Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10483


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.
\'


ANNO.IL. HOMERO 227.
Por tres mezes adiautades 5JO0U
Pop tres meces veaeidos 6$UUU
Port aocorreio por tres mezas. (5750
-
as*4! >A
..
TERCi FEIRA 4 DE OBTDBRO BE KM.
Por uno ad'aatado. .... 193000
Porte ao correio por on auno 3$00u
I MH'il llITMM"
ENCaRBAGADOS La sUBscRI-CaO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, a Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Bt.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL.
Magias, o Sr. Claudino Falcao Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins fiRl'lDA ,00a KalAi'BilA.S.
Oiina, Cabo e Eacaa todos os dias.
Iguarassu' Goyanna e Parahyba as segundas e
sextes-feiras. ^
Santo Auto Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Ainno e Garanhuns as tercas eira
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
togaieira, Flores, Vla Bella, Tacaratu', Catrob
Boa Vista, Ouncury e Exu' as quartas feiras.
Sennhaem, Ro Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quinfas feiras.
Ua de Fernando todas as veies que para ali sabir
Qi\ 10.
Todos os estafetas partem ao /z dia.
fe EPHEMERIDES 00 MEZ TE OUTUBRO.
8 Quarto cresc. a 1 h., 17 m. e 30 s. da t.
lo La cheia as 4 h., 58 m. e 38 s. da ni.
22 Quarto ming. as 8 b., 59 m. e 48 s. da m.
30 La nova a i h., 8 m. e 26 s. da t.
PREAMAR DB BOJ*.
Primeira as 6 horas 6 minutos da manbaa.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.
tviiik uOa Va. OR uOSit-JtOj.
Par* o sui at Atagas a 6 e 25; par o norte at
a Granja 7 i 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marc., roaio, tal, set. enov.
PARTIDA D03 OMNJJ.
Para o Recife: do Apipucos s 6 Vi, 7, 7 /> 8 e
8 Vi a m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 A da m.; do Caiang e Vanea s 7
da m.; de Bemca s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 V, 4, 4 /, 4 Vi,
5, 5 V. V e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manha e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cacaang e Vanea s 4 >/i da tarde; para
Bemflca s 4 da tarde.
i AUD&NCLa DO iRJUNAS DA CAPITAL
[Tribunal docommercio: segundas quintal.
Relago: tercas e sabbados s 10 horas.
Pazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segunda, s II horas.
Dito de orphos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas seiias ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
o.a tarde
DI A DA MaNA.
3. Separada. S. Maximiano b. ; S. Ensiqaio m
4. Terca. S. Francisco de As.-is, fundador.
5. Quar la. Ss. Placido e MU comp. imn.
6. Quinta. S. Humo fundador da ordem rartuxa.
7. Sexta. S. Marros |>.; S. Augusio cr.-sb.
8. Sabbado. S. Brgida princcza de Nerina viuv.
9. Domingo. S. Dionisio b ni.; S. Audronico.
ASSIGNA-SB
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 8, dos proprietarios Manoel F:eueiro. l
FariafcPtto. "roa*,
PARTE 9FFICIAL
OYERRO D4 PROVINCIA.
Expediente do dia 30 de setembro de 186i.
OfluVio ao commandante das armas interino.
Mande V. S. inspeccionar o cabo de esquadra da
2* companhia da secgo volante do corpo de poli-
ca, Jos da Costa Barros em deferimenio ao que
este ni- requereu.
Dito ao Dr. chefe da polica.Ao offlcio de 29
do corrente, em que V. S. Solicita a expedido de
ordens para o fun de ser o subdelegado do disiric-
to de Brberibo, bacliarel Francisco Brederodes de
Andrade pago da quantia de 125000 de 2 mezes do
alluguel da casa que aili serve de quartel ao res-
pectivo destacamento, tenho a dizer-lhe que esse
pagamento depende de soluco uue se aguarda do,
Exm. Sr. ministro da guerra sobre assumpto iden-1
tico.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Ficando inteirado de quanto V. S. me communica
na primeira parte de seu ofJQcio de 28 do corrente
sob n. 555, tenho a dizer em resposta a segunda,
fulminantes, que se acliam nesse arsenal com des-
tino ao o. balalhao de infantaria.O que com-
miimco Vine., para seu conhecimento e di-
reegao.
Dito ao conselho administrativo. Promova o
conselho administrativo em vista dos inclusos pe-
didos a compra de 150 libras de velas stearinas,
e de 10 toneladas inglezas de carvo d pedra,
para provimento dos armazens do almoxarifado do
arsenal de guerra.
Duo ao conselho de compras navaes. Approvo
os contratos que, segundo os termos annexos por
copia ao seu oflicio de 29 do corrente, celebrou o
conselho de compras navaes com diversas pes-
SuMi relativamente a lavagem de roupas dos es-
tabelecimentos de marrana, e fornecimento de
fardamentos aos mesmos estabelecimentos, no tri-
mestre de outubro dezemhro prximo vindouro.
Communicou-se thesuuraria de fazenda.
Dito ao Dr. Joo da Silva RamosTendodesigna-
doVmc. e o Dr. Augusto CarneiroMonteirodaSilva
Sanios, para, nns termos do art. 1. 1. da lei
provincial, n. 276, de 7 de abril de 1851, exami-
naran o estado de sade do professor publico de
instrucco primaria da cidade da Victoria, Joo de
Moraes Florencio, logo que este se Ihes aprsente;
que trate V. S. de comprar na casa commercial de i ass',n communico para seu conhecimento, r>-
Saundres Brothers & C, como propoe. pela quan-! 8ando ao mesmo tempo que se enteuda a seme
ta de 005, urna machina de descarocar algodo
afim de ser remetlida ao commandante do presidio
de Fernando que a requisita em offlcio de 12 deste
mez. sobre que versa o de V. S. supracilado.
Ditoao mesmo.Logo que baja crdito mande
V. S. pagar a Joaquim Velotio, como pede no in-
cluso requerimento sobre que versa a sua informa-
cao de hontem, sob n. 577, a qnantia que se Ihe es-
tiver a dever proveniente de fardamento que na
qualidade de praca da companhia de artfices des-
ta provincia veneeu e nao recebeu.
Dito ao mesmo.Transmitto por copia V. S.,
para sen conhecimento e direceSo nao s o aviso
de 12 do corrente expedido pelo ministerio do im-
perio, mas tambem o decreto n. 1225 de 20 de
agosto nltimo a que elle se refere, autonsando o
governo a conceder as corporales de mo morta
icenga para adquirirem por qualquer titulo terre-
nos ou propriedades necessarias para edilicacao de
estabelecimentos pblicos.
Dito ao mesmo. Autonsando nesta data o con-
selho administrativo a comprar para provimento
do almoxarifado do arsenal de guerra os objectos
constantes dos dous pedidos inclusos por copia ;
assim o communico a V. S. para seu conhecimento
e direcco.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S., em vista de sua
informacao de 26 do corrente, sob n. 548, dada
com referencia a da contadona dessa thesouraria,
a mandar pagar a Theodoro Rampck, depois de
exhibir elle, como exige a mesma conladoria, co-
pia do seu contrato, a quantia de 7:940,8 a que o
julga com direito o dirertor das obras militares,
segundo consta de seu offlcio de 17 deste mez n.
142, por haverfeito de conformidade com o res-
pectivo orcaraento um cano de esgoto desde o quar-
tel da Snledade al a praia do Hospicio, tirando a
de 2885 proveniente do accrescimn que se deu na-
quella dbraypara sersatisfeita quando o governo
imperial volar crdito para esse-fim, visto ser in-
Antonio Ferreira dos Santos e Francisca Maria de i Siam, e nao podendo, portanto, contar com a pro-
Olivara. I-I leecao do seu governo, tomaram servico debaixo
Joao Fraucisco das Cbagas e Antonia Francisca de' do governo siamez, e casando-se no paiz, tiveram
Moura. | descendentes; muitas das mulheres com quem se
anoel Martins m Barros e Isabel Mara da Con- casaram eram siamesas, outras, de outras nacoes.
ceicao.
Joao de Barros
ceicao.
Joo Dias da Silva e Brites Maria da Conceicao.
Firmiano Bispo Confessor e Delflna Maria da
Silva.
Antonio Fernandes Jnior e Maria Joaquina da
Conceicao.
Antonio Manoel dos Santos e Bemvinda Maria da
Conceicao.
Manoel trancisco Falcao e Antonia Maria da
Silva.
Francisco Machado do Reg Barros e Francisca
Freir Bezerra.
Sebastiao Pereira da Silva e Maria Ignacia da Con-
ceicao.
Miguel Ferreira dos Aojos e Francisca Maria da
Conceigo.
Manoel Tnomaz da Costa e Thereza Maria da Con-
ceicao.
Antonio Tavares da Silva e Umbelina Alves Gon-
dim.
Oradores que eslao ligados no impedimento de con-
sanguinidade em 2o grao mtxto ao Io da linha
lateral.
fossem nomeadosnao natural ao Siamez viver
(unge do seu paz, e portanto mais natural no-
mear pessoas de fra para cnsules, s quaes nao
inconveniencia viver em qualquer parte da Eu-
ropa, e possuindo estas pessoas as qualidades ne-
mas com o andar do tempo, se tornaram estas ge-1 cessarias para desempenharem como devem o lu-
- gar, nos nos damos por satisfeitos com a sua no-
uieacao. Tendo assim pensado, tinhamos ordena-
do ao nosso ministro de estado dos negnos estran-
geiros para offlciar S. Exe. o governador Gui-
mares, nos>o amigo, pedindo-lhe que nos esclare-
cesse sobre este ponto, e nos ajudasse este Dotare
amigosatisfazendo ao nosso desejo propozo Illm.
Sr. Alfredo Cesar de Andrade para cnsul em Lis-
boa, e o Illm. Sr Bernardino de Sena Fernandes
para o mesmo lugar em Macu ; estes cavalherros
sao tidos em bom enaceito por S. Exe. e os mesmos
escreveram ao nosso ministro de estado dos nego-
cios estrangeiros dizendo que aceitavam os lugares
de cnsul em Lisboa e Macu. Julgamos portanto
conveniente nomear os dous citados
Pereira e Joanna Gracina da Con-1 racoessujeitas s leis de Sam.e a nica prova que
ha de descenderem de Europeas, que conserva-
ram sempre a religio christaa.Alguns delles fal-
lam e escrevem de certo modo o portuguez.Isto
mostra bern que a amizade entre os Siamezes e
Portuguetes tem existido desde muito lempo, mas,
quanto aos descendentes dos mais, Europeus, nin-
guem, pode dizer se o sao s dos Porluguezes,
Francezes ou Hespanhes, sao com tudo subditos
siamezes e por taes reconhtcidos durante varias
geraces, reinados e scalos, e em outros estados
independentes de Siam como Burmah, Jalengou
Pegu, Cochin China, a antiga Cambodia etc,'ha
tambem muitos descendentes dos Europeus que tem
sido considerados debaixo do mesmo ponto de vis-
ta, at ae presente dia.
Ihante respeito com aquelle Dr. Fez-se o n
sario expediente a esse respeito.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de Claudino Jos Goncalves e Francisca Maria do Es-
paquetes vapor.Podem Vmcs. fazer seguir para j pirito Santo.
os portos do norte o vapor Oyapock, hoje a hora Joaquim Pereira da Cruz e Anna Maria da Con-
indicada em seu oflicio de hontem. ceicao.
Portarla.-O Sr. gerente da companhia Pernam- Joaquim Alves Correia e Francisca Evangelista
bucana, mande por disposico do Dr. Antonio: das Virgens.
\ugusto da Silva, chefe de polica do Rio Grande Joo Bernardo do Espirito Santo e Joanna Maria
do Norte, que segu para aquella provincia cora
sua familia as passageus de estado, que houverem
vagas no vapor Jaguaribe, que segu para o norte
no dia 7 de outubro vindouro.
Expediente do secretario do governo do dia 30
de setembro de 186i.
Offlcio ao 1. secretario da assembla legislativa
provincial. De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, communico V. S. para seu conhe-
cimento que segundo constou de aviso do minis-
terio do imperio de 23 do corrente, foi expedida
pelo da fazanda a conveniente ordem thesouraria
de fazenda desta provincia, atim de ser despachada
livre de direitos de cousumo a mobilia vinda da
Europa com destino ao paco dessa assembla.
Despachos dos dias 29 de setembro de 1861.
Reqmrimentos.
Antonio Soares Pereira dos Santos.Intenda-se
o supplicante com o Sr. director do arsenal de
guerra, a quem apresentar o menor do que se
trata.
Tenente Antonio Egidio da Silva.Em visla da
informacao da thesouraria provincial, requeira o
supplicante assembla legislativa provincial
Abaixo assignados proprietarios e moradores no
povoado do Campo-GranJe. Informe o Sr. enge-
nheiro chefe da reparticao das obras publicas.
Bernardino Gomes de Carvalho. Informe o Sr.
cavalheiros,
para os lugares j mencionados.
No anno da Lebre, primeira decada da era civil Saibam todos, pois, qae tendo nos toda a con-
siameza 1181, que corresponde er> christaa 1819, flanea no que nos suggerio o nosso fiel e bom ami-
que era ol anno do reinado de b. M. Sondecth go o Exm. Sr. Izidoro Francisco Guimares, cer-
Phra Paramray Wbuge Jelh Mahelsuan Sundora, ca da nomeacao de cnsules em Lisboa e Macan,
segundo soberano da presente dynastia nosso pai; o e vista da correspondencia ha vida entre o mi-
governo portuguez em Goa, na india, e Macu na nistro de estado, e aquellos pretendentes pelo pre-
Chioa, envou ama nnsso corte siameza para es- sent sellado com o nosso real sello, e asonada
tabeleeer bases solidas de amisade, e negociar um do nosso proprio panho, noiaeamoso Illm. Sr. Al-
tratado de commercio e navegaeao, etc.Naquelle fredo Cesar de Andrade, residente em Lisboa, nos-
tempo o nosso rei pai consultou os seus dous prin- se cnsul com o titulo de Hluang-Siamupranixit, c
cipaes e mais intelligentes filhos um dos quaes era Ihe conferimos todos os poderes necessarios para
S. M. Siameza Somdet Phra Paramadharmic Maha o desempenho de todos os seus encargos consula-
Chista Ahipatendi, o mais velho meu irmao, nosso res em conformidade com o tratado entre Siam e
predcessor, quem era o principal herdeiro da co- Portugal, leis inlernacionaes e locaes por o tempo
roa, exercendo o lugar de secretario de estado dos que fr da nossa vontade, de nossos herdeiros e
enteo que, foi, aberto pela orde.,do 3ff|lTStf*SWaC5fc o S, ins-
naconal n. 21 de 13 de fevere.ro U l.mo.-Com-1 ,or da ll)es01irdria de fjttenda-
mun.cou-se ao d.rector das obras militares^ f Dr. JSo Re,,rigues ciiaves.-Informe o Sr. ins-
D.to a mesma-Tomando o governo imperial, peclor(1a thesouraria defazenda.
,.!...!. ni.i IYk ,l.i..UpnH. ,-.m Mi'..-.. itr\ t ii i ni Tur i. w ,, n
Julio Cesar Pereira da Rocha.A vista da infor
segundo me foi declarado em aviso do ministerio
dos negocios estrangeiros de 16 do corrente, a de-
liberaco de inlerromper as relacoes ofilriaes com
o governo da Repblica Oriental do Uruguay, cas-
sando o exequtur concedido a Antonio Valentm
da Silva Barroca no carcter de cnsul da dita re-
pblica nesta provincia : assim o communico V.
S. para seu conhecimento, e afim de o fazer cons-
tar ao inspector da alfandega.Fizeram-se as de
mais communicaces.
Dito ao inspector da tliesouraria provincial.
Recommendo V. S. que nao havendo inconve-
niente, mande pagar ao negociante Manoel Ri-
beiro de Carvalho, a quantia de 29dr560, despen-
dida com o sustento dos presos pobres da cadeia
de Garanouns durante os mezes de jullio e agosto
deste anno, como se v das duas inclusas comas,
que para esse fim, me foram remellidas pelo che-
fe de polica com oIBcio de hontem sb n, 1209.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Devolvo V. S. as tres inclu-
sas con tas na importancia de 2305000, despen-
dida durante os mezes de junho agosto deste
anno com o sustento dos presos pobres da cadeia
de Caruar, alim de que, do conformidade com a
sna informacao de hontem, sb n. 133, mande le-
var essa qua'nlia em conta dos 2375000, que para
css'.e fim foi adiantada por essa thesouraria ao dc-
legaiilo d'aquelle termo por intermedio do thesou-
reiro da reparticao da polica segundo consta de
oflicio d.o respectivo chefe, datado dlo do cor-
rente, e i?b n. 1147.
Dito ao, mesmo. Inteirado do conledo do offi-
que V. S. ijie dirigi hontem, sob n. 432, tenho a
dizer em resposta que approvo a medida lembra-
da pela^junta dessa thesouraria, de serem po.tos
novanMhte em pra^a, com o abale da metade era
seus primitivos valores, o imposto de 25500 rs.
s.obre o gado vaceum consumido no municipio de
macao, nao pode ter lugar o que requer o suppli-
cante.
Jos Francisco de Souza. Passe portara na
forma requerida.
Joaquim de Gusmao Coelho.-Informe o Sr. ius-
pector da thesouraria provincial.
Alteres Jos Francisco de Lima.Informe o Sr.
' commandante superior da guarda nacional de Ga-
1 ranhnns.
Vigario Manoel Esperidao Muniz. Dirija-se
thesouraria provincial.
Manoel Beraclito do Albuquerque.J se man-
dou abrir o concurso de que trata o supplicante.
CiOVk'R\0 0 BISP.4DO DE
PI2K* 1HUUCO.
NOVAS DISPENSAS MATRIMONIAES.
Fnen publico que o Exm. e Rvm. Sr internun-
cio novameotu concedeu licenca, em data de 14 do
crrenle, para serem dispensados do impedimento
de afliiiidade licita em pnmero grao igual da linha
lateral; bem como do impedimento de consangui-
nid.ide em segundo grao atlingente ao primeiro da
linha lateral, os oradores constantes da relaco
abaixo transcripta.
Quem pois tiver de procurar algn destes re-
querimemos, podo dirigir-se, em Olinda, secreta-
ria do bispado, no seminario episcopal; e no Reci-
fe casa do Illm. Sr. conego da capella imperial
Francisco Jos Tavares da Gama, na ra da Cruz
n. 56, junto a matriz d<> Corpo Santo.
Cidade de Olinda, 30 de setembro de 1864.
Conego, Joiiqmm Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
Oradores que se acham ligados no impedimento de
afl'tmdade licita em pnmeiro grao igual da linlia
da Conceicao. negocios estrangeiros debaixo do titulo de Kvom successores, e por rodaja vida ou vontade do mes
Francisco de Oliveira Leite e Emilia Maria da mun Chista patindo, e o qual succedeu ao throno rao Alfredo Cesar de Andrade:
Conceigo, comoterceiro soberano da dynastia presente, eo Pode portanto o nosso cnsul Hluang-Samupra-
Mattiias Paes de Lyra e Joanna Marcolina de Bar- outro eramos nos mesmo, successor do nosso fal- nixit igar a sua bandeirado elepbante branco no
ros. lecido pai e irmo, pois que naquelle tempo era- lugar da sua residencia, e andar com a mesma ban-
Joaquim Telles da Rocha e Francisca Maria da | mus tido como mui affeijoado fllho acompanhando deira pequea no seu escaler, quando Ihe parerer
Conceigo.
Dionysio Soares Pereira
ceicao.
e Antonia Mara da Con-
o nosso real pai no seu palacio etc., para formar- em servico, ludo em conformidade do art. 5o do
mos conselho em ordem a entrar em relacoes ami- tratado porjuguez e siamez, e corresponder tam-
gaveis com n-governo portuguez mui justamente bem o nosso ministro dos negocis estrangeiros em
Joaquim Pereira dos Santos e Isabel Mara da Con- requisitou do governo siamez que Ihe concedesse qualquer assumpto concernente ao servico da
ceicao. | um terreuo onde se estabelecesse o consulado de naco.
Silvestre Bezerra Vasconcellos e Maria Salom Be- Portugal em Siam.Sua Magestade, nosso real pai, | Supplicamos ao supremo agento do universo pa-
zerra Vasconcellos. e o governo annuram requisicao, e concedeu-se ra que derrame sobre a pessoa do nosso cnsul
Francisco Vicente de Oliveira e Antonio Maria da um sitio para aquelle fim distante da cidade urna sua divina bencao e Ihe conceda todas as prospe-
Costa.
Joo Martins Pontes e Ubaldina Maria Clara do
Monte.
Firmino Gomes Ferraz
Divino
Manoel Gomes do Oliveira
Conceicao.
Adrio Borges Uchoa c Isidora Galdina.
e Thereza Mara do Amor
e Francisca Mana da
milha ou mais.Mas o tratado nao estava ainda
concluido, pela razio que havla muitas considera
coes a fazer sobre varios pontos do mesmo, por-
qnanto os Siamezes daqnelle tempo nao tinham o
ridades.
Amen.
Dada no nosso palacio Anont Samagone na ci-
dade de Btre Kosendr Malindra India Bang.
mo agora teem, de maneira que o encarregado re-
gressou d'aqui sera ter conseguido fazer tratado.
No anno do Drago II Decada Ou r.io Siameza
mesmo conhecimento dos negocios estrangeiros co- Kokok.-Quinta-feira, quarta noute da la eres
cente no mez lunar de Jesth, sptimo mez da es-
taco fria do anno do porco, quinta decada da era
astronmica; siameza 1225, correspondente ao quin-
to dia do mez s lar de Junho da era christaa de
1863" no llp anno, c 4405 dias do nosso reinado.
(Dous selloi.)Hec a Rege Siamcnsium S. D. M.
Mong.Kuie.
No dia 24 de agosto feslejou-se no Asylo dos
fllhos dos sjrldados, em Mafra a coramemoraco da
sua inslallajco, cuja direcco foi confiada ao offl-
cial de estatlo-maior o Sr. A. J. Salgado.
A descrlpcao da festa commemorativa a se-
guale :
de agosto chegaram j^'afra riuco ve-
hsylod'invalidosmililh" *"Runa, para
festivdade : tres fizeram as
peninsular e de Mon' do. Os alum-
a porta do quartel r^.ebe-los em teste-
respeito pelos seus longos servicos
Jos de Melloda Silva e Magdalena Mara da Con- 1182, sendo o 12 anno daquelle reinado, e corres
ceicao. pondendo era christaa 1820 o governo portuguez
Antonio Francisco de Sales e Rosalina Maria ,da I nomcoiium cnsul geral, o qual foi enviado pelo
Conceicao. I mesmo\overno para aqui tomar conta do terreno
Joo de Sonza Oliveira e Maria Francisca da Con- que se fie tioha cedido para a casa do consulado,
ceicao. ^ mas oratado nao estava feito. Dizia-se naquelle
Jos Montelro de Goes e Maria Olinda de Goes. tempoique urna grande revoluco acontecer era
Antonio Martins Leite e Maria Thereza de Jescu.' Lisboa- e a mndanca do governo contribnio para
Antonio i.oit Ho QaeimT e Man ("lorirudes de; hav^rf^naUniKiaeiiios na negociagao do necessario
Queiroz. tratado, o qual leve por sso ae se guardar paiu
Hermino Bispo dos Santos e Francisca Leocadia outra occasio.
da Conceicao. I Tem havido s poucas pessoas que oceuparam o
Joaquim Flix de Albuquerque e Leonarda Maria lugar de cnsul geral portuguez e empregados con-1 assistirera ^
do Espirito Santo. sulares em successo pelo espago de 38 annos que campanhas
Severlno Js dos SantosJ e Marcolina Maria de decorreram desde, o reinado do nnsso presado pai,! nos vieram
Jess. e irmao mais velho, nossos predecessores at 1 munho de
Joo Morino Gomes o Ludovina Maria da Con- presente poca do nosse reinadoe no anno do patria.
ceigo. Cavallo 3' Decada da era siameza I20 que vem a | Os invlidos foram convenientemente alojados, e
Diocleciano Pereira da Cruz e Maria Pereira da ser o 8" anno do nosso reinado e que corresponde em todos o actos tiveram um lugar de distioccao.
Fonceca era christaa de 1858, S. M. F. o Sr. Pedro V de! No refeilorip tiuha cada ura assento ao lado direito
Claudino Correia da Silveira e Maria Francisca Portugal foi servido enviar o Exm. S. Isidoro Fran-! de um alun no
No dia 2
teranos do
Maria da Con-
e Joanna Baptista de
Correia de Oliveira.
Antonio Nunes da Silva e Antonia
ceigo.
Gongalo Alves da Silva
Araujo.
Antonio Manoel da Fonceca e Niquelina Maria da
Conceigo.
Joao Francisco de Arruda e Antonia Maria da Con-
ceigo.
Claudino Jos de Carvalho e Joaquina Maria da
Conceigo.
Antonio PereiraJde Moura e Josopha Maria de Je-
ss.
cisco Guimares governador de Macu como ple-
nipotenciario extraordinario e portador da carta de
S^ M. Fidelissima dirigida a nos acarea da negocia-
cao e conclusao do tratado, c relagies commerciaes
que tinha estado por tanto tempo paralysada.
Por esla occasiao o tratado entre Siam e Portugal
operou completamente, e se assignou quinta feira,
na oitava noute de la crescenie no mez lunar de
Magh, terceiro mez da estacad fria da era local
1220; que vera a ser o oitavo'anno do nosso reina-
do, e o dcimo dia do mez de fevereiro da era
christaa de 1859.
A copia do dito tratado foi remetlida corte de
Portugal para ser ratificada por S. M. elrei, e fei-
ta a ratilicagao retornada a esta corle para se ef-
< ominando Superior.
>,ii_i -" fectuar a troca das raliiicacoes do tratado ata-
Quartel do comnundo superior da guarda nacional mez e prtupueE effwtnw-se quaria-teira na set-
para com e
pede respei
validos.
No dia 2
commandante da mesa, que tinha
le todas as attengoes devidas a um hos-
avel. Uru capito acompanhava os in-
a pnmeiro grao
lateral, dos quaes trata a declararao cima.
Iguaras, e bem assim o dizimo do mesmo' gado Salvino Joaquim de Araujo e Antonia Maria do Es-
na comarca do Bonito, visto nao haverem appare- pinto Santo.
Marcolino Jos do Nascimenlo e Gerlrudes Mara
cido licitantes elles segundo consta de seu citado
oflicio.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.
Urna vez que nao podem servir na companhia de
aprendizes marinheiros, por terem sido considera-
dos incapazes em inspecgo de sade, os menores
Jos e Joo Manoel do Nascimento, baja V. S. de
manda-Ios apresentar-me. Ficam assim respondi-
do os seos ofltcios de 28 e 29 do crrenle, sob ns.
751 e 752.
Dte ao director das obras militares. Pode
V. S. dar principio a escavagao necessaria pjra
descubrir os ranos que conduzem agua para o
quartel do 2. batalhao de infamara e hospital mi-
litar, afim de conhecer-se o estado em que se
acham ditos canos, e poder V. S. apresentar-me
o orcamento, que exig em oflicio de 28 do cor-
rente, das despezas a fazer-se com o desentupi-
mento dos mesmos, e alguns concertos de que
possam carecer.Tenho assim respondido o seu
oflicio de hontem, datado sob n. 155.
Dito ao director interino do arsenal de guerra.
Mande Vmc. alistar na companhia de aprendizes
desse arsenal, se ostiver as condiges da lei, o
menor Manoel Antonio Ursulino Buira, que com
este ihe ser apresentado.
Dito ao mesmo.Ficando approvada por aviso
do ministerio da guerra de 12 do corrente, a de
e Senhorinha Mana da
Faustina
do Espirilo Santo.
Manoel Francisco Brrelo
Conceicao.
Francisco Gongalves de Mello e Delmira
do Nascimento.
Roque Severiuo de Maria e Clemencia Maria do
Espirito Santo.
Paulino Jos dos Reis e Daraiana Maria da Concei-
go.
Jo= Cosme da Silva e Francelna Mara da Con-
ceigo.
Galdino Freir de Castro e Felicia Maria da Gon-
ceico.
Antonio Freir de Castro e Emerenciana Maria dos
Prazeres.
Joaquim Clemente das Neves e Maria Jos de Amo-
rim.
Joaquim Gomes dos Santos e Sebastiana Mara da
Conceigo.
I Antonio Xavier dos Anjos e Maria Antonia da Con-
ceigo.
' Joaquim Rodrigues da Costa e Bazilia Mana do Es-
pirito Sanio.
Scvenno Gomes da Silv.i e Felicia Mara d Con-
ceigo. i
Francisco Bezerra de Vasconcellos e Josepha Ma-
ria.
na cidade do Recife, 3 de outubro de 1861.
ORDEM DO DIA N. 178.
Tendo reassumido hoje o exereicio do comman-
do superior da guarda nacional deste municipio,
assim o faco contar a guarda nacional.
Espero "que os Srs. commandantes de corpos
continuem a empregar todos os seus exforcos. pa-
ra manter nelles a disciplina to necessaria a boa
ordem do servico.
As ordens existentes continuam em vigor.
Assignado Visconde da Boa-Vista, comman-
dante superior.
Conforme Sebaslido Lopes Guimares, chefe
de estado maior.
EXTERIOR.
liberago que tomei de mandar fornecer por esse Joo Mondes da Silva o Maria Francisca de Je-
arsenal no mez de julho nltimo, diversas esta- sus.
o5es e corpos nesta provincia, os objectos de que Jos Luiz Vieira e Joanna Baptista de Jess,
trata a relago que veio annexa ao offlcio desta Francisco Ignacio Nunes e Francisca Xavier de
directora de 16 de agosto prximo findo, sob n. Macdo.
42 ; assim o communico Vmc. para seu conhe- Pedro Antonio Alexandrino e Francisca Mara de
cimente. Jess.
Dito ao mesme. Era aviso da repartigao da Luiz Alves Fernandes e Viridiana Maria da Con-
gnerra de 13 do corrente, me foi declarado ter se ceigo.
solicitado na mesma data do ministerio da mar- Jos Vicente Targino eFlorencia Petronilla.
nha, a expedigo das necessarias ordens para quo Jos Francisco de Andrade e Anna Magdalena dos
na primeira oppertunidade sejim remellidos Prazeres.
provincia do Maranho, iior qualquer embarcago Amaro Caetano Mendes e Mana da Paz.
de guerra que para all seguir, os tres mil car- Joo Paulo de Albuquerquo e Anna Thereza de Je-
tuxos embalados e as sessenta e seis ml capsulas sus,
ma noute da la crescente do mez de Saman, cor-
respondente aos viole e oito dias do mez de agos-
to de 1861, da era christaa.
No tratado cima vem quatro artigos. quedizem
respeito ao estabelecimenfo de assumptos consula-
res em ambos os reinos, a saber :
Art. 2. Portugal continuara a ter em Siam um
cnsul ou agente consular, reconhecendo recipro-
camente as altas partes contratantes o direito de
nomearem cnsules ou agentes consulares para
residireni nos portos dos estados urna da oulra on-
de julgarem conveniente estabelece-los
Art. 3. Estes cnsules ou agentes consulares te-
rao seu cargo :proteger os interesses e com-
mercio dos seus compatriotasfazer que estes se
conformem s disposiges do presente tratado
servir de intermedio entre elles e as autoridades
do paiz:vellar pela estricta execugo dos regu-
lamentos estipulados e lazer aquelles que julgarem
necessarios para a execugo do presente tratado.
Art. 4. Os cnsules nao entraro em exereicio
sein o exequtur do soberano territorial, e goza-
| rao, bem como os agentes consulares e os chan-
celleres do consulado de todos os privilegios e
I isengocs, que forera concedidas na sua residen-
1 ca aos agentes de igual calhegoria da nago mais
favorecida.
Art. 5. Os cnsules e agentes consulares das
altas partes contratantes podero gar as suas ban-
CJOKKENPO'E VCI AS O II V
RIO 1E PKHWMBltO.
LISBOA.
12 de setembro (11 e 3/1 da noite.)
(Conclusao.)
Em virtude do tratado celebrado entre Portugal
e o reino de Siam, o governo siamez nomeou o Sr.
Alfredo Cesar de Andrade para o cargo de cnsul
daquelle reino em Lisboa. A patente passada a este deiras nos lugares da sua habitago.
agente ura documento original, porque contendo S. Exc. o Sr. Izidoro Francisco Guimares des-
un resumo das relagoes entre os dous paizes, af- de o tempo em que se fez o tratado se tornou mui-
fasta-se completamente das praticas seguidas em to familiar amigo nosso e do nosso governo, ami-
lodas as chancellaras. gaveis correspondencias entre S Exc. e o nosso
Com autorisago do Sr. Alfredo Cesar de Andra- governo passaram mui frequentemenle, e por ellas
de publicou-se a dita patente de cnsul que job- somos de unnime parecer que haja cnsules em
teve o exequtur de el-rei. todas as trras e colonias porluguezas, o que tere-
Eis a mencionada patente : mos muito prazer ver realisado ; e como em Ma-
< Sondetch Phra Paramendr Maha Mongheut. cu e na China vo navios siamezes negociar, se-
Pela Divina Superagencia do Universo, rei de Siam, ra bom certamento que all houve*se um consu-
quarto soberano da presente real dynastia, e sum-
mo suzerano dos diversos estados adjacentes a sa-
ber : Laos Youn ou Laos Chianys ao N. O. e Nor-
te, Laos Kans para o lado do N. e N. E.; Cambo-
da a E. e S. E., outras provincias raalaias situadas
na pennsula malaia, ao S. e S. E.; Kariangs no
N. E. e outros Khars Chlongs etc., em vanas par-
tes nos dominios de Siam, etc. etc.
lado siamez, porque em casos sinistros e outros ca
sos, o cnsul dara ao navio toda a ajuda e socorro
que estiver em seu poder, conjuntamente com o
auxilio que o governo local, que seudo amigo dos
Siamezes, nao deixar sem duvida de Ihe prestar
tambem.
Em Lisboa llavera tambem um representante do
governo siamez, o qual ser o orgo de quaesquer
A todos, geral e individualmente que este virem communicagoes que o governo tenha para o futuro
envo muito saudar. Porquanto que a amisade en- de fazer.
tro as nagoes siameza e portugueza tem existido ha S. Exc. o governador de Macu, foi quem pri-
muito lempo, muito antes da presente real dynas- raeiro fez lembrar a nomeagao de cnsules liante-
taquando a antiga cidade de Ajudia era a cap- zes em portos portuguezes. Posto que tenhamos
tal e sede do governo siamez, havia varios subdi- vontade de nomear cnsules nativos para os portos
tos portuguezes que tinham vindo fazer commercio estrangeiros, como Lisboa e Macu, vemos nao ser
e estabelecer-se em Siamquando mais, na sua isso conveniente, porque os nativos de Siam nao
patria, sobrevierm revoluco e mudanga do go- poderiam viver em paizes estrangeiros, e se nos
verno, era relago aos disturbios no continente, que obrigassemos a isso elles viriam a soffrer e se tor-
fizeram parausar suas relagfles commerciaes com narlam incapazes do exercer bere. o logar para qno

, s 8 horas damauha, estava o corpo
de alumnosj em parada, com o esquadro de lan-
ceiros p; com os seus clarins em charanga. S.
M. el-rei, acompanhado de S. A. o Sr. infante D.
Augusto, do ministro da guerra c do seu ajudante
de campo, dignou-sc pausar revista ao corpo dos
alumnos, que depois deslou ao quartel.
Em seguida foi S. M. visitar o quartel, e examl-
nou minuciosamente os alojatnentos das compa-
nhias, arrecadacoes, hospital, cosinha, bauhos c de-
mais oflicinas. "
Na aula de msica S. M. quiz ouvir tocar a ban-
da de msica.
A's 11 horas foi o corpo de alumnos, formado
em dous pelotoes do infantaria, com as suas ban-
das de tambores e de msica, ouvir mlssa real
basifica. SS. M.VI. el-rei e a rainha, e o infante D.
Augusto, acompanhadas de varias pessoas da sua
corte, asMsliram missa. Durante o oflicio divi-
no tocn a msica dos alumnos, c ao levantar
Deus um coro tambem de nlnmnos, acompanhado
por clarinela e flauta, entoou o cntico religioso
accoraraodado ao recolhmento proprio da occa-
siao.
A guarda do allar-mr, como do costume, foi
feita por um cabo e quatro soldados (alumnos) ;
um alumno ajudar missa, e quatro assiatiraiu com
tochas.
Tanlo na parada, como na marcha para a igreja
e durante a missa fui notada a boa apparencia mi-
litar e firmeza dos alumnos, e a regularidade das
evolugdes.
Ao meio da foram SS. MM. e S. A. o infante D.
Augusto presidir distribuico dos premios e men-
soes honrosas aos alumnos que d'ellas se tomaram
credores no anno lectivo lindo.
Acompanharara SS. MM. as damas, camaristas e
ajudante de campo de servico, o veador de S. M. a
rinha, o ministro da guerra, o marquez de S da
Bandeira, conde de Carreira e conselheiro Me-
reira.
A sala dos actos e os corredores das aulas esta-
vara decoradas com trophosd'armas, bandeira va-
sos cora flores e plantas, e as placas e lustres que
deviam servir festa da noite.. Na sala estava um
numeroso concur.-o de senhoras, autoridades e ou-
tras pessoas convidadas.
Os premies de msica foram os instrumentos que
os premiados tocam, generosa ollera de S. M. el-
rei ; e os premios de instruego geral, de instruc-
go religiosa e gymnaslica foram dados pelo Sr. in-
fante.
Abrio-se a sessao por um pequeo discursodo
commandante do asylo, relatando os irabalhos des-
te primeiro anno de existencia do estabelecimento.
Seguidamente dignou-se S. M. distribuir per sna
mo os premios e menges honrosas, e terminar
este aclo com urna aHocugoem que dispensou ex-
pressoes de louver e de anlmago aos alumnos e
ao estado-maior e menor.
Da sala dos actos foram SS. MM. e A, com as
pessoas de sua corte, e seguida de todos os convi-
dados, ao refeitorio assistir ao jantar dos alumnos
que foi feito expensas de el-rei.
Durante o jantar tocou a msica da guarda de
honra de SS. MM.
Em todus os actos el-rei trajava o uniforme de
marechal general e o Sr. infante o de major de
lanceiros da rainha.
Na sala dos actos e no refeitorio foi notada a
gravidade com, que se portaram os alunaos, o que
fazia notave contrasto com as. condiges que sahi-
ram para entrar no asylo.
A' noite SS. MM. o S. A. assistiram ao HMfl
do sarao mu-ical, em urna tribuna da sala do ac-
tos. No corredor em que se abre a porta desta sala
estava o crelo da musir. Depois da rhegaila de
SS. MM. a tribuna, u n coro de alumnos, acompa-
nhados pela banda, cantou o hymno do aiyla
A banda e a primeira charanda (primeira por-
que j ha duas) locaran at s II horas e ama.
Assim lertninou esta festa de verdaViro pro-
gresso, que foi ainda urna homenagetn a isrnoria
do Sr. D. Pedro V,e dos mais honrosos Jiploma-
para o major Salgado, que tao bem dirige este ira
portantissimo eslabelecimenlo.
El-rei, apreciando devidarnenle os serojos do
Ilustre militar, e querendo galardoa-los, tirou da
sua farda a insignia de ofuYial da ordem da Torre
e Espada e collocou-a ao peitodo Sr. Salgado.
O Sr. Salgado, por occasiao da dislribuicio do=
premios proferto um conciso discurso.
O correspondente do real sitio de Santa Ilde-
fonso, escreveu Correspondencia de liespanha.
que linha saludo a postar-se no raminho as pare-
Ihas que havi m de conduzir a carroagem em qae
devia ir ao pago de Santo Ildefonso, desvfe o Esco-
rial, S. A. a infanta D. Isabel Mara, de Bragancn e
Bourbon.
S. alteza, segundo diziam as follas de Madrid
de 4 do corrente, eslava hospedada no palacio da
Granja, as habitagoes que nos annos passaoos fo-
ram oceupadas pelos infantes Montpensier.
No dia da chegada da Sra. D. Isabel Mari, sa-
ino recebe-la entrada da sala de Alabardeiros.
acompanhada do principe das Asturias, da itfanu
D. babel e de todos os altos funccionarios da
corte.
A recepgo, diz urna folha, foi tao aflectoosa e
coideal com* era de esperar dos estrenos vnculos
de parentesco que unem a rainha de Hespanha coa
a prnceza portugueza.
No arsenal do exercito est se fnirudo om
apparelho de madeira, para collorar ama chapa de
ferro de couragar, que servir de alvo s experien-
cias de bala que el-rei o Sr. Di Luiz invent.iu
Foi el-rei quem mandou vir de Inglaterra a cha-
pa de ferro.
El-rei o Sr. I). Luiz foi no dia 29 do pasado,
s 3 horas da tarde ao arsenal de marinha, a con
a sulemnidade do co turne bateu a primeira avi-
lha da cannoneira Uio Guadiana, que se eata coos-
truindo.
Parle da codencia que el-rei fez da sua dolcao
foi applicada conslrucgo desta cannoneira.
Venficou-.-e no da 25 de agosto, no cemilerio
do alto de S. Joao, a tra-ladiea> dos restos manaes
do grande maestro Casimiro Jnior.
A capella do cemiterio eslava com todo o esmero
e asseio. A missa e o libera me foram muito bem
executados.
O- conego Soares Franco recitou a oracao OBero-
logica do finado.
Assistiram grande numero de pessoas. e entre
ellas achavam-se o conde de Farrobo, conde dw Pa-
raty, o deo da s D. Jos de Lacerda, Calila da
Cuuha, o actor Taborda, Francisco Palla e al-
gumas senhoras.
As redaeges d'algnns jornaes tambera lili se
achavam representadas.
Os membros da classe da msica assim tenara-
ram a memoria do sen rollega, e nesia Mar a
maior parle cabe o SjvCbrisiiano.
Tambem se verifirou ixdia 25, ni igrija de
Nossa Senhora da Conceigo, nlh^rreira ds Ca-
vallos, a missa de rquiem por aun* do* PortUne-
zes fallecidos uo da 11 de agosto de If8 a Villa-
da Praia da Terceira. ^
O numero de socios que conta a secfiie do
seguro de vidas do banco Unio do Porto. hoje
de 0458, e o capital subscripto foi 2,345:8654000.
E' vi.Mvel o progresso. que lera tido e-ta ulilissi-
ma inslituigo, a primeira do seu genero que se
se implantoa neste paiz.
Djsde 4 de agosto, em que se abri a sob-
seripeao da Sociedade Previdenle. fundada e ad-
ministrada pelo banco Albanca at o dia 31, *ere-
veram-s! como socios 214,'e o capital subscripto
(39:1803.
Attendendo ao tao pouce tempo. (pie ainda conta
de vida esta sociedade, a qual ain Ja nao esta de
todo montada e organUad, sao na verdade muito
para h-ongearesies resultados.
No da 10 do corrente mez foram inaugura-
dos os trabadlos dos caminnos de ferro da eampa-
nhia de Sueste, de Evora em direrco a Extremol
c de Boja em dircrgu ao Guadiana e ao Algarve.
Poi descoberlo no Porto um grave caso de
falsificacao de moeda. Eis resumidamente a histo-
ria do sneeesso :
lia cerca de quinze dias receben o regedor de
Cedofeita urna denuncia relativa a urnas n-ii- fal-
sas, que j circulavam pela cidade. Deu parte dis-
to ao administrador, substituto do 2' bairro, o qual
tratou logo de averiguar oque a tal resn.;il havia.
Em cumprimento deste desejo, foi a mencionada
auloridade Lapa, onde encontrou em casa 'Je um
gallego, que tem junto da alameda urna taberna,
dous sujeitos que all paravam, sendo um eos so-
breditos preso, e encontrando-se-lhe mil e lanas
notas no valor de 6:0003000, aproximadamente.
O outro fugio.
As notas eram do banco do Brasil.
O administrador foi d'ahi ao regedor da Victoria,
para juntamente com elle passar busca a urna casa
do? Ferros Velhos.
Nao se sabe ainda o resultado desta basca.
Por contisso de individuo que foi preso, deseo-
brio-se mais que as escadas dos Guiudaes assBa
um hotnem cumplice no crime indicado.
A esto encontraram-se apenas alguns papis.
Tanto o capturado nos Guindaes, corno o o\> ta-
berna da Lapa, foram para o Carmo.
O dos Guindaes foi encontrado, escondido debai-
xo da cama, na casa em que viva.
Por em quanto nao ha outros pormenores. A po-
lica procede as mais activas averiguagd-s.
Os actuaes contratadores do tabaco teneio-
nam estabelecer 60 estancos na cidade, logo qae
linde o contrato. J alugaram para este fim a loja>
onde existi o centro cummercial do Chiado, e a,
do Caf commercial no eaes do Sodr, e outras om
j eslao arrendadas.
Os contratadores anteriores vo estabelecer ana
fabrica de tabaco Boa-Vista, no predio que toi dos.
Ferreiras Pintos.
Alera desta estaco eslao orgaoisadas varias so-
ciedades e companhias para o fornecimeato da ta-
baco, mandando- vir de fra.
O Sr. Ama ral, governador de Macan, ao
conseguio ratificar o tratado de comuerrio cele-
brado com a China pelo visconde. da Praia-Graade
em nome do nosso governo. Os arts. 3" e 9* >o
os pontos controversos. Em vista das dinVuldadei
dos Chinezes, o Sr. Amaral perdea a paciencia e
retirou-se. para Macau. Parece que a erabaixada
hespanhola fura tambem nao s infeliz as suas
tentativas, mas al desconsiderada. O cnaaaar-s
Amaral o plenipotenciario portuguez loi aau das
causas da difncutdade.
Todos se lembram do que es Chinezes fizeram
a um nosso governador daqueila pouessao limaia
chamado Amaral.
Hoje, em vista da necesidade de enviar aovo
plenipotenciario para Tien-Shing. dizia-se ejw se-
rla nomeado o visconde da Piaia-Grande, mas nao
creio que S. Exc. acceite a commlssao.
Assignou-se. o decreto, coocedendo a i



MUTILADO



Diario 4e kera\amlne ... y r^a felra 4 rfe Oii.iiI.i-o 4c 11 &.
V
sao ao visconde de Rihamar de commandante da
divso de reserva, sendo substituido pelo Sr An-
tonio Sergio de Souza, o qual conservara o com-
mando da Bartholomeu Dias.
Em Luanda havia epidemia de oexigas e pa
pre dclxa-las sem tima explicarn, qnelhes seja na-
ce ssaria.
Nesta siluaca, por tonto, temos por conveniente
a seguiote, declarago.
Vai para mais de 30 annos que publicamos os.
I =s
S I u
?

ra a combater, o goveroador, tomava varias e actos do goverao, quer geral, qaer provincial, sen-
energicas providencias sanitarias Fonnava-se urna do aquelies por nossa conta to sement, e estes
=T l
5
3
commissao encarregada de promover soccorros pa-
ra as ramillas victimas da epidemia.
Ern 16 de jullio fui ordenado que os tejidos
de algodao em falo para homem ou mulher, eludo
o mais que tiver qualquer mo de olira que. de fu-
turo apresenlarem o despacho as alfandegas da
provincia pagarn os direitos pelo dobro dos que
para a classe l algodao da paula provincial se
ac.ham estaoelecidos a cada artigo de que os ines-
mos forero Jeitos. .
Fallecen a 20 de junho o povemador do Am-
briz, Bernardo Augusta Gudinho Cabral. Conta va
apenas 37 annos; chegado a Loanda a 3 de setem-
bro de 1863, Domeado governador para o districlo
do Ambriz, torauu posse do goveruo no mesmo
mez.
Finra-se tambem o delegado do procurador
regio da liba de S. Thom, o Sr. Sebaslio de Al-
meida e Briio.
Finou-se no da 30 do mez passado o parocho
d'Oivellas, o hispo elelto de Cabo-Verde, Jos Au-
tonio da Siiva Sania Barbara
Morreu pobre e deixa na miseria urna irma.
Est destinado o da 15 do crreme, para
sabir a cruzar no Mediterrneo a dmso naval
porlugueza, a maior que uos ltimos trinta annes
lem sabido do Tejo.
Consta de qualro navios vapor e de dous
vela.
Os de vapor sao : Bartholomeu Das, da Torca
de 400 cavallos, montando 17 pecas, e sendo tri-
pulada por 320 pracas. O commandante o con-
selhi iro de mar e guerra Antonio Sergio de
Souza.
Corveta Stepbama, da forca de 400 cavallos,
20 pecas, e 388 tripolantes. E' commaudada pelo d aquellos contornos de modo
capito de fragata Bruno *
ora subvencionado, ora tambem a nossa simples
cusa, como d-se de presente ; pots o mandamos :
copiar para esse flin.
Esse direito de publicago tera todo o jornal bra
sileiro, urna vez que nao elle patrimonio de al- '
guem, e nem pode s-lo, visto que nao constitue
renda do eslado. Na cufie mesmo lodos o exer- g
cem. apezar de existir all um jornal proprio do ~
governo, e que para isto recebe um estipendio.
Ka presidencia do Exm. Sr. desembargador Cos- g
ta Pinto recebemos urna portara para essa publi-,
cacao com declarago por nos solicitada, de que s- i
mente seria considerada oficial parte que occu- S
passe o expediente ; e pola tica entendido que os
ttulos de que usamos no nosso Jornal, sao propria-
mente nossos, e nao fazem regra para suppor-se que _
temos obrigagoes imperiosas a tal respeilo, nem
que recebemos estipendio para desempenhar a re-
ferida publicaco. < >
Escusado se torna, por tanto, que alguem se oc- !
cupe de urna questo, que nao tem importancia al- ;
guma, accrescendo que nao ha privilegio sera utili- *
dade publica; e esla em semelhanies materias es- i
t no maior numero de quem faga a publicaco,
embora uns aufiram estipendio, e outros o facam '.
simplesmente por conveniencia de seus assiguan-
tes.
va
so
Masculino.
Feminino.
2
3
i
Masculino.
Feminino.
m
a
n
Masculino.
Feminino.
>
f
B
s
&
que era sea nico meio de subsistencia, ha muitos
ineaes que v a njorte so Ihe approximar lenta-
meote. Urna pessoa que tem testamunhado os ter-
.nvet* sofrimeotos do misero enfermo, o triste es-
1 caixa tecido de seda e laa ; a F. Maesiraly.
i'caixa papel, etc. ; a Eugenio i Mauricio.
i caixa ferragens ; a E. Bourgeois.
23 caixas e 10 fardes tecidos de algodao, de li-
Coiselh administrativa.
H"Jtt^..^!i?UaU<> Ira oneciesen* *>
de comprar os oijacmn
arsenal de guerra lera
lado de .ua desvelada consorte e de seu tenro B- nho, vidros, chaoos porcellana ; a Ferreira'<5 Ma- seKainles
imano, rega as almas sensiveis que se cnmiade- tbeus. Para o presidio de Fernando
gao de tantos males. As pasma, para quem fazer 11 caixas perfumaras, 28 barris tintes, 1 caixa 30 arrobar, de plvora.
um beneflcio o maior dos prazeres, podem dtri-! cidos; a Joo da Silva Faria.
Masculino.
Fallecen no domingo o Sr. Jo9o Carneiro
Rodrigues Campelto. cujo corpo foi houlem dado a
sepultura no cemiteno d'esta cidade.
O finado era um bello carcter, merecendode to-
dos o devjdo apreco por suas maneiras cavalheiro-
sas e ao mesmo lempo chas. Descendentes dos
amigos possuidores da Torre, e all propietario de
grande porcao de terreno, prestava-wj pobreza
E
'I
Feminino.

Masculino.
Nugente Wnile.
Corveta Sayies, da forca de 300 cavados, com 8
peca*, c 16t> pracas de guarnicao. E' commao-
dada peio r.apitao-tenente CbriMiano Augusto da
Costa Simas.
Corveta Infante D. Joao, da ferca de 150 caval
los, com H t'ecas, e ZOO pracas de guarnicao. E'
commaudada pelo capito-leuente Joaquim Jos de
Souza Neves.
Os navios vela sao:
Corveta Ga, com 200 pracas de guarnicao com-
maudada pelo capilo-tenente Alvaro Jos de Souza
Soares de Andrea.
Corveta Juque de Palmella, com ISO pracas de
fuarnieao, e 11 pegas, coro mandada pelo cap tu
tenante Joaquim Viegas do O'.
Temos assim que os seis navios, montam 81
boceas de fogo, teem urna forca nominal de 1,350
cavallos, e sao trillados por l.&OO pracas.
A corveta Duque de PalmeHa, leve mnstra de
armamento. Navega a vela, porque anda nao tem
bilocada a machina de vapor que s ira metler
Loo (res, quando regressar desta commissaq que
deve durar uus quarenta dias.
O commandante geral o mesmo da Barlholo-
iueu Dias, e gara o seu pavilho no tope graude
da dita corveta.
A cmara municipal de Lisboa vai pedir a
todas as companhias de seguros, como ajuda-de
pequea quola annnal.
A cmara municipal conceden, colonia ita-
liana devida autonsago, para no largo de S. Roque
erigir o seu monumento ao auspecioso consorcio de
elrei com a Sra. D. Mria de Sa boya, e fraternal
twio dos dous povos lu-o e italiano. J coniega-
ram as obras para es Diz se que nao tendo a praia da Ericeira
agradado a S. II. a rainha para ali tomar os seus
bastios, ser Cascaes o sitio escomido para esse
fim, nos annos futuros. i)iz-se tambem que nesse
cooceiho lenciona el-rei canstruir um palacio ende
resida durante a eslaeao dos banhos.
Se asMn muilo ganhar Cascaes. Aindal
maior concorrencia ah affl.nr annualmenie, e
veremos em breve novas consirucges, a fuodagao
de botis, e outros e>talieleciuientos, dar aquella
povoagao aspecto 0e mais vida, maiur actividade e
mais riqueza. ,
Desde 1852, qa* se inlroduziram no Limoeire
notaveis melhorainentos, que transfurmaraiu esla
cadeJa.
Enire esses melhoramenlos, devidos aoconse-
lheiro Forjaz, procurador reglo avulla o do traba-
Iho dos presos, cujo desenvolvimento attestado
pelas curiosas estatisticas, que annualmeule se pu-
blicara.
No dia Ia de agosto introduzio-se no Limo'-iro
nma escola de primeiras letlras. E' esta escola
dirigida pelo boticario das infermanas, e j fre-
jucniada por crescido numero de presos, qoe
espoiiianeameiite aecud.irara a aproveiur-se de
taraaiibo beneficio.
O engenheir.ii'Srhelmick foi encarreaado pelo
governo da direegao das obras que se vo fazer no
theairo aorunfT
Trata,-je" da venlilago do theatro e outros melho-
Winenlos, coja urgr-nna reeonhecida.
Na tarde do da 7 do correte, chegou fra
da barra do Porto, a crvela Esleiunia, coiiduzm-
do a sen bordo o hatalho de encadaras n. 9, que
desembarcou em cairaias e cheguu aquella cidade
j de noute.
Sabio um decreto que ordena, que os navios
cora carias de sadfl llinpts, saludos dos porP
e>tiai/eiros com deslino a outro da ine-rna ciarse,
que entrarem nos nnssos porlos por arribada for-
rada, st'jam admiitidos a hvre praiica; Branda to-
dava, salvo o caso de baver motivo para sojeiiar
s mesnios navios quarentena, quer em atlengo
s occorrencas durante a viagein ou ao estado
sanitario dclles.
Tandieiu outro decreto que ordena que o art.31*
do derreio (le l i de Janeiro do crrente auno, seja
sub>tiimdopelo seguate:
Art. 31." Osespolios que vierem bordo de na-
vio procedentes do Brasil, de Nova Orleans, de
Cuba, das Antillas c do golplio do Mxico, anda
que dr' porto considerado limpo, nao eniraro uas
alfandegas sem que proviaraenle sejara alertos e
beneiiciados no lazareto, uos portos onde o hou-
ver.
Como se annuncra, reuni se no dia 2 do
corrate,-no Porto, pelas 7 horas da tarde, a assem-
blea gerj .los subsc riptores do banco llraraarinu,
no edificio da Bulga.
Erara, ireentos, pouco mais ou menos, os subs-
criptores, que acudirn ao convite da couimisso,
lena dias antes.
Presidio esta oumerosa reuniao o visconde de
Castro e Silva, e serviram de secretarios os Srs.
A. Maooel Lopes Vi- ira de Castro e Loureogo da
Silva Hereira de Magalbes.
Con.-tuiiicla a assembla, leu o 1 secretario urna
reporta feita por algons subscriptores mesraa
omnussao, logo em seguida reuniao passada, e
oo qual pedam que a commisso, que tem de ir
Li>l'a a annunciada assembla geral oo dia 7,
exigisse o levaotamenio do liuheiro depositado por
conta das suas subscripgd< s.
E>ta proposta, que a cuimnisso quera priraeiro
resolvda antes de partir, para saber como uaver-se,
foi acaloiadmeme apoiada pela assembla, que a
approv-ou por unanimidad*.
Tambera uoauimeiHe foi approvada a copia do
nffleio, qqe lem de *or dirigido ao governador do
ban>-o, o Sr. Francisco de Ouveira Chamico, parti-
eipando-lhe o occorridn e resolvido, assim romo a
copia doproi-sio. que fui lilla pelo re ator da com-
mi-so o Sr. Rodrigues de Preilas, e que elle redi-
gio sobre o j publicado, addilando-lhe as ideas
da propoda agora approvada acerca do levanla-
meulo do deposito.
E-ie proie.pi, posto immediatamente a assigaa-
tnra dos prsenlos, foi as>j;nadii per oiteula e
tanto* siibscrii.ioies, pois p.-lu adianlado ja se ti-
rihairi re irado a maior parle.
O numero dos subscriptores, que tinham assig-
Bado o protesto anterior, foi de perto de tre-
senMs.
Mnios dos snJ'Scriptores tencinnavam acom-
panhar a nimoiis<-ao, e ir tambera capital tomar
parte na assem.la geral.
.asernal, fazendo as-
sim um duplicado jus saudosa estima que deixa
sobre a trra.
Feminino.
o
i
i
>
m. I TOTAL.
Ot I
14 I

re
a-
e
ADVERTENCIA,
tetalidade dos doentes existem 141, sendo
la tendo lugar no domingo pela tarde om in-
cendio na casa n. 10 da ra o Crespo.o qual anda 82 borneas e 59 mulheres.
leve principio pela queinja de urnas empanadas, Forara visitadas as enfermaras tea dias
que estavam Da corredor da escada do edificio. i Pelo Dr. Ramos s 6 Ii2, 7, 6 3i4 6 12 f. Ii2
ignora-se por ora se nisio houve proposito, ou 6 1|2, 6. l '
se pelo contrario foi obra do acaso semelhanle co- Pelo Dr. Sarment s 8, 8, 8. 8 lii 8 20 8 lift
mego de incendio. Mas bom ser que se tome al- 7 1,2. l" zu'
gum cuidado, para evitar a reproduegao de en- Falleceram :
commodos e sustos s familias, alm de previnir Manoel do Nascimento Noro, anemia
que so d o mesmo que ja se deu nao longe d'alli Carolina Maria daConceigao, rastro intente chro-
eom detrimento de repuuces e perda de pes ii ~ Ar.rl^u aomin(!o a osso i>orto a barca ita- Anna Jssepha da Soledade, cangrena
nana Affrzunu, por haver fallecido o capitao seis Rosa Mana da Conceigo, dilatacSo uo corada
lis antes d um tumor ao rosto. O navio vaio\s Cetie Maria Amelia da Conceigo, retare puespera
para o Kio de Janeiro, com carregamento de vi- .re
olios. ~~~
No sabbado ultimo deu a soc dade Uieatral: Cara Municipal do liedle.
Minerva Pernambucana a sua represeotago de Matadouropubkco da cidade do Recife.
ioauguragao, seguiado-a urna partida em um edifi- Mataram-se para o consumo desta cidade no
co prximo, onde dansou-se at s 4 horas da ma- mez de set""""0 do corrate anno 2,576 rezes, a
nha. saber:
O deserapenho dramtico nos trabalhos scenicos ''.i.,,a"i. Candido Ribero & C........
foi satisfactorio, mxime nos primeiros papis. Virgilio Horacio de Frailas.....
Antes do drama, que foi o Empresta-me dous pin- lo'M Chrisostomo de Albuquerque. .
tos 1, reciiou do palco um dos curiosos urna poesa Wenceslao Machado Freir Pereira
anloga ao theatro em suas relagoes com a vida da *|va..........."
pratica social ; e ao lindar a scena cmica A ques- Bellarrano Alves de Archa ....
to ingleza, um joven poeta espectador leu urna Francisco Candido da Paz.....
poesa em panegyrico dos curiosos, que foram ap- Bellarmoo Constantino Costa Medeiros
plaudidos pela platea por dilferentes veze. Manoel Francisco de Souza Lima .
Hoja (lerga-feira) funeciona a Associaco B- Manoel Paulo de Albuquerque .
bliothecaria feroambucana. Manoel do Souza Tavares...........
w*OU de amaoha so extrahir a 5" parte Eroosto Celestino de Meodonga. .
da 4a lolcria do Cyinnasio Pernambueaoo (110), Geminiano Jos de Albuquerque
gir-se a dito casaje se conveocero de quo bem
erapregada ser sua esmola.
Paatllhas vermlfugat de Memp.
Chamamos a atteogao de tolas as mes para
o remedio mais agradavel e ulil que se conheee
para fa^r expellir as lombrigas. As pastilhas ver-
mfugas de Kemp, em vez de todos esses immun-
doR e perigosos remedios vermfugos compostjs de
toda a ca cioso rpnfcilo vegetal proinpto e mfallivel na sua
operagao, nao causaodo oauseas uem incomrao-
dos de qualidadealguma, produziudo sempre o seu
I effeilo d'uina manera suave e completa, nao ca-
recendodepois a assistencia de qualquei um outro
purgante, til como um excell.mte meio de fazer
remo.er as obslrucgdes do venlro, nie-ino no caso
de nao exisUrem vermes alguns e fiaalmeote lor-
namse ellas dignas por todos os respeitos da con-
fianga e approvago de todos os pas de familias os
quaes acharao estas pastilhas elegantemente acon-
dicionadas dentro de frasquinhos de crystal.
V venda as boticas de Caors & Barboza, e de
Joo da C. Bravo & C.
G0MME1CI0.
803
363
236
sendo o maior premio 10:0005.
Pela barca ingleza Finen, em sua viagem de
Liverpool do nosso porto, foram encontrados os na-
vios seguintes : barca ingleza Eotlien, de Ply-j
raoulh para Buenos-Avres na lat. N. 42o58' e
long. 0. 15 34', a barca ingleza Atilla, da Ma-!
deira para Colombo. na lat. N. 30e long. O 20
16 ; a barca ranceza Anne Marte, de Brdeos
para as Mauricias.na lat. N. 12"8' e long. 025 \
40; a barca hamburgueza Ca ton, de llamburgo
para Valj^raizo, najal. N. 11 24' e long. O. 25
36'; a barca ingleza Sewllamphne, de Bassein
liara Falmouth, oa lat. N. 950' e long. 2o40";
a barca iogleza Alfredo, do mesmo porto para Cal-1
cuta, na lat. N. 849 e lonp. O. 2i-5- a barca \
hollandeza Gebroeders, de Aoi-terdam para Bata- i
yia, na lat. N. 6 e long. 0. 21 e a barca iogleza
Hemrod, de Londres para a Nova Zelandia, na lat.
N.412' elong 0. 1726'.
No balango po se procedeu, na ihesoura-
ria provincial, no da 30 do mez passado, venfica-
rara-se os seguidles saldos : na caixa do exerrieio
de 1863-1864 8.'6630 5 na de 164 1865
Manoel de Souza Menezes.....
Luizde Franga Soares.......
Manoel Joaquim Duarte de Souza.
230
192
172
138
114
112
10o
50
39
18
a
2
Ornara municipal do Recife, 1 de setembro do
1864.
O procurador,
Jorae Vctor Ferreira Lopes.
MU 0 BANCO DE PERNAHBICO.
Galancete do Novo Banco ir Pernamliuco coi 30 de
setembro de 18(51.
ACTIVO
A polines da divida publica........
Iv-irada de ferro de Pedro II.....,
Estrada defer o da Baha........
Deposito.........
Imas depositadas.
m\) sumo m YmmiM.
0 novo baen f*p$ 13 dividen
na raiit de 8(000 por acio.
PR l 1 DO REC FJE
3 de uutabro de 18H4.
Algodao 1 sorte22 e 235 por arroba.
Frete deassucar para Liverpool10| e 5 0|0 ppr
tonelada.
Alffandega
Rendimento do dia 1............ 31:0I3I58
dem do dia 3................. 45:973i361
76:986519
novlmcoo da alfandega
Volames entrados cora fazendas...
com gneros...
Volamos sabidas com fazendas...
com gneros...
328
410
------738
129
873
1,002
Ttulos depositados. .
Lelras depositadas. .
59:1425598 ; oado7algmneot.79:4002"30 fa da Lulras caucionadas .
divida provincial 49350S5 ; na de depsitos...... la-trae dientudas .
398 4915130 sendo 2:6035019 era uiooda....... Letras a receber .
31:2115600 oes, e 364:6765511 em lettras. -eiras protestadas .
Hoje ce \ < os religiosos franciscanos a """"""V",. :. '
festa do seu paoWro, com a simpiicidade e bom anco ua Babia A/L .
gosio do eosiume^. .J,,se Antonio de liguciredo
Repart?ao da polica. 'ior do Riode Jauoim.
(Extracto das partes dos dias 2 e 3 de outubro do
708:6725481
144:0005000
135:6* 5320
5000
5280
Ju-
Alnguel de casa
For.....'.memo .
Dospezas geraes.
Caixa..........
PASS1VO.
Capital..........
Emissao.........
Depsitos da direeco ....
Cuntas rorrenles simples..........
Fundo de reserva......
rillos em caugo.....
Knowles & Posler. ( o Loolief.j
Banco da Baha S/C ....
Massas fallidas cargo do Banco.
Dividendos........
UesCuUlOS................,...,,..
1864.
Foram rerolhidos a casa de detencao no da 1.
do corrente :
A' ordem do subdelegado do Recife, Pedro Fa-
nemliurijue, belga, para correegao.
A' ordem do de Santo Antonio, Vicente, Luiz o
Joaquim, escravos, este de Joaijuira Martins Morei-
ra, aquel le de um fuao Queiroz, e aquel le outro de
Manoel Juvenciode Saboia.o priineiro e segundo por
mfraegao de posturas, e o ultimo requerimeulo
do respectivo senhor.
A' ordem do de Sao Jos, Anna Joaquiua do Car-
ino e Maria da Assuiopgo e Prazeres, arabas por
dislurbies.
2
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel Go-
mes ta Silva Pimental, por brga, os inglezes He-
my Wahis e Jaime Raclt, ambos sera declaragao
do motivo.
A' ordem do de Santo Antonio, Sebastiao, escra-
vo de Antonio Jacntho Borges, requerimentodesle.
A'ordem do de S> Jos, Antonio Jos Tavares j
de Medeiros, disposigo do tenente coronel re- 3548 notas uo vaioi de
erutador, Antonio Bartholomo Marques, Jos Fer- 4459
reir da Silva, Jos da Silva Ferreira Vmhas, Mi- 2290
guel da Fonceca, Jo- Tavares Martins, Jacntho de
Souza Oliveira, Antonia Andreza iIj Costa liis, e
Jos, escravo de Manoel Izidoro de Oliveira Lobo, -
todos por disturbios, Francisco, escravo de Anna Lstado da caha.
Maria do Espirito Santo, para averguagoes, Tertu- gra ouro amoedado.....
Iiano das Chagas Coelho, por furto, e Manoel Jos Ero DOus do ihesouro mlores
de Santa Anna, por crune. de rapto. ,je 105000
A' ordem do da Capunga, Jos Francisco Simoes' Em diiaa .u-....re< > 105 .' .'
por losultos I Em nntaa da caixa filial do Ban-
A ordem do da Magdalena, Manoel Gomes da co do Brasil
Conceigo, para correcge, e Jos Baplista da Mot- gra nilia8 Uu N'oro
13.':6/l5:
7S:CtO(
::7^'55
72:68527i
16:0.'i3O
34:83" 5000
748:991*749
54:3674766
230:381*962
12:6595092
197:6295220
720:8925887
1:8375500
5:0005000
2:6465 H3
818:42258.15
Res. 3,982:7055909
2,000:0005000
1,270:00050011
72:0005000
253:8545047
113:4475600
94:5123984
155270
131:0795635
1:4^65058
10.00250011
36:2985315
Bis. 3,982:7055909
Demuuslrago da cniissao elVectiva.
2005000
ltH)5lMH)
505000
709:6005000
445:9005000
114:5005000
Ris 1.270:0005000
376:6455000
5:7005000
7:5305000
116:650*1000
ta, para averguagoes.
O chefe da 2" secgao,
J. G. de Mesquita.
Movimento da casa de detengao do dia
de outubro de 1864 :
E\i.-iiam....... 365 presos.
A saber
En ira rara...... Sahiram....... Exisiein....... 20 6 379 >
Eslrangeiros. .. Estrangeira.... Escravas...... 311 5 17 1 41 4 > > i i
P. 8.-13 de setembro.
As folbas desta manha nada adiantam.
WP
PERNAMRUCO,
BVISTA MAMA.
Se lK*m que sejainos p*>uco camav-d s pequeas
intriga; >e bem qua ini*erav'-i inrreiiagoVs
no^ ai i em obraiiCeirn aos .-eus enVilo*, cora ludo da de Liverpool
nao deprezanios urnas e outras ao ponto de sem-, aoca-
Alimeotades custa dos cofres provioeiaes 151
Movraeoto da enfermara do '
de 1864.
Teve baixa:
Joaquina Thereza Nones.
Movjmento da casa de detengao do dia 1 de
outubro de 1864.
Exislian....... 368 presos.
Entraraoi...... 8 >
Sahiram ..... 11 >
Banco de Per-
iiHiibui'o geifln
584 de 2005 116:8005
727 d 1005 72:7005
307 d 505 15:3505
En i rata e cobre.
S. E. & O.
Descarregaiu no dia 4 de outubro.
Birca rancezaSpkeremercaduras.
Barca ingieza Vision louca e mercodorias.
Bngue iuglezIngaraniamercadorias.
Patache portuguoz 4fUri< 4a Gloria diversos
gneros.
E-cuna Venezuela Ernte-diversos gneros.
Patacho austraco Carita farinha de trigo.
Patacho hanoverianoEmsland -dem
Eecuoa dinaraarqueza Adonis -farinha de trigo.
Escuna americana Fannie Lincolon taboado e
farinha.
Galera imilezaUerviioneferro para a ponte.
Bngue inglez-Leon -ferro e cemento.
Uarea ioglezaSerapJiiaaferro e gaz.
Importado.
Barca franceza Spkere, entrada do Havre, consig-
nada a Tisset frere, raanifestou o seguidle :
2,576 75 cextos champanae ; a Rothe c Bidoulac.
100 barris o 100 nietos raauteiga, 1 caina amei-
xas ; a Vicente F. da Costa.
22 caixas tecido de algodao, chales, chapeos, bo-
tes e marroquins; a F. Mouhard cVC.
18 caixas sardinhas ; a N. O. Bieber & C.
200gigos balafas, 116 caixas e 1 fardo tecidos
de, algodao, de liuho, de algodao e laa, de laa, rou-
pas, vestidos, ele, ; a J. Keller & C.
2 voluntes quoijos, 36 caixas e 2 fardos tecidos
de alg.ido, de lia, do linho, espelhos, vestidos, per-
fumara, etc.; a Linden Wild rV C.
25 caixas e 2 fardos tecidos de algodao, de lia e
chales ; a Schafneiiiim & C.
6 caixas conservas, 2 ditas perfumaras, 5 ditas
vuiii.i, 17 lias objeea diversos, 2 barra pnegus,
6 ditos tintas, 1 caixa brinquedos, 1 dita tecido
elstico, 1 dita calcado, 2 ditas aspamos, 3 barris
i'orc.iilaua,3 caixas cbias, 1 dia vidros, 10 eaixas
velas ; a ordem.
37 rallas o 6 fardos tecidos de laa, de algodao,
chapeos de sol, calgado, etc. ; a F. Sauvage & C.
2 volnmes qUeij. ; a Dencker & Barrse.
10 caixas e 6 barris drogas; a Caors & Bar-
bosa.
1 caixa flores medicinaos, 1 dita para capcllistas:
a J. A. Baudaux.
62 caixas vinho ; a R. B. Lasserre.
50 cextos champanhe ; a Saunders freres.
2 caixas pianos; a J. P Vogelev.
30 caixas ajiuardeuie, 4 ditas vidros, 4 ditas cha-
peos, 2 ditas tecidos de algodao; a Theodoro Chris-
tiara.
I caixa vidros ; a Xavier de Mattos Telles.
3j;aixas chaiios ; a Christiani freres.
45 barris e 60 meios mante ga ; a Antonio de A.
Go nes.
50 barris e 50 meios manteiga ; a Miguel Jos
Alves.
1 caixa coras morluarias ; a Joaquim de A.
Pinto.
1 caixa artigo* do pharmacia ; a P. Maurer & C.
1 caixa sulfato de quimn, 1 dita xarope de oa-
f ; a Ramos e Silva ,\ Choros.
1 caixa chapeos para senhora a Antonio L. dos
Santos.
35 caixas tecidos de laa, de algodao, miudezas,
peales, perfumara, chitas, cartas de jugar, papel
de escrever, leugo- de algodao, candes de alfineles,
Hutas riscados couros, ele. ; a Mello Lobo & C.
42 caixas e 5 fardos fa/.endas, perfumaras, e
miudezas, a Heurique & Azevodo.
8 caixas fazendas, chales, chapeos, 1 barril vi-
uho ; a A. C. de Abreu.
45 caixas e 1 fardo lecidos de algodao, de laa,
de linho e algodao, de. dito e linho, de laa e algo-
lo, raeias de dito, chales de dito, modas, chapos
de pallia, caigado, couros enveruisados, bezerros,
e'iapos, roupas, fitas de algodao, cartes, ele. ; a
Ferreira & Araujo.
50 barris e 100 meios manteiga ; a A. Luiz de
Oliveira Azevedo & C.
lo caixas tecidos, fazendas e chales : a D. P.
Will.
1 caixa fumo, 2 dius cachimbos; a Jos Leo-
poldo Bourgard.
1 caixa objectos para livraria ; a Jos B. de
Mella.
1 caixa molduras, I dita obras de marcineiro, 1
dita objectos para cama, 1 dita drogas, 10 ditas vi-
dros ; a Len Chapelin.
28 caixas, 1 fardo e 2 barricas fazendas e miu-
dezas a Vaz A Leal.
33 caixas tecidos de algodao, de laa, chapelaria,
modas, raleados,; a E. A. Burle & C.
4 caixas espingardas; a Jos Antonio Moreira
Dias.
1 barril vioho, 7 caixas perfumara, papel, cal-
i gado, miudezas roupas, etc.; a Monteiro Lopes 1 :.
1 caixa couro envernisado ; a S. T. Bastos &
Irmo.
7 caixas couro envernisado, oleados e mobilias ;
a Joo P. Mouiintio.
1 caixa mubilia ; a Rufino Antonio de Mello.
6 ditas ditas ; a R cha Luna & Guimanies.
4 caixas xarope medicinal, vidros, perfumaras
e couro; a Ismael Cesar Dnarie Ribero.
1 barril tinta, 3 caixas vidros; a Joo da C.
Bravo 4 C.
i caixa objectos para livraria; a Jos M. de
Souza.
1 caixa couros; a Lehmam freres.
1 volurae timbres ; a Lourengo de S e Albu-
querque.
4 barris alvaiade, 1 dito tinta, 1 caixa verniz, 1
dila sabo modicina!, 2 ditas acido sulfrico; a
Joaquim Martiuho da Ciuz Crrela.
45 barris e 50 meios manteiga, 1 caixa dila a
Tasso irmos.
Hiato nacional Santa Cruz, entrado do Aracaly,
consiguado C. C. da Costa Moreira, manifeslou o
seguale :
13 saceos gomma ; a Tasso Irmos.
_20 saceos cora 129 arrobas e 10 libras de algo-
dao ; a Antonio C. de Vasconcellos & C.
49 sacos cora 243 arrobas e 7 libras de algo-
dao ; a Prenle Vianna & C
76 saceos cora 189 arrobas e 26 libras de algo-
dao, 68 meios de sola, 4 saceos, 52 barricas gom-
ma, 6 mullios esleirs, 24 molhos com 600 coun-
nhos ; ordem.
101 meios de sola, 51 saceos cora 201 arrobas e
21 libras do algoaao ; a Jos do S Leito Jnior.
39 saceos cora 247 arrobas e 15 libras de algo-
do, 199 meios de sola, 112 couros salgados, 37
saceos cora 18 arrobase 16 libras de gomma.
Bngne |K>rtuxuez VniCw, chegado do Porto, ma-
nifesiou o seguiute :
100 canastras albos a Antonio Lopes Braga.
201 dnas dilos; a Antonio daSilva Campos.
20 barris pregos, 1 caixo coxins ; a ordem.
2 caixoes peneiras, alfazema ele ; a Baltar & Oli-
veira.
100 canastras alhos, 34 caixoes azulejos ; a Car-
valhn & Nogueira.
3 caixoes peales, 2 fardos capacbos : a C G B*e-
keofld.
210 caixas c 87 barris vinho ; a Cunta Irmos
iC.
Parao^bauhaofabfantaria
oO bonets redondos sea i
I
Para o commando das arma-
3 jarras de barro com laupa.
12 quaninhas.
1 copo de vidro.
3 di ios de vidro lapidado-.
1 bacia de louga.
1 globo de vidro.
3 ourioes de louga.
2 laniernas ou mangas de *H
6 escarradeiras de alo.
1 castiga I de laiao.
1 bandeja pequea de folha.
3 fechaduras com chaves para gavetas.
ijiii-m quizer vender laes artigos aprsente
proposlas em carta fechada na secretara da i
Iho administrativo s 10 horas da maafcia da dto ft
de outubro viudouro.
Sala das sessoes do ronselho administrativo
fornecimento do arsenal de guerra, 27 da i
de 1864.

Mas
para
2 moias pipas vinho, 2 ratxSea prensas de copiar
cartas ; a David Porreira Baltar.
6 voluntes louga e vidros; a Duarte Pereira & C.
2 dilos chapeos e calgado ; a Eslevo da Cunha
Medeiros.
i barril vinho; a Francisco Canuto da Boavia-
gem.
1 caixo obras de prata ; a Francisco Gomes de
Mattos Jnior.
1 barril vinho ; aH. Fosler & C.
1 caixo lampadas de latan; a Jos Baplista Braga.
Antonio Pedro de S BtriU,
Coronel presidente
SttiasliSo Jos Basilio fiyrrie
Vogal secretario interine.
Tribunal do com atrae).
Pela secretaria do iribuoal do cooMoarrio de
Peruambuco, se faz publico que nesta data Ara
registrado o cootrato d sociedade de Vicente Fer
reir da Costa e Jos Ferreira da Costa, estartele-
cidos nesta cidado soh a firma social de Vrenle
Ferreira da Cosa A Filho. a qual deve dorar por
lempo indeterminado, e com o capital de 144370*
j.i realisado en dinheiro e loercaorias, faraeride
pelo socio l' Ferreira da Costa 4:370, a tefe
socio Vicente o excedente.
Secretaria do tribunal do couamerckt de Pecauai
buco 1' de outubro de 1864.
Julio Guimaraes,
wflitial ejaier.
Ooiisfllid atltuiistmlif*.
O convelbo admioistrativo para fornecimento d
arsenal de guerra tera de comprar os objectos
seguintes:
Para o arsenal de fnerra.
Garri de podra, toneladas iogleza 10.
Para a casa da guarda do palacio da are?i-
deoca.
Velas stearoas, libras150.
Quem quizer veoder laes artigo* aprsente sn*
propostas eot caria fechada oa secretara do reamv
Ili3 administrativo s 10 horas da raannaa do dea 10
de outubro vindonro.
Sala das sessoes do ronselho administrativo para
foroecimento do arsenal de guerra, 3 de oa futre
de 1864.
Antonio Pedro de S BarrtU,
Corone I presidente.
iebstio Jote Basilio Pgrrhe
Vogal secretario interino.
Consc'iio de compras lavae*.
O conselho promove no da 5 do corrale saez,
vista de propostas entregues at as II aura* da
rnanhaa, a compra do seguate :
100 pegas de merino, 50 chapeos 0> oleado
145 covados de damasco de seda verde, SO eeeaar
chos, 1,000 femeas de rede, 20 laniernas de pn-
t'W te, 20 arrobas de mialhar branco, 1,000 libras
de pregos de zinco, 100 sacros proprios para ron-
du.-go de carvo de pedra, 600 -apanines diver-
sos, 6 duzias de t.tboas de assoalhos de amareis
2 barris enchada<, 1 caixo torneiras; a Joaquim ou vinhatico de 38 palmos limpos de compriiaeMe.
Ferreira de Araujo Guimares.
200 Hagas de vime : a J. Macedo do Amaral.
3 caixoes figuras; a J. Francisco da Silva Ju
oior.
36 saceos feijao, 11 ditos folhas de louro, 8 bar-
ris presuntos; a Joaquim Vieira do Barros.
1 amarrado cestos ; a J. A. F. Fradique.
2 barris vinho ; a Jos J. de Castro Moura.
6 ditos enchadas, 8 ditos pregos ; a Jos J. de
Lima Bairo.
2 caixoes palitos, 100 ancoretas azeitonas, 100
eanastras albo e 8 barris presuntos ; a Maueel
Duarte Rodrigues.
6 voluntes Imha de barquinha, 2 barris baga,
300 liagas de vime, 32 caixoes pomada ; a Manoel
Joaquim Ramos a Silva t\ Genro.
4 caixoes chinellas ; a Manoel Jos da Silva Fil-
gueiras.
1 barril vinho; a Manoel Jos de S Araujo.
1 pacote panno de liuho ; a Marcelino Jos Gon-
Calves da Fonte.
1 caixo imagens ;a Marques Barros & C.
5 barris vinho ; a Palmeira & Beltro.
2 caixoes linhas, 1 dito brides ; a Prente Vian-
na (t C.
1 dito imagens; a Paulo Jos Gomes.
11 ditos ceblas, 1 dito folhetos ; a Raymundo
C. Leile 25 barris vinho, 20 canastras alhos ; a Thomaz
d'Aqumo Fonceca Jnior.
2 caixoes peales, 46 volumes ferragens, 40 ditos
pomada.
Kecebedorla de rendas Inferna-
geraes de Pernaubuco.
Rendimento do dia 1............ 62IA668
dem do da 3................. 1:9636U6
10 duzias de lafatas de costado de ama relio de zt
a 30 palmos de cempnmcnto, 10 duzias de laMaa
de costadioho de amarello de i a 31 palmos da
comprmento, 20 duzias de ulnas de um Um da
amarello ou viniatico, potumoj, oo arana*, de
3 i pollegadas de gros.-ura e nao menee 30
ps de conipriinento, e 40 duzias de tabeas ditas
de 5 pollegadas de grossura e nao meaos da 35
ps de compriuienio.
Sao sujeilos os que vemlerem estes objerien
a inulta de 10 por ajenia, pela demora aa entrena
delles, e de 20 por cenlo se fortn de ma quaiida-
de, ou oo lizerem effectiva venda.
Sala do conselho de compras navaes, !. de ou
tulro de 1864.
Alexandre Rodrigues dos Aajos.
Secretario.
Cnnscibo dmini^iraliv.
O cons-'lho ailiiiinistrativo para fornecimento de
arsenal de guerra lem de comprar es obiecio-;
seguintes:
Para provmento do arsenal.
50 pelles do lastre.
Para o laboratorio.
13 arrobas, salitre calcinado.
10 ditas, enxufre.
6 dilas, plvora.
15 resraas, papel carto de formato grande
i-,' arroha imhhh Im
2:58527i
Consulado provincial.
Rendmeoto do dia 1............. 73845II
dem do dia 3................. 5855781
1.3243I2
MOVIMENTO m PORTO.
204:8503000
7:0741833
Ris. 818:422^835
O guarda livros,
Francisco Joaquim Pereira Pinto.
FUBUCiyOES A PEDIDO.
379 Srs. redactores da Revista Diaria Leodoem
vosso apreciavel jornal os pregos currentes da ap-
ota 2 de outubro roana Onda, vi que a carne asaca do Rio Grande
fura vendida, segunde diz a mesma Revista de 3 do
corrente, prego do 23400 35400 rs. o que nao
exacto, visto como certo que a melhor carne Carueiro 4 .Nogueira.
por arroba. 2 caixas fazendas, 1
A saber
Existem....... 365
Naconaes .... 204
Mulheres...... 10 >
Eslrangeiros... 7 >
E-Irangeira ... 1
Escravos...... 39 >
Escravas...... 4
( que pouca ) veudeu-se 34800 rs.
25 barris e 35 meios manteiga ; a Candido A. S.
da Molla.
62 canas tecidos de algodao, chapellana, velas,
papel de escrever, miuJezas, porcellana, roupas,
chales, peanas, envelupes e carios, fl .res, chapeos
de palha, cuuros, esptelas e (azendas de la, per-
fumaras ; a Alves Haranurger & C.
60 caixas agurdente, 50 ditas vioho ; a Barro*
A Silva.
5 caixas pianos ; a J. Vignes.
2 caixas fazendas; a Guilherme da Silva Gomes.
5 raixas oleo de ligado de bacalho ; a Bartho-
lomeu F. de Souza.
1 caixa obras de madeira ; a Loux Lezat.
24 canas ferragens, chapeos, cutilana, papel e
sabres ; a Prente Vianna & C
14 caixas tecido de algodao, de linho, camisas,
chales, lecido de laa e seda, etc., 12 caixa* artiaos
de viagem, vidros chapelaria, lencos e bouets; a
Navios entrados no dia 3.
Celle02 dias, barca italiana Atezme, de 245 to-
oeladas, capito Luiz Gazzolo, equipageni 9, car-
ga vioho e sal, a ordem. E*le navio segua para
o Bio de Janeiro, arribou a este porto por haver
fallecido o capito.
Assn'16 das palhabote hrasilero Sinf de 101 toneladas, capito Jos Victorino dasNe-
ves, equipagem 9, carga sal, algodao e outro*
gem-ros ; a C. <".. da C. Moreira.
Trira-Xova 32 dias, brigue iuglez Othelfo.de
177 tonelada*, capito John Glas*, equipagem 13,
carga 2,076 barricas com bacalho : a Johastoo
Pater& C.
Liverpool 37 das, escuna ingleza Zampa, de 154
toneladas, capito E. Wackelian, equipagem 8,
carga fazendas e outros gneros : a James By-
der & C. '
Observarao.
Suspendeu do lunario para Macera a galera in-
gleza Lord Dufferen, capito \V. Tilnald, com o
mesmo lastro que Irona de Serra Leoa.
-Nao huuveram sahidas.
EDITAES.

365
Alimentados a rosta dos nafre* pnblicos.. 182
PaMagejro da escuna ingleza Zampa, entra-
Flora Anua Armslrouge e i cri-

A informago que obtivemos, sabbado ultimo de
urna casa respeitavel desta praga, deu-ans a carne
serca do Rio Grande de 2200 34400, e a do Rio
da Prata de 2*400 a 34 a arroba.
Alm disso sendo o deposito de quasi duzentas
mil arrobas, nao nos parece que podesse obter
marar prego ; portante nio ha engao na nossa
Revista, como suppde o Sr. correspondente.
0 redactor da Revista Commercial.
dita coofeigao ; a T. Run-
gos batatas, 101 balas papel, 9 velumes vi-
caixa rame, livros e carios ; a Tisset
freres.
I caixa instrnmeatss de msica; a H. Do-
ment.
12 ditas calcado; a J. P. Arantes.
1 dita dito ; a Cumiios di Pereira.
3 ditas calgado e iwrceliana ; a Charles Leolere.
14 caixas vidros, peales do chifre, perfuinaria,
Por esta secretaria se faz publico, deerdem
do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, que casa de de-
tengao desta cidade acha-se recolhidn o preto Mar-
cirairo que esta repartigo fui remedido polo
delegado de polica do termo de Pao d'Alho, onde
foi preso no dia 15 de julho ultimo, como fgido,
declarando ne.*sa ocrasiao ser escravo de um F
Medeiros, morador na ra de Sania Bita, ao qual
isto se faz constar, afira de que solicite a entrega
do mesmo preto, mediante documento romprolialo-
rio de seu dominio legal, pagas as despezas feia*
coni a sua aluneiiugo.
Secretara da polica de Pernambuco 1* de ou-
tubro de 1864. secretario,
Eduardo de Barros Falro de Lacerda
. arroba, gomma laca.
8 canadas, aleool de 36 graos.
I arroba gomma de raaudioca.
4 libras, pedra-ume.
1 geral grande de pedra trilmar.
1 reloglo de parede.
1 lavatorio de ferro com bacia e jarro.
Quera quizer vendar taes artigos aprsente soa
pro,iosias era carta fechada na secretaria ifi runas
Iho admini*trativo s 10 horas da mannaa do dia 7
do outubro vindonro.
Sala das ses*0es do conselho administrativa para
fornecimento do arsenal de guerra, 27 de setemart*
de 1864
.Interno Pedro de Su Barrito,
Coronel presidente.
Sebaslio Jos Basilio Pyrrko,
Vogal secretario interino.
He ordem do Illm. Sr. inspector da Osesoora
na do foseada desta provincia se faz publico par a
conhecimt-nio dos mteres thesouro em ordem n. 131 de 14 do expirante ma
autorisou o pagamento de dividas de exereirio
lindos, cujos credores sao os egainte* -
NOMES:
Fraacisro Manoel Macel.
Luiz Jacques Bonnet.
Francisco Xavier dos Santos.
Antonio Joaquim Panaseo.
Joo Hircano Alvo- Maciel.
GnmarosA Oliveira.
Joo Antonio Piubeiro.
Jo* Bernardo Michles.
Jos Pereira Tei^era.
Manuel Cardoso de Souza.
Albino Jo* de Faria.
Alexandre Macedo dos Passos.
Antonio Luiz Duarte Nunes.
lie ni ard no de Seiraa.
Francisco Alexandre Dornellas.
Francisco de Souza Guerra.
Jacntho Jos de Mrllo.
Joo Chrisostomo de Oliveira Pelagio.
Jos Mara Ildefonso Jacome da Veiga Pessea
Jos Pedro Nolasco Pereira da Cunha.
Miguel dos Aojos Monteiro.
Raymundo dos Passes.
Tilo Joo Machada
Fernando Alfonso de Mello.
Jos Thomaz de Freilas.
Pedro Alfonso de Muilo.
(Secretaria da ih sourari.i de fazenda de Pcr-
iiambuco 30 de selemhro de 1864. Manoel Jote
Pinto, serviodo de offirial-malor.
Arreraatacrio.
OECLiBidSES.
Caara municipal de Recife.
O abaixo asignado, pnxrarador da cmara mu-
, nicipal desta ciade. faz publuo para couhecimen-
papel,.obras de madeira ealgodao ; a Izidoro &*. to das irmandades. conferas e ordena re,
in harru --*- ->-"-- m i I,u* ,li,n c,apnnibas no ceou'terio publico desta
10 barris o 20 meios manteista, 6 caixas arefjes, cidade, (raja concessao do termo f..i gratiiiial une
feZ\* mMam"am d* mu^ 5 A- > Pvlo art! 44 ra,.. 3- da lei Kwi^Rj*^
eri o r uno.. de mam do corrente anno. foi elevada a Mlfm
p *^ i Jorge Vctor Ferreira Lopes.
Car I da c.
Pelojnizo municipal da 2' vara, depois da ao-
diencia de 5 do correte, vao praca de venda
rer.nei imenio do lesiamenleiro c Inventanante, aa
lien- da tinada Mara Candida de Maca Ues para
pagamente de legad-s: um peqneao sinoae tocar
denominado Pedra Mulle, em terna da rarme
Dous Irmos, com casa de pedra e ral, com 78 n|.
m-is de iente e 34 de fundo, 1 salas e S ornaran
de frente, 2 quartes pequeo*, t dilos no quintal, e
cozinha, sendo o quintal murado com poriau pnrn
o sillo, mu alguns arvoredos de frocto avallaste
por 1:66O*iO0. ^^
Pela administracao do correo desta
faz publico, para uns convenientes, qne i
de do disposto oo art. 138 do repulan*
dos crrelos de 21 de dezemhro de 1844, <
do decrete n 185 de 15 de maio ae 1851 te *rm
cedern consumo das carias existentes na adeai-
ni-tracao. perlenrentes ao mez de sete
1863, no dia 5de outubro prximo, as III
manba, na porta do me*mo correo. a a re
va lisu se arda des.te j existe a's nUrr^L,
Administracao do rorreo de Pernambaro ti <
setembro de 1864.O admiaistrador,
Domingos d> Passos Miranda

S
- A
m\

"



*'- -
Mesa
>


DUrio de Hfrtia^aM Terf* felr 4 de Outubro rfe iSS*
Sexta-feira, 7 do corrcnte, flepois da ImIM
eia do Sr. Dr. juiz municipal da i* vara^iro
ptaca os seguales objectos : i commoda, 12 oa-
deiras, 1 sof de amarelle, e em bom estado, a
colhcres grandes de prafa para sopa e 15 oiiavas
de ouro de lei em diversas obras, por execuco de
Tranquilino Soiim Sesso contra Llz Mulib.
No dia 5 do correte moz'de outubro, depois
da audiencia do Sr. Dr. juiz municipal da 2J vara
desta cidade se ho de arrematar 10 cadeiras de
amarello cora assonto de palhinha, 2 diUs de bra-
cos, 2 consolos, 1 sof, meia commoda, 1 (elogio,
e 1 par de lanternas de vidro, por execugo da
Luiza Mara de Oliveira contra Luiz Antonio Bol-
lones. K a ultima praca.
C0BRU0 GERAL
Retoco das carias seguras existentes
ua adminislraco d cerrera desta
cidde para osseuhores aliaiio de-
claradas
Capilar Antonia Cedro Heitor.
Francisco de Mello Brrelo.
Francisco de Salles.
D. Henriqueta Margaridado Nasciraento(Afogauoj.
Joaqnim Antonio Carnelro.
Joaquim Monleiro da Cruz.
Dr. joaquim Moreira da Silva.
Manocl Jos Martins da Silva.
hoje.
as l i boras do dia porta da Associacio Com-
tnercial.
HOJE.
O asente Pestaa iegalraenie autorisado vender
em leilo diversos escravos por coala de quera
pertencer a saber : 1 negra crioula de 20 aanos
de dade, engomma, cosinha e cose; 1 dita da
mesma idade con as raesoias habilidades ; 1 dita
; de 30 annos, cariaba o engomma, cose pouco; 1
escravo de 30 annos para lodo o 'service ; 1 mole-
que de 6 7 annos hnda figura e muito esperto :
os quaessero vendidos ein leilo terca-feira 4 do
correte pelas 40 horas da manha no largo do
j Corpa Santo, junto ao armazem dos Srs. Palmeira
/i Beltro.
Quarta-felra. 5 de outubro.
EXTHAOKDINAIUA REPRESENTACiO
Fm beneficio Ha Associaco Typegrapbica Pernam-
bncana, generosamente concedido pelo primeiro
prestidigitador brasilfiro
.lii.g lON SANTO PEBEIBA.
Loo que a orcheslra executar urna das roelho-
re symphonias, sero abertos os trabalhos pelos
enigmticos e inexplicaveis efleitos que tem |or ti-
tulo :
A SALA DOS SKC3!tCDON
ou
OS *YSIEK1 PIUMEiriA E SECUNDA PABTE.
Sero preenchidas por urna escnlha de nteres-
ante* sones de um e Afeito maravilhoso, cujos tra-
balhos sero tinalisados pela extraordinaria execu-
go dos effeitos da
Suspeosto de urna meuioa pelo lio de
um cahello
Trabalho que nicamente tem sido apresenlado
ao Brasil pelo prestidi^dor.
TERCEIRA PARTE.
As sublimes appancoes das vistas dissolutivas,
que tem por denominaeo
Os effeitos do megascopio
egypelo.
Finasaudo estes trabalhos pelo sublime quadro
E
A APPARIQO DIVINA.
Em seguida volvero coni variadas cures
As circulares elctricas.
E' com a cscolha do um tal diwrtimentoquo o
distincto prestidigitador se prestou a salisfazer
s solicita oes da Associaco Typo?raphica, con-
cedendo-lhe ara beneficio com o qual ha penhora-
Jo o reconhecimento desta rlasse de artistas Per-
nambucanos ; sendo secundado pela empreza dra-
mtica dos Srs. Germano & Coimbra, que promp-
tameote franquearan! o thcalro, aflra de ter ah lu-
gar semelhanle beueficio.
Os beneficiados esperara merecer do generoso
publico desta cidade toda a protec.ao que co-iu-
ma prodigalisar aos que recorren! a seu vali-
liento.
()s bilhetes podem ser procralos a na do Im-
pera lor n. o. loja de livros dos Srs. Guimares &
Oliveira, buje depois do meio dia em diante, e no
Jia do espectculo no escriptono do theatro.
Principiar as 8 horas.
Prepara-se cora todo anparato o magnific dra-
ma, oriuinal franrez em actos
OCORHEiO DELIA'O
0 PROCESSO LESURQUE
da
r>.
Terca-feira 4 de lutubrv, s 11 horas,
ra da Cadeia n 53
DE
lu excelleute cavallo, muito bom andador de tu-
do, novo, est gordo, de superior estima.
PELO AGENTE EUZEBIO.
ABMS MIEMOS.
Aos 10:0OH$O0t).
Corre depois d'amauhaa.
Quinta-feira t de outubro do corrente
anno se extrahit a quinta parte da quar-
ta lotera (110a) a beneficio do Gymnasio
Pernambncano, no consistorio da igreja de
Nossa Senhora do Rosario da freguem de
Santo Antonio.
Os biitietes, ineios e quartos acham-se
?enda na respectiva thesonraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:0000000 at 20*5000
sero pagos urna hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dis
segainte depois da distribuirlo das listas.
Servindo de tbesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
CASA HA FOhTIM
AOS 10:000.000
i i I he tes garantidos
LEiLftO
Publleaeo 1 literaria.
Sabio i luz o opsculo intitulado
'A iimuimn
BRASIL
POR
Affonso de Atbuquerque Mello
Convidam-se os assignantes a mandaren! receber
seus exemplares na praca da Independencia ns. 6
e 8, que sero entregues vista dos recibos das as-
signalu/as ; ah tambem esto expostos venda a
35000 cada um. Sao sob os seguintes ttulos as
materias de que se ocetipa:
Introducci 1. NocSo da liberdade. O Brasil co-
lonia.Revoluco de 1817A IndependenciaA
constitulnteAcoosuluicoA revoluco de 1834.
A expnlsao ou afodicac/io. A regencia livre. O
partido regresssta. -Ameaga dos corcuadas e que-
da dos livres. A regencia coreunda.Causa dos
males da regencia livre. Regencia coreunda e
maioridade.Principios do reinado de U. Pedro.-
Revolta de Minas e S.Paulo.Dominio da Praia
Luzia.O dominio liberal nao inqmetava os cor-
cundas. Keitos do dominio liberal.-A praiaeChi-
nchorrosenatoria.A re volta e a revoluco de
1848 A constituinte.-A constituinte. Derrota
da revoluco. Negociado de Honorio com os libe-
raos : traidores.-Venda da bandeira da cons
titainte. O partido liberal durante osquatorze an-
uos do chumado ostracismo. Os corcundas e os
DE
UW.i TABERNA
Sita na travessa do Lima em Santo
Amare.
Quarta-feira 5 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer os gneros, armago c mais uten-
cilios existentes na taberna sita na travessa do
Luna em Santo Amaro, em um s lote, garntese
a casa : quarta-feira 5 do corrente pelas 11 horas
da manha na mesma taberna.
DE
1 ,n piano moderno-armnico, urna machina para
arrolhar garrafas, ,um apparador grande de j
magno, qualro volumes da historia de Portugal
e diversos livros de litteratura, um casal de pa-
ves, um relogio de ouro meo chronometro,
um dito patente, um cavallo com todos os anda-
res para ambas as solas, joias de ouro, um ter-1
no de bandeijas de charo, urna peca de esteira
para sala e dotros muitos artigos.
Qnarta-feira i> do corrente s 11 horas em potito,
Cordeiro Simes
far leilo sem reserva de prego dos objectos ci-
ma declarados.
No armazem da na da Cadeia n. 48.
Cordeiro Simes
vender em leilo sem limites ao correr do mar- i
tello urna mobilia de amarello, 1 secretoria de
dito, 1 carteira de dito, 1 rico guarda-vestido de
raz de amarello, 1 cama franceza de amarello, 1
cama de ferro, 1 sanctuano de Jacaranda, 1 duzia
de cadeiras de faia, 1 dita de amarello, 1 borco de
amarello, 1 berco de Jacaranda, 1 commoda, 1 dita
pequea, 1 par de consolos, 2 caminhas para me-
ninos, 1 mesa de meto de sala, 2 pares de garrafas,
i pares de jarros de porcelana. 1 candelabro, 2
relogios de parede, 3 quadros fiaos, diversas pe-
gas de porcelana, lavatorios, banqunhas, mesas
de amartllo, 10 ternos de bandeijas. 1 cabide.cau
dieiros gaz, 1 grande mesa de pinho e outros
muitos objectos que seria enfadonho menciona-tos.
ftaita-fcira o do corrente s H hu-
ras pm ponto
No armazem da ra da Cadeia do Recife n. 48.
A' ra do Crespo n. 23 e casas do tstame
O abaixo assignado venden nos seus muito feli- ,
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou beraes durante os quatorze annos.-Captiveiro re-
de extrahir a beneficio da igreja de Santa Rita, os signado c voluntario dos liberaes durante os. qna-
seguntes premios* i torzeannos.O povo coreunda, ou os yermemos e
N. 30^9 d us quartos com 10:0005000 os s^ios- -A situaco propriamente poltica.- Ins-
N. 950 meio bilhete com 2:0005000 tiiuicpes livres, e direitos polticos que ovemos
N. 1726 dous quartos cera 5003606 ;ate fim da regencia livre, e o que actualmente
E outras muitas de 2005, 1005, 40* e 20*. temos em lugar delles.-Os representantes da na-
Os possuidore podem vir receber sera os des- SjM> e das provincias.Sitoacao administrativa.-
n. da* I*!* na Casa daFnruna bi do t'.res- que sao nella os Portuguezes. Como o gover-
, no obrigado a corromper o paiz e a fazer-lhe
:ham-se venda os da quinta parte da quarta sempro maior mal.Como se multiplica e se paga
ia a beneficio do Gymnasio, que se extrahir;a.clienleHa do governo para sustentar-se o impe-
rio coreunda. O procnsul.O procnsul da co-
' marca. Dos cargos, dos crimes e da punigo.tA
iustiga.-Juizes municipaes.Juizes de direito. -
[Tribunaes.Os das Relagoes.Tribunaes do Com-
; mercio.Supremo Tribunal de Justiga.O jury.
Os advogados.Conclusao. Garanta dos direitos.
con.os das les na Casa da Fortuna ra do
pe n. 23.
Acham
loter
no dia 6 de outubro.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios......... S5000
Quartos........ 35000
Para as pessoas que comprar em
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115000
Meios......... 55500
Quartos......, 25750
. Manoe.l Martins Fiuza
OABfWGTE
I'UiMU'KZ "I; LblItK EN PER- I
\*HBUti>.
De ord.'m do Illra. Sr. presidente conroco o con-
selho deliberativo deste Gabinete para se reunir '<
em sossao ordinaria qnarta-feira o do corrente, s !
6 horas da tarde, na sala das respect 'as sessoes. ,"
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portuguez de Leitura em Pernamburo 1" de ootu
bro de 1864.
A. A. dos Santos Porto.
_______________________l." secretario.
Precisa-se de urna ama livre ou esmva
para casa de daas pessoas : na ra estreita do Ro-
sario n. 18._________________________________
Precisa-sede urna ama qne saiba cozinhar e
comprar : ua ra de Santo Amaro n. 6, primeiro
andar. '
Est para alugar-se um exceliente armazem i
na ra dos Guararapes, proprio para um eslabele-'
cimento de padaria ou refinaco por ter um gran-'
de telheiro e urna exceliente chamin, qne tudo se I
aluga por prego commodo : a tratar na na dos
Guararapes n. 78.________'____________________ |
Precisa-se de urna ama de leite : na ra do;
Livramento n. 20, segundo andar.
Precisa-se al ugar um preto de meia idade
para o servigo regular de urna casa : na loja do'
Passeio n. 3 se far o trato.____________________I
Deseja-se fallar aos senhores abaixo men-
cionados a negocio que thes diz respeilo. na ra
do Hospicio n. 48 : I
Luiz Cesar Pinto de Farias.
Joo Ramiro de Azevedo Campos.
Jos Affonso de Azevedo Campos.
Jo- Luiz de Souza.
Firminn Hercnlano da Silva.
Joo da Cunta Wanderley.
Manoel Jeronymo de Alhqnerque.
Luiz Bernardinu da Costa.
Joaquim Jos Colmhra de Andrade Jnior.
Manoel Osmundo da Cmara Pimentel.
Ja Francisco Ribetro de Souza.______________
Precisa-se alugar um moleque que seja fiel
a tratar na ra da Cruz n. 46, primeiro andar.
DE
ESTABELECLMENTO.
0 a^eiite Olympio mndou__-
seu armazem de leiloe |w-
ra ra do Vigarion. 10,
aonde pretende coutiiiwir a
fazersuas feiras semanaes
e espera ter a mesma wu-
currenci de seus e/immilten-
tes e amigos, nao fondo
responsabilidade algn no
armazem da ra da Caleia
do Ilecife i. 48.
nua do Viga rio n |0.
DENTISTA DE PARS
1Km Smi-19
L
Fredenco Gautier, cwgBo OMiea,
faz todas as op^raeoe de sua *Vx, rol-
loca denles artittriaea, todo wm saprn-
ridade e perfeigo, qne as p*^" 'Wi
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos desliar.
Precisa-se de urna criada livr* oa e-rrav
que saiba cozinhar e engommar : aa roa Us Croa
u. 42, primeiro andar.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre e seguine
Io molestias de olhos ;
2o de peito :
3o dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecendo o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d si
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
LEILO
COMPANHIA BRASILSIRA
DE
A.QSJE'ffES A. VAPOR-
Dos portos do norte esperado
o vapor Cruzeiro do Sul, com-
mandante Alcanforado, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portos do sul.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual deven
ser embarcada no dia de sua enerada, cncommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
mo Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Havega '.irahyba, Nalal, Maco, Aracaly, Cear,
Acaracu' e Granja.
O vapor iagmribc, comman-
daute Lobato,seguir para os por-
tos cima no dia 7 de outubro as
15 horas da larde. Recebe carga
_ "at o dia 6. Encommendas, pas-
sageiros e diuheiro a frete at o dia da sahida
s3 horas da tarde : escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
DE
Trastes e outros objectos de
gusto.
Qnarta-feira 5 do crrente s 11 horas
No armazem da ra da Cruz n. 57.
O agente Olympio no dia, hora e lugar acuna ;
vender em leilo diversos trastes noves e usados, I
relogios, espelhos, commodas, carteiras, cabidos, i
lavatorios, manjuezas, cadeiras avulsas c outros
muitos artigos.
Feira semanal
DE
Trastes, erystacs, relogios e outros
"rtigos.
Quinta-feira G do corrente.
\o armazem da rna do gario u 10,
as 11 horas.
O asente Olympio em seu novo armazem da raa
do Vigaro n. 10, fara leilo de diversos trastes
novos e usados, crystaes, cadeiras avulsas, relo-
gios de parede eafgiheira, consolos, candieiros a
gaz, mari|uezas, commodas e outros muitos arti-
gos que estarn patentes no dia do ieilu no arma-
zem da ra do Vigaro n. 10.
Precisa-se de un canceiro inteligente para
negocio de retalho : a tratar na ra da Senzala
Ve'iha n. 101). -rmazera._______________________
Aluga-se una casa na Ponte de (Jcha,
margem do rio, tem cocheira, estribara, o quarto
para criados : quem a pretender, dirija-se ao co-
ronel Nery Ferreira que est autorisado a l'izer o
arrenda m^nto.________________________________',
Precisa-se alugar una ama : a tratar no pa- ;
teo do Parzo n. 4, primeiro andar.___________
- Cyprlano Villarinho e Francisco Agr, sub-
ditos hespanh-ps, retiram-se para fra do imperio.
Aluga-se una escrava crioula, engominadei-
ra e cozinheira, de bons costuraos, junto a ponte
da Passagem da Magdalena, em casa de Manoel
Francisco Duarte.
O abaixo assignado avisa ao respeitavel pu-
blico e especialmente ao corpo do commercio des
A moral publica.-Dos crimes.As elei,-5es.
Corullario da obra saquarema. O que 6 a pa-
;tria. Situago para cam o exterior. Situaco
financeira.As financas do estado. A miseria -
Perigo salvamento dos corcundas.A liga.-
Gonw.se congregam os elementos para ella.Con-
sideracoesrelrospecivas. A constituinte. Prepa-
res antecedentes. Concliacao e opposicao parla-
mentar.Monta a liga.-O que sao os liberaes na
liga.Que hem faro os liberaes ao paiz.O pro-
gresso.Seus feitos.O que o progresso e que
far.Como se deve vi ver nesta trra e chegada
ao progresso.Porque o progresso s vem com-
pletar nossas desgracns e sem mais remedio.Se
ha salvafo para nos*qual seria o meio e bem f-
cil. Resumo. -A's cinco provincias pernambuca-
nas. Histrico e poltica coreunda.Deque pro-
vm a miseria. Como se corrompe na eleico.A
restrige da liberdade apar do progresso da immo-
1 ralidade.Corollario.
Desapparoceii hnje 29 de setembro (lo cor-
i rente anno um cavallo castanho escuro, com os
' quatro ps calcados, com as dinas ripadas a moda
faco, cujo cavallo levuu urna cangalha roera de
I estopa; desappareceu do becco do Peixe Frito,
; junto a loja do Sr. Pregiiiea : portanto roga-se a
I qualquer pessoa qne o adiar, o leve Amaro Fer-
1 reir de Lima, seu legitimo dono, morador no cu-
rato do Rom Jardim, ou mesma loja do Sr. Pre-
ROica, na ra do Quelmado n. 2, que ser genero-
samente recompensada._____________________
dfente de leiles Olympio ao
tem gerencia nem resp-ns^blitl de al-
gnnn no arma/.em
da ra da Cadeia
do Recife n, 48.
DE
ta praga, que vehdeu a sua taberna da ra di Con- j Ditos para senhora
cordia n. '>2aos Srs. Joaquim Domingos Fernn- | Dos pata menina
Doixai que os Hunos da civilisaco vos preguem
economapara os p>!'s 11 Esta parle do corpo
humano por certo aquella que, ueste clima, ne-
cessita de maior aasalho: pela humidade nos pos
se introduz a grande maioria das molestias, e com
estas a perda da saude e da vida !! Fra com as
botinas e sapalos velhos ; reforma-Ios
45-Rua Direita-45
Borzeguins francezes para hornera
Ditos inglezes idem a 85, 75 e
C/>
V',' (eoQ
v
O \ _j "
>A <--> kj
O
oo
S
3-ROA ESTREITA DO ROSARIO--*
Franeisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes antiticiaes tanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para conservaco da bocea.
naque obre Poi-lugal.
O abaixo assignado, autrisa>l pei,
Raneo Mercantil Purtuense. na o-i nrta
do Sr. Joaquim da Silva CMtb, saca ef-
foctivamente por todos os p.quetrs sobre
as pravas de Lisboa e Porto, e mai< liga-
res do reino, por qualquer **nma a vis-
ta, e a praso ; podendo, os qoe i..mnem
saques a praso.rereherem ftfffab, no ntw-
mo Raneo, descontando i OjO M anno: aa
loja de chapes da rna do (Vespa n. 6. oa
na ra do Imperador n. B3. s^ando as-
dar.Jos Joai|uini da OMi Siaia.

Vire-(oiisulatl< d- llespaalia.
Havendo fallecido o subdito hespanh!
Antonio Coutinho, sao conviilados tKto r*
devedores e rredores a Bpmrenmi nMi ^m-
consnlado os res|eclivos mulo- para proced fw
liquidaco da seu espolio
Aaat-Ciair
das ilhas ou os desterrados na illia da Rarra. m-
mance digno de ser lido pelas senhora- por Ma
lances interessantes posto* em exwwrao |>or imm
senhora, 3 volumes em brotara a 2J> : aa hi
na ns. 6 e 8 da pra^a da Indepenrfonda.
Frederic S. Ballin & C.
Juo (abe & Filho.
Francisco Rahoba & lallisla.
Jaime Meric.
Crdito commereial.
Gonzalo Segora.
M. Perera Y. Hijos.
EM POKTlTiAL.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
\'avcsa^3o costelra a vapor.
Taan are.Barra Grande, Ponta de Pedras,
Camaragibe, Macei, Penedo e
Aracaj.
No dia Si de outubro seguir
para os portos cima o vapor Pa-
rahyba, commandante Martins, s
jf> horas da tarde. Recebe carga
_/at o dia 4. Encommendas, passa-
gero c dinheiro a frete at o dia da sahida : es-
criptorio no Forte do Mattos n. 1.
LEILES.
LEILO
M
O agente Almeida competentemente antorisado
fara leilo de um exceliente sitio no lugar do Ro^
sarinho com grande casa que contera 3 alan, 4"
qaartM e 2 so aos, boa cosinha e terraco, estriba
ria e mais commodos, cacimba com superior agna
t!u beber, com 300 ps de larangeiras to las de ex-
ilente qualidade, mangueiras, co jueiros, sapoti-
ztiros e sapotas, grande quantidade do cajueiros,
duas grandes bailas para capim. urna meia agua
na extrema do Rio qne hoje serve de ayonguc e
icale 7 raenaes.
dse Jos Jorge Ferreira; e pede a quem se jul-
gar seu credor do apresenlai-se em sua casa den-
leu de oito das, aiim de sur pago.
Joaquim Alves de Castro.
Sapatoes esmaga cobra
Ditos de Nantes de duas solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de borracha para senhoras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete para homens c
nhoras a 800 e
Quinta-feira 6 de outubro, s 11 horas,
ra da Cadeia armazem n, 53
DE
Hm grande sitio defronte da igreja na es-
trada de Joao dd Barros, rende 00.
PELO AGENTE EUZEBIO.
Se vender em leilo um grande sitio que tem I
de frente cerca de 700 palmos e de fundo 800 di-
tos, com casa de viveoda era bom estado, 6 quar-
tos, 2 salas, cosinha fora, copiar, casa para cria-1
dos, cacimba com boa agua de. beber, com diver-
sos arvoredos de bons e abundantes fructos, que a
seu tempo recompensara o trabalho de zelar-sc,
este sitio divide de ura lado com o Sr. Dourado e
do outro com a viuva do Sr. Rufino, e pelos fun-
dos com o do Sr. brigadf iro Joa pura Bernarda de
Figuetredo, os pretendentes podero desde j exa-
minar afim de aproveitar a pechincha.
SOCIEDAUE THEATRAL
TiliUI QMHJKtflltn(SaMtde ,uslreparaSM|M.
O conselho administrativo da sociedade theatral ni v
Thalia Pernambucana convida a todos os senhores ; rhin.,,' ..._.; A Portn
socios installadores aflra do que comparecen na '(
Capnnga nova s 10 horas da manha do dia 9 do
corrente, casa da residencia do censor da referida
sociedade, para que em assembla geral trate-se
de negocios bastante urgentes da mesma socieda-
de : advertindo-se que a sociedade funecionar
cora o numero de socios que ceinparecercni, e
qualquer deliberaco tomada ser igual para todos,
o que se faz publico para inteiro couheciuicolo dos
referidos socios.
se-
O escrivo da (azoada mudou
Quinta-feira 6 de outubro, s i 1 horas,
ra da Cadeia n. '61
DE
l'm cabriole! de 2 roJas, coberto, cora i arreios
quasi noves; sao convidados os pretendentes
a aproveitar urna boa comora.
__________PELO AGESTE EUZEBIO.___________
LjEIJLAO
DE
Urna casa e lojas na Capunga
Quinta-feira 6 do correte.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer urna inorada de casa terrea cora
casa de moradia e 2 lojas proprias para estabele-
cimeuto, sita na ra da Ventura n. 1, na Capnnga;
os Srs. pretendentes devero examnala com an-
tecedencia, e o leilo ser effectuado quinta-feira
6 docorrente petas 41 horas da manha defronte
a Associacao Commereial. _______
LEILO
DK
Escravosde ambos os sexos com
habilidades e sem ellas.
Sex' >a 7 do correnle s 11 horas da
manha no aiinazem da ra do Vi-
gario n. 10.
autorisado por alguns seus affeicoados cantaradas,
vender em leilo publicc diversos eseravos de
ambos os sesos com habilidades e sera ellas, os
quaes estao aoexame dos compradores no dia
cima noarma'.em da ra do Vigaro n. 10.
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : na ra da Palma, taberna nu-
mero 41.
socirimiF
I, VI iO BKXKFICEXTE OS CO-
CUEIBOS EM PERXAM-
BUCO
COM O CARCTER DE MONTE PO.
Por ordem do Sr. presidente convido a todos os
senhores socios para se acharem no dia 5 do cor-
rente mez, as 10 horas do dia, para fazer-se a
eleico, como de costume, e como manda o art.
dos nossos estatutos, fazendo advertencia que ve-
Jam o art. 10 2, e art. 74 1.
Sala das sessoes 2 de outubro de 1864.
Venceslao de Castro Madureira.
Io secretario.__________
Creme.
Sorvetc de creme hoje ao meio dia : na ra do
Trapiche n. 18.____________
Pergunta-se ao Sr. Dr. Joaquim Francisco de
Mello Cavalcanti se nao pretende defenderse, e
tambem as ciozas de seu pai em vista do histrico
da questo do engenho breos, impresso no Diario
de l'ernambiico de 23 de setembro de 1864.
___________ Ura celerato._________
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia, livre ou escrava, anda sendo por hypo-
theca : no pateo da matriz de Santo Antonio nu-
mero 8.
c
II
Precsa-se de um caixeiro qoe tonha pratica de
vender ao balco, dando flador de seu procedimen-
U : pode apparecer na praca da Independencia n.
34 qqrt se Ihe dir qawm precisa.______________
Alnga-se o primeiro andar da ra da Sen-
zala velha n. 43 : a tratar na loja do raesrao.
- OITerece-su urna ama Portugueza de bons
costumes para casa de pouca familia : quem pre-
tender dirija-se ra da Penha n. 25, a traiar.na
loja.
Ama de leite.
Procisa-se de urna ama de leite :
n. 63, segundo andar.
na ra Nova
Fugio o escravo Fernando, Africano, com 40
annos de idade pouco mais ou menos, e muito
feio : quem o aprehender e levar a presenca de
seu senhor a ra do Hospicio casa u. 4, sera fceo
recompensado.
1J060
15000
ROO
1360
seu cartorio para a ra de S. Fran- $g
cisco n. 72. Si
k mWM mm k m WSSiMWim m
Na povoaco de Tracunhem lca estabeleci-
do um carro tirado a quatro valentes cavaflos para
conduzir passageiros para esta capital, e desta para
Nazarcth i sendo os pontos de partida em Tracu-
nhem, e nesla cidade no becco do Ouvidor. As
viageiis para esta cidade sero reguladas as 7 ho-
ras da manha de todas as segnndas-feiras, e as de
volta as 5 horas da tarde de todas as qumtas-fei-
ras. Cada passageiro pagar lOJJOOO desta cidade
para Nazarelh, e de Tracunbein para e.-ta cidade
vagar 85000. Havendo vaga, podem ser admi-
tidos passageiros para Pao d'Alho, e ento pagaro
estes 65000 : quem se quzer aproveitar deste
rommodo, ftca desde j prevenido qne no dia 3 de
outubro encontrar o dito carro preparado para
fazer a sua primeira viagem de Tracunhem para
esta cidade. _______^_________
Alugam-se barato urnas mei-aguas na entra-
da dos porloes (travessa das Barreiras) no bairro
da Boa-Vista : a tratar na ra do Cotovello n. 25.
Offerece-se para caixeiro de taberna um ra-
paz chegado ha pouco de Portugal : a tratar na
roa do Vigario n. 11.
Antonio Luiz de Olioeira Aze-
vedo C
Agente* do Banco Unio do Porto.
Competentemente antorisados sacara por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
EM POKTITiAL.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez. Castello Rranco. Guimares.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilhaa. Lamego.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. Honcio.
.,3000 Braganca. Evora.
6,5000 Faro. Fafe. Moncorva.
45800 Oliveira d'Aze- Piuhal. Regoa.
25000 meis. Porto-alegre. Setubal.
550OO Penafiel. Thnmar. Vianna do Cas-
55000 Tavira. Villa Nova do tello.
45000 Villa do Conde. P01 limo. "illa Real.
ltOO Villa Real de Vizeu. Madeira. \
I5OOO S. Antonio. Faial. S. Miguel.
NO IMPERIO.
Babia. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer soraraa prazo ou vista,podcndo logo
os saques a prazo serein descontados no mesmo
Banco a razao de 4 por cento .ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1^_________________^_____ i
Precisa-se alngar um escravo ou escrava pa-
ra vender na rna, bem como urna ama escrava ou
forra para comprar e cozinhar para casa de peque
na familia : quem pretender, dii ija-se a ra do j
Vigario n. 11, primeiro andar.
('rrr.isa-se aluf* r n'inudasr
Nova, do Imperador ou do rt*f re-
ferindo-se esta uliira }, ama loj ?
t*, clara e 8 4 portas ; dirigir
ra do i respo n. i, loja de Sr. Fal-
que. __________
Aluga-se a casa n. 40 da ra da>
ras : na ra da Aurora n. 36.
ODAS
Madama Buessard Millocheau recebeu pelo va-
por francez chapeos mudo modernos para senho-
ra, corpinhos de bonitos modelos, camisinhas, man-
gas, romeiras, enfeites de cabeca, filas e filos de
seda e de linho, esparlilhos hygiennicos para se-
nhoras o meninas, leques rices e singelos de sn-
dalo, etc., etc., luvas para homens e senhoras, e
toncas de baplisado ; na mesma casa lavam-se e
enf itam-se os chapeos de palha ultima moda :
na ra da Imperatriz n. 1.
Precisa-se alugar orna escrava para lavar e
cozinhar : na raa do Socego n. 10.
Joo Jos dos Santos, por seu bastante procu-
rador vende sua casa terrea sita na ra da Espe-
ranza n. 23 : quem a pretender, dirjase praca
da Boa-Vista n. 4.
Na livraria n. ti e 8 da piara da IimW
pendencia existe urna carta de m[">ri;inati
para 0 Sr. Antonio Fernandos Corredor.
- Aluga-se o t> rceiro andar do sv.t.raile a. 3f
da ra do Amoiim : a tratar na ra da Carina n.
62, segundo andar.
Aluga-se o quarto andar do man \9 da
ra Nova : a tratar na ra da Cadeia n. i.
gundo rnriar. _^^__^_^___^_
Moraiia
D-se para residir en ara sitio pert 1 de*ta cida-
de, sem a menor paga, a nma pessoa e 1 "iKa fa-
milia, e que d conhivimento de >ua boa coadar-
ta.com a rondicao de tratar dos ananatai ane
existem no mesmo silo, concertar a* n as do
mesmo, a dando coala d<* todos a* oaju-t quf ta*
forem entregues ao entrar p*ia o im-smo sitio.
quando queira o seu propretario. poltndor.zer a
plantago que ihe convier e aVsfnicta-te rinrantp o
tem|K) que no mesmo sitio estiver por roovjMi-
mento Uo seu proprietarto, ou pe-->a por rifa aa>
torisada, nao pudendo quando saMr do ana* si-
tio por sua vonlade ou despedid." |K-r ftm pr .,n -
tarto ou por sua autorisco. p^tlir o iw-iht paa-
menlo por qualquer plantar.io (|ii" deixar. 1 por
quali|uer trabalho que o lenha feilo, oa n
como pasa de ter estado no -n^uio Mfvi qnrm
pois assim o qneira, dirija-M ao sobrado aa rna e-
S. Francisco n. 10. com documento, pravaati f
ua boa conducta.
N. B. A casa se acha era m 1 lado.
Precisa-se de urna ama forra ou raid.va para
todo o servido de urna casa de peora baa : aa
ra de S. Francisco, ca^a n. -'i1*._______________
" Aluga-se urna casa em Bearnbe a tratar
com J. 1 M. Reg, na ra do Trapiche n. 34.
R:
"-Hf
O bacharel
Francisco Augusto da Costa
jg; ADVOCADO
'0 Ra do Imperador numero
wwmm mami
t\a ru- estreita do Rosario n. 34
Advogado Affonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
teiras, porm, na villa do Cabo.
ATTENQhO.
Precisase do 2005, dando-ss urna preta para
Irabalhar : quem quizer deixe soa morada em
carta fechada com as imciaes A. B. C nesta typo-
graphia.____________________________
-^"O abaixo assignado faz scionte ao publico, e
em particular ao respeitavel corpo do commercio,
que era justo e contratado a compra da taberna
do Sr. Jos Joaquim Soares, sita na ra dos Agou-
guinhos n. 20: qoem se julgar com direito mes-
ma, se aprsente com seus molos no praso de tres
das, a contar da data deste, no pateo do Terf n.
141; Bndo este nenhurna reclamaco se attendera.
Recife 4 de outubro de!1864.
Antonio Jos ioncalvcs Plc\e.

Praca da Indeprn enca n. 12.
Albino Baptista da Rocha, Portuguez, relojoeiro
e dourador, tem a honra de participar ao respeita-
vel publico desta cidade, c com especialidade aos
seus amigos, que se acha com loja de relojoeiro e
dourador; toma qualquer concert por preco com-
modo, e responsablisase pelo seu trabalho.
Joo da Silva Ramos, medico pela Um
versidade de Coimbra, d consultas em
sna casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da Urde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para issw designadas, salvo os casos ar-
gentes, que sero soceorridos em qnal-
|! quer oceasio. D consultas aos pobres
* que o procuraren no hospital Pedro H,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manilla. v^
Tem sua casa de sade rognlarrifante
montada para receber qualqner doente,
| aiuda mesmo os alienados, para o que
twu commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operarlo cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500 >
Terceira dita.... 25000
Este estabeleciaiento j bem acredi-
tado pelos bons servteos que tem pres-
tado.
O propietario espera que en conU-
nue a merecer a confianza de que sem-
pro tem gozado.
CompaDhia fldelidade dr
segaros marltiaios e ter-
restres estabeleclda
Hlo de Janeiro.
AGENTKS KM PgCNAMBl'CO
Antonio Luiz de Oliveira Aievrde A C.
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de legare! Fidf ida-
de, tomam seguros de navios, merrado-
rias e predios no sen escriptorio ra da
Cruz a .1.
=1
Ainda est para aluffar-se a boa cas
I terrea n. 39 : rna da Mb
- Precisa-se de 2O0 ajaros con penhotle
ouro : quem quizer dar aonunci<.
HM MI HEM
S O Dr. Carolno Francisco de Lima San
$$ tos, contina a residir na roa do Impe-
rar rador n. 17.2 andar, onde pede s.r aaa>
S[ curado a qualquer hora do diae da iioite
H i^ara o exercicio de soa *"*"* "!""
B dice ; sendo que os chamartus. depois le
meio dia at 4 horas da tarde, devem rr
dexados por esenpto. O referido Bt
nao abandonando nunca o aria* fa>
molestias do RnVrior, pmsejn*. rom o
maior afflnco. no das mais diOlceis ^ **-
. cadas operaeees. como sejam do* erfaos
i ourinarios,osoihos, parls, ele
,\TTn(\0
Os abaixo assignados deelaram ao coraaM-rrior
aos seus commiu-i.tes que a sua prensa leataw*
que gyrava com a firma le Leba A '-., le rwie ta
dianle gyrar sob a firma de Lobo & Filho, coa
nuando na direceo de todo o Bajarte o seno Ma-
noel Izidoro de Oliveira Lobo.-Manoel Ignane *>
Oliveira Lobo. -Manoel Izidoro d.- Oliveira um
Precisa-se de dous homens qne entendam 4a
ser vico de copeiro : na rna da Anrora a. 3t.
- Na praca da Independencia, loja de i
n. 33, compram-se obras de oaro, ?"* vT*am
preciosas, assim corao se faz qualquer oara e> em-
comroenda, e todo e qualquer concert.________
~ CvpriaioVillarmboErau--isco Agr, neMa
^naoliesretiram-so para fora do Imperio.
1
\

.___
mil
Mfa


M
Diarto 4c Permamimeo Ter? elra 4 4c Outubro 4c 184.

S^r#TASBACsUX4FILI\L
N


m m
DO
mmn
Troca-se ditas notas por fazendas.
loja da rua do Crespo numero
17.
Quem comprar de cen mil ris para cima dar-se-ha ao comprador o lucro de cinc*
;por cento.
Aproveitem todos. Aproveitom todos.
Fazendas de apurados gostos viudas de Par*.
Capas pretas importantissi-
mas.
Casacoes pretose pelerinas.
Basquina de cintura e pe-
lisses.
Sotamharques de caxemira
de rdr rom tintura.
Jaquetas de merino de cor
para senhoras.
Zuavos prr-tos de seda mui-
to bem enfeitados.
Cortes de seda de cor de
muito gosto.
Col xas de seda para noivos
Sedas de quadro de muilo
gosto a i200 o corado.
Moreantiques e grosdena-
pies.
Cortes de organdiz com
barras.
Chapeos de palba para se-
ndora.
lialoes de arcos e musse-
linas.
Baldes de merm de cores.
Fazendas de lintio e de al-
godao.
Selectas, esguioes e bra-
mantes.
Cassas, chitas camisas e
seroulas.
Peitos bordados para ca-
misa.
Camisas de la de cor pa-
ra liouiein.
Madapolao a 7t, 8,5,9 o
10-5 a pera.
Coracoes, sotambarques de
seda.
Esteiras para forrar sal. a 850 rs. a jarda. Tapete de superior qualidade com
seis palmos de~i*fgura a 2500 rs. o cova>io.
Na reaiidade, este eslahelecimento offerere grandes vantagens aocommercio.
Aproveitem todos a occasio de trocar notas da laixa ganhando cinco por cento.
GIUMIE S0RT1 HEMtt DE FAZENDAS
DE
Custodio, Carvalko & Companhia.
99 IU1 1IO OUEUIAIIO fc*
Pecas de cntremeios bordados a 13
Tiras bordadas a peca 2.
Cobertas de i-hita a chineza a 23200.
Lences de linho finos a 23200.
Toalhas de linho para mns duzia 13.
Sapats le tapeta para meninos, senhnras e homens pek) barato pre0 de iiMOO o par.
Toalhas de linho para mesa a 33300 e 43.
Balos de arcos para senhoras a 33-
Fil de linho liso vara 500 rs.
rirande sorli ment di- lias para vestidos.
Superiores saiasde fustao para senhoras a Sifi.
RUA DO QUEMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d- Augusto Fredecdus Santos Porto
Liadas chapeliaas e chapeos para senhoras.
Chegaram a este, eslabelecimento as mais modernas chapelinase chapeos para senhoras.
Superiores cortes de la de barra de I03 a 203.
As mais superiores capas e soulembarques de seda preta e casemira de tres para senhoras de
M at 503-
Excedentes laas para vestido a 320, 300, 500 e 000 rs. o cavado.
Cassas e organdys de cores a 240 e 320 rs. o covado.
Os melhnres tapetes para sof com riqnissimos desenhos.
Lencos de cambraia de linho e fil bordados a 13 cada um.
Superiores raseinires mesrladas de diversos gostos tanto em pecas como em cortes.
E nutras multas fazendas come sejam: percalles finissimas, bretanhas, silecias, esqnio, silis-
trioa preta muito fina, cantao para vestidos de luto, grosdenaple de bonitas cores e as superiores
Esleirs para salas.
As pessoas que pretenderen! forrar suas salas oujahinetes, encontrarao neste eslabelecimento
melhor aqualidade de esteiras de todas as larguras e pelo mais mdico preco,
|fIBIUIniB""
EJ3TREIRO VEBAE.
Neste estabelecimento ha sempre ura sortimento completo de roupa feita de
g todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
85 rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
Mi grande c variado sortiraento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
|H homens e meninos.
) Casacas de panno preto, ZU e 3O0OOO Dit<>s de setira preto. .
g$ Sobrecasacas idem, 305 e 25)5000 Ditos de ditos e seda branco,
Paletos idem e de cores, 25(5, | 65 e.......
S 20, 155 e...... 105000 Ditos de gorgurao de seda
B Ditos de casemira, 205, 155, pretos e de cores,. 60, 55 e
m 125, 105 e...... 75000 Colletes de fustao e brim bran-
M Ditos de alpaca, 55, W e 35500 co, 35500, 35 e .
M Dll ltoS prel0S' H' U' o^ Seroulas de brim
>k 55, 45 e......35500
?p Ditos de brim e ganga de c-
2 res, 45500, 45, 35500 e. 35000
Si Ditos branco de linho, 65,55 e 45000
( Ditos de merino preto de cor-
de linho,
25490 e ...... .
Ditas de algodao, 15600 e. .
Camisas de peitos de linho,
i 45, U e......
Ditas de madapolao, 25500,
55000
45000Jj|
25500 $
25000 m
15400 m
25500*
dao, 105, 75 e..... 55000 25 e........ 15600 l
Calcas de casemira preta, 125, Chapeos de massa, pretos fran-
105, 85 e...... 75000 cezes, 105, 95 e. 85500
Ditas de cores, 95, 85 e. 75000 Ditos defltro, 55, 45,35500 e 25000
Ditas de meia casemira de co- Ditos de sol, de seda, 125,
res, 55000e..... 45000 115, 75 e...... 650*0
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 455O0, 45 e .
Ditas de ganga de cores. 35 e
Colletes de velludo preto e de
Collarinhos de linho fino, ulti-
45000 ma moda duzia. 65000
Sortimeato completo de grava-
25500 tas. 5
25500 Toalhas para rosto, duzia, 115,
i e........65000
cores, 95 e.. .... 75000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 55 e 45000 tos e de cores.....45000
Ditos de ditas de cores 55 Lences de bramante de linho. 35000
45 e........35500 Cobertas de chita chineza.. 25500

i
m
i
s

A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
f sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL D&RETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
tina fiarte, em dinhcir., depositado nos cofres do estado, gara Ble a boa ad-
ministrnco da companhia.
-DO
DR. AYER.
Nao ha necessidade mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
Livro de orajes. i
Vende-se i 160 reis, na livraria ns. 6 e 81
da praca da Independencia, um livrinho con-
lando o seguinte : louvor ao santo nome de
Deus, cora dos actos de amor de Deus, ora-
c5es e pellones, hymnoao Espirito Santo, co- j
do um purgante que seja ao r6a do Senhor, aviso qualquer alma de-;
vota, desengaos da vida humana, hymno
de Santo Amhrozio Nossa Senhora, jacula-
torias ao Santissimo Sacramento, exercicin da
via-sacra, commemoracao Nossa Senhora
do Carino e ao SS. Sacramento, directorio
para a oracao mental, dividido pelos dias da
semana, obsequio ao coracSo de Jess, sau-
dades devotas s chagas de Cbristo, ora-
ces Nossa Senhora, S Jos, ao anjo da
guarda, Deus em obsequio qualquer san-
to e para a noute, e responso pelas almas
do purgatorio.______________________
Vndese caixesvaz'osproprios
para halin'eiros e funeiros a 1JJ760
cada um; nesta lypogiaphia,________
Machinas de vapor e pa-
ra descaro^ar algodfto.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
ESPLENDIDO ARMAZEM DE M0LHAD08
LIAIVC %
mesmo lempo innocente, efficax
c dino de toda a coGanca.
As f>illas que ora offereee-
mos ao publico preenchem estas
condifoes ; pois pdem ser to-
madas petas pessoas mais iracas
sem pcrijjo algum, nao tendo em
sua corrrposiijno mercurio nem
outro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegctaes mui fortes, sao bastante
efficientes c activas para puriGcar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas explorain e puriGcam toda
| a extftnso do canal alimenticio, e do vigor
, a todas as partes do organismo, corrigindo
I sua accao viciada e fazende recuperar sua
vitalidade
Um remedio ineslimavel contra dr de
cabeca nervosa, enxaqueca, prixo do ven-
tre, kemorrhoidas, molestias do figado, fe-
bre gastro-hepattca, e todas as molestias
biliosas que Una sua origem no entorpeci-
mento do figado que causa a escassez da
bilis na nflammafae d'este orgao que pro-
duz derramamento da bilis no estomago ou
em um desarranjo geral dos orgaos diges-
tivos.
A Ictericia
produ/.ida pela absorpcao da bilis no
sangue, dando pelle e aos olhos urna cor
amare!-enta ; nao smente dolorosa por
si, pormconduz aos mais serios soffrime-n
tos.
Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas lo- se no eMriptaro'de Minoel bracio de Olivira &
das as manhas, isto bastante para mover Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
o ven tre smene at que se recupere a ac-
Cao saa do sy-tema.
Mal do figado, febre gastro-hepatica,
diarrhea biliosa, indigesto, a ncvralgia
ou tic douleureux, sao todas molestias que
tem seu comeco n'um desarranjo da bilis.
A observando dos ductos da bilis faz esta
volver ao sangue, com que circula d pois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos i saude e prodoz urna serie innu-
meravel e males
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer. Chegaram os lindos "afeites de caheca para ?e-
Direcgocs minuciosas acompanham cada nhoras, sendo muito simules e de muito gosto : s
frasco. no Vigilante, ra do Crespo n. 1.________
Vende-se na pharmacia franceza de Mau- Vende-se por preco commodo um mnleque
DE
Paulo Ferreira da Silva Companhia
57 RA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de precos
5 a i O por cent o menos do pref que se reme em mnirn
qner parle.
Gneros especialmente escolhidos por um dos socios que M mwmt acka
para esse fim.
grande a vantagem para todas as pessoas que compraren! ueste slamsleo
mento.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu mmuito mmmh
armazem.
AO VIMAIK
N5o j|ios seivimos de exordios como conslantemenle estamos vemio ai
cios deste genero, pois sao palavriados de que sempre nos abslivemos, e de que un
estamos certos nenhuma alienco j merecem do jiublico. O nossn fim, paa, *i.
Roda S d H^IH, deiltadaS, e mente fazer ver que o verdadeiro e principal interesse de todos est na tabHh dos pr-
ios que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a allemo.
de carrosa com mangas e
eixos de patente,
ua do Brum n. 38, fundi-
Qao do Bowman.________
l'otassa da Russia,
da mais superior desembarcada bontem : vende-
Vende-se superior vinho do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Jobnslon Pater & C, ra
do Vigario n. 3. _______________
PHTSS4
Vende-se potassa em barris a commedo preco o
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseripton:
de Antonio de Almeida Gomes.
Enfeites para cabera.
Vinho verde.
Chegou o muito desejado vinho do Cartaxo vende-se aamtmt n.->to arma^a:
a600 rs. agarrafa e 3o,ooo rs, a ancora coin 7ogarrafas.
Lentilhas muito nova* excelknt--1- gnm-
ra sopa a 00 rs. a libra.
rer A- C, rua Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Rna Dircita 15
RIO ii:.i V MI !l<>.
Vende-se em Pernambuco:
11.1 pbarmacia franceza de
P. MAURER & C.
KA NOVA N. 18.
de bonita figura e meio offlrial de marcineiro : a
tratar na alfan>tetia, das 9 s 3 horas da tarde, com
: Joaquim Tanoeiro.
Venle-se una urna de jaearand, muita bem
; feita, para deposito de ussos : na rua da Iinpera-
triz, leja de niarnneiro n. 25.
Vende-se um terreno na rua do Destino em
direitura ao largo do H>si>iro ruin 434 palmos de
i frente, proprio para se edilicar por ser boa loca-
I lidade : a tratar com Antonio Joaquim Ferreira
1 Porto na rua da matriz da Boa-Vista n. 5'4.
Fumiico do Bowman.
Precisa-se de othViaes macbiaita*.
Preeisa-se de um eaixeirode 14 16 annos,
que tenha praliea de taberna : quem quizer, dni-
ja-se rua larga do Risariu n. 24.
Precisa-seda una criada que saiba engom.
mar : na rua do Imperador n. 17, segundo andar
Anda esl para alogar-se o sobrado amarel-
lo da Ponte de Uchoa : a tratar no largo do Pa-
raizo n. 10.
Anda existe na villa do Cabo, na casa do
Sr. advugado Jos* Paulo do Rogo Brrelo, o tam-
bem m-sta praca na rua PsUvita do Rosario, arma-
zem de Jos Horeira da Silva, alguns csrravos o
esrravas, assim roiiio lies ingruiias e tres mole-
quinhos muito proprios para prsenle, de idade
de 5 12 annos, tudo se vender por preco com-
modo para liquidar._________' _
Pren para vender na rua : quem tiver, dirija-se rua
do Aragao. fabrica de charutos n. 12.
Aluga-se urna casa no Poco da Panella, no
paleo da ipreja, rom frente para o rio, rom sotao,
estribarla, rorheira, casa dt- e.-cravcis, jardim, ca-
cimba com bomba, tanque, quintal lodo murado,
com arvuredos do frudo, t>*ndo a ca^a commodos
at para dua< familias : quem pretende-la, dirija-
se rua Direita, no primeiro andar por cima j
botica do Sr. Paranhos.
Prria-se de um cont e trpenlos mil ris e
juros, que nao exceda de um por cento ao mez,
para ser pago em tres preMacoes de seis, doze o
deziiito mezes, offerecendo-se em garanta firmas
ou hypotlieca em um predio :T quem cunvier an-
nuncie para ser procurado.__________________
J.is Joaipiim Dias Fernandes, testamenteiro
do subdito portuguez Manoel Jos d'Ainoiim, ro-
ga todas as pessoas que se julgam credoras do
referido Amojim, baiam de apre-entar sua- cuntas
ou ttulos no prazo de 30 das, afim de seren at-
teniliila- no inventario que esl procedendo \-U>
Pon 1864.
( al ite Lisboa
chegada hontem pelo Mara a Gloria
A| olio n. 28, junto ao theatro.
narua de
Vende-se um excellerite harmnico america-
no, do melhor autor que ha ueste genero, por
43o, em perfeito estado : a tratar na rua do Im-
perador n. 38, casa do retratista americano.
COMPEAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilnetes da praca u Inde
pendencia n. 42.
BRKU
I lireu verdadeiro americano, tanto em barricas
como a retalho, vende-se na rua da Cadea do Re-
cite, loja de ferragens n. 06 A, de Bastos.
Kii\;kI; s raleadas ile ;u;o
Chegaram as desejadas enxailas calcadas de ac,
as quaes vende-se o mais barato possivel : na rua
da Uadea do Rerife, loja de ferragens de Bastos.
Fia de algo ao da Kahia e ame-
ricano.
Vende-se tanto em porco como a retalho, estas
bem conhecidas qualidades de lio por barato preco:
na rua da 1 adea do Recite, loja de ferragens *de
Bastos.
Tediados de ferro galvanisvdo.
Fulhas de ferro' galvanisadu para tediarlo por
commodo preco e de muila utilidad* para cobertas
de casas, vende-se na rua da Cadeia do Recife n.
5'6 A, loja de ferragens de Ba>tos.
Vaquetas ingleza para cobertas
de carro.
Estas bem conhecidas vaquetas,- vende-se nica-
mente na loja da rua da CadeU do Recife, loja de
ferragens de Ba>tos.
Padaria e refloaco.
Chegaram as bem coNhecidas peneiras de ra-
me e de latao propria* para padaria e refinacao, de
todos os tamaiihns e grossuras : na rua da Cadeia
do Recife, loja de ferrageus de Bastos.
Charutos da Havana.
Vende-se superiores charutos da Havana em
casa de Rabe Schmettau e C.; rua da Cadea
o. 18.
A i caira o.
V
Vndese barris com alcatro, na rua da Cruz
I n. 23, primeiro andar, cscriptorio de Antonio de
Almeida Gomes.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas l'rancezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
Idem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de i '/j libra a 1,100 rs.
Arroz do HaranltSo e da India o melhor que
ha nesta genero de 80 a loo rs. a libra,
e de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa, e 10,000
rs. a dii/ia.
vlfazeraa muito nova e Iimpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muilo novas a 2,000 rs. a anco-
reta.
\lpista limpo a 14o rs. a libra, e 4,4oo rs.
a arroba.
Bolaclnnhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas I
de 6 e de 3 libras, a 3,oooe l,5oo rs. a
lata e 6io rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e SLoo rs. a
lata.
Banha de prco refinada a ioo rs. a libra e
em barril a 3o rs.
Batatas em gigos de 30 libras a 1,00o rs.
.hampagiic das melbores marcas a 2o,ooo
rs. o gigd, l,8oo rs. a garrafa, e )oo rs.
as meias garrafas.
']h uxim o melhor possivel a 2,Too rs. a
libra.
Idem petla qualidade especial a 2,7oo rs.
"a libra.
Compra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourves.
Vende-se nma propriedade com 800 bragas
de testada, sita as margens dos riachos Batalo e
Esquerdo, afflueutes do Caiiibaribe, 18 leseas des-
ta praca de Pernamburo, o leguas da villa do Li-
moeiio, 8 da cidade da Victoria (Santo Anto), 4
da freguezia de Grarat, e 3 da povoaeao de Pedra
tapada, onde ha feira todos os sabbados, c^)tn 4 ca-
sas habita veis, que fazem quatro sitios, sendo urna
dotas muito grande por ter armazens e prensa de
urna negra de bonita figura, que" saiba lavar, en- ensatar algodo, com commodos de se levantar
gommar e coser bem, e cuja idade nao exceda a machina, outra tambem grandp, com estribara e
45 annos, agradando pagase bem : a tratar no es- casa de fazer arinha, tudo cuberto de telha, outra
rriptork) de Manoel Ignacio de Oliveira & Fllho, tambem commoda, outra mais pequea, com ca>a e
COMPRVSE
largo do Corpo Santo n. 19.
Compram-se 4 canoas de um pao ou aber-
las, que letiliam de 36 a 40 palmos de comprimen-
to e 6 a 8 de largura : no hotel de Italia rua do
Trapiche a tratar das 6 s 9 horas da manlia.

BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hcspanha
estribara, 7 8.000 covas de mandioca manipeha
do anuo prximo passado, 45 alqueires de milho,
tendo tres de>tas casas curraes e todos cerrados ao
pe de algod-t (raizesj, e mais um cercado mnito
grande em um dos sitios cheio de raizes de algo-
do, duas grand- s plantas de capim, 50 80 ca-
beras de gado vaceum, e urna porco te ovelha ;
tem a propriedade bastante mata virgem, onde na
multas madeiras de todo o mister: vende-se parte
Compram-se garrafas vasias: na rua do Inipe- a dinheiro, recpbendo-se em pagamento algum es-
rador n. 57. _________^__^__^_ cravo, e o mais a prasn, iodo negocio se faz : quem
-Comprase urna escrava de meia idade que ^ZS^ *J *XS22. ?!2S
seja ladina : defronte do hospital militar n. 4.
Compram-se diarios a O rs. a libra: na
rua da Seuzala velha n. 50.
(>ARK FAS
Idem bysson o melhor que ha neste genero
a 2,000, 2,4ooe 2,(5oo rs. a libra.
idem prelo homeoptico a z,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a t,ooo rs. a
duzia, eoo rs. a garrafa.
'Chocolate francez, hespanhol e suisso a l,ooo,
l,2oo e I,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas e ontros da labia como
sejam regaba, trovadores, guanabaras,
deliciase suspirosa i,Goo, 2,ooo. 3,ouo
e 4,000 rs. a caixa.
Conservas ingle/.as a 75'o rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou de tima s qua-
lidade cada frasco a Soo rs.
Cognac francez e mglez a l,ooors. a garra-
fa, e 10,000 rs. a duzia.
Cnminho e erva-doce a loo rs. a libra.
Cravo da India a Goo rs. a libra.
Licores francezes de todas as juj
de 7oo a 9oo rs a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamegie flor ain.
l.ooo rs. a libra, desiecesfiarv" m...
elogios neste genero, que s#jKlr
rilicar com a vista.
Idem franceza a 56o rs. a libra. m ^
se far ab.itinientc. /
Marmelada do primeiro/fabrii aute e\*
a (ioo rs. a libr, liJ latas de I. I I 1
2 libras. /
Massa de tomate em laUs da 1.2 'ihraa :
600 rs. a libra.
Marario. ta hanm ealetria a too 1
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada ,1 los r-
frasco.
dem ingleza em p a Mo rs. o Ira
Molho inglezcm garralinhas con r-.1f
vidro a tHo rs. cada urna.
Marrasquiobo verdadeiro oVbva 1 oto
a ganafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muilo novas a 16>) rs a libra.
Ostras preparadas i-m latas a T
Piezunto para liambre ingkra cirfa
garantindo-se a qualidade a 7m i i
Passas novas de carnada a 4<>o rs. 1
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrelbnlia, ociwIb
eic. a 3."ioo rs. a caija, e a '>
ivixe em latas h.-nneti' un->nt<
seguii tes quali ladi-s: savoi, ci r\ r
cavallinhas, e pesroda a |,o a bu.
Fainos para denles lidiados 4 I i" r-
go de 2o rs. o maci.'>
dem do gaza Zoo rs. 1 rtu2ia i l
a groza.
P.iiri'O muilo novo 12o is. ,1 hl-ri
arroba.
Queijos flaroengos, do ultimo
rs.
dem pralo moito fres a8oon
sendo 'iitoiro a 72o rs.
Sal retinado em poKd>- id r-
um.
Sevadinha df Fran;a a Iv> rs. a libra
Sevada a Ion rs. ;i libra.
Toucinho de Lisboa a 2io < M- 1-
Tijoifi para hmpar facas a 13o rs
Vinagre do Lisltoa a Soo rs. .1 garr'
1,'mo rs. a cnida.
dem ei 1 garrafdes com ?a ral
rs.
Vassouras do Porto com ar*os i-rv 1
rs. cada urna.

.
Ibem de estovas
cada una.
para lavar casa


Canella a 9oo rs. a libra.
Copo* unos para agua e vinho a 4,8no 0,000 Velas de espermacete superiores a
e 5,5oo rs. a duzia, e 000 rs cada um. a libra.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra, dem de carnauba retada e .). 1 oupua
e 7,5oo a 8,000 rs. a arroba. a 36o rs. a libra, e de 10^00 a 11 .aoon
Doce de goiaba superiorem latas a 2,000 rs.' a arroba.
Ervilhas porlugums em latas chegadas ul- yinho em pipa, Porto, Lisb. i }>.
r das marcas menos coafaecidM a oo t
a garrafa c a 2,800 rs. a raind.i.
dem Figueira especialmenteLsci.ihi.lo w^
lugar a tioo rs. a garrafa, c kSoo r-
caoada.
limamente a 64o rs a lata,
(dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a too ,. ...
rs. cada urna. 1acm L,sooa em ancoras com cana
Favas portuguezas em latas chegadas ulti-' ca cs^,Cl-'ia, a ^.ooo rs. a ancora.
mmente a 640 rs, iWem Lavradio, Cubres muito fr-
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-l COIBPogK*! a ^^ rs- a garraft. e .
se, rainha Claudia e ginja a 7oo rs. a lata. rs a cana^a-
duzia. I garrafa, e a 4,5oo rs. a caada.
Gomma muito alva e nova a 16o rs. a libra. Jem Por, fino em P'Pa 5* a W
iJenebra de Hollanda em frasqueiras cora 12 Id^m engarrafados generosos Lagrima*
frascos a 5,8oo rs. e 560 rs. o frasco '>ouro, Duque do Porto, ll. Loi* I. I
Pedro V, Nctar, elho seco, bltas..-
Gcnuinn, Particular a fino e I .2k) rs. 1
arafa, e a 10,000 rs a caixa con orno n-
zia.
Compra-se cobre, lalo e chumbo : no ar-
mazem da bola amarella no oitao da secretaria de
polica.
VENDAS.
DIRECCAO GERAL
Madrid: Roa do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as comhinaees de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se tazer asabscripcio de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do se-
gurado e perca o capital nem os joros correspondentes a estes.
S.. to puprehendentes os resuludos que pro-luzem as sociedades da ndole deA NACI- ,
NAL,ijueain la mesmo dimlnind) urna terca parte do interesse pr-idnzide em recentes liqnidaco>s, trar 1a me.-ma esiiuerda, passando o
e combinando o com a mortalidade da tabella de Oepar^ieiix que e adoptada pe a cmianhia para os portao no segundo, que achara com quen
seus clcalos e liqiih?-s, e-n segurados da idade de 3 a 19 annos, unja itnporiicoannual de 100^
produz em effectivo metlico :
No fim de 5 annos.......1:1194300
de 10 .......3:9445600
de 15 >.......tl:80K*SOO
de 20........ao:swiooa
de Vi .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais cnnsideraveic
rua do Crespo, quina do Queimado, que achara
quem Ihe d as expliracnes para se poder fazer
negocio, 011 ao mesmo sitio, lugar da propriedade
tan.|n itua da Neuzalla \ova u. t2~
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra- a 110 rs., idem de Lo%
Moor Ubra a 120 rs.________
i ni de se
Vende-se um cofre de madeira tdo chapiado a 1uarla parte dositio na estrala de Belem, o qual
de ferro por dentro e por fra, rom boa fechadura: 'HZ qaem pretender, dirija se Capunga nova, no en- do rt" 8i,l '",a **** de vivenda de pedra e ral,
Kimeiro rez''iha e raciinha, com diversos arvuredos de
quem tratar, frudo. pelo pr^co por qne foi avahado, sendo elle
----------------- livre de onus algum : a tratar junto a ponte da
VaeC.aS rmtmm da Magdalena com o Sr. Manoel Pran-
1
Na Piranga, defronte do sitio do Sr. Millet, ven-
dem-se tres vareas, mn garrote e dous hezerrus :!
os Ivzerros sao de raca tourina, sendo um macho ,ProH n ~-__* -""^- n" j- ^
e urna emea arrenda-e o engenho da Barra, distante desta

Cisco Duarle.
Vende-se
e urna femea.
Vende-e a fftrira de rharuto da
praca seis leg >a*. ao p da estrada real, cu b.is,
praca da l>e>Us, plantas feiu*. mata ao pe da bocea do en-
Prim^ctns e mais informaedes sern prestadas pelo siih-directiH* nesta provinra o Sr. Jerony- Boa-Vista n. 18 ou a armaran envernisada pro^ genho. muito bous partidos e riTao/> "inult fres-
mo Juaqiiim Fiuza de Oliveira, rua da fad-ia n. 51 ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n. 12, labe- pria para qualquer <>tabeleciBiento : a tratar na ea e saudavel : a tratar na rua da inperatriz n.

iMHMrtO dos Srs. Rayiuundo, Carlos, Leite 4 Irmo.
nOBOM
^34, taberna.
(dem em botijas a 4oo rs. cada orna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4.800
rs. cora o garrafo.
IHem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a I,ioo rs
com rollia de vidro qualidade superior a fa, e a li.ooo rs. a du/ia.
l.ooo rs. a garrafa. dem Muscatel a l.ooo rs a mm 1
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o dem Bordean* das aammmn marc. *
frasco e H,00o a frasqueira de 12 frascos. 1 Julien, St. EsU-ph, chaleau la **>, cha: .
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a! Margonx e nutras a 6.'loo rs a ra .
1.8oo rs. a garrafa. j 500 rs. a garrafa.
(EKVEJl EU UAItltlL
a SOO rs. o topo
ftuelju de .Minas ehegado *aar
dem prato uinite frese*
Idem suisso saperlor
dem londriao superior.
57 Eua da Imperador 57
MUTILADO




'


Diario 4c Pernambuco Tere letra 4 de Onlubro de 18#.
i




ME

RUA 1IO tfLISniAllO W. 45.
Passand o becco da Congregado 'segunda casa.


lilil
NOV1DADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 4 um armazem de molludos denominado Clarim Gommer-
aa!, Oiiiie_o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos memores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes scrao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada; garante-se obom
peso e boa quaudade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz Jo Maranliao, India c Java a O, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinba de Franca muito superior a 220
a libra, e 11800, 20600 e 3,-jiOOO
a arroba.
Aiaeixas francezas em latas e em frascos a
15200 eiJttOO, e em frascos grandes a
2 >5iX>.
dem em caixtn'jas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a HOo, t($iOJ, IflGOOeS.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 45600 a arroba.
Azeite doce fraRcez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa ati rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra,
Aveltas muite grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
i'SO' rs.
Bolachinhas de soda, telas grandes, a rs.
a lta.
dem inglezas muito novas a 34IOOO a barri-
quiihac a 200 rs. a libra.
Baulia de porco refinada a 440 rs. a'libra e
em barril a 40o rs.
Cha liyssm, hucbin c, perola a 15600, 2$,
25M), 2r?80') e :toOO a libra.
dem prcto muito superior a 2.;>iOO a libra.
Cerve.a preta e branca, das memores marcas
que \'vjm ao mercado, a KM rs. a garrafa
e 51800 a duzia.
Cognac insrlez fino s 96 rs. a garrafa. .
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72" rs.
dem, s de azeitonas, a 7o0 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e especi lmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a tS8M>,
250 ', 23200, 23500. 23>0O, 33000
^3S00 a c.ixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 8a".a 8S8H0 s. a arroba.
Cart5i3s de bolinhos fr.incezes muito novos e
^ bem muito enlejiados a 70De 600 rs.
Chouriras e paios muito do vos a 800 rs a
libra.
Painco a 200 rs. a libra. i rs. a libra.
Polvo secco muilo novo a 400 rs. a libra. Gevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego cm calda de azeite e Ervilhas portagnezas a 640 rs. a lat.
muito novo a 6 JO rs. i dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2#800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
rs.
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600
' cadaum.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muilo alvo e novo a 260 rs. a libra
TuiKinho de Lisboa a 320 is. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem slearinas muilo superiores a 6t O r.
libra.
Eigos em caixinhas emticamente lacradas
ai 5600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam: Velno de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D Pero, D. Luiz I Maria Pa,
Bocaje Chamisso e outros a 800, 900 e
13000 a garrafa, e em caisa com urna du-
zia a 93000 e lo?000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figuerra a
de oito libras e caoastrinhas de I arroba a
13800, 55500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranbo a 160 rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. ? libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. ofrasco e 63200 a fiasqueira.
Idemem garrafoes de 3 eo gales a 53500
e 73500 esda um como garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 15100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, qualidade especial em garrafas muito
grandes, a 15800 a garrafa,
dem era garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 15000, a garrafa vale o di-
nbeiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de iwuco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem rancez muito nova a 640 rs. a libra.
Ideis de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquino de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regalar a 500 rs.
Macas linas para sopa: estreliinha, pevide,
rodinha e aletria a 600 rs. a libra e a 43
a caixinha com 12 libras.
Nezes muilo novas a 160 rs. a iibra.
rs. a garrafa ei Peixe em latas preparado pela primeira arte
de coKiaba a 15 a lata.
480, 500e 560 rs. a garrafa e 33, 35500
e 45 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordcaux, Medoc e S Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 73000 a 7#Ou rs.
a duna,
dem Morgauxe Chatenulamini de 18i>4, a 15
a garrafa,
dem rauscalel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200
I5200rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 15^00 rs. \ Paliios de dentes a 160 rs. o maco.
Alera dos gneros cima mencionados te-!dem de denles a 120 rs.
mos glande porcao de outms que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudosei vendido por' Amendoas confeitados a 900 rs. a libra
pegas e carnadas, tanto em pon-oes como
retallio-
Quem comprar de 1003000:
r o abate de 5 por ce.ilo.
Grande liquidadlo.
Hiia da Impera!riz n. uO.
Loja de fazendas do Pavao de Cania k Silva.
Acha-se este eslabelecimento completamente
sonido de fazendas inglezas, tranceos, alinelas e
suissas, proprias lano para a pr.x;a como para o
niatii),-projiiellendo vender-so mais tai alo do que
em outra quali|uer parle principalmente sendo em
porgao, e de todas as f.izi'iidas dao-fit as amostras,
ueuando car penlior, ou mandam-se levar em
casa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As chitas do Pavo.
Vendem-se chitas inglezas claras c escuras pelo
barato prego de 240, O e 280 rs. o covado, timas
seguras; ditas franerzas de cores -eguras a 320,
JWL 360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superiur e bonitos padics : s na loja do
Pavao.
As laizinhas da exposico do Pavao.
Vendem-se laazinhas as mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarques por sercm lisas e de cores muito
delicadas i 560e500rs.; ditas lisas com um lustre
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda SOO rs. o covado, s para aca-
ar : na loja c armazem de Gama ,\ Silva, ra da
Imperatnz n. 60.
Os vestidos do Pava.
iVOVA
liquidadlo le Imadas de (das 41*
li tades oa ljaearmazem da Vara,
ni.' da liipcralri/. h. o, ro Pereira Hede.- daiai'-ret.
Iticiif&o que s val prlKcIplar.
Vtnd'->c pecas de panno :lelmh< para trntti.
toalhas e Sfiola.-, Cwin i) 1,2 via> (,or tJWO
brim liso por 500, 560, oW rs. a vara : ia rea rf
linpcralriz loja di Arara n. j!,', < M> ndi(

encao
vendem-so es mais modernos cortes de vestido gosto propriamente para quaiquer mimo que
h!^r^Jque-Vfe^am,.elo^l"ln,ova,10^ com ricas ba delegar n-ste ultimo paquete, assfinc
narras de car rnrmnhn o .-..ilu;. ..,.., ,,.-.H,, >! ___;____.V. ... .' .,
barras de cor, corpinho e Gollete separado ; ditos
com listas de seda e tambein oom barras e cufei-
.........u...... wuiviNwg u .v// i o. a MU .I.
j Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
2$ e em csixao a 640 rs.
para cima te-' Palitos do gaz a 25200 a groza.
iPassas muilo novas a 480 rs. a libra.
iaes.
A Arara veri* soutcinbarqur i lljt 110.
Veiide-se suulciiibarques tle Hlws tmUtot*
a tiij e i_':3. Jilo> pretos de friK-dmapI fr
a 205,223 e i"ti ; capas preUs re rr.enr l
das a 'j-3 30; ramisiuhas para smhi-ra a 2
e :3 ; golinhas it). 320 e 500 n., mwn*i a
XMJ rs. o 14 : na ra da Imperatriz n. U, toja da
Arara.
Coi tes de chita a 2.J0.
Vonde-so cortes de chitas rom 10 tftf-t a
2400, diUs franr.za a 3U0 ; dtlw> > n*U2**
0 Vigilante est alerta, nao Huera Dermiido': f-fS^f **S?ij5 d^t'l^'hl
deixar pa*sar desapercebido sem que no dsse o e o: na ra da Imperatnz n. 36, h* da Arara,
seu canto, afim deannunciar ao respeitavel publi- mwMi ouima-raes.
co o grande sortimento de galanteras do melhor "onP* ,,,u Mratt.
a,;). Vcnde-se palituts prrto de panno a Ka. I4
. como '-^ ,l) e *-3. ditos de alpaka a 3 ij, 4tm 49
inuitos outros ohjec.tos que recebe por diversos na- brim branco a 2^300, 35, 3450O; ralea* de hnrn a
vios, tanto de soa conu como de consignacao que ,5 e 2500, ditas brancas a ;t < :>,35< 0 -, i>3i t
us para o corpo, por preco mais barato do que em est resolvido a vender por oreos muito baratos d casemira de cores tinos a W, 11 *\ e W ,
outra qnalquer parte, e se quizercm urna prava para vender muito 9 ganhar pouco, e dar extracao seroulas a 25 ; camisas brancas a 1&. 25M> 3J:
do qno se diz, mandem vr leja e armazem do o grande deposito que tem, que espera merecer a na ra da Imperatnzn. 56, loja da Atara,
favao, ra da Imperatnz n. 60, do Gama & Silva. protec?o do respeitavel publico empregando para Colarinhos econmicos a (WO doa.
Os vestidos 0 Maria Pia. S o Pava (8)50001. feotonas easinelhores diligencias para que fi- Vende se colar iuh econmico* muito aaBli-
VeEdem-se os mais Mudos vestidos Maria Ka Quem satisfe'js 5 3(0 s no Gallo Vigilante, ra do tos a 640 a duzia : ua ra da fcaporali lz n. t6, lo
ja da Arara.
Vende-se bramante i puro linho a ItfC? t-
2^800 a vara, (endo 10 a 12 paln >. e tu fui -
brim branco para calca a 15200, 11400 r IfKO a>
vara, di lo pardo a 640, 800 rs, 11 e i|9C: aa>
ra da Imperatriz n. 56, h>ja da Arara.
Vendem-se balos americanos ?< mrlrVres f >
lera vindo, de todos os tamanhosa 21240, ^-^9,
31, 41 e 41500: s o Arara na ra da lmpratr.s
n. 56.
As laziibas da Arara a 240 rs. rival.
Vendem-se lazinnas para vosIMpi de ealfra a
240, 320, 4110 e 500 rs, o covado, dita* akaiio
fioa> lisas 600 rs. o covado, ditas t$\ eJ800 rs. o covado : na roa da Imprrati ix a. i.6,
loja da Arara.
Chitas baratas a 250 rs.
Vendeni-so chitas de cores Hxas a 240 2H r .
o covado, ditas francezas unas a 3O MB. 410
500 rs., o corado, ditas percalas a 560 r 611 rs.
covado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Aura
A Arara vende madapol barato a tJ'C, tari**
de vestidos a Maria Pia a l-f, |{ e l$.
Vende-se pecas de madapoln dr 14 iarrf, d>
marcas finas n. 7 a 71, n. 2 a 81ICO + a 51. *4
01, S a 101, Hll a li e t21;ig.dai>i"tlr -9
diio fino carne de vacca a 6l5O, ditu t p etirr i.
7.J, dito slcupira a k.->. dito pao ferro a f 1 a (i-f*
tem 20 jardas : na ra da Inuerairi, ja n .'6
Chales baratos a 1fiftO
Vende-se chales de lazinha a 1^600 ?1. C-
de merino a 31, 41500, 63 e ">$ : na roa da fn
peratriz n. 56.
de lazinha transparente com listas, e patminhas Crespo n. 7.
de seda pelo barato preco de 81 cada corte : s Ricos porta-ioias.
na loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60, de ma& Silva. Ccstinhas'transparentes Jorradas de ma-
is eassas de Pavio a 240, 28, 300, KO e dreperola por
360 rs. Lindas jardineiras.
S oPavo veadeas Dnissi'mas eassas persianas ?,ros cofres ('0"1 camaphoo.
mitaca
vado ;
e 320 rs. 1 para ,
Tambaher para ditas.
Gestionas ditas.
) oPavo veadeas Onissimas eassas persianas {l.,ros cofr.^ "" camapnoo.
litacode Isa, com cores fhas, 360 ts. o co- Lindas-caisinhas com pedras brancas.
) i ditas francezas muito finas 240,280, 300 Lindo b3'30 ro.m ,;alDSas dentro, tam-
0 rs. 0 covado, isto para acabar : ra da be.m ,Para Joia5-.
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madaples do Pa\o
Vende-so peca de madapolao infesHado com 12
jardas cada peca pelo barato prec,o de 45, 41500 e
->! cada peca, fazenda muito superior : s o Pa-
vao roa da Imperatriz n. 50, notando que a peca
leva urna etiqueta rom o Pavao pintado para nao
haver dovidas nem engaos : isto previne o Pa-
vao, do-Gama & Silva.
Bramante dellnho lo Pavao
20, *M4A>0. 2$SOO.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com ,,
dez palmos de largura por preeo muilo commo-' s no Vigilante, ra do Crespo n.
do, por i 161000
181000
OOOO
101000
101000
161000
9500O
65000
65000
(5000
e pre-
A.lfe?ins superiores para re-
tratos.
LOJIIIOBEUAFLOH.
llua do Queimado ns. 63 e 69.
Uonrcss de choro.
Lindan Laneras de choro que rnamam papai e
mainai, de diversus UBwnhos : s nas lujas dubei
A Agoia Baanra sempre disposta bem servir e
agradar a sua loa freguezia, ni3ndcu vir e acabs
de recber um bello rior enradernaro e ai^irado po^lo, com especiali-
dado os do capa de miirllm cum lavures, outros ja-Ur,Vua to Qeliado"ii's". 63 o 60.
guarnecidos de :xrtaru'c;a cun traigas de prata, Luvas de liellica
outms marchi'tados de madrcperola com trancas in,.ii.i,!in. !...> i
de prata -uourada, outros de velludo etc. ele. Para iVt? ? Vi'' "n'" !,ara.1,nn,enf
qu-m un posto e dir.heiro. um albOfll assim per- '^ado n" 63 J 69 J ll,Jafl,,r' rua d'J Qu
feito sem duvida o mais apropriado para i.ellc i
se depositar os retratos de charos pas, bous pa-
MCBIMSBEP4TENH
le trafealhar mo para
dee:arocar aigodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
rpiilese amigos. Em quanto, porm, es>0< alhuns
se tornam nolaveis por sua |ierfeieu e bom post<,
outros recebidos na mesma orcasiao, o lornam re-
cominenoados pela < ommodidade de jirccos vista
da boa obra. Assira |iois o prelendcnte" sera ser-
vidocoeforme odinh^no que quizcr disiir para
esse lim, adiando sortimento para 24. 50, 60 o. 80
retratos : ex ra do Queimado, loja d'Aguia Bran-
ca n. 8.
Cavteiras e bolsas para
viayem.
Na loja d'Aiiia Branca, rua do Queimado n. 8,
vandem-se rarteiras cmii curreias para traze-las a
tiracolo, c boleas de tpele, ludo para viagens.
Eerfttinarias inglezas.
A Aguia Branca, conh^cendu a hem merecida
estima que os apreciadores do bom do s perfu-
mariai' w.il- is, por isso mandou vir o esplendido
sortim*iito que acaba de receher, e os acte Domes dos Vm conhecidos fabricantes J. Gosnell
C, Napoleao Price & C. sao bastantes para co-
ncecer-se a supehoridade dcllas. Consiste esso
bello e variado sor tmenlo em |>ei|uenas quantida-
dcs de diferente e agradaveis extractos de pri-
mera quaUdado cm frascos de diversos lmannos
e, formas, fasendo-se notaveis entre elles os que
vem em urna arteirn de tres, com os quaes por
soa elegancia e hondada se faz um LkIIo |irpseDte
assim eomoouros fraseos com finas csr.pncias con-
centradas, outros com excedentes leos paraca-
bellos, e outros finalmente com agua do Lavander
Fivellas pera cintos.
Lindas {vellas douradas rom lindas ppdras para
cintos : nas lojas do beija-flor, rua do Queiniadr
ns. 61 e 6^.
Cappllas para uuivas.
Lindas capel las para nwh'as 2550f) cada una:
nas lojas do bwja-Ior, rua do Queimado ns. 63 c
a 69.
Estojos tara baria.
Vende-seostofus com evpellio para baiba 15500
e 25000 cada um : nas lujas do beija-flor, rua (Jo
Queimado n.-. 63 e 69.
Balaios para >neiiiiias.
Rccebetj-se novo sortimento do balaios. com
rHia de
- por
25200, 25400, e 2*600 ; s o Pavao : rua da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de i i n lio i l'tvjtt.
Vende-se f*.nno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprw para lences e toalhas de mo pelo
baralissimo #rrecodo 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
godozmho com oito palmes de largara proprio
para len(;es, pelo baratiSMinD prego de 15'a vara,
assim como tem o melhor algodoiinho tanto em
largura como em corpo, proprio p3ra Icni-es, ca-
mi^aideescravos, etc., etc., preco muito eommo-
do lista-da-fazenda; s o Pavao : rua da Im-
peratrfc n. 60, de Gama &*S4lva.
AljjodVziAo com loque de avaria a 4,0O ris
e 1,800
Vendp-98 pefa de algodozinho por tertim pe-
queo toque de avaria, mas que esta em bom es-
tado, pelo barato prego de 41 e 45500 a peca ; s
o Pavau : rua da UBparalriz c. 60 de Gama &
Silva.
Os guar-anapoB ecoRomicos do Pavo e s do
PaTa
Vendem-se os mais lindos c modernos guarda-
a|K)s econmicos e todo hlho, tanto para as casas
e faiuilia como |iara botis, boi'quins, etc. ele,
lelo baratissimo prejo de 31 a duzia, isto s na
ija do Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
s SOUtexubaraices do l'sio k\
9 el8^.
Vendem-se os mais finos soultmbarqnes que
teem vindo ao mercado, sendo de caxprnira de co-
I res peiu duninutissimo preco de 125 cada um, di-
1 tos de miisamiiique pelo diniinulo preco de 9, >
; na loja d-j Pavo, mas que se Do enpaiiom : rua
jda Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoa I hado to Pavo.
Cosmorama ditas.
(Jrnazinhas.
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos porta bouqneles de diversos posto?
eos; so no Vigilante, rua do Crespo 7.
Ricos sintos
com bolcinlias ao lado, a 105, 125 e 155, ditos sem
bolea purm do mesmo goslo, a 21500, 35, 31500
41000.
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 15500, 21, 21500 e 35 o par;
Cahazes ou ersiinhas.
At que chegaram as desejadas cesiinbas ou ca-
hazes para meninas irazerem no braco, o mais rica
po-sivel a 25500, 35500, 45, 1, "5 e 10i: s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Peo tes.
Xeste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, lano de borracha como de tartaruga comen-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante,rua
do Crespo n. 7.
Peales
tambeni chegaram os riquissimos peutes de concha
de tartaruga e de mansa lina, que se vendo por 25,
35 e 55; s no Vigilanie, rua do Crespo n.
Leques.
Riquissimos loques de madreperola lauto para
senburas como para meninas, pelo barato preco
de 125 c 145; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Mais leques
com pequeo defeiio, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato preco de 85 e 105, clii-
nczes muito bonius lamlum, pelo barato pceo de
41 e 8, bcntarall.is mnito bonitos, tambein por ba
rato preco de '
por 45. ludo
7.
f.ortrs de calcas a 1W0
Vende-se cortes de calca para r.i-m> m a %%t<-0.
15800 p 25500 lina fazenda ; CMfcf Ce rn* 4s
core- tinas a 55, 35500 e 75; casen-ira par 11
calcas e solete-enflatadas a .1-3 i>c.iacfr. x
loja da Arara, na rua da Imperatnz n. :.ti.
Casrniras para capa de seniora a 2 e ?
Vinde-seraspmira enlatada fro^rh ;.ia i
para sen hora a 25 '35 o covado. :mb>n> 5
para rostomi'S purser del-na qnabrf?!K liMa- *
1 res, vende-so a 25 e 31 o covado: na lja arev
zem da Arara, na rua da Imp rui-it n 6.
A Arara vende as percala;, a SU r.
Ven 1-sp percalas tinas para w-inv< a MI
00 rs. cintas traiM-nas finas 3rf, *W,:'
mo noniios, lami.eni por na-1?6? ,'0V:"'J10 i na r,,a *"l*rlrn r.:.
e 45 e 55, leques de charlo lambt-m 1a *nn Yen,|e as f3l,as if jrosdeaaj le a i6 e 2r.
isto para acabar, perdenco-te tal-' Vendp-se ricas capas de prn^rtcn:-! Ir prrl
Iiur tf>. iuoo imo para araar, perdeiit-o-Se tal-1 'iine-F,' ricas rapas de prtv-rtpn: 1 tf prrti> 1 '.
vez 80 por ceulo; s no Vigilante, rua do Crespo scnhoras a 255 e 30-5; a>uiebsrirs tivlos l(,.s i
n- ". 205. 225 e 251 : na loja da Anrz
Estas machinas
podemdeoearaeai
quaiquer especie
Pulseiras. lariatana de cores e tranca a M o rs. 3
Lindas pulseiras de conlas e de missanja, cores Vende-se torlatana branra e <- rcrp. fra a
muito lindas e dn muilo posto a 15 e 1520). rs. a var.i,-(i/j de linho a MO rs. a >ar.i t ,,<
Para .segurar mangiiiios. !da '"'l"'iatn toja 1 araaarai i Arara, n.l.
Tambem chegaram as liguinhas eslreilinhas de I propriciai'da lojae armazn da/ura r.-
borracha que as seohora tanto pneisam para se- ron ":''"'-' "'a .1 ai'ei- .1. ai>= Si-, fr- ti t,-.-
purar manguitos por ser muito rommodo e muito "'""''ll1 wr amostra; J-' t 'a- r ':. >i :>- >
barato, a 330 o par; s no Vigilante, rna do ires- aDnDn,,ia. pronieM.'iido veude-las iWi;-c- pn o
Canelas,
tas de madreperola proprias
desearocar
ai roba
280
OU.! pelo baialissimo preco de 25, 252' 0, 25500 e 35 o ,0 possivel, a 23. 25500 e .'t5; s no Vigilanie,
vanos passaros, pelo liara lo precode.... possue as vant&geiis -de nao destruir o fio do a
15'.|00 at i5 cada um : nas lojas do beija flor, rua godao e de fazer render o dobro de quaiquer oc
i tra com menos trabalho, a sua ntroduecao pora covado, eassas preas isas, chitas prelas largas e
as provincias deste imperio ser de muito valor sstreilas, manguitos, colannl
tiara iodos os interessados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
no sysema.oraql seram movidas por animaes.
igua ou vapor, pas naos podem desearocar 18 ar-
robas de aigodo ampo por dia.
Oalgododescarocadopor estas machinac tem
nuito mais estimacao nos mercados de Earsna e
vende-se por maiorpre^o.
As machinas se aeoam venda nnicamonie ero
casa de
Vende-se panno de linho adamascado proprio500 n
para toalhas de mesa, pelo diminuto precode 255001
rs. a vara, guardanapos de linho a 55 a nuzia, I Iliquissimas can
de algedao sem '"'has de mo a 55 cada duzia, na loja do Pavao, para quaiquer prsenle, pelo baraissimo pr.'i do
estragar o fio. i rua d3 Imperatriz n. 60, de Cama & Silva. 11300 e 2$.
sendo ba?lame! E' so o Pavo ,(a 'i,* SOO). Sapalinno c meias de seda.
dtMspessoas para (Juem tem baloes por lal preco Biqnissimos sapalmhos de seda e Je merino en-'
; po.e Vendem-se os balos americanos muo superio-1 'e',a''osl assim como meiaszinhas de seda, sorraz-
iima res com 20 e 25 arcos pelo haratissimu preco de 1 "as e ^uquinhas para as cnanriuhas se baptiza-
do algo-1 25500 e 45, ditos de 25, 30 e 33 arcos com fitas, i rem i s n Vigilante, rua do Crespo n. 7.
*n >nm ^r?^> 'OiUi bem armados e tambem tem cores escoras lolliuhas.
oa l18 ^ j;rl ba.rato prego do 35300 rada um : s na loja l Lindas vollinbas de perolas falsas eomcruzinhas ,
Ai-Jiinn ~Vr ',",1 Pavj' rua da '"'P-ralnz n. 60, de Gama & fingmdo bnlhantus, a.sim como ernzinhas avnlias t8 I-ara .bertas a 320, 360 e 4> O rs. runv l1 akl b''Va' e Vultinh:is- I"-'0 a"to preco de 15 e 15200, as na,':|s m"J n*' :ino rs. o cova-to. d.tas w,r-
imno 0 'yVHO Vende Dra lulO. i"Ui!es avu.is a-a *00 rs.; so no Vigilante, rua do "a(!:Y *>* o ovado : na rua da B.peratnz
&* machina Vende-se superior sel i m daCbma, fazenda toaa I Cre', n" n. 66, toja da Arara. -
a nnica que de laasem lustre tendo 6palmes de largura pro-1 _. oolinhas. DIUAI C'U 'criiaifV."
l>no para vestidos, capas, paletots, caicas, etc., I, itiqmssimas go "nha.^e manguitos, o melhor gos- IsIfHl Ow ll OL.LUni
Pecbincba de lencos de seda a Mo rn. t M-
\ emle-se lencos de s< da |>, qui-r.n a 1 O r
. lis grandes a \& : ditos l.nnc-.s r. m l-arra dr
S^r'e'1',""m i" '"v nva *" t,m "
r .-,1'5' l5'':)-3 a ,,"/ia: *'* i"" -''
*5 e 51 a duzia : na rna da Imp rair n S.
Cassas francezas a 2X0 r 320 r. o m,.9.
Vende-so eassas Iranrezas linas tara HlaV 320 rs. o covado: na rua da h| er>ti iz a. '.
Cslekas de daiassco a '\
Vende-se colchas de danzases |. ra rsir-a a 41
ditas de fastao a 51, ditas de chit> a t$ 11 n* ni
Filas finas para idIos.
Ricas filas finas lavradas de bonitas cores para
cintos j nas lojas do beija-flor, rua do Queimado
Estrados em caixinhas.
Finos exlractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: nas lojas do beija-Ilor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Sabio em caixinhas.
Finos sables em caixinhas com varios retratos :
nas lojas dobeija flor,rua do Queimado ns. 63 e 69.
.Tiras bordadas.
Vendera-so tiras bordadas transparentes e tapa-
63 :69aS ^^ d bsiJ'3'flr> rua d0 Queimado ns.
Jjjos de domin.
Vendem-se jogos de domin a UOO e 11300:
Sauuders Bratliers k 0.
y. II, girava do Corpo anto
RECIPE.
Os nicos agentes neste paix.
sublimada ; e be assim finos sabonetes cm paco- nas lojas do beija-flor, rua do Queimado us. 63
tes e caiiiohas coto tres, bonitas e delicadas al- e 9-
mofadinhas com pauJ.ilhas em p, as quaes deitan-
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s
drixam toda a roupa cheirosa, como afugpntam
baratas, tracas, etc., etc. Em quanto, porm, a
?ommoJid.'ide dos precos ja ni.o enfra em duvida.
ama vez que o pretendente comparpfa munido de
dinheiro e disposto a fazer ga>to na loja d'Aguia
tranca, rua do Queimado a. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excelleatesiirinquedos para criancas: vendem-
se a 500 rs. cada urna : na ruado Queimado, luja
d'Aguia Branca n. 8.
Fspelhos edin molduras pretat
e douradas
A Agnia Rranra, na rua do Queimado n. 8, re-
ceben um nom sortimento de espelhos de difieren-
tes lmannos com molduras pretas e douradas, e
os esta vendendo por precos commodos.
Popel nglez% \
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
ivheu um novo sortimento de papel inglez liso e
paotado, almaco, de peso, e peqneno, vinde desle
tamben cun l.eiras douradas.
Enfeites invisiveis
Ciliados bordados
Vendem-se bahados bordados de varias larguras
o varios precos : nas lojas do beija-flor, rua do
Quowiado ns. 63 e 60.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. cada um : nas lojas do beija flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
.tderecos pretos.
Tendo-se receido aderecos pretos do novo gos-
to sao exposios venda : nas lojas do beja-flor,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
bravatas para senfaoras.
J"1 grvalas para senhora 800 rs. e 15000
15200 : nas lojas do beija-flor, rua do Queimado
ns. 63 e 69.
Espeta de moldura.
Vendem-so espelhos de moldura prela para sa-
las : nas lojas do beija-flor, rua do Queimado us.
63 o 69.
Vollas de aljofares.
Lindas vollinhas de aljofares com cruz de pedri-
nhas imitando brilhantes 11000 cada urna : nas
l?s do beija-flor, rua do Queimado ds. 63 e 69.
Colberes para sopa
Vpnd>m-se colheres de mptal-princfpe para sopa
a 25000 cada urna : nas lojas do beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
La para bordar.
Vendo so laa para bordar, a melhor qne se pode
encontrar, tanlo na qualidade.
210
100
60
120
20
200
160
400
.......~ ~ mh como nas cores, a
A Aguia Branca, oa na do Queimado n. 8 rece- 61400 a libra : na lojas do beija-flor, rua do Quei>
bpu novua entonos invisiveis, os quaes pela uara mado ns. 63 e 69.
Nas mpsmas lojas se encontrar sempre grande
sortunpnto de miudezas boas, e mais baratas do
que em outra quaiquer parte.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Rua do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo-
s Bigodiulio, venhau ver a pecbincha que se osla
acabaudo certas quadades de fazenda.
Pesas do litas elsticas com 10 varas a..
Ditas de tranca branca lisa com 10 varas-
Ditas de tranca preta Jba a............
Realejos para meninos, pecbincha a..,
Rodinhas com superiores alfinetes a... ..
Caixas com superiores agulhas e limpasa
Sabonetes do familia, muito linos a 80 e..
Pares de sapalos delaa para enancas a..
Varas de babado do Porto muito bom a
100120e.........................
Ditas do bico largo grosso a....,.......
Potes da superior tinta tem mais de me'i'a
gairafaa..........................
Caixas com perfumaras muito bonitas a.
Frascos de ojep de macaca muito fino a .
Ditos de oleo do babosa* superior a 240
320, 400 e........................'
Ditos de cheiros muito superiores em qua-
lidade a.......,...................
Ditos de agua de colonia muito boa a___
Ditos de dita dita grande a...........
Sabnnetes de todo o prec,o 60, 160, 200,
320 e.............................
Frascos de superior banha a 320 e..."..','.
Caixas de p para limpar denles muito
fino a-......................
Ditos d
---W WMaWV lltl|.'|.'J|P, t* ijuniy.- **'** *
do terido e bum gosto n*ni merecido tanta estima
Preparos para flores.
A Aguia Branca, na rua d<> Queimado n. 8, re-
ceben novos preparos para flores, sendo iwpel de
cores para rosas dito verde para fulha>, foltias de
panno e velludo, caixas de trigo, ditas da uvas
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, p ltimamente che-
gadajo mercado, em bem acndici-maiios barris
brancas e roxas, e romo sempre continua, a serano a.azem de Hannel
vendidos por presos oommodos,
Teixeira Bastos, roa do
Trapiche n. 13, por prejo rwusvel.
h?nha transparente a..........
Pares de ligas muito tinas para senhora a
Sabonetes inglezes da mplhor qualidade a
Frascos de agua dentriflre superior ga-
rantida a..........................
Massos com 26' envelopes grandes azula-
do a ..............................
Varas de lila preta com clcheles a.....
Frascos de macaca perola muito superior
Caixas com peonas grandes a.........
Grosas de botoes para calca preta, miudos
Libras de memento da roupa de lavar a..
Carriteis de retroz de todas as coros o
tem roela nitava de retroz a.........
Yaras de ticos do dflferenieg Jarguras a
160
00
330
500
100
SOO
320
400
SOO
400
800
100
600
SOO
320
1#000
100
100
200
200
100
200
200
60
ios, pnnhos, e enfeites,
ludo prelo proprio para-luto fechado, e mu i tos ou-
iros artigos que se vendem por precos mais em
cunta do qne em outra quaiquer parte por estar
liquidando ; s na luja do Pavi.o rua da Impcra-
ItiZ.a. 60, de Gama A Silva.
v s percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pilo ultimo vapor tem na loja do Pavo pelo
barato prego de 600 es. o covado ; ditas dp listi-
nhas^ muito miudinhas proprias para vestidos c
roupes de senhoras. meninos eoieninas, pelo ba-
ratissuno prego de 500 r?. o covado ; garantem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Paris : isto na loja do Pavao rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 9#400 e
208OO o corte -
Vendem-so cortes de chita com dez covados
25400, ditos 21800, rom 12 covados; sao chitas
inglezas, mas padres bonitos e tintas seguras ;
as.sim lem as melhores chitas francezas e de lin-
las seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 300 rs. o covado : na loja d..
Pavao rua da Imperatnz n. 60, de Gama
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camismhas com manguitos o golli-
nhas bordadas, pelo barato preco de II e 15280
cada um, manguitos s 00 rs. cada par, ditos
com Kolinha a 800 rs., golinhas 400 c 480 rs., de
fil 240 rs. cada gohnha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 21 cada
una, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a complele gravata de seda, fazenda
Una, pp|o barato preco de 31, e muitas nutras
bordadas que se vendem por precos muito em
conia : na loja do Pavao rua'da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As roupas do Pavo
Vende-se panno pretn fino mnito superior pelo
barato preco de 21, 21300, 31, 31300 e 45, dilo
muilo flpo 51 e 6 o covado, r.a>imira preta de
urna s largura e muilo fina a 15800, 21 o 25300
e 31 oenvado, corles de casimira de cores a 51,
oI-jOO e 61, casimiras infestadas de urna s cor
proprias para caigas, paletots. coleles, capas e para
roupas de meninos a 31300 o covado, istfl na loja
do Pavao rua da Imperatriz n. 60, do Gani3 &
Silva.
rua do Crespo 11. 7.
Enfeites para senhora.
Riquissimos enfeites com lago e sem laco 3 de
outros muilos goslo* a 11, 15500 e 35 : s' no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
francelins.
Lindos trancelins oe cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15300, ditos de
retroz a 200 rs.
Rabadinhos enlrrmeios.
Riquissimos babauinhos entrpmeios eom lindos
desenhos tapados p transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15300, 21 e 31; s no Vigilante,
rua da Crespo u. 7.
Gascarrilhas.
Grande sortimento de cacarrilhas de diversas
largura?, assim como gaiaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimenlo de litas de diversas larguras
c qualidades, por pregos que admiram aos com-
pradores, havendo filas largas proprias para cin-
leiros que se pae vender a 300 rs. a vara, e pega
a 25; s no Vigilante, rua
ipenuitniar, a>m ratso
para senhora 5f0 rs,
e pnnhos de fusiio muilo benitas.. C4C.
Rua do Queimado n. 49, esta vraafa
boas faz.-ndas c muito baratan,jarsa uuizi Muir'*
i vir ver ou mandar para espenmtniar. a>sim r~,
.-Cjam :
Gullinhas mmio liria-;
Ditas
artas de allinete de cabera chata de loovs'os fa
manhos a 80 rs.
Resmas do papel de peso rouilo ana a M
Lapachos redondos e compridos a SCO r/
Caixas com SDperiures brelas de :olla e oV nas>a
Cordo branco grosse (n
vara a 20 rs.
I.inhas do carriteis eaianie-se 150 jarda a 40rs
Carios de linha Pedro V *)m N> jarata a 40 rs'
Urosas de peinas de ac muilo tara a fWi r*.
varas de franja d- laa para vesMs a 40 ra,
OiUsdo franja branca larajai para 1. alba* a IMn.
lares de botoes do punho a I2(,320 t 10 rs.
Iinleiros do vidro rom Unta 3 16o rs.
ICOrr.
15a prjfcado- a ICO e a 1
zia a 20 rs.
tem moita apphVario a
V""1"1 v"" rom unta a lou rs.
Ditos de barro com superior tinta a 1C
Grosas de butoej J,; louea y.-aicado- a
Tesouras para co-tura a 80. 200, 4f0 e SfO rs.
Escovas para limpar dente, sur-criore\ a 2tO r*
de 9 varas a 25; so no Vigilante, rua do Crespo Libra de 13a para^b,rdar da a.elhor ajaSS a
" j 61300.
Fitas de la. Caixas de phosphoros de Wftjraap a Ifa
j'u5 l 'i*a ^e l"^as as 'l,,a'l^aJ,':i proprias pa- Gaixas e pacotes de papol :i:nzade >oi.r.itr a t
nUlMSIliM
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega. s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura douralae
sem ella de 85, 101, 121 e 141, assim como com
columnas de ditTerentes tamanhns a 21, 35,45, ,'>5
o 61; s 110 Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros o figuras de porcelana fina,
para enfeile do sala, sendo o melhor posto queaqui
tem apjiarccido; s
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com honeela para pos de arroz,
coosa de muito goslo a 11500 e 25, assim romo
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos c banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
linctivos e oti'erecimentos as sinh.isinhas dos me-
lhores n mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos dehanha japoneza
a 21 e a 11,assim como nulrosobjeelos que nao-e
res.
\U9
Caixas com 100 envelopes muito Ano* 1W11
Quadernos do papel pequeo azulado iWn.
Carriteis de linha AJeiaadra cwn 200 jardi a>
100 rs.
Baralhos para votlaretea SMe aiai Hnr a 3Wra.
Meladas de linha fronxa para bordar a 90 ra.
Pares d. sapat^s de tranca di lodos os umantrn
a 15300.
Grosas de botos de madreperola moo flr* arta
ris.
ne Vigilante, rua do Crespo Cartas c caixas do cotehctti do supehorra tataV
dades a 40 rs. ^^
Massos de grampos superiores e Iknpos a -10 ra.
Grosas de palitos de gaz a 21200.
Libras de areia preta da melhor qnaliJade a rtO
ris.
Caixas redondas para rap-S c tem mnitr-1rnHr< rm
tongas a 100 rs.
possivel por boje annunciar, c vista dos fiegue.
Vpnde-se cal de Lisboa, a mais snpermr qne ha zes M 'r l"^ npgoeio; na loja do Gallo Vigilante,
no mercado : na rna da Moeda n. 2, confronte ao Irua do Crespo n. 7.
mi i-he do Cunha ; e para informarn, no mesmo
trapiche. '
Atteiicfo.
Vende-sp nma taberna com poneos fondos e
multo afreguezada, tanto para a Ierra comn para o
mato, e commodos para familia : na rua Imperial
n. i 9o, r
Salitre rpflnado. snperior qualidade, vinho Ror-
dpaux. differentes quadades, mais barato qne em
Sualquer parte : no armazem de E. A Bnrle <$
., rua da Cruz n. 48.
ATTEIN'CAO.
A fiordo do biale nacional Dous nna-t so-ara-
do d. fronte do trapiche barao do Drramnta. reav
de-secsto superior krinha la.a^a ainita ni irt
neste mercado pelo haralo preco de 33 o afcpeia
011 61 o sacro sendo este prego anoel, e tan.Trm
na rua da Madie de neos ns. 5 9.
Vemlc-se um excellento carrinhfl aw#rirart>
de 4 rodas para dnas pessoas, rom arr-w rt> ma>
ou dons cavados : e do melhor fnato q-r< 't ft
eticonlrar ne>la cidde, c esl em perei- e-t*-, ;
dirlam-se Agio P Pedro, na roa *> Im| erad r
n. 38, casa do retratista airi-ricaM Sr. O-twa*



Diario *c
Veren retn e niuhr efe tS4.
NEM COROAS NEM MITRAS

(JHAftDE AllAZEl E I0LH4D08

Largo da
'Santa Cruz
n.84.
Esquina
ra V
Sebo n. 84.
AlROiU BRILH 4NTB
Prancisco Jos Ferasndes Pires, proprietario do armaiem de molhados denominado
Aurora Brilhante, ao largo da Santa Cruz n. 84, esquina da ra do Sebo, faz sciente ao
mpeitavel publico desta cidado e do interior, que no seu importante estabelecunento
vender sempre gneros novos e de primeira qualidade, e vender a todos pelo mesrao
pMBK
O Completo >ortimento de todos os gneros finos e grossos que costumam ter ontros
stabelecimentos desta ordem se encootrarao sempro oo< armazem da Aurora Brilhante
e'seranro cm grande escala vontade dos senhores compradores.
O (ir.)|inei;irii do armazem Aurora Brilhante pede a iodos os senhares e senhoras
quoquandii tivcrem de mandar suas relaces a este estabetecimento por seus criados
seja em carta fechada ou com grande rccomraendacio a este armaren), certos de que
sero tio bein sonidos como se viessem pessoalmenlc.
&m
A Aurora briitiaale troca qualquer um genero que por acaso nao agrade, c recebe
as libias esterlinas a 9,5000, sendo por compra : a tabella de seus gneros sera mudada
todas as semana.-.
Amenduas confitadas a libra a 800.
Manif jm ingiera flor a 800, 960 e 1120.
Bao inai> abaixo a 610e 720 rs.
Dita i auceza nova libra 640 o em barril a
560 e 600 rs.
Chocolate santo muito novo a 1,5200 a libra,
tl ;jerol o melhor que ha ( redondo) a
libra a 35200 e 25800.
Mo dito mais abaixu a 2*500 e 23800.
Dito UKiin muito fino a 25800 e 3fi.
Dito liyss jii superior a 2600 e 2*800.
Dito ma>s abuso a 2* e 2o00.
lino trelo inuito lino a 25500.
Dito em massos a 25.
Dito do Rio era latas de 4, 2 e libra a
45300.
Cal c Moca superior arroba 95300 e libra
300 e 280 rs.
Ditodo Bi e do Cear arroba 85500 e libra
320 rs.
Dito inais abaixo arroba 85 e libra 260 rs.
Barr.-a; cora bolachinba ingleza nova a
33.
Latas cotn bolachinha de soda de 5 libras a
25300.
Ditas cora ditas sortidas de 2 libras a 15400
Francos rom ameixas francezas a 15600,
25300 e 35.
Laias com ditas a 15400,25200 e 4<.
Ditas con figos de comadre a 15300.
Caixiuia:. con ditos muito novos.
Presunta de Lamego muito novo a ibra 5- 0
rs. inU-iro e a retaiho 600 rs.
Cliouncas e paios novos a libra 600 rs.
Ditas c,im ervilhas francezas e portuguezas
a 800 rs.
Ditas rom massa de tomate novo libra 300
rs. e em oarril a 500 rs.
Dita* com ostras a 720 rs.
Dita- con manneiaila dos melhores autores
de Lisboa a libra 640 e 720.
Potes con musturJa franceza preparada a
libra 480 rs.
Dita dita ingleza a 800 e 15.
Queijos novos do vapor a 2,8200 e 25800.
Ditos de prato enplicado a 15-
Dito suisso a 800 rs.
Dito de niauteiga do Serid a 800 rs.
Caixas cun passas novas de 1 arroba 75,
ntt-ia 35500 o quarlo 25 e libra 480 rs.
Amemloas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 65-
ores libra 160 e arroba 35,
CbartOl uno de Simar, ,loc molhoro.; fa
bricantes da Babia de 25 8$ crujas di:
100 6 50.
GfttKas de c.iixinbas de palitos do gaz a 25200
e 200 rs. a duza.
Barris con azeitonas n^Tas a 15200 e 25
barris grandes.
Yassouraa do Porto piassava muito seguras a
^jf. "OS'rs.
Azeite doce francez dos melhores fabrican-
te-, caixa 105 e a garrafa 15.
Caixas com vinbo Bordouax branco e tinto.
Vinbodo Porto lino em barris de 3o que ra-
ras v.'z-s apparece por 805 e em cauada
a 55300 e uarrafa a 800 rs.
Dito de Figueira puro caada 45 a 45300 e
carrafa a 480 c 360 rs.
Dito do Lisboa du boas marcas a 35500 e
45 a garrafa a 440 e 480 rs.
Cognac verdadeiro a garrafa 15 e 15280.
Vinhj muscatel duzia 105 c garrafa 15,
ViSho nranco de mnito boa qualidade caa-
da 45 o garrafa 480 rs.
Dta X-tcz fino caada 75300 e garrafa a
15200.
Dilo lladeira secca a garrafa 15600 e 25.
Dito e.n caixas de ama duzia do Porto dos
melhores autores a 125, 145 e 165.
Garrafas cotn licor fino francez a 15, 15200
e 15600.
Ditas com vinho de caj muito claro a 15-
Ditas con mel de abelha puro a 15-
Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 15-
Dilo de urna garrafa a 360 rs.
Dito de laranja verdadera a 15200.
Futes com mostarda preparada a 320 e 400 r?.
S Calvas com 2 arrobas de batatas a 25300.
" Vidho branco de Lisboa proprio para missa
a 45800 a caada e 640 rs. a ganafa.
Espirito de vinho a 400 rs. a garrafa.
Duas redes muito bem feitas para dormir
viadas de Sobral a 305 cada urna.
Carne e lingaica do serto.
Duzia de graxa Mas grandes a 15-
Caixas com 23 massos de velas de sperma-
cete a 560 rs. a libra.
Ditas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ty 105500 e libra 400 rs.
Ditas de composico arroba 105 e iibra 360
ris.
Saceos grandes com fariaha de Goianna mui-
to boa a 55500.
Ditos com milho novo com 24 cuias a 35500.
Dito com farello de Lisboa a 3*500 e 120
a libras
Dito com arroz de casca a 'aOOO.
Duzia ae garrafas de cerveja branca e preta
a 55500 e em barricas a 55000.
Arroz do Maranho em saceos arroba 25600
25400 e libra 100 e 80 rs.
Dito da India e Java arroba 35 c libra 120.
Araruta verdadeira arroba 85 e libra 320
rs., mataran*;
Gomma do Aracaty para engommar arroba
35 o libra 160 rs.
Farinha do Maranho nova libra 320 rs.
Ervilhas seccas muito novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 35200 e libra 120 rs.
Graxa do boio 97 a 280 rs.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanhol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto de diversos tamauhos de 320
a 2*-
Capachos para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de bico arro' a 45500 e libra 160 rs.
Painco arroba 55500 e libra 200 rs.
Milho alplsta arroba 45800 e libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 15500 e garrafa
200, 240 c 320 rs.
Massos de palitos de denles com 20 raassi-
nhos a 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Rosnas de papel almaco pautado a 45500.
Dito greve liso o melhor que ha a 45500.
Dilo de peso e pautado a 2j500 e 25800.
Garrafoes com 25 e 13 garrafas de verda-
deira genebra de Hollanda por 85500 e
65000 rs.
Azeite de coco garrafa 560 rs. c carrapato
360 e caada 25560.
Caixoes com doce de goiaba a 640, 800 e
13-
Toticinho de Lisboa arroba 95500 e libra
320 rs.
Dito de Santos arroba 65 e libra 280 rs.
Uolhos com grandes ceblas a 1*600.
Cunto de dita sulla a 1*600.
Mauncos de alhos a 120 rs.
Gordas de pastar e de andaime.
Pavas da ilha de 5. Miguel arroba 35200 e
libra 120 rs.
Copos lapidados para agua e vinho a 35300,
55800, 65 e "'5.
Ditos lisos para varios precos.
Calis lapidados grandes e pequeos duzia
3, 4 e 55 ; e 400 e 500 rs. cada um.
Massas para sopa macarro, talharim c ale- Gt|
tria a 400 rs.
Estrelinha e pp.vide libra 640 rs.
Xarope de fruclas nacionaes a garrafa 600 (
ris.
Marrasquinhp de Zara da melhor qualidade
agarrafa 15200 e 800 rs.
Esleirs de tranca, cento a 205 e 240 cada
urna.
Queijos de qulha novos. arroba 165 e libra
a 560.
Duzia de champatiha superior a 205, e 2-5 a
garrafa.
Garrafoes vazios a 1*600.
Massa branca para sopa a 320 rs.
Frascos com azeitonas em coacervas a 800
rek
Duzia de cartas finas para jogar a 35.
Sabio hespanhol verdadeiro libra 400.
Saceos com feijao mulatinho novo a 105.
Latas cora favas ja preparadas a 800 rs.
Sevadinha para sopa a 240 rs.
Garrafas com muscatel o setubal a 800 rs.
Sag novo a 400 rs.
Breu arroba 8*300 e libra 320 rs.
Utas com 27 garrafas de gaz a 11*, a gar-
rafa 500 rs.
>*,v4;
B ontros inultos gneros de primeira qualidade que nao
posslvel mencinalos.
A satisfacao da Aurora Brilhante vender mujlo, embura barato, mas DINHEIRQ,
abatendo cinco por cento a quem comprar de 1005000 para cima.
.
o
NOVA EXPOSigUO DE gneros
NO
AKMV/Ui
GK1IRE
ARMAZEM
DE
PRINCIPAL
DE
mi% fc m&%.

RIJA DO imperador %. 40 V. 9 RITA 1IO CRESPO IX. 9
Jauto ae s* lirado em que fflra o Sr. Os barrio, Esqu que volt para a ra tl# lnerar
l>uarte Almeida Ir. ., reeeberam de sna proprla encontmeu* proravel que n3o seja bem aceita a verJade, quando a boa t de uxlw a*da
da o mala lindo e variado sortlmento de molhados. proprio Uncida por esta epidemia de nauzeaticos annuncios de cmelas, tambores, cortas rt
da presente estaeo. '. tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal.
Manteiga ingleza Maeas brancas ALEKTA
da safra nova vinda nesto vapor de 28 de i para sopa a melhor que se pode desejar, | Os annunciantes nao tem em vista seno garanrem ao reipeitavd
macarro, talharim ealeiria a 400 rs. a sua palavni de honra, venden* cora o lucro suficiente para suas subwstenci
m^io a 800 rs. a libra.
Manteiga franeeza libra e 40500 a cnixa.
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril I VillllO
a oOO rs. Figueira J A A e outras murtas marcas acre-
AmeMOaS j ditadas a 500 rs. a garrafa,
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2#400. muito propios para mimos,
Carnes
com bolos franceses a 500 rs. cada um.
Litas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1*5-300.
Chocolates
de todas as quididades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tamben
temos velbos. para5(-)0:rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 25600.
Queijos 1
chegados no ultimo vapor a 2$600 cada um.
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retaiho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1^200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qaalquer nao pode vender por menos de
U a 20600.
dem perela
especial qualidade a 25700 rs. a libra.
Neta hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2#600. ..
Massas amarellas \
para sopa, macarro, talharim e aletr.i a
480rs. alibra. |
COUVAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1,800
rs. a garrafa e de outras militas fatalida-
des a i.ooo e 8no rs. a garrafa.
COPN
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPKI.
almaco, greve, peso e de outras militas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botiea
! de escolente qualidade a 25200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrullio de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRRem ancorelas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e i.ooo rs. o molho.
Alpista e Paingo
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 45400 a arroba.
0 NOVO DESTINO
CONSERVATIVO

23~Largo do Terco~23.
Joaquim Simao dos Santo?, dono deste bem sortido armarem de molhados denominado Gon
*rvalivo do larg do Terro n. 23 scientiflca ao respeitavel publico e a todos em geral que mandem
,ti venham a este estabelecimento para melhor se sertifiearem da diminuico de presos que obtem
tsie, oque nio obleru se comprarem em ouiro qualquer, pelo que se resnonsahelisa a servir qual-
ju-r comprador com a maior presteza e fidelidade, sem que hj a menor aItera?ao. Todo o compra-
J- qudHiomprar de 100* para cima tora o descont de 5 a 10 por rento pelo seu prompto pagamento.
AttenQao.
itetaias as mais novas a 10 rs. a libra e 1*300 a ar-
robfc
T.xieiotw do Lisboa a 280 rs. a libra e 8*500 a ar-
Gf^ de primeira e segunda sorte a 240,260, 580 e
XX**. a-ltbra.
Arroz d Maranho o Java a 100, 70 e 80 rs. a li-
rafelJJOOa rrobk.
fc'iosiphrosl' e,.s.>.is de carnada a 320 rs. a libra, e eiu caixa a
*>Urliiohji infrelas novas a 240 rs. a libra.
SSa amarell massa a 160,200 e 240 rs. a libra,
tfslasil earnaaba Aracaty composico a 360 e 400
-?. rtlbri.
eiitan'fraoceza rom 1 e meia libras a 1*.
tfass de tomate da meftor qualidade a 600 rs. a
Cha hyssoa miudiclio e perola a 24,000 24500 e
24800.
Milho alpibla e painco muito novo a 160 rs. a libra,
[tiscoitos e bolachas de soda a 14300 e 24
Araruia das mclliorc.. marcas a 14, 24, 34, 44, o
44500 a caisa.
Charutos em marcos contendo 50 por 640 rs. o cento
Azeite doce de Lisboa fin a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapalo a 280 rs. a garrafa, e 24000 a
arroba.
Vinho de Figueira e Lisboa das meihores marcas a
320, 400, 500, 560, 640 e 800 rs. a garrafa, este
ultimo '1o Dorto proprio para os doentes por
ser purificado e recom'mendado para este fim.
Queijos de ultimo v*por a 24 14700.
Manteiga ingleza- flor a 14 a libra, e a 950 rs. em
barril
dem menos superior de 720 a 800 rs. a libra.
IJam franceza d^ ultimo navio a 560 rs. a libra,
-libra.
i mellada dos mtlhores fabricantes a 640 rs. a
j'jra em barril o ara aliatimento.
garifas as maU novas a 5S0rs. alibra, e em Gomma da mais alva a"160 rs. a libra e a 44500 a
.taml por 124. arrol
AJ'hadstes gneros haoutros muitos que enfadonlio seria menciona-es.
dem do Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2$800 a caada.
dem do Porte
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidado do Porto a l& e 1200
a garrafa e de 105 a 12a caixa, as mar-
cas s5o as seguintes: Chamisso AFilho,
F*. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros finitos.
Latas
com 10 libras de banha a 45000.
Bolachinha ingleza
a l A8o a barrica da mesma que
vendem a 24000 e 26400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r- bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 4#500 a fy>300 a duzia.
C-ARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a L-i.500.
Arroz
do Maranh5o a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2,3500 a 3000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2. sorte do Rio de Janeiro a S5f
e 8^800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafoes
com 4 '/i garrafas com vinagre a l^OOOtM
o garrafio.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 144000
a caixa.
DEM
em frasquetas de Hollanda a 50800 coa
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinna.
LICORES
finos detodasasqualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a I.ooo a garrafa.
Marmelada
; dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 5Go rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a9,3oo b
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas omito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e G05OO
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frotas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Osee da casta da notaba
a 600 e 10 o caixe.
as enioMr?
assentarem fortunas a forca da regra de liga como outros annunciantes deste genero
PARA TO1 tOS
No armazem principal vndese a todos pelos precos marcados na seruuH.- u-
bella, mas nao se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba bespanbola, ma
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquello que nao se/a do agrado d-
, comprador.
Amcndoas confeitadas de diversas cores a Lentilbas muito novas ex.HIeat.^ letrnmem-
64o rs. a libra. I ra sopa a 2oo rs. alibra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra. i Licores francezes de todas as qoaldaoV da
dem de casca mole a 32o rs. a libra. 7oo e 9oo rs. a garrafa.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Manteiga ingleza perfeitameote flor a 8*0 rs
estampas, a l,2oo e l,5oo rs.
dem cm frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1'/libra a l.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
ba neste genero de 80 a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada,
dem francez e de Lisboa refinado cm gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libia.
Azeitonas muito novas a 2,000 rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Rolachinhas de Lisboa da fabrica do Reato
Antonio do diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra,
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 c de 4 arrobas a
1,100 rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
a libra, desnessesario mais etofios 1
te genero que s se pode verificar
vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em tarrJ
ou meios a 5oo r*.
Marmellada do 1." fabricante de Lisboa a 60*
rs. a libra, ha latas de 1, |/t r 2 Ubras.
Maca de tomate em latas de urna e das li-
bras, a 60O rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide. rodmka.
etc. a3.5oo rs. a caixa e 56o ra. a libra.
Macarro, talharim e aletria a 4oo ra. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fr.iS-
co.
dem ingleza em p a 64o re. o frasco.
Molho inglez em garralinhas com rnlha 4*
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a I.ooo n.
a garrafa, e 10,000 rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lat.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, p-
rantindo-se a qualidade. a "00 rs a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a litar, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas da>
seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
rz, cavallinha e pescada a I.ooo rs. h la-
ta.
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e Ooo rs. palitos para dentes liebadas a 14o ra. o nv.-
as meias garrafas. | co de 20 macinbos.
Cl uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia. e 2 loo r*
Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara, aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a comraodidade de torios es-
tipularan os raesmos precos nos seguintes lugares:
Unio e Commetcio ma do Qieimafo n. 7
0 Verdadeiro Piiucipal ra do Imperador n. 40
FRIJCTAS
MUA. PERAS K UVA
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro Principal-Ra do Queimado n. 7, Unio e Commercio.
INJECCAO E CAPSULAS
VEGETAES ao MATICO..
GRIMAULT E C' PHARMAGEUTICOS EM PARS
Novo tralamentopreparado com as folhM. f Matlee, rrore lo rern, para a cura rpida e infallire!
da Gonorrhfa em recelo algum da contracc^o de canal ou da inflammacjko dos intestinos. O ciebre
doutor nirard, de Pars, ter renonciado, desde sua appariSo, ao emprgo de qualquer outro tratamento.
Emprega-se injcrca no comqo do (luxo. as capsulas em lodos os casos chronicos e aveterados, que
rcslstirao is preparac^es de copahu, cubeba e 9 lnjeccjes com base metallica.
Depiltn geral: em Pm, em casa de MM. Grimaut e c, pharmaeutlcos, 7, ra de la Feuillade;
em Lisboc, Jtf Ajo.IlBh. da Co.i.CurTlho Jnior; no Porto, Miguel J*a de Sanca Fer-
, reir; em o Rio-de-Jantiro, Gratan, 102, roa $. Pedro; em Baha, Joa-Caetan* Frrrrirn-F.pln-
hrira; em Hio-Cronde, loatiuln de Goday; em JfaroniWo, Ferrclr e Cj em Pernambuco,
shaum e c, roa da Cruz, 32; sanaa, e as principa*! pharmacias do BratH.
bra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a hura.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
iciii preiu iioineopathico 2,000 rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
l.ooo, l,2ooe 1.400 rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furta
do de Simas e outros da Bahia como se-
jam Regala.Trovadores, Guanabaras, De-
licias c Suspiros, a l,6oo, 2,000,3,ooo e
4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo,000 rs. a duzia.
Cominho eerva-docc a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,000 e S,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 0,000 rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,000 a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem ja descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, e H.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
a groza.
Painco muito novo a 16o rs. a libra, e Um
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo \apor.
dem pralo muito fresco a 800 ra. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a '.ino rs a-
ta um.
Sardinhas de Lisboa e de N'antes a 600 r-.
a meia lata, e 4oo rs o quarm.
Sag muito novo e alvo a 2lr> rs. a libra.
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loors. alibra.
Toucnho de Lisboa a 24o e 3oors. a libra.
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada ore.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figneira a\^
marcas menos condecidas a ioo rs. a gir-
rafa. ea 2,8oo rs. a caada,
dem Figueira expecialro.ei.te escolbido acoto
lugar a 600 rs. agarrafa, e Ijflo a caada
dem Lavrado, Colares muito fresco ata
composico a 6oors agarrafa, e 4,5o r*. a
caada,
dem Lisboa em ancoras rom 9 ranadas m r-
ca especial a 2,ooo rs. a ancora,
dem branco uva pura a ."io rs. a ganato,
e a 4,ooo a caada,
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garr-
i H
dem engarrafados generosos, Lagrima-, o
Douro, Duque do Porto, D. Lu7 I, D. Pe-
dro V, Nctar, velho secco, Hbtozia, o
genuino particular de 9oual,oe ra. a gar-
rafa e a 10,000 rs. a caixa com urna duz- .
dem Madeira legitimo a l.Suo rs. a garrafa.
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a 1000 rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marras St.
Julien St. Esteph, chieau la Ro^e, chatau
Margoux c outros a 6,000 rs, a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2,ooo
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e f ,4oo
rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooors.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna,
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 56o ra.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de composico
a 36o rs. a libra, e io,5oo e 11,000 rs. i
arroba.

Deposito geral em Pernambuco na da Cruz n. 22 de emcasaCaros ABarboza.'Jg
BALDES DE ARCOl
A 2OOO
Na ra do Queimado n.r40, letreiro verde.
Superiores e bem armados bales pelo dirm'mito preco de li, adverllodo que v-endem-se
de prejo por icr-se esvarado urna grande paroo c querer-so acabar.
por
~z !~ 3 y 3
nSSS.S'!!-8SS!fs
3 M.S5 2.S.
=> ero.
3
g "2 a. 5
VI -J
09
"i?
(B

~! fij '/> "1
0
O O. O 2 3 (D -t
-HaTfi
o
w2.cc
srlsjri-10 = I*
CBW
a,
-S8
cu
I o
3 2
?2
ce g
la
-S
O OOQ
O CU TI
fli 3
til I
o si o. 3.
ti rj o BT
a
c c?_ a o
3%
a. M
a *
CD
o
s

co
.0 22
GE
lili
5111
ra 9 r
a
Si
CU
p,
o W
m S
O -
"1
CU
Is*
o
S5-
Cu .
o
cu
i
Vi
Cu
9
i?
a-
1
'
.
a
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
105 a lata : nos armazens da roa do m-
perador d. 16 e roa do Trapiche Nov p. S.
Superior ciI de Lisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mal* aova ou.-
ha no mercado tanto em perro como a retaio.
por barato preco aftaneaDdo-5e aos compraOarii a
superior qnalidade : a tratar na* sefnirte* ra
Crespo n. 7, Imperador o. tt, Forte do Mallo
mazem do Sr. Villa derrame do trapiche do
godo.
BftAirM
mwmk
Vende-Se madapolao com pequeno loque *
varia a 64000 a pera : na ra da Imperetrli ou-
mero 20, luja.
Vende-se um mulato por preep barato : pa-
ra vf r nn casa de detencio e tratar ao pateo 4
Terco n. 9.
Vemie-se por prejo rommodo na mnliqoo
'lo bonita llpura e meio Qlcial de marcineiro a
tratar na alfaadega das 9 s 3 horas da tarde, ma
Joaquim Taaoeiro.



tari* ie rcrmzmhac* ... Tei^a letra 4 4e Otitubio ie 1S4.

ATTENCiO
Os presos da selate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de con tas
cora os portadores.
m PUBLICO
eio o menor constran-
Chucuto ge entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM
RIJA DA CA11EIA IIO RECIFE lo 53.
(Logo pausando o arco da Conceiro)
Grande reduceSo de preeos, equivalente a dez por cento menos lo que outro qualquer
annnncianfe.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o preco da manteiga ingleza a I.ooors. a libra, bem assim o de outros!
muitos objectos, etc., dando com isto ocasiao a tudas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritareis em
alta voz, que podan vender pelo preco que eu vendo!!! Ora, eu ofFendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vira encontrar, des se vender com um por cento a carola, resolv faxer esla giande reducro de preeos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do raomoravel armazn de mlhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a I.Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
esto abrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamado de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
Mal informado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o sen fim
. tao smente obler a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplido c entei-
reza com que sero tratados, convida a urna v'tzita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteccjSo e preferencia na compra
ios gneros que precisarera, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, pois
sero tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacSo, afim de que nao vao em nutra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat-
escolbida a 8oe rs. a libra, em barril se ment.
faz abalimento. Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
dem franceza a mais nova que tem vindo ao e 8.000 rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9, dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a hora, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, c 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem c talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recoraendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feiUs para esse fim.
Estearinas a 5Go rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 cariadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a.32o, 5 Cerveja "branca "preta
4oo efji'0 rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo, creditadas que vem a
3,ooo e 3,8oo
<
.
mercado a 5t>o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Oh hysson de superior qualidade a 2,6oe rs.
a libra.
Mem perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxira o melhor que se pode desejar
oeste genero 2,fo rs.
Mera preto homeopatliico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,60o, I ,80o e 2,ooe rs. a
libra, garante-se ser uito regu'ar, igual
ao queso vende emoutra parte por 2,4oo
e2,lioo rs.
Ung tucas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5.5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de mea e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo o 600 rs. a libra.
Oeeijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,600 e 1,800 rs.
5d?m londnnos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
y ro se faz abalimento.
dem pralo muito fresco a 800 rs. a libra.
Mem do Alentejo o que se pode desejar do.
fresco e superior a 800 rs. a libra, a ellos
antes que se acabem.
Ervilhas e Cavas poriuguezas em latas j pre-
paradas a 6io rs.
'larraelada impenal dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prounlo do ruinon indos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
hlcm inle/.as para fiambre chegado neste
vapor 72o rs a libra.
Copos lapidados para a gua a 0,000 e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
I.ooo e I,2oo rs. a libra.
Esiwrmacele em caixinhas contando G libras
por 4,0'>o v., sraranle-se serem transpa-
rente e de superior quali-lade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
I'oixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,oo; ditas doceem latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de I e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, i,5oo, el,8oors.
Azeile doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 800 rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras do escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a I6o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolba do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
LentHhas excellente legme para s&pa a 2oo
rs. a libra.
e 3,800 rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a loo e aoo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Dmirn, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
Io,noo rs. ea 9oo e 1,00o a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconse vero de Lis-
boa a 64o rs.
da, salmo, ostras e chernee, vezugo em | Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 800 e 1,000 rs. cada urna. cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- libra.
das que tem vindo ao nossn mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,000, 7,000 o 8,000 rs. a caixa, garante-' qualidades a 1,3oo rs.
qualquer nao pode vender por este preco. para mimo a 64o rs.
Genebra de liManda a 56o rs. o frasco, e, Passas muito novas de carnada a 4no rs. a
5,7oo rs a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altnna em
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
ll.ooo rs. a duzia.
libra e 6,ono rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra
kiem de HoHanda em botijas grandes a 4oo Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Reato
Acaba Ue lecel.er de sua prupria enaiuiiiiei.ua um j/ranue e vanado sortimento
de mlhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietrio em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos preeos, atrancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazn.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamenle flor, a 800 rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e52ors.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cimaa2,7oo,
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, ortel pimenta a i .000
rs. a duzia 1,00o rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos .tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a"2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2.800 rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,800 rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
2,000 rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libre.
dem cornthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeladas dos maisafamados'fabricantesde
Lisboa a 64o rs. a libra
Emilias secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a *6o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a I,600 rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre ingieres a 7oo e 800
rs. a libra.
l,5oo
dem miudinho proprio para negocio a
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato w melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a l.7oo rs. agarrafa.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a I.ooors. e 11,000 a duzia.
Palitos para dentes a !4oe IGors. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolba do
mesmo a 5oo rs.
das marcas mais a-
que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa. Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra. marcas : psborne, Crakntl, Mixed, Victo-
Sevadinlia de Franca muito nova a 2oo rs. "a, Pec-nic, Fance, Machine e outras mu
CharutosdetodososfabricantesdaBahiaedas lja 1,3oo e 1,4oo rs.
mais acreditadas marcas onhecidas no Fumb americano em chapa a l,6oors,
nosso mercado a 2,ooo, 2.5..0, 3,000, "Va- ,
8,too e 3,8oo a caixa de loo charutos. Ararfita de todas as qualidades.
Cognac inglez das melhores marcas a Batatas novas era carxas de 2 arrobas a 3$ a
Muo rs. a arrafa. caisa e 6o rs- a ,lbra
, .. Balachinha de Craknel em latas do o mine
Doce da casca da goiaha em latas de 4 li-jj bruto a 4,000 rs.
bras por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs. idem ingle/asem barricas amis nova do
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra elo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a ga'rrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toncinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,500 a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,'>oo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
DA
FNGOLOW-IOMOOE.E
Kua i Serualla bots o. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
-im completo sortimento de moendas e meras
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar rowpa: em casa de S. P. Johnston & C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
AKJIAXOI
FRONTEIRO
DE
ABiVES OUTl\IIO & BRliiDO
21Largo do Terco21
Ao publico.
Cbouricas muiti novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a libra;
Vinho 4o Porto saperior
Ata caixas de urna e iJuas duzias : tem para ven-.
.-c-r Antonio Luiz de Oliveira Azcvcdu & C, no seu | ametxas dem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz
acriptorio ra da Cruz n. I.
Fabnca Coneeitfao da \
Bahia.
Andrade A Reg, recehem constante- ^
mente e tem venda no seu armazem n. fj
34 da roa do Imperador, algodio d'aqnel- ^
la fabrica, proprio para saceos de assu- **
car, embalar auiodao em piorna etc., etc., |||
pelo preco mais razoavei. m
*mwmw.m mmm wmmm
Ra da SeozaUa a. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston i C,
selfins e silhes iuglezes, candieiros e casti-
do Marauhao e da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2,6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a 1 ,ooo rs. a garrafa e em porcSo, menos; dem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs. ; banha de porco a loo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e 1,2o >rs. a arroba ; cha perola, hysson, miudinho a 4,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra; charutos des melhor es fabricantes da .Bahia de 2,ooo e 4,ooo rs.;
cerveja branca e preta a fon rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5no a 9oo is.; cognac inglez superior a l,ooo rs. a
garrafa; eaf >ie I', 2.a e 3.a qualidade de 8,5oo, 94rooe9,Soo rs. a arroba; cevadi-
iiha a _'oo rs. a libra ; ervilhas portuguezas em latas de 1 */ 'bra a 7oo rs. ; spermacete
r.liourii;as e paios mnito nevos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 850 cada urna.
Massas para sopa macarrao, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
Barrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,Joo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ah se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,000
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura lingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a KGo rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, ja se vendeu por 7.000 rs.
dem aimaco pautadoe liso a .'I.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
Na toja de fasendas tm-
ratissimas de hitarte
/Jorges da SUra, rum
da Imperatri n. M
leude-seo srjmJHlr:
PE{!AS de panno de linho com t* a **
- ump .uro pstrvilo, ma.< ewe llntir ,:!ia Maihat.
DITO de dito adamascado com 8 palim* it I*,
gura para loalhas de mesa de jantar ?M0 a
vara.
CASEMIRAS de duas larguras e muito boas fiara roupa de meninos > nt<-mba
que a :l& o covado.
TOALHaS aicocJio.idas muito boa> para mtii
gar ii msio a C a duz:a ou :>.0 rs. .. i uuia.
CAMBRAlA br-nca fim i!>m >ai|iir 'i.iuJinlw
a 64U rs. a vara,u im tade do valor.
Ol.lAOS de bonio.-1; ebyaniw d^.. nkm far
eobrir mfsss a li o cuvado, f para &r -lar.
I.AA/.1MIAS de padrcs novo> e t.liUj a^ra
veis tanto na boa i|utlidad< como so pirnwl
rs. o covado, e finalmente o rnfrifavri
achara constanti-mente nosta dila i.ja un bt
variado sortimento de fazcuila> lina e tio9.a *
pr^os muitu ramavei.*, pois esi r-soivio\ gante*
pouco, com tanto joe venda minio, nao mrncM>
mais fazrndas no prsenle annonrio pbrqoe impt
taria isso n'uma despfza exlraordmaria rufa #
peza reverter si-mpreem benebrio dos c r.ira4^
res, pedindo ao publirn que nao dene i!.- kr tunr.
es dias este iio presente annuucm, po aarrra
mudauca nos arligos anana Jilo.-, atfu o, a prof
cao que se forem acabando.
Carne do soto
No armarem da Aurora ltriihai>u> no largo O
Santa Cruz n. 84, ha a melhor rarne do sartt
que ha no mercado assim como linm' -t- i- quea)oa.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios go*lo> pan metu
j raren-m no braco : se eneontra na loja do H
ja-Flor, ra do ijueimado o. b3 e.
Extratos e sabno em ft-
xinhas
Lindas caixinhas com um caria* n-ai a to
imperial, e dentro de cada caixa imi trasca
bao o mais fino que passivel: na loja
Flor ra do Queimado n. 63 e 69.
Empreza de illuniinucjto"%
gaz.
Todas as vendas de apparelhcs e reclaaaafajo
(por escripto dando o nome, morada, data, rtr.j,
devem ser feitas no armazem da rna do ImpriaV
n. 41. Os machinistas mandados pan aUeoJra
estas, apresentarao nm livro que os rnriaaaufa
deverao assignar logo depnis de prometo o aarviop
reclamado; isto para que a empreza tkjue >cM*
de haverem os mesmos senhores sido devidaaatM>
attendidos.___________ ______ _______
Machina para algodo.
Vende-se urna machina para desraroear a%otSo
e um motor rom todos os pertenres p?ra tratellMa
com 2 oa i cavados, a qnal descarae* 120 arnaaV
por da, sendo muito maneira no \r:-.l*l>*>,-+jt
mui fcil transporte para o centro, fila arnaic
mentada, e o comprador pode i u >. u irabaaW
-O OBJ-
I cujo resultado se garante : par* rer e tratar,
fabrica da travessa do Carioca n. i, raes do
Um confeito e especifico para
expellir os Vermes.
Pastilhsis Verisifagas
^SPB KBMP.
Os meninos}pebtn gritoB. porrp^
ellas sao d cheiro,"SttOr_S c,>r !l">"**,
veis. A elegancia, a wgnrfclaifir rfc-'-^-
fo, o inoiTcnpivo das
Pasthas Vermfugas de Kemp
A PAK DA SI'A '
Composir;o oxciariramate IcseUI,
sao Cotas pois as oiuu
completas de todas as
quo se poesa fazer o com justa nizo n
collocao na categora d'tim favorito uC
uiellion i;
X .iiiinifiiilaye^
to-
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,ooors ; genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco ; idera de Hollanda
a 6io rs., e too rs. a botija; graixa em latas a l.ioo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feita flor a 8oo rs. a libra ; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
de tomate a 6oo rs. a libra; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra; ale-
tria, talharim e macarrSoa 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a I.ooo rs. cada fras-
$aes brooeeados, lonas inglezas, lio de vela, u> '< nzw mui! novas a 2oo is. a libra; passas a loo rs. a libra ; painco a 16o rs.; po-
chkotes para carros e montana, arreios para mada a 4 rs- a duz; pimenta do reino a 36> rs. ; papel aimaco e fie peso de diver-
carros de um e tlous cavallos, e relogios de ?as marcas; palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2o re. a caixinha ; ditos de segranos
ouro patente inglez. i in,'v'dual a 2o rs. a ciixinha e 36o rs. o maco; queijo flamengos do vapor a 2,ooo re.
__ .--------------_------_ cada rtm; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nantes de 4oo a H4o re. a lata ; sa-
HftntPi* inglfta fl r a "o1' e oOfl r* b5o massa muito tapen r a 2oors. a libra; toucinho de Lisboa muito alvo a 3oo rs. a li-
franerza a 600 r*., queijos mnito bnns a ttMO e
t, cha miiirfi. a 5*600 e~
cas novas a 400 rs., omina m
arroz a 100 rs., .terina a 560, carnauba a 360. *" re a n O 2.8oo rs. a caada
sal em tranco de vidro a 44o, 1 urioho a 2fl, *a- 3.6o( rs. a caada; idem do E>trito a 36o e 320 rs a garrafa e em caada a 2,56o;
bao massa a MO, vinha muiio boma U600 a ra- dem Bor reaux a 56o rs. a garrafa ; idem braHco de Lislww, procrio para missa a 5oo rs.
*aa6M^arrSSoiW,' Ba'S 440 "(Telo* ***"** Vmm de Sb0a m,,' su'erinr a 2uo rs a *"*&, 6 f.lbo rs. a cana.la j
o& a arca* no armaren) d Estrella 'largo de **"**> nevada, alfaseroa, gaz e tijolo de timpar facas a 1 lo rs. Presuntos de Lamego a 5oo
Paraize a. 14. ea.l.s a.ir rb outros muilot. geueros quedesnecessario meociona-los.
muito bnns a *00 e bn; vinha do Porto velho engarrafado a ,5oo rs; idem em barril a 800 rs. a garrafa,
amiuia'vaa hf i"** ,>sen<1n f"1^50 fe/"se differenca e em caada a 5.ooo rs.; i.iem de Lisboa omito superior a
- idem da Figueira J. A. A. a 5oo rs. a garrafa e
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
. pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes com sal retinado a 48o rs. cada um.
Bicos frascos com ft utas francezas em calda
a mellior que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o fiasco.
Fruas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, giuja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21|2 libras.
Foijao verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes mnito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 600 rs. a libra. m
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
i.ooors. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
Idem de marcas pouco conhecidas a 4oo re.
a garrafa e .'i.ooo re. a canalla.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequefia
composicSo a 560 a garrafa e 4,ooo re. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a 1,060 rs. cada urna.
Ricos livros com figos l.ooo re.
Pomada a 200 re. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garraroes com 4 '/a garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 /i ditas de venagre a 1,00o re. o
garrafao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
45,000 re. com a anonreta
dem em pipa purr> sem o batisrao a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,800 rs.
a caixa e 7oo re. a garrafa.
O propmtario do grande armwera oiio e Commercio declara ao Mrr* frogii* ^^^?S11 e""mfo SPtV
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a conmodidade do todes*fipiileTi i^. vinn ha aaaW**! Mama. *>*-
OS mesmos procos nos seguintes lugares : te magro, rom o rahelln (foasi ia**il.>, irnmt-
Idcmembrulho de l,2oo a 4,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de i '/> fibra a
l,2ooe8oors. a libra,
dem em frascos de 3 hbras a 2,5oo rs., s o
frasco valle i,000 rs. tambera temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezesa 800 e l.ooo re. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rea garrafa.
Vassouras de piassava com 2 aros do ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo re. molnoe; por menos i& o cene ene em adr
versal.
A superioridade das
Pasthas de Kemp
sobre todas as preparaciks d^ttipaaV
para o mesmo fim devido aua aha>
pies composiyo o sen aroma a^rada>
vel e rapidez e infallibiliclade c#a
que alcanca a destrnico total das
LOMBRIGA3.
A venda as boticas de Caors A Barbota,
ra da Cruz, e Jo3o da C. Bravo A C,
da Madre de Dos
Vende-se a rasa terrea da roa d rYutrr
n. 21 (no Caminho Noo) tem om pr>rt> ao I:
que d entrada para o quintal, no eol eitsj
co peipien; s mei aguas, rende tudn 4H0J. e v*a>
de-se tralo por seu proprietario ler de retirar-*
para fra da provincia : a tratar na roa wQaO
mado n 77.
8ii baater^iea
Na rna Nova n. 61 defronte da IHma.
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueira a 6,000
e 56o rs. o frasco.
Idem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o r&. a
caixa.
parte: recebem-se por todos os vapores.
ESCRAVQS FGIDS.

Fugia na tarde do dia 16 de jnlbo p. a. na'
escravo |rdo, de nome .Mares, i'i-i mi.an a4a
do hiate Sania Annn, vindo dn Araraij, lena
1 de idade 28 annos pouco mais 00 mem. e oa *#
dem de dentes lixados em macos grandes, Daes seguime* : aimra regular, >ero aotvrv,
COm 20 rs omacinhos a 12o rs. O masSO. po"ca barba, cabello errspo, levo ran.isa.
Cominhos muito novos a 32o re. a fibra e
10,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o re. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a fibra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5.4oo a arroba.
Peixes em latas a 1,000 rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e (,ooo re. o phmia e iev-ia r
caixSo. i generosamente seao recompensado.
caica de algudaosinho de riwado aaul eraa-
peo de palha, tendo levado rumsi^o urna irooia
rom mais rotipa, e rendido urna da> rrilhas j
qu.m 11 ai'pireniT qurtr- leva-ln a rp& lliaVa
de Deus n. 38, ou ra do Brum a. 55, vfat Mra,
recomiensado
Desapparereu de casa deseo senhor a
ta Luir no dia 5 de setnmbro fio crrante '
Miarte 25 annos pnuro mais oti menos, rr
com marras de bexigas no rosto, tem duas n
tnzes em um des aracos, estatura regalar, ag
vestido de chita e panno da costa e anda as'
pneztas da Boa-Vista e Santo Antonio : p
autoridades puliran e capises de e
34,
Unirlo e Comraercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Pnet, camisa e cern la de aJfMtawiuNH, i
qoem o legar, leve ao Sokrad o. 14 m tniB^*3
da matrit de Santo AotoBio, que arta recuaapd
sado.
y'



.





Diarto *t P*r**~*fc-ffe Terca felra 4 4e Outobro Am 1 il.

LITfERAIOBi
UVl \l.. Vlt.
AO MBU AMtfiO DONHADIEI',
^i-ardu-buiuleira da mu tucentawo.
IV
0 amor sob o Irm/co.
(CuOliouagao.,)
Quando o sol se erguo sem nuvens as sodes
do ticeaui. lodos os passageiros sobom ao tombadi-
Christiano respondeu com ura geslo de desdem
e dirimu-se para estibo-do.
Vendo-so so, o marinheiro deToulon nao guar-
dou mais reserva ; lomou a posiclo de immovol
exlase, e, do desmedido circulo que o ocano Ira-
cava a roda do navio, nao va senao tima mulher,
un idolo sanio moldurado pelo infinito.
O que corlo qae elle nilo se illudia nessa ex-
pansau de fatuidade meridional, que afugentra
d'ali Christiano. a bulla passageirapareca tjmar
intrnese pelo vivo colloqoio dos dous mocos, e
procurava aderiohar o objecto de que Iralavam,
gestos, e, no meio do profundo
IIo, cuino para saudarem o Deas visivel, que os ^servando incs >H
vra do* perigos da nou.e. aborracim-nto en que pareca absorta, achava urna
A bolla passageira apresentou-se entao de novo ,.erta djlriU, Ao nessa nooceote csw-0DagelI1.
trajava "
ao olbes de Tuuin
um ve-lido de cassa
Yo tengo que haver usted una $uplka..Te-
nho um pedido a faztr-lhe ...
A moca interrompeu-o, com um encantador sor-
riso, munnurou em inglez urna phrase confusa
que signiflcava :
Nao emendo a sua lingos ; em sou ingleza.
Tonin, fulminado por essa revelaeo, exalou o a !T C' S^ Pr^[ pnwpe m m0"
. F aMmvf* u deracao, e considralo (o pae) como morto : ro-
sen desespero em puro inglez, e a mora respon- commendanio, que nao offere-vs-e cidade ou iwa
deu com urna exclamarlo de alegra dizendo : algoma Selenco, alim de sollicitar sua liherdade.
WIh hapfnnrss I yon are mi/ cmnimtriol < Pw* apezar desia carta poder sentar a Antigono
Ouviu-so um segundo tiro, c Christiano correu 'l'ianio possuia na Grecia, romo sua pronria pessoa "nha podido supporlar as fadigas de urna existen-
ao seu amigo, d.zendo-lho : ''"' "*P* herdade de sen pae. Porm islo cia nmada.
.foi rocusado. Com tudo Antiaono conimuou ar- -Ahllie responderam as bohemiasse a
dentpmente a solliritar pelos meins mais urgentes, __h_ _.i_a. ,.
deixando-se apaixonadas mportnnagSes e olTerecimentos, em no>f ma tive.-se estado era um ttwMo-
nha feto, e que foi aquella violencia, que o obri- o International, a polica quiz, pelo menos, conhe-
gou a desistir de soa empreza. Cer as causas desta roorle.
Demetrio, rei de*Macedon"ia*' irado sido feito pri-' Barbara ^e' a rainha dos bohea,ios- nha w
sioneiro por Selenco, escreveu urna caria seu fi- annus e expirou debaixo da tenda em que tinha
llio Anligono, recommendando-lhe cnidado em seus vivido.
notorios na Grecia, exhnrtando-o a overnar seus Qs seus subditos obedeeiam-lhe cegamente e el-
la exercia sobre a sua tribu um ascendente incri-
vel.
Na tenda tudo revelava urna admiravel limpeza.
O agente da polica perguntou a multas mulhe-
inmediatamente oflereera a Selenco nao s tudo res 1ae eito da morta como que ella
Estaes completamente lonco ?
E' ingloza I disse Trafalgar,
Quando os dous inlerromperam a conversa, ella conduzir por Christiano batera de carabinas es- aua"10 Demetrio vi veo ; entr.gando-se a mais se (easa de trabalho), ha muito que nao existira.
nao pode mais suppor.ar o o.har fixo de Trafa.gar, ( Ubeleeida a es.ibordo. E** [ SSX VSTtSSSSM "" ^ ***** ""^ PrqUe U -
r. .... nunca mais parlicipou de testa ou divertimenlo al- n nna m\< nropicimnc a ninr i >a, *..
- Desla vez o tiro fot de plvora secca, disse g(1m. em quinto seu pae esteve prUioneiro. P q,le *,P'!j,M" ',Je^d**,. Puro e ocu>
uelrada: e um ehapusinho de lando-so de vagar, eneaminhou-se para a escada o capilao aTrafalgar; nao quer raetter a pique o I (Continuar-se-lia.)
colonias.
Ka taboca lraa um unco do seda, alado ma- co,no se aquillofosse urna cousa pergosa, e, levan-
koI inclinado sobre o hombro eclipsava-lhe um pou- do convCv' c desappareeeu.
CO a U- l-:a.
Tonin Tr.ifalgar nao via nascer f sol; nem so-
tuer voliou a caneca para responder ao cumpri-
cucnio do Christiano, que se aproximara delie.
Olha i|u irago-le una noticia, disse o dina-
marquez para aitrauir a altencao de Trafalgar.
D.-tmdia,Cnrislisno, disse este com ardistrabi- 'J"<>1 de conversaciones en francs y espaol para
\ navio, quer loma-lo. Felizmente o vento mudou
Tonin ja nao linlia que ver ; nao Ihe restava se- Para sul e conlra"a a casca de nos do bandido.
ti' ingleza I disse Trafalgar.
E* urna ladra I respondeu o capito ; aquillo
nao pertenco a paiz algum.
Com mil diabos I exclamou Trafalgar rngiu-
do de colera ; mande ferrar as velas, capitao, e
deitar ao mar a nc.iw.. Esle bandido presta-me
nao o espeelaeulo do infinito, o nada.
Levantou-so lambem, mas com urna dea que ti-
nha anda ligacao com a bella desconocida. Pos-
suia na sua pequea bibliotbeea porttil un tvri-
| alio precioso para aquella occasiao, era o Nueva
do.qualea noticia?
Acabo de conversar com o capilao...
Ah disse Tonin, sabes alguma cousa a res-
pailo daqui lia mofa?
. Sei tudo.
Dizo depressa, Cliriaiano.
casada.
^ao opossivel I disse Trafalgar todo trmulo;
se asslm fosse o marido eslana a bordo.
E e.-u ; mas ha qualro das que nao sahe do
seu camarote. Ii um desses passageiros que s-A-
frera de enjdo desde que embarcam at que che-
((ani ao flm da viagem. O ebeiro do curral das vac-
cas cura esse inrommodo.
J se viu um caiporismo como o meu ? disse
uso de los vannos, lntregando-se ao estado da nra grandeservico neste momento : Deus quem
Pardal, o nosso Toni. podia aperfeicoar-se, em pou- eDT Para imP^r que eu enlouqueca aqui no ??.T """cia e "iro por um os "Wi ^"JJ ho^e vivbJo%e nnre Teda tenda
eos nias. as Mc^,,,. 2LJL- h. un.,,-., mco do mar i i 60 pessoas mais ou menos gravemente feri- annos, senao houves5e \. vido semprc n esta lenda
Assim consideraes Uarbara como vossa rai-
j nha ?
UM POL'CO DE TUDO. ^im e nao. Era a rainha de nossa irib, que
O builg Teleqraph publica as seguinles noticias ama,nos mu" respeitamos, pjrin nos nao re-
eru data de 16 : conliecemos senao urna soberana neste paiz: a
Os armamentos conlinuam a formarse e to- rainha Victoria, (Jue D.-U5 guarde.
mam h-je um carcter mais assustador que nunca. ~ Vos Vt'Jes> enhores; -disse o coroner aquel-
A polica e as tropas patrulham as ras e j G- les "Iue acompanhavam-estas mulheres dzem
zeram fogo multido. Foram morios 2 homens, V"> os *"a sao muito Insalubres, e muito
um pela polica e outro por um dos amotinados, e possivel que Barbara nao chegasse edade de 90
eos oias, as delicadezas e elegancias da bella lin-
gua hespanhola, que alias elle j fallava soffrivel-
mente.
Desse momento em diante, nunca mais sahiu do
seu camarote senao depois do sol poslo, e regozija
va-se por ter tomado essa heroica resolueao, quan-
do por si inesmo observava os admirareis progres-
sos que lodos os da, fazia no esludo da lingua hes-
panhola.
Um incidente martimo veiu interromper es es-
tudos de Tonin.
O navio segua para o norte, e navegava no 28,
grau de latitude, tomando a direccao de Santa Ma-
r i_ j_j. 3 na do iMadagascar. onde dovia arribar, auaudo o
Tonin dando um murro na amurada do navio; e, ^
casada I... e com um hespanhol I
Nao, com um inglez que sealistou uatripola-
cao.com o simples uome de Henrique.
Coa um inglez I disse Trafalgar... Poisbem
tacto meltior I
8 ootregou-so s su.\s reflexoes.
Christiano, disse elle depois de um longo si-
lencio; sabes oque fiz.-ram os nglczes no paiz para
vigia deu signal de urna vela no horizonte.
O capito pegou no oculo de alcance, e, chegan-
j do-o ao ohu direito, fez um moviuiuoto brusco, e
| deixou escapar urna jura dinamarqueza.
, O bandido apontou a proa para nos I disse
i elle em voz baixa.
meio do mar '
O capitao obedecen como irm simples grumete
s ordens de Trafalgar.
Oiha, disse Christiano aoseu amigo, ali est
Mr. Laguier, que estabelecido em Madagascar, e
que te pode dar informacoes a respeito do pirata
Saka.
Vamos la, disse Trafalgar, e accrcscentou
entre denles :
E' ingleza !
Laguer, paludo como um moribundo
mentou Trafalgar e disse-lhe :
A e>}upgem do pirata consta de 12 malaios; I
curapri-
das.
Ha agora em Beifast 1:900 homens de infamara,
2 esquadres de avallara o Si! constables i,
afora ura grande numero de constables espe-!
ciaes que acabam de ser alistados.
Eui Saody-row, a multido assalton urna fabrica I
onde estavam erapregalas meninas catholicas ro-
manas, e era Pouuds-stfeet a multido fez outro :
tanto aos estabelecimentos de meninas protestan-!
tes.
As fabricas, lojas e ofllcliias estao fechadas; to-1
dos os negocios- estao suspensos.
Antes de amanhecer tinliain sido assaltadas 500
tem dous rodizios na frente. A feitoria ingleza de casas.
Sania Mana, que depende da rica casa Palmer do | A obrade destrnico contionon todo o disrete-
Batavia, promette qualro mil piastras ao capito \ da a noute seguinte. A's 5 horas da manhai hou-
que aprisionar esle bandido. | ve urna colliso entre os dous partidos, que fizo
E ningoem anda gaohou esse premio per-1 ram uso de pus, barras do ferro e espingardas,
guntou Christiano. j Foi morto ura homem e alguns oat ros foram feri-
E' fcil de explicar, proseguio Laguier : o' dos.
E voltando-se para um grupo de raarinheros> i pirata esco,nPU Para eu abrigo urna pequea en- Os dous partidos foram separados pelas tropas
disse-lhes
codo vamos ?
Nao, Trafalgar.
Pois sei cu... J naveguei como grumete
n*sas paragens, com o commandante Baudiu
Descubrimos e fundamos colonias a que demos
seada no arrecife de Basta, na entrada do canal
de Mocambique : um ninho de temporaes por
- Chegou o momento I
A brisa que soprava to canal de Moganibique cau^a das continuas correntes que de-cem do cabo
favoreca o pirata ; vinha como urna ave de rapia de S- Sehas,ia<> u le sobem pela linha do Capri-
com as azas bem abortas ; e bordo do navio' c8rn,' onde h8 acha arrecife de Bassas. Os
mrcame, alguns houiens, mais resiguados do que j 2randes navios nao podem chegar ahi, e o bandido
nomos franceses. Dous grandes golphos rece .i yaieutes, prepara vam as armas que cada um tinha iMmba das pequeas e mbarcacoes.
berara os nomes de Bonaparte e Josefina. A ilha para reeeber esse formidavel iuimigo. E tem feito mal aos francezes ? perguntou
do Kangours, que tem setenta leguas de circum. Us passageiros o liriaes mchameos, pertencen-1 Trafalgar.
erooria, perdra esse nome selvagero, demos-lhe o tes a diver?as naces, refugiaram-se com suas mu- 0n sem duvjda M, Lafuier des.
Iberas no fundo uo poro, onde a oraco era a sua lrQ0 am co|oDa fraQcew ^ J miy& ^
nica arma de defeza, a sua umea esperanca. j las esperancas, a colonia Hougemont, no ra da
A bella passageira subiu para o tombadilho !; bahia de Santo Agostinho. Os francezes linhara
acouiuauhava-a um mogo, o que passava por seu i feito alliauca cora os sakalavos, que sao os eternos
marido. Niuguein reconlieceria nelle o indoleule inimigos dos Ovas, e que sempre foram affeicoa-
! pescador de Liverpool e do Mersey. A proximda* dos Franca, desde o lempo de Duplex, e o bao-
Mas que historia estas t ah a contar-mo .', ^ de U(f) grande ^^ curara ntQnque do em0) dido es(naou essa coloDa ainda no beTI'0 lemja
disse Cbnstiano ioterrompendo-o. e o calor do trpico, combinado com aa viTlflcantea que para o futuro se tornasse muito poderosa.
- Espera. proM-gutu Trafalgar... Lm represa.; elIlauacoes do ,, da ludia, transformaran) de Um joven colono francez, o intrpido Fortnalo
tta,voubzer urna cousa Ul.l a Franca; robo ao re|rt)nto apirtMW ume9b0i infundmdo-lhe urna Albrand, cunlinuou aobra de Rougemont em.Ma-
marido da bella paisage.ra a sua colou.a, e dou-lhe vlgorosa organisaco. | dagascar, dez anno, depois, com o auxilio dos sa-
Tonin Trafalgar, vendo as indecisoes do capitao kalavos- Quera exlinguir as febres endmicas,
do navio, arvorou-se em almirante, traiou de ins- transformando era plantacoes do arroz os pantanos
pecciouar em primeire lugar as armas, e aehando- 'amados pelas correles de agnas paludosas-pue
vem da lado da bahia de Santo Agostinho. Soc-
deDoors, nosso ministro da marinha. Acrescen
temos as duas pennsulas de Cambarres e Fleu.
rieu, eos tres cabos Turenne, Beaoe e Berthier.
Tiuhamos bapUsado com o nosso sangue essas colo-
nias da Australia, e os inglezes deram-lhes ouiros
uoimos roubaudo-uo-las...
o neme de madama Touin.
Cnamas isso- urna causa til a Franca ? disse
Christiano; c aiaiplesrcenle urna acgo infame que
t nao s capaz de pralcar
- Tii uo sentes como eo, a necessidade de vin- d""as lodas awiada, lancou-as ao mar, e correndo
, .. -n ripnnsitn das caias rt TaTAnitat irnur n spn cumbiu no trabado, seu nome merece ser ex 1U-
ganca, Cfenstiano; nao vise o teu navio perecer ao aeposiio uas caixas ae lazendas, trouxe o seu h e., ,, l
arsenal de guerra comprado em Cdiz. Era urna raado d esquec.mento nesta occasiao era qjea
bella collrcro de carabinas de Sevilha, com fechos flQal a Frana so ,embra de Madagascar. ]
de molas flexiveis e doces, e pederneiras aliadas J Oh I disse Trafalgar exaltado, islo me faz
! corno navalhas. Os piratas ainda nao tinham che-! lembrar a bella proclamarlo do viga da Vtctory !
1 d I A Inglaterra .nao -a Franca conta que cada ho-
Com a maior destreza carregou essas armas, e desempenhar o seu dever.. Oh o grande
collocou-as soore a amurada do navio estibordo, nome da Franca pronunciado no meio do occeano,
como uina batera era urna fortaleza. i faz esquecer tudo para nos lembrarmos s delle !
lito para mira, disse elle ; em Toulon, com \ Anles da anoitecer farei alguma cousa til Fran-
espingardas, que nao sao para comparar com estas Sa. eu o juro, meus camaradas.e auxiliae-me
era Trafalgar I nu remastes seis annos nos pon-
tees!
E aquello pobre marido que ha de pagaras
cusas da guerra ?
Paga a sua parte em quanio nao chega aos
aulros a vez do pagaran lambem. Olha, todo o
i :tU'7, [iwu devedor; cada onda que vem que.
brar-so ao encontr do navio, parece proferir o no-
rao de Trafalgar, e vos outros, fizestes muito mal
em chrismar-ine com esse nome, que agora me
acompauha em toda a parle, e leva a minha raiva
ao estado ctarouico, como se fosse urna febre ma-
tigna apanbada era Madagascar.
Meu amigo, disse Christiano, eu tenho vinlo
o qualro anuos do edade como t; porm sou mais
velho pela prudencia; t es do sul eeu sou do nor-
ia. Quero deitar gelo no leu cerebro abrasado, e
carabinas, matamos passarinhos voando. Restam-
rae qualro para repartir ; quem for bom cacador
que se aprsente.
Um joven passageira apresentou-se cotn ar reso-
luto, fez um aeeno com a cabera, pegeu em urna
das carabinas e um maca de cartuxos, e foi esco-
'her o seu poslo sera dar urna palavra.
Era um inglez chamado Asthon ; acabava de fa-
zer a mais rude e mais admiravel de todas as cam
(Conlinuar-se-ha)
AFFE1CA FILIAL
SESTIMENTOS.
Pode em verdade dizer-se, que as pessoas deso-
bedientes a seus paes, raras vezes sao boas a qual-
quer outro respeito.
A huura, i|ue os lilhos devem tributar aos paes
je ines, contin amor,reverencia, obediencia, eau-
xilio. E usual a Providencia puuir na descenden-
depois de terem combatido durante urna hora.
M. Sullivan, um dos editores do Romn Catholie
Observer, est em perigo de vida, em consequen,
ca de ferimentos que recebeu durante a nouto.
Urna forra de c constables que fot atacada fez
fogo, e matou um hornera e feriu outro.
De tarde mais de mil operarios carpinteiros ma-
rtimos percorreram as ras c arrombaram duas
lojas de arraeiros e tiraram toda a plvora e armas
que encontraran!.
A raunicipalidade, sabendo isto, mandn tirar
das lojas de todos os arraeiros as armas e plvora
para que nao cahissera oes mos dos amotinados,
orangistas pela maior parte, que cah rara sobre os
navvies pela maior parte calholicos romanos.
Esperam-se noticias do terriveis collisces.
E' graudo a indignaco contra a iraprensa oran-
gista, que subievou as mais vis paixoes da popula-
ba, e contra as autoridades, que nao tomaram
enrgicas medidas para impedir que as desordens
rebentassem.
O bspo catholico romano dirigiu urna carta aos
eus diocesanos, recommendando-lhe* paz e sore-
g, porra os dous partidos estao por tal modo
exaltados, que s as mais vigorosas medidas po-
dem por termo a esta luta fratricida.
Le-se no jornal La Nazioni de Florela, se-
guinte :
Na collina onde estao situadas as aldeias de An-
tignano, Aremella e Due-Porte, provincia de a-
ples, falla-se de uns trinta homens e mulheres,
que por urna extraordinaria devoco fizerara voto
de nao fallar nunca. E efectivamente ha annos
que nao fallara. Pde-se-lhes dar o nono de seita
dos silenciosos.
Citase um raercieiro que faz o sen commercio
sem dizer palavra.
Corta, pesa e vende, e satisfaz a quaesquer ob-
jeccoes que Ihe fazem os freguezes, mas sempr6
mudo. E" a mulher que falla por elle e ampia-
mente
Esta obstinacao do? silenciosos divertc muito o
publico.
azer as vezes de Douadieu.
Em quanto tentares smente fazer loururas zer a mais rude e mais admiravel de todas as cam xilu. E usual a Providencia puuir na descenden- Por occasiao de oceupar-so o Sr. senador Pom-
razoaveis, como a de roubar urna corveta ingleza, patonas ; era um dos tres que sobreviveram aos 40 ca a desobediencia dos homens para cora seus! peu do nosso SVS(ema eleitoral, lombrando refor
eu leajudaiei; mas quando quizeres roubar ao europeus que em 1803, acompanharam o intrpido P^^"^ a desigualdade nume-
oan lo urna mulher casada, sob pretexto do que | e ufeliz Mung-Park na sua segunda expedicao ao | onde ai-haremos quem tenha recebido de outrem | rica dos deputados geraes, comparativamente po-
uma colonia ingleza, como a ilha dos Kaoguuis, jNigcr. Teudo adoecido perto de Seg, seus com- beneficios to grandes ou lio repetidos, como os fi-1 pulaeo das provincias que representavam, con-
bei-da impedir que o facas e se teimare*, mando-te panheiros o abandonaram alii, suppondo-o morte. "'os de seus paes 1 A' esies que elles devem a fornie denrehendia-se da estatistica seguinte, que
pactar Up-U 0 sul, c safo-ine para o norte di- Urna raulner tom.u conta do pobre agonsante, e .^rn,,ia^.,con5egu'"le,nenl0 todos os praz,-res e _
endo-le adeus pela ultima vez.
Kmlim. disse Trafalgar,queres impedr-mede
amar esta bella bespauhola?
Nao, mas eui distancia. Nada de escndalos
a bordo, o-capito um furioso puritano. Se sus-
(teiasse quo queres travar naraoro cora urna rau-
lue casada, sob o paviiho dioaraarquez, desem-
barcava-te em qualquer ilha deserta como um ho-
mem adectado de uina peste contagiosa.
Euto esle capito nao sabe o que aconteceu
a Santo Eustaquio? perguntou Trafalgar.
O que foi que aconteceu ao tal santo l
Um capito de navio roubou-lhe a mulher. O
meu compatriota o abbade Laurent, de Toulon,
quem refere sso no seu livro de cnticos, esse capi-
l2o diz a Sanio usiaquio :
Bmliarci-te cotmgo, e naveguemos
N-sta> aguas, que em mim produzem fogo
Apezar do teu pranto, mal chegarmos
Fuilar tua muiner prometto logo. (1)
Trafalgar, disse Christiano fazendo um gesto
cera os hombros, s urna enanca; s s homem em
urna batalba. Anda se te contentasses com ser
crimea I..- mas o amor ha de fazer-te perder
caneca, o esquecer o teu dever. Quatro mezes de
viagem fazem envelhecer a amisade. Somos pois,
amigos veiiios. Tenho o direilo de fallar te como
rmao... nao me prestas altenrao... leimasem
Ibar para aquella mulher...
Ah I queres at privar-me desse innocente
|>razer{ disse Tonin interrompendo-o : nao sabes
eolio qual tem sido a minha vida ? Seis annos de
poaiO'-; urna horrivel batalha ; avistar por um
dattaule a felicidade ; desmanchar ura casamento
por dever ; urna mocidade ardente perdida toda
em amor : cbama-se virer o qae eu tenho feito
at agora? S justo. Deixa-me ao menos oibar
par esta mulher, j que ella nao olha para mim.
a Oh I ella olha para ti I disse Christiano com
ar de irona.
Sim, o com uns olhos hespaohes, que me
ffetem lembrar os que vi em Cdiz.
fty Cmttm de abbade Laurent, de Toulon ; Pa-
ra, em casa do Vctor Sarlit, itvreiro, ra de S. Sul-
.fioio n. 25.
pobre agn.,- davi|u
salvou-o com remedios do paiz. Ninguein esperar rctribuico de bondade, por
Asthon, nao querendo expor-se aos riscos que se mais Considera vel que seja, daquelle que p le mos-
corre em uina viagera pela estrada de Tombouctou lrar-se desobediente, e descoutiecido ao que deve a
a Haoussa, subiu pela margan do Rifar, e depois ; "^5 pae lratan(lo fllhos como um rma
de 40 dias do marcha por entre immensos perigos, mas ve|n0i e ver os filhos procuraren! a compauha
chegou Jonkakouda, perto de Kayl, d'on Je par- e conversa^o dos seus paes, porque reputam a es-
liu a expedicao. Esse personasen! histrico nao se tes como os mais sabios e aradaveis homens do
* i ____ conhecimento del les, a pintura mais agradavel
animara a regressar a Inglaterra, por um cxagge- que a vista ,,0ll(, contemplar! o amor proprio
rado escrpulo, cjnsiderava-se como desertor. Era iraosplaniado, lao sagrado como a ami-ade, to
aas um moco de boa familia, discpulo de Oxford, aproveitavei como o amor, e lao feliz como a rali-
arrastado pelos e.dudos s emocoes de longmquas 6'a Pide trnalo. ^.u. .
y "* se cada pao se lembrasse dos seus propnos pen-
viagens. | smenlos e mciinaces quando era lilho, e cada fi-
Mesmo cuidando dos preparativos de defeza- iho se lembrasse do que epeava do seu pae. quan-
Trafalgar nao perdia de vista a bella passageira, o do eslava no estado de dependencia ; esta unir
.. reflexo impederia os paes de serem servos, e os d-
llios de serem dissolutos.
Exemplos.
achou mesmo que essa occasiao era muito oppor
tuna para esclarecer um ponto que ainda era du-
vidoso para elle.
leu no senado-
Provmcias
Amazonas.........
Para..............
Maranho..........
Piauhy.............
Ceara..............
Kio Grande do Norte.
Parahyba..........
Pernambuco.......
Alagoas...........
Sergipe............
Baha..............
Espirito Santo......
Rio de Janeiro e corte
S. Paulo...........
Paran.
Pop. livre
G8,000
300,000
330,000
200,000
504,000
200,000
250,000
1,040,000
250.000
220,000
1,100,000
50,000
1,000,000
700,000
80.000
loso para elle. Tito Manlio, o dictador romano, tendo exercido ..rin. lIKOnO
Chegou-se ao companheiro da bella passageira e grande violencia e crueldade sobre os cidados foi T1 ,"' "*"*" Jz
disse-lhe com a famliaridade a que dava lugar a
circumstancia.
She is rery conrageons
josa.
Very conrageons, respondeu o moco.
ella mnilo cora-
citarlo no tira de seu emprego afim de dar conta do Rm Grande do Sul..
seu procedimento. Entre outros factos, que Ihe Minas.
eram imputados, foi elle acrusado de tratar um dos Govaz
seus filhos com barbandade. Manlio, parece, nao
teve outra causa de queixa contra seu Olho senao
Matto Grosso.
3s0.000
1,200,006
205,000
95,000
Pop. eserava.
1,000
20,000
70,000
20,000
36,000
25,000
30,000
260,000
50.000
55,1)00
300,000
15,000
400000
80,000
20,000
15,000
40,000
250,000
15,000
5,000
o ter esto um embaraco na falla. Por esta razo | Desta resenha se v que a representacao regula
tua fiiDosa^Veniicnn'TrafalMr elte M banWo Para longe df V***?' ,de 9ua casa' desde um dePutado por 25,000 habitantes at um
ir, e da companhia dos da sua edade e fortona e con- por mm> do modo spguinte .
demnado a trabalhos vis, e a prisao como escravo.
Todos ficaram altamente indignados contra lao se-
fr.-ando a ultima palavra.
My wife, disse o inglez.
- Bul with her husband, mas com seu mando, vero dictador, e to deshnnu.no^"*to 'ProQ
arrresrentnn Tnn.n P" flln0. aue movido pela piedade filial, e sob O
accrescenton lomn. ^aor ^ que forneeeriamateria de acrusacao
O joven inglez fez ura gesto afirmativo acom- contra seu pae, adoptou jum methodo extraordlna-
panhado de um sorriso.
Um tiro de peca troou na immensldade ; urna
bala veio cahir sibilando a 10 passos do navio.
rio para salva-lo.
N'uma manha, sem communicar a pessoa alga
ma, elle veio cidade, armado de um punhal, e
foi inmediatamente casa do tribuno Pomponio,
Sim, seu marido, disse Tonin la comsigo, e que tinha acensado seu pae. Pomponio eslava
nao ouvio a voz de bronze do pirata que mandava ainda no leito. Elle Ihe mandou dze.r seu nome,
e foi immediatamente recetado pelo tribuno, que
parar o navio.
Foi Christiano que Ihe mostrou urna ligeira nu-
vem de fumaca azulada que coma sobre o ocano,
e Ihe disse :
Se o capilao nao manda ferrar as velas, o
pirata mette-nos a pique.
nao duvidou, que elle viesse communicar Ihe algum
novo caso da severidade do seu pae. Depois que
se cumprimentaram, o joven Manlio pediu urna
conferencia particular ; e logo que se achou a sos
com o tribuno, puchnu pelo punhal, poz-lhe ao
peito, e declarou, que o apunhalaria naquelle mo-
mento, se elle nao jurasse pela forma, que Ihe dic-
- Olha para ella, disse Tonin, l est debroca- tasse,' nanea convocar a assembla do povo para
da sobre a amurada como era urna sacada para aecusar seu pae,
ver quem passa pela ra.... Vou pedir-lhe que se
rerolha ao camarote.
Pomponio, que viu o punhal brilhando em seu
peito, estando s, sem armas, e atacado por um jo-
ven robusto, e cheio de valorosa confianca em su-
E, contentis'sirao por ter ama oecslao de dirieir *""*< Presl"u juramento que Ihe era exigido, a
_ ..i., i iZ.ii. .o.;-. i n. -. depois confessou com una especie de complacen-
a palavra a bella passageira. fez-lhe ura respeito- ,. e amik sincsrjdade, que sufficientemente dee
so cumprimento, e disse em hespanhol ; notava, que elle nao eslava pesaroso pelo que ti,>
Amazonas um depulado por 34,000 iivres.
Para.................... 100.000
Maranho................ 55,000
Piauhy................... 66,000
Cear................... 63 000
Rio Grande do Norte...... 100,000
Parahyba................. 50,000
Pernambuco............. 80,000
Alagoas................. 50,000
Sergipe.................. 55,000
Bahia................... 78,000
Espirito Santo............ 25,000
Rio de Janeiro e corle..... 89,000
S. Paulo................. 77,000
Paran................... 40,000
Santa Calharioa.......... 67,000
Rio Grande do Sul........ 63,000
Minas.................... 60,000
Goyaz.................... 102,000
Mallo Grosso.............. 45,000
ambulante.
Pobre Barbara, o seu manto real urna manta
esfarrapada que cobre o seu cadver!
Sic transit gloria mnndi!
E' do Sr. C. A. Machado es la poesa :
O i'risioneiko Tupi.
Nasci livre, fizeram-me escravo.
T. G. de Carvalho.
Nasci as florestas virgens
Do meu formoso Brasil,
Respirei por muito tempo
Debaixo de um ru de ail;
Mas boje... quem tal dira
Que inda lao moco sena
Privado da luz do dia
Mettido ueste covil?
Vivo aqui como se fora
Algum feroz animal,
Sem ver os raios doirados
Do sol, do paiz uatal;
Nao posso mais desdi toso
Ver o rio caudaloso
Que serpeja marulhoso
Sobre pedras de crystal!
Nao me dado l nos bosques
Respirar doces frescores.
era ir tarde campia
Colher os fructos e as flores;
Nem mesmo posso em segredo
Debaixo de um arvoredo
Dormir sera susto e sem med
Sonnande sonhos de amores!
Nao posso mais as florestas
Quando a aurora se surri,
Escular doces arrullos,
To temos da jurty;
E em lindas noutes de rosas
Cantar cancoes amorosas
Ao p das Indias formosas
Da rainha raga-Tupi I
Ah 1 nao posso ver Jacioa
To bella, quem amo tanto,
Que me enchia dos carinhos
De seu amor puro e santo,
Nao v-la que o fado
Quer que eu d'ella separado
Viva sempre desgranado
Vertendo conlimio pranto I
Antes, antes eu morresse
Na floresta onde nasci,
Quando contra os Hjllandezes
Como ura tigre combat I
Antes sim, que nao sera
Privado da luz do da
Mettido n'esta enxovia
E to distante de ti !
Mas nao; a morle nao quero
Que inda cedo p'ra morrer,
Quem tem dos Tupis o sangue
Altivo sabe soffrer I
A morto nao ; tenho esp'ranga
De un dia tirar vinganca
Daquelle que boje me langa
Dentro d'alma o padecer!
Se um dia soar a hora
Para mira to desejada,
Em me hvrando dos ferros
Da Batavia desalmada
Gritare!eia guerreiros
Expelli vis eslrangeiros
Que pre'.endem traigneiros
Ter a pilria escravisada I
E os Tupis s minhas vosos
As Hechas ho de lomar,
Ho-de o jugo da Batavia
Valentemente quebrar!
Ho-d-' sim, qae valorosos
Sao elle-, e belicosos
Sabem delTender briosos
Sua patria e seu altar 1
Daro batalba aos de llollanda
Far-lhes-ho grande malanga,
E cu lambem junto cora elles
Tirarei minha vinganga;
E a nossa patria ultrajada
Ser por nos libertada
E eu verei realisada
Minha tao dore esperanca !
Depois voarei aos bragns
De Jacina os mens amores,
Hei de Ihe dar mnitos heijos
Em premio de tantas dores,
Entao serei bem ditoso
Em ver o rio assombroso
Grande, immenso caudaloso
Correr n'um leito de flores !
E vverei cora Jarina
Vida cheia de dogura,
Gosando os temos carinhos
De sua alma formosura;
E quando vier a morte
Levar-nos-ha de um s corte
E ambos teremos por sorte
Urna mesma sepultura.
!Aorreu ltimamente nos arrabaldes de Londres
orna rainha. Se o mundo se nao commoveu, diz
L-se na Naaio o que seguc:
O grande banquete offerecido em Schoenbrunn
pelo imperador d'Austria ao rei da Prussia, teve
lugar n'uma galreia, onde est a janella em que
eslava Napoleo I, quando o estudante Slabs dispa-
rou contra elle um tiro, a baila ficou cravada na
parede e ainda ali se conserva.
No :ii daqueila galena est o salo em que foi
assignado o celebre tratado de Schoenbrunn, e um
pouco mais distante o aposento em que morra o.
rei de Roma,
...
Ura jornal Inglez diz que Cunfucins (Ora carpa-
teiro, Mahomet almocreve, Meheraet Ali barbrir
o imperador de Marraros usurario, Bernardos ei-
rurglo na Martinica, Franklin lypographo, Oiivicr
Cromnel fabricante de cerveja, o presidente fnUt
eslalajadeirn, o padrasto da rainha Isabel de Des
panha, marido da rainha Chrislina, cimbado de
Franci?ro II, mogo de caf, o general E-parlero >a-
crislo, o rei Christovao do llalli escravo em &ual-
Kills, Bolvar droguista.
Ha nesti- mundo na llespaulia c na llalla prinri-
palinenle bom numero de duques, marqoete, ron-
des, baroes, que antes de lerem brazes de arma-,
tinham boletas, o que foram cozinheiro, alaia-
tes, vendelbes, etc., etc.
O jornal inglez esqueceu-sc de fallar ea Por-
tugal.

A cmara do commercio de Paris pblicos re-
centementd os resultados de ura inqu-ruo qae di
ngiu sobre o estado da industria na rapital.
EsU operacio eoalM 240,000 raocos.
O numero dos e-iabeleciuienlos ndu.-iriaes re-
censeados de 101,171 j 29,09 relaiivos a ati-
mentayo, 5,378 as construeces, 7,390 a molnha
23,800 a vestuario, ,8J a linhas e tecido-. 3,440
a industria dos raeiaes ordiuarios, 3,139 a iarnt-
ira dos metaos preciosos, 2,714 as lodustnas rhi-
raicas e cermicas, 2,759 aos papis e iinpre*HWs;
tem-se recenseado 1.132 corladores, 930 pa luiros,
617 salcnicheiros, 124 chocolateros, 474 leodeiro?,
178 coufeiteiros, 172 distiladores, 5,370 doieiros
2,629 fructeiros, 2,198 vendedores de limonada^
563 licoristas, 622 padeiros, 3.332 casas de pasto.
204 iripeiros, sendo neeessariu nao esquecer 9,730
negociantes de vinho.
Os meatres padeiros sao em numero de 701, os
mecnicos de 1,210, os pintores de casas de 709
os serralheiros de 1,013, conta-se tambera 116 eoov
tructores de tmulos.
Na categora de vestuario recenseon-se 4.60 ta-
pateiros, 606 sombreireiros, 71 fabricanles de am-
ias de ago para as saias, 140 fabricantes de rha-
pus de palha, 4.271 costureiras, 919 modistas,
3,468 alniales, 1,096 emprendedores de fazmdas
brancas, 284 e.-tabelecimentos de camisas, 154 fa-
bricamos de luvas, 633 negociantes de objeclos de
toilete.
Os ourives sao 738, e os que trabalhara em me-
taes e pedras falsas 446.
Ha 207 photographos, 139 fabricas de denlr- fal-
sos ou artiliciaes, 204 perfumistas, 828 pharmacea-
tcos, 17 fabricantes de cartas de jogar, ft4 Imprea-
sas, 563 encadernadores, 294 editores de imagens
e de estampas.
Existem 53 fabricas de objecto? de prau, 179
fabricas de pianos, 1,615 cabelleireiros, 49 fabri-
cantes de leques, 627 fabricantes de chapeos de
chuva e sombrinhas, 31 fabricantes de artigos de
pesca, 480 gabinetes de escripia, 105 eropreheade-
dores de raudangas, 185 estabelecimentos de ba-
nhos, 74 emprehendedores de bailes e coocertos.
Finalmenle o estrangeiro e o provinciano tem
4,853 hospedaras a escolher.

A alguns passos de Donarnenez (Franca) ka
urna praia chamada do Arroz, cuja belleza e ex-
tenso atlrahem quotidiamaraente um grande Ha-
rnero de banhistas, que vo na mar baixa visitar
as interessanles grutas da costa.
ltimamente urna encantadora banhista entrn
n'uma das mais bellas grutas. Por tal modo m
embeben na contemplago da forma caprichosa das
rochas, que nao reparn no cr^scer das aaa-
e quando se qniz retirar a agua fecbon todas as
sahidas.
A pobre dama cheia de terror griloa, mas as
vozes do mar eram mais fortes qoe a soa. e nio-
guem a ouvio.
Foi recuando passo a pass diante da invasao
das ondas, ate o fundo da gruta : ahi Impetlida
pelo desespero e pela voniade de fugir a agua que
subia sempre, encarapitou-se na anfractaesiiaiBa
da rocha e conservou-se assim, meia suhmergirfa
durante quatro horas, em urna posirio das mais
horrivels.
Quaudo o mar, retirando-se Ihe deixou o camp>j
livre, a curiosa dama, extenuada pela emocao e
excessos de fadiga mal pode encontrar forgas para
sahir desse antro, onde estere a pomo de morr-;r
affiontosamenle.
L-se no Cumnemo do Porto o seguinle .
Conta-se uina historia muito interessaole de um.>
eserava do rei de Dahoraey.
Ha alguns annos, o capilao de marinha ingleza
Foi bes foi enviado em rassao junto do re de Da-
horaey para o persuadir a mudar a sna maneira
cruel e barba de governar os seos subditos
O re esculou cora toda a attengao as represen
lagoes do offlcial inglez, e, para Ihe dar ura tesie-
munho da sua rotisiderarao, fez-lhe prsenle de
urna das suas captivas.
O capito conduzio comsigo a joven africana i
mandou-a baptisir cora o nome de Boonetta For-
bes.
A rainha Victoria, vindo a saber a histeria ro-
maneaca de Bonnetta, declarou-se protectora da
joven africana, mandou-a educar a sua cusa un
Melville Hospital, interessou-se ramio pela sna edn-
cago e recebeu a muitas vezes na corte.
Bonuetta Forbes esposou M. Davis, negociaate. ?
por essa oceasio receben da rainha numer
presentes.
ltimamente, madama Davis leve urna menina,
e sua magestade, que quiz ser madriuna, envioa a
sua afilhada um copo, coibr, faca e gario, lado de
euro. '
O copo tem a seguinte inscripgio :
i A Victoria Davis, da parte de Victoria, a rai-
nha da Gra-Bretanha e Irlanda.
+
Dos 33 estados soberanos da confederar ger-
mnica j deixon de existir o ducado de Berafcoarg-
que foi aonexado ( o termo da moda ) ao ducado
de Aohalt-Dessau.
Berubourg era ura ducado de 37:050 habitantes
A capital, que Berubourg, tem 4:9u0. O ducado
de Auiiait-I ii-n.-au. que ura estado eocravado na
Prussia, anuexou a si em 1793 o AnhaJi-Zrust, em
1847 o Auball-Cothen e em 1864 o Anhalt-Kera-
bourg.
Por fim chegar-lbe-ha lambem a soa vez de *.-t
annexado, cora os seus annexos, a Prussia

Segundo diz o telegrapho, est j concertado o
casaraeuto do principe berdeiro da Russia cana
urna fniu do re da Dinamarca, irmaa da princeza
de Galles.
Se lambem se veritirar. como se ate, o enlace do
principe Humberto de Italia com ootra pnneeza da
Dinamarca, a familia real dinamarquesa ver-se-ba
unida a tres das raaiores potencias da Barapn.
E com tudo justamente agora ene a frinmir
ca se v abandonada pelas naedes da Europa, cade
forga da Prns>ia e Austria, perdendo ama gran-
de parte do seu territorio Prora isto qoe na paeV
tira das nagoes nada inflaem os enlaces dea seos
soberanos.
A tiiria do rei da Dinamarca deipemh do i
pe lo-rdeiro da Russia a princesa Marta
Fredenca Dagdmar, que tem 17
ceu a 2b de nuvenibro de 1047.
PERNAMBIT-O.-TYP. DB K P. DE F. I W35
.

<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3T89A5ZG_5C6A2T INGEST_TIME 2013-08-27T21:19:41Z PACKAGE AA00011611_10483
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES