Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10478


This item is only available as the following downloads:


Full Text

y.
AMO XI. HOMERO 222
Per tres Mezes adiantados 5)000
Per tres mez^s vencidos 6fOUU
Perte ao correio per tres mezes. #750
.&* Vi-

.
ODBTA FEIBA 28 BE SETEM3R0 DE 1364.
ii. i iMI > ...
Per Hlf ad'antado.....i9$00O
Perte ao cerreio per nm anuo 3$00()
WH1#H. HHfi.-r.w-
INCARREGALOS LA bUBaUUfCO iNO NMh.
Parahyba, o Sr. Amonio Alexandrino de Lima'".
Natal, e Sr. Antonio Marques da Silva; Araraty, o
r. A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
liveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os-Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
Biazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
NCARREGADOS DA SUBSCR1PCAO NO SL
Alagas, o Sr. Claadino Falcio Dias; Baha, o
Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Fe-
rie
ra Martins & Gasparino.
i-rtRiJ-A Us BsTaKSTAS.
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Ignarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caraaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazaretn, Limoeiro. Brejo, Pesqueira.
Ingazeira, Flores, Villa Bella,Tacaralu', Cabrob,
Boa Vista, Ouncury e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, Rio Ponnbso, Tamandar, Una, Barrei
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas eiras.
Una de Fernando todas as vezes que para aii sabir
navio.
Todos os estafetas partera, ao ty, dia.
KPHKMKRiDKS DO MKZ 1E SETEMBRO.
1 La nova as 3 li., 48 m. e 8 s. da m.
i Quarto cresc. as 3 h., 30 m. e 38 a da m.
1"> La ctaeia as 6 h., 40 m. o 20 s. da t.
22 Quarto ming. as 4 h., 34 m. e 14 s. da t.
30 La nova as 8 h., 23 m. e 10 s. da 1.
PRKAMAR DK HOJB.
Primeira as 1 horas e 18 minutos da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manhaa.
J PaRTIUa DO VArORts LflSlajBXb.
P*ra o sol at Alagas a 6 e 25; par o norte at
a*nja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
di*< 1* dos mezes dejan, marc.. maio, jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Iva o Recife : do Apipucos as 6 V,, 7, 7 /z, 8 e
da m.; de Oiinda as 8 da m. e 6 da tarde; de
ito s 6 Vi da m.; do Caxang e Varzea s 7
; de Bemficas8 dam.
Recife : para o Apipucos s 3 >/j, 4. V* Vi,
U< 5 V e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
a e 4'/da tarde; para Jaboato s 4 da tar-
ara Cachang e Vanea s 4 Vi da tarde; para
c asi da tarde. I
PARTE QFF1GIAL
fiOVERM DA PROVINCIA.
txpe#eale de dia 24 de sftfinbro de 186 i.
Officio ao desembargador presidente do tribunal
do commercio.Queira V. S. informar sobre o que
Innocencia Antunes de Parias Torres, pede ao go-
verno imperial no incluso requerimento.
Dito ao inspector da thesourana de fazenda.
Em vista da sua informacao do h>;je, sob n. 539,
mande V. S. adiantar ao almoxarife do hospital mi-
litar a quantia de 1005000, para occorrer o forneci-
mento diario de medicamentos necessanos phar-
macia e outros objectos constantes di> pedido jun-
to. Communicou-se ao commandante das arruas._
Dito ae mesmo. Participando o bacharel Joan
Couzaga Bacelar,que em 1" docorrenle, passou ao
respectivo proprietario o exercicio do cargo de juiz
de direito da comarca 'lo Cabo, e reassumio o de
juiz municipal e de orphos do tormo do mesmo
Bme : assim o communico V. S. para seu co-
ecimento.
Dito ao mesmo.Mande V. S. receber bordo
do vapor Jaguaribe, aflm de seren vendidas, e o
.seu producto recolhido ao cofre dessa thesouraria,
30 arrobas de algode de producn do presidio
de Fernando, as quaes foram embarcadas no pre-
dito vapor, segundo partiripou-me o respeciivo
commandante no incluso offkio que me ser de-
volvido, datado de 12 do corrente, e sob n 91, cum-
Srindo que V. S. nessa occasie me informe acerca
o fornecimento da machina de descansar, que no
mesmo oflicio pede o mencionado commandante
para uso d'aquelle presidio.-Offiriou-se ao geren-
te da companhia Pernambucana para fazer entrega
do algodo de que se trata.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Declaro V. S. para seu conhecimento e direccao
jne o chefe interino da repartirn das obras publi-
cas capito Francisco Raphael de Mello Reg, par-
ticipou em officio de hoje. e sob n. 238, que nesta
data assumio o nenelo do seu emprego, por esta-
rein encerrados os trahalhos da sesso da jury de
que fazia parte como juiz de facto.
Dito ao mesmo.-A' Manoel Jos da Silva Oiivei-
ra, mande V. S. pagar, urna vez qne nao baja in-
conveniente, a quantia de 69*600 reis despendida
durante os mezes de julho e agosto deste anno, com
o sustento dos presos pobres da cadeia do termo
da Escada, como se ve das duas inclusas contas
que para esse fim me foram remettidas rom officio
do chefe de polica, datado de hontem, sob n. 1177.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao Dr. chefe de policia.Intelrado de se ter
procedido corpo de delicio e tratar-se da instau-
rado do respectivo processo pelo ferimento feito
era Leonardo Jos de Souza, no da 21 do corren-
te, e no lugar Piranga da freguezia dos Afogados,
por Joo Moreno, que conseguio evadir-so. como
consta do officio de V. S., n. 1183 de 23 do cor-
rente, recommendo toda a actividade e deligencia
para a captura do criminoso.
Dito ao commandante do corpo de policia.De
conformidade com o que solicitou o Dr. chefe de
policia, expeca V. S. suas ordens para que as noi-
tes em que houver espectculo no theatro de Santa
Isabel, ali se aprsente urna guarda disposico
da autoridade policial incumbida da inspeccao do
mesmo espectculo.Communicou-se ao Dr. chefe
de policia.
Dito ao mesmo.Ao soldado do corpo sob sea
commando Antonio Claudino de Oiiveira, que con-
clnio o seo engajamento ; como consta de seu nfli-
eio n. 417, de 23 docorrenle, pode V. S. mandar
dar a baixaque solicita.
Dito ao mesmo. Pelo officio de V. S. n. 419, de
23 do corrente. fiquei serente de que o soldado do
corpo sob seu commando Manoel Ignacio de Aqnino
Regs, finalisou o seu engajamentoe contrahio no-
vo, depois de julgndo para isso apto.
Dito ao commandante superior interino da guar-
da nacional de Tacarat. Estando David Barbosa
de Souza Ferraz nomeado e com patente de capito
da 3.a cornpanhia do batalho n. 34, de infantaria
da guarda nacional dessa comarca, recommendo
V. S. que lance o cumpra-se em soa patente
e expeca suas ordens para que o respeciivo com-
mandante Ihe delira juramento e d posse nos ter-
mos do artigo 81 do decreto n. 722, de 23 de eutu-
bro de 1830,
Dito aocomimndante superior da guarda nacio-
nal de Cabrob.Respondo ao ofilciu de V. S., de
4 de agosto ultimo, dizendn-lhe que no impedimen-
to do commandante da companhia avalsa do mu-
nicipio de Cabrob, deve o seu substituto legal mi-
nistrar as informacoes de que carece esse com-
mando su jerior, paira sati vidade possivel as circulares desla presidencia a
que allude no seu citado officio.
Dito ao inspector do ar.-enal de marinha.Para
ser alistado na companhia de aprendizes marinhei-
T(X, faco apresentar V. S o menor Jos, que me
foi remettido pelo juiz municipal do termo de Ipo-
juca.Communicni-seao predit> juiz municipal.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Respondendo ati officio que V. S. me. dirigi em
13 do corrente, sob n. 9i, pelindo esclarecimentos
acerca da remessa que os ollciaes e emoregados
desse presidio fazem continuadamente, para esta
capital de farinha de mandioca e de outros gneros
de prodncc.ao dessa ilha. tenho a dizer que faca ef-
Sectiva a ordem expodida a esse respeilo por un
le meus predecessores em 23 de ontubro de 1861,
urna vez que a sua relaxaco prejndica aos inte-
resses da fazenda.
Dito as mesmo. Inteirado pelo seu otciode 12
do corrente, das vantagens que se ha tirado e a
medida por V S. posta em oxecncao nesse presidio
de dar-se diariamente rancho de caldrra todos
os sentenciades, constando de feijo e verduras, e
fructas duas veze por semana, tenho a dizer em
resposta que approvo essa modida e louvo o zelo
por V. S. empregado em beneficio desses desvali-
dos, entregues a seus cuidados.
Dito ao director interino do arsenal de guerra.
Respondendo ao offiem que Vmc. me dirigi hoje,
sob n. 54, tenho a dizer que approvo a deliberaban
que tomou de reqnisitar ao conselho administrativo
a compra de 30 arrobas de plvora grossa para sa-
tisfazer o pedido que fez o almoxanfado do presi-
dio de Fernando, visto achar-se, em m estado to-
da a manicio encerrada no palni da fortaleza do
Bram e em carga essa reparticao.Communi-
cou-se thesouraria de fazenda.
Dito ao director da colonia militar de Pimenlei-
ras.Para qne se posa resolver acerca da com-
pra de bois, cavados e objectos constantes da seu
officio de !2 do corrente, soh n. 7, faz-se preciso
conforme ndica a thesourana de fazenda ern sua
nformacio de f 1 deste mez, n. 537, que Vmc. me
remeta urna relaeo de taes objectos com decla-
racao de seus pregos, afim de se cenliecer se a
despeza a fazer-se com a acquisico d'elles pode of-
lectuar-se sera risco de defflcioncia do respectivo
crdito.
Dito ao conselho administrativo.-Recommendo
a* conselho administrativo que compre para for-
necimento da pharmaeia do presidio de Fernando
os medicamentos e mais objectos mencionados no
incluso pedido.Communicou-se thesourar.a de
fazenda.
Dito ao engenheiro encarregado da reparticao
das obras publicas. Autonso Vmc. a mandar fa-
zer por einpreitada ou admiiiistraeu os reparos,
de que precisa o pavimento terreo das galeras do
paco da as>embla legislativa provincial, os quaes
constam do orcamento que veio annexo ao seu offi-
cio de hontem, sob o. 25ti, na importancia de
l05000l"izera'ii-sejas necessarias communicacoes.
Dito ao mesmo. Mande Vmc. caiar e pintar o
quartei do corpo de polica por quem por menos
lzer esse serv o, como solicitou o respectivo com-
mandante em offlci o. 418 de 23 do corrente.
Fizeram-se as necesarias communicacoes.
ilo ao juiz municipal da primeira vara desta
cidade. Transmuto a Vmc. a guia com que veio
do presidio de Fernando como nome de Tiburlino
Lins de Cerqueira, o senlenoiado Tiburtinu Luis
de Siqueira requishado por esse juizo era data de
9 de agosto prximo Cudo.
Portara.-O presidente da provincia, altendendo
ao que solicitou o inspector da thesouraria provin-
cial em oflicio de 22 do corrente, sobn. 421 resol
ve abrir um crdito supplemeniar na importancia
de 728,5711 rs. para poder-ae levar a effeito as res-
tiluicoes constantes da demonslragao junta por co-
p'.Remelteu-se por copia thesouraria de fa-
zenda.
Espediente do secretario do governo do dia 21
de selembro de lMi.
Officio ao commandante das armas interino.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda de-
clarar V. S. em resposta ao seu olDco de hon-
tem datado, sob n. 1675 qne o sentenciado militar
Joaquim Ferrea Paes dos Reis de que trata o seu
citado oflicio, veio do presidio de Fernando para
depor, como testemunba, no conselho de guerra, a
que esta respondendo o tenente reformado do exer-
cito Henrique Tiberio Capistrano.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda trans-
mitir V. S. a inclusa ordem do thesouro nacio-
nal sob n. 116.
Despachos dos dias 2 i de setembro de 186 i.
Bequerimentos.
. D. Amalia Francelina dos Res Campello. Infor-
me o Sr. director geral da nstroeco publica.
Antonio Lopes Pereira de Carvalho. Tendo-se
de proceder brevemente o concurso para o provi-
mento definitivo dos lugares de praticante, pode o
supplicante concorrer, se quizer.
Antonio Claudino de Oiiveira. Dirija-se ao seu
commandante.
Claudio Dubeux. Informe o Sr. inspector da
thesouraria de faaenda.
Henrique, Africano livre. Nao tendo o suppli-
cante anda o tempo da le, nao pode ser allendido
no que requer.
Jos Amonio Moreira Dias. Informe o Sr. ins-
pector do aiwonal do marinha.
Joao Antunes Guimares. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Narcisa, Africana livre. A supplicante nao po-
de ser attendida no que requer por nao ter ainda o
lempo da le.
Prxedes da Silva Gusmao. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Pedro Pef-soa Velloso da Silvt-ira.O provlmen-
10 do lugar que o supplicante requer, compete ao
engenheiro chefe da reparticao das obras pu-
blicas.
Thereza Maria de Jess. Requeira ao governo
imperial.'
Bacharel Virginio Carneiro da Cnnha Albuqucr-
que. Informe o Sr. inspector da thesouraria de
lazeiida.
PERNAMRUCQi
REVISTA DIARIA.
Amanha funeciona o Instituto Archeelogico e
Grograpliiro, tomando a>sento. como socio ell'ectivo
o Sr. Dr. Francisco de Carvalho Soares Brando.
Queimoii-se anle-hontem, em frente da igre-
ja da Conceieaodos Militares um bello fogo de ar-
tificio, em conclusao da festiviJade de Nossa Se-
nhora da Conceieo da escada, que merecen ap-
plausos pelo bem acabado do trabalho, execulado
pelo nosso comprovinciano o Sr. Tito Francisco
de Mello
Foi preso, no da 11 do corrente, o preto Da-
miao, escravo do proprietario do engenho Serva
d'Aqua, da freguezia de lina, como autor do assas-
sinaio do inspector de quartero, em dias do mez
passado.
No dia 2 do prximo ter lugar em Oiinda a
festa de Nossa Senhora das Dores, na capella de
Sania Cruz, sendo tarde exposto ao publico em
solemne procissic a referida imagem. percorrendo
as ras ladeira do Varadouro, S. Rento. Ouatro
Cantos, Mathias Ferreira e Paco C.astelhano.
Na acta dos trabalhos judicar.ios do tribunal
do commercio, publicada hontem, se deu um en-
gao na parte relativa ao aegravo de instrumento:
portanto, em vez do que ah se acha inscripto, de-
ve ler-se o seguintoAggravo de instrumento in-
lerposto ao juzo municipal e do commercio da ci-
dade do Rio FormosoAggravante, Manoel Jos
de Oiiveira, aggravado o mesmo juizo.
O Exm. Sr. presidonte negnu provimento.
Cartas de Paje de Flores dizem que os as-
sassinatos se snecedem naquelles serloes, onde,
dentro de um mez, tem havido tres nomiridios,
um no districto de S. Jos, outro no de Baixa-Ver-
do I Asseguram as mesmas cartas, que as autori-
dades que nao sao conoiventes mostram-sc nimia-
mente fracas na represso dos crmes.
Reparticao da polica.
Extracto das parles do dia 27 de setembro
de 1864.
Foram recolhdos casa de detengo no dia 26 do
i corrente:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de policia,
i Francisco Antonio de Moura, Manoel Severino da
Silva, Jos Firmino Gomes, vindos de Serinhem,
i para seren conservados na dita casa por nao ha-
! ver seguranza na cadeia daquelle termo.
A* ord'm do Dr. delegado da capital, Vicente,
Luiz e Querino, cscravos, o primeiro de Francisco
Carneiro Machado Ros, o segundo de Manoel Jos
i Carneiro, e o ultimo de Ignacio de Oiiveira Lobo,
' todos por disturbios.
A' ordem do de S. Jos, Antonio Jos Ramos, e
Francisco, escravo de Migaal da Purillcacao Go-
mes, por jogos prohibidos.
A' ordem do da Boa-Vista,- Rosalina Gaudcncia
i da Silva, para eorrercao.
A' ordem do da Capung, Rosa Maria da Con
ceicSo, tambera para correceo; e Luiz, escravo
de Jos Marlms Ros, sera declaracao de motivo.
A' ordem do da Magdalena, Benvenuto Antonio
da Silva, para correceo.
A' ordem do da Varzca, Francisco Manoel Viei-
ra de Mello; para ser processado por crirae de es
tellionato.
O chefe da 2' seceo.
J. G. de Mesquila.
Passageiros do patacho porluguea Marta da
Gloria, vindo de Lisboa: Joaqoiin Gomes Mel-
gaco, Joaquim Manoel Lopes da Silva, Antonio
Mondes e Antonio Alberto.
CIIROMCA JIDICIAR1A
TUlBl.tAL l0 J L'llV
5a SESSAo-UlA 21DESETEMBRO DE 1864.
PBESIUENC1A DO SR. DR. JOAO ANTONIO D'ARAUJO
FREITAS HENIUQUES,
JL'IZ DE DIREITO DA PRIMEIRA VARA CRIMINAL.
Promotor publico, o Sr. Dr. Jo$ Paulino da
Cmara.
Escrivo, o Sr. Joaquim Francisco de Paula
Esteves Clemente.
A's 10 horas da manhaa, feta a chamada, acha-
ram-se presentes 42 Srs. jurados.
Foram multados em 20J cada um dos Srs. que
faltaran).
Havendo numero legal, o Sr. juiz de direito de-
clarou aberla a sesso
Entra em julgamento o reo Manoel Maximiano
Rodrigues, aecusado por crime de tentativa de ho-
micidio na pessoa de Joao Ferreira da Costa.
Procedendo-se ao sorteio do jury de seatenca,
depois de diversos recusaces por parte da jstica
e do red, flcou o conselho composto dos Srs. se
guintes :
Jos Antonio Vieira de Souza.
Dr. Horacio Valtredo Peregrino da Silva.
Dr. Pedro de_Athayde Lobo Moscoso.
Francisco Amonio Cara'cantl Cousseiro.
Francisco Antonio de Brito.
Antonio Caldas da Silva.
Pedro Celestino Mindello.
Joao Antonio da Silva Pereira.
Joo Joaquim de Siqueira Varejo.
Francisco Antonio Pontual
Capito Francisco Raphael de Mello Reg,
Augusto Cesar da Cunha.
E prestaram o juramento dos Santos Evan-
gelhos.
Foi o reo interrogado e procedeu-se leitura do
processo.
O Sr. promotor pedio a condemnaco do reo
no grao mximo doart. 34 do cdigo criminal.
O Sr. advogado, deduzindo a defeza, pedio a
condemnaco do reo no grao mnimo do art. 20o
do mesmo cdigo.
Fmdos os debates e preenchidas todas as forma-
lidades da le, o Sr. juiz de direito propoz os que-
situs seguinles :
1." O reo Manoel Maximiano Rodrigues, co dia
20 de julho ultimo, fez em Joo Ferreira da Costa,
os feriraentos descriptos no corpo de delicto fo-
Ihas 7 dos autos 1
2 Os ditos ferimenos produziram no paciente
grave incommodo de sade 1
3. Os referidos ferimentos inhabilitaram o pa-
ciente por mais de um mez ?
4 O reo assra praticou com a circunstancia
de ha ver tentado contra a vida do offendido, isto
man Testado por actos exteriores, e principio de
exeruQo, que nao teve effeito por motivos inde-
pendentes da voniade do delinqaente i
6". O r< praticou o crime havendo por sua par-
te superioridade em armas, de maneira que o of-
fendido nao podia se defender, com probabilidade
de repellir a offensa ?
6. Exisiem circunstancias attennantes a favor
do roo?
Rcolhido jury do sentanca sala secreta das
conferencias s 2 ioras e 3)4 da tarde, voltou s 3
horas, respoudendo aos quesitos pela maneira se-
grate :
Ao primeiro e segundoSm, por unanimidade.
Ao terceiroSim, por 8 votos.
Ao quartoSim, por 10 votos.
Ao quinto-Sim, por unanimidade-
Ao sextoNao, por 10 votos.
Lidas as respostas pelo presidente do jurv de
sentenca, o Sr. Dr. Pedro de Athayde Lobo Mos-
coso, o Sr. juiz de direito pubticnn sua sentenca,
condemnando o reo pona de 20 annos de gales
e as custas.
Achando-se Irados os 15 dias de sesso, e feta
nova chamada dos jurados, e presentes os mesmos,
o Sr. juiz de direito propoz a prorogacao da sesso
primeramente por 8 dias e depois por 3. e passan-
do dita prorogacao por 3 das, o mesmo Sr. juiz
adiou a sesso para o dia seguiote s 10 horas da
manhaa.
DA 23.
PRESIDENCIA DO Sn. ll. lOS ANTONIO DE ARAUJO
FREITAS HENRIQUES,
JUIZ DKI'IIIEITO DA SECUNDA VAHA CRIMINAL.
Promotor publico, o Sr. Dr. Jote Paulino da
Cmara.
Escrwao, o Sr. Joaquim Francisco de Paula Este-
res Clemente.
Advogado, o Sr. Dr. Jos Austregeldo Rodrigues
Lima.
A's 10 horas da manhaa, feita a chamada, aclia-
ram-se presentes 37 senhores jurados.
^ O Sr. juiz de direito declara aberta a sesso.
Foram multados em 205 cada um dos Srs. que fal-
tarais sesso de hoje.
Entra em julgamoiito o reo Lourenco Justina-
no Pereira dos Saulos, aecusado por crime de es-
teilionato.
Procedendo-se ao sorteio do jury de sentenga,
foram recusados pela promotoria os Srs.
Dr. Ignacio Firmo Xavier.
Luiz Pereira de Parias.
Francisco Jos Cyrillo Leal.
Pela defeza foram recusados os Srs. :
Dr. Henrique do Reg Barros.
Dr. Amenco Neito de Mendonca.
Manoel Gomes Viegas.
Antonio Goocalves Pereira Lima.
O jury de sentenca cou compoato dos Srs. se-
guinles :
Bernardo Luiz Ferreira Cesar Loureiro.
Genuino Jos Tavares.
Dr. Antonio Jos da Costa Ribero.
Dr. Francclioo Bernardo Qninteiro.
Manoel Ignario de Torres Bandeira.
Candido Autranda Malta Albuquerque.
Francisco de Miranda Leal Seve.
Dr. Francisco Teiteirade S.
Jos Joaquim da Costa.
Joo Antonio da Silva Pereira.
Pedro Celestino Mindello.
Antonio Gomes de Miranda Leal.
E prestaram o juramento dos Santos Evan-
gellios.
Foi o reo interrogado, e procedeu-se leitura do
processo.
O Sr. promotor pedio a condemnaco do reo no
grao mximo do art. 264 4." do cdigo criminal.
O Sr. advogado deduzindo a defeza, pedio a ab-
solvico do reo.
Pimos os deoates, e preenchidas as solemnida-
dades da lei, o Sr. juiz de direito propoz os quesi-
tos seguinles:
1." O rj Lourenco Justiniano Pereira dos Santos
em um dos das do mez de julho ultimo, vendeu
nesta capital 1aulino Gomes de Franca, pelo pre-
go de 8, tres trancelins de cobre galvanisado,
como se fosse de ouro de bom quilate ?
2." O reo assim praticou usando do artificio
fraudulento, pelo qual obteve de outra parte a sua
fortuna ?
3." Existem circurastancias attennantes a favor
do reo f
Recolhido o jury de sentenca sala secreta das
conferencias ao meio dia, volteta i|2 hora de-
pois, respondendo aos qnesitos .pela raaueirase-
gninte :
ADKNCiA DOs iRJINaUS Da CAPITAL.
Trihunai do commercio: segundas quintas.
Relaeo: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintai s 10 horas.
Juizo do commercio: segundan s 11 horas.
Dito de orphos: tercas seitas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
O'iA' DA S.EM/.NA.
26. Secunda. S. Cleofas; S. Firmino b.
27. Terca. Ss. Cosme eDamioirs. mm.
28. Quarta. S. Wenceslao duque monee.
29. Quinta. S. Miguel arch.; S. Fraterno h
30. sexta. S. Jeronymo card. pre.-b. edr. mximo.
1. Sabbado. S. Remigio b.: S. Verissimo m.
2. Domingo. S I.eodegario b.; S. Guarinom.
ASSGNA-8B
no Recife, em a lirraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiro'd-
Faria 4 Puno.
A primeiro questoSim, por 10 votos.
AO segundo-Sim. por 7 votos.
A* terceiro Nao, por 8 votos.
Linas as respostas pelo presidente do jury de
seuienca o Sr. Dr. A. J. da C. Ribeiro, o Sr. Dr. juiz'
de direito publicou'sua sentenca condemnando oreo
pena de 3 annos e 3 mezes de priso com traba-
lho, e mulla de 12 1|2 por cento do valor dos ob-
jectos sobre que se deu o estelliooato, c as custas.
Feita a chamada, e apregoado pelo porleiro o
reo affiancado o Sr. alferes Jernimo [guaci dos
Santos, deixou de ter lugar o julgamento, por lia-
ver o mesmo reo requerido adiaraenlo.
O Sr. juiz de direito levantou a sesso, adian-
do-a para o dia seguinte s 10 horas da manhaa.
santa casa da Misericordia do
l jelfe.
EXPEDIENTE DO DIA 12 DE JULHO DE 1864.
Officio ao Exm. presidente da provincia. Cum-
prindoo respeitavel despacho de V.'Exc. laucado
no requerimento, que devolvo de Antonio Henri-
que de Miranda, em o qual pede que seja admilti-
da no cellegio das orphas a menor Cordolina, que
existe em sua companhia, cabe-me dizer que em
vista da informacao do respectivo mordomo, por
copia inclusa, nao pode ser o supplicante attendido
por nao ter apresentado os documentos exigidos pe-
lo regulamento.
Dito ao mesmo.Em curaprimento ao respeitavel
despacho de V. Exc. lancado no requerimento, que
devolvo, de Eduardo Gadault, tenho a dizer que
sendo a pretenco do supplicante idntica a que
foi por mim informada em 30 de setembro do auno
prximo passado, digne-se V. Exc. depermittir que
eu me relira a dita minha informacao, 4 qual por
copia tenho a honra de oierecer a cnsideraco de
V. Exc.
Dito ao Dr. Ayres de Albuquerque Gama.Com-
mumeando que foi V. S. approvado pela junta ad-
ministrativa para irmo desla Santa Casa e passan-
do s mos de V. S o incluso exemplar do respec-
tivo corapromisso, solicito de V. S que se digne de
declarar-me se quer ou nao, fazer parte desta ir-
mandade, devendo no caso alurmaiivo scientiear-
iiie qual a suaidade, naturalidade, estado e Bliaco,
alim de que Oque eu habilitado a lavrar o compe-
tente termo, depois de satisfeitas as exigencias co-
udas naquelle compromisso.
Dito ao conego Francisco Rochael Pereira de
Brito Medeiros. Tendo sido V. S. approvado pela
junta administrativa para irmo desta Santa Casa,
assim o communico V. S. para sua sciencia e
alim que V. S. se digne de declarar-me se quer ou
nao, fazer parte desla irmandade, devende no caso
aflinnativo scientiQcar-rae a sua idade. naturalida-
de e liiiacao, para que eu fique habilitado a lavrar
0 jaspectivo termo, depois de satisfeitas as exigen-
ci.-i do compromisso em vigor, do qual remeti
V.k incluso um exemplar.
T 15
pito ao Exm. presidente da provincia.Cum-
prindo o respeitavel despacho de V. Exc. lancado
no" requerimento que devolvo, do Rvd. Fre Pedro
da. Puriflcago Paz e Paiva, vice-director e capello
do collegio de orphaos, em o qual pede qualro me-
zes de prorogacao da licenca que Ihe foi concedi-
da por portara dessa presidencia de 28 de -outubro
do anno lindo, tenho a informar, que em vista do
art. 98 do compromisso de 17 de marco de 1862
nao perraittido conceder-se aos empregados dos
eslabelecimento a cargo da Santa Casa mais de um
mez de licenca com ordenado e de 3 sera elle, den-
tro de cada anno econmico; pelo que j a primei-
ra lisenca concedida ao supplicante foi contra o dis-
posto no citado arligo.
Alm disto consta-me que o referido supplicante
est em umengenho servindo o lugar de capello
! e leccionando aos filhos do proprietario do dito en-
' genho.
Nao obstante, porm, o expedido, forcoso con-
fessar que o Rvd. supplicante tem a seu cargo
mi e innas a quem soccorre, segundo me infor-
mam.
V. Exc. pois. o deferir como melhor entender
; em sua sabedoria.
Dito ao mesmo. Tendo-e de transferir os alie-
nados para o hospital da Misericordia de Oiinda e
I sendo indispensavel a creaejio de um regente, um
' porleiro, um enfermeiro e urna enfermeira, resol-
veuajuola administrativa desta Santa Casa em
sesso de hontem que de conformidade cora o art.
99 do compromisso de 17 de marco de 186 se
i propozesse V. Exc. nao s a creaco dos sobre-
ditos empregos como tambera a suppresso do lu-
gar de alraoxarife.
Cumprindo a deliberaco da junta, rogo V. Exc.
I digne-se de approvar a referida proposta, alim de
I que possa o hospicio dos alienados funccionar regu-
' lamento.
Dito ao mesmo.Devendo ter lugar no dia 20 do
corrente a passagera dos alienados para o hospi-
tal da Misericordia de Oiinda, o convindo que se-
jam elles acompaohados por alguma forca atiin de
os comer, rogo V. Exc. digue-se de expedir as
convenientes ordens no sentido de ser postada em
frente do ango hospital de Caridade no referido
dia 20 do corrente, ale meia hora da tarde, urna
escolla de 30 pracas desarmadas.
Dito ao mesmo.Iuformando como V. Exc. me
ordena sobre o requerimento, que devolvo de Mar-
colina Francisca Guimares, em o qual pede para
seradmittido no collegio de orphos, seu lilho de
nome Jos, cumpre-me dizer, que em vista da in-
formacao do respectivo mordomo, por copia inclu-
sa, nao pode ser a supplicante attendida por baver
dito seu lho excedido a idade marcada pelo regu-
lamento.
Nao obstante o expendido V. Exc. defirir a sup-
plicante como Ihe parecer acertado.
Dito ao mesmo.Em vista da informacao do res-
pectivo mordomo, por copia inclusa, relativamente
a pretenco de Marcelina Francisca Guimares,
constante da peticao que devolvo e sobre a qual se
dignou V. Exc. mandar ouvir-me, tenho a dizer
que est a supplicante nos termos de ser attendida
inscrevendo-se no quadro competente o nome de
sua tiiha a menor Antonia para ser admittida no
collegio das orphas quando houver possibili-
dade.
Dito ao mesmo.Nao sendo orpha a menor
Claudina, a que allude o officio que devolvo, do Dr.
juiz de orphos do termo de Oiinda, como se v da
iul'ormaco do respectivo mordomo, por copia in-
clusa, visto que nao pode ser ella adraittida no
collegio das orphas, ainda quande houvesse
vaga.
V. Exc. porm, resolver como melhor entender
em sua sabedoria.
Dito ao mesnio.-Tendo em vista o respeitavel
despacho de V. Exc. lancado no requerimento que
devolvo de Leandra Thereza de Jess Barros cum-
pre-me dizer que de conformidade com a informa-
cao do respectivo mordomo, por copia inclusa, esta
a supplicante no ca?o de ser attendida inscreven-
do-se no competente qaadro o nome de sua neta a
menor Honoria, afim de seropportunamente admit-
tda no collegio das orphas.
1 Dito ao mesmo.Cumprindo o respeitavel des-
pacho de V. Exc- lancado no requerimento junto,
I em o qual o Dr, Cicero Peregrino, pede que seja
adrailtido no collegio de orphos, o menor Belmiro,
I cabe-me dizer que em vista da inform*c5o do res-
pectivo mordomo, por copia inclusa, nao pode ter
lugar a referida admissao por liaver o dito menor
excedido a idade permitlida pelo regulamento de
28 de Janeiro de 18l.
V. Exc. porm, delirir ao supplicante como me-
lhor entender em sua sabedoria.
Dito ao mesmo. Devendo ter lujar no hospital
Pedro 11 a festa de S. Vicente de Paula, pelas dez
lloras da manhaa do dia 19 do corrente sem falta,
edesejando a junta administrativa da Santa Casa
de Misericordia do Recife tornar o acto raais bri-
Ihante, em nome da mesma junta, e dos irmos de
caridade, tenho a honra de convidar V. Exc. e
a Exma. Sra. D. Maria dos *njos de Souza Lefio.
para que se dignem de as-i.-tir ao mesmo acto.
Dito Luiz do llego Brrelo regente interino do
hospicio de alienados. dnvindo econoiuisar a
agua da cisterna do hospital da Misericordia de
Oiinda alim de que nao venham a soffrer os alie-
nados qurrpara ali tem de ser removidos, reeom
mondo a V. S. d'accordo com a deliberacao tomada
pela junta administrativa desta Santa Casa em ses-
so de hontem, que logo que se realise a referida
reraoco, nao consinla que pessoa alguma de fra
d'aquelle eslabelecimento se sirva da raeneiouada
cisterna.
Dito a Jos Nunes de Paula. Tendo a junta
administrativa da Santa Casa de Misericordia do
Recife resolvido, em sesso de hontem, que em
iraanlo nao fr praca no fim deste mez se encar-
regasse a V. S. o fornecimento de pao e bolacha
para o hospicio dos alienados logo que seja trans-
ferido para Olrada, pelos mesmos precos porque
os fornece aos collegios de orphos, vo'j rogar
V. S. que se digne isso presiar-se, sendo que
tero aquelles Iofelizes de ser mudados para aquel-
la cidade no dia 20 do corrente.
Dito Lmz Antonio Goncalves Penna, subdele-
gado de S. Frei Pedro Goncalves. Respondendo
ao officio que V. S. me dirigiu com data de 7 do
corrente no sentido de ser admitlido no .hospital
Pedro II o enfermo Marcellino Jos dos Santos,
curapre-me scieotilic.ar V. S. que foi no mesmo
da recebido o referido enfermo, cabeudo-me re-
coinmendar V. S. que somonte para os inteira-
mente desvalidos e em ultimo caso que V. S.
deve solicitar aadmlsse no predito hospital, visto
como quasi sempre est preenchido o numero de
enfermos que comportara os respectivos cofres.
Dito Francisco Jos de Miranda e Joaquim
L'mbelino de Miranda. Achando-se recolhido ao
hospital Pedro II o alienado Miguel Joaquim de
Miranda, filho de V. S., resolveu junta adminis-
trativa da Santa Casa de Misericordia do Recife,
em sesso de hontem, que ou na qualidade de seu
orgo reclamasse de V. S. o pagamento das respec-
tivas despezas, e na falta a retirada do referido alie-
nado daquelle eslabelecimento, visto como nao est
elle no caso de ser soccorrido pela caridade pu-
blica, o que communico V. S. para sua intelligen-
cia e direccao.
Dito Joo Carlos Augusto da Silva. Tendo a
junta administrativa da Santa Casa de Miericordia
do Recife, resolvido, em sesso de hontem, que em
quanlo nao fr a praca no fim deste mez se on-
carregasse V. S. o fornecimento de vveres, in-
clusive carne verde, para o hospicio dos alienados,
logo que seja transferido para Oiinda, pelos mes-
mos precos porque os fornece aos collegios de or-
phos, vou rogar V. S. que se digne a isto pres-
lar-se, sendo que tero aquelles mfelizes de ser
mudados para aquella cidade no dia 20 deste raez
PBLICACOES A PEDIDO.
Ao pnblieo.
Os abaixo assignados, habitantes da freguezia
de S. Vicente da comarca de Nazaretn, provincia
de Pernambuco. votados ao exterminio, tratados
como rebeldes pelo actual administrador da pro-
vincia o Exm. Sr. Dr. Domingos de Souza Leao
veem-se na necessidade de levar ao conhecimento
do publico o procedunento criminoso d'aquelle
delegado do gabiuete actual em relaeo ota fre-
guezia.
Quando se inaugurou no paiz. a poltica do pro-
gresso; quando os orgos mais acreditados das
ideas liberaes proclamaran! e escreveram em suas
bandoiras a palavra progressista como synoni-
ma da de liberal; quando as reformas pedidas
pelo partido liberal forara promeliidas ao paiz da
eminencia do poder; quando, finalmente, o partido
liberal de todo o imperio, enthusiasmado pela visi
nha esperanca de ver realisadas as ideas pelas
quaes luclara contra o longo dominio dos conser-
vadores, se entregara e abracara a siluaco nas-
cente, nos, acoquinados a um longo ostracismo,
perseguidos e tratados como parias, conservando
intactos os principios polticos, que embalaram a
infancia, despertamos do lethargo, em que ua-
mos, aos brados da victoria, que o partido liberal
de todo o imperio entoava a situacao, que despou-
tava.
Ento, por nossa vez, acreditamos, que era che-
gada a poca de prestar-mos o nosso fraru contiu-1
gente poltica dominante, e cheios de eonflanca, I
d'accordo com o partido liberal da provincia, adher- j
mos a siluaco.
O partido conservador desta freguezia, reduzido. i
cerno a ura numero mu limitado de individuos,;
foi privado da nica forca, de que dispunha-a po-
lica, cando, por couseguinte, desarmado e impo-
tente.
Franqueada a urna ao partido liberal vencemos
as duas eieces primarias, que se procedeu em
agosto e novembro.
Deixando de nos oceupar dos acnnterimeutos po-
lticos, que se deram na provincia depois da poltica
progressista, acontecimentos que, nosso pezar,
mo.-travam qual a conducta poltica, que se pro-
punha seguir os conservadores progressistas, nos
Decaparemos da ultima eleico de senadores, a que
se acaba de proceder.
Bem longe estavamos de pensar, que o partido
liberal de>ta heroica provincia se curvasse respei-
toso as ordens do actual administrador da provin-
cia, recebendo urna chapa, em que devia volar sem
reexo. ,
Por mais merecimento, que tivessem cada um
dos candidatos assim impostes provincia, jamis
poderia o presidente de Pernambuco tolher ao elel-
tor liberal o direito de livremente, escolher os seus
representantes. .
Os eleilores liberaes desla freguezia, e a maioria
dos das freguezias de Nazareth e Tracunhaem, o
collegio de Nazareth, emfini, teve, pois, de affron-
tar as iras do poder votando expontaneamente nos
Ilustres cidadaos, o venerando conselheiro Antonio
Pinto Chichorro da Gamma, Dr. Joaquim Saldauha
Marinho, Dr. Urbano Sabino Pessoa de Mello.
Sabiam os eleitores liberaes, que nao se Ihes
perdoaria dispor assim de seus votos, e resignados
esperaVam soffrer o golpe, que Ihes destechara o
governader desla provincia. Nao se fez muito es-
perar a reaeco.
A' 10 de julho foi a eleicao de senadores, e a 6
de agosto f-d demiHido o subdelegado deste distric-
to, e a policia eonftada aos p.cos conservadores,
nossos adversarios de todas as pocas, que recebe-
ram a missao de ocmquistar pela forca a eleicao de
7 de setembro.
A sede de vingancas com que se apresenta-
vam, a aadacia com que ameacavaro o novo,
que se dlspunha a pleitear a eleicao, o appa-
raio do forca, que ostentaran), tendo dous des-
tacamentos vindos de Nazareth e Goianna, e postos
a sua disposfeo pelo administrador da provincia,
e filialmente a coovieco, que tinhamos, fundada
em varios precedentes, (pie se deram sob o dominio
conservador, de que a actual administrarlo fiel
continuadora, que seriamos victimas da violencia
e da fraude, e que o sacrificio do partido liberal
seria contado como um novo trunipho alcanzado
pelo administrador da provincia, ludo isto fez com
que deixassemos, que os instrumentos da vinganca
do Sr. Souza Leao lavrassem as actas d'uma elei-
cao, a que coucorrerara soldados do cxercilo como
votantes !!___
Em preseoca destes acontecimentos nos resig-
naremos a sui'er os desmandos e. perseguiQes dos
conservadores empregados [ido Exm.Sr. Domingos
de Souza Leao.
A heroica provincia de Pernambuco jungida ao
carro da oligarcha moderna dos seus dominadores
gozar dos favores, que Ihe dispensar este senhor.
As cadeiras dos senadores por esta provincia
continuaran) a sor o patrimonio dos novos senho-
res, o os poucos liberaes, que protestaren) contra
esta anomala na poca do progresso sero tratados
como rebeldes.
Convencidos que o nosso silencio seria, nestas
circunstancias, mal interpretado, nos apressaraos
a protestar contra a adininistraco conservadora
do Exm. Sr. Souza Leao.
Este brado de indigoacao ser abafado pelo.-
hyninos da victoria alcaucada pelo presidente da
provincia sobre os destrocos do partido liberal;
appellando, porm, para os bros da no-sa provin-
cia, para os liberaes do imperio, que nos compre-
heiider.-m, Rearemos com a consciencia de haver
cumprido o nosso dever.
Setembro de 1864
Jeronymo L-opoldo de Araujo Pereira. Jos
Luiz Pereira Palma. Antonio Vicente Ferreira
Camello.Manoel Gomes Tavares da Silva. Jos
Lourenco da Fonsec.a Praho. Jos de Barros- Pe-
reira do Andrade Jnior. -Joo Alves Camello Pe-
reira de Lyra. Pedro Ferreira do Araaral. Mar-
colino Joo de Albuquerque -Tranquilino Ildefon-
so de Brito Caldas. Christovo das Mercez Gon-
calves Guerra. Miguel Alves do llego.Antonio
Jorge Gomes Guerra Jonior. Joo Paulo Carnei-
ro.Jos Leandro da Silva. Manoel Bemvenuto
da Silva, i.andido Alves Cavalcanti de Vasconcel-
os.Joo de Ainorira Lima. Antonio Manoel da
Silva Marrocos.Jos Silvino da Silva Pereira.
Petromo Portalis da Silva Marrocos.Joaquim Cr-
rela Alves Camello.Galdino de Albuquerque Mon-
tenegro.Joaquim Trajano de Vasconcellos.Jos
Rodrigues de Souza Campos.Manoel Ferreira da
Silva.Jos Lopes de Mendonca.Joaquim Guedes
de Araujo Pereira.Antonio Gomes de Moura Cou-
tinho. Manoel Ferreira da Silva Jnior. Joo
Ferreira da Silva. Jos Felippe de Vasconcellos.
Zef.-rino Jos de Carvalho. Antonio da Silva Pe-
reira. Joo Ribeiro Leite. Innocencio Ribeiro
Leite.Manoel Ribeiro de Andrade.Joaquim Pes-
soa da Silva Sobrinho.Francisco de Medeiros Sil-
va.Joaquim Antonio de Medeiros Silva.Goncalo
Jos de Medeiros.Vicente Ferreira Alves Camel-
lo. Norberto Pereira de Lyra e Audrade. Luiz
Ignacio de Andrade Lima.-Urbano da Silva Perei-
ra de Andrade. Gervasio Francisco de Paula.
Manoel Mendos da Silva.-Jos Francisco Rorba.
Jos de Barros Pereira de Andrade.Antonio Vi-
cente Pereira de Andrade. Francisco Gomes Pe-
reira de Araujo. Sebastio Tavares da Silva.
Eleulerio da Silva Pereira de Lyra. Manoel Joa-
quim de Andrade Lima.Antonio Joaquim de An-
drade. Lima.Manoel Juventioo de Andrade Lima.
Camuliano Pereira de Andrade. Jos Tavares.
Vieira de Mello.Jos de Uiiveira Costa. Andr
Cursillo de Araujo Pereira. EstevaoAlves'de
Araujo Pereira.Casemiro da Silva Pereira.Ur-
bano da Silva Pereira de Lyra. Antonio Pereira
de Araujo.Francisco Xavier Borba. Francisco
de Andrade Muniz. -Luiz Bernardo da Silva.Joo
Mapli-ta Muuiz.Paulino liodolpho de Andrade. -
Reinalda Gomes Pedrosa. Domingos Hamos da
Silva e Vasconcellos.Antonio Gomes da Cunha.
Jos Felippe Collio de Moma. Fabricto Gomes
Pereira de Araujo.Antonio Alves Camello. Ur-
bano Barbosa da Silva. Jos Barbosa Pereira de
Andrade.Antonio Gomes de Andrade. Manoel
Comes de Andrade. Manoel Barbosa Pereira de
Andrade. Francisco de Paula Maciel.Vicente
Joaquim Pereira Maior.Autonio Pereira Barbosa
Conletro.Jos Pereira Martins.Leonardo Colho
Guimares Borba. Manuel llermogenes da Costa
Lyra. Francisco Gomes Camello de Andrade.
Manoel Antonio de Araujo Lima.Joo Dario Pe-
reira de Lyra.Belanuino Pereira de Lyra.Fran-
cisco Caramba da Silva.Justino de Freitas Perei-
ra Borba. Francisco Cavalcanti de Vasconcellos.
Jos Luiz de Andrade Lima. Antonio Vicente
Pereira Camello. Candido Vieira da Costa L>ra.
Laureutino Antonio Gomes de Carvalno. Rei-
naldo Gomes Pe Irosa.Reinaldo Gomes da Cunha
Pedrosa.Clementioe Vieira de Mello. Antonio
Xavier de Andrade. Joo Severo Barbosa da Sil-
va. Jos Ignacio de Andrade. Luiz Ignacio de
Andrade. Jos Gomes da Cunha Pedrosa. Ma-
noel Ignacio do Nascimento. Jos Felippe Xavier
Guerra. Miguel Bernardino de Barros Araujo.
Antonio Jorge Guerra.Antonio Gomes de Araujo.
Francisco Xavier de Araujo Francisco Abaias
de Albuquerque Maranhao.Abdias de Albuquer-
que Maranhao. Jos Xavier FauMino Ramos J-
nior. -Ceciliano Aneostn Xavier Ramos.Antonio
(ornes PedrosaJoo Antonio da CunnaPes>ua.
Jos Ribeiro de Andrade Lima. Maooel Pereira
de Andrade Lima. Joo Jos do Farias. Joo
Luiz Alves Manso.Manoel Xavier de Moraes An-
drade.Jos Francisco de Andrade Vasconcellos.
Jos Francisco de Moraes Vasconcellos. Padre
Joaquim Francisco de Araujo Vasconcellos Pimen-
ta. Francisco Xavier de Moraes Vasconcellos.
Joo de Audrade Lima.Vicente de Araujo Prahei-
ro. -Jos Porfirio Pereira de Andrade. Manoel
Gomes Barbosa de Araujo Pereira.Francisco Xa-
vier de Andrade. Urbano Pereira da Cunha.
Honorato Pereira de Araujo.Elias Pereira da Cu-
nha. Urbano Pereira da Cunha Jnior. Domin-
gos de Abreu e Vasconcellos. Izidoro Jos Alves
de Carvalho.-Jos Luiz de Andrade.Manoel Xa-
vier de Andrade VasconcellosJos Francisco Al-
ves de Vasconcellos Jnior.Jos Francisco Alves
do Vasconcellos.Jos Gomes da Cunha.Antonio
Gomes da Cunha Jnior.Francisco Gomes da Cu-
nr>a.Manoel Xavier de Andrade. Joo Antonio
de Andrade.Jos Porfirio Gomes de Andrade.
Jos Ignacio orreia de Amorim.-Manoel Gomes
de Andrade. -Jos Ignacio Camello Pessoa.Manoel
Gomes de Lima. Jos Ignacio Camello Jnior.
Joaquim Gomes da Costa. Jos Gomos da Costa
Almeida.Hereulano da Silva Pessoa.Jos Igna-
cio de Seabra Andrado. Jos deSeabra Andrade.
Luiz da Silva Pereira. Francisco Gomes de
Araujo Pereira.
(Estavam reconhecidos.j
Ao publico.
Ainda nao appareceu o Zme, e, a pretexto de
que ter de oceupar-se com a honra das familias,
se nos ameaca com tiros, como se fossemos alguna
yoy barracSo ; entretanto esses, que to irritados-
se mostraram com o annuncio de que o primeiro
L.
MUTILADC)
l fLEGVEL
-a.


t
]
Diarle de Pcrunhneo Quilla felra H Ae Setembro de 1 .
umero desse peridico achava-se no nrlo, nao cionarem o aggravado pelos debito: nao salsfeitos
eflcctirain ijue, prometiendo recorrer a semelhan- execntando-o e penhurando-llie os bens que Ibes
le expediente, deixara suspeilar lguma cousa, pois forain adjudicados, procedimento seguido por ou-
que proverbio antigo que- quem nao deve nao tros credores, que tambem demandararn oaggra-
ttme. vado concorre para mostrar que o aggravado nao
Declaramos em alto e bom som que nao temos era tido por commerciante, e ero o era quando
por flm publicando esse peridico, senao censu- j cessou os seus pagamentos, pois do contrare Ihe
arosrrosda admnistracao desta provincia, e|teriam aberto fallencia exemplo do que naquella
rir-nos do espectculo ridiculo a que se est dan- poca pralicaram em larga escala os credores cota
do o Sr. Dominaos do Souza Leo, e preiendemos os seas devedores, que se lornavara insolventes,
emprehender essa missie levados pela esperanca A vista pois do expendido negando provimento ao
Consulado provincial.
Rendimemo do da 1 a 26......... 70:5815590
dem do dia 87................. 4:159*968
74:681*558
TIIE4TB0
MOVIMENTO DO PORTO.
de conseguir-se que S. Exc. proceda retlectida-
niente, e nao contine a oceupar-se com fatuida-
des, que qualquer homem serio e grave deve des-
prezar. ....
E" taclira velha aitrihuir-se a um individuo o
que parte de mnilos, na intencao de conseguirse
evitar ques teme ; mas essa mina ja esta limi-
to esplorada, e todos os tempos nao sao os mes-
mos. Empregue outros meios qncm quizer con-
servar suas tau curas: os espalhafatos, por terem
sido mnito vistos, passaram de moda.
Se nao temos de oceupar-nos com a honra das
familias, que nada tem rom a poltica, devemos es-
perar que esses, que to exaltados se mostraram,
o s o tizeram para que eonMUM, e fosse islo con-
tado corno provade dedieac.no presidencia da pro-
vincia, se absiento de uceupur-se dessa honra as
reunioes intimas de suas tasas, como fazem, dan-
di exempios de i>>>m comportamento, afim de que
soja respeitado isso, que ulles em publico lingera
acatar.
Nao sao as antearas, que tem feito que nao saia
do prlo o piinipiro numero d Zome ; mas o cs-
tarnius persuadidos (|iie a admnistracao do Sr. Do-
mingos de&Mia Uao cachanos; ,ll"Hs j"1'*' desta cidade sabem, e sao te!
m<-> da vida, e nao temos por habito dar em ago- ..'.:':...
Disantes, Dessas ameacas > poder resultar o ap- "ranaar na rua ,nais para
aggravo mando que subsista a decisao recorrida
pagas pelos aggravantes as cusas.
Recife, C de agosto de 4864.
(Assignado) Anselmo Francisco PeretU.
Illm. Sr. Jos da Rocha Prannos.Cem a maior
satisfacao lango tno da penna para Ihedirigir estas
linhas em agradecimento ao proveito que live do
uso que liz do xarope acooheo de vellame, da sua
compusico, para que V. S. disto tenha conhecimen-
to; e o respeilavel publico proveito. Desde 1858
que soffria as maiores dores rheumaticas, compli-
cadas cun o que a medicina denomina siphilis, e a
um anuo que soTria de ulceras na garganla. Da-
quella poca para r semnre vivi em uso de reme-
dios, de que nao tirei resultado algum a nao ser
alivios monienlaes, e lempos havia que de todo me
va impossibilitado de me levantar de urna cama,
sofirendo sempre tanto no verao, como no rigor do
invern; persistindo porm no uso do remedios j
applieados pelos conhecederes da arte, j de outros
que via annunciados nos jornaes com appltcaco
ao incus padecimentos, e destes um sem numero,
continuando sempre a sofrcr como muitas pessoas
testemunhas de rae ve-
para morrer do que para
Navios entrados no dia 87.
Lisboa37 das, patacho portuguez Marta da Glo-
ria, de 184 toneladas, capitn Antonio de Barros
t/Ci
S. ISABEL
EMPREZA
J^SBSSXSb& e UlrS QUARTJIKVe sS DE 1864.
Liverpool-68 das, bngue inglez/njaroma, de 833 rect (h HSHiguatlll'H
tonelada:, capitn J. B->\ver. equipagem 10, car-; Subir scena o Interessante drama em cinco
ga fazendas c outrns gneros; a Braga 8on & C.' actos, oruinal francez.
Observado.
Nao houve sahida.
A HONRA DE UIW4 FAMILIA
EDIT1ES.
clal
parecimento oesse peridico, que lera de ser es-
cripto com toda a decencia, para que possa ser li-
do pelas pessoas que resprilamos.
Os redactores do Zome.
Al.VAB DE 3 DE JIMIO DE 1809.
Acontecen que em abril deste anno as dores ata-
caram-me de forma que levei dous mezes de cama,
sem que me podesse sentar, pelo que Uve occasiao
de desesperar da vida, taes eratn os meus solTri-
mentos. Neste lempo lendo o Diario de Pernam-
buco, deparci com um aviso do xarope alcoolico
Eu o principe regente. Faco saber aosque opre- de vellame, manipulado era sua pharmacia, li este
seate al vara de ampliaco e declaracao vlrem: aviso, c tomei-o como um aviso de um anjo; pude
Qne___Hei por bem ordenar, que pacuem deci- a muito rusto escrever meu Glho, que eolio j
roa na forma determinada no sobrefino alvar de eslava nessa cidade, pedi-lhe que me mandasse
27 de junho do anno prximo passado, P>dos o>pre- algumas garrafas acompanhadas das pilulas, mas
dios ui hunos das cidades, villas e lugares notaveis logo depois vi que nesta cidade j havia o xarope
d'este estado e dominios ultramarinos, sejam 011 venda em casa do Sr. Raymundo Jos Pereira de
nao situados beira mar, Picando smente isentos Castro, e logo me apresentei em mandar comprar
os da ar., e os das Santas Casas de Misericoi- duas garrafas. Pazendo uso delle, no fim de dias,
dia...... Ja andava em casa pegado duas bengalas, e no
Lei de 15 de novembro de 1831, art. 51 6." fim de quinze dias sa/iia rua. Quando acabei de
Os hosrMiaes de caridad* licam gozando do indulto tomar duas garrafas senti-me completamente bom,
concedido as Casas de Misericordia, a respeilo de andando coa todo desembarazo, restando-me as
endas na garganla, para o que empreguei outros
remedios, mas nada me aproveitou ; foi quando
recepl as garrafas que havia pedido meu filho, e
cpntinoei com a terceira, que, no lira de poucos
dias, fui melhor. Hoje me acho completamente
bom. Portanto, sirva-se V. S. aceitar meus snce-
seus predios urbanos.
filulas
vegetaes assnc radas
de
kciuo.
Qualquer urna pessoa que se sinta atacada da
bilis, etc., que faca uso de.-tas admiraveis pilulas, ros agradec mentos, c o publico que ti ver a infeh-
por este meio tetn tomado a rnelhor das precancSes odade de sollrer taes padeeimentos que aproveite
eouira t das as molestias epidmicas, ma s dse com este meu testemunho.
pode salvar urna pessoa da febre amarella, do cho-1 ,L800 comapreco de V. S. muito alt. ven. e cria
lera ou das febres intermitientes beliosas.
Produzem um eleito verdaderamente maravi-
Ihoso em todos os desarranjos do igado e do
veotre.
Ellas se compoem exclusivamente de substan-
cias vegetaes e ser orna medicina fortificante que
nuoca debilita, pdem por issu ser administradas,
com a mesraa seguranza tanto s criancas as
mais tenras como aos bomeos mais robu-tos. sao
as nicas pillas de-ta natnreza que se acham
acondicionadas em frasqoinnos de erystal e sao
inapreciaveis como o melhor dos remedios, para
as pessoas de ambos os sexos seja qual for a sua
idade.
Encontrar-se-hao em todas as lojas de drogas e
as boticas de Bravo & C. e de Caors & Bar-
bosa.
do, Benlo Jos ntunes.
Maranhao, 11 de agosto de 1864.
(Do Piz.)
GOMMEBGIO.
mil imoi m mmvm.
0 uovo bauco p;-,a o 13 dividen
na razo de 8$000 per ace.
NOVOAJVCO
DE
PER^AMMIJCO
EM 27 DE SETEMBRO DE 186i.
O banco descoma na presente semana a oito por
cento ao anno at o praso de quatro mezes, e a nove
por cento at o de seis mezes, e faz emprestimos
AJfandega
Rendimento do dia 1 a 86........
dem do dia 20.................
Nao devendo eu por me assistirem razoas robus-
tas, continuar a residir na propriedadeBeberi-
bedo iiiosteiro de S. Benlo desta cidade de Olin-
da, faco pulmco que a deixei hoje. Seria injusto,
se assim como a ininha coosciencia se manifesta -
clara e distinctamente de liaver eu [formado o, >re ttulos commerciaes.
nllimo extorco que as minhas debis turcas per- j
mitoam para o cmnpi imeiito do meu dever, nao
palenteasso do alto da iinpreosa, em viitude de
igual forga que expi-i iineuto, a ininha graUdio pa-
ra com o illustrissiuio e reverendsimo setibor D.
abbade fre Antonio do Patrocinio e Araujn, pela
distincta honra com que se dignou liberalisar-me,:
setioo comente que eu continuase a fruir a gi ac
conferida pelo sau mnio iilu-lre antecessor o Se.
Fr. Manoel da Couc-icao Monle, de residir em dita
propriedade; pelo ijuu sinlo inteirq prazer em as-.
severar: que, emquanlo o meu espirito po-suir Volumessahidos com fazendaa..
coiiseiencia de si, e o roraco tocar-tno para o bem, COm gneros.,
permanecer o uoine do iliustrissimo e reve.rendis-
simo senbor D. abbade, quem sou e serei muito
"rato.
_ PERSONAGENS.
Mauricio de Cheneviers..... Coimbra.
Jorge de Maubreuil.......... Germano.
Paulo de Chenevjers........ Lisboa.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin SaTean ***........... Sff"
em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre i ord nPrhv........... Porto "
SttSArWL Ht9,29n.in0mBesnIe' maDda.fa- ^valheiro de' La'roche'.'.'.'.'. Guimaraes.
zer publico, que no da 89 do mesmo, perante a E|j junta da fazenda da tnesma thesouraria se ha de Shiide ......... D Antnina
arrematar quem mais der o imposto de 25500 do ^Sk d'-'rignv."'.\i:;'.i"'. D. Camilla
gado vaceum consumido no municipio de Ignaras- Convidados criados etc ote
s, no restante do tr.ennio crreme, avallado nova- f Zr,a
mente em 1:433*000.
LEiLSO
DE
Um cabriolet inglez de 4 rodas com
assenta para 4 ppsseas, arreios e
rodas de sobredientes
(.Sem limites.)
Cordefro Simdes
vender em lei lao o cabriolet cima mencionado.
Quitita-feira 29 do corrente
as 11 horas, porta do armazn da
____rua da Cadeia do Recife n. 48.
LEIO
DE
GA1IO \ ACCCJlf.
Quinla-kiia 29 do coi'icnle s 11 ho-
ras da man'aa.
Rua do \ igarlo n. fO.
OLYMPIO
antonsado por um sen amigo vender em leilao
tima vaeca boa leiteira com cria, 1 novilba, 1 gar-
rote e 1 hezerro : lera lugar o leilao na rua do
Vigario n. 10.
A arrematarlo ser feita por tempo de 2annos e
9 mezes a contar do i de outubro de 1864 30 de
junho de 1867.
_As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao, eomparecam na sala das sessSes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-!
buco, 13 de setembro de 1864.
O secretarlo,
A. F. d1AnnunciacSo.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 12 do corrente, manda fa-
zer publico, que no dia 29 do mesmo, perante a
jauta da fazenda da mesma thesouraria, se ha de I
arrematar quem aiais der o imposto do dizimo do
gado vaceum, da comarca do Bonito, avahado no-
valente em 2:000*000.
A arremataco ser feita por tempo de tres an-
uas a contar do pi iineiro de julho de 1864 30 de
junho de 1867
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao eomparecam na sata das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 13 de setembro de 1864.
O secretario,
.1. F. d'Annunctanto.
Terminar
em 1 acto:
o espectculo com a nova comedia
sin ou m ?
omam parte os Srs. Lisboa, Santa Rosa, Guima-
raes e D. Mara Poutes.
Comecar s 8 horas.
mm MiBiiMos.
DECL1BAC0ES.
Santa Casa da HserireNia do Recife.
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recife se faz publico que desde o dia 10 do cor-
rente se acha expedida ordem ao director do col-
legio de orphaos no sentido de ser recebido em
dito collegio o menor Jos, fimo de Camilla Mara
da Paz.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do'
Recife, 23 de setembro de 1R64.
O eserrvao,
A. F. Cavalcanli Cousseiro.
COMPANHIA BBASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos porlos do sul
at o da 30 do corrente o vapor
Apa, o qual depois da demora do
cosame seguir para os portos
do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: eneom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s
horas, agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio
Antonio Luiz de Oliveira Axevedo &X.
"COMP.NHIAPERNAMBUCANA
DE
IVavega^iio costeara a vapor
Parabyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear,
Acaracu' e Granja.
O vapor laguaribr, comman-
dante Lobato, seguir para os por-
tos cima no dia 7 de outubro as
1 horas da tarde. Recebe carga
'at o dia 6. Encommendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at o dia da sahida
s 3 lloras da tarde : escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
Um realejo novo e mo-
derno.
(Sem limites )
erjRug'fta siiSSS
far leilao de um realejo novo e moderno com dif-
furentes pecas de gosto.
Quinta-fch-a 29 do corrctite s 1 \ ho-
ras no armazcm da rua da Cadeia
numero 48.
370:810Ji7
30:685*035
607:495*982
ilovhucnto da alfandega
Volumes entrados com fazendas.
t com gneros.
:(4
413
-----797
12-i
698
824
Cidade d'Olinda, 27 de setmbro de 1864.An-
tonio Lobo Alberttm de Miranda Benrques.
Descarregam no dia 28 de setembro.
Barca (rancezaSphere mercadphas.
Aggravados nao foram os aggravantes com a
decisau de fulhas 7t, pela qual o juiz qu jul-;
gou nao ser cabivel a declaracao da fallencia do
aggravado, que, embora livesse sido onimerciau-
te, deixara de o ser, havia algum tempo, para eni-
pregar-se na agricultura, e nao exercia mais o I
cominercio, quando cessra os seas pagamentos ; |
porquanlo dito juiz assim jnlgaudo entendeu o
ait. 797 du nos-o cdigo commercial da maaefra,I
porque em Franca o tribunal superior e disimctos
commerciaiistas enienderarn o art. 437 do cdigo
de eommercio francez, artigo este, que coutm
disposieo idntica a do citado art. 797.
E co'm effeto na obra intitulada Fallencia c
Bancarrota ou resumo da legi-laco, do ilrina c
jurisprudencia sobre esta materia, capitulo 2.,
seccao 1." 43 da edicao de 1847 J. A. Leve
Bngue inglez Ison iJYm.
Barca inglezaSeraphinaidem.
Barca ingleza L'niondiversos gneros.
Brigue nwrutguenseii7/ccouros e ossos.
Brigne bremenseClarissecharque.
Importaeo.
Patacho portuguez Maria da Gloria, entrado
hontem de Lisboa, manifestuu oseguinte :
50 barris viuagre, 20 ditos azeite doce, 100 cai
xas ceblas, 4 surioes cominos; a Amonio Luiz
d Oliveira Azevedo ^ C.
20 barris vinho: a Greeorio Paes do Amaral.
1 dito diio; a Francisco de Assis Brito.
1 dito dito, 1 caixiuha livros; a Bernardino J.
Monteiro c C.
50 caixas ceblas; a C. Alberto S dr da Mofla.
2 pipas e 15 barris vinho; a Palracira & Bel-
trao.
51 dilas e 35 ditos vinho, 8 pipas e 20 barris vi-
nagre, 2 ditos agurdente, 400 ditos cal, 50 rail
COMPAIS'HIA PERNAMBUCANA
DK
Xavegaco eosteira a vapor.
Taman ar. Barra Grande, Ponta de Pedras,
Camaragibe, Macei, Penedo e
Aracaj.
No dia 5 de outubro seguir
para os portos cima o vapor Pa-
ralujha, commandante Martins, s
,5 mras da tarde. Recebe carga
'at o dia 4 EncnmmeDdas, passa-
geiro c dinheiro a frete at o dia da sabida : es
DAS
Perante a cmara municipal desta cidade es-
tarao; em praca nos dias 23, 26 e 28 do corrente
para serem arrematadas as seguintes rendas mu-
nielpaes :
Imposto de 80 rs. por carga de farinha
wS!?^!!!!!^*!!!^^" 2^5*000 cri',torio *
dem de 40 rs. por p de coqueiro___ 3475000
dem de mscales e bocetriras ..... INOfOOQ
Aluguel da casa da Sotedade........ 145*(100
Os pretendentes aarretoaiacSra da taes reumas,
eomparecam no paco municipal nos dias ln i-a-
dos, munidos de tianea id sem o que nao podero licitar. i
Todas as arrematacoes sao por um anno. excip-
to da casa da Soledad*, que ser por tres anno.J_
Paco da cmara municiiial do Recife em sessfio
de 21 de setembro de 1864.
Luiz Francisco de Barros Reg,
Presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
MESSAGEKIES
que, refernidose nove rommerciabstas e ao tri- ceblas, 98 ditas velas de cera, 6 ditas massa de
bnnal de eassacao ensina que a insolvencia de um tomates, lOOaucoretas azeitonas, 14 barris cera
individuo, que estivera no eommercio, nao basta em grumo; a Thomaz d'Aquino Fonceca.
para faz-lo declarar em estado de quebra, nao es- barril agua-raz; a J. Martinho da Cruz Cor
teja reconhecido ser elle actualmente commercian-' re'a-
te; e ignal opinio se deduz da lejflslaco eom-l i dito vinho, 10 volumes drogas^ a Caors &Bar-
mercial p.>r Bonnin, do direito rommercial por bosa.
Delvincourt, co por Lonrbampt, do direito eommercial em snas Ignacio de Oliveira relacoes com o diieito das gentes e o direiio civil i lo P'Ps vinho, 50 caixas azeite doce, 4 ditas bo-
por "Mass, do commentario sobre o cdigo com- 11 chas, 3 ditas doces, 3 drtas ervilhas, 2 dilas pei
mema I ou elementos do direito commeicial por
Tbiercelin, e diccionario do contencioso eommer-
cial por Devflleneuve e Mass, pois todos estes
autores, que nao sao os citaJos por Levesque, es-
tahelet em que a fallencia c o estado do commer-
ciante, que cessa os seus pagamentos, dizendo
Bravard uo seo direito eommercial que para um
individuo reputar-se como fallido necessario
ler cesado os seus pagamentos e t-Ios cessado
em quanto commerciante, e acrese entando que o
xe; a Tboinaz deAqtnno PoDceca Jnior.
o caixas papel; a Joaquim Francisco da Silva
Jnior.
5 volumes drogas; a Denker & Barroso.
14 ditos ditas; a Joao da Silva Faria.
9 ditos dilas; a Maurer 4 C.
3 ditos ditas: a Bartholomeu Francisco deSonza
&C.
12 volumes amendoas, 3 caixas cognac, 40 ditas
batatas, 32 dilas velas de cera, 100 ditas ceblas. 5
concurso d'estas duas circunstancias basta, mas dllas e 2;> quartos en, 200 barris cal, 17 ditos e 12
indispensavel. I''Pas v'"ho. 363 lages, 100 saceos farello, 15 ditos
I-to posto, com quanto esteja provado que o ag- \ P'menta, 6j barris toucinho; a Euzebio Raphael
ravado ce.ssnu os seus pagamentos em dezembro Rabello.
e 1860 e nos primeiros mezes de 1861, todava fnbarris vinho a Joao do ReR0 Lima-
nao est provado que quando se deu esta cessaco o0 caixas velas de cera; a Domingos Rodrigues
de pagamentos fosse o aggravado commerciante, i d'Andrade.
e nao est isto provado aioda mesmo com os de- caixa vi
ipi
poiine.ntus das testemunhas pelos aggravantes pro-
duzidas. as quaes sao empregados da caixa e por-
tanto subnrdinadas aos aggravantes, urna vez que
a primeira desas testemunhas s-everou que o ag-
gravadojtiuha escriptorio na rua do Imperador quan-
do era procurado para pagar as letras de sua
obngaco e nao as pagava, a segunda assever.u
ignorar a poca da cessaco dos pagamentos do
aggravado, a terceira disse referindo-se ao escri-
vao dos protestos. Tito, j fallecido, alias hoje falle-
cido, c por occasiao de nao pagamento de urna le-
tra que o aggravado linda e-criptoro naquella rua,
e a quaru dedaiou ler ouvido ao aggravado dizer
qne era comrjBemante, e te-lo visto vender assucar
em 1860 sem poder precisar com exarttdo a po-
ca, em que sureederaiu os faces, que assim nar-
rou : do que resulta nu haver entre esses quatro
depoimentos. ao menos dous, que sejara coutestes
o niosirem com certeza que ao venficar-se a ees-
sagao dos pagamentos do aggravado era este com-
memanle, ao passo que da combinaeao dos docu-
mentos apreseniados pelo aggravadu com a jusiifi-
caco de 61 fl. 69 se depreh'ende que antes de
ler Ingar a mencionada cessaco de pagamentos,
j elle se havia retirado do eommercio, e plantara
cannas primeramente" no ngenho Mossahiba na
fregnezia de S. Amaro de Jab4io, e depois no
ngenho Aiiianca da freguezia da Esrada, oceu-
paudo-se em cun>trucgo de predios na villa do
mesmo nnme, d'oBde vmlia alguma vez a eta cU
lade, na qual nao iinlia residencia continuada, e
aau fazia do eommercio sua pro&ss > habitual:
sendo que o procedimento dos aggravantes em ac-
vidros*. a J. I. Ribeiro Jnior.
1 barril vinho; a Viriato de F. Tavares.
76 caixas velas de cera; a Manoel J. Ramos e
Silva & Genros.
1 caixa ervilhas; a Jos Peixoto da Fonreca.
6 ditas vinho, 50 ditas velas de cera, 50 ditas ba-
tatas, 50 ditas ceblas, 10 saceos cominhos; a or-
dem.
6 caixas vinho; a Guilherme da Silva Guima-
raes.
2 caixas alfazema; aGracilano O. da Cruz Mar-
tins.
100 barris cal, 25 caixas velas de cera; a Tho-
maz Fernandes da Cunha.
2 ancoretas e 1 caixa vinho, 1 dita chocolate,
mea barrica erva-docc; a Jos Joaquim da Costa
Ferreira.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co aos devedores dos mpestos cobrados por lau-
camento perteneente ao exerricio (indo de 1*63
1864, que no ultimo de setembro corrente finda-se
o praso marcado para o pagamento de seus dbi-
tos, ficando snjeitos a serem execntados os que
nao pagarem at aquelle dia.
Mesa do consulado provincial de Pernarabues Io
de setembro de 1864.
Antonio Carneiro Machado Rios.
Administrador.
Correio geral.
Pela adininistraco do correio desta cidade se faz
publico que em virtude da convenci postal cele-
brada pelos gNvernos brasileiro e francez, serlo
expedidas malas para a Europa no dia 30 do cor-
rente pelo vapor francez Gtiyrnne. As cartas se-
rao recebidas at 2 horas antes da que for marca-
da para a sabida do vapor, e os jornaes at 4 ho-
ras. Adminislracao do correio de Pernambuco 83
de setembro de 1864.-0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Crrelo geral.
Pela adminfstracao do correio desta cidade se
faz publico, para tins convenientes, que em virtu-
de do disposto no art. 138 do regulamento geral
dos crrelos de 81 de dezemhro de 1844, e art. 9
do decreto n. 185 de 15 de maio de 1851, se pro-
ceder o consumo das cartas existentes na admi-
nistracao. pertencentes ao mez de setembro de
IMPERIALES
.No da 30 do
corrente mez es-
pera-se dos por-
tos do sul o va-
por francez
t ti irnttf, c o m -
mandante Anbry
de la No, o onal
depois da demo-
ra do cnslume seguir para Bordeaux tocando em
S. Vicento e Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia com Gore.
Para condiccSra, frotes f passagens trata-se na
agencia rua do Trapiche n. 9.
Fe ira semanal
DE
Trastes novos e osados, crystaes e ou-
tros artigo*.
Sexta-feira 30 do corrente s 11 horas da manbia
Rna da Cruz n. >7.
O agente Olympio vender em leilao diversos
objectos de marcineiria novos e usados, sem Itmi
tes, bem como relugios e outros artigas de gosto o
que tudo estar exposto no diado leilao no arma-
zem da rua da Cruz n. 57.
I
Asl0:0O$OQ0.
Quinta-feira 6 de outubro do corrente
anno se extrahir a quinta parte da quar-
ta lotera (H0a) a beneficio do (lymnasio
Pernambucano, no consistorio da greja de
Nossa Senhora do Rosario da freguezia de
Santo Antonio.
Os bilnetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria rua do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000000 at 200000
ser3o pagos urna hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os outros ao dia
seguinte depois da distribuicio das listas.
Serondo de hesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
~mkU FORTUiU
aos 10:000,000
Bllhetes garanildos
A' rna do Crespo n. 23 e casas dt esstou
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feh>
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beneficio da igreja de Santa Rita, os
seguintes premios:
K. 3099 d us quartos com 10:000*000
N. 950 meio bilhete com 2:0004000
N. 1726 dous quartos cura SOOpOOO
v. outras muitas de 300, 100*. 40* e 20*.
Os possuidore podem vir receber sem os des-
con.os das leis na Gasa da Fortuna rua do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da quinta parte da quarta
lotera a beneficio do Gvmnasio, que se extrahir
no da 6 de outubro.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 12*000
Meios......... ejooe
QuarK*........ 3*00
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes........ 11*000
Meios......... 5jgoo
Quartos...... 2*750
Manoel Martins Fhtza
LEILAO
DO-
Espolio do tin;i lo subdito portugnez
Custodio Luiz Gomes.
Sexta-frra 30 do crvente.
O agente Pestaa por ordem do cnsul de S. M.
Fdelissima vender em leilao diversos objectos
periencenies ao espolio do suhdito portuguez Cus-
todio Luiz Gomes como sejam : 10 arrobas de
carne secca, diversos movis de ca-a, um relogio
e corren to patente inulez, aneles ele., e outros
objectos que se acharo patentes no leilao que le-
ra lugar sexta-feira 30 do corrate, na travessadq
Arsenal de Guerra n. 7, armazem.
Sexta-feira 30 do corr1 nt>, s H ho-
ras, a rua da < arieia armazem i, 53
EUZEIlId
Vender em leiio urna mobilia de Jacaranda
nova com lampo de peora, urna dita de amarello
tambeni nova, duas duziai rie cadeiras de cereja.
um ri'iuissimo palileiro de prata, bercos de fala,
guarda ruipa, nina poreSo de oleado para mesa e
tliu para forro de carro, tapetes de raiz de esparto.
No dia cima dito eslaro venda os objectos
cima.
T&^^*
Para o Araca'y
pretende seguir com mnita brevidade o velei o
hiate Doils Amigos, tem parte do seu carregamen-
to prompto : para o resto que Ihe falla, trata-fe
com o seu consignatario Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C., rua da Cruz n. 1, ou com o capito
"rancisco Martins da Costa no trapiche do algodao
LEIIOES.
LESLtO
oO icroes de oni|i nliia \igilaute.
O agente Pinto levar noyamente pela ultima
vez leilao por despacho e em prrsenya do lllm.
Sr. Dr. juiz de orphaos, as 50 acedes da compa-
nlua Vigilante pertencentes ao casal de D. Ue-
m-ntina Theodora da Silva, isto s 11 horas do
dia cima dito em frente a Associacao Cummer-
cial.
Feira semanal
DE
1/A2JJL
! na casa de mu andar na rua du Son -
Zrla I!. I.
Sabbado Io de outubro.
O agenf Pestaa b-galm-nte autorisado vende-
r por conta e risco d- quem peitencer ma casa
de pedra e cal do um andar sita na rua da Senzala
Nova n. I, os pretendientes podem examina-la, sera
vendida no sabbado 1" de outubro pelas 11 horas
da mannaa no armazem dos Srs. Palmeira 4 Bel-
trao no largo do Corpo Santo.
ayisos gagos.
Instituto Archeologico e Geo-
graphico Pernambucano.
llavera sessSo ordinaria quinta-feira. 29
do corrente, s 11 horas da nianlia.
Ordem do dia.
Recepco do Sr. Dr. Francisco de Car-
valho Soares Brando, na quatidade de so-
cio effectivo.
Relatorios
Secretaria
de 1864.
Antonio de Almeida Gomes mauda cele-
brar urna missa p>r alma do seu fallecido
amigo o chele de diviso Jos Maria Ferrei-
ra, hoje. s 7 1|2 horas da manhaa, na igre-
ja do Corpo Santo e convida aos seos amigos
e igualmente aos do fallecido, para a ella as-
sistirem.
e trabalhos de cemmissSes.
do Instituto 2G de setembro
.). Soares d!Azevedo,
Secretario perpetuo.
manhaa, na porta do mesmo correio. e a respecti- i-l*aSlGS nOVOS e USaOS, CrVS"
va list se aeha desde J ex posta aos interessadOs.
Administracao do correio de Pernambuco 22 de
setembro de 1864.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Gonselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guintes :
Para provimento dos armazens do almoxarifado do
arsenal de guerra.
taes e outros artigos.
r >- -
Quarta-feira 28 do corrente s
No armazem d > Vivario
>
far leilao cm seu novo armazem na rua
gario n. 10, de diversos trastes novos e
relogio-de ouro e prala e outros muitos
horas.
10
do Vi-
olados,
artigos
grossura,-9a 14 dilas de largura e 25 a 27 palmos
de comprimento.
50 arrobas de cabo velho de linho.
12 costadmhos de pao carga.
2 arrobas de pregos frncezes de 2 1|2 pole-
gadas.
1 arroba de ditos ditos de 2 polegadas.
i arroba de ditos ditos de 1 1|2 polegada.
1 arroba de ditos ditos oV 1 polegada.
4 libras de ditos ditos del i|2 polegada.
8 libras de ditos ditos de 3|4 da polegada.
Para a colunia militar de Pimenteiras.
I livro denominado Ritual.
1 estola (braaca e raj.
1 roquete.
1 vaso para os santos leos, de chumbo ou de
20 ancoretas vinagre, 64 ditas azeitonas; a Juao qualquer outro metal.
Macedo do Amaral. 16 libras de ce-a, contendo 12 velas de !i2 libra
2 caixas doce; a Marques, Barros & C. e 30 de 3 era libra.
10 barris vinho, 15 ditos vinagre; a Silva & 100 hostias.
&>? .. !O0 partculas.
4 barris vinho, 2 barricas ervas mediciDaes; a garrafas de vinbo braaco (puro).
Luiz ira Luna. Quem quizer vender taes objectos aprsente
12 duzias de taboas de eedro de 1 polegada de' Que estar3 patentes no dia do leilao no armazem
Jvo Decio Marques Jnior.
Recebedorla de renda interna
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 26........ 25:o'58220
dem do da 27................. 641560
da rua do Vigario n. 10.
LEILAO
DE
m-
10 barris com mantenga
gleza.
O agente Pestaa vender or cont e risco de
qom nertencer 10 barris com manteiga ingleza :
hoje 28 do corrente pelas 10 horas da manhaa no
armazem do Annes.
LEILAO
**
Movis o Otilios muitos
de gosto.
Quinta-feira 29 o corrente.
artigo
26:199*780
O diminuto' preco de 53 porque se assig-
na o nosso Diario, deve ser pago dentro
de 15 dias, do cometo do trimestre, ou a
t)3 depois desta poca, devendo aquellesde
no-sos assignantes a quem nao agradaren
estas condijoes, avisar era tempo para lhes
ser suspensa a remessa, e assim poupa-
rem-nos contestacoes continuadas sobre os
pagamentos, e identidade dos nossos cobra-
dores, como muites allegara. A apresenta-
co de recibo por nos rubricados, deve ser-
vir aos asignantes de documento compro-
batorio da identidade dos cobradores que
sao diversos, afim de poderem conseguir
encontrar os nossos assignautes as horas
vagas de suas oceupaces.
0 cirur^iao Leal mudou
a sua residencia da rua do
Queimado para a rua das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Prgressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fss&o, chamado por escripta.
0 Sr. tenente Padilha,
chegado pouco da liba de
v>" quizer vender taes vu.Uvh .mC>t
10 banujinho, 2 barricas ervas medfcmaes a suas nropostas em carta fechada na secretaria do
cpnseiho, s 10 horas da majibaa do dja 28 do cor- \"o armazem rila da Cadeia do Rt-
rente .q
Sala das sess5es do conselho administrativo para I Cll1 D. 4o
fornecimento do arsenal de guerra 21 de setembro' CORDEIRO SIMES, antorisado por alguns 'VfxnnnnA^. '"--^__
4ei8ff4. amigos far leilao de diversos movis, crystaes e remando, qUOira, aOUtiaCiar
Antora Mr* de Si Brrelo, i oon-os mnilos artigos de gosto que se torna enfa- ,uo ...AliaJQ ^n ir^ i^
Cprohelpresidenle. donho mencionar, os quaes estaro patentes no dia -1 IllUIOiUa, UUl? rSO ID U*
SebastiSo Antonio do Reg Barros do leilao. i oa fLll,-
Vogal secretarlo Interino. I Dar principio o leilao s 11 horas em panto, i &cjd Itllldl,
Permuta-se por um sitio qne tenha bastantes
proporcoe* para planlacao perto da praca um so-
brado de dous andares com solao e duas frentes
m urna das melhoaes ras do bairro de Santo
Antonio, o qual rende annualmente 1:300: a tra-
tar com o agente de leiloes Olvmpio no armazem
da rua do Vigario n. 10
Ama de leite.
Precisase de urna ama de lene : na rua da
Santa Cruz n. 64.
Na povoaco de Tracunhaem fica estabeleci-
do um carro tirado a quatro valentes cavados para
conduzir passageiros para esta capital, e desta para
Nazaroth ; sendo os pontos de partida em Tracu-
niiarin, e nesia cidade no lierco do Ouvidor. As
viagens para esta cidade seras reguladas as 7 ho-
ras da manhaa de todas as segund^s-feiras, e as de
volta as 'i horas da tarde de todas as quiutas-fei-
ras. Cada passageiro pagara lO&m desta cidade
para N'azjirelh, e de Tracunhaem para erta cidade
nagara 8500o. Havondn vaga, podem ser atlrnit-
lidos p_as>aieiros para Pao d'Alho, e ento pagaro
oles 6,3000 : quem se quizer aproveilar deste
commodo, Oca desde j prevenido que no dia 3 de
outubro encontrar o dito carro preparado para
fazer a sua primeira viagera de Tracunhaem para
esta cidade.
Pesia e prtdssio de Nossa scnliora das Dores na
ijrcja de Santa Cruz eiu Olitidu.
O abaiso assignado declara que duminge 2 da
outubro lera lugar a festa da Seuhura das Dores
na igreja da Santa Cruz. Principiar a missa pe-
las 8 horas da manlia, e a procissau pelas 4 s a
da tarde, que saldr pelas ras seguimos : ladeira
do Varadouro, S. Beolii, Quatro Cantos, Maihias
Ferreira, Payo Ca-telhauo, e dalu reculbe-se. Pelo
que p-de aos habitantes das dilas ras que man-
dem limpar e ornar as frentes de suas casas ; e a
todos os mor dores da cidade, que por vi-neracao
j immaculada e dolorusa Alai de eos, no sabPado-
nolte e oodomihgo peas m-smas horas iiiun-
nem as frentes de suas moradas.
Conego Joao l'hri.-iistomo de Paiva Torres.
Fscruvo fgido
Fugio na noite de 26 para 27 do corrente um
mulato de nome Joaquim, de idade 35 annos, pou-
co mais ou menos, com os sienaes seguintes : al-
tura e cori-o regulares, cabello corredio, com bigo-
de e pouea barba, rom un carneo escuro debaixo
do queixo, pernas tortas, e os dedos dos ps espar-
ra Ihados, levou vestido calca branca, camisa de
algodao da mesma cor, e chapeo de palha : roga-
se portanto a todas as autoridades pobciaes e ca-
pites do campo a apprebensao do dito escravo, e
levem-o rua do Cabug n. 7, onde sero gratifi-
cados.
SOCIEDAD
Dramtica Minerva Pernam-
bucana.
De ordem do Sr. Dr. director faco sciente aos
senhores socios que no dia !> de outubro baver
espectculo, e por isso queiram comparecer na fi-
de da sociedade at o dia ultimo deste, uflm e
rereherem os seus bilhetes.
Secretaria da snciedade dramtica Minerva Per
nambucana 28 de setembro de 1864.
P. de Oliveira Pimente),
Io secretario.
J. F. S. Collio e J. C. Pinto cordiatoente
agradecen) aos amigos do fallecido Custodio La
Gomes o obsequio que lizeram de conduzir, no dia
25, o seu cadver ac ultimo jazigo; e ao mesmo
tempo- os convidam para a missa do stimo dia,
sabbado 1 de outubro, na igreja do E>pinto Santo'
do Collegio, s 7 horas da mauhaa ; pelo que Um
ficaro eternamente gratos.
A viuva e filhos de Jos Vieira de Figueire-
do agradecen) sinceramente a todas as pessoas, que
concorreram cora beneficios seu marido a pai,
durante o tempo em que este esleve sobre o leito
da dor; e com [especial menco aos Illms Srs. Dr.
Manoel Francisco Teneira e capito Silviao Gui-
lherme de Barros : o primeiro pela aclividade com
3ue, durante quatro mezes, se prestou no emprego
e sua reconhecida intelligencia medieaJJ dtseo-
brindo se Ihe sempre ardente desejo de salvas das
garras da mor> o infeliz pai de familia ; e o se-
gundo pela generosidade com que inesperadamente
soccorreu, no theatro da affliccao, a peltre viovac
innocentes orphaos. A gratido, pois, atioou-
linrtos cavalleiros vivera eternamente gravada
nossos coracSes. __^_^________
- Aluga-se pelo lempo da festa a casa
da Panella, que fie a no pateo da igreja com a fren-
te para o rio, tem commodi dados para grand* Fa-
milia, sotan, estribara, cocheira, casa de asomes,
jar lim, cacimba, com bomba e tanque : qu*< a
pretender, dirjase a rua Direita, no primeiro aa-
dar por cima da botica do Sr. Prannos, em aefca-
r com quem tratar.
Precisa-se de urna ama para cozinhar ftmiV
prar para casa de pouca familia ; na rua de Ber-
tas n. 130.
f
ILEGVEL





i


**'litarlo Jeffiaa_Ref miara elra 8 e ftcieiubro
S'tlos ta ra Nova
loa da Rocha e Silva, autorisado para vender
s solos da ra Nova desta cidade nao tendo ap-
pare-ida os proprietario:- das casas para effectunr
dita venda, avisa aos interessados que so ate o lira
4o me ter logar semolhante venda com o abat-
Siento da quinta parte e depois sera vendido en-
lobadamente a quem mais oft-recer.____________
SOCIEUADE
LIVK4KI.V ECONOMA.
RA DO CRESPO N. 2.
DEFRONTE DO ARCO DE SANTO ANTONIO.
Obras ltimamente receuHas,
NAO BEIVEFICENTE
MARTIMA
JlIHISPnUDKNCIA.
Consultor forense por Carlos Antonio Cer-
deiro, 4 volumes............30000
Tambera se vende cada volume separado 8(XK)
Manual dos juizes de direito, ou attribui-
cocs e deveres destas autoridades .. 500
! Pnmeiras liadas sobre o processo crimi-
P ordem do Sr. presidente sao convidados to-' nal por J. B. da Cunha, 2 volume 145000
ios os seohores socios para assembla geral no dia Nova guia dos juizes municipaes e or-
sexta-feira 30 do correte, pelas 1|2 horas da lar- phos por J. M. P. de Vasconcellos 8000
de, no *alo de suas sessoes, para Ibes ser apresen- Novo advogado do povo ou arle de reque-
tado o estado da mesma, e aura de ser empossada reremjuizo .. .-.......... 4*5000
a ova directora. Previnu-se aioda aos senhores Roteiro dos collectorcs, nova edicao muito
socios que nao se pozeram quites, que Ihe mar-, augmentada............ C5000
eado o praso de o fazerem al esse dia, sob pena Novissimo manual dos tabelliaes ou col-
de incorrerem no art. 12 3" dos estatutos, e para> leccao dos artos, altribuigoes e deveres
q se nao ciamem a ignorancia se faz o presente destes funccionarios.......... 600
aviso. O advogado ceraraercial ou arte de reque-
Secretaria da Sociedade TJniao Bcneficente Ma- rer no juizo commercial....... 45000.
A jiousiiA ou infecto pflcec I
liar confiecida pelo nomo de Ef- !
crofula c uin dos malpe mai-o'
prevalecentes e universal que
ha em tuda, a extensa lilta das
enfermidades de que soffresse
geuero humano : disse um po-
bre escriptor da medicina que
mais de na tere paite de
todos aquellos que morrum antes
da velhiee sao vielimas, ou direc-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la :- por si nao Uto des.
tuctiva, porm a principal.causa de mui-
rs outras enfermidades .qu nao Ihe to ge-
ramente attribuidas.
E' urna causa directo da phyhisica pul-
monar, das molestias <1 fijado, do estoma-
go e affeccoes do cerebro Entre os seus
numerosos symptomas aeham-se os teguin-
rti'ua, 21 de setembro de 1864.
Ballhazar Jos dos Res.
! secretario. ______
A!oga-se urna escrava para lodo o_servico de
ama cisa : na ra da Cadeia Nova n. 13 ; e lam-
bein se vende a mesraa._________^________
Aluga-se urna casa acabada e pintada de ho-
to, com bastantes commodos e arvoiedos. sita no
Cachang : na ra do Queimado, loja n. ii.___
"~ Precisa-se de nma pessoa de 14 a 18 annos
de idade que qneira ir ser caixeiro em Gamelleira
prximo via frrea, que d ronheciraenlo de sua
conducta : a tratar na ra do Llvramento d. 15,
loja de calcado.____________________________
Preeisa-se de urna ama forra ou escrava para
asa de familia, que saiba eosinhar e comprar: a
tratar oa ra do Pires n. 21._________________
Precisa-se alugar um preto ou moleque para
o servico de sitio: a tratar no pateo da Santa Cruz
numero 4.
Joao da Silva Ramos, medico pela Uni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
i das 4 s 6 da Urde. Visit os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serlo soerorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
. que o procuraren! no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para reeeber qualqner doente,
anda raesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nclla pra-
ctica quaiquer operacao cirurgica.
Para a casa i'e sade.
Primeira classe 35000 diai ios.
Segunda dita.... 25300
Terceira dita.... 25000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servidos que tein pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
- Aluga-se um moleque com idade de 10 an-
uos : quera precisar dirija-se a ra dos Martyrios
n. 2, no segundo andar.
ndice alphabetieo de materias, as quaes
tem applicacao legislacao patria pro-
mulgada at o anno de 18.'7, coordena-
do pelo desembargador Joao Joaqun]
da Silva................
Alem destas receberam-se mais obras de sum
rao interesse, para os senhores juizes, advogados
solicitadores, etc., ele.____________________
~~m^ pwc4
ESTABELECIMENTO.
0 agente Olyrapio mudou | *g g^ de dsposic5o escrofulosa ap.
Seil amUlZem de leilOeS pa- parecem freqnentemente erupces na pelle
rn q mo (\(\ Vicario Ti 10 da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
rd d IUd UU \ lgdllU 11. IV, disposias s affeccoes dos ptUmdes, do figa-
aonde pretende continuar a *.dos re do's <*&*.digestivos e ou-
nnos. Portanto, nao somente, aqueiies ri0corcUnda.
Publica?Q llterati..
Sabio luz o opsculo intitulado
A M I!: II la .%:
BRASIL
pon
A/fonso de Albuipurquc Mello
Convidara-se os assignantes a mandareni reeeber
seus exemplares na praca da Independencia ns. 6
e 8, que sero entregues a vista dos n^cibos das as-
signntaras ; ah tambera esto exposlos venda a
:i5t)0 cada um. Sao sob os seguales ttulos as
materias do que se ore upa:
Introduccao.Noyau da liberdade.- O Brasil co-
lonia. Revolucao de 1817A lud.pendeuciaA
constitulnteAconstituicaoA revolucao de 1824.
A expulsao ou abdicaeao. A regencia livre. O
partido regressista.Amea?a dos Corcundas e que-
da dos livres. A regencia corcunda.Causa dos
males da regencia livre. Regencia corcunda e
maiordade.-Principios do reiuado de D. Pedro.
Revolta de Mina o S.Patrio.-Dominio da Praia
Luza.O dominio liberal nao inquietava os cor-
cundas. Feilos do dominio liberal.-A praiaeChi-
chorrosenatoria.A revolta e a revolucSo de
1848 A consttuinte.A constitunte. Derrota
da revolucao. Negocia^o de Honorio com os libe-
raes :traidores.-Venda da bandeira da cons-
Aluga-se urna casa etn Beberibe : iraif
[ cora J. I. M. Reg, ua ra do Trapiche u. 34.
mwmmmmmm
Compauhia fidelidatlA de |
seguro martimos e ter-
restres estabelcclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES E>1 FEPNAMBL'CO
Anlonio Lniz de Oliveira Azevedo A C,
competentemente autorisados pela direc-
toria da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navio?, mercado-
rias e predios no.seu escriptorio roa da
Cruz n .1.
m
0 Dr. llocha Bastos
ili.la
I tes : falta de appetite ; o semblante pal-
udo e s vetes inchado, s v^'zes de urna
alvura transparente e outras corado e a-
mardiento ao redor da ooca ; fraquea e
{^^^[molteza nos msculos : di >g est o fraca e
appetite irregular, falla de energa, vertir
inchado e evncuaco irregular ; quando o
mal tem seu assento sobre OS pulmoes, uma I tituinte. O partido liberal durante osquatorze an-
cor azulada mostra-se em roda dos olhos ; nos do chamado ostracismo. Os corenndas e es
miando tica n-* nta-n* digestivos OSOlhos ."es duraale osquatorzeannos.-Captiveiro re-
quanuo ataca os orgaos uigtsimb, uii um g|tfnado e vo|un|ar0 ^ ,beraes duiaBte os qua_
tornam-se avermelhados :-0 haM ftido, torze anuos.-0 povo corcunda, ou os vmnelhos c
a lingita carregada, dures de cabeca, ton- os sabios.-A situac.no propriaraente poltica.-Ins-
tituicoes livres, e direitos polticos que tivemos
at o lim da regencia livre, e o que actualmente
temos pm lugar dellcs.Os representantes da na-
coedas provincias.Situado administrativa.
O qnc sao nella os Portoguezes. Como o gover-
no obrigadu a corromper o paiz e a fazerlhe
sempre maior mal.Como se multiplica e se paga
a clientella do governe para susleular-se o tupe-
*\" ciAmnnn ao """3' uikmiw, uau nmimi) !.. rio corcunda. 0 procnsul.O procnsul da co-
iazer SUUS ieiraS SeniailtieS que padecem das formas ulcerosas e tufar- marca. Dos cargos, dos crimes o da punicao.A
7T< pode ser procurailn das 7 horas da man
gg ao tnei da, e das!) horas da tarde
em dianle no
Scaes de Xovcmbro n. 3ol
>3 (rin CHA do dii.iiaii pos akc.o<- ) R
P
Anda est para alugar-sc
terrea n. 39 : ra da Lnio.
a.
O Dr. Rocha Bastos mudou a sua re-
_ sidenc.ia para o caes Vinte e Dous de >'o-
91 verabron. 7, poreima do Buhardos Arcos, {a
SJjgtiSalW lli^ISitllll WtMM
Precisa-se faltar ao Sr. Antonio Jos
Teixeira de Mendonca Belem : nesta typo-
graphia, ou na [ivraria ns. G e 8 da praca da
Independencia.
DENTISTA DE PARS |
49Ra Nova19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operares de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, tudo com superio*
ridade e perfeigao, que as pessoas enten-
didas Ihe reeonhecem.
Tem agua e pos dentificio.
twon
Precisa-se de uma criada livre ou escrava
que saiba cozinhar e engoraraar : na ra das Cruz
a. 42, prlmeiro andar.
De meiii dia as '( horas da larde
!V. 9 lina da Cruz *. j
Cura radical e em |>ouros das as mo-
eslias syphflitiras e as do apparelho ge- i^R
nilo-urinario. 2MB
Precisarse de dous homens que entendam do
servico de copeiro : na ra da Aurora n. 32.
- Aluga-se ou rndese a oaria dos Coelhos n.
3, onde esleve o Sr. Manorl Berra, o caes passa na
frente, fica em muito bom local para quera quizer
edificar, ou nicsino par: quem qneira pdr alguma
londicao : a tratar na roa Direita u. 22, remiacao
de Francisco Jos de Aranjo.
m t) Dr Laelauo Xavier Pereira
s^t de Brito, cuiitina a residir na
g pra a da Una-Vista n. f. onde
p'>de ser procurado quaiquer
liora do dia, ou da noilo, paia os
miateres de sua profisso de me-
dico.
Contina a fazer a sua
idadi'ent patios,
m
II
H
Na prac,a da Independencia, loja de oumes
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz quaiquer obra de en-
comracada, e todo e quaiquer concert.
COMPRAS.
tes e amigos.
fina do Vi gario n 10.
B. Nao tendo gerencia nem respon
te d'este terrivel flagello (e s vezes 6 her-1A moral publica.-Dos crimes.As cleitoes.
ditario) estao exposlos tamljem a solrer das S^^.^^J^^^^-JL'^F0 a p-"
enfermidades que elle causa, que sao :
A phlhysica, ulceracoes do figado, do es-
tomago e dosrins: erupces e enfermida-
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipela ;
borbulhas. pstulas nacidas, tumores rk-.%ffi-aConcn-,aCao e _oPPosicao par.a-
N
sabilidaile aLnima no armazeiu da ra da
Cadeia do Recife n. 48,
torezi
taberna
OU contas na ra oa .naure ue ueus ariumcni un------1->----..... ,~............,,._. nropr>n__Pnrnn
Ribeiro Braga em liquidadlo, no prazo de 13 das cas causada pela ttlceraco tuterwr, e en- X^---
a contar desta data
1864,
Precisa-se de uma ama para o servico inter-
no e externo de uma casa : na ra larga do Rosa-
rio n. 37.
tria. Situado para com o exterior. Situacao
finao.ceira.-As financas do estado.-A miseria
Perigo e salvamento dos eorcundas.A liga.
Como se congregam os elementos para ella.Con-
sideracoes retrospectivas. A cpnstiluinte. Prepa-
o progresso so vem com-
nossas desgracas e sem mais remedio.Se
Precisa-se de uma am? para o servico de
casa de duas senhoras : na ra da Seuzala Velha I
ii. 112, primeiro auJar.

AMA
Precisa-se de uma ama para cozinhar e comprar
em casa de hornera solleiro, prefer ndo-se escra-
va : na ra do Queimado n. 43._______
OftV.rece-se um moco portugnoz para quai-
quer estabelef ini'nto, < da dador <-: sna conducta:
qnera pretender dirija-sc a ra do Vigario n. 33,
taberna.
Ama de leite.
Na ra da Cruz n. 3.3 necessita-se de uma ama
forra ou captiva, porm que seja sadia, agradando
pa.) se duvida pajar bem.
"Aluga-se a casa terrea n. 90 da ra Augusta
-ora bastantes commodos : quera a pretender, di-
rija-se a roa do Vigario n. 12.________________
a. L. eUuclie, ra .\iva n. 22, receben um
grande sortimento de molduras para retratos por
prego commodo._____________________________
\m%u
Na ra da Roda n. 21 acha"-e um rico vestido
paracasarnenti : a pessoa que precisar, dirija-se
<;om dinheiro qu.; fara negocio.________________
Precisa-se de uma ama forra ou captiva para
todo o servigo de uma casa de pouca familia : na
ra dn S. Francisco, casa n. o. _____________
Aluga-se o lerceiro andar do sobrado silo na
ra estreita do Rosario n. 31, com grandes com-
modos para duas familias por ser 3o o 4 andar,
contendo 14 quartos e 4 salas, muito fresco por se-
ren os o'uoes corridos de janellas : a tratar uo
mesan cora o proprietario.____________________
Aeha-se usa e contratada a casa da traves-
a o Carato n. 13 : quem a ella se julgar com
direito appareca ua ra estrena do Rosario n. 19,
segundo andar".___________________
Precisa-se de 1:2005 a premio, dando-se por
garanta cinco escravos : quem quizer fazer este
negocio, annuocie para ser procurado.__________
llecfe, 24 de setembro de {trinidades uterinas, hydropesia, indiges- ha salvac-ao para nsqual serlaomco e bernia-
________________________ to, en fraque cimenta e debiiidade geral. leil. -Resumo. -A's cinco provincias pernamlmca-
Aos pulmoes a escrfula produz tuhercu- 'as. Histrico e.poltica corcimda.- De que pro-
\c*. p liinlmpniL mnimunia mi Imanar \ vm SMerla- Como se corrompe na eleigao.-A
IOS e nuaimente pmsumpfa pulmonar restr aa da n,erdade pardo progresso da immo-
nas planillas ella produz incliacoes e tomam- ral idade.-{^rollado.
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem indigestao, dis-
pepsia, molestias do ligado e nosrins:
na pelle produz erupces e affeccoes cut-
neas.
Todos estos males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangite,
v salsa parrllha de Ayer
Aluga-se a casa junto ao sr. capitao
Porfirio ao p da ponte do Sr. Star, com
muito boas aceommodacoes para familia
prece 303 : a fallar com Jos Goncalves
Ferreira Costa, em Santo Amaro, o raes-
mo t-in umaoutra de 135, na travessa
do Lima.
AM4 HE LITE
Precisa-se de uma ama de leite, moja e sem fi-
Ihos : na ra Augusta n. >6, sobrado.
Vire-coQsalado d*1 Hes|ianha.
Havendo fallecido o subdito hespanhol Benlo
Antonio C.outnho, sao convidados lodos os seus
devedores e credores a apresentarem neste vice-
consulado o respectivos ttulos para proceder-se
liquidacao do seu espolio
Sant-Clalr
das iihas ou os desterrados na Iba da Barra, ro-
mance digno de ser lido pelas senhom por seus
lances intoressautes postos em exeeucao por uma
e composta dos antdotos mais euicazes que seohora, 3 volumes om brochara a 2 : na livra-
a sciencia medica tem podido descubrir, na ns. 6 e 8 da praca da Independencia._______
para esta m lestia assoladora e para a cura; _""AJuga-se uma boa casa e sitio no Monieiro,
Precisa-se alugar um escravo ou escrava pa-
ra vender na ra, bem como uma ama escrava ou
forra para comprar e cozinhar para casa de peque
na familia : quem pretender, dirija-se a ra do
Vigario n. II, primeiro andar.
Precisa-se alugar.uma escrava que saiba co-
zinliar bem : na na ilo Crespo' n. 23.__________
Precisase de um caixeiro para padaria que
tenha pratica : na ra Imperial, padaria n. 51.
Aluga-se uma casa abarracada na povoacao
do Monteiro e conRua ao sobrado qua fui Siqueira, tendo a dita casa terrado, quintal, cacm-
curas HOlaveiS e bem coubecidas que tcm frente pera o largo da igreja e o fundo para o no
feito de tumores, erupcS-s cutneas, erysi-
pelas, borbulhas, nasc'ulas, c/iagas antigs,
ulceras, rheuma, sama, parebas, hiidropr-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes. Debili lade ge-
ral:Indigestao, Syphilis constitucional e
tratar na ra de Apollo n. 1, segundo andar.
h'rxisa se alujar B'imadas ras
.va, de Imperador ou do Crepo (pre-
Irindo-se esta ultim), uma loja, vas-
ta, clara e de 3 a 4 portas; dirigir-se
I
molestias mercuriaes, molestias das mulhe- ra do t.rcspo n. 4, loja do Sr. Fai-
na fura, estribara, quartos para escwos, e sah.da r(,s a|Cerac5es do uuto, a nevralgia e con- u*
fZL'PSSSB""' din a ma eS' vulgoes epilpticas e em summa. toda serie J
de enfermidades que naseem da impureza
do sangue. Vede' as certides no Alma-
treita do Rosario n. 28. __
- Precisa-se de um hornera que qaejra assen-
tar praga pur outro soldailo que pretende sabir do
exercil; o lempo que tem deservir sao apenas nack C Manual de sade do Dr. Ayer que
tres annos e meio : quera se julirar n*slas cir- se distribue gratuitamente IlOS lugares onde
se vendem os remedios.
cumstancias, dirija-se a ra do Rosario da Boa-Vis-
ta n. 33 para se tratar do competente ajuste.
Ama
Precisa-se de uma ama livre ou escrava para
casado pouca familia, para cozinhnr, comprar al-
guma cousa e engommar, prefere-se escrava : na
ra larga do Rosario n. 38, primeiro andar.
Precisa se do urna criada portngueza,
bous co*tumes, para o servgo interno de uma
casa de familia, pagando-se-lhe hora ordenado, e ;. alterante
dando-se-lhe bom tratameoto : na ra do Impera-1'
dor n. 38, segundo andar, ou no cartotio do tabel
liao Almeida na raesma ra.___________
Procisa-se alagar um preto com pratica de
padaria ou sera ella : na ra o Rangel n. 9._
Uma pessoa competentemente habilitada se
offerecc para cn>nar era algum engenho primei-
ras lettras, graramatica, aruhmeiica c msica :
quem pretender dirija-se ra do Rangel n. 17,
casa de relojoeiro.
l CfftaiSSIES i5C3i;.^S!.
U advogado Inuoceucio Seraphiro de Jq
Assis Carvalho acha-se de novo no exer- jS
5 cicio de sua profissao, pode ser procura- 8K
MR do das 10 1|2 horas da manhaa al s .'! IBt
5 da tarde, na ra do Imperador n. 50, 5
S primeiro ailar, e para negocio urgente 838
B a quaiquer hura do dia.
Antonio Joaquim de Mello advoga no civel e
crnie, e perante os jurados ; p gratuitamenle aos
pobres: na ruado Imperador "n. 14, das 8 horas
Maques sobre Portugal.
O abaixo assigoado, autorisado pelo
Banco Morcanlil Porluense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por quaiquer somma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que tomarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando i 0|0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Cres|o n. 6, ou
na ra do imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
H P ="
Compra-se ouro e praia em obras velbas
daga-se bem: na loja de bilheles da praca da Inde
pendencia n. 22. _________________^_
Compra-se cobre velho : na ra do Brum nu-
mcro 78._______________^_________.
Compra-se effecltvameote
ouro e praia em obras velhas pagando-se bem :
. na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourives
Compra-se
bispo Montes, 3"
a obra
i'dicao
de Theologia Moral do
quem ttver annuocie.
COMPRA-SE
3 O .
H O C3 y r
W 5
n< j.
CD o e\
& CD
CD <
g
"r1 C/2 'C5
Ci O
B -
rr- o
~-
r-t- P
O 08
urna negra, de bonita figura, que saiba lavar, en-
goinmar c co.ier bem, c cuja idade nao exceda a
2>' annos, agradando paga-se bem : a tratar ne es-
criptorio de Manuel Ignacio de Oliveira & Fiibti,
largo do Corpo Santo n. 1!>.
GARHAFAS
Compram-se garrafas yasias : na ra do Impe-
rador n. 57. armazem AMiaoca.
Litteraiura.
Compra-se o Ostensor Brasilero : na ra do Ca-
bug n. 10. _____________________
Crrelos Mcreantls.
Na ra do Queimado sobrado n. 29 coinpra-see*
. seguntes numeres do Carreio Mercantil do corren-
I te anuo ; ns. 6. 19, 21 e 22 do m^z de Janeiro ; n.
i -":! do mez de fevereiro; ns. tiG, 67, 68, 82, 83 e 8f
j do mez de marco : n. 158 de junho ; ns. 186 e 2W
i de jullio ; e ns. 231 e 240 de agosto.____________
~^"Compram-se garrafas
ra dos Pescadores n. 5.
e botijas vasias : na
(X>
______. I Precisa-sede ama ama qoe saiba cozinhar e
Permutase por um siti a fiu<; tenha bastantes j comprar : na ra de Santo Amaro n. 6, primeiro
proporcSes para plantacao perln da pra^a um so- audar.
brado de 2 andares coni soto e 2 frentes em una
das melhores ras do bairro de Santo Antonio, o
qual rende aunualmenle 1:3003 : a tratar cjm o
agente de leilfies Olympio no armazeiu da ra do
Vigario n. 10.______________________________
ESTRADA
Ollerec.e-se urna mullier rte nieia idade para
cozinhar para casa de hornera solteiro ou pouca
familia :
na travessa do ("armo n. 4.
FERRO
Desappareceo da casa de sen seuhor a preta
crioula Bonifaeia, idade 40 annos, pouco mais ou
menos, bem filiante e desembaracada no andar,
levoa vestido de chita e chalo de laa e um Oandres
nara vender azeite pelas ras : ruga-se s autori-
dades policiaes ou quem a pegar o_favor de le-
va-la ao caes do Ramos n. 21, que serao generosa-
mente gratificados. ___________
Precisa-se de um caixeiro com pratica de
liberna, dando fiador a sua conducta : na taberna
JL rilllCliSCO. grande da Soledade n. 46, paga-se bem.
Na livraria n. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia existe uma carta de importancia
tubrculos para 0 Sr. Antonio Fernandes Corredor.

Na ra Imperial n. 124, sobrado, precisa-se de
ama ama que compre, cozinhe e engorante, para
casa-de ponca familia.
Livro de orajes.
Vende-se 160 res, na livraria ns. G e 8
da praca da Independencia, um livrinho con-
endo o seguinte : louvor ao santo nome de I
l>eus, cora dos actos de amor de Deus, ora-'
c^es e'petices, hymnoao Espirito Santo, co-
roa do Senhor, aviso quaiquer alma de-!
vota, desengaos da vida humana, hynuuV
torias ao San'tissimo Sacramento, exercicio da
va-sacra, commemoraco Nossa Senhora
4o Carmo e ao SS. Sacramento, directorio
para a oracao mental, dividido pelos dias da
semana, obsequio ao coracode Jess, sau-
daces devotas* s chagas de Christo, ora-
es Nossa Senhora, S Jos, ao anjo da
guarda, Deus em obsequio quaiquer san-
io e para a noute, e responso pelas almas
do purgatorio.
O Dr. Carotino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra,do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a quaiquer hora do diae da noile
para o eierctcio de sna profissao de me-
dico ; sendo que os chamados, dopois de
meio dia at 4 eras da tarde, devem ser
4ei xados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o esiudo das
molestias do interior, proseeoe, com o
aaior affinco, no das mais aiffleeis e deli-
cadas operacSes. como sejam dos ergaos
anriuarios, dos olhos, partos, etc.
Decio de Aquino Ponseca convida aos
seus amigos e aos do seu finado amigo o
chefe de divisao e capitao do porto desta pro-
vincia Jos Mana Ferreira, para assistirera
a uma missa que manda celebrar na capella
do cemiterio publico, quarta-feira 28 do cor-
ente s 7 horas da manhaa, pelo deseaoco
eterno da alma do'Ilustre finado, proU'.sian-
do sna gratidao por essa prova de amisade
e religiao.
_S
Este remedio o huelo de longas e labo-'
riosas experiencias, e ha abundantes proras
das suas virtu les: posto que offerecido
j ao publico sob o nome de S'ilsa parrilha, i;
dejcomposlo de diversas plantas, algumas das
qaaes sao superiores a melhor salsa parri- da manhaa s 2 da tarde.
Aluga-se a casa n. 40'.da
PEITOIL DE GBBEJ DE AYLK. is : na ra da Aurora n. *
Cura promptamenle a asthma, bronchite,
tosse, defluxo, angina, coqueluche,
phthysjca primaria
pulmonares e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as moleslias da garganta, do pcito
e dos pulmoes pdem ser curadas cm pou-
'co lempo pelo peitoral de ceukja r-o dh.
ateh.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n !
Vende-se em Pernambuco:
na pharmaela franceza de
; P. MAURER & C.
RA NOVA N. 48.
Pela respectiva superintendencia se faz publico :
que esta compaahia contrata de 5 a 10,000 dor-
meotes ou paos para fazer dormenles, dos quaes
precisara dentro do periodo limitado.
Para dcsignaco das madeiras, Oxacao de preco j
e mais detalhes', dirijam-sc os proponentes ao Sr. |
VENDAS.
ra das Trinchei-
Vendem-se duas casas terreas com um ter-
i reno j corn alicerce para um sobrado, em Btm-
Lima engenhetro presidente intenuo era Uarhaino, ,c.a j|1|ll0 a ^^ do cor0Blq jtJ'M Joaquim da Cu-
viila do Cabo, a quaiquer hora.
R. Austin,
Superintendente interino.
nha Heijo Barios : qu.in os
aos Remedios a iratar cora
Mendonca,
pretender dirija-se
Francisco Avila de
c
V1I%.
Vende-se a casa terrea oa ra do Progresso
---- n. 21 (no Caminho Novo) tem um portao ao lado
Precisa-se de uma ama que saiba engommar, Queaapntra(|a ara 0 quintal, no qual existe cin-
lavar e cozinhar, para casa de pouca familia : na ^ pequenas ,m,j agltS> rende tudo 4805, e ven-
rua da Cadeia n._21, loja da Primavera.________ : de_,.e )arat pur seu p,0,,rietario ter de retirar-se
Anlonio Luiz de Oliveira Aze- pra Provincia a,ralar adoQuei-
O baeharel
Francisco Augusto da Costa
Morada
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na raa da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialdade
sobre o seguinte
Io molestias deolho*;
2o de peito :
3 dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comecndo o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s J
i 6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e quaiquer opera-
c5o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimeuto d?s seus
doentes.
ADV6GAD0 &j
lUia do Imperador numero C9. 1
-mmk mmm*k
Aluga^e um moleque de 14 annos de idade,
muito fiel e muito diltaente : quem quizer, dirija-
se praca da BoaA'isja, sobrado da esquina que
volla para a ra do Aragao, primeiro andar.
Quem precisar de uma mnlher portugueza
para ama de urna sala, pode dirigir-se a ra da
enzala Velha n 110, que achara com qnc o tratar.
Aluga-se o terceira andar do sobrado n. 37
da ra do Amorim : a tfcttr ua ra da Cadeia n.
162. segnnd andar. _________________
Aluga-se o quarto andar do sobrado n 19 da
ra Nova : a tratar na ra da Cadeia n. 62, se-
gundo rndar. __________________
Ama.
Precisa-se de uma ama para,; casa de pouca fa-
milia, e que se sujeite a todo o srvigo de casa :
na ra do Queimado n. 39, primeiro andar.
I Precisa-so de tima cosinheira para uma casa
estrangeita de pouca familia, preTere-se captiva :
a tralar na ra da Cruz armazem n. 38
vedo & C
Agente" do Bauco luio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto
Lisboa, e para as seguiotes agencias.
Londres sobre Uanh of Loudon.
mado n. 77.
PlTuSS4
Aluga-se Urna cica terrea na ra Imperial
n. 276 : a miar no largo.de S. Pedro n. 17, uom
Albino Jos Ferreira d,a Cunha.
D-se para residir em um sitio perto desta cida-
de, sem a menor paga, a uma pessoa de pouca fa-
milia, e que d conhecimento de sua boa conduc-
ta, com a condicao de tratar dos arvoredos que
existem no mesmo sitio, concertar as cercas do
mesmo, e dando conta de todos os objectos que Ihe
forera entrestues ao entrar para o mesmo sitio,
qnando queira o seu proprietario, podendo fater a
plantacao que Ihe convier e desfructa-la durante o
lempo que no mesmo sitio esliver por consenti-
mento do seu proprietario, ou pessoa por elle au-#
torisada, nao podendo quando sahir do mesmo si-
tie por sua vontado ou despedido por seu proprie-
! tario ou por sua autorisacao, pedir o menor paga-
! ment por quaiquer plantacao que deixar, ou por
quaiquer trabalho que o tenha feito, ou mesmo
I como paga de ter estado no mesmo sitio : quem
I pois assim o queira, dirija-se ao sobrado da ra de
j S. Francisco d. 10, com documento, provando a
I sua boa conducta.
N. B. A casa se acha era mo estado.
Estampara alugar-se um excellente arraazvm
i! na ra dos Guararapes, proprio para um es|ahele-
cimento de padaria ou reflnacao por ter um gran- v
de telheiroe urna excellente chamin, que tudo se da Aurora da Treguezia da Boa-Vista Ihe est pe, anzolo do norte formado pesi reas 'r^* "
- --.- ...... _. _. j k. Mondeao na Hoa-Vista B. 34, o quai aiciu oe u
Precisa-se oompraruma veueziana nova, ou
usada porm em perfeito, estado e que tenha 6 lc2
palmos de largo 16 de altura : na ra do Crespo-
n. 4, fabrica de chapeos de aoK_______________
No escriptorio de Palmeira & Beltr no
largo do Corpo Santn. 4,-tem cartas para o 9r.
Eduardo Augusto da Silva, vindas da Baha.
Aluga-se.urna casa meia agua com sotao sita
Da ra de MorUs n.33 : a.tratar na ra da Prai
n 29.
0 abaixo assif
Carneiro da Cur
Attenco.
Atteng&Q.
'
gnado,Jff 2 Sr,,Jos Daniel Va*hn^^^
nha que a casa terrea'sita na ra :*SM^Jffi^Aiafci mas da Tremf.
it ra estreH Rosario i. 34.
aluga por prego commodo^: a
Gnararapes n. 78.-
tratar na roa dos nhorada, cemp se v no carlorio do Se, escrivo
Advogado Affonso de Albu-
querque Mello,
pede ser procurado a quaiquer hora ; as sextas-
eiras, porm, na via do Cabo.
Precisa-se de um caixeiro para um armazem
de molhados, qne seja inteligente e curapra em tu-
do com seus dev.-re.s, excediendo de 35 anno-,- e
que d prevas de bom comporlamento, tendo estes
predicados, dirija-se a ruado Imperador n. 46.
Coodalr subdito inglez retira-se para o
- J. G.
sul do imperio.
Paris
amburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz i
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
BarceHos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Faro.
Oliveira
meis.
Penaflel.
Tavira.
Villa do Conde.
d'Aze-
Frederic S. Ballin & C.
i Joao Gabe & Filho.
Francisco Raboba & Ballista.
i Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
i M. Perera Y. Hijos.
Em RonTUGAL.
Angra Terceira.
Cara nha.
Castello Branco.
Chaves.
Coimnra.
Covilhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pmhal.
Porlo-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimo.
do
Figueira.
Guarda.^
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Laraego.
Leiria.
Monjao.
Moncorva.
Bogoa.
Seiubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No IMPERIO.
Baha. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Quaiquer somma prazo ou visia.podeudo logo
Vende-se potassa em barris a comfnedo preco o
na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, eseripton:
de Antonio de Almeida Gomes. _______________
BREU
Breu verdadeiro americano, tanto em barricas
como a retalho, vende-se na ra da Cadeia do Re-
! cife, loja de ferrageos n. 56 A, de Bastos.
1-n\aib s rnlcnilsis de aCO
Chegaram as desejadas ensadas calcadas de ago,
I as quaes vende-se o mais barato possivel : na ra
! da Cadeia do Recite, loja de ferrageos de Bastos.
Fio de algo 5o da Babia c ame-
ricano.
Vende-se tanto em porcao como a retalho, estos
bem coohecidas qualidades de fio por barat preco:
na ra da Cadeia do Recite, loja de ferragens de
Bastos.
Tclhados de ferro galvaalsvdo.
Folhas de ferro galvanisado pana telhado por
commodo preso e de mnila uUUdade para cuberas
de casas, vndese na ra da Cadeia do Recie n.
: 56 A, loja de ferragens de Bastos.
Vaquetas inglezas para robera*
de earro.
Estas bem conbecidas vaquetas, vende-se nica-
mente na loja da ra da Cadeia do Recife, loja de
ferragens de Bastos.
Padaria e reuacao.
Chegaram as bem contiendas peneiras de_
ara-
os saques prazo serem descontados no mesmo; me e de lato proprias para padaria o BOMBO, efe
Banco a razao de 4 por cento ao anno : a tratar toa0s os unannos grossuras :irui da Cadeia
na ra d Cruz n. 1 ^__ do'Recife, loja de ferrageos de Bastos.
Cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
Urna parda que nao e muito moca, com pra-
tica de servico de ama, se offcrece para casa de
homem seitifo.ou de peaca familia : na ra ao, da ao merPaan em bem acondicionados bamsi:
no armawm de Manoel Teixjsira Bastos, ra do
Trapiche-n. 13, por preco razoavel._____________
" Vende-se a fabrica de sabao da'rua do Ran-
Senhor iioiu Jess das Crioulas n. 36.
Precisa-sealugar uma preta que saiba cozi-
nhar c eogcratnar.e ura preto que se preste a car- -----------------
regar agua e fazer compras na ra : na ra lara Q 34 proprta,para 'quaiquer principiante por
do Rosario n. 28, segundo andar.______________ ^r poucos fiados e ofTerecer basiaiitojnteresse,
Jos Ferreira Estrella, subdito portaguez, re-
tira-se para fra da provineja^
Marcelino .loc l.oi
>fes.
1. Bernel retira-se para franca'. '
f I I '
(Qaom preoisr de unw criada portugueza
para cande ramia procure na roa do. Apollo n.
\, primeiro andar.
uroprios para ediflcacBes parlienlaree, achande-se
os noe Qcam na ra oo.Moodapi cora solidos e re-
arcados Aluereos : quera, protender dinja-sa
Wole|e.
Precisa-se alugar um moleque de 14 a 16 anuos
de idade: na rnado Queimado n. 29.___________
Joo Ferreira da Silva, subdito pertuguex,
retira-so para fra da provincia.____________
Ueseja-se fallar cora oSr. Theodoro Joa Pe-
i reir Tavares, morador
ra do. Vigario n. 5
era Pedras de Fogo,: na,
As pessoas qi
TINTUBAWA.
teem obras tintas na tinturara
38, tenham a bondade de as
obrigando-se o pfoprtetano a enslnar a mancira de
fabricar o sabao : a tratar na mesma.___________
mmsm
Habanles de N'azatclli, Quera e vosso vigario,
corre por certo que tcodes oaas com carta impe-
rial, responda quera suuUer ao
' l~*~"M Abelhudo. _____,
m, u
a HvDQlito Carvalho do Wconcello's Albuquerquo da roa do Rangel n. 38, tenham a Donoaae ae ai
taffiqoi^ *A pro-1 vir tirar at o'flm o corrento mer do eontrano
Driedade ^ao vendidas para o real embolso da (talara.,
Vende-se cal de Lisboa, a nars *WorMno ha
na mercado : na ma da Mola n^ confronja ao
trapiche do Cuaha; e para informadlo UO mesmo
trapiche.

MUTILADO)
IILEGVEL
**"* *
wm


Etf&fio de PemiBkaeo ... guara leita *S 4e Seteuibr* de 1*4.

AO PUBLICO

Wcm o menor constran-
gimento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.


Os precos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de eontas
con os portadores.
ARMAZEM UNIO MERCANTIL
RA 11A CA1IEIA IlO RECIPE 53.
(Logo passando o arco da Conceieao)
Grande reducco de preeos, equivalente a dez por eento menos do que outro qualquer
annuneiante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objeclos, etc., dando com isio ocasilo a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritaren! em
alta voz, que podem vender pelo prego que eti vendo I! 1 ra, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reducc2o de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uni5o Mercantil bSo
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a no ser o de i,4oe a i,Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redcelo a que
esto obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamado de precos, e qualidades, vingam-se de Um e outro portadores
ai informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
^ tao smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita so mesmo, certos de que sem duvida me darao a protecc2o e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando n3n pocam vir poderlo mandar seus portadores, ainda que ests sejam peaco pratices, pois
sero trio bem servidos tomo se viessem pessoalmente, ha vendo para com estes toda recommendafao, afim de que no vo em outra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abalimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha bysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
nesie genero i.fioo rs.
dem preto homeopathicoporserde superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,600, 1,800 e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito rejju ar, igual
to que se vende cm outra parte por 2,4oo
e2,too rs.
LiDgmcas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a i>.5oa rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
. arroba a 8,000 rs. e 1,5oo e Goo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,600 e 1,800 rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
f vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acaben).
Ervilhas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a 6io rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Preztinto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a Sno rs. inteiro.
dem ingle/.as para fiambre chegado neste
vapor 72o rs a libra.
Copos lapidados para a gua a 0,000 e 5,5oo a
duzia,
Choeulate francez, suisso e hespanol a 9o
I.ooo e Ijioo rs. a libra.
Espermacete etn caixinhas contando O libras
por i.ooo rs., iraranle-se serem transpa-
rente e de superior qualidade. tambem tem
de 12 por libra propria para carro
Peixe em posta sovel. corvina, gors. pesca-1
da, salmao, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 800 e I,non rs. cada tima, j
Vinho Bordc-anx das marcas mais acredita-'
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abali-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado de priraeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9, dem do Cear de superior qualidade a 24o
c 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,oOo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paingo e alpista a 14o rs. a libra, c 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de lmale em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 000
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,000 rs. a caixa.
dem e talherim branca a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de3 libras por l,5oors.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por I,2oo; ditas em caixinbas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a I6o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolda do mesmo a 000 rs.
Musanla ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a loo rs.
Lentilbas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a I.ooors. e H,ooo a duzia-
Palitos para dentes a l4oe I6ors. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
LOJA 1)0 BEUA FLOR.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
Boneeas de choro.
Linda* boneras do choro que. chamam nanai n
mama-, de diversos lmannos: s niHMKa
ja-ilr, ra do Queimado ns. 63 e 69. J maet
Luvas de pellica.
Luvas de pellica branca e de cores'para bomens
marnTS63:ena69.IOJaSdbe>afl0r' "* <*
Nvellaa para cinto.
cinto, n,vel,las d0Juradas cm lindas pedras para
ns We69 JiS d beija-nr' ^a do Queimado
. Capellas para noivas.
I MjUOjas (lo be.ja-flor, ra do Queimado ns.63e
Estojos para barba.
e uStiSUl^T C?el"0 para 'rtatfWO
QuSdos?63e-69DaS ^ d b^Or> *"*
Rccebeu-se
Balaios para meninas.
nuvo sonimenio de
balaios, eom
Acaba de leceber de sua propria eiicmuiuenda um granue e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer 30S seus freguezes e ao publieo em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, atiancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
!mdf.v,a.nosfiaros, pelobarato mero de""
ijOOO ale 4| cada um : as lojas do beiia flor r
do Queimado ns. 63 e 69. ^ 'raa
Filas finas para cintos.
Ricas fitas finas lavradas de bonitas core para
tuiff JaS beiJa-fl^. ra do Queimado
Extractos em cahinbas.
Finos extractos em caixiuhas com o retrato da
familia imperial: as lejas do beija-flor, rea do
Queimado ns. 63 e 69. !c~
Sabo em caiiinbas.
Finos sabdes em caixinbas com vanos retratos :
as lojas do beija flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas transparentes e tapa-
das : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
Amendoas confeitadas de 8oors. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 52o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7go rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
Licores francezes e portnguezes das seguin-
tes marcas creme de. violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, catiella, cravo, rlela pimenta a I.ooo
rs. a duzia I.ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
----- i.....-,~..~ ... mesmoa5oors.
Vmhode pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, Cerveja branca e preta das marcas mais a-
4oo eooo rs. a garrafa, emeanada a 2,ooo, crediUdas aue vem ao. mercado a o,ooo e
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a ioo e ooo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,ooo rs.
Vinho branco para missa em caixa de i duzia
a 8,ono e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Dnuro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Aladeira secca, Malvazio fino,
FetoTia em caixa de I duzia de 9,ooo a
Io.ooo rs. e a Ooo e I,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhasde Nantesem quartos e meiaslalas
a 30o e olio rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhis inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
das q.ie tom vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante- qualidades a l,3no rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco.' para mimo a 64o rs.
Genebra de H<>Handa a 56o rs. o frasco, e Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
5,7oo rs a frasqueira. libra e 6,ono rs. a caixa com 28 libras.
dem de laranja verdadeira de Aliona em Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a 1 .ooo rs. o frasco, e 1,8oo rs. a caixa com 8 libras.
1 I.ooo rs. a duzia. Amendoas de casca mole a 32o rs a libra,
dem de Holianda em botijas grandes a 4oo Bolachinhasd'agua em sal da fa!*rica do Beato
(litadas que
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors. i
Charutosdetodososfabricantes da Bahiaed*s
mais acreditadas marcas conhocidas i -
nosso mercado a 2,ooo, 2,5< o, 3,r ,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charotos.
Cognac inglez das melhores marcas va
I.oeo rs. a garrafa.
Balachinha de Craknel em
Doce da casca da goiaba em latas de 4 h-j bruto a 4,ooo rs.
bras por 2,ooo; dito em caixes a 6oo rs. Idem ngie/asem barricas
desejar a 2,6oo e d 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata.
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2.8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixobom para negocio a I,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos ?hegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato s melhores e mais frescos do
mercado a 8oo rs. a libra sendo intuiro.
Genebra marca gato a I.7oors. agarrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machineeoutras mui-
tas a i,3o e 4,4oo rs.
Fumo americano em chapa a I .Ooo rs, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3l a
caixa e 6o rs. a libra
latas de 5 libras
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banda de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
a mais nova do
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma,
j Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
frutas muito frescas a Bicos frascos cora frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
Capil de diversas
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinhe de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2/>oo. rs.
Cebollas sol tas a I,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento etantas por I,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
DA
FUNGI LOW-iOMQOLE
Ra i Somalia nova i. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
om completo sortimento de moendas e meiai
rnoendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar rowpa: em casa de S. P. Johnston & C.
ra da Senzalla Nova n. 42.

ARJMAZEItl

FRONTEIRO
DE
1LYEN COUTIMHO 21Largo do Tergo21
Vinho do Porto superior
dm raixas de urna e duas duzias : tem para ven-
eer Antonio Luir de Olivcira Azevedo<& C, no seo
.-rriptorio ra da Cnu n. i.
KmfM *m mmm.*m*wm
iabrica Conceigo da
Bahia.
Andrade it Reg, rerebem conrtante-
| mate e tem a venda no seu armazem n.
m 34 da ra do Imperador, alpodo d'aquel-
S la aiirica, proprio para saocos de assu-
3K car, embalar aieodao em pluma etc., etc.,
iat pelo preco mais razoavei. <.
Ao publico.
.''.


Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a I,ooo rs. a libra;
ameixas idem ; alj.ista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranhao e da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2,Ooo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a t ,ooo rs. a garrafa e era porco, menos; idem de barris a O 4o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8< rs. ; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o,rs,.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e I,2o>rs. a arroba ; cha perola, hysson,.miudrnhoa I,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra ; charutos des melhores fabricantes da Balda de 2,'uoo e 4,ooo rs.;
cerveja branca e preta a ooo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, cosser-
inglezas em frascos e meios de Une a 9oo rs.; cognac inglez superior a I,ooo rs. a
2.a e 3.a qualidade de 8,5oo, 9.ooo e OLBno rs. a arroba ; cevadi-
mmmmmm wm mmrnmm
Charutos de,Havana
de saperia qualidade vendem-se em casa
de Scnafleitlin v C, ra da Cruz n. 42.
Ra da SenzallaTlST
garrafa ; caf de 1.a,
nba a .'oo rs. a libra ; ervilhas portugaezas em latas de i '/i libra a 7oo rs. ; spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,ooors ; genebra de laranja a i.ooo rs. o frasco ; idem de Holianda
a 64o rs., e 'too rs. a botija; graixa era latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feita flor a 8oo rs. a libra; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
de tomate a Ooo rs. a libra ; iirarmdiada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra ; ale-
tria, talharim e macarrao a 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a I.ooors. cada fras-
co ; nozes muito novas a 2oo >s. a libra ; passas a 4 mada a 24o rs. a duzia; pimenta do reino-a 30o rs. ; papel al maco e de peso de diver-
Vende-se, em casa de S. P Johnston 6 C, sas marcas; palitos do gaz a 2,2on rs. a grosa e 2o rs. a caixinha ; ditos de seguranca
seins e sillines inglezes, candieiros e casti- individual a 2o rs. a ciixinba e 36o rs. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,ooo rs.
^aes bronzeades, lonas inglezas, fio de vela, caria, um ; cevadinha a 2oo r. a libra; sardinhas de Nantes de %oo a 64o rs. a lata ; sa-
chicoies para carros e mo"taiia, arreios para bao massa muito superi r a 2oo rs. a libra; toucinbo de Lisboa moito alvo a 3oo rs. a li-
carros de um e dous cavallos, e relogios de bra.; vinho do Porto velho engarrafado a i.ooo rs ; idea em barril a 8oo rs, a garrafa,
ouro patente inglez.________^^^^^ sendo porgao fa--se differenca eem caada a 5,ooo re.; idem de Lisboa muito superior a
Vande-se um eiceiiente terrenn" .m' 102 *" ra a rrafa e 2.rtoo rs. a ranada ; dm da Figueira J. A. A. a 5oo rs. a garrafa e
raimas re frente e mais d? 300 de fundo, iodo 3/oo rs. a canaria; idem do E-treito a 36o e 320 rs. a garrafa e em caada a 2,56n;
proiniJo e atorrado ai a linha do ?*, proprio idem Bftrd*aux a 5to rs. a garrafa; idem branco de Lisboa, proprio para missa a 5oo rs.
a;^Kr;::ts gr^^r ^r,i,o2urrior a 2nors a ^^ Vr-a cana,1a:
-Mios, con/orme ie4.r r-mvier ao compra- 86("' cevada, alfat^er/ia, gaz e ti|olo de limpar facas a 14o rs. Precintos de J-amego a 5oo
ca.l;u,ir rp oytros muitos gneros quedesnecetsario aeoiona-los.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a I2o rs. a
lata de 2 112 libras.
Foijao verde em bages em latas a 6io rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,000
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a Ooo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das-j
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a I o,ooo e
I,ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e ooo rs, a garrafa.
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem coririthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a I6o rs. a libra.
Gr5o de bico muito novo a I6o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a I,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. I a 80500 cada urna.
Massas para sopa macarrao, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e8oors. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
0R mais baos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeir'a qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 20o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,0oo rs. a
arroba, c loo rs. a libra.
Idem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,'ioo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura ngindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 50o rs. a libra, e em
caixa a (o rs. com 2o libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 3,ooo rs. a res-
ma, j se venrieu por 7.000 rs.
Idemaimaco pautado e liso a 3.ooo rs. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
dem embrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 't libra a
l,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs.o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova
2oo rs.
Jogos de domin.
Vendem-se jogos de domin 15200 e 12300 :
uas lojas do beija-flor, ra do Queimado
e 69.
'j" *". ""** Da ra (Jos Guararapes n. 38;
flores ii. .
Idem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
coruposic-o a 560. a garrafa e 4,ooo rs, a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a 1 ,ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos l,oo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafdes com 4 */ garrafas de vinho supor-
rior a 2,5oo rs. com o garra f3o.
dem com 4 '/ ditas'de venagre a 1 ,ooo rs. o
garrafa-.
Vinagre PRR em ancoretas de O caadas a
f5,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa pan* sem o batisran a 26o rs.
a garrafa e 1.4o rs. a caada.
Caixas com 1 duzia di garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8eo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Molhos inglezes a 8oo e l,ooo rs. o frasco. .
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 6oo rs. a parrafa.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5qo rs.a garrafa. .
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a i.ooo rs. o molhoe
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafdes de i 4 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes bxados em macos grandes
com 2o rs o man olios a 12o rs. o raasso.
Cominos muito novos a 32o rs. a libra e
lo.ooo a arroba.
| Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas al,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Hiato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Babados bordados
Vendem-se babados bordados de varias larguras
e varios pregos : as lojas do beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Abafadores de rede.
\Vndem-se abafadores de rede de varias cores
800 rs. rada um : as lojas do beija flor, roa do
Queimado ns. 63 e 69. T?
Adcrecos pretos.
Tcndo-se recebido adereeos pretos de novo gas-
to sao expostos venda : as lojas do bejaAw
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para senhoras.
Lindas grvalas para senhora 800 rs. e 1*000
1,5:200 : as lojas do beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e b9.
Espelhos de moldara.
Vendem-se espelhos de moldura preta para sa-
las : as lojas do beija-flor, ra do Queimado ns.
63 e 69.
Vallas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruz de ped/i-
has imitando brilhantes a 15000 cada urna : as
las do beija flor, ra do Queimadu ns. 63 e 69.
Colherrs para sopa-
Vendem-se colheres de mcial-principe para sOpa.
2,5000 cada uina : as lojas do buija-flor, ra do
Queimado ns. 63 o 69.
La para bordar.
Vende se 13a para bordar, a melhor que se pode
encontrar, lauto na qualidade, como as cores,
6300 a libra : as lojas do beija-flor, ra do Quei-
inailo ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar sempre grande
soriimi'nto de miuilezas boas, o mais baratas do
que em outra qualquer parte.
Albuns superiores para re-
tratos.
A Afilia Baanca sempre di.-posta bem servir
agradar a sua boa freguezia, mandou vir e acaba
de receber um bello-ortiniento de albuns de supe-
rior encadernaco e apurado gosto, com especiali-
dade os de capa de mafOtn com lavores, outros
guarnecidos de tartaruga com trancas de prata,
outros marchi'Udos d- mdreperola com trancas
de piala uourada, outros d velludo etc. etc. Para
quein tem gosto e dinheiro, urn lbum assim per-
frito sem duvida o mais apropriado para nelle
se deposilar os retratos de charos pais, bons pa-
reulese amigos. Em quanto, porm, csses albuns
se tornam notaves por sua perfeieio e bom gosto,
ouiros rr*eebidos na mesma occa.-iao, se tornam re-
commendados pela rommodidad de preeos a vista
da boa obra. Assim pois o pretendente sera ser-
vido conforma o dinheiro que quizar dispr para
esse lim, achandv sarlimento para 2i. JO, 60 e 80
retratos : na ra do Queimado, loja d'Aguia Bran-
ca ti. 8.
Cartciras e bolsas para
viagem.
Na loja d'Aguia Branca, ra do Queimado n. 8,
v.'ndiHiKse carii-iras com correias para traze-las a
tiracol, e bol-as d tapete, ludo para vragens.
Perfumaran inglezas.
A Aguia Brinca, cotihecend a bem merecida
estima qun os apreciadores do bom dao s perfu-
mara- inglezas, por isso mandou vir o esplendido
sortiineulo qu* acaba de rt-ceber, e os acreditados
noiiiHS dos br-m conheidos fabricaules J. Gosnell
6; C, Nawdeo Price & (L s.io bastantes para co-
nhecer-se a superinridade deltas. Consiste esse
bi-lloe variado sortimento cm pequeas qnantida-
des de diiTerentes e agradaveis extractos de pri-
mara qualidade em fra.-cos < diversos tamanhos
e formas, fazendo-se nolaveis entre elles os que
vem em urna carleira de tres, com os qoaes por
sua elegancia e boodade se faz um bello presente ;
afsim como outros frascos com finas essencias con-
centradas, outros com excedentes .leos para ca-
bellos, e outros linalmente com agua de Lavaader
sublimada ; e bem assim unos sabenetes em paco-
tes e caixinhas com tres, bonitas e delicadas al-
mofadmhas com pastilhas em p, as quaes deitan-
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s
deixam toda a roupa cheirosa, como afugrntam
baratas, tragas, etc., ele. Em quanto, porm, a
couiiiiodidadu dos precos j nao entra em duvida.
urna vez que o pretendente compareca munido de
dinheiro e di-po-tu a fazer gasto na loja d'Aguia
Branca, ra do Queimado a. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excedentes brinquedos para enancas: vendem-
s.> a OO rs. cada uina : na ra do Queimado, luja
d'Aguia Branca n. 8.
Fsfjelhos cam molduras pretat
e douradas.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
cebeu um bom sortimento de espelhos de difieren-
tes tamanhos com molduras pretas e douradas, e
os est vendendo por precos commodos.
Papel W(jlezm
Agnia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
ceben um novo sortimento de papel inglez liso e
pautado, almaco, de peso, e pequeo, viade deat
tambem com heiras douradas.
Eufeites invisiveis
A Aguia Branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
beu novos enfeiies invisiveis, os qaaes pela finura
do tecido e bom gosto tem merecido tanta eslima
Preparos para flores.
A Agnia Branca, na ra do Queimado n. 8, re-
cebeu nnvos preparos tiara flores, sendo papel de
Doce da casca da goiaba a 6oo e l.ooo rs. o i ^""e-* i,ara ri>>a* ** ( 4in .. .___ .......... At% trien Hiln-> An ttm^m
caix8o.
O proprietario do grande armazem Unio e Commprcio declara aos sens fregu
zea e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os mesmos procos nos seguintes lugares:
niio e Comiaercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Priucipal ra do Imperador n, 40.
pannoe velludo, canas de trigo, ditas de uva
brancas e rxas. e como sempre continuara a ser
vendidos por precos commodos.
Vende se um encllenle terreno na ra do
Hospicio, j abrrd>i e com alicerce na frente, ten
40 palmo de frente e 140 ditos d* fuiclo, muito
proprio para se edificar por ficar cotlocado em boa
pnsico ; a tratar na ra do Raogei' n. 34, ar-
mazem. ...-
***
ILEGVEL



,,:* i
Diarfo de Pernambuc 4|iiai-ta lira S de *eeuiJ>o de iSl.
&
4V


COMME
mm
ROA 1IO-9U20IAUO W. 45.
Passand o becco da Congregado segunda casa.

NOV1DADE


Pereira Rocha C. acabara de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Gommer-
ciaL, onde o respeilavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes serao vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencioneda; garante-so obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 0, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas franeczas em latas e em frascos a
14200 e ItftOO, e em frascos grandes a
2)500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
coin ricas estambas no interior das caixas
a 102OU, 10400, 1.5600 e 2.
Amendoas cem casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 43600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa 640 rs. a garrafa.
Painco a 200 rs. a libra. rs. a libra.
Polvo seceo muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em" calda de azeite e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. i dem secoas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato.
dem londrino chegsdo no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs-
cada ara.
Sardinhzs de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a260rs. a libra.
Tundidlo de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Aramia verdadeira de matarana a 320 rs. a Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
fibra.
Avelinas muito grandes e novas a 180 rs, a
libra.
Biscoutes inglezes do diversas marcas a
4030" rs.
Bolachmhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a Ma.
dem inglezas muito novas a 30000 a barr-
quinoa e a 200 rs. libra.
Banha de porto refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha" hyss'Hi, huebin e perola a 10600, 20,
2SEO, 2060(1 e 3*100 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Corve, a preta e branca, das melnores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafe
0^0800 a duzia.
Cognac inciez fino a 9fP rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 72" rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melnores fabricantes da BahiaJ
e especi lmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Cosa a 15800,
200 m, 20200, 20500, 20O, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80-SOia 85800 rs. a arroba.
Carfes de boiinlios francezes muito novos e
bem muilo enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
iitra.
dem stearinas muito superiores a 60O r.
libra.
Eigos em camnhas ermecamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o mehor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velno de 1845, Duque do Porto,
Madeira, D Pedro, B. Luiz I Maria Pa,
Bocaje Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e eia caixa cora urna du-
zia a 90000 e H10000.
dem em pipa, Porlo, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e30, 30500
e 45 a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 500 re.
a garrafa.
dem de-Sordeau\, Medoc e S. Julien a 703
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 705OU re.
a duzia.
IdemMorgauxeChalGuluminide 1854, ai >
a garrafa.
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Faririlta do Maranhao a 160 rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a rasqueira.
dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 50500
e 70500 cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidad* especial em garrafas muito
grandes, a 0800 a garrafa,
dem era garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e romas de
vidro, a 10000, s a garrafa vate o fii-
nbeiro.
Hanteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 90 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade > a 800 rs.
dem francez multo nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melnores conservei-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
80Grs.
dem regular c -500 rs.
Macas linas para sopa: estrellioia, pevide,
rodinha e. aletria a 600 rs. a-libra ea 40
a caixraba com 12 libras.
Xezes muito novas a 160 rs. a libra.
Grande liquida$io.
Roa da Imperatriz n. <0.
Loia de fazeudas do Pavo de Gama & Silva.
Acha-se este estabeleciraento completamente
sorlido de fazendas inglezas, francezas, a I le na as e
snissa, proprias, tamo para a praoa como para o
matlo, prometiendo vender-se mais barato do que
em oaira qualquer parte principalmente sendo em
porfo, e de todas as fazendas dao-se as amostras,
deixando Qcar penlior, ou mandam-se levar em
casa pelos calxeirosda loja do Pavao.
As chitas do Pavio.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato proco de 40, 260 o 280 rs. o covado, timas
seguras ; ditas franeczas de cures seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 300 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padroes : s na loja do
Pavo.
i. -._ ls liazinkas da eiposic ao do Pavo.
Vendem-se lazlnhas as mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarqnes por serem lisas o de cores muilo
delicadas .'60 e 00 rs.; ditas lisas com um lustra
que parece seda i 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda i 300 rs. o covado, s para aca-
bar : na loja e armazem de Gama Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
Os vestidos d Pava*.
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido
de la, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, corpinlio e cotlete separado ditos
com listas do seda e tambem com barras e enfei
O PROPH
!
AO .BEMPElTAVKIi PB/IIIjICO*
RA DAS CINCO PONTAS N. 86
esquina da aova Is-avessa de S. *foo.
.-:-------------------------------------------------

Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa o Peixe em latas preparado pela primeira arte
16200rs. a caada. decozinha a 10 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 10300 rs. Palitos de dentes a 160 rs. o>maeo.
Alera dos gneros-cima mencionados te- dem de denles-a 420'rs.
mos grande porcao de outros que deixatnos, dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudoei vendido por (Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
pegas e carnadas, lano em porgues come i Doce de goiaba em latas o melor possivel a
retalho- 2$ e em caixo a 640 rs.
Quem comprar de OO^OOO.para cima te- Palitos do gaz-. a 20200 a groza.
!r o abate de o por ceuto. J Paisas muito novas a 480 rs. a libra.
P fie
&5v$ < *$ ou<>vt ^'J&3
Desojando o proprietario do grande arinnzc-m do B'ropbea dar lar-
gas aoseu genio emprehuiidedor, commcicial e especulativo, resolveu ceder a inspiracao
que o assaltou, quando as horas caladas da noile o seu solicito espirito se agilava n um
turbilhao de ideas, tendentes todas a bem servir e agradar sos generosos habitantes
desta fcella provincia, de abrir aiais este grande eiabelcceiHcnto de novos 6
escolhidos gneros, quasi que especialmente destinados s pessoas que moram na fre-
guesa de S. Jos, e aquelles senhores que Iransitam pela va fenea, para quem emver-
dade sao sem Conta o numero das vantagens que se Ihes offerece, au so com relacao a
modicidade dos fretes, como da facilidade e brevidade da coudturjo dos objectos com-
prados* ,
O sonho do Propheta ser urna verdade praca Uo accoila e abracada como as
palavras simples e bem intencionadas dos vellios patriarcha.s desses lempos idos, si o Se-
les para o corpo, por "preso mais barato do que em nbor Ucus dos exercilos nao o qur/er contrariar.
outra qualquer parte, e se quizerem urna prova o Prowheta nao querendo resti ingir-se a furnia ordinaria de negociar resolveu
pL(\sldz,mand,;m ^rftl leja e ar.em do tambt?ra aepois de profonda meditacao, de nao vender smente os seus gneros a di-
^SSSK^^mSS^ rTrocorrente ; mas tambem de por em praca troca delles por outros da produjo
SSSX7S^!SS!fSSi* do paiz on por escravos, bois. cavados, etc. Assim, po.s lique na -nielligencia de todos,
de laaziaha transparente com listas, e paiminhas que O PB0MCTA recebera como moeda de qualquer dos senlioies ag tultmes, asacar,
de seda pelo barato pre^o de 8f cada corte : so a|Kedao auardenie, miibo, feijao, cavallws, escravos, etc., ele. e llics dar o mesmo valor
em cen, os, escomidos a contento. v.
Quando a importancia dos gneros apartados for menordoque a dos objectos re-
oebidos por troca, o ropheta nao demorar a differcuca que deve dar em di-nbeiro.
Um estabeleciraento que com tantos sacrificios e despezas acaba de ser aberto
deve inspirar a lodos a certeza de que se vender muito barato com o fim de se adqui-
rir crdito e freguezia.
rardta verdadeira a 320 rs. a libra. I dem em botija a 300 e 400 rs. a botija.
Am-2 do Maranhao, Java e do Penedo a 80, Graixa em lats a I 200 a duzia.
ITOelSors a libra, e a arroba a 10800.1 Limonadas de diversas lructas a 10000 o
<
SOTXS ft\ CMW FILIVL
DO
MACHINAS EPTENTE
de trabalfaai* mo para
dckcacovar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brotkers & C.
Troca-se ditas notas por fazendas.
foja da ra do Crespo numero
i.*
- 0
17.
[por
Quem comprar de cen mil rois para cima dar-ie-ha ao couiprador o lucro de cinco
cento.
Aprovctem todos. Aproveitem todos.
Fazendas da apurados gostos vindas de Paris.
liaus de merino de cures.
Fazendas de linho e de al-
go do.
Selccias, csguiOos e bra-
manes.
importantissi-
Cpas preta
roas.
Casacoes protos pelerinas.
Basquina de cintura e pe
0MR.
Sotarobarcpues de caxomira
de cor com tintura.
,Ia<|neta6 de merino de cor
para senhora?.
Zruvos v-t.-ms de seda mui-
to lie 'ii enfeitados.
Cor.cfles, sotambarques de.
seda. 11
Cortes de seda de cor de
muito ii.iAo.
Cnlxas de seda para noivo
Sedas % quadro de muitc
gosto a li'K) o covado.
Morer.ntiques e grosdena-
pies.
Cortes de organdiz com
barras.
Chapees de palba para se-
nhor*.
lialoes de reos e musse-
inas.
Cassas, chitas camisa e
seroulas.
Peilos bordados para ca-
misa.
Camisas de laa de cor pa-
ra homein.
Madapollo a 75, 8,5,9 e
IO Esteirafi para forrar ato a 850 rs. a jarda. Tapete de superior quaiidade com
seis palmos de largura a iibOO rs. o covado.
Na realidade, este estalJeciiento olTerere graudes vantageos aocommercio.
Aproveitem todos a occasio de trocar utas m caixa ganhando cinco por cento.
Jo armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Bita doQaeimddo n. 19,
%'eude-e OKegiiinie :
Attencao II
Rica laazinbas, lazenda a melltor que tem vin-
do ao mercado, unto em gosto como em quaiida-
de, pelo baratissimo preeo de 560 rs. o covado.
Ditas miudinbas canuezins, proprias para vesti-
dos de meninas e camisijilia.- a 640 o covado.
Cortes de la com 1S covados, pelo barato prect
de 6*.
Cuberas id chita da India a 5."ii K) e 35.
Len;es de panno de linho aUe i&SOO.
P^as flo cambraia do forro com 8 1|2 varas
3200.
ToaJbas alcoclioadas proprias para maos aoj
duzia.
Rico* cortes de Ha com barra Mara Pia a
184.
Pecas da platilias de algodao com 10 varas,
. proprias para saia a $.
A'feodo es/astado eom 7 l\i palmos d largura
a 13100 rs. a vara.
Estra da India, propria para forro de sala de
V, '>, e 6 palmes de largura, por menos preco do
(jot en) onta (uialijuer parte.
Neste estabelpriroento tambem se encontrar
um grande sortimento de roupas feilas, e por me-
dida.
Empreza de ilminacfto
gaz.
Todas as vendas de appreihos e reclamagoes
(p<* scripto dando o nome, morada, dala, etc.),
devejn ser leitas no armazem da ra do Imperador
n. ht. Os maehimsias mandados para atlender a
estas, apresenlaro um livro que os reclmame..'
dereTao assignar logo depois de prometo o servici'
Lindas caixinhas coro om carto rom a familia I ec|f","l(>' ,s, ,ara (J"e a, empr fique sciente
imperial, e dentro de rada eafsa om frasco ou sa- do W' rem os mesms seohores sido devidamenu
bao o mais fino que pawivel na loja do eija- i[U^c to8,
Florraa doQoeimado 63 e 9.
Balaios para meninas
Lindos balaios do- varios go-tus para meninas
trazerenj no braco : s se encunira na loja do Bei-
ja-Flor, rna do yuelmado d.'B3 e 69.
Extratos e sabao em eai-
xinhas
mwmmmm mmmmi
Venda de predios
piu particular mi em Icilao.
__, Vendem-se dua propne- 2
W idESL. ,aJl's d'-' '"asas contiguas,
dades de
de dous andares e sotan,
com grandes armazens oc- SR
cupados actualmente pelo 2?
Sr. Feliriano Jos Gomes, para o trafico g5
A de assucar, sitos na ra de Apollo ns. 31 {
g e 36, edificados pelo actnal proprietario, jt
^5 com opbraos alicerces. superiores madei- wj
^ ras, e acabadas em 1861, lindo ambos 52 jB
I palmos livres de paredes, de largura, e os 3
I ^ a"s ll0 ''' n. 34, e o primeiro andar do ^
de n. 36 215' panos de romprmento, o ^
segundo andar do de n. 36 tero sement jm
120 palmos de comprimento, com um ter S
raco, e os armazens tem 310 palmos de W
comprimento cada um. tendo ambos tam- |
bem frentp para a ra do caes de Apollo, "*
e o de n. 36 tambem para a travessa do 3a\
antigo porto das canoas: os prt estes valiosos predios qupirarn dirigir- S
se ao seu proprietario Antonio Boleho Jft
Estas machinas
podemdescarocar
nualiiuer especie
de algedao som
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trakalho; pode
descarocar "urna
arroba de algo-
dao m caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
Jimpo.
Esta machina
a nnica que
possueas vantagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos traba Iho, a sua introdueco para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para lodos os inleressados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em poni grande do mes,-
! mo systema.orau.1 serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podem descarocar 18 ar-
robas de algodao ampo por dia.
O algodao de*carocado por estas machinas tem
muito mais estimacao nos mercados de Europa e
vende-sepor maiorpreep.
As machinas se acbam venda nnicamenie em
casa de
Saaoders Brothers & C.
A'. II, prapa do Corpo H&nto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paii.
ja loja do Pavo ra da Imperatriz q. 60, do Ga-
ma & Silva.
As.owsas do Patfo a 340, 280, 300, 320 e
360 rs.
S o Pavo vende as Qnisstmas cassas persianas
imitaoao de la, com cores fixas, 360 rs. o co-
vado ; ditas franeczas muito finas 240, 280, 300
e 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madapefes do Pavo
Vende-se peca de madapoln infestado com (2
jardas cada peca pelo barato preeo de 14, lCO e
5 cada peca, fazenda muito superior : s o Pa-
vo ra da Imperatriz n. 50, notando que a.pe;a
leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
haver duvidas era engaos : isto previne o Pa-
vao, d" >iama Silva.
Bramante ato Unta do Pavo
-28, I400. *< Veofie-se o mltior bramaete de linho puro com
dez palmos de largura por prego multe commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
2,5280, 2,8400, e 15600 ; s o Pavo : ra da
imperatriz n. 60 de Gama ^ Silva.
Pa a no lie ido d Pavio.
Vende-se panno de liaho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lenc.'s e toainas de mo pelo
banssimo preeo de 640,720 e 800 rs. a vara, a 1-
godazinho eom oito palmos de largura proprio
para ieoces, peto baratissimo preoo'de i& a vara,
assim como tem e melhor algodozinho tanto em
largura como em-corpo, propria para len^es, ca-
misas de escravos, etc., etc., prego do vista da fazenda; s o Pavo : i ra da Im-
perauiz n. 60, de Gamat Silva.
Algodozinho sos loqne de avaria a 4,000 Pfis
e 4,800
Vende-se peca de algodozinho por ter um pe-
queo toque de ^avaria, roas que esta em boro ts-
tado, pelo barato $reco de e i AJO a pega ; s
o Pavo : ra da Imperatriz c. 60 de Gama &
SHva.
Os guardanapos ctouemicos do Pava e s ido
.-Pavo
Veadem-se os raais lindos e modernos gua6a-
napes econmicos e todo linho, tanto para as casas
de familia como para notis, bolequins, etc. etc.,
pelo baratissimo -prego de 3 a duKia, islo *> na
do Pavo ra da Imperatriz o. 60, de Gama
Iva.
fcontenif>aa,ues do I'avo
9 el.
Vendem-se os mais finos soutembarquos que
teem viudo ao mercado, sendo do caxemira de co-
res pelo diminutissimo prego de ti rada um, di-
tos de uiusambique pelo dimmoto prego de &, .- '
na loja do Pavo, mas que se nao eagauem : ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
4oa lado do Pavo.
Vende-se panno do linho adamascado proprio
para toalliasde mesa, peio diminutoprego de %fSO0
rs. a vara, guardanapos de linho a 3& a ouzia,
lo.-.ihas de mo a cada duzia, na leja do Pavc,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
E' so o Pavo (a a#.vO).
QuemiembaloeS'per lal pre^o !
Vendem-se os baloes americanos muilo superio-
res com 20 e 2S arcos pele baratissimo prego de
2*500 e 45, ditos de 25, 30 .e 3o arcos coro fitas,
muito bem armados e tambem tem cores escuras
pelo I
Idje d
I
2JoU e 2^800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixas franeczas a 1 d200, l^iOO e 1600
em latas, frascos e lindas caicliinhas muito
proprias para memosear alguem,
Amendoas confeitadas em fraseos de vidro
a 1(S o frasco.
Alpiste a 160 rs. a libra ea 4io00 a arroba.
Azeite doce francez a 90o rs. a garrafa.
Azeite. de Lisboa a 640 rs. a garrafa e 480D
a caada.
Azeite doce em boioes com 9 garrafas a S??oOO
com o hoio.
Aze itonas por todo o prego.
Bise mitos inglezes de diversas marcas a 1^300
a lata.
Bol achinhas de soda, oval e lunch a 2,5000
a lata com 5 libras,
Bol a.-humas americanas c-m barricas 20
libras a 2^00>>.
Baialia de porco da melhor quaiidade a 300
rs. a libra.
Ballas em gigos c- caixas por lodo o preeo.
Cal moido a t0 tK) ou h^OOO a arroba.
Caf superior -a 7^300, 840Ot< e 85500 a
arroba.
Gh nesto "enero temos o que h de melbo-
a.-Miii como lambem tomos bai.vo pelos pre-
cos seguiJos: i4'0, t(SW', 15800.
2^400. 2|60M, 280O e :i0( 0 o fino.
Charutos de tudas as melliores e peores mar-
cas do inervado abO, 1,)000. 15600, 25.
25800, 35000, 451 00, 500O, 55500 e tif5
o cento.
Ciouricas as mais novas do mercado a 125
o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, ;i
ellas que pichincha.
Chocolate magnilieo a i ->000 e 15200 a libra.
Ceneja orea a mais acreditarla que tem
vindo a "ioO rs. a gnala, emeia garrafas
por .'120 rs. branca e preta
Conservas inglezas afcOurs. o frasco fazenda
chique,
dem franoezas a 5(0 rs. o frasco.
Cevadinha de Frama a 240 rs. a libra.
Champagne da melhor marca que ?qui tem
vindo a 205 e 245 o gigo.
Cognak ingle/, e fracez a 800 rs. e 15000 a
"a'rafa.

pelo barato prego.de 35500cada um : t na loja: Ceblas por lodo p/eco.
do Pavio, ra da Imperatriz o. 60, de Gama AjCopos lapidados que sempre se venderam e
se vendem em nwitas parles a V$ e 10:>,
RIVAL SEM SEGUNDO.
Pinto de Mesquila na rna da Cadeia do
Recife n. 64, secundo andar, ou ao agen-
te livfira na niesma ra n. 63.
m
Charutos da Bavana.
Venfle- perior* cfiarotos da Havana n
ca*t4 BaiwScbnietiaadiC.} i ra da Cadeia
> ti
Roa da fcnzalla \va n. 48.
PoiteestabelecimeUo vendem-se: tachas df
ferro coado libra a HO rs., idemdeLot
Moor W>ra a 120 rs.
Ra do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo-
s igodiniio, venliaui ver a pechinrha que se est
acabando certas cualidades de fazenda.
Pegas de litas elastieas cwn 10 varas a.,
Ditas de tranca branca lisa com 10 varas.
Ditas de tranca preta lisa a............
Realejos para meninos, pechincha a*..
Rodinhas com superiores alfinetes a..^.
Caixas com superiores a^ulhas e limpas a
Sabonetes de familia, muito finos a 80 e..
Pares de- sapatos de la para enancas a..
Varas de babado do Porto multo boro a
100,i20e..........................
Ditas de bico largo grosso a......... .v, 5%
Potes de superior tinta tem mais de meia
gairafa a..........................
Caitas com perfumarlas muito bonitas a.
Frascos de oleo de roacag mnito fino a .
Ditos de oleo de babosa superior a 210.
320, 400 e...,.,.............. .[
Ditos de cbeiros'muito superiores em qua-
iidade a............................
Ditdlsdeagua de colonia muito boa a___
Ditos de dita dita grande a...........
Sabonetes de todo o prego 60, 160, 200,
lOe................*.......;...;'
Frascos de superior banha a 320 e.......
Calas de p para limpar dentes muito
fino a-............................
Ditos de banna transparente a..........
Paras de ligas muito fina* para senhora a
Sabonetes inglrzes da melhor.qualidade a
Frascos de agua dentrifiV superior ga-
rantida a.....\ .,j..............j...
Ma.-sos com 25 envelopes grandes azula-
do a..............................
Varas de fita preta com clcheles a.....
Frascos le macuea perOla muilo superior
Caixas com peonas grandes a.........
flrosas de botes para caiga preta, miudos
Libras de memento da roupa de lavar a..
Carriteis de retroz de todas as ci'S e
tem meia tiltava de retrot a
240
100
60
120
304
200
160
400
460
100
3*>
500
500
320
400
800
400
800
0 'avao vende paj>a lulo.
Vende-se superior setim da Cluna, fazenda toda
de la sem lustra tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletols, caigas, etc.,
pelo baratissimo preeo de 2, 252i 0,2*500 e 35 o
covado, cassas preias litas, dulas pretas largas e
estreitas, manguitos, colarmhos, punhos, e enfeiles,
tudo preto proprio para luto fechado, e amitos ou-
tros artgos que se vendem por preces mais em
conta do que ai outra qualquer parte por estar
liquidando ; s na loja do Pavo ra da Impera-
iz n. 60, de Gama A Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor (em na loja do Pavo pelo
barato prego de 600 rs. o covado ; ditas de listi-
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de senboras, meoinos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 500 rs. o ovado ; garaniem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tero em Paris : isto na loia do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 34QO e
S08OO o corte
Vendem-se cortes de chita coro dez covados
25400, ditos 2800, com 12 covados; sao chita?
glezas, mas padroes bonitos e tintas seguras;
assim tem as melnores chitas francezas e de tin-
tas seguras por precos-'commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 500 rs^o covado : na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
(Silva.
Os bordados do Pavio
Vendem-se camisinhas cem manguitos e gnlli-
nhas bordadas, pelo barato prego de i e 15:280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par. ditos
com golinha a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
fil 210 rs. cada golmha bordada, romeira de
cassa o de Ola muito bem bordadas 25 cada
urna, manguitos qne servem para ealcinba de me-
ninas 640ts.cada par, camisa com maaDos e
Solas com a competente gravata de ser?, fazenda
na, pelo barato prego de 35, e mimas putra*
1UU] bordadas que se vnem por precos muito gm
conta : s na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 60, de Gama 4 Silva.
As roapas do Pavio
Vende-se panno preto fino muito superior polo
barato prego da 25, 25500, 35, 35500 e 45, do
muito fino 55 e 65 o covado, raimira preta de
urna s largura o muilo fina a 15800, 25 e 25500
e 35 o covado, cortes de casimira de cores a 55,
35560o 65, casimiras entestadas de urna s cor
400 ,l'ruPr'as I111"3 ''alcas, paletols. coleles,capas e para
U^ roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavo i roa da Imperatriz n. 60, do Gama &
Silva.
vendemos a i&'o O e 66OO1 a duzia.
Copos para vinho n 3,)0O> a dazia.
Doces de calda viudos de Lsboa ueste ultimo
vapor a 0 O rs. a lata dad melhores i\ ue-
tas da Europa,
dem da goiaba e da casca o melhor qne
possivel por diversos pregos, e conforme
otamauho doscaxes.
Ervilhas em latas a 640rs. a lata.
dem seccas a 200 rs a libra.
EspormaVet americano a l/iOO a libra,
dem francez a i>60 rs. o masso com 4> velas.
Figos de comadre em caixinhas muilo lindas
a 800 rs a caixa.
rarinlia de Irigo a 120 e 140 rs a libra.
Farini>a do Maranhao a 24" rs. a libra.
Fumo do Para a 158< 0 a lata prande.
Fumo americano a Idilio a libra. .
Fumo em maemhos para sigarros a 200
rs. o maco.
Farelo em sacas de 0 a 90 libras a 3^500
Genebra de laranja i& o fraseo.
dem de Ho'Ianda a 500 rs. o Irasco.
fc Cfs? B ffi! ffi
600
500
320
15000
100
i 100
200
200
100
2O0
200
Potassa da Russla,
da mais superior desembarrada bontem : vende-
se no escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira 4
Fllho, largo do Corpo Santo n. 19.
Gomma de mandioca.
Vndese na roa da Madre de Dos n. 38, ar-
oazero.
' Vendem-se tres lindos moleques, duns honi'
tas molecas. < ctvos para todo o servicp :
Varas de'bico de dtfferealiee largaras a 60 jta travesa do CanWn. 1.
frasco.
Licores inglezes e francezes a liJOOO, 1(S00
e2;^> a garran.
Lingoas americanas a 800 rs. cads urna..
LingU'cas promptas em latas a f$200 a lata.
Manteiga ingleza ueste genero o que ha de
melhor a 8u0 rs. a libra e em barril a 700
rs.
dem mais baixa a 640 e 720 rs a libra.
Manteiga franceza a 5-20 rs. a libra, em barril
a 6 40 re a libra eai rttaino.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Marmelada muito nova a 640 rs. a libra.
Mullios inglezes a 40 e 640 rs. a garrafinha.
Mostarda preparada a 400 e 640 rs. o frasco.
Massas para sopa maeairo, lalbarim e aletria
a 400 rs. a libra,
dem linas em caixinhas a 3r>000 a caixioha.
Marrasquino de Zara verdaaeiro a I#5tj0 o
frasco.
dem mais baixo a 800 rs. e 1000 o frasco.
Milho un saceas'om 20euinsa 3oOO.
Prezunlo inglez para hambre vindo no ultimo
vapor a 81 0 rs. a libra.
dem mais ampo a 040 rs. a libra.
dem do Pono a 640 rs. e sendo inteiro a
'' 0 rs. a libra.
Passas 1 ovas a 400 rs. a libra.
l'ho a H rs. a libra.
Painco a 160 rs. a libra.
Pomada a 240 rs. a duzia.
Pimenla do reino a 320 rs. a libra.
Peixe cm latos a ifS0i0 a la-a, save!, cor-
vina, porgo e outros
Papel de poso a2(500t' a resma. .
dem idem muilo lino a 4,->00 e 3jf00.
dem iaiiim a i->' 0,
dem almass-o a 30HOO, :s;if)0 e 40OO.
I-iem para embn Iho a 1^200 a resma.
Palitos para denles ma$i>s com 2o macinhos
abO, i2o e -(A) rs. o maco.
Pablos do gaz a 2)5000 a grosta.
Queijos flatuer'gGS o ullimo vapor a 2jj600.
dem londrino a :/i u rs. a libra,
dem praio a 640 rs. a libra.
Bap Meurona 1 00 a libra.
Sag e sevadinha a 240 e 280 rs. a libra,
Sardinhas de Xantesa 640, iO e 36a rs a
lata.
Sabao massa a 120. 180, 200 e 240 rs; a
libia, e em caixoes por menos.
Sal refinado a 600 rs. o vazo (pote de vidro.)
Toucinho de Lisboa, de Santos e americano
a 160, 2i0 o 32 rs. a libra e em arroba
a 5, 7, e 9f500(i.
Tijolos para limpar facas a 160 rs. cadanm.
Vinho do Porlo em ancoras com 70 carrafas
a 30-5000. e
Vinlios de Lisboa e Figueira qualidades mag-
nificas a :i.->0(lO. 35t O e 4Oi>0 a caada.
Vinho do Porioem pipa a o e 6O00 a caada.
Vinho branco de Lisboa e Porlu em ancoras,
barris e pipas a 4OOOe iiOOO a caada,
\magre de Lisboa a 1;>60 e 2^U00 a cana-
da.
Vinagre em garrafoes por 1 COO com o gar-
rafo.
Vinagre em ancoras para 1 ,>600 com a ancora
de 9 caadas.
Vassooras americanas a 640 rs. cada urna.
Vinho deliordeaux neste genero temos grande
poreoe das qualidades melhores que tem
vnuo ao nosso mercado era garrafas, em
ancoras, em bairisequartolas o qual ven-
demos por procos muito baixos.
DECLARACAO.
O BALIZA declara pelo prezente que
deixa de publicar os precos pelos qnaes ven-
de as suas mercadorias por motivos qne ao
respeilavel publico pouco intereca. Serve
provisoriamente de baze os precos do Iro-
phet.
oit iran no ni a.
O BALIZA concede plena liberdade aos '
seus amaceis colle/as Clarins, Unies, mitra- '
0>>s e croados, para que rx.ssam saltar, bnr-
*rar c tudo mais quanlo Ihes aprouver, al
a, sua segunda ordem.
CMUTJLADCT)
(ILEGVEL
I'

"*m
,m 1' *'
rt*


>Url *c rcruakaw guara lelra *H de Sl.iul,io e . car'
GRANDE ARMAZEn DE HOLHVDOS
Largo da
^Santa Cruz
n.84.
Esquina
da ra do'
Sebo n. 84 3
1L114NTE
Francisco Jos Fernandos Piros, proprietario do armazem de molhados denominado
Aurora Brilhante, ao largo da Santa Cruz n. 8i, esquina da ra do Sebo, faz sciente^ao
respeilavel publieo desta cidade e do interior, que no sen importante estabelecimente
vender sempre gneros novos e de primeira qualidade, e vonder a todos pelo mesmo
prego.
O completo ortimcnto de todos os gneros finos e grossas qae costumam ter outros
estabeleciinentos desta ordem se encontraro sempre no armazem da Aurora Brilhante
e sempre em grande escala vontade dos senhofes compradores.
O proprietario do armazem Aurora Brilhante pede a todos os senhores e senhoras
que quando tiverem de mandar suas relacoes a este estaboieoimenlo por seus criados
seja em carta fechada ou cm grande rccoinmendaeao a otte armazem, cerlos de que
serao (ao bem servidos como se viesseni pessoalmente.
A Aurora Brillante troca qualquer um genero que por. acao nao agrade, e recebe
as libras esterlinas a >00t), sendo por compra : a tabella de seus gneros ser mudada
todas as semanas.
Ameudoas confitadas a libra a 800. i Carne e lioguic^o sertao.
Manteiga ingl.-za flor a 800, 960 e 1,5120. Duzia de graxa latas grandes a i&.
Dita mais abaixo a 6i0 e 720 rs. Caixas cora SSaiassos de velas de sperma-
Dita franceza nova libra 040 e em barril a cet a 560 rs. a libra.
560 e 600 rs. Ditas raaiores a 00,' 640 e 720 rs. a libra.
Chocolate sanie muito
Cha perol o melhor
novo a 1>200 a lihra.
. que ha ( redondo) a
libra a 35:200 e 2,5800.
Dito dito mais abaixo a H'iOO e 28O0.
Dito uxim muito fino.a 2,3800 e3.
Di lo hysson superior a 23600 e 25800.
Dito mais abaixo a 2,3 e 25500.
Dito preto muito lino a 25500.
Dito em massos a 3$.
Dito do Bio em latas de 4, 2 e 1 libra a
15500.
Caf de Moca superior arroba 95500 e libra
300 e 280 rs.
Dito do Bio e do Cear arroba 8-3500 e libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 8 o libra 260 rs.
Barricas com uolacliinha iugleza nova a
35.
Latas com bohcliinha de soda de 5 libras a
25500.
Ditas com ditas sortidas de 2 libras a 15400
Frascos com ameixas francezas a 13600,
23800.; :j.
Latas com ditas a 13400,2-3200 e 4|.'
Ditas com figos de comadre a 15500.
Caixinhas con ditos muito novos.
Presunto de Lamego muito novo a libra 5-0
rs. inieiro o a rctalho 600 rs.
Chourigas e paios novos a libra 000 rs.
Ditas com ervilhas francezas e porluguezas
a 800 rs.
Ditas com massa de tomate novo libra 560
rs. eem barril a 500 rs.
Ditas com ostras a 720 rs.
Ditas com marmelada dos melhores autores
de Lisboa a libra 640 e 720.
Potes com musturJa franceza preparada a
libra 480 rs,
Dita dita ingiera a 800 e 13.
Queijos novos do vapor a 23200 e 25800.
Ditos de prato enplicado a 15-.
Dito suisso a 800 rs.
Dito de manteiga do Serid a 800 rs.
Caixas r>m passas novas de 1 arroba 7-5,
meia 33500 e ijuarto 25 e libra 480 rs.
Caixas com urna arroha de velas do Araca-
ty tU3oOO o libra. 400 rs.
Ditas de composicao arroba 105 e libra 360
ris.
Saceos grandes rom farinlia de Goiaona mu-
t boa a 55500.
Ditos com,milho novo com 24 coias a 35300.
Dito com fareHo de Lisboa a 55300 e 120
a libras
Dito com arroz de casca a 51000.
Duzia M garrafas de cerveja branca e preta
a 55500 e em barricas a 55000.
Armz do Maranho em saceos arroba 25600
25400 e libra 100 e 80 rs.
Dito da india c Java arroba 35 e libra 120.
Araruta verdadeira arroba 85 e libra 320
rs., matarana.
Gomma do Araeav par engommar arroba
35 e libra i69 rs.
Parinha du Maranliao nova libra 320 rs.
Crvilhas sercas muito novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 33200 e libra 120 rs.
Graxa de boi.io 97 a 280 rs.
Sabao massa a 200, 240 e 280 r?. a libra.
Dito hespanliol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Baiaios do Porto de diversos tamaitos de 320
a 25.
Capachos para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de bieo arro a 45500 e libra 160 rs.
Pataco arroba 53500 c libra 200 rs.
Milh alplsta arrobi 43St0 e. libra 160 rs.
Azeile doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 15500 e garrafa
200, 240 o 320 rs.
Massos de palitos de denles com 20 massi-
nhos a 160 rs. i
Tijolos de limpar (nas a 160 e 120 rs.
Husmas de papel almaco pautado a 45500.
Dito greve liso o melhor que ha a 45500.
Dito de peso e pautado a 2J500 e 25800.
Garrafoes com 25 e 15 garrafas de verda-
deira genebra de Hollanda por 85300 e
63000 rs.
Amendoas com casca a libra 240 rs. e arro-jAzuitr- de coco garrafa 360 rs. e carrapalo
ba 63. 360 e cauada 23560.
Nozes bra 160 c arroba 5-j. iCairoes com doce de goiaba a 640, 800 e
Charutos finos de Simas, e dos melhores fa-l 15-
caixas de
de 25
-. palitos do gaza 2-3200
bricantes da Babia
100 e 50.
Grozasde caixinhas d
e 200 rs. a duzia.
Barris com azeitonas novas a 15200 c 2,5
barris grandes.
Vassouras do Por'.o piassava muito seguras a
400 rs.
Azeile doce francez dos melhores fabrican-
tes, caixa 10-J e a garrafa 15.
Caixas com vinho Bordona* branco e tinto.
Viho do Porto lino em barris de 5 que ra-
ras vczhs apparece por 805 c em caada
a 55500 e garrafa a 800 rs.
Dito de Figueira puro caada 45 e 45500 e
garrafa a 480 e 360 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 35500 e
45 e a garrafa a 440 e 480 rs.
Cognac verdadeiro a garrafa 15 e 15280.
Yiriho muscatel dozia 105 e garrafa 15,
Vinho branco de muito boa qualidade cana-
da 43 e garrafa 480 rs.
Dito Xerez fino caada 75500 e garrafa a
15200.
Dito Marleira secca agarrafa 1-5600 e 23-
Dito em caixas de urna duzia do Porto dos
melhores autores a 123, 143 R 163.
Garrafas com licor lino francez a 13, 15200
e 13600.
Ditas com vinho de caj muito claro a
Ditas com mel de abelha puro a 15-
Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 15-
Dito de urna garrafa a 560 rs.
Dito de laraoja verdadeira a 15200.
Pules com mostarda preparada a 320 c 400 rs.
Caivas com 2 arrobas de btalas a 25500.
Vinho branco do Lisboa proprio para missa
a 45800 a caada < 640 rs. a garrafa.
Espirito de vtaho a 400 rs. a garrafa.
Duas redes muito bem feilas para dormir
viudas de Sobral a 303 cada urna/
Toueinho de Lisboa arroba 93300 e libra
320 rs.
Dito de Santos arroba 63 e libra 280 rs.
Mullios com grandes ceblas a 13600.
Onto de dita solta a. 15600.
.Mauncos de albo a 120 rs.
Gordas de pasiar'e de andaime.
Paas da ilha dfe-S. Miguel arroba 35200 e
libra 120 rs.
Copos lapidados para agua e vinho a 33300,
558q0,65 e 75.
Ditos lisos para varios precos.
Calix lapidados glandes c pequeos duzia
3, 4 e 55 ; e 400 e 300 rs. cada um.
Massas para sopa macarrao, talbarim c ale-
tria a 400 rs.
EstreHnba e pevide libra 640 rs.
Jiarope de fructas nacionaes a garrafa 600
ris.
Marrasqutalip de Zara da melhor qualidade
a garrafa 15200 c 800 rs.
Esteiras de tranca, cento a 205 8 240 cada
urna.
Queijos de qulba novos, arroba 163 e libra
a 560.
Duzia do campanha superior a 203, e 25 a
garrafa.
Garrafies vazios a 13600.
Massa branca para sopa a 320 rs.
Fraseos com azeitonas e;n coacervas a 800
ris.
Duzia de cartas finas para jogar a 3.
Sabao hespanhol verdadeiro libra 400.
Saceos com feijao mulatinho novo a 105.
Latas com favas j preiwradas a 800 rs.
Sevadinha para sopa a 240 rs.
Garrafas com muscatel e setnbal a 800 rs.
Sag novo a 400 rs.
Hreu arroba 83300 e libra 320 rs.
Latas rom 27 garrafas de gaz a 115, a gar-
rafa 500 r*.
E outros nsitos gneros de primeira pialiddeque nao
posslvel meacioaa-los.
A satisfago da Aurora Brilhante vender muito, embora barato, mas DINIIEIRO,
abatendo cinco por cento a quem comprar de 100JOQO para eioa. .
$&T
\*m&3

NOVO DESTINO

NEM COROAS NEM MITRAS
GRAMBfi
ARMAZEM
DE

RUADO IlIPERinOR HE, 10
Jante ao sebrado em qoe mora o Sr. Osborne,
NOVA EXPOSIQnO DE GNEROS
NO
ARMAZEAE
PRINCIPA
DE
HT. 9 RA 0 ItKSIM ar. o
Esquina que volla para a ro do Imperador
E provavel que nao seja bem aceita a verdade, quando a boa f de todos anda
ilkiaida por esta epidemia de aauzeaticos annunctos de cmelas, tambores coras
tras, etc., que'todo o dia enchem as paginas deste jornal.
AJLEKTA
Duarte Aluielda t c. receberam de sna propria eneommen-
da o mala lindo e variado sortlmento de molhados. proprlos
da presente estaco. Os annuncianles nao tem em vista senao garantirem ao respeit.uel phhBrii
Manteiga in&leza Maeas brancas : sua pflavra ? ,honra' v.onde"do am llicro suficiente para suas subsistencias e nKSm
iauuiv/jpu "iolvl xu.uVc wiauuw assentarem fortunas a torga da regra de iga oomo outros annunnarrtes rlosto nll^
da safra nova vtnda neste vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar. -__________ 6__ e genero.
maio a 800 rs. a libra. macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
Haoteiga franceza libra e 4500 a caixa.
da safra nova a 860 rs. alibra, e era barril i Vinhn
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2^400, muito propios para mimos."
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300,
Chocolates
de todas as qualidades a 15000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos relhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2#6oo.
Qneijos
chegados no ultimo vapor a 24&0O cada um.
feueijo
londrino o. mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1^200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
34 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 2^700 rs. a libra.
dem bysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2#600. $
Massas amarelias
para sopa, macarrao, talharim e aletna a
480rs. alibra. i
COGiVtC .
o muito afamado cognac Pal Brandy a I.800
Figueira J A A e outras muitas marcas aae- comprador,
ditadas a 500 rs. a garrafa.
PARA TOMOS
No armazem principal vende-se a todos pelos procos marcados na secuinb? ta
bella, mas nao se vende por todo o prego fazendo-se peso de arroba hesnantjola caran
te-se as qualidades dos gneros troeando-se todo acuelle oue n5o s>ia AnaaSb^l
aquello que n5o seja do agrado do
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e dem de casca.dura a 24o rs. a libra.
2^800 a caada. dem de casca mole a 3o rs. a libra.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 15 e 15200; dem era frascos de vidro a l,2oo rs.
a garrafa e de 105 a 125 a caixa, as mar- dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lentilhas muito novas excellente Iecump na
64o rs. a libra. ra sopa a 2oo rs. a libra. ^*
Licores francezes de todas as qualidades de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Manteiga ingleza perfeilamente flor a Snn ro
t) estampas, a 1,2j00 e I ,tio0 rs. a libra, desnessesario mais elogios nes*
te genero que s se pode verificar com a
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de baaha a 45000.
Bolachinha ingleza
a 15800 a barrica da raesma que
vendem a 25000 e 25400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r* .al bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 45500 a 5500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India I
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-: a lata.
dem em latas de 1 '/a libra'a l.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
ha neste genero de 80 a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,800 a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa el 0,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2,000 rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. alibra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica de Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
reba desses que vendem por 35400.
CAF
de 1.* e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 855f
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a Iibr
Ciarrafcs
com 4 '/ garrafas com.vinagre a 15000ta
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de 115000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 55800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros patitos do gaz a 2,2oo a groza
e2o rs. cada caixinha.
LICORES
j Ranha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
1,100 rs. a arroba.
vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
ou meios a 5oo rs.
Marmellada do 1 fabricante de Lisboa a 600
rs. a hbra, ha latas de 1, 1 y, e 2 libras.
Maca de twraate em latas de urna e duas li-
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide, rodinha
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 56o rs. a libra!
Macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garra/indas com rolha de
vidro a 6io rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
a garrafa, e 10,000 rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, gi-
rantindo-se a qualidade, a 7oors. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
6.5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermeficamente fechadas das
seguintes qualidades, sabel, corvina, gc~
rs. a garrafa e de outras muitas quada- finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa ; Charutos do afamado fabricante Jos Furia
rz, cavallinha e pescada a l,ooo rs. la-
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo ta.
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. 1 Palitos para dentes fichadas a 14o rs o ma-
as meias garrafas. ( Co de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a h- dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo rs.
tora a groza.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs. pajn<;o muito novo a 16o rs. a libra, e 4,5oo
a w>ra. I rs. a arroba.
dem hysson o melhor que ha neste genero'Queijos flamengos do ultimo vapor
a 2.000, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a 1.3oo
rs. a libra.
dem preto homeopalhico 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
l.ooo, t,2oo e 1.4oo rs. a libra.
ARMAZEM CONSERVATIVO
23-Largo do Terct>-S3. f
Jo.iijuim Simao dos Santos, dono deste bem sortido armazem de molhados denominado Con
servalivo do larg>> do ierro n. 23 scienflca ao respeilavel publico e a todos em geral que mandem
ou venhan a este fstabek-cimenlo para melhor se sertilkarem da diminuigao de precos que obtem
neste, o que nao olilero st: compraren em ouiro qualquer, pelo que se responsabelis a servir qual-
quer comprador enm a maior presteza c lidelidade, sem que naja a menor alwracao. Todo o compra-
dor que comprar de 100> para cima ter o descont de 5 a 10 por cento pelo seu prompto pagamento.
Atiendo.
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 25200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
. libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3.ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 5Go rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
a libra.
Passas milito novas
em quartos e inteiros a 25 o quarto c 65500 Idem seccas a ,6 rs-a libra-
o verdadeiro fumo americano em chapa a' em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e 60 rs.
l,4oors. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do merGado a 140 rs. a libra,
e 45400 a arroba.
do de Simas e outros da Rabia como se-
jam Regaba, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a 1,600, 2,000,3,ooo e
4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 50o rs.
Cognac inglez e francez a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominhn e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,ooo e 5,*oo rs. a duzia, e 000 rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8.000 a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas porluguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 15 o caixae.
Os proprietaris, do^gfane armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao-pnWico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unido eCommercio na de Quemado n. 7-
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador u. 40

.
FRUCTAS
MA;AA. PERAS E IVAS


..


chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes logares: Ra do Imperador .
40, Verdadeiro PrincipalRea do Quebrado n. 7, niao e Commercio.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loors. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,800
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa,
dem delaranja verdadeira a l,ooo rs. o fras-
co, e H.oo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa'a
1,800 rs. a garrafa.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra, e
spnrin inteirn a 72o re.
Sal refinado em poles de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de IS'antes a 60 rs
a meia lata, e 4oo rs o quarto.
Sag muito novo calvo a 24o rs. alibra.
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a 100rs. alibra.
Toueinho de Lisboa a 24o e 3ors. a libra
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada nm!
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos condecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira expecialmet te escolhido neste
lugar a 600 rs. agarrafa, e 4.5oo a caada.
dem Lavrad.o, Colares muito fresco sem
composicoa 6oors. agarrafa, e 4,5oo rs a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a garrafa,
e a 4,Soo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garra-
. fa.
dem engarrafados generosos, Lagranas do
Douro, faque do Pono, D. Luizl, D. Pe-
dro V, Nctar, velho secco, Malvazia, o
genuino particular de 9oo al,2oo rs. a gar-
rafa e a 10,000 rs. a caixa com urna duzia.
dem Madeira;iegitimo a l,2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordean dos acreditadas marcas St.
Julien St. Ksteph, chteau la Roze,chatau
Margoux e outros a 6,000 rs, a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2,ooo
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e l,4oo
rs. a cenada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooo rs.
VassourasdoPorto com arcosdefeproa 32o
rs. cada urna.
dem de escovas pan lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 58o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de composigo
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e ll.ooo rs. a
arroba.
Itatatas as m;ii novas a 40 rs. a libra e 1200 a ar
roba.
Toueinho de Lisboa a 280 rs. a libra c 8S"00 a ar-
roba.
Caf de primeira e segunda sorte a 240,200, 280 o
300 rs. a libra.
Arroz do Maranho e Java a 100, 70 e 80 rs. a li-
bra e 2J200 a arroba.
Phosphros do gaz a 24 a groza e 180 rs. o mago.
Passas de carnada a 320 rs. a libra, e em caixa a
GJ300.
Bolachinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
Saho amarello massa a 100,200 e 240 rs. a libra.
Vclasd e carnauba Aracaty composijao a 360 e 400
rs. a Ufara.
Ameixas franceza com 1 e meia libras a 1,5-
Masa de tomate da melhor qualidade a 600 rs. a
libra.
Marmellada dos melhores fabricantes a 640 rs. a
libra.
Cbouriras as mais novas a 'GO rs. a libra, e em
i-arrl por 125.
Al';m oestes genero; ha outros muitos que
Cha hywou miudtnho e perola a 2,3,000 2500 e
Mil'ho alpista e painco muito aovo a 160 rs. a libra.
! Biscoits e bolachas de soda a 12300 e 2
Aramia das melhores marcas a 14, 24, 35, 45, e
i500 acaixa.
Charutos em macos rentando 50 por 640 rs. o cont
Azeite doce de Lisboa fino a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapalo a 280 rs. a garrafa, e 25000 a
arroba.
Vinho de Figueira e Lisboa das meihores marcas a
320, ultimo 'lo l'orto propm para os doentes por
ser purificado e recommndado para estefim,
ueijos do ultimo vapora 15 e 15700.
nteiga ingleza flor a ij> a Ubra, e a 930 rs. em
1 .rril. '
Idrm menos'superior de &0 a 800 rs. a libra.
Idom franceza do ultimo navio a 560 rs. a libra,
em barril se far abatimento.
' Gomma-ja mai a I va a 160 rs. a libra e n 45500 a
1 arroba.'
enfadonho seria reenciona-los.
\ \i>\i: LJ::o,,;,ri( \IK),.JACALI \0
XAROPE DE RBANO IODADO
Sfgundo u aUtsUu.i dos mdicos do hosplt de Pai, oinsrgnadns no Prusuceio, e a auumvacSo
tuummtP**mttm' Mte XjlroPfl empregwe com o nitor icceMO, en lugar do LEO DE FIGAD0 DE
iij a8 <,u*' UereaJmente uperlor. Cra as molesUas d pello, as escrfulas, o lymphBttsmo, a
paltidei e mollera das carnes, as perdas d' appetite, regenera a consUtuicao purificando o sangue. Em
ama o mais poderoso depuratlta eonhee'do. EUe nuBca canea o est4mago ou oa ntestlno* como
loduro de potassiam e o ioduro de ferro; e adminiotra-ae com a maior eftlcacldade aoa meninos ujeitos
aos humores ou ao entnpimento das glndulas. 0 oaviar curuMr, do hospital d San' Luis de Pars,
o recoman nda d'um modo inteiramente lUtUhl as molestias da pelle, conjunctaraente com as pilulas
que teem seu nome.
Depsito geral: em Parit, en casa de MM. sriatMcc, pbarmaceotleos, T, ra de la Feuillade ;
MB Lilboa, ta caat de Rodrigo da Coat Cartalk* i no Porto, en Casa da Miguel lom de Souia-
rerraira; em o /o-de-Janet'ro, lava rriiot* a Mal, ma do Sahao. 11 em Baha, en casa de
Jaa-Caetaaa rerralra-BaftlalicIra-, em Hio-Grande, en casa de Joaqaia de Sadaj ; em Moran-
te*, en casa de Farreli-a e c, em Pern&mbuc, skaaai e C*. roa da Cruz, 22; sauaa, e as principies
pharmacias do Braill.
2cr"aacOO-s sr'i. o O O se 5
= t"*SS9,s'E
3 "' a W
Deposito geral em Pernambuc ra da Crol n. 22 de emcasaCaros di Barboza.
Salitre refinado, superior qualidade, Yiba Bor-
deaus, dioerenies qualidades, mais barato ene em
alquer parte: no. armazem. de E. A. orle &
.V;
ra da Cruz n. 48.
-------------------------------------------------T---------------
Enfeites para cabera,
Qhegaram. os lindos eofeites de cabera para se-
nhoras, sendo muito simples e de wuito'gosto : s
no Vigilante, roa do Crespo n. 7.____________.
Yendem-se aljsumas obras de
fruta; na r da Cfidea-.\o>a .37.
"SI
2. s? cha S-x> -i -
O -1
dBl'S'S.S^'S'Si
6-3 g ag s s =.&
C.
m 5.2 ST b _
Z e S-S"0" ? o
R23
8TII
w P. a* Si" SI 5
ifl
jp co B
6 OCR *
a- _
O 99'
1
O
a
(Ti
03
ts
OS
SS2.
O ft O
.
If
ir



1

GAZ GAZ 4JAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
105 lata : nos armazens da ra do n-
perador o. 4G e ra do Trapicbe Novo b. 8.
Machinas para descarocar
algodao dos mais a(aeditaaos
ibricantes: na fundido do
Bowman, ra do Brama, 38.
Superior cal de Mm
Sende-se superior cal de Lisboa a mais nova oue
ha no mercado tanto em por"c3o como a retalho,
por barato prego afianoando-se aos compradores a
superior qualidade : a tratar jias seguintes mas:
Crespo n. 7, Imperador n. 28, Fprte do tfuo
rnazern do 8r. Villa defronle- do trapicho do
godao.________ ->'-
Vende-e madapolao com pequeo toque de
aria a 65000 a pega : na ra da Imperatriz att-
mero 20, loja.


BMk
-----
-.. m


Diarlo 4e PerMMMfeneo <|u,n
liquidi
NOVA
la cao de fazendas de todas as qoa-
liiiades na lja earmazem da Atara,
ra da iniperatriz n. 56, de Lom eu-
ro Pereira ttende* Gnimres.
Ittcn^ao que se val principiar.
Vende-se pegas de panno de liuho para lences,
toalhas e seroulas, com 13 1/2 varas por 85300 ;
brim liso por 500, 560,640 rs. a vara : na ra da
Imperatriz loj& da Arara n. 56, de Mendes Guima-
raes.
A Arara vende soutemharque a 10$ e i25.
Vende-se soutembarques de laaiinhas enfei(ados
a IOS e 12,5, ditos pretos de grosdenaple lino
a 20*, 225 e 255 ; capas pretas ricamente enfeita-
das a 255 8 305 ; camisinhas para senhoras a 25
e 35 ; golinhas 240, 320 e 500 rs.; manguitas a
15 na ra da Imperatriz n. 56, luja da
Casias franeeus a 280 e 320 rs. o cavado.
Vende-se cassas francezas unas para vestidos a
280 e 320 rs. ocovado: na ra da Imperatrizn. 56.
Colchas de damasco a \-$.
Vende-se colchas de damasco para cama a 45,
ditas de fusto a 55, ditas de chita a 25; ricas chi-
tas para cobertas a 320, 360 e 400 rs., ditas aseti-
nadas muito Tinas a 500 rs. o covado, ditas encar-
nadas a 500 rs. o covado : na ra da Imperatriz
n. 56. Io|a da Arara.
500 rs. e
Arara.
Cortes de chita a 2r> iuo.
Vndese cortes de chitas com 10 covados a
25400, ditas franceza a 35200 ; ditos de cambraia
de salpicos a 25500 a pega, dita fiua a 35500, 45
e 55: na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara, de
Mendes Guima-res.
Itoupa feita barata.
Vende-se palitots preto de panno a 165, l'i*
425, 10 o 85, ditos de alpaka a 35 e 45, ditos de
brim brancoa 25500, 35, 35500; caigas de brim a
,5 e 25500, ditas brancas a 35 e 35500 ; palitots
de caseinira de cores linos a 105, 8* <>*. e 55 ;
seroulas a 25 ; camisas brancas a 25, 25500 e 35:
na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
tul a rin luis econmicos a 610 a ihiiia.
Vende-se colariuhos econmicos muito bem fri-
tos a 640 a duzia : na ra da Imperatriz n. 56, to-
ja da Arara.
Vende-sa bramante de puro linho a 25300 e
25800 a vara, tendo 10 a 12 palmos de largura
brim branco para caiga a 15200,15400 c 15600 a
vara, dito pardo a 640, 800 rs., 15 e 15200 : na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vendem-se baldes americanos os melhores que
tem viudo, de todos os tamanlios a 25240, 25500.
35, 45 e 45300: s o Arara na ra da Imperatriz
n. 36.
As lazhihas da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem-se lazinhas para vestidos de senhora a
-J40, 320, 400 e 500 rs, o covado, ditas muito
linas lisas 600 rs. o covado, ditas especiaes a 720
e 800 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 36,
loja da Arara.
Chitas baratas a 2i0 rs.
Vendem-se chitas de cores lisas a 240 e 280 rs.,
0 covado, ditas francezas linas a 320. 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas percalas a 560e600rs. o
covado : na na da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
1 Arara vende madapolo barato a G^bOO, corlse
de vestidos a Maria Fia a 1 i,>, 16;> e 18$.
Vende-se pecas de madapolo de 24 jardas, de
marcas finas n. 7 a 75, n. 2 a 85100, -r a 85500, ++
95, S al05, HH a 115 e 125; alnodao regular a55,
Jilo fino carne de vacca a 65300, dito domestico a
7fl, dito sleupira a 85, dito pao ferro a 95 a pega
"iii 20 jardas : na ra da Imperatriz, loja n. 56.
Chales baratos a i 600.
Vende-se chales de laazinha a 15600 e 25, ditos
de merino a 35,45500, 65 e 75 : na ra da Im-
peratriz n. 56.
Cortas de cairas a 1(5600.
Vende-se cortes de calca para homem a 15600,
15800 e 25300 boa l'azenda ; cortes de casemira de
cores finas a 35, 35500 e 75; casemira para palitots,
caigas e coletos entestadas a 35 ocovado : s na
loja da Arara, na ra da Imperatriz u. 36.
Casemiras para capa de senhora a 26 e 3$.
Vende-se casemira enfestada propria para capas
para senhora a 25 e 35 o covado, tambem serve
para coslumes por ser de boa qualiade e lindas co-
res, vende-se a 25 e 35 o covado: na loja e arma-
zem da Arara, na roa da Imperatriz n. 56.
A Arara vende as percalas a ;>60 rs.
Vende-se percalas tinas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas Iraneeias linas a 360, 440, 300 e
360 o covado : na ra da Imperatriz n. 36.
\ Arara vende as capas de yrosdeiiapie a 2b* e30.
Vende-se rica.' capas de prosdt-naple prelo para
senhoras a255 e 305; soutembarques pretos tinosa
205, 225 e 255 : na loja da Arara
Tarlalana decrese branca a $00 rs. a vara.
Veude-se tarlalana blanca c de cores finas a 80S
rs. a vara, fil de linho a .S00 rs. a vara : na ra
da Imperatriz loja e armazem da Arara, n. 56.
O proprietario da loja e armazem da Arara re-
o i menda toda a attengao aos Srs. tregeles que
m.indem ver as amostras de todas as fazendas que
aun noca, prometiendo vende-las por barato prego.
Pechincba de lencos de seda a 800 rs. c 1 $.
Vende-se lencos de seda pequeos a 800 rs.; di-
tos grandes a 15 : ditos brancas com barra de cn-
res a 200 rs. cada um ; meias cruas para hornera a
5400, 35. '** e 5> a duzia ; ditas para senhora a
i ',- a duzia : na rua da Imperatriz n. 36.
Tambem chegarm as liguinhas estreilinhas de Til VAL. OCIfl OL.UITU
borracha gurar manguitos por ser muito commodo o muito boas fazendas e muito baratas, quem quizer poder
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do orea-; vir ver ou mandar para experimentar, assim como
po n. 7. I sejam :
Caetas. Gollinhas muito tinas para senhora a 500 rs.
Riquissimas caetas de madreperola proprias Das epunhos de fusilo muito bonitas a 640.
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de, Carlasude alfi"ete do cat>^ chata de lodos os ta-
1*300 e 2*. I mannoa a 80 rs.
s-.iidiniuw maiic Ha aiU i Hesn>as de papel de peso muito bom a 25-
sapatinose metas de seaa. Capachos redondos e compridos a 500 rs
fJTc'5r0S S,apat,nho0!,d,e 52& M3 com superiores brelas de colla e de massa
fetados, assim como meiaszmhas de seda, gorrazi- a 40 rs
nhas e louquinhas para as enancinhas se baptiza-
rem; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
a 40 rs.
Cordita branco grosso que tem muita applicaco a
vara a 20 rs.
I.inhas de carriteis garantc-se 150 jardas a 40 rs
Candes de linha Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas Grosas de pennas de ac muito linas a 500 rs.
e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, s Varas de franja de liia para v
franja de liia para vestido a 40 rs,
Ditas de franja branca larga para toalhas a 160 rs.
Pares de botoes de punho a 120,320 c 500 rs.
"''nteiros de vidre com tinta a 160 rs.
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos- Ditos de barro eom superior tinta a 100 rs.
to possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante, Grosas de botoes de lougst Bruteado a 160 e a du-
rua do Crespo n. 7. zia a 20 rs.
Enfeiles para senhora. Tesouras para costura a 80, 200, 400 e 500 rs.
Riquisslmos enleites com lago e sem lago e de Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-1 L,b.1a..d!? 'aa para bordar da melhor qualidade a
eiiciio
guante, rua do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
ISabadinhos ntremelos.
Riqulssimos babadinhos entremeios com lindos
65500.
I Caixas de phosphoros de seguranga a 160.
Caixas e pacotes de papel amizade superior a 600
! ris.
, Caixas com 100 envelopes muito finos a 800 rs.
i Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriteis de linlia Alexandre com 200 jardas a
100 rs.
O Vigilante est alert,^nao llie era permitlido desenlias tpa^os^e^ transparentes, petolwragrimo | rjaralhos para voltaretea 240c mais linos a 300 rs.
Meiadasde linha l'rouxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatus de tranga de todos os lmannos
a 15500.
Grosas de botoes de madreperola muito finos a 360
ris.
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o preco de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
seu canto, atim de annunciar ao respeitavel publi- rua do Crespo a. 7.
co o grande sortimento de galanteras do melhor Cascarrilhas.
gosto propriamente para qualquer mimo, que ac- Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
niuitos outros objectos que recebe por diversos na- prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres- Carias e caixas de clcheles de superiores quali-
vios, tanto de sua costa como de eonsignaco que po u. 7. dades a 40 rs.
est resolvido a vender por precos muito baratos Fjas. I Msaos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
para vender muito e ganhar pouco, e dar extragao Grande sortimento de fitas de diversas larguras Grosas de palitos de gaz a 25200.
| o grande deposito que tem, que espera merecer a e qualidades, por precos que admirara aos com-, Libras de areia preta da melhor qualidade a 120
i proteegao do respeitavel publico empregando para pradores haVendo fitas largas proprias para cin- res.
isso moas e as melhores diligencias para que fi- ,eiros Qe M ae vender a 300 rs. a vara, e pega i Caixas redondas para rap e tem multo bonitos ca
quera satisfeitos; islo s no Gallo Vigilante, rua do de g v^ras a'2 s no vigilante, rua do Crespo langas a 100 rs.
Aviso aosehefes de arailia
econmicos.
Reducode preeos para liquidar
No armazem da rua do Imperador n. 14, es-
quina da Iravessa do Ouvidor, vende-se manteiga
ingleza superior a 800 rs. a libra, dita soffrivel a
640 rs. a libra, dita para tempeiro muito limpa a
480 rs., banda americana muito lina a 400 rs. a
libra, eem latas de .0 libras a 75 a lata, cli.
hysson muito superior de encommenda, como ha :
muilo tempo nao vem ao mercado a 35 a libra, I
dito muito bom a 25600, 25400 e 25 em latas de
i libra.arroz do Maranho a 80 a libra e a 25400 a :
arroba, cerveja ingleza muilo boa a 480 rs. a gar-j
rafa e 55 a duzia, excellente doce de* goiaba era
latas de 4 libras a 2? a lata, queijo pralo a 800
rs. a libra, dito pcllirado muito superior a 900 rs.:
a libra e inteiro a 850 rs. libra, dito do serlao e ex-
ceilente a 640 rs. a libra e inteiro a 560 rs dito
ffamengo do ultimo vapor a 25300 cada um e a
j 25400, figo.s de comadre a 160 rs. a libra, sabao
branco inlez a 200 rs. a libra, dito massa supe-
rior a 200, 240-e 280 rs. a libra, vinho verde par-
ticular engarrafado de B.iirrado a 560 rs.agr-
rala, dito de Usboa puro e genuino, encoinuienda
particular a 600 rs. a garrafa, e 129a ancoreta de
3 ranadas e 305 a ancora de 9, especial vlnho
branco de Lisboa puro a 6()0 a garrafa, vinho d
Porto engarrafado de todas as marcas a 800, 15
e 15200 rs., dito de pipa de todas as manas a
400, 440, 500 c 640. dilo Rordeaux das marcas
mais acreditadas a 65500 e 75 a raixa e 560 1 s. 1
a garrafa, cognac, superior Iraneez e inelez, di-
versas marcas a 95 e 105 a duzia, e a 800 e 15
a garrafa, gomma nova muito alva a 160 rs. a li-
bra, e muilos outros gneros, tudo pregos redu-
ndes.
ATTENGAO.
CIiegHciu a farinha lavada.
A bordo do hiate nacional ons Irmaos ancora-
do defronle do trapiche, bario do Livramento, ven-
de-se esta superior farinha lavada anda nao vista
nesie mercado pelo barato preco de 35 o alqueire
ou 65 o sacro sendo este prego grauel, e tambem
na rua da Madre de neos ns. 5 e 9.
Vende-se um reogio de ouro patente ussoi,
e bom regulador : a tratar na rua do Queimado,
loja n. 14.
165000
185000
105000
105000
105000
165000
95000
65000
65000
O50OO
Crespo n. 7.
Ricos porla-joias.
Cofre de muito gosio por
Cestinhas transparentes torradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres com camapheu.
Lindas caixinhas com podras brancas.
Lindo balito com calungas dentro, tam-
bem para joias.
Tambalier para dilas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
Urnazinhas.
S no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pre-! n. 7.
gos; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas aolado, a 105, 125 e 155, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
45000.
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 o par;
s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cabazes ou cestinhas.
At que chegram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas irazerem no brago, o mais rica
po-sivel a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
\ igilante, rua do Crespo n. 7.
Penles.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregacar ca- j
uello, lauto de borracha como de tartaruga com en-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, rua
do Crespo n. 7.
Pentcs
tambem chegram os riquissimos pontos de concha
de tartaruga e de massa lina, que se vende por 25,
35 c 55; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Leijties.
Riquissimos leqncs de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 125 c 145; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Mais ieqnes
com pequeo defeitp, Ieqnes de sndalo com pe-
quen deleito por barato prego de 85 e 105, chi-
ne/.es muito bonitos tambem, pelo barato prego de
45 e 3, beiitarallos minio bonitos, tambem por ba-
rato prego de 45 e 55. loques de oliarao tambem
por 45. tudo isto para acabar, perdendo-se tai-
vez 80 por cento; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de rontas c d
n. 7.
Filas de la.
Filas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilante, rna do Crespo n. 7
lucos espelhos.
Riquisslmos espelhos com moldura douraJa e
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim como com
columnas du dillerentes lmannos a 25, 35,45, 55
e 65; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
Grande liqdaco M
A BRANDE CURA
PARA TODAS AS MOLESTIAS DO
9 FU AS KMI1S.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
\ cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tinctivos c oflerecimentos as sinhasinbas dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como os grandes copos debanha japoneza
a 25 e a 15, assim como outros objeelos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregu-
zes se far todo neeoaio; na loja do Gallo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
se* de i Fazendas.
S XoPasseio Publico n. 14. H
fi O dono desie antigo estabelecimento JH
M reeebeu um completo sortimento de fa- a
zendas e est resolvido a vender por
JH menos do que em outra qualquer parte.
ft(K S no Passeio Publico n. 11.
M Chitas estreits fixas a 200, 220, 240 e *
260 o covado, dita larga a 320, 360, 400 f
Jgf e 440, ditas para robera larga a 500 rs., |g
fjp dita estreita a 320.
|S ao Passeio Publico n. 11. 23
Ricos corles de vestidos de cambraia '
P a 45, chales de merino liso a 45500, di- Wk
gKS to estampado a 75, dito bordado a SS?
h 65500, madapoln fino com 20 varas a \
W 95, 75800 e 65800, algedozinho largo SIS
%M) com 4 palmos de largura a 95-
^ S no Passeio Publico n. 11. X
8R Cambraia lisa com 8 1|2 vara* a 45, W
Jg; dita a 45500, dita a 75, dita a 85, mus- |
S selina branca a 560 o covado, brim par- S
19l do a 720 a vara, assim como outras fa- &K
>M zendas que s vista; tambem se do 1$ AffiiCCdeS Biliosas,
S as amostras deixando penhor, a loja
fK aberta al as 8 horas.
AS
*; Pillas VcgctacsAsswcaradas
De Kcmp
Compostas dos dois novos resinoides chama-
dos PonopurLixA e Leptandrina, c inteira-
meiTte livres de Mercurio ou outros venenos
mincraes ou metallicos, sao de grande ui'i-
ladc nos paizes clidos em cazos de
BYSPEPSIA, ENCHAQECA,
CoD.ilipa(;o ou Prizao do Ventre,
PADECIMENTOS DO FIGADO.
esta
a 3:200 rs.
Vende-se de superior qualidade, chegada do Ara-
caty pelo hiate Satil'Anna, em casa de Prenle,
Viauna & C, rna da Cadeia n. 57.
Jhifliiii pnra aliioilai.
Vende-se urna machina para descarogar algodo!
e um motor com todos o> perlences para (rabalhar |
com 2ou 4 c.ivallos, a qual descaroca 120 arrobas j
pordia, sendo muito maneira no trabalho, e de 1
mui fcil transporte para o centro, ella acha-se j
montada, e o comprador pode ver o seu trabalho,
cojo resultado se garanie : para ver e tratar, na
fabrica da iravessa do Carioca n. 2, caes do Ramos. I
Taberna venda
Vende-se a taberna da travessa do Lima, em
Santo Amaro, perlencente ao Sr. Manoel Joaquim,
outr'ora na encruzilhada de Belem, arinacao nova
e caixilhos, pesos, balanga e alguns gener ainda
existentes na mesma, tudo em perfeito estado,
muito propria para qualquer principiante, faz-se
i todo npgecio sempre que agrade ao vendedor e
comprador: quem pretenderdirija-se arefinago
do Manguinho, que achara com quem tratar.
Alcatrao.
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Vende se barrls com alcatrao, na rua da Cruz
missansa, cores n. 23, primeiro andar, esetiptorio de Antonio de
Almeida Gomes.
Vende-se superior vinho do Pono em caixas de
urna duzia : em casa (te Johnslon Pater & C., rua
do Vigario n. 3.
Divas liambuTguPzas
Na rua Nova n. 61 defronte da Filma, cmara
municipal vendem-se consiantemente bixas novas
por menos 25 o centa qoe em outra qualquer
parte: recebem-se por todos os vapores.
HEMORRHOIDAS, CLICA,
Ictericia,
FEBRE GASTRO-HEPATICA,
E outras enferraidades anlogas.
Ellas vio rpidamente substituindo os antigos
purgantes drsticos.
A venda as boticas de Caors & Barboza.;
rua da Cruz, e Joao da C. Bravo A C, rus'
da Madre de Dos.
Liuiiiiicas di Sei i'l.
Cliegou una porgao de lingnicas do Serid para
o novo deslino na rua do Cotovello n. 1, esquinal
para a de S. Gongallo, e vende barato ; a ellas, an-
tes que se acabem, bom pelisco para quem gosta.
Vende-se urna casa terrea na iravessa do
[ Carme, com 2 sala*, 2 quartos, quintal e cacimba
propria : a tratar na travessa do Caldelreiro nu ;
mero 12.
- Vendem-se linguas do Rio-Grande muilo no-''
vas, por barato prego : na rua do imperador n. 83,'
d''fronte do Correio.
ESORAVOS FGIDOS.
Ausenlou se da casa do seu senhor, no dia 21
do rorrente mez, o mnlattnho de nome Rufino, ida-
de de 12 annos, levou vestido caiga de riscadlnho
azul desbotada, camisa d'algodaozinhn azul velba,
chapeo de palha de carnauba pequeo, e :em os
slgnaes segniatcs : cabera e orelhas grandes, ca-
bello annellado. tem o andar cahido para a frente,
e quando anda metie as poutas dos ps para den-
tro, 6 muilo ladino, tem sido visto por diversas ve-
zes as quatro freguezias desta cidade jogando a
empinando papagaio com outros moleqoes : roga-
se, porlanto, tedas as autoridades policiaes e ra-
pilaes de carripo que o peguera, levem-o amado
Pilar, era Fura de Portas n. 83, primeiro andar,
que serao gratificados generosamente
Fugio do lugar .u Salgado, perto da guari<
ta da provincia da Parahiba, o negro crioulo do
nome Rento, cora os signaos seguinies : cheio do
corpo, bem fallante, puuca barba, mas bstanle nos
peitos, e era um dos rejeitos dos ps um costura*
proveniente de cortes de enxada : pede-se aos ca-
pilesde campo ou mesmo as autoridades o ap-
pivhi ndam e recoiham cadeia, aunntciaodo pa-
las folhas desia cidade: protestando o abaixo as-
signado coulra qualquer pessoa que o teulia ero
seu poder,
Fugio na tarde do dia 16 dejolho p. p. um
rscravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
do hiate S'inla Auna, viudo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos pouco mais ou menos, eos sig-
naes segointes : altura regular, secro do corpo,
puuca barba, cabello crespo, levou camisa a
calca de algodaosinho de riscado azul echa-
peo de palha, lendo levado comsigo u:na trouxa
com mais roupa, e 6 rendido de urna das venlhas:
quem o appreender queira leva-lo rua da Madre
de Deas n. 38, ou rua do llrum n. 55, que ser
recompensado.
O escravo Jos, preto crioulo, de 26 annos,
baixo, corpo regular, beicos grossos c estufados,
orelhas pequeas, cachaco grosso. pouea barba
poniuetem apenas na pona do queixo, que se ten
anuunciado jior este jornal como fgido desde 23
de julho pruximo pas-ado, consta que algucm o
tem acoulade, se assim seu senhor protesta ha-
ver^dias de servicj e tentar acgo judicial, conira
qnam a tanto se tem atrevido, e' para maior esrfa-
recimento das autoridades e capites de campo,
seu senhor declara que esse escravo foi comprad
a Francisco Antonio Thenorio deAlbuquerque (co-
nhecido por Chic) morador em Goianna, que ven-
den-o como procurador de Joao Barbosa Corde>
ro morador em .langadeira sitio Canto Alegre 11O
mesmo terreno de Goianna; ausentou-se oito das
depois de comprado, levando apenas no corpb
duas calcas urna branca e mura de castor escurb
de listras. sem camisa, pab-tot prelo, o com um
carapuca encarnada na cabega, secuio para a re-
ferida cidade de Goianna em procura da casa de
tima amazia que all tem, all foi visto at o dl
em que conslou ao tal Thenorio (Chic) que offe-
receu-se para agarra-lo, mas infelizmente nao foi
mais visto depois desse dia, constando ento qu
esse algnem o condozio para Timbauba ou Cruao-
gy : quem porm agarra-lo 011 der noticia cerRl
delie a seu senhor na rua Direita n. 54 da cidade
do Recite, Contina fgido e consta estar acontado era
Goianna o escravo Jos, preto, crioulo, de 26 an-
uos, baixo, corpo regular, beicos grossos e estofa-
dos, orelhas pequeas, cachago grosso, pouca bar-
ba poique tem apenas na pona do queixo, levoa
duas calcas, ama branca e outra de casior escuro
que parece preto, de lislras, paleto! preto, sem ca-
misa e com urna carapuca encarnada na caheca :
roga-sc s autoridades policiaese capites de cam-
po que o apprehendam e facain conduzir presen.
ca de sen senhor na rua Irrreila desia cidade n-
54. que serao generosamente recompensados.
Fugi' no da 2 do corren!;? o preto Manoof,
Coniro, de Idade de 70 annoe, levou camisa de al-
godao de li-tra^ calca de casemira de quadrinhos,
chapeo de palha, tem as pprnas arqueadas, urna
marca de listra em um brago, bem conhfiddj
per ter sido do Sr. Francisco Lin* P.ies Barreto,
senhor d>engenho Arandepe : roga-se s autori-
dades policiaes e capites de campo a apprehensad
e entrega-lo no pateo da auta Cruz n. i, que ;:
gratificar.
LISTA GERAL.
,09"

<
DOS PRESOS DA A i. PA ITE L). \ 1 . Ll R1A t;u-> LKD1L A POt LE PRO vINUl. iL iS 330, A UL NE1-U 10 L A IGf EJA )ES. Itll'A DE CJ iSSIA DEST. V CID VDE, EXTRAHIDA EM 27 DL SETEMBRO DE 1864.
NS. PREMS ss. REMS- j.\S. PREMS. XS. PREMS. NS,. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. -NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. pNS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. XS. PREMS. .XS. PREMS.NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. XS. PREMS. NS. PREMS.
6 40 168 100 321 10* 492 10* 684 10* 847 40* 1015 10* 1181 10* 1403 10* 1577 20* 1772 10* 1970 10* 2126 10* 2330 10*12513 10-3 2o85 0* 2348 10* 3032 10* 3116 10* 3337 10*
iO 100 70 25 500 89 49 10* 20 - 82 11 94 10* 73 72 29 31 - 14 -1 61 10* 51 33 - 3200 40
11 __ 72 28 3 91 57 23 83 15 1600 __ 85 73 31 34 17 | 69 53 37 1 40* 44 20*
1- 73 30 5 20* 95 61 20* 27 92 16 1 20* 86 75 32 35 19 . 71 56 38 - 4 10-3 60 105
i; 74 _ 31 _ 9 10* 98 04 10* 31 94 17 6 10* 92 83 35 40 20 ' 77 61 __ 40 - 61
16 __ 75 34 __ 18 99 20* 65 20 32 96 24 11 94 89 40 47 22 -. 78 66 __ 41 100* 9 __ 63
21 m 80 40 19 _ 700 10* 69 10* 34 1200 33 1 95 90 43 50 24 79 67 -200,3 43 10* 11 67
23 105 84 45 31 5 70 36 9 34 17 98 100* 95 59 53 26 84 20* 72 10* 44 12 68
25 __ 86 47 32 7 73 37 11 33 18 1802 10* 97 . 64 53 100* 28 89 10* 73 45 - 14 71
28 __ 89 54 _ 36 9 73 47 - 13 37 20 20* 0 20* 2004 63 36 10* 30 90 76 46 - 17 72
31 20 92 200* 56 37 12 40* 76 30 14 42 21 10* 17 10* 6 71 58 33 96 77 52 - 24 73
36 10.J 94 I0 59 41 16 10* 79 52 15 44 33 21 20* 16 73 63 34 98 78 56 - 29 75
40 405 98 62 41 20 80 54 17 46 35 __ 24 10* 18 74 68 42 2700 82 58 32 77
i- m 202 _ 66 48 22 82 56 20 58 36 _ 33 19 40* 76 69 43 4 85 65 - 38 79 , ,
51 105 3 72 _ 51 23 83 39 24 40* 63 46 _ 34 22 10* 81 _ 73 48 6 91 2:000* 68 20* 39 84
54 205 6 74 __ 58 24 8 60 27 10* 65 50 40 27 40* 83 77 54 9 92 20* 70 10* 43 86 _
S7 105 12 78 59 20* 29 88 62 31 72 55 43 30 10* 83 79 53 20* 11 93 10* 78 46 89
59 _ 14 40* 79 62 20* 32 91 67 36 73 - 56 55 32 89 83 56 10* 13 97 81 20* 47 90 __
63 20 10* 82 68 10* 34 93 68 37 77 62 200* 57 39 93 84 64 40* 15 99 84 10* 31 96 _
67 _ 21 89 __ 71 37 94 77 40 84 20* 65 10* 59 43 97 89 68 10* 18 2902 85 53 _ 97 40*
09 __ 27 93 _ 78 39 95 78 20* 41 83 10* 70 69 47 2204 92 69 22 205 4 87 57 _ 3402 10*
71 _ 28 95 _ 80 42 __ 99 82 10* 45 87 76 70 - 49 6 98 71 26 10* 6 92 66 __ 4
76 ^M 37 404 90 43 20* 900 84 20* 46 89 20* 82 71 53 7 2406 _ 74 - 27 - 19 95 68 8
80 --- 38 0 20* 92 20* 55 40* 6 85 10* 60 91 10* 84 73 57 10 7 77 28 40* 21 97 69 6 .
88 --- 47 10 20* 94 10* 59 10* 10 91 61 96 40* 86 20* 75 59 17 12 83 100* 33 10* 27 99 10:000* 74 8 _
94 __ 49 11 10* 97 63 12 94 68 1500 10* 88 10* 77 60 24 14 86 10* 37 29 3100 10* 75 _ 16 i,.
93 mmm 52 20* 10* 13 98 66 _ 13 20* 99% 82 40* 2 93 81 61 23 20 88 38 20* 32 11 77 21 __
98 ^_ 14 _ 99 67 _ 26 10* 1100 90 10* 4 94 86 64 30 _ 22 40* 94 41 10* 36 12 86 __ 23 _
100 _ 57 58 17 _ 601 77 27 1 96 5 40* 99 91 65 34 _ 24 10* 95 20* 43 40 16 - 90 _ 33 ^^,
1 s 22 ^ 5 79 30 4 1301 7 10* 1703 94 66 43 26 97 10* 51 42 18 92 __ 37 ^
63 H 25 _ 6 80 40* 36 6 10 ~~ 12 4 95 70 44 30 99 52 46 20 - 97 __ 41
s. 63 --- 30 __ 7 82 10* 40 8 15 amm 14 5 99 75 47 36 2600 54 54 22 99 42
6 8 10 13 19 23 26 27 38 37 40 43 51 53 51 61 63 66 73 . , 32 ^_ 11 86 41 9 19 15 I 10 1907 76 51 46 1 58 68 29 - 3300 49 _
74 ^_ 34 _ 17 87 45 13 20 21 100* 11 200* 11 80 69 47 5 40* 59 20* 70 35 - 2 52
79 36 _ 21 93 30 2:000* 21 _ 24 25 10* 13 10* 18 81 77 53 7 40* 62 40* 78 36 3 53
80 37 _ 36 94 51 10* 24 __ 25 26 15 19 100* 84 82 62 11 20* 65 10* 80 37 - 4 54
82 39 M. 40 __ 93 34 28 _ 27 28 24 40* 23 10* 83 89 63 12 10* 71 88 40 - 5 60
86 47 _ 41 20* % 36 100* 31 _ 32 32 26 500* 24 94 90 100* 66 14 76 91 42 8 20* 63
92 20* 60 , 42 10* 99 64 10* 37 51 38 28 10* 25 96 200* 92 10* 91 15 78 3001 49 9 10* 68
95 10* 61 _ 44 804 70 40 57 39 30 100 10* 99 __ 69 16 - 80 20* 2 50 - 11 72 20*
98 68 _ 49 6 75 42 20* 60 40 38 35 2 2302 72 23 83 10* 10 53 - 12 500* 75 m
301 71 ^^ 50 13 - 79 44 10* 62 41 40 to* 40 3 4 82 23 86 12 57 14 105 77
4 5 72 53 _ 19 83 51 8 46 42 10* 43 20* 4 5 84 26 88 16 60 - 18 80 _
73 40* 37 22 87 53 67 49 44 44 10* 9 9 86 27 2805 17 62 - 21 86 _
8 9 14 15 16 76 10* 61 25 91 56 74 51 48 47 10 12 87 31 11 21 70 24 87 _
77 76 27 % 100* 38 __ 76 54 49 52 12 14 90 33 13 21 83 25 89 _
79 _ 78 32 1000 10* 60 100* 85 60 58 53 15 17 93 38 17 23 87 - 26 90 .
83 __ 80 36 7 64 10* 87 -' 64 38 ' 56 19 20 ' 99 39 21 20* 28 92 27 91 toa
85 fgg 81 41 10 66 88 | 99 69 9 66 20 22 2501 43 35 10* 29 93 - 28 94
17 1 91 83 42 11 72 72 64 68 21 24 0 | 54 47 -| 30 fe I 33 99 -
0 escrivao. Jos \ Pedro das Neves. Pern. =Tyi >. de Manoel Figueiroa s Paria & ilho= 1864.

_

_
I I
y ^



D!rl 4t

Qn:u a Mr* s t Netembra !!.
LITTERATR
Mais una falsa asserco acerca do Drasil.
Arseoio Houssaye diz o seguinte em sua obra.
As mulhores como elas s3o.
Entre a belleza pagua e a belleza ehrista ha
um mundo de intervalo. Pallaremos da bellota
Mr. Tbouvenel escrevia 3de setembrode 1861 a
Mr. Meveier : Se os Estados-Unidos houvossem ad-
herida antes da erise actual a declarago do ron-
gresse de Par(ls, o gabinete de Washington ter-se-
bia, sem duvida alguma. prevalecido disso para
contestar hoje aos estados do sulodireito de armar
corsarios...
Importa va evidentemente prevenir o gabinete
Washington contra a convirgo emjqiie poda es-
africana, que consiste ero tor ama bocea rasgada
at as orcinas? As Ribas dos reK se os ha anda 1a.e. rat,ado Prlectodo "os obngava tarabem
___,. ,, ., .. ..... a considerar uor.- avante como piratas os corsarios
por la. gastara soas horas d ocio em ferir os labios > r
com espinhos para realizar esse ideal! Nu Brasil, o ,.
Lord Russell usava da mesma linguagcm com
Mr. Adams a 28 de outubro de 1861.
Acontecera, em consequencia da posico to-
mada pelos Estados-Unidos, que os corsarios do
sul poderiam ser tratados como piratas.
Estas palavras s se inspiram de um sentimento
de humauidade. porquanto desde 23 de maio de
nariz chuto perttnce an typo consagrado. Entre os
selvagens, nao ter naris, 6 o prototypo do bello.
Na China, julga-se a mulher pelos pos, o rosto
val pouco para ser apreciado. Entre os negros e
08 Mouros quanto mais negro se mais bello; e
poderao os brnnros negar es!e axioma? Entre os
amigos Judeus a mu'her donrada era a mais bella.
Os Hollandezes amam as rotossos, os Napolitanos as
18G1 Mr. Tbouvenel prometlia a Mr. Daylon :
Quencnbum corsario seria equipado nos portos
5 fraurezes.;eapezar das tentativas dos agentes
confederados, que em diversas pocas bao impreso
teria assaz difliculdade de sabir-se bem do nego-
cio, se a pozessem na presenca do cero mniberes
trgueiras, loaras, palhdas, roseas, douradas, pur-
pureas, alias, batas, gordas, magras, niateriaes,
vaporosas, espirituosas, singelas, joviaes ou melan-
clicas. A quem dara ella o premio. At aqni
Houssaye.
Pode com effeito para o Chinez ser bello o p
ahijado; nem por isso menor qnn o niveo, delica-
do e mimoso de tanta Brasileira que os tfem
Pompadour : podem os nebros postar dos beicos-
i o'm'uas das deidades de Guide que apesar de
europeu. rao deixou de apaixonar a Carnees. Po-
dem os Hollandezes gostarem das mulheres gigan-
te*, e os Napolitanos das mtgnotn, que segando um
cosso amigo sao as melhoresporque diz elle
c mulher e sardinba quanto mais peqoenas, mais
gostosas. Pode Salomao ter cantada a cor dou-
rada da moabita; pode o azeviche ser a cor bella
para os amadores africanos, posto contra isso pro-
leste a paixo de Othello que porrn negamos
siooado a opiuiiio publica, est palavra tem sid
eoiii|p|etamente mantida. Entrava tao pouco no
pensamenlo de lord Russell, como n9 do Mr. Thoue
venel, dar pelo reconhecimento dos confederados
como belligerantes, e pelas exigencias que obsta-
raro Mr. Seward de subscrever o tratado de Paris,
urna animagao a emprezas fataes ao commercio
americano ; mas bem que se achasse armado de
una lui especial contra taes emprezas, o governo
inglez se mostrou por muito lempo impotente em
reprimi-las.
Fo no mez de maio de 1861 qne a Inglaterra re-
conheceu os insurgentes como belligerantes, e den-
tro em breve se viu sahirem dos portos inglezes
corsa'ios confederados.
O primeiro foi o Florida ; a sua historia muito
obscura, porque neste momento os agentes do go-
verno confederado na Inglaterra se envolvan) an-
da no mysterio. O Florida foi construido em Li-
que, para nos Rraseiros, soja typo do bello o verpool, com aberturas para seis pecas, e inteira-
nariz chato. Deus seja louvado I.. .0 Brasil ape-' mente equipado, como navio de guerra, com o no-
zar de explorado por quanto especulador ha euro- me de Ordo.
peu, apezar de frequentemente devanado por ellos i Demorou-se por algum tempo neste porto, onde
nem por isso hoje mais conheeido!.. .Xa Eu-j0 seu destino era perfeitamente desconhecido ; o
ropa considera-se este pobre paiz urna especio de ministro americano, havendo-o denunciado a lord
trra de hottentotescujos habitantes andam de Russell, abriu-se urna devassa ; mas foi levada de
tanga, tendo a um lado pendente a galorina do
vencido, e na mao a maca ou tomawok do selva-
gem! De balde os Sant'llilaire, os Humboldts, e
viajantes conscii.iciosos dzem a verdade. E-tes e
os Fernando Dnz sao descridose os mentirosos
tem voga Para o europeu a cvilisaclo est na
Europaludo mais selvagem. E' o amigo ti-
tulo barbaros tudo que nao era aurbs roma-
na Um miseravel Jonh Iiiill meme com o maior
cynismo. rhegando a asseverar que assassinado
aqui quem corta urna banana rom faca e a se-
melhanca deste, outros Lenormands, posthSes da
mentira, dizetn 8 que lhs vem a cabeg.a E o po-
vo europeu em sua ridicula ignorancia vae crendo
o que ibes impingem os escriptores mentirosos'
tal modo que nao produziu resultado algum.
O Oreto tomou carta de bordo para Palermo e a
Jamaica ; alistou urna equipagem de 52 homens;
mas dirigiu-se directamente para Nassau, porto
eommercial inglez dos Bahamas, que se tomou o
centro de todo o commercio de contrabando..
Ignora-se se o Florida tomou armamento e car-
ga as agaas inglezas antes de chegar a Nassau,
ou se as recebeu neste porto. Foi momentnea-
mente retido, e depois relaxado pelas autoridades
colouiaes. Seguiu em breve com o seu armamen-
to e carga para Mobile, e conseguiu entrar. Foi
este o nico entre os corsarios sahdos dos- portos
inglezes que tomou o trabalho de se dirigir a um
ponto do sul e as aguas confederadas antes de
de Rich-
mond.
IV
porque estao na persuasao de quecontra toda a
leinatural-o Brasil est tal qual foi descoberto; e>
em loOO! Verdade que actos do nosso governo i
parecem de algum modo indicar falta de bro e '
sensoe um tal qual estado de atrazo e selvageria! O Georgia (que primeramente se chaara Ju-
-HX>mo as celebres convengoes consulares etc. etc. pao) e o Alabama, construidos ambos na Inglater-
mas nem por isso se deve concluir que o Brasil', ra, comecaram suas depredarles sem haverem re-
anda hoje seja molocos de hotocudos ou Tupini-; cebido commissoes, armamento e equipagem em
quinscomo imaginam na Europa. um porto do sul, e segundo a expresso de Mr. Lo-
rng, conservaram sempre com a Inglaterra una
Se o Brasil ostenta em seu seio todas as ragas
em que se divide a familia humana, nem por isso
predomina urna s. Pode o nariz chato ser attrac-
tivo para as racas africanasou para alguein que
della gosta, cuino a mor parte dos estrangeiros
que entre nos aportamporque em fim la diz o
especie de connexo umbelical, porque foi des por-
tos iuglczes que durante muito tempo se Ihe torne-
ceraui uiuuieoes de guerra e carvo, tilo regular-
mente quanto Ih'o permetlia sua carreira avent-
rosa.
O segundo destes navios adquru urna triste e
cantor dos OrieuUes qiu o prazer [az faisear frmidav(.t celebridade. Era um magniQco sica-
os ollws da Africana ? mas o que verdade que nmujd deuma pod(jrosa machina que Ihe va-
o typo do bello entre nos, nos por certo o nariz ,e(J evadjr.se pulo espaco de dous annos a lodas as
chato e a carap.nha-mas o puro typo caucsico- ; per5l,guicues. Construido em Liverpool, nos esta-
o perfil grego-o todo das Malagambas ou das He- |er08 de Mr Laird> solj a di,.tCca0 d5 agentes con-
lenas. A Brasileira nao inveja a graca da France-1 federadoSi t0rnou-se em breve objecto da vigitan-
za, o p mimoso da Andalasa, a cor rosea asseti-
nada da Ingleza, as espadoas aristocrticas da Ro-
mana, o cada da Polaca, o moreno dourado da esposa dos Estados-Unidos em Londres, escreveu a lord Rus-
Contiroso donaire da Judia, o rosto da Georgia- sell para informa-lo que o relo (Florida: seguir
na, o porte da Grega, a ardencia da Africana, para Nassau, e paralhc annuneiar que ontro e
sangue borhulha-lhc as veas e o amor povoa-lhe o' mais formidavel corsario ia ser lancado ao mar em
litar faz reinar a ordera I Em todo o curso de seu* rDa do tribunal, que mais tarde ordenou a u-
cruzeiro?. o Alabama encontrou simplesmenle dous mada c'os dous navios empavesados, construidos
navios de guerra do norte. O primeiro 11 de ja- etn Liverpool pelos confederados, se bem que mo
neiro de 1863, no golpho do Mxico, a poaoa ds- boavessem ainda recehido seu armamento. Refe-
taucia de Galveston. O Halteras, steamer de 9 pe- rlndo-se nos termos do acto de neutraldade Ingle-
sas, commandado pelo tenente Blake, se diriga za> ^ *aci' convencer que condemna qualquer par-
este porto; forma va parte da pequea esquadra '
encarregada de operar as costas do Texas, apenas
bordo do alabama se dea sgnal do Batieras, tu-
do se dispoz para o combate.
Esperou-se as prlmeiras sombras da noute, e o
corsario confederado resvalou silenciosamente per-
to do vaso federal. Perguntaram-lhe o nome : o ca-
pttao Semmes respondeu :
tO steamer de Sua Magestade Britannica Peten
e no momento em que o Halteras se dava a co-
ahecer tambem, disparando-lhe urna banda de ar-
tilharia. A luta durou poucos instantes; o steamer
federal, sorprendido e esmagado por artlbara su-
perior foi a pique e sua equipagem feita prlso-
neira.
As cestas da Franca presenciaram o segundo e
ultimo combate do Alabama. Depois de algum
tempo, diziam-no partido para os mares da India e
da China, e acreditava-se roesmo que fra espiar
as paragens da California os ricos steamers car-
regados de ouro do Sacramento, miando subitanipn-
te se viu chegar s aguas francezas e entrar no
ancoradouro de Cherborgo. Foi logo sesodo pelo
Kearsage, navio federal, commandado pelo rapitao
Winslow, que desde mnito se esforcava intilmen-
te em persegu-lo.
O capitao Winslow nao entrou no porto, conser-
vou-se mesmo fra das aguas territoriaes, aflm de
ser senhor de todos os seos movimentos e dar caca
ao Alabama desde o mamento de sua sabida ; mas
desta vez o capitao Semmes nao procurou escapar
ao sen adversario, como fizera- oulr'ora no Cabo da
Boa-Esperanra.
Eoganado, sem duvida, por falsas informales
acerca da torca e armamt-nto 6b Kearsage, resol-
veu ataca-lo. A' 19 de junho, por ama bella roa-
nha, o Alabama acendia as caldeiras, e s 10 ho-
ras sahia do ancoradouro com a fragata franceza-
Coronne, encarregada pelas autoridades d porlo
de o escoltar at 5ra das aguas fraueezas.
A's onze horas precisas,o4/a6uwaencontrou-se
cora o Kearsage cerca de 82 kilmetros da costa,
ao nord-nord-ste de Cherburgo. As fercas respec-
tivas dos dous comBatentes pareciara mais ou me-
nos eguaes. .0 Alabama arca va 1,040 toneladas e
tinha 12 pecas. As d pecas de batera, todas pas-
sadas a bombordo durante o combate, era com
poura differenca de ealibre 30. A peca d proa era
de 88, e a pega de caca da popa de 100. O'Kearsa-
ticipacao nao autorisada na preparacao de um na-
vio de guerra, desde que este navio deve servir
para hostilidades contra urna potencia belige-
rante.
Muito se crilicou durante processo da Alexan-
dra a redaccao do acto de neutraldade e um dos
advogados da defeza vangloriou-se de fazer passar
fcilmente urna armada de guerra por entre os ar-
tgos deste acto, o bom senso todava acharia diffi-
cil ah passar com ella.
Se a doulnna do tribunal do thesouro fosse ad-
mttida,se o acto de neutraldade nao podesse ferir
seoo O navios que tenham osen armamento com-
pleto com urna peca e urna bala, seno podesse
arranca-Ios seno das mos daquelles que com suas
pessoas se preparavam fazer acto de belligeran-
tes, este acto seria absolutamente Ilusorio. O le-
gislador niio deve perder tempo em proteger a neu-
traldade ingleza por urna le efflcaz. Esperava-se
geralmenle ver cessar a sentonca do tribunal do
thesooro; mas o processo de Alejandra naufrago-, fofltad'S. v,,aJo'(lue a ,u8laterra sement
em breve em puras questoes de forma. A cmara Os Estados-Unidos de c-rto seriam desarrasoa-
dos lords, consultada depois do tribunal do thesort-! dos de queitarem-se que um estatuto ingle fosse
ro, decidru 5 de abril queosjuzes do tribunal do! ",al |omprelnddo, (jue juizcs ingleza tirem a
urna de suas leis toda a ellkaeidade por interpre
r^vel de navios partem deste palz armados e ma.
ni los de equ pageos, e se estes navios vo atacar
a esquadra de bloqaeio de um paz com que esta-
mos em paz, se taes expedigSes se preparam nos
portos das possessoes de S. Magestade, ha em pri-
meiro lugar urna grande affronta, um Insulto au-
tondade da rainha, e em segundo lugar una par-
ticipacio na guerra em favor dos estados confede"
rados e contra os Estados-Unidos. >
Se as interpretares que so pdem dar na In-
glaterra aos artigos do forrign rnlistmen act tor-
nan) mais dflleil em certos casos o encargo do go-
verno encarregado de rnanter e fazer respeitar a
neutraldade, uo podem absolve-lo de sua respon-
sabilidade para com os belligerantes.^O foreign en-
listment act um estatuto municipal, que nao im-
poe obrigacoes senao aos cidados inglezes. Os de-
veres do governo inglez para oom as outras po-
tencias nao sao menos fuudadas no direito das
gentes.
Os Estados-Unidos podem velar com ioteresse
especial as applicac.oes do forrign enlistment act
inglez,porque elles mesmos pouem urna lei seme-
Ihaule ; mas em nome do direito das gentes que
a repblica americana pode reclamar tima neutra-
ldade sincera. Historeos de balde repete, e com
raze, que o jorngn enlistment act um acto pura-
rneuie municipal ; nao tem direito deoafBrmar,
ellas particpam todas com egual interesse da fie-
conservago das regras ratemacionaes, e a neutral
lidade tem deveres, assim como direitos qne de-
vem estar cima das paxoes irreflectidas e de ran-
cores passageros.
(Reme des Deux-Atondes).
thesouro haviam deixado dar una forma vieosa
appellacao da corda. O lord cftanceller, dandosua
opinio, na? tinha o direito de dzer que o estrrn-
doso negocio da Alexandra Ihe (embrava a montan
nha, dando luz um rato? O paiz esperava urna
inlerpretacao riiflnitiva e solemne da lei, pelas pri-
raeiras autoridades judiciarias do reino ; e apena-
se ecuparam com'susceptibilidades teetmieas.
Desgracadamenl'e a deciso da cmara dos lords
restitue toda sua torga sentenga primitiva do tri-
bunal do thesouro-, setHetga que descontenta a
quasi todos, e de que os-menos miopes eonhecem
hoje o perigoso alcance. Se o commercio dos na-
vios de guerra nao deve hoje soffrer mais renhum
neutros arsenaes, portos, que durante todo o empo
da guerra Ihe sejam mais uteis que seus proririos
arsenaos e seus proprios portos, pois que estao 6ra
do alcance do inimigo, se urna naga sem mariaha.
e de que todas as costas se acham hermticamente
bloqueadas, pode improvisar de longe urna armada
e destruir o commercio de seus adversarios, se um
navio pode adquirir urna nacionalidade sem nunca
penetrar as aguas nacionoes, quem deve sentir-se
; mais ameacado com semejantes doutrlnas ? O que
ge arca va 1,031 toneladas e tinha oito eras ane- i J ,. ,
1 dina o lord chirf-baron no seu longo resumo do ne-
gocio da Alexandra ?
Quando dous belligerantes estao em guerra,
obstacul, se os belligerantes podem encontrar nos i neutras prohibern as presas de navios capturados
eulrada-de seus portos ; do que resulta que em
lugar de veuiierera as presas as destroem no mar
largo. Os tnUuiiaes
cia do cousul americano.
coragao e as brisas da tarde Ihe fallara de poesa
c- de amor !
Para nos que as vemos e que as admiramos-
Liverpool.
A' 2[ de junho, lord Russell abru urna devassa,
c intormaram-o que os constructores para nos que sbenos render cultos ao bellonao | nam djspotos a re?ponder a nenhuma pergunta
por certo o nons achatado que nos altrahe-os: acerca do fa,uro dosljno des|fi nav0 Recusou
descendentes de Japhet no Brasil-ate as filhas onsc enPa 0fCupar.se do negocio antes de
de Chara bu>cara os Ujpos que mais se aproximara receber && provas de ^^ foreign enhstemenl
da raga mi -e s os Iloussays ou os que de tal o flc< Mf_ Adamshavia ja tornecido cartas dos agen-
nas, seis das quaes eram de 32, e duas de 150 do
rnodeflo chamado Dahigren de cano liso. Chegan-
do a 1,600 metros de seu adversario, o Alabama
atiwu-lhe algumas balas, o Kearsage responden ao
cabo de alguns minutos, e em breve o combate ter-
nou-se activo. Os dous steamers tendo pasando to-
das as pegas para bomlwdo e obrigados a conser-
varse em distancia, ooroegaram a descrever um
grande circulo em roda de um centro commum,
cujo dimetro foi primeiro de 800 metros, cas ter-
minoupor se estrenar a200.
Em breve se cnnheceu a bordo do Alabama que
os obuses enviados sobre as partes medianas no
Kearsage eram repeltdos sem penetrar.
A machina no navio federal hava sido posta ao
abrigo por meio de nm empavesamento Improvisa-
do brmado por correntes de trro, e escondido por
um forro de madeira. Os projectis flieram voar
emestilhagos a frgil tapagem; pormos los mo-
vis dascorrentes protegern) efficazmente as obras
vivas do Kearsage. & Alabama nao tardou em re-
ceber nma bala na machina, ama oatra quebrou-
Ihe o hlice, e pertaroa a popa do navio, que se
afundou de proa para o ar. Afinal a ultima des-
carga do Kearsage, que gradualmente se aproxima-
va ao passo que diminua o togo do Alabama, al-
cangou este navio e abr'ra-lhe am enorme rombo.
Dez minutos depois-o Alabama ia a pique.
A tripolagao, apinhada proa, precipitou-se ao
mar e foi recebida pelo proprio Kearsage, em par-
te por um yacht inglez que fra testemunha de to-
do o combate e que recebeu a bordo o capitao
Semmes.
O terrivel duellodurou pouco mais d-1 hora;o
Alabama affundava-se alguns minutes depois do
meio-dia,e s 3 horas o Kearsageancoravaao por"
to de Cherburgo. Suas avarias foram insignifican-
tes; duas balas am>rtecidas pelo empavesamento
haviam deixado o trago atravs de bombordo em
piona machina, c duas outras balas haviam alean-
gado sem destruida, a canna do leme.
O fim trgico do Alabama ne deve fazer ee-nqs
ser o papel que este navio repersentou durante
um poder neutro pode, sem violar a lei internacio-
nal, nem o foreign entistment act, tornecer-lhe mu-
nees de guerra, plvora, armas de toda a especie,
i emfim, tudo quanto pode servir para a destrugao
I dos homens. Porque sero os navios urna excep-
go ? mi nha opinio que a nao devem ",tt.
V
Existe pois, ama notavei differenca profunda
entre o rpie se pde|chamar os materiaes e os ins-
trumentes de guerra. As armas, a plvora^ as mu-
nigoes nao sao mais que m3teriaes ; um vaso de
guerra, um rorpo de exercito, sao instrumentos
activos ou pelo menos promptos para aego. Em
informaran), poderao dar o nariz chato como con-
digno de be'leza no Brasil. Nao valia a pena es-
se trecho, urna refutagomas preciso elogiar o
bellorepellir o erroe fazer ver a idea que de
nos fornfim os estrangeiros menos cultos.

Os corsarios confederados c o direito das rjenles.
III
(Continuagao.)
Esta adheso foi um acto perfeitamente dcsnte-
ressado ?
Sem duvida, offerecendo as duas grandes curtes
europeas subscrever ao tratado de Paris, Mr. Sew-
ard lisongeava-se de ubstar deste modo o reconhe-
cimento dos confederados, e contava com o bene-
ficio momentneo do artigo deste tratado qne abo-
la o corso : mas nao privava por ventura tambem
o seu paiz das vantagens incalculaveis que o corso
Ihe assegurava no caso de urna guerra com a In-
glaterra ou com qualquer outra potencia commer-
cante?
E' to verdade islo que, primera noticia das
uegociaees travadas em Londres e em Paris' a
imprensa americana se mostrou muito agitada ; e
conjurou Mr. Seward para que nao abandonasse o
direito do corso, nica proteceo de urna potencia
martima que nao quer sustentar forte marinha de
guerra permanente.
As propostas de Mr. Seward foram recebidas fra-
mente em Londres e em Paris. Em vo renunciou
ao artigo addicional em que, como Mr. Marcey,
propunha sentar de confisco qualquer propriedade
privada; cortou finalmente as negociagoes, porque
a Franga e a Inglaterra nao cntendiam tomar em-
penho de natureta alguma a implicados directa
ou indirectamente no conflicto interior existente
nos Estados-Unidos. O quu hava oceulto nestas
vagas reservas ? O receo de ter de considerar co-
mo piratas os corsarios confederados. Mr. Seward
nao ignora esta preoecupagao, quando escrevia a
21 de maio de 1861 a Mr. Adams: Estaes auto-
rido j a propr Gra-Bretanha a nossa adheso
declarago do tratado de Paris. Se recusa, nao
pode evidentemente deixar de ser no intuito de se
tornar sustentculo de corsarios que tendem nos-
sa ruina. >
Quanto ae mais, os representantes da Franga,
e da Inglaterra nao disfargavam esta inquietago.
DI POICO DE TUDO.
L-se no Jornal de Lisboa, o seguate :
Grande numero de personagens do partido or-
leanista sahiram para Claremont, com o fim de a3-
sstir s exequias celebradas pelo aniversario da
morte de Luiz Felippe.
rae
O Moniteur deve publicar brevemente a lista
das condeL-orages concedidas pelo imperador na
occasiao da festa de seu santo.
Rossini ser nomeado grande offlcial da legio
de honra.
AfBrma-se quo Mr. Drury foi attendido na sua
justa pretengo, e que entrarlo no numero dos
agraciados os Srs. Ponson du Terrail e Paulo Fe-
val.
*
Diz se que o Sr. Percre offerece quatro milhoes
de francos pela propriedade do Jome! des Debat.

Diz-se qae era o celebre compositor, Mr. Du-
prati, que eslava encarregado de compor o hymno,
que se hava de externar no theatro d3 Grande
pera, de Pars, por occasiao do anniversario nata-
licio do imperador Napoieo.
**
Vendeu-se ha pouco em Paris um manuseripto
do autor da Jerxaslem Libertada, cuja traduego
a seguinte :
Eu abaixo assignado confes^o ter recebid?
d'Abraho Levy 25> libras, e como penhor dellasj
conservo urna espada de mea pae, seis camisas,
quatro lenges e dous talheres. 2 de marco de
1570.
O poeta tinha ento 26 annos.

orna folha de Milao, Oronaca (rigia, longe de
fundar esperanzas na viagem de Menabrea, sopp
aque.'le diplmala portador do prograrama d um
golpe de estado em Turin, semelbante ao le 2 de
dezembro em Paris.
A Sazeta del Populo faz o seguinte commeotario
a este boato :
O presidente do cocselho, o Sr. MingbeStt vai
casar-se. M razo a lu de me!, para medttar
golpes 'Je estado.
Escusado mostrar quilo pouco criveis se tor-
nara estes projectos liberticidas, que se prestara ao
re, appellidado tialantuomo por Garibaldi. Yuca
, dos ultinws cooselhos de m-nietros, parece que Ihe
ecomo fluctuautes. Pode acreditar-se imparcial, escaparam algumas palavras calricas; mas, quera
porque simultneamente se aceitaran) as etnsuras j em itSO resistiu lealmenle a todos os conselho i
dos confederados e federaes mas os confederados j para ^ rar 0 estatuto de Urlos Alberto, mal o
se queixaram apenas de nao serem reconheddos, i. ., .____i_j_ _j ,.i_^ .
de serem emoatedo com esperarlas falsas nao ha de a-ora W""r, Quaado esse talismn Ihe
tagnes demasiado Complacrates ; se se queixam
em nome dos mesmos principios de direito inter-
nacional ; o que elles pedvm, que a Inglaterra
se uo torne ama verdade.'ra base de operayJcs
para os rebeldes; que Liverpool, que nao podem
moqueiar, nao sej\i um arsenal e um porto confe-
derado ; que a neutraldade ingleza nao per-
mittia por mais lempo emprezas, a que nenhuma
outra uago uc cuncedeu sua protecgo"
Os botes que neste momento resebe o direito das
gentes sao de natureza a inspirar, preciso con-
les^a-lo, vivas inquietagoes. Com que facilidade
se cao pode Iludir o artigo do tratado de Paris que
supprime o corso, pois que basta substituir as car-
ias demarca por commissoes, como fez o Florida
e Alabama !
Para tornar o corso menos fructfero^ as naces
de prejas eram pelo menos
tribunaes onde os inte.-essados podiam fazer-se ou-
vir. e que o pronunciavam a contiscaco seno
depois de um debate eooiradiurio ; mas,'no espago
de dous annos viu-se o rgido capitao do Alabama
tornar-se a si proprio juiz, pronunciar sem appel-
lagao, confiscar ou relaxar a seu grao, interpretar
as (uestes mimas vetes as mais complexas e ar-
duas ; nao conhecendo outra cdigo eommer-
cial, alin de seu eapricno, e suas decisiJes fo-
ram apenas lidas-aos clares avormelhados- que a
marinhagem descobria por vezes no ocano. Afinal
pretendern) nunca que se violassem as regras da
neutraldade em favor de seus adversarios.
Os federaes viram seu commercio quasi des-
truido pelos navios sahdos dos pertos inglezes, e
quando nina satisfago tarda Ihe foi dada pela ap-
prehenso da Alexaiflra e dos navios enecuraga-
dos de Liverpool, um conflicto inesperado entre o
poder jiidiciano na Inglaterra liawria dcspjrtado
suas appreiienses e tirado-lhe todo a seguraoga
futara. O governo inglez testemunhou anda o seu
arar pela paz, decidindu-se receniemenie reali-
sar por si proprio a compra dos deus steamer sen-
couragados apanhados em Liverpool; desesperan-
uma guerra continental, nao se viola a neulralida-1 ** i',er a, comieran .cao dos constructores nos
. tribunaes inglezes, entrou era arraruo directo com
de, se os neutros accedem aos belligerantes armas, eiles e deli.iitava.net impedio a partida destes
vveres, fardamentos, pannos-, sapatos, tudo quanto novos e mais terriveis Alabamos. ConseRuio tam-
bem mudar a direeeao iio Alexandra ; desgragada-
mente estas soluges de fado nao tiram cousa
alguma as incerta-as que envolvem as quesioes de
prorapos para lomar a otfeasiva, passara sua fron- dllelto. 0 cunnicl0 provocado pelo negocio do
teira para se prestar a um dos belligeranes. | Alexandra tanto mais formidavel, quanto
ob.-curesse de um modo completo todos os
principios, que devem servir de guia s na-
serve para um exercito ; mas, violada se os neu-1
tros formado* em regiment* armados, equipados,
Da mesma sorte, em urea guerra martima, os
neutros podem expedir aos belligerantes contra-
bando de governo, porque este direito i contraba-
langado pelo direito de bloqueio c o direito de vi-
sita ; mas um navio de guerra escapa a estes ris-
cos, apprehende, em lugar de ser apprehendido
mas est sujelo a procurar suacommi&so em um
porto beiiigerante : comeca as hostilidades no
mesmo instante que sabe das aguas, onde, ao abri-
go a neutraldade, foi construido sem diffeuldade,
Nem o Alexandra, era os dous formidaveis navios
encouragados de que c.governo se apoderou depois
era Liverpool, teriam feito urna viagem pacifica
atravs do Atlntico, para ir procurar era um por-
to do sul, por entre a esquadra do bloqueio, emum
porto confederado, um nome, um capitao, una ban-
deira, e para ah fazer, desculp-se-nos a expres-
so i a vela das armas. >
Estes navios nc- foram destinados a seren sim-
ples corsarios; erara navios de guerra encouraga-
franqueou urna grande parte da Italia.
Cita-se, todava, ura dito notavei sobre a audida
tentativa, dito com que um alto personagem com.'
pletou a segurto phrase de Palmerston :
Nao o lacho da Polonia, mas sim amecha
do Schieswig que ba de incendiar a Europa.
- era urna, nem outra cousa, se acersseenta-
agora mas sim o facho nupcial do Sr. Mnghetti
Coaf:rma-se a noticia, que j demos, do prximo
enlaco matrimonial do principe herdeiro daltalii
com a princeza ABiia Mural.
A futura rainha tem raas alguns annos que y
noivo, accidente e pouca monta nos matnaonios
publico:-, alia de que os que o. eonhecem, aolizem
ainda moga e de belleza nao vulgar.
O marques Pepol, Glho tsmbem de urna prince-
za Murat, foi quem pediu oficialmente em Paris a
mao da prnceza Anna, que. tendo nascido protes-
certos pa-1 tante, abrag'xi o catholcisnao ha pouco tempo, pc-
por exem-j dendo ^s\m realisar-se a saba resolugo do rei
Vistor Emmanuel, que, apesar das suas questoes
ges. Os actos d neutraldade que
zes, a Inglaterra e os Estados-nidos
pi, inscreveram era seus cdigos nao tiram
sua torca e seu valor seno dos principios geraes.
do direito das geutes que estao destinados a pro-, com o poder temporal, nao quer senao urna rai-
teger ; mas, se a appliocloe anterpretacSo dessas! na calholica no throno de seu successor.
leis conduzem a consequencias que se acham cm ^ oiciauva, que tomou nestas crcumstancias o
I opposrcao cora estes principios, tornam-sc um em-1 fc T ,n ^opinio geral a maior
barago longe de serem urna protescao. be a Inela- u .
i ierra nao tivesse foreign cnlisleunt s, o governo i Siabihdade.
americano teria sem duvida obtido mais facraen-1 Cimentando a uniao da nova Italia com a grande
realisarBo da uni-
aristocraticas da ca-
uma dinasta
tes confederados, interceptadas pelos crusadores
federaes e relativas ao novo navio, e accrescentou-
|he urna serie de depoimenlos em Liverpool. Este
complexo de provas foi entreguea exame dos con-
selheiros legaes da cora a 24 de julho, e cinco
dias depois fo enviada a Liverpool ordera para
prender o Alabama em nome do governo.
Neste intervallo, o corsario, tirando partido das
delongas e lergiversagoes, conseguir sahir do por-
lo sem ser visto. Lord Russell, para dar ama es-
pecie de satisfago a Mr. Adams, declarou que en-
viara a Nassau a ordem para se apoderar do Ala,
bama; mas o corsario nunca ah se presentou-
bem que durante muitos mezes cruzasse as Anll-
Ihas, onde impunemente logrou fazer concertos no
porto inglez de Kingston.
Sahido de Liverpool 29 de julho de 1862, sob
o commando de ura cgpto de marinha de reserva
ingleza, o Alabama juntou cincoenta homens sua
equipagem em Pont-Lynan, depois dirigiu-se Ter-
ceira, nos Agores. Encontrou-se ah com uraa bar-
ca chamada Agrippina, que veio do Tamisa para
Ihe trocar a maior parte de suas pegas e mnngoes.
As autoridades portuguezas quizeram evitar a bal-
deago; porrn o Alabama deu-se como navio in-
glez, oceupado em salvar a carga da Agrippina,
porque esta embarcago estava em perigo de ir ao
fundo.
Em breve chegou Liverpool um terceiro navio,
um steamer, Bahansa, qae conduza o capitao do
Alabama, ciocoenla homens de equipagem, pegas,
carretas e munigdes de guerra.
O capitao tomou o commando, igou o pavilhao
confederado, e leu tripolagao, quasi exclusiva
mente composta de marinheiros inglezes, a com-
missao que recebra de Mr. Davis.
Temos vista um pequeo volume intitulado
Cruzeiro do Alabama, contendo o diario de ura dos
offlriaes que esteve a sea bordo e qae o dexou.
Causa verdadero sentimento de tristeza lr essas
paginas, onde se encontra a cada lnha com deses-
perados monotona as visitas de navios, capturas
e incendios. Cousa alguma lembra nestas notas si-
rastras as recordacoes nm tanto poticas qae a
imagmagao liga ainda ao nome de corsario.
Nao se lem combates aventurosos contra um
inimigo superior em numero! Nao ha rasgos de
amor patritico nessas tripolaces estrangeiras e
dous annos; os nicos tropheos do capitao Semmes 'dos- armados do poderosos esporoes, que deviam
foram, at o combate de Cherburgo, chronometros' Perar ranlra a ^l^dra de bloqueio americano
e dolars tirados aos pacficos capites de navios c os Porlos do Hortc-
mercantes. ro, a a e julho de 18C3 que M. Adams denun-
0 damno causado pelo Alabama ao commercio c0u a sua coostruegao lord Russell, e acompa-
amencano em sua curta carreira avaliado em nhava o seu despacho com depoimentos tendentes
80 milhoes de francos ; mas esta somma apenas a provar que-os navios eutao em construego eram
aproximatva. destinados aos confederados. II. Adams nao occul-
Alra de que nao basta s addcionar o valor de ,ou a lo^,1 Russell que o governo e o povo dos Es-
tantos formosos navios, de tantas e ricas cargas ; tados-Uoidos consideravam o acabamenio c a livre
preciso tambem lembrar o facto que grande na- saluda destes navios como uraa especie de partici-
mero de armadores americanos se vu obrgado a pagao na guerra.
vender seus navios por vil prego, a maior parte das O governo inglez comegou ura inquerito que du-
vezes nos portos inglezes, e tomar em considera- rouatol0 de setembro. Neste momento lord
O ministro dos tamente ao ministra dos negocios esnger)s da
rainha; mas a todo o momento este desapparecia
e fazia cora ijue interviessem essos personagens
anonyuos, a que se chaina aonpelheiros legaes da
cora ; ura, estes conselhcirns nao achavam con-
cludentes as testemunhas em favor das quaes M.
Adams pncurava desinonstar a crirainaldado dos
armamentos toitos na Inglaterra.; ora, a sua de-
mora tira va toda a .lfic:inda to de suas aecisoes. I
Mantenedores Deis das traibees inglezas, foi Leciara i
pfoinptas respostas a lord Russell, (piando tinha de '
responder aos negociantes que se quexavam da I
severidade dos cruzadores americanos.
Nos iiiqueritos relativos aos negocios do Alaba-
ma, do Alexandra e raas natos encouragados, to-
mavam ao contrario o papel de simples advoga-
dos, e, oecupados interamente em propor objec-
cues, em obter proraeuores, em submetler a urna
critica severa as pegas que Ihe eram fornecdar-,
pareeiam esquecer o lado poltico das questoes so-!
bre as quaes eram chamados a emtttir unta op-.
niio.
A Inglaterra sst mais qne nenhum outro povo i
presa a uraa instituirlo : mas este mesrao sent-
ment, por mais legitimo c honroso que fosse, da-
ra ura alcance-maior a todos os conflictos que os
acontecinienios.fariam nascer entre a iei ingleza
gao a alta prodigiosa do seguro de guerra e da per- Russell declarou que os conselheiros legaes da co-; c essa le mais geral, e nao meaos imperiosa, que ;
turbagao geral, causada em todas as relaeoes com- roa consideravam as provas insufflecntes, e que ] se chama lei internacional,
merciaes dos Estados-Unidos. por consequenca o governo nao se juUava autori. L'm paiz pode por algum tempo collcrar a sua;
Aquel.es que carregara com a responsabi.idade sado a aprehender os navios. M. Adams tornando- ^gS. S*BS tlTLi? JTS \
dos negocios pblicos na Inglaterra, comprehen- se mais exigente, contmuou lord Bussell a colher exime do ineliiar-se dianle do que elles tem de
deram sempre os pergos de urna situago, feita informagSes que podessem esclarece-lo. O ministro1 legitimo. Depois de haver victoriosamente resist-'
para excitar tao legitima irritago nos Estados- dos negocios estrangeiros da Franca j Ihe tinha d0 s lindas da neutraldade armada, a Inglaterra |
Unidos. Os espirtos polticos nao poderam deixar assegurado que os navios nao eram feilos para a
de langar urna vista retrospectiva, sobre os inte- Franga.
resses da Gra-Bretanha, e encarar com ama es- Obteve-se tambem prava de que nao eram elles
pecie de terror as novas vantagens que o vapor destinados ao vlce-rci do Egypto, outra mentira
assegura hoje aos corsarios era urna guerra mari- que se hava propalado durante o inquerito. A 5
tima. Deu-se urna primera satisfago ao governo de setembro escrevia M. Adams lord Russell : ^
americano com a tomada da Axandro, qae fra N5o posso exprimir bem o profundo pezarquo
construida pelos confederados am Liverpool, nos me inspira a cuncluso a que chegou o governo de
estaleiros de Mr. Millor. Esta tomada teve lugar 5 S. Magestade.... era tal circumslancia prefiro abs-
de abril de 1863, e o negocio foi levado no mez de ter-me de communicar V. S. a ultima parte do
novembro ante o tribunal do thesouro, presidido ranhas instruegoes, que se refere a este caso, re-
pelo lord chief barn. Provoa-se nos debates que ceioso de contribuir para que se aggravem as dif-
o Afexandra era ura navio de guerra, prompto para Acuidades que j sao por demas serias. Contento-
receber armamento, construido nos termos do um me, pois, cora informar V. S. que transmuto pelo
mercado feto por agentes confederados e para o prximo vapor urna copia de sua nota o meu go-
servico da marinha confederada. terno, e que esperarel as instruegoes especiaes
O attorney-geral, que advogava pelo governo, sustentou que a tomada eslava justificada desde A 8 de setembro, achando-se lord Rassel! na Es-
que o navio era destinado marinha confederada, cossia, intormava M. Adams que a ordem de apre-
O tribu-ai estabeleceuao jury o seguinte dilemma: hender os dous navios j se hava expedido para
< Se acreditaos que o nm dos defensores era equi- Liverpool. Foi. antes de haver recebldo a ultima
pare armar o navio em Liverpool, o acto de neu- no.adeM Adams que lord Russell afirma ter to-
tral.dade foi violado, mas se acreditaos que sen fim mado a resolugo de impedir a partida destes na-
fo. apenas construir am navio para obedecer nos vios. 0 bom tino poupou sera duvida ento ln-
termos de am contrato, sem se importar com o que. gialerra as desgragas que M. Adams delxava pre-
farlam os compradores, nesse caso o acto nao foi sentir coa reserva commovida o solemne.
violado.. O jaryadmittia esta ultima alternativa, Lord Russell declarou, em 12 de fevoreiro de
e os defensores foram absolvaos. im ^ dQs ^
O attorney-geral appellou inmediatamente, e a t Devo dzer que M. Adams nao dexa de ter ra-
mercenarias, entre as quaes apenas a disciplina mi- melhor prova do qae o governo nao adoptou a dou- zao, quando sustenta que, so um numero conside-
nao aceitn solemnemente o grande principio que
proteje a propriedade dos neulios era lempo de
guerra ?
Hoje, s entre as nagoes do mondo, forneeeo
navios de guerra a um uelligeraote, bem que hou- j
vea altamente proclamado sua neutraldade no
conflicto. Se o seu estatuto nao olferece remedio a
um tal abuso, importa que ella o modifique,e este !
o conselho quemes deu o Historicus, Dera como
Cunden. Mas o seu poder executivo nao est abso-
lutamente desarmado, mesmo boje, corara osj que
violara a neutraldade, pode tornar o gover-
no confederado responsavel pelas emprezas que,
depois de tres annos, se executam no slo in-
glez com autorisago e apoto dos agentes deste go-,
verno, e com os recursos torneados por um em-
presumo que ho contrahido. Pode fechar todos os
porlos da Inglaterra e de suas numerosas colonias
a navios que sahiram e sahem fraudulentamente;
de suas aguas.
As queioes que se agitam hoje entre os Estados
Unidos e a Inglaterra sao de extrema gravidade,'
e dao ha nacao que nao esteja empenhada em ve-
las satisfactoriamente resolvdas. Se a solucao nao ,
fr inspirada por sentmentos de alta eqmdade, se .
o espirito de chicana prevalece ao da poltica, o ,
novo direito das gentes esta araeagado, porque per-
manecer lettra morta, emquanto duas nagoes
commerciaes to poderosas, coran a Inglaterra e os
E-lados-Unidos, estiverem separadas por to pro-1
fundos sentmentos.
Faz estremecer o pensamenlo dos males qne ar-1
rastarla ama nova Iota martima entre eslas daas
potencias ; nao se pode prever qual sena o resul-
tado, mas pode affirmar-se que os grandes princi-
pios proclamados pelo tratado de Pars, nao pode-
riam flcar Ilesos. As nagoes comegam a compre
hender sua sohdariedade ; oque constitue o mfor-
militar, este casamento supprimc os uoiecs concur-
rentes, que poderiam acaso levantar pretengoes s
mais. disputadas conquistas do governo de Turin,
os Estados das Duas Sicilias.
E' vertida do hespanhol a seguinte pcen-',a pelo
Sr. A.C. Machado :
SEU CAMNHO.
(Poesa de Luiz Bretn y Vedra.)
Como o sonho de amor adolescente,
Como o terno sonhar do innocentinho
Como o raio do sol resplandeccntc
E' seu carinho.
Como a aurora festiva e radiaute
Quando paluda assoraa no oricute ;
E' sympalico e puro o seu semblante
To innocente.
Doce -lhc a voz qual clica harmona,
Qual o da fonte murmurar sonoro,
Creacao desta louca phautasia !
Como te adoro '
Sa entre as sombras alm tarde miro
A fugaz mariposa doudejando,
As suas cores fulgidas admiro
Sempre pensando.
Quando a risonha flor abre a corolla
Pareen admira-la imraaculada,
T as sombras que a noute desencola
Vejo-te, amada.
Se escuto o serpejar do sonoroso
Regato, pelo campo matisado
Ali o sea alent perfuraoso
Goso aromado.
Es meu bem, meu viver, ninha esperanca
Pura como do infanle a casto choro,
Anginho de innocencia e de bonanga,
Como to adoro 1
Eu nao Ihe pego amor, fra preciso
P'ra seu amor me dar, dar-me ventura ;
Tua lerabranga s mea paraso
Bella creatura I
Eu nao Ihe pego amor, sua bellesa
Idolatro, mas quero respeita-la....
E, pois os teus lamentos de tristesa
Minh'alma cala 1
E o qae te bei de eu dar, mulher querida
Era Irco deste amor di vi rasado ?
Tristesa e versos que de mioha vida
Sao o legado ?
Nada mais posso dar-te, s qaizera
Arrullar-te a innocencia com men cauto,
E em teu selo virgneo se pudera
Verter mea pranto.
tunio de urna nao pode ffmar a fortuna de outra i, PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE P. k FILHO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMEF2OIMG_1YN1IL INGEST_TIME 2013-08-27T23:25:56Z PACKAGE AA00011611_10478
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES