Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10479


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i



ANUO U. ggjjJEBO 223.
JjT pm aezes adiatados 5SO0
Por tres mezes vencidos 6$
Porte ao correio por tres mezes. 0750
.4*4 it ** -<.**


OIWTA FEIRA 29 DE SETEMERO DE 1864.
Por ano ad'aotado.....i 93000
Porte ao correio por um anno 3J00O
1NCARREGAD0S DA SUBSCRiPCAO KO KORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima';
Natal, o Sr. Antonio Marqnes da Silva; Aracatv, o
Sr.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alvos; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
ricia Martins & Gasparino.
>
t-ARflDA DO BdTAFt3TA&
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravati, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhnns as tergas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Breio, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob
Boa Vista, Onricury e Exu' as quartas feiras.
sennhaem, Rio Formoso, Tamaudar, Una, Barrei-
T0S Agn* Preta e Piraenteiras as quintas feiras.
lina de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao / dia.
PHEMERIDES DO MEZ LE SETEMBRO
1 Lna nova as 3 h.. 48 m. e 8 s. da m.
9 Quarto cresc. as 3 h., 30 m. e 38 s. da ni.
16 La cheia as h., 40 m. e 20 s. da t.
22 Quarto ming. as 4 h., 34 m. e 14 s. da l.
30 La nova as 8 h., 23 m. e 10 s. da t.
PREAMAP. DE HOJB.
Primeira as 2 horas e 6 minutos da Urde.
Segunda as 2 toras e 3 minutos da manna.
PARTIDA DOS VAPORES COSitJROj.
Para o sul at Alagoas a b e 23; para o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, maro., maio. jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife: do Apipucos as 6 l/t, 7, 7 Vi, 8 e
8 V da m.; de Oiinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 Vi da m.; do Caxang e Vanea as 7
da m.; de Bemica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3'/, 4, 4 A, 4 V,
8, 6* Vi, 8 Vz e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
manna e 4 Vi da tarde; para Jaboatao as 4 da tar-
de ; para Cacbang e Varzea s 4 Vi da larde; para
Bemficasi da tarde.
AUDfcNCU LOS J RBUNAgS DA CAPIAL.
Tribunal do coromercio: segundas quintas.
Relago: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quima.- s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas o sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DiAS DA SEMANA.
20. Segunda. S. Cleofas; S. Plrmino b.
27. Terca. Ss. Cosme eDamioirs. mrn.
2K. Quarta. S. Wenceslao duque mongc.
29. Quinta, S. Miguel aren.; S. Fraterno b
30. Sexta. S. Ji-ronjmo card. presb. edr. mximo.
I. Sabbado. S. Remigio b.; S. Verssimo m.
8. Domingo. S Leodegario b.; S. Guarinom.
ASSIGNA-8B
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa d*
Faria & Filho.
PARTE OFFIGIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Eipediente do dia 26 de setembro de 186!.
Ollicio ao commandante das armas Interino.
Srvase \. S. de informar acerca do que pede no
incluso ollicio o major director do laboratorio de
ogos.
Dito ao mesmo. Em vista da informado junta
por copia, sob n. 147 e dala de 24 do corrente, mi-
nistrada pelo director das obras militares, haja V.
S. de recommendar aos enearregados da Ilumina-
gao do quartel do segundo balalho de ufanlaria o
maior cuidado alim de evitar-se a reprodugo do
consumo de gaz, a que allude o ofllcio de V. S., de
b deste mez, sob n. 1,590.
Dilo ao mesmo.D V. S. suas ordens para que
vao destacar no presidio de Fernando, como soli-
citou o respectivo commandante em officio de 18
do corrente, sob n. 105, dous offlciaes subalternos,
sendo urade artilharia e outro de ufanlaria, urna
vez que nao ha uisso inconveniente algum, segun-
de ^. S. declara em sua informago de 24 desle
mez, sobn. 1G83.Communicou seao commandan-
te do presidio.
Diio'ao mesmo. Declaro V. S. para seu co-
nhecimenlo e fim conveniente, que o presidente da
caxa lilial participou-me em ofllcio de hoje
dem desla presidencia na collocacao dos lampeoes
da ra do Imperador, passando para columnas os
tres que all existan) em bracos, segundo consta
de ollicio do chefe interino da reparlrgo das obras
publicas, datado de hoje e sob n. 239.
Dito ao commandante do presidio do Fernando.
Approvo por torga das circumsiancias a medida,
que, segundo o seu officio de 13 do corrente, sob
n. 96, tomou V.S. de, na falta de remessa em lem-
po pela thesouraria de fazenda, dos dinheiros ne-
cesarios para pagamento dos sentenciados e pra-
gas em guarnigo nesse presidio, mandar abonar-
llies pelos' vivaudeiros, em gneros alimenticios e
fazendas, os vencimentos relativos aos inezes de
julho e agosto ltimos.
ilo ao mesmo.Approvo a deliberaco que, se-
gundo o seu ofllcio'de 13 do corrente, sob n. 98,
i tomou V. S. de consentir que alguns vivandeiros
! comprassem ah niiiho e fejao mulaiinho, pa>a
seren exportados a esta capital, pagando aquelles
a fazenda nacional 20 0|0 de cada genero, visto re-
celar V. S. que taes legumes viessem a ser des-
truid) s pelo gorgnlho.Communicou-se ao inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo. Inteirado de quanto V. S. me
coramunica em seu officio de 20 de agosto ultimo,
sob n. 84, lenho a dizer, em resposta, que, deposi-
tando esta presidencia inteira confianca no actual
commando desso presidio, encontrar este da par
te della todo o apoio ao emprego de medidas que
forem lembradas per V. S. para que sua autori
........-~ -------j- que, r- .. r_._, -------
nao se faz mais preciso o reforjo que se mandou i dade sJa acatada e respeitada pelos seus subordi-
preslar guarda daquelle estabelecimento.
Dito ao Dr. chefe de polica. CommuoicQ V.
S. em resposta ao seu officio n. 1174 de 22 do cr-
reme, que e sentenciado Manoel Antonio Espindo
Ja, cuja guia nesta data transmuto ao juiz inunici
pal da primeira vara para os lins convenientes, o
requisitado pelo delegado do lermo de Caruar,
onde est pronunciado, como consta de seu officio
n. 840 de 14 de julho ultimo. N'este sentido offi-
ciou-se ao mencionado juiz.
Dte ao mesmo. Comraunico V. S. em respos-
ta ao seu officio n. 1176 de 22 do corrente, que o
sentenciado Tiburlino Lins de Cerqueira, deve ser
posto disposico do juiz que o requisito, que foi
o da primeira vara municipal desta cldade, aquem
ja transmetli a respectiva guia. Officiou-se nesle
sentido ao predito juiz.
Dito ao mesmo. Declaro V. S. em resposta ao
seu officio de 22 do corrente, sob n. 1174, que o
sentenciado Pedro Pereira da Silva deve ser posto
disposicao do juiz municipal da primeira vara, a
quem nesta data transmuto a respectiva guia.
Neste sentido officiou-se ao juiz municipal da pri-
meira vara desta cldade.
Dito ao mesmo.Declaro V. S. em resposta ao
seu ofllcio n. 1174 de 22 deste mez, que o senten-
ciado Antonio Florencio da Paixao, caja guia nesta-
data transmuto ao juiz municipal da primeira vara
para os flns convenientes, o requisitado por V. S.
em 21 de julho ultimo, por ter de responder nova-
mente ao jury no termo de Sennhaem. Commu-
nicou-se ao predito juiz.
Ditoao mesmo.Declaro V. S. em resposta ao
seu ollicio n. 1174 de 22 do corrente, que o sen-
tenciado gats perpetuas, Manoel Antonio Carnei-
ro, foi requisitado pela promotoria publica desla
cidade para ser processado pelo assas>inato da me-
nor Luiza Maria da Conceicao, e deve ser posto
disposicao do juiz municipal da primeira vara des-
ta cidade.Fez-se o necessario expediente.
Dito ao inspector da lliesourana de fazenda.
Tendo em vista a sua informacu de 24 do corren-
sob n. 538, dada
acompanliando urna caria escripia pelo Rvd. Fr. I sidades, e al mesmo com todas as curiosidades,
Joo das Chagas de Christo, pedindo-lhe o livro de que em tal materia so podia desejar.
bitos para lanear" os assentos que tem cm seu po-, Como porm, elle se retirasse para o Rio de Ja-
der, depois do que mandar buscar o de baplismo. neiro sem me deixar o mappa que dizia liaver or-
E diz-me mais V. Rvma. que esse religioso nao fez ganisado, delerrainei dirigir-me ao reverendissimo
lancamento algum nos livros, durante o espago de Manoel Amando, o qual, lendo sido secretario do
dez mezes e dez dias, em que regeu essa fregnezia. \ cx-vigano geral, necessariamenle devia ter noticia
Bem proceden. V. Rvma. em nao Ihe remetter o: desse trabalho circumslanciado.
livro. visto como os livros de assentamentos jamis Agora, pois longe de dizer a V. Rvma. que sus-
devem sair das mos dos respectivos parochos. i penda o seu trabalho, pelo contrario, lhe pcc,o que
Nesta data me dirijo a esse religioso, pedindo-lhe o continu ainda com roaior empenlio, pois asss
a razo de lo inqualificavel omissao, c llie orde- conhero o reverendissimo Manoel Amancio das Do-
no que, sem peda de tempo, remeta V. Rvma. | res Chaves, e eslou crlo de que ell?, illuslrado
todos os assenlaraentos que eslo no |seu poder- como 6, e sobre tudo amante da sciencia e da sua
Logo que estes lhe sejam entregues, V. Rvma. os i provincia natal, muito lude estimar, que baja
far laucar nos livros competentes, e me mandar qijtem se esforc igualmente por dolar essa provin-
dizer qual o numero delles. ca de urna estatifica ecclesiaslica digna dos illas-
Lonveoca-se y. Rvma. de que nada me afflige irados sacerdotes, que nella trabalham.
lanto, como a falta de lancamentos nos livros com-; Pela minba parle muito me regosijo de, aprovei-
petentes das matrizes: e nada me cuslar lanto a lando-me dos estudos de V. Rvma. e das lucubra-
desculpar aquelles que lem seu cargo a cura de' c&cs do reverendissimo Manoel Amaucio, obter por
almas, como as omissoes a este respeilo. lim um trabalho completo a respeilo dos negocios
Dito Fr. Joao das Chagas de Christo. Parii- ecclesiasticos dessa provincia.
pando-roe o vigario da cidade das Alagoas, cm da- ] Eu pois auloriso V. Rvma. a dii igir-se em nieu
ta de 31 de agosto prximo pausado, que v. Rvma. nome aos vgarios dessa provincia, ou mesmo aos
no espacfl de dez mezes e dez das em que regera vigarios da vara ahi residentes, alim de que lhe
aquella freguezia na qualidade de parodio interino I ddem os esclarecimentos de que V. Rvma. neces-
nenhum assentamenlo langou nos livros da matriz,! sftar.
e sendo-me presente una caria escripia por V. 27
Rvma. ao mesmo vigario, em data de 28 do pro- Officio ao L'xm. Sr. presidente da provincia.
ximo passado, pedindo que lhe remeta o livrode Accuso recebido o officio de V. Exc. dalado de 16
bitos, a lim de poder lancar os assentos que se do crreme,
.- a um de poder lancar os assentos que se do corrente, acompanhando a relacao. por copia,
,1-f" acham em seu poder, para depoi* mandar buscar ministrada pela alfandega dessa cidade, de lo-
wm m"7 .a!ils as razoes Pndej;a- de baptizados, convem que V Rvma me explique dos os objectos importados do diversas partes da
aas em seu ollicio de 12 do corrente, sob n. 93,; esla omissao, a causa porque durante todo o tem- Europa para a matriz de S.Jos, e que nessa
convenno em que se crie nesse presidio urna caixa po de sua administrado deixou de cumprir com qualidade foram isentos dos direitos da alfan-
um dos mais importantes deveres que pezam so- dega.
bre um parocho, causando desle modo grave dam-: Dito commissao administradora das obras da
no aos povos com a falta constante de assenlos: nova matriz de S. Jos. Incluso remello VV. SS.
convem outro sim que, sem perda de tempo, re- a relacao, ministrada pela alfandega dessa cidade,
mella ao Rvd. vigario todos os assentamentos que de lodos os objeclos importados de diversas parles
estad em seu poder, devendo saber V. Rvma. que da Enropa para a nova matriz de S. Jos, a qual
os livros de urna freguezia jamis podem sair da, relago me foi Iransmittida por copia, pelo Exm.
matriz, ou da residencia do respectivo parocho. j Sr. presidente da provincia.
24 Dilo ao vigario de Itaroarac.Rcspondendo ao
Icio ao juiz municipal da segunda vara da j seu officio de hontem. no qual me diz que tendo-se
de economas licitas, na qual devam ser recolhi-
dos como receita os productos das verbas a que
V. S. allude em o citado officio, funecionando a
referida caixa conjuntamente com o censelho eco-
nmico da enfermara militar, esoba directo dos
membros desle.
Dilo ao mesmo.Pode V. S, proceder a respei-
lo dos terreos que actualmente acham-se oceupa-
dos com plantacoes feilas pelos offidaes e empre-
gados desse presidio, pelo modo indicado em seu
officio de 18 do coerente sob n. 87, que ca assim
respondido.
Dilo ao commandante superior da guarda na-
cional de Oiinda.Sirva-se V. S. de expedir as
suas ordens, alim de que o 9o balalho da guarda
nacional sob seu commando superior acompanha
a procisso da Senhora das Dores, que lem de
sahir no dia 2 de outubro prximo vindouro da
igreja do seminario dessa cidade.
Dilo ao inspector do arsenal de marinha.Em
deferimenlo ao requerimeoto de Christovao Fran-
cisco de Paula, sobre que versa a sua informacao
n. 746, de 24 do corrente, auloriso V. S. a mandar
relirar da thesouraria de fazenda, pelo comman-
dante da companhia do aprendizes artfices desse
arsenal a quanlia de 235527, que pertence ao sup-
plicante, como peculio relativamente ao tempo cm
que fez parte da predita companhia.-Officiou-se
nesle sentido a thesouraria de fazenda.
Do ao mesmo.Faco apresentar a V. S. para
ser alistado na companhia de aprendizes marinhei-
cidade do Recife.-Tenho presente o officio de V. S.; espalhado por essa ilha algumas imagens de mas-
cn) dala de 20 do corrente, em que me declara' sa ou de gesso, nao sabe se deve bemz-las, e por
acceitar o lugar que, em data de 7 do mesmo offe- isso me consulta a tal respeilo, devo declarar-lhe
reci no Recolhimento de NossaSenhora da Gloria,!que, se essas imagens sao bem esculpidas, seos
dessa cidade, menina quasi branca, de nome ] tragos sao bem delineados, pode V. Rvma. bemz-
Anna, libertada por esmola de diversos cidados,' las, embora sejam feilas de massa frgil; recorn-
por occasiao de proceder-se a uro inventario por | mandando todava aquellas pessas que as possui-
rem, que as conservem com cuidado dentro dos
seus oratorios, aui de que se nao quebrem.
Dilo ao vigario do Pilar das Alagoas. Tenho
prescule o seu officio de 5 do corrente, pelo qual
me participa que. por Ici da assembla dessa pro-
vincia, em junho do trrenlo anno, foram desmem
r ^ i .1;t.> j 1 rt *^ f m_______*_ a *0. *
esse juizo. Fico certo de nao haver V. S. respon-
dido ha mais lempo ao meu officio porque espe-
rava faze-lo quando definitivamente se houvesse
realisadaa liberdado da mencioaada Anna.
Pode pois V. S. fazer conduzir para aquelle Rj-
colhimenlo dita liberta, acompanhada por pessoa
Idnea, como V. S. offerece no seu officio, a lim de brados dessa freguezia, e annexados freguezia
que seja apreseniada madre regente, a quem da Alalaia os territorios denominadosArrayaes
nesta data roe dirijo. de Santo Amaro, Pedro da Cruz e Bocea da Malta
a ma~e re&ente do Recolhimento deN'ossa ou Taboleiro, os quaes sempre perlenceram a essa
Senhora da Gloria da cidade do Recife. Tendo freguezia desde a primitiva creagao della. Infor-
sido acceilo o lugar que nesse Recolhimento offe- mame mais V. Rvma. que tudo islo se fez sem an-
reci a una menina quasi branca, de nome Anna, nuencia ou consulla do poder ecclesiaslico, o qual
) communico V. S. para que a receba lo- jamis poderia esbulhar essa freguezia de urna par-
e reduzi-la aos
te, sob n. 538, dada acerca do requerimento em
que o promotor publico da comarca do Onricury, I serviro.Cominunicou-se ao inspector da
bacharel Angelo Caetano de Souza Cousseiro, por | raria provincial,
seu procurador, pede o pagamento de s^us venci-
mentos, relativos ao mez de junho ultimo, recom-
mendo V. S. que mande effecluar esse pagamen-
to sob minha responsabilidade, nos termos do de-
creto n. 2884 do 1 de fevereiro de 1862, por nao
haver crdito para esse fim, devendo fazer extensi-
va esta minha ordem aos demais promotores, que
se acharem em idnticas circumstanda
acha-se ceg e por isso intilisado para
mesmo
thesou-
Dito ao juiz .le paz presidente da mesa paro-
chial da freguezia de Nazareth.Picando intei-
rado pelo seu officio de 13 do correnle, de ter-
se concluido no dia 12, com loda a regula-
ridade, os trabadlos da eleico a que se pro-
cedeu nessa freguezia no dia 7 deste mez, recom-
raendo-lhe que me remeta com a possivel brevi-
dade copia das actas de todo o processo da referi-
Dito ao mesmo.Auloriso V. S., no caso de nao da elelgo, visto ler smenle acompanhado ao seu
haver inconvf niente, mandar pagar ao encarre- citado officio a da aouracao dos votos,
gado da gerencia da compmhia Pernambucana a Poriaria.O presidente da provincia ordena que
subvengao de 7:0003(w>0, relativa a este mez, com pela respectiva secretaria se passe caita de 3" ma-
que o governo imperial auxilia mentalmente aquel- diinista. na forma das instruegoes de 2 de junho
la companhia, que cumprio com as obrigacoes do de 1860, a Manoel Jos de Mendonca, que foi
seu contrato.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Sendo inconteslavel, segundo consta de soa infor-
mago de 31 de agosto ultimo, sob n. 378, dada
com referencia a da conladoria dessa thesouraria,
o direito de Lniz Jacqaes Brunei a gratilicacaoqae
venceu, na importancia de 735333, como eearre-
jjado do museu do gymnasio a contar do Io de ju-
lho at 14 de agosto do anno prximo passado, re-
mimendo V. S. que mande effecluar esse paga-
mento pessoa que se mostrar para issoautoii-
sada.
Outro sim lendo o mesmo lirnnet despendido a
somma que indica na reUeao junta ao requenrnenlo
de seo procarador Lniz Ma'rgotcoma compra daeb-
je-los para o|museu,eapezardo nesle s existirem
os crustacos devendo se allender que as.ontras
de paracoes e utencilios necessarios aos mesmos ob-
jectos como pondera o regedor do Gymnasio ;
tanibem recommeudo V.S. que mande satisfazer
essi despeza, visto que nao importa que a relacao
nao esteja assignada por Brunut, urna vez que* o
esta por sen procurador.
A' vista pois do que observa a conladoria os pa-
gamentos a que me refiro devem ser effectuados
na lumia por ella manifestada.
Dito ao mesmo.Em resposta ao officio de V. S.
de 9 do correnle, sob n. 398, em que impugna a
pretengao do procurador da Sania Casa da Miseri-
cordia para o receblmento integral da consignacao
de 30:0005 votada no artigo 24 da le do orgam-m-
to vipente, fundando-se no artigo 2 da lei n. 575,
que d applicagao especial s sobras de /lespza.
e considerando como tal a dilferenga resultantd eat
favor dos eslabelecimenlos de caridade pela su-
presso da despeza com aluguel da casa dos Coe-
lhos, adduzinoo mais em abono de sua argumenta
o mspec-
examinado e approvado, como informo
tur do arsenal de marinha.
, Dita. -OSr. gerente da companhia Pernambu-
cana, mande dar iransporte at a Parahyba, em
lugar de r destinado a pasaageiro de estado, no
pruneiro vapor que seguir para all no mez de ou-
tubro prximo vindouro. ao juiz municipal e de
orphaos dos termos do Pilar e Pedras de Fogo, ba-
charel Aprigio Carlos lessoa de Mello, e em lu-
gar de proa a um seu criado.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes a vapor, mandem dar transpone para
a corte ao tenenle Joao Paulo de Miranda e ao 2"
cirurgiao do exercilo, Dr. Gustavo Balduino de
Moura Cmara, bem como para a Baha ao deser-
tor do 8 balalho ,de infamara, Innocenco Ma-
chado. Communicouse ao commandanle das
armas.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes a vapor, mandem dar passagem para
a corle, por couta do ministerio da marinha, no
paquete que se espera do norte, ao imperial mari-
nheieo de 2' classe, Faustino Quirino de Freltas.
Communicou-se ao Cmraandaute do brigue-barca
I tama me.
Despaches des dias 26 de setembro de 1861.
Rcquerhnrntos.
Antonio los de Souza Cousseiro. Dirija-se
thesouraria de fazenda.
Companhia Brasileira de paquetes a vapor.
Informe a cmara municipal do Recife;
Christovao Francisco de Paula.-Dirija-se ao ins-
pector do arsenal de marinha, a quem se expede
ordem no sentido que requer o supplieantc.
Flix Benvindo de Oliveira.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Padre Genuino Gomes Pereira.A' vista da n-
formaco do iospeclor da thesouraria provincial de
r..r ,... w .. luv,, emquanto o co-
ac seu sexo. Lerto da caridadee disvelo com que trario nao fr por mim determinado.
\. S. trata a todas as recolhidas, que estao debai- Nesta data participo ao vigario d'Alalaia esla mi-
xo da sua direccao eu a encarrego do fazer elec- nha deliberago, alim de que ello se absteuba de
tivosos meusdesejos, velando sobre a innocencia adminislrar o paslo espiritual aos liis residentes
e noa educacao dessa joven, bem como das demais nesses lugares.
recolhidas, que ahi existirem, enlre as quaes j.i- Dilo ao vigario da AlalaiaTundo a assembla
haver oulras distinecoes que nao se- dessa provincia, em junho do corrale anno, d
capital para com o seu prolucto dar-se ama de-
monstracao s serenissimas princeza imperiacs.
Achavam-se j assignado^ 7805001.
Alasoas. A presidencia autorisra ao engenhei-
ro Carneiro Mouteiro a alterar o plano do agude.
que deve foruecer a agua polavel para a capital.
Pah.vhyim.Escrevem-iios da capital, ero 25 :
Acaba de ser preso no Pilar. Joo Martins de
Oliveira, que conduzia tro cavados furlados. appa
receudo na occasiao da prisao, o dono de um do>
cavados.
Foi nomeado director da in>lrucgao publica
desta provincia, o Dr. Joo Leite Ferreira.
Na noite de 14 do corrente, no porto desta ci-
dade, um marinheiro inglez do brigue Amelia
achandp-se dorroindo ebrio sobre urna vela.na proa
do navio, cahio n'agua ; sem ser presentido de. sen-
companheiros aflbgou-se : lugo depois foi lirado
d'agua c soccorrido pelo medico Dr. Cordeiro, po
rm sem mais recurso algum de vida; por ordem
do Dr. chefe de polica fez-se a vestoria.
Na freguezia de Cabaceiras, ende so receava
disturbio por occasiao da eleico, correu ludo em
paz.
Na noile do dia 21, na ladera da matriz desta
cidade o portuguez Custodio Ferreira de Mello,
dentro do quintal de sua casa, levou tres cacetadas
dadas por um individuo que elle nao conheceu,
quebrando-Ule a cabeca. O inspector de quartel-
rao, ios gritos do olleudido, rorreu ao lugar onde
ja encontrqu diversas pessoas, declarando o olTen-
dido que nao conhecia seu offen le o faci foi pelo respectivo subdelegado levado ao
conhecimenlo do Dr. chele de polica, que procura
descobrir seu autor, j tendo ido o olendido a sua
presenga. O ferimento foi leve, e diz o olendido
que tambero dora urna cacetada em seu aggressor.
Consta que pelo delegado de Panc, o em vir-
lude de terminantes ordens do Dr. chefe de poliria,
foi exoedida urna fsrle deligencia conlra os fami-
gerados Guabirabas autores das carneficinas qui-
no anno de 1862 se deram na serra do Texeira,
dentro da propria villa as pessoas do Infeliz juiz
municipal e um vereader, e nao nos recordamos se
de mais alguera. Consta, que a escolla leve desta
vez encontr com dous daquelles assassinos, que
armados resistiram com o maior denodo, morren
do um, e sendo o oulro preso depois de ferido. A
ser real esta noliria, que nos foi dada por pessoa
insuspeita e vinda ha poucos dias de Pianc, o
maior servgo que nesta provincia podia fazer a po-
lica do Dr. Gervazo. Aquelles criminosos eratn
o terror dos hablanles e autoridades dos serloes
desta provincia. Viviam atlacando as povoagoes,
roubando e matando, adiando refugio nessa pro-
vincia nos lugares de Pajea de Flores e Papaeaga.
Os habitantes desta capital aiegraram-se. quando
ouvram fallar no resultado da deligencia. Con-
vem agora que o Dr. chefe de polica providencie
em ordem a que os parales daquelles criminosos,
que sao muitos e dispostos, nio s tomem o preso,
como que nao evadam alguma villa ou povoado
para atiacarem s *utordades locaes.
J est pronunciado pelo delegado do termo
do Cuit, incurso no artigo Io da le de 10 de ju-
nho de 1835, o escravo Francisco preso, que na-
quelle lermo assassinou a seu proprio senhor Ma-
noel Dantas e oulros, como de outra vez lhe com-
I muniquei, constando-me que o jury do mesmo ter-
que continu a moesl convocado extraordinariamente por ordem
em todo o lerrilo-; da presidencia em viriude de pedido do Dr. chee
pela lei da crea-, de polica para julgamenlo de dilo escravo, cujo re-
lavel materia em Itom-Jardim 1 Por tal methodo
de fazer eleicfes, dentro de ponco tempo o sysle-
ma eleiloral eslar cornpleamenle fruslrad no
Brasil I
Rbparticao da polica.
Extracto das parles do da 28 de setembro d
1864.
Foram rccolhdoscasadedeienco no dia 27 do
corrente:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe do polida. Tho-
maz Gomes da Silva, viudo de Caruar, como sen-
tenciado.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Augusto
scravo de Jos Carlos Rodrigues Yalenca, para
orreceo.
A' ordem do subdelegado do Recite, Francisco
de Mello Brrelo, por insultos.
A' ordem do de. Santo Antonio, Antonio, escra
vo de Claudino Muniz, por ferimenlos.
A ordem do de Sao Jos, Raimundo Antonio do
Espirito Santo. Damo J-.se Caetano, Joo Francis-
co Nepomuccno, Lniz Francisco Chaves, Ponciana
Mara da Concdgo, Herculano Themoteo da Fon-
ceca, Berlholina Maria da Conceigao, Miguel Lopes
de M traes Passos, e Izidro, escravo do Dr. Sabino
Esteros Cavalcanli, todos por disturbios.
A' ordem do da B ta-Vfcta, Vicente, Raimundo t-
Paulo, escravos, n prmeiro de Bolinia Teixeira
Mendes, o segundo de Moreira da Rocha, e o ulti-
mo, deJrts dos Sanios Ramos da Cunta, todos por
infraecao de posturas, Manoel Lniz da Penha, como
desertor da armada, Francisca Mara da Conceicc
Mara Antonia da Conceigao, Anna Joaquina do "Sa-
cramento, e Laurentino, escravo de Manoel Jos de
Siqueira, lodos para correegao.
A' ordem do da Capunga.'Caetano Marques, tam-
bem para correegao.
A' disposigao do depositario geral, Joaquim, es-
cravo de Benedicto Marques da Silva, para ficarcni
depo.-ilo.
O chefe] da 2" secgo.
/. G. de Mesquita.
Movmenlo da casa de delengao do da 26 de
setembro de 1864.
A ?aber
Existiaro....... Entraram...... Sahiram....... 356 13 17 preso?.
Existem....... 354
Nacionaes..... Mulheres...... Estrangeros... Elrangeira ... Escravos...... Escravas...... 299 7 7 1 36 >
354
Alimentados cusla dos cofresprovinciaes 152
Movmenlo da enfermara do dia 27 de setembro
d? 1864.
Tiveram baixa :
Luiz Bapli Joaquim Ferreira dos Sanios, odontalgia.
Ignacio Francisco da Silva, bronchite.
Movimento da casa de detengo do dia V
de setembro de 1864 :
jaro aquellas, que cada
anno, desa-
e- dessa provincia, em junho do corrate .
__ urna alcancar pelo seu nevado da freguezia do Pilar, e incorp rada a essa
ora componamento ou pelo seu adiantamenlo no freguezia da Alalaia, de que V. Rvma. parocho
esludo ou no trabalho.
i^0 fin do mez remeilerei o augmento de men-
sahdade necessario para mais urna recolhida.
sudado Ihecommnnicare cm tempo.
Rio Grande. -Nenhuma uolicia importante lia !
Ceau. As noticias cleiioraes viadas do centro |
dao ganho de causa aos liberaes.
A sal>er
Dilo ao coadjutor pro-parocho da freguezia do
Pogo da Panella.-Sendo eu informado pelo Rvd.
vigario dessa freguezia de que se acha lindo o li-
vro em que ahi se fazem os langamentos de bapti-
zados, sem que V. Rvma. haja providenciado, com-
prando novo livro para o m^smo fim, nao obstante
recebor lodo o dinheiro da fabrica dessa matriz na
os territorios denominados Arravaes de Sanio Ama-
ro, Pedro da Cruz, e Bocea da Malta ou Taboleiro,
sem que o poder ecclesiaslico lenha mtervindo em
lal mudanga, recommendo V. Rvma. que se abs-
teuba de exercer qualquer acto de jurisdigao pa-
rochial nos mencoaados territorios, emqoanto da
miulia parte nao recebor ordem em conlraro,
- 28 -
Officio ao padre Manoel Amando das Dores Cha-
ves. Parlidpou-mc o Rvd. Jacinllio Candido de
gao a circumslancia de se terem feito despezas 23 do corrente, sob n. 423, com que me conformo,
com os reparos e accommodagoes para o recolhi- n5o tem lugar o que requer o supplicante.
ment dos alienados na Misericordia de Oiinda, Conego J..o Chrysostomo de Paiva Torres.
cabe-me dizer-lhe : que tendo a le do orcamento Fica expedida a ordem para que o 9 balalho da
vigente no ari. 24 comprehendido englobadamenle guarda nacional de Oiinda acompanhe a procisso
todas as despezas concernientes aos estabelecmen- de que trata o supplicante. *
tos de caridade. nao dado estabelecer distinc- jos da Cosa Barros.Requeira por intermedio
c5es, qae ella nao fez., pelo que nao pode ser con- ue seu commandante.
siderada jurdicamente, como sobra a differenga da Luis Magos.Dirija-se ao inspector da theson-
despeza proveniente do aluguel mencionado, que raria provincial a cujo inspector deve ser este
nao aproveila tambero solugo da especie, que se
agita, emconsiderago das despezas feilas para ac-
commocio dos alienados por que semelhante despen-
di foi especialmente consignado e attendido na lei
do orgameolo.
A' vista pois deslas ponderagoes recommendo
V. S., que seja e.Tectuado integralmente Santa
Casa da Misericordia o pagamento da subvengao
qae em seu favor votou a lei do orgamento vinen-:
ts, como reclama o provedor da mesma Santa Casa, I
em officio de 21 deste m>z.Communicou-se ao
desembargador provedor da Sania Casa.
Dito ao mesmo. Se na i houver inconveniente,
mande V. S. pagar ao gerente da companhia de I-
luminaco a gaz nesta capital, em visla da inclusa
conla a quantia de 1305000 rs. que tem ella di-
reito por haver feito mudanga, em virtude de or-
apresentado.
Manoel da Silva Santos.=Reraettido ao Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda para depois de
salisfeita a exigencia cohtida no final de sua in-
formago de 24 do correnle, sob n. 838, mandar
pasaar ao snpplicante tirulo do terreno de qne se
trata.
DE
riiivinin (o,
SEEVA.Am
Sflembre de 1861.
Expediente do dia 23.
Offlcio ao vigario da cidade das Alagoas.Tenho
presente o seu offlcio de 31 do prximo passado,
qualidade de coadjutor pro-parocho, convem que Mendonca, vigario da villa do Pilar, haver sidoen-
quanio antes proyeja freguezia de novo livro, e carregado pelo excellentssimo hispo fallecido de
me declare onde e que tem feito os lancamentos organisar urna eslatistica ecclesiastca dessa pro-
de aptismo desde cjue findou-se o compleme vincia, c acbar-se i adiantada esla iucuroben-
nvio. (.a.
nm. 26 Nao obstante ler cu j confiado esse trabalho a
umcio ao vigario encommendado de Muricv. Bal habis raaos, com tudo me alegrei com a no-
ni"' PSS?8,a ao seu 0,,ici0 de 13 d0 correnI(''le- licia' Pr w nio a oeciarar-ltie que pode V. Rvma. eontinuar a mtelligenles, irabalhando sobre u mesmo assump-
excrcer o lugar de vigario da vara da comarca da lo, se hade poder obter um resudado to completo
imperairiz pode tomaros depoimenlos das leste- e aperfeicoado, quanto possivel conseguir-se dos
inuiinas para justificacao de idade. de solteiro ou dados imperfetos que neste paz podemos obter pa-
ue ouito,a que se proceder as freguezias que com-, ra lacs emprezas.
poem a sua comarca, remoliendo o processo para I Eu pois pressuroso dirig ao reverendo Jacntbo
a cmara ecclesiastca, a lim de serjulgado aqu, o ollicio que por copia remetiTucluso V. S., a
exceptuam-se porm as justilicacoes de baplsmo quero julguei do roeu dever participar o (
para casamento, porque essas serao tomadas ver-
balmenie pelos vigarios respectivos, ouvindo duas
lesiemunhas; e isto abreviadamente, sem forma
de proceso, e sem que os nubenles dispendam
cousa tlguma, como aqu se pratica: o que V.
Rvma. participar aos Rvds. vigarios da sua co-
marca, e velar para que assim se execule, sem
grvame dos povos.
Ditoao mesmo. -Sendo um contrasenso mandar
rubricar os livros pela
rido.
participar o occor-
COMMANDO DAS ARMAS.
Qnarlel do commando das armas de Pernarabiiro,
na cidade do Recife, 28 de setembro de 1864.
ORDEM DO DIA N. 356.
O coronel commandante das armas interino, de-
termina que na manna do da primeiro de ontu-
lc SSESCS"?' qae "ell?S Lro vndo"ro, se passe revista geral de mostra,
pamchoS l rnhluZ?" ViJ ES"0 era seus wW quarteis, aos cornos movis d
deK^KZS^ '* '!rs. "" qetem exercilo e companhias soladas desla guarnigo
VT^^n^^A^Lr^ut-rC,SaClv nNeste, Pela or^m seguinte : s 6 horas, companhia de
!o^3Mh^iS?S2^Sfrtt q"e V- Rvma' ar,ilices as 6 ll2> ao selimo &alalh^ de infanta-
numere e rubrique os noves livros que comprou:ra; s 7 comoanhia de eavaiiiria 7 iil
para essa matriz; mas atiendendo. itongfodeem aerando bVlalnaT- -de-cavallar,a' a-s
que se acha desta cidade, e a d.fficuldade de por-1 DOno "da
ladores, que V. Rvma. allega, pode remetter os
PERNAMRUCO.
Exisiiam.......
Entraram......
Sahiram.......
Existem.......
Nacionaes.....
Estrangeros...
Mulheres......
Estrangeira___
Escravos ......
Escravas......
354 presos.
26 >
12 .
368 .
306 .
9

/
2
40 .
4 .
REVISTA DSARIA.
Hoje foneciona o Instituto Avcheologico e Geogra-
pfiico.
Chegou hontem, procedente de Clierbourgo e
com deslino ao Rio de Janeiro, o aviso hlice da
marinha franceza Lamotke-Ptqtut, sob o cominan-! p
do do capilo de fragata Moncher, armado por 4 : '
pequeas pegas.
Entre os navios entrados hontem figura a
escuna Eruto, vnda de llan.burgo, sob a bandeira
da Venezuela, por causa da guerra dano-allemaa
Amanlia finda-se. no consolado provincial,
o praso marcado' para a arrecadaco de todos os
impostes lancados do exercicio de' 1863 1864,
368
Alimentados custa dos cofres provinciaes 153
Movimento da enfermara do dia 27 de setem-
bro de 1864 :
Tive alia :
I Luiz Baptsla.
Passageiros do brigue portuguez Olido, en-
r ado do Porto :
Alexandre Texeira Pinto. Francisco Gaspar de
nho, Giumor Ferreira Cruz, Antonio Jos da
Fonceea, Albino Souza Campos, Braz Pxe, Manoel
Francisco Mundos, Francisco Garrido, Jos Ferreira
da Costa, Silvino Martins, Francisco Martins Bar-
bosa, Ricardo Barbosa Cupertino, Manoel Ferreira
de Paiva, Antonio Jos Mendes Paiva, Joaquim Fi-
gueiredo. Jos Ferreira da Costa, Manoel Antonio
Jnior, Manoel Ribeiro de Carvalho, JernimoGon-
ticando sugeilos, acuelles que nao paaarem, a se-; Calve^,(,t Almeida, Manoel Ferreira da Cruz. Ma-
...-, tii.i Clin.!,! L- i., i* -.. i.__i_ n..j^. nf.._
livros ao Rvd. Joo da Cos Bossuet vigario da
Alalaia, a quem nesta data auloriso para rubricar
por esla vez os livros dessa freguezia.
Dilo ao vigario da Alalaia.Autoriso V. Rvma.
para numerar e rubricar por esta vez os novos
livros, que tem do servir para os langamentos de
baplsmo, bitos, e casamentos na freguezia de
iNossa Senhora da Graga, povoaco de Muricv.
Dito ao vigario da villa do Pilar.Tenho presen
de Mnfantara ; s 7 l|2o
mesma arma; e finalmente s 8, ao
quario balalho de artilharia a p.
Oulrosim, determina qne do referido dia primei-
ro em diante, a guarnigo ser rendida s 8 horas
da manha, de uniforme branco, e o toque do re-
colher ser s 9 horas.
O mesmo coronel finalmente faz publico para os
lins convenientes, que approvou o engajamento
que contratiro no da 27 do corrente para servir
por mais 6 annos nos termos do 2. do art. 3.
da lei n. 1220 de 20 de junho do presento anno, e
te o seu ollicio de 9 do correnle, em que me parti- do re8ulanteilo do 1." de maio de 1858, precedendo
cipa que o excellentssimo bispo fallecido havia en- "?s.Pecca0 de sade, o artiflee de fogo da corapa-
carregado V. Rvma. de organisar ama estatistica "hia.ae artfices desla provincia Jos Francisco de
dessa provincia, e que este trabalho j se acha r3"1!?.8^ c0,^0"^ participou o respectivo
adantado; mas que como eu encarreguei da sua
execucao ao Rvm. Manoel Amancio das Dores Cha-
ves, entende V. Rvma. que deve sospender o seu
commandante em offlcio n. 111 da referida dala.
Assignado.Luiz Jos Ferreira.
Conforme.-Jos Francisco de Moraes e Vosean-
trabalho, mormenle devendo eu ter sido sabedor i 7'"0S- capilao ajudante d ordens encarregado do
da tarefa do que V. Rvma. se acha encarregado;
pois que o ex-vigario geral dessa provincia, Ca-
millo de Mendonca Fuado, rae havla de fallar
nisso.
Primeramente cabe-me declarar V. Rvma. que
me nao record, so no principio da minha admi-
nislrago alguem me den noticia desse sea traba-
lho ; o que com certeza lhe posso affirmar que
o reverendo ex-visilador Camillo me nao fallou de
estar V. Rvma. eocarreeado de organisar a estatis-
tica; o que elle me disse foi, que tinha um traba-
lho completo nesse sentido, com todas as minucio-
detalhe interinamente.
DIARIO DE PERNAMRUCO
Pelos vapores da companhia Pernambucana Per-
sinunga e Parahyba, recebemos jornaes : do Cear
at 20, do Rio Grande at 25, da Parahvba e Ala-
goas at 27, e de Sergipe al 23 do corrente ; des
quaes colhemos o que segu :
Sercipe.Havia sido aborta nma subscrpgo na
rem seus dbitos remettidos para o juizo dos fmios
da fazenda, alim de seren executados.
Pelo patacho Maria na Gloria, ero sua via-
gero de Lisboa ao nosso porta, foram encontra-
dos : o patacho inglez Anlelwh-, na lal. t. 129"
e long. O. 15 30', ero viagem para Hon-Kong: e a
barca mgleza Jorge Bruka, na lal. S. 8- 6' e long.
O. 33o40' em viagem para Valparaso.
Na subdelegada da Capunga existe urna
cabra com cra, um papagaio, tres caigas, duas
camisas, urna jaquela e uro palito!, que sero en-
tregues seus donos.
No domingo, s 4 horas e mea da tarde, foi
encontrada ferida coro urna facada no pescogo, no
lugar do Manguinlio, urna prela de 80 annos de
idade, escrava da viuva do Sr. Joo Ferreira dos
Santos, e, depois de medicada no Hospital Portu-
guez de Beneficencia, foi entregue a sua senhora
por urna praca de urbanos. Apesar do ralamente,
a prela falleceu no dia seguinte.
Convem que a polica da localidade syndique do
fado, que de grande perversidade, vislo que o
assassinato foi praiicado de da e em roeo de urna
estrada publica.
Escrevem-nos do Bonito, em 26 do cor-
rente :
< O tempo tem continuado a ser bom e as feiras
uejn concorridas.
O Dr. juiz de direito contina em Caruar,
prorogando a corrego por mais oto dias, visto ler
encontrado muito trabalho.
a Soubemos que Joo Braulio Correia e Silva
praticar ahi a extraego das cataraclas pelo dis-
tmclo professor o Sr. S Pereira ; mas esla vez o
keratolomo, hbilmente dirigido por esse eminente
operador, pode rasgar o veo que havia condemna-
do o nosso amigo Braulio a urna c-gueira eterna,
e conquistar para elle mais um floro de glora.
Dos permita qne nenhuma consequencia funesta
destroa as esperancas de todos, e que nem alguma
calaracla secundaria venda de aovo roubar-lhe a
vista.
< O correio anda nao ebegou, de roaneira que
ha quinze dias nao sabemos noticias da capital.
Tom Bnurdell.
De todos os pontos da provincia recebemos
noticias das violencias praticadas as ultimas elei-
coes. Carlas de diversas pessoas da freguezia de
Bom-Jardim nos descrevem as scenas de verdadei-
ro escaodalo, que all representaran) as antorida-
des p-diciaes, sendo o delegado da comarca e um
lente de 1' llnha os que mais so distinguirn)
em violencias e desatinos de todo o calibre,
mesmo delegado, nao residiodo n'aqaella fregue-
zia, all se apresenlou com vinte pragas, que dia-
qui lhe lorara remetHdaf, e s pela compressao.
noel Fernandes da Rosa, Joaquim Fernandes Eiras,
Jos da Silva, Joao Felizardo, Mara Rosa. Mar,, el
Das da Silva, Antonio Luiz dos Santos, Balbino
Eugenio da Pui ilicaco, Manoel Jos da Fonceea,
Antonio Texeira da'Silva, Luiz Jos.
Passageiros do vapor nacional Persinunga,
entrado dos portes do norte :
Jos Lourenco do Araaral, Vicente Ferreira da
Costa Jnior. Domingos Xavier de O'iveira, Cy-
priano Jos Vellozo, Balthazar Jos de Magalhes e
sua senhora, Chrstiani Andr Ej;g, Elias Pudy
Carvalho e Silva, Jos Gregorio Martins. Eloy Cas-
tesiano de Souza, Francisco da Costa Maia e 1 es-
crava, Lycurgo Jos Xavier de Paiva, Alexandre
Lucio do Naseimento, Manoel Jos de Bastos, Jos
Feliciano N. Fleita, Fredenco Rodrigues Pimeniel
e 1 escravo, Manoel Pereira de Carvalho. Jos Gui-
Iherme de Vasconcellos, Antonio Jos Sarment,
Joo Paes de Sa Brrelo e 1 escravo, D. Joo Fa-
brigo, Querobioo bandeira, Miguel Garuza e 1 fi-
Iho menor, Jo< Fernandes le Maealhes Braga,
Dr. Joaquim Moreira Lima. Manoel Ignacio do as-
cimento Vianna, Dr. Jos Antonio Baptsla, Cle-
mente de Araujo Lima Jnior, Antonio dos Santos
Oliveira.
Passageiros do vapor nacional Parahyba, en-
Irado de Macero :
Domingos Jos Farias, Dr. Joaquim Pires Car-
neiro Montero, Ferrucio Candido de Oliveira Ma-
ciel, capilo Jos de Souza Moreira, Manoel Ribei-
ro Barreto de Menezes, Mathias de Azevedo Villa-
rouca, Thomaz Antonio de Oliveira, o preso Jos de
Oliveira Ramos e Siva, 2 pragas que o vem escol-
tando.
Obituario do cbmiterio publico no da 24 dk
setembro de 1864.
Joaquim, Pernambuco, 8 mezes, S. Jos ; convul-
soes.
Mara Francisca do Carmo Costa, Pernambuco. 48
annos, casada, Boa-Vista syrro.
Um prvulo encontrado no caes do Ramos, Santo
Antonio.
Dia 25
Amelia, Pernambuco, 3 mezes, Afogados; es-
pasmo.
Firmo Antonio de Figueiredo, Pernambuco, 60 an-
nos, viavo, Santo Antonio; hernia estrangu-
lada.
Custodio Luiz Gomes, Portugal, 28 annos, solleiro,
Santo Antonio ; congeslo pulmonar.
Jos Vieira de Figueiredo, Portugal, 63 annos, ca-
sado, S. Jos j anazarca.
Joo, Pernambuco, 6 inezes, Santo An,rja|0 e,
pasmo.
Balbina Maria da Conceigao.'
teira, S. Jos ; phty'^a
'.ada, 30 annos, sol-,
exerdda por modo incriveC pude"arrancar a trium.'.'j Nerorto^drEncaFrtciS^Vilella, Pernambuco <0
pto aos conservadores, qe se acham em iamife. I unnos: so&ro, >anio Antonio ; bSSu

l



r
ftiarlo de ?eraBa>aeo *.. Quinta fe Ira t de sHrmhio fe 1M4,


DO MI-
Da 26
Jorge, IVlttambuco, 7 mezes, Santo
bercutos.
Manad do Nascimento Hora, Pernambuco,
tos, solleiro, Boa-Vista ; anemia.
Margarida Josephina do Nascimento, Pernambuco,
40 anuos, solteira, Santo Antonio; tubr-
culos.
Francisco Antonio de Mello, frica, 06 antios, sol-
leiro, S. Jos > tubrculo pulmonar.
Isabel, Pernambuco, 40 annos, S. Jos : varilas,
Joao Francisco de Albuquerque, Pernambuco, 7
auno*, viuvo, S. Jos ; grangrena.
Dia 27 ,
Carolina Maurieia da Conceicao, Pernambuco, do
anuos, solteira, Boa-Vista gaslro intente.
A ni Josepha da Soledade, Pernambuco, 70 annos,
solteira, Bua-Vista : grangrena.
Albertina, escrava, Pernambuco, o metes, uoa-
Msta ; espasmo.
Mana, escrava, frica, 27 annos, solteira, banto
Antonio ; febre perniciosa.
Adelaida, Pernambuco, 16 mezes, Santo Antonio;
intente.
CHRONICA JUDICIAHU
I AssSm, pois, o engenho d'Agna csi obrigado pe- nos a contar do primeiro do julho de 1864 30 de
Antonio ; tu-. lo cumplimento do acabamenlo da capella, e dos .jiiuliode IHti?.
legados, que anda nao estao curopridos, como seja As pessdas que se propozerem a essa arremata-
(|liafLr>^tos de risP*ra w darem a dezorphos, cao compareeam na sala das sessoes da referida
a M05000cada tima. junta, no dia cima mencionado, pelo meio da e
flecife, 27 de setembro de 1864. competentemente habilitadas
Marcelino Jos Lopes. E para constar se mandou publicar o prsenle
pelo jornal.
Salsa de rlstol. i. Secrp,ara da thesouraria provincial de Pernam-
A salsaparrilha de Bristol exerce suas proprie- buco' l3 de seteinro de dades purificantes por todo o systeroa nervoso, i ." secretario,
neutralisando o virus produzido e accumulado pe- n n_ T,..- .. A-'' d Anmincirao.
las ulceras, escrophulas, abeessos e tumores, o es- U ^ ^f c A,encar *nJ^.- offlrial da !mPe"
corbuto assun como todos as mais molestias das
glndulas, da carne e da pHIe.
A historia desta preparacao tem sido pelo espa-
co de trinta annos urna serie nao interrompida de
curas as mais admiraveis e felizes. Todo o mnn-
do medico admitte que o melhor antisptico ve-
getal e anli-escorbutico ate boje condecido, o p-
de-se com toda a certeza afftancar que um re-
medio especial para a cura do rheumatismo e de
todas as affeecdes dos msculos, tendoes o conjunc-
turas. Kncontra-se venda na botica de Bravo &
C. e Caors & Barboza.
COMMEBCIO.
NOVO BANGO DE PERNIMDCO.
0 novo banco pj;a o 13 dhidea
ua raza de 8$000 per accae.
TK1KOAL 0 .11 KV
.y SESS.vO-DlA 2i|l)ESETEMItRO DE 1864.
V11ESWENYIA DO Sfl. Dlt. JOAO ANTONIO D'ARACJO
PREItAS HKMllQUES,
IUIZ PE DIIIEITO DA PRMSIRA VARA CRIMINAL.
Escrivo, o Si: Joaquim Francisco de Paula
Estece* Clemente.
Adcogado do autor, o Sr. Di: Manoel do Rascuen-,
lo Machado Portella. ~
Advogados dadefeza, os Srs. consdheiro Francisco \ AIlauriega
de Paula Huuttsta. e r. Jos Leandro de odoy Rendiraento do dia 1 a 27........ 607:4953082
e Vasconcelos. Mm d dia 28................. 28:6185358
As 10 horas da manhaa, feita a chamada, acha- -------------
ram-M presentes 38 Srs. jurados. 636:1144340
Deixaram de ser multados todos os senhores =====
jue apresentaram escusas legitimas. i m Woviiuenf t da alfandcga
Entra em julgameuto o reo afianoado Louren- Volumes entrados com fazendas...
o de Carvaiho de Araujo Corte, acensado por en- eoin gneros...
me de calumnias e injurias irrogadas a Antonio
Baptisla.de Mello Peixoto. i Voluntes sabidos eom
Procedendo-se ao sorleio do jury de senteaca, com
foram recusado' pelo advogado do autor os Srs.
Luiz Pereira de Farias.
fazendas
gneros.
377
294
19
286
Dr. Aprigio Justmiano da Silva Guimaraes.
Dr. Joao Vicente da Silva Costa.
Dr. Amcrico Nelto de Mendonca.
Francisco Antonio de Brito.
Pnente Joao de Siqueira Campello.
Gandido Autran da Malta Albuquerque.
Augusto Cesar da Cimba.
Dr. Pedro Dornellas l'essoa.
Manoel Comes Viegas.
Joao Joaquim de Siqueira Varejo.
Manoel Ignacio de Torres Bandeira.
Pela defeza foram recusados os Srs.:
Bernardo Luiz Ferreira Cesar Loureiro.
Thomaz de Aqoino Fonseca Jnior.
Dr. Francisco Teixcira de S.
Dr. Francolino Bernardo Quinieiro.
Dr. Manoel Arthur de Hollauda Cavalcanli de
bnquerque.
Joao Jos ile Farias.
Capitao Francisco Baphael de Mello Reg,
Dr. Ignacio Firmo Xavier.
Antonio Caldas 'la Silva.
Antonio Machado Pereira Van na.
l.uiz Amavel Dubourcq Jnior.
Pedro Celestino Mindello.
O jury de seutenca licou coinposto dos Sis. se-
guimos :
Aulonio Goncalves Pereira Lima.
Francisco de Miranda Leal Seve.
Dr. Horacio Vallredo Peregrino da Silva.
SebastiSoJos Gomes Peuna Jnior,
fos Joaquim da Costa.
Genuino Jos Ta vares.
Francisco Antonio Cavalcanti Cousseiro.
Antonio Gomes de Miranda Leal.
Jos Antonio Vi.ira de Souza.
Francisco Antonio Pontual
Joao Amonio da Silva Pereira.
Ficou inhibido de servir no conselho o Sr. Dr.
Joao Mara Seve, por ter um irmao noinesmo con-
selbo.
-\ao pudendo se completar o jury de sentenga,
visto haveremse retirado da casa por incommoda-
dos dous Srs. jurados, o Sr. juiz de direito decla-
rou adiado o julgameuto do dito reo, c encerrona
quinta sessao do jury do annu correute.
Descarregara no dia 29 de setembro.
Brigue Inglez-J>on-mercadoras.
| Barca inglezaSeraphinaidem.
Barca ingleza Union farinha, bolachinhas e
papel.
: Rrigue bremenseC/arecharque.
Brigue norueguenseV/i/Y/ccouros e ossos.
Reeebedoria de rendas Interna
geraes de Pernambuco.
la 27........ 26:!99780
............. 1:0471168
Rend ment do dia
dem do da 28...
27:2463948
Consalado prorlnelal.
Ai-1 Rendimento do dia 1 a 27......... 74:681*o58
dem do dia 28................. 3:93543:w
78:6164888
MOVIMEUTO BO PORTO.
!, capitao David Oestemann, eqnipa-
1,540 barricas com farinha de tri-
PUBLICARES 1 PEDIDO.
mi saidaih:
|\' campa qae eicerra o corpe do fi-
nado Jtisc Vieira de Fi^ueiredo,

i.......... Pallida tnors
rnuo pultat pede pauperum
tabernas, reyumque turres.. .
Ilon. liv. Io od. 4a ras. 13.
Que vejo ? Que sinto? Mea Dos, que tristeza,
Que tanto ue pello traduz viva ilor?.
Que diz esie bronze que altera o ,-ilencio,
-No humano acortlanilo gemidos, horror?
Que diz este templo de lulo coberto?...
E mais esta eya, qu'a pouco s'erpura?..
Que ilie.-le lodo apparalo Instonho?...
Meu Dos o que diz 1 Que um ente morrera '!..
Sim diz que da Ierra voara um mortal.
Pela morie tocado, sem |iena, nem d:
E a fundo sepulcro seu corjio baixra,
Pra logo envolver-se no nadae no pl!...
Oh parca ferina, medonbo ihantasma,
Que corres lig-ira pra o l^iio dorido;
Pra queto depressa vedas-te a existencia,
D'um | ai, d'um amigo.d um esposo qneridof...
Pra que n'nm instante lindas-te esta vida,
Tao chcia de risos nos gozos do mundo?...
i' ra qu> dissipaste da esposa a alegra,
Deixando-lhe o pranlo saudoso e profundo?...
Ah '... nao!... Foi Dos de suprema jnstiga,
Que appronve p'ra o co chamar esta alma I..
La onde s virtudes do humano sao pagas,
La onde a alma pura tem glorias, tem palma I...
E assim escondeu-se da trra na campa,
O corpo de um justo e fiel cidadol...
A' lousa sumi o, trra acabnn o,
A' alma elevou-se cinrea mausao 111 L...

Setembro27-1864.
A. L.
Navios entrados no dia 28.
Trieste80 dias, patacho dinamarquez Adonis, do
130 toneladas, "
gem 7, carga
go : a Saunders Brothers & C.
IIha Brava40 dias, barca americana Pacific, de
314 toneladas, capitao Samuel B. Peerson, eqni-
pagem 31, carga azeile de peiie ; ao capitao.
Voio refrescar.
Hamburgo57 das, escuna venezuelense Ernte,
de 113 toneladas, capitao L Welt, equlpagem 6,
carga mercaduras: a ordem.
Maceio e polios intermedios20 horas, vapor na-
cional Parahyba, do 102 toneladas, commandan-
te I. Jos Martns, equipagem. 20.
Acaracii e portos intermedios10 dias, vapor na-
cional Persinunga, de 442 toneladas, comman-
dante Francisco Jos da Silva Rales, equipa-
gem 20.
Cherbourg por S. Vicente26 dias do primeiro
porto e 12 do segundo, canhoneira a vapor fran-
ceza La Mothe Piquet, conimaudanle o apitito de
fragata Moucbez.
Serra Leda14 dias, galera ingleza Lord Duflerent,
de 684 toneladas, capitao W. Tonald, uquipagein
18, cm lasiro ; a ordem.
Liverpool50 dias, brigue inglez Queenof lite Ply-
nt, de 157 toneladas, capitao Beunett, equipa-
gem 9, carga fazendas ; a Simpson A C
Barcelona-44 dias, polaca bespanhola Venturita,
de 191 toneladas, capitao Gerardo Maristany.
equipagem 12, carga vinho e oulros gneros":
a Jolinston Pater Si C.
Antuerpia61 dias, brigue harnburguez Ingcbnry,
de 137 toneladas, capitao Hundewadt, equipa-
gem 9, carga mercadorias; a Rothe Bidoulac.
Barcelona 50 dias, patacho hespanhol Vicente, de
104 toneladas, capitao Christino Riera, equipa-
gem 9, carga vinho e oulros gneros: a Pereira
L'arneiro & C.
Liverpool- 60 dias, barca ingleza Viscan, de 468
toneladas, capitao J. Ashbredg, equipagem 15,
carga fazendas e oulros gneros ; a Sawnders
Brothers & C.
Porto 37 das, bngue portuguez luido, de 169
toneladas, capitao Manuel Francisco Jnior,
equipagem II, carga vinho sebollas e outros g-
neros ; a Jos Joaquim de Lima Bairao.
Nan$ sahido no mesmo dia.
Liverpool Barca ingleza Imogene, capitao W.
Smltb, carga algodo e outros gneros.
EDITES.
Atteucao.
Essahypotheca, que tenho no engenho d'Agna, e
que se diz nos auiiumios publicados neste Mario
ser tao fallada |>ur ser da quanlia de 2:1924;)i9
I&, provenidle da herauea de micha esposa,
herdada de seu lio Girao, que devendo ler recebi-
do em lKoo, dala (|ue foi julgada a pariilha, rece-
bi em letras; e nao fui pago da ultima vencida em
julho do 1861.
Que importa ser grande, ou pequea a qtrantia
pela qual me esta hypothceado o engenho? O qne
importa, nao se ler fallado na hyuotheca nos an-
nuinios da renda do engenho.
Paguem-me, seno querem que fallo na hypothe-
ca : no ariorio do senhor escrivo Paes de Andra-
de existe a semenca lo juizo commerctal com rer-
tidao de intimai;o, e em meu poder o mandado de
penhora com cerlido dos ofllciaes de justica que
indo So e&geiibo, nao efTectuaram a penhura mh
acto de resistencia que Ihes flzeram.
Uizerse que nada tenho com o comprlmenio dos
legados; respondo que as verbas testamentarias
impe ininh.i esposa a obrigac> do pugnar pe-
Jo imprmenlo dos mesmos; oomo se o ao tes-
lamento junto ao* autos de inventario, o partilha
A* f.zenda de Giro, rarlorio do eferivao Baptista
''** eidade t e alm disso, sendo minha esjwsa
d c.^ ti a-manecenle da fazenda de seu to Gi-
nerdeira\ ,1Ul) r,a0 jWj(Je funs^mjri a onlra
rao; e>ia ciaru, ,ir em Ka ^^
herdeira tenha dinti.. ,0 8e(0^ ,
nos lirados des-a fazenda, i. n. J '
serem appl.cados; e qae venda *'0* sem e1
rem todos os legados cumpridos.
O Di. Hermogenes Scrates lavares de Vascon-
celos, juiz municipal da primeira vara nesta ei-
dade do Recife, por S. M. I. que Dcos guarde
etc.
Fago saber aos que o prsenle edilal virem,
em como por esto juizo se ha de arrematar a
quem mais der, fiados os dias da lei, nm sobrado
de tres andares e sotao m. 59, na ra da Praia,
fregueziade Santo Antouio, em chaos foreiros, com
tres salas, cinco qoartos, e cozinha em cada andar,
sendo a cozinha do tercuiro andar no solao, o qual
e grande, rom trapeira de duas portas de frente,
varanda de ferro, tendo dita casa trinta palmos
de vao, ou largura, e cento c trinta de fundos, pe-
queo quintal murado, avista do estado pii. que >e
acha, avahado em 15:0004. Penborado Jos Hy-
smo de Miranda e soa mulhcr, por execucao de
Custodio Jos Vianna.
Toda a pessoa que em dila propriedade quzer
lancar, o poder fazer nos dias de praca.
E para que chegne ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente, que ser publicado e
allixado no lugar publico do costume.
Dada e passada nesta eidade do Becife, aos 19
de setembro de 1864.
Eu Pedro Tertuliano da Cunha, escrivao, o es-
crevi.
Hermogenrs Scrates Tavares de Vasconcellos.
O Illm. sr. inspector da thesouraria provin
cial em cumplimento da ordem do Exm. Sr. nre!
sidente da provincia de 12 do corronte, manda fa-
ter publico, que no dia 29 do mesmo, perante a
junta da fazenda da mesma thesouraria se ha de
arremaiar quem mais der o imposto de 24500 do
gado vacenm consumido no municipio de Iguaras-!
s, no restante do tnennio corrente, avahado nova-l
mente em 1:4334000.
A arremaucao ser feita por tempo de 2 annos e'
9 mezes a contar do 1 de outubro de 1864 30 de
junho de 1867.
_ As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao, comparecam na sala das sessdes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas. ,
E para eonstar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretoria "da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 3 de setembro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annunciarao.
Olllm. 8r. inspector da thesoomria provin-
cial, em camprmento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 12 do corrente, manda fa-
zer publico, oe no da 89 do mesmo, perante a
junta da fazenda da mesma thesouraria, c ha de
arrematar a quem mais der o imposto do dizimo do
gado vaceum, rta comarca do Bonito, avallado no-
vamente em ?:0004O0.
A arrematado wr fta por lempo d3 tres an-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
commercio nesta eidade do Recife de Pernam-
buco por Sua Magestade Imperial e Constitucio-
nal o Sr. D. Pedro II, quem Deus gnarde, etc.
Faco saber aos que presente edital virem e det-
le noticia tiverem, que D. Josepha Justina de Jess
Goncalves, liqnidatarla da firma Oliveira & Gon-
calves por seu procurador me dirigi a petcao do
theor segninte ;
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.Diz D. Jose-
pha Justina de Jess Goncalves, liquldataria da fir-
ma Oliveira & Goncalves, que sendo a viuva e her-
deiros do finado Joaquim Francisco Bezerra deve-
dores mesma firma da quantia de tres contos de
reis, constante de urna letra ao acceite daquelle fi-
nado, vencida em 20 de setembro de 1839, quer in-
terromper a prescripcao da mesma para o que faz
o necessario pretesto na forma do 3 do art. 453
do cdigo do commercio; e porqoe nao seja sabido
o lugar onde presentemente moram os supplica-
dos, requer a supplicante na forma do menciona-
do art. 453 3 para que ^e passe carta de editos.
Pede V. S. deferimento.E R. M. -Procura-
dor, Antonio Pinto de Barros.
E mais se nao continha em dita petieao aqui co-
piada, na qual dei o despacho do theor soguinie :
Justifique amanhaa ao meio dia.
Recife, 20 de setembro de 1864,-Alencar Ara-
npe.
E mais se niio continha em dito despacho aqu j
copiado em vii lude do qual fura a petieao distri-1
buida ao escrivao deste juizo Manoel Maria Rodri- i
gues do Nascimento, o qual fez lavrar o termo de !
671 protesto do theor seguinte :
Termo de protesto Aos 20 de setembro de 1864
em meu ,-artorio comparecen a supplicante por seu i
482 bastante procurador Antonio Pinto de Ramos, e por ',
este fra dito perante mim e s teslemunhas infra !
assignadas, que rednzia protesto o conledo de
sua petieao retro, a qual offeraceu como parle ao j
presente que rica sendo em qne se assignou com
as referidas teslemunhas.
Eu Adolpho Liberato Pereira de Oliveira, es-
crevente juramentado o escrevi. Eu Manoel Ma-
ria Rodrigues do Nascimento, escrivao o subscrevi.
Antonio Pinto de Barros, Antonio Carlos Pereira
de Burgos Ponce de Len, Augusto Ferreira Mar-
tns Ribeiro.
E mais se nao continha em dito termo de pro-
tesio aqu copiado.
E tendo a supplicante produzido suas testemn-
nhas, sellados_e preparados os autos subiram!
minha conclusao e nelles dei a sentencia do theor
segninte :
Hei por justificada a ausencia dos supplicados,'
que mando se citem por editos de trinta dias para
o fim requerido a folha duas, pagas as cusas ex-:
causa.
Recife, 22 de setembro de 1864. Tristaa de I
Alencar Araripe.
E mais se nao continha em dita semenca aqui
contada.
Por torga da qual o referido escrivao fez "passar
o presente edital, pelo qual chamo, cito e hei por!
citados os referidos supplicados para quecompa-1
rejam neste juizo d'entro do indicado prazo aflm
de allcgarem o que for de direito.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente que ser publicado pela
imurensa e aflhado nos lugares do costume.
Recite, 27 de setembro de 1864.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivao o subscrevi.
TrisiSo de Alencar Araripe.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e jniz de direito, especial
do commercio desta eidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco e seu termo, por Sua
Magestade Imperial o Sr. D. Pedro II, a quem
Dos guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que por este juizo pendem
uns autos de execucao de sentenca, como exequen-
tes Costa & Filhos, e como exeetados os adminis-
tradores da massa fallida de Amorim, Fragozo, San-
tos A C.
E proseguindo seos devidos termos se fizera
penhora em dinheiro perlencente aos mesmos exe-
culados.
E em publica andiencia desle juizo, pelo solicita-
dor Antonio Pinto de Barros, procurador dos exe-
quenles me foi l'eito o requerimenlo constante do
seguinte termo:
Aos 26 dias do mez de outubro de 1864, nesta
eidade do Becife, em publica audiencia deste juizo,
nella, pelo solicitador Antonio Pinto de Barros,
procurador dos exequenles, me foi aecusada a pe-
nhora feita em dinheiro pertencenleaos execotados.
e requerido que licassem assignados os 6 dias da
lei e dez aos credores incertos, passando-se os res- i
pectivosedilaes : e pelo solicitador Miguel Jos de :
Almeida Pernambuco procurador dos exeetados,
foi dito que se Ihes dsse vista, a qual Ihe foi de-!
ferida.
Fiz o presente do protocollo das audienclr.s
que junl.i o mandado e termo de penhora que se- j
guem, en, Manoel Silvino de Barros Falco escre- j
vente juramentado, o escrevi: eu, Manoel Ma-1
ria Rodrigues do Nascimento, escrivao, o subs-
crevi
E em cnmprimenlo o referido escrivao, fez pas-
sar o presente, pelo qual chamo, cito e hei por
citados os credores ihcertos dos mesmos exeeta-
dos, para que dentro do indicado prazo, compare-
cam neste juizo, munidos de seus respectivos do-
cumentos allm de allegaren! o que fr de di-
reito.
0 prsenle sera publicado pela imprensa e affi-
xado nos lugares do costume.
Recife, 27 de setembro de 1864.
Eu Manoel Maria Rodrigues do .Nascimento, es-

24 calxas capsulas de oleo de cupahiba.
24 ditas de ditos de cupahiba e cubebas.
24 ditas de ditas de oleo de ligado de bacalho.
14 ditos de ditos de castor.
1 onca cartoreo.
8 ongas chlorato de polassa.
1 arroba cevada.
8 oncas extractode salsa parrilha.
4 ditos de dito de zhuibarbo.
8 ditas de dito decaroba.
8 ditas de dito de memuondro.
8 dilas de dito de dulcamaros.
4 ditos de dito de quinas.
8 ditas de dito de genciana.
4 ditas de dito de ocula.
4 libras emplastro de cicuto.
12 ditas flores deenxofre.
2 ditas de ditas de rosas.
12 ditas de ditas de sabugueiro.
2 dilas de ditas de borragens.
4 ditas gomma arbica em p.
2 arrobas de dila inteira.
8 oncas iodureto de chumbo.
2 libras de dito de potassio.
1 dita ipecacuanba em p.
2 ditas incens.
2 ditas jalapa em p.
4 oncas kurro pulverisado.
64 libras linhaca.
12 garrafas de l'roy francez de 8 oncas cada urna
2 libras lauduno de Sedenham.
8 ditas musgo islndico.
8 ditas macella galega.
1 dita manteiga de cacu.
2 ditos mercurio doce.
2 oncas nitrato de prala fundido.
20 libras oleo de figado de bacalho branco.
12 vidros oleo de ligado de bacalho com iodore-
to de ferro de libra cada um.
4 oncas oleo de cupahiba lateris.
1 libra oleo de cades
2 arrobas oleo de ricino.
8 oncas oleo de belladona.
4 libras pastas de jujuba.
12 caixas pastilhas de Naf.
24 vidros pastilha de Vichy de -/. cada um.
12 ditos pos de ruge.
1 libra pos de joannes.
1 libra perellorineto de ferio.
12 vidros grandes de prompto alivio.
50 vidros de pilulas de Valet, de 2o pilulas ca-
da um.
24 caixas atlulas deDehantes.
2 libras quina em p.
2 dita dito inteira.
12 garrafas rob de Leaffectuer.
12 vidros sulfato de quininode '/o cada um.
1 libra sal de chumbo.
6 oncas tintura de cafrobim.
6 vidros vomitorio de l'roy francez.
50 garrafas vinho Unto do Lisboa.
50 ditas de dito Porto lino.
O cavalheiro de Laroche..... Guimaraes.
Elisa de Cheneviers......... D. Maria Pontea
Malhilde................... D. Aotonina.
Baroneza d'Origny.......... D. Camilla.
Convidados, criados etc. etc.
Actualidade.
Terminar o espectculo com a nova comedia
em 1 acto:
SIM 01 MO ?
lomam parte os Srs. Lisboa, Santa Rosa, Guima-
raes e D. Mana Pontes.
Comecar s 8 horas.
L\
?IS0S MARTIMOS.


Setta-feira 30 d correte, s 11 h-
ras, roa da i adeia ariuazcra u. o3
jELZEBIO
Vender em Jeilao orna mobilia de Jacaranda
nova com lampo de podra, urna dita de amarello
tambem nova, duas dazias de cadeiras de cereja,
um riquissimo palileiro de prala, bcrcos de faia!
guarda roupa, urna poreao de oleado para mesa e
dito para forro de carro, tapetes de raiz de esparto.
No dia cima dito estadio venda os objectos
cima.
IjEIIIO
DE
Urna casa de um andar na ra du Seu-
zla d. 1.
Sabbado Io de outubro.
O agente Pestaa legalmente autorsado vende-
r por coma e risco de quem pertencer urna casa
de pedra e cal de um andar sita na ra da Senzala
Nova n. i, os pretendemos poden examina-la, ser
vendida no sabbado i" de outubro pelas 11 horas
da manhaa no armazem dos Srs. Paluieira 4 Bel-
rao no largo do Corpo Sanio.
COMPANHIA BRASILEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do sul
at da 30 do corrente o vapor
Apa, o qual depois da demora do
costume seguir para os portos
, do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se
carga qne o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida s
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPAJVHIA PERNAM3UCANA i
DE
Rfovega$5o costeira a vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaiy, Cear, \
A carac' e (iranja.
O vapor iagunribe, comman-
dante Lobato,seguir para os por-1
tos cima no dia 7 de outubro as i
sageiros e dinheiro a frete at o dia da sahida
s 3 horas da tarde : escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
avisos mmm.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Navega^o costeira a vapor.
Taman-ar, Barra Grande, Ponta de Pedra?,
Camaragibe, Macei, Penedo c
Aracaj.
No dia 5 de outubro segnir
para os portos cima o vapor Pa-
rahyba, commandanle Mariins, s
"' horas da tarde.
Instituto Archeologico e Geo-
graphico Peniarabucano.
llavera scsso ordinaria quinta-feira, 29
do correnle, s 11 bocas da manhaa.
Ordem do dia.
ReeepeS do Sr. Dr. Francisco de Car-
so-
cio efcctivo.
Reltenos e trabalhos de commissops.
Secretaria do Instituto 26 de setembro
de 186
i.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
Recebe carga
a^at o dia 4. Encommendas, passa-
S f1 d" vcrtemu.th> e, 2 ljft ,fhd* "5S geiro e dinheiro a frete at o dia da sahida : es-
24 ditas xarope peiloral inglez, de 1 libra cada criDtorio no Fort
urna.
12 ditas de dito rbano iodurado de 1 libra ca-
da um.
12 ditas de dito duelo iodureto iodurado de Du-
liumel, de 1 libra cada urna.
12 ditas de dito de Gay, de 2 libra cada um.
24 vidros de dito lclalo de ferro de bral, de li-
bra cada um.
Utensilios.
2 aremetro de cortar.
2 dito para xarope.
2 libras barbante fino.
12 bonaxas galvanisadas de ''.
10 grozas de caixas para pilulas francezas de di-
criptorio no Forte do Mattos n. 1.
COMPAMHIA
DAS
MESSAGERIES
Aosl0:0Oo$OQ0.
Quinla-feira 6 de oulnbro do corrente
anno se extrahir a quinta parte da quar-
;ta lotera (110a) j beneficio do G\mnasio
i Pernambucano, no consistorio da g'reja de
i Nossa Senhora do Rosario da l'reg oezia de
i Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos achara-se
venda na respectiva thesouraria roa do

envao, o subscrevi
Tristo de Alencar Araripe.
DECLAliCOES.
ferentes capacidades.
24 coadores de linho, de ';> vera cada um.
4 copos de vidros para agua, de meia garrafa.
1 caivete pequeo.
6 canelas.
4 cadeiras de palinha.
100 folhetos para opodeldoch.
1 formulario de Burchard, da ullima ediego
Douwahth ofQcina de pharmacia.
1 libra lacre fino.
1 mesa de seis palmos de comprimento forrada
de bael e invernisada.
2 libras novellos de diversas core?.
1 caixa penas deago.
2 resmas papel pautado.
4 ditas de ditos azul para embrulho.
8 mos de ditos marca grande de cores diversas.
4 ditas de ditos para filtro.
2 pelles pelica.
1 thesonra grande.
1 escrivannha de lato.
oOO tarjas para vidro dourados de diversos ta-
mandos.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
sua propona em carta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do dia 3 do ou-
tubro.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimonto do arsenal de guerra, 27 de setembro
de 1801.
,Moio Pedro de S Brrelo,
Coronel-presidente.
Sebastiiio Jos Basilio Pyrrho,
Vogal srcretario.
Correio geni.
Pela adniinislraeo do correio desla eidade se faz
publico que em virtude da convencao postal cele-
brada pelos governos brasileiro e francez, sero
expedidas malas para a Europa no dia 30 do'cor-
rente pelo vapor francez Guyenne. As cartas se-
rao receidas al 2 horas antes da quo for marca-
da para a sahida ilo vapor, c osjornaes at 4 ho-
ras. Adminislracao do correio de Pernambuco 22 i
de setembro de 1865.-0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Correio geral.
Pela administracao do correio desta eidade se
faz publico, para lins convenientes, que em virtu-
de do disposto no art. 138 do regulamento geral
dos correios de 21 de dezembro de 1844, e art. i>
do decreto n. 18o de lo de maio de 1831, se pro-
ceder o consumo das cartas existentes na admi-
nistracao. perlencentes ao mea de selembro de
1863, no dia 5 de outubro prximo, as 11 horas da
manhaa, na porta do memo correio, e a respecti-
va lista se acha desde ja exposla aos interessados.
Administracao do correio de Pernambuco 22 de
setembro de 1864.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
IMPERIALES Crespo d. i5.
crreme" mze? I S prem0S de 10:O0^O00 at 205000
pera se dos por- ser3 Paos urna hora depois da extraeco
tos do sul o va-; ate s 4 horas da tarde, e os outros no dia
por francez! segninte depois da distribaico das listas.
Servindo de thesonreiro,
________Jos Rodrigues de Sonza.
mandante Aubry
de la No, o qual j
depois da demo-1
Bordeaux tocando em
ra do cosime seguir para
S. Vicento'e Lisboa.
Em S. Vieeute ha um vapor em corresponden-
cia com Gore.
Para condiccoes, fretes t- passagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. 9.
LEILOES.
CASA A FORTIM.
LEIL40
DE
.llovis e outros multes artigo*
de gosto.
.- ajEC
.\o arru zciu ra da Caileia do Re-
cife n. 48
CORDEIRO SIMKS, aulorisauo por alguns
j amigos far leilo de diversos movis, crystaes e
outros muilos anigos de gosto que se torna enfa-
douho mencionar, os quaes estaro paientes no dia
Ido leilo.
Dar principio o leilo s 11 horas em ponto.
LEILO
DE

\
lin cabriolet inglez de
assent para 4 pi'ssoas,
rodas com
arrcios e
redas de sobreceietites
(Sem limites.)
Cordeiro Wimes
vender cm leilo o cabriolet cima mencionado.
m-o.
s 11 horas, porta do armazem da
ra da Cadeia do Recite n. k.
AOS 10:000.000
Bilhetes garantidos
A' ma do Crespu a. 23 e casas do costume
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
: de extrahir a benelicioda greja de Sota Rita, os,
.seguintes premios:
N. 3099 d us qoartos com 10:0005000
N. DoO meio bilbete com 2:0005000
N. 1726 dous quarlos com 5004006
E outras muias de 2005, 1005, 405 e 205.
Os possuidores podem vir receber sem os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna la du Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da quinla parte da quarta
lotera a beneficio do Gyranasio, que se extrahiri
no dia 6 de outubro.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios......... 6&QOO
Quartos.-....... ;ioOO
Para as pessoas que coraprarcm
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115000
Meios......... -jjsoo
Quartos......, 5750
_______ Manoel Uartitu Fiuza
Permuta-se por um ~tio que tenha bastante.-
, proporcoes para planiacao porto da praca um so-
brado de dous andares com solao o das frentes
; em una das melhoaes ras do bairro de Santo
; Antonio, o qual rende anniialmenle 1:3005 : a tra-
tar com o agente de leiloes Olvmpio no armazem
da ra do Viga rio n. 10
LEILO
DE
GADO V4CCUM.
UOTE
Quinta-feira 29 do correnle s 11 ho-
ras da man aa.
Ra do Vlgario n. flO.
OLYMPIO
autorisado por um sen amigo vender em leilo'
Na povoaco do Tracuahem lica ealabelee-
. do nm cano tirado a quatro valontes cavallos para
, conduzir passageiros para esta capital, e desta para
Nazarctb ; sendo os pontos de parlida em Tracu-
nhaem, e nesta eidade no boceo do Ouvidor. As
viageus para esta ndade serao reguladas as 7 ho-
ras da manhaa de todas as segundas-feiras, e as de
volta as 5 horas da tarde de todas as qmntas-fei-
ras. Cada passageiro pagar 105000 desta eidade
[ para Xazaretb, c de Tracunhaem para esta eidade
1 ijagai 85000. Ilavondo vaga, podem ser adniii-
tidos passageiros para Pao d'Alho, e ento pagaro
estes 65000 : quem se quizer aproveilar desle
commodo, lica desde j provenido que no dia 3 de
outubro encontrar o dito carro preparado para
fazer a sua primeira viagem de Tracunhaem para
1 esta eidade.
rote e 1 bezerro : ter
Vigario n. 10.
Constituido provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co aos devedores dos imprstos cobrados por lan-
ga ment pertencente ao exercicio lindo do 163
1864, que no ultimo de sciambro corrente finda-se
o praso marcado para o pagamento de seus dbi-
tos, ficaodo sujeitos a serem exeetados os que
nao pagarem at aquello dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambucs Io
de setembro de 1864.
Antonio Garneiro Machado Rios.
Administrador.
No dia 4 de outubro vai praca de venda,
depois da audiencia do Dr. jniz de rphaos, urna
parte da ca no largo dos Remedios, pertencente aos menores
Mana e Manoel, filhos do finado Joao do Reg Pe-
reira. "
Conselho administrativo.
0 conseibo administrativo para foraecmento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guintes :
Para a pharmacia do hospital militar de Pernam-
buco.
10 arrobas assucar refinado fino.
2 ditas de dito mascavado de primeira sorle.
2 libras de dito Candi.
8 ditas acido ctrico crystalisado.
12 vidros apeol.
4 libras alvaiade de chambo.
50 garrafas alcool de 36 graos, de libra e meia
cada ama.
24 garrafas agoa rosada destilada.
2 libras ameixas.
2 dilas amendoas doces.
1 dita ditas amargas.
16 ditas allha franceza.
1/2 onca aconelino.
bras balsamo frorafiote. -*
THEATKO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA
GERMANO & C0IMBRA.
O espectculo annunciado para hontem 28 do
corrente, foi transfrido por nao estar o drama
A HONRA DE UMA, FAMILIA tufflcientemenle
ensaiado.
A empreza nao querendo desmerecer do concei-
to que goza, e para nao sacrificar a companhia que
dirige, obrigando a a trabalhos mal sabidos, prefe-
rio perder o resultado de um espectculo, ao cr-
dito de urna excellente composic.o, que alias dig-
na da aiienco publica.
A HONRA DE UMA FAMILIA um drama de
tina execucao, e a nao ser peritamente jngado ou
pelo menos os seus dilogos, de muilissimo inte-
resse, enunciados com a uecessaria precisao, per-
dera as bellezas que conlm, nVaado
Um
predssie de \ossa srnhora das llores na
piroja do Sania Cruz om Olinda.
urna vacca boa le.teira com cria 1 novilha, 1 gar- 0 abaixo assignado declara que domingo 2 do
lugar o leilo na ra do i outubro lera logar a festa da Senhora das Dores
na igreja da Santa Cruz. Principiar a missa pe-
j las 8 horas da manhaa, e a procissao pelas 4 s $
; da tarde, que sahir pelas ritas seguintos : ladeira
I do Varadouro, S. Rento, Quatro Cantos, Malhias
I Ferreira, Paco Castelhano, e dah recolhe-se. Pelo
que pede aos habitantes das dilas ras que man-
dem limpar c ornar as frentes de suas casas ; e a
todos os mor dores da eidade, que por vrneracao
immaculada e dolorosa Mai de Dos, no sabba'dc
noite e no domingo pelas mesmas horas illumi-
I nem as fenles de suas moradas.
______Conego Joao Chrisostomo de Paiva Tenes.
SOCIEDADK "
tara leilo de um realejo novo o moderno eom dif-' T\ x* ir* T
ferentes peCas de gosto. Draiimtiea Minerva Peiiiam-
Quiala-feii-a 29 do corrente s 11 ho-
ras no armazem da ra da adeia
numero 18
realejo novo e mo-
derno
(Sem limites )
6RDgirlQ SMOES
Fera semanal

DE
ou-
4 oitavas brucina.
1 libra colomelanos.
16 ditas carbonato de potassa,
24 ditas chocolate de musgo eslaudico.
4 ditas caiithartdas em p.
24 ditas conferios de copahiba e culbioas.
12 vidros i-roosoto cnloroofmisado 'ffe 818 ca
da uro.
torio.
Contina anda
oomo con vera.
De ordem do Sr. Dr. direelor faco sciente aos
senhores socios que no dia Io de outubro haver
espectculo, e por isso queiram comparecer na s-
de da sociedade at o dia ultimo deste, aflm de
receberem os seus bilhetes.
Secretaria da sociedade dramtica Minerva Per-
nambucana 28 de setembro de 1864.
P. de Oliveira Pimentel,
___________________1 secretario.
J. F. S. Colho e J. C. Pinto eordialmento
agradecer aos amigos do fallecido Custodio Luis
Gomes o obsequio que zoram de conduzir, no dia
2o, o seu cadver ao ultimo jazigo; e ao mesmo
lempo os convidam para a missa do stimo dia,
sabbado 1 de outubro, na igreja do Espirito Santo
do Lollegio, s 7 horas da maubaa ; pelo que Ihes
ncarao eternamente gratos.
- Aluga-sc pelo tempo da festa a casa d.- Poco
j da Panella, que fica no pateo da greja com a fren-
te para o rio, tem rommodidades para grande fa-
-P^enlacaodo JdodramaemoincO EspoHo $_ Ml&IM ji^mSSiS^. ^3 SpSffi
Trastes buyos e osados, crystaes e
tros artigo*.
Sesta-feira 30 do corrente s i 1 horas da manhaa
Rna da Cruz u. 3.
O agente Olyrapio vender en leilo diversos
privada de nm dos roelhores dramas de seu reper- 0BJer,0S de marcineiria novos e usados, sem luni
a empreza
a ensaiar-se para subir scena
SABBADO, 1" JJE OUTUBRO DE 1864.
5" recitu d* assignatora
Primeira reprsenla^
actos, original francez,
tes, bem como relogios e outros artigas de gosto o
que ludo estar exposto no dia do leilo no arma-
zem da ra da Cruz n. 57.

LEILaO
DO
i&1tS4a5t 3 0! A HONRA DE UMA FAMILIA
PERSONAGENS.
Mauricio de Choneviers..... Coimbra.
Jorge de Maubreuil..........
Paufo de Cheneviers
Eduraoiido Roger....'.,.'.:!'"'
Beaaspant..................
iLordDerby................
r
ILEGIVEL
Germano.
Lisboa.
Burges.
Pinto.
Porto.

Custodio Luiz Gomes.
Sexla-ftira 30 do corrente
J.* Postaaa por oruVm to cnsul #. M.
Hdehssima veaoera ai l.ilo diversos objectos
perlencentes aoe^jo do jUlMlitopurtiiguez Cus- ,
tedio Luiz Gomes W.r*o P]a, fi0 arrbas de las carne seeca, diversos movis'd^ cas, um relosio Preoisa-se de urna ama fofra ou escrava Dar
ecorrentao patente inM. snelSHRetc, e outros "asa-de familia, quo saiba 'osiohar a oomorar- a
otados que se achara. patentes no b-ilao que te- )raUr nA ru* d, P'n* n. 24. '
ra lugar sexta-Mra 30 do corrente, na traveesado '
pretender, dirija-se a ra Direita, no primeiro an-
dar por cima da botica do Sr. Paranhos, qne acha-
ra_com quem tratar.
Precfsa-se de orna ama para cozlnhar o com-
prar para casa do puca familia : na ra de Hor-
Arsenal de Guerra n. 7, aimazem.'
-- J. G. Qoorlar suMito inglez retira-so para o
1 sul do imperio.
aaaaa


%


i,, i 'isAi. .
Diarlo f*er-a-__d Quinta Itlf a If* eW fteleiubro 4c -*_.

v

wlilas umuuncAs i>8 mi.
Estas pi lulas vegetaes sao a-
daptadas a todos os-osos de uqf
.purgante has familias, pois sjk>
'perfeitamonte innocentes, e em
quafeto mimares de pessoas coi-
fessinn com gratidSo que foram
-curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;rulo ha
um s caso em que baja suspei-
tas do mais te ve resaKado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu alguns dos
attestados que temos de curas
notarais feitas ultimameute.
l'm caso notavel de
MID1NC4
BE *

Airara rhroiiic dr. ufado.
ll.l.M. Sk.
Juiz de Fura, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feilo uso das pilulas catharlicas
de Ayer, que me fez favor de dar um v-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do figado e baco, coa o uso
das pilulas posso lhc assegurar que estou
bom, pois ten lo desapparocido um grande
engorgitamento que soffria, mu i tas dores
sobre a regiao do ligado e costas, dores de
cabeca, inchaco do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso me>-
mo procurando posico para ter socego, ho-
je me aclio livre d'esse padecimento ; como
por aqu ainda as nao baja, cu como tenho
este proprio que de casa, Ihe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bom como do charope de
cereja, que tive occasiao de experimentar;
em um ataque de guellas que teve urna
preta que com elle curei, fa?o uso d'elles
oas tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns frasquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas. todas teem tirado grande
resultado : sou
De V. S. atiento obrigado,
Francisco Ferreiha Paks.
ESTABELECIMENTO.
0 agente OTympio mudou
seu amazem de leudes pa-
ra ra do Vigarion. 10,!
aoiidepretende continuar a'
fa^ersuag feiras semanaes
e espera ter amesma con-!
currenci de seus committen-,
tes e amigos, nao tendoj
responsabiliaade alguma no!
armazem da ra da Cadeia'
do Recife n. 48.
Hua do Vigario n 10.
Precisa-se de urna ama para o servido inter-
no e externo de urna casa : na ra larga do Rosa-
rio n. 37.
Rheiinatisino e ataques urmorrlioidaes.
Ii.i.m. Su.
Ouro-Preto, 30 de marro de 1864.
Posso certificar-lhe pie as pilulas ca-
tharlicas do Dr. Ayer sao excedentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunha ser rheumatismo, (molestia esta
que j havia soffrido ha annos) e solfrondo
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que al j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dor no queixo, con-
sultei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa : porm
lendo eu o almanack do mesmo doutor, |
comprei em sua casa um vidrinho das mes-:
mas pilulas e por minha conta principie! a:
toma-las, e sera as inalisar acho-me sem as |
ilres pelo corpo: e sem sentir, sarei do;
ouvido, e mosmo dos ataques hemorrhoi-
laes : portanto sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado ;
isto em abono da verade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e olirigado,
Q bgadeiro
JOAO ROORIGOKS FEO DE C..VIIVAI.IIO.
Aiuga-se a casa junto ao sr. capito
3 l'urtir'u ao pe da ponte do Sr. Star, com
| inuito boas accommodacoes para familia
| prece 30$ : a faltar com Jo*e Goncalves
5 Purreira Koala, em Santo Amaro, o mes-
Wtt "H. tem urna outra de 134, na travessa
g do Lima.
Precisa-se alugar um escravo ou escrava pa-
ra vender na ra, bem como urna ama escrava ou
forra para comprar e cozinhar para casa de peque
na familia : queiu pretender, dirija-se a ra do
Vigario n. 11, primeiro andar._______________
Vice-cousulado de llespanha.
Havendo fallecido o subdito hespaohol Bento
Antonio Coutinho, sao convidados todos os seus
devedores e credores a apresentarem neste vice-
consulado os respectivos ttulos para proceder-se
liquidacao de seu espolio_______^_____
Aaat-Clalr
das ilhas ou os desterrados na ilha da Barra, ro-
mance digno do ser lido pelas senhoras por seus
lances interessantes postos em execugo por urna
senhora, 3 volumes em brochura a 2 : na livra-
na ns. 6 e 8 da praca da Independencia._______
Aluga-se urna boa casa e sitio no Monteiro,
tendo 3 salas, 6 quartos, corintia e sotao com 3
quartos, estribara, cocheira, casa para pretos, ca-
cimba com bomba, tanque, jardim e muitas arvo-
res de tracto, banleiro, banho de choque, sendo a
frente pera o largo da igreja e o fondo para o rio :
a tratar na ra de Apollo n. 1, segando andar.
Precisase alogar n'uraadas mas
Nova, de Imperador on do Crespo (pre-
ferindo-se esta iliim ), urna Inj i. vas-
ta, clara e de, 3 \ portas; dirigir-se
ra do Crespo u. 4, loja do Sr. Fal-
que.
as O advogado Innocencia Seraphico de BS
5 Assis Carvallio ncha-se de novo no exer- g
I cicio de soa prossao, pode ser procura-
$B do das lo l|"2 horas da manhaa ate as 3
Sj da tarde, na ra do Imperador n. .'o.
US primeiro andar, e para negocio urgente
S a qualquer hora do da.
Aluga-se a casa n. 40 da
ras : na ra da Aurora u. 36.
ra das Trinchei-
Gastrite.
Orno-Pelo, l de murro de 1861.
Atteslo que lendo feito uso, aconselhadoj
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
iquei perfeitameote bom de tima gastrite
que solliia e que privava-me de andar aper-
lado, hoje felizmente nada sinlo.
Augusto Gollatino de Mello.
Na livraria n. 8e 8 da pi-aca da Inde-
pendencia existe urna carta de importancia
para o Sr. Antonio Fernandes Corredor.
m
O bacharel
Francisco Augusto da Costa
fSK
_
talla de apelitc.
Ouro-Preo, % i de fevereiro de 1864.
Sendo eu alTectado do ligado ha muilos
annos, e ltimamente solTri falta de apetite,
hoje di'U gracas a Di-us por achar-me sao j
e perfeito com o uso das pilulas catharlicas!
de Dr. Ayer.
Antonio Bento Vieira.
Constiparan, dores de cabera.
Ouro-Preto, 28 de marro de 1864.
Attesto que achando-me atacado de urna
forte constipaco que Irouxe-me dores por
todo o corpo e na caliera, solTri horrivel-
mente por esparo de qualro dias; ento
-um amigo aconselhou-me que tomasse pi-
lulas athaiticos do Dr. Ayer : com ellas fia
quei s e completamente restabetlecido em
tres ibas, de sorte i|ue estou no tlirme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que l'orem alectadas de
constipaces.
Ai.ostnuo Jos da Silva, negociante de fa-
zendas. ____________
h rilaran do estnmagn.
Ouro-Preto, 20 de marro de 186i.
Attesto e juro, se necessario for, que. sof-
rreiido ha muito lempo excessiva irritacao
de estomago, pouco apetite e diflicil dies-
rii. dVlla lenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio BERMOOENE8 Peukiiia Rosa.
----------------------------------------
Lombrijjas.
Ouro-Preto, 28 de marro de 1864.
As pilulas do.Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos, que
solfria de vermes "intestinaes, notando-se
que os symptonias"que entHo apresenlava
rara de molestia bastante perigosa.
umindo Nonato S. m Tiiiaoo, pharma-
ceulico.
Nevralgia.
Urna carta do lllm. Sr. Francisco Alva-
-enga de Azeyedo. f
Ha- mais deVeUMm*** que offria dores
no hombro e nas^ottas, tomei urna inu/u-
iade de i emedk* elir alivio aigom.
I)6r, angustia, tormento sao palavras for-
tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca?
tharticas do Dr. Ayer. Slfaz oito das1, e es-
mu completamente restabeltJGid^; ha toe
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Kstas pululas acham-se venda aa> pru*
cipaes boticas c drogaras-do Imperio, e no
fiio de Janeiro, ra Direita n. 15.
Vende-se em Pefnambsco:
na pharmacla franceza de
advocado m I
Ra do Imperador numero 69. >$ \
m mam wmmm
- Aluga-se um moleque de 14 annos de dado,
muito liel e mmto diligente : quero quizer, dirija-
se praca da Boa-Vista, sobrado da esquina que
volla para a ra do Arago, primeiro andar.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado n. 37
da ra do Amorim : a tratar na ra da Cadeia n.
62, segunde andar.
Aluga-se o quarto andar do sobrado n 19 da
ra Nova : a tratar na ra da Cadeia n. 62, se-
gundo rndar.
Ama.
Precisa-se de nina ama para casa de pouc fa-
milia, e que se sujeitu a todo o servieo de casa :
na ra do Queimado n. 3'J, primeiro andar.
Precisa-se de urna cosinhi-ira para urna ca.-a
estrangeira de poura familia, prefere-se captiva :
a tratar na ra da Cruz armazem n. 38.
Aluga-se urna casa terrea na ra Imperial
n. 270 : a tratar no largo de S. Pedro n. 17, com
Albino Jos Ferreira da Cunha.
Precisa-se comprar urna veneziana nova ou
usada porm em perfeito estado e que tenha 6 1|2
palmos de largo e 10 de altara : na ra do Crespo
n. 4, fabrica de chapees de sol.
Alaga-se urna casa meia agua com soto sita
na roa de Borlas n.33 : a tratar na ra da Praia
n 29.
Attengo.
INJECTION BROU
XAROPE
DE mm de LARANJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
MuiiueEVTico da aseoi4 inriaioa bb faki.
Bate xaropa, ra^ularisando as uncc5es do estomago c intestinos, deslroe essat
tOdtSDOsiCon prateiformea, e fez abonar as molestias de que sao indieios precarso-
rea. Medios e doentes tem reconhecido que restabelece as indigestdes, fezendo
desapparecer os pesos de estomago, que calma as enxaqnecas, espasmos, c caimbras,
que sao resultado de digestoes penosas. Seo gosto agrndavcl e a facilidade com que
so suporta, o tem feilo adoptar como especifico infallivel das doencas nervosa*,
gastritis, gastralgias, clicos de estomago e de entrankas, palpitares, dores de
corafo, vmitos nervosos; sua accSo sobre as funcedes asimiladoras i tal, que os
mdicos mais Ilustres o tem adoptado por rescipiente real dos dous primeiros
agentes therapeuticos: o Mrelo de Potassa e o Proto-Iodureto de ferro, tendo
observado que debaixo de sua influencia, o primeiro perde sua accSo irritante, e o
segundo sen cfl'eito adstringente.
XAROPE DEPURATIVO XAROPE FERRUGINOSO
De cascaa da laranjas amargas com Ia-
dnreto de potassa.
O ioduriu de potassa, administrado em
soluf&o ou debaixo da forma solida, causa an
dornte urna grande repugnancia, ou determina
accidentes que o forceo & renunciar a esta
merlicicjio efBcaz.
Unido porm no Xarope de cascas de luran-
jns, elle ns causa nem gastralgias, nem per-
turbacao do estomago e intestinos, e gravas a
este salvsgusriU, os Irtlaaestos depuratitos
sSo continuados sem intcrrupgSo, uas affec-
coes escrofulosas, tuberculosas, cancerosas e
as secundarias e terciarias, mesmo reuma-
thimaes, nas quies elle o mais seguro espe-
cifico. A dose eati definida de tal maneira
ipu- o medico pode varial-a a sua tenudc :
0 frasco: 4 fr. 50 c.
De cascas de laranjas amargas com
proto-ioiursto ia farro.
A associacSo de sal ferro ao Xaropc de cas-
cas de laranjas tanto mais racional quanto
que esto xarope, empregado s, para estimu-
lar o apunte, activa a secrefio de sueco g-
strico, e por fim regularisa as fuaccSes abJo-
mmaes, neutraliza os mos effeitos dos ferru-
ginosos e dos ioduretos (peso de cabrea, pri-
sao do vcnlre, dores epigstricas) em quanto
que facilita sua absorpeao. Dissolvido no
Xarope, elle se toma e se supporta fcilmente,
por achar-se no estado puro mais assimilavel;
e assim pode continuar-se a cura da pallidez,
corrimentos brancos, anemia, affecciks escro-
fulosas e racbitismo:
0 frasco: 4 fr. SO C.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE estilo sempre em frascos especiaes
(nunca em meias garrafas nem em frascos redondos). ExpedigSes: em casa
J.-P. LiAROZE, na ales Lions-Saint-Paul, 3, Patria.
Roa do Imperador n. 38. botica franceza.
PERFUMARA medica hyginica
De J.-P. LAROZE, qumico, pharmacentico de la Escola especial de Pars.
Estes productos sao o resultado da aplieacio das leis da hygiene perfumara, que se ergue e
tomase pharmacia da belleza, cncurregada de prever a hygieae da pdle, dos cabellos, dos denles,
ergios lio importantes; eutio evita e dcstroc as causas das doencas que sua irmau mais \elba,
i pharmacia propriamcate chamada, tem que curar.
elixir MUTIFIUCIO para curar imodiatemente as
dores ou raivas de denles; o vidro 1 fr. 25
BOS DBMTXrMCIOS COR DI ROS* com base de
Mim briiuiuear e conservar os denles;
I fr. 25
Magaes'a
e vidro
ortATO DBBTinuoio para fortificar as genglvas
vitar as nevralgias dentarias; o pote 1 fr. 50
CURATIVO BBMTAJUO para tratar os denles
cariados antes do chumbanienlo, evitar os ab-
cessos c dores ; o vidro coin o instrumenlo a fr.
AOOA LXDCODERMnfA, para conservar a frescura
c as funccHes da pelle; o vidro 3 fr.
BBPIRITO I AHIB RECTIFICADO, COrapWmenlC
do aceio da bocea despois de comer; o vidro 1 fr. 25
SABO LBIHTTVO MEDICINAL, de violeta, amenduj
amarga, bouqaet, o pilo.......2 fr.
CREMA DB SABO LEHIT1VO MEDICINAL do
Semas de ovo, para evitar as fendas, frieiras e
oancas de pelle, de violeta, de bouquet; o pao 2 fr.
ORBMB DB SABO LENITIVO MEDICINAL CU
pus. Ella c especial para a barba, o aceio das
senhoras e daa enancas, o vidro.....2 fr.
AGUA lsstral para conservar e embeilczar os
cabellos, e fortificar suas raizes, o vidro. S fr.
OLEO DE AVELA PBRnrMADO para remediar a
dureza dos cabellas e a sua atonta, o vidro. 2 fr.
VINAGRE DB TOILETTE SUPERIOR pela Sua
maridado c sua accSo refrescauu?, o vidro. 1 fr.
COLD CREAM SUPERIOR para m; n- a pell"
clara, fresca, e disphatM, e evitar as ruaos tffetldS
do uso das cores, o pote. ..... 1 Ir. 50
AGUA DE COLOONA SUPERIOR. COUI MI sem
.trabar; permanencia de .seu perfume o faz bascar
para o to.ador, banbos geraes tocaos, o vidro 1 fr.
PASTTLSLAS ORrBBTAES d tlr. Paul Clement,
para tirar o ch'-iro do tabaco c para modificar os
hatillos fortes; 1 e 2 fr. i caixa.
AGUA DE FLORE DB ALFAZEMA. c.smelico
buscado para tirar as comiclio -. forliiicar e re-
frescar certos orgos, o vidro.....1 fr. 25
ESPIRITO DB HORTELAN SOPERTIhO. Eli" l< 0
;i|>erfeirn:tmeiiio indispensavel do aceio da bocea
depuis POMMADA CONSERVADORA de quinina pura
para fortificar os cabellos, os embellezar e evitar
o encanecimenlo pre-BMturo, o pote.... 3 fr.
Depsitos em cada cdade, em caza dos pharmacctiticos, perfumistas, rabclleireiros, negociantes de
modas e de fazendas. Varcjo; Phahmacia Lahoze, ruc Neuve-dcs-Pelits-Chainp, 2r>.
Expedicoes: em caza de J.-P. Larozi:, ru des Lions-Saiut-Paul, n" i. em Pars.
Rna im lni|)iMa'kir u -M. botica fratiee/a.
m *tft

Os herdeiros do fallecido Feliciano Angosto de
Vasconcellos, vendem a casa e silio que tica no
ngulo do norte formado pelas ras da Trempe e
Moodego na Boa-Vista n. 2i, o qual alm de bas-
tantemente plantado de arvores fructferas como
laranjas do umbigo, selecta, sapolis, sapotas, fruc-
ta-pao e oulras arvors diversas, possue terrenos
proprios para edificacoes particularee, achando-se
os que Bcam na ra do Mondego com soRdos e re-
forjados alicorees : quera pretender dirija-se
a Hypolito Carvalno de Vascoocellos Albuqucrque
MaraoMo que possue a planta da mesilla pro-
priedade.
Atten^ao.
O abaixo assignado declara ao Sr. Jos Daniel
Carneiro da Cunha que a cosa, terrea sita na.ra
da Aurora da freguea da Boa-Vista lhe est pe-
nhorada, cemo se v no cartorio do Sr. escrivao
Cunha, e por isso tenho direito de anriullar a ven-
da ; todava estou prompto para fazer algunrar-
ranjo anda mesmo com algara prejuizo.
________ Marcelino Jos Lopes._____
Aluga-se a casa terrea n. 90 da ra Augusta
coro basta#4es comrnodos : quem a pretender, di
a do Vigario"
-
'
Xluga-se urna casa' abarracada na povoacao
do Moau-ieo a coniigua ao sobradu que fol do Sr.
Stqueirit, nMo'i dita asa terrar*, quintal, cacim-
ba fra^esjribaria, quartos para escravos, e sabida
para'fl'rt: (faem o pretender, dirija-se a ra es-
trella do Rosario n. 28.
Precisa-se1'de um horam que queira assen-
tar fjraca por ouiro soldado que pretende sabir do
eiercfarJ o tmpo que tem de servir sao apenas
tres annos ,e aaato : quem se jalgar nestas cir-
comstanefas, dlrfja-se a ra do Rosario da Boa-Vis-
ta n> 3^3 paraje tsaUr do competente ajuste,
Precisa-se de urna ama livre ou escrava para
casa de pouca familia, para cozinhar, comprar al-
gn cous e eitgommar, prefere-se escrava: na
ra larga do Rosario n. 38, primeiro andar.
raa de late.
Prec*a-s*.^f uta* lia i hite : na Ra da
Santa Crut n. 6't.
Vende-se na ra do Imperador botica franceza n. 38.
Morada
Da-se para residir em um silio perlo desta cida-j
de, sem a menor paga, a una pessoa de pouca fa-i
milia, e que d conheciraento de sua boa conduc-j
ta.com acondicio de tratar dos arvorodos que!
existem no mesmo silio, concertar as cercas do
mesmo, e dando conta de todos oa objectos que lhe
luiviii entregues ao entrar para o mesmo sitio,
qnando queira o seu proprietaro, podendo fazer a.
plantacao que llie convier e desfructa-ia durante o:
tem|io que no mesmo sitio estiver por consenti-
mento do seu proprietaro, ou pessoa por elle au-'
lorisada, nao podendo tjuando sahir do mesmo si-
tio por sua vonladc ou despedido por seu propie-
tario ou por sua autorisacao.ped' o menor paga-
iin.'iitu por qualquer plaulacao qjie deixar, ou por
qualquer trabalho que o tenha feito, ou mesmo!
como paga de ter estado jto mesmo sitio : quem
pois assim o queira, dirija-* ao sobrado da ra de'
S. Francisco n. 10, com documento, provando a!
sua boa condercta.
N. B. A casa se acha om mo estado.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado sito na j
ra streita do Rosario n. 31, com grandes com-;
modos para duas familias por ser 3o e 4o andar,
tonteado 14 quartos e 4 salas, muitp fresco por se-
rem os oitSes cofridos de janeHas : a tratar no i
mesmo com o proprietaro.
Acha-se justa e contratada a casa da traves-
sa do Carmo n. 13 i qnem a ella se julgar com
direito appareca na ra estrena, ,do Rosario D. 19,,
segundo andar".______ _____i________- !
Precisa-se de 1:2005 premio, dandotse por
garantiai cinco escravos : quttm quizer fazer esi<
negocio, annuocie para ser [irocuxado.
-------------------

W
ELECTRO
MAGNTICA
Ama
Na ra Imperial n. 14, sobrado, precisa-se de
ama ama que compr, cozinbe e entotume, pan
casa de pouca familia.
Approvada por varUu Academias t atlas
ntmmidadts medicas.
O que occasiona em gTal as molestias abaho
designadas a esta^nacio do sanpue um certas
parles do corpo, a qual e produzla petos resfria-
mentos r imiiiu* unirs cauzos.eiilao deelaro-se
os llltciimatistnvs, Gtitv, Puitlyil Fraque.a
los membros* UoSisiipafes, Etephattlinsis ou
Peinas fickadiu, etJTres Nervosas,
O uso da' escova E1ECTKO-MAGNI-
TICA tem suecesso certo para a cura de todas
eslas molestias, sem recorrerse a nenhoma outra
niorticjcao* KUa tem um ion>t rul manrjtel
e pi inluz, vonlade detruem d ella usa, seos mais
nteis felices resultados. Seo emprego preserva
das moleslias ucima. t'ara musintorinacocscn-
sul-It-se a noticia que accouiuantiu cadaKscoa.
Deposito Geral
Bonlavtrt du Prista Evjtne. i*\ P<"b-

Vende-se ua ra do Imperador botica
francoza rr. 3S. ;

ATTNdiO
.Va ra da Roda ii. Jl acha-se um Meo y-.-ldo
: para casamento : a ripias que prec'sar, d'.t/ja-se
com dinheir -jue tara negocio.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para
todo o servieo de urna casa de pouca familia : na
ra de S. Francisco, casa n. 56.
i -* Aluga-se urna casa em Bebenbe : a traiar
! com J. I. M. Reg, na ra do Trapiche n. 34.
C ompanhia ldelidade de
segnros martimos e ter-
restres estabcleclda no
Rio de *anelro.
AGENTES K.VPRl'NAMBLT.O
Antonio Lujt de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Pidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio roa da
Cruz n .1.
r< Mi>-msSKJWX,&'iWZ Wst
0 Dr. Eocka Bastos
* pode ser procurado das" horas da manhaa
i ao naaa dia. e das 3 horas da larde
l em diante no
iich 1 de Movembro u. 3<
i (nH CIMA 110 BlMlAft (7 AUTOS.)
\ De inei'i dia as horas da larde
[ X. 9 Hita da CrNa X. 1 t
Cura radical e em pomos lias as mo-
I lesiias svpliiliticas eas do apparelho ge- '8
i nilo-urinario. S
Ainda est para alugar-se a boa casa
terrea n. 39 : a ra da Una.
Dr. Rocha Bastos mudou a sua re-
sidencia para o raes Vinte e Dous de So-
vembro n. 7, porcimado Bilhar dos Arcos.
Preeisa-se de dous horneas que enteodam do
servieo de copeiro : na ra da Aurora n. 32.
Aluga-se ou reude-.se a otaria dos Coelbos n.
o, onde esteve o Sr. Manoel Serra, o caes passa na
frente, tica era muito bom local para quem quizer
edificar, ou mesmo para quem qrteira por algama
lundico : a tratar na ra Direita n. 22, relinacao
de Fraucisco Jos de Araujo.
5
Precisa-se fallar ao Sr. Antonio Jos
O Dr luelauu Xavier Pereira
de Brito, contina a residir na
praca da Boa-vista n. 22, onde
pode ser procurado ijualf|uer
liora do dia, ou da Roile, para os
DHSteres de sua proBssSo de me-
dico.
Contina a fazer a sua especia-
lidade em parios,
ilil
iTetxeua de MeadOnea Belem: nesta tvpo--^"*!*.
grapnia, OU na ll\rai W ns. U e Od pra(,a ua ^ compram-se obras de ouro, prala e podras
ludepetulenfea. I preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
tt-MfilgCTW-fllMB connienda, e todo e qualquer concert.
DENTISTA DE PARS ,
19Roa Nova-i9
Fredereo Gautier, cirurgiao dentista, |
fu todas as operagoes de sua arte, e col- M
loca dentes artiliciaes, tudo cam superio- 5
ridade e perfeicao, que as pessoas en ten- JH
didas lhe reconbecem.
Tem agua e pos dentiflcio.
Precisa-sede urna ama que saiba cozinhar e
comprar : na ra de Santo Amaro n. 6, primeiro
andar.
OHerece-se nina mulher de meia idade para
cozinhar para casa de homem solteiro ou pouca
familia : na travessa do Carmo n. i.
Precisa-se de um caixeiro rom pralira d>-
taberna, dando fiador a sua conducta na taberna
grande da Soledade n. iR, paga-se bem.
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
que saiba cozinhar e engommar : na ra das Cruz
' a. 12, primeiro andar.
\0V!!!\!);
Habitantes de Nasarettf, quem vosso vigario,
corre por certo que tendes dous com carta trape-
ra!, responda quem soubtr ao
Abelhudo.
baques sobre Portugal.
O abaixo assignado, aulorisado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca in-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somata vis-
ta, e a praso ; podendo, os que toraarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
nsso (ssi'PffiKfflew
o m 0 SO g P- eo >1 Vi K o Sa
O P-o ce (Bu O' =3 P P" 0
td PL, O g*
o o p ^ P- B sa co
^ bo B s I--. P O P-
B i P5 ?Ha -i < sa
C3 zz pu >-t En 'O
O O fl
O P rr- r-+-P O 0 p-sa n
P-i e-r-
T* O
Sl8 da na tva
Joo da Rocha e Silva, aulorisado para vender
os solos da ra Nova desta cdade au tendo ap-
parecido os proprietario- das casas para eflfeetnar
dita venda, avisa aos ioteresaados que s at oVm
do mez ler.i lugar semelhante venda com o abati-
mento da quinta parte e depois ser rendido en-
globadameute a quem mais olL-reccr.
Aluga-se tuna escrava para lodo o servio (Je
urna rasa : na ra da Cadeia Nova n. V); e tam-
bem se vende a mesma.
Atuga-se tima rasa acabada e pintada trftioo-
vo, com bastantes commodos e arvorodos, sita no
Cachang : na ra do Queimado, loja n. li.
Precisa-se de una pessoa de 14 a 18 annos
de idade que queira ir ser caixeiro em Gamelleka,
prximo va frrea, que d conheciraento de sua
conducta : a tratar na ra do Lviamento n. !>
loja de calcado.
Precisa-se de urna ama para o servieo de
casa de duas senhoras : na ra da Senzala Velha
o. 112, primeiro andar.
A M A
Precisa-se de urna ama para cozinhar e comprar
em casa de homem solteiro, preferindo-se escra-
va : na ra do Queimado n. 4:>.
Offerece-se um moco porltiguez para qual-
quer eslabeletimento, e da fiador de sua conducta:
i quem pretender dirija-se a ra do Vigario n. ''
taberna. _________
Precisa-se alugar um preto ou moleque par
o servieo de sitio: a tratar no pateo da Santa Gru
numero 4.
Permutase por um sili* que tenha bastantes
proporcoes para plantaeao perto da praca um so-
brado de 2 andares coni sot.io e 2 frentes em una
das melhores ras do barro de Santo Antonio, 0
qual rende annualmente 1:300$ : a tratar com o jj
agente de leiloos Olympio no armazem da ra do j
Vigario n. 10.___________________
l'ma parda que nao o muito moca, com pra-; ]
tica de servieo de ama, se offerece para casa de <
homem solteiro ou de penca familia : na ra do' *
Senhor Bom Jess das Ci ioulas n. ;(5.___ : j,
~Precsa-se aliigar una preta ijue saiba cozi- ^ queo proi:urarem no
aliar e engommar, e um preto que se preste a car- (
regar agua e fazer compras na ra : na ra larga
do Rosario n. 28, segnndo andar. _____ i
Joao da Silva Ramos, medico pela Ui
verr-dade de Coimbra, da consultas em
sua casadas 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os (lenles
eoi suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serio soccorridos em qual-
quer occasiao. D consultas aos pobres
hospital Pedro II,
- Una pessoa competen tornen le habilitada se
otferecc para ensinar etn arjfom iHigenho prime
ras letlras, ^rammaHr*. arilhmeiica o mnsica:
quem pretender dirrja-se i roa do Rangel o
casa de relojoeiro. ____________ _
A. L. Dulouebe, ra i>ova n. 23, receban *m
grande sortimento de molduras para retratos pir pede ser procurado a r)ua pre?o commodo. teiras, porm, na villa do Cabo.
Na ra streita do Bodrio a. 34
uijAdvogflo Affosb de Albu-
querque Mello,
hora ni? seta-
Jos Ferreira Estrella, subdito portugus, re-
tira-so para (ora da provincia.
.Moleque.
Precisa-so alugar um moleque de 14 a 1G annos
de idade: na rna do Queimado n. 2'.).__________
Joao Ferreira da Silva, subdito pertuguez,
rctira-se para fra da provincia.______________
Deseja-se fallar com o Sr. Tbeodoro Jos Pe-
reira Tavares, morador em Pedras de Pogo : na
ra do Vigario n. 3
mmmwM mwmmmmmmm
O Dr. Carolioo Francisco de Lima San- 5s
los, contina a residir na ra do Impe- M
^t rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro- |k
g curado a qualquer hora do diae da noite B
para o excrcicio de sua profissao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de \>
meio da at 4 horas da tarde, devem ser 3
doixados por escripto. O referido Dr. a
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue. com o
maior afinco, no das mais difflceis e deli-
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa. .
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doerite,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commmlos apropriados e nell pra-
tca qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primena classe 35000diarios.
Segunda dita.... 25300
Terceira dita.... 2O00
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietaro espera que elle conti-
nu a merecer a confiauca de que sem-
pre tem gozado.
yM cadas operacees. como sejam dos ergos
Si ourinaros.d'osolhos, partos, etc.
Ama de leite.
Na ra da Cruz o. 33 neoessiia-se de urna ama
forra ou captiva, porm que seja sadia, agradando
uo se duvida pagar bem.
Precsa-se alugar urna escrava que saiba co-
zinhar bem : na ra do Crespo n. 23.
Bst para alugar-se um excellente armazem
] na ra dos uoararapes, proprio para um estabele-
ciraento de padaria ou refinacao por ter um gran-
de telheiro e urna excellente chamin. que tudo se
aluga por pre^o commodo;: a tratar na ra dos
Guararapes n. 78.
Quem precisar de urna criada portugueza Precisa-se de um caixeiro para um armazem
para casa de familia procure na ra do Apollo n. de molhados, que seja inielligente e compra em tu-
4, primeiro andar. ] do com seus deveres, excedende de 23 annos, e
-------1___, KmQn, cnit^-rA- aue d prevas de bom comporta ment, tendo estes
Prensa-s de urna ama |fara homem solte.ro. l J P d 46
a do (az, taberna nova._____________v -------i_J---------------------------------
Precisa se de urna criada portugueza, de
bons costumes, para o servieo interno de urna
casa de familia, pagando-se-lhe bom ordenado, e
dando-se-lhe bom tratamento : na ra do Impera-
dor n. 38, segundo andar, ou no cartorio do tabel-
liao Almeida na mesma na.________________
Precisa-se alugar um preto com pratiea de
nadarla eu sem ella : na ra 4a Rangel n. 9.
na rna i
Quem precisar alugar um escravo pardo pa-
ra cozinhar, para mandados e para bolear cabrio-
lee, do boa conducta, e que bastaute desembara-
zado e lunpo, dirija-se a ra Velha n. 93, oa n-
tenua-se com o escrivao Silva llego, na ra do
Imperador n. 71.
Precisase de urna preta para vender na ra:
a tratar na ra da Concordia n. 2.
Adelina Mangin retira-se para a Europa.
As pessoas que pretenderam comprar a ar-
macjio do deposito n. 38 da ra Nova, dirijarh-se
ao mesmo que acharo com quem tratar.
Atnga-se o primeiro andar da casa n. 37 da
ra da Cruz do Recife por preco commodo, pro-
pVia para escriptorio que recebe commissoes fa
engenhos por ser no roelhor lugar para este (tan : e
tratar no estabelecwiento da {nasny W8^ r
------.------------.| f i i. II 11 N I I ^ V
O Se. .tao da Rocha e Suva' nao |B*oa
conhecida^ii o dispense e rafllfar sa re^
ou oiide Ave. ser procurado para; su fczar [
com os sdlos Has tasas d ra Nova.
Coolina a esta para alagar ama boa casa
em Sant'Anna de dentro : a tratar na ra da Glo-
ria n. 94.

_
VNHLtNm E SE
mm.

nu|.'
Sessao segunda-felra 3 de outubro, s G l( ho-
ras da tarde.
Villa deguarass
O abaixo assignado previne bella rapazeada.
que tem dado ao seu holel na ra da Ponte, todas
as commodidades precisas para receber os devoto
da fesia de S. S. Cosme Damin.
Alem de todas as coraniodidades e aceiados-
quarlos para familia tem ainda um bom nozinheiro.
sorvele, bons vmbos, e sobre tudo om completo
sortimento de-gneros precisas. Cheguem pois os
amantes da testa de Iguarass, e vunham qor a
carro or a cavalto, que tuda se f.-r por com-
modo preco.
Antonio Gomes Cordeiro de Mello.
Peccisa,-so de um oo deus caixeiros com al-
guma pratiea de negocio de fazendas para fra da
cidade-: a tratar na ra da Cadeia do Rwafe nu-
mero 33, loja.-
C0MPE1S.
mi
'-, Corapram-s garrafas e.boinas vasias : na
ra dos Pescadores n. o.___________________
Compra-so um casal de escravos de meia ida-
de-, urna carroca e um boi : na travessa da ma-
triz de Sanio Antonio n. 8.
LEGVEL


i
i
W"rY_
fS__!_
v-



Diario c re
o t**uKt tetra %9 4e Setembro de 184.
Crrelos Mercantls.
Na ra do Queimado sobrad. n. 29 compra-** os
seguales numeres do Cerni Mevcantft do oorren-
te anuu : ns. 6, 1'.). 21 o 22 lo mez de jan e4ro ; n.
33 d mez de fevereirn; ns. (>, 67,^8, 82, 3 e 87
do mez do mar$o ; n. 8 de junho ; ns. 86 e 203
de jullio ; e ns. 231 e 240 de agosto._______^^
Compra-se ouro e prata era obras velhas
daga-se Lem: na loja de Lilneies da praca a lude
pendencia n. 22.
Compra-se cobre velho : na ru* do Brum no>-
mero 78.
Compra-se eTectivameote
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem
Da ra larga do Rosario n. 24, toja de oorives.
Compra-se a obra de Theologia Moral
bispo Montes, 3* edicao : quera ti ver annuncie.
da
COMPRA-SE
urna negra de bonita figura, que saiba lavar, eti-
^ommar e coser bem, e cuja idade niio exceda a
25' annos, agradando paga-se bem : a tratar no es-
criptorio de ManoH Ignacio de Oliveira & Filbe,
largo do Corpo Santo n. 19.________________
GARHAFAS
Compram-se garrafas vastas : na ra do Impe-
rador n. 57, armazera Allianca.______________
LitteaiHra.
Compra-se oOstensor Brasileiro
bug n. 10.
na ra do Ca-

YENDAS.
Vendem-se duas casas terreas com um ter-
liairiau de fazeias-4e todas as oa- J**vv KM A ILOR.
lidade rft toja eariuazeni da Arar, lilla QQ CiUOUmi S. 9-3 69.
roada 'nipeatm a. 56, rieLeuroa- ft>n%* dVcituro.
oPercha Rende irtiimres. i Jli"?aL4^L^_**?_ 9ne rhamam mv
AlteD^o que se val principiar.
Vende-.- pegas de panno de linho para lentes,
tealhas e seroulas, com 18 brini liso por 300, 560,6W rs. a vara : na ra da
na roa
fmperatric loja du Arara ti. '36, de Mendes Guima-
res.
1 Atara vende soatenaWque a 105 e 139.
Vende-se soutembarqiieo de= Mazinhas enfejlados
a 109 -e 129, ditos prette de grosdenaple fino
a 209- 29 e 2.'9 ; capas pelas ricamente eofeita-
das a 259 30; camisihas para senhoras a 29
3 ;^olinhas 240,"32O 300 rs. ;' manguitos a
300 rs. o 15 : na ra da lmperatriz n. 56,-loja da
Arara.
Cortes de chita a 25-100.
Vndese cortes de chitas cora 10 covados a
2940Q, ditas franceza a 3#S00 ; ditos de cambraia
de sal picos a 29300 a peca, dita fina a :<95'J0, 49
59: na ra da lmperatriz n. 36, loja da Arara, de
MendecCuima-raes.
Itnupa feita barata.
Vende-se palitots preto de panno a 169. ''9
129, 10 e 89, ditos de alpaka a 39 e 49, ditos de
brim braoco a 29300, 39, 39300; calcas de brim a
,9 e 29300, dilas brancas a 39 e 39500 : palitots
de casemira decores tinos a 109, 89 69,4 59;
seroolas a 29 ; camisas brancas a 29, 29500 e 39:1n- w e 69-
oa ra da lmperatrizn. 56, laja da Arara. Filiados em cahinhas.
olarinhes econmicos a 640 a duzia. | l'\n,os extractos em cajxjnhas com o retrato d
Vndese colariuhos econmicos mnito bem ei- J*1"'.']* imperial: as lojas do beija-llor, ra do
tos a 40 aduzia : na ra da lmperatriz n. 36, lo- Qe"ado ns. 63 c 69.
ja da Arara. |, Sabio em aiiiobas.
Vende-se bramante de puro linho a 29500 e! Finos sabes em caixinhas com varios retratos
renoj com alicerce para um sobrado, em Bem- i*5.800* vara> tendol10 a }*J!0!0* *? ^rgora ; as lojas do beija-llor, rua do Queimado ns. 63 a 69'.
fica junto a casa do coronel Joao Joaqiiira da Cu- i b"m anc0 fra r? a aJ200> f400. J&600 a
nha Beso Barros : quem os pretender dirija-se vara
  • aos Remedios a tratar com Francisco Avila de roa tolmpwatnz n. 56, loja daArara.
    vendem-se baloes americanos os melhores
    mamai, de diversos lmannos : s as lojfcs4l bei-
    ja-llor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
    linas de pellica.
    Liaras de pellica branca e de cores para honiens
    as lojas do'beija lot, roa? do Qu-
    e senhoras
    madqjis.<63 e 69.
    1 bellas para cintos.
    las fivellas donradas com lindas pedras para
    : as lojas do beija-flor, ra do Queimado i
    e 9.
    Caaella jara noivas.
    Lindas -capellas paraoeivas 29300 cada uina
    e 69 d beija'fl0r' TOi d0 Queimado ns. 63 e
    Estojas para barba.
    0 J?S$'se st0/os com esPellio para barba 19500
    e 20O0 cada um : as lojas do beija-llor, ra do
    Quemado ns. 63 e 69. >'"uu
    Balaios jara meninas.
    Beoebeu-se novo sortimenio de balaios, coro
    2S de-vaI,os Pass3r8S> P^o barato prtco de....
    19000 ate 49 cada um : as lojas do beija-llor. ra
    do Queimado ns. 63 e 09.
    Filas luas jara cintos.
    Ricas fitas finas lavradas de bonilas cores para
    ^: "as ,0Jas d<> beija-flor, ra do Queimado
    ESPLENDIDO ARIAZEM DE MOLHADOS
    Paulo Ferreira da Silva & Companhia.
    57 RA DO IMPERADOR 57
    Grandes reformas de preeos
    /% II I fMl tf^ll ft a IO Pr * -^ ^-'M.M V>* ^-^ quer parle.
    O Vigilante est alerta, nao lito era permiltido
    qiier parle.
    Gneros especialmente escolhidos por um dos
    Mendonca,
    Tende-se a casa terrea da ra do Progresso
    n. 21 (no Caminho Novo) tem um porto ao lado
    queda entrada para o quintal, no qual existe cin-
    co pequeuas mei aguas, rende tudo 4809, e ven-
    de-se barato por seu proprietario ter de retirar-se
    para ra da provincia : a tratar na ra do Quei-
    mado n. 77.
    P0T1SSA
    \ ende-se potassa em barris a commedo preco o
    na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriplon:
    de Amonio do Almeida Comes.______________
    ftftf/lGM
    Vende-se superior vinho do I'oi lo em caixas de
    urna dnzia : em casa de Jolinslon Pater 6: C, ra
    do Vigario n. 3.
    Bi\as liainliiiriiiii'zas
    Xa ra Nova n. 61 defronte da lllina. cmara
    municipal vendem-se constantemente bixas novas
    por meuos 29 o cenia que em oulra qualquer
    parte : recebem-se por todos os vapores.
    SALSAPARRILHA
    DE BRISTOL.
    As curas milagrosas de
    KSCRO FUIMOS,
    ULCERAS,
    CHACrAS AlVTICrAS,
    ENFERMIDADES SYPHIUTIcis,
    Erysipelas, Rheumatismo,
    Nevralgias, Escorbuto,
    ele, ele, ele.,
    que tem grangeado e dado o alto re
    nome i
    Salsaparrilha de Bristol
    por todas partes do universo, sao
    sinente devidas
    tSo
    nica Legitima e Original
    SALSAPARRILHA DE BRISTOL,
    rltPARADA EXCLCSIVAMESTE l'OR
    LI1HIMI & KEIP IE XOVA YORK,
    Mediante a receita Jo Di: C. C. Bristol
    A venda as boticas de Caors 4 Barboza.
    ra da Cruz, e Joo da C. Bravo 4 C, ru;
    da Madre de Dos.
    A lea I rao.
    Vende se barris com a Ira t rao, na ra da Cruz
    n. 23, primeiro andar, escriptorio de Antonio de
    Alinoida Gomes.
    Na, loja de fazen las ba-
    ratissimas de Duarte
    forges da Silva, ra
    da Imperatris n. 20
    Vende-si* o seguiate:
    PECAS de panno de linho com 25 varas a 89,
    um p luce estreito, mas excellentepara toalhas.
    DITO de dito adamascado com 8 palmos de lar-
    gura para toalhasde mesa de jamar a 29400 a
    vara.
    CASEMIRAS df duas larguras e de urna s cor
    murto boas para roupa de meninos e soiitombar-
    jues a 39 o covado.
    TOALHAS alcochoadas multo boas para eaehu-
    gar o rosto a i)J i duza ou oJO rs. cada nina.
    CAUBKAIA br na finaom saipicos miudinhos
    a 640 rs. a vara, m. ta'ie do valor.
    OLIADOS de bonitos e eleganles desenhos para
    cobrir mesas a 19 o eovado, para acabar.
    LAAZIXHAS de padroes novo e muito agrada-
    veis tanto na boa qualiilade como no pieco de 320 Massbs de grampos superiores e limpos a 30 rs.
    rs. o covado, e finalmente o respeitavt| publico Grosas de palitos de gaz a 29200.
    achara constantemente nesta dila loja um bello e Libras de areia preta da melhor qualidado a 120
    variado soriim'-nto de l'azenda> linas e wros-as a I rjs.
    pr^os muito nzoaveis, poin >i resolvido gauhar Caixas redondas para rap e tem mnito bonitos ca
    que
    lem vindo, da todos os tamanhosa 29240, 29500,
    &, 49 e 4930*: s o Arara na ra da lmperatriz
    n. 56.
    As lazinhas da Arara a 210 rs. cavada.
    Vendem-se laazinhas para vestidos do senhora a
    240, 320, 400 e 500 rs, o covado, ditas muito
    finas lisas 600 rs. o covado, ditas especiaes a 720
    e 800 rs. o covado : na ra da lmperatriz n. 56,
    loja da Arara.
    Gilas baratas a 210 rs.
    Vendem-se chitas de eores fixas a 240 e 280 rs.,
    0 covado, ditas francezas finas a 320, 360, 400 e
    500 rs., o covado, dilas percalas a 560 e 600 rs. o
    covado : na ra da lmperatriz n. 56, loja da Arara.
    1 Arara vende madapoln barato a 6>O0, cortse
    de vestidos a Hara Pia a 1 \ t 18.
    Vende-se peras de madapnlao de 24 jardas, de
    marcas linas n.'7 a 79, n. 2 a 89100, + a 89500, +--
    99, S a 109, HH a 119 e 129; atenda regular a 59,
    dito fino carne de vacca a 69500, dito domestico a
    79, di'o slcupira a 89, dito pao ferro a 99 a peca
    tem 20 jardas : na ra da lmperatriz, loja n. 56.
    Chales baratos a 1A600.
    Vende-se chales de laazinha a 19600 e 29, ditos
    de merm a 39, 49500, 69 e 79 : na ra da lm-
    peratriz n. 56.
    Corles de raleas a 1,-MiUil.
    Vende-se cortes de caira para hornera a 19600,
    19800 e 2950O boa fazenda corles de casemira de
    cores linas a 59, 59500 e 79; casemira para palitots,
    calcas e colelcs entestadas a 39 o covado: s na
    i loja da Arara, na roa da lmperatriz n. 56.
    j Casemiras para capa de smbora a 29 e 3.
    Vende-se casemira entestada propria para capas
    para senhora a 29 e 39 o covado, tambem serve
    : para costumes por ser de boa qualidade e lindas co-
    res, vende-se a 29 e 39 o covado: na loja e arma-
    zem da Arara, na ra da lmperatriz n. 56.
    A Arara vende as percalas a 06O rs.
    Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e
    600 rs.; chitas Irancezas finas a 360, 440, 500 e
    I 560 o covado : na ra da lmperatriz n. 56.
    A Arara vende as capas de yrosdeuaple a 2o e 30$.
    Vende-se ricas capas de grosdenaple preto para
    : senhoras a 259 e 30.3; sontetnbarques pelos linos a
    ; 209. 229 e 259 : na loja da Arara
    arlalana de corea e branca a 800 rs. a vara.
    Vende-se arlalana branca e de cores finas a 808
    I rs. a vara, lil de linho a 800 rs. a vara : na ra
    \ da lmperatriz loja e armazem da Arara, n. 56.
    O proprietario da loja e armazem da Arara re-
    1 co menda tuda a atlencao aos Sis. freguezes que
    ; mandem ver as amostras de tudas as l'azendas qm
    i annuncia, prometiendo vende-las por barato preco.
    Pecbiucba de lencos de seda a 800 rs. e 1 .
    Vende-se lencos de seda pequeos a 800 rs.; di-
    los grandes a 19 : dilos brancos com barra de co-
    res a 200 rs. rada um : nirias cruas para homem a
    29400, 39, 49 e 59 a duza ; ditas para senhora a
    19 e 59 a duzia : na ra da lmperatriz n. 56.
    Cassas francezas a 280 e 320 rs. o covado.
    Vende-se cassas francezas linas para vestidos a
    280 o 320 rs. o covado: na ra da lmperatrizn. 56.
    Colchas de damasco a il.
    Vende-so colchas de damasco para cama a 44,
    ditas de fuslao a 59, ditas de chita a 29; ricas chi-
    tas para roberas a 320, 360 e 4< 0 rs., dilas aseli-
    nadas muito linas a 500 rs. o covado, dilas encar-
    nadas a 5u0 rs. o covado : na ra da lmperatriz
    n. 56, loja da Arara.
    RIVAL SEM SEGUNDO
    Ra do Queimado n. 49, est vendeudo muitc
    boas l'azendas e muito baratas, quem quizer poder*
    vir ver ou niaudar para experimentar, assim con
    .-ejam :
    Golliniias muito finas para senhora a 500 rs.
    Ditas e pannos de fustao muito bonitas a 640.
    tartas de allinete de cabeca chata de todos os ta-
    manhos a 80 rs.
    Resmas de papel de peso muilo bom a-2.
    Capachos redondos e ronquidos a 500 rs.
    Caixas com superiores obreias de colla e de massi
    a 40 rs.
    Cordo branco grosso que tem multa applica;o a
    vara a 20 rs.
    Linhas de carriteis garante-se 150 jardas a 40 rs.
    Carloes de linha Pudro V com 200 jardas a 40 rs.
    Grosas de pennas de ac muito finas a 500 rs.
    Varas de franja de laa'para vestido a 40 rs,
    Ditas de franja branca larga para toalhas a 160 rs.
    Pares de bornes de punho a 120,320 e 500 rs.
    Tinteiros de vidro com tinta a 160 rs.
    Ditos de barro com superior tinta a 100 r.
    Grosas de btes de louca prateado a 160 e a dn-
    zia a 20 rs.
    Tesn ras para costura a 80, 200, 400 e 500 rs.
    Kscovas para (impar denles, sui>eriores a 200 rs.
    Libra de la para bordar da melhor qualidade a
    69500.
    Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
    Caixas e pacotes de papel amizade superior a 600
    ris.
    Caixas com 100 envelopes muito finos a 800 rs.
    Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
    Carriteis de linha Alexandre com 200 jardas a
    100 rs.
    Baralhos para voltaretea 240e mais tinosa 300rs.
    Meiadasde linha frouxa para bordar a 20 rs.
    Pares de sapatcs de tranca de todos os lmannos
    a 19500.
    Giwas de bolSes de madre perol a multo finos a 560
    ris.
    Caria* e caixas de colchetcs de superiores quali
    dades a 40 rs.
    Tiras bordadas.
    Vedeni-se liras bordadas transparentes e taoa-
    63eOT d be'a'flor' rua d0 Queimado as.
    Jogos de domin.
    Veotem-se jogos de domin 19200 e 12300:
    JMtoja Sbados bordados -
    Vendem-se babados bordados de varias larguras
    e vanos procos : as lojas-do beija-llor, rua do
    Queimado ns. 63 e 69. .
    Abafadores de rede.
    Vendem-se abafadores de rede de varias cores
    800 rs. cada 01111: as lojas do beija flor, ruado
    Queimado ns. 63 e 69.
    Adcreeos pretos.
    Tendo-se recebido aderecos pretos de novo gos-
    por um dos socios que na Europa se acha
    deixar pa*sar desapercebido' sera que nao dsse o para esse Om. F
    ^S^A^T^S^T^1 n^ ] gran(le a vanlagem Para t0,Ias as Pessoas 1"e comprare* neste estabeleci-
    gosto propriamente para qualquer mimo, que ara- n
    ba dechegar neste ultimo paquete, asfm como! s P>'Petrus "aianlem todos os gneros sabidos de seu imuito acreditado
    multes outros objectos que recebe por diversos na- armazem. J wuu
    vios, tanto de sua roBta como de consignagao que I
    est resoJvldo a vender por pregos muito baratos A |k !! w^i^ik
    para vender muito e ganliar pouco, c dar exlracao JM.%W I 1_ Ifilil f^ff,
    o grande deposito que lem, que espera merecer a i v3 nnc eo:,rt. A ,
    prote^ao do respeitavel publico empregando para' yd0 nos sei v"nos de exordios cerno constantemente estamos vendo
    isso todas e as melhores diligencias para
    quera satisfeitos; islo s bo Gallo Vigilante,
    Crespn. 7.
    Ricos portabas.
    Cofre de muito gosto por
    Cestinlias liausparentes torradas de ma-
    dreperola por
    Lindas jardineiras.
    Chegou o muito desejado vinho do Cariaxo vende-se nicamente neste armazem
    J69000 j*08 qU Passaraos a mencionar, e para a qual pedimos toda a attenco.
    Vinho verde.
    189000
    109000
    109000
    Ricos cofres com camapheu.
    Lindas caixinhas com pedras brancas.
    Lindo balao com calongas dentro, tam
    bem para joias.
    Tambalier para dilas.
    Cestinhas dilas.
    Cosmorama ditas.
    Urnazinhas.
    S no Vigilante, roa do. Crespo n. 1.
    Ricos porta bouquetes de diversos gosos e pro-
    cos ; s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
    Ricos sinlos
    com bolcinhas ao lado, a 109, 129 e
    109000 a 600 rs. a garrafa e 3o,ooo rs, a ancora com 7o garrafas.
    de diversas cores a
    169000 Amendoas confeitadas
    9JJ 64o rs. a libra.
    jJyoQ dem de casca dura a 24o rs. a libra.
    69000 dem de casca mole a 32o rs. a libra.
    j Ameixas francezas em caixinbas com lindas
    estampas a l,2oo e l.oo rs.
    dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
    l59,ditossem ]Acm em f|ascos grandes a 2,5oo rs.
    lojas do beja-llor, Pde encontrar, a 19500, 29, 29500 o 89
    i s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
    o par:
    to sao expostos venda : as
    rua do Queimado ns. 63 e 69. 1 so no v ignante, rua do Crespo
    Grvalas para seahoras. Cabazes ou cesliuhas.
    'U1*8 6ravatas para senhora 800 rs. e 19000 At 'lue chegaram as desojadas cestinhas ou ca-
    bolea porem do mesm gosfo', a 29500, 39. 39500 Wem em latas de 1 lfa libra a l.loo rs.
    b^ Bik Arroz do iMarant.ao e da India o melhor nu.'
    ff2S!5 faS,5!Sbi"*f iue se ba nesta genero de 80 a loo rs. a libra.
    e de 2,ooo a 2,8oo rs. a arroba.
    Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
    4,800 rs. a caada.
    uf6?6n9as'0jasdoljciJ>f,or' rua dQuein>ado *S??"ea* '""f n" "co, ornis rica dem francez e de Lisboa refinado em gar-
    Espelbosdemoldora. fiSSS&g&* "*' SD, rajas brancas a 9oo rs. a garrafa, e 10,000
    \endem-se espelhos de moldura preta para tm- '
    is lojas do beija-flor, rua do Queimado ns. I
    feiles e sem elle para menina; s no Vigilante, rua
    do Crespo n. 7.
    Pentes
    de tartaruga e de massa lina, qne'se vende por 29,
    39 e 5'9; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
    Leques.
    Riqusimos leques de madi eperola lanto para
    senhoras como para meninas, pelo barato preco
    de 129 e 149; s no Vigilante, rua do Crespo
    11. 7. *,
    63 e 69.
    Voltas de aljofares.
    Lindas voltinhas de aljofares com cruz de pedri-
    nhas imitando brilhantes 19000 cada urna : as
    las do beija-llor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
    Colheres para sopa.
    J^liem";;e collleres de metal-principe para sopa
    a 2s)000 cada urna : as lojas do beija-llor, rua do
    Queimado ns. 63 e 69.
    Lia para bordar.
    Vende se laa para bordar, a melhor que se pode
    encontrar, tanto na qualidade, como as cores,
    69400 a libra : as lojas do beija-flor, rua do Quei-
    mado ns. 63 69.
    as mesmas lojas se encontrar sempre grande Mais leques
    soriimento de miudezas boas, e mais baratas do com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
    que em outra qualquer parte. queno defeito por barato prego de 89 e 109, chi-
    -------------------------- nezes muitu bonitos tambem, pelo barato preco de
    nVIfillTlQ QlinAT'imt! nana ia ''^e 5, benlarallos muilo bonitos, tambem por ba-
    AlUUilft bUjytllUieb ptlld 16- rato preco de 49 c 59, leques de charo tambera
    i"Ptn por **ludo ist0 para acabr, perdendo-se lal-
    HttlUi5# vez 80 por cento: s no Vigilante, rua do Crespo
    A Aguia Baanca sempre disposla bem servir n. 7.
    agradar a sua boa freguezia, mandou vir c acaba Pulseiras.
    de receber um bello sortimento de albuns de supe- Lindas pulseiras de con tas e de missanaa. cor.
    rior eneadernaeao e apurado gosto, com especiali- muito lindas e de muilo costo a 19 e 19200
    dade os de capa de niarlim com lavores, outros
    guarnecidos de tartaruga com trancas de prala,
    outros marchetados de madreperola com trancas i,
    de prala oourada, oulros de velludo etc. etc. p Lor,acl,a (lucab seDhuras l* precisara j
    Pentes. rs a duzia.
    Neste artigo tem um grande sortimento, tanto ^Ifazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
    para alizar como para atar cabello, os mais lindos
    que se pode desejar, assim como de arrejacar ca-
    bello, tanto de borracha como de tartaruga cora en-
    bra.
    Azeitonas muito
    reta.
    Alpista limpo a I 'o rs. a
    a arroba.
    novas a 2,ooo rs. a anco-
    libra, e 4,oo rs.
    lambernchegaram os nquissimos pentes de concha Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
    latas
    as qualidades
    Antonio de diversas qualidades em
    de 6 e de 3 libras, a 3,ooo e 1,-oo rs. a | cs muil novas a 1Go "- a 1
    lata e 64o rs. a libra. | lflras preparadas em latas a 7
    dem ingleza em Iotas de 2 e 4 libras das
    melhores marcas a I,3oo e 2,2oo rs. a
    lata.
    Banba de poico refinada a 4oo rs. a libra e
    Lentilhas muito novas excellenle legume pa-
    ra sopa a 2oo rs. a libra.
    Licores franeczes de todas
    de 7oo a 9oo rs a garrafa:
    Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
    l.ooo rs. a libra, desnecessario mais
    elogios neste genero, que s se pode ve-
    rificar com a vista.
    dem franceza a tio rs. a libra, e em barril
    se far abatimento.
    Marmolada do primeiro fabricante de Lisboa
    a 600 rs. a libra, ha latas de 1, 1 1 2 e
    2 libras.
    Massa de tomate em latas de 1 2 libras a
    600 rs. a libra.
    Macan ao, taiharim ealelria a 4oo rs. a libra.
    dem branca a 32o a libra.
    Mostarda franceza preparada a ioo rs. o
    frasco.
    Idi'm ingleza em p a 04o rs. o frasco.
    Molbo inglez em garralinhas com rolhas da
    vidro a 64o rs. cada urna.
    Marrus.jiiinhii verdadeiro de Zara a 1,000 rs.
    agarrafo, e i0,000 rs. a duzia.
    libra.
    00 rs. a lata.
    Prezunto para fiambre inglez verdadeiro,
    garanlindo-se a qualidade a Too rs. a libra-
    Passas novas de carnada a 4oo rs. libra e
    6,uoo rs. a caixa.
    es
    Para seyurar manguitos.
    Tambem chegaram as licuinhas estreilinhas de
    Para
    quem tem gosto e dinheiro, um lbum assim per-
    feito sem duvida o mais apropriado para Bello
    se depositar os retralos de charos pas, bons pa-
    reutes e amigos. Em quaulo, porm, esses albuns
    se tornam nota veis por sua perfeico e bom gosto,
    outros recebidos na mesma occasio.se tornam re-
    commendados pela commodidade de prreos vista
    da boa obra. Assim pois o pretndeme* ser ser-
    vido conforme o dinheiro que quizer dispr para
    oCik fin Qfihnmln .-,\rhn. mi >.^..n A/. VA f\ nrv
    em barril a 36o rs.
    Batatas em gigos de 36 libras a l,ooo rs.
    Champagne das melbores marcas a 2o,ooo
    rs. o gigo, 1,80o rs. a garrafa, e !)oo rs.
    as meias garrafas.
    Cha uxim o melhor possivel a 2,Too rs. a
    libra,
    dem perola qualidade especial a 2,Too rs.
    a libra.
    Idemhysson o melhor que ha neste genero
    a 2,oon, 2,4ooe 2.600 rs. a libra.
    curar manguitos por ser muilo commodo e muito 'dem preto homeoptico a 2,000 rs. a libra.
    baraio.a 320 o par; s no Vigilante, rua jorres- Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
    P duzia, e 060 rs. a garrafa.
    n-....... ,,"*" j Chocolate ft ancez, hespanholesuisso a l.ooo,
    Riquissimas caetas de madreperola proprias
    para qualquer presente, polo baralissimo preco de
    19300 c 29-
    Sapaliubos e meias de seda.
    Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en
    I,2oo e I.oo rs. a libra.
    Charutos do afamado fabricante Jos Fur-
    tado de Simas e outros da Pabla como
    sejam regala, trovadores, guanabaras,
    esse lim, adiando sortimento para 24, 30, 60 e 80 felados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi- delicias C SUSllilOS a I 6nn -2 000 't ruin
    relratos: na rua do Queimado, loja d'Agia Bran- nlias e louquinhas para as c. .anciuhas se baptiza-' '' T,!^ '
    ca n. 8. rein; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7. *>"uu .' cixa.
    Voltinhas. Conservas mglezas a /5'o rs. o frasco.
    Lindas voltinhas de peroas falsas com ernzinhas 'dem francezas surtidas ou de unta S -|'ia-
    VtaQem. ingindo brilhantes, asim eomo cruzinhas avulsas; lidade cada frasco a 500 l'S.
    Na loja d'Aguia Branca, rua do Queimado n. 8, e voltmhas pelo barato preco de 19 e 19200, s Cognac francez 0 inglez a 1,000 rs. a sarra-
    vendem-se carteiras com crrelas para traze-las a ;ruzes avu's asa m rs- i ^ no >'"gHanle, rua do r- ",
    liracolo, e bolsas de tapete, ludo para viagens. Lre5l'n- 7- ,-. u i !
    PwfnmowofiTirtlnioo Golinhs- com.nho o erva-docea ioo rs. a libra.
    L cllUlUaildO lll^ltZd.b. Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos- Cravo da India a 600 rs. a libra.
    A Aguia Branca, conhecendo a bem merecida to possivel, a 29,29300 o 39; s no Vigilante, Canella a 9oo rs. a libra.
    Carteiras e bolsas para
    . dem para sopa estrellinha, pevide e rodinha
    ele. a 3.000 rs. a caixa, ea56ors. a libra.
    Peixe em latas hermticamente fechadas das
    segundes qualidades: savel, corvina, goras
    cavallinlias, e pescada a i ,00o a lata.
    Palitos para lentes lidiados a 14o rs. o ma-
    to de 2o rs. o maeinhos.
    dem do gz a 2oo rs. a duzia, c 2,loors.
    a groza.
    Pnico muilo novo I2o rs. a libra e 3,ooo a
    arroba.
    Queijos llamengos, do ultimo vapor, a 2,.*ioc
    rs.
    dem pralo muilo fresco a 800 rs. a libra e
    sendo enteiro a T2o rs.
    Sal retinado em potrede vidro a 3oo rs. cada
    um.
    Sevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
    Sevada a Ion rs. a libra.
    Toiicinho de Lisboa a 2io e 32o rs. libra.
    Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
    Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
    I,ioo rs. a caada.
    dem em garrames com o garrafas a 1.000
    rs.
    Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
    rs. cada urna.
    para senhora.
    estima que os apreciadores do bom do s perfu- rua do Crespo n. 7.
    marias inglezas, por isso mandou vir o esplendido, Enfeiles para ra. rs r& i-m\
    sortimento que acaba de receber, e os acreditados Riquissimos enle.tes com laco e sem laca e de r JL*F2Z \ A n iiJ"'
    nomes dos bem conhecidos fabricantes J. Gosnell oulros muilos gosb> a 19 19500 e 39 so no Vi- Lafe dn Rl Slineri0r a 8 e 3o rs a libra,
    & C, Napoleao Pnce & C. sao bastantes para co- gilaute, rua do Crespo n. '7
    nheccr-se a superioridade dellas. Consiste esse. Trurnfcl
    meira qualidade em faseos dediSS teSaSi ttftiST ^ *******
    CTrmas, fazendo-se ola veis entre elles os que b'.u.a: i
    vem em una carleira de tres, com os ouaes or B>hdlns ntremelos.
    Riquissimos babadinhos entremeios com lindo
    lbem de escovas
    cada urna.
    para lavar casa a 36o rs.
    Copos linos para agua e vinho a 4,800 ii,ooo Velas de espermaceie superiores a 56o rs.
    la-
    de
    tres, com os quaes por
    sua elegancia e bondade se faz um bello presente ; .
    assim como outros frascos com finas essencias con- aesconos 'apados e transparentes, pelo baralissimo
    centradas, outros com excellentes leos para ca- preS, de,15200, 19500, 29 c 39; s ao Vigilante,
    bellos, e outros finalmente com agua de Lavander rua do ^r!il>0 n- 7
    sublimada ; e bem assim tinos saboneles em paco- jascarrilbas.
    tes e caixinhas com tres, bonitas a delicadas al- Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
    mofadinh&s com pastilhas em p, as quaes deitan- larguras, assim como galozinbo e trancinbas pro-
    do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s P'ias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
    deiiam toda a roupa ebeirosa, como afugentam P<> o. 7.
    baratas, tracas, etc:, etc. Em quanto, porm, a, Filas.
    commodidade dos precos j nao entra enl duvida.! Grande sortimento de filas de diversas larguras' Grafa va
    urna vez que o pretendente compareca munido de qualidades, por precos que admiram aos com-j j
    dinheiro e disposto a far gasto na loja d'Aguia pradores, havendo fitas largas proprias paracin-1
    a libra,
    dem de carnauba refinada e de composico
    a 36o rs. a libra, e de lo,5oo a ll,ooors.
    a arroba.
    Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira
    das marcas menos condecidas a ioo rs.
    a garrafa e a 2,800 rs. a ranada,
    dem Figueira especialmente escolhido neste
    lugar a 600 rs. a garrafa, e -,5oo rs. a
    caada.
    dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
    ca especial a 22,000 rs. a ancora.
    dem Lavradio, Colares muilo fresco sem
    composii'n a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo
    se, rainha Claudia e guija a Too rs. a lata. ,rs' a, canada-
    a loo rs. a lata e l,Ioo rs. a Idem de,Llsuoa^3nco uva Pu,"a a ^0 a
    garrafa, e a 4,ooo rs. a canada,
    Branca, rua do Queimado a". 8. St qu'se'p'a'e vende'? 'a 300,'rs".,a'var7epe^ Gomma milito al va e nova a 16o rs. a libra. J'je,n Por, f,D<.Iem P'Pa a 56 j* a *"*-
    EalaS grandes e Caretas de e 7 varas U>3B0 ViUan,c>ru* d0 ^soo Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12 '
    e T,5jo a 8,5ft0 rs. a arroba.
    ; Doce de geiab superiorem latas a 2,000 rs.
    Ervilhas portuguezas em latas chegadas l-
    timamente a 64o rs. a lata.
    dem ceceas a 16o rs. a libra.
    dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
    Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
    libra. 1
    Figos em caixinbas bem enfeitadas a Ooo
    rs. cada urna.
    Favas portuguezas em latas chegadas lti-
    mamente a 640 rs,
    Frutas idem em calda, pera, pecego, alper-
    rainha Claudia e ginja a Too rs. a lata.
    vendem-
    borracha.
    Fspelhos C9m molduras pretas
    e doradas
    Filis de |a.
    Fitas de la de todas as qualidades, proprias pa-
    ra debrum de vestido a 7Q0 rs. a peja; s
    Ricos espelhos.
    espelhos com moldura
    P-meo, rom tanto quu venda mnito, nao menriono
    niais-iiz-ud.is no presenteannunriii j>.>riij- impor-
    tara isso nimia d--speza exira inlin.in.i cuja des-
    peza reverter seinuru em beneficio dos comprado-
    res, pedindo ao pulilico que nau deixe de ler todos
    m dias este dito prseme annuurio, pois haver
    miidaoca no artigos cima ditos, isto a propor-
    oo me se forem acabando.
    Linsuinis lo Srrio
    Chegou urna uorcaode. lunzuica do Sorido.para
    o novo Destn^ rua do OitveUo n. 1
    para a de S. Goa^aiue. vende'bara,lo i a e
    icabem, 6.bom pti's'cojiara qm-n
    lungas a 100 rs.

    a 320 rs.

    Vende-se de superior qualidade, chegada do Ara-
    esquina pa|y Pe, n'ale SaufAnna, em casa de Prente,
    asantes 'Vianna v C., na da C.dPia a. JT7. '* '
    M na roa
    Riquissimos
    sem ella de 89, 109, 129 149, assim como coro
    columnas de differentes taraanhos a 29, 39,49, 59
    frascos a 0,800 rs. e 560 rs. o frasco
    dem em botijas a ioo rs. cada ama.
    I0 y*!: dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
    rs. com o garramo.
    I dem de tres caadas a 7,2oo rs. cada um.'
    douradao dem inglezas engarrafas brancas bordadas dem Madeira legitimo a l,2oo rs.
    liouro, Duque do Porto, D. Luiz I, D.
    Pedro V, Nctar, velho secco, Malvasio
    Genuino, Particular a 9oo e 1,2oo rs. a gar-
    arafa, e a lo,ooo rs. a caixa com urna du-
    zia.
    Ai Aguia Rranca, na roa do Queimado n. 8, re- TTlalvlM^rSTc^ZL 1 *
    rebeu um boro sortimento da espelhos de difieren- "*'
    tes tamanhos cera molduras pretas e douradas, e

    Lindes jarros e ttjuras.
    Riquissimos jarros o figuras de porcelana fina,
    Para pos de arroz.
    Riquissimos vasos com bonecla.para pos de arroz,
    cusa de muito gosto a 19500. 29, assim como
    in gosia.
    se nm exc
    Vend-f
    nxrr
    torren
    do
    que se acal
    Vi-nde s- um caix> prop io para taberna ou ki.^.'tT.rT.'l.!2'j TT'L'Tr-.T-'.TI 1 I'.'f*. uu
    padaria : na Capuoga rua das Cr.ouUs taberna. 5*^ a,fprrfln,td0" e 1l a r* r^ --------- .-_L 40 palmos de frente a 140 ditos de fundo, muilo
    Voo4e-se um niiilat* tor preco barato : pa- propri. para se e os est vendeudo por precos coramodos.
    Papel inglezu
    A, Aguia'Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
    cebeu um novo sortimento de papel inglez liso e
    paulado, almaco, de peso, e pequeo, vindo deste
    tambem rom beiras douradas.
    r'nUn^..M,.n'. t i pacotes, so com os pos a 320 rs. cadaumjsno
    litlieiteS lllVlSlVeiS j Vigilare, roa do Crespo n. 7. ^
    A[agoia Branca, na rua do Queimado n. 8, rece-1 Perfumaras.
    beuovos enfeiles invisiveis, os quaes pela finara Grande sortimento de extractos e baBhas, poma-
    do teeiito e bom gosto tem merecido tanta estima das, assim como de lindos copos 011 vasos rom dis-
    t Prnor-^c riam flni>nc tiirtivos e offerecimentos as sinhasinhas dos me-
    X1 tjij<*l UC5 [tarta IlUi CS, Iteres e mais afamados autores de Paris e Inelafer*
    A Agnia Branca, na rua do Queimado n. 8, re- ra, assfm corno os grandes ropps debanha jauoneza
    cebe*n novos preparos para flores, sendo papel'de a29e a 19, assim como PUtrs objectos que nao e
    cores para rosas, dito verde para folhas, folhas de pissivel por hoje annunciar, e vista dos fiegue-
    panno e velludo, caixas de trigo, ditas de uvas zes se far todo negoelo; na loja do Gllb Vigilante,
    pre continuara a ser roa do Crespn.*?. __
    . Vende-se a fabrica de sabo da rua do Ran-
    gri n. 34, propria para qualquer principiante por
    tei poneos fundos e vkxeaer bastante interessev
    ohrigando-se o proprietario a ensinar a maneira de
    superior qne ha a*ric"r "bao :_a tratar_na_mesma.______
    2. confronte ao Vende-so uro relogio de ouro patente snisso,
    a garra-
    coa rolha de vidro qualidade superior a fa, e a 12,ooo rs. a duzia.
    l.ooo rs. a garrafa. dem Muscatel a l.ooo rs. a garrafa.
    dem de laranja- vertadeira. a l,ooo rs. o dem Bordeaut das acreditadas marcas Si.
    frasco e i i,non afrasqueira de 12 frascos.
    para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui Kirsch Wasser excellentt bebida suissaa,
    tem apparecido; s ue Vigilante, rua do Crespo
    n. 7.
    i ,80o rs.
    Julien, St. Esteph, chaieau la Rose.chalau
    Margoux e outros a 6,000 rs. a caixa. e
    56o rs. a garrafa.
    -,.

    un
    c:ekvej.i jeh it % mtii>
    brancas e rosas, e como sempre
    vendidos por presos commodos.
    CA. D&fclSROA
    Veme-se cal de Li.boa, a mais s
    na mercado : na rua da Moeda a.


    * too
    Queljo de .vinas ehegatdlo no vapor
    .V

    I a -
    dem lendriao superior.
    rs. o copo
    dem prato mnito freseo
    dem snlsso superior
    1 -


    -
    o Rua do Imperador 57


    raver, na cai de defcnr), tratar, nd pateo do posieo : a tratar na roa do Raugul n. 34, ar-!trapiche do CudAa ; e para informado no mesmo e bwnregulador.: atntaroa rua do Queimado'
    rr?oo-9- mazem. 'trapkhe. jlejo. 14. ., j
    ILEGVEL


    Oiario de l'duauinico tluiuia clra de ecuihro de 1NI.
    o

    RIIA IO Ql EIMADO M. 45.
    Passand o becco da Congrega<$o segunda casa.
    NOF1DADE

    Pcreira Rocha A C. acabara de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Glarira Comnier-
    onde orespeilavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhorcs gneros que vero, ao nosso mercado os
    qttaes serlo vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencioneda; garante-se obom
    peso c boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
    Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e Peras ceas omito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
    100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 35000 Patuco a 200 rs. a libra. i rs. a libra.
    Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Carada a -80 rs. a libra.
    Presuntos de Lamego ein calda de azeilo e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
    muito novo a 640 rs. | dem seccas muito novas a 200 re. a libra.
    Queijos amengos do ultimo vapor a 25800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
    dem prato. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
    dem londrino chegado no ultimo vapor a | 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
    Grajide liquidado.
    Una da Emperatriz u. SO.
    Loia de hiendas do Pavo de Gama & Silva.
    Acha-se este estabelecimento completamente
    sortido de fazendas inglezas, francezas. allemas c
    snissas, proprias tanto para a proa como para o
    matlo, prometiendo vendar-se mais"batato do i(uo
    em outra qual(|uer parle principalmente sendo em
    porfi, e de todas as fazendas do-se as amostras,
    deixaodo ficar penhor, ou mandam-sc levar em
    casa pelos caixeiros da loja do Pavao.
    As chitas do Pavao.
    Vendem-se chitas inglezas claras c escuras pelo
    barato preco de 240, 260 e 280 rs. o covado, tintas
    1 seguas; ditas francezas de cores seguras- a 320,
    1348,360, 400, 440, 480 e 300 rs. o covado, fazenda
    muito superior e bonitos padrSes : so na loja do
    Pavao.
    As laiiahis da exposieSo do Pa\ao.
    Vendem-se laazinhas as mais modernas que
    tcm viudo ao mercado, proprias para vestidos e
    sou(embarques 'por seren lisas e de cores muito
    delicadas '60eo00rs. -, ditas lisas com um lustre
    que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
    quadrinhos de sedo SOOrs. o covado, s para aca-
    bar : na loja e armazem de Gama Imperalriz n. 60.
    Os vestidos do Pavo.
    a arroba.
    Amelias francesas em latas e om frascos a
    10200 e 10600, e em frascos grandes a
    2 >30.
    dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
    cora ricas estambas no interior das caixas
    a 10200,10400, 10600 c 2.
    Amendoas cok casca muito novas a 280 rs.
    a libra.
    Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arreba.
    Azeilo doce francez mnito fino em garrafas
    grandes a 960 rs. a garrafa,
    dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
    Anruta verdadeira de malara&a a 320 rs. a
    libia.
    Avellaas muito grandes e novas a ISO rs. a
    libra.
    Biscoutos inglezes de diversas marcas a
    1030" rs.
    Bolachinhas de soda, lalasgrandcs, a 20 rs.
    a Uta.
    dem inglezas muito novas a 30000 a burri-
    qsinha e a 200 rs. a libra.
    Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
    em barril a 400 rs.
    Che hysson, huchin e perora a 10600, 20,
    20500, 2*800 e 33000 a libra,
    dem preto muito superior a 25000 a 'fibra.
    Corve,a preta e branca, das meihores mateas
    que vem ao mercado, a 560 rs. a garrafa
    e 50800 a duzia.
    Cognac inflez fino a S8 rs. a garrafa.
    Conservas a 720 rs. o frasco,
    dem, s ds pepino, a 720 rs.
    dem, s de azeitonas, a750 rs.
    Charutos dos meihores fabricantes da Baha
    e especidmente da fabrica imperial de
    Candido Ferreira Jorge da Costa a -10800,
    200 20200, 20500, 20^00, 30000 e
    30500 a caixa.
    Ca/ do Iio muito superior a 28G e 320
    rs. a lra e 85500 a 80800 rs. a arroba.
    Cartoes de bolinhos franeczes muito novos e
    bem muito enfeitadosa 7O0e 600 rs.
    Chouricas c paios muito novos a880 rs a
    libra,
    900 rs. a libra.
    Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
    ceda um.
    Sardinhas de N'antes a 300 rs.
    Sag muito alvo e novo a 260 rs, a libra
    Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
    lijlos de kimpar facas a 140 rs,
    aellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
    dem steannas muito superiores a CCOf.
    libra.
    Eigos em caixinhas emticamente lacradas
    a l-iffl.
    Vinho do Porto engarrafado o melhor que
    ha neste peero e de varias marcas, como
    sejaro.: Velno de 1815, Duque do Porto,
    Madwra, D Pedro, D. Luiz I Mara Pa,
    Boca ge Chamisso c outros a 800, 900 e
    10000 a garrafa, e co caixa com urna du-
    zia a 95000e 100000.
    dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
    480, 500e 560 rs. a gerrafa e 30, 30300
    e 40 a caada.
    dem brancode Lisboa muito fino a 500 rs.
    a garrafa.
    dem de Bordeaux. Medoc e S. Julien a 700
    e 800 rs. agerrrafa, e 70000a 70500 rs.
    a duzia.
    Wom.MorgauxeChateauiuminidcl85i, a 1
    a garrafa.
    dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
    Vinagre de Lisboa a 200
    l200rs. a caada.
    Kffk garrafas muito grandes a 10800 rs.
    Alm dos gneros cima mencionados le-
    mos grande popco de outros que dcixamos
    de mencionar, e que tudo ser vendido por
    Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
    dem de trigo a 120 rs. a libra.
    Geuebra de fioanda verdadeira marca VI)
    a 560 rs. o irasco e 60200 a frasqueira.
    dem em garraoes de 3 e -5 galoes a 50500
    e 70300 cada um com o garrafo.
    Gratan a 400 rs. a lata e 10100 adueia.
    Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
    dem, quaiidade especial em garrafas muito
    -grandes, a 15800 a garrafa.
    dem era garrafas mais pequeas a 800 rs.
    dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
    vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
    nheiro.
    Manteiga ingleza pet'feitamenle flor, desem-
    barcada de perneo a 900 rs. a libra, e da
    de segunda quaiidade a 800 rs.
    dem francez muito nova a 6?0 rs. a libra.
    dem de tempero a 400 rs.
    Maga de tomates em barril a 480 rs. a Hbra.
    dem em lata a!6W rs.
    Marmelada imperial dos meihores consenti-
    ros de Lisboa a 60 rs. a lata. *
    Marrasquinbo de Zara, frascos grandes, a
    800 rs.
    dem regular a 500 rs.
    Hacas linas para sopa: estrellinha, -povide,
    rodinha e. aletria a 600 rs. a libra -o a 45
    a caixinhacom 12 libren-.
    0
    AO RBMPElTAVEIi P1JB3LICO.
    .
    RA DAS CINCO PONTASN. 86
    Ksqulna da nova travessa de s. Joo.
    s
    .
    &
    &
    -
    grande armazem doProphea dar lar
    Desojando o pi'piiefario do ,
    gas ao seu genio empretiendedor, commerrial e especulativo, resoiveu ceder a inspiragao
    que o assallou, quando as horas caladas da noile o seu solicito espirito se agitava n'um
    turbilhao de ideas, tendentes todas bem seivir e agradar aos generosos habitantes
    desta bella provincia, de abrir mais esle grande estabelecimento de novos e
    escollados gneros, quasi que especialmente destinados s pessoas que moram na fre-
    guezia de S. Jos, e aquelles saibores que Iransitam pela va frrea, para quem em ver-
    dade sao sem conta o numero das vantagens que se Ibes offerece, nao s com relaco a
    modicidade dos freles, como da facilidade e brevidade da conduego dos objectos com-
    Veadem-se os mais modernos cortes de vestido i prados,
    de lia, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas q son|10 ,j0 pr0i>lieta sera urna verdade pratica tao acceita e abracada como as
    Sori^rdseTetmbem "comt'asVenS palavras simples o bem .mencionadas dos yelhos patriarchas desses tempes idos, si o Se-
    tes para o corpo, por preco mais barato do que en\_ nhor Deus dos exercitos nao o quizer contrariar.
    outra quaiquer parte, e se quirerem nma prova q propheta nao querendo restringir-se a forma ordinaria de negociar resoiveu
    do que se diz.mandem ver Iwja e armazem do ^^..p,^ depois de profunda medita;*io, de nao vender smente os seus gneros a di-
    { nheiro con ente ; mas tambem de por em pratica troca delles por oulros da prodcelo
    Pavao, ra da Imperatriz d. 60, de Gama A Si
    vS^tfSud^v^SfSSS)Pia fe'p^onporescravos, bois. cavallos, etc." Assim.pois, fique ,a intelligenciade lodos,
    de lazinha transparente com
    de seda pelo barato prego de
    na loja do Pavao roa da Imperatriz n. 60, de Ga
    ma & Silva.
    As rassas do Pa\io a 210, 280, 300, 320 e
    360 rs.
    S o Pavo vende as flnissimas cassas persianas
    imitacao de laa, com cores fixas, 360 rs. o co-
    vado ditas francezas muito finas 2i0, 280, 300
    e 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da
    Imperatriz, loja de Gama & Silva.
    Os madapolSes do Pavo
    Vende-se pega de msdapolo infestado com 12
    jardas cada peca pelo barato preco de 40, 4^500 e
    0 cada peca, fazenda muito superior : s o Pa-
    vo ma d'a Imperatriz n. 30, notando que a pega
    'uva urna etiqueta com o Pavao pintado para nao
    istas, e paiminbas qne o pnopHr.TA receber como moeda de qualquer dos senhores agricultores, fssuer,
    cada corta : s aig0do, agurdenle, milho, feijao, cavallos, escravos, etc., etc. e lites dar o mesmo valor
    em gneros, escomidos a contento.
    Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objectos e-
    cebidos por troca, o roplieta n3o demorar a dillercnra que deve dar em dinheiro.
    L'm estabelecimento que com tantos sacrificios e despezas acaba de ser aberto
    deve inspirar a todos a certeza de que se vender muito barato com o fim de se adqui-
    rir crdito e freguezia.
    haver duvids nem engaos : isto previne o Pa-
    vao, de Gama 4 Silva.
    Bramante de Itnho do Pavo
    20, S04OO, 200.
    Vende-se o melhor bramante de linho puro com
    dez palmos de largura por preco muito commo-
    do, por ter de acabar a factura, a vara por
    25200, 25400, e 20600 ; s o Pavo : ra da
    Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
    Panno de liulio d< Pavo.
    Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
    gura propno para lences e toalhas de mo pelo
    baratissimo preco de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
    godaozinbo com oito palmos de largura proprio
    para lenges, pelo baratissimo preco de ^& a vara,
    assim como ten o melhor algodaozinho tanto em
    largur?. como em corpo, proprie para len^es, ca-
    misas e escravos, etc., etc., preco muito commo-
    toA vista da facenda; s o Pavo : ra da Im-
    peratriz n. 60,-de Gama & Silva.
    trozos muito novas a 166 rs. a libra,
    rs. a garrafa -Pcixe em latas preparado pela primeva arte AlgodSoanha

    de cozoba a 1^ a lata,
    'Paliios de, derrtes a 160 rs. o maro,
    dem de deates a 120 s-s.
    dem de llr a 200 rs.
    'Amendnasronfeilados a'OOO rs. a.libra,
    peoss e carnadas, tanto em porces comoj-oce de goiaba cm latas omelliur possive! a0s gnardanapw ceonoaiicos do Pa\ao e so do
    'ravao
    Vendem-se as mais lindos e modernos guarda-
    apos econmicos e todo linho, tanto para as casas
    de familia fo;m> para holeis, totequins, etc. etc.,
    pelo baratissimo prego e 4,800
    Vende-se peca de algodaozinho por ter um pe-
    queo toque da avaria, mas ijne esta em bom es-
    lado, pelo barato prego de 45 e 45'00 a peca ; s
    o Pavao : f ua da Imperatriz u. 60 de Gama &
    Silva.
    retlho-
    Quem comprar de 100^000 para cima te-
    r c abale de y por cento
    2$ c em caixao a 640 rs.
    Palitos do gaz a 2#20O a groza.
    Passas muito novas a Jt$0 rs. a libra.
    VOTAS DA CAIXA F1LUL
    DO
    HACHMSEPATEME
    de tratalhar .11 mo jtara
    deeearocar algode
    KABKICAOIS
    Por Plaat Brothers & C.
    OLDA-5!
    Troea-se ditas notas pa* fazendas.
    ^i loja da ra do Crespo numero
    17.
    Quem comprar e-eem mil res para cima dar-.-c-h?. ao comprador o lucro de -cinco
    ,por cjaio.
    Aproveitcm todos. Aproveitem todos.
    Fazendas de apurados gostos viadas de Paris.
    Capas pretas importaulissi-
    mas.
    CasacCfs pretose pelerinas.
    Basquina de cintura o pe-
    lisses.
    Sotambarques de caxemira
    de cor comintura.
    Jaquetas de merino de cor
    para senhoras.
    Zuavos pr.'.os de seda mai-J
    to bem enfeitados.
    Cortes d' seda de crdcj
    muito goslo.
    Coisas de seda para noivog
    Sedas* quadro de muito
    gi>sto a 15zG0 o covado.
    Moreactiques e grosdena-
    pies.
    Cortes de organdiz com
    barras.
    Chapees de palha para se-
    pbora.
    BalOes de arcos c musse-
    linas.
    BalOes d^nirinde cjti.
    Pazendas de linho e de a!-
    godao.
    Selectas, esgoes e bra-
    mants.
    Casss, chitas camisas e
    seroulas.
    IVitos bordados para ca-
    misa.
    Camisas de la de cr pa-
    ra Itonicm.
    Madapoln a 75, "^5,95 e
    105 a pe^a.
    Estasmzchinas :
    podccndescarocar '
    ^ lualquer especie '
    & de algedao sem |
    ^ estragar o fio,
    sendo bascante
    duaspesseaspara ;
    o tiahalho; pode
    discarocar arroba de algo-
    uao em carolo
    em 40 minutos,
    ou 18 arrobas
    por dia ou 5 ar-
    robas de algodo
    impo.
    Esta machina
    a nica que
    isto soT.a
    oja do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama
    & Silva.
    Os soaxionabarques do l'uvao a
    9 el3.
    Vendeai-se os mais linos soutombarques que
    team vindo .10 mrcarto, sendo de caxemira de co-
    res pelo iminuUssimo pr>-co de 125 cada um, di-
    tos de inusamhique pelo diminuto prero de 05, s
    na loja do Pavo, mas que se nao eogauein : rus
    da Imperatriz n.CO, de Gima & Silva.
    t usa I hado do Pavo.
    Vende-se panno de linho adamascado proprio
    para toalhas de mesa, pelo diminuto preco de 2JM8
    rs. a vara, .guardanapos de linho a 55 a nazia,
    (uJhasde mo a 5$ cada dazia, na loja do Pavo,
    ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    ir s o Pavo (a 3&0O).
    Quem iem l*ales per tal preco !
    Vendem-se os baldes americanos mallo superio-
    res com 20 e -o aros pelo baratissimo preco de
    253"JJ e i5: ditos de o, 30 133 arcos com "fitas,
    mullo bem armados e tambem tcm cores escuras
    Aaruta verdadeira a 320 rs. a libra.
    Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80,
    K'O e 120 rs. a libra, e a arroba a 1 80U,
    20500 e 2800.
    Amendoas a 280 rs. a libra.
    Ameixas francezas a 1>>200, 10400 e I #600
    em latas, Irascos c lindas caichinhas muito
    proprias para memosear alguero.
    Amendoas confeitadas em frascos de vidro
    a 10 o frasco.
    Alpiste a 160 rs. a libra e a i:)500 a arroba.
    Azeite doce francez a 90o rs. a garrafa.
    Azeile de Lisboa a 010 rs. a garrafa e 40800
    a caada.
    Azeite doce em boioes com 9 garrafas a 50300
    com o boiao.
    Azeitonas por todo o preco.
    Biscoitos inglezes de diversas marcas a 1 ^300
    a lata.
    Bolachinhas de soda, oval e lunch a 2000
    a lata com 5 libras,
    Bolachinhas americanas em barricas 20
    libras a 2000).
    Banha de porco da melhor quaiidade a 300
    rs. a libra.
    Batatas em gigos e caixas por todo o preco.
    Caf moido a 10* 00 ou ^-SOOO a arroba.
    Caf superior a 70500, 8i00i> e 8)500 a
    arroba.
    Cha nesto genero temos o que lia de melho-
    assim como tambem temos baixo pelos pre-
    cos seguintes: uJi'O, 10oC', 1)800,
    20400, 2-SCOi. 2800 e 30000o fino.
    Charutos de todas as meihores e peores mar-
    cas do mercado a80<>, i.oOOO. 10600, 20,
    20800,30000, 40(00,50000, 5>oOOe60
    o cento.
    Chouricas as mais novas do mercado a 12;)
    o barril com 1 arroba c 480 rs. a libra, a
    ellas o,ue pechincha.
    Chocolate magnifico a 1 -MX)0 c I ,-)200 a libra.
    Cerveja marca a mais acreditada que tcm
    vindo a oO rs. a gnala, e meia garrafas
    por 320 rs. branca e preta
    Conservas inglezas a80ors. o fraseo fazenda
    chique.
    dem francezas a 500 rs. o frasco.
    Cevadinha de Franca a 240 rs. a libra.
    Gbampagne da melhor marca que aqu lem
    viudo a 'h e 2.-5 o gigo.
    Cognak ingl _:: e francez a 800 rs. e 1 >000 a
    garrafa.
    a libra.
    la'a, savf!. cor-
    pelo tralo precu da ^5o"00 cada um : su na loja Ceblas por I ido piveo.
    doPa'.io, ra da kiperatriz n. 60, de o vendem em muilas parles a 80 c 10.il,
    vendemos a 505' 0 e 0-S00o a duzia.
    nossne as vantagens de nao destreir o fio do al-
    0 'ava vende pf a lulo.
    Vende-se superior.seiim da China, fazenda toua /
    de la suai lustre tendo 6 palmos do largura pro- W8
    prio para vestidos, capas, paletots. calcas, etc.,
    goao e de fazer rendar o dpbro do qualquer" ou- i I"'0 baratissimo proco de 25, 25**, 25500 e 35 o
    ira com mecos trabalho, a sua introdueco nara cova as provincias deste impeno ser de muto valor' cs're"a. manguitos, clarhos, puntios, c enfeites,
    GarafSes, sotambarques de
    edx
    Esleirs para forrar saii a 850 rs. a jarda. Tapete de superior quaiidade eom
    seis palmos de largura a 250O rs. o covado.
    Na realidade, este esUihelecjmento offerece grandes vantagens ao commorcio.
    Aproveitem todos a occasiodc trocar olas da Laixa ganhatdo cinco por cento.
    jfto armazem de fazendas ba-
    ratas de Santos Coelko,
    Piiia do Queinidd* n. 19,
    lende-se oseguinte:
    Attencao II
    Ricas iaaziuhas, fazenda a melhor que tem vin-
    do ao mercado, tanto em goslo como em qualida-
    d>?. pelo aratissimo preco de 560 rs. o covado.
    .Ditas miudinhas earmezins, proprias para vesti-
    das de meninas e camisinhss a 040 o covado.
    Curtes de Ja com lo covados, pelo barato prect
    de 5-
    Cbcrtas de chita da India a 2O0 e :>5-
    I^eaees de panno de linho a 25 e 25-''t0.
    Pecas de eambraia de forro com 8 l|2 varas a
    :520.
    Toalhas ak-nclvoadas proprias para mSor. a 'i a
    duzia.
    Ricos cortes dt laa com barra Mara Pia a
    18*.
    iv..;as de plalilhas de algodo oom 10 varas,
    proprias para saia a 45.
    Al^odao entestado eom 7 i|2 palmos de largura
    a 15100 rs. a vara.
    Ksleira da India, propria para forro de sala de
    %, !i, e C palmos o> largura, por menos preco de
    que em oata qualquer parle.
    Neste esiabelecimnlo ambem se encontrar
    um graDde sortimento,do roapas fcitas, e por me-
    dida. ___ __
    Balaios pffa meninas
    Lindos balaios de varios gotos para meninas
    trazer^m no braco : s se eucoolra na Joja do Bei-
    ja-Klor. ra do Ooeimado n. 49 e 69.
    Extratos e sabao m eai-
    xinhas
    Lindas caixinhas cos um cartio com a familia
    imperial, e dentro de cada calxf otta frasco ou sa-
    bio o mais Ano que passiyel: na loja do IJeija-
    Flor rila do Queimado n. 63 e 69.
    C haruto da avaaa.
    Vende-* sperior#s charn|os da .fia vana n
    cas de Pabe ScbmeHau & C- ra da Cadeia
    Empreza de illumina^to
    gaz.
    Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
    (por escripto dando o nome, inorada, data, etc.),
    de vem ser leitas 00 armazem da ra do Imperador
    n. 41. Os machimstas mandados para attender a
    estas, apresenlaro um livrpiqn* os reclamantes
    devero assignar logo depois ce prompto o servieo
    reclamado; isto para que a empreza fique sciente
    de haverem ec mesmos senhores sido devdamente
    attendidos. .
    Ra da Seo zalla Nova n. 42.
    Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
    ferro coado libra a 110 rs., dem de Lo*
    Moor libra a 120 rs.
    Machina pura algodo.
    Veude-se urna machina para desearocar algodo
    c um motor com todos os pertences para trabalhar
    com 2ou 4 cavallo, a qual descaroca 120 arrobas
    por dia, sendo muito maneira no trabalho, e de
    mui fcil transporte para o centro, ella acna-se
    moma da, e o comprador pode ver o seu trabalho,
    cujo.resullado se garanto : par ver e tratar, ha
    fabrica da travesadoarioca n. 2, caes do Ramos.
    para todos os interessados na lavoura do paiz.
    Assim com machinas em ponto grande do mes-
    mo systema.oraql serem jnovidas por animaes,
    agua qu vaporeas uaes podem descafocar 18 ar-
    robas de algodo ampo por dia.
    O algodo descanteado por estas machinas tem
    muito mais estimacao nos mercados de Europa e
    vende-se por maiarpreco.
    As machinas se acham venda unicamenie em
    casa de
    Sanodcrs Brolhers & C.
    X. II, prava do Corpo Sanio
    RBCIFE.
    Os nicos agentes neste paix.
    RIVAL SEM SEGUNDO.
    Ra do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo-
    s Bigodinho, venham ver a pechincha que se est
    acabando certas qualidades de fazenda.
    Pecas de fitas elsticas com 10 varas a.. 240
    Ditas de tranca branca lisa com 10 varas. 100
    Ditas de tranca preta lisa a............ 60
    Realejos para meninos, pechincha a... 120
    Rodinhas com superiores alfinetes a..... 20
    Caixas com superiores agulhas e limpas a 200
    Sabonetes de familia, muito linos a 80 e.. 160
    Pares de sapatos de laa para enancas a.. 400
    Varas de babado do Porto muito bom a
    100, 120e.......i................. 160
    Ditas de bco largo grosso a............ 100
    Potes de superior tinta tem mais de meia
    garrafa*.......................... yo
    Caixas com perfumaris* amito bonitas a. ."00
    Frascos do oko de macaci muito fino a 100
    Ditos-de oleo de btftosa superior a 240,
    fhegiea a farinha lavada.
    A Iwrdo do'hiate nacional Doun [rmaos ancora-
    do pfronte do trapiche barSo do Livranjento, ven-
    de-se esta superior farinna lavada ainda nao vista
    neilte mercado pelo barato preco de 35 la alqneire
    ouJi5 o sarro siindo este preco-granelj e tambem
    oarTw da Madie de ueos ns. 5 e 9.
    Cal de Lisboa.
    para vender mais nova, e ltimamente che-
    ,o mercado, em bem acondicionados barris :
    azem de Hanoel Teixeira Bastos, roa do
    [che n. 13, por preco razoavel.
    -Vende-so urna casa terrea na travessa do
    Carmo, com 2 salas, 2 quartos, quintal n cacimba
    propsfa : a tratar na fravess do Caldeireiro nu-
    mero 12.
    320. 400........... ..........; 500
    Ditos,de clteiros limit superiores em qua-
    iidade a....*.....jf............... f 320
    Ditosle agua de colonia, mqilo boa a.... 400
    .: Ditos Be dita dila grande a............. 800
    Sabon>tes de todo o preco 60, 160, 200,
    32qea^.............. >.....'........ 400
    Frascis de superior banha a 320 c....... 800
    .Caixafdepo para lm|l/t dentes muito
    '"V'-f'.-i.........-........... w
    Ditos le \yr nha transparente a.......... 600
    Paivs jabonete* ingWiea da nvHwr quaiidade a 320
    Frascos de agua dentrifice superior ga-
    rantida a....;,.....,..........I... 15000
    Massos com 25* envelopes grandes azula-
    J*>a.............................. 100
    varas de fita preta com clcheles a..... 100
    Frascos de macaca perola muito superior' 200
    Ciixas enm penn'as grandes a......... 200
    drusas Je botos para calca preta, miados 100
    Libras d memento da roupa de lavar a.. 200
    Carriteis de retroz de todas as cores o
    tem meia oltava da nitro* a......... 200
    ' Vara 0> bicQj de.diFerejites largqras a 0
    tudo preto p;oprio para lulo fechado, e muitos oa
    tros arligos que se vendem por precos mais em
    conla do que em outra qualquer parta por estar
    liquidando ; s na loja do Pavao ra a Impera-
    triz d. CO, de Gama & Silva.
    As percalas do Pavo.
    As mais lindas percalas que i?m vindo ao mer-
    cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavao pelo
    barato preco de 680 r?. o covado ; ditas de l nh.is mult miudinias proprias para vestidos e
    roupoes de senhoras, menioos e meninas, pelo !>a-
    ratissimo preco de 500 rs. o covado ; #aranlem-se
    as cores por serem do melhor fabricante que as
    tem em Paris : isto na loia do Pavao ra da Im-
    peratriz n. 60, de Gama & Silva.
    As chitas do Pavo S04OO e
    0SOO o corte
    Vendem-se eortes de chita com dez covados
    25400, ditos 25800, com 12 covados; sao chitas
    inglezas, mas padroes bonitos e tintas seguras;
    assim tem as meihores chitas francezas e de tin-
    tas seguras por precos commodos, a saber : 320,
    340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
    Pavo ra da Imperatriz n. 60, do Gama &
    Silva.
    Os bordados do Pavo
    Vndem-se camlsinhas com manguitos c golli-
    nbas bordadas, peto barato prego de 15 e 15280
    cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
    coiQ.geiinha a 800 rs., golinhas 400 o 480 rs., de
    fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
    cassa a de fil muito bem bordadas 25 cada
    urna, manguitos que serven) para calcinita de me-
    ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos
    golas com a competente gravat de seda, {alenda
    fina, pelo barato preco de 35,* e muitaa-oolrai
    bordadas que se venoem por, pregas mnito em
    conta : s na kdi do Pavao i ra dtf Imperatriz
    n. 60, de Gama 4 8jm*. r-j-frf'T'ff'f1
    AsroBas(fePa\o
    Vende-se' panno preto'flno muflo superior pelo
    barato preco de 25, 25300, 35, 35500 c 45, dito
    muito fino 55 e 65 o covado, ca.-imira preta de
    urna s largura o muito fina a 15800, 25 o 25900;
    e. 35 o covado, cortes de casimira de cures a 55,
    o5500e 65, casimiras enfestadas de nina s cor
    proprias para calca, pnletot?, colete*/,-tapas e para
    ronps.de menrns a 35300 o covado, isto Ha Toja'
    do Pv5o ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva. _________E_________ .
    Potassa da Rsala,
    da mais superior desembarcada nonte'm : vnde-
    se no escriptorio de Manoel Ignacio de Olivcira & I
    Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
    Goiuina de mandioca."
    Vende-se na ra da Madre de Dos n. 38, ar-
    na'.pm.
    Vendem-se lineuas do Rio-Grande muito no-
    vas, por barato nr 50: na ra do Imperador n. 83,
    deronte de corrcio.
    a duzia.
    Doces de calda vindo-; de Lisboa neste ultimo
    vapora 6*0 rs. a lata das meihores file-
    las da Europa.
    dem da guiaba e da casca o melhor que
    posswl por diversos precos, e conl'orniQ
    o tamantao dos caixSes.
    Ervilhas em latas a (540 rs. a lala.
    dem seccas a OO rs a libra-.
    Espermaete americano a Ir>(Ha libra.
    dem francez a '60 rs. o masso com t velas.
    Figos de comadre em caixinhas muito lindas
    a 800 rs a caiga.
    raritiha de Irigo a 120 e 150 rs a libra.
    Farinha do .Maranhao a 24" rs. a Jibia.
    Fumo do Para a 15800 a lala grande.
    Fumo americano a 1400 a libra.
    Fumo em macinhos para sigarros a OO
    rs. o maco.
    Farelo ero sacas de 80 a 9fl libras a :>v>)00
    Genebra de laranja 15 o Irasco.
    dem do Hollando a 300 rs. o frase}.
    dem em botija a 310 e *00 rs. a bolina.
    Gaixaem laUsa l.-j(J0 a duzia.
    Limonadas de diversas fructas a I000 o
    frasco.
    Licoresingleese franceses a i#000, ||900
    e 25 a garrafa.
    Lingoas americanas a 800 rs. cada urna.
    Linguicas promptas em latas a l;?2 0 a laa.
    Manteiga ingleza tiesto genere o que ha- de
    melhor a 800 rs. a librae em barril a 700
    rs.
    dem mais baixa a (540 e 720 rs a lit-ra.
    Manteiga franceza a 320 rs. a libra, em barril
    a t 40 rs a libra em rttalho.
    Massade tomates a 640 rs. a libra.
    Marmelada muito nova a (540 rs. a libra.
    Moilios inglezes a 400 e (540 rs. a garrafinha.
    Moslarda preparada a 400 e 040 rs. o frasco.
    Massas para sopa macarrao, lalharim e aletria-
    a 400 rs. a libra,
    dem finas em caixinhas a 300 a caixmha.
    Marrasquino de Zara verdadeiro a !fju0o
    frasco,
    dem mais baixo a 800 rs. e ItfCCO o frasee.
    Milho em saccasrom 2cuiasa 35C0
    Prezunlo ingle/, para fiambre vindo no ultime
    vapor a 800 rs. a libra,
    -dem mais ant go a (540.rs. a libra.
    dem do Porto a 640 rs. e sendo inieiro a
    5i 0 rs. a libra.
    Passas tovas a 100 rs. a libra.
    Polvo a ltfO rs. a libra
    Painco a 160 rs. a libra.
    Pomada a 240 rs. a duzia.
    Pimenla do reino a 320 rs.
    Peixe cm latas a 1,3000
    vina, pargo e outros.
    Papel de peso a 25C00 a resma.
    dem idem muito lino a ''5000 c 3#S00.
    Idi'tn niarfiin a i>' 0,
    dem almaso a 35000, 35300 e 45(00.
    Mem para embrtdho a 15200 a resma.
    Palitos para dentes macos :om2b macinhos
    a 80, 120 e 200 rs. o mago.
    Pablos do gaz a 25000 a cjro/.''.
    Queijos ilamengosdo ultimo vapor a i^60>
    dem londrino a '.)(0 rs. a libra.
    dem praio a 640 is. a libra.
    Rap Meurona I5C00 a libra.
    Sag e sevadinha a 240 e 280
    Sardinhas de Nantesa '50, ot
    lata.
    Sabao massa a 120, 180, 200 o 240 rs. a
    libra, e em eaixes por meno?.
    Sal refinado a 600 rs. o vazo (pole de idro.)
    Toucinho de Lisboa, de Santos e americano
    a 160, 20 e 32o rs. a libra e em prroba
    a 3, 7, e 95000.
    Tijolos para limpar facas a 160 rs. cada um.
    Vlnho do Porto cm ancoras com 70 garrafas
    a 305000.
    Vinhns de Lisboa eFigueira qualidades mag-
    nificas a 35000, 35310 e 4^01'0 a caada.
    Vinho do Porto em pipa a 3 e 65^00 a cacada.
    Vinho branco de Lisboa e Porto pm ana ras,
    barris e pipas-a 45000 e 55000 a caada.
    Vinagre de Lisboa a 15600 e 25000 a cana-
    da.
    Vinagre em garrafoes por 1>000 com o gar-
    rafo.
    Vinagre em ancoras para 15600 com a ancora-
    da 9 -caadas.
    Vassouras americanas a 640 rs. caua urna.
    Vinho deHordeaux neste genero temos grande
    porcao e das qualidades meihores que tem
    vinflo ao nosso mercado em garrafas, em
    ancoras, em bai ris e aoartolas o qual ven-
    demos por procos muito baixos.
    qft) cft) ef) cito tito tito
    s. a litu-a,
    o 30 rs.

    1
    BALIZA


    DECLARACA.
    O BALI2A declara pelo prezente que
    deixa de publicar os precos pelos qoaes ven- J,
    do as suas mercadorias por motivos qne ao
    respeitavel publico pouco interesa. Servo
    provisoriamente de baze os precos do Pro-
    pheta.


    .
    ORDEHI HO IIIA.

    O BALIZA concede plena liberdade aos
    seus amaveis collejas Clarins, Unioes. mura-
    dos e croados, para que possam saltar, bar-
    rar e tudo mais quanto lhcs aprouver, at
    a sua segunda ordeni.
    !
    r
    i
    ILEGfVEl 1


    .i
    * i|u!nta letra 1 e mrtemhto efe 1*4.
    GlMIE AIXAZEH DE MOLIIIDOS
    Largo da
    'Santa Cruz
    n.84.
    V "SJ

    Esquina
    da ra do'
    Sebon.84.
    aurora brujante
    Francisco Jos Fernandes Pires, proprietario do armizem de motilados denominado
    Aurora Bullanle, ao largo da Santa Cruz n. Si, esquina da ra do Sebo, faz scieote ao
    respeitavel publieo desia cidade e do interior, que no sett importante estabeleclmente
    vender semprc gneros novos e de primeira qualidade. c vender a todos peto mesmo
    preco.
    O completo ortimen'.o de todos os gneros finos e grossos qie costumam ter outros
    ostabelecimentos desta ordem se encootrarao sempre 'no armazem da Aurora rilbante
    e sempre em grande escala vontade dos senhores compradores.
    O proprietario do armazem Aurora Brilliante pede a todos os senhores e senhoras
    qtte qnando tiverem de mandar suas retacos a este estabelecimento por sens criados
    seja em carta fechada ou com grande recoinmeudaeao a este armazem, certos de que
    serao lao be:n servidos como se viessem pessoalmente.

    Awm

    A Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acaso nao agrade, e recebe
    as libras esterlinas a 'JfOOi), sendo por compra : a tabella de seus gneros ser mudada
    todas as semauas.
    Amendoas confeitadas a libra a 800.
    Manteiga ingleza tlor a 800, 960 e 1,5120.
    Rila mais abaixo a liO e 70 rs.
    Dita franceza nova libra CiO e em barril a
    300 e 600 rs.
    Chocolate sant muito novo a 15200 a libra.
    Cha perola o roelhor que ba ( redondo) a
    libra a 300 e 25800.
    Dito dito mais abano a 25'00 e 25800.
    Dito uvim muito tino a 25800 e 3.
    ilo hysson superior a 25600 e 25800.
    Dito mas abaixo a 25 < 25500.
    Dito preto muito" fino a 25500.
    Dito em massos a 25.
    Dito do Uio em latas de i, 2 e 1 libra a
    15500.
    Caf de Moca superior arroba 95500 e libra
    300 e 280 rs.
    Ditodo Rio e do Cear arroba 85500 e libra
    320 rs.
    Dito mais abaixo arroba 8-5 e libra 260 rs.
    Barricas com bulachinha ingleza nova a
    ':.'
    Latas com bohcbinha de soda de 5 libras a
    25500.
    Ditas com ditas sortidas de 2 libras a 15i00
    Frascos com ameixas fraucezas a 15600,
    25800 e 3
    Laias com ditas a 15*00.25200 e 4$.
    Ditas com ligos de comadre a 15500.
    Cauabas com ditos muito novos.
    Presunto de l.amego muito novo a libra 5 0
    rs. inteiro e arelalho 600 rs.
    Cliuncas e paios novos a libra 600 rs.
    Ditas oora ervilhas fraucezas e portuguca
    a 800 rs.
    Ditas com massa de tomate novo libra 560
    rs. e em barril a 300 rs.
    Ditas com ostras a 720 rs.
    Ditas com marmelada dos melliores autores
    de Lisboa a libra 640 e 720.
    Potes com musturJa franceza preparada a
    libra 480 rs.
    Dita dita ingleza a-800 e 15-
    Queijos novos do vapor a 25200 e 25800.
    Ditos de prato enplicado a 15.
    Dito snisso a 800 rs.
    Dito de manteiga do Serid a 800 rs.
    Caitas com passas novas de 1 arroba 75,
    tnria 35300 e quarto 25 e libra 480 rs.
    Amendoas com casca a libra 240 rs. e arro-
    ba 65-
    Pozes libra 160 c arroba 5-1
    Charutos finos de Simas, e dos melliores fa-
    bricaoies da Babia de 25 85 caucas di
    10U t 50.
    rozas de caixinhas de palitos do gaza 2-J200
    e 200 rs. a duzia.
    Barris com azeitonas novas a 15200 e 25
    barris grandes.
    Vassouras do Porto piassava muito seguras a
    400 rs.
    Azeile doce francez do? melhorcs fabrican-
    tes, caixa 105 e a garrafa 15.
    Caixas com vmbo Bordou.ix branco e tinto.
    Vinbodo Porto uno em barris de 5" que ra-
    ras vezes apparce por 805 c em caada
    a 55500 e carrafa a 800 rs.
    Dito de Pignora paro caada 45 c 45500 e
    garrafa a 480 e 560 rs.
    Dito de Lisboa de biV.s marcas a 35300
    Carne e linguica do sertao.
    Duzia de grava latas grandes a 15-
    Caixas cora 23 wassus de velas de sperma-
    cete a 560-rs. a libra.
    Ditas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra.
    Caixas com orna arroba de velas do Araca-
    ty iO*500 e libra m'h.
    Ditas de composico arroba 105 e libra 360
    ris.
    Saceos grandes com farinha de Goianna mui-
    to boa a 55300.
    Ditos com milito novo com 24 cuias a 35300.
    Dito com farello de Lisboa a 55300 e 120
    a libras
    Dito cora arroz de casca a 5J0OO.
    Duzia de garrafas de cerveja branca e preta
    a 35300 e em barricas a 55000.
    Arroz do Maranho em saceos arroba 25600
    25400 e libra 100 e 80 rs.
    Dito da ln;!ia e Java arroba 35 o libra 120.
    Araruta verdadeira arroba 83 e libra 320
    rs., malarana.
    omnia do Aracaty para engommar arroba
    55 e fibra 160 rs.
    Farinha do Maranho nova libra 320 rs.
    Ervilhas seccas muito novas libra 200 rs.
    Sag e sevadinba a 240 rs.
    Sevada arroba 35200 e libra 120 rs.
    Grasa de boiao 97 a 280 rs.
    Sabio massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
    Dito hespanbol verdadeiro a 400 rs. a libra.
    Balaios do Porto de diversos lmannos de 330
    a 25.
    Capachos para portas de varias cores a 600,
    700 e 800 rs.
    Grao de luco arro'a 45300 e libra 160 rs.
    Painco arroba 55300 e libra 200 rs.
    Milho alpisia arroba 45800 e libra 160 rs.
    Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
    Vinagre de Lisboa eanada 15300 e garrafa
    200, 240 e 320 r.-.
    Massos de palitos de denles com 20 massi-
    nhos a 160 rs.
    Fijlos de limpar facas a 160 e 120 rs.
    lit-smas de papel almaco pautado a 45500.
    Dilo Breve liso o melhor que ha a 45500.
    Dito de peso e paulado a 2500 e 25800.
    Garrafes com 25 c 15 garrafas de verda-
    deira genebra de Ilollanda por 85500 e
    65000 rs.
    Azeile de coco garrafa 560 rs. e carrapato
    360 e caada 25360.
    Caixoes com doce de goiaba a 640, 800 e
    45 e a garrafa a 440 e 480 rs.
    Cognac verdad'iro a garrafa 1-5 e 15280.
    Vinh.i muscatel duzia 105 o garrafa 15,
    Vinho branco de muito boa qualidade cana-
    da S e garrafa 480 rs.
    Dito Xerez lino caada 75300 e garrafa a
    15300.
    Dito Madelra secca a garrafa 15600 e 25.
    Dilo en caixas de urna duzia do Porto do>
    melhores autores a 125, 145 e 165.
    Garrafas com licor lioo francez a 5, 15200
    e 15600.
    Ditas rom vinho de caj muito claro a 15.
    Dilas com mel de abclha paro a 15-
    frascos com genebra de ilollanda de 2 gar-
    rafas a 15.
    Dilo de urna garrafa a 560 rs.
    Dilo de laranja verdadeira a 15200.
    Petes com mostarda preparada a 320 e 400 rs.
    Calvas com 2 arrobas de .batatas a 25500.
    Vinho branco de Lisboa proprio para missa
    a 45800 a caada e 640 rs. a garrafa.
    Espirito de vinho a 'i00 rs. a garrafa.
    Duas redes muito bem feilas para dormir
    vindas de Sobral a 305 cada urna.
    Toucinho de Lisboa arroba 95500 e libra
    320 rs.
    Dito de Sanios arroba 63 6 libra 280 rs.
    Molhos com grandes ceblas a 15600.
    Cento de dita sola a 15600.
    Mauncos de alhos a 120 rs.
    Gordas de pastar e de anJaime.
    Favas da ilha de S. Miguel arroba 35200 e
    libra 120 rs.
    Copos lapidados para agua c vinho a 35500,
    55800, 65 e 75-
    Ditos lisos para varios precos.
    Calix lapidados grandes e pequeos duzia
    3, 4 e 55 ; e 400 e 500 rs. cada um.
    Massas para sopa macarro. lalliarim e ale-
    tria a 400 rs.
    Kstrelinha e pevide libra 640 rs.
    Jarope de fruclas nacionao a gariafa 600
    ris.
    Marrasquinhp de Zara da melhor qualidade
    agarrafa 15200 e 800 rs.
    Esleirs de tranca, cento a 205 e 240 cada
    urna.
    Quejos de qualha novo?, arroba 165 e libra
    a 560.
    Duzia de cbarnpanha superior a 205, e 25 a
    garrafa.
    Garrafes xazios a 15600.
    Massa branca para sopa a 320 rs.
    Frascos com azeitonas em coacervas a 800
    ris.
    Duzia de cartas finas para jogar a 35.
    Sabao hespanbol verdadeiro libra 400.
    Saceos com feijaomulatiobo novo a 105.
    Latas com favas j preparadas a 800 rs.
    Sevadinha para sopa a 2'io rs.
    Garrafas com muscalel c setubal a 800 rs.
    Sag novo a 400 rs.
    Breu arroba 85300 e libra 320 rs.
    Latas com 27 garrafas de gaz a 113, a gar-
    rafa 500 rs.
    E outros uinltos gneros de primeira qualidade que nao
    possivel luenciona-los.
    A satisfacao da Aurora Brllhante vender muito, embora barato, mas 'MNHEIRO,
    abatendo cinco por cento a quem comprar de 1005000 para cima.
    DESTINO

    NEM COROAS NEM MITRAS

    GRAHD2
    ARlfAZElfl
    DE
    RA IIO IMPERADOR I. 40
    Junto ao sebrado en que mora a Sr. (Mame,
    NOVA EXPOSIQhO DE GNEROS
    NO
    AllMAZEiU
    PRINCIPAL
    DE



    W. 9 RA jo CUERPO W. 9
    ltuarie Aluielda A c. receberaiu de sua proprla encommen-
    da mal* lindo e variado sor I Iraeno de motilados, proprio s
    da presente estacSo.
    Manteiga ingleza Macas brancas
    da safra nova vinda neste vapor de 28 de; para sopa a melhor que se pode desejar.
    m?io a 800 rs. a libra. macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a'
    Manteiga franceza libra e 4500 a caixa.
    a 860 rs. alibra, e em barril YlllO be"a' mas n3 se ven,,e por todo
    Esquina que valla para a ra da Imperador
    E provavel que nao seja bera aceita a verdade, quando a boa f de ir,,! .-i
    t^'l1^.6^.3^ deLBa,BtaliC08 anncios de cornetas, Umore,, coS,"
    tras, ele., que todo a dia enchem as paginas deste jornal.
    ALERTA
    Os annunciantes nao lem em vista sen3o garantirem ao resoeit-u-ri m.w;
    sua palavra de honra, vendando com o lucro suficiente para suas subSnetoaf 2
    .assentarem fortunas a forca da re?ra Ap. lia, rnmn m ,lTl.1, ,nc!aa cnd0 Pa
    iga como outros annnnciantes deste a
    PARA TOS JOS
    da safra nova
    a 500 rs.
    Amendoas
    confettadas de lindissimas cores a 860 rs. a
    libra.
    Ameixas
    em frascos de vidro com 3 libras liquido a
    2#400, muito propios para mimos.
    Cartoes
    com bolos fraocezes a 500 rs. cada um.
    Latas
    com bolachiohas de soda de todas as qua-
    lidades a I.-vwu...
    Chocolates
    de todas as qualidades a I #000 a libra.
    Presuntos inglezes
    dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
    temos velhos para 5QO rs.
    Queijos flamengos
    chegados neste ultimo vapor a 206oo.
    Qneljos
    chegados no ultimo vapor a 2S60Q cada um.
    Qlicijf
    londrino o mais fresco que se pode esperar
    e de excellante maree a 800 rs. a fibra
    sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
    Conservas inglezas
    as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
    o frasco.
    Figos
    em libras e caixinhas ricamente douradas,
    proprias para mimos a 900 e 1(51200.
    Cha uxim
    o melhor que se pode desejar, que nutro
    No armazem principal vende-sc a todos pelos oreos marnr?n na ,
    i nao se vende por todo o preco faze^do-^^
    w- ^Jf,^'^ dos gneros trocando-se todo aquella queto"^lo^Zl
    comprador.
    dem do Porto Ameixas francesas em caixinhas com ':---'" rafa"
    generosos engarrafado dos melhores fabri- i
    estampas, a l,2oo e l,5oo rs.
    cantes da cidade do Porto a 10 e 14200; dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
    a garra/a e de 104 a 125 a caixa, as mar- dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
    cas sao as segmntes: Chamisso dFilho, dem era latas de 1 '/s libra a l,loo rs.
    ou vinho dos Deuzes, | Arroz do Maranho e da India o melhor que
    ha ueste genero de 8o a loo rs, a libra, e
    de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
    Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
    4,8oo rs. a caada,
    dem francez e de Lisboa refinado em gar-
    rafas brancas a 9oo rs. a garrafa,e lo,ooo
    rs. a duzia.
    Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
    libra.
    Azeitonas muito novas a 2,ooo rs, a anco-
    reta.
    Alpista limpo a 14ors. alibra,c i,4oo rs. a
    arroba.
    Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
    Antonio de diversas qualidades, em latas
    de G e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
    lata, e 64o rs. a libra,
    dem ingleza em latas de 2 e de libras
    do Maranho a 100 rs. a libra, e da India das melhor
    a 80 rs. a libra, e 2500 a 3f>000 a ar- a lata.
    i Manteiga ingleza peFfeitomente flor a8oo rs
    a libra, e desnessesario mais elogios ne-
    lagrimas do Doura e outros muitos.
    Latas
    com 10 libras de banha a 4,5000.
    Bolachinha ingleza
    a 10800 a barrica da mesma que
    venden a 25000 e 26400.
    Nozes
    as mais novas do mercado a 120c* M
    Cervejas
    dos melhores fabricantes|e de todas as mai
    cas de 45300 a (600 a duzia.
    C-ARTOS
    Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
    meias caixinhas a 1^500.
    Arroz
    bra.
    es marcas a l,3oo e 2.2oo rs.
    qualquer nao pode vender por menos de
    3 a 2#600.
    den perola
    especial qualidade a 2,3700 rs. a libra.
    dem hysson
    o mais aromtico que tem vindo ao nnsso
    mercado a 2600.
    Massas amarellas
    talharim e aleiria a
    roba desses que vendem por 30400.
    CAF
    de 1. c 2.a sorte do Rio de Janeiro a 85f
    e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
    Ciarrafes
    com i 'i garrafas com vinagre a 1000040*
    o garra lao.
    GENEBRA DE LARANJA
    a 10000 o frasco, e de H0OOC
    te genero que so se pode verificar com
    11SI3.
    dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
    ou meios a ooo rs.
    Marmellada doA fabricante de Lisboa a 6oo
    rs.al.hra,halatasdel,lVe21ibraT
    Maca de tomate em latas de urna e duas li-
    bras, a 6oo rs. a libra,
    dem pan sopa estrellinha, pevide, rodinha.
    ett. a3,5oo rs. a caixa e 56o rs. a libra
    Macarro, talharim e aletria a ioo rs
    bra.
    Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fis-
    i-
    para sopa, macarro,
    480 rs. alibra.
    COGVAC
    o muito afamado cognac Pal Brandv a 1.8oo
    | verdadeira
    a caixa.
    DEM
    era frasqueiras de Ilollanda a $0800
    12 frascos.
    GENEBRA
    de Ilollanda verdadeira era frasqueira a
    rs. cada urna.
    PALITOS
    os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
    e2o rs. cada caixinha,
    LICORES
    coa
    6oo
    dem ingleza em p a 64o rs. o fraseo
    Molho tnglez era garraGnhas com roiha de
    vidro a 64o rs. cada urna.
    Marraschino verdadeiro de Zara a l,ooo rs
    agarrafa, e io,ooo rs. a duzia.
    Nozes mudo novas a 16o rs. a libra
    Ostras preparadas em latas a Too rs'. a lata
    Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
    rantindo-se a qualidade, a 7oors. a libra.
    Passas novas de carnada a Aun r< > \,hv, .
    nanita do porco refinada a 4oo rs. a libra e 6 5oo rs a caixa '
    \ Champe daShores marcas a 2o.ooo J* CUit" e pes"da a *><* ^ &
    XfflS FS' a garn,fi,J G 90 rS' ^Pall0S. Pn de"?ef Iichadas a 'i0 rs- o -
    as. meias garraias. 50 de 20 maemhos.
    Cl^uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a 1.- Wem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2.1oo rs
    a groza.
    pecial a 2,7oo rs. painco muito novo a 16o rs. a libra, e 4,3oo
    rs. a arroba.
    bra.
    dem perola qualidade
    a libra.
    dem hysson o melhor que ha neste genero
    a 2,ooo. 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
    dem do Rio em lulas de 2 a 8 libras, a l,3oo
    rs. a libra.
    dem preto homeopalhico 2,ooo rs. a libra.
    Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
    zia, e 56o rs. a gnala.
    Chocolate francez, suisso e hespanlrol a
    1 ,ooo, 1:2oo e 1,4oo rs. a libia.
    rs. a garrafa e de outras muitas qualida- finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa Charutos do afamado fabricante Jos Furia-
    des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
    COPO
    lapidados para agua a 4,5oo e
    duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
    5,ooo
    rs. a
    PAPEL
    almaco, greve, peso e de outras muitas qua-1
    lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
    lhor.
    Papel de botica
    de excellente qualidade a 2200 a resma,
    PAPEL
    azul e pardo para embrulho de 1,4oo a 2,2oo
    rs. a resma.
    Corinthias
    com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
    Marmelada
    dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
    jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
    libra.
    Pregunto
    o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
    a libra.
    ARROZ
    Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
    de 3,000. a 3,2oo rs. a arroba.
    VELAS
    de espermacete de diversas marcas a 5Go rs.
    a libra e em caixa ter abatimento.
    passas curmthias muito novas proprias para A VELAS
    podim a 800 rs. a libra de wnwi em caixas de arroba a 9,3oo e
    T?111Tm caixa e a4 rs- a fibra.
    T Uni Batatas novas
    o verdadeiro fumo americano em chapa a em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.

    cwivo
    l,4oo rs. alibra
    Vinagre
    PRRcm ancoretasde 9 caadas a 15,ooo rs.
    cada urna.
    CeboMas
    as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
    e 1,00o rs. o molho.
    Alpista e Painco
    o mais novo do mercado a 140 rs^a libra,
    e 40400 a arroba.
    Os
    a libra.
    Passas mnito oras
    em qtiartos e inleiros a 20 o quarto c 60500
    a caixa e 400 rs. a libra,
    Chocolate
    portuguez o mais especial que se pode de-
    sejar a 800 rs. a libra c 140 rs. o pao.
    Frutas em calda
    chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
    outros muitos a 640 rs. a lata'
    sce da csea da goiaba
    a 600 el0 ocaixae.
    Verdadeiro Principal dcplaram aos seus
    28Largo do Terco---23,
    Waquim Simao dos Santos, dono deste Lem sortido armazem de meditados denominado eon
    . .rftivo do largo do Terco n. 23 scieotilica ao respeitavel publico e a todus era geral que mandem
    ." yennain a este estalieleciinento para melhor se sertificarem da diminuicae de preeos que obten
    ueSle, q que nao obten) e coiapiere* eos ouipo f|ualquer, pelo que se respwmbi.'lisa a servir noat-
    quer comprador coia a>raaior (reil&a e lidt-lidade, sem que haja a menor alieraao. Todo o compra-
    dor que comprar de 1003 para cima lera o descont de 5 a 10 por ento pelo soiLjpoippto pagamento.
    Attencdo.
    Batatas as mais novas a 40rs. a libra e t^oo a ar-
    ul.a.
    Toucinho de Lisboa a 80 rs. a libra.e 85o00 a ar-
    '.afijMe.primeira e abunda sbrle a 20,260, 280 e
    . #00 rs. a libra.
    Arfoz do Maranho e Java a 100, 70 e 80 rs. a li-
    Ura e 3200 a arroba.
    Pbdsphro's do gaz a 25 a groza e 180 rs. o maco.
    Passas de carnada a 320 rs. a libra, e em caixa a
    OASOO.
    Bolachinhas inglezas >* a-HOrs. aUra,'!;
    iabfto amarello massa a 100,200 e 240 rs. a libra.
    Velasd e canjbaiiWatat$ cemposico a 360 o* WO
    i$_a libra. r -,
    Ameixas franteza* com 1 e meia fibras a 15.
    Ma.a de tomate da melhor qualidade a 60O rs.'a
    libra.
    Marmellada dos melhores fabricantes a 640 r;. a
    libra.
    CJ^iricas a^ mais novas a560rs. alibra,
    barril por 125.
    Cha hysson mi lidiaba e perola a 5,000 25300 e
    Milho alpista e paifo mito novo a 160 rs. a libra.
    Biscoitos e bolachas de soda a 15300 e 25-
    Araraia das melhores marcas a 15; 25, 35, 45, e
    *jrjOacai\a.
    Charutos em ma^os cooteado 60 por 640 rs. o cento
    Azeite doce de Lisboa fino a 640 ra. a garrafa.
    Dito de carrapalo a 280 rs. a garrafa, e 25000 a
    arroba.
    Viofcode Figueira e Lisboa das njeihores marcas _
    3JO, 0, 500, 560. 6AO.e 800 rs. a garrafa, este
    ultimo do Porto proprio para os doentes por
    ser purificado e recomnaeudado para esle lira.
    Queijos do ultimo vapor a 15 e. 15700.
    Manteiga ingleza flor i t a libra, e a 9o0 rs. em
    barril,
    dem menof soirior de 720 k 60 rs. a libra.
    ldam franceza do ultimo navio a olio r?. a libra,
    em barril se far bttmnm
    c em ; Goinraa da mais atva a 1^0 rs. a libra e a 450OO a
    arroba.
    proprietarios do-graade armazem o
    freguezes e amigos e ao public em geral, que para facilitar a commodida*' de todos' e* Wem em garrafes de 16 garrafas
    tipularam os mesmos pregos nos seguiutes lugares:
    Unio e Commercio ra do Qneimade n. 7
    0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40

    *. ; v a /m(5
    4K* ..BBBBBa&l B.1 wrmr .



    4
    FRUCTAS
    W.H'.iA. PER.IN i: UVAS
    S!?gJlTte ^- VZ "eldi-se nos se^lin,es lagares: Ra do Imoarador n.
    40, Verdadero Principal-Rua o Qnermado a. 7, Uniao e Commercio.
    do de Simas e outros da Baha como se-
    jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
    licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo,3,ooo e
    4,ooo rs. a caixa.
    Conservas inglezas a 75*o rs. o frasco.
    dem franceza surtidas ou de urna s quali-
    dade de cada frasco a fioo rs.
    Cognac ingli'ze francez a l,ooo rs. a garra-
    fa, e lo,ooo rs. a duzia.
    Cominho eerva-doce a oo rs. a libra.
    Cravo da India a 6oo rs. a libra.
    Canella a l,ooo rs. a libra.
    Copos finos para agua c vinho a 4.8oo,
    5,ooo e 5,5oo rs. a duzia, e uoo rs. cada
    um.
    Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
    e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
    dem do Cear a'26o, 28o e 3oo rs. a libra,
    e 8,ooo a 8,oo rs. a arroba.
    Doce de goiaba a 6oo rs. o caixio.
    Ervilhas porluguezas em latas, chegadas l-
    timamente a 7oo rs. a lata.
    dem seccas a 16o rs. a libra.
    dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
    Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
    libra.
    Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo rs.
    cada urna.
    Graixa novaa loors. a lata, l,loo rs. a
    duzia.
    Genebra de olbnda em frasqueiras de 12
    frascos a 5.8oors., c 56o rs. o frasco.
    dem em botijas a 4oo rs. cada tima.
    a 4,8oo
    rs. com o garrafao.
    dem ideti de a caadas a 7,2oo rs. cada um.
    dem ingMza ewi garrafas brancas bordadas
    com rclha de vidro, qualidade superior
    a l.ooo rs. a garrafa.
    dem de I; ranja verdadeira a l,ooo rs. o fras-
    co, eif.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
    Kirsch Wasser excellenlc bebida Suissa a
    l,8oors. a garrafa.
    ____
    >oo rs. ca-
    r-.
    Queijos flamengos do ultimo vapor.
    dem pralo muito fresco a 800 rs. a libra e
    sendo inteiro a 72o rs.
    Sal refinado em poles de vidro a
    da um.
    Sardinhas de Lisboa e de Nautas a 600
    a meia lata, e 4oo rs. o quarto.
    Sag muito novo e alvo a 2io rs a libra
    Sardinha de Franca a 18o rs. a libra
    Sevada a loors.alibra.
    Toucinho de Lisboa a 24o e 3oors. a libra
    Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada um'.
    Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
    marcas menos condecidas a 4oo n a gar-
    rafa, e a 2,8oo rs. a caada,
    dem Figueira expecialmente escolhido neste
    lugar a 600 rs. a garrafa, c 4,:oo a caada.
    dem Lavradio. Colares muito fresco em
    composico a 6oors. agarrafa, e 4.000 rs a
    caada.
    dem Lisboa em ancoras com !) cunadas mar-
    ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
    dem branco uva pura a 5to rs.
    ea 4,5oo a caada.
    dem Porto lino em pipa a 56o rs. a
    fa.
    dem engarrafados generosos, Lagrimas do
    Douro, Duque do Porto. D. Ltiiz I. D. Pe-
    dro V, Nctar, velho secco, Malvazia e
    genuino particular de 9ooal,?oe rs. a gar-
    rafa e a 10,000 rs. a caixa com urna duzia
    dem MadeinOegitimo a l,2oo rs. a garrafa
    ea 12,ooo rs. a duzia.
    dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
    dem Ro deaux dos acreditadas marcas St
    Juhen St. Estepa, chteau la Rozo, chatau*
    Margoux c outros a 6,000 rs, a caixa e 56o
    rs. a garrafa.
    Vermouth a melhor bebida eslomacal a 2,ooo
    rs. a garrafa.
    Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e l,4oo
    rs. a caada,
    dem em garrafes com 5 garrafas a 1,00o rs.
    Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
    rs. cada urna,
    dem de escovas para lavar casa a 36o
    cada urna.
    a garrafa.
    garra-
    rs.
    Vellas de esperjoaaceie superiores a 56o rs.
    a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
    dem de carnauba refinada e de composico
    a 36o rs. a libra, e lo,5oo e 11,00o rs. a
    arroba.
    ii
    .'. Mm deses -gneros ha outros muilos mic enfadoaho seria mencinalos.

    INJECCAO E CAPSULAS
    VEGETAES ao MATICC*
    GRIMAULT CLA PHARIMGEUTICOS EM PARS
    da l^orrt^^^*w ""I"* te-6",/e.1".Para aenrn rpida eluhlIWe!
    h!JS?*2SL^,S2 ."^ m d SlracSa0 1 canrfou da inflainniaQ dos Intesttnoa. O clebre
    kJ^\T?VJ !'^r ren?lcI"!,0ji de8de 8Ua appario. ao empego te qnalqutsr outrotraiamento.
    meco do flinro. as capsulas em todos os casos ebronicos e Inyeterados, que'
    resktirao i preparares d copahu, cubeba a Is iniecces cpm base metaci'
    DpuU geral: em Pai,
    em hsboa, 16 AMan
    rir em o Hio-de-Jan*ro,
    helra>; em .Rio-Grande, luquli JP Gorfoj; en mranho, Ferrelra .
    trnni e c, ru da Qmr, 2J s*u, e as principae farmacIai do BntiH.


    s] : era Parw, em casa de MM. MaMul e O, pbarmareuilcos. r, ra de la
    c-Asaatiaha ala Casla-CarvallM Janlor; no Porto, Mlsael Jone Se 8<
    to-de-Janro, Gcataa, 102, roa S- Pedro i em Bahia, Jo-e-Cneti.no Ferrel
    Feuillale;
    uaa-Fer-
    rrlrit-EHpln-
    t> em Pernambuco,
    -
    >
    Mi
    Deposilor geral em Pernambuc* ra da Oat n. 22 de emeasaCaros Barbosa.
    Sa4Ure refiaad. uuporior qiMtlidae, vinho Bor-
    ^eaurx, dtffcreates qualidades, mais barato que em
    qualquer parte : no armazem
    ., ra da Cruz n. 48.
    # K A. Burla &
    Enfeites para (sbela.
    fhegaram os lindos enfeites de cabeca para s-
    nnows senda muito simples e de mmto gosto : s
    no Vigilante, ra do 6t -~ Vendem-se tljeiimas abras d
    prala; aa na da Cafta-lta* a. 37.
    r
    GAZ GAZ GAZ
    Vende-se gaz de primeira qualidide a
    10/J a lata : nos armazens da ra do fnt-
    perador n. 16 e roa do Trapiche Novo n. 8.
    Machinas para descarocar
    algodla dos mais acreditados
    fabricantes: na fundido do
    BoTTman, na doBrumn. 38.
    "Superior cal E sboa
    Seade-se superior caldejslioa a mais nova a ao mercado taato em porcao eoino a retamo,
    por barato. prego anascando-s* ae compradores a
    superior qnahdade : a traUr as seeuinles ruas-
    Crespon 7, Mperadar.m. *, Forte do Mto
    mazem do Sr. Villa defoonte do trapicho do
    godao, v
    tRiHJl

    ILEGVEL
    1
    I *vH^t$?dmo com Pe,lneno oqae de
    varia & 6^000 a pera : na rua da Imperatriz nu-
    mero 20, loj.


    **.
    &***&

    Mari* ie Tcrmimbaeo Quinfa letra de Setfembro 4c 1S4.
    1
    U PUBLICO
    ttem o menor constran-
    gimeato se
    Importe do
    nao agradar.
    entregar o
    que
    genero
    ATTEUCW)
    Os preeos da segiitnte
    tabella para todos, po-
    dendo asflim servir de ba-
    se para o ajuste de contas
    < o ni os portadores.
    ARMAZEM U
    RA I*A CABEIA O RBCIFE W. 53.
    (Logo passaudn o arco da CoBteifo)
    brande redueeao de preeos, equivalente a dez por ecnto menos So que outro qualquer
    annunciante.
    Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a I ,ooo re. a libra, bem assim o de outros |
    inuitos objectos, etc., dando com isto ocasiao a todas as espeluncas acabarem por bom prego a manleiga de tempero, e gritaren) em
    alta voz, que podem vender pelo pi ego que eu vendo!!! Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
    systbema que vim encontrar, de so se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redueeao de preeos, como veris
    pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
    se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oo a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
    esto obligados, encarando todos os das de seus freguezes reclamaro de pregos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
    mal informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
    to smente obter a concorrencia de seus freguezes.
    Para bem de todos.
    Senhores e Scnhoras o aceio que presidio, ans- arronjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo aprcmptido e entei-
    reza com que serSo tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteceo e preferencia na compra
    dos gneros que precisarem, e (piando nao poram vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam peuco pratices, pois
    serao tao bem servidos como se viessem pessoalmente, bavendo para com estes toda recommendago, afim de que n^o vo em outra parte.
    Manteiga ingleza (safra nova) especialmente rs. e em barricasde 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
    Aviso aoschefes de familia
    econmicos.
    Redueode preeos para liquidar.
    No armazem da ra do Imperador n. 14, e<-
    quina da travessa do Ouvidor, vende-se manteiga
    l niglera superior a 800 rs. a libra, dita soffiivet *
    840 rs. a libra, dila para tempeiro milito limpa a.
    480 rs., banha americana muito fina a 400 rs. a:
    lira, cem latas de ? libras a 7,3 a lata, otra
    byssoo muito .-uperior de encommenda, como ha
    mullo tempo nao vem ao mercado a 35 a libra.
    dito muito bom a 2,3000, 340O e 25 em latas de
    1 libra,arroz do Maranhao a SO a libra e a 25400a
    arroba, cerveja ingleza muito boa a 480 rs. a gar--
    rafi e 55 aduzia, excedente doce de goia.ua eu..
    latas de 4 libras a i a lata, queijo pralo a SOO
    rs. a libra, dito pellieado muito superior a a libra o inteiro a 8o0 rs. libra, dito do serlo e e-'
    ceilente a 640 rs. a libra e inteiro a oCO r di(x>
    ffameogo do ultimo vapor a 25300 cada uni.e a.
    25400, figo.- de comadre a 1(10 rs. a libra, sbalo
    raneo inglez a 200 rs. a libra, dito massa supe-
    rior a 200, 240 e 280 rs. a libra, vinho verde par-
    ticular engarrafado de Bairrado a ."iiiO rs. a gar-
    rafa, dito de Lisboa puro e genuino, encommenda
    particular a 000 rs. a garrafa, e lija ancorca de
    : caadas e 305 a ancora de i), especial vi olio
    iranco de Lisboa puro a 600 a garrafa, vinlio dr>
    l'orlo engarrafado de todas as marcas a 800, 1$
    e 1,5200 rs., dito de jipa de todas as marras a
    100, 440, 300 e 640, dito Bordeaui das marcas,
    mais acreditadas a ii."iOO e 75 a raia o f60 rs.
    garrafa, cognac superior iranrez e Ingles, di-
    versas marcas a '.'5 e 105 a duzia, e a 800 e -10
    a garrafa, gomma nova muito alva a ICO r?. a !<-
    ira. o muitos cutres gneros, tudo apreso-' redo-
    zidos.________________________________'
    BREU"
    Breu verdadeiro americano, (auto em barricas
    Cuino a retalbo, vende-se na na da Cadeia do He-
    eife, loja de ferragens n. 56 A, de Bastos.
    Eaxadas calcadas de ac
    r.hegaram as desejadas enxadas calcadas de ico,
    as quaes vende-se o mais barato possivel : na ri;
    escolhida a 8oo rs. a libra, em barril se
    faz abatimento.
    dem franceza a mais nova que tem vindo ao
    mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
    meios a 5oo rs.
    Cha hysson de superior qualidade a 2,6oe n
    a libra.
    dem pereta o mais superior do mercado a
    2,8oo rs.
    dem huxim o melltor que se pode desejar
    neste genero 2,600 rs.
    dem preto homeopathico por ser de superior
    qualidade a 2,000 rs. a libra.
    dem hysson, huxim e perola mais proprio
    para negocio o l,6oo, 4,80o e 2,ooo rs. a
    libra, garante-se ser moito regu'ar, igual
    ao que se vende emoulra parte por 2,4oo
    e2,6oo rs.
    Unguicas, cbourieas e patos em latas de 8
    libras, ermeticamente lacradas a 5.5oe rs.
    garante-se serem superiores aos que vem
    em barris.
    Chouricas paios em barris de meia e ma
    arroba a 8,000 rs. e 1,5oo etoo rs. a Kbra.
    Queijos flamengos muito frescos chegados
    neste tsltimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
    passado a l,6oo e 4,800 rs.
    dem londrinos os mais superiores qtse tem
    vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
    ro se faz abatimento.
    dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
    dem do Alentejo o que se pode desejar de
    fresco e superior a 800 rs. a librs, a elles
    antes que se acabeni.
    Ervilhas e lavas portngwezas em latas ja pre-
    paradas a 64o rs.
    Marmelada impenal dos mais acreditados fa-
    bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
    ment.
    Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
    e 8.800 rs. a arroba.
    dem lavado deprimeira qualidade a 3oo rs.
    a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
    dem do Cear de superior qualidade a 24o
    e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
    arroba.
    Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
    rs. a arroba.
    dem dalndia muito alvo egraudo a loo rs. a
    libra, e 3,ooo rs. a arroba.
    dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
    a arroba.
    Painco e alpista a lio rs. a libra, e 4,3oo
    rs. a arroba.
    Massa de tomate em latas de 1 c 2 libras a
    600 rs. e de barril muito superior a 5oo
    rs. a libra.
    Aletria, raacarrao talharim a 4oo rs. a li-
    bra, e 9,ooo rs. a caixa.
    Ideme lalherim branco a 32o rs. a libra,
    estas massasfcornam-se recomendaveis as
    pessoas doewes por serem propriaioente
    Catas para esse lim.
    Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
    23 libras 8 o2o rs.
    Vip.ho do Porto muilo fino excelleB4e qua-
    lidade proprio para engarrafar em ancore-
    ras com 9 caadas por 48,000 rs.
    por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
    mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
    de 3 libras por l,5oo rs.
    Ameixas francesas em latas de i e meia libra
    por l,2oo; ditas em caixinbas de deversos
    tamaitos com bonitas estampas na caixa
    exteriora l,2oo, l,5oo, el,8oors.
    Azeitedocc refinado Penanol ou do Kempes
    de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
    caixa com urna duzia.
    Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,000 a
    caixa cm 2 arrobas.
    Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
    8,000 a duzia.
    Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
    Nozes muito novas a i60 rs. a libra.
    Molho inglez em garrafa de vidro com
    rolba do mesmo a 5oo rs.
    Mostarda ingleza dos melbores fabricantes a
    800 rs. o frasco.
    Mostarda franceza em potes ja preparada
    a 4oo rs.
    LentHhas excellente legume para sopa a 2oo
    rs. a libra.
    Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
    grandes a 1,00o rs. e H ,00o a duzia-
    Palitos para denles a 14o e 16o rs. o mar-o.
    Sal refinado em frasco de vidre com rolba do
    mesmo a 5oo rs.
    Acaba de receb? de sua proprta encommenda om granue e variado sortimento
    de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
    offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
    resumidos preeos, a Raneando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar- a clea d"t p7 r, Tija^de'ferrageus de basto
    mazem.
    Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
    Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,
    libra.
    dem franceza a 56o rs. a libra, e 52o rs.
    sendo em barril.
    Cha nxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras:
    para cima a 2,6oo.
    dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
    cima a 2,7oo, !
    dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
    desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
    a 56o rs. a libra, c a 000 rs. inleiro.
    dem ngle/.as pata fiambre chegado neste
    vapor 72o rs. a libra.
    Copos lapidados para a gua a -i.oooe 5,3oo a
    duzia,
    Chocolate francez, suisso e bespanol a 9oo
    1,000 e 1,800 rs. a libra.
    Vinho de pipa Porto, Figtaeira, c Lisboa a32o,' Cerveja branca e preta das marcas mais a-
    ci editadas que vem ao mercado a 5,ooo c
    5,3oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
    Sag muito novo e alvo a 2o rs. a libra.
    Sevadinha de Ffanca muito nova a2oors.
    Charutos de todos os fabricantes daahiae das
    mais acreditadas marcas coohocidas no
    r.osso mercado a 2,ooo, 2,-Seo, 3,000,
    3,5oo e 3,8oo a caixa do loo charutos.
    Cognac inglez das mHbores marcas
    garrafa.
    4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
    3,ooo e 8,800 rs.
    Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
    dade a 4oo e 000 rs. a garrafa, etu caada
    a 3,ooo e 3,5oo rs.
    Vinho branco para missa em caixa e 1 duzia
    a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
    rezunto do reino vindos de casa particular Vinho do Porto das melliores marcas, que
    vem ao mercado como sejam Lagrimas do
    Domo, Duque do Porto, DuqscGenuino,
    D. Lus I., Madeira secca, Mahazio fino,
    Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
    lo,ooo rs. ea9oee l.oooa garrafa.
    Vinho Colares o mais superior que tem
    vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
    Esperraaceteem caixinbas contando 6 libras Sardinhas de Nantesem quartos e meiaslatas
    por 4,000 rs., garante-se serem transpa-j a 36o e 56o rs. cada ama.
    rente e de superior qualidade, Umbem tem Sardinhas portuguesas em latas grandes
    preparadas pelo mtfihorconserwirode Lis-
    boa a 64o rs.
    de 12 por libra propra para carro.
    IVixe em posta sovel, corvina, gers. pesca-1
    da, salmo, ostras e chernee, vezugo etn
    latas grandes a 800 e 1,000 rs. cada urna.
    Vinho Bordeatix das marcas mate acredita-
    das que tem vindo ao nosso mercado a
    6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-1
    se ser de qualidade superior, que outro
    qualquer nao pode vender por este preco.
    Cenebra de Hullanda a 56o rs. o frasco, e
    5,7oo rs a frasqueta.
    dem de laranja verdadeira di! Aliona em
    frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
    11,00o rs. a duzia.
    Mem de Hollanda cm botijas grandes a oo
    Bolachin'uas inglezas ^is mais novas do mer-
    cado a 2,800 rs. a barrica, e 24o rs. a
    libra.
    Bolacbiflha de soda em latas com diversas
    qualidades a l,3oo rs.
    Bolo francez em caixinbas muito proprias
    para mimo a 64o rs.
    Passas muito novas de carnada a loo rs. a
    libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
    Figos de comadre a 24o rs. a libra e
    l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
    Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
    Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
    a2,5oo rs.
    dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
    para cima a 2,3oors.
    dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
    bras para cima a 2,2oo.
    dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
    cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
    dem preto o melhor que se pode desejar
    neste genero a 2,8oo rs.
    dem menos superior a esse que se vende
    por, 2 e 2,4oo, a 4,800' rs. a libra,
    dem mais baixobom para negocio a l,5oo
    rs. a libra.
    dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
    rs. a libra.
    Queijos do reino chegados neste ultimo va-
    por a 2,2oo.
    Quefos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
    dem prato es melbores e mais frescos do
    mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
    G>ebra marca gato a i .Too rs. agarrafa.
    Biscoilos em latas de 2 libras das seguintcs
    marcas : Osborae, Craknel, Mixed, Victo-
    ria, Pec-nic, Fance, Machine eoutras mu-
    tas a 1,300 e !,4oo rs.
    Fumo americano em chapa a 1.600 rs, a
    libra.
    \raruta de todas as qualidades.
    Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
    caixa e 60 rs. a libra*
    latas de 5 libras
    Fo de algo ja da Valtia e ame
    Licores francezes e portuguezes das seguin- j rlcano.
    tes marcas creme de violetas, gerofies, ro-: Vende-se tanto om porcao como a re.ulho, esm*;
    sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen- "f"1 conhceidas.|uaidade"s de lio por barato prejo-
    dua amarga, percicot. de Turin, Botefim, fJJ ^ Cade.a do Rccife, lojade remgens de
    morangos, limSo, caf, laranja, cidra, gin- Te||ia,ios de ferro galvaenvIo.
    ja, canella, cravo, ortela pimenta a l.ooo Foihas de ferro gaiaaaisado para teibado ror-
    rs. a duzia 4,000 rs. a garrafa, garante-se eommodo preco e de muita atilidade para cuberas
    que osmelhores que temos tido no raer- d"rasa!:. vende-se na ra da Cadeia do Hecife -i.
    po,i0 o'"' A, loja de ferragens de Bastos.
    Vaquetas inglezas para cohera
    2,000 rs. o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo I Estas bem conh05af;iJgj vcndr>ie unica.
    I"S. a libra. \ mente na loja da ra da Cadeia do Recite, loia de-
    dem corinthias proprias para podim a 800 ferragens de Bastos.
    rs. a libra. Padarla e rellaavo.
    Marmeladas dos mais afamados fabricantes de Chegaran as bem coahecidas peneina de ua-
    I hna a Ki r a lihi-a me e de la,ao l110!""1^ Pa,a padana e relinaeao, de
    Lisboa a 040 rs. a ItDi a. tod0:, os ,amarihos e grossuras : na ra da Cadete
    Ervilhas secas muito novas a loo rs. a libra. do Recr6i |ja dt fenageus de Bastos.
    Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra. \ ........
    Ervilhas francezas em latas a 64o rs. rcnD k VA? MTlllAC"-
    Potes com sal refinado a 48o rs. LolJtlAfU lUWgg.
    Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra .
    teMb Mruviil "" Ausen,ou se da Msa d0 s,'u senhorn0 dia fi
    idciiud esiew Presunto para hambre tnglezes a 7oo e 800 de d 12 annos, levoo vestido calca de riscadiabo
    rs. a libra. azul destratada, camisa d'algodozinho azul velLa,
    Chouri;as e paios mnito novos a 640 a libra, chapeo de palha de carnauba pequeo, e tm'bs
    Pairas .!> trnuo n i a SAKW raila urna sigoaes Ngniotes : cabera e orelhas grandes, ea-
    caixas de traque n. I a M#9UU caoa urna. bP||()anilP|,ad0) ,em 0 andar cahido para a fren,e>
    Massas para sopa macarro, talharim aletria e qafld0 anda meUe as ponas (tos ps para deo-
    a 400 rs. a libra. tro, muito ladino, tem sido visto por diversas.'ve-
    Coonac verdadeiro inglez a 8,500 rs. a caixa es as quatro fregaezias deste cidade jogando e
    o nn r a aarrafa empinando papagaio com outros muleques : roa-
    l3- s^, portante, todas as autoridades polieiaes e ca-
    pitaes de campo que o peguem, levem-o ruado
    Pilar, em Pora de Portas n. 8."l, primeiro andar,
    que serao gratificados generosamente
    dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
    garrafa.
    Charutos em grande quantidade e de todos os
    fabricantes mais a creditados a l,5oo,
    2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
    os mais baixos sao dos que por ahi se ven
    dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
    1,000 rs. a B..-.-.
    {Balachinha de Craknel em
    Oocc da <:asca da goiabaein latas de i it- bruto a 4,000 rs.
    bras^or 2,000; ditoemcaixoesa6ooit5.^I(iem npiezasem barricas
    a mais nova do
    mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
    libra.
    cada um.
    Farinha de araruta verdadeira a 3o rs. a
    libra. I
    Velas de carnauba de6 e 12 por libras Chocolate portuguez o mais especial que se
    32o rs. a libra c lo,oco rs. a arroba. pode desejar & 800 rs. a libra e 14o rs. o
    Azcite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa pao.
    e 4,8oo a caada. i Papel fe botica de excellente qr.alidade a
    Banha de porec refinada a 4oo rs. a libra i 21oors. a resma.
    e 36o rs. em barril. j Potes ojm sal refinado a 48o rs. cada um.
    Capil de diversas frutas muito fuscas tjBicos frascos com frutas francezas em calda
    64o rs. a garrafa. meHior que se pode desrjar de l,4oo a
    Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grasa.
    Toucinho de Lisboa muito alto e alvo
    32o rs. a libra e 8,*ioo a arroba.
    Fugio do lugar do Salgado, pcrlo da gmit-
    ta da provincia da Parahiba, o negro cfioolo de
    nome Dent, com os signaos seguintcs : cheio do
    corpo,bem fallante, punca barba, mas bstantenos.
    pedos, e etn um do- rejeitos dos pes um costme
    proveniente de corte; de enxada : pede-se aos ea-
    Cafe de prcmeira qualidade a 8.3oo e J.ooo ,,naes*de campo ou mesmd* as autoridades o ap-
    rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra. prebendan) e recolham cadeia. annucciando pe-
    Idcm de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar- 1 fainas desia cidade protestando o abaixo,v
    roba e 26o rs. a iibra. %22?* ***' ^ ""
    Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs. V,~U. ,^ An M o tenha em
    Fueinna tarde do da H'> de jnlho p. p. um4
    escravo pardo, de nome Marcos, desenibarcado
    a 2,900 rs. a do hiate Santa Anu, viudo do Aiacaty, tendo,
    ] de idade "2S anuos penco mais ou menos, eos sio.
    naes seguintcs : altura regular, secco do corpo,
    pouca barba, cabello crespo, levou camisa
    caica de algodaosinho de riscado aul eeba-
    pode palha, lendo levado comsigo umaimuxa
    com mais ronpa,e rendido de una das venillas j
    Vellas de carnauba do Aracaty a !i,;>oo rs. ar- ,IU,.n, 0 ap|,r(.ender queira leva-lo a ra da Madre
    roba, C 60 rs. a libra. de Deus n. 38, ou ra do Brom n. !>'-, quesera,
    dem de sebo muito dura fingindo esparmace- recompensado_________________________
    e 36o rs. a libra. O escravo los, preto crioulo, de 6 annes,
    e em ',a'xo- corpo regular, beicos grbssos e estufados,
    orelhas pequeas, cachaco grosso. pouca barba
    a airoba.
    dem da India muito superior
    arroba, c loo rs. a libra.
    dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
    dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
    ba, e 80 rs. a libra.
    Ameixas francesas em latas de 3 libras por
    2,ooo. rs.
    Cebollas solas l,4oo o cento ; ditas em
    mol I ios com cento e tantas por"
    Malte excellente cha para
    a 2oo rs. libras.
    j 3,ooo o frasca
    1! Frutas em calda ohegadas ltimamente, pera, j ,
    pecego, ginja e outros muitos a 42o rs. a'
    lata de 2 1|2 .1 ras.
    Foijo verde em bages em iatas a *4o rs. a
    lata.
    dem de esparmacetea 56o rs. a libra,
    Caixa a OZO rs. COm -o libras. ^ porque lem apenas na pona do queixo, que se tem
    Papel o mehor que se pode desejar para os annuaciado por este jornal como fgido desde 24
    - t i|U' mili'; .*w <> uli \> n'v, w |'i lltMIVI '..'KI"
    dem de peso pautada e liso a2,ooors. a recimeotodas autoridades e eapiles de campo.
    os navegantes a
    AGENCIA
    DA
    FUNGI LOW-IQMOGO
    Ra da Scnzaila nova n. 12.
    Neste estabelecimento contina a haver
    na cflmpleto sortimento de moendas e meiai
    moendas para engenho, machinas de vapor
    e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
    tamanbos para ditos.
    Arados americanos e machinas para
    lavar rovipa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
    roa da Senzalla Nova n. 42.
    Viuno do l'erte superior
    dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
    .r Antonio Luiz de Oliveira AzevedoA C, no 6eu
    escriptorio ra da Cruz n. 1-
    ARMAZE1H
    FRONTEIRO
    DE
    MXJVm COUTIUHO A BRAMDAO
    21Largo do Tergo21
    A o publico.
    Ciourcas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a libra;
    ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranh5o e da
    India de 8o a loors. a fibra, e em a arroba de 2.6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
    a 1 ,ooo rs. a garrafa e em porcao, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
    I da a 4,8oo rs.; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
    ! novas a 4o rs. a libra, e f ,2o re. a arroba ; cha perola, hysson, miudinho a l,8oo, 2,4oo
    'e 2,5oo rs. a libra ; charutos des melbores fabricantes da Babia de 2,oooe 4,ooo rs. ;
    cerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
    vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo is.; cognac inglez superior a l,ooo rs. a
    garrafa ; caf de 1.a, 2.a e 3.a qualidade de 8,5oo, O.oooe 9,5oo rs. a arroba; cetadi-
    nha a -'oo rs. a libra ; ervilhas portugaezas em latas de 1 Va libra a 7 rs.; spermacete
    a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
    e em a arroba a 6,ooors ; genebra de tartaja a l.ooo rs. o frasco; idem de Hollanda
    a 64o rs., e 4oo rs. a botija ; graixa em latas a I,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
    feita flor a 8oo rs. a libra ; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maga
    1 de tomate a 6oo rs. a libra ; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra ; ale-
    de superior qualidade vendem-se em casa tra> untarta e macarroa 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a l.ooors. cadafras-
    de Schafleitlin & C, roa da Cruz n. 42. c0. nozes muiu novas a 2oo rs. a libra; passas a 4uo rs. a libra ; pam?o a 16o rs. ; po-
    pimenta do reino a 36o rs. ; papel almaco e de peso de diver-
    gmsa e 2o rs. a caixinha ; ditos de seguranza
    ,. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,ooo re.
    Fabrica Conceitfao da
    Baha.
    Andrade & Reg, recebem constante-
    mente e tem venda no seu armazem n.
    34 da ra do Imperador, algodio d'aqnel- m
    la fabrica, proprio para saceos de assu- *
    car, embalar aigodo empluma etc., etc., g
    pelo preco mais razoavel. M
    Charutos de Havana
    mada a 24o rs. a duzia
    Ra da Senzalla n. 42.
    Vende-se, em casa de s; P. Johnston A C, sas marcas; palitos do gaz a 2,2 rs. a
    o^llins e silbos itiglezes, candieiros e casti- individual a 2o rs a cm.nha e 36o re. o
    .;aes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, cada nm; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardmhas de Nantes de 4oo a 64o rs. a lata; sa-
    chicofespara cars e montara, arreios para bao massa ninto aonen; r a 2oo re. a hbre; toucinho de Lisboa mo.to alvo a 3oo rs. ali-
    carios'dfl um e dous cavaltos. e relogios de bra.; vmhe do Porto velho engarrafado a l.ooo rs; dem em barril a 8oo re. a garrafa,
    ouro natente inglez sendo Prto faz-se differenca eem caada a 5,ooo re.; rlem de Lisboa mntto superior a
    -----' L------'----------------ZTT* 4oo re. a garrafa e 2.8oo re. a ranada ; idem da Figueira J. A. A. a 5oo re. a garrafa e
    pa^de^otre fflSWTh So? & M- a ranada; idem do E^treito 86o e 30 rs. a garrafa e em caada a 2,56o;
    prompto e aterrado at a nha do caes, proprio idem Borleaux a 56o rs. a garrafr; dem nraBco de Lisboa, proprio para missa a 5oo rs.
    para quaiqner edrti'-cSo, ten*> excellente P^tode a garrafa; vinagre de Lisboa muito superior a 2oors. a garrafa, e 4,40o rs. a caada;
    embarque; vende-se por junto ou em terrenos te ^^ cev3(^a> alfasema, gaz e tijok) de limpar facas a lio rs, Presuntos de Lamego a 500
    d^MrataSZrul^arrlraW8^ ea.l.s a.ir rb outros muitos gneros qoedesnecessario menciona-los.
    ^P r^ (Nozes muito novas a 120 rs, a libra, e 4,ooo
    rs. a arroba.
    Amendoas confeitaas a 6oo rs. a libra,
    dem de-casca mole a 32o rs.
    Vinhos engarrafados no Porto e Lisfcoa das
    seguirrtes marcas: duque, genuino, velho
    secco especial, lagrimas doces, vinho es-
    pecial D. Pedro V, nctar superior de
    1833, duque do Porto de 1834, vinho do
    Porto, velho superior, madeira secca. Por-
    to superior D. Lalz I, e outras muitas
    marcas, ni caixa de urna duzia a Io,ooo e
    l,ooo rs. a garrafa.
    dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
    fa e 4,ooo a caada.
    Idea superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
    a caada.
    dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
    mareas mais acreditadas a 3,8oo a caada
    e 5oo rs, a garrafa.
    dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
    a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
    Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
    composicao a 560 a garrafa e 4,ooo re. a
    caada.
    Farinha de malarana a 240 re. a libra.
    Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna.
    Ricos livros com figos i,ooo rs.
    Pomada a 200 re. a duzia, sevada muito no-
    va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
    Garrafoes com 4 '/ garrafas de vinho supe-
    rior a 2.5oo rs. com o garralao.
    dem com 4 V ditas de venagre a I,ooors.o
    garrafa.
    Vinagre PRR em ancorlas de 9 caadas a
    45,ooo rs. com aancoreta
    dem em pipa puro sem o batisme a 2oo rs.
    a garrafa e l,4oo rs. a caada.
    Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
    deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
    resma,
    dem a zul de botica ou fugueteiro a
    a resma.
    2,oo rs
    IdcmembruHio de 1,2ooa l,4oo rs. a resma.
    Ameixas francezas em latas de 1 '/ 'Dra a
    1,2oo e 8oo rs. a libra,
    dem em frascos de 31ibras a 2,5oo re., so o
    frasco vaHe 1 ,ooo rs. tambem temos em
    frascos para 1,4oo rs.
    Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
    eu senbor d'dara que esse escravo foi romprdo
    a Francisco Antonio Thenorio de Albuqnerque (co-
    nhecido por lbico) morador em (oiamia, que vph-
    deu-o como (irocurador de Iom Barbosa Cordei-
    ro morador em Jangadera sitio Cauto Alegre bo
    mesmo terreno ne Goianna; ausentou-se oito dirfs
    depois d.' comprado, levando apenas no cor'pb
    duas calcas una branca e outra de castor escuro
    de listras, sem camisa, palptot preto. e com tfma
    carapuca encarnada na cabeea, secuio para a re-
    ferida cidade de Goianna em procura da casa de
    urna amafia que all tem, all foi visto at o dia
    em que constou ao tal Tbenorio (Chic) que offe-
    MOStarda preparada em potes muitO nova a rcense para amm-lo, mas infelizmente nao fot
    on re mais V|St0 d'-pois desse da, constando entao qn
    200 esse aL'ucm o condozio para Timbauba ou Cruao-
    ,,,., o __ __ #_. gy : quem porm agarra-lo ou der noticia certa
    Motaos ingleses a 8oo e l,ooo rs. o frasco. Jj,le a seu' senhor ^a rua Dfrefta n M da ridar^
    Cravo a 48o rs. a libra. do Recite, ser generosamente recompensado.
    Cerveja pnente verdadeira a 7,ooo rs. a "^"Cotiiifia fSgido e consta esur acontado eA
    duziae 600 rs. a garrafa. j Goianna o escravo Jos, preto, crioulo, de 26 an-
    Idem de outras marcas preta e branca a 5,5oo i nos> ba'*. t:orP regular, beicos
    p r\nn r a ritma p Kan n a ffarrafa os'orelnas pequea.-, racha{ g
    ir,.' ,;*.?!?";.- _2?a-.i! ^__'ba p"i,ie ,em aPenas na pn|a
    % duas calyas, urna branca e outra
    que parece preto, de listras, palel
    ini.-a b com urna carapuca encarnada na caneca :
    roga-se s autoridades policiaes e capitaes de cam-
    Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
    vindas do Porto a 32o rs.
    Cebollas muito novas a l,ooo re. o molho e
    8oo rs. o cento.
    Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
    e 56o rs. o frasco,
    dem em botijas av4oo rs.
    dem em garrafoes de 44 garrafas a 5,2oo rs.
    Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
    caixa.
    dem de dentes lixados em macos grandes
    com 2o rs. o macinbos a 12o rs. o masso.
    Cominhos muito novos- a 32o rs. a bbra e
    lo.ooo a arroba.
    Sag muito novo a 24o re. a libra.
    Cevadinha de Franca a 18o re. a libra.
    Milho alpista a 44o rs. a libra e 4,5oo re. a
    arroba, .
    Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
    Peixcs em latas a l.ooo rs. a lata ja prompto
    a comer-se.
    Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
    grandes a 4,ooo rs.
    Doce da casca da goiaba a 6oo e l,ooo re. o
    caixao.
    grossos e estufa-
    rosso, pouca bar-
    do queixo, le>vou
    duas calyas, urna branca e outra de castor escuro
    que parece preto, de listras, paietot preto, sem ci-
    po que o apprehendam e facam conduzir presen,
    ca de seu senhor na rua Dirtita desta cidade n-
    54, que serao genprosampnte recompensados.
    Fugio no da 22 do corrente o preto Mano:er,
    | Congo, de idade de 70 annos, levou camisa de W-
    godo de li-tra, caiga de casemira de qnadrinhos,
    chapeo de palha, tem as pernas arqueadas, urna
    marca de listra em nm braco, hem conhecido
    pr ter sido do f?r. Francisco Lins. Paes Barretd,
    senhor do engenho Arandepe : roga-se s autdf
    dades policiaes e capitaes de camim a aoprefreisie
    e entrgalo no pateo da Santa Cruz n. 4, que 49
    gratificar.

    a caixa e7oorsr a garrafa.
    O proprietario do grande1 armazem Uniao e Commercio declara aos seus fregu
    zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
    os mesmos preeos nos seguintes lugares :
    Uniilo e Commercio rua do Queimado n. 7.
    O Verdadeiro Principal rua do Imperador n. 40.
    Escravo frgido
    Fugio na noite de 26 para 27 do corrente
    mulato de nome Joaquim, de idade 3o annos, pi
    co mais ou menos, com os sienaes seguintes : a*-

    a*-
    |
    >af-
    tora e cori-o regulares, cabello corredio, com i
    de e pouca barba, com um carneo escuro deba
    do qneixo, pernas tortas, e os dedos dos ps espT
    ral hados, levou vestido ralea branca, camisa db
    algodo da mesma cor, e rhano de palha : rogti-
    se portanlo a todas as autoridades policiaes e ca-
    pitaes do campo a apprehensao do dito escra*o. e
    levem-o rua do Cabug o. 7, onde serao gratii-
    cados.
    Desappareceu da casa de sen senhor a pret
    crioola Honifacia. idade 40 annos, pouco maisj
    menos, bem fallante e desembarazada no ar
    levoo vestido de chita e chale de !a e nm flandMs
    para vender ateite pelas mas : rnga-se s antrni-
    dades policiaes ou quem a pegar o favor doj-
    va-la ao raes do Ramos n. 14, que serao generosa-
    mente gratificados.
    ILEGIVEL


    J


    "*

    Wllrtltifttllttfrf... Quinta felra *f> 4e fte.eml.i'. 4 i4.
    _ .






    i
    .1
    i
    4.
    LITTERATOBA.
    Pode muito bem ser que o qae ea noto como de-
    feilos, se bem que leve*, sejam sombras que o ped-
    ia pe-s veres ao lado das cores, como o pintor
    que artsticamente dispe os claros e escuro/. Os
    Os poetas brasileiros de todas as planas, desde
    os insignes cantores da Morenmba^-dosSuspi-
    xos poticose daNebulosa -ate os mais humil-
    des portei ros e continuos do Parnaso, se atirana an-
    Afialj-Se Critica h Obra titulaJa Fl0-lVerdadejros en,enjedores da malpria deridraolM nnalnfclf a felje. equasi sernan cThem iei
    Pea mDr<-haS por FlUuU tlVSIO da laboro em erro. r/.Vl/*.* a......,.**.
    Costa lulrim-, pelo padre anoel
    Amainio las Dores Chaves
    Rea presado collega 8 amigo.
    Pedes-rn&uma analijse critica para as tuas bel-
    lasc kjjrimeradas poesa?, que lio molestamente
    tata' Flores rinrchm. t que Aristarcho
    fustes oonflaV os teus poticos commettimentos ?
    Qntr. le demcnlia cepit f
    Tudo o mais est medida do desCjo.
    II
    Acho escolenle o leu romance, oti bailada 'O
    A'oivado. Estylo bello, ftaonte, e appropriado a na-
    lureza do assumpto. Acho. porm, um pouco obs-
    curo odesenlrccho ; nao est bem inlelligivel, se
    a protegonista do drama sugeitou-se ou nao, ao sa-
    crificio do hvmincu.
    D'enseias encruados fabricantes,
    Por Jove s (oi dado
    Gevar-se, quindo rauio, no reVesso !
    Longe estao d'apreriar
    As crystallinas aguas doPermesso.
    Aos sabios, porm, aos entendedores da materia,
    que nao a mim, curva reverente a cabega, e accei-
    ta de bom prado a correceao.
    frurfo. oassurflpio do coracao. S na aura da
    liberdade que oVpulmoes do poeta podem fistol-
    gar livremenle. E qffando a geracao nova, a mo-,
    cidade estudiosa assim revela o seu nalriolMi Se ,?Charom l9a 'T mu,, m^it0' na0
    deve haver fe no futuro da patria e esperaaca de'desaniraes' De ce I un "omme << &*&&*) n a
    que este bello paiz da Santa Cruz conquiera pelo pas rfi?U deS a'leS pour vo,er s'ensait que' se con'
    niuito recursos,ugar finaDt dans uu lcl,e pcur' 1 doive
    improprio, emesmo repulsivo, o
    desenvol violento dos seus
    ' distincto nos fastos da civilisago. -
    VII


    Parece tambum
    Que podes esperar da peca e faada intelligen- aliribulo de infernal, dado ao consorcio, synonnno
    ca. o do espirito inculto desio pobre padre Q (le matrimonio, um dos sete Sacramentos da
    Sabes o que 6 um padre no Brasil T freses quasi impraticavel no verso :
    Dtsvera ser eoiuj em tuda a parle do mundo ; o
    hornera da scioncia e da virtude : o homein desti-
    nado a preencher as funegoes do culto divino.
    , Originariamente, assim o era, e asim o deve
    ser. O bom seuso basta, para fazer compreneo-
    der, quo > ao hornera mais respeitavcl porsuas
    virtudes e illostracio convera cooBar-se a nre- .
    ... ,*. ., dado, colorida cora todos esses arrebques creados
    ifdenciado rulu divino; c que, p.ir-muito bem .. _fc._,.. ... ^ ,
    . ... ,.... Pcla phantasin. rodeada de todas as fireoes do en-1
    entendido respeto, essa importantsima fonema ^ ^ em ^ ^J como o objecto que o ,nsp,rou.
    dewa ser reservada ao porsinagem mais eminente sde crear nma m ^^ ^
    de orna soncdsde.
    McVhisedec,
    ta e de liorna eram os sacerdotes do pov
    imperadores romanos revestiram-se, depois, dessa
    Duas crystaffinas pcrolas cahindo.
    E'a niinha humilde opiniao.
    III
    A lerceira caneao, que tem por epigraphe O
    ten olhar nao est ao alcance o meu'estylele.
    AApparirao o Canto intimo-e o Soneto sao
    poesias erticas, sobre cuja analyse remetto-te para
    o que deixei escripto a respeito doTen olhar.
    E com ellas fecbasto a primeira parte das las,
    poesias.
    VIII
    Entramos na segunda,' e mais importante parte
    da tua obra. Aqui ja temos o trovador condecen-;
    do todas as notas harmoniosas, eamestradoemdes-
    ,0eS.':V0. a er0,IC."'.e nsP'rada Pel d,us v!n- ferir os accordes sons de sua lyra. A tua poesa
    ao Ocano um canuco soberbo e magesteso'
    pcur, il doive resler perpe-
    uellement oisif ?
    Quando a aguia altaneira devassa orgulhosa os
    plainos do cu, a carriga e o beija-flr lambem
    adejam saltitantes pelos rasteiros arbustos.
    E' a minha humilde opinio.
    Adeus; s feliz.
    Macei, 20 de abril de 18C'i.
    O padre Manoel Amando dtis Dores Chotes.
    ci de delirio em que se bate um cantor d'amorcs,
    dec, Aamo, os reis do Egj-plo. de Spar- lliVado a vag(1,,ar esS(, mundo se raja na0 fi
    J.T..-1 eram os sacerdotes do povo. Os i _____uj:... j._.j. .T__,__a____
    diftlijade. O mesmo eostume encontrou-se entre
    os povos da (.una e da America. Isto se deu em
    to'1>- os lempos, em todos o* paizos, c em todas
    as religioes E' o apanagio do clero de todas as
    seita-. Os Egypcios, os Chaldeos, os Persas, os
    povos da Asia-menor, os firegos, os Romanos, os
    para ser comprehendid?, deliuida e analysada por
    um ministro da egreja, que o condemnou a urna
    irremediavel solidao d'alnia, e para quem o mun-
    do deve passar desconsolado e triste.
    San excelleulcs as duas
    Vida.
    A la Imitacaoporm, est por
    DM POICO DE TODO.
    Lt!-se na Estrella do Norte o seguinte :
    DEDICAfjAO FILIAL.
    A viuva de um ocial morto na frica, tinha -.
    cado com um ilbo de nove annos, chamado Vctor
    ultimas quadras da p... ,:. ^.,u, ,
    ^ Lila Imita escolhido o bairro ma pobre e mais so-
    Quem sabe se vingasse omeu amor
    O que eu faria, oh I vifgem ?... Nao dlrei!
    Mas noje apenas digo-te, donzclla,
    Que no mar da dcscrenca naufraguei I !
    Sou um cadver que existe sobre o gelo.
    Tendo inerte o palpitante coracao,
    Vendo extingulr-se-m'a vida no abysmo
    Supplantado por ti sem compaixo !
    as trevas e no gelo tiritando,
    O teu nome bemdigo... arrependido
    Por ler ousado amar-te, mas, perdoa !
    Bsqaece para sempre o leu descrido.
    Da fevolueao de Setembro transcrevemos este fo-
    llielim de Julio Cesar Machado :
    L'MA VIMTA A ROSSINI.
    Ai I espectadores desse shakspeariano drama
    em mil actos que se intitula Vida de Pars, quanto
    Pars nos engaa a lodos e como ella se engaa a
    si propria I
    Jolgamo-ia entretida a cantar, a pensar, a fraba-
    lhar, a edificar palacios, a cstender fios elctricos
    que deitem at s margens do Mississipi c vao
    preader-se na palmeira e no cipoe ella nao co-
    gita de nada dmso ; tem um pensamento s, um
    nico gonho, urna idea (xa...
    Olhae !
    Desde o instante em que a aurora com suas inao8
    i (A) Tarnbem se chama a ssoalliteracoisto
    , a agglomcraco das'mesmas lettras. sobretodo,
    das mesmas ronsoantes. Ella produz algumas Te-
    ses felizes effeitos de harmona Imilativa, como
    Gauleze?, os Indios e os Cutos sempre considera-, nesses &&"* versos
    ram o clero un pantheon litterario, um reposito-' Pourqui sont ccssrrpentsquesifllent sur vos teles?
    rio das sciencias e das virtudes. Universalmenle, Sa croupe se recourbe en replis lorlueux.
    os padres erara os philosophos; isto : os sabios. | Ea servc ainJa para ajutlar a memoriS) como
    Befando o testemunlio de Herodoto, os padres cm alguns proverbios : t Qui ierre a, ugerre a ;
    eram ao mesmo lempo os philosophos o os legis-! Q"1 refuse muse.
    alores da sua fiaeao. O mesmo se dar entre os Joma-se, porm nm defe.lo. quandonada pinta, e
    ,,.j.n,.ir'. .___ u- t nao e senaoo elleito da negligencia do poeta, como
    masaos da Lnjldea, os gymnosoph.stas da India, ueSbe verso de Voluire :
    pndonssores dos brahmas ho liemos, e os Chas,
    Non
    il n'est ren que Nanitie n'honore.
    Militas vezes a alliteraco nao senao nm jogo
    pueril, que nao tem outro ment seno o da dilli-
    culdade vencida, como nesses poemas, cujas pala-
    vras todas comegam pela mesma leitra. Em um
    poema onde se cantava a guerra dos poneos (nao
    me lemhro do nome do autor) todas as palavras
    entre os quaes es mandarins sao os sacerdotes.
    Ka Gre:ia, e e:n Roma o sacerdocio era urna
    magistratura e Cicero (de divin.) naoipueria que
    a religio fosse separada do estudo da naturesa-
    Os druidas gaulezes, e os padres da Cermania
    eram os nicos philosophos dessas duas nacoes.
    Istoom i as mais remotas. Compulsa agora comecavam pela letlra P :
    a s (aginas histricas e biographicas de todos os Plaudite. porcelli; porcurum pigra propago
    paires ciTlIisadps, e encontrareis sempre os pa- Progreditur, etc.
    dres entre os decanos das sciencias e das virtudes, i Em um outro poema, composto era honra de
    rutilando entre aspleades dos sabios, como asiros; Carlos Calvo, todas as palavras comecavam pela
    brilhantes, nos paramos do firmamento Iliterario. 't'"ra ~ l-
    Tambera eu tive a lembranca pueri
    litario, e viva smente de um mdico trabalho de
    ernais vo-: aguiha que Ihe renda 50 cntimos por da. Seu fi-
    paraopoeta, denota pelo menos, deficenc de dacta a consolagao de sua mae.
    recursos ama revelagao de pobreza. condi5io, A vida ^ priva 5o bre vova [
    era que te nao considerara os que te conhecem. reduzd alterou SM saude E||a hu doent
    O Tasu no carme e uraa elega magnifica ; a ,ornou.se ncapaz de ganhar a| tanl0 ;
    eoltocacao, norem, me parece pouco natural. assim que um dia foi imposvel dar a sea Mho 0
    O cantor que deslere notas lgubres, montonas' bocadmho de pi, qae ba muito tempo Ihs dava i
    tristoobas, na mesma lyra que acaba de soar ver- para o seu almoco e jantar. O menino voltou tar-
    fa parte o hornera edificou cidades, apparece urca
    ou outra raulher realmente bella, rica, elegante,
    graciosa ; ora, se-se mulher fina, ter triota mil
    francos de renda, vestir n'uma verdadeira mo-
    dista, saber msica e nunca tocar pianno, haver
    hdo os poetas e os historiadores e nao fazei
    versos, cabellos adrairaveis, denles alvissmos, es-
    cglher luvas com goste, calcar com talento, saber
    dispr flores n'uma jarra e mecher n'um livro sera
    o amarrutar, poder cmfim dar o lom e a replica
    n'uma 6oiiversaeo, ser (juasi parisiense,quasi i
    'isto esta a cuudemnaeo, e o leitor, cuja intelli-
    geueia creadora tem col laborado em todos os poe-
    mas, perceba l entre si o nao sei que, o quasi, o
    nada, que faz com que s era Paris existam essas
    voluputuosas coimeras do impissivel, que se apa-
    nham cora lacos de ouro sera cessarem um momen-
    to de surrir, crealuras unieas, cujas mosinhas le-
    vantara monianhas dos seus lugares e vao p-las
    onde Ihes parece I
    No centro d'csse pandemnium vive sereno, des-
    cuidse indolente, irnico, um homern de quem
    se tem fallado tanto como de Napoleo, um ho-
    rnera que depois da morto de Canova lera sido o
    primeiro dos artistas vivos, m deus moderno en-
    fastiado de houras, fatgaiode gloria, de triumphos,
    de admiraces, e de mulheres ; rindo-se de iiuasi
    royadas abre as portas- do oriente, ate hora en- {, .... "Ui" uc ua0!
    canfada em que a Ilosalba, a Finette, e a Alice la Ilud' timando acuna de lo las as cousas o talento,
    provencale atiram no canean o ultimo enlrechat e I c es,"mnJo ac,ma a'onto, creio eu, um prato
    o ultimo sorriso, toda a gente de Paris dirige o es-1de raacarron' "> Pa^tel de tmffas, ora hornera
    ptrito para o mesmo pcoto, -ganlrar, adquirir,;1 V* a 2rande 0Dera- **
    sos critico--, repassados de felicidade, saturados de
    amor, semelha o campanario que havendo doude-
    de e contentou-se com alguns restos de leguracs e
    chorar com sua mae. Comludo nem um nem cutro
    achar, mendigar, desenterrar, arrancar, esgrava-
    lar, pecbnchar, juntar, augmentar, amontoar ou-
    ro. prata, cobre, notas, proraessas, valores, cam-
    pos, casas, vergeis, jardins, vlnhedos, dlreitos de
    autor e corvas de loiro, o salario do trabalho ma-
    nual e a gloria-, quanlo se vend?, quanto se emre-
    de compor
    os dous segumtes dstychos latinos com as iniciaes
    Pe T dos nomes de SS. MM. II., para serem
    gravados frente da casa que servia de paco quan-
    do se dignaram visitar esta capital i Macei i os au-
    gustos hospedes :
    Pacles Porte Panduntur, Petre, Palatt;
    Palmis Palrem Plaudit fopulus Palrke.
    Por diut urno lapso de tempo na Franca o clero fo
    a corporaco nica de sabios. i
    Mas no Brasil inteiramenle o avesso.
    Oque que d au hornera importancia e consi-
    deracao na sociedade ? -
    A instruccau e a virtude. Mas, o horaem sem
    inslruc,o s excepcionalraentc, e por urna graca
    especial, poderser virtuoso. Trinacria Translata Tenes, Theresia, Tit'lum ;
    Qual purera, a Instruccao que se d ao cloro Tant0 Thesauro Turba Tumel Temer.
    qo Brasil ? gao bellos exemplos de alliteraco os dous se-
    R.-spoudair.-no os supremos poderes do estado,' guintes versos de Virgilio, o primeiro dos quaes
    que com llliraitada e criminosa prodiscalidade ga- il,,iu perfeittmenle o galope do cavallo ; o segun-
    .,,,....__,*,. # i .i do pela accumulacao dos ss o sibilar dos
    tira sorama, immeasas, fabulosas, com os theatros,; ^ e os ^r^ Que faziam para quebrar suas
    por que sao escalas de moraliade, franqueiam ge- cadeias :
    nerosaraeate academias e facilidades para todos os! n ,._, ... ,
    , K Quadrupedanteputremsoniluqualit ngula eanipun
    ramos de sciencias, e fecham hermticamente os
    cofre* com a raaior deseandade, quando so trata Ldanles ventos, tempestates que sonoras.
    de alguraa medida tendente a ergoer do p, da ; Sao anda um magnifico exemplo de barmonia
    abjeceo e da ignorancia, em que se resupina, imitativa os seguintes versos :
    esse pobre clero que por ah anda vegetando:
    tlanda-se um moco, que se destina ao sacer-
    docio, cMudar de enlr.viada tres ou quatro prepa-
    nlorios, depois deslisar-se pe-functonamenlo so.!
    fcre as paginas do Monte e do Gazzaniga, e ci-lo!
    padre. Mc>mo por que nao convem que o padre
    jado alegres repiques de testas, e folgares, logo lamentavam sua iHfelicidade.
    tocado por rao de espectro, para dobresde-; Alguns dias passaram-se era horriveisprivacoes.
    nados. a viuva nao deixava mais seu pobre leilo e o nie-
    Eutretanlo abi manfeslas-te ura senlimeoto de nio continuava a ir escola para obedecer sua
    ternura, e urna doce melancola, que faz o letor | me: rjue Ihe quera oceultar o ver seus sotTrimen-
    possuir-sede vivopezar pelam estrella, e raesqui-! tos. Emtlm, os pequeos camaradas de Vctor ob-
    nho condo do melodioso cantor de Eleonor d'Est, servaram na escola que-elle nao 3lmoea*a mais
    e da Jerusalem libertada. j nem janra-va. Um destes tocado de seu ar doentio
    * 'lhc otereceu generosamente urna parte de seu al-
    Seguera-se-AminWa.-A mute.-A confistao. mogo; alguns outros o imilaram; mas Victor poz
    E a noute do ocano. Bellas inspiracSes. essas pequeas provisoes em sua algiberra, e veiu
    O que, porm, a todas as tuas poesias excede em chorando de alegra traz-las sua mae. Na ma-!
    belleza e mageslade sem duvida, &Paraphrase nha segointea mesma scena. Um dos frades, que ]
    da Abe-Mara, o a do psalmo 2"-Quare fremue- tnDa nota(]0 apallidez do menino e sua fraqueza
    rimt gentes. crescente, fes seguir a Victor. D'ah soubese que,
    grande opera, l de asnos era
    annos, locam Ihe os msicos, de improviso, a sim-
    phoma do (luilhermc Teil, o publico levante-s, e
    acclama em vivas o seu nome, o seu nomo que
    Paris den a uraa de suas ras principaes; e me-
    Ihor que tudo isto, um homem a quem Pars adora,
    e em qacra Paris pensa a cada instante, Pris que
    ga, quanto se desconta, quanto pode negociarse e nao peosa n'um e n'outro, Pars que nao abra
    reduzir-se a dinhero desde os milhoos da usura at ; n'Dg"e,>i:
    ao preco da poesia- lyrica, desde os beijos da Cora,; Rossint!
    que valem quarenta libras cada duzia, at s Jen- \ Urna carta de Beoeventano1 me apre;entava s
    tejoulas de arlequim, que se vendem razo de' Belletli, o famoso ornamento da. orchestra de thea-
    dous tostoes a grosa as barracas do Palais Royal! I,ro iteliano, c Bellelti deva apresenlarrae Ros
    Enriquecer.
    & depois f
    Mais nada, depois mais nada. Coicamente, e
    tal o ponto essenciaJ, essa chimera de azas brr-
    Ihantes, perseguida com- tanta ancla, a divina, a
    sini.
    Da primeira vez que estivo em Paris, j havia
    sido este um dos maiores deaejos, uraJ- da?
    autores ambices, a euriosidade mais impe-
    riosa do meu espirito, mas nao se deu occasio
    Wonae wehl von Thal und Hugel,
    Weitvvo Flur und Wiesenplan,
    Wehl von glatlen Wasserspiegel,
    Wunne weht mit mil weichem Flugel
    Des Piloten Wange an.
    passe alm desses rudimentos da hodierna civilisa-
    cJo. Sejam os trminos de urna llustraco o ri-
    tual e o breviario I E' urna triste parodia don
    s*lor ultra trepidan de Apelles.
    Por isso diz-se geralmente que o Brasil o paiz
    antipoda da civilisaeao.
    Mas, agora que reparo que tiz urna disserta-
    cio sobre o estado anmalo do clero brasileiro.
    E o que quero concluir d'ahi?
    Ao sacerdote do Deus purissimo nao foi dado
    coraureuender a profana poesia da mulher.
    < As naturezas que se destinam a esta vida as-
    pera, ingrata e contemplativa, a essa especie de am-
    putado moral, diz o Sr. A. Herculano, sao nature-
    zas graves, melanclicas, caitas de coracao, e des-
    ! pidas das paixes enrgicas que tumultuara a
    ! vida, i
    O sacerdote immoral e corrompido tarnbem nao
    ple comprehender a mulher. Em qualquer das
    hypoiheses em que me figure o meitamigo, j v
    Esses dous cantos, no meu humilde pensar, bas-
    lariam para formar o teu livro, e ciogir-te a cora
    de poeta.
    A essencia da poesa, como sabes, nao consiste
    na versificacao, que s um accidente della ; mas
    sim, em um genero de discurso vivo, animado, pa-
    thetico, ornado de figuras e iraagens, que repre-
    sentem o objecto cora admiracao e transporte dos
    espirilos que o lem e ouvera.
    o que se v nessas importantes paginas.
    E, meu amigo, se me quizesses ouvir, eu te acoo-
    selharia que nao dsses outro destino ao bello es-
    pirito com que Deus le dotou. Empregar a poesia
    em assumpto& erticos e apaixonados desvirlnar
    a sua origetn divina. Quanto della desviado o
    emprego de urna imaginacao fecunda, de pensa-
    menlos vivos e brilhantes, e de tudo is.-o que forma
    os poetas, para apagar paixoes criminosas, e exci
    te-las nos outros! t Pour quo employer le genie
    (diz o abbade Fleury no seu discurso acerca da
    poesia) l'etude e l'art de bien ecrire, a donuer aux
    jeunes gens et aux esprits faibles des mets soig.
    neusement assais onns, qui les empoisonnent, el
    qni les corrompenl sons le pretexte de flatter leur
    gout1
    Se nao fra j to longo este esboco critico,, eu
    te convencera com boas razos daverdade desta
    minha proposicao.
    Sao, pois, superiores ao meu elogio os teas dous
    cnticos sagrados, religiosos, e que s respirara
    unecao e meloda.
    Do intimo do meu coracao te agradeco a offerta
    que do ultimo delles me fizeste.
    Eu sou, nao ha nega-lo, um mu ministro da
    santa, nica e verdadeira egreja, a que to indig
    Quero concluir que o meu collega andou muito | qiie tal assumpto para mim omesmo parcel, em
    mal avisado, quando confiou de um padre desta que naufiagararn os padres Caldas. Felintho e Ma-
    terra a analyse critica de suas bellas poesias. cedo.
    Uraa vez, por qje fui honrado com to nobre
    tarefa, esforrar-me-hei por desempeuha-la. E' o
    tennes.....grandia de Horacio.
    Teote-lo-hei a rodo ; se me sair mal, nao farei
    seno juntar mais ara a lista de tantos Icaros.
    IV
    Acho exeelente a tua poesia que tem por epigra-
    pheA minha lyra.
    eila a liel expressao da amisade sincera e da
    modestia, que o teu apanagio. Outro tanto, po-
    L"mbro-me que pediste-me toda a franquesa. rm, nao posso dizer das q'ue teem por tituloA
    que firma aba-e las nossas relacdes. Dessa boa flor saudadePorque choras?0 que eu amoA
    qualidade me vanglono cu, anda quando a amisa- promessa -A lae oCanto do sabia.A par
    de nao a exige de mim. I dos boiis pensamientos, que aqui e ali se lem en-
    I i tresachados, ha muita mediocridade. muitos lugares
    Eslreastc a tua obra com um primoroso canto CnmiunSi
    -o suspiro do exilio. Por elle raoslras logo que j pBrd0t 0 meu amjg0; se ^ a queiraa.roupa firo
    oceupas um lagar distincto no Parnaso. E' urna seu amor pr(,prio. A siucendade da nossa ami-
    caoeao de amor e melancola. Ahi vcem-se em- sade mpe.me ela franqueZa.
    parceiradas, apegar da monotona do assumpto, a
    p!r i-"- polida e sonora, a fluidez da palavra, a bol-
    os bocados de pao sustentavam sua mae desfalle- |
    cenle.
    Os religiosos tocados desta miseria e dosta pe-
    dade filial Lio tenra, fizeram levar ura paneiro de
    provisoes porta da casa da pobre m>, sem se
    lazer conhecer; depois elles instruiram disto algu-
    mas pessoas que desde enlo soccorreram a -man c
    o filho.

    Deus para converter os pagaos opero muitos
    milagres -, mas um s nao fez para converter os
    atheus ; porque as maravilbas da nalureza provam
    de um modo Incontestavel a- existencia de Deus.
    S onega aquel le que tem interesse em que elle
    nao exista.
    Bem pouco christao era om autor que disse om
    pensamento muito christao ;e nos nao o occullara-
    mos para condemnar a quem segu outras suas
    desastrosas theorias em materia de religio : aCon*
    servae a vessa alma em estado de desejar que Deus
    exista, e nunca duvidareis de sua existencia. .

    O PADRE \ nON.
    0 padro Quron, jesuite residente era Marselha
    esteva pedindo esmola avor de uraa viuva car-
    regada do filhos.
    Cm baaqueiro rico e rabugento que muitas ve-
    zes o havia servido em iguaes circurastancias, des-
    ta vez estando mal dispesto o repelliu cora rudsza.
    O padre insiste.
    Senhor, dae-me alguma cousa.
    E como repetisse o sea pedido, o banqoeiro im-
    pacientarse, levantase e d-lhe unta bofetada.
    Moa senhor, Ihe disse o bom padre com tran-
    quillidade, isto para mira, mas para a pobre mu-
    lher, se quizerdes dar-rae...
    O banqueiro, tocado e vencido, deu-lhe urna es-
    celeste opulencia, que ser della quando caia em i de rae aProx',nar ^ ''<" delta msica, e voltei para
    Lisboa teudo-o avistado apenas, urna tarde, n'uma
    carruagem de atuguer, que felizmente para mim a
    bem de vagar, pela explanada dos validos.
    Quando Belletli, o mez wssado, fci boscar-rac
    hospedara parame levar a cysne de-Psaro, tive
    urna alegra de creanca. Puz-rae a danzar ssi-
    zer A^ minha quinta, o- meu palacio, os meus d*0- e> como Belletli olhasse para min pasmado,
    haveres ; em Pars... P"ncipiei a dancar cora elle. Belletli- o melhoi
    Paris vive inteira n'uma loucura febril, incura-' des homeos, o mais affavel, o mais delicado, etem
    poder do qno conseguir pendurar a bocea em san-
    gue a- um freo de diamante e o tomar nos den-
    les ?'
    Em todas as outras partes, a riqueza o fim :
    em Pars o meio.
    No resto da Europa ecriquece-se para poder di-
    vel, fecunda sublime, que araamenta obras, esfor-
    cos, prodigios,a loucura do amor !
    Ser aado, amar no centro do luxo, o ideal a
    que alegremente se sacrificara aquella? existen-
    cias, que o trabalho tritura incessante.
    Em Par: por traz do milho que se ambiciona,
    ha sempre urna figura de mulher, a sorrir e a cha-
    ma-lo com o delicioso aceno das seras.
    E' o que s nessa ierra ellas sao deusas, nao s
    amadas, mas adoradas, disfruetando a confiaaca e
    respeito de sua divindade, e ubegando a gosiar de
    si proprias o a fazer a diligencia de irem subiado
    degrau a dograu a escada de crystal da perfei-
    co!
    E ahi est tarnbem o motivo pelo qual :m um
    homem possuindo a titulo e> marido ou de aman
    bem o mais alto e o mais esguio.
    Fraschiui faliou hontem muito a-Kossiaia
    seu respeito, disse-me Belletli, e recommeodou-o
    nos termos mais afectuosos; depois da caria de
    Beoeventano e dos louvores de Fraschioi, o senhor
    vae ser tratado por Rossini como um amigo-velho I
    lia. de agradar-lhe a elle o genio alegre que cuido
    observar-lhe, porque o divino mostr tora- ara ca-
    rcter bnncalhe-, que s pode magoar aquerafor
    ridieulo. Arremeda as pessoas com mciu graca,
    faz rir custa do gestos e raanelras dosseus ami-
    gos que mais simples parecen) de raedes, e nao
    nenie ensejo de ama ratice : mas o fuado do seu
    genio excedente-, gosta debrnear. Ah est que
    passando elle a noute era casa de um cardeal, pe-
    diraa-lhe que cantasse qualijuer cousa, e o eauda-
    A leilura, porm, das datas em que foram ellas
    lesa do pensamento, fallando somente o mrito da ^criptas le absolver dessas fallas. Foram ellas
    ..... twiuru,la< u imlitiic anime loli-a7 tm tito mununt-
    innovago. Ao le la, pareca soar-me aos ouvidos
    oihodas plangentes endechas, e lamentosos thre-
    ni3, qae a i'iisi viate seculos, no inhspito paiz
    dosTomitanos, e bordo do Eaxino, descanta va
    sO a presso da nostalgia, o sulmomense profes-
    sor d'arte d'amar.
    inspiradas a muitos anuos : tal vez em tua raenem
    ce quando o trovador, descoohecendo anda o dia-
    pasao da sua lyra, dedilhava a medo.
    Era recompensa, lose logo a satisfazer a que de-
    dicaste aL'nsolhos -e a cocheia immediata. Teem
    tanto de pequeas, como do bellas. Posso applcar-
    K quem, meu charo collega, ausente da patria, Ibes o paucum sed bene paratum.
    deixar de exclamar com o infeliz martyr dos
    amores :
    Lbitur exoculis r.tinc quoque galla meis I
    Go das pelas arvores annosas, pelo ruido das vagas,
    pelo transcaleute perfume das flores, pelo ciciar
    das auras, pelo coaxar montono das ras em gela-
    das noules de invern, pelo gemer profundo e te-
    rico das selvas, pela ausencia da patria, longe do
    lurbilho de urna sociedade tumultuosa. E'no si-
    lencio da solidao que os chos da vida se desper-
    4am cora mais estridor, t por isso mesmo, di'.
    tira escriplor contemporneo, que o espirito vela-
    dor do pensativo tem occasio de sorprender fa-
    ca do mundo perfeite e desvelada, notar-lhe todas
    as rugas, toca r-1 he em todos os polypos hediondos
    que lno ainorpheiam o semblante ; porque enlo
    .que uem a poesa dos sophsmas nos empana a va-
    ji, aera serve de vu, ou sudario, onde o falso ido-
    ~ft se erabuce e subtraha aoolho interrogador e se-
    bero do poeta, esse philosopho caduco da humani-
    dade, que argumente cantando, c cujos syllogis-
    nios sao em versa
    Achei, pois, excellente a tua primeira canejio.
    -Perddi, porm, mea amigo, qae Ihe note doas pe-
    qaenos deleites:
    1 A rcnnlio de doas adverbios monossyllabicos
    de lempo e de lugar, no primeiro verso logo ; e de-
    l*is, dos quatro seguintes, a agglomeraco, ou de-
    masiado coaenrso de artigos femeninos, e outros
    mme9 que comecam por a formando urna fS-
    #eoie de paropidon, ou battologia de lettras. (A).
    O mote que segue-se foi felizmente glosado. A
    coniparacao porra, feila nos dous primeiros versos
    est um tanto atrevida.
    Besente-se do vicio opposto ao que chamamos
    tapiioi.
    Acho muite impropriedadc as methaphoras
    csclho a"bano e cryslaes duros.
    No alcinitente esqueceste o preceito do nosso
    velho Horacio.
    c Dixeris egregie notum sicallida tefTmm
    t Reddiderit juntura notum."
    Lembra-ie que, logo adianto do dabitur liventia
    l-se oumpta pudenter.
    V
    A tuaSupplicae a Caneao a jovensao boas
    inspracoes. Smente reeentem-se de um pouco de
    monotona, pela homophonia dos consoantes; mas
    noto que sao de 1852 e 1850. Era o trovador novi-
    <;o a descantar amores.
    VI
    Sao de bom gosto as canfoesOs lamentose
    A Ella ; se bem que esse titulo, por sedico.j se
    presta Uoje as risotes e aos motejes.
    Parece que o fraco da poetagem; perda-me a
    novidade da expressao. Mas a todas excede em
    belleza a poesia-A um pae -dedicada ao tea hon-
    rado e estimado padrinho.
    Est soffrivel 0 Cntico.
    magnifica a tua obra aoScf de Setembro.
    mente sirvo ; mas, confesso-o ingenuamente, > mo]a aVultada e lhc disse :
    pareco-me rom o filho prodigo, que deseja arden-1 Qaando vos fallar meios de fazer esmolas
    lmente voltar casa do seu pae. A Biblia, e tudo ; Vo|tae minha casa.
    o que diz respeilo Esposa de Jess Chrito inte- --------
    ressam-me summamente. Transcrevemos ao Jornal do-Commercio da corte
    1 o seguinte:
    l'ertsncer-me-ha, pois, tarnbem urna parle da Muitos dos nossos leitores se recordaro dos de-
    gloria que te ha de caber pela publicacao da tua ^nhos de beija-ftres do Sr. Martim Johnson Rea-
    Obra. Generoso, como s, quizeste estereotpalo dei que em principios do aano passado estiveram
    meu humilde nome frente da mais bella de las ^ 8Xp0sicao que-se fez no pago da cidade, e vale-
    poesas. mais um titulo estrella e sincera ami- ram ao seu autor urna condecorado,
    zade qae nos liga. (j0m estes desenhos resolveu o Sr. Heade formar
    E pela importancia mesmo de tees paginas, um lbum,
    que eu quizra que ellas fechassem. a obra, e fos- Vimos opriuieiro quadro, que cama.bella amos-
    sem collocadas no corpo della as ultimas caneos ira de chromolithographia oleo, executada em
    Judas e o Rei louco alias de muito mereci- Londres pelos Srs. Hanhart, e exposte em casa do
    ment. Depois de expandir sons tao vibrantes, Sr. Bernasccni depois de ter sido apresentado pelo
    muito natural que se desafine a lyra. ; Sr. Fletcher a S. M. o Imperador como primeiro
    X assignante do referido lbum, que compoe-se de
    Tenho concluido a-Ana/yse-que me pediste. v,nte quadros seraemantes debaixo do bem rscolhi-
    Ahi vao, pois, meu caro collega, ao lado de tuas'do wc *-vingijeth af Brasil, aladas pedras
    inspiragoes, no limite desse teu luxuoso jatdira, as Preciosas *> Brasil.
    flores paludas e fenecidas de minha imaginacao | 0 quadro a que uos referimos torna-se notavel
    enferma e pebre ; e, anda mais, mangrada pela pela feliz esmbinagao das cores, cumprindo adver-
    minha apensionada vida do padre e lento e baiari- tir que nao foi colorido mo, mas impresso como
    nheiro de jornaes, que nao me permute estudo auxihode diversas pedras.
    serio. **
    Vas, portento, apparecer com o tea livro em pu-' A ioiporlagao do ouro o prata em Londres, du-
    blico ; aguarda sereno e tranquillo o juizo de teus ranl primeiro semestre d-ste anuo, foi de Ls-
    cricos. Elle me parece excellente. Deixemos- M66,281, tendo sido no periodo correspondente
    Ihe o direito da apreciacao: alguns (aro sobre ell0 do anD0 Passado Ls" 15780.803-
    juno mais lisongeiro ; muitos injoslamente o de- A "Portagao foi de Ls, 12,583,196, tondo sido
    preciaro talvez. em 1863 de 13,634,336.
    Foi a respeito dessa dversidade de opines que I Brasil'nesle semestre de 1864 figura londo es-

    i portado para Londres Ls. 53,656, sondo Ls. 19,449
    \ em ouro e Ls. 14,210 em prata; e tendo importado
    ! de Londres Ls. 959,735, sendo 861,260 era ouro e
    ' 88,495 em prata.
    No semestre correspondente de 1863 o Brasil
    importen de Londres L. 1,031,560 e exportou para
    O numero dos ltimos ser sem duvida o maior. aili Ls. 24,000.
    Nesla nossa trra, em que tanto falla a intelli. | Estes dados sao tirados de urna noticia estatisti-
    gencia e o saber, como abundam a presumpgao e a ca dos Srs. Pixley, Abell e Langley.
    inveja, nao faltaro Apollos barbados, fabricantes
    disse Pope no seu Essay ou cnticism :
    t Tis with our Judgments as our watches, none
    i Go just aliko, yel each believes bis own.
    Como os relogios sao nossos juizos ;
    Nenhum vae certo e todos crem no proprio.
    te urna verdadeira mulher, invejado, admirado, ce- i teo foi supplicar-lhe que- qnaiMe menoo- a eango
    lebrado, odeado, cantado, enlameado, e div-nisado, sereferisse a amores meliior era; Rossini cantou
    era Paris um persooagem como se fosse om sa-! oma enflada dc Klial'ces em-. twlonhez, qae nin-
    bio ou um nlionario,-se que nao mais que' PKm' Percebft,Jv e "iu h bandeiras despregadas I
    isso tudo, visto passear de chinelas no EMorado ] Agastaram-se atflnns por tai. comportaraente. Que
    a que apenas-vista a grade qae o cerca, l ao loo- ina'' ll0nve ni:Wd Brincar.
    i, no fim de-seu caminho Pjrque motivo nao trabalha elle he tantos an
    E a cada passo, ouve-se murmurar um bando nos ? perguntct eu, em quanto me vesta,
    de ideas, eomo demonicos a chicotearem o ar com i O orgulho e a preguiga, meu carG' senhor.
    as azas; passa urna scintilhrate figura de mulher,, respondeu Bclietti. Conhcoem em Lisboa Guilher-
    e uns enchugam nma lagrima das que aorem ru- me Tell ?
    gas no rosto, outros levam a mo ao peJo como| (>?riamele; Aiada este- anno se-oaotou mui-
    para estancaren! o saogne-de ama ferida ainda las noul,s aida ea assobJei o edre do bailado
    aberta, estes sobresaltam-se, aqiiolles baixam para: ... .
    a ierra um olhar de saudade e de vergonha... ] esW mannii:i '
    E' porque tomou parle, essa mulher, em todos | Pois :.bi tem : Cuhatnie Tell representa iii
    os amores que matam a fe a mondad da alma, papel muito importante na vida do -najstro. Ao
    e qnantas org.as ha Ihe lem.banha.lo a ronle con, < f aco!ha)enlo (uc 0 Wico fez a ^
    urna luz descorada, sem que se d o aaso de ter i .J ^7 H
    i da primeira vez, deve-se taivez a abdiea?ao dc au-
    tor ; tinha a consciencia de haver prodnzido urna
    maravilha, e a indfforenca do publieo feriu-o pro-
    fundamente ; quando a opera voltou de novo isce-
    na, na poca dos triumphos de Dnprea, dehaMe o
    xito quo teve entao viogou o mestre da injasta.
    frieza dos primeiros jwzes ; choveram as popos-
    tas, a.qual dellas mais tentadora, mas sua resolu
    gao permanecen irrcvogavel.
    havdo um copo que macs trmulas e paludas ha-
    jam enchido de vinho, sera que ella te aba molhadO
    nelle os oaJ<&llos...
    Sauda-a a agona com um sorriso, e o estertor
    dos morios diz-lhe : minba irma porque se cha-
    ma a loucura, e os beijos sem coma, que mal Ihe
    teem tornad-i os dedos mais d^lgailns, bastaran)
    para gastar o< degrus. de granito "jae conduzem
    aos vestbulos dos palacios.
    Lontetnar-se-hiam os vampiros esm o beber pa-
    ra se aquecerem o saogne de oossas veas ; mas
    ella bebe o rao de luz e de chamma que 1 .v,i im-
    prirniu nos semblates humanos oemo iadieio da
    sua raga I
    Mais perigosa do que a Marc, absorve mais Ra-
    phaeis do que os hroes da liberJade gastaram de
    pares de sapatos, e dao idea os seus amores d'a-
    quelles exercilos d!anjos armados que pairam por
    cima de um campo de balalha juncado de cadve-
    res...
    Espalha o ouco como o vento do ottomno disper-
    sa as folhas sceas.
    Honra, virtude, a sania amisado, o-respeito filial,
    tudo cae em unza, ao seu sopro, nos-eoraces quei-
    mados 1
    L-se no Crrelo do Sal, do Rio Grande do
    Sul :
    Umacarm, que recebemos de Sant'Anna do. Li-
    vramento, nos d a seguinte noticia de urna rea-
    gao caprichosa da nalureza, que por nos- paaecer
    cheia de euriosidade damo-la tarnbem aos imssos
    leitores
    Ha peucos dias (diz o correspondente) aqui vi
    mos urna mulher em miniatura, como se tiara i Je
    pelas diraenscs seguintes tomadas com euidado.
    Tem ssa creatora tres palmos, e tres, pollegadas
    de ailura, medidas do occiput ao taJao; dez polle-
    gadas. dc curnprmento o membro superior e dozo
    O mogo destroe por causa d'cIJa o seu futuro e o 0 -^^ quinie pollegadas de aintura. A ca-
    futuro dos seus; e pelos fros de Janeiro o chele j D2Ca olToreee seis pollegadas no dimetro occipito
    de familia passea-lhe debaixo das janellas eonche- rronta|) ft l}ua(r0 no biparcital. sea plano nao mar-
    gando entre as maos o.dote de suas lidias, que li- ca raais ^ duas pollegadas e oito linhas e o p
    caram pobres por causa de ora capricho; e o filho ; tem aDsnas tres pollegadas.
    do poreiro, rapaailo de treze annos, tambera se na-1 Por eslas dimea!i5ss v.se ^ ha regular pro-
    porgo entre as difiranlos partes, e assim sao to-
    das as do corpo, cujo todo nao representa raais que
    o de urna crianga de 2 li2 anuos. E quaatos ter
    este ente especial? Por fidedignas intormaeoes
    Primeiro estonteia-nas a superficie, depois pouco I sabemos que ella coala nada menos de 13. 14
    pouco, vae se Iho estufando o fundo ; percebe-Ja annos- Nascida no departamento de Ta/iuarimb,
    mora d'ella, e rouba a man para poder offerecer-
    Ihe raminhos de camelias !
    De cada vez que se vir Paris, ha de gaubar-se
    urna irapressao nova e diversa da antecedente.
    Pedera-nos a seguinte publicagao .
    RFPB1TOS d'AMOR.
    (A' T. J. Marioho.)
    empreiteiros de sonetaria apaixonada, como chis-
    tosamente os chrismou o Sr. Castilho, que Ihe des-
    cbrala trinte mil defeiles. A gozara desses ma-
    llos Iliterarios costuma ser grande ; porque cer- Com os saudosos suspiros da minha'alma
    tn o dito do ia rilada nrwfi i i I?0063 temPos relembro, em qae eu viva
    lo o dito do ja citado poeta. | De crenca) d.amor) de prece aTmCj
    c Pridc, where wHh fails, steps in lo oar defenco Que o meu temo peito innobreca.
    Trepa a soberba onde o juizo nullo. mundo era um jardim, um paraizo
    Para mim, que enire anjos e mil flores
    Desses nao facas caso; porque toas para seu de- Viva de perfumes e de encantos,


    breamento os versos de La Kontaine :
    i Jamis an laardeau, quo qu'll fasse
    c Ne sauralt passer pour galani. >
    Qae de tees zoilos anda o mando hgado !
    Do Pindaro avaliar o doce mcl
    Nao este ao alcance
    Este assumpto tanto mais difflcil de cantarse. D'empantufados gargantees farfanles.
    quanto a ser j est muito respigada, A taes quadrupedaotes,


    Ao lado d'Ella morrer d'amores.
    Eu amava-a com o amor que s dos anjos,
    Inda mais era extremo eu adorei-a !
    Em delirio beijava a sua imagem,
    Mea Deus I No imo peito ealhrouizei-a I
    Mas bem cedo achei-rae s, e Iludido....
    Ella a outro ama va I... e nao mim I
    Que com preces d'amor mais fervorosas
    Abriam-se os seus labios de carmim-! ,
    completamente, e poder conu-la, sso nunca tal
    vej; mais prudente seria mil vezes luciar no cir-
    co de Price com o homem do trampolim mais com
    o da perche, ou trepar a urna escada que cousa al-
    guma agente e l em cima locar na quarta corda
    as variagoes de Paganini, do que querer tragar ty-
    pos tao assustadoraraente inverosiraeis forga dc
    verdade I
    O que porm certo que .essa capital consa-
    grada ao pensamento, ao trabalho. e ao amor, em
    que toda a gente leva ao fim obras gigantescas, e
    onde se este sempre recoraegando a rollar no cimo
    do monte verdejaute algum amor que caia em oi-
    ma de um iodividuo como o rochedo de Sisypho e
    o esmague essa Pars exasperada de paixoes as-
    sustadoramente fecundas, eloquente, espirituosa,
    cria para si e pela torga das coasas mulheres es-
    peciaos, que nao podem existir genSo em Paris, por
    Paris, e para Pars; fdra d'ali apagar-se-hiam
    como sombras vagas, porque j nao teriara raiao
    de ser,-aera encontraran! em redor de si o ar qae
    respirara : nascidas na encanto, e tiradas per f i tas
    da caldeira ende Paris, como os demonios da Unta-
    em cuja villa foi baptisada, filha de Joo Rodri-
    gues e de Mara Rodrigues; tem mais rmaos,
    estes tem lido croscimento regalar. Sua mae in-
    forma que, tendo ella nascido de regular taoia-
    nho, leve creseiraeuto regular ate a idade de tres
    anuos, e parece que d'ahi para c nao tem cresci-
    do raais. E' proporcionalmente nutrida, lem re-
    gular physionomia, e comqnanto seu acanharaento
    nao dsse lugar a julgar do gru de sua ioteli-
    gencia, fomos lambem informados qae tem lido
    dosenvolvimento iutetleciual. Sete pelas for-
    mas de seu corpo iaJioiOkde puberdade; faltam-lh
    lateirameute os seius. ^odas as suas funeges,
    finalmente, parocem faier-se regularmeale, fal-
    tando completamente aquella incumbida pela na-
    tureza do crescimento dos orgos.
    Nao nos pareceu de raga branca pura, e sim
    algum tacto indialica.
    Se o crescimento desta mulher nao foi apenas
    retardado, poder ella ganhar a vida nicamente
    mostrando-se aos olhos curiosos, assim como nao
    ha muitos anuos no Rio de Janeiro o (ez o aoo
    Roberto, que, entretanto, tinha milito mais dosen-
    volvimento.
    gao, Junta as borboletas e as vboras, sao essas as
    verdadems heronas ; por todo o mundo, e quan. PERN<\MBUCO,-TYP. DE M. F. DE F. & FILHO
    ILE6VEL


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EP123V56X_F8JUFX INGEST_TIME 2013-08-28T01:58:13Z PACKAGE AA00011611_10479
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES