Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10482


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-


AMO II. flPMERQ 226.
Por tres mezes adioslos 5J
Por tres mezes vencidos 6$UOU
Porte ao corrcio por tres mezes. .5750
. v ...
/"
*.
SEGM FEIRA 3 DE 00T0BR0 BE 1*64.
Por amo adaatado.....19)000
Porte a correio pop nm aano SfOOtf
--



INCARRXGALOS i-A bUBdULirCO NO NORTE
Mria, o Sr. Antonio Alejandrino de Urna
**$!! Sir' A010?,10 Marques da Silva; Aracatv, o
r.A. deLemos Braga; Cear, o Sr. J Jos de
Oliveira; llaraahao o Sr. Joaquim Marque/ Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinieiro A C A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SOL
~H&, o Sr. Claudlno Faleo Dias; Babia, o
rr. Jos Mamas Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe
riera Martins & Gasparino.
,^eSI-a7amiaeParahybanas^^>
m EPHEMERIDES DG MEZ TE Ol'TTBRO
Sanio to "Gravat fin d n I 8 Quart0 cresc- a l ,7 m. e30s. da t.
M^'cSffiS?^?. CarQarQ'>!15 L" cheia as 4 h., 55 m. e 38 s. da m
i
Hha d'PXa11nT,t/imenteiras nas luintas faifas,
uavL todas B vezes 1e Para ^< sahir,
Todos os estafetas partem ao /idia.
22 Quarto ming. as 8 h., 59 m. e 48 s. da m.
30 La nova a i h., 8 m. e 26 s. da t.
PRBAMAR DB HOJ1.
Primara as 8 horas e 18 minutos da manha.
Segunda as o horas e 42 minutos da tarde.
PARTE QFFICIAL
P.r.t^/^ VAtOiiS COSTEmO*
a GrX f 7 VJ**6^ W; PS-- o norte at
luftat 12 fecasi5,mez; PiraRancio nos
ou" uos ^"Si? Ja"- y-, maio, ful, sel. ecov.
P.. WRUDA DO dMNfflA
b i/ /, ^ cife d0 APpucos as 6 Vt, 7, 7 V?. 8 e
uLPnm- de 01inda s S i ra- da texdT; de
t3^6'! dan.; do Caxange Vaizoas 7
n> Bemtica s 8 da m.
Do Recite: para o Apipucos s 3/ 4, 4 A, 4 /*,
2.K fn \* da tarde' Para Olinda s 7 da
?.S 2 da ,arde: Para hi>t >s i da lar-
Beinncaas^rdlVmea da f*rde; para
GOVERHO DA PROVINCIA.
N
:
i
expediente do dia 2 de selembro de 1861.
Ofllcio ao Exm. presidente da provincia de S.
Paulo. Receb! com o oIBclo de V. Exc. de 9 do
corrente, dous exemplares da colleego das leis
promulgadas nessa provincia no corrente anno.
Dito ao Exm. visconde de Camaragibe, director
da Faculdade de Direito.Para dar cumprimento
ao aviso do ministerio do imperio, de 10 do cor-
rente ; mister que V. Exc. informe :
1." Se nao possivel obter por ura alugutl ou
arrendamento mais mdico, outros predios para
mesma Faculdade, c para s aulas preparatorias,
que Ihe sao annexas.
2. Qual a despeza que se tenha de fazer com
as obras que forera absolutamente necessarias, aflm
de tran-ferirem-se a dita Faculdade e as referidas
aulas para un dos convenios desta cidade. emquau-
lo senao adquirem predios proprios.
Dito ao commandante das armas interino.Con-
cedo a autonsacao que V. S. solicita era seu oflieio
de Motera daiado, par transferir para a casa de
detencao o sentenciado militar, Jos Ferrao, que
ora se acha preso na fortaleza do Brum, onde a
sua permanencia pode prejudicar disciplina e a
moralidade da tropa, alientos os actos de insolen-
cia einsubordinacao por elle pralicados era dila
fortaleza, segundo V. S. declara em o citado ofll-
cio.-Ofliciou-se neste sentido ao Dr. chefe de po-
Dito ao mesmo.-Transmuto V. S. os proce-
sos de eonselho de guerra constantes da relacao
jnnta.'alim de serem cumpridas as sentencas pro-
feridas pelo eonselho supremo militar deiustica
nos mesmos processos.
Dito ao mesmo.eclarando-me o Lxm. Sr. mi-
nistro da guerra, em aviso de 16 do correnle, jun-
to por copia, que a respeito das parles relativas
aos exercicios dos baulboes nmeros 2o, 7" e 9
de infamara, e do corpo de guarmcao, pertencen-
tes ao mez de junho uttimo, senio deu execuc s
. disposcoes da ordem do dia n. 260, por amate
das referidas parles consta que aquelles corpos
naofizeram exercicio algom no mez citado, eos
mais deixaram de fazer todos os determinados na
mencionada ordem, recommendo V. S. as neces-
sarias providencias para que seja sanada scmellian-
te falta.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. para ler o
conveniente destino a imlusa cerlidao de assenla-
menios do alferes Calixto Jos Ferreira, o qual
sendo do oilavo batalhao de infamara, foi promo-
vido a este posto por decreto de 29 de julho ulti-
mo e classiicado no 9 batalhao da mesan arma,
pito ao mesmo.-Para salisfazer a exigencia do
aviso do ministerio da guerra, de 19 do correnle,
preste V. S. os necessanos esclarecimentos acerca
do individuo de neme Manoel Joaquim de Sania
Anna, presla corle como desertor, o qual deca-
rou ter desertado do terceiro batalhao de cacado-
res, hoje nono de infantaria, quando aquartellado
em Lruguayana, na provincia de S. Pedro do Sol
Dilo ao Dr. chele de polica.Estando convocada
para o dia 12 de outubro vindouro a sesao do tri-
bunal do jury do termo do Buique, como declarou-
meo respectivo juiz de direito em 14 deste mez ;
assim o commuoico V. S. afim de providenciar
para que sejam para all remetlidos com a necessa-
ria antecedencia os reos presos que tiverera de ser
submeltidos julgamentonaquelle tribunal.Igual
recommendaeao se fei ao juiz municipal da primei-
ra vara.
Dito ao mesmo.-Em vista do qup pondera no
ofllcio incluso por cjiia o desembargador provedor
da Sania Casa da Misericordia, declare V. S. se o
alienado de que Irata o seu ofllcio de 5 do corren-
te, sob n. 1107, est no caso de ser tratado rusta
dos estabeiecimentos pos, ou se pude pagar as des-
pezar do seu tratamento.
Dito ao mesmo.-Transmiti V. S. paraxgs^d-'
vidos efleitos, a inclusa copia do decreto delTdo
corrente, pelo qual S. M. o Imperador houve por
benrperdear aos reos de primeira e segunda de-
sercSo, pertencenles a marinliagem o corpos da
armada.Igual copia remelleu-se ao capitao do
porto. !
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda.-
Transmiti V. S. para os convenientes exames.
as inclusas conlas documentadas da receita e des-!
poza da enfermara do presidio de Fernando, rela-
tivas aos mezes de julho c agosto do corrente anuo,
bem como o parecer da junta de sade. que as
examinou.
Dito ao mesmo. Tendo o Exm. Sr. ministro da
marinha, segundo declarou-nic em aviso do 16 do
corrente, approvado a deliberarlo que lomei, de
mandar pagar sob minha responsabihdade a grati-
ficado de 200^000, vencida no mez de junho ulti
mo, e a que for vencendo o encarroado das obras
d" melhoramento do porto desta provincia. Gerva-
sio Rodrigues Campello ; assim o communico V.
S. para seu conhccimenlo e direccao.
Dito ao mesmo. Em cumprim'enlo do aviso da
repartirlo da guerra de 14 do corrente, d V. S.
suas ordens para que seja suspensa a consignarlo
que deixou nesla provincia o capitao do 2J batalhao
de infantaria, Luiz Paulo de Figueiroa Contreiras
s':ibaco de Araujo, ao seu procurador Joaquim Ro-
drigues Tavares de Mello, al 31 de agosto, remet-
iendo V. S. a respectiva guia a reparticao de con-
tabilidade daquelle ministerio.
Dito ao mesmo.Communico V. S. que o ha-
chare! Joao Baptisla do Amaril e Mello, reassumio
em 29 de agosto o exercicio do careo do juiz mu-
nicipal e de orphaos do termo de Flores.
Dito ao mesmo. Communico V. S. que o juiz
municipal e de orphaos do lermo do Buique, bacha-
rel Amonio Fernandes Trigo de Loureiro, enlrou
cm 17 deste mez no gozo da lieenca que obteve.
Dito ao mesmo.De conformidade com o que
solicitou-me o Exm. presidente da provincia do
Rio Grande do Norte em offleio de 20 do corrente,
transmiti a V. S. para seu eonhecimento e fim
conveniente a inclusa copia do reglamento expe-
dido em data de 14 de outubro do anno passado,
acerca da cobranca do imposto do algodao e d
outros gneros sujeiios ao de exportacao Igual
remessa se fez a Ihesouraria provincial e commu-
nicou-se ao Exra. presidente daquella provincia
Dito ao inspector da thesouraria provincial
Autoriso V. S. nos termos de sua informaran 'de
hontera, sob n. 430, a mandar entregar mediante
flanea idnea ao vigario da freguezia de Jaboatao
padre Manoel Esperidio Moniz, a importancia que
se acha recolhida a essa thesouraria proveniente
do beneficio da parle da lotera extrahida a fa-
vor das obras da matriz daquella freguezia.
uito ao mesmo.Em additamento ao meo offi-
cio de hontem, transmute em original a V. S. para
os fins convenientes os dous inclusos offlcios que
me dirigirara es promotores pblicos das comarcas
de G-ranhuns e Flores relativamente ao imposto
de 25500 rs. sobre o gado vaceum consumido
naquellas comarcas.
Dito ao desembargador presidente do tribunal do
eommercio.Informe V. S. sobre o que Antonio
Correa Maia, porteiro da secretaria desse tribunal
pede ao governo imperial no incluso requeri-
mento.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Recommendo V. S. que nos ofllcios dirigidos
sen ne r denC,a e ^mpanhados de guias de
sentenciados que que d'ahi regressami esta^api,
SSSm"iaa em *" elles liveremsi o
nf,!r oiln e.Pr ,)Ue'"' hm con, ^a c qual-
?"'T "m!nislanc'a tendente a esclarecer o lim
para que sao remedidos.
R^rff aorPres,den,e da Caixa Filial do Banco do
nphLta!mPr'"d? disPs'o "o aviso expedido
SS.WS* da aZ"nda en' 15d0 corrente trans-
SA h Para,seu coubecimenio e fins conve-
damnrn^V0 ^Mua- 3'317 *> 14 ** **>
banco do p.,luCad0' Prei" aos?J,..f""7,RU.a8 cl'iasforam remetlidas
vracial "'(sourarias de fazenda epro-
ln!Se;aY^maud''!:nt.e d0 corP (le Policia.-Pe-
' da sK nl^-ranC,SC0 de AraUJ" e Manoel *
hfram nov. st;s engajamenus e contra-
t^rilV0 "" perior do arsenal d(! marinhaCons-
rnrrl.f aV'' da "P"** da marinha de 22 do
Ha te .n,2Utn,a m"*ma dala fra nomeado o capi-
?,,r h le- 61;,'us,,ano Gaetano dos Santos, para o
munLW nte dess*'WCao: assim o com-
munico a \. S. para seu eonhecimento e direceo
(.ommunicou-se thesouraria de fazenda.
AUDUiNCiA DO IRIBUNABS DA CAPTAJ
Tribunal docjmmercio: egundas qmnlas.
Relacao: tercas e sabbaos s iO lloras.
Fazenda: quinta s iO horas.
Juizo do eommercio: segundas s 11 horas.
Dito de orpios: tercas settas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do cive!: qnaraa e sabbados a 1 hora
5.a tarde
Antonio Freir de Caslro c Em'erenciana Mara dos de soldalOi aammi hio ~Z
Prazeres. desia nrm-- sumi noJe commando das armas
'':: -'. I M N*.
3. Segunda. & Maximiane u. s. Wmtmm m
*. i-i .a. S. lr.iii.i>o. de Ami, fundador.
jfca.Ss.piHndoeMu.c.mp.m.n:
7 k U'"lacS;."' """'"""lador da ,-demcartuja
k t'. ;L-.S-Mi,"'':-!''-5 S-Augusto ,.rPsb.
8. Sat.bado. S. 1 rgida prinreza de frricia riuv
9. Domingo. S. D.eni-.o l .,,.: S. Andronco
taauM
Ino Rectfe em a livraria da praca da Indepcndairi,
Prazeres.
nS UcmeBle das Neves e Maria ^s de Amo-
Joaquim Gomes dos Sanios e Sebastiana Maria da
Cunceicao.
Al*tX't dos AnJs e aria Antonia da Con-
han ve K'** para '* qual S" M' Impcradur
JSSUr Mmu-m pordecre,del5de
lnmmS,mpC?l' df ardoa 1Uan, ufanosa
aJ^^T0' .esforCndo-me por preencher as vistea
do governo imperial, serei orgulhoso se conseguir
saiisiaze-ias; e para isso cont com a sincera
Dte audirecior interino do arsenal de gnerra.-
E.ra viste de sua informaco de hontem dalada sob
' .n 2? N ,nc- a admillir na companhia de
aprendizcs desse arsenal o menor Antonio Joaquim
de Amorim, tutelado de Amonio Soares Pereira dos
rofT'h Uma ve7' que es,e sal'>faga a respeilo do
Jr'l0Hm-Drr as 'cws "midas no final de
sua citada informarlo.
pft!?ir.0.ao COHSelhode compras navacs.-Approvo o
ao 2 ?nqUrf0' *W lerrao >* copia
ao offlcio de 14 do corrente, celebrou o eonselho
Ifeii ,Tf "araes com os negociantes W.lson &
de MrS? a ornec,menle por lempo de 6 mezes
da iv? de.p,,llra Preciso aos navios da arma-
dfefnd "Se a nSpeCtor da ,nesourarla
HoD!0loalme5m0~ADDrovo >nlralo que, segn-
'dnnfi.ihnT,:0ns,aDle da copia juma, celebrou o
eonselho de compras navaes com dive^s pessoas
IL i"rncc,menl de vveres, dietas e outros
objectes de consumo precisos aos navios da arma-
JL1 a bel(!C"enlos de manuha no trimestre
vindouro do outubro a dezemhro.-Commun.cou-se
a Ihesouraria de fazenda.
Duo ao administrador do correio.-Declaraa-
rn t Lxm Sr ministr<' da reparticao da agri-
cultura, eommercio e obras publicas em aviso de
r,!uk COrrenle,' haver aPProvado o aclo desta pre-
nm SS 6 eV0U. 200 3 diaria > SW ris,
& h i"a Joa(iu"n Velol'o, encarregado do te-
S!?0 desla c,',ade o solicitado do ministerio da
it c r a exPed,rao das necessarias ordens aflm
de,trihHgm^D,a,d0 conNna'S 4395200 o crdito
aestrihuido. a esta prov irfa para o servico do
SeSeSS^ beT MM lumrise'o
?ih r. SL gad0 a aclm,u,> um ajudante que o
V. mi'6", ""P'-dimentos conforme propz
auto lh cnmm,"r",a5ao de 9 de asosCultimol
>f*HH jn o communico para sen
dirercao.-Neste sent seninio o
peclor da thesouraria de fazenda.
Dito ao chefe interino da reparticao das obras pu-
tiicas.Constando de ofllcio do delegado do termo
, do Rio Formoso, que por copia veio annexo ao do
: chee de polica, datado de hontem, e sob n. 1206
que a cadete daquella cidade acha-sc em estado de
ruma o por isso nenhuma seguranca ollerece re-
commendo Vmc. que mande examinar a prediU
cadea e orear os rncenos de que ella precisa.
1 orlara.O presidente da provincia, attendendo
.ao que requeren o professor publico de instruc-
C*> primaria da povoacao do Timbaba JosO
francisco de Souza, c tendo em vista as infor-
macoesdo direct.ir geral interino da insiruecao pu-
i* 2o 1,D^ee,or da thesouraria provincial de
i-j e z ludo do correnle mez, sob ns. 183 e 431
resolve conceder-lhe de confomidade com o aniso
24 da le b. 898de 13 de mam prximo findo, e a
principar de>sa dala, a gratifleacao de mela.le dos
seus vencimenios, vWto contar mais do 25 annos de
magisterio, deveodo nessa gratilicagao ser compre-
nendiua a la .piarla parle do ordenado que j per-
i'e%- om virlude da portara de 2 de agoste de
ib2.-Loniinunicou-se ao director geral da ins-
iruecao publica.
Di la.-O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana. laca transportar por conla do ministerio da
guerra para Penedo, no primeiro vap .r que seguir
Joaqa.m Rodrigues da Cosa cBazilia Mana do Es- c^'wtS8.5*?, Paara ,,8S0 con lo com a sincera
pinto Sanio. ao M f^rc-M de toda a torca c dos senhores olBciaes
Severmo (omps .^" nlV'r-0,ini'ia; 'P'Oamais renunciarlo as
regra.- a* disciplina.
Severmo Gomes da Silva
ceicao.
Francisco Bezerra de Vasconcellos
na.
Joao Mendes da Silva e Maria Francisca
SUN.
Jos Luiz Vieira e Joanna Baptisla de Jess.
Macldo aC NonM eFraBCSca Javier de
e Felicia Mara da Con
e Josepba Ma-
de )c-
m^JnarchaJdo servico fluc ,enho adoptado, a
SSS, egulda Pelo llim Sr. coronel Luiz, Jos
rerreira que interinamenie se achava neste exer-
cicio e que dignamente o desempenhou.
^s.-tgnado.Joaquim Jos Gonqalvet Fvnlcs.
,j?,ma*-rJo# francisco de Moran e Vatcon-
Pedro^ntomoAlexandrino o Francisca Mari de &8!iJi^ ^dens encarregado do
e Virldiana Maria da Con-
Luiz Alves Fernandes
ceigo.
Jos Vicente Targiuo e Florencia Petronilla.
Prazrere,sISC0 Andrade e Anna Magdalena dos
Amaro Caetano Mendes e Maria da Paz
Joao Paulo do Albuquerque e Anna Thereza de Je-
A 0|iveiFerreira dos San,os e Francisca Maria de
JOMouraUCSCO das Chagas e Antonia Francisca de
Manoel Martins de Barros
ceicao
EXTERIOR
BIO DE PURVAJlBKO.
L.MBOA.
i 2 de selembro (U f 3/f da noite.i
J,TJ.? udia das deicoes de deputados. Os
Arsei *s B^> IS5 sras p^s'X^tr
mo o circulo H4 (da capital) por onde se t-
Almada-Francisco Ignacio Lopes.
Mira e CantanhcdeDr. Cesario
Monte Mor o Velh .-Ferreira alvao.
LaidasAntonio Carlos da Maia.
C^a-m-Josi. do Nascimento Goncahes
112Jos Maria Frazao.
113Alves Chaves.
115-Nuno J-s Severo de Carvallio.
. ^ (!16-'oaquimThomaz Lobod'Avila (mi-
nistro da fazenda.)
j 1 7-Manoel de Jess Coelho.
OdemiraEduardo Augusto da Silva Cahral
unir-Francisco Joaquim da Costee Silva. *
s. Joao da PesquciraAntonio Julio Pinto Fer-
reira.
Moimentaleronymo Barboza e Lima
LamegoFrancisco Gavicho.
Castro d'Ayre-Soares de Moraes.
Oliveira de FradesHomem de Gouvea.
Carregal -Francisco Coe lio de Amaral.
val d Castel,-Xavier du Amaral Car-
S. Pedro do Sul-Jos Correa de Oliveira. *
Tandella-Thomaz Rihero. *
Arganl Malhias de Carvalho.
LoozadaMartinho da Rocha CamSes.
Marco de Canavezes-.-,nIooio Pinto de Maga-
llUtes Aguiar. *
AlcacerAragiio Mascaretihas. *
GondomarDelflm Martins Ferreira.
Selubal-Anuibal Alvares da Silva.
(Continuarse-la.)
Alimentados cusa dos n>fres provincias 1..2
Movmiunto clinico do h.xpital portomMK.
diiranie o mez de selembro de 1864 :
Mi>iiam em iratament. do mnz de agosto. y
l'.ulraram no mez de selembro......! i*
Tiveram alta.............
Falleceram...............V'
Picara em Irataraenlu- ........
:,l
i:
4
M
:i
Miguel Ferreira dos Anios e Francisca Maria daLSSS?^ S? ,8Dh a vis,a 'iao ""tormos em af-
Cooceico. J francisca Mana da rrmar que reinoo o mais perfeiio socgo em todas
Manoel Tnomaz da Cosa e Thereza Maria da *rni-! b^SSSlf SS1??* nDo Porl esPerava-se lam-
ceiCao. ,nere" la'u da l-0ll^to a'guma agitacao. Correu ludo rom a maior
"mm, e de todos os pontos do
PERNAIWRUCO;
REVISTA DIARIA.
- paz esto a todos
.momentos a chegar noticias de que a eleicao foi
TSla sem toda a iranquillidade.
fXao m memoria entre nos. creio, de urnas olei-
Jintoaio Tavares da Silva e Umbclina Alves Gon
lateral. X' ao l da ",m. C"os &W%* 'ao favoraveis para o governo (fosse
Claudino Jos Goncalves e Francisca MartTrn" Fs "M ,)e- Ia, livres ? m?8mo ttI"P&-
pirilo Santo francisca Manido Es- Isto fa\; o elogio da^uacao c ao mesmj lempo
^5 V**^ A- *>* daCon-\Z^^^S^S^^
ioqum, A corra e Francisca Evangelista ^SiStOSO ViOS.
ouhecnkiento e
ciou-se ao ins
Espirito Santo e Joanna Maria
!...:.._ i..
* w ji....i:_
-------__-__.-j ..,.,..ti. i i rtl)
para o .-ul ao alferes do 9. batalhao de'infantaria
Jos Placido Luccas Bion.duas praCas e um volum<>
contendo artlgos de fardamente para uma praca do
corpo de guarmcao estacionada em Tacaran!-
Lommumcou-seao commandante das armas.
txpedieule do serrelario dogo>ernododia 2!
de selembro de 186 i.
Ollicio ao inspector da thesouraria de fazenda.-
sua bxc. o Sr. presidente da provincia manda
n-ansrnuiT a V S. o incluso ollicio da secretaria do
ministerio da fazenda datado de 22 do correnle
commonicando a remessa de 20.0005000 em moe-
Diio ao mesmo.O Exm. Sr. presidente da nro-
vinc.a, manda iransmiitir V. S. as duas inclusas
ordens do thesouro nacional, sob ns. 131 e 13'
bem como ouiras duas em duplcate ns. 414 o 415
expedida pela reparticao do ajudante general.
CiOYBUtXO DO BIP.4I>0 l
PERX4NBUCO.
-NOVAS DISPENSAS MATlil.MOXIAKS.
Facn publico que o Exm. e Rvm. Sr internun-
cio notamente coocedeu lieenca, em data de li do
crrenle, para serem dispensados do impedimento
de affliiidadc licita em primeiro grao igual da buha
lateral; bem como do impedimento de consangui-
nidade em segundo grao atting^nte ao primeiro da
linha lateral, os oradores conslautes da relacao
abaixo transcripta.
Qucm pois tiv*r de procurar algn desies re-
querimenios, pode dirigir-se, em Olmda, secreta-
ria do hispado, no seminario episcopal: c no Reci-
te casa do lllrn. Sr. conego da capella imperial
Francisco Jos Tavares da Gama, na ra da Cruz
n. 56, junto a matriz do Corpo Santo.
Cidade de Olinda, 30 de selembro de 1864.
Conego, Joaquim Ferreira dos Sanios,
Secretario do bispado.
Oradores que se acham ligados no impedimento de
a/finidade licita em primeiro grao qual da linha
lateral, dos qum trata a declararao cima.
oalvino Joaquim de Araujo c Antonia Mara do Es-
I pililo Santo.
Marcol'no Jos do Nascimento e Gerlrudes Alaria
do Espirite Santo.
Manoel Francisco Barrete c Senhorinha Mana da
| Loneeicao.
I Fra,ncvc0 .Gncalves de Mello e Delmira Faustina
1 do Vasrimento.
rSiMS de Maria e Clemencia Maria do
Espirito Santo.
i pJJino Jus dS 8* e Damana Maria da Concei-
I cao.
Jo Cosme da Silva e Francolina Maria da Con-
l-flt O.
Galdino Freir de Castro e Felicia Maria da Con-
das Virgens.
Joao Bernardo do
da Coneeico.
Coaceicao,
Mathias Paos de Lyra e Joanna Marcolina de Bar-
ros.
Joaquim Telles da Rocha e Francisca Maria da
Conceico.
Dionysio 'Soares Pereira e Antonia Mara da Con-
ceico.
Joaquim Pereira dos Sanios e Isabel Maria da Con-
Ceicao.
Silvestre Bezerra Vasconcellos e Maria Salom Be-
zerra vasconcellos.
Francisco Vicente de Oliveira c Antonio Maria da
Costa.
Joao Martins Pontes e Ubaldina Maria Clara do
Monte.
Firmino Gomes Ferraz e Thereza Maria do Amor
Divino.
Manoel Gomes de Oliveira e Francisca Mana da
Concei cao.
Adrio Borgcs Lchoa e Isidora Galdina.
Jos de Mello da Silva e Magdalena Maria da Con-
ceico.
Antonio Francisco de Sales e Rosalina Mara da
Lonceieao.
Joao de Sonza Oliveira e Maria Prancisca da Con-
ceico.
Jos M.mteiro de Goes e Maria Olinda de Goes.
Antonio Martins Leito e Maria Thereza de Jess.
Antonio Luiz do Quciroz e Mana Genrudes de
Queiroz.
Hermino Bispo dos Santos c Francisca Leocadia
da Conceico.
Joaquim Flix de Albuquerque e Leonarda Mara
do Espirite Santo.
Severino Jos dos Santos e Marcolina Maria de
Jess.
Joao Morino Gomes c Ludovina Maria da Con-
ceico.
Diocleciano Pereira da Cruz c Maria Pereira da
ronceca ,
Claudino Corroa da Silveira c Maria Francisca
Curreia de Oliveira.
Antonio Nones da Silva e Antonia Maria da Con-
cei gao.
Goncalo Alves da Silva e Joanna Baptisla de
Araujo.
Antonio Manoel da Fonceca e Niquelina Maria da
Conceico.
Joao Francisco de Arruda e Antonia Maria da Con-
ceico.
Claudino Jos
Conceico.
Antonio Pereira de Moura
sus.
Nao
qu-iro com
de Carvalho c Joaquina Maria da
t Josepba Maria de Je-
COMMANDO DAS ARMAS.
Quailel do commando das armas de Pernambuco
na cidade do Keeife, 1 de onlubro de 186
ORDEM DO DIA N. 358.
llavendo o Exm. Sr. coronel Joaquim Jos Gon-
caives tomes sido empossado hoje no commando
das armas desta provincia, assim o faco constar a
guarnido para seu eonhecimento.
Amestrado e experiente como S. Exc. na mar-
cha do servico, dotado de habilitaces para bem
deserapenhar o importante cargo de que se acha
env.stido, a mesma guarnicao deve nelle achar um
chele que a conduza por camioho seguro ao fiel
cumprimento da notare e espinhosa misso a que
destinada a torca publica.
Deixando o ominando das armas interino que
exerc desde 6 de julho ullimo, resta-me o grato
dever de testemunhar o meu reconheciment aos
senhores commandantes de corpos e respectiva
oiciahdade, aos senhores commandantes das for-
talezas e chefes das estagoes militares pela efflcaz
coadjuvagao que me prestaram, sendo que em vir-
lude dclla foi que o servico se fez opportunameate
e cem a devida regularidade.
Assignado.Luiz Jos Ferreira.
Conforme.-/os Francisco de Moraes Vascon-
cellos, capitao ajudanle de ordens encarregado do
detalhe interinamente.
ORDEM DO DIA N. 359.
Firme nos preceitos de obediencia e no carcter
. djtRn raassas Para a anarcina!
isflTdizer, porm, que se nao empreguem, aqu oii
SXShSnflPJS.approximem do suborno e da
eiHn \ UU5 l1'""" se acna auion-
sado para atirar a primeira pedra?
m,nSa a 'ransc;over das notas que ainda agora
5ra s,hldSpaf lelT,ra''mcos resaltedoV
m ? daele,cao. Ha muilos nomes lalvez
2Z? S2toI n?mero de seus leltores nao conhe-
JZr'?QtreIanl, como se nao escrevera noticias
1 ra 8J?a'0.r ?ome 1e fora lyranisar a mi-
nora, elles ah vae : (1)
Ponte de Lima-Joaquim Gerardo Alvares Viei-
ra i,i>!) i.;i.
Barca-Manoel Bento da Rocha Peixoto.
Alcobaca -Conselheiro Faria Blauc
Aiyo-Sebaslo Maria da .Nobrega.
tasiello Branco-Joaquim de Albuquerque.
Fundao-Miguel Osorio.
Villa Real de Sanio Antonio-Jos Maria Lobo
u Avila.
Beja-Maranno de Souza.
AvelroManoel Jos Mendes Leile
Belem -Claudio Jos Nones
FronteiraCalca c Pina.
AlenquerJos da Gama.
LeiriaJoio Chrisosthomo d"Abrcu e Souza (mi-
nistro das obras publicas.)
Cedofeite (Porto) Antonio Ayres de Gouvea.
VizeuFrancisco Antonio Barroso.
Oliveira d Azenieis-Jos Carlos Rodrigues Selle.
EvoraManoel Alvos do Rio. I
, CambraCarlos Berilo da Silva.
gueda -Sebasliao de Carvalho Lima.
Amarante-Antonio Augusto Teixeira de Vas-
! concellos
Villa Real-Gulhermno Augusto de Barros.
GuardaJos Joaquim Fernandes Vaz.
Loimbra-iDr. Ayres de Campos.
2Freitas Barjona.
SoureAntonio Egvpcio Quaresma.
MaraJos da Silva Mendes Leal (ministro da
marinha.)
LoulJoao Anlonio de Souza.
Penael-Gaspar Pereira da Silva (ministro da
justica )
ChamuscaJulao Hascarenhas.
branlesJoao Anlonio dos Santos Silva.
Arcos de Vale de VezPlacido d'Abren.
ValencaManoel Lele Ribeiro.
CaminhaFrancisco de Souza Cadaval.
Vianna do Minlio Jos Barboza da Silva.
Fera-Anselmo Jos Braaneamp.
Ovar -Francisco de Paula Lobo d'Avila.
Espozende-Joao Antonio Gomes de Castro.
Braganca -Gaspar Pereira da Silva.
MirandellaCarolno d'AImeda Pessanha.
MoncorvoFrancisco Diogo de S.
Mangualde-Dr. Bernardo d'Albuquerque.
BracasBario do Vallado.
Portalegre-Joao da Fonseca.
El vas.....Alcntara.
Villa Nova de Gaya -1" Jos Lucanno de Castro.
2oJoaquim Jos Procnca
Vieira.
Braga1-Carlos Zeferino Pinto Coelho.
( 2oF.....governamental.
TaviraBarao do Zezere.
EstarrejaJoao Carlos. *
Sanio ThyrsoMrquez de Monfalim.
SabrozaAlfonso Botelho.
Villa Nova de Famaliro -Torres c Almoida.
Pombal Custodio Joaquim Freir.
Porto de MozDr. Carvalho.
Santarem-Joaquim Thomaz Lobo d'Avila (mi
nslro da fazenda.)
ParedesMartins Ferrao. *
FelguelrasRodrigo Lobo d'Avila.
Povoa de Varzim-Jos Anselmo Mexia.
Villa VerdeJoo Antonio Sepulveda.
GuimaresIoJos Joaquim Vieira,
2oVisconde de Piodella. '
Povoa de LanhosoVisconde dos Olivaes
Fafe-Vieira de Castro. *
Celorico Domingos de Barros. *
CabeceirasGuilherme d'Abreu. *
BarcellosParia Reg.
Monte Mor o Novo -Manoel Soares de Fi citas.
Aldea GallegaAntonio Gomes Brando.
ro nomeado ajudante da inspectora do ar-
senal de marinha desla provincia, q Sr. caplo'-lc-
nonte Salusliano Caetano dos Sanios.
Tomou posse, no sabba lo, do commando das
armas o Exm. Sr. coronel Joaquim Jos Goncalves
rontes. *
Ao professor primario de Tmbaba, Jos
francisco do Souza, foi concedida a gratiticacao de
metede de seus vencimentos, por contar mais de
2o annos de magisterio.
o ~Z Nond'a 8 'o corrente comer o setenario do
Senltor Bom Jess dos Passos, na malriz do Corim
Sanio, cantando os versos a Exma. Sra. D. Ursuli-
na Mana da Silva. O acompanhamento de
composicaode um menor do arsenal de marinha.
A' esforgosdo Revm. Sr. Antonio Manoel d'As-
sumpcao, moi digno coadjurlor da freguezia de S.
Fre Pedro Goncalves, fez hontem abjuracao dos
erros e profissao de f, recebendo ao depois o bap-
tismo o commnngando. o Sr. Henrkjue Law, subili-
to nglez, servindo-lhe de padrinho o Sr. Jos Ro-
drte^os de Andrade e madrinha Nossa Senhora do
Rosario.
Mil parabens dteiios esseReim. sacerdote pelo
noy athleta que trouxe ao seio de nossa reli-
giao. i
Pesiejou-se hontem"iio Corpo Sanio, a Sra. do
osario orando aoKvangelJiuo Revm. Anlonio Ma-
j noel d Asnmpgao.
As 8 1|2 horas da manhaa benzeu-sc um novo
bino. f
- No relatorio da commisso'do Instituto Ar-
eheologtcoe Geographico Pernmkbacano. publicado
em nossa 8" pagina sol) o llulo-Lrtteratura. de-
ram-ea diversos erros, que convem sejam emenda
dos. para obviar duvidas :
i Na primeira columna, lindas 30, onde dizre-
| cusouleia-seescusou.
dem Ia? 68, onde dizDepois da morle de Viei-
ralea-seDepois da morle da viuva de Vieira.
Mem, P; 73, onde diz-no decurso de mais um
secute leia-seno decurso de mais de um secuto,
dem, I- 110 e 111, onde dizconriou ao referi-
do coronelleia-secomprou ao referido coronel,
dem, I" 137 a qual linda pela phraseromo
adame se ver-se dever cnteiuler como final da
i" parte deste trabalho. seguindo a 2a pelo para-
grapho : E tradieao constante, etc., ele.
NasegiiHda col.,'1-- 30, onde diz-Joao Fernan-
des leia-se-Joao Fernandes Vieira.
dem, l' 32, onde dia1661leia-se1681.
dem. 1- 76, onde diz prefeilo da Madre de'
leosleia-seproposito da Madre de Dos,
dem, !* 80. onde dizda propriedade de Marau-
mi^'a^110^1^ f"?m 2 de ulTcoIos, I de v"
mica do pulmao e 1 de dte.
Mov.inen/o do hospital ,ie Nossa Senhora da
Concedo dos Lazaros, do i. a 30 de selembro O
Exisiiam I i homens e 16 nmlheres : entrou f
homem, morrea 1 mnlher, evadio-se f homem
existem 14 homens e 15 mulheres ; rial S
O mordomode mez, A. J. Gomes d Correio.
O reg.-nte.
1 Oh^l lijnarm P. dos Santos
OlllTtARIO 1)0 CKMITERIO I'I'BL'IP/ SO i,t, 1 r
Ol'TUBBO DE 1864.
Clara, escrava, Peruambuco. 1 anno. Recfe : an
Manoel, Pernambuco, 4 dhs, S. Anlonio- es-
pasmo.
Miguel, csrravo, Pernambuco, m annos, solteiro
aanto Antonio : bronchite chMnira.
Antonio. Pernambuco, 18 mezes: nhammaro.
tiara, Pernambuco, 1 mez, Santo Antonio :
sarmis.
Mana, Pernambuco, 6 mezes, Boa-Viste couvui-
oes.
Bernardino, Pernambuco, 2 mezes. S. Jos ; es-
pasmo.
Alexandrina, Pernambuco, 6 mezes, Recite ; coa-
vulsoes.
CIIROMCA JlDICURIi
T*Il?.,?c:,i'Ai' ?A KKLtr.io.
SESSAO EM|1 DEOI TIBHT.
PpESIDENCIA DO EX M. SR. C'lNsKLHEIRO
, SOIZA.
As 10 horas da manha, presentes os senhorer
desemhargadores C Sanago. Gitirana. LoureMo
Saiiiiago Almeida e Albuquerque. Assis, Doria
Molla, lchoa Cavalcanti, c Dommgues da Silva
e Guerra, procurador da cuna, abrio-se a i fin
Passados os feitos e entregues os dislriboidos
deram-se os seguinies
JCLGAMENTOS
Aygravos de pelufiu.
Aggravante, Manoel Joaqun! Ramos e Silva :
aggi avado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Santiago.
Sorteados os senhores de-embargadores Gitiraua
c Molla,
Deram provimenlo.
Aggravante. Antonio Valentim da Silva Barroi a
aggravado, o juizo. -
Relator o Sr. desembargador Gilirana.
,. ^ST108 Ui seunorts lesemhargadores Mol te
Dcrarp provimenlo.
A revista ciiel.
A revista civel adiada na testad de 27 do cr-
reme, jhlgou-se a favor de D. Ltea Maria de Mi-
randa Avelar. excluidos o recrrele Mapoel Mar-
luis do Como Res e o colleclor das rendas ge-
J Habeas-corpu*.
Coiicddeu-se ordem de habeas-cnrpu pedida por
Jos Ramos de Oliveira e Silva, para a sessie de ',
do corrdnte, s ll horas da manhaa.
DILIGENCIAS CRIMRS.
viste ao Sr. desembargador promotor da
dm
justica
guape-leia-se da propriedade dos Marangnapes.
dem. P- 82, onde diz-176i-leia-se1674.
(1) Sao goveraamentaes tedes os que ojo levara
adame do orne um *
Na terceira col., I" 138, oude dizpor essa an-
UgOJdade -leia-sepor sua antigudade.
Na quarta col., | 12, onde dizcarneiro do ca-
pilao-morlea-so-rarneiro da capeila-mr.
dem; li- 37, onde dizno oilao do cemiteno
leia-seno oitao do consistorio.
dem, I" 64, onde dizCosme do Castroleia-se
Cosme de Crasto.
dem, I" 66 -onde diz -Antonio Fernandos Fer-
reira leia-se-Antonio Fernandes Furna.
Mem, I- 67. onde dizAlves de A.-hia-se-
Alves de Arr.'
dem, I" 11, onde diz-que se nao correspondeu
leia-seque se nao corresponder.
Passageiros do hiate brasileiro Santa Anna.
saludo para o Aracalv :
Jos Joaquim da Silva Malulo, e Jos Maria do
Amaral.
Reparticao da polica.
(Extracto das partes do dia 1. de outubro de
1864.
Foram recolhidos casa de detencao no da 30
do correnle :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Felip-
pe Dantas d'Araujo Correa, por suspeito : Maxi-
miao, escravo de Manoel de Medeiros, por fgido,
viudos do termo de Pao d'Alho.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Sevenano
Rodrigues dos Santos, para corr-ego.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Ma-
noel Agapito Correa da Silva para correcgo: Joa-
quim e Jos, escravos, este de Maria Bernardina
da Conceigo, e aquelle de Manoel d'Azevedo Pon-
tes, ambos sem declarago do m-tivo.
A" ordem do de S. Jos, Petronilla Maria da
Annunciago, e Maria Rosa, por disturbios ;
Aquilina Archangela Maria do Carmo, e Zeferino
Manoel da Paixao, por briga.
A' oracm do da Boa-Vista, Jos Antonio Botelho,
para correcgo.
A' ordem do da Capunga, Joaquim Alves Mon-
teiro, e Francisco Cosario d'Oliveira, ambos sem
declarago do motivo.
O chefe da 2* secgao,
/. 6'. de MesQuita.
Movimento da casa de detengo do dia 30
de selembro de 1864 :
Existiam....... 367 presos.
Entraran1....... 16 >
Sahiram....... 15
Existem....... 368 ..
A saber \
Nacionaes..... 3U6 >
Estrangeiros... 9
Mulheres., 8
Estrangeira...... 1
Escravos...... 40
Eseravas,..,, 4

368

As appellacies crimet.
Appollanlc, o juizo: appelUdo. Antooio Pereira
I de SantiBgo.
Appellante, o juizo ; appellada, Paulina Krnger
Appelante, o juizo appellado, Juu Leenae
de Sania Anna. *
Appelliante. Maria Joaquina de Souza Rohm ; ap-
pellada. a juslea.
DBSICNACO DC Dl\.
Assignou-se dia para julgamento dns segrate-
^ls appellars crimt*.
Appelbntes, Manoel Tavares do Nascimento
appellado, o juizo.
Appellante. o juizo ; appellad... Jos-- Pedro d-
Santa Auna.
Appellante, o juizo ; appellado, Pedro Francis-
co de Uma.
Appellante, o promotor appellado, Clemenlino
de Oliveira Bastos e oulro.
Appellante, o juizo ; appellado. Manoel Joaquim
da Silva e outros.
.4 appellarao civil.
Appellante, Dr. Deodoro L'lpiane Coelho Cata-
nho : appellado, Jos Paulo do Reg Brrelo.
i PAS8ACEKS
O Sr. desembargador Caetano Santiago passon
ao Sr. desembargador Gitirana
A appeltaco crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Vicente
Ferreira.
O Sr. desembargador Gitirana passou ac Sr
desembargador Lourenco Santiago
As apprllaeoes cicets.
Appellante. Jos da Costa Dourado : appellado,
Antonio Manoel de Campos.
Appellante, a cmara municipal : appellada, a
irmandade de S. Pedro.
Do Sr. desembargador Lourengo santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
A appellarao civel.
Appellante, o juizo ; appellados, a viuva e Albos
de Luiz Gomes Ferreira.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellarao ciiel.
Appellante, Jo-. Luiz de Andrade Lima ; ap-
pellado, Luiz de Albuquerque Maranbo.
Du Sr. desembargador Almeida i Albuquerque ao
Sr. desembargador Assis
yl appelhres aceis.
Appellante, Jos Benio de. Oliveira ; appellado.
Jos J.iaquim de Oliveira Piunciro.
Appellante, Joo Carlos Barbalho da Cunha
Ucha ; appellado, Antonio Jos Goncalves de Ate-
vedo.
Appi'llante. Trislao Aotunes de Aleacar ; appel-
lada, a fazenda.
O Sr.-desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Doria
As appellardes cweit.
Appellante, Francisco Alexaadre Durra; appel-
lado, Thomaz Alves Maciel.
Appellante, a viuva de Joo Vieira da Cunha ;
appellada, a fazenda.
Appellante, Joo Paes Barrete de Laceria ; ar
pellado, Manoel Ignacio de Albuquerque Mar-
nho.
Ao Sr. desembargador Lourengo Santiago.
A appellaqo civel.
Appellantes, Santos & Rolim ; appellado. Jo*
Moreira Lopes.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desanbar-
gador Santiago
!

IL E6VEL.I

.'




Diarlo 4e Pervaftifeneo segunda letra S 4e Outubro de 1R4.


A aprUaedo civeL
Appcllantes, loiio Hennques da Silva e ontro;
appellado, o Dr. Adolpho de Barros Cavalcanic ue
Lacerda. _k
DoSrvdesembareador Motto ae Sr. desembar
gador Ucha CavaTcanti
* As appellacoes crunes. .
Appellante, o juio ; appellado, Josc de souza
apellante, Manoel Joaqun, do Nascimento ,
lado, Jos Hygino de Souza pn fc
DaKaSr. desemba.-2a.l0r Doiningn da Silva
A aunellacao civet.
Appellaale, Maria do Caen .Nunes Ferrara ,
a^rem'oarJg^orPrb6a.Cava.can ao Sr.
ueseinbargador Doinmgucs da Silva
A appcllacao mine.
Apellante, Joaquun Gomes de Mello appeua-
^o slSsemhanrador Domingues da Silva ao Sr.
desembargado!- Caetano Santiago
As appellacoes ciynes-____^
NOVO BANCO
DE
PBR.1fAMBUCO
EM 1 DE OUTUBRODE 186*.
O banco desronla na presente semana a nove por
cent ao anno al o praso de quatro mezes, e a dez
por cento at o de seis mezes, faz emprestiraos
sobre ttulos commerciaes, e saca sobre o Rio de
Janeiro e Babia.
50 esixoics genebra ; a Ferreira & Lonreiro. Barca iogleza Silver traig, carregou para Li-
3 eixes de ac ; a ordem. verponl :
Gneros nacionaes. | 1,800 saceos com 9,000 arrobas de assucar mas-
i caixao famo e um livro; a Joaqun) Bernardo cavado, 2,857 ditos com 13,641 arrobas e 6 libras
Alfandega
Rendimento do dia 1...........
31:013,51^8
dos Res.
3 ditos papel pintado, 1 dito cigarros; a Palmei-
ra & Beltro.
1 dito rap ; a Goncalves & Croz.
24 rolos Tumo ; a Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo 4 C.
i caixao chapeos ; a Ferreira & Araujo.
1 caixote ditos ; a Joaquim Alves.
1 dito livros impressos; a Jos Nogueira de Abanos. ....... eento
Souza. Agurdente de cana.....caada
1 barrica tinta de escrever; a Jos de Souza Ne- dem restilada ou do reino
novliueufo da allandega
Volames entrados com fazendas...
i c com gneros.
Volames sahidos
com
com
fazendas..
gneros..
343
427
------ 770
95
600
------ 593
ves Jnior.
24 rolos fumo ;
1 caixao folies;
Amellantes, Alexaudre Ferreira Gomes e orare ,, Esc
appellado, Francisco Man.l Fernanes Moura.
Appellante, Manoel Gomes da Silva Jumoi ap
do, Manoel Ferreira da Silva.
Appellaute, Jos Alves Barbosa;
dro Semeo da Silva. .
A 1 hora da tarde, encerrou-se a ses>ao.
COMMNICADOS.
A0 publico.
Constando-nos que alguern levara ao Sr. Domin-
gos de Souza Leo o autographo de urna corres-
pondencia, dizendo-lhe que tinha sido destinada ao
aoMB, e subtraliida da typogxaphia, em que deve
ser impresso esse peridico, declaramos que ne-
nhum autographo, qualquer que elle soja, aiuda
foi levado typugraphia alguma para ser publica-
do no zumb, e que por cousequencia deve ser
considerado apocrypho todo aquelle que, como tal,! ro>
fr apresentado ; cumuindo-nos accresceular que "*LJ
nao acceitamos, era cceitaremos escripto algum, J '
a Marques Barros & Q.
a Antonio Luiz Machado.
Da Batia.
Genero estrangeiro.
8 caixas fazendas, 1 dita cha, 2 ditas cognac ; a
orden).
Gneros nacionaes.
3 fardos cora 15 arrobas e 16 libras de fumo ; a
Elpidio A. Ferreira Jacobina.
1 caixao charutos; a Antonio Jos de Faria J-
nior.
3 ditos ditos; a ordem.
Encomrnendas.
1 volume-; a Jos da Costa Maia Jnior.
1 dito ; a Marques Barros & C.
1 dito ; a Manoel Teixeira Bastos.
1 caixote ; a Francisco Prisco de Souza Paraizo.
1 encapado; ao Dr. Jos Pereira da Silva Mo-
raes.
1 dito ; a Cassiano Ladislao de Menezss.
1 cavallo ; ao coronel Fontes commandante das
armas.
Vapor nacional Persmunga, entrado dos portos
de algodao, 3,880 couros salgados e seceos cora
120,335 libras.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PHEC.0 DOS GNEROS SUiKITOS A WREITO DE
E-XPORTACAO. SEMANA DE 3 A 9 DE OUTBUO DE
1864.
Mercadorias. Unidades. Valores.
1*300
800
800
400
800
900
Dcscarregam no dia 3 de outubro.
Barca francezaSpftcrmercadorias.
Barca inglezaSerapltinaidem.
Bngue Inglez -t,eonferro e pedras.
Patacho portuguez Maria da Gloria diversos
gneros.
Patacho austraco Carita farinha e mais g-
neros.
Escuna VenezuelaErntediversos gneros.
cuna americanaFannie Lincolontaboado.
iecuna dinamarquezaAdonis farinha de trigo.
Appellante, Manoel tornes ua ou* > -' Galera inelezaWn-mojie ferro.
*%S&Xm* Gomes Jnior appel.ada, a. 9****** ~ T*m* ceblas,albos o
'"tallante, Jos Franco de Arroda ; appeUa- ^ ^ **$*#& ^ ^^ i
appellado, Pe-; consignada a Johnston Pater I guinte : Do Acarac.
O barris nianteiga; a Thomaz de Aquino Fon- IOS meios de sola ; a Joao Jos de Carvalho mo-
seca. raes.
2o ditos dita; a Sempson & C. i 12 couros salgados e 30 meios de sola ; a Jos
2i barricas soda caustica, 10 caixas enxofre, 4 de S I^eilao Jnior.
I barricas soda; a Caois & Barbosa. 14 saceos farinha, 9 ditos milho, 1 dito gomma ;
1 caixa cantharidas, 20 diUs euxofre, 1 dita lou- a D. Con.-tancia de II. Furtado.
ca para botica, 60 barricas breo, 6 ditas sal amar-. 10 ditos gomma ; a Jos Rodrigues Ferreira.
go, 3 ditas alum, 4 caixas lilbarge, 1 barrica galls, J 26 ditos dita a Palmeira & Beltro.
4 ditas azarcao, 12 ditos oleo de linhaca, 4 caixas. DoOara.
phesphoros, 1 casco lagwood, 30 barris salitre, 200) 3 caixas xaropes : a Mamede & Filho.
caixas oleo de petroleum, 3 barricas cobre, 30 bar-
ris chumbo de manicio. 4 folies de chumbo, 25
barris barrilha retinada, 25 ditos sinza de soda, 20 Cunha Magalhaes.
caixas fundos de cobr, 2 ditas follias de dito, 100 37 saceos com 345 arrobas e 18 libras de algo-
fogareiros, 1 barrica metal principe, 30 caixas li- dao ; a Domingos Henriques de Oliveira.
nha de algodao, 6 barricas canos, 355 canos de fer- j 77 saceos oom 475 arrobas e 28 libras de algo-
2 ditos curvas para os ditos, 2 fexes e 78 bar-1 dao ; a ordem.
ricas ferragens, moiahos para caf, ruda para os DeMaco.
ruos, enxadas, dobradicas, e cuteleria; a S. P. 89 couros salgadas, 1 barrica sebo, o garajaos
Johnston & C. : carne, 4 saceos com 10 arrobas e 13 libras de al-
que nao partai da retorcao. i 46 raiJ ,9 f d ,ecido de algodao j a Adam- godo ; a Cunha Irmos.
L>uraos convencidos que esseiflu, quiz ou son low. 2 garajaos cora 18 arrobas e mera de carne
diverur-se. cora as afflicoes do Sr Domingos de 34 de od- de secca Manoe, e SouM Qtrmm Pimp-a0
Souza Leao, ou fazer-lhe crer que Ihe PK nno dealgodo e hubo, tafel,e sacco de estopa de 3 ditos peixe secco; a Manoel Ribeiro da Si va.
serv.go, e por ;sto rogamos a S E^ que proceda, ^ r 62 g^, ,2 $arc0s ^ 63 arn)bas e 27 ,ibras de alg0.
asmis minuciosas in(orina{oe>, alnn de chegar folha; de #,"ndres \ dius photogem, 1 diU li- dao ; a Marcelino & C.
SS^SSe derqueese S^MS! Jfc1 ^ 6 ""-SBB a I. Pa- 26 saceos ,
miseiavel inslramenlo, que recorre a isto na es-j-n";os
peranca de alguma recompensa ; o Unto o em- ,; SphrtW1II(
penhoque temos, de que S. Ex. consiga verificar, 'MciixJK .,-, A. a 0 Bieber
que llie dizemos que nos preciemos de boa \ .? ca,xa e J* raelas c"a > a w" a u'eDer
voutade auxilia-Jo em suas iudagacoes, Podando u^f ^ ,,. .. .- lcaixa
ornecer-lhe prova incontes.aveis do que allirma-1 J^/^! g '
3 caixas tecidos de algodao ; a T. Jefferies.
3 fardos e 1 caixa tecido de linho ; a R Llght-
bownn & C.
De Natal.
4 barricas com 12 arrobas de carne ;
a Joao da
mus relalivameute a usse autographo que, para ser
verdadeiro, deve estar escripto por letra de aigum I
dos redactores desse peridico.
Desde muilo os intrigantes, que actuamente cer-
cam o Sr. Domingos de Souza Leo, e I>-m cercado (
oulros presidentes dota provincia, recorrem a es-a
lctica de prejudicarem a reputaeao de scus des-
afleicoadosH inimigos, apreentando autographos, i ""47 barrs'e'" at fmiens
que dizem Ibes tere.n sido ministrados por agentes i f 7 "iT? rodas.lediio f cai'xa f.
ou empregados de lypograpbias, um de us ja JJ. ''x.~ ^u "
**?* SSZTTJ^^LZS'Sl ^ de ** 10 barrio
cem, e por esta razo ja nao nos affllgimos com
mauejos semelhaues, ijue o lempo desfar, co-
mo tem desieito outros, admiraudo-uos suiente
que naja homeni de certa idade e de algum bom
sensa, que anda Ihes d importancia. Essa mina
foi beui explorada de 1843 a 1844 ; mas por
isto mesmo ficou esgotada. Os que uos conhecem
sabem que o nosso carcter, por demais franco,
nao es que, couvivendo com pretendidos amigos, es-
crevem ocrultamenle variedades, em que estes sao
atrozmente detraliidos, e man.lam introduzi-lss,!
durante a uoile, pu- baixo" das portas das typogra-
phias
Se dssemos credilo a ludo quanto nos 6 referi-
do por algn* desses, qjie frequeotam o palacio da
presidencia, principa mente as noiles das qum-
tas-feiras, nao conservaramos a calma, que em
4udo Isto temos mostrado : mas sabemos que esses,
que nos trazem o que nos dizem ver e ouvir, s
procuram tornarem-se recomnundados, contando
com terem por este meio uina taboa que Ihes possa
servir para atravessarera i um para oulro lado,
apenas se opere mudanca de silua^ao poltica.
Logo que priucipiou a administracao do Sr. Do-
mingos do Souza Leo, se nos communicou ter si-
do referido a S. Ex. que um de nos tinha diio,
quet'ci comeair o reinado de certa senhora, que
sempre e amia respeiumos ; entretanto, isto era
una intriga miseravel, e ento dissemos o que re-
petimos agora : as senlioras nada tem com as
nossas auieussoes polticas, e ageites que envolcnn a|g0do. de linho e chapos de sol, 10 toneladas
seus ames, mesmo com upparencias de defesa, nao
procuram sendo expo-las critica.
Nunca nos persuadimos que tomasse tanto
vulto um peridico, que s existe cm annuncios.
Isto moslra gufflcieolemeoie a falla de senso dos
pretendidos amigos c admiradores do Sr. Domin-
gos de Souza Leao, que sao os primeiros a forne-
cerem thema, para que se escreva contra sua ad-
ministracao, e mais se empeuham pelo appareci-
mento do zomk I Nao o que nesse perodigo se
possa dizer do Sr. Domingos de Souza Leao, que
afOige esses, que o cercaon ; mas sin) o estarem
perdendo o equilibrio na corda bamba da liga, em
principalmente depois das
dao ; a Joao P. de S. Barrote.
4 saceos com.21 arrobas e 10 libras de algodao,
7 garajaos com 60 arrobas de carne, 1 dito com 1
fardos (ecdos de algodao, e de dito e linho; a arroba de sebo, 32 couros salgados; a ordem.
26 meios de sola ; a Jos Luccas Soares Rapozo
daC *
1 garajo carne e queijos ; a Jos dos Santos
Neves. ^
Escuna veuezuela Ernte, entrada de HambdTgo,
consignada a Manoel Joaquim Ramos & Genros,
manifestou o segrate :
1 caixa instrumentos de msica, 6 fardos ca-
34 fardos e 9 caixas tecidos de algodao e linha de \ deiras de vime, 20 caixas telhas de vidro, 1 dita
to; a Patn Nash & C | pesos; a Rothe & Bidoulac.
20 fardos e 9 caixas tecido de algodao; a Anto- j 12 barricas alvaiade, 2 saceos drogas ; a eWem.
nio Valenhm da Silva Barroca. 2 caixas vidros de espelhos, 1 dita dedaes, Bdi-
2 correnles de tas pedra de louza, 1 dita cordas de guitarra, 2
folhas deFlan-l ditas bezerros, 25 ditas vdros; a S. P. JohSton
& C.
cas ferragens ; I l caixa mantelletes de seda, 4 ditas fazendatde_
I algodao e 1 pacolinho amostras ; a Schafnftln
a Soutball Mellors fi C.
3 caixas fazendas de algodao, 12 ditas meiaude
dito, ditas conservas, 1 embrulho amostra a
Linden Wiid & C.
l caixa junco e 360 barras de ferro a.Brender
a Brandis. __.. j
30 barricas braeo e licc-Or EU. Burle
&C \
12 ditas, diio dito, 3 caixas fazendas d. vidro:
a Joao da Silva Faria. .
5 caixas quinquilharias, 7 ditas papel, 2 -t1**.
perfumaras, 1 dita meias de algodao ; a/ Josij A.
M. Das. '..
1 tai** canas para-upar, 1*/ uarncase <|"-r
queiras geuebra, 6 caixas espelhos de gaveta,
ditas fazendas de barro, 100 ditas velas de compo-
sicao, 8 ditas pedras de louza para escrever, 1 di-
tlesouras, 1 dita fazendas de metal, 1 caixa li-
vros; a ParenteVianna.
13 caixas fazendas de algodao, 1 dita amostras;
a Carneiro & Nogueira.
1 caixa fazendas de laa, 1 dita amostras ; a Al-
ves llamburger &C.
10 barricas alvaiade, 4 caixas cores seccas, 7 di-
tas bonecas, 6 ditas pedias de louza para escrever,
1 dita bolas de pedra, 3 ditas brinquedos, 1 masso
creoes, 8 caixas vidros, 6 ditas sabonetes, 1 fardo
roilias, 2 bailas brinquedos, 1 dita terragens, 12
ditas conservas, 3 ditas finetas, 3 ditas amostras,
1 caixa pennas de ac, 1 dita copiador, etc., 4 di-
tas quinquilharias, 90 volnmes com 100 pegas de
cabos de linho, 1 caixa tinla para escrever, 30 bar-
ricas e 78 frasquelras genebra; a Manoel Joaquim
R. e Silva. & Genros.
Patacho nacional D. /.'":, entrado da Babia,
consignado a Palmeira & Beltro, manifeslou o
dem caxaca.
dem genebra.......
dem alcool eu espinto de agua-
ardente.....,
Algodao em careco..... arroba 54873
dem em rama ou cm laa. 235300
Arroz com casca....... 1500
dem descascado ou pilado t 2iS800
Assucar mascavado..... t 25700
dem branco........ 45400
dem retinado........ 35120
Azeite de amendokn ou mendo-
biui......... casada 25000
dem de coco....... 15600
dem de mamona / 800
Batatas alimenticias..... arroba 15200
Bolacha ordinaria, propria para
embarque ....... 35000
dem fina......... 75000
Caf bom........ 85000
dem escolha ou restolho ... "5000
dem torrado....... libra 440
Caibros......... um 360
Cal........... arroba 280
dem branca....... 500
Carne secca (xarque)..... 35200
Carneiros........ um 45000
Carvao vegetal...... arroba 15000
Cavernas de sicupira .... urna 85000
Cera de carnauba m bruto. libra 250
dem idem em velas .... > 300
Cha........... 15500
Chai-utos........ cento 25500
Cevados (porcos). ..... um 155000
Cocos (seceos)....... cento 45008
Colla......... bra 600
Couros de boi, salgados ... 165
dem idem seceos espichados. 240
dem idem verdes..... 100
Idem idem cabra eortidos. um 350
dem idem de onca..... 105000
Doces seceos....... libra 15000
dem em gela ou massa. 320
dem em calda...... 500
Espanadores grandes .... um 45000
dem pequeos....... 25000
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional...... arroba
Farinha de de mandioca. alqueirc
dem de araruta..... arroba
Feijae de qualquer qudlidade.
Frechaes........ um
Fumo em tulla, bora .... arroba
dem ordinario ou. restolho
dem em rolo bom.......
dem ordinario ou restolho >
Calimbas........ urna
Gomma......... arroba
Ipecacuanlia (raiz)......
Lenha em achas...... cento
Toros..........
Linhas e esteios.......um
Mel ou uelaco....... caada
Milho.......... arroba
Papagaios....... um
dicidade......................
2001o do consumo desurdente .
imposto de 12 por cima sobre
diversos estaDt>lecimentos .
80|0fobre consultorios mdicos
eescriptorios........#......
10 por cento sobre o'planiio do
.espito.............
Diio de 5 0|0 sobre os premios
minores das Iniena* ..........
Restituicocs erepos(5es......
Imposto sobre carro*, oronibu*,
carrosas e vehculos........
Bmnlamfn'o ii* pulirla.....
505 sobre chapeos estrangeiros c
roupa etc....................
Imposto de corrector e agente de
lcilao...............
dem de 3005 sobre companhias
anonymas e agencias.......
Multas da decima emais impostos.
6515384
3:6405000
8:1305313
2835200
2635000,
1:9505000
1305380
1,2945000
45800
I
1,3005000
5005000
2:1005000
1985673
103:7435981
quintal
um
urna
a Saunders Brothers & C.
2 caixas lencos de algodao
&C
1 barrica cutileria : a Maia Lobo 4 C.
22 caixas e 7 fardos tecidos de algodao, de laa,
de linho, objectos de seleiro, e linha de algodao ; a
Southall Mellors.
50 barricas e. 1 fardo tecido de Ijnho ; a lzidoro
Nelto & C
9 fardos tecido de algodao, dito de laa e algodao;
a Phjpps Brutber & C.
1 caixa miudezas ; a Alves c C.
5 gigs objectos de armacao; a Alves llambur-
ger AL.
15 barricas louoa, C barris vinho, 10 ditos oleo
de buhaca, 0 caixas tecido de. algodao ; a ordem.
7 fardos e 1 caixa tecido de algodao ; a A. C. de
Abreu.
1 caixa tecido de laa e algodao ; a L. Antonio de
Siqueira. *-^
5 caixas tecido de linho e dito de algodao; a Joao
Keller&C. \
22 caixas e 12 fardes tecido de algodao; a J. ny-
der & C. ,
1 caixa tecido de laa e algodao ; a M. Alcofo-
rado.
16 caixas e 32 fardos tecido ^e algodao, dito de
linho e lonas; a J. A. de Araujo..
Brigue inglez jan, entrado de Liverpool consig-
nado a Mills Lathara a C, manifeslou o segrate :
2 caixas selins, 73 ditas e 83 fardos tecidos de
ou
molho
cento
carvao de pedra ; aos consignatarios.
12 caixas tecido de algodao, 3 ditas machinismo;
a R. Liphtbownn & C.
10 fardos tecido de algodao, 2 barricas ferragens:
a Rabe Sebamciau V C
9 caixas tecido de algodao, 1 fardo cobertores de! seguirte :
laa : a Linden Wild & C.
1 fardo tecido de algodao ; a Schafheitlm & C.
I caixa lecido elstico para calcado; a S. T. Bas-
tos & Irmo,
5 caixas chapeos de palha, 3 ditas tecido de al-
godoe linho de diio ; a Alves llamburger & ('..
24 fardos e 7 caixas tecido de algodao e imho e
linhas, 110 barricas cerveja ; a Ferreira & Araujo. |
26 caixas e 1 f>rdo tecido de algodao, 2 barricas
Pao Brasil
dem de jangad?.. ...
Pedras de amolar ...
dem de filtrar ....
dem de rebolo ....
Piassava.......
Pontas, ou chifres de vaccas
novilhos........
Planchees de amarcllo de dous
costados........um
Idem de louro....... >
Rap..........libra
Sanad...........
Sal..........alqueire
Salsa panilha. ....... arroba
Sebo em rama. ...*..
dem era velas. ....... 1
Sola em vaqueta......urna
155O00
15600
25000
4500
15800
55OOO
145000
85300
8oeo
55000
600
25300
255000
25000
115000
85000
240
900
.'15000
55000
350OO
800
45000
15000
120
35500
duzia
quintal
urna
Cento
205000
105000
15OOO
120
400
255000
.-5000
75000
25*00
1405000
805000
2(SOVI
65000
200
10500
caada
65000
300
1 de c utubro de
TabOAS de amarcllo.
dem diversas......
Tai-- ""
Tatajuba........
Travs ........
linhas de boi......
Vassouras de piassava. .
Ditas de timb.....
Ditas de carnauba ....
Vinagre........,
Allandega de Pernambuco,
1864.
(Assignados):
O 1." confereute, Joaquim Aurelio Wanderley.
0 2." conferente, Joao de Freitas Barbosa.
Approvo. Allandega de Pernambuco, 24 de
setembro de 1864.A. Eulaho.
Conforme. -O 3. escriplurano, Joao dos Sanios
Porto.
Recebedorla de rendas Internas
gerae de Pernambuco.
Rendimento do dia 1............ 6215068
Mesa do consulado provincial, Io de outubro
de 1864.
O 3o escriptnrario,
Pedro Seraio da Silva Braga.
PRAQA DO RECITE
1 DE OITCBRO BE 1804.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambio........ Saccou-se sobre Londres a 27 V i
27 >/ 27 1/1 d. por 15000,
sobre Paris e 343 a 346 rs.
por fr. e sobre Lisboa de 90 a]
98 por cento de premio, elevan-
do-se os saques effectuados du
rante a semana a 130,000 e
rs. 500.000. 1
Algodao........O de Pernambuco, antes da che-
gada do paquete inglez vendeu-
se da 275000 a 275300 por ar-1
roba, e depois do 225000 a 245;
o do Macei, posto a bordo, al
a chegada do vapor a 285000, e |
o da Parahyba, tamben antes
da chegada do vapor a 285800 e j
depois a 255500.
Agurdente.....Vendeu-sede 735000 a805OO0
a pipa.
Couros.........Gs seceos salgados venderam-se
a 165 rs. por libra.
Arroz..........O pilado da India vendeu-se
de 25400 a 25500 por arroba, e
o do Maranho de 25800 a 35-
Azeite doce..... Vendeu-se o de Lisboa a 25700
o galn.
Bacalhao.......Vendeu-se cm atacado a 145500
por barrica, e a retalho de ris
145300 a 155000, cando em
deposito 1,000 barricas.
Venderam-se a 800 rs. a arroba.
Vendeu-se a 35800 a barriqui-
nha. ^^
Caf...........Vendeo-se de 75000 a 75*00 a
arroba.
Cha............ dem de 15800 a 25300 a libra.
Carne secca.....A do Ro-Grande do Sul vendeu-
se de 25200 a 354OO por arro-
ba, Brando em depesito 181,000
arrobas, e a do Rio da Prala de
25400 a 35008; ficando era de-
posito 16,000 arrobas.
Louca..........A ingleza ordinaria vendeu-se
com 320 por cento de premio so-
bre a factura.
Manteiga.......A ingleza vndense ds 8J0 a
900 rs.a libra, e a franceza de
550 a 560 ris.
Massas......... Venderam-se a 75000 a caixa.
Passas.......... Venderam-se a 75500 a caixa.
Queijos.........Os flamengos venderam-se a
25300 cada um.
Sabao..........O inglez vendeu-se a 140 rs. a
Touciulio.......Vendeu-se o de Lisboa a 85200
a arroba.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 1005
a 1165 apipa.
Vinlios.........Os de Portugal venderam-se de
1805000 a 2OO5OOO a pipa, e os
de outros paizes de 1855000 a
1905000.
Velas.......... As de composieao venderam-se
a 300 rs. o paeote de st is velas.
Descont.......O rebate de letlras regulou de 8
Jr a 10 por cento ao anno.
Fret^^r Para Limn-panl V, P" l'r
Batatas......
Bolachinha...
MQYIMENTQ DO POSTO.
que se aventuraran, ,
ultimas noticias, que tem viudo da corle. E' ada-
gio antigo quea raposa tanto faz na semana que ouras fe |ato,~l caixa candieros "de vidro, 30iar-
no domingo nao vai fasta assim como e uina rcas breu a Xhomaz Jeficries.
verdade reconhecida pela experiencia queos par-; 27 fardos e 2i caxas teoido de linho, dito de al-
udos muito ganhain na adversidade com a leser- g0do, e chapeos le seda; a Tb Christiansen.
causara mais erubaracos no da da victoria do que
as bagagens as retiradas precipitadas.
Nao tardara mu'lo que o Sr. Domingas de Souza [
Leo se convenga de que est sorvindo de joguele
nesse baile de mascaras, nu que se acha.
Os redactores do Zome.
PUBLICARES A PEDIDO.
Salsa parrilba de firistoL
A salsa parrilba de Bristol: os climas dos paizes
trpicos sao o laboratorio de todas as enfermidades
1 caixa lioha de algodao, 72 chapas para fogao
e 3 barricas lampos e ferragem; a Henrique &
Azevedo.
2 caixas lecido de laa e algodao ; a Joao Keller
&C.
4 fardos tecido de algodao ; a D. P. Wild.
4 barricas ferragens; a Mello Lobo & C.
4 caixas e 1 fardo tecido de algodao ; a Carneiro
& Nogueira.
13 caixas tecido de algodao e pctos de linho; a
A. C. de Abreu.
6 caixas conservas, raostarda e molho, 2 barricas
presuntos; R. B. Lasserre.
12 lardos e 8 caixas tecido de algodao, 3 ditas
chapeos de feltro, 25 barricas cerveja ; a Deoker&
Barroso.
32 fardos e 2 caixas tecido de linho e de algodao,
As escrfulas em todas
proraptamente suecumbem mediante a appIicaQo
deste poderoso agente detersivo, as chagas se cu-
ram, as erupc5es desapparecem, as conjuncturas
contrahldas recobram sua elasticidade, as inflam
tnacoes e tumores se desvanecen), os cancros se
allivia por meio da salutfera operago deste gran-
dpunficador e curativo vegeta'; nao supprimiudo,
nas .-im extnguindo completamente.
A verdadera salsa de Bristol preparada por Lam-^
oan A Kemp, Nnva-York, e arha-s venda as
lajas de Caors de Barbosa e de Bravo it C
C0MME1CI0.
HOVO BiMlO M PERSUIBWX
O boyo blico p-'ga o 13 dividen
u razo de 8$000 per aciao.
PBAt; 4 DO RECIPE
1 de uutubro de 1804.
Algoio da Parahiba835*00 por arroba posto a
bordo com i|4 de 2* ordemi.
Dubourcq Jnior, .presidente.
Guimares, {ecretario.
:uas terriveis f'rmas' ** voluuies Pre8s. dobradicas, enxadas, ferragens
s e cutiler.a, 400 fogareiros, 30 pesos, 20 chapeos
para fogo; a Jos A. M. Das.
400 barricas cimento, 1 barril tinta, 1 caixa dita
em oleo, 4 voluntes oleo de linhaca e 87 peras
de ferro para a ponte do Recife; ao baro do Li-
vramento.
Hiaie nacional Nicolao I, entrado do Aracaly,
con-iynado a Prente Vianna & C, manifestou o
segu ule:
k 81) caixas com 129 arrobas e 24 libras de velas
de carnauba, 92 moihoscom 1,840 pelles de cabra,
8 saceos com 36 arrobas e 21 libras de algodao;
aos consignatarios.
2 saceos com 8 arrobas e 26 libras de algodao;
a Jos de S Leito Jnior.
37 couros espichados e 162 ditos salgados com
121 arrobas e 16 libras; a Francisco Gomes de
Maitos.
539 meios de sola, 88 molhos cora 1,760 eouri-
nhos, 5 caixas com 209 libras e meia de velas de
carnauba; a ordem.
Vapor nacional Oyapoel; entrado dos portos do
sul, manifestou o seguinte :
* Do Rio de Janeiro.
Gneros estrangeiros ja despachados para con-
sumo.
100 caixas massas ; a Palmeira & Beltro.
1 caixote chapeos ; a Joaquim Alves.
1 dito medicamentos ; a Theodoro Christiansem.
350 tubos de cobre ; a ccrapanhia Pernambu-
cana.
Mercadorias reexportadas.
10 caixas papel para cigarro, 2 ditas e 6 fardos
madapolao, 5 ditos lecido de linho para veame, 4
ditos panno de algodao cru ; a omem.
Mercadoria estrangeira ja despachada para
consumo.
1 fardo chales de renda; a Linden Wild & C-
3 caixas mercadorias estrangeira; a F. Monhard
&C.
1 caixao agulhas; a Manoel M. dos Rios.
5 fardos lonas; a J. Pater & C.
120 barricas cerveja; a Heury Broad.
1 pipa lirio florentino; a Mfuron & C.
1 caixao charutos; a Jos Maia de Azevedo.
52 barricas e 19 caixas cerveja, 1 dita licores, 1
fardo linha barquinha; a ordem.
1 caixao charuios; a Jo.- Maia de Azevedo.
20 fardos fumo; a Jos Vicente de Lima.
8 pipas fumo moido; a Meuron & C.
40 saceos moeda de cobre: a James Ryder
& C.
50 saceos caf, 493 caxinhas e 10 caixSes charu-
tos; a Palmeira & Beltro.
100 fardos pauno de algodao, 20 ditos fumo, 100
molhos piassava, 11 barris azeite de pene, 74 sac-
eos farinha de man lioca, 4 mecas colla, 86 saceos
caf, 30 volumes charuios; a ordem.
Escuna americana Fanne Lencoln, entrada de
Boston consignada a Henry Forster & C, manifes-
tou o seguinte :
2,900 barricas farinha de trigo, 11,530 ps de
taboado; aos mesmos.
Polaca hespanhola Venturita, entrada de Barce-
lona, consignada a J. Pater & C, manifestou o
seguinte:
220 pipas 10 meias, 119 quintos c 121 decimos
de vinho tinto; aos mesmos.
3 caixas papel para cigarros; a Joaquim B. dos
Reis.
S ditas dito; a ordem.
150 quintacs de ceblas agranel, 400 cextos com
batatas, 400 resteas de albos, e 10 barricas alpis-
te ; ao caplto da mesma i) Gerardo.
Hiate nacional Santa Rita, entrado do Ass,
consignado a Tasso Irmos, manifestou o so
guinte:
200 molhos de palbas de carnauba e 212 alquei-
res de sal; a ordem. .
Lancha nacional Flor do Rui-Grande do Norte,
entrada do Ass, consignada a Vicente Joao da
Costa, manifestou o seguinte :
300 alqueires de sal; a ordem.
Exportado.
Patacho inglez Mary Blooek, carregon para Glas
gow :
980 sarcos com 4,900 arrobas de assncar mas-
cavado, 636 ditos com 2,947 arrobas e 16 libras de
algodao.
Barca ingleza Im gene, arregou para Liver-
pool:
2,100 saceos com 10,500 arrobas de assucar mas-
cavado, 1,315 ditos cura 6,886 arrobas de algodao,
1,086 couros salgados e seceos com 32,011 libras.
RENDIMENTO DA RECEBBDORIA DR RENDAS
INTERNAS 6ERAES DE PE11NAMBUCO 1)0
MEZ DE SETEMBRO, A SABER :
Rendada typographanacional. 25000
Foros de terrenos de marmita.. 5800
siza dos bensde raiz............. 8:9825796
Decima addicional das corpora-
ees de mo mora............. 2355800
DirVilos hoyos e veibos e de
chancellara.................... 4515468
Oilos de paleles dos ofDciaes da
guarda nacional................ 1145000
Biiima de chancellara........... 3015194
Multa por infraccoes do regula-
monto......................... 3145794
Sello do papel fixo................ 4:1125860
Dilodo proporcional............. 8:52451107
Premios dos depsitos pblicos... I:07l5i08
Emolumentos................. 2855500
imposto sobre lojas e casas de
desconlos........... 5:4155260
Dito sobre casas de movis, rou-
pas, etc. fabricados em paiz es-
trangeiro....... ..... 2OO50OO
Toxa de esclavos......... 4643000
Cobranza da divida activa 3475308
indemnisac.5es........... 505300
Deposito de diversas origens..... 785668
30:9535163
Recebedoria de Pernambuco, 30 de sejembro
de 1864
O escrivo,
Manoel Antonio Simes da Amoral.
Navios sahidos no dia 1".
AracatvHiate brasileiro Santa Auna, capito An-
tonio Joaquim Alves, carga fazendas e outros
gneros.
New-York Patacho brasiteiro Jaboutao. capilao
Jos Adilino Carneiro da Cunha, carga algodao
e outro gneros.
Obsenacao.
Nao houveram entradas.
Narios sabidos no dia 2.
Cabo-Verdo Hiate portuguez Dezenovede Julko,
capito Joao Lou'rence, em lastro.
BabiaBarca bremense Hremerim, capito .'ackens.
em lastro.
Obserraeo.
Fundeou no lamaro urna barca italiana com a
bandeira meio pao, mas nao teve conimunicao
com a trra.
Nao houveram entradas.
EDITAES.
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1
7385531
KEN1MENTO DA MESA DI) CONSULADO PRO.
V1NC1AL EM O MEZ DE SETEMBRO DE 1864,
A SABER :
Direitos de 90 rs. por {$ do as-
quear exportado ........ 3:7825016
Dito de 20 rs. por caada 'agur-
denlo, etc...................... 1,0275190
dem de 30 rs. sobre caada d'al-
cool........................ 5630
Dito 3 Oln idem do algodao expor-
tado .............. 37:6395845
Dito de7 Olo'lo mcl....... 45213
Dito de 8 por ceoto de couros
seceos, verdes e espichados... 3:1295711
dem idem de 5 idem dos mais
gneros exportados....... 8195487
Decima dos predios urbanos 29:3795079
209 rs. por meia siza de es-
cravos............. 3:0805000
10 por cenlo de novos o velhos di-
reitos dos empregados provin-
ciaes............... 4375065
505 rs. sobro escravos exportados. 2:1005000
10 OO sobre producto de cada le-
lo.......!................. 3615056
Sello de herancase legados.. 1:4885440
liiu"'io oe 4 pot cent-i s lite di-
tersos esubeleciaeotos fr*
O Dr. Hermogenes Scrates Tavares de Vasconcel-'
los, juiz municipal da 1" vara da cidade do Re- i
cite de Pernambuco por S. M. o Imperador, que
Dos guarde, etc.
Fago saber a quem inleressar possa, que em
virtude de ordem da presidencia lenho convocado 1
o conselho municipal de recurso aflm de tomar co-
nhecimento das reclamaeoes que por ventura le-
nham sido desatindalas pela junta revisor* de
qualificacao da frepuezia do Poco da Panella, se
adiando para esse flm designado o dia 10 de outu-
bro prximo fnturo, pelas 11 horas da manha, no
paeo da cmara municipal dcsta cidade.
Dado epassado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 28 de setembro de 1864.
En Joao Saraiva de Araujo Galvo, escrivo o
escrevi.
Por esta secretara se faz publico, de ordem
do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, que casa de de-
lenco desta cidade acha-se recolhido o preto Mar-
cimiro que esta repartigo foi remetlido pelo
delegado de polica do termo de Pao d'Alho, onde
foi preso no dia 15 de julho ultimo, como fgido,
declarando nessa occasiao ser escravo de um F.
Medeiros, morador na ra de Santa Bita, ao qual
isto se faz constar, alim de que solicite a entrega
do mesmo preto, mediante documento comprobato-
rio de seu dominio legal, pagas as despezas fetas
com a sua alimentado.
Secretaria da polica de Pernambuco Io de ou-
tubro de 1864. secretario,
Eduardo de Barros Falco de Lacerda.
DEGLAR1C0ES.
Cmara municipal do liedle.
O abaxo assignado, procurador da cmara mu-
nicipal desta ci-lade, faz publiro para conhecimen-
to das irmandades, confrarias e ordens religiosas,
que tem catacumbas no cemilerio publico desta
cidade, (cuja concesso do termo foi gratuita) ojie
pelo arl. 44 cap. 3* da lei municipal n. 5w7 de 13
de maio do corrente anno, foi elevada a 105000 a
taxa de 65 que pagaro, em virtude do art. 83 do
regulamenlo do mesmo cemilerio, tondo comeco
essa differenca do Io de outubro prximo futuro.
Jorge Victor Ferreira Lopes.
Conselho ailruiaislrativo.
O con.elbo administrativo para fomecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguintes:
Para a pharmacia do presidio de Fernando.
6 vidros, agua de colonia.
6 garrafas, dita de flores de larangeira.
12 dilas, dita ingleza.
6 lloras, acido ctrico.
2 dilas, dito tartrico.
24 borrachas vulcanizadas de %
24 ditos ditas de 1 e 7,
SO calzas, capsulas de oleo de bacalbo.
20 ditas, ditos de dito de eopahiba.
8 eneas, carbonato de amntooiaeo.
4 libras, dito de magnesia.
4 ditas, cabecas de ppenla*.
20 garrafas, cerveja preto medicinal.
8 libras, choro liquido.
1 dita, chlorato de soda.
2 ditas, canella.
2 ditos, cocheara.
2 dilas, cicuta.
8 ditas, cipo de chumbo.
8 oncas, essenria de alecrn).
4 libras, extracto de alcassds.
4 oncas, dito de fumaria.
8 ditas, dito de ipecacuanba.
2 libras, llores de tmrragem.
8 dilas, dilas de sabugueiro.
1 onca, hypo sulphao de soda.
2 dilas, kermus mineral.
4 libras, Muinendro.
16 ditos, oleo de amendoas doces.
8 garrafas, dito de ligado de bacalbo.
1 libra, dito espesso de nz-rnoscada.
i onca, dito essencial de arruda.
24 vidros, dito de mastroco.
1 onca, dito es>encial de sabina.
20 vidros, paslillias de Ktmps.
2 meas, proto iodurelo de mercoriov
20 caixas, pilulas de veame.
1 libra, quassia.
2 ditas, sabina.
20 vidros, salsa de Bristol.
32 libras, dita parrilha.
200 sanguesugas.
6 sengas de vidro.
8 libras, sulfato de soda.
4 ditas, tarirato de potassa e soda
4 oncas, turbetho mineral.
12 vidros, xarope de Forget.
12 garrafas, dito de espargo.
20 vidros, diio de Rafa,
24 garrafas, dito alcoolico de veame
pelo pharmaceotico Paranhos. I
Quem quizer vender taes artigos aprestas* 1
propostos em caria fechada na secretor o> em
Iho administrativo as 10 horas da manba 4
de outubro vindouro.
Sala das sessoes do conselho admiaistraln 1
fomecimento do arsenal de guerra, 27 de seSesfcf
de 1864.
Antonio Pedro de S Barrttt,
Coronel presidente.
Sronwio Jos Bast* Pmrrh,
Vogal secretorio interino.
Conselho a-innuilrali>.
0 conselho administrativo para foroedme* do
arsenal de guerra tem de comprar os oftjeetts>
seguintes:
Para o presidio de Fernando.
30 arrobas de plvora.
Para o 7a batolho de infamara
50 bonets redondos sem palla.
Para o commando das arraa-
3 jarras de barro com lampa.
12 qnartinbas.
1 copo de vidro.
3 ditos de vidro lapidados.
1 bacia de louea.
1 globo de vidro.
3 oorines de lou^a.
2 lanternas ou mangas de Tidro.
6 escarradeiras de lato.
1 caslical de lata*.
1 bandeja pequea de folha.
3 fechaduras com chaves para gaveta.
Quem quizer vender taes artigos aprsenle safe
proposias em carta fechada na secretaria o cease-
Iho administrativo s 10 horas da manha do ate
de outubro vindouro.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fomecimento do arsenal de guerra, 0 de seterntre
de 1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
(ktronel presideoie
Sebastulo Jos Basilio Bfrrl*.
Vogal secretorio interino.
Gonselhn administrativa.
O conselho administrativo para forneciSMOle v
arsenal de guerra tem de comprar os objecto se-
grales :
Para a pharmacia do hospital militar de Penan-
buco.
10 arrobas assucar refinado fino.
2 ditos de dito mascavado de primeira jorte.
2 libras de dito Candi.
8 dilas acido ctrico crystalisado.
[ 12 vdros apeul.
4 libras alvaiade de chombo.
50 garrafas aleool de 36 graos, de libra e rns
1 cada urna.
24 garrafas agoa rosada destilada
i 2 libras ame i xas.
2 ditas amendoas doces.
1 dila ditas amargas.
16 dilas alinea franceza.
1/2 onea aconetino.
2 libras balsamo froravantc
i dita de diio de ronceen).
8 iaas bicarbonato de soda.
4 oitavas brucna.
1 libra colomelanos.
16 dilas carbonato de potassa.
24 dilas chocolate de musgo eslaudico
4 ditas cantharidas em p.
24 dilas culifi-ilos de cupahiba e culebina
12 vidros creosoto chloroforicisado de ty* ca
da um.
24 caixas capsulas de oleo de cupahiba
24 ditas de ditas de cupahiba e eobebas.
24 ditas de ditas de oleo de Ggado de taanfJa
24 ditas de ditas de cator.
1 onca carioreo.
8 oncas chlorato de potassa.
1 arroba cevaila.
8 oncas extracto de salsa parrilba.
4 ditas de dito de zhuiliarbo.
8 dilas de dito de caroba.
8 ditas de dito de memuondro.
8 dilas de dito de dulcamaras.
4 ditas de dilode quinas.
8 ditas de dito de genciana.
4 dilas de dito de ucula.
4 libras emplastro de ciento.
12 ditas Dores deenxofre.
2 ditas de ditas de rosas.
12 dius de ditas de sabugueiro.
2 dilas de ditas de borragens.
4 11 itas gomma arbica cm p.
2 arrobas de dila intuir.
8 oncas iodurelo de chumbo.
2 libras de dito de polassio.
1 dita ipecacuanba em p.
2 ditas incens.
2 ditas jalapa em p.
4 mica- kurro pulverisado.
64 libras linbaca.
12 garrafas de l'roy francez de 8 oncas cada ansa
2 libras lauduno de Sedenham.
8 ditas musgo islndico.
8 ditas macella galega.
1 dila manteiga de cacan.
2 ditas mercurio doce.
2 oncas nitrato de praia fundido.
20 libras oleo de ligado de baralhao
12 vidros oleo de ligado de bacalbo
to de ferro de libra rada um.
4 oncas oleo de cupahiba laleris.
i libra oleo de cades
2 arrobas oleo de ricino.
8 onca- oleo de belladona.
4 libras pastos de jujuba.
12 caixas pastilhas de Na fe.
24 vidros pasiilha de Vlcby de */ cada 1
12 ditos p-. do ruge.
1 libra pos de joanues.
1 libra perellnrineto de ferio.
12 vidros grandes de prompto alivio.
50 vidros de pilulas de Vale!, de X psala ca-
da um.
24 caixas pilulas de Dbante.
2 libras quina era p.
2 dita dita inleira.
12 garrafas rob de Lealfecloer.
12 vidros sulfato de quininode >/ <
1 libra sal de chombo.
6 oncas tintura de eairobim.
6 vidros vomitorio de l'roy (ranees.
50 garrafas viubo linio de f
50 dius de dito Porto tino.
24 ditos de dito veremuth, de 2 libra* 1
24 ditos xarope peiloral inglez, ae 1
ama. _..
12 ditos d dito rbano iodnrado da i han
da um.
12 ditos de dito duelo iodurelo iodui es a I
humel, de 1 libra rada urna.
12 ditos de dito de Guv, de 2 libra cada na.
h.


MUllLDiQl
.
.




DUrlo de rerHAfikOM Segunda fr Ira 3 de Outubro ce 1844.
?
24 vidros de dito lactato da (erro de boral, de li-
bra cada ura.
UI 3 aremetro de cortar.
i dito para xarope.
2 libras barbante fino.
12 brralas gakaoisadas de >-/<
10 gruzas do caixas para pilulas fraucezas de di-
ereotes capacidades.
24 coadores de linho, de Vj vr* cada um.
4 copos de vidros para agua.de meia garrafa.
1 caivete pequeo.
t ctela*.
4 caderas de paimha.
100 folhetos para opodeklocli.
1 formulario de Burcbard, d ultima ediccao
Douwanili officina de pbarmaeia.
1 har lacre Gno.
1 mesa debis palmos de comprimento forrada
de baeta e nvernsada.
2 libras nevellos de diversas cores.
1 caixa penas de ac.
2 resmas papel pautado.
4 ditas de ditos azul para embrulho.
8 mos de ditos marca grande de cores diversas.
4 ditas de ditos para filtro.
2 pellespelica.
1 thesoora grande.
1 eserivaninha de lato.
500 tarjas para vidro dourados de diversos ta-
anhos.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do iia 3 do ou-
tubro.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 27 de setembro
de 1864.
Antonio Pedn de S Barreta,
Coronel-presidente.
Sebastio Jos Basilio Pyrrho,
Yoga I secretario.
Conselho de compras uuvaes.
O conselho promove no da 5 do correte mez,
vista de propostas entregues ata s 11 horas da
manhaa, a compra do seguinte :
100 pecas de merliin, 30 chapeos de oleado
14S cavados de damasco de seda verde, 50 esgun-
chos, 1,000 fnicas de rede, 20 la memas de pa-
tente, 20 arrobas de mialhar branco, 1,000 libras
de pregos de zinco, 100 saceos proprios para con-
duccio de carvo de pedra, 600 sapatilhos diver-
sos, 6 duzias de taboas de assoalhos de amarello
ou vinhalico de 38 palmos limpos de comprimonto,
10 duzias de tatas de costado de amarello de 8
a 30 palmos de cemprimento, 10 duzias de taboas
de costadinlio de amarello de 28 a 31 palmos de
comprimento, 20 duzias de taboas de assoalho de
amarello ou vinhalico, potumoj, ou arariba de
3 > pollegadas de grossura e nao menos de 30
ps de comprimento, e 40 duzias de taboas ditas
de 5 pollegadas de grossura e nao menos de 35
ps de comprimento.
Sao sujeitos os que venderem estes objectos
multa de 10 por cento, pela demora na entrega
dellcs, e de 20 por cenio se forem de m qualida-
de, ou nao fizerem effectiva venda.
Sala do conselho de compras navaes, 1. de ou-
tubro de 1864.
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Secretario.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguintes:
Para provimento do arsenal.
50 pelles de lustre.
Para o laboratorio.
18 arrobas, salitre calcinado.
10 ditas, enxofre.
6 ditas, plvora.
lo resmas, papel cartiio de frmalo grande.
>, arroba, gomma laca.
H caadas, alcooi de 36 graos.
1 arroba gomma do mandioca.
4 libras, pedra-ume.
1 geral grande de pedra trilraar.
1 reloglo de pan-de.
1 lavatorio de ferro com bada e jarro.
Quem quizer vender taes artigos aprsenle suas
propostas em carta fechada na secretaria do conse-
jo administrativo s 10 horas da manhaa do da 7
do oulubro viVidouro.
Sala das sessit:s do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 27 de setembro
de 1864
Antonio Pedro de & Brrelo,
Coronel presidente.
SeiinstirT-p Joa Bueilio Pyrrho,
Yogal'.secretario interino.
__ No dia "> do correte mez de oulubro, depois
da audiencia do Sr. r.: juiz municipal da 2" vara
desta cidade se bao de/ arrematar 10 cadeiras de
amarello com asseoto *le palbinha, 2 ditas de bra-
cos, 2 consolos, l sof/, meia coinmoda, 1 relogio,
4 1 par de laiite.rnas de vidro, por execucao de
Luiza Mara de Objfelra contra Luiz Antonio Bel-
looca. a ultima praca.
De ordem dolllm. Sr. inspeclor da thesoora-
ria de fazeoda desta provincia se faz publico para
conheclinento dos ioteressados, que o tribunal do
ttiesouro era ordem n. 131 de II do expirante mez
.uitorisou o pagamento de dividas de exercicios
dados, cuios credores sao os seguintes:
NOMES:
Francisco Manoel Maciel.
Lniz Jacques Bounet
Praocisco Xavier dos Santos.
Antonio Joiquim Panasco.
Joo Htrcano Alvos Maciel.
Guimares hveira.
j'oo Antonio Pinbeiro.
Jos Bernardo Michiles.
Jos Pereira Teixeira.
Manoel Gardoso de Souza.
Albino Jos de Faria.
Alexandre Macedo do Passos.
Antonio Luiz Duarle Nunes.
Uernardmo de Senna.
Francisco Alexandre Dornellas.
Francisco de Souza Guerra.
Jacintho Jos de Mello.
Joo Chrisostomo do Oliveira Pelagio.
Jos Mara Ildefonso Jaeome da Veiga Pcssoa.
os Pedro Nolasco Pereira da Cunta.
.Miguel dos Aojos Monteiro.
Ravmundo dos Passos.
Tito Joo Machado.
Fernando Affonso de Mello.
Jos Thomaz de Freitas.
Pedro Affonso de Mello.
Secretaria da th ottraria de fazenda de Per-
jiambuco 30 de setembro de 1864. Manoel Jos
Piulo, serviudo de olllcial-raaior.
Arrematado.
Pelo jaizo municipal da 2* vara, depois da au-
diencia de 5 do correte, vo praca de venda
requerimento do testamenteiro e inventariante, os
bens da finada Marta Candida de Magalhaes para
pagamento de logads: um pequeo sitio no lugar
denominado P'lra Molle, em trras do enstenho
Dous Irmos, com casa de pedra c cal, com 78 pal-
nws de frente e 34 de fundo, 2 salas e 2 quartos
de frente, 2quartos pequeos, t ditos no quintal, o
ozinha, sendo o quima! murado com porlao para
o sitio, com atguns arvoredos de fructo, avallado
por 1:600*000.
Trabalho qtie nicamente tem sido apresentado
no Brasil pelo prestiditador.
TKKCKIRAPARTK.
As sublimes appancoes das vistas dissolutivas,
que tem por denomnaco
Os cf fritos do megascoplo
egypclo.
Finalisando estes trabalhos pelo sublime quadro
E
A AFFABI9O DIVINA.
Era seguida volvero com variadas cores
As clrcnlaccs elctricas.
LEILAO
DE
Trasto e outros objectos de
goslo.
Quuta-feia 5 do crrenle s \\ horas
No armazem da ra da Cruz n. 57.
O agente Qlympio no da, hora e lugar cima
vender em leilo diversos trastes novos e usados,
| relogios, espelhos, commodas, carteiras, cabidos,
' lavatorios, marquezas, cadeiras avulsas e outros
muiios artigos.__________________________
Feira semanal
DE
Trastes, erystaes, relogios e outros
artigo*
Quinta-feira 6 do correte.
Publicarlo Iliteraria.
Sanio luz o opsculo intitulado
A MHI'IIDAIH
al
E' com a cscolha de um (al divertimento que
distinelo prestidigitador se prestou a satisfaser
s solicita oes da AssociaQao Typographica, con- [\0 IMMMI da NM M VlgariO 11 10,
cedendo-lbe um beneficio com o qual ha penhora-i i knrj.a
do o reconhecimento desta classe de artistas Per-
nambucanos ; sendo secundado pela empreza dra-
mtica dos Srs. Germano & Coimbra,que promp
HOR
Affonso de Albuqinriie Mello
Convdam-se os assigtjantes a mandarera receber
scus exomplares na praca da Independencia ns. 6
e 8, que serio entregues a vista dos recibos das as-
signaiaras ; ahi tamhem esto expostos venda a
:!5000 cada um. Sao sob os seguintes ttulos as
materias do que se oceupa:
Introdcelo. oclo da liberdade.- O Brasil co-
lonia. Revolufo de 1817A IndependenciaA
constitulnleAconsiiluicaoA revolucao de 1824.
A expulsao ou abdicao. A regencia livre. O
partido regressista.Ameaca dos corrundas e que-
da dos livres. A regencia' corcunda.Causa os
niales da regencia livre. Regencia corcunda e
ma prodigalisar aos que recorrem
ment.
Os bilhetes podem ser procurados a ra do Im-
perador n. 51, loja de livros dos Srs. Guimares &
Oliveira, hje depois do meio dia em diantere no
dia do espectculo no escriptorio do theatro.
Principiar as 8 horas.
ao seu vali- i zem da ra do Vigario n. 10.
O asente lympio em seu novo armazem da ra
do Vigario n. 10, farl lello da diversos trastes maioridade.-Principios do reinado de D. Pedro.-
lamente franquearam o theatro, aflm d ter ah lu- novos e osados, erystaes, cadeiras avulsas, reto- Kevolta de Minas e S. Paule-Dominio da Praia-
gar scmelhante beneficio | gios deparede e algibeira, consolos, candieiros a ;Luzia.-0 dominio liberal nao inquielava os cor-
Os beneficiados esperam merecer do generoso gaz, marquezas, commodas e outros muilos arli-(cundas.-Feitos do dominio liberal.-A praiaeCbi-
pubiieo desta cidade toda a proteccao que costu- gos que estarao patentes no da do leilao no nna- chorro-senatoria.-A revolta e a revolucao de
11848 A conslituinte.-A consumite.-Derrota
da revolucao. eaoclaeSo de Honorio com os libe-
, raes : traidores.-Venda da bandeira da cons-
; tiluinle. O partido liberal durante osqualorze an-
nos do chamado ostracismo. Os corcundas e os
' liheraes durante osquatorzeaanos.Captiveiro re-
; signado e voluntario dos liberaes durante os qua-
' torze anuos.O povo corcunda, eu os vermelhos e
: os sabios. -A situacao propriamente poltica. Ins-
tituifijes livres, c direitos polticos que tivemos
al o fm da regencia livre, e o que actualmente
AVISOS DIVERSOS.
AVISOS MABITIMOS.
0OMFA2THIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Aos i0:00$000.
Quinta-feira 6 de outubro do correte lemosem ,ar deiies.Os representantes da na-
anno se extrahira a quinta parte da quar- Caocdas provincias.-Sitoacao administrativa.-
ta lotera (110*) a benecio do Gvmnasio O que sao nella os Portuguezes. Como o gover-
Pernambucano, no consistorio da igreja de noobrigado a corromper o pate e a fazer-lhe
Nossa Senhora do Rosario da freguesa de ?X^^S^Sna S&m^iS
Dos oortos do norte e esperado b- ninn;A a ciienieiia ao governo para susiemar se o raipe
o vapor Cnwriro do Sul, com- Sntn Antonio. no corcunda. O procnsul.-O proconsuj da co-
mandante Alcanforado, o qual Os bilhetes, meiOS e quartOS acham-se a marca. Dos cargos, dos crimes e da punigao.A
depois da demora do co'stume se- venda na respectiva thesouraria ra do '^-luizes municipacs.-Juizes dedireito.-
guir para os pertos do sul. CreSD n 15 1Tribunaes--^ das Relacues-Tribunaes do Com-
Desde"*7r5ccbcm-se passageiros e engaja-se a | nfrirPrninV rln t O-OOO.^OOO atp liAOOO m*,rc!-s,Prem,0 Tribunal d,eJu^V J^LT
carga que o vapor poder coaduzir, a qual dever J Premios de 10.0;>U ate -UJU Os advogados.-Loncl.is.ao. Garanta dos mreitos.
ser embarcada no dia de sua chegada,encommen-1 serao pagos uma hora depois da extraccao -A moral publica.-Dos crimes.-As elciyoes.-
das e dinheiro a frele at o da da saluda as 2 ho-! at s 4 horas da tarde, e os outros no da ICorc "? da obra saquarem
ras: agencia, ra da Cruz n. i, escrptorio do An- j seguinte depois da distribuico das listas.
tonio Luiz de Oliveira Azcvedo & C.___________ Servindo de thesoureiro,
COMPANHIA PERNAMBUCANA jes Rodrigues de Souza.
Precisa'? de dous hoinens que enlendam de
servico de copeiro : na ma da Aurora n. 32.
"^NiTpraea da Independeocla, loja de ourivef
o. 33, compram-si! obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qaalquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert._______
Precisa-sede nina ama que satba coznhar e
comprar : na ra de Santo Amaro n. 6, primeiro
andar.
Est para alngar-se nm encllente armazem
na roa dos Guararapes, proprio para um estahele-
cimento de padaria ou rcllnacao por ter um gran-
de icllieiro e urna excellente rhamin. qne tudo se
alaga por precio eoramodo : a tratar na ra dos
Guararapes n. 78._______'__________________
Precisa-se de urna ama de leitc
Lirramento n. 20, segundo andar.
DE
na ra do
Precisa-so alugar nm preto do meia idade
fara o servico regular de urna casa : na loja do
asseio n. 3 se far o tralo.__________________
Precsase d dous amassadores que saibam
desempenbar e seu ollirio : na padaria da ra
larga do Rosarlo o. 46.
Deseja-se fallar aos senhwes abaixo m?n-
cionados a negocio que Ihes diz respeito, ni roa
do Hospicio n. 48 :
Luiz Cesar Pinto de Farias.
Joo Ramiro de Azevedo Campos.
Jos Affonso de Azevedo Campos.
Jos Luiz de Souza.
Firuiino Herculano da Silva.
Joao da Cunba W*nderley.
Manoel Jeronymo de Albquerque.
Luiz Bernardino da Cosu.
Joaquim Jos Coimhra de Andrade Jnior.
Manoel Osmundo da Cmara Pimentel.
Jos Francisco RuViro de Souza. ^^^___^_
Precisa-se alosar um moieoue que seja llel :
a tratar Ba ra da Cruz n. 46, nrimeiro andar.
ESTABELECIMENTO.
0 agente Olympio mudou
8eu armazem de leites pa-
ra ra do Vigario n. 10,
aonde pretende continuar a
izersuas feiras seniaiiaes
e espera ter ainesma con-
currencia de seus committen-
tes e amigos, nao tendo
responsabilidade alguma no
armazem da ra da Cadcia
do Uecie n. 48.
Kua do Vigario n 10.
Aliiga-se um sot.rado de ('nos ailares e *n-
te na ra de Santa Rita, n nm u^nndo aMlar *
soto no caes do Ramos : a tratar com Jos Hyii
no de Miranda^_______________________'
L'ma pessoa rompelenlemcute habilitada se
offerece para ensinar rm algum ^njzwilio prima-
ras lenras, grammatin. arithmiin e ma^ea :
quem pretender dirija-se a roa do Rangrl n. 17.
casa d relojoeiro.
Precisase do um menino para caixero de
taberna : na ra do Alecrn n. 2.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite
n. 63, segundo andar.
wmusmM
na ra Nova
DE
Navegado cosleira a vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear,
Acaracu' e Granja.
O vapor laguaribe, coraman
dante Lobato,seguir para os por
tos cima no dia 7 de outubro as
5 horas da tarde. Recebe carga
at o dia 6. Encommendas, pas-' IY1 Ap) fllldar
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
; Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
por cima do
sageiros e dinheiro a frete at o dia da sabida
u ?,JPra".da ,arde: escrip,orio no Forle d0: armazem rrogressista, aon-
Mallos n. i.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
Navegado coseira a vapor.
Taman ar. Barra Grande, Pona de Pedras,
Gamaragibe, Macei, Penedo e
Aracaj.
No dia 5 de outubro seguir
para os portos cima o vapor Pa-
rahyba, commandante Martina, s
,j horas da tarde. Recebe carga
'at o dia 4. Encommendas, passa-
geiro e dinheiro a frete at o dia da sabida : es-
criplorio no Forte do Mattos n. 1.
LEILOES.
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripta.
CASA A FOKl^A
AOS 10:000.000
Bilhetes garantidos
A' ma do Crespo a. 23 e casas do costme
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acaben
Ira. Situacao para com o exterior. Situacao
t'manceira.-As (inancas do estado.-A miseria
Perigo e salvamento dos corcundas.A liga.
Como se congregam os elementos para ella.Con-
siderares retrospectivas. A constituinte. Prepa-
res aniecedentes. Conciliaco e opposico parla-
mentar.Monta a liga.O que sao os liberaes na
liga.Que bem faro os liberaes ao paiz.O pro-
gresso.Seus feitos.O que o progresso e que
far.Como se devo viver nesta trra echegada
ao progresso.Porque o progresso s vem com-
pletar nossas desgracas e sem mais remedio.Se
ha salvacao para nos qual seria o meio e bem f-
cil.-Resumo.-A*s cinco provincias pernambuca-
nas. Histrico e poltica corcunda. Deque pro-
1 vm a miseria. Como se corrompe na eleicao.A
restricae da liberdade apar do progresso da immo-
' ralidade.Corollario.
I DENTISTA DE PARS
19Raa Nova-49
Frederico Gautier, cirargio d^otiata,
faz todas as opi'racoes de sua art-;, e coi-
loca dentes artificiar-, ludo cos snperio-
ridade a perfei^o, que as pcssoa. enten-
didas Iba reconberem.
Tem agna e pos iaMHM*.
Precisa-se de urna criada livre oa escrava
que saiba cozinliar e engomnur : ni roa das Graz
n. 42, primeiro andar.
Jos Delfino da Silva Carvalho convida
aos prenles e amipos do fallecido Francisco
Ferreira Fialho, para assistirem a urna mis-
sa no Rosario da Boa Vista, segnnda-feira
3 do correte, s 7 horas da manhaa.
Precisase de nm menino dos ltimos chega-
dos do Porto para caxciro : no pateo do Terco nu-
mero 141.
LEILAO
H 9
o egonta Aimpida r.omiknenteinenie aulorisado
far leilo de um oxcellento sitio no lugar oo no-
sarinho com grande casa que conlem 3 salas, 4
quartos e 2 so aos, boa cosinha e terraco, estriba-
ra e mais commodos, cacimba com superior agua
do beber, com 300 ps de larangeiras tolas de ex-
cellente qualidade, mangueras, co |ueiros, sapoti-
zeiros e sanlas, grande quantidade de cajueiros,
duas grandes baxas para capim, urna meia agua
na extrema do sitio que boje serve de acougue e
rende 1& mensaes.
Torca-fi'ipa 1 le oalnbro
s li horas do dia porta da Associacao Com-
mercial.
de exirahir a benelicioda igreja de Santa Rita,
seguintes premios:
N. 3099 d us quartos com 10:0005000
N. 930 meio bilhete com 2:000|000
N. 1726 dous quartos com 800*000
E oulras muias de 200*, 1005, 40* e 29*.
Os possuidores podem vir receber sem os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da quinta parle da quarts
lotera a benelicio n uyiuuasio, quu n Muaiini
no dia 6 de outubro.
Procos.
Bilhetes inteiros..... 12*000
Meios......... 0*000
Quartos........ 3*000
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes........ 11*000
Meios......... 5*800
Quartos......, 2*750
Manoel Martins Fiuza
Desappareceu boje 29 de setembro do cor-
rente aun.) um ravallo castahbo escuro, com os
quatro ps calcados, com as dinas ripadas a moda
, faci, cujocavallo levou urna cangalha coberta de
estopa; desappareceu do becco do Peixe Frito,
os! junto a loja do Sr Preguica : portanto roga-se a
qualquer pessoa que o adiar, o leve Amaro Fer-
reira de Lima, seu legitimo dono, morador no cu-
ra do Rom lardim, ou mesma loja do Sr. Pre-
goua, na ra do Queimado n. 2. que ser genero-
s^piente recompensada.____________________
^^O^igelTiie leiles Olympio ao
^m gerencia era rcsp"iislitli(l<(le al-
iihi no nt-itioaoiu lo imim d;i I a.li'ia
do Recife n, 48._______________
PreciSa^sede urna ama forra ou escrava para
rasa de familia, que saiba rosiobar e comprar : a
iralar na ra do Pires n. 24.
-RA KSmEIT.l
Franeisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artillciaes tanto por meio de
molas como pela presso do ar; nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos
e outras proparacoes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
Maqsies sobre Portugal.
O aballo assignado, aul<>ri>a Raneo Mercaniil Portocns1. na auiM-itri*-!
do Sr. Joaquim da Silva Castre, sacaof-
feclivamenle por todos os p n;n|ps sohoo j
as pracas de Lisboa e Porto, e mais loga-
res do reino, por qualquer v.mm.i vis--
ta, e a praso ; poib'ndo, os qae luniafecu
saques a praso,reri,ben,m avista. m> mes-
mo Manco, descontando i 0|0 ao auno: aa ;
loja do chapos da ra do Crespo n. 6, oo
na ra do Imperador n. 03, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Aze-
Antonio Luiz de Oliveira
vedo & C
Agente* do Banco l'niao do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Vi<'e-consuladu d** llespaiba.
Havendo fallecido o subdito hespanbal Beato
Antonio Cootinbe, san convidados lodos os san
devedores e credores a apreseMHMi ortle viea-
consulado os respectivos ttulos para proreder-so
liquidaco du seu espolio___^^^_____^^
N:int-t'iiilr
das ilhas ou os desterrados na ilha da Barra. -
manee digno de ser lido pelas senhuras |or seo
lances nteressaules postos em exeoucao por nato
senhora, 3 volumes em brochan a 2*: ka livrt*-
na ns. 6 c 8 da praga da lndcpcnduoda.
LEILAO
DK
.MOBILIA
Envernisa-se mobilia e oulro qualquer traste,
muilo em conta : na ra do Alecnm n. 41.
Um sobrad de dous andares e solo edificado em
chaos proprios na ra Direita n. 9, com \ frente
para a ra da Penha. V
Freguezia de Sanio Antonio. '
Tcrci-fcira 4 de oulubro.
0 agente Pinto far leilo precedida a compe-
ente autorisacao, do sobrado cima indicado edili- Precisa-se de urna ama para cozinliar para
cado em urna das prncipaes mas da freguezia de casa de ponea familia : na ra larga do Rosario
Santo Antonio, o qual rendo 1:300* annual, s 11 n. 21, loja de calcado.
Alugam-se barato urnas mei-aguas na entra-.,
da dos portoes (travessa das Barreiras) no barro | [
da Boa-Vista : a tratar na ra do Cotovdlo n. 2o.
Offerece-se para caixeiro de taberna um ra- r j
paz chi'jradi. ha poooo de Portugal : a tratar na '
ra do Vigario n. 11.
horas do dia cima dito
da Cruz n. 38.
em seu escrptorio ra
LE L, Al
t* 23
Terca-feira i do corn-nte
O asente Pestaa lega I mente aulorisado vender
em leilo diversos escravos por conta de quem
pertencer a saber : 1 negra crioula de 20 aaoos
, de idade, engomma, cosinha e cose ; l dita da
: mesma idade com as mesmas habilidades ; 1 dita
de 30 annos-, cosinha e engomma, cose pouco; 1
escravo de 30 anuos para lodo o 'service ; t mole-
que de 6 7 anuos linda figura e muilo esperto :
os quaes serao vendidos em leilo terca-feira 4 do
correte pelas 10 horas da manhaa no largo do
Corpo Santo, junto ao armazem dos Srs. Palmeira
& Reltro.
LEILAO
HE
TINTURARA.
Tinge-se com perfeiejo para qaalquer I
cor, e o mais barato possivel: na ra do
Rangel n. 38. segundo andar.
Salsa pardilla de Ayer
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e todas as molestias
provenientes dekla
todas as molestias da
pellc
eherjsipeiias, (amores, ulceras.
sarnas,
nascidas, empingeos,
REUMATISMO
E
Joo da Silva Ramos, medico pela Un
versidadede Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
en siias casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorrdos em qual-
quer occasio. D consullas aos pobres
que o procuraren no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Trm sua casa de sade regularmente
montada para receh^ qualquer doente,
ainda mesmo os iP lados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgiea.
Para a rasa de sade.
Primeira classe 3*000 diarios.
Seeunda dita.... 2*500
Te'rceira dita.... 2*000 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servteos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que olie conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
< o\si:iiiio
DE
Frederic S. Balln & C.
Joo Gabe & Filho.
Francisco Rahoba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercal.
i Gonzalo Segoria.
', s. M. Perera Y. Hijos.
ii*f risa se alug-r n'uwa 4as n
ftva, o Imperador ou de (Ire^po pre-
IVi i mi-se esta iillim ), urna !}, as-
ta, clara e de 3 4 portas; dirigir-*
raa do \ respo n. \, loja ua Sr. Fal-
que.
Aluga-se "casa n. 40 da~Tua das Trioclfh
ras : na ra da Aurora n. 36.
Paris
Hamburgo
Rarcellona
Madrid
Mfrv
Sevilha
Valencia
F.*4&WifeJt....
Amarantes. Angra Terceira. FigHPn*9r-
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez. Castalio Branco. Guimares.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilhaa. Lamego.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. M .^
Braganv-i- Evora.
Faro. Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
meis. Porlo-alegre. Setubal.
Penafiel. Thomar. Vianna do Cas*
Tavira. Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Portimo. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
No IMPEHIO.
Baha. Maranho.
Rio de Janeiro. Para. cumciu mu ihcmih hhv,
Qualquor somma prazo ou visla,podendo logo mesmo. o dando conta ar toilos os objeapfi que Ihe
os saques prazo seren descontados no mesmo foMn entregues an entrar para o iwino sitio.
Banco j razio de 4 por cento ao anno : a tratar quhnrio qoeira o seu proprietario, podrndo f.izw a
na ra da Cruz n. 1._____________________plantaco que Ihe eonvicr e d.slruiti-la durant.- o
Prcisa-se alagar um escravo ou escrava pa- lempo que no mesmo sino i
sa TtvT^nnrti g ti ta r***Rj*
pendencia existe urna carta de iMuraKrl
para o Sr. Antonio Fernandes Corredor.
Aluga-se o lercciro andar do .l>n>.lo n. :i7
da ra do Amerim : a tratar na na da Cau>ia a.
62, segunda andar.___________
Aluga-tp o quarto andar do Mprada n !'- V
ra Nova : a iralar na ra da Cadcia a. 62, -r-
gundo rndar.
Morada
Da-se para residir em um .-i:*) parta dbsla nd;-
de, sem a menor paga, a unn \ .-soa de piltra \*-
milia,e que di; conhiiiiiienio de sua M condm-
' la, com acondico de tratar dos arvore-kw qn*>
existem no mesmo siti", coacertar as o-rcas do
rrecisa-se aiuiinr un esci-aTu uu isi:i'> ra vender na na, bem como urna ama escrava ou ment do sen proprietario. ou pessoa por el!- Ba-
turra para comprar e cozinhar para casa de peqoe tensada, nao pudendo quan.lo sabir do fesne m
i na familia : quem pretender, dirija-se a ra do to por sua vontade ou despedido por son prapr**-
Vigario n. 11, primeiro andar. *o ou por sua autorisacao, p^dir o n
. ment por qualquer planlai.o que deixar, ou por
la mptriai, ua|ljuer trabalho que o loaba felo, "
! denominado Pirao Gordo, com grandes commo- ,' ,, A> lor 0^,Mn
Arrendarse o sitio e casa da ru;
i granoes commo- eomo a de ,er e .|a(|0
dos, cocheira, senzala, sitio murado, portao de pois assim o queira, dihja-
retendentes diniam- ,>,: ia .. ,
mesov>
qorni
ferro e com fructeiras : os pretendentes
se ra esireita do Rosario armazem n
Jos Moreira da Silva.
ijam-
31, de
ou
no lllr-rilll sitio
se ao sobrado da ra d>-
com documento, provaado x
Deixai que os Hunos di civilisacao vos preguem
economapara os pos l! Esta parle do corpo
I humano por certo aquella que, ne>to clima, ne-
! cessila de mai .r aasalho: pela humidade nos ps
i se iniroduz a grande maioria das molestias, e com
! estas a perda da saude e da vida I! I Fra com as
I bolinas e sapatos velhos; reforma-Ios
45-Rua Direite-45
' Borzeguins francezes para homem **fX
i Ditos inglezes dem a 8*. 7* o 65000
j Ditos para senhora a^*^*!
; Ditos para menina 2*00
' Sapatos esmaga cobra
Ditos de Nantes de duas solas
*
O bacharel
Fraaeisco Augusto da Costa
ADVOCADO
Ra do Imperador numero 69.
raa
S. Francisco "n. 10,
sua boa conducta.
N. B. A casa se acha em mao eslado.
Precisa-se de urna ama forra on caMi*a par
todo o servico de urna casa ? pnura familia : aa
, ra de S. Francisco, casa n. .'itt.______________
Aluga-se una casa em Mile-nlir : a Iral
com J. I M. Reg, na ra do Trapica* n 3*.
THE\TR0 DE S. ISABEL
Qnarta-feira, 5 de outubro.
EXTRAORDINARIA REPRESENTAClO
.m beneficio da Associacao Typographica Pernam-
bncina, generosamente concedido pelo primeiro
prestidigitador brasiiriro
jriao oos *t>ros pkreira.
Lofo que a orchestra executar urna da* melbo-
res symphouias, serio abe'tos os trabalhos pelos
enigmticos e inexplicaves elleitos que lein por ti-
tulo :
A SAL.1 DOS SKKIiKDOM
ou
08 lYSilHMS DO DI\B0.
PRIMEIRA K SEGUNDA PARTE.
Serlo preeochidas or urna escolha de interes-
**xn* sorles de um effeito maravilhoso, cujos tra-
badlos sero flnalisados pela extraordinaria execu-
UtU\ TARE II11A
Sita na travessa no Lima em Sanio
Amaro.
Quarta-feira 5 do correte.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
lmessaUedo 'c em Sttmm'iods twnqH ten sua:gfj .uasre para senhora a
origem na Chinelas rasas do Porto
IMPUREZA DO SANGE
quem pertencer os gneros, armacao e mais
cilios existentes oa taberna sita na
Lima em Santo Amaro, em um so lote, garntese
a casa : quarta-feira 5 do correte pelas 11 horas
da manhaa na mesma taberna.
SYPH1XIS
;em todas as sua, formas, assim como todo Kttobar^S. senhoras
; o mal que provem do uso excessivo do Ditos d0 dila w meninos
MERCURIO Ditos de tapete para homens e se-
Ulceracio do ligado nhoras a 800 c
Smpensi denma menina peltfn
nm cabello
de
Qninta-feira 6 de-mtnbro, s i 1 horas,
ra da Odeia armazem 11. 53
DE
Hm grande sitio defronte da igreja na es-
trada de Joo de Barros, rende 600$.
PELO AGENTE EUZEB10.
Se vender em leilo um grande sitio qne lem
de frente cerca de 700 palmos e de fundo 800 di-
tos, com casa de rivenda em bom estado, 6 quar-
tos, 2 salas, Cosinha fora, copiar, casa para cria-
dos, cacimba com boa agua de beber, com diver-
sos arvoreitus de bons e abundantes fructos, que a
seu lempo r:ompensam o trabalho de zelar-se,
este sitio divide do um lado com o Sr. Dourado e
du oulro com a viuva do Sr. Rufino, e pidos fun-
dos com o do Sr. brigadero Joaquim Bernardo de
Figueiredo, os pretendentes poderao desde J exa-
minar afim de aproveitar a pecbincha.
E um alterante poderoso para a
RENiVACO DO SANGUE
e para dar nova forra e vigor ao corpo j
enfraquecido pela doenca.
Vende-se na ra ireita ns. 12 e 76
| Hospicio n. 40.
Vehde-se em Pernambueo:
na pharmacla franceza de
P. MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
5*i 100
5*000
1*000
1*W0
1*000
1*000
1*000
800
1*600
mmmmm mmwm-wwm
0 escrivo da fazenda mudou o g
seu cartorio para a ra de S. Fran- ^|
Na ra estreita do Rosario n. 34
Advogado Affonso de Alb-
querque Mello,
pede ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
teiras, porm, na villa do Cabo.
"Sor ete.
O fabricante deste regalo faz ver aos moradores
da Capunga que havera sorvete todos os domingos
!e das santos s 11 horas do dia e 8 da noite nos
Quatro Cantos casa da esquina.
Compaahia fldelldade d
segaros martimo e ter-
restres estabeleeida oo
Rio de laoelro.
AOKNTES EM PEPNAMCl'CO
AbIobo Loii de Oliveira A?evede C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de segures Fdtlida-
de, tomam seguros de navios, mwado-
rias c predios no seu escriptorio roa da
Cruz n .1.
ATTENQhO.
ciscn. 72.
mmmmm
a povoaco deTracunhaem tica estabeleci-
do um carro tirado a quatro valentcs cavados para
condozir passageiros para esta capital, e desta cara
Nata*!! j sendo os pontos de partida em Tracu-
nharm, e nesta cidade no becco do Ouvidor. As
TiagMB para esta cidade sero reguladas as 7 ho-
ras da manhaa de toda* as segundas-feiras, e as de
voln as 3 horas da tarde de ^^!lrt***i-
ras. Cada passageiro pagara 10*000 desta cidade
para Naiarelh, e do Tracunliem para ecta cidade
Os abaixo assignados declaram ao commerto e pagara 8*000. lia vendo vaga, p. .dem ^radlim-
aos seus commitenles que a sua prensa de algodo tidos passaaairos para Pao d WJSfQ
quegyrava com a tlrma de Lobo & C, de hojo ora estes 6*000 : queja se quiaer aproveitar ***
diante gyrar sob a firma de Lob. & Filho, conti- conmodo, Oca desde ja prevenido que no da 3 de
miando na dirueco de todo o negocio osocioMa- outubro encontrara o dito carro preparado para
noel Izidoro de Obveira Lobo.-Manoel Ignacio-do fazer a sua primeira viagcm de Tracunhaem para
Oliveira Lobo.-*Manoel hid'iro de Oliveira Lobo, esta cidade.
wmm
Praca da Independencia n. i2.
Albino BapUsU da Rocha, Portuguez, ,relojoeiro
e dourador, lem a honra de participar ao respeiu-
re publico desta cidade, c com especialidade aos |
seus amigos, que se acha com loja de reloj'ieiro e
dourador; toma qualquer concert por preco com-
modo, e responsabilisa se pelo seu trabalho.
1Tprecisa-se de duas amas, sendo urna branca:
na ma da Cadeia do R"cite n. 4. brceiro andar.
CypFiano Villarinlio Erancisco Agr, subditos
qespanltps retiram-se para fora do Imperio.
GABINETE m
PORIUtitBZ iiK'LhllUiU EM PER-
MtBIir.o.
De ord^m do lllm. Sr. presidente convoco o eon-
selho deliberativo de-le Gallineto para se reunir
em sessao ordinaria qitarla-f.'ira 3 do correte, s
C horas da tarde, na saU das respecti 'as sessoes.
Secretaria do consi-lho deliberativo d^i Gabinete
Portoguez de Leitora em Pernambaeo l9 de oulu-
bro de 1884.
A. A. dos Santos Porto.
l. secretario.
Anda est para alugar-sc a boa casa
torrea n. 39: ra da Unio.
Precisa-se de 200* a juros com prnhor d>
ouro : quem quiaer dar annuncie. Pode dirigir-so
quem precisa ra das Cruzes a. 42.
* OT>t. Carolino Francisco de Lima San-
W tos. contina a residir na roa do Impe-
a* rador n. 17,2" andar, onde pode r pro-
5 curado a qualquer hora do diae da noite-
H para o oxercicio de soa proflssao de mi-
2fl( dico ; sendo que os chamados, depois .
meio dia at 4 hfas da tarde, oerem s*-r
deixados por esenplo. O relerido Dr.
nao abandonando nuaca o esluda das
molestias do interior, proecii'\ rom o
maor afflnco, no das mais difuYcite deli-
cadas opera^ees. como sejara iLs ergios
onrinarios, dos olhos, partos, ne.
I Precisa-se de nm raixriro portoguez qne te
nha praca de taberna : na ruada Imperainz no-
mero 23. j _____
-Prwisa-se de urna ama livre ou **n
i para rasa de duas nessoas : na ra estretla to k
' ario n. 18.
ILEGIVEL

,

,Oi itTi Ann





Diarto


Fundir do Bobinan.
Precisa-se de oB^iVs machinlas.
Prerisa-se de um caixeiretje i i i JO anuos,
que tenha pratiea fle-talierua }iiem quizur, dii i-
ja-se rua larga do Rosariu n. 22.
Precisa sedo uma criada que saiba engom-
niar : na rua do Imperador n. 17, segundo andar
Amda est para alugar-se o sobrado amarcl-
lo da Poole de Uchoa : a tratar no largo do l'a-
raizo n. 16. _________
do
,\
Anda existe na villa do Cabo, na casa
Sr. advogado Jos Paulo do Royo Brrelo, c lam-
ben aesta praca na rua eslrcila do Rosario, arma-
zem de Jos Moreira da Silva, alguns eseravos e
escravas, assim como tres m grinhas e tres mole-
quinhos muito propnos para presente, do idade
de h 12 annos, tudo se vender por preco com-
modo para liquidar.______________________
~~^~ Precisa-se de una prela ou de uin moleque
para vender na rua : quera ttver, dirija-se i rua
lo Aragao. fabrica de charutos Dtjjj-__________
Aiuga-se urna casa no Poco da Panella, no
pateo da igreja, com frente para o rio, com soto,
estribara, rocheira, casa de ocravos, jardim, ca-
cimba cem bomba, tanque, quintal todo murado,
com arvoredos do fructo, tendo a casa commodos
at para duas familias : quem prrtende-la, dirja-
se rua Direita, no primeiro andar por cima |
botica do Sr. Paranhos.
Precisa-sc de nm cont e tresentos mil ris
juros, que nao exceda de um por cento ao mez,
para ser pago em tres prestacoes de seis, don e
dezoilo mt-zes, uffcrecendo-se em garanta Armas
ou hypotheca em um predio : a quem coBvier an-
nuncie para ser procurado.
COMPRAS.
Compra-se ouro o prata em obras velhas
daga-se bem: na toja de bilhetes da praca oa Inde
pendonera n. 22. ___________________________
Compra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagndose bem :
na rua larga do Rosario n. 24, luja de ourives.
COMHFSE
urna negra de bonita figura, que saiba lavar, en-
gommar e co.-er bpm, e cuja idade nd exceda a
25 annos, agradando pagase bem : a tratar no es-
criptorio de Manuel Ignacio de Oliveira & Filho,
largo do Corpo Santo n. 19.
Comprase urna taberna que seja em bom
lugar, na freguezia de Santo Antonio ou da Boa-
Visla: quem liver para vender, annuncic por este
ihurt para ser procurad.___________________
Compram-se i canoas de nm pao ou abor-
tas, que teiiham de ;!(i a 40 palmos de comprimen-
lo e 6 a 8 de largura : no hotel de liaba rua do
Trapiche a tratar das 6 s 9 horas da manha.
NOVA,
a ca tic fazeadas de lites as qiia-
il'acs na lja e anuazeia da Arar,
roa da npt'iati-iz n. 56, (te Lomen-
co Pereira Hendes(iumaraes.
Attenco que se Tai principiar.
Vender pecas de panno do liuho para lences,
toalhas o seroulas, cun 13 1/2 varas por 85500 ;
brim liso por 500, 500,640 rs. a vara : na rua da
Imperatrz loja da Arara n. 36, de Mendes Guima-
res.
A Arara vende sontembarque a 10<$ e 12$.
Vende-se soutembarques de laazinhas enfeilados i
a IOS e 125, ditos preos de grosdenaple fino
a 20$, 22,5 o 255 ; capas pretas ricamente enfeita-
das a 25'5 o 305 ; camisinhas para senhoras a 3
e :3 5 golinhas 210, 320 e 500 rs.; manguitos a
500 rs. e 15 : na rua da Imporatriz n. 56, loja da
Arara.
Coi tes de chita a 2;>.
Vende-se cortes de chitas com 10 covados a
25400, ditas franreza a 35200 ; ditos de cambraia i
de salpicos a 25500 a peca, dita fina a 35500, 45 i
BREU
Bren verdadelro americano, Unto era barricas
; como a retalho, vende-se na rua da Cadeia do Re-
, cife, loja de ferragens o. .'6 A, de Bastos.
F:i\ail;s raleadas de ac
Chegaram as desejadas'imxadas calcadas de ac,
as qiiaes vende-se o mais barato possivel : na rua
da Cadeia do Recife, loja de ferragens de Bastos.
Fie de algo a o da Baha e ame-
ricano.
Vende-se tanto em porcao como a retalho, estas
bem conhecidas qualidades de fio por barato preco:
na rua da Cadeia do Recife, loja de ferragens de
Bastos.
i ciliados de ferro galvanisvdo.
Folhas de ferro galvanisado para telhado |>or
commodo preco e de muita ulilidade para cuberas
de casas, vende-se na rua da Cadeia do Recife n.
56 A, loja de ferragens de Bastos.
Vaquetas ioglezas para cobertas
de carro.
Estas bem conhecidas vaquetas, vende-se nica-
I mente na loja da rua da Cadeia do Recife, loja de
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido i ferraBens je Bastos.
>i\ar navCar riocanprrohMn com arta *&2 AiHM a I I* el ti t 1* i <1 C I* K* (i II O I O*
Chegaram as bem conhecidas penetras de ara-
ESPLENDIDO AEMAZEM DE MOLDADOS
lianc.l
Paulo Ferreira da Silva & Com punida
57 RUA DO IMPERADOR 57
Grandes reformas de procos
5 a O por cento menos do preco que se vende em mura qnal
qner parte.
Gneros especialmente escomidos por um dos socios que na Euram i< ada
para esse llm. "
seu canto, aura deannunciar ao respeilavel publi-1 -negaram as bem conhecidas peneiras de ara- grande a vanta".>m mri tn.la i noesnts ana :,n,<,ram u i
co o grande sortimento de galanteras do melhor me e de lato proprias para nadara e refinaco, de mMltn s,dU,,B avanHgem para todas as pessoa3 que tnoipi aren neste eslabeleci-
A len cao
Me^G^r^ 36'l0 da Arara' de i leaV^aT Bp seraje K,
,,.;, f.j(, .,_,, su canto, afira de annunciar ao respeitavel publl-!
, p aran. co o grande sortimento de galanteras do melhor
u nde-se Pa',,ols Pret0 <*<> Panno a 16#. l'*& gosto propriamente para nualquer raimo, que ac- todos os tamanhos e grossuras: na rua da Cadeia
12a, 10 c 8, ditos de alpaka l3|e4#, ditos de ba de chegar neste ultimo paquete, assim como i do Recife, loja de ferragens de Bastos.
7BJSSf VSPSy^-HTO'.^SSSL??SSlS muitos .ntroi 0biect0s 1uerece^e Pr "versos na- \ ^VedT-sTrfaWca~de~Mbao"da rua do 5
Colariohos econmicos a 610 a duxia. I protec^o do respeilvel publico empregando para
Vndese colaruhos econmicos muito bem fei-; issojodas e as melhores diligencias para que fi-
tos a 640 a duzia : na rua da Imperatrz n. 56, lo-! quem satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, rua do
ja da Arara. i Crespo n. 7.
Vende-se bramante de puro linho a 25500 e; Ricos porta-joias.
5800 a vara, tendo 10 a 12 palmos de largura ; Cofre de muito gosto por 16^000
brim branco para caiga a 15200, 1*400 e 15600 a; Cestinhas transparentes forradas de na-
vara, dito pardo a 640, 800 rs., 15 e 15200 : na | dreperola por 185000
rua da Imperatrz n. 06, loja da Arara. Lindas jardineiras. 105000
Vendem-se baldes americanos os melhores que; Ricos cofres cora camapheu. 101000
tcm viudo, de lodos os lmannos a 25240, 25500,1 Lindas caixinhas com pedras brancas. io000
3,5, 4 c 45500: s o Arara na rua da Imperatrz Lindo balao com calungas dentro, tam-

liARH FAS
Compram-se garrafas vasias
rador n. 57.
na rua do Jmpc-
Comprase unta escrava de meia idade que
seja ladina : defrunlo do hospital militar n. 4.
n. 6'.
As laziohas da Arara a 240 rs. o corado.
Vendem-se laazinhas para vestidos de senhora a
240, 320, 400 o 300 rs, o rovado, duas muito
finas lisas 600 rs. o covado, ditas especiaes a 730
e 800 rs. o cov3do : na rua da Imperatrz d. 06,
loja da Arara.
Chitas baratas a 2 O rs.
Vendem-se chitas de cores fixas a 240 e 280 rs.,
o covado, ditas francezas finas a 320, 360, 400 e
oOO rs., o covado, ditas percalas a 560 e 600 rs. o
covado : na roa da Imperatrz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende madapolao barato a (i->00, corlse
bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas,
l'rnazinhas.
S no Vigilante, rua do Crespo n. -7.
Ricos pona bouquetes de diversos gostos e pre-
cos; s no Vigilante, rua do Crespo o. 7.
Ricos sintos
com bolcinlias ao lado, a 105, 125 e 135, ditos sem
165O0O
95000
65000
65000
05000
armazem.
Os propietarios garantem todos os gneros sabidos de seu j muito acreditado
AO PUBLICO,
Monos servimos de exordios como constantemente estamos v.iido .-m anona-
Charutos da lia vana. cos deste genero, pois sao palnvriados de que sempre nos abstivemos, e de me tambem
casVateel'beSSraSu?CU0S 1!*& 2Si Z** ^^ Tl^j' fe d,)UblC0- nosso fim < "5^
Q jmw iuoe bcnmetiau t., a rua da Cade.a mente fazer vor que 0 verda.lr.--
----------------------;---------------- eos que passamos a mencionar, e para a qual pedimos toda a ailencao.
A (catrao.
Vende se harris com alcatrao, na rua da Cruz
n. 23, primeiro andar, cscriptorio de Antonio de
Almeida Gomes. uueguu u inuuo uesejaoo viniio do t'.artaxo vende-se nicamente n-te armaz-m
a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
Lentilhas muito nova* excellente lgame pa-
ra sopa a 2uo rs. a libra.
Viiiko verde.
Chegou o muito desejado vjnho do C.ariaxo vende-se nicamente nv-te
Na loja defazendas ba-
ratsimas de D liar le
forges da Silva, rua
da Imperatrz n. 20
Vende-seo sfcuiile:
de vestidos a Mara Pia a 14* W e -p. s no y i|ante; -fc drespQ ?
Vende-se pejas de madapolao de 24 jardas, de f,aha7M mi tesiinha*
marcas finas n. 7 a 75, n. 2 a 8,5iOO. + a85500, ++ .,. nnaBhJlaDaie8 ? Csl'n,,a8-
95, S a 105, Htl a 115 e 125; algodio regular a 55,'. Ale lie chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
dito fino carne de varea a 65300, dito domestico a i ff ?-TSl?aS5frfm ba.C' ?' '*.rira
75, dito sicupira a 5. dito pao ferro a 95 a peca K*? a 2*800, 35500, 4*. 55, 75 e 105; so no
,~l j/> :...J.!.. T. ,.,_'....._:. ..:.z vp Vigilante, rua do Crespn. 7.
PECAS de panno de linho com 2o varas a 85,
bolea porra do mesur costo' a 2*5Q0,"35, 35500! 5 um P'uco estreito, mas excellentepara toallas. dem em latas de 1
45000.
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 15500, 25, 25300 e 35 o par;
Amendpas confeitadas de diversas cores a
i 04o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
I dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinbas com lindas
estampas a l,2oo c I.aoo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em fiascos grandes a 2,5oo rs-,
i libra a 1,100
rs.
DITO de dito adamascado conf palmos de lar- AlTOZ do MaranliSo C da India o melbor nu
gura para toalhas de mesa de jaoW a 2*400 a
vara.
Pen tes.
CASEMIRAS de duas larguras e de urna s cor
muito boas para roupa do meninos e soutembar-
ques a 35 o covado.
TOALHAS alcochoadas muito boas para enchu-
gar o rosto a 65 a duzia ou 500 rs. cada urna.
CAMBRAIA branca fina ora saipicos miudinhos
a 640 rs. a vara. metade do valor.
YENDAS.
Vf-ntle se caixcs vaz!os proprins
para lalin eiros e fnni ciios a 176(l
rada um; nisla lyaayaphi,
Yende-se
um lindo moleque de idade II annos, proprio para
pagem, dous ditos de idade de 7 a 9 annos, dona
escravos e urna escrava que faz todo o servico e
sem vicios : na travessa do (armo n. 1.
Macliinas de vapor epa-
ra descarocar algodao.
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido, coa-
do e de cobre.
Eodas_ _d!au;L deiitulas, e
de carrosa com mangas e
eixos de patente.
Rua do Bru n. 38, mdi-
Cao do Bownau.
tem 20 jardas : na rua da Imperatrz, loja n. 56.
Chales baratos a -l-'-lOO.
Vende-se chales de laazinha a 15600 e 25, ditos JS^S^^SLTlSrJSlJ^l^S .-ia5I0 coLrir mePas a ** covado; para acabar,
de merino a 35, 45500, 65 e 75 : na rua da Im-: KS^^ffl""5 llDdos LAAZINHAS de padres novs e muito agrada-
peratriz n. 36. 2k"J2?iSSE h T, d? *rre*aar ca' veis tanto na boa qualidade como no preco de 320
Cortes de cabras a -!600. la.t-\KSlS?AW5a^ finalmente o respeiavel publico
vende-se cortes de calca para homem
15800 e 25500 boa fazenda ; cortes de ca
cores finas a 55, 35300 e 75; casemira para Vo
calcas e coleles entestadas a 35 o covado: s na 'aml)em chegaram os nquissimos pentes de concha pouco, com tanto que venda muito, nao menciono
loja da Arara, na rua da Imperatrz D. 36. ae tartaruga e de massafina, que se vende por 25, mais fazendas no presente annuncio porque inipor-
Casemiras tiara capa de senhora a 25 e 3??. ** c "; b0 no N '8lla,nle> rua do *" n. 7. taria isso n'uma despea extraordinaria cuja des-
Vende.se casimira entestada propria para capas! 4|iM,J ; pea reverter sempre em bem-rio dos comprado-
para senhora a 25 e 35 o covado, tambera serve! '^'uissimos loques ^e madreperola tanto para res, pedindo ao publico que nao deixe doler tudo
liara costumes por ser de boa qualidade e
res, vende-se a 25 e 35 o covado: na loj
zem da Arara, mr-rua da Imperatrz n. 56.
A Arara vende as percalas a 360 rs. .Mais, le(Iues
Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e !com PeiIu,eP. defeito, leques de sndalo com pe- |
600 rs.; chitas Irancezas finas a 360, 440, 300
560 o i-ovado : na rua da Imperatrz n. 36.
Neste artigo tem ura grande sortimento, tanto I eobr^imSs* *?"B ? **" ^^ ^
cello, tanto de borracha como de tartaruga com en-'r< 0 covado e finalmente o resei avel nnhHm
m 15600, S?5S51" Pa,a menDa; S n VSIan,e'rua ^rtSJu^Z0^a:S KS"
casemira de <|iuii./. I vanado sortimento de fazendas finas e prossas a
vara palilots. w u pregos muito mznavcs, pois est resolvido ganhar
do s na 'ambemchegaram os nquissimos pentes de concha pouco, com tanto que venda muito, nao menciono
36 o lar.!aru8a e de massa fina' 1ue se vende por 25, mais fazendas no presente annuncio porque inipor-
9A e 3? 35 c ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7. taria isso n'uma despea extraordinaria cuja des-
i nan canas: Leques. ; peza reverter sempre em beneficio dos comprado-
ibem serve K,1UlSSmos leques de madreperola lanto para res, pedindo ao publico que nao deixe de ler todos
e lindas co- sennor3s ('omo Para meninas, pelo barato preco GS d'as este dito presente annuncio, pois haver
nii e arm- de ,2^ e 14*> so no Vigilante, rua do Crespo mudanca nos artigos cima ditos, isto a propor-
tfi i n. 7. gao que se forem acabando.
Lui^uicas
! qoeno defeito por barato preco de 8* e 105, chi-
nezes muitu bonitos tambem, pelo barato prego de
A traa vende as capas de grosdenaple a 2>:ba
rato prego ue 45 e o^, leques de charao tambem
por 45, tudo isto para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cento; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
.Vende-se ricas capas de grosdenaple prelo para
senhoras a 255 e 305; soutembarques prelos finos a
205. 225 e 255 : na loja da Arara
Tarlalana de cores e branca s 800 rs. a vara.
Vende-se tarlatana branca e de cores finas a 808
rs. a vara, fil de Imho a ^00 rs. a vara : na rua
da Imperan iz loja e armaz.m da Arara, n. 56.
O progreiario da toja e armazem da Arara re-
CO'i monda toda a ailencao aos Srs. frepuezes que
mandem ver as amostras de todas as fazendas que
Pulseiras. t
Lindas pulseiras de contas e de mssansa, cotas
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200. .
Para segurar manguitos. ,
Tambem chegaram as lguinhas estreitnhas
borracha que as senhoras lanto precisam para
............. ......... _......._ .,.. ,llr;il nionpu,uo (IU1 jer muito commodo e muito
annnnra pronie tendo vende-las porbarato prego. J^, a m s no vigilante, rua do Qres-
Perliincba de lencos de seda a S00 rs. e lj>. pon. 7.
Vende-se cal no mercado : na rua da Moeda n. 2,_ confronte ao
trapiche do Cunha ; e para informaeao, no mesmo
trapiche.
Attencao.
Vende-se urna taberna com poucos fundos c
muito afreguezada, tanto para a Ierra como para o
malo, e commodos para familia : na rua Imperial
n. 193.
PT SSA
Vende-se potassa em harris a commedo prego o
na rua da.Cruz n. 23, primeiro andar, eseripton:
de Antonio de Almeida Gomes.
iT

\\
fr
Vende-se superior vinho-doPorco em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C, rua
do Vigario n. 3.
Enfeites para cabeca.
Chegaram os lindos enfeiles de cabega para se-
nhoras, sendo muito simples ede muito gosto : s
no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Vende se por prego commodo um moleque
de bonita figura e meio uflicial de marcineiro : a
tratar na alfamlega, das 9 as 3 horas da tarde, com
Joaquim Tanoeiro.
Vende-se um mulato por prego barato : lia-
ra ver, na casa de delengo, e tratar, no pateo do
Torco n. 9. ___________^_
Vente-se urna urna de Jacaranda, muit bem
feita, para deposito de ossos : na rua da Impera-
trz, l"ja de marcineiro n. 25'.
Maoteist iugle/a II r a 96" e 800 rs ,
ranceza a 600 rs., queijos muito bons a 25200 e
25, cha miurio a 25600 e 25- caf a 26Q rs., pa-
'*s novas a 400 rs., omina muito alva a 140 rs.,
itrroz a 100 rs., steannas a 560, carnauba a 360,
sal em frascos de vidro a 440, i -uiinho a 280, sa-
bio massa a 220, vnho muito bom a 25600 a ca-
ada e 360 a garrafa, vinagre a 200 r.-., azeite do-
ce a 600 rs., carrapatu a 260, gaz a 440, farelo a
SS a sacra : no armazem da Estrella largo do
l'a raizo n. 14.______________________________
Vende-se um terreno aa rua do Destino em
ilireitura ao largo do Hospicio com 234 palmos de
frente, proprio para >e edificar por ser boa loca-
lidade : a tratar com Antonio Joaquim Ferreira
Porto na rua da matriz da ltja-Vista n. 54.
t al fie lixboa
diegada hontera pelo Mara da Gloria : na rua de
Apollo n. 28, junto ao theatro. __________
Vende-se um excedente harmnico america-
no, do melhor autor que ha neste genero, por
2335, em perfeito ertado : a tratar na rua do Im-
perador n. 38, casa do retratista americano.
Vende-se lencos de seda pequeos a 800 rs.; di
1 !n? grandes a l5 ditos brancos com barra de co-
n's a 200 rs. cada nm ; m^ias cruas para homem a
i 25400. :5, 45 e 55 a duzia ; ditas para senhora a
j i-5 e 55 a duzia : na rua da Imperatrz n. 56.
Cassas francezas a 280 e 320 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas finas para vestidos a
! 280 o 320 rs. o covado: na rua da Imperatrz n. 56.
Colchas de damasco a i.
Vende-se colchas de damasco para cama a 45,
ditas de fusilo a 35, ditas de chila a 25; ricas chi-
tas para cobertas a .120, 360 e 4( 0 rs., ditas aseti-
nadas mullo linas a 300 rs. o covado, ditas encar-
nadas a 300 rs. o covado : na rua da Imperatrz
n. 36, loja da Arara.
RIVAL StM SEGUNDO
Rua do (Jueimado n. 49, esta vendendo muito
boas fazendas e muito baratas, quem quizerpoder
vir ver ou mandar para experimentar, assim como
sejam :
Gollinlias inuito finas para senhora a 500 rs.
Ditas e puulios de fuslo muito bonitas a 640.
(.arlas de allinete de cabega chala de lodos os ta-
manhos a 80 rs.
Resmas de papel de peso muito bom a 25.
Capachos redondos e compridos a 300 rs.
Caixas com superiores obrejas de colla e de massa
a 40 rs.
Cordao branco grosss que tem mulla appliragao a
vara a 20 rs.
Linhas de carrites garntese 150 jardas a 40rs.
Cartdes do linha Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
| Grosas de pennas de ago muito linas a 500 rs.
Varas de franja do la para vestido a 40 rs,
Ditas de franja branca larga para toalhas a 160 rs.
Pares de botes do punho a 120,320 e 500 rs.
Tinteiros do vidro com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rf.
Grosas de botes de louga prateado a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80. 200, 400 e 500 rs.
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Libra de la para bordar da melhor qualidade a
65500.
Caixas de phosphoros de seguranga a 160.
Caixas e pacotes de papel amizade superior a 600
ris.
Caixas com 100 envelopes muito finos a 800 rs.
Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carrites de linha Alexandre com 200 jardas a
100 rs.
Baralhos para voilarelea 240 e mais hnosa 300 rs.
Meladas de linha frouxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatus de tranca de todos os tamanhos
a 15500.
Grosas de botes de madreperola mnito finos a 560
ris.
Cartas e caixas de clcheles de superiores quali-
dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Grosas de palitos de gaz a 25200.
0 Seriu
Chegou urna porgao'de lingnigas do Serid para
o novo Destino rua do Coiovello n. 1 esquina
para a de S. Gongaloe vende barato : a ellas antes
que se acabem, bom petisco para quem gusta.
Einpreza de illiiminaeao
gaz.
Todas as vendas de spparelhos e reclamagoes
(por escripto dando o nome, inorada, dala, etc.),
' devem ser teitas no armazem da rua do Imperador
n. 41. Os machmistas mandados para altender a
estas, apresentaro nm livro que os reclmame;-
d"~ u.-.-ipiiui lugo ur.puis.ue prompto o servico
reclamado; isto para que a empreza fique sciente
de haverem os mesmos senhores sido devidamente
attendidos.
Canelas.
Riquissmas caetas de madreperola proprias Bna da SCO Zalla \0Va D. 42.
15500 e'25CF PrCSeme' Pe' barallssimo pre(;0 de Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
" Sapatinbos e meias de seda. j (fr0 coado /J" a H0 idem de L'
Riquissimos sapatinbos de seda e de merino en- i "oor ''^ra U rs-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi
nhas e louquinhas para as cnanciuhas se bapliza-
rem; s uo Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Volliubas.
Lirfdas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, s
cruzes avols asa 400 rs.; s no Vigilante; rua do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissmas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e3*;s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Knfrites para senhora.
Riquissimos enleitcs com lago e sem lago e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Traneelins.
Lindos traneelins ae cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15300, dilos de
rctroz a 200 rs.
Babadinhos ntremelos.
Riquissimos babadinhos ntremelos com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo com lfl covados por 65. ditos de cambraia com
prego de 15200, 15300, 25 e 35; s no Vigilante, j barra de seda por 65500, ditos de cambraia com
rua do Crespo n. 7. barra por 35, ditos de fusto branco para caiga
Cascarrilhas. por 15900, ditos de brim por 25, ditos de meia
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas I casemira por 25400, casemira enfestada a 35 o
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro- \ covado, meia casemira a 15800 o covado, ganga
prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-'de cor a jW), e fazenda escura para caiga a 400 rs.
po u. 7. o covado.
Econmico para vestidos de escravas.
Algodao mesclado a 280 o covado, laazinhas a
Machin para algodao.
Vende-se urna machina para descantear algodao
e um motor rom todos os pertences para trabalhar
com 2ou 4 cavallns, a qual descaroca 120 arrobas
pordia, sendo muito maneira no "trabalho, e de
mu fcil transporte para o centro, ella aeha-so
montada, e o comprador pode ver o seu trabalho,
rojo resultado se garante : para ver e tratar, na
fabrica da travessa do Carioca n. 2, caes do Ramos.
FAZENDAS BARATSIMAS
NA
Hua da Cadeia do [W IV n. 47,
esquina que, velta para a Hadre de lieos
Completo sortimento de chitas estreitas, pelo m-
dico prego de 200, 220 e 240 rs. o covado, ditas
largas escuras a 320, 340, 360, 380, 400 e 440 o
covado.
A r#ooo.
Ricos cortes de vestido Mana Pa, ditos de lila
lia nestj genero de 8o a loo rs. a libia,
c de 2,5oo a 2,8oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a Ooo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez ede Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a Ooo rs. a garrafa, e loLooo
rs. a duxia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs. a anco-
reta.
Alpista limpo a 1 lo rs. a libra, e i,loo rs.
a arroba.
Bolaclnnlias de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades em latas
de 6 e de libras, a 3,oooe l,5oo rs. a
lata e 6lo rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 c 4 libras das
melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs. a
lata.
Banlia de poren refinada a loo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em gigos de 30 libras a l.ooo rs.
iJbampagne das melboies marcas
rs. o gigo, 1,8oo
as meias garrafas,
Cha uxim o melhor possivel a 2.7oo rs. a
libra.
!dem petla.jualidade especial a 2,7o re.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo. 2.4ooe 2.fino rs. a liben.
dem preto homeoptico a 2,ooo rs. a libra.
Ceneja das melhores marcas a G,ooo rs. a
duzia, eJCo rs. a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol e suisso a I,ooo,
l,2oo e I,loo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
tado de Simas c outros da Pabia como
sejam regala, trovadores, guaoabaras,
deliciase suspirosa i,6oo, 2,000, 3, ooo
e l.noo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 7;io rs. o frasco.
dem francezas surtidas ou de nina s ima-
lidade cada frasco a 5*00 rs.
Cognac francez c inglez a I,ooo rs. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a (ioo rs. a libra.
Canella a Ooo rs. a libra.
Licores francezes de todas as nulidades
de 7oo a Ooo rs a garrafa:
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
l.noo rs. a libra, desnecessario mais
elogios neste genero, que s se pode ve-
rificar com a vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
se far abatimento.
Marmelada do primeiro fabricante de Latea
a 6oo rs. a libra, ha latas de I, I I 2k
2 libras.
Massa de tomate em latas de I > 2 libras a
6oo rs. a libra.
Macan lio. taibarim ealetria a loo rs. a libra.
dem branca a 32o a libra.
Mostarda franceza preparada a loo rs. o
frasco,
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco
Molho inglez em garralinhas com rol has da
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquioho verdadeirode Zara a I,ooo rs.
agarrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozcs muito novas a 16o rs a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunlo para fiambre ingle/. verdadeirD,
garantindo-se a qualidade a Too rs. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. i libra c
6,5oo rs. a caixa.
dem para sopa estrellinha, pevide 'rodinha
cica 3,'ioors.a caixa, e a 96o rs. a libra.
boies marcas a c>o ooo >oixc oai-lillas hermticamente fechadas das
rs. a 'garrafa, c 9oo rs. eP^te > cavallinhas, e pescada a l,noo a lata.
Palitos para denles lidiados a lio rs,. "o ma-
co de 2o rs. o macinhos.
Idemdogz a 2oo rs. a duzia. .lo. r-,
a gmza.
Painni muito novo 12o i s. a libra e :{,ooo a
arroba.
Queijos flamengos, do ultimo vapor, a 2,:;oo
rs.
dem pratomuito fresvo a 8oo rs. a iibra c
sendo enteiro a 72o rs.
Sal refinado em potos de ty'droa '>.,, rs cada
um.
Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 2o < 32o rs. libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cata um.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
I,ioo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Ibetn de escovas
cada tima.
pira lavar casa a 36o rs.
Copos linos para agua e vinhoa 4,8ooo,ooo Volas de espermacele superiores a 56o rs.
e 5,5oo rs. a duzia, e ooo rs cada um. a libra.
Caf do Rio superior a 28o e 3oo rs. a libra, dem de carnauba refinada e de composiclo
e 7,5oo a 8,'ioo rs. a arroba. a 36ors. a libra, e de lo,3oo a ll,ooors.
Doce de goiab superiorem latas a 2,000 rs. a arroba.
Ervilhas porluguezas em latas cliegadas ul- Vnho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
Fitas.
Grande sortimento de tilas de diversas larguras,
e qualidades, por procos que admirara aos com- *00 rs- :ova(l0-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pone vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 2; s no Vigilante, rua do Crespo
u. 7.
Fitas de la.
Fitas de la de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante; rua do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura douraJa e
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim como com
celumnas de differentes tamanhos a i&, 35,45, .'5
e 65; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e ligaras. Vende-se urna propriedade com 800 bragas
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina, de testada, sila as margeos dos riachos Ba taln e
para enfete de sala, sebdo o melhor gosto que aqu Esquerdo, affluentes do Capibaribe, 18 legoas des-
tem apparecido; s ue Vigilante, rua do Crespo u praga de Fernambuco, 3 legoas da villa do Li-
n- 7. i moeiro, 8 da cidade da Victoria (Santo Anio), 4
Para pos de arroz. I da freguezia de Grvala, e 3 da povoarao de Pedra-
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz, tapada, onde ha frra todos os satinados, com 4 ca
h' qaeiotar!
Chapeos de palha a escosseza a 151 muito ha-
rato.
Brim luanco.
A 800, 15100 e 15280, e muito fino a 15600 a
vara, ditos pardos a 800, 900 e 15100 a vara.
otipa feita.
Completo sortimento de paletots, caigas, camisas
francezas e seroulas, e bem assim outras fazendas
que s a vista; tambem se do amostras, deixan-
do penhor. A loja est abena at as 8 horas da
noite.
timamente a 64o rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de ararula verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo
rs. cada una.
Favas porluguezas em latas chegadas lti-
mamente a 640 rs.
Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-l
. se, rainha Claudia e ginja a 7oo rs. a lata. ,
traixa nova a loo rs. a lata e l,loo rs. a ,dem de Lisboa branco uva pura a 36o r. a
jgj. i garrafa, e a 4,000 rs. a caada.
Gomma muito alva c nova a I6o rs. a libra. J8" Porl flDf1em P'Pa a 56 Ts- a &m?-
dem engrratelos generosos Lagrimas do
das marcas menos conhecidas a loo rs.
a garrafa e a 1,800 rs. a caada,
dem Figueira especialmente escolbido neste
lugar a 600 rs. a garrafa, e .5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com !) canarias mar-
ca especial a 22,000 rs. a ancora.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
composicao a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo
rs a canaria.
iJenebra de Hollanda em frasqueras com 12
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
Pedro V, Nctar, velho secco, .Malvasio
Genuino, Particular a Ooo e 1,2no rs. a gar-
arafa, e a 10,000 rs. a caixa com nina du-
zia.
frascos a 0,800 rs. e 560 rs. o frasco
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,800
rs. com o garrafo.
Hiera de tres canarias a 7,2oo rs. cada um. I
dem inglezas em garrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a garra-
com rolha de vidro qualidade superior a la, e a 12,ooo rs. a duzia.
l.ooo rs. a garrafa. dem Moscatel a 1,000 rs. a garrafa,
dem de laranja verdadeira a 1,000 rs. o dem Bordcaux das acreditadas marcas St.
frasco e 11 ,nnn a frasqueira de 12 frascos. Julien, SI. Esteph, cbaleau la Rose, clialau
l
Lihras de area preta da melhor qualidade a 120 |cous;i de muil0 goslo a i&soo e 25, assim como sas hat.itay.-is, que fazem quatro sitios, sendo urna
res.
Caixas redondas para rap e tem muilo bonitos ca
lungas a 100 rs.
4TTE\(40.
rhegaem a fonnka lavada.
A bordo do hate nacional Dous Irmaos ancora-
do defronte do trapiche fearp do Livramento, ven-
de-se esta superior farinlia lavada anda nao vista
neste mercado pelo barato prego de 35 o alqireire
ou 65 o -aceo sendo este prego granel, e tambam
na rua da Madie de uens ns. 5 e 0.
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no dcstas muilo grande por ter armazens e prensa de
Vigilante, rua do Crespo n. 7. ensacar algodao, com commodos do se levantar
Perfumaras. | machina, oulra tambem grande, com estribara e
Grande sortimento de-extractos e banhas,poma- casade fazer ^rj"", todo eoberto de lelha, outra
das, assim como de lindos
tinctivos e offerecimentos
Ihores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos debanba japoneza lea"" lres ,,e!'las casas curraes e ,odl,s cercados ao
de extractos e banhas.poma- casaue azei lamina, iuau couerto ae tena, outra
ndos copos ou vasos com dis- tambem commoda^ontra mais pequea, com casa e
utos as sinhasinhas dos me- eslriDaria> 7 a 8,000 covas de mandioca manipeba
ds autores de Pars e Inelater- do anno prximo passado, 2o alqueires de milho,
a 25 e a 15, assim como outros objectos que no.e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negoo; na loja do Gallo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Jl J i&J:iVlaja>L/ Vende^nm^e..e;t-Varr INJECCAO BROW.
, de 4 rodas para duas pessoag, con arrws de um Remedio infallivel contra as gnorrheas quizer dfrja-se a luja de Joaquim Ferreira Ramos,
Salitre .roado, snperior;_4oalldade, vlnho Bor- ou dous cavallos; do melhor gosto que se pode pe de algod.i fraizesj, e mais um cercado mnito
grande em m dos sitios chelo di- raizes de algo-
dao, duas grand- s plantas de capim, 50 80 ca-
beras de gado vaceum, e urna porcao ie ovelha ;
tem a propriedade bastante mata virgem, onde ha
minias madeiras de todo o misler : vende-se parte
a dinheiro, n-cebendo-se em pagamento algum es-
cravo, e o mais praso, todo negocio se faz : quem
deaux, differentes qualidades, mais barato que em encontrar ue>ta cidade, e est em perfeito estado :
Sualquer parte : do armazem de E. A. Burle & dirijam-se Agio P Pedro, na rua do Imperador
., rua da Cruz n. 48. i n. 38, casa do retratista auiericano Sr. Osborne.
cica" franceza, rua
o 34
da Cruz n. 22, pre-
quTn Ihe d as explicares cara se poder fazer
i negocio, ouao mesmo j-itio, lugar da propnedade
' tanque do Vieira, onde mora Joao Cajueiro.
Kirsch Wasser excellente bebida suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
Margoux e outros a 6,3oo rs. a caixa. e
36o rs. a garrafa.
(EKVEJI JK^g IIllifitlli
a SOO r. o copo
4|neljo de ninas ehogaifo no vapor
dem prato mnito freseo
dem snisso superior C
Idem londrino superior.
57 Rua do Imperador 57
ILEGVELl


L
MUTILADO



---

:J
Diario lie Pernaiubuco weguuda elra 3 de Outubro de 1M4.


RA 1IO QUUOIAUO X. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.


mm
iM
NOVIDADE

Pereira Rocha C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um arraazem de molhados denominado. Clarim Commer-
cial, onde o respeitavcl publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
qmes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India c Java a O, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
100 rs. a libra, e 1(5800, 20600 e 3*000
a arroba,
Ameixas francezas em latas e em frascos a
15200 e 1(5600, e em frascos grandes a
2>5U0.
dem em caixinbas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,15400, 1)5600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a iOOO a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas I Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
grandes a 960 rs. a garrafa, Tuicinho de Lisboa a 320 rs. a libra,
dem de Lisboa a6i0 rs. a garrafa. lijlos de limpar facas a 140 rs.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a | Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
libra.
Pateco a 200 rs. a libra. rs- a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra:
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
mnito novo a 6iO rs. i dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinbas
dem prato. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
dem londrio chegado no ultimo vapor a: 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
900 rs. a libra. jFarinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs. dem de trigo a 120 rs. a libra.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1030" rs.
Bolachinhas de soda, lalasgrandes, a 20 rs.
a I -i la.
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra.
Banha de porco retinada a 4iO rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 2i80i) e 3000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveza preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac infflez fino i9Q^ rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 72" rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e especi tmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200 M, 20200, 20500, 20SO, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
^ rs. a libra e 8050" a 80800 rs. a arroba.
Cartoes de holinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
dem stearinas muito superiores a 6( O r.
libra.
Figos em caixinbas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e Je varias marcas, como
sejun : Velno de 1815, Duque do Porto,
Madeira, Pedro, D. Luiz I Mara Pa,
Bocavre Chamisso e outrns a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480. 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
IdemMorgauxeCbateauluminide 1851, a 10
a garrafa.
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
16200rs. a caada.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
'a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrames de 3 e 5 galoes a 50500
e 70500 cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, quaiidade especial em garrafas muito
grandes, a 10800 a garrafa.
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nhefro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maga de tomates em barril a i80 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 i rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Grande liquidado.
Roa da Iniperatriz o. O.
Loja de fazendas do l'avo de Gama & Silva.
Actia-se esta eslabelecimento completamente
sortido de fazendas iuglezas, francezas, alienis e
sonsas, proprias tanto para a praca como para o
matto, prometiendo venderle mais batato do i|iie
em outra quaiquer parle principalmente sendo em
porc.o, e de todas as f.izemlas dao-se as amostras,
deixando car penhor, ou mandam-se levar em
casa pelos caixerosdaloja do Pavao.
As chitas do Pavo.
Vendem-se chitas inglezas ii:iras e escuras pelo
barato prego de 240. 260 e 280 rs. o covado, tintas
seguras ; ditas francozas de cores seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padroes : s na loja do
Pavo.
As lazinhas da eiposito do Pavo.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
ten vindo ao mercado, proprias para vestidos e
0
0PHETA
AO REMPJBITAVKA PUBLICO,
"RA DAS CINCO POMAS N. 86
Inquinada nova ravessa de *. loo.
U-sejaiido o proprietario do grande armazem do Propheta ir tat-
gasaoseu genio emprebendedor, commeicial c especulativo, resobren reiler a inspiracio
aue o assallou, quando as horas caladas da noite o seu solicito espirito se agilava ri'um
soutembarques por serem lisas e decores muiio,turblhao de ideas, tendentes todas a Lera seivir o agradar aos grnerosos habitantes
delicadas 360 e 500 rs.; ditas lisas com um lustre! desta bella provincia, de abrir mais esle grande ChlabelecimeBln de novos
3SadSsededsedaa!St ott fim S es<*lhdos en,erS' ** ,?UC "VFV* ,desU,nados ,as P *<"" na b+
bar : na loja e armazem de Gama Silva, ra da gue/.ia de S. Jos, e aquelles senhoies que transitara pela va terrea, para quem a W-
tmperatnz n. 60. I dade sao sem corita o numero das vantaggns. queso Ihes offerecc, nao t coa rt-lafat) a
Os vestidos do Pavo. modicidade dos Bretes, como da facilidade e brevidade da condueco dos objeclos cn-
Vendem-sc os mais modernos cortes de vestido prados
3 J^tE 1el ul,i,n,0.v:ipor' com *"s *0 sonho do Propheta ser tuna verdade rratica lo aceita e abracada cerno w
barras de cor, corpinho o collete separado ; ditos v. .* ,,,, ', ,, .....,. :i. ,_
com listas de seda e tambem com barras e enfei- palavras simples e bem intencionadas dos velhos palnai das desses lempos idos, si o Se-
testara o corpo, por preco mais barato do que em nhor Deus dos exercilos nao o quizer contrariar.
outra quaiquer parle, e se quizerem urna prava o Propheta nao querendo re>trngir-se a forma or-naria d-~ negociar reoI*fui
S'at^ea'tSK I?*-. *P* ^ fto" f^ "*> vender snienle os nm f eros a fl-
Os vestidos Baria Pia. S o Pavo (85000). nhe"' correrte : mas tambem de por em pratica a troca delles por oulros da predercao
Vendem-se os mais lindos vestidos alaria Pia do paz ou por escravos, bois. cavallos, etc. Assim, pois, lique na intelliger ca de tet'os,
de lazmha transparente cora lisias, e paiminbas que o propheta recbela como moeda de quaiquer dos senhores agricuiteres, ssurar,
de seda pelo barato preeo de 85 cada corte : s algodo, agurdeme, milbo, feijo, cavallos, escravos, etc., etc. e Ihcs dar O MM vatoc
ma&Jas?lvaPaVa **"* Irapcra,riz D' b0'de Ga" em gneros, escolbidos a contento.
As eassas do Pavo a 210, 280, 300, 320 e 0uanJo a importancia dos gneros apartados for menor do que a Jos objectos r-
36q rs cbidos por troca, o ropheta nao demorara a dillercnca que (leve dar em mm nj.
S o Pavo vende as finissimas eassas persianas t'm eslabelecimento que com tantos sacrificios e despt/.as acaba de ?er at M : mitacao de a, com cores lixas, 360 rs. o co- deve inspirar a todos a certeza de que se vender muito barato com o lim de se adqpt
vado ; ditas francezas muito finas 240, 280,300 rjr crdito e fregue/ia.
covado, sto para acabar : ra da
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80,
K'O e 12U rs. a libra, e a .roba a i>800,
2??;iJU e 2#800.
Amendoas a 20 rs. a libra.
e320rs. o
Iniperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madapoles do Pavo
Vende-se peca de madapolao infestado rom 12
jardas cada peja pelo barato preco de 45, 45500 e
55 cada pe?a, fazenda muito superior : s o Pa-
vo ra da Imperatriz n. 50, notando que a peca
leva urna etiqueta com o Pavao pintado para nao Ameixas francezas a I 200, 1*5400 e I 600
haver duvidas nem engaos : isto previne o Pa-
vao, de Gama & Silva.
tramante de linlio do Pavo
dem em botija a WOe 100 r-. a botip.
Graixa em lausa 12G0 a duzia.
Limonadas de diversas fructas a IjOGO o
frasco.
Licores inglezes e francezes a I 000, IJMI
e 25 a garrafa.
>tf. 400. 2,^600.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por preco muito commo-
do, por ler de acabar a factura, a vara por
25200, 25400, e 25600 ; s o Pavao : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de linho d Pava.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura propno para lences e loalhas de mao pelo
baralissimo prego de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
godaozinho com oito palmos de largura proprio
para-lences, pelo baralissimo preco de 15 a vara,
Macas linas para sopa: estrellinha, pevide, fssim como ,em melhor a|g?d5ozinh<; ^l0 em
' largura como em corpo, proprio para lentoes, ca-
misas de escravos, etc., ele, preco muito commo
rodinha e. aletria a 600 rs. a libra e a 4
a caixinha com 12 libras.
Nozcs muito novas a 160 rs. a libra.
' Peixe em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 1 a lata,
Paliios de dentes a ICO rs. o maco.
Kirsk garrafas muito grandes a ISSOOrs.
Alm dos gneros cima mencionados le-J dem de (lentes a 120 rs.
mos grande porco do outros que dcixamos, dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudoser vendido por! Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porces como Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
retalho- 2 e em caixao a 640 rs.
Quem comprar de I00>000 para cima te- 'Palitos do gaz a 2#200 a groza.
r o abate de ij por cont. jPassas muito novas a 480 rs. a libra.
Albnns superiores para re-
tratos.
A A?uia Baanca sempre disposta bem servir
.gradar a sua boa freguezia, manoou vir e acaua
de receber um bello -ortmiento de albuns de supe-
rior encadernaeao e apurado posto, com especial!.
dade os de capa de niulirri com lavores, outros
guarnecidos de tartaruga com trancas de prata,
outros maronetados di^ madrependa cnm trancas
de prata uourada, outros de velludo etc. ele. Para
quem tem gosto e dinheiro, um lbum assim per-1
feito sera duvida o mais apropriado para Relie
se depositar os retratos de charos pas, bous pa-
reulese amigos. Em quanto, porm, esses albuns
se tornam notaveis por sua perfei^an e bom gosto,
outros recibidos na mesma oceasiao,se tornam re-
commendados pela conimodidado de precos vista
da boa obra. Assim pois o pretndeme ser ser-
vido conformo o dinheiro que quizer dispor para
esse lim, adiando sortimento para 24, 50, 60 e 80
retalos: na ra do Queimado, loja d'Aguia Bran-
ca n. 8.
l'arteiras e bolsas para
y viagem.
Na loja d'Aguia Branca, ra do Queimado n. 8,
vendem-se carteiras cnm correias para traze-las a
tiracolo, e bolsas de tapete, tudo para viagens.
Perfumaras inglezas.
A Aguia Branca, conhecendo a bem merecida
estima que os apreciadores do bom dao s perfu-
maras inglezas, por isso niandou vir o esplendido
sortimento que acaba de receber, e os acreditados
nomes dos bem conhecidos fabricantes J. Gosnell
S C., Xapoleao Priee & C. sao bastantes para co-
nhecer-se a superinridade deltas. Consiste esse
bello e variado sortimento em pequeas quantida-
iles LOJA 110 BIJi FLOH. MACHINAS DEPATEME
Ra do Queimado ns. 63e 69.
lloucu do gb.VO.
Lindas lioneras de choro que chaman) papai e
mamai, de diversos lamanbos : s as lojas dobei-
ja-llr, ra do Queimado ns. 6:1 e 6(J.
Linas de pellica.
Luvas de pellica brama e de cores para homens
e senhoras : as tojas do beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 61.
Fivellas para cintos.
Lindas fivellas donradas com lindas ppdras para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 6J e 69.
Capel las para uoivas.
Lindas capellas para Duivas 25"i00 cada tuna :
as lojas do beija-flor, na do Queimado ns. 6:| c
e69.
F.siojns para barba.
Vende-se estofoscom ospelho para barba 1O0
e 2000 cada tira : as lojas do biija-llor, ra do
Queimado ns. l:] e 69.
Balaios para meninas.
Recebeu-se ^kivo sortimento de balaios, com
forma de varios passaros, pelo barato preco de....
15000 at -3 cada um : as lojas do beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas linas para cintos,
lucas litas finas lavradas de bonitas coros para
cintos : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
d. 63e69.
F.\liaclos em camodas.
Finos extractos em caixinhas com o retrato da
familia imperial: as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Salmo em caixinlias.
Finos saboes em caixinhas com vanos retratos
le trabalhar mao para
desearo^ar algodo
Por Pla Brothers & C.
OLDAM
em latas, frascos e lindas caiebinhas muito Lingoas americanas a 800 rs. cada uma
proprias para memosear alguem, Linjiuicas proniplas em latas a tfri O a lata.
Amendoas confeitadas em fra-cos de vidro i Manteiga ingleza i.esle genero o que la da
a Id o frasco. melhor a 8U0 rs. a librae em bail a 700
Alpiste a 160 rs. a libra e a 'i,)o00 a arroba, i rs.
Azeite doce francez a 90*i rs. a garrafa. dem mais baixa a 640 e 720 is a libra
Azeite de Lisboa a 010 rs. a garrafa e 4800 Manteiga franceza a 320 rs. a libra, em barril
a caada. i a 6 40 rs a libra em rttalbo.
Azeite doce emboioes com 9 garrafas a 3.'>C0 Massa de tomate,* 3 640 rs. ; libra.
com o boiao. Marmelada muito nova a 640 r*. a litro.
Azeitonas por todo o preco. Molbos inglezes a 400 e 640 r>. a ganalii ba.
Biscoitos inglezes de diversas marcas a I 300 Mostarda preparada a 460 e 640 rs. o basan
a lata. Massas para sopa macarro, talharini e a!tria
Bolachinhas de soda, oval e lunch a #000 a 400 rs. a libia.
a lata com 3 libras, dem finas em caixinbas a 3fH 00 a eaixii aa.
Bolachinhas americanas em barricas 26 Marrasquino de Zara rerda&eiro a 1;. libras a 2500o. I frasco.
Banha de porco da melhor quaiidade a 360 dem raaisbaixo aSOOrs. e 15000 o fraat*
rs. a libra. Milho mi saccasiom SOcoiasa .1*5(0.
Prezunto ingle/, rara rarnbre viudo no l!; ico
vapor a 81 0 rs. a libra.
perior a 1>->W, b^uuh e o.iouu a dem mais antgo a 640 rs. a libra.
aft Pavsn a da1 arroba. i dem do Porto a 640 rs. c sendo inteiro a
o iavao e so ao, ^ ^^ ^MfQ ^^ Q que h- de me,ho_ | y, 0 rg ;) |jbr)
assim como lambem temos baixo pelos pre- Passas tovas a OO rs. a libra.
eos seguintes: i4'0, 1(5';<(, 1)800. Polvo a li'O rs. a libra,
de familia como para hoieis, botequins, etc. ele, j 400. 2-> pelo baralissimo preco de 35 a duzia, isto s na charutos de todas as melhores e peores mar- Pomada a 2i0 rs. a duzia.
do vista da fazenda; s o Pavao : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Algodozinho com toque de avaria a ,000 ris
e 4,800 /
Vende-se pega de algodozinho por (&/um pe-
Silva.
Os guardanapos econmicos
Pavo
Vendem-se os mais lindos c modernos guarda
apos econmicos e todo bnlio, tanto para as casas
do Pavao ra da Imperatriz d. 00, j Gama
ilva.
soiileniliarque do Pavao a
9 el2.
endem-so os mais finos soutembaniues que
teejh vindo ao mercado, sendo de caxemira de co-
ref pelo diminutissimo preco de li cada um, di-
tos ae musamniijiio pei Ditmnuiu nr^u uu :a, ><')
na loja do Pavao, mas que se nao pnganem : ra
da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
itoalhado do Pavo.
a libra.
la a, savel, cr*-
Estas machinas
podem descarogar
quaiquer especie
'-de algodo sem |
fio,
tanle
ara
pode
dcscarogar uma
arroba de algo-
Vende-se panno de linho adamascado proprio' or 3'*0 rs branca e Ul'cta
cas do mercado aBO, JftOOO. I>600, 25, Pimenta do reino a 320 rs.
2580O, 36000, 40COO,5<5OOO, i#S00e6 Peixe em latas a l^CiO a
ocento. I vina, pargo e outros.
Chouricas as mai^-novas do mercado a 125 Papel de puso 2(54'Oti a resma.
o barril com garroba e 480 Vs. a tioM.a dem dem muito lino ,i 0OCO ^" (;
ellas que pehincha. I dem roarfim a i >.' 0.
Chocolate magnifico a 1-jOOO c I jOO a libra. Idcm almasso a :<>I00, 35500 o ttf 06
Cerveja marca a mais acreditada que tem f-ieiu para enilin Iho ;i hyioo a rcsrr.a.
vindo a 300 rs. a gnala, c meia garrafas Palitos para dentes macos c< ni 2( niatir.tu
para toalhas de mesa, polo diminuto preco d 2,3dl)0
rs. a vara, guardanapos de linho a 35 a nnzia,
toalhas de mao a 35 cada duzia, na loja do Pavao,
Conservas inglezas a80rs. o frasco fazenda
chique.
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. dem francezas a y( 0 f>. o frasco.
15' s o Pavo (a 3$50V). .Cevadinha de Franca a 2i0 rs. a libra.
Quem tem baloes por tal preco Champagne da melhor marca que aqui tem
Vendem-se os balos americanos muito saperio-j vindo a 20? e 245 o "o.
res com O e 2o arcos pelo baralissimo pirco de pno,..,i. niA? P iV-uuv?
25500 e 45, ditos de 23, 30 e33 arcos com fitas, W>8aKinglCZ Ii.UiuZ
muito bem armados e landiera tem cores escuras. garala.
meira quaiidade em frascos de diversos tamanhos as lojas do beija-flor,ra do Queimado ns. 63 e 69.
e formas, fazendo-se notaveis entre elles os que
vem em urna careira de tres, com os quacs por
sua elegancia e boodade se faz um bello presente ;
assim como oulros frascos com finas essencias con-
centradas, outros com excellentes leos para ca-
bellos, e outros finalmente com agua de Lavaader
sublimada ; e bem assim finos sabenelcs em paco-
tes e caixiuhas com tres, bonitas e delicadas al-
mofadinhas com pastilhas em p, as quaes deitan-
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s
deixam toda a roupa cheirosa, como afugentam
Tiras bordadas.
Vendem-se liras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do biija-llor, ra do Queimado ns.
63 c 69.
Ii'iji s de domin.
Vendem-se jogos de domin 13200 c 15300 .
as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns. 63
c 69.
Oabados bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
baratas, tracas, etc., etc. Em quanto, porm, a vanos precos : as lojas do beija-flor, ra do
j nao entra em duvida. Queimado ns. 63 o 69.
commodidade dos precos
uma vez que o pretndeme compareca munido de
dinheiro e disposto a fazer gasto na loja d'Aguia
Branca, ra do Queimado n. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excellentes brinquedos para crianzas: vendem-
se a 500 rs. cada ama : na ra do Queimado, loja
d'Aguia Branca n. 8.
Abafadores de rede.
Vendem-se abafadores de rede de varias cores
800 ts. cada um : as lojas do beija flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Idcrecos pretos.
Tcndo-se reeebido aderecos pretos de novo ges-
to sao expostos venda : as lojas do boja-flor
ra do Queimado ns. 63 e 69.
liravatas para senhoras.
Lindas grvalas para senhora 800 rs. e 15000
EspthOS Cdlll molduras pretas 15200 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
6 (Muradas Esp#luos de moldura.
A Aga Branca, na ra do Queimado n. 8, re-! Vendem-se espelhos de moldura preta para a-
cebeu um bom sortimento de espelhos de difieren- las : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
tes tamangos com molduras prelas e douradas, e 63 e 69.
os est veaoendo por precos commodos. UUis de a|jflfarCs
rlllCl tflf lZ Lindas vollinhas de aljofares com cruz de pedri-
- *? "has imitando brilhantes 15000 cada uma : as
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re- |,s do beba-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
ceheu um novo sortimento de papel inglez liso e fritares oara sna
faa^a^VSge?radS%CadeasPeqUen' *** dt'S'C I ******* colheres de meu.-principe para sopa
lambem com 1^ ra.Honradas., 35000 cada uma : as lojas do beija-llor, ra do
EneiteS mVISIVeiS j Queimado os. 63 e_69.
A Aguia Branca, na na do Queimado n. 8, rece- [ Laa para bordar,
heu novos enfeites invisiveis, os quaes pela finura >ei>e se laa para bordar, a melhor que se pode
do tecido e bom sosto lem merecido tanta estima encontrar, lauto na quaiidade, como as rrps.a
t, a o5MH) a libra : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
Treparos para flores. I mad w.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
A Agnia Branca, na ra do Queimado n. t, re- sonimp^,, dp mi,lp71c hna m mais han tas do
ceben novos prearos para flores, sendo papel de mmmliS&frJS
cores para rosas, dito verde para folhas, folhas de !"- ou'ra quaiquer parle._______________
panno e velludo, caixas de trigo, ditas de uvas r _.
brancas e rosas, e como sempre conlinuam a ser I ..."' r '"*
vendidos por precos commodos. 5f ?r* 1cr a mi's nova' e n nmamente ene-
----------L__ -______________gada ao mercado, em bem acondicionados barns :
Vende-ae a armacao de uma taberna na roa no armazem de Manoel Teixeira Bastos, roa do
Imperial n. U2 : a tratar na roa |Ja Guia n.5I. Trapiche D. 13, por preco razoareL
robas de algodo
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vantagens de nao destruir o fio do al-
godo e de fazer render o dobro de quaiquer ou-
tra com menos traba Iho, a sua introduccao para i
as provincias deste imperio ser de mulo valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema.oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podem descarocar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
0 algodo descansado por estas machinas tem
muito mais cstimacao nos mercados de Europa e
vende-se por maior*preco.
As machinas se acham venda unicameni em
casa de
Saunders Brothers & C.
X. II, prava do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
dao em caroco
em W minutos, I pelo barato preco de 35500 cada um :
ou 18 arrobas! do Pavao, ra da Imperatriz n. 60,
por dia ou o ar-1 Silva.
0 ?'avo vende para lulo.
a 80,12o e 2(iO rs. o maco.
Palitos ilo gaz a 2'(Ki0a gro>a.
Queijos amerigos do ultimo vapoi a -''^OO.
Mem londriooa 'M 0 rs. a libra,
dem prato a 040 rs. a libra.
Rap Meurona 1A(00 a libra.
Sag e sevadinha a 240e V2H0 rs. i iilr,
a 800 rs. e J C00 a 'Sardinhas de Nantesa 3'0, .it,o e_360 i*.
lata.
s na loja I Ceblas por lodo proco. SabSo massa a 120, 180, 200 e 240 rs a
de Gama & | Copos lapidados que sempre se venderam e' libra, o .'in caixoes por meiuis.
se vendem em militas parles a 83 c 103, Sal refinado a 000 rs. o wzo (pote de viro.)
vendemos a ">'' 0 e 6)00 a duzia.
\ende-se superior setim da Lhma, fazenda toda ( .-, vir i :
de 15a sera lustre tendo 6 palmos do largura pro-1 J;0P0s jara.\ml"? a '*'.' a, u/ia-, ...
prio para vestidos, capas, paletois, caitas, etc.,!Doces de calda vindos deL'sboa neste ultimo
RIVAL SEM SEGUNDO.
pelo baralissimo preco de .J, 232i 0, 2o e 3<5 o
covado, eassas pretas lisas, chitas pretas largas e
estrellas, manguitos, colarinhos, punhns, e enfeites,
tudo preto proprio para lulo fechado, e muitos ou-
tros arligos que se vendem por precos mais em
conla do que em outra quaiquer parte por eslar
liquidando ; s na loja do Pavao ra da-Impera-
tiiz n. 60, de Gama & Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que. tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor lem na loja do Pavao pelo
barato preco de 600 rs. o covado ; dilas de lisli-
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ralissimo prego de 300 rs. o covado ; garanlem-so
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Pars : isto na loja do Pavao ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Touc'mho de Lisboa, de Santos e amere-r
a 100, 210 e 32u rs. a libra e em arn ta
a 5, 7, o 9,5000.
vapora 0 rs. a lata das melhores buc- lijlos para limpar facasa!60rs. rada ira.
As chitas do Pavo too e
808OO o corte.
Vendem-so cortes de chita rom dez covados
25W0, ditos 2,5800, com 12 covados; sao chitas
Ra do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo- inglezas, mas padroes bonitos e tintas seguras ;
s Bigodinho, venhain ver a pechincha que se est I assim tem as melhores chitas francezas e de tm
acabando certas qualidades de fazenda.
Pecas de fitas elsticas com 10 varas a..
Ditas do tranca branca lisa com 10 varas.
Ditas de tranga preta lisa a............
Itealejos para meninos, pechincha a...
Rodinhas com superiores allinetes a.....
Caisas com superiores agulhas e limpas a
Saboneles de familia, muito finos a 80 e..
Pares de sapalos delaa para criancas a..
Varas de babado do Porto muito bom a
100, 120e........................
Ditas de bico largo grosso a............
Potes de superior tinta tem mais de meia
garrafa a..........................
Caixas com perfumaras muito bonitas a.
Frascos de oleo do macaca muito fino a .
Ditos de oleo de babosa' superior a 240.
320, 400 e.............17..........
Ditos de cheiros muito superiores em qua-
iidade a...........................
Ditos de agua de colonia muito boa a....
Ditos de dita dita grande a..........
Saboneles de todo o prego 60, 160, 200,
320 e.............................
240
100
60
120
20
200
160
400
160
100
320
500
100
tas seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 800 rs. o covado : na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos e golli-
nhas bordada?, pelo barato preco de 1 e 1280
cada um, manguitos s 800 rs. cada par, ditos
com golinha a 800 rs., golnhas 400 e 480 rs., de
fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 25 cada
uma, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente grvala de seda, fazenda
fina, pelo barato preco de 3, e muitas outras
bordadas que se vendem por precos muito em
conta : s na loja do Pavao ra "da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As roupas do Pavo
Vende-se panno preto lino muito superior pelo
barato preco de 2, 2o00, 3, 35500 e !#, dito
mullo fino' 55 e 65 o covado, casimira preta de
I0jj uma s largura e mulo fina a 15800,25 e 25500
500
320
400
800
tas da Europa,
dem da goiaba e da casca o melhor rjue o
possivel [ior diversos presos, e conforme
o tamanho dos ca'xes.
Ervilhas em latas a GiOrs. a lata.
dem seccas a 200 rs a libra.
Espermaeele americano a I #200 a libra,
dem francez a 560 rs. o masso com 6 velas.
Figos de comadre em caixinbas muito lindas
a 800 rs a caixa.
rarielia de trigo a 120 e 140 rs a libra.
Farinha do Maranhao a 24" rs. a libra.
Fumo do Para a 45800 a lata erando.
Fumo americano a I#400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros a
rs. o maco.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a 30800
Genebra de laranja I # o frasco.
dem de Irollanda a oOO rs. o frasco.
I
Fracoi dp nnprinr hnnh* i m!i...... son covado, corles de casimira de cores a 55,
J 55500 e 65, casimiras entestadas de uma s cor
nroprias para caigas, palelots. coleles, capas e para I (
limpar dentes muito
Caixas de p para
^ fino a-............................ ioo
Ditos de banha transparente a.......... 600
Pares de ligas muito linas para senhora a 300
Sabonetes inglezes da melhor quaiidade a 320
Frascos de agua dentriflee superior ga-
ranlida a.......................... j ooo
Massos com 25 envelopes grandes azula-
,.do >.......................... 100
V aras de fita preta com clcheles a..... 100
Frascos de macaca perola muito superior 200
Caixas com peonas grandes a......... 200
Grasas de botes para caiga preta, miudos 100
Libras de memento da roupa de lavar a.. 200
Carritels de retroz de todas as cores e
tem meia oiiava de retroz a......... 200
Varas de bicos de diferentes larguras a 60
l
:
roupas de menino* a 35500 o covado, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n."60, de Gama &
Silva._________________:__________._______
Potassa da nimsla,
da mais superior desembarcada hontcm : vnde-
se no escriptorio de Manoel Ignacio de iiveira &
Filho, largo do Corpo Santo n. 10.
Goiiima de mandioca.
Vende-so na ra da Madre de Dos n. 38, ar-
nazem.__________^____^_______
Vende-se um mulato por preco barato : pa-
ra ver, na casa de delenco, o tratar, no pateo do
rergou. 9.
Vlnho do Porto em ancoras com 70 garrafas
a 300OO.
Vinhos de Lisboa eFigueira qnaridatoi *
Diucas a 33000, 35< 0 e 4dO-0 a can- d i
Vinho do Porto em pipa a S e G000 a camdfe,
Vinho branco de Lisboa e Porto em oras,
barris e pipas a WOOOe 55000 a canaria.
Vinagre de Lisboa a I 1600 e ifiOO a cana
da.
Vinagre ein garrafoes por lC00 com o gar-
rafao.
Vinagre em ancoras para I 600 coa a anona
de 9 caadas.
Vassouras americanas utUO rs. cada vrr.j.
200 Vinho dellordeaux ueste genero temos grar.d
poreo e das qualidades meltOMi que :*ir
vinoo ao nosso mi-rcado em garrafas, taa
ancoras, em bai riso (pirtelas o qual ven-
demos por procos muito baiat
v
BALIZA
DECLARACAO.
O BALIZA declara pelo prezente que
deixa de publicar os precos pelos quaes ven- ,*/-\.
de as suas mercaduras por motivos respeitavel publico pouco intereca. Serve a
provisoriamente de baze os precos do Pro-
pheta.
/

RIEM DO DIA.

O BALIZA concede plena liberdade aos
sena amaveis colletas arns, Unioes. mitra-
dos e croados, para que possan sallar, bpr- jfl~-\
rar e tudo mais quanto Ibes aproover. at
a sua segunda ordem. ^,'\




- ;
!""%
-
Diario 9 rwmmmttmmm Megunda Irfra 3 tfe titubro de f H4

GRANDE
Largo da
fSanta Cruz
n.84.
Esquina
da ra do'
Sebo n. 84.!
AURORA BltU.H\NTE
Francisco Jos Fernandos Pires, proprietario do arnrnem de molliados denominado
Aurora brilhante) ao largo da Santa Cruz n. 8i, esquina da ra do Sebo, faz seiente ao
respeilavel publico desla cidade e do interior, que no seu importante estabelecimente
vendor sempre gneros novos c de primeira qualidade, e vender a todos pelo mesmo
proco.
O completo .-.orlimento de todos os gneros finos e grosso* que costnmam ter outros
eatabeleeimentos desla ordem se encontrarao sempro no armazem da Aurora Brilhante
e sempre em grande escala vontade dos senhores compradores.
O proprietario do acunan Aurora Brilhante pede a lodos os senhores e senhoras
que quando tiverem de mandar suas relacSes a este estabelecimftnto por seus criados
leja em carta fechada ou com grande recommendacao a este armazem, certos de que
serio to beta servidas como se vienen pessoalmente.
A Aurora Brilhante troca qualquer ura genero que por acaso nao agrade, e recebe
as libras esterinas a 9000, sondo por compra : a tabella du seus gneros ser mudada
todas as semanas.
Amendoas confortadas a libra a 800. Carne e liuguica do sertao.
Manteca ingleza flor a 800, 960 e 1.5120.
Dita mais abaixo a GiO e 720 rs.
Dita franceza nova libra 6W e em barril a
560 e 600 rs.
Chocolate sanie muito novo a i200 a libra.
Cha perola o melhur que ha ( redondo) a
libra a 300 e 2&800.
Dito dito mais abaixo a 24500 e 2&800.
Dito uxim muito lino a 25800 e i
Di lo hysson superior a 20000 e 2*800.
Dito mais abaixo a 2$ o S300.
Dito prelo muito fino a 2*500.
Dilo em massos a t&.
Dito do ltio em latas de &j 2 e 1 libra
1*300.
Caf de Moca superior arroba 9*500 e libra
300 e 280 rs.
Ditodo ltio e do Ccar arroba 84500 c libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 8* e libra 200 rs.
Barricas com bolachinha ingleza nova
3*.
Latas com bolachinha de soda de 5 libras a
2*300.
Bitas com ditas sortidas de 2 libras a l*i00
Frascos com alucinas francezas a 1*600,
10 '"
Latas coinditas a 1*100,2*200 e 4j.
Ditas com figos de comadre a 1*300.
CaiKinhas con ditos muito novos.
Presunto de Lamego muito novo a libra 50
rs. inteiro e a retalho 606 rs.
Cliouricas e paios novo* a libra 600 rs.
Ditas com ervilhas fraucezas e portuguezas
a 800 rs.
Ditas com massa de tomate novo libra 360
rs. e em carril a 500 rs.
Ditas com ostras a 720 rs.
Ditas com marmelada do< mothores autores
de Lisboa a libra 640 e 720.
Potes com musiurJa franceza preparada a
libra 480 rs,
Dita dita iuglezaa 800 e 1*.
Queijos novos do vapor a 2*200 e 2*800.
Ditos de prato enplicado a 1*.
Dito suisso a 800 rs.
Dito de mauteiga do Serid a 800 rs.
Caixas cun passas novas de 1 arroba 7-3,
mida 3*500 e quarto 2* e libra 480 rs.
Amendoas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 6*.
Nozes libra 1(50 e arroba 5*,
Charutos linos de Simas, e dos melhores fa-
bricanies da Babia de 2* 8* caixas d
100 e 50.
Crozas de caixinhas de palitos do gaz,a i5200
e 200 rs. a duzia.
Barris com azeitonas novas a 1*200 e 2*
barris prandes.
Vassonras do Porto piassava rnuito seguras a
400 rs.
Azeite doce franc.cz dos melhores fabrican-
tes, caixa 10* e a garrafa 1*.
Caixas com vinho Bordouax brauco e tinto.
Vinho do Poito lino em barris de 5o que ra-
ras wzi's appareee por 80* e cm cauada
a 5,8300 e narrafa a 800 rs.
Dito de Figueira puro caada '1* e 4*300 e
garrafa a 480 e 560 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 3*500 e
4* e a garrafa a 440 e 480 rs.
Cognac verdadero a garrafa 1* e 1*280.
Viiilu moscatel duzia 10* e garrafa 1*,
Vinho hranco de muito boa qualidade cana-
da 4* e garrafa 480 rs.
Dito Xerc lino caada 7*500 e garrafa a
1*200.
Dito Madeira secca agarrafa 1*600 e 2*.
Dito em caixas de nma duzia do Porto dos
melhores autores a 12*. 145 e 16*.
Garrafas com licor iuo francez a 1*, 1*200
e 15600.
Ditas com vinho de caj muilo claro a 1*.
Ditas com mel de abelha puro a 1*.
Frascos rom genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 1*.
Dito de urna garrafa a 560 rs.
Dito de laranja verdadeira a 1*200.
Pntes com mostarda preparada a 320 e 400 rs.
Caivas com 2 arrobas de batatas a 2*500.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa
a 45800 a caada e 640 rs. a ganafa.
Espirito de vinho a 400 rs. a garrafa.
Duas redes muilo bem feitas para dormir
vindas de Sobral a 305 cada urna.
E outros inultos gneros de primeira qualidade que nao
e posslvel menciona-los.
A satisfaco da Aurora Brilhante vender muito, embora barato, mas DINHEIBO,
abatendo cinco por cent a quem comprar de 100*000 para cima.
Duzia do graxa latas grandes a 1*.
Caixas com 23 massos de velas de sperioa-
cete a 560 rs. a libra.
Ditas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com uma arroba de velas do Arai-a-
ty 10*500 e libra 400 rs.
Ditas de composico arroba 10* e libra 360
ris.
Saceos grandes com farinha de Goianna mui-
to boa a 5*300.
Ditos com inilhc novo com 24 cuias a 3*300.
Dito com .nv lo de Lisboa a 5*500 e 120
a libras
Dito com arroz de casca a SOOO.
Duzia de garrafas de cerveja branca c preta
a 5*300 e em barricas a 5*000.
Arroz do Maranho em saceos arroba 2*600
2*400 e libra 100 e 80 rs.
Dito da India e Java arroba 3* e libra 120.
Araruta verdadeira arroba 8* e libra 320
rs., irritaran.-!.
Gomma do Aracaty para engommar arroba
5* e libra 160 rs.
Farinha do Maranho nova libra 320 rs.
Ervilhas seccas muilo novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 3*200 e libra 120 rs.
Graxa de boiao 97 a 280 rs.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanhol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto de diversos tainauhos de 320
a 2*.
Capachos para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de biuo arro- a 4*300 e libra 160 rs.
Painco arroba 55500 e libra 200 rs.
Milho alpista arroba 4*800 e libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 1*300 e garrafa
200, 240 o 320 rs.
Massos de palitos do denles com 20 massi-
nhos a 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Resmas de papel almaco pautadla 4*300.
Dito greve liso o molhor que ha a 4*300.
Dito de peso e pautado a 2jo00 e 2*800.
Garrafoes com 23 e 15 garrafas de verda-
deira genebra de Hollanda por 8*500 e
6*000 rs.
Azeite de cc.o garrafa 560 rs. e carrapato
360 e caada 2*560.
Caixoes com doce de goiaba a 640, 800 e
1*.
Toucinho de Lisboa arroba 9*500 e libra
320 rs.
Dito de Santos arroba 6* e libra 280 rs.
Mulhos com grandes ceblas a 3600.
Cento de dita sulla a 1*600.
Mauncos de alhos a 120 rs.
Gordas de pastare de andaime.
Pavas da ilha de S. Miguel arroba 3*200 e
libra 120 rs.
Copos lapidados para agua e vinho a 3*500,
53800, 63 e 7*.
Ditos lisos para varios precos.
Calix lapidados grandes e pequeos duzia
3, 4 e 5* ; e 400 e 500 rs. cada um.
Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
tra a 400 rs.
Estrellaba e pevide libra 640 rs.
Xaropc de fincas nacionaes a garrafa 600
ris.
Marrasquinhp de Zara da melhor qualidade
agarrafa 1*200 e 800 rs.
Esleirs de tranca, cento a 205 e 240 cada
uma.
Queijos de anadia novos, arrota 16* e libra
a 560.
Duzia de champauha superior a 20*, e 2* a
garrafa.
Garrafoes vatios a 1*600.
Massa branca para sopa a 320 rs.
Frascos com azeitonas em concervas a 800
ris.
Duzia de cartas linas para jogar a 35.
Sabo hespanhol verdadeiro libra 400.
Saceos com feijao mulatinho novo a 10*.
Latas cora favas j preparadas a 800 rs.
Sevadinha para sopa a 240 rs.
Garrafas cora muscatel e selubal a 800 rs.
Sag novo a 400 rs.
Breu arroba 85300 e libra 320 rs.
Latas com 27 garrafas de gaz a 11*, a gar-
rafa 500 rs.
0 NOVO DESTINO

NEM COROAS NEM MITRAS

0
NOVA EXPOSIQAO DE GNEROS
NO
ABHAZEM
GRAIDfi AKMAZStl

DE

NA
RA 1IO IMPERADOR \. 46
Junto ao s-bratlo em qa ra o Sr. Osberu,
liarte Aimeitla dk C, reeeberam de sua proprla enconme*-
da o mais lindo e variado sortimento de molhados, pro^rlos
da presente estaeSo.
Manteiga ingleza
da safra nova vinda neste vapor de 28 de
nuio a 800 rs. a libra.
Hantlga franceza
da safra nova a 860 rs. alibra, e em barril
a 800 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2#400, muito propios para mimos.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a l300.
Chocolates
de todas as quididades a I #000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos reinos para 50O rs.
Queijos flamengos
chegados ueste ultimo vapot a 20600.
Ma^as brancas
para sopa a merhor que se pode desejar,
macarrao. talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e l-vioo a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras militas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Mein de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
Idean do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica damesmaquo
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120C Ji bra.
Cervejas
Queijos i ds melhores fabricantes|e de todas as mai
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um. <** de 4#500 a r^500 a dll7a-
tueijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
c de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 700 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tcm viudo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarttas
a
C-ARUTOS
Charutos Tliom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
reba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 805("
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafoes
com 4 '/ garrafas com vinagre a 10OOO,m
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira .a 10000 o frasco, e de H0OOC
a caixa.
DEM
era frasqueiras de Hollanda a 50800 coaa
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira cm fiasquoira a 6oo
I rs. cada uma.
a 6oo rs. a
para -sopa-* macarrao, talharim e aletrial a! PALITOS
480 rs. a libra. f os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
C'dH-iVtC x e2o rs. cada caixinha.
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8cfo LICORES
rs. a garrafa e de outras militas qaaidf- finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa. com nma dn/ia e a l.ooo a erfirrafi
, .A, copo* Marmelada
lapidados para agua a 4.5oo e 55ooo rs. a dos melhores fabricante* de Llsba, como se-
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um. Qm khpa onntMt nn!lAC nnr> PC 9
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
liilades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
I de exceilenle qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulhode l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
potlim a 8oo rs. a libra.
Fumo
PRINCIPAL
DE
]. 9 RA 1IO CRESPO IV. 9
Esquita qie volta para a roa do Imperador
provavel que nao seja bem aceita a verdade, quando a boa f de todos aada
illudida por esta epidemia de nauzealicos annuncios de cmelas, tambores, coras
tras, etc., qae todo o dia enenem as paginas deste jornal.
ALERTA
Os annunciantes nao tem em vista seno garantiris ao respeitavel duWk a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias enao Dan
assentarem fortunas a forja da regra de liga como outros annunciantes deste geoen>^
PARA TODOS
No armazem principal vende-se a todos pelos presos marcados na Uunnl ta-
bella, mas nao se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba hespanMa nrnr-
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquello que n3o seja do agrade A
comprador. 8
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lentilhas muito novas exceilenle iegtrme po-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Manteiga ingleza perfeitamente flor a8oors
estamnas. a t.2oo e t.fno rs. a tKra ____ .
64o rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
a libra, desnessesarie mais elogies >
te genero que so se pode verificar conri
vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
ou meios a 5oo rs.
Marmellada do I." fabricante de Lisboa a 600
rs. a libra, ha latas de I, |ya e2 libras.
Maca de tmale em latas de uma e das fc'-
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide. rodmha.
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 56o rs. a libra!
Macarrao, talharim e aleiria a 4oo rs a i-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 6io rs. o frasco.
Molho inglez era garralinhas rom rolha de
vidro a 64o rs. cada ama.
Marraschino verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
a garrafa, e 10,000 rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a laa.
Presunto para fiambre inglez verdadeiro. ga-
rantindo-se a qualidade, a 7oors a libra.
Passas novas do carnada a 4oo rs. a libra, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente techadas das
segrales qualidades. sabel, corvina, fe-
raz, cavallinha e pescada a l.ooo rs. la-
ta.
INSERVAHVO
23-Largo do Teroo-23.
Joaquim Similo dos Santo?, dono deste bem sortido armazi.-m de molhados denominado Con
servatiTo do largo do Terco n. 2 scientiica ao respeitavel publico e a lodos em peral que raandem
011 venham a esle estbelecimento para melhor se serticarem da diminuieao de presos que oblem
nrsfc, o que nao obtert se compraren! em outro qualquer. pelo que so respamabelisa a servir qual-
quer comprador com a maior prstela e fldelidade, sem que haja a menor alterao. Todo o compra-
dor que comprar de 100^ para cima ter o descont de o a 10 por cunto pelo seu prompto pagamento."
Attencao.
Batatas as mais novas a 40 rs. a libra e 10200 a ar-1 Cha hysson raiitdiubo e perola a 20,000 20300 e
20800.
Milho alpista c painco muito novo a 160 rs. a libra.
Uiscoilos e bolachas de soda a 10:100 e 25
Ararula das melhores marcas a 10, ti, 30, h>, e
40500 a caixa.
Charutos em nacos contendo SO por 640 rs. o cont
Azeite doce de Lisboa tino a 640 rs. a garrafa.
Phos'phros do gaz a 2 a groz-i e 180 rs. o maco. Dito de carrapato a 280 rs. a garrafa, o 20000 a
arroba.
Vinho de Pisueira c Lisboa das meihores marcas a
roba.
Toucinho de Lisboa a 280 rs. a libra e 80300 a ar-
roba.
Caf de primeira e segunda sortc a 240,260. 280 e
300 rs. a libra.
Arroz do Miranho e Java a 100, 70 c 80 rs. a li-
l.ra e 2*200 a arroba.
e em cai\a a
320, 400, 500, 560, 640 e 800 rs. a garrafa, este-
ultimo -lo Porto proprie para os doents por
Passas de ainada a 320 rs. a libra
65500.
Bolachinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
Snbo amarello mansa a 160,200 o 210 rs. a libra.
Vclasd e carnauba Aracaty composico a 360 e 400 j ser purificado o recommendad para esle tira.
rs. a libra. \ Queijos do ultimo vapor a i& e 15700.
Ameixas franrera com 1 e meia libras a 15. Manteiga ingleza flor a 15 a libra, e a 930 rs. era
Massa de tomate da melhor qualidade a 600 rs. a barril.
Idnm menos superior de 720 a 800 rs. a libra.
libra.
Marmellada dos mciores fabrcame H 640 rs. a
libra.
Chauncas as mais novas a 360 rs. a libra, e em
barril por 125.
Alm deste* generes ha outros muitos que enfadoune sena menciona-ios.
Mam fntnoeza do uliimo navio"a 560 rs. a libra,
em barril se far abalimento.
Gomma da mais alva a 160 rs. a libra e a 45300 a
arroba.
jam Abreu e outros muitos
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 5o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3.000, a 3.2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
o verdadeiro fumo americano em chapa a j em caixas de 2 arrobas a 5$ a caixa e 60 rs.
l,4oo rs. alibra alibra.
Y 'i-i d'P)i Passas muilo notas
* luan1 em quaitos e inteiros a 2# o quarto e 6#500
PRR em ancorelas de 9 caadas a lu,ooo rs. a caxa e 400 rs a |5ra>
cada uma.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 40400 a arroba.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em calda
bogadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 1$ o caixe.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
Uuio e Goramercio ra do Queima 0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
JFKlCTiiS
MAC t. PERAS E UVAS
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n,
40, Verdadeiro Principal Ra do Queimado n. 7, Unio e Commercio,
N ADA 1. OLEO k PICADO .,k BACALf LM
XAROPE DE RBANO IODADO
Segundo o atlestadus dos mt-uteos dos huspliaes defsrn, consignados fio- fT'wtH-cto, e a appn>vaQfio
tvarioi Acadmicos, este Xarope emprega-se com o maior successo, em lugar do OLEO DE FIGADO DE
BACALHAO, aoqual elle realmente superior. Cara as molestias de peito. as escrfulas, o lymphstismo, a
palHdez e molleta das carnes, as perdas d' appetite, e regenera a constituido purificando o sangue. Em
summa o mais poderoso depurativo conhectdo. Elle nunca canea o estmago ou os intesnos como o
Iodnro de potassium e o ioduro de ferro; e admlrrtre-M com a maior efflcacidade aos meninos sujeitoa
aoa humores ou ao entupimento das glndulas. O >< r Caaenave, do hospital de San' Luis de Pars,
o recommenda d'um modo inteiramente particular as molestias da pelte, coniunetamente com as pilulas
que teem seu nome.
Depsito gera] em Pars, en can de MM. GriaasusM C, phannaceuticos, 7, ra de la Feuillade
can tixhoo, en casa de RndriR* aa Caata-Carvalbo; no Porto, en casa da Miguel Jaae de souaa-
rrrefra; em o !tw-de-Jantiro, vlava Pelsata a Olalla, ra do sat.ao, II em Bakia, en casa de
Jaae-Caelaaa FerrelrM-Enflnkelra; em Mo-tande, en casa de Joaanla de Geday em Harn-
Mo, en casa de Ferreira o em Pernambuco, a O, ra da Crui, M aaanut, e as prlnclpaes
pharmscias do Brasil. r
Deposito geral em Peraambuc* ra da Cruz n. tt de emcasaCaros A Rarboza.
A 2I000
Na ra do Queimado n. 40, letro verde.
Superiores e bem armados halaos pelo diminuto preco de ti, advertiudo i|tie voii.v:-iri-.-" por
1ese preco por ter-se comprado urna grande porco e querer-se acabar.
estampas, a i,2oo e i",5oo rs.
dem em frascos de vidro a l ,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/i libra a i,loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rofas brancas a 9oo rs. a garrafa e 10,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito nova a 2,oeo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Rolachinhas de Lisboa da fabrica do Reato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,000 e l.ioo rs. a
lata, e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a i ,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
4.loo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 20.000
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e Ooo rs. I Palitos para denles fichadas a 14o rs o
as meias garrafas. | co de 20 macinlios.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia. e 2.100 rs.
bra. a groza.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs. paioco muilo novo a 16o rs. a libra e ooo
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a 1,300
rs. a libra.
dem preto homeopalhico 2,000 rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez. aniasn p. liocpnnhol o
l.ooo, l,2ooe 1.4oo rs. a libra.
' Charutos do afamado fabricante Jos Furia
do de Simas e oulros da Rahia como sc-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,000,3,ooo c
4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de uma SO quali-
dade de cada frasco a *ioo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho eerva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,ooo e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf, do Rio superior 28o
e 8,5oo a 0,000 rs. a arr
dem do Cear.1 a 26o, 28o
e 8,000 a 8,800 rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o; caixao.
Ervilhas portuguezas em lajas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lat.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo is. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeadas a Ooo rs.
cada uma.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada uma.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4.800
rs. com o garrafao.
dem idem de 3 caadas a 7.2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a 1,000 rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, e H.ooo a fiasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser exceilenle bebida Suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
3oo rs. a libra,
hba.
3oo rs. a libra,
rs. a arroba.
Queijos Damengos do ultimo vapor.
dem prato muilo fresco a 800 rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a ;ioo rs. ra-
da um. s_A
Sardinhas de Lisboa e de Nanles a 600 rj.
a meia lata, e 4uo rs o qiiario.
Saga .malla novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sardinha de Franca a 180 rs. a libra.
Sevada a 100rs. alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oo r5. a libra
Tijolos para limpar facas a loo rs. czda un!
Vinho em pipa, Porto. Lisboa e Figueira da
marcas monos condecidas a 4oo rs a lar-
rafa. ea 2,800 rs. a caada,
dem Figueira eipecialmeito csculbido
lugar a 600 rs. agarrafa, e 4 5oo a ca
dem Lanadio, Colares muilo fresco 1
composico a 6oors agarrafa, e jfen rs a
caada. v
dem Lisboa em ancoras edm O canarias mar-
ca especial a 2,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a :(k> rs. a garr-i**
e a 4,5oo a caada.
dem Porto lino em pipa a 56o rs. a carra-
fa.
dem engarrafados generosos. Lagrimas do
Douro, Duque do pono, H. Lui? |. D. Pe-
dro V, Nctar, vellio secco. Malmia,
genuino partictlar de )ooal,?oe rs. a gar-
rafa e a 0,000 rs. a caixa com urna doa
dem Madeira legitimo a l,2oo rs. a "arrala
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a 1000 rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas .
Julien St. Esteph, chteau la Ro/e.chataa
Margoux e outros a 6.000 rs, a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida atoan! a 2o
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e I, too
rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooors.
Vassoui as do Porto com arc(s de ferro a 32
rs. caria uma.
dem de cscovas para lavar casa a 36o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caiva a 52o r.
dem de carnauba retinada e de composic*
a 36o rs. a libra, e lo,5on e 11,000 rs. a
arroba.
j o p -e, T se >
S u = 6., 01 o
? a t~ M 2 S o s.
g s^ &* es
c^S t^, c-_
O
c
ET CBT3
--i ST o o as o
M = e a x
- 5 =*
,.0 2
r. .
rj.
n
. 09
^i !; y filiis
as g- c'-o gj ja-i = a.g
illiliflft9
1*111
wa>33g
a"
x
-
M Si
>9
a
1
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualid>de
103 a lata : nos arraazens da ra do to>-
perador n. 16 c roa do Trapiche Novo o. .
Superior cal de Iisboa.
Sende-se superior cal de Lisboa a mais ama iw
na 110 mercado tanto em porrae romo a i Uta.
por barato preco aflan?ando-st;"ao. eomoraem a,
superior qualidade : a tratar as s.uvinir* reas
Crespo n. 7, Impcralor n. li. Forte ato Haflj
mazem do Sr. Villa ilefroole do traprac ato
"odao.
nmm\
V'endp-.'iH madapulo
arara a 6000 a peca '
mero 20, luja.
~^ Vende-se um ronlalo por prero
ra ver na casa de drienco e tratar
Terco n. 9.______________________
Veii'ie se por preco cmmoiki um n Laai
de bonia ligara e meir*>fn>ial ric marriaeire : a
tratar na alfandega das > 3s 3 hor&s da trale, (
Joaquim Taioeiro.
rom peques loape V
na ra da Imperatrii bo-
tarato : pa-
o pal ato





Diario c r.-rimbar fc*gnd;i tetra 3 de Ontnbio At ISSk.




ATTENQAO
O* preeos da sega la te
tabella para todos, pu-
dendo asslm serTlr de lia-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
SO PUBLICO
icui o menor constran-
glneoto se entregar o
Importe do genero que
nao agradar. ,
ARMAZEM U
RA DA CADENA IIO HECIFE 53.
(Logo passandg o arco da Concei(So)
Cirande reduceo de precos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunciante.
Collegas. Nao posso por mais lempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
rauitos objectos, etc., dando com islo ocasiao a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem Tender pelo preco que eu vendo I! I Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vino encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esla grande reduceo de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravtel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l,Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduceo a que
est3o obligados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de precos, c qualidades, vingam-se de um eoutro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
. to somonte obter a concurrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senboras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplidao e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteceo e preferencia na compra
dos gneros que preusarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
sero to bem servidos orno seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco, afim de que nao vio em outra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oa rs. a libra, em barril se
taz abaiiinento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 5(>o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
Mero prela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem Imxiua o mellwr que se pode desejar
oeste genero 2,Roo rs.
dem preto homeopalhico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxiin e perola mais proprio
para negocio o 1,600, l,8oo e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,Goo rs.
Liaguicas, chourigas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5.ioe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chourigas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,Soo e Coo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a I.Goo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra etitei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra,
dem do Alentcjo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervhas e lavas portuguezas em latasj pre-
paradas a 6lo rs.
afarmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 6o rs. a libra, e a oo rs. inleiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
"^^vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 0,0000 5,oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
1,000 e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo G libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-1
da, salmo, ostras c chernee, vezugo em
latas grandes a 800 e l.ooo rs. cada urna, j
Viuho Bordeaux das marcas mais acredita- i
das que tem viudo ao nosso mercado a
DUARTE ALMEIMV
^^^o^^>
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs; a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paingo e alpisla a 14o rs. a libra, o 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,000 rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendareis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 0G0 rs. a libra, e em caixa com
2o libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 48,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figucira, e Lisboa a32o,
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em ratas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l2oo; ditas em caixinhas de deverses
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo; el,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 800 rs. a garrafa1 e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,000 a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o'frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
mi ha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda4ngleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
LentHhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Acaba de leceber de sua prupria eiicouuueiiaa um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente cscolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos pregos, aflancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente llr, a 800 rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 32o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Tarn, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a l.ooo
rs. a duzia 1,00o rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
4oo eooo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a loo e 000 rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,ooo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
Tem ao mprrnrlr enmn r>j:im I .airrima; Hr
Douro, Duque do Porto, Duque Genuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. e a 9oo e l.ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 1,00o rs. e 11,00o a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
; Ceneja branca e preta das marcas mais a-
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante- qualidades
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez
qualquer nao pode vender por este prego-
Genebra de Hol-landa a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Aliona em
frascos grandes a l.ooo rs. o frasco, e
11,000 rs. a duzia.
a l,3oo rs.
em caixinhas muito proprias
para mimo a 61o rs.
Passas muito novas de carnada a loo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
dem de Hoflanda em botijas grandes a 4oo Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
0,000 a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo-e-alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de FrancavmUo_nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas cofthecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,000,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cogiia., ttgtoa lnc mo'.horoo tr.srcao o
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de
11-1
desejar a 2,600 e d 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4o0 e de 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2.800 rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,800 rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l.oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. agarrafa.
2,000 rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao debico muito novo a 16o rs. a libra.
Brvilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a i ,60o rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 800
rs. a libra.
Chourigas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caitas de traque n. 1 a 8#500 cada urna.
Massas para sopa macarrao, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,000 rs. a caixa
e 800 rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
j Charutos em grande quantidade e de todos os
Biscoitos em latas de 2 libras das segintes! fabricantes mais a creditados a l,5oo,
marcas : Osborne, Crakntl, Mixcd, Victo- 2>000- 2'rioo> 3>G0 e 4>eo
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios *ostos para meninas
trazerem no braco : .m se eocooira na loja do Bti-
ja-Flor, roa do Quetm.do n. 63 e 69.
Extratos e sabao em eai-
xinhas
Lindas caixinhas coro oro carto rom a amria
imperial, e dentro de rada caixa ara fraseo on a
ta o mais fino que passivel: na toja do Beit*.
Flor ra do Queimado d. 63 e 69.
Nova liquidadlo de fazendas
NO
l'.-isselo Publico a. II.
O dona deste estahelecimenlo Inania de mmlar e
para outra local idade, est re?olvido a \ ;', r w-
das As fazendas existentes oa sua loja, tal banal
' prego, s para apurar dinheiro.
Chias.
Vendem-se chitas percalas finas a 500 rs. o co-
vado, ditas francezas a 280, 320. 360, 409 e 140.
I ditas estreitas a 200,220, 240, 260 e 280, diu< aa
racoberta largas a 500 rs.,diUs eslreitas a JK,
1 musselina branca a 860 rs. : isto so ao l'a
Publico 0. 11.
Baldes
Vpndem-se balocs de arcos a i-V/m. .J. .l:**
e i-5, chale de laa superior a 2i.'ioo, i- nn.- bor-
dados a capricho a 200, :.0. 4no e :w fs., Lrim
hranco lino a IjlOO a vara, dito pardo lsi .-.do a
720, lieos padres de gazineta para calca pale-
t"t a 720 o covado, camisa de meia a 720, meia'
para homem a 2J800, ditas a l, ditas superior
a 6.5500 : s uo Fasseio Publico, vende se por -
le preco para acabar.
Os Owwn
OS MAIS \I(KU l:\TEu
ESCRFULAS,
OU ERUPCOES ESHROFiOSAK,
leeiw V) urii a (spTw*.
SYPHILI8, OU MAL VfciXfflfc(\
TV.MURES,
ia, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
s a l,3oo e l,08-FSr~-^
o americano em chapa a 1 ,Coo rs, a
ibra.
ruta de todas as qualidades.
Pafatas novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
caixa e 60 rs. a tiDra*
Balachinha de Craknei em latas de i libras
bruto a 4,000 rs.
rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,000 e 2,5oo rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6. e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 3Go rs. em barril.
bras por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs. dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,000 rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portugus o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
loors. a resma.
{Potes com sal retinado a 48o rs. cada um.
frutas muito frescas a picos frascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
Capil de diversas
ti id rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza
Toucinhe de Lisboa muito alto e alvo
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,noo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas cm
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Matle excellente cha para
a 2oo rs. libras.
os navegantes a
AGENCIA
INGM LOW-AQK001.E
Ra da Senzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
nm completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
aitiizi:u
FRONTEIRO
DE
Viuho do Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
cer Antonio Luiz de Oliveira Azevcdu & C, no seu
cscriptorio roa da Cruz n. i.
..mmmm.wMumm
'"abrica Concei$io da m
Baha.
Aadrade & Rogo, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodao empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
AIjVES COUTINHO 21Largo do Tergo21
Ao publico.
Chourigas mnito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a 1,00o rs. a libra;
ameixas idem; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranho e da
India de 80 a loo rs. a libra, e em a arroba de 2,6oo e 3,000 rs. ; azeite doce refinado
a 1,00o rs. a garrafa e em porgao, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,800 rs.; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e 1,2o )rs. a arroba ; cha perola, hysson, miudinho a 1,800, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra; charutos des melhores fabricantes da Baha de 2,000 e 4,000 rs. ;
cerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doee, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo rs.; cognac inglez superior a l,ooo rs. a
garrafa ; caf de 1.a, 2.a e 3.a qualidade de 8,5oo, 9,oooe9,5oo rs. a arroba ; cevadi-
nha a 00 rs. a libra ; ervilhas portuguezas em latas de 1 '2 Hbra a 7oo rs. ; spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,000rs ; genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco ; idem de Holtanda
. a 64o rs., e loo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
Rua da Senzalla O. 42. fcita flor a 800 rs. a libra ; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maga
Vende-se, em casa de S. P. Johnston 4 C, de tomate a 600 rs. a libra; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a Jibra ; ale-
sellins e silbos inglezes, candieiros e casti- tria, talharim e macarrao a 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a l,ooo rs. cada fras-
gaes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, co; nozes muito novas a 2oo rs. a libra ; passas a 4oo rs. a libra ; paingo a 16o rs.; po-
cbicotes para carros e montara, arreios para mada a 2io rs. a duzia; pimenta do reino a 36o rs. ; papel almago e de peso de diver-
carros de um e dous cavaltos, e relogios de sas marcas; palitos do gaz a 2,2oors. a grosa e 2o rs. a caixinha ; ditos de segnranca
ouro patente inglez.__________________ individual a 2o rs. a ciixinha e 36o rs. o maco ; queijos flamengos do vapor a 2,ooo rs.
""^"Vande-se. um excedente terreno com 102 cada um; cevdinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nanles de 4oo a 6*0 rs. a lata ; sa-
palmos de frente e mais de 300 de rundo, todo lio massa muito superi* r a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa morto alvo a 3oo rs. a li-
promptoe aterrado at a linha to caes, proprio bra. vnn8 do Porto Te|jw engarrafado a i,5oo rs.; idem em barril a 800 rs. a garrafa,
SSSSTSS^'SKS2SSSL2l ***> V*#> ********* ** Mhij M A* muito superior a
32 palmos, conforme meibor convier aaa compra- 4oo rs. a garrafa e 2.8oo rs. a caada ; dem da figueira J. A. A. a 5oo rs. a garrafa e
dores: trata-se na ra dos Gnararapes n. 28. 3.6 ( ame do serto I '^em B"r,leaux a 5fi0 re- a garrafa ; idem branco de Lisboa, proprio para missa a 5oo rs.
No armazem da Anrera Briitante no largo da a f(i Santa Cruz n. 84, ha a melhor carne do sertao s0(ia' cevada, alfasema, gaz e tijolo de limpar facas a *o rs. Presuntos de Lamego a 5oo
que ha no mercado assim comolingun,as e queijos. ea.ljs a,ir rb outros muilos gneros quedesnecessark) menciona-los.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 2 i 2 libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,coo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 600 rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
segintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras umitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l,ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 84o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicSo a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada orna.
Ricos livros com figos 1,00o rs.
Fumada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafes com 4 '/s garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 '/i ditas de venagre a 1,000 rs. o
garrafao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
i5,ooo rs. com a ancoreta
dem em pipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaos fazenda muito especial a 6,800 rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa. I
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,000
rs. a arroba e 28o.a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oTrr*r-*4fc-v.
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maiaulio a fiord, a libra, 3,000 rs.
a arroba. j
Idem da India muito superior a 2,9oo re. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
Idem da India comprido a 2, loo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,;ifo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
Idem de sebo muito dura ringindo esparmace- j
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em'
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.000 rs.
Idem amago"pautado e liso a 3,ooo rs. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma. i
dem a zul de botica oajngueteiro a 2,oo rs.!
a resma.
1
dem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/* libra a i
l,2oo e 800 rs. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
lOhtilliroc*.
BEHTOEJAS.
OPHTEAUfliA,
HydropLsia,
Empinen s,
HERPES,
KKSIPEUN
ESrORBUTO.
Tintn,
CHGAS ARTIGAS,
Rheum.at?.smo CttfQf|?c#a
PBIUDADE GERAL,
Nmo>Hitlr, Ntfvraliits,
vmwmmFm^
SUPPRESAO DAS LEGRAS, on
AMEHORREEA,
UHHKt I IffiS 9X1KK
Rcriirao das I rias.
<>
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 400 rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a o,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a32ors. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevdinha de Franga a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a hbra e 5,4oo a arroba.
Peixcs em latas a 1,000 rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l.ooo rs. o
caixSo.
O proprietario do grande armazem Uni5o e Commercio declara aos seus fregu6
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os mesmos pregos nos segintes lugares:
TJnifto e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
KMACI.Ut\
c ;,i,i. ,'!i'Hteiloe*t'ufo >'...... .-'.< ..ni,..
INFLAMMACGSb' o,
Aifec9oea Ohrouioaa do I*igadc..
A*SIM COMO ilin >; MAIj iVii-m,;- .
! TI J, ..!> i II'.' '.l ... i: .' WD" -A-,
fit'SAOAR, 01' I'HOI /.;!>S l'i.UIMI I
i.ivhr rao do Mbkci II > oc
(CININn.
\svlii cutifA riuiibrm |M>lo frrqiirurr h. Am AV
SKMCO r outra* p.-<-p;irn .'i-s 'irMci
*?odao estas Enfertnidades prompto c eft..
mente cedem benafioa. poderon .
purificantes qualidades da nw.
jnstamsnte afamada
Hmrnmr.n bsbrwl
A venda as boticas de Caors Barbn,
ra da Cruz, e Jlo da C. Bravo & C, ro
da Madre de Dos.
Vcivle-se a rasa terrea da ra CwaBBR
o. 21 (no Caroinho Novo) u>m um portao m >aa
que d entrada para o quintal, no qoal elisia cia-
re pequeas rnci asu.is, rende todo IMf, e vea-
de-se harato por seo proprietario ter de rrtirar-ie
para fra da provincia : a tratar na roa o'Qtti-
mado n 77._____________________________
Bixas hambirgarzas
Na roa Novan. 61 derronte da lllma. rabiato
muniripat vendem-se oonatantemente bixas o por menos i& o cenia qne em ontra quaiooei
parte: recebem-se por todos os vaporea.
ESCRITOS FGIDOS.
Fngio na tarde do dia 16 de jolho p. p. na
escravo pardo,'de noroe Marcos, desembrralo
du hi a te Santa Anua, vindo do Aracat), NM
de idade 28 annos pouco mais oa menos, e os Mf-
naes segintes : altura regalar, steco do rorpO,
pouca barba, cabello crespo, levoa ramisa
calca de algodosinho de nsrado arol e cha-
peo de pama, leudo levado comsigo una trouxa
com mais roupa, e rendido de ama das veninas;
quem o appreender queira leva-lo a roa da Madra
de Deas n. 38, oa roa do Brom n. 85, que ser
recompensado. -
Desapparerea'de casa de sea sennor a arela
ta Loiza no dia S de sewnkra do rorrrMe
idade 25 annos pouco mais oa meaos, cr
com marcas de bexif as no rosto, tem duas eiea
trizes em nm dos tragos, estatura regalar, levan
vestido de chita e panno da costa c anda tas M-
guezlas da Boa-Vista e Santo Antonio : pdeie as
autoridades aolieiaes e eapies de eaannn
aprehende-la e leva-la roa dos Pires o. 34, oa
generosamente serao recompensados.________
Ausenton-se no dia 18 do corrente nm mo
qne de nome Benedicto, crionlo, rom idade de A
anuos, vindo ha qnatrn metes de Gotanna, bastanV
te magro, com o cabello Mas rapad, levando oda
honet, camba e cern la aValgdaoiini, novas;
quem o pegar, leve ao sobrado n. 14 na travesea
da matriz de'Santo Antonio, qne ser reeomaen-
sado.
i

-










OIh*' dte Ten
egnnda felra-9 r Oatahr* ie I *.
LITTE1ATRL
A i i ina de carltlatle.
Ei-la, a irmaa de raridade !
Filo o olhar para o chao.
Que m.Ml.'-ia niag.stado !
Que sublime hnmilbago!
Do grosso burel coberla.
Ao seio paludo aperta
Sea inartyrio sua cruz.
Onde a miseria soluca,
E>sa mulher se debruca,
Cun L-IIifo onsulo c a luz.
De longes i.rras chegada,
Kinguom vahe donde veni ;
A' buinaoidade volada
Lombrancas de si nao lein.
Mulher na forma, arijo n'alnia.
Pelos labios sopra a calma,
Sein ler nada ludo d :
Consolando a< agonas,
Suas palavras maoias
Sao golejos di' manna.
Farefa o leito do enfermo.
Presente o jugo da dr;
Langa luz naquelte termo.
Balsamo nesle amargor.
Nao para, nunca descanea ;
Semeador de esperanca.
Quem a escola espera e ere.
K n anjo da humanidad^,
Vesle-a os veos da raridade,
Va co'as azas da f.
Seu clo leilo de amparo,
Traz ouro na pobre ino :
L' arrimo ao desamparo ;
E' consolo na alliego.
K' frpqoeza que sustenta,
Oebilidade ijue atenta,
Tristeza que faz sorrir.
L'a abundancia divina
Que o mal da trra fulmina.
E a mirria faz fugir.
intimamente pranteia
A agonia universal ;
Rennidamente pleitefa
Anjo do bein contra o mal.
S v no mundo um atbelo
Do paraizo proscripto
Pela eterna maldicao :
Sobe ao borlo da virtude,
Suma anglica attiludc
Manda aos eus urna orago.
E Deus escuta-a. nao pode
Deixar de ouvir-lhe o orar ;
Ao sen esnio um anjo acode
E yolve ais eus a cantar.
Brilhante como urna estrella,
Direito romo urna vella
Posta-se dianle de Deus;
Diz eom respailo profondo :
Urna oracao pelo mundo
Chegou agora nos eus.
Ei-la ahi vae attenlamente
Uompendo A lilha de S. Vicente.
O esmoler do Creador.
A' creaneinha que rhora,
Ao velho que se deplora
Ei-la que diz :Esperae I
Diz fe : Dorme e descanga I
Diz descrenca :Esperanca!
Lnpe lodos :Orae I
Seu corpo nunca enfraquoce
Nesse continuo labor;
.N'ella o cansaco parece
Despertar novo vigor.
E' que esse espirito excita,
E' que esses meuibros agita
Urna idea luz dos eus !
Nesse involucro finito
Esconde-so o infinito ;
Nossa alma occalta-se Deus.
Ei-la, a irmaa de candade I
E' urna oracao de p
Combatendo" a impledade,
Eorouracada de f ;
Do lado do escapulario
Pende-lhe a arma, um rosario '
' sua insignia urna cruz !
Segui-a Mullier-ostrella,
Na grande rbita della
Si gyra a paz, vida e luz.
Yictoman Palhares
UUFUt.l.
AO MEU AMIGO DO.SXAD1KU,
Gttarda-bandarada nu fttccnluuio.
III
A passageira.
(Conlinuagfio.)
't.alalgar eutrou na taberna que eslava ebeia de
.".vontureiros e de todas as amostras vivas do gene-
ro humano e deshumano da Polynesia. Antes de
ec.ik'c.ar o alislamento, quiz observar o rosto c as
*.:-iiOiras dos freguezes da taberna, procurando
dsscobrir-Ihes as physionomias asaptidoes, os ca-
;Cteres o as vocacoes.
la apenas comecando o seu estudo, quando en-
i.vU Chrisliano.
Entilo, o que ha de novo bordo?disse Tra-
sigar encheudo um.copo de rhum para o seu
araigo.
Urna novidade, disse Chrisliano; oito passa-
geiros do navio avariado passaram para o nosso,
(,11 segu eorn deslino a Sidney.
S isso ?
Sun, Trafalgar... Ah! temos tambem entre
o* passageiros. urna passageira.
ilota?
Sun.
Bonita?
Que le importa, Trafalgar? Lerabra-te do
que disseste a respoilo das mulheres, do amor,
etc....
Lembro-me rauilo bem, disse Trafalgar in-
i.rrompeudo-o, e sustento o que disse ; mas isso
Parece nao conheeer all nioguem, respou-
deu Ctinsuaao; est sentada junto ao mastro gran-
de como a madoua aos ps da cruz. Faz pena v-
la... Mis, basta de fallar nessa mulher... Vamos
l, meu amigo Tralalgar, converfesle-rue as tuas
ideas... tratemos de cousas raais serias. nao
lardar a anoutecer, c...
Sun, dl-so Trafaigar lev.intanilo-se, tens ra-
zad... mas aules disso... quero esclarecer una
amida... IC>sa mulher um mysterio...
Que te imporlam mysterio; de mulheres ?
disse Christiano.
Na verdade, i-so me bem indiferente, re-
plicou Trafalgar : mas preciso satisfazer a mi-
nna cunosidade... sao ciueo mmulos que perco..
ileixa me pagar... c vamos por um instante a
bordo.
Ah adevinhei! disse Chrisliano ;pensasque
a bespanbola de Madrid que te segu atravs
dous ocanos.
E ento, observou Trafalgar. o que haveria
nisso de impossivel ? I'.na Andaluza capaz de
tudo.
Va leilo ; admiti que a tua Hespanhola, a
bella Fernanda, osteja bordo eque t-. Una era per-
seguir-te. Que fanas lu nesse caso ?
Nao sei ; seguiria a inspiraeao do momento.
Trafalgar, vou escrever para Toulon, pelo
correio, ao leu mentor Donnadieu.
Mas, Clinsliauo, eu nao devo collocar essa
senhora ua uecessidade de seguir-me at o fim do
muudo. Devo-lhe alteneocs c mesmo gratidao, a
minba obriga'cao fazda parar aqui, perlo da In-
dia, e pedir-lhe que nao va mais longe. E' um de-
ver de homem de bem. Comprehendes, Chrisliano?
Comprehendo de mais.
Trafalgar caminhon dianle do seu companheiro,
e dirigiu-se ao caes, onde eslava ancorado o navio
dinamarquez. Suhiu escada, echegando ao tom-
badilho, iilli. u para lodos os lados e nao viu seno
os marinheiros, que faziam os preparativos de via-
gem. Havia algumas passaRpiras senladas junto a
amurada, porm eram todas idosas, e com cabellos
de um lonro avermelhado.
Desceu ao convs e achou todos os camarotes
fechados. Chrisliano acompanhava-o, murmurando
palavras confusas e acceutuadas pela escala do des-
conleniamento.
Presta-me ura servido, disse Trafalgar, sa-
bindo de novo ao lombadilho ; nao fallo dinamar-
quez, e quena pedir ao capilao a lisia de bordo.
Lembreime disso porque ahi hei de encontrar os
nomes de todos os passageiros e passageiras.
Nesse momelo o capitao pareca ler a cabe-
ja cheu de todas as precaujoes da India. laevi-
nha de popa proa, de bombordo a eslibordo, exa-
minando ludo, como um engenheiro as fortifica-
coes de urna cidade ameaeada de assallo. Com
gesto brusco repellia todos os que iam importunar
com perguutas, e de vez em quando parava para
consultar urna caria martima, que eslava estendi-
da em cima do cabrestante.
Oh escolhe urna boa occasiao para rae man.
dares fallar com o capilao, disse Chrisliano ; olha
como anda aquelle bem fcomew. Dir-se-hia que
vae ordeuar um assallo sobre um navio mercante,
e que anda procurando os nrpos lie abordagem.
O homem do I eme passou! disse duas palavras
ao envido de (.hristiano, e dirigile para a r.
Cliristiaao fez um gesto de espatoe olhou par*
o horisonte lesle.
O que le disse o homoin do leme ? perguntou
Tomo. -
Disse-me que vamos levantar o ferro, e ga
nhar o mar largo antes de pr-se o sol, respondeu
Chrisliano.
Ah disse Tonm, muito sorprendido.
Se Domiadieuesiiveseaqui,proseguiuGiris-
tiano. dir-b-J,,; desembarca, Trafalgar.
Que ilialo de homem exclamou Trafalgar,
e.-ta seflipiv lallandoem Donnadieu! Pois bem.
desembarquemos,
Agora nao posso ir para Ierra sea despedir-
me do capilao, disse Chrisliano, espera ura ins-
tante.
Vae depressa, disse Tunio, se te demoras
dous mmulos eu mudo de deliberscao.
As>im que espirou ocurloprazo, Chrisliano veiu
ter com o seu amigo. Depois de um prembulo
muilo confuso, disse-lhe :
Nao posso licar em Ierra, desembarca tu s.
Bell" : compren, ndo, disse Trafalgar. Abel-
la passageira impressionou-te. Assim que sao os
amigos I Esia liom vou escrever la noiva
em Copenhague.
Eslas mil leguas longe da verdade, disse Chris-
liano com ar amigavel.
I'ois dize-me entao a verdade.
Nao posso.
Nesse caso, deixo-me fiear, replicn Trafal-
gar ; e sentou-se sobre ura rolo de cabos.
A sinela do navio tocou a chamada des retar-
dados. Apparelnava-se para a partida.
Ainda urna vez, disse Chrisliano, nao que
res ir para ierra ?
O marinheiro de Toulon responVu, lancando
um olhar de colera ao joven dinamarquez.
Chrisliano fez um gesto com os hombros e poz
se a assoviar o canto da partida do seu paiz.
O sol illuminava horisuntalmenle o tambadilho,
e um ro>to radiante surgia da escoiiiha como a
estrella da tarde.
A bella passageira vinha subindo de vagar, e
tilo me impede de pergunlar se urna passageira I(luaodo a aPI'aric3o foi completa, o joven Toulo
bonita. ; noz devorando-a com os olho?. exclamou em voz
Pois bem: Trafalgar, enlao isso lambem nao ljaixa :,
f.j impede de responder-le que ella urna belleza.' e
Se eu nao tivesse as raaos as cartas da minha noi-! 0s olhos tuh,ld3 f,e,a cmoCao e Por unia idea
-i,apaixonava-me por ella..
Apaixonaies-te por urna ingleza disse Tra-
fi!"ar com sorriso irnico.
se illudem. Todava, forcoso confessar que as
feicdes, o porte, e os graciosos contornos da bella
passageira faziam lembrar a Andaluza de Cdiz. O
Oh I eu sou conhecedor, replicou Chrisliano.
Aquillo n*> ingleza. E' morena, com cabellos : acaso iverte-se as vezes como um espirito zombe-
i'a'.os de sueco de bano e olhos que parecem da- :teiro-
mants negros e luminosos, incrustados em duas' A' proporcao que a moga se aproximava de To-
fterolas. E' hespanhola. I Din, diminua a semelhanga, porm era ainda bas-
O copo de rhum, que Trafalgar levava bocea tante para servir de ligacao entre um antigo amor
jaron na altura dos labios. I e urna nova paixSx
Hespanhola, dizes tu? Perguntou elle com Onviase o sussurro da brisa as velas, o frmito
afiectada indilleren a. j das flmulas no alto dos ma-tros, e o alegre mur-
Mais do que isso, replicou Chrisliano; creio muri da proa, cortando as aguas.
Que Andaluza. S Trafalgar nada ouvia ; o nico sentido que
Andaluza, repetu trafalgar como ura echo. |he restava era a vista, e seos olhos, deparando
E flcou pensativo.
Ento, proseguiu Chrisliano, achaste aqui al-
faas lobos marranos, a dez piastras por mez, com
parte das presas ?
Reparaste no trajo da bella passageira per-
guntou Trafalgar.
Sim. Traja moda do trpico. Vestido de
com a bella eslrangera nunca mais se arredaram
della.
Urna mao locou-lho no hombro e o fez estreme-
cer ; urna voz Ihe disse : escuta Trafalgar ; um
aceno Ihe disse vem c.i
Levantou-se e seguiu Chrisliano al a popa.
Onve, isto muto serio, dis Cambraia branca, ramio alvo, mas qae.noprimeiro quez Tonin ; sabes que os almirantes nao leem o
enao de imperio, conservou as indiscretas tradic-1 prego seno no alto mar...
(5ssdo directorio; um fich de rassa da India, e Que tenho eu com isso? perguntou Tonin
t-ai chapeo mnito leve a Pamelia. O vestido de com ar dislrahido :
angas curtas deixando ver dou< bFacos... Oh I j Agora posso dizer-te o meo segredo... O meu
ous bracos nos qoaes os meas olhos flrariam pre- dever era ficar bordo, assm como o leu era ir
los al a noute, se me tivesses dado maior licenca. para a trra. Estamos no mar, j nao possivel
E acba-se ella enlre geoteconhecida, a bor- romper a nossa associarao. O capitao precisa de
Que perigos ? disse Trafalgar, interrouipen-
4o-o bruscamente. Navegamos cora paviHio
neutro.
Niio ha pavilhiio neutro para Saka o terrl-
vel pirata de Santa Maria de Madagascar. O ban-
dido voltea no mar... tu nao me ouves ?
Sim, snn... nuco... desappareceu... Nao in-
gleza ; que felindade I
E o que dizes do pirata ?
Ora fajo muilo caso dos taf-s piratas o de
todos o* selvagens de Rbinsonl... Que me impor-
ta !... Obrigad >. met bravo Chrisliano ; p'erda-
me ; por um asanle sjspeitoi que me alrai-
50a vas.
E nao lens pena de deixar a chalupa que
queras tomar ?
Tomaremos a do pirata, responden Trafalgar.
Desees para o camarote ? o sol j se reco-
Iheu.
E o outro tambem, disse Tonin ; bem sabes
o meu costume a minha cama, n<> mar, esta;
um colxao de vela sobre as taboas do lomb'adilho '
boa noute, Chrisliano.
CConlinuar-se-haJ
m POCCO DE TDDO.
O Jornal do Harre escreve o segrale :
Ha das sabia eu que o governo tinha reservado
um certo numero de lugares nos edificios militares
de Bareges para os offkiaes polacos feridos.
Aate-hontem soube que quatorze desias nobres
victimas linhaij chegado ao sea destino. 0 desep
de os ver e de Ihes aperlar as raaos, decidiu-me a
ir a Darges.
Vi aquelles desgranados, que a Franga recolheu
como se recolhem os destrogos de um naufragio-
Quasi lodos sao joveas, alguns anda creangas e to-
dos lo terrivelmente mutilados, que parece mila-
g re esta re m vivos.
Porm supporiam a sua dor com a santa seren-
dade, moderado enthusiasmo e sublime vontade do
sacrificio, que d, com urna consciencia segura e
satisfeila de si mesma, o sentimento profundo do
cumprimenlo do primeiro dos deveres: a defeza do
paiz.
Todos estes jovens fallam correctamente o fran-
cez e perlencem, pela educagao, a primeira socie-
dade. A sua physionomia intelligente, em que a
desgraga imprimiu o seu carcter de potica me-
lancola, de um 1 grande affabilidade.
Entre os offieiaes cora que tlve a honra de fallar
mais particularmente, ha um que ainda niio com-
pletou 17 annos e aoqual o brago esquerdo foi am-
putado pelo hombro. Aos 13 annos pegn em ar-
mas para combater os inimigos da sua nago.
Um ouiro de 20 annos perdeu tambem um brago
em ara combate dos mais deseguaes e mortferos.
Julgando-o morto, os soldados russos, ebrios de
sangue e de alcool, diverliram-se a atravessa-lo
cora as suas bayonetas.
Ct ? perguntou Tonin sempre pensativo.
J toda a sna tripolacao temos de correr perigos...
L-se no Constitutionnel o seguiote :
Deu-se hontem em Lyon, n'uma casa situada en-
lre a ra Mencey e a ra Servieni, um drama tre-
mendo, que produziu no publico urna dolorosa cons-
lernago.
O Sr. Nicolu Pharamaz, de 31 annos de edade,
natural de Bumilly (AllaSaboia) c morador na ra
de Mencey n. 104, fechou-se as 11 horas no seu
aposento, e pratieou um acto de inaudita ferocida-
de. Agarrando duas meninas suas filhas, urna de
quatro annos e outra de dous annos c meto, estn"
deu-as successivaraente sobre urna mesa e sem se
commover pelos gritos desesperados das pobres
victimas, cortou-lhes o pescogo com urna navalha
de barba.
As duas cabepas ficaram apenas presas ao tronco
por pedacos de carne.
Depeis desta horrive] execucao, ese pae Wrioso
dea com a raesra arma um profundo golpe m seu
pescoco.
Quasi logo os visinhos, que linha ouvdo oslgri-
tos dae vielimas, arrombaram a porta e acharam-
duas innocentes jaziam n'um lago de sangue ao la-
do do seu assassiuoque respira va ainda, e que foi
imrasdiaumente transportado para o hospital, on-
de morrea ama hora depois.
A atrecidade desle crime faz naturalmente sup-
por que fra resultado de um accesso de furiosa
loucora.
O Sr. Pharmaz cstava ha seis semanas viuvo,
tendo sua mulher morrido de parto, deixando-lhe
om tr(lro filho que foi dado a criar a urna ama
na ald#a.
.Na rnanhaa do crmo o desgragado tinha recebido
a noticia da'morte do filho que tinha a criar, e o
seu espirito, j abalado pela morte de sua mulher,
nao pode, sem duvida, resslir a um segundo abalo
resultando disto a furiosa alienagao queolevou a
am acto de terrivel e inaudita ferocidade.
Um jornal de Liverpool publica o seguinte :
Acabamos de receber noticia particular de que o
vapor Georgia,que d'aqui sahiu ha alguns das para
Lisboa, fra capturado vista daquelle porto pela
fragata a vapor dos Estados-Unidos Nigara.
Convm observar, que quando o Georgia eslava
para sabir de Liverpool, a fragata Nigara descera
o rio, e a sahida do Georgia foi adiada, o que deu
ento origem ao boato de que o Nigara lentava
apresar o Georgia.
Disse-seqne a demora do Georgia tinha sido mo-
tivada pela recepgao da um telegramma de Londres
participando que alguns passageiros portuguezes
desejavam ir nelle para Lisboa. Acrescentava-se
que o governo porluguez linha fretado este vapor
para o servigo das malas e transporte a Mr. Hales,
actual propnetario do Georgia.
A fragata Nigara nlerceplou a viagem do Geor-
gia vista da costa de Portugal, inlimou-o para
que se entregasse, melteu-lhe tripolagao a bordo e
mandou-opara Boston. O Nigara depois veio para
Inglaterra e desemnarcou hoje em Dover o capitao
Withicombe e a tripolagao ingleza do Georgia.
Este inquabiicavel procedimento da parle do
commandante federal do Nigara somente egaa-
lado pelo ultrage do commodoro Wilkes a bordo
do Trent porque o Georgia navegava com bandeira
ingleza, e entendia-se que a propriedade desle va-
por tinha sido regularmente iransfenda para um
possuidor bntannice, Mr. Bales.
O Gforflia foi aprehendido vista das Berlengas,
a 13 horas de viagem de Li>boa, no dia 15 do cr-
reme. O capilao Withicombe e 33 homens da tri-
polagao foram desembarcados em Dover.
Crse que o apresamento fra effectuado com
o consentimento do governo briannico.
A esle respeilo communicam-nos o seguinte :
Urna caria de Gibraltar, datada de 16 de agos-
to, diz:
O vapor Ellora chegado aqui de Southampton,
refero que, tendo passado hontem vista das Ber-
lengas, vira parados dous vapores hlice. No
maior fluctuava a bandeira federal, e esle vapor
parecia-se muilo com o Nigara; o mais pequeo
era um vapor de urnas 700 ou 800 toneladas. Es-
le nao linha bandeira, mas na^ppa havia as pala-
vras Georgia, Liverpool,as qoaes se conhecia
tinham sido escripias recentemente. Deste u'timo
eslavam passando para o vapor federal botes chelos
de gente.
O capUo Withicombe e trila e iros homens da
tripolacao do Georgia desembarcaram em Dover do
vapor do* Estados-Unidos Nigara. O Georgia foi
apresado pelo Nigara i vista de Lisboa e manda-
do para Boston com tripolagao desle vapor.
A fragata federal a vapor Nigara entrn lion-
tem pela rnanhaa em Dover, irazendo a seu bordo
o capitao Withicombe c trila e tres homens per-
tencenles ao vapor Georgia, que foi apresado pelo
Ning'ira, quando navegava com bandeira britanni-
ca, na segunda-feira 15" do corrente, a urnas vinte
milhas distante de Lisboa. O capilao protestou
conlra o insulto feito bandeira sob a qual nave-
gava, e insista em que, sendo o Georgia um navio
brilaumco, que se entregava a um legitimo e pa-
cifico trafico, nao poda existir direilo algum para
o embaragar na sua carreira. O commandante do
Nigara expoz que erado seu dever apresare
Georgia, porm que nao desejava causar ao capi-
tao Withicombe e sua tripolagao o menor incom-
modo possivel. Apoderou-se depois dos papis do
vapor c a tripolagao foi retida como prisioneira at
a chegada do Nigara a Dover. Ahi foi ella desem-
barcada e conduzida casa dos marinheiros de Do-
! ver, onde foi benignamente recebida.
Esta poesa do joven Cosa Pinbeiro :
0 Mamae, que lindo vestido
Hontem aqui vi passar I
Era um vestido to lindo
Que egual me faz invejar!
E foi aquella vizmha
Que mal lera com que passar !'
* Enfeites... lindo chapeo ;
Brilhautes... saia balo,
Ella altiva, o povo todo
. .Mirava-a... tiuba razo I
Oh 1 como o luxar bello,
Ter por crenga a oslenlagao !
Mamae rica.lera easas,
Tein aeges a bora reuder,
Porque nao deixa que eu brilhe.
Que assim possa apparecer ?
Eu sou lo moga, sou bella,
Que a todos ougo dizer I...
Minha lilha, nao sao boas
Taes ideas de luxar i
c Sao Ideas agoureiras,
Preludio a triste penar.
< Casars co'aquelle mogo
c Que j me veio fallar.
i Elle pobre, mas qu'iiujorta.
c E' rico de honestidade,
Tem subida illuslrago,
1 Tem por ti pura amizade :
t Que mais queres e desejas
a Para a tua felicidade ?
< Mas a lilha inebriada
Taes conselhos desprezou,
E bos festins dessa vida
Loucamente se lancou !
Coitada, que ms ideas,
Que mu pensar abragou I
Eu s quero um casamento
Nobre, d'alla jerarchia ;
Sou linda, s casamento
Almejo d'alia valia.
Quero folguedos, grandezas,
Trajar as modas do dia.
< D'ahi sempre sera descanso
Louca ao feslim se entregava 5
Carros, theatros, modistas,
Tudo ella visitava.
Que fatal inexperiencia
Sua razo Ihe roubava I
1 E assim so foram passando
Longos tempos em folguedos.
E a pobre me se ralando,
Sem taes passos_ _ine ver nuedo-
O noivo uo apparecia
Que escutasse os seus segredos
t Lina noule,fatal noule,
A mae a lillia procura,
Corre tudo... a futa ingrata
Cauiubava em seuua impura !
Pobre me I... s Ine restava
Triste pranto de amargura I
1 De Sophialilha louca,
Nunca mais se ouviu fallar :
E a pobre me se 1115 rrando,
Dia em dia a se linar t
E a lilha ingrata talvez,
Do feslim conviva a par!
Cinco annos decorreram.
Sempre mam rio o .-.ofTrer,
E a pobre velha coitada,
Findava seu padecer !
De um triste leilo de morte
A etermdade ia ter.
t D'ahi dias um carro,
Tendo as trevas por fanal,
Conduzia ao cemiterio
Informe vulto humanal 1
Era o corpo de Sophia
Mora a mioguano hospital !
Eis-aqui da inexperiencia
Negra surte o triste lim ;
Eis a paima que laua
Da vida o louco feslim.
Oh I como bora uo seguirmos
Engaoso trilito assim I
O Montreal Herald, da noticia de ama scena bor-
rivel que se passou na priso de Sania Escols-
tica :
Ante-honlem, das 11 horas para a meia noute,
mamfeslou-se um incendio na parte do edificio oc-
cupada pelo guarda-mr, M. Quiutnn.
O criado, que dorma perto da cosinha, deu o
' alarma.
M. Quininn acordou e correu a dar aviso ao She-
1 riff, que morava perto.
Quando volto, vendo em chammas a prisao, lan-
cou-se ao meio do fogo para salvar os seus tres
filhos, e para os salvar esleve quasi a perecer as-
pai liado.
Chegaram os soccorros, mas foi geral a conster-
nagao quando se ouviram os gritos dos presos af-
ferrolhados as suas celias, sem poderem escapar
morte, se os nao salvassem inmediatamente.
O fogo ganhava a parte da priso onde eslavam
as cnxovias.
Felizmente, o soalho era espesso c solido, porem
as escadas j nao exisiiam.
Lancou-se ama oseada, e um homem com um
enorme maricllo arrancou urna janella e fez urna
abertura bastante larga para facilitar accesso no
corredor. Mas faltavam as chaves das celias.
Ouviam-se do pateo interior os desgragados pre-
sos, que pelas frestas gritavam : tSoccorro I
A final, demoliram-se as portas e pode chegar-se
al onde ellos eslavam.
Saffocados pelo fumo, niio podan) saltar. Langa-
ram-se-lhes cordas, com que elles se amarraram
Para descer pela janella, que eslava a 10 ps do
soalbo.
No andar superior passava-se ama scena mais
terrivel.
Eslavam ali tres mulheres, que davam gritos de
desesperaco, mas era impossivel salva-las.
Homens, mulheres e creangas, ajoelhadas no pa-
teo, invocavam a misericordia divina.
Nos sonhos dHosos da casta donzella
Que cora mu bella no aliar do hymincn...
Na iiliinia noule que dorme solleira
Sorri feiliceira qoe a lula vencen.
No canto sentido do paludo nauta,
N"S rhos da Irania, que ao leof'e resa -
ii_, ,,. ,._ Na inivem que p.isM na bu da ardeuiu
Lma das tres victimas, que era urna joven ma- Que nd,l.ll|.Ta C!11 ful(.iua *"'
Br, implorara da janella a piedade dos usta-
j Na lata di patria qne o esposo separa,
scada meio .queimada. com a ,;'",sa n'ui r*r rt,' frU(,,* qu^'**,.
,- 1 lt, k-. a. O es|ioso se Irtmbra i-li irando dNlanie
ir a alguns pe= aba.xo da Do rho da amante, dos doces Mita I..
Iher,
lentes.
Langou-se urna esca
qual 8e podia chegar
nella.
Um piedoso ecclesiascn, o reverendo M. Barna-
h, subiu per aquello frgil apoio e foi levar a po-
bre creaiura as ullimas consolagoes da religiao.
Em ijuanto elle a exhortava a bem morrer, o fu-
mo, que al entao era negro, tornou se vermelho,! No extremo momento qne o tilho suspira. .
achamma substituiu o tumo e a pobre rapariga ^:1'Jl'n1 "'"V""* N"*'"
_-,.. 1 l'in riso IuiiIiim os alnos ensata
cah.u sulT-cada ao lado das suas duas companhc E ,rsU! desmaa nk,u n,.^8",^^, ,
ras de prisao : urna era sua me e outra sua ir-
gemidos
Na dr mais pungente da mae rarioliosa
Que ve lacrimosa sen lilho a gemer,
Sem cores de vida : coa rile M Oeiia
Nos selos o estreila, senlindo o morrer !
ma. Eram aecusadas de infanlecidio.
L-se no Morning Herald :
A espada do famoso conquistador do Mxico,
Fernando Corlez, existo ainda.
as noites d'insoninia do pobre poeta
Que Deus Ihe decretacantar e carpir !..
O estro Ihe apona corda d'espinhos.
Por ovios caminos a gloria a fulgir.
Assim
Esla arma lera urna forma particnlar. em um f?^" Primore
AlllUl
me en vivo escrevendo os am> r> r
instes paioeii I
alira nw n'nna bragos de anjo.
Que a vida eu esbanjo. 1 -anuido aos teus ps !
punho artisticamenle irabalhado em filagrana de
ago e rematado por urna coroa hespanhola. No in-
terior admiram-se os pendenles do ac, de um ira- Da &,/>""''' 'lustrada iranscrevemos o .-efninle
balho excessivamente curioso. Dr- Seu,.ana *'' "'" bomm ,wfa*0 d,: carBe e
A cruz da espada de ac polido, lendo com ca- iosso- ,st0 IW0 "ov,dade I13" 3 m,'a5 ,ei" r"
da extremidade urna coroa.' ows cnmpr.a-.ne d.zer, que na minha qoalida*
Por cima da cruz ha um engenhoso mechanismoj,,umana's
que faz abrir a folha quando penetra na ferida.
Esla folha, que sahe de urna especie de estojo, I
tem oito polegadas de comprida e abre-se como
urna tesoura.
A abertura d passagem a um liquido envene-
nado, oceulto n'um profundo enlalho praticado at
ao centro da folha.
A morle do ferido tornase assim certa.
Esta espada, cuja autheniicidade est perfeila-
mente prosada chegou por una antiga familia me-
xicana (os Alvarez) ao poder do hispo de Mobilia
(America do Norte), que a depositou no museu da
Uuiversidade de S. Luiz, onde esteve dezeseis
annos.
Depois tornou-se propriedade de ura msico re-
sidente em Albershot, que actualmente a possue.
Da Cruz iranscrevemos o seguinle extracto de
-.i urna carta :
Marselha, 21 de junhe de 18oi.
Meu caro Julio.............................
Agora vou contar-te a grande festa que houve
aqu a o do corrente (junho) por occasiao da con-
sagrago da nova capella de Nossa Senhora da
Guarda.
Tivemos primeramente um jubileo de um mez.
No dia 4 consagrou-se a capcHa, e no dia do
mingo, houve urna grande procisaan afim de tras-
ladar a imagem de Nossa Senhora da Guarda para
sua nova capella.
Descrevcr-te minuciosamente esla magnifica fes-
la nao me possivel nos limites de urna carta
pois seria mister empregar pelo menos vinte pagi-
nas na deseripcao. Contentme em dizer-te, que
nunca assisli a ceremonia to augusta, e sem du-
vida nao espero ver segunda.
Imagina urna procisso, cuja desfilada dnrou i
I/i horas, o onde iam dez relicarios (adores) mag-
nificse a SS. Virgera em triumpho ; acompanha-
da por 600 padres. 45 bispos e 4 cardeaes. e leras
urna fraea idea deste magnifico cortejo. Calcula-se
em 100:000 o numero dos eslrangeiros qne aeudi-
ram a Marselha para assisdr fesia. E comtudo
reinoua mais perfeita ordera em toda a cidade___
Que nova gloria para o cafhnliorsmo !
yue airao a isio os protestantes e racionalistas?
L o choro e o ranger dos dentes !
Frederico II, rei da Prussia, protega aos chama-
dos philosophos de. seu lempo, o parveia alardear!
de ser elle mesmo um delles ; comtudo sentia-se
commovido vendo a magostado do culto catho-
lico.
Umdia assislindoa urna missa cantada na S de
Breslaw pelo cardeal de Zinzordoff, disse a este
prelado.
Os calvinistas tratam a Dea* romoaumorea-
^ os luthcranos como a 11111 igual mas os catho-
heos tratam como a um Deus.

Em lempo de Paschoa um padre catholico entre-
gou a um ministro protestante habituado a zombar
dos Sacramentos, certa sommaconsideravel em res-
titnigao, pela qual elle nao esperava.
Este argumento fez-Iho impressao, e nao perda
occasiao de dizer.
Preciso concordar que a confissao urna
boa cousa.

Ccrlo professor que educava a um menino pe-
quero rauilo se ioieressava o implo d'Alembert, per-
guntou a esle se nao sena bom que o menino lizesr
se a primeira conim.iiilio.
E que duvida, disse d'Alembert, apezar de
impo; porque se es mogos niio tem religiao, man- boa renda para possinrem rarruagens e camarote
xuno.
Isto. porm, nao impede, que cumpra tambem o
meu dever divertindo aos leilores desle jornal,
que leem direito a reclamar no sabbado de rada
semana a sua hora de rcfocillameolo.
Da vez passada, porm, leve a Semana nma coo-
Icorrencia diabdicamente inesperada. Das II pora
' o meio dia percorreu por todo o corpo coromercial
' da corle e chegou mesmo as extremidades do cor
po social, um calafrio nervoso.
Urna das casas bancarias desta crl*. suspende-
r os seus pagamentos I A casa soato A C- '
A noticia era verdadeira, mas incrivel. Nao h-,
nos lempos molernos, colossos inabalavcis. Por-
que a casa Soulo era de faci um colosso de cr-
dito. Seu representante e gerente gosava na so-
ciedade, em geral, do m-lhor conceilo e rodean-
se das mais finas sympalhias. O gyro de sua-
transaegoes era enorme. A fortuna qu* se Ihe at-
tribuia, respeitavel. Seu crdito na praca, eqai
valente ao seu crdito nos cofres do H ti do
Brasil, pois, de um momento para outro assim ha
queara ?
O enigma pareca incomprebensivel.
Urna bomba que eslalasse sohre o lelo da pr
ga do commercio nao causara Unta eawcao.
Casas reputadas solidas, fortunas julfadas ia-
balaveis, viam-so em um momento ameacadas de
total ruina. A inquietarlo foi grande: o pnico
geral.
O que se seguiu ninguem o ignora.
O povo afflum ra Direila e roa da Alian
dega. Abalado o crdito geral, lodos correran aos
bancos e casas baocanas para salvar a sua pro-
propriedade ou o resto da suas economas acra-
muladas. A forga publica teve de intervir pan
seguranga da ordem. Cada qual agueotou-se eoo>">
p-le. Nao contentes os portadores *> vales eom
obterem netas, aOlairam ao banco do Brail. r-
rlamandootroco em ouro. A sorpresa de ons, a
inepcia de outros, a inercia, a especolacio > al-
guns, tudo se accumulou impedindo a adopciode
medidas enrgicas e premplas que restituissea "*
calma ao espirito publico o salvassem o cooMOar-
cio de um caLiclysma.
O resultado era fcil de prever se.
Casas importantes, sorpreheodidas pela crise.
falliram. Firmas solidas e acreditadas tiveram de
suspender os seus pagamentos. E como cense-
queneia da corrida sobre as casas bancarias, va-
nas destas liveram de cessar tambem o pagameo
lo de seus cheques.
At aqui o lado serio da questo. Nao tratare
mos dos incidente- occorndes enlre o povo e a
forga publica. Nada disso vale em comparacao
com os males exiraordrario< que resaltan da la
mentavel crise, porque passamos.
Mas quer o leilor saber a verdadeira causa dv
rataclrsroa ?
A causa esla no photpkoro. Foram o? phosf Iw
ros em sua exploso os que produsiram esle in
ceiidio horroroso.
Porque onospborica a base sobre que rrpousa
ama parte de nosso commercio.
Porque phosphuros sao os dredores de baoco-
que neuhuma acgo possuem e cuja eleigo foi de-
vida cabala de accionistas phosphoreo, ^a< ala-
gara acefies a WOOO para poder dar o sea oto
Porque phosphoro o monopolio do crdito, qm
encentra em duas oulras mos a sorte e a fortu
na de todo o mondo, encalacrando-as todas no mo-
mento em que urna della- relenla.
Porque phosphorico ampliar crdito de dous
individuos at absorverem elles sos iodo o capital
de un banco.
Porque phosphorico abrir crdito, a dalgos
sem solar, que a troco de papis sujos adquirem
dam logo a moral a quanlos danos ha.

Acreditas no inferno ? perguntavam ao cura
d'Ampleputa os revolucionarios de Lyon.
E como nao, resporfdeu-lhes, vendo-vos a vos
e considerando o que se passa ? Se eu fosse in-
crdulo, lornar-me-hia agora chrislao.
E disse bem ; a impunidade dos mus nesle
mundo regido por um Deus justo, prova a existen-
cia dos castigos em outra vida d'alm tmulo.

Depois de Deus, dizia alguem, eu nada temo lan-
to como a quem nao leme a Deus.

Perguntavam um da a urna pessoa, porque os
philosophos pregavam tanto a liberdado de todos
os cultos. Respondeu-lhes esta.
E' para se dispensaren} de todos elles, e para
melhor arabarem com lodos.
E' o que a experiencia nos moslra lodos os dias.
Tedero-nos osla publicagao:
SC1SMANO.
Mimosa deidade, dos anjos enlevo,
Amor eu escrevo as folhas da relva,
as flores mimosas de rores diversas,
Em sonhos. promessas, no espago c na selva ;
Na branca estrellinha que a la descera,
Na bri Na mente, no peno, que geme em delirio.
Na cruz do inartyrio, que a sombra recua.
Nos sonhos dourados do pobre captivo,
Na luta em que vivo d'um mard'illuses !...
Nos bragos dalyra que soffre contigo,
Sonhamos comtigo as doces canges I....
Ni ninho da rola qne affaga os filhinhos.
Nos temos beljinhos, qun a mae d no filho j
.Vo canto trinado com que o adormece,
No leilo, na prece, no encanto e no bri'lho,
elfeclivo no theatro lyrico.
Nao admira, pnanlo, que vista de tardo phos-
phoro houvesse lamauha exploso.

Os astrnomos e os geographos modero nao
concordara com os antigos na clas-ificaco das es-
trellas e das moni a n has.
Etes romperam suas pdas estrella de Venas.
a Saturno, a Uranos, ao Himalaya aos Andes.
Aquellos, dizem que nada romparavel ao Cru-
zeiro do Sal, que brilhou na Bagagem e a Monta
nha ie Luz, que fugio do Mongol.

O moleque da Sentina, estudante aproveiiado d>
antiguidades, tem duas opinies a rosneo da rty
mologia do pao-de-l. Urnas vezes diz qnr- assim
se chama, por causa do bolo preparado pelas fi
Ibas de Loth quando embriacaram o pobre do ve-
Ihusco ; oulras, allirma que Ihe dao tal nomc.
porque o seu rniolo lem semelhanca com a fazen-
da denominada lo.
O que e certo qne emqnanto o moleqne bola
a linaria abaixo para tirar somonte com ama
Opiniao, os golosos cahem no Ihema do antiqoario
e poueo >e Ibes dan lo com a solugo da pe^qoisa.
chegam concluso e provam que o pao-de-l com
vmho ou sem elle cousa de regalar o estomago.
Mirem-se nesle espelho e digam l que o horado
nao esl guardado para quem o ha de comer !

O JVord diz que a coma do hotel ocenpado d-
rame tres semanas, em Gastein, pelo re da Pros-
sia, montou a :000 norias ( 9:900*000 reas.)
A comitiva do rei compunha-se de 20 gettis-Oo-
mens e oulras lanos criados.
O imperador da Bussia pagon, por ama residen-
cia lambem de tres semanas, em Kessingeo, 75:000
fiorins ( 33:730#000 res.)
PEKNAMRUCO.-TYP. DE M. F. DE P. & rUHQ



Kt ITII AHA


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ0QLW7DA_HYASR0 INGEST_TIME 2013-08-28T00:53:03Z PACKAGE AA00011611_10482
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES