Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10487


This item is only available as the following downloads:


Full Text

;>
>

moa. mwEm m.
Por tres Mezes diaitados 5$O00
Por tres mezes vencidos 6JUUU
Porte ao correio por tres mezes. ^750

SABBADO i BE 0UTBR0 D 1884.
i -
Por auno adla^tadn.....19SC0O
Porte ao correio por nm aano 3f0M
INCARREGADOS L-a SUBSCRIPTO AO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexaudrino da Linu i
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv, o
ir. A. de Lemos Braga; Gear. o Sr. J. Jos de
liveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Piuheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SDL.
Alagoas, o Sr. Claudino Faico Dias; Bania, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
t-hiiijA DOa KAAFBTAS.
O,inda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu*, Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas eiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas eiras.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas eiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao V dia.
. EPHEMERIDES DO MEZ DE OUTUBRO.
8 Quarto cresc. a 1 h., 17 m. e 30 s. da t.
15 La cheia as 4 h., 55 m. e 38 s. da m.
22 Quarto ming. as 8 h., 59 m. e 48 s. da m.
30 La nova a 1 h., 8 m. e 26 s. da t.
PREAMAR DB HOJB.
Primeira as 7 horas a 42 minutos da manha.
Segunda as 8 horas 6 minutos da tarde.
Pr-R.l^LOi VA, OREa COSi^IROl
Para o sul at Alagas a b e 26; par* o norte at
a Granja 7 22 de cada mez; para Fernando nos
ciar dos mezes de jan. marc., ciaio, jul, set. euov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recie : do Apipacos s 6 V, 7, 7 /*,*!
8 V dam.; de linda 8 da m. e 6 da tordeyae
Jaboatao as 6 Vi da ni.; 9o Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemffca idam.
Do Recie : para o Apipucos s 3 'A *. V V*
5, 8 lU, I */i e 6 da torda; para Olinda as 7 da
manha e 4 i/t da tarde: para Jaboatao s 4 da tar-
de -, para Cachang e Vanea s 4 Vi da tarde; para
deruca s 4 da urde.
i l/p j\^L*\.iwl DA un'tmA>-
Tribunai docununercio: segundas quintas.
Retocad: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta s id horas.
tlniio do commereio: segundas s-11 horas.
Dito de orphs: torga* sextas s 10 horas.
Primeira vam do civsl: (arcas mas ao meio
dia.
Segunda vara do rival: quartts Babeados a 1 hora
da tarde
:.t- t>a
I JU.
3. Segunda. S. Msximiauo b. : S. En-iqoio m.
4. Jerga. S. FniiM'i.-ro de jwaia, fundador,
o.yuarla. S. Placido e seusromp. mu.
6 Quinta. S. Bruno fundador da nrdemrartuxa.
7. Sexta. S. Mareos p.-, S. Angun awA
8. Sabbado. S. Brgida princeza it > enra viav.
'.'. uinuigo. S. Dionisio b ni.: S. Andronico.
AS8IGNA-S3
no Rtti, em a librara da nraca 4a Independes* u
ns. 6 e 8, dos proDrietorios Manoel Figoeiroa i,
Faria & Fimo.
PARTE UFFIUIAL
tiOVERSO DA PROVINCIA.
Conlinuacao do expediente do lia \ de ouluhro
de 186i.
Olicio ao inspector dathesouraria de fazenda.
Ten Jo o goveroo imperial por aviso de 13 de junlio
p. Ando, revogado a denso de 2 do mesmo mez,
que havia julgado procedente o recurso iulerposto
por essa thesouraria sobre o pagamento da despeza
comjuzes na guarda da cadea da villa de Barrei-
ros- nos mezes de julho dezembro do anno prxi-
mo findo, reconhecondo deste modo que nao eram
procedentes as razos em que se fundou o mesmo
recurso, pelos quaes essa reparticao impugnouno
s aquella pagamento. *mas tambem os de iguaes
despezs, que posteriormente tcm sido requeridos,
recommendo a V. S., que mande faser effectivo o
pagamento das despezs de agua, luz e quarM com
os destacamentos de tropa de linha de que tratam
os papis que acompanham.
Relacao das pcssoas a quem se tem de fazer paga-
mento de conformidade com o cilicio suppra :
Jos dos Santos Neves, teaente Jos do Reg
Barros, capitao Antonio Luiz uarte Nones, alte-
res Tiberio Olegario Cesar Bualamaque, capitao
Manoel de Azevedo do Nascimenlo, Claudo Dubeux
na qualidade de procurador de Alexandre Varia
Barbosa da Silva, capitn Amonio Cabral de Mello
Lucio. Joaquim Elvwo Al ves a Suva, Antonia'
Marques Santiago," Justino Eugenio La venere, na
qualidade de procurador de Francisco L-ao da Sil-
veira, commendador Joaquim Lucio Monteiro da
Franca, Antonio Domingues de Slmeida Pogas, Io
sargento Fraocisco Ferreira Goelho, alteres Jesui-
ne Deoeleciano de Souza'Brno, Joao Pereira Go-
veia Torres Gallindo, Francisco das Chagas Cor-
deiro Campos, delegado do termo de Flores, e ao
subdelegado do distncto de Beberibe Francisco Bre-
derodes de Andrade.
Offlcio ao commandante das armas.Expela V.
S. as suas ordens para que no dia 9 do corrente
s 10 horas da manha, esteja postada urna guarda
de honra em frente do convento do Carmo desta
cidade, aflm de assistir os actos da festa do Nossa
Senhora do Rosario, que se tem de celebrar na-
jodle dia.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Recommendo V. S. que mande pagar ao emprei-
teiro dos reparos do palacio da presidencia Anto-
nio de Barros Faloao a quantia de 2055500 rs., a
que tem direito, por haver executado taes reparos,
do conormidade com o respectivo orcamento, se-
gundo consta de offlcio do chefe interino da repar-
ticiio das obras publieas datado de hoje, e soto n.
29. Gommunicou-se ao engenheiro .chefe 0>s
obras publicas. -----'
Dilo^n fneemo Mfea sua \mtora*$ao de
honlerf, sob n. 569, dada com referencia a da con-
tadura dessa thesouraria, acerca do requerimento
que incluso devolvo, no qual o juiz de direito da
comarca de Flores, bacharel Joao Rodrigues Cha-
ves, pede pagamento de seus vencimentos, relati-
vos aos mezes de Janeiro maio deste anno, auto-
riso V. S. a mandar effectuar esse pagamento sob
niinha responsabilidade, nos termos do decreto n.
2884 do 1" de fevereiro de 1863, por nao haver
crdito para esse flm, segundo consta da informa-
cao da mesma thesouraria.
Dito ao dcsembargador provedor da Santa Casa
da Misericordia. Uespondendo ao offlcio que V.
S. se servio dirigir-me em 26 de seternbro ultimo,
com referencia exlraccad de algumas das partes
das loteras concedidas pela lii n. 593, de 13 de
maio do corrente anno, com o fim especial de ca-
nalisar o gaz e agua para o hospital Pedro II, c-
beme dizer-lhe que. nao se adiando contempladas
na le das preferencias nenliunia das duas loteras
cima indicadas,diixarm ellas.de ser incluidas na
tabella, organisada para a extracro das loteras
no correte exercicio, como consta da informaco
do respectivo thesoureiro datada de 4 do correte
mez.
A' vista, pois, do que venho de expor, nao esta
na aleada desta presidencia mandar correr no re-
ferido exerclcio as loteras de que trata o seu rita-
do oflicio.
Dito ao commandante do presidio de Fernan-
do.-Nada constando do respectivo ca torio, como i
declarou o juiz municipal do primeira vara desta
cidade, em data de*3 do corrente, sobre o senten-
ciado Joao Themoteo, que pede ao governo impe-
rial perdao ou commiitacao da pena que ah est
comprindo, devolvo V. S. o
grandes columnas da predita ponte, devolveodo-1
me nessa occasiao os papis de que se trata.
Dito ao superintendente da estrada de ferro.
Pelo offlcio que me dirigi o Sr. superintendente
da estrada de ferrro em 4 do corrente, flquei in-
teirado do accidente que se deu na tarde do dia
3 no trem de passageiros do Cabo para as Cinco
Ponas, de qual j me tinha dado conhecimento o
engenheiro (iscal da mesma estrada.
Dito a cmara municipal do Recife. Uespon-
dendo ao offlcio que em 29 de setetnbro ultimo,
sob n. 50, me dirigi a cmara municipal do Re-
cife relativamente a arrematado dos alugueis de
urna casa do seu patrimonio sita na ra da Sole-
dade, tenho a dizer-lhe que mande por novamente
em praga os icferidos alugueis visto nao ter ap-
parecido para elles licitante algnm.
Dito cmara municipal de Olinda. Approvo
as arremalacoes dos impostes de que tratam os
termos de contrato que acompanharam o oflicio
que me dirivio a cmara municipal da cidade de
Olinda em 29 de setembro ultimo e pelas quantias
nelle indicadas, devendo a mesma cmara man-
dar por novamente em praca os que por falla de
licitantes dexaram de ser arrematados.
Dito cmara municipal de Nazareth.Declaro,
a cmara municipal da cidade de Nazareth, em res-
posta ao seu offlcio de 24 de setembro ultimo, que
approvo as arrematagoes dos impostos de que tra-
tam os termos do contrato, que acompanharam o
seu citado offlcio.
Dito ao juiz municipal de Cabrob.Nao tendo
m^^se
anrsoc
iedade Co-
Tascher La Pagerie a; princeza Mathilde pelo gene-; elle a attenca dos que gostam
ral Bougenel seu cavalleiro de honra ; o principe litteratura.
N'apoleo pelo coronel Ferraz Pisani, seu ajudante Hoje d sua partida mensa'
decampo. rybantina. : SetTVft ternura solale,
Entre os assistentes notavam-se : o embaixador Enadditainento s noticias qne liontem pn- firavaro- tambem dadas
da Franca em Madrid, os ministros do Mxico e de blicamos, relativamente falta de seguranca de
Bade, e muitosteutro* membros do corpo diploma- propriedade, declaramos que pessoas fidedignas oos
tico ; o lano de Andr, director do gabinete do informan lhes constar com toda a certeza, que se
miuistro dos negocios estrangeiros; o marechal acha organisada urna vasla rede de ladroes desde
Magnan e Mr Valor, senadores, deputados, os re-, as margos do rio Beberibe at a povoago de Ti-
presentantes dos priocipaes peridicos de Paris, e jpi, que infestam todos aquellos lugares, e os cir-
um grande numero de notabilidades pertencentes cumvisinhos com repetidas tentativas de furto, e
emigraco polaca c mais alta sociedade hespa-; que se preparara para accommetter certos enge-
ohola. I nhos e sitios de pessoas abastadas, para cujo lim
Depois da ceremonia, o alade Gcou na igreja, i se comecam a alistar os individuos mais auuazes.
d'onde seria conduzido a Rueil, em cujo cemiterioi Accrescentam os nossos informantes que algumas
repousam os restos mortaes de tres dos filhos da autoridades mesmo nao sao alheias a essas machi*
rainha mi, de Hespanha. naces, j porque se acham ligadas com alguns
O jornal francez La Presse conta a inaugura-' dos agentes da quadrilha, que na ultima eleiyo se
gao do caminho de ferro do norte de Hespanha da lhes prestaran), j porque participara dos despojos
maneira seguinte : I da caravana.
c S. Sebastio, a cidade livre por exeellencia, | Estes aoatos sao mui serios, para serem despre-
cujas antigs instituices foram para a provincia sados pela polica, cujo crdito deve empenbar-se
e genero do pejes, aflm de que por esta forma sejam os men-
cionados canos de esgoto conservados.Que se res-
poudesse a S. Exi^. "jm, quaoto primeira parte
o quaato a segunda, que
as orden* necessarias aos
fiscaes, a quera nesta occasiao se mandou reeom-
mendar, de aceordo com a lembranca teita por
S. Esc. no citado offlcio.
Urna petigo com despacho da presidencia, man-
dando a cmara informar a petico, na qual Joi\o
Baptisla da Motta, arrematante do imposto de oi
tenta ris por carga de farinha e legumes vendidos
nos mercados pblicos desta cidade, pede para qie
Ihe seja prorogado por mais dous annos o lempo
de seu contrato, e allega favor de sua pretencao
nao s o nrejnito que tem soffrido, em consequen-
cia do excessivo preco a que chegou a arremala-
5.I0, e do qual nao pede indenmisaco, como que
igual concisso j havia sido feita ao actual arre-
matante do imposto de aferices de pesos e medi-
das.
Posta em discusso, o Sr. Barata de Almeida
pedio a palavra, e sustentou que a cmara poda
de Guipuscou urna origem de prosperidades, ac-1 na extinccao desses focos do mldade, que tonto ; informar favoravelraente, visto que, reconhecendo
deshonrara a actualidade, e a nossa civilisaco.
Nao ha crirne que se nao commelta, quando se
nao receta a prompta e enrgica pumeo.
Hoje reune-se em sessao ordinaria a socieda-
de Bibliithecaria Pemambucam.
RiVArnr.xo da POLICA.
(E&iracte das partes do dia 7 de outubro de
1864.
Foram recolhidos casa de dtencao no da 6
do corrente :
A' orden do subdelegado do Recife, Henry
ba de celebrar, dentro de snas muralhas, urna
grande e magestosa ceremonia e de consagrar
mais urna vez, urna conquista do genio humano.
t O velho inviolavel municipio estremecen de
algria, vendo, no centra dos clamores e dos. vivas
a inaugurasio do caminho de ferro do norte de
Hespanha.
Desde a manha do dia 15 de agosto que o ca-
apparecido concurrentes aos offlcios de partidores I minho de ferro trazia gare de Bordeus o contin-
desse termo, creados pela lei provincial n. 504 de i gente das pessoas convidadas para as estas dadas
29 de maio de 1861, cumpre que Vmc. os mande j em S. Sebastio pela companhia do norte da Hes-
por de novo em concurso, accumulando somente panha, e Morceux reuni, na sua estacao (gare), Smilh, para crretelo ; Joaquim Jos Meira, re-
nm delles as fnncges de contador, visto nao haver' cheia de bandeiras e expendidamentc feita, os pri- qnlsicao do capitao do porte.
ahi dislribuico, como consta de offlcio deste joizo,! meiros homens da litteratura e das sciencias, e que
de 11 de agoste ultimo^ e remeta copia do edilal. dirigem actualmente o prpgresso.
para ser reproduzido. Ali acharam-se mesas armadas ao ar livre,
Dito ao uiz de paz 2 votado da freguezia de carregadas de flores e de fructos que ofereciam e Joaquim Jos
Santo Antonio do Recife.-Remello Vmc, como! aos viajantes urna primeira refeigao, debaixo da disturbios.
solicitou em seu offlcio de 3 do corrente, urna c- fresca sombra da estagao, ao abrigo do sol ardente,, A' orran do da Boa-Vista, Thomaz Francisco
pia aulhentica da lista dos cidados qualifleados que ameaga por em fuso as reas que cobfem o, das Chafas Cunha, por furto e insultes, e Jos Ali-
slo, tonio Botelho, para correego.
Duas horas depois, os convidados estavam na O chefe da 2* secgo,
gare de Sr. Sebastio e iam tomar lugar ao redor /. G. de Mesnuita.
dos pavilhes embandeirados, para assistir cere- Passageiros do vapor Jagiuiribe. sahido para
monia da bencao da nova via frrea. os porlds do norte :
O re de Hespanha tinha direito seu irmo, o Jos Jkraujo Lima, Manoel Pereira de Camino,
infante D. Henrique, e eslava cercado de um bri-
Ihante squito de cavalleiros uniformisados e con-
decorados com tedas as ordens de ambos os hemis-
que o imposto tinha sido bem arrematado, nao era
do esperar que, indo praca, subisse prego maior
do que eslava arrematado, e por isso votava que se
informasse ao Exru. presidente da provincia neste
sentido.
O Sr. Gustavo do Reg pede tambem a palavra,
e pronuncia-se contra a prelengo do arrematante
por entender que a cmara nao podia conceder a
prorogaco; que esta devia ser dada, se o arrema-
tante, quando effectnou o contrato, tivesse requer
Crditos diverso?, outros ban-
cos e caixas liliaes. .
714
3,30:873*7>"
Recife. i do oulubro de 1864.
W. J. Httyne*.
Accountant
COMMNICADOS.
0 que ha de ser tem mnila torea.
O* povirnos conslilurion.icss'io inutavtis. Arou-
tabilidade, e a renovaciio a sua rundiro esees-
cial. Suppor a possibilidade de que a mesma -1
tuacao se identifique com o poder, e se arrogue a
permanencia, e a irrespon.-abilidade, que s acr-
tence, por um singular, e amarte privilegio, ao
chefe da nacao, o mesmo que tornar possivH aw-
ralmente, como sjstema, a corrupcao, que avven-
la os Walpoles, ou o despreso daopinio, coa que
os Po:igoacs sonham tantas eaea, beira das re
volnges, a perpeluidade do poder.
Entre os gladiadores antigos era brb, e puado
or cahir rom gentileza, e garito entre os apptan-
sus da plebe entliusiasmada, quando ja nao poihatii
ai-har forgas para o combate. Al Cesar, coa ler
sido e maior dominador do mundo, quix na ora
extrema, accommettido de golpes no senado, dei-
xar com a vida a dictadura, ajuslaoo a reawgem
senatoria.
Os gladiadores do amphiteatro progressikla
do dita prorogaco, mas que agora, qnando se apro- caram 0 herosmo por outra face. Tomara os se*
A' ordem do.de Santo Antonio, Maria Anglica
de Jess, para eerreccao.
A' ordem io de S. Jos, Therexa Mara de Jess
de Santa Anna Plalos, ambos por
votantes nes.-a freguezia no corrente anno, extrahi-
da da que existe na secretaria desta presidencia.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
ao que requereu o arrematante dos reparos do em-
barreamento do Io laogo da estrada do sul, entre
os mareos de 2 4 mil bragas, Jos Rodrigues de
Oliveira Lima Jnior, resol ve conceder-lhe, de con-
formidade com a informaco do chefe interino da
repartigo das obras publicas, datada de 14 de se-
tembro ultimo, sob o. 250, um mez de prorogagao pherios.
para a concluso das obras do seu contrato, a con
lar do dia em que se lindera o prazo marcado para
esse fim.Fizeram-se as necessarias communica-
goes.
Expediente do secretario do gererno do dia 5
de iHiilin de 1861.
{ffeio ao eommindanle das armas.De ordem
de S. Exc. o Sr. nresidenle da provincia, envi
V. S, com respectivo cumpra-se, a carta:impe-
rial, pela qual foi V. S. nomeado eommandanle das
urinas desta provincia e que para esse Mm veio
annexa ao seu offlcio de 4 do corrente, sob n. 1728
que tica assim respondido.
Despachos do dia i de outubro de 1861.
Requei intentos.
Bacharel Joaquim Jos de Oliveira.Passe por-
tara concedendo a prorogagao requerida.
Coronel Jos de Carvalho de Araujo Caval-
cantiPasse portara concedendo a licenga pe-
dida.
Joao Francisco de Souza.Informe o Sr. tenen-
te-coronel recrutador.
Joao Paes de Moora.Informe o Sr. desembar-
gador provedor da Santa Casa de Misericordia se
possiwl attender ao supplicanle a quem parece
assistir todo fundamento para ser deferido.
Presidente e directores da caixa filial do banco
do Brasil desta cidade.Satisfaga a requisigao da
cooladorla constante do parecer langado no verso
deste requerimento.
Dia 5
Diniz Crouam & CInforme o Sr. inspector da
thesouraria provincial.
Joao Nunes Correia.Ioforme o Sr. administor
do correio.
Jos Francisco de Souza.Requeira por inter-
medio do director geral da instruccao publica.
Joaquim da Costa Moreira. Solicite primera-
mente o supplieante e titulo de aforamenlo da par-
te que possue no terreno de que trata, e prove que
I se acha elle bem feilorisado.
Manoel Liberalino Freir de Carvalho.Passe
I portara prorogaodo por tres mezes a licenga com
I que se acha o supplieante.
Xisto Santiago do Carmo.Dirija-se ao seu com-
ChristiifK) Anrieregg, Manoel dos Sanios Villaga'
Vicente Ferreira Lima, Paulo Carretn, Dr. Jos
I Antonioltoptisto. Manoel Alfonso Aquino de Albu-
querqud Frederico Rodrigues Pimentel, Or. Ante
Depois da bengao das locomotivas, o Sr.^ereira, oto JoseT Nogueira, Dr. Joao Innocencio Ferreira de
A saber
Exstiam..
Entraram..
Sal i 1,1111...
Existem...
Nacionaes.....
Estrangeiros...
Muflieres......
Estrangeira
Escravos......
Escravas......
requerimento que
veo'junto ao seu offlcio do I" de agoste ultimo,
aflm de que, em vista da guia que aampanhou o 1
mesmo sentenciado, ou por nformaca deste em ]
falla d'aquella declare porque tribunai 'ol elle Jal- j
gado para se poder obter os documentos e infor-1
mages com que deve ser instruir a sua petico. |
Por esta occasiao lhe recommendo que faga |
acompanhar de ignaesfjescbrecimenlos a lodos os
requerimentos que d'ahi vierem para o mesmo
fim.
Dito ao eommandanle superior da guarda nacio-
nal da Boa-Vista. Coramunico V. Srpara seu
conhecimento e para que faga constar aos agracia-
dos, que segundo constou de communicago da di-
rectora geral interina da secretaria de estado dos
negocios da jusliga de 16 de agoste ultimo, S. M. o mez de agosto; era filha primognita da rainha
Imperador por decreto do 10 do-mesmo mez. hou- j mili de Hespanha, e do duque de Rianzares, e
ve por bem promover os rapites '
EXTERIOR.
CORBESPOffDEXCIAS DO DIA
rio \*i. PEit.viJinrro.
Madrid, 9 de selembro.
(Do nosso correspondente de Lisboa.)
A princeza Czarlori>ka falleceu no dia 19 do
em primeiro lugar, e depois o governador civil de \ Aguiar,
S. Sebastio, dirigiram ao re duas allocugoes, s de S
quaes sua magesiade respondeu em poucas pala- Varga
vras, que foram logo seguidas de esirondosas ac- Paula
clamages, dos applausos e dos vivas da multido Traja
que enepid os iribunaes, bem como da que tinha r,
invadido a via frrea. Paz
Depois aquello ajaa se d*r{in para a sa'.a do; nrfVId
banquete que era um nnmenso pavilho enfeslado 1 MeHo
com bandeiras e cora esplendidos ornamentos. Ahi
achavam-so quatro ordens de mesas cheias de fi-
res, ao redor das quaes os convidados tomarara
lugar.
Pela dsposigo do pavilho, um de cujos lados
era aberlo em toda a extenso sobre a bella baha
de S. Sebastio, penetrava na sala do banquete urna
brisa fresca e balsmica, que moderava a tempe-
ratura tropical daquelle dia; e os convidados po-
diam gosar do bello espectculo das regatas em S.
Sebastio, que durante o banquete animavam
festa e lhe ofereciam um bello panorama.
O rei presidia a urna mesa parte, no extremo
dopaviliiao; nesta mesa havia muita alegra que
se communicava de convidado convidado, de mo-
do que a sala do festim se apresentava n'uma tal
animaeao, a ponto de toast algum se poder ouvir
no meio da geral conversado.
No lim do banquete, quando o rei atravessou por
entre as mesas para se ir metter na sua carrua-
gem, fui saudado com
hespanhol e em francez.
(iiiando sua magestade chegou cidade, estas'
acclama oes se repetivam, mas ento em lngua I
basca, e com aquelles fortes peilos, que em todos os j
lempos se bateram com amor era favor de seus so-
beranos.
Desde logo a sala do banquete se tornou em lu-
gar de passeio, onde todos achavam conhecidos,
amigos ou compatriotas, e ligaram novas relagoes I rencia do reto,
com collegas que encontraram entre os convidados j Antonia Uosalina
hespanhes.ou diziam uns aos outros em vozbaixa,' 14 anuos, solteira,
nome de tal celebridade franceza ou hespanhola lite.
qne ali se acha va ; e a mais perfeita cordealidade
reinava em toda a parte nesta reunio improvi-
sada.
D'enlre as pessoas conhecidas na imprensa de
Madrid achavam-seos Srs.: Correia do jornal Las
Novedades; Campos, de la Correspondencia ; Man-
tillo, dla Poltica; Corradi, do Clamor Publico;
Palacios, da Pueblo; MaFcoartu, de la Revista de
caminos de hierro.
Da imprensa franceza notavara-se os Srs.: Theo-
phile Guatier pela folha offlcial o Moniteur; Ville-
mot, pelo TVmps; Ferny, pela lllustration; Char-
les Denlin, pelo Globe: de Pradines, pelo Univers
iltustr; Granier de Cassagnac e Benedicl Revoil,
pelo Monde Musir; Albam Second, d'Abadie, pelo
iVatwn; alm d'estes, os Srs.: Bixio, Duveyrier, de
Lesseps, senador, Augusto Chevalier, Fenellet de
Conche, Wolf e de Charnac.
baqnlm Luiz dos Santos, Dr. Jos Joaquim
nevides, Juan Butsan, Manoel Cardoso
o Procopio Machado, Jos Francisco de
eir, Dr. Brasiliano Angusto da Silva,
icadio de Med iros Murtha, sua senho-
3 litios menores e 6 escravos, Joio
Antonio Jos Sarment do Be-
'/os Cosme, Df. Apriflo Carlos Prssoa de
1 criado.
Movimento da casa de detengao do dia ti
de outubro de 1864 :
364 presos.
9
369
301
17
6
1
40
4
xima a nova praca, nao devia informar favor.
Nao haveudo quem mais pedisse a palavra, foi
poste a votos, e passou no sentido que expoz o Sr.
Barata d'Almeid .
Outro offlcio do juiz de paz 2o volado do 1 dis-
tricto da freguezia de Santo Antonio, communican-
do que, em vista das ordens do Exm. presidente
da provincia, em circular de 14 de junho deste an-
no, que lhe foram transmutlas pela cmara em
offlcio de 22 do mesmo mez, e em observancia de
disposto na lei, havia convocado os volantes da
mesma freguezia para a eleico qne se devia pro-
ceder no dia 7 de setembro prximo futuro.ln-
teirado.
Outro do administrador do cemtterio publico
desta cidade, informando contra o requerimento no
quai a mesa regedora la irmandade do Santissimo
Sacramento da freguezia do Recife, se queixa haver
o mesmo devolvido um offlcio assigoado pelo seu
escrivao communicando ser elle, o juiz e o thesou-
reiro da nova mesa, e como taes competente* para
assignarem as cartas patentes de seus irmos.
Posto era discusso, resolveu-se que vista do
que expe o art. 80 do respectivo regularaente nao
havia o que deferir.
Foi apiesentada urna petico acompanhada de
diversos documentos, na qual o cirurgio enoarre-
da Irombeta morkiaria. que lhes annnnna a apro-
ximar > dos lempos cvm signaes de novas fleta-
ras. Anda nao quizeram compreheeder qoe o
seus proprios Brutos, que os seos filhos. posto que
adulterinos, predilectos, e mimosos, lhes olio che-
gando as ponas dos punhaes. Se nao podea n
ver como Cesar, se. nao podem lurtar como alkle-
tas, corados no circo, tornt-m o partido de um dos
Horaciosfujam. Se enchergam deshonra na fu-
ga, saibam cahir, sainara morrer como os hroe?
Cahir em lempo, e bem, orna arte difflril, bem o
sabemos, oas necessaria nos homens pblicos, que
se presam, e de quem se divorcion a opinio.
Aconselharaos, mas nao exigimos que o facam
embora reconliegamos nue nesse estado de putre
fago, em que se acha a actualidade poltica, se
enfraquerem as molas do poder publico, e vai ais-
so grande damno ao paz. < goveroo da socieda-
de distingue-se do governo dos rorrilhos, e far
ges.
Nao creiam que os conservadores aocelam o po-
der fra dos interslicios ordinarios. Sobir de sal-
to preparar-se para a queda O partido progres-
sista nao seria lo depressa ferido de atirophia, s#
l a sua estouvada ascenco nao fuese precedida de
ha temporal desfeito, qie derrubou urna cmara
pacifica, 1II11 -irada, e palriotica, par. ser sotciia-
gado do enrativo dos presos pobres da casa de de- Eja oor eSses D0V0S fl|hos do vento, que neis a soa
369
Alimentados custa dos cofres provinciaes 151
Movimento da enfermara do dia 7 de oulubro
de 1864.
Te ve baixa :
numerosos vivas dados cm Manoel Francisco Alves, bronchite.
Tiveram alta :
; Joaquim Ferreira dos Sanios.
I Severino Jos de Franga.
ObITUAUIO 00 REMITERIO PUBLICO NO DIA t DK
OOTUBRO DE 1864.
Honorato, escravo, P tero, Boa-vista ; ttano Iriumatico.
Antonio, Pernambuco, 6 dias, Boa-vista;
Entre os personagens hespanhes nao devemos
Francisco Ma- Iher do principe Czartorysk'i. Contava 29 annos, e | deixar de mencionar o marquez del Duero, o mar
noei Gomes e Andr tanes Braulio majores aju- sucenmbio a urna longa doenga, que comtudo nao
dante< de ordens do coramando superior da guarda era julgada mortal.
nacional dessa comarca. Chegada a toda a pressa ao Havre, a rainha
Dito ao commandante do corpo de polica.-Em Christina apenas pode receber o ultimo suspiro de
vista dos attestados juntos sua infarmago n. 438 sua lilha.
desta data, autoriso V. S. mandar dar baixa que Esta mortedespertara as mais crueis lembrangas
nede do corpo sob seu commando ao cabo de es- para a rainha ma, que perdeu successtvamente
quadra Xisto Santiago do Carmo. tres liihos do seu casamento com o duque Rianza-
Dilo ao mesmo. Pode V. S. fazer engajar para res. Desie casamennlo nao tem agora pois genio o
o servico do corpo sob sen commando, o paisano duque Tareneou, a princeza do Drago, que habita
Jo- Francisco Carnciro Monteiro, apresentado com em Roma, e a princeza Christina, casada com o
o seu offlcio n. 440 desta data. marquez de Campo Sagrado. ___
Dito ao inspector do arsenal de marinha.-D V. O corpo da princeza Czartoryska foi denos-
S. as suas ordens, aflm deque por esse arsenal te n'um dos saloes do palacio Lamber! convertido
seja pintada a boia que eslava collocada nos bai- n'uma capella ardenle, pledosamente visitada, tra-
zos de Olinda, e bem assim fornecido um ferro para rante quatro dias, por um grande nomero ue pes-
conter a mesma bo.a naquelle lugar, visto que por soas pertencentes a todas as claves da sociedade.
falta de amarrago foi ter praia. Recommendo- Poucas pessoas transponam os humbraes aaquei-
Ihe mais que mande fornecer capitana do porto le palacio sem se recordarem *aJl"""M*
um cofre de madeira com duas chaves para nelle goes por que teem passado o principe t-zartor\sKi,
. serem recolhidas as multas cobradas por aquella cora a morte de seu pae, o venerando pnncipe
capitana, conforme solicitou o respectivo chefe em Adam, o martyr da Polonia, e agora com a ua sua
offlcio de honte.m datado, sob n. 91.-Communicou- esposa. ....,___.
se ao capitao do porto interino. No da 24, ao meio da, sabio o prestito fnebre
Dito ao engenheiro chefe interino da repartigo do palacio Lambert em dircegao a igreja oe sainl
das obras publicas.-Fico inteirado do contedo do Louis-en lile. O caixao da princeza, coberto de ra-
offleto qne Vmc. rae dirigi em 2S de setembro mos e coroas, era conduzido n um magnifico carro
ultimo, sob nomero 261, ar-ompanhado de urna co-
pia da exposico feita pelo conductor interino dessa
repartigo Flix Ramos Lieutier, relativamente
cadeia e agude de Pesqueira.
Dito ao engenheir oGervasio Rodrigues Carapel-
]o.-Recommendo a Vmc, qne lendo em vista o
do Sacramento,
Santo Antonio
Leonizia, escrava, Pernambuco,
teira, Boa-vista ; ascile.
tencao, Francisco Jos da Silva, prava ter servido
o digo cargo por espago de 31 annos o 2 mezes sem
interrupgao, cumprindo (Id e exactamente os seus
d veres, preslando-se com plena dedicago todas
as comimsses de que tem sido encarregado; de-
clara ter indispensavel direiio a ser aposentad >,
mas que prefei* continuar a prestar os seus ser-
vicos, medante a gcatilicaeo que lhe fr arbi-
trada.
Posta em discusso, o Sr. Barata peue r-lavra,
e pronuncia-se a favor da prelengo do que ,
trata, porque entende ser toda de ju.-liga, alm de
reconhecer que della resulta vaulagera aos cofres
municipaes, sendo ceno anda que se, reahsasse-se
a aposentadora, loria a cmara de dspender com
outro que fosse nomeado a quantia quo marca
a lei.
O Sr. Gustavo do Reg pede tambem a palavra,
o pensando dilTerente de que o Sr. Barata, oppe-se
a prelengo, e fundamentando a sua opinio pelas
mudas considerages que expoz,conclue declarando
que vota contra, por estar convencido de que a c-
mara nao pode conceder a gr,.tilicago sem que a
i proponha a assserabla provincial.
O Sr. Mello, quem foi concedida tambem a
palavra, declara estar de aceordo com o que exi*>z
o Sr. Barata, citando multes exemplos com refe-
rencia ao pedido do cirurgio Silva que o reputa
todo de juanea.
ade-1 Nao haveudo mais quem pedisse a palavra. foi
i posto a votes,e approvada a raiiliraco de 6005000
Pernambuco. proposta pelo Sr. Barros llego, volando conlra o
Sr. Gustavo do Reg, conforme havia j declarado,
e pela mesma razo os Srs. llenriques da Silva e
Seve.
gasire hepa-
40 annos, sol-
CMARA MlilCIPAl.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 17 DE AGOSTO
DI) 1864.
Presdencia do Sr. Barros Reg.
Presentes os Srs. Henriques da Silva, Seve, Gus-
tavo do Reg, Barata d'Almeida, Mello e Gameiro,
abre-se a sesso e lila e approvada a acta da an-
tecedenle. L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exm. presidente da provincia, re- Maclel de Olinda
commendando cmara que mande extrahir do ra, Joao Antoui
remeta-lhe com toda urgencia Joao Martins d
Mandou-se neste sentido ollicar ao Exm. pre-
sidente da provincia, pedindo a .approvagao para
surtir o devdo efleitD.
A cmara resolvis chamar para juramentar o
primeiro snpplente de juiz de paz do 2. dislricto
1 da freguezia dos Affogados, e o 1 e 2." do 1." dis-
! trete da freguezia de S. Lourengo da Malta.
Despacuaram-se as peligSes de Antonio Domin-
aues Pinto, Augusto Cesar de Azevedo Guedes,
Barlholoraeu Francisco de Souza, Damazo Antonio
de Alcntara, Francisco Jos Gongalves da Silva,
Francisco Siraes da Silva Marra, Felippe
nri-ein tempestuosa, ja procuran! arremeter contra
ps seus proprios assopradore. Os rerfemnmlios se
multiplican!. Nao ricar pedra sobre pedra.
Nao desojamos que isso aconteca. vaticinamos
apenas. Nao temos pressa em recolher os dapefm
do partido pmgrenisla : fazemos at Ma ava-
les para que tenlia elle bem lempo de convencer a
nacao de sua iocapacMade. Repelaa aaaaaa>
le : nao estamos aiuda com o prurido da gover-
nanc
u no:.n un(.0 (iC5,.j0 ,. ,|Ul, t.sll, i,,.!),, pjj, pa0
quanto ani..; s,,r overaado pela rali pela de-
cencia, pela ... -.1 .. I1(.1;l ,,,j em vez de ser neto
desacert, pela inconveiuem '.., ,,<.iu reTaxismoTv
pelo arbitrio do poder: o nono anhelo mais inti-
mo que as influencias subterrneas, c de-conhe-
cidas na nomenclatura Has rou-as serias, se nlis-
tituain no governo as intluencia-, asta exercem
a luz.e ao ar livre. O governo da nossa atfeig>. e
aspiragao i: oque planea grandes pragre.-so* pobli-
cos, e nao laboratorios de eorropeao: o pie ad-
ministra com intellgencia. e deci-ao : o que mas-
lera os foros cvicos ; o qne nao repelle beyasO
la dos carpes electivos o tlenlo, a rapan l.ide.
o patriotismo, para enfeudar as maei>tr^turas po-
pulares a gente anal|diab>:ta. c soei. Sim : alae-
jam^s o governo que eoaquisle populan dada com
actos meritorios, e nao com os iniserav.is (riela
dinMeiros da corrupgao ; gotrerao que ame a po-
Micidade, e a lisura nos negocios; governo, qne
sempre e-crutraloso em sua honra, queira, a pro-
cure, maneira da mulher de Cesar, nao -rnente
ser honesto, se nao tambera ansiar de sua reputa-
gao a menor sombra de macula, o aatao pretex-
to doisuspeila, a mais breve occasiao de falso tes-
temubho.
O governo que reunir estes predicados o *.
governo, e cerlamente o governo di paz. lia
governo neslas condiges nao pode ser crrampi-
do, nem corruptor : nao se levantara di-fargada-
mente era dictador, exercendo a pes-irai das d,c-
laduras, e dictadura que se justifica de legal ; nao
andar cortejando as mais mesquinhas paixes, e
os mais ruins nleresses, para fazer delles o ali-
cerce de sua administrago, e o estelo mais seguro
, de sua misera existencia. Este governo, como se
nVi'< antolha aos nosso< desejos, quando contratar
- claras, sem ambages,
sem esla mise-en wre
nna tira motivo para
1 vii Manoel do' i' "'" ',onr:l aaaaaar,
quez de la Habana, o embaixador de Hespanha em
Pars e o hispo da Victoria, que de manha havia
offleiado.
Para terminar esta lista de nomes, e para de al-
gum modo preencher o quo ella tenba de incom-
pleto, digamos que a Sra. de Persigny passeou du-
rante algum tempo na sala do banquete.
Em extracto, nada de mais alegre, nada mais
variado, do que estes caes carregados de povo, que
circula, passeando pela via frrea, onde fra a fes-
ta, sem
as e dos
maldade n'aquelle da e modificado as notas aguda
dos seus sylphos de alerta.
Dentro ero pouco tempo se pozeram era movi-
mento os trens de Paris e de Madrid; o do rei foi
o primeiro que deu o exemplo, e atravessou a mul-
tido no meio de acclamages; depois os outros to-
maram as direegoes que lhes convinham. S. Se-
bastio foi abandonado, e lodos seguiram para Vic-
toria, onde devia haver coiridas de touros.
copia da acta do cllegio eletoral desta cidade pa- bacharel Jos Paulino da tmara, Joao Manoel dos, g a o enlref,ar ao Dra 5ecu|ar da vernna e d
ra a eleigao de um seador que se procedeu no Santos, Ignacia Joaquina Lopes da Silva, irmanaa- a.(.uim ------
dia 10 de julho ultimo.Que se cumprlsse. ; de do Santissimo Sacramento da freguezia.00 ne-1
Outro do mesmo, dizendo que, annuindo ao que cife, Joaquim Francisco de Paula Estoves Llemen-
soliciion o Sr. d'Imbert du Chenin, cnsul de Fran- te, Joaquim Manoel Ferreira de Souza, Marcellino
ga, em oflicio de 9 do corrente, convida a cmara Jos Lopes, Manoel Amonio da Silva Ros, a
pasqi
Eis-aqui o governo, que desejamos, que espera-
mos, dentro em pouco, tomar as redeas do estado.
O sonnovfur acesnforfo.
Jo^ da Fons-ca,
para assistir ao TeDeum que tem de celebrarse Joaquim de Santa Anua, Manoe
na igreja de Nossa Senhora da Penha, 1 hora da Manoel Custodio Peixuto Soares, Manoel da Silva
tarde do dia 13 do mesmo mez, anniversario nata-; Jacome Pessoa. Mano-I Mina Rodrigues d > Vasci-
licio de S. M. o imperador dos Francezes.Intei-! ment, tenente-roronel Kodoifo Joao Baratad Ai-
rado. \ meida e onlre, Teixeira di Pinte, VlcenleHercula-
Outro do mesmo, dizendo que, para resolver a \ no de Lemos Duarle, e levantou se a sesso.
passeando pela via terrea, onde tora a fes- duvida de que trata a cmara em seu offlcio n. 33 Eu Francisco l anulo da P.oav'iaSen.1;nsre"^r
se importar com o movimento das machi- de 3 do presente mez, compre que a mesma cama- o escrevi-Barros1 Rogo, Preslden'e-fIU%f
os trens, que parece terem perdido a sua ra informe com urgencia por quem, e quando foi Silva- lego e Albuqueruae.-Reg >-'?:
n'aquelle dia e modificado as notas agudas feita a ultima diviso dos districtos de paz da fre- i rata d Almeida.-Rego.- Leal Seve.- Mello.ua
fnebre puchado por seis cavallos.
O luto era dirigido pelo principe Ladslu Czar-
torysky, pelo seu filho de oito annos, sobre o qual
convergam com interesse todas as vistas, e pelo
principe Witold Czartoriski.
Un rico catafalco, cercado por lodos os alumnos
une expe o engenheiro fiscal da obra da ponte de da escola polaca, se elevava na igreja, que era pe-
ferro do Recife, no incluso offlcio datado de hoje, e quena para contar a grande mullidao que formara
bem assim o contrato e desenhos que o acompa- o prestito.
nham, d com urgencia o seu parecer acerca da O imperador t.nha-se fejto representar nesta ce-
dnvida suscitada pelo mesmo engenheiro, rea- remoni, pelos duques de Bassaoo e de Camhace-
tivamente as chapas de ferro que devem formar as res, e por um camarista.; a mperalrta pelo duque
PERNAMRUCOi
REVISTA DIARIA.
Deixamosde continuara tran*crlpgo do roman-
ce Vinte horas de Utetra, do Sr. Camillo Castello
Branco, por haver sido suspensa a publicago em
Portugal. Apenas venham alguns captulos, da-
los-hemos aos eitores.
Aflm de preencher a lacuna deixada por esse
romance, encelamos a transcripgo do Esqueleto,
do mesmo autor, que tem causado verdadeiro fu-
ror em Portugal, nao s pelo nome do escrlptor,
como pelo 'bem delienado do enredo e pelas sor-
prendentes phases que aprsenla. Chamamos para
guezia da Varzea, e de quantos districtos se com-
punha anteriormente, e por quem frra feita essa
anterior divso.Que se informasse.
Outro do mesmo, dizendo ser de urgente necessi-
dade que a cmara d sem demora providencias
no sentido de evitar, que se depositem llxos junto
ao caes, qu bordara o rio nesta capital, pois que
desses depsitos provm a inutllisacao delles co-
mo represenlou o engenheiro das obras do melno-
ramenlo do porto.- O Sr. presidente da cmara de-
clarou mesma que j havia mandado expedir or-
dem neste sentido aos fiscaes, resolvendo por lima
cmara quo se offlciasse ao Exm. presidente da
provincia, que foram tomadas as necessarias pro-
videncias. .
Ouiro do mesmo, respondendo ao que lhe dirigi
a cmara em 20 de julho ultimo, sob n. 29, decla-
ra ter dado as providencias, para que sejam repa-
radas as boceas dos canos de esgoto do pateo da
Penha que se refere o cilado offlcio, e assim tam-
bem o calgamento e os demas canos que deman-
da rem prompto concert.
Por essa occasiao recomraenda S. Exc. cmara
que empregue acuradamente os meios, que a le
tem posto dsposigo della, para que se promova
raeiro.
Bank ( i.i-
13,333:3335330
ll,558J5f560
4,622:2225220
London afelirastlian
mlted).
Capital do banco 15,000 arges
a 100......-
Acges emittidas 11,000 a 100
Capital pago a 6 40 por aegao.
BALANCO DA CAIXA FILIAL EM PERNAMBUCO,
'EM 30 DE SETEMBRO DE 1864.
ACTIVO.
Letras descontadas ....
Crditos sobre diversos, outros
bancos e caixas flliaes, .
Caixa :
Em moeda corrente.
PUBLIG150ES i PEDIDO.
10 pabllea.
palavras ao publico
sobre o que se
1,471:9755770
1,239:3345020
1,219:5645000
3,930:8735790
P.VSSIVO.
Capital fornecido pela caxa ma-
triz ........
a limpesa das ras, e se eviten os entulhos e des-1 Depsitos
888:8885890
2,307:6005360
Devo duas
segu.
0 trecho, abaixo transcripto, do discurso no >r.
deputado Carlos Hcandao publicado no Jornal m
Commercio de set-iro, levou muita pessoas alias
Ilustradas penca,'m e sustentaren qoe a miro
se referiam aojarla nelle insertos, proferido*
pelo Sr. depulado Pereira de Brillo.
Nao entend eu assim; ia por nao suppor que
alguem tiouvesse que no sein da repre^entaeo na-
cional fosse capaz de agre lir-me por semelftante
modo, mormeate o Sr. Dr. Pereira de Br.to eom
quem sempre estive em boas relagoes, e ja porque
a leitura um pouco refleetda dos apartes e do dis-
curso deixa bem conhecer pelas eircumstancu a
que alindera (como, entre outras, a de familia libe
ral no centro) que a oulrem e nao mim se diri-
giam.
Entretanto, coso como sou da consideragao que
todo o homem que se prza deve fazer por merecer
e sustentar entre os seus roncidadaos. e para dis-
sipar qualquer duvida sobre a intellgencia de laes
apartes, julgue dever provocar urna explicado di-
ngindo a carta infra ao mesmo Sr. Dr Pereira de
Brito, cuja resposta em seguida se lera.
Nao terminare, porm. sem dizer que deixo de
entrar na apreciago das nomeaedes, qne_qnaano
em exercicio de vice-presidente da provincia m nv
subilllulos dos juites municipaes. Se loramMai
ou ms, as pessoas imparciaes o sabem. Vasal
MELHdrx EXEMPLAR ENCONTRADO )
'


filarlo de Per-aMhne ... Sabbado 4e Outubro de i#4.
ar-
ia a tal respeito profer um discurso na tserhW* Os Srs. Lanman Kemp residentes em Water
provincial o anno passado demonstrando o como Street n. 69, fabricantes da agua Florida lornamse
proced. Estou em paz com a minha conscicucia. jjois com josla razao, em summo grao dignos deste
Recite, 1' de eutubro de 1864. |ioavor ,e seu mnuncto pode ser visto em urna
Joiwmm Pires Machado Portella. oulra columna desU edicao de hoje.
0 Sb. Brandao :-Bem. Tratare de concluir, c Esta excellente ajina ou admiravel liquido o usa-
antes de o faier, creio que V. Exc. nao levara a toparaos usos ordinarios de^ baimJ por sem d-
mal r|ue eujliga que esse Val Passos
que assassi-
nou o capitao Barros c o proprio que, ja sendo cri-
minoso na provincia das Alagoas
O Sn. Joao Leitr :Nio exacto; e o prt-
meiro crime que commette.
O Sn. Brandao : Os Srs. Dantas e Souza Uar-
valho que Ihe respondam.
Como dizia, esse Val Passos o mesmo que,
sendo j afamado por seuscrimes na provincia das
Alaeas, d'onde sahira fugitivo i-ara o termo de I a-
caral, fra aproveitado pelo ex-vicepresidento de
Pernambuco, o Sr. Dr. Joaquim Portilla, para o
cargo de 3 supplenle do juiz municipal daquelle
termo 1
Eis o motivo por que entre us o crime se os-
tenta tao audacioso.
O Sn. Peueira de Brito :Como essa, o Sr.
Portella fez muitas outras nomeacoes desgranadas
para Cimbres, e para toda a provincia.
t O Sr. Urbano :Eu nao o defendo, elle nao C
liberal, conservador.
OSr. Figieiredo : Sempre foi.
O Sn. Joao Leite : Nao apoiado.
O Su. Pkueiiu de Brito :-Foi sempre espo-
cO Sn. Joao Leite :-Nunca precisen de ser ;
a sua familia urna das mais distinctas do partiao
liberal no centro. .
t O Sn. Pereiiu de Brito :-E um membro
P!W! Biiandao :A familia de Val Passos,
que alias urna das mais respeitaveis da provin-
cia, detesta seus crimrs, e de seu proprio pai exis-
ten documentos nos annaes parlamentares, que
provam o que acabo de dizer.
Blm. e Exm. Sr. Ur. Caelano Xavier Pereira
de Brito.- No discurso do Sr. deputado Carlos
BrawJo, publicado no Jornal do Commerao de
t 12 do crreme, lem-se tres apartes dados por
V. Exc.,um em que pronunciou o meu nome,
e mais os dous seguintes :Fot sempre espoleta
T um membro gangrenado os quaes pela
collocacao em que se aeham, teem suscitado do-
vida se sao ou nao mim allusivos. E como
ningucm melhor pode explicar o sentido delles
do que V. Exc. que os proferto, julgo do meu n
goroso dever rogar-1 he que com a mesma fran-
qneza com que no primeiro aparte se enunnou
a meu respeito, sirva-se de declararme se nos
c dous ltimos lambem trftrle-M mim, pcrmit-
tindo-me ao mesmo tempo fazer da sua resposta
t o uso que me convier. Sou com toda a conside-
racao de V. Exc. milito attento venerador e cria-
do Joaquim Pires Machado Portella.
Recife, 24 de setembro de. 1864.
Illra Sr. Dr. Joaquim Pires Machado Portella.
t Em resposta carta, que V. S. se dignou di-
rigir-me com data de 24 do corrente, porm por
c mim recebida 25, passo a responder o segmn-
te : J nao me achava na corte quando sahio
transcripto o discurso do Exm. Sr. deputado Car-
los Brandao ; nao o tendo lido,foi-me neeessano
prornrar o Jurnat do Commercio de 12 do cor-
rente, o que determinou a demora da minha res-
posta. Anda que V. S. em sua carta me pedisse
tao somente o sentido dos meas dous ltimos
apartes, proferidos na sessao de 29 do corrente,
quando orava o mesmo Exm. deputado Carlos
Brandao, me p> rmiltir que, com a franqueza
c que me propria, en trate nao s dos dous nln-
c mos, como tambem do primeiro. Nesle arha-se
orna inexactidao, pote apenas disse o seguinte :
Como essa, o Sr. Portella fez muitas outras no-
meacoes desgratadas para Cimbres : as palavras
para toda a provincia nao as pronunciei. Quan-
to aos dous outros apartes, que V. S. refero em
c sua carta, o verdade que os pronunciei : mas
t nao com referencia V.S.; podendo \. S. fazer
c o uso que Ihe convier desta minha carta, hon
. com toda a consideraos de V. S. muito attento
venerador e eradoCaeta* Xavier Pereira (te
t Brito.
a Sua casa, 27 de setembro de 1864.
1 caixa papel para photliographlas ; a E. Man- Sr. Dr. jniz municipal da 2a vara desta cidade, se
iro. de arrematar dez cadeiras de amarello com '
9 caixas fazenda de seda, de algodo mixta, pen- asiento de paJhnha, duas ditas de bracos, dous I
tes, etc.; a Henrique & Aievedo.
33 cjaixas queije* ; a N. O. B.
23 cjai xas fazendas de algodo ; a Sempson & C.
S birris manleiga, 2 barricas cerveja, 1 caria lonca.
vida um do cosmticos o mais agradavel, assim queijos; a Dencker & Barrozo. |
como o maii delicado e delicise- perfume que' 1 ca xa papel t a. Rabe bch.
jamis temos usado. A' venda as boticas e lojas 7 caixas e B1 fardos fazenda de algodo e de laa,
de perfumaras. -a Ph'pps Brothers & U
__ 6 cali las queijos; a Duarte & C.
consolos, um sof, meia commoda, um relogio e
um par de lanternas de vidro, por execucao de
Laiza Maria d'Oliveira contra Luiz Antonio Bel-
ERt^TA.
Na nenia publicada no Diario de hontem, deo-se
o seguinte erro: Linbas 21 emiogar de-antes
la-se ante. *
A*
C
MMEROIO.
Coa^cs offlciaes.
PRAVA OO I1IX IFE
7 E OUTUBRO DE 1864
Cambios sobre Londres 90 d/v. 27 5|8 d.
1,5000.
Dito sobre Pars90 d|v. 346 rs. por franco.
Dubourcq Jnior, presidente.
por
WYO B4M0 DE PERN\1BGG0.
0 novo banco p^ga o 13 dhiden
a n ao de 8$000 por aeco.
4lfaadega
Rendimento do da. 1 a 6........ 184:1135889
dem do da 7 ................. 38:2835503
292:397*392
ffoTlmento da alfaodega
Volames entrados com fazendas...
i c com gneros.
Volumes sabidos
c c
com
com
fazendas..
gneros..
493
371
210
869
1,064
volume chapeos de palha; a S. P. Johnston &C-
fardos e 36 caixas fazendas de algodo ; a J.
Ryder & C.
18 caixas fazendas de algodo, 2 ditas niudezas,
30 harris nianteiga e 30 caixas qoeijos ; a ordem.
10 caixas queijos; a J. M. da Rosa.
1 caixa tinta ;iA. B. Cuewo.
93 ditas fazenda de algodo e de seda 5 a Th.
Christiansen.
79 cttixas queijos ; a Tasso Irmos.
22 ditas dito; a V. F. da Costa Ftlho.
3 caixas e 2 fardos, chapeos, fazettdas de algo-
dio e de laa a A. C: de Abreu
10 caixas figos ; a C. J. A. Guimares.
8 ditas doces, 7 ditas peixe, 8 ditas macaas, 1
dita ervilhas ; a M. Barros 4 C.
11 barrilinhos e 3 fardos figos, 3 eexlos san-
guesugas ; a Manoel J. R. e Silva & Genro.
2 caixas obras de prata ; a Lehman freres.
1 caixa massa de tomates, 2 ditas queijos, 1 dita
sedas ( a Izidoro Netlo & C
1 caixa urna machina ; a Henry Spencor.
1 caixa vestidos; a L. de M. G. Ferreira.
i cs|ixasfltos, gravatas, chapos e belbutinas;
a Monteiraflis & C.
1 caixa mBBezas a Alves Hainburger.A C.
1 cixa calcado ; a C. Leclere.
1 cixa facenda de seda ; a J. A. Baudenx.
100 barris manteiga, 1 embrulho pipis ; a
Saunders Brothers & C.
2 caixas fazendas de seda, 40 barris com man-
teiga i a E. A Burle & C.
57 caixas chitas, fazendas de algodot.-de laa,
de linho, do seda e mixtas; a Ferreira & Ma-
Iheus.
- 1,079
NENIA
I
fferteifo a meu 'miso *nto-
nioJi Seabia Lentos, pi* cca-
si ila si'iitidissima rao-lc t>
sua sempre chorad c D. Ambrosina A. de S- Lenios.
Nao chorem s, oh nao ao justo em paga
Reserva Dos o premio da nutra vida.
Se di lampada 9 luz aqui se apaga
Por mao dos anjos no co ei-la accendida.
(G. H. d'Almeiba Braga.)
I
Ambrosina, desperta !... O leu cohorte,
Ti1?, i^-i' irntaas g 9 ffiw ierno,
Teus prenles l- amigos, todos chamam-te ;
E dorales, aojo, no seio do Elcrno ?
Ceifou-le a rolo fatal da impia morte?...
Nao respondes, oh aojo, aos meus lamentos ?
Eu diliro, meu i)eos I pariilbo as dores....
A razo me abandona aos sulTrinientos.
Teu consorte, la mai e as iradas tnas
Tem as palpebras ixas pelo prante;
figutarara do soflrer annos de vida,
uconsolaves, do lucio liajam o mani.
Todos vem la magem comoouir'ora,
Abracam-te ao acaso 1... E o l- u consorte
Nos labios do lilliiulio sorve o balsamo.
Enti'amor... eador. a vida.. ea morte II...
II
Tua consorte era um anjo que a trra
Dos liavia enviado como a- flores.
Conliou a tua guarda este thesou.ro,
Para incens queimar aos teus amores.
Amou e r-adeceti, peregrioando,
Na missao que Dt-os Ihe destinoo...
Foi mi I e legando-te sen fructo,
Deu-ltie a vida n'uin beijo E aos cos voon.
E' rainha no reo, a sua fronte
It iianti' de luz clnge urna c'ia I
Ella segu os leas passos.... d-teo balsamo,
Kus labios da crianca, que abencoa.
Enxuga o pranto, amigo, a dr opprime,
Os diclames da sane um myslerio !....
Resignemo-nos contritos e esperemos
Qu'a morte exerca em nos seu ministerio II
3 (Toutubro de 1864.
Descarregam no da 8 de outubro.
Barca inglezaFisin- mercadorlas.
Brigue ingle* Inqaraniamercadorias.
Brigue bamb rguez Ingeborgmercadorias.
Barca francezaHavre dem.
Brigue inglezQuen of the Plijmdem.
Brigue portuguezl/ntu diversos gneros.
Patacho austraco Carita farinha de trigo.
Patacho hanovenanoEmsland-dem.
Escuna americanaFannie Lincolon farinha de
trigo.
Polaca hespanhola Venturita vinhos.
Brigue InglezI.eonferro e cemento.
Importado.
Barca franceza Hucre, entrada do Uavre, con-
signada a Tisset freres, manifeston o seguinte :
50 gigos champauhe; a Saunders Brothers
& &
31 caixas e 2 fardos tecidos de laa,. de algodo.
dn seda e mixtos, pannos ele, 200 gigos batatas, 40
caixas sardtnnas; a Joao Keller & C.
6 caixas e 4 fardos tecidos de algodo e de laa,
chales, casimiras, indianas, etc., 2 caixas movis;
a Carneiro & Nogucira.
7 caixas e 3 fardos tecidos de algodo, de laa, e
chapeos de dito; a Monhard & C.
1 caixa inji-ec/io de Brou ; a C. F. Da?.
1 fardo e o caixas indianas, tecidos, modas, bo-
nets, calcado, chapeos de sol, bengalas, gravatas,
luneras, objectos para escriptorio, tinta, pomada'
eslaluas, e'.c. ;1 caixa injcCfo de Bron, 2 ditas
inercearia, 2 ditas tinta, 1 dita obras de funileiro,
3 dilas quinquilharias, modas, etc.; a ordem.
27 caixas e 5 barricas crystaes, porcelana e v-
dros; a Duarle Pereira.
1 caixa machinas; a A. Maia Brito.
5 caixas e 1 fardo chales de algodo, tecido de
algodo, de laa e de laa e seda; a Schapheiilim
& C.
100 barris e 100 meios manteiga ; a Tisset fre-
res.
20 caixas chumbo; a ^feuron & C.
23 barris e 23 meios manteiga; a C. A. Sodr da
Molla.
30 barris e 100 meios manteiga 5 a A. L. de Oli-
vpira Az.evdo.
'30 bania e 30 meios manteiga ; a 11. B. Las-
serre.
3 linas queijos, 2 barris vinho, 19 caixas e 3 far-
dos tecido de algono, de laa e de seda; a Linder1
Wibl & C.
3 caixas acido ntrico; a Dencker Bar-
roso.
15 caixas e 3 fardos tecido de ,(Ta, indianas, ca-
sill
1 caixa livros ; a Tisset freres.
6 caixas artgos para relojoeiro, 13 ditas fazen-
das de linho, de la, de algodo, de seda e mixta ;
a Joo Keller & C
1 cjtixa obras de ferro, 2 dilas queijos ; a Pal-
meirai & Bellro.
1 caixa fenagens ; a Prente Vianna.
2 ditas queijos, 2 barris pregos ; a M. J. G. da
Fonte.
2 caixas ferragens 5 a D. \V. Bowman.
1 volume camas de ferro ; a C. Slarr & C.
19 fardos e 73 caixas fazendas de algodo, de
laa, de seda e mixta ; a Ferreira & Araujo.
7 caixas e 2 fardos fazenda de algodo, de linho,
mixta e perfumaras
2 Larris vnho ;a R. B. Lasserre 4 C.
5 cjaixas fazenda de algodo ; a Mills Lalham
& C..
13j caiatas fazendas de algodo; a Adamson
Howie & C.
4 caixas fazendas do algodo ; a J. A. de A-
rauja
8 caixas queijos ; a Pereira Rocha A C
2 caixas fazenda de algodo ; a A. V. da bilva
Barroca.
1 caixa livos ; a J. N. de Souza.
2 caixas tecido de algodo, de lioho. .metas,
toalhas, etc.; a D. P. Wild.
1 caixa roupa ; ao Dr. A. Page.
Patacho austraco Carita, entrado de New-
Yoik, consignado a J. Pater & C, manifestou :
7 caixas impressos ; a H. Forster & Cw
5 caixas balloes ; a Liuden Wild c C.
4 caixas rligos phothographicos, 1 barril con-
serva : a A. V. Osborne.
327 caixas e 2 volumes drogaras ; a Caors &
Barbn,
7 caixas relogios f a D. P. Wild.
20 Ibarris pregos, 60 tinas, 1 caixa vassouras,
i ilua vermlfuge, 6 ditas salsaparrilha, 6 caixas
relegjos, 10 dusias de ps, 2 caixas arados, 4 vo-
lumes cliamins, 5 caixas folies ; a S. P. Johns-
ton Si C.
1 iaxa tinta para Ungir,. 1 embrulho impresos
a Blandi.
941 barricas e 30 meias ditas farinha de trigo,
1345 resmas de papel de embrulho, 61 barricas
globos, 1 volume ps, 1 caixa sapatos, 118 volu-
mes prensa de algodo, 8 ditos tecidos de igodia,
2 caixas carro, 230 barricas eimealo,. 0 ditas
bo achinha ; a J. Paler & C. ]
1 cixa torcidas, 10 ditas oleo de amendoa, 30
dila> satsaparrilha. 1 dita albuns, 2 barridasJam-
pioesjl caixa objectos para relogios, 43 ditas re-
niedids, 1 dita phthographia 1 dita oleado, 2
ditas um fogo completo, 1 encapado c.ontas em
branco, 13 caixas e 1 volume drogas, 8 barricas
challones, 3 ditas, I caixo e 6 rollos armacoes
E' a ultima praca.
Joizo dos fetlos da fazenda
nacional.
Na o^tinta-feira 13 do corrente, na sala das au-
diencias, pelas 10 horas da manhan, petante o Dr.
juiz dos leitos da fazenda, se vender em praga
publica nina casa de taipa coberta de teflia, >it-a\ no
Barro, em chaos foreiros, avahada por 120000,
perteocente Francisco de Barros Reg, e peono
rada para pagamento da fazenda nacional.
Recife 8 do outubro de 1864-.
O solicitador,
F. X. P. de Brito.
O conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra precisa comprar o seguinte :
Plvora grossa para artlbaria, arrobas...... 30
Quem quizer vender tal artigo aprsente suas j
propostas em carta fechada na secretaria do conse-1
lio administrativo, s 10 horas da manha do da
14 do corrente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 7 de outubro
de 18o4.
Antonio Pedro de S Brrelo,
coronel-presidente.
Sebastiao Antenio do Reg Barros,
vogal secretario interino.
O conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra tem de comprar os objectos'
seguintes :
Para o forte do Buraco
Bandeiragrande imperial de flele...
Fortaleza do Brum
Chapeos..........................
Esleirs............................
Mantasdela............................. 3
Quem quizer vender laes objectos aprsente snas
propostas em carta fechada na secretaria do cen-
selho administrativo, s 10 horas do dia 12 do cor-
rente.
Sala das sessoes do consslho administrativo pa-1
ra fornecimento do arsenal de guerra, 6 de outu-
bro de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto.
coronel-presidente.
Sebastian Antonio do Reg Barros,
vogal secretario interino.
OnsHIio administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguintes:
Para o arsenal de guerra.
Carvo de pedra, toneladas ingleza 10.
Para a casa da guarda do palacio da presi-
dencia.
Velas stearinas, libras150.
Quem quizer vender laes arligos aprsente suas
propostas em carta fechada na secretaria do conse-1
Iho administrativo s 10 horas da manha do dia 10
de outubro vindouro.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 3 de outubro
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Sebaslio Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario interino.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Javega^o eostelra a vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaiy, Cear,
Acaracu' e Granja.
O vapor iaguaribe, comman-
dante Lobato, seguir para os por-
" vPfi/r^. tos cima no dia 7 de outubro as
horas da tarde. Recebe carga
'at o dia 6. Encommendas, pas-
sageiros e dinheiro a frote at o dia da sabida
s 3 horas da urde : escriptorio no Forte do
Mallos n. 1. ______
lEILQES.
LEIU
DK
e o
3 dital esparrtllas, 72 volumes machinsmo, 1 en-
iiras, chales de algodo ^Tammayer. \ ril|ia.J0 in(,ressos, 1 caixa objectos phothographi-
! 58 caixas tecido de-;igdo, caimas, chapeos, a ordem de diversos.
n-refyperfumara, mermarla e papel, 4b.vns tm- Becc(>e4|or|a de rendas Interna
Alves Hamburger &C. ...... ... de PernaiubOCl.
Ur
3 caixas tecidos r^
adilhos; a D. P. Wild.
geraes
9 caixas espingardas; a J. Moreira Das. Rendimento do dia 1 a 6
2 caixas tecido de linho ; a Ferreira & Ma-i dem do da 7.........
4:684*042
1:453*647
THE.
DE
S. ISABEL
EMPREZA
# GERMAM) k C1MBIU.
6a recit d" assignatura
SABBADO, 8 DE OUTUBRO DE 1864.
Subir scena pela primeira vez neste theatroo
magnfico e apparatoso drama em 5 actos e 7 qna-
dros, original francez :
O COREEIO DE LYAO
0 PROCESSO LESURQUE
Urna casa terrea em
chaos proprios
Terca-feira II do corrente s II
horas da inanlia no armazem
da ruado Vi;-no 11 10
OLYMPIO
autorisado por urna pessoa de criterio vender em
leilo publico urna casa terrea edificada em chaos
proprios, situada na ra da matriz da Boa-Visia
n. 36 (lado da sombra) a qual tem de frente 31
palmos, de fundo 70 palmos, 2 grandes salas, 4
quartos, corintia fra, quintal murado e cacimba
propria ; tendo 2 portas e I |aaella do frente e 2
grandes claros aonde se pode abrir algumas ja-
nellas. Os pretendeotes podeui examinar a re-
ferida casa e para qualquer inform*cao enten-
dam-se com o referido agente Olympio em seu ar-
mazem roa do Tigario n. 10. _______
DE
Um escravo idade 19 annos.
cosinkeiro, copeiro ecom ou-
tro s habilidades.
Cordeiro Slmes
far leilo por conta de urna pessoa que se relira
para fra da cidade do escravo cima dito : quar-
ta-feira 12 do corrente, s 11 horas, no armazem
da ra da Cajeta do Recife n. 48.______________
tteiicfio
6
Aos capitalistas da praca e do interior
LEILO
PR EBIOS
1 sobrado de 4 andares e soto sito na ra da
Cruz n. 33, urna das prmcipaes reas de commer-
cio no bairro do Recife, o qual se acha as melho-
res coiidiecoes, bem contruido e conservado.
1 sitio cm rica .casa de campo de um andar,
salas estucadas, Brande cocheira, estribara para
4 cavallos e ptima senzala, no lugar da T>rre a
margem do Capibaribe, o qual tan porco de la-
ranneiras e outros arvnredos, cuja estrada pela
Passagem da Magdalena onde se vai a carro.
1 casa terrea com soto na ra das Cinco Pon
tas n. 71, quintal, cacimha e porto, prxima a
estaco da estrada de ferro (terreno proprio.)
O agente Almeida autorisado pelo procurador
dos Srs. Pinto A Irmo, far leilo dos predios ci-
ma, os pretendentes podem oblar qualquer infur-
maco do mesmo agente ou na ra da Cadeia do
Recife n. 64, podendo ser previamente examina-
dos ditos predios.
t|iiar(a-felra 9 do eorrente.
O leilo lera lugar na ra da Cadeia do Recife
n. 64, primeiro andar, esrrip,torV> de Guilherme
da Silva Guimarae?, ao meio dia do dia acuna.
Erguem-se atrevidos os licenciosos, arrastando
innuceoles uriauca* ai> nefando 1 Dundo e-qumidii
vira a sociedade remedio lo grave mal, nares-
sao a esses. demonios encarnados, frocti.s da lasci-
via e herikiUvs de seus in.-liurtos ? Responda a
posteridade. fia poneos das este mesmo Diario,
em o seu numero 428, ronsigiiou a bisi.iria de nni
Sr Souza Mai; agora da> garras do Sr. Xa-
viei Polck bem rouherido topista, que urna inno-
cente cria' ca do seis lunoa de idade se escapa es-
pavorido! e vai de|0r inn< ce;iemenle o de que
escapara 1 Pois bem, Sr. Poick irtasse de sua sel-
vaneiia BMM sjojOOIIm M >-ua la\ homogneos do^
lupanares, como sua merc ; mas dex em paz os
innocentes, deixe em paz os que nao teem lil'n
para se perverterem na corrup^o de que se ali-
meiita a sua alma depravada, se nao qurr procu-
rar sarnas.
Tao oegradante proceder de sua merc deixa
tran-parenie a causa, pola qul o abomimia res-
peitavel senhora, ntn leve a desdita de e de>pnzar,
de.-pozando um monstro abject I assim se explica
essa separaco niysterOsa. Procure d>vil, haliita-
fio nica que Ihe propria, como indigno de es-
tar enti gente.
0 perfumo do llemi>pliei-io Occidental
(Extracto do jornal A chbokica de 23
DE JUNHO DB 1838.)
Agua Florida : No meio do oppressivo calor que
nos cerca e debilita e de que n> todos mais ou me
nos soffremos; mn-ideramo aqnelle que no- pode
prHporcionar qualquer um meio de allivio consida-
dor e de mitigaco suave para nossos sofTrimeiitob
como um grande bemfeitor.
thens.
II caixas e 1 fardo tecido de la, chapeos, calca-
do, mereearla; a Henriqne & Azenedo.
13 barris e 30 meios manteiga; a Tasso Ir-
mos
1 barril vinho, 1 ciixa medicamentos e instru-
mentos cirurgicos ; a Caors & Barbosa
2 caixas [iiannos e modas ; a J. Vignes.
2 caixas iihtrumentos ; a A. J. de Aze.vedo.
29 caixas la para bordar, botas, pelles de mar-
roquim, obras de ferro, chapeos, espelhos, mesas
de ferro, agulhas, otiro falso em papel dedaes ; a
Prente Vianna j C.
11 caixas esporas, chapeos, christaes e quinqui-
llera ; a Isidoro Netto & C.
30 barris e 30 meios manteiga, 3 caixas vidros,
I dita caixas para ra|h, l dita calcado e 1 dita ar-
i;oes ; Isidoro iNett & C.
7 caixas lencos de algodo. meias de dito, cha-
pos, bonets e tecidos ; a A. C. de Abreu.
2 caixas ferro batido, quinquillera, artigos de
uptica ; a F. Duharry.
2 caixas calcado ; a P. Arantes.
3 caixas modas, velas, machina e arligos de se-
leiro ; a E. Bou'rgeils.
1 caixa papel putado, 1 barril vinho ; a L-
Puech.
1 caixa chapeos, I dita lencos; a L. A. Siqueira.
2 caixas ; a Manoel A C.
1 fardo e 4 caixas tecido de linho e algodo ; a
Rabe S. & C.
16 caixas tecido de laa, chales de dito, tecido de
linho, dito de algodo, chapos, pannos, bonets, car-
ios, musselina, e riscadilho de algodo ; a Ferrei-
ra & Araujo.
21 caixas tecidos, agulhas, calgados, bonets ; in-
dianas perfumara, papel e quinquillera ; a Mello
Lobo & C.
10 caixas couros, Iinba fitas, cartoes e cartas do
jugar ; a Vaz & Leal.
3 caixas chapeos de seda; a Christiani Freres.
3 dilas ditos de dito; a J. do Souza Maia.
4 caixas cartas para jogar ; a A. V. da Silva Bar-
roca.
1 barril ignora-se ; a Maurer.
1 caixa molas; a Puirier.
1 dita licor ; a Lehman.
2 ditas espelhos : a A. Luiz dos Santos.
1 dita roopa, 200 gigos batatas; a E. A. Burle &C.
3 caixas espelhos de madeira, chapos de la, e
caixas para rap ; a J. C. Duarte & C.
1 caixa vidros ; a J. da C. Bravo.
3 barris alvaiado e verde francez ; a J. M. da
Cruz.
3 caixas vidros; a J. Pereira.
Vapor mg e/ Magdalena, entrado de Southamp-
ton e escapa, mame-tnu n seguinte :
3 caixas com 23,000 ; ao banco do Brasil.
2 caixas objectus de escriptorio o peiiodicos ; a
secretaria da presidencia.
I embrulho objectos de escriptorio ; a Amorim
Irm"S.
1 caixa bichas a Jos Antoi io M. Das.
1 Caixa livros, 7 ditas perfumara, f.izenda de al-
go lo, de linho, de la, e tcalbas; a L. A. Siqueira.
3 caixas lenc"S, f-zendas de algodo de seda e
myxtas ; a l^arneiro v Nogneira.
1 caixa calcado: a Leiims Hunt.
1 embrulho livros; a J A. Silva Guimares.
1 caixa div.rsus obj- co-, 1 dita chapos, pentcs
e lavas; a Vaz & Leal.
1 caixa livr s ; a Josfl N. de Suza.
1 dita 1:331*680 res, 3 dilas rendas de algodo
e elsticos de eda ; a M. I. de Obveira & Filhos.
3 caixas mercuil", 9 dilas rap, o ditas doces, 4
ditas Bgoo, 12 ditas uvas 4 volumes passas ; a Tho-
iiiaz de Aqu n<> Foncera.
2 caixas orna machina : a Wilson.
6:1375689
Consulado proTlncial
RecdimeDtodo dia 1 a 6
dem djo dia 7.....
3:4015342
1:380*939
Navio entrado no dia 7.
Ass -13 das, hiate braMetroSfryMiM, de 34 to-
lidiadas, capitao Henrique Jos Vieira da Silva,
equinagem 7, carga sal; ao mesmo capitao.
Navios sahidos no thesmo dia.
Rio de Janeiro pela Baha- Barca nacional Ami-
zadei capitao Jos Ferreira Pinto, carga carne
secci.
Id-m idem-Patacho hollandez Toibeck, capitao
F. HWIIIeng, em lastro.
Acrame purtos inlermedios Vapor nacional
Jaguaribe, commandanle Manoel Joaquim Lo-
bato.
u
TAES.
O Illm. Sr. inspector da thesourararia provin-
cial de Pernambuco, em cumprimento da ordem
do Exin. Sr. presidente da provincia de 30 de se-
tembro, prximo findo, manda fazer publico que
no dia 3 do corrente, perante a junta da fazenda
da mesma thesouraria, so ha de arrematar,
quem mais der, o imposto de 2*300 rs. do gado
vaceum consumido no municipio de Igurassu',
avahado novamenteem 1:073* por anno.
A arrematco ser eita por tempo de 2 annos e
8 raetfSla contar do 1. de novembro de 1864 a 30
de jtinh de 1867. .
As pessoas que se propozerem essa arremata-
cao, conizarecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia'acima mencionado, pelo meio'dia, e
competentemente habilitaiias.
E para constar, se mandou publicar o presente
pelo jornal. ,
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 1 de outubro de 1864.O secretario, A. F.
d'Anniinciaoo.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 30 de setembro prximo
flnd>, manda fazer publico, que no da 13 do cor-
rete, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, se.ha de arrematar quem mais der, o
imposto do dizimo do gado vaceum consumido na
comarca do Bonito, avaliado novamente em 1:600*
por anno.
A arrematco sera feila por tempo de 3 annos
a contar do 1 de jullio de 1864 a 30 de junho de
1867.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
cao, comparegam na sala das se-toes da referida
junta, no da cima mencionado pelo meto dia,
competentemente habilitadas.
Coimbra.
Germano.
Borges.
Teixeira.
Porto.
Luiz.
Raphael.
Lisboa.
Pinto.
Guimares.
Jo.x Bernardino.
Manhonsa.
Porto.
Freitas.
Santa Rosa.
N. N.
N. N.
D. Antonina.
D. Camilla.
D. Maria Poules.
PERSONAGENS.
Jeronymo Lesurque, pai .
Jos Lesurque, filho .)
Dubose......)
Didier .......
Joliquet.....
Lamben......
Dumont, correio ....
Magloir, postilho. .
Daubenton, juiz d'instrucco.
Cheppard, o amavel .
Courriolo......
Favinard......
Suerneau ......
O dono da estalagem
O caixeiro......
Um agente de polica.
Um carrasco.....
Um sacerdote.....
Joanna.......
Julia Lesurque ....
Filha do dono da estalagem.
Oflieiaes da justica, soldados, povo, etc. etc.
poca 1796, repblica de Franca.
O vestuario gosto da poca.
Comecar s 8 horas.
AH.IMUA.%
Domingo, 9 do corrente.
Ter lugar a segunda representacao do drama
em 3 actos e 7 quadros, original francez :
0 CORREIO DE LYlO
ou
0 PROCESSO LESURQUES
em recita extraordinaria, livre daassignatura.
Terminar o espectculo com a graciosa come-
dia em 1 acto :
SIM OU NAO?
Os senheres que encommendaram camarotes
para a recita de hoje, tenham a bondade de os
mandar buscar at ao meio dia ; dessa hora em
diante se dispor dos que restarem.
SAl'OFS
DO
CAES DE APOLLO.
GRANDE
E
Extraordinario baile
Nestes salde*, hoje, 8 do correte.
MISOS MlfilTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte esperado
o vapor Cruzeiro do Sul, com-
mandante Alcanforado, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
avisos pirraos.
Associagao Typograpliica
Pernambucana,
Por ordem do presidente da Associaelo, convido
os Srs. socios conselheiros a cooiparecerem ama-
nhaOdo corrente, pela- (I hf ras da manha, pa-
ra a s.-sso ordinaria do cunsolha
Recife, 8 de outubro da 1861.
Jusiiino F. Regs,
17 secretario.
Devocao de S. Francisco de
Assis da igreja de S. Jo-
s de Riba-Mar.
A devo0o de S. Fraadsco de A.sis da
igreja de S. Jos d> KMi-Mar. participa a
tudos que conlrihuiram para a fealiviilade
do sen santo padrociro, que Wm transferi-
do para o dia i A do corren le a mesma rs-
tividade, e igualmente convida .1 todos da
mesmade0J0o para rotapai-ei>ivm no lia
9 do correle as 9 Iwm da manlia r.o
consistorio da igreja declarada, para se pro-
ceder ai'k-icao da nova direr>> <|nx> lea
de reger no anno futuro.
Recife, i de outubro de I8*l.
O secretario.
Dcudoro A. A Mello.
Na ra da Conceico n. i7 pncisa-se un.-.
ama para pequea familia.____________________
Aluga-se um primeiro andar na ra da Pe-
nba, pintado, raiadn e lavado : I tratar no me*mr
Publica^o Iliteraria.
Sabio luz o opsculo intitulado
a libi:rdadi:
BRASIL
POR
A/fonso de Aibuquergue Mello
Convjilam-se os assignantes a mandaren recitar
seus e&emplares na praca da Itdtyendinru w. fr
e 8, que miran entregues a vL*u dos recibos da >-
sigiuturas ; ah tambem esli eipr4c- a veU .
1000 cada um. Sao ib o* seginl--s IKnlm as
materias de que se oceupa :
Introdoc^o.Noco da liberdude.1> Brasti -
lonia. Revoluc) de 1817A Ind. pendt iraA
consltninteAconstimi^o A revnlora \*i\
Aeupulsoouabdicacao. Art^en.ia livn*. <
partido regre>si:4a Ameaca dos corriioil* e ojae
da dos livres. A regencia corcoada. ijom v
males da regencia livre. Regracia rurcMkia e
maioridade. Principios do reinado de D. Tf*\f
RevolU de Minas e & Paulo.Domiato da Praia
Ln/ia. -11 dominio literal nao inquietara o enr-
cundas.Keitos do dominio liberal.-A praiaet3i
chorrosenatoria.A revolta e a revohico dr
1848 A cinsiiiuinli;.-A coastiluinlr.-iVrrou
da revoluco. .Vgoeiaeao de Honorio co os a*e-
raes :traidores. Venda da bandeira da coa
lituinte. O partido liberal durante osqoalone aa-
uos do chamado o-ir.vismo. Os rorrnndas t -
liberaes durante os quatorieann'^.Caplrveiro te-
signado e voluntario des liberaes dorante os joa
lorze anuos. 0 pavo cotruadi, ou o vermHta- 1
os sabios. A staaneio propriamente puliltai
Utuicoes livi, e direitos polticos qne
ate o 11 ni da regencia livre, o ajae acta
temos em lugar deHcs.-0 repreanilanie da na
cao e das provincias.Situar* admini-lraliva
0 que sao nella os Portugoexes. >> ogover
no obrigado a corromper o paiz e a laaer-**
sempre maior mal.Como se mol?i|ilica e se paca
a clientella do governo para snstenlar-se iaatc-
riocorcunda. O procnsul. O pn rowat da co-
marca. Dos cargos, ios crimes e da poaifao.A
jnstica.Jnizes rntiniripaes.Joizes de droM.
Tribunaes.-Os das lteta;o>S-Tribonae do t>
inercio.Supremo Tribunal de Jo.>iiea.O Jary.
Os advogados.t>nflusao. tiarantia dos dsrrl?
A moral publica.-Do* crimes. As eb-kcoe.
Coronario da obra saquareina. O njne a pa-
tria. Siluacao para com o citerior.- Staar*
financeira. -As linancas do estado.- A miseria
Pergo o salvamento dos roten rulas.A liga-
Como se connregam os elementos para Ha.foa>-
sideraces rerospocl i vas. A eort?tnninte. Pn j 1
ros antecedentes. ConcibacSo e o|>poieo porti-
menlar.Monta a liga.-O que sao os liberaes a:
liga.Que bem faro os liberaes ao pait-O pm-
gresso Seus fritos.O que o prnfreso e pac
/ara.Como se deve viver nrsta l^rra e chegada
1 ao progresso.Pofqnt*, o progW--*0. vrm eaaa-
! atetar canas desgracasje wm mais remSjo t^
ha sahraeie para nos qual seria o meio e Ir* L
cil. Resumo. As cinco provinrias prrnambnra
as. Hi-toiiro e poltica corenuda.- De vffl a miseria. Como se corrompe na eleiwi
restnco da liberdade apar do pr>creo d iMcao-
ralidade. Corollario.
Precisa-se de uto
tribuidor deste Diar
Apipucos : ni praca dfci
Ce 8.

5WS
5
ho.'iieiii pira dis-
0 do Manguinlio
Independencia ns.
&
fe
31^5

tu da primeira lotera
matriz de Caroar,
Aos 6:00S(mu
Quarta-feira 12 do corrente mez, se ex-
trahir a primeira pai
(IIIa) a benelicio da
no consislofiio da igreja de Nossa Sennura
do Rosario da fregueza de Santo Amonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. i5.
Os premios de 6:000.-?000 at 120000
sero pagos urna hora depois da extracto
at s 4 horas da tarde, e os outros no di;
seguinte depois da dislribuicao das listas.
Servindo de ttiesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza
mk da pimKhVa
AOS 6:000.000
BBilhete garantidos
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costnme
O abaixo assignado venden nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de extrahir a benelicio do Gymnasio Perhambu-
cano, os seuulntes premios:
N. 1713 d us quart-s com 10:0003000
N. 1670 meio bilhete com 2:000*100
N. 307 dos quartos com 2:000,8000
N. 33IS um inleiro com SOOnOO
N. 2013 dous quartos com 3004000
E outras muitas de 2004, 1005, 405 e %>&.
Os possuidnre> podem vir receber sem os des-
cocos das eis na Casa da Fortuna ra do i .res-
po n. 23.
Acham-se venda os da primeira parte da
primeira lotera a beneficio da matriz de Caruar,
que se extrahir no dia 12 de outubro.
Presos.
Bilhetes inteiros..... 74000
Meios......... 343O0
Quartos........ 14900
Para as pessoas que compraren)
de 1004 para cima.
Bilhetes........ 64300
Meios......... 34230
Quartos......, 13700
Mano'l Mar Hn.< Piafa
Gabinete Portuguez de Lei-
tura.
Ti ordem do Illm. Sr. presidente do ronseih;
deliberativo o mesmo conselho convoead-i para
se reunir em sessao ordinaria Ir-rea-feira It do
corrciite, as (i horas da tarde, na -ala das re-pec-
livas sessoes.
Secretaria do conselheiro deliberativo do (alo
nete Poriugiuz de Leitnra em Pernambaro o- T
de outubro de I86V.
A. A. dos Sanios Porto
[ secMMfo,
- .Na ra da lioda n. 6, contina a aaaarfar co-
midas para fra, arceila encommendas e incum
bem-se de ludo por preco rasoavel.
O.-saopareceu no dia 6 Ai frrente. 1!
ra do Mondego n. 2V urna -irijrniti, vnlcarmen-
te coiihecida por srraran ; armli eu muilo man-
ca e (rande, e tem um do dedos atilinta csa
turto em eoosequeiicia de o ler desloeado : qnem
tiver pegado far o favor de cntrejra la no rrtido
sillo que se recompensar o Irabalho, bem r m.
quem der urna noticia certa. .
Boa taherna.
Aluga-se por preco commodo a casa n. It! na
ra Imperial, com armaro para taberna, leude
commodos para su morar com funda : a tratar na
mesma. Ah se vende nm terreno prumpto par
se edificar.______ _____________
__ Manuel Vctor da Fonseca e Mello, murader
na fregueza do lltnit1, participa ao publn > >u
havendo encontr de mne, de hora em dianle -
signar-.e-ha por Manoel Vctor da Fonseea Mar
(pies.
Altcnciio
A
Por este Piano anr.unciei por diferentes veae-
que o Sr. relojoeiru Caetano Moreira Fonles derla-
rasse a sua morada alim de entregarme o mra
relogii de ouro para algineira, que a mais de m
anno e-t em >en poder, resi^mdeu-me por e-lt
Diario, ijne morava na ra 1I0 Sebo, raa a. 27, t
que poda, quando quizesse, ir I usra-lo ; lenco ido
|Mir vanas vezes e nao me o lem enfregado; e-
treguei o recibo qur passou-me a um rebjpieiro,
comiiiuiiii|uei-lhe qne po relogio, res|iondeti-me que nao reronheria c--_
pessoa como mesire do offlrio, qne eu Ihe mar-
casse as horas aflin de entregar-me ; a-im o :iz;
o como al o presente nao me tem frito eolrrga,
apesar das muitas dili-.'eucia que tenho leilo : por
isso rogo ao Sr. Caetano Moroira Ponas naja de
eiitrepar-me o meu relogio independen te de m re-
correr a outros meios.
Marcelino Jos Lopes.
Precisa-se fallar com o Sr. rapilo E
Jos Pa.-s Barreto. na ra da linperalna a. 40.
'llilirlCinCHi.lll nai/iiu""t --- c T---- !_! _l
Epara constar, se manoou publicar o presente ser embarcada no da de sua^obegada, encomnien-
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 1 de outubro de 1864.-0 secretario, A. F.
d'Anuunciacao.
DECLRALES.
Hoje 8 do corrente, depois da audiencia do
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
onio Luiz de Olveira Azevedo & C
Para a Bahia pretende sahir em poneos dia>
o velero patacho D. Luiz, capitao Jos Teixeira
de Azevedo, por ter parte da carga tratada : para
o resto da carga que Ihe falta tratase com os con-
signatarios Palmeira & Bellro, largo do Corpo
Santo n. 4, primeiro andar.
Aluga-se a casa n. 40 da
ras : na ra da Aurora n. 36.
ra das Tnnrhei-
Na livraria n. (re H da praga da Inde-
pendencia existe nma caria de importancia
Iiara o Sr. Antonio Fernandes Corredor.
Aluga-se nma casa em Brenhe : a tratar
com J. I M. Bego, na roa do Trapiche n. 34.
Na roa do Trapiche n. 3, hotel italiano, pro
cisa-se de um criado, prefere-se que seja e Precisa se de nma ama
retro, sobrado n. 12,
na ra do Caldee
A M A
Precisase de urna ami escrava on livre
roa Nova n 63, srirnndo andar.__________
Itugii se encarecid-inente au Illm. Sr. Dr. A
B. 8., presentemente morad** na villa do Pilar da
Parahiba do .Nor-e, o especial favor de mindar
.planto antes satisfazer nacidaile de Sorna da nev
ma provincia |ie>soa a ipiem S. S. nao hjn*ra. a
imporUincii de 1654 proveniente de nm ravatlo 4a
sella que S. S. cmnprou para sua viagem, d. nm-
trario passara jirlo dis>abor d> ver vi
hii.-ad.i por extenso nesle jornal, a* |
iia.l. que acioniMoharain k*M> aecocio.
Aluaa-s- um caita acatm-U a muti de ne-
vo, com bastantes cotorro ubi*, e arvoredo*, ju
Cachahg : na ma do Queimado, luja n. 14.
- Na ma da Cruz n. 3 u>m orna carta
Sr. Antonio Jacinlbo Cesar viada do sol.
para o
MLHOR EXMPLR ENCONTRADO )
MUTILADO


Diario d PPutrnuaeo Jabbatlo 8 a> Ouubro 4> t ftej-t.
MLIIAS CATHARTICAS DE AYER.
Estas pilulas regetaes sao a-
dapladas a todos os osos de um
purgante-as familias, pois sao
perfectamente innocentes, e em
A' messieurs les etrangers
residente au Recife.
Americo Pernandes Trigo de Loureiro, bacbelier
en droii, ot professeur partirulier de matires prc-
paraioires, autoris par le gouvernement proviucial
quanlo roilhares de pessoas con- pour renseignement des bagues francaise, et por-
fessam com gralido que foram lugaise, se proposc dore navant euseigner celleci
aui etrangers, qui veuillent apprendre la parler;
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um s caso eai que baja sjispei-
tas to mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestados que temos de curas
oolaveis feitas ltimamente.
Um caso nota ve I de
AKrceo chronira do ligado.
Iixm. Su-
Miz de Fura, 17 de ftnereiro de 1864.
Tendo feito uso das pdulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo lirado um resultado nao espera-
do ; padec-endo ha mais de done anuos en*
femidades do Qgado e bato, coa o uso
das pilulas posso Ihc assegurar que estou
bom. po s ten lo dcsapparedo um groada
engorgitamenlo que soffria, muitas dores
sobre a regiflo do ftgado e cosas, dores de
cabecfi, ineliaeio do ventre, nao podendo
deitar-mc senio do lado direito, isso me>-
mo procurando posic3o para ter socegn, bo-
je me ado livre d'Mse padedmento ; como
por aqui ainda as nao baja, eu como tenhoj
este proprio que de casa, Ibe rogo man-.
dar-me alguns \idros, e o custo elle Ihc sa-
lisiar, assim bem como do champe del
cereja, que tive occasiao de experimentar;
em um alarjus de guellas que leve urna
preta que cun elle curei, faro uso d'elles
uas tosses cm minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns fhsqttinhos, e mesmo as p-
lalas pode montar a doze, "poique tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e ai-
turnas pessoas, todas teem lirado grande
resultado; son
De V. S. aliento abrigado,
1'iiANC.isco Kkhhkiha Paks.
pourvu qu'ils soient francais, ou, d'ailleurs, qu'ils
parlent la langue francaise.
Les preieudaots derront 'adresser chezlui, ru
de Saudade, n. 9, Boa-Vista : le matin, jusqu'a
midi, et le soir, jusqu' cinq heures. Mais les d-
manches, et les jours de fte on peut l'y trouver i
toute heure. Les lecons seront cliez les pretendants
memes, les jours, et les heures, qu'on accordera.
Le prix sera aussi par accord.
To the foreigners residente at Recife.
Americo Feruaudes Trigo de Loureiro, bachelor
oflaws, and partirular profeswr of preliminar)'
disciplines, authorized hy provincial governmenl
to the learning of the frenen, and portuguese lan-
guages, propoaw toiraself aow to leacb this langua-
ge to the foreigners; provided tliat Ihey be french,
or, if not, tbat Utey spuak freucb
The preienders may direct thraiselves to bis
bouse, at Saudade's street, number 9, Roa-YIsta :
mornlng, M noon, and sfter, MU five o'cluck. But
sundays, and holydays they can ind him thare at
every'hour. Th lessons will be in the house of
the pretenders, the days, and hours, which WI be
accorded, as the rate.
Khennaiismo e atajan hemorrhoidaes.
IllI. Sr.
Ouro-Prelo, 30 de marco de 1804.
Posso certiicar-lhe (|ue as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que solTrcndo eu dores pelo corpo, e que
suppunha ser rheuinatismo, (molestia esta
qaej havia soffrido ha annosl e soffrendo
lambem de ataques hemorrhoidaes, c de
um ouvido, pois que al j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixo, con-
sulte! a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devla fazer uso da salsa ; pnrm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
comprei em Boa casa um vidrinlio das mes-
aras pilulas e por minha conta principiei a
loma-las, e sem as finalisnr acho-me sem as
dores pelo corpo : e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques htmorrlioi-
daes: portante sao para mim as taes pil-
las as melhores que tenho experimentado ;
sto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo reilo, venerador e obrigado,
O luigadeiro
.Ioao Rodrigues Feo de Carvamio.
Gaslrilc.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864.
Atiesto que tendo feito uso, aconsejado
por um amigo, das piulas do Dr. Ayer,
liquel perfectamente bom de urna gaslrilc
que solivia e que privava-me de andar aper-
lado, boje felizmente nada sinlo.
AtGLSTO GOLl-ATINO DE MELLO.
Falta de apetite.
Ouro-Preto, 21 de fevereiro de 1804.
Sendo cu aft'ectado do ligado lia amitos
anuos, e ltimamente soffri falla de apetite,
hoja don gracas a Deus por acliar-me sao
perfeito com o uso das pilulas catharticas
lo Dr. Ayer.
Antonio Bent Vieira.
Cons(i|i3ro, dores de caliera.
Ouro-I'reto, 28 de margo de 1864.
Attesto que achaii-lo-me atacado de urna
forte constipaclo que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri horiivel-
mento Bbr espago de quatro dias; ento
ara amigo aconselhou-me que tomasse pi-
lulas atharlicos do Dr. Ayer : com ellas fia
quei se e completamente restabellecido em
tres tbas, de sorte que estou no (firme pro-
posito de aconselhar o uso das dilas pilulas
\ todas as pessoas que forem affectadas de
constipares.
Acostinuo Jos da Silva, negociante de fa-
zendas. _____________
Irritarlo do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito lempo excessiva irritacao
Ij estomago, pouco apetite e difiicil dies-
15o, d'elU tenho experimentado sensiveis
iuelhoras depois que tenho feito uso das pi-
mas calharlicas do Dr Ayer.
Antonio Heumocenes Peueira Rosa.
MUTA iUmU
Aviso aos senbores e senhoras
Av'so aos senhores o senhoras
Aviso aos senhores e sotihofas
Aviso aos senhores e MobMW
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos sentwrfw e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras
Aviso aos senhores e senhoras.
Novo sorlimento
Novo sorlimento
Novo sorlimento
Novo sorlimento
Novo sorlimento
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e quadros
De caixinhas e qiadros
De caixinhas e quadros
Caixinhas a 12>
Caixinhas a 25
Caixinhas a 2-5
i aixinhas a 23
Caixinhas a 25
Caixinhas de 8$ por 43
Caixinhas pe5'3 por 45
Caixinhas ile 53 por 43
Caixinhas de 33 por 45
Caixinhas d.- 33 por 4fi
Recrberam-s-e 10 mil caixas
Heceberam-se 10 mil caixas
Rerehe>-am-se 10 mil caixis
Hecehcram se 10 mil caixas
Beceberam-se 10 mil caix.s
Cartoes di* vbita
Carles de vi>iia
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Candes de visita
A 103 a duzia
A 103 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A 105 a duzia
A galera esta renovada
A galera est renovada
A galena est renovada
A galera esl renovada
A galera esta renovada
Com ricos c-rlmados e tapete?
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos cortinados e tapetes
Com ricos coronados e tapetes
Com ricos coronados e lapetes
Com lindas e variadas vistas de fundo
Com lindas e variadas vistas de tundo
Cora lindase arladas vistas de fundo
Com lindas c variadas vistas de fundo
Com lindas e variadas vistas de futdo
rasa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A' ra do Imperador n. 38
A. W. Osborne.
A ttenqao
Otferece-se para criado um ticmein solteira cora
pratica sufflciente para cozinhar e comprar na ra;
prefere-se casa de hornera solioiro en mesmo de
familia, nao so obrigaado a cozinhar : e qoanto a
sua conducta alianc : quera precisar, dirija-se
ra da Solaiade n. 64, eu mauncie por esta follia
Jos juaquim Das Femandes, testamenteiro
do subdito portufoez Manoel Jos d'Amorim, ro-
ga todas as pesaoas qoe se julfam credoras do
referido Amori,lja 4b presentar suas contas
ou ttulos no pana de 30 djas, aflm de serem at-
tendidas no inventario i que est procedendo pelo
consulado porMgMb Eee^ S8 de siembro de
1864.
flUJ\ 110 IMPERA -
DOR N. l
Grande arnaiem de liuias
Tem a venda :
1 Prodnctoschimicosmedicinaes oc
mais importantes era medicina.
3. Prodoctos chimcos e ntensis
para photographia eoulras industrias.
3. Todas as materias e utensis
empregadft na pintora a oleo e a col-
la para pintores, tintoreiro, enver-
nisadores, dooradares e vtdraoeiros.
Jo Pedro das Nevos,
Gerente.
Aluga-se o primeir.i andar da ra da Sen- 35
ala Veltaa n. 48 : a tratr na rojn do me IP^flMNGA
ESTABELEGIMENTO.
0 agente Olyrapio mudou
seu armazem de leiloes pa-
ra ra do Vigarion. 10,
a^^^s^r^ aonde pretende continuar a
fazer suas feiras semanaes
e espera ter amesma con-
currencia de seus committen-
tes e amigos, nao tendo
responsabiiidade alguma no
armazem da ra da Cadeia
do Recife n. 48.
tina do Vi gario n 10.
DENTISTA OEPARIS
19Rw Nava -19
VEJfDAS.
s
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operac&es de sua arte, e col-
loca denles articlaes, tudo com superio-
ridade e perfeiyao, que as pessoas enten-
didas I he reconhecera.
Tem agua e pos dentificio.
Livro de ora$8e&
Vende-se I(50 res, ra iivraria n?. 5e8
da prnci da liidi-fx-ndencia. um livrinhf* con-
tenitu o seHfil(! : Inuvor no santo n-ine d*
Deus, corta dos actos de amor de Dos, ora-
C3es e peiices, hjmnoao Mspirilo Santo, ro-
ii'm do Senhor, aviso ;'i i|nnlqui*r alma de-
vota, desengaos ta vida humana, liviano
.%CKt ofeS- SVSS Je Santo Amlirozio JNossa Scnhora, jab-
reciosas, assim como se faz qualquer obra de en- to* 1'' Saiilissimo Sa. nmento, t-atn'icmda
n
preciosa
coramenda, e todo e qualquer concert.
Precisa-se de dous homens que enteodam do
servido de copeiro : ba ruada Aurora n. 32.
LlVR4RFCllCK
RA DO CRESPO N. 2.
DEFRONTE DO ARCO DE SANTO ANTONIO.
Obras ltimamente recebias.
Jurisprudencia.
Consultor forense por Carlos Antonio Cor-
deiro, 4 volumes............309000
Tambem so vende cada volume separado 8JM)00
Manual dos juizes de direito, ou atlribui-
coes e deveres destas autoridades ..
Primeiras lintias sobre o processo crimi-
nal por J. B. da Cunta, 2 volumes .
Nova guia dos juizes muncipaes e or-
phaos por J. M. P. de Vasconcellos .
Novo advocado do povo ou arte de reque-
rer em juizo.............
Roteiro dos collectores, nova ediciio muito
O Dr. CsroNiio Francisco de Lima San-
ws, eontma a reildir na ra do Impe-
rador ti. 17,2* andar, onde pode ser pro-
carado a qualquer hora do da e da nnite
para o eiorcicio de na proQssSn de me ?
dico ; sendo qoe os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o eado das
moleslias do Interior, proseeue, com o
waior afflnco, no das maia diffleels e deli-
cadas peragecs. como sejam dos ergaos
ourinarios, dos othos, parto?, etc.
Maques sobre Portugal.
O abati asslanadn, atMorisado pelo
Banco Mercantil Portnen. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca of-
fectivamente \>ot todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer soiuma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que lemarem
saques a praso,receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao auno: na
loja do chapos da ra do Crespo n. 6, on
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
vw-sacra, commemoracli Nossa SwilKra
do Garmo e ao SS. SHrramentn, dini-torio
para a oraco mental, dividido pelos diada
semana, obsequio ao coracTiu le Jims, sau-
dacSs devotas s chapas ilc (^trislo. ora-
Coes Nossa Seuhota, S Jos, ao anjo ta
guarda, Deus em obsequio qualquer san-
io e para a noiito, e respowu peas asnas
do purgatoriii.
Vende se eatitMa vaz'os rtprias
para i 9 1$44H
ada um; m>t> tvaoyphi.i._______
ni
Precia-?c de una ama que saiba cosinbar,
e engommai : na ra do Imperador n. 60, 2' an-
dar.
0 ageute de leiloes Olimpio nao mnai la da polioia.
tem gerencia nem respnsbilil de al-
guma ro armazem Ha ra da Cadeia
do Recife n, 48.

alcairio do gaz pelo preeo da fabrira : no
tnni .111 i!:i boki aiuarelia mi uil\> da se-
Ven le so nina urna de Jacaranda, MM
feita, para deposito de ossos : na rn.i da Imprra-
triz, loja de marein iro n. 25.
Precisa-se de
Hospicio n. 36.
1 a
urna cozinheira : na ra do
Precisa-se de urna ama para todo o s*rvco:
na na das Laraojjeiras n. 5, segundo andar.

m-,
O bacharel
Francisco Angosto da Cosa
ADV6CAIM)
Ra do Imperador numero 69.
m
o000
14*000
8*000
4*000
A ma.
Precisa-se de urna ama para cozinhar e engom-
Claudio Dnbenx, propriejario das linhas dei
mnibus faz sciente ao publiro que de hojeem I mar ra,a d(! rjmHf na ra da Con-
disnte, mas rnenle aos sabbados, Iiaverao d-Mis ,F ... rma,pm dn Sol
omnilim para o Carhang, os quacs sahirao do Re- cordia n. \, soiiraoo do armazem ao sw. --------
cife as 4 e 5 horas rt tarde ; e na segnnda-feira Manoel Jos Ramalho declara que bavendo
voltaio do Cachang pnra o Recife as 7 l| e 8 outro individuo nesta cidade com o mesmo ni
horas da raanha. | se assigna como aegninte : Manoel Ramos de
constar mandri publicar
aug
NovissintO manual dos labelUaes ou col-
leco dos actos, attribuicoes e deveres
destes funecionarios.......... 6*000
O advogado comnn>rcial on arte de reque-
rer no juizo romnjiercial....... 4*000
ndice alphabetico de materias, as quaes
tem applicacao legislaeao patria pro-
mulgada at o anno de I8.S7, coordena-
do pelo desembargador Joao Joaquim
da Silva................ 12*000
Alem destas receberam-se mais obras de sum-
mo inleresse, para os senhores juizes, advogados
solicitdoros, etc., etc. _
- Na ra da Ca noine.
Oli-
te au-
nentada............ 6*000, andar, tem urna carta para o Sr. Antonio Manoel
I da Conreico.
Precisa-se de urna inulher para cozinhar era
casa de horaem sotteiro, que nao seja mofa : a tra-
tar no bilhar dtfs arcos.
Manoel Ramos de Oliveira.
Sant-Clalr
O abaixo assignado regesijando-se muito de ver
o augmento da edilicacao do hairro de S. los, e
tendo ainda urna poreo de terrenos, parle aterra
das ilhas ou os desterrados na ilha da Barra, ro-
mance digno de ser lido petas senhoras por seus
lances'
senhora
rians.
OITerece-O um homem porlugu>'z para feilor
de engenho : quem precisar annuncie.__________
l'miilicao ti o Bowmau.
Precisa-se de ofuviaes roachinlstas.
Agua Florida.
Para restabelecer e coasprvar a Ir MMHl
d'is caludlns.
A agua florida nao urna lintora, facSt as>m-
rial a contestar, a mesma agua dando a er primi-
tiva ao caltello. Cofnposta le |.iani.i< etaea c
ile substancias inoflon.-ivas, elia ten a prosvwWr
de restituir aos cabellos o principio -ranst 4 al-
tes tem perdido. Duina salulindade iawlMia-
vel. a Agua Florida entretem a biapna destroe as caspas c impede m cabellos de eaSir
Oleo de Florida
Composto de substancias vegetis tMftBSBj ti\r
constitu' polerosamenl". com a AfH Florida. -
lorca, a liell za e a con>ervaro io* rebsSSSa,
Em Paris, casa d? Qiiislaur n. 12, ma de Rirtir-
lieo. c 21, boulevard Monrtnartr".
Todos os francos, nao leudo intacto clarn.
timbre prateado da casa, nta isasJBaiH Mi >.
Deposito, ra do liiipi-ra.lor, |ihannacia n. 3*1.
CAL DE LhlM
Vendes.: cal de Lisboa a mais superior pie ha
S;; vJZZEZSfr urna "..mercad., ?do barril de 4 arrU* | amia.
3 volumes era brorhura a 2*: nalivrs- 1/a "i1 n,;1 ,,a M",l\n- '.Jllf^'"- -1" "?
G e 8 da paca da lndependoticia. dun"a i e P "'rormaco.v< n. m*m i ir..-
piche.
Amcudoiis confeitailm
No estabelecimenlo da na do Itan >^l 4-'i.
dos e parte bwelirialos. e nanos podendo odilb-ar ; Ainda c=t para alogarse o sobrado amarel- "1 de niaiiilioea. v.in..> fu, l.ir-.-,
- Precisa-se alufear urna escrava para lo >r, o ltou0;c nem deslindo privar a lodos aquelles cida- i0 da Ponte de cUoa : a IraUr no birgo do Pa- de eapim, l>a c^sa de viv.-nda, e>in
servico de urna cas& de familia : a tratar na ra jjos do bom goslo e edificadores, um resolvido razo n o. &* mai< s;""" aus arrabal-lrs Jo B-in
Vende-se um sitio grande rom nimia a*l-
UmM w. i-.|ii o* i*i va
Iriltaria. r w lu-
da Cdeia do Recife n. 48, terceiro andar.
Na padaria dui Torre preclsa-sa d
sador que saiba ler e escrever para tomar conla
de urna freguezia.
Vire-coHsalad de. Ilespanha.
Havendo fallecido o sulidlto liespanhol Benlo
Antonio Toutinho, sao convidados todos os seus
devedores e credores a apresentarem neste vice-
consulado os respectivos ttulos para precederle
liquidadla d seu espolio
Precisa-se de dina casa
cenes
re
Quem precisar de urna ama para cozinhar,
dinja-.-c a ra da Concordia n 10. .,-,
Umbrigas.
Ouro-Preto, 28 de marco de 186i.
As pilulas do Dr. Ayer (calharlicas), fo-
rira empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos, que
soffria de vermes inlestinaes, notando-se
,]>ie os symptoraas que ent.o apresenlava
ram de molestia bastante perigosa.
'. wmondo Nonato S. de Thiago, pharma-
ceuiicOi
SOCIElADE
NIAO BENEFICENTE
MARTIMA
Por ordem do Sr. presidente sao de novo conv-
dados os senhores socios se reunirem em assem-
bla geral no dia 9 do crrente, pelas 10 horas do
dia, no salao de suas sess5es, para Ser empossada
a nova diroctoria, vi^to nao o ter sido no dia 30
do paseado, por nao su ter aposentado o numero
marcado nos -statotos para e>se lim, Meando certo
tambem os mesrnus socios que ainda se podein por
quites at ess da, depois da qual incorrero as
penas do art. 12 S 3'
Secretaria da Sociedade nlao Beneficente Ma-
rtima, 5 de outubro de 1864.
Balthazar Jos dos Res.
Io secretario.
a pronoreoes de-
mies para habilaco do pequea familia prete
-se no hairro da Boa-Vista on immediacoes : nao
se duvida pagar beqi : a tratar oa ra do Viga-
ro n. 9, primeiro andar._____________________
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ra
Imperial n. 144 cm commodos para grande fami-
lia, tem 6 quartos, 2 salas, terraco coberlo, cozi-
nha fra, muito frejsco.e tem muito bonita vista:
a tratar na ra Direita n. 6.
^^^ idispr de parle doc terrenos que Ihe sobraram da
D amas-1 sua ediieaeao, e por precos que muito ho de de-!
saliar os preleudontes, que e podero dirigir
ra larga do Rosario a. 16, qae arbaiao com qtwni
tratar.
Manoel Antonio de Jess. ___
jsjajsjaBaai w^j
Antonio Hartins de Seabra Lentos, Joaqui-
na Emilia de Pigacirdo e Carlos nbois,
agradecem a todas as pessoas que se digna-
rafll -issistir o oflcio fnnebre, mandado cle-
lo dia do frrente, na mreja Concei-
los Militares, e dn Unido do eoracSo os
o> Ineessantes que lhes prestaram o
rfsinhos, durante lempo em que sua
l la esposa, (ilha e cunliada so aehava
lo d;i dr, e aproveilando o ensejo,
lam aquelles de seus amigos que se
rem prestar a oovir no dia segunda-fi-ira
i da andante, na igreja matriz da Boa-vis-
. ,is 6 horas da manhaa, a missa qno se
leni do celebrar pelo repouzo eterno de sua

O delegado do eirorgiao mor do exerciio esi
aulorisado a ronlraiar um phainiaceulieo legal-
mente habilitado para o servico das pharinacas,
militares, com os onus e todas as vanlagcns dos
alferes pharmaceuticos do exercito. Quem se adiar
nestas condieoes e quizer contratarse, cornpareea
emquaiquer dia, mdnos nos santificados, na se-
cretaria do mesmo dejegado a praca da Boa-visfa
n. 21. das 9 da manhaa s 3 da larde. ____
Antonio Nobre de lmeida estando proceden-
do a inventario dos poucos bens que licaram por 11
ttABIWETE
1'OrtFliGlKZ li; LlilllIU EJ1 PliK-
iVAMBllCO.
Scienufica-se aos senhores associados que tica
sem elfi.'ito o annum io de a do corrente, fechando
o expedienle. Visto que por motivos ponderosos nao
se pode por agora proceder o bataneo na biblio-
fallecimento de seu filho Antonio Nobre de lmei-
da Jnior, sua mulhar e fithos, pelo juizo munici-
pal da 1 vara, esenyao Motla, avisa a todas as
pessoas que se juigaiiem credoras dos mesmos fal-
lecidos que apresenldm suas contas no praso de
oitodias para serem attendidas em dito inventa-
rio^^_____________
Desappareceu no dia 5 do torrente, do Hos-
pico, sitio n. 10, una cachorrioha galj;a cor de
chumbo: roga-se a quem a tiver adiado de man-
da la entregar no referido sitio, ou na ra do Tra-
piche n. 14, primeira andar, que ser generosa-
mente recompensado.________________________
Prrcisa-se alugar urna escrava,
Quem ti ver e quizer alugar urna escrava que
saiba c inhar, comprar e engommar dirija-se
ra doQueimado n4d, loja.
Secretaria do Gabinete Portojraez de Leitura em
Peraambnco 6 de ontnbro de 1864.
F. do Araujo Guimares,
1. secretario.
Joao da Silva Ramos, medico pela Un
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s U horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente uas horas
para iss> designadas, salvo os casos ur-
gentes, flue serio soccorridos em qnal-
quer occasiao. D consullas aos plices
que o procuraren! no hospital Pedro It,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 lioras da mauha.
Tnn sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doentes,
anda mesmo os alionados, para o que
tem commodos apropiados e uella pra-
tiea HQalqoer operacio cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500
Tereeira dita__2*000
_ Este estabeleciniento-ji-l^niacredi-^
K tado pelos bons servaos que tem pres- 32$
W tado.
O proprielario espera que elle conti-
w nue a merecer a conflanca de que sem-
Mj pre lem gozado.
-a__
na roa Nova u. 23, loja.
IIUGBK
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
4 e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua pros-
so medica, e com especialidade
sobre o seginte
Io molestias de olhos;
2o i de peito :
3o dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s||
6asi0damanh5a, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
ruianoadedoScnlioi' Btsfl .lesus dos
Passos do recife.
Por ordem do lllm. Sr. provedor convido a to-
dos os nossos irmos para se reunirem em mesa
geral domingo 9 do corrois, s 11 horas do dia
naIgreja doCorpo'Sanl^, afim de proceder-sea
eleieo da nova mesa.
Jos da Cunha,
Ksciiv.io.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C
genle* do Banco l'uio do Poi lo.
Competentemente autorisados sacara por todo
os paquetes sobre o mesmo Baneo para o Porto s
Lisboa, e para as seguales agencias.
Londres sobre Banh o London.
Parts
Hamburgo
o segundo andar da casa da ra da Cadeia do Re-
cife n. 47 : a tratar na loja do numero indicado.
CoiK>aaha Udclidade de
segnro r.arhlios e ter-
i*etre estabeleclda no
I8io de Janeiro.
AliK.MES EM PBPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C.,
comiietentenienie aulorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios uo seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
m
Anda est para alugar-se a boa casa
terrea n. 39 : ra da nio.
lia re el lona
Madrid
Cdiz i
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.'
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Paro.
Oliveira
meis.
Pena fiel.
Tarira.
Villa do Conde.
Frederic S. Ballin & C.
Joao Gabe & Filho.
Francisco Ralioba & Ballista.
Jaime Mcric.
Crdito commercial.
Gonzalo Seiroria.
M. Perera Y. Hijos.
Eh Portical.
d'Aze
Angra Tereeira.
Ctminha.
Castetlo Branco.
Chaves.
Coimbfa.
Covllliaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimao.
do
Nevralyia.
Urna carta do lllm, Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
no hombro e as costas, twiiiei urna inni-
?Jaue de remedios sato achar alivio algum.
Mr, angustia, tormento s3o jialavras for-
tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido : ltimamente tomei as pilulas ca-
< barucas do Dr. Ayer. SfVfaz oito dias, e es-
tou completamente restabelawdo; ta tres
li:is que nao sinto a mais leve dr no honv
jtn nem as cosas.
Estas pululas acham-se venda as prtn-
ripaes boticas e drogaras do Imperio, e no
Uii) de Janeiro, ruairokan. 1,5.
Vende-se em Pernmbueo:
na pharinacia fraoceza de
P. MAllnER & C.
UVA NOVA N. 18.
Figneira.
Guarda._
Guimares.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leitia.
Moncao.
Moncorva.
Begoa.
Sembal.
Vanla do
telio.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
NoJimpeiuo.
Baha. Maranhao.
Rio de Jaheiro. Para.
Qualquer somma prazo li vista.podendo logo
os saifties prad sefem decontaflos no mesmo
Banco a razo de 4 por cento ao anno : a tr
Alugam-se duas casas terreas pequeas para
passar a testa, ou mesmo por anno, na Torre : a
fallar no mesmo lugar, na padaria.____________
Fuga.
Desappareceu ha ires dias da ra da Impe-
ratriz n 35 primeiro andar, um moleque de nme
Firmino, que levan Jaque o caiga de linho, e lem
os segrales signaes: cor nao muito prea, marcas
de bexigas bem visiveis no rosto, onde tambem se
nota em cinu de urna das frates urna cicatriz. Des-
confiare que o dito moleque esteja acollado nesta
cidade, ou que tiv-sse tomado a estrada de Olimta.
Quem o apprehender e levar a referida casa sera
recompensado.
Vende-se na ra dn QwmiMate u. W A. USB
de onrive, nm mnlaiinim de idade 11 mm. ***-
pi io para pag-jm : quem pretender. dMQi i a
mesma.____________________________________
Vende-se un mole jue de idaIe II am>>*
muito bonito e bem educad", i i-craro* j..ira !'>d
o servico, 1 ascrava sem visst, ssbssIMM "<*!
nbeira. e engomma muilo tm, I nan por ,"M>t:
nitravessa do Cara B. 1. __________________
Vende-se um bom cavalio de sella asoiBff fc"
veira/ ua Soleilade, cav junU ao sili.. V*< li-e>
No armazem de ftizenta bu-
ratas de Santos Ooelho,
lina de Qnciimil a. 19,
Vende-e seguate :
Aitenco !f
Ricas laazinhas, fazeniia a mellior qw le va
dn ao mercado, tanto em go.-l romo | iiuijihlJida-
ih, Jffo barfissmo pFei.ii H >0 r<. covada
Ditas mimiinhas carmezins, proprias para SSMV
dos de meninas e camisinlias a CiO CMSia.
Corles de I a a com 13 covados, pelo barato weri
; le 65.
Coberlas de chita da India a 3JJA>0 a .14.
Lences de panno de linho a 2 2.iim
Pei-as de eambraia de forro rom h i|i *ra-
i :t3i(K).
Toalnas alcocho'uias propl n< para WSm a JA i
iliuia.
Mieos corles de laa rasa barra a Mara Pa i
185.
Pecas de planillas ile algod con: |M aBSSt.
proprias para saia a 45.
Atgod-- entestado com 7 l|2 palmi~ de nrfnr-
a 15100 rs. a vara.
Epeira da India, propria para f-rr ** sala dV
4, ii, e I palmos de larg'ira, por BSSMi PrcCi *
que em otila qualipi-r paite.
Neste estattelecinienio tamlH-m sa i MusSrara
um grande sorlimento de roupas (fitas, e |*v t-
dida.__________________
- Siacliiuas de vpur#fa>-
ra desci\rocar algodo,
Moendos e meias nioendaN
Taixas de ferro batido, coi-
doe de cobre.
Rodas d'atfuj, denfcito. e
de carrosa com maiu/as e
eixos de patente.
Ra do Brum n. 38, fundi-
eo do Bowinan.
COMPRA
Veiulese
Compra-se ouro e prata em obras vethsf
daga-se bem: na leja de Mneles da praca oa Indt
pendencia n. 22. ._______.___________
Compra-se effectivamente
oaro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Precisa-se de um rapaz para caixeiro de ta-
berna, de 10 12 annos. qur tenha ou nao prati-
ca : na ra Direita n. 72. ________________ I
Progrstania da fesls da Virgem Ewelss Senhora de j
Rosario do Carmo. O abaizo assignado, escrivao da irmandade do
No dia 8 pelas 12 lioras da manhSa, ser annun-; Senhor Bom Jess das Dores, por ordem da mesa os
ciada a festa por diversas girndolas de fugeles,! regadora, convido a todos os jrmaos da jP^smo Bs
locando na mesma occasi3o urna banda de msica
No'dia 9 pelas 4 horas da madrugada haver sa geral aflm de discutir araova lei que lem de re-
missa, em seguida ahir a bandeira da mesma ger a mesma.
Virgen nue percorrera o pateo, e depois ser ele- I Jos Laclo do Carmo. i rfreguezadf tanto para a trra como para o mato,; 0,,,^^.^ cobre, la!5o e chumbo : ino ar-
vada a rii mastro que se acha collocado no pateo | VnCiSSirW M um nianino para caizeiro de precisa de nma pessoa que, tonda do negoe, | mMem Ja b0a amarella nooitao da s
da inflama yraja. ts um armazem de molhados. destos chegodos de dando Ihe mteresse nos ocros ou| "rrte *-"'e polica. _____
anno
pan o da 9 do correle, pelas 9 horas do dia, na; na ras da Cruz n. I".
consistorio da irmandade, compacecerem em me---------
GOMKU-SG
urna negra de bonita gura, que saiba lavar, en-
gommar e co>er nem, ecujablade B* ?
I annos, agradando paga-se bem1 : a tratar o*
PrrCimO dr, CaiXeirO eriptorio ne Manoel Ignacio de Oliveira IMS,
O proprtotario de niW taberna no Recife, bem 1 largo do Corpo Santoib. 1..
No mesmo da pelas II horas da manhaa entra- 'noVQ da Eurgpa dtrtse earta focnada nesta typo- mesmo entrando
a le>t, sendo a orador o IWdm. Sr. Leonardo Kraphia com a8 IbWms D. D. Ihor. valo que o
oao Grego a larde haver um balao, pelas 7 ho- arhar"e enm habilitacoos nara"Vr rt ftu"'!,r-s0
a 4. TiSSeaSfarA o Tr-Dcnm. sendo, o orador o -Querajicha^ cora hab.htocoos para er t0> ;
ra
Joao
ra _.
Rvdra. Sr. Antonio de Alhuquerque Mello.
A sswtjw d JSna
encarec lamente a loilos
para ilUiminarem a frente
j agradece oordealmeiUe a todas as pe
assim o fizeiroi.
entrando com algum dinhelro seria me-
rtoiW achand-se doente flecessi-
Compra-se una escrava de quakpmi naci
embora nao tenba nenhuma hatolida.te : qiiem
caixeiro de um armazem de molhados
rafj"^^aV^a UveTTdirljVse-i aponga noveno entrar-u raes-
DOS para familia.: quera convier ^-^ a(.har em ^^ tra,sr
phia com as iniciacs D. D. D.
1tiriii-e :i rus dn RaWg^l. O'tahelecunento B. Vi.
Aluga-se urna ssSva fe saiba SB e
engommar : na ra do Imperador, loja de Anto-
nio Jcs dos Res._________________
> porlao, no segujndo de
litar c en-
_.arua da Iludan, ncontinua.se a mandar I Precisad de oraa ***** *f
coraaa para tora, aceita-se leda encom.neada, o KO.nmar. o faser o wh ervieo de as:i para *BtS
incambe-se. de tudo por nrem razoavel com ace.o. pessoas : a tratar na roa do Imperador n. W, pM-
e promptidio. 1 tuciro andar.
A2MLA.
Na ra da Cadeia do ltecife n. SO, segundo an-
dar, precisa-se de urna ama ['.ira cozinhar.
COWM-SE
c bre velho por maior prero do que elR 011-
tra qualquer parle : no armazem da bola
amarella no Oltao da secretaria de polica. Icarros: na ra da Cadeta d
tres partes do sobrado de ilous andares da rea Padre Flonano n. 21 : tratar no primrire anda:
do mesmo, das 6 horas da manhaa s 6 da fard>
al de l.lwlMta.
Ha para vender a mais nova, e iiiiimameol* ras-
gada ao mercado, em l>cm atnadktMkaAm Inrris
no armazem de Manoel Teixeira Bsios, rea dr.
Trapiche n. 13, por prego razoaveL
Msico ou discipulo.
Vende-se um figle de d qua>i novo, inslraaw^a
tj encllenle : na ra do PMssaftjsa n. ". *c SMi
quem vende._________-_____^__^
tl\> >r. LmIIFMN
FAnRiGADASNOPOHT
Una PlrcHa stwssser 4.
Veiirtf-i* a armaeiisi do deposim da ra ^ -.
n. 58 por pceo rematad : o- psstssmsmlm di>--
ain-se ao mesm '. qu nchao rom gaya traai
Eseravas.
Vehd>m=se flus? suefmmi en mlss. bonito hgi.
ras, p di bhde de ?*> a 30 anno: a Halar 11 raa
do Queimado n. 17, l __ .\ rna 5a i)a4-ia. ruia/eiu n. jJ. rnd>..-c
o seguinte : 4 pardal' moas de iau saswvsV
oovos. I mobilia de iilu lamfemn 2 dnzia*
eaOeiras de (vreja, bercos de lata, i Imbc *" **
vogado, l nvmilia d- jalara**, aova, e. : i-
de-so milito tmrajn ea dinheiro._______________
Vendarse nm sohradiuho sito n is
Praiade Santa RiU n. 06: a tratar na roa dr Bor-
las n. 92. com o forreelorNa^-in^Dla
a i Vendemse vanoeus da Rnsia
Urrib
p.ira
n. ^1
f-fr*r


/
Diarto ole i*ernam>ne sabbade 8 ate Outubro de 18 4.
DE
Deixai que os Hunos d* civilrsacao vos preguen)
economapara os ps 11 Esta parle do corno
humano por certo aquella que, ne.-te clima, ne-
cessita de mabr ajasalho: pela humidadc nos ps
se introduz a grandd maioria das molesiias, e com
estas a perda da saude e da vida I! I Fra com as
botinas e sapatos velhos; refrmalos
45-Rua Direite-45
5*000
LOJA I1EIJA FLOR.
Rua do Queimado ns. Co o 69.
NOVA
liquidara lidades na l ra da Inipealriz n. 56, teLouren-'
coPereira MeodesGuimaies.
Attencao que se Tal principiar.
Vende-se pegas de panno do liulio para lences,
Borzeguins franeezes para homem
Ditos inglezes idem a 85, 75 e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapales esmaga cobra
Ditos de Nanles de duas solas
Ditos dito de soia e vira
Sapatos de borracha para senhoras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete para homens e
nlioras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
se-
65000
45800
25000
5*000
65000
915000
1*000
15000
500
15600
Vende-se na praca da Independencia n. 39, leja
de Antonio Augusto dos Santos Porto, capcllas'
nortuarias de gnstos mais moderno, que tem
vindo al agora para se hotar em tmulos c cata-
cumbas no cemiterio publico no dia de finados,
com as esenpeoes seguintes: meu esposo, minha
esposa, meu pai, minha mai, neu fllho, minha fi-
Iha, saudades sempre vivas, amisade, urna lagri-
ma ; desla qualidade nunca vieram para serem
vendidas nesta provincia.
D'IOMRETO DUPLO
de FERRQQUININA
Os elementos que compocm esta prcparacSo, o
ferro, o iode c a quina, a collocao no primeiro
grao das preparaces ferruginosas. Basta altcstar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
lacs, c osrclatorios dos prcticos mais eminentes,
que confirmrao sua poderosa efficacidade as
seguintes affeccoes:
Mlngoa no angue. I coma csccnc de lon-
Kraquea un motearla*.
Anemia. Moleallaa escrfula-
Chloraae im Ictericia. Han.
Menstruo.
AffiT<"<- do utero.
Suppr.'*orn dan re-
raa e deMordea na
menatruaeo.
Affeerao pulmonar e
phlhlNle.
Molefttla* iTrMttiagO.
Gantralglan.
ITrd d'appetltc, ete.
rapelra.
Obutru tio daa gln-
dula.
Humoi fros.
Humor.' braneoa.
Rarbltlsmo.
Affeeroea cancerosa*
e aypbilitleaa.
Febrea typboldea.
Variles, etc., etc.
Roneos de elimo.
Lindas bonecas de choro que chamam papai t
mami, de diversos lmannos : s as lojas do bei-
ja-llr, ra do Queimado ns. 63 e G9.
Loras de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores para homens' {p_alna,? e seroulas, cornal3 i/2 varas por 85300 ;
e senhoras : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
livellas para ciles.
Lindas fivellas douradas com lindas pedras para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Capcllas para noivas.
Lindas capellas para noivas a 25300 cada urna :
45000 nas loJas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e
15400 e69-
Estojos para barba.
Vende-se estofoscom espelhp para barba 15500
e 25000 cada um : nas lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
lialaios para meninas.
Recebeu-se novo sortimento de balaios, com
forma de vanos passaros, pelo barato prego de....
15000 at 45 cada um : nas lojas do beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas finas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas cores para
cintos : nas lojas do beija-flor, ra do Queimado
n. 63 e 69.
Extractos em camuas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: nas lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Salio em caixinhas.
Finos saboes em caixinhas com varios retratos:
nas lojas do beija-flor,ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendeui-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : nas lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63e69.
Jogos de domin.
Vendem-se jogos de domin 15200 e 15300:
nas lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63
e 69.
Ilabados bordados
Vendem-se babadas bordados de varias larguras
e varios pregos : nas lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Ahafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : nas lojas do beija flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Alicrejos pretos.
Tendo-se rcecbdo aderecos pretos de novo ges-
to sao expostos venda : 'nas lojas do beja-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senhoras.
Lindas grvalas para senhora 800 rs. e 15000
15200 : nas lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
EspeHios de moldura.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
las : nas lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63e69. 1
tollas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 15000 cada urna : nas
'as do beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Cuteros para sopa. cores finas a 55,55300 e 75; casemira para palitols,
XSS?in"!e coM,ere8 de netol-Principe para atoa caigas e coletes enfestadas a35ocovado: s na
a 25000 cada urna : nas lojas do beija-flor, ra do i0ja da Arara, na ra da Imperatriz u. 56.
Queimado ns. 63 e 69. l Casemiras para capa de senhora a i& e3i.
Vende-se casimira enfestada propria para capas
ESPLENDIDO ARMAZEM DE MOLDADOS
LIANC
Aenciio
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
.brim liso por 500, 560,640 rs. a vara : o* rua da
Imperatriz loja da Arara n. 56, de Mendes Guima-
raes.
A Arara vende sou(embarque a 10 t 42$.
Vende-se soatembarques de laazinhas enditados
a 105 e 125, ditos preos de grosdenaple fino
a 205,225 e 255 ; capas prelas ricamente enfeita-
das a 25* c 30*; camismhas para senhoras a 25
e 35 ; golinhas 240, 320 e 300 rs.; manguitos a
500 rs. e 15 : na rua da Imperatriz n. 36\ loja da
Arara.
Cortes de ebila a 20400.
Vndese cortes de chitas com 10 covados a
2540O, ditas franceza a 35200 ; ditos de cambraia
de salpicos a 2*300 a peca, dita fina a 3*500, 4*
e 5*: na rua da hnperatrtz n. 56, loja da Arara, de jdeixar passar dcsapercebido sem que nao dsseo
Mendes Guima-raes. | su canto, alim de annunciar >o respeitavel publi-
Itonpa feila barata. co o grande sortimento de galanteras do melhor
Vende-se pal i tots preto de panno a 16*, 14* Bslo propriamente para qualquer mimo que aca-
12*, 10 e 85, ditos de alpaka a 3* e 4*, ditos dejba .de chegar oeste ultimo paquete, assim como
brim brancoa 2*500,3*. 3*500; calcas de brim a muitos outros objoctos que recebe por diversos na-
,* e 2*500, ditas brancas a 35 e 3*500; palitots VI0S>taoto d,J sua coila eomo de consignacao que
de casemira do cores linos a 10*, 8* 6*, e 5* ; |esla resolvido a vender por pregns multo baratos
seroulas a 2* ; camisas brancas a 2*, 2*500 e 3*: Para vender muito e ganhar pouco, e dar exlragao
na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara. graDde deposito que tem, que espera merecer a
Colarinhos econmicos a 610 a duzia. protecgo do respeitavel publico empregando para
Vndese colarinhos econmicos muito bem fei- lf.^..lla.fe,:.afmfi.horf d 'jf^l!.,?" 1ue ?" ClOS es,e enero, pois sao palav iads
tos a 640 a duzi : na rua da Imperatriz
ja da Arara.
Vende-se bramante de puro linho a
2*800 a vara, tundo 10 a 12 palmos de largura ; I U)lTe ae mu|i gos'o por
brim branco para caiga a 1*200, 1*400 e 1*600 a Cestinhas transparentes forradas de ma-
vara, dito pardo a 640, 800 rs., 1* e 1*200 : na dreperola por
rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara. Lindas jardineiras.
Vendem-se baloes americanos os melhores que i R|CS cofres com camapheu.
tem vindo, de lodos os lamanhos a 2*240, 25500,' Lindas caixinhas com pedras brancas.
35, 4* e 4*300; s o Arara na rua da Imperatriz'Lindo ualao com calungas dentro, tam-
n. 56. bem para joias.
As laazinhas da Arara a 2-i0 rs. o covado. Tambalier para ditas.
Vendem-se laazinhas para vestidos de senhora a! ^ifS'
240, 320, 400 e 500 rs, o covado, ditas muito g d,,aS-
S no Vitiilanle, rua do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-
gos; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos muios
com bolcinhas ao lado, a 105, 125 e 135, ditos ?em
DE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
57 RUA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de presos
& a O por venia menos do precO que se vende em otafra jnal-
qner parte.
Gneros especialmente escolhidos por um dos socios que na Kuiopa se aeha
para esse im.
E grande a vantagem para todas as pessoas que comprarem neste estabeleci-
mento.
Os propietarios garantem Iodos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
armazem.
AO .PUBLICO.,
Nao nos servimos de exordios como constantemente estamos v.-wlo .m annun-
de que sempre nos abstivemos, e de que tamhem
po, M1H|"I>--
na talnlla dos j.r.-
n. 56, lo- c"c"'s*1'1e"os; ,sl no Gall ViSilanle.rua do estamos certos nenhuma attencao ja rtl'erecem do publico. O nosso fim.
M Ricos poi ta-juias mente fazer ver que vertla(leir0 e principal interesse de lodot est na
' turnan Cofre de muito gosto por 165000 0S 1ue Passamos a mencionar, e para a qual pedimos loda a alten.ao.
Vkho verde.
185000
105000
105000
105U00
ChegQu o muito desejado vinl|o do Cariaxo vende-se nicamente BeaM armazem
a Goo rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Amendoas confeitadas de diversas ci
G4o rs. a libra.
res a
finas lisas 600 rs. o covado, ditas especiaes a 720
ej800 rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 36,
loja da Arara.
Chitas baratas a 210 rs.
Vendem-se chatas de cores tixas a 240 e 280 rs.,
o covado, ditas I francezas linas a 320, 360, 400 e
16*000
95000
G5000
65000 'dein de casca dura a 24o rs. a libra.
6*000 dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinbas com 1 ndas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
500 rs.. o covado, ditas percalas a 560 e 600 rs. o ^Tm do mcsmo gos,' 2*300> 3^
covado : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara. "m< |wa s
A Arara veade madapolao barato a 6o00, corlse pde encontrar, a ,30f m i$^ e 3
de vestidos a Maria Pia a iij>, U& e 18$. : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Vende-se pegas de madapolao de 24 jardas, de j Cabazes ou cestinhas.
Efe*8 Fa8 r *.% D"A5 8,105t+ a 8#i00> tt M 1"e chegaram as desojadas cestinhas ou ca-
95, S alO*. Hila 115 e 12*; algodao regular a 5*, bazes para meninas trazerem no brago, o mais rica
dito fino carne de vacca a 6*oOO, dito domestico a possivel a 2*500, 3*500, 4*, 5*, 7* e 105; s no
7*. dito slcupira a 85, dito pao ferro a 9* pega vigilante, rua do Crespo n. 7.
I'entes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para alar cabello, os mais lindos
que se pde desejar, assim como de arregagar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga com en-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, rua
do Crespo n. 7.
Penles
lambemchegaram os nquissimos penles de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 2*,
3* e 5*; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola lano para
ESUZ:SSbi 11 ^ rPe SH? "EH t. WEMffJE? "S W A" m***, lo barato prego
que
rafa.
tem 20 jardas : na rua da Imperatriz, loja n. 56.
Chales baratos a -l.-MiOO.
Vende-se chales de lazinha a 1*600 e 2*, ditos
de merino a 3*, 4*500, 6* e 7* : na rua da Im-
peratriz n. 56.
Cortes de raigas a -IGOO.
Vende-se cortes de calca para homem a 15600,
15800 e 25500 boa fazenda -, cortes de casemira de
Vejo se os bulletins de therapeulica medica
c cirurgica de 30 de novembre 1S60; a Gazeta
dos hospitaes de 28 dejulho 1860, etc., etc.
Alm das pitillas de iodurelo duplo de ferro e de
encontrar, tauto na qualidade, como nas cores, a
65400 a libra : nas lojas do beija-flor. rua do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Nas mesmas lojas se encontrar sempre grande
-soriimeiito de miudezas boas, e mais baratas do
que em outra qualquer parte.
le-
para costumes por ser de boa qualidade e lindas co- de 12* e 14*: s no Vigilante, rua do Crespo
res, vende-se a 2* e 3* o covado: na loja e arma-1 n. 7.
zem da Arara, na rua da Imperatriz n. 56.
quinina de Itebillon, os Mdicos aconselho A lOUllS SUDei'lOl'eS |)ai'a
igualmenic o Xarope diodure duplo de
tratos.
ferro e de quinina do mcsmo aullior para as
pessoas que nao goslao de medicamentos sob for-
ma pilular c os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'i'oiure de ferro, o inconveniente
de allerar-sc c de se nao poder conservar.
Peca-sc o folliclo que se d de graca em casa
dos pharmaceucos depositarios.
Para-se evitarem falsiticaces, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito gcral rm Paris, pliarmaciaRebillon,
142, ru du Bac, e em lodas as boas pharmacias
de Franga a dos puizes estrangeiros, etc.
A Arara i vende as percalas a 560 rs.
Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas Irancezas finas a 360, 440, 500 e
560 o covado : na rua da Imperatriz n. 56.
A Arara vende ais capas de grosdenaple a 2o c 30)$.
Vende-se ricas capas de grosdenaple prelo par?
Mais leques
com pequeo defeito, leques de sndalo rom pe-
queo defeito por barato prego de 8* e 105, chi-
nezes muito bonitos lambem, pelo barato prego de
4* e 5, bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
rato prego de 4* e 5*, leques de charao tambem
por 45, ludo isto para acabar, perdendo-se tal-
A Aguia aanca sempre disposta bem servir
agradar a sua boa freguezia, mandou vir e acaba
de receber um bello -ortimento de albuns de supe-
rior encadernaeo- e apurado gosto, com especiali-
dade os de capa do marlim com lavores, outros
guarnecidos de tartaruga com trangas de prata,
outros marchetados de madreperola com trangas
senhoras a 255 |e 30*; soulembarques preto Irnos a j vez 80 por cento; s no Vigilante, rua do Crespo
205, 225 e 23* : na loja da Arara n. 7.
Tarlatana decores e branca a 800 rs. a wnra, Pulseiras.
Vende-se tarlatana branca e de cores fin.: i 806 Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
rs. a vara, fil de linho a 800 rs. a vara : n roa muito lindas e de muilo gosto a 1* e 15200.
da Imperatriz loja e armazem da Arara, n. 56. Para segurar manguitos.
O propnetarjo da lojae armazem da Arara- i Tambem chegaram as liguinhas estreilinhas de
de prata uourada, outros do velludo etc. ete. Para co^nienda toda a attencao aos Srs. fregu borracha que as senhoras tanto precisam para se-
quem tem gosto e dinlieiro, um lbum assim per- m;""len' ver as amostras de todas as Blendas qoe gurar manguitos por ser muito commodo e muilu
feito sem duvida o mais apropriado para selle annunci.a> prometiendo vende-las por barate prejft barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do yres
sa Jli_________a__a a It.iMha mili ...I.!.,.... I..I i I i i I sIL >^n
Os granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a lodas as oulras preparaces de
bismuth empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de lodos os paizes, para prevenir e
curar as
Dlarrhras ebronicas. Mas dlgrstea.
ni - Dores ii i'Mniio (ialiralKlaa, ele.
Ujspepslas.
Os primeiros symplomas d'essas formidaveis
affeccoes se manit'cslao ordinariamente por diges-
toes laboriosas, azidumes, falta d'appetite, pesos
d'estmago depois de cada comida, caimbras es-
tomacac', e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, .se o descuidSo, traz ine-
vitavelmentc, que seja:
Molesllns de finado.
A ii'U-rirlii
l'alpllarao de eoraeo
Drea nos rls.
se depositar os retratos de charos pais, bons pa
reujese amigos. Em quanto, porm, esses albuns
se tortiam notaveis por sua perfeicao e bom gosto,
outros recebidos na mesma occasiao, se tornam re-
coiuinendados pola cummodidade de precos vista
da boa obra. Assim pois o pretendente" ser ser-
vido conforme o dinheiro que quizer dispr para
esse lini, achando sorlimento para 21, 50, 60 e 80
retratos: na rua do Queimado, loja d'Aguia Bran-
ca n. 8.
Carleiras e bolsas para
viagem.
Oppressoea.
nore* de eaheea.
Irriiaet-^ de betica e
da mull/, ete.
Os granulos Chevrier sao ordenados pelas
sommidades medicacs para prevenir essas diver-
sas molestias c cu ral as quando sao tomados a
tempo.
O preco de cada frasco 6 de 4 francos.
Depsito gcral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em lodas as pharmacias de Franga e dos paizes
estrangeiros.
Pechincha d*) lencos de seda a 800 rs. e l&.
Vende-se lencos de seda; pequeos a 800 rs.; di
tos grandes a l : ditos brancos com barra de co
res a 200 rs. cada um ; meias cruas para Iromem a
25400, 35, 45 e 35 a duzia ; ditas para senhora a
4* e 55 a duzia : na rua da Imperatriz n. 56.
Cassas francezas a 280 e 320 rs. o corado.
Vende-se caspas francezas finas para vestidos a
280 e 320 rs. olcovado: na rua da Imperatriz n. 56.
Colchas de damasco a i-\
Vende-se colchas de damasco para cama a 45,
ditas de fustao a 55, ditas de chita a 25 ricas chi-
tas |>ara cohortes a 320, 360 e 4< 0 rs., ditas aseti-
Na loja d'Aguia Branca, rua do Queimado n. 8, nadas muito finas a 300 rs. o covado, ditas encar-
vendem-se carleiras com correias para iraze-las a nadas a 500 rs. o covado : na rua da Imperatriz
tiracolo, e bolsas de tapete, ludo para viagens. n. 36, loja da Arara.
|-'pTf iiiyiOTnoo lllO'lpyOQ--------------------------------------------------------
A Aguia Branca, conhecendo a bem merecida HltfAL O ti III br.uUlUU
estima que os apreciadores do bom dao s perfu- Rua do Queimado n. 49, est vendendo muitc
manas inglezas, por isso mandou vir o esplendido boas fazendas e muito baratas, quem quizer peder
sortimento que acaba de receber, e os acreditados vir ver ou mandar para experimentar, assim como
nomes dos bem conhecidos fabricantes J. Gosnell sejam :
& C, Napoleao Frico & C. sao bastantes para co- Gollnhas muito linas para senhora a 500 rs.
nhecer-se a superinridade dellas. Consiste esse Ditas e punhos de fustao muito bonitas a 640.
bello e vanado sortimento em pequeas quantida- cartas de alfinfete de cabeca chata de todos os ta-
des de diferentes e agradaveis extractos de pri- manhos a 80 rs.
meira qualidade em frascos de diversos tamanhos Resmas de papel de peso muilo bom a 2*.
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que Capachos redondos e compridos a 500 rs.
vem em urna carteira de tres, com os quaes por Caixas com superiores obreias de colla e de massa
sua elegancia c boodade se faz um bello presente ; a 40 rs.
assim como outros frascos com finas essencias con- Cordo branco grosse que tem muita applicago a
: centradas, outros com excellentes leos para ca- vara a 20 rs.
bellos, e outros finalmente com agua de Lavander I.inhas do carititeis garante-se 150 jardas a 40 rs.
sublimada ; ebem assim finos sabenetes em paco- Cartoes de lima Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
tes e caixinhas com tres, bonitas e delicadas al- Grosas de pennas de ac muito finas a 500 rs.
mofadinhas com pastilhas em p6, as quaes deitan- Varas de franja de laa'para vestido a 40 rs,
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s Ditas de franja branca larga para ti.alhas a 160 rs.
deixam toda a roupa cheirosa, como afugentam Pares de botoes de punho a 120,320 e 300 rs.
i baratas, tragas, etc., ?tc. Em quanto, porm, a Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
eommodidade dos pregns j nao entra em duvida. Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
urna vez que o pretendente comparega munido de Grosas de botoes de louca prateado a 160 e a du-
dinheiro e disposto a fazer gasto na loja d'Aguia za a 20 rs.
Branca, rua do Queimado n. 8. I Tesouras para costura a 80. 200, 400 e 500 rs.
nrtlnS TfllmAS A PirfvflSi IA Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Ddid& graitucs t; uurouiH ue Ljbra de"ISa |)arj^ )iordar da "melhor qua|idade,
horra cha 6&so-
r. oiiavua,_ Caixas de phosphoros de seguranga a 160.
Excellentes bnnquedos para enancas: vendem- Caixas e pacotes de papel amisade superior a 600
dem em frascos de vidro a i,ico rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 'i libra a l,loo ^
Arroz do -Maranhao e da India o melhot
ha oeste genero de 8o a loo rs. a I ora,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garr
4,800 rs. a caada. ,
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e io^ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolachinlias de Lisboa da fabrica do Beato
Amonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe l,5oo rs. a
lata e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Lcntilhas muilo novas excellentr lgame pit-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores franeezes de todas as qualidade-
de 7oo a 9oo rs a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
l.ooo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se p<'>de te-
rilicar com a vista,
dem franceza a "io rs. a libra, e em barril
se far abalimento.
Marmelada do primeiro fabril ante de LM
a Goo rs. a libra, ha latas de I. I I
2 libras.
Massa de tomate em latas de I e 2 Iil>ra5 a
600 rs. a libra.
Mararrfo, talharim caletria a loo rs. a libra.
dem branca a 32o 3 libra.
Mostarda franceza preparada a ioo rs. o
frasco,
dem ingleza em p a Mi rs. o frasco.
Molho ingle/, em garrafinhas com rolhas do
vidro a Rio rs. cada urna.
Marrasquinlio verdadeirode Zara 1 1,000 n.
agarrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
No/.es muilo novas a 16o rs a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para Hambre ingle/ verdad.iio.
garantindo-se a qualidade a 7oo rs. a libra.
Passas novas de -amada a 4oo rs. i Hn <.
Banha de porco reQnada a ioo rs. a libra e!,, 6'fino rs" fai.xa-ll. ..
em barril a 36o rs Para snPa es,re,lin,ia- P^'de rmhnlia
Batatas em gigos deVi libras a 1,00o rs.' elca 3 ^ors.acaisa, c aMon. al.bra.
Champagne das melbo.es marcas a 2o,(.oo Poixe .m(ln,as "^"letKammte f.vhadas das
rs. o g.go, 1.800 rs. a garrafa, e 9oo rs. *?*"}!: ** V f?' con,,na-gora
as meias garrafas cavallinhas, c pescada a 1,000 a tala.
]ha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a P-liospara denles licitados a lio rs. orna-
CO de 2o rs. o maemhos.
dem do gz a 2oo rs. a duzia, e 2.!o>r-.
libra.
na rua do Queimado, loja 1 ris.
Pelo processo de Cherrier, pbarmaceulico em ?A2fSaSV18*
Paris mi aa t'-mbaura HiiHlinarle 21 d_Aguia Branca n. 8. ( Caixas com IOO envelopes muito finos a 800 rs.
arts, raaos taafetnif Monlinartc i. fowlhoS CStl molduras OVetat Qnaderoos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Este de., de um charo agradarel, e de tdKOMW* v"'' "wiuuiuu pitias ^.^ ^ jgg ,andre com m jardasi
/i sabor assucarado o tnico que nao tem' 6 (tOUVadS 100 rs.
mm o gosto, nem o clteiro do petare. Ob- A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re- i Baralhos para voltaretea 240e mais tinosa 300rs.
jeclO de numerosos relatarlos scienlificos e re,,u um nom sortimento de espelhos do differen- Meiadas de liaba frouxa para bordar a 20 rs.
medir .! mP,li,^mPn.P. non ou flm ^^anho^ com moldaras prelas e douradas, e Pares desapai^s de tranca de todos os tamanhos
os esta vendendo por precos commodos. a ipOuU
Papel mgtezu
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
cebeu um novo sortimento dp papel inglez liso e
medico* f^le mpilie^metilp nim oo?a i tes tamanhos com moldaras pretas e de
medito. Me meu.i-ameme que ge ora mk Bdeodo por precos commodos.
I-ranea de um successo tao raro como bem
merecido, re evitado diariamente pelos
principaes mdicos dos hospitaes de Paris.
O OLB0 DE FIGADO DE BACALHO lESINFECTA-
do fbmujginoso empiega-se com os maiores
siicce>sofi nas molestias em que se empresa
o oleo quaudosao afompanliada9ile debili-
l/de c Magua.
deposito geral em Pe nambuco rua da
Groa n. 22 em casa de Caros dV Barboza.
__ Wndem-se duas rasinhas situadas na povoa-
cao do Barro, freguezia dos Afolados, muilo pro-
prias para se pass:ir a fista por ficarem perto do
banho do rio Tlgipi : vendem-se por precinao e
por enta razan se dio muito baratas : ntiem as pre-
tender dirija so rua Imperial n. 62, que se en-
contrar com quem tratar.
Vende-se a cata terrea da rua do Progresso
n. 21 (no Caminhu Novo) tem um porlao ao lado
que d entrada para o quintal, no qual *xi*ta cin-
co pequeas moi aguas, rende trido 480, e ven-
de-se barato por sen proprietario ter de retrar-se
para fra da provincia ; a tratar na rua do Que-
mado d. 77.
Grosas de botSes de madreperola muito finos a560
ris.
Cartas e caixas de clcheles de superiores quali-
dades a 40 rs.
pautado, almaco, de peso, e pequeo, vinde deste asMS rte grampossuperiores ehmposa.30 rs
tambem rom biras douradas.
Eofeites invisiveis
A Aguia Branca, na na do Queimado n. 8, rece-
ben novos enfeites invisiveis, os quaes pela finura
do (ecidn e bom gosto tem merecido tanta estima
Preparos para flores.
A Afuia Branca, na rua du Queimado n. 8, re-
ceben novos preparos para flores, spndo papel de
cores para rosas, dito verde para folha>, folhas de
panno c velludo, caixas de trigo, ditas de uvas
brancas e rotas, e como sempre continan) a ser
vendidos por precos commodos.
Ceblas al|o ceuto
As melhores que tpm vindo a este mercado:
vende-se na rua da Madre de Dos ns. 5 e 9.
Vende-se urna taberna na Soledade, sita na
rua de Joan Fernandes Vieira I): 6i : quem pre-!
tender, dirjase mesma, I
Grosas de palitos de gaz a 25200.
Libras de arcia preta da melhor qualidade a 120 |)SCl,,es s com os pos a 320 rs. cada um ; s no
po n. 7.
Canelas.
Biquissimas caetas de madreperola propria?
para qualquer presente, pelo baratsimo preco de
i500 e 25.
Sapatinhos e meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como mciaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e louquinhas para as cnancinhas se baptiza-
ren! ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas de porolas falsas com cruzinhas
fmgindo brilhantes, asim como cruzinhas avnlsas
e voltinhas, pelo barato preco de 15 e 15200, as
I cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, rua do
! Crespo n. 7.
Golinhas.
Biquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 255OO e 35; s no 'Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeiles para srnliora.
Riquissimos cnfeites com lago e sem lago e de
outros muitos gostos a 15, 15800 e 35 : s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins ae cabello para relogis ou lu-
netas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de
relroz a 200 rs.
itabadinhos enlrcmeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeiles; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidades, por precos que admiran) aos com-
pradores, havendo filas largas propnas para cin-
teiros que se pae vender a 300 rs. a vara, e peca
de 9 varas a 25; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Filas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura dourala|e
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim como com
columnas de differentes tamanhos a 25, 35,45, 55
e 65 i s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros c figuras.
Riquissimos jarros e figuras de-porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqui
I tem apparecido; s na Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
consa de muito gosto a 15500 e 25, assim como
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra.
Idemliysson o melhor que lia neste genero
a 2,ooo, 2,4ooe 2,600 rs. a libra.
dem prelo homeoptico a 2,000 rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a fi.ooo rs. a
duzia, e io rs. a garrafa.
Chocolate ft anee/., hespanhol c suisso a I ,obo,
I,2oo c l,4no rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Ftif-
iado de Simas e Otilios da Pabia como
sejam regala, trovadores, guanabaras,
deliciase suspirosa I,Goo, 2,ooo, :J,ouo
e 4.000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 7So rs. o frasco.
dem francezas surtidas 011 de urna so qua-
lidade cada frasco a 5oo rs.
Cognac francez c ingle/, a 1,000 rs. a garra-
fa, e 10,000 rs. a duzia.
Cominho e erva-docea ioo rs. a libra.
Cravo da India a Coo rs. a libra.
Canella a 9oo rs. a libra.
a gri>za.
Painco muilo novo 12o rs. a libra e 3,ooo a
arroba. .
Queijos flamengos, dfeuUimo vapor, a a\5o
rs.
dem prato muilo fresco a 800 rs. a libra
sendo enteiro a 72o rs.
Sal refinado em ol de vidro a Sno rs '. -
um.
Sevadinha de Franca a 18o r-. ,1 libra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinlio de Lisboa a 2o > Sata rs. libra.
Tijolo para [impar facas a 15o rs. rada un.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa c
l,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Ibem do escovas
cada tuna.
para lavar casa a 3to rs.
Copos finos para agua e vinho a 4,800 0,000 Velas de espermacele superiores a 5tk> rs.
e 5,5oo rs. a duzia, e yoo rs cada um. a libra.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra, dem de carnauba refinada e de eomposico
e 7,5oo a 8,000 rs. a arroba. a 3Go rs. a libra, e de lo.ooo a 11,00o rs.
Doce de goiab. superiorem latas a 2,ooo rs. a arroba.
Ervilbas portuguezas em latas ebegadas ul- Viulio em pipa, Porta, Lisboa e Kigueia
limamenle a G4o rs. a lata. das marcas menos conheridas a 4oo rs.
dem ceceas a IGo rs. a libra. a garrafa e a 2,800 rs. a canaria.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra. dem Figueira especialmente escoltado nes.-
Farinia de ararula verdadeita a 320 rs. a lugar a too rs. a garrafa, e l,5oo rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeiladas a 9oo
rs. cada urna.
Favas portuguezas em latas ebegadas Diu-
rnamente a 640 rs.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
se, rainba Claudia e ginja a 7oo rs. a lala.
Graixa nova a loo rs. a lata e I,loo rs. a
duzia.
Gomma muito a I va enova a IGo rs. a libra.
Genebra de Ilollanda em frasqueiras com 12
frascos a 0,800 rs. e 560 rs. o frasco
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a i,8oo
rs. com o garrafao.
'o"
caada.
dem Lisboa em ancoras com 0 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muilo freso) sem
composico a Goo rs. a garrafa, e 4.5oo
rs a caada.
dem de Lisboa branco uva pura a Sto rs. a
garrafa, e a 4,5oo rs. a caada,
dem Porto fino em pipa a 060 rs. a garrafa.
dem engarrafados generosos Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
Genuino, Particular a 9oo e 1.2oo rs. a gar-
arafa, e a lo,ooo rs. a caixa rom urna du-
zia.
dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a |,2oo rs. a fma>
com rolha de vidro qualidade superior a fa, e a 12,ooo rs. a duzia-
l,ooo rs. a garrafa dem Muscatel a i,000 rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a i/un rs. o dem Bordeaux das acreditadas marcas St.
frasco e i i,000 a frafqteira de 12 frascos. Julien, St. Estepb, chateau la Rose, chalan
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
i,800 rs. a garrafa.
Margoux e outros
56o rs. a garrafa.
a 6,5oo rs. a caixa. c
ris.
Caixas redondas para rap e tem muito bonitos ca
lungas a 100 rs. _____________
PKCHIMII \
Na rua Augusta n. 84, vendem-se em segunda
niiio as seguintes obras de prata de iei : 1 grande
salva moderna, 2 faqueiros, sendo 1 para sobre-
mesa, 1 bulle, 1 assucareiro, 1 mantegueira, diflV-
renles eulhera (.ara sopa e cha, e 1 bonito adere-
co de brilhantes, sendo a pulseira de fita : pode-
so procurar das 7 hotas da manhaa s 10 do dia,
e de 3 horas da larde at as 6.________
Potas*: da Russla,
da mais superior desembarrada honUsm : vende-
se no escriptorio de Hanoel Ignacio de Olivara &
Fllho, largo do Corpo Santo n. 19.
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
I das, assim como de lindos copos ou vasos rom dis-
tinctivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
I Ihores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes ropos de banha japoneza
a 25 e a 15, assim como outros objectos que nao e
possivel por buje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do lio Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova nne
ha no mercado tanto em porfo como a rptalho,
por barato preco afiancando-se aos compradores a
superior qualidade : a tratar nas seguinte mas
Crespo n. 7, Impera lor n. 28, Forte rfb Matto
mazem do Sr. Villa defronte, do trapicho do
godo.
^$%
1&
CERVEJA EJI BARRIL
a tOO rs. o copo
Queljo de Minas chegado no vapor
dem prato milite freseo
dem snlsso superior
dem londrino superior.
57 Rua do Imperador
57
t*
S



\
V
}
)
)
e>
Diario de Peruaniiuco Sabtado 8 de O timbro de 14.
CLt

mu
1UV ]>0 QU12U9IADO IV. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.
ffiMflTl /il 7fi?fll fiY'r1 flr
mm
NOV1DADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molliados denominado Clarim Commer-
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre ura completo sortimenlo dos melhores gneros que vena ao nosso mercado os
quaes serao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 3000
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600, e em frascos grandes a
2>500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
cora ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10100, 10600 c 2.
Amendoas com casca muilo novas a 280 rs.
a libra.
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azote doce francez mnilo fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a610 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a Uta.
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs, a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20300, 2*800 e 3JW00 a libra,
dem prelo muito superior a 2$000 a libra.
Cerve.a prcta e branca, das melhores marcas
que vena ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac indez fino a 80"> rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72<> rs.
dem, s de azeltonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e especidmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
2-50 0, 20200, 20500, 20SOO, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 85500 a 80800 rs. a arroba.
Cartees de bonhos francezes muito novos e
__ bera muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra.
Polvo secoo muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. ) dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
dem lond'rino chegado no ultimo vapor a 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
900 rs. a libra. .Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs dem de trigo a 120 rs. a libra.
cada'um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
lijlos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem slearinas muito superiores a 600 r.
libra.
Figos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, Pedro, D. Luiz I Mara Pa.
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 c
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 c 105000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 00e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 705O rs.
Grande liquidado.
Ra da Impcratrlz n. o.
Loja de fuendas do Pavao de Gama & Silva.
Acha-se este eslabelecimento completamente
sonido do fazcodas inglezas, franrezas, allemaas e
ipas, proprias lano para a praca como para o
mallo, prometiendo vendr-90 niais barato do que
em ouira qualquer parle principalmenic sendo em
porejo, e de todas as hiendas dao-se as amostras,
deixando'ficar penlior, ou maudam-se levar em
casa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As chitas do Pavao.
J'endem-se chitas inglezas claras e escoras pelo
alo prego de 240, 260 e 280 rs. o covado, timas
seguras ; dilas franrezas de cOres seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muilo superiur e bonitos padroes : s ua loja do
Pavao.
As laz.iihas da nposiro do Pavao.
Vendem-se laazinhas as mais modernas que
tea vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarques por serem lisas e de cores muilo
O PROPHETA
AO RMHPllITAVBIi PUBLIC*.
RA DAS CINCO POMAS N. 86
Ksqjilna da ora travessa de *. foo.
Desejando o proprietario do grande armazem do Propeia liar tar
gasaoseu genio emprebendedor, commereial e especulativo, resoheu ceder a inspirado
que o assallou, quando as horas caladas da noite o sea solicito espirito se agi!a\. mm
turbilhuo de ideas, tendentes todas bem servir e agradar aos gencroMN habitables
d^to^^e^rMdi^Uaa^^^amloslrejdegta bella provincia, de abrir mais esle grande e^talieleeimcalo de rvvos o
que parece seda 640 rs. o covado, dilas cora 1 esColhidos gneros, quasi que especialmente destinados as pessoas que n.oram na fie-
tPlt^'M^lSSS^fiX gw* de S. Jos, e aquelles senliores que transitan, pela va (nea, para mi m m-
imperatm n 60 I dade sao sem conla o numero das vanlagens que se Ibes ollerece, rio N a "lacio a
0 vestidos do Pavo. |modieidade dos fretes, como da facilidade e brevidade da eonduccao dos ohjtclos com-
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido prados,
de laa, que vieram pelo uliimo vapor, com ricas q sondo G Prophefa ser tima verdade pratica t5o acceita c abn ;uh ruino a?
%^t'^a^^^*!$> Palavras simples e bem .mencionadas dos yelhos patriarcas desses iemr.. id.., .U Se
nhor Deus dos exercios nao o quizer contrariar.
O Propueta nao querendo restrigir-se a forma ordinal ia de Mf ciar r. sntvet.
tambem, depois de profunda meditacao, de nao vender sement o* um g. ir tes a di
nheiro corrente ; mas tambem de por em pratica troca delles p< r miiivs r.a 11< ilmr: >
do paizou por escravos, bois, cavallos, etc. Assim, pois, lique na inlelligeicia .'e Wm,
tupanate* com listas, e""paimnnas que o propueta receber como moeda de qualquer dos sentares agricwlorcf, >mar,
arato proco de 85 cada corte : s algodao, agurdenle, milito, feijo, cavallos, escravos, etc., etc. e IbcadVi MHM HMJ
tes para o corpo, por prego mais barato do que em
outra qualquer parle, e so quizerem una prova
do que se diz, mandem ver leja e armazem do
Pavao, ra da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos Haria Pia. S Pavao (80000).
Vendem-se os mais lindos vestidos Mara Pia
de laazinha tran
de seda pelo ba
Genebra de Hollianda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 00200 a frasqueira.
dem em garrames de 3 e 5 galoes a 50300
e 70500 cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, quaiidade especial em garrafas muito
grandes, a 10800 a garrafa.
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafal forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nbeiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs..
Maca de tmales era barril a
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-j
ros de Lisboa a 60 i rs. a lata.
480 rs. a libra.
pe
na teja do Pavao ra da Imperalriz n. 60, de Ga- em genl0s, escolbidos a contento.
UnmT'i* Pf* i ojo 280 100 390 e Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos afretes re
As eassas do Pawo a -40, 280, 00, .o e cebidos pQr troca Q Propeta n3o demorar a dUTereuei que deve daj^-a din!,-
S oPavo vendas f.nisslmas eassas persianas a ? eslabelecimento que com tantos sacrificios e desp >.is ;,^ra .!.; m
mitacao de la, com cores fizas, 360 rs. o co- deve inspirar a todos a certeza de que se vender muito barato.eom 0 fin. do so a.!.ut
vado ; ditas francezas muito finas 240, 280, 300 rir crdito e freguezia.
e 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da
Imperalriz, loja de Gama & Silva. A-aruta Verdadeira a 320 rs. a libra.
haver duvidas nem engaos : isto previne o Pa-
vao, de Gama & Silva.
SI rain a ti te de Ilnho do Pavo
>#. 400. 20OOO.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por preco muito commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
2,5200, 25400, e 2$600 ; s o Pavo : ra da
Imperalriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de linho d Pavo.
Vende-se pnno de linho com 4 palmos de lar-
, gura proprio para lences e toalhas de mo pelo
Marrasquinbo de Zara, frascos grandes, a Earatissimo preco de 640, 720 e 800 rs. avara, al-
800 rs. godaozinho com oito palmos de largura proprio
dem regular a ."00 rs.
Os madapolSes do Pavo l ^TTfv ,i0 Maranhao, Java e do Penedo a 80.
Vende-se peca de madapolao infestado com 12 1(l() e ,20 rs. a libra, e a arroba a 10800,
jardas cada peca pelo barato preco de 4, 450OO e. 9AH0(i P 9 > cada peca, fazenda muito superior : s o Pa- zpowu e ^r^ouu.
vo ra dalmperatriz n. 60, notando que a peca Amendoas a 280 rs. a libra,
leva urna etiqueu com o Pavo pintado para nao Ameixas francezas a i 200, 10400 e l:jG00
dem ein.b'otija a 390e 400 1 s. a totij.
Grata*em lat sa I.52C0 a imh.
Limonadas de diversas irurhs a I0O<
frasco.
Licores inglezes e francezes a i.-jH), iffl(
e 2 a garrafa.
Lingoas amei icarias a 800 rs. f;d. MMt.
L'mgaicas promptas cm latas a l ;2'.o a ;.-.ta
Manteiga ingleza reste geneio o qiie lia da
mellior a 800 rs. a librac tm bail ;i TOO
a diizil. Mafas finas para sopa : eslrellinha, pevide,
dem Morgauxe Chaleaulumini de 1854, a 10 rodinlia e aletria a 600 rs. a libra e a 40
a garrafa. a caixinha com 12 libras,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa. 1 Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Peixe em latas preparado pela primeira arte
16200rs. a caada. de cozinha a 10 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
Pal i ios de dentes 160 rs. o maco.
dem de dentes a 120 rs.
dem de flor a 20) rs.
Amendoas confeitados a 900 rs. a libre.
para lences, pelo baratissi.no prego de 15 a vara,
assim como tem o melhor algodaozinho tanto em
largara como em corpo, proprio para lences, ca-
misas de escravos, etc., ele., preco muilo coinmo-
do vista da fazenda; s o Pavo : ra da lrn-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
AlgOdozinho com loque de r. aria a 4,000 ris
e 4,800
Vende-se pega de algodaozinho por ter um pe-
queo loque de avaria, mas que esla em bom es-
1 lado, pelo barato prego de 4,5 e 4^300 a pega ; s
o Pavo : ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
': Silva.
em latas, frascos e lindas caiebinhas muito
proprias para memosear algucm,
Amendoas confeitadas em fiados de vidro
a 10 o frasco.
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40500 a arroba, i rs.
Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa. dem mais baixa a 640 e 7201 s a litas..
Azeite de Lisboa a 640 rs. a garrafa e 408O, Manteiga franceza a 520 rs. a libra, em bsrril
a caada. a6 40rs a libra em re tal lio.
Azeite doce emboioes com 9 garrafas a 50500 Massa de tomates a 640 rs. libia
com o boilo. Marmeladamuito nova a60 rs. a litr;.
Azeitonas por todo o preco. ; Molhos inglezes a 400 e 640 rs.. a ganaiata.
Biscoitos inglezes de diversas marcas a 10300', Mostarda preparada a 400 e 540 is. o bMI.
a lata. Massas para sopa nacarrio, lalbtiiM t aleiro
Bolachinhas de soda, ova; e lunch a 20000 a 400 rs. a libra.
a lata com o libras, dem finas cm caixinbas a .?0( CO ,1 taixn ha.
Bolachinhas americanas en barricas 26 Marrasquino de Zara verdatfairo a !?;;' o
libras a 20OOH. frasco.
Banha de porco da melhoi quaiidade a 360 dem mais baixo a 800 rs. e ijObQ < k$at(
rs. a libra. Milho tm saccas'om SO caas a 305(0
Batatas em gigos c caixas poi todo o preco. Prezunlo ingle/, para ttambre nodo no uibk
Caf moido a 100' 00 ou 80000 a arroba. I vapor a 800 rs. a libra.
Caf superior a 70500, 8000. e 80500 a. dem mais ant jo a 640 rs. a libra
arroba.
pecas e carnadas, tanto em porcoes como | Doce de goiabaem latas o melhor possi velaos guardanapos ecooomicos do Pavo e s do cha nest genero temos o que b de melbo-1 5i0rs. a libra.
dem do I'orlo a 640 rs. e sendo inten
retalho- 20 e em caixao a 640 rs.
Qucm comprar de 1000000 para cima te-' Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o abate de 5 por cento. jPassas muito novas a 480 rs. a libra.
A S7?OOfl!!
Na ra do Queimado n.*40, letreiro verde.
Superiores e bem armados balaes pelo diminuto prego de 25, adverlindo
e-te "^ftgo por ter-se comprado urna grande porcao c qu.-rer-so araar
MACUBAS DEPATENTt
de traltalhar uio para
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
0LDA1
; Vend
n i
<
ii
Pavo
i-se os mais lindos e modernos gnarda-
lomicos e todo linho, tanto para as casas
i como para hoteis, bolequins, etc. etc.,
issimo prego de 3 a duzia, isto s na
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Painco a 160 rs. a
libr;;.
.iitembarqties do Pavo
9 el3.
1 ii se os mais linos soutembarques que
ao mercado, sendo de caxemira de co-
liuinulissimo prego de 125 cada um, di-
ubique pelo diminuto prego de 95, s
Pavao, mas que se nao enganem : ra
alriz n. 60, de Gama & Silva.
Aioalhado do Pavo.
riiili.se panno de linho adamascado proprio'
assim como tambem temos baixo pelos pre-! Passas ovas a 400 rs. a libra
eos segundes: i04'O, ]0t((', 10800. 'Polvo a lt 0 rs. a libia.
20400, 20600.20800 e 30OCOo fino.
Charutos de todas as melhores e peores mar-
cas do mercado a 80='. ^000.10600, 20,
20800,30000, 40000,50000, 50500e 60
o cento.
Chouricas as mais novas do mercado a 120
o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a
ellas que pecbincjia,-
a libia
la a, ..'iv. i..i
Chocolate magnifico 1 000 e 10200 a libra.
Cerveja marca a mais acreditada que tem
Pimenla do reino a 520 rs.
Peixe cu latas a 50OtO ..
vina, pargo e i ulios
Papel de peso a20t'OO a rema
dem idemniuito lino a 40ObO e 30 Ot
dem raailini a 4051 0,
li!em almasso a 30000, 505c;) e '><.'..
Moni paia embridho a I|I200 .i rtwa
vindo aSOOrs. a gnala, emeiagarrafes'PalittS^aw 4CBl^S 8B3C<'8 (^of mtht
por 520 rs. branca e preta. ( a 80. i2o e (O rs. u Hiaco.
para toalhas de mesa, pelo diminuto prego de 25.:>?01 Conservas inglezas a SOOrs. 0 frasco fazenda Paulos do gaz a OOO a mV
; rs, a vara, guardanapos de inno a 55 a ouza, I i,;.,,,,. i,i.,,,:;,. n .. -. a, ..:
, toalhas de mo a 55 cada dozia, na loja do Pavao, i C,l,(Jae- W na.me' 8 [ dem londrino .i va 0 rs. a libra
640 is. alibi
Estas machinas
podem descarocar
.qualquer especie
de algodao ni|riia,3a* i)eratri.'6o7d ftlonftiB'tnL 'dem francezas a 5(0 rs. o Irasco.
'So" bastante' B' so Pa%ro (a S#500). Cevadinha de Franga a 240 re. a libra. dem prato
dtiaspessoaspara (Juem tem baloes por tal preco 1 Cbampape da mellior marca que squi tem Itap Meiirona 10COO # libr
o trahalho; pode Vendem-sc os baloes americanos muilo superio-! vindo a 20-j i: 240 o igo. Sag e SCVadinba a 240 0 "Hu i s. a lil ...
descamar urna res com 20 iM arcos peto barassimo prego de Cognak inglez e francez a HQO rs. e 10000 a Sardinhas de Nantes a 6'i0, 560 e 360 s.
arroba de algo- 25a00 e45, ditos de 2o, 30 coa arcos com fitas,. arra
do em caroeo incito bem armados e tambem tem cores escuras i rraia.
em iO minutos, pelo barato prego de 35300 cada um : s na loja -Cholas por lodo prego,
ou 18 arrobas I do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &; Copos lapidados que sempre
GRANDE E SUMPTUOSO ESTABELECIMENTO
DE
\OVO ESCOLHIDOS GNEROS
TANTO EM GROSSO COMO A RETALHO
O .RU 4 MOV O
Ultima casa junto a ponte da Iloa vista.
DUAS PALAVRAS.
Cesse tudo quanto a antiga mu-a canta
Que outro valor mais alto se alevanta.i
por dia ou 5 ar- Silva.
robas de algodao; () aVHO VClltle para llllo.
Vende-se superior selim da China, fazenda toda
de la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletots, caigas, etc.,
pelo barassimo prego de 25, 252i 0, 25300 e 35 o
i covado, eassas pretas lisas, chitas pretas largas e
I estreitas, manguitos, colannhos, punhos, e enfeites, I,Jem ,]a
tudo prelo proprio para luto lechado, e muitos ou-
iros artlgos que se venden por precos mais em
conla do que em outra qualquer parte por estar
ua do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo- litraidando ; s na loja do Pavao ra da Impera-
igodlnho, venhain ver a pechincha que se est tr'z n. 0, de Gama & Silva.
As percalas do Pavo.
240 As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
100, nado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavao pelo
601 barato preco de 600 rs. o covado ; dilas de listi-
120 .ihas muit miudinhas proprias para vestidos e
20 roopoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba
i lata.
Sabio massa a 120, 180, 200 e 240 rs.
venderam e libra, e em caixes por mero-'.
limpo.
Saumlcrs Brothers & G.
N. II, praca do Corpo llanto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Ti VAL SEM SEGUNDO.
Ra
s Bi
acabando certas qualidades de fazenda.
Pegas de litas elsticas com 10 varas a..
Ditas de tranga branca lisa com 10 varas.
Ditas de trauga prela lisa a............
Realejos para meninos, e pechincha a...
Rodinhas com superiores alfinetes a.....
se vendem em muilas partes a 80 c 100, Sal relinadn a OO rs. o van (pofe ile tii!n\ )
vendemos a ;i0u< 0 e 60000 a duzia. I Toucinbo de Lisboa, de Santos e aneriow
Copos para vinho a :)>00 a dozia. a 160, 2i0 e :2> rs. a libra e en ar.iiba
Doces de calda viudos de Lisboa neste ultimo a 5. 7e 00000.
vapora dO rs. a lata das melhores fine- Tijoles para limpar facas a lC0:b. catla am
tas da Europa. i Vinho do Porto em ancoras com 70 gana fas
goiaba e da casca o melhor que e a 300000.
200 ralissimo prego de 300 rs. o covado ; garanlem-se
160 as cores por serem do melhor fabricante que as
400 tem em Pars : isto na loja do Pavao ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
160 as chitas do Pavo 04OO e
100 S08OO o corte.
qjq Vendem-se corles de chita com dez covados
100
assim tem as melhores chitas francezas e de lin-
..-^! las seguras por precos commodos, a saber : 320,
w 340,360, 400, 440, 500 rs. o covado : na_ loja do
320
400
800
Pavao
Silva.
ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
600
300
320
Acha-se a disposico do respeitavel publico este grande e magnifico estabeleci- Ca*as com superiores aguihas e limas a
nifntode molhados, talvez o primeiro e nico boje existente em sua especialidade, por- Sabonetes de familia, muito finos a 80 e..
que o aainr capricho de mos dadas com mais apurado gosto de abrir um estabeleci- SE^T&liaf&iWK;
Diento modelo promoveram a ascolha dos mais superiores gneros do nosso mercado, 100> J20e....... "............
-pie por serem comprados era grande quantidade epagos qnasi todos a dinheiro a vista Ditas de bico iargo grosso a............
deu lugar a obtencSo de vantagens, que repartidas como vHo ser pelas pessoas que se Potes de superior tinta tem mais de meia
dignaremde honrar-nos com a sua freguezia. alentamos a doce esperanca de agradar a t^S^'^^^^'^A't^M^m
j i. .jjJ. ,i nnn.n n >ai xas com perfu manas muito bonitas a.
lodos, nao so pelo emprego das maneiras condescendentes e delicadas de que somos ca- Frascos de 0|eo Jt niacara mul0 Qn0 a ,
pazes. como pela pratica da promessa que fazemos de vender polos prejos quasi do pri- Ditos de oleo de babosa' superior a 240,
meiro custo o nosso magnifico sortimenlo. 320, 400 e.........................
Pesando muito em nosso animos meios pecuniarios de que podem despor as Ditos de cheiros muito superiores em qua-
diversas classesda nossa sociedade, asseguramos aos abastecidos da fortuna que acbaro Dims^e agua'dcoioiiia mmto boa a.'.'.'.
em nosso armazem os melhores e mais esquisitos vinhos, licores, champagne queijo, etc. nitosde dita dita grande a..........".'..'
etc etc e auelles iiue nao podem dispor de grandes recursos, que s compram o neces- Sabonetes de iodo o preco 60,160,200,
Lio, promUemos'-lnes servi-.os de gneros novos e sadios escolbidos ao seu contento. J. .^ ^T 7^....... I = > g? V^'
O real do pobre ser recebido com tao boa vontade, como a moeda de ouro do g^S de p "JS Spar dentes' muito com pUnba a 800 rs., golinhas .4
homem rico. fino a-............................
As pessoas que nos fizerem a honra de entrar em nossa casa, quer seja para com- Ditos de banha transparente a..........
prar para seu gasto, ou para negociar, voltaro satisfeitas, nao s pela boa quaiidade dos ligas muito finas para senhora a
hjectU comogpela fidelidade dos precos. e bom acondicinamelo. SST^S^'^S^
O futuro nos justificar. j. rantida a..;....................... i$000
--------- I Msaos com 2o envelopes grandes azula-
CAVACO NECESSARIO I Jum fita'pre't'com' cicht'es'.*.'.'.'.'
Devenios ao respeitavel publico algumas palavras relativas ao pomposo titulo que Pr?SCO! ^ macaga perola muito superior
i _,. p Me *. Caixas com pennas grandes a.........
adoptamos. m -^ Grosas de botoes para caiga preta, miudos
Existindo neste vasto e flor^scente imperio um grande partido poltico com a Libras de memento da roupa de lavar a..
denominaco de Liga, parecer o titulo do nosso armazem um gracejo inconveniente, Carriteis de retroz de todas as cores e
canaz de fazer zangar a alguns e de desatar o riso a muitos, mei.a. oila';a J?" ........
- Ria-se quem quizer, porque nos tambem nos riremos- mas nao se zangue *
ningnem. i
__ O nome urna voz com que se dio a conbecer as cousas. h esta a mais
breve, clara e sincera explicaco que, pelomethodo repentino, podemos dar.
Mas a quem nao seguir o partido desse systema diremos mais :
N3o oriun lo do Brasil o imponente titulo do nosso eslabelecimento. Foi a
muitas centena* de leguas que apanhamos a nossa Liga. / *.
Na soberba e opulenta Inglaterra bouve um rei que instiWio a mu bonroza or-
tZ%V& "mi dw m-^iha. A^d.m-nos ta Hmr.a ,,mA sum- $< ^SiXISS, RUS
mmente do trace do cavalleiro da jarreteira, para logo o mandamos tifsenhar, e coi- aUendidos.
locan que se assignalaram com mitras e coras. in.S8 por prego comadd : og pretendentes diri-
IobmI olt qal Mal }-pense. m'ftay mesmo, que telurio com quem tratar
possivel por diversos precos. e conforme
o tamanho dos caixocs.
Ervilhas em latas a 640 rs. a lata.
dem seccas a 200 rs a libra.
Espermacele americano a lj00a libra,
dem francez a 560 rs. o masso com 6 velas.
Figos de comadre em caixinhas muito lindas
a 800 rs a caixa.
harinha de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Farinha do Maranhao a 24" rs. a libra.
Fumo do Para a lo8"0 a bita grande.
Fumo americano a 1-S400 a libra.
Fumo em macinbos para
rs. o maco.
sigarros
Fareloem sacas de 80 a 90iDia< a :j-tf00
,' 2^400. ditos a 25800, com 12 covados; sao chitas ak a i i a ,*..
S S>Mk mas padros bonitos o tintas seguras ; Genebra de laranja [Jo Irasco.
Vinhos de Lisboa eFi;uera qaalMzdesM
nificas a :)'>ooo, 3h o e 4/itn o aamm.
Vinho do Porto em pipa a 5 e fifAOU a i Mh
Vinho branco de Lisboa e Por lo em anrr-ras,
barris e pipas a 4000e 5i?.'io ;, canart>.
Vinagre de Lisboa a 1,-5600 e 2&00 a rau-
da.
i Vinagre em garrafSes por I.)f00 em ogM
rafao.
Vinagre em ancoras para 1^800 rom a ua r,
de 9 cariadas.
Vassonras americanas a640 r. rii >uu
a 200 Vinho de Bordeaos neste genero t- n.< s fnrfl
porcSoe das qualidades mell crea sm Mm
vimio ao nosso mercado no rir;l*:s, im
Empreza de illumina^o
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamagoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 41. Os macninistas mandados para attender a
estas, apresentarao um livro que os reclamantes
Os bordados do Pavo
Vendem-se camlsinhas com manguitos e golli-
100 j nhas bordadas, pelo barato preco de l# e i280
"cada par, ditos
400 e 480 rs., de
100 fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 2-3 cada
urna, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente grvala de seda, fazenda
fina, pelo barato prego de 3$, e muitas outras
bordadas que se vendem por precos muito em
jqo i conla : s na loja do Pavao ra "da Imperatriz
jqq n. 60, de Gama & Silva.
200! As roupas do Pavo
200 Vende-se panno preto fino muito superior pelo
100; barato prego de 2, 2i>00, 3, 3300 e 4, dito
2001 muito fino 55 e 65 o covado, casimira preta de
i urna s largura e muito lina a 15800, 25 e 25500
200 e 35 o covado, corles de casimira de cores a 55,
60 55500 c -j. casimiras entestadas de urna s cor
proprias para calcas, paletots, eoletes, capas e para
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavao a i ua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vende-se
ou arrenda-se o engenho da Barra, distante desta
praca seis legoas, ao pe da estrada real, com bois,
bostas, plantas foi tas, mata ao pe da bocea do en-
genho, muito bons partidos e rio ao pe, muito fres-
co asaudavel : a tratar ni ra da Imperatriz u.
34, taberna. _______________
Vende-se um exfolente harmnico america-
no, do melhor autor que ha neste genero, por
2355, em perfeito estado : a tralar na ra do Im-
perador n. 38, casa do retratista americano.
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.
ancoras, em bai lis e pianolas o qulm
demos por procos muito baises.


dea de publicar os precos pelos qnaes ven- ^<,--\
de as suas mercadorias por motivos qnc ao
respeitavel publico pouco interesa. Servo
provisoriamente c'e baza os procos do Pro-
pheta.
HECLARACAO.
L
0 BALIZA declara pelo jirezentc fn

(IKIII:ti BM IIIA.
O BALIZA concede plena iiherdade aos
setis amaoeis coi Iras Clarins, Unioes. mitra-
dos e croados, para que possam saltar, her-
rar e tudo mais quanto Ibes apronver, at
a sua segunda ord3m.
SW
<^
v -' ,-i
wm



.

Diario 4c feruMbaeo atibado 8 de Outubro 4c 114.
GK4ME ARMAZOl DE MOLHVDOS
Largo (la
'Santa Cruz
n.84.
Esquina
da ra do'
Sebo n.84.!
NTE
Francisco Jos Fernandos Pire?, proprietario do armazem de moldados denominado
Aurora Brithante, ao largo da Santa Cruz n. 81, esquina da rus do Sebo, faz seiente ao
resueitavel publico desta cidade e do interior, que no seu importune estabelecimente
vender sempre gneros novos e de primeira qualidade, e veuder a lodos pelo mesmo
preco.
O completo frumento de todos os gneros finos e grossos qae eostumam ter outros
estabele(4ineutos desta ordem se encontrarao sempre no armacem da Aurora Brilhante
e seopre om grande escala a vontade dos senhores compradores.
O proprietario do armazem Aurora Brilhante pede a lodosos senuores e senhoras
q'ie quando tiverem de mandar snas relaces a este estateleeiment por seus criados
leja om caria fechada on com grande recommendaeoo a este- armazem, certos de que
sero lio bein servidos como se viessem pessoaltuente.
&mma '
A Aurora Brilhante troca qualquer um genero qoe per acaso uo agrade, e recebe
as libras esterlinas a 900u, sendo por compra : a tabella de seus gneros ser mudada
todus as semanas.
Ack-ndiis confortadas a Ubra a 800. Carne e linguica do sertao.
Maateiga ingleza flor a 800, 960 e 1,51*). Duzia'de graxa latus grandes a 1,5.
Diia u! ''* abaixo a 6i0 e 720 rs. Caixas com 2o massos de reas de sperma-
ita IratM*** nova libra 640 e em barril a eete a 360 rs. a libra.
otSO e O0k>!\ .Ditas maien-s a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Chocolate sam nn!i novo a 1,5200 a libra. Caixas com urna arroba de velas do Araca-
Ui perola o melhor^ue ha ( redondo) a ty 105800 o libra 400 rs.
libra a .'15200 e 25800.
Dito dito mais abano a 2*500"*;M*00.
Dito usim muito no a 2*800 e ^5
Di lo hysftoB superior a 2*600 e 2*800>
Dito hits abjizo a 2* a 2*500.
Dito pretil muito fino a 2*500.
Dito em massos a 2*.
Dito ito ii_ em latas de 4, 2 e 1 libra a
1*900.
Gaf j Moca superior arroba 9*900 e libra
30:) 6 28i) rs.
Dito i*o Rio e do Ccar arroba 8*500 c libra
;i20 rs.
Dito mais abaixo arroba 8* c libra 2430 rs.
Barricas com -bolachinha ingleza nova a
35.
Latas con bolachinha de soda de 5 libras a
1*990.
Ditas com ditas sortWas de 2 libras a 1,5'iOO
Frascos un ameixas francezas a 1*600,
2*808 c 3*.
Latas com ditas a 1*400,25200 e 4$.
Dilas'con figos de comadre a 1*500.
Ciii.iiiu- co:n ditos muito novos.
Presunto de Lamego muito novo a libra 5 0
rs. int'-iro e a rctalho 600 rs.
Cbonrtcas e palos novos a libra 600 rs.
Ditas eon ervilhas francezas o portnguezas
a 800 r*
Bilis cora masa de tomate novo libra560
rs. eem barril a 500 rs.
Bita com ostras a 720 rs.
Ditas rom marmelada dos inelliore> autores
d: Lisboa a libra GiOe 720
Potes r.im mustur Ja franceza preparada a
libra 480 rs.
Dita dita mglezaa80Oe i*.
(Ji.-ijis novus do vapor a 25200 e 2*800.
DiUM de pialo (-aplicado a 1*.
Dito s;,-oa800rs.
Dito de manteiga d Serbio a 800 rs.
Caixas com passas novas ae i arroba 7*,
nina 3*300 e quinto 2* e libra 480 rs.
Amen loas com casca libra 240 rs. s arro-
ba 6*.
Nozes iiira 160 c arroba 55,
Charutos Unos de Simas, e dos memores fa-
b.v.iiHesd.i Babia de 25 a 8JcaiSasde
10J o 50.
Crozas de caixinhas de palitos do ga~ a 25200
e 20) rs. a duza.
Barris com azeitonas novas
barra grandes.
Ya-- nas do Porto pias-ava muito segaras a
- -400 rs. ___._
A'zeile doce francez dos melliors fabrican-
tes, caixa 10* e a garrafa 15-
Caixas com vmho Itoruotiax branco e tinto.
Vinho do Porto fino em barris deSqoera-
- ras v-z-s apparece por 80* e em caada
a 55500 c nrrala a 800 rs.
Ditas de composieao arroha 10* e libra 360
ris.
Saceos grSUs com farinha de Goianna Mfr
ib boa a 5*500.
Ditos com milho novo com 24 cuias a 3*500.
Dito com farello de Lisboa a 5*300 e 120
a libras
Dito com arroz de casca a ojOOO.
Duza ae garrafas de cerveja branca e preta
a 5*500 e em barricas a 55000.
Arroz do Maraubo em saceos arroba 2*600
2*400 e libra !00 e 80 rs.
Dito da India e Java arroba- 3* e libra 120.
Araruta verdadeira arroba 8* e libra 320
rs.. matarana.
Gomma do Aracaty para engommar arroba
5* e libra 160 rs.
Farinha 0 Maranho nova libra 320 rs.
Ervilhas seccas muito novas libra 200 rs.
Sag e sevadtnha a 240 rs.
Sevada arroba 3O0 e libra 120 rs.
Graxa de boio 97 a 280 rs.
Sabo massa a 200, 240 B 280 rs. a libra.
Dito hespanho Verdadeiro a 400 rs. a libra.
Baiaios do Porto de diversos tamaitos de 320
a 2*.
Capachos para portas de varias cores a 600",
700 e 800 rs.
Grao de bfeo arro-M 4*500 e libra 160 rs.
Painco arroba 5*300 e libra 200 rs.
Milh alpista arroba 4*800 e libra 160 rs.
Azeite dore de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 1*500 c garrafa
200, 240 e 320 r*
Massos de palitos de denles com 20 massi-
nhos a 60 rs.
Tijolos de lirnpar ftcas a 160 e 120 rs.
Resmas de papel al mace pautado a 4*500.
Dito prev liso'o melncr que ha a 45500.
1 Dito de peso o pautado a 2s500 e 2*800.
iGarrafes rom 25
15 garrafas de venla-
Holla'nda por 8*500 c
Dito de Figueira puro caada 4* e 4*900 e
garrafa a 480 e 560 rs.
Dito de Lisboa de boas marras a 3*300 e
4* a garrafa a 440 e 480 rs.
Cognac verdadeiro a garrafa 15 e 1*280.
Viiilu muscalcl duza 10* c garrafa I*,
Vinli'i branCo.de muito boa qualidade caa-
da 5 o garrafa 480 rs.
Dito X"re?. fino caada 7*300 e garrafa a
l*20i>.
Di! Radem secea agarrafa 1*600e 2*.
Dito em caixas de urna duza do Porto dos
melliTCsautores a 12*, 14* e 16*.
Garrafas com licor fino fraucez a 1*, 1*200
c 1*600.
Dita* com" vicho de caj muito claro a 1*.
Ditas rom mol de abelha puro a I*.
Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a I*.
Dito de urna garrafa a 560 rs.
Dito de faranja verdadeira a 1*200.
{'.tes rom mostarda preparada a 320 e 4'XI rs.
(iaivas com 2 arrobas de batatas a 2*300.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa
a 4*800 a caada e 640 rs. a ganafa.
Espirito de vinho a 400 rs. a garrafa.
Duas redes muito bem fcilas para dormir
viudas de Sobral a 30* cada urna.
deira genebra de
6*000 rs.
Azeite de roco garrafa 560 rs. e carrapato
360 e caada 2*360.
Caixoes com doce de go.iba a 640, 800 e
15-
Toucinho de Lisboa arroba !)*500 e h'bra
320 rs.
Dito de Santos arroba 6* e libra 280 rs.
MoIhO? COTO grandes ceblas a 1-5600.
i 1*200 e 2* Oalo de diia solta a l*!l>
Mauncos de altios a 120 rs.
Gordas de pastar e de amlaime.
Favas da illia de S. Miguel arroba 3*200 e
libra 120 rs
Copos lapidados para agua e vinho a 35300,
3*800, 6* e 7*.
Ditos lisos para vario;- precos.
Calix lapidados grandes c pequeos duzia
3, 4 e 5* ; e 400 e 500 rs. cada um.
Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
tra a 400 rs.
Estrellaba e pende libra 640rs.
Xaropc de fruclas naeionaes a ganafa 600
res.
Marrasquinbp de Zara da melhor qualidade
a garrafa 1*200 e 800 rs.
Esleirs de tranca. cento a 20* e 240 cada
urna.
Queijos de qulha novos. arroba 165 e libra
a 560.
Duzia de cbampanna superior a 20*, e 2* a
garrafa.
C.arrafes vastos a 1*600.
Massa branca para sopa a 320 rs.
Frascos cora azeilonas en coacervas a 800
ris.
Duzia de sartas finas para jogar a 3*.
Sabo hespanho verdadeiro libra 400.
Saceos rom feijao mulatinho novo a 10*.
Latas cora favas j preparadas a 800 rs.
Sevadinha para sopa a 240 rs.
Garrafas noin moscatel e setubal a 800 rs.
Sag novo a 400 rs.
Breu arroba 85300 e libra 320 rs.
Latas com 27 garrafas de gaz a ti*, a gar-
rafa 500 rs.
NEM COROAS NEM MITRAS
33 outros imiUo.H gneros de primeira qualidade posslvel menciona tos.
A satisfacao da Aurora Brilhante vender nuto, embora haralo. mas DINHEIRG,
aMen lo cinco por cento a quem comprar de 100*000 para Chna
0 NOVO DESTIXO

NOVA EXPSITO DE GNEROS
NO
ARMAZE1I
GRMOE ARMAKEHI
11 DO Itll'fcjc \imuc m. 40
Junto ao sebrudo em que mora o Si*. >borne,
iMiarfe Almeida o\ ., reoeberam de sna propria eneommen-
da o mais lindo e variado sortimento de molhados, proprio
da presente eslac&o.
Manteiga ingleza
Masas brancas
da safra nova viada no ultimo vapor a l.ooo para sopa a melhor que se pode desejar,
rs. a libra e em barril a 800 rs. { macarrao, talharim e aleiria a 40U rs. a
Manteiga f ranee** '' libra e 4^500 a caixa.
da safra nova a 600 rs. a'rbra, e em barril Virihn
a 560 rs I "Uv
1 1 'i. Figueira .1 A A e oulras militas marcas acre-
AmeilflOaS < ditadas a o rs. a garrafa,
eoaleitadas de lindissimas cores a dOO rs. a<' dem e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2)0800 a caada.
Ameixas
em frascos de viera com 3 libras lifjui'do a
2#400, muito propios para mimos. >J
Cartoes
com bolos franCezes a 500 rs. cada um
Lat&s
com bolachinhas ae soda de todas as qua-
lidades a {300. .
Chocolates
de todas as qualidades a 1*000 a libra.
Presuntos inglezes ,
dos mclhores fabricantes a 800 rs,, tambem
temos relhos para 900 rs.
Queijos flamengos
chepadOs neste ultimo vapor a 2*6oo.
Qlieljos
chegados no ultimo vapor a 2#600 cada um.,
Qneljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excdante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e i 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 7*0 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente don radas,
proprias para mimos a 000 e 15200.
Cli uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por meno? de
U a 20600.
dem perela
especial qualidade a 2#700 rs. a libra
fdem fiysson
o mais aromtico que tem viudo ao r.usso
mrcalo a2600.
Massasi amarelias
para sopa, macarrao, talharim e h tria i
480 rs. a libra.
o muito afamado edgnac Pal Brandv a l, 00
fdcua do Porto
generosos engarrafado ihs melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a {# e 1(5200
a garrafa e de 105 a 12$ a caixa, as mar-
cas sao asSegiintes: Camisso AFilho,
F*. & M., Ne6tar ou viaho dos Deuzes,
lagrimas do apuro e outro? muitog.
Latas
cora 10 libras de-banha .1 45000.
Bolachfcilia ingleza
a 1<|800 a barrica da mesma que
vendem a 25000 e 25400,
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* A bra.
Cervejas
I dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 45500 a 05500 a L\m\^
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 16300.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
de 1.a e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 853?
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com i "2 garrafas com vinagre a 15000cjS
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de 11*000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 55800 c,?m
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 60c
rs. cada urna.
PALITOS
is verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
PRINCIPAL
DE
X. 9 RA 1IO ClfESI'O X. 9
Esquia qoe volt para a roa do Imperador
provavel que nao seja bem aceita a verdade, quando a boa f de todos atnl.
illudida por esla epidemia de nauzeaticos annuncios de cornetas, tambores, coroas mi-
tras, etc., que todo o dia enchem as paginas Ueste jornal.
ALEKTA
Os annunciantes nao tem em vista sefi9o garantirem ao respcitwel rublio a
soa palavra de honra, vetidendo cerno lucro suficiente para suas subsistencias eMtoaen
assentarem fortunas a forca Ja regra de liga como outros anmmriantes (leste genero
PARA TOIIO0
No armazem pnnctpsd teade-se a todos pelos precos marcados na seicuiute 1
bella, mas n5o se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba desparvla Karan
te-se as qualidades dos gneros trocando-se lodo aquelle que n3o soja do aw-ki
comprador.
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lentilhas muito novas excellente \eemv o
64o rs. a libra. 1 ra sopa a 2oo rs. a libra,
dem de casa dura a 24o rs. a libra. I Licores francezes de todas as qualidade- le
dem de casca mole a 32o rs. a libra. 7oo e 9oo rs. a garrafa.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Manteiga ingleza perfeitamnfe flor a 800 r<
estampas, a !,2oo e i,5oo rs. a libra, desnessesario mais elogi.o i.e>-
Idem etn frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/j libra a i.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
te genero que so se pode verifirai om a
vista,
dem franceza a 50o rs. a libra, e em barril
ou meios a .%o rs.
ha neste genero de 80 a loo rs, a libra, e Marmllada do {. fitbricante de I hni a fc.o
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a Ooo rs. a garrafa e 10,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libia.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
rs. a libra, ha latas de {, { \* t 2 libra
Maca de tomate em latas de urna e dua< li-
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, |*vde, rodinh*
etc. > 3.8oo rs. a caixa e 36o rs. a libra.
Macarrao, talharim e aletria a loo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a loo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 6io rs. o frasco.
Molho inglez em garrahnhas rom rolla de
vidro a 6to rs. cada um.
r

M CONSERVATIVO
rs. a garrafa e de outras muit?"; qsiuja- unos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
com urna duzia e a 1,000 a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abren e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro pregunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa lera abatimeiito.
des a {,ooo e 800 rs. a garrafa
coi-o*
lapidados para agua a 4,5oo e
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um
PAPI2L
almaco, grave, pe>o e de outras militas qua-
lidades de 2,2o. a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 25200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulhode l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corintliias
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato Marraschino verdadeiro de Zara a I ...... r-
Antonio de diversas qualidades, em latas a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e ,5oo rs. a Nozes muito novas a { rs a libra
lata, e 64o rs. a libra. Ostras preparadas em latas a 7o ra a nta
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras Prenoto para fiambre inglez verdadt-ir.. la-
das melhores mareas a ,3oo e 2,2oo rs. 1 rantindo-se a qualidade, a 7eors a hia.
a lata- I Passas novas de carnada a loo rs a Bra e
Banha de porco refinada a loo rs. a libra e 6,5oo rs. a caixa.
em barril a 36o rs. i Peixe em latas hermticamente fcrintn das
Batatas em canas de 2 e de 4 arrobas a seguintes qualidades. sabel. corvira n>
l.loo rs. a arroba. raz, cavallinha e pesiada a l^oa rs la-
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo ta.
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e Ooo rs. Palitos para dentes fichadas a lio ra at-
as meias garrafas. 1 $o de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia e 2 loo r*
bra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a 11 t.ra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopathico 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanho a
4,00o, 1,2oo e 1.4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia
a groza.
Painco muito novo a I60 rs a libra, c i.:**
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
dem prato muito fresco a 800 rs. a Va e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a : da um.
Sardinbas de Lisboa c de \anles a 6.* ,
a meia lata, e 4oo rs o quirfo.
Sag muito novo ealvo a No rs. a lhr
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra
Sevada a loors. a libra,
do de Simas e outros da Bahia como se- Toucinho de Lisboa a 24o e 3oor a
jam Regaba, Trovadores, Guanabaras, De- j Tijolos para iimpar facas a {5o rs caa m
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,000,3,ooo e
4,000 rs. a caixa.
paS?l^,,'nLhias^u.it!..r?vaS pro,rias (>ara de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo B
caixa e 34o rs. a libra.
podim a 800 rs. a libra.
[Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa, a
.ioo rs. a libra
Vinagre
PRRem ancoretas| de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do Cercado a 7,ooo rs. a caixa
e {,ooo rs. o njiolho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 40 rs. a libra,
e 4)5400 a arroba.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e 60 rs.
a libra.
1','isss muilo novas
em quartos e inteiros a 2 o quarto e 60500
a caixa e400 rs. a libra,
Choeolate
porluguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
Fruta em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Osee da casca da goiaba
a 600 e 1J ocaixSe.
23largo do Teroo-23.
Joaquim Sunao dos Santos, dono des'.e bem sortido armaiem de molhados denominado Con
sei'vaivo do larg.. do Terco n. 23 .cientfica ao respeitavel publico e a todos em geral que mandem
B-sle> o qui ua.i oblero se comprareni om ouiro qualquer, pelo que se respaasatolisa a servir qual-
it cunprador com a reaior presteza e fidelidade, sem que haja a menor altcra$a. Todo o compra-
.. rftn comprar de 100 para cima ter o descont de 5 a 10 por coito pelo seu prompto pagamento.
Balate as mais nova? a 40 rs. a libra o Mn a ar-1 Cha hysson iinudinlio e perola a 2&000 2^300 e
rol* tt.
T.iwntw de Lisboa a 280 rs. a libra e 8*300 a ar- Milho alpisU e pataco muito novo a 160 rs. a libra.
s
rom.
1:'.' de primeira o segunda sorte a 240,260, 80 e
*J0 rs. a libra.
Arroz do Maranho o Java a 100, 70 e 00rs. a li-
bra o2J200 a arroba.
r '.'isJink do g;ii a ti a groza c 180 rs. o maco.
rvtssas de carnada a 320 rs. a libra, e em caixa a
&:;oo.
Bolncbinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
S&baa amaretlo massa a 160. 200 e 240 rs. a libra.
Vi-iasd ecarnanba Aracatv composieao a 300 3 400
rs. a libra.
Ameixas franceza* com 1 e meia libras a t*.
Biscoilos e bolachas de soda a {300 e t&
Ararnla das mcllioi t marcas i 15, 2, 3*, 4,5, e
UMWMUxa.
Charutos em macos contendo 50 por 640 rs. o cento
Azeite doce de Lisboa fino a 640 rs. a garrafa.
Dito de carra palo a 280 rs. a garrafa, c 2*000 a
arroba.
Vinho de Figueira e Lisboa das meihores marcas a
320, 400, UOO, 60, 040 e 800 rs. a garrafa, este
uliim o Porto proprio para os duentes por
ser purificado e recommendado para este lim.
. Queijos do ultimo vapor a 2* e i700.
Manteiga ingleza flor a t* a Whra, e a 930 rs. em
afisaa. de tomate" da melhor qualidade a 000 rs. a i barril.
libra. : 1<**W (heno superior de 720 a 800 rs. a libra.
Marmullada dos melhores fabrieantgs a*40 rs. a I l*rm francen do ttirno navio a 060 rs. a libra,
)jt,ra_ em barril se fara batimento.
Ouri as mij novas a 500 n. a libra, 3 em i Gomma da mais alva a 160 rs. ) libra e a 4*300 a
rTVrr.l por 12*. f"rof'a- ._____,
A'tWn Oestes poneros tiaoulros nrolc? qiu- (nfadonne seria meac:ooa-u---.
i 11 y ra \r
Cheguem a familia lavada.
A bordo do hiate nacional Dnca Irmos aneara-
do da&OBle do trapiche barao do Livramento, vec-
de-seesfa superior faritrha lavada anda nar vista
neste mercado pelo barato preco de 3* o alqueire
ou 6* o sarco sendo este prefo pranel, e tantea
na ra da Madre de ueos ns. 5 e 9.
- Vende-se um excellente carrinho americano
de 4 rodas para duas pessoas, com arreios de um
ou doas cavallos ; do melhor goslo que se pode
encontrar nesta cidade, e est em perfeito estado :
dirijam-se Agk> P Pedro, na ra de Imperador
n. 38, casa do retratisia americano Sr. Oseme
Vivho Madeira fino.
Vente-se na roa de Apollo n. 4, primeiro an-
dar, em barris de oilavo, chegado boje.
KM da S^ta Kova n. 42.
Neste estabeleciraento vendem-se: tachas de
(erro coado libra a 110 rs., dem de Lon
Moor Hbra a 120 rs.
"A BAGA-
Salitre retinado, superior qualidado, vinho Bor-
deara, deferentes qualidades, mais barrio qoe em
qualquer part : no armazc-m. de V. A unrlf %
C, roa da Cruz n 40.
Os proprielarios do grande armasen o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral. que para facilitar a commodidade de todos es-
tipulara os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unio eCommercio ra do Queima^o n. 7
OVordadeiro Priucipal roa do Imperador n. 40
FRUSTAS
MAV-lA. PERAS I-: IHS
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Kua do Imperador n.
40, Verdadeiro PrincipalRoa do Qteimado n. 7, Unio e Commercio.
Champagne.
Vende-se cbampagne de primeira qnalidade,
marca Rumiasl pre ct fils, em casa de Kolhe A
Bidoulac. na do Lrapiche n. 18.
Vende-se um terreno na ra do Destino em
direitura ao largo dw Hospicio com 234 palmos de
frente, proprio para so edificar por ser boa loca
hdade : a tratar com Anfcwio Joaquim Perreira
Porto na ra da matriz da Boa-Vista n. 54.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gobios para meninas
Irazerem 110 braco : s se encontra na loja do Bei-
ja-Flor, roa do (Joefmado n. 03 e 69.
Extratos e sabAo em eai-
xinhas
Lindas caixinhas com um carlao com a familia
. Imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
1 bao o mais lino que passivel: na loja do Beija-
| Flor rn.i doQueimado n. 63 e 00.
Enfeites para cabera.
Chejaram 09 lindos enfeites de cabrea para se-
1 nhoras, sendo mtiito tmplcs e de tnotto gosto : so
no Vigilan, ra do Crespo n. 7.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
10 a lata ; nos armazens da ra do Im-
perador d. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 000 rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a fino rs. a libra.
Camila a l,oon rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
.ooo e5,5oo rs. a duza, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o c 3oo rs. a libra,
e 8,000 a 8i5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas porluguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figut-irr. de-
marcas menos contiendas a 4oo rs. ;. .---
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueiraexpecialmente es*olhid.. r. i-
lugar a 600rs. agarrafa, e 4.:oo ae
dem Lavradio, Colares muito fres. r. >*>m
composieao a 6oors agarrafe i ,:<*. a
caada.
dem Lisboa em ancoras coa 9 caia.la^ m --
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a ;;o rs. a mmk
e a 4,.loo a caada.
dem Porto fino em pipa a 50o rs. a farra
Um
dem engarrafados generoso?. LftjrM
Douro, Dmpie do Porto. I>. Ufa I. I, fv-
dro V, Nctar, vell.o secco, Ifakazt, t-
genuinopartictlar de 9ooal,2oors.
rafa e a 10,000 rs. a caixa com urna du
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a ga'
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a ganafa.
dem Bordeaux dos acreditadas narra .
Julien St. Esteph, cbteau la Ro/..-..l. ..
Margoux e outros a fi,ooo rs. a caixa c M
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2.o*,
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e Mn>
rs. a caada.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna. ----- -
dem em garrames de 16 garrafas a 4,800, dem em garrafes com 5 garrafas a I.M-r-.
rs. com o garrafo. 1 Vassouras do Porto com arcos de ferro Mi
dem dem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um. | ca(la urna,
dem ingleza em garrafas brancas bordadas Idem de escovas para lavar casa a 36o r-.
com rolha de vidro, qualidade superior
a l,ooo rs. a garrafa.
dem delaranja verdadeira a l,ooo rs. o fras-
co, e H.ooo a ftasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
1.8oors. a garrafa.
cada urna.
Vella3 de espermacete superiores a H6t t.
a libra, e sendo em caixa a 52o n.
dem de carnauba refinada e de Hntomi 1 "
a 36o rs. a libra, e io,5oo e ll.ou r a
arroba.
DE
DE
i. VIGNES.
N. 55. ROA DO IMPERADOR K.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz connecidos para que seja neoesaario ln*ir d#rvfa
saa snperioridade, vanagens e garantas que efferecem aes compradores, qualidade* *!* iarii-u-
yeis que elles tem deflnitivameme conquistado sobre todos os que tem apparr*Mo nerta prafa ; otk-
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as ventados e caprknoa 4m ptaatataa, aaai-
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feilo ltimamente melhoramenio inforbn-
lissimos para o clima dcste paiz; quanto as vozes sao melodiosas e flautada, e por isto muilo agnn-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se eonforme as eneommendas, tanro nesta fabrica como na do 8r. Blondri. de Pai, sena
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiad: em todas as enmicOes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sorDmeal de 1
melhores autores da Europa, assira como harmnicos e pianos harmnicos, sendo-lodo
precos commodos e razoaveis.
AffS\
Vende-se superior viuho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnslon Pater & C. ra
do Vigario n. 3.
Cal de Lboa
na ra e Asm i*
chepada peto Marta da Gloitm
n. 28, junto ao theaOo.
SAL
No escriulorio de E. R. Babello, roa 4* Cm>
n. 55, vende-se sal ainda a bordo do navio.
MOTILADO




nlari* de r
baeo atetado 8 de Outubro de i 4.
r"
i
------
AO PUBLICO
Stem o menor constrao.-
glmcato se entregar o
Importe lo genero que
nao agradar.
MAZEM
ATTENCiO
nreeos da seguale
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ta-
se para o ajuste de con fas |
com os portadores.
RIJA HA i AlESA DO RECIPE U. 53.
(Logo passando o arco da Conceifo)
Grande rednceo de precos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunciante.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o pre<;e da manteiga ngleza a I.ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com isto ocasiao a todas as espeluncas acabaren) por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que en vendo I! 1 Ora, eu oflendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
syslliema que vim encontrar, des se vender com um por cenlo a carola, resolv fazer esta giande rcduecSo de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oo a i,600 rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduc?ao a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimer
tao somonte obter a concorrencia de seus freguezes.
to desta ordem que o seu fim
Para bem de todos.
Seuhores e Senboras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromplido e entei-
reza com que serSo tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darn a protecgao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
serao to bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacjio, afim de que nao voemoulra parte.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 800 rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 5(io rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perola o mais superior do mercado a
2,800 rs.
IJoia huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem pret homeopatbieo por ser de Superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende emoutra parte por 2,4oo
e2,too rs.
Liogutoas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermetieamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo e (too rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste tdlimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,600 e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
10 se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
IJem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Emilias e lavas porluguezas em latasj pre-
paradas a 64o rs.
Mrmelada imperial d^os mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a Soo rs. intciro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e S,5oo a
duzia,
Choculatc francez, suisso e hespanol a 9oo
1,000 e l,2oo rs. a libra.
Espermaceteem caixinhas contendo 6 libras
por i.ooo rs., garanlc-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tamhem tem
!e 12 por libra propiia para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 800 e 1,000 rs. cada urna.
Vinho Bordeaox das marcas mais acredita-^
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,000 rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem dalndia muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
23 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 43,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo cuco rs. a garrafa, em caada a ,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 000 rs. a garrafa, em caada
a 35ooo e 3,000 rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, Duque Genuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. ea9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantescm quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconserveiro de Lis-
boa a 61o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolacliinha de soda em latas com diversas
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa,garante- qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo' francez em caixinhas muito proprias
quatqoer nao pode vender por este preco. para mimo a 61o rs.
Genebra de IIoHanda a 56o rs. o frasco, e Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
5,7oo rs. a frasqueira. \ libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras,
dem de laranja verdadeira de Altona em Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a I.ooors. o frasco, ej ,8oo rs. a caixa com 8 libras.
1 l,ooo rs. a duzia. Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra
dem de HoHanda em botijas grandes a loo' Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
por 2,ooo; ditas doce em latas com o mes-
rao peso a 2,5oo; ditasiroperiaes emlalas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e1,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,.'ino a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rol ha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda inglesa dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes ja preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente lgame para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 1,00o rs. e 11,00o a duzia-
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o maco.
Sal refinado em irasco de vidro com rolba do
mesmo a too rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 0,000 e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muio novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinba, de Franca muito nova a2oors.
Charutosde todos osfabricantes da Bahiaedas
mais atreditadas marcas ennhecidas nol
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo/
3,5oo o 3,8oo a dxa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l,oi*o I rs. a garrafa.
Na loja de fazemias bu-
ratissitnas de Uarte
liorges da Silva, ra
da Imperatrit n. t*
Vende-se o se^Biuie:
PE^AS de panno de liaho rom J* wa 1 ft.
un p iuce eslreilo, mas eieelentepara leaJa--
DITO de dito adamascado co H pala* Sm r*r
gura para loalbas de mesa da jaular ;i 2>V"i .
vara.
CASEMIRAS de duas largaras e d* m <> tm
muito boas para roupa de menim s
ques a .'15 o covado.
TOALHAS alcochoadas muilo boa 1*1 1 *-
gar o ratto a 64 a duzia ou 'A.0 rs ra '- >
CAMBHAIA branca fina oin sai pire- mn
a 640 rs, a vara. melade do valor.
OLIAOS de Intuitos e elegantes *mdI jai
BObrir mesas a 13 o covado, para ir I:r.
LAAZLMIAS de padrees iiuvu- c
veis tanto na boa qnalidade como ao < co 3*0
rs. o covado, e nalmente o respfHWti |i
achara constantemente nesta da lja nn k*NB>
variado sorliinento de fazcoda fiua> kiwm >
pr. eos muo r.izoaveis, pois e>i re-o -iMit-r
pouco, com tanto que venda muta, n..' mnn ?
mais fazendas no presente amnw> i r i r
(aria isso n'uma despeza extraurdiaari^ iu;i
peza reverter sempreem benelirio ih i res, pedindo ao publico qtie nao deise U h *r
es dias este dito presente anMuri, i I
mudanza no< arligos cima dtM, i.lo e. \ ?r-p--
cji i que se forera acabando.
Aoaoa ae i ecebet du aua prupria eiiuiuimeuua um granuu e variado bortimento
de molbados todo6 primorosamente escalhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aes seus freguezes e ao publico em geral a seguinle tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem coahecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra. I Licores francezes e portuguezes das seguin-
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 1,000 tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
rs, a libra e 800 rs. sendo em barril,
dem franceza a (6oors. a libra, e 56o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dna amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, ortela pimema a 1 ,ooo
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Bio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,-ioo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a I,5oo
rs. a libra.
dem miudiuho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos ebegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato s melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
J tas a l,3oo e l,4oo rs.
jpmo americano em chapa a 1,60o rs, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
caixa e 60 rs. a libra-
.Balachinha deCraknelem latas de 5 libras
Doce da asea da goiaha em latas de 4 -j bruto a 4,000 rs.
bras por 2,ooo; dito em caixoes a 600 rs. i,jem inglezas em barricas a mais nova do
cada mu.
Farinha de araruta veidadeira a 32o rs. a
libra.
Velas d carnauba de 6 e 12 por libra a
32o r.s. a libra e -lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a loo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil do diversas frutas muito
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinha de Lisboa muito alto e alvo a
32o ijs. a libra e 8,ioo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollai solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhps com cento e tantas por t ,2oo rs.
Matt excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
11*
FUNGI LOW-AOMCOE.E
llua da Senialla nova 11. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
nm completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar roapa: em casa de S. P. Jobnston 4 C,
na da Senzalla Nova n. 42.
Vinho do Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
cer Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu
-scriptorio ra da Crnz d. 1.
Fabrica Conceifl&o da !
Baha. fl
Andrade & Reg, recebem constante- 2S
mente etm venda no seu armazem n. IR
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel- ^k
la fabrica, proprio para saceos de assu- H
car, embalar algodao empluma etc., etc., gj|
pelo preco mais razoavel. w
mmmmmm mwmwwmmm
Rea da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Jobnston A C,
gellins e sillies inglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de orn loas mallos, e relugios de "?* p"l,u*
ouro patente inglez.
AI caira o.
AIWAZEM
FRONTEIRO
DF,
AIiVE COUTIJHO 21Largado Tergo21
Ao publico.
Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a libra;
ameixas idem ; alpista a IGo rs. a libra, e 4,6oo rs. arroba; arroz do Maranhao e da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2,6no e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a l,poo rs. a garrafa e em ponjao, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
i da a 4,8oo rs. ; banha de poico a 4 'novas a 4o rs. a libra, e 1,2o i rs. a arroba; cha perola, hysson, miudinhoa l,8oo, 2,4oo
' e 2,5qo rs. a Jibra ; charutos des melhores fabricantes'da Balda de 2,ooo e 4,ooo rs. ;
cerveja branca e preta a Soo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo ts.; cognac injjlez superior a l.ooo rs. a
garrafa ; caf >le 1.a, 3.a e 3.a qualidade de 8,5oo, 9,oooe9,5oo rs. a arroba ; cevadi-
iiha a ^oo rs. a libra ; ervilbas porluguezas em latas de 1 l/ libra a 7oo rs. ; spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,0(0rs ; genebra do laranja a l.ooo rs. o frasco ; idem de flollanda
a 61o rs., e loo rs. a botija; graixa em latas a l.oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feita flor a 800 rs a libra ; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
de tomate a 600 rs. a libra ; mrmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra ; ale-
tria, talharim e macarro a loo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a I.ooors. cada fras-
co ; nozes muito nevas a 2o 'S. a libra ; passasa 4- o fs. a libra ; painco a 16o rs. ; po-
mada a 24o rs. a duzia; pi menta do reino a 36o rs. ; papel almaco e de peso de diver-
sas marcas; palitos do gaz a 2,*oo rs. a gmsa e 2o rs. a caixinha ; ditos de seguranza
individual a 2o rs. a ciixinha e 36o rs. o maco ; queijos flamengos do vapor a 2,noo rs.
cada um ; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nantes de 4oo a 64o rs. a lata ; sa-
bo massa muito lfleii r a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa muito alvo a 3oo rs. a li-
atr3o na ra a Cruz bra vinhrt d Porto velhn engarrafado a l,3o rs ; idem em barril a 800 rs. a garrafa,
a. i3, primoiroandar, esw'ipiorio de Antonio de sendo porcao fa/.-se differenca eem caada a 5.non rs.; i-tem de Lisboa muito superior a
Almeida Gomes. 4oo rs. a arrafa e 2.N00 rs. a caada ; idem da Figueira J. A. A. a Soo rs. a itarrafa e
---------------jr 77777 3.600 rs. a caada; idem do E-trato a 36o e 30 rs a garrafa eem caada a 2,56o;
II I i SSil ''em 15"r ,ea"x a r>,' rs- a Rarrafa ; idem branco de Lisboa, proprio para missa a 5oo rs.
^^** a garrafa ; vinagre de Lisboa muito superior a 2oo rs a garrafa, e 4,4oo rs. a caada ;
0 soda, cevada, alfasema, gaz e tijolo de limpar facas 14o rs. Presuntos de Lamego a Soo
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra. .
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma. /
Potes com sal refinado %48o rs. cada um.
frescas a Bicos frascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 2I[2 libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes mnito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 600 rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
1,00o rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a Soo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e Soo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conbecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicSo a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a dnzta, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrames com 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garraflo.
dem com 4 '/* ditas de venagre al.ooo rs.o
garra (ao.
Vinagre PRR em ancorlas de 9 caadas a
IS.ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o batisroo a 2oo rs.
a garrafa e 1,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,800 es.
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseripton:
de Antonio de Almeida Gomes.
; ea.l.s a.ir rb outros muitos gneros quedesnecessario menciona-los.
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico mnito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 800
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. I a 85500 cada urna.
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
eSoors. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,000, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,000 e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a lib'faT--
Idem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,loo rs. arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra,
dem de sebo muito dura Ongindo esparmace-
te 36o rs. a libra,
dem de esparmacete a 5Go rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.000 rs.
dem almaco pauladoelisoa 3,000rs. a resma. |
dem de peso paulada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a zul de botica oo fugueleire a 2,00 rs.
a resma.
dem embrulho de 1,2oo a lf loo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1
l,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., so o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Moslarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
O Perfume 4a Mofo.
AGUA PLOHIBA
De Murray & Laniiiau.
Este raro ciniio delicado perfil**
ouasi que incxtinguivel c to mimosa fragrancia e !rcecnr:i HM o
delicado chebo das proprias \:i\.t.'.
tes flores. Durante os mezes ciilorew-
to6 do vero o sea uso tornas; imine*
temente aprazivel o deeejavcl em o*-
sequencia da influencia refriginnte c
suavo que ella produz sobre :i pefle
em qnanto que tizada ao bai'ho c:!.-
imparte o corpo lnguido e catoprib
urna certa elasticidade de vigor e ore*.
Ella imparte transparencia /* frUpr*.
c retnove pannos, sardas e txrU'ju* it.
obre apelle.
O TOMO ORIENTL E WS
PARA 08 CABELLOS,
urna preparao admiravcl para li?v
par, aformoeear, conservar c restnbeV
cer os cabellos.
veuda as boticas deCaois S Barbo ..
rna da Cruz, e Jo2o da C. Bravo ;., na
(taladre de Dos.

01
O Sp 33 > > O c 03 f. -i m:
w> .
"S8 &2-2.ST-9 2
5 g_cn
CT ro T3
C en as _
O C
W A. .-s CD
a 2 x
3
r-
z
CD Q
O Q.
= ** ~~ 2
5 r ? m
m ^i
^-> r> a > n
s : 5 h 3
2.=
m
a;
O
t
!/i libra a
Molhos inglezes a 800 e 1,000 rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,Soo
e 6,000 rs. a duzia e Soo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas moilo novas a l.ooo rs. o molho e
800 rs. o cen^o.
Genebra de Hollonda em frasqoeiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a loo rs.
I
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes ilixados em ma^os grandes
com 2o rs o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
lo,000 a arropa.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 1 io rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o n. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixcs em latas a 1,000 rs. a lata ja prompto
a comer-se.
Farelio de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e 1,000 rs. o
caixao.
a caixa e Too rs. a garrafa.
O propietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a eommodidade de todos estipulou
os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unio e Commercio ra do Queimado n. ?.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
p ~
-31 Lt% m
Um lili
"o 3 o
-1 si c 2 <
as ai o O >
i i
n O CUS
0
o =s a.
O
9
M
-i
n.
I
B
o_
c-


O
6>
BREU
Breu verdadeiro ameritaoo, kak tm barr*?-
enmo a retalho, vndese na roa da ('adria da II
cite, toja de frrra^ens n. 56 A, da danto*.
hi!.\iil;s calcadas de >co
Chegaram as desejadas enxada> ralraii.-K rf>. ^.
as qnaes vende-se o mais barato p*iri : na rt^t
da Cadea do lin-iie, l<>ja de f>-rrfn< d. B.i't^
Fio de algo io da Baha e aan>
rlcaao.
Veode-fe tanto em |>orcao mat a retatlM, rts
bem conneridas |ualidades de ao |>or haral >irfw
na ra da adea do Recife, luja i'e riagens *
Bast>s.
Trlhado de ferro galTaala*do
Folhas de ferro galvanizado para u- hak pm
runiritodo preco e de moila atiliade para na*r:*a
de rasa>, vende-se na ra da Cadria du Brnf* i*
56 A, loja de fmafaat de Ba>ios.
Vaquetas locleaaa para eaherfrj
le carro.
Estas bem ronhecidas a<]nrlas, rrnde-e nr.tr
nvnt.' na loja da roa da adei> to IrrM, U ja <\
ferrageos de Bastas.
Padarla e reflaa Chegaram as bem ronhecida inrariras e au
me e de lato proprias para padarla r n ftn in, ,^t
todos os tamaitos e grosor : na roa da Caif'S
do Recife, Iwja de (errageus a* BaMW.
Vealem-se sarcos eoai mmm* mor* fva,
prnpria (tara engommar a faaar aaaaaw: aa r?
do Queimado luja o. 14.
ESCBAVOS FCIBOS.
Fiigio aa tarde do da M to jala p. p.
escratro pardo, de noroe Marrs, ir>rn.l.arr;dr
do hiato imita Atina, vindo do Ararary. irr.de
de idaV 28 minos pnur mar* aa m*9m, # >
naes s^gHiiUtis : altura regalar, ww to r-m
pudra barba, rahelln rrefp*, lr*w rawtoa *
rai^a de algudiosinho de rtorad aanl rrba-
p.1 de Ma, leadn leranV foigw wna trrr.n
rom mato rmpn, e. rrndtao d# mmm *a m*b>*
Jiif m o aiipr^ender jurir* le*a-a> k a> aWai
r Deus n. .18, oo roa do Braa a. 55, ifu *eu
reeompeosado.
/
!S
IvT


'
Ufarte *> Pernanfeae* abluid* 9 de Oufabr 4* i t 4
LITTSRTRA.
Pactildadc de Bireilo do Kecife.
Disonase do sn. dacharel c.vto gerreiro de
CASTilO. >0!V OCCABIAO Dli TOMAIl O GUtf DE DOU-
KH !!H lilltEITO, KM 3 DO CORHENTE.
Exigir de mim um discurso digno deste nomo,
oas condados folizes, qne tem liilo o meu panado,
', prazt a Deus, tenha o mea faiurn, j sen)
duVtda exigir muilo; masnaseondicc5s presentes,
leudo ainda a caliera tortorada por lao intenso,
ooao prolonga lo soBrimento, mais do i]ue exigir
muilo, 6 exigi;- um impossivel.
Kio venho pois fater um discurso, venho salvar
.i ljllra da le, que rog este acto solemne de nos-
sa Faculdado. Nern a le leni direito de condem-
nar-iu?. porgue, cercando ella de tantos riscos e
pongos o scu premio grande bem devia pre-
ver que os fracos que aqai chegassem, chegaram
.rquejando de fadigas. Pois bem ella que assim o
qui, supporte resignada o efleito inevitavel das
fortes convul-oes aomou cansaco.
ftqoelle terreno que, ha pituco, servio de
i'icalro para um luta encarnizada, nao podia
to cedo fazer brotar mimosas flores, principalmen-
'..', as bagas de suor fri do mais fraco dos con-
Ciiidnre', se mesclaram gottas de sangue.
lnlretanto, ]a que me c forgnso, hei de levar a
miaba cruz contricto e resign?do at ao cimo do
monte, ainda mesmo ralando os hombros.
Tcnho medo de fallar de mim, senhores douto-
rO, mas nao me condemneis, porque, fallando de
mim, cu fallo da obra vossa.
12' quasi escusado dizer-vos que exultando de
COnteOtameotO, diego hoje ao posto de collega vos-
so-, e que no maior auge do prazer venho receber
a primilla tecida por vo>sas mos.
B' verdade, que s depois do arrebatamento, que
a victoria produz, 6 que se sent a dr das feridas
contraldas no combate, e a dor semprc a dr, por
nuil que se procure suffoca-la, porque nao ha ven-
cido lao forte, que chegue a supprimr a sensibili-
dade, mas ncm o direilo das gentes permute as
ggressdos tora da guerra, nem o da da festa o
Jia mais proprio do soldado vencedor, soltar ge-
midos. Curvo-me pois resignado aos decretos da
Providencia, mesmo quando me castiga, isto e, me
protege, porque, segundo a phrase do nosso grande
tagalhos, ofogo queao infante queima o dedo en-
sata a reflaetir a este mesmo, a qoem os excessi-
v cariohos nnternos teriam talvez de corromper.
a nao agradei a todos d'entre voz, aspirei ao me-
nos, agradar ao maior numero possivel ; e a mate-
ria numrica, segundo alguem odisse, .1 ultima ra-
das cousas deste no iouros por quasi lodos aquelles d'entre vos, cujas
tiulrioas tivea gloria de ouvir. Que mais en que-
ro para ser feliz I ? Mil agradeeimentos pois
.ila brilbaote congregago, que por tantos ttulos
onslilue o mais legitimo orgulho do Drasii.
Senhores doulores, j son bem conhecido de vos,
1 di'qn-, duraute seis aonos, fui creado asombra
Jo vossos coosetkos, mas quero, ainda urna vez,
.lar Cira o miissulemne juramento a firmeza de
uiinli.i ideas dominantes, bebidas 110 seio d'esta
calhuliea Faeuidade, a (im de que o meu silencio
Dio lome os ares de um perjurio scientifico.
11 menus de uiu anno que, d alto d'esta cade-
13,60 saudava culusiaslicamentes as ideas aqu rei-
nantes. Pois bem, hoje, que venho aqu por mn-
dalo proprio, hoje, que posso talvez dlze-lo, como
disse um meu iltnslre collega, nao a lisonja, que
Calla, porque na 1 a dependencia que impoe, lio-
1?, senhores dores sabei que eu nutro ainda por
vs o por vossas doutrinas um sentimento tal, que
as palavrjM admiraba e veneracSo sao talvez
impotentes para exprimir: sabel que terei como
('.ubre maior de minha vida, esta coiaque vos me
teoslos ; e sabis porque, senhores doutores ? Por
quo aasta cora est tambera symbujjs&dji o-uais
sublime de lodos os pensamentos o eatholicis-
uio. Aqu, senhores doutore, aprend comvosco
;t molhor de todas as pliilosophias, a philosophia,
loo easina o aperfeigoameoto dos borneas e dos
povos sim, sen llores doutores, ou nao ha verdade
sobro a trra, ou entao a verdade a que me ensi-
lladles ;ou indelf renga em ludo e portude.ouento
1 regiao cora sua infallilndade, com seo poder
temporal do papa, com seus benemritos capuchi-
nhos,suas pias irmrias de cari lado! N'uma palavra,
oa o scoptecismo ou o catliolecismo, o que valejo
mesmo que dizer, ou ser louco, ou ter juizo O pro-
^f^S!^^^r ^^^"^'^rou-sedacasapatarnal Ah !: tiluinte; porque segundo a nossa constitu cao em
^inSencTdm* TVran,,aeraderaeno;' Qne nao soja oa palor, que o fllho prodigo Ah I Wdade, nao recusavel a absurda maxima,-e rei
|*Lei7drmato^p^ *!*?** !" Va'dSa gloria litterar,a "o me seja reina e nao governa, que urna conscqucncia do
eo^lrSS^LL"^?? Pfasei. ampusaporte para b .ngratido I Mea desterro,l decantado poder neutro.
Monlt m lT Crandl: g Cm t lT T f SUaVSad Pe' VSS CmC,' maS! E' bem de lamen,ar '** no ""'
2,1 a?nitnf and8S [>rome* e,So fse'npre desterro, .sto, oi sempre urna pena''se tenha chegado a dar
granacs amcaras que nada nos tiram, quando no- Permuta Deus que produza sen effeito : -
la deixam, e, naca nos deixam, quando no-la tiram. "''a correemo!
>.A_mald5a_ d ""'^nhores doutores, deve attin-1 Deixando-vos, doutores, acredtae-me, eu pi, porm nos nao vemos sombra delles.
Na monarcliia a forga : no poder legislativo
mai liberJade : sao estes os dous poderes polticos
Deixando-vos, Srs
gir necessanamente com seu anathema esses espi-, sinto urna grande nerda : a distancia e ta
)s soberbos, qne, fazendo da scieocla do direito privaco de vossas luzes. Sim, Srs. doutores
o verdadeiro valor
4mi- elementos do noss> systema.
Cada um destes elementos representa um princi-
aos
um ramo estril, repellem o santo principio de haja esta emancipagao legal, se ella trouxer com- 'lue d;,,J moviraei"> machina'do estado: e no po-
modellar a sociabilidade do bomem pelo nico mo- sigo aemaneipaeao scienliflca Mal haja o premio der execuliv do mesmo modo que no judiciario a
perfeito, o modello ensinado na lei da cruz ; de collega vossojrw medaeslwjeseea amanha responsabilidade, por serem poderes pblicos,
porque, se verdade como disse Oudot, que o ho- nao tiver mais o direito de aprender comvosco Es,es tre PrinciPios se <*r.ve discriminar cons-
mem nasreu para a sociedade, como o peixe para as Suavisae-me, pois, a dr desta pnvacao, e permith tanlemente e loeasar nos poderes do estado, cada
aguas, tambem e verdade irrecusavel que asociabi- que vos pega, como j deste mesmo lugar vos pe' um em,seus justos termos.
l'Jade, que nao tende perfeigo moral, nao so- diu, um meu Ilustre antecessor : guae de longe L'm monarcha sem forga e sem influencia no
ciabihdade. Ah Quanta razio tinha Thiers, quan- os meus passos ainda incerlos na espinhosa vida 5>'slfima o maior dos absurdos, e nao se pode
do disse, que no momento em que o homem se es- real constestar que o elemento monarchico est sem
quecesse dos principios sanlificadores do seu des- Acabaos de provar-me por urna brilhante maioria forQa e sem acliv'ida'le propria : e quando muito
tino, elle por amor da coherencia devia nivellar-se de votos, que nao desmerego no vosso conceito em se podera dlzer que elle lem em nosso gverno
a condigao dos brutos, e fazer vergar para a trra relacao milicia da jurisprudencia, de cujo maior valor de um aPara-ra'o. e nao pode deixar de ser
essacabega elevada, construida por Deus na direc- posto me vae ser dada a posse e titulo. Ah I Srs um Boverno de assignatura, na phrase de um pu-
gao do cu Senhores doutores, a uniao da mo- doutores, que nao desminta eu a conanga immen- blicis,a'
ral com a poltica j urna idea montona das mi- sa, que acabaes de prouigallsar-me com a honra A atlribuigao de nomear e demittir os ministros
nhas doutrinas, que forma o fai quelque chose excelsa de elevar-me at vos I Quando se chega
l~ do meu ideal scitntiQco. esla altura, que se conhece quanto aterrador o
Eu quizra, que sempre ao lado de todos os de- peso enorme da responsabilidade inherente obri-
grus da escala social estivessem escriptas estas gagao de manter illesj este sagrado deposito, que
palavras memoraveis do imraortal Donozo-Cortez, roe vae ser C3nfla,lo I Parece, que sobre mim se
guando o homem repelle tud, que sobrenatural, fllam ne5le ramento todos os olhos do cu e da
convertendo a relifjio em um desmo vago, que terra Profe|i'lo estas palavras, que sao o preludio no monarc,ia la perigosa, quanto intil a elle, e
! consente a egreja encerrada em seu santuario, e jde um Juraraen' Que faz tremer, eu vejo Deus e fatal a0 paiz-
j Deus prisioneiro no cu, como Encelado sobre seu :os nomeos ameagandoda mais severa inspeegao os E' urna doutrina corrente, em todos os paize
I rochedo ; entilo o homem volta inteiramente seus meus mal seuros passos neste horisonte immenso, regidos pelo nosso systema, que o Imperador deve
olhos para a terra e se consagra exclusivamente ao, 1ue se cnama faturo I Enorme peso. Senhores attender sempre aos movimeutos do poder legisla-
culto dos interesses materiaes, d ahi surge a poca'Deus e os homens se dispem julgar-me, mas en tiro no exerricio desta atlribuigao: o isto e urna
dos systemas utilitarios, dos grandes voos do com-1 permitti-me a falta de modestia sinto um raio prova de que se lem reconhecido a dependencia,
mercio, das tebres da industria ; porm tambera jde ,uz> 'lue ara'ma minha coragem, porque tendo que deve haver entre estes dous poderes,
das insolencias dos ricos e das impaciencias dos jfe na prolecgo de Deus, tenho esperanga na indul- Deste modo os nossos representantes, nao depen*
pobres. Este estado de opulencia material e de gencia dos homens fi agora, Sr. director, V. Exc. deudo dos ministros, nao transigirn) com olios,
indigencia religiosa, coniina o grande publicista,, cujo sympathieo e bello carcter eu tenho a honra porque elles nao gozam tambem da interferencia
sempre seguido de urna destas catastrophes gi- de saudar neste momento, V. Exc. que sabe tao nos actos do Imperador, como acontece em oossa
gantescas, que a tradiegao e a historia gravam felizmente conquistar a affeigao de seus discipu- conlttuigao, sendo urna das princpaes, e que
perpetuamenle na memoria dos homens e dos po-!los seJa fomigo, mais urna vez, bondadoso, como mais serve para esse lim o direito de nomea-
vos. Sim, senhores doutores, eu quizra, que o a'ias sempre o tem sido, e concdame a gloria de a0-
modernismo tivesse, ao menos, a sinceridade de ler jobler 8<* d"e doutor em direito por esta Facul- Elle direit0 de Que tralam os | 2o, 3o, 4o, 5 e 6
as estaslicas dessa ursa do norte, chamada, hoje dade do Recife, a filha dilecta do catholicismo bra- do art. 102 urna atlribuigao do Imperador, como
Este direito certaraente tao importante, qne I Um jorna, ingle2 a GaZela da
parece realmente ura d.reilo magestatteo, e U* denuncia o perigo que corremTna,* cou-
lodo systema, em que ligure o elemento monarchi- ,.-.,.,. _r., w i^, cou
. ...-.. ragiaos, nao sao as bombas do oimiso niit> v -
co, mnguem sabera altribui-lo, senao a elle; e en-1 :, aft .. ,. '
ceia, sao as correntes continuas do fluido elctrico
que tende a immobilisar estes navios
no poder legislativo torna realmente o executivo
dependente delle, e deste modo ser com elle de-
pendente do povo, e a dependencia de ambos
para o povo a verdadeira porta, por onde este deve
entrar para o goso effeciivo das garantas, que a
nossa constituicao Ihe predigalisa : ao passo que
por antiphrase, Estados-Unidos, onde a doutrina de W"
Donozo-Cortez encarnou-se com urna exactidao Tenho concluido.
verdadeiramente assustadora I Eu quizra, que o!
modernismo tivesse, ao menos, a coragem de con-;
fessar, que s quer enthrouar o corpo, ainda que !
seja esmagando o espirito!
Fique, pois, eslampado, que o desidertum das
minhas doutrinas Srs. doutores, casar a lei com
a religio casar ? Nao digo bem, casadas as-
ceram ellas; s compete ao homem respeltar seu
Recife, 3 de outubro de 1864.
Catao Gerreiro de Castro.
Harmona dos poderes entre si e
com a nacao.
(Concluso.;
I chefe do poder executivo: e nos temos visto, a
serie de razes, que ha, para que o Imperador nao
deva fazer parte do poder executivo propriameu'.e,
e temos visto tambem que impropriamente qu a
nossa constituigo d s suas attribuigoes o carc-
ter de executivos, e bem assim temos visto que a
denominago., que classifica srientificamente as
suas attribuigoes de poder moderador, a depo-
der administrativo, e veremos tambem que as
O que tem, em realidade, feito lugar a semelhante executivas.
casamento, impedir seu divorcio, ou para fallar na absurdo a confusao do poder administrativo com Em nosso paiz assira romo emootros, apenas se
linguagem propria, s compete ao homem, nao o legislativo pela sanegao, e foi coherente com esta lem dado es,e nome ramo d justiga social, que
separar aquillo que Deus uniu. \ idea que o legislador eonslituinte deu ao monarcha esla na' maos do I,nPerador, porm ainda nao se
tem ehegado a reconhecer que elle realmente re-
presenta o poder administrativo, e que de nenhum
modo elle pode ser poder legiskHivo nem executi-
vo; e 6 oa Fraoga, onde melhores ideas se tem a
este respeito, porm ainda incompleas; porque se
tem dado urna forga exagerada ao elemento monar-
j cnico e urna prejudicial direccao,que, para raelhor
representativo, aos quaes nao ha que invejar'dZef' ^ f*0 assumidas P^ monarcha enlre-
apesar de suas condigoes altamente mais van-
Urna vez por lodas avance o mundo material, o direito de nomear e demittir os ministros.
avance muito, avance mesmo com a rapidez do ft...-i. .
l i- ... Que o monarcha, em nosso svstema nao deve
raio seja o homem feliz na opulencia saboree cora-! seryconsiderado nm como JK3teS era
modamente os sazonados fructos da industna e do como noder execiiv0) 0JveriSJqac )~
culo destinado conduzir o homem a perdigao do
maior dos bens, o caminho do cu.
nal
Eis as minhas doutrinas, eis a vossa obra, Srs. ,aJosas do que as nossas, e mxime por sua civill-
doutores, isto o vosso mrito, porque a vossa saao.
obra pia. Na Inglaterra o feudalismo dos aristcratas; em
Nao julgo preciso dizer mais para me fazer co- Fran?a absolutismo do Imperador, (o que sem-
nhecer de vos. e ento devo procurar descansar a prc Per'goso, embora seja elle bom); em Portugal
vossa attengao, marchando para a concluso do meu mesn10 que no Brasil, com pequeas dilT.
mesquinho tralialho. rengas.
que e este o paiz, em que melhores
fructos tem dado o systema representativo, por
isto mesmo que ah o Imperador exerce urna in-
fluencia propria no systema, ainda que exagerada
e mal cabida.
Entre nos pois, que ainda nao se comprehendeu
o alcance da extranha confusao na organisaco dos
poderes, que vemos em nossa constituiQao, o direi-
to de nomeagao lem sido considerado como urna
. Srs. doutores, depois de j quasj identificado O elemento monarchico de tal serte ditflc de' attribuigao do Imperador, como chefe do poder
executivo.
comvosco, fulminado de saudades que vou dizer- ser combinado com o elemento constitucional re-
vos as seguintes palavras : Vou deixar-vos, talvez presentativo, que, nao sendo de outro modo corabi-
para sempre. ou, pelo menos, por longos annos nados, nao podem dar em resultado senao o absur-
Dolorosa idea para mim Mas eu tenho agora ou- do enigma da confusao na divisao, da dependencia condcs"de satisfa'zer todos" (
tros deveres a cumprir, tenho dividas talvez mais na independencia, e da harmona na desharmo- tema
sagradas conirahidas por meu crdito L est o n'a : a aberragao de todos os principios de to
lar da familia, que deve ser o dolo do homem, que bello systema, e em summa a cocrupgao pela gao, por sua 1 lureza, om bem cah
temeorago! L estao os lares patrios me enfeiti- opressao e repressao, para a qual, assim falseado' phera da administracao; porque em verdade a
gando com suas brisas I L esto meus ve.hos o serve da melhor machina. | imraediala rJgorosa e" constanI< infpec?a0j qM i ^ ^ ^^ ^ ^ q
propria do poder administrativo, a nenhum dos; sa,apanlado tnge das llberdadcs Mas huje de.
- pode ser irregada, porque o direito de- ras! puis dc ler vlrUliliCldo a muos" raanlos, empo-
carinhosos paes, cujo abandono de oilo annos o
crime maior, de que me remorde a consciencia : conhecem, um poder neutro: e o que um
nSo obstante ter sido expiado pela pena egual de poder neutro, senao o que devem ser todos os po-
oilo annos do exilio I Possa eu ainda ouvir a voz deres do estado? E'um poder sem aegao e sem
da consciencia, e prestar Ihe mais acatamento I O' vda que nenhum valor pode ter.
filho prodigo, quando ferido na terra extranha pela! Foi este o systema seguido pelo legislador cons-
Logo, porm, que se reconhega que o Imperador
representa um ramo da justiga, constituida em
3es de satisfazer todos os principios do sys-
e que este poder o administrativo, se re-
conhecer tambem que, sendo o direito de nomea-
tretanto, sendo allnbuido ao podor legislativo, ou
ao poder executivo proprlaraente tal, isto aos
ministros, ser sempre ura instrumento de corrup
cao : e nos temos demonstrado que a influencia
dos ministros em nosso systema o seu aoiquila-
menlo.
O direito de determinar as pessoas aptas para o
funccionalismo requer urna tal inlepcndeneia e
imparciahdade, que nao pode deixar de ser um di-
reilo poltico do soberano e priraeiro representante
do paiz, s elle o pode exercer.
Nao ha poder sem acgo propria, nem ha acgo
sem actividade propria, e preciso perianto que o
poder administrativo tenha seus ministras em um
couselho administrativo bem organizado, para o
qual o monarcha saber escolberos orgiot os mais
aptos.
Este couselho deve ser muilo ligado ao rei o mui-
to afastado dos outros poderes, para que a inspee-
gao seja mais desinleressada e enrgica.
(Continuar-se-ha.)
UM POLCO DE TCDO.
Inaugurou-se era Parts debaixo do perrstylo do
palacio de Orsey a estatua Francisco Diniz Trou-
ebet, redactor do cdigo civil francez e autor da
tragedia Catao de Utica.
Foi priraeiro presidente do tribunal de cassagao
e conselheiro de estado no primeiro imperio.
Nasceu em Paris em 1726 e morreu em 1806.

Mr. Vonder Weide o inventor de um apparelho
destinado a allumiar o fundo das aguas e que elle
chama Lanterua de Neptuno.
Em coiisequeiR-ia das disposices lomadas pelos
geueraes ToUoboa (o fjrtiticador de Sebastopol na
guerra da Crimea) e Krabbe, fizeram-se ltima-
mente experiencias era tronsiadt, era presenca de
urna cuuimisso composta de otliciaes superiores
ue eogeunaria.
Tratava-se de verificar o eleto da explorago
das minas platicada para abrir brecha as barrei-
ras esiaiileciUas no reiuado de Pedro Grauue,
por serem uetessarias estas aberturas para a pas-
sagem dos navios couragados receutemente eons-
truios.
O uiergulhador desceu ao fundo do golpho e a
urna profuudidade de o metros pode, com o aux>ilio
da Lantevna de Meptunn, distinguir fcilmente os
ohjectos situados a urna distancia de perto de 5
metros.
Esla experiencia basta para demonstrar a mili-
dade da descoberta para o caso de anlogas expio-
rages.
As Aolilhas vo receber as ordens religiosas,
que ultimamenle Ihes foram concedidas per S.
Santidade.
Heiere a Esperanza, que em CoureF, comarca da
provincia de Lugo, eslando-sea arrancar pedra de
urna mina, se encontraram dous capacetes roma-
nos em bom estado, urna clave ou grande langa
corcomida a haste, porm tamocm em bom estado
a parte frrea, urnas sandalias de metal, vanas ca-
deiras quebradas, e a pouca distancia gravada em
urna pedra a inscripgao seguinte j quasi inintelli-
vel -.Dorumani... mor sed non ignomia... Zucen-
sis... consKlatus.
*
Segundo deelarou no parlamento inglez M. lien-
nesey desde 18o'6 1860, emigrarara para a Ame-
rica 1,'JOO.OOO irlandezea.
ptir-t
l'm jornal deQne da seguinie raaaeira a revo-
lugao :
Nasceu da berlinagem de um apostata o da co-
, eis o qoe
diz a folha britanniea :
Era que pensara os chimicos ? onde e?ia Mr.
Faraday aaooi discpulos ? A nossa esquadra oa-
ragada est em perigo, nao de ser aniquilada peU,
bombas inimigas, mas pelas corren! continua-
do fluido elctrico originado pelo metal de Muir
de que se lem forrado o fundo dos navios de BBn-
deira transformados. Este fluido precipita-s* para
as formidavcis placas que rormavam a courac* Ju
navio e dentro de alguns instantes, pelo meaos as
tornara inuteis.
Acaso nao se pode chamar a atiencao do gover
no sobre a probabilidade de lal acontec ment I
L-se na Cruz o seguinte :
Bem injustos sao 05 nossos homen--. quan.l-j.vji
mando o clero de ignorante e de immoral, e me-
noscabando seus servigos, grilam-lheera face
o clero, nem mais um rmtem.
Nao ha, porm, que extranhar : o espirito a
pessima heranea dessa escola da anarchia.
Nao nos fallara sacerdotes dignos de todo o res-
peito.
Se os ha naos, tambemos ha bons, se os nao ha
melhores, a culpa vem de qoem deixa morrer nc
olvido muilos desses parias, que por nao lereni pro-
lecgo deflnham e mrram-se como esfes arbuilos
transpiantados para santa e ingrato slo.
O qne vamos dizer corroboras verdade de nossa
proposigao :
Xo Araguay do Dr. Couto de Magalhfks se V
no flm :-Noticias da obra do Dr. Martins Glo-
sara Ungnarum Brasiliensium, escripia em all-
maoelntim.
Foi este livro traduzido em poriugner ;i pnlido
do Sr. Dr. Coate, pelo padre Pi Joaquim M.trnnes
de Goyaz.
Comprehende o glossario, os dialectos dos Cha-
vantes, Cherenles, Caraias e Caiais.
Quantos, servigos, pois. para a ethnographia e
lingistica brasiliense nao podiam presur eMe* t
outros sacerdotes brasileiros, se fossero comalia-
dos e animados, em vez de serem a priori, tratado-
de ignorantes 11
E ainda ha quem diga no parlamento pora o
clero, nem mais um vtntem .' Credite posten '. J
Eis mais um facto em favor do clero, nao referi-
do por algum jesuta ou barbadinho, mas por m
secular, o Sr. ministro da marinha. que no seo re-
lalorio escreve o seguinte : O digno presidente
de Goyaz tinha mandado para ali (Tocaniius > fun-
dador da cid ule da Boa-Vista, o eapaehinh fr--
Francisco de Monte de S. Vito, raissionario laodis-
tincto por sua inteligencia como pela sua dedwa-
go ao servigo da ciniisago e da f, o qual ia con
duzir para o mesmo presidio numero-tas familias.
E denotar que estas palavras sao citadas M
tualmente por outro ilustre fuuccionario, e que
nao jesuta nom barbadinho, o aclual presiden*
do Para.
Ora, vista disto, o que diro os homens l da
assembla, que chamaram os barbadiuhos de iga.)-
ranles, regressistas e nao sei do que mais !
Diro sera envida, o que disseram ao Sr. depc
lado Figueiredo :
Eu nao sabia disto !
E assim quasi tudo entre nos!
E nao saberao tambem estes meus senhores. ,i>
a nagao sabe, que sao os capuchlnhos como hi
Ir'ora os jesutas, que civilisam nossos indios ser
nam as revoluges, fundam cemilerins ond- eom
honra descangam os ossos dos Brasileiros, ergot-m
hospitaes, levantara templas e pregam as opulen-
tas cidades, as pequeas tregoezias e nos mais in-
hspitos sertes t
*
Tem-se calculado que o commercio do univei -
biga de alguns princ pes; mamou o leite da Enci-: exige que estojara sulcando o mar continuamente
clopedia : o seu primeiro traje foi de guarda na-1 ^,600.000 almas
cional. Degolou sacerdotes, derribou templos, rou'
bnu a egreja e aos pobres; viveu sempre fazendo
bulha o derramando sangue ; hypocnta, embus-
tera, cruel e cynica ; inventou para seu divert-
FOLHETIM
O JBmQl'jGLLETO
POR
CIMILLO CASTELLO IIIIWCO.
PRBFACIO.
Em quauto influencia do romaneo nos costu-
tlies. ctou mais que muilo desconfiado Je que o
romanee nao morigera nem desmoraliza.
Porm, admittida a ponderagio que Ihe alvidram |
os CKhortadores dospacs de familias, nao sei deci-
dir como se ha de escrever o romance fautor da sa
moral. Sao dous os expedientes : levar os perso-
esgens vicioso* ao despenhadeiro ; ou crear anjos
n'um parJso sem serpente.
Ka primeira especie, mostra-se a luta de virtude
O crime; natural e coacludentemenle triumpha a
virtude. E' o costume, cjin sacrificio, s vezes,
da verosiiuilhanga.
Na segunda forma de roraauccar, a virtude re-
cabe as ovaces sera bataiha. O romancisia pe
{>eil<* refonnai;..io das obras de Deus, e corrige-as.
Quando os seas persouageus se avisinbam de al.
gura sujo aguacal, em que uso a gente commum
salpicar as botas, aiam-lhes asas de serados, e lar-
{am-liies trolla por e.se asul dos cus dentro, al
in vir a geito poiza-los em algreles de flores.
Saa osles os romances que moralisam, ou os ou-
tros? E a minha duvida.
Convm mostrar as repulsos do crime l em
baixo, onde a providencia social Ihes cavou a pa-
radera ; ou melhor conduzir, por entre hortos
amenissimos, os nossos personagens engrinalda-
(Jos, o mette-los no cu finalmente ?
lim homem de bem, proprieiario de um dos pn-
wiros joroaes deste piz, cosiuma edilar os meus
romances, com a previa clausula de nao serem
tiistoriis de criioes, que loquera directa ou indi-
irsctaraente cora a prubidade da vida conjugal, ou
t'avelem dosdouros da honra domestica.
Ha poucos dias, ti vemos esta pratica :
Querera os paes de familias que suas filhas
Ignoran a corrupgao, que lavra nos pantanos da
sociedade : observoo-me o meu amigo.
Os paes de familias, contestei, nao conse-
gaem uso, emquanto nao acharem o caminho da
la, onde presumo que nao ha costumes, nem ro-
mances. E ser preciso que se mndem para l
com as filhas, menores de dez aonos, e nao levem
as maes, porque as mSes, mximamente virtuosas,
sempre teem que contar s filhas a historia escan-
dalosa das mies culpadas.
Mas nao se ganha morahsacao para os espi- (*) saia a prover-se de objectos de luxo as loja
ritos brandos e virginaes das leitoras, em dar-lhes de modas, seguida do criado, e volta va s suas flo-
novellas de adulteriosredarguiu o cavalheiro res e bosques, que devam de alegrar-se, vendo
Ganha, quando se Ihes mostram os infortu- chegar a sua bella c solitaria rainha.
nios acapellados em volta da molhor que se des- O cavalheiro conhecia poucas pessoas no Porto,
honra. Ganha, porque as filhas do pae acautella- e lao framente as praticava, que ninguem ousava
do sabem que as ha. conhceem-nas, e apertam a! pergnntar-lhe miudezas de sua vida particular.
mi das deshonradas; concorrem aos saloes com I Em 1838, sabia a Franceza do estabelecimento
outros
per-gao requer a maior independencia e imparta- brecido a r ; homens honrados, se 1
idade, exclue toda possibitidade de interesse, o que herduira de lodo o homem de camisa lavada, e es-
a preeminencia do chefe do creve joroaes aiheus as capitaes das nages catho-
tudo se coaduna com
estado, e exis
a responder explcitamente se nomeava testemu | espedagava-se as garras do opprobrio de si proprio.
nlias. disse j Tarda honra, que nunca pode chamar so rehabili-
- Eu nao embanco que madama I'roment v (agio : penitencia, que no concedo do mundo ter
para seu marido, se ihe apraz. Bater-me com um ( rcinido M arrependidos ; mas que no juizo da Pro-
ivalheiro, em qoem nao reconhego direilos a pe- videncia deve de ser apenas comego de expiacao,
comeco de expiagao muilo longa.
dir-me contas. nao o fago, sem alienar o juizo que
j tenho.
U cnsul redarguiu com azedume. Nicolao, da
ellas; sabem o nome e a culpa do homem que as de urna modista, e estremeceu litando era rosto Mesquita sorriu-se e replicou :
* 1 1 ^ t t .v /tU^AMiin *^% 1W a ^> & _>. k __A___f ___ % M 1" 1 \ m 1 1 i mnm iiia a >t ^ n ti! 1 .;.. ^^.____________ 1-
requesta; observam-lhes uns exteriores de felici-! um homem, que empallidecera ao encara-la sur-
dade; e es'pantam-se de as verem ostensivamente prehondido. Era este homem o rhanceller do con-
saiisfeitas, e de mais a mais, acatadas com una sulado francez.
urbanidade, que as nao estrema das honestas. En- Ella estugou o passo a evitar a aproximagao do
tao que o romance ganha muito, levando ao co-.seu patricio : era superfluo o susto. O chanceller
nliecitnento das donzellas, at certo ponto innocen-' ficra impedermdo, e exttico.
tes, que o desdouro, cujo horror na) as apavorou Passava um amigo, e disse-lhe, sorrindo :
nos saloes, tem angustias secretas, e infamias es- A sua patricia tem causado muitos desses
trondosas Parece-me isto, meu amigo... spasmos aos Porluguezes...
Acho-lhe raso -oblemperou o honrado e il-
iuslrado editor dos meus lvros-mas que quer, se
os paes de familias cntendem que suas filhas des-
conhecera a existencia de cerlos crimes ? E desa-
dorara romances que Tevolvam essas sentinas he-
diondas ?
Aqui ficou a contenda araigavel. Nao procurei
pae de familias nenhum para argumentarmos. F-
quei-me a scisraar se devia queimar este volume
que eslava escripto, no intuito de mostrar o squa-
lor d'uma chaga social, sem a mnima pretengao
de Ihe por o cauterio. Nao queimei mas protes-
to extrahi-lo da circulagao, se om dia me persua-
dir de todo em todo que esta cousa de romances,
escriptos assim, peorara a humanidade, e alvoro-
tam a quietagao dos paes de familias.
I
Era justa e plausivel a admiragao que infunda
no espirito dos Portuenses, nada espantadigos de
mulheres formosas, urna Franceza que, poucas ve-
zes, se va no Porto, ahi pelos annos de 1834 at
1839. Sabia-se que esta dama vivia n'uma quinta
dos arrabaldes da cidade, e para ali viera com um
fidalgo portuguez, regressado da emigrago em
1835, sugeito pacifico, estranho s victorias da li-
berdade, e tambem estranho aos repostelros das
secretarias. Era Mcolu de Mesquita.
Da procedencia da Francote ~ que ninguem sa-
bia. Geralmeoto duvidava-se da honestidade de
tal contubernto isto, porm, nao implicava ao
quasi respeito rxnn que os galas mais audaciosos
da cidade eterna pncaravam a gentil amazona, ao
lado do caralheiro grave, sombro, e sympathieo.
Outras vezes, a estrangeia entrava no Porto ssi-
nba, com um lacaio; apeava no hotel do Pxe,
Nao possivel.. .disse o Francez abstra-
htdo.
Nao possivel ? !replicou o outro.
A impresso que rae fez aquella mulher nao
creio que a possa receber quem a nao conhece.
E conhece-a o senhor)?
Pois nao I a mulher de um dos meus me-
lhores amigos. Eu j sabia que ella fugira de Bru- homem se bata por amor de sua mulher.
xellas com ura Porluguez; mas nao espera va en-
contra-la. Onde vive ella?
Itespondi. Os cavalleiros excedem as suas
funegoes, e collocam-ine n'uma posigo desagrada-
vcl. Estas diseeptagoes coslumam resolver-se me-
lhor as estradas.
O Portuguez da povoagao licou-se; mas o cnsul
mordeu os beigos al sangrarem.
A seuhora Froment, assim que os eslranhos visi-
tantes sahiram, correu assu.-tada a indagar a causa
Chegado a Portugal, Nicolao anda tinha me.
Hepugnou-llie entrar em sua casa com urna mu-
lher, mais perdida aos olhos delle que aos da so-
ciedade, se a couhecesse. J Ihe pareca que o
apresonta-la como sua esposa era injuriar-sea si.
Nao mais se levantar diante do homem, que a es-
limou, a mulher assim despresada.
Alugou a quinta nos arrabaldes do Porto, e ahi
ficou.
A Franceza era a mulher coherente com o seu Uier.
crime. A mudanga da physionomia do amante, a
Ovalor das mercadoria* que se transportara an
nualraente por mar, variam de 1,500:000 a.....e
2,000:000 de duros, e as perdas por accidente- d
todas as classes em 25,000:000 de duros.

ltimamente conseguiram evadr-se dous ur>,
do jardim zoolgico de Vienna.
L'm delles moslrou ares de querer abragar na.,
dama que encontrn no caminho, porm a BfteSM
senhora, em vez de fugir, encarou resolutamente
o urso, que, intimidado, renunciou o scu prwjecto
Nicolau respondeu glacialmente : nudeza da phrase baixa e secca, a nenhuma poesia
Depois de seis anuos, um amigo de leu mari-! do gesto e da palavra, os longos silencios interpel-
do manda-me desaliar. Nao me bato. 'ados de suspiros, os vincos da fronte, os sorrisos
Quem te desalia ? E' o chanceller 1 Nao ac- \ conirafeilos, as absiracgoes e respostas incongruen-
ceites, que temivel I acudiu ella. i tes, que mais careca ella para cair em jo. 'hos aos
O orgulhoso abespiuhou se, e disse severamente :! I'^s do algoz da sua felcidade, e pedir-lhe a
Nao ha homens temiveis para mim. Nao ac-
ceito, porque preciso muito coragao para que um
Pungente grosserial
A Franceza emmudeceu transida. Bem o pre-
Na Cruz da Regateira, a meia legua do Portoj senta ella; mas anda Ih'o nao tinha ouvido. Em*
com um fidalgo transmontano, chamado Nicolu de boscou se entre as arvores a cnorar. O orgulho
Mesquita.
O chanceller escreveu na sua carteira, e
disse :
A mulher do mea amigo Ernesto Fromentj
um dos primeiros fabricantes de Leao, rico e gentil,
mogo e honrado, pundonoroso e amigo desta infa-
me como nao sei que haja outro I O homem com I muto para ter sempre era florescencia alfectos que
ntuim >>ll'i fniriii m hAcr.A sahiram de um tremedal. As idealidades do vicio
morte?
Nao se lembrou disso. Era mulher, e france-
za. Ao pungimenlo da deshonra botaram-se os
los no habito de a praticar. Cahira delo alto, que
ja nao media com a vista a altura da queda. As
mullidos que chegam al aqui, locam a extrema
do pudor. D'ahi em daute, se choram, nao re'
E' certo que Nicolu de Mesquita e.-lava enfas- niorso, a spide do orgulho que as morde.
tiado, arrependido, e devorado de aucias de lber- Marganda Fromenl aceitera a liberdade do
dade para retomperar o coragao em amores novos- araail,e' ein proveito do amor decadente. Cuidava
Pensava as delicias de urna vida honesta : falsa ella *lue as PomPas no lfaJar remogariam o affecto
virtude, que vem sempre cora o enojo da mulher,
que a sociedade honesta repolle. Seis anuos era
quem ella fugio foi hospede de seu marido. Sinto
que em Portugal se produzam vildes deste cali-
bre
Prmpni ZH, sa0 f**> orgulho pode flngi-las; mas
broment cu.da que ella esta na Ameri- d-a|ma a dentro, nao ha
ca. Sao Ihe direi eu que a vi sem vinga-Io, se ha
vinganga honrosa a tirar de semelhante affronta!
O Francez retirou-se apressdo.
Dias depois, Nicolu da Mesquita era procurado
na serena solido dos seus arvoredos por dous ca-
iraperio que senboreie o
atroz pungimento do tedio. O sorriso um tre-
geito vaidoso, que intenta escarnecer a censura do
mundo, ou rebater a comraiseraco.
Nicolu de Mesquita amara a mulher do amigo
invelhecido. Vestia-se e galleava a primor. Acha
va-se linda. Aos vinle e oito annos nao invejava
o frescor das suas quiuze primaveras. Offerecia-se
assim aos olhos de Nicolu, e muitas vezes cuidou
que triumphava (piando quera. Esta vaidade
era-lhe um esteio. Em quanto um demonio amigo
Ihe dsse tal escudo, contava ella com a victoria
sobre o fastio do amante.
Quando a tristeza a alquebrava mais, era se, no
lavor de enfeitar-se, Ihe vinha lembranga que
seu mando a tinha amado muito, ainda desenfei-
lada.
Tristeza de vaidade dorida, e mais cousa nenhuma
que Ihe aligeirara os aonos do exilio. Infamia irri-
valheiros desconhecidos ; um era o cnsul francez, tonto do animo at daquelles que propr.amente se
o outro pessoa importante da sociedade portaense. senlem mordidos do remoran de ura delicio serae. que pnssamos chamar cas/ten.
O chanceller desafiva Nicolau, em nome de ura |hante! Araara at ao absoluto despreso de si mes- Os castigos, ao chegarem, rasgara po, outras
' mo. Seguira-a de Leao a Blgica. E d'aqui se fugi- floras mais setisives.
Obrigado ra com ella para Portugal, emquanto o marido fra O fidalgo, que penda aos quarenta annos, peasa-
------!------------------------------------------------ '' a Paris pressurosamente a cuidar era negocios ur- va em saecudir o jugo; mas as correias aparte-
esXk ^sjse&si Sos?. -ts de rus,r,a- vam-no:ar,e em ,an,as voi,as- ^ue era mpossi-
hoje do visconde da Trindade. Habent sua fata... I Depois, anda um anno se nao tinha passado, e vel desda-las sem de-pedagar os restantes lame
os palacios I... I j Nicolu media a profundeza de sua ignominia, o I da sua dignidade,
1 marido infamado.
O Portuguez tergiversou na resposta.
Abandona-la era coroar a infamia.
Dar-lhe recursos e bons conselhos. muia. veze*
Ihe quiz propr este acord; mas receavaa reeusa
e a desorden] meviiave dessa hora em otete.
Os obstculos saturavam-lhe de M novo o
amargor do enfado.
Al que, no termo de seis annos, apparec.-u o
chanceller, nao sei se tolo, se sublimo, a tsaanjpav
var o amigo, do mesmo modo que om inimigo o
(aria, se quizesse ajunlar desgraga a irnao >~
Francezes usara uns processos especiaes de honrar
os amigos.
Nicolau de Mesquita era valoroso: porm, refle
xiooadcr. Dissera elle : i preciso muilo cora, o
para que um homem se bata por amor dc urna m-
llier. Esta sua mxima arrefecia as ervura* da
coragem; do puudouor nao ha vemos de dizer, que
esse tinha claudicado, e licra lolhido para to* Oo
effetos Ja dignidade, logo que elle seduziu a rauUwr
do homem, incapaz de reputa-lo infame.
Nao se quiz bater eom testemunhas : era natural
que evitasse bater-se sem ellas.
Absteve-se de irao Porto, e reflecliu ponderosa-
mente no escape de taes aperturas. Achou que
era lempo de espesmhar consideragoes u\- menor
alcance. Propoz Franceza urna sopronte lempo-
rana, e urgente a quietagao de ambos, toreante
escuiou-o de ba f. Aceitn alguns nl cru dos; residencia no Porto, se Ihe desprazia tea
na quima e a seguranga de se reurareu, na pro-
vincia, assim que a entrevada me de Xkutaa
passasse melhor vida. Annuio a Franceza d-
zendo em tom lastimoso que de bom grado e 'roo,
o coragao cheio de lagr.nias, /se uimotoYa a irn-
quillidade do amante.
iNicoIau oi para Traz-os-Monfes, e
Froment para urna casa
Torro da Marca.
O chanceller, perdida a esperanga de tirar os
olhos do sceterado a pona de llrete, escreveu ao
amigo, contando-lhe o seu intento c o encontr
iuesperado.
Ernesto Froment aecusou a carta receida, e
nao fallou da mulher. Parece que tinha l tres
todas mais fiis, e pode ser que mais formosas.
Por este lado, o acasonao onso dizer a Provi-
denciase amerceara do esposo trahido. Qoem do
dous soffria mais, ou presenta o eniburrascarem-sc
as pTvindouras tormentas, era Marganda.
(ContinMar-se-ha.j
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DB F. & PllhO
Marganda
ricamente alfaiada na
s
/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFPMGN326_MR3SDU INGEST_TIME 2013-08-28T01:11:04Z PACKAGE AA00011611_10487
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES