao porto do Mundahd. e posto que trouxesse
ST^Wf^_!M'M''">*r>IW*"* doAcarac im pratico, este ou o commandanie,
C7ST2 ,. chindo hora de prearrar, enganou-se sobre o
oita resumo os jornaes desta ea- ponto do fondeadouio, e deu fon-do sobre urna co-
! t ; a. a- roa' na 1ua'i apenas a mar vasou, o vapor come-
21 do correnii pedicao do Tocant.os ale cou a bater somente podndo safar-se depois quo
. f\ eanin ,nm d k k u e,la de D0V0 ncheu, mas bastante arruinado, a
dirn h^?rhlra,Aarah,ybu,f' S da ^^ Pnl de na0 Puder proseguir em sua viagem para
ftSJST y ^ yeraellii, qn. aqui, em consequencia de fazer muita agua e de
ta na margem esquerda do no e por cima de todas ter abatido una caldelra
asla.c-.'[a?.d0 Tucantios, depois que elle se, Nestas circunstancias, depois de desembarca-
rera all os passageiros, que para aqui se dirigiam,
nhecidos, pela sua nlustracao e integndade, mas grande questao a resolver-se era a seguinte : que- Zefirino Gil PeresTnad'
porque a chamada do senador Furtado aos conse- bradas as pedrasque fermam as eachoeiras, a dif- fro o re o da viaeem i
Ihos da coroa denuncia na situagao actual, que ha ferenca do nivel enire a parte superior e inferior para a Grama com toda
preponderante tendencia para o dominio e pratica do rio nao seria lal que tornasse impossivel a
das ideas liberaes. j vegacao a vapor ?
E' essa a queslo que felizmente est resolv-
a navegaco possivel mediante algum di-
quaes contam-se os Srs. tenente-coronel
re Antonio Carneiro, que
por trra, voltou o vapor
para a Granja com toda carga, que trazia, e com
a que all j tinha recebldo.
t Ne domingo 23 do corrente ao meio dia deu-
se na cidade do Aracaty um fado lamentavel e
desanmador para a civlisacao, de que j deviamos
gozar.
Ha terapos trazem entre si urna dbploravel in-
triga os Srs. commandante superior daquclla cda-
Quc seja bem vindo o novo ministerio e que se |
esetareea e delina a situagao poltica do paz, das da
ideas amal^amacadas de dous partidos oppostos, nheiro, mu:ta coragem no trabalho, conscienca e
aum de poder afroutar a crise melindrosa em que economa as pessoas que delle forem encarrega-
se achao imperio, com especialidade na parte rea- das.
tiva s questes internacionaes e financeiras que j A' visla disto ninguem mas pensar que se d Ma^oe J freir Pac
T!V-La*>la<:*? d sld.da "to | MIimpnesivi tratando de des,bstruir o no feS FrenStco Jos' da Costa; Barros? intnga
locantms,e de tornar franca sua navegago. | qUe mas se aggravou por causa de ura processo
nffi,!5f Publicamos um trecho da carta de estelionato, em que a justica publica invclveu
otbc.al que foi dirteida pelo chefe da expedigao a amboS, nao obstante terem arabos sido absolvidos
le'i.orp; PrLpa.mle, d? Prov!nc'a' do 1ual os pelo juz de direiio da comarca Dr. Vicente Alves,
leilores verao algumas particulandade interessan- em grao de recur=o
JtaL,,!^ I ^,r'f,lda da llaboca' e dalada de 21 i N,iS'as circumstancas, tendo provavelmente
T^f.JI?fL- 'occorndomaisaigumacircumstancii, queignora-
rl e m miZ& a P !a '^m w'ermm.as 2 ll* mos, passava o Sr. Barros acorapanhado de seu 11-
ITdn 1 ?l A*ri* de M d0 t"'"0 Pas- Iho Dr. Amyntas e de seu irmo Melchiades pela
hT>T ltP .C?5. BrU fnLre as bw:?as df- porta do Sr. Pacheco, quando este lendo-os vislo
o rente HHut 4 ?6/"? e. ItobuC.nolfdl 4 d? W langa mo de'uma espingarda de dous ca-
1nT> vkfni J,S2? 2a ,arde; D0 d,a 5 proc^1 nos' e legando i porta, quando j Il.iha passado
-?? ZIT,Z fr d? ,^0, por trra. No 0 Sr. Barros, dispara-lh pelas costas orados ca-
f2[ b0Ca' porem aDles dB -nos> cua car8a de bala e chumbo empregou se so-
5 bre um dos hombros do Sr. Barros, cujo ferimento,
nao era mortal.
e da dignidade da nago
Deixando os factos da poltica geral. que por ahi
os sabem em primeiro lugar do que por aqui, va-
mos s novdades desta parte do Brasil.
As eleiges de juize* de paz e de vereadores s
cmaras municipaes fizeram-se era plena paz, ven-
cendo em geral o partido progresssta.
Nesta capital, onde a lula foi ronhida entre os
poros liberaes e os progresistas as freguezias da
S e Santa Anna, o resultado que antes do dia da
eleigao pareca propender para os priraeiros, foi
aliual favor dos segundos; nao conseguindo po-
rm estes fazer nomear seu primeiro juiz de paz ao
Dr. Joaquim Fructuoso Pereira Guimaraes, um dos
membros da commisso central progresssta, por
que os dissidentes '
voto
e terceiro
sando
que
dia 6.
entrar naquelle
ro fazendo-se na planta a neces
Porlara.O presidente da provincia, resol ve
conceder tres mezes de licenca com vencmentos
ao engenheiro da repartigo das obras publicas
Antonio Vicente do Nascimtnto Fetoza Filho, para
tratar de sua sade a contar do 1 do corrente.
Dita.O presidente da provincia, attendendo a
que o capito quartel inestre do esiado maior do
municipio de Nazareth, Joaquim Tneodorico de
Albuqtierque M-iranho tem lixado sua residencia
nesta capital, resolve que pelos canaes competen-
tes se Ihe d a guia que requor nos termos do ar-
tigo 43 do decreto n. 1,130 de 12 de marco de 18,3.
Communicou-se ao respectivo commandante su-
perior.
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica n. 1,237
de 3 do correnle, resolve nomear a Felippe Paes
de Olveira para 2o, e a Jos Cavalcanii Vereosa
para 3o supplentes do subdelegado do dislricto de
S. Jos da Extrema. 3- da frepueza da Escada.
Communicou-se ao Dr. chefe de poliria.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Manoel Liberalino Freir de Carva-
llo, agente do correo da cidade de Caruar, e
tendo em vista a informagao do administrador do
correio de-4 do corrente, resolve prorogar por tres
mezes a licenca que, por portara de 1G de margo
ultimo, foi concedida ao supplicante para tratar
de sua sade.
Dita. -O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o bacharel Joaqoim Jos de Olvei-
ra Andrade, resolve prorosar por maistres mezes
o prazo que Ihe foi concedido para apresentaco
do seu titulo de juiz municipal c de orphaos "do
termo de .Nazareth.
Espediente rio secretario do yoverno do dia G
de ouluhro de Im.
Offlcio ao commandante docorpo de polica.S.
Exc. o Sr. (iresdenle da provincia manda commu-
nirar V. S. que o director do arsenal de guerra
ve entre progressistas e liberaes.
Os jornaes nao obstante o vencmento das elei-
foes a favor da siluacao dominante, irataram com
alguma enervescencia e azedume a eleigao de San-
ta Auna, para juizes de paz ; mas este barulho pe-
rlodiqueiro durou uns quinze dias e '
por asMiu dizer acabado, porque
dos ariigos publicados nos jornaes
mas a carga.
A presidencia tem continuado neutral no sen
proceder, quanto siluacao da poltica provincial;
antes sabe-se que S. Bxc. muito reservado e se-
nhor das suas aiiribuiges administrativas, como
delegado imperial.
Os jornaes por emquanto fazem-ihe lodos esta
justica.
Por ora S. Exc. anda nao parti para as eachoei-
ras de Araguala; presume-se, porm, logo que che-
gue o resallado do toda eleigao na provincia,
empreheudera a coolinuagao dos seus projectos
acerca do melhoramento, "tanto quanto po>sivel,
para communicar com mas facilidade esta provin-
cia com a de oyaz.
O r. chefe de polica lambem est actualmente
fra da capital ; foi novamenie Santarem cora 3l>
pregas de tropa e um vapor sua disposigo para
bater o quilombo que existe no centro daquella co-
marca
E' urna commisso ardua c difficil, mas neces-
saria bem da seguranga publica e propriedade
particular.
La esto immensos escravos, desertores e malfei-
tores aldeados no ro Trombetas, sem que at hoje
sehaja conseguido sugeitar scuielhante gente ao
dominio da le e da autordade.
Eis-aqui as noticias viadas de Santarem, e que
deram causa saluda do Dr cnefe de polica para
aquella comarca ; desejamos entretanto o melbor
xito a commisso emprehendida :
t A's 9 huras da n->ute do Io do corrente chegou
doente a e.-ta cidade o Sr. capitn Candido Augus-
tem ordem para mandar fornecer o carluxame to de Camino, commandante dadi-igencia que
constante do pedido junto ao seu ofJicion. ii des- em julho, seguio para bater os quilombos dorio
1,a- Curua, de Alemquer.
Informa elle que, na marcha da tropa encon-
14 do correte,
mauhaa ; nesse
seu ioimigo e ex-
as costas, e o Sr.
segundo tico pela
espoleta faliiou e nao te-
mos de lamentar a perda de um pai de familia e
de em cidadao notavel por sualnlelligeacia e pela
importancia da familia, que perlence.
.... O Sr. Barros prximo prente do Sr. Lbe-
,Ta,?:'" !'lparagera i10 d,a '? as6 horas "'o Barroso, actual ministro do imperio.
Cumpre declarar que ambos os actores dessa
triste scena Iragicasao liberaes e pessoas de im-
portancia em seu partido : se assim n;io fra, aqui
d'el-rci! O que fosse conservador sera infllivel-
uiau nno o\t SSSZt examinada sou do Pj- mente o culpado se o offensor, nossoi adversarios
.lstei*2bKLr! VfPeS^mHLrno d-e g>-'ta"am que o partido conservador um partido
EmSE do o iliif. dn idil'0g0iqUC Se ,enha desobstrui- de assassinos, se o offendido diriam que. elle foi o
os contendores do o leito do rio das pedras que, comprinnndo a provocador acharlam mil insiilicacoes nar-i o
s nao vollaram agua uo seu morimento regular, produb-m os ri- Z^T'J.J* m" iB8,,nc50es Para
heiros e fortes corruntezas que aqu chamara re-
bojos e eachoeiras; qae os canaes Capitanquara,
Jaeand e [taboca sao paran-mirvs do canal Iq-
ferno, -
_ pres
sa, e de servirse a polica local da guarda nacio-
nal, sera inlervengfio do respectivo commandante,
com o que leve ganho o partido dominante.
Das mesmas cartas con-ta, que tamo aquello
commandante como o referido juz de paz trouxe-
ram ao .conhecimento da presidencia urna e ouira
cousa, afira de que sejam dadas as providencias
convenientes, tendo alem disto protestado conlra a
reguiaridade do processo eleiloral os que se ab.li-
veram de votar, por se enteuderem coagidos uo
exercicio desse dimito constitucional pela polica, !
armada om o destacamento a!h existente e com ,
um outro qdo chegara ao mando do alteres Cur- j
chatuz. >
Foram designados para examinar as mate-: ------
ras dos preparatorios preliminares do Curso Com- Quando os govornos esquecem os prianeess a
mrrciaf Peinambucaiw, os Srs. Dr. Antonio Uangel moral, e da dignidad-, sacrificando tolo a NMoito
de Torres Baudeira e Antonio Bgydiu da Silva. ] nteresseiro, e faccioso da sm mt ril .ottservari
Durante a sessao do tribunal do jury do ter- 6 preciso que os povo- se djspnsrtwm a pr>**enriar
mo de Tacaratu', que durou de 18 23 de maio 'odas as con-equencias do primeiro erro. H;i L>i-
U|timo, foram jalgados 7 processos abrangendo 10 ca no mal, assim como no bem. De abuso em aha
reos, sendo : 7 por homicidio e 3 por oflensas !su, de eornunii em corrui>gn, de miseria em aii-
7 ab-1 St'ri'- dfl degradacao em d. gradaco, marr
m -ni. ./ii -. para pintar a duln'-dad -b- c ir
nao ims apretinara o m-ircego. que entre as ave-
abra as azas, dizendo lambem sou ave, e -
Ir os ratos eneolhia.se para passar como ralo.
Portamo. fallando eu agora asskn iMMa phra-
tao clara, o sem o menor rebuc,. n \ o Sr Dr
Barros, qae c;m eroarietha me t podem ebei
esses sea aflrootOSOS epithelos de infame ce-
barde; pois que nao co>tumo oum-a e?cuooVr .
que fago.
Por agora flearei n certa de que o que anda me disser com es-a soa
audacia do m-.ro, eu com sobra Ihe h--i de respoo-
der com a ntkiiM experiencia de velho, para o qoe
abas estou inuilo disposio. a ja preparad conve-
nientemenie.
Recife, 8 de outubro de MH.
Mi dos Alijas Urna if;
phisicas e funmentos. Dos prinwiros foram
solvidos pelo jury e 3 por estarem pereraptas as
aegoes.
Depois d'aminhaa se extrahir a I* parto da
l" lotera da matriz de Caruru' (Pi sendo o
maior premio :00.i5000.
Rbpartica.0 n\ polica.
(Extracto das partes do dia 8 de outubro de
1864.
Foram recolhidos casa de detengao no da 7
do corrente :
A' ordem do subdelegado do Recife, Minoel. es-
cravo de Domingos Jos da Costa, requerimento
ueste.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Euzebio de
Parlas, para averiguages policiaes.
A' ordem do da Boa-Vista, (Sebastiio BaptUta
Twxeira, por furto.
marcham *
; precipicio em precipicio os guvereos a qurmum*
; vez desamparoo o espirito de rectioa., e de pj-tn-a
Os symptomas de decadencia moral, que .* Ma-
nifestara por toda a part-, a audacia coro se se
emprehende, e executa o enme, o destrozo mani-
fest em que se acha a aul-.ri.lade pubiira, Mura
ou c-mplice, no eoaeeiki vulgar, de lodos o male-
ficios que por ahi vao, a nenhunu eoafeaea ejK
inspiram os primaros funrcionanos admimsirali-
vos, ante os quaes a justiga aero, e o plmenlo
lei, o desfag.imeolo com que om agente doKoverno
prevarica, e a impavidez com que e apre>eola a
responder por suas falralruas, entrando, e "mudo
dos tribunaes com a mesma tnica tribunicia, eesm)
se on deyesse sahir d'alli escoltado pare ser po**v
em custodia, Indo isto nos diz. e aire de pse
nos adiamos s bordas de um abismo nsoa-
davel I
Nao
se comprehende nina sociedade feliz
O cliefe da 2 secgao,
/. G. de. MesQuita.
Passageiros do vapor Cruzeiro do Sul, vindo aulridade, que deve zelar w seus foros, e
dos portos do sul : vive maculada por affronlo-as suspeicde*, e
Joao Baptista Rabello Pereira, Petronlla Mana ta aos olhos da opinio de odiosas prevarieaces.
da Conceigo, Antonio Gaspar Pereira Jnior, sua A autordade o brago da li-i. a pala>ra WffU
senhora e 1 filho, Manoel da Cunta Rib iro, Julio traduzila na acgo administrativa. E a lei,
Cesar Paes Brrelo, Laurindo Pereira Lima, Jos exeepcao do carrasco, nao pode adimilir
Pedro da Costa, Francisco Tavares Pessoa de Arau-
jo, Francisco Jos da Cunha Sampaio, An Ir Gj-
mes da Silva, Rayaron lo Braulio Pires de Lima e
1 criado, Komo Francisco F. Novae<, Jacintho
Borges da Fonseca, Joao Nepommono Borges, Al-
pio Das Machado, Jos Gomes de Araujo Quintel-
la, Vicente Augusto de Magalnes, Ignaeia Roma-
na do Patrocinio, Antonio Joaquim Teixeira, r.
Victorino do Roto Toscano Barrete, Silverio Hono-
rato da Silva, alferes Leopoldino Evangelist Pa-
raliyba, Antonio da Silva Barbosa, D. Bennira Lias
grande do Xico Gorgulho s 5 horas da tarde,
donde sah no da 16 as 7 horas da manha, vol-
vendo a tomar o Jos Correia ao meio da. ,
EDITAES.
2* secgao.Secretaria do governo de Pernarabu-
co, 5' de outubro de 1864.
Pela secretaria do governo se faz publico para
conhecimento de quem inleressar possa, que se
achara em concurso os obVios de labelliao do pu-
blico judicial c olas, e esenvao do civel e crirne'
residuos e rpellas, creados pela lei provincial n.
589 de 9 de maio de-te anno.
Os pretendentes devem apresentar seus requer-
mentos no prazo de sessenta dias contados desta
data, e instruidos na forma do decreto 817 de 30
de agosto de 1851 e do aviso n. 252 do 30 de de-
zembiode 1854.
O secretario do governo, Dr. Francisco de Paula
Sales. /
2a seccao.Secretaria do^i*errfo de Pernambu-
co, 5 de outubro de 1804.
Pela secretaria do governo se faz publico para
de quem inleressar
traram dous pequeos quilombos, que bateram e
apprelienderam todos os esclavos que nelles habi-
tavam em numero de 30, entre horneas, mulheres
e changas.
Proscguindo era sua marcha, encontrou a tor-
ca um preto, que fez fogo-e ferio um soldado. Per-
seguido por este, pode evadir-sc, apezar de alguns
tiros que a elle se dirigiram.
Ete preto, amestrado nos atalhos do caminho,
pode ir avisar os seus companheiros do grande mo-
cambo denominado Inferno, de forma que, quando
a forga chjgou j elles tiohain-se araslelado da
parte opposta de um rio ; e, por detraz de grandes
penedas que Ihe serviam de Irinchi-ira, flzeram
fogo tropa, fenmlo alguns soldados, e matando
um dos Indios mundurucs.
Ao passo que os negros estavam assim defen-
didos, a tropa pelo contrario nada poda fazer, por-
que nao tinha canoa para atravessar o rio, nem
e profun-
conheciraemo ae quem uuerassar possa, que se p-0,|a este ser vadeado pela sua largura
acha era concurso o omclo de depositaiio geral do didade.
termo de Sernhem, creado pela le provincial n.
329 de 6 de jonho de 1862.
Os prelendentes devem apresentar seus requeri-
ment^s no prazo de sessenta dias contados desta
dala, e instruidos na forma do decreto n. 817 de
a O capito commandante da forga fez destruir
o mucambo, e retirou-se com sua gente, nao s por
estar falto de recurso, como porque as intermiten-
tes haviam atacado a multas pragas.
Cumpre agora que o nosso governo provden
verdadeiro tronco do rio Tocantms nesta
zona pela sua direcgo e profunddade ; que a a-
boca anda que nielliorada, ser sempre em lempo
de verao um canal famiuto d'agua, e que sua iim-
peza nao mas fcil que a do Inferno.
_ Sequera-s outros delalhes a respeiloda direc-
cao que se deve dar aos trabalhos.
A' vista deste re.-ultado, julgamos que o go-
verno activar os trabalhos cora toda energa e es-
forgo, e esperamos que nao passaro muitos annos
sem que vejamos chegar este porto vapores que
tragara pelo interior da nossa provincia passageiros
e productos do Maranhao, Goyaz e calvez do Piau-
hy e Matto-Grosso.
Fioalisando remello o resumo dos navios en-
trados e sabidos durante o corrente mez, neste
porto.
Navios entrados.
1 Aujhsio, de Hamburgo.
2 Amazonas, do Pono.
3 Brrtka, arribada.
Ozdl, de New-York.
o l'aran, do Ro de Janeiro,
Isabella, de New-York. '
10 Lindo Paquete, do Ass.
Emilia, de Lisboa.
12 Zona, de Liverpool.
Inca, dem.
Jpiter, do Cear.
20 Patriota, do Maranhao.
Progresso, dem.
21 Fijaro, dem.
22 Volante, dem.
Salinos, dem.
Taima, do Rio de Janeiro.
Afana, da Parnahyba.
TU BU, de Liverpool.
26 Euplirasia, de New-Castle.
28 Cruzeiro do Sul, do Rio de Janeiro.
29 Julia, de New-York.
30 Tamuga, de Lisboa.
Navios sahidos.
3 Eumom, para Demerara.
4 Henrique, para o Havre.
8 Paran, para o Rio de Janeiro.
14 Linda, para Lisboa,
17 Ernestina, |ra o Ass.
Ozell, para New-York.
21 Ututo Paquete, para o Maranhao.
24 Gurupy, dem.
27 Progresso, dem.
Mana, dem.
Inglaterra 27 1/2.
Franca 330.
Portugal 96 0/0.
Cambios.
Maranhao, O jornal official declara ter o go-
verno ganho as eleigSes em toda a prov ncia. Para
a cmara municipal da capital foram odlos os
Srs. : Antonio Nogoeira de Souza, M. G. Perreira
que carecem, e que almas generosas Ihe vio levar, Nima, Dr. A. Henriques Leal, JosJ. T. Vieira Bel-
tendo s era mira a sede de ouro I fnrt, Raymundo J. P. Ca>tn>, Francisco R. Qua-
ssim providenciando, temos robusta f que dros, Dr. Felippe J. Gomes de Macedu, Luiz da Ro-
os negros mocambados nao tem remedio seno cha Santos e A. J. Hoscoso Salgado.
render-se. L-se no Pubticador Maranhense :
A' 19 chegou a este porto a canhnneira Igua-1 No dia 4 d agosto passado fui encontrada na har-
30 de agosto de Wol, e do aviso n. 232 de 30 de ce dc frma que M mocambados nao possara sa-
dezembro de 1834. hir e nem receber provisdes e outros recursos Me
O secretario do governo, Dr. Francisco de Paula
Sales.
Despaches do dia 6 de onlnbro dc 186i.
fequerimentos.
. Cosme Damiao da Silva e outros.Ao enrenhe-
ro chefe inlerino da repartigo das obras publicas,
se expede ordem para de conformidade com a soa tenvj, iratendo o chele da estaco naval que havia ra das Pregugas urna garrafa contendo dentro um
informagao de 4 do corrente, n. 270, attender a re- subido Tahatmga. bilhete com as seuuintes palavras :
clamacao do supplicante. .0 presidente do Amazonas que n'clla embarcou t O navio Oriente, de Londres, sahio de Plv-
Capitn Joao Theodorico de Albuqu?rquc Mar- 'nao chegou l. porqu- paseando o Jnco na occasio mouth para o porto Adelaida ( Australia dn Sul )
Dhao.Passe portara e expegam-sc s ordens no i do encalho, regresson Mansos. em de jvsnho de 1864. e esta com 27 dias de
sentido pie requer. i Acauhoneira, segundo consts, soffrcu dous en- viagem e tu'do rae ben
o autor do crme.
Quanto nos lraitamo-nos a lamentar a infe-
lcidade do Sr. Pacheco e compartir os incoinino-
dos do offendido, aguardando quo os tribunaes fa-
gara o seu dever.
Consta-nos que o Sr. commandante superior
Pacheco iinmedatamento se recolhra espontnea-
mente prisao, o que julgamos ser-lho honroso, se
o nao fez por ter certeza da mpuuidade.
Fomos ainda informados de que o Sr. Pacheco,
depois de reeolhido prisao do estado-maior, soffr-
ra um ataque apopltico, em virlude do quo preci-
sou ser de promplo seccorrido pelos mdicos da
trra.
Rio-Grande.Nada ocrorreu que merega men-
gao.
Paruhyba.Escrevem-nos em 6 do corrente :
Ci>n>ta que os prenles dos Guabirabas reuni-
ram-se e atacaram a povoagao de Agua-Branca, do
termo de Pianc, afim do assassinarera aquellos
que ajudaram a diligi-nria que capturou ura delles
e malou outro; porm foram infelizes, porque
morrea mas um, fugiudo os outros.
No dia Ioabrise a nossa assembla, ficando
composta a mesa dos Srs. :. padre Galvo, presi-
dente ; Dr. Epaminondas, 1" secretario; Dr. Ra-
bello, 2o dito.
de Albuquerque, 2 escravus entregar, Jos
Francisco Maia, Francisco II. Lopes, Manoel Perei-
ra de Araujo Vianna sua senhora, 1 filho e 2 es-
cravos, Samuel Ileiiggenes, John J. Foster, Bdger
Carpeuler, U. Eugenia J. da Cmara e i tillia me-
nor, 1 escravo entregar.
Segueni para o sul :
lr. Pedro Camello Pessoa, coronel Ernesto Emi-
liano de Mederos, 1 sobriuhu, 4 escravos, 1 alie-
nado o i praca que o acompanha, Finnino Jos l'-
menlel, Manoel Vicente, cadete Francisco di B. C.
de Albu merque, Maria Clara da Ccoceico, Do-
mingos Alves, Joao Nogueira Goncalves, 3G (iracas seu^ agentes nao lev
do exordio, 6 ditas de mariuha e 13 escravos a "
entregar.
Passageiros da sumaca brasilcira Horlema,
sabida para a Baha :
Luiz Gonzaga Guimaraes, c Luiz Antonio Gon-
galves.
da 7
Hovimento da casa de dote ocio
de outubro de 18Gi :
Existiam...... . 368 presos.
Entraram..... 3 i
Sahiram...... 9 >
Existem...... 303
A sabor :
Nacionaes..... 289
Eslrangeiros... li >
Mulheres...... 4 i
Estrangeira---- 1
Escravos...... 40 >
Escravas...... 3 i
PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA.
Foram nomeados 2o e 3o supplentes do sub-
delegado da Extrema, na Escada, Felippe Paes de
Olveira e Jos Cavalcanle Vergosa.
Tendo transferido sua residencia para o mu-
nicipio do Recife, o capito Joaquim Theodorico de
Albuquerque Maranhao, quartel mestre. do com-
mando superior da guarda nacional de Nazareth,
mandou-se-lhe passar a guia competente.
No convento do Carino foi hontem festejada
Nossa Senhora do Rosario, com o esplendor dev-
do. Oraram ao Evangelho o Revm. Leonardo Joao
Grego e ao Te-Deum o Revm. Antonio de Mello e
Albuquerque:
De Ounda nos dizem o seguinle, em data de
8 do corrente.
Acha-se a populagao d'aflu a tremer pela ne-
nhuma seguranga de propriedade que ha. Os rou-
bos succedera-se quasi que diariamente, e a polica
protege ou tolera os ladrees. Entre os ltimos
assaltos dos ladrSes figuram o da ra da ladeira
da Bica do Varadouro, operado s 8 horas da nou-
le e quando prximo toca va o recolher, sem que a
polica acudisse para valer os moradores, que gri-
tavam bastante, vendo-se esbulhados de quanto pos-
suiam em quantia superior um cont de res; e
o da ra do Cabral, em valor superior dous con-
tcs de res. Dzera-nos que sao agentes pollciaes
os autores desses roubos.
A barca americana John Gilpin entrn sab-
bado era nosso porto, 1 hora da tarde, com anua
aberta.
Esse navio segua de Boston para o Cabo da Boa
E>peranga levando j 45 dias de vagem.quando pe-
las 2 horas da tarde do da 98 de etembro ultimo,
ao norte dalinha.ahalroou emetteu a pique o brigue
norueense Ann FJizabeth, que segua do Rio de
Janeiro com nm r-arregamento de caf.
Alripolacao d'esse tingue, composta do capito,
dos pilotos e seis homens de proa, passarara-sa
para a barca era um bote proprio, e puderam ape-
nas condtKir algama roana.
A barca John Gt'pin de 282 tonelada*, com 12
pessoas de tripolaga, e tem abordo um carrega-
mento de fariaha, taboado e mals gneros. -
363
Alimentados cusa dos cofres provinciaes 131
Movimcnto da enfermara do dia 8 do outubro
de 1864.
Tiveram baixa.
Vicente Perreira dos Santos, eplepisia.
Luiz Francisco, fobre.
C0MMNIG1B0S.
Quem assim o quer, assiio o iriilia.
Nao estava disposto a entrar em polmicas com
um mogo assim assomado e fogoso, cuno o Sr. Dr.
Joaquim do llego Barros, porque eralim conhego-
me e liquei conhecendo o Sr. Dr. Barros desde a
j vez nica, que Uve" a infelicidad de trocar com
S. S. algumas palavras.
Mas o que fazer, se o Sr. Dr. Barros, com urnas
suas palavrinhas picantes, que fez publicar no /'/"-
ri de 7 do correnle, rae provora, e logo sob a po-
lida C'immraagao de licar eu como calumniador
covarde e infame, se nao aceitar a sua provoca-
gao ?
Nao ha remedio : a minha dignidade manda que
se abra a cortina de meu silencio, que se afrouxe
um pouco o clchete de minha conhecida moderagao
e comedimento, para eguer tambera a minha voz o
mas alto que posso, e declarar, como solemne-
mente declaro, que se enteude mesmo com o Sr.
Dr. Joaquim do R-go Baos ess>' alguem que
alludi em meu escripto, que iz publicar no Diario
de 23 do mez passado.
Por mera deferencia propria do meu genio, eu
quiz n'aquelle escripto guardar certa reserva, nao
quiz por a pessoa do Sr Dr. Bdi ros claramente
era exposigo; mas, como S. S. assim em tom
ameagador exige que se acabe cora as reticencias,
com as allegorias, exige erafim que se Ihe tire a
mascara, eu, que nao tenho med de caretas e
era de bravata, Ih'atiro, repetindo anda, que foi
S. S. de quera quiz fallar.
E rae parece que nao andel errado, quando drs-
seque esse alguem prfida e ingratamente guer-
rease o governo s escondida*porque vi algumas
listas para a ultima eleigao de juiz Ole paz e verea-
dores, contendo nomes de pessoas de poltica con-
traria dominante, e que rao affirmaram serem
escripias por letra do Sr. Dr. promotor do Bonito.
Ora, a ser sto verdado, o Sr. Dr. Joaquim do Ke-
go Barros ha do concordar convmgo, que quem
procede assim que Cobarde e infame, porque
faz o baixo papel do ingrato que rnorde a mo quo
o beneficia.
Se o fabulista tivesse visto esse proeedimenlo
poltico, que dizem ter tido o Sr. Dr. Barros, certa- escrevendo tejuass
cutor immoral, e corrompido.
Os agentes da go.eroaco publica teem per eor-
reccao aos abusos, e aos chines perpetradas >>
exercicio de suas funoVoes
1." A rojiresso sobre elles exerrida pelas anlori-
dades superiores;
2. As penas moraes infringidas pela impreesa
e por todos os org'is da opiniao ;
3." O juizo imparcial d-s tribunaes.
Mas os govornos corrompido rara vez ounern
rom as ponas adminitrativa> o fum-ei marn J.
linifiiRiiles, e relap.-os, porque -obr- elle- -siradt^
o man o /irotect'.r, a parci iliilade. e clemem-u par
tdaria. llcmitle-se un funcrioiiario par-|ue vututr
ou eserevou contra o goveroo, mas conerv-iN, e
premea-se o que vende a justica. o que favoan
os chines nina voz am d.-s-a Transa, cao r--u!
tem algoos eMuM elitoraes para a bul>a go-
verno i
Eis aqui, em resumo, o triste estada em que a*>
acharaos Desde que o g-v.-rno da liga fiaivrai-
sou com todo* o< BStM inslin I .s, e as .|.nHi Uida.-
as amhioos illegilimas ; d.-.- la que na ekigao .!
CIMI-a *-ll.";i
a eleicao do seus deputado. e d'alli o nenhicn n-
cropuly na nonieaeio di gaala in.ns Mista *.
mundo, outro n.o rfevia ser o resultado tantos
escndalos I) h .micidio, e o furto ffMa lurnaa-
do condic>-s normaos desta n <-\ MCteoMn, fla-
gelada por todas as calamidades natura-, i sttn-
natnrae-, que parece se re--; v ivasi para > 4hm-
nio da liga Assim ilevia acontec r, porque ora-
culo divino que Sfl ii.io tr.ni -. 11 I m lupiinvineiil--
as lois, nem se muda, o adaltera o direito sam ju
a trra soja ioeciona !.i p u -:- i. ilm Jasas
O sonkador acrunlaito.
PUBLICARES A FDDk.
iabaccins, 10 -if jmlia.
Ama-se bem pouco ao que se da ao Irabaiko
de odiar a outrem.
Lendo eu o Publicador n. MI depare! corno ce-
lebre reiaiorio do Sr. Dr. Feluardo. quami mssuu
a admialstracM da provincia an Exm Sr. Dr sin-
vaL Pasmei anda me tuaaerru |>asn, or ver
quo do-.ipedadamente. pretenden >r. Dr. Frli-
zardo, tnimigo mplacavel da liinn.inidade. iiso-r a
ropiitaoao do no-so aasian, a padre Renov.it-i Pe-
reira Tojo, vigario encomiiien.lalo desta freguezia,
dizendo que nesta villa vario- individuo-rapiUaea-
dos pelo nosso dito amigo haviam tniua de urna escolla o preso Bonto l rnardiie. dos San
tos Mas finalmente o NM amigo t > r.marri-
llo nesta provincia p r sua i-lernem-ia e braalura.
quanto o Sr. Kebzardo se tem feilo mVaja por -11.1
raridade I Cora ludo julgo indispensavel de-rre-
ver o facto da tomada do preso, para a-.-im iprre-
cer apreciago do publico desprevinido, e eniio es-
te couhecer do <> lio que vola o i-nplacarrl a vi-
gario de Caliaceira t
E porque porque o nosso amigo de seaiimeat-i-
nobres, como t, nao se lera querido suj- iur >
suas lomas pretengo.s em favor do seu murzell-. .
mas vollamos ao laclo.
O idiota ex-delpgaio por motivos partieularrs li-
nha intriga ao Sr. Benio Bernardino. dina esn
qualquer parte que o fana pas-ar nove vrze- aor
baixo da barriga do seu cavallo, quando o enroo
trasse.
infelizmente no dia 27 de margo prximo ando
deu-se o encontr desejado no meio da roa iie-la
villa, onde o idiota todo furia, reve-tido Jo paxJer
de autordade, prevo.ou o Bruto, eesle res(nVn
do-ihe conforme, a provocag-, o dito de rgad-i im
mediatamente raandou preude-to. Neste co -flrlo
foram coucorrondu uns por Benlo, e nutro caira
Benlo, que chegou a reunirse o noraer >, nonri
menos, de cem homeu-, lodo srm anuas. oaoV di-
putavara, se a pri-o naqurlle ca-u era na a te
gal. Ora, nosso .i;nuo estando na matriz i-ntn x
voseria,e prevendoque podt-na resultar dali gran
de ruina, digio-se ao lugar do tumull-, ,ju- aio
distava mas de cem passos, i-to aronseiaa>> aor
um dever de can-lado (nao a cndale do Sr. Dr
Polizardo) para fazer obtsar maioros rousas, o qm.
na verdade cunseguio acabar, pedindo a as a os-
tros moderco. Podemos assrgurar qov o vigario
foi o salvado/ daquelle. povo ; e eomu o Sr. Dr.
Pelizardo, j lendo conliociuu-rtlo pleno oV-le faelu.
contrario a denuncia do seu agente, procura aiata
da dar-lhe cor de 6mo e de mm-vf/ rerauwnea-
dando aos cuida vincia ? E' querer muilo de proiMVqto mea searar
a reputago de um sacerdote 1 Nao adata ale
procediineuto cartnhoso >\o Sr. Dr. Feliz >r.lo. quaa-
do se tem visto em suas carias partirnlarrsaas
seas amigos deste termo com-a- ig na- contra aaa-
so amigo, como bem rid;,rolartsando o sea anaw,
l>or Tejo I E este o Frli-
ADO



filarla de PerMMlMM --- Segunda felra O de Oulubro de t t.
chele 1 Einlira sua car
da n-ufade do urna pamhra
Seria boa exposicao ao nevo adusnislrador sobre
Cabaceiras, se o Sr. Dr. FeHtaro desenvolvendo
sua cavidade dissesse o seguate: S. Exc. deve ter
especial cuidado na captura de onze criminosos de |
roortes, que translam smriffl dentro do pequeo
termo de Cabaceiras, protegidos pelo chefe pro-
gresista d'ali.e por aquella traste, que acabou ae,
servir de delegado de wppor que o seu substi-,
tuto, que de proposito M por mim nomeado e>i ja
marchando ao|mesmo risco; deve fazer de-appart-
cer o abuso de prender-se horaens Ubartoa
dem do delegado, edar-se-lhe a pena de d*s
peiadas por sentenca definitiva da nwsm esc lia,
Frechaes ....
Fumo era Moa, bom
dignar tomar o expen-
de
sea commandante.
Dos guarde V. Exc.
Villa de Ingazeira, 10 de setembro de loo.
Illre. e Exm. Sr. Dr. Domingos de Souza Leo.
D. presidente desta provincia.
hidro da Cruz Siqueira,
Tenenle coronel.
Illm. e Exm. Sr. O dever do cargo, que rom
livremente me foi confiado pelo- meus districianos,
me obriga a levar ao conhecimento de V. Exc.
as oecurrencias, que me forcarra abandonar as Podras de amolar
eleices, que acabam de ter lugar nesta freguezia dem de filtrar
tnn
arroba


dem ordinario ou restolho
Galltnhas........ .
Gomma.......... arr<*a
Ipecacuanha (raz).......
Lenha em achas...... cent0
Toros.......... *
Linhas e esteios...... Qm
Mel ou melado......|- "
Milho. ........ *rrob
Papagaios........ ? ...
Pao Brasil........ Wmli,i
dem de jangada...... o
urna
55068 Iterdefow dos blleccidos Francisco Antonio Duro
145000
8*000
5*000
800
2*500
35*000
2*000
11*000
8*000
240
900
3*000
5*000
5*000
e !>ua mulher D. Joanna Matimde da Natividade,
Fabio Nuces Leal.
Francisco Gomes da Silva.
para fallaren a pnmeira deste Juizo ao termosde Francisco Ignacio Piolo,
orna acco ordinaria para reivindicar o sobrado. Jallo Cesar fiomes de Castro.
Joaquim Felippe da Costa.
Joaquim Ferreira Ramos.
D. Joanna Joaquina ida Silva.
Jos Joaquim da Silva Re s.
Jos Rodrigues de Souza.
autoridades. j..~*n sn.
Deiw V. Exc. ter em maior considerado.a. to
madadedous recrutas do poder de na.wqjj,
ue oartia de S. oSu para esta capital, visto que
SeV violencia praticada por ^maja-
rada*, que sa hiramde urna pona de serra, nada
obrar, rnesino por falta de nm cao proprio
^TcaMa*quel winarca, pois que, haven-
do aii um, este apenas poderl encovar tejuassu.
(Do Jornal da Parahyba.)
Gieirie des jaiies e M de ais eapregades oae
kan de festejar glorioso Martyr S. Sebastiao,
na igreja natrii desta eidade da Vicien no an-
no de 181.
Juizcs por Eleicao
Os Illms. Sr.: -
Dr. Pedro Bezerra Pereira de Araujo Beltrao.
Capito Paulino Fraucisco Paz fiarreto.
*Capilao Caetano Correia de Queiroz.
Aiferes Jos Ignacio de Mello.
Juizas por eleicao.
As Exmas. Sras. ; .
. Joanna Libania Monteiro, mulher Illm. sr. josb
Rundo Bezerra Cavalcante. .
D. luana na Libania Monteiro, mulher do Illm. s>r.
ow5 Pedro de Olivelra.
Juizes por devoro.
Os Illms. Srs.: ., .
Capito Caetano Crrela de Queiroz Monteiro.
Major Francisco Jos Mvares.
-Frlippe Beaicio Gomes dos Santos.
Aleles Mauoel Tneodoro da Cuuha.
Juizas por devocao.
As Exmas. Sras. : n,.,w ua-
Muiherdo Illm. Sr. capito Francisco Pedro s*>a
res Branlo. ..-
Mulher do Illm. Sr. alferes Francisco Jos da uosta
Germaiio. ,,
Mulher do Illm. Sr. Autono-Jose Alvares.
Mulaer do Illm. Sr. Mauoel da Costa Ventura.
Escrives por eleicao.
O* Illms. Srs.: .
Truate Jos Patrieio de Moura Case.
Joao Jo> Ft-rreira.
Amonio Texeira Machado.
Antonio Marques Evangelista.
Escrivas por eleicao.
Auiher do Iilm. Sr. lguaoio Jos Machado.
Mulher do Illm. Sr. Joaquim Jos da Kocua.
Mulner do Illm. Sr. Antonio Jos de Fr'as- .
Humor do Illm. Sr. Antonio Carneiro de QUpiroz.
tiscrives por devocao.
Os Illms. Srs.:
Tboiuaz de Carvalho Soares Brandao.
Raimundo Autonio da Cunha.
francisco Antonio Bizerra Cavalcante.
Tbonuz Rodrigues da Cuuha.
Escrives per Devocao.
As Exmas. Sras. :
Muiner do llim. Sr. Jos de Barros Correa.
Muiiier do Illm. Sr. Mauoel dos Praseres Barros.
Muiher do Illm. Sr. Jos Esperidiao Xavier de j
Lmim.
D. Can.iida Rosa da Silveira Lima.
Mordomos.
Os Illms. Srs.:
Ju-tiuianiio Jos Ctvalcante. ..________
Capit.i Jos Severino Cavalcante de Albuquerque
Caetano Jos Rib.-iro.
Mauoel Juai|uim Moreira.
Joo Francisco >los Santos.
Jos Fraucisco de Mello.
Manuel Antonio Correia de Queiroz.
Dr. Carlos Jusnianiw Rodrigues.
MulfaMBaJa
As Etmas. Sras.: .__ Unn
Mulher do Illm. Sr. Chnstovao de Queiroz Mon
liuUier do Illm. Sr. Joao de Freitas Pinto e Souza.
Muliier do Illm. Sr. Julin Goncalves Luna.
Mulher do Illm. Sr. Mauoel Antonio Connives
Muiher do Illm. Sr. capito Miguel dos Aojos Al.
ves dos Praseres. .
Mulher do Illm. Sr. Felippe AulouW, Rodrigues da
Cesta. ~" r...,-c
Mulher do JlUarSr. Manoel Themoteo dos SaSts.
Procuradores.
Os Illms. Srs. :
Capito Joo Vicente de Brito Galvao.
Alexandre Jos de Mello
David Alves Falca Taques.
Ignacio Teixeira de Mello.
Th.-soureiro.
O Illm. Sr. capilo Paul.no Bezerra Cavalcante.
Cidide da Vitoria, 31 de Janeiro de !8o4.
O vigario Francisco Xavier dos bunios.
Salsa parrilha -'e Brislol
A salsa parrilha de Bristol : Os limas dos pai-
tes trpicos sao o laboratorio de t-Mlas as enTermi-
dade. cutneas o ulcerosas. J? esta poUa, razao
poique esla preparado, <|ue os subjuga coin urna
seuuri.lade proverbial, iitteralmeute indi>pen.-a-
vel tanto no Brasil como no resto da America lies-
^escrfulas em todas as suas terriveis formas
promptameute succuuibem mediante a applicacjo
de-te |io leroso agente detersivo, as chapas se cu-
ram, as erupcoes desapparecem, as conjuncturas
coutiahidas recobram sua elaslicidade, as inllain-
macoes e tumores se desvanecen), os cancros se
atali.am, os abeessus se secain c o rheumati.-mo se
alhvia por ineioda salutfera operacao deste gran-
de puniificadore curativo vegetal; nao suppruniu-
do, ma> sim extiuguindo completamente.
A verdadeira salsa de Bristol 6 preparada por
Xammaii Keiup, Nova-York e acha-se a venda
as lojas de Caors Barbosa e Bravo & C
vo pnblleo.
Illm. e Exm. Sr. Levo ao conhecimento de
V. Ex<\ a maneira arbitraria, pela qual as auto-
ridades pouciaes deste termo proredera constan-
temeute, laucando rao da guarda nacional do ba-
calao sob meo coratnando, mandando notilica-la
para o servico da polica pelos seos iosi>eeto es,
propalando que nao lia mais offleiaes era eom-
niandante, a quem dera ella obedecer e ouvir para
presUr-se ao raesmo servido policial, sendo amea
ca a chamado de ditas autoridades; e sao tantas e
to repetidas a* queixas que continuamente recebo
da me-ina guarda a re-peilo, e ltimamente pre-
senciando eu a maneira escandalosa e arbitraria
pela qual acaba de ser notificada parte de dita
suarda pelas mencionadas autoridades para com-
parecer armada elpifo ultima que aqu teve
lugar no da 7 do crrente, que nao posso dei-
xar passar em silencio semelhante procedimenio,
seni iiue o leve ao conhecimento de V. Exc,
A medida qne se aproximava o dia da elei?ao,
Exm. Sr., vamos com pasmo o delegado desta
villa, Laurentino de Vasconcelos Calaca Brito,
os subdelegados dos differentes districtos em que
se acha dcvidlda esta freguezia, em grande activi- dem de louro.
dade notificando por si, ou por seus inspectores Rap,
nao s o povo para as eleicoes, como os guardas
nacionaes aos quaes ordenavam que se apresen-
tassem armados, e a todos Impuuham a obrigagao
de votaren) na chapa da polica.
Os boatos de terror, as ameacas e todo o appa-
rato de urna compresso escandalosa o anda nao
vista em poca alguma neslas paragens, alarmaram
os nimos dos habitantes desia freguezia.
Estes boatos a que a principio nao dei crdito
con verter m-se em triste realidade, porquanto des-
de a ves|ra da eleicao comecou nesta villa o mo-
vimento de tropas, vindo para aqui o tonente do
2." de infautana, Manoel Joaquim da Silva Cnrcha-
tuz cora tima torca de linha reforcar outra do cor-
no de polica que c estava, tndo por ordem do
Dr. juiz de direilo da comarca, Joo Rodrigues
Chaves, que talvez por escarneo, offlclou pelo che-
fe da tropa dizendo que ella vinha manler a
ordemI
E como se isto nao fosse bastante, grupos ar-
mados, corapostos de individuos da parcialidade
da prlieia, invadiam constantemente esta villa;
proferindo palavras de provocarjo e amea^a, como
bem que n'aquelle da haviara de vencer as
eleicoes, ou ludo morrena I
E ttes eram as ordens, e dispo^coes, em que
se achavam assim os soldados, como os bandos
armados, que o cidadao Ignacio Baptista, perten-
cente ao partido liberal, que para poder sahir a
rna, logo que ch- gou, foi preciso que om dos in-
fluentes do lado do delegado, mandaste prevenir
aos soldados que nao o insultassem, e nem le
fizessem offeosa alguma, e isto porque nao era
tolerada a presenta de pessoa alguma adversa a
poltica dominante ; e nao foi dito cidadao offendi-
do, nao s pela mtervenco do seu amigo, como
porque seus correligionarios, alias em grande
maioria nesta freguezia, para evitar desordens
mortandade rafallivel, segundo a allitude dos ni-
mos, nao compareceram nesta villa no referido
dia.
Collocadas as cousas nesta triste situagao e con-
tando eu por certo com a realisaco das ameagas
dirigidas a ininha pessoa, visto como perlengo ao
partido liberal, me vi toreado a nao apparecer na
igreja matriz, certo do que seria victima das vio
lencias da polica, e deliberei abandonar as obri-
gacoes que, com muita honra e satisfago cumpri-
ria* se acaso estivessemos em urna situaco ordina-
ria, onde fosse dado ao cidadao exercer seus direi-
to< politicos.
Es, pois, Exm. Sr., os motivos que me arreda
ram do cumprimento dos meus deveres.
Dos guarde V. Exc.
Ingazeira, 9 de setembro de 1864.
Illm. e Exm. Sr. Dr. Domingos de Souza Leao.
D. presidente desla provincia.
Felippe Nery d'Aguiar,
Juiz de paz mais velado.
dem de rebolo...... .
Piassava.......... molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos ......- cento
Pranchoes de amarello de dous
costados........ n
120
3*500
20*000
105000
1*000
> 120
alqueire 400
arroba 25*000
libra
TUE4TR0
DE
*
urna
duzia

arroba
Sabo......
Sal......
Salsa parrilha.
Sebo em rama. .
dem em velas. .
Sola em vaqueta. .
Taboas de amarello.
dem diversas. .
Tapiocas.....
Tatajuba.........quintal
Travs.........nm*
Unhas de boi.......Cento
Vassouras de piassava. ...
Ditas de timb......
Ditas de carnauba.....
Vinagre........ caada
Airandega de Pernambuco, 8 deiutubro
1364.
O 1.- conferete, Pedro Alexandrino de. Barros.
O 2; conferenle, Francisco Affonso Ferreira.
Approvo. Alfandega de Pernambuco, 8 de
oulubro de 1864.-A. Eulalia.
Conforme. -O 3. escriturario, Joao dos Santos
Po^lo.
huje %3, to na roa da Cruz, freguezia do Recito
o qual sobrado no inventario e parlilha, a que se
proceden nips bens do tinado Jo> Bento Fernandes,
foi dado ao ho-pital, entae dos pobres, buje Pedro
II, como melhormeute expressar nos ainos da
raesmaacgo; pena de revelia, fleando logo citado Ja djs Sautos Neves.
para todos os termos da causa at lloal decalo : Monteiro Lopes & G.
portauto pede ao Illm. Sr. Dr. juiz municipal da 1* Manoel Caetano ftunes Pinto.
vara assim a detira.E. R. M Como procurador Manoel Pinheiro de Miranda Ozono.
Jos Tneodoro Gomes. Manoel Varella do Nascimento Jnior.
Destribuida, cite-se.Recito, 15 de abril de 1864. Salyro Ravmundo dos Santos.
-Tavares de Vasconcellos.A.Baptista.Oliveira. .
'800 Jladamaisse coutinha em dita picao,em virtu-
4*00a 'ft da i|ual tora citado o reo Jos Epiptiauio Durao,
1*000 KntmcauJo o oflkial do juizo Joo da Costa Braga
em 28 de abril e o offlcial Agostinho Jos dos Pra-
zeres, em 3<> de junho do corrente anno, nao terem
citado os mais reos por os nao ter encontrado, e
nem acharara, quem delles desse noticia, sendo que
o proprio Jos Epiphauio Duro responden que del-1
les nao sabia, e pela supplicante me toi mais dirigi-
da a replica do theor seguinte :
Uim. Sr. Dr. juiz municipal da I" vara.-Diz a
implicante que das certidoes tapora se que os
supplicados Ignacio EusUqaio Duro, D. Hennque-
U MalhildeDuro, elUna Candida Durao, Fran-
cisco Antonio Durao e Francisco Antonio Durao,
se acham ausentes desta provincia e residen! em
lugar nao sabido, pelo que vem a supplicante re-
querer V. que se sirva mandar passar carta
de editos cora o praso de 60 das, para em virtude
ileiia serem os supplicados citados por todo o con-
ledo na pelicao retro : e assimE. R. M.Iawjo
StttiASSSRitfMM. o PROCESSO LESURQUE
Tavares de Vasconcellos.
Nada rnais se coutinha em dita replica c meu
despacho, em cumprimento do qual, produzindo a
5A0O
7*000
2*>00
1405000
805000
25800
2*008
65000
200
105000
85000
65000
500
de
S. ISABEL
EMPREZA
GERHAKO & COniBRA.
7" nU d- asMRnatara
QUARTA-FEIRA 12 DE OUTUBRO DE 1864.
Representar-se-hao muito applaudido drama em
5 actos e 7 qnadro*. original franeez :___,
O CORREIO DE-LTAO
ou
ci no bairro do Recito, o qual se acha as melat-
res condiccoes, bem con-(ruido e conservado.
1 sitio com rica .casa de campo de om andar,
salas estucadas, grande cocheira, estribara para
4 cavados c ptima seozala, no lugar da T-rre a
margem do Capibaribc, o qual tein porfi de la*
ranneiras e oufros arvoredo, cuja estrada pela
Passagem da Magdalena nde se vai a carro.
1 casa terrea cora soto na ra das Cinco Pos-
tas n. 71, quintal, cacimba e porto, prxima a
estacao da estrada de ferro (terreno proprio )
O agente Almeida auiorisado pelo procurador
dos Srs. Pinto a Irmao, far leilo dos predio> aci-
ma, os pretendemos podem obler qnalquer intor-
maeo do mesmo agente ou na ra da Cadeia do
Recito n. 64, podendo ser previamente examina-
dos ditos predios.
O leilo lera lugar na ra da Cadea do Recito
n. 64, primelro andar, e-criplorio de Guilheraw
da Silva Gnimares. ao meio dhi do dia actraa.
feira semanal
DE
flobilias, traste avolsts, crys.tw t
outres a-t nos.
IQuinta-feira lodo correnU- s II lioras.
JV. 10Ra Ao Vigario -.V. 10
OLIMPIO
em seu armazem sito ra do Vigario a 10, ven-
der em lelao diversos trastes avulsos e roobilia,
diversos relogios, duzias de cadeiras braoras, ob-
jecto> do prata e ouro, e oulros rauitos artigo* que
estaro patentes ao exarae dos compradores no dia
cima, no armazem da ra do Vigario n. 10.
Dar fim ao espectculo a graciosa scena-comi-
ca pelo Sr. Guimaraes
iro^^suKr^auWirS Eu nao me emporio com a
sao, nelles dei a sentenca do theor segrate \
Vistos estes antos, julgo nrovada a ausencia dos,
habililandos constantes da replica de tolhas a ver-1
so, i pague a hanilUaule as cusUS.- Recito, 25 de jume,
de 1864.Hermogenes Sucrates Tavares
vida alheia.
Comecar s 8 horas.
de Vas- j
eoncellos.
LlhPdnrla de rendas lnteraa4- Additado, declaro, que em lugar de 30 sao o i
lecebeao^ria ae^renaati^oi^rwi^^^ ^^ nt Mpri-_HerB0genei, Scrates Tva-
AVISOS MEITIMOS.
geraes de Peraantbueo.
rtendimento do dia I a 7........ 6:S?o$
dem do .da 8................. 8I34&00
6:951*189
Consulado fj******}^^.
Renditnentodo dia 1 a 7........., 6 if21
dem do dia 8................. 5235053
7:3345074
PRAQA DO RECIFE
8 DE OUTUBRO B ISBA.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio........Saccou-se sobre Londres de 27 V*
ns de Vasconcellos.
Nada mais se continha era dita minha sentenpa,
em cumprimento d* qual o escnvan que esta subs-
creveu fez pssar a presente caru de editos com o
praso de 60 dias, pelo theor da qual chamo, cito e
hei por citara os reos ausentes Ignacio Eustaquio
Durao, D. Henri jueta Matnilde Durao. D. Deinna
Gandida Daro, Francisco Antonio Duro e Fran-
cisco Antonio Duro para respondern nest juizo,
aos termo* do libello e sua execuco constante da
peticoe replica suppra ttanscnpta. sob pena de
se proceder a todos os termos de suas revejas.
Pelo que toda e qualquer pessoa, prenles, amigos
e conhecidos dos ditos reos ausentes Ihes poderao
fazer setentas do que cima oca exposto, para que
COMPANHIA PERNAMBUCANa
D
Navejsaco rostrr* vapor.
Parahjba, Natal, Maeo, Araeaty Ceara e
Acaracu'.
C vapor Persinunga, comman-
dante Ralis, seguir para os por-
los cima no dia 22 do correle s
horas da tarde. Receber carga
at o dia 21. Encommendas, pas-
sageiros e diuheiroa frete at o da da sabida as
3 horas da larde : escrip orio no Forte do Mattos
n. i. ___________
IEIIAO
DE
Escravosde amiius ossvxo* com
habdi'lades eseniellas.
Sexta-feira U do corrente s II horas da
manhaa no arinazem da roa do Vi-
gario n. 10.
auiorisado por ai^uns seus amigos veo lera era
leilo publico diversos escravos de arabos os sexos
os quaes estaro pateles no da do leilo no ar-
mazem da ra do Vicario n. 10.
Para a Bahia pretende sahir em poucos dias
;! S.tX?JrVK,3 S-ESK
rante este juizo com a defeza, que tiverem. E o
[perteiro d juizo publicar e afflxar a presente no
GOMMERGIO.
,d. por 1*000, sobr^Pa- j^nracostume e mais publico, depoi* de h iver 4, primero andar.
Algodao..
Agurdente
Couros....
o resto da carga que Ihe falla tratase com os con-
signatarios Palmeira & Beltrao, largo do Corpo
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 7 .......
dem do dia 8................
292:3975392
25:3715016
247:7695008
Movlmenlo da alfande&a
Volumes entrados com fazendas...
i t com gneros...
Voluntes saludos
com
com
azeudas...
gneros...
384
765
------ 1,149
180
1,293
1,473
Descampara no dia 10 de outubro.
Barca inalezaVision- mercartorias.
Biigue iuglezZnijwum'umercaduras.
Bricue hainburguez Ingeborguu-rcadorias.
Brigue ingles(toen of Ihe l'lymdem.
Patacho austraco Carita farinha de trigo.
E.-cuna americanaFannie Lincolon farinha de
trigo.
Polaca hespanhola Venlunla vinhos.
Brigue inglezAf(iry=ba<-aih.
Patacho portuguezMarta da Gloriapedras
Importado.
Hiate nacional Sergipano, entrado do Araeaty,
consignado ao capito do mesmo, manifestou
20 uiolhos com 500 esteiras de palba de car-
nauba ; Bento Jos Correia.
435 alqueires de sal ; a ordem.
Patarho nacional Valmte, entrado do Ass, con
signado Marques Barros & C, manifestou :
1169 alqueires de sal e *5 molhos de palba de
carnauba ; Joaquim Jos da Silva Ralis.
2 vercas com pertences, 1 retranca grande, 2
mastaros, 1 pao de bujarrona, 2 carangucijas, 2
bombas, 1 lancha e 3 remos, 1 bote e 4 forque-
tas ; a Maia & Espirito Santo.
ris a 346 rs. por fr. e sobre Lis-
boa a 95 por cento de premio,
elevando-se os saques efectua-
dos durante a semana a
40,000.
O do Pernambnco, venden-se de
225000 a 245000 por arroba, e
o da Parahyba, posto a bordo, a
245500.
Vendeu-se a 755000 a pipa.
Os seceos salgados venderam-se
a 163 rs. por libra. 1
Azeite doce.....Vendeu-se o de Lisboa a 2*700
Bacalhao.......Vendeu-se em atacado a 135500
por barrica.
Batatas.........Vendeu-se a 95000 a caixa. :
Bolachinha......Vendeu-se a 55000 a barnqui-
nha.
Vendeu-se a 85000 a arroba,
dem de 15800 a 2*300 a libra.
A do KioJGrande d" Sul veudeu-
se de 1*600 a 4*000 por arro-
ba, ficando em dep)>ilo 182,120
arn-bas, e a do Ro da Praia de
25000 a 3*200 ; fleando em de-
nbMto 18,380 arrobas.
Vendeu-se de 5*200
duzia de garrafas.
A de Philadelphia e N^w-York
vendru-se de 135 a 15*900 por
barrica, a de Baltiroore a lt*
a hespanhola a 15* e a de Tries-
te a 225000 ; ficando em depo-
sito 6.000 barricas da pnmeira,
6,000 da segunda, 400 datercei-
ra, 800 da quarta e 6,000 da
quinta 5 chegou um carrega-
mento e seguio para o Ro da
Prata.
A ingleza ordinaria
transitado pela chancellara.
Dado apaisada nesla eidade do Recifede Per-1
nanibuco. aos 30 de julho de 1864.
Eu Manoel Joaquim Baplista, escrivo que a subs-
Heraogenes Scrates Tavares de Vasconcelles.
Vi paitaros direitos de chancellara 230 reis.-
Recif.-, 30 de julnodo 1864,-BaptisU. -fi. 207 es-
tava o sello800 rr -Pagou oilo centos ris.-
R-ife,4deagolo de 1864. -Chaves.Serrano.N.
216.Pagou250rs.dediretosde chancellara.Re-
cife, 4 deagoslo d1864.Chaves.Limooiro Es-
teva o sello da chancellara.Finnino Antonio de
Souza, presidente.Trans'ou pela chancellara.
Recife, 6 de agosto de 1864.O escrivo, Francisco
dos ReisNunes Campello Jomor.Laucada a folha
49 d comitente lvro n. 13.-Recife, 6 de agosto
de 1864.Campello Junnr.
Para o Presidio de ber-
nnndo
pretende seguir al o dia 13 do corrente o hiate
Dous Amigos, recebe anda alguma carga a frete1:
trata-se com os consignatarios Antonio Lniz de Oh-
velra Azevedo & C, no seu escriptorio raa da Cruz
numero 1.
Importante leilo
M
8 sofs de amarello, 8 consolos com lampos de
pedra, 2 ditos de Jacaranda, 30 eadeiras de ja-
caranda, 4 eadeiras de bnca. 4 dita estufadas,
184 moxos com palhioha, 24 bancos rom palhi-
nnas edivisoes de ferro, J4 ditos sera encoslo, 8
estantes para msica, 4 grandes estrados, 8 ea-
deiras ide cooro, 2 m-sas grandes rom gavetas,
2 escadas, 3 lustros 19 arandelas e manga.*, re-
posierps, galera*, columnas,assoalbo da platea,
dito do palco com machinaran, bastidores. in-
ns, vistas, gabinetes, pannos de bocea, roupas
e outros muitos objectos de senario.
Sepada-feira 17 4e oatitrt.
Nu llieatro d Apollo.
O agente Pinto auiorisado petos proprletarras
da casa denominada Theatro d'Apollo, far le lio
de todos os objectos cima indicado* pertenceotes
ao mesmo theatro. as 10 horas do dia cima dito,
no reft rido theatro.
LEILOES.
Caf........
Cha.........
Carne secca...
Cerveja.........
Farinha de trigo.
LEILO
DGLiHA(0S.
i
Louga..,
Juizo dos le i tos da fa zenit;
aaciuual.
la qutnU-feira 13 do correte, na sala das au-
a C5350 a jjeoplas, pelas 10 horas da m mh, peranle o Dr.
juiz des leitos da fazenda, se vender em praga
publica urna casa de taina coberta de telha, -iia no
Barro, em chaos foreiros, avahada por 120*000,
pertencente Francisco de Barros Reg, e peuho-
rada para pagamento da fazenda nacional.
Recife 8 de oulubro de 1864.
O solicitador,
F. X. P. de Brito.
O conselho administrativo para foroecimento
do arsenal do guerra proejan comprar o segrate :
Plvora grasan para arliihara, arrobas...... 30
I Quera qiiizer vender tal artigo aprsente suas
vendeu-se propnstas em carta fechada na secretaria doconse-
coiii 330pnr cento de premio so- Iho administrativo^
s 10 horas da raanha do da
de 900 a
franceza de
Toucinho..
Velas.....
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PREQO DOS GEWEROS SUJE1T0S A D1RE1T0 DE
E-XPOP.TACAO. SEMANA DE 10 A 15 DE OUTUBRO
DE 1864.'
Mercadorias. Unidades. Valores.
14 do correnlf.
Sala das sessoes do consemo administrativo para
forncciinento do arsenal de guerra, 7 de outubro
de 1804. -
infamo Pedro de Sa Brrelo,
coronel-presidente.
Sebasliao Alenio do Hego Baos,
vogal secretario interino.
O conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra lera de comprar os objectos
segrales :
Para o forte do Buraco
Bandeiragrande.imperial de flele............. i
Fortaleza do Brum
Chapeos.................................... 3
Esleirs...................................... |
Mantas de lia.... ........................ >
Quem quizer vender laos objectos aprsente suas
su'-13 diasTaiacho1 bras.le.ro Valenle, do 2661 propnstas em carta rechada na secreUria do cen-
ascnitao Joaquim Jo* da Silva Ralis, selho administrativo, as 10 horas do da 12 do cor-,
DE
Urna casa terrea em
chaos proprios
Terca-lVira 11 do wrpeale s 11
horas da man lia a no armazem
dareadoVig'ron. 10
! OLYMPIO
auiorisado por urna pessoa de criterio vender em
leilo publico urna casa terrea edificada em chaos
' proprios, situada na ra da matriz da Boa-Visia
n. 36 (lado da sombra) a qual lera de frente 32
palmos, de fundo 70 palmos, 2 grandes salas, 4
quartos, cosinha fra, quintal murado e cacimba
propria ; tendo 2 portas e 1 janella do frente e 2
grandes claros aonde s pode abrir algumas ja-
nellas. Os pretendentes podem examinar a re-
ferida casa e para qualquer informacao enlen-
dam-se como referido agente Olympio em seu ar-
mazem ra do Vigario n. 10.________^___
1YIS0S DIVERSOS.
bre a factura.
Manteiga.......A ingleza vendeu-se
15000 I libra, e
540 a 600 ris.
VendeiJ-se o de Lisboa de 85200
a 85300 a arroba.
As de romposlcao venderam-se
de 500 a 520 a rs. o pacote de 6
velas.
Descontos.......O rebate de lettras regulou de 8
a 10 por cento ao auno.
Fretcs......... Para Liverpool pelo al
por ce
Liver
MOfIMENTO BO PORTO.
Navios entrados no dia 8.
\JEMAaS
DE
Um cscravo idade 19 annos,
cosinlieint, copeiro tcom ou-
tros habilidades.
Cordelro Blindes
far leilo por conta de urna pessoa que
para fra da eidade do escravo cima
ta-feira 12 do correnle, s 11 horas,
da ra da Cadeia do Recife n. 48.
se retira
dito : quar-
no armazem
a Marques,
itrinc.palraente tendo eu lido a circular de V. tic.,
na qual recommendava a todas as autoridades da
pn.viiicia que deixassem do tomar parte na eleieu
dita,* queso se limiussera a servir de garanta
Hberdmle do telo.
Aqui pelo contrario empenharam ludo as auti>
ridade* pidiriaes, para que, quem nao votasse Da
chapa da polica nao comparecesse eleic"', era-
pr gando para isto loda sorte de ameaeas e terro-
res. I.zendo que todos os de sua parciahdade com-
parwfssem armados fileico, dizendo, que a de-
vi-m vencer a custo de sangue se preciso e fi-
ze>sel
Nao foi suficiente para garanta do voto u-
w*urna torca de linha comrnandada pelo te
nenie Curchatuz, que aqui chegou as vesperas
da eleico, mandada 4>elo Dr. juiz de direilo Joo
Rodrigues Chaves, s di?po-ic,5es do delegado, e
orara de vinie pravas de polica, que aqui j se
acha, tendo sido elevado a este numero as ves-
peras >ia eleicao, o seu commandante substituido
por nutro de conlianca das mesmas autoridades,
para rara estas entendessem ser suficiente a f"Tja
i' exiHtente para garanta dopot Her; era
anda neeessario que todos os volantes da parna
lidjde de dita autoridades se apresentassem arm-
dos eleicao.
Abanos......... eento
Agurdente de cana.....caada
dem restilada ou do reino
dem caxai;a........
dem generara........
dem alcool ou espirito de agua-
ardente.........
Algodao em caroco ..... arroba
dem em rama ou em 15a.
Arroz com casca......
dem descascado ou pilado <
Assucar mascavado..... <
dem branco........
dem retinado........
Azeite de amendoiin ou mendo-
bim......... caada
dem de ede....... *
dem de mamona.....
Batatas alimenticias. .... arroba
Bolacha o diara, propria para
embarque....... >
dem fina........ >
Caf bom........
dem escolla ou restolho ... >
dem torrado....... libra
Caibros......... um
Cal........... arroba
dem branca.......
Carne secca (xarque) ....
Carneiros........ um
Carvo vegetal...... arroba
Cavernas de slcoph-a .... urna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas ....
Cha..........
Charutos........ cento
Cevados (porcos)...... um
Cocos (seceos)....... cento
Coila......... libra
Couros de boi, salgados ...
dem idem seceos espichados.
dem idem verdes.....
Idem idem cabra cortidos. um
dem idem de onca.....
Doces seceos ....... libra
dem em gela ou massa.
dem em calda...... *
Espanadores grandes um
dem pequeos..... *
Esteiras para forro de estivas
de navio........cento
Estona nacional......arroba
Farinha de de mandioca. alqueire
dem de ararula..... arroba
Feijae de qualquer qudlidade. f
15500
800
800
400
800
900
35600
225300
15300
258*10
25700
45400
55120
25000
15600
800
15200
35000
75000
85000
750OO
440
360
280
toneladas, capito Joaqui
equipagem 10, carga sal c palha
Barros & C. ,. ao-
Terra Nova32 dias. brigue mglez Mary, de ti,
toneladas, capito G-orge. Debres, equipara 12,
carga 3,033 harneas cora bacalhao ; a Joiinsteii
portos do norte 6 dias e 15 horas e do ultimo
porto 7 boras, vapor nacional Crzeiro do Sul,
de 1 100 toneladas, commandante Joaquim de
Paula Guodes Alcforado, equpagera 62
Boston-46 dias, barca iml-z* Joftn Gel/n de JU>
tonelada-, capito G.C Wheting.ciuu.ageni 12,
carga di fiel entes gneros ; a Henry toster
&C.
JVttcios sahidos no mesmo ata.
Bahia Sumaca brasileira Hortencta, capito Fe-
lippe Santiago da Cruz, carga grasado Rio Gran-
de c outros gneros l
Havana Escuna hespanhola Churrvm, capito
Cosme Calzada, carpa carne secca.
Navios entrados no da 9.
Terra Nova34 dias, patacho malez Harrtet, de
180 toneladas, capilo G. Gilberd. equipagem 10,
carga 2040 barricas cora bacalhao ; a Johnslou
Pater A C. \
Hambiirgo50 das, escuna dinamarqoez iw,
de 139 tone adas, capillo H. Meyer, equipagem
6, carga iiiffei entes gneros : a R. 5schrantUU(S u
m Navios sahvk* no mesmo dia.
xSni Havre-Bracafraueexa t Amit de Saint Jean de
Luz, capito Nodele, carga algodao e oulros g-
neros. '
Philadelphia- Barca ingleza Uniao, capilo W/
Heard, carea algodao e outros genero*.
Portal do sul Vetar brasil, iro Cruzeiro do sul,.
commandante Joaquim de Paula Gncdes Alcofo-,
rado.
muitos
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo pa-
ra fornecimento do arsenal de guerra, 6 de outu-
bro de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto.
coronel-presidente.
Sebastido Antonio do Reg Barros,
vogal secretario interino.
O delegado do cirurgio-mrdo exercito es
autprisado a contratar um pharmaceulico legal-
roente habilitado para o servico das pharmacias,
militares, com o onus e todas as vanlagens dos
alferes pharinaceuticos do exercito. Quem se achar
nestas condicoes e quizer contratarse, comparega
em qualquer dia, menos nos santificados, na se-
cretaria do mesmo delegado a praca da Boa-visfa
n. 21. das 9 da manhaa s 3 da lard.
Pelo juizo de orphos se ha de arrematar pe-
las 11 horas da manhaa do dia 14 do corrente, me-
tade do sobrado de dous andares e soto n 64. sito
na ra da Cruz, freguezia de S. Frei Pedro Gon-
calves, faz quina para o becco da Lama, servindo
de base para aarrematago a quaolia de 4:5005
em que fui e.-sa metade avahada, pertencente aos vender em leilo publico urna armacno propria
bens do casal dos finados Luiz Pedro das Neves e para taberna ou deposito, com medidas, pesos, ba-
langas e mais utencilios.
DE
movis e outros
artigas.
Quarta-feira 12 de corrente s II horas.
No armazem da ra na Cadeia do Recife n. 48.
Cordeiro Simo-s far leilo de tima escrava de
idaie de 30 40 annos, sabendo eosinhar e lavar
e com outras habilidades, e de diversos movis,
crystaes, juina de ouro e de prata e outros muitos
artigos de gosto.
Precsa-se de um homem para di-
tribuidor deste Diario do Manpuinbo
Api pucos: na praca da Independencia os.
e8. ___________________________
Sil
Aos 6:0OftO00.
Corre depois d anaanhia.
Quarta-feira 12 do corrente mez, se ex-
tranja a pnmeira parte da primeira lotera
(IIIa) a beneficio da matriz de Canwr,
no consistorio da igreja de Nossa Senlrara
do Rosario da freguezia de Sanl" Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
renda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:O0OJO0O at 120000
serlo p3gos urna hora depois da exlracco
at s 4 horas da tarde, e os oulros no dia
segninte depois da distribuico das listas.
Servindo de tbesonreiro,
Jos Rodrigues de Souza.
0 cirurKio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n.
meiro andar, por
armazem Progressista, aon-
de o aeharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exeracio de sua pro-
ftss^lo, chamado por escripta.
Garfa 4 FOUI Uva
AOS 6:000.000
llllhetea garantido
1' ra do Crespo u.
, pn-
cima do
Urna
DE
tu berna
45000:
15000
85000
250
300
15500
25300
155000
45OOO
600
165
246
100
350
IO5OOO
15000
320
500
45000
25000
155000
15600
25000
4500
armagao para
ou deposito.
Quarta-foira 12 do correnle s H horas em
ponto, na ra do Vigario n. b.
OL.YMPK
EDITES.
O Dr. Hermogenes Sr erales Tavares de Vasconcel-
os, juiz municipal da vara, nesta eidade do
Reciff de Pernambuco, por Sua Mage-tade Impe-
rial e constitucional o Sr. D. Pedro II, qu Dos
guarde, etc.
Paco saber aos que a presente carta de editos
virem e della n-ticia tiverera em como a junt ad-
mim.straliva da irmandade da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife rae dirigi por escripta a pelicfio
do theor seguinte:
Diz a junta administrativa da Santa Casa de Mi-
sericordia do Recife, que quer fazer citar a Ju-
Eplphanio Duro, Ignacio Eustaquio Duran, D. Hwi-
riqueta Malhjlde Duio, D. DelOna Candida Duro,
>ua muiher, e que val pra?a reqoerlmento do
inventariante Anbmio Francisco das Neves -, o es-
cripto se acha en mo do porleiro do juizo.
Ocorpoda polica compra 300 covados de
panno azul e 1,650 varas de brira para tordamen-
te : quera tiver e quizer forneeer, aprsente as
amostras e suas propostas em carta fechada,
secretara do dito corpo, as 11 horas do dia 12 do
correte.O lente secretario,
Luiz Jeronymo Ignacio dos Sanios.
No da 12 do corrente, depois da audiencia'
do Illm, Sr. Dr. juiz municipal da 2* vara, tem de
ir em praca para ser arrematado um pequeo si-
tio em sol foreiro, com duas pequeas caas de
laipa, com alguns ar*oreos de fructo, tendo cada
ca>a uma pm 11 e urna janella para o lado do sul,
urna sala e um quario, e c<>zinha fra : dito silio
ou lunar do Pere-* da freguezia dos Afolados, e
avalado por 4005, penhondo a Manoel Goncalves
Telles, por exe.-ucau de Mara Francisca Olympia
Bapusta, escrivo B>piita.
Correio geral.
Relacio das cartas seguras rindas do norte pelo
vapor 1 Cruzeiro do Sul para os senhores
abaiio declarados :
Aiwii Manoel de Arruda.
Alvaro Caminha Tavares da Silva.
Antonio Jansem de Mattus Pereira.
Antonio de Moura Rohm.
horas,
JLE1L.AO
DE
Urna casa terrea.
5a Quarta-feira lado corrente s II
na ra do Vigario n. 10.
OLYMPIO
era seu armazem >ito na ra do Vigario n. 10,
vender era leilo uma casa terrea de pedra e cal,
situada na ra de S. Miguel nos A fugados n. tt,
cora 2 salas, 2 quartos, cosinha fra, quintal gran
de murado com porto e cacimba pagando de foro
25020 annuaes.________________
15800, Francisco Autouio Duro e Francisco Antonio Duro Antonio Valeniim da Silva Barroca.
23 e casas de cuta
O abano assignado venden nos seus moilo feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabua
de extrahr a beueficio do Gymnasio Pcrnambu-
cano, os -errantes premios:
N. 1713 d us quartos cura lOiOOftfOfM)
N. 1670 meio bilheie com 2:00flJIW0
N. 307 dous quartos rom 2:0005000
N. 3313 um intero com 5005000
N. 2013 dous quartos com 0O05OOO
E nutras muitas de 2005, 1005, 40* e M*.
Os possuidoret. podem vir receber sem os des-
con.os das les na Casa da Fortuna roa do irea-
po n. 23. -
Acham-se venda os da primeira parle oa
primeira lotera a beneficio da matriz de Caioard,
ene se exlrahir no dia I! de oulubro.
Presos.
Bilhetes inteiros..... "5000
Meios......... 35*
Quartos........ 15*00
Para as pessoas que compraran
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 65500
Meios......... 35*50
Quartos......, 15700
Manoel Marluu Fiuta
Aluga-se a casa n. 40 da
ras : na ra da Aurora n. 36.
rna das Trinche-
-AttflICflO
Aos capitalistas da praca e do interior
LEILO
PR El) IOS
1 sobrado de 4 andares e soto sito na ra da
Cruz n. 53, uma das pnncipaes ras de coramer
Na livraria n. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia existe uma carta de importancia
para o Sr. Antonio Fernandes Corredor.
Aluga-se uma casa em Behenbe : a tratar
com J. I M. Reg, na rna do Trapiche n. 34.
"Precisase de uma ama : na ra do Caldei-
reiro, sobrado n. 12.
Ha rna da Concedan n. 47 precisa-se de uma
ama para pequea familia.
Quem precisar de uma ama para cozinnar,
dlnja-se a ra da Concordia n. 10._______
" Preci-a^se de om rapaz para caixeiro de ta-
berna, de 10 12 anuos. o,ur lenha ou nao prati-
ca : na ra Dreita n. 72.
Na roa do Crespo n. 19. primeiro andar, pre-
risa-se de uma ama de Icite, sendo de boa quaJida-
de e novo.


Diario de Per cao. ha ra MefMffda felr* 10 dr Oh labro de 1M4.
WLlTtAS VEGETA!]*
DO
DR. AYER.
Nio ha necessidade mais ge-
ral em todos os paizes do que a
do um purgante que seja ao
mesmo lempo innocente, efficaz
e digno de toda a conGanca.
As pilulas que ora olerece-
mos ao publico precncliem estas
condioes; pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais fracas
sem perigo algum, nao tendo em
sua composigao mercurio nem
outro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegetaes mu fortes, sao bastante
eflicientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas explorara c purificara toda
a extfln.sao do cana! alimenticio, e do vigor
a todas as partes do organismo, corrigiudo
sua accao vkiada e fazende recuperar sua
vitalidade
Ura remedio inestimavei contra dar de
cabeca nervosa, enxaqueca, primo do ven-
tre, knnorrkoidas, molestias do figado, fe-
bre gastro-hepatica, e todas as molestias
biliosas que teem saa origem no entorpeci-
mento do figado que causa a escassez da
r^
MUTA ATfENCl\0
W\ HO IMPERA-
DOR N. 22
Grande armazem de Untas
Tem a venda :
t Productos eaimicosmed'eiiacs os
mais importantes em medicina.
2. I'rodufios chimieos e utensis
para photograpbia costras industrias.
3. Todas as materias c utensis
empregada na piotnra a oleo e a col-
la para pintores, tintorcirus, eaver-
nisadores, donradores e Ttdraceiros.
Joao Pedro das Nevcs,
Gerente.
MUDABA
DE
Aviso aos -senhores e senhoras
Avso aos senhores o senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras.
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
Novo sortimento
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
bilis na inflammace d'este orgo que pro-1 De caixinhas e quadros
tn7 >Hi-ram.imntn matar
Caixinhas a 25
Caixinhas a 25
Caixinhas a 25
(atxinhas a 25
Caixinhas a 25
Caixinhas de 55 por 45
Caixinhas pe 5'5 por 45
duz derramamento da bilis no estomago ou
era um desarranjo geral dos orgos diges-
tivus.
A Ictericia
produzida pela absorpco da lilis no
sangue, dando pelle e aos olhos urna cor
amarelenta ; nao smente dolorosa por; caiXnhas te 55 por 45
si, pormconduz aos mais serios soflrime-n Caixinhas de 55 por 45
tos.
Para cura-la- toma-se de 1 5 pilulas to-
das as manhas, isto bastante para mover
o ventre smenle at que se recupere a ac-
-cao saa do sy>tema.
Mal do filiada, febre gastro-hepatica,
diimhea biliosa, indigesta, a nevralgia fiCSSB
ou tic donletireux, sao todas molestias que Cartes de visita
tem seu comeco n'um desarranjo da bilis. CartSes de visita
A observmco dos ductos da bilis taz esta
volver ao sangue, cora que circula d pois
ota todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie inn-
mera ve I e males
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Ur. Ayer.
Caixinhas de 55 por 45
Receberam-s* 10 mil caixas
Reeeberam-se 10 mil caixas
Receheram-se 10 mil caixas
Reeeberam se 10 mil caixas
Receberam-se 10 mil caixas
Carloes de visita
Cartes de visita
LIVR4RIA ECOXOMICi.
RA DO CRESPO N. 1
BEPRONTE DO ARCO DE SANTO ANTONIO.
Obras ltimamente recebias.
Jl'niSPRl'DEN'CIA.
Consultor forense por Carlos Antonio Cor-
deiro, 4 volumes............305000
Tambe ni so vende cada volume separado 85000
Manual dos juizes de direito, ou attribui-
coes e deveres deltas autoridades .. 55000
Primeiras linhas sobre o proresso crimi-
nal por 1. t. da Cunta, 2 volumes 145000
Nova guia dos juizes municipaes e or-
phaos por J. M. P. de Vasconcelos 85000
Novo advocado do povo ou arte de reque-
rer emjuizo J............ 45OOO
Roteiro dos collectores, nova edicao muito
augmentada............ 65000
Novsimo manual dos tabellies ou col-
lerrao dos actos, altribuigoes e deveres
destes funecionarios.......... 65000
O advogado eomnvrcial ou arte de reque-
rer no juizo commercial...... 45000
ndice alphabetieo de materias, as quaes
tem applicacao legislara* patria pro-
mulgada ateo anno de 1857, coordena-
do pelo deserabargador Joao Joaquim
Saques sobre Portugal.
O analxo assignado, antorisado pelo
Banco Mercantil Porluense, e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
feclivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualqner sonima vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.receberem avista, no mes- '
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja do chapos da ra do Cres|>o n. 6, ou '
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa llaia.
Precisa-se de urna ama que saiba cosinhar,
ESTABELECIMENTO
0 agente Olympio mudou
seu armazem de leiloes pa-
ra ra do Vigarion. 10,
aonde pretende continuar a
fazersuas feiras semanaes
e espera ter amesma con-
currencia de seus committen- gaer,;g0,n'nar: pa rua do lmPe>aJor *
tes e amigOS, nao teildo O agente de leiloes Olympio nao
responsabilidade alguma no t<,mgerencanemresp..nsHbilid.deal-
armazem da rua da Cadeia XXmSST ** "" d* Ladea
do Recife n. 48. *"*
tina do Vigario f*tO,
mmmm wmMmmmm
' O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
9n tos, contina a residir na rua do Impe-
W rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
JSS furado a qualquer hora do diae da noitc
9K para o exercicio de sua profssao d<' me-
'0 dico ; sendo que os chamados, depois de
1 v ni.'io dia at 4 horas da tarde, devem ser
3R deixads por escripto. O referido Dr.
y nao abandonando nunca o estudo das
M molestia* do interior, prosegue, com o
IR maior afflnro, no das mais difflceis e deli-
Wt cadas operacoes. como sejaro dos ergos
B ominarlos, dos olhos, partos, etc.
Po<#j.i 4a Rsala.
, da mais superior dt.-t mi arrada b..Hteiu mi>'-
I se no escriptorio F'lho, largo o Oirno Sarrio a. W.
Ven le-se urna urna ir j
feita. para deposito de owm
triz, loja de m..r<-incirt>ii. S5.
O bacharel
Francisco Angosto da Costa
A0V6GADO
Rua do Imperador numero 69.
Nant-Clalr
| das ilhas ou os desterrados na iiha da Barra, ro-
1 manee digno de ser lido pelas senhoras por seus
lances inleressanles postos em oxecucJo por urna
Agua Florida.
I*ara i-estabelecer e conservar a cAr natural
dos cabello.*.
A agua florida nao urna
nal a ronleslar, a misma agua i
tiva ao cabello. G>mfmsia il planta*
de substancias inolf.n>iva<. elia tem a i
de restituir aos cabellos o principio <
les tem perdido. I) una lalQirlida
vel, a Agua Florida enin-lein a Impela da rakiq*
eMtoe as caspas e imped m cafc "
Oleo ile Florida
Composto de snllanria.< vetrla** nnrtrm, i
constite poderwaomae, rom a Aro FtMa. a
for^-a, a MI za e a roawrvaro don rabrih*.
Em l'aris, casa i- >iisUur n. li, roa dr Rirl*-
lien. e 21, lionlevard M.nfmartrr. %
Todos os francos, nio [rudo mUrto r rt.ro.
timbre plateado da casa, sao repulidos tls*.
Deposito, rua do Imperador, pwarirwcia .TH.
(I\L DE LhBOA
Nende-se ral de Lisboa a mais superior qn ka
no mercado, sendo barr* de 4 arrobas t 4 arrota.
1|2 : na rua da Moeda n. 2, rjafroatr ao trapirv
do Cunha ; e para infjrmarde* ao nmio ira-
piche.
- Vndese um bora cava I lo dr sella S ettr -
vtira : na Soledade. casa junto a#> ssli. ** trm.
oxer.ucao por urna \y j--------------------;^
senhora 3 volumes em brochara a i& : na llvra- i>0 ai'inazem (le iaZf?)ldaM hl-
na ns. 6 e 8 da praca da tndependoncia. i o VV
ratas de Santos Coelho,
da "*ilva
124000
xm-&zmrw mumamum memm
~ Claudio Dubenx, proprieiario das linhas de
Dmnbusrfaz sciente ao publico que de buje em
disnte, mas somente aos sabbados, baverio dons
mnibus para o Cachanjr, os quaes sahirao do Re-
cife as 4 e 5 horas da tarde ; e na segunda-feira
Fuinlico do Bowman.
Precisa-se de oftkiaes macbinislas.
Ainda esl para alQgar-se o sobrado amarel-
lo da Ponte de Uchoa : a tratar no largo do Pa-
' raizo n. 16.
vi i
Alem destas rceberai-se mais obras de sum- \ wt^* do Cachang para o Uecffe as 7 t|l e 8
A 105 a dazia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A galera esta renovada
A galera est renovada
i A galena esta renovada
j A galera est renovada
mo interesse, para os senhores
solicitadores, etc., etc.
juizes, advogados
horas da manliaa.
Publicaco Iliteraria.
Sabio luz o opsculo intitulado
A LIBERDADjE
NO
Com ricos cortinados
Com ricos cortinados
Com ricos cortinados
Com ricos cortinados
Cora ricos corinados
ireeces minuciosas acompanam cada A galera esta renovada
frasco.
Vende-se na pharraacia franceza de Mau-
rer C, rua Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Un DlrcKa 15
RIO i>i;.i AVIKO.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P. MAURER & C.
RUA NOVA N. 18.
e tapetes
e tapetes
e tapetes
e tapetes
e tapetes
Preei*a-se d nm caixero qne tenha pralica
<1e tabprna. de idade 14 16 annos, qne d Gador
saa conducta : na rua do Rangel n. 1.
miFpEA'AiBlICW'O
Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lindase ariadas vistas de fundo
| Com lindas e variadas vistas de fundo
' Com'lindas e variadas vistas de fundo
rasa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A' raa rio Imperador n. 38
mez ter A,' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
de
A reunilo familiar do' crrante
lugar na noite do dia 19.
Club Pernambucano, 10 de outubro
1864. O emprezario,
P. J. La vine.
COHDFIROSf-
, ^ i j Q,. Antonio Nobre de Almeida estando proceden-
agente de leiloes, declara qno desde odia 26 de se- do a inventario dos poneos bens que tlraram por
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38
A' rua do Imperador n. 38 -
A. W. Osborne.
tembro prximo passalo tem algalo o armazem
da na da Cadeia do R-eife n. 48 para fazer al-
runs leiloes. aonde pretende promover a venda de
qaaesquer effeilos, observando fielmente as ins-
trucees qae Ihe forem transmitidas, e espera ter
a mema coivurrencia dos seu-' committentes e
amigos. Outro sim julga nada dever a esta praca,
6 pede s pessoas que Ihe deram objeetos para
vender ueste armazem ou fra delle, hajaui de vir
reeeber suas importancias. ^^_^________^
I ii i Ao e Virtud*.
Sessao boje (10) s 4 horas da tarde.
W^r3^
fallecimeiito de seu tilho Antonio Robre de Almei
da Jnior, sua mulher e fPhus, pelo juizo munici-
pal da 1* vara, esenvao Mutta, avisa a todas as
pessoas que se juigarem cre.doras dos mesmus fal-
lecidos que apreseutem suas conlas no praso de
oitodias paraserem attendidas em dito inventa-
ro. Recife 5 de outubro de 1864.______________
Mannel Vctor da Fotiseca e Mello, morador
na freguezia do Bonito, participa ao publico que
havendo encontr de nome, de hura em diante as-
signar-se-ba por Manoel Vctor da Funseca Mar-
ques.
mk.-Mfmtum
PEBEIM E ANTIGLA CASA FELIZ.
PORTU&IL.
PORTO.
Roa das Flores, ns. 1 e 3 .junio reja da Misericordia.)
ANO
BRASIL
POR
Affonso de Albuqunque Mello
Convdam-se os assignantes a maudarem receber
seus exempjares na praca da Independencia ns. 6
e 8, que serao entregues a vista dos recibos das as-
signaturas ; ahi tambem esto exposlos venda a
35000 cada um. Sao sob os seguntes ttulos as
materias de que se oceupa:
Introduccao.Nocao da liberdade.O Brasil co-
lonia. Kevolucao de 1817A IndependenciaA
constitulnteAconstilucao-A revolncao de 1824.
A expulsao ou abdicacao. A regencia livre. O
partido regressista. Ameara dos corcundas e que-
da dos livres. A regencia corcunda.Causa dos
males da regencia livre. Regencia corcunda e
maioridade.-Principios do reinado de D. Pedro.-
Revolta de Minas e S. Paulo.Dominio da Praia
Luzia. O dominio liberal nao inquielava os cor-
cundas.Fetos do dominio liberal. A praiaeChi-
chorrosenatoria.A revolta e a revolncao de
11848 A constituate. -A constituinte.Derrota
da revolucao. NegociacSo de Honorio cora os lihe-
raes : traidores. -Venda da bandeira da con^
tituinte. O partido liberal durante os quatorze li-
nos do chamado ostracismo. Os corcundas e *s
liberaes durante os quatorze annos.Captiveiro r\
signado e voluntario dos liberaos durante os qua-
torze annos. -0 povo corcunda, ou os vermelhofe e
os sabios. -A siiiiac.ii) propriamentepoltica.-Ins-
tiluicoes livres, e direitos polticos que tivemus
al o fim da regencia livre, e o que actualmente
temos em lugar delles.-Os representantes da na-
ci e das provincias.situaran administrativa. -
0 que sao nella os Portuguezes. Como o gover-
no nbrigado a corromper o paz e a fazer-lhe
sempre maior mal.Como se multiplica e te paga
a clientella do governo para sustentar-se a impe-
rio corcunda. O procnsul. O pn cnsul da co-
marca. Dos cargos, dos crimes e da punigao.A
justica.Juizes municpaes.Juizes de direito. -
Tribunaes.-s das Relacoes.Tribunaes do Com-
mercio. -Supremo Tribunal de Ju.-iica.-0 jury.
Os advogados. -Concluso. Garanta dos direitos.
A moral publica.-Dos crimes.As eleicoes.
Coroliario da obra saquarema. O que a pa-
tria. Situacao para com o exterior.- Situaeao
(lnanceira. As financas do estado.-A miseria -
Perigo e salvamento dos corcundas. A liga.
Como se connregam os elementos para ella.Con-
sideracoesretrospectivas. A con.-tituinte. Prepa-
ro* antecedentes. ConciliaQao e o|iposao parla-
mentar.Monta a lisia.O que sao os liberaes na
liga.-Que bem farao os liberaes ao paiz.-O pros
gressoSeus feitos.O qae o progresso e que
far.Como se deve vi ver nesta trra echegada
ao progresso.Porque o progresso s vem com-
pletar nossas desgranas e sem mais remediaSe
ha salvacao para nos'qual seria o meio e bem f-
cil. Resumo. A's cinco provincias pernambuca-
nas. Histrico e poltica corcunda. -De que pro-
vm a miseria. Como se corrompe na eleico.A
restncae da liberdade apar do progresso daimrao-
ralidade.-Coroliario.
Na raa da Cadeia do Recife n 65, primeiro
1 andar, tem urna carta para o Sr. Antonio Manoel
I da Conceicao.
Precisase de urna mulher para cozinhar em
casa de homem solteiro, que nao seja mofa : a tra-
tar no bilbar dos arco*.
{DENTISTA DE PARS
19Rua Nova -19
Fredenco Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artifleiaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos donti&cio.
Companhia fldclldade de
seguros martimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES BM PRPNAMBl'CO
Antonio Luii de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio raa da
Cruz n .1.
Rua da Quejada* a. |f.
\ ende-sc o *ctwlmtt 1
Alt. ncao tT
Ricas laazinhas, fazenda a melnnr qae 1
do ao mercado, tanto cm gosio coao em v~
de, pelo baralissimo precode 560 n. o rwvaaV
Ditas miuitiuhas carmezio.-. proprias para v
dos de meninas e camisinhas a If^fT n rinda
Cortes de la com 15 cu vados, pelo tiran prrr.-
de 65.
Cuberas de chita da India a 255 r 3*.
Lences de paano de linho a 25 e 25-riW.
. ,^S?S de totnbT* do forro coa 8 ||* vara a
15260.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a M a
du/.ia.
com barra Hara Pa a
algudao rom 10 varad.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C
Agente" do Banco l'nio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por 10.1 o
os paquetes sobre o mesmo Banco para 0 Porto s
Lisboa, e para as seguiutus agencias.
Londres sobre Banh of London.
Alugam-se duas casas terreas pequeas para
passar a festa, ou mesmo por anno, na Turre : a
fallar no mesmo lugar, na padaria.
HMtiilUH.
UAIAO BEXEl'ICEA'TE DOS CO-
< muios em PERAAin-
ItKO
COM O CARCTER DE MONTE PO.
Por ordem do Sr. presidente couvido a todos os
senhores socios para se acharem no dia 11 do cor-
rente mez, as 10 horas do dia, para se fazer a elei-
c, pois o lempo j esta pas.-ado ; os socios que
estiverem nos arligos 10 t e art. 74 I" e nao
se acharem nesta soasa* marcada para pagarem
seus dbitos =er;io eliminados. Por ordem do Sr.
presidente faran eliminados os dous socios, o 2'
Ricos cortes de Lia
185.
Pecas de platilbas de
proprias para saia a 45.
Algodau enfestado com 7 Ii2 palmos de larrar-*
a 15100 r*. a vara.
Esleir da India, prop ia para lorro dr .-aia-a>
4, 5, e 6 palmas de largura, por btbm |
que em outa qualqner parte.
Neste estabeleriinento laml-.-m um grande sortimeiik de roupas bitas, r porj
dida.
Vem I ese
tres partes do sobrado de dous andares da
Padre Flonano n. 21 : a tratar no prtmrirn
do mesmo. das 6 horas da manhaa as fi da
Frederic S. Ballin & C.
. Joao Gabe A Filho.
Francisco Rahoba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
1 Gonzalo Seora.
1 M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Angra Tercetra. Figueira.
Cainnha. Guarda.
UasteHo Branco. Giiimaraes.
Chaves. Lagoa.
Giimbra.
C'ivilhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thnmar.
Lairos.
Lamego.
I.eina.
Moncao.
Moncorva.
Regua.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
CII.VMIE LOTERI i DE HESPAMIA.
CUJA EXT11ACC.AO TERA' LUGAR NO DIA 23 DE DEZEMBRO DE 1864.
PREMIOS
1 de .....................................
1 de .....................................
1 de .....................................
2 de 20.000 pesos fortes.....................
8 de 10.000 ditos...........................
15 de 5.000 ditos............................
30 de aoodib*...........................
106 de 1.000 ditos...........................
2100 de 500 ditos............................
99 aproximacors de 400 pesos cada urna, para
os 99 nmeros restantes da centena qne oble
una o premio de 300.000...................
99 dita* de 300 ditos para os 99 nmeros res-
tantes d centena que o itenha o premio
de 100000...............................
99 dita* de 200 ditos para os 99 nmeros res-
tantes da centena que obteuha o premio
de 50.000................................
2.999 reintegros de 100 pesos para ns 2.999 Binaros
cuja terminaco neja igual a do que obteuha o
premio de 300.000........................
5 560 premios em 30.000 btlhetes..................
PESOS FORTES
300:000
400:000
50:000
40:00o
80:000
75:000
60:000
106:iO0
1.050:000
39:600
29:7c0
19:800
299:900
Gabinete Portuguez de Lei-
tura.
Do ordem do Illm. Sr. presidente do cohselho
deliberativo o mesmo eonselho convocado para
s-reunir em sessao ordinaria terca-Ietra 11 do
'corrente, as 6 horas da tarde, na sala das respec-
tivas sessoes.
Secretaria do conselhero deliberativo do Gabi-
nete Portuguez de Leitura em Pernambuco aos 7
de outubro de 1864.
A. A. dos Santos Porto
1 secretario.
MOEDA POBTGL'EZA
ou Rs. 270:0005000
90 0005000
45:0005008
36:0905000
72:0005000
67:5005000
54:0005000
95:4005000
- 945:0005000
35:6405000
26.7305000
17:8205000
209:91050000
Boa taberna,
Aluga-se por preco commodo a casa n. 149 na
rua Imperial, com armac.au para taberna, tendo
commodos para se morar com familia : a tratar na
mesma. Ahi se vonde um terreno prompto para
se edificar.
.Na padaria do Torre precisa-se de um aman-
sador que salba ler e escrever para tomar cunta
I d urna freguezia.__________________________
' Precisa-se fallar rom o Sr. capitn Estevao
Jos Paes Barreto, na rua da Imperalnz n. 40.
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Serrina
Valencia
Amarantes.
reos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
braga,
Braganga.
Faro.
Oliveira d'Aze-
meis.
Penatiel.
Tavira. Villa Nova do
Villa do Conde. Porlimo.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No'imperio.
Baha. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo
os saques a prazo serem descontados no mesmo
Banco a razo de 4 por cento ao anno : a tratar
na rua da Cruz n. 1.
Preciso O propretario de ama tab-Tna no Recife, bem
afreguezad tanto para a trra como para o mato,
predea de nma pessoa que entenda do negocio,
dando-Ihe interesse nos lucros, ou ordenado, e at
mesmo entrando com algum dinhelro seria me-
Ihor, visto que o dono achandn-se doente necessi-
ta retirarse para fra ; este negocio convem mui-
to, at mesmo a algum homem casado, pois que a
casa tem commodos para familia : a quein convier
dirija-se rua do Rangel, e-tabelecimento n. 43.
Jos Joaquim Dias Fernandos, testamenleiro
do subdito portuguez Manoel Jos d'Ainorm, ro-
ga todas as pessoas que >e julgam i-redoras do
referido Amorim, hajam de apre>entar sua- contas
ou ltalos no prazo de 30 das, afim de serem at-
tendida. no inventario que est procedendo pelo
consulado portuguez. Recite, 28 de setembro de
1864.
cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e nttimamenie raa-
gada ao mercado, em bem acondicionados larri:
110 armazem de Manuel Teixeira Basto*, raa
secretario Antonio Ferreira Lnna e Jos Martins Trapiche n. 13 por preco razoaveL
de Almeida por eslarem compreendidos nos 2*--------"-------
"r a. SMi,a cm m. .. Msico ou discpulo.
dos Cocheiros 7 de outubro de 1864.
Venceslao de Castro Madureira.
Io secretario.
Na ruado Fagandes n. 11 lava-se e engom-
ma-se com perfeicao e por prego commodo.
Precisa-se de una pruia que sailia cozinhar
e lavar: na rua do Queimado n. 16, loja. ____
Precisa-se de urna ama de leite : na rua do
Livramento n. 20, segundo andar.
Vende-se um figle de do qoasi novo, in-tr
to excellente : na rua do Principe n. 32, m
; qnem vende.
FABRICADAS NO PORTO
Rua Dlreila n 11 tarro -ts.
Escravas.
Xoces
DE
Partidas dobradas
pon
M Fo tisera de Ved tiros
Acha-se venda na* prlocipaes lvrarias desta
cidade, pelo pre> o de 55 o exemplar. cartonado.
II Hookey e sua senhora, subditos inglezes,
retram-se para a Europa.
Vendem-se duas rwravas cn*li<, bomUas fifs-
ras, e de idade de 15' a 20 annos : a tratar mi roa
do Quriaiado n. 47, loja de Pasta TU
'las Mireira,
para Portugal.
subdito portuguez, retira-se
AMA
2.25 :00
2.050:0005000
Precisase de urna ama esr.rava ou livre : na
roa Nova n 63, segundo andar._______ ^__
Roga se encarecidamente ao Illm. Sr. Dr. A.
B. S., presentemente morador na villa da Pilar da
Paralaba do Nor>e, o especial favor de mandar
quanto antes satisfazer na cidade de Sonza da mes-
ma provincia pessoa a quem 5. S. nao ignora, a
importarina de 1655 proveniente de nm cavado de
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua protis-
so medica, e com especialidade
sobre a seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgSos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rSo examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d 8]
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
crio que julgar conveniente para o
prorapto restabelecimento dos seus
doentes.
Na na da Cnncei<-e 11. 47, precisa-te de
urna ama para pequea familia.
Alii'-.i se o prinviru andar do sobrado n. 6
da rua do Gasta 110 Forte do Millos, tem bons com-
modos e bastante fresco, a chave esta no segundo
andar e o preco 185 monsaes : a tratar na rua
do Imperador n. 46.
Na rua da Cadeia. armazem n. 53, vraaa-sa
o seguinte : 4 guarda>-roupa de raiz dfe anarrll.
nevos, 1 niobilia de dito tamhem nova. 2 dtia* <*
! eaderas de rereja, tarpus de faia. I tuara dr ad-
vogado, 1 mobiha de Jacaranda, nova, etc. : ea-
de-se muito barato e a dinheiro.
iVm toja e fazendas ba-
ratssimas de Dtutrte
Horges da Silva, rua
da f/npsratrii n. 50.
\ ende-se o sr^iiiile:
PECAS de panno de lindo com 25 vara a ftf.
U'o p .uro estreilo, mas excellente para- HMMbl
DITO de dito adamascado rom 8 palaw de lar-
gura para toalhas de mesa de jamar a 1540 a
vara.
CASEMIRAS de duas larguras e de ama s rer
e aouteiubar-
Para passar a testa,
Aluga-se a casa na povuaco do Mooteiro rua do muitu boas para roupa du menino
XUto, caiada e pintada, com commodos para gran- ques a 35 o covado.
de familia : qu--m a naJt*r dirjase a rua do
Crespa loja de Andrade & Reg.___________
- Antonia Jarintaa de Jess, Porlugueza, reti-
ra-se para a ilha de S. Miguel.
TOALHAS aleoeaaaaas muito boas para rartiu-
gar o rosto a 65 a duzia ou 500 rs. raa* urna.
CAMBHAIA br-nca lina c mi saipicoc; nuu-Uuko
I a 640 rs. a vara, mt taile do vak>r.
OLA DOS de bonitos e clegaiites desenlie para
. cobrir mesas a 15 o covado, pra arafcar.
LAAZINHAS de padres n>vo> e nuiito a*ra*V
veis lano na boa qualidade romo no pee* de 39t>
rs. o covado, e fnalnicnle o rrspriiavrl j uMh ,
achara constantemente nesta dita loja um arla
variado sortmeuto de fazenda unas e *ru**i
ptveas muilo auarais, tais esta resolvi* rankar
puuco, com tanto que venda muito, ai inrm-iooo
: mai- fazendas no presente annunrio prqiie irni.r-
i taa isso n'uma despi-za exiraordinaiia raja *-
--------------------- peza reverter sempre em beneficio dos rosapraaa-
Compra-se ouro c prata em obras velhas res, pedindo ao publico que nao deixe o> Irr a-das
daga-se bem: na loja de bilhetes da praja da lude es das este ^iio^prrsrnte annnnrio. po hav r;.
pendencia n. 22._________________________
Compra-se effectivamente
ouro e prala em obras velhas pagando-se bem
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ounves.
Aicmia de passao Claudino d> Ro Luna, despachante de passa-
porte, tira-os para dentro e fra do imperio por
commodo prego o presteza : na rua da Praia n.
47, primeiro andar.
COlPliS.
mudanca nos artigos cima ditos, irlo i, a pmeor-
' cao que se forem acabando.
Maeliiiias de vapor epa-
,-j, radescaro^ar algodo.
liW.flfK.vMi Moendas e iueias moeudas.
urna negra de bonita figura, que saiba lavar, eo- rn 4ft IUprft iyitllfi PA-1-
gommar e co.-er tiem, e cuja idade nao exceda a AalAtlo UO 1CI I U UlUl'. LUu
25 annos, agradando paga-se bem : a tratar no es-. i i nnlisisi
criptorio -te Manoel Ignacio de Oliveira 4 Filno, UU 1 r.
largo do Corpo Santo n. 19.
Compra-se cobre, lati e chumbo : no ar
mazem da bola amarella no oto da secretoria de
polica.________________________________ I
Compra-se urna escrava d* qualquer naf.-io,
enbora nao tenha nenhoma habilidad* : qnem a
tiver, dirija-se Caimnga wm, no entrar da mes-,
ma, passando o primeiro portao. no segundo de
ferro, que achara com quem tratar.___________
Rodas d'atfiii, deotadan, ^
de carrosa cora mangas e
eixos de patete.
Kua doiiriiiu n. 38, fiuidi-
co do towman.
COHPRASE
Bilhetes nteiros...
Meios bilhetes.....
PRISCOS EM MOEDA FORTE.
a 1085000 || Quintos de bilhetes.......a 215600
a 5000 || Decimos................ a 105800
JOS OACIff FEhREIRa R01IZ,
GH LOJA DE CAMBIO E BILHETES DE LOTERAS.
A/Raneado no governo civil do Porto, em conformidade do edita!
de 28 dcjunho de 1860.
Satisfaz com promplida todas as encommendas que Pie sejam feilas, mesmo em
grande quantidade e pelos predas cima indicados, vindo acompanhadas do seu importe; o
uo fim da extrac:o remette alista dos premios.
Para tafurinacoes, a pedidos no escriptorio da roa da Crin, n. 19.
irariopassarpelo dissabor de ver seu nome pn- (.onsulado os respectivos ttulos
bhrado por extenso neste jornal, e as parucuiari- |,u,jaCao d- seu espolio
dades que acompanharam esle negocio.
\ i' f-coiisiilail" il" llc.op-'iili.t.
Havendo fallecido o subdito hespanhol Liento traaualqtser parte : no armazem da bola
%t,,rtlry t M^talkH .. .~.i ,.....! \. I i., ^- Imilla flC CflllC Ar\ i i li <
para proceder-se
Votcan
Na Prasa, defronl* dosillo do Sr. Milkl, vra-
C- bre relao por maior preco do JUft em OU- dem-se tres vaccas, nm garrote e atoa arz-rra*.
cojos beaerros si de raca tourina, seado nm ssa-
f^' que-S:i-."PJVn para sua viagem. do coa- Vv'edoresT'cVeaW tii5t^"B*8to vic'- amarella no oil'iodi secretaria
do sitio
Desappareceu no dia 6 do eorrente,
rua do "
te ronhec
ca e grande, e tem um dos dedos algum
torio em consequencia de o ter deslocado: quem a
tiver pegado far o favor de entrega la no referido
Precisa-se de urna casa com pro.>orie de-
de pequea familia; trefe-
m TT a* : '. IV, re"t"s liara habiacao de pequea familia; prefe-
7,?. m m "r1^' ^volwrmen- o ba.rro da Boa-Vista ou im-nediacoes ; nao
rio n. 9, primeiro andar.
Na.prara da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-so obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e lodo e qualquer concert._______
Compra-e urna casa terrea em qualquer rua
dos hairros dasta cidade al a sjasatia de 1:1005 :
a tralar na rua Dircita 11. 135, botica.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rna
sitio que se recompensar o trabalho, bem cuino Imperial a. 144 am commodos para grande fami-
quem der urna noticia certa.
Desappareceu no dia o do eorrente, do Ho<-
picio, sitio n. 10, urna raraorrinlta galga cor de
chumbo: roga-se a qnem a tiver adiado > man-
da la entregar no referido sitio, ou na roa do Tra-
piche n. 14, primeiro andar, que ser generosa-
mente recompensado.
lia, tem 6 guarios, 2 alas, terrajo coherto. cozi-
nlia fura muito fresco,e te.m uiuit-i bonita vista:
a tratar na rua Diroia n. 6.
Ma rtM da Roda n. '"> continua-se a mandar
comidas para fra. aceita se toda encommenda, e
incnmhe-se de tudo por preco razoarel com aceio
e promptidao.
YENDAS.
Wntlp se caives vazo* proiiMs
pura ''alin t'ins e funileiros a I$4i0
rada um; Bfsta tvpographia.
cbi e outro remes.
mmmm mmmm
Atteneao
SA. 1. diiokui:.
Acaba de nn-i-er pelo nlooi vapor
nm grande sortimento de molduras p -ra
retratos |m>Io diminuto preco de oOO rs. a
Wt G5. rua Nova n. ii
Hm da Assh.
VenV-se a bord4i do patacho Val'ntr : a Iratar
no largo d-Corpo S-Btu n. 6, segando andar.
Vende se ama taberna no Forte d. MMr,
bastante afratjaraaa*, tanto para o mato roaso para
a trra : a tratar no tergo da ribeira de S hit:
numero 23


Otarlo de reruMUneo Yeguada leira O de nkubi o de 134.
COXSmJHO
Deixai naoos Hunos di civllisacao vos preguem
ecouumiapara os usl I Ei-ta parle do corpo
humano o por cerlo aquella que, ne>te clima, ne-
cessita de mai^r aasalho: pela huinidade nos ps
se introduz a grande maioria das molestias, e com
eslas a perda da satide e da vida !! I Fra com as
botinas e sapalos velhos; reforma-Ios
45-Rua Direitsi45
NOVA
Uquidacao de fazeudas de todas as qoa-
li'iad'cs na l.jacaimazem da Arara,
ru da imperatriz u. 6, fleLoflren-
co Pereira Slnde^ mi maraes.
Atitenco que se val principiar.
Vender pegas de panno de liuho para lences,
LOJAIIOBEIJAFLOR.
Ra o Queimado ns. 63 e 69.
Bonecas de choro.
Lindas boneras de choro que chamam papai e.
mami, de diversos tamaitos: s as lojas dobei-
ja-llr, ra do Queimado ns. 03 eOO.
Luvas de pellica brinca Tderres para homens I {oalha e motes, flitt 1/2 varas por
e seaooras : as lojas do beija-flor, ra do Quei- *"m llS0. P?r *& i*0'** a
mado ns. 63 e 69.
Borzeguins [rancezes para homem
Ditos iDglezes dem a v<5. 7i e
Ditos para senhora
Ditos pata menina
Sapates esmaga cobra
Ditos dn Nantes de duas solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de borracha para senhoras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete liara homens e
nlioras a 800 e
Snalos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
se-
Fivellas para cintos.
Litidas fivellas douradas enm lindas pedras para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Capillas para noivas.
Lindas capcllas para noivas 25500 cada urna :
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e
e69.
Estojos para barita.
Vende-se estofos com espelhe para barba l^ilOO
15060 e 25000 cada um : as lojas do beija-flor, ra do
15000 Queimado ns. 63 e 69.
500 llalaios para meninas.
5*000
65000
45K00
25000
55000
55000
45000
15400
15000
15WW
Vende-se na praca na Independencia n. 39, leja
de Antonio Augusto dos Santos Porto, capellas
norluarias de gofios mais moderno, que tem
vindo at agora para se liotar em tmulos e cala-
combas no cemiterio publico no dia de Gnados,
com as escnpc5<-s seguintes : mea esposo, minha j
fllho, minha fi- >
Recebeu-se novo sortimenlo de balaios, com
forma de varios passaros, pelo barato precode....
15OOO at 45 cada um : as lojas do beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas finas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos: as lojas do beija-flor, ra do Queimado
n. 63 e 69.
Extractos cm cahinkas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabao em caixinhas.
Finos saboes em caixinhas com varios retratos
Imperatriz toja, da Arara n. 06, de Mendes Guima-
raes.
A Arara vende eontembarque a 105 t 125.
Vende-se soutembarques de laazinhas enfeilados
a 105 e 12*. ditos pretos de grosdenaple fino
a 205,225 e 255 i capas prelas ricamente enfeita-
das a 235 e 305; camisinhas para senhoras a 25
e 3* ; golinhas 240, 320 e 500 rs.; manguitos a
500 rs. e 1* : na ra da Imperatriz n. 56, toja da
Arara.
Cortes de chita a :' iOO.
Vende-se cortes de chitas com 10 covados a
25400, ditas franceza a 35200 ; ditos de cambrala
de salpicos a 1*000 a peca, dita fina a 35500, 4*
e 55: na ra da Imperatriz n. 06, toja da Arara, de
Mendes Guima-raes.
Ilmipa frita barata.
Vende-se palitots preto de panno a 16*, 14*
125 10 e 85 ditos de alpaka a 3* e 4*, ditos de ba de chegar nesle ultimo paquete, assim como
brim branco 25500, 35, 35500; calcas de brim a | muitos outros objectos que recebe por diversos na-
,5 e 25500, ditas brancas a 3* e 3*500 5 palitots, vios, tanto de suaconta ^(rao _de_consi|^acui_qae
de casemira de cores tinosa 10*, 8* 6*, e 5*
Altenco
Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
sen cauto, afim de annunciar ao respeilavcl publi-
co o grande sortimento de galanteras de melhor
gosto propriamente para qualquer mimo, que ara-
do chegar neste ultimo paquete,
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLIIADOS
LIANC

esposa, meu pal, minha mai, neu umu. ..
Iha, saudades sempre vivas, amisade, urna lagn- as lojas do beija-flo^rua do^Qiieimado ns. 63 e 60.
na ; desta qualidade nunca vieram para sercm
vendidas nesta provincia
D'IODRETO DUPLO
de FERROeQUININA
DE
Os elementos que compoem esta preparado, o
ferro, o iode e a quina, a collocSo no primeiro
grao das preparac.6cs ferruginosas. Basta altcstar
seus resultados ohtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e osrelatoriosdos prcticos mais eminentes,
que contirmrao sua poderosa efficacidade as
seguintes affeccoes:
Mingoa no iiiisuc.
F p m t| ii rr.m.
Anemia.
ChloroMf. Ol Ictericia.
Menatruo.
MtMH do iii<-i-n.
Supprcasoca dan re-
Kf> c dcHordes na
rarnntruacao.
Affecco pulmonar c
pMhlNlc.
MofeMtlaHd'eHltlniaso.
Gastralclaa.
r.-rda dappptltr, etc.
Vejfio se os bulletins
Con valraeenra de Ion-
un moleoilaa.
Molealiaa crofilo-
m.
Papclra.
Obntriicciio daa ftlan-
clnlii"
lluiiitn -. filo-
HuiuorcH braneos.
Illllllili-IIKI.
Afcccot-M cancerosa*
e -> plilllli'can.
FeHrea typnnlde.
\ arlle-., ele., ete.
de therapeutita medica
Tiras bordadas.
Vendem-se liras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63 e 69.
Jogos de domin.
Vendem-se jogos de domin 1*200 e 15300 :
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63
e 69.
Bailados bordados
Vendem-se babados bordados de varias largaras
e varios procos : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : as lojas do beija flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Alicrejos pelos.
Tendo-so recebido aderecos pretos de aovo gos-
to sao expostos venda : as lojas do beja-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas [ ara senhoras.
Lindas grvalas para senhora 800 rs. e 15000
15200 : as lojas do Leija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Espelhos de moldara.
Vendem-se espelhos de moldura prela para sa-
las : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63 e 69.
\dllas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 15000 cada urna : as
las do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres para sopa.
Vendem-se colheres de metal-prncipe para sopa
seroulas a 25 ; camisas brancas a 25, 25500 e 3*:
na ra da Imperatriz n. 56, toja da Arara.
Colarinhos econmicos a 640 a clima.
Vende-se colarinhos econmicos muito bem fei-
tos a 640 a duzia : na ra da Imperatriz n. 06, to-
ja da Arara.
Vende-se bramante de puro linho a 2*oOO e
a vara, tendo 10 a 12 palmos de largura
DE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de peores
& a i O por cent o menos odrec que sepuaan p.to m ira qual-
quer parte.
Gneros especialmente escolhidos por um dos socios que na Europa se acaa
para esse flm.
grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste cstabeleci-
mento.
Os propietarios garanlem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
ao ie Kiiii:o.
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos vendo em annun-
cios deste genero, pois sao palav iados de que sempre nos abstivemos, e de que tambem
quem satisfeitos; ito s no Gallo Vigilante, ra do estamos certos nenhuma atiencao j merecem do publico. O nossn fim, pois. i simples-
: mente fazer ver que o verdatleiro e principal interesse de todos est na tabella dos pre-
cos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a atlencTio.
est resolvdo a vender por pregos muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extracao
o grande deposito que tem, que espera merecer a
proteecao do respeitavel publico empregando para
isso todas e as melhorcs diligencias para que li
Ricos porta-joias.
Cofre de multo gosto por
i 1'HIIH". ***- M#fcwaa i---------- m S
brim branco para caiga a 1*200, 15400 e 15600 a Gestmhas transparentes torradas de ma-
vara, dito pardo a 640, 800 rs., 1* e 1*200 : na I dreperola por
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara. Lindas jardineiras.
Vendem-se baloes americanos os melhores que lucos cofres com camapheu.
tem vindo, de todos os lmannos a 2*240, 2*600,' Lindas caixinhas com pedras brancas.
35, 4* c 4*500: s o Arara na ra da Imperatriz Lindo balao com calungas dentro, tam-
n 36 L bem para iliS-
As laazinhas da Arara a 240 rs. o covado. nJgJS' j" d,,as-
. Vendem-se laazinhas para vestidos de senhora a }"* d,"
240, 320, 400 e 500 rs, o covado, ditas muito SgJla! 01laS-
finas lisas 600 rs o covado, ditas especiaes a lg,fi VigMante) rua do Crespo 7.
ej800 rs o covado : na rua da Imperatriz n. 56, Ricos po*a b()U,|Ueles de dlv.ersos gostos
loja da Arara. ,,_ gos; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
1G5000
Viiiko verde.
18*000
105000
105000 Chegou o muito desojado vinho do Carlaxo vende-se umeameute nesle armazem
10*000 a fjoo rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
165000
95000
6*000
65000
6*000
e pre-
Kicos sintos
ado, a 105, 1-
bolQa porm do mesmo gosto, a 2*500, 3*, 3*500
Chitas baratas a 210 rs.
Vendem-se chitas de coresflxas a 240 e 280^rs Mrnh ao lado, a 10*, 12* el?5,ditos sem
o covado, ditas francezas linas a 320, 300, 400 e
500 rs., o covado, ditas percalas a 560 e 600 rs. o ...
covado : na rua da Imperatriz n. 56, toja da Arara. **JJVg five]|a3 mm sim Q me|hor que M
A Arara vende madapolao barato a 6,?o00, cortse pode encontrar, a 15500, 2*, 2*500 e 3* o par;
de vestidos a liara Pia a 14$, 16$ e 18)fJ. j s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Vende-se pechas de madapolao de 24 jardas, de | Cabazes ou cestiiihas.
marcas finas n. 7 a 7*, n. 2 a 8*100, + a 8*500, ++ j At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
95, S a 105, HH a 115 e 12*; algodao regalar a5*, Dazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
dito fino carne de vacca a 6*500, dito domestico a po>sivel a 2*500, 3*500, 4*, 5*, 7* e 10*; s no
7*, dito slcupira a 8*, dito pao ferro a 9* a peca vigilante, rua do Crespn. 7.
tem 20 jardas : na rua da Imperatriz, loja n. 56.
Chales baratos a 16600.
Vende-se chales de laznha a 1*600 e 2*, ditos
de merino a 3*, 4*500, 6* e 7* : na rua da Im-
peratriz n. 56.
Corles de calcas a 1$600.
Vende-se cortes de calca para homem a 1*600,
15800 e 25500 boa fazenda; cortes de casemira de
cores finas a 55,5*500 e 7*; casemira para palitots,
calcas e coletes enfestadas a 3* o covado : s na
2-5000 cada urna : as lojas do beija-flor, rua do oja* da Arara, na rua da Imperatriz n. 56.
Queimado ns. 63 e- 69.
I ;ia para bordar.
Vende selaa para bordar, a melhor que se pode
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como detartaruga'cumen-
feitcs e sem elle para menina; s no Vigilante, rua
do Crespo n. 7.
Pentes
tambem chegaram os riquissmos pentes de concha
! de tartaruga e de massa fina, que se vende por 2*,
Amendoas confeitadas de diversas cores a
Ci rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas etn caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l.ooo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em fiascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 libra a l.loo rs.
Arroz do Maranho o da India o melhor que
ha nesta genero de 8o a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8ojo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisbpa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Ljisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9op rs. a garrafa, e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova
bra.
Azeitonas muito nov
35 c 5*; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Casemiras para capa de senhora a 2 e 3,-5. Leques.
Vende-se casemira enfestada propria para capas Riquissmos leques de madi eperola tanto para
. para senhora a 25 e 35 o covado, tambem serve senhoras como para meninas, pelo barato prego
encontrar, tanto na qualidade, como as cures, a para coslumes por ser de boa qualidade e lindas co- de 125 e!4*;s no Vigilante, rua do Crespo
65400 a libra : as lojas do beija-flor, rua do Quei-1 res, vende-se a 2* e 3* o covado: na loja e arma-. n. 7.
e cirurqicc. de 30 de norembre 1SG0; a Cuneta
dos hospitues de 2s de ulho 1860, etc., etc.
Alm dos pilulas dc'iodureto duplo de ferro e de
quinina de Rebilton, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
ferro e de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nao gosiao de medicamentos sob for-
ma pilular c os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de altcrar-se e de se nao poder conservar.
Pcca-se o follicto que se da de graca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para-se evilarem falsiticaces, exija o com-
prador cm cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor. _
Depsito gcral em Pars, pharmaciaRemllon,
4 42, ruc du Bac, c em lodas as boas pharmactas
de.Franca a dos puizes estrangeiros, etc.
mado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
sortimento de miudezas boas, e mais baratas do
que em outra qualquer parte.
zem da Arara, na rua da Imperatriz n. 56.
A Arara vende as percalas a 560 rs.
Vende-se percalas finas para vestidos a 560
500 rs.; chitas Irancezas finas a 360, 440, 500
A4 Huirte cnnflvm'c rtoia vi*, i 560 o covado : na rua da Imperatriz n. 56.
A1DUHS SUperiOreS par re A|raravcBaeas,aegreMpIea2We30&
tratos.
GRANULOS
DE 1MSML1TJ
>E CfiB&VRIER
Os gruidos uu bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as oulras preparacoes de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de lodos os paizes, para prevenir e
curar as
niarrheaa efcranlcas. M dlft-rntes.
ln-.mi rin. GantrltCH.
narew lentaniago. Gallralglaa, ele.
UyM|>ep>iua.
Os primeiros symptomas d'cssas formidaveis
affeccoes se manifeslao ordinariamente por diges-
tes laboriosas, azidumes, falta d'appetite, pesos
d'eslmago depois de cada comida, caimbras es-
tomacae-, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos. -
Esie estado mrbido, se o descuidSo, traz ine-
\iiavelmente, que seja:
Miitentlaa de Ojiado.
A Irleri.ia
A Agnia Baanea sempre disposta bem servir e
nsradar a sua boa frepnezia, mandou vir c acaba
de receber um bello rior encadernacao e apurado gosto, com especiali-
dade os de capa de marlim com lavores, outros
guarnecidos de tartaruga
outros marchetados de madreperol
de prata uourada, outros de velludo etc. etc. Para
quem tem gosto e dinheiro, um lbum assim per-
feto sem duvida o mais apropriado para r.elle
se depositar os retratos de charos pais, bons pa-
reutese amigos. Em quanto, porm, esses albuns
se tornam nolaveis por siia pcrfeico e bom posto,
outros recebidos na mesma occasi
commendados prla commodidade
da boa obra. Assim pois o pretende
vido conforme o dinheiro que quzer djspr para
cse flm, achando sortimento para 24, 50, 60 c- 80
retratos : na rua do Queimado, loja d'Aguia Bran-
I ca n. 8.
Carteiras e bolsas para
Vende-se ricas capas de grosdenaple preto para
senhoras a 255 e 30*; soutembarques pretos finos a
205. 225 c 25* : na loja da Arara
Tarlatana de cores e branca a 800 rs. a vara.
Vende-se tarlatana branca e de cores finas a 808
rs. a vara, fil de linho a 800 rs. a vara : na
com trancas d prata, da Imperatriz loja e armazt-m da Arara, n. ob.
idreperola com trancas O proprietano da lojae armazem -da Arara re-
liis leques
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato prego de 8* e 105, chi-
nezes muito bonitos tambem, pelo barato prego de
4* e 5, bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
rato prego de 4* e 5*, leques de diario tambem
por 45. ludo isto para acabar, perdendo-se tai-
fez 80'por cento; s no Vigilante, rua do Crespo
r. 7.
Pulseiras.
^Lindas pulseiras de contas e de mssansa, cores
rua mito lindas e de muito gosto a 15 e 15.011.
Para segurar manguitos.
Tambera chegaram as liguinhas estreilinhas de*
con-irenda toda a attencao aos Srs. frepuezes que | borracha que as senhoras tanto precisam para se-
mandem ver as amostras de todas as fazendas que gurar manguitos por ser muilo commodo e muilo
annuncia, prometiendo vende-las por barato prego. \ barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do 3res-
Pecuiucba de lencos de seda a 800 rs. e \&.
Vende-se lengos de seda pequeos a 800 rs.; di-
tos grandes a 15 ditos braneos com barra de
ral i> ll ara* de eoraeao
lliiiri no ilu*.
Opprranoes.
luir de eateeea-
Irrllaroea de beilga e
da malrlr., ete.
Os granulos Chevrier s3o ordenados pelas
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sao tomados a
lempo.
O preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmaciaChevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
FIGADOde BACALHAU
b%
suecessns as molestias em que se mprega
o Meo quando sao acompanhadas de debili-
ilude e atona.
Deposito geral em Pernambuc roa da
Crnz n. 22 em casa de Caros A Barboza.
co-
iao, se tornam re- res a 200 rs. cada um ; meias cruas para homem a
de precos vista 2*400, 3*, 4* e 55 a duzia ; ditas para senhora a
jndente* ser ser- 45 e 55 a duzia : na rua da imperatriz n. 56.
Cassas francezas a 280 e 320 rs. o coiado.
Vende-se cassas francezas finas para vestidos a
280 e 320 rs. o covado: narui da Imperatriz n. 56.
Colchas de damasco a ,->.
Vende-se colchas de damasco para cama a 4*,
I ditas de fustao a 55, ditas de chita a 25; ricas chi-
VlauCm. tas para coberlas a 320, 360 e 4< 0 rs., ditas aseti-
Na loja d'Aguia Branca, rua do Queimado n. 8,; nadas muito finas a 500 rs. o covado, ditas encar-
vendem-se carteiras com crrelas para traze-las a nadas a 500 rs. o covado : na rua da Imperatriz
tiracolo, e bolsas de tapete, tudo para viagens. I n. 56, loja da Arara.
Perfumarasiuglezas. Dlm CCM ccriiunn
I A Agnia Branca, conhecende a bem merecida nlVAL otirl OLuUliUU
estima que os apreciadores do bom dao s perfu-1 Rua do Queimado n. 49, est vendendo muiu
marias inglezas, por isso mandou vir o esplendido! boas fazendas e muito baratas, quem quizer podera
sortimento que acaba de receber, e os acreditados vr ver ou mandar para experimentar, assim como
nomes dos bem conbeeidos fabricantes J. Gosnell 1 ejam :
& C, Napoleao Price & C. sao bastantes para co-! Gollinh'as muito finas para senhora a 500 fs.
nhecer-se a superioridade dellas. Consiste esse [ rjjias e punhos de fuslo muito bonitas a 640.
bello e variado sortimento em pequeas quantida-1 cartas de allinete de cabega chala de todos os ta-
des de differentes e agradaveis extractos de pri-1 mnhos a 80 rs.
meira-qualidade em frascos de diversos lmannos! Resmas de papel de peso mnito bom a 25.
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que Capachos redondos e compridos a 500 rs.
vem em urna carteira de tres, com os quaes por Caixas com superiores obreias de colla e de massa
a 40 rs.
Cordao branco grosse que tem muita applicagao a
vara a 20 rs.
I.inhas de carriteis garante-se 150 jardas a 40 rs.
Cartoes de linha Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
Grosas de pennas de ago muito finas a 500 rs.
Varas de franja de laa para vestido a 40 rs,
Ditas de franja branca larga para tualhas a 160 rs.
Pares de botOes de punho a 120,320 e 500 rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 1BO rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 r*.
Grosas de botoes de louga prateados a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80. 200, 400 e 500 rs.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Libra de laa para bordar da melhor qualidade a
65500.
Caixas de phosphoros de seguranga a 160.
Caixas e pacotes de papel amizade superior a 600
ris.
Caixas com 100 envelopes mnito finos a 800 rs.
Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriteis de linha Alexandre com 200 jardas a
100 rs.
Baralhos para voltaretea 240e mais tinosa 300rs.
Viciadas de linha frouxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapates de tranga de todos os tamanhot
a 15500.
Grosas de botoes de madreperol muito finos a 560
ris.
Carlas e caixas de colchetes de superiores qaa-
dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limpoja 30 rs.
Grosas de palitos de gaz a 2*200.
Libras de areia preta da melhor qualidade a 120
ris.
Caixas redondas para rap e tem mnito bonitos ca
lungas a 100 rs. ___________
sua elegancia e boodade se faz um bello presente
assim como outros frascos com finas essencias con-
centradas, outros com excellentes leos para ca-
, bellos, e outros finalmente com agua de LavaHder
i sublimada 5 e bem assim finos sabenetcs em paco-
! tes e caixinhas com tres, bonitas e delicadas al-
mofadinhss com pastilhas em p, as quaes deitan-
| do-se nos guarda-vesiidos, commodas, etc., nem s
deixam toda a roupa cheirosa, como afugentam
baratas, tragas, etc., etc. Em quanto, porm, a
commodidade dos pregos j nao entra em duvida.
urna vez que o pretndeme comparega munido de
dinheiro e disposto a fazer gasto na loja d'Aguia
Branca, rua do Queimado n. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excellentes brinquedos para enancas: vendem-
I se a 500 rs. cada urna : na rua do Queimado, loja
> d'Aguia Branca n. 8.
Espelhos edm molduras preta
e douradas
Pelo processo de Chernrr, pharmacenlice em
l'aris, rua do Fauliourg Hontmarte 21.
Este oleo de um cheiro agradavel, e de
um sabor agSHcamdo n nico que nEo tem
nem o qoslo, nem o cheiro do peixe. Ob- A Agoia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
ip.-in Ip numerosos relatnos sdentifics e rebeu um bom sortimento de espelhos de differen-
jeiAo fie numerosos itminos saemincus e ,es ,amanhos com molduras pretas e douradas, e
mdicos, este meilicamente que goza ra os est vendendo por pregos commodos.
.Franca de um successo tao raro como bem < Pnnfi/ YIiIp?
merecido, receiiado dio rio mente pelos] rufJKl tnyiv^u
futncipaes mdicos dos hosmtaes de Par. A Aguia"Branca, na rua do Queimado n. 8 re-
a i pirinn nP meiiHn nMmTOrTi. poO WH novo sortimento de papel nglez liso e
< oleo HE figado nE B.VCALhAO DtSiNFECTA- aulado a|mago, de peso, e pequeo, vinde deste
do ferruginoso emprega-se com os maiores Jamjjen, com i^iras douradas.
Enfeites invisiveis
A A?u'a Branca, na rna do Qneimado n. 8, rece-
beu novos enfeites invisiveis, os quaes pela finura
do tecido e bom gosto tem merecido tanta estima
Preparos para flores.
A Agnia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
Ven4e-se a casa terrea da rua do Progresso
o,2l (no CaminhoNovo) tem um porto ao lado
qae di entrada para o qumul, no qnal existe cin- cebeu novos W" far flo"^f f"d W 2?
co pequeas rJi aguas, rend. ludo 480*. e ven- .res para rosas, dito verde para folhas, fojhasi_de
de-se barato por cu proprietario ter de relrar-se
para fra da provincia
mado n 77.
a Iratar na rua do Quei
- Precsa-se altigar nma escrava para to^o o
serigo de urna casa dfl familia : a tratar na rna
da Cadeia do Jlecife n. 48, terceiro andar.
Alnga-so o "primeira andar da rua da Sen- [rade-fe na rna da Madre de Dos ns. $ e 9.
xala >vIha n. 48 : a tratar na loja do m^smo.
panno e velludo, caixas de trigo, ditas de uvas
brancas e rdxas, e como sempre continuara a sor
vendidos por pregos commodos.
Ceblas a l|o cento
As melhores que tem vindo a este mercado
Vende-se om sohradinho sito na roa da
- Precisa-se de dous homens que entendaoj do Praia de Santa Bita n. 56: a tratar na rua de Hor-
servico de copejrp ; pa rua da Aurora n. 32.
tas n. 9J, com o corrector Nascimento.
VENDE SE
alcatro do gaz pelo preco da fabrica : nn
armaem da bola amarella no oito da se-
cretarla da polica. __________
- Vende-se um sitio grande com muita planta-
gao de mandioca, varias fructeiras, peqnena baixa
de capim, boa casa de vivenda, estribara, e no lu-
gar mafcsadio dos arrabalde? do Recife : a tratar
na roa Nova n. 23, loja.______________________
~Vende-s um moleque de idade 11 annos,
muito bonito e bem educado, 2 escravos para todo
o servico, 1 escrava sem rjcios, excellente cozi
nheira, e engomma muito bem, negro por 550* :
na travessa do Carino n, 1,
po n. 7.
Caetas.
Riquissimas canelas de madreperol proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo prego de
1*500 e 25.
Sapalinhos e meias de seda.
Riquissmos sapalinhos de seda e de merino en-
fetados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e touquinhas para as cnancnhas se baptiza-
ren! ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avnlsas
e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 1*200, ns
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Goliuhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
to possivel, a 2*, 2*500 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquissmos enleites com lago e sem lago e de
outros muitos gostos a 1*, 1*500 e 3* : s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins oe cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 1*500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadioltos ntremelos.
Riquissmos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 1*200, 1*500, 2* e 3*; s no Vigilante,
rua do.Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
jprias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e quahdades, por pregos que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se poe vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 2*; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as quahdades, proprias pa-
ra debrum de.vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espelbos.
Riquissimos espelhos com moldura douraJa|e
sem ella de 8*, 10*, 12* e 14*, assim como com
celumnas de differentes tamanhos a 25, 35,45, 5*
e 6*; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissmos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
ktem apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
- Riquissmos vasos com bonecla para pos de arroz,
coosa de muito gosto a 1*500 e 2*, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo o. 7.
Perfumaras.
Grande sortimenlo de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos rom dis-
tinctivos e ofTerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos debanha japoneza
a 2* e a 1*, assim como outros objeclos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se fartodo negocio; na toja do Gallo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova oue
ha no mercado tanto em porgao como a retalho,
por barato prego afiangando-se aos compradores a
funerior qnalidade : a tratar as seguinlet ras
:re*po n. 7, Impera tor n. 28, Forte-do Matto
mazem do Sr. Villa defroqte do trapicho do
godio.
e limpa a 32o rs. a li-
a 2,ooo rs. a anco-
s. a libra, e 4,loo rs.
reta.
Alpista limpo a lo
a arroba.
Bolaclnnhas de Lisb
Antonio de divos
de G e de 3 libras) a 3,oooe l,5oo
lata e G4o rs. a libra,
dem ingleza cm latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
s da fabrica do Beato
qualidades em latas
rs. a
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades
de 7oo a 9oo rs a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
l.ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios oeste genero, que t se pode ve-
rificar com a vista.
, dem franceza a 58o rs. a libra, e cm barril
se far abalimento.
Marniclada do primeiro fabricarte de l.islioa
a (loo rs. a libra, ha latas de I, I 1 e
2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. a libra.
Macan lio, talharim ealetria a 4oo rs. a libra,
dem branca a 32o a libra.
.Mostarda franceza preparada a 4oo rs. a
frasco,
dem ingleza em p a Ho rs. o frasco.
Molho inglez em garratinhas com rol lias d->
vidro a 6io rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a i,000 rs.
agarrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a "00 rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
garantindo-se a qualidade a 7oo rs. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libia e
Baria de porco refinada a 4oo rs. a libra e| Wem' esrellinlia; pcvidc orouilllia
em barril a 36o rs cica 3,5oors.a caixa, e aoGors. a libra.
Batatas em g.gos de 36 libras a 1,000 rs. pe|M ^m hermticamente f.rh.ulas das
Champagne das mulbo.es marcas a 2o,ooo fll qua|Mad:aaTel,corfiM.for
rs. o gigo, i ,80o rs. a garrafa, e 9oo rs. ^^ c pescada |>000 a ,ala.
Palitos para dentes lidiados a lio rs. o ma-
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,Too rs. a
libra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra.
Idemhysson o melhor que ba neste genero
a 2,ooo, 2,400 e .6on rs. a libra Q .. f doullimo vaiw
dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra. v J 6
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a Idom' tomililo fresco a 800 rs. a libra e
duzia, e 50o rs. a garrafa. | sen||o eie-m a ;v0 rs
Chocolate francez, hespanholesutsso a I,ooo, M reflMdoempote8devidroi5oora.*li
l,2oo e l,4oo rs. a libra. mn
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
co de 2o rs. o macinhos.
Idemdogz a 2oo rs. a duzia, e Moora.
a groza.
Pataco muito novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba.
a 2,.'oo
lado de Simas e outros da Hahia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
deliciase suspirosa l,Goo, 2,ooo, 3,ooo
e 4,ooo rs. a ca xa.
Conservas nglezas a 75o rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou de urna s qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez e inglez a l,ooors. a garra-
fa, e 10,000 rs. a duzia.
um.
Scvadinha le Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 2o e 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a l.jors. cada um.
Vinagre de Lislta a 2oo r?. a garrafa e
l.ioo rs. a caada.
Idemcm garrafes com o garrafas a l.ooo
rs.
Vassouras do Porto com arcos do ferro a 32o
rs. cada urna.
Cominbo e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Crave da India a 600 rs. a libra. Ibem de escovas para lavar casa a 36o rs.
Canella a 9oo rs. a libra. cada urna.
Copos finos para agua e vinho a 4,8oo 5,ooo Velas de espermaecte superiores a 56o rs.
e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs cada um. a libra.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra, dem de carnauba refinada e de composico
e 7,5oo a 8,Soo rs. a arroba. j a 36o rs. a libra, e de lo,3oo a ll,ooors.
Doce de goiaba superiorem latas a 2,000 rs. a arroba.
Ervilhas portuguezas em latas chegadas ul- Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
tintamente a 64o rs. a lata. das marcas menos condecidas a 4oo rs.
dem ceceas a 16o rs; a libra. a garrafa c a 2,800 rs. a caada,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra. | dem Figueira especialmente escolbido nesle
Farinha de arar uta verdadeira a 320 rs. a' lugar a 600 rs. a garrafa, e '.5oo r>. a
libra. 1 caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo'',
rs. cada urna. ca cspeca| a 22,000 rs. a ancora.
Favas portuguezas em latas chegadas ulti- Idcm vrad0> Colarps milil0 fres,0 scm
mmente a 640 rs, ; osig0n a Coo rSi a garrafa, e 4,5oo
Frutas dem em calda, pera, pecego, alper-! f .^i.
se, rainha Claudia e ginja a 7*0 rs. afala. n J JgJ branco a 560 rs. a
Gra.xa nova a loo rs. a lata e -I, loo 11. a garrafae a 45oo rs_ a caHnadat
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garrafa.
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, l>. Luiz I. D.
Pedro V, Nctar, velho seceo, Malvasio
Genuino, Particular a 9oo e 1,2oo rs. a gar-
arafa, e a 10,000 rs. a eaixa com urna du-
zia.
duzia.
Gomma muito alva e nova a 16o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafao.
llem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra
com rolha de vidro qualidade superior a fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
l.ooo rs. a garrafe. dem Muscatei a l.ooo rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a 1,00o rs. o dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
frasco el 1,000 a frasqueira de 12 frascos. Julien, St. Esteph, chateau la Rose, chatau
Kirsch Wasser excellente bebida' suissa a I Margoux e outros a 6,5oo rs. a caixa. I
1,800 rs. a garrafa. i 56o rs. a garrafa.
CERVEJA EM lSAItlllli
a aoo rs. o copo

aueijo de .Ulnas chegado do vapor
dem prato mnito fresco
dem snlsso superior
dem londrlao snperior.
57 Rua do Imperador 57
r



Diario de Pernaiubiico Segunda feira i o de Oulubro de A 844.
I
COMMERC
RA DO QU12IM A1IO 31'. 45.
Passand o becco da Congregarlo segunda casa
M1MI I
NOV1DADE
Pcreira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimad n. 4o um armazem de molhados denominado Clarim Commer-
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo soriimento dos melbores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes ser5o vendidos por precos muiio resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e Peras scccas muito novas a 600 rs. a libra.
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e UOOO Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e
muito novo a 640 rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
(4200 e 10600, e em frascos grandes a
2 >500.
dem em caixinhas elegantemente enfeiladas
com ricas estambas no interior das caixas
a 102OU, 10400, 10600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 45600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Ararula verdadeira de mataraoa a 320 rs. a
libra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a I iia.
dem inglezas muito novas a 30000 a harri-
quinhae a 2O0 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
era barril a 400 rs.
Cha hyssm, liuchin e perola a 10000, 20,
25300, 2800 e 38000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerve.a preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac infflez fino a OO1 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72" rs.
dem, s de azeilonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e especilmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200 i, 20200, 20500, 20800, 30000 e
**05OO a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartijes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Chourieas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
Cevadinha de Franca muilo superior a 220
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
600 rs
libra
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a
cada um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a
Tuucinho de Lisboa a 320 rs; a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 6oO r.
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a I600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, Pedro, D. Luiz I Maria Pa,
Bocaje Chamisso e outros a 800, 900 c
10000 a garrafa, c ero caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
dem .Morgauxe Chateaulumini de 1854, a 10
a garrafa.
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa
16200 rs. a cariada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto
retalho-
do oilo libras e canas! rinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafes de 3 e 5 galoes a 50500
e 70500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, quaiidade especial em garrafas muito
grandes, a 10800 a i garrafa,
dem era garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nliciro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, c da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Mar melada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs. .
Macas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinha e aletria a 600 rs. a libra e a 10
a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
e Peixe em latas preparado pela primeira arte
de eozinha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 160 rs. o maco,
dem de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
em porgoes como Uoce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixo a 610 rs.
Grande liquidacao.
Ra da Emperatriz n. O.
Luja de faiteadas do l'avau de Gama & Silva.
Acha-se este estabelecimento completamente
sonido de azendas inglezas, francezas, allemias e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
matto, prometiendo vender-so mais barato do <]ue
em outra qaalquer parte principalmenie sendo em
porgao, e de todas as fazendas dao-se as amostras,
deixando flear peohor, ou mandam-se levar em
rasa pelos caixeiros da loja do Pavao.
.As chitas do Pavo.
Yendem-se chitas inglezas claras c escuras pelo
barato prego de 240, 260 e 280 rs. o covado, tintas
seguras; ditas francezas de cores seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muilo superior c bonitos padrocs : s na loja do
Pavo.
As liaiinhas da exposicio do Pavo.
Yendem-se lazinbas as mais modernas que
tem viudo ao mercado, proprias para vestidos e
O PROPHETA
AO mSWPBITAVEB WVWUMM
RA DAS CINCO PUNTAS N. 86
Esquina da nova travessa de *. loso.


s com um lustre tiesta bella provincia, ae amir mais este granue efeaneiecincaio un m.us e
ado, ditas com escolhidos gneros, quasi que especialmente destinados s pcMOM que moram na fire-
TsHrarnada' Suc;"a de s- JuS' e a(luelles senhores que transitara pela va frrea, para queni em ver-
' dade sao sera cunta o numero das vantagens que te Ibes offerece, nao > ctu rt-iato a.
8*r
Desejando o pioprietario do grande armazem do Propuen dar lar-
gas ao seu genio emprebeiuledor, commcrcial e especulativo, resolved redor a inspirado
aue o assaltou, quando as horas caladas da noile o seu solicito espirito se agitara n'um
soutembarques por serem lisas e de cores muilo Iturbilbo de ideas, tendentes todas a bem servir e agradar aos gmeiotos habitantes
delicadas560e300rs.; ditas tisascom um lustre'desta bella provincia, de abrir mais este grande efetabeleclmcnto de nevos e
que parece seda 640 rs. o covado, ditas
quadrinbos de seda oOO rs. o covado,
bar : na loja e armazem de Gama
Imperatrt a. 60.
Os vestidos do Pavo. modicidade dos frotes, como da facilidade e brevidade da conduelo dos objeetos ,*-
Vendem-se os mais modernos corles de vestido prados,
de lia, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas q sonho do Propheta ser urna verdade pratica to acceita e abracada romo M
SsurdTseretmbem'cTm^r^VeE P* *P>es bem intencionadas dos vell.os patriarehas desees lempos idos, si o Se-
tes para o corpo, por*>reco mais barato do que em nhor Deus dos exercitos nao O quizer contrariar.
outra quaiqoer parte, ese quizerem urna prova O Prophea nao quereudo restringir-se a forma ordinaiia d>' negociar rfsohen
do que s#-diz, mandem ver leja e armazem do tambem, depois de prefinida meditacSo, de nao vender smenle es s.-us genera a di-
fegjggg! B-.!2^!^a)SJ!rS nheiro crreme ; mas tambem de por em pratica troca dellos por entra da Producc5a
VendemtS ndoA'eSs i Mafia Pia do paiz ou por escravos, bois. cavallos, etc. Assim, pois, tique na intelligencia de todos,
de laazinha transparente cora listas, e palminhas que O rnor-HF.TA recebera como moeda de qualqucr los setibores agncaitONf, ssurar,
de seda pelo barato preco de 85 cada corte : s algodo, agurdenle, miiho, feijao, cavallos, escravos, etc., etc. e Ibes dar o MM valor
Mloja^do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Ga- em gene,0s, escolhidos a contento.
Quando a importancia dos gneros apartados hr menordeque a dos oftJadM re-
cebidos por troca, o propheta nao demorar a dileniica que deve dar em dinhero.
Um estabelecimento que com tantos sacrificios e ilesptzas acaba de ser aherto
ma & Silva.
As cassas do Pavo a 240, 280, 300, 320 e
3G0 rs.
S o Pavo vende as oissimas cassas persianas
dem em
imitaco de la, com cores fizas, 360 rs. o co- deve inspirar a todos a certeza de que se vender mi
vado ; ditas francezas muito finas 240, 280, 300 rir crdito e freguezia.
e 320 rs. o covado, isto para acabar : ma da
Imperatriz, loja de Gama & Silva. .Varuta verdadeira a 320 rs. a libra.
Os madapoloes do Pavo Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80.
Vende-se peca do madapolo infestado rom 12 K'O e 12U rs. a libra, e a arroba a l,-)800,
jardas cada peca pelo barato prego do 4, fe#0UU e aman a 9 unn
o& cada pega, fazenda muito superior : s o Pa- zoouu e z-w.
vo ra dalmperatriz n. 50, notando que a peja Amendoas a 2b0 rs. a libra,
leva urna etiquet cora o Pavo pintado para nao Ameixas francezas a l:)100, 15400 e 1G00
haver diwidas nem engaos : isto previne o Pa- em iatas^ jrascos e lindas caiciiinbas muito
n^n Sa2'ni.n j n-vs & proprias para memosear alguem.
Bramante de llnho do Pa^ao Ae Joas nfeita(ia3 em fra>eos de vidro
2 eW) zjjwww. .,.,. rr.iern
Vende-se o melhor bramante de linho puro com d. ';LU- .u
dez palmos de largura por prego muito commo-' Alpiste a 160 rs. a libra ea i:)o00 a arroba,
do, por ter de acabar a factura, a vara por Azeite doce francez a 90D rs. a garrafa.
Azeile de Lisboa a CIO rs. a garrafa e 4800
a caada.
Azeite doce em boies com 9 garrafas a 5o00
com o boiao.
Azeitonas por todo o preco.
Biscuitos inglezes de diversas marcas a 1 300
a lata.
Bolachinhas de soda, oval e lunch a 2t000
a lata com o libras,
Bolachinhas americanas em borricas 26
libras a 2000.
Banha de porco da mcHior quaiidade a 3G0
Vende-se pega de algodaozinho por terum pe-1R (r[ ,)0. {Q(Q Q prec0
qneno toque de avaria, mas que esta em bornes- Btalas em g'gose caixas pe louo u \>^v.
lado, pelo barato prego de 4 e 4o00 a peca ; s Cafe moldo a i0>' 00 OU b;>000 a arroba.
' Caf superior a 7;>500, MOOu e 8500 a
rio barato com o fira do se adqni-
2200, 2|M0, e 25600 s o Pavo : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de linho d< Pavo.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
1 gura proprio para Ipnges e toalhas de mo pelo
baralissimo prego de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
j godaozinho cora oito palmos de largura proprio
para lences, pelo baratissimo prego de K& a vara,
assim como tem o melhor algodaozinho tanto em
largura como em corpo, proprio para lenges, ca-
misas de escravos, etc., etc., prego muilo commo-
, do vista da fazenda; s o Pavo : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Algodaozinho cen toque de avaria a 1,000 ris
e 4,800
Quem comprar de 100000 para cima te-'Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abale de i por cento. jPassas muito novas i 480 rs. a libra.
BALOES
'MAGMS'DEFjLTENTE
de trabalhar mo para
descaroear algodo
A |OOO
Na ra do Queimad n.'40, letreiro verde.
Superiores e bem armados bales pelo diminuto prego de 23, advertindo que vendem-se por
eMe ^ego por ter-so comprado una grande porco c guerer-se acabar.
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
01,11 tH
->?-
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
DE
Estas machinas
podem descaroear
ijualquer especie
ide algodao sera
estragar o fio,
sendo basiante
duaspessoaspara
o irabalhe; pode
descarogar urna
arroba de algo-
do em carogo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
o Pavo : ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os guardanapos econmicos do Pavo c s do
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
apos econmicos e todo linho, tanto para as casas
de familia como para hoteis, botequins, etc. etc.,
pelo baralissimo prego de 3& a duzia, isto s na
loja do Pa,vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva. 7
Os sotcuibarqiies do Pavo
/ Be 1*$.
Vendem-se os mais finos soutembarques que
teeni vindo ao mercado, sendo de caxemira de co-
res pelo diminutjssimo prco de 125 cada um, di-
tos de miiambique pelo diminuto prego de )|&, s
na loja do Pavo, mas que se nao enganem : ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoalhado do Pavo.
Vende-se panno de linho adamascado proprio1
para toalhas de mesa, pelo diminuto preco de 2o00
rs. a vara, guardanapos de linho a -"-i a nuzia,
toalhas de inoa 55 cada duzia, na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
i: so o Pavo (a S#500).
Quem tem bales por tal prego !
Vendem-se os balos americanos muilo superio
botija a .r0e400 rs. aboti>.
Graixa em lat sa 1200 a duzia.
Limonadas de diversas t'ructss a 1000 o
frasco.
Licores inglezes e francezes a I #000,1/5500
c 2$ a garrafa.
Lingoas americanas a 800rs. cad? um;i.
Lraguicap promplas em latas a lf)2t 0 a lato,
Manteiga ingleza neste genero o que ha i'.d
melbor a 80 rs. a libra e ea bar il a 700
rs.
dem mais bai.\a a 050e 720 rs a libra.
Manteiga! franeza a 520 rs. a libra, em barril
a C 40 rs a libra em rtlalho.
Massade tomates a 640 rs. l>bia.
M;ii melada muito nova a 040 rs. a lirra.
Molhos inglezes a 400 e G40 rs. a garraf.iiha.
Mnstarda preparada a 400 e 040 rs. o frasco,
Massas para sopa macarrao, lalh.iim e aittri
a 400 rs. a lilira.
dem finas em caixinhas a .]#( 00 a cauiftlfe
Marrasquino de Zara verdadeira a iBuO t>
fiasco,
dem mais baixo a 800rs. e !<5C0O < fiasco.
Ifilhfl em saccasiom SOcoiasa 3fi< O.
Pivzunto inglez rara hanibre viudo do ultimo
vapor a 8U0 rs. a libra,
dem mais airtgo a 040 rs. a libia
dem do Porto a 840 rs. o sendo nleiro -
5 0 rs. a libra.
arroba.
Cha neslo genero temos o jue h de melho-
assimeomo lambem temes baixo pelos pre- Passas rovas a 400 rs. a libra.
Cos seguintes: i^4'0, 1(9(><', 1?)800, .Polvo a |t'0 rs. a libra.
2400, 2*5600, 2800 3O0Oo fino. Paincn a 160 rs. a libra.
Charutos de lodas as melboi es e peores mar-. Pomada a 240 rs. a duzia.
cas do mercado a 80<. 1 >000,1>600, 25, Pimenla do reino a 320 rs. a libra
2,5800, :j?5000, 40000,55000, 5*500e65 Peixe em latas a i,50t0 a la.a, larel, ,
o cento. vina, pargo e cutios.
Chouricas as mais novas do mercado a 125 Papel de' peso a 2-M 00 a rema
o barril com 1 arroba e 580 rs. a libra,a 'dem dem muito lino a 4 5000 e l/J"(K.. ,
ellas que pechincha. [dem mailira a -S'i'O,
Chocolate magnifico a I OOO e I200 a libra. | dem almaso a WW, :i,i500 c <#0OC
Cerveja marca a mais acreditada que tem Iicm para eiiibrt.lho a 15200 a resma.
vindo a 500 rs. a gnala, emeia garrafas Paliios para denles maros com*' Barinhto
por 520 rs. branca e preta.
Conservas inglezas a800rs. o frasco fazenda
chique,
dem francezas a 5( 0 rs. o frasco.
Cevadinha de Franca a i'/) rs. a libra.
Champagne da melhor marca que apii tem
vindo a 205 e 245 o .'ao.
n 80, 120 c 2(0 re. o maro.
Paliios do gaz a i',5000 a groza.
Queyos flamei>gos do ultimo vapor a 26O0
dem londrino a 'M O re. a hora
dem prato a 640 rs. a libra
Hap Mearon a I5C00 a libra
Sag e sevadinba a 20e 2H0 /:. .1 litiv.,
res com 20 e 23 arcos pelo baralissimo prego de Cogiiak inglez e francez a 800 rs. e 1 >C00 a Sardinhas de Nanlesa 640 560 c 36u rs.
2^300 e 4, ditos de 23, 30 c 35 arcos com Otas, ffarr.,f., lata
muilo bem armados e lambem lera cores e.-curasJ f ^_ le./-..'__. icn ion at\i\ n cka .,
pelo barato preco de 3^300 cada um : s na loja Ceblas por lodo preco. iSabao ma?s;: a 120, 180, 200 e 240 rs.
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Copos lapidados que sempre se vendern} e I libra, e em c.iixes por meno^
silva.
0 '3 mi o vende para luto.
\OVOS I-: ESCOLHIDOS EXEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
60 ir n mmwjk00
rltima casa junto a ponte da Boa Vista.
DLS PALAVRAS.
1 Cesse tudo quanto a amiga musa canta
Que outro valor mais alio se alevania.i
Acha-se a disposieo do resoeitavel publico esle grande e magnifico estabeleci-
mento de molhados, talvez o primeiro e nico hoje existente era sua especialidade, por-
que o maior capricho de miios dadas cora mais apurado gosto de abrir um estabeleci-
mento modelo promovern) a escoltia dos mais superiores gneros do nosso mercado,
que por serem comprados em grande quantidade e pagos quasi todos a diuheiro a vista
deu lugar a obtenco de vantagens, que repartidas como v3o ser. pelas pessoas que se
dignarem de honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a
lodos, nao s pelo emprego das maneiras oondescendentes e delicadas de que somos ca-
pases* como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos prejos quasi do pri-
meiro custo o nosso magnifico sortimento.
Pesando muito em nosso animo os meios pecuniarios de que podem despor as
diversas classes da nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acharao
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc.
etc etc, e quelles que nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces-
sario, promettemos-lnes servi-los de gneros novos e sadios, escolhidos ao seu contento.
O real do pobre ser receido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do
homem rico.
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com-
prar para seu gante, ou para negociar, voltarlio satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos
objeetos, como pela delidade dos precos, e bom acondicionamento.
O futuro nos justificar.
CAVACO ECESSARIO
Devemos ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que
adoptamos. Ei-las. ..,-.
Existindo neste vasto e florscente imperio um grande partido poltico com a
denominado de Liga- parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente,
capaz de fazer zangar a alguna e de desatar o riso a muitos,
__p,ia-se quem quiz"er, porque nos tambem nos riremos mas nao se zangue
ningnem. .,_ ,, .
__O nome urna voz com que se dao a coonecer as cousas. L esta a mais
breve, clara e sincera explicacao que, pelo methodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse syalema diremos mais:
N5o oriun-io do Brasil o imponente titulo do nosso estabelecimento
mnitas centenas de leguas que apanhamos a nossa Liga*.
Na soberba e opulenta Inglaterra houve um re que instituin a mu honroza or-
dem da UCa- O acaso nos fez deparar com a narraco desse acontecimento, que tan-1
to sorprehendeu a corte desse monarcha. Agradou-nos esta historia e goslando sum-,
mmente do trage do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos desenhar, e col-
locando^) no oitao do nosso estabelecimento, temos assim fwlo distingm-lo dos outros
que se assignalaram com mitras e coras.
Ilouai o|t qnl mal y-pense.
i N.
SauDders Brothers & C.
11, pra^a do Corpo Santo
prio
pelo
se vendem em militas partes a 8 e 10), Sal refinado a (00 rs. o vazo (pole de vidro.)
vendemos a fioi 0 e SffOOO a duzia. j Toucinbo de Lisboa, de Santos e americano
a ICO, 20 e 'A-l 1 rs. a libia e cm ancha
ifp^ 'SorcapafpTetols, *Sl SS OteS d'? Cf *M(* de J*01 "^ ^' ''' C W^
lo baralissimo preco de 25, 252( o, 25500 e 3 o vapor a 6 0 rs. a lata das melbores fi uc- fijlos para
Vende-se superior splim da China, fazenda toda Copos para vinho a 3rj00 a duzia.
de laa sem lustre ""''" *>'n Aa '"-> >
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimad n. 49 loja de miudezas de Jo-,
s Bigodinlio, venhain ver a pechincha que se est i
acabando certas qualidades de fazenda.
Pecas de litas elsticas com 10 varas a.. 240
Dilas de tranca branca lisa com 10 varas. 100
Ditas de tranca preta lisa a............ 60
Realejos para meninos, pechincha a... 120
Rodinhas com superiores alfmetes a..... 20
Caixas com superiores agulhas e limpas a 200
Saboneles de familia, muito finos a 80 e.. 160
Pares de sapatos delia para enancas a.. 400
Varas de babado do. Porto muito bom a
100, 120 e......................... 160
Ditas de bico larjjo grosso a............ 100
Potes de superior tinta tem mais de meia
gai rafa a.......j.................. 320
Caixas com perfumaras muito bonitas a. 00
Frascos de oleo de macaca muito fino a 100"
Dito? de oleo de babosa" superior a 240,
320, 400 e.......................... 500
Ditos de cheiros muilo superiores em qua-
iidade a........................... 320
Ditos de agua de colonia muito boa a___ 400
Ditos de dita dita grande a............. 800
Sabonetes de lodo o preco 60, 160, 200,
320e............................. 400
Frascos de superior banha a 320 e....... 800
Caixas de p para limpar dentes muito -
fino a-............................ 100
Ditos de banha transparente a.......... 600
Pares de ligas muito finas para senhora a 500
Sabonetes inglezes da melhor quaiidade a 320
Frascos de agua dentrifice superior ga-
rantida a...............:.......... 1JOO0
Massos com 25' eovelopes grandes azula-
do a.............................. 100
Varas de lita preta com colchetes a..... 100
Frascos de macaca perola muito superior 200
Caixas com peonas grandes a......... 200
Gruas de botos para caira pretarmiudos 100
Libras de memento da roupa de lavar a.. 200
Carriteis de retroz de todas as cores e
tem meia oilava de retroz a......... 200
Varas de hicos de differentes larguras a 60
Foi a
Empieza de illiimina$io
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
(por escripto daado o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ma do Imperador
n. 41. Os machinisias mandados para atlender a
estas, apresentaro um livro que os reclamantes
deverao assignar logo depois de prompto o servi$o
reclamado; isto para que a empreza fique sciente
do havprem os mesmos senhores sido devidamente
attendidos.
Vende-se a armacao do deposito da roa Nova
n. 58 por preco commodo : os pretendentes diri-
jam-se ao mesmo, que aohsrao con) quera tratar.
covado, cassas pretas lisas, chitas prelas largas e
eslreilas, manguitos, colarinhos, punhos, e enfeites,
tudo preto proprio para luto fechado, e muitos ou-
tros artigos que se vendem por precos mais em
conta do que em outra qualquer parle por estar
liquidando ; s na loja do Pavao ra da Impera-
triz n. 60, de Cama & Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor lem na loja do Pavao pelo
barato preco de 600 rs. o covado ; ditas de lisli-
nlras muilo miadinhas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo preco de 500 rs. o covado ; garantem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Pars : isto na loja do Pa*vao ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 8 IOO e
S0SOO o corte.
Vendem-se cortps de chita com dez covados
25400, ditos 25800, com 12 covados; sao chitas
inglezas, mas padres bonitos e tintas seguras 5
assim tem as melhores chitas francezas e de un-
tas seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Cama &
Silva.
Os bardados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos e.goll-
nhas bordadas, pelo barato prego de 15 e 15280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
com golinha a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 25 cada
urna, manguitos que servem para calcinita de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente gravta de seda, fazenda
fina, pelo barato preco de 35, e muitas outras
bordadas que se vendem por precos muito em
conta : s na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 60, de Cama & Silva.
As miipas do Pavo
Vende-se panno preto fino muito superior pelo
barato preco de 25, 25500, 35, 35500 e 45, dito
muito fino 55 e 65 o covado, casimira preta de
urna s largura e muilo fina a 15800, 25 e 25500
e 35 o covado, corles de casimira de cores a 55,
55500 e 65, casimiras enfestadas de nma s cor
proprias para caigas, paletots, coleles, capas e para
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavao a ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
tas da Europa,
dem da goiaba- e da casca o melhor que e
possivel por diversos precos, e conforme
o tamanho dos caixes.
Ervilhas em latas a 640rs. a lata,
dem seccas a 200 rs a libra.
Espermacete americano a 14900a libra.
dem francez a GO rs. o masso com O velas.
Figos de comadre em caixinhas muito lindas
a 800 rs a caixa.
arista de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Farinha do Maranhao a 24' rs. a libra.
Fumo do Para a id8'0 a lata grande.
Fumo americano a 1:>400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros a 200
rs. o mago.
Farelo em sacas de SO a 90 libras a 30500
[.Genebra de laranja Id o frasco.
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.
Vende-se um excellente harmnico america-
no, do melhor autor que ha neste genero, por
2355, em perfeito estado : a tratar na rna do Im-
perador n. 38, casa do rctratistaamericano.
Amendoas
>'o estabelecimento da ra do Ra
adas.
i a. 43.
Vende-se na ra do Queimad n. 15 A, loja
de ourives, um mnlatinho de idade 12 annos, pro-
prio para pagem : quem pretender, dirija-so a
mesma.
ra limpar facas a lOOrs cada i.rn.
BALIZA
Vinho do Porto em ancoras com 70 garullas
a 30,5000.
Vinhos de Lisboa e Figueira (paalidada mi-
nificas a 3^000, 3#5f*0 e 4001-0 a aaam.
Vinho do Porlo cm pipa a 3 e 0#OM a ranafe
Vinho branco de Lisboa e Porlo em anrrras,
barris e pifias a W0O0 e MOW a CMMk
Vinagre de Lisboa a 10GOO e 20000 a mia-
da.
Vinagre em garrafes por 10000 rom o gar-
rafo.
Vinagre em ancoras para! j600 com a ancora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 1?. rada vma,
Vinho deRordeaux neste genero temes grando
porc5oe das qualidades melboi es que lem
vindo ao nosso mercado em garrafas, em
ancoras, em lianisoquartflas oqu^Iven-
demos por procos muilo baixof.
1 -a*s

V
DECLARACAO. <
O BALIZA declara pelo prezentc qno *%20
deixa de publicar os precos pelos quaes ven- A
de as suas mercaderas por motivos qne ao *~-
respeitavel publico pouco interesa. Servo
nrovisoriamente de bazo os precos do Pro
'pheta.
ORDE91 0 IIIA.
O BALIZA concede plena liberdado aos
seas amovis collesras Clarins, Unies, mitra-
dos e croados, para que pnssam saltar, her-
rar e tudo mais quanto Ibes nprouver, at
a sua segunda ordem.

-
t
MU TIL ADO




I -
'

-
Diaria de rer amaneo segunda le Ira II 4c Outubro de 14.
GH\M)E ARMEfl M M0LH\0S
Largo da '
5Santa Cruz
n.84.
Esquina
da na do*
Sebo n. 84.1
AURORA BRIIH INTE
Pranflsco Jas Fernnndes Pire?, proprietario do armazem de molhados denominado
Aurora Brilhante, ao largo da Santa Cruz n. 84, esquina da na do Sobo, faz sacate ao
re|ioitavel publico desta cidade e do interior, que no seu importante estabelecimento
vender sempre geueros novos e de primeira qualidade, e vender a lodos pelo mesnio
preco.
O completo >m timentn de todos os gneros finos e grossos qae costumam ter entra
stabelecimealos desta ord.in se enconttarao sempre no armazem da Aurora Brilhante
e sempre em grande escala vontade dos\genhores compradores.
O proprietario do armazem Aurora BrUnante pede a toda os senbores e senhoras
que quando tiverem de mandar suas relcoes a este estabelecimento por seus criados
seja em carta fechada ou com grande recommendacao a este armazem, certos de que
serlo (ao bem servidos como se viessem pessoalmenie.
Rfl

h Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acaso nao agrade, e recebe
as libras ederlinas a (,'400u, sendo por compra : a tabella de seus gneros ser mudada
11 las es semanas.
A-nMi-l.us cmfeitadas a libra a 800.
tlanteiga ingleza flor a 800, 960 e 1*120.
f)i'a mais abdixo a 640 o 720 rs.
Uta fraacexa aova Hbra 640 c em barril a
869 o 00 rs.
Chocolate anu muito novo a lfi-200 a libra.
Cha parola o melhor que ha ( redondo) a
libra a 3*200 e 2*800.
Dito dito mais abano a 2*500 e 2*800.
Dito rtxrm muito lino a 2*800 o 3*
Dito hysson superior a 2*600 e 2*800.
Dito un s ab.iixn a 2* e 2*500.
Dito prato muito lino a 2*300.
Dito em massos a 2*.
Dito do Itio em latas de 4, 2 e 1 libra a
1*390.
Cal de Moca superior arcaba 9*500 e libra
300 e 280 rs.
Dito do Rio o do Cear arroba 8*500 e libra
320 rs.
Dito mus abaixo arroba 8* e libra 260 rs.
Birri a com bolachinha ingleza nova a
f
Latas com bolachinha de soda de o libras a
nao.
Ditas com ditassortidas de 2 libras a 1*400
Frascos oin ameixas fraucezas a 1*600,
25S08 o 3*.
Latas rom ditas a 1*400,2*200 e 4$.
Ditas Od fig..s do comadre a 1*300.
Ciixiulias co nditos muito novos.
Presunto de I.amego muito novo a libra 5 0
rs. iuleiro e a relalho 600 rs.
Cli j.meas e paios novos a libra 600 rs.
Ditas cun ervilhas francezas e portuguezas
a 8U3 n.
Ditas com massa de tomate novo libra 360
rs. c em Mrril a 500 rs.
Ditas com ostras a 720 rs.
Ditas com marmelada dos melhores autores
de Lisboa a libra 640 e 720.
Potes i om musturJa franceza preparada a
libra 480 rs,
Dita dita u-leza a 800 e 1*.
Q.i-ijos novos do vapor a 2*200 e 2*800.
Ditos d prato enplicado a 1*.
Dito suisso aBOOrs.
Dito de manteiga do Serid a 800 rs.
Catsas ruin passas novas de 1 arroba 7*,
m ta 3*500 e quarto 2* e libra 480 rs.
Amendoas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 6*.
Kozes libra 160 o arroba 5*.
Charutos baos de Simas, e dos melhores fa-
bricantes da Babia du 2* 8$ caixas de
100 e 0.
Grutas dcoaiiinhas de palitos do gaz a 2*200
e 209 rs. a duza.
Barril rom azeitonas novas a 1*200 e 2*
han is grandes.
Vas-ituras do Porto piassava muito seguras a
400 rs.
Azeito doce francez dos melhores fabrican-
tes, cala 10* e a garrafa 1*.
Caixas com vmho Bordooax branco e tinto.
Vinlio do Porto fino em barris deo que ra-
ras v"s appareco por 80* e cm caada
a 6*500 o arrala a 800 rs.
Dito de Figueira puro caada 4* e 4*300 e
carrafa a 480 c 560 rs.
800
Dito de Lisboa de boas marca a 3*500 o
45 b a garrafa a 440 e 480 rs.
Cognac verdadeiro a garrafa 15 e 1*280.
Viiilu imiscatcl duzia 10* e garrafa I*,
Vmho liranco de muito boa qualidade cana-
da 45 e garrafa 480 rs.
Dte Keroi fino caada 7*300 e garrafa a
1*200.
Dito Hadcira secca agarrafa 1*600 e 2*.
DtbTcm calas de urna duzia do Porto dos
hie.lhiircs autores a 12*, 14* e 16*.
Grrfas com licor fino francez a 1*, 1*200
e 1*600.
Ditas com vinho de caj muilo claro a 1*.
Ditas rom mel de ahelha puro a 1*.
Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 1*.
Dito de una garrafa a 560 rs.
Dito de laranja verdadi-ira a 1*200.
P.les com mnstarda preparada a320e400rs.
(Jaivas com 2 arrobas de batatas a 2*500.
Vinho branco de Lisboa proprio-para missa
a 4*800 a caada e 6i0 rs. a gariafa.
E-pirito de vinho a 400 rs. a garrafa.
f>ua* redes muito bem feilas para dormir
vindas de Sobral a 30* cada urna.
12 oatros mullos gneros de primeira qualidade que nao
possivel menciona-l*.
A satisfacao da Aurora Brilhante vender mnito, embira barato, mas DINHEIRO,
abaleado cinco por cento a quem comprar d 100*000 para cima.
Carne e iinguca do serlio.
Duzia de graxa latas grandes a 1*.
Caixas com 35 raassos de velas de sperma-
cete a 560 rs. a libra.
Ditas maiortv a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ty 10*300 e libra 400 rs.
Ditas de cemposicao arroba 10* e libra 360
ris.
Saceos grandes rom farinha de Goianna mui-
to boa a 5*800.
Ditos com nuiho novo com 24 euias a 3*500.
Dito cora farello de Lisboa a 5*500 e 120
a libras
Dito com arroz de casca a SOOO.
Duzia de garrafas de cerveja branca e preta
a 55300 e em barricas a 5*000.
Arroz do Maranho em saceos arroba 2*600
2*400 e libra 100 e 80 rs.
Dito da India e Java arroba 3* e libra 120.
Araruta verdadeira arroba 8* e libra 320
rs., mataraoa.
Gomraa do Aracalv para engommar arroba
5* e libra 160 rs.
Parinha do Maranho nova libra 320 rs.
Ervilhas sercas multo novas libra 200 rs.
Sag, e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 35200 e libra 120 rs.
Grasa de boio 97 a 280 rs.
Sabo massa a 200,"240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanhol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Baiaios do Porto de diversos tamaitos de 320
2*.
Capachos para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de bico arro a 4*300 e libra 160 rs.
Painco arroba 5*500 e libra 200 rs.
Mil lio aloisia arrobi 4*8(40 e libra 160 rs.
Azeito doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 1*500 c garrafa
200, 240 c 380 rs.
Massos de palitos de dentes com 20 raassi-
nhos a 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 4*500.
Dito prev liso o melhor que ha a 4*500.
Dito de peso e pautado a 2?500 e 2*800.
Garrafes com 25 e 15 garrafas de verda-
deira genebra de Hollanda por 8*500 c
65000 rs.
Azeito de roco garrafa 560 rs. e carrapato
300 e caada 8*560.
CaixSes com doce de goiaba a 640, 800 c
1*.
Toucinho de Lisboa arroba 9*500 e libra
320 rs.
Dito de Santos arroba 65 e libra 280 rs.
Molhos com grandes ceblas a 1*600.
Cento de dita soita a 1*600.
Mauncos de albos a 12 Cerdas de pastar e de andaime.
Pavas da ilha do S. Miguel arroba 3*200 e
libra 120 rs,
Copos lapidados para agua e vinho a 3*500,
5*800, 6* e 7*.
Ditos lisos para varios procos.
Calix lapidados grandes e pequeos duzia
3, 4 e 6* ; e 400 fl 500 rs. cada um.
Massas para sopa macarro, lalharim c ale-
tria a 400 rs.
Estrelinba e pende libra 640 rs.
Xarope de fructas nacionaes a garrafa 600
ris.
Marrasquinhp de Zara da melhor qualidade
a carrafa 1*200 e 800 rs.
Esleirs de tranca, cento a 20* e 240 cada
urna.
Queijos de quaiha tiovos, arroba 16* e libra
a 560.
Duzia de cbampattha superior a 20*, e 2* a
garrafa.
Garrafes vazios a 1*600.
Massa branca para sepa a 320 rs.
Frascos cora -azeitonas em concervas a
ris.
Duzia de cartas finas para jogar a 3*.
Sabo hespanhol verdadeiro libra 400.
Saceos com feijao mulatinho novo a Di*.
Latas com favas j preparadas a 800 rs.
Sevadinha para sdpa a 240 rs.
Garrafas tom musratel e setubal a 800 rs.
Sag novo a 400 rs.
Breu arroba 8*500 e libra 320 rs.
Latas com 27 garrafas de gaz a 11*, a gar-
rafa 500 rs.
0 NOVO DESTINO
AZEN CONSERVATIVO
23-Largo do Teroo-23.
loaquim Simo dos Santos, dono deste bem sortido armazem de molhados denominado Con
s^n'ativo do larg" do Terco n. 23 srientiiica ao respeitavel publico e a todos em geral que mandem
a venhain a este estabelecimento para nn-lhir so sertiOcarera da diminuicao de precos que obtem
r .-te, o que nao obtero se compraren) em oniro qualquer, pelo que se responsahelis a servir qual-
v que comprar de 100* para cima tora o descont do 5 a 10 por cento pelo seu prorapto pagamento.
Attenc&o.
ISatatai as mais novas a 40 rs. a libra c i*2O0 a ar
rola.
Toacmho de Lisboa a 280 rs. a libra e 8*500 a ar-
rolla.
CKfc 't primeira e segunda sorte a 540,2CO, 280 c
00 rs. a libra.
Ano* do Miranliao c Java a 100, 70 e 80rs. a li-
fcra e 25200 a arroba
l;os|.hros do gaz a 2* a groza e 180 rs. o maco.
fa*sa> de carnada a 320 rs. a libra, e em caixa a
C5500.
fWacliinhas inglesas novas a 240 r?. a libra.
>-..an aman II ma*sa a 160,200 e 249 rs. a libra.
lTnlasdecarnariba Aracaty composico a 360 e 400
rs. a libra.
#/meraas franceza com 1 e meia libras a 15.
*aa de tomate da melhor qualidade a 600 re, a
libra.
Uarowilarfa des melliores fabricanles a iO rs. a
libra.
CSbaricjii as mais novas a 360 rs. a libra, e em
fr-irnt por
Cha hvsson miudinho e perola a 2*,000 2*500 e
Miiho alpista e painro muito novo a 160 rs. a libra.
lliscoiUis e bolachas de soda a 1*300 e 2*
Araruta das melhores marcas a 1*, 2*, 3*, 4*, e
4*300 a eaka.
Charutos em macos conlendo 50 por 640 rs. o cento
Azeite doce de Lisboa Qnu a 640 rs. a garrafa.
Dito-de carrapatc a 280 rs. a garrafa, e 2*000 a
arroba.
Vintw dePigtieira e Lisboa das meihores marcas a
3M, 460, liOO, 500, 640 e 800 rs. a garrafa, este
ultimo io Porto proprio para os doentes por
ser tmrincad.0 o recoramendado para este fira,
Queijns do iilliiuo vapor a 2* e 1*700.
Manteiga tagleza flor a 1* a libra, e a 950 rs. era
barril.
T>I-m menos superior de 720 a 800 rs. a libra.
Idom franceza do ultimo navio a 560 rs. a libra,
em barril se fara abatimento.
Gomma da mais aira a 160 rs. a libra c a 4*500 a
arroba.
NEB coroas nem mitras
E
NOVA EXPSITO DE GNEROS
NO
ARMAZEM
GRA|| ARMAKEII
DE c
RIJA DO IMPERADOR M. 40
Junio ao sobrado em qne mora o Sr. Usborne,
Duarte Almeida *i C. reeeberam de sua proptrla encoiumen-
da o mais lindo e variado sortlmeote de molhados, proprlos
Ma$as brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarro, talharim c aleiria a 400 rs. a
libra e 4-5"O a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado das melhores fabri-
cantes da cidade do l'orto a 1 <5 c i 200
lagrimas
bra.
da presente estacSo.
Manteiga ingleza
da safra nova viada no uliimo vapor a 1 ,ooo
rs. a libra e em barril a 8oo rs. ,
Hantetga franceza
da safra nova a 60o rs. alibra, e em barril
a 560 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.j
Anieixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
cora bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a itj:i00.
Chocolates
de todas as qualidades a 1*000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2*6oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cadaum.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excdante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalio.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1*200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
U a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem viudo ao nosso
mercado a 20600.
Massas araarella^
para sopa, macarrio, tal harina e ialetria a
480 rs. alibra. \
COCV4C
o muito afamado cognac Pal Brandy a i ,8oo
rs. a garrafa e de outras muitas flualida-
desa l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPN
lapidados para agua a 4.5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a1440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
! de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de i,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
1,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista e Painro
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 40400 a arroba.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos sejpiintes lugares:
(Inio e Goiimereio ra do Qupimn "o n. 7
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
FRUCTAS
lH.tt.--a.*. PERAS E UVAS
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares : Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro PrincipalRita do Queimado n. 7, niao e Commercio,
do Do uro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
venden a 2^1000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120c* .
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a.libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendan por 30400.
CAF
de 1.a e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80SOO a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafes
com 4 */ garrafas com vinagre a 10OOOta
o garralao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 co
12 frascos.
GENERA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
Anos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo b
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito eras
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
Frntas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da rasca da goiaba
a 600 e 10 o caixe.
PRINCIPAL
IV. O RIJA ItO CRESPO V. 9
Estjni'ia qne Yolta para a roa da lmperar
proravel que nao seja bem aceita a verlade, quando a boa f de todos anda
1 Iludida por esta epidemia de nauzeaticos annuncios de cornetas, tambores, coros
tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal.
ili;kii
Os annunciantes n5o tem em vista senio garantirem ao respeitaiei poam a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias eme tar
assentarem fortunas a forca da regra de liga como outros annunciantes deste genera
PARA TOHOS
No armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na seguale la-
bella, mas n3o se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba hespaohola.
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquello que nao sea do acraah
comprador. ^
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lentilhas muilo novas excediente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qoabtiaam da
7oo e 9oo rs. a garrafa.
rote floratmrs.
mais elogios me-
te genero que so se pode verificar can a
vista.
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 3o rs. a libra,
a garrafa edsio/a l^^aVatnar- Amejxas francezas em caixinhas com lindas Manteiga ingleza peritamente flor a
cas sSo as seguintes: Chamisso AFilhe, ..ei ?s' a I,!? Ilbra- e desnessesarie mais alan
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1'/libra a i,loo rs.
Arroz do Maranh5o e da India o melhor que
dem franceza a 56o rs. a libra, e
ou meios a 5oo rs.
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, o Marmellada do 1." fabricante de Li.-*boa a
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs.-a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libia.
Azeitonas muito novas a 2,000 rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. alibra, e 4,4oo rs. a
arroba.
-feo
rs. a libra, ba latas de I, 1',* e 2 libra
Maca de tomate em latas de una e ama fi-
bras, a 6oo rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, peviuV, roanm.
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 5 Macarro, talharim e aletria a 4oo n. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 6io rs. frasco.
Molho inglez em garralinhas con roa de
vidro a 64o rs. cada urna.
Rolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato Marraschino verdadeiro de Zara a l,ooo rs
Antonio de diversas qualidades, em latas a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
de 6 e de 3 libras a 3.ooo e l,5oo rs. a Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
lata, e 6io rs. a libra. Ostras preparadas em latas a 7oo rs! a bu
dem ingleza era latas de 2 e de I libras Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ca-
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. rantindo-se a qualidade. a 7oors a har,
a lata. passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e 6,5oo rs. a caixa.
em barril a 36o rs. Peixe em latas hwmelicanente fechadas da?
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a seguintes qualidades. sabel, corvina, go-
l.loo rs. a arroba. rz, cavallinba e pescada a l.ooo rs. a la-
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo ta.
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Palitos para denles lichadas a 14o rs. o na-
co de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia. e 2,ioo rs.
bra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a hora.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,noo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopathico 2,ooo rs. a libra.
Ceneja das melhores marcas a 6,ooo rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, sisso e hespanhol a
l,ooo, l,2ooe 1.4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furta
do de Simas e outros da Bahia como se-
jam Regaba, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo e
4,noo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e 1 ii.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,ooo e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,noo a 8.5o rs. a arroba.
Doce de goiaba a 6oo rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors.. e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada tima.
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira ? l.ooo rs. o fras-
yoo rs. ea-
rs.
a groza.
Painco muito novo a 16o rs. a libra, e 4.5oo
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor,
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra, a
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Najan a 6oo
a meia lata, eioors o qaarlo.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loors. atibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oor?. a libra
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada un!
Vinho em pipa, Porto, Lisboa a Figueira das
marcas menos condecidas a loo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira expecialm*! te escolfcido ueste
lugar a 6oors. agarrafa, e 4Jm acanada
dem Lavrad o, Colares muito froco >en
composico a 6oors agarrafa, e 4,5eo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras em 9 caadas mar-
ca especial a22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a garrafa,
e a 4,roo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garra-
fa.
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
finan, Duque do Pono. D. Lu/1. D Pe-
dro V, Nariar, aane secco, Bfalnzia, o
genuino partictlar de lQat,m rs. gar-
raa e a o,ooo rs. a caixa com urna duna.
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscalel a looo rs. a garrafa.
dem Rordeaux dos acreditadas marcas Si.
Julien St. E^teph, clueau la Ro/e,etetac
Margoux e outros a 6,ooo rs, a caixa e a
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2.oee
rs. a gan afa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e l,aao
rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a I .ooo r.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a!
.rs. cada urna,
dem de escovas para lavar casa a 36o
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 56o n.
a libra, e sendo em caixa a tm rs.
rs.
Hwm OTse? seero-:, haonirof B-i!os qae enfadooho certa rr.rncicna-Io?.
ATTB40.
rheguem a farinha lavada.
A bordo do hiato nacional Obs Innftos ancora-
do defronte do trapiche bario do Livramento, ven-
de-se esta superior forlnha lavada ainrta nao vista
neste mercado peto barato preco de 3 o alqaeire
ou 6 o sacro sendo este preco granel, e tambem
na ra da Madre de ueos ns. 5 e 9.
- Vende-se um excellente carrinho americano
de 4 rodns para doas pessoas, com arreios de um
ou dous ca val los; do melhor Rusto que se pode
encontrar nesta rMade, e est em perfeito es-tado :
dirijain-se Afo P Pedro, na ra do Imperador
n. 38, casa do retratista americano Sr. Ostwrne.
Vinho Madeira fino
Vende-se na ra de Apittlo n. 4, primeiro an-
dar, em barr de oitavo, chegade- lioje.
hui da Neozalla tova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado hbra a 110 rs., idem de Lo
Moor libra a 120 rs.
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-
de iux, difTerentes qualidades, mais barato que em
i ilquer parte : no armazem de E. A. Burle &
, ra da Cruz n. 48.
BREU
Breu verdadeiro americano, tacto em barricas
como a relalho, vende-se na ra da Cadeia do He-
rir, loja de fcrrageos n. 56 A, de Bastos.
Eaxadus mIradas de aro
Chegaram as desejadas enxadas calcadas de ac,
as qiiaes vende-se o mais barato possivel : na ra
da Cadeia do Ri'cife, luja de ft-rragens de Bastos.
Fio de algo lo da Baha e ame-
ricano.
Vende-se tanto em porco como a relalho, estas
bem contiendas qualidades de lio por barato preco:
na ra da i adea do Recite, loja de ferragens de
Bast..s.
Trlhado de ferro galvanisvdo.
Fulhas de ferro galvanisado para telhado por
enmmodo preco c de malta utihdadr para roberas
de rasas, vende-se na ra da Cadeia do Recite n.
56 A, loja de frrrapeiis de Bastos.
i Vaquetas Ingleza* para eobertas
le earro.
, Estas bem conhecidas vaquptas, vende-so nntca-
: mente na loja da ra da Cadeia do Recite, loja de
ferragens de Bastos.
Padarla e reOnaco.
Chegaram as bem ronhecidas pendras de ara-
| me e de hitao proprias para padaria o refinaeao, de
i todos os tamaitos c grossnras : na ra da Cadeia
do Recire, luja de ferrageus de Ba-tos.
Venlein-se saceos com gommn muito alva,
propria para engommar e beer boliubos: na ra
tdo Queimado loja n. 11.
co, e 11,000 a ftasqueiras de 12 frascos. dem de carnauba refinada e de composico
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a a 36o rs. a libra, e lo,5oo e I l.ooo rs. a
l,8oors. a garrafa. I arroba.
TOjtMrm
DE

m. 55.
. TIENES.
ra do imperador
- W. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao.hoje assaz conhecidos jara que seja necesario inuitir aohrsfa
sua superioridade, vantagens e garantas que etlerecem aes compradores, qualhiades estas iiminiii
veis que olios tem denitivameute conquistado sobre todos os que tem apparecido nesu prafa ; my-
guindo um teclado e tnachinismo qne obedecem todas s vontades e caprichos das piaaisas, %tm-
nunca falliar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente molhorameMoa m
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas c flautadas, e por isto muilo |
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encemmendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Para,
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expncoes.
No mesmo estabelecimento se aeha sempre um explendido e variado sortimento te i
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo
precos commodos e razoaveis.
Vende-se superior vluho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johastcn Pater & C, ra
do Aigario n. 3.
fal fie l.ixboa
chegada pelo Mina da Gloria : na roa >
n. 88, junto ao theatro._____^^
SAL
No eecrintorio d> E. R. Rabetki. raa
n. 55, vndese sal anda a bordo 4o Bario.

MUTILADO




Dlarl* 4 PeruabiM* flrgTT^ felra i t Outubro c lf 4.
flO PUBLICO
Menor constran-
Slmento se estregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENQftO
Os preeos da seguate
tabella para todos, po-
dendo assiui servir de ba-
se para o ajaste de eontas
com os portadores.
ARMAZEM UUliO MERCANTIL
RA DA CAWEIA DO RBCIFE TV. 53.
[lijo passando o arco da Concr icio)
Grande redcelo de preeos, equivalente a dez por cento menos do que outro
annunciante.
inalquer
Collegas.N5o posso por mais tenopo sustentar o prego da manteiga ingleza a 1 ,00o rs. a libra, bem assim o de outros
muitos objectos, etc., dando com isto ocasiao a todas as espeluncas acabarem porbom preco a manteiga de tempero, e gritaran em
alta voz, que podem vender pelo preco que en vendo! 11 Ora, eu oflendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
gysthema que vim encontrar, des se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta giande reduegao de preeos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a 1,600 rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reducco a que
efitao obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamac5o de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabeleciraento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que (
to somonte obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplidao e entei-
reza com que ser3o tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a protecc3o e preferencia na compra
dos gneros que prec-isarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, pois
sero tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaejio, afim de que nao vaoemoulra parte.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escoltada a 800 rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e era barril ou
nieios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600 rs.
- a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,800 re.
dem buxim o mellior que se pode desejar
neste genero 2,<>oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,60o, 1,800 e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito regu ar, igual
ao que se vende emoutra parte por 2,4oo
e2,Uoo rs.
Lingmcas, chouricas^e paios em latas de 8
libras, ermeticame'nte lacradas a o.Jioe rs.
garante-so serem superiores aos que vera
em Larris.
Cbouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,3oo e 600 rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos ebegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. edo vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vimlo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
IJera do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas ja pre-
paradas a Gio rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Pre/.unlo do reino vindos de casa particular
a 5Go rs. a libra, e a Roo rs. ititeiro.
dem nile/.as para fiambre ebegado neste
vapor 72o rs a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Cboculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo e 1,200 rs. a libra.
Espennacete em caixinhas contendo 6 libras
por 1,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e ile superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel. corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras e ebernee, vezugo em
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bnrdeanx das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a canta, garante-!
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.800
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a fibra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Gear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 36o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 4S,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo eoo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,000 rs.
Vinho tranco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Dnuro, Duquft do Porto. r>nqiip.G>.nninn.
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria cm caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000" rs. ea 9oo e 1,000 a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a Gio rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem qurtos e meiaslatas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo mellior conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinbus inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,800 rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolacbinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
s ser de' qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito propnas
qualquer nao pode vender por este preco
Gencbra de Ib .llanda a 56o rs. o frasco, e
o,7oo rs a frasqneira.
dem de laranja verdadeira de Altona cm
frascos grandes a l.ooo rs. o frasco, e
11,000 rs. a duzia.
dem de Holianda cm botijas grandes a 4oo
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24n rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolacbinhasd'agua em ral da fabrica do Beato
por 2,.!oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas.imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas era latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanbos com bonitas eslampas na caixa
exterior a 1,2oo, 1,5oo, e 1,80o rs.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda inglea dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes ja preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooo rs. e H.ooo a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,3oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinba de Franca nmilo nova a2oors.
Charutosdetodososfabricantes da Bahiaedas
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5i-o, 3,ooo,
3,5oo e 3,800 a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
i,oo rs. :i garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 \\-\
dito em caixes a 600 rs.
Acaoa u wra ue aua pn.pna eneutumeiiua um gratiu.e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em |
offerecer 30s seus. freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
reanudes preeos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-1
mazem.
Amendoas eonfeitadas de 800 rs. a libra. | Licores francezes e portngnezes das seguin-
\ianteiga ingleza perfectamente flor, a l,ooo tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
rs, a libra e 800 rs. sendo em barril.
dem franceza a tioors. a libra, e 56o rs.
sende em barril.
Ub uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,600.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 Libras para
cima a 2,7oo,
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen- j
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-1
ja, canella, cravo, ortef pimewa a 1.000
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no raer- j
cado. >
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartes e rnteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada uma a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata
dem prteto o melbor que se pode desejai
neste genero a 2.8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a fibra,
dem mais baixo bom para negocio a 1,0*00
rs. a libra.
dem miudinbo proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino ebegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Crakncl, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine eoutras umi-
tas a l:3ooe l,4oors.
Fumo americano em chapa a 1,60o rs, a
libra.
Aramia deuodas as qualidades.
Batatas no*s em caixas de 2 arrobas a 3$ a
caixa e 60 rs. a libra-
Baiactilnha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
verdadeira a 32o rs. a
libra
dem ingle/as em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
bras por 2,ooo;
cada um.
Farinha de araruta
libra. ,.,
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10.000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banta de porco refinada a 4oo rs. a
* mS frutas muito frescas a Bicos frascos com fiutas francezasj em calda
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Capil
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
mollios com cento etantas por ,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
DA
FUNGI LOW-AOMOOE.E
Ra da Senzalla nova u. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
lmannos para ditos.
Arados americanos e macbinas para
lavar roapa: em casa de S. P. Jobnston & C,
ra da Senzalla Nova n. 42. ^^^^^
AIU1/K
FRONTEIRO
a mellior que se pode desrjar de I,4oo a
3,ooo o frasco.
DE
Vioho lo Porto superior
dm caixas de uma e duas duzias : tem para ven-
eer Antonio Luiz de Oliveira Azevedu & C, no seu
escriptorio rna da Cruz n. 1.
Fabrica Concecao da
Bahia.
Andrade A Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodo d'aqual-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodao empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
AliVES COUTIMHO 21Lar y o do Terca-
Ra da Senzalla o. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston & C,
sellins e silhes
caes bronzea
ehieotes para carros e montara, arrewwjpara
1
Ao publico.
Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate franijez a l,ooo rs. a libra;
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arr^z do Maranho e da
India de 80 a loo rs. a libra, e em a arroba de 2,6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a l 000 rs. a garrafa e em porcSo, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs. ; banha de porco a loo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e 1,2o>rs. a arroba ; cha perola, hysson, miudinhoa l,8oo, 2,4oo
!e 2,5oo rs. a libra ; charutos des melhores fabricantes da Bahia de 2,ooo e 4,ooo rs. ;
I cerveia branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
l,ooo rs. a
cevadi-
spermacete
1 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de aramia verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,000rs ; genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco; dem de Holianda
a 64o rs e 4oo rs. a botija; graixa em latas a'l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feifa flor a 800 rs. a libra ; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
! de tomate a Roo rs. a libra ; marmelada dos melhores fabricantes a 4o rs. a
, em casa de S. F Johnston & L., taiKarin, e maCarr5o a loo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a 1,00o rs. cada fras-
bes inglezes, cand.e.ros e ca*- ^SS nevas a 2oo rs. a libra ; passas a 4<>o rs. a libra ; painco a 16o rs. ; po-
a.los, lonas inglezas, no ue vea, mada a 24o rs a auza. pmenta do reino a 36o rs. ; papel almajo e de peso de diver-
"a rPloffios de sas marcas; Pa,rtOS ao 8a2 a z'zu" "" a **"** 2 acaixinhB ;ditos de 8uranCa
carros de um e dous cavallo, e reiugios ue iodivdua| a 20 rs. a eiisinha e 36o rs. o ma?o ; queijos flamengos do vapor a 2,oo rs.
ouro patente inglez.
cada um; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nantes de 4oo a 64o rs. a lata ; sa-
bio massa muito superi- r a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa mito alvo a 3m rs. a li-
, r bra; vinhs do Porto velho engarrafado a l.ooo rs ; idemem barril a 800 rs. a garrafa,
da Cruz '_____^_ ,.______7^_ nnMt. .k^,
A Icarag.
Vende se barris com alratrio,;na 1ra da cruz "^"^^is^ea^eem caada a 5,ooo rs.; idem de Lisboa muito superior a
^r?nTsandar' eSCr,pt0n d 4o rs1 a garrafa e 2.8no rs. a ranada ; idem da Figueira J. A. A. a 5oo rs. a arrah e
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 2 l[i libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Sozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 600 rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados n Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e nutras muitas
marcas, em caixa de uma duzia a 10,000 e
l,ooo rs: agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
Idem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a 1,000 rs. cada uma.
Ricos livros com figos l.ooo rs.
pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrames com 4 4/i garrafas de vinho supe-
rior a $,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 '/ ditas de venagre a 1,00o rs. o
garrafao.
Vinagre PRft em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o batism a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fozenda muito especial a 6,8eo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
2,000 rs o quarto, a 6,5oo a caaa e 4oo
rs. a libra,
dem Gorintbias propries para podtm a 800
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a Man. a libra.
Grao de bico muito novo a 16rs. a l*ra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6eo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7o e 800
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 8#500 cada uma.
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 800 rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,000, 2.5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa, 1
os mais baixos sao dos que por ahi seven-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de preme.ir nualidada a 8.390 e Q.ooo j
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-:
roba, e 36o rs. a libra,
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra,
dem de esparmacete a 56o rs, a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melbor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
Idemalmaco pautadoelisoa3,ooors. aresma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
demembrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 Va bt)ra a
l,2ooe8oors. a libra,
dem cm frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o 1
frasco valle l.ooo.rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova
2oo rs.
Os Vnsm
OS MAIS AGRAVA

D'ttitta pertinaz Hratito
DE
ESCRFULAS,
O EEPCOES E8CROF10S&
Ulceras syphilis, or mal vmuo,
TUMORES,
l-:hulliro<'.
BERTOEJAS,
OPHTHALMIA,
Hydropisia,
HERPES,
MPartroSj
ERISIPELAS
ESCORBUTO,
Tiiilia.
GHAGAS ANTIGS,
DEBILIDADE GERAU
Nervosidadc, Ncnai^ias,
PALTA H APPETffi, FiSTOi \
SUPPRESSO DAS REGRAS, wm
AMENORRHEA
Rei'iicao das fJrn^
EMACIA^O,
On enimngrecimento gemido corpotpi mente do estado vicioso do sang**,
INFLAMMACOES CHEOKC AS,
Afec9es Chronicav do Figado,
Assim como todas as mais bi5*lua*ts mr
I.BSTIA8, PRISCIPALMETB gANOO HaO
IAU8VDAS, OU PRODUCIDAS PILO Mlf
UVRB V80 do MhBMMP ou
Quixiivo,
Aulm rom innkni prlm fra^acnto aao A*
SENICO e ulna prepararen Biietr .
Todas estas Enfennidades prompta e m&ktmm
mente cedem benfica, poderosa o
purificantes qualidadea da mu
justamente afamada
SUStflRRIUN DE BtlH
A venda as boticas de Caors ra da Cruz, e J0S0 da C. .Bravo A C, vj^
da Madre de Dos.
sr c o o "i sr*5< ~ o o a ^

S31^=
"1 X
o
es
fi^ O .
.=,05=50 .
=u^
= e
m
B9
5 3
s-i
O
* 3
2 X -1
s
i,
a 3 a
l|f|l|.aI|i
0-3S2 R:2 S -
en
O ce a o Be
?31 "
03
o
S S
-i
3
i
b
S
a.
^1
%%
B
Molhos inglezes a 800 e l ,ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs.
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rs. a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a \,000 w. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs o macinbos a 12o rs. o masso.
Ceminhos mirito novos a32ors. a libra e
4 0,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a i 80 rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
itfmi
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a l.ooo rs. a lata ja prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e 1,000 rs. o
caixSo.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualid; Jo a
l a lata : nos ar mazeos da ruido tav
perador o. 16 e ra do Trapiche Novo 4.
Euteites para cabera.
Chpgaram os lindos enfeites de rahpra para >
a I nhoras, >cd*to : m
do Vigilante, ra do Crespo a 7.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varius po-tos pan irirci^ss
I trazprera no braco : s se eorontra oa toja 60 B*
I ja-Flor, ra do (ueimado n. 63 e 69.
Almcida (jomes.
PHTuSSA
Vende-se potassa era barris a comraedo
na rna da Cruz n. 23, primeiro andar, eseripton
i Antonio de Almeida Gomes.
e
3.600 rs. a caada; idem do Estreito a 36o e 320 rs. a garrafa e em caada a 2,56o;
idem Bnr.leaux a 5flo rs. a garrafa; idem branco de Lislna, proprio para missa a 5oo rs.
a garrafa; vinagre de Lisboa muito superior a 2oors. a garrafa, e 4,too re. a caada ;
pres0 o g^ cevaua> alfasema, gaz e tijolo de limpar facas a 14o rs. Presuntos de Lamego a 5oo
' I ea.l> a.ir rb outros muitos generes quedesnecessario menciooa-los.
O proprietario do grande armazem Uniio e Commercio declara aos seus fregue
zes e amigos e w pablico em geral, que para facilitar a commodtdade de todos tipulou
os mesmos precns nos seguintes lugares: t
Uniilo e Commercio rna do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40,
Extratos e sabo em ofr
xinhas
Lindas caixinhas com nm cartao rom a taflrifta
imperial, e dentro de cada caixa un frase ou m
bao o'mais fino que passivel: na loja do Btj^
Flor ra do Queimado n. 63 e 69.
ESCRITOS FGIDOS.
Fugio na tarde do di 16 de jnlhn p. p. 1
escravo pardo, de nome llares, tles-iiirr
do hiate Santa Anna, vindo do Ararat,
de idade 28 aunos pouco mais on w-ons, eo si
naes sepointes : altura regular, secco do ciprpd,
ponca barba, cabello crespo, <*! MMi
calca de algodo.-inho de risiado azul r>
peo d palha, tendo levado comsigo iiwa troaxa
rom mais roupa.e rendido de urna rta* verilhas:
qnem o appreender qneir leva-lo a rm da Uttri
de Deus n. 38, oa rna do Brnm n. 66, pM
recompensado.
Fuga.
Desapparecen h tres dias da roa da >mp-
ratrii n 35 primeiro andar, um moleqo I* r> rqa
Firminn, que levon jai|u>'ia e calca de linhn, e t#**n
os seguintes signaes : cor n3o muito prn, marry
de bexigas tiem visiveis 110 rosto, onde uwb>m
unta em cim de uma das funtes uma eirfr>a nV>
confla-se que o dito mo4j ae.ma-lo n- -_
ridade, ou que tiv-sse tomado a estraila di* Olin "J
Qutfin o apprehender e levar a referida casa Kfl
recoropemade.
MOTILADO


-
IMr 9>rriiMkM( ... fteg*4a felra 1 c Ontabre de li4.
LlffERTRA.
.1 .irnoiiia dos poderes entre si e
com a naca.
(Concluso.)
fcs exprossoes chefe do poder executivo de-
VOfll desappareeer, ou equivaler as "eipressSes
presidente 'J ministros do ejecutivo, porque per-
(cueendo assjmbla geral o direito do nomear
CJlss ministros deve liaver entre elles uin chefe
C presl lente, que, sendo o primeiro escolhido, te-
lilla o diroiio do propor os outros ; c islo, alera do
ostras razOes, para evitar as difficuldadcs da csco-
Jba, c para que o poder ejecutivo seja um todo
fcartaonlco.
O. poJer oieculivo assini constituido pelos mi-
nistros nomeados polo poder legislativo, nao se po-
ler ruciar cmme ou rivalidade entre elles, e ao
contraro vivario ora paz perenne.
O >oJer administrativo, porm, separado delles,
c toa osea conselho, obrara com a maior indo-
fieadencia e assumir a mais efficaz energa, e pre-
eachera o mais importante papel.
Examinemos, pois, as attribuigoes do ciife do
.$41er executivo, e vejamos se sao todas ellas ad-
cvaUtraiivas, se lia alguma que seja propriaraeute
ejecutiva, o se lia outras, que, uao sendo executi-
va.;, lolavia devem perteucer aos miuistros do
Oieculivo, como delegados do poJor legislativo.
Traas, ah, das relagoes exteriores.
O exercicio da altribuicao de dirigir as relagoes
QptUriores do oslado roquer, por sua iniportauea,
a cjiupoteacia do imperador, como o primeiro re-
presentante da naco e seu proprio soberano, por-
que ella deve, ser exercida por ura s poder, e este ;
^Jei deve ser aquelle, que esta cima de todos os
outros : ola uo pode ser exercida pelo poder exe-;
cutivo, porque elle nao um |ioder poltico, e nao \
g)do sJ-Io pelo poder legislativo exclusivamente,I
dWcjue uu atii uas condicoes do chefe do estado
e primeiro represeilanto da naco : ella nao pde;
*CT exercida por todos juntamente, porque as ne-1
c -silades de momento, que ella envolve, exigem,
s votos, rpido [ireenchimento ; logo deve ser
exercida por elle.
fe.la deve, pois, ser exercda por elle, como ad-
tranislrador supremo, perqu como tal elle deve
8T o juix, mais hbil para decidir das causas gran-
des o urgentes do paiz; tal aitribuicao exige urna <
experiencia cousumraada, um grande estado, ama'
ftteadto i) urna vigilancia constantes, e as condi- j
i l\ir va de exciuso restara os aris. 12, 13 e lo,'
ouo encerrara attribuigoes, que devem ser segre-1
$aias do pudor administrativo, porque eutendein
COm miauciusidades, a que o imperador nao pode j
duscer, c nada tem de coramum com a suprema!
amiaistrago do estado; porm, ao contrario, mu-1
(j proprias sao dos ministros da assembla geral,
OU poler executivo.
Oanlo ao direito de nomeacao, de que fallam
os j 3, 4, o e 6 do art. iO, de que tratamos, j
eos oceupamos delle.
Ests iJas podom ser applicadas, com as ne-
cesarias limitacods, ao goveroo das provincias.
Filiemos du poder judiciario.
la vimos era outro lugar, que o poder adminis-
trativo moderador nada tinha de commum com o
fir.iprio de ambos, e muito menos com o poder
Cx.-culivo : vejamjs agora se elle tem alguma cou-
sa de commum com o poder judiciario.
legislador deve ser o inelhor julz, e o juiz deve
ser o inelhor legislador, sem que d'ahl se possa
C0n;luir, que eltes so possam confundir : nao por-
que nao fosse conveniente, que um bom juz fosse le-
gislador, ou que um bom legislador fosse. juiz : po-
Tem porque seria preciso erigir em principio a in-
fjvfeclibilidade humana.
O goveroo absoluto s 6 para Deus.
O poder do legislador nao lo grande como o
p i J.-! do juiz : reun o legislador ao juiz e terete a
Omnipotencia : comparae o legislador com o juiz e
yr do que uiz : ja muito gran lo o seu poder.
Consideremos quo o legislador tem um carcter
'potinco porque o individua precisa da le, romo
.garanta do direito de todos, para que o fraco nao
seja vilipendiado pelo forte, para que a voutade da
Coica nao substitua a razio do direito. a juslicada
4brc,a forca da justica.
h le o inieresse de todos, c a razio de todos,
.6 o direito de tolos : 6 preciso, pois, que a lei ve-
!n1a dcHodps.
I
FOLHETIH
O ESQUELETO
POR
CIMILLO CASTILLO BRINCO.
Continuacao.
O ciorgado da Palmeira cuidou que fcilmente
desatavam os vnculos tenazes do amorhabito
Este amor tao entranhado e subtil em alguns
temperamento?, que at resiste lima roaz do t-
dio. Se a inuliier fastidiosa desaparece dos olhos
/atibados do a verem, han sei de que rei'olhos da
srtnia cebenta um espiuho levemente doloroso,
mude inesperadamente fere; mas, eom o rodar
dfe das, crava-se, punge, e doe tanto como a sau-
dade da mulher que mais se ama e de*eja.
t-ta dr sentiu-a elle, quando se vu na Vidago,
tu p do leito da me entrevada, sem sociedade
jgn distraisse, alera do reitor que o mortifleava
Compprguntas sobre os piizes estrangeiros.
. turnares, u'aquella povoaeao, nio havia urna
que '.he prenderse o olhar, nem o izesse descer
l*.psesta, em oompeteueia com os seus creados.
Perguntava a desmemoriada me peas forrao'sas
primas, que deixra, em tal e tal casa. A veiha
fosjiondu-lne que urnas estavaiu acabadas, outras
caaes de athos, e outras na sepultura. Nicolau de
Alesquita espautava-se de aehar extineta a formo-
sur.i das prunas da sua creaco. Os homens, que
o descaem ou ugem nao descair da mocidade
^lo epressa, asso nbram-se da raudanca que dez
na>s fazem no rosto e na alma das mulheres suas
fntraporaneas.
^Poi isto grande parte na saudade, que por pouco
0 nao i npelliu a> Porto. Se fosse, antes do reac"
Ceu Io'-.-c na ciiamma do seu amigo amor a Mar.
{rida, urna nova enchente de tedio Ihe apagara
*s falseas instantneas. E p*ins. as trvas, qne se carregam depois, ha
m (datar de coragao, angustia incomparavel com
a tristeza da saudade.
1 Elle adivinhawa este segredo, que o dos sabemos
I' animo fri; o todos ignoramos, se a paiao nos
ajedus a razao experimentada nos desvarios pre-
fwi"* e nos alheios. Anda assim, pode ser que o
fjresagio o nao deroovesse : conteve-o, por ventu-
a' o receio do exp6r-3e s iras do chanceller
O poder judiciario representa a justica, mais
como a applieacae da lei positiva, do quo como ap-
plicagao da lei moral: porm a lei nao pode pre-
ver, todo, e 6 necessario jalgar tudo quanto se v :
o julz nao deve flear com os bracos cruzados dian-
te da justica e da razao, salva a presunipco de
innocencia, que s existo quando pode existir.a da
ignorancia ; porque pode haver uiamr ou menor
falta do senso moral nos homens : porm qnando
se trata de interesses nnteriaes mais difflcil i
que se desconheca onde est a perv.rsidado do
tioraem natural, purm qne se desconheca de
quem e a propnedade mais difflcil: o mundo
material est debaixo dos sentidos immediatamen-
te : porem o mundo moral esl debaixo do mais
espesso vu. pois, motas vezes preciso qne o
juz jnlgue sem lei ajumas a isto quo mais f-
cil, fazer a le do que apphca-la ; porque a lei a
forma simples do direito, que sempre certo
porque um e o mesmo para todos : e a furiego
de julgar comprehende muitas funecoes do espi-
rito.
Ponderae ainda quantas qualidades sao precisas,
para ser um bom juiz.. e em que gru, o veris que
o papel de juz muito mais importante do que, o
papel de legislador.
touclui d'ahi o que preciso para ser juiz dos
juizes, e veris que este juiz dos jnizes nao pode
ser outro soplo o soberano, a primeira pessoa do
ptiiz, aquelle, que nao precisa ser mais duque ,
e que para ser o que basta ser justo e hon-
rado.
De quem deve, pois, depender a magistratura,
senao do monarcha ? Ella deve depender somen-
te delle, e deve depender delle, como da esperaa-
5i e do temor dependem todos os actos huma-
nos.
J temos visto e nao ha duvidar da grande dif-
ferenca, que separa o puder judiciario, tanto do
puder legislativo como do poder executivo.
O puder executivo deve depender especialmen-
te do legislativo, como o judiciario do administra-
tivo ; elles devem e lar ligados por estreitas re-
lagoes, do mesmo modo que pelos principios que
representara.
' verdade que todos os poderes pblicos devem
depender dos |dous poderes polticos, porm do
legislativo s devem depender pela lei ou para a
lei inmediatamente.
O poder ministerial ou executivo, porm, deve
depender exclusivamente, por excepcao, do legis-
lativo : assim como o conselho administrativo
deve depender exclusivamente do poder adminis-
trativo.
O poder executivo deve depender do legislativo,
por isto mesmo que o legislativo immediata-
mente dependente da naco. Com effeito, o tri-
buto, que o cidado pa?a, com o cansaco de seu
corpo, e com o proprio sacrificio, nao somente de
seus comraodos, mas tambera de sua saleede
sua propria vida, nao deve estar a raerc de mi-
nistros ladroes, que bebem o sangue do povo na
laca do peculato.
Quanto maior o crirae, mais e maiores crimes
arrnsta aps si.
Bebis o sangue do cidadao, lancaes sobre elles
todas as infamias, e pisaes finalmente o seu ca-
dver.
Sois vos que governaes a manada ; nao ha ou-
tro governo visivel uo paiz, senhores ministros :
vos, e todo o funecienalisrao publico, a cuja van-
guarda este segu, e que obedece dcilmente ao
vosso aceuo.
Homens sensatos eu appello para vossa razao ;
homens justes eu appello para vossa consciencia;
reflecti e reflecti bem.
tEsta forma de governo tomada deemprestmo
luglaterra, e que se tem falsamente chamado
representativa a theoria da tfitul^io, ontr a
pocha, em que as castas reioaram sem contesta-
cao, e aquellas em que a consciencia publica tem
adoptado o dogma da egualdade : diz um publi-
cista Francez.
A verdade, porm, est, em que os fructos de
um tal System a, assim falseado, nao sao seno a
centralisaco, o entorpecimento de todas as liber.
dades publicas, e o desenvolvimento crescentedo
pauperismo.
15' preciso ver de onde parte o mal, antes de
emputa-lo monarchia.
E' preciso ferir de morte a propaganda repu-
bli ana, queja vae tomando vulto.
E' preciso robustecer as crencas do paiz na gran-
deza do. elemento monarchico, e por aos olhos dos
homens, e luz do sol, as raizes- da herva par-
sita, que mata o principio, da representado, no
sysiema, que nos rege.
O povo nunca v senao as formas ou os sm-
bolos. Elle accreditou que o Gm da revolugo
Margarida, em quanto a perplexidade do amante
durou, recebeu cartas muito amoraveis, que Ihe
consolaram a vaidade. Responda ella que a cha-
masse a vivar obscura entre arvore<, sem mais
alegras que as das avesinhas e a certeza de ser
precisa a vida del'e. Estas supplicas demonstran)
a smgeleza ou o errado artificio de Margarida. Se
ella tivesse respoodido framente, resignndose
com a ausencia, Nicolau iria busca-la. Nos enten-
demos sempre que a resignago renuncia. O
cumie faz euto prodigios que nivellam o mais des-
camado orgulho com a allucinaco de Werther ou
Othello.
Perinneceu o raorgado na indeciso, at que,
um oa, foi a Chaves cuucorrer a um baile, coiu
que seu primo Martiuho Xfcfier de Souza Vahia
celebrava o natalicio de sua lilba primognita Bea-
triz. Tuina dezeseis anuo esta ineuiua. Busto e
caudura o ceu. Aiegna de borboleta na prima-
vera entre as alvissimas flores do espinheiro.
Nicolau dancou com sua sobnuha...ou prima.
Elle autes quena que Beatriz Ihe chaiiiosse primo.
Passuu a uoute : uiugueiu vira daucar o inorgado
da l'aliueira com cuica dama. E a raiuha da tes-
ta urna vez apenas esvoacara na sala amparada, se
uo levemente preso por um dos auueis louros do
seu cabello a espadua de outro bomem.
De Nicolau uo Mosquita diziam as mulheres :
Parece que tem viute e ciuco annos Como esl
mogo, e que airosidade na danya I
Pois tem perio de quareuta annos I -Atalha-
va um moco de viute, com ura sorriso e abanar de
cabeca desdenhosos.
Acabou nesta noute a indeciso de Nicolau, rs-
pede a madama Proment.
Recolhe.ndo Vidalgo, encontrou nma carta em
que ella amorosamente o ameacava de ir procra-
lo, sem conseutnnento previo. Apress-u-se elle a
responder-lhe que se coutivesse, a nao querer con-
tiaria-lo.
.'Jous das passado.-, tornou para Chaves, a cum-
prir a promesas de qiiiuze dias de hospedagera em
cafa de seu prima vahia : quinze dias de jantares
e saraus, em que Nn-olu de Mesquita impresso-
nou muitas damas rom o leve encommodo de con-
tar ane.loctas joviaes, costumes estrangeiros, amo-
res celebrados, aventuras estranhas, cousas de
chorar e de rir, iguarias para todos o paladares.
Beatriz era das que folgava das historietas face-
tas. Casos de lagrimas interneciam-na at Ihe mo- j
lestarem os ervos. Pediu ella a seu primo coa
frinceza coosisUa em destruir radicalmente a rea-
lea, em quanto que ei;e coositia em destruir o
rgimen do bel prazer, e sabstitoir o reinado da
lei ao reinado do arbitrio diz J. Simn.
Mas o povo francez nao con-e^uiu completa-
mente este flm ; por que nao obrou como um povo
sensato, e se deixou desvairar.
As ideas, que professamos nao sao exageradas
em poltica, e o alvo, a qne ellas se dirigem nao
outro seno o aperfeicoamento do systema monar-
chico coustitucional representativo, e defesa dos
interesses da cora e dopaiz, que se acham gran-
demente comprometidos, para qne a nu do esta-
do siga rumo direito ao aperfecoamenio dos Bra-
sileros e da humanidade.
Esperamos que a discusso, entre os mestres da
scencia, esclareca as nossas ideas, e praza aos
cus que ellas engrandeema no espirito nacional.
Recife, 4 de olubro de 1864.
Jos Pedreira Frmra Jnior.
DI POLCO DI TUDO.
L-se na Independencia Belga o segninte :
Imagfoae urna machina vapor da torca da
mais poderosa orchestra, e, con indo, basta um
s executante para executar com esta machina
a msica mais variada e.difflciL
Tal o novo instrumento inventado por MM.
Denoy e Morris e importado por elles da America
com o norae de Arophon.
O Arophon assemelha-se a um piano de cauda
o a sua estructura interior tem alguma analoga
com o orgao, s cora a differenca que o vapor
que subslilue o ar nos tubos, sendo urna cousa
muito singular ver os penachos de fumo que, ao
mesmo lempo que o som, se escapam das numero-
sas boceas de trorabeta adaptadas a cada um dos
tubos.
J que fallamos na poderosa sonoridade do Aro-
phon, devemos acrescentar que se pode diminuir
a iotensdade do som ao ponto de o tornar suppor-
tavel n'uma sala, podendo-se assim admirar toda
a sua pureza e justeza.
Foi sabbado, 19, que nojardhn da Sociedade
Real de Zoologia.de Bruxellas, MM. Denoy e Mor-
ris fizeram ouvir pela primeira vez no continente
o seu novo instrumento diante de ura pequeo cir-
culo de conhecedores, que licaram mar vi Diados.
Estes habis constructores propoen -se fazer ou-
vir o Arophon no jardira zoolgico as-tardes em
que ali nao houer coneerto de msica marcial.
Pode de ante-mo assegurar-se-lhes ura grande
xito.
O jornal de aples de 17 de agosto eonta o se-
guidle :
Em aples na tarde do dia 16 no momento
era que a princeza de Tevra mademoselle d'Ava-
los e Mr. di Quarto futuro esposo desta menina
passeavam no jardira do palacio del Vasto na Chia-
ga, Mr. d'Avalos to da futura esposa descontente
da uniao projectada, possuido de ora sbito mo-
viraento de colera contra Mr. di Quarto lancou
contra elle ura cao de filia, mas o animal em vez
de morder Mr. di Quarto, se aproximou da prin-
ceza a quem comecou a fazer testa.
Mr. d'Avalos furioso deu urna chrcotada na cara
a Mr. di Quarto, este puchando entao da algibeira
de urna pistola fez fogo sobre Mr. d'Avalos, que o
feriu gravemente n'um lado. Urna senhora mui
ligada com Mr. d'Avalos disparou um tire de pis-
tola sobre Mr. di Quarto. As senhoras de Tevra
e d'Avalos desmaiaram.
O duque d'Avalos tendo corrido a urna janella
do palacio que deita para o jardim, proenrou soce-
gar os espirltos, instando com seu irmao para que
se moderasse e, mas este cada vez mais furioso
pega de urna espingarda de dous canos e faz fogo
sobre seu irmao, um dos tiros acertar no rosto do
duque, que Ocou todo bandado em s? r;uo. A Tor-
ga publica acudu, e verificado o f. 'lo conduziu
Mr. di Quarto ao corpo da guarda, deu a voz de
priso a Mr. d'Avalos.
Fui recitada esta poesa pelo Sr. Jos Jorge da
Silva Filho na Minerva Pernambucana.
Vde-os sao bellos ; aos velados cyrios
Bebem delirios d'infanlis amores;
E sempre d'alva no regago breve
De luz e nev c'roam-se de llores.
Elleo mancebo de sonhares santos,
De crenga e encantos trasbordada a alma,
I1.iliiil.) embora c com livor nos labios
Agres resabios de um penar ensalma.
Quem ? Chatterton o cysne que se abreva
e raiva seva a espicacar o louro,
De Ignez e Lysia o cantor mimoso,
Orpheu choroso do Mondego o Douro.
No po da estrada o misero Tancredo
Inda lo cedo a descorar de tome
Genio eis o sello do infeliz que gerae....
E o mundo treme murmurar-lhe o nome.
E ellaa raadona solagante e louca,
Que se desloara p'ra enxugar-lhe o pranto :
E ao corpo inerte se gelar no p
'Steude com d o seu virgneo mani.....
Um dia a virgem para o pobro amante
Foi anhelante mendigar piedade;
Subiu o alcacer onde o nce.-so ergueu-se,
E a arle vendeu-se bolos da vaidade..
Vos que da gloria a *erdejante palma,
Filhos do Taima, sabis ir aps.
Os bellos sonaos de ouro e de escarate
Do genio e d'arte coroae-os vos.
L-se na Recolurao de Setembro o seguinte :
Offereceu honlem no seu terceiro espectculo
algumas sortes novas o prestigiador hngaro
Valle.
Este artista, que se nao serve, de machinas, faz
os seus toara com summa franqueza; sempre
I vista do espectador, e todos elles sao divertidissi-
:mos.
E' um demonico o tai Velle.
Conta-se que elle fez no hotel central onde esleye
hospedado a seguinte diabrura:
Urna senhora franceza que ali se aehava hospe-
dada pediu ao criado que Ihe preparasse um
banno:
Garrn, prepnrer un bain.
Prorapto este o criado entrou com a dama a n-
dicar-lhe o quarto, qual nao foi o seu pasmo quan-
do ao abrir a porta, vetn o prestigiador, feito
nyade banhando-se na tina :
Oh I immoralidade I Ura homem !
Par don, madame, enganeime. Ha de ser
! no outro quarto, disse o criado confuso.
Entram no outro quarto, e, nova e extraordina-
| ria surpresa f L eslava tarabem Velle mettido
na tina.
Valha-me Dos. Ainda o mesmo. Como
foi isto ? Entremos no outro.
Entram, e... tambera l estava Velle tomando
banho.
Abrenuncio t anda aqu o dabo! J nao
quero semelhanto banho, e vou para outro hotel.
Entao o diabo, vendo tao atribulado aquelle an-
jo, explicoulhe com toda a paciencia, e chiste
aquelle novo tour a que nao era estranho um com-
plicado processo chimico, pois como notorio Vel-
le um bom professor de chimica.
mm
tos engragados. E Nicolau, que nunca em sua
vida Uvera graga, transverteu se por mdagre de
am r, e fez rir a lilha de seu primo. A sos com-
sigo, o otorgado da Palmeira, que vira muito e
brilhante mundo, quasi que de si mesmo na.
Voltou casa onde o chamara o aviso de estar a
me em perigo de vida.. Assistiulhe morte, fez-
Ihe enterro pomposo, encerrou-se por oito dias,
pagou as visitas, e voltou para Chaves.
Deste successo nao deu parte a M irganda nem
respondeu s cartas, que encontrara, queixosas
do seu silencio. A esposa de Ernesto Froment ti-
nha morrido para o amante como para o marido.
A Providencia ordenara formosa de Chaves que
langasse a prevaricadora no fogo expiatorio, nao
lavareda devorante, mas brazido lento, que Ihe
fosse queimaudo fibra p oude a vida Humana pode soffrer e morrer mil ve-
zes. Nicolau 'embrava-se del la com susto, e as
vezes com remorso; o susto de a ver atravessar-
se em seus designios; o remorso de atira-la a um
caminho, sera sabida que nao seja garganta de
vuragem.
Adiante I Nicolau de Mesquita conhecia minia-
res de exemplos. Em Paris, cada homem dos ad-
mirados e invejados no bosque de Bul.mha, no ca-
f Tortoni, nos centros da mocdade insigne, poda
contar dezenas d'aquellas historias, laudas da bio-
giaphia gloriosa que as mulheres das sala* repe-
tala sem horror.
O horror das mulheres das salas era para as vic-
timas
Homens sacrificados que elle nao conhecera.
Homens que immoiassem os niel llores annos da
sua mocdade a um dever, que o mundo chama
um escndalo. Homens que, em cada primavera
do corago arram-avam os renov* promettedores
de muitas alegras, e os atirassem fenecidos aos
ps de urna como estatua, incapaz de avahar a rc-
nanciago, ou, peior ainda, persuadida do dever do
sacrificio.
Nisso cogitara elle em todos os dias dos seis an-
nos de captiveiro.
Agora, na liberdade, era preciso ser homem co-
mo todos, ser forte para nao ser infeliz o ridiculo <
por que a desgraga dos penitentes, qae nfm podem
nobiiitar, com alguma sombra do moral commum,
o grandioso holocausto de sua liberdade, irriso-
ria.
E de pois. quem sabe ?
Margarida voltar para Franca, onde tem o ma-
Mt
(Ella). Olha, queridinho : j comprei aquelle...
(Elle). Que ?
(Ella). O vestido que me tinhas promettido
(Ella). Ah I sim : agora me record : ura ves-
tido de algodo.
(Elle). Ah I meu querido foi preciso tirar
d'hi o sentido. Muito me custou, verdade, mas
urna boa esposa deve saber vencer os seus capri-
chos...
(Elle). Mas, conia-mc Isso.
Klfa i. Pois tem pouco que ver. O algodao
est l por esas alturas de caro, per causa da
guerra dos Estados Unidos... ; e assim tive de
comprar um vestido.. .de seda I
(EHe, tomando a sua pilada). Quo demonio
de guerra I

Publica ura peridico eslrangeiro a seguinte es-
tatifica conjugal.
Probabilidades que, em diferentes edades teem
as mulheres para casar-su:
De mil mulheres casam-se 3i, de 14 a 13 annos
-101, de 16 a 17-Sttf, de 18 a 19-232, de 20 a
21263, de 22 a 23102, de 24 a 2660, de 26
a 27-13, de 28 a 29-12, de 30 a 31 14, de 32
a 338, de 34 a 33 2, de 36 a 37e 1, do 38a 39
Dos 40 annos em diante as probabilidades favo-
raveis expressam-se p^r fra^ooc incigaiOoaatoe-

N'uns documentos curiosos foi a tempos encon-
trada urna petigao a el-re Fernando VH, na qnar
so fazia ver o direito a urna recompensa por ser-
vicos prestados-, no numero dos quaes o peticiona-
rio expunha, que era tanto o amor que tinha sna
patria, que nunca havia saido fra dos muros da
cidade em que nascera (Cdiz) ; e qne por conse-
grante nao sabia onde ficava a Puerta de Fierro.
Apesar de tanto patrioiismo, nao obteve recom-
pensa.
Fosse aquillo hoje, que nos veramos se, com
menos merecimentos, o nao fariam ahi Sarao de
qualqner cousa.
rido e a mae. Se o marido a recebe, feliz culpa que
a melle no caminho da rehablitago 1 Se a rege;-
ta, a me Ihe abrir os bracos eo sanctuario da
familia Ihe purificar o espirito Esta moralidade,
sbitamente formando no animo do morgado, urna
zombaria da virtude. Faz-se muila moralidade as-
sira ; e a sociedade s vezes applaudi-a, e. sahe
em auxilio dos moralisadores.
Com estas hypotheses combata Nicolao de Mes-
quita o imperiiueute remorso, quando la para Cha-
ves. Porm, assim que se refugiou sob os olhos tu-
telares de Beatriz, a chimera da consciencia fugiu
espavorida.
Martinho Xavier perguntra a sua lilha se o pri-
mo de Vidago Ihe dlzia particularmente palavras
indicativas de algum sentimento mais forte que o
do parentesco e amisade.
Beatriz corou. O pae ficou salisfoito.
E, n'oulro ensejo, perguntou-lhe :
Gostas do primo Nicolau ? S sincera, minha
filha.
Nao desgosto... balbuciou a pomba.
E, se elle quizesseser teu marido, acceitarias
de boa vontade ?
Querendo meu pae....
Eu nao quero, nem deixo deixe de querer.
Consulto a tua voutade.
-Eu...
Acceitas ?
Pois slm .
Mas, tornou Martinho Xavier, tu ; antes da
viuda de Nicolau, parece que acceilavas a corte do
primo de Fayoens, que foi creade comligo.
Beatriz corou, e calou-se. O pae achou prudente
calar-se tambem, neste artigo melindroso, e volveu
ao essencial:
Nicolau pergunlou-me se o teu corago esta
N o da 21 de agosto ultimo, reuniram-se na sua
villa de Passy os amigos de Rossini, por occasio
da festa de Santo Gi achino, que a Italia toda ce-
lebra naquelle da em Pezzaro. Depois do jantar,
os jardins da villa Rossini allumaram-se como por
encanto, a um brilhante fogo de artificio, cemposto
por Ruggieri, compatricio do celebre maestro, vea
coroar a festa.
Acabados os fogos, entrou-se nos saloes, onde
estavam preparadas novas surprezas; os Srs. Fau-
re, Obln e Villaret, acompanhados pelo Sr. Vau-
throt, director de canto da Opera, esecutaram, no
meio das acclamagoes enthusiastas da assembla,
os iramortaes- do e tro de Gudheemt Tell, que ti-
nham fleado esquecidos pelo autor desde 1829,
poca da creago desta sublime obra prima. De-
pois, um grande artista do mesmo terapo, Tambu-
rim, executou no piano o do d'il Barbiere com
urna grande cantora ingleza, Lcmmen* Sherrigh-
ton, que executou deliciosamente a cavatina de
Bianca Faliro, hoje quasi esquecida.
A' par de ludo isto.Luiz Dinier fez admirar duas
pegas instrnmentaes de Rossini, acompanhando-as
elle mesmo ao pianoa eliga dos Adieux la vie
mavioso trecho medito, escriplo n'um s tom, e
com a letra de Emiliano Pacini. Lemmens fez
nesta execugao cousas admira ver, os espectadores
pediram o bis.
Depois da msica, veta a comedia. Damain e!
Coquelra, o joven c j excedente cmico do thea-
tro francez representaran! com mu 'o espirito e
graga a Wagn, de Verconsio.
Os saloes estavam inundados de flores ; e jumo
piano aehava-so collocado um soberbo meda-
Ibo -apolheose representando o celebre maestro
- expressamente execulado pel celebre estatua-
rio H. Chevaler.
A esta obra Aspirada, a este fiel o caractersti-
co profil romano, que faz lembrar o pante, dever I
a grande figura de Rossini a gloria de vi ver para
as geracoes futuras, em todo o explendor do genio
que a Franga e a Italia acabam do honrar oom
as mais elevadas dislmcges.
Disse um telegramma que, por occasiao das fes-
tas, o ministro do imperio, Peruzct. proclamara
ofBcialmenle que Si M. el-rei Vctor Emmanuel
honrava com o cordb da ordem de S. Mauricio a
Gioachiano Rossini, grande ofOcial da legio de
honra, de Franga.
*
Existe em Saragoga urna mulher que possue o
dom sublime do expedir o espirito maligno do
corpo dos condemnados!
O povo er pamente nesta burla : i ltimamen-
te se dizia naquella cidado que do corpo de urna
senhora aragoneza tivera 3 boa da mulher a habi-
lidade de expedir vinle e quatro espiritos mus.
Devia ser de grandes proporgoes o corpo que
assim podia conler tao sem ceremonia nada menos
de vinle e quatro dos taes espiritos.
Crera todos que s por influxo divino opera a
mulher milagres assim sublimes.
Tambem parece certo que custa bom dinheiro a
expulso do infernal Belsebuth.
A Aurora do Lima, peridico do Vianna, publi-
ca na sua folha o seguinte :
Paulo Jos Lopes, sachrlsto, e sua mulher, ara-
bes octogenarios, e mais seis pessoas de familia,
esliveram hontera a ponte de ser victimas da es-
tpida malvadez de um monstro, que, para maior
horror, filho daquelles dous velhos Antonio,
que assim se chama essa fera, tendo nao sabemos
que questes com seu pae, resol veu envennalo I !
Para executar o seu infernal plano, lancou urna
grande porgo de verdete na pauella era que hon-
tera a noute se estava cosinhando a ceia da fami-
lia e depois sahiu para o tbeatro.
Pae, me, irmos e irmas pozeram-se mesa, e
logo que principiaram a ceiar conheceram que a
comida tinha um gesto pessimo.
Examinada ella, acharara-lhe urna cor desusada,
que fez suspeitar a existencia de veneno e com
alguem da familia declaraatc entao que tinha visto
o Antonio a meter a panella antes de sahir para o
theatro, acrescendo mais a circunstancia de elle
ter dito que nao qu'eria ceiar, as suspmtas torna-
ra m se quasi em certeza, e toda a familia tomou
logo azeite para combater a acgo do veneno, eme
anda assim nao poda ser muito f>rte, porque o
mau sabor da comida era tal, que todos a pozeram
de parto apenas a provarara.
O malvado, quo para exercer urna j de si eri-
minoMssma viuganga contra seu pac, pobre velbo
de 81 annos, nao reeuou aote a hoirorosa idea de
envenenar ao mesmo tempo sua me, seus irmos
e irmas, nao merece o nome de homem : a huma-
ad trsame
9, m da>
nidade envergonba-se de contar do sen gremio om
lal monstro I
Na Cruz le-se o segninte : .
E' sempre agradavel para nos eommemorarmos
um fado em louvor da Virgem por exctttnem
Para os incrdulos, o que vamos referir servir
de confuso, e para os bons ralholicos de atagr
e de jubilo.
' um facto que nos foi trazido pelo aiajiolo
passado, sobre a vida do duqtw de tekoff, oM-
mamenie morto em Argel, e referido pelo sen aau-
go e confessor o hispo desse lugar.
O general Pelliasier no durraame caaeeHm de
guerra na Crimea em 18-V>, tinba decidido k o
ataque de Seuastopool seria dado a 8 de etrmaco
Terminado o cooselno, um doa gaawnn fran-
ceses veio ter com o futuro duqne de Matokoff, e
ll>e fez ver a inconveniencia do din do ataque, #-
zendo :
Talvez alguns adiados ti
do Hipismo, vejam no dia 8 Je
nascimento da mae de Deus, nma
meditada que cheira adeto-no : nao seja pru-
deuteexpOroexercito (raacez a sor acensado de
supersligao.
Que me importa, respondeu MM 9
Malakoff, com sua natural vivacidad : se os
dos nao amara a Santissima Virgem. si ama aa>
beces : sabei pon Ir re de Fraaea eaaMgm
a monarchia a Mara ; en quero rrpurldmiaim de-
dicar a esta boa Virgem o exerria feaMH ajae
agora commando .' O lia que escom, i
bem e 'colindo : o asfalto de Sebastopeet
dado no da do nascimento daSaDtis*ima Vlrptm '
E Sebastopool foi temada ao da 8 do smame '
O general Pellissier era nm verdademo eaaaak-
cd que muito contriboi para a ed)6eaea da egre-
ja de Nossa Senhora da Victorias em MtmA o e-
recendo-lhn para suacupala ama en
Sebastopool.
Km sna vida ha um outro tacto me I
seus scntimenlos para com o enea? d
Em 1862 am* elle ao bi*pn de Ariel : Ea
part para Roma, deparaos ps do mmmjo car
fice minhas profundas bomenageos de mae e de
soldado; disse-lhe que coraftartilhava
mente suas penas, e qoe me juliana
de consagrar minha espada em sna
O dnqne d Malakoff. morrea ibrarseraei
cruz do Santo Sepulchro.
Oh I se os nossos homens de guerra
como este vaiente general, quanto
e o paiz comoosco I
ame
felize.
L-se na Nacaoo seguinte :
Desdo o principio de janno at 17 de Jgu.mi o-
ram morios por meio de eterrhiai\eie eoafir-
midado com o bando do alcaide eorregeor a ci-
dade de Madrid 1,003 caes vagar undos.
Transcrevemos o seguinte do Corrra lfremaM:
O operarios de Londres itfrnm BwaitVem ia
da Sra. Rnrdelt Cantts. a rica lNa)ajmmm4*4
e no opulento an>irirano, o Sr. Pmihuy. Wv* i
nirtcos e'ahelerimenlns, nm m*ia rrvlha 4etSI
re-iieh Chewrh, na GmatMMa Sqnre. e retro om
White Uo Street, perto de SpilalAeids.
E' cabido qnanto sao raros era Londres o* am-
en i- de casa.
Quando o nner-ario ol)rir*V, a smtrfttar ae-
meros. familia, tnrna-e-lhe imnosuTel ipnr.r .
menor nnantia de dinheiro, eainda aJimuo har-
rns mais povoadn nSn e eneonlram enatt aaaa
nepras. aeamada e immnnda-. E" aKi^ a at-
mnephera daqnelias mas escaras, onde o vieio se
acotovela com a miseria.
O esiaheleejmento da Sr. Conlts divi** eni
quatro rorpos de cinco ndare rada om ; rmrom
tram-e ali Indas as rnmmodidade iwffnaa
vida ; caas de hanho ; sala de reunan ntmmi i
e arejadas, eaz, etc. Tem 390 hahtiarftes lr f*
familias; o alniruei para cada quarto de tsad-
lingl por semana.
Qnanto ao Sr. Peahady. depois de ter reaeaado
immena fortuna em Inelaierra. qnbi na aonno
de vnltar so sen pefc, deixar nn ba rtrmm^io
aos pobres de l/mdn-s. entreeando a abmiM anM-
gns a qnantia de sei tos de r par ser applieada a nm estelerimtn-
to de henefireneia. Os ,ndminsiradnre oannV-
ram que o meihor que lnham a farer era roes-
tmir nma hahiugo para os pobres pebteodeto do
da Sra Conlt.
Este cstabelecimentn arana de se abrir w ^.
rarios e desgracadoi Os indigente mo na preredentemonte citada todas as mmmndi-
dartr-s de i|ue se vera privados na maior parte do
tempo.
va livre. Respond que o suppunha desprendido de I __Que ?!
Nenhum homem que Ihe inquietasse o co-
rago...
Nenhum... ^_
Acredito a, Beatriz. Pois saiba que lia de ser
venturosa, quautoos anjos podem ser neste inundo.
Ilei de obriga-la com extremos de amor a ser mi-
nha amiga. Vr-me ha invollieeer, e entao sentir
por iiiiiii affecto de lilha. O humera, na iDinha eda-
de, sabe como se faz a felicidado de urna muitier.
Eutrego-lne o corago maculado, mas anda forte
de vida, a vida do coiaco que a poesia das al-
mas eulliusiasias. Se rae uu.seulisse gasto o iusbu-
sivel, a prima Beatriz, com o segrodo que leve de
influir um sagrado fogo uo gelo da minha vida mo-
ral, havia de fazer o menor milagro de retnogar-me
Sera feliz, minha prima: juro-ln'o, beijando-lhe es-
ta mo pura !
Beatriz cedeu fcilmente a mo, para nao preju-
diear o ritual do jurameuto.
Se Deus fosse carne, e tivesse labios susceptiveis
de obedecerem as contrages convulsas dos ms-
culos faciaes, ria-se sardnicamente daquelle jura-
mento.
O lance, digno de ser pintado com as branduras
de Bernardin de S. Pierre, foi interrompido por
um criado, que apresentava a Nicolau de Mesquita
urna carta, viuda em mo propria, de Villa Pouca
de Aguiar, distante de Chaves tres ou quatro le-
guas.
O morgado vu o sobescripto, e mudou de cor.
Era a letra de Margarida From-nt, que havia
chegado Villa Punca na tarde do dia.anlerior.
O conte lo erara duas palavras : estol' aqu.
Beatriz ergueu-se em punta de ps. Adoravel cu-
riosidade I Viu; mas nao enteudeu. Era em fran-
cez. Encaren no primo, e disse sobresaltada :
affeigo seria. Quiz elle saber se tu quererlas ligar
a tua mocdade aos annos ja adiantados de um ho-
rnera que le araaria como esposo, e estremecera
como pae. Vou dar-ihe a tua resposta, se que j
Ih'a nao dsie.
A menina fez um gesto de assentimenlo.
O morgado da Palmeira, no dia Seguinte, disse
a Beatriz:
Quer meditar alaum tempo antes de ser mi-
nha esposa, prima Beatriz?
J respondi, primo Nicolao.
Despede-se sem saudades da sua mocidade ?
Naodexa impressarj que a possamagoar?
Nao.,,
Um amigo que me chama Villa Pouca tar-
tamudeen.
E por que nao vem c ? replicou a innocen-
te rom a cavilosa dialctica do una senhora j es-
quecida do tempo era que passou pelas varzeas flo-
ridas da innnrencia.
E' um Francez, meu amigo, que vae de passa-
gem para a Hespanha, e precisa de recursos.
Nao se assigavu? I redarguiu candidamente
Beatriz.
o, porque... porque perseguido em Por-
tugal, c receou que se desencaminhasne a carta.
E vae ?
Sera demora. Devo-lho obsequios,
Estas palavras j foram ditas con leda a qoieta-
ein de animo. Beatriz s-icegou ; mas, deaai. ajeo
Nicolao sahiu, inqaietnu-e e mandnu, a nc-ulta-
do pae, um criado Villa Pouca, espiar os pojos
do morgado da Palmeira.
Amava-o : eslou era crer qne o amara.
Nicolau de Mesquita ia chammejaado de raiva a
Margarida. Esporeava o cavado, qne devana as
le-uas em furiosa desfilada. Soflreavaa brida ms-
tantaneamente, para meditar no eoe feria. Bara-
lliavam-se llie os planos, todos nseravnt, seaao
abejectos.
Apena porta da estalagem.
A Franceza esperou o no topo da escada, abriado
os bracos. Nicolau apertou-lhe a mo, a
cialraente :
Que isto t
Margarida trasllguron-se. Deixo cair
mente os bracos, e disse ento dorida e
Para que veiu aqui ?
Pois a tua carta qne significa ? Responde.
Nada. Rcspondesse Nao leetiiye a des-
gragada, a perdida, a infame qne me estrave. Des-
gracei-a eu, perdi-a eu, miinei-a eo; afea aao a
couhego. > Respondesse a quila Antes isto, que repetir a muiber que de ara-
gos abertos lite offerero o corago traospassado de
dores.
Vem c, Margarida! tornou o morgado, si-
mulando raeiguiee. Vera conversar commigo. T
s injusta ou e.-ias engaada.
A Franceza abnu a poru do sea quarto. Nrolau
sentou-se a limpar as hagas de snor. K ella ficou
em p dofronte d'elle, bina, sublime, fonia a
foi midavel de odio, d amor, de desesperacao o de
ternura, um ind.-limvel eonjoncto de demomo da
soberba e anjo da agona.
E elle, estava como se a nr,o visse, fitaado-a nos
olhos corleantes. Latejavam-lbe as feetea bati-
das de dentro por clavas de ferro. Seria om atroz
pezadelo, se nao fosse um abafar de vergea e
rancor.
Margarida esperou alguns segando*, e dame:
Conversemos, pois,
Nicolau ergueu-se de golpe, e exclaaao:
Disprcso a irona I
Issu c urna miseria, Sr. Nicolao, retoffma
serenamente a Franceza. Conversemos pmu I
(CoMamrtHm.)
PERNAMBCO.-TYP. DE M. F. DS F. FlUfO



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8RY3RXGF_CSAB5J INGEST_TIME 2013-08-28T00:42:28Z PACKAGE AA00011611_10488
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES